Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10807


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO 1LI, ROMERO 250.
Pr quartel pago dentro de 10 das do 1, mez i i #
Ideni clepo/s dos i." 10 dias do comeco'e dentro do quartel....
Ptrte ao eMfeo por tres ueies .......", t*t .
TERCA FEIRA 31 DE OUTDBRO DE 1865.
1/ mez
19|OOf
spot
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o 'r. Antonio Alexx)drfno de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemns Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Marauho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Har, os Srs. G Filhos; Amazonas, o Sr. Jerotiymo da Costa.
ENCARREGADOS BA SUIISCRIPCAO DO SOL
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinhu. I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Onda, Cabo, Escada e estacos da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Rezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Rento, Bom
Conseibc. ^guas Bellas e Tacarat, uas tergas
feiras. w
Pud'Alho.Nazareth, Limoeiro. Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouri:ury, Salgueiio eEx, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Reanlo: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Seguuda vara do civel: quartas e sabbades a 1
"hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE OUTUBRO.
4 La cheia as 8 h., 11 m. e 46 s. da t.
II Quarto ming. a 1 h., 2 m. e 22 s. da t.
IB La nova as 2 h., 7 m. e 52 s. da t.
2? Quarto cresc. a 1 h., 30 m. e 16 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
30. Sepnnd. S. Seraplo c.; S. Victorfo m.
31. Terca. S. Quintino m.; S. Lucila v. m.
1. (Joarta. cfti Fesia de Todos os Santos.
2. Quinta. Ss. Tobas e Victorino mm
3. Sexta. S. Malaquias b.; S. Herberto m.
4. Sabbado. S Carlos Borromeo are. de Milo.
5. Domingo. S. Fabricio b.; S. Lito presb.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ni at Atoenas a 14 e 30; nara o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Femaa-
do uosdias 14 dos mezes de jaoeiro, margo, sato
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praga da Ifrlependeiy-it
ns. 6 e S, dos propietarios Manoel f igueiroa d*
Faria & Filho.
Os Srs. assignantes desle Diario, que
se acharo em debito das respectivas assig-
natnras, qtieirarn mandar realisar o paga-
mento dellas antes do fina do mez; e aquel-
es que moram fora desta ciJade, tenham
a bondade de dar aviso de quaes sejam
aqui os seus correspondentes, aim de ser
solicitado esse pagamento dos mesmos, a
quem daro ordem para isto, visto como
alguns pretextan! a falta dessa ordem.
9FFICIA1
Expediente do dia 27 de oulubro de 186o.
OIBcio ao marechal do campo commandante das
armas. Mande V. Exj. lisiar no quinto rorpo
de voluntarios da patria, a Amonio Manoel Calado,
Florencio Jos da Silva, Manoel Joaquim Soares,
Agoslinho Ferreira Cabral, Manoel Soares Quintas,
Evaristo Ferreira da Silva, Manoel de Barros Ta-
xeiro, Manoel Felisberto e Jos Bento di Silva Va-
lenga, devendo este ultimo ser agregado aquelle
corpo com destino aoque esl organizando o leen-
Ce-coronel Luiz Paulino de Hollanda Valenga.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que pede no incluso requerimenlo o
voluntario da patria, Francisco Ignacio Camello
Pessoa.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requerimenlo Jos
Maria Seve.
Dito ao mesmo. Fago apreseniar a V. Exc. o
guarda nacional Manoel Theuphilo dos Anjos, alim
de ser alistado como recruta do exercilo
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que no incluso requerimenlo pede Jos
Jlygino de Souza Peixe.
Dito ao inspector da thesooraria de fazenda.
Em vista dos prets juntos em duplcala, e nao ha-
vendo inconveniente maude V. S. paitar ao sargen-
to commandaote da escolla que conduzio de Goian-
n.i para esta capital, os guardas uacionaes, Joo
Severino Bino da Conceicao, Joo Jos Roberto e
Francisco Jos Dantas, destinados ao servig > da
guerra, o qual foi para esse lim indicado pelo com
mandante superior Interino d'aquella comarca, em
okio de 2o do correnle, os veticimentos nao so da
predia escolta, mas tambem dos mencionados
guardas. Communlcou-se ao commandante supe-
rior de Goianna.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. a relago
junta em duplcala, coberta com odelos dos com-
mandanles do presidio de Fernando e do destaca-
mento all existente, alim de que nao liavendo in-
conveniente mande pagar,conforme solicitou o ma-
rechal commandante das armas, em oicio n. 1917
de 19 do correte, as gralilicaces e presiages de,
engajados correspondentes ao exercicio de 1864 a
1863, e a que lera direito o buspeQada Joaquim da
Coueeigo, e os soldados Manoel doi Anjus Lima e
Manoel Jos Soare Guimare.-, lodos do 4o bata-
lhao de arlilharia a p e presememenle destacados
n'aquelle presidio.
Dito ao mesmo.Estando em termos as 5 inclu- i
sas comas documentadas, mande V. S. pagar ao
gerente da Companhia Pernambueana, que assim o
solicita em oflicio de boje, a qu&nlia de 10:39494
rs. provcuiente de transportes de carga e passagei-
ros nos vapores d'aquel'a compauliia, por coula do
ministerio da guerra, marintia a jutiga.
Dito ao inspector da thesooraria provincial.
Estando em termos o prel junto em duplcala, e
nao havendo in-ouveni. me, mande V. S. pagar ao
sargento Guilherme de'Souza Guido, conforme so-
licitou o commandante superior da comarca de Pal-
mares, em oflicio de 24 do correnle, os veucimen-
tos a contar de 10 de setembro al 16 desle mez,
das piaras da guarda nacional destacadasu'aqueila
villa.Commuoicou-se ao commandante superior
de palmares.
Diio ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Oliuda e Iguariiss. Em deferimenio ao
que requereram os guardas uacionaes do balalho
i). 11 de infamara do municipio de Iguarass,
Umbelioo Antouio da Silva e G-rmano Antonio da
Silva, acerca dos quaes informen esse rommaudo
superior, em dala de 26 do correnle, mande V. S.
despensa-Ios do servico at quo se rena o respec-
tivo conselho de qualnicago.
Dito ao cominaiidante superior da guarda nacio-
nal de Sanio AuloDelerrado o requerimenlo do
guarda da oitava compaulna Co balalho n. 23 de
itifantana do municipio de Sanio Aulo, Joaquim
Ferreira de Mello, sobre o qual informou es>e
commando superior, em data Je 16 do correte,
acabo de o despeosar do servico da guerra, para
que foi designado por ser casado e com lillios, e
recommendo a V. S. nao s que o mande substituir
por outro, como tambem que laca completar qnan-
to antes o contingente da guarda* nacional destina-
do aquelle servigo.
Dito ao commandante soperior da guarda nacio-
nal de Garanhuns Respondendo aoseu olllcio de
12 do correnle, sol) n. 106, lento a dizer que deve
V. S. entregar o diuheiro que existe em seu poder,
ao guarda que apreseutou substituto e que aquelle
deve ser chamado para o servigo para que foca de-
signado se o substituto ausemar-se e nao der elle
oulro. ,
Dilo ao leneute-coronel Coriolano Vellozo da Sil-
veira.A bem do servigo publico tenlio resolvido
desanojar a V. S. : o que llie declaro para seu co-
nhecimento.
ueiro da Cunha o Albuquerque, resolve conceder-
Ihe vate das de licenga corn ordenado na for-
ma da lei, para tratar de sua sade fra d'aquelle
termo.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
ta o que requereu o seguodo escripturario da the-
souraria provincial, Manoel Pereira da Cunha, e
bem assim o que a esse respeito informou o res-
pectivo inspector, em oflicio de 25 do correte, sob
n. 432, resclve conceder ao mencionado escriptura-
rio dous mezes de licenca com venciraentos nos
termos do ari. 49 do regulamento da mesma the-
sourana.
Dita.O presidente da provincia resolve de con-
formidade com o disposlo no decreto n. 3383 de 21
de Janeiro desle anno, designar para os corpos de
guardas nacionaes destinados ao servigo da guerra
os olliciaes abaixo mencionados:
Capilaes.
Joaquim Francisco Beim do balalho n. 19 de
Natareth.
Joo Luiz Googalves Ferreira do batalhao n. 39
do Cabo.
Manoel Brasilioo de Azevedo Cmara do batalbo
n. 11 de Iguarass.
Joao Dourado da Costa Azevedo do batalhao o. 11
de Iguarass.
Andr Arsenio Pereira Brando do batalhao n.
47 da Boa-Vista.
Manoel Ilyppolito Lima Jnior do batalhao n.
47 da Boa*vista.
Jos Jannario Correa de S do batalhao n. 27 do
Bonito.
Egidio Francisco de Paula do balalho n. 12 de
Goianna.
Jos Thoinaz Cavalcanti Pessoa do baialho n. 4
do Recife.
Vicente de Araujo Pinheiro do batalhao n. 51 de
Pao d'Alho.
Alfonso de Albuquerque Maraohao do batalhao
D. 41 de Ipojuca.
L Jos Francisco Pereira da Silva Jnior do bata-
lhao n. 8 de Jaboatao.
Tenente.
Ernesto Ferreira de Barros Campello do batalhao
n. 39 do Cabo, i
Manoel Rodrigues Ventura do batalhao n. 14 de
Goianna.
Absalo Moreira da Cosa do batalhao n. 52 do
Ex.
Braz Carceiro da Cunha Albuquerque do bata-
lhao n. 51 de Pao d'AIno.
Bento Moreira de Albuquerque do batalhao n. 36
do Brejo.
Jos Antonio da Gama do batalhao n. 31 de Ga-
ranhuns.
Antonio Raptisla de Mello Peixoto do baialho n.
28 de Garanhuns.
Joo Laurentrao Cavalcanli de Albuquerque do
baialho o. 23 de Santo Aniao.
Jos Mara Pereira da Cunha Jnior do batalhao
n. 6 do Recife.
Manoel Juvencio Bezerra de Menezes do batalhao
n. 4 do Recife.
Joo da Cosa Nogueira do batalhao n. 51 de Pao
d'Alho.
Joo Moreira da Cosa do batalhao n. 52 do Ex.
Alteres.
Jos Genuino Ferreira do batalhao n. 39 do
Cabo.
Pedro FernanJes da Silva do batalhao n. 39 do
Cabo.
Luiz Cirios da Fooceca Pinito do batalhao n. 11
de Iguarass.
Hermenegildo das Virgen* Lima do batalhao n.
II de Iguarass.
Henrique de Barros Cavalcanti do batalhao n. 5
do Recife.
Antonio Nunes Lopes de Barros do batallio n.
47 da Roa-Visia.
Domingos da Silva Saldauha ( secretario ) do ba-
talhao n. 49 da B'>a-Vista.
Jos Alves Marinho Falcao (secretarlo) do bata-
lhao n. 35 do isrejo. *
Joo Goncalves batalhao n. 3o do Brejo.
Manoel Antonio da Costa do batalhao n. 45 de
Barreiros.
Ernesto Emiliano da Silveira Lessa do batalhao
n. 46 de Agua Preta
Jos de Mallos Rangel do batalhao n. 46 de Agu
Preta.
Apolinario Pinto Correa do batalhao n. 28 de Ga-
ranhuns.
Antonio Lopes Muniz do b3talhao n. 27 do Bo-
nito.
na tarde do dia 30 do prximo passado, pertnitlio-
nos receber aqui na manha de 2 do correnle a
mala do Brasil, a qual leria alfas sido destribuida
um dia mais codo se esse nao fora domingo em
que neste paiz nao ha servico de correio.
As noticias do Brasil publicadas pela imprensa
de Londres foram muito favoraveis a nossa causa,
e a narraco dos nossos feitos sobre o Paran e
Uruguay produzio aqui o mais salutar effeito : os
jornaes asseveram ja que a campanha do Rio da
Prata pode considerar-se fioda, em con^equencia
chmond, na vizinhanga desta capital, onde residir
algiim lempo.
El-rei D. Luiz e a rainha Maria Pia eram espe-
rados em Soulhampton no dia 6 do corrente, pro-
cedentes de Lisboa que jinham deixado 3 a bor-
do da fragata a vapor AflndWio, sendo seguidos pe-
las crvelas a vapor S jan Bandeira, e Sagres. O
tefegrapho acaba pormj de annunciar que suas
magesiades fidelissimas irribaram a Vigo. e que
segnirain por l'ontevedr e Irun para a Franga ;
seria esta mudanga mol rada por incommodo que
Invado a effeito com a corte de Roma a substitu-
gao das tropas francezas pelas pontificias comega-
venficarse as fronlelras. e que os France-
ria a
z-s Iriam concentrarse em Roma, Vilerbo e Civita
Vecchia.
- Mr. Merode est gravemente doente.
provincias da Italia. A circular eleiloral do minis-
tro do reino o Sr. Natoli causou a melhor impres-
so; os jornaes liheraes approvam aqoelle docu-
, muto, quasi sem reserva, e pode-se dizer que o
das snecessivas vantagens obtidas pelo Brasil e seus sonressem aquelles alto: personagens? Ignoro com- ministerio Lamarmora alcancou o seu primelro
alhados; agora se espera peto prximo paquete a : pfetamente qual haja si< o o motivo dessa mudan-|triumpho; conseguindo congregar todas as opi-
nova da (ornada de Uruguayana, com o que (era ga; sei porm que suas magestades tenclonam vir I niSes liberaes contra o partido clerical e reaccio-
terminado a invaso do Rio Grande. aqu mais tarde, e mesmp que el-rei D. Luiz assis-1 naro.
A primeira prxima vaotagem que nos resultou Uva em Shverbuners ao exercicio de arlilharia que A circular do governo pede a
nesta praga dessas noticias foi subir o nosso recen-
to emprestimo, cujo premio por cada apolice ele
allj ter lugar. E' provavel que suas magestades eclesisticos, e a discusso do
quasi impossivel. Este estado de eoisas ohriga o
proprietano e o rendeiro a fazereo ao MNBi
apenas os melhoramenlcs oecessarm.
A emigrago para os Estados-L'aidos le*k ha
muito a deminolr a concurrencia entre oa recd i
ros, mas proporgo que os agrcolas ten abado-
- A agltacao eleiloral mamfesta se em todas as nado a Irlanda, outros operarios prooira aquella
territorio mas cheios de ardor, e preparado* para
a lula armada, em virlode do tirocinio alcanzado
na recente guerra americana.
Esies veteranos americanos, sao (otros lautos
Ojiados na seita fenianlsla; suppe-se que sao diri-
gidos por chees occullos, e que projecum pUous
tenebrosos.
As ramificagoes desta associago abrasena a*
li?.* t 7.e! I grandes agglomeragoes indusinaes ta Uglaierra,
portuguezasesperempeloregresso da rainha Vlc- respei.o dosVonventos; foge de B\ l a! JdS da mifs ac^vanronaanda e nnd^del,
vou-se a 4 tf, aehando-se porm com 3 V, da toria de Balmoral a Windsor, afim de chegarem ment da idea nacional, como consignen no seu desembarcar oar d,,
i consequencia do banco aqu. em o. sio do se avistaren.. O conde d manifest o partido presid or Mr. d'Azeelo. ZEta" ,!$ees os anTiJ soblail^qu le"
pouco no novo mun ).
va.ce ^ -J adoptadas nesu coojunctura pela
va se 0"POe. Graa-Bretaoha parece que se trata de remediar o
,m^,!?.L rT!!aSce'IO,"[S d marqUez 'na'P^a represso; quando a Irlanda quer dis-
em oe Azeglio e do conde de S. Martmho, appareceu o fruelar nacilicameni Ha na hher.i^.u reniir.. -
Balmonal, e creio que nflo regressar d'alli antes do Sr. Ricasoli, em urna carta dirigida pelo amigo '
de Inglaterra ter elevado a sua taxa de descont
a 6 % as prximas noticias do Brasil ho de pro-
vavelmente influir a bem desses e de outros nosso<
fundos. Os de 5 / licam a 95, e os de 4 # % a
70 com o dividendo pago. Na minha ultima carta
disse por equivoco que a somma levantada pelo
lona oe tiatmorai a windsor, alim de chegarem ment da idea nacional, como consignou no seu desembarcar nara <
aqu era occasio do se avislarem. O conde de La- manifest o partido presidido por Mr. d'Azeglio. condados irlandezes"
vradio e esperado nesta corte com toda brevioade, Suppoe se em alguns circuios que esta circnms- javam ainda ha uouen
sobretudo agora que S. Eic. lera de receber aqu o Ueta devida pouca forga de que o ministerio Pelas medidas adoi
seu aogusto soberano : esse diplmala
em Lisboa no goso de urna liceugi.
Sua mageslade a rainha permanece a
nda
Brasil neste mercado fra de cinco milh5es esterli-1 de 25 do correte. principe e a princeza de Gal-1 ministro associag) liberal de Flcreng; em que
nos nominal, e por isso recllficarei dizendo que les tambem se acham na Escossia, e a fra o prin- presa a ronciliagao dizendo porm que a'opporlu-
essa cifra effectiva, correspondente porm a um i cipe Alfredo, a rainha Victoria tem actualmente Juo-, nidade de recuperar Veneza se nao podia esperar
capital superior in Roaunr, o qual creio andar por lo de si toda sua real familia. por muito tempo mas que era necessario ter pa-
0 herdeiro da cora ingleza.habita na Escossia ciencia ; quanto a Roma, diz que, denois da con-
o seu palacio de Abergildie, que fica situado perto vengo, nao a Italia que deve ir all; mas sim
de Balmoral ; e recebe nessa residencia grande nu-
mero de convivas, entre os quaes figurou ha dias
| O principe Amadeo da Italia que fra viajar na
Escossia. F.-te joven pnneip-, que o segundo 0
seis milhes e trezentas mil libras pouco mais ou
meiins.
A amortisago tera' lugar por meio de I por
cento aoanno sobre lodo o capital, e medanle o es-
pago de 37 annos em que deve expirar o dito em-
prestimo.
Essa operago flnanceira que alias nos custou
um prego bastante oneroso em virtudedas cir-
cunstancias em que nos achamos, seria hoje ainda
mais onerosa se tivessemos de a comegar, porque o
descomo do dinheiro esl mais elevado e com ten-
dencia para maior caresta
Assim, pois, ha sempre urna circunstancia que
alliviar a sorte do opprimido, sendo que com effei-
lo nos achavamos em circumstancias indeclinaveis
quanto celebrago do emprestimo que acabamos
de contrahir. Deus queira que urna paz gloriosa
nos venha collocar na posigo de por economas
bem distribuidas pdennos equilibrar os sacrificios
pecuniarios em que o nosso thesouro tem entrado.
A i-onfederago Argentina nao appareceu por
emquanlo com o seu novo emprestimo; sou porm
informado que o Sr. Rieslra tem negociado j essa
operago com a casa Baring 4 Irmos, esperando
apenas por urna boa occasio para laucar o em-
prestimo no mercado : os fundos 6 / de Buenos
Ayres ti can. de 86 a 88
Os consolidad* lucieses 3 %> eslo a 89 '/i- Ren-
da franceza 3 % 68 frs. 50 c. Portuguezes 3 /. 46
X. Hespanties 3 / 47 }{. Italianos 5 /63 l/g,
Grego.s 5 /, 20 ^. Mexicanos 3 % 25 %. E tur-
cos 4 / garantidos de 100101.
que
Roma que deve vir Italia.
O
partido mazzinisla publicou tambem o seu
programma no Dirilto, e pede ao paiz que se li-
berte de toda a sujeigo da Franga, e aconselha a
Iho de el-rei Viclor Emmanuel, acaba de regressar ir a Roma de urna maneira diversa do que a vota-
a Londres, acompanhado pelo marques de Azeglio gao, e nao quer conquistar Veneza de outro modo,
e depois de ter visitado Bermlmjham, Manchester Carias de Roma afflrmam positivamente que a
e Liverpool, que como sabido sao osgrandes cen- visita do deputado italiano Boggio aquella cidade,
os manufacturaros desle reino. Sua alteza real nao livera o menor carcter offlcial. sustentando
a Blgica e outros
para
percorrer anles de re-
tro
seguir brevemente daqu
pontos, que ainda tem de
gressar a Florenga.
Os jornaes de Londres haviam annuncado que
lord Palmer-too se achava gravemente enfermo com
um ataque de goula, molestia alias qual esse es-
tadista sujeilo ha muitos anoos. A verdade que
o primeiro ministro da rainha Victoria esteveal-
gUm tempo enfermo, mas sem gravidade, achando-
se agora restabelecido e prompto para entrar bre-
vemente em novas e aturadas lides parlamentares.
Parece que o parlamento irilannico ser aberto no
decurso prximo mez, visto como lem de proce
der a verificagao dos seus poderes antes dse cons-
tituir em sessao ordinaria.
A opposigo tenciona impugnar muitas eleiges,
conlra as quaes allegara' o fundamento de votos
subordinados : o ministerio parece todava nao re-
cejar essa guerra, que nao passara' de um desa-
fecto de um partido vencido.
rJjOs radicaes fallam sempre da apresentago de
menor carcter offlcial, sustentando
que se nao deve ligar em grande alcance s con-
ferencias que elle tivera com S. Sanlidade e com
os seus ministros.
O nosso algodo do Maranho e Pernambuco um projecio de reforma eleiloral, sem quererem
lem obtido procos mui favoraveis, fleando de 23 }i : todava entrar a esse respeilo em compromisso al-
d. a 25 d. por libra; e o de Macei e Babia tem si- gum com o governo. Lord Palmersion ser entre-
do vendido a 22 d. X por libra. Em Liverpool esse | lano obrigado a formular a seu programma acer-
artigo lem sido ltimamente objecto de grandes es
peculagoes, dando causa elevago da laxa do des
cont pelo banco de Inglaterra.
Caf do Brasil de primeira qualidade de 70 s. a
80 s. per cwi; dilo de segunda de 63 s. a 69 rs.
e ordinario de 50 s. a 62 s. per cwl.
Cacao do Brasil de 37 s. a 60 s.
Assucar branco de Pernambuco mascavado de
21 s. 6 d. a 25 per cwl. Dilo branco da Baha 24
s. 6 d. a 28 s.; mascavado 21 s. a 24 s. per cwl
ou 112 arralis ioglezes.
Couros seceos do Rio de 6 d. a 8 d. 1/2 por li-
bra ; e salgados do Rio Grande de 3 d. 7/8 a 5 d.
1/4 por libra.
As aegoes da estrada do ferro do Recife tem me-
Ihorado algum lano por baver a directora pago o E' pouco mais ou menos
ultimo divideuto cnido ; ehas se acham a 1 abunda muito em recrin)
por apolice.
As da Bahia eslo de 13 a15: e as de S.
Paulo de 17 a i8, sem que a noticia da aber-
tura desta liniia no da 7 de setembro honvesse be-
neficiado essa qualidade de fundos colados nesta
praga.
As aeges do London & Brasilian Biuk acham-
se com o premio de 4 a 6 por cada apolice.
Na ultima quinzena houve o segrate movunento
martimo entre este reino e alguus portes do Bra-
sil e vice-versa :
De Pernambuco O/inda (23) a Liverpool; da Ba
hia Loliian (29) a Cleyde ; de Pernambuco Htm- cho do conde Rossel.
|ie hoje aqu
nle nao pode
de gran
mais ser
piar o ministerio nessa
i ca dessa queslao poltica, q
de vulto e que por consegu
adiada.
O partido conservador ap
queslao, se eslo for modera* o no seu programma'
fazendo apenas as classes njedias aquellas conces-
soes para as quaes, em materia de sulragio, ellas
se acham rasoavelmenie preparadas.
Mr. Brighl e seus adiierentes pediam em favor
das massas o sulragio universal, mas perderam
como sempre seus e^forgos, por que o paiz nao esla
disposlo a tanto.
Na Gazela Oficial de Londres appareceu ha dias
o despacho do conde de Rus
matines da rainha acerca da
a
mina
da Prussa e Austria, mas
por que essas potencias sal.e
sero allacadas pela Gra Brdtanlia apezar da lin
guagem de Lord Russell. A opinio publica aqu
nao d igualmente importancia alguma aquelle do-
cumento, por que esla habituida as fanfarronadas
desse miuistro da rainha.
Assun, pois, a sorte dos ducados continuar a es
tar a merc da Prussa e Austria, sem que estes
dous gabinetes se importera com o que a tal res-
peilo possa dizer o gabinete da rainha : tal a nen-
huma iufluencia que tem produzido aquelle despa-
politica, sahindo da miseria profunda e absoluta
em que tem (.ermanecido.
Para cumulo da miseria deseovol*eu se um i
grande epizootia nos gados de toda a Irlanda.
Dizia-se em Londres que no Cnida eVveria
recentar prximamente u.n movim-ni i eniano.
O manifest da sociedade dos r-oianos em
Spriogfrld, dirigido ao povo dos E?UJos Laidos,
um documento muito importante :
Os nossos irmos da Irlanda (diz o manifest)
esto organisados de orna maneira muito soperior
a lodas as domis nagoes opprimidas. Em quant.
se eslabelecer um governo provisorio, oro exercilo
de dusenios mil homens ir apoiar os cflkiaes ame-
ricanos irlandezes, que tem servido com d:-nnrc>.
n > nosso exercilo. E-les offlciaes parliram sileo-
cujsameole para a Irlanda, afim de t. mar a direc-
go das operagoes activas que ho de comegar
muito antes do que se suppoe.
De que se carece
A Patrie desmente que o deputado Habano Bog- agora de armas, para nos acharmos babilliado* a
gio tivesse entregado ao santo padre urna carta au-'
thographa de el-rei Vctor Emmanuel e que a sua
viagem linha um carcter poltico.
Entretanto consta que o Sr. Boggio fora por de-
ferentes vezes recebido pelo papa c pelo cardeal
Antonelli, e acrescentase mesmo que aquelle de-
putade julga favoravel o momento para renovaren)
as negociagoes inlerrompidas entre Florenga e
Boma.
O governo italiano nomeou ltimamente 32 se-
nadores.
O general Menabrea appresentou ltimamente
um projecto de defTVsa, cojo lim o estudo da li-
nha dos Apeninos. Diz-se que do lado oppoto ao
Mincio nao existe inaegao e que a Austria prepara
secretamente as suas pragas de guerra, aperceben-
do-se desle modo para as eventualidades futuras.
O que se tem escrpto sobre os desarmamentos dos
exercitos italiano e austraco, urna simples med
da de occasio. A Italia e a Austria preparam-se
incessantemente para acontecimentos, que se nao
podein ainda prever, mas que se julga geralmente
nao poderem ser evitado n'uma poca mais ou
menos prxima.
Em Turim por occasio das festas do aniver-
sario dos acontecimentos que occorreram n'aqnella
cidade em setembro, as autoridades italianas em
virtude das orduns resolvidas pelo governo derano
um novo tesiemunho de consideragao e de respeito
pela vontade nacional. As circumstancias eram
criticas; havia apenas decorrido um anno depois
d'aquelles acontecimentos, e as opinies excita-
vara a em presenga das recordages d'aquella po-
ca. O partido de acgo, e os descontentes de to-
aos agentes diplo- das as classes, procuravam excitar a populagio de
:onvengo de Gaslein.! Turim exaltando o seu orgulho na qualidade de
lullo que ja refer ;: habitantes da antiga capital do Piemonte. A idea
oes contra a poltica
m resultado pratico
ih bellamente que nao
Peregrino de Souza Magalhes do batalhao n. 27 man (39) a Cleyde ; do Rio Grande Elecra (3) a
Liverpool.
De Liverpool Florist (26) para o Para ; de Li-
verpool Angela (28) para Santos; de Liverpool
Clara (2) para Pernambuco ; de Liverpool Falcon
(3) para o Ceara ; e de Liverpool Leda (3) para a
Bahia.
Em alguns portos desle reino t9m apparecido a
peste.
Em Southamplon houve ja quatro casos de cho-
lera, e em Swansea dez de lebre amarella que pa-
rece ter sido all importada por um navio chegado
recentemente de Cuba : entretanto, a vista* da no-
do Bonito.
Leocadio Alves Pontual do batalhao n. 25 de San-
to Anto.
Flix Pereira de Araujo do batalhao n. 25 de
Santo Auto.
Geminiar.0 Alfredo Vellozo di Silveira do bata-
Ihflo n. 18 de Nazareth.
Antonio Jorge Lopes dos Santos do batalhao n.
43 de Sernliera.
Angelo Jos Themoleo do batalhao n. 7 do Re-
cife.
Alexandrino Alves de Amorim do batalhao n. 7
do Recife.
Paulo Felippe de Salles Abreu do batalhao n. 41
de Ipojuca.
Guilhermino do Reg Brrelo do batalhao n. 39
do Cabo.
Jos Francisco Pedroso de Camino do batalhao
n. 23 de Sanio Anto.
Despachos do dia 27 de oulultro de lsCli.
Reqiierimentos.
Antonio Francisco Cavalcanti. Aprsente o
substituto no quartel general para ser inspeccio-
nado.
Companhia Brasileira de paquetes a vapor.In-
As noticias do Per nao adiantam cousa alguma.
de solemnisar o anniversario de 22 de selembro
foi aceita ern Turim como urna homenagem aos ci-
dados italianos morios n'aquelle da, e parece que
as opinies exaltadas confiavam em que a ceremo
nia projectada podesse fornecer urna occasio favo-
ravel aos adversarios declarados ou secretos do ga-
binete italiano. Nesse dia as associagoes dos ope-
rarios com as suas bandeiras, corbenas de crep,
os membros das diversas commissoes polileas, e
um grande concurso de povo, mostrando o seu es-
pinto patriolico, a sathfago que tinham de tomar
parte neste espectculo publico, desfilaram at
cathedral, para all assistir a um offlcio fnebre,
Indo depois depositar coroas sobre os tmulos das
viciima^. Foi um espectculo pacifico mas impo-
0 presidenta Pezet raanlinha se era Liraa e Callao,' nenie.
disposlo a defender esses pontos conlra a rebellio, Era o voto da populagao de Turim, era a expres-
que nao vencer em quanto nao houve-los occu- sao da opinio da Italia, e o governo nao embara-
pado.
A hisloria das revolugoes naquelle infeliz paiz
lem mostrado sempre que apenas a aulondade le-
gitima abandona a capital para perseguir os rebel-
des, esta se declara pela Insurreico ; bem como
que sem e.-se apoio lodas as sublevagoes sao impo-
tentes.
ga nem um nem outro.
Concluirn) j os exercicios no acampamento de
Somma. O general Durando que comraandava o
acampamento, dirigi s tropas urna ordem do dia,
depois da revi,ta passada por el-rei Vctor Emma-
nuel ; em que depois de manifestar a salisfago
mostrada pelo rei, pela maneira porgue as tropas
E' por isso que o general Pezet tem forlifleado haviam manobrado n sua presenga, diz:
Lima e Callao, onde sustentara' at o extremo a
va eslagao em que entramos, se espera que essa (sna antoridade legal. Canseeo oceupa muitos pon-
doenga nao progredir, dentis as autoridades tem | tos com os rebeldes, e Monteso se aeha com a es-
j tomado asconvenientesprovidencias para atalbar
lo grande flagello.
No continente ocholera-morbus continua a fazer
Dilo ao commandante do corpo de polica.Pode
V. S. fazer eogajar para o servigo do corpo sob seu
commando, o paisano Francisct Pereira Lagos, que forme a cmara municipal do Recife
segundo o aitesiado junio ao seu oflicio n. 120, Clara Maria de Sampaio.Oblido o titulo de afo-
desta dala foi julgado para isso apto. I ramenio deferirei.
Dito ao mesmo.Em visia dos documentos com Dionisio de Barros Reg.Apresente-se para ser
que iuslrue o incluso requerimenlo, o soldado do inspeccionado.
corpo sob seu cumulando, Francisco Pereira Lagos, Jo- Henrique Machado.Informe o Sr. enge-
pde V. S. permillir-lhe o uso das insignias de 2 nheiro chele da repartigo das obras publicas,
cadete.
Dito ao inspector do arsena
de marinha.Ceda
V. S por emprestimo a capitana do porto, que as-
sim solicita em ollkio de hooiem, sob n. 215, um
virador para servir de cabo de reboque a lancha
dos orticos, que tem de ir a Tamaudar, reboca-
da pelo vapor da Companhia Pernambucana, alim
de collocar a boa da Barra-Giande. Commuoi-
cou-se ao capilo Jo porto.
Dito ao direclor Ja- obras militares. Trate V.
S. de entenderse com quem competir, afim de que
seja concertada quanto ames a canalisago e can
Joo Dantas Ferraz.Em vista do que informou
o general commandante das armas nao tem lugar
oque renner o supplicante.
Jos Fau-tino Marinho Falco.-Entregue-se.
Josepha Umbelina da Conceigo.Declare a sup-
plicante onde foi recrulado seu marido e por que
auloridade.
Joaquina Maria de Carvalho.Informe a cmara
municipal do Recife.
Maria Francisca Ramos.Informe o Sr. director
do arsenal Je guerra.
Manoel Flix dos Santos.Informe o Sr. Dr. che-
dieiros da illumiuagao agaz da enfermara militar, fe de polica.
conforme solicita o general co nmandanle das ar
mas, em offlcio de hontem datado, sob n. 1977.
Communicou-se ao marechal commaudanle das ar-
roas.
Dito ao director jo arsenal de guerra. Mande
V. S. fazer nesse arsenal os cucenos de que pre- i
cisa a padiola da companhia de artfices, corao so-
licitou o marechal comraandanie das armas, em of-
licio de 6 do corrente sob n. 1978.
Dito ao director geral da iustrucgo publica.
Declaro a V. S. e em resposta ao seu oflicio de 26
do correnle, sob n. 286, que desiguo a professora
Claudiana Nativa do O' e Santos, para examinar
nos irabalhos de agulha de que traa o seu citado
cilicio, e para a suu.-tituir em sua falta a professo-
ra Joaquina das Alerces Ferreira.
Portara. o presdeme da provincia, atienden-
do ao que requereu o juiz municipal e de orpos
do lermo de Sanio Aotao, hachare! Yirgioio Car-
Superintendente da estrada de ferro.Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Thomaz Jos de Aquino lodeferido em vista da
informago.
Rosalina Maria da Conceicao.Informe o Sr.
commandante do orpo do polica.
EXTERIOR.
COBRESPOXHEICIAS DO VIA
IIIO DE PEBlf AIHBUCO
8 de oulubro de 1865.
A extraordinaria viagem que desta vez fez o La
Plata, chegado do Rio de Janeiro a Soulhampton
quadra rebelde as ilhas Chinchas, que por este
modo eslo de novo sequestradas do governo de
Lima. O presidente Pezet havia recebido D. Joo
estragos na Hespanha e em Franga e at se diz que i Albistur, como enviado e coramissano real por par-
invadir Pars. | te de sua mageslade a rainha Isabel II.
Em Consianlinopla a moriandade chegou a Irinta ^S^JSf S? rqUen i
e cinco mil pessoas deoitent mil que haviam slJo I P_rf^!Di? ^l011 T}!0??* l\
atacadas com aquella epidemia
Neste paiz a opinio publica continua aoceupar-
se com a excitago poltica, em que se acha a Ir-
landa.
As prises continuara all e j varios Individuos
foram pronunciados por crirne de alta iraigo, de-
vendo brevemente ser julgaaos pelo competente
jury : na numero desses figurara : O'llrien, KeeIT,
ODunavem e Leary. que se tinham distinguido
muito em favor dos Feneans. O vice-rei da Irlanda
supprimio um oulro jornal, denominado Connauyht
e com suas medidas enrgicas tem conseguido de-
sarmar os Condados mais turbulentos e que se
acham hoje sob a lei militar. O governo da rainha
parece pela sua parle decidido a pers^sair com to-
da a severidade os implicado, qnerendo assim dar
um golpe decisivo nessa associago que poderia
evenlualmente lornar-se p-rigosa pelas ramifica-
ges que tem nos Estados Unidos.
A costa da Irlanda continua a ser guardada pelo
cruzeiro inglez afim de impedir que all entrera
afiliados daquella associago e sejam desembarca-
das quaesquer muuigoes de guerra.
A imprensa ingleza rompeu flnalmenle o fogo I correne
truegao da Uuio. Varas convenges dos Estados
do Sul tinham volado ja' pela aboligo da escrava-
tura, de modo que esse grande obstculo vai sendo
gradualmente vencido. O estado do Alabaraa sol-
licitara o perdo em favor de Jefferson Davis, cuja
saude parece peiorar de dia em dia ; mas o presi-
dente Johnson nao se mostrava*por em quanto dis-
posto a isso, se bem que haja ja' concedido gran-
de numero de perdes a individuos que tinham no
sul grande influencia.
O presidente devia embarcar-se em Hampton-
Roads com o lim de visitar Charleslon, Wihning-
lon e Savannan ; viagem poltica, que elle vai rea-
lisar antes da reunio do congtesso.
0 cambio Ikava a 157, e o premio do ouro a
143 7|8.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Pelo vaptr inglez Rheno recebemos jornaes e
cartas de Hamburgo al 5, de Paris al 7, de Lon-
dres al 8, do Porto at 11 e de Lisboa at 13 do
conlra os Americanos por motivo desse projecto de
insurreico na Irlanda, allrtbuindo a Uno o apoio
que os Irlandezes encontram contra a Gra Breta-
nha.; entretanto o gabinete de Londres se mostra
muito salisfello com a conducta do governo da
Washington as acluaes circumstancias e nao creio
porlanto que esse incidente venha a aITcctar as re-
lagoes polticas enlre os dous paizes.
O conde Russell acaba do chegar da Irlanda, on-
de fra para distribuir em Dublim os premios de-
cretados pelo jury da exposigo internacional.
No discurso que all fez, S. Etc. evitou tocar na
exallaco poltica em que se acha aquelle paiz, li-
mitando se a fallar dos progressos que a industria
e o commercio pateniearam naquelle grande con-
corso, que a muitos respeitos ha de trazer comsigo
vantagens pratcas de enorme prego. J)e volta de
Dublim, lord Russell foi com sua familia para Ri-
0 Memorial diplomtica afflrma que o governo
pontificio fora consultado pelo governo francez so-
bre o modo mais conveniente de dar cumprimento
convengan de 15 de setembro, em que se pres-
creve a evaeuaglo de Roma pelas tropas impe-
riaes, e que se pronunciara pela evacuago por
meio de pequeas forgas.
As tr-pas francezas comegaro pois a sahlr pr-
ximamente dos estados romanos, sendo substitui-
das as fronteiras napolitanas pelas tropas pontifi-
cias ; sendo a desoecupagio effecluada por compa-
nhias.
0 governo francez informou offlcialmenle o go-
verno italiano de que as tropas francesas eomega-
riam brevemente a evacuar gradualmente o terri-
torio pontificio. O visconde de Treilhard tambera
informeu o presidente do cetuisterio italiano o ge-
qeral Lamarmora, que cjt, c^Bseiuencia do ajuste
O sentimento que experimentamos quando nos
separamos, e o vivo desejo que temos de nos en-
contrar dentro em pouco reunidos no campo de
balalha, sao urna prova evidente, de que, oestes
(rez mezes de vida coraraum, os lagos da con-
cordia que nos uera a lodos no nico lim da
grandeza da patria, e da forga do exercilo, se
prenderam ainda mais.
Conrlue com as segrales palavras: Conser-
vai urna inalteravel dedicago ao soberano, e
una affelgo profunda s institoigoes da patria;
< applicai-vos sempre, cada vez mais em vos exer-
c citar nos exercicios militares, e tende f no fu-
< turo.
O rei Vctor Emmanuel vslou outros acampa-
mentos asslstindo s manobras de differenlescor-
pos do exercilo. E' assim que a Italia se vai pre-
parando para todas as eventualidades.
contininm as pnsoes em alguns pontos da
Irlanda. Todos os dias se descobrem ramificagoes
do fenianismo, incluindo as filenas do exercilo, e
notase grande agitago em todas as cidades iran-
dezas, e especialmente em Dablin e Crele.
O lim da sociedade dos fenianos a separagao
da Irlanda da Inglaterra, o estabelecmento de
urna repblica, e a lula contra todos os que se op-
p*em diviiSo da trra.
O governo inglez tem em seu poder lisias em
que se desigoam os membros da associago e que
j sabe os pontos onde verificara as suas reunies
nocturnas. Fallase em exercicios militares, e ou-
tros preparativos hoslis; e estas reunies occulias,
nao se verificam s as montanhas, mas nos prin-
cipaes centros da populagao.
As causas desta conspirago existem ha seculos.
Enlre aquelles povos lem sido permanente a dlvi-
sao ; esta manifestase entre a populagao ingljza e
a populagao irlandeza; entre os chamados oran-
gistas e os catholicos. A administracao e o rgi-
men poltico que se lem applicado Irlanda nao
tem conseguido aitenuar o mal. A populagao ir-
landeza que ba alguns annos era de nove milhes
de habitantes, acha-se actualmente reduzida a cin-
co milhes.
O nico recurso dos irlandezes a agricultura:
nao podem viver sem ella, e ainda que o solo Ibes
nao pertence em geral, procurara tirar partido da
trra como rendeiros; mas as rendas sao caras, e
a concorrencia tem elevado de tal maneira os pre-
gos, que, o rendeiro sendo-lhe difiloli pagar, ex-
pulso da propriedade, deixanojo, era poder do pro-
pietario todos os n)2lhoramanls e sacrificios que
lem empregado para sustentar urna lata difflcil e
medir as nossas forgas com os nossos inirai-
gos. Sao precisas sommas cuosideraveis, e sea
vacillar pedimos um apoio, que al agora nuca
haveis negado a um povo que se ioso'-ge. >
Revella-se neste manifest o sentiitemo de urna
associago cuja ndole a liberdade dos povos que
Ihe esto associados.
A Inglaterra v diante de si o espectculo tre-
mendo de urna grande revolugo, e, preparando-se
para esles acontecimentos, promette praiicar na
Irlanda actos eguaes aquellos que a historia regis-
ta na ultima nsurreigo indiana.
Um telegramma de Nova York annuneia a
prxima emssao do emprestimo republicano ir-
landez.
O negocio do assassinalo de um subdito fran-
cez Mr. Ott na Prussa, parece encammnar se para
urna situaco, seno grave, pelos menos difB.il.
Do suramarjo a que se procedeo, nao se pode
conhecer quem foi o primeiro aggressor; pelo in-
terrogatorio das teslemunhas provou-se que bis
dos esiudantes companbeiros do conde de Ellem-
burgo, cahira gravemente ferido; segando e-ere-
ve m os jornaes prussianos nao existe prova alguna
de que o conde de Ellemburgo, fosse o autor da
morie de Ott; houve eflectivamente asna risa em
que lomou parle aquelle conde.
O processo ainda esl no poder do fiscal; resta
porm ver a maneira porque procedern! os gabi-
netes occdenlaes, que reclamaram ronlr i alten
tado e que julgaram que nao devia Bear im-
pune.
Abri se o parlamento hollandez. O discurso
do soberano digno da maior atienes.) porque
denota quanto feliz aquella naco; o rei apenas
leve que lamenlar algnns lerramotos n'uma parte
do seu reino.....
O governo hollandez ao passo que tem sabido
raanter o crdito publico, tem diminuido gradual-
mente os impostos; nao ambicionando conqaisiar
urna posigo importante na poltica da Europa, o
governo hollandez lem preferido as vantagens
commerciaes, e o deseovolvimeoio de suas colo-
nias que teem efectivamente chegado ao maior
grau de prosperidade.
A Hollanda possue urna excellente esqnadra
mercante; os seus portos martimos causara inve-
Ja s nages mais poderosas.
A segunda cmara dinamarqueza, voiou por
grande maoria, a aboligo da nobreza, verificando
assim urna importante modifleago na sua consti-
tuigo. A cmara adoplou por 49 volos conlra II,
apesar da opposigo do ministerio esta deliberai;l>.
declarando que a nobreza, os mulos e as dignida-
des nao poderlam ser conferidas pelo rei, nem por
direito de successao; por outras palavras, os lta-
los nobiliarios sero conservados em quanto exis
tirem os Ululares, mas nao passaram aos seus
herdelros, e o rei fica privado de as poder con-
ferir.
E' um procedimento igual ao que seguio a No-
ruega para a aboligo da nobreza.
Verificou-se no 1* de ontubro a reunio dos
deputados allemes. A commisso chamada dos
trinta e -seis, propz as seguales resologes, e
foram adoptadas pela assembl*:
i.* O direito de inicialva dos povos do Schles-
wig-Holsien exrlue qoalquer apreciago e qual-
quer deciso a respeilo da sna sorte, urna vez que
nao preceda o assenlimenlo da represeniago do
paiz. O convenio de Gastein ofiende a ordem e n
seguranga do direito, e aroeaga subministrar ao
estrangeiro um pretexto para se envolver nos ne-
gocios allemes. Este convenio considerado pelo
paiz como urna vjolago de direito, sem ligar os
ducados cuja inicialva nao lem outro limile mais
do que os altos interesses da Ailemanha. A aitiln-
de al agora observada pelos habitan! ;s do Schles-
wig-Holslein, urna prova irrecusavel de que eslo
disposlos a fazer os necessarios sacrificios para
aicangar o fim commum.
c 2.a Em presenga dos actos auslro-prnssianos aos
representantes dos povos allemes, e especialmen-
te aos deputados da cmara prussiana compre o
dever de intervir resolutamente e desde j a
favor dos direitos violados, da convocago dos
representantes e da constiloigao immediata do
Schleswig Holslein. A assembla confia em que o
povo dos ducados conservar a sua allitude firme
e valente.
c 3.* A mesma assembla declara que o dever
dos represenlanles do povo allemo, nao conce-
der a nenhum governo empreslimos ou imposios
que possam exigirse a favor da poltica de oppres-
so que al agora se tem seguido. Se o negocio
dos ducados se resolver no sentido do direilo as
despezas da guerra, devero sobrecahir proporrio-
nalmente em toda a Allemanha. >
Nesla reunio lomaram parle 263 representan-
tes, e a assembla consumi novameule a commis-
so dos chamados trinta e seis.
O governo francez expedio urna circular aos
seus agentes diplomticos para appiiear a maneira
porque o gabinete imperial conceder o convenio
de Gastein; a imprensa Imperial comeca a occu-
par-se desla circular, posto quo seja anda moito
obscura a respeilo das verdadeiras iosiiluicoes
do governo Iraucez.
Lord John Russell tambem expedio urna circular
aos agentes diplomticos da Inglaterra sobre o
mesmo assumpto; este documento tambem consi-
derado com urna certa reserva.
O imperador d'Auslrta expedio tambem urna
circular, com o proposito de iraoquillisar os ni-
mos dos seus subditos a respeilo da suppressao do
Reicbrafb, notando-Ibes que essa medida nao sin;-


Diario de Fernanbnco Terca lefra 31 de Onnbr de v8*.
-^^.x.., .<>
tiifica om golpe doestado* rslA.Cir.Cular porm
presta-se a commeniarios qa nao deixam a cober-
to a poltica austraca.
0 governo moklo-vaiachio expedio tambem
nma circular, finque o .mipistro dos negocioses-
traogeiros pretende mostrar as (Orles estrangeiras
que o ultimo raovimeuto de Bucharcst, nao teve
importancia uem sigmtieago, e 'jue nao jiassou de
um tumuito de prega, reprimindo ao primelro mo-
vimento da forca publica; mas todos enhecem a
importancia dos motivos de Bucharest, e as propor-
coes que lomaram; e at o mesmo ministro na sua
circular diz que tos merobros da anliga opposigao
se nao poderam resigaar ao esqueeiraenlo que a
opinio publica Ihe.s votava; e affastados dos nego-
cios pelo progresso das ideas, e substituidos oa
cmara por homeos distinctos, escoltados entre as
principaes classes d sociedad*, nao cessaram de
minar a ordem actual.
Estas duas oppercoes do ministro do principe
Cousa nao se podem conciliar, e altrahem a atien-
do e os coramentarios de luda a imprenso.
O grao-visir dirigi so ein nome i governo
eltomano, ao gabinete dos principados, diiendo que
o moviinento popular de Bucharest nao era MH
cujos motivos Ignora e que se realmente existem.
causas lt-gitimas de queixa, o principe Cousa nao
poder deixi-r de adoptar as convenientes medidas
para satislazer dentro dos limites de legalidades,
as queixas da naco Molde-Valaquia, no que ellas,
possam ter de rasoavel e justo. i
Xa Suissa a commisso do conselho federal, j
encarregada da revisfio di coostituigao, conclmo os
S608 trabalhus, e o seu resultado vai proximmenle ,
ser submettido ao voto popular. Os trabalh os da i
commisso podem se resumir em sete puntos que |
modificara electivamente a constituido que lem
estado em vigor n'aquele paiz desde 1848, e **QH
uniformidade de pesos e medidas-, livre eslabe-,
lecimeoto dos fcraelilas suissos; direito de voto (
concedido nos negocios communaes aos comedera-.
dos, seja qual for o cantan em que se achem esta-,
belecid,s; adopcao de urna lei fedejal, em que
M regulem os contatos sobre nnpostos, e as rea-
{oes civis dos confederados ja estabelecidos; |
adopcao de urna lei federal para a livre pratica era
lodos os eanioes do todas as proflssoes; liberda
de de cu,tos; e, linalmeute.elegibilidade dos eccle-(
sia>iicos para o conselho nacional.
O partido chamado radical na Stnssa nao julga |
esta reforma sutBeientemenie fundamental, o que
tem feto com que em muilas localidades se lenhara
apresentadi proposlasde relorma, atada com maior .
alcance; entretanto parece que o projecto da com-
misso lem todas as probabilidades de ser adinittl- j
do na assembla nacional, e votado |iela maioria,
popular, pois que geralmente se julga que satisfaz
as principaes necesidades do momento ; e que foi ]
maduramente pensado pelos homens competentes.
Diz-sc que o imperador Napoleao tencionava
regressar a l'aris anies de Mr. de Bismaik cnegar
a Biarrlz, e preteudl* evitar urna entrevista com
o ministro prmslano as actuaes circumstancias ;
mas tal boato nao se conflrmou, pols J se acha em
Barritz Mr. de Bismark ; a imprensa d* Berlio tra
la misteriosamente de.-ta entrevista,mas a impren-
sa fzanceza parece nao Ihe ligar importancia al
guma.
O principe Napoleao e a princeza Clotilde volta-
ram a Pars, para esperarem suas magestades el
rei D. Luiz de Portugal, e a rainha D. Mana Pia,
irmaa da princeza Clotilde, que viajara cora o ti-
tulo de condes de Guimares, levando em sua cora-
panha o principe real D. Carlos.
O ministerio da cuartana francez den ordem ter-
minante para serem promplamente armadas todas
as bateras fluciuantes que se achassem era reser-
va nos arsenaes.
Esta noticia que deu causa a mnitos commenta-
rios, explicada por motivos hygienicos, tomados
em presenca da epidemia que lem invadido urna
parte de Praoga ; e tem nicamente por fin aflas-
tar dos centros da populago a marinhagem e sol-
dados que serven) de guarnico quelles navios;
em Pars nao se pen-a actualmente em nenhuraa
expedico.
As dilBeuldades que tem existido entre a Franca
e o bey de Tunes parecem estar reguladas deliniti
vaiueiiie, por meio da diplomacia, e se;n que seja
necessana a menor demoustrago naval sobre as
Costas da regencia.
O miuistro d >s estrangeiro'. e o do commercio
dingiram ao imperador um relatorio em que di-
zem que o chulera fui importado uo Egypto pelos
peregrinos musulmanos; que pela abertura do
istliiii i de Suez hawra raais directa coinmunicago
entre o oriente e occidente, e que por isso seria
coDveuieute convocar um congresso diplomtico
para i|ue proponha solucoes pralicas para a refor-
u.a e orgaoisago do servigo sanitario no oriente.
Uizeui de Alhenas que tem circulado urna
pethjao dirigida ao rei Jorge, pedindo a suspendo
da eoustiluico e a dissolueo da actual cmara.
Este manej nao arraslou o joven re, que se ne-
gou a acceilar aquella pelgo, declarando que a
cuustituicao era obra do paiz, e que nenhum direl-
to linha para Ihe fazer a menor modifleago.
A atlitude do soberano destruio estes projectos,
e embora se nao possa considerar satisfactoria, ha-
via tranquillidade geral, e nao se suppunha que os
partidos dssidentes podessem reunir forgas para
alterar a ordem.
A- cartas da Grecia fallam de projectos de cons-
pirad-oes a favor da dynastla catada, mas sem que
se julgue que livesse ratnificagoes no exercito;
mas parece que taes boatos nao se confirmara.
Continan! a existir guerrilleas n'uma grande
parle do paiz, e sao taes as violencias e estragos
que pioduzem, que o guvernc julgou dever offi re-
cer urna summa importante em metal por cada
guerrilha cnorlo cu prisiotieiro.
Dizera alguns jornaes que o rei, desejando aili-
viar os apuros do thesuuro, reuuocar a terga
I'.n i da sua lista civil.
Na Creca ha e.Teetivamenle iranquill.dade ; mas
toda a impreusa reconhece que a Grecia precisa
de um governo lorie, mas liberal; pois os homens
que al agora tem estado frente dos negocios p-
blicos, e da poltica hellemca, nao dUpoem dos re-
cursos necessarios para attrahirem as syrapainias
do paiz, embora tenham lodos manifestado a maior
dedicago a favor dus principios que proclamaran)
a dynastia actual. Contiuuam a haver receios de
algra movimenio contra a dynastia actual.
Os Ciressianos expulsos dt seu paiz pelos Rus-
sos, e recebidos no territorio taren, negam-se atra-
balhar, e sublevando-se em diferentes puntes prati-
cara aclos horriveis de barbaridade. Receia-se
muilo que esse estado do cojsas cree novas diffl-
culdades no oriente.
Dizera? do Mxico que urna guerrilha de joa-
ristas tomara Tiiuacao, depois de duas horas de
ogo. Os juaristas, porm. retiraram-se no da se-
grate como diuheiro que eucuntraram nos cofres
civis.
Diz-se que o presidente Jurez, antes de abando-
nar Ciuliuanna, publicara urna proclamado pro-,
testando contra a oceupago do Mxico, o susttn-
tando os direitos da repblica, e por coosequencia
os seus a' presidencia.
Algumas cartas, porm, dizem que Jurez se re-
tirara' prximamente do territorio mexicano, par-
tindo para Nova-York, onde parece ja estar a sua
familia.
O Times diz que tal noticia falsa, e transcreve
do Herald de Nova-York urna carta de Jurez da-
tada de Paso del Nota, de 17 de agosto, em qoe
diz : Esiabeleci aqu a sede do governo, e decno-
t rar-me hei algum lempo, finando depois a minha
c residencia em alguma das cidades dos Estados
< do interior. Os uossos immtgos diro sem duvi-
c da que se dissolveu o goveruo mexicano; mas
c vos e vossos amigos nao daris crdito a tal un
postura.
c N.4 deixarei o territurio mexicauo. Cumpri-
re o dever de conservar existente o nico po-
< d-r popular estabelecido ptla vontade dos meus
concidados, e nao desespero da victoria da nos-
c sa causa, qnando vejo a resistencia que as Mexi-
canos opp5*m ao Invasor de lodos os Estados.
Segundo a? ultimas noticias do Per, aquella
repblica coniinua anda no maior estado de des-
ordem. A inueciso da raaior parte dos habitantes
contnbue para prolongar aquello estado precario e
difficil.
A- forgas dos insurgentes, que augmentaran) na-
turalmente no principio da insurreigo, conservan)-
se agora estacionarias quinto ao seu numero; no
entretanto acham-se em circjmslaociasiguaes.de
poder as forgas com que coii.a o presidente Pzet,
esta circumstaocia faz com que se nao poisa
prever qual dos dous lados alcangara victoria de-
cisiva.
A insurreigo al senhora de todo o snl da re-
publica, mas o governo do presidente, o general Pe-
zet, lendo concentrado na capital tolos os seus
meio de resistencia, propde ompregar todos os re-
cursos de que anda di.-pde, para ver se conse^ue
debelar os revoltosos. te estado conserva na
maior agitago todo o paiz.
O general Canseco, que naquella Kepubliea o
chefe dos sublevados, lancou juta cniribiiigao ex-
traordinaria em iodos os dislricios do >ul.
Os eslraugeiroii racJamafaai, por luiervenclo dos
seus consul-s, centra esta medida, que-i- pr^judi-
(a. 0$ cnsules, a'aaa uo.'.a coilectiva,, 91 dirig-
ram ao.general Cansecu,jSiiera que, no sendo le-,
gal o seu poder, nao polia empregar no que loca
aos estrangeiros as medidas liscaesque julga va de-
ver adoptar a respeno dos demals cfdadfios.
Julga-se que este (acto possa obstar ao progresso
da insurreigo, ontribuindo para que as forgas de
Pezet consigam debellar o movimento.
O exercito de Cuba sera' redundo ao effeclivo
que linha antes da oceupagao de S. Domingos.
No Panam os pormeoores dos acontecimen-
tos mostracn as divisoes que se inanifesiam no paiz.
O chefe dos revoltosos Calancha, coucebeu o pro-
jeclo de separar do governo de Nova-Granada, as
provincias do Panam, de Veragua e a de Canea,
para formar um estado independenle, de que elle
fosse presidente. Apenas rebenlou a revolueao, as
suas tropas .lcangaram algumas vantagens, roas o
general que commandava as forgas do governo, al-
cangando-os, poz em debandada-ws insurgentes. No
entretanto, o paiz nao pode coniderar-se tran-
quillo.
A convengao republicana dos Massachussels
vutou urna resolugao declarando que se nao deve
confiar anda um governo civil aos estados do sul,
e que a escravidao est nelles prohibida pela ras-
lituigo.
A convengao da Carolina do sul regeitou a pro-
posta anterior, mostrando ao mesmo lempo o seu
desconientarnenlo a respeilodo presidente Johnson.
O presidente dos Estados-Unidos publicou lti-
mamente una proel ama gao, com dala de 29 de
agosto, determinando que cessassem desde o 1 de
setembro todas as restriegoos que at agora pesa-
vara sobre o cotnmereio, com os estados que eali-
veram em Insurreigo contra o governo lederal, e
pennittindo que nelles sejam importados, sujeitos
aos reglamelos que prescrever o ministro da fa-
zenda, lodos os arligos que uulr'ora foram declara-
dos contrabando de guerra.
Os jornaes publicaram as cartas de Mr. Seward
acerca do empreslimo confederado. Depois de pu-
blicados estes documentos os jornaes de New-York
iuseriram um telegrammade Washington que da va
os nomes dos subditos inglezes subscriptores do
empreslimo confederado.
Esta publicago causou graude escndalo em In-
glaterra, pois na lista dos subscriptores figuram no
s o redactor principal do Times, o propriHario do
Morning-I'ost, ealguns mentaros do parlamento,
mas tambem o secretario parcular de lord Pal-
merston e o Sr. Gladstone, ministro da fazenda.
Reata, porm, saber se aquel a lista sera' verdadei-
ra, pois ja' algumas das pessoas mencionadas na
lista, e entre ellas Mr. Gladstone, negaran) terem
dado dinheiro aos rebeldes dos Estados Unidos.
O ministro do Brasil nos Estados-Unidos apresen
tou ao presidente Johnson as suas credenciaes.
Este respundeu que desejava fortificar os estados
americanos antes por generosa confianga inspirada
por elle*, que lomando motivo de zelos a sua pros
peridade, ou de lastima a sua goveroacao.
Parece que surgi um grave conflicto entre o
governo da China e o dos Estados Unidos, em coo-
sequencia de ter sido feto prisioneiro pelas tropas
imperiaes o general Burgovine, anglo-americauo,
ao servigodos rebeldes chinas.
O representante dos Erados Unidos em Pekn
pedio que o seu compatriota fosse posto era lber-
dade, eassegura-se que declarara que urna negati-
va da parle do governo Imperial sera considerada
em Washington como um casus belli. Ignorase
anda a resposta dada pelo governo de Pekio.
As demonstragoes dos rebeldes contra Pekin, deu
lugar a creaco de um corpo de tropas a europea,
commandado" por um leuenie da marrana franceza.
Foi a imperatrz que coucorreu para a adopgao
desta mecida. Esta princeza conseguio que se nao
|)ozesera era movimento as tropas francezas e in-
glezas. !
A tata dos laepings prosegue ainda, e a morte
do ultimo general chinez produzio em Pekin e na
corle os mais desastrosos elTeilos, dando aos insur-
gentes alguma forga moral.
Os laepings combatem a actual dymnastia, mas
destruindo 1 lucendiaudo os paizes por nn-l pas-
sain, nao provavel ijue alcaucem vanligeas ua
sua teniativa.
O conselho municipal de Shanghae trata, segun-
do se diz.de construir urna nova cidade, :! iptindo
os planos europeus. Parece que este projecto em
que se compreheudem cainiulios de f'-'M, cauaes
outros meliioramenios sao devidos a indiieocia que
exercem no imperio os representantes de Franga e
Iogaterra.
O paiz aceita favoravelmente estas indicagoes,
segundo aflirinam as correspondencias.
A execugao desses planos ser de urna graede
vantagetn para o coiriinenio e ioduslria da Euro-
pa, porqve ao passo que se abiem naquelle impor-
lautepaiz novos mercados, eslabelece-se o coulaclo
com os povos.civilisados.
la ser decretada a 15 de oulubro a dissolu-
cio das cmaras hespanholas, verificando-se as
eleigoes geraes nos pruiieiros das do prximo mez
de dezembro.
Achavam se j resUbelecidas as relagoes diplo-
mticas entre o governo hespanhol e o Per.
No dia 21 de julho apresenlou o novo represen-
tante hespanhol ao presideute Pizel as cartas cre-
denciaes ni qualidade de euviado extraordinario
da rainha Isabel jinlo da repblica peruana. Este
acto tem elTeciivaiiienio urna graude siguicago e
Importaneii; notaremos que al ao momento do
coutlicto entre as duas (potencias suscitado em 1861,
a repblica do Per nunca tii:ha sido oCQcialmente
reconhecida pela Hespauha.
A Incta dos part Jos em Hespauha contina; a
fraegao progressista discute anda se convm man-
ter-se, na absleogo.
Houve en Saragoga um ajuntamento de cultiva-
dores, que se recusaran) a pagar nicipaes. As autoridades conseguiram restabelecer
promplamente a ordem ; as ultimas noticias de Sa-
ragoga dizem que se iara serenando os nimos ;
aizem de liarcelona que bastara a presenga da
guarda civ,l para destruir os projectos de alguus
dyseoios que pretendiam repitir em Villanueva e
Zelino, os tonmltos de Saragoga contra o imposto
da barreira.
Apezar das negativas formaes dos jornaes hespa-
nhes acerca do appareciinenlo do cholera em Ma-
drid estaa epidemia tem augmentado naquella ci-
dade de modo tal que foi impossivel orcullar tal
noticia por mais lempo. Nos das 7, 8, 9 e 10 de
oulubro bouveram mais de quinhenlos casos de
cholera por da. A universidade e muitos colegios
esto fechados.
U antigu secretario de D. Joao de Boorbon, D.
Hi-nrique Lazeo, remelteu a Correspondencia dt
Espaa, urna caria em resposta aos directores dos j
jornaes franeeze* Pays e Uniao em consequencia
do l'ays ter supposto que o infante zera sua sob-
missao, por intermedio de um ecclesiaslico inglez,
durante a legagao do Sr. I-turiz em Londres ; e
que a rainha acceiura esse acto de reconhecimen-
lo, e que depois o Infante D. Joao se retractara des-
M submisio, e que alcangou um emprestimo dos
possuidm es da divida.
D. Heurique de Lazeu affirma qoe o infante D.
Joao nunca conspirara, e que sempre procurara
affastar ludo quanlo podesse tendel e transtornar
a paz e o socego do povo hespanhol. < Hmeos de
valor e de acgo sera o priraeiro a turnar as ar-
mas, e que se a patria necessitasse do seu braco,
saberia vencer, e se a fortona Ihe fosse adversa,
antes de rugir ou de se reoder, ficaria estenddo
no campo Ja baialha. >
Segundo diz D. Henriques de Lazeu o infante D.
Joao fez em 1861 urna viagem por Hespanha com
o mesmo lim de aconselhar os seus amigos a que
eslivessen; trauquillos espondo-se denodadamente
a urna morle quasi certa se cahisse em poder das
forras da rainha.
. Affirma o amigo secretario do principe, qne S.
A. Szera simplesmente a sua submissao a S. M. a
rainha no dia 26 de Julho de 1862, renunciando aos
direilos que Ihe dera urna iolerpretagao favoravel
do auto combinado de Kelippe V, que foi avahado
de maneiras muilo differentes por varios juriscon-
sultos.
Declara D. Henrique de Lazeu, que desde ju-
lho de 1862, D. Joo de Bourbou e ha de ser es-
iranbo quaesquer manejos polticos, e nao pres-
tara' auxilio a nenhum partido com o proposito de
transtornar a paz intera do paiz, isto ha de
sempre aceitar o throno da rainha D. Isabel II de
Bourbon. >
SS. MM. el-rei D. Luiz de Portugal e a rai-
nha D. Mana Pia, sahiram de Portugal em direcgo
a Souihamplon no da 2 de oulubro, mas em con-
seqnencia do mo lempo arribaran) a Vigo onde
desembarcaran) e continuaran) sua viagem por ier-
ra atraveseaoo aquella provincia al Len, onde
se meiter.iui no caunoho de ferro chegando a Pa-
rs no da 11 as 9 horas da noite. Viajaram sob o
titulo de condes de Guimaraes, recebendo sempre
cora a costomada affabilidade os comprimentos das
autoridades locaes.
as lu heras tlveram brillante recepgo, fiean-
4o all alojados al que deixem a capital.
O robaixador de Portugal junto a' corte france-
za visconde Paiva, foi a Burdeos esperar,snas ma-
gestades o os acmpanbou atParis.
O principe real D. Carlos vat na companhia de
sens augustos pais.
Tomou a regencia do reino de Portugal S. i. el-
rej D. Fernaadj, pai de sua magestade.
O cholera em Madrid contina a fazer serios es-
tragos.
Em Portugal tem apparecido alguos casos, mas
por ora tem-s felizmente limitado a Praea de El-
vas, qne flea como sabemos multo prximo de
fronteira hespanhola e ligada a Badajoz pelo cani-
nho de ferro. Mesmo em Elvas a terrivel epide-
mia apfesenta-se com pouca ioteosidade, o nume-
ro de pessoas atacadas actualmente muito peqneno.
Tomam-se activas providencias par atacar aquella
terrivel epidemia. -^
Palleceu o Sr. Lopes de Meodonga que foi o
inaugucador do folhetim de Portugal; achava-se
na muitos aunos atacado de um amollecimento ce-
rebral, e podase considerar ja ha muito fallecido
para as lettras, para a sua familia e al para si
mesmo.
O Sr. conde de Torres Novas, ministro da guer-
ra tem experimentado alguns alivios na perigosa
onfermidade que fura atacado.
confeccionar a-teforma das repart'ig3cs
.provincia.
Com deslino Parnahyba, seguir da capital,
no da V, a 2 companhia de guardas naclooaes ex-
pedicionaria, coraposta de 101 praea?, alm de 10
voluntarios da patria, 1 recruta para o exercito e6
menores para a armada, que Ihe vo addidos.
Leraos na Imprensa:
c Voltou da viagem de experiencia, o vapor Pa-
ranagu. Nao pdde seguir at a villa da Manga
como se projectra, por nao o permittir a baixa do
rio. No seguinte numero publicaremos o relatorio
que dessa viagem deu o nosso hbil engenheiro Dr.
Newton Cesar Burlamaqui, encarregado dos tra-
balhus indispensaveis em viagens desta nalureza. >
MaranhXo.-S. Exc. Ilvma. benzeu, no dia ti, a
igreja dos Remedios e as respectivas imagens.
Teado-se desenvolvido a varila na villa do
Codo, a presidencia da provincia fez para alli en-
M-<2>--"
viar urna ambulancia.
Foi oomeado gerente da companhia de vapo-
res, o Dr. Miguel Vieira Ferreira.
Sob proposta do vereador Dr. Macedo mudou,
I a cmara municipal da capital, para Marsitio Dias
o nome da ra Uireita, em memoria do imperial
manoheirodesse nome
Falleceu, no dta 23, o negociante Joo da Sil-
va Ol reir.
Lemos no Pttblicador Maranheme :
O Sr. Joao Vieira Chaves, alumno interno do
Chegaram hentem pela manha* os vapores Pa
rana e locanlins, sendo portadores de datas : da
Baha al 27, de Alagdas al 28, da Parahyba al
30, do Rio Grande al 28. do Cear at 27, "do Ma-
ranho al 24, do Piauhy at 8, do Para' at 22 e
do Amazonas at 10 do corrente. Eis o que colhe-
mos de sna leilura.
nio of. JANEIRO.Incendiou-se, no dia 10, a fa-
brica de phosphoros de cera e de madeira, sita na
ra do Aterrado n. 14, dos Srs. Juo Hubert & C.
Toda a fabrica ficou rednzida cintas,
Foram reformados, com o sold por inteiro,
na conformidade 00 art. 3* do plano annexo ao de-
creto de 11 de dezembro de 1815, o marinheirode
3* classe Manoel Athanazio e o grumete Manoel
Garca, por se terem invalidado 00 servico.
Chegou, no da 20, o vapar de guerra francez
inore.
Foram natnralisados cidadaos brasileros os
subditos ponnguezes : Antonio Jos Duarte Coim- r_-i.i rt
bra, residente em Pernambuco; Florencio Sabino dem,.e!d1?aor'a*ff,l*3!!?
Garca, Joo Ferreira Campos e Antonio Ignacio'
Vasqo.es, no Para'; Antonio Bento-aSilva Coelho,
as Alagoas ; Carlos Emilio de Castre Gallos, Joo
Tavares de Pinho, Joaquim Jos Dommgues da
Silva e Manoel Bernardos Perera de Magalhes, no. ," *
Maranhao.
Instituto de Humanidades, dirigido pelo Sr. Dr. Pe-
! dro Nunes Leal, foi um dos que primeiro se offere-
ceram como voluntario do corpo de Imperiaes In-
fantes. Pedindo depcis a approvago de seu pai,
abastado fazendeiro de S. Jos dos Mandes, o Sr.
alferes Gregorio Vieira Cbaveij, sen to to vivo pra
zer com a re.-olugao tomada por seo filho, que aca-
ba de escrever-lhe nao s o louvando, como en,
i viando Ihe dous conlos de res, um para offerecer
ao governo como auxilio s despezas da guerra-
oulro para seu bolsinho. Nao sollreu o animo do
joven Vieira Chaves despender essa quanlia em fri-
I volidades, alias to proprias da sua idade, e irala
Por ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro
vieta fecharam-se beje (19) as repartiges publi-
cas e salvaran) todas as fortalezas, em sigual de
jubilo pela capitulago de Uruguayana.
Fecharau-se tambem multas casas comroer-
Poram julgados habilitados para serem se-
gundos cadetes os soldados :
Do 3* corpo de voluntarios da patria em organi-
sago na provincia de Pernambuco, Francisco Xa-
vier Camello Pessoa, por haver provado ser filho
legitimo do Sr. alferes da extincta 3" linha do exer-
eito Joo Pedro de Mello ;
Da companhia de cavallaria de Pernambuco Jos
Carneiro Maciel da Silva, por haver provado ser
filho legitimo do Sr. Hemeterio Maciel da Silva, ca-
pilio da guarda nacional da provincia de Pernam-
buco, noraeado em virlude da lei n. 60 de 19 de
setembro de 1850 (
Lemos no Jornal do Commercio, de 16 :
O Sr. Antonio Gongalves de Araujo, capitao
do patacho Campista, entrado no dia 11 do llio
Grande communica-nos que no dia 8 do correo-
te, a 33, 21' lat. Sul e pela estima 43*, 3o' long.
O Greenwich, aviston um navio desarvorad), e que
approximando-se delle at a distancia de dez bra-
gas, reconheceu ser um patacho pintado de preto,
tendo a popa, a borda e beque partidos. |
< Acrescenta o mesmo capitao que arriando um
bote com quatro homens de seu bordo dirigio-se ao
navio, afim de melhor reconhec-lo, mas que nao
consegnio atracar em virlude do muito mar e ven-1
lo que euto reinavam, podeudo apenas verificar i
que eslava carregado e sem gente.
baha.Chegou, o dia 17, o transporte ameri-
cano de guerra Suppley, trazen lo maolimentos
para a esquadra estacionada no Bio de Janeiro ;
p.ira onde seguio este vaso, no da immediato.
A' bordo da corveta O. Junuaria foram para
a corte 65 pragas para a marinha.
Os Srs. Francisco da Silva Mello Jnior e co
ronel Joo Caetano Xavier da Silva Perera offere-
ceram 4:0003 para as despezas da guerra.
Cora destiuo a' Montevideo e Buenos-Ayres,
tocn no porto da Babia, no dia 20, o vapor inglez
Rio Paran, que deve fazer o servigo de passagei
ros, para o que tem bons commodos.
Achava-e prompto a seguir para a corte, o
balaltio de voluntarios da Princeza Imperial, or
ganis.id) na capital sob o commando do lente-
coronel Manoel Jeronymo Ferreira.
A carne verde encarecer bastante, venden-
do-se ao meio dia a 240 rs.
epuis de ter tocado na provincia do Espirito
Santo, ficava na Babia o trans|iorle Isabel.
O vapor americano Havana, da linha dos
Estados-Unidos, locou nesse porto no dia 26.
O cambio regulava : sobre Londres 26 1/2
d., sobre Pars 360 rs. por fr., sobre Hamburgo
703 rs. e sobre Portugal de 110 a 115 %
De Pernambuco chegou, no dia 25, com tres
de viagem, n patacho D. Luiz; e saino com esse
destino, no dia 17, o patacho Elvira.
Ficava carga o brigae Amelia.
Seiiii'e.Fui muilo festejada arendigo de Uru-
guayana, fochando-se as repartiges e os estbale-
cimentas commerciaes.
Achavam-se alistados 192 voluntarios da pa-
tria.
No vapor Cotinguiba foram para a Baha 76
pragas da guarda nacional 5 voluntarlos.
De volta de Iiabaianiaha ficava na capital o,
Dr. chefe de polica, dexando alli os nimos ser-
nados e harmona restabelccida.
Alagoas.Ja era conhecido o resultado eleitoral
dos collegios do Penedo, Anadia, Palmeira, Trap,;
Malta Grande, Poxim e S. Miguel, pertencentes ao
destricto do sul, para deputados provinciaes.
Parahvba.Teve lugar, no da 21, o Te Ueum
mandado celebrar pelos subdita* portuguezes, re-
sideotes na capital, pela rendigo de Uruguayana. |
Foi espleudido e muito concorrido.
Erabandeiraram-se as fortalezas, os navios sur-
tos no porto, a cmara municipal e outros edificios
pblicos, os consulados e algumas casas particu-
lares. >
Em regosijo pelo Irlumphodas armas alliadas,
percorreram hootera (19) as ras da cidade duas
brilhantes passeatas, urna, tarde, organisada pe-
los guardas cvicos, e outra noite, promovida pe-
los infantes imperiaes. Esta ultima sahio da casa
do Sr. Dr. Toleotino Machado, o qual a dirigi. A
frenie da outra iara os Srs. rs. cnefe de polica,
comiuaudaute superior interino da capital, e o Sr.
Alfredo Hall, como representante da guarda civica.
Reioou sempre um enthusiasmo digno do grande
aconlccimento que se festejava
Os empregados de fazenda, thesouraria, alfande-
ga e collecloria, a convite e lembranga do Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda Francisco Jos
Gomes Perera, resolveram mandar cantar um Te-
Deum em acgo de gragas a?) Todo Poderoso, logo
que se livor noticia de liayer regressado a' corte
do imperio S. M. o Imperador, no goso de perfeila
saude.
Para.Seguiram no dia 11, a' bordo da canho-
neira Ibicay, com destino ao Per o Sr. Dr. lava-
res Bastos e capito-lenente Costa Azevedo.
Nesse mesmo dia foi pregada a cavilha-mes-
Ira de um lancho que se usa' construindo no ar-
senal de marinha, para o servigo da alfandega.
Acerca da ceremonia diz o Jornal do Amazonas :
t Alm da offlcialidade e mesiranga do arsenal,
assistiram a esta ceremonia1 S. Exc. o Sr. presiden
te da provincia, os Srs. inspectores da thesouraria,
e alfandega, o Exm. Sr. Dr. procurador fiscal da
fazenda, e o Sr. guarda mor interino.
t O Sr. inspector do arsenal recebeu das mos
do Sr. director das construegoes navaes, Couliuho,
um martello de prata, e o offereceu ao Eira. Sr
presidente. S. Exc, impondo a primeira martella-
da sobre o prego da cavilha, deu ao lancho o no-
me de Riachuelo, e passou o martello ao Sr. ins-
pector de fazeuda, que repeli a ceremonia. S'gu-
ram-lhe os Srs. inspector do arsenal, procurador
fiscal, inspector da alfandega, guarda-mr, ajudan
te do iaspector, directores e mestres.
A quilha do lancho eslava embanderada e
coberta de flores. O prego que servio na cavilha
fura galvants.ido a prata.
t Depois do acto de que acabamos de dar noti-
cia, foi servido um modesto copo d'agua, offerecido
pelo mestre e offlciaes do lancho. Fizeram se dif
ferenles brindes anlogos ao objecto da fasta, diri-
gindo S. Esc. palavras animadoras aoSr. director
das construegoes e ao mestre que um mogo filho
desta provincia, de nome Belm, muito hbil.
Do Diario do Gram-Par traoscrevemos o se-
guinte, que nos parece ser urna galga, porquanto
nos jornaes do Maranhao nada encontramos a' se-
melhante respeito :
c Pelo vapor Camossim, que chegou do Mara-
nhao, ti vemos datas da juella provincia at 10 do
corrente.
t Nenhuma noticia de importancia d'alli nos
trouxe alera da seguinte, cujos pormenores deve-
nios a' bondade do respectivo cominandanle.
t Entra'ra no forte de S. Luiz nos primeiros dias
do corrente mez um vapor de guerra com bandei-
ra americana, mas que ai sabir no dia 7 deixou
alli suspeitas a sen respeito pelas seguinies ocur-
rencias :
O vapor comprou 100 toneladas de carvao, e
depois mais 29, deixando o commandanle ordem ao
cnsul american para pagar apenas as 100 tonela-
das.
c A's pessoas qoe visitaran) o navio, indurado
offlciaes da nossa armada, nao foi perraiitido pas-
fiscaes da .lr1 e 61; sendo, outrosim, licito as partes allegar a
ineoinpeteocia do juico por aggravo ou app-llagao.
DeMs guarde a V. ExcJos Thoraaz Nabuco
de Araujo. Sr, presidente, da provincia de Per-
nambuco.
como v se, & deciso que nella se contm, com-
bina com o que ha pouco deu o Exm. Sr. conselnei-
ro presidente com relago a mesraa materia.
A offlcialidade do 2 batalnao da guarda na-
cional deste municipio, ora destacado em servico
da guarnigo desta praga offerece hoje um copo
d'agua ao respectivo coinmandante, como maniles-
lago do aprego em que essa briosa offlcialidade
tem a seu digno chefe.
Dever ser langa lo ao msr sabbado prximo, l
nm novo vapor encouragado, construido no estallei-
ro do arsenal de mariuba da corle; o qual de.no-
mioar-se-ha Barroso.
Suas dimensoes sao matares em um tergo da-
quellas do Tamandar, sendo alm disto de cons-
tru-gao superior a deste.
Montara duas pegas estriadas de 120 e duas
de 70. ^
A' presidencia de nosso tribunal de commer-
cio foi expedido pelo ministerio da justiga o se-
guinte aviso, sob data de 18 deste mez.
a A' S. M. o Imperador fui presente offlcio de
V. S. de 5 do corrente, consultando-se em face do
dsposto no art 2* da lei n. 1,237 de 24 do setem-
bro do anno passado, e no art. 2o do regolamento
de 26 de abril do correle, deve o tribunal do
commercio dessa provincia encerrar o registro das
hypoluecas commerciaes, visto como s sao ad .n-
tidas pelo codiiro do commercio hypothecas sobre
bens de raz que pelo art. 2 da lei citada sao re-
guladas pela lei civil. E o mesmo augusto senhor
ha por bem mandar declarar que, em vista das
disposigoes claras e terminantes desses arligos, de-
via ter sido encerrado o registro das hypoliiecas
commerciaes logo que se installou o registro geral.
Deus guardo a V. S.-Jos Thomaz Nabuco de
Araujo. -Sr. presidente do tribunal do commercio
de Pernambuco.
A demora da chegada do vapor inglez fheno,
que h miera seguio para o sul, foi occasionada
principalmente por urna quarentena que era Lis-
boa Ihe foi imposta por proceder de Souihamplon,
onde reinava o cholera, e tambera por Irregulari-
dade de funego do machinisuio, de sorte que leve
al de navegar a vela cerca de 25 horas, eraqaan-
to concertou-se urna de suas pegas.
Todava dlzem-nos que isto nao importa ser mo
o navio ; nois sao cousas comesinhas aos macln-
uismos novos, como o o do lieno ; que no en-
lamo de excellenle conslrucgo e rene todas
as condiges desejaveis de cominodidade e asseio.
O KAeao em altura para c de S. Vicente encon-
trouo Oneida : e indo a falla, soubese seu bor-
do da rendigo de Uruguayana com verdadeiro en-
ihusiasmo.
Os brasileiros e porluguezes casados com brasi-
leras, que vlnham de passagem, na efervescencia
do sen jubilo improvisaran) alli a sua expenga um
brinde offerecido a todos os cumpanheiros de via-
gem, que se associaram s expansoes patriticas
dessa porga* de lilhos da ierra da Santa Cruz.
A' bordo do vapor Mamanguape veio do alto
sertao, o Dr. Marcos Corroa da Cmara Tamarin-
do, que hontcm pela mauha apresenluu ao Exm.
Sr. presidente da provincia 31 pragas de guarda
da nacional, voluntarios e recrutas.
Segu para a corle, bordo do vapor Tocan-
de esludantes do lyceu e de diversos collegios do
Maraubo. E' urna bella mocidade, que deixa seus
commodos pelos azares da guerra, e a quera dese-
jamos mil venturas.
Hontem a noite chegou de Serinhem a esta
cidade o segundo corpo de guarda nacional desti-
nada ao servigo da guerra, de que commaodante
o digno Sr. tenente-coronel Marianno Xavier Car-
neiro da Cunha, cujo patriotismo nao pie conter-
se ante o ultrajes feitos a' honra nacional, ao pon-
to de offerecer-se com o seu brioso baialhn, afim
de marchar para o campo da batalha, sendo ueste
louvavel e heroico intenta secundado por cidadaos
conspicuos daquella locahdade.
Desembarcando o corpo as Cinco Ponas, ah
foi recebido por S. Exc. o Sr. conselneiro presiden
le, Dr. chefe de polica e muitos outros funciona-
rios, alm de um grande concurso de povo, que o
victoriava por entre os suns alegres de msicas
raarciaes e o estalar fastivo de fuguetes, que su-
biarn ao ar.
Deste ponto dirigio-se pelas ras Direila, Livra-
mento, Quemado e Imperador al o palacio da
presidencia, onde estacunou por alguns raomenlos.
Ah S. Exc. deu varios vivas, que foram cones-
pondidos cora enthusiasmo pela grande parte da
pupulago que concorrera aquello lugar para pre-
senciar to bello espectculo ; e as msicas loca-
ran) o liviano nacional.
Terminadas estas expansoes patriticas, de;filou
o corpo pela ponte Pedro II em direcgo ao quartel
da Soledade, onde recolheu-se.
A estes briosos filhos de Pernambuco as nossas
felicita coas.
Bepresenta se hoje no Santa Isabt
ornado de msica As Recordar-oes da
sendo o papel de Soemia desempenhaio
F -T aTnde a r ndeu ? 1 .' do correte, sarem da respapliva tolda Myp
42:9593373 rs. f e o consulado 27:785530 rs. *ora ft^erfflaS? US^i.
Bio-Grande. Nada occorreu digno de men-
gao.
Sbube-se /jue a bordo exista um irmo do
commandanle' do navio, jcasado em Assurapgo
Ceara-Os seminaristas fest-jaram, no dia 20, (Paraguav> que declaroulque para alli era o seu
o^tnumpho de Uruguayana, com um solemne Te-
Deum, que assim descreve o Cearense:
t Ante-hontem na capella do Outeira da Prainha,
o seminaristas lesiejaram o tnuinpho de Uru-
guayana, assistindo a briosa cohorte 'de Baturit,
sob o commando do major Antonio Loareogo de
Castro Silva, com urna banda de musitar^
Houve grande concorrencla.
O reor subindo ao pulpito, dirigio-lhe pala-
vras animadoras e patriticas.
Depois, elle mesmo dislribuio, entregando a
cada um dos voluntarios a efflgie de N. S. em
urna vernica.
Os seminaristas em numero de mais de 70 de-
ra m mil vivas aos voluntarlos e ao seu diguo e
distinelo commaodante.
c O pelota.) dos -coriseos -foi muito applau-
dido. >
Alm deste, eis a descripgao dos ouiros fes-
tejos :
Continuara as feslas patriticas. A noticia da
victoria de Uruguayana, que ante-hontem nos
trooxe o Tocantins, foi recebida n'esta cidade cora
0 mais vivo prazer e enthusiasmo.
Fogueles, hymnos, illuminagao, passeiatas,
discurso*, versos, e ardentes brados, manifestaran)
0 contentaroento que pdlsnia a populago. Todas
as classes, toda* as corporagoes, todos os cidadaos
eraflm procoravara a porfia tomar parte no festejo
da gloria patria. >
Durante a semana de 16 a 21, foram inspec-
cionadas, na competente reparligo, 867 saccas de
algodlo.
Lemos no Soorai:
c Das 7 para 8 horas da noite do dia 10, obser-
vou-se desta cidade um pheoomeno extremamente
1 curioso. Foi um aerolito muito luminoso, que, co-
j (negando- na direcgo SO, em ama altura que o
inesperado do pheoomeno nSo permitlio determi-
1 nar, snbio rpidamente ao zenith ; deseen para N
j e desappareceu, aps alguns segundos, fazendo ou-
I vir din: detonagdes surdas e aproximadas, um
tereo de nm arco Imaginario qne de SO a N co-
1 brisse as nossas cabegas.
Lemos no Pedro II:
O vapor Gurujty trouxe para esta cidade 200
pragas, sendo 3 offlciaes, 1 cadete e 132 voluotarios
: e designados, da Parnahyba ; 1 sargenta, 17 de-
signados, I recruta da Graoja, 7 voluntarios e8
1 designados do Acarac; e 1 cadete, 13 volunta-
rios, 7 designados e 9 recrutas, que vieram com o
tenente-coronai Beginaldo, encarregado de levan-
tar um corpo de voluntarios na comarca do So-
bral. >
Piauht.A victoria de Yatay foi raoito festejada
na capital. A' noite um luzdo concurso, cuja
frente ia S. Exc o Sr. presidente da provincia,
acompannadi* de urna banda de msica, percorreu
as principaes ras da cidade, levantando incensan-
tes e estrepitosos vivas ao eierciio e armada brasi-
lera, aos alliados, ao governo geral provincial, e
aos voluntarios da patria. Terminou-se este festejo
pelas 11 horas e meia da noite.
A presidencia nomeoa urna eoiBmjgsao para
deslino.
c Os offlciaes de bordo usavam nos bonete, em
vez da aguia de que usam os da armada america-
na, de urna cruz.
t O navio, que da lotago do nosso Toccmfins,
tomou no Maranhao pratico para Pernambuco.
t Perguntavase no Maranno se seria algum
paraguayo disfargado, ou reliquia da esquadra dos
confederados ?
c Limilamonos a dar esta noticia em cumpn-
menta do nosso dever de jornalisla sem emittir
opinio que nao podemos ter; presumindo anles
at qne fado ulterior aclarei o negocio que aquel
le navio realmente um vaso da esquadra dos Es-
tados-Unidos, embora se dirija ao Paraguay, como
muito natural.
Amazonas.Nada occorreu, aps a vinda do va-
por Havana.
PERNAMRUCO.
REVISTA D!IRI1.
Pernambu-
De novo cobre-se de jubilo a igreja
cana.
O bispo eleito para esta diocese foi preconisado
em consistorio da Santa S.
E' portante, de esperar que S. Exc. Rvma. den-
tro em pooco venha assumir a direcgo de nossa
Igreja, recebendo a das mos de om prelado qne
tudo lem envidado para sustenta-la na altura de
um pastor (Ilustrado.
Alistaram-se hontem, no 5o corpo de volunta-
rios 11 voluntarios, sendo 7 apresenlados pelo julz
municipal de Pao d'Allio, 3 pelo delegado de Ja-
boatao e 1 pelo sargento do mesmo corpo Serapio
de Mello Carneiro.
A' seu pedido foi hontem exonerado de mor-
dorao do collegio dos orphos, o Sr. Vicente Fer-
reira da Silva Braga.
Pelo ministerio da justiga foi expedido em
daia de 14 deste mei pre-idencia deste provincia
o seguinte aviso, acerca de urna questo importan-
te agitada perante os nossos tribuoaes.
a lllra. e Exm. Sr.Em resposta ao offlcio dessa
presldeocia.datado de 28 de agosta ultimo, acom
panhando urna representagao em que o juiz de or-
phos dessa capital, bacharel Ernesto de Aquino
Fooseca, expde que o juiz dos feitos da fazenda
arrogou-se o direito de proceder a inventario dos
bens deiiados pelo finado brigadeiro Gaspar de Me-
nezes Vaseoncellos de Drummond, nao obstante
ter este dous filhos menores de legitimo matrimo-
nio, cabe rae communicar a V. Exc. que S. M. o
Imperador, visto o parecer do conselho consultor
dos negocios da jnstiga, visto o parecer da secgo
de justiga do eoaselbo de estado de 5 do corrent ,
houve por bem mandar declarar a V. Exc. qoe
nio compete ao poder execotivo deeidir o conflicto
de que se traa, mas a relago desse districlo, era
virlude da lei de 22 de setembro de 1848, art. 8
6, e no regulamenlo de 3 de Janeiro de 1833, arte.
I o drama
Mocidade.
pela Sra.
D. Adelalde Amaral, que nelie vi perfeitainente
bem.
O vapor inglez Newton, da linha de Liverpool
devia sahlr do Bio de Janeiro para o nosso porta
pelos da Baha e Macei 00 dia 27 ou 28.
Eis as noticias commerciaes das principaes
pragas da Europa, pelo vapor Rlione :
Havre, 4 de oulubro.
O algodo vendeu-se di frs. 185 a 215.
O assucar foi muito procurado, e mostra ten-
dencias para subir.
O cacao vendeu-se de frs. 87 a 90 os 50 kilos.
Os couros seceos e salgados veoderam-se de frs.
46 50 a 65.
Hamburgo,5 de outubro.
Em consequencia das ultimas noticias dos Es-
tados-Unidos, nao s subi como teve grande pro
cu-a o algdao, aos pregas de 20 a 21 l|2 b. por
libra o do Maranhao, Pernambuco e Ceara.
A borracha fina do Para' vende-se a 20 b. por
libra.
A salsa parrh dem de 14 a lo 1(2 b. por li-
bra, e o uruc de 14 a 15 b por libra.
Lisboa, 12 de outubro.
O assucar branco regulnu de 13700 a 24300, e o
mascavado de 15300 a i600 por arroba.
O algudo idem a 380 rs. por libra.
Os couros dem de 100 a 120 rs.
O cacao do Para' idem de 4*050 a 43100 a ar-
roba.
Fizeram acto no dia 30 de outubro na Facul-
dade de Direito, os seguiotes estudautos:
l." Anno.
Joo de Almeida Lopes, plenamente.
Manoel Messias de Gusmo Lyra, simplesmente.
Luiz Vicente Borges, idem.
Angelo Pires Ramos, plen*mente.
2." Anno.
Antonio Perera de Abren Jnior, simjtesmenle.
Casimiro Borges Godinho de Assis, plenamente.
Francisco Alves da Silveira urito, simpJesmente.
Fabio Nunes Leal, plenamente.
3." Anno.
Julio Cesar de Meodonga Jnior, plenamente.
Jos Joaquim de Almeida Notre, idem.
Caudido Alves Machado, dem.
Deocleciano da Bocha Yianoa, idem.
4. Anno.
Francisco Rodrigues Soares, Plenamente..
Joo Joaquim Baraos e Silva, simplesmente.
Joaquim Joas Bezerra Montenegro, plenamente.
Segismundo Antonio Gongalves, idem.
5. Anno.
Joo naptista de Siqueira Cavalcanti, plenamente,
francisco de Assis Correa Lima, dem.
Lino Leoncio ae Assnmpgao, dem.
Dos portas do norte vo, a' bordo do Tocan-
ttns, cerca de 600 pragas entre guardas nacionaes,
voluntarios e recrulas do Maranhao, Ceara' e Bio
Grande. Em consequencia disso apenas embar-
cara hoje, com destino a corte, o corpo Qxo e at-
guns recrulas, ao todo cento e tantas pragas.
Hoje o agente Cordeiro simoes leva de novo
a leilao 15 aeges da cal xa filial e 5 ditas do Novo
Banco de Pernambuco, em seu armazem a ra da
Cruz n. 57.
Servir' de base o prego ja obtido no leilao pas-
sado.
Effectua-se hoje o leilao dos salvados da ga-
lera ingleza Duncan Dunhar, no armazem alfan-
degado do baro do Livrameolo, caes do Apollo e
por intervengo do agente Pinto.
Hoje, o agente Olympio, em seu grande ar-
mazem da ra da Cadeia do Recife n. 3f>, fara'
leilao de trastes noves e usados, re'ogios, objectos
diversos de ouro e prata, candieiros a gaz, santua-
rios, planos de mesa e de armario, e oulros muitos
arligos.
REPARTigO DA POLICA.
Extracto das partes dus dias^B e 30 de outubro
de 1865. W ,
Fora o recolhidoe a casa de detengao no da 28
de orrenle :
1* ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Theodwvo, africano livre, para eorreccao ; Albino,
Theodox e Manoel, escravos, o i* de Jos Teixei-
ra Bastas, o 2* de D. Mara da Piedade e o > n
Manoel Francisco Schefler, todos por jogos prohi-
bidos.
A' ordem do da Magdalena, Antonio Pedro, para
correego.
- 29 -
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de r*frw, Jbsw
Themotheo da Fonseca, como sentencia* o.
A' ordem do Dr. delegado da capital, BenloGoo-
calves de Olveira, como desertor.
A* ordem do subdelegado do Beeife, Abel e Joa-
quim, escravos, este de Francisco Gurgel do Anw-
ral eaquelle de Ismael Amavel de Carvalbo, !
por suspeito de estar fgido e o ultimo para cor-
reego.
A' ordem do de 6. Jos, Antonio Jos da Silva,
por disturbios ; e Joo, escravo de "Manoel Joaqoia
Vieira, por suspeito.
A' ordem do da Boa-Vista, Julio oares de Ol-
veira. para correego.
A' ordem do dos Afogados, Antonio, escravo de
Joaquim do llego Cavalcanti, por fgido.
O chefe da 2* sereo,
J. G. de ilesquiia.
Casa de hetkm..vo.
Movimento do dia 28 do corrente :
Existiara 343; entraran) 5; sahiram 5 ; exsteaj
343, a saber : naciooaes 244, multares 4; es-
trangeiros 28, rnolheres 5 : escravos S8, escravos
4; total 343.
Alimentados custa dos cofres pblicos 179. V,
Movimeuto da enfermara no dia 30 do correte:
Tiveram baixa :
Manoel Feij de Mello, panarizo.
Lino, escravo de Luiz Francisco de Paula, eo-
lito.
Tiveram alia :
Aniceto Nunes da Silva.
Jeronymo Ferreira de Alhuiaerque.
Passageiros do vapor Mamanguape. vinoV) de-
Aracaj e porios intermedios
Dr. Marcos Correa da Cmara Tamarindo I
escravo, Dr. f elix Moraes Uraudu. alferes Jos Ta-
vares de Lyra, Antonio Affonso da Costa Carvalbo,
Antonio Pereira Baraeho, Augusto Paier Osar, im
senhora e 2 cralos, Francisco Duarte das Neves e
1 escrava, Domingos llamos A. Pereira, Aoioio
Teixeira Pinto, Antonio Alves Correa Veras, Afri-
cano Paulo, 15 voluntarios da patria, 13 guardas
nacionaes e 3 recrutas.
Passageiros do vaqor inglez Rhont, viado de
Souihamplon e portas intermedios :
Trajano Augusto de Carvalho, A. de M. G. Ferrei-
ra e 1 sobrinha, Augusto Frederlco de Oiiveira,
John Alfred Tnom e sua senhora, Pedro de Ca*trt>
Doce, Alfredo rtlves Mooleiro, Joaquim FeroaavoVs
dos Santos, Jos dos Santos Neves Jnior, Jt>>
Francisco do llego e sua senhora, Alvaro Aokos
de Almeida, Francisco Jos Gongalves da Sia,
Narciso Jos Machado, Joo dos Santos, Aniow
Fernandes de Parla, Domingos Alvaro Xavier Bre-
ga, Francisco Rodrigues Lnp-s, Antonio Jo*t)uixn
Dias Medronho, Joaquim C. Fragoso, Antonio de
Souza Cunha, Manoel Rodrigues de Meodonca, An-
tonio Jos Borges, Mathias Jos Firmo, Manoel X
Rodrigues Praga, Joo Vieira de Azevedo, Jeo
Bapiista A. Vieira, Jos da Hora Molla. Jos Pvrei-
ra dos Sanios, Ricardo da Silva Ferro, C. Kud F-
V.*, Mrs. Patcheti e 1 filha, Dr. Brendal, Sron-
gietooer, Miss Roberlson.
Passageiros do vapor francez Sacane, saludo
para Bordeaux e portas intermedios :
Joaquim Ferreira Valente, Adriano Depeanx. Jo-
s Joaquim da Cunha Guimaraes, Carlos Leverpe,
Elias Len de Ploeg, Jos Antonio Piolo da lloclw,
Hyppolito Schaffter, Thomaz Antonio Espinca.
Passageiros do vapor brasileiro Para*, vin
do dos portes do sul :
Dr. Lucio FtiUnpti de Souza Leo, sua senhora e
2 escravos, Dr. Jos Bernardo G. AJcoforado, alie-
res Francisco Antonio de Sa' Brrelo, Uraxio
Raimundo Caminha, Valerio L. Alves da Stlva,
Jos Pereira Vianna, lente Leopoldo B. Gaivo
Uchoa, Manoel de Barros Reg, Leopoldo AMonso
Ferreira, Joaquim Vellio do Reg, Joaquim U. U
Luz, Marcellioo Jos de linio, Pedro Ucboa Cavai-
cand, alferes E de Mello Tamborn), Justino de Car-
valho Villarouca, Francisco Ferreira Borges, Jaeo-
me M irtins Baggi, Isidoro Gomes de Souza, D. An-
ua Joaquina do Sacramento, Anbal Frederk-o Fer-
reira Cunha, Manoel Joaquim Card >zo, Jaouario
Grillo da Costa e 2 filaos, Manuel de Siqueira '<-i.-
Jes e 1 escravo, Pedro Antonio de Olivetra, Loo-
rengo Ferreira de Mesquita, Manoel L, Vieira de
Mello, Manoel Lourengo de Aojo, Flix Jos de
Sona, Tito Afitonio da Cunha, Quratino Ferreira dat
Silva, Ur. Estanislao da Silva Lisboa, Francisco C
dos Passos, Jo.- Antonio Barboza Coelho, L 1 de
Carvalho, Francisco L. de Castro, Joaquim de Sonza
Espiodola, Jos R. da Rocha, Francisco Ferud&fc
Mureira, 1,andido C. da Silva Leo, Feoeluu t Sil-
va Moni'1, Jos Francisco Martins de Miranda, sna
senhora e 2 filhos menores, Jesuino de Almeida,
Joaquim da Costa Pascoal Vges, Tuto Lair.anva.
Pasquali Reall, Dumeoco Apolidoro Giacome Yak-
note, Joo Jos da Costa Leraos, Antonio Jos AJves
de Bnto, Francisco Jos Clementino, Evaristo IJyp-
polito Frauciseo Branco Locl, Ignacio Jos iVsUoa,
Francisco Jos Pires, Jos Antonio Virceros da Cos-
ta, Joaquim Jos de Senas, Luiz Googaza des San-
tos, Antonio Jernimo, Severnj Antonio Lc-.iesiV-
reira.
Seguem para o norte :
Teneote coronel Jos Paula Tavares Arroda, ca-
pitao Tertuliano Mariuho de Mello, Jos Semino
da Silveira Cutafange, lente Antonio Bezerra Ca-
bral, Felizardo do llego Toscano de Brito, alfen
Francisco Jaiuario de Arrchellas Galv>. Evaris-
to Biplista da Cruz, alferes Lourengo Rodrigues- da
Silva, alferes Francisco Augusto Peixoto de.AiVx*-
car, 10 ex-pracas, tenente Raimundo Alves de Cas-
tro, lente Romualdo de Oliveira Senas, eaptlao
Caetano da Silva Prannos.
Passageiros do vapor brasilero Tocantm, en-
trado dos portea do norte :
Manuel Joaquim Paes Barreta, Caetano adoo
Rodrigues Chaves, Dr. Manoel Fernandes fien
Filho o I escravo, Jernimo Jos Figueira de afel-
io e 2 escravos, Manoel Jos de Medeiros Tavares,
Joaquim Rodrigues da Silva, Jos Joaqun) >oora-
do, Juo Juveual Barboza Tete, Jos Gomes de
Araujo Quinlella, Joo Beoio Graba, Mariaeo e
Souza Falco, Joaquim Antonio Pereira Vinagre,
Joo Pinto de Lemos Jnior, Francisco Corr da
Silva, Antonio Alexandrino de Lima, Francisco Fer-
nandes Luna, Braz Jos Veliio de Lima Alfredo Wt-
ber.
Seguem para o sul :
Antonio da Coste Oliveira, Mancel Pereira de Bri-
to Mercelles e sua familia, Augusto Khin, Maaeel
Gomes Pereira, Joo B. da Costa Rodrigue* elf-
mo, Umbellina Mara da Soledade, Augusto Car-
los de A mor mi Garca, Demetrio Geovaoi, 19 a>-
dete*, 83 infantes imperiaes de Maraoho, 1 naa-
jor, 12 offlciaes, 3 cadetes e 400 pragas de vofan-
tarios guardas nacionaes do Ceara', 14 guarda na-
cionaes do Rio Grande do Norte, 28 pragas para
armada, 9 escravoeda naco e 7 ditos a entrevar.
Passageiros do vapor ragun Wmnt,
para o sul :
Gervasio Campello Peres Ferreira e i crian*,
Samuel Power JohnMon, Bartolere A. de Rafatet,
Jos Uunder, Severioo Ribeiro Carneiro lloaier
e Antonio Correa de Vaseoncellos.
Ck.miteuio publico, obitl'mmo do ha 17 ns
OUTUBRO l'E 1865.
Mara Isabel de Albuquerque e Silva, Permanbn-
co, 22 anuos, casada, Sanio Antonio ; parto.
Joaquina, liberta, frica, 76 anoos, solteira, Bon-
Visla ; entente.
28
Francisco, Pernambuco, 3 anno, Santo Antonio ;
aslhema iuiesiinal.
Apolinaria Mara da Conceigo, Peroaraboco,
anuos, viuva, Recife ; tubrculo pnbBonare.
Thereza, Pernambuco, 14 mezes, Santo Aoioejo j.
dentlgo.
Joo, pernambuco, 6 metes, S. Jos; tota* ceav
vulsa.
Luiz, Pernambuco, 8 mezes, escravo, San Anto-
nio ; iiillaniuiago.
Augusto, Pernambuco, 1 anno, escravo, Boa-Val ,
>08taa.
Joo, Arrica, i"> annos, soltoiro, escravo, Boa-v>**>
allecgo pulmonar.
Jos, Pernambuco, 8 raeaes, Boa-Viste ; Mm*
thiases.
Antunma Leopoldina de Barros Longa, Prrnamna
co, 26 annos, viuva Pon*4* Panella; tobereun*.
C0RBESP0MDEHOAS
Srs. redactores.Haveodo chamado a
bilidade e autor dos comimmieadM nnMeadon
Diarios de Pernambuco de 10 e 34 do
tendo por tituloA folicia de Afogados*
dos porO espectador aorosonton se
ponsavel Marcolino ferreira da Cesta.
Os documentos abaixo transcriptos ero
a esse individuo cabe a qualineaeao de reo r
cia, e portante nao devo entrar en liga
enja inimlzade innata as ao
corre de seu habitual procetlnwnto,
1


Diffrf* 49 pernambaeo Ter
%
i
eoaii prava de respe) ailorHde superior, tra-
tare! da proseguir nos tenaos respectivo pro-
Mito
Atjalo;, 39 da oatuhri de 1863.
os Roberto de Moraes e Suva.
Trajano Evaristo Ferro Ciilello-Branco, escrivao
4a easa de detengo da cidade do It :cife, em vir-
tade di lei, ele.
Certifico que dandi busca no; llvros da antiga
eadeia, ellos eneontrel seis assantamsotos de pri-
sa 4a Mareolino Ferr ra da Cosa ; sendo o pri
Miro (Mr ai'li;y"-srt indinado no roubo feilo nesta
eiilarte a /os da Bocha Paranho', tendo sido preso
na comarca de Goianna. pelo que fui pronuuciado
no art t69 do cod. peo. ; o segundo para averi-
f uid>s policiaes, pelo que fot processado; o lercei-
ro para avarguac5es, palo (jue prnstou Ihiiim : o
quieto para correado ; o quinto por se achar sen-
teacido, pelo que cumprio seotenca ; o sexto li-
naioaente, por ter sido .-nvolvdo em uro process.
E' o que fielmente coosu do- referidos assentamen-
tos de priso de Marcelino Ferr,ra da Costa, rela-
tramete ao que requer o supplicante na peiicao
xetro.
Casa de detengo, 25 e abril de 1860.
O escrivao,
Trujano Evaristo Ferrao Castillo-Branco.
yuglelas i mim
Monte Pi Portuguez.
A directora provisoria, em quanto irata da ira-
pressio dos estatuios da sociedade para seren de-
vidamoale distribuidos, Julga conveuienle lerar
desde ja ao conheermeoio de lodos os interesados
os segaiutes ariigos dos ertalutos :
< Art. 57. 0 .-ocio que. por sua infelicidade, se
achar desempregado, preso, ou imposibilitado de
trabalhar, percebera nma presheao mensal qae,
nao ercedendo de 30,9030 rs, poder ser redu-
zirti..segunde a maior mi menor necessidade do
SUCIO.
Art. 58. Ao socio que se desemprepar por mo-
tivos justos, a directora por si, uu por seus co-
Dtiecimentos, procurara emprego adecuado s ha-
bilitarle* que elle tiver, at duas vezs; e se se
retirar para aulra praea promover-lne-ha as possi-
?eis recomm-ndacoes.
t Art. 59. A'quelles que por molestia, ou nulros
ortivos graves, tiverem necessidade de se ausen-
tar, pagar a sociedade as despezas de transporte
am eotnmodrdade e decencia, para outratpro-
viue.ias do imperio, ou para paiz slraDjfeirO.
Art. (K). Ao socio que fallecer a direcloria
mandara fazer nm enterro decante, se elle nao
detxar meios para laso. O enterro ser acompa-
ado por una eoinmissd nomeada pela directo-
ra, e esta no 7. dia mandar rezar urna missa
( a que assistira urna cororolssao de seus membros)
por alma do fallecido.
* Art. 61. A sociedade cuidar activamente do
livramenlo do socio que fr preso-, mas s Ihe
prestar* o soccorro de que trata o art. 57, se delle
oer.essitar. Dado, porm, no mesmo anno o caso
de reinciden) la, ou conheneodo-se que o socio as-
im pratica por habito oo laa ndole, a sociedade o
nnwtonara s-aonaeqaeovias do seu acto, Ucando1
suspenso a soeio o go-o dos seus direitos pelo
lempo que a directora julgar conveniente.
Art. 63. Fallecendo <\ alquer socio, a sua viu-
va e lilhos menores. Qeaodo privados de melos
para sua deceole susteniacao, goiaro dos bene-
ticius da socmlade da segothte maneira :
$ i. A vi uva, einquauo se couservar nesse
astado, e se comportar honestamente, recebera
oim raeaaalldaaa de 25000.
5 i liihos, legtimos ou legitimados, 103
pur uiei sendo um s, ii& sendo dous, e_ 2000,
se forern mais de dous, lito emquanlo nao chega-
rern idade ile 12 anuos.
Art. 6:- Todo a cidadao portuguez em arcums-
taunus de ser socio, residente nesta cidade, que
recatar entrar para o gremio da associnrao, nao
poiter em lempo algum ser admittido, nem ter di-
rain a ben'fnios de quulguer natureza.
Art. 7U. A contar do 1." de Janeiro de 186C,
pas-sar a juia (que at 31 de dezemhro do corrente
auno de iO'liH)) a ser de 2o000 para os que
desde ento forcn adiuitiidos, continuando todava
a c.lir. r-se a mesan mensalidade marcada no %
2s do art. U (500rs.)
c Art. 76. Das quanlias subscriptas, embora
aiii'ia nao arrecadadas, al serem po-tos em e*e-
cu.;io os prsenles estatutos, o que exceder do
valor da joia considerar-se-na como donaiivo, leu-
do o doador direilo iusenp^ao do seu nonie
com a desK03C&0 da quanlia
Patacho bremensa Schlanke Muid fariuha de
ingo-
rijtue poffugne Bsperancadiversos gneros.
Barca ioglea-fidi/A Marw -carvo de pedra.
Galera inglezaHermione dem.
Paicho portqgueiUaria da Glori/agedo.
Patiicbo bamburguez Emma diversas merca-
deras.
Patacho oorluguez-Vn/ocharque.
HECEBEDOIUA DE. RENDAS INTERNAS GE-
RAES DB PERNAVIBCO.
Rendlmento do dia 1 a 28...... 45:499*373
dem do dia 30................ 934**33
47:433*806
CONSULADO PROVINCIAL.
heudimento do da 1 a 28....... 53:409*887
dem do dia 30............... 1:781*152
55:2513039
MOIKENT UO POMTO
ios entrados no dia 29,
Soulhampio^^ortos intermedios20 das, vapor
inglez Rhone, de 1954 toneladas, commandante
R. Woolward, equipagem 130, carga diferentes
gneros.
Aracaj e porlos intermedios9 dias, vapor brasi-
lero Mamanguape, de 337 toneladas, comman-
mandante Trajano A. de Mello, equipagem 20.
Navio saludo no mesmo dia.
Bordeaux e portos intermediosvapor francez Na-
vane, commandante Maucuet.
Navios entrados no da 30.
Rio de Janeiro e porlos intermedios6 dias e 20
horas e do ultimo porto 14 horas, vapor brasilei-
ro Paran, de 840 toneladas, commandante o ca-
ntuta de fragata Saula lia ruara, equipagem 6,
carga diferentes gneros.
Para' e portos intermedios7 dias, sendo 8 horas
do ultimo porto, vapor baasileiro Tocantins, de
750 toneladas, commandante primeiro leuente
Pedro H. Duarle, equipagem 52.
Navio saludo no mesmo da.
Rio de Janeiro e Rahiavapor infilez Rhone, com-
mandante Woolward-
Sama Casa da Misericordia
o itecifd)
A Illm* junta amioistmtlvt' da Sania (Usa dM
Misdjcordia do Recife ronida convidar a* nssoae
qne sequizerem encarrefpar da mo u'obra da ca-
nalisacao de gaz no hospital Pedro II, que compa-
recam na sala das sessSes da mesma junta no da
2 de novembro prximo-viudooro, pelas horas da
tarde, allm de tratarem do ajoste, e nwta secreta-
ria se daro aos prelendentes os esclarecimentos
necessaros.
Secretaria da Santa Csaa da Misericordia do Re-
ce 77 de outubro de 1865.
O official,
__________________Manoel Antonio fiege.
Santa Gasa de Misericordia do
Recife.
A Illm* junta administrativa da Santa Caa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que no
da 2 de novembro propino viodouro, pelas 4 no
ras da tarde, na sala da- suas sesses, contrata o
fornecimento de 10 a 12 rmlheiros de lijlo de la-
dnlho paja a obra da casa da ra da irloria.
Os pretendentes devem apresentar-se com snas
proposlas em carta fechada, no referido lugar, n
dia e hora aprasados.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 27 de outubro de 1865.
O official,
Manoel Antonio Viegas.
Cear
O hiaan i Dous Irmaos : a testar com Tasso
IrmSos.'*
LEUDES.
EDHiES.
Pela inspeegao da alfandega se faz publico,
que em virtude da portara da ihesouraria de fa-
zenda sob n. 140 hontein dalado, precisa se contra-
tar o concert de urna parte da coberta do edificio
por cima do armazem n. 5, cujo ornamento na im-
portancia de rs. 3294280 aclia-se na me tido, onde os proteo lentes o podero examinar,
alim de organizarem suas propalas, que devera >
ser entregues em carta fechada al as 2 h>ras da
larde do dia 10 de novembro prximo.
E para contar se passa o presente. 4* seccao
da alfandega de Pernambnco 27 de outubro de
1865.O 4 escripturario,
Joao de Assis Pereira Rocha.
u Dr. Tristo de Alencar Aranpe, official da impe-
rial orde.m da Rosa, e jui: do direi'o especial do
commerofa nesta cidade do Recife de Pernambu-
co por Sua Magesiade Imperial e Constitucional,
o Sr. D. Pedro II a quem Dos guarde, etc.
F-tco saber aos que o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem, que no dia 20 de novembro
do corrente anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der em prara publica d'este juizo o se-
guinle :
Urna casa terrea sita na travessa do Peixoto, com
o numero oito, leudo na frente porta e janella com
rotulas, com dezoito palmos de largura e quarenta
de fundo, com urna sala na frente, um quarto e urna
pequea sala de detra?, com cosinha avahada por
400*000, a qual fora penhorada por execugo da
viuva o herdeiros de Jos Hygino de Miranda, con
tra Manoel Jos Teixeira Bastos, socio de Antunes
Giiimaraes & C.
E nao havendo langador que cubra o prego da
avaliaco a arrematago ser (ella pelo prego da
adjudicago na forma da lei.
E para que chegne ao eonheoimento de todos,
mandei passar o presente que sera publicado pela
imprensa e allixa lo nos logares do costume.
Recife 23 de outubro de 1863.
En M.-iii il Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivao, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
Consulado de Portugal
Sao convidados os seohores ere lores do finado
subdito portuguei Firmino Pacheco Gomes, e dos
ausentes Amonio Jos Vieira Braga e Joo Manoel
Alves de Azevedo, a irem receber nsle consulado
o qae Ihes toca em rateio na liquidagilo do espolio
e masas respectivas.
Correio geral
Pela adrainistrago do correio desta cidade se
faz publico que hoje (31) do crreme, as 3 horas
da larde em ponto fechar-se ho as malas que os i autorisagao dos prelios cima defronte da Associa-
EEILAO
De um iiiiiliitinliD de bouila ligara mili-
to propritp-ir pageiu.
Urna negra cosinheira e engomma-
deira.
O auente Martins far leilo por ordera do Illm.
Sr. Dr. Claudioo d; Araujo Gulmar.ies, cnsul por-
tnguez dosescravos cima perienceu es ao espolio
de Manuel Jos Soares Guimares.
Defronte da Assocugo Commercial, as 11 horas.
Le tifio de predios.
Sen I o duas grandes e elegantes casas terreas de
pedra e cal bem construidas e modernas, sitas na
travessa da Ponte de Uchoa para Santa Aoua, a
margem do ameno rio Capibaribe, em chaos pro-
prios, com grandes salas, janellas m> oitao, quar-
tos, um graade solo com 2 quartos em urna del-
las, cosinha, coeneira-, estribaras, muitos arvote-
dos e baia par capun, cacimba com muito boa
agua para beber.
Urna roeia agua n 4 defronle do arsenal de ma-
rinha com frente para a ra da Guia.
um sobrado de 2 andares e solo a. 44 na ra
da Assumpco (terreno proprio.)
Urna meia gua n. 1 no becco do Calabouce (ter-
reno proprio) reade 8j por mez.
hoje:.
O agente Martins lara leilo com a competente
, e dividas nit/nmortaosi ^, cerca de "=*
tudo perlencente nrasN atfin1- .
Sepia-ftira 31 Ce WV*. nbiu
As 11 horas-do iis 8a mescr- lev ,
AYISOS flITEBSOS.
LOTERA
AOS 6:000,81000,1:200000
e 500S000.
BILHETES A' ..,5000, MEIOS .V 2*500 E
CURSO ESPECIAL I
DE
PREPARATORIOS
par os estudantes que devem
fazer acto ciu niareo.
Jos Soares do Azevedo, professor de
lingua e lilteratura nacional no Gymnasio
Provincial do Recife, lera aberto em sua ca-
sa, ra Bella a 37, um curso especial dos
seguintes preparatorios, para aquelles estu-
dantes que tiverem de fazer eiame em
marco prximo :
iJusuu Fraoceza
cographia e Historia
Phllosophia
Rhetorlca c Potica
As pe3soas qin se quizerem utilisar desta
vantagem, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, de manhaa at as 9 lioras, e de
tarde a qualquer hora.
AciaiK
raria ra
meif> e qoint^
(37a) beneficio
cord, cuja extrac$5f
QUINTOS A liJOOO.
Corre Sbindo 4 de rt.
"'-se venda na rt-- ie. ti va ti
lo Crespo o. 45, o* biibetes,
la 3a parte da 5* lotera
Santa Casa da Mri-
ser no lugar el
S^5Stt*S**B \^. ** ^. A'ouiuerque M.rtins Pereira, de.e
be aqiK'lles qne houverem ai^ariado socio
paquetes brasileiros tParan e cTocaotin; lera
de condnzir, aqoelle com deslino s provincias do
norte, e este as do sul.
As cartas admellidas a seguro sero recomidas
ale 1 1/2 hora da tarde,e os jjruais at 2 horas.
CQilBigfrj) @gKM
Relacao das cartis seguras vindas di norte e sul
pelos vapores tGiigot e tParan para os se-
nhores abaixo declarados :
Anna Joaquina de Avellar.
Antouio Aone.s Vieira de Souza.
Dr. Antonio Vasconcellos Menezes de Drummond.
Cietano Cyria,;oda Cosa Moreira.
Camillo Lins Chaves.
David Kerreira Rallar.
Fortnalo Jus Dias de Sampaio.
Klrmiuo Tneolonio da Cmara Santiago.
Francisco Ignacio Piuto.
Dr. G. 11. Campello.
Gnilherme A. Heabster.
Joaqnim Cardoso Ayres.
Joai|uim Gilseuo de Mosquita.
Conego Joaquim Ferreira Jos Santos (Olioda).
Joao Vaz de Carvalho Sodr.
Dr. Jo- Gomes Ferreira.
Dr. Jos Joaquim ldb ;iro de Campos.
Jos Luiz Guaico.
Jos Rodrigues da Souza.
Jos dos Santos Neves.
Loiz Fos da Silva Guimares.
D. Mana de Jesuz (ilha da Madeira).
Mananna Francisca Belem.
Miguel Ferreira Dias dos Santos.
M na & espirito Santo.
Marques, Barros & C.
Melquades da Silva Pinto.
Manoel Francisco de Souza (Lisboa).
Mernbros da Associac.o de Praticos.
Manoel Maximino dos SaBtos Torres.
Manoel Pereira de Lemos.
llaymnndo Joo de Martes Reg.
Seb&stiio Lopes Guimares Jnior.
Acha-se recolhido casa de detengao, pela
subdelegada da freguezia dos Afogados, por andar
fgido, o preto de nome Antonio, que diz ser es
cravo de Joaquim Cavaleanti do K<-g) Junior, mo-
rador na E-cada : quem se julgar core Mreito ao
mesmo compareca, que provaudo, Ihe ser en-
tregue.
O subdelegado,
Jos Roberto de Meraes e Silva.
indi-
CASdo-se no quadro competente o numero dos que,
COM o pagamento da joia, ralilicarem a sua assig-
nalura.
Ctutinuam a receber-se assignaturas para o que
ha listas exposias na ra do Crespo n. 2, livraria
do Sr. Nogoe ra de Souza, e no Gabinete Portu-
guez di: Lei tura.
Pode ser .-ocio todo o cidadao portusuez em
pleno goso de s ,'us direitos, i|ue tiver meios lcitos
de subsistencia e bom comporlamenlo.
S-i-itaria io Monte Po Portuguez em Peruam-
bucu, 2a de outubro de 1865.
Jos da Silva Loyo.
Presidei. le.
Joaquim Gerardo de Bastos.
2o Secretario.
gado de polica do i' dirtncto do termo da cida-
de do Recife, em virlule. da lei, etc.
Fago sader que as audiencias deste juizo conti
nuam a ser as segundas e quintas-feiras de todas
as semanas, em a secretaria da polica.
Recife, 30 de outubro de 186o.
Eu Dion2io Ferreira Cavaleanti, escrivao o es-
crevi.
Luiz de Albuquerque Martins Pereira.
Miite-Pie-.'oi'lug'icz.
(Correspondencia.)
lilm. Sr.abenos a satisfaco de acensar o re-
cetjiiueuio do offlcio de V. S., datado do hornero,
acompauhando a quanlia do 200 por V. S. recebi-
da, valor das jjias de diversos cidados porlugue-
zes que se ilnham inscripto como socios do Monte-
ti, inclusive a que V. S. generosamente subscre-
vra58$, todo conforme a rea gao nominal que
se servio juntar; seulindo s que', tendo V. S. de
relirar se para a Europa no paquete francez a pas-
sar -'ni :J0 oo corrente, nao possa concluir a tarefa
ju-- fiavia to salisfactoriaineute encelado.
Qieira V. S. aceitar os cordeaes agradecimenlos
dest* directora, pelo bom deseinpenbo da misso
qu ihe foi conliada, e em rani.-uiente possuir um corago verdadeiramente
pwtugu-z, seinpre promptn a prestar o seu valioso
apoto a todas as empresas, de que possam dimanar
gl"(i.i, honra, ou utilidade, fiara o nosso paiz ou
para seus lilhos; e creia V. S. nos volos sinceros
qu- forma a directora provisoria, para que bonan-
e/i.-"S veotos o conduzam aos patrios lares, e de
n.ivo o tragam a esta cidade, onde a nossa institul-
^o fiilgar sempre de ver em seu gremio cavalhei-
ros lio prestrnosos e dedicados, cuino indubia-
veimiuie V. S.
Beiis guarde a V. S. Secretaria do Monte-Pio-Por-
!u/o '. em Pernambuc.o, 28 d outubro e. i865.
Illm. Sr. Joaquim Ferreira Valente, milito digno
.soc- e membro adjunto da directora provisoria do
me^nu Monte-Pio.
Jote da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2* secretario.
}C1
a
CO
iicio.
Caia filial do bnneo do Brasil eoi
Pena m buco.
A cana descoota as letras de seu apelaitec a
daitia de 60|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Xunes Correia.
Novo Banco de Peroambaco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devin.Jo na razao de.8(J opr acc5o.
^iovo banca de Pernam-
bnco.
O Soca Sanco desconta letras de praso at seis
aK'-C' 10. por eefltp. ao anno, e. loma dioheiro
a p/ase xo, ou eiu conta correni pelo premio e
con nii5 que se convenciunar.
Loiuiuaiiilo diis ai-in s.
O Exm. Sr. marechai de campo commandante
das armas, est pelo Exm. Sr. conselheiro presi-
dente da provincia aulorisado a contratar um ca-
pelln para o presidio de Fernando. Qualquer Sr.
sacerdote que esti-er habilitado e queira prestar
esleservigo, sob as condiegoes que verbalmenta
se Ihe fara' saber, lenha a bondade de comparecer
no quartel general nos dias uleis das 9 horas da
manha a 1 da tarda. Secretaria militar 30 de
outubro de 1865.
Francisco Camello Pessoa de Lacerda,
Tenente-coronel secretarlo;
De ordem do Illm. Sr. engenheiro em chefe da
repartigoo das obras publicas se faz publico que o
concurso para o preenebimento das vagas de pra
ticanies desta repartgo, ter lugar no dia 15 de
dezembro vindouro, as 10 horas da manhaa.
Os exames vrsaro sobre lingua nacional,
abraogendo a escripia, leitura e analyse gramraa-
tical, desenbo linear e de aquarella, ariihmelica
em todas as suas operagSes, e geometra linear.
Os requerimentos para inseripeo dos candida-
tos devero ser apresentados at o" dia 13. e pode-
ro ser instruidos eem quaesquer documentos os
ttulos scientiflros que abonem a capacidade dou
mesmos candidatos.
Sec;elaria da repartigao das obras publicas 19
de outubro de 1865. No impedimento do secre-
tario,
Joao Joaquim de Siqueira Varcjao.
santa Casa da Misericordia
do Kecife.
Pela secretaria desta santa casa se faz publico
que o hospital dos lasaros precisa de um coziohei-
ro : as pessoasque pretenderen) exercer esse em-
prego, devem dirigir-se ao Illm. Sr. mordome de
mez Antonio Jos Gomes do Correio, em sna resi-
dencia na cidade nova de Santo Amaro, ou ao .re-
gente do mesma hospital.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cie 27 de outubro de 1865.
O official,
Manoel Antonio Viegas.
TU
EMPREZA-OOIMBRA
Terca-feira 31 de outubro
de 1865.
Representar-se-ha o interessante e magnifico
drama em 4 acto?, ornado de msica
AS RECORDAQOES
gao Commercial, as H horas.
LEILO
De latas de carne, 3 barris manteiga, 4 caixas
queijos, 1 dita sardiuhas, 7 parcos, 17 velas, lo-
na, 2 barricas erveja, 4 barricas hilacha, 21
calendes, 6 travisseiros, 28 cobertores, mondes,
2 lanternas, 4 gaiolas e outros objecto*.
Hoje i de outabro.
O agente Pinto fara' leilo precedida a compe-
tente autorisagao em prest-nga de dous em prega-
dos da alfandega para o fim iiumeadu e nor conta
e risco de quera perte-cer dos objecto- acama men-
cionados salvados da galera ingleza Duncan Dun-
bar, e egisientes oo armazem alfandega i.? do ba-
ro do Livramento caes do Apollo, onde se eflec-
tuira' o Miln as 10 oras de hoj; 31 de outubro.
Leilfio
De uia escravo moco.
HOJE
Pelo agente Martin*, d.
Commercial, as 11 horas.
froule da AssociagSo
do cosuroe.
Os premios de 6;OOrt#)**, "lt W
serao pagos urna foi>ra Jepfj ra ex'?f^0
at as i horas da tarde, e os wAra /kpo'*
da distribuiQao dns lisias.
As encommendas ser-) goardadas soraerJ- -
te ale a noile da vespera da extncgo.
0 ihesoureiro,
Antonio Jos Ro Irigucs d>; Sniza.
Precisa-se de urna ama qu* sarta eotmlMr
bem e compiar : a tratar na ra C. Lamp, subdita frasees, vai para Ramea.
Hypohlo jchaffl r vai para Earopa.
Offerece-se urna mollier de boa c ..iducta para
ama de todo o servigo a tratar confreote ea-
deia nova junto ao n. 9.
Aluga se o sitio dos Rnriti-
Arraial : na roa do It.uic-i n. 4.
na estrada do
Precisa se de um f^rneiro para a padaria C~,i
Apipncos : a tratar m mesma. *
O directorio do partido liberal, manda ce-
lebrar, no prximo da de finados, como de
costume, um memento solemne em suffraein
ao finado dezembargador Joaquim Nunes Ma-
chado e sens companheiros de martyrio na
revolngao dr 1848; e para esse acto, que de-
ver ter lugar pelas 8 horas da manhaa
d'aquelle dia na matriz de Sanio Antonio, on-
de hoje se achara os restos mcriaes d'aquelle
distincto Pernambucano, convidan) ss quan-
tos qneiram ter pane nessa homenagem
prestada memoria d'aquelle'- mariyres.
Recife, 30 de outubro de 1865.
O Io sHi-reiario
Antonio Jos da Costa Ribeiro.
De
JL.HIIj.tO
Lembrunoa
mo-i* c escravos
Conleiro ilmSes
por conla e risco de quem perteneer fara' leilo
de uma mobiha de amarello, i guarda vestido, 1
guarda roupa, 1 laaclaario de Jacaranda!, 1 cofre
de ferro, cominodas, marquezas, caleiras, couso-
los, mesas, cadeiras de balango, camas francezas,
toucadores, Hteir>=, bandeijas, apparelhos de jan-
lar e almog, candelabro, candieiros a gaz, garra-
fas, espelhus, copo-, clices ole, ele Na mesma
occasio vender' um escravo crioulo da 20 anuos
de idade, islo
No armazem a ra da Cruz n. 57.
P. S. O me-ni) a (ente pele a tolos os seus co-
mii-iit'-s e amigos o favor de virem saldar suas
conias al o Um do mez vi.to querer fechar as
cotilas al o lira da crrente mez.
Amanhaa Io : novembro fazem 7 annos que
evadio-se da fortaleza do Brnm o moe.Jeiro falso
Eustaquio Jos Vellozi da Silveira, deixando como
victima o commandante da fortaleza, perseguido
era lugar deste homem, que at hoje tem sabido
Iludir e zombar das autoridades que o devem
capturar, lembra-se pois a mesma antoridade este
acto aflra de que nao delxem este homem gozar
impune o fructo do seu crime.
____^_^^^^^^^^^^ A victima.
- O abaito assignado, fiscal suppteote da fre-
guezia de Santo Antonio, acha-se em exercico das
respectivas funegoes, e reside na ra dos Expos-
los, casa n. -20.
Creme*
Sorvete de creme hoje ao meio dia : na ra do
Trapiche n. 18.
Na apella do cetnilerio publico oo dia
de uados lia missas das ti as H horas da
manlia.
0 administrador,
_________Manoel Luiz Vires.
LIIIiUlllE lMi.\r.'.ISE
Rna do CrvsiM numero 9.
Esl:"io promptos para scr.-m deslribuido* ao*
Srs. as.-guantes, vinie cxemiilir's d
Vareli.k: castos ifa.MrTA3i.vs.
Precisase d- nm caixeiro de laaaa I i "U 16
annns, que tenha pratrea .le lahi-rna : a tra.ar oj
Capunga, ra da Avninr, ras.i n. I.
Ama para casu
Trocisa-sejaliigar uma ama jiara todo sernc-) de
uma casa : na becco das B.ias n. 2, primara
andar.
Precisare de uma ami
gomme, paga-se bem
16, segundo andar.
pie insinbe e en-
ra na da Cruz n.
'.
fe
I enea o.
A
LEILO
do Aovo Banco
Vende-se a armagao da
travessa das Cruzes n. 12.
ile
o accoes
l>uc\
15 Altos da caixa filial lo Banco do
Brasil.
Cordclro Situos
a mandado do Illm. Sr. Dr. juiz A-. direlto especial
do rommercio, levara' novam-nlea leilo as accoes
cima mencionad is, pej-tencentes a massa fallida
de Gnilherme Carvalho & C, servindo de base a
offerta ubtida no leilo da da 26 do corrente, isto ,
aa* -z
as 11 horas em ponto, no armazem da ra da
Cruz n. 57.
Anda est por alugar-se o segundo andar do
PniMiem sobrado da ruado Rosario da Boa-Vista n 53 : a
I Cl USIU- tratar na ra das Cruzes n. 9, Io andar.
Na fundigo de Santo Amaro trave-sa do Casta
n. lo, faz-se a boa g>-la de Maat para as p-
soasijue se acharcm com pouca su-tioci.i. ni
mesma casa faz-se todas as quili-lades Je c >mi
loji de calgado, na das para fora com muito assea e |Tfei-ti, t im-
bein faz-se. cafe para quaiquer pessoa que queira
pela manhaa.
Precisa-te de un amassador
Soiedade n. 14.
a padaria da
Jll llll
REVISTA JURDICA
Doutrina Legislado JurisprudenciaBibliographia
LEILO
REDIG1DA PELOS SRS. DRS.
DE
mm 4i
do
ALPANDEGA.
Hen'Ii!.> uto do dia 1 a 28......
;ldm do dia 30...............
380:2985245
16:363*472
396:6615717
MOVIME:NTO DA ALFADEiA.
Volumes entrados com fazendas----- 213
f com gneros..... 374
Volme sabidescem fazendas.
com gneros.
-------617
40
340
Descarregam hoje 3 do corrente.
Sumaca hespanholaTraviatavinhos.
Polaca hespanholaPoilollasvinhos.
380
Santa Casa da Misericordia
Kecife.
De ordem da Illm1 junta administrativa convido
aos prenles ou interessados na entrada das meni-
nas, abaixo declaradas, para o collegio das or-
phas, a apreseota-las em dito collegio do 1 de
novembro viodouro em diante. :
Isabel, Giba de Arehangeta Bernardina.
Antonia, fllha de Diego Soares de Albuquerque.
Rosa, fllha de Jos Aives Barhosa.
Sezaria u Guilhermina, entiadas de Mara Januaria
da Conceigo.
r-Viinna, liliu de.Francisca SilvinA d Barros.
Emilia, lilha de Dr. Eramisco' Jos Peraatules Gi-
liraoa.
Henriqueta, fllha de Manoela Mara do Espirito
Santo.
Emilettoa-, fHha de Francelina Mari Corges.
Mara e Philomena, fllhas de Alexandnna Pereira
de Souza.
Antonia, fllha de Marcolina Francisca Guima-
res.
Hooona, fllha de Leanlra Teixeira de Jess Barros.
Adelaide, fllha de Mara da Luz.
Mara, sobrinha de Mann; Po da Luz.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 28 d) oulubrAe 18i
O official,
Manoel Antonio Viegas.
' CORRETO
O Sr. Domingos Jas de Farias queira dirigir-se
a repartido do correio aQm de recebar ama carta.
PBUS0NAGEN3.
Noemia, bordadeira............... D. Adelaide
Olympia, escudeira do Heppodrono. D. Camua.
Bernardina, lavadeira Am roupa
flaa........................ D. Leopoldina
A Sr.* Boisredon................ D. Joanna.
A S.' Duraudcau............... D. Jesuina.
Monsset. 50 annos.............. P. Joaquim.
Robiocau, escrevente de labelliao. Lisboa.
Osear Dupiton, estudanle de me-
dicina....................... Guimares.
Paule Benard, advogado......... Amoedo
Greoouellet, dono de um caf___ Porto.
Miguel, criado de um caf........ Teixeira.
O commandante................ Pinto.
Belamy....................... Peixoto.
Jollvet......................... Borges.
Alberto........................ Santa Rosa.
Um criado..................... Augusto.
Homens, mulheres, freguezes do caf, amigos
de ambos os sexos, convidados etc., etc.
A scena passase em Pars durante os 3 primei-
ros actos e o 4* em Montpelller.
Dar' lira o espectculo com uma das melhores
comedias do repertorio.
Comegar as 8 horas.
(s
t/i Mi tt/ -JB*M
Cordclro Miuies
a reqnerimento dos a.fministra lores da o assa fal-
da de M guel Gomes da Silva e mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz de direilo eniecial do aommercio leva-
ra' novamente a leilo os 5 ttulos de dividas na
quanlia de 1:18947*0 rs. pertencentes a mes na
i massa servindo de ba-e a ofTerla oblida no leilo
de 26 do correnle, sio
HOJE.
Terga-feira ?A do correnle as (1 horas.
No armazem a ra da Crnz u. 57.
h
AYISOS MAMTIMOS.
PARA O
Eio de Janeiro
pretende seguir com multa brevidade o palhabote
nacional Piedade, tem parle do seu carregamento
engajado : para o resto que Ihe falta e escravos a
frete, para os quaes tem excelientes commodos,
tratase com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Ofiveira Azevedo 4 C, no seu escriptorlo ra
da Cruz n. 1. *
MaranMo e Para
Segne com brevidade para os Indicados portos o
hrigua escuna nacional Graciosa, admlttmdo ainda
alguma cargo : a tratar com Antonio de Almeida
Gomes, ra da Cruz n 23, primeiro andar.
"Ilha de 8, Miguel
Deseja-se saber noticias ou aonde reside o Sr.
Francisco Machado dos Sanios, natural da cidade
de Ponta Delgada da Iihade S. Miguel, para se Ihe
entregar uma eucommenda de sua familia : na
ruado Apollon. 4.
Linha regular do-Brasil.
E*pera-se do Hari a galera Sot-
ferino, ao frete de 25 f. 10 0t. Rece-
be carga para o Havre a fretes bara-
tos : a tratar com os consignatarios
Tisset-freres.
Para Lisboa
sahira' com brevidade o brigue portuguez tCons- j
tante II, recebe carga a frete passageiros, para |
os quaes tem excelientes; commodos: trata se com j
Manoel Ignacio de Oliveira Filbo. no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriplorio.
PARA~ LISBOA ~
vai sabir com brevidade o patacho portoguer, Ma-
ra da Gloria, capillo A. B. Volante, recebe car*
ga e passageiros : trata-se com o consignatario E.
R. Uauello, ra do Prapiche n. 44.
.LEILilLO
De mohilias, pianos, Mtacti nos, relo-
wios He oui'O e prata, trastes a vals os
semlo camas francezas, marquezas
largas e estrellas, aparadores, mesa
elstica.
(Para fechar cuntas de Tema.)
* jr br:
Terca-'eir 31 do corrente as 11 horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LELOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Rna da Cadea do atecile36
LEILO
Sexta-feira 3 de novembro as 11 horas, na
ra da Cadena armazem n. 53.
pero ageute Euzebio
De duas casas terreas na liha do Retiro junto
a ponte grande da Passagem da Magdalena, com
frente para o rio, sao novas, feitas a moderna,
mullo frescas por ser do lado do nasceule, tem
accommodaedes para familia numerosa, urna prin-
cipalmente que manir tendo gabinete, alm de
quintal murado ha mais ierren j aproveitavel para
baixa de capim : os pretendentes queiram anleci-
par-se a ir examinar, o lempo proprio de gozar-
se dos banhos, das 4 as 6 horas da larde eslaro
abenas para assim presiar-se a quem quizer fazer
boa acquisico.
LLIL/IlO
De ora eabriolei americano, novo, de
4 redas eem assenlos para % e 4 irs-
so;is poden dous cavallos.
Sexta-feira 3 de novembro a 1 hora em
ponto na pnpi do commercio.
Benry Porster do agente Ptatcce por ooaia e> risco de quem per-
teneer do e*t>nelet acimaimeneienado' ulliman)n>
te despachado, sexta-feira 3 do corrente1 a uma
hora em ponto na praca do commercio.
.V-.-u mesma occasio vender* uns arrelos de
metal principe para um cavallo de cabriole!.
JOS DA SIIiVA COSTA
Juiz Muuicipal da 2.a vara da corte e
Advogado nos auditorios do Rio de Janeiro.
A Revista Jurdica pnblicn-se no Rio de Janeiro de dous em dous me7.es no forma-
to in 4., com 128 paginas de impressao, compondo todos os annos dous bellos volames
com perto de iOO paginas cada um
Pi*e?o adiantaJo da assignatnra
Por seis tnezes 7*>00.
FAZENDA
X.
LEILO
Da loja de fazend s e dividas da mas-
sa fallida de Iriuo Jaunario de Oli-
veira.
O agente Martins levar novam-nle a Ir-ilao por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio a loja de fazendas da \ ua da Qu^imado b.^
Para vestidos de senhora.
Corles de seda de cor de bom gosto e superior qualidade.
Lindas sedas de quadrinhos.
Bons moireanliques de cores.
Grosdenaples da todas as cores.
Lindos poil d.' chevre fazenda assetinada de inteira mvidade.
Lindas duquezas assetinadas fazenda inteiramenie nova.
Modernos grenadines de seda o que tena viudo de mais novo.
Grande variedade de las de cores lisas e de salpicos.
Organdys e ca Percalias modernas com grande variedade.
Lindos corle de 15a Clotilde com todos os pertences cada um em seu car-
llao inteiramenie novos. j
Bons cortes de cassa com barra tamb;m ioteiraraente novos e outras inuitas -
fazendas de gosto que seria enfadonho mencionar.
Para hombros de senho*a
l Grande variedade de chales, bournoox, retondes algeriennes de Al e de A*
Sguipure a 10, 16, 20, 30, 40, 00 at 80,>. ^B
Modernos soutembarqus de seda d superior qualidade.
Lindos berte? de seda de cor pretos e de cachemira.
dem de cambraia branca bordada com muito gosto.
! Sautembarques ebournoux de cachimira de cor e outros miitos artigos Jp^)
bom gosto.
Para cabeca de senhora
[ Superiores chapelinas de pallia. de seda e de crina de muito bom goslo a
peratriz. "^
\ Chapeos de pilha da Italia grande variedade.
Lindos gorros e bonets de paltia de Italia, Imperatriz, Canutier, Clotilde;
e a Grante, chegados de Paris pe:o ultimo vapor.
f Grande variedade de enfeites de froco e de flores para casamenta.
Superiores vestidos de hlonde, e de moireantiqae brancos.
Bons moireantiques brancos e superiores sedas brancas.
Boos vestidos de tarlatana braa^o btrdado*.
i Lindas mantas de blonde e boas capetla*.
f Bordados.
Grande variedade de entremeioa bordados transparente e tapados.
h .Tiras bordadas transparentes e tapadas, babados bordados, saias bordadas ti
outros muitos ariigos.
LOJA OAS i OLLniAS
DE 4NT0NI0 CORREU DE VAS ONCELLOS & C.
RIJA 1K> CRESPO ff. 1S
I
hIlegvelL


Diarlo d 1-ffniiibBco jfer*a (eir SI 0 Outubro de fi*.
GASA DA FORTORL
Aos 6:1
lliliiees garantidos.
A" RA DO CRESPO N. 23 l CASAS DO COSTUME
O abaiio.signado veud u aos seus maito feli-
ces bilhetes garantidos da lotera que se ac boa
de extrahir, a beneficio das familias dos voluo';d.
ros da patria, os seguales premios:
Um meio n. 2135 com a sorte de 6:0^"Olj000.
Tres quintos n 1601 com a sorte 'ue i-.JOOf.
m inteiro o. 1163 com a sorte ^ SOOJMXW.
E outras muitas sortes de \0M, 404, 204 e
101000.
Ospossuidores poder^ virreceber sens respec-
tivos premios sernas descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se '4 venda os da 3" parte da 5* lote-
ra (37') % beneficio da Santa Casa da Misericor-
dia, qp.'o se extrahir sabbado 4 de novembro.
HUGO.
Bilhetes. .... 65000
Meios......34000
Quintos.....14200
Para ai pessoas qut compraren! de 400)5000
para cima.
Bilhetes.....34500
Meios......24750
Quintos.....14100
Manoei. Martins Fll'ZA.
LETRV PERDIIIA
O abaixo assignado faz pntilico que perdeu urna
letra de seu aceite, sacada por Souza, Andrade &
C, cm 28 de marco a seis mezes de praso, da
quanla de rs. 3,3514750. cuja letra foi paga|pelo
abaixo assignado aos sacadores, como consta do
recibo dos tiesmos, que lem em seu poder, e por
isso nada val, pelo que protesta que nenhum va-
lor tera qualquer transaco que por ventura al-
guem que a achar teote fazer com dita letra.
Apolinaio Liberato de Mello.
Aluga se muito em conta o sobrado da ra
de S. Bento, defronte de S. Pedro Vclho, em Olinda
concertado e pintado de novo, tem muitos commo-
dos e bom quintal, muito fresco e fica periodo
banho: a tratar na ra do Imperador escriplorio de
Claudio Dubeux.
Os arrematantes da massa falinla de Joaquim
Vieira Coelho ii C previnem aos senhores devedo-
res para que no praso de 30 dia? venham 011 man-
den) pagar o que esto devendo a' mesma massa,
na ra da Cadeia do Recife n. 3, e que fiodo o dito
praso, os que nao pagarem, terao de ver seus no-
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branza judicialmente. Retife 5 de oulubro de
1803._____
P-ra quem precisar de banhos, offerce-se
duas casas com commodos para familia, na ilha
do Retiro, junto a ponie da Passagem : a tratar
"om L. M. II. Vlese*.
Aluga-se um
ra Velha n. 40.
LIQUIDACAO
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
II
cabelleireiro.
Cerlos Dubois mudou o sea estabeleci-
ment da praca da Boa-Vista para so-
brado n. 18 da ra da Imperatriz.
91
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Pars, Londres. Birmingham, Manchester eem diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado tudonas melliores condicoes
' por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do sea valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Euro, a.
Ha neste vasto armazem ric. s objectos com brilhanles. como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de andar do sobrado dama da Senzaia Veiha
ouro, como trancellins, correntoes, anneis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Beonetle; com- 'r*urn ioJa-_________________
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.J ITTFI'C1 %0
M DEPOSITO DE CALCADO
m FABRICADO NA CASA IIF, DETENQ0 jR
jjfc Ra Nova a. i.
mk Ahi se encontraran obras de di- m
versas qualidades, e por preco raui 1
diminutos, a retalho e em porces. Wl
S se vende a dinheiro. Hj
Aluga-se por preco commodo nm terceiro
o. 48 :
COMPRA.
Compra-se effectivamenie curo e praia em
obras velhas, pagando-se bem : na roa larga do
Rosario n. 24, toja de oorlves.
Silvino Gilhcrme de Barros romera e vea-
de effectivamenie escravos de ambos os sexos : a
ra do Imperador o. 79, terceiro andar.
Compra-se ouro, prau e pe ras prttmm,
em obras velhas : na roa da Cadeia do Recife,
i cja de ourives no a reo da Coareicao.
Na rna do Crespo i'16,' prmeiro aadar-
eompram-se libras sterlioas e moedas da oaro bra
sileiras. '
Comprase papel diario para emtrulho, pav
ga-se bem : na padana da roa da Imperair aa-
mero 66.
Ouro e praca.
Em obras velhas : coirpra-se na
dependenclo n. 22, lija de billetes.
praca da la
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
~ i* k i-, nn Les3pparcccu q& Carien a (ioa
3 ama letra de 1:0874041, sacada'
Mailly, Regenier, P. Guelaod, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em raarfim, madreperola, etc..
China e no Japao; ricas pegas de crystal lino como anda nao appareceram nesta cidade., e bem assim modernos lustres para velas, riiacTo RibeiroJnior,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de-Consolas epara grande lolleite, o que se tem Toientino de Carvalho, em data de 20 de levereirc
feito de mais elegante em Paris, Londres, Rirmincbam etc.; modernos apparelhos/de metal fino mrlez para cha ecaf, os quaes em de 1863, a vencer se a 20 de fevereiro de 1866 ,j
. tTa. ... -.. j_______..i _:___._._. .i. .. j. .i?__.j_____.__... i____u- estando o aceitante e o sacador prevenidos para se
escravo e urna escrava : na
Joaquim Ferreira Va lente, nao podendo des-
pedirse de lodos os seus amigos pela presteza de
sua viagem, approveita este meio para o fazer, of-
ferecendo-lhes seu fraco presumo em Portugal, on-
de vai rezidlr por algum lempo.
Recife, 29 de oulubro de 1865. _________
Toma-.-e 2:2004 a juros com pequeo prazo
dando-se por seguranza cio escravos de subido
valor : quem os quizer dar anouncie para ser
procurado. _________________________
Saques sobr Lisboa.
Manoei Ignacio de Olfveira & Filho sacan sobre
Lisboa : no largo do Corpo Samo n. 19.
m%
*Mi Sr. Joaquim
e aceita pelo sr. Nicolao
"ro
e
nada sao inferiores prala, e muitasoutras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho- rS^"oTb7xo assgnado^p^ev^imos^dsso
ras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana lina para cha e caf, ditos para j. ntar, e immensos arli- ao publico, e pedimos a quem a'achou de a Testi-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan- tuir.J. a. de Brito Pastos.______________
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff&C, realejos modernos de Gaviol & C., para se tocar nai
ra, ditos com figuras para salces e ditos com figuras em movimento; mudemos bonitos instrumentos de physica (mgica) para i
theatros ou sales, ditos de pbantasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; slereocopios de nova in-j
venci e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento da brinquedos finos para enancas, e
bonecas fallando papae e mame ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tera feito de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortin ento de ca xinbas, cestinhas e outras galanteras feitas d crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello cbafariz de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas, 5S95J-
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivet'S e outros artigos, diversos artigos feitos de rame; completo sortimento de r0 mmediatamente a correspondencia'que se Ibes
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros ; camas de ferro de todos dirigir.
os lmannos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartees de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-j
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz p5o-de-!, bolinhos, etc.; j
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de Precisa-se de urna criada para cosinhar e m-
violes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galaniarias e outras Decas de charo para toilletle; machinas para varrer o chao, J/J 8 toKi Ua fUa
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos bales de papel fino transparente e lanternas | 555*86 ^aber se existe neia provincia ou
coloridas para illuminaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em em oulra qVa^quer do imperio o Sr. Daniel Pereira
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera- Braga, natural de Braga, Bibo deJoo Custodio
los seria um nunca acabar, e todos se veodem barato e muito barato, no grande armazem da Exposi^o de Londres, na ra da Ca- Pereira Braga e de Luiza da Rosa, o qual velo pa
Compra se earosso fsemeote) de alfroo ao
armazem de algodo de Saonders f?roUirs C,
ixo assignado D0 cae3 AK'''o-
Para a censlrucco de machinas
DE
AMtl-:itTS.\ E 1IOIJGLASS
New London, Cormectieur, Esta-
dos Unidos
Solicitam pedidos de descalcadores de algodao, nrmpr(. i,r
adoptados ao algodao sul-amerkano. Hose de-
COBRE L4TA0 E
CHUMBO
Compra-se cobre, latao e chambo : no armazem
da bola aroarella, no oiio da secretaria da polica
Compra-se ama machina de costara a boa
, eslado ou nova, agradand* o preco : a tratar aa
praca da Boa-Vi- la n. 30, 2 andar.
Compram-se o 2- volunte da obra
; Histoire des Croisades por .Michand e o i.
i volume da obra Histoire de la fronde por
i St. Anlan, edieco be^a (fresn de histoire
et litteraturej ; a ra do Jueimado n, ,
Criada.
Comprase
um par de almaradas para sof qoe nio lenham
I sido servidas : na toja do balo, roa da Caeia,
esquina da ra da Madre de Dos.
deia do Recife n. 60.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
Na noite do da la do corrente foi roubado de
urna sala que lira nos fundos do sobrado de um
and ir na ra do Seve, freguezia da Boa-Visia, no
anal me rao abaixo assignado, os sesuintes objec-
tos : 1 relogio de ouro sabonele n. 2oi2i, patente
ioglex, mostrador de louca escura, com cadeia e
chave de ouro, e com outra mais fioa lambem de
ouro com chave de dar corda, um par de castigaes
de prala 'avrado com anglicas, urna escrivaninha
de praia em forma de conena, prato e espeviadei-
ra de prala, urna crrante do mesmo melal com
diversas chaves miudas, quatro ongas de uro,
2955 cm prala qu se achavam n'um sacco de da-
masco de lita de cor branca e verde. >uspeita-se
que o ladro enlrra por urna das jaoellas que
deila para^o^ouinial do referido sobrado, abaixo
das quaes ficalrtelhado que serve de coberla a co-
zinha, que no pavimento lerreo : pede-se, pois,
as autoridades policiaes para que empreguem os
meios necessanos para descobrirem o ladro, bem
assim aos senhores ourives e mais pessoas a quem
forem offerecidos os objectos roubados, para appre-
hender como roubados. Offerecese a gratiflcacao
de 004 rs. a qualquer que descubra o autor "do
roubo.-Joao Fernando da Cruz.
Recife 16 de oulubro de 1865.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
do Imperaaor n. 79 : a tratar na ra do Crespo
d. lo.
Aluga-se a casa que foi lo fallecido Guerra,
na povoacao do Monleiro, o qual tem muito hons
commodos para familia : a tratar no pateo do Cor-
po Santo o. SI, escriplorio, ou na ra de Apollo n.
1, segundo andar.
Notas do banco do Brasil e das caixas filiaos
dcscontamse na Iravessa das Cruzes n. 8.
, i l'erpunla-se ao Illm. Sr. julz da irmandade
Irmandade das almas erecta na matriz do SS. Sa- das almas da matriz da Boa-Vista tetoolodeFt-
crameoto da freguezia da Itoa-Vista. ras Brando Cordeiro, se ainda est no (irme pro-
Por autorisacao da mesa regedora convido a to- psito de nao querer presidir a eletca > da nova
dos os nossos irmaos aflm de que se dignem com- mesa, no dia Io de novembro ; isto deseja saber
parecer no da Io de novembro, pelas 10 horas da umIrmo.
manhaa.no consistorio da mesma matriz, alim de
em mesa geral se proceder a eleic.io da nova me.-a
qae tem ae reger uo anno de 1863 a 1866, como
determina os artigos 22
rege esla irmandade.
Consistorio da irmandade das Almas
da Boa-Vista 27 de outubro de 1865.
Manoei D. da Silva Jnior
Escrivao.
Para completa liquidacSo vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente j
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E1 g. Rimmel, R. Matheus &C., Lubin, Sociedade Hygenica, Pver,!
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafiuhas e vidros de differen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banlia em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem p<>r menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PAliA SEXIIOKJkS.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
IUVAS \OVAS HE JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
I*HO TOGR 1MH A.
No grande armazem da Exposicao de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da fmperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 34, vendem-se excellentes vistas para quadroj de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
- Amarante.
; Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimora.
VISTAS HE PERMMBUtO.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqu esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio com o palanque.
VIACiEAl A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas .vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidado no grande armazem da Exposicao de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 51.
ra Pernambuco em o anno de 1816, e que esleve
em casa do Sr. Joao Amonio da Madre de Dos,
na ra do Azeite de Peixe, e depois foi por man-
dado do mesmo seohor para o Rio Pormoso, para
o engnho Paraizo, d'oude vollou no fim de 13
mezes para casa do Sr. Antonio Mendes no Recife,
e de l ditem que foi para o mato ; assim mais se
vivo ou morto : a informar no armazem da ra
da Cruz n. 33.
mmmm mmmmm m
Companhia delidade de seguros
maritimose terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Pidelida-
de,tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
ttenc*
a
Cozemse saceos paraEassucar por machina : na
ra do Pilar n. 28.
Cylin'lros americanos.
Ainda existem 2 de resto: na ra Di-
reita n. 8i, padaria.
No pateo do Terco n. 44 precisa-so alugar AcsjApapnA flfmWMMWol Wa
urna escrava que saiba fazer todo o servico, para aoouviaytiu yuu iiui \jiax
e 23 do comproraisso que
na matriz
r.
v
ISO
Avisa-se a quem interessar possa que os recolhi-
menlos de N. S. da Gloria, N. S. da Conceico e
SS. CoracSo de Jess, por viriude do testamento de
D. Antonio Pi de Lucena e Castro, da lei, e de
sonteocas dos tribuales superiores, sao senhores e
pessuidores de seis sitios na Tacaruna, denomina-
dos outr'ora frincipalDr. Castrocapitao Flix
de PaivaCimpelloPlacida PereiraCosma Sa-
reis, e dous campos de criar vaccas mansas de
leite, cajos lemit s sao os segui.otes, constantes da
escriptura, pela qual o dito D. Antonio comprou
estes sitios e campos : < Dividem pelo oascente
com trras e sitios iiue foi de Ignacio Ribeiro Lei-
to, que boje de Jos Aotoo.o da Silva Piolo,
pelo poente com a estrada real, e pelo sul com a
camboa por onde navrgam as canoas, dividiodo
pela sua extrema o sillo em que morn Thom
Lopes, que do pardo Luiz Soares, at sabir a es-
trada real, e pelo norte, que onde ca a campia
de criar vaccas mansas de leil; em trras do sitio,
que foi de D Mana Colaga, e hoje de Joao Pacheco
ou seu georo M.o jrl Rodrigues dos Passos, litan-
do comprehendi-lo outro campo de criar vaccas
dentro das confrontarles dos ditos sitios, por es-
tar hoje reduzidos a' trras U.vradlas de lavou-
ras, etc. >
Por isso os tres rocolhimento? protesiam, para
garanta dos seus direitos, usarem dos meios le-
pes cootra aquelles que arrogaren a si o dominio
ou posse era qualquer desses sitios, campos ou
parles a elles pertencenies.
Troca se por urna negra que leoha bonita fi-
gura e qoeseja boa quiandeira e cozmheira, urna
mulata qae co=e, ensat'oa, cozlnha o diario de urna
rasa e eogomma alguma cousa e muito carinho-
sa para crianzas : na ra da Imperatriz n. 2.
Aos interessados.
O abaix) assignado lem justo e contratado a
compra da taberna sita na ra do Rangel n. 39,
com o Sr. Jos Antonio Vieira, livre e desembara-
zada de qualquer onus; se houver alguem que
leoha de seoppor a tal negocio, apresenle-se uestes
tres das na mesma ra n. 43, lindos os quaes se
realisara o negocio sem responsabilidad do abaixo
asssignado, depuis A concluido. Recife 30 de ou-
tubro de 1865.
Manoei Rodrigues do Nascimento.
casa de familia,
boa escrava.
paga-se bem com tanto que seja
O abaixo a>sigoado e sua mulher, moradores
na povoacao de Bcm-Jardim, fazeru sciente ao pu-
blico qne lem cassado os poderes, qne por ama
procaracao bastante liaham daco em favor do Sr.
Leonel Jos de Amorim para ; cobraoca de suas
dividas, como cumia da declaracao assigoada pelo
mesmo senhor em flns de maio do correte anno ;
e proiestam contra qualquer transaccao feia por
este senhor, depois daqnella dala. Recife 28 de
outubro de 1865.
Severino Jos de Saot'Anna,
Francelina Mana da Coocmcao.
Precisa-se de orna ama pira comprar e co-
zinnar : aa roa do Livramenlo n. 25, segando
andar.
Precisa-se de um bom cozioheiro : na rna da
Aurora n. 32^__________________,,________
Alug.-se urna casa com commodos para fa-
milia, na ra da Mangueira n. 8 : a tratar na ra
da Queimado n. 38.
Aluga-se urna boa casa terrea com commo-
dos para familia, em bom eslado, na ra da Ale-
gra n. 16 : a tratar na ra da Matriz da Boa-Vis-
ta n. 54.________________________________
Antonio Demetrio da Silva Laranja, chegado
recentemente do Para a esta cidade, e onde vem
liquidar os seus negocies, vende muito em renta
a sua casa n. 67 sita na ra do Pilar em r'ra de
Ponas, e o seu sobrado sito na ra de S. Beoto,
defronte de S. Pedro Velho, em Olinda : a tratar
na ra do Imperador, escriptorio de Claudio Du-
beux._________________________^^^
Precisase alugar um preto que seja possan-
te : na ra do Rangel n. 9.
Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. de M. Reg.
FOGO DO US.
No armazem da bula amarella, no oilo da se-
cretaria da polica, recebera-se eocsmmendas de
ogo ao ar para dentro e fra da provincia..
Offerece se urna ama para ra milia : na ra do Amonm n. 20.
Preci'a-se alugar urna escrava que saiba co
ziohar bem e comprar : a tratar na roa da Cruz
a. '6 primtiro andar.
Alugam-se duas casas na povoacao do Mun"
tero a margem do rio, as quaes eslo pioladas de
frosco, e lem boos commodos : a tratar na ra do
Crespo esquina n. 20.
Precisa-se de um caixeiro para taberna que
d dador a ?na couducta : a tratar oo pateo do
Terso n. 139.
Amonio Jo? Loureiro declara ao corpo do
commercio que dexou de ser caixeiro do Sr. Silva
Antunes & Irmo-, a agradece aos mesmos senho-
res o boro trataraeoto durante o tempo que esteve
em sua casa.
Precisa-se de urna ama para urna casa de
pouca familia, que saiba coziohar, lavar e eogom-
mar, e que compre na ra : quem esliver uestas
condicoes, dirija-se a ilha dos Ratos,ra da Sauda- buco 28de oulubro de 1865.
ueficente de Pernambuco.
Tendo chegado ao conhecmento da direccao des-
ta associico qae se pretende contratar o estabele-
cimento de dona--, do caes do Ramos al a Caban-
ga, convido os senhores associados a se reuoirem
em sesso extraordioaria de assembla geral no
da 3 de novembro prximo vinrlouro, ao meio
dia, afirn de se discutir o que mais conveniente
ao commercio desta praca.
Associago Commercial Beneficente de Pernam-
de, casa n. 1, por Iraz da nava casa do gymnaslo.
D-se 1:2005 a premio da dous por cento
com hypotheca em bens de raz : na roa da Sen-
zala Velha n. 94 se dir quem da. _____
O secretario,
Candido C. G. Alcuforado.
Jos Izidoro Martins agente de leiles
tem seu ere iptorio a ra da Cadeia do Re-
cife n. 9, onde pode ser procurado das 9
horas da mantilla as 4 da tarde.
O abaixo assigaado declara que comprou a
padaria sita na ra do Mondego n. 47, ao Sr. Car-
valho & Mallos, livre e desembarazada. Recife 26
de outubro de 1865.
Francisco Pereira Lebre.
Na ra Imperial n. 160 existe para
ser alugada por commodo preco, urna casa
nova com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora.
quintal muito grande murado, com um
grande telheiro, com porto e cacimba : a
tratar na mesma ra n. ill ou na ra Di-
reita n. 84, padaria. ____
Silva Antunes 4 Irmo participam ao publi-
co que o Sr. Antonio Jos Loureiro desla diUijim
diante nao mais seu caixeiro. Recife 25 de ou-
tubro de 1865.__________ _______________
Precisa-se de um caixeiro para padaria, se
nao tiver pratica, lendo a de taberna, lambem
serve, dando conhecmento de sua conduca : na
ra Direita dos Afogados n. 66 A.
Pede-se ao Sr. Coimbra, digno emprezario
do ihealro de Sania Isabel, o favor de levar por
urna vez mais, na terca-feira, o drama intitulado-
A Dama das Ciraeliasque lautos applauss mere-
cen as ultimas noites.
_____________ Us apreciadores.
O padre t'elix Brrelo de Vaseoncellos pre-
cisa de um sobrado de um andar com bastantes
acomrnodacSes, ou de dous andares nao sendo
maito grande, e nem fra da freguezia de Saoto
Antonio : quem liver e quizer alugar, falle ao ao-
uuncianle ua ra do Imperador n. 35, segundo
andar.
VENDAS.
Conlinna-se a vender doce de caj esa calda,
laranja, jalea e grozella a 500 rs. a libra : ao pa-
leo do Carmo, esquina da ra de Moras, armazem
numero 2.
M ra da Imperatriz n. 2 venrtem-e booito
apparelhos de porcelana lina, brancus t (logrados,
para almoco e putar, assim duroo chicaras e pra-
los avulsos por meuos que em outra quaqner par-
te, tambera se vendem elegantes radriras de ba-
lanco para senhora e onlras pira de-can-o.
Vonde-se um fogo de Ierro eum lodos os
pertences. urna grade de Ierro para porta e au
porc.ao de pedra marmore de 10 pulesada*: aa
ra do Imperador n. 4._____________________
Na ra do Brnro n. 38 vende se om moleqoe
de 10 auno* de idade com algum principio do ser-
vico de urna casa.
Colla da Baha siperir
Tem para vender Antonio Luiz de Axe^edo 4
C, no seo escriplono ra da Croz n. I
Cyiindros.
Na ra Direita n. 84 ha para vender ejliodros
americanos para padaria, chegados ltimamente
da america.
roo^a eoni
17, seguado
Vende-se urna escrava crioala
habilidades : na ra da Peona o.
andar.
Vende-se urna casa terrea sita aa rna da Bi-
ca, em Olinda, com grande quintal e chaos pro-
prios, de pedra e cal : a tratar na ladeira da Mise-
ricordia n. II, com Cosme Jos da Cosa Amello.
Ufferece-se um mogo para cozioheiro: na ra
do Forte n. 30.
Sociedade de seguros mu-
tuos sobre a vida
fundada e administrada pelo banco alllanca, no
Porto. Nenhuma das companhia* existentes pode-
r offerecer aos seus associados garantas como as
que Ihes offerece a Providente, que sao rs........
'm.1100:11005, capital do banco allianca, que na
conformidade do artigo dos estatutos desla socieda-
de responsavel para com os seus socios pela boa
administrarlo da sua gerencia, bem assim por to-
do; os seus empreados e representantes. as ca-
sas dos Srs. Manques Barros & C. e Joao Carlos
Coelho da Silva se do gratis os projectos e esta-
tutos desta companhia, como qoaesquer esclareci-
mentos relativos a mesma instituicSo.
Precisa-se da qaanlia de 3005 a jaros, dan-
do-se garanta : quem quizer annaocie para ser
procurado.
Precisase de 1203 a juros : na botica do pa-
teo do Carmo se dir qaem precisa.
Attencao.
Precisase arrendar um rancho que tenha casa
para morada e boa campia : qaem tiver dirjase
a roa Direita loja de ourives da Amerco Irmao,
qae achara com quem tratar.
Precisa se de um caixeiro de 12 aooos de
idade para taberna, com pratica ou sem ella : no
pateo da ribeira c. 23.________
- Aluga-se a casa terrea n.39 na ra da Uniao:
que saiba coziohar
nova de Santa Rila
Precisa-se de urna ama
para pouca familia : na ra
numero 17.
Precisa-se de ama ama para andar com ama
meana : na ra da Imperatriz n. 34, prmeiro
andar.
Precisa-se de urna casa com sitio ou
sem elle, perto da cidade, para um estran-
geiro : na ra do Trapiche n. I<5.
Precisa-se
Joaquim Loiz Vieira declara que Henrique
Francisco de Moraes dexou de ser su caixeiro
desde o di 11 de setembro. o que faz publico pa-
ra que mnguem se chame k ignorancia em qual-
quea lempo.
Precisa-se de utna criada portugueza, para
casa de pouca familia, na ra do Imperador n. 49
2o andar.______________
Roga-se ao Sr. Antonio Pereira Baracho, che-
gado no da 28 do corrente no vapor Mamangua-
pe> dos porlos do sul, que leona a bhdade de se
dirigir ao escriptorio da ra do Imperador o. 83, a
negocio de seu inleresse.
fallar com os senhores abaixo declarados, ou com
pessoa que os represente nesta cidade :
Antonio Fernandos Ramos de Olivaiia.
Francisco Ferreira de Andrade.
Antonio Bornes Galvo Uchda.
Bemardno Domiognes Moreira.
Francisco Jos de Almeida.
Manoei Peres Campello Jacome de Gouvefa.
Francisco Autono da Cosa.
Joaquim Jos Ferreira (Barreiros),
Jos Mara Ribeiro (Goianna).
Pedro Jos de Mello Cosa.
Jos Martins Nogueira de Mello.
Jos Luiz de Siqueira Cavalcanti.
Antonio Germano Alves da Silva.
Queiram annuaciar onde podem ser procurados,
ou deixem carta nesta lypograpba com as intciaes
T. C. S. _______________________________
Precisa-sede urna ama que saiba coziohar e
comprar bem : a tratar na ra do Queimado n.
22, loja.
Ama.
No armazem de fazendas na ra da Imperatriz
o. 28 se precisa de urna ama para coziohar e com-
prar. _________
Quem precisar de 1004 a 600 a premio
gramudo diga em carta fechada na typographia
desle joroal com as iniciaos J. T. C. que sera'
procurado.
das almas ua matrs do Cor-
po Santo.
O escrivao da mesma convida a todos os irmaos
para eomparecerem no nosso consistorio no dia 1
de novembro, pelas 10 horas da manha, atira de
reunidos, elegerem a mesa que lem de funecionar
de 1865 a 1866.
Domingos Jos da Costa Gaimariles.
Escrivao.
CAIXMiiO.
Offerece-se um caixeiro com pratica de taberna
e da Aador a sua conducta : na ra de S. Fran-
cisco taberna n. 70._______________________
Fogio no dia 27 do passado urna escrava de
nome Benedicta, com os signaes seguinies : cor
lula, representa 45 annos poaco rnais ou menos,
alia, rosto muito fino e comprido, testa larga, ca-
bello muilo pegado e faz aquellas abenas, nadegas
empinadas, o beico mnit preto que parece ser ca-
lor de ligado, lem urnas marcas relo rosto que pa-
rece ter lido Detigas, levou vestido de chita rxa
velho, camisa de algodoziuho e chales de merio
amarello ja velho, lalvez ja leoha mudado de rou-
pa, julga-se estar acontada por esta cidade : ro-
ga-se as autoridades polciaes e capilaes de cam-
po a appreheoco de dita escrava e leva-la no
Passeio Publico loja n. 5, que ser recompensado.
Aluga-se a casa assobradada n. 36, a' ra
da Alegra, propria para familia e senhores aca-
dmicos : a' tratar a ra do Mondego olaria n. 13-
Alugam-se as casas terreas n. 4 e 20 da roa
do Hearlque Das vulgarmente conhecida por Es-
tancia, bem como o siiiodeoomiaado liba no bacco
do mesmo nome n. i, e a casa lerrea da ra de
Domingos Pires o. 54, todas com commodos para
familia : os pretendenies podem dirlgir-se a roa
da Cadeia do Recife n. 39.
Veude-st: urna canoa de carreira, aova, com
commodos para senhora : a tratar na rna do Jas-
mira n. 21.
Vidros e folha de fladS
Vende-se na roa da Cadeia do Recife n.
54, loja de funileiro, vidros, folha e esta-
nho em porgo e a retalho.
Vendem-se duas burras maito passeiras sea-
do urna nova, outra velha : a tratar aa na da
Cruz n. 21, prmeiro andar, na rresrru Mi se
vende urna preta e da-se 500J a joros de 1 l[2.
Testamentos em verso.
Continuam a estar venda, na lypogra-
pliia dr ra do Imperador n 15. ..-fronte
de S. Francisco :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Leao, do Galo,
do Per, do Carneiro, da Onca Tigre, do
C5o, da Hyena, do Rato, do Orangntango.
do lacaco, do Barro e do Vigario; i Peleja
da Alma com o Diabo, a 160 rs. cada an,
e a 100 rs, a quem comprar nm.i lollecro
cem, leta ou 25; cartas de A B C. tabeada?,
catbecismos, economa da vida humana,
cartilhas, Simo de Nantoa, Biblia da in-
fancia, manascriptos. traslados, pautas, pro-
curaces, apudautas, lellras, roobediaentos
para embargue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco pautado e pinta-
do de diversosform-tos, sendo o pequeo*
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muilo grande a *0 rs.;
papel marroquinadoe lustroso grande e pe-
queo ; papel para impresso de urna s
cor grande e pequeo ; Virgilio, lioracio.
Salustio, Magnutn Lexicn, prosodia, die-
cionarioa francez-portuguez e ce-versa,
selecta franceza, e outros mui ts litros, ben
como em branco de todos os tannos.
Vendem-se duas escravas recolhi las. de ida-
de 23 a 24 annos, exrellente conducta, engommam
perfeitameole e fazem lodo o servio de orna casa:
na iravessa dj Carmo n. 1._______
Vendem-se as propriedades Vanea le l'na.
Vianna e sitio Manguinho, conneiidas por sin lo-
calidade e bondade de terreos : as pessoa* qu
quizerem, podem dirigir se a roa do Cabuga a. 3,
prmeiro andar, que acharan com qu-ra tratar.
#
t^.
L
Vende se ama preta
ra do Imperador o. t.
com habilidades
A aguia branca
8, receheu lavas pretas
na ra do Queimado n.
de pellica.
CHEGARAM
os quadros da balalba naval de Riachuelo e pas-
sagem das Mercedes ; os Srs. assignanles podem
vir receber seus exemplares na ruado Crespo nu-
mero 4.
Ama
Precisa-sede ama ama que m%z bem coziohar
para casa de nma familia : a tratar na roa da
Moeda n. 8.
Qaem precisar de um jardinheiro ou feitor
para um sirio, dirija-se a roa de Hortas n. 142,1*
andar, qae achara' com qaem tratar.
Luvas pretas de pellica
A loja de miudezas ra do Queiai*d<> n. l
recebeu luvas pretas de pellica e ouiras de eere*
Vende-se a dinheiro ou permuta-s por mu
casa nesta cidade do Recife oo aeus rota alga*
sitio perto da mesma cidade, a fazeeda de rnar
gado denominada Nova FaienJa, mu ao strm
dos Cariris Vclho termo da villa de S. Joo da
provincia da Para tuba, com l.asUotes e boas tor-
ras de criar e de plaotaco de algodao, rom ana
agoa de beber que nao falla, e muito proaria para
refazer solas por licar na estrada em qn> pin
as boiadas, perto das feiras e 50 leguas istaate
da cidade do Recife, lem carraca e casa iiiawia,
com muito bom Ingar para se fazer a-o !- 0 or-
eado : qaem a pretender dirija-se a en proprie-
tario Manoei Jos dr Sani'Anna e Ara 1 jo aa villa
do Cabo.________ ^^^^^
Vude-so o deposito da roa ilota a. 38
tambero vende-se s a armario: a tratar ao wm>
mo pois faz-se lodo negocio em virtnde le am Jo*
socios estar prximo a sanir para fora do impifiq
Vende-se um terreno no logar Jenorntaaio
Ilha dos Ratos, em cajo edifica se um. eioeik-ale
casa com tses ras, sendo a frente para a roa da
Aurora, ao lado do norte, urna outra t nome roa
do Gymoasio, airaz roa do Seve, com 6'J paim*
de freole e 280 de fundo, assim como lambem *-
vide-se : a traiar na roa da Aurora a. 72.
Fil jirel Kara lil.
Vende-se lil preto muilo superior a 10 r*. a
vara: na ra do Queimado o. 18 A, eviuiaa ipe
volta para a rna do Rosara
Vende-se, com a condico de r para lera
desta cidade, nma negra boa rotinneira e eafma-
madeira : a traiar nos Cocios, roa dos Prueres
o. 12.
ilegvelL


Diario de eroambuoo Verca eira 31 de OiHuhro de ,**.
PIIXXAS V1ECJETAES
ro
D. AYER.
Nao ba aecessidade mais ge
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
Grande loja e armazem do
Pavfto.
lina da Imperairiz d. CO. de Gama & Silva.
'feudo os propietarios d'esle estabelecimento de
liquidaren) urna grande poreo de suas fazendas,
ale ac flm do crreme armo, fim defecharem ron-
las e ipurar dinheiro, resolveram vender lodas as
mesmo lempo innocente, efficaz fazendas com grande'abatimento em piejos, tanto
e digno de toda a con flanea, ero porcao como a retalho, e por isso previuem a
As piluins que ora offerece-lodos os seus fre8ez
mos ao publico preenchem estas K^JS
CODICOes ; poiS poden ser tO- um grande sortimenti
Ora OTerece- i ,ot'os os seus freguezes, e ao respeitavel publico, e
as pessoas que negocian) em pequea escalla com
eslabeleemeoto encontrarlo
lo que muito Ihes nao de agra-
madas pelas pessoas mais iracas dar tanto em precos como em qualidade; assim tambera outras de
sua composicao mercurio nem derem vir a |^a ou fl5o as ani0!,ras deixando u- cessanas qualidades os seus acreditados fa-
outro ingrediente nocivo sau- car penbor.
de, mas sendo composto de a-^ambraias lisas a 3#0OO, Da leja do
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante pavo. do mesmo a differenca que ha no preco de
eBcientes e activas para purilicar os corpos Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e um.as Para outras, por que estos se lornam
mais robustos. transientes, tendo oo e meta vara cada peca, mais duraveis na coniinuaco de escrever ;
Estas pillas exploram e parifican toda P,1.0^3,10 5r/C(\d,L3s00' ilas mil finas ,,or assim Pois 1uem deltas se quizer utilisar
a extensao do canal alimenticio, e dao vigor | ; SfcTComo SUSSSS -US W-'a. dinheiro a vista : na ra do
a todas as partes do organismo, corrigindo cosa 25500: isto s na loja e armazem do Pavo, Uueimado loja da Aguia Branca n. 8.
Sua accao viciada e faiendo recuperar sua na rua da 'peratrii n. 60 de Gama a Silva.
vitalidade. Cortes de phantasia a 3i$500.
Um remedio inestimavel contra dar de Vendem-se osmais lindos cortes de pbantasia
nnhn .,.,. j com as ma|s lindas cores qoe lem vindo aomerca-
cabeca nervosa en.vaqueca, prtsao do ven- do, sends fazenda transparente que serve at para
Outros objectos.
Viudos tambem para a amiga loja de
miudezas rua do Queimado n. 16.
Sapatinbos desetim braoco bordados pa-
ra baptisados.
Oulros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos. .
Meias de seda., correspondente no tama-!
nlio dos sap.itinhos.
Outras mui tinas de o da Escossia e
brancas lislradss:
Luvas finas de fio da EscoSsia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita bata senhoras e meninas,
bcantes Perry A C, asrecourimendam as Pentes de tartTuga mui fortes para des-'
entendedores apreciadores do bom, valen- embaragar.
. Carriteis com retroz preto e outras cores.'
Carteiras eom agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspasde baleia para vestidos.
AGUA BRANCA.
Colleiras demairoquim, com cascaveis
e sem elles.
Na ruado Queimado loja da AguiaBran-
ca n. 8, venvlem-se colleiras de marroqnim,
pospontadas e com cascaveis, ou sera elles
proprias para caes e Cutres bicbinbos.
Peooas inglezas No novo sorlimento de pennas"de ago que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
metal dourado e bicos
No armazem de tizendas
baratas de Santos Coelho
Una do lucimado b. i.
Vende-se o s^fuinte :
Coberlas de rima fina a l'800.
Unas de dita a 2J-OO.
Lentes de panno ue llnho a 2$3f4V
Hilos de dito de linho a i.
Ditos de bramante e Imho de im -o
3S0O.
pHBl
O
e est
para
alijas com borlas e sem ellas
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas i
tre, nemorrhoidas, molestias do figadot fe- bailes, pelo barato preco de 350O, ditos brancos para cortinados todas de novos e bonitos
bregastro-tiepatica, e todas as molestas, a^n?a muito fina a 4*000: !^M^j desenbos, cuja commodidade do preco est
em relacao a largura : acliam-se ellas a ven-
da na rua do Queimado ioja da .A guia Bran-
Fitas do linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes |
para crochets.
Tranceliim de bonacha preto,
Bonitas (I*ollas grandes de ufo,
donradas, madreperola e tar-
gallt canta
que i mand t
Bom e baratissimo.
Rua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos ebriro magnticas Roier para
M

biliosas que hem sua origem no entorpec- S^sR50'
taruga.
A loja de miudezas rua do
; as cnanfas nao n.urremn de oonvul-es pelo ba-
redondo.. rato pneo de '-,&.
Novidades.
Riqni.'imas pnlseiras ou braceletes para senbo-
ra e para meninas a I*. 2,5 e 3, assim como lio*
das vollas para peseteo a-<-S
Queimado
ment do ligado que causa a escassez da *" "f ambraias dp forro daa ra do Queimado ioja da Aguia Bran- n- 16. recebeu um bonito sortimento de | Riqossimos enfeiip uia caheca coa de mui-
bilis na inflammage d este orgao que pro- N ca n. 8. fivellas grandes para cintos, sendo de ago, to g.sto a l#300, ->s, 35,43. s, c e "3.
duz derramamento da bilis no estomago ou vendem-se pecas de cambraias* de forro muito Jogo dapacieocia ou curioso entietcni-'douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
em um desarranjo ge;:al dos orgaos diges-. boas, pelo barato preco de 2* e 1*500 a peca : nu-nt I est3o sendo vendidas em dita loja por pre-.,
isto SO na loja e armazem do pavo, na rua da Im- n5*uL u *..;, d <$* Cmmodos assim como boas e bonitas g3' a'
,X iclerlcla **U e, .*-. !(|* 7S5^*-M--l achamalcado, p,opna. pa-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
tivos.
Riqusimas !ive!as de madreperola e de tarta-
trtes graobdinos.
produzida pela absorpgao da bilis no,
sangue, dando pelle e aos olhos urna cor A 10*000, na loja do pavlo.
amaiellenta ; nao smente dolorosa por' Vendem-se os mais ricos cortes granadinos, fa-/iue das diversas pinturas dellas se formara
tos.
que serve at para bai-jagradaveis vistas e paisagens, segundos
; e com palma de sedae, desenhos que acompanham. Na verdade
. tecidos com a seda, pelo baraiissimo preco de IC'p^p __, Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to- cada um : isto s na loja e armaznn dopavio, nae'
si, porm conduz aos mais serios soflfrimen-1 AVSi&^me com palma de seda e desenhos que acompanharn.
das as manhas, isto bastante para mover-
0 ventre smenle al que se recupere a ac-
go saa do syslema.
Mal do figado, ebre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigesto, a ncvralgia
ou tic doulcureux, sao todas molestias que
tem seu comego n'um desarranjo da bilis.
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As camisiiilias do Pavao.
Mendemse as mais modernas camisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 4*500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 1* ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a t*800 rs., mangui-
tos e goliuhas pretas a ]*, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinitas para
A observaco dos duelos da bilis faz esta menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
vol er ao sangue, com que circula dtpois Dranca bordada a i*600 : na ioja do Pavao, rua
vem todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e proiuz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
bireegoes minuciosas acompanham cada!
frasco.
Vende-se em F'ernamtuco:
na
PHARMACIE FRANCAISE
DEP.MAURER&G'f
RUA NOVAN!!
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Soulhembarques de cor.
Vendem-se soulhembarques de cor muito bem
enfilados a 5*, 6-3 e 7*000 para acabar : na lja
e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Organdy moileruissimo.
Chegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padroes, sendo quasi todos letra-
dos, como se usam agora, com as mais lindas cores
a lixas; vendendo-se pelo barato preco de 900 rs.
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-1
Oculos de peneira e de outras
qualidades, para queni seffre
da vista.
A' loja de miudezas rua do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de
Ciu/.es.
Riqu ssimas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se podedese;ar.
Cascan ilhas.
para
de seda e
eofeites de
Bonitos eofeites para senhoras,
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sorlimenlo de enlejes os mais
modernos e gostosinteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baralamente a quem com dinheiro sai
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Heias de la para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Hala mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com compo-igao para dar fi'rn as
a vara : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, moscas, sendo O modo de usar facillimo, e O
de Gama & s.iva. efreito eflkaz molha-se o papel e deixa se
Vendern-s^nSZSUfSL de merin6 ****>. e Del p&. as mos-
Benitas cascan unas ri in
aljfar cousa inteiramen'e nova
vestidos.
Binculos,
peneira Bonito sorlimento de binculos com superiores
ni-prim rps ti a h 19m V,dros claros e escuros. Para qem sof" ""ros para os amantes do ilustro.
n do"Sueinado a dita toiada ltaB an- f[e da visla' ^simeomo outros de armago Assim amo uns pequirinos
ca n 8 aue m?5 saiJfriSJ g 'de af0' sorlidos em 8ros- ES! serv,epara tfeiIe de rekgl mais com B,ce|-
coras e tercos de cornalina. Ilenle Vldr0 .
A amiga loja de miudezas a' rua do Dl ,. Sealinnas.
Oueimadn n 4fi mdwa mui hnnita en-1 .Rl1u'ss'"as cestinbas com prepares para me-
vutimauo n. 10, recerjeu mu DOnitas CO- n,nas de escola trazer no braco, assim cerno de
roas e tergos decDrnabna, os quaes eslo, vidro enfeitadas proprias para mimo.
estampados a 2*000 cada um, haveodo tambem um
graude sortimento dos mesmos matizados que se
vendem a 6*, 7* e 8*000 : na loja e armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os simos do pavo.
Vendem-se rlquissimos sintos de filas de diver-
sas cores e dourados com Gvela larga e dourada,
assim como enfeites para cabeca dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao mercado ludo
isto se vende por um preco razoavel que muito
Vendem-se apellas de aljfar para strem eolio- ftftft *Md/_r-: ,9t0 na loJa e armazem
eadas nos tmulos, catacumbas, sepulturas, no da
! do vinduuro novembro (linados) com as insorip-
;es seguintes : meo pai, rninha m3i. meu esposo,
ninha esposa, meu filho, rninha lilha, saudades etc.
te, e tambem se veude uina capella riquissima
:e marmore : na praca da Independencia loja de
tacados nsL37 e 39, as nicas que ha no mercado.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, perte da igreja dos Hemedios, o qual pro-
prlo para olaria por ter excellente barro, e as tr-
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Goncalves Bellro, rua do Vigario n. 17, es-
criptnrio.________________
LOJA DO BlilJA FLOR
Na rua do Queimado n. (53,
Tem recebido um sortimento de cruzes que se
;3laj usando, de diversos gostos ; so quejn tem
heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de voltas
e aljofares de diversas cores, enfeites para se-
hora de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer outra parte.
Facas e g.irfo?.
Vende-se faceas e garles de cabos de balanco de
um bolo a o*00 a duzia, ditas de dous botoes a
6*500, dita para doce a 5*100, ditas de cabo preto
a 3*200, ditas de cabo brar.co, rolico e cravado a
3*H00. v
Tem recebido variados sortimentos de balaios
para meninos de escola, de forma de peixiohos,
patlnhos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bem se pode apreciar, c tambem serve para
o leilo do hospital portugu?z : lias aara notar de
diversas cores a 7* a libra : s6 no Leija-flor.
(Escoras para ronpa.
Vende-sc es/ovas para renpa muito finas com
dilcrentesgostes a 640 e Inditas pera denles a
120,2i0,320eo00rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e caixinhas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 6i0r.. a cai
xinha.
PAST.HAS
do pavao na rua da Imperatriz n.'60, de Gama &
As toalhas de liuho do Pavo.
Vendi?m-se superiores toalhas de linho das me-
lhores que lem viudo ao mercado pelo baralissimo
preco de 9*000 a duzia, ou 800 rs. cada urna, na
loja e armazem do Pavao, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama A Silva.
As saias do Povao.
Vendem-se as mais finas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da inelhor fazenda que tem vio-
do neste genero, lendo mui a roda, pelo baratissi-
mo prtjo de 10*000; ditas bordadas .1 croch a
I 6*C00 e 80(iO, dias com babadinhos a 9*0C0, na
I loja e armazem do Pavao, na rua da Imperatriz n.
1 60, de Gama & Silva.
Novos vestidos na loja do Pavo a 10^000.
Chegaram para loja do Pavo os mais ricos cor-
I tes de vestidos de cambraia transparente com os
mais de icados bordados de differentes cures a pon-
to de agulha, sendo n'este genero a maior novida-
de que tem vindo ao mercado, parantindo-se o te-
rem mmta fazenda e enfeites suficientes para o'gueiras,
corpo e mangas, e vendem-se pelo barato preco de
I0*i0 cada um, na loja do Pavo, na rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavo.
Vendem-se um grande e variado sorlimento de
espartilhos os mais bemfeitcs que tem vindo ao
mercada, sendo de todos os taannos pelo baratis-
simo preco de 4*, 5*. e 6*000, por haver grande
sortimento, na loja do Pavo, na rua da Imperairiz
n. 60, de Gama & Silva.
cas, entristecen! e morrem. Cusa cada fo-
Iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos uriuquedos e enlretenimcnto
para criancas.
A Aguia Branca na rua *do Queimado n.
8, recebeu divetsos brinquedos para crian-
gas, sendo estradas de ferro, barras e patos
elctricos, apparelhos de metal, louga pinta-
da e porcelana donrada para almog* e jan-
tar e mui tos oulros brinquedos de madeirn.
que se vendem baratamente : na rua <.
Queimad", loja da Aguia Branca n 8.
Meias pretas de seda para senhoras a
500 ris o par.
A> Aguia Branca quer acabar com a por-
go de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preio que lhecus-
taram e o bom estado em que a inda esto,
comtudo est resolvida a vende-las a 5(0
ris o par, afm de que ninguem mais calce
meias pretas de algodao, agua pois apro-
veitarem a qaadra e dirigirenwf rua do
Queimado, loja da Aguia Branaf. 8. Tam
bem vender as brancas a 1$ o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
a disposigo dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na rua do
Queimado n. 16.
Esponjas Unas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 1G.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-! dros e aro de t
versos objectos que fazem completar O seu orulos rom rame dos lados proprio para
Panno do inho Dm com 1,2 palm#s di bMBjat
ra telo barato prega de 2mi \r.i
Bramante de linio flao enea 10 aaemei de ter-
; Kura a 2*.'>00 a vara.
1 Pecas de cambraia coa alpim tnaM
con a eom 8 l|2 vara> i*6QB.
Pecas de cambraia adaeaaacada 1 roprii
ecrtiuado de rama cim 20 varas i 15
li^l e da arce 1 a t*S00, :t, 3 e 4*.
Luiros de cambraia lina a ?60i a i
Uilos dii dita i. a dnzia.
Alhoalhado de lir.ho fino a 2*a) a vara.
ilo de algoejo a I* a vara.
Algodu eofeslau .um 7 Ii2 p.lmos ,! Uraura
a 1*200 a vara. *
Pecas de bretabha de rolo com M varas aaefna
1 para s,i a 3*500.
, l'i o ile lii.i.o liso liii'i a ^.iu rs. a vara.
Dito de dilu com Mlpico a I* a ara.
>'. iiaia de liuli 1 :ia a l*M0, 1*800 i "'
i vra.
Cuites de ISaaiaba t lindas gtos rea H o
i vadosa i>.
Prcas de madapi lan linisMino jilo karata
pnrv deK*, '.<6, l(i* 11.
Planilla bram-a fina a 600 rs. o -avado.
Diia de x re.- liu.i a 8so r.. o cova In.
Bala de muMeiwa t.ara m. iwia a 3*, :;>.*i
e 45. m
Cambraia de !!: :\ a pepa
Dita lint a 1*300,1'..'. 7- a ie -a.
Guardanapos de linbo a :'S00 : duzia.
Toalhas de aigodcj (Anatas dum a l-.
E-l. ira da Iridia ;:< |i;a ..ra f.rro d .-. '
i.fj e 8 palmos tfe renra pr ineoes r,r<
qU'" un futra .|o:iUr, r parte
.N'este tritiazem tan i m nuontra mu
soitin.enlode roupa (ella t it m -.iida.
; a
tie
i
Pentes.
Ripuissimos peotes de borracha com ara tran-
co de metal para menina segurar o cabella pelo
barato preco de 300 rs., e duzia r*, a^im como
grande sorlimento de ledas as qualidades para de-
sembarcar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas oara rou;a e pa-
ra cabello, parannhas e para denles.
Lunetas e oculos,
Finlssimos lunetos de um e dous excellentes vi-
corco i
quem
solre dos orulos.
Touquinhas.
de t-l de linho,
de se-
Vendem-se superiores meias cruas inglezas pelo
baratissimo preco de 4*000 e 3*000 a duzia, ditas
de todas as qualidades para senhora,' meninos e
meninas, na loja do Pavao, na rua da Imperatriz
n. CO, de Gama & Silva.
m Bichas de Hamburgo m
p5 lodos os paquetes da Europa se recebe j
destas amigas do sangue humano c se \
vendem a troco de pouco lucro s afim S
de ter sem pre cousa nova : a loja de bar- J0t
beiro rna estreita do Rosario n. 3, ao p ,'
da igreja. jgj
:p
5^
bello sortimento, sendo:
F las finas de sarja da mais estreita que
ba at a mais larga, todas de vivas e agrada- daeS,Bamparacrinba"
VC1S COr65. Piii'- /i li
dem tambem de sarja Lvrada, de bonitos' A superior agua para attingir' es cabelles, as
e novos desenhos ; barbas 1 raneas e fazer conserva-Ios, os frascos
dem dem brancas, lisas e labradas, pa- 'acompanha um roalo que ensina a ferina como
droes igualmente novos e bonitos. se deve aPP|icar-
dem de gorguro de seda acliamalotada,' Clin. Fara ca?fa" .
e muito encorpadas, para cinto *tml*\J&#tttt
grandes. acompanha um folheto que eosina o medo como
Ide"1 de seda preta e de outras cores pa- se deve appiicar, assim como agua balsmica,
ra <" i..uar vestidos, cohetes, palitos, etc.
j.em de laa igualmente sortidas em cores
o para os mesmos flns.
dem de algodao brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutemharques. vestidos pretos, etc, ,
Novas e lindas guarnigoes para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranga de seda com vidrilhos, moldes no-!
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
-
Os elementos ave cempameata prepara ferro, o ioie t a quina, a cellocio no primen
gro das pinMuacdes fernisjiiwn Bast? aanar
seus resultados ohmios pelos Mdicos dos hosp-
laes, e os relatnos i;cs pretwa) :...;.. L.r.uifu.c,
que confirmrao sua poderosa Ific.ici.ial' nao
K^uintes atTeccots:
Banhas.
Grande sortimento de banhas em copos, tm la-
tas de folha e em frascos de todos os lmannos por
pregos menos do queem outra garte, assim como
muitos cutros objectos que nao se poie mencionar
por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
mero 7.
Rival sem segundo
Rna do Queimado os. 49 e oo, Ioja del
miudezas de lies portas, est quei- j
mando linio bom e barato, quem qui- i
zer ver c admirar Ycnhaui loja do!
Bifodinho,
Fritiiarca.
Anemia.
Cliloro.r u Iptcrlr la.
Mri-nlrii*.
Afrcrcoca A ulrr*.
SupprcMoea i;-. rc-
Kraii c def*or ncaatraar*.
ARccrao aitlmonar r
phlhlale.
Hnleallaa d'cnl.in-. >;a.
Gaalralslaa.
rerda d'apprtlir, rtf.
Yejo se os buetins
Ceavalc-cc-aeade ta>
Kan melrailaa.
,Ub: :-.!! cri.ji>-
u.
Papelrn.
obitlrui-ca daa iiab-
dnlai.
Humar .-a Ir.om
:iimor- brsacoa.
P.arhlt .
Af-cr em raaeeraaaa
e ayaklllclraa.
Febrrm (;;iaaldr*.
Varlalt -. rle.,rtr.
de tkert peutca tmits
9
dos tamanhos.
Lmii'iiis de dous vidros com aro de aro, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sorlimento dlo-,
netos e oculos de vidros com armagao fina de
l*a*s :' ..'.' ote
-
IVOVA YORK.
DE COB GHEIRO E SABOR AGBAAVE1S
Infinitamente mais efficazes do que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expulsilo daslombrigas-
Nao causam dores e pr oduzem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e toincitantes emapparenciae deli-
ciosas em gosto, que as criangas esto
promptasa lomar mais do que marca a re-
ceita.
litis como um exct lente rneio de fazer
remover as obstruege do ventre, mesmo
no caso de nao existirn verme algum, as
PASTILHASVIIRMIFUGAS HE KEMPS SO pmmp-
tas einfalliveis na suaeperagao e por todos
os respeitos dignas deconlianga e approva-
go de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pemambnco rna da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barbosa
Attengfto.
Vende-se a taberna da rua de S. Jo3o
apar ogaz: a tratar na m:.-ma.
que vai
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo emais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observages e para os
martimos.
Vende-se rifeadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande quaniidade, esla-se acabando : na
rua da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Acha-se
Pechiuchi*
a 3 SO rs. ua Ioja do Pavo.
Laziubas a 320
Laaziulias a 32o
Laaziulias a 320.
Vende-se um graude sorlimento das mais finas
e mais bonitas lazinhas matizadas com os mais
lindos desenhos, sendo fazenda que val cinco tus-
tes, e vende-se pelo baralissimo preco de urna
pataca o covado por ser urna grande porelo desta
linda fazenda ; na loja do Pavo, na rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Lazintias garibaldinas, s o Pavo vtmle a 320
e -100 rs.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
lazinhas garibaldinas com fios de seda, sendo to-
dos os padroes miudlnhos com as mais lindas co-
res a irr ilacao das sedas de quadrinhos, e acabam-
se pelo barato preco de um cruzado o covado, isto
pechincha : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Vestido a i :>
Vendem-se corles de vestidos a Mara Pia com
barras bordadas, pelo baralissimo preco de 45000
para acabar : na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Kaaziobas a 160 rs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonitos padroes, sendo lisa i e de qoadros, pelo
baratissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Cama & Silva.
Manguitos e golas a 300 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baralissimo preco de 800 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n.
tO, de Gama Silva.
Cortes de cbita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covados a 2400, ditos com 11 covadus a
26C0, ditos com 12 covados a 2J80O, isto s
para acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, Je Gama Silva.
Agasalboo para cahnea de aenhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabeca de
senhora oo caehios, sendo fazenda mais moderna
que tem vindo neste lanero ao mercado, pelo ba-
ralissimo preco de 35 cada um : na loja e arma-
zem de Pavo, rua da Imperatriz o. 60, de Gama
& Silva. ~m I 1
Chales de renda a 10& 12& 130, 200 e 230, na ^ w A
_ iPJ'!* P,T*. | Sellins inglezes com borrenhas e lisos, silhdes
Vendem-se chafes de renda preta muito finos a psra-miniara de senhora tambem iguaes, chicles
lOfl e \1$, ditos de linho a 15$, ditos de seda de para carro e cabriole!, e para montarla, todos de
Jhoi0.5 D)elhores I06 na em cbales de rn(la a baleia, fundas com elsslicidade para ambos os la-
SOe 2i.,8, ditos brancos de tres ponas a 6, isto dos, e ontros muitos objectos inglezes, e brides de
s aa I .ja e armazem' do Pavao, rua da Imperatriz Ipojuca : iodos estes objectos vende-se oa rua da
o. 60, a venda na livraria acadmica, na rua do Impera-
dor ; na do Sr. Nogueira, junio ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparoal, na rua es-
treita do Rosario a compilacao de toda a legislacao
tendente administracao, arrecadaco e liscali-
safo dos dinheiros de orphaos defontos e ausen-
tes, herancas Jacente?, ligados, ele, cootendo nao
s 0 regiment de cusas e a lei geral das execu
coes, como tambem lodas as ordens e avisos do
goveroo, que a ludo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigagdes inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de justi<;a e fazenda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impresso e bom papel, e prestaodo-se a utilidade
de differentes classes, torna-se lecommendavel.
Seu cusi i0,5000 por cada eiemplar em dous
oraos.
Vndese um escravo flor com 16 anuos de
idade, muito sadio e forie, multo esperto, tambem
se aluga ouiro da roesma iu..c : no Corredor do
Bispo n. 15, a ver a qualquer hora. Na raesma
casa precisa alugar-se urna escrava que seja Del e
aiba vender na rua.
\h icao.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e paulado
a 600 rs.
Crozas de boloes de louga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 10 rs.
dem pretOS de velludo tambem de SOrtl- Pefas de tranca de la lisas e de lodas core a
40 rs.
Escovas uissimas para limpar denles a O e
20 rs.
Pecas de Gta de eos estreitas cotu 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
'dade's a 20 rs.
ago.bufa.0 e tartaruga, e os esta vendado J^V^^'^^^^TL,
por pregos razoaveis: os pret-ndentes din- 20 rs.
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 16.. Baralhos muito finos para voltareie a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macagi perilla muito lino a 20u rs.
Frascos e garrafinnas com agua de Colunia a
400 rs.
llviiJLVr Frascos grandes com superior agua de Colonia a
o ; 640 rs.
Uii.tllClVO 'Caixas cora 12 fr.seos de cheiros muito finos a
A pessoa que arrematou as miudezas existentes Sabonetes pequeos de bolla a 210 is. e grandes a
na loja da rua da Imperatriz n. 70, querendo ac- 320 rs.
bar logo com as momas, vende por menos de me-; Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
e cirurgica de 30 de novembre 180; -i tam
dos hospilaes de M de juila URO, (.., ele.
Alm das pilulas de iodureto duplo d$ (erro i i
minina de Rebion, os Medico* acons o
gualmenie o Xarope d'iodure duplo da
ferro e de quinina do mesmo author para aa
pessofls que nao jrostSo dme'' 'fiemos so^ "r?r-
ma pilular eos meninos. Esic 1 rnft a 'a
como o xarope d'ioare de ferro, t> a nveci-^t
de altcrar-se e de se r.o poder consc-..r.
Peca-se O folhrto que se d de grafu en :aj
dos pharinaccutieos r'.epdsitarios.
Para-se evitaran faisificacoes, exija o eo-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a a*-
signatura do inventor.
Depsito geral em faris, pharmacia Reblllon,
442, ru du Bac, e em tocias as boas pbarmaciae
de Franca a dos puizes esirangeiros, etc.
NULO S
BISMIJTH
EK
(;.- grnuloi u l-innuih e Chovrier bn
superiores a lodas a* outras prepanedea .:
bismulk empregaas ames com o maior nceetem
pelos mdicos (e lodosos paizes, aara prevenir
curar as
Dlarrhraa rliro
Maa laratoca
Gaolrllra.
Caliral {la*, eif
I.
tade de seu valor os seguintes objectos, a saber
Aljofares, masso a 240 rs.
Aberturas para camisas, urna a 320.
Alamares para capotes, duzia a 500 rs.
Argolas para qnadros, duzia a 240.
Ba lea para vestidos, libra a 700 rs.
Brincos pretos a balo, dnzia a 3a*>.
BotSes pretos de os?o, proza a 120 rs.
Bico de blonde largo, vara a 500 rs.
Dito de dito estreito, a 120.
Dito preto largo, vara a 100 rs.
Dito dito estreito a 50 rs.
Bahados para toalhas, vara a 80 rs.
Cordas para viola, duzia a 120
Clcheles em caixinhas, duzia a 360.
Ditos tm caixinhas, da ierra, duzia a 500 rs.
Colberes de ferro, groza a 3,5500.
Ditas de chumbo para sopa, duzia a 400 rs.
Ditas de dito para cha, duzia a 240.
Franja de algodao de cor para toalbas, vara a
40 ris.
Dita de dito braoco pata toalhas, a 50 rs.
Dita de seda, vara a 200 rs.
Pila de la, peca a 200 rs.
Dita para coz, peca a 16O.
Froro de cores, peca a 160.
Fivdas para colleie, duzia a 320.
Fila de retroz preto e de cores, pega a 280.
Fivelas douradas para calca, duzia a 500 rs.
Fita com clcheles, vara a 100 rs.
Linhas de carritel de 200 jardas, Alexander, a
40 ris.
Lapis, duzia a 100, 200 e 240 rs.
Lamparillas de seis raezes, caixinha a 40 rs.
Latas, libra a 15800.
Linba de peso, meada a 60 rs.
Obreias de massa, caixas duzia a 400 rs.
Pentes de massa para atar cabello, duzia 35.
Ditos de dita dito a S00 rs.
Renda de fil, vara a 20 rs.
Suvelas pr.i sapateiro, masso a 15400.
Suspensorios para e.-crolos, um 300 rs.
Trancioha de la e seda, pega >oo rs.
Tranca preta com vidrilho, vara a 120.
Dita de seda, [.;? a 15800.
Dita de la de ces, pega a 20.
Voltas pretas a Maria l'ia, urna 1-3.
E outras muitas miudf ras tambem em bom es-
tado, que pela grande quandade nao possivel
descrever-se.
Vende-se carne do serlo muito nova a 400
rs. a libra, e de oito libras para cima a 360 rs.: na
rua de Santo Amaro n. 8, e na travesea da roa
Bella b. 8.
Agua dentifice superior qualidade a 800 rs.
I Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
; Frascos de superiores essencias santal e outros a
: Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de todos os precrs a 160, 200.
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
: 45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de tita de la para debrura de vesdo, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos do choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para
! 100 rs.
1 varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellus francezes com 20" jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
Uuzias de meias cruas mnio fortes e supnrores
1 35500.
Iraa.
II)Brnl-rlan.
Ddrra il'rir.tnr^n
Djapepalaa.
Os primeiros symptomas d'esr a* ormidaveai
affeccoes se mamfcstfo ordinarian .ute por
tdes laboriosas, aiidumo, falta :'. yetite, ,
d'estmago depois de cada comi'l.. Caaefrtal et-
tomacae, e, muitas vezes, por arj mm ntrtcsm
com vmitoi.
Este estado mdrbidc, se o aVloidlo, ton
vitavelmente, que seja:
Moleallaa de flgada.
A lelcrrla.
Palpllaro ale rnrar.io
Drea ajea rlna.
npprraea.
Horra Hr rafceca
IrrliKdrn de feral,* i
dm anta-la, ele.
calca a
CUliS
DE FERRO
Grande sortimento de camas proprias para col-
legio e tambera (.ara quem quizer passar a festa :
vende-se na rua Nova n. 33.
Com loja rua do Crespo u. 17.
Recebeu de Paris sedas em cortes mol* __
to eoperiorea e bellissirxos padides, e I
pfl chales de renda preios para l1 5.
HEslc iniporuntc taUbJ. cin a- S
se recommendavel ao bello i:.. ,^
|g liedade de fazendas superiores a bellos aj|
g^ gostos
R Proteja o bello sexo ao Vil!*r I
j{$ e vero todos a prosperidade.
Luvas de Jouvin.
Chepera aos corpiohos de cambraia. A 10ja de mudezas na rua do ueima.
Vendem-se curpiohos de cambraia com entre- j ,a _v u_
meiosa44e i*, esto se acabando : oa loja de do.n- 6' resebeu-a_8 por este ultimo vapor,
Paredes Porto, rua da Imderatriz n. 52, poria lar- Algodao trancado da Baha : no armazem de
ga, jun.o a padaria franceza. A. V. da Silva Barroca, rua da Cadeia n. 4.
Os granulos Chevrier to ordenados perst
sommidades medicaes para prevenir essas diver*
sas molestias e cural as qnande sio lomadas
tempo.
O preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharm:ciaChovrlaa\
e em todas as pbarmacias de Franca do* ]
estrangeiros.
GRAGEASdeCUBEBINA
cmCOPABAdeLABLONYI
Estes conl'eitos que tem por lase ,> pf ,..
cipio activo da trmetra cubaba junto cn
a cupahi/ba pura, nao nausen ooslomrga.
Elles fazem parar immeiliatnmeute
rebeldes gonorrhas, mesmo r s ipie res slt-
ram a cubeba o a copahyba isi !:ni.im'..<.
Venuem-se no Recite em can Je La^,
Barboza e Joo da C. Bravo d t.
PECHI\0li
O propheta faz setenio .10 respei avel pnb.-1 t
em particular aos n us numerosos fr. guesfs. <|og
recebendo urna grande porfi de .-acras rom bat-
ata de mandioca, e.-la resoivid a \ende la.* por
baralissimo prec", a ellas : na rua das Cinco av
tas n. 86, e rua do Rangel n. 49.
Vende-se um silio em Fttmfici a' marti-
rio Capibaribe, com ba.-laulcs comr n!. s ;
grande familia : traa ra na rua ?? va n. 24, da-
horas as 4 da tarde.
G.\Z7 GAZ, GAZ.
Gaz cm latas, o melhor qaa tem viudo ao --
cad. : vendo se no armaztra de Darrw b i-\~.
Iravr-sn da Madre de Dos n. 87.
Ventem-M
machinas anaerica&as de aarroii para iaaaM ?
algodao : na rua da Senzala ova D. 42.
Lilas para vestdos"a"240
r?. o covado::
Na rua do Queimado u. i vend< n-se soreriaraa
lias para vestidos a 240 rs. o aun ; a ellos, av-
ies que se arabem.
CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 I|2 vara .1 pe^a a .'J,
est-se acabando ; na loja da porta a'ja da ro 3
Impciatriz n. 52, de Paredes Porto.
I1EGIVEL
$



Diarle de Pernaimlmco *- reiea .'Ira 31 de Outnbre de &*
N. 11Ra do Queimado N. II
A loja de fazendas de Augusto Frederico dos Santos Porto, acaba de recebar um omi-
to grande e dovo sortimento de cortinados bordados para cama de noiros a 36$, 40$, 455,
305000,60JOOOe 70*000.
Lindas mantas para grava.a, de variadas cores, a 15300 e 2$.
Cactunez de la de diversas e bonitas cores a 35300 e 4$.
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 16$, 20$, 2$ e 25$.
Rotondes de guip, tambem os mais modernos a 6$.
Colchas de soda ce cdr para cama de noivos a 55J e 60$.
Alcatifa de linbo para salas, tazenda larga, bonita e de umita duraco, a 600 ruis o
covado.
Tapetes grandes n pequeos, cora ricos desenos, para sota.
S;ii;s bordadas para senhoras a 7$, 8$, 9$ e 10$.
Capas e soutembarques de seda preta para senboras.
Bonets, chapeos e chapellinas para senhoras, dos goslos mais modernos.
Chapeos elegante* para senhoras, a 12$.
Pecinhas de Uaissima bretanha de llnho a 75300.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim da Pars a 700 rs. o covado, e cam-
braias ira acezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire anlique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdeno'pule preto e de cores, esgui5es, silesias e camtraias ee linho, sorlimeuto, de diver-
sas fazendas para luto, chapeos de seda para horaens a 9$ e 10$, chapeos de sol de seda,
iindos manguitos bordados, e oulras muilas fazendas que fe vendem por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
^^tNgHl^

U>AS CtHULVMMAS.
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda Je cores o que tem vindo a P.'mambuco de melbor gosto
em seda.
Assim como mais algamas fazendas de bom gosto para vestido.
Kl DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Oorreia de Vasconcellos e
C.
cortes mn $E9.&
Chegaram pelo paquete iuglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
drees intciramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RA DO CRESPO-5
Gregorio Paey do Amaral *& C'omanIi!a.
Paredes Porto
Recebeu plo ultima paquete francez rifas laas
granadinas com flires de seda a 400 o 500 rs. o
covado, estao acahamlo-se, cambraia preta para
luto. Porta larga imito a padaria franceza, a ra
da Emperatriz n. Si.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como Sejam maihrolao a 45500, 5$, 6$ e
10-5, pecas de algodn por barato preco, chita fran-
ceza a 24J, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 300, ii>0 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 2*0 rs. o cavado. Ilua da Imperalriz n.
L
ENCICLOPDICA
3>9 "na da Iniperatrlz armazeni
da porta lairga &9.
*ciiaio a padaria fradeeza de
Paredes Porto.
Neste estahelecimenlo encontrar o respeitawl
pi Mico um ariado sortimeoto de fazenda? france-
-. inglesas, sulssas e allemes, que se venderao
p ri 50 commodo.
Paredes Porto
v'ende chales de runda de cores que se vende-
r ;;i a 189 est vendendo noi 6$, Sitos pretos, ra-
ziada nova, 55,6$, 8$ a 20$, um sorliraeato com-
pleto do manteletes, capas e sootambarques 14$ a
!o$. Roa da ImperalriznAi, junt) a padaria fran-
ceza, armazem Ja porta larga.
Paredes Porto
Receben um completo sarment d ISasioba a
S40, 28Q rs. cavados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado srossea para ron-
pa de menino, fusiao il linho a 420, 400 e 500 rs.
Ruada Imperalriz n. ojuuu a nadara franceza,
n itera da porta larga.
Preles Pullo
!; crien para cortinados para cama franceza a
11$ a peca cambraia lisa fina a 35 4$ at 10$ a
pe a. nortea de larlatana de bonitos u >>tos a 35500
e '.!>. cambraia com flor de seda, gostos inteira-
munle novos a fOO e 300 rs: o covado, do armazem
ra larga n. 2, ra da Imperalriz junto a pa-
daria (raneeza.
Paredes Por lo
Receben pelo albno paquete um soriimento de
eruzes com pedraspara opescoco, banitos caxineis
de Ia para pescoco d; senhora. Ra da Imperalriz
n. 2, armazem d* porta larga.
Pa.edPs Porto
Vendo cortes degorgnrao preto para vestido com
V covados cada um 335000, grsdenaple preto a
!' iii. I$800 e >i o orado, laas lizas Onas a 400
rs. o covado, laas de quadrinbopara vestido, enfos-
tada, a 320 rs. o covado. Ra da Imperalriz n. 52,
izem da porta larga.
Paredes Porto
Tem para vender por preco commodo, pecas de
.. de iinho com 10 varas a 7$, 8$, panno de
tara lences a 650 e 701) rs. a vara, braman-
te Je linho do 4 larg iras a 2-5200 e 25500 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes de can.l.r.iii bordadas de ricos
costos a 10$ e 12$, ricos vestuarios para menina
mino, ricos corles de cambra Hara Pia a
10$ e J0$, tarlatana branca e de cor a 640 e 720
rs, a vara. Ra da Imjmrairiz armazem da porta
langa n. 52.
Roupa fcila
52, junto a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, risca lo francez fino a
320 rs. o covado. Hu da Imperalriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
R"cebeu pelo ultim i paquete espartilhos a pre-
goicoso par 3#, sao bous, lencos de seda para se-
nhtira e homem a 1*, ricos cortes de cambraia
bordados de I8J a 7-?, por ter urn toque de mofo,
esto se acabando, na roa da Imperalriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
0 armazem "da arara esta fa-
zendo liquidadlo detodas
as qualidades de fazendas,
na ra da Iinperatriz n. 56
L'iureooo Peejra Mandes Guimaraes, dono do
grandeestabelecimeato, tum resolvido venders
fazendas aor menos do que em outra qualquer
parte, menos 30 por cenlo.
Camliraias lirancas lisas a 3#000.
Vendm-S' cambraias brancas lisas a 35000
3$-"i)0,45, 45500. 55, 55500 e 05, tapadas a 6$300
e 7$ : Mendos Guimaraes.
Chales de uicriu a 2)000.
Vendem-sc chales de merino eslampados a 2$,
merm liso a 35800.
Cobertores de, aigodao
Vendem-se cobertores de aigodao a 800 rs., di
tos bons a 1$600, 25 e 55500.
Camliraias de lima s cor
Vende-se cambraia de urna .- cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saia> bordadas pelo barato preco de
7$U00.
Cortes de eamlin>ia
Vendem-se os mais modernos cortes de cam-
braia bordados, senao fazenda de gOto, a 10$000 e
12$000.
Riscados escocezes a 280 o corado
Vendem-se riscados escocezes a 280 o covado,
liras bordadas a 1$, ntremelos a 800 e 1$.
I.;i i/inlias a 220 rs.
Laazinhas Boas a 220,240, 280, 320, 360 e 400
i p< q (*nv3(lo
Ra di Imperalriz n. 52 armazem da porta lar-: c-
ca i u uto a padaria franceza, encontrase neste es. ] tories uecainoraia
imento urn completo soriimento de paletos- <*.eni'em;.se corles, dt car"!i!;.,a com bfarra ***
accos e sobrecaros, de todas as qualidades, cal- 3*?9' dll.os sem barra a 2*800 cada corle>Men-
;as, colletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias, dt-:i Guimaraes.
chapeos de sol, ditos fraocezes para cabera, por Cliaubres
preeos commodos, roupa pera menina e onlras' Vendem-se chambres para homem a 4$, e s
moitas fazendas por precos commodos, armazem para acabar,, pellos de Imho a 900 e 1$, lencos de
da porta larga. Imho unos a 500 e 640 rs colarinhos de linho a
No mesmoe-tabelecimenlo encontrar o respei- 500 rs., camisas franeezas a 1$400, 1$800, 2$ti00,
tavel publico, se.npre um completo sorlimeuto de 2$40, 2$300 e 2$800: s Lourenco Pereira Men
des Guimaraes.
Corles de ia
Vendem-se cortes de laa a 3$, 3$500 e 4$500;
Mondes Guimaraes.
Chitas para coberta
Vendem-se cintas para coberta a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de cores
Recebeu-se um rande sortimento de cambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casemias
nas a
colares ano-
ronpss fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta e de cftr, ditos sohrecasa-
,- i i$ e 55, ditos de brim parJo a 2$800, 3$ e
I -i, ditos linos a 4$, ditos meias cazemira a
3$300, 45 8 5$, ditos eatemira s - 10$, ditos sonreeasanos a 10 e 12$, ditos de pan-
DO ice i- a 6$, 85 e 10$, ditos sobrecasacos a 12$
j. ditos de merino preto a 65, 7$ e 10$, cal-
ci de brim de diversas qualidades a 1$800 a 4$,
,; hrancos a 2$>00 e 65O0, ditos cazemira 55,
65 e 75, ditos pretoa a 5$, 6$, 8$ e 10$, dilos
meias cazemiras a 3$ e 4$, coletes de diversas
qaaiidade", gereulaa (raneeiaadB aigodao, ditas de i
liDl o, ditas d bramante a 2$ e 2$500, carnizas de | Vendem-se casemiras a 1$280 o covado,
aigodao d linho francezas de 2$500 e 3$. Gran- \ 2$240. 2j500 e 3$ o covado.
de i-echincha neste genero, grvalas de todas as __.---------j---------------
qualidades e brancas para calamento, grande sur-! COIares Royfr oh
tmenla de meias para senhoras, ditas para homens dlllOS
a 35, superiores a 3$500 e 4$. para facilitar a dentigo das crianzas e preserva-
l'i completo sortimento do Chapaos de sol de l las das convulsSes.
alnaca a 35, dilos de seda a 5$, 7$, lf$ e 145,: O feliz resultado ohtido immen=as vezes pela
dilos franceses para cab ga, grande sortimeulo prodigiosa forga magntica dos colares Royer, nos
casos de convulso's, e dentico das crianzas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje j se pode dizef que esto goralmente con-
r.eiiiiatlos, e estima los de innuraeraveis pais de
familias : de un porque do uso d^sses salutares
cotones viram salroS do perico seus charos fllh-
nho?, e de outros porque colheram daqueltes tao
proficuo f xemplo pa/a ualmenio preservar os
seus. Assim, polj, a agnia branca, teodo em vis-
tas a Milita le e provea desses prodigiosos cola-
res anodinos ou R meolo qm ag tra lyi-eheti, e conlluuar a recbe-
los para t le em lempo algom a falla delles possa
ser funesta ao< pas de familia, os quaes flearo
certos de os achar i-nnslanle.mente na ra do Quei
maao, I Ja J'aguw branca n. 8.
a 05.
Pechiiicha a'luiiravel.
Grande sortimeulo de chambres a 5$600 e 5S,
leoces tle camhrat \ para homem a 25 a duzia, di-
ti de linho a 4$ e 5$.
Grande SOftimeajO de roupa para meninos e ou-
tra- moitas cualidades que seria enfadooho m'-n-
c:.ua-las.
Fazendas.
Vende se superior marin r reto proprio para ca
pa* de senbora s vestidos a 2$, lutrim da China
a 15800 o covado. Roa da Imperalriz, porta lara.
I'aieiles Porto.
Vende em seu estaelecimeulo liras n i-nlremeios
bordados, graude soriimento de corpinoos rica-
mente birlad is a 35. 4$ 5$. S o Pared s Por-
to, ra di Imperalriz 110 52; porta larga junto a
padaria franceza.
Charutos da Baha
a 1$ a eaita ; na ra da M>eda n. 43.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tauto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Ormo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especial'uiade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas ilo centro, que para mais facilitar suas compras deli-
Deraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aanunciar os geoeros
por um pre?o, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar sto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tambem servidos como viessem pessoa!mente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cenlo na sua despeza diaria.
Receberam Gregorio Paes do Amaral A C. mais um completo sortimento de
FIL PRETO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaines.
AnnatBite9.
Pompadoan, efe, etc.
Desde iOMXM) WK50M,
CHAPEOS A EXPOSIf AO
Novo modello de chapeos ingleza de uaissima palna para senhora com ama
ampia banda de tife de cores.
CIPAS
de laa preta e de cores proprias para luto, ou passeio pelo diminutissimo preco de 10$.
Sedaimatisada em pecas
padrees modernissimos que faz o effeito de um vestido de subido prero. Assim como:
ricos cortes de moireantique brancos, de cores, de gorguro lavrado de Blond para ca-
samento.
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectos para noivado.
CORTES OE TARIiATAMA
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padrSes e feitios differentes.
E oulras muitas fazendas por precos commodos qne vendem
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5 RA DO CRESPO 5
Manteiga ngleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l,oooa l,too rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha oxim de primetra e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de i a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de t,8oo a 2,000 rs.
a libra.
ltiscoutos i 0,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inprjez de di-! Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passas a t,5oo o quarto e
Bftaeliiahas 3,000 a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas com bolachinlus da acreditada fa- rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar al r^uirriuii *
doentes de 2,000 a 3,ooo rs. a lata. j ub.lMIIlA
dem com quatro libras de bolachinha de Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
soda a 2,ooo rs. alala. duzia e 1,
Queijos tienebra
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,i5oo e 7,ooo rs. a iluzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 0,000 rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
l'laagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixe para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeitc doce de Lisboa a 600 rs. a
garrafa e a 4,600 rs. a caada.
Massas
Macarro e tal erim a 360 rs. a libra e a
6,000
Ofip rs. ao frasco,
api Molanla verdadeira a
rs. atasquetra o a 56o rs. o frasco.
ldom de llollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a "8,000 rs. o garru(ao. Tambem
ha garrafes com ;i e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a,
1,2oo rs. a lata
ALP1STA E PAINCO
Alpisla e paingo muito novo de 3,8oo a.
4,000 rs. a. arroba e de 14o e 160-rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
I quaes vendemos pelo mdico preco de I.600,
Queijos flamengos chegados no ullimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porejio
ter abatimento.
VINflOS
Superior vinho do Porto das* mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velbo Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e Soo rs. a garrafa, e a 3,000,
3,r>oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis- 2 g 3,500/4,500, e 5,ooo rs. a caixa.
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-j Icores
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a Ljcores francezes e pi)rlUgUezes a l.ooo e
3,5oo a caada. l,4oo rs. agarrafa ou frasco.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-; iioees
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade\de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
MARIO
Sab3o maca de primeira qualidade de 18o
a22ors. a libra e de 16o
em caixao.
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a~7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e otftcis frutas a o> is. a lata,
a 21o rs. sendo i Tambem' ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande sortimento de Tazenilas por aiaeado c a retalho. e um completo sorti
roenlo de roupa feita, de rase miro e de biim, tudo por senos que tm
outra qualquer parte: quem duviilar venlia ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de fines
brins brancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
Colletcs
de boas casemiras pretas e de cores e de fino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas frarfcezas de 2$ at 50.
Ceroulas. *
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
U loes.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 anuos.
dem superiores para senhora.
Gravatas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de homem, as mais modernas do mercado.
_. Hadapolo.
Madapolao bom a 80, 90, 100 e 125.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balao a 100.
Fraques de casenalra.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao ha vendo que sir ao freguez raanda-se fazer por medida e com muita promplido.
Todas estas fazendas por precos insignificantissimos, pois o Oto do Balao ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO Je FLORES.

Uvas pelo ullimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Maraas pelo ullimo vapor
Ameixas pelo oltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fitfos pelo ullimo vapor.
Frudas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ullimo vapor.
Queijos loudrinos pelo ulmo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo tilnmo vapor.
Tudo se vende barato us seguintes armazens:
Ra do Imperador u. 40, ver da del ro Principal.
Ra do Queimado n. 9. Unio e Commerclo.
Largo do Carme n. 9, Progressivo.
ANDE PICHINCHA
ARMAZEM 1E FAZEMDAS
RA DO QUE'MADO N. 27
CUSTODIO C AII VA MI C.
Pegas de madapolao fino francez com 22 e \2 varas e com um pequeo toque de
mofo a 8000 cada peca.
Cambraia branca para forro a 10600 a peca.
Lengos de cambraia para hornera e Cambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 26tt rs. o covado.
Laas de cores muito lindas a 300 rs. o covado.
Ra do Queiniado n. 9 9, armazem de fazendas.
ULTIMA MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ullimo paquete um "completo sortimento 6V capas
bournus de cores ricamente enfurtidos a 13ft> l->3 e 205 : a ra da Imperatrix o. 55,
loja da porta larga junto a padaria franceza.
^^
Vende-se
V
Bramante de linbo Ono e largo para lencos.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mamas para cavado.
Cobertores de algodo de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche.
Normas para escrpta
Ven'lem-se normas para e-cripta por C. Adlers,
proprias para meninos, cm collecc5es de ns. 1 a 6,
e tambem colleccdes de ns. 1 a ti : na livraria
universal n. 5i, na ra do Imperador.
OT
avanado.
Francez barrica Sff<00
furtland dem 8J500
Em perfeto estado:
Francez barrica 10*000
Por ta nd dem tt#0M
No armazem de Tasso Irmaos cae*
Cal de Lisboa.
Vendem-se barris com cal d
um : a ra do Brum u. 60, arm
boa a
m de
65 cada
assucar.
.[LEGVEL
Cal de Lisboa.
Na ra do Vigario n. 19, andar.
Rtdbli.
Chegaram os bonitos chales e relodas4ti
re brancos, e vendem-se na raa da lf iialrt a.
5% loja da porlr larga, da Paredes Paria.
Chales de renda
Paredes Porto, na roa 4a Imperalriz o. JB, porta
larga, vende chales de renda de cores ca peqaa-
no toque de mofo, a 3J5Q0 a 4 faacmda U f
e 125000.
9


filarlo de Pernn Ritme* ferea feira 31 de Outnhro de l*.
GERENT
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIj PUBLICO.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
que^endo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro',podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1." Delicadeza no trato.
2.', Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social goiam de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos ondrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condiclo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao poaco favorecidos da sorte farao mensalmente uma economa de
murtas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qaalidade pelo preco que em algumas partes nopo-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
ftira os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, esoolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos sennores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
-V ; Gkaixa. em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA. a 120ts. a libra. uma.

0 PUBLICO
iem o menor constran
giiuenfo se entregar
Importe do genero que
nio agradar.

ATTEfitiO
*s presos da seguiutt
tabella pw *, po-
dendo asslm servir de ba-
e para o ajaste de coma*
com os portadores:
1UVAE.
SlSAl SEGUJl'IM
Hua do ueiiuado no. 49 e **>.
Contina a veadrr ledas as nmiileza? qo aballo
declara por presos admiravei.
Ma.-sos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de moldaras dooradas a 2M>, iiu r 310 rs.
Bouels de oliado para menino* a ir
Ditos de coaro superior fazenda a i'>oo.
Frascos coni superior lima reata a J4u r..
Meiadas de linlia (roa para U>rdau<. a 20 .< 60
Caixas com 100 envelopes.faaend.i fii>a a t>'> r.
Grozas de peonas de ac, fazenria up< ru i 2 iMn.
Grozas de boles maareperoia rios a 5UU e
1 e 640 rs.
Caixas com 30 novellcs de linba do p
Caixas com superiores obreiasde cola a
Pecas de fila branca elstica com ra ;.
Varas de raDja de la para enti .les 1 k *e-;:ds a
4o rs.
Baralhos dourados superioresqoaiidades *'* r
Novellos de Imha rom 400 jardas a 80 r.
Ltros para asiento* de roopa lavada a tOOrs
Pares de boles para pocho, fareiida rica >!Aa
Tesouras para costuras soperk res qnalidade? a
400 e 1*.
Caixas de peonas de calligraphia. f.v
1*000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Sentaow choras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptida'o e intel- rares de "IS de *"5* IT* ,*300'
eza com que serSo mti^ rda ma visita a0 mesmo certos de que sem dnvida me darlo a proleccao e preferencia na com- Ub"s iuZ*EStol *i 7*#*
Ta dos gneros que precisara r>ois serio t3o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacSo, afim de que nao vo em Rodinhas (om aifmetes franee es n.uio mt
. Resmas de papel almaro a ?400 p 5,58.10 r.
sal retinado em frascos de vidro Com lampa Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e I*
do mesmo, a 500 rs. iDuzias de lesouras com toqoe de ferr -M3 *
Cerveja branca das marcas mais acreditadas! diSSs"'
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelcao)
PARA BEM DE TODOS,
dem e painco de oto libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas fraocezas em latas ds todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os taa-
nnos.
Azeite doce de primeira quaKdade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2000 a garrafa.
B
BOLACKINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a I800 a lata, e
de cinco para cima a 1#7G0.
dem de so la em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 1(5800.
Bsennos inglezes de todas as qualidades a
10200,15250 e15300.
Bolo francez em caixiahas a 400 rs. cada
ama.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 Idem suisso a 15 a libra.
Idem de musgo a 15500 a libra.
juHoueicAS muito novas a 800 rs. a libra.
Kaf a' 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qaalidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orohala, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetel'os, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, uysson, huxim, aljfar, preto, e
preto penta branca, etc., etc., a 25000,
252O0,2,5560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos es tamanhos a -du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces de lodos os tamanbo6.
Cognac superior a 15 e 15300 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco maciabos.
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, franceses, etc. etc.
E
EB.VILHAS seccas a 120 rs. a libra.
krvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 n.
Figos de comadre a rs. a libra.
Fhjo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 900 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.800
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada uma.
Letria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA itigleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelaba dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talhauim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Milho pataco e alpiste, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nahos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargn, salmo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarlo^a 15400.
dem muito novase 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS Damengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
Mera suissos a 600 rs. a libra,
dem lonurinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
H
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa s<
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salahe de Len a 23>.
Sardokas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag mu-ito novo a 400 rs.
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate en latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
tra parte.
Manteiga ingleza especiahxenteescdhidaa
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem bysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e'2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
no mercado a 64o rs. a libra.
V
VINHOS
!l
Principe Alberto, de 1831, a 55000 agar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carmelos a 15-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nbo que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeau* Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 6O0, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinbo figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
Brides e picadeiras de
Ipojuca
Vende-Be na ra do Quelmaio
Azevedo & Irmo.
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas au, gran-
de sorUiento, a 3j at 6i. ditas Victoria muito
finas, eos 10 varas a 6,5, 64300 e 74 : Di roa da
lEperriz. $1, juoio a padaria lanceta.
Calungas finos e biinquedos
para meninos.
Lhegarain para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos ealongas
n. 31, loja da tanto para linnquedo de meninos como para cima
de mesa : na raesma loja se encontrara bom sor-
timento de mindezas.
Vende-se barato o sobrado n 21, sito na rna
de S. Pedro Martyr, em Olioda, e ura terreno onde
se acha edi SeaAa grande parte da cidade do Rio
Pormoeo, o qnal terreno eslende-se da matriz at o
trapiche; a tratar oa ra da l'mao n. 37.
Aletria, macarro e talbarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,o a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas ^-de-9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a I
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,coo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinbo branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinbo Chercx de superior qualidade a 16,ooo
a duzia e 1,500' rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito'novas a 6,000 a
barrica e 320 rs. a libra.
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
CevadiDha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposifao Normal de kivana, Imperiaes,
LoDdrinos, Guanabara?, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, lia*
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac ingle/, das melhores marcas, a 800e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas]
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
de facas e garios de cabo prf lo a -?4C0.
Talhrres muito fino para enancas a 510 rs.
Pulceiras para meninas a 3W rs
Ditas e voltas para tt-nhora a 500.
Frascos de Agua Florida nrdadf'ra a !42f-0.
Frascos com superior banha a 540 e 3t'0 r.-.
dem de superior oleo haliosa a 3-.0 r=.
Caixas enm lamparinas para 3 sm a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 c t4( rs.
Carlas de alfineies InseatH a 100 rs.
Quaderoos de papel pequeo a 20 r-.
Grvalas de cores, fiwnrla superior, a 5W> rs
Papis de agnlha?, fundo donrado. feo._______
Attenco
Vndese uma prela crionla de IH a 20 .mnr.s !
idade.com habilidades, nao l*-m vicio n-w '
que, muito ada epi sanie, pn na acra
de grande familia : a tratar na ra da Jf j'.rn l
Boa Vista n. 54.
Bolachinhas de soda em latas de diversas Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e i,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada uma.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco
7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
a gar- tamanhos com bonitas estn pas na ca- i 8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a l,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. CartSes com bolo francezmuito proprios pa-
Feij5o verde muito superior a 640 rs. a lata, i ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo' Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanbol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- 'Miftlo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de JoSo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- \ bras por 2,5oo rs.
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezns em Tasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 155oo.
das que vem ao nosso mercado a
8,000 a caixa e 64o e "00 ris
rafa. xa exterior, a 1,4oo, 1,60o, 1,80o e 2,ooo: Azeitonas portuguezas a 5oo rs! a garrafa e
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada uma. l,5oo cada uma ancorela.
coma corta. Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde jrenebra de Hollanda ?. 6,800 a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. 1 ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,oeoo_ggo.
Genebra de laranja verdadeira em frascos; o gigo com 36 libra-. Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
grandes a l.oooeH,ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e a libra.
Caf do Rio de 1* qnaMdade a 28o rs. a li' 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-1 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo ?. Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francesas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massade tomatesdesuperiorqnalidadea 64n Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de uma libra e56o rs. a ret- 15 a garrafae 1 t,ooo a duzia.
lbo. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
72o
Figos em sextinhas a 80 rs, cada uma e
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, perego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
e640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
garrafa.
GIZ.
No armazem da ra do Impera'! r n. ?> u n'
Caes de Pedro II n. 2, Iem para vender-** o
Ibor gaz exi.-lenle no mercado.
As melhores (hilas fr?Bff7a? it mes
escuras e fixas a 280 rs.
covado
Na roa do Qneimadon. 1 veodem-se rbit.s fias
rezas escuras e finas a 280 o covado.
Vndese tu llij:a-se um lio Bf t nreij
da eslrada do AmwJ, rere hoa r?.'3, ? ar-l um
muitos commodcs, o sitio iem nn.t's arv.re,
bom baciho, baixa de capim, diversas plaat*(ees
etc., ele, torna-se reron'mendavel para |Ban
lo de festa por firar perto do Parnaneirim. tr'e
liassam os mnibus e breve passar a etri<'i !
fero: a tratar na rna larpa do I osario tiraSn
Vende-se a taberna bem afreguez.-.ia
na ra dos Assoguinhos n. 20.
'S
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de |f o par luvas novas de pellica de Joavin, chegadas no nltimo va por
para bomem e senbora : na ra da Imperatriz loja de miadez s n. 54.
II
^ i
o-
co n o < o sd 33 >> ngO'Hg
Bnfillftlf.E
2. sr-S ft S o.-*
D
I*'
o
o
o o-- = 9 K
3 3 *" S3
/.
S bJ
S.B
as o* **
IfifS
#* "S
5S < 3
M B 2. a,
3 g,
f i
5
o
S
a
s
ce
sr
&
S.it
CK} o 3
S-o'2
s 3
o
8
9;
S
2. o -
o *
^
a. !<
5ft
o
s
o

o
S o.
O w ^
M
~
!g
O
i

53?
Tasso Irmios
Ven de ni no sen artyazem ra do
Amoiini n. 3.
Licor fino Carabao emJtotijas e aeias botijas.
Licores fios sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhos(Aeres.
Santeroee.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Mmm.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAesei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio morado es-
qaerda, depoi* ido becoo do Espinbairo, nos Af-
fliClS
IH
para
de trabalhar a mao
descaro? ar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C,
OLOAH
Estas machina
podem descaroca
qualqner especii
"de algodao sen
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
otrabalho; pd
descarocar ama
arroba de algo-
dao em earoyt
em 40 minutos,
xm 18 arrobas
por dia oa S ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
aaimaes, que descarocam 16 arrobas de algodac
limpo, por dia-, e motores para mover uma, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dess machinaj
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem vr e examina-lo, no arma-
zem de algodo, do largo da ponte aova n.47.
Saunders Brothers C.
i H. II, praca do Corpo Santo
* BECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Bren em barrjea* pequeas.
Cera em velas de todo5 os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Vendem se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de sella, por prego commodo : a tratar
no hotel de Franca.___
O castello de Grasville.
A ttenca.
Senhorcs e seohoras.
Os proprietarins da nova luja e armazem de fa-
zendas e roupas feitas, ra da Imperalriz n. 72, de
Guimaraes & Irmo, acabam de reduzir os precos
de suas fazendas menos 20 o/O do que em outra
qualquer parte, afim de apurar dinheiro.
Lanzinhas de todos os padrdes pnr barato preco
por ter grande porco, a saber, 220 e 240, 280 e
320 rs. o covado ; vende-se tambem um grande
sortimento de chitas eslreitas. pelo diminuto preco
de 200 rs. o covado ; ditas fraocezas largas a 240
e 260, 280, 300 e 320 rs o covado ; d:las preclaras
muito finas a 360, 400, 440 e 600 rs. o covado,
ito s Da nova loja e armazem de fazendas e rou-
pas feilas de Guimaraes & Irmao, ra da Impera-
triz n. 72.
E' baratissimo.
Pegas de cambraia branca a 3jj e 3,5500. ditas
mais finas a h> e 4sSO0 at 9?, camhraia organ-
dysde lindissimos desenlias a 320 e 360 rs. o co-
vado, ditas moitas finas a 400 e 440, isto s na
loja de Guimaraes & Irmao ra da Imperatriz
n. 72.
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores de algodao a ii, ditos me-
lhores a 1J600, 2 at 6, grande sortimento de
chales de merino pelo barato preco de 2 e ?00,
3, 3$500 e 4y, ditos fines a 5fc 6, 8, diios de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baratissimo preco : isto s na loja de Gui-
maraes Irmao, ra da Imperatriz n. 79.
Oh que pechincha.
Cambraias de uma s cor, fazenda muito mo-
derna, a 320 e 3C0 rs. o covado, vende-se por este
preco por ter um pequeo toque de mofo ; grande
sortimento de saias bordadas qne se vende muito
barato : isto s na loja de Guimaraes & .Irmao,
ra da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vestidos de cambraia borda-
ios, fazenda inteiramente nova, por preco muito
barato; tambem chegaram as mais modernas
mantas de seda para pescoco, e vende-se por com-
modo preco : isto s na loja de Guimaraes & Ir-
mSo, ra da Imperalriz n. 72.
Pechincha admiravel.
Este novo estabelecimento receben um grande
sortimefcto de riscadinhos escossezes multo pro-
prios para vestidos de senhor. s e meninos, a 320
rs. o covado ; vende-se um grande sortimento le
entre-meos e babadinhos, e tiras bordadas, por ba-
rato preco.
Roupa feila.
Vende-se um grande sortimento de roana feita
ido todas a.- qualidades, palitots, caigas e colletes,
icamisas e seroulas: tudo isto s
Na nova loja de fazendas de Guimaraes
Irmo.
Ana da Imperatriz n. .
EKlAfei MUSES.
Fogio no dia 18 do correte na um
rrioulo de nome Elias, mogo, de b- arp>\ falla
grossa e apressada, tem falta de dou s dente na
frente e os ps grisus : qoem >> ^pawNMsSM f-
de conduzir ao eDgenho Japaran :ui>a, sjsi
pago, ou no Becife ao Sr. deseu.targadar AliM
Barbalho lYl.a Cavalranii.
Aviso.
Ausentcn-se de casa de seo senhor J>" X Seve, nu dcniingo 22 de r-nlolrn firrenir. o ts-
cravo Guilheime, pardo, id auno?, con es
signaes seguinies : allur? e rtrpo rfguiare?. i
comprido, bom cabello e nsa de estrada rli
sem barba, rom um pequeo signal preto n'nna
das faces, nariz e labio grossos. bem fallante e
muito amigo de conversar. Tem prinnpio de rara-
piua e marrineiro, ja iral.alhon ao n>>iie \\r.ti
em servico de conduzir carns r. m genero?
sabidos da alfardega. rolDDi di2*r qne i
forro, pelo que j itm trabalhado em gynmastica : as doir.igc.s
larde sahia ralbado t NMM pia SjksMa,
ra de Joao Fernandes Vieira e O-rv etc. N n -
mo dia cima saliiu elle calyado e vestido rom ca-
misa de madapoln, calca de brn. i ardo, palilot
de fazenda preta com quadrinn braM e cha-
peo baixo de casi.ir preto, e consta ijue embarrara
no vapor Oyapock como praca do I" bataiho 4e
guardas nacionaes, com destino ao Hin de Janeiro.
Mas, podendo nao ser exacta e>ta noiiria, roga se.
;s autoridades do Becife e de fra, e a lodo*
aquelles particulares que delie souberem, a cap-
tura do mesmo escravo, levando-o a' ilha des
Batos, ra do Seve, casa n. 16, onde ser gral.-
cado.____________________ ___
mm
aos capitaes de campo e n
polica
TI
Traduzido do francei por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3600C
oa praca da Independencia, livraria ns.
6e8.
20(l.s(IO(l de graliheaca par rada
De^appareceu em principio do mez de ou
prximo passado, de bordo do palhabote ranoc >!
Arroio Malo, dous escravos de n< me B< b-rl.>, por
appellido Macei, e Miguel, o l'de idade 45 amati.
[muco ma> ou menos, crenlo, cor fnla, elaiora
baixa barba cerrada, nm pouco torio das pernas
e com algnns cabellos kranros, tanto na barba ro-
mo na cal era ; o 2* alto, rheio do corpo. sem bar-
ba, falla grossa, representa ter de 25 a 30 auca ;
cujos escravrs desconfiase andarert: reos arrabal-
des desta cidade : quem os apprch-mtfr. qoeira
levar a ra do Trapiche n. 4, oo a bordo o di
navio.
Gratif caa > SOS.
Ausentnirse da basa ji. 59 da rna do Impera**
(ontr'ora Collegio) no sabbado 16 do rorrent* mex
ce setembrode i 86o, o escravo pardo den me toa-
quim, com os signaes seguintes : estatura regnlar,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps largo, Hws
grandes, cabello corrido, com orna cicatriz araste
e bem visivel na testa, parte dos dente da frente
arruinados, e com falta de algnns do lados, sabio
com calca de brim pardo e paleto! enro d<* paaao,
mas levoa mais roupa branca e de cor, amito
astucioso, costoma intitolar-se forro e tnar ras-
cado ; f -i escravo do Sr. Gailnerme Frrderico 6*
Souza Carvalho, genro do tinado Sr eommendador
Manoel Goncalves da Silva : rogase a soa raptara
a todas as autoridades polieiaes e a qoalquer ca-
pitao de campo on outra pessoa partu-ular qor-
apprehender se gratificara com 504. aim das eVs-
pezas de condarcan, entregando-o a sen seshor
Miguel Jos Al ves. na casa cima, ou no en es-
criptorio na ro da Cruz casa n. 19.
Attencao
A
Acham-se fngidos os escravos segotntrs : Beato,
mulato, idade de 25 anoos, cabellos aaaelaiea, nm
barba, dentes um pouco limados, secco do coree,
testa larga, e falla nm pouco descaneada ; e Lais,
crenlo, j um penco velbo, ahora regatar, malto
cabelludo, barba com algnns cabello braacee, ae-
sim como na cabeca, corpo refere,ado, otttos srs
tanto pequeos, falla grossa e a veres Sare-se
pede-s* as antoridades polieiaes
ronco : pede-se as antoridades polieiaes e
Vinho do Porto superior em caixa de duzia, \ pitaes de campo que es faeam apprehender a
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aieve- duzi-losa' casa de sea senhor o raajor A
do & C, no sen escriptorio roa da Cruz n. 1.
Farinha
de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
I vedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz o. 1.
Silva Gusmao, que generosamente
e Ibes pagara toda despeza qne Aterra)
condnccSo : soppde-se qne elle trrio ida as
gnimenlo dos sertoes desta provincia, por
Cilios desses logares.
t'
MTLDQ


Diario de reraambnco Terca felfa 31 de Oiifuhro de !
/
LITI
THEITRO DJV GUERRA.
Depois da randigo de Urugoyauaai forgas si-
tiadoras comegaram logo a pasar para o oatro
lado. Flores, com o exercito di vanguarda esta'
paseando 0 Mirinay, e talve a esta hora ja' estela
mu prximo do exercito brasileiro e argentino,
que se anproxima de Mercedes onde o presidente
Mitre ja' deve estar rejoiJo a Caceras e Lagrana
Tr..:iserevereios os seguinles trecho de urna
carta de Bustamente para a Inbuiut de Monta-
video.
Restaorago, 2i deselembro.Querido amigo. -
Hijeas 10 horas da nuaha depois de se ter dis-
tribuido roupa ao nosso1 exercito, m irchou este no
ruino da Cap Qaic, onde peasa acampar boje o
gsneral Plores. Temos pois duas leguas de mar-
c 1a penosa pelo ardor do sol.
O exercito argentino comegou apassar o Uruguay,
0 creio que nossa marcha em procura de Barrios
sera' prompta. Comega urna nova campanha, e
nao duvidamos que o resultado lia de ser loglorio-
so como foi a tomada da Uruguayana.
O imperador, como Ihe communiqnei hontem,
segu viagem amauhaa a bordo do Taquary pa-
ra Itaquy e S Borja, o na volla ira' de Itaquy
para Algrete, voltando pelo mesmo caminho que
troaxe.
Depois da furibunda censura que fez aos foroe-
ccdores do exercito melhorou milito a condigno
dos nossos soldados, pois temos' lldo carne excel-
ente.
Por esta occasio seguem para Montevid) o te-
nate paraguayo D. Jos Zurrillo, chefe de infan-
uria em Yatay, e o sargento Vctor Parede, ambos
1 risioneiros na Uruguayana.
Da Concordia escrevem o seguirte :
Concordia, 25 de setembro de 1865.O nosso
exercito marcha todo em direcgao a' margam do
Paran'. O da Uruguayaua esta' passando o rio
Uruguay e o que acampava no Macdisovi marcha
para Mocoreta".
Se fosseai maiores os elementos de mobililade
p>r todo o mes que vem a provincif. de Corrientes
se vena livre dos barbaros que a saqneiam.
Diz se aqu geralmente que a incorporago das
forjas que traz o presidente com as que leva o ge-
neral Gelly se fara' em Curuzu Cuatia, mas nao o
creio, pois, nao vejo quo o general Mitre lenha ne-
cessidada de vir aquelle ponto. Maisprovavel roe
parece que a reunio se verifique na altura de
Payubr para passar o rio Corrientes pelo mesmo
caminho que trouxe o geueral Paunero.
As forjas desta provincia (Entre-Ros) parece que
se reunem, de diz-se que Urquiza esta' ja' em mo-
vimento.
Segundo os dados subministrados pelo coronel
PiHejas, commandante de ura dos corpos do exer-
cito oriental; este exercito da vanguarda (inha si
do engrossado com cinco mil soldados brasileiros
mstade de infantaria, metate de cavallana, que ja
inham passado ura RestauragQo.
Alm disso, S. M. o Imperador, que ja' liaba
marchado para S. Gabriel, depios de sua visita a
Itiqui e S. Bjrja, ia all orgmisar cora rapidez um
exercito de reserva, depois de organisar um outro
de peracOes com viole mil horneas pouco ruis uu
m?n)s, sendo dez mil de iufauleria, sub o commao
do do general baro de Porto Alegre, que deve in-
vadir o Paraguay por Missoes, eroquanlo o outro:
exeercito avanea por Corrientes, livrauJo primera-
mente esta provincia argentina da oppressao em
que jaz.
Todo o mez de outu'oro se calcula que sera' em
pregado na marcha de todas as forgas que se
acham em moviraeuto para o poni indicado em
accordo dos generaes. Os soldados que nos estao
agi.ra chegando da corte nos vapores Diligente, Im-
parador, Jaguaribe, e em oulros que ja' estao em
viagem seguem todos para o salto, d'onde marcha-
rao por trra para Uruguayana, aflii de se porem
deb.iixo das ordens do bario de Porto-Aleg'e, que
tem diaote de si urna brilhaute cemmissao de-
sempenhar.
O exercito que esta' com o general Ozono cao
inferior a 18,000 homens e em organisagof disci-
plina e porte nao tem nada a invejar. Para pas-
sar o caudaloso Mocoreta' empregou elle as lan-
chas e pontes de gomma-elastica de que esta' pro
vido, eque foram nesla occasio, e nao de ser no
famro, de grande-utilidade.
Reouidas todas as forg s em Mrcedes. tera' o
general Mitre sob suas ordens nao menos de 40,000
horneas aguerridos e victoriosos pira expellir do
territorio da Conferagao 25,000 Paraguayos desmo-
iisados e vencidos.
Nao sera' para admirar que o general inimigo,
que o bruto do Barrios, nos faculte a occasio de
dar-lhe alguma sova. Diz-se que o proprio Lpez
esta' hoja frente do seu exercito, no que s hei
de acreditar quando o vir com os meus propnos
olhos ; porque sei o quanto cobarde e medroso.
Explicase a vinda delle, nttribuindo-se a' Insina,
gao de TelmoLoper, e Carreras, que Ihe assegu-
raram que s a sua presenca ser..' bastante para
transformar as derrotas em triumphos.
A victoria de Yatay confessada pelo Semanario,
atribuida a' superioridade dos alliadas, que com-
baten! s quando sao em numero triplo dos Para-
guayos. A de Uruguayana anda nSo era conhe-
cida no exercito de Corrientes, oa tralava-se de oc-
cuitar com todo o cuidado. Conforme a ordem do
dia do Sr. conselheiro Ferraz, o itimigo entregou
6 boceas de fogo, 510 espadas com talfns, 830 (an-
eas, 3i divina?, 110 pistolas, 3.690 espingardas
1 sola, tendo na frente as inlciaes R. V., feitas de
baeta encarnada. >
Em data de 5 diz lamben) o Diario :
Recebamos cartas de Algrete at 20, S. Ga-
briel 25. Sant'Anna do Livramento 27 e Bag 30
Lava gente muito fina
Poderosa artllheria,
E a nao Santa Catkerina
Que vae por fraga divina
Co' a proa n'Alsxandria.
de adarme 17, 3,700 cintura- com patronas,
234,000 cartuchos, 7 bandeiras, 10 carretas e i
carretllha, e oulros objectos.
Na excurso a Itaqui a S. Borja a comitiva de
Soa Magostada o Imperador horrorisou-se coraos
vestigios que encontrn da barbaria dos selvagens do passado.
qoa invadirn oslas povoages, que, como Uru- i De Algrete apenas nos dizem : Em uma merao-"la contempornea se l : e a
guayana, muito sofTr'eram. Descobriose nesta cidade enuma casa dene. ,DaDta da9ueza embarcou esse da, que eram 5 de
Em Itaqui foi objecto da mais viva compaxo goeio uma graude porgao de fardameolo calcado a80Sl0' na Dao Santa Cathenna no Monte Synai,
nina linda menina que servio de pasto lascivia reno. Depois de muito instigado e terem-se visto Da0 de 70 lueis' muil formosa, e de dentro lo-
; do chefe destes cambaes, que nao contente de man j os livros da casa; declarou ter comprado a om of- d B,a Piadas de ouro e for-
dar assassinarlhe o-pai, honrado portuguez que Acial. Esta'se procedendo s necessarlas indaga-
por muitos anuos all viva, rouboa-llie a honra de gSes, por isso por emquanto nao digo o norae do
um inoo irreparavel, parque nein se quer se podo offlcial, mas j se communicou ao general.
unir seinelhante monstro a victima de sua brutal
concupiscencia,
O iucausavel general Caceres organisou uma ex-
Dizem-nos de Sant'Anna do Livramento, que
n'uma carretinha pertencente ao padre paraguayo
Duarte, foram encontrados muitos e diversos ob-
radas desbordados.
Na) hypothese gratuita, que a imagnagao po
pular tinha motivo sobre que idealisase uma nao
typica, como centro,de acgo de todos os seusro
manees martimos.
O genio do povo s exprime os seus senlimentos
personahsaodo e localisando; d'aqni a multiplici
uo lugar denominado Nazacijitos uma partida de dalos.
traidores correntinos que andavam com os Para-) A'quella villa haviara chegado mais cinco pa-
guayos.e Ihe matou uos 20 homens, e tomou Ihe raguayos, sendo um para Francisro Pinto da Fon-
500 prisionelros desta riaclonalidade ; como vd-se toura Barreto,' outro para o lente Cypnaoo da
das seguintes participagoes. j Costa Ferreira, outro para o capitao Antonio Men-
Ainda que pequeo, este triuropbo vai engrossar des de Oliveira e dous para Antonio Thomaz Mar.
o numero dos que temos alcaugado e diminuir as' tins; dos quaes ia ser om remetido para S. Ga-
pedioao e logrou o melhor xito della, porque o. jeclos de prala pertencentes s igrejs de S. Borja,
coronel Romera, a quem a encarregou, sorprenden Itaquy e Uruguayana, saqueadas por aquelles*van- dade das lendas> e ao mesmo tempo um fundo de
verdade em todas ellas.
A lenda da nao Catherineta nao tem uma deter-
minada origem histrica; 6 a generalidade ttrica
de todos os naufragios.
Garrel inclina-se a achala no naufragio que pas.
sou Jorge de Alboquerque Coellio, vindo do Brasil
no anno de 1556, em que a fome e a ancia de se
devorarem e a resistencia do capitao reflecten)
muito as cores sinistras da lenda.
Tamben) na relagao, qte por vezes havemos ci-
tado, do naufragio da nao S. Bento, se encon'.ram
ameagas de horror da antropophagia :
E por que havia tantos das que nao furamos
resgate, nem metiramos as bocas cousa que co-
me tivesse, constrangeu a necessidade a muitos se-
ren de parecer que comessemos este cafre; e se-
gundo j soava, nao era esta a primeira vez que a
phalanges iui migas.
Curugu.Cuali, 25 de setembro de 1865.
Exm. Sr. vice-presideule Dr. D. Marcos Paz.Jun-
ta remello a V. Exc. copia das panes que com data
de 23 me dirigi o general Hornos sobre o trium
pho alcangado pela divisao do cornniando do coro
nel D. Flix Romero uos campos de Nazanijitos, guile
departamento de laguaret Cora a 21 do crrante.
Felicito a V. Exc. por lao importante triura-
pho, e morraeute pela circunstancia de serem
traidores tanto seu chafe como a maioria di suas
tropas.
O condigno castigo que receberara estes trai-
briel, e um para Pelotas ao Sr. Galligniano.
IM POUCO DE TUDO.
Do Sr. Theophilo Braga transcrevemos
a se-
LENDA DA NAO CATHERINETA.
as aotigas relagSes de naufragios temos a oos-
sa poesia martima com toda a profundidade do j
seniiinnoto; que importa Ihe *o dessem forma desvenlura da1ae'la JorQada obrigara a alguns a
potica / gostarem caroe humana; mas o capitao nao quiz
consentir em tal, dizendo que, se eobrassemos fa-
ma, que comamos gente, d'ali at o cabo do mun-
Senie-se uma alma em cada palavra do mari-
dores Ihes servir' de ligo para que nao lornem a nheiro, que faz a oarrago do que soffreo com ,
iocorporar-se s fileiras dos barbaros lovasores,: aquella resigoago e seranidade de quera ha soflri do.aginam de ^, e trabalhariam de dos perse-
pois comprehenderao o extravio a que foram ar-, do muito, e tem uos alvores de esperaocas uue o gUJ!" Cm mU" ma'S dl'
de-! aleutam, o amor da patria, o culto das tradicoes T de.larem """^ Mes S'a e molh'
gloriosas que procura conservar integerr.mas. apertadS pela fme'
ristados e reconhecerao seu erro voltando
feuder o patria contra seus inimigos.
. t Cora este feito mais se moralisara as nossas
tropas,pois desenganar-seho que se nao pode
intilmente atraicoar a patria.
t Os soldaaos da vanguarda responderam com
este triumpho grande victoria que as armas ai-
liadas alcangaram na Uruguayana.
O inimigo segu sua marcha era direcgao do
rio Saua Lucia, sera fazer al o dia 23 operago
alguma militar.
Apezar dos esforgos empregados para fazer re
tiraras familias emigradas, nada consegu, porque
com o triumpho da Uruguayana estao esperanca-
das que pouco durara' a sua emigragao.
Nao sera', portanto, culpa nossa que estes in-
Com que unegao crete e piedosa n.lo desenha
elle os maiores transes I
Os horrores do desastre fazemihe reconhecer
om poder iraraeoso, que adora com uma vehemen-
cia e ardor capazes de fazer prodigios.
Vera a oo qaasi a afundar-se.
como conta ligeramente a len-
da popular, frequente as relages dos naufra-
gios : t mas flzemos a ceia de urnas alparcas que
eu levava calgadas, a anea tambem a nossa nao
menor lingua fez que nao menos goslosas as achas-
sernos.
O gageiro, que era o diabo que na lenda da .Vio
Catherineta levaotava o temporal, tem alguma re-
FOLHETDI
0 DEMONIO: DO J060
POR
HENRIQUE COXSCIENCE.
X
(Cooliouagao.)
Simio pegou no candieiro, airan essou ura corre-
dor e subiu a escada que ia dar ao andar superior;
o criado seguiao com passos mal firmes, apegando
se as paredes.
Chegado ao seu quarto de dormir, disse Tarchi;
pondo oulra cadeira ao p da mesa :
Assenta-te, Julio: aqni est' uma garrafa Ja'
abena se eu nao receiasse qua dormisses de
mais, despeja-laiamosambos pelo bom successo da
toa partida.
Julio assentou-se, pegou na garrafa e olaou atra-
vez 'ella para o candieiro.
Ora I ter quatro copos de vinho dentro
Nao vale a pena de ter medo.
Turchi tinha tirado do armario dons copos gran'
des, que poz sobre a mesa ; enebeo-os e disse :
Vamos, Julio; a' tua boa viagem, para que
possas chegar a logar seguro I
ambos despajarara os copos de ama s vez ;
mas em quanto o criado lamba os beigos com sa-
tisfago, esteodeo a ralo cora o copo murmurou :
Ob, divino liquido I E' om balsamo a correr
na miaba garganta seqaiosa. Mais um copo se-
nbor, mais um I
Simo eocheo outra vez os dous copo; e disse :
Pelo que, como homens que esperavam antes de miniscencia, ou melhor parece ser fondado no gru
poucas horas dar contas a Nosso Senhor de nossas mele> 1ue no naufragio do galeo S. Bento, se ben-
bem ou mal gastadas vidas (L-se na relagao do Ie ecl|ama pelo lime de Jeov a ver erguerem-se
naufragio da ne S. Bento.), cada um comegou a uns eDrraes vagalhdes a que elle nao ha de cha
ter cora sua consciencia,confessando-se sumraaria- mar sena diabos Qae ve'i em tropela,
mente a alguns clrigos, que abi iam. A este tem-! Em ,odas as narragoes dos oaufraglos ha mais
po andavam cota retabulo e crucifixo as mos, ou inenos uma sombra do qnadro horrivel da Nao
telizes se no pOem a cobert'o de qualqueraconle- iCODSolando nossa angustia com a lembranga d'a- i Catherineta, fomos apontando algons fados, oo
cimento que sobrevenha e era seguranga suas vi- quella' que ali n5 aPreseotavam. Isto acabado,! Para determinar ongens, mas para recenhecer a
das,e Oca salva a nossa responsabilidade. DeV. Pediaraos Perdao UQS as M*- despediodose ca- eneralidade da leoda.
Exc, etc.Manoet I. Lagrana. da ora de seus parentes e amiges, com tanta lasti-! Entre as cantigas de levantar ferro, que a maru-
Goya, 25 de setembro de 1805.Ao Exm. Sr. ma' COm qUera esPerava seretn aquellas as derra- Ja canta, bam conhecida esta, que parece um ves-
ministro da guerra e marinha.-Tenho a honra de deiras Palams 1ae leriam n'este mundo. N'islo ligio da lenda que estudamos :
juutar a' preseute duas copias, referindo os dous andaYa ludo' QUe se no Pderiam por os clhos em
trrampbos oblidos pelas forgas da vanguarda desta parle 0de S8 nao vissem ros,os conertoa de tristes
provincia, como vera' V. Exc. lagrimas, e uma amarellidao e traspassamento de
Deu, guarde a V. Exc.-fcansfo Lpez, a "*"! dor. e sbeo receio, que a chegada da
Acampamento em Cafarreno, 23 da setembro mrle ""** ouvdo-se tambem de quando em
de 18C5.-Sr. I). Evaristo Lpez -Mea estimado F"* algUmas palavras 'as'if"osas, sigoal certo
amigo, folgo de poder responder a' sua apreciavel da "f0?"^ 1ue a,Dda n-aquello derradeiro pon-;
de boniera, parl.cipando.lhe o feliz resultado da na alUva do5 orPhaos e Pe1uenas '"", das;
expedigao a laguaret Cora', pois acabo de saber a,nadas Pobres '"res, dos velhos e saudosos
que o coronel Romero logrou sorprender os trai- "'/' QUe ca de,xava,n e acaband ada "> d ^
don Co, r,niinos qua all se achavam. tomando- "t"'*0, "T Cm eS'e Pe.qUeD' ""' deVd:
Ibes n,a,s de 203 homens e tolas as cava.hadas.! ^12 S TmI T T T Til
A' hora que sahia o correio portador desta noticia, ', *? Pet"r ? NSS S^hor remedio espiritual:
(ijue do corporal ninguem fazia conta).
ooQlinuava cora empenho a perseguigo, e annun- | A lembranga viva' represeota a cada instante as
ciam-meque mu poucos serios traidores que lo- passadas angustias,
graram escapar.
Felictoo, pois, por este n.vo triumpho cora
que as forgas correnlinas esponderara ao da Uru-
guayana, e sou como serapre, etc.-Nicanor Cace-
res.
Perdido l no mar alto
Um pobre navio andava;
J sem bolacha e sem rumo,
A fome a todos matava.
Deitaram as negras sortes,
A ver, qual delles havia
Ser pelos oulros matado
Para o jantar daquelle da.
Cahio a sorte maldita
No melhor mogo que havia,
Ai como o triste chorava
Rezando Virgem Mara.
Mas de repente o gageiro
Vendo trra pela proa,
Grita alegre l da gavea
Terra, trra de Lisboa.
A cor da narragao a verdade.
O geoio avenlureiro martimo do povo portuguez
est dentro daquellas paginas; cada palavra um
senlimento que se sorprende na sua ingenuldade Parece a versao mais recente e era ludo Igual
O marinheiro ama a sua nao e confessa-o Irre- de Liboa, onde uo apparece o maraviihoso, como
t tmmediagois de Luiz Comes, 22 de setembro Oeclidamente: < levando a pbanlasia oceupada na versao do Algarve.
de 1865-Sr.D. Evaristo Lopes, mau estimado n'esta angusi.a, e os olhos arrasados de agua, nao A brevdade da aegao est compasada na pro-
amigo.-Em re.erenca ao inimigo dir, a V. que podia dar passo, que rauitas vezes oo loroasse fundidade dosvgrandes tragos: nao tem o raovi-
no da 20 fez elle sahir nma columna de peno de atraz, para ver a ossada daqnelli to formosa e meti dramtico da antiga chcara ; pode dizer-se
oOO homens ate a estancia de Aguirre, onde foi es- mal afortunada nao, porque, posto que j n'ella que ele fragmento a forma pica do tvpo das
pingardeada pelas minhas forgas, que Ihe pozeram nao houvesse pao pegado, e ludo fosse desfeilo n'a- nossas lendas martimas,
uns 18 a 20 homens fora de combate, tendo nos, quellas rochas, todava, era quanto a vamos, nos Eis a chcara, como, depois de Garre, a reco-
pela nossa parte someole um feri lo, e a vinganga parecia que trahamos ali urnas reliquias, e certa Ihemos oovamente da tradigo popdtar :
que tomaram estes miseraveis foi incendiar todas parte desta nossa desejada trra, de cujo abrigo e
as povoacoas que encontraram no seu transito,' compauhia (por ser aquella a derrdeira cousa que
sendo estas ma:s de 30. A esta carta pode V. dar della esperavamos) nos nao podamos apartar sem
publicidade para provar a alguns aparaguayados mUjl0 senlimento, etc.
que existem desgragadaraente no nosso paiz, o pro-1 it0 r,ue 0 capitao da nao S. Bento senta era o
cedimento de homens que se prezaram de trazer a mesmo que se passava na alma dos velhos marean-
civilisagao a' repblica Argentina. I les> que davam aos navios nomes domeslicos de
Neste momento chega o coronel Ocampos -
ajudar-me com sua divisao, pois eu j me achava
com a minha quasi a p ; recommeodo ao dito
chef'Ihe participe as novidades que occorrerem
por estes pontos, como Ihe recommendo que o faga
com elle. Sou, tic Grifn Crdenas.
O Diario do Rio Grande de 3, aecusando o rece-
bimento de cartas de Sant'Anna do Livramento de !
26 e Bag de 23 do passadd, contradiz a noticia do
fallecimento do coronel Fidelis Paes da Silva, ac-
cresceotaodo que este offl:ial se achava em trata-
meato em uma casa oa costa do Quarahira, e que
eslava melhor,
A' mesraa folha escrevera de Sant'Anna :
< Acabo de ver um Paraguayo que trouxe Joo
Antonio Ramos. Da' pena ver esses raiseraves'l
a brutalidad personalisada. Mostrara se legres
e contentes. O fardamenlo ridicula. Seroula e
camisa de algodo branco, um grande tirador de
vaqueta e bonet de baetao grossg com palla de
j paixao, cora que esqueciam os que Ihes turnara ira-
posto no baptlsmo ; o galeao. S. Joao, que naufra-!
gou ua carreira da ludia em 1551, tinha por atea-!
nha o Biscainho; a oo Aouia tambem se chamava
a Palifa. Este nome de oo Catherineta, nome po-
pular que Garrel julga um diminutivo de affeigao,
dado por graga a algum navio favorito, parece-rae
ter a sua ongem do galeo Santa Cathertna do \
i Monte Sinat, que levou a infanta D. Beatriz para
Saboya.
As memorias do tempo descrevem-no como dig-
no da afTcigo popolar, capaz de deslumhrar a ima.
gnago do vulgo, e da fazer nascer uma paixo ao
encontrar-se a' vista penetrante do marinheiro, que
sabe tambem avallar o bello das curvas, e dos pon-
taes, a mastreago elegante.
O galeo de Santa Catkerina comegon a ter a
sua poplaridade nos versos de Gil Vicente, na tra-
gi-coraedia das Cortes de Jpiter :
Da pobre nao Catherineta
Ora o caso vou contar;
Quem tem ouvidosque me ouga,
Quem tera f queira resar
Aqui a Salve Ralnha,
Antes de principiar,
Por quera leva negra vida
Por essas aguas do mar :
Perdida vai no mar alto
Os temporaes sera parar ;
Nao tem agulha, nem rumo,
Nem sol para marear.
Acabou-se o maotimento,
Ja falta que manducar; .
Mesmo a sola recosida'
Essa mal podem tragar.
Deitaram as negras sortes,
Sortes deitaram a qoal
Havia dos companheiros
A dura fome matar ;
Cahio a sorte maldita
No apltao general I
c Arriba salta gageiro,
< Arriba ao mastro real I
Se avistas costas de Hespanba
Sim, mas com a condigo de o nao beberes
ja' sobre o outro.
Julio fltava no vinho olhos vidos e o vinho sor-
ria-lhe no copo cora ar provocador ; mas a espe-
ranga de que, obedecendo a seu amo, tal vez alean-
gasse terceiro copo, deu-lbe forga para resistir
tentagao.
Eotretanto, Turchi comtemplava' o seu criado
com estranha expresso. Nos seus olhos brilhava
um fogo sombro e nos labios, anda que trmulos,
desenhava-se-lhe o sorriso da perversidade trura-
phante. Bem se via que nao espiava o criado sem
alguma inlengo ; mas qual seria o seu secreto de-
sigui ?
De repente fing u querer pegar no seu copo, mas
virouo sobre a mesa. Deu um grito de sobresalto,
levantou o copo e disse :
K' um peccado derramar intilmente tao bom
j vioho. Agora ja' oo tenho cora que te acompa-
nhe a beber. Levanta-te, Julio, e vai bascar ou-
tra gar-afa ao armario ; talvez a ultima vez que
bebemos jan.os. No terceiro lote, aquella garrafa
de col comprido.
Julio levantou-sedacadeira cora certadifflcoldade
e foi do melhor modo que pode ao armario que ti-
cava em om canto do quarto.
Simo Turchi metteo logo uma mi do seio e ti-
I rou orna garrafloha. Deitou pressa quasi todo
o conteudo no copo de Julio, que anda estava cheio
e escondeu a garrafinha oulra vez no seto; e ape-
1 zar de tremer era todo o corpo, disse com um tom
que nao acccisava a mais leve agitagio :
Um pouco mais cima, Julio; acola', es-
querda. E' essa ; traz ca'.
Julio deu a garrafa a seo amo, que a destapoo ;
mas quando la deitar vinho dos copos, disse :
Vamos, Julio, despeja esse copo. Este vinho
difirante desse e a mistara talvez estragasse
ambos.
Julio enguliu o conteudo do seu copo mas logo
qoe o liquido Ihe passoo a gargaota olhou elle pa-
ra seu amo com espaoto e murmurou :
Que tinha o meo copa ? Qae gosto to
amargo e exquisito!... Deitar-me-ia aqui ve-
neno ?
Ora, qoe parvoice I disse Siraao, empallide-
cendo.
Nao c porque nao seja capaz disso
Esse man gosto do fuudo da garrafa, ho-
rnera. Ora v agora ; bebe outro copo e la vai o
mu gosto.
Depois de ter oulra vez despejado o copo mur-
murou Julio:
Com effeito, foi-se. Em toda a minha a vida
nunca beb nada to mu.
Com e olbar flto no Criado, Turchi pareca es-
piar o qoe ia passar-se em sua alma e era sea cor*
po. Entretanto, disse cora Oogida lodffrenga :
Tem cuidado, Julio ; preciso acordar ao
romper do dia. vai a p a' $dade de Lierre
la' compra um cvallo bom e parte sem demora
para Aarschot e Diest; o camiuho mais curto e
estars la' mais seguro da qoe as estradas. Logo
que chegoes a Colonia, ests fra de pengo ; mas
nao fiques la'. Vo la' rouitas vezes negociantes
de Antuerpia, poderiam conhecer-te e quera sabe
se te prenderan) para te trazerem a Antuerpia.
E' preciso ir mais looge, muito mas looge, fra do
territorio do imperador. Depois de todo esqoeci-
do e de eu ter alcangado orna grande fortuna ca-
sando com a fllha do Sr. Van de Werva, chamo-te
e viveras em minha casa mais como amigo do qae
cmo criado. Levars boa vida e oo ters de
arrepender-te do que fazes agora em mea servigo.
Mas tu nao dizes nada I Nao te alegra uma sorte
! lo digna de oveja T
Estou a cahir com somno... gaguejou Julio j
qaasi inmlelligivel, deixando cahir a cabeca como
; bomem quff lula em vo contra o somno que o op-
prime.
Um sorriso de triumpho illumiooa o rosto de
Torchl.
Amanha, s doas boras da tarde, tornou
! elle, os agentes da justiga viro aqui para orna
busca domiciliaria ; mas o juiz nao ha de soflrer
que se faga nada.que d iodicios de ama sospeita.
'Visto que eocheste a adega de lenha e de pipas
vasias, nada se descobrir, e o juiz e a sua gente
ru embora com a ccovicgo de que nao ha aqui
nada do que elles procuram. Talvez te possa cha-
mar dentro de dous ou tres meses, Julia.
A cabega do criado tinha cabido sobre a mesa ;
' mas Julio aioda fazia de lempos a lempos um mo-
! viraente e murmurava algumas palavras indistinc-
tas que mostravam que aioda oo dorma.
Sem apartar dille um olhar investigador, conli-
nuava Simo a fallar, apezar de suppor que Julio
j nao ouvia as suas palavras.
De repente soltou Julio om profuodo suspiro: A
I sua cabega e os seos membros ioteirigaram-se
' cerno se o salteasse ama morte repentina ; mas as
palpitagoes do pelto e o vivo rubor das suas faces
lestemuohavam que s estava subjugado por om
somno profuodo.
Simo cootemplou-o por algons instantes, com
ara sorriso de conlentamento nos labios. Depois
levantou-se, chegoose ao criado, abaoou-0 com vio-
lencia e gritoa-lhe ao ouvido :
t Oa trras de Portugal,
< Tudo que tu me pedires
t Tudo te Juro de dar I
Assira falla o commandanle
Chorando o seu mo azar.
Nem se v costas de Hespaoha,
Aioda menos Portugal;
S vejo facas de ponta
Que te vao atravessar I
t Ao tope I ao tope gageiro,
t Guinda ao na -iraro real I
V se vs alguma trra,
Mesmo sem ser Portugal I
< Que ludo quanto pedires
t Tudo te juro de dar.
Bem hajas meo capitao,
Que leos to bom commaudar,
Terra, ierra pela proa,
E ierras de Portugal I
Vejo d'aqui tres douzellas
A' sombra de um laranjal I
Vejo uma com prata tioa
Sua larefa a acabar ;
Outra com as trancas louras
Meadas d'uuro a dobrar,
E a mais roocinha de lodas
Nao sei o que a faz chorar
t Ho de ser as minhas tilhas
Que rae estao a esperar!
Em paga da boa nova
Quero alvigaras dar;
Com a mais bonita de todas
Com ella le hei de casar t
Deixai estar vossa Glha
Nao Ihe des homem do mar I
f Em paga da boa nova
Que alvigaras te hei de dar ?
a Dou-te raai as pedrarias,
E lodo o meu cabedal! >
Se tendes muita grandeza
Para mim de nada val I
Nao quero o que nao dire,
Nem assim quero ganhar!
Lembra te s que juraste,
Que o que eu pedir tens de dar.
< Falla, falla meu gageiro
Quero-ie alvigaras dar I
Tens o meu cavallo branco,
t Pagem p'ra le acorapanhar I
Nao sabe andar a cavallo
Homem que vive no mar ;
E s quem anda na corte
K que ihe dado montar.
< Se estimas esta galera
< Qae el-re me quiz confiar,
Pede, pede, meo gageiro,
Jurei, nao posso fallar
Nao quero a la galera,
Pode ir ao fundo do mar I
Sabes que eu nao sou piloto,
E nao a sei governar I
Pede, pede, meu gageiro,
Que te pode contentar ?
Pois se juraste cumprir,
V que nao podes fallar ;
Vou par o ogo do inferno,
Tua alma quero levar I
Eu te arregeno, diabo,
i Com o santissimo signa!
D'esta cruz, que faz a verga
< Que est no mastro real >
Foi-se o diabo cora estrondo,
Abraodou o temporal;
E achou-se a nao Catherineta,
as traas de Portugal.
Estepeio d& Salve Rainha, com que o mari-
nheiro comega a relagao, filho de creagSo com.
mum e antiga.
A Salve Rainha lornou-se uma oragao martima.
Na tragicomedia de Gi Vicente, intitulada a Nao
de Amores, onde se encontram vares fragmentos
da nossa poesia popular da navegago, cita o velho
Plauto uma cangaoqne os mareantes cantavam an-
tes de se deitarem :
Todalas velas metamos
Que el viento s a pedir,
Y luego todos digamos
La Sufr antes del dormir. <*
E remata o auto com esta rubrica, qae melhor
explica a palavra sublinhada :
Comegam a cantar uma prosa que commummen-
te cantara as naos a Salve, que diz :
t Bom Jess Nosso Senhor,
Tem por bem de nos salvar.
E' esta a primeira versao da lenda martima era
que encontramos o aotigocostume ; cada palavra
um senlimento e uma verdade na poesia popular-
A verdade nao fica escondida debaixo das am'
pliages diffusas da forma Iliteraria.
e conscienciosa exposicao de factos, a maior parte
dos escriplores Itberaea qoe, na Europa, julf arara
dever ideoiidcar na guerra actoal, a cansa da li-
berdade cora a do Paraguay.
Graeas a Deas o numero desses eseriplores vai de
dia em dia diminuindo, a al as Mhas traaidaa
pelo paquete entrado hontem, remos a imprenta
franceza exprobrar unnimemente os actos iacri-
veis com qae Barrios e seos dignos coltegas assif-
oalaram a sua presenga Das margeas do Paran e
do Uruguay.
O opsculo do Sr. Queoiim tee por fim abrir os
olhos aos-ijeucos amigos da boa f, qoe talTex aia-
da tivesse omareinal Lopes oa Europa, entre os jor*
nalistas. Reproduzremos dons irech deste fo-
Iheto-
0 prlroeiro o prefacio, o segando o uliimo pa-
ragrapho da obra :
Depon que a guerra, ha oiio mezes a esta parle,
attrahio a attenco da Europa para as regidos do
Rio da Prala, tem-se publicado muitos anigos ea
jornaes e revistas.
A nica verdade que surgi destes debalas
que em Franca se ignora completamente a historia
do continente sul-amerlcano.
Vi com dolorosa admirago os peridicos since-
ramente democrticos louvarem as instituiedes do
Paraguay sem enxergar que assim faziam o elogio
do despotismo.
Com o titulo Paraguay acaba de sahir luz em
Pars um folhelo do Sr. Queolio, cujo Om parece
ler sido, sobretodo, toroar conhecida na Europa a
organisago interna do Paraguay, o rgimen des-
ptico, que nunca deixou de pesar sobre aquella
supposta repblica, e desengaar, por uma simples
Pareceu-me que ura estado rpido dos estados
do Prala poda, as circumstanciaes actoaa;, offe-
recer algum iotere'se. Principiara pelo Paraguay.
O leitor nao achara' aqni uma historia completa,
ionio algumas notas tiradas de fontes autheotieas.
Desojando sobretodo ser exacto, reeorri mallas
vezes s narracoa.' dos viajantes qne visitaran) e
estudaram aquellas regiftes.
Procurei mais pariicularmenle pesqoizar ai can-
sas que abafaram em um povo al o seolioento
da liberdade, e fui arrastado a fazer sobresahir a
influencia fatal que teve o eslabelecimenlo dos je-
sutas no Paraguay sobre aqaella desgranada aa-
co.
Eis ahi, com'udo, a siiuago actoal do Para-
guay i cincoenta annos de dictadora nao prodozi-
ram nelle mais que a miseria e a servido.
E' uma ligao para a meditaren) os partidistas do
despotismo esclarecido.
Fez-se a prova ; depois dos Jesutas, Francia ;
depois de Francia, Lopes I ; depois de Lopes I,
Lopes II; e o Paraguay nio sahio da barbaria.
Aioda uma Irib que ternvelmente obedece
vontade de um cacique hereditario.
A experiencia decisiva, a a historia se one a
conscicncia da humanidade para protestar contra a
preciosa iheoria que sustenta qoe ura povo pode
c pela dictadura chegar a' emancipacao.
Julio I oh, Julio I acorda!
Mas Julio nao se moveu.
Isto vai bem nao pode ir melhor murmu-
rou elle com .satisfago. O veneno trabalha. O
homem esta' surdo e insensivel; dorme o somno
eterno. Pouco a pouco a vida se enfraquecer, at
que o sorano d lugar morte... Agora, depressa
e nao esquega nada Primelro o dioheiro I
Abri o bolso de Julio e achou cento e viole co-
rroas ; depois de as ler cootado a toda a pressa so-
bre a mesa, murmurou :
Ja' oitanta coras consumidas! E' irapossi-
vel! Jogou, roubaram-no talvez era quanto estava
a dormir embriagado na taberna.
Na sua davida apalpoo o falo de Julio e eocoa-
Irou a bolsa que elle tinha cinta, e em que tinha
posto a' parte as vinle cordas que destmava para
soccorrer sua mi.
Ah I ah disse Simo, rindo; anda ha mais
anda c ougo tinir ouro.
Juntou as viote cordas ao outro dioheiro e lor-
dou a apalpar Julio at qae se ronvenceu de qae
no fato oo tinha mais neohura dinheiro. Entao
metteu tudo no seu bolso; mas quando eslava oc-
capado com esla operago, sorgio-lhe oa mente ama
idea repentina.
Se o delxasse ficar com todo este ouro, disse
como quera reflectia, poderiam pensar qae alguem
Ihe pagou para commetter o assassinalo; mas se
nao Ihe deixo ficar nenhom, como se ha de soppor
que matou Gernimo para o roubar? Que dioheiro
podena trazer Gernimo quando aqu veiO T Cinco
seis ou talvez dez coras. Vou deixar-lhe Bear seis
cordas e lodas estas moedas de prala. E estas
chaves t Deve ficar com ellas, porque sem ellas nao
E' do Sr. Sr. Cyrillo de Lentos :
A TLA vox i
Da brisa perpassar meiga a suave
Entre as folhas das flores o respiro,
O cantar melancholico de orna ave
Modulado e perdido n'um suspiro ;
O sora da flauta a se quebrar distante
Sobre um lago onde a la se reflecte,
A toa saudosa e branda de om amanta
Confiando-se ao echo que a repele;
O trepido Correr de mansa fonta
Em finissima areia desusando,
O beijo maternal na tenra fronte
Do filhinho qoe est acaientando;
O gemido qoe exhala a corda sola
e partlndo na lyra abandonada,
O ruido da folha qae se sola
De amarrosa da brisa bafejada ;
Sao menos doces, lem menos encanto
Dj que a tua voz, anjo celeste !
Essa voz que modula eterno caolo,
E de mel, harmona, e luz se veste.
Si te escuto essas eousas desapparecem,
Amenisa-se todo, adorp a vida;
Mesmo os aojos, si fallas, emmodecem,
E se rendem vencidos, oh qoerida.
Tua voz diz amor, diz e.-jieranra,
Diz que ha Deus, e que ha co, e qoe ha ventora -
Deleitoso prazer no peilo langa,
lllumioa a existencia, a alma pora.
Ora lerna, expirante qoal gaivota
Que desprende no mar o seo lamento;
Ora viva, argentina como a ola
Com ardor vibrar o'om mstruraen'o.
Ora nota por nota se desala
Dos leus labios em perolas rolando ;
Ora imita o correr de orna cscala
De mil flores a um tempo se esfolbaodo.
Modulando baixioho um sim alela,
E a j mora existencia reverdece ;
Mas dizendo offendida um naorebenta
Da vida o fio, e o misero fallece.
Tua voz tem dos aojos a magia,
Tem do co a dogora. a ameoidade I
Basta ouvir-lhe urna vez a meloda
Para ler-se eterna! feiicidade I
Mas si alguem desejar o paraso
Ter em vida no mundo, e dola siaa,
E' buscar merecer um tea sorriso
Com umsimd'essa voz doce e divina.
podia vir aqu. Mas se ella acorda na orea da
agona e aioda tera forca para sabir? eixolhe
lodas as chaves menos a da porta da casa. Todo
aqui esla' fechado com gradas da ferro e elle nao
podera' ir at ao jardim. Agora, metto-lbe no bol-
so o vldrp do veneno, o bolso do gibao... nao, no
bolso do cinto. Da mesma maaeira Ib'e acuario
abl. Ag>ra, preciso fazer desapparxer estas
garrafas de vinho e dispor todo de modo qoe nao
se possa sospeitar qoa esliveraa aqu doas pes-
soas. i
Fechou a toda a pressa as garrafas e os coposa*
armario, por em ordem as cadeiras a limpoo vi-
nho derramado na mesa e no pavimento.
Entretanto, murmurava :
Agora, preciso oo demorar. Devo ir lar
en mesmo com o juiz e aecusar Jnlio do
Esta noite T Nao; poderiam vir e acba-f* i
vo. E quem sabe se algum medicamento
o fariasahir do somno? Sera* amanba l
de manha... Mas como hei de explicar ai
Quando e como me reveloo elle o c,rime ? Pensarei
oisso oa cama. Promplo I vamos embora ; e agora
preciso mostrar a todos aoimoJranqaillo e sere-
nidade.
Deloo o manto aos hombros, pegn no eandieiro
a carDiohou para a porta; l, parou anda na mo-
mento a contemplar a soa vietima e deseen preci-
pitadamente as escadas.
Em baixo apagoa a luz, atravesao o jardim
abri a porta do moro e desapparecen na escanda-
de da noite.
-



(Confiniiar-af-aa.)
PERNAMBUCO.-Ti P. DK M. P DS ?.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBJQ2I0AX_R4XA8V INGEST_TIME 2013-08-27T21:07:03Z PACKAGE AA00011611_10807
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES