Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10806


This item is only available as the following downloads:


Full Text
APO ILI. flPmO 249.
Per qaarlel pago dentro de 10 das do 1, mez ...::.. ftfOOO
dem dejo/s dos i.0' 10 das o comecoe dentro do qnartel.... 6f 000
Porte ao correio por tres nezes .*..........i 750
SEGUNDA FEIRA 30 DE OUTBRO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 da do 1. mez ,,,.... 191001
Porte ao eorreio per am anno ,....... 3$00#
ENCARREGADOS DA SURSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronyrno da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Ufas; Bahia, o
Sr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Rihciro Gasparlnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Ignarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Allinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pcd'Alho, Nazareth, Lirnoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
ISerinhaem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar
reros, Agua Preta a Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira Tan do i ivel: tercas sextas ao meiol DAS DA SEMANA.
0 dia' lu ,30. Segunda. S. Serapio c; S. Victorio m.
Segunda vara do cIvel: quartas e sabbades a 1 31. Terga. S. Quintino m.; S. Lucila v. m.
1. Quarta. cj Fesia de Todos os Santos.
2. Quinta. Ss. Tobas e Victorino mm
3. Sexta. S. Malaquias b.; S. Herberto m.
4. Sabbado. S Carlos Borromeo are. de Milao.
hora da tarde.
EPHEMEBlDESl DO MEZ DE OUTUBRO.
4 La chela as 8 1
11 Quarto ming. a I
19 La nova as 2 h
27 Quarto rese. 1
, 11 m. e 46 s. da t.
h., 2 m. e 22 s. da t.
7 m. e 52 s. da t.
b., 30 m. e 16 s. da t.
5. Domingo. S. Fabricio b.; S. Lito presb.
PREAMAR DE HOJE.
jPrimeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
ISegunda asi boras e 42 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTETROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fer
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo.
julho, setembro e novembro.
ASS1GNA-SE
noRecife, nalivraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figoeiroa a
Faria & Filho.
PAUTE 9FFICI1L
fiOYSxno n raovsiGii
! namento e apparelhos do gaz do quartel das Cinco
i Ponas em estado de precisarem grandes concertos,
: recommendo a V. S. a expedigao de suas instantes
ordens aos commandantes de batalhao, para que
se evitem semelhantes estragos.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Pao d'Alho.Dei o conveniente destino aos
3 guardas nacionaes do batalhao n. 16 sob sen
commando superior Antonio Rodrigues da Silva,
Jos Barrosa dos Santos e Francelino Jos da Luz,
de que trata o cilicio de V. S. de hontem datado,
os quaes foram designados para o servigo da
guerra.
Dito ao tente coronel Mariano Xavier Carnei
Expediente do dia 26 de ontiil rn de 186o.
OITlcio ao Exm. presidente da provincia do Ma-
ranhao. Passo s raaos de V. Exc. o incluso ex-
emplar do compromiso da Santa Casa da Miseri-
cordia desta capilar solicitado por V. Exc. em seu
cilicio de 13 do corrente.
Dito ao Exm. marechal de campo commandante
das armas.No caso de ser considerado apto para ro da Cunha.-Devolvo a V. S. o pret em duplicata
o servigo do exercito, em inspeegao de sade, o qQe Veio annexo ao seu offlcio de 19 do correnle,
paisano Izidoro Gomes de Sam'Anna, que em seu tirando vencimentos, a contar de 10 a 30 de se-
lugar aderece o recrula Heliodoro Baplisia do Ro- tembro ultimo, para as pragas do corpo sob seu
sario, no incluso requerimento, pode V. Exc. effec- commando aquarieladas cora destino a guerra,
tivar essa subslituigo. afim de que seja assignado por V. S. e nao pelo
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. recolher ao de- alteres Jos Irineo da Silva Santo?, segundo decla-
posilo, at que tenha o conveniente destino, o guar- ra 0 inspector da ihesooraria de fazenda em offlcio
da do batalhao n. 23 do municipio de Santo Aulo, ue hontem soh n. 780.
Laurentino Guedes de Souza,. que fora designado Dito ao commandante do batalhao n. 24 da guar-
para servigo da guerra. da nacional.Inteirado do contedo do seu offlcio
Dito ao me'smo. Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no quinto corpo de voluntarios da patria a
Francisco Jos da Silva e Jos Bruno de Lima, es-
de 21 do corrente, cbeme dizer-lhe que, quanto
aos guardas do seu batalhao, que tendo sido desig-
nados para o servlco da guerra, se oceultaram,
te apresentado por Custodio Floro da Silva Fra- curopre que V. S. providencie promplamente sobre
gozo, e aquelle por Candido Eustaquio r.Mardn. n. !< .n,,, .^..mr.m.jnfcmnn
Mello.
Dito ao mesmo.Respondendo o offlcio que V.
Exc. me dirigi hoolera, sob n. 1968, tenho a di-
zer-lhe, que pode empregar no servigo medico mi-
litar da guarnigo, o primeiro cirurgiao do corpo
de sade, Dr. Miguel Joaquim de Castro Masca-
renhas, em substituigao do Dr. Joo Pedro Maduro
da Foncera, que seguio para a corte coro o primei-
ro batalhao de guarda nacional desta provincia des-
tacado para o servigo da guerra.
Dito ao mesmo. Ao voluntario da patria Joao
Bento da Silva Va enga, pode V. Exc. permit-
tir o uso das Insignias de cadete, visto ser lilho
do capito da guarda nacional Bento da Silva Va-
lenca.
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio de V. Exc.'
de hontem datado, sob n. 1966, dizendo que pode
V. Exc. aceitar como substituto do guarda do pri-
meiro batalhao de artilharia desta municipio desig-
nado para o servigo da guerra, Joo Jos da Silva,
ao tambor do mestno batalhao Manoel Gorgonho
das Neves, entregando este o tambor
tences porque responsav
Cezar de a sua captura, m de serem remedidos para o
exercito como recrulas, devendo V. S. alm da re
COmiAMO DAS ARIAS.
Qnartel general de commando das armas de Per-
nambuco na cidade do Recife, 28 de oulubro
de 1865.
Ordemdodia n. 141.
O marechal de campo commandante das armas,
determina que o Sr. 1 cirurgiao Dr. Miguel Joa-
quim de Castro Mascareohas faga diariamente as
visitas sanitarias do o" corpo de voluntarios da pa-
tria, e as compaohias de cavailaria e artfices des-
ta provincia, bem como as fortalezas do Brum e
Buraco, das quaes se achava encarregado o Sr. Dr.
Joo Pedro Maduro da Fonseca, na qualidade de l-
ente cirurgiao do 1 batalhao da guarda nacional
destacado para o servigo de guerra, seguio para a
corte a 22 do corrente.
(Assignado.) Francisco Sergio SOlioeira.
Est conforme.Antonio Francisco Duarle, 2."
tenenle-ajudante de ordens interino encarregado
do detalbe.
INTERIOR.
lago dos mesmo* guardas, que me ser remettida
por intermedio do commandante superior, enviar
urna outra directamente ao delegado de polica
desse termo, que o coadjuvar a effectuar a prlso
dos referidos guardas.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. comprar com brevidade mil varas de algodao
da fabrica da Bahia, afim de serem remedidas na
primeira opportuBidade ao commandante do presi-
dio de Fernando, que as solicita era offlcio de 12
do corrente n. 303. para seren empregadas na
factura de saceos para uso do mesmo presidio e
para o enfardamento do algodao de produegao
d'aquella ilha.
Dito ao mesmo.Designe V. S. dous offlciaes de
carapina desse arsenal, para irem prestar os servi-
gos de sua arte nos concertos e reparos qne se es-
to fazendo na colonia militar de Pimenteiras.
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer o farda-
raento a que lem direito as pragas do 4o batalhao
emaisper-jde artilharia ap destacadas no presidio de Fer-
nando constantes da relago inclusa, relativa aos
O exercito alliado, Isob o commando interino do como pretenda, ao defensor das Termopylas. E
general Osorio, seguisaem sua marcha para o rio que aquelle fanfarrn reconhecen que a differenga
Mocorela,divisa das provincias deEntre-Rios e Cor- j entre as tropas alliadas e a dos Persas era immen-
rlenles, afim de busilar a incorporago das torcas sa, como immensa a differenga entre a sombra
que marcham da ruguayana. O ponto da reunio, das langas_ a produzda pelo fumo dos canhes.
segundo crelo, sera' dm Curruz Cuatla', e segnn-1 c Era de esperar que toda a arrogancia para-
do outros em Pay Ubrs, o que parece mais prova- guaya se desfizesse logo que se assentassem os ca-
vel, pois evitara a's foigas que ja se acham no or- nhes-que deviam bate-Ios.
te urna descida intil, fe traria a vantagem de effec- t Assim. cam effeito, felizmente acontecen, e no
tnar-se a passagem do rio Corrientes no raelhor dia 18 do mez de setemhro o tlenle Estigarribia
passo, seguindo o mesipo caminho que trouxe a di- consenta que ihe tirassero da cinta a espada e o
viso do general Paunlro, quando veio incorporar- revolver, e lornando-se de lelo em cordeiro ntre-
se a's torgas do genere! Flores. gou-se com todas as torgas de seu commando S,'
Passado aquelle rio kreve comegariam as opera- M. o Imperador, que havia tomado o commando
ges sobre o exercito dp Barrios. Para isso, porm, em chefe das forgas alliadas.
preciso aguardar oltemno indispensavel para i Urna tao importante e assignalada victoria,
vencer as diffleuidadesl da distancia e do terreno, obtida sem perda de urna s gola do precioso san-
0 que fara' cora que ao es de 40 a 50 dias nenhura gue dos nossos soldados, fez exultar de prazer toda '
successo positivo possa ter lugar. a populago desta cidade.
O conlingente de lantiago que marchava pa- O Gerente, portador de tao fauctosa noticia J
ra o Rosario, a'sorders do general^Taboada, sub- ancorou neste porto pela 1 hora da manhaa, dan-
levou-se ere caminho, (scasionando a desergo de do deras tiros de pega para significar que nos tra-
mis de 300 pragas. E.- te successo, que revella a zia tao prasenteira nova, e pelas 7 horas da manhaa
continaagao dos manej >s de Basualdo e do que se muitos foguetes sobiam ao ar de varios pontos da
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no quin-1 dous trimestres vencidos em agosto ultimo, con
to corpo de voluntarios da patria, a Jos Cordeiro indo declarar-lhe que aquellas pragas serao forne-
do E-pirito Santo, apresentado pelo subdelegado do (.,jas de sapaloes pelo altaoxarifado d'aquelle pre-
segundo districto de Pao d'Alho-
Di lo ao mesmo. Sirva se V. Exc. de mandar
inspeccionar o guarda nacional do batalhao n. 23
do municipio de Santo Anlao, Laurentino de Souza
Guedes, como pede no incluso requemnento que
me ser devolvido.
sidio.Communicou-se ao commandante do pre
sidio.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Fico
inteirado pelo seu offlcio de 16 do correte sob n.
998, de. ter V. S. feito substituir pelo machimsta
Manoel Jos de Mendonga no servigo da barca de
Dito ao Dr. chefe de polica.Nao exstindo na escavago a Delfino Durte Rodrigues, que se en-
thesouraria provincial, segundo consta de offlcio do i gajaado para servir nos vapores do estado durante
respectivo inspector datado de hontem, u sob n.
433, as relages dos presos pobres recolhidos a ca-
deia do termo de Cimbres, a contar de julho a se-
tembro deste anno, faz-se preciso que V. S. exija
do delegado d'aquelle termo, a remessa com brevi-
dade de taes relages. aflm de que na mencionada
thesouraria possara ser examinadas as contas das
despezas fetas com esses presos dorante os predi-
tos mezes.
Dito ao mesmo. Expega V. S. s suas ordens
para que o delegado do termo de Olinda, remeta
com brevidade as relages dos presos pobres reco-
lhidos a respectiva radeia durante os mezes de ju-
lho e agosto d'esle auno, alim de que na thesoura-
ria provincia
despezas
aes presos, segundo consta de offlcio do inspector
i mencionada thesouraria, datado de 17 do cr-
rate e sob n. 416.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.De
a presente guerra, desembarcara alim de seguir
a seu destino na primeira opportunidade.
Dito ao director das obras militares.Constando
de parle do olQcial commandante \ guarda da al-
fandega, annexa ao offlcio do g-neral commandan-
te das armas n. 1970 de hontem datado, que o gaz
se evapora ali em grande quantidade com prejuizo
da fazenda publica, e insalubridade da mesma
guarda, em consequencia do estado de ruina da
respectiva canalisago, recommendo a V. S. que
com urgencia procure entender-se cora o gerente
da compaohia da illuroinagao a gaz, aflm de ser
quanto antes removido aquelle inconveniente.
Dilo ao director geral da instruego publica.
Este novo glorioso triumpho, que assegura a's ,
nossas armas o dominio da campauha do outro la- doxgoes e escripturas, Binadas pelo fallecido gene-: vanguarda diriga se ao Mirinhay, o general Pan-
do do rio Corrientes, araeacando o flanco esquerdo ra'rtb, assim como as deeisoes judiciaes que as ero com as suas forgas em linha recta a Merce-
do inimigo, e obrigando-o a reconcentrar-se ainda u,Karam leeaes> duranl (;erc0 d.t Montevideo, e des, e os generaes Orarlo e Gelly para o mesr
acial possam ser examinadas as contas das D0 roft!SSra Alexandrina de Lima e Al-
!?*]!3"221!Z!S ^SSl.!Uoqnerqne e no impedimento desta a de nome Ma-
ria d'Assumpgao de Andrade Luna, para fazer par-
; te da comtnsso de exame de habtlitago de que
traa o seu ofllcio de boje sob n. 293, visto ter de-
clarado verba imente achar se doente a prolessora
f*
conduzram do dia 22 do corren-.e, a bagagem do; s J" v'
batalhao de guarda, nacionaes que D'aquelle dia g Jg *0
embarcou para a corte com destino a guerra.- ly flu B" J
ommunicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Mande V. S. adiaotar ao ma-
jor em coiumisso lleorique Tiberio- Capistrano,
qne segu quanlo antes para a villa de S. Bento a
reunir-se ao batalhao da guarda nacional que all
se est aquartelandc, e para o qual fora Humeado,
um raez de seus veocimentos, e bem assim entre-
gar-lhe o quantitativo para a cavalgadura a que
tem direito.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Deferindo o requerimenlo da inrandade de Nossa
Senhora da Couceigo dos Militares nesta capital,
sobre que versou a sua iuformagfio de 24 do cor-1
rente, sob n 431, recommendo a V. S. que de con-
orraidade com o parecer junto por copia do pro-1
curadur Oseal dessa Ihesouraria, manda que sejam [
recebidas as dcimas, correspondentes aoexercicio!
de iMii a 1863, ja encerrado, que deixou de pagar {
a mesma irmandade, relativas aos predios a ella
pertencentes.
Dito ao mesmo. Devolvendo a V. S. a conta
junta em duplcala das despezas, na importancia
de 214000 feitas durante o mez de setembro ulti-
mo, com o sustento dos presos pobres da cadeia de
Garanhuns, tenho a dizer em resposta ao seu offlcio
de 14 co corrente, sob n. 412, que mande pagar a
pessoa indicada era meu offlcio ''e 9 d'este mez,
somenle a quautia de iOHfiLOO, por ler de deduzr-
se da mencionada conta, de conformidade com o
parecer da contadona dessa thesouraria, a que se
refere o seu citado offlcio, a de 6^000 correspon-1
dente ao preso Tbomaz Xavier de Aquino, que nao
veio contemplado na relago apresenlada pelo de-
legado d'aquelle termo.
Dito ao mesrao.Transmuto a V. S. o pret jonto
por copia, que me remelieu o inspector da thesou-
raria de fazenda com offlcio de 20 do correte sob
n. 769, e relativo aos vencimentos, a contar do 1*
ao ultimo de julho deste anno, pagos pola collecto-
ria da cidade da Victoria as pragas da guarda na-
cional all deslacacas, aun de que mande indem-
nisar aquella thesoorarn da importancia de taes
vencimentos, correspondentes somente a 2* quin-
tena d'aquelle mez.Communicou-se a thesoura-
ria de fazenda.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que soliciton o
commandante do corpo de policia em offlcio de
hontem sob n. 1,012, recommendo a V. S. que
mande pagar-lhe a quantia de 7<'i820 que despen-
deu com a condogao da bagagem d'aquelle corpo
no seu embarque e desembarque nos dias 22 e 23
do corrente.Comraunlconse ao commandante do
corno de policia.
Dito ao commandante superior do Recife.Em
vista do que acertadamente pondera o general
commandante das armas no offlcio jnnto por copia
sob n. 1,963, e dala de hontem, recommendo a V.
S. a expedlgo de suas ordens para qne o msico
do 1* hataliio da guarda nacional deste municipio,
Joo Francisco Ribeiro ta Silva, seja posto em li-
berdade, e considerado desligado d aquelle bata-
lhao, visto achar-se com praga no 3 corpo de vo-
luntarios da patria e ser preftrivel o servigo que
vai elle prestar na campanha lo sul ao que pode-
rla prestar na msica d'aquelle batalhao, onde f-
cilmente poder ser substituido por outro.
Dito ao mesmo.-Constando de informagno do
ebefe da repartig] das obras publicas a quem ou-
vi sobre a materia do offlcio desse commando sn-
periofn. 247 de 16 de agosto ultimo, que, sempre cn. vencimentos.
que desagurtela qualquer batalhao, fleam o_enca-l
---------
HIO DE JANEIRO
i!) de OHlnbro de 1865.
Pelo Brasil recebemos folhas de Montevideo de
30 do passado. e Io do correnle, adiantando dous
das s que livemos pelo Mersey.
Dessas folhas resumimos as seguinles noticias.
No da 21, no lugar denominado Naranjilos de-
partamento de Yaguaret Cira, urna diviso da
vanguarda correnlina, ao mando do coronel F. Ro-1
mero, havia sorprendido e derrotado urna columna i
paraguaya de 800 bomens, fazendo mais de 200
prisioneiros e lomando quasi toda a cavalhada. Es-1
la columna era quasi toda composla de Correntinos
traidores e commandada por um offlcial Latera,
tartbem Correntiuo ao servigo dos Invasores de sua
patria.
Esle triumpho importa a vantagem de deixar li-
vre quasi todo o territorio alm do rio Corrientes,
ob.-igando o inimigo a reconcentrar-se anda mais
sobre o Paran, o que nos parece da raaior trans-
cendencia para as operagoes que agora vai empre-
hender o exercito alliado s ordens do general
Mitre.
Eis as comraunicagdes offlciaes sobre este novo
feito:
t Quartel general, no Passo dos Livres, era
23 de setembro de 1863.
c Ao Exm. Sr. ministro da guerra e marinha, D.
Julio Martnez.
t Tenho a salisfago de reraetter V. Exc, para
que se sirva lvalo ao conhecimeuto do Exm. Sr.
vce-presidente, copia authentica da parle que me
dirigi o general D. Manoel Hornos, segundo chefe
do 1 corpo do exercito argentino, relativamente
ao triumpho oblido sobre o inimigo em Yaguaret-
Cora', em 21 do correnle.
tem ln-
pe-
effecluou com o conlit gente de Cordova,
dignado o novo de Buei
sa quasi todo o sacrifick
Um outro facto agita
blico em Buenos-Ayres.
pongo ponhecemos, o vi
Dr. turcos Paz, que se
execullvo, solicita'ra db congresso a exoneragao
daquelle imporlante car ;o. Por interposlgao do mi
nislro Rawson foi retira o o pedido, mas a Impres-
sao flcou profundamente
lima o seu actual goveri
ma desinlelligencia enti
que na prsenle quadra
tristes consecuencias.
A mogo proposta
forma de alguns artigo*
approvada no senado, vd
urna convengao nacional
Santa F no dia 1* de al
Esperava se de Lo
de 500,000 pesos fortes
gravada no povo, que es-
ante, e que suspeita algu-
e os altos fuoccionarios,
era', se persistir, das mais j
jelo Dr. Al slna para a re-
constiUicionaes, tinha sido
laudse a convocago de
que devera' reunir-se em
[ril de 1866.
idres urna nova remessa
como
emprestmocontrahido telo Sr.
que facilita estes fundos
ibero.
O Sr. conselhero Oclaviano
Termo.
A' Montevideo havia chegado
ronel Fortunato Flores,
mandante de sua escolta
lente paraguayo Jos (I
ria derrotada em Yatay t
des, prisioneiro da Urug ayana.
Preparava-se para
O Sr. deputado Fel
gado da commissao em <
video.
Por um decreto de
oriental declarou nullo4
cidade As reparligfjes publicas conservaram-se
os-Ayres, sobre o qual pe- fechadas, e de larde celebrou-so na matriz um so-
des'a guerra. lemne Te-Deum, ao qual assistiram S. Exc. o pre-
ra tambera o espirito pu- sidente da provincia, o Sr. Dr. chefe de policia, o
Por causas que at agora Sr. commandante militar, a cmara municipal, e j
e-presidente da repnblica, outras autoridades, e muilas oulras pessoas de dis- j
|icha noexercicio do poder tioego.
Chegra provincia o encouragado Tamandar.
No dia 4 as corvetas Brasil e Tamandar larga-1
rara do ancoradonro de Sania Cruz e seguiram
viagem para o Rio da Prata
O corpo de voluntarlos mandado organisar pela
presidencia recebia diariamente novos alistados.
J conlava um bom numero de pracas aquarte-
ladas, estando sua disciplina e organisago confia-
das ao commandante militar da provincia.
A colonia Blumenau apreseatra 30 colonos pa-
ra compor o contingente allemo destinado para a
guerra.
24 -
Entrn hontem do Rio da Prata com datas da
adiantamento do; Buenos-Ayres at 13 e Montevideo 16 do corrente
Riestra. A casa o vapor Inglez Newton, que trouxe a mala do pa-
i quele francez Carmel, por nao ter esle podido se-
| guir viagem em consequencia d'uroa exploso que
se deu a bordo no porto de Montevideo.
Do thealro da guerra nao temos noticias de suc-
cessos de grande importancia. Aniquiladas as
columnas paraguayas sobre o Uruguay, interpSe-se
grande espago de terreno,* que forgoso atravessar,
I para que as legides alliadas possam alcangar as
outras hordas de Lpez, quer ao oeste da laga
| Yber, quer pelo lado de Miss5es.
Ser pois mister aguardar algum tempo antes
que noticias de novas victorias venham alegrar-nos,
sobreludo se os Paraguayos tiverera o bom senso
preciso para nao esperar baialha em territorio
correntino.
Entretanto avangava o exercito alliado, e, segun-
do as ultimas noticias que havia em Montevideo,
pela ordem seguiole : O general Flores com a
a dos Srs. Baning Uro-
conlinuava en-
o tenenle-co-
Iho d#general e com-
Com elle chegram o
arrilla, chefe da infanta-
o sargento Victor Pare-
> ia 8 um grande janlar
cora que a guarda naci al da capital celebrava a
victoria de ruguayana.
ppe Nery, linha-se desli-
ae se achava em Monte-
do passado o
e de nenhum
governo
valor as
mais sobre o Paran', sera' da mais alta importan-
cia para as operagoes da guerra que vai erapre-
hender o exercito a's minhas ordens. pelo qual re
que nao foram conforra is a' constituigo.
Pelo paquete nacional Brasil recebemos hoje
Z t hT ,qU h 77 ntnvs Emilia Candida de Mello Luna.
,hHen,?,c, de,h0"le"Y0b";.1''?flnV Dito ao subdelegado do 2. districto da freguezia
K2 q repart.gao da quaalia de 9000 d p a-A|nCl._sandei aorir pra?a no %?
i voluntarios da patria, a Jos Cordeiro do Espi-
Vmc. em seu offlcio de hon-
ssim respondido.
da 1.* vara desta cidade.
Transmitto a Vmc. para seo conhecimento, copia
do aviso do ministerio da jusligade 27 de setembro
ullimo, declarando que pode ser collectiva ou sin-
gular, como convier aos presidentes de provincias,
e nao essenclal a informagao para nomeagao pro-
visoria dos offlcios de justiga.
Portara.O presidente da provincia, tendo em
vista o offlcio n. 42 de 16 de fevereiro ultimo, do
juiz de dreiti) da comarca de Garanhuns, do qual
consta que as povoagoes de S. Bento e Bom Con
nacional etc.
Acampamento em Garcia-Cu, em 23 de se-
tembro de 1865.
t O abaixp assignado tem a salisfago e honra
de enviar a V. Exc. copia da parte que neste mo-
mento recebeu o Sr. coronel D. Flix Romero, do
novo triumpho alcangado sobre o inimigo em Ya-
guaret-Cora', em 21 do crrente, e como segu :
Acampamento em marcha, Vallejos-Cu,6 leguas
cima de Yaguaret-Cora', em 21 de setembro de
1865.
Ao Sr. general 2o chefe etc.
< O abaixo assignado lem a honra de participar I
a V. S. que esta mauha, pelas 7 horas pouco raais
on menos, foi sorprendida a columna inimiga, ao
(tonto passando por Curuzu Custi, emquanto outro
corpo ia reforgar o coronel oriental Castro, que
estava na Tranquera do Loreto, tendo desalojado
cummendo a' considerago do governo e do paiz communicagoes das pro rincias que em seguida es- i os Paraguayos de S. Carlos e outros pontos ao sul
os valentes chefes, offlciaes e soldados que nelle to-' peciticamos : d Parana- O gneral Lrquiza marchava cora um
raaram parte e conseguirara sobre o inimigo urna i Rio Grande do Sul 6 le outubro. A subscrip-, contingente entre-nano a incorporar-se ao exercito
victoria de tanla consequencia. j gao para os festejos da ecepgo de S. M. o Impe-1 '
t Deus guarde a V. Eic.Bartkolomeu Mitre.i rador, em poucos dias subir a 33 contos.
O general 2* chefe do Io corpo do exercilo
Sobre a nossa fronleira do Bio-Grande tinhamos
Havia noticia de toda as fronleiras, que estavam un exercito diversamente calculado de 12 a 20,000
em pleno socego. bomens, as ordens do barao de Porto-Alegre, e que
O Mercantil de Porto! Alegre refere o seguate : se presuma destinado a penetrar no Paraguay por
t Foi ha pouco of crecida pelo Sr. Jos Fer-jRapu*.
reir Porto a' S. Exc. o Sr. visconde, presidente da Alm deste anda se formava um exercito de
provincia, a sua bella ( espagosa chcara alem da reserva,
varzea para acuartelanento da tropa. i Ao referido ponto de Itapua diziase ter chegado
t A respeitavel casa los Srs Pono, Irmaos 4 C.; uma forga paraguaya de4,000homens cora 37 pegas
tem as actuaes emerge ncias mostrado o mais des- de artilharia, em marcha para Soccorrer a columna
pendido e bello patrii tismo. Seus navios, seus! que no Paraguay se suppunha existir ainda na
predios, suas fazendas, ;ua influencia lem sido pos- i ruguayana.
tas dispusigo do esta lo, e os seus servigos, ao Dos movimentos do exercilo de Robles em Cor-
terminar a guerra, nao devem orgar em menos de nenies nao ha -ja noticias seguras. Segundo urnas,
12:0005, que esses dijnos rio grandeoses teera retroceda elle embarcando a sua artilharia grossa,
poupado ao erario pub ico.
f bello o exempli desses capitalistas, oxal
fosse elle Imitado por riuilos, que s tendo lucrado
mando do intitulado commandante Lovera, carre-
gando sobre ella a galope, derrotando-a completa-! com a guerra fazem | rova, no enlamo, de um
mente com mui poucos uros, e persegua Jo-a com egosmo rcprovavel. ,
tenaeldade lalvez na distancia de tres leguas, como! O vapor Juparana, hontem chegado a este
. vera' pelo lugar d'onde dirijo esta a V. S., a qnal; porto, com iropa, abalroou na laga com o hiate
, envo a V. S. depois de haver parado na persegu-1 S. Pedro.
: gao, o que flz neste ponto pela magreza da cava-1
I Ibada.
c O ponfo, onde foi sorprendido e batido o ini
selho, elevadas a cathegoria de municipios, pela lei! raigo, denoraina-se Naranjilos, pouco raais ou me-
provincial n. 476 de 30 de abril de 1860, apura- nos tres leguas aciraa de Yaguarat Cora',
ram-se no 1." 83 e no 2." 85 jurados; eatlendendo | Segundo iuformagoes dos prisioneiros, a co-
a que em cada um dos referidos municipios se lumna inimiga era de 800 bomens. O numero dos
acham installadas e fuiccionando as respectivas. prisioneiros e morios nao sei positivamente ja, mas
cmaras municipaes, resolve crear nelles foro ci- pOSso assegurar a V. S. que izemos mullos prsio-
vil, para terem conselho de jurados separado do|Deir(s, lomamos a cavalhada que trahara e grande
termo de Garanhuns, ao qual Ocaro annexos de parte do armamento.
conformidade com o disposto no art. 31 da lei de 3 Pela nossa parte nenhum morto livemos. Ama-
de dezemhro de 1841, e no art 223 do regulamen- uhaa ponho-rae era marcha para o ponto era que
to n. 120 de 31 de Janeiro de 1842. me achava situado, mas antes enviarei a V. S. a
Despachos do dia 27 de ontubro de IsC.
Requerimentos.
Anlonio Malaquias de Macedo Lima.Informe o
Sr. chefe da repartigo das obras publicas.
Francisco Alves Barbosa.Naotera lugar.
Florencia Maria de Jess. Informe o Sr. com-
ntandante do corpo de policia.
Major Henrique Tiberio Capistrano.- Informe o
Sr. inspector da thesouraria da fazenda.
Irmandade de N. S. da Conceigo dos Militares.
Dirija-se a thesouraria provincial.
Joo Carlos Meudes da Cunha Azevedo.Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Jos de Avila Biuncouri Neiva. Aliste-se em
qualquer dos cornos que se organisam.
Joo Baptista Vieira Ribeiro. Remeltido o Sr.
inspector da thesouraria da fazenda para, nao ha-
vendo inconveniente, mandar passar o titulo de
que se traa.
Joo da Silva Faria. Passe portara conceden-
do a licenga pedida.
Tenente-coronel Luiz Paulino de Hollanda Valon-
eaInforme com urgencia a cmara municipal de
Ingazeira.
Laurinda Mara da Conceigo. Nesta data se
expede ordem para a haixa do lilho da supplicaole.
Manoel Pereira da Cunha. Passe portara con-
cedendo a licenga pedida, com vencimentos nos
termos do art. 49 do regulamento da thesouraria
provincial.
Manoel Escoci do Nascimento. Indeferido
vista da informagao.
Maria dos Aojos.Informe o Sr. Dr. chefe de po-
licia.
Major Manoel Joaquim Pereira Lobo.Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
municipio do Recite, com o qne constar de sua se-
cretaria acerca do supplicanle.
Pedro Soares de Mello Alvino Cazan. Informe o
Sr. Dr. jniz de direito da comarca de Cabrob, on-
vindo o juiz municipal respectivo.
Simplicio Gomes da Silva. Junte o supplicante
ceriido de idade do sen filho.
Samuel P. Johnston A CPasse portara conce-
dendo a licenga pedida.
Bacharel Virginio C. da Cnnba Albuquerque.
Passe portarla concedendo viole das de licenga
segundo oulras, passava o rio Corrientes ao encon-
tr dos alliados.
A nossa esquadra do Paran fleava ainda tran-
quilla, mas, apenas se Ihe reunissem os vapores
encouragados, o primeiro dos quaes, a corveta
Brasil, j estava em Montevideo, emprehendena
sera duvida operagoes decisivas.
Em Buenas-Ayres encorreu se o congresso.
A noite estava eicurissima, o vapor iraza Do Pacifico chega-nos a noticia de estar declara
pharol, conforme o reglamento : o hlate nao ti-, da a guerra entre o Chile e a Hespanha. Desapro-
nha luz que o poiesseTornar visivel as trevas, e vando eta o convenio, pelo qual o seu ministro
navegava vela con vdnto fresco. O choque foi Tavira se havia declarado satisfeito com as expli-
violentissrao, tres soldados do vapor cahiram n'a- cagoes do governo chileno, sobre aggravos de que
gua; destes um desapplreceu, outro foi tirado com : ella se queixava, encarregou de exigir novas satis-
o crneo completamente esmagado, e o ultimo, pos- fag5es o seu almirante Pareja, que, soberbo por
suindo-se de uma rara energa e presenga de es- haver lo fcilmente imposto a sua vontadn ao
pirilo, despio-se e consbgoio conservar-se tona Per, o fez em termos taes qne excluiam desde
d'agua, gritando al que o poderam salvar, nao j logo lodas as negociag5es, principiando por enviar
sem licar mui contuso 3 mas por ora sem gravi-; o seu ultimtum com o praso fatal de nutro das
daae. I para se Ihes prestar obediencia. Debalde o corpo
c Do hiale morrerarl) dous escravos. i diplomtico reunido Ihe penderou a irregularuade
Ambos os navios s^ffrerara avarias. O vapor | do seu procedimento, o orgulhoso Castelhano ludo
desattenden, e, declarando bloqueados os portos do
esle
parte detalhada. Por tao glorioso triumpho grato leve uma roda partida ara varias partes e algora
ao abaixo assignado felicitar a V. S. e raais compa- estrago as obras respebtivas. O hiate nao sabe- Chile, obngou o governo daquella repblica i
nheiros de causa. i mus ao certoque desmanchos soffreu. | aceitar a guerra que Ihe impunham. f-lo
c Daus guarde, etc.Flix Romero Consta-nos que o cijramandante do vapor pro- nobremente pela seguinte declaragao:
Como o abaixo assignado annunciou a V. Exc. | teslou pelos damuos soffridos.
Os joroaes do Rio Gr nde publicim :
:ausa horror ver a Uru-
anteriormenle, esperava a todo o momento a noti-
cia desta nova victoria, pela qual Ihe altamente
agradavel felicitar a' V. Exc. e raais defensores de
nossa justa causa.
t O abaixo assignado julga de justiga recom-
mendar a' considerago de V. Exc. o meritorio che-
fe coronel D. Flix Homero, e o seu immediato o
commandante Mubyon, tanto pela actividade, ener-
ga e arrojo, que raoslrarara neste feito d'armas,
batendo-se com um inimigo de igual forga, e'que
por ser natural do mesmo paiz, pois erara Corren--
linos, renen) as raesmas condigdes, pericia e co
O governo da Hespanha acaba de romper as
hosiilidadas contra a repblica bloqueando, com a
t Nos contam que bausa horror ver a Uru- esquadra que tera no Pacifico, o porto de Valpa-
guayana. raizo, e, segundo ha razoes para presumir, outros
Se os selvageos Pampas houvessem entrado portos chilenos, nao obstante os reiterados proles-
nella, nao leara por certo destrogado anto. | tos que em nome do governo do Chile foram a^n-
- Ricos movis se v arrojados "ol" '"
pelas
sim como louga, mesas, sofas, ele.; os forros das
casas arrancados, o papel das paredes tambera, as
porta] e janellas qnsimadas, e uma s casa flcou
que nao saqueassem. 1
< Dizem-nos de Saut'Anna do Livramento
que em uma carretinha uerteocente ao padre para-
nheciraenlos de nossas forgas, como por ha verse guayo Duarte foram encontrados muito3 e diversos
feito notar sempre a diviso sob seu commando pe
la ordem e disciplina, que conservava.
c Toda a tropa que tomn parte nesle forraoso
feito d'armas, igualmente recomraendavel pelo
seu coraportainenio.
c Deus guarde etc.Manuel Hornos.
O grosso ao exercito inimigo permaneca at o
da 23 sobre a margen) direila do rio Santa
sem intentar raovimento algum. fazer para a recepgo de
Do Alto Uruguay, pouco adiantam as noticias, i < Fallecern) na capita!
Todas as tropas orientaes linham ja passado da. cioTeixeira Jnior, e a *
ruguayana para a Restauradlo ou Passo dos Li- de voluntarios de s. Paule
ohjectos de prata, pertenclenles s igrejas de S. Bor
ja, Iiaqny e Urugnayanaj saqueadas por aquelles
vndalos.
t Pelo Perseveranc.0, recebemos jornaes de
Porto Alegre al 1* do corrente.
t De maior ioteresse cada consta.
Haviam-se noraeado varias commissoes para
Santa Luzia i agenciar capital para os I lejos que se pretenden)
M. o Imperador.
: a 21 o Sr. Jos Igna-
o Sr, alferes do corpo
Jos de Assis Perneado.
vres, devendo ter emprehendldo no dia 24, a sua' Seglo para S. Gabri
marcha para o rio Capi-Luic. As argentinas ha- Domingos Ferreira Bastos
viam tambera coraecado a passagem do Uruguay, i Sr. visconde da Boa-Vista
acompanhando-os 3,000 infantes brasileiros. i xir duas pegas raiadas pira
Tmbam sido distribuidos entre os alliados os pri-. diversos objeclos destinad
-.
siooeiros paraguayos, tocando a cada nm daquelles I
cerca de 1,100, dos quaes os pertencentes aos Ar-1
gentioos e Orientaos, estavara ja incorporados aos
respectivos balalhes. No exercilo oriental formn-
se um batalhao puramente de Paraguayos. Cora-
manda-o o tenente-coronel Elia.
No dia 25 seguia Sua Magestade o Imperador
para Itaqui a bordo do Taquary.
Dizia-se que o Sr. conselbeiro Ferraz ira a Cor-
rientes visitar o exercito do general Osorio.
Constava qne o general Flores ia formar as snas
tropas, que tomarara parte nesta oampanha con
duas medalbaMommenorativ^s dos (eilQS do Ya^tj
e da ruguayana.
tejada na capital a notioii da capilulagSo de ru-
guayana :
Eis como descreve os I istejos o Mercantil de 1
o Sr. major Antonio
encarregado pelo Exm.
do correnle
f Viva a napao brasilelra I viva S. M. o Impe-
rador t vivara os exercltos alliados t Parabens, Ca-
thariuenses, a horda de vndalos paraguayos que
ousou invadir a heroica provincia do Rra Grande
do Snl, aeha-se toda prisioneira, tendo lao grande
e assigoalado triumpho sido obtido sem perda de
ana s vida porque nao (oi necessario enmbater.
f Estigarribia, ebefe dos Paraguayos, depois de
arrotar moas fanfarronadas, nao OQSOU initar,
i as- g'do's ao chefe da dita esquadra, contra uma ag-
gresso que nada justifica e que offende profunda-
mente a honra e os direito? do Chile.
c Pru^flcados desta manelra guerra, o povo e
e governo da repblica viram-se compellidos a
aceita 4a como nico recurso para sustentar sua
digoidade e direitos injustamente pisados, e para
occorrer sua seguranga actualmente araeaga-
da. Portanto no uso da attribuigo que rae conta-
re o 18 do art. 82 da constituigo do estado, em
conformidade da autorisago que me foi dada pela
lei de 24 do corrente mez e anno, parle 1 do seu
artigo nico, declaro e decreto solemnemente :
i 1.a A repblica do Chile aceita a guerra qne
Ihe declarou o governo de Hespanha.
2 Ficara cortados todo o traficoecommercio
e toda a sorte de relages entre os done estados
belligerantes.
t 3.' As autoridades e cidados da repblica usa-
ro de um direito perfeito e eunpriro un dever
sagrado, bostilisando o inimigo. repeinado suas ag-
gressoes e defenderlo o territorio nacional, por to-
da commissao de condu- dos os meios que permiti o direito das gentes e
esto admitlidos entre os povos cultos em qualquer
caso imprevisto, para que nao liverem receido
insirucges especiees da minha parte.
i 4. O ministro das relages exteriores da re-
publica communicar s nagdes amigas esta de-
claragao, expondo os motivos da guerra e a justiga
de nossa causa; e o minitro do interior o fara ebe-
gar o conhecimento de lodos os cidados da re-
publica, mandando-o publicar cora a devida solem-
nidade.
< Dado em Santiago, aos 25 dias do mez de se-
tembro de 18tvi, 55. anno da independencia do
Chile. Joi Zoaquim Prez. O ministro do interior
e relagSes. exteriores, Alvaro Covarrubiat O mi-
nistra do coito e instruegio publica, Frederico Er-
d*r.. O ministro 4a (axenda, Akxandre Reys.
o exercito, e outros
is a S. M. o imperador. >
Santa Ca'tharlna 8 de o itubro.Fra muito fes-
O ministro da guerra e marinha Jos Manoel
Pinto.*
Das oulras repblicas do Pacifico nada ha de io-
teresse. Conlinuava a guerra civil oo Per e na
Bolivia.
O Siglo de Montevideo de 14 do corrente tras a
seguinte descripgo da lameniavei catasiropbe ac-
contecida ao paquete Carmel:
Hjiitem aa 4 112 horas da Urde foi sorpren-
dida esla cidade por nm triste acontec ment qo
>iz varias victimas.
Arrebentou a caldeira da pequea machina do>
paquete francez Carmel, qoe serve para carregar
e deaearregar o vapor, voando em pedacos a' urna
altura consideravel.
< Instantneamente uma nuvem de vapor esten-
deu-se pelo navio, cuja coberta ficoa mmlo dan-
nilicada na parte onde se achava a cald-ira.
_ Nessa occasilo cobriram-se os molhes de ca-
riosos e sahiram as fainas da capitana, lanchas d >
trafico dos navios mercantes e dos de guerra, a
prestar os auxilios que podessem ser necesarios,
receando-se tambem que se deelarasse um incen-
dio, o que felizmente nao aconteceu.
< Dentro em pouco voltaram algons botes e um
espectculo horroroso ofTereceu-se aos olhos da
mullidlo. Trouxeram cinco feridos e seis cadve-
res desfigurados, ennegrecidos, sem bracos e sei
cabeca, materialmente despdagados.
< Entre esses restos, cujo aspecto nao podere-
mos descrever fielmente, o que produzio irapre*ao
mais profunda foi o cadver mutilado da na ho-
rnera, que parecia ser passageiro, apenando entre
os bragos o corpo de uma creatura, coja eabeca
havia sido arrancada pela exploso.
Sao 7 horas da noite e completamos esta Brt-
tissima noticia com a seguinte lisia dos morios e
feridos, cuja exaclido garantimos, pois tirada
dos apontamenlos de um oflicial do Carmel:
Morios.Peiiton Jean, mannhetro: Monamo-
nei-ben-Abdi, foguista; Gallier Alphonse, aaaehi-
Diaia chefe; nm passageiro que parece ter 40 as-
nos, desconhecido; um menino, sera cabega. Pari-
dos. Andrs Louzaga, levemente ; Doraod Sa-
voyal, uma perna fracturada. K-i* o irao da-
quelle que ha algum lempo venda livros ne-ia ci-
dade levando os as casas, mas o fenmento nao
grave ea familia salvouse; Gavagoari Pablo, me-
nino; Laffont Eduard, immediato, gravemente;
Tamrael Frederico, 2.a tenenie, uma perna fractu-
rada; Raymond Anloine, segundo coolramestre,
queimado.
Suppoe-se que ha mais quairo oo cinco mor-
ios que bem podem ler ido langados ao mar, ra-
zio pela qual, lalvez, nao se tenha achado os seos
corpos tres horas depois da exploso.
ilfj hotel de Pars est nm dos passageiro* com
a perna fracturada, que foi logo encanada. Dise-
os mais que tambem se acha urna senhora qne es-
tava a bordo e que perdeu o sen esposo e nm filho
menor.
f A machina era de forga de seis cavados.
Os passageiros sero provavelmenie alguns
dos que vieram de Buenos-Ayres e devianjjagair
amanhaa para o Rio de Janeiro.
A mesma folha do dia seguinte accrescenta :
Na relago que hontem Ozemos nada temo*
que rectificar seno qoe o pa-sageiro morto e o
menino, cujos nomes enlo ignorava-se, nm Sr.
Cavagniari e aeu lilho, coja senhora noticiamos
achar-se no holel de Pars, onde com effeiio est.
Esta honrada familia ia estabelecer-se ao R>o do
Janeiro e tica reduzida a' pobre viuva e sea veltw
pai, que ainda hontem Igooravam a tnsu serle da
seus infelizes prenles.
Augmenta o numero dos mortos o marianeiro
Marthuren Covr, cujo corpo foi laucado ao mar.
Hontem s 4 horas da tarde den-so sepultara
aos restos mortaes desias victimas, e dizem-no- | >*
a intengo pinjan da populago franceza reani-
los todos em um mausuleo coramum, onde H gr -
vara' com os nomes das victimas a inste lembraa-
ga da catastrophe de 13 de outubro.
Provisoriamente foram depositados em am la-
gar pertencente a una loja magonica.
O Sr. Lafontjl* commandante do Carmel, foi
transportado para o hospital do Dr. Leonardo, os-
de tratado cora ludo o esmero possivel, porm
sem muita esperanca de pdelo salvar, pois as l-
ridas que lem sao mui graves. Experiraenlon toda
a forga la coramogo, lendo sido arrojado primeiro
da tolda a' coberta e depois ao poro cora ama for-
ga prodigiosa. Tem alguma* costellas quebradas
e feridas de gravidade na cabega.
i O Sr. Durand Savoyat lem uma perna quebra-
da era duas parles, e salvou-se milagrosamente,
pois como o malfadado Cavagnari linba ama fiihi-
nha nos bragos no momelo da calasirophe, e fA
langado com a forga de urna bala ao por jo pelos
destrogos que Ihe causaram aquellas feridas. As-
sim mesmo nao deixou sua filhioha; e quando a
vio precipitado e em perigo de vida, leva o jangua
fri de agarrarse a uma corda e cooservar-se al-
gum tempo suspenso, o qne eviioa-lhe ama qaeda
fatal, e permittio-lhe arrasiar se al a' coberta no
meio da fumaga immeasa que o sutlocava, al qoe
o soccorressera.
No enlamo eslava sua esposa ao sea camarote
com outra cnanga, afilela e choran l) p >r sea es-
poso e sua lllha, que juigava perdido*. Felizmen-
te leve melhor sorte, a menina flcou inculame, e s
o Sr. Durand Sav val sanio fer ido, como dissemoa,
e foi transportado com sua familia para o hotel de
Pars, onde o tratan os Drs. Bond pai e filho.
< Entretanto apodaremos aqoi doas opioies
que ouvimos omiltirem pessoas competentes. A
primeira aliribuindo essa exploso a nm raio, pois
todo o mundo sabe quo carregada de electricidade
estava a aimosphera na occa.-io do soeeesso, ma-
nifestando se depois urna tormenta com chava, tro-
voada e relmpagos.
* O que induz a cr-lo o proprio estado em qoe
achara-se a caldeira e tubos da machina e a eir-
curastancia de ter-se onvido tres oo quatro detoaa-
goes e encontrado a bordo varios object. s de forro,
por exemplo, uma pa* machacada como um trapo
e pregada em um tabique mu distaato do logar
onde devia estar, urna faca arrancada de um cai-
xo e pregada no costado do navio : amura i br-
ea com que foram langadas as pessoas moras oo
feridas e o mesmo commandante o Sr. Salles, orne,
ao sahir da sua cmara ao primeiro estroado, M
prodigiosamente levantado a nm metro de aliara,
e o que dizem varios offlciaes dos navios fondeado
porto do Carmel, sao tambem circamstaocias ma
rnilitam em favor desia opiniio.
c A segunda qne a exploso pode ter sido oe-
sionada por uma quantidade de ar comprimido aa
caldeira, como mmlas vetes soccede qoaado as
vlvulas nao leem sido abortas na oceasio de ca-
che-las d'agua. Sobre tsto chamamos a atteaca
daquelles que dirigen um vapor, pois tal prcraa
gao, que amitos desprexam, de grande
lancia.
< Todava nada podemos afflrraar al a
gao a que em breve deve-se proceder, em presenca
dos eogenheiros e machinisus dos navios estraa-
geiros.
Quanto a actividade con qne foram levados*
prestados os soccorros a bordo do Carmel patas na-
vios de guerra estacionados no porto e de todas as
nacionalidades, cono pela capitana do porto, ta-
mos especialmente encarregados pelo Sr.
danta Salles de, em sea nome, agradecer a
os offlciaes. mdicos e tripolacdes qoe
momento supremo prestaran) Ihe auxilio, j
tando-lhes sua sincera gralidao em nocas i*
nidade.
Era na verdade admiravet
diversos paizes rennirem se tao esuwlaojafJi
canpo da desgraca.
L
MUTILADO


Diarlo de feroanbaco -- Segunda letra.30 de Outtibro de Sa.
caca, a digna-Sr. Dr. Dr. chafa de polica, no inte.-
resse de bem orientar-se de tose o occorrido, offl-
ciou naquelia data ao honrado delegado o Sr. tenan-
te coronel franoet de AlbtTb^que Cvataanlt Nbco,
para que elle proprcionseHt)a r> eonhenneate
do que se cera a respeilo ; o que ja titiha feito o
mesmo delegado em data de 5 do mesmo met, nao
obstante at ento nao haver chegado as raaos do
Sr l'indahy jo> Mawwr essavpartailiHeao.
Entre o geuro e o saro Iwam usan intriga, ten-
db este promettido aqueste e**jacatfb>Iogo que pas-
embora fosse estrada real ; e
10 Rio aeuoleeenrJo que no da 1 do referiflb'mer passasse Mara, do Nasofaaeuto, Augusto Pinto de narcos,, ,aPn J
Bue- Joaquim Cosme por all, seguio-o Job Nicacio; e | Jof'lartlns, Mtnrosf da Co.-ta Cazelro, Joaquirrr Z. '".'
au- rol alcaoea-lo ja' era algn' distancia, aonda se Fraoflisco'fteite i*ln1o d-> fiw. ? '
Concluiremos esta narracio cora uj> acto de
justiga, pois ou vimos varios actores desta scena hor
rivel fazer o roior elogio ao singue fro patentea-
do pelo commndante Salles, no meio da twtatr*
pbe quando so poda supgr que o casco do Car-
mel ia voar para pouco depois afundar-se. Ja' es-
tava dando ordens para procedor-se ao salvamento
dos passageiros, quando ficou iveriguaJo pela r-
pida inspecgao que tez, que nae teala-mais dasajaa*-
ca a temer.
Segundo o que ouvimos dfcw, a lajearaginidas
a vanas que soffreu o Carmel elgirao 15 a 20 dias sasse-lb* pe a- porta,
de trabalho ; sendo por isso rela leenda ao Rio
de Janeiro pelo Newton entrado1 IuMbib de
nos-Ayres, e que deve sahip torga-mira de
nha para Liverpool cora escale, pele" Rio de Ja- travaraiff de razfles, de que resultbu'ser Mo IvV-
neiro. caaio rltorib pWJoaqrotg faaTB, depois destb rece*
Quanlo aos passagefrns a compenhia das Sien- ber daquelle varias cacetadas.
sagerias Imperiaes, a cargo do Sr. Car-r-y, lomou- E' este fele, do qual leudo conhectmento- o de*
a si todas as desperas ocnaeionadas piJa-demora legad*, deu logo as competentes ordens para a
da viagem e pelo curativo dos enfermos, nada pou- captura do delnqueme, que pode evadir-so para
pando para hospeda los o mallior possrvel e pres territorio da Baha, sendo entretanto perseguido at
lar aos feridos lodos os socconos da sciencia e da
arte.
Segundo a Tribuna de Montevideo, o primeiro
escaler que atracou a bordo do Carmel depois do
desastre foi o da corveta braslleira Paraense, com-
mandada pelo 1 traen-Mbnocl' Joaquim da Costa motor publico da comarca.
Jnior. As lauchas do encouragado Brasil ao man- Inteirado por tal sorte o publico das oceurren-
do do Sr. 1* lenefite-Pedvo rtnto ife' Veiga lamben* cas que se prendera a' este factO' criminoso, folga-
prestaram valiosos servidos. O Sr. A. X. de Araujo mos da reconhecer o zelo das autoridades pela re-
Pilada, Io teuente do Paratnse, tambero preslou- presso dos criraes; e isla- lauto mais quanto ra-
se voluntariamente, acndindo em um bttede trra mos partir o axemplo do digno Sr. Dr. ebefe de
para onde tinha ido em passeo. \ pohcia, exntalo aja* na pd* por- wm wnar de
.....'. actuar as autordades-hierarchieamente inferiores,
^**?? H5, de modo proficuo ao servajo publico.
Lleve chegar boje por tarde o 2 corpo de |
' guarda uacioual destinado ao servido da g-uerra,
i sob o commando do Sr. tenente-i^ofooel Mariano
Chegou honassaae-ilioiias di.urde, do Rio de> Xavier Carneiro da Cunha.
Janeiro e Bataa* t> vapor francez Navarre, com da-1 Esle corpo j Cunta cerca de trezenlas pragas,
Us do primeiro at 24 e da Babia al 27 do cor-, que sao as que hoje se recolhera de Serinhem a-
rente. i esla c,;'a J* por orde superior
As noticias mais importantes sao as que vao ^b
Passageiros d > lirigue portuiajl fti;wKa*aj*ju.
entrado do Pono :
Antonio Pereira dos Santos, Thoma. Penraina*
Bartouro, Domingos Jou Ribeiro. sfa noel'.tuto-
nio Pilrao, Antonio Francisco, Mane* oto 9HI-
va Boa-vista, Justino Ferreira dos Sauttaa Masaba*
Fernandas Loiz, Daniel Francisco Jos, Marcelino
Augusto da Rocha, Jos Maria o> Lentos Noguei-
ra, Marine I Joaqutm' da Costa, Francisco Reg
Corlho, Antonio' Tavarer Morainr, Joaquim Fer*-
reinaSMbo, CuWteliO'Jbaquira db CoM* Antonio
ItocMgiM da Silva, Maooel Jos-Goneg, Anlonto-
francez Itmrmt, no
da Brito Arraes.
PatHf(4'iro dO' vtuor
trado d.i9.porius.diisul :
Antonio Jos Corroa e Antonio
RepabticXo da polica.
Extravio dw pam# do> din 28' (bs'ouuUirw. de tmtk-
Fora n recolhidos a casa de detenc/io no dia i
do crreme :
a uiargem citerior do rio de S. Francisco. Mas para I A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Lou-
allt foi expedida precaioria sem detenga pelo mes- j rengo da Rocha Bandeira, por disturbios,
ino delegado, que alm disio procedeu ao respecti- a' ordem do de Sauto Antonio, Francisco Leo-
vo corpo da delicio e insiaurou logo o processo puldino (! 3outa- Magalhaes, para eorreccSo!
competente ; oqual acha-se com vista ao Dr. pro-: A' ordem do de S. Jos, Clara Maria Amintlia,
por disturbios ; Faustino da Costa e Jacintbo da
Cosa, por briga.
A' ordem do da Capunga, Antonio Sebastiao Dias,
para correego.
O chefe da 2* sergao,
J. G. de Mesi.uila.
- cAjuiti marou uo
DIARIO BE PERWAMBUCO.
Ricrre.
23- ftE.SE-
SES?AO EXTRAORDINARIA AOS
TEMBRO DE 1863
Presidencia do Sr. Gustavo do Reg.
roUKtJOES k PEDIDO
Illmos. Srs. C. N. de Mendanha 4 C Intenden-
db-me cora.0.amigo Salgado, sobre'a panelada (ou
pMwtade sapiteiro) que V. S. inseriram por sabs
cripgo, no Otaria de sabbado, para a qual preslei
por esraoia.nun prestigioso nonnr:declarou-me
o mesrao amigo que nao linha palha Bastante p*nP|
alimentar tantc jumento I......e que*wa qtMzes-
sem rabiseusem com termos e coflro respeito,
e sencirldadb'dfevida devlda ao publico, do con-
moamxn a mingua, ou Irianr eneber agoel-
fabric* cambronal.
E quanlo atr mais, desejado, est.......... po-
dbndo regalacom-se desse genera,, a- voniade as
cocheiras...
De rsfo meus amigos, saue e enllaj.. at sahir
da forja, o recibo dos quanenta dius I I.....
Recife, 28 deoutubro de 1863.
B. Pk faili Gn9ml das cumbucat I
fcil digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
phato. Alguns mdicos desra oidade e da
da. Macei o teern recommendado para a ctif
radas
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
;Gancios, sarna degenerada, fluxo alvo.
Fodas estas affeccocs njiovnade uinai cau>
S interna; nao ha pois razo mnima em
crr que ellas se podbm'COTarcnmremediw
externos. Tambera se prescreve o xarope
Voto banco de Prruan
O No Banco desaoni*.latca*iWpr
mezas a 10 pac canto ao anuo, e loma
a praso (Txo, on em oonta crreme pelo-preiMo e
condigoes que se convencionar.
AFANDKKfc_
Rendimenu. do dia. La 21...... 557:121*7119
dem do dia,28..._...... 23:173*476
580:298*5'k--
alchooco de velam* paita o iBatemaoto m, motme^ito da alfamt.a.
B^--- Volumes entrados cora fai
a/Jhcgoes do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, liypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudw, da nrarap MHMMV pera" cwar radi-
calmente; e enx pouca tempo o rhenma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesti cidade na. botica, a.'nii.i indica-
da, do abaisfl MsigaM; e em- ouh-a< quaf
Monte Pi Portuguez.
A directora provisoria, em quanlo trata da im
press9o dos estatutos da sociedade para serem de-
vidamonle distribuidos-, Julga conveniente levar
desde j ao conheclmento de todos os nteressados
os seguintes artigos dos-estatutos:
Art. 57. 0 >ociqae; por sua infeWnidade, se
achar desempregado, preso, ou impos>itniiado de; duer P9 que se tem annnncia Jo nao e da
irabalhar, perceber urna prestacao rnensal que, mesma COmposicao, e nem 0 abaixo assigna-
no excedendb de 3850001 ns, podar ser redu-' do S# Pespfl*aM-iiK
7iJa, segundo a maior ou menor necessidade do
SOCIO.
Art. 58. Ao socio que se desempregar por mo-
tivos justos, a directora por si, ou por seus co-
nhecimentos, procurara emprpgry aa>qiTado "s ha-
apanas encou
capital
a rubrica Interior, alm das ijuaes
tramos mais o que segu.
MixAS-iEitAKs. Acliavam-ss na capital IvJO guintes esludanles:
guardas iwcionaes vindos do interior. \ l auno.Candido Valeriano da Silva- Freie,
I.-se no Minas Geraes : ITrlsBo da Alencar Araripe Jnior, Alexandre de
t Ante honle'n sahio a nossa brigada, levando' Souza I'ereira do Carmo Jnior, Jos A y res do
Dra
e e lula-e appnovad a.acia 'Ja- aoteeadeate.
Lu-se o seguinta
Comac,araa) eHeBiivameiue no dw 23 do cor- expediente.
rente os actos dos diversos anoos da Faculdade de ijma peiigao de Joaquim Jus Bello, ex-itoeal da
Direilo, tendo sido examinados at sabbado os se- freguezi os Afoyitlos, com despacha pres-
Presentes os Srs. Thomaz rfAquioo wt* Mon-jbill.taCoes que elle tiver, at duas vezas; ese se-
teiro, Santos, e Dr. Viltos-BuaSi a*re-se a.sessao. rel.,rar Para ou' Pra5 promover-lbe-ha as possi-
comsigo cerca de 2,000 hoinens. O coronel
go, que residia na cidade, pelas 8 horas da manha
parti acorupanhado de multas pessoas do lugar,
inclusive as autoridades, e oi-se reunir ao nosso
venerando Galvo, que com a tropa formada o es-
perava no Cuxinho, lugar do acampamento. al-
li seguimos todos al a ponte do liberaba, oude pos
dispedimos. A' excepgao de algumas desergoes,
proprias nestas momSm, nao rae coosta que te-
nham havido oulra novidades. No dia da sahi-
da ponsavam no Case, meia legua da cida-le, a
hontera as Lrangeiras (3) i boje nao tivemos no-
ticia quil fora o pouio. A brigada deixou 13
doeotes varilicos, a hoje vieran mais dous envia-
dos por ella.
t Os dous parques de artilharia anda Qcaram
aqu, pois rae, estando contralado o seu trans-
pone com Silvi.ino Jo< Mandes, este ainda nao
veio Armar o contrato; o coronel Lima, chefe da
caixa railtur *-.ha sa ainda na cidade por tal mo-
tivo
Matto-Ciiosso. As forgas da provincia, for-
mando uma divisio ao mando do tente-coronel
Cao)iMayMfc*vaiiMa acampadas noAricaeo-
iTiii-to eapttal peto lado de ierra ; e noMelgago
-tacionavam os vapores de guerra Jaur e Co-
rumba que a prot-giam pelo no.
i) Cui-himesteva oceupado pelas forgas expedi-
ekuiMtM de Goyazcoinmaudadas pelo tenente-
corol Jen4es (omaraes, esundo em marcha o
corpo de utilitaria de Mallo Gro-so que viuha fa-
er juncc.u) coro as referidas forgas.
Em Sa'ui'Auua do Prnab\ba acampava o corpo
de cavaiUn ao litando do lenle coronel Dias.
Na mesma villa se achava um forle destacamento
ila expedlgo do coronel Drago, o qual marcha de
piolergau a tropa do Ferreira Candido, que con-
duz os artigos bellicos.
O estado sanitario rta provinea era satisfactorio.
O- gneros alimenticios nao abundav&tn ; nao
havia porm falla absoluta dos que sao mais ue-
ces^arlos. O presidente de Goyaz creara um
deposito de maniiTientos na villa de Sant'Anna de
Parnahyba e entre no B^h, pomo de reopio das
estradas que soguera para Cuyaba.vCochim e vil
la das Abobaras, com o iira de abastecer a qual-
qoer expedigo que rnarchasse por aquellas estra-
das.
Paran.Concluira-se a eleieao de deputados
provinciaes, sahindo eleitoa : urs. St-u/.a Ribas, j
Generoso, lloara, Pacheco, M. Araujo, Murici, J. |
Lourenco e Tertuliano, padre: Louren.v, I-aias,
Carilargo, viga rio Agoslmho, conego Braga, e os
Srs. coronel Ferreira, Eneas, Lolz Gomes, Joao
Manoel, Jos Mir, J. A. Santos, a Tnerezio Porto.
A canhoneira encouragada Tamandar,
pois de tomar earvo e aguada no porto de Para-
nau, seguio tiara Montevideo.
S. Paulo.Haviam partido para o iatenor da
provincia o general W. W. Wood a su comitiva.
Nasciraento, Carlos Augusto Vaz de Oliveira, Sa-
muel Gug.lvei A y res, Severiuo Kibeiro Ca*n Hontelro, Jou BaptisU Higueira Cosa, Miguel
Lucio de Albuquerque Mello Filho, Vicente Alves
Rodrigues de Albuquerque, Joaquim Francisco
Paes Brrelo, Candido Jos Li.-ba, Autonio Jos
Rodrigues dos Collas, Caodido Jo^ de Mvora J-
nior, Carlos Alberto Quadros, Amplwlo^t** Anto-
nio Freir da Carvalho, Joacjuwn Curr* de Olivei-
ra Audrade Jos Leandro Marlins Soares, Manoel
Jo> da Oliveira Miranda e Manoel Francisco de
Barros Reg, approvados plenamente.
2o anno.Jos Jansen Ferreira Jnior, Jos Pi-
de Miranda o-o-
dencia mandando informar, na qual o mesmo ex-
flscal, reclamando acerca da dispensa que I he fora
dada de continuar no exercicio do dito cargo, re-
quer a S. Esc. a sua aposeutadoria, allegando j
existir em sua secretaria nm reqaerfraeme- uo mes-
mo sentMet Posl em discusso, resolveu se re-
rnetler a' commisso de polica.
veis recommendagoes.
ArL 59. A'quelle que per mvlestia, au outros
m* tivos graves, tiverem necessidade de se ausen-
tar, pagar HRMNti a d*ape.s d wanseorte
com commodid*ade e1 decencia, para outras pro-
vincias do imperio, ou para paiz entran ge ir.
Art. 60. Ao socio que fallecer a directora
mandar fazer um enterra- decenas, se elle nao
deixar meios par* isso. O enterro ser acorapa-
nbado por uma r.omiBtssao nomeacra pela direeto-
j ria, e esta no 7." dia mandar rezar uma missa
; (a que assistr uma eommis*o de seus membros)
Ua oBMtTitoDr. irnqTetptdera*rideft-jPf tnU^Mtertl
que, commuoicando achar-se en* deposil m mao i Art. 61 A socredarfe cuidara actrvameme do
lili !........lili lili IHIIWII lllllll......Un. II------- do socio que for preso; mas so Iho
de 68JD00 importania liquida, da mulla corres-, prestara o soccorro de que trata o arl. 57, se delle
pondeote seMNWies de priso que cumprio na. necessitar. Dado, porm, no mesmo anno o caso
eadna da dito v.U, PBCfMM Camello de S.que.ra: reincidencia ou eoneceudose que o socio as-
Cavakaaak ceodunoado em grao de appe lagao por! m pratica por habito ou ina ndole, a sociedade o
um dos junes de direilo desto cidade, pede a ca-1 abandonara as consequenc.as do seu acto, fleando
.-j-.-----.... ,._:suspenso ao socio o goso dos seus d Jos ila ftecha Paranhos,
recadada a referida
quaotia.Maodouse expedir
no mesmo SfO.-
de Athayde Lobo Moscoso Jnior, Jos Antonio
Ernesto Par-ass e Augusto Gurgel, plenamente;
Elpidio Jos de Carvalho Soiua, Francisco Xavier
dos Res Lisboa, Pedro Jorge de Sooza, Franciseo
Santiago Accioli Lins e Felieraao Placido Ponluat,
siu.plesmeute; e um reprovado.
3o anuo.Antonio Gongalves Ferreira, Francis-
co do Reg Baptisla, Antonio dos Passos Miranda'
Virgilio Augusto (le Moraes, Alfredo AITouso Fer-
reira, Jo.- di Costa Carvalho Guimares Jnior,
Jo .Nicolao ToJentiuo de Carvalho, Adolpho Ge-
uerino Rodrigues dos Santos, Francisco Gomes P-
rente Filho, Jos Domiugues da Silva, Joao Finni-
no de lioiaada Cavalcaute, Jos Joao Chinaco do
Espirito Santo, Aulr>aio Venancio Cavalcaute de
Albuquerque, Joao Maria Loureiro Tavares e Adol-
pho Laueulia Lins, plenamente; Jos Candida Ma-
riribo de S, Antonio Eslevo de Oliveia, Uuirte
Estevo de Oliveira e Pedro de Araujo B-.-ltro,
simpiesmente ; e um reprovado.
4o anno. Antonio Ayres de Lacerda i'.iiermont,
Francisco C nie.io da Fonceca Lima, Francisco
J'is Alves do Albuquerque Fiho, Erne-ti Adolpho
de Vasconcelos Chaves, Antonio Iudngues de
Souza Man os, Raymundo Honorio da Silva, An-
tonio de Almeida Oliveira, Jor^ Gomes da Frla,
Ignacio Ferreira de Almeida Guimares, Eliseo de
Souza Martius, Jos Manoel de Barros Wauderley
Jnior, Autonio Francisco Cona de Ataujo, An-
tonio Marlins da Cuaba Saato Maior, Joaquim
Pontes de Miranda, Augusto Cirneiro Monleiro e
Alfredo Moutezuma de Oliveira, plenamente; Cae-
tacio Mirla Je Farias Naves, Jjaqium Mara Car-
neiro Vilella, Manoel Joaquim Ferreira Estevas
Juoior e Jos Ignacio de AlUtqiterque Xavier, sim-
plesmenle.
5o anuo.Joao Zeferino Pires de Lyra, Antonio
deJ de Mello Rogers, Lzaro
S
Borges, Raymundo Clemenlino de Castro Valenle,
_ Francisco de Assiz Pereira R cha Jnior, Bolivar
Rio de Janeiivo. Forana publicados os decretos: Teleira Mea des, Thomaz Lourengo da Silva Pin-
n. 3514, approvando os de ns. 3504, 3505 e 3306, '- JuslJ Tliom da Silva, Jo.- Joaquim de Oliveira
contendo providencias provisorias dadas peks di-' fonceca, Joaquim Jos Ferreira da R--cha Juuior e
versos ministros; e n. 3515, creando uma meda- IWalboso de Audrade Mello, plenamente.
Iba comemoraliva do rendimento de ruguavan a L Ful n" sabbado representado o drama do Sr.
liuha e B;esler ro tuna e Trabalho, cujo deseinpeuno
res da Fonceca, Manoel Pmheiro e Hiraooa u=o- 0Fl|em ao proewador.'e offlciar-se
rio, Torqua.o Mandes Vianua, Theophilo Domingos 'uio a0Dr.juiz municipal.
Alves Ribeiro, Joao Joaquim Fonceca de Albaqaer- Quir do inspector da sade publica, declarando
que, Fraocelmo Das Fernandes, Simp+icio CoeWi qae ,em}o fl vli\ut M boticas desta cidade, pede a
de Re freguezias para o acompaabarem como de lei.
Que neste sentido se expedissem as ordens.
Outro do juiz de paz do 2o districto da freguezia
dos Afogados, Jos Bernardioo Pereira de Brilo, di-
zendo que, nao podendo saoer com exaelido quaes
sejam o verdadeiros limites do mesmo districto
com a freguezia da Varzea, visto que uenhum do-
cumento de diviso existe no carbono daquelle
joizi, pede a cmara que se dune providenciar de
modo que lhe seja remeltido uma copia da diviso.
Mandn se satisfaier.
Outro do advogado, re;pondendo que nao pode
ser concedida a preferencia que pede Augusto
Bertraod na petigo que devolvo, porque alm de
nao ser autorisado por lei, redundara em prejuizo
da< rendas municipaes, vislo que o inquilino nao
cencorrer ao leilo das rendas futuras coutand)
com a preferencia, nem raesrao haveria queol losse
offerecer qualquer Isafo na incerteza de ficar cora
o arrendameoto se nelle, e pelo mesmo prego qni-
zesse continuar o inquilino actual.Neste seulido
despachou-se a petigo.
Outro do mesmo, participando que o Dr. juiz mu-
tempo que a directora juqyar corrvenrenre.
Arl. 63. Fallecendo qualquer socio, a sua viu-
va e fillios menores, licando privados de meios
para sua decente" suslerjrigo, gozarn dos bene-
ficios da sociedae da seguinte maneira :
1." A viuva, emquanto se conservar nesse
estado, e se comportar honestamente, receber
uma mensalidae de 255000.
| 2.' Os filho?, legiiirnos ou legitimados, t05
por mez senrJo um s, \o& sendo dous, e 2050OO,
se forem mais de doos, isto emqrranto nao chega-
rem idade de 12 annos.
Art. 69. Todo a cidadao portugvez em arcums
tancias de ser socio, residente nesta cidade, que
recusar entrar para o gremio da associarao, niio
podar em tempo algum ser admittido, ne'm ter di-
reilo a beneficios de qualquer natureza.
Art. 70. A contar do 1." de Janeiro de 1866.
passar a joia (que at 31 de dezembro do corrente
anno de 105000) a ser de 25,5000 para os que
desde ento forem admittidos. continuando todava
a cobnr-se a mesma mensalidade marcada no
2." do art. 11. (500 rs.)
t Art. 76. Das quanlias subscriptas, embora
ainda nao arrecadadas, at serem potos em exe-
cugo os prsenles estatutos, o que exceder do
valor da jora considerar-se-ha como donativo, ten-
do o doador direilo uscnpgilo do seu nome
n'um quadro com a desigoago da quantia que ul-
DcMpaVdr2"v'araViVa'nrd"esp"achou 'a petico! [npassar a importancia da joia. Igual direilo ca.
contra o desembargadorF.rralno Antonio de Souza, i be aquelles que houverem anganado socos,- indi-
por mfraegao de posturas, e que tendo solicitado o
despacho, itie responder que dependa de consul-
ta que fuera, visto que intrincada a questo de
competencia.Inteirada.
Outro do mesmo, respondendo ao que lhe oi di-
rigido em 17 do corrente, declara que nenhuma
iiui'i" 'mu i/ uu rajocuir, ucoi mwv '------ :.
responsabilidade ha em nao seguir a appellagao em Suez ae L.'-''ura.
cando-se no quadro competente o uumero dos que,
coro o pagamento da joia, ratiMcarera a sua asslg-
natura.
Cootinuam a receber-se a-signaturas para o que
ha listas expostas na ra do Crespo n. 2, livraria
do Sr. Nogueira de Souza, e no Gabinete Portu-
qoe parte o commendador bao Pinto de Lemos,
e seu parecer que nao siga pelo que j ponderou
em seu offlcio de 24 de margo ultimo.
Declara ainda que costum incumbir as revistas
que tem ao desembargador Abreu a Lima, que esl
de Mello Rogers, Lzaro los Pires da Fonceca, aposenlad<>i e resjde no Rio de Jaueiro, e mandar-
Joao Alvares Pereira de Lyra, Carlos Francisco |he a nuanlia de 1005 para prepares e honorario d.>
Soares de Brito Jnior, Jos Autoow de p.nho pro;Urador, e finalmente que nao tem duvida de
2 de oapitiies-te-
211 de segundos
que sera' >ada |ior todas as pracas da
da guarda,naciou;.l, lano brasileiras como
das, que as>i.-tiram a'quelle acto.
Foram nomeados :
Agen;e do correio de Tacarat, em Peruambu-
co, Francisco dos Passos Baptisla, por exoneragoj
de Francisco Jos da Rosa ;
Ajudante do agente de Piacuruca, no Piauhy,
Jos Sergio Poniaiteltes ;
Agente em Tamandar, em Pernaml)ueo, Joao
Fernandes Vianna, por demisso concedida a Joa-
quim Francisco Diniz.
No quadro de antiguidade dos offleiaes de
marinba, publicad em 18 do irorrenle, ha as se
guintes vagas : 1 de almirante, 1 de vice-almiran-
te, 1 de capilo de mar e guerra,
nenies, 3 de priroeiros leneutes e
lenles.
Da ordem do dia de 11 do correte ex-
traamos o seguinte acerca de numeragdes de
corpos:
t Em consequeacia da alteragao de numeragao
que as ordens du dia ns. 1 e 5, expedidas pelo
gabinete do Kxni. Sr. minislro da guerra na pro-
vincia do Rio-Grande do Sul, liveram os corpos
de voluntarios da patria ns. 33, 34 e 35, |assam
os corpos de goardas nacionaes do Marauho de
n-..35 e 36, a ter este o n. 37 e aquelle o n. 36 ; o
qus tem o 0. 37 e eommandado pelo Sr. tenenle-
corinel Domingos Jo- Freir de Carvalho flea
com o n. 38, e com o n. 39 o de n. 38 cominan
dado pelo Sr. leneute-coronel Jos Lustosa
Cunha.
Os dous cornos de guardas nacionaes, de que
se cnmpoe a brigada que ullimamenle parti desta
corle sob o commando do -r. coronel Evaristo
Ladislao & Silva, liverara, o i* cora o n. 40, e o
2* com o n. 41.
Houre no dia 14 uma rennio dos assigoan-
tes da praga do commercio, para promoverse
uma subscnpgo para solemnisar o regresso de S.
M. o Imperador a' corte. D'enlro era poucas ho-
ras linha asvigoactos % r.ontos da ris.
Abrio-se, te dia i%, a assemola da provin-
cia de Rio de Jnro.
A sbscripgao, para o A^ylo de Invlidos da
Patria, elevava-se a' 182:3825672 rs.
allia-1 agradou anda mais por ter feito sobresahir as bel
lezas do drama ; que por cerlo um mimo da lit-
leraiura dramtica, assim como a gloriOcaco do
trabalho.
Naufragon, pelas 8 1/2 horas da noite de 27
do corrente, nos arrecifes prximos ao pharl, a
barcaca S. Pedro, procedente de Macei com car-
regamenlo de raadeira, e traiendo cinco passa-
geiros.
Aos grilos destes, foram soccorridos e salvos
lodos por jangadas partidas de Fora de Portas e
pelo bote da 1* barca da alfandega. Erara 2 mu-
Iheres a 3 borneas, suido um ceg.
A barcada desappareeeu, mas o respectivo car-
regameuto velo praia do Brum, entrando parla
deile pelo ancoradouro.
O mestra desta barcaga, Francisco Floriano da
Caneeieo Soldado, Ui que pelas 4 horas da urde
faltuu-lhe a ferragem do leme na altura das Can-
delas, e sobrevindo grandes aguaceiros, nao pode
voltar; de sorte que tralou de demandar este por-
to como lhe foi possivel. Assim, j perlo do pha-
rl, cabio um novo aguaceiro com vento pela
prt; o que levou o a fuudear logo; mas fallan-
do-lhe as amarras, foi a barcaga sobre os arreci-
fes, do que resuitou-lbe o sossobro.
O vapor nacional Paran sabio da Babia ao
mesmo lempo que o francez, e deve amanhecer
hoje em nosso porlo.
Sahio, no dia 17, para o nosso porlo, com
da | escala pelo da Bahi, o transporte de guerra Isabel,
trazeado seu brao os Srs. ebefe deesquadia
Joaquim Jos Ignacio e capilo de fragata Joaquim
Rodrigues da Costa, que vem examinar lodos os
arseoaes e activar o engajameulo de marinhagera.
Ficavam a' carga, do Rio de Janeiro, para
o nosso porto: a barca porlugueza Gralidao, a
barca Despique 11, e a polaca Marinho.
Para o nosso p^rto sahio, a' i7, o brigue
Adeaide.
Eis as cotagoes de cambios di Rio, era 33 :
t Carntu).Incluidas as operagoes de baje, a
25 >/2 (papel bancano), 25 3/4 e 25 7/8 d. som-
mara os saques para o vapor Navarre : sobre Lon-
dres st 380,000 a 25 1/4, 25 3/8, 25 1/2, 25 5/8,
incuinbi-lo do recurso de revista em que e recorri-
da a irmandade de S. Pedro.Adiado atea pnraei-
ra sessSo.
Oulro do fiscal da freguezia deS. Jos, informan-
do, como lhe fora ordenado, acerca da obra da ree-
difk-ago que est fazendo Jos Luz Ferreira da
Costa, na casa n. 41 da ra do Nogueira, declara
ser ventada, e que em o dia 20 do corrente haviase
dirigido aquella obra, e lendo observado que a tra-
peira em conslrucgo tinha quatro palmos de altu-
ra era vez de tres, como manda a postura, bem
como se achava sobre oiloes singellos, embaragara
a continuago da obra, e multara o infractor das
posturas.-Inteirada.
A commisso de polica apresentou cinco pare
ceres, julgando habilitadas diversas pessoas que
pretendiam concorrer as arremalagoes.Foram to-
dos approvados.
A mesma commisso apresentou igualmente um
outro parecer no sentido da se conceder uma gra-
tiicago de 2003 por auno, ao fiscal da freguezia da
Boa-Vista, em consequencia de str a mesma fregue-
zia mnilo extensa, e enslirem mullos estabeleci-
mentos em seusarrabaldes, alm da edificago con-
tinuada sobre a qual deve ter o fiscal muia vigi-
lancia, o que nao pode fazer sem ter um cavallo, e
para esse lim se llie deve cenceder a referida gra-
tificacao como j liveram os seus antecessores.
Posto" em di-scussao foi approvado, e neste sentido
mandou-se ofOciar ao Exra presidente da provio-
cia pelindo aulorisago.
Estiveram em praga os irapostos e rendas muni-
cipaes annunciados para hoje, e foram lodos arre-
matados, dando-se accrescimo nesta arremalago
para mais do que a dos annos anteriores.
Despacharam-se as petigoes de Bernardo Jos da
Cosa Valente, Jos Loiz Ferreira da Costa, Joi de
Souza Lfimego, Manoel Jos da Cunha, Joo Duelas
da Silva Borges, Manoel de Souza Tavares; e le-
van tou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secrelario
a suhscrevl Pereira SimSes, pro-presidente,Costa
Monleiro, Santos, Fonceca, Reg.
CORRESPONDENCIAS
Haba.Nao recebemos jornaes nem cartas,
ter viudo a mah pete- Paran.
Srs. redactores.Lendo em vosso Diario de hon-
tera, um communicado sob o titulo a polica dos
AITogados e assignado pelo Expectador, v
. que no linal desse communicado pretende o seu
! 0J!*!*t 7'. 5Jr ;_t.Dr?.?ar,s *."00*- : autor molestar o subdelado do Peres, comando
PEpflMRUCft,
ftiVISTA DI4RI4.
1,000,080. a 370, 372, 373, 374 e 375 rs.; sobre
Hamburgo 200,000 m. b. a 69o rs.
Deve cahir ao mar, do eslaleiro do arsenal
de marinha da corte, no da 4 da aovembro, o novo
encourat; o, .(lie imn- um large uiais das dtoea
s-s m Tamandar. Chamar-se-ha Sarrosa, e meo-
tara' iiua< pecas exiliadas de 120 e du.s de 70.
Sobre a volia de
no Diario do Rio :
Parlo ii je (24) a* 3 horas da tarda o vapor
Pode ser socio tolo o cidadao portuguez em
pleno goso de sens direitos, que tiver meios lcitos
de subsistencia e bom comportamento.
Secretaria do Monte Po Porluguez era Pernam-
buco, 25 de outubro d 1865.
Jos da Silva Logo.
Presideote.
Joaquim Gerardo de Bastos.
2o Secrelario.
Monle-IMo-i'oHugiiez.
(Correspondencia.)
Illm. Sr.Cbenos a salisfago de acensar o re-
ceblmento do offlcio de V. S., datado de hontera,
acompanhando a quantia de 200$ por V. S. recebi-
da, valor das joias de diversos cidados portuguc-
zes que se tinharn inscripto como socios do Monte-
Pi, inclusive a que V. S. generosamente subscre-
vra503, todo conforme a relagao nominal qne
se servio juntar ; sentiodo s que, tendo V. S. de
retirar se para a Eoropa no paquete francez a pas-
ar em 30 ao correte, nao possa concluir a tarefa
que havia to sabiaraeute encelado.
Queira V. S. aceitar os cordeaes agradecimentos
desta directora, peto bom desempenho da missao
que lhe foi confiada, e em que demonstrou exube-
rantemente possuir um eorago verdaderamente
portuguez, sempre prornplo a prestar o seu valioso
apoio a todas as empresas, de que possam dimanar
gloria, honra, ou utilidade, para o nosso paiz ou
para seus filhos; e crea V. S. nos votos sinceros
que forma a directora provisoria, para que bonan-
gosos ventos o coodutam aos patrios lares, e da
novo o tragam a esta cidade, onde a nossa instilul-
go folgar sempre de ver em seu gremio cavalhei-
ros lo prestrnosos e dedicados, como indubita-
velmente V. S.
Deus guarde a V. S. secretaria do Monte-Pio-Por-
tuguez em Pernarnbuco, 28 de outubro de 1855.
Illm. Sr. Joaquim Ferreira Valenle, muilo digno
socio e raembro adjunto da directora provisoria do
mesmo Monte-Pio.
Jos da Silva Logo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2* secrelario.
HUMA VIDA SALVA!
Nao temos conhecimento algum de nenliuu
caso que tao perfeitamente mostr d'uma ma-
neira a mais clara e persuasiva o poder da
Sciencia Medica sobre a molestia; qual seja o
de Autonio Joaqctm Pereira, da Babia.
Este homem infeliz havia mais d'um ano que
eoffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Terriveis Cliagas Abcrtas
espalhadas por sobre differentee partes de seu
corpo, sendo uma das quaes sobre o peito do p
uvm ru4a e- valigaa chaga, a ^ual o privara
de aaibir, eauzando-lbe a dore* a mais adonis
santes quer de dia quer de noute; continuada-
menta atamentado por taee amiegoea e dores,
e quaai qe aborrecido-da conthraaeao de si,
ilbante vida, tendo posto de parte toda a f e
con llanca emmedecinas, e na realidade pareca
qu para elle nao lbe restava mais esperanza
algoma; asshn pois resignado esperara com-
paciencia o termo final "de seus mutipljcados
soffrimentos, eis que milagroaamente por for-
tuna sua lbe receitarao o grande purificaos*
do saugn
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante & sua grande efficacia e excelencia
ello se achou dentio de pouco tempo, livre da
seu irremediavel estada de desespero, e a doce
e risonha esperanza tornou de novo i reviver
em sea cora9o; sob a poderoza e benvola in-
fluencia deeto admiravel medicamento, as suas
chagas em breve prinerplarao assumir um ca-
rcter favoravel Uiminuindo o aspecto de sua
malignidade. A maesa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir uma
apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e una doce
e suave tranquillidade ptincipiou a. precorrer
todo o seu systema, restaurando-lhe a desejada
paz e socego d'eepirito; as cbagas uma uma
se foro fechando at que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, e boje aclia-se perfeita-
mente sao, gosando d'um perfeito estado de
saude, depois de se ter visto privado d'esta
grande gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura,, apenas fez uso de
Desasis garrafas da Genuina Salsaparrilha
d6 Bristol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-ee mui particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a camella na escolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtenhao outra com-
posicao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
mais preparacoes e imitaoes d'esta natureza
sao falsas nao possuindo virtude alguma.
Vende-se as boticas deCaors A Barbosa
e C. Bravo C.
com gen
,\ JnrulK-lin.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muilo envilecidas nao .- uo Bra.-il, i.ois que dellas
Iratou Pisn em sua encllente obra Historia na-
turults el medica Intie OCttdenUilu. seoo as
Anlilhas, onde o sueco das folbas e fructos como
aqui, rnuito estm.-.do e appl eado contra as ohs-
truegoes abdoininaes, principalmente do libado e
bagj; e se lodos os facultativos desta provincia o
nao applicm com frequeucia, isto se niio deve a
nao reconhecerem elles osas virtudes, mas sira a
nao serem encontradas com facilldada e em todas
as estagSes do anno m fructos. dessa planta-, e a re-
pugnaucia, que apres'iit^m o daentes em fazer
uso do sueco desses frue'.os, em consequencia'de
ser extremamente arparp.
A jurubeba nao fescoiihecida dos botanistas :
esta planta nertene a familia da< sohtnes, e tem
A jurubeba uma das substancias medicamen i a denominago de sotmium pamculatum, que lhe
tosas, ao reino vegetal, e perience classe f' dada por Lyneo.
dos tnicos e desobslruentes, sendo em prega I Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
oa com vantagem contra as febres intermilentes S"cco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
JURUBEBA.
por_j.uuu.ww. a^o/o^o/a, o/o, o* e a/o rs.; soure moahistoria de boi a que parece ter hgado
grande aprego.
O Espataor oe per maieteenei oa por
falta de verdade da sea iaformaMa dtaOfura o lac-
lo que se deu da maneira segrate :
Em um dos dias do mes corrente indo desta oi-
dade para sua casa no Peres, ao entrar no dislric-,
M. o Imperador, leraos l0 ,)e UA jurisdicgiio aquelte subdeie^ado, enes* sar|o n. tO.
trou diversas pessoa coo*tirv*r um boi, atado a
uma corda, fez lhes sentir que equelle brinquedo
No soperlor Tribennf da Relagae for sabbado)al- GtiU, da Gnnuanrna BrasUeira de Pnjuets a- prohibido petae porturas municipaes e pela polica,
gado o recurso inlerposte pete Sr. Dr. delegado; Vapor, que vai ao Rio Grande do Sul, buscar S.
desta cidade, no proresse de responsabiMMe con- M. o Imperador e SS. AA. HR.
acompanhadas de engorgilamenlode Hgado e bago.
Ella tem sido applicada com inconlesuvel proveilc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rito da bexiga e mesmo para combater a menstrua-
gao difflcil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Estrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo dem.
Tintura dem de dem.
Xarope ldjm.
Vinbo idem de idetn.
Pulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
**&-
ira elle instaurado por qoeixa, dando o mesmo tri-
bunal provimento ao referido recurso.
Felicitamos ao Sr. Dr. Muo Pereira pelo resul-
tado final do processo, pots lbe d#*e ser marte-It-
songeiro o julgaeo da|oelle superior tribunal, que
lhe recoohece assim o zelo pelo servigo publico e
pelo cumpnraenl) de seus de peres como autori-
dad".
Hoje emra o n*sne Sr. r. Marlins Pererr no
exercicio da delegada.
Tendo sido preso nesta provincia Fileno Fer-
nandes Gongalves, e sobre ello pesando a tlescon
flanga de ser eser* na pro<'ioeia do Maranbo,
para all foi remHtido pete ir. Dr. ebe de poli-
ca ; e das averiguagdes procedidas, reronheceo-se
ser elle effeetivamente de condigno sugeita, de sor-
te que ia ser enlregue ao respectivo dono.
Em coesequenefa da eolieia qae foi dad, no
dia 15 de setembro prximo passado, acerca do
assassinato de Joao Nicacio de Mello, pralicado por
um seu genro de nome Joaquim Gosme Correa J-
nior, oo logar Pojo do Viadj, do termo de Papa-
O vapor Gerente foi rica a elegantemente pre-
parado pela companhia para esta viagem, tendo-se
renovado lo la a mobllia-, ulencilios decoraba, etc.
t U digno crele dn companhia, o Sr. T. da
Rocha Minnda, com o seu costumado zelo e activi-
dade, esmarou-se para que nada faltassa aos Ilus-
tres viajantes.
< Todta as deapeca dos a r rao jos e da -viagem
eerrem per eata da eoaapanbia, qNeaseuson toda,
e qualquer remunerago ou vantagem.
O governoaceitoue agradecen, como lhe cum-
pria, a gradosa offerta da eompanhia nacional. >
Vem a' bordo do Parama, que boje-deve che-
gar, o lenle Leopoldo Borges Galvao Uchda.
Ao oscurecer da hontera appareeeu ao norte
um grande vapor, que o lelegrapbo suppoz ser o
ioglez Rhetto. At s 9 horas da noiie nao oraran-
nicou com a larra.
- A's 7 3/4 da noite fundeou hontem o vapor
Mamanguape, viodo de Sergipe e Alagoas. Nao deu
a mala, mas iaformam-nos que nada occorreu nes-
sas provincias.
At ten cao
aoqua dispersndose o ajuntaraenU), as pessoas I Xarope aichooHco de'velame, preparado
que eram d aouelle districto voltarara, secuindo ,r ,- / v, r ,
para os Affogados Joao Jos de Araujo vulgarmente Pl0 pharmacenlico Jos da Rocha Paranhos,
conheuido por Joao Grande, e com elle os horaens estabelecidp com botica Da ra Uireita n.
que all morara a quera disse o mesmo Joo Gran- 88 em Pernatnbuco.
de: Quera r dbs Affofades sitrat Este xarope incontestavelmenle superior
N.Mta-mai9deu-ssenao istoe appaitopara o tes-i. v .. .'
temuoho do proprio commun.cante on de seu in-i a ^OS OS xaropes depurativo?, de caja
formante, se algum deiles preseuciou o facto e composif.ao 0 seu maior ele i ento a salsa
quizer dizer a verdade, como deve todo o hornera parrilba, pois que se tem conhecido ser 0
<"? y PreM- ^ ______ : ; veame mais enrgico para a prompta cur*
Baba o communfeante que o subdelegado do Pe-1 j__ r r, ,
res nenhuma relagao tem com Joo Grande, sendo. das molestias, cuja base essencial depende
que este-a elle atirihw um prooesso que lhe ro da purificado do sangue ; assim pois se
instaurado perante a subdelegada da Vanea, e tem verificado por muitas pessoas que se
^ilqJfnL,f'^ml.0Jinimf^,.deiprilS0Je8e.0 chavara desengaadas, as quaes acham-se
contrario o communioante insina pelo odio era- u _j. i -j r -j
tuitoqueeaqmii* fwgueti s vota a toda a aon-(noJe restabelecidas cora o referido xarope
ndade q -sn fwguen*Bwo cuve a voz do esa alchoolico de veame; entretanto que al-
mandante o qne tem acontecido a diversos sub- guns, tendo usado do xarope de Curinier,
delegados que all tem havido. | de Larrey de salsa parrilha, de Saponaria,
Diz o eomrounioante que nada qxur para rwa- .n t'An a KniK* nnt^(rnnn,.l
para os seus. Assim o cressem os homens redec- <0,eo de fiKado de baca'hao, e outroS agentes
tidos. desta ordem nada conseguiram. E' elle de
pregado, nos proponemos e conseguirnos preparar
com elfe nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pillas, mas tambero nrn vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos BcrsuiiidW que
com islo prestamos um servico a buinanidade e
hterapeutica.
Pisn, tratando da liyrrmppsra. prescreve a de-
cocgo das rarze da jvrnb+ia, e Sfi'rat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que n>s An'ilhas se faz uso do sueco
dos frurtos maduros dessa planta contra o ratar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isio cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes.para que possam
ser experimentadas.
A reputafo da jxrnxbeba tal, e os resultado*
therapeuticos obtidos ltimamente so l.io imuor
lames, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que Bca escripto.
Deposito: pharmacia da
Jotrqtrm de Almeida Pinto.
Volumes sabidos-cenr fatendm-
com genero
55
COKMEieO.
Caixa liiial to banco 4o Brasil em
Peraambuco.
A catia descoma as letras de seu apeh daitxa de 60|0 ao anno.
Oguarda-bvros
Ignacio Nuues Gurreia.
Nov Banco de Pernamlmeo
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
dcs'indo na razo Je 8 opr acc3o.
-------Sil
Desearospau boje 30 do rormue.
Barra franca/aSn>-ceniar*l
Barca inglesa sMffti .Wfirjon-eaeva- pe*a.
Galena ai/,iet&-Hernmneidem.
Patacho bremenae SelUmke Jfciaafc farisiha da
Irigo.
Patacho hambnrguez Emma diversos gneros
Sumaca hespauholaTrorid/nvinbo*.
Polaca, tiespaaboiaPor tollasvinnos.
lirigue pontuguozEsptramaalbos, cebles, ar-
roz e nozes.
Patacho porluguez -Furtocharque.
CONSULAftO PROVINCIAL.
hendiraenlo do da 1 a 27....... 47:83t*TI!*a
dem do dia 18............... 5:3,\gG
53:l6'.>JJ*fi
PRAQA DO RECIFE
S DE OUTLBRO BB 1
* a'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Sacou-sa subte \^otMm ~%
a 27 d. por UOlO, sohs Vacia
a 360 rs. por U.: raemiada
saques efceluados e. 13SX0BO
iuclusiv as Uaaaacfw e> j-
mana ^assada.
Algodo......... Oda Pcraambaco veads ana da
io800 a i"00 p*r aeraba ;
de Macei, posto a boedo, de 17->
a U40BO e o. da Pasas* *
18VU0 a tO^UU, Un.be n posia
a Un do.
Assucar........ Vernleu-se o Uancfc da '.bOO a
4i0 por arrab, Mateas* a
35'iW, w a-cavado porgado t
2MH) a 2800 e o bruto de
IMsnjMtlflgM
Agurdeme.....Veodeu-se a 75i00l) a pipa.
Couros ........Os seceos e salgado^ vaairiam-
se a too rs. por libra.
Carne setca.....A do Kw-Grandc do Sul vnden-
se de 800 a 4JJOU a arroba,
ficando em deposito 117.0O ar-
robas, e a do Rio a Irraia. de
28UO a 3J2UU, filando es* *-
psito 4,000 arroba .
Arroz..........Venden-** o pilado da India ti-
i&'m a *i.U po* arreza.
do Masaabo a i80> a ana.
Azeite doce...... Vendeu-** o de Lis xa de 2*600
a 2*700 o gata*.
Bacalho....... Em atacado venden se a l'4 ear
barrica, a reaaU*a lijb;
licando em deporto 4,000 tant-
eas
Batatas.........Venieram se de l*J00 a i40t>
0 gigo.
Caf........... Veadvu-se de 6V)00 a 7**00a
arroba.
Cha............dem de l80O-a 2*100 a i.bra
Cerveja........dem de 5*000 a 6*tAft) a dazia
de garrafas.
Familia de triga. lwulhou->e da tt*U00> a 23* a
barrica da de PttikaaViphia s
iNew-Yoik, de 21*001) a QfMi
a de RMiaiorr, a 20*mm*> tosa-
ceza, de MfM a22*HW>*e
Trieste, a H*UA o >acs*> teta
100 libras sb a Cate ; bsaaao
em deptKiu* JKH) borneas tU
pri mei ra, o.OOU da st | nada, Mal
da terceira, UO aa qeaila, JOU
da quima e 6,000 arca* da aja>
ta, inclusive nm carrteajaaato
da America.
Louga.......... A iugleza ordinaria veade-*e
com 3UO par cenia da ptssais sa-
br a laclara.
Manteiga....... Veadeu-se a ingleza a90vrs. a
libra, e a fraaeeza a 750 rs. a
Asta.
Maesas......... Venderam-se a 3*300 a rana.
Oleo de linhaga.. Vendeu-se a 1*700 o gaiao.
Passas......... dem de li*80 a 700a aassa.
Presuntos....... Venderam-se a 16*000 parar.
roba.
Queijos..i.....Os llamengos venlerara-a a*
i*'J*iO a 2*200 cada asa.
Sabao.......... O inglez vendeu-se a 1W rs. a
libra, e o do Mediterraae* a 230
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de List>oa a 12*Om>
a arroba, e o do Rio-Graaet
Sul a 8*800 a dita.
Vinagre........O de Portugal venden-s* 90*
a 100*000 a pipa.
Vinnos......... Venderam-se os de iisbaa a
180*a iyu a pipa, e os* an-
tros paizes de 130*000 a 16Sa a
dita.
Velas..........As de c a 600 rs. por paco.e de saas ve-
las.
Descoatos.......O rebate de letras regulen 4e
9 a 10 |ier ecnto ao aaaa.
Fr.'ie-.......... Para Liverpool carregaaxaM
1 d. por libra s*m prisas** ;
carrejanJj aa Pa'abvaa ;-. a.
5 / ; e ern Mace. uvr-* */
pelo algudao.
MOflMEHT BO WKO
Navios entrados no da 28.
Ilha das Ilocas2 dias, patacho bra'ileiro Ji>m-
tao, de 283 toneladas, rapitac J"- Adelia ur-
neiro da Cunha, equipagem 8, em lasrro;
Henry Fosler A C.
Porto37 das, brigu portoyner Espramem, e>
180 toneladas, capilo Antonio Rodrigues Sara-
paio, ei|uipagem 15, carga viabo e ootros geoe-
ros; cunte Irmaa i\, C.
-29
Rio de Janeiro e Bahia3 dias, vapor fr
corre, de 1,271 toneladas, cominai
Maeseuet, equipagem til.
Obser carao.
Nao houveram sabidas e-ses dous das.
IDIT1IS.
Pela inspeegao da alfandega se faz paMsc,
que em virtude da portara da tbesoararia ae fa-
zeuda sob n. 140 horneas datado, precisa i
lar o concert de uma parle da eoberta 4a i
por cima do armazem n. 5, cojo oreaiaeDlo aa aa>
portancia de rs. 320*280 acha-se na laesma repar-
ligo, onde os pretendeutes o podi-ro eaaaaaar.
alirii de organizarem suas [impostas, rae de vern
ser wmrega.s em carta fechada i as t auras da
tarde do dia 10 de nnvembro pr<>xio.
E para aeatar se passa o prevale. 4*
da alfandega de Pernarnbuco 27 ds
1863.O 4* escripturario,
Joo de Assis Pereiri Roeaa.
u Dr. Trisio de Alencar Aranpe, ofEcial da rsaai
rial ordena da Rosa, e juiz de direi'o espenai i
commercio nesta cidade do Recife r.e ParaaaalH
co por Sua Magestade Imperial e f ni siilaiiana
o Sr. D. Pedro II a quem Dos guarde, ale.
Fago saber aos que o prsenle edilal vireaa
delle noliea tiverem, que no da 20 de
do crrenle anno, se lia de arrematar por veas
quem mais der em praga publica d'este jetea o
guinie :
Uma rasa terrea sita na travessa de Peiiet v
o numero olio, lendo na frenle porta e jaaeMBK
rotulas, com dezoito palmus de largara e
de I un do, com urna sala na frente, um uarlo ai
pequea sala de, detrar, com eosiaaa avallada-1
4:0ti0*000, a qual fora peahtirada por el
viuva e berdeiros de Jos Hygioo de Mir
ira Manoel Jos Teixeira Bastos, sedo di
Guimares & C
E nao havende langador que cubra a
avaliago a arremalago ser fe ila peso ,
adjudicagao na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimeito de
ILEGVELr


IMmo de'perfeMiiWnc" ^liufr.rftTrtt'W lHe*OntubTO fe !&.
mandei pas-ar o presente que ser publicado pela'
imprensa wfflxado nos lugares do coslurae.
Recite 23 de ouiubro de 1863.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Naseimento, es-
crivo, o subscrevi.
Tfislo de Aleo-car Araripft
IKLaliCttS.
.De ordem do Illm. Sr. engenheiro em chefe da
reparlieoo das obras publicas se faz publico i]iiu
concurso para o preenchimento das vagas de pra
ticantes desia reparlicao, ter lugar no dia 15 de
dezembro vindouro, as 10 horas da raanhaa.
Os exames versarao sobre lingua nacional,
abrangeudo a escripia, leilura e analyse gramma-
dsenho linear e de aquarella, arithmelic
MtWHU itASltEIIIA
DE
PAQJJTfS i UAPD-B. ,
"\ E' esperado dos portos do sul
^Ha.]*^. al o da 30 do corrente o vapor
Galgo, o qtial depois da -demora
do costume seguir para os por-
tos-do.nort-.
Desde i recebem-se passageiros e ansaja-se a
carga que o vapor poder conducir a quU dever
ser embarcada no dia de sua (-negada, encommen-
das e dinheiro.'fft*t o Mi sahida as 2 ho-
ras Hfltenota ra da Groz n. 1. escriptorio-de An-
nio Luiz deOliveira Azevedo & C.____________
S0MFA1WIA MftSIBRA
Ucal, d*.seiiho linear e de aquarella, antnmellca |)g
em todas as suas operares, e geometra linear, rki^rr-i^n 17'tTiYD
Os requerimentos para inscrpcao dos candida- *\(2U!i IJEjO r\ V Ai Uilo
tes devero ser apresenlados al o dra 13. e pode I Dos portos do norte e.-perado
rao ser instruidos com quaesquer documentos os | ._ I ^^ | 0 (j,a 31 do corrente o vapor
TocanUns, cominandante o pri-
meiro lente Pedro Hypoliti
Duarle, o qual depois da demora
do costume seguir-para os portos do sul.
De^dej recebem se fJassagelfs e engaja-se a
cargs. que o vapor potier cdnilzir, "a qual dever
ser embarrada *no dra de sua ehegada, encom-
raendas e dinheiro a frete at o da da sahida as
2 horas : aseada ra da Cruz n. 1, escriplorlo de
ttulos scientinVes que ahonem a capacldade tou
meamos candidatos.
Secietaria da reparticao das obras publicas 19
de outubro de 1865. ro impedimento do secre-
tario,
__________sloao Joaquim de -Siqueira Varc-jao.
Sania Casa da Misericordia
do Hecife.
Pela secretaria desta santa casa se faz publico Antonio LuTz de. Oliveira Azevedo & C.
que o hospi.al dos lasaros precisa de un coziuhei-1 TV r-~ D--m
ro : as pe*soas que pretenderen! exercer esseem- M .progo, devem dirtair-se ao lllm. Sr. mordumo de j g pom j^ung, pTra 8 indicados portos o
mez Antonio Jos Gomes do Correo, em sua resi- br escilna nacional Graciosa, admlliindo anda
dencia na cidade uova do Santo Amaro, ou ao le- rQa car(f0 a iraireoni Antonio de Almeda
g-nte do nm-miajiosplial Gomes, ra da Cruz n 23, primeiro andar.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re
Illia *de S, Miguel
Deseja-se saber noticias ou aonle reside o Sr.
Francisco Machado dos Santos, natural da cidade
de Pona Deluda da llha de S. Miguel, para se Ihe
entregar una eiicommenda de sua familia : na
cie 27 de outubro de 186a.
O oflBcial,
M moa! Antonio Viegas.
Sntft;\*(>sa da itisericordia
do ittBcil'c
A Illm-junta administrativa da Santa Casa de wo>P*o* *
Misericordia do Recite manda convidar as pessoas : { riirtl
que sequiz'rein enearregar da mi d'obra da ca-
nalisaco dejjaz no hospital redro II, que cumpa-
recam na sala das tasaSea da mesma junta no dia
2 de novembro prximo viodouro, pelas i horas da
Urde, alim de trataren! ilo ajuste, e nesta secreta-
ria se daro aos-pretendentes os esclarecimentos
necessarios.
Secretaria da Santa Csu da Misericordia do Re-
cife 77 de outubro Ue f36o.
O official,
Manoel Antonio Viega.
Santa tea d Misericordia do
Hecife.
O hiate Dous Irmaos :
Irmaos.
a tratar com Tasso
LEILAO
Dcmobilias, pianos, saactunrios, reio-
gios de ouro e prala, trastes avalsus
sendo camas francem, mai|uezas
largas e estrellas, ;ipp -wnioTes, mesa
elstica.
(Para fechar cantas de renda.)
Terr;a-feira 31 do corrente as 11 horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE'LES
DO AGENTE
OLYMPIO?
36lina daCaJeia^le Ueolie -3(i
Sexta-feira 3 de novembro as 11 horas, na
ra da Gade.a armazem n. 53.
pelo agente Euzebio
De duas casas terreas na llha do Retiro junto
a ponte grande da Passagem da Magdalena, com
frente para o rio, sao novas, taitas a moderna,
muilo frescas por ser do lado lo nasceute, tem
accoinmolacoas para familia numerosa, uTia prin-
cipalmenle que maior tendo gabinete, alm de
quintal murado ha mais ierren i aproveitavel para
baixa de capim : os p^olendellle^ qaeiram anteci-
par-sea ir examinar, o tempo proprio do gozar-
se dos banlios, das 4 as 6 horas da tarde ealarao
abenas para assim presiar-se a quem quizer fazer
boa acquisicao.
Iil]IJL\0
De un rabriolet americano, novo, de
4 ril;>s com assentos para l e 4 p"s-
soas poilendo ser puchado por um ou
dous cavaliov
Sexta-feira 3 de novembro a 1 hora em
ponto na prac-i do comraercio.-
Henrv Forster A C.'tJro leilao por iut^rvencao
do agente Pinto e por coma e risco de nuera'per-
tencer do cabriok-t cima mencionado ultimamen-
corrente a urna
CURSO ESPECIAL
DE
PAEPARATORIOS
para os estudiantes que devem
faew co em rarco.
Jos Sutes ifte.'iraevedo, professor -de
lingua e liiteratura nacional no Gymnasio
ProvincUI do Recife, tem aberto ero sui ca-
sa, ra'Bella n 37, um curso especial dos
seguintes preparatorios, para aquelles estu-: 109000.
CASA DA FORIflSi
Aos 6:000^000.
Uilhetes garantidos.
A' RA 1)0 CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
0"abaixoassignadovendeu uosseus muilofeli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabot
de extrahir, a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguintes premios :
Um nieio n. 2155 com a sorte de 6:000,6000.
Tres quintos n 1604 com a sorte de 1:2005.
Um inleiro o. 1163 com a sorte de 5005000.
E outras muitas sortes de 1005, 405, 205 e
{ASA BE BANHOS.
Ra rfa Cruz n. 17.
A abaixo a-signada, lera a honra de
jfy participar ao pubhco q .^y rmenlo aciina un nejr nndo, acha-s h>yi
flK func-ionando muiio r^inlarin^riie, ar>- ^
^6 vido d>- lodas as arconimidr;(>>eeesa- gg
>&> ras e sobr* Indo com alguna limp<^a. m
W< Os .arloes lirmados por m-o antera- ^
\ sores Cedriin A 'i serao fe.-olmlos al o 1
dantes que ttverem de fazer exama em
margo prximo :
Llns-ua Franceza
Gcographia e Historia
l'hilosoplila
Rhetorica e Potica
As pessoas qu i se quizerem utilisar desta
vaotagem, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, de manhia at as 9 horas, e de
tarde a qualquer hora.__________*
T* 'i 777,1 3tT Dn,^l le despachado, sexia-feira 3, do corre
Llll'-ia re^Ular lio JjraSll* hora em ponto rwpraca do ivWrcio.
__ > .... k ----- n.i i HT..I. n^^-^Mn aJ tTAurlar'i une
E-pera-scrlo Havre R galera Sol
ferino, ao fr.-le de 23 10 Io- Rece-
be carga para o Havre a fretes tora-
ios : a ti atar com os consignatarios
Ti sset-f reres.
Para Lisboa
pahira' com brevital" o brisue portnguez tCons-
tante !!, rece'i'. earga n Ir!! 6 passageiro*, para
Nesta mesma occaso vender" uns arreios de
metal principe para um cavallo de cabriolet.
misos armaos.
Os Srs. assignantes desle Diario, que
osTo^'tenTweleSre" co-nmoi'^rtraia^ cm se achara em debito das respectivas assig-
A Illm* jema aiminisirativa da Santa Ca-a de HaDoel Ignacio-de Oliveira Pllho. no largo do Cor- naturas, queiram mandar realisar 0 paga-.
Wa-ateordia do Recita manda fazer publico que no p0 grDtu D_ jo^ escriplono.
dra 8 de novembro prximo vindouro, pelas 4 ho- rOMPAN'HU PBRVAM13UCANA
ras datardf.-rra sala da-^ saa< ?es?o;s, contrata o
ornecunento de 10-a mllieir is de tijolo de la-
dnlho paia a obra da casi da ra da Cloria.
Os pretenderles d-vem ft|iresenlar-se rom suas
propostas em otftt fechda, no referido lugar, no
da e Hora aprasados.
Secretaria da Snnta Casa de Misericordia do He-
cife 27 de oulubro de 1863.
O offlcial,
Manoel Antonio Viegas.
tfavespeo eosteira por vapor.
.Ma;ei e escalas.
ment les que moram fora desta cidade, tenham
a bondade de dar aviso de uuaes sejam
aqui os seus ooriespon4entes, aim de ser
solicitado esse pagamento dos mesmos, a
KJTJSJ t SPS quem*r5o ordem pan. isto, vis^ coo
as 5 oras da larde, um dos va
pores da compauhia. I'.ecrber
UMrga at o da 30. Encorarnt-n-
das, passageiros e drnhero a fre-
s da lar-le do dia da sahida : es-
alguns pretextain a falta'dessa ordem.
Sociedade de seguros mu-
tuo ^ sobre a vida
fundada e admiui'trada pelo banco allianija, no
Porto. Nenhoma das companhias e^islmi s pode-
r offerec-r aos seos aaaocladoi garanta* cono as
que Ihes offerece a Prevident?, que sao rs........
40:000:0005, capital do banco allianca, que na
conformidade do artigo dos estatutos desta socieda-
de responsavel para cota os seus socios pe i boa
administraco da sua gerencia, bem assim por to-
dos os seus empregados e representante*. Ras ca-
sas dos Srs. Marques Barros & C e Joao Carlos
Coelhida Silva se d,io gratis os projeetos e esta-
tutos desta compinhia, como ipaesquer eselareci-
menlos relativos a mesma in-iiiuigio.____
Precisa-se da qnantia de 5005 a OTO, dan-
do-sc garaniia : quem quizer annuncie para ser
procurad.). ________________
Precisa se de 1205 a juros : na botina do pa-
teo do Carmo se dir quem precisa. ______
Attenfro.
Precisa se arrendar u;n rancno njae tmln casa
para mirada e hia CSifltp ni : quem liver dirija-se
a ra Uireila loja de ourv.vs di Aminc) Irmj,
que achara com quem tratar_________________
>*%
Ospossuidores podem vir receber seus respec- ^
tivos premios sernos descontos das leis na Casa jgR
da Koriuna ra do Crespo n. 23. tt
Acham-se a venda os da 3' parte da 5" lote- *g
ra (37*J beneticio da Sania Casa da Misericor- ^l
dia, que se extrahir sald.ado 4 de novembro. fE
prei;o.
Bilhetes.....65000
Meios......35000 *
Quintos.....15200 g
Para as pessoas ijue comprarrm df-105000 ^
para cima.
Bilhetes.....35500
Meios......25750
Quintos.....15100
Hanobl Martims Fiuza.
Ufferece-se um mofo para coziohoiro: na ra
do Forte u. 30._____________________________
Precisase de ora caixeiro de 12 annos de
idade para taberna, com praiica ou sem ella : no
paleo da nbeira '.- 23.
Notas do banco do Brasil e das caixas filiaes
desconlam-se na ivavvs-a das Crnz.-s n. 8.
Aluiza-se a ca-a terrea n.3'J na ra da Uniiio:
"---^Precisa^siFde dous trabalhadofes de nadara,
que entendam perfeitamenlfl do fabrico
hilacha : na padaria da ra dos
a^harao com quem tratar.
Precisa-se de una ama que saina eotinhar
para pouca familia : na ra nova de Santa Rita
numero 17.
meado do m--i rte' ni ul.ro ndioro, os da I
csa tero a firma da abaixo as-i^nada, &
e. Bfria como d'anifs tranrris;-iviis.
Tabella dos prrras.
1 asalfnaton measal rom di.-eito
a um banho diario a 321) rs.. 956W
i dita de 30 cirioes irawaana-
veisa360rs................ tO***)
1|2 dita de 15 ditos a 4xa)
1 banho avulso, :norno ou rk> >u
di- ebovtseo................. 500
1 dilo aromalisado rom ?gna flo-
rida........................ I5
0< mediciuaes serio pel preeo qiie ?e
convencionar:
U eslabelecimenlo estar:.' aborto nr 1
^ Jias uteis das 6 da niaiib.a N l'J ta noile 9
e nos das santificados al i hi>rs Ja fr- j
de, havedo ehegada de vapor estara' \
aberto por mai.- aHma t^mi.o.
Maihihle ij. Le***.
I
s
m
Joiquim LnizTie:ra decan que Heunque
Francisco de Mora es lo \ou de ser seu eagceirt
desde o dia 11 de srtembr., o rffte faz publico pa
ra que tim.'iWTii serhami a gftrarjela em qual-
quea tmpo.
Sanln casa da iisertcardia do
Kec.fe.
De ordem da Illm' juoia administrativa convido
aos prenles ou interessados ua entrada das meni-:
ns, abaixo declaradas, para o collegio das or-
pfeaas, a apresenta-las em dito collegio do 1" de
novembro vinaoaro em d.ant-^ :
Isabel, lilna de Archangela Bernardina.
Atonu, tilliade Diogo Meares de Albuquerque.
Rosa, lilna de Jos Alves Barbosa.
Sezaria e GailhermiB, eaiiadase Mara Jinuana
rii C-mceico.
Fi'miaa, niha de Francis;a Silvina de Barros.
Emilia, lilna do Dr. Francisco Jos Fernn les i-
urana.
Jl-an pela, liiha de lUnoela Mara do
Sauto.
EiBrietina, lilhadeFrancelina Mana Gorges.
Urna l'nilomma, BWmw de Alexandnua Pereira
de Souza
Antonia, Bina de Matcolina Fraucisca
Monona, Blha de Lean iraloixeira de Jess barros.
A-.nJe., lillia de Mana da Luz.
Mina, sobrinha de Manee1 Po da Luz.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 3 de outubro de 1855
, O official,
Manoel Amonio Viegas.

criptorio no Forte do Mallos n. 1.
mu illli.r*'" .-'*
LE!L\
Be nina (tbenN nos (oelhos.
rsoj.
Legalmente antorisadn o agente Pestaa tara
leilo i ir coma e risco de quem oeriencer da
maco, gneros e oteocilios existentes
Club pernambucauo
Precisa-se de ara caixeiro que tenha al-
guma pratica de jogo de nilliar : a tratar
com o empresario.__________________
LOTERA
AOS 6:000*000,1:200^000
e 500^000.
BILHETES A' K-5000, MEIOS A' *S03 E
QUINTOS A' 15001.
'.nrre s*lnad< 4 #e w&toldb*.
Acham-se venda na respetiva t!>eson-
Precisa-se de nma
casa de pouca familia, na
2o andar.
criada portogupia, par
ra do Imperador n. 4J
AaI*M
Cozera-se saceos paraassucar por machina
ra do Pilar n. 28.
Cylindros amcricinns
Ainda existem i de resto: na ra
reita n. 8i, padaria. ___________
gj
I
i
m AGRKllLTOSES
Ua-se e terreno nec>->>arin qo-in quinr fin-
car um enfeabo para defrwto-l i aadH aan qu^
se couveiiciouar, no lupar d-'n ni.in ido lUI-at*-.
enias trras sao de urna prod r.. prodri--s-a, e
le pin e lira distant-rr.eia i-po, |.or u n 'ad._>. da i-dt.nia
Qoarteis n. 16 ; de Pioi^oieiras, por uutro, a i- nw^u M 'jpo^i
| ras, e rj*rra de Imoi pM da- puaaa(irj de 5
Benedicta < Pan-ilas ou T.-rra \ i : tm a^BB
referidos povo'tloa ha letrM r- nlar.s i rento dias da semana, aaxle a. i >;it lm- r*eor-
sos e se enconirarn mer. adds |.ara a.- iiirer?s> es-
pecii'- Je negocios, alera da grawk f.-ira -U: Trom-
betas, eslafio terminal da vra frr -.. d-i qual o
lerreno menefofeado di.-ta irada nal, rujas nargens rso i:uariieci.l* A,
moradora e hiendas rura<-, qm turnara o iraa-
siio nimianente agralavel : qu.m quizar lucrar
de cinco a mas folhn- da urna planta de ranea
iwdera contratar e.-te negocio na ra .treita do
Rosario n. 28.

na
Di-
LEIL10
>ii>5iImI de Porngal
Sao convidados os seutiores ere lores do finado
sab la i portu/ue Pirraino Pacheco Gon is, e dos
aus^ntis Antunin Jos Vuira I3ra;a e Joao Han el
Alv.-s d- Az-wdo, a ir n r eber n sle c m-ulado
o qo- Utos teca em raieio na Tiquidagao do espolio,
a iuissjs rev>-ctlvas. ___________
CORREIO.
O Sr. Domingos Jos de Parias qu"ira dirigir-se
a rcparti'cao do eanreia ailm <\ r^cdier iimi caria.
lioTiii) fiEKVL
Pela administraco do correio des cidade se
faz publico que em virtode da conven;ao postal
celebrada pelos governo^ brasiteiro e frauc-z, sero
expedidas malas para Europa no dia 30 do corren-
ta mea pelo vapor tancet Navarre.
As carias ser.o receidas a as 2 horas antes
na taberna
isiu nos Coelhos em um ou mus lotes : spgcfnda-
Esplfito [eir 30 do crremeP3tas 10 horas da manha na rana a ra do Ue>[)0 tt. 15, OS neles,
mesma taberna. _______________ meins e qiliiit'is da 3a parte da .)' lotera
^ (37ai a bnelicio da S-nla Casa da Mis ri-
cordia. 'nja extraeco sera no logar e hora
Guma- Deiim uilaliiihiHle h.Ria figara mu- rJocos*ioae.
10 pro|iri p un p;ciCi. Os premios de r,.000,Mo ate IflP
tuau'z doseseravos cima pertencen.es ao espolio te ate a noiteda vespora da ewaccao.
de Mano-d lose Soares Guimares. O ftsOUTlfiro,
Terga-feira M do corrente. Antonio Jos Uo L'iirn > de sm a.
Defronte da Associaeao Coramercial, ay 11 horaa. I -^,^5 nim",-,,, ^ .T^inhar
: bem a comprar : a tratar ha rita 1 Plr-> n. 2L
Perguuia-se ao Illm. Sr. jmz da irmanflade
das almas da matriz da I) 1a-Vista Antonio de Pa-
nas Braudao Cor leiro, se anda est no firme pro-
posito de nao
mesa, no um Irmao.
anerer presid
mesa, no idir
ro
a eletcao da nova i tubro d iROo.
Juc l/.iloro M utins agente de leudes
tem seu ere iptorio a ra da Cadeia do He-
cife n. 9, onde pode ser procurado das 9
horas da manliaa as i da Urde.
O abaixo assiguado declara que comproo a
padaria sin ta ra do Montego n. 47. ao Sr. Car
valtio d Matis re e dejftmbaragMa. Recife 26
de outubro de 1863.
Francisco Pereira L bre.
~ GaTtherme Joiquira da Silva Braga7 aluga a
casa da ra da Airrora n. o : quem pretende-la
pode dirigir-se a mesma que achara com quem
traiar._________________________
ffva Antones v IrmSe participara ao publi-
co qne o Sr. Antonio Jos Loureiro desta dala envl
diante nao mais sen caixeiro. Recife 23 de ou-
isto deseja srtier
I i'rec rafter o :*rv4o 4itiM-o (te casa de pouca farcilin,
menos engomrnar : wa ruwPTeita, loja n. 47. _
Trooa-ae por na 1 negra qne tenha bonita fi-
gura e queseja boa quitan lein e coznheira, nma
mulata que ose, en-aboa, cozlnh i o diario de nma
HM a ew[>lW*i vtjn i< fw-i h sa para cftnnpr* : m] i"ii n< lti.i-r-.fi/. n. i.
~ Offerer,*-*! wm! nWBiir d h n c nnw.i 1 fftra
ama Je Wdo servio a MM nl oati a ca-
Qeia nova junto ao n. 9.
Aluga ^e o" sitio d >s Boritis, na estrada do
Arraial : na ra do Ranget n. i.
Dentista de reniinnbucol
tiua estreila do p,t>>n-i'> n. .1, %?:
B ao pe da i?reja
frascisco pnrr ozcuc
S t'oiloca denle ortlei-te :,
Es* pelo ty*iemas m?tsmn- &[
M demns
Emprega lo.|-.s o- meios i- i.lifh-os (>ra 9
conservar oaBatnraef. P-ie >vf pra
do ern -en gatrfnete das 'i turas da
nbaa as 3 da urde.
M
....
Mi
iv -i-a se
Aur .ra n M.
-
do um i- on o i. i
Precisa se de um f.-meiro para a padaria dos
Aplprjcos : n traiar na mesma.
Leilao de predios^
Sen lo duas grandes e elegantes casas terreas de
pedra e"fial bem construidas e modernas, sitas na ;
travesea da Poote de Unhoa para Santa Amia, a
margem do ameno ri.i Cipibaribe, em chaos pro-
prios, com grandes -alas, j.tnellas no oilSo, quar-
tos, um grande Sdtn com 2 qnartos em urna del-
las, cosinha, coeheiras, estribaras, maitos arvore-']
dos e baixa para oapim, cacimba com muilo boa
agua para beber.
Urna meia agua n 4 defnnte do arsenal de ma-
rioha com frente para a roa da Guia.
um sobrado de 2 andares e soto n. 44 na ra
da Assampieao fterreno proprio.)
Una meia >gua n. I no b eco do Calabouce
C. Lomp, snlj.iii franc- z, v-.i para E
~"SypihtO ScJhafflT vi pv F.;ro;n.
Jan
Udilleau, franceza, vai a Euiupa.
lh;:awa raiNGStC
?;i de Ca-po Mlfi'> 9.
Eo iiromptos.parj serera destribido
Srs. astnj.T,iantes, vino- exemplare
Varilla cstos
ftxaijae
aos
de
E l'IHXTASIAS.
(ler-
da que for marcada para a sanida do vapor, e os reno proprio) rende 83 por mez.
es at tres horas sutes.
Administraco doCrreio de Pernambuco 21 de
oututiro de 1S63.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
EMPREZA-JOIiOaA
Ten?a-feira 31 de outubro
de 1865.
Representir-se-ha o In-r'-santo e magnifico
drama em i actos,ornado de musiea
AS RECORDAQOES
Terca-feira 3 de uutubro,
O agente Martins tara leilao dbro a competente
autorisacaodos preJios cima defionte da Assoca-.
cao Commercial, as 11 horas.________________
Leilfto
l)c um cscravo moco.
Terca-feira 31 do corrmte. ]
Pelo agente Martins, de fronte ua Associaeao
Commercial, as 11 horas.
De movr e eseravos
Cordeiro lines
por conta e risco de quem pertenecr. fara' leilao
"o, 1 guarda vestido, I
Gfraudes melhcras
llfeHMrn ;i:6iioail-Way NfYork.
E-las machinas sao construidas p->r um novo
svsiema, / com muias e importantes melhoras, e
sndi examinadas por habis peritos for.un ftlga-
das de umtna prfficSo. A agoili.a lllreita e cose
perpendicdbrmnte, rom o ponfo de tacada, que. se
nao desmancha, nem cmlmraca eque igual de
ambos o? lados: faz costuras perfeilas em tola a
'quanflade de teABo-, desden cur. at I mais Tina
rambraia. tendo (los de algoflao, de #Ba on de li-
vthe, iBidft mais gTo-so al o nnis delgudo. Bo-
no nao tem rodas dentadas, por se ler i-viialo a
menor atrito p .ssivel, trahallia com faeilid'ile e e,
em eonlrarcao-UMA MACHblA QUE NAO FAZ
IR-IDO ALGTJM
T. J. Me. ARTHCR & C, fabricantes e. foprt
tnnos int casa snpra.
Precisa-se de tima ama para andar com urna
menina : na ra da Imperatnz v. 34, primeirc
andar. -______________
Na nn Imperial n 160 existe para
ser alagada por commodo preeo, urna casa
nova com 'i salas, 3 qnutos, cosinha fora.
quintal mnito grande morado, com um
grande lelheiro, enm pnrSo e cacimba: a
tratar na mesm ra n. vil ou na roa l>-
reita n. 84, padaria.
Precisa-se do orna casa c m sitio ou
sem elle, perto da cidade, para um estran-
,'eiro : ni na do Trapiche n. 10.
Associaclo ponnnerciai l>e-
ueficente de Pernambuco.
Tendo chegndo ao conherimentoda direcgo des-
ta associ^oai que se prelend contratar o estabele
cimento de doca^ do caes do Ramos at a Caban
ga,convidos sebores asociados a serenoirem
em easio extraordinaria de assembla geral no
da 3 de novembro prximo viodouro, ao meto
dia, alim de se di-.-uiir o que aj conveniente
ao coraraerciu Je.-t'a praca.
Associaeao Commercial Beneflcente de Pernam-
buco 28 de outubro de 18(53.
O secretario,
Candido '.. G. Alcufurado.
Aluga-se una ra-a rom run
rnia, na roa da Maagueira n. 8 : a M i
da Qui ni. ido n. ->8.
Ai!l"a ie OH I > ''aj*. BvTW
dos para familia, w b -m MI ha. 11 i
i n i, : a tratar na ra la n. 54._____________
Amonio Demetrio da Silva Laraajm
entente do Par e.-ia i I id
liquidar o- seu* ti^zori s, vwa -n i-1 o. 67 .-ila n i rui !> Pil
portas, e o seu sobrado sito na ra de S. li
defrOUa d- S. Pedro WMM, eti i;'n.!a : .. ir.I r
ni ra do Imp-rador, escrtptorio J- Qa* ii iKi-
bt-ux.__________ ______
Aiuga-se a ngwMla casa I isa J- ro a
illi;. do Relir >, tem "o;.i fora r,.:,. ,
f-iro : a iraiar roa Sifttel J-icipi m da I
roa da Cadeia n. 12
Aluga-se o sepnri lo andar da r\-a m. 33 sita
na ra da Guia : a tratar na ra da (...lea d. Vi.
cgunju andar._________________

naiiflc arfflizfiR tlf tintas.
RA im MPERADOR N. 22.
O annazeTn de tintas c um grande deposito fle
productos chimcos utensis e os mais empreados
e usados napbarmacia, pintura, photographia.tln-
Precisa-se
fallar com os senhores abaixo declarados, ou com
pessoa que os represente ne>ia cidade :
Antonio Fe nand-s Ram i- *e Ohvea.
Francisco Ferrein d AndrHe.
Amonio Borges G ilvao Uc.hoa.
Bernardlno Domingnes Horeiht.
Francisco Jos de Almeda.
Manoel Petes Campello Jacome de Gouveia.
Francisco Antonio da Cosa.
Joaquim Jo< Ferreira (llarreiros),
los Mana Ribeiro (Goiauna)
Pedro Jos de Mello Costa.
O directorio do iartiV) liben*, mfda ce-
letorar, no prximo dia de finados, cavno de
eostome, um intrienin r*fn-ip em fmffra?io
ao tinado dezembargalor Joaquim Nones Ma-
Miado e Seos crrmrianheiros Se martyrio na
reTOlnco de 1848; e para esse acto, qee'de-
ver ler lugar pelas 8 horas da manhaa
Taquale dia na matriz de Santo Antonio, on-
fle boje se aeliam os re.-los mertaes d'aqueile
divnelo Pernambuc-no, convidam se quai-
tos queiram ler parle nessa homenagem
estada memoria d'aqueile- martyrjs.
turara, pyrotechini.;l'ogos de artificio) eem outras Jos ||arttn .\0gu-ira de Mello.
indiMMtas. Jos Luiz de SiqueiraCavalcanli.
Montado e grande escala,* suipriudo-* m- Antonio Germino Alves da Silva,
remarme** pifriciM#?dr|p*i-i;iSVffaris,I.ns- Queiram anuum-iar onde podem ser procurados,
dres.lambnrgo, Anwrse I.Hibea, pode olTerecesr |na fleixe,n caru Ileta typographia com as ioiciaes
pr
Recife, 30 de outubro de 1865.
O 1
Antonio Jos
rea no
r-i
Costa Ribeiro.
D. Adelaide
D. Canina.
D. Leopoldina
O. .1 .amia.
D. Jesuina.
P. Joaquim.
Lisbja.
Guimares.
Amoedo
Porto.
WJMaP'HBBBM.
Noeaia, bordadeira...............
Olympia,escudeira do Heppodroiio.
Bernardina, lavadeira de roupa
fina........................
A Sr.a HoisreloH................
A S.' Durandcan...............
Monsst. 31 annos..........-
Robin ai, es-revente de tabdlio.
Ose, ir Rnpilon, estndante de me-
liciaa.......................
Pauw lenard, advocado.........
Grenoueliei, dono de nm caf-----
Miguel, criado de ara caf........ T.*xera.
O comiiiandanle................ -finte.
Bewmv....................... Penoto.
Jolivet...................... ?rRe5A
Alberto....................... Santa Rosa.
Um criado..................... Augusto.
Honeo-, multieres, treguez-s do cafe, amigos
de ambos os sexos, cjnvi lid >s etc., etc.
A se na passa-se em Pars durante ys 3 primei-
ros Bci-K e (i 4 em Montpellier.
Dai-i' Bm o especiac.i o com urna das rnelhores
comedias Ho repertorio.
Comeear as 8 horas.
de nma mobilia de amare
guarda roupa, 1 saneluario de Jacaranda', 1 cofre
de ferro, commodas, marquezas. cadeiras, eonso-
los, mesas, eadetras do balanco, camas francesas, _. n^fciwnl
touoadores, nieiro-i, bandejas, apnarelli is de jan-; -_- {J (jlUO |jOIQ1I1OTORIIj
tar e almoQi.candelal.ro, candieiios a gas, garra-1 ~-^ -- Afl
fas, espelhos, co,ios. clices etc., ete Na mesma SeilllO tOi'Cl'lO ft teFOTotr O*
occaso vender..' um escravo crioulo de 20 anuos v,
de dade, isto \ seus divertimentos, em con-1
Terca-feira 3'as l horas. loominnoia rlp hnvpr kBO^^TiB^JVu^\Bt^'tl^^m
No armazem a ra da Cruz n. 57. OCHUrJIlbld UC JJ1 o a.a.jv -^.^^^ ^ |l ]vm< ow9, e esteobo em fo
P.S. O m-Mili a.'ente pelea tolos os seos co-, nriAm inarpi :|1 RftllOllCfiH- lte5 ** vfrias res-, limas *egetaes raolfcn^i-
mitenles e amigos o favor de viren saldar suas CiaQUO L.OIIlIIltl tltll JJCUCUUCn. ws .pMpraB ptra Mnwiail iaa de coree, e
contis aleo flm do Rtet vl:to querer fechar as \. nmr\nv\f]a n 6Ui MI illlfi olhos de vidros para imagens; limas em ti
W (jUUipitlUU ti tc?ci culi auu lola. para relralos; tintasem pastis
prodoctos de plena confianza esatisfazer qualquer
' encommenda a grosso trato ea retalho, porprecos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropnadas ^alrars
' com promptldao qiralqn?r pedido de tintas mera
a oleo, cuja tjualidadoe pirera de seus ingredien-
tes poder* ser examinada pelo consumidor, o ane
no fcil fazer com aquellas i|ue sao importad is,
e que se enenntram no mercado em latas Fechadas
\ Tem grande collecco de vi*r..s de difireme;
formatos, desde urna oiRiva at dezeseis rmea* de
capacidade ; de vidro? para vtdracas e diamante-
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira od
Tt.n-wd*de a iros; Hppeis dourados e pra-
peados e folhas de gelatina fiara ornamento; de
papel crande e pequeno frmalo de vanas cores
para embrulho, para forro de rasa, para deoenho
com fundo feito; de papel albuniinado l,e Brisu
veiiladeiro saxe para phoiogfaphra e para filtrar,
e oulros ; vernzs de essencia para quadros, dt
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
iwior ; oleo graxo, oleo seccatiYo, oleo de linhar;a
Precisa-se alugar um pn;o qn- >-|i p^-ai-
te : ua ra do Rang. I n. 0.
Alnga-se urna ca-a em BebehLe : a
com J. I. de M. RegB-
MOM*&* : '*
DR. t:\s.\M >v \ ^
pode ser procorado a qjoi [>>' Ir
ra em seu coosoltoro ii m\>- 'S
;* .hico, largo da m triz -le S .ntn km- i*.
i
%
lo ao g
lora ^K
contas at o fim do corrente mez.
LEILAO
fuucciona o raesmo
..- para relralos; unas em pwsiei* e em p pa-
Clu') ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
. rolv. jasmim, bergamota, aspice, patchouly;mbar,
li*ocnhrAll d'tr fl 411H llltlTTll bou'quet,limo, alcaraiva.melissa, orteiaa pimenta,
-reSOlVtll |ouroiCereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
de novembro prximo vin-
douro. -
0 secretario,
Francisco Lvfcio de Castro
Joan Pedro das Neces,
Gerente.
5 acedes do !Sovo Barato de pernsra
,." Innrtlflq 1151 TlOltP 00 da 4 auis da Russia, canella, cravo e minios otitros ob-
WUC. ... pailUl'i Ud UU1LC UU Uici i ,osquescom ., vim pnderao ser mostrados.
15 aftas da caixa fiiial lo Bawo do
Brasil.
Cordetro Slmes
a mandado do'lllm. Sr. Dr. juiz de direito especial
do commercio, levara' novamnte a leilao as accoes
cima mencionadas, perteneentes a massa fallida
de GuMherme Carvalho & C, servinrto de *a!e a
Offerta ubtrda no leilao do dia 26 do corrente, isto
Terca-feira 34 do corrente
as 11 horas em ponto, no armazem da roa da
Cruz n. 57.
t
f!S8S rfLLimMGS.
PARA O
Rio de Janeiro
LEILAO
DE
a requerimento dosadmirri-tratores da 1:as--aT.il-
lida de M'giiel Comps da"Sflvn e mandado rtoTtlm.
hrav lade o nalhabote !*- & I**- m fttrei") ^^ial do omm-rcio leva
nrevuaae^ o^painapoie novanOTltfi s -rrtia os 5 tiiulosde dividas ni
Di Pi)I\
rirpi.-n 'e egair com mulla
S Sft s:S Vf.vr55a5 JusrssiSMaK ^eien^tes t^ ^:r^^;\
?*'i^:.^lI^..l*l^lV^Za^ massa serv.ndo de ba-o a offerta Obtda no leilao
O abaixo assignaJo, tmdo de reiirar-s- para a
Europa, e nao podendo pessiaimenle rtespedir-se
dos seus amigos, o fiz por este meio, agradeciendo
tantos e inequvocos obsequios que Ihe despensa-
ram durante a sea demora de-la cidade. ; pelo que
ser sempre grato, e ambeeiona occaso para po-
der provar-lhes o sen vlvo reconbecimento, para o
que e-pera na cidade itn Porto as ordens do< mes-
mos senhores que o queiram honrar com -js sens
ser vicos.
Jo' Antonio Pinto da Rocha.
Fugio no da 18 do corrente
crioulo de nome Elias, mor;>, ce ho n
(rete, nara o qnaes
ito
u3a tm exeellenies commodos,
trata se com os seus consignatarios Antonio Luiz d^rrt0Xr^'li
de Oliveira AzeveJo & C, no seo escriptorlo rna erca-ietra l
da Croz n. I. I No armazem a roa da Cruz n. 57.
Terca-feira 31 do corrente s 11 horas.
um escravo
orpo, falla
falta de dou s denles na
quem o aprehender p-
frente c os ps grosaos
de conduzr ao eogenln Japnrandutia, que sera
pago, ou no Recife ao Sr. dese'nbargadar Alvaro
Rarbalho Ucha Cavalcanti.
MISS E XftROPE
BERTHE
COM CODEINA
Preconizado por todos os mdicos contra
as Defluxos, a rippa e todas as Irritacoes
lo veito.
AVISO
Fa'.sificacSes reprchensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da lassa de Berth,
b obftgao a recordar que esses ^rodtetos
tao justamente
nomedos n3o se
entrego senao em
bocetas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. *"-*. **
151, ru Saint-Eonori, na pharmacu do
t.liVRB, e em todas as pharmacias.
Nn memo conaaMorM i
pre me-li'-aiipoit .s em tii-nr/s *~
glbulos em carteiras e avnl/os i
Gatellad tWeber 8 muito em rnti.
FOOO DO \R.
No armazem da I. da a-narel i. :.. wMtm .
creUria da poMa, WIWW ^nrr.tnmrB-la* de
Ofo do ar para deniro e IfVra da iir..vmn-
Offerece se urna ama para ra*a de piuca fa-
milia : na ra do Au.orim n. 20.
O Dr. Carolino Erat.ri-. .S.a-J|
los contina a morar na rw da impera-
_ dor n. 17, segundo and;ir -e j
% gabinete de ronMillas logo ao g
S# entrar, no primer-..
*y O mismo doutor, que s? I- m dado ao
Wf estodn tanto da- opttWfim roim. d-s
mh leslia inleroa, prwda -e a qml^er
inado, quer para deuiro par para lora
.. 3 da cidade. JR
Preci>a-*e alagar :.ma eserava 'i .*a*a co-
zinhar bem e comprar : a traiar M rua cta Crnz
n. ?6 pr>miro jindar.___________
Alugam-se dua ca*as na pov.>ar> do M"-
teiro a marpem fl rio. m qoaej .-i [-miadas U
freso >. e lem Loas rMsaMtfM : i traiar aa rua do
Crespo e.-quina u. 2(1____ ___
LBTI rFJW,
O abaixo Mdmad fai pnh v-< tfi* p-1 n ana
letra de nu areite, mu i a por ->. .An-lr*. 4
C, em 2S Me marro a sei- meata de praaa, da
qoanlia de r* r.,3*>i37.';.i. coja Hra M aaajayla
abaito aasignao aos -..ea.i .r-, i Ni *>
recibo dos mesmo=, qu.; tem em sen aaVf; e p.
laso nada val, pelo .pie araMM i"* "iWiiiaa va-
lor tera qualquer tran-c.o cjue M>r ventura al-
gOem que a achar leu; i.zer e m dra I.-ir.
Apolim.-.io Liberato o* Mella.
~~Precsa-se de om criado : a filiar rom al-
ente-coronel Rarata na>1w das Tiinr-ira* n. 3fi.
__ Aluga se minio (i ovota n rua
Precisase de una ama para urna casa de ^e S. Benn, defr ale .le I. Pe lio Veii... em Olimla
pouca familia, que sainacoziohar, lavar e engom concertado e pintado de novo, im miiit..* reaaaw-
mar, e que compre na rua : quem estiver ue-tas Q, t |l0n) quintal, muilo freso e 6c ner'e no
condicoe?, dirija-se a llha dos Hato, rua da Sauda- harrao: a Iraiar na rua do Iinu-ra.iT esi-rlftariode
de, casa n. 1, por iraz da una casa do gymna-i Claudio Dubeux.____________\_______.
Deseja-se tallar ao Sr. Andr Olas
los a ftngorio qu nao Ignori-r,
numero 17.
T. C. S.
Precisase de un ama qne aaiba cozinhar e
comprar bem : a tratar na rua do Queimado n.
22 leja._________________________________
Ama.
No armazem de fazendas na rua da Imperalriz
n. S se precisa de urna ama para cozinhar e com-
prar.
[mndate das almas erecta na matriz do SS. Sa-
crainoulo da (refMlU da Hoa-Visla.
Por aulorisacao da mesa regedora convido a to-
dos os nossos irmaos atim de que se digaem rom-
i parecer no da Io de novembro, pelas 10 horas da
i manha, no consistorio da mesma matriz, afim de
em mesa geral se proceder a eleicao da nova ms.-a
que lera ue reger uo anno de 186o a 1866, c imo
determina os rticos 2 e 2o doomproii.isso eme
rege esta irmandade.
Consisiorio da irmandade das Almas na malriz
da Boa-Vista 27 de outubro de 1865.
Manoel D. da Silva Jnior
Escrivao. _________
No pateo da Paz n. 68, nos Afosados, preci-
sa-sedetimaanijiparaca'Sj^^ famiPa.
No paleo do Terco n. 4i precisa-so alu-ar
tuna escrava que saiba fazer todo o-servico, para
asa de familia, paga-se bem com tanto que seja
boa ascrava.______________________
Amonio Jo- Loureiro declara ao corpo do
commercio que deixou de ser caixeiro do Sr. Silva
Anlunes & Irmaos, e agradece aos mesmos senho-
res o bom tratamento durante o tempo que esteve
em sua casa.
dos Nan- (
na rua da P.oda
A casa terrea da rua :le Heras n. 89 forei-
ra ; aviso a quem arrematar. ______

Os arrematantes da massa MFta <*' J-a-iuira
Vieira Coelho i C prev.nera r **!
20S~a premio de dons por cento res para que no praso .le :k> das yenham ..u man-
raz : na rua da Sen- dem pagar o que e-i.io d^vend.. a mesnaa at*Hay
na rua da C.d-'i.. do ReeiTe n :!. e dito
~ praso,. s qne nao pagaTem, lea de v.-r *>* aj'-
com hvpotheca em bens de
iala Velha n. 9i se dir quem d.

Joaquim Ferreira Val', nte, nao podando des- mes u||,(;n(llJ, )1(,| nari0t e . nedir-se de todos os seus amigos pela presteza fle ,)ranca judicialmente. Recife 5 de outubr.
stia viagem, approveita este meio para
ferecen'do-lhes seu fraco presumo em Portugal, on-
de vai rezidir por alum tempo.
Recife, 29 de oulunwi de 1865.______________
Toma-se 2:200^\uros com pequeo prazo
dando-se por seguranca cinc eseravos de subida
valor : quem os quizer lar annuncie para ser
procurado.
18G3.
P-ra quem prensar de baaho. aftlaa m
duas catas com* rom modos para familia, na >l
do Retiro, jauto a ponte da Passagem : a traur
-om L. M. R. Valeaya.________________________
Alnga-se nm esemo e MR
rua Velha n. 10.
II
rr\/Fi L



Diarlo de Vernaabuc Segunda rer* *9 ^UuluWo de t .
--.tbbw 111 ni, A-,a3fc-$'lvfaiiat''--o- s^c*:-, nr
'.?
v-&xv.-tt,w*\^YjkmMmmmmmKc;,
Os elementos f *!Vtapoem "Uta preparaco.
Itrio. O ioitd f a fwW, :. QOlbjCMi 'iu priiiMiiro
gMit) das preparad ?. k'rritgiuosa-v, U.-iMa aitusUtl
m-:is resultado Mdicos .os i.ospi-
!.- os rolaiorws que confirmaran sa peerase ticacia nasse
guma- aftcccoc;
kkniw.
ICI<-rt r~
Fpmi <-/.(.
Ait*iit|,
Gi lur*i' ei
Mrnmrun,
jr**N it->r NvnNirancM,
-f I.!(;... |ltlllU0IIMr --
I* Mltl -,
K !*i la* .' .. i i .i .-.;:,(
| <>Mr*iiW*-<<-(': f!<-Itm
..* *Mllilf
j ra|i>*'N,
Mwiti .- (i i.i-,
TMMWrfl |rii00t.
RM -LHUm.
nayphlfHlfft*,
l-rliic. (>)..>m|,u-
rCAMENTOS Fl^CEZES AFaMADGS
Ein casa d< s Srs. (fcors e Barboza, ra da Cruz n. 22.

Aos interessados.
;
>-;;).;(i-i' os bullelint 4e lhet*#eulic.n medir
< .i- wyiea de .'0 i/. ;/<..< .uc ''- w/'TKM (/t! .S Jejuitu lG ,<;<., re.
AU in /-.- pula* i', wdweto duptde ferro e rfi
fiiiitni ,U UeMllmi, os ,.;.,-, _.. uon&eilio
:^:i.i!iv,. ia,- o Xarope d'edureu> duplo de
'erro de quinina do uiesiM u'.or fiara as
pessoa* que nao postilo de medicamentos sob for
ma p lu'*r r u.s numiuos. Rste xanqpc n;io toi-i
COUI0UiarOied'jhiin'lode. ferro, 0 i:- KMIYuneiite
>!< alterar-ce e de so i o poder conservar.
Pcca-se o folheio que se d de graea em car.,
dos pharmaeeulicos depositarios.
Para se evitaron falsificacocs. exija o com-
prador cm cada usco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do iavcutor.
S -. -^*.-A ... .. ..,:. i T II % | # iTll fi
As piMtkiu* luirttirm rnm < /....;/;
IfCMNHl. i '>iir. v :. -.' ri,u, >....,_,, |,.j |;1
akiuns aiiFn> (-'. > ii-l.-lir-i.nn1, ,. .U-;,,., ,'t,.
i'tiis l.oii.ipif ''i-ioi. .'i. ., !,,.;,. ,:> ,n.
HHNodidailes mu :i.- qna"sadiu<-Ma un li.-.il.
..liOS.I. illM .-!(.-., i::: IllCSI!'.' :.tt.~.-*H; '. f5
!iicihor,w.'ciiiM iira iral :.
1 --riilul -, IHmrrit. ... VM||.
I '-(Mil-i..., ^ ,. ...... ,, ,w .i.-., ,|
r;-. ii.ir... ..n^*irlro> : |.n... rtalMKarcn
* am*rtic, *-f-t'Ti-ifm-faiii'n lt
Sa ;.r-.-io .iiira o singuee s tsms U fOrli- i;:n-, (X!..' lu> ..>.-oas que M-iu wrifr. r
a. alIr'-i.i'S :'.>!'<:,< lirima r-ii.|ici : moca i'ciite ltuva> mu .i mu inn|icraineiii j ..-.. .i deb", .!' .-s-iin suhsianeial alitiiiw
(ira 'Vi' iilir:ir-i,. grh.ln no cmpri'-eo das nati-
l.r- .', i ..,./ ,-, II ,..m,i,:,,uiii poderoso uio
4t>l //'iNi.riK.'.-. ll-nc'vsr-o das t'/lftilhut
i ../.i-, ,/. tt;..,.-,.,,;.i,.1, caissa a S(.' t./.,..,
! ''*) '......- iinitacjdcs d'cssc producto que >s
i-muios -c qi-r'-i,- il.'sr-i/cr. I'ois por fau
i! urna hoa prepaczfo i pepsina que nVIVi
i''-;-!, i.i/. aerada. Seremos ao abrigo d'esie
iiir<.veni'>:'le. exigido os eoiupradores jinstilkas i.-idilo asinieiaes B. P. e sniAoda
pliarouu'ia Chevriec.
/V'mIo g.'i-al 'iii l'a-is, pharmacia Chrrier4
!'. Fanbourg-Moiiimaitre, < .m todas :is I-as
' ias.ii>Jiangaedos]iaizescsir.iugeiros.

^ \ I
MASSA c XAIOPE Y- |
jo-lo e roMrau) a
ra lo RMflti a.,
lir* r
CI'RADAS PELOS
XAHOPES Oa DGTGE DANET
r. ';o"tr m ci'ii.ii:4S luis NGMINea mu.-.
t- .Inri...... h a|>..iii4-:in
iX:ir.i|.rt il.' ij'i.iil..sse d. 3. <:...i.n,
nisf co\vi i.s^
M-.UVOS/l
TOSSt
lSnr|'t ife eji. jIom e -le rt!< .> iatil .Ir ncciliu
N" .1. Ciinini
com i i ii:s
A ClIOHA
nos MEMNO-
(Xaropc .I'- cjrnoplo^ae r lt mitin voltil A* neeino'
tstes novos producios preconizados na Aru-
(Linia imperial ie Medicina de Pars sao rm-
pirMiloscoiii graiiilis6iiio siicresso pelos medios
de Fiunca para o tratanento das aolestiaa lo-
meninos cima indicadas, e vierio cnciiur um
viniu ii--|.oii.iiilo na tliurapoulica, no que loca a;
altocoes da iutancia. para as qnaec, atbi hoj-,
a >.; lo poiit- indicar irataiocnu raciomial-
iioin lol'aivcl.
i'ov.i-soo prosiN'CtO em casa dof
;i,o.-- depositarios.)
l'ieco do Irasco ein Pars, 3 ir.
Para se evilarcm as Idsilicacdes. exija o com-
prauor que cada Irasco tculia sobre os rdtnlos a
luw natura Chanteaud.
J.|.siio geral i-mpiris, pbarmacia Chan-
teaud o cui io.i.is as boas pbrmacias de Krancv
e 'ios pauses esiraageiros.
DB CODENA
DE
*.
I BERTH
S As experiencias clnicas e comparativas
n ros Snrs Hagendie, Barbier d'Amlens, Wil-
. Irans C.regor, Martin Soln. Aran. Viga,
K ('.. iiniont, etc., inembros o lnsiiliito de
I Franca, mediros doi hospitaes de Pars, tem
I provado que a tfwsa e Xarope de Berlli A
I o remedio o mais seguro contra todas as
a doros nervosas e tindo a propriedade de
i- iMhimrrimi adiniravi-l rapidez as tossos rebol- j| fc
\j tU* < lixtremaioenintatigantes da Rrippe fea- m |
ui'riio epidmico dotlnxo. coqueluche ou
5 losse .-Oiiviilsa. bronchile e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
aclio em todas as boticas.
OS PARAGUAYOS
E a ordem do dia -f Acabar com os Para- 0 abato a-siunado tem
guayos a bayoneta, a mini, a revolver; wmpra da taberna sita na .
fulmina-los com os encouracados armados SS!** ** "" ?"
de esporaes, armstrongs e raiadas de80 Tonada
120; extermma-los era summa a espada, a res dias namVsma man. .' noe^MeK?
fado e a punhal de que se trata; mas re||So negociosem rmfmmmttitmS^t
niguem se lembrou ainda de esmagar os S!fllfti2?p* d* CODC,oio- ^
Paraguayos com as armas qne Deus nos con-,
cedeu; acabar com elles a taco e a ponta I
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tocos,!
quebra marmore e outros que se vendem '
4&-HUA DIREITA45
Uaooel Rodrigues do NaMiaaeato.
COMPliS.
85000
i
h
pnarmaceti,
T
i FTf^ mT iHfflwM 'i iJlii mwljl
|g 1>E BISMUTHl
0*granulos de bismutlidvChevrlercm supe-
riores a todas as outras priparaees de hit.mull
empregadas antes com o maiorsnecesso pelos m-
dicos de todos os pases, para prevenir e curar as
MarrhCM rhraalcan, i uit digenie**,
>ii>-..iin. i,- i,-,
a leterelu.
l|iiCi.rao lio rni-nriio
|l>rca o.s iin
Ol'I-i-Cf-r.
llT.
Utpdsito geral em Pars, pbarmacia F.^biUon,
4.4. ruc dn liac. em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos pauses JSlraiigotros. etc.
Pela* commissaes em grosso, dirigirse aos S
I v p >TM|lf[*lilH.
Deposito geral cm Pars, pbarmacia ChevTier,
Cuclrile,,
tlllltllSll,Clc.1
producto se tem pro|>agado
com extrema rapidez gratas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, ">4,
ra do Conunercio, Paris-Grcnclle, e em todas as.
bticas de Franca e do estrangeiro.
WI^LAKf r e E SR, comisarios em drogara, ti, ra Saint-Lazare', Pars.
iriiiHfii.-i.at- lie/.t.. e e em todas as pharmacias (ie Franca e dos paizes
ii man.- ce. estrangeiro.
3
-i *
g Par evitar qnalquer s^*^ )
V Ulsitumcio,xiglr inc^^T n -^
I caita ii-,..',ii.. .i....j jvv i VTi
'-} e ii Iimi:i lli'itM.'. C___p^^----
.q n^rtwiw peral em Par, un .usa .le MENiER,
\
4*800
5^0001
35000
2d000
l#60U

ASTHMA
ASTHMA
NilII'ocroi iii-rvosu
nico remedio cflioaz para combatter estas mo-
ASTHMA
e Borseguins Bordeaux......
patricios.........
para senhoras, en-
feitados.......
com laco e fivella ..
Sapates encouracados.......
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lustre..
Chineloes do Puro..........
Um completo sormento de
trra para homens. senhoras
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taisas de todas as quali-
dads, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
I te faz cobica ao comp ador pela baraleza.
Quem precisar de um jardinheiro ou feitor
. para um sitio, dirija-se a ra de Hurtas n. 142, 1-
aDdar, que achara' com quem tratar.
x MsacfKv-'w--' %ty
Compra-se e(Tectivamente ooro a arau esa
otiras velhas, pagando-se bem : o roa larca *>
Rosario n. 24, leja de ournes. K
A000 a ~*S!!V,no Gu,lnerme de Barros compra e ea-
de efreciivamenle escravos de ambos os sexo
. ra do Imperador n. 79, terceiro aadar.
- Compra-se ouro, prau e pedras prenotas,
em obras velhas : na ra da Cade ao Reafe
qa de ourives no^,rco_da_Coocei::io.
a rna do Crespo n. I,~ prinWiro~MMbr-
compram-se libras Merlinas e nwedas de ooro ara
sileiras. -.,
Compra-se papel diario para
-. ga-se bem
i (5000 mero 66
- emtirolho, pa-
na padana da roa da Imperalriz aa-
(5500!
2240
1(5600
calcado da |
e meninas
praca 4a lo
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na
dependencio n. 28, |0ja de bilbetes.
Comprase carosso demente) de akodao ao
rcreesmdedeAasaodeSaQDders "
lesnas, acalmar um atiaquc d'asma e impedir a
volta 6 o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarcllo; do I' Danet. Dcscobcrta iuleiramente
recente, este novo
O bacharel
Francisco Augasto da Costa
ADVOCADO ^ i
Ba do Imperador numero 69. X,
0 cabelleireiro.
Cerlos Dubois mudou o seu eslabelect- 1
COBRE L4TA0 E
CHUMBO
Umpra-se cobre, lato e chambo : do arauxrrr.
da bola amarella, no oitao da secreuria da p
filial.
Continna-se a vender doce de eaj em calda
laranja, jalea e groiella a 500 rs. a libra : na-'
leo do Carmo, esquina da roa de norias, armazen:
numero 2.
s
0 Dr. Cosme de S Pereira con i i- 9
na a residir na ra da Cruz n. 53, |
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-1
sao medica, e com especialidade I
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaos geni- S
ti urinarios.
Era seu escriptorio os doentes se- H
rao examinados na ordem de suas I
entradas comecando o trabalho pe- S
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das m
6 as 10 da manhaa, menos nos do- i
mingos.
Praticar toda e qualquer opera- fij
Cao que julgar conveniente para o M
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
melo da praca da Boa-Vista para o so-
brado n. 18 da ruada Imperalriz.
LIQIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
60 Ra da Cadeia do Kecife 60.
zssxz 32 awfasr barai- ^menos do sea vaior'e mui ^|? "*-- ^
"^ T!"^0 !^.? Ji&:f_0Ject?s .,?om ^ilhante?- eno .boles. aunis, rselas ele., e tem assim diversas obras de
0 solicitador Pedro Alejandrino da Costa
Machado contina a encarregar-se de cobrancas
nos termos do Cabo e tyojuca, e no desta cidede :
pode ser pracurado na ra eslreita do Rosario
numero 34.
,?<
m
m]
y
CAMBIIAIA.
Carnbrala de forro com 8 l|2 varas a pep a i
MU-ae acabando : na loja da porta larga da roa da"
Imperalriz n. '2, de Paredes Porto.
Normas para escriptT
VenJem-se normas para escripia por C Adler>
proprias para meninos, em colleecoe* de as la*'
e tambem colleceoes de ns. 1 a U : na livrana
universaj n. 54, na ra do Imperador.
Vende-se urna UbernTbem %hS ao
paleo da Paz n. 9 : quem qaizer dirija-se a mcs'aja.
H DEPOSITO DE CALCADO
m FABRICADO XA CASA DE DETEXCO M
Ra Nova n. i. jfa
se encontraro obras de di- ms
Ahi
S versas qualidades, e por preco niui
5* diminutos, a retalho e em porcoes.
.Na ra da Imperalriz n. 2 vendero-se ItJftM
apparelhos de porcelana lina, brancos e ooradi-s
W | tiara almoeo e jamar, aaala domo chicaras e pra-
los avulsos por menos qne em oulra qnabioer par-
le, tambem m vendem elegantes ndeiras de Da-
l.tnco [iarn senhera e oiitra< para d-^ran-i.
Voudu-.-e uui lojiao de Ierro com SCaa
pertences. urna grade de Ierro para porU e ama
porjao de pedra marmore de 10 polezadas; na
ra do Imperador n. 4.
S se vende a dinhei
ro.
m
*****wutmtBi
Aluga-se por prego commodo um terceiro
andar do sobrado da rna da Senzala Velhan. 48 :
a tralar na loja.
Precisa se de urna ama para o servico da
doas pessoas : na ra eslreila do Rosarlo n. 18,
primeiro andar.
IA OII OU ; ;s de Porcelana fina dourada, como rco's vasos para llores, fi uras," etc: calcado dos principaes'fab "pris"
rn,?sC0m1s0la de omctia' P,anos dos cel<*res fabricantes Pleyel, Wolff & realejosP moderno i JeSvioli/c para se tocarm
-Na noiie di da 15 do correte foi ronbado de pua, ditos com figuras para sales **~ ---------------------------- -- ->- l
urna sala que lica nos fundos do sobrado de um theatros ou saloes, ditos de
ffiTA55^taaw:. E,6 cfLb"son,meM"ue ?sm as *?
tos: treloglo de ooro sabooeie n. 25424, patele t,onec^s, ""ando papae emamae ; grande
inglez, mostrador de louca escura,
ouro com chave de dar corda, um pur de caslicaes
iquedos unos para enancas,
,, Pu.c o---------sortimwito de candieiros a caz, o que se tem feito de mais elp^anip p nna tpm
VS* S** a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortiiuento de caixinhas8 cestinhas e ouS ^LSSZK!TA
chave de ouro, e com on.ra mais fina tambem d. proprios para presentes; grande sortimento de estompas fin .s coloridaV com "fundo" p'reto"el^?;i7ff odoToTsnto'dito
de prau lavrado com angel.cas, urna escrvninha S'* dllaS Cm ,novas W? pm morainai, finos e bem graduados vidros pira cosmoramas,
de
ra
diver
2945
ma .que o ladrao entrara por
deita para o quintal do referido
das quaes fi.-a o Iclhado que
zinha, que no
a
DI
a
fore
hend
de 003 rs. a qualquer que descubra o
roubo.-Joao Fernaudo da Cruz,
llecife 10 de oulubro de 1865.
Samuel Power Johnstvn ompanlia
Ba da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fiindl^o deLow flor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavados.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios d'- carro para um e dous cavallos.
Belogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar aigodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Vende-se para fora da provincia orna escrava
crioola e orna filha com idade de 2 mezes, coja
escrava tem as habilitacoes segoinies : uva, en-
gomma e perfeila costureira de bordar e mar-
car ; o motivo da venda se dir ao comprador :
na ra do Nogueira n. 43.
una, que e no tavitneuto terreo- n^rip ; nns ^..u T, -------------. *""w > 6aia"la"aa c uuuas ue^
-.Jrid.fc.UcM ,Sr. mgoeJ?"i e"el!e"ll!smac maspara pbolographia para lirar relalos, grandese pequen
atrsaarasaftssas rrSeT%acabar'e ,odos se veod bm,e 5?iaS2fciffaWS!yRrs
le 005 rs. a qualquer que descubra o autor do ntiUie "* uu-
pecas decharaopara toillelte; machinas para varrer o chao,
quenas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
ennumera-
rua da Ca-
NO GRANDE AR-
MAZEM.
FUMARIAS FIAS
DA EXPOSIC.AO DE
LONDRES.
Joo da Silva fiamos, mdicoTme-
dico pela universidade de Coimbra,
d consultas em sua casa das 9 as
II horas da manhaa. e das 4 as 6 S dfi Pari. ,ar fSSiRSft venera;se' Por muito menos do seu valor, perfumadas muito finas e novas chegadas recntenteme
da tarde. Visita os doentes em suas! $0S f ln, L ma's afamadovsI abr.caDtes seguintes: E-.g. Bimmel, B. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver,
casas regularmente as horas para M gSL*LfE5d' J**? 5?? A, Mey?p' Regnrer' ^' G'llet frre- etc- etc- dos W* ha grande sortimento d'gua d
a em vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafmhas e vidros de difieren-
ittenco.
6
O abaixo assignado faz sciente ao publico de que
se evadir de seu engenbo Enveja o seu tutelado
Jos Evaristo Barbosa da Silva, levando em sua
companhia um seu escravo de nome Suleiio, para
que nenhuma pessoa faca com elle negocio acerca
do dito escravo.
Joao Barbosa da Silva.
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos cm
qualquer occasiao. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manhaa,
J monS SbS%: I 1 Pr meDS ^ SeU Va'0r Para SG ,qUJar' D" g'raDde armaZem da "** ** **** S5 do SfeT 6
dAsZp's p ECISK 16"165' banha ^ PteS e em Vd.rS' P0niadas' ricas caixinhas e balainbs com Perfumar.as para fazer"
BdtfS^3& naUeruea TttX&ST*' ^ ^ & ^ m ^ eXSlenteS S ^
' n PAItA Si:\IIOS5 %S.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante al o presente: vende-se
Precisa-se de urna preta ou preto para o ser-
vico interno e exierno de casa de familia : na ra
dos Guararapes n. 26.
rATTNCAlT
Desappareceu da carteira do abaixo assignado
urna letra de 1:0873041, sacada pelo Sr. Joaquim
Ignacio Ribeiro Jnior, e aceita pelo Sr. Nicolao
Tolenlino de Carvalho. em data de 20 de fevereiro
de lr-63, a vencer se a 20 de fevereiro de 1800 ; e
estando o aceitante e o sacador prevenidos para s
a pagarem ao abaixo assignado, prevenimos disso
ao publico, e pedimos a quem a achou de a resti-
tuir.J. A. de Brito Bastos.
Atteneo
Vende-se urna preta crioula de 18 a 20 asaos de
idade, com habilidades, nao lem vicio aem acha-
que, muito sadia epo.'sanie, propria para casa
de grande familia : a iraiar na ra da Matriz da
Boa-Vista n. 54.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. 1 veodem-se superiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
tes que se acaben).
Vende-se a taberna bem afreguezala,
naj^ua dos Assoguinhos n. 20.
Algodiio inmcado da Baha : no armazea ie
A. V. da Silva Barroca, roa da Caiteia n. .
Veode se ou arreuda-sc o engmho Maaa>: .
distante da praca qualro It-goas e meia da aovoa-
c.iu de Jaboatao, o qual est mi ente correte,
tambera cercado, sufJScieoies ierras, matas, e tedas
as proporcoes para um estabeleciroenlo Ioieressaa-
le. Tambem se vendem aiguns esrrav,,, do servi-
o de campo, cavallos de roda e bois mansos, as-
sim como a safra presente, oa sobre ella s far
qualquer negocio com o comprador oa remteiro :
a fallar no mesmo engenho com o proprietario.
Na ra do Brum n. 38 vende se um m>-leqae
de 10 annos de idade com algum principio do ser-
vicio de urna casa.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C. no seu escriplono ra da Ouz n. I
Cylindroi.
Na ra Direita n. 4 ha ;.ar.i vender cvlio-lros
americanos para padaria. chegalos oliiinamente
da america.
^, quer doente, ainda mesmo os alie-
m nados, para o que tem commodos
H apropriados e nella pralica qualquer
I opperaco cirurgica,
r Para a casa de sade.
fi Primeira classe.. 3,5000 diarios.
8* Segunda dita___3)5500
Terceira dita .2^000
* Este estabelecimento j bem
f| acreditado pelos bons servicos que
{ tem prestado.
jgS 0 proprietario espera que elle
m continu a merecer a conianca de
B que sempre^ tem gozado.
seu
IiUVAS HOViiS HE JOUVT.\.
v,inr "Sr excfllenles luvas,de Pellica' recentemente chegadas de Pars, tanto para hornera como para senhora por menos de
valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Becife n. 60.
Alagase o segando andar do sobrado da rna
do Imperador n. 79 : a tralar na ra do Crespo
SEGUIOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
s
esiabelecida nesta praca, toma segaros martimos
-obre navios esens carregamentos. e conlra fogo em
edificios, roercadorias e mobilias: no sea escripto-
iio, raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Aluga-se a casa que lo i do fallecido Guerra,
na povoacao do Moollro, o qual tem moito bons
commodos para familia : a tratar no pateo do dor-
io Santo n. 21, escriptorio, oa na raa de Apollo n.
segundo andar.
PHOTOC.B1 %.
No grande armazem da Exposico de Londres, ra da Cadeia do Becife n. 60, ra da Imperalriz loja de Mr Dubarrvn 8
j e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns como- '
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
t Coimbra.
VISTAS lE PEHJMAMMVi O. j
Tiradas na occasiao em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :'
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
_. indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ba da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminac5o na frente.
, Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ba do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIAliKM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova mveocSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato parai hquidafo no grande armazem da Exposico de Londres na raa da Cadeia do Becife n. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
Para a construeco de machinas
DE
V l.ll-Il TSO \ E IHM.ItSS
.NewLondon, Corraeclieur, Esla-
dos-Unidos
Solicitam pedidos de descarocadores de algodao,
adoptados ao alsodao sul-ameriano. Ho-se de-
dicado a es:e negocio durante 25 annos, e altende-
rao immediatamente a correspondencia que se Ihes
dirigir.
Vende-se urna escrava crioula
habilidades : na ra da Penha n.
andar.
moca r ,u:
17, H a, Criada.
Precisa-se de ama criada para cosinhar e om-
prar em casa de homem solteiro : na ra do Quei
mado n. 32, loja.
Deseja-se saber se existe nesta provincia ou
em outra qualquer do imperio o Sr. Daniel Pereira
Braga, natural de Braga, fliho de Joao Custodio
Pereira Braga e de Loira da Ros, o qual veio pa-
ra Pernambuco em o anno de 1846, e que esleve
em casa do Sr. Joo Antonio da Madre de Dos
na ra do Azeite de Peixe, e depois foi por man-
dado do mesmo senhor para o Rio Formoso, para
o engenho Paraizo, d'onde voltea no fim de 13
mezes para casa do Sr. Antonio Mendes no Recife,
e de l dlzem que foi para o mato ; assim mais se
vivo ou mono : a informar no armazem da ra
da Cruz n. 33.
m WKmmmm wxmm
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Bio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMBCCO
Antonio Luiz de Oliveira AzeTedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da 5a
Crui n. 1. fp
mmmmmmmmm mmmm
Alogam-se as casas terreas ns. 4 e 20 da ra
Vende se uiua casa terrea sita na roa da Bi-
ca, em Obuda, com grande quintal e caaos pro-
prios, de pedra e cal : a tratar na ladeira da Mi-e-
ricordia n. II, com Cosme Jos da Cotia Aoiello.
Veode-s* urna canoa de carreira, nova, cm
commodos para senhora : a tratar na roa do Ja
mim n. 21.
Vidros e folha de fladrS
Vende-se na ra da Cadeia do Becife n.
54, loja de funileiro, vidros, fulba e wta-
nho era porco c a retalho.
Vendem-se duas burras moite passeiras sea-
do ama nova, outra velha : a tratar na ra a
Cruz n. 21, primeiro aadar, na m-sma casa se
vende urna preta e da-se 500# a jaros de I Ir.
AtteugoT
Vende-se a taberna da ra de S. J i.i j
para o gaz : a iratar na mesma.
qoa va
Testamentos em verso.
Continuara a estar venda, na tvoogra-
phia dr ra do Imperador n 15. defronte
de S. Francisco :os testamentos da Gali-
nha, do Gallo, do Porto, do Leao, do Gato,
do Per, do Carneiro, da Ooca Ti^re, do
Cao, da Hyena, do Bato, do Orangutn**),
do Macaco, do Burro e do Vigario j j Pefeja
da Alma com o Biabo, a 160 rs. cadj do,
e a 100 rs, a quem comprar orna < ofiecrV>
cemiletaou 23; cartas ileABC,taboaila,
cathecismos, economa da vida humana,
cartilhas, Simao de Nantua, Biblia da in-
fancia, manuscriptos, traslados, pautas, pro-
curaces, apudautas, lettras, conheciaeotos
para embar.|ue de escravos, despachos para
a alfandega, papel almaco paulado e piula-
do de diversos form tos. sendo o pequeo a
30 rs. a folha, o immediato a 40 rs., o me-
dio a 50 rs. e o muito grande a rO ra.;
papel marroquinadoe lustroso granie e pe-'
de Henrique Dias, vulgarmente conhecida por Es-
tancia, bem como o sitio denominado ilha, no boc-
eo d? mesmo nome n. t, e a casa terrea da raa do I queno ; papel para impressao de
Domingos Pires n. Si, todas com commodos para
lamilia : os pretendentes podem dirigirse a roa
da Cadeia do Recife n. 39.
Deseja-se alugar urna casa terrea, que te-
nha quintal, no bairro de Santo Antonio : quem
urer annuncie.
oau s
IIEGVELr
cor grande e pequeo; Virgilio, Heneo.
Salustio, Magnum Lexicn, prosodia, dic-
cionaroa "francez-portuguez e vice-versa.
selecta franceza, e outros mui'es livros, bem
como em braoco de todos os tamanbos.


%
-<
Diarlo I4LIX1X VI3<3ETAE
DO
DR. AYER.
lSo ha necessidade'mais ge
ral em lodos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo
Grande loja^amazem do. (fljfo B4!MG4.
Meias de seda.
nlio dos sapatiuh >s.
Oulras mui lit
Colleiras de marroqu m, com casca veis
Ra da Imperalriz n. 60. de Gama & Silva. em alias
Tendo os proprielarios d'este estabelecimenlo de SCHI cite.
liquidarem urna grande porfo de suas tocada?, Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
al ao flm do crreme anno, aftm de fecharen, con- ca n< g vendem-se coileiras de marroquim,
yw gante que wja i La e aparar dinheiro, resolvern vender (odas as no<.nont1flv. rnm -...; mwm elles
tempo innocente, efficaz | fazendis cora grande abatimento em precos, lamo pospontaaas e com casca\eis, cu .em enes
e digno de toda a confianca. i ero porcao como a retalho, e por isso prevtnea a proprias para caes e cutres uicinuos.
As Dilulas oue ora offerece-todos os seas tIvsuez,i>e ao respeiuve publico, e Pcnnasinrje/.iis de ac e douradas.
mos ao"publico*preenebem estas! %*?* SASLSSS =&S fo novo sortimenlo de peonas de aep quej*
condices ; pois pdem ser to-umgrandesoriimento que mullo ihes tio de agr- a Aguia Branca acaba de receber, vieram
madas pelas pessoas mais iracas i dar tamo em precos como em quadade; assim tambem outras de metal dourado e liicos
sem perico aleum nao tendo em omo Inandam Pelos seus caixeiros levar as fue. mu bem acabados, e por essas boas e ne-
sciu yu igu diguui, udu icuuo oiu dgs e amoslras nas ^ das ram,|,as que nao po- ..._.;.. m,.,|,|,,i J c(111, ,rrP(iiis sua composicao mercurio nem derem vir a loja, ou dao as amostras deixando cossartas qualldades os seus acreoitauos la
oulro ingrediente nocivo sau-car peonar. bricantes Perry & C, as recomroendam a->s
de. mas sendo composto de a- taiubraias lisas a 3.S00, na loja do entendedores" apreciadores do bom, valeo-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante pavo. ^1Zl$TZ!!S!Zm
efficientes e activas para purificar os crpos! Vendem-se pecas de carobraia lisa branca e um.aS Para .utras< por que estas se tomara
mak nSuna 1 i transparentes, tendo cito e meta vara cada peca, mais duraveis na conlinuacao de escrever
-.....:------:-------dellas se quizer utilisar
Onfr s objecos.
Vindos tamben i
1
para a anliga loja de
Oueimado n. 16
etim branco bordados pa-
bordados e
miudezas i ra (o (jueimado n. 16.
Sapatinhos de
i a baplisados.
Ouiros de mt riti tambem
igualmente bonit >s.
correspondente no tama-
as de fio da Escossia e
,
Luvas finas de
de cores.
Ditas de seda pfera senhoras.
Ligas de dita pa senhoras
Pentes de lart
embarazar.
da Escossia brancas e
e meninas. I
uga mui fortes para des-
Carriteis com retroz preto e outras cores. Q nn/ft, ('(tiltil P 6S
Carteiras com auulhas. 9
Agulhas l'rancezas, as afamadas.
Fct n;hi A.in.nm ..;..*, a,1i Pel barato preco de 3t>o00, ditas muito finas, por assim pois quem
a SllSS^JSfSS itP. 1^2t^m'5i' *,, m' wndottp.d.8 etranspa- compraF |as a dinheiro a vista: na ra do
a extensao dO canal alimenticio, e d50 vigor i renles, assim como cortea de cambraia coro salp- nnoimadn lnia ,U imiij Rranca n s
a todas as partes do organismo, corrigindo eos a 25500 isl0 s na loja e armazera do Pavao, ,,eim*0 a A,euia *" ; MM
sua accao viciada e fazendo recuperar sua la imperatr.z n. 60 de Gama A-Silva. Franjas C0I0 bollas e sei ellas para
vitalidade. Crles de Phantasia a do*). cortinados,
i remedio inestimavel contra dar de i JKSfiSSa^SRlSifiSS A Aeuia Brinca recebeu um bello sorti-
----------- -------- UUI d> lllals lllJUas CUICA ijuo icu muu o\j *pw *-* J r 1 t II o
cabera nervosa, enxaqueca, prisao do ven- do, sends fazenda iransparenie que serve al para ment de ranjas com borlas e sem el tas
tre, hcmorrhoidas, molestias do figadot fe- bailes, pelo barato preco de 3500, ditos brancos para cortinados, todas de novos e bonitos
bre gastro-hepatica, e todas as molesias, fazenda muito fina a 4*000 : ummmjfee'r1*- desenhos, cuja commodidade do proco est
biliosas que teem sua origem no entorpec- ,?* Siv?' "* '"* P em relaC5 a largura : ac,,am*se ellas a ven"
ment do ligado que causa a escassezda, Cambraias de forro da na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
Caixinhas com allinetes brancos e preos.
Ilaspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
Bonitas flvellas grandes de aeo,
que imando m
Bom e baratissimo.
llua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos electro mafiuelicas Rcier para
as criancas nao irorrernn de cunvnlsoes pelo ba-
rato prt co de 4.
Novidades.
No armazem de tazeudis
baratas de Sanios Coelho
Hua do kiirlmado u. 19.
Vendf-se o enini :
CoberUr de cima lina a 28uo.
itai de dita a *ino.
L"iiC"es de panno de llnho a HVfy
IHlos dedilo de h- '..* a i.".
Ditos de bnmH! liLho de oii m
::,3i0<'.
P.miiiu i'.' linh i !;. i COV I !|- pflftM de
ra i co barato pre^-o '' '2-. WO a rara
Braa>aatd leal lia r ) bMmi i
pura a IfSDO > wa.
l'c-.i- ii rambraia com ftlpiros Iraac-
; coi es com S t|2 w a i::n<'.
I'.ris de cambraia adaiaeersda 11,
cortinado de rama eom su varar a i;
Hal-'e- da arces a 1*560,.;,'. : 3UI *.
Lem.os decariilirai.i tina a i^iii1 a ili./u.
Dilos de dila a 3-5 a dmia. <
Alhoalhado d.-. Ni.-:., lin-. a %$(* tara, 1
Dito de algooSo a '1& a vara.
Algodio eofrstadu con 7 l|2 |>;ilm i tt raur.-
I200 a vara.
pa*B>
r. I
!
'
PMM
domadas, madrepcrola c tar- ra e para meninas a i.23 p3*, assim como lin-
tariiga. das voas para pesclo a :i.
A loja de miudezas ra do Queimado; Enfeites.
n. 18, recebeu um bonito sortiniento de Biqoissimos enfeles pata caneca coosa de nrai-
fivellas grandes para cintos, sendo de ac, o B-sto a 1*300, 23, 4*. 5*. G e 75.
P< ca de breanlta de rolo com 10 vara: ; >\,i .
,ara f a a 3*3Q0.
Fi de lii.ho feo fino a 800 r?. a Tar.".
Dito de (!i.. com :ii|.ii-,.- a \ a t:j.
Cambraia do linh 1 lii... ; a*S0O, I S
vara.
C rl is de Iazinl ] :" lindos io*tJ 1-1
ItiqnisMmas pnlseras ou braceletes para senno- VMj a 5
-em um desirranjo geral dos orgiOS diges* boas pelo barato preco de 2,5 e 2J0OO a pe?a
ment.
1V0S.
A Ictericia
produzida pela absorpeo da bilis no
sangue, dando a* pelle e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao somonte dokirosa por
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
retenimento com o
ara cura-la toma-se de 1 5 pilulas to- 'ada nm : isto s na loja e armazem do pavSo, na rnriwidnd p annra a in- }amDe,m receeu 0CUIU!' UB IJe,iei,d ,
nhsL iSn ;. hZil*L ara rnZvaZ imperatri* n. 60, de Gama & Silva. ?ual se fispe ta a cunosidade, e apura a m (Mm V1(]r03 claros e escuros, para quem sof- v.
as manbaas 1Sto o bacante para mover-, tfdiM do Pavio. tell.gencia. Os apreciadores dir.jam-se a f da vist assimcomo outros de arma3o ^
isto s na loja e armazem do pavao, na ra da Im
peratri?. n. 60, de Gama & Silva.
Cortes granadinos.
A 100000, na loja do pavao.
Vendem-se os mals ricos crits granadinos, fa- que as tmersas pinturas aenas se iormam
zenda de muia phaotasia que serve al para bal-: agradavets vstase paisagens, segundos
si, porem conduz aos mats senos soffnmen- ies por serem transparentes e com palma de seda e desenhos que acompanham. Na verdade
tos. | tecidos com a seda, peto baratissimo preco de to*.esse um deleitavel en'reteniment
Para
das
o_vcn_tPe rraete al que se recupere a ao Mendem.ge tsraas modernas camismhasborda-
{30 Sa O Systema. | S rorr rnanpnitos, para senhoras, sendo as mais
Mal do figado, ebre gttstro-hepatica, modernas que em viudo a diankea biliosa, indigesto, a nevralgia! 'as com manguitos, para acabar a 15 ; dias pre-
)i tk> Amdaur*,,* tn ladtrs mnlpslias an Itas co,n mancuitos para lulo a 1*800 re mangnl-
oum aauteui-eux, sao loaos molestias que l ,os e .olinhas preas a i*, flnissimas golinhas de .
,tem seu cometo n um desarranjo da bilis, cambraia branca bordada a 800 rs., caicinbas para modernos e costos inleiramente agradaveis,
k oimrrarao dos duelos da bilis faz esta tt^^.'^JV^Vaff e como r. seu lnnvavel rnstnme os est ven-
voler ao sangne, com que Circula dopois -branca bordada iil*60DI: na loja do Pavao, ra
vemtodo O wrpo e causa estragos desas- da ImperV.nz n 60 de Gama & Silva.
, MuIimmimies de cor.
troscrs a saude e produz urna sene ranu- Vendem.se goaibembaranes de cor muito bem
meravel de males. enfeilados a o*, 6 e 7*000 para acabar : na loja
Todos estes incommodos sao curados com e armazem do Pavao, roa da tmperatriz n. 60, de
: eos commodos ; assim como boas e bonitas
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran- tas de gorgorto achamalotado, proprias pa-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra- ra dlag gvellas.
Ocnlos de pejielra e de ontras
qualldades, para quera sffre
da vi.sa.
A' loja de miudezas ra do Queimac'o
u. 16, tambem recebeu oculos de peneira
ra do Queimado,a dita loja da Aguia Bran-;de ac0j sorlidos em groS-
ca n. 8, que seao salisfeitos.
Bonitos enfeites para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimento de enteiles os mais
as pilulas do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se em Pornambaco:
na
2*
PHARMACIE FRANQAISE
DEp.MAURER&C'f
RA NOVA N
Vendem-se capellas de aljfar pata s*rem collo-
Gama 6: Silva.
Organdy pjodernissimo.
Chegiram os mais modernos organdys com os
mais -modernos padrees, sendo quasi todos Iletra-
dos, como se osam agnra, com as mais lindas cores
a fixas; vendendo-se felo barato preco de 900 rs.
a vara': na loja do'Pavao, ra da Impcratriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chales de merino a 200.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2*0OOcada um, havendo tambem um
grande sorlimenlo dos mesmos matizados que se
| vendem a 6*, 7* e-8*000 : na loja e armazem do
; Pavao, ra da Imperalriz n. 60, de'Gama & Silva.
Os'Stmos do pavao.
Vendem-se riquissimos sinlos de filas de. diver-
sasccres e dourados com Gvela larga e dourada,
assim como enfeites para cabeca dos melhores c
mais modernos que tem vindo ao mercado tudc
islo>se vende por um prego razoavel que muilo
Ibes .bao de agradar : isto s na loja e armazem
Gama fe
j" dopavao na ra da emperatriz n.J6'*, de
cadas nes-Mimilos, catacumbas, seoiinaras, do a ... .' ... ,, s
2 do vindoaro covembro (tinados) com as inscrip-1 .. As loaina'. ac n a< .
caes segninfs : meu pai, m.nha mSi. *ea esposa, I.. Vendem-se superiores toalhas de l.nho das me-
minha e
etc., e tarte
ce marmore : na praca -da Independencia loja de
puins : meu pai, mmha mi. meu esposo,'. T"UU,1' "2S"" ""'"" uc '"""
esposa, meu bllio., minha lilha, saudades etc.' ^"^"l 'eftmrtv,"d3 ao me"2i rJ't1a*
tarofcem se vende urna capSll riqusima EP0"* 900a dui.a, ou 800 rs. da
. '. .. na priiuTi'm (Ii Pav:m na ru.i fia Im i
baratissimo
urna, r.a
i oja'e firrnazem do Pavao, na ra da Imperalriz o.
dalcados bs. 37 e 39, "as nicas que Ua no mercado., C0> de 'Gama &. ,s,,v?-; .
_ -, ..- ... .1 As seus do Povae.
- Vendc-se urna pane e um predto no, s.t.o dos Ventem.se as m^s finas saias bwdadas afar,..
r^DarToar a" fftXlK barro e asK ,ha bra8las seDdo da me,hw Meid* ",ie lem v^"
prio paraotena por tericelteniiMrro, easier- baransei-
ras quasneilas proprta : a tratar Jos Goncalvcs Beltrao, 4 ra do Vicario n. 17, es-1'
criplorio.
LOJA DO BEiJA FLOR
\a i".ia do Queimado n. (>.">.
Tem recebwJo um sorlimenlo de.roces que se
esta) usando, e diveFsosgoslos ; s qaem tem i
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimeotos de
de aljofares de versas res. enfeites para se-
nhora de diversos postes, e mais barato do que
em qualquer ouira p;irle.
Facas e^arfoc.
Vende-se faecM e garfas de cabos de balanco de
nm botaoa 5,S209 a duzia, ditas de dous boloe9 a i
6*300, dila para doce .i'3*t(j0, ditas de.cabo prelo
a 3*200, ditas de cabo braaco, rolico e cravado a
3*i i00.
Tem recebido rariados sortimentos de batatos
para oseninoi de e^ola, de .-forma de peiaiohos,
palluboc- e oulras de diverso (tost, que sC com a
visla bem se [.de apreciar, e ambem serve para
o leilao do hospital (ortugue : iaas para botar de
.diversas cores a 7* a libra : no beija-flor.
Jscovas partt roiipa.
Vende-sc e.-ovas pai a roupa muilo Unas om
^ifferenles coitos :i 60 *, ditas pera denlos a
d20, 2i0, 32J e TiOO rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e eaixkilias a 680 r.,
to de cor a ". 00 rs., e enmvelope* a 6i0r,. a ca
<"nha.
e como 6 seu louvavel costume os esta ven
dendo baratamente a quem com dinbeiro se
dirigir ruado Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Heas de la para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Ka loja da Aguia Branca ac!ia-se a venda
o papel com composico para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
efieito efficaz : molha-se o papel e deixa se
Bear n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen! e morrem. Gusta cada fo-
!ha 40 fis: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos Iirinquedos c entretenimento
para criiiHcas.
A Aguia Branca na ra "do Quemado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos d^ metal, louca pinta-
da e porcelana donrada para almoc-' e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira.
que se vendem baratamente : na ra du
Queimado, loja da Aguia Branca n 8.
Mcias prctas de seda para seoboras a
500 ris o pac.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
cao de meias prelas de seda para sentioras,
e apesar do .moUo maior preio que Ibe cus-
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes estao
a disposico dos bons christaos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Fivelas.
velas tli- madrcperola e de tarta-
ruga, arsim como prelas.
Cruzes.
Riqu ssimas criu.es douradas porm o mellur
| goslo que se pode desejar.
Cascan illias.
limitas cascarrinas com biqninhos de seda <
I aljfar coosa inteiramenie nova paia enfeites de
. vestidos.
Binculos.
Bonito soriimento do binculos com superare;
vidros para os amantes do theatro.
Assim como uns pequininos
que serve para enfeile de reK gio mais com excel-
lenle vidro.
Sestinlias.
Riqui-simas cesiinhas com prepares para me-
ninas de escola trazer n'i braco, a?im como rt
vidro enfeitadas proprias para'mimo.
Pentes.
Ripuissiraos pentes de borracha com aro tran-
co de melal para menina segurar o cabello pelo
barato prego de 500 rs., e duiia 5*, as-iin como
grande sortimenlo de todas as qualldades para de-
sembalar.
Escdvas.
Grande sortimento de escovas para roupa e pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lunelase oculos,
Finlssimos lmelos de. um e doiis excellenles vi-
Pe^asde madapt-lau ln!.^:ll1o i lo barati--ui
preco de 8*, 9*, tf e II*
F'anella branca fina a 600 r.. o c.---11 .
pita .I.- <. re.- lin- .. S'8(| r. a r*wl
Baldes de musselma para bmbim a ::.
e4*.
Cambala < f ,i. ', [. ._
i [iia fina -. ':'.' I '<
Gnardanapos de IidIhi ;i '"iHi duiia.
Ti albas E'i< ira da ludia ui'-ptia paral rre i
. 4,5 e < palmes de laranra ptr ;;
1 que ti "t:;r.: qoali;i i ;
.V.--I- :< fi:;,7i-rt | | i -.
soitim ii
Diversos ohjeeios.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muilOS C di- dros c aro de bfalo e de lartaruga, assim rorro
versos objectOS que fazem completar 0 seu oculos com rame dos lados proprio para quera
bello sortimento, sendo: isolrre dos 0fDlos- ... ,
F las finas de sarja da mais estreita que' _. l0,l'lirinas-
u -i .11 :.__-. j Riquissimas tooqti'n has de t-o ce inno, ce >e-
ba ate a mais larga, todas de vivas e agrada- da e ^ |3a liara (.;i.im..1?
veis cores. Para "o cabello.
dem tambem de sarja UVrada, de bonitos A superior agua para aitingir os cabellos, as
e novos desenhos barbas brancas e ftirer conserva-ios. os frasco^
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa- acoropanha ora rotulo que enslna a f^rma como
droes igualmente novos e bonitos. |se eve app icar' para c a
dem de gorguro de seda achamalotada, Superjor banba ?em B0Jur'a fom um fragco
e muito encorpadas, para cinto de nvellas' Com agna nropria para lunpar a cabeca, os (rseos
grandes. acompanlra um folheto que ensiua o modo como
Idm de seda preta e de outras Cres pa- se deve applicar assim como agua bala-aica,
ra i uar vestidos, colleles, palitos, etc. ^.a.a e po* para limpar denles.
Os el era ea ios que eompNnOBB preparado, a
ftrro, o iode t a quina, a eolloeio
grao daa |mMrac8e* '"'""gmosas laaai BM ls>
seus resultados obudea pelo Boi H ios
iaes. e osrelalorir- dos \ retieo
que confirmara.- ?us pcderoa
eguintcs affecce*:
Mfclealt- itctt
taram eo bom oslado em que ainda estao,
6*100 e80U ditas com babadiohos a 9*000, na comtudo est vesolvida a vende-las a 500
loja e armazem do Pavao, na ra da Imperalriz c .. ._
60, de Gama & Silva. reis Pa'. uiin ^ ,\o8s vestidos aaifeja do l'avio f. 10000. nieas pretasdeal^odao, ag.^a pois apro-
Chegaram para loja do Pavao es mais ricos eor-jveitarem a qtiadra e dirig/ jm- e ra do
es de vestidos de cao*:.raia transparente cora ocl Queimado, loja da Aguia Bifnca n. 8. Tam
2^tS2f02,8L! 1SST^S!^3SL bem vender as brancas a U o par, e des-
*o de agulfca, sendo ft-rste. genero a Giaior novida-:. ^ 4
roitaal* aue,eK vmdo ao morcado, garantmdo-se o te- ^ p umco defeitc -a estarem um poueo tn-
rem muiU fazenda e afeites ufl3eienls para c .^'ueiras,
1U. i corpo e maagas, e, veedem-se pelo bara'.o preco dt .... ,^-,,-Mt. ^ .^ ii,
. IO*0.!0 cada um, na loia do Pavo, aa ra da Im- S iP; ''' K WW
A LEGITIMA
SALSAPA!
' PREP1RADA NICAMENTE POR
LN1AN k KEIP,
NOVA YORK.
Composla de subslanciag, gozando das
propriedades eminentemente depuiativas;
approvada pelas juntase academias de me-
dicina: usadajnos principaes hospitacs, ci-
vis militares e da marinia nas Antilbas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanliol
CURA RADICALMENTE
escrophulag, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morpbea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacbes e
falsiicacos, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAOIIS & BARBOZA
IOO DA C. BRAVO & C.
Jo3o da G. Bravo & C.
Deposito geral em PernaDibnco roa di
Cruz D.22 em casa de Caros & Barboza
(xjrairiz L..i-0. de Gama & Silva.
.Os esparlilites do Pavo.
Vendem-se um grande e variado soriimento d-? s|5
espartilhos os mais bemfeilos ijue luir, vindo ao ,j>."
mercads, sendo de todos os (amachos {tela baratls-! ^
simo preco de-i*, 5*. e 6*000, por haver grande' 3&
sorument'o, naiioja do Pavo, na ra n. CO, de Gama & Silva. |w
Vendem-se superiores meias croas inglesas pelo
baratifisirao prego de 4*000 e 5*000 a duiia, ditas
de todas as qualidades para senhora, meninos e
meninas, na loja do Pavo, na ra da Imperalriz
n. 60, d Gama & Silva.
f Bichas de Hamburgo ;
todos os paquetes di. Europa se recebe jR
desias amigas do saague humsno e se >MS
vendem a troco de pouco lucro alim
de ler sempre cousa nova : a loja de bar- |
beiro ra streita do Resano n. 3, ao p
S da igreja.
. om de laa igualmente sortidas em cores
u para os mesmos ins.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarqoes. vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guarnices para enfeitar
Banbas.
Grande sortimenlo de banhas em copos, em la-
las de folha e em Irascos de iodos os lmannos por
precos menos do queem outra garle, assim como
muiios outros objeclosque nao se poie mencionar
por hoje : s no gallo vigilante ra do Crespo nu-
mero 7.
Ftuqaria.
Anrrata.
Cl.loraar lc<-rl;l.
BMMnWi
Att'-eevi-m 4o n'.fr.
SnpprrMOea '*>
ra* c aleNorccM nm
mpnalriitoo
ArCferaa aulnianar
phlhlale.
Moleallaa OtlsmiK*
Gaatralsla*-
rrrda rf'apprtlri etc.
Yejiio ni
tarurgica ieZi artra i
ios hospitaes de :- > .
Alm das piulas e UtdmrtU dupln df ft
quinina de ieh.cn. os !
!*apclra.
OlMlrarr^Maa c>a
*->*-<;
Humar frtoa
namarra .'iraacra
na.aUl-aaa
AKcrraira rm-nrrr >-
p aTaiali.ii<-aa
Ferra j^h'4r.
MMn ?' '
it therc:-r..l'ri
M
; id -n,.:., etc.
Rival sem segundo
^(^^f^^^^^tele^, Kua do Queimado ns. 49 c 55, loja dt,
miudezas de tres portas, est ijuei-
niando tudo bom ebatato, quem qui-
zer ver e admirar vetiliam loja do
liiiioilintio.
GR ARO
dos tamanhoa.
Lsuelof, ie dous vidros com aro de aro5 Lualo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimcdo
n. 16. recebeu irm bello sortimenlo dedo-
netos e oculos de vidros com armario fina de
'ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
! por precos razoaveis: os pretndenos diri-
jam-se a esta loja na ra do Queimado n. 16.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo emais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcarvee para observares epara os
rearitimos.
A dinhetro
B.1IE
h
0-
ecriio
cha
Vende-se ricadinho francs a 200 rs. o covado,
por ler grande quamidade, esla-se acabando : na
ra da Imperalriz n. 52, loja da poru larga, de
Paredes Porto.
Acha-se
a 3SO rs. na loja do Pavo.
Laziuoas a 320
Liiaiinhas a 32g
Laaziulias a 320.
Vende-se um grande sortimento das mais linas
e oais bonitas tuteabas matizadas com os mais
lindos desenhos, seodo lazenda que val cinco lus-
les, e vndese pelo baratissimo preco e urna
pata-ca o covado por ser urna grande prcSo desta
linda fazenda : na loja do Pavo, na ra da tmpe-
ratriz n. (0, de Gama a. Silva.
Laiiaias gariltaldinas, s o Paras vende a 320
e -100 rs.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
laazinluw gat ibaldinas com boa de seda, sendo to-
dos os padroes miudinhos com as mai lindas co-
res a mtacao das sedas de quadnuhos, e acabam-
se pelo barato preco de um cruzado o covado, islo
pechinclia : na loja do Pavo, ra da Imperalriz
n. GO, de Gama & Silva.
Vestidos a i -j
Vendem-se cortes de vestidos a Mara Pia om
barras bordadas, pelo baratissimo preco de fcO00
para acabar : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Kaziolias a ICOrs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonilos padroes, sendo lisas e de quadros, pelo
baratissimo prego de 160 rs. o covado. isto para
acabar : na loja do Pavo, ra da Imperalriz n. 60,
de Cama & Silva.
Manguitos e golas a 500 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo bara issirm preco de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavo, ra da imperalriz n.
60, de Gama & Silva.
Cortes de chita do Pavio
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covados a 2*400, dilos com 11 covados a
2*600, ditos com 12 covados a 2*800, islo so
para acabar : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Ai asalhos para caneca de senhoras.
Vendem-se superiores aga-alhos para cabeca de
senhora ou cachins, sendo azenda mais moderna
que tem vindo neste genero ao mercado, pelo ba-
ratissimo preco de 3* cada um : na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
Cbales de rcpja i lo, \U, i;& 20$ e 2o, na
loja de Pavo. Sellins inglezes com borrenhas e lisos, silhoes
Vendem-se cbales de renda preta muito finos a para montara de senhora tambem iguaes, chicotes
10* e 12*, dilos de linho a 15*, ditos de seda de para carro e cabriole!, e para montara, todos de
linho dos melhores que ha em cbales de renda a baleia, fundas com elssticldade para ambos os la-
20 e 25*, ditos brancos de tres ponas a O, isto dos, e ontros mullos objerlos inglezes, e brides de
s na loja e armazem do Pavo, ra da Imperalriz Ipojoca : todos estes objectos vende-se pa ra da
D 60, de Gama di Silva. Qadeia do Recite o. 31, loja de selleiro.
venda na bvrara acadmica, na ra do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcia!, na ra es-
treita do Rosario a eompilacao de toda a legislacao
tendente admnistraeo, arrecadacio e fiscali-
saco dos dinheiros de Grphaos defunios e ausen-
tes, herancas jacenles, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a iei geral das execu-
efies, como tambem lodas as ordens e avisos do
governo. que a tudo lem explicado, (anto a respei-
to das obrigacoes inherentes ao cargo dos difieren-
tes empregados de justica e fazenda, como dos di-
reilos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impresso e bom papel, e preslando-se a ulilidade
de dlfferenles classes, lorna-se recommendavel.
Sea cusi 10*009 por cada exemplar em dous
omos.
Vende-se um escravo flor com 16 annos de
idade, muilo sadio c forte, muito esperto, tambem
se aluga oulro da mesma idade : no Corredor do
Bispo n. 15, a ver a qualquer hora. Na mesma
casa precisa alugarse urna escrava que seja fiel e
saiba vender na ra. <
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrillios, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Bot^jes para OS mesmos fins, sendo pre- Caxas'de papel amizade, e sem ella liso e pautado
tos de seda maiores e menores, enfeitados a 600 rs.
com vidrillios e pendentes e outros de d- Crozas de bo^-s de louca prateados fazenca mo-
derna a tbO rs.
versas cores. Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
bien? pretos de velludo tambem de sorti- Pecas de tranca de la lisas e de toas cores a
40 rs.
Escovas finissimas para limpar denles a 240 e
310 rs.
Pecas de lila de cs eslreius cora 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tiuteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Barnlhos muito finos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito lino a 200 rs.
Frascos e garranlias com agua de Colenia a
400 rs.
Frascos graudes com superior agua de Colonia a
C40rs.
Cairas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
1 1*400.
A pessoa que arreaiatou as Biolezas existentes Sabcneles pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
na loja da ra da Imperairi'. n. 70, uereudo ac-,! 320rs.
bar logo com as raesmas, vende por caos de me- Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
lade de seu valor os seguales objeetoc, a saber : | Agua denlifice superior qualidadea 800 rs.
Aljofares, masso a 240 rs.
Aberluras para camisas, urna a 320.
Alamares para capotes, duzia a 500 ns.
Argolas para qnadro?, duzia 240
Baieta para vestidos, libra a 700 rs.
Brincos pretos a balo, duzia a 3*.
BolSes pretos de osso, proza a 120 rs.
Bico de blondo largo, v..ra S 500 rs.
Dito de dito eetreilo, a 120.
Dito preto lar*o, vara a 100 rs.
Dito dito es'.reito a 50 rs.
Ba hados para toaJhas, vara a 80 rs.
Gordas para viola, duzia a 120
Clcheles em caisinias, duzia a 360.
Dilos em caixinhas, da trra, duzia a 800 rs.
Colheres de ferro, groza a 3*500.
Ditas de chumbo para sopa, duzia a 400 rs.
Ditas de dito para cha, dozia a 240.
Franja de algodo de cor para toalhas, vara a
40 ris.
Dita de dito braoco para toalhas, a 50 rs.
Dita de seda, vara a 200 rs.
tila de la, pega a 200 rs.
Dita para coz, pega a tfO.
Froco de cores, peca a 160.
Fivelas para colleie, duzia a 320.
Fita de retroz prelo e de cores, per;a a 280.
Fivelas douradas para caiga, duzia a 500 rs.
Fila com clcheles, vara a 100 rs.
Linhas de carrllel de 200 jardas, Alexander, a
40 ris.
Lapis, duzia a 100, 200 e 240 rs.
Laraparinas de seis mezes, caixinha a 40 rs.
Latas, libra a 1*800.
Linba de peso, meada a 60 rs.
Obreias de massa, caixas duzia a 400 rs.
Pentes de massa pan atar cabello, duzia 3*.
Ditos de dita dito a fiOO rs.
Renda de fil, vara a 20 rs.
Suveas para sapateiro, rnasso a 1*400.
Suspensorios para escrotos, um 300 rs.
Tranciuha de la e seda, pega 800 rs.
Tranca preta com vidrilho, vara a 120.
Dila de seda, peca a 1*80 '.
Dila de la de cores, pega a 240.
Voltas prelas a Mara Pa, urna 1*.
E outras muilas miudezas tambem em bom es-
tado, que pela grande quantidade nao possivel
descrever-se.
Vende-se carne do serto muito nova a 400
rs. a libr, e de oilo libras para cima a 360 rs.: na
ra de Santo Amaro n. 8, e na travesea da roa
Bella b.JL______________________________
Chepero aos cor-pinos de cambraia.
Vendem-se corpiohos de cambraia com ntre-
melos a 4* e 5*, estao se acabaudo : na loja de
Paredes Porto, ra da Imderatriz n. 52, noria lar-
ga, jua.o a padaria franceza.
Calas eom superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
i 1*200.
i Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
aSOOrs.
Frascos com dieiros de lodos os precos a 160, 200,
2O e 320.
; Fraseos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito tinas para senhora a
| 4*800.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs
I Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
.Pegas de fita drf la para dehrum de vestido, com
1 10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
' SOO rs.
Pedras de lousa para menino a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
i Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos. boa fazenda a 500 rs.
' Grosas de botSes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
' Novellos francoces com 20f jardas a 40 rs.
i Pegas de liras bordadas a 640.
; Duzias de meias mas muilo fortes e superiores a
, 3,5500.
CAAS DE FEMT
Grande sorlimenlo de camas proprias para col-
legio e tambem para quem quizer passar a fesla :
vende-se na ra Nova n. 33.
ICO':
gi.almentc o Xarope d'lodure drtiplo de
Ierro e de quinina do mesmo anthor para *
pessoas qne no gosio de m'1 "renlo so- ^
ma piular e os meninos, la r-r* n- -a
como o xarope d'n rt de ferro. tfW '
de allerar-se e de s ?c poder cons. -.-.
Pecs-se o folheto q'te se d de gra^a -1 rtm
dos pharmaceutii os lieitsiiarioa.
fara-se evitaren :asic*;6es, exija o
prador em cada frasco de Filla o Xarope a j-
signatoradoinvevtor. -,-_
Depsito gerai em Varis, pharmaaal\eiii.'Bi
442, ru dn Bac. e em todas as boas pnarranca
de Franca a dos puizes esirangeiro, se.
Os pninuus ... bitmutti de Cbevria)rrer?:
superiores a lodaa a cnra pfparaeiiei .-
bismuth erupi cem o maior i';tsssn
pelo mdicos de wdoa o* pa ', para prev ni' t
curar as
Mm-rhi-nn ehranlraa. i Mea a'l;;.oa
QylUflM. j ia-.lrli..
ti-- -i- tVtdmE I Kalirala-lai, e*
Dvaprpalaa i
Os primeiros sy-apiomas d'essa- :orrrt
tffeceoes se Bauiiestao ordiasvanBcni
toes laboriosas, ii:,lwne*. flOap#rj tile
'estmago depois de cada comiila. i'.:fai
tomacaes, e, muitas vezes, por npmmm n
com vmitos.
Esie estado andrbido, M o aaMdll\ *
vilavelmenie, que seta:
6wmrr**e*
narra a> aaaftajn
Irrltea4e artU-
m lrli h.
Maleatlaa de Oaaala
A Ictericia.
Palpitaran rtr carama
area rlna.
Os granulos Chovrier Uo ordenado _
sommidades medteaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as .piando do toouuiu i
tempo.
O preco de eada frasco de 4 francos.
DepsitogeraJ em Paria, pharmaeiat
e em todas as pharmacias de Franca e dos
esirangeiros.
*
z
%S
FIGADOde bacalhau
y
M
0 VILLAR
Com loja roa do Crespo n. 17.
Recebeu de Paris sedas era corles mui-
lo superiores e bellissimos padres, e
| chales de renda pretos para 10*.
Esle importante estabelecimenlo torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
pg riedade de fazendas superiores e beos
gostos
Proteja o bello spxo ao Villar
H e vero todos a prosperidade.
aslalS KBK-IU9

CHOCOLATE
De
Musgo de Islndico
Vende-se na botica de
P. Maurer d C, ra Nova n. 18.
P eo processo de Chrrrirr. pliarmtr.iiiir
Paris, ra do laubsurf HaulmaUe 21.
Este oleo de om ektin ajiadarcl,
um sabor attwearado o nico ijae nri.
nem o goslo. nem o cheiio do Mgy. ,?-
jeclo de Doneresoa relatorins s.-i.-ntifi
mdicos, este mdicamente que goza ew
Franca de um successo to raro como Na
merecido, receitado diariamente
principaes mdicos dos hospitaes de Parts.
O OLEO DF. FIGADO DE BACALllO bESiXFt
do ferrit.i.noso emprega-se com osmai-.r s
successos nas molestias em que se erni.r-.- .
o oleo quaudo s3o acompanbadas .
dade e aloma.
Venaem-se no Hecile em cas de Car r 4
Barbosa e Joo da C. Bravo 6 C.
tiimdx
O iirophela faz sciente ao respeiUvel pabl-' e
em particular aos seus numerosos fr.pueses ipiK
receb-ndo urna prande porcao de sacras eom fari-
nha de mandioca, est resolvid > a vende-las per
baratsimo prego, a ellas : aa roa da* Ciato Pja-
las n. 86, e ra do Kanjzel n. 49.
Vende-se nm sitio em Bemfira a' margen t
ro Capibaribe, com bastantes commodos para anv>
grande familia : tratase na ra Nova n. i\, da- 9
horas as i da tarde.
GAZ, GAZ, GAZ.
Gaz em latas, o melbr que tem vm4o ao mer
cado : vende se no armazem de Birus A Siiva,
iravessa da Madre de Dos n. 57.
I
II
UflMUl r
MUTILADO



\

Diarlo iie PerjaaiMhnco Secunda lelra 30 de Oiiiuhro de *.9.
Mft
N. 11-nBua do Queimodo3. 11
A loja de fazendas de Augusto Frederico dos Sanios l'urto^cabaude, aaeeber nm mn
j' lo srande e novo soni nento de cortinados bordados paramuna. euntus.a 36*. 40*, 4o*.
Lindas mantas para grvala, de variadas cores, a tfSOO e 2*.
rachinez de la de diversas e bonitas cores a 3*00ue.4*.
Chales de guipt, fazenda a raais moderna,.ail6*,:a*rJ*-eu2o*.
Roundes de guipti, tambera os mais modernos.a. 265. %
Col .mas do sa, de fr para cama de Dpi vos a.o* e-60*.
Alcatifado linho para salas, lazenda larga, bonita u dolomita, duarao, a-000 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, cGm ricos, deseuhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 7*, 8*, 0-3 e 10o.
Capas e soutemtarqnes de seda preta para senhoras.
iiets, chapeos e chapellinas para senhoras, du; gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a 12*.
Pecinlias de Qoisaima bretanha de linho a 7*300.
Lazinhas de quidros a 320 rs, o covado, setira de-Paris-a 700 rs. o covado, e cam-
bru!:s francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiraa de quadros, moire aplique pretos e de cores, pannos e casemiras. prelas,
grosdenopole preto e de cores, esguioes silesias e camliraias ee .linho, foriimento,,de diver-
sas faieadas para luto, rhapeos de seda para honvns a 95 c 10*, chapos.deso de seda,
lindos manguitos bordados, e outras muitas fazendas que se veudem por presos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
lilUI
jias tjmuLvmoi/kA -:
:Wo tuUmo .vapor viudo da Europa
jSupetirei4ortes.d'Mda.de cores o que tem rindo a Pernambueo deumelhor gosto
araeda.
vAssim como raais.algumas fazendas de bom gosto para vestido.
fWTA IDO CRESPO M. 13
LOJA DE
Antonio Oorreia de Vasconcellos e C.
\ ^ g^n.<^aaQSs^^^aoaft < .fin Q^dffitfb
TES OE EII.i
.aram pelo paqueto.ioglez riqusimos corles de moreaaliqae de cores, e seda iavrada pa-
.:' intainuBeate novos.
Seda de guadros por 1$000 o.covado
:5-?fl* DO CRESPO5
Ctrcgoro Pae?. do Amaral fc -Companhla.
AO tflESPEITAMEL PlI-BUGO
A ttSJH .abako publicada serve de base de presos,
tanto deste aumazem como Jo.aifniatzeniiprogFessivo.pa-
tooidoiOwmo n. .9, .piincjpal armazem ra do Impera-
dor ,n. 10.
Eaaera,scie6tei,aOf reapaitavel. publico, e com especialidade aos senhores de en-
igeBbos,4avfad Qeraram estpetela res dos tees paneles ar-mazens, reunir todos os seus estabeleci-
umaates am um >s aDauacio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
tno&.^uaMo iafnogiieeuios a (tabella* que abaixo vaipublicad, annunciar os gneros
.por jum pEeco, !e,narJcciai3oda compra -quererem-por ootro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, .potara nos nossos estabelecim-intos nio se dar isto
tajdaoai6mo1:flomi4JBejuaor.n8so,. qualqner pessoa poder-mandar seus fmulos que
serao tam. em-serwdes como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de juandar seus
pedido&,era, eartas. feadas; r.paa-evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna canta
pea qual se ver os precos..tal .-pial anounciarmos, o-que aaaSo arrepender pessoa
alguma^que i fiaer-sua despenca em nossos estabelecimentos; -pois poupar-mais de
o -pon ceutu.Ba-sua despega diaria.
ENCICLOPDICA
s 3 *u:>-ila impei'arz u'inazeni
.la prta larga *.
Jamao a aaJarla ftradceza de
Parches Porto.
' i '-! ibelecuTtDlo pnnnirar o reapeitavel
o um cariado sorlimento de Gateadas trance-
lezas, snissas e atlemes, que se venderao
r prego commodo.
Paredes Torio
Ven le cJi les de r. n!.i de coros que se vende-
r' ; a 180 osla -vendando por 63, ditos pretos, fa-
va, ->~.6-5, *a 30,5, um.sorlimento eom-
llmeteles,.capas ti soutambarqnes li3 a
da Imneratriz n 4.2, |unto a padarJa fran-
::. icm da porta lar(a.
Pandes Porla
Paredes Porto
Receben pelo Dltimo paquete francez ricas lasl
gran.-.dinas com fl ires de seda a 100 e 309 rs. o
covado, estao aeabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria fraaceza, a ra
da Imperatriz n. 33.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, comosfjjm madapolo a 43300, 33, 65 e
10ft peciw de alf>o4<) por barato re^o-.ehMa fran-
ceza a 2i0, 280. 320. .'iGJ rs. o evado, precalias
muito linas a 360, 100 rs. o covado, chita ingleza
*.200e 'tO rs. o eowda Ra di I;nperatriz n.
52, junto a padaria fraaceza.
Paredes Poito
Vende eanas de eOr propria para roopa de me-
ninos a o20 rs. o covai?,. risnalo fraoeez fino a
320 rs. ccavado. Ruada Uuaeratriz-n. 52, junto
a padari i fran ceza, porta Jarga.
Paredes Porto
R'cebcu pelo nltim-J paquete espirtilhos a pre-
gnieosa por 3?. sao baos, lencoi.do seda para se-
nliora ehooiem a !>,- ros cortes de cambraia
n ;.;n eMnpleto sorrimeate de ISasinhas a
bordado* do if!,
esto se arbanlo, na ra da Imperatriz n.52, ion-
\x. c.va.i..., para aeabar, camhraias de. t0 a -padari: (aanesza.
. i-novad .riscalo cscossez para roo- r\ ---------------------^____
iJV 'i m>' ':;iH) rs 0 annazein da arara est fi-
a. -. juol i apadana loancesa,
%kor> rs..a libra. worrafa o a>4,oo rs. a eanada.
fdemproto auperior.de: l58oo a.-2,uoo rs.! Mussas
3 lll,ra- j Macurro e talaerim a 360 rs. a libra e
'.Eliseoules i5,ooo rs. aeaixa.
Latas com suporioi; biscouto iagJez do di-! tltassas
a J, por: r. un ti-qua defliofo,' versas/marcas a t,to rs.-a.Jata.
ni : i ; r i lai
Paro:.: Ri re
'"i Hn para cama (roncera a
c atbraifl lisa fina :i 35 -5 at 103 a
'. i-. i.-: i I l .itit<>> r.-tos a.tS'OO
ia 001 : s la, r istos Intel i a-
>*> i 100 "'. -. t ivtvado.no armazcm
zendo liquidnoao etodas
as qu liddiles de fazendas,
na na da Imperatriz.n,'56
[rao era
i '. .'':. na ImjieraCriz junio a pa
qualquer
Dann! 's 'orto
. i- am sorlimento de
!:!::.> i :. |) -i ..;>. b nitOS caxiltis
. de di n. Ra d.. Imperatriz
D 52, ai -'. i i ; -ra larga.
Bapedea Parlo
'..... tes; minio preto para vestido com-
!a um 33.5'i0>, nisdenaple preto a
i, : 10 2$ o covado, laaa las unas a 400
da Ti-.irinly.flara-valido; enfes- tos'bonTa fi0
: a, i 3.0 rs. o covado. Roa di-Imperatriz n. o2.
srmaseni da aorta larga.
Lojireogo Pemra Uandes Gnima/aes, dono do
, grande e^tabeieeiiaento, tem resolvido. vender as
fazendas por menos do que em outra
parte, meos 30 por eento.
Gambraias brancas isas a 3#00.
Vflndem-<- oambraks bianoas liaos a 4000
34300,15, 14500, 34, S4500 < 6.5, tapadas a 6^500
e 73 : Mendes fiuimaraes.
Chal-s de ineiiiii a SiOOO.
Vendem-sc chales de merino estampados a 23
merm liso a 33S00.
Cobertores de algodSo
MAWFJKBHA
-Maateiga i gleu perfeitarntate flr'che-
gada ullimamcute.de.l,oooa,l,loo. rs.a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Maotgiga franceza.da safra.nova.ai8Go rs.
a libra e em barril ter.abatimento.
Banha reftaadj superior.,a.G4o."Ts<1e em
barril ter abalimento.-
Cha uxim de primeira e superioPiqualida-
de.a:2|8oo rs.
dem lijasen o jnolhoi*' wtste genero a
2,6oo rs., anteada em porcao tcriabatimen-l
to, tambem ha proprio -paramegocio de 2 a I
^Serveja
Superior serveja Bass dos,,melliores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,ooo e 7,ooo rs. a rjezia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria o Alcope a 5,ooo rs#a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre #
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. s
eanada e 280 rs. a farrafa. Tambem ha
mais baixo para-2oo rs. a garrafa e l,ioors.
a caada.
Aceite doce
Snperiorazeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
_ a ^ AlrSEVEDO FLORES
iKua daUdeia,dolk(iie, esquina da Madre de Dens.
iraflde ..sotUahoIo de fazendas por.alacado c a taino, e uai vtmaleta arli
aieflto,fo4,B*a,feitit,,dei*aswuira,cdeaiim, tido,or
ootra unaIqnei-parte: qnem>etov*Jar vauater
de lindas -e finissimas casemiras escoras celaras, .de.superior ca*emiu arria rtefinM
bnns^rancos e bom brim pardo. p aauo05
Paletos
ta rfflaf ca^mjras"esa,ras fia alpalia,branca, deauperior alpaka pre-
Golletes
| de boas casemiras pretas e de cores c de,ino,b-im beanco.
Superiores camisas /raacezas de 2-5 at ">&.
oCaraiilas.
Ceroulas de superior bramante defino linho.
Italoes.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
> Grvalas. e*anantas.
Superiores mairtas para pescoco dahemem, :as asis mod.^rnas do aereado.
- Mtulapolo.
Madapolao bom a 85, 0& |05 e.12,3.
i)iiai>as Superiores chapos de sol de seda balo a 10J.
Fraques de casemlra.
Fraques de casemiras, preta. escura e de cores claras, e nao havendo aoe sirva
ao freguez manda-se fazer por adida e com muita pnaapiidao. q
Todas estas fazendas por preeos insignirtcantissimos, pois o filo do Balo ad-
quirir freguezes.
X.OJA DO BALA
DE
*/K\IIM A: FMHtl S.
!
^Superiores -passas a'l,3oo o quarto e
*vmm be Fzcmis
e com um pequeo toque de
BeataaMatea j 5,Soo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
.liaias eom-bolaennlws!'dateredrtada fa-rs. a libra.
lrica do beato Antonio,- propriaspitraidar a i
doenles de 2,ooo> a a,o:jo rs.. a lata. I ^CaEJtClHRA
dem com qaatro \ br-as tla>bolaeliinla de: Genebra^de.laranja verdadetra a-to^Soo a
soda.a-2,000 rs.,alata. duzia e l^of rs. ao frasco.
i QnfMAQ Genebra }|e lloltan la veniadeira a 6,ooo
rwi^ n ^ut,J, ,., :rs. aosqiwraeaeors. o frasco.
J > n;,moa??5 i-'iie";d0? no -Ullimo Wamde gakaada em botijas a 4oo rs. ca-
vapor a 2,ooo rs., tambem ba do vapor pas- (]a ums. J
Garr.ifes com 24 garrafas de.genebra dej
RA1 DO QUElMADO N. 27
- CU&T-Gf IIO S'A K*"AfiltO C.
Pecas de madapolao fino francez com 22 c 112 varas
mofo a 84000 cada peca.
Cambraia branea para forro a i5000 a peca.
Lencos de camhraia para homem-ementnos a'f 5600 cada du/ia.
Gambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 26<> rs. o covado.
Laas de cores muito lindas a 3'>0 rs. o covado.
Ra lo <|trclru:Hlo n. J. ,irmi/fi le faaeDdas.
CIinCOLATE
Chocolate hespjnliol a l,ooo c l,2oo rs.
a.libra, francez e sm.to a l,ooo rs. a libra,Sooors. cadaum
Hollanda a 8,ooo rs. o garrdfao." Tambem |
haaftaaaaas cein & e l garrafas de 3,2oo a
&^-:- ^^^>,^
ParedpsPorto receheup"1!" uliim-) niquele nm Vompleto ?orlimnto de
honrnns de cores rieamente hfeit-iiliH a 12?, l'3o 203 : na ra da
lojada porta larga junto a pdnri^ frnnceza.
eapas e
Imperatriz n. 55,
Vendem-se cobertores de aigodao aSOOrs., di
500, 23 e 33500.
Cauuniias de uma s cor,. ^
Vende-secaubraia de uma -^or a 320 r. o co
vado. -'
Ilota j de ';-si-guras a -J200 e 236D0 a vara.
Paredes Perl o
'Vende cortes de cambraU bordadas de reos
- a 103 e 12, ricos vestuarios nara .menina
>ino, ricos cortes 1 If, tarltana branca e de cor a (510 e 720
rs. a vara. .Roa da.Am^Mtfairis.armaiein da porta
a n. .*>2.
Itoiipa. frita
Paredes Parlo
Tem para v.nder por preco eommodo, pepas de i Sas bandadas
do lial o c m 10 varas a 75,8^,^5^0 de Vendem-se saias bordadas pelo barato-preco de
(.ara lencoes a GO a-700 rs. a vara/braman- WO.
Curtes de cambraia
Vendem-se os mais modernos corles de cam-
braia bordados, seodO fazenda de gesto, a iO^OOO e
Iticados pseocezes a 280 o eovada
Vendem-se riscados eseoeeses a 280 o.covado,
tiras bordadas a 15. ntremelos a 800 e 15.
Laiiulins a 220 rs.
Lazinhas finas a 220, 2i0, 280, 320,,-fiOe 400
Rna da Imr-eratrjz n. Wl armazem da porla j.r. ^^o-cov^o- .
unto a patria fraaceza, i'.nconira.s*. nste es- _Curtes de cambraia
menl9 u repleto sorlimento re paletos.' Vesdaaa os e s ibrecasacos, de todas aa>%ailidades, cal- et^*oOO.lUos swn-barra a-25800 cada crte.-Men-
'.' roulas, c.iiisas, pravaias, metas,J^s Gimares.
:. 'Ji'."- u:.::i,:7c para-cab^Qa, por i Chaubres
- '>- i-v>;- ara,-. ,;.cg.j--,ota.iji4id4>s*arf]az'm para acabar, peitos de Imii^ a 900 e 15, Icdcos de
larga. bt>bo tinosa >'0o 840 rs eoforiobos de linho a
< .-- ti-aenOercoiUrar o respe- 500 rs., camisas francezas a 15400, SOO, W000,
...oprima .yoi|Jeto ,Uento de >**40,.*|S0;) t> 358OO: s Lourenco Pereira Men-
M,jAias.aa'iai*ldes. > .i.'-..-.iria*ue r, ,i,(js- lojirecasa-' Corles de iaa
Ms ,i,Ui;8 par lo a 2400, 33 e Vendem-se corte, de Iaa a 35, 35500 e 4*500;
: .-. i5. dit.< meias razemn a Mendos (iuimaraes. PPW'
'i. dit bWaros a IQ b l-3, dUoi de pan- Van,_ ^ '''" lco,,crt,0> ,
- 6 i, RS e 105. ditos sobrecasaxos a 125 Ul,"G chitas para cubera a 2i0 ravlnnce-
e 253, dil m da nvrin preto a 63, 73 e 103 ral- i za a JU ri- v]''"- _
linm do diversas rpiaiidacies a 13800 'ii,; Caibrais.tde cores
. 3500 e (V300, dito* r.azemra 5-}[ Recebeu-se um nooa sorlimento de -cambraias
I 75, ditos pretos* a o3,ti5, 85 e. 105, .ditos decores ijue se v*a<\o a 300, 320, 360 e 480 rs. o
eazemlras a 33 e 45. eotetes de diversas (;*>vado.
.. -T-:.!.i-bancpzas de algodn, ditas de Casemi.'as
litasd ; bramante a 25 e 25500, ramizas de ] Veniein-fe cast^nira.- a 15280 o covado, finas a
linbo fran.i'ws 'i; ffiSOO o 35. Gran- 25240-tjfl00 e 35 o SMtdo.
cbincha nese genero, grvalas de todas as ------------------------------------------, ,
l^alidades e brancas para casamento, grande sor1- 'laf'taaRajvr mi eolares ano-
10 de meia para Minoras, cKas para horneas liaos
' ','-' -;':'"r!ws a 35500 e 43. ( para facilitar a denticao das criancas e preserva-
t. soroimanto de hap de sol del las. das convuksoes
de seda a 55, 73, m*AU,\ O Mn resoltado obtMo iinmas vezes ^ela
e portuguez a BQSl rs. a.lihra, em rporclo
tef abatimento..-'
smms
Saperiorvinho doH^rtO'da.rmais acredi-
tadaa^mrcas, como sejam: Madeira-Secca,
D'uque.da Porto, VelUo-Secco, Lagrimas do
Dauro^Maria Bia^ D Luiz,-Pedro Y, Lagri-
mas'Daees a otitras marcas a 1 ^ooo* a garra-
fa-e'O'.ooo a-12 ooors. adozia.
Vinho Figueira o Lisboa das-melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,."5oo e i.ooo rs. a caada.
VELAS
1 Velas de-spermacete a 6oo rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs
arroba e de 3Go a 4io rs. a libra.
1,2
0or
I franceses
.
l'et:I;Mclia .'Hiiiiravel.
le Bnrijjenuj de chambres a -5G00
e or
55
para cb ca, grande torlimento .frodiaio.i*orca nwguolio casos de oenvoi?o, o dtoticao das crisnea-, tem
altamente elevado o *eu b^ui merecido prest%to,
eJioje j se pAdediier que esto geralmealecoB-
-. ra homsm a 25 a dozia .ii.':-**"-'""''^. e estimados Je innumeraveis pas e
abo a -'5 o 53. tantlas : dr nos nnrfj'ie do uso duses salobres
lenio de roqpa-para meninos e oo-J*lfares "'ransalvos tras mu que seria eafadonlio men- *bi> e e wtros porqpe colheram daqnelles Ao
las. orpficuo'semplo para igualmente preservar-os
JPazCiS!lilas 'Ul)<~ A"?'m' rjclj^ gula branca, tendo em vis-
V9le^ superior merino pret'aoroprio paraca '^'J^l! filS1 222 "rod'!;in,"s Jg"
"senhira e ?eatfdos a 25. nstrim-da China 2/.**??* '"' ra;"",)U .T,r 0'1VO "
vado. Roa da !m>eraim| porta larga. K^^-Jt**^ wntnuara a-rarafce-
Piro^P Purin ." W-para une em t-mp-i alffnm a Jalla dalles poasa
",,v ,,n""-. r&nestaa(H4aisdo familia, os rpiaes ficarao
urempios certos de os artyir consJaniejnente.,8a fu do Quei
ma-m, I ja d'agoia brapca n. 8.
-Superior vinho ehamisso em barril a G4o
rs. a garrafa e a .oo rs. a cauada.
-Superior vinho de .LL4)a e FigueiFa em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooors.' a an-
coreta.
Superior vinho branca proprio paramis-
sa a 640 rs.ra garrafa, lamxtm :lia bkms bai- f
xo para 4oo, Soo rs. a garrafa e '3;2oo a
3,5oo a caada.
raixas concoma duzia de garrafas de su-
perior vinho 'flortleaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs.a garrafa.
CJMF
Caf da'Rio de 1.a e 2/ qualidado de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de .24o a28o
rs. a libra.
^SabSomaga de primeira qiratidade de'18o
a 22o rs. a libra
peixe
eem latas j preparado de I,ooo a
rs. a lata
ALRiSTA E PALN'CO
Alpista e painco rmuito novo de'3*8oo a
4,ooo rs.kaaaaaaba e deiMo e ICO rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, orno sejam: Jwo'Furtndo ra Serrias,
Manoel Perxoto da -Silva Netto, Castanho &
Filho e 'Brando o de outros -muitos. os
qaaes vendemos'pelo-modii'o preco de l.<5oo,
2, 2,8oo,.3,*ioo, 4,ooo, e ;",ooo rs. a caixa.
Licores francezes o portDgaeaaaaa l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Matees
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
|a.G*OTS. otcaixo.
Frutas
Fruas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem eafeitadas, conten-
do pera^pecego, ameixa rainha Claudia, a
-""..JCfrV


Receberam Gregorio Paes do Amaral ft C. mais um completo sorlimento de
Manufacturado em Challes .
Points
em caixao.
perche e outras frutas a n ;s. a lata.
e do ICo'a 21o rs. sendo I Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
llata.
>^m*<%M3&
WN9TI
^^
Uvas /pelo ultimo vapor.
Peras pvho Rimo vapor.
Macas pelo Dltimo vapor
Araeiaas,pelo ultimo vapor.
Passas jjelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fruttas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em .calda pelo ultimo vapor.
Mores pelo ultimo napor.
**k$&
-N
2
bord; r.'nento de (or.iinl'.os rica-
- 13 V '.-3 e o$. S o ukdes Par-
to, ra la i ) ;2; porta larga junto a
palana fruoceza.
Ch?.rgioa da Rabia
a lj a caixa ; na ru> la 5Iieda n. 43.
Queijos londrinos pelo Hl*no vapor.
Queijos flamencos frescos pe'o ultimo vapor.
Presunto fiambre .pelo ulamo vapor.
Tudo se vende barato m>s seguintea armazens:
na o fftr>fradnr n. 49, Veniadeira f*a-laeipa!.
Risa do iiicraado Uniiio e Comrnicrelo.
ff^arfo d Uaraaao ai. 9. Praga-essv.
Algcriennes.
MtoBdes.
Africaines.
Annamites.
Pompadoan, ele, etc.
Desde 10.-5000 a 80etO,
CHAPEOS 4 I \JMSH A O
"Novo-modcllo de chapeos ingleza de li.iissinu pabla para senhora cora ama
ampia banda de tifo de cores. /
de Iaa preta e de cores proprias para luto, ou passeio pelo diminutissimo preco de 105.
Seda rartttsada em peoas
padroes modernsimos .^ue faz oeffeito de um vestido de subido prero. Assira como :
ricos cortes de moireantique brancos, re cores, de gorgurao lavrado de Blood para ca-
samento. r^
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de'sida porttiguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos ohjectospara noivaf'o.
CORTKS DE TAKIiTAAA
com enfeites decores damesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de amitos bonRos padroes e feitios differentes.
E outras muitas fazendas por preeos commodos que vendem
Gregorio Paes do Amaral & Gompanhia.
5 mh DO CRESPO 5
Vndese
Bramante de tnho flao e^urfje para lences.
Rrirn lona encorpado e tino para-rountana.
Mantas para cavalln.
Cobertores de algedao de nm e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche.
Vender o wigeob Fnra-. iio Ijepne-
zia de Santo Amaro de Jaboaio, t.oin d'acna e
tem proporQ6>s para 2,tXI0 -piWs annuaes : oa pre-
tendentes dirijamse ao ntrenho S. lenlo, a tratar
com o proprietario, <|ue todo o iwgocio 6e faz a II-
nhfiro ou a praso.
sarro
Gal de Lisb
Vendem-se barrsom nal-de LisUoa a 65 cada
um : na ra do Bru u. 66, armazem d asoocar.
i:l de Lisboa.
Narua do Vigario n. If, 4* andar.
avando.
Francez barrica 5J000
Portlaod dem 8J500
Em perfeilo lado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
To armazem de Tasso Irmaos tes do'Apofla
tiiaala.
Checraram os benitos chales -t reloaaa aa galea-
re branens, e ven lem-se na roa Ta Imperatnx a.-
32, loja da pnrt? tarjta, de Paredes Porta
Chales de renda
Paredes Porto, na ra da Imperatriz n. 8% porta
larga, vende chales de renda de corea rom peque-
o tnqne de mofo, a 3*500 e i*, hienda aa MI
e 12*000. ^
ILEGIVEL
MTL. ADn t
k


Dlarl*
-.
egfi
fe'ra 3* ffwfnT.ro de *#*.
EfflABELEGIDa A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITATEIi PCBLICO.
A apreciacio dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
_ da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento ^de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do esirangeiro"podem ser
vendidos por presos asss razoaveis,
Sem a fa'.uidade de querer que este novo e interessante estabelecimeoto seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguiates promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridad nos precios, o
As pessoas que por saa posicSo social gozara de certo tratamento, sotarlo nesta
casa os melhores queijos locdrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguea, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da serte farao mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teig oassucir, etc., etc. de boa qualidade peto preco que em algumas partes nao po-
dera ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que oompram para ne-
gociar, devem vir, pele seu proprio interesse, a este estahelecimento para se convence
?em do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe om sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certameote mutto deve agradar aos senhore>
compradores.
Nao se teca poupado sacrificios, ncm se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DNHEiRO A VISTA:
Ghaixa era latas, muito nova, a 80 rs. cada
uraa.
h& PUBLICO
Sem o menor eousirnn
glmento se entregara
Importe do genero qortf
nao agradar.

ATTE^&O
v> preco da egniau
tabella pa* todo, pu-
dendo asaln* servir de ba-
te para o ajuste de contar
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da f onceleao)
PARA BEM DE TODOS,
Senbore* choras, o aceto qne presidio aos arranjos destenovo estabelerimento, e mais que todo a promptido e intev-
eza com que serfio trataiflftj convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvkla me darao' a proleccao e preferencia na cora-
rra dos eneros que precisare. e qumdo n5o possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
r-ois ser^otao bem servidos oobw seviessempessoalmente, havendo para com estes toda recommendacjifl, aflm de que nao vao em
tra p?rte.
talharim a 4oo rs.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do eroado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior quaiidade a 2,609-}
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a.
2;8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em- latas de
libras muito proprio para negocio* 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional eos latas de 4 e 2 li-
bras a l,6oors.
Alelria, macarr5o e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a G4o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de S caadas a
35,000 rs.
Vinko em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo,
Vinho branco de Lisboa de exceUente Quali-
dade a 4oo e ooo rs, a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,oo.
RIVAL
Hua do Qneimado ns. 49 e i.
Contiua a vendtr icda> as iriiurit-za* que a j.^j
declara por presos admiraveis.
Mansos de palitos lixados para dente a ISO nft
Espelbos de molduras douradas a t.>. 140 t itijti.
lfoneis de oliado para mental s a IK.
, Ditos de couru superior Botemfa a IJtMJO.
i Frascos com superior tinta roete a 2:0 r.
; Meiadas de buha (roa para boicatl: i
| taixas com 100 envelopes, (i/'i'1 l i
: Grozas de peonas de aro, fazenda : u: i
Grozas de bolts madreperoia luct a
e 640 rs.
Caixas com 30 novellos de Itaha d. gai a i .
Caixas com superiores brelas d. eol
I Pe^as de fila branca elstica con '.'
Varas de franja de laa para eni<>Min i
40 rs.
Haralhos dourados superiores ([ii-.m t .
i Novellos de lidha rom 400 jardas i 80 r-
| Litros para asseiiios de roupa lavada a 100r.
Pares de botoes para ponhu, ftteaia r;> tal:
Tesouras para costuras sapaateraa QDatah le
400 e i.
Caixas de pennas de calgraphi;., bieoda
15000.
Massos com superiores grampos a 30 r
Pares de sapatos de trscca e (api I
i Caixas rom superiores a(olha! '-
Libras de 15a sortidas de bonitas eOrM 1 .
Caixas com superiores obreias de ..--S...
Rjdinbas com alfloetes franc'tes Ki ti -
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 2,5400 p ''"' -
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e tj.
Duzias de tesouras com toque d> 11
bOO rs.
Duzias de facas e garfos de cabo pr< lo
Talheres muito fino par erian(aa 240 'f.
Pulseiras para meninas a 32o rs.
Ditas e voltas parasenhora a 500.
Paseos de Agua Florida vtrdadeira :. I
Fraseos rom supi rior Pacha a 2i" 1 500 r>.
dem preto o que se pode desojar ueste ge-; Vinho branco para missa em caixas de i du-
ALPISTA a 120 es. a libra.
dem e painco 100 rs.
Arroz de 90 rs. 9 libra a........
Amendoas, casca mita, a 280 rs. a litara.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas franeocas em latas de todos os ta-
manhos.
dem dem em potes de todos os tannos.
dem idem em bocetas de todos os taa-
nnos.
dem idem era frascos de lodos og tama-
nhos.
KIRSCH w; Wassi a 2)5 a garrafa.
W
LATAS*com gra a 80 rs. cada urna,
LrrHiA-a 400 rs. fi libra.

MANTEIGA inglezf. e france* do prjmeira
qualidade a 1#, a libra.
Marmislada dos mais acreditadas fabricantes.
Macalbo e talharim a 320rs. a libra.
Massa of. tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. 0 frasco.
Azeite doce de primeira qualidade z 360 rs. Molho inolez de-todas as qualklades.
a garrafa.
Alhos a 20C rs. o mclho.
Absyntiio a 2^000 a garrafa.
K
BLACIIINKAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 1800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de soda em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 15800.
Piscnos icglezes de todas as quedades a
15200,1650e 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez s GOO rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15300 a libra.
Chouiucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a"240 e 200 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba. ,
Consgbvas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
tVMiwGNE de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerneja da superior marca Tenente a jOO rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de oulras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Ilavana, Exposico,
Flor do Brasil. Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Missif-sipes,
Panetellos, Apraziveis, /arlas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
C:iA de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 25000,
22 Copos lisos de lodo os tamanhoa de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces die todos os tarnaabos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhs.
m
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ikvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de ararnta a 320, 400, 500 e 800 ra.
Figos de comadre a rs. a libra.
FehAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fomo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano era latas a 15.500
Farello ha sempre era deposito de 500 a
800 saceos, de lodas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os preeos.
MsjMSQoma vercladeiro de Zara a
Mapsas finas para sopa branca e amsrella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Vimo painjo e dpista, sendo mais de 8 la-
bros a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osi'as inglezas 6 americanas.
P
PEI'XE em posta, latas grandes, a lCO0, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinba, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, encllente preparacac
Palitos para dentes a 120 rs. o majo .muito
grande.
Paseas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzi.
a
QUEUOS flameogOG.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUAlVlNIiAS OU HOMNQBBS a
B
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 1520O a libra.
dem francez a 25500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa-se
faz abatimento.
Sal refinado era frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23Pr.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steahinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azol e preta para escrever.
v
VrNHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamissoa 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carca velos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medos a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absynibo a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
Jpojuca
Brides e pieadeiras de**1"***^^*1****
Lhettarara para a loja de nfladezas da rna do
Qneimado n. 69, os mais finos e lindos calumrae
Vende-se na roa do Que Imado n. 32, loja de tanto para bnnquedo de meninos como para cima
Azevedo & Irmao. | de mesa : na mesm^pja se encontrar bom sor-
_______________________m timwrto de rndeetW'_______________________
Cnlbraias. Vende-sn barato o sobrada n 21, sito na rna
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran- de & Pedro Martyr, em Oliada, e um ierren onde
de sorliroenlo, a 35 at 61, ditas Victoria muito se acha edificada graad* parte da cidade do Rio
finact-coa 10 varas a 6, (l500 e 73 : na US da j Formcso, o qoal terreno estende-se da matriz at o
.(mperalrU fl> Si, junio a padaria fanceza, 1 trapiche: a tratar na roa da Untao n. 37,
ero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. e libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
[ara temperar panel! ou ^sra fiambre.
Queijos do reino cbegaesaesie ultime va-
por a 2,2oo rs., ditos oto aavie devefta a
2,000 rs.
dem londrinos muito frseos e de seperiw
qualidade a 800 rs. a libra,
dem pratc ? 800 rs. a libra, e inteiro -se faz
abatimento.
dem suisso o mais saperwv que tea vmdo
m mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portoguozas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muilo superior a 640 rs, a lata.
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa,
Vinho do Porto das melhores marcas que.
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duqsedo Porto, Rainba de Por-!
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a l&,ooo, 15,ooe,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Choras de superior qualidadea-16,000
a daziae 1.5oo rs, a garrafa.
Sardinhas de Nantes a W) :rs. os quarta6 e
64o rs. as meias latas.
Bolacbinhasnglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libpa.
Bolachinbas de soda em dalas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees coca bolo franeezfmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Sal refinado em frascos de vidrooom lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors. ,
L.narotos do aflamado fabricante Jos Furia- dem de superior oleo babosa a 3-> r
do de Simas, das seguintes qualidades: Caixas enm lunparinas para 3 mnn t Wrs.
Exposico Normal de Ha vana, Imperiaes, V:"
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 0,000-,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das mell.ires rxarcas, a 8ooe
1,-00 a garrafa. No armazern da ra do Itr.ierr.tlr n.
Doce da casca de goiaha a 2,000 a lata COm Caes de Pedro ll n. 2, tern pan v a ler-s
4 libras. Ibor gaz existente no mercado.___________
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libFa.
Matte.excelrente cha para os navegantes, a' "hias americanas de sema. ,-an d
2Q. r : aleodao : na rna da St-nzala Nova n. hJ-
Carlas de alfiaetes IraMttM a 100
Quaderm s de papel peqo" no a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda saperfnr, S00 r-.
Papis de apnlhas, fundo dourado. a 80.
Luvas de Jouviu.
A luja de miudezas na ra .. Qim lu-
do n. 16, resebeu-as por c-te u linuo vapci
G*Z.
Vendem-se
110
le
.r
Sebollas de Franca muito grandese novas As mclhorc-vhilas fraiK'/is de cote
Copos lapidados para agea a 5,oooc 5,5oo';Passasmuito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para viebo s 24o rs., e 2,4oo rs. Paseas de carnada a 8,eeo a caixa e 4oo rs.
a deeia. a libre.
Chocolate franceE espfa^ol e suisso a Ooo, Figos de comadre a 24o*rs. a libra.
.oco e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 600 e 6te rs. a li- Milo de amendoas a 5oo-rs.
DN e em caixa se faz abatimerrtc. Bolachir.ha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermet-icanentc la- de Br-'.to no Beato nteMO, emlate*de 6 li-
oredas e das memores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do g Toucinho-de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e8,5oo a arroba.
Banba de porco refinada a 600 rs. a libra.
Botaebmha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e ebeirosa
a 2oo rs. a libra.
Fraseos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,000 e 1,800 o frasco..
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,0oo e 3,5oo cada urna.
i Ruibes, excellenle peixe portuguez, em
xe a 800, l,ooo c'l.oo rs. Ameixcs francezes em fiasco de vidro com barris pequeos ou a retalho, a vista se
Vnha Bordea: -das mareas msis acredita- lampa do mesmo, a -*55oo. far o prego.
dss que vem o wo mercado a 7,ooo e Ameixcs franc Z3s em caixinhas de diversos j Azeitonas de Bivas em ancorctas grandes de
8,300 a cania e 04o e 7oo rfs a gar- tamenhos com Ifonifcs estn pas na ca- j g garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
raa. xa-esterior, a i .too, l-,0oo, 1,80o e 2,ooo | Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa e
Gencbra de Hetlawki a 48o rs. eijotija de cade urna. l,5oo cada urna ancorea.
conta certs. AzeUcdoce refinado hesp&nholou portugqez Champagne da melhor qualidade que vem
Fras^ueirasde ^renebra de Hoiismb a 6,8oe: a ?oo rs. a garrafa e o:ooo a caixa.
e 64o rs. e frasco. 'Batatas muito novssa -8o rs. a libra e2,5oo
Genefrra de i arar ja verdadeira en frascos ogigo cora 36 liora^.
grandes a i, 000 e 41, ooo rs. a frasqueira. Conservas ingleza* a "75o rs. o frasco e
Caf do Bio de 1* qualidade a 28c rs. a-j 8,530 a dazia.
bra e 8,ooo rs. a arroba. Vassoiras de ese&va para esfregar casa a
Cafe do Cear*. muito superior a 24o *rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5eo rs. a arroba. Heces muito novas a 10o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molhc inglez era garrafa de vidro eonirolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do-raesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,800 ajlfostenla ingleza des meiliores fabricantes,
arroba. a 00 rs. o fraseo,
dem de Java a 80 fc a libra e 2,4 a ar- i Mostarda franceza m-poesj prepada a
roba. 4oo rs. o frasee.
Painjo e alpiste a 14o rs. a libra -c 4,ooo a LeotiU&s francesas, excelletUe leguoie para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomates de superior qnada-sa 64o Marrasquino de Zara f
re. a lata de urao Ir'sra e 56o rs. a reta- i {$ a-carrafa e 1fiu.
Iba.
1 Psitoe do dente a (4o -s. o maco.
W AFftMIDO JflOTS?.
TenVee pelo prao de 24 o par lawas-aooa-de pellica e Jouvin, clieg las nc ultimo va por
para horaem e senhora : na rea da Imperatriz lj* miudez r-2- o.
---------------------------------------------------------------------------------------------,_ a1i-----------
CflnO<0*3S>>.0SB''H2
CT>EJ-SJfi3Co1 <; ~ c O o
ropranaente aitoe
a duzia.
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figesom sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos preeos.
Amendoas confeitadas-a '64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea 1,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 6-40*rs. a garnafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
escuras e liws a 280 rs. o
rovado!
Na rna do Qneimado n. 1 vendem-se efcitaa
cezas escuras e finas a 280 o eovadn.
Yenuese ou aliifja^e um nt-n lio 1 nicijio
da estrada do Arraial, rom boa c:.-a. a un; 01
Dioitos commodos, o sitio lem Bulls arvoit
bom banho, liaixa de !*.->pim, diversas planta(i -
etc., tic, torna-se recorr>men*vc! para ymi n
to de fesla por ficar perlo do Patrameinm.
passaui os mnibus e i,rev<- passara : ^tr;,
ferro: a tratar na 1 ua larga do i. osa rio sclraJo
n. 22.
ara
ESCB10^ mu
Aviso.
.-
a,
Ausentnu-se de ca.-a de seu sml 1 ..' 1 Y
Save, no domingo 22 deoplobro curenl
cravo Guillierme, pardo, idnde 20 ; t m
signaos siguinte.- : alturr- e corpo r*fi res, 1
compride, L sem barba, com nm prqurno >(iI i i* i
das faces, nariz e labios grossos, btm fallan e
muito aniipo de conversar. Ti m | r nri| io f!
pina e nartineiro, ja Irabalhou so m* stre V
em serviCO de ronduzir rarrts com pe
sabidos da alfandiga, mMh du*r SjB
forro, pilo que m ce r..panbia i!i rapazes
ja tt-m tradalbado em gymnasliri : dt .. 1 .
a larde sahia calgado e passeava pela S
ra de J0S0 Fernandes Vieira e Ci>f" ele. >.' ; -
mo da cima sabio elle raleado e vestido
misa de mariapt io, calca de bnn |ardV>, toi
de fazenda pela com quadrinho< branros t 'hi-
peo baixo de east>r preto, e con>t^ qne n b..r ri
no vapor Oyapock cerno praca do l- 1 a bi .
guarida* nacionaes, com deriiao ao Ki de JaL re.
Mas, podendo niio ser exacta esta n rlieia, n |
s autoridades do Recife e de (01 \ e a
aquelles pniticulares que detle MWberrm, I
tura do mesmo escravo, levando-o a 1! 1
R^tos, ra do Seve, cata 11. 10, oLd- .-era gi .
cado.
j.
,3*5
o 0
2.- as
Cu as
o. o es o B 5.
os *. _. Zr
CA
O^ 35 K

-.,-*2
9
O. S =5
"- -
a "^
Ul
_*-!3 w
o S a.
c
ca. as
a. o> as
*
&
CD 3 -jf O ~ .
-M sr g-s-a^ a*.,
as 1.P a aj^rr-as M '
Bhs*
CD -**

5 ga>
, *> os
S 3 S &-" = B
3 So: B rtr
a 1
Cu" >
OS "C
O "* as as
" en <
a-2
-I
S.-8g.|.i:ft
3 B.S-3 5.
a o 5 o
3 cu C s S
as

o
rS O O
Cu n -? 3
r"
.0
>
S
O
1
immwkm
de
e
oq O
S
g H

B. -ar
2.8 i
B
=
as
O.
O
&s?:
as 5
> -^
ti
s
o
i
cu
i
Tasso Irmos
Veudeni no seu armazem ras do
Amorhii n. 35?
Licor fino Curado em botijas e meias botijas.
Licores Anos sonidos em garrafas com rolnasde
vidro e em lindos frasco*.
VinhosUheras.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonne.
Champagne.
Muicatel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
PAecei lagniol.
Venem-se palrseiraa imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado- i es-
querda, depois > do becca do Espmheiro, tjos Af-
flictos
tr&lMiXkatt m pajra
desearocar ilgod
FABRICAn .6
ForPkatBpoh^s & C,
0LLU1
Es,ias machn*
podem descarocv
j= qualqaej especi
de algodao sen
estragar o fio,
** sendo bastaiMs
duase*sias.Baa
o trabalho; pd*
descargar urna
arroba de algo-
dao- em eanas>
em 40 minutos
ou 18 arroaj
por dia ou 5 ar-
robas de algDh
limpo.
Assim como machiaas park srem movidas or
animaes, que descarocam 18 arrobas de algoda
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutr>)s deosas aaaoaiiuu.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va*
porgue pode fazar mover
mencionadas ; para o qu
agrienftores a virem ver e t
xem de algodao, na largo da
seis ileas machina*
convidarse aos Srs.
lamina-Io, no arma-
ponte nova h.W.
Sauoeif! Bro lieps & .
N. II, prerfff do
RECIF.
Os aicos agentes oeste | tiz.
L'oppo Manto
Brea em barricas peqi enas.
Cera em vela* da lodos os i sonaba*.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigano n. 19, primeiro andar.
Vendem se quatro bui ras mulo mansas, boas
de carga e de sella, per prejo commodo : a tratar
no-hotel de Prfa._____
0 castalio de
Tradozide do fnmen po
Vende-se este bello
tomo* pelo baratsima preeo de 3d0C
oa praca da Indepeni
.li rr^iv/Fi
A (terread
t u
Seolwn-es e seoJiora*.
Os proprietari-s da nova lija e armazem de fa-
zendas e roupas fcitas, ra da Imperatriz n. 72, de
Guimaraes & Irmao, acabam de reduzir os procos
de-smsifatwKtas menos 20 o/O do que em outra
qualquer parte, afim de apurar dinheiro.
Lanzinhas de todos os padroes por barato preco
por ter grande porcao, a saber, 220 e 240, 280 e
320 rs. o covado ; vende-se lambem um grande
sortimento de chitas esireitas. pelo diminuto preco
de 200 rs. o covado ; ditas francezas largas a 2*10
e 260, 280, 300 e 320 rs. o covado 5 ditas preclaras
muito finas a 360, 4C0, 440 e 500 rs. o co'ado,
islo s na nova loja e armazem de fazendas e rou-
pas-feias de Guimaraes & Irmo, ra da Impera-
!riE.n. 72.
E' haralissimo.
Pecas do cambraia I ranea a 3o e 3^300, ditas
mais linas a 45 e 4*300 at 9$, cambala organ-
dys de lindissimos desenhs a 320 e 360 rs. o co-
vado, ditas muites finas a 400 e 440, isto s na
loja e ^uimacaes & limo ra da Imperatriz
n. 72.
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cuberlores de algodao a lj>, ditos me-
lhope a 1W00, 28 at 6*. grande sortimento de
chales de merino pelo barato preco de 2 e 25500,
3j, TUM n isVme lea* 8*. **> 8, ditos de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baratissimo preco : isto s na loja de Gui-
marioe Irrao, rna da Imperatriz n. 72.
Oh ijee pecbiocha.
Cambraias de urna s cor, fazenda muito mo-
derna, a 3i0 e 30 rs. o covado, vende-so por esto
preco por ter nm pequeo loque de mofo ; grande
sortimento de saias bordadas que se vende muito
batst : isto s na loja de Guimaraes & Irmao,
ra. da bnosrairiz o. 72.
Os mais modernos vestidos de cambraia borda-
Idos, fazenda inteiramente nova, por preco muilo
barato; lambem chegaram as mais modernas
maatas de seda pars pescoeo, e vende-se por com-
modo preco : isto s na loja de Guimaraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
Pechincha admiravel.
Este novo estahelecimento recebeu um grande
sortimdnto de riscadinhos escossezes muilo pro-
prios para vestidos de senhons e meninos, a 320
rs. o covado ; vendo se um grande sortimento de
entre-meos e babadinbos, e tiras bordadas, por ba-
rato prego.
Roupa feita.
t"ligio ua noile de 8 do eeirmle a escrava
Luzia com os signaes seguintes : nubla. 1
alia, secca, cabellos corridos rom* de 1
crescirios, olhos papudos^ rosto rrdoado, m
salientes, nariz curto e rombo 1 a extrenudade.
bocea pequea, be*c.u inferior meio cabido, dtclp^
certos, miios largas, bracos ron prior-. 1
grescas, (s grandes, trajava twftdfl di rfti 1 l s>
do e chale brauro : queni a appreh-rnVr. qu-ira
leva-la a sua senhora, no largo do Paraizi o.
segundo andar, que se llie rt com Mari.
aos capitaes de campo e ,
polica
200>000 ce gratieaifie per rada 9,
Dcappareeeu em principio do me; de ru:*. r
prximo passado, de bordo do palbalote oa
Arroi'o Malo, dous esrravos de n* me ll. berto. per
appellido Macei, e Miguel, o I* de idade 45 asaos.
pouco mas ou menos, cri Ble, cor fula, eslaton
baixa barba cerrada, nm pouco trrto das jerns.
e com alguns cabellos trancos, tanto gs bwj
mo na cabeca ; o 2* alto, cheio do rorpo, saa
ha, falla gro'ssa, representa ter de ?3 a 30 an,
cojos escravrs desconfiase sndareni petos ari
'des desla cidade : quem os apprrbmder. M
levar a ra do Trapiche n. 4, 00 a bordo d
navio.
Graiificaee de .SO*.
Ausentou'se da basa 59 da rna do Imperad-
(ouir'ora CoUegio) no sabbado 16 do eoma saw
de selembrode 1863, o escravo pardo r. n. me 0-.-
quim, com os signaes seguintes : estatura regolar,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps larg>-, vinos
grandes, cabello corrido, com orna cicatriz grande
e bem visivel na testa, parle dos d* Dle d; frente
arruinados, e rom falta de alguns dos lado, -s:.,c
com calca de brim pardo e paletol corto de panno,
mas levu mais roopa branca e de cor, moHo
astucioso, costoma inlitular-se forro e andar cat-
eado ; f.i escravo do Sr. Guilherroe Prederico de
Souza Carvajho, genco do finado Sr rrareeailrT
Manoel Gonealves da Silva : rogase a .-ua c.i;nra
a todas as autoridades policiaes e a qnalqner ca-
pitao de campo ou ontra pessoa particnlar qne c
apprehewder se gratificara com 5*4, alcm das oes-
pezas de conduccao, enlregando-o a seo senr.or
Miguel Jos Alves, na casa cima, ou no senes-
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.
Attenem)
Gasville.
I. J. C. da Oran
romance em qiiatr
encia, livrariang.
Acham-se fgidos os escravos segnliites : Beato,
Vende-se um grande wrtnenio de roupa feita ?ul?t0'Jm?e de 25 *mt*> e^os aD"<>li,*,s-
de todas a qualidades, palitots, calcas e colleles, farba dentes nm pooco limados, serr do rorpo.
camisas e seroulas: ludo isto s ,e?,a *'** e h,to nm l*0000 "^"Ca-la 1 e Lir*
X u*v* Uin iU i'.i74.nd ,\* finimo*. rr'oulo*Ja U Pu> velbo, altura regnlar, moia
Mi Hta lJ e l & IrmO. sim como na caneca, corpo reforjado, olbos js
Rui 1I1 Imneiiiri7 ai ** : ,aDt0 Pe1l,eno?. falla grossa e as rze finge 5
___?n^^_l^a!l!fJ!lJL!ll-.^ rouco : pede-se as autoridades poliriaes e aoa r>
Vinbo do Porto superior em caixa de duzia, pitaes de campo que os (acam apprebender e eo*>
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve- dnzi-los a' casa de seu senhor o major Aninaio da
do t\ C, no sen escriptorio ra da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vethr & 6., no seu escriptorio ra da Crar n. 1.
Sllv Gusmo, que generosamentp recompeasari.
e Ibes pagara toda deepeza qne fizt rern rom a na
conduccSo : suppde-se qne elles lefio ido em ^e>
gnimento dos sertoes desta provincia, por serial
fllhos desses lugares.

\


Diarlo de feraaoifonco s.-nnda feirft IO de Ouinbro de 1S*.
/
Escolas de agricultura cm
Frauca.
Sendo entre nos pruco coohecido o systema se
no entino da agricultura aorescuiamos aos' Poucas ""Coes sao insufTkienles para bem cora- prodatos agrcolas que dahi se podem colher, afim industriaos, comoo algod;
plantas que constituem a Os das 20, 21 e 22 passaram cheies de festa e
leitores a caria abaixo transcripta unde p
: mirar urna noticia ciroamslanciada nao ci
mcthodo do eii>ino cmodas eoiidiges que sao no-
cessarias aos que desajam seapplicar a lo olis e
pr< reitesos estudos.
:: ta carta feita por ara alumno da escola de la
Saulsaie, e assiin te exprime:
Meu irm&o e amigo.Depols que aqu chegaei,
d i principio aos meas tat los, vi que no
Bf -I se fa/, em peral, urna vida mnito errnea,
ni da nstrucgao, que recebe -se nestas escolas,
como da callara pelo systema oratorio, mas como
aire dos o gosto pelos eMudos aurculas, ja" se vai
desenvolvendo de um modo moito louvavel para o
nosso paiz, julgo convenientedizer-lhe alguma cou-
.a a este respeito, e que pode servir de guia a al-
gara dos nossos patricios, qae quizerem vir esta-
dal a agricultura.
Nao llie fallare! Jas grandes vantagens que of-
:e o systema oratorio, em compararlo con a
;a ratina ou systema de devastadlo que lase
. ; os meus conhecimentos ainda nao me per-
ma o desenvolver essa questao du um mudo sa-
tisfactorio, i
Farei apenas algumas observagos sobre as
ion Jiges que devem apresantar os candidatos es-
trangeiros, para entrar nestas escolas; darei urna
i dea mais oa. menos approxiraada do systema de
onsino seguido as e?eolas de agricultura, e por
B a ibe direi algumas palavras sobre a possfbitida-
di que ba de appllcar-se no Brasil os principios
i a |ui recebemos.
i lia em Franca tres escolas imperiaes de agri-
cultura : Grignon, no departamento de Seine Oise,
perto de Pars; Gra*d-Jouan (Loure-iiifereu) per-
lo de Nanles ; e la Saulsaie (Ain) pe'to de Lion,
em ludas ellas o systema de ensmo o mesmo,
ledas acbam-se providas dt excelleutes professores.
Em gral nao se falla se nao na escola de Grg-
n .'. A razo moito simples, esta escola acha-se
ii: j de Pars, frequentemente visitada por es-
Irangeiros, o que nao aconiece com as outras duas
que licaiu as provincias. Relativamente ao grao
de iostruccao nao ba difTereaca entre Grinou e as
utras escolas.
' Toco oeste ponto porqoe co.-iume no Mar-
mandaren) os mieos estudar agricultura com
a positiva de malrienlarem-se em Grignou, e
boje muito dilliea, e mesmo Impossivel que um
jiiraugeiro possa entrar nossa escola.
Km primeiro lugar o governo aqui mauda os
. andidatos eslrangoiros para a escola que lbe eon-
\eui; us calraugeiros nao tem direito a escolber
urna das escolas, malricuUm-se uaquella que o
governo desigua : em segundo lugar o numero an-
uual de matriculados limitado a ti iota, e uestes
ltimos anuos i .i se apreuntado qaareota e mais
francezes, e como ellas Uin preferencia, resulta
qae um pretndeme estrangeiro anda mesmo que
livessesidoo ; iin.-iro nos exames, nao poder
abl matricalar-se por falta Je logar.
i .\o auno passado me apreseulei em Grignou
. camprir as ordeus do uosso governo provin-
cial ; eu e lodos os estrangeiros, qae foram prepa-
rados em casa do fallecido Peplowski, saliimos oa
primeiros nos exames deadraisso, porm nein um
ns pode Qcar em Grignou, porque havia
quareuta e cinco francezes. O que resaitou ? J
perdendo a:u anuo semter vontade.
. c .Nao ten lo adiado lugar em Griguou, requer
, iverno nni lugar em orna dasootras escolas,
lo feliz que acbel um m la Saulsaie. o uui-
co que havia, d sorte que se um dos francezes que
nao achavam lugar em Grignou, fosse para la Saul-
sai, eu tena pendido um auno, perdendo o meu
lempo que me lio precioso, e gastando sem pro-
veito o dinbeiro da provincia, havenlo aqui outras
e. 'las onde eu podena rc-ceber o mesmo grao de
instruego que receberia se estivesse em Grignou.
t as outras escolas, como se acbam distante de
Paria, esse paraso terrestre, nao ha muita concur-
rencia ae francezes, e por isso lia sempre lugar pa-
ra os estrangeiros, que unta vez matriculados o go-
verno n.io os pSe fra para admittir os francezes
que nao poleram entrar em Grignou.
Ha um anao que eslon em la Siulsaie, e nao me
.rrependo de ter vindo para e=ia escola, e para
ella convido os meus comprovincianos que vierem
ou quizerem vir estudar agricultura.
i As coodicSes, que exigem os estatuios, sao as
iegoiules :
1. Certldo do idad-\ e que seja o candidato
maior de 10 annos.
c 2. CerliQcado que prive o bom comportamen-
to e co.-tumes.
t 3." Ura certificado de medico, que prove ter si-
do vacclnado, ou que j tenha lido bexigas, e nao
soffre molestia contagiosa.
Estes documentos devem ser legalisados. Quao
lo aos preparatorios sio oeeessario geograplua,geo-
metra, arithmetica e nocoes elementares de chi-
mca e physica.
Os estatutos nao exigera algebra, porm acho
conveniente que os estudantes se preparem n'esse
ramo de mathematica3 o melhor possivel, sem o
que lutarao com algumas difflculdades no curso de que qaerem conservar as maosiohas sempre ma- Se examinar-mos as
mecamca- cias Para olo perderem o prestigio perante o bello cultura veremos que pod. m ser devididos em das- regosijo militar.
Xo primeiro semestre damos algumas liccoes sexo; como elles se enganam I Quanto a mimas se anlogas as que acara de citar, classes bem Todos os corpos fecharam-se deniro de ama cer-
j dlstracus urnas das outr is, isto cereaes, como ca de ramos, tendo de espago em espaco arcos tri-
sores sempre suppoem que quem sabe geometra e No campo de estudo calculamos os pregos dos arroz, milho, etc. plantas tuberculosas ou de raz, umphantes.
arithmetica, sabe alguma coasa de algebra ; e es- differentes trabalhos sobre umasuperflele dada, e os como a mandioca, batata inbames etc.; plantas Em todas as noltes a iliumlna^ao resplandeca por
o fumo etc. s nos faltan- todo o acampamento, de modo a simula-Io ama das
prenender-se a mecnica nacionol, e resolver as '
Importantes questdes da mecnica agrcola propria-
menie dita.
Urna das cousas mais necessarias ais estudan-
escolas urna grande empreza, onde cultiva-se em
grande escala, e estamos constantemente no cani-
les estrangeiros, 6 fallar e escrever bem e fcil- P Para wmos a execu^o dos trabalhos o em-
inente o francez, disto que depende o nosso! PreG machinas, etc., etc.
triumpbo nestas escolas.
Tem havido aqu estrangeiros intelligentes e
de melhor atlingirmos aos fins da agricultura. | do a classe de plantas pi oprlas para feno, que nao mais bem Iluminadas cidades.
Alm do campo de estudo cada urna destas cultivadnos.
estudiosos, que virara-se obrlgados a delxaros es-
Todas as semanas ha um alumno de servico
na fazenda o qual lem de apacentar ao director,
um relatorio, dando conla minuciosa de todas as
tudos, porque encontraran: difflculdades no francez. operacSes que se acham em execu$ao do estado
Se nestas escolas houvesse compendios, como j das plantajes, etc., etc. Assira os alumnos acos-
enlre nos as difflculdades nao seriam tao grandes ;' tumam-se a apreciar as differentes phases porque
porm todas as licoes sao dictadas pelos professo- j passa a cultura, lornando-se ao mesmo lempo cui-
n-s, para escrevermos em cadernos, que sao revis-! dadosos e aclivos.qualidademuitoapreciaveisn'um
lados pelos repetidores e para isso preciso que' lavrador qualquer que seja o systema de cultura
o esludante esleja moito senhor da logua, para que elle siga.
bem compreheuder o que dizem os professores, e I Segundo a minha fraca opnio sao estas esco-
poder escrever depressa, afim de eviiar o irabalho ; las as que mais nos convm para estudar agricul-
de redigir e recopiar cursos, o que nos loma mui- tura.porque reunem todas as condicoes que nos sao
10 lemP- i nscessarias.
seis metes ou um anno antes do lempo dos exa-
mes que sao em ouiubro, segundo a maior ou me-
nor fauilidade que tiver cada um em fallar o fran-
Em frente as barracas dos offlciaes superiores,
Os irabalbos que ex gem os cereaes sao os vlam-se lindos caramanchdes preparados de ramos
mesmo em toda a parte, iorquo a constituigao e e ostentando gosto na construc^o.
vegetagao destas plantas n io mudam o mesmo ac- Viam-se no centro dos arcos balSes de papel for-
coniece com as outras c ases. Se por acaso se mando lluminacao com inscripcSes patriticas,ana-
apresenlam algumas delfeiengas com os principios logas aos festejos.
que aqui recebemos, pode ios aprecia-las e appli-1 No centro dos caramaueboes viam-se os offlciaes
car es melos conventeales para removelas. dos corpos respectivos em roda de urna mesa, cons-
EmQm na preparago do terreno nao eucoutro truida de varas, na qual faziam-se brindes ao tri-
essa impossibilidade de qut tanto se falla entre nos.' umlio que obtivemos.
Quanto a melhor p ca de fazer as nossas I A ura lado tocavam as bandas de msicas mili-
planlages, os meios" que evemos empregar cora lares Pecasenthusiasticas.repeiindo o bymno naci-
mais vanlagem, para prep rar os nossos productos nal iemP que um assumpto grandioso oceupava
agrcolas, sao cousas que podem ser decididas
cez o que nao to fcil como se pensa, principal- i paiz on'1e nada ha fei, e onde se tem da lular
depois de urna serie de b( ra esludadas observa-
res, porque ellas dependem de circumstancias
multo variaveis. .Nao quero dizer que o emprego
do arado ntrenos seja muilo fcil, looge de mim
lal pensaraento : o que ao encontr a irapossl-
. vs ,> A>.n. _-. ,. i bilidade, quanto as difflculdades as vejo perfeita-
iNao quero dlzer cora isto que todos que sal) -' .-
i-m ,ia.In ~..^i. a- mente, e nao sao poucos porera todas vensiveis
rem deatas escolas com um diploma estejam aptos com lrahaiho
para dirigir urna empreza, sobre tudo no nosso
O que nao se consegue Des'e mundo cora o
mente quando se lem de fallar n'urna aula, em pre-
senta de professores.
Como ecoia ae preparatorios indico a do fal-
lecido Peplowski, dirigida hoje pela viuva madama
Peplowski, sob as vistas e apoio dos Srs. Elabido
e Alibert professores em Grignon. A mensalidade
que ah se paga um pouco alta 685000 da nossa
raoeda ; mas a melhor que aqu vejo para pre-
parar aquel que rio dedicar-seaos estudos agr-
colas. La o esludante que souber approveilar o
s?u lempo, nao s prepara rauito bera as materias
exigidas para a matricula como pJ* aprender
commuias difflculdade; porm fique ceno que trabalho? Se muilas cousas nos parecara face,
quem nao for bom agricultor estudando bem nes- por'1U as ^'^tes ja foram vencidas pelos
tas escolas durante tres anuos, perca a esperanca 0SS0S anlelSSi'llos, eentretanto naoqueremos prs--
,je 0 ser< parar ura bello futuro para 03 nossos vindouros-,
. iwuj. ^,.i; j n. -i i ,. vistu que nos vai custar um pouco de trabalho.
Quando parii do Brasil muitos lavradores dt-
ziam me : O que vai o senhor fazer na Franca, i O nosso Brasil st destinado a eccupar um
onde a cultura tao differtnle da nossa, o que ah lugar disiincto entre as nac-5e3, e o caminbo mais
aprender no poder appicar afui.Si agora eu enro que pode percorrer para la' chegar, o que
perguntar a esses senhores, a razio era que se ba- "'e offerece a agricultura; qae abase mais solida
seavam para me fallar assim ; estou rauito cirlo para a prospe-idade de um paiz ; no de cm eele-
que um s delles nao poder nem saber respon- bre agrnomo a tela mais gorda do estado.
der. Este modo de pensar delles nao mais que | Podemos citar com orgulho os Estados-Cuidos
principios geraes de botanoica, zoologa, etc.. etc. ura PreJuiz0 n'ho >mo os outros da ignorancia.! da Amerwa do Norte ; esse colosso, que tanto res-
o que muito vantajoso porque todas estas scien-
cias do-se as escolas, e quando o estudante l
enlra ja tem urna idea sobre os cursos que vai es-
tudar, ja est farailiarisado com essa llnguagem
scieutifica que muito faeilila o estudo.
as tres escolas agrcolas de que tenho fallado,
a instrueco c a mais completa possivel. Aqui
uao se aprende s a cavacar a trra como dizem'
algumas pessoas entre nos: damos todos os ramos
de sciencias naturaes que lera relagao cora a agri-
cultura laes como physica, cbiinic.i, rainerologia,
geologa e meteorologa applicadas, botanoica, syl
viculiura, arboncultara, zoologa e eogenharia ru-
ral, estudos uteis e ao mesrao terapo muito agr-
daveis. Alera destas scieucias fazeraos um curso
de nieclianica rural que nos habilita a fazer todas
as coustrucQoes ruraes, conhecer e saber appicar
todas as machinas e instrumentos empregados as
dilf.-rentee especies de cultura, estudo muito til a
um bom lavrador : um curso de economia agrieo-
la, que 6 a base da agricultura, se considerarnos
os iras a que ella se prope : um de escriptaracio
mercantil muito necessario se tlvermos de avaliar
todas as despezas de urna empreza e sabermos o
seu producto liquido: um de lootechoia, qae trata
de approveilar os animaos empregados ua agricul-
tura, e.-tuJauJo as suas principaes molestias e os
melos de cura-las, procurando a alimentaco que
mais convm a cada especie, applicaudo-os as dif-
ferentes ragas, segundo as condigoes que ellas
apreseoiam relativamente aos trabalhos : por tim
temos um curso especial de agricultura, que trata
de todas as operares que se praticam nos terre-
nos, e uas plautas agrcola, aura de obler-se os
productos da maneira a mais perfeita e econmica.
Todos estes estudos sao inaispensaveis ao bom la-
vrador, em qualquer paiz, em que se acha, alera
disso loruatn a vida do .campo mais perigosa. -
O nico curso que aqui fazemos eque nao nos
til como lavradore.-, a legislado rural, por
que essa s pode ser applicada a esle paiz, mas
emQm mais urna acquisico de conhecimentos.
Nao julguo que o estudo aqui seja puramente
tbeorco, pensar-se assim um erro. Osagronomos
distinguera duas especies de theoria em agricultu-
ra; theoria pura, isto aquella que se adquire
nicamente com a leitura, e a theoria pratica que
a que se obtem applicandose n'um campo de
experieucias os principios que recebem-se as
aulas.
t A primeira, longe de ser til, pelo contrario
muito prejudicial, d origem aos castellos phantas-
licos que lem sido causa da ruina de muitos espe-
culadores. Asegunda, de urna utilidade mani-
festa, o verdadeiro raeio de aprender-se a agri-
cultura ; com o seu soccorro que podemos resul-
v r as Jitlkcis questoes, que se nos apreseutam,
quando dirigimos urna empreza agrcola, e esta
a theoria que recebemos nestas escolas.
Aqui applicamos todos os principios que re-
cebemos as aulas em um campo chamado campo
de estudo.
t Neste terreno todos os trabalhos sao feitos
pelos alumnos, lavramos, campinamos, plantamos,
colhemos, etc., etc. Desta maneira nos acostuma-
mos a trabalhar para algum da pdennos avahar
o trabalho dos nossos operarios. Sao estes iraba
Ibos praticos que afugentam muitos estudantes,
S3o dessas ideas falsas que propagante e enrai- peil0 nfuil<,e a iogiaterra e a Franca, deve
zam-se nos espiritos incultos, de tal modo que
rauito difflcl des!rui-las-, e algumas vezes s o tera-
po pode acabar com illas.
i Posto que os meus conhecimentos agrcolas
ainda sejam muitas limitados, contudo posso garan-
a siia
prosperidade e forc,a agricultura ;- o dosenvolvi-
ment que esta ah lem tido, tem sido a causa do
augmento da saa industria e comraercio.
Nao sao os nossos po5re3 camponezes, que de-
luaes devera so-pr a frente do movmeato, man-
dando os seus Glhos estudar a agricultura nestas
escolas ou n'utrasseraelhanies; sao ellesque de-
vem ae lembrar, que da agricaliura depende o fu
turo da nossa cara patria.
Escola de agricultura de ka Saulsaie, i de se-
tembro de 1865.
J. D. Fuakco dk S^
tir aos meus patricios- que os principios que aqu venv trabalhar para mudar o nosso systema de cul-
recebemos, podera muito bem ser applicados entre tura> desse3 nada [omos desperar se aquellos
nos e espere-que os entendedores da materia nao ; ^ue disp"em um meios pecuniarios e intellec-
deixarao de concordar comigo.
< Para apoiar a minha fraca opioiao direi algu-
mas palavras, muito emrwra nao seja a minna voz
urna autoridade.
t Varaos a ver de que lado esl a impossibilida-
de de se appicar no Braeil o systema de cultura
que aqui se segu.
Em primeiro lugar veremos so ella acha-se na
preparagao do terreno, que um dos pontos mais
imporlanles. Todas as operaces que soflre o ter-
reno para prodostr os vegetos agrcolas da manei-
ra a mais perfeita e-economioa variam com os tres
elementos seguiu'.es ; conposiQo da trra; estado
physico do terreno, e natureza das plantas. Nos
as escolas aprendemos a preparar a trra segundo
as C9udic;es em que ella se acha, relativamente
estes tres elementos,, e nao de um modo espeztal
que nao possa servir senao aqui,
c Utudando a emmica e mineraloga podemos
conhecer a composigao de urna ierra em qualquer
pane- que ella se ache, e para- isso nao preciso B
que o lavrador traga coms.go um laboratorio,, por, do Pio GroQ(le do Sulj ac3L d8 ser coroed4
que nao vamos fa2er urna analyse completa, para : pe)o mzi (eVn Tesa{l!ao no l8. do corrale,
a execugao dos trabalhos agrcolas bastante saber : Renderam-se os Paraguayos
man d.v c ei
Foi esle o boletim^que imp
do exercito imperial, circulou
bro prowoM passado- por todo
exercitoc.
Viva S M. Imperial f
Vivara os exercltos-alliados
. Prateos ao ejercito em op
A esperam; que nos anim
mos aniquilados sera gemer
esso na lypogrspbia
no dia 0 de sCeni-
o acampamento-do
rages I
va ha das de ver-
humanidade, o iot-
M
FOLHETIM
0 DEMONIO DO JOGO
e Uruguayana por
*? T.S." ";!?A JilZ &leme.nt0 Preomi- jcapitnlacao, entregando-se todo; como prisioneiros
es3omer qualquer
|iao seja o territorio
nicaco abreviada
Sr.goaeral em che
ra.
liberdade, que faz
nao podia ser mais
al S. Exc. o Sr. ge-
com os bravos do
ramandar.
hico, 20 de setem
to Pederneiras, te-
nte-general.
nante, o que fcil de conlier depois de ter-se cer-' de guer;a> podendo 03 offlciaes
los principios. O-estado e propr.edades pbysieas poato para sua re5deccia, que
do terreno depende da sua composicao ; por exem- ; do paragaay) segundo eommi
po sabendose que a argjla -o elemento que pre-1 que acaba dt} receber & Exc 0
domina na composicao de urna trra sbese- logo fe do Exm. Sr. ministro da gue
que esta tera rauita lenacidade, oppondj resisten-1 Para a cansa da civilisa5a0
cia aos instrumentos aratorlos etc. Quanto posi-: a principal missao dos alliados,
c,o do raesmo devenios tambera prestar alguma al-1 brilhanle esle iriumpho, pelo q
neral em chefe se congratula
exercito que tem a honra de c
Acampamento de Mandisoby-
lencao apezar de- nao ser cousa essencial.
t No curso de botnica estudaraos com.especia-
lidade as plaas agrcolas, devidmdo as em certas
classes, seguo-lo os irabalbos que ellas siigem, e: bro de 1861Innocencia Vell
que deve ser appropnado a conslituicao modo de nen^-eoronel depulado do ajud
vegelaco de cada urna della. Este raagestoso triurapho, seijefusao de salgue
No curso especial de agrcultara n;s sao indi- i cbtido pelas nagoes alladss, re ela a forga e poder
cadas as operaces que mais convm appllcar-sejdoewircito alliado, e a desnoralisagao em que
ao terreno, segundo a variago dos tras elementos! !em cabido as forjas de Lope t que, espavondas,
ja citados, e urna vez que estejamos senhor delle eotregaram-se sem queima de
a impossibilidade desaparece. I de estarem bem fortificadas d
Nao pense qae os trabalhos que-aqui fazemos | oceuparam
sejam muito dilero-ntes dos que la' devoraos fazer.
t A primeira vista parece que a cultura euro-
pea defiere rauito da nossa, porm se examiaar-
mos as cousas como deve ser, veremos que hamui-
ta analoga entre estas duas culturas. Aqu as
plantas agriculas sao devididas era classos como,
ja' disseinos, assim temos a classe dos cereaes, que
comprehende o trigo, milho area etc. ; a clase
das plantas proprias para feno ; plantas tubercu-
losas, como batata ingleza.beterrabi. rbanos, etc..
plantas industriaes cerno linho, casharao, fumo,
etc. Cada urna destas clases exige que o terreno
se|a preparado de um modo especial a natureza
dellas.independentemeate do paia em que tem de
ser cultivadas.
POR
REHIRIME CONSCIENCE.
(Contlnuafao.)
Honra-o muilo, Sr.Turchi, aardente amlsade
que consagrou ao Sr. Gernimo Se fosse seu ir-
m.i i, estou convencido de que nao chorara mais
profundamente a sua perda. E' bem generosa a
sua alma, seuhor. Gernimo era seu amigo, ver-
dade; mas ao mesmo tempo era um obstculo
realisago do seu mais fervoroso desejo. Pelo muito
a muito que o estimava, renunciou o Sr. Turchi a
todo o que sonhava mais bio. Este enexplcavel
acootecimento do desappareciraento do Sr. Geroni
mo nao ser para todos ura mal. Com o tempo, a
dr da menina Van deWerve ha de uavisar-se; e
quem poderia em flm fazer-lhe esquecer Inteira-
mente esta desventura snao o Sr. Turchi, que
possue em to alto gru, nao s a sympatbia, mas
tambem a alta estima de seu pai?
Ah, nao fallemos nisso, disse Simao, suspiran-
do. Baria toda a ventura que pode proraetter-me
o futuro para tornar a ver o meu pobre amigo sao
e salvo... Mas ai I j nao espero nada I
Mas isso nao me impede de esperar qae, se
verdade que o Sr. Gernimo j nio deste mundo,
receber ura da o Sr. Turchi a recompensa da saa
fiel araisade e da saa magaanima generosida-
de... Aqu o deixo. At amanha as duas horas,
nao assim ?
As duas horas.
O juiz Joao Van Schoonh >ven voltou para traz e
dirigi se para a praca de Meir. Simio Turchi
seguio-o com olhar pensativo ale qne deiiou de o
ver.
Eoio olhou Simio de redor de si, como se qui-
zesse saber se o da acabara de ha muilo. A obser
vagao pareceu convenc-lo de que nao tlnha tempo
a perder. Eovolveu-se mais na capa e entrou em
urna ra lateral a esquprda, que o levou breve
aos prados desertos do hospital e porta do seu
jardira.
Melteu a chave na fechadura, abri a porta e
atravessou o jardira, cuja escuridade fazia quasi
invisiveis os passeios.
Chegado ao pavilho, accendeu ura eandieiro e
subi a um quarlo de que s elle tinha a chave, e
que lhe tinha servido de aposento de dormir quan-
do, em melhores tempo, passava as vezes a noute
no pavilho.
Tirou a capa e assentou-se era urna cadeira ao
p de urna mesa.
Be ceno oagitavam dolorosos e afflictivos pensa-
mentos, porque diversas expressoes lhe succediam da adega mas quando alongou os olnos para a
mais seguro. Mas nao. A busca ser superficial
e dada pressa, s para satisfazer o povo. Se Julio
dispz tudo bem l era baixo, hao de contentarse
com estender os olhos pela adega. A minha pre-
senta contera os agentes da lei e elles nao se atre-
verlo a levar tao longe as averiguaces que possam
ellas oflonder-me com um inJP.io de suspeita. Se
nao se encontrar o corpo, como provavel, lado
fica em segiedo para sempre, e eu livre de sustos
e InqniettcSes. Vamos; animo I Vamos ver a
adega se Julio fez bemo que devia fazer antes de
partir.
Foi a um grande armario, tirou del le ama gar-
rafa, encheu ura copo de vinho e bebeu-o em
silencio. Oepois pegou no eandieiro e sahio do
quarto.
Chegando ao rez do chao, foi direito a entrada
Este aconlecimento, por de nais feliz, assegu-
ra-nos vicloria dentro e breve
ien
Besbaratados no Ibicahy, ce npletiraen te recha-
zados no Yatay e ora rendidos i
pes jamis poder dar (oiga ra
para iravarem, comnosco bal Iba firme e deci-
siva.
Este brilhanle feito produzo
estrepitoso euihusiasmo.
A aurora do dia 20, depois do toque da alvora
da, foi saudada cora o hymn
em todos es batalhes de que | se corape o exer-
cito.
ma escorva,, apezar
ntro da praga que
da cidade de Cor-
ra Uruguayana, Lo-
ral a seus escravos
wis no exercito um
a atteuc.o dos feslejadores.
Foi permitlido durante tres das dvertirera-se os
soldados deniro de seus quarteis, distribuindo va-
rios coramandantes de corpos, vinho cora elles.
Na noite de 21 do correte eompareceram no
hospital militar ambulante da 3" diviso o bravo e
intelligeule coronel Guillierrae Xavier de Souza,
eommandante da 5 brigada, o bizarro e valeate
lente-coronel Pararrho?, commandanto do 6o de
infamara, o intrpido ienenle-coronel Salu^tiaao,
eommandante do 4o, odistiocto major Carvalho,
eommandante do 12, aeompanhados de diversos
offlciaes desses corpos e de duas bandas de msi-
ca perleneentes aos batalhes 6 e 12 de infaBtaria;
depois de oa haver compriraenlado os Brs. Mitheos
do Andrade,- chefe presentemente do hospital mili-
tar ambulante, Julio, Boria e-acadmicos Kerj e
Cunta, o Br. Doria recitou o soneto que abaixo
transcrevemos.
Contra as leis do direito, audaz Solano,
Arma phalauges, e o Brasil as-salta;
Inermes povoaces saqueia e mata,
E em erven',3 prazer nada ctyranno :
De sbito, a najo e o sobcraao,
Vo&m de prompto guerra; e nessa data
Sao Pedro se levanta e desbarata
Escravos, no Ibicuhy, do monstro insano :
Marcham para o ioimigo os allir.dos :
E l, no Yatay, vrente gloria
Cinge de louro a fronte dos soldados:
Uruguayana nos d mitra victoria I
Eis, cahido no p araedronlados
Os Paraguayos vis, da trra escorik
Terminado eie as musieas tocarara os hymeos
nacional e oriental, depois dos quaes o digno coro-
nel Guilherme dirigindo-se ao Dr. Matbcos, pedio-
Ihe que cemmucicasse aos membroe do corpo de
saude por si, e pela offlcialidale da brigada de seu
commando, que tinha vindo ao hospital da 3 divi-
so para congratular-se com elles pela brilhante
victoria conseguida sem eflusaode sangue as for-
tiGcacses de Urugaayana ; que aproveitava a oc-
casiao para manifestar seus seatimentos flesympa-
thia pelo zelo e dedicaQo que erapregavam no
cumprlraento de sua espinhosa missao.
O Dr. Matheos pedio um viva* a heroica e patri-
tica provincia da Babia, que se aehava representa-
da na 3* divisao por urna brigada inteira, a 8*com-
mandada pelo veterano da independencia, o digno
tenente-cwonel D. Jos Ballhazarda Silveira, cora-
posia dos- batalhes 8'- e 16 de Infamara, 10 e 3
voluntarios que est em Uruguayana.
O mesara Dr. Matheos disse qe a humanidade
abeiie.w?. o vencedor que poupava o sangue de
vencidos, e que aos vivas com que celebrava-se a
magnanimMade dos chefes qne em frente a Uru-
guayana perdoaram aos Paraguayos, prostrados as
otfensas ainda ha pouco recebidas, quera tambera
accresceotar um viva ao estadista Ilustre que s
portas de Montevideo soubera tambem poupar mi-
Ihares de vidas, sem desar para a- honra de seu
paiz; que cale estadista era o iHastre irmao do
nosso bravo camarada, digno eommandante do 6"
batalhao de :uf.nitaria. o Exm. conselhelro Jos Ma-
ra da Silva Paranhos.
ODr. Dcria disse: queemtodosos paizes, aque!-
les que prestavam seus servigos cora dedicaca a-
causa da humanidade sofredora linham direito ao
respeito e venerado das sociedades cultas, que por
isso pedia permis^o para levantar um viva os-
dous disticclos cavalheiros sobre os quaes pesava
a responsabilidade do servico do hospital militar
ambulante : na parte administrativa, ao distlncto,
intelligenle e laborioso director tenente-ccronel
Manoel Francisco Coelho de Oliveira Soares-;. na
parte medica, ao muito activo, Ilustrado medicc e
perito cirurgio Dr. Matheos Alves de Andrade,
cujos bons servicos j- prestados na direogao do
corpo de saude collocanvo em lugar disliacto.
O Dr. Julio pedio ura. viva memoria dos bravos
que regaram com seu sangue 03 campos-de Yalay
e aguas do Paran..
O Br. Doria diss: que fallara a um dos mais
subidos deveres, se por ventura nao levaotasse um
viva a todos os ofliciaes distlncios do exercito que
no recusaram seus servidos nesta valente cruzada
da liberdade e civisago contra o. despotismo de
Lopes : que, isto posto, quena um. viva a todos os
offlciaes do exercito brasileiro representados nos.
bravos coronel Guilherme, tenente-coronel Pl-
umas a outras no rosto.
Tinha tirado do seio ama garrafinha e quasi
machinalmente a voltava diante dos olhos de todos
os lados.
Entretanto pareceu rarear pouco a pouco a nu-
vera que lhe escurecia o espirito. Torneu a metler
a garrafinha no seio e murmurou depois de alguns
instantes de redexao, cora mais serenidade:
Porque hei de eu assastar-me e tremer as-
sim? Nao esperava j esta busca dada a casa? E
nao tenho bem tomadas as precauges? Que hei
escura profundidade d escada, hesilou e deu dous
ou tres passos para traz.
E' singular; aqui estou eu com um raedo
irresistivel I csiou agitado e recuo aterrado dian-
le daquelle buraco escuro, como se os morios po-
dessem levantar-se da sepultura para se vinga-
rem..... Ora esta I Ti ve coragem para o apu-
ntalar quando elle eslava vivo e hei de tremer ao
chegar ao sitio onde est o seu corpo inanima-
d 7 Varaos; fra com estes terrores de creangal
Apesar de multa resolugo que mostrava nestas
de receiar? Julio j val tao looge, que ningnera palavras, Turchi nao estava traquillo e o seu cora-
o pode agarrar. Se se encontrar o cadver oa gao bata com violencia em quanto elle onlra vez
adega, imput.r-lhe-hei o crime. A minha explica- se diriga vagaroso para a adega. Parou ainda
gao esl to bem preparada, que nao pode haver um instante com hesitago, alongando o olhar para
quem duvide... Mas quem sabe? Ob, esta du- o fundo do corredor; mas em lira deseen o primei.
vida ama tortura I Que terrivel partida eu jo-
guei I Riqueza, considerago, podero, e a raao de
Mara Van de Werve, contra a minha vida e a
honra de tod* a minha familia I Triuraphar e ser
feliz para sempre ou suecumbir e morrer no cada-
falso I.... :s se eu fosse agora a casa do juiz e
ro degrau.
De repente foi abalado com violencia ; parou a
tremer, julgaodo ouvir certo rumor do lado de fra
do edificio.
Que ser isto? B' illasao? Abrem a porta
do jardim! e com chave I Vira alguem sarpre-
aecusasse Julio do crime? Tal vez ainda fosse isso header-rae aqui? Estarei eu trahido ?
Depois de um momento Ide immobilidade,
fugio d'alli, foi pousar o cam ieiro sobre urna
mesa e murmurou, com os (abellos ampiado?
pelo terror :
L abrem a porta de casa I est alguem c
dentro I ah vem gente 1... Meu Deus, qae ser ?
Appareceu um hornera porta da sala onde esta-
va Simao Turchi.
Oh, Julio I maldito criad* I Julio I excla-
mou Simao na mais violenta desesperacao e cabra-
do sem torgas sobre urna cadeira
O criado oscillava um pouco e pareca embria-
gado. Tinha as faces verraelhasjas olhos espanta
dos e nos labios um sorriso que. iem mostrava que
a presenga de seu amo o sorprenda desagradavel-
menle, mas que, ao mesrao lempo fazia suppr que
a colera de Simao no era cous que o inquietasse.
Quando entrou, tinha na mo 1 ra pequeo pao de
trigo; mas metteu-o logo no sei 1, como se nao qui-
zesse que seu amo o visse.
Bepois de ter cravado um noraento um olhar
fulminante no criado. Simao Turchi levantou-se
com precipilago, e disse em v z de trovo e cer-
rando os punhos:
*- Ah, de mais t iraidor ii fame I cobarde raa-
rolo, d'onde veos t ? E' o inf rno qae te manda
vir aqui para desgraga de nos ambos? Falla, beba-
do maldito, falla e irata de me dlzer porque ests
agora aqu. Bepressa ou estn lo-le moribundo aos
ineuspsl O meu punhal andi com sede do leu
sangue 1
Julio puchou pela faca e ga uejou como verda-
deramente embriagado :
Espere l um pouco, sen hur. O vinho, o doce
vinho loldou-me ura pouco a> ideas... Q'ier ma-
tarme ? Em verdade, nao sei ia mo que um de
nos acabasse aqui; menos ter a que faxer o algoz.
Mas qual o que ha-de ir primeiro dar as suas
comas naoutra vida, oque vai ser decidido pelo
sea punhal e pela minha faca. Estou prompto!
Insolente I griloo Toro ii, rangendo-lhe os
denles; a minha salvago e a tua, estupido cobar-
de, e o que rae obriga a ama penosa circumspec-
gao; mas nao me irrites} Vamos, diz; porque nao
ests ja a caminho para a Allemanha?
Pergunta-me urna cousa que nera-eu sei bem.
Ora, espere. Quando eu eslava para partir, fui ao
CysneCoroado e beb alguns quartilhos de vinho.
Esta manha acordei debrugado, sobre urna mesa
Dado de Prata. Como para l fui, nao sel. Era j
rauito tarde para poder sahir da cidade. Resolv
esperar at amanha ; e agora viaha aqui passar a
noute e descansar ura pouco antes de roe por a ca-
minbo.
E jogastes os dados ? pergantoa Turchi com
voz rouca.
Acho que sira, porque ainda os simo c linir
nos ouvidos.
Quanto a isso, esteja descansado. Nao lhe pe*
50 nada. Se gasle ou perd algumas moedas de ou-
ro, deixe-as ir, porque amanha, ao romper do dia,
parto para a Allemanha.
Maldigo t murmurou Simio Turchi desespe-
rado. E na primeira taberna que te acenar na es-
trada, afogas o juizo e das cabo do meu dinheiro,
nao assim?
Nao, senhor; fique certo de que pirtirei ama-
nha demanha ao romper do dia; e, se eu beber
no caminbo, ser s para|matar urna sede abraza-
dora, persegue como ama doenga...
Os olhos de Simao Turchi incendiaram-se em fo-
go aiysterioso e brilharam sob a influencia de urna
; idea repentina. Pareceu socegar immediataraeote.
Encolheu 03 hombros disse com serenidade, como
um horaem que se submetle resignado s contra-
riedades que a sorte lhe suscita :
Eu devia vingar-me da tua deslealdade, Ju-
lio. Se os agentes da justiga titfeem aqu viudo
esta manb, como eu com razo esperava, o esque-
cimento do leu dever nos teria entregado as raaos
dos executores da lei. Felizmente, a visita jndicial
ao pavilho flcoa para, amanha pelo meio i]ia. Do
ranhos, tenente-coronel Salasiiano e major Car-
valho.
Todos estes vivas foram entnosiasticamente cor-
respondidos, tocando depois as duas bandas de m-
sica o bymno nocional.
Releva dizer-lhe qae na noile de 20 do correte
j havia comparecido nesie hospital, acompanbado
da bauda de msica de seu corpo, o intrpido ma-
jor do batalhao 16 de infamara Joaquim Ignacio
Ribeiro de Lima, que com raais alguns offlciaes vie-
ra congratularse com os mdicos da 3 diviso,
pelo brilhante iriumpho que fra motivo do lante
regosijo.
O Dr. Boria, depois de haver prodnzido ama
breve mas palnoiica allueugo tendente a nossa
victoria, terminara dando vivas as nages adiadas
ao nosso magnnimo monarcha, ooe deixaodo as
grandezas da corle viera ao lado de seus liis sub-
ditos partilhar da rudez das batalhas e dos perigos
da guerra ; ao valoroso e guerreiro marerhal Oso-
rio, general em chefe do exerciio brasileiro; ao h-
roe de Paysand, o valoroso e bravo general Sa*n-
paio, eommandante da tereeira diviso 5 a lodos 09
intrpidos offlciaes e soldados do exercito brasilei-
ro ; ao distinelo major Ribeiro de Lima e a toda
officialldade de seu corpo.
O major Lima levantou nm viva aos dislinetos
mdicos do hospital da lerceira divisao, cojo zelo 5
inleresse era bem patente pelo resfabeieeimeoto da
saude dos doentes que lhes cram dignamente con-
fiados.
Dados estes vivas e locado o hyroeo nacional, re-
tiram-se.
Foram estas as festas que tiveram logar no
acampamento do exercito, e das quaes tivemos co-
nhecimento, concorrendo outras muitai que nio
mencionamos por nao termos assistido.
POICO DE TIDO.
Luiz Reybaod no seu estado social, que corra
sob denorainagao de Jerooyrao Paturol, pot a
bocea de um amigo desle, que professa a adroea-
cia, as seguioles consideraces :
Hoje na advocacia reinara os traficantes na.
rigorosa accepgac da palavra.
Os procuradores dominara os advogados; o di-
nheiro dirige o tlenlo; oofflcio annulla o grao; e
a trma do processo obscurece a allegaco : todo
Isto o triste, porra forgoso confessa-lo.
E o que resulta dahi ?
Que os honorarios dos advocados sao insigoi-
canlissimos, e que a escolba do defensor depende
quasi sempre do agente intermediario.
J nao existem, como outr'ora, as direices di-
rectas entre o cliente e o advogado; todo? os nego-
cios sao tratados por meio de procaradores e es-
cri/es.
Al os processos tomavam o carcter da po-
ca : aquellos que os pretendem; disputam-os, e
traficara cora ellos, quasi que 05 poem em leilio, e
sao entregues a quem delles sor menos se en*
carrega.
Auuca existi to escandalosa jtmenia.
Ha neste mundo urna illuso bero deploravsl qae
, que o titulo de advogado corresponde ac exer-
cicio de urna profisso.
razem as familias lodos os esiorgos para que os
tilhos alcancem urn titulo: nesie arfan gasta-se o
melhor tempo de vida consommem-3e as economas
domesticas; e depois de tanto trabalho, o que se
alcaugao?
O dlreiio de usar da beca e de barrete, de tomar
parte as discussies da associacao, e de vr figu-
rar o nome no immeaso qtiadro que orna as pare-
des-da sala das audiencias do tribunal de appeUa-
gao.
Ha quatro aonesque toraei c gran e me escrevi
nesse quadro; mas durante esses qualro anuos,
n.'.o me foi possivol alcangar omaso causa, um s
piocesso I
No enianto nao tenho mais pregoiga, nem mais
altivez do que 03 ouiros; techo anJado a traz dos
procuradores que sao os distribuidores das cau-
sas ; mas ja lodo* lem drngadw soldada, o desta
sorie accummulam os proveilos de duas pro-
fhsoes.
Depois tenho procurado os juizes, mas iodos tera
os seus protegidos, que sao auxiliados por flgures,.
tendo recoinmaadages mullo poderosas!
E' das profittfea a mais ingrata!
O Sr. miuislro da marioha expedlo aviso jo
nosso enviado extraordinario em missao especial
em Frangapara que. a ser exacta a concia q*e ha
das publioamos sob a apigraphe Miijetmuatetrc*
da arvore encalyptus da Australia, eoja excetiea-
cia precouisada para misleres de coostraegio
civil e naval, faga bmi a possivel brevidad ae-
quisigo. de algumas sementes Jaquella arvore,
e mesmo de planta*, no caso de se prestas i via-
gem. __^^^^^
Cc-mega novarmmte a ganha? crdito na Ingla-
terra a noticia, j por vanas es posta ota dunda,
da. visita do principe e da srinceza de Galles a
Compiegne.
8egundo as informagoj* recebidas pelo 9porr,
jornal Ingles, suas altezas reaes ir.'ra visitar o mi-
perador o-aimperalriz logo depois- de Suas Magos-
tados se inslallarem na^uella residencia, isto ao
meiad do mez de outabro.
teu descuido nao proveio, por^eoasegainie 1
mal, e concedo-te perdo pltmario com a eoaaVo
de sahires da cidade anlos de nascer o sal e le aaa
parares al ao Rheno.
Besta vaz pde'ficar descansado, seahor. Pas-
sarei aqui toda a noate e ao rompar do dia e*loa
fra de Anluerpia. .N* primeira utda.Je que encos-
trar, compro um cavallo, e tantoauiare, que quem
quizer agarrarme ha de ter asas.
E bocejou, levantando os bragos por cima da oa
bega, e disse :
Oh, que sorano eu leaho I Nao nv posso ter.
Se nao tem mais nada a recoramendar nv, M aaa
lioeuga para ir at cama, onde esperarei atis X
minha vontade a hora da partida
Ento posso liar-me em li, Julio |
Nao lhe d mais cuidado a minha viagea
isso fica por minha coota. O sol j nao me ha da
ver na cidade.
Cora certeza ?
To certo como estar ama corda a ameagar-
me o pescogo e como eslar a ameagar a neu aaao
outra cousa que nao mais agradavel.
Este gracejo de seu criado fez eoolrahir convul-
sos labios de Simao Turchi; mas soube cooter-sa
e levantou-se.
Julio, disse elle, nao seria agora do tea pala
um bom copo de malvasia ?
Ora, a quem pergunta isso I Eslava eu jauta-
mente a pensar que nm copo de malvasia ro* (arta
bem garganta sequiosa, quando o atea aasaja
acha echo no espirito do mea bom patrio I
Mas um copo s : ser a despedida.
Como quizer ; ou um ou muilo, iodo a aaa
vier bem viodo; sobretodo se for daquelle
lente vinho que esl em algumas garrafas, aa
mario grande.
Pois bem, vamos l; dar-te-aei ata eeaa 1
le e beberei outro ao bom successo da laaj
(Caalaaor-sf-aa.)
PEHNAMBUCO H P. iig M, P P.pg^ flLa


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETOCGOUFO_4YQKON INGEST_TIME 2013-08-27T23:18:22Z PACKAGE AA00011611_10806
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES