Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10809


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
AlUiO Ll. flDMEKQ 252
Por quartel jago dentro de 10 das do 1, mez : t .
dem depois dos i.0110 ias q comecoe dentro do quartel. ,
Porte o eorreio por tres aezes..........., :
5|000
61000
750
SEXTA FEIRA DE W0VEMBR0 DE 1*65.
Por armo pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,. 19$00f
Porte ao eorreio por um anas.........., 3|9M
\
ENCARREGADOS DA SUB5CRIPCAO DO NORTE
Parahyba. c *r. Antonio Al.xndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Braga: Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maraaho. o Sr Joaquim Margues Ro-
drigues; -PVa,' os Srs. Geranio Antonio Alves &
Filios; Amazona?, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARREGAriOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Ralco Uias; Baha, o
Sr. Jos Martn* Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gaspanoho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruarl,
Altinho, Garanhnns, Buirjue, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pud'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras.nas quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas quintas.
Relago : tergas e sbados s 10 oras.
Fazenda : quintas s tO horas.
Juizo do rom memo: segundas as il horas.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quart
hora da larde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE
51
3 Loa cheia as o h., 43 m. e 28
10 Qaarlo ming. a 3 h., 25 m. e
18 I.ua nova as 8 h., 40 m. e 22 s.
26 Qnarto cresc. aos 38 m. e 22 s.
PARTE OFICIAL
MINISTERIO I V .HVIHi
Circular.Ministerio dos negocios da jusliga.
Rio de Janeiro, lo de judio de 1865.
IIIiti. e Exm. Sr. Conhec.eodo nulas resposlas
dos presidentes das provincias ao aviso circular
desle ministerio de 12 de jantiro ultimo, que irre-
gular e abusivamente se tem concedido a diversos
individuos pela verba secreta da policaGratifica-
coes mensaesque vem a dlstrahir a respectiva
quota do objecto a que destinada, cumpre que V.
Exc faca saber fio chefe de polica dessa
nao tendo prestado juramento no prazo marcado
pelo art. 12 do decreto n. 2,012, de 4 de novembro
de 1857, nao podem mais presta-lo, e se devem
considerar destituidos; porquanto nao pode preva-
lecer o motivo de ausencia, que se allega, e o de
falta de communicacao oficial de sua nomeaco,
visto como o citado artigo exclue espressamente
qualquer motivo.
Deus guarde a V. Exc Jos Thomaz Nabuco de
Araujo.
Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
cia, que o governo imperial reprova terminante
mente taes gratuicagoes que 80 por elle podem ser
auunsadas.
Dos guarde a V. ExcJos Thomaz Sabuco de
Aranjo.Sr. presidenle da provincia de...
Circular.Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 29 de aoslo de 1863.
Illm. e Exm. Sr.Cumpre que V. Exc. faca cen-
sar todas aquellas gratcages para as quaes nao
houve autorisago deste ministerio, couforrae foi
recommendado em aviso circular de 15 do mez
findo alim de que nos balanceles da despeza secre-
ta feta nessa provincia nao veuhan pagamentos de
gratidcacs cora carccreiros, escrives e outras
nao autorisadas.
Dos guarde a V. Exc Jos Thomaz Nabuco de
Araujo.Sr."prcsideuieda provincia de...
2a secgao.Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 21 de outubro de 186o.
Illm. e Exm. Sr.A Sua Magestade o Imperador
provn-1 f0| presenie 0 offlcio desta presidencia, do 1 de se-
2." secgao.Ministerio dos negocios da justiga
Rio de Janeiro. 10 de outubro de 186a
Sua Magestade o Imperador, visto o parecer do
conselheiro consultor dos negciclos d* justiga, visto
o parecer da secgao de justiga do conselho de es
lado, lia por bein approvar a deciso de V. S. s
duvidas apresentadas pelo juiz commercial do
termo de Araruana se a jurisdicgo commeilida
aos juizes muuicipaes pelo art. Vi do decreto o. 1,597
de 1 de maio de 1855, comprelende acios de juris-
diccao administrativa da elasse dos definidos pelo
art. 7o, e quaes sejam elles. fie no caso de com-
petir aos juizes comraerciaes a nomeaco dos ava-
liaJores de seu juizo, necessario que se abra con-
curso, como para os de mala oficios de justica,
cumprindo que os prete.ndeules provena a sua ra-
pacidad* profesional por meio de exame cons-
tante a mesma deciso de seu oficio de 10 de agos-
to ultimo, e consistindo ella era que a jurisdicgo,
de que tratam os artigos e decreto citados, nao se
estende aos actos administrativa especificados no
art. 1 do mesmo decreto ; e que quanto as oulras
duvidas, a vista do aviso n. 148 de 11 de junho de
1853, expedido por este ministerio, nao d clarando
a quem competa a nomeaco dos avaliadores com-
merciaes fra das comarcas, em que tiverem as-
sento os tribunaes de commercio, aos juizes com-
merciaes compete tal nomeago independente de
concurso, sendo de cooforinidade com o decreto n.
1,036 de 23 de outubro de 185a, oomeados de tres
em tre annos, e bastando provar, com documento
passado por pessoa profisslonal, ou por outro qual-
quer meio, que tem capacidadepara avaliar os ob-
jectos pertencentes classe.de que requer ser ava-
iador.
Dos guarde a V. S.Jos Thomaz Nabuco de
AraujoSr. presidente do tribunal do commercio
da corte.
tembro de 1862, consultando sobre o fado de ha
ver um cidado nomeado juiz municipal do termo
da Barbalha prestado juramento dous dias depois
de lindo o prazo que se Ihe marcou para esse
fio.
E o mesmo augusto' senhor, visto o parecer do
couselheiro consultor dos negocios da justiga, visto
o parecer da secgao da justiga do conselho de es-
tado, 11 do crrente mez, houve por bem mandar
declarar que o supplicante, de que se trata, nao
tendo prestado juramento no prazo marcado pelo
arl. 12 do decreto n. 2,012, de 4 de novembro de
1857 nao pode mais presta-lo, e se deve considerar
destituido ; porquanto nao pode prevalecer o motivo
allegado, visto como o citado artigo exclue expres-
samentequalquer motivo.
Deus guarde a V. Exc. -Jos Ihomaz Nabuco de
Araujo.
Sr. presidente da provincia do Cear.
i ii n i m
3.' secgo.Circular. Ministerio dos negocios
da justiga. Rio de Janeiro, 11 de outubro de
1863.
Illm. e Exm. Sr.-Sua Magestade o Imperador,
a quem foi presente a represenlago dos membros
da directora da sociedacle- Becreio dramtico
da proviucia de Santa Calharioa, pedindo que se
declare se o viso n. 61 de 22 de fevereiro de 1838
extensivo s sociedades dramticas puramente
particulares, visto o parecer da secgao de justiga
doconselnode estado, ha por bem decidir que a
inspecgo da polica nao pode ser exercida senao
em os theatros pub icos ; que como taes somente
se considere os theatros, em que o publico ad-
mitlido gratuitamente ou por paga, mas nao aquel-
es, cujas representagoes sao gratuitas e mediante
convites nao transferiveis, e que esta a regra que
d'ora em diante ser seguida, tirando revogado o
sobredito aviso n. 61 de 22 de fevereiro de 1858.
O que communico a V. Exc. para sua intelligencia
e devidos effeitos.
Dos guarde a V. ExcJos Thomaz Nabuco de
Araujo. Sr. presid-nieda provincia de...
2.' secgao.Mini.-teno dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1865.Em of-
ficio de 3 de abril do*orrente anno, communicou
essa presidencia, queapprovara a olugao dada pe-
lo juiz de direito da comarca de Porto Calvo du-
vida suscitada entre o contador do juizo, e urna
parte Mitigante, e consiste em saberse a parle
vencida deve ou nao indenmisar as costas das pe-
tigoes assignadas pelas parles contrarias, u por
seus procuradores particulares. Sua Magestade o
Imperador, a quem fui presente o referido oficio,
visto o parecer do conselheiro consultor dos nego-
cios da justica, viste o parecer da seegao de justi-
ga do conselho de estado de 27 de setembro ultimo,
bouve por bem mandar declarar que questSes co-
mo esta nao devem ser sujeltas & deciso do go-
verno imperial, como decidi o aviso circular n.
70 de 7 de fevereiro de 1856, mas pertencem
jurisprudencia dos tribunaes, e ja tem sido por el-
les decididas, como mostra um arsto da relago
da corte, que contfrnou urna sentenga, proferida
pelo juiz municipal da segunda vara, sobre em-
bargos por erros de comas de quaesquer pelgoes,
de que menciona o regiment, embora assignadas
{i-la- partes e seus procuradores particulares.
Oeos guarde a V. ExcJos Thomaz Nabuco de
Araujo.Sr. presidente da provincia das Alagoas
i a a 'i"
Circular.4a secgao. Ministerio dos negocios
da justiga.Rio de Janeiro, |13 de outubro de
1865.
Illm. e Exm. Sr.Marcando os decretos ns. 158
de 7 de maio de 1842, e 2,881 de 1 de fevereiro de
devem as
MINISTERIO U.4 I A/i;\IK
Rio de Janeiro, em 7 do outubro de 1865.To-
' | iiMudu em considerago o que V. S. pondera em
seu.'fflco de 2 de setembro prximo passado,
acerca das disposiges reguladoras do concurso a
que esta presidindo para o preenchimento dos lu-
gares vagos da alfandega da corta, expondo as se-
guintes duvidas :
1.a se todos os concurrentes aos ditos lugares,
sejam ou nao empregados pblicos, devera fazer
exame de pratica da reparligo ?
2.* Se, no oaso de serem snjeilos a esse exame
somente os empregados pblicos, bao de ser inter-
rogados sobre o servigo das alfandegas ou das re-
partigoes a que pertencerem ?
3.' Se os 2~ conferentes e outros eraoregados que
com elles concorrerem para os lugares de 1' con-1
ferentes sao obrigados a prestarse ao mesmo exa- i
me de pratica ?
Resolv, em solucao as duvidas propostas, deca-:
rar a V. S. para sua intelligencia e execugo : ,
Uuanto a 1* duvida, que s eslo sujeitos ao exa-
me de pratica os empregados pblicos que se apre-
sentarem ao concurso ; porque s a estes pode re-
ferirse o 2o do art. 1 do regularaento n. 3,114 de
27 de juuo de 1863, parte final.
Quanto 2* duvida : que o exame deve versar
sobre a pratica do servigo. da repartigo em que es-
tiver serviudo o empregado, vista do que termi-
nantemente dispe o artigo do regulan enlo cima
citado.
Quanto 3a duvida : que os candidatos a luga-
res de Io* confereutes nao eslo sujeitos a exame
de pratica, porquanto a vista do que dispoe o art.
69 3" do regularaento das alfandegas, o provi- i
ment de.-ses lugares depende de tres annos pelo
menos de elfectivo exercicio no lugar da 2o confe-
rente.
Deus guarde a V. S. Jos Pedro Dias de Car-
valho.
Sr. conselheiro Antonio Jos Henriques.
sovftM iu rtoviii&u.
Espediente ilo dia 30 de outubro de 186o.
Oficio ao marechal de campos commandante das
armas.Sirva-se V. Exc. de informar acerca do
que pede no incluso requerimento o soldado do 8o
batalho de infamarla Antonio Luiz da Silva.
Dilo ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar'
inspeccionar o voluntario da patria Juvino Emi-
liano dePonles, de que trata o incluso requerimen-
to, remeltendo-me o resultado da inspecgo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o guarda nacional do batalho de in-
laniaria n. 23 dos municipios de Santo Anto e
Escala, Severino Jos de Oliveira, remeltendo-rae
o resultado da inspecgo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de permittir
ao voluntario da patria do 5o corpo Ignacio de Mi-
randa Pinheiro da Cunta o uso das insignias de 1
cadete, visto ser filho do capito de mar e guerra
Luiz Pinheiro da Conha.
Dilo ao mesmoQueira V. Exc. mandar inspec-
cionar o guarda nacional do 8o batalho de infama-
ra desle municipio Antonio Ferreira dos Santos e
informar-me acerca do que elle pede no incluso
requerimento.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de mandar
alistar no 5 corpo de voluntarios da patria os ci-
dados constantes da relago junta.
Relarao a que se refere o o/ficio supra.
Joaquim Francisco de AibuquerqJe.
Maooel de Jess Seguimenlo.
Salustiano Jos dos Santos.
Manoel Gomes da Silva.
Secundo sargento da guarda nacional Francisco
Xavier Alves Quintal.
Jos Joaquim Rodrigues.
Jos Rufino do Carmo.
Maooel Antonio da Carmo.
Honorato Jos de -nni'Atina.
Salustiano Jos do- Santos.
Dilo ao mesmoSirva-te V. Exc. de informar-me
com brevidade o deslino que tiveram os guardas
nacionaes designados para o servigo da guerra'
Francisco Elias Gomes de Mello, e Isidoro Lavra-1
dor Caliral, de que trata o commandante superior
i- Olinda na ultima parte do oficio incluso, que |
me ser devolvido os quaes foram mandados apre-
sentar a V. Exc. com oficios de 28 de agosto e 27
de setembro ltimos.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. inspeccionar de
sade o capito da 2* companhia do batalho n. 43
da guarda nacional do municipio de Serinhaem,
1862 os casos em que podem e aevem as presi
dencias autorlsar, sob sua responsabilidad-, a aber- Vicente Elias Cavalcante de Albuqnerque, e remet
tura de credilose a conlinuaco de despezas, re-1 ia-me o resultado da inspecgo.
commeodo a V. Exc. que dora em oante nao d
semelhaoles autorisagoes fra de casos menciona-
dos nesses decretos. Recommendo outro sim a
V. Exc. que quando lenha na conformidade das
disposigoes dos referidos decretos de aulorisar a
abertura de aiptim crdito, ou o pagamento de
qualquer despeza, expressamente indique, na or-
dera que expedir para tal flra, o artigo e paragra-
phos era que se fuodou para a expedigo della.
Dos goarde a V. Exc Jos Thomaz Nabuco de
Araujo.Sr. presidente da provincia de...
m
2* secgao.Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 21 de outubro de 1865.
Illm. e Exm. Sr.A Sua Magesiade o Imperador
foram presentes os oficios des>a presidencia, de 25
de julho e 24 de setembro de 1862, consultando se
nao havendo prestado jnramento, dentro do prazo
marcado, varios cidados oomeados juizes munici-
paes snpplentes dos termos de Cimbres, Pao d'Alho
e Limoeiro, poderla ser-lhe concedido novo prazo
para esse fin.
E o mesmo augusto senhor, visto o parecer do
conselheiro consultor dos negocios da justiga vis-
to o parecer da secco de justiga do conseibo de
estado, de 11 do correte mez, houve por bem
mandar declarar qgo os soppleotes, de que trata,
Dito ao Dr. chefe de policia.-Por nao baver
collectoria proviocial do termo da Escada, oo
podem por Mli ser pagos os venciraentos da guar-
da nacional de que trata o oficio de V. S. n. 1,426
de 21 de setembro ultimo.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S. que em vista da folha era du-
plcala e nao havendo inconveniente, mande entre-
gar ao 1 lente Ernesto Ignacio Cardim a quan-
tia de 360JOOO para pagamento nao s dos pre-
mios a que tem direilo os primeiros marinheiros
Jaimes Mackre e William Conlords, bem cornos os
gremetes Benedicto Tanbernas, Florentino Smlth e
Albert Calle, engajados para o servigo da armada,
mas tambem da gratificagao que compele a pessoa
incumbida desse engajamenlo.Commuoicou-se ao
capito do porto.
Dito ao mesmo.Transmiti por copia a V. S.
para sea conhecimento e direcclo, o aviso de 21
do correte em que o Exm. Sr. ministro da mari-
nha reconsiderando a materia constante do de 13
de junho ultimo, declara que os mdicos contrata-
dos para servirem nos hospilaes das provincias,
sejam equiparados nos venciraentos e vantagens
aos 2* cirurgloes do corpo de sauae da armada,
quando emoommissao semelhante.Offlciou-se ao
inspector ,3 arsenal je marinna.
Dito ao mesmo.Mande V. S. oassar RUia de
soccorri.nento do capio da guarda nacional do
Amazonas Pedro de Castro Brando que no seu re-
gresso da corte Ucou doente nesta provincia e tero
de seguir amanha para o Para em cumprimento
de aviso do ministerio da guerra de 22 de agosto
ultimo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. ajustar contas ao
corpo de guarnigo desta provincia, visto ter de
seguir imanha para a corte no vapor Tocan-
tins.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Mande V. S. apresentar ao mare^
chai commandante das armas, o guarda do 1 bata-
lho da guarda nacional destinado a guerra, que
deixou de embarcar para a corle Manoel Geraldes
do Nasciraento, de que trata o seu oficio n. 409 de
28 do crreme.
Dito ao mesmo.Em vista do que informon V.
S. era oficio n. 408 de 26 deste mez. conced au-
torisago para ser nomeado inspector de quarteiro
o sargento ajudante do esquadro n. 2 de eavalla-
ra Joaquim Silvino Brando, depois que este hon-
ver sido punido pelas faltas de que trata o seu ofi-
cio cima citado.
Dito ao inspector do arsenal de marrana.Pres-
te V. S. as lanchas que forem precisas para o em-
barque dos recrujas, pragas do corpo de guarnigo
e das respectivas bagagens para bordo do vapor
Tocantins em que seguem araanba para a corte
Coramumcou-se ao marechal commandante das
armas.
Dito ao director do arsenal de guerra Fago
apresentar a V. S. o menor Joo Jos da Gnu, alim
de que o mande alistar na companhia de aprendi-
zes desse arsenal se estiverem as condigoes le
gate.
Dito ao mesnjo.Mande V. S. amanha as 7 ho-
ras do dia transportar do quartel da Soledade para
bordo do vapor Tocantins a bagagem do corpo de
guarnigo qoe embarca para a corte, podendo V.
S. fazer as despezas necessarias cora carrogas para
essa conducgo, apresentando-rae a conta para ser
paga.
Dito ao commandante do corpo de polica.Ten-
sido julgado apto como consta de seu oficio n.
1,028 desta data o paisano Braz Rodrigues lima-
cho, autoriso V. S. a faze-lo engajar para o servigo
do corpo sob seu comraando.
Dito ao Dr. fck de direito da comarca de Palma-
res.Nao pode ser por ora attendida a sua reqni-
signo para creago de urna collectoria no termo de
Barreiros, ltenla a exiguidade da renda a arreca-
dar-se e a insuficiencia da respectiva porceotagem
para convidar empregados habilitados que nella
sirvam, o que declaro em resposia ao oficio de
Vmc de 22 de setembro ultimo.
Dito ao ca(ii"io Jos Francisco da Silva Pereira
Jnior commandante da 1* companhia do batalho
n. 8 de infamara deste municipio.Dei o conve
niente destino ao guarda nacional Jos Francisco
Ferreira ou do Carmo, constante do oficio que I
Vmc. me dirigi hoje, o qual fica assira respon-
dido.
Dito ao delegado do 2o distrcto deste termo An-
Ionio Francisco Paes de Mello Brrelo.-Mandei
alistar no 3o corpo de voluntarios da patria aos ci-
dados Maooel Antonio do Carmo, Jos Rufino do
Carmo e Honorato Jos de Sant'Anna, a que se re-1
fere o seu oficio de 28 do corrente.
Dito aos agentes da companhia brasileira de pa- !
quetes a vapor.Podem Vmcs. fazer seguir para '
os porios do norte o vapor Paran amanha a ho-
ra indicada em seu oficio de hoje.
Dito aos raesmos.Podem Vmcs. fazer seguir
para os portos do sul o vapor Tocantins amanha a |
hora indicada em seu oficio de hoje.
Portara.Os Srs. agenles da companhia brasi-
leira de paquetes a vapor maodom dar transpone
al o Rio de Janeiro no vapor Tocantins em lugar
de proa destinado a passageiro de estado a Anna
Mara de Mello, que consta ser desvalida.
Dita.-O presidenle da provincia aliendendo ao
que requereu Jos Gomes Coimbra, escrivao de
orphaos do termo do Rio Formoso, resolve conce
der-lhe 15 dias de licenga para vir a esta capital
tratar de seus inleresses particulares.
Dita.O presidente da provincia resolve conce-
der a exonerago que pedio Vicente Ferreira da
Silva Braga do lugar de mordomo do collegio dos
orphaos.
Una.O presidente da provincia conformndo-
se cora a proposta do Dr. chefe de polica n. 1,690
de 26 deste mez, resolve conceder a Antonio de
Albuquerque Montenegro a exonerago que pedio
do cargo de subdelegado do districto de Cruangy.
Communicou se ao Dr. chefe de Polica.
Dita.O presidente da provincia, lomando era
considerago o que expoz o inspector da thesoura-
ria provincial, em oficio de 28 do corrente, sob n.
439, resolve abrir om crdito supplementar na im-
portancia de 1:3193071, para centinuago no cor-
rente exercicio \ despeza de que trata o 2 do
art. 7o da lei do orgamento vigente, visto achar-se
extinelo o crdito votado para esse fira.Commu-
nicou-se a tliesourana provincial.
Dita.O presidente da provincia annumdo ao
que solicitou o inspector da thesouraria provincial |
em oficio de 28 do corrente, sob n. 440, resolve |
abrir um crdito supplementar, na importancia de .
338161, para satisfazer-se no restante do corrente .
exercicio a despeza de que trata o 3* art. 18 da
lei do orgamento vigente, em consequencia de
achar-se quasi extracto o crdito aberio para esse
flm.Communicou-se a thesouraria proviocial.
Dita.Os Srs. agentes da comnanhia Brasileira
de paquetes a vapor, mandem dar transpone para
a corte, ao alferes do 7o batalho de infaotaria,
Joaquim Alves Feitosa, bem assim aos recrutas,
oficiaos e pragas do corpo de guarnigo e as res-
pectivas bagagens, que forera mandadas para bordo
do vapor Tocantins, por parte do general comman-
dante das armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes mandem dar transporte al a Baha no
vapor Tocantins, em lugar de pro* destinado a
passageiro de estado, a ex-praga do exercito, Ma-
noel Simplicio Ferreira.
Despachos do dia 30 de outubro de 1865.
Requertmentos.
Bacharel Angelo Caetano de Souza Cousseiro.
Sellado, volte querendo.
Bernardo Jos da Costa.Informe o Sr. desem-
bargador proveder da Santa Casa de Misericordia.
Benjamn de Lima Pimental.Informe o Sr.
commandante do corpo de polica.
Christiaoo Jos da Silva.Indeferdo.
Eduardo Antunes de Albuquerque Mello.In-
forme e Sr. Dr. juiz monicipal do termo de
Cimbres.
Jos Joaquim Xavier Sobreira.Remedido ao
Sr. director geral da instrucgo publica para at-
tender ao rnpplcante, nos termos de sua informa-
gao de 27 do corrente, sob o. 298.
Jos Pereira da Silva Dourado.loforme o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda
Jos Ribeiro de Barros.Junte certidao ou do-
cumento que prove o estado de viuvez de sua
mi.
Rosa Francisca da Silva.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Severino Jos de Oliveira.Aprsente se no
quartel general do comraando das armas para ser
inspeccionado.
Severino Honorio da Costa.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional da comarca
de Garantios.
rsula Mara do Carmo.Informe o Sr. commao
dante superior da guarda nacional do Recife.
Vicente de Moraes Mello Jnior. -Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Vicente Ferrer da Silva Bratra. asse portara
concedendo a exonerago pedida.
Capito Vicente Elias Cavalcanti de Albuquer
que.-Apresente-se o supplicante no quariel-gene-
ral para ser inspeccionado.
DIAS DA SEMANA.
30. Segunda. S. Serapiao c.; S. Victorio m.
31. Terga. S. Quiotmo m.; S. Lucila v. m.
Quarta. cfc Pesia oe Todos os Santos.
Quinta. Ss. Tobias e Victorino mm
Sexta. S. Maiaquias b.; S. Herberlo m.
Sabbado. S Carlus Borrorr.eo are de Millo.
Domingo. S. Fabrico b. S. Lito presb.
NOVEMBRO.
*da m.
s. da m.
Ida m.
d m.
i.
2.
3.
4.
S.
PREAMAR DE HOJE.
IPrimeira as 4 horas e 30 m. da tarde.
ISegunda asi horas e 5i minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o snl at ftfcpm a 14 e .30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietaros Maooel Furoeiroa
Faria & Filho.
DE
------------------------------ .....i
OVEREO DO HISI
ii:itvifim
SEDE VACAXT!
O Dr. Joaquim Francisco de Faria1, coneeo honora-
rio da imperial capella, lente Jubilado de theolo
gia, deo da Santa igreja calhedral de Olinda e
misso de jurisprudencia lea na conferencia o seu
parecer sobre a importante quesio de direito, que
Ihe foi sugeilada, vira sobre esta base a discusso
scienlifica levar luz aos reconcavos da legislagao
pairia e por esle modo c.oncorrer para a tao deso-
jada uniformldadri das decises judiciarias.
>a villa do Bom Conselho, comarca de Gara-
nhuns, temos noticias com dala de 23 do prximo
passado.
t recrutamento n'esta freguezia tem motivado
desgostos entre as principaes pessoas. A guarda
i naewnal nao tem sido isenta d'elle.
- O Dr. juiz de direito Carlos de Cerqueira Pin-
ta aqui esteve agenciando voluntarias, e tambem o
vigario capitular da diocese dd Pernambnco, se-. toaente-coronel Luiz Paulino de H jllanda Val lenca,
d A todos os Rvms. conegos e sacerdotes deste bis-
pado saude e paz em o Senhor. i
De couformidade cora o alvaif das ultimas fa-
cilidades de 14-du abril de 1781 oncedido relativa-
mente aos concursos e propostas
gos,
dos beneficios va-
conllrmado pela imperial resologo de 4 de
da calbedral de Olinda, que se acha actualmente
vaga pelo fallecimento do respec ivo propnetario
e bem assim a resulta da meia irebenda. em vir
tude do decreto de 20 de seterab o de 1830. Todos
os Rvms. coneg03 e sacerdotes, jue quzerera con-
correr, apresenlera-se dentro de 30 dias, coutados
da fixago do presente e.lital, con os seus requer
mentos instruidos das habilitages exigidas pelo
referido alv.ra, e mais documentos que Ihes fize-
rein a bem; proceden Jo tambera as rainhas infor-
magoes particulares de vita et moribus ; e feito o
concurso, proporei a S. M. o Imperador tres dos
voltaodo este logo no outro dia para S. Bento ; e
com a estada do juiz de direito apresentavam-
se dez voluntarios tendo sido um recusado por
doente.
Entre estes foram apresentados pelo professor
publico Vicente Ferreira da Cruz, dous, um sao
sobrinho e um outro rapaz que havia sido seu dis
julho de 1820; com o decreto 182 e auis ordens impenaes ; ibro concurso pelo gano um seu afiliado, o qual tinha de ser este an-
presenle edital para a cadeira de prebenda mleira oo examinado as pnraeiras letras na aula publica
desta villa. Todos em numero de 7, seguiram logo
com o Dr. juiz de direilo, sahindo desta villa hon-
tem pela 6 horas da maohaa, e toram aeompanha-
dos por algunas pessoas gradas, e enire ellas o
Rvmd. Fr. Egidio, que aqui enire nos existe ha
dias.
mais benemritos e dignos, conjforme os sagrados p j_ "j^m
O juiz municipal supplente tenente-coronel
Joo Correa Brasil aqui se acha fazendo inven-
tarlos.
A safra de algodao vai prometiendo alguraa
cousa, e os gneros alimeuticios esto por altos
caones e conc. trld.
Dado em Olinda, sob o meol signal e seilo capi
lular, aos 31 de outubro de 186o.
E eu o padre Joaqoira da Assumpgo, escrivao
da cmara episcopal o subscreiri.
Deo Dr. Joaquim Francisco de Faria,
amanha de dar a empreza dramtica
do Santa Isabel a I'umcao, o drama festejado da
imprensa, o drama querido da platea, o drama vi-
! vaz do sentimento, que foi produzido pela imagina-
cao fecunda do Sr. Dr. finheiro Guimares, esse
: cor ago ardente e cheio da poesa do patriotismo,
esse patriota extremado que deixando a banca do
Vigario cabilolar. litterato, pondo de parte o gladio da intelligencia,
Edital pelo qual manda S. tfe. Rvma. por a con-1 tomou a espada da batalha para alirar-se aos cam
curso as eadaftraa vagas da catftedral de Olinda.
Para V. Exc. Rvma. assiguar.
COMl\l)0 DAS
Quartel general do emwiiaudo
AMAS.
das armas de Per-
nambueo na eidade do
de 1863.
Ordem do dta n 143.
O marechal de campo corara todante das armas,
declara para os fin convenieo es, que hontera em-
barcou para a corle no vapoi Tocantins, o corpo
de guarnigo desta provjacia
nameule pelo Sr. major Coot
E' mais uro contingente^ i
destinado a erossar as lile,
ao mi do imperio pugua pe
nacional. O mesmo marecha
que se Ihe apresentaram vmdbs da corte no vapor
Paran os Srs. lente Leo|
Ucha e alferes ajudante f-'rai
Barreto Jnior, ambos do 9'
feridos no ataque naval de RiJ
tiveram do governo imperial'
nesta provincia, o 1* por temp
guodo de 4 roezes, e assira i
do raesmo balaih.io Emilian
Tamli i om, qne vejo cora 4 n
tratar de sua saude nesta
Rer Te A de nniemhro ; demos averca dtlla uma raP'da aoalyse
Recite, i ae noieniDro jU|gamo.8os dispensados de repeti-la
l
consiou das ordens do dia do
e 479 de i-i de setembro, 11 > 21 de outubro.
fAssignado.) Francisco
Est conforme. Antonio F
teneote-ajudaole
do Jtame.
pos do combate a frente dos bravos que compe o
4o batalho de voluntarios, e que se orgulhara de
te lo por commandante.
Nao 0)s demoraremos, pois, nesta noticia era fa-
zer uma apreciago do merecimento Iliterario desta
produego. Nao ha rauitoque raesmo nesta Revista
e ; e por isso
repeti-la agora, sem
ofTensa dos nossos leitores.
No entretanto, teodo ella de ir scena em nosso
palco urna outra vez, e tomando parte em seu des-
empenho a Sra. D. Adelaide Araaral no papel de
Ju/ia, papel que foi escrlpto especialraeote para ella,
temos como dever para com os nossos leitores dar-1
Ihes a coohecer o como esta distincta actriz o tem
deserapenhado em dlfferenies theatros do sul, e'
qual o juizo da imprensa acerca do seu trabalho,
odo Borges Galvo
cisco Antonio de S
blatalho de infamarla
chuelo, os quaes ob-
cenca para se tratar
de 6 mezes e o se-
mbem o Sr. alferes
Ernesto de Mello
ezes de licenga para
ovincia, como ludo
ixercito ns. 476, 478
comraandado interi-
ntino Jos da Cosa.
oslo que diminuto,
ras do exercito que
a honra e dignidade afira de que desde logo flquein sabendo os amantes
declara igualmente da >cena o que da Sra. O. Adelaide tem de esperar
na execugo de um papel caracterstico e de senti-
raentos to encontrados, emque a alma do especta-
dor se irmana com a da artista para soffrer as do-
res que ella representa na plenilude do corago
sensivel.
O Diario do Rio diz :
a Quatro enebentes successivas; applausos con-
tinuados e calorosos ; lagrimas e profunda commo-
gao dos espectadores tem proclamado bem alto o
mrito dessa inspirada coraposigo, que marca ao
seu autor um lugar eminente entre os poetas dra-
mticos.
c a Sra. Adelaide sobretudo tem conquistado
novos e merecidos louros pela maneira ootavel
com que interpreta o magnifico papel doJulia.
O Diario da Baha accrescenla :
Lida no gabinete a I'umcao interessa, no pal-
co fanatiza.
Para a Sra. D. Adelaide nao temos uma gri-
nalda que valha o prego das alternadas emogoes
que einprestou-nos o seu geuio. Sentimos que seja
to pequeo o espago para os elogios sinceros que
ella nos merece. Mas as columnas da imprensa da
corte, que tem sustentado o primoroso diadema
artstico, constituem para nos o monumento gran-
dioso da sua fama.
t A Dama das Camelias jamis esquecera" a
Baha, emquanlo a Sra. D. Adelaide fr a musa da
lia pareceu-nos que se transfigurara a Jfaraarida
Sergio d'Olijeira.
ancisco Duarte, 2."
de ordens i iterino encarregado
REVISTA DIA8IA.
Cobro-se na terga-feira prxima linda a for-
taleza das Cinco Ponas de gala para festejar o Sr.
tenente-coronel Rodolpho Joo Barata d'Almeida,
comiiiau-laue do 2* batalho ad infantina da guar-
da nacional d'este municipio, que all est aquarte-
lado era servigo da guarnigo diesta praga.
Era uma manifestago de apnego que ao mesmo Gaulier, para no leito das puras i lusSes pintar-nos
Sr. tenente-coronel dava a sua distincta olliciali- l,ela amor da innocencia, a innocencia do amor,
dade; e para lesterauoha la, all congregou por j A sua mmica completa ; o seu andar so-
meio de convites uma escolhida'sociedade de ara-1 berano ; a sua voz sonora ou rouca, firme ou flexi-
ba os sexos; a qual associouUe aquella effuso,! vel, segundo exige-o a situago ; as lagrimas as ve-
que dstioguio-se pela cordialidaUe que entre todos -e5 correm, como se olhos da actriz fessem vassal-
reinou. I 'os do corago da mulher ; emfim, se erigissem um
O Exm. Sr. presidente estece presente, bem throno para a arte dramtica, a Sra. D. Adelaide
como o Sr. coronel commaudante; superior, alm de; leria direitos incontestaves ao sceptro.
outros cavalheiros, que foram trillados cora todas I O Sr. Pedro Joaquim agradou-nos em extremo
as alienges. ; na sceua muda do ultimo acto tocou o sublime. E
O servigo foi profuso e escolhdo era iguarias 51 BOU artista excellente.
e o Exm. Sr. conselheiro I'araoatu oceupandooi A coraposigo pois, muito liada. Cimquanto
lugar de honra da mesa, abri os brindes com um escripia rpidamente, sem que o autor se derao-
guarda uacional, a que se seguiram outros inultos
fetos por varios cavalheiros sobn difTerentes moti-
vos, e encerrou-os com um \ S. M. o Impe-
rarse em desenhar cora cores carregadas as diver-
sas, bem comprehendido.
Nao ha gritos, exclamagoes, nem eslrondo, ha o
rador, o qual foi applaudido con grande enthu- soffnmenlo mudo, mas cloquete do hornera e da
siasmo do som do hymno nacional tocado pela
msica do mesmo batalho.
Depois da ceia, servo-se o cha, tendo havido an-
tes refrescos nevados.
Em agradavel convivencia de uma companhia
escolnida, passarara insensiveis as horas; e assim
dansou-se al 3 horas da madrugada, quando ter-
ramou a funego, recolhendo-se todos os convida-
dos as suas casas penhorados pe os obsequios que
Ihes foram dispensados por aquel a respeilavel cor-
porago.
Tem hoje lugar o espectacuh em beneficio do
actor Amoedo, espectculo que foi transferido pelos
incommodos supervioieotes da Sri. D. Adelaide.
De Goyanna temos as seguintes noticias sob
data de 17 do prximo passado.
f A' 14 deste tentaram evadir se da cadeia desta
eidade varios criminosos, protegidos pelas sombras
da ntite; e o fariam, seoo fossem o promplo com-
parecimento all e as providencias dadas pelo Dr.
Luceoa e capito Barlholomeo, Subdelegado sup-,
pente em exercicio.
< Como ficasse uma parte da cadeia sera segu-
rarla alguma, o referido Dr. reqoisitoo uma forga
de 30 pragas da guarda nacional para guarJa la
durante a noite, emquanto se fazera os precisos re-
paros.
< Festejou-se aqui a rendigo de Uruguayaoa
com enlhusiasmo
c Anda aqui se acba o Sr. tenente-coronel Ma-
ranho cavalcanti, commandante nomeado para o
6. balalhiio de voluntarios. Em prev segu para
abi cora uma companhia de voluntarios, era cuja
acquisigo tem sido fortemeote ajodado pelo Dr.
Lucena.
c O recrutamento tem estado activo, mas sem
atropello, comprehendendo o reorutador perfecta-
mente os seus deveres, pois s apanha aos vadlos
sem isengo alguma.
t Estamos no vero; mas anda apparaoem al-
gumas chuvas.
t Maoifesta-se ja' abundancia dle milito e farinha
por pregos commodos.
Reuoe-se hoje em conferencia ordinaria o
nsiluo Filial dos Advogadat Brasileiros para S
horas da tarde e oa salla principal do edificio, em
qoe fucciooooa o tribunal do jury.
Sendo bem, natural que a Ilustradsima com-
wwi
mulher que sent, seguidas das manifestagoes co
medidas, e approidas s exigencias de arte dra
matica.
O desempenho dos principaes papis foi bem
comprehendido.
D. Adelaide no papel de Noncia nada deixa 1
desejar. Conservou-se oo alto pedestal em que a
ha enllocado o sen talento artstico.
Nao nos deteraos era examinar as diversas sce-
nas era que ella merece applausos, porque seria!
preciso reproduzir todo o drama Desde a primei-
ra palavra al o ultimo sorriso da distincta actriz 1
tudo suprehendidor.
O Sr. Pedro Joaquim, 9 sympalhico artista do
uyinoasio fluminense, nao necessita de nossos lou-1
vores, comquaoto reclamados pelo mrito de seo j
trabalho que j por outros tem sido devidamenle
laureado, cora a maestra, que Ihe propria.
O Sr. Amoedo um artista que rene ao talento
natural os coohecimentos da arte, j bem conlo-
ado de oosso publico, no papel de Paulo foi mu lo
bem.
Era lugar competeole deste jornal vai inserido
ora aoouocio do Sr. Joo Carlos Colho da Silva,
negociante desta praga, participando estar encarre-
gado de dar informagoos acerca da sociedade de
seguros muluos sobre a vidaA Providente,bem
como de lomar nota de qualduer pessoa quo para
ella queira sobscrever.
Constamos que esla sociedade est muito acredi-
tada, e regularmente dirigida e fiscalisada pela
direcgo do banco AUianca do Porto.
Nesta eidade ha socios por um capital nominal
subscripto qoe monla a 300:000$ fortes, o que
prova o gru de coofianga que esta sociedade
inspira.
Parece um meio facilimo de qualquer individuo
se premuoir contra os vaivens da fortuna, o segu-
rar-so previamente nesta companhia.
Em consequencia da aesociago Commercial
Beeficente desta praga ter realisado a compra do
edificio era que tem funeciooado o Club Commer-
cial, d esle amanha a sua ultima partida daogan-
te, a qual nos consta ser muito coacorrida o
animada.
Nada ha qoe mais visivelmente manifest a
ferocidade do hornera que maltratar os aniraaes
inoffensivos e que mais serviros ihe prestan).
Nao pode pronunciarse, sem se confrosgar o
corago de dor, os mam tratos que por essa eidad*
se do aos pobres bois que conduzea g^n^ros, a
mor parte deiles esformudos, magros e caluado de
(raqueta.
Anda oo ha muitos dias que rara om carro-
cidro mtalo, enire outra* malvad.-zas, enterrar o
aguilho pelo olho de om boi qoe o deiioa eego a
incapaz de continuar o servigo; awoa como oa
praga do Corpo Saolo, uma cacborrioha com orna
furiosa faeada n'um quadnl, gemeodo e estorcea-
do-se oa mais dolorosa situago.
Os malvados que taes gentilezas pratica, nao
poriam molla duvida em proceder toalmeoie ero
um seu semelhaole, e a polica faria uma caridad*
se Ihes applicasse um correctivo.
Approxima-se a estago da lesta, e por conse-
grante o lempo de muila familias se retiraren para
o campo gosar o ar livre o saodavei que ah se
respira e os deliciosos baohos dos nossos rio*.
Nao porm raro quando alguem se esta refres-
caudo as aguas, ver feoiar a tona deltas qualquer
animal morto, ora um cavallo, ora om boi, ora um
cao, etc., o que em verdade nao muito agradavel
para uuem tal observa.
Ha um lugar destinado para o eoterraroento dos
animaes. mas lalvez nao fosse mau qoe a nossa
muuicipalidade dalinum um local para cemiterio
dos irracionaes, onde ella'obngasse a ser inhuma
dos todos quanios morressem, como continu em
todas as grandes cidades.
U vapor l'ersinunga, chegado hootem dos
portos do uorle de sua escala, nada adiantoo as
noticias que (ivemos pelo Tocantins.
Na terga-feira foi a scena o drama Recorda-
rles da Mocidade. Esta coraposigo dramtica
escripia com elegancia na phrase, belleza no estr-
o, e mu ta verdade no pensameolo, qne o autor
procurou desechar, apresentaod > nos ama poca
da vida, que possamos oo meio das alegras e das
f'-sias, dos prazeres e dos divertlmentes, orna poca
cheia de flores e cercada de risos, ama poca em-
flra em que ludo um consume folgar. No meio,
porm, desses brincos apparecem muitas vetes ses-
limentos nobres e ntimos qoe infloem poderosa-
mente oo destioo da mocidade ; e ah en.i o amor
de Morisslt e Paulo Beoard por ama simples eos-
tureira modesta e ingenua, pobre, mas honesta, at-
iestan Jo que essas cabegas juvenis, ranitas mes
amistada- pelos impalsos de om corago de moco,
podem se abrazar no fogo de uma paixo profunda.
Nessa como physlologia oo esqueceo-se Mtar
de mostrar tambera com quanta saudade nos re-
cordamos desses tempos da mocidade, desses das
gastos descuidadosameote, oo meio dos bilhares, dos
prazeres de estudaotes, qoe se evaporara coa a
fumaga de seas cachimbos. Meaano quaodo oceu-
pados no exercicio de nossos cargos pblicos, no
cumprimento de nossos deveres soriaes, affagamos
uma lembranca saudosa desses lempos idos ; lem-
branga que nem, ao meos, oos permit ido aca-
riciada oa frente dessa sociedade fria e insensivet,
representada por esses caracteres serios e graves,
os quaes, esquecidos do que fiz-rara. sabera apenas
censurar actos alheios, e marear as repataces
bem firmadas, recordando faetos passado*. Sitios
do ardor e da negligencia de mocos.
Amanha se extrahira pelo novo plano a' X*
parte da a lotera (37.a) a beneficio da Santa Casa
de Misericordia.
Hoje 3 do corrente elTectua o agente Pinto o
leilo da ioja de calcado da ra Dtreita, perten-
cente ao fallecido Joo Marti os Olavo, a II oras
em ponto.
A' 1 hora em ponto de hoie effectua o mesmo
agente o leilo d um cabrioiel americano, conforme,
se acha annunciado para a praga do Commercio.
Hoje o agente Olympio, no sea grande arma-
zera da ra da Cideia do Recife o. 36. fira leilo
de mobilias completas, trastes avubos, relogios,
cadeias para os mesmo-, candieiros agaz, charatas
e outros muitos arligos.
Terga feira, 31 de outubro, em commemora-
go dos annos de S. M. F. o Sr. D. Luiz I, esteva
Iluminado o Gabinete Portuguez de Letura.
Relago dos baptisados feitos na nutriz de
Sanio Antonio do Recife, no mez de outubro desta
correle mez.
Deolinda, parda, ti I tu legitima de Maooel Antonio
Pereira e Maria do Rosario Alves.
Joaquim, pardo, filho legitimo de Manoel Antonio
Pereira e Maria do Rosario Alves.
Carlota, parda, filha legitima de Maooe| Antonio
Pereira e Mana do Rosario Alves.
Auberlo, pardo, Olho de Mara, escrava de Francis-
ca Leopoldioa Rosa de Lacerda.
Agostinbo, crioulo, filho de Man:rida, escrava t
Maria do Carmo de Souza Viaooa
Mana, parda, filha de Benedicta, escrava de Joao
Ferreira dos Santos.
Rosalina, branca, filha legitima de Jos Fernandes
Moreira e Joaquina Maria Nogueira.
Lourengo, braceo, filho legitimo de Pedro Pacheco
dos Santos e Bernarda de Freitas Barbosa.
Idalma, parda, filha legitima de Vicente Joo morim e Cecilia Francisca dos Prazeres.
Merandolnia, branca, lilna legitima de Joaquim
Jos da Silva Guimares e Merandotnia Amalia
da Silva Guimares
Ignacia, branca, lilha legitima de Joo Amonio Lo-
pes Chaves e Ignacia Maria das Dores.
Balbioa, branca, filha legitima de Manoel Ferreira
Diniz e Maria Felismina de Parias Dina.
Maria, branca, lilha legitima de Melquades Mano-M
dos Santos Lima, e Maria Fraocisca Correia de
Araujo.
Alfredo, pardo, forro, tilho de Francisca, escrava
de Jos Igoacio Xavier e Alexaodrina de Lima
Cavalcanii.
Jovma, branca, filha oatural de Rosa Xana dalloo-
ceigo.
Maria, parda, filha legitima de Joo Marciano dos
Santos e Ricarda Mana dos Prazeres.
Manoel, crioulo, Olho de Benedicu, escrava do
Francisco Pereira da Silva.
Carlos, braoce, filho legitimo de Jos Bernardino
de Souza Peixe e Eulalia Candida de Souza
Peixe.
Anna, branca, filha legitima de Manoel Amero 4
Souza Res e Auna de Jess Leal Res.
Jos, pardo, filho legitimo de Antonio Jos dos
Santos e Joaquina Mara do Livraoento.
Pergentino, pardo, filho oatural de Josepoa Maria
do Espirito Santo.
Idalioa, parda, Dina legitima de Manoel do Nae-
raento da Silva e Ermioa Severiaoa Rodri-
gues.
Jorfina, branca, filha legitima de Manoel Joaquina
d'Almeida e Laita Maria da Coneeteo.
Elias, pardo, filho legitimo de Elias da Rocha rV
reira e Alexaodrina Firmona da Cvacetcao Pe-
reira.
Maooel, pardo, Olho oatural de Rosa Marta do Es-
pirito Santo.
Aotooio. pardo, filho legitimo de Candido CeWsuno
de Roma e Maria Francisca da Luz.
Adelaide, branca, filha legitima de Jos Martins da
Silva Borges e Paulina Alexaodrina da Rosa.
Evaristo, pardo, filLo de Dansiana.
Joo, braoco, lilha legitimo de Joaquim Franctse*
da Silva e Maria babel d'Albuquerque Silva,
(fallecida.)
Casamentos.
Antonio Bezerra Qavalcaoti d'Alboqoerqne, an
Ermelinda,
Baoharel Jo- do Patrocinio Pereira Raposo, com
Erraina Evartstt Dornella Pessoa, tana a eam-
dao. ... .
Flix AfrbDso de Barros, com Ignaett Mam *>
Terco.


Mario de Fera&Mbueo Seia elra S 4e Xovembr
de iStft-
Emiliano Soares Raposo da Cmara, com Jovrta
Mara do Nasci ment.
Francisco Marcelino do Amaral, comOlymiiia Can-
dida Guimares.
Flix Jos da Cmara Pimenlul, coco Joaquina P.
de Senna.
Dirmiro Gongalves M., com Ermina Theoora de
Lira, falla a certidao.
Joviano d'Albuquerque Monte-Negro, com Severia-
na Bernardina da Contiguo.
RePAIITIQAODA POLICA.
Extracto das partes dos dias i e 2 de novembro
de 1865.
Foram recolhidos a casa de deleocao no da 31
do passado :
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Eduardo,
escravo de D. Mara Angela S Brrelo, por dis-
turbio.
A' ordem do da Boa-Vista, Pedro Manoel Pega-
do, Joo Machado, Isabel Mara da Soledade e An-
gela Mara da Cooceig.io, por briga.
Da Io
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Joaijuim Gongalves Pereira, por ser encontrado
mascarado
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Cosme, es-
cravo de Victorino Maia, e Jeronyma, escrava de
Cielo da Costa Campello, por disturbios e Anto-
nio Luiz dos Anjos, por embriaguez.
A' ordem do da Vanea, Leopoldo Francisco do
O', por crime de resisiencia.
O chee da 2" seecao,
l J. G. de Mesquila.
Passageiros do vapor brasileiro Ptrsinunga.
entrado do Acarac e portos intermedios :Major
Bellarmino do Kego Barros, Antonio Fernandes
Them, Antonio da Silva Fialho Jnior, Manoel L.
Duarte Nogueira, Joaqnim Porfirio de Oliveira, Ma-
noel Xavier da Cunha Montenegro, Antonio Corsi-
no Xavier de Macedo, Joaquim Gomes Cardoso,
Demosthenes Cavalcanli Avelino, Jos Caetano da
Costa, Raymuuda Mana da Cooceico, Antonio de
S Brrelo, Joaquim da Costa Araujo, Benedicto
Jos de Souza, Jos C. de Albuquerque, Manoel G.
de Freitas, Antonio Telemaco Ferreira Lima Ver
de, Manoel Pinto de Carvalbo, Luiz Valcasso da
Rocha Pila e i escravo, Dr. Antonio Jos da As
sumpgao sua mulher, 1 afilhada e 2 escravos, Jos
Francisco de Uliveira, Alipio Dias Machado, Anto-
nio Rodrigues da Costa, Ignacio dos Santos Coelho,
2 prega acompaohando 2 presos de justica.
Passageiros do hiate brasileiro Exlialacao,
entrado do Aracaly :Perpetua Marta de Jess e
Prudencia Mara da Coucego.
Passageiro do bngue porluguez Laia U, en-
trado de Lisboa :Deodato Gongalves Torres.
Mappa deroanstrativo do hospicio de aliena-
dos na Misericordia de linda do 1." ao ultimo de
outubro de 186o :
Exslam 17 horaens e 43 mulheres, entraran) 2
boaens e 1 mulher, sahiram 1 homem e 2 mulhe-
res, morreu 1 mulher, exislem 18 bomens e 11 mu-
lheres total 59 nacionaes. -
Exislem empregados neste estabelecmento 6 no-
mens e 2 mulheres, sendo medico, capello.portei-
ro, sachristao, enfermeiro, barbeirc, enfermeira e
cozmheira ; 3 serventes, 1 homem e 2 mulheres.
Fol esitado o mesmo eslabelecimeoto pelo res-
pectivo medico nos dias 3, 6, 10, II, 17, 20, 24 e
27 as 8 horas, 8 1/2, 9, 9 1/2 e 10 da manha.
O mordomo de mez,
f A. J. Gomes do Correio.
O regente,
Luiz do Reg Barros, i
Mappa do movraento do hospital de N. S.
da Conceicao dos Lazaros do 1." e ultimo de outu-
bro de 1865:
Existan) 9 horneas e 15 mulheres, existen) 9 ho-
rneas e 15 mulheres ; total 24
Foi visitada as enfermaras pelo medico o Sr. Dr.
Iuaclo Firmo Xavier nos das seguintes 3, 6, 10,
13, 17, 20 e 23.
Empregados do estabelecmento 8 a saber; ca
pello 1, medico 1, regente 1, dita 1, barbeiro 1,
cozinheira 1, serventes 2.
O mordomo de mez,
A. J. Gomes do Correio.
O regente,
Uiniz Ignacio P. dvs Santos.
Casa de deten?io.
Movimento do dia Io de novembro :
Existiam 351; entraram 5; existen) 356 ; a sa-
ber : nacionaes 250, mulneres 6; estrangei-
ros 27, mulheres 5; escravos 62, escravas 6 ; to-
tal 356.
Alimentados cuita dos cofres pblicos 183.
Movirrento da enfermara no dia 2 :
Teve alta :
Generosa Eugenia da Coneeigo.
J >s Francisco dos Santos.
Lino, escravo de Luiz Francisco de Paula.
Cemiterio publico, obituario do da 31 DE
OLTUBRO DE 1865.
Marcelina da Cnnceieao Amorim, Pernambnco, 70
annos, viuva, Boa-Vista; hepetrophia.
Sevenna Maria Francisca, Pernambnco, 34 annos,
solteira, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Lui'.a, liberta, Pernambuco, 80 annos, solteira,
Boa-Vista ; indigeMo.
Sebastiao Francisco Belem, Pernambuco, 43 annos,
viuvo. S. Jos; febre typnoide.
Jos Loureoco Tbeodor d'Oliveira, Pernambuco,
15 annos, B >a Vista ; anemia.
Guir-frmino de tal, encontrado morlo na treguezia
do Recife.
Julio. Pernambuco, 6 mezes, Boa-Vista ; indi-
gc-stao.
Dorothea, frica, 50annos,escrava, S. Jos; diar-
rhea.
Manoel, Pernambuco, 5 dias, escrava, Santo Anto-
nio ; emorrahgia.
500
56*000 23:200-5000
Rii 192:0004000
O guarda Hvros
Francisco Joaquim Partir Pinto.
Caixa filial do tnico do Brasil era Per-
nambiico
BALANCETE EM 31 DE OUTUBRO DE 1865.
ACTIVO.
Letra descontadas.
Com duas asigna-
turas residentes
no lugar do des-
cont....... I49;552*657
Com urna s dita
dito....... 4:425065 133:9775722
Mas caucionadas.
Por ouro, prata e
ttulos couuner-
ciaes....... 15:97060
Por outros ttulos. 15:97i060
Futras a receber.
Saldo desta conta. 8,270:3745279
Conlas correntes.
Saldo desta conla. 767:1185666
Diversos.
Saldo de varas con
tas........ 4,784:0905257
Caixa.
Pelos seguintes va- ^
lores:
Em moeda de ou-
ro de 22 (juila-
tes ........: 1,258:0305000
Em notas do the-
souro dos valo-
res de 10^000 e
superiores. . 21:1905000
Em notas menores
de 105000..... 8:9195000
Em moeda de tro-
co ........ 5588
Em notas do ban- .
co do Brasil e
dascaixasfiliaes
160:0005000
Em notas da pro-
pria caixa.... 152:0005000 2,600:1595588
Passivo. 16,591:6915572

Banco Jo Brasil conta do capital.
Volar fornecido pe-
la caixa matriz. 2,000:0005000
Emissao.
Valor em circula-
do........ Letras a pagar. 9,948:0005000

Por dinln'iro toma-
do a premio. . 5
Por saques..... 910:4005877 916:4605877
Diversos.
Saldo de varias con
3,692:6275395
Lucros c perdas.
Lucros sujeitos a
liquidacao. .. 34:6035300
16,591:6915572
No impedimento do guarda livros,
O 1 escripluranoJuvimano Fernandes da Silva
Manta.
.NOVO BANCO DE PEKXAMBICO.
lialanro do .Novo Banco de Pernambnco, em 31
de outubro de 1S60.
activo.
Apohceda divida publica........ 870:6725481
Eslrada de ferro da Bahia........ 131:07i57(Hi
Deposito......... 80:0005000
Joias depositadas...... 5:7355280
Ttulos depositados...... 60:9885930
Letras depositadas...... 17:4335140
Lelras caucionadas..... 9:7905000
Letras descontadas..... 1:032:8495850
Letras receber...... 54:6595280
Letras protestadas..... 197:8*85890
Banco da Bahia N/C .... 162:8745124
Francisco de Figueiredo & C., do
Rio de Janeiro................ 355:6885169
Saques........................ 5:0O05'>OO
Aluguel de casa...... 1:312-5500
Fornecimenio...... 5:000-5000
Juros............................. 5515100
Despeis geraes ................. 1:5915936
Caixa.......................... 383:3855273
Reta.... 3,376:4975659
passivo.
Capital......... 2,000:0005000
Em circula-
do..... 191:0505
Em caixa.. 9505
------------ 192:0005000
Depsitos da di recelo .... 80:0005000
Lenas por dinheiro recebido a
juros .......................... 6:0755000
Conlas correntes com juros 633:872.-528
Coaia correlessimples.......... 10:9223394
Fundo de reserva...... 122:8265835
Ttulos era caucho..... 81:1595350
Banco da Baha S/C 164:4955873
Knowles & Foster, (>!e Looire.) 135270
Massas fallidas cargo do Banco. 2:8845281
Dividendos........ 6:0805000
Commissao do presidente e ge-
rentes ......... 1:0005000
Juros da garanta da eraisslo. 2/OOS5000
Premios e commisses.......... 31.15638
Descoolos........................ 69:8445290
Ris. 3,376:4975039
Estado da caixa.
m ouro amoedado.....
Em notas do ihesouro de 105000
Em ditas menores OH 105 *
Em ditas da caixa llial do Ban-
co do Brasil.......
Lruditas do proprio
Banco, si-olio
3 de 2005 6005
2 d 1005 2005
3 d< 305 1305
E i i rata e cobre.
189:9385000
780:0005000
436:0005000
183:7105000
9305000
7:6015273
Ris. 383:3855273
Demonstrarle da eissio.
317 notas do valor de 2005000 103:4005000
636 > 1005000 63:6005000,
FBLIGACOES A PEDIDO
Refutadlo ao artigo da Theniis
Pernambucana u. 8 sote a epl-
graphe A aualy.se arra-
soada.
1
A Themts Pernambucana em sea n. 8 publicou
um artigo, impugnando o despacho plo qual o
Exm. Sr. Conselheiro Presidente da Relago doDis-
tricto Fi nimio Antouio de Souza, deixou de submet-
ter ao couheciinento desle inbuual nraa represen-
tacao, que dirigi o Dr. Juiz de orphos deste ter-
mo, sob o titulo de conflicto de jurisdcgo, que se
diz suscitado entre elle, e o Dr. Juiz dos fe nos da
fazeuda no inventario dos bens deixados pelo bn-
gidero Gaspar de Menezes Vasconcellos de Dru-
moud.
O autor do artigo, que a mnguem pode ser oc-
culto. pos que pelo dedo se coohece o gigante, ten-
do a cousciencia de que se achaem manifest
couicto, nao com o Dr. juiz dos fitos da fazenda,
mas sim com a boa razo,. teve a prudente cautella
de appellidar o mesmo artigo deaualyse arazoa-
da.Mas, como o noine arbitrario, por isso nao
muda, e era pode mudar a nalureza das cousas,
sem embargo desse Leptismo solemne, o tal artigo
flcou sempre sendo pago e bem pagao, islo em
perfeito aotaginimo com os mais comesinhos prin-
cipios da .su jurisprudencia, que de pensado se
lem querido inverter, e myslicar para obler ga-
nho de causa, a cusa mesmo de reputacoes as mais
bem firmadas. N). nao lograra o seu intento o
articulista, quem quer que elle seja. Bem sabemos,
que o Exm. Sr. Conselheiro Firmino Antonio de
Souza, nao precisa, que justifiquen) os seus ac-
tos.
A sua nao vulgar intelligencia, a grande Ilustra-
cao, que possue, e a looga pralica, que lera dos ne-
gocios forenses, o que ludo o lem elevado ao emi-
nente lugar, que oceupa, como geralmeute re-
couhecido, sao outras tantas garantas do acerlo,
com que sempre procede em materias do seu oili-
cio. Mas que amigo do suum cuique tribuere nao
podemos deixar passar desapercebida a tal aualyse
desarrasoada sem oppor-lbe de nossa parle tam-
bera outra aualyse, porin arrasoada, que reduzir
quanlo u'aquella se contera ao seu justo e verda-
deiro valor.
Em seu exordio toca o articulista na falla de
direiio, que linlia o Exm. Sr. Conselheiro para dei-
xar de apresentar ao Tnbuual da Relago a repre-
sentado, que sob o Ululo de conflicto de jursdic-
(3o Ihe tinha para esse lira dirigido o Dr. juiz de
or'lios.
Se com elTeito isso, que o Dr. juiz de orphos di-
rigi ao Exm. Sr. Conselheiro tivesse sido um ver-
dadeiro couiliclo de junsdicgo, leria o articulista
carradas de razo. Mas era-o? Hoc opus...
II
O respeitavel publico ha de ter lido, pois que j
sahio iiupressa na Tltemis, a tal decantada repre-
sentago, er se nao observou, rogamos-lhe que ob-
serve, que nella. se nao pretenda, que o Tribunal
da Itelur.io lirniasse a competencia do juiz dos fe-
tos da lazenda, ou a de juiz de orphos para o caso
em questo, fim alias dos conflictos de jurisdiccao;
mas sim, que se recoosiderasse a deciso, que ja
havia lirmado a competencia d'aquelle pnmeiro
juiz, como menos justa, e menos bem peosada, que
tinha sido; o que equivala nada mais, e nada rae-
nos, que a ura verdadeiro recurso luterposlo pelo
juiz de orphos <*e urna deciso sobre aggravo, que
liolia sido contraria a' parle, a viuva Drummond de
quem assim veiu elle a constiluir-se oficwso pro-
curador.
Recouhecendo pois islo pelo exame dos papis e
das ioformacoes, a' que procedeu, com justa razo
deixou o Exm. Sr. Conselheiro de dar andamento a
musina represeutaco, por nao ver nella outra cou-
sa senAo ura recurso formal, sob a capa de conflic-
to de jurisdiccao, contra urna deciso da Relaco
sobre aggravo, recurso expressaraeote repellido pe-
lo art. 122 da lei de 3 de dezerabro de 1841, que
Ihe cumpnr e fazer exeemar nos termos do art. 7
1 do regulamento das Retardes Dir' o articu-
lista.
o Fosse.oa nSocabivel o recurso, a'Relaco que
< competa decidir, e pois em todo o caso se devia
f submeller o negocio ao seu conheci ment. > Assim
nos casos, que admittem duvida, por se deverero
facilitar os recursos s panes, mas d'abi se nao. se-
gu que se Ihes devam conceder, quaado ha lei,
que expressameote os denega, como no aossocaso.
O governo assim ja' o declarou em aviso n. 20 de
8 de abril 1843, e esta a pratiea geralmente
seguida:
A cada passo vemos os juizes inferiores deixa-
rem de expedir para os superiores os recursos.
que se interpoe de seus despachos e sunteocas, ja'
por nao ser caso de recurso, ja' por se terem pas-
sado os faiaes, ja' por caber a causa as aleadas
etc. etc.; e anda ninguem hoove, que Ibes negasse
tal direilo. E pois s ao Exm. Sr. Conselheiro
que ha de ser islo contestado ? Ou muita ma' f,
ou muila ignorancia.
m
Passando a examinar os fundamentos do despa-
cho do Exm. Sr. Conselheiro tenlou o articulla
fazer urna censura ao mesmo, por se ter esquecido
de ouvir o de&erabargador procurador da Corda So-
berana e Fatenda Nacional, cuja audiencia era in-
dispensavei em face da lei. Se houve eeqaecimeo-
to foi s da parte do articulista em nao ter visto a
lei par nao fallar de ouiiva.
eta* pentodo contra os Paraguayos, e no dia
9 do memo mez, de setembro por] oflkio reliquei
ao mesmo Exm. Sr. presidente, o meu ofTerecimen-
to, e que desejava marchar no 5o pofpo de volunta-
rios da patria, quer fosse como simples" prar^i de
pret, quer.o posto que S. Exe. parecesse mais
conveniente segundo e merecimilnto que em mim
encontrasse, porque o raeu desejq estar no cam-
po da honra ao lado de todos aquilles que a deffen
dem, S. Exc annuindo o meu pedido lem por por-
tara de 21 de corrate mez, me noraeado tenente
da 7a compaoata do dito 5* corpej de voluntarios, e
como tenba eu de me aproraptar com toda a brevi-
dade, nao posso por isso continqar a exercer du-
rante o lempo que esteja na cacupanba contra os
E* o case ds dizer ouve cantar o jallo e nao
sabe aonde.
O art. 61 docit. Regul. exige, verdade, a audi-
encia d'aquelle fuumonario, mas no processo do
julgamento dos conflictos pelo tribunal, que quem
lem obngacao de o mandar ouvir antes da deciso
final.
O Exm. Sr. Conselheiro ouvio a quem devia,
e julgou necessa/io ouvir no caso, que era ao Dr.
Juiz dos Feitos da Fazenda, com quem o Dr. Juiz
de Orphos se dizia em lucia; cuja inlormacSo len-
do-o habilitado suCflcienterneute para lomar a justa
resolttco, que lomea, nao tfnha que ouvir mais nin-
guem.
IV
Embirra o articulista com diter o Exm. Sr. Coa-, Paraguayos o lugar de fiscal da freguezia de Santo
selheiro, qae os dous joizeso dos feitos da fazen- Antonio desta cidade, nomeadii por hondada de
da, e o de orphosnunca suscitaran) conflicto; ao p Vv. Ss., o que farei de Deus pernalttir que volte eu
passo, que confessa, que ambos deram principio ao com vida, e Vv. Ss. julguera que por este meu
inventario do Brigadeiro Drummoud.deferindo jara- ofTereeimento nao desmerec dolconceito quede
ment um a respectiva viuva, e outro a um dos mim litera Vv. Ss. quaodo me nomearam para o
herdeiros maiores, e reconhece, que o juiz de or- dito emprego de fiscal desejo prlis que Vv. Ss. d
phos levou representaco respeilo ao Tribu- ] as suas ordens para que entre era exercicio quem
nal da Relaco, querendo nsto enchergar con- :deve servir durante o meu impedimento,
tradieco e confuso la!, que senao pode compre-1 Aproveito, pois, a occasio para agradecer
hender. j aos lllms. Srs. membros desta Illraa. cmara o bom
S quem nao coreprehende o que disse o Exm., conceito que de mim tem feito, por isso Ihes
Sr. Conselheiro qnem estcomo o articulistadejpesso disculpa de qualquer falta que julgar ter eu
animo prevenido, e de ma f. Da simples leilura commetdo no desempenho do lugar que exercicia,
do trecho do despacho, que contm aquellas pala-! por ser ella procedida involuntaria, s com o fim
vras, se v claramente, que ellas alludem ao tempo de acertar e comprir as ordens de Vv. Ss. de quem
anterior ao aggravo interposlo pela viuva. me dspesso saudoso, pois s o desejo de estar no
E com efleito at esse tempo,ipezar de estarem os campo da honra ao lado de quem defiende os direi-
doos Juizes de orphos, e dos feitos da fazenda proce- tos do Imperio me faria apartar p >r algum tempo
dendo simultneamente ao respectivo inventario, desta Illraa. cmara.
todava certo, que nenhum delles susciiou conflicto, i Deus guarde a Vv. Ss. Recife, 25 de outubro
como bem disse o Exm. Sr. Conselheiro; sendo que de 1863.Illm. Sr. presidente e vereadores da
por isso leve a viuva de recorrer ao meio, que he cmara municipal do Recife.O fiscal, Caetano
facultava a lei para fkmar-se a competencia, como Pinto de Veras.
de faci se Grmou com a deciso do Tribunal Su- j Documento n. 2.
perior. Secretaria da ca.nara muoicipal < o Recife, 28 de
S depois desta deciso que o juiz de orphos outubro de 1865.hlm. Sr.A lllnla. cmara mu-
expedio ao dos feitos da fazenda essa celebre carta; nicipal recebeu o offlcio de V. S. d 1 25 do corren-
suspensorta; e contrariado em sea delirio dirigi [ te, no qual Ihe communica que tei do de marchar
ao Tribunal da Reanlo a sua cerebrina representa-, para o sul a tomar parte na guerra contra o tyran-
co, que capituloude conflicto de jurisdiccao. no que ouzou evadir o nosso terri orio, pede-lhe
Onde esta' pois a contradicho, onde esta' essa con-. para que expedisse as necessarias ordens para a
fuso, que seno pode comprehender ? O rtica- sua substituido era quanlo estivese V. S. ausen-
tista que difBcil de ser comprebeodido, porque te; em resposta Ihe manda communicar a mesma
o peior cgo o que nao quer ver. 1 Illraa. cmara que umita louva o s u procedimen-
V to, e nesta data lem dado ordem para que o seu
Continuando a analysar o despacho do Exm. Sr. suppleule entre j em exercicio d > mesmo cargo
Conselheiro contesta o articulista o principio por em quanto durar o seu impediraei lo, e ao raesmo
elle estabelecido de que seno pode suscitar con- supplente, que se entender com ''. S., se servir
flicto de jurisdiccao depois do julgamento proferido o reentrar das ordens existentes dativamente a
pelo juizo superior por mel do aggravo. (Juan- fiscalisaco desta freguezia.
do a jurisdiccao incuria, e duvidosa entre duas Deus guarde a V. S. Illm. Sr] Caetano Pinto
autoridades judiciarias ha dous meios em direi- de Veras, fiscal da freguezia de Sanio Antonio.-O
to para a fazer firmar, ou interpondose aggravo secretario, Francisca Canut o da Bm-Viagem.
de qualquer dellas, ou suscitando-se o conflicto de mi '____
junsdiego. Mas, urna vez firmada pelo superior a; Pronoa I
compeieocia por algura desses dous meios, fra ,. .. rrwjjwsia, 1
de toda a questo, que o oulro meio flcou prejudi- E 'nd.spensavel o mandado pata not.Qcacao de
cado, por ja se hver chegado ao fim, que se que- ^eflmnuahasr- m proce-ssoH ^ImeJaa a^auto .dade
ra aue era tornar certa a enmnetencia Pde or,ar aoesenvao do felo por um despacho,
iffa arguran a ScuS'^ue deciso so- *terloeu.orio, a mandar nol.fr testemunhas
bre aggravo, sendo urna inlerloculoria nao inhibe S0Dr.e fac "D'Qoso? E nes e caso deve o es-
a apresentac'o do conflicto, afira de ser reconsi- iHLWL T uS iltftfSS. SS
derada, e aHnal reformada. ^rma2?,pel.. m'P,s!er, da M a de.2.lde .raar.5
Que os despachos, de que cabe o recurso de ag-: LJ??
gravo sejam interlocutoros nao contestamos, mas
de 1855, que bem mostra o
que lamben) o sejam as sentencas, que os deci-
den) o que negamos formalmente. Em fim va
mos ao que mais importa.
Desde que o conflicto de jurisdcgo se descarreia
do seu fim, que fazer esiabelecer a competencia
do juizo, e tende a obter a reforma de urna deciso,
que ja' a tem firmado, perde a sua nalureza, deixa
de ser o que se diz que ella e assume o carcter
de um verdadeiro recurso, e enlo como recurso
jamis pode ser admittido, avista do ja' cit. art.
122 da le de 3 de dezerabro de 1841, que exprs-
smenle declara, que as declsoes sobre aggravos
nao sero embargadas e era sujeilas a qualquer
outro recurso.
Emendo que
Pareceres,
a vista do artl
de 3 de dezembro de 1841, 3; 0 do regulamento
n. 120 de 31 de Janeiro de 1842,
dado observar pelo aviso circu;
de 1855 (modelos ns. 8 e 40) e dt duccio lirada dos
alte. 81, 82, 83 e 231 di cdigo
nal; art. 53 da lei citada, e art.
lo n. 120, as notificacQS das te-
ser feitas por mandado, quer pa
formaco da culpa, quer para o jbramento peranle
o jury; exceptundose destrela a notificago
de que trata o modelo n. 13 do fi
esenvo faz s lesieraunhas, ex
1 o processo crimi-
22 do regularaen-
lemunhal devem
a o processo da
rraulario, e que o
ofBcio, para com-
Objecta. o articulista dizendo que a W^^gg^^^J^^f^W^
der o principio do Exm. Sr. Conselheiro a de- ".'?''ma\].',r
ciso proferida sobre aneravo vera a ter mais ae iro-
'a inlimaco ordenada nos arls. 51 e 53 da lei de 3
aggravo
forga, do que a proferida sobre a appellacao, porque
esta pode ser atacada por embargos a' Chancella-
ra, e aquella nao. Nesta parle assim : razes
de ordem publica assim o exigem. e deraais, onde
ha lei expressa deve cessar (oda a argumentado.
Durum, sed lex escripia est.
VI
Deduz ainda o articulista do principio do Exm.
Sr. Conselheiro urna consequencia, que elle chama
ficarem prejudicados nos
294 e 295 do regulamento n. 120, e
lavrando disto a curtidlo.
Nao pode ter lugar, pjrtanto,
testemunhas s por meio de um
interloculorio.
Sub censura.
Recife, 27 de outubro de 1865.
Jos Bento da Cunha Fi:
Subscrevo inteiramente o par
lllustre collega, o Sr. Dr. Jos Be ito da Cunha Fi-
gueiredo Jnior. Basta examinar a legislaclo cta-
le se conheca que
materia da
absurda, e vm a ser .
Termos, que distara mais de 15leguasdodislrictoda da "f n?esm0 P?"**>..para V
Relaco os conflictos de jurisdiccao entre os Juizes nao f haver Pinia0 divrsa *J*re a
Municipaes, e de Orphos pela deciso dos Juizes PWposta. .,,.. ..
Recife, 28 de outubro de 186o.
Joaqun
Concordo cem o Sr. Dr. Figierlo
vista da legislaco por elle citada.
Recife, 30 de outubro de 1865
JoaquU
deveres do es
52 da lei n. 261
formulario man-
r de 23 de margo
notificacao das
imples despacho
xmredo Jnior.
cer retro do meu
de Souza Res.
Jnior,
de Direito sobre aggravo interposlo por um dos
iligautes.
Os Juizes de Direito nesses Termos fazem
uesta parle as vezes da Relaco, em virlude da
lei; e pois as suas decisdes a respeilo tem a
mesma forga, e auloridade que tero as desle Tri-
buual, pelo que seno podem considerar como de-
cisoes de Juiz inferior para d'ahi se concluir, que Hlm. e ElIB. Sr. preside itC da Br0VB-
absurdo que vio prejudicar uraa altriDuigo do
Juiz Superior.
1 J. da Fonseca.
ca de Pernaail
To superior uro, como outro juizo, vis- Venho trazer diante dos olhos
to como ambos lem igual jurisdcgo para o ca voagao de Pedras de Fogo, por
so. Quando pois acontecer ja' ter sido firma-1V. Exc. nao esl bem .
da a junsdiego pelo Juizo de Direito nos casos em della, cumpre-me expor : sende
que Ihe compele faze-lo, nenhuma duvida lera' o povoago desJe a miuha infancl
Exm. Sr. Canselhero de applicar o mesmo princi-1 faci dos occorridos bons ou mo
pi, sera que d'ahi possa resultar o menor desar ao 1 mas nunca nos amedrontou
Tribunal da Relago. Urna vez firmada a compe- expor a V. Exc, acba-se nesta 1
tencia pelo superior legitimo, quer este seja a Rea-de Fugo urna quadrilhade vadio
gao, quer o Juiz de Direito, tollitur quastio. O prin- jogarem e furtarem no meHM
cpio consagrado pelo Exm. Sr. Conselheiro em seu rar mogas publicamente, fazere
despacho a todos os respeltos verdadeiro, e tem em casas para saquearen), abrir
uco.
de V. Exc. a po-
ue parece me que
present o que o estado
eu morador nesta
1, e estou bem ao
k que j se deram,
em seu apoio a decislo do Governo dada en aviso
de 21 de junho de 1850.
VII
Tendo se pedido ao mesmo Governo providencias
para fazer cessar um conflicto de junsdiego, entre
duas autor,dadesjudiclarias,declarou elle.queuma
vez que a competencia eslava decidida por despacho
nos autos,o remedio era usar dos recursos de appella-
go.ou aggravo de petigo, ou instrumento, confor-
me a nalureza definitiva, ou interloculoria do des-
pacho, sendo que, quando o Juiz entenda, que deve
em falla de quem recorra, tratar da questo como
conflicto, pode usar do meio, que consagra o Re-
gulamento das Belages.
Da doutrina desle aviso se tiram duas illagoes
1.' que, decidida a competencia por despacho nos
autos, o remedio de que se deve usar, nao o con-
flicto, e sim a appellagao, ou o aggravo, conforme
for definitivo ou interlocutorlo o despacho: 2.* que'
o conflicto s pode ter lugar, quando a parte deixa
de recorrer do despacho, que ha decidido a compe
tencia.
Ora, no caso de que se irata houve despacho nos
autos do Juiz dos feitos da fazenda, decidindo a sua
competencia cooteslada pela parte: esla aggravou
para a Relago, a qual confirmou o despacho
firmando assim a mesma competencia : como pois
dizer-se de boa f, que o juiz de orphos anda
pode suscitar conflicto ? E para que fim ? Para
eslabeljcer a jurisdcgo? Nao, porque esla j
esl firmada por deciso superior.
Para obter a reforma desta decislo ? Tambem
nao, porque della nao ha recurso, e quando o hou-
vesse, parte, e nao elle que competa re-
correr.
Islo nao tem resposta.
(Continuarse ka.)
co no agora, passo a
ovoago de Pudras
,os servigos delle
baralho, deshou-
|q arrombamentos
m casas de neg
cios cora chaves falcas, e lirareih fazendas quando
nao encontrara dinheiro, come ; iccedeu na loja de
Francisco Xavier da Silva, que
dado pelo bicanco. Entro. V
dor destes fados pralicados eir
por estes vadios e sendo estes h
bernfeitores destas novidade* faz
o exercito que ha muita precisi
ciomr quem sao estes homens.
Sendo chefe e deshonrador
ura tal Floripes Adolpho de Vas
bre nome nao sel d'oade elle
elle nao soube nunca quem foi <
que foi achado em urna porla,
priamenle como deveraos trata-
iraporta de botar a perder qual.
tem apparecido muitas duzias d
dade do lugar contra este anim .1, mas a nossa au-
loridade hornero que nao dse a fazer mal a v-
vente algum, es o motivo p >r que nos j nao
que nos encara
oubaram 2615460
Exc. sendo sabe
Pedras de Fogo
raeos s ilteiros os
chamar lodos para
o delles, vou men-
las^ casas capazes
oncenos, este so-
t icontrou, por que
pai. ero mi, por
-te animal pro
lo, por que nlo se
uer pai de familia.
queixas a autori-
estamos livres desle precipici
alm deste boro corago que tec a nossa autonda
habitantes de nlo
serera recruiados
prolisslo, e ao mes-
e nlo lem um vln-
k W5, esle dinheiro
3 nizades, desti fr-
para um pagode
a rapaz pobre, tem
e Floripes da que
de que bem prejudicial aos
botar estes que eslo no caso di
para o exercito.
Digo mais, esle animal Floripes como j disse
o negocio dalle ser jogador de
mo tempo la i rio as cartas, h<
tem, amanhfu lera 3005 (
quando elle lem compra logo
ma vai ao escrivo convida lot
dado por elle, ah vai o escriv
familia, o foro nao trabalha, e
comer e beber ao escrivo e Ihe offereee logo di-
nheiro emprestado, este escrnbo inmediatamente
recebe o ofTereeimento por qub sabe que elle nao
cobra mais e tambem por que aquello dinheiro na-
da custou ao tal animal, esbl escrivo nao pode
mais ser contra elle.
Vai a casa de ura tal Jos Bfcrnardo de Carvalbo,
boneai raais infame e cobarte que ha era todo o
Brasil, porque daa rali dellejdera rauilo na finada
mulher, loga cacetadas, como o lem feito pelas
ras as mais publicas que ha lem Pedras de Fogo,
porta a dentro da amasia e tirou-lhe o chapeo da
cakeca e rasgou no meio da ra e o de&tratou omi-
to, erafirn um hornera desle nao tem consideradlo
para ojpubllco, foi este dito homem prestar se como
teslemuuha do tal, este dito devendo dinheiro de
eraprestimo ao tal Floripes e nao podendo pagar e
tambera sendo Jogador tambera foi jurar a favor do
tal levantando falsos para com isto flear deshono-
rado de algum dinheiro e favor que devia ao tal
animal de forma que este hornera malvado tem em
Pedras de Fogo sempre estes dous jumentos con-
prados para qualquer juramento falso que elle
quizer dar a seu beneficio.
Vou dizer mais a V. Exo. ontros que acorapa-
nham a este animal Floripes, robando escandalosa-
mente no baralho, estes estao propriamente os me-
Inores possives para o exercito.
O pnmeiro Miguel Seara, vadio da prmeira or-
dem, jogador de prolisslo. solleiro nao lem p-
rente algum, segundo, Jos Seara, irraodo Miguel
a raesraa profisso.
Jos Manoel da Cruz Gouvea, filho de urna mu-
lher prostituta, esle s se occopa era jogar e con-
duzir recados para ra, mandados por urna irraa
que tambem prostituta. Alera destes ha mullos.
Temos mas hoje contra nos habitantes de Pedras
de Fogo, o estarmos sera >ubdelegado na povoago,
pois o proprielario segulo para o serto. e flcou era
poder de ura supplente, e este mesmo mora distan-
te tres leguas, mesmo assim outro que nlo se ira-
porta com a polica, destes que diz: cada uro que
fas-a por si que elle nao se importa com a polica
qne ella nao be reode nada.
Visto estes alaridos nesta povoago de Pedras de '
Fogo, se faz preciso que V. Exc. como presdeme
reato quejj, lance as suas maravilhosas vistas afim
da que nao fique impunes estes segundos Para-:
guayos, e raesmopara deixar os honrados pais de
familias era descaogo, por que al a esta data vi-
vera todos afilelos vendo a hora que vadios entrara
pelas portas a dentro e fazem seus disturbios com
esle animal fariseo o est f^zendo. J a mais tem j
po nao tinha eu comraunicado a V. Exc. porque es-
lava esperando pela jusilga feita por nossa aulori-
dade, mas como elle homem de goslar de dar os I
seus passeos a noite teme que de urna quina nao |
Ihe saia urna bordoada este era o proprielario da
subdelegada, este raesmo sublo para o serto, exis-
te este oulro que cima ja meucionei.
Mariano Jos de Souto.
A Arvore da Saudade.
Cora a mesma certeza com que o veneno deupas
da Batavia mata, o balsmico sueco de urna arvore
do Mxico, chamada Anacahuita cura.
O muito afamado Peitoral de Anacahuita de Kemp,
composto e eleboradamente preparado por esle
roaravilhoso especifico vegetal.
Nenhuma tosse, catarrho, ou enfermidade dos
bronchios, podem re-.islir soa suave e benfica
influencia.
Fortalece de tal modo os orgos da respirago,
que em poucas horas desapparece a inflammago,
que impedia sua acgo salular.
O allivio infallivel e immediato. A irritarlo e
inflammago dos pulmes, que j principiavm
presentar urna certa tendencia a ullerago se abale
e raoditlca para desde logo, e sua operacao maravi-
llosa os cura e loes restitue o seu vigor e eiastici-
dade primitiva.
Na sua delicada e elaborada composigao nao
entra acido prussico, antimonio, era nenhum dos
agentes delelenos que de ordinario se "encontrar
nesses xaropes e puiloraes feitos de fructas, e que
quasi sempre produzem to fataes e funestas con-
seqnencia.
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa
e J. C. Bravo & C.
O verdadeiro xarope de relame re
na botica da ra Oireita o. 88, de Jos da
Rocha Prannos.
Tenbo recebido cartas de alfanas pes-
soas de ou'ras provincias que me coiubd-
nicam ter desta cidade sido remet ido o neu
xarope falsificlo, que tem dado resultado
ao descrdito de mintia preparafo, cajo co-
i'Iiecimento se tem verificado depois dos ef-
leitos que taes remedios apresentava ; as-
sim, pois, tenbo a declarar ao publico pe
m letreiro que vai regado ni garrafa do
xarope, sempre foi assignado por meo po-
nho, e daqui em diante, alm desta asig-
natura o farei tambem no papel que cobre
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quando forera assim engaados, tornea tes-
temunhas, me remettam os rtulos falsifica-
dos e me participen) para fazer enVctivo c
artigo 167 do cdigo-criminal do Brasil.
Jos da Rocha Paramko$.

JURUBEBA.
endida testemunhas,
gar e todas estas tes-
nle que o tal deveria
sado por que elle era
al animal, vai ao tal
Jos Bernardo de Carvalbo, c ue este tambem jo
gador e alfaiate,
como testemunha
diz quero
ratona muoicipaes durante o lempo que tenho eiereido
o dito lugae de fiscal, dos quaes me dispego saudo-
so e Ihe desejo urna prospera felicidade e boa sali-
do, etc.
Recife, 29 de outubro de 186S.
Caetano Pinto de Vera.
Documento n. 1.
Illms. Srs.Cumpre-me trazer a consideragao
desta filma, cmara que na qualidade de cidado
brasileiro, e por desejar que o memo pait nao
conlinuasse a ser insultado pelos estraogeiros mau
visinbos e perversos, no dia 4 do mez de setembro
do corrente anno verbalmente me offereci ao Exm.
Sr. presidente da provincia Joo Lustosa da Cunha
Paranagu,para marchar voluntariamente para o sul
com intento ds tomar parle na guerra em que o paiz
mentiras a raeu favor que eu
Voc pague-me aquelle palitc l que eu ganhei no
jogou nao era seu,
a ao dono, e fazen-
isa pela despeza de
jogo, por que o palilot que Vo
e Voc tem de pagar a fazem
do-me este favor Voc nao pa
pagar este dioneiro.
O tal Jos Bernardo pron|ptamente disse Ihe
verdade, cont comgo por <
falsos os mais terriveis que
o meu depoi ment o processo
Val o tal animal na casa de
me Rodolpho Gomes da Silva,
mas nao faz caso da familia, p
da familia lem elle urna amasi
gra captiva por delle, a negra
nhor e val descompor a elle p
da outra amasia, um dia a t I negra eoirou pela
erafirn esle tambera
por que eu direi
Fiscalisaco da cmara munici-
pal de Saato Antonio.
O abaixo assignado leudo de seguir para os cam-
pos do sul, onde se acha o exercicio do imperio e
alliados, na quaiidade de tenente do 5 corpo de vo-
luntarios da patria, ao mando do teneote-coronel
Joo Paulo Ferreira, por ler para Isto se oflerecir
do ao Exm. Sr. presidente da provincia, deixa poa
isso de exercer as funegoes de fiscal da freguezia
de Santo Adlonio do Recife, durante o tempo da
lula por assim o haver deliberado a illustrissima
cmara em sua sesso de 28 do corrente mez, em
virlude da participaco que Ihe fez esla fiscausa-
go corno ludo se v dos offleos abaixa transcrip-
tos sobre o. I a 2.
Aproveito, pois, a occasio para agradecer a lo-
dos aquelles moradores do sobredita freguezia que
souberam cumprr o deterroiaado as postoras; boa repulagao antes deste sur adido e pregue mais
ca tambem pelas ras bebad<
vive comprado por este anii agora ha poneos mezes este uimal fez mal a urna
moga, e a familia da dita te ilou processo contra
elle, apresentou a parte ol
pessoas estas Ilustradas do
temunhas juraran) perfeitami
sem recurso algum ser proce:
cmplice, mas o que fez o
que Voc v dizer
a moga nao gosava
nao quero mais que
ue eu vou levenlar
lode baver e s cora
sal
oulro sujeito por no-
sujeilo este casado,
br que quasi defronte
i, tem mais urna ne-
sai da casa do se-
bllcamente na porta
Erysipella.
O medicamento que com mais influencia
e energa tem combalido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
Urna escrava da mai do Sr. Francisco Fir-
minu Monteiro, pessoa bem conhecida nesta
ckI ule. achando-se de cama, e com as per
as bastante inchadas, e cheia de tumores,
tomando o xarope de veame, acha-se hoje
boa, prestando servicos.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na ra Direita n. 51, tendo sido
accommetlida do mesmo mal, acha-se tam-
bem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos
Santos, moradora na ra das Calcadas n.
38, achando-se atacada de erysipclla as c-
xas, com quatro tumores bastante volumo-
sos, no estado indolente, que a privava de
pr-se de p lia muito tempo, com o uso
do xarope alcohlico de veame epilulas pur-
gativas do mesmo, acha-se restabelecida, e
no uso dos medicamentos os tumores ter-
minaran! pela suppuracao.
A Sra. D. Hita, moradora na ra de Santa
Rita n. 13, primeiro andar, sotrendo do
mesmo mal ha muitos annos, pois que a ery-
sipella atacava amiudadamente, depois que
tem tomado esse remedio nunca mais Ihe
deu.
Outros muitos fados desta ordem deixo
de mencionar aqui para nao me tornar pro-
lixo e enfadonho.
Sendo a erysipella urna mol stia que sem
duvida eleito de materia gerada no corpo
como expoem alguns esenptores de medici-
na, e em consequencia da febre lancada
na pelle, onde produz inflammaco, e que
muitas pessoas, por nao se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de-
vem usar de remedio algum, o que faz-se
estender o mal por nao se ter a principio
combatido; por isso, pois, conveniente
que, logo que alguem se sentir atacado de
tal mal, deve provocar a transpirarlo toman-
do ao principio urna colherinha de cha do
xarope alcohlico de veame dissolvido em
urna chicara de infuso de flor de sabu-
gueiio quente, adocaddo-a com mais assu-
car, continuando nos tres dias nesse trata
tamento, no fim dos quaes usara' do xaro-
pe de veame na frra prescripta no recei-
tuano, tendo todo o cuidado de se abafar,
alim de soar conver.ienteniente, alem de
conservar o venlre corrente, que conseguir
tomando urna ou duas pilulas purgativas do
mesmo veame.
Todos quantos suecumbem desta moles-
tia se diz :falleceu de erysipella recolhi-
da ; ao contrario, alguns expositores pre-
sunaem ser o deseniolvimento da putrefac-
to no san.-'ne, tanto que o lugar inftamma-
do que, entao a sua cor era encarnada, se
troca em lvida ou uegra, e lerm na em gan-
grena, e por essa razo que conveniente
o xarope alcohlico de veame na mfusao de
flor de sabugo, para se conseguir resolver a
inflammacao, ou pelo menos terminar pela
supporaco, impedindo assim a gangrena.
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua quaiidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para impedi;
a putrefarcr as molestias
Na erysipella n5o deve o enfermo nns pri-
meiros tres dias us?r de comMas e bebi-
das que possam esquentar e inflammar o
sangue.
A comida durante esse tempo deve ser do
reino vegetal, como sag, farinha do Mara-
nho, pao torrado, bolacha; etc.
Ainda n5o vi expositor de medicina que
aconseihasse que nos primeiros tres dias de
accom uettimentos do mal, nao se usasse de
medicamentos ; o queelles repeliera sao os
unguentos, junturas que obstruem mais e
repellem do que promovem a evacuajo da
parte; o que con vm trazer o lugar ata-
eado e bem agasalhado para ajudar a trans-
pirado e defender do ar.
A jnrubeba urna das substancias mHcaac
tosas, ao reino vegetal, e penenee eto"!
dos tnicos e desobstrnenles, sendo em prvga
na com vantagem contra as febres iotersaiteMn
acompanhadas de engorgilamenlode ligado e ua*
Ella tem sido applicada com i n contesta ve i erovriic
contra a anemia ou rhlorose, e hydrop^ia, raiar
rho da bexiga e mesmo para combaier a n*enira
gao difBcil, resultante da mesma asesta tm cMc
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura dem de idem.
Xarope idum.
Vinho dem de d*m.
Pillas de ext. idem.
Deposito, pharmicia de Pmto, ra larfa >
sano n. 10.
A lambetea.
As virtudes llierapeuticas da jurubeba :
muito coohecidas nao s no Brasil, pois^j
Iratou Pisn em sua excedente obra tUsttrtm i
tunds et medica India occidentahs. >eaafi
Antilhas, onde o sueco das folhas e froeos ,
aqui, muito estimado e applicado coaira ****-
trueges abdominaes, principalmente 4o iga#
bagj ; e se todos os facultativos deta pronara i
nao applicam cora freqoencla, isto se aao #e* a
nao reconhecerem elles essas virtudes, ow *) a
nao seren encontradas com facilidae e tm loae
as estagoes do anno os frucios dessa planta, re-
pugnancia, que presentan) os deentes ? tnrr
uso do sueco desses frnc'.os, em eoaseqaear aV
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouheeida dos aotaam :
esta planta pertence familia das sotanea, lem
a denominago de solanum panteuUtmm, aja* Ike
fol dada por Lyneo.
Pareeendo-nos conveniente facilitar a4a
^icco dos fructos da jurubeba, que o asi ea*-
pregado, nos propozemos e conseguinNa are
com elle nao s um extracto alcoolico qoe
applicado em pilulas, roas tambero ma vil
xarope, e um emplastro' que pode saaaaajrr, as
curtos casos, o de Vigo ; e estamos persaadidaaae
com islo prestamos um servigo a baanaatasr t a
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydronesia, presere* a a>-
eoeco das raizes da jurubeba, e Mrat e Mss,
em seu Diccionario de molera medica t assps
tica, dizum que as An'ilhas se faz oso a saces
dos fructos maduros dessa planta costra raaar-
rho vesiral; e a auloridade dos nemes e?*B s-
dicos, merecidamente celebres, aos leva a errr as
suas palavras, e por islo cuidaremos de lev m
nosso estabelecimento essas raizes.paraqaeai
ser experimentadas.
A repntago da jurubeba tal, e os
therapeuticos obtidos ltimamente sao oo is
tanles, que nos parece intil dizer ma* u isto, que flea escripto.
Deposito: pharmaria de
Joaquim de AlmeiMm Pmf.
COMMEIUO.
Cai\a filial da baiea da Brasil tm
Peni a m bu co.
A caixa descoma as letras desea apela ti* e I
daitxa de 60|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nuoes Correa.
Novo Baneo de Periaaiftieo
O Novo Banco paga o dcimo quisto -
devindo na razo de 85 opr acgo.
\vo banco de Persaas-
bsc>.
O Novo Banco descoma letras de praso atsei?
mezes a 10 por cento ao aneo, e toma ohere
a praso ixo, ou em conta corrente pelo presa e
condiges que se convencionar.
aLFA.NDEGa.
Rendimento do dia 2.......... :30nT,
MOV MEMO DA ALFADE6A.
Volames entrados com fazendas-----
t com gneros..... 1*5
-------I*
Voluntes sabidos cem fazendas..... 129
t com gneros..... 630
-------74o
Descarregam hoje 3 do correle.
Patacho hamburguezEmmadi versas ffeaerw.
Patacho porluguezMaria da Glonatifeo.
Brigue porluguez Esperancadiversos geoers.
Lugre iogleztngtishman carvo de pedra-
Escuna hollaodezatninadiversos geoert.
Patacbo oortiipuez Furtocharque.
KECEBEDOBIA DE RENDAS INTERNAS; 61-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 2.......... 1:35544*.'
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 2.
] 9771156
MYIlKENTG DO P01T0
Vano entrado no da 1*.
Ro Grande do Sul25 dias, barca poriugoeza Re
creio, de 221 toneladas, capilo Madoe Pertira
da Silva, eqnipagem 13, carga 1j022 arroba a>
carne; a Ballhar A Oliveira.
.Varios entrados no dia i.
Acarac e portos intermedies14 dias, v.ipor bra-
leiro Persinunga, de 433 toneladas, eonsaadaa-
te Belmiro Bapiista de Souza, equtpages 9T
carga algodo e oulros gneros.
Aracaty8 das, hiate brasileiro Exhalarme a> 35
toneladas, capilo Trajaoo Antones da Caes.
eqnipagem 7, carga algodo e outros genero; a
Jos de Sa Leito Jnior.
Lisboa32 das, bngue portogoex Lata It, a 007
toneladas, capilo Amonio Fraociseo Vierr.
eqnipagem 14, carga vinho e outros ge aero ; a
Euzebio Rapbael Rabello.
Obttrtacao.
Nao houveram sabidas.
EDII1ES.
a*b-
reaar-
Pela inspecgo da alfandega se laz
que em virlude da portara da thesonrarra
zenda sobo. 140 honlem datado, precisa se e
tar o concert de orna parte da coberta da i
por cima do armazem n. 5, rojo oreassaa l
porlancia de rs. 329A2W acha-se na raesraa
tig", onde os pretendentes o poderao e:
afim de organizarem suas propoatas, sm
ser entregues em carta fecaara al t
tarde do dia 10 de novembro prxima.
E para contar se passa o preseate. V
da alfandega de Peraawbaco 07 m
1865.O 4* escriplurario,
Joao de As Paran
DECIABUOE.
COflREk).
O Sr. Domingo* Jos de Farias qneira i
a reparligo da correio aflat de receber osa


Mario de
neo Seita letra 9 Je SEew foro de tMi

Coiuinanilo das armas.
0 Exm. Sr. mareuhal da campo coraraandante
4a* arma-, esi pelo Exra. Sr. conselheiro presi-
dente da provincia aulorisado a contratar iim ca-
pello para o presidio de Fernando. Qualquer Sr.
sacerdote este servio, sob a condiejSe qua verbalmeota
se llie fara' saber, tenha a bondade de comparecer
no quartel general nos dias uteis das 9 horas da
mantisa a 1 da tarde. Secretaria militar 30 de
ouiubro de 1865.
Francisco Camello Pessoa de Laccrda,
Tenent> -coronel secretario.
De ordena do Illm. Sr. ngenheiro em chee da
reparticoo das obras puilicas se faz publico que o
concurso para o preencbimento das vagas de pra
ticantes desta repartigo. ter lugar no dia 15 de
efozemhro vindouro, as 10 horas da manhaa.
Os exames versarao sobre lingua nacional,
abrangendo a escripia, le tura e aoalyse gramraa-
lieal, desecho linear e de aquarella, arithmetica
m todas as suas oaeracoes, e geometra linear.
Os requerimentos para inscripco dos candida-
tos deroro ser apresentados al o dia 13. e pode-
rlo ser instruidos cein quaesquer documentos os
ttulos sclentiflros que abonem a capacidade dou
mesmos candidatos.
Secretaria da repartiese das obras publicas 19
de outubro de 1865. No impedimento do secre-
tario,
Joao Joaquim de Siqueira Vartjao.
Mata Gasa da Misericordia
do Kecife.
Pela secretaria desta saeta casa se faz publico
que o hospital dos lasaros precisa de um cozinhei-
ro : as pessoas que preteuderem exercer e>se em-
prego, devem dirlgir-se ao Illm. Sr. mordomo de
mez Antonio Jos Gomes do Correio, em sua resi-
dencia ua cidade nova de Santo Amaro, ou ao re-
gite do mesina hospital.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
.dio 27 de outubro de 18G5.
O offlcial.
Manoel Antonio Viegas.
Sania Casa da Misericordia do
Recite.
Rriaro nominal das orpliaas, que por ordem da
presidencia da provincia tem de ser admittidas
u'i respeelivo eollegio, do 1. de novembro em
date.
Nomes. Observarles.
Isabel, fllha de Archaostei Bernardina.
Antonia, lilhado Diogo Soares de Albuquerque.
llosa, pupilla de Jos Alves Barbosa.
Senaria e Uoilheru.iua, euteadas de Maria Januaria
da Conceicao.
Pi-mina, lilha de Francisca Silvina de Barros.
Emilia, alilliada do Dr. Francisco Jos Feruaudes
Gitinaa.
Heunqueta, Olha Je Manuela Maria do Espirito
Santo.
Emilitina, filha de Francelina Maria Borges.
Mara e Philomena, Alnas do Alexandrina Pereira
de Souza
Antonia, lillia de Marcolina Francisca Uuimares.
Ilusoria, filha de Leandra Thereza de Jess Barros.
Adelaida, Blha de Maria (la Luz.
Mara, sobnulia de Manon I'io da Luz.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 2 de novembro de 1867
O fflcial,
Manoel Antonio Viegas.
Consalado Sao convida los os senhores credores do Qnado
subdito portuguez Manoel Jos Soares Guimaies
a ireiB entregar neste consalado as suas contas
dt-niro do praso de lo das, para serem conferidas.
Consulado de Portugal em P.'rnambuto aos 31
de outubro de 1855. cbaoeeller
Andinos Guimares.
Arremataco,
i
Fmda a audiencia do da i do correte, do juiz
municipal da 2' vara, escrrvo Baplisla, sera' ar-
rematado por venda, a quera mais aer, o estabele-
cimsuto de cera com todos os seus utencilios, na
ioja do sobrado n. 5 silo a' ra do Cibuija', servin-
do de base o balance na importancia de 4:3205730,
como consta do escripto, que se acia eni poder do
port'-iro do juizo, o qual eslabelecimento faz parte
dos baos, que Bc-aram por fallecimento de Angelo
Custodio dos Santos, e vai a praca a reqaerimento
do respectivo inventarame_________________
Acha-se recolhido rasa de detenco, pela
subdelegara da freguezia dos Afogado', por andar
fgido, o preto.de nomo Antonio, que diz seres-
eravd de joaquim Cavalcan do Rc-go Jnior, mo-
railor na Escada : quein se julgar com direito ao
nie-mo compareca, que provaudo, Ihe ser en-
tregue.
- O subdelegado,
Jos Roberto de Meraes e Silva.
"GORREIO GERAL
Pdla admiuisiraoao do correio dosta cidade se
faz publico para lilis convenientes, que em virtude
do disposto no ari. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro de 18i, e art. 9 do
decreto n. 183 ole 15 de maio de 1831, se proce-
der o consum' das carias existentes na adminis-
trado do correio, perjrenles ao mez de ouiubro
de 1884, no da 4 do correte mez, as II horas da
manhaa, na porta do mesmo correio ; e a respec-
tiva lista se acha desde ja exporta aos interes-
sados.
Administrado do correio de Pernarabuco 28 de
outubro de 1865.
O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Conselho de comps navaes.
O coaselho em 6 do correte mez promove a
compra, sob as condicoes do eslylo, dos ohjectos
aiMii'i declarados a vista de propostas em cartas
fechadas recebi das nesse dia at as 11 horas da
manlia.
ObjecOv
10 bandeiras nacionaes de 5 pannos, 10 ditas na-
cionaes de 4 pannos, 10 ditas nacionaes de 3 pan-
nos, 10 ditas de gurup de 2 pannos, 8 lences de
ferro de l/t d i grossura, ferro bruto para fnndi-
cao. 10 duzias de limas m;ia cana de 16 a 20 pi-
legadas, ti) arrobas de raialhar branco, 3 ditas de
pregos ripare: de cobre, 6 duzias de taboas de eos
tadmhi de atnarello, 3 ditas de tainas de assoalho
de araarello do 3 palmos de largura, 20 ditas de
taboas de assoalho de atnarello, iO ditas de tabas
de lauro para forro, 12 ditas de tabeas de pinho de
3 poiegadas, (00 covados de Hiele, e madeiras de
coti-irui'cao pira uin transporte de guerra.
Sala do con-elho de compras navaes 2 de no-
vembro de 1865.
O secretario,
Alejandre Rodrigues dos Amos.
Os bilhetes podem ser procurados na ra de
Santa Isabel n. 3, ou no theatro.
Comecar as 8 horas.
Sabbado 4 de novembro
de 1865.
neeita extraordinaria.
Representar-se-ha o muilo lindo drama em 4
actos
es
O papel de Julia ser desempenhado pela Sr.*
D. Adelaida para quem foi expressamenle escripto'
Comecar as 8 horas.
?IS0S M4WTIM0S.
COMPANHIA
PERNAMBUCiNA
DE
Navegacfto cosleira por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Aracaty, Gear e
Acarac.
O vapor Persinunja, comman-
dante Souza, spgue no da 9 do
rorrele as 5 horas da larde. Re-
bebe carga at o dia 8; encera-
mendas, passageiros e dinheiro a
frete at o da da sabida as 2 horas: escripto no
no Forte do Matos n. 1._____________________
PARA O
. Rio de Janeiro
pretende seguir com mulla brevidade o palhabote
nacional Piedad*, tem parte do seu carregamento
engajado : para o resto que Ihe falta e escravos a
frele, para os quaes tem excellentes comraodos,
tratase com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira AzeveJo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1.
Para Lisboa
satura' com brevidade o brigue portuguez Cons-
tante D>, recebe carpa a frete e passageiros, para
os quaes tem excellentes commodos: trata se com
Manoel Ignacio de Oliveira Filho, no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio. _______________
PARA LISBOA
vai sahir com brevidade o patacho portuguez Ma-
ria da Gloria, capilao A. B. Volante, recebe car-
ga e passageiros : tratase com o consignatario E.
R. Rabello, ra do Prapiche n. 44.
Ciar
O hiate c Dous Irmaos : a tratar com Tasso
Irraos.
Terea-feira 7 de aovenbro a porta da
associaco commercial sil horas
E. Arnold* Jnior capltao da barca inidcta Mira
& .Celia, arribada neste porto, tara' leilo por ln-
terveocSo do agen e Pinto, com licenca do Illm.
Sr. inspector da alfandega, em presenca de um
empregado da mesina reparlico para o flra no-
meado e por coma e risco de quem perieneer do
casco e objectos cima mencionados tal qnal se I
acha ancorado neste porto, as 11 horas do da ci-
ma dito em frente a associacao commercial. Os
pretendemos podero desde ja examinarem o dito
casco e seus pertences e comparecerem ao acto
do leilo.
OSIMRAGLIIOS
E' a orden do di;
guayos a bayoneta
fulmina-los com os
de esporoes, armstr
120; extermina-los
fa.io e a punhal i
niDgaera se l^mbrt
Paraguayos coai as.
cedeu; acabar com
I Acabar cora os- Para-
a mini, a revolver;
en cutir a ca I os armados
[>ngs e raiadas de 80
em summa a espada, a
de que se trata; mas
u ainda de esmagar os
rmas que Deus nos con-
avisos mmm
CURSO ESPECIAL
DE
elles a tacao e a ponta
pus, para o qua ndeessario encouracar esta
parte do nosso cor x> com os formidaveis
iga cobra, arranca tocos,
outros que se vendem
rompe-ferro, esm
quebra marmore e
PREPARATORIOS
para os estudaates que devem
fazer acto eiu mareo.
Jos Soares de Azevedo, professor de
litigan e litteratura nacional no Gymuasio
Provincial do Recife, lem aberto em sua ca-
sa, ra Bella n 37, um curso especial dos
seguintes preparatorios, para aqueltes exu-
dantes que tiverem de fazer exame em
mar^o prximo :
Llngaa Franceza
Gcographia e Historia
Philosophia
Rhetorica e Potica
As pessoas que se quizerem utilisar desta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-'
sidencia, de manhaa at as !) horas, e de
tarde a qualquer hora.
Instituto Filial dos drogados Bra>i-
leiros.
O Instituto reune-se hoje em sesso ordinaria as
2 horas da tarde, e na sala destinada s sessdes do
tribunal do jury.
Sala do Instituto 3 de novembro de 1865.
secretario-adjunto,
F. L. de Gusmaa Lobo.
Borseguins Bordear.
patrici
para sekhoras, en-
feilad is
com laco
Sa patries encouracat os
Borseguins para m
elast co
Sapatos de lona, so
>
MS
m B'ffl
4. Ill A Hlllll A 45
e fivella
eninas bom
85000
SiJOOO1
535001
4W00
5/5000
35000
2,5000
10600
1600
se-
para
le lustre..
a elstica,
avelludados
de tranca
econmicos
nhoras.
com salto
Chinel5es do Porlo
Um completo soij time uto de calcado da
trra para homensj senhoras e meninas;
assim eooto bezerroj francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sa|pateiro, muito sortidas,
sola e couros que tido visto necessariamen-
te faz cobica ao con p ador pela barate/a.
500
25240,
15600
Ra do Cr
Esto promptos p;
i.iimau i: ri m,',isi:
espo nuuiero 9.
ra serem deslribuidos aos
Srs. asignantes, vinu exemplares de
Vauella: CJ
ui i
Precisase de
annos, que* tenha prat
Capunga.rua da Ave
Ama tara casa
Precisa-se|alugar u
una casa : na becco
andar.
Maranhao e Para
Segu com brevidade para o< indicados portos
o brigue escuna nacional iGrafliosa, que ainda
admite alguma carga : a tratar com Antonio de
Almeida Gomes, ra da Cruz u. "23, Io andar.
cjrr.ui.-=Ht**". '- >.' -
llll!
LEILO
Sexta-feira 3 de novenbro as 11 horas, na
ra da Cade a armazem n. 53.
pelo-geiile Bazobio
De duas casas terreas na llha do Retiro junto
a poiiti: grande da Passagcm da Magdalena, com
frente para o rio, sao novas, feitas a moderna,
muilo frescas por ser do lado do nasceute, tem
accommodacoes para familia numerosa, urna prin-
cipalmente que maior tendo" gabinete, alm de
] quintal murado ha mais ierrenj aproV'tavel para
baixa de capim : os pretendentes queiram anteci-
par-sea ir examinar, o tempo proprio de gozar-
se dos banhos, das i as fl horas da urde estarao
abenas para as.-im pr^slar-se a quem qnizer fazer
boa acquisigo. ___________
lilI.AO
Dr, um cabriolet tiiierirano, novo, de
4 rois com nssenlos para i e 4 p-s-
soas poilciiiio ser puchado por um ou
dous cavados.
Sexta-feira 3 de novembro a 1 hora em
ponto na pn.c;a. do commercio.
Henry Forster do agente Pinto e por coma e risco de quem per-
; tencer do cabnolet cima mencionado ultimamen-
le despachado, sejla-feira :t do crreme a urna
hora em poni na praca do commercio.
Nesta mesma oeeasio vender' uns arreios de
metal principe para um cavallo de cabriolet.
LOTERA
AOS 6:000$000,1:200^(000
e 500^000.
BILHETES A' 5dOOO, MUIOS A' 20500 E
QUINTOS A' 15000.
Corre ainaiiha.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meio> e quintos da 3a parte da 5a lotera
(:$7a) a beneficio da S3n!a Casa da Mis ri-
cordia. cuja extracto ser no lugar e hora
do costume.
Os premios de 0:0000000 at 105000
seo pagos urna hora depois da extraccao
at as i lioras da tarde, e os outros depois
da distribuii;ao das listas.
As encommendas sern guardadas somen-
te at a noite da vespera da extraeco.
O ihesourciro,
Antonio Jos Rodrigues de Sou'.a.

UTOS E PHANTASIAS.
caixeiro de idade I i ou 16
ca de taberna : a tra.ar na
tura, casa n. 1.
na ama para lodo servigo de
das Boias n. 2, primero
O DR. CASANOVA
pode ser procirado a qua'quer ho-
ra em seu cansultorio homeopa-
ihico, largo da matriz de Santo An-
nio n. 2
No mesmo consultorio tem sem-
pre medicamentos em tinturas e
glbulos em carteiras e avulsos de
Catelian e Welier e muito em conta.
m
Para vestidos de senhora.
Cortes efe seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireantiques de cores.
Grosdenaples do todas as cores.
Lindos poild' chevre fazendaassetinada de inieira nnidade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramente nova.
Modernos grenadines de seda o que tem viodo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e de salpiccs.
Organdys e casas do muito bom go.-to.
Percalias modernas com grande variedade.
Lindos corles de la Clotilde com todos os pertences cada um etn seu car-
[15o inteiramente novos.
Bons cortes de oassa com barra tambera inteiramente novos e oulras inuitas
|fazendas de gosto que seria enfadonho mencionar.
Para homhros desenhtva
Grande variedade de chales, bournoux, rotondoi e algeriennes de l e de
'guipurc a 10, 10, 20, 30, 40, 60 at 805-
Modernos soutembarques de seda de superior qualidade.
Lindos bertes de seda de cor pretos e de cachemira.
dem de cambraia branca bordada com muilo gosto.
\ Sautembarques e bournoux de cacliimira de cor e outros muitos artigos de
'bom gosto.
Para cabeca de senliora
) Superiores chapeliuas de paiha, de seda e de crina de muilo bom gosto a im-
peratriz.
Chapeos de pilha da Italia grande variedade.
Lindos gorros e bonets de palha de llalia, Irnperalriz, Canotier,
e a Granie, chegados de l'aris pe o ullimo vapor.
) Grande variedade de enfeites de froco e de llores para asamento.
i Superiores vestidos de blonde, e de mureantique brancos.
I Bons moireantiques brancos e superiores sedas branca?.
Bons vestidos de tarlatana branco bordados.
> Lindas mantas de bionde e boas caponas.
IlonVufos.
Grande variedade de ntremelos bordados transparente e tapados.
! Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados,
outros muitos artigos.
liOJ^ %*.\S OOItlJJHlfl
DE XTO.MO CORREla lE VAS' ONGELLOS
IMJA I>0 CBBSPO ff. 13
!
1
Clotilde -fP
saias bordadas e > ^
%
llene
Cozem-se saceos p
ra do Pilar n. 28.
II $

ra assncar por machina : na
;e&J&H&SSI!ii
mper.al Instituto de >ossa ^e-|
ni: ora il > lloiu Consol lio.
Curso As aulas deste i-nrso abrem-se a lo re
de novembro. Os Srs. estudaues de pre- B
paralorios i|ue .-e quizerem habilitar pa- ^
ra preslar exame em marco, podem des-
deja vir dar seus nomes matricula. Os
lentes sero os mesmos do curso de fe- JJ
ras passado.
AOS AGRKMTOliSS
-se e terreno ntjcessario a quem quizer edifi-
car um engenho parla desfrurta-lo pelos annos que
se (Mnvenclonar, no lupar denominado Balsamo,
cujas ferra> sao de ama producijo prodigiosa, e
lira (lisiante ir.eia Iflgoa, por um lado, da colonia
de Pimenteiras, por
ras, e cerra de lego
Benedicto e Paoella
referido* povoados
outro, da povoaco de Capoei-
e uifia das povoa<;oes de S.
(; 00 Terra Nova ; em lodos os
la /eiras regulares e em difi-
renos dias da semana, onde se acham bons recur-
sos e se encontrarn
mercadas para as diversas es-
LEILO
Da lija de fa/.eiiJ s e dividas da ma-
sa fallida de Iriiio Jauuario de Oli-
veira.
O agente Marlins levar novamente a leilo por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio a Ioja defazendas da ra dj Queimadof.n.
5, e dividas na importancia de cerca de 7:000,
tudo pertencente a massa cima.
IIOJE.
As 11 horas do dia na mesma Ioja.
LEILO
Correio geral.
Q lllm.Sr. Dr. Luiz Gomes Pereira queira diri-
gir-se a repartigso do correio afim de receber urna
carta recommendada.
*T
THE* iitO
DE
EMPEEZA--0OIMBRA
Sfxti-feira 3 de uovembro
de 1865.
BENEFICIO DO ACTOR
LUIZ CARiOS AMOEDO.
Dr|iois de urna brilhanto ouvertura dar' come-
to ao espectacnlo a linda pneeia dramtica ex-
pressamente escripia em obsequio ao beneficiado
pelo ritornelo pota o Sr. Victoriano Palhares, para
-ser remada pela Sr.'D. Eugenia Infante da
Ca-
ma r.>
Magdalena nos tnmulos.
Em seguida o magnifico drama em U actos por
Alexandre Dumas Filho.
A DAMA DAS CAMELIAS
O i-ifiiil papel de Margarida Gautliier sera' de-
semp-nhado pela Sr.* D. Adelaide do Amaral e o
de Jorge Duval pelo sr. Pedro Joaquim do Amaral
que granosa nenie se presiam ao seu collega.
A Sr." D. Eugenia de commum accordo com o
empr.zio e ero obsequio ao beneficiado presta-se
a cauar o duelo
0 ESTIMANTE E A LAVADURA
De trastes avulsos romo sejara : cadeiras, planos
de armario e de mesa, sanctuarios, sofas, me-
sas, marquezas, camas, guarda louca, armarios,
relo^ios de ouro e prata, cadeias para os mes-
mos, aderecos, meios aderecos, charutos e ou-
tros muitos ariiiios.
HOJE*
NO GRANDE ARMAZEM DE LEILOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Ra da C'adeia do Recite36
LEILO
IIOJE
De iiiu cavallo easimhi.
O agente Marlins vender em leilo por conta e
risco de quem pertencer um cavallo castanho bom
andador baixo.
As 11 horas do dia na ma do QootaMfio n. 5
onde haver um leilo de chapeos do Chili.
LL1LAO
IIOJE
De 200 thipi'os do Chili.
O agente Marlios vender em leilo por conta e
risco de quem pertencer 200 chapeos do Chili em
leles de 50 chapeos.
As 11 horas do dia na ra do Queimado Ioja nu-
mero 5.
:: sS PS'"
mtwFmmim
Ainda est por alogar-se o segundo andar do
sobrado da ruado Rosario da Boa Vista d 33: a
tralar na ra das Grates n. 9, 1" andar. _______
L1IRAHH PRANCAISB
REVISTA JURDICA
Doulriiia lleliyioJurisprudenciaBiMisgra*
phia.
RF.OIGIDA PELOS SRS. DRS.
JOS DA SILVA COSTA
Juiz Municipal da s^eunda vara da corle e
JOS CARLOS RODR GUES
Advogado ni>s auditorios do Rio de Janeiro.
A Revista Jurdica publica-se no Rio de
Janeiro de dous em dous mees no formato
in 4., com 128 pagin-sdoimpressao, com-,
pondo todos os annos dous bellos volumes
com perto de 400 paginas cada um
Preco adiautaio da assigoatura
Por seis mezes 7U00O__________ |
GARRVIX, DE LAILUAQU i C.a
UBRAIRIE FRAHQAISE
RA DO CRESPO N. 9.
LIVllOS NACIONAES E'ESTRANGEIROS
lleligio Philosophia JurisprudenciaLittera-
luraScieocias e arles
Papelaria, objectos para escriptorio.
Precisase de um bom cozinheiro : na rna da
Aurora n. 32.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
pecie- de negoeios, alem da grande ffira de Trom-
betas.-eatacao tern inal da via-ferrea, da qual o
lernno mencionado dista de C a 8 legoas pela es-
Irada rial, cujas aiargens esio guarnecidas de
moradores e fazendp.s ruraes, que loruam o tran-
sito nimiamente agradavel : qu>-m quizer lucrar
de cinco a mais foloas da urna planta de canna
podi-r contratar este negocio na ra estreila do
Rosario n. 28.
frVrJrJrJrJrJr^rJrJrJrJrJaEE
Alugam-se as casas terreas n. 4 e 20 da ra
do Hr-urique Ibas vulgarmente conhecida por Es-
tancia, bem como o siiiodenominado llha no becco
do mesmo nome n. 1, e a casa lerrea da ra de
Domingos Pires n. 54, todas com commodos para
familia : os pretendentes podem dirigir-se a ra
da Gadeia do Recife u. 39.
wmmm-m mmmmwm:
||S O bachaiel Manoel I'ir mi no de Mello
Sj mudou sua residencia de familia para a
*'*.. ra de detraz da Matriz da Boa-Visla n.
^ii 26, prnneiro andar, onde pode ser procu-
rado para os nisieres de sua prolissao das
'i horas da tarde dos das uieis at as 9
da manhaa, e Das de mais horas do dia
no seu escriptorio da ra do Rosario es-
ireita.

m
m
m
m
m
m
m
tvliiHi'os aiuei-icauos
Ainda existem 2 de resto: na ra Di-
reita n. 84, padaria.
O abaito assiguado, fiscal suppleute da fre-
guezia de Santo Aotonio, acha-se em exercirio das
respectivas funeces, e reside na ra dos Expos-
los, casa n. 20.
Vicente Jos da Costa.
Aluga-se urna boa casa terrea com commo-
dos para familia, em bom estado, na ra da Ale-
gra u. 16 : a tralar ua ra da Mairiz da Boa-Vis-
ta n. 54.
LEILO
Sibbado 1 de novembro as 11 horas.
Na roa da Cadeia ai-matcn a. 53
Pelo agente Eutebio
De duas raobiliasde Jacaranda' novas.de um sobrado
de um andar e soio o. 27 sito ua ra da Moe-
da, as chaves se acham no armatem junto n. 29,
rende por met 35/JoOO.
De duas ca as terreas ns. 39 e 41, sitas na ra
das Crioulas, rendem or mez 2i>, os tres predios
cima sao solos propriso. Os pretendentes queiram
ir examinar, e certos de que sero vendidos pelo
maior preco qne se achar.
Leilo
Do casco da barca ingleza Mira A Celia, com os
mastros reaes. cabrestantes, bombas, 1 verga
grande. 1 reastaro, 2 ancoras con correntes, 2
cabos para amarras 1 tanque de ferro, 12 bar-
r* para agua, 6 a 8 tonellada% de carvo de pe-
dra, fugo e utencis de cosiolia e um lote de
praocboes e estivas de madeira, 130 tonelladas
de pedra para lastro.
O banco AWianca do Porto tendo estabelecido es-
la sociedade debaixo de sua inmediata vigilancia
e responsabilidade, facllitou a creaco de capitaes,
dotes, rendas, peoses, iseDcdes do servico das ar-
mas, e por meio de subscripcoes nicas ou an
nuaes, as quaes convertidas em io-r-ripcoes da di-
vida publica, de renda nacional, e da mesma forma :
os juros semestraes que d'ellas se forem vencendo,!
fleam por um certo numero de annos em deposito, j
at que, lindo o prazo estipulado, s5o restituidas
dos socios com os interesses amontoados, bem co-
UM as que pertencerem aos associados fallecidos,
visto que d'estes sao herdeiros os sobre vvenles.
Pela engeohosa combinaco econmica adoptada
nos clculos desta sociedade, v-se que, com orna
entrada animal de 505000, por exemplo, obtem se |
em 5 annos 4505000 a 5505000, em 10 1:5005000
a 2:0003000, em 15 3:5005000 a 4:5005000, em
20 8:0005000 a 10:0005000, em 25 18:0005000 a
25:0005000, coofOrme a idade do individuo sobre
quem feilo o segure, pois que nos referidos cal- i
culos conta-se com a maior ou meuor probabilida-
de de duraco de vida.
Esta sociedade sobreludo vantajosa aos chetes
de familia, visto que Ihes facilita um sacrificio a
fundacao de um capital ou dote para seas filaos ou
lidias, segurando os quaodo nascem ou emquanto
sao enancas.
Quem, pois, mais circunstanciad s inforraaeSes
dirigir sobre tal sociedade, ou se qnizer inscrever
como socio d'ella. dirjase a ra da Madre de
Deus n. 28, oode se podare entender com Joo Car-
los Goelho da Silva, ju ; para isso se acha encar-
regado,
Feitor
y Precisa se de uno feitir para om pequeo sitio
perto da praca, preferese csauo, o por isto se da'
casa propria e boa para morar, sendo porra pes-
soa capaz, dando boas iuformacoes, tanto pela pro-
bidade como pelo seu traba.ho : a quem convier,
dirjase a ra Nova a. i% 1 andar.
i
m Casa de bauhos
S Largo do Caa'iuo u. 20.
Este estabelecimenio tao bem montado
na sua origem achavase de ha multo em
quasi completo adandono pelo pouco in-
leresse de sua administracao.
Hoje que o uovo proprieiario empregou
todos os meios para restabeler a grande
utilidade desie estabeleciuiento, pode as-
segurar so publico que qualquer que seja
o numero dos concurrentes acharo des-
de j promplido e aceiouos banhos fros,
? mornos ou medicinaes, a casa dos ba-
JH nhos se achara' abena todos os dias das
''0 6 horas da manhaa as 11 da noite.
Precos.
Banho de choque......... 500
Sj Dito fro ou moroo........ 500
Dito de farello............15000
Dito medicinal sera' segn-
"M do sua qualidade.
^ Assigoatura.
|R Por mez banho fri ou morno. 105
25 cario's para banho fro,
morno ou de chu visco..... 105
12 candes para os mesmos... 55
B 12 ditos para bmho de farello. 105
Creme*
Srvete de creme hoje ao meio dia : na ra do
Trapiche o. 18.
Precisase de um menino para caixeiro : na
Ioja de qnioquilharia na ra d Rangel n. 17.
Manoel Jos Lopes faz sciente ao respeitavel
publico que o sen cunhado o Sr. Joo Leopoldo do
Reg Villar deixou de ser sen caixeiro da Ioja de
miudezas da rna do Cabug n. 4, desde o dia 31
d outubro de 1865.
Precisa-se de urna ama : na ra larga do
Rosario n. 35.___________________________
Precisa-se de dons amassadores : M pada'
ria amezicana, roa da Praia n. 47.
Precisa-se de um caixeiro de I* a 14 annos,
qne tenha pratica de taberna : na loa da Coocei-
c,o n. 11.
twsiLOKi mMocu.t m\m
DU
DR. PEDRO DEATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
MEDICO, IMRTEIKO i OPKHAHOH.
3 lua da Gloria, casa do Fundao %6
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
aoras da manliao, edas t e meia s 8 Loras da noite, excepto dos dias santificados.
/ ha i 'in acia especia I '/ omeopaltcn
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado soriimento de carteiras
rabos avulsos, assim como tiuturas de varias dymnamisacoes e pelos pregos seguiutes.
Carteiras de 12 tubos grandes. l^OOO
de 24 tubos grandes. I&0OOO
de 36 tubos grandes. iOOO
de 48 tudos grandes. 3O|000
de 60 tubos gran les. 3"OU0
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
me se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melbor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathuo do Dr. Jabr
dous grandes volumes com diccionario............ 20-5000
Medicina domestica do Or. Hering........... 1050 Repertorio do Dr. Mel Moraes............ 6t^0tK>
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estabelecimento sao por deraais conhecidos e lispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remedios
verdadetros, enrgicos e dura.dores: ha tudo do mellior que se pode desojar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
tados estabeleciraentos europeos, a mais exacta e acurada prepararlo, e pnrtanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saudt* pura escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-s operaco, p >ra o que o annunciante julga-se sufficienteroente habilitado.
0 iratmento o meihor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ba muas pessoas de cujo conced se nao
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarera mandar seus
doentes.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
Asoperaces ser5o previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante. ^^^
'mmmm mmm-mmmmmm
H O hachare!
Francisco Augusto Osla
ADV.GAD
H Ra do Imperador numero 69.
iii mwm iiiim
Aluga-se nma sala e dons i|c arlos, e um so-
tan de um sobrado na ra do Imperador n. M) :
tralar no mesmo sobrado, das 9 da maoha as X a
tarde.
~ Pede se ao Sr. Ma oel Pereira Krandae, e
Olinda, para vir a rna da Cadeia n. 5V, eoao -
tou.
Caboc
Perdeu-se no banho por detrat da reftoace <
Monteiro, um trancelim de ouro : a pessoa que
achar, quereodo entregar ao Stn dono, pode-o loar
na ra do Amorim n. 36, qae ser gratificado.
Mmmm mmmmm wmmm
Companbia fidelidade de seguros g|
martimos e terrestres -jg.
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEHNAMBDCO
^ Anteis Luiz de Oliveira Azerrd & C, JB
mt competentemente autorisados peladirec- ^p
S" toria da companhia de seguros Fidelida- ^
de, toraam seguros de navios, mercado-]
ras e predios no sen escriptorio ra da
Cruz n. 1.
mmmmmmmmmm mm&*
Precisa.se de nma ama secca para urna casa
eslrangeira, preferindo-se escrava : a tratar na
ra da Cadeia n. 18.
Albino Baptista da Rocha, relo-
jot-iro e dourador, na praca da In-
dependencia n. 12, faz qualquer
concert pertencente a sua arle
por precos mais baratos do que
outro qualquer e responsabilisa-se
'pelo seu trabalho, assim como tam-
bera compra relogios em segunda mo, espera pro-
teccao de seas amigos e compatriotas.


Mario
Seits felta 3 e aiaveaabro de 1 S.

GASA DA FORTOR 4
Aos 6:0000000.
Bilbttro garantidos.
A' RA DOCRESPO N. 23 E CASAS BO OOSTUME
0 abaixo *ssignado veideu dos seos nuitofeli-
zes bilhetes garaoUdos la lotera que se acabou
de eztrabir, a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguales premios:
Um meto o. USS cora a sorte de 6>00000.
Tres quialos n. M04 cora a sorte de 1:2000.
Um inteire s. 4d"3 cora a sorte de SOOJOOO.
E outras omitas sortea de 1000, 405, 200 e
10000.
Ospossuidores podera vir receber seus respec-
tivos premios seta os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra da Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3* parte da S* lote-
ra (37'j beaef co da Santa Casa da Misericor-
dia, que se extraair sabbado 4 de oovembro.
PRISCO.
Bilhetes.....60000
Meios......30000
Quintos.....10200
Para as pastas que comprarem de 1005000
para cima.
Billetes.....5*S0
Meios......20730
Quistos.....10100
Manokl Martins Fiuia.
LIQIDACAO GERAL
ao
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQKO DE LONDRES
M DEPOSITO DE CALCADO
WI FABRICADO NA CASA DE DETENCO
M Ru Nova i.
jmt Abi se encontrarlo obras Je di-
= Tersas qualidades, e por preco moi J
| diminutos, a retalbo e em porgues. IB
f S se vende a dinheiro. 9f
mmmmm e **
m
s
A aguia branca
8, rectbeu lavas arela
na rna do Queimado n.
de pellica.
AWlSlfilpL
Os arrematantes da massa fallida de oaquim
Vieira Coelbo & C. previnera aos senhores devedo-
res para que no prasa de 30 das venham ea man-
dem pagar o que estao devendo a' mesma assa,
na ra da Cadeia do ftecife n. 3, e que flode o dito
praso, os que nao papare ti, terao de ver seus no-
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branca judicialmente. Recife 5 de outubro de
1863.
Para quera precisar de banhos, offeroe-se
duas casas cora commodos para familia, na Ma
do Retiro, junto a ponte da Passagem : a traiar
"ora L. M. R. Valeoea.
Saques sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacara sobre
Lisboa : no largo do Con Santo n. 19.
ira
C01PAM4
de machinas
censtrucco
rJE
ALBERTSOM E IMII GliASS
New Londoo, Cormectieur, Esta-
dos-Unidos
Solicitam pedidos de desea roca dores de algodao,
adoptados ao aluodo sul-ameriano. Ho-se de-
Fil preU para lato.
Vende-se fil preto maito suprior a (00 rs. a
vara: na ra do Queimado n. 18 a, esqoiaa qae
volta para a ra do Rosario.
Vende-se, cora a coodico de ser para fon
desta cidade, ama negra boa eo'.ioheira eogoa-
madeira : a tratar nos tullios, roa dos Prazeres
D. 12.
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos osarligos abaixo mencionados foram comprados recentemente pek) dono do estabelecimetilo as prineipaes fabricas
de Pars, Londres, Binmingham, Mancbester e em diversas oidades da Allemanha, e tendo comprado todo as melhores c ondices
Ipor ser a dinbeiro, por *sso vende lodo e qualquer artigo barato, por menos do sea valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Europa.
Ha nesle vasto armazem ricos objectos com brilLaalos, como boloes, armis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correnoes, anneis e muitos outros artigos, relogios deouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-'S"cado'a.
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos prineipaes fabricantes inglezes e francezes, como L. [ rao inmediatamente a correspondencia'que se Ibes
T. PIVER, Lobin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfumerie du morid lgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas, dirigir.
Mailly, Regenier, P.Guelaod, e inglezas de Eug. Rimmel eoutros; ricas galantoias em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na j __ Jo< IzidQro Martins agente deleiles *5 aos org5os da respirarlo
China eno Japo; nicas pecas detrystal fino como anda nao appareceram nesia cidade, e bem assim modernos lustres para velas,' ,em seu 'c Dtor0 a rua da Cadeia do Re I DESAPPARUcasiB
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfetes e adornos para cima de consolas epara grande loillette, o que se tem rif- n n nn,f nnr1p ... .....,.,,1. A.
feto de mais elegante em Pars, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelfaos de metal fino inglez para cha e caf, os-quaes em horas da iMDhaa as 4 da tarde
nada so inferiores prata, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentesde tartaruga da ultima moda para trancas de senho-j--------------------------------------------------
ras, excellentes luvasde pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha ecaf, ditos para jantar, e immensos arti-' "~, V** ImPenal n 16 existe para
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras, etc; calcado dos prineipaes fabricantes de Paris e ditos de pan- ser alu8ada Pr commodo preco, urna casa
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gaviojr, C, para se tocar na Qoya com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora.
rua, ditos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modei dos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para Q'ntal muito grande murado, com um
theatros ou sales, ditos dephantasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noile; stereocopos de nova in- rande telheiro, com portao e cacimba : a
venc5oecom bello eortimento de vistas das prineipaes cidades da Europa; grande sortimento de brinquedos finos para enancas, e tratarna mesma ran. l ou na rua Di-
bonecas fallando papae e mame ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem reita n- 84, padaria. ___j__________
merecido toda a aceitadlo na Europa, grande e magnifico sortin ento de caixinbas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda, Precisa-se de nm caixeiro para padaria, se
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin is coloridas com o fuodo preto e de outras de todos os santos, ditas com i *? liveJ P""". tendo a de taberna, tambem
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal j mforS^HlSSiif 66 a"* cod : M
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardm; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas, --_ 0 padre Fe,,x BarretQ de'Vasconceiios ore-
ditas modernas para alfaates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diversos artigos feitos de rame; completo sortimento de cisadeom sobrado de um andar com basuntes
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos acommodacoes, ou de dous andares nao sendo
Vinbo do Porto superior era caixa asta,
tem para vender Antonio Loiz de Oliveira Aaeve-
a>y C., no seu escriptorio roa da Gnu a. L
IrritacSo dospulmoer. angi-
nas, tosse, escaos de
sangue, crupo ou gano-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que aflc-
\rl 'II, L- nKnSno 1_______:_____*.
ediante a aeco da balsmica e irresistivo
ANACAHUITA
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-". muito grande, e nem fra da freguezia de Santo
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quera faz pSo-de-I, bolinhos, etc.; i Jn0c0n,:e qmr6dJ iTpwadS^'legund
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de andar,
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas decharo para loillette; machinas para varrer o chao, '
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illuminaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em |
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscoutos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
CAIXEIliO.
Offerece-se um caixeiro cora pralica de taberna
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de"Londres, na rua da Ca- 'So tribea snua7ondacla : na rua de S" Fran'
deia do Recife n. 60.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
PERFUMARAS finas
Na noite do da lo do correte foi roubado de
urna sala que (ka nos fundos do sobrado de um
andir na rua do Seve, freruezta da Boa-Vista, no
qual mora o abaixo assignado, os seguintes objec-
tos : 1 relogio de ouro sabonele n. 25424, patente
inglez, mostrador de louca escura, com cadeia e
cbave de ouro, e com outra mais fina lambem de
ouro com chave de dar corda, um par de casticaes
de prata lavrado cora angilicas, urna escrivaninha
de prata em forma de concha, prato e espevitadei-
ra de prata, urna crrante do raesuio metal cora
diversas chaves miudas, qualro onceas de euro,
294 em praia qae se arhavam n'um sacco de da-
masco de la de cor branca e verde. Suspeita-se
que o ladrao entrara por urna das janellas que
deita para o quintal do referido sobrado, abaixo
das quaes Dea o telhado qae serve de coberla a co-
zinha, que no pavimenio terreo : pede-se, pols,
as autoridades policiaes para que empreguem os
meios necess^nos para dt-cobrirern o iadro, bem
assim aos senhores ourives e mais pessoas a quera
forem offerecidos os objeclos roubados, para appre-
hender como roubados. Offerece-se a gratificado
de -20)5 rs. a qualquer que descubra o autor do
roubo. -Joao Fernando da Cruz.
Recife 16 de outubro de 1865.
Alnga-se a casa que foi do f*llecido~Guerra,
na povoacao do Monieiro, o qual tem muito hons
commodos para familia : a tratar no pateo d) Cor-
po Santo n. 31, escriptorio., ou na rua de Apollo n.
1, segundo andar.
Notas do banco do Brasil e das caixas fliiaes e na mesma'rua loja de miudezas n] 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para lbuns, como:
desconlamse na travessa das Cruzes n. 8. Porto
Precisase de urna ama para comprar co- Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
I Porto, rua de Santo Antonio.
Joao da silva llamos, medico, me- Ponle pensil sobre 0 Douro n0 Port0t
lPJSSfT!^ Si I Villa da ponte da Barca.
CoimDra.
CHEGARfiW
LONDRES.
Para completa Iiquidac5o vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas ehegadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E"g. Rimmel, B. Matheus & C, Lubin, Societade Hygienica, Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Begnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grandejsortimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafiuhs e vidros de differen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Expsito de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PARA SEXIIOK.tS. I
Bicos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante ato o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposic3o de Londres, na rua da Cadeia do Becife n. 60.
LLV1N XOVAS DE JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente ehegadas de Paris, tanto para homem como para
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da ExposicSo de Londres, na rua da Cadeia do Becife n. 60
PEITORAL de KEMP.
a anacahuila mexicana que da o oome es-
pecial este incomparavel remedio, un
arvore, cuja madeira por muito lempo m
ha usado no Tani pico para a cura das *n-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim. O peitoral de Kemp
xarope delicioso inteiramente lirre de
os quadros da batalha naval de Riachuelo e pas-
DA EXPOSICO DE sagem das Mercedes ; os Srs. assignantes podera um
vir receber seus exemplares na rua do Crespo nu- ,
mer0 4 K v : opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernanibaco roa da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboxa
Ama
PHOTOGR % Pili A.
No grande armazem da Exposifao de Londres, rua da Cadeia do Becife n. 60, rua da Imperatriz loj* de Mr. Dubarry n. 8
senhora por menos de
zinhar:
na rua
andar.
do Livramento n. 2o, segundo
Joo da Silva llamos, medico, me-
dico pela universidade de Coimbra,
I- d consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manha, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
S gentes, que serao soccorridos em
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aoride encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmp os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe..3i5000diarios.
Segunda dita___33500
Terceira dita .20000
Este estabelecimento j bem
m acreditado pelos bons servicos que
el tem prestado.
ja O propnetario espera que elle
am continu a merecer a confianca de
Iftque sempre tem gozado.
Alugam-se duas casas na povoacao do Moa
leiro a margem do rio, as quaes estao pintadas de
frosco, e tem bons commodos
Crespo esquina n. 20.
a tratar na rua do
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabeleci-
da nesta pra^a, toma seguros maritimos so-
bre navios e seus carregamentos, e contra
fugo em edificios, mercaduras e mobilias:
na rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
O Dr. Cosme de S Pereira conti- Si
na a residir na rua da Cruz n. 53,1
Io e 2o andar, onde pode ser procu- L
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3# dos orgSos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
rio que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
VISTAN 11E PEHVUIlUf O.
Tiradas na occasiao era que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859:
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezemb o,
indo para o Te-Deum no convento do (armo
Theatro de Santa Isabel.
Ba da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ba do Collegio cora a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
V1AGRN A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invenco com ricas vislas das prineipaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposico de Londres na rua da Cadeia do Bjcife n. 60, rua da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n 54.
Precisa-se de ama ama que saiba bem cozinhar
para casa de urna familia : a tratar na rua da
Moeda n. 8.
Ama.
ATtl'fUJaO
Precisa se de ama ama que compre, cozinhe e
engomme, para casa do duas pessoas: a tratar na
rua da Cruz, armazem n. 57.______>__________ I
Deseja-se comprar urna pedra de brilhante | ^ores tras-
era segunda mao : quera liver e queira vender, 0s proprie,arios da nova loja e armazem de fa-
_ .__ de Guimares & IrmiSo, acabara de redoxir os
a 16 annos preeps de suas fazendas menos 20 por ceato do
da Guia que em outra qualquer parte, afira de apurar di-
nheiro, assim como seja laziobas de quadnohos
Precisa-se de um caixeiro de 14
com pratica de taberna : a tratar na rua
n. 62, 2 andar.______________________
- Precisa-se de urna ama para casa de pooca|gjpjqgy***..*****>
familia : na rua da Cooceico n. 6.
Alugam-se o 2o e 3 andares da casa da raa
da Cadeia n. 4 : a tratar no armazem da mesma.
De*appareceu hontem, por volta de 7 horas
da noite, do Caminho Novo, a pardinha livre de
nome Candida, idade 7 annos, secca do corpo, le-
vou vestido de cor cora casaveque de lislras:
quem a achar dirija-se a Santo Amaro, estrada de
Olioda, casa junto a padaria, defronte da casa de
saude do Dr. Ramos.
No escriptorio Amorim Irmos, rua da Gru
n. 3, exlstem duas carias para serem entregues ao
Sr. Ignacio Pessoa Esteves da Silva, cuja morada
se ignora. "
Precisase de 500, dando-se por garanta
urna escrava moca e sadia, que sabe coziuhar, la-
var e engommar, e pelo juros os servicos da mes-
ma, sendo por espaco de 5 a 8 mezes : quem qul-
zer fazer este negocio dirija-se ao pateo do Terco
bu 4, loja._____________
Aviso
A quem liver dous escravos mocos e robustos e
qnlier os alugar, dirija-se ao escriptorio da limpe-
za publica, confronte ao Gabinete Portuguez de
Leilura ; pagase bem.
Ao respeitavel publico
O verdadeiro deposito de louca da fabrica do
Barbalho do Cabo, acha-se boje montado no pateo
do Terco n. 139, o qual vende por menos que em
outra qualquer parte, e brevemente apresentar a
sua tabella com a dimiouico djs preces.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar nm attaqne d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. bescobena inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resol-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, rua do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
blicas de Franca e do eslrangeiro.
Associa$io C^nimercial Ue-
neficente delPemambuco.
Tendo chegado ao conl
ta associacao que se piel
cimento de docas, do cae
ecimento da direccao des-
nde contratar o estabele
do Ramos at a Caban
ga, convido os senhores a sodados a se reuoirem
Precisa-se de urna ama que cosinhe e en-
Precisa-se de urna casa com sitio ou gomme, paga-se bem : na roa da Cruz n.
sem elle, perto da cidade, para um estran- 16, segundo andar,
geiro : na rua do Trapiche n. 16.-------------------------------------, .-.
_________________S.___________________ Troca-se por urna negra qne lenha bonita n-
No pateo do Terco n. 44 precisa-so alagar gara e qae seja boa qailandeira e cozoheira, orna
ama escrava que saiba fazer todo o servico, para I mulata que cose, ensaboa, cozlnha o diario de nma
casa de familia, paga-se bem com unto qae seja I casa e eogomma alguma eoosa e muito carioho-
boa escrava. i a para criaocas : na rua da Imperatriz n. 2.
ALCOHOLADO de GUACO
V de N. 1PASGAL-
i= ^
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparac&o da qual
basta mencionar suas propredades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio venerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2* Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as fnoiesMts syphiticas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injecetes, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4* Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
riaos de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Harcelha, ec, e recebeu a approvac&o
dos distinctos do uto res Ricord, Badchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paria, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicSo, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros A Barbosa.
Ama de leite
Na raa do Rosario Estrena n. 10 segando andar
precisa-se de urna ama de leite, se for escrava me-
lhor.
~Quem precisar de 1004 a 600J premio
g*rantindo diga em carta fechada na typographia
desle jornal com as inicia*! J. T. C. qae aera'
procurado.
Aloga-se ama casa
com J. 1. de II. Reg.
em Beberibe : a tratar
de assembla geral no
imo vindouro, ao meio
que mais conveniente
BeneQcente de Pernam-
era sessao extraordmari;
da 3 de novembro pro;
dia, aflm de se disentir o
ao commercio desta prac:!
Associacao Commercial
buco 28 de outubro de 1815.
0 secretario,
______________Candidd G. G. Alcoforado.
Aluga-se a casa lerna n.39 na rua da Uniao:
j| O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
| tos contina a morar na raa do Impera-
m dor a. 17, segundo aoaar, tendo alias sen
K| gabinete de consulta^ medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
H| estado tanto das operaedes como das mo-
lestias internas, preslalse a qualquer cha-
mado, quer para dewro qaer para fra
IH da cidade.
Precisa-se de urna ama
Rita n. 25, 1 andar.
na rua de Santa
coap&AS.
Compra-se effectvamente ouro e prata em
joras velhas, pagando-se bera : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvrao Guilherme de Barros compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79. icrceiro andar.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Recife,
cja de ourives no :rco da Cooceico.
O aro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca da ln
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Comprase carosso (sement) de algodao : no
armazem de algodao de Saunders Brothers iC,
no caes de Apollo.
Precis-se
fallar com os senhores abaiuo declarados, ou cora
pessoa que os represente netta cidade :
Antonio Fernandos Ramos de Oliveiia.
Francisco Ferreira de Andrajle.
Antonio Borges Galvo Uch
Bernardino Domtagnes Morejra.
Francisco Jos de Almeida.
Manoel Peres Campello Jacorpe de Gouveia.
Francisco Antonio da Costa.
Joaquim Jos Ferreira (Barrearos),
Jos Maria Ribeiro (Goiaona)
Pedro Jos de Mello Costa.
Jos Martins Nogueira de Mello.
Jos Luiz de Siqueira Cvale nti.
Antonio Germano Alves da Si va.
Qoeiram anonadar onde p dem ser procurados,
oa deixem carta nesta typogr phia com as ioiciaes
t. as.
Precisa-se de um canei o para taberna que
d fiador a soa conducta
Terco n. 139. /
tratar no pateo de
A len cao.
S
Na fundicao de Santo Ama o invessa do Cosa
o. 15, faz-se a boa gela de n
soasqoe se acharera com
mesma casa faz-se todas as
ocoio para as pes-
>ouca sustancia, na
ualidades de comi-
das para fora com muito asst lo e perfeicao, um
bem faz-se caf para qualquei
pela manha.
COBRE UTAO E
CHUMBO
Comprase cobre, latao e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oitao da secretaria da polica
Compram-se o 2* volume da obra
Histoire des Croisades por Michand e o 2.
volume da obra Histoire de la fronde por
St. Anlain, ediccao belga (treson de histoire
et litterature,); a rua do Uueimado n, 38,
primeiro andar.
ICO rs, ditas transparentes com listas de seda a
320 rs.
Fazendas proprias para a Testa.
Vendem-se as mais bonitas bareges de Ua e se-
da sendo escocezas as mais modernas qae (em vio-
do ao mercado pelo baratissirao preco de 3*0 o
covado, cassas frnrezas de ama s cor a 320 e
360 o covado, ditas com palmas solas sendo mo-
das e graudas pelo baratissimo preco de 280, 360
e 400 rs. o covado : isto oa loja e armazem de fa-
zeodas iu rua da Imperatriz o. 72, de Guimares
& Irino.
Saias bordadas.
Vendem-se as mais bonitas saias bordadas sea-
do bastante largas e muito bem bordadas pelo ba-
ratissimo preco de 65500 e 7a.
Vestidos de tarlataoa mullo tina sendo braacos
cora barras de cores bord idas de la e seda endo
os mais modernos que lera viodo ao mercado t
vendem-se pelo barato preco de 0 J, 9^500 e 10*.
Manas de seda para beaem. .
Vendem-se as mais lindas inaoias de seda para
homem teodo de todas as cores peto baratsimo
preco de 1,5300, 13iiHi.- |500 : isto di aova fo-
ja de fazendas na rua da Imperatriz o. 72, de-
Guimares & Ir nao.
Colariohos da liohe para herna.
Vendem-se colariohos de lioho para homem
sendo os mais modernos e melhores qoe lu no-
mercado pelo baratissimo preco de 52500 e 6* a
duzia.
Chales de merino estampados a 2.
Vendem se bonitos chales de merino estampa-
dos pelo baratissirao preco de 2, ditos liaos de
(odas as cores a 3800 e 4j, ditos Ouos sea* es-
tampados a 6*500, ~, 7*500 e 8*.
Canbraias brancas.
Vendem-se pecas de cambraias brancas a 3*.
3JS500, 45, 45500 e 55, ditas mmio tinas leado
urna vara de largura a 9* e 10*: islo -o aa aova
loja de fazendas Ha rua da Imgeralnz n. 72 de
Guimares & Irmo.
Hiseades fsfocceies.
Vendem-se os mais bonitos riscados eseoeeie
para vestidos de senhora e proprios para rooaas
de meninos a 260 e 280, chitas francea* escaras
e claras a 240, 260. 280, 300 e 320, duas percales
muito finas a 360, 400 e 440 o covado: islo s aa
nova loja e armazem de fazendas oa roa da Im-
peratriz n. 72, de Guimares & Irmo.
Camisas fraaeetts.
Vendem-se eamisas fraacezas a 1*500, 1*800,
2*, 2*500 e 3*, ditas com peito de cor a 2 e
2*500 : islo s oa loja de Guimares A Irma*.
Vende-se um sitio em Bemfiea a" margem o
rio Capibaribe, com bastantes commodos para orna
grande familia : traase na roa Nova a. 24, das
oras as 4 da tarde.
Gaz, gaz, gaz
Gaz em latas, o melhor qae tem viada ao mer-
cado : vndese no armazem de Barros t Silva,
travessa da Madre de Dos n. 57.
Comprarse
um par de almofadas para sof que nao
sido servidas : na loja do balo, rua da
esquioa da rua da Madre de Oeos.
tenham
Cadeia,
Comprara se algumas pipas ou toneis que
sirvam para deposito de azeite de carrapato: na
rua do Vigario n. 26, ou annuncie. ______
Na praca da Independencia n. 33, loja de
ourives, compra-te ooro, prata, e pedras preciosas,
e tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
YENDAS.
Vende-se um cyliodro, ama masseira, ama
balanca grande e urna dita pequea, com todos os
pesos e mais atencilios de padaria : a tratar na
raa Direita o. 24.
Carne do serto em garajaos de muito supe-
rior qnalidade : vndese oa raa do Vigario n. 24,
1* andar, escriptorio.
pessoa que queira
Peonas de ema de muito superior qualidade:
vende-se na rua do Vigario n 24, 1 andaj, es-
criptorio* ^^^^^
DOCE
Vende-se de caj em calda, laraoja, abobora o
grozella a 500 rs. a libra : na raa da Senzala-nova
numero 1.
Vendem-se
mchicas americanas de serrote para
algodao : na roa da Seozala nova n. 41
CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 1-2 varas a peca a 2*.
est-se acabando : na loja da porta larga da roa da
Imperatriz n. 52, de Paredes Porto.
P-chincha
Vende-se sebo do Porto coado e refinado em
barricas de 7 a 8 arrobas : do Recife, roa Co-
dorniz o. 3, taberna.
Obra iapertaale
Diccionario bibliographico portogoez, por laao-
ceoco Francisco da Silva, conieodo em seta gres-
sos volume todos os esenplores porloga-'xes e bra-
sileiros antigos e moderos. Edico de Lisboa, na-
da em 1862, impressa em bom papel lypo: *
venda, na lirraria acadmica, raa dj imperador
numero 79._________________________
114 TABERNA
Vende-se ama taberna em muito boa local
bem afregaezada, no Poco da Paoella, dtfraar* da
matriz : a tratar oo Hospicio o 24.
Manteiga ingle, a
maito boa a l*, francesa a 880, caf primeira ar-
te a 260, cha' miudinho superior a 5*600 e 2*24*.
arroz a 80 e 100, toucinho alvo a 400, aa fea
frescos a 2*500, gomma muito aira a ISO, alat-u
a 140, paioco a 120, estearinas a 680, da eaapaai
eo a 400, palitos para deoles e lijlos Ira
para facas a 120, cha" preto a 1400, tal
Porto a 800 a garrafa, de Lisboa a 2*W0 a
da e 360 a garrafa, Kigueira a 2*200 a t ib
440 a garrafa, braceo a 5u0 a garrafa a
3*800, azeile dece a 600, vinagre ga
farelio a 4*500 a saeea 4*. ateto i
a 440 a garrafa e 3*200 a casada : i
da Estrella largo do Paraia a. 14.


Diario de T'eraaaibnco sexta ielra 3 de -Vovemlaro de 1S*
)
PILCL1S CAT11AI11ICAS DE AVER.
Estas piulas vegetaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois s3o
perfeitamente innocentes, e em
Grande loja e armazem do AGU1A BRANCA.
r avaO. Colleiras de marrouuim, com cascaveis
Ra da Imperalriz n. 60. de Gama & Silva. ,, '
Tendo os proprielarios d'este estabelecimento de atjiu enes,
liquidaren) urna grande porgao de suas faiendas, Na ruado Queimado loja da Aguia Bran-
quanto milhares de pessoas con- al ao iim do correte aono, aflm de fecharem con- ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
# ..... i*i. ___ f^ tic o nurar dinrirn racnluorim v. nilt*r Infliw 9Q ..
pospontadas e com cascaveis, ou ^em elles
proprias para caes e cutres bicuirihos.
Penim ingiezas de ac e douradas.
No novo sortimenlo de"pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu bem acabados, e por essas boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry & C, as recommendam aos;
fssam com trratidao" que foram tas e apurar dinheiro, resolvern] vender todas as
curadas nnr rilan de molestias fe"ndas_com grande abatnenlo em pregos, tanto
curadas por ellas ae molestias em por-0 como a retalh0i e por iiS0 previnem a
severas e pengosas ;nao na i0(ios os seQS freguezes, e ao respeitavel publico, e
um s caso em que baja suspei- as pessoas que negociis em pequea escalla com
tas ln maic Ipvp ri-siiltailii inii- fazendas, que neste esiabeleciraento enconlrarao
tas o mais leve resuiiauo oju um ^^^ que rauit0 ,heg h5o de agra.
riOSO por SOU USO. Atr tanto em pregos como em qualidade; assim
Publicamos aqu alguns dos como mandam pelos seus caixeiros levar as fazen-
attestados que temos de curas das e amostras as casas das familias que nao po-
derem vjr a loja, ou dao as amostras deixando 0-
car 11e n lior.
Outros oljectos.
tarabraias lisas a 3.<0OO, na loja do entendedores'1 apreciadores do bom, valen- embaracar.
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
------------------ Pavao do mesrao a differenca que ha no preco de
Affccfio ebromea do ligado. Wmm.K recas de cambraia lisa branca e urnas para outras, porque estas se tornara
j jcA transparentes, tendo oito e meia vara cada pega, mais duraveis na conlinuaco de escrever ;
Juiz de Fra, 47 de fevereiro de loo*. pe|0 barato prego de 3*500, ditas muito Anas, por assim poisquem dellas se quizer utilisar <
Tendo feito uso das plalas catharticas 4*500,5*, 6* at 10*. sendo tapadas etranspa- comura-las a dinheiro a vista : na ra do
dV^Rff.7 Snfi nt e^ert 5RSS SSStf XSLVOt g"eimad0 toja da Aguia Branca n 8.
dro, tendo tirado um resultado nao espera- na rua da ,mperalm n# 60Jde Gama & Sj|va. Franjas com borlas e scm ellas para
do ; padecendo ha mais de doze annos en- crles de phantasa a 3,51500. cortinados
fermtdades do figado e baco, COtn O USO Vendemse os mais lindos crtes de pbantasia R J^J h .._,:
das Diluas posso lhe assegurar que estOU com as mais lindas cores qce tem vindo ao merca- rt. b~. wauea leteueu um ueuu uiu
bom dos tendo desannarecido um erando d. **azenda transparente que serve al para ment de franjas com borlas e sem ellas
SSrnSiiA ff &SSTmSS bai,e8' P' barato preco de 3*500, ditos brancos para cortinados, todas de novos e bonitos
engorguamenio que sonra, mu tas uores fazenda muil0 fina a ft^(m isl0 Da |ja -
sobre a regio do figado e costas, dores de zem do Pavao, na rua da Imperatriz n. 60
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo ma & Silva.
Vindos tambem par;
miudezas^ rua do Queimado n.~16.
Sapatinhos deselim b 'anco bordados pa-
ra baptisados.
Oulros de merino ta
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no I
nho dos sapatinhos.
Outras mui Unas de
brancas listradas.
Luvas finas de fio da |scossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senioras.
Ligas de dita para sen horas e meninas.
Pentes de tart ruga mui fortes para des-
antiga loja de
nbem bordados e
o da Escossia e
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posiejio para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento ; como
por aqui anda as nao baja, eu como tenbo
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que tive occasiao de experimentar;
em um ataque de guellas que leve urna
preta que com elle curei, faco uso d'elles
as tosses em minha familia sempre em
Cambraias de forro.
1 lake'S" desenQ0S> cuja commodidade do preco est
em relaco a largura : acham-se ellas a ven-
| da na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
Na loja do pavao. ca n. 8, ...
Vendemse pecas de cambraias de forro muito JOgO da paciencia OU CUTIOSO entreieni-
boas, pelo barato prego de 25 e 25300 a pega : llieil til.
isto s na loja e armazem do pavo, na rua dalm- v > "- ,, D
peratriz n. 6o, de Gama & Silva. ra Queimado loja da Aguta Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
Crtcs granadinos.
A 10(51000, na loja do pavo.
Vendemse os mais ricos cortf s granadinos, fa-
zenda de muita phantasia que serve at para bai-
les por serem transparentes e com palma de seda e
tecidos com a seda, pelo baratissimu prego de 10,5
cada um : isto s na loja e armazem do pavo, na
zoaveis, caixinbas com tabolas de madeira, I
que das diversas pinturas dellas se formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os j
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en'retenimento com o i
bom resultado, e por isso que peco para rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
mandar alguns frasquinlios, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g |e
resultado; sou btdooroieandeoda
De V. S. attensgPs.ar
Francisco FERREArERAit
IIlir i: ni\ i i.mu e ataques hemnrrhoidacs.
ll.l.M. Su.
Quro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhe que as pilulas ca
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois e armazem do'Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
que soffrendo eu dores pelo corno, e que i ama Silva- ...
suppunha ser rbeumatismo, (molestia esta 0r9,udJ "odernissimo.
que j havia solTrido ha annos^ e soffrendo
As caiiiisiiihas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisinbas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a V&500, di-
tas com manguitos, para acabar, a l ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a l#8u0 rs., mangui-
tos e golinbas prelas a 15. inissimas golinlia de
cambraia branca bordada a 500 rs., calciohas para
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a !$60 : na loja do Pavao, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Soulbembarques de cor.
Vendem-se southembarques de cor muito bem
enfeitados a o. G& e 7000 para acabar : na loja
tambem de ataques bemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no rjueixo, con-
sullei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sisa casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
euvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes: por tanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenbo experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
Ioo Rodrigues Feu de Carvalho.
Gaslrile.
Om-4-Preto, 29 de marco de 1864.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeilamente bom de urna gastrite
que soffria e que privava-me de andar aper-! m.!^eSd *P*9?;
tado, boje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollati.no de Mello.
Chegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padroes, sendo quasi todos listra-
dos, como se usam agora, com as mais lindas cores
o lixas; vendendo-se pelo barato prego de 900 rs.
a vara : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. CO,
de Gama & Silva.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2000cada um, havendo tambem um
grande sortimenlo dos mesmos matizados que se
vendem a ti, e 8000 : na loja e. armazem do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os simos do pavo.
Vendem-se riquissimos sintos de lilas de diver-
sas cores e dourados com Qvela larga e dourada,
assim como enfeites para cabega dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao mercado ludo
isto se vende por um prego razoavel que muito
Ihes ho de agradar : isto s na loja e armazem
do pavao na rua da Imperatriz n.60, de Gama &
As tnalhas de linlio do Pavo.
Vendem-se superiores toalhas de linho das me-
lhores que tem vindo ao mercado pelo baratsimo
prego de 95000 a duzia, ou 800 rs. cada urna, na
loja e armazem do Pavao, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama A Silva.
As saias do Povo.
Vendem-se as mais Unas satas bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que tem vin-
do neste genero, lendo mui a roda, pelo baralissi-
dias bordadas a croch a
65C00 e 8000, dias com babadinhos a 95000, na
loja c armazem do Pavao, na rua da Imperalnz n.
60, de Gama & Silva.
Carriteis com retroz preto e outras cores, i f\ /-////,, onvi 1n
Carteiras com agulbas C/ttU LUTllU
Agulbas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinete* brancos e pretos
Haspas de baleia para (vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas d novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bonachi preto, redondo.
Bonitas flvollas grandes de ac,
douradas, madrrperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ~ua do Queimado
n. 16, receben um boni.o sortimento de
fivellas grandes para cint< s, sendo de ac, to gasto a 15500, 25,3, 45,55
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes Fivelas.
ila Inia nnr nrp- Riquissimas Bvelas de madreperola
ruga, arsiai como prelas.
Cruzes.
adO, proprias pa- I RqU camas cruzes douradas porm
j gosto que se pode desejar.
e de outras! Cascarrilhas.
quem soff re Bonitas cascarriihas com biqmnhos
e est
queimandom
Bom e baratissimo.
Rua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos electro magnticas Roier para ;
as criangas nao morrerem de convuls5es pelo ba-1
rato preco de 45. i
Novidades.
Riquissimas pulseiras ou braceletes pa senlio-
ra e para meuiaas a t. 25 e 35, assim o mo lin-
das voltas para pescogo a 35-
Enfeites.
Riquissimos enfeites para cabega cousa de mui-
65 e 75.
esto sendo vendidas em c
eos commodos ; assim cono boas e bonitas
fitas de gorgorio acbamalo
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra
qnalldades, para _
da vista aljfar cousa inteiramenie nova
A' loja de miudezas rba do Queimado Binculos
16, tambem recebeu ocqlos de """ira I
para
e de tarta-
0 melhor
de seda e
enfeites de
telligencia. Os apreciadores d.rijam-se a fre da vista ssim como oa.ros de arraaCao
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-, de sorlidos em aos 1
can 8,queseraosalisfe.tos. .Coroas e tereos de cornalina.
Bonitos enfeites para senlioras. a amiga loja de miudezas a' rua do
il w d?w fe a rnrimiri ufe e annra a in- D. 16, tambem receDeu OClOS de penetra Bonito sortimenlo de binculos com superiores
com vidros claros e escurosj, para quem sof- vidros para os amantes do thairo.
Assim cemo uns pequininos
que serve para enfeite de reltgio mais com excel-
lente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cestinhas com preparo? para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para'raimo.
Pentes.
Ripnissimos pentes de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato preco de 500 rs., e duzia < 5, assim como
grande sortimento de todas as qualidades para de-
sembaragar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas Dar roupa c pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lunetas e oculos,
Pinissimos lunelos de um e dous excellentes vi-
dros c aro de bfalo e de tartaruga, assim como
No armazem de tazend
baratas de Suatos Coelho
Rua do Unc-ia.iilo 19.
Vende-se o srguinie :
Cobertas de chita lin 1 a 25800.
Ditas de dita a 25400.
Lencoes de panno de linho a 25200
Ditos de dito de IdIio a 25-
Ditos de bramante de linho de um el patao
35100.
Pauiu de linli f~ri.. ci-m 9 I2 f.aim-s it l*rg-
ra pelo barato pftee le 25100 vara
Dramanle de linlt uno rori lo pettMi <*r lar-
gura a 2.'(iKi a vara.
Pegas de cambraia com eaUne Lraecjs e 4e
cores com 8 i|2 vara- a 15500.
Pegas de cambraia attmmnl Meprli
cortinado de cama Cum 20 vara- II*
Halte- da arces a 25500. :t5. :-V>n) e i5
Lengos decarnhrai. lina a 2;6>0 a duzia.
Ditos de dita a 25 a ritma
Alhoalhado de linlm linu a 25mk> a v>ra,
. Dilo de algodo a 25 a vara.
Algodo eofeslado run 7 l|2 palmos it largura
a 15200 a vara.
rN gas de bretauha de rulo coa 10 pa tfor.ru
para fa,a a 35500-
Fil de linho liso fino a 800 r?. a var.t.
Uno de dito com .salpico? a 15 a vara.
Cambraia de linho lina a i550i>, C5308 e j .
vara.
Coi les d liazinha le lindos pMH I
vadoi a 55-
Pegasdemartap'lao finissirao [;Io bfXtr-.a
prego de85, !'5, 105 e ll,>
Fianella branca fina a 600 r.. o ravade.
Dita de cores liria a 880 r. o rovado.
Baldes de mu.-stlina para ra. runa a 55, 't-3-*^
|e 45.
Canil.1 ala < f rr- ^i pega.
Dila fina a 15900, 65 e 7- a m
Gnardampe* de imho a ;<5iO a' dt./ia.
Toaihas de aJfdt&O felpudas duzia a 125.
E>!-ir? da India iroptn para f-rro o> ?jla de
4,r e i paiirirs de largura pt* menos pree-i *
que > m otilra .Mialqi-er parlP.
.W-ip ai ma7. m larnhem .-e enconlra om grabJe
sortimenlo de raat* feia e por nttdida.
FI!
a-2 a 2*.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimenlo de enteites os mais
modernos e gostosinteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baraiamente a quem com dinheiro se
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de la para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8,
Hala mosca.
Na loja da Aguia Branca ac!ia-se a venda
o papel com composicao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillirao, e o
effeilo efficaz : molha-se o papel e deixa se
fic^r n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entnstecem e morrem. Custa cada fo-
Iba 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Diversos brhiquedos e enlretenimento
para cria ocas.
A Aguia Branca na rua du Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos de metal, louga pinta-
da e porcelana donrada para almoc/' e jan-
tar e muitos oulros brinquedos de madeira.
que se vendem baratamente : na rua ik
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8.
Meias prelas de seda para senhoras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
cao de meias prelas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preto que lhe cus-
laram e o bom estado em que ainda esto,
comtudo est resolvida a vende-las a 510
ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, agora pois apro-
veitarem a quadra e dirigirem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
loja de
Xevos vestidos na loja do Pavo a 10)5000.
. ,,pe ." .. Chegaram para loja do Pavao os mais ricos cor-
Uuro-freto, 24 de fevereiro de 1864. tes de vestidos de cambraia transparente com os v
Sendo eu affedado do figado ha muitOS ma>s delicados bordados de diTerentes cores a pon-, h(>m V,nf]pr:i a. ..raneas a \A n nar p dps-
annos, ltimamente soffri falta de apetite, Jo deagulha, sendo nVste genero a maior novida- J^^Zj^TSzm!wBaS
hnio inn nricic n n i J 'de 1ue lem vindo ao mercado, garantindo-se o te- ld5 y nico ueieuo e esiarem um pouco in-
boje dou grabas a Deus por achar-me sao remM mu.ta fazenda e enfeites suficientes para o
e perletto com O USO das pilulas catharlicas corpo e mangas, e vendem-se nelo barato prego de
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
10501 0 cada um, na loja do Pavao, na rua da Im
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
0 espartilhos do Pavo.
Vendemse um grande e variado sortimenlo de
espartilhos os mais bemfeilos que tem vindo ao
mercads, sendo de lodos os tamanhos pelo baratis-
simo prego de 45, 55, e 65000, por haver grande
sortimento, na loja do Pavo, na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Coiistipaco, dores de cabera.
Otiro-Preto, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipaco que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
mente por espaco de quatro dias ; entio Vendem-se superiores meias cruas inelezas pelo
um amigo aconselhou-me que tomasse pi- ^ara,'ss'mo preco de 45000 e 55000 a duzia, ditas
ii,. .. lulas catharticas do Dr. A\er : com ellas fi-! meninas, na loja do Pavo, na rua da Imperairiz
quet sao e completamente restabelecido em' n. 60, de Gama & Suva,
tres dias, de sorte que estou no firme prov{\ ftfillBi
psito de aconselliar o uso das ditas pilulas I U R A iU U
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipacoes.
Agostinho Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
gueiras,
m Bichas de Hamburgo 9
fK todos os paquetes da Europa se recebe fj
f| desias amigas do sangue humano o se tSS
: vendem a troco de pouco lucro s aDm S
i de ter sempre cousa nova : a loja de bar- JP
^ beiro rua estreita do Rosario n. 3, ao p ^
M da igreja. Jfc
*mmwmm mmm mmwm
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos decarnalina, ios quaes esto
a disposigo dos bons christBos que os qui-
zerem comprar em dita lo a: na rua do
Queimado n. 16.
Kspoojasflnas jraudos e pe-
quenas.
Vende-se na rua do Queimado,
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas rua do Qnei-'
mado n. 16, acaba de recebjer muitos e di-
versos objeCtOS que fazem Completar O seu oculos com rame dos lados proprio para quem
bello sortimento, sendo: I so"re dos o108-
F las finas de sarja da mais estreita que' _, Touquinhas.
ha at a mais larga, lodas desvaa e agrada- t^ffSSSSSS "" tlodelmho' ese'
veis cores. K Para o cabello.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos A superior agua para ittingir os cabellos, as
e novos desenhos barbas brancas e fazer conse va-ios, os frascos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa- acompanha um rotulo que ensina a forma como
droes igualmente novos e bonitos. !se deve aPP|icar-
dem de gorguro de seda acbamajotada,! s jor banha JSS; com nm (raseo
e muito encorpadas, para cinto de fivellas coro agua propra para ljmpar a eat)esai os frasc
grandes. acompanha um folheto que ensina o modo como
Idom de seda preta e de OUtras Cres pa- se deve applicar, assim como agua balsmica,
ra rVliraar vestidos, colletes, palitos, etc. P|ataePz Pa" Hmpardentes.
ucm de la igualmente sortidas em cores; Grande tamJZ]Sas em copos, em la-
u para os mesmos uns. tas de f0|na e em frafC0S de todos os tamanhos por
dem de algodo brancas e diversas ou- pregos menos do queem outra gane, assim como
tras Cres para vestidos de chita. muitos oulros objeclosque nao se poie mencionar
dem de borracha brancas e pretas para JJ b>e : s neall vigilaDle rua d0 CresP nu-
soutembarques. vestidos pretos, etc, -----'-=.r--------------------------------
Novas e lindas guarnicoes para "enfeitar KlVl SeDl SegUlluO
soutembarques, vestidos pretos, manteletes, Rna do Qneima(]0 ns. 49 e55, loja de
etc, obras do muito costo e modernissima. -i^^T. j (li ;.
Tranca de seda con? vidrilhos, moldes no- ""ezas de tres portas, esta qnei-
vos e mui bonitos. / j mando ludo boro e barato, quem qui-
Idem idem de crbs tambem de bonitos zer ver e admirar venharo loja do
moldes e agradaveis cores. Rimniinlio.
Botoes para OS msmos fins, sendo pre- Caias de papel amizade, e sem ella liso e pautado
tos de seda majares e menores, enfeitados a 600 rs.
com vidrilhos e pendentes e outros de di- Grzas de bles de losa prateados fazenda mo-
maft rrps i derna a 16 "
vcisd luics. Dnzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
dem pretos de velludo tambem de SOrtl- Pegas de tranga de l'a lisas e de lodas cores a
E.IiUllstl
ilt.ilfrial
~
o>
-S i x.
O
>4 m
~ m
B-S 2." 2.'
ni s
40 rs.
Eseovas finissimas
320 rs.
i Pegas de fita de
320 rs.
Caixas com clcheles francezes,
dades a 20 rs.
para limpar dentes a 240 e
cs estreitas coro 10 varas a
superiores quali-
por precos razoavei: os pretjndentes diri-
jam-se a esta loja na rua do Queimado n. 16.
Ir rilarn do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1864.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito teinpo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite e difficil diges-
tao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Heiimogenes Pekeira Rosa.
Ouro-Preto, 28 demarco de'1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vanlagem por
Pe chiuchi
a 3SO rs. na loja do Pava.
Laziuhas a 320
Lazinhas a 32o
Lazinhas a 320.
Vende-se nm grande sortimento das mais finas
e mais bonitas lazinhas matizadas com os mais
lindos desenhos, sendo fazenda que val cinco tas-
ines, e vende-se pelo baratissimo prego de urna
pataca o covado por ser urna grande porgan desla
inda fazenda : na loja do Pavo, na rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Laxinbas garibaldinas, s o Pavo vende a 320
e 400 rs.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
lazinhas garibaldinas com Gos de seda, sendo to-
dos os padroes miudinhos com as mais lindas co-
mitago das sedas de quadrinnos,
mim em urna menina de dez annos aue rsa,im',aCa das sedas de quadnnhos, e acabara-
_: An ~.n<. ;.,..;____ jH M pelo barato prego de um cruzado o covado, isto
soffria de vermes intestinaes, nolando-se pichincha : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
que os symptoraas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymundo Nonato de S. Tihago, pharma-
ceutico.
Nevralgia.
Urna carta do Ulna. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
n. 60, de Gama & Silva.
Vestidos a 4
Vendem-se cortes de vestidos a Hara Pia cora
barras bordadas, pelo baratissimo prego de 4000
para acabar : na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama Si Silva.
' kaziulias a 1(10 rs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonitos padroes, sendo lisa* e dequadros, pelo
baratissimo prego de 160 rs. o covado.
Ha mais de sete annos rnip snfTria rlArpe! Di>rai'ss"I> prego ae iw rs. o covaao. isto e para
Ha mais ae seie annos que sonra aores acabar. na ,ojt do Pavo rQa da ImperatrlI n. 6o,
no hombro e as costas, tomer urna infini- de Gama 6 Silva.
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento ^o^palavras for-
Manyuitos e golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
tes, porm nao exprimem O que tenho SOf- pel barat'sslmu prego de 00 rs., Isto para li-
quidar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n.
160, de Gama & Silva.
Cortes de chita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covados a 2&00, ditos com 11 covados a
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido; ba tres
diasque n5o sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Diroita o. 13
Vende-se na rua Direita ns. 12 e 76 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na
a
iPHARMACIE FRANCAISE
oeP.MAURER&C!

2*600, ditos com 12 covados a 2*800, islo so
para acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Agasalhos para cabega de senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabega de
senhora ou cachins, sendo fazenda mais moderna
qne tem vindo neste genero ao mercado, pelo ba-
ratissimo prego de 3* cada nm : na loja e arma-
zem do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Chales de renda a 104,12& W, 20$ e 230, na
loja de Pavie.
Vendem-se chales de renda preta muito finos a
10* e 12*, ditos de linho a 15*, ditos de seda de
I linbo dos melhores que ha em chales de renda a
I 20 e 25*, ditos brancos de tres ponas a 69, isto
s na loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
1 n. 60, de Gama k Silva.
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observaces e para os
martimos.
GRANDE
Pe chincha
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande quantidade, esla-se acabando : na
rua da Imperairiz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes" Purlch___________________________
Acha-se
venda na-livraria acadmica, na rna do Impera-
dor ; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na roa es-
treita do Rosario a compilacao de toda a legislagao
tendente administracao, arrecadago e fiscali-
sago dos dinheiros de orphaos defuntos e ausen-
tes, herangas Jaceotes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a lei ge ral das execu-
goes, como tambem lodas as ordens e avisos do
governo, que a ludo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigagoes inherentes ao cargo dos diTeren-
tes empregados de justiga e fazenda, como dos di-
reilos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impresso e bom papel, e prestando-se a ulilidade
de dlfferentes classes, lorna-se recommendavel.
Seu custo 10*000 por cada exemplar em dous
oraos.
.-Itttvico.
Sellins inglezes cora berrenhas e lisos, silhoes
para moniana de senhora tambem iguaes, chicotes
para carro e cabriole!, e para montara, todos de
baleia, fundas com elssticidade para ambos os la-
dos, e ontros muitos objectos inglezes, e brides de
Ipojuca : todos estes objectos vende-se na rua da
Cadeia do Recife n. 31, loja de selleiro.
Vende-se ama escrava crioula moga e com
habilidades : na rua da Penha n. 17, segundo
andar.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no sea escripiono rua da Cruz n. 1.
dos tamanhos.
Lonelos de dous vidris com aro de aro, bfalo
e tartaruga.
A loja de miude::as, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
i netos e oculos de vidros com armacao fina de _
arn hufaln p larlu noa p ns psi'i vpnrlpnrln: TlDleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
etaruuuga, eosesta venaenao Pe?as ae Mrdo vestidos, fazenda boa a
navp.ifi ns nrafonitaniM nin- jn rS-
Baralhos muito linos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macara perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
100 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colouia a
640 rs.
Caias cora 12 frascos de cheiros muito Bnos a
1*400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidade a 800 rs.
Caixas cora superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
1*200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a500rs.
Frascos com cheiros de todos os pregos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
4*800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fita de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bnnecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 200 jardas a 40 rs.
Pegas de liras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muilo fortes e superiores a
3*500.
CAAS E FERRO
Grande sortimenlo de camas proprias para col-
legio e tambem para quem quizer passar a festa :
vende-se na rua Nova n. 33..
A pessoa que arremtttou as mimlezas existentes
na loja da rua da Imptirairiz n. 70, querendo aca-
bar logo com as mesmos, vende por menos de me-
lado de seu valor os siiguintes objectos, a saber :
Aljofares, masso a i rs.
Aberturas para camisas, urna a 320.
Alamares para capoles, duzia a 500 rs.
Argolas para qnadros, duzia a 240
Ba lea para vestidos, libra a 700 t.
Brinco; pretos a ba|o, duzia a 3*.
Boioes pretos de ossb, proza a 120 rs.
Bico de blonde largo, v. ra a 500 rs.
Dito de dito estreitoL a 120.
Dilo preto largo, varia a 100 rs.
Dito dito esireito a 50 rs.
Babados para toalhas, vara a 80 rs.
Cerdas para viola, duzia a 120
Clcheles em caixinhas, duzia a 360.
Ditos em caixinhas, rja trra, duzia a 500 rs.
Colheres de ferro, groza a 3*500.
Ditas de chumbo para sopa, duzia a 400 rs.
Ditas de dito para ch i, duzia a 240.
Franja de algodo di cor para toalhas, vara a
40 ris.
Dila de ditobranco para toalhas, a 50 rs.
Dita de seda, vara a 200 rs.
Pita de la, pega a 200 rs.
Dita para coz, pega a 160.
Froco de cores, pega a 160.
Fivelas para rllele', duzia a 320.
Fita de retroz preto e de cores, pega a 280.
Fivelas douradas para caiga, duzia a 500 rs.
Fita cora clcheles, vara a 100 rs.
Linhas de carritel de 200 jardas, Alexander, a
40 ris.
Lapis, duzia a 100, 200 e 240 rs.
Limparinas de seis iiiezes, caixinha a 40 rs.
Laias, libra a 1*800.
Linha de peso, meada a 60 rs.
brelas de massa, caixas duzia a 400 rs.
Pentes de massa para alar cabello, duzia 3*.
Ditos de dita dilo a ir00 rs.
Renda de fil, vara a 20 rs.
Suvelas para sapateirp, masso a 1*400.
Suspensorio- para escrotos, um 300 rs.
Traneinba de ia e seda, pega 800 rs.
Tranga preta com vjdrilho, vara a 120.
Dila de seda, pega a 1*801'.
Dila de la de cores, pega a 240.
Voltas pretas a Hara Pa, ama i*.
E outras muitas miudezas tambem em bom es-
tado, que pela grande quantidade nao possivel
descrever-se
Cbegaem aos corpiohos de cambraia.
Vendem-se corpinhos de cambraia com entre-
meios a 4* e o*, eslo a acabando : na loja de
Paredes Corto, rua da Imderatriz n. 52, poria lar-
ga, jun.o a padaria franceza.
i
iif
CONFEITOS
DEPURATIVOS!
DoDrSFRVAX, le Parir
l'harmactutico de f el tuse, tx-
inlerno dot hospilaet, premiado
com a nuda/ha de bronze.
X
Desde muito lempo o poblk
abandonou o aso das prrparagnesl
intituladas depurativas conhecida
sob o nome do Arrobes, Xaropea
de Salsuparrilha composlos, ele.
Cuja arrao, maior parle das vene
null.i. e u'algums casos perigosa.
Os Cn*FEITOS DFPIMTIIOS TU O tSFICTO
b o costo tcuuna com soa
PEQlt V> \K1AKE UITi*CI tS CTHl
ns qce o seu modo m run*> m
UMLTERAVEIS.
OxiirreMoqueetleifi
fello obilvcrao raa Fra n-,
fas sob o patrocinio das pnnripae-j
celebridades medicas, os poe cima i |
de todo quaoto lem existid* adi
boje.
Gura rpida sena o socorro j
de nenhurn outro remedio in-
terno, das escrophulas
herpes, affeccoes sypbi-i
liticas hypertropha
dos tessidos celulares,
hydropisiaa e em geral
todas as molestias prodozidas
pela alteraro do sangue ; tal
o resultado que queriamos
conseguir e que temos sem-
pre ub tido.
lima nplicacao
vidro.
DesconGar-se, das flcificafoeset i
tafoes.
Para as encomenrtis dirigir-se aos
Snres. Bisio* bt c la, B' Princc
Ensene, Par,
XARPE,
deLABELONYE

IPH) VILLAR
Com loja rua do Crespo n. 17.
Recebeu de Pars sedas era corles mui-
lo superiores e bellissimos padroes, e
chales de renda pretos para 10*.
Este importante estabelecimeolo toma-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazendas superiores e bellos
gostos.
Proleja o bello stxo ao Villar
e vero todos a prosperidade.
i
!
s
Vendem-se duas escravas recolhidas, de ida-
de 23 a 24 annos, exce lente conducta, engommam
perfeilamente e fazem odo o servigo de urna casa :
na travessa do Carino 11.1.
Linas de Jouvio.
a loja de miudezas na roa do Queima-
do n. 16, resebeu-as por este ultimo vapor,
Vende-se a armagao da
I travessa das Cruzes o. 12.
loja de calgado, na
Emprendo con roviriatel sacceMO desde 3* na
pelos Mdicos de todos os panes contra as aoleaaa
ergiuicas ou aio orgnicas do confio, as diversas ay-
dropiias a maior parle das asolestias do peit* m
bronchios {p$um%ias, cUrrkot pulmo**res, utkmm,
Itfmmmfjm nervosas dos.bronckiot, ceUrrheiru,ite...\
0 XARSH de LABELONV E ato se rende senio esa
arralaa com rotulas de cor e fechadas com aaaa eaaapa
(traado a Irma do inveator.
am PARU. rtaa rssont-Tlllcnait, 19.
Venaem-se no Recife em casa de Caer o
Barbosa e Joo da C. Bravo A C.
raimen.
O propheta faz scienle ao respeilavrl pobike *
em parlicalar aos seos numeroso fregoeses, <\m
recebendo orna grande porgo de sacras cota lan-
oha de mandioca, est reso'lvid a vrnate-tes tjtt
baratissimo prego, a ellas : na roa das Cseo Pea-
tas n. 86, e roa do Rangel n. 49.
Vende se ama preta
rua do Imperador n. 1
cea babiiHtaeles : a
Cylindros.
Na rua Direila n. 8i ba para vender ryhodros
americanos para padaria, chegados olliaataaaseaet
da america.
Farinha a 3^5?Wfi
Vende-se farinha de mandioca, taceos grandes :
no armazem dos Srs. Tasso Irmos, na poole aova'
pelo preco cima mencionados.


Diario de Pernambnco Sexta lelrt 3 de Sori\mhro de i84*
N. 11Ra do ueimadoN. 11
A loja de fazendas de Augusto Fredi-rico dos Santos Porto, acaba de receber nm mni-
to arande e novo sortiraento de cortinados bordados para cama de noivos a 3G5, 405, 45,5,
50JO00, 60,J,000 e 70*00(1.
Lindas mantas para grvala, de variadas cores, a I 300 e i.
Cachiuez de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 4.
Chales de guip, fa '.enda a raais moderna, a lti, 205, 225 e io$.
Hotondes de guip, tamben) os mais modernos a 865.
Colchas de .-Ja de cor para cama de noivos a 535 e 605.
Alcatifa de linbo para salas, tazenda larga, bonita e de umita duracao, a 600 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, com ricos desenhos, para sota.
Saias bordadas para senhoras a 7-3, 8, 95 e 105-
Capas e soutembarques de seda preta para senhoras.
Boaets, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para stnhoras, a 125.
Pecinbas de nissuna bretanha de lluho a 75300.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braias francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire anlique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
"rosdenopule preto e de cores, esguioes, silesias e cambraias ee linho, -omnenlo, de diver-
sas fazendas para luto, chapeos de seda para homens a 95 e 105, chapeos de sol de seda,
iiodos manguitos bordado?, e outras multas fazendas que fe vendem por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da india para forrar salas
MI k 1M
IMS COIjUJJMAS.
&p No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de coroso que tem viudo a-Pjrnambuco de melhor gosto
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
Itlll O CRESPO tf. 18
, LOJA DE
Antonio Corma de Vasconcellos e C.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
Receberam Gregorio Paes do Amaral A C. mais uro completo sortimeuto de
7FIIi6 PRETO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Hotondes.
Africaines.
Annamites.
Pompadoan, etc, etc.
Desde 10000 a 805000,
CHAPEOS i EXPOS1C %0
Novo modello de chapeos ingleza de li.iissima palna para senhora com urna
ampia banda de tife de cores.
CAPAS
de la preta e de cores proprias para luto, on passeio pelo diminutissimo preco de lj.
Seda matisada em pecas
padroes modernissimos que faz o effeito de um vestido de subido prefo. Assim como:
ricos cortes de moireantique brancos, de cores, de gorguro lavrado de Blond para ca-
samento.
Magnificas grioaldas e mantas.
Colchas de seda portuguesas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara noivado.
CORTES DE TAKiWt
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padroes e foitios differentes.
E outras muitas fazendas por precos commodos qne vendem
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5 RA DO CRESPO 5
teo do Orino n. 9, principal armazem
dor n. 40.
ra do Impera-

CORTES DE SE 15A
Chfcaram pelo paquete mglez riqusimos cortes de raoreaatiqu de cores, e seda lavrada p-
smente novos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5
DO CRESPO-5
Gregorio l*ncs> do Amaral tft Companhia.
ENOICLO PEDIDA
Ruada Imperatriz arniazcm
di porta larga &fj.
t> .Hito a pa Jarla frailceza de
Pare de Porto.
fes-te estabelecitnenjb encontrar o respeitavel
..ii .-ariado sortimeuto de fazeadas france-
glezas, saissas e allomes, que se vndenlo
jo c H'.inodo.
Paredes Pcilo
.' me chales de renda de cores que se vende-
.i 18^ est wudendo por 65, ditos pretos, fa-
n iva, 5 5,65, 8^a 205, um fortnenlo com-
I .. i manteletes, papas e soatambarques 11-3 a
.' .. :na da Imperalrizn 42, jnnu a padarla frau-
ir nazem da porta larga.
Paredes Porlo
i im completo sortimenlo de .lasinbas a
1 i 280 rs. covado*, para acabar, eambraias de
..''' rs. i eo-va i", riscado escossez para roa-
i -i.no. fuio d-' linho ;\ 420, 100 e 300 rs.
:: '; mperatriz n. .ijunt) a padaria franeeza,
..'.. porta larga.
Paredes Porlo
Receben para cortinados para cama franceza a
pega eambraia lisa fina a :(3 -!> al 10,3 a
., coi les de tari llana de bonitos g -.-tos a 35300
.. eambraia ft m fldr d soda, aost-ts inteira-
i' vil ovos a tOO 300 rs. o covado,no armazem
ra larga n. >'', ra da Imperatriz junto a pa-
ja i:i franeeza.
Paredes Porlo
H'cpben rplo uHimn pa-iu^te um sortimenlo de
rezes com pedrasuara o pescos, bonitos eaxineis
i para pescoco de > -nhora. Hua da Imperatriz
a i, armazem da porta larga.
Paredes Porlo
Vende cortes de gorguro preto para vestido com
*1 vad s cada uro 335000, grsdenaple preto a
I 10, J800 e >$ o covado, lias lizas linas a 400
rs b covado, laas de qnadrinho para vestido, enfos-
i 320 rs. o covado. Hua da Imperatriz n. 52,
m -Ja porta larga.
Paredes Porlo
i n para vender |>or prego eommodo, pegas de
'staio de linho com 10 varas a 7-5, 8, panno de
i ;i, a Imces a 60 e 70:) rs. a vara, braman-
le Je imito de 4 larguras a 23200 e 2300 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes -le eambraia bordadas de ricos
,Mo a 10 e 12$, ncus vestuarios para menina
lenino, ricos corles de eambraia Harta Pa a
103 e 21*3, tarlatana branca e de cor a 640 e 720
i a vara. Hua da [mperairil armazem da porta
Roupa feU
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
lolo a pa-larli franceza, encontrase neste e*-
......cimento um completo soi timento de paiets-
ise sobrecasaeos, dotodas a< qualidades, cal-
ras, cullutes, ceroulas, camisas, grvalas, nielas,
chapeos do sol, ditos fraucezes para cabeca, por
.; comandos, roupa para menino o outras
multas (alendas por precos commodos, armazem
da p.-rta larga.
lo mesmoe>tabsleeimeato encontrara o respei-
(! publico, .-einpre um cjmpleto sortimeuto de
roupas fetas de todas as nuaiidades, como Sfjam
los df iliaca preta e de edr,ditos obrecas:i-
i- a 3 e 53, ditos de brim parlo a 23800, 33 e
. K), ditos linos a 4$, ditos raeias cazemira a
34900, 43 e 53, ditos cazemira saceos a 6$, 73, 83
e 104, ditos sobrecasaeos a 10 e 12$, ditos de pan-
3 1 -1 .- a G3, 8$ p 10$, ditos sobrecasaeos a 12$
... dit is -le merino preto a 6$, 7$ e 10$, cal-
lo brim de diversas cualidades a 1$800 a 4$,
.1 n'i-s a 2J500 e 6300, ditos cazemira 53,
|J 73, utos pretos a 53, ti$, 8$ e 10$, ditos
lazemiras a 3$ e 45, coletes de diversas
( ilidades, si'rnulas francezas de algod.io, ditas de
ol o, ditasdu bramante a 2$ e 2$500, carnizas de
lio de liuho francezas de 2$300 e 3$. Gran-
chlncba neste geuero, grvalas de todas as
II lades e brancas para casamento, grande sur-
:;.[() de mcias para senhoras, ditas para homens
a 3$, superiores a 3$>00e 4$
: completo sortiraento de char-js de sol de
1 a 3$, tlilo-! de seria a S$, 7$, la$ e 113,
franceses para cab ga, grande sortimenlo
rccliiiicha ilnniavel.
ran-le sortimenlo de -hambres a 4$600 e oS,
- le eambraia para iiomern a 2$ a duzla, di-
. le linho a 45 e 5.
Grande sortimenlo de roupa para meninos e on-
multas qualidades que seria enfadonho m-n-
<::..ua-las.
Fazendas.
Vende se superior merino p'eto proprio para ca
'.-- i i Reohora e vestidos a 2$. lustrn) da China
a j 00 o c-jvado. Ra da [ma-ratriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende c,:n seu i.'stab-'li'cimeuto liras e ntremelos'
bordados, grande soriimeoto de corpinhos rica-
::. -ale h -ra los a 35, 43 e 3-3. So o Paredes Por-
to, ra di Imperatriz no 52; porla larga juuO a
pa Jara frauceza. 1
Pare los Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas laas
granadinas com ll ires de seda a 100 e 500 rs. o
covado, eslao acabando-so, eambraia preta para
luto. Porta larga unto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortiraento de fazendas
brancas, como sejam madapoho a 4-3300, 53, 6$ e
10-3, pecas de algodo por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 880, 320. 360 rs. o covado, precalias
mulo unas a 360, 400 rs. o covad), chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Hua da Imperatriz n.
52, jimii a padaria franeeza.
Paredes Posto
Vende gangas de (r propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado,. riscaio francez fin-) a
320 rs. o oval). Hua -la Imperatriz n. 32, junto
a padaria franceza, p rta larga.
Paredes Porto
R'cebeu pelo iiltim paquete espartilhos a pre-
guicoso por 3?, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e bomem a l, ricos corles de eambraia
bordados de 18 a 7.;, por ic r um toque de mofo,
eslo se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
0 armazem da arara estfti-
zeudo liquidacfto detodas
as qualidades de fazendas,
na rua da Imperatriz n, 56
Loureoco Pereira Sfendes Gnimaraes, dono do
grande estahelecimento, tem resolvido vender as
fazendas por menos -lo i|ue era outra, qual<|uer
parte, menos 30 por cento.
Cambraias bramas lisas a 3$000.
Vend--m-s cambraias brancas lisas a 3$000
33500,13, 43300. 5$, 53300 e 63, tapadas a 63500
e 7$ : alendes Guiraaraes.
Cuales de merino a 2)000.
Vendem->c chales de merino estampados a 2$,
merm liso a 33800.
Cobertores de algodo
Vendem-so cobertores de aigodo a 800 rs., di
tos bons a I $600, 23 e 55500.
Cambraias de una s cor
Vende-se eambraia de urna s cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem se saias bordadas pelo barato prego de
7$00.
Cortes de eaabraia
Vendem-se os mais modernos cortes de eam-
braia bordados, senoo fazenda de gosto, a 10$000 e
12$000.
Iliscados eseocezes a 280 o covado
Vendera-se riscados eseocezes a 280 o covado,
liras bordadas a 13, ntremelos a 800 e 1$.
Laazinhas a 220 rs.
Laazinhas finas a 220,240, 280, 320, 360 e 400
rs. o covado.
Cortes de eambraia
Ven-iem se cortes de eambraia com barra a 3$
; e 3$5O0, ditos sem barra a 2$800 cada corte, Men-
ds Guimares.
Cbaubres
Vendera-se chambres para homem a 4$, e s
para acabar, peitos de linho a 900 e 1$, lengos de
linho Anos a 300 e 640 rs, colarinhos de linho a
500 rs., camisa- francezas a 1$400, 1$800, 2$o00,
: 2$240, 2$500 e 2$800: s Loureogo Pereira Men-
1 des Guimar.ies.
Corles de ia
Vendem-se cortes de laa a 3$, 3$500 e 4$500;
ofendes Guimares.
Chitas para eoberta
Vendem-se chitas para eoberta a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de tores
Recebeuse um grande sortimenlo de cambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
1 covado.
Casemiras
Vendem-se casemiras a 13280 o covado, finas a
25240. 2J300 e 3$ o covado.
colares Roye* tm colares ano-
dinos
| para facilitar a dentigo das mangas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido immenas vezes pela
prodigiosa forga magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsoes, e ilentigao das criangas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje j se pode dizer que esto geralmente con-
ceiiiiados, e estima los de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso dssses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos fllhi-
nhos, e de outros porque colheram daquelles tao
proficuo exemplo para igualmente preservar os
seus. Assim, pols, aaguia branca, tendo era 6-
us a u:ili ia.b: e nroveii' desses prodigiosos cola-
res anodinos ou R-iyar, mand>u vir o novo sorti-
net-to que ag >ra receben, o continuar a recbe-
los para que em lempo alguna a falla delles possa
ser funesta ao- pas de familia. 09 quaes ficaro
certos de os a-harconstantemente na rua do Quei
nado, loja d'aguia branca n. 8.
Charutos da Baha
a 1$ a caixa; na ru da Moeda n. 43.
Fazeui setente ao respeitavel publico, e com especialidlade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos trus grandes armazens, reuuir txlo> os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
o, antiunciar os gneros
como socede conslante-
entos nao se dar isto
tnos que uo infringiremos a tabella que abaixo vai pubiicaiJ)
por um prego, e na occasiao da compra quererem por outro,
mente era outras muitas casas, porra nos nossos estabelecitr
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam' em servidos como viessera pessoalmente fazendo-nos
j favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que s
alguma que fizer sua despenga em nossos estabelecimentos
5 por cento na sua despeza diaria.
mo arrepender pessoa
pois poupar mais de
Superior serveja
bricantes, como sej;
ffiiic a 7,5oo e 7,oi
a garrafa. Tambe
como seja: Victoria
zia e a Spo rs. a gil
de Lisboa
garrafa.
Manteiga i-gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de i.oooa l.ioo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
.Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril lera abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em vi|a;isre
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primetra e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem byssao o mellior neste genero a
2,Goo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambera lia proprio para negocio de ~2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,5oo rs.'
a libra. j MacarrSo e talaeri
Biscouios i o,ooo rs. a caixa.
Lalas com superior biscouto inglez de di-! p
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passa?
Btlaehinhas : 5,5oo a caixa de arr
Latas com bolacbitihis da acreditada fa- rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a| *
doenles de ,ooo a 3,ooo rs. a lata. CJB3I
dem com quatro libras de bolacbinha de
soda a.ooo rs. a lata.
Qneijos
Qucijos flamencos chegados no ultimo
rs. a g.irrafa e l,4oors.
Superior vinagre
caada e 280 rs.
mais b.iixo para 2oo
a caada.
Azeke doce
Superior azeitc de
garrafa c a 4,oo rs.
Serveja
Bass dos melliores fa-
m: Shlers & Bell. T. F.
o rs. a duzia e a 7oo rs.
m lia de outras marcas
3 Alcope a .ooo rs. a du-
rrafa.
a 2,ooo rs. a
Tambem ha
ce de Lisboa a Goo rs. a
a caada.
Mssas
ra a 30 rs. a libra e a
issas
a l.Soo o quarto e
bba hespanhla e a 32o
vapor a ,3oo rs., tambem ha do vapor pas- ,]a ums.
Genebra de laranj
duzia e 1,00o rs. ao f
Genebra de Hollai
rs. afiasqueira cae)
Idom de Ilollanda
CBK1
1 venladeira a !o,5oo a
asco.
la verdadeira a G.ooo
Go rs. o frasco,
em botijas a 4oo rs. ca-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 e 1,200 rs.
a libra, francez e suisso a 1,00o rs. a libra
e portugtiez a 800 rs. a libra, em porc3o
ter abaiimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melliores
marcas a 4oo e 000 rs. a garra'a, e a 3.ooo,
3,ooo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a Gio
rs. a garrafa e a i,000 rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,000 rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Bio de 1.a e 2/ qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SAB.40
Garrafoes com 24
Ilollanda a S.ooo rs
ha garrafoes cora o e
6,000 rs. cada um.
VI
Velas de spermact
dem de carnauba
arroba c de 30o a 44 o rs. a libra.
jarrafas de genebra de
o gan\ifao. Tambem
14 garrafas de 3,2oo a
fLAS
te a Goo rs. a libra,
de lo a 12,ooo rs
Peixe em latas
l,2oors. a lata
ALP1STA
Alpista e paingo
4,000 rs. a arroba e
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mai
tes, como sejam: J<
Maooel Peixoto da
Filho e Brando e
IJ<
PMXE
preparado de I,00o a
E PALNCO
fauito novo de 3,8oo a
de 14o e 1G0 rs. a li-
acrediladrs fabrican-
io Furtado da Serrias,
Silva Nelto, Castanho &
de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico prego de I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,0110, e 0,000 rs. a caixa.
ores
Licores francezes portuguezes a l.ooo e
i l,4oo rs. a garrafa ol frasco.
B ices
Doce da casca d; goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e t'e 00 caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muilo )em etifeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
Sabo maga deprimeiraqualidade de 18o perche e outras fritas a o> is. a lata.
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambem lia latas gr.nd.es para l,2oo rs. a
em caixao. lata.
MJBkvj
DE
AZEVEDO FLORES
Rua da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Gniilf sortimenlo de r.izcDilas por ;ilacado c a relalho, t hu ctapiett Mrii
menlo de rur>a feita, de asemira eilelnim, todo por mfnns >\nr ea
oulra palqucr parte: ijucm duviilar venha wr.
CAIAAS
de lindas e finissimas casemiras escuras c claras, de superior casemira prela, de fines
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de lina alpka branca, de superior alpaka pre-
la e de brim pardo.
rolletes
de boas casemiras pretas e de cores e de lino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2-5 at 55.
Cero nas.
Ceroulas de superior bramante de uno linho.
itales.
Superiores balos de arcos para meninas de 2 al 12 MOOS.
dem superiores para senhora.
Ciravatfas e mantas.
Superiores mantas para pescogo de homem, as mais modernas do mercado.
Hadapole.
Madapoln bom a 8, 9, 10$ e 120.
Chapeos de sol.
Superiores chapos de sol de seda balo a tOJ.
Fraques de easemlra.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e no havendo que sirva
ao fregnez raanda-se fazer por medida e com muita prompii.lo.
Todas estas fazendas por pregos insigniieantissimos, pois o filo do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO PICHINCHA
NO
ARMAZEM RE FAZEXDAS
RUA DO QUE-MADO >'. 27
CUSTODIO C AHVAMO
* C.
e com um pequeo loque de

Uvas pelo ullimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ullimo va
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor
Frudas seccas pelo ullimo vapor
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Queijos ondrinos pelo ubimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapt
Presunto fiambre pelo ullimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguinles armazens
or
Pecas de madapoln fino francez com 22 e I|2 varas
mofo a 8:5000 cada pega.
Cambraia branca para forro a 14000 a pega.
Lengos de eambraia para homem e meninos a I 5000 cada duzia.
Cambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 2Gn rs. o covado.
Las de cores muito lindas a 3 )0 rs. o covado.
Hua do laciniado n. 19, armazena de fazendas.
mm*mi
r.
Rua do Imperador u. 40, Verdadelro Principal.
Hua do Qiteimado n. 7, i'uio e Conkuierclo.
I^argo do Carme n. 9, Progr|essivo.
ILEGVEL.
ULTIMA MODA.
Paredes Porlo recebeu pelo ullimo paquete um 'completo sortimeo'o d capas e
bournus de cores ricamente enfeitados a lis, loje OJ : na rua da Imperatriz u. 31,
lojada porta larga juoto a padarla francea.
Vende-se
Bramante de linhi fino e largo para Iences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mamas para cavallo.
Cobertores de algodo de nm e dons pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, rua do Tra-
piche.
cal de Lisboa.
Na rua do Vigario n. 19, i andar.__________
^"Vendem-se as propriedades Varzea de ua.
Vianna e sitio Manguinho. conhecldas por sua Ic-
calidade e bondade de terrenos : as pessoas qne
qnizerem, podem dirigirse a rua do Cabng n. 3,
primeiro andar, que acharao com quem tratar.
G\Z.
No armazem da rua do Imperador n. 3 cu do
Caes de Pedro II n. 9, tem para vender-se o me-
lhor gaz existente no mercado.
avarmdo.
Francez barrica SJOOO
Portland dem 83O0
Em perfeito estado:
Francez barrica 10JOOO
Portland idem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caos
NtiMade.
Chegaram os bonitos chales e retondas da
re brancos, e vendem-se na roa da
52, loja da porp larga, de Paredes Porta
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da
larga, vende chales de reada de care can peajaw-
no tome de mofo, a 3J300 e 4, fazrtda da Ni
eISMM).



Diarlo de Pcrnambneo Sexta feira S rn
0
AO PUBLICO
wcui o menor coastran.
gimen t o se entregar o
Importe do genero que
nio agradar.
ATIENDO
# preco* da eguinu
tabella paa todo*, p-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contat
com os portadores;
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
M 'JDM di si ranMm
AO
RESPEITAVEIi I'IIII.IO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande rma-
seos da Liga establecido ra Nova n. 60 om magnifico sortimento 'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangeiro^podem ser
vendidos por preces asss razoaveis.
Sem a fataidade de ijuerer qne este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de qne
nenhnm outro o exceder no restricto compriraento das seguintes promessas :
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidad* no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posiejo social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melbores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqaer qne seja a condiclo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao ponco favorecidos da sorte far5o mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afregnezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, qne compran para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
. Para os senhori's que compram para tornar a vender existe um sortimento cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poopado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DMHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna.
dem e paingo de oito libras para cima a M
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca raolle, a 280 rs. a libra.
AvellAas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem idem em potes de iodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azote doce de primeira qualidade a 560 re.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 agarrafa.

BOLACHINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 10800 a lata, o
de cinco para cima a 1^700.
dem de soda em latas grandes a 2^000 e
de cinco para cima a 13800.
Bisamos inglezes de todas as qualidadee a
13200, 1*250 ei300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamba de porco refineda.
C
CHOCOLATE francez a G00 rs. a libra.
dem suisso a 13 a libra.
dem de musgo a 13500 a libra.
Chockicas muito novas a 800 rs. a libra.
Cap a" 240 e 2G0 rs. a libra, e em porfao
se far abatimento.
dem de primeira quelidade a 73000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 13800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 re.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto poata branca, etc., etc., a 23000,
232"0, 23560 e 23800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 23500, 33500, 43 e 53.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 e 13500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de ciuco macinhos.
l>
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
irvadoce a 400 rs. a libra.
RA DA CADEIA D<
(Logo passando o are.
RECIFE N. 53
da Coaceico)
PARA BEM DE TODOS,
RIVAL
SEM SE&UXIIO
Bina do Queiauado afc. 49 r a,.
Contina a vi-nd-r icia> as niiudeza? que aiuiao
declara por pregos adroiraveis.
Mansos de palitos lixados para dni'es a li O r-.
Espelhos de molduras domadas a 2tn>. :4o e -. r.
lioiii'ts de oliadu para int uno l& 0.
I Ditos de ruuro superior fazmda a 1v.a>.
Frascos cem superior tinta n cha a MI r>.
Meiadas de liDlia (roa para bordad. 1 M f
Caixas rom 100 envelopes, fazenda fiD a WH>
(rozas de prunas de ac, fazeuda .-u| i MU a .V ;.
Grozas de toldes madreperla lim s a h I e 640 rs.
Caixas com 30 novellos de linha <\< ;' :>
Caixas com superiores obreas o. .. P rs.
l'ecas de illa branca ela>lica ron > i a Stu rs
Varas de franja de la para end.es i
40 rs.
Baralhos dourados superiores .1
Novellos de linda com 400 jardas a W rs
Litros para asseulus de roupa lavada I 141 r-
Pares de Lotoes para punho, hM rraa t<> rs.
Tesouras para costuras superiora aaMaiBl a
400 e i$.
1 Caixas de pennas de ralligraphi?, fr/enCs
i i 000.
i Massos com superiores grampos a :io r.
Senhore -choras, o aceto qne presidio aos arranjos desti novo estabelecimento, e mais que tndo a promptid5o e inte-cEa/aJ tfi^&Vm
ezacom que serto trati 1-h# envida a urna visita ao mesmo, certos d< que sem duvida me darSo a proteceo e preferencia na com- Uatai rra dos gneros que precisare n e qiiando> d3o possam vir poderao nandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco nraticos (:aixas com superiores obmas de mas. a M -
nois serSo t5o bem servidos como se viessera pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que n5o vo em i R"dil.,i,'.com '^i"">>
tra i?i\e.
[ KIRSCH de Wasser a 23 a garrafa.
JL
LATAS com graixa a 80 rs. cada uma.
Letria a 400 rs. a litera.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 13, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e TALHAfliM a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para -sopa branca e amarella a
60 i rs. a libra, em caixas com 9 libras a
33500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
H
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas c 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 13C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, lin.guado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaejo.
Palitos para dentes a 120 rs. o mai;o muRo
grande.
Passas era quarto a 13400.
dem muito novas a 400 rs. n libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MOR1NQUES a
R
RAPE' Meuron a 13 a libra.
dem Princeza do Rio a 13200 a libra.
dem francez a 23500 a libra.
Manteiga ingleza especialmente escclbida a.
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas-a 04o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
do mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
r^
FARINHA S S S de 8 libra para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 13-.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2??.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steari.nas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOC1NHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs>
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS
!!!
Principe Alberto, de 1831, a 53000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velbo secco a 23 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 13500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 23 a garrafa.
Duque a 13 e 13500.
Chamisso a 13, 13200 e 13500 a garrafa.
D. Luiz a 13 agarrafa.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 23 a gar-
rafa.
Car cvelos a 13.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1)$ a garrafa.
Absyntho a 23 a garrafa.
Kirsch a -S a garrafa.
Wermouth a 23, e a caixa a 183.
Bitter Maurer a 13 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 203.
800 saceos, de todas as qualidades, de to-lldem Figueira e Lisboa em pipa a 23500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
Brides e picadeiras de
Ipojaca
Vsnde-ee na ra do Quelmido n. 32, laja de
Azevedo & Irmio.
C.ambraias.
Parede Porto vode cambraias litas finas, eran-
de sortinenio, a 3 at 6|, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 6A, 64508 e 7 J>: na roa da
Jmperaim n- 92, junto a padaria anceza.
Calungas Unos e brlnqnedos
para ntiiaM.
Uiegaram para a loja de miudezas da- ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timeato de miudews.
Vende-se barato o sobrado n. 21, sito na ra
de S. Pedro Martyr, em Oh'Bda, e um terreoe onde
se acba edificada grande parte da cidade do Rio
Formoso, o qual terreno estende-se da matriz at o
irapicbe: a tratar na ra da Uniio n. 37.
Aletria, macarro e talliai im a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinl a, pevide e rodi-
nha branca ou amarella i 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libi as.
Viah do Porto muito .no proprio pava
engarrafar, emancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Fijgueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agairaa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo
Vinho branco de Lisboa d< excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a gprrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinbo branco para missa e n caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa,
Vinho do Porto das iitell ores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,oooa caixa i om I duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a gamfa.
Vinho Cherexde superior jualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4co rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas mui o novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez ijnuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em claixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,o(
a libra.
'Resmas de papel almacn a ?^fn /*H
Sal refinado em frascos de vidro com lampa ?scovas P up>. faienda boa a fu e iji.
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 500, 56o e G4o Talheres muito fino para eriancas'a 2iO r-.
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du--?l?eiras Para DienD" '2"!-
zia. I Ditas e voltas para Frnhora a 500.
rovaHinKn a c____ ~ Frascos de Agoa Flcrida t rdarier? a |A-i-
tjevaainna de Franca muito nova, a 2oors. Frascos con. superior haafca a so fino r-.
Duzias de tesouras com toque < forcee* a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cali pr* t*- a 3
-^, ---------~ *, w w. ( -. ,,, ~ ti | iui i/aun.. A
cnarutos do aflamado fabricante Jos Furia- dem de superior oleo fechan a M r*
do de Simas, das seguintes qualidades- Caix,!irm iamparina para Jw >M)n.
SSS Kra\de wsf <***** i ss s: arSata?.: ru s
Londrinos, uanabaras, Parisienses, Sus-! Qoadernfs de papel pequeo a 20 r?.
r.-.
latas de diversas
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o i&. a libra.
a 4oo rs. a
rs.
o a caixa e 4oo rs.
ibra.
l,ooo-e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo
bra e m caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bra? por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs. ^ Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-: tampa do mesmo, a 1 ftoo.
das ue vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franC' zas em caixinbas de diversos
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar- tamanhos com bonitas estn pas na cai-
rafa. xa exterior, a 1,4oo, 1,6oo, 1,8oo e 2,ooo
Genebra de Hnllanda a 48o rs. a botija de cada orna.
conta certa. Azeite doce refinado hesfJanhoiou portuguez
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e fo:ooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novasa 8o|rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos, o gigo com 36 libra-.
grandes a l.ooo e 11,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. ali-! 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para estregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs. |
bra e 7,5oo rs. a arroba. :Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroido Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs.a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, exceljlente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara prppriamente dito a
rs. a lata de uma libra e56o rs. a reta-, 13 a garrafae 11,000
Iho. 'Palitos de dente a 14o ra
a duzia.
o maco.
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norle, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Pablos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs.
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada uma.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada uma ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Grvalas de cores, fazenda superior. a W I
Papis de agulhas, fundo doorado. a M
Atteiicio.
Vende-se uma preta chonta de H a iOanarw r
idade, com habilidades, rao i, m virio Deas a-fe*-
que, muilo sadia e pasante, pufcia
de grande fimilia:
Boa-Vista n. 54.
a tratar na rm ^a Matr- i>
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 23 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegac as no ultimo va por
para hornero e senbora : na ra da Imperatriz'ioja de miudez s d. 54.
------------------------------------------------------------------------------a-------------------
o-S5'r
^B^s-i-S-Li^S-giss
ttJ
_ & do
o B. 2*M y ^
K. as
-gli

O O,
O-aT
9
B^5
S^ g-M STo g-S-o"S g
3S|:g-Ms-B0 f^g-
~ S o. o. St~
o =?
R-S8 =5
r-
.5 a
** g ce" 2. 2
lc.T5ran20.gW
s S.gsr.i.ae:
O
.S.2.&
-o ft-
O.
i O
B> B3
K B 5. *5-
.-o,2
B9 1
CJ

15
O BS
en
Z. B3
-1

ai
i
B3
O
O

>
Tasso Irmaos
Vende ni ne sen armazem rna do
Auioriui n. 3o.
Licor fino CuracAo embotijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chara bertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
OM Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
I de serem transplantadas: no sitie morado i es-
querda, depoiido becco do Espinbeiro, nos A:-
I flictoa
de trafralhar mao par*
desearocar aIgudo
FABRlCADlAS
Por Plant Brothers & C9
oda*
Estas machina:
podem desearocar
qualquer especi
_jde algodao sea
JJestragar o fio,
w sendo bastanU
duas pessoas para
o trabalho; pd*
desearocar um
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutos,
oo 18 arroba
por dia on 5 ar-
robas de algodae
Xjl ^ mpo.
Assrm como machinas papa serem movidas por
animaos, que dascarocaa 18 arrobas de algodae
limpo, por dia; e motores pitra mover uma, duas,
eutrss dessas machinas.
Os mesmos tem para vem ler nm bellissimo va-
por que pode fazer move seis destas machina
manciooadas ; para o qu a convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e xamina-lo, no arma*
xem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers G.
X. II, praca do Dorpo Maulo
RECIFl!.
Os nnicos agentes neste paiz.
Bren em barricas pequeas.
Cera em velas de todos os talmanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Testamentos em verso.
Continuara a estar venda, na typogra-
pbia dr ra do Imperador n 15. defronte
de S. Francisco :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Le3o, do Gato,
do Per, do Carneiro, da Onca Tigre, do
Cao, da Hyena, do Rato, do Orangutango,
do Macaco, do Burro e do Vigario ; i Peleja
da Alma com o Diabo, a 160 rs. cada um,
e a 100 rs, a quem comprar uma cempleta ou 25; cartas de ABC, taboadas,
calbecismos, economa da vida humana,
carlilhas, Simo de Nantua, Biblia da in-
fancia, manuscriptos, traslados, pautas, pro-
curacoes, apudautas, lettras, conhecimentos
paraembarue deescravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversos formaos, sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muilo grande a cO rs.;
papel marroquinado e lustroso grande e pe-
queo ; papel para impress5o de uma s
cor grande e pequeo ; Virgilio, Horacio.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionarioa francez-portuguez e vice-versa,
selecta franceza, eoutrosmui!cslivros, bem
como em branco de todos os tamanhos.
Vende-se a din herr ou permuta-se por uma
casa nesta cidade do Recife or mesmo com algum
sitio porto da mesma cidade, a fazeoda de criar
gado denominada Nova Fazenda, sita no serio
dos Cariris Velho termo da villa de S. Joao da
provincia da Parahiba, com bastantes e boas tr-
ras de criar e de planlaco de algodao, com boa
agua de beber que nao falta, e muito propria para
refazer solas por flear na estrada em que passam
as boiadas, peno das feiras e 50 leguas distante
da cidade do Kecife, tem curraos e casa ordinaria,
com muito bom Ingar para se fazer assode e cer-
cado : qcem a pretender dirlja-se a sen proprie-
tario Manoel Jos de Sant'Anna e Araujo na villa
do Cabo.
Vnde-se o deposito da ra Aova n. 58 e
tambem vende-se s a armacao : a tratar no mes-
mo poisfaz-se todo negocio em virtude de um dos
socios estar prximo a sabir para fora do imperio.
LOJA DO BFUA FLOR
a roa do Qaeinado n II,
Tem recebido nm sortimento dr rnze- '> -?
esta) usando, de diversos gostos ; .- qnem w e
o heija-flor.
Tendo recebido vahados sortim"ni < de i .
de aljofares de diversas cores, cni< it para
nhora de diversos gostos, e mais barato do qar
em qualquer outra parte.
Faca e garfo-.
Vende-se forras e garp i de cares de bdlanco e
um boiaoa ii200 a duna, ditas de tm l-m-.s a
C.'j00, dita para doce a 5JIO0, ditas de frita en
a 3X200, ditas de cabo branco, Np e CfBWti a
Tem recebido variados sorlimentiH de t? hm
para meninos de escola, de forma de (rivnN .
patlnhos e outras de diverso gosb.. qne s n ar- a
vista bem se pode apreciar, t tamil Mi serve r
o leilao do hospital portuguez : la- |ara Ict.r -i
diversas corea a 7,1 a libra : so n>. le a-AVr.
isoova.s para roupa.
Vende-se r-noiil para roupa muin fina- ci m
differontes gostos a 6i0 e \t, ditas pvra deites a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel a caixinhas a WO r-,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a fiWVs. : iai
linha.
Vende se uma parte e um predi no Mlio .Jos
Arcos, perte da igreja dos Bemedi. i|oai I tft*
prio para olaria por ter eicellente lar;*, 9 ..- I r-
ras quasi todas proprias : a tratar c< m Ja-:n

Jos Goncalves Bellro, roa do Vigario n. I", es-
criplorio.
Loja da boa f Da m da
Imperatri n. 74.
Vendem-se ricos enfeiles para rabera a A5W
Peales pretos para alisar a 2iO.
Ditos com chapa de metal branco a IH "
Escovas finas para denles a 120, NO p 500.
Tesouras finas para costura a :I00, I e '.&.
Meias muito finas para senhera a M.1 i '*
par.
Caixa con 50 nvelos de linha do r a 700.
Caixa com 100 envelopes a 00.
Caixa com papel pautado a 700.
Hesma de papel almaco |rew a .'SJOrt.
Tinta preta para escrever boiiio a HA
Faeaa e garfos de balanco a 55500 e 6A.">.
Meias cruas para homem a 200 i SM o par.
Aliuttes de todos os tamanhos a M a caria
Fita de linlio peca 50 e 120.
Cordo para vestido a 30 rs. a < <*.
Hito imperial peca 40 rs.
Caixas com obreias muito boas a iO r.-.
Baralho de cartas finas a 2O.
Croza de buto de louca para camisa a 130.
Ditos de madreperola muito finos a fiW).
Caixa de corxete muito bons a 40 rs.
Canto de corxetes muilo b> ns ^ II r-
Gravalas de seda preta e de cores a .'M>.
Jogo de w i-pora a 800.
Caixas muito finas para ra > a 1-5.
E um completo sor.imeoto de miuot-zas que se
vendem por meos do que em outra quaiqoer par-
te para se apurar dinheiro.
ESCBJWGS FVCIK'S.
Ausentou-se do engenho Jassiru em IM
nhaem, no dia 18 do correle mez de outul.ro. o
mulatinho acaboclado de nome Sabino, que r .
senta ter 14 annos de idde, ponco HM oo n.ei. ,
cor clara, cabellos corridos, denles alvo, e
desfarcado, levoa vestido camisa de baieta vero>.
ralea de riscado e chapeo de couro ; j>te escraro
foi comprad >ao Sr. Cicilio de Fonle: Itaogel. mi-
rador em Cariris novos, pelo Sr. cap t o Wtm
Guilherme de Barros, morador ness; c Jade. i ; |
este vendido ao abano assignado. O mesmo rr.o-
latinho talvez se tenha intitulado forro, e em al-
gum comboy procure seguir para aqjelle luga-
res : a pessoa que o apprebender ou delle der dj-
ticia naquelle engenho, ao abano as.-ipnado, e
nesta cidade aos Srs. Cunha, Irmcs k\ C, sera
generosamente recompensado.
Gralificaco de 50$.
Aum'uIoii.m' da basa n. 59 da ra do Imperaeor
(outr'ora Collegio) no sabbado 16 do correte mes
de setembtode 1865, o escravo pardo do mane Jja-
qoim, com os sigoaes seguintes : estatura regular,
idade 18 a 20 annos, sem barba, pts largos, vlho
grandes, cabello corrido, com uma cicatriz grande
e bem visivel na testa, parle dos dente? da frena
arruinados, e com falta de alguns dos lado?, :-;.w
com calca de bt im pardo e paleto! curto de panno,
mas levou mais roupa branca e de < .ir, milite
astucioso, costnma intitular-se forro e andar cat-
eado ; foi escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvalho, genro do finado Sr cummendador
Manoel Goocalve da Silva : rogase a sua captura
a todas as autoridades policiaes e a qoalqoer ca-
pito de campo ou outra pessoa particular que e
apprehender se gratificar rom 50, alen, das des-
pezas de condmeo, entregando-o a >eo senhor
Miguel Jos Alves, na casa cima, oo ao tea ee>
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.____________
A t tenca o
Vendem se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de sella, por preto commodo : a tratar
no hotel de Franca.
O castello de
Traduzido do francez por
Vende-se este bello
tomos pelo baratissimei
oa praca da Independiada, livraria ns.
6e8.
Grasville.
A. J. C. da Cruz.
Romance em quati
preco de 30OOC
Acbam-se fgidos os escravos segnimes : Beata
mulato, idade de 2o annos, cabellos anneiadoa, ttm
barba, dentes um pouco limados, secco do eorpe.
testa larga, e falla um ponco descantada ; e Lmx,
criotilo, ja utif pouco velho, altura refalar, moa
Vende-se um terreno no lugar denominado
liba dos Ratos, em cujo edifica-se uma excellente
casa com tses mas, sendo a frente para a ra da
Aurora, ao lado do norte, uma outra de nome roa
do Gvmnasio, atraz ra do Seve, com 69 pemos' *"""! "*i|'" uS! a,,a? ?'*l"
de frente e 280 de fundo, assim como tambem di- filudo, barba com algoos cabellos braane,
vide-se : a tratr na rua'da Aurora n. 72. i"" M c,,bJ? S/fU; e^ ^U"
____^^____^_____^^__ ___ tanto pequeos, falla grossa e as vetes natraat
T hito o nWno Ar\ nnllnn '' rooco : pede-e as aotohdedes policial e ata ea-
LUVaS pretaS Qe pelilCa pitaes de campo qne os facam apprebeader e eoa-
A loja de miudezas ra do Queimado n. 16 duzi-losa' casa de sen aenhor o major Atate *a
receben lavas pretas de pellica e outras de cores Silva Gusmao, que generosamente reeoapeaaui,
------------_-------------- e |De8 pagara t0da despeza que flzerem com a aav
rannha de maUUIOCil. condoccao: suppoe-ie qne elles terso ido e* te-
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze- i gnimento dee sertdes desta provincia, por
vedo & C, no seu escriptorio ra da Ciu n< i. Cilios desses lugares.


Diarlo de r~ernaffiftaco Seicd felra 8 de Xorenibro de i9
LITTERATOKA.
general Mitre para abrir propostas, o que Ja' foi
publicado.).
t N. 2.Quartel-general do coramando era cha-
fa do exercilo cerca das trincheiras da Uruguaya-
na, 48 de setembro de 1863. A prolongago do ri-
goroso sitio era que se achara as torgas sob o com'
TIIEATRO DA GUERRA.
Conflrma-se, ou desmente se a noticia de que o
0 exerclto paraguayo avanga era dirercao .ios allia-' mando v. g dever/por cejtVil convencida
dos, e portante a snpposie&o deque em bretes da de que semimenios meramente humanitarios datera
poda ter logar urna haialha campal T as operares dos exerc.tos alijados nesta provincia,
E o que se nao pd dizer. dianle do ponto do territorio que V. S. oceupa.
A Nacin Argentina, qw (Mu *mi-olHcial e Estes sentimenlos que nos animara e que sem-
que lera por seus correspondentes no ex.rcito o pretlos domioaram, qualquerque seja o resultado
proprjos secretarios do general Mure, assim se ex da gUerra a que SQms arraslad03 pdo 60Vern0 de
prwsou aate-honteni (12 de outnbroj sobra a mar- V. S, obrigara-me represeniarlliequesemelhante
crta do exercilo paraguayo : posigo e estado de cousas deve ter um termo; e
Por um expresso ongado ao exercilo, qoe ern uonie do Imperador e dos ebefes alliados, an-
coramanda o gener?l D. Bartbolonwi Mitre, se sou- nuncio a' V. S. que dentro do prazo de iluas horas
be ie os Paraguay js no dia 6 fizeram passar o vo comecar as oossas operagoes. Toda a propos-
rio Corrientes a stia vanguarda, composta de 6,000 u que V. S. flzer, que nao seja a de renderem-se
homens, e que se dispunhara a passar o resto do as forgas de seu comraaudo, sem coodigoes, nao
1 -reno. sera' aeeeila, vitio ler V. S. repelldo as mais non-
Esta noticia foi confirmada por outros exprs- rusas qoe Ihe oram ofTerecidas pelas forgas allia-
W, os quaes aeerescentaram que essi vanguarda das. Quaiquer que seja sem embargo a soa reso-
agio depois tornar a passar o ri,., porm foi lucio, deve V. S. esperar da nossa geoerosrtade o
apenas urna manobra para proteger a passagem iratamento prescripto pelas regras que as oacees
-las muras forgas. civ.lisadas se lem imposto. Bariio de Porto-Aie-
lratao o exercilo all.ado poz se era marcha ffr. Ao Sr. eoroQe| AntoD0 E,i.garrib.a, cora-
com ordem de ad.aular o ma.s rpidamente pos.-i. mandante em chefe da diviso paraguaya sitiada
' La l"''-'lu tS"'"le : cni Uruguavana.
. o genera. Flores na vanguarda dirigir-se-ha | N. 3. (Sa0 aj C0I1(lic5es proposlas por Esligarn-
as ponas do Hiriobay, o geiera! Paunero com suas bia que igualmente ja' publicamos.)
forgas .>m linha rec.a para Mercedes, e os generaes j ff. 4. jjeu querido-general, Em cumpri
Gslly e Osono na mesraa dirocgo passaudo por ment da misso que live de approximar-me das
nnrac>-Co, ele. I trincheiras, procurei o chefe Estigarribia, eutrei
. a Tnba,ui de houtem (13 de outuhroj sobre taes. Do recinto das mesraas, e dei a seguate resposta
utiras diz : verbal, que a pedido do mesmo ebefe- reduzi a es-
t Comecareraos fazendo pars. logo saber a nos-1 cripto.
As forgas do exerclto alliado, qoe haviara repas. Cora efTeito, deixa-se estdr o cadver no raesrao
sado o rio Uruguay, eslavara acampidas alm da sitio, e estabelece-se um pt sto de observacao em
Restauracin.
ama arvore vlsinha, onde s i aoioha um bom atira
A diviso do general Mitre devia no da 27 do dor espera da volla da feri.
mez passado seguir para Ayui-Granda. nunca falla.
Dizia-se que o Sr. conselheiro Ferrar visitarla o Conta-se no paz que niogbem se lembra de que
exerclto do Sr. general Osorio. um tigre salteasse europeus
Lema era vista sua magestade examinar pes- as ragas nfimas, por exerap
soilmente quaes as obras de arle necessarias para qQaes parece ter ura go>to
canalisar o rio Uruguay, aflra de torna-lo navega- de dizerninguem se lembr
vel era qualquer poca do auno at Uruguayana, dente em ama colmia ond
devendo chegar mais tarde os trabalhos at S-
E' ura processo que
e que s acoramelte
o os chmezes, para os
articular; mais isto
anao muiloconclu
i o pessoal muda e se
os leitores que o gjverno nao tem recebido seme
[bales noticias, e que as coi, -.j aa inexactas.
t t'orm aiada mais. Existen) nesta cdade car-
tas du general Csceres, datadas de 5 em Cafarre-
nho, e nos raesmos as tiveinos de seu campo e da
mesma data de Ctiruecualia do dia 6, e da es-
quadra lainbem do lia 6.
t Todas as noticias vindas por esses diversos ca-
naes, em lugar de darem os Paraguayos avangan-
do, do-os reirocedendo.
Corno que o general Caceres, que est sobre
o Siuta Luza (que tica muilo alm do rio Corrien-
tes) da os Paraguayos no dia o alm daquelle rio
e a Xacion os da' passando o Corrientes no dia 6 ?
Tudo isto materialmente impossivel.
0 impossivel para mira efla' em saber em que
licamos : vera os Paraguayos 011 reliramseT
Os leitores do Jornal escolliam entre as duas ga-
zetas argentinas, que sao igualmeule conceituadas,
a opiuio que Ibes parecer mais acceitavel.
Das immediagoes de Luiz Go nes escreve o Sr.
Dr. Grifn Cardonas era 22 de setembro o seguio
te : Sr. Dr. Evaristo Lpez, com referencia ao ini-
migo direi a Vmc, que no dia 20 urna columna de
51)0 homens fez uinasahida at a estancia de Aguir-
re, que foi atacad. por minlias torcas, deixando ella
18 iiomens tora de combate, havendo da nossa par-
te um uuico ferido: a vinganga que estes misera-
raveis lomaran), foij incendiar todas as povoagoes
iuc eucoutravain no seu trnsito, o que se elevam
a mais de trinta.
Pode dar Vine, toda a pubiicidado a esta carta,
paia provar a alguos aparaguayados que exislnii
inl izmeuie no uosso paz, qual o proceder dos
bouiens que. se gloriam de vir Irazer a civilisacao
u repblica argentina.
Xeste momento chega o coronel Ocampo que
vera render-me com sua diviso, porque ja' me
achava com miuhas lorgas qoasi a p.
A Tribuna de 29 publica os seguictes d icumen
tos oQiciaes relativos a' rendii;ao Ja Uruguiyana :
(jiurtel-gen-ral. Uruguayana, 20 de setera
bre de 18o. Ao Exm. Sr. vice-presidente da re-
pblica L>r. D. Marcos Paz.Tenbo a honra de re
rnetler a' V. Exc, juutos por copias authenlicas, os
dorumentos relativos a' entrega da praca da Uru-
guayana e rendigo da columna paraguaya, que
as ordims do couimaudaale Estigarribia se entrin-
ebeirra na dita praca.
t Este feito da mais alta importancia para os
estados filiados, que viraai desai parecer urna co
lumna mimiga de mais de C.000 homens sem Ihes
euslar ama gola de sangue, e que d^ve ser fecundo
em resnitdos glorioos para as mesmas armas ai-
liadas, no decurso desta lucia a que foram insensa-
tamente provocados pelo governante paraguayo,
deu se, como ja' o havia cammunieado a' V. Exc-
a 18 do corrente, a approximago das columnas de
ataque do exercilo alliado, e a' vista de S. M. o
Imperador do Brasil, que havia lomado o seu posto
de honra a' frente do exerclto; achando-se o Exm.
Sr. general I). Venancio Flores a' testa do exercilo
oriental; S. Exc, o Sr. tenente-general bario, de
Purto-Alegre, cora o commando do exercilo brasi-
leiro,'e tendo o commanJo inmediato do primeiro
corpo do exercilo argentino o general D. Wences-
lao Pauoero.
c Reitero a' V. Exc. e ao povo argentino as mi-
nhas cordiaes f >licitacoes por ura acontecimento de
tanta magoitude e importancia, e logo que tenha a
opportunidade de enviar a' V. Exc. os trnphos de
urna victoria tamo mais plau>vel quanto menos
custoa lagrimas e sangue.
f Dos guarde a V. ExcBartholomeu Mitre.
Borja.
Segundo urna carta de Assumpgo escripia ao
Momleur, com dala de 9 de agosto, compe-se as
forgas paraguayas de 47,000 horneas, sendo 28,000
de infantaria, 16,000 de cavallaria e 3,000 de arli-
Iharia para guarnecer 120 pegas de campanha.
Formam a esquadra 18 vapores, a maior parte
de pequeas dimensoes, e construidos para a mari-
nba mercante.
reneva com frequancia.
a seguinte, aliocugao,
O Jornal de Roma publica
pronunciada no consistorio c i 23 de setembro pro
limo passado pelo nosso sai tissimo padre o papa
Pi IX.
Veneraveis irmaos
mire as numerosas macn nagoes e os anilkios
com que os iniraigos do uom i christo teem ousa
Os Paraguayos perderam em Yatay e Uruguaya
na : 1 batalho de artilharia e os batalhSes de o- aUcar a 'sre,a fc Deus' 'flVe 8er- sem duvida
fautaria ns, 11, 15,17,26, 28, 32 e 31; e os cor- *'guma' comada essa ferve sa 'edade de ho-
pos de cavallaria os. 21, 27, 28 e 33. No entanto
uwiis, vulgarmente chamada
nagonica, que, retida
que o exercilo alliadesomonte perdeu 300 homens! ""'^'P10 nas *'<** obsco idade, acabou por se
Cbegra a Montevideo o- tenerte paraguayo Jos
Zorrilla que commaodavaa infaouna era Yaiay.
O padre Duarte Qcava>emBueno3-Ayres em eom-
panhia de seu irmao Pedf' Duarte. prisioneiro- na
balalha de Yatay.
Tanto en> Porto-Alegre cerao no Rio Grande fe-
j e ferir.coni' urna seulenca de
ziam-se grandes preparativos para festejar a chega- "^""
patenlear, para ruinaeoramu i da retigiao e da so-
ciedade humana.
Desde que os nossos predec ssotes, os pontfices
romanos,. Deis ao seu ollfcio \ astoral, descobriram
taes lag.os-e fraudes, pensaran que nao havia um
moraetto a perder para ootftar
da de sua magestade o Imperador.
No Rio-GraDde a coramisse-encarregada dos fes-
tejo bavia arroadado em tres- dia Zir. 000000,
subiado a subscfipgo no dia 4 do crrante a..... t,as aPs^oa*.reprovou e pr
por sua autorklade
cjuJeiDuagio a esta
seila, que aspirava ao rime atacava- as oousas
santas e publicas.
O' nosso prodecessor Ciernes
Por parle dos chefes das forgas al liadas, em 135:000^000.
respesia as proposus fetas aos mesaos chefes,
declaro que as primeira e terceira sao acceiras sem
restriegao algama. Quanto a' segunda aceeipa-se
cora a seguinte restriegao : os offlciaes enfrefarao
as armas e poderao escolher ur lugar para a- sua
residencia, menos em territorio do Pararagway. >
Assignei em nome dos chefes alliados.
Depois de raeia hora de demora, dou-me um
ofcial oriental, Salvanhac, a resposta que commii-
niquei a V. Exc e aos generaes al)i*los, e retor-
qui que em nome de V. Exc, no mea proprio que
represento o governo imperial, e no dos chefes al-
ijados, em nome dos quaes Igualmeule fallava, Ihes
dava lodas as uarantias e seguranga, para execu-
go das propostas acceitas. Foi quanto occorreu.
De V. Exc affectuoso amigo e criado, Angelo Mo-
mz da Silva Gerraz.i8 de setembro de 186o.
t N. o.Os generaes alliados concedem.e admit-
iera as primeira e terceira eondiges sem restrie-
gao alguma. Quanlo a segunda adrailtera-a com
as segulotes restriegues : 1." Os offlciaes de qual-
quer cathegoria se rendero, nao pudendo sahir da
praga com armas, mas Ucando-lhes livre escolher
para sua residencia qualquer lugar que uo per-
prohibiu a todos os fiis, nao
ella, mas anda o prouiovel
quer maneira que fosse, fuirain
com. a pena de excommunho,
no pedera levantar.
Benedicto XIV" oonfirmou pe
esla justa e legitime senteoga ce condemnago-;- e
nao deixou de eibortar os pri
A' vista desie resultado aconseibava o Cbmmer-
cial a ereago, em- iiaia das pragas- daquell cida-
de, do um pedestal'oom um emblema ou un co-
lumna gne tornasse perdnravel a lerabranga da vi-
sita Imperial e as glorias da campanha emprehen-
dida. Devia este monumento ser construido eom
materias primas da provincia. Da execugo, pesia
a concurso; imcumbir-se-bia quera melbor tw4l!1wra0?'f.c?*w>^ *'
zisse o peur-araeiuo popular.
Ha algumas ideas diversas sobre oemprego da
quantia que fr obtida;,uns querem-que seja '
totum erapregada em festejos, que s6 deixam uina
agradavel le^branca, pausados alguos das ; ou-
tros desejam -jue baja divertimeutos, mas que a
maior parte da subscripeoseja appucada a levan-
lar um perduravel monumento, que transmuta as
geragoes futuras,.a visita, imperial, seus eneilos e
seus felizes resultados.
e XII, por suas le-
screveu esta seita e
i'o associarem.se a
i anima-la de qual-
mdo o contraventor
'-'-o pontfice roma
a sua constitsigo
cipes catholicos so-
las forgas e toda' a
sua soliouude para reprimir esi i seia tmmorali-
ma e defender a sooiedade con
mum.
Prover* ao co que- estes m
dado ouvidos s palavras do n
Provera ao co que n'um negoc
Uvessem obrado mais aotivamec
De certo-as nunca teamos t
ra o pengo cora^
narebas uvesseci
sso predecessor I'
o tao- grave elles
te I
do a deplorar tan-
guerras incendia-
acal mar,, o furor
fcssor, fertu com o
tenga ao territorio do Paraguay. Uruguayana. 1
de setembro de 1863, as 2 1/2 oras da tarde.-Pe- d
los chefes alliados, o ministro da guerra doimperio
do Brasil, Angelo Uuniz da Silva Ferraz.
t O vicepresidente da repblica em exercicio
do poder executivo. Buenos-Ayres, 27 de- seiera-
brode 1863 Ao Exm. Sr. presdeme da repblica
general em chefe do exercilo alliado, general D.
Bariholomeu Mitre.
tos movimeatos sediciosos, uaia.
: pas, que poaerara a Europa int ira em-fogo, nem
e* amargos males que tem exc alimentad e que
Na verdade a-idea felia, pois que vendo a pro ; perimeuta anda boje a igreja
viocia, antes do-dia sempee uiemorovel 16 de ju-j Mas consecrando se, looge de
llio, recoobecia se nella um desanimo, e- at urna do* maos, Po-Vil) nosso predec
descrenga na sua proverbial bravura, e-na neces- aaatnema urna- seila de origera r cente, o arbona
sidade de sustentar o renomedos aotepassados. &mo, que se liaba propagado rincipalraenie na
Porm, depois-que se vio o chefe da caoao acu- IM* e nflammado com. o mes no zelo, Leo XII
uju- ccftdeinuou, petas suas tetras ap istolieas,. oo s
dou de face, as dssenges polticas desapparece- as sociedades secretas que acab mos de mencio-
ram,.os partido oaJaram-se, e um nico pensamen- nar,.inas anda lodas as-outras de ijualquer do-
to preoecupou todas as ideas : coadjuvwoiwpera- nonunagao,. por. conspiraren cor. ra a igreja e o
is liis sob a mui
dov na sua patritica emjpreza.
-&-
H POliCO- DE Tl'UO.
poder civil, prubibiutas, a todos
grande pena de excommunbo.
Todava, esits-esforgos da Sa| ostoli'ia.no teem
tido o successe esperado.
Ai seila magonica de que latanlos, nao tem sido
O abaixo assignalo leve a honra de receber a O.sitio do globo mais frequentido pelos- tigres veraida, nem derrubada.: pelo :ootarto lera-se
parle de V. Exc. datada de 20 do corrente, eom os Dcontestavelmente a.ilhade Slngapoore,. nos liini- de tai modo de3envolvidov que a stes dias to dif-
rte 304D imponi-
acicoa.
em tornar a tra-
laivez clandes-
documentos juntos sobre a entrega da praga da tes da Asia e- da Oceania. ficis,.se esiabelece por toda a p
Uruguayana e rendigo da columna paraguaya que singular que urna localidade to povoada, e dade,.e levanta a.fronte mais auc
a oceupava, sem derramamento a-, sangue. cuja capital,! fundada apenas no principio deste Mos .temos peusado ha muilo
To plausivel acontecimento preenebeu os de- secoJo, veio a ser o enfrio da Oceania. e da Asia, lar desta materia, considerandos
sejos ao povo e governo argentinos, que nao pode- esteja sujeita alai flbgello ; porque de ordinario unamente criminosos, tramas, poc|eria surgir a fa!
rao deixar de agradecer Divina Providencia to' nola.se, nos lugares- selvagens onde se-ostende a
assignalado favor, e ao exercilo alliado to glorioso colonisag-lo, que as familias de feras s retirara e
e esplendido triurapbo. | al ebegam a dosapparecer completamente.
Ao retribuir a V. Exc. as Micitagoos que Ihe Esta ,e, Da0 ?e verific0Q em s,Dgapooro. At se
dirigen) o povo e governo argentinos, devo man!
festar-lbe que vemos em V. Exc. urna
sa opima) de que a. nalureza dest,
tensiva, e que esta instiluigo
seno soccorreo os homens, ajuda
de,, e nada ha- a. receiar della
Deus.
dix que antes de xnarem os ioglezss posse desta
garanta se- .|ha> em 133^ ^ estnvaa la' adunados os tigres,
gura de novos triumphos que desalTroularao a hon- ^^ termo ^^ na ura homein ^,0,^ cada S9 a|TaJla da ver ,
ra nacional ultrajada por um goveruo brbaro, e ^ por um (jare>
salvarao um povo irmo do opprobrioso jugo que
sobre elle pesa, inaugurando para sempre a paz do Um viajante naturalista escreveu. ao peridico ai-
Rio da Prata sobre as bases da justiga e do pro- ,emao de aclimagao de Francfot que as providen-
eresso. c'as tomadas pelas authorida-los e os premios esia-
Os gloriosos trophos que V. Exc. annuncia- Mecidos, lauto pelo governo eorao por urna socie-
bao de ser postados convenientemente para que re- dade de negociantes da iiha, e que sao de dez li-
bras por cada cabega de tigre, uo tera dado er
resoltado a destruigao desses aniroaes nocivos.
Quera, entretanto,, nao compre >ode quantc ella
sociedade cinc-fe
nBo Sera outro lim
os-na adversida,-
lara a. igreja de
cordera o merecimento dos valeoles que os alcau-
garam.
t Deus guarde a V. Exc. muitos annos.Paz.
Que quer paca si esta associaga > de bomons. per-
genies a todas as relgioes e a 1 das as crenyas ?
Para que essas. reuuies cland istinas e esse ju-
ramento to rigoroso exigido ao:
proraettendo-se a nuuca descobrii)
for tratado ?
Para que asta alrocidade insulina d& peaas t
castigos, a que votam os iniciados
rem ao juramento ?
Evidentemente impa e crira taosa
urna socie
uz 5 aquelle que
Ice a luz : quo
;o, as piedosas
na igreja caiho-
Segundo os relatorios do inspector de polica ea-
Da Restauracin escrevera, era data de 21 do carregado dos disirictos do norte e dj centro da dade ae ^5^ foge dj dja e da
passado, Tribuna de Montevideo : ilha, defronte da pennsula de Malaca, e que lem jaz Q (fa^ dz Q ap0S[o|(v aborri
Querido amigo.Hoje, s 10 horas da manhaa, ao mesmo terapo nas suas atlribuigoes dar coala anf^nm sao de ama uj associa
depois de se ter destribuido vestuario ao nosso dos accidentes causados pelos animaes,o tigre che-lsoceda(jes dos fiis quo Ibrecem
exercilo, marchou este rumo de Capl-Quic, onde ga-se sempre sua victima pelas costas e derriba-a |-ca ,
pensa acampar hoje o general. Temos, pois, duas \ batendo-lhe cora urna pata na nuca. A cabega dos Nea
leguas de marcha penosa pelos fortes raios do sol.' que sao levantados do chao descahe sempre sobre! a !ei qUe as rege ^iri ra |0 los C|arag tam_
Oexercito argentino comegou a passar o Ura- lalgam lado, como se os ossos do pescogo ficassem bem ^ as obras de caridad6 p, llicadas segu^
gaay; e creio que nossa marcha em procura de | completamente esmagados.
Barrios se nao far esperar. Comegamos urna no-
a doutrina do Evangelho.
Tambera, nao temos visto sem dor, as sociedades
Quaudo nao devora a sua presa no Inaar em
va campanha e nao duvidamos que o resultado ha qae a derriDa>0 llgre arrasta o cadver a'alguma catholicas desta uatureza, to sal
de ser tao glorioso como foi a tomada de uro- dslancia> COme della o que quer, e de ordinario s feitas para excilar a piedade e so<
guayana. vo|la vinle e qUJlro noras depois, quando outra vez serem atacadas e destruidas em
a O Imperador, como Ihe gommuniquei hontem, 0 apena a fome ou se nao lera encontrado nova vic- emquanto pelo contrario se anira
iniciados,, com-
nadadeque all
no caso, de falta
Veneraveis irmaos, nos experimentamos grande
pena e amargura ao ver que algumas pessoas,
quando se traa desta seita, reprovada pelas cons-
liluigdes de nossos predecessores, se mostram in-
dolentes e quasi Inerios, quando n'um to grave
asjumpto, as suas posigdes e o sen cargo exigiam
que se mostrassera a maior actividade I
Se algumas pessoas pensara que as constituirles
apostlicas, publicadas sob pena de anathema con-
tra e^as seilas oceultas, seus adeptos e fautores,
nao teem nenhuma forga nos paizes onde as ditas
seitas sao toleradas pela auloridade civil, esias pes-
soas, seguramente, esto em mui grave erro.
Assim, vos o sabis, veneraveis irmaos, nos te-
nios ja reprovado, e hoje de novo reprovamos, e
condemnamos a falsidade desta doutrina.
E, na verdade, esle poder supremo de apascen-
tar e dirigir o rebanho universal que na pes9oa de
Pedro os pontfices romanos receberam de Chrislo,
o poder supremo que devem excercer na igreja,
pode depender do poder civil T
Poder por qualquer razo o poder occlssiaslico
ser constrangido e violentado por elle t
:>estas circunstancias, pelo recelo de que os ho-
mens imprevidentes e a mocidade nao se dmxem
transviar, e pelo receio de que o nosso silencio nao
offerega alguma occasio de preteslo para o futu-
ro, nos temos resolvilo, veneraveis irmaos, levan-
tar a nossa voz apostlica, e confirmando aqui,
dianle de vos, as constituios dos nossos prede-
cessores, por nossa auloridade apostlica, reprova-
mos e condemnamos esta sesiedade macooica e lo-
das as sociedades no mesmo- genero, qiw nao obs-
tante terem urna forma difirante, tendeo para o
mesmo Sm, e que eonspiram. s*ja clara, s^jn clan-
desiinadaraenfe, ccolra a egreja on seus poderes
legitiraosre queremos que as ditas-sociedades sejara
lidas por proscriptas e reprovadas por nos, sob as
mesmas penas que so>especificadas nas con9rtlui-
goes anterii res-de nossos predecessores, e isto-aos
olhos de todos os fiis de Christo, de qualquer eso-
dlgo, cailiegaria e dignidade, por toda a ierra.
Agora nao nos resta mais j>ara satisazer aos ve-
tos e solicitado d nosso coragao paternal, seno-
advertir e excitar os fieis,.que estejam associados a-
seitas deste genero; de quedevera obedecer a mais
sabias nspirac/ies e abandonar esies funestos con-
cilibulos, alionde nao serem arrastados ao abys-
mo da ruina eterna ; emajOMMS a lodos os outros
tieis, cheio de selieitude pelas almas, nos os exhor-
tamos fortemen a poremso-em guarda contra os
discursos perlidos-dos sectarios-de taes sociedades,
que, sob ura exterior honeste, esto inftammados
de um odio ardente contra a re^io de Christo e
e a autoridade legitima, e que nao leera senao um
pensamenio nico,, a saber : derrubar todos di-
rei los divinos e humanos.
Devem saber que os afiliades em taes seitas-so
como esses lobos \\i" Christo rfcsso Senhor predis-
se viriam cobertor com palles de eordeiro para>de-
vorar o rebanho -r. devem saber que elles sao do
cantero daquelle* com quera-o apostlo nos pro-
hibi de tal son a- sociedada -aecesso, que elo-
quenlemente nos reeoramenda. que nem Ihe diga-
mos sequer: Avu-V
Faca Deus, llicoera misericordia, escutandoas
orages de nos todfcs,. que cem-o soccorro da sua
gjaga, os insensatos voliera a-raao, e que os bo-
oeos iransviados- entrera no aminho da juslici I
Faca Deus que depois da corapresso dos homens
depravados, que,.era auxilio das-sociedades cima
mencionadas, pralicara actos- impios e crimines os,
a igreja e a sociedade possara. repensar um pe uso
dos males to namerosos e ia-velerados I
Afim de que os nossos votos sejam ouvidos invo-
quemos lainoera a nossa Ao vegada junto a Seus
Ciemeniissirao. a Sanliss>ma '^rgem, Sua Mi lm-
rnaculada desde o seu nascirnecto a quem foi dado
o esmagar os inlmigos da igreja e os moasirc- do
erro.
imploremos igualmente osbemaventurados apos-
tlos Pedro <- Paulo, pelo glorioso sangue dos quaes
esta cidade foi consagrada..
Nos t-Mii >- a confianca de qus com a sua ajuda
o assistencia obteremos mais- fcilmente o que pe-
dimos a Bcndade Divina
N. I ( E'. o convite dirigido por E>ligarribia ao grete, volvendo pela mesmocarainho que trouxe. rase vingarem do animal.
FOLHETIM
0 DEMONIO DO JOGO
POR
HENKIftUE CONSCIENCE.
XI
(Continuagao.)
Oeronimo vio a alguma distancia um homem
com um candieiro na mo ; mas erara to eslra-
nhos os seus gestos e a sua physionomia tinha urna
exprcsso to extraordinaria, que nao saba se ba-
via de l-lo por creatura humana ou por urna illu-
so dos seus sentidos desvairados a mover-se em
distancia.
Mas ouvia sons confusos no corredor; parecia-
lbe que urna voz indistincta se lamenlava, prague-
java e depois pedia soccorro.
Pouco a pouco aproximou-se a mysteriosa appa-
rigo. De repente Gernimo reconheceu o criado
de Si mo Turcbi. Mas porque se torca Julio em
to horriveis convulses? Porque tinha o rosto to
horrorosamente contrabido? Porque Ihe sahiam
da bocea em sons to roucos amtagas e gritos de
raiva ?
Torrivei conviego caln na alma de Gernimo.
Julio tinha pedido ao vinbo a coragem necessaria
para levar ao cabo a obra que dt lie exiga a fala-
lidade. Eslava ceg pelo vinbo e caminbava amea-
gador para a adega para acabar sera d com a sua
victima.
Esta idea enchea por am instante Gernimo de
anciedade e medo; mas lembrou-se logo de que
acabava de ofierecer a Deus a sua vida em sacrifi-
cio expiatorio. Recuou, ajoelbou beira da cova,
e com um sorri-o nos labios e os olbos erguidos
para o co, espern o golpe fatal.
Ouvio Julio arranhar a porta cora a cbave como
quem procura com mo trmula o orificio da fecha-
dura. Tambem Ibe pareceu que a voz de Julio nao
segu viagem amanha a bordo do Taquary para jma-
Itaqui e S. Borja, e na volta ra de Itaqui para Ale- os habitantes aproveitam esta circurastancia pa-
ulares, to- bem
correr os pobres,
alguns lugares,
ja, ou pelo menos
se tolera a tenebrosa sociedade magonica, to mi-
miga da igreja e de Deus, to peri josa aasmo para
1 a seguranga dos reinos.
manifeslava colera, e que, pelo contrario, o que do
peilo Ibe sabia eram gritos de afllicgo; mas antes
de ter lempo para refleclir, abrio-se a porta e a
adega cnebeu-se de luz.
Julio poz o candieiro no chao, e como se estives-
se completamente exhausto de forgas, descahio so-
bre um lado, gritando supplicante :
Sr. Gernimo, valha rae I Estou envenenado I
queima-me o peilo um fogo devorador 1 Ai, tenha
d de mim I Pelo amor de Deus, livre-me desta
tortura I
Meu Deus I envenenado I disse Gernimo,
correado a elle. Que te aconteceu, desgranado ?
E' verdade, tens a morte estampada no rosto I
Esta noite Siraao Turchi deu-me aqui vinho
envenenado para abalar o segredo da sua morte.
Foi elle quem me deu dinheiro para Brufierio para
que o assassinasse. Elle quer casar com a lilba
do Sr. Van de Werve e acabar com a testemanba
que podena turvar-lhe a felicidade. Ah, o veneno
rsgame as entranhas 1
Has diz, Julio, diz-me o que posso fazer para
te alliviar o mal. Pobre martyr, que horriveis
dores tu soffres I
Assim dizendo, deixou-se cabir de joelhos ao p
de Julio, abri Ihe o gibao para Ihe desafogar o
peilo e dar-lhe o ar que pareca anclar.
Ah, meu Deus! pao, pao, vejo pao I excla-
mou Gernimo quasi doudo de alegra, agarrando
com febril precipitago o pi que Julio tinha raet-
tido no seio, e de que nao tornara a lembrar-se
desde que fatalmente adormecer.
GeroBKDererbsJjeciilo pela satisfago da sua fo-
me cega, j nao oumfts-lamentos de Julio. Com-
todo, logo que engolio alguns bocados de pao, dei
xou cabir o rosto e disse, pegando nrntaps de
Julio :
Deas te abenge 1 O Senhor todo podero?o te
pague no co este beneficio I Quero salvar-te. Mas
que preciso que eu faca ? Da-rae a liberdade e
en sabirei d'aqm, correado, Toando a procurar um
medico e um sacerdote. As chaves I as chaves I
Ai I disse Julio com voz fraca e desanimada,
o meu cruel assassino ficou com a chave da porta.
Estamos fechados... Mas eu nao posso morrer as-
sim, cun o fogo do inferno nas entranhas, sera
confisso, sem esperanga de salvago para a mlnha
alma! V ao andar de cima, senhor; chame, grite,
metta a porta dentro, quebr as grades de ferro das
janellas... Oh 1 chame em meu auxilio todas as
suas forgas e toda a sua intelligencia ; tenha d de,
mlm ; valha-me, valha-me I
Gernimo pegou nas chaves e no candieiro,
atravessou o corredor subterrneo e subi a es-
cada.
Brando crepsculo corava o oriente e no edificio;
coava urna luz duvidosa, que, para os olbos de Ge-
rnimo habituados como estavam escundade, ti-1
nba quasi o esplendor da luz do dia.
Convencido de que o estado de Julio reclamava
immedialos soccorros e excitado pela pressa, Ger-
nimo experimentou lodas as chaves na porta de
entrada do pavllbo, puchou por todos os ferr ahos
com febril e violncia, esforgou-se por arrancar a
porta dos gonzos, e empregou tanto ardor e zelo,
que emfim cabio fatigadissimo no chao, soltando
um doloroso suspiro, e por um momento tralou de
lomar folego.
Depois de breve descanso, ergueuse a pressa, j
abaneu todas as janellas, empuchou cora violencia
todas as grades de ferro, correu ao andar superior
e gntou por soccorro... Mas todos os seus esfor-'
gos licaram sem resultadoeo pavilho estava mui-'
to apartado das outras habiiages para poder espe- j
rar que alguem onvisse os sons da sua voz enfra-
quecida.
Correado como desesperado ou louco pela casa
para achar urna sabida, chegou cosinha, onde vio
dorna chela d'agua. A vista do claro liquido
arraueojhij ura grito de alegra. No seu enten-
der, a aguaNiWaem grande quantidade talvez
anda podesse amortecerS^ufflclenleraente a aegao
do veneno para conservar aV'da a Julio. Nao ha-
via outro remedio a ensaiat; e como era o ntjico
Esta pcesia do Sr. A. S. P., dedicada a distinc-
la actriz Adelaide Amara! :
La duuie ciarte soit benii I
(A. Musset.)
Mais bello que as ondas cerleas do ma-.,
Que a brisa da tarde, brincando entre flores,.
Mais bello qae as qneixas de temos amores-
Da rola nos bosques ssinha a chorar i
Mais bello que as vozes da fraula a gemer
Nos labios rosados do filho da serra,
Que a rosa ao sol posto vergando pta trra,
Que a aurora de esli seu pranto a verter ;
Mais bello que a noite cantando ao luar
Amores, ternuras, gentil philomela,
Que o ntido briho da vivida estrella,
Que a terna audormba pairando no ar ;
Mais bello qae a la boiando a luzlr
Nas lmpidas aguas, sereoas do lago,
Que a virgem formosa o'um pdico alfago
Fallando ao amante no co do. porvir ;
Mais bello que tudo teu genio inmortal.
Nos mundos dourados d'ess'arte fulgura 1
Mais alto te elevas, aurora futura,
Nas azas dos anjos a um mundo ideal I
raio de esperanga que podia luzir Ihe all, sorrio-
Ihe Gernimo como a urna inspirsgao do co.
Tendo enchido urna bilha de barro, correu cum
ella adega, pegou de caminho t o candieiro, des-
ceu a escada e chegou radiante ao pede Julio, que,
por assim dizer, j nao tinha forg s para firmarse
no cotovello, e que perguntava :om a voz muito
fraca :
Vem ura padre ? vera alg ro medico T Ah,
muito tarde ; o corago despeda seme no peito I
Bebe, bebe muito, disse-lhe Gernimo, pon-
do-Ihe a bilba bocea; a agua fresca abrandar a
inflammago das tuas entranhas.
Julio bebeu a grandes tragos; lepois affastou a
bilba com me e disso :
Obrigado, senhor; mas int til; en j tinha
bebido muita agua.
Mas bebe mais; pego-te que bebas, Julio.
Mais um pouco j bebe toda a que jossas beber.
Julio obedeceu machinalmente e despejou urna
boa parte da vasilha, al Ihe faltar o folego. Eu-
to poz se a respirar com esforgo, limpande com a
mo o suor fri que Ibe abrolhava na testa.
Eoto, Julio, que efTeito fez a agua ? pergun
tou Gernimo, pegando Ihe em una mo. Estaes
melhor, nao verdade T
Com efTeito, murmuroa Ji|ilio, sinto qae |
abranda o fogo no estomago.
Ah I anda ba esperanga I exlclamou Gerooi
mo cora alegra. Aoimo, Julio, e confia na mise-
ricordia divina. Quando nos fallara todos os soc-
corros humanos que o Senhor non coocede o sea
auxilio omnipotente.
Mas o coragao bate to fraco .. disse Julio,
suspirando ; correm me pelos mentaros uns estre-
Vou
norrer. O ve-
mec mentos tao estranbos...
neno far o seu efTeito.
Morrer I Pois ta has de morrijr, Jalio I E ea,
qae livraste desta fome medooha,
forgas para salvar-te T Qae hel
Deus ? que hei de tentar ?
Nao pense nisso, senhor, miJrmurou o mo-
no hei de ter
de fazer, mea

ribuodo; sinto bem que j* nao ha esperanga. Ah,
eu sou em parte a causa da sua infelicidade dos
seus crueis soffrtmentos; fui eu que o fu cabir
n'aquella cadeira homicida ; fui eu que quiz ma-
tar quem livrou do captiveiro minha mi cega I
Mas tenha corapaixo de mim 1 Beijo-lhe suppli-
cante as mos; nao v a sua justa maldigo com a
minha pobre alma alm desta vida I Perdoe-me I
perdoe-me I
Ah, nao digas Isso I disse, solugando, Ger-
nimo, que, com os olhos cheios de lagrimas era-
vados no rosto de Julio, segua os progressos da
agona. Se oo fosses tu, terme-ia tragado aquel-
la cova que all est abena. Deste-me a vida e eu
havia de negar-te o meu perdo? Isso nao; pedi-
r! por ti a Deas, farei por ti urna peregrinago,
farei obras de caridade para a salvago da tua al-
ma. Confia, Julio, confia na bondade de Deas.
Que posso esperar? disse Julio com a voz
quasi extiaeta. Tremo de terror pensando no jul-
gamenlo que me espera. Nesta suprema lata con-
tra a morte, terrivel a luz que me fere a vista...
Nao posso esperar oa misericordia de Deas; nao
lenho feito nada, mesmo nada para merece-la.
Nao sei que sombra rae oscurece agora a vista...
Jalio descahiu de todo sobre o lado ; rouco si-
do se Ihe desprendeu do peito como se a vida Ibe
desamparasse o corpo.
Gernimo passou-lhe am braco por debauo do
pescogo e ergueu-lbe a cabega, e como viu que os
olhos de Julio, apesar de embaciados e desvair-
dos, estavam pregados nelle, disse no tom da mais
fervorosa f:
Julio, escuta-rae I Tu dizes qae nao podes
esperar nada da misericordia divina I Eolio oo
le lembra que Jess Christo derramou o sea san-
gue para resgatar o homem escravlsado ? Mo sa-
bes que os aojos folgam ao cea todas as vezes que
am grande peccador por sincero arrependimento
escapa ao eterno inimige dos horneas e enlra
iriumphante no cn? Arrependes-te, nao assim T
Arrependes-te devoras T
Em ti vive a chamroa qoe om dia Radie I
Ao mundo aprsenla, de pasmo tomado ;
Caminbas cercada do fogo sagrado
Na fronte cingdo do genio oTaorel !
Da luz do talento da actriz Malibran
Um vate descreme sentio-se inspirad?,
E a mundos ignotos me simo elevado
Por ti, bella aurora, que brilbas loogm f
Na guerra do Praia continua aimirensa ingleza
a adoptar para com o Brasil am tom respeitoso e
impar.'al. mas em geral f ivoravel.
O lube presta mude aiiencaoaos -uccessos ai'
litares e moslra-se aaiiseito de ver qoe os gene-
raes brasileiro9 esto segulodo urna lctica segara
e que afinal deve ser bem succedida.
A guerra, observa com razo aiuella faina,
de honra e seguranga da parte do Imperio, qoe
nao pode mais reeuar, mas ames lera de leva-la ao
cabo sob pena dedescer da sua poslc na Ameri-
ca do Sui.
A utihdade da viagem do Imperador ao Bio
Graude do Sul ja revela pelo eailiusiasmo all
desenvolvido e pelo desapparecMnenlo de nwyjai
nhas rivalidades de partidos e e pessoas.
A > mesmo lempo ja se vai coobecemlo aa fogt*-
terra que por grandes que sejar os prepratelos
do Paraguay foram feilos por urna s vez, e o pri-
meiro reuei serio destara a Musa do poder ts
Lpez.
Xioguem Jivida, pois, que urna anpanha lio
brHhantemen* inaugura* ser ctrtt e deci-
siva-.
tentreanto sfc incansave! |ai os gantes bra-
sileros em mandar para au? forneeiiaeetos de to-
do o genero, sen que esle governo teob pesio al
agora o meoor embarago ao sea em barree.
Par* maior faci-dade o termo da guerra civil na
America do Norte deixou em dl-ponibilidad grao-
de copia de armas e roanigoes de qae o Lrisil pe-
der aprovetar se at onde Ihe convier.
Desde algura lempo os nicos adversarios de teme-
ro na imtrensa ingleaasooSr. Lbristiee o aeaattia-
do no Bio de Janeiro/ primeiro insistindo en me o
Paraguay a e deve ser o primeiro Estado do Prata,
aperar de victima da tyrannia e despotismo de La-
pez, e o segundo escrevendo. para o Gloe aa asta
guerra ceisurada por muilos du principa es-
tadistas braaileiros, que o goveroc j tem gaste por
aniecpaco todo o seu aroieciado impr^stinv. de
4 isilhes, eqee em Pernambuco su
urna iQsurrjJeo.
>oo^-
Eaerevem de Mangarit-ba em 12'da correm- ao
Jorr.al do Corwtercio da ?0rte o gnmij :
Proseguem oeste municipio com Soavavel a4v-
dade os trabal'w necessarios para a realisagc 1>
fio elsetrico, que partir da corte ao !Wo Grand-td
Sal, devidu iss-> aos perseverantes %tvreu 4o Sr.
Dr. Dontiugos M^nieiro Patxoio juc municipal do
termo que rtajaftjmm, logo aaaj a chrgada *a 3r.
Dr. Capanema, por convidar as pessoas mais iota-
veis do lugar para urna reuaio quo se venaron
00 di'i.7. do crrante.
v r. Dr. Penlo pedio a coadjovieo de todos,
consegjxndo iic--* occasiudoativos-a mperta
ca de 7UO.que o mesmo saadoo entregar aa-dt-
legadode policio
A imba telegraphica oes municipiacomorAe!-
de cerca de oito leguas, c* rujo prtparo, anda,
elevaeo de esteios, e tudo o mais qoe mi execv.go do fin.elctrico, nnrirr pmi 111 m lu
baro da Sahy, Francisco Dias Carmso, Joc-Kas
Cardal, ll-nri.jue JJM Trteira, Carlos Aamaw
Pimeuta, Francisco Margal Coelho, Jao Fraacsco
Boodcu, Manoel ii^nediclo Vasconeollos, AaaoaJo
Jos 'Seixeira e alguns- outros qne tamben eoaeor-
renv
Por aqui se v que o Ettado quasi nada vira a
despender nesle municipio com este importante ra-
mo do servico publico, grabas aos estoreos do Sr.
Dr. Domingos Mooteiro Peixoto e daqaellas outros
cidados.
L-je no Crvelo Mercantil o seguale :
Dos bancos da nossa escola de marinna sabiram
faasi todos os bravos odlciaos da arroada que lo-
maran) parte na glorioso feil> naval da II a ja-
nbo, no Itiacbaelo ; a escola de marioha, pois, re-
metteu o Sr. conselheiro ministn da inariaka
para all ser tropheu de victir 1, a ,andeira par-
guaya, que fora lomada paf amMll daquelleecm-
bate, bem como um barmetro.
E o Sr. chefe de diviso Pereira Pinto, directa*
daquella escola, maodou collocar. Unto a baadain
como o barmetro no salo do dorel, naqmtmt
tabelecimenio, formando ura singelo trophsa aj
urna das paredes laleraes.
Como annuncou um lelegramma paburada ba
dias, S. A. H. a infama D. Isabel, espc-i da aeada
de Pars, leve no dia 28 de setembro ulumo sea
bom successo, em York House Tev/neibam.
Eslavara lora do quario da real partartaalf. es-
perando que ella se alliviasse, o conde da PrK, o
duque e a duqueza de Chartres, o ou.jo* de Alea-
zoo, o principe e a princeza de Joiaville. o daqoee
a duqueza de Aumale, o principe de Conde e o du-
que e a duqueza de M mipen-ier.
Assisliram a condessa os Drs. Prieslley, fiarasM
e Serrano.
S. A. H. e a infanta recem aascida pauambem-
A crianga recebeu o nome de Mara Amelia luiza
Helena.
Julio fez com a cabega um sgoal afirmativo.
Ab, exclamou Gerooimo, se nao poaso sai var
o leu corno da morte, deixa-me ao meaos defen-
der a tua alma dos medonhos tormentos da eterai-
dade. Podesse eu pagar assim o beneficio qae la
devo I Julio, se apronvesse a Deus alongar a toa
existencia, renunciaras ao mal, a entraras een
firmeza e boa vontade no caminho do dever da
virtude ? Dizes que sim ? Bem I Imploras a 1
ricordia do Senhor, nao assim ? Confias
gota ve I ibesoaro da sua bondade. Bem, JoJm; ar-
ge para o cu os teus olhos moribuados; dirige a
teu ultimo pensamealo para aquelle qae toda a
misericordia e deixa com plana coodaaea voar ma
alma ao tribunal supremo. J do alto do co Deas
sorri ao peccador arrependido t
Muda mas serena exprs* le esperaaea irra-
diou no rosto de Julio, qoe se esforeava aar ar-
guer para o cu os olbos vidrentos
Salvo I salvo 1 esta salva a saa aba! ex-
clamou Gernimo, eslremecendo trii
alegra.
Leve convulsao agitou os membros da Jao -
dos os seus membros foram de ropaaiii _.
de paralysia, a cabega cabiu-lbe sem torga 1
hombro de Gernimo e elle marmrea ma vas
quasi intelligivel, soltando o ultimo suspiro:
Misericordia, mea Deas !
Morto I est morto I Receba a toa alma a
mea beijo fraternal, como consoiaco
jomada I E que esle signa! de recoociliacao l_
na balanga da eterna jastica.
Inclinou se sobre o mono; "w, coma m me |a-
vasse as ultimas forgas o camacio do cadavar, m-
ve-o abragado por am pouco, debrocado Mira ala.
Nenhum dos seos membros se mona; as aranas
descabiam-lbe inertes e os seos 1
fechado, como se saa alma ih
para o cu para acompaaaar 1 alma aa. _
ao tribunal da Daos.
(Caa/nMMr ar-4a)
PERNAMBCCQ -T\ J. Dg M. f D| f, 4 mJBS


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E661H3MD4_SJK1LN INGEST_TIME 2013-08-27T22:14:00Z PACKAGE AA00011611_10809
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES