Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10805


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMM XU flPJBEBO m
Pop qaartel ppgo dentro de 10 das do 1, mez : i .
dem epois dos i." 10 das do comecoe dentro do quartel. .
Porte ao copreio por tres Bezes........... ,
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Mangues <1a Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fillios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claadino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agna Preta, todos os das.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antaoy Gravat, Bezsrros, Bonito, Caruartf,
AUinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguebo e Ex, as quartas
feiras.

SABBADO 28 DE OTBRO DE 1865.
5J000
6|000
750
Por aneo tage dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,. 191001
Porte ao correio porum anuo........... S}00#
Serinbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as H horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vari 4o cive
dia.
Segunda vara lo el ve!
hora da taren
El'ilEMEUlDE D(
4 La cheia as 8 h.,
II Quarto ming. a 1 h.
19 La nova as 2 h., 7
27 Qaarto cresc. a 1 h.
GtWERHO DA PRGWKU.
Btpediente do dia 2o de outubro de 1865.
OlUcio ao raarectul (le campo commandante das
anuas Queira V. Exc. permittir o uso das insig-
nias de cadete aos voluntarios do G corpo, Augusto
Franklin Cavalcanti de Menlonga Wanderley e
Paulo Cavalcanti Marinho Falco, at que poss.im
justiticar oseu direito.
Dito ao mesma. Deferindo o requerimento do
Laurinda Mara da Conceigfio, sobra que. versa a
sua informago de II do correte, sob n. 1841, au-
lOfiso V. Exc. a mandar dar baixa do 5o corpo de
voluntarios da patria a Ant mi Alfonso Rigueira,
filho da supplicante, visto ser menor de 18 annos,
e ter-se alistado sem o consentimento materno.
Dito ao mesmo.Em cumprimento do art. Io do
regnlamento que baixou coni o decreto n. 3,403 do
11 de fevereiro deste anuo, sirva se V. Exc. de in
dicar-me uin sacerdote para oecupar o lugar de
capello no presidio de Fernando.
municipio, JoTo Jo-di Silva seja dispensado de
todo o servigo da guarda nacional, de conformida-
de com o art", 1* do decreto n. 3,509 de 12 de se-
tembro ultimo, visto ter olTerecido Manoel das Ne-
ves para sentar praga como voluntario em um dos
corpos do exercito, oqual tendo sido paraisso con-
siderado capaz em inspeceo de sade, vai ter o
conveniente destino.
Dito ao command rale superior da guarda nacio-
nal de Olinda.Em vista de sua informago de 21
do correte, dada com referencia ao requerimento
| do alferes do balalho n. 10, sob seu commando
superior Manoel Jordo de Vasconcellos, recom-
mendo a V. S. a expedico de suas ordens para
que seja elle dispen-ado do servicj daquelle bata-
lhao em juanto se achar encarregado d) alistimen-
to de voluntarios da patria.
Dito ao commanlaule superior da guarda nacio-
nal de Goiauna Sirva-se V. S. de expedir suas or-
dens alim de que seja poetada em frente da igreja
de Nossa Senhora do Rosario dessa cidade, urna
guarda Je honra do hatalh.o n. 12 da guarda na-
cional sob seu commando superior, alim de asistir
a fesla do Orago que se lem de celebrar na juella
igreja no dia 12 de noverabro prximo vindouro e
acompanliar a prooisso que d'alli tem de sabir no
mencionado da, licando V. S. cerlo de que nesta
Dito ao mesmo.Urna vez que, segundo informa
V. Exc. em seu offlcio n. 1,948 e data de 23 do cor- i data ofBcio ao delegado de polica desse termo para
rente foi consid^rrdo incapaz do servigoem inspec-i prestar o armamento necessario, o qual devera
(So de saule, por solfrer molestia incaravel, o 2 ser-Iba restituido logo que se liude aquelles actos,
sargento do corpo de voluntarios n. 11 desta pro-1 Dito ao mesmo.Em vista de sua Informago de
vincia, Manoel .\unes de Albujuerque, mande V. i 20 d) correte, recommendo a V. S. que mande
Exc. dar baixa. 'dispensar do servido da guerra para que fra
Dilo ao mesrao.-Srvase V. Exc. mandar ins-. designado, fazendo o substituir por outro o guarda
accionar o guarda nacional do municipio de Na-1 do batalhao n. 13, sob seu commando superior Ma-
pa
zareih, i|ue fui designado para o servido da guerra,
Francisco Paulino Coelho, remettendo-me o resul-
tado da inspocgo e os papis que aqui ajunto.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o guarda nacional do l balalho des-
tinado ao servigo da guerra, Jos Jardes de Souza
e Araujo, como pede no incluso requerimento, re-
mettendo-me o resultado da inspergo.
Dito ao Dr. chefe de polica.Em vista do que
noel Antonio Barbosa, visto ser casado e cora tres
lilhos.
Dito ao commaodante superior da guarda nacio-
j nal da Boa-Vista.Ao alferes da 4' companhia do
| corpo de cavaaria n. 3 do municipio do Ouricury,
' Martmho Rodrigues Colho, que segn lo a infor-
maco desse commando superior de 2o de set^ro-
bro ultimo, mudou de residencia para a provincia
do Piauliy, mande V. S. pausar como pedio a guia
infonuou o commandante superior da guarda na- I ae I)Ud trata o art. 13 do decreto 1130 de 12 de
cional deste municipio em offlcio n. 393 de 19 do' margo de 18-53, nao havendo inconveniente.
con ente, autoriso a nomeago do guarda nacional
do 8" balalho de infantaria, Antonio Gomes Morei-
ra da Costa para inspector de quarteiro, como so-
licit.ra V. S. em olflcio n. 1,491 de 29 de setembro
nliimo.
Dito ao tenente-coronel Coriolauo Velloso da Sil -
veira.Recommendo a V. S. que faga incorporar
ao batalhao n. 42 do ominado do lenente-coro-
nel Mariano Xavier Carneiro da Cunha, alim de
recolher-se quanto antes a esta cidade a forga.que
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. | tam aquartellada em Gamelleira e consta da rela-
R.siioadendo ao offlcio qae V. S. me dirigi em 20 eo que V. S. reraelleu rae com o seu offlcio de 18
do correte sob n. 771, tenho a dizer que da quan
lia de 305000 nolle mencinala e que foi abonada
do crreme.
Dito ao commandante do corpo de polica.Man-
pelo tenente-coronel Joaqun) Lucio Monteiro da je V. S. alistar no corpo sob seu commando os
Frahca a diversos voluntarios da patria, que vieram' paisanos Jos Luiz de Sant'Anna, Diniel Bispo Reis
d'As-ua Preta, mande pagar fomente a de 25^000,1, j,,s da Costa Lima, urna vez que foram conside-
ra, qutf rijj0 ap(os para 0 serVjC0) segundo o seu offlcio do
t
*.
'
relativa aos de nomes Pedro Pereira de
alisiou-se no 5 corpo em organisacSo nesta pro- j j0 correte, sob n. 101.
vinera e Jos Francisco Gjmjs, que fui julgado in- Dito ao director do arsena
capaz do servigo, sendo e restante salisfeito pela
the.-ourana~provincial.
Dito ao mesmo.Mande V. S. nassar gaia. du,
seeorrimen|o ao capitn Manoel Joaquim de Cas
nal de guerra.D V. S.
as suas ordens aura de que sejam recebidos e con-
servados em boa guarda nesse arsenal, os objectos
p-n-n--.il--. ao arctTo oo corpo de guarnida o
constantes da relago junta por copia, os quaes dei-
tro, que no seu trajelo da corte para a provincia xara de seguir com o corpo.

*
do Amazonas adoeceu nesta e foi recolhnlo a en-
fermara militar, donde teve alta e est promplo
para continuar a sua viagem.
Dito ao mesmo. Tendo em vi-ta a sua informa-
cao de 20 do crreme sob n. 770, dada com refe-
rericia ao requerimento do bacharel Fulgencio In-
fante de Alhuquprque Mello, offiVial do registro ge-
ral das hypotheeas nesta capital, autoriso V. S. a
mandar eotrefar-theirsHvros destinados para exe-
cugo do decreto n. 3,433 de 21} de abril do cor-
rente anno, marcando o praxo de 1 rnezes, a con
Portara. O presidente da provincia tomando
em considerago o que expoz o chefe da reparligao
das obras publicas em offlcio de hontem, sob n.
339, relativamente a obrada eslra la do sul ent e a
marco de 12 mil bragas e o engeoiio Massangana,
da qual arrematante Francico Alves de Miranda
Varejao, resjlve nao so encampar a predita obra,
por nao ter sido concluida no praso para esse flm
concedida, mas tambera multar aqaelle arrematan-
te e seus Qadores na dcima parta do valor da pre-
dita obra, nos lermos do art. 6S do regularaento de
'

lar do l- de noverabro prximo vindouro para 9 de jullio do auno prximo passado.
trecolhr elle a essa thesouraria o importe de taesj E ordena qae oeste sentid > sejam fetas as ne-!
l'v,ros- I csssarias coinmumcigois.Fez-se o necessario ex-
Dito ao mesmo.Estando em termos o pret jun-' pediente a este respeito.
0 era duplcala e nao haveudo inconveniente, man-, Dita.O presidente da provincia tendo em vista '
V. S. pagar os vencira-ntos a contar de 16 a 0 0Iiio n. 103 de tO do corrente do commandante |
j-do comente, de 3 voluntarios da patria, que vie- superior da guarda nacional de Garanhuns, do qual
un de Abreu de Una. consta que o alferes do batalhao n. 31 do muoici-
Duo ao mesmo.Ilespondendo ao olHcio que V. (|0 ,i0 |{aj,,uei [ag,, Rodrigues Lms, nao s se re-!
1 me dirigi era 23 do co-rente, sob n. 777. tenho cusa a pr,;star-se ao servigo da guerra, com con
Tdizer, que acabo de designar para examinadores Cjla e seduz os guardas a negarem-se ao mesmo
no concurso a que se vai proceder amanhaa, para servigo, resolve suspndelo do exercieio do posto
preenchunnto das vagas de 3* escriputurano dessa ,)or ,einp j j ieierrainado, nos termo; do decreto n.
tfflBsoararW, os Drs. Antonio Wuruvio Pinto Ban- 3306 d) 4 de agosto ultimo, e det-rmina que t Ja
meorso
combinado
. seterabro de,
dessa reparticao, Jos Francisco de siles Bavieny isoO.Oniciou se neste sentido ao commandante !
1
irreMJurana, os irs. Amonio wuruvio rimo uau- ^uGdjlde agosto ultimo, e determina
deira Accin de Vasconcellos, Francisco Pinto Pea- sUDOMido a conselho de disciplina, como
soa e Angosto Carneiro Mouteiro da Silva Santos, no ^ o do art. 99 e do S 4 do art. 97, coi
oprofessor Jo-e S.ares de Ar.evedo e oempregid j com o arl. 9S da lei n. 602 de 19 de sete
sendo o Io era theoria de escripturacao raercanti.
por partidas simples e d ibrad e suas applicagoes
ao commercio e ao thesouro; ao 2a en tradneco
correcta das linguas mgleza e franceza; o 3* em
principios geraes'de g.-ograjiliia e historia do Bra-
superior de Garanhuns.
Dita.O presdeme da provin:a resolve conca-
der a Viciar Accioli Wanderley autorisago para
alistar voluntarios da patria; e recommenda as
autoridades Iocaes a qnem esta fr apresenlada que
> o Io em algebra al as equagoes do 2 grao e 0 auxiliera nesta corumisso.
emanthmelica e suasapplicago.'s ao commercio uia.O presidente da provincia resolve autori-
co-n espepialidade a reduegao de meadas, pesos e ; sar 0 a|fert. do 3 corpo de voluutarios da patria
medidas,I calclos de descontos, juros simples e Vitaliano Cordeiro Lins para promover o alista
omposios theoria de cambio- e suas applicagoes; menl0 de Vd|un[arios da patria, e recommenda as
e p o- linalmenle era praiica do servigo dessa the- aul0ri.l.i.J.;s a quera esta fr apresenlada que o au-
souraria.rez-se o necessario expediente a esso
respeito.
.:
Dito ao mesmo.Nesta data expego ordem a
thesouraria provincial para mandar indemnisar
essa reparligao da quaniu de 1762IO cousiante
do pret que veio annexo ao olflcio de V. S. datado
de hontem e sob n. 779, o qoal Pica assim respon-
dido.
Cu
xillera no de-empenho dessa con(jnissao.
Igual ao alferes do mesmo corpo Pedro da
nha tieltro de Araujo Pereira.
j .Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do D>\ chefe de polica n 1671
de 24 do corrente, resolve noraear o cidado Ve-
nancio Jos Ferreira da Cruz para o lugar vatro de
; subdelegado do distrelo de Panellas, da fregue-
Dito ao inspector da thesouraria provincial. lia de Qninap no termo de Caruaru.-Communi-
Mande V. S. pagar ao tenente-coronel Joaqunn Lu- coll-se ao Dr chefe de polica
co Mouteiro da Franca a quantia de 23JO00 por Dita.O presdeme da provincia altendendo ao
elle abonada aos voluntarios Joao Lopes da silva e que re(,Ul!reu 0 professor publico de instrueco j
Antonio V cenle Das, que vieran do termo de priinaria da Vl|,a do Ouricury, Martioho Jos de I
Agua Pr-u e sent.ram praca no corpo de polica, Jcm^ res,)lve conM!ler.|no 30 das de licenga com
devendo essa quantia ser de-contada da gratihea- ordenado para tratar de soa saude.
cao concedida pela le provincial n. lili de 2 del Dua.-0 Sr. gerente da companhia Pernambn-
maio uliirao. cana mandt dar transporte para a provincia do Rio
Dito ao mesmo.-Eicpega V. S. as suas ordens GraoJe Jo Slfte coma do minislerio da gUer-
para que em vista dof incluso pret seja indemnisa-! Q0 v, que s hoje para ,, Qm cabo e
da a thesouraria de fazenda. como solicita o res-1 trps ,n|d;t,,s do corpo de polica daquella provin-
pectivo inspector em offlcio de hontem, sob n. 779,
da quantia de 107il<), proveniente dos vencimen-
tos a contar do l al 27 de agosto ultimo pagos
pela collectorla do municipio de Nazareth, as pra-
gas da guarda nacional destacadas naquella ci-
dade.
Dito ao mesmo.De conformidade com oqueso-
licilou o commandante superior interino da comar-
ca do Bonito em offliio do 1* do corrente, recom-
mendo a V. S. qne, era vista do pret junto em du-
plcala e nao bavendo inconveniente, mande pagar
ca que vieram escoltando recrotas e guardas na-
cionaes da mencionada provincia.
PERNAMRUCG.
mmn uutu.
Por portara de hontem foram designados, pa-
ao sargento Jos Victoriano de Vasconcellos Perei- ra os 2o e 3o corpos da guarda nacional desima
ra, os vencimentos relativos ao mez de setembro dosao servigos da guerra, os offlciaes abano de-
ultimo, do destacamento de guardas nacionaes exls- clarados:
lentes naquella villa.Communicou-se ao com- Capiles.
mandante superior do Bonito. Batalhao n. 4, Jos Tbomaz Cavalcanti Pessoa.
Dito ao mesmo.Estando em termos o pret jun- dem n. 8, Jos Francisco Pereira da Silva Jnior,
to em duplcala, e nao havendo inconveniente, dem n. H, Manoel Brasilino de Arroda Cmara,
mande V. S. pagar ao negociante Jos Mara Fer- dem dem, Joo Dourado da Costa Atevedo.
reir da Cunha, conforme solicitou o commandan dem n. 12, Egydio Francisco de Paula,
le superior do municipio do Limoeiro em offlcio de dem n. 19, Joaquim Francisco Belm.
16 do corrente, os vencimentos a conlar de 16 de Idm n. 27, Jos Januario Correa de -.
seterabro al 13 de outubro deste anno, d > desta- dem n. 39, Joao Luiz Gongalves Ferreira.
\camento de guardas nacionaes existente naquella dem n. 41, Affmsode Albuquerque Maranho.
\illa.Comraunicou so ao commandante superior dem n. 47, Andr Arsenio Pereira Brando.
dolLimoeiro. dem dem, Manoel Hypolilo Lima Jnior.
Dito ao commandante do presidio da Fernando. dem n.31, Vicente de Araujo Pinheiro.
Approvo a medida, que segundo o sen offlcio de Tenentes.
10 do corrente, sob n. 301, tomn V. S. de mootar Balalho n.4, Manoel Juveocio Bezerra de Menezes.
nesse presidio um moinho pa:a fabricar farinha de IJein n. 6, Jos Mara Pereira da Cunha Jnior,
milho, alim de ser emoregada na alimenugao dos dem n. 14, Manoel Rodrigues Ventura,
sentenciados, visto a falla que ha de mandioca dem n. 23; Joo Lanrentino Cavalcanti de Albo-
nessailba. qoerqne.
Dito ao commandante superior da guarda naci- dem n. 28, Antonio Baptista de Moraes Peixoto.
nal do Recife.-Expega V. S. as sua ordens, para dem n. 31, Jos Antonio da Gama,
que p guarda do Io batalhao de arlilbaria deste dem n. 36, Beqto Morelra do Alboqaerqoe.
[ dem n. 39, Ernesto Ferreira de Barros Campello.
dem n. 31, Braz Carneiro da Cunha Albuquerque.
Mem idem, Joo da Cunha Noguelra.
I dem n. 52, Joo fltorelra da Costa.
dem idem, Absalo Moreira da Costa.
Alferes.
Batalhao n. 5, Henrique de Barros Cavalcante.
Idem n. 7, Angelo Jos Thimoteo.
dem dem, Alexandrino Alves d'Amorim.
dem n. H, Luiz Carlos da Fonceca Pinho.
dem idem, Hermenegildo das Virgens Lima.
dem n. 18, Geminiano Alfredo Velloso da Silveira.
dem n. 23, Jos Francisco Pedroso de Carvalho.
dem n. 23, Leocadio Alves Fontoal.
I dem idem, Flix Pereira d'Araujo.
' dem n. 27, Antonio Lopes Moniz.
dem idem, Peregrino de Souza Magalhes.
dem n. 28, Apolinario Pinto Correa.
Idem n. 33, Jos Alves Marinho Falco.
dem idem, Joo Gongalves d'Araujo.
dem n. 39, Jos Genuino Ferreira.
dem idem, Pedro Fernandes da Silva.
dem Idem, Guilhermino do Reg Barreto.
dem n. 41, Paulo Felippe de Salles Abren.
dem n. 13, Antonio Jorge Lopes dos Sanios.
dem n. 45, Manoel Antn o da Costa.
dem n. 46, Ernesto Emiliano da Silveira Lessa.
dem idem, Jos de Mattos Rangel.
.dem n. 47, Antonio Nunes Lopes de Barros.
dem n. 49, Domingos da Silva Saldanha.
De carta do Sr. tenente-coronel Luiz Paulino de
Hollanda Va Penga pessoa desta cidade consta, que
acha-se elle j com trezentas e lanas pracas para
fonnago do corpo de guarda nacional, cuja orga-
: nisago Ine foi commettida.
Era S. Bento comsigo tem esse Sr. 140 pragas, e
em outros pomos existe o restante que forma aqoel-
le numero de pragas.
Hontem pela raanha, sendo de novo accom-
inettldo de alienago, segn lo no-lo informam, Ga-
bino Joaqun) Gomes, barbeiro que tem estabelec-
mento uo pateo do Tergo, tentou contra a proprla
existencia, dando em si oilo lancetadas, em diffe-
rente' parte do corpo.
Foi soccorrido pelo Sr. Dr. Carneiro Monteiro,
coraparecendo ao lugar o respectivo rabdelegado e
varios inspectores.
Dizera nos que nao corre perigo de vida, apezar
dos ferimentos.
Os voluntarios apresentados oara o 5o corpo,
pelo Sr. capito Joaquim Ricardo Monteiro de Pal-
va, foram os segrales : Antonio Manoel Calado,
Florencio Jos da Silva, Manoel Joaquim Soares,
Agostinho Ferreira Cabral, Manoel Soares Quinto,
Evaristo Ferreira da Silva, Manoel de Barros Tei-
xeira, Manoel Felisberto e Jos Bento da Silva Va-
lonea.
Hontem a noute expozeram na escada de um
dos sobrados da ra do Cabug urna changa, par-
da e do sexo masculino; que sendo all encontrada
por pessoa da mesma casa, suscitada pelos vagidos
do miserando engeilado, foi entregue a' polica
aflm de providenciar a refocilo, livrando a-sira
atjnctu Ticttma aa concupiscencia de seus proge-
nitores dos horrores do abandono, a que esles a
atiraram sem compaixo, nem sentimentos de ple-
dade paternal.
Acerca da festa anniversaria do hospital Pe-
dro II, remettemnos o segunte :
c Quinta-fera, 19 do corrente, dia de S. Pedro
de Alcautara, padroeiro do hospital Pedro II, houve
missa cantada no mesmo hospital, e esteve elle
franco, desde as 6 horas da inanha at as 6 da
tarde, a todas as pessoas que quizessem visita-lo.
Depois da missa, a qual assisliram varios
memhros da junta administrativa da Santa Casa
do Misericordia, varias pessoas gradas, e grande
numero de doentes, foi o esiabelecimento visitado,
sendo oasseio e trataraento dos doentes,corao sem-
pre, o raelhor possivel.
t Visitamos tambera a obra, que a mesma junta
esta fazendo no sobrado sito ra da Gloria, para
servir de collegio dos orphos. Com elfeito, urna
obra respeitavel, quer pela seguranga, quer pelos
corainudos que olferece, e assim licarao os orphos
e todos os empregados com os necessarios com
modos. >
Em urna correspondencia publicada no Dia-
rio de quinta feira deve-se fazer a seguinte correc-
go :
No segundo periodo, na ultima liniia, em vez
dedo que testemunho cora esses mesraos seuho-
res leiase do que dou testemunho com esses
mesmos serios.
No ultimo periodo, na segunda linha, era vez
de como seja publicago-leia-se-com cuja pu-
blicagao.
1 A assigoatura Jos da Silva C. Guima-
res.
Pede-senos esta pablicago :
a E' jusia a profunda magua qo.e o Sr. conse-
Iheiro Dantas, professor de pathologa exlerna da
Faculdade Medica da Baha, devia ter experimenta-
do lendo o que escrevra o Sr. Dr. Gama Lobo, no
tomo XXIII, 00 3o de agosto do corrente anno, co-
mo se v; .1 no comniunicado que vai n'este u. pu-
blicado.
t Para os discpulos, que sonberera apreciar as
qualidades dos seus mestres, o conselheiro Dantas
ser por ellos inscripto no numero dos que oceupa-
rem o primeiro lugar. Hornera de vida exemplar,
religiosa, civil e domestica-, professor de urna a-si- (
duidade sem exemplo, amante do discpulo estu-
dioso, justiceiro e Inaccessivel aos empenhos, elo -
qoente era suas ligues serapre oraes; de linguagera |
pura, clara e suasiva mesmo para as cortas intelli-
gencias : urna licito explicada pelo conselheiro
Dantas do alto de'sua cadeira urna licao sabida
para lodos os seus discpulos : versado quanto >
preciso ua scienca medica, e deraais na philoso-!
phia e philologia : ludo isto Ihe deve dar um lugar
elevado entre oshomens de ledras. Que lea o re-
dador dos Annaes Urasiltenses o compendio que
elle chama velho; que consulte os estudantes a
quem seu autor tiver lecionado; que lela snas car-
tas particulares; que o ouga emflm, e se conven-
cer logo quo injusto fra na sua apreciagao.
c A cadeira de Palhologia externa da Faculdade
Medica da Baha urna das inais bem servidas; o
Sr. Gama Lobo, dizendo o contrario, foi injusto,
porque o contrario nunca poder provar. O com-
pendi, pelo conselheiro Dantas escripto para uso
dos seus discpulos, pois que elle nunca teje a ara- j
bigo de dalo para os mestres, por datar de 14 an-
nos, nao velho. Nelaton publicou o Io volume
de soa obra sobre palhologia cirurgica no anno de
1844 e s em 1863 pode dar a luz o seu 5* volume;
e s por esta circunstancia se animarla o Sr. Gama
Lobo lidiar de velha esta insigne obra? e andaj
hoje j sao passados 22 annos da Ia publicago,
animar se-hia tamben) o redactor dos Annaes BraA
silienses a intitula-la de vetusta, e ensinada por
seu autor, sem alterago ou modilicagao al-1
goma,?.......... i
c O redactor dos Annaes Brasilienses nao gosta-,
r de ler o comraunicado do distincto professor
bahlaoo, a quem to gratuitamente molestara no
que elle talvez mais estime, mais preze e idolatre,
na sua nica gloria, nica fortuna, Uto 6, na sua
reputando de homem scienti/lco.
t Estamos certos que o redactor dos Annaes
Brasiltenses em occasio opportuna far justiga ao I
distincto professor brasilero. >
Repakticao oa polica.
Extracto da parte do dia 27 de outubro de 1863.;
Fora n recolhidos a casa de detengo no da 26
do corrente :
A' ordem do Illra. Sr. Dr. chefe de polica,'
Francisco Flix de Jess, por ser alienado; Joa-
uim Pereira de Lima, Clemente Jos Pereira e j
o5q Bernardo de Sant'Anna, como reerntas; Ma-1
I
: tercas e sextas ao meio
quartas e sabbades i
MEZ DE OUTUBRO.
m. e 46 s. da t.
2 m. e 22 s. da t.
i. e 52 s. da t.
30 m. e 16 s. d t.
DAS DA SEMANA.
23. Sepnnda. S. Joo de Capistrano f.
24. Terga. S. Raphael arch.; S. Fortunato m.
2o. Quarla. Ss. Crisplm e Cnspiniano irs. rara.
26. Quinta. Ss. Evaristo e Floro mm
27. Sexta. S. Ele 28. Sahbado. Ss S;mo e Judas Thadeo app.
29. Domingo. S. Euzebia v. m.; a b. Bemvjnda.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manha.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEISOS.
Para o sol at Alago** a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fer
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maio
julho, setembro o noverabro.
ASSIGNA-SB
co Recife, na livrari3 da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Firoeircn i
Faria & Filho.
Doel Jos de Barros e M noel Xavier de Souza, co-
mo desertores; Eloy
como criminoso.
d;
Casa de detenqo.
Mov ment do dia 26 1
Existan) 348; entrara
Cunha Barboza e Silva,
O chefe da 2* secgo,
/. G. de Mesquila.
353, a saber: nacin es
o corrente :
n 9; sahiram 4; existen)
mulheres
5;
256, mulheres 4; es-
escravos 57, escravas
I cofres pblicos 181.
ia no dia 27 do corrente :
IgnacioRuptura.
sta.
OBITUARIO DO
trangeiros 27
4 ; lotal 353. '
Alimentados costa di
Movimento da enferma
Teve baixa :
Francisco, escravo de Jos
Teve alta :
Quintillano Antonio da C
Cemitriuo publico,
outubro de 1865.
Joo Baptista Gongalves, I
ro, Recife; niegilyte.
Francisco Belmiro da Co
teiro, S. Jos
Carlos Augusto d'Oiinda
annos, solteiro, Santo Antonio; gangrena.
Vicencia Vieira da Paixu, 20 anuos, soltei
nambuco, Boa-Vista; auazarca.
Deltina Maria da Concei ;o, Perna
nos, solieira, Santo Anto
Reg, Santos, Silva do Brasil, e Dr. Villas-Boas, ze
abre se a sesso e lida e approvada a acta da an-
tecedente.
O secretario aprsenla diversos papis, declaran-
do que no da antecedente os havia recebido do
Sr. Dr. Miranda, e esses papis erara lodos aquel
les que existan) em poder do mesmo Sr. Dr. Miran-
da, a quem tinham sido remetiidos como membro
da eommisso de polica. Resolveu-se que o secre-
tario os fizesse seguir para o poder da aclaal eom-
misso.
a Joaquim da Silva Costa, e Ber-
nardo Alves PiolHro, cuja casa eonssou Ihe amea-
gar ruina.Archive-se
Outro do mesmo, informando o requerimento em
que Bernardo Alves Piuneiro e Joaqnim da Silva
Costa requerem um praso de mais trinta das para
fazer em sua casa da ra das Cruzes n. 35 o coo-
certos de que trata a vestoria na mesma procedi-
da ; declara que os suplicantes ja' em 30 agoalo
quan lo haviam pago o imposto para depositar os
DIA 26 DE
ortugal, 33 annos, soltei-
tta, Indio, 60 annos, sol-
congesta > cerebral.
Souza, Pernambuco, 35
Comparece o Sr. major Manoel do Nasciraento da ,/' c ? D?ce5san,s aos etmeertos de qne
Costa Monteiro toma assento. SfiS,* .t,nl,a,m Ja em P"h '*)
Lu-se o seguinte n^, 7 rDCe,"1'^ E2f?
EXPFniRNTR 0u,rd d0 tmi d* B,ia v,sU- presentando eon-
Um offlelo do Qscal da fregeria de Santo Anto- 1*2 n^S^Sl custum,e ie ss manda* do QO*"el
nio informando n ter luar oa fnede ero seu S,ol"Ja,'le, TV^T 'JXV imun'1":ia'" -
requerimento Jos CordeirS do Reg Ponte no? E.L'SlSi"! **">** ** **
nne o Inn u, r., a b a 'j ler e,le Por muitas vezes rec amado aos enmatan-
Outro o fiscal da freguezia da Boa-v.sta, infor- U,r d Q^Cal da rei{3"lil do ** >at>*-
mando nao haver inconveniente em que Horacio
do o requorimeuto ; era que Julio Cezar Vieira de
Manoel, Pernamboco, 1 i)ez, Recife ; convulsoes.
Clemenlina
gas.
T*} Pu.ln!"?r: res 00 "o de se acharera habilitados diversos, B"S2T2'2 u^-*- ;,..m.
car a referida
Pernambuco,
C.lftONICA_,
TRtBIWL DO
(JD1GIAI4
CUJrmSKCIO
ACTA DASESS.lO ADMINISTRATIVA DE 26 DE
OUTUBRO
PRESIDENCIA DO EXM.
)E 1865.
m. DESEMBARGADOR
ANSELMO F1IANC1 iCO PEHF.TTI.
As 10 horas da manha,
deputados Rosa, C. Alcofo
Leal, o Exm. Sr. presiden!
sao.
Lida, foi approvada a a|cta da sesso antece-
dente.
DESPAI
No requerimento de Jac
adiado ua sesso passada, iedindo ser admettido a
matricula.Coraparegam ueste trbinal s 10 ho-
ras e meia da manha do da 30 do corrente os Srs.
Joao de Siqueira Ferro e J )s Joaquim de Ulivei-
ito do supplicante por
intimado aos referidos
e matriculado.Como
ias, pedindo o registro
ra para informaren) a resp
elle.- abonado ; sendo esle
Ferro e Oliveira.
No do Jos Moreira da S|va, pedindo certido
de ser ou nao commerclan
requer.
>o de Custodio Moreira I
da sna nomuago de caixei "o de Jos AntoDio Mo-
reira Dias.Registre se.
N'outro do mesmo, pedi
xeiro do supradito coramer|ianle Jos Antonio Mo
reir Dias.Como requer.
No de Maia & Landeiin
estar ou nao registrada a e
de urna casa terrea sita no
2 annos, Recife; bexi-
i Adriano, Pernamboco, 4 a raos,glos- tuerclos I oonc^rrootTa^^^^^ Z7 Est,vernrn em praga os alugeis das casas da pra-: g^gaaaM ET* "'
ga da Independencia, nbe.ras das fregoeiias de S. -
Jos e Boa-vista, ras da Florentina, Imperial e So-
ledade, e foram arremallados menos as casas ns.
6 e8 da praga da Independencia, 15, 18 c 19 da
ribelra de S. Jos, 41 e 42 da ribtira da Boa-vista,
as quaes existe a guarda de policia.
Autes de ir a praga a arrematago dos .lugueis
das casas da Ribeira da Bua-vista de ns. 4 a 9, e
13, li, 13 at 32, 3i, 35, 37, al 40, 43 at 48, as
quaes devam ser arrematadas nglobadamente ; o
I
estando reunidos os Srs.
ado, Dasto e Miranda
i declarou aberla a ses-
HOS.
ntho Jos Nunes Leite,
Foi approvado nm parecer da i-ommisso de po-
lica, dando por habilitada D. Aogehca Mana de
Lima, para concorrer a arrematago dos laibos de
agougue.
Despacharam-se as peligoes de Barth lomeo
Francisco de Souza, Bernardrao F. da Cruz, Dmaso
Antonio de Alcntara, Francisco Maia Corte, Fran-
Ci-co Avila de Meodonga, bacharrl J j.'m Francisco
Teixeira. Jos Francisco Fernandes, Jos IMnin-
a, iv i. gnes Codiceira, Joaquim Antunes Res. Jos Das
LttmSlt. ? ?5? 6 reqi'er ?"a ^'Santos. Jo Matheos, Leandro da CosU Miran-
dado damrM S S Si1?" Para ^v ?"' da BaMOi- MaDoel arques de Oliveira C Ma-
PnlZ i ? LUhr? 2*.W^2 "r"ar' noel Mart ns Fiuza, Manoel Jos Pereir M. da
En Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subscrevl llego pro-presideote, Costa Monteiro,
, Santos, Dr. Villas-Boas, Fonceca.
ido certido
p, pedindo certido de
criptura de hypotheca
>atco da feira da cida-
Cosla Monteiro sustentando o seu requerimento
nao foi este approvado, votando smente por elle o
seu autor e o Sr. Silva do Brasil.
Mandou-se reraetter ao advogado, um requer-
memo no qual Augusto*Bertrand, inquellno das ca-
sas da praga da Independencia n. 18 e 20, diz que
tendo sido coberto o seu lango na arrematago das
ditas casas, conclue pedindo preferencia sobre o
dito lango, visto que inquelino dellas desde o an-
no de .1852, e tera sido pontual nos seus pagamen-
tos.
Despacharan) se as petlgoes de Antonio Pedro
Ferreira, D. Carlota Joaquina de Carvalho, D. Emi-; toso, o influente u powuc de mi*o-, aruu
lia i.ont^"'^ Moraes rerreirn, PTanc)scjj.g{[or|i gggq u-pago de lempo, se nao andava em foro dos
de LuMrJv, VrADfiefo Franco da 4ost, K,:..._. ,uai inustrados da m-'sma faculd de, nunca foi
Jos Comes, Hermino Jos de Sonza, Hermenegildo udo como o refugo della : sem dovida nao havia
tanta inveja, e tanta
se por entrar, arre-
CORRESPONDENCIAS
Senhores redactores.Eiem o magisterio na
faculdade de medicina da Bahia at i-i annos,
tendo conquistado a cadeira de pathologa extema
em certame scientiflco cora ora contendor talen-
de da Victoria,,na qual h poihecante Anto Bor-
ges Alves e hypothecario Fi ancisco Jos de Cam-
pos Pamplona.Como requerem.
No de Joo Antonio do i maral, pedindo o re-
gistro da nomeago de seu caixeiro guarda-livros
Joao Antonio do Amaral Ji nior.Mostrem os que
assignaram a petieio, qu
deres para o que requere
cante.
No do correlor Antonio
quila Jnior, pediudu pro
raezes, da licenga que obtevb, e se linda no dia 11
de novembro prximo futun .
O Exm. Sr. presidente vo
do supplicante, por eslar es
nao inlerrompidas desde 10
No de Manoel Vieira Be
nomeago seu caixeiro Malnoel Vieira Beruardes
Jnior.Registre-se.
Com inlorraagao do Sr. de
No de Sevenno Ribeiro di Cunha, pedindo ser|
admettido a matricula.Como requer.
No de Jos Marques dos Santos Carregal, pedin-
do ser tambera admettido a natrlcula.Corao re-
quer.
No de Diogo Jos da Silva pedindo ser igual-
mente admettido matricula.Como requer.
Nada mais havendo airatir,
dente encerrou a sesso s
manha.
de ser cai- S0"?" de Lacerda> Jos Candido do Reg Ponles,' ainda lauta immoralidade, t:
utonio Mo- Joseilha Guilherrama de Mesquita L-ite, Jorge ambigo iraraenta, que forcejas
lasso, Jos Rufino da Conceigo, Joo Jos Rodri-. dando o mrito real; e certo
gue Mendes, Luiz de Moraes Gomes Ferreira ; Ma-; n.. njm... n5n h. ,.-, dlir. i...
noel Ferreira Anlunes Villaga, Manoel Figueiroa
de Faria, Silvestre Henriques dos Passos, e Vicente
Alves Machado ; e levantou-se a sesso.
Eu Fraocisco Canuto da Boaviagem, secretari) a
subscrev.-~Rego, pro-presidente.Costa Monteiro.
Pinto.-Dr. T. villas-boas.Santos Fonseci.
Como a virtude falsa, da sincera.
lera os necessarios po-
n em uome do suppli-
Dotelho Pinto de Mes-
ogago, por mais seis
.Corao requer.
ou contra a pretengo
e no gozo de licengas
de abril de 1862.
nardes, qne serve de
embargador fiscal:
Completos os 23 annos, requer ao governo
imperial a permisso de continuar no magisterio,
que me foi dada por decreto de 26 de novembro
de 1858, e por outro de 30 do mesmo mez e anno
j me foi feita a merco do titulo do conselho : doru-
\ mentei a minha prctenso com a prova autentica
6' SESSO ORDINARIA AOS 21 DE SETEM- de urna assiduidade la!, que em 25 aon.s s havia
BRO DE 1865. dadoduas fallas; com um opsculo, o prinvro
Presidencia do Sr. Gustavo do Reg. i dele genero, escripto nesla faculdade em 1847,
Presentes os Srs. Thomaz de Aqulno, Sanios,' quando o governo nenhum premio promema aos
Costa Monteiro, Dr. Villas-boas e Pinto; brese a que escrevessm; com a declarago de que tra-
sessio, e lidda e approvada a acia da antece- balhava para dar 2a edici desse oposculo, e ci.m
; a mais resoluta dedicaco ao en-in>, testift-ada
! pelo conselheiro director da faculdade : era ento
i ministro do imperio, e presidente do gabinete.
o Exm. Sr. presi-
11 horas e meia da
26 DE OUTUBRO
DESEMBARGADOR
Exm. Sr. presidente
coberta etc.; diz que nada ha a oppr a preten-
go do peticionario.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informan lo o requerimento em
que Francisco Jos de Araujo, proprietano do so-
brado n. 39 da ra do Noguera. pede para fazer
ro approvada a acta da precedente ses- no mesmo sobrado urna sota, declara que o so-
brado em questo muito baixo, alm de ter um
oito siogelo, e que segundo as posturas em vigor,
nao pode ter lugar essa pretengo.
Nesta occasio communica o engenheiro que In-
do examinar o sobrado cima, vio que junto dalle
se est fazendo urna casa com sota, e de oiloes
SESSO JUDICIARIA EM
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR.
A. F. PERETITI.
Secretario, Julio Gatmaraes.
s II 'i horas da manha
declarou aberla a sesso, estando reunidos os Srs.
desembargadores Silva Gulmares, Reis e Silva,
Accioli e Dona, e os Srs. deputados Rosa, Candido
Alcoforado, Basto e Miran ia Leal.
Lida,
sao.
Assignaram-se os acordaos proferidos na ultima
sesso nos feitos entre partes :
Appellante, Francisco Antonio de Bri'.o : ap-
pellados, Rocha Miranda Filhos & Companhia.
Appellantes, Luiz Fonseca de Macedo e Joo
Alves de M jura ; appellado, Antonio Joaquim Sal-
gado.
JULGAMENTOS.
Appellante, Joaquim Martioho da Cruz Crrela ;
appeliados, D. Felicia Relaves e a fazenda provin-
cial.Adalo as sessSes de 19 e 23 do corrente.
Desprezarara-se os embargos com o voto do Exm.
Sr. presidente.
Appellante, Salvador Leite Vidigal; appellado,
II. George Denio.Dcsprezaram-se os embargos.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellante, Candido Moreira da Cosa ;
lados, Antonio Guedes Gondim e outros.
Do Sr. desembargador Silva Guimares
desembargador Res e Silva :
Appellante, Virginio Barbosa da Silva
lados, Cardoso & Souza.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares :
Appellante, Joaquim Gongalves Ferreira; ap-
pellado, Pedro Cavalcanti de Albuquerque Ucha.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares :
Appellantes, os administradores d massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C; appellado,
Mello & Irmao.
DISTRIBUigAO.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellante, D. Francisca de Salles Candida Ro-
cha ; appellado, Joaquim Luiz Vires.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso urna hora e meia da
tarde.
denle.
L se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do conlador informando a petigao, na
qual Pedro Ignacio Baplista pede o pagamento da
cunta que jnnlou, de cera que fornecera para a mis-
sa por occasio da abertura ela assembla provin-
cial no 1 de margo deste anno, declara ser exacto
ter o supplicaute fornecido a mesma cera.Man
dou-se pagar. ,
Outro do engenheiro cordeador, informando o re-
querimento no qual Barlholomeu Francisco de
Souza, proprieiario da casa terrea n. 30 da ra de
Aguas Verdes pede para que se Ihe permita ree-
diflca-la, assim como fazer de novo o muro que
lica nos fundos da mesma casa, ni aliuhamcato da
ra de lionas, diz que nada lem que oppr, nma
vez que Ihe seja da la a necessara cordeagao para
ambas as construgoes.Mandou-se cordear.
o milito Ilustrado e recto senhor marquez de
Olinda.
Para quo me servio tanto zelo, lano esmero e
tanta dedicago em 32 annos de servigos presta-
dos ao paiz com a palavra e rom o exemplo da
moralidade? Para lr agora nos annaes brasi-
lienses de medicina, tomo XXIII, n. 3, de agosto
de 1863, pag. 75, o seguinte :A cad'ira de patho-
loga externa da Bahia i mal leccionada, o com-
pendio i o mesmo |M servia ha 11 maos sem
alleracao e sem modificaco alguna.
O compendio velho, logo o lente da mas
ligoes : semelhante raciocinio, s de um eserevi-
nhador sem consciencia, ou por natareza dscolo
e maledicente, oa estpidamente leviano, oo m-
snlUido. ou penado por miseraveis intrigas e
Outro do mesmo, informando o requerimento em i enredadores da Bahia. Ora pois, s iba o escre-
que Bernardo Jos da Costa Valente pede para que ; vinhador em chefe dus annaes de medicina, que o
Ihe seja concedido fazer alguns reparos no sobrado lente de palhologia exlerna da Bahia nao se cinge
de dous andares, sito a travessa de S. Pedro n. 4, ao velho livrete; que faz liges oraes; e, sen
sendo esses reparos rebocar de novo a (reate, fazer: escrevinhador que assim se atreve a marear a
cano para a* aguas, fazer parapeito e concertar a | reputagao alheia, e para quem o pundonor de
appel-
ao Sr.
appel-
CAMARV lHrClPAl DO RECIFE.
5 SESSO ORDINARIA AOS 20 DE SETEM-
BRO DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira SimSes.
Presentes os Srs. Tbomaz d'Aqaino, Gustavo do
outrem nada, pode e capaz de avahar nm
lente que merece este nome, veoha a Bahia, e
ouvir discorrer sobre mudos pontos, acerca dos
quaes a obra classica do Sr. Nlaton nem se qner
urna palavra diz; e convencer-se-ha que o lente
de palhologia externa da Baha acompanha a
sciencia hodierna.
Saiba o escrevinhador sera consciencia, qne o
obscuro lente de palhologia externa da Baha,
obscuro, porque nao se inculca, e nnnea oohe
ser impostor, est reformando e ampliando o vrtho
opsculo, trabalho, coja concluso por cireams-
singellos, o que tambera nao conforme as posturas' tanrias nao lem sido possivel. Saiba o escrei-
Quanto a primeira parte, despachou se nao ter' nhador, que Sua Magesiadd o Imperador, evida-
lugar a licencarequerida, e quando asegunda que menle habilitado apreemu o humilde lente de pa-
se ofllciasse a'o riscal para informar a respeito. j ihologia exlerna da Bahia, quando se gneo
Outro do mesmo, informando o requerimento no ouvi-lo na mesma faculdade; e tanto alguraa be-
qual Elias Baptista da Silva pede para que Ihe seja nemerencia Ihe achou, que o distingui, sendo
permiltido fazer no terreno que Oca no fundo de servido condecora-lo com a commenda da ordena
sua casa, sita a sua da Concordia, e qne faz frente da Rosa, assim como disiingoio com a commenda
para a do caes da casa de detengan, um muro de de Chrisio a mais tres muilo superiores ao humtl-
dez palmos de altura com um porto largo, deca- ue da palhologia externa, (meas i.u-tre* mesires)
ra que nada ha que oppor, urna vez que a cons-'o conselheiro Abbott, lente de anatoma, eoosrlhei-
truego do muro seja precedida pela respectiva cor-' ro Magalhes de pbysica, e fallecido conselheiro
deago.Mandou-se cordear. Cabral de clnica medica : saiba o escrevinhador.
Ouiro do mesmo informando nao haver inconve-1 que o lente de palhologia exlerna da Baha nio
niente era conceder se a Jos Francisco Fernandes: reprodozio hgo anfiga, mas sint eontiaoon a
reedilicara sua casa n. 22 da ra das Laranjeiras, e j fallar sobre a materia, de qne coroecara a tratar
na mesma fazer solea de conformidade com as pos- nesse da; porque depois de linda a ligo des-e da
turas, urna vez que Ihe seja dada cordiagao, e a que Sua Mageslade hoorou com sua augusta
casa seja feila cora oiles dobrados para poder ad-, presenga a aula de pathologa externa. A esa
mitlir a solea pedida.Mandou-se dar cordeagao. < ligo nao repetida nem reprodnzida assistio um
Outro do mesmo, informando o requerimento no dos mais Ilustres ornamentos da facoHae a
qual Jos Luiz Ferreira da Costa, proprieiario do i corte, o Sr. Dr. Bonifacio d'Abren, qae al o tira
sobrado de dous andares, sito a ra do Padre Fio-' do quarto anno fez seus estados mdicos na
riano, pede para quo se Ihe conceda fazer no raes- Bahia.
mo cornija, cano internado, ai-rir urna janella na; Saiba finalmente, qae ama repntago com tamo
frente em cada um andar, e por na coberta urna esforgo adquirida em uina longa carreira d fcoaa
lerga nova, declara que nada tem a oppr quanto servigos por certo nao sera tisnada por qoalquer
aos reparos e melhoramenios, mais quanto a aber- escrevinhador (ainla en chefe) estultamente vai-
tnra das janellas, julga perigosa, por quanloo so- doso, inioo, e sem conscienna
orado em questo de dous andares, construido Pode agora o Sr. Gama bobo, levado e sena
de oites smgellos, e acha-se izolado de ambos os mus inslioctos, descompr como Ihe aprouver,
lados.Deflno-se no sentido da inf^rraago. que o lente de palhologia exlerna da Bahia ia loe
Outro scalda;fregueziade Sano Amonio pedindo tem urna vez por todas cabalmente rwpon-
a cmara que se sirva expedir suas ordens para que dido.
o procurador reeeba delle aqnantia de 5 que Ihe Senhores redactores, dando V. S. pobao a
havia sido entregue para a despeza do inlurraraen- estas linhas contribuir, para qae nt- qoe assm
to de nm cavalto encontrado morto no caes do Ra- traigoeira e indignamente diffaujado um profesar.
mos, cujo dono leudo depois apparecido, pagou a que sempre e sempte aniepoz o de ver ao p*o,n
dispeza feita.Que se oflciasse ao procurador pa- a virtude f-l0a. e muito e am* obrnjara n
ra receber a quao.Ua de que trata o fiscal. de Vv. Ss # rou,t0 atento venerador e criado.
Outro do mesmo. remetiendo um termo de visto-1 Ba^', y ae 0uiobro de I84H
ria que havia fc\to na casa n. 33 da ra das Cru-1 Manoel Ludulo Arankat Dmtm.
IvUIlLDO


Diario de rernMMbuo* abbado 28 e Outubro de A*
Sr*. redWtott* :-Bm respostt
meu amigo o Sr. Amonio Joaquim
cada am o seo Jtiarto de hoja 27 lo crreme
de outobro, apresso-ire a dizer ao autor dessa res-
posta+pe o saeu distiapio .amigo.tip aceeila o sea
conselho de investir cintra os membros do tribu-
nal do commerclo, assim corio o tem feito por ve-
es repetidas contra os Srs. Mac>io, Houra, seus
advogadose procuradores, escrives, contador do
juizo, o promotor publico, Dr. Juii municipal da V
vara, etc., etc.; pols que o meu nobre amigo nao
quer imittai a Lpez do Paraguay.
Do contrario (estou bera certo 1) nao ficana pe-
dra sobre pedra 11 O meu honrado amigo o Sr.
Salgado nao la para historias, como ha de ter ob-
servador o respeitavel publico desta cidade.
Se o meu iraporlan'.e amigo commaniasse algum
dos corpos de voluntarios da patria do Brasil, ou
mesmo urna companhia de zuavos nacteaaes do
imperio, ha muilo illo tempore que as barrancas de
Cuevas, Corriente?, Humait, Assumpgo, Lpez,
Robles, Barrios, Rosees Salvanaks, Etigarnbia, pa-
dre Duarle, o paule deste mannaujo et magna co-
mante caterva estav.im reduzidos a farrapos I !
Entretanto acho pendente e de bom aviso que
o autor da indicada reposta nao continuo a exci-
lar-ltee os bros...
O meu prestimoso amigo est processado por en
me de calumnia contra o Sr. Luiz Fonseca de Ma-
cedo, e muito breve tem de aqaecer o banco dos
reos no tribunal do jury I i! Neslas creumsten-
clas, e tendo perdido a demaudau <' de seus
olhospode ser fatal qualquer escripto que Iba ag-
grave a decepcao lili
Peco Ihes, Srs. redactores, o obsequio da darem
publicidade a estas liulus, a' bt-m da tracquilida-
de publica.
Recife, 27 de oulu iro de 186-5.
Rea!.
a rapista ao a garrafa. Reg ao mesmo publico qa os quaes augmentam os mwimentos irrita-
d'' PUmt *uaDdo rein ass'm engaados, tomem tes-, tivos, que formara absorbo, e os s cernen-
temunbas, me remettam os rotlos falsta- tes aquelles que augmentam os movimientos
com gneros..... 271
------313
dos e me participen) para fazer effectivo
artigo 167 do cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Parankos.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medlcamen
tosas, o reino vegetal, e penence classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
aa com 'vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorgitanwntode figado e bago.
Ella tem sido iipplicada com incontestavel proveitc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga >j mesmo para combater a menstrua-
gao difllcil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idem.
Tintura idem de ifiem.
Xarope idem.
Vmho Idem de idem.
Paulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga
sano u. 10.
do
VARIEDADES
Setnelas e medicina.
L-se na Union Medcale de Parts-
irritatives que conslituem as secresoes.
Assim, pois, v-se que sem a precisa combi-
nacao e modificaco nao iodo ser elle appli-
cado indistioctamente. Muitas \ezes o pra-
tico deixa de fazer applicac-ao do ferro por
conhecer e suspeitar que o figado, o bofe ou
pulmo, orjo essencial da respiraco, ou
ouira eniranha est Rendida; entretanto
que, se se tivesse applicado em tempo se
poder a ter evitado o desenvolvimento da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fica exposto se pode usar sem ris-
co por nao offender as entr; ribas. As mo-
lestias contra as quaes o xarope tnico re-
frigerante pode ser applicado com proveilo,
sio : as amenorrheas, ou suspeocao do flu-
xo menstrual das mulheres, anemia, ou di-
minuirlo da massa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
| dade dos orgaos digestivos, fastio, fluxos
mucosos, flores brancas, chlorose, molestias
do sexo femenino, caraclerisada por lan-
guor geral, acclorisaco paluda da cor ou
esverdinliada, empobrecimento do sangue,
enfartes-ehronicos das visceras abdominaes,
alporca ou escrophulas, escorbutos, opila-
FUILICA
1
Leva agua no Meo.
Breve resposla do Sr. X. J. Salyado ao encapotado
autor da piiblkaeao do aeeordat e apenco, im-
presso no Diario de hontem.
1." Arrede um youeetchUo a mascara, e assigne
seu nome para se lite dar a devtda respo^ta, (se for
disso digno I)
2." Nenhnm dos distinctos membros do tribunal
do commercio votou contra Salgado, e nem agen-
tam pedrmha no sapillo por serem muito justos I
3." O juiz municipal da primeira vara nao pre-
cisa- e despresadefensores encapotados...
4. Salgado si: diz pela imprensa, verdades puras
e tndistruivets, e sob sita amgnnlnrae o afflrma
O possutdor de padarias sem dinheiro.
- -J-o-gi i --------------
O w^lr7iJ5Sffarr^M w va- cao' P*,lidez> e os estragos produzidos pe-
riaJVe^de'umfd com impSL e \j tS^^fiSS!' i^lfiS 2?
para a tberapeolica, que cousistia Wdesto-|X,S^ T^.^^^^TO"
feccao do oleo de figado de b.calho sem J f a' fS? m^
Ihe tw npnhiim-i dMoaa nmnrimlarlM ffi observar nestas duas alemas molestias
noSdto, 3q e es er alta o ff& %fiZtt S.'TS Z
do do modo o mais completo por um babtl lre corrente' e as urinas dcs^bara-
pharmaceutico de Paris, o Sr. hevrier, que n nAn ,n 0 _--. An
onseguto desinfectar o oleo de figado de Jt^&EfZZlJ^^l Vi" deS*
bacalho com o alcatrao e o balsamo de '^SJSjPSSSS^^SS'. .
To(n ,____::,/.:..______:.- .i Vende-se nicamente na botica da ra
In. As experiencias feitas por muitos de nr(lilq Kft H
ssos praoselcc ebres, nos hosp'taes e so- Ul,eiw aj .
S sens floftnles narlir.nlarf's na analvso.s p.
Er}>ipella.
O medicamento que com mais influencia
6 energa tem combatido essa terrivel en
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de nao
veame.
Urna escrava da raai do Sr. Francisco Fir-
mino Monteiro, pessoa bem CDnhecida nesta
cidade, a hando-se de cama, e com as per-
nossos
bre seus doentes particulares, as analys.es e
ensaios de chinacos competentes, nao dei-
sam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqu as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
t)r. E. Humheit, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submetti a analyse, diz este distincto
professor,
da Rocha Paranhos.
as bstanle indiadas, e cheia de lumores, dissimular oebeiro e o sabor desagradaveis,
A jnrubeha.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muilo conhecidas nao s no Bra.-il, pois que dellas
Iratou Pisn em sua excellenle obra Historia na-
turalu et medica Indiw occtdentahs, senao as
Aulilhas, onde u sueco das folbas e fructos como
aqu, muito estimado e applicado contra as obs-
trueces abdominaes, principalmente do figado e
O Oleo de Qgado (le bacalnao na- bagj e se tudos os facultativos desta provincia o
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che- nao applicam com frequenda, isto se nao devea
viier, e posso ceilificsr que esse produelo Di reconhecerem elles estes virtudes, mas slm a
,,.,,'u,, i.^ j ..^___ _.,.; nao serem encontradas cum fac idade e em todas
,-w peideu nenhum dos seus principios as esucSes doannoosfroetesdessaplacea're-
medicamenlosos nem cbimicos, que se pugnancia, que apresentam os deentes era fazer
acham no oleo de figado de bacalho ordi- uso do sueco desses fructos, em consecuencia de
nario. A fr.ica proporco das substancias ser extremamente amargo
estranhas que e puern no oleo natura' A JuMa nao descnhecda
para
dos botanistas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e tem
tomando o xarope de veame, a' ha-se boje
boa, prestando serviros.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na ra Direta n. 51, tendo sido
accommetlida do mesmo mal, acha-se tam-
bem boa.
A Sra. Senhorinba Umbelina dos
Santos, moradora na ra das Calcadas n.
is. acnando-seatacada deerysipella as c-
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavcl.
xas, com quatro tu mores bastante volumo-
sos, no eslado indolente, que a prima de Jpessoas cojo gostoo olfato sao dos naissus-
pr-se de pe ha muito tempo, com o uso; ce tiveis.
a deuominaoao de solanum pamculatum, que llie
fol dada por Lyneo.
Parecendo-uos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
hm resumo, o oleo de fajado de baca- com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
han desinfectado pelo processo Chevrier applicado em pilulas, mas tambem uravinho, nra
goza de propriedades idnticas ao oleo de x*rP'e uni emplastro que pode substituir, em
fUaiI,. \p harnlh-io ni-dinarin nn pJIa rpnrp- cerlos casos' de Vlg0 e e^ini>s persuadidos que
ngatio ce Dacaiiiao o amano, que ello repre-1 com js(0 pres,amos ura serV|go humandade e a
senta exactamente. hterapemica.
Elle milito be-ll tolerado pelos doentes, Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
OS quaes elle nao anoja e tomado pcias coco d.as ralzes ** jurubeba, e Mrat e eleos,
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes
portantes e preciosos da therapeutica, quem
descobrio o meio de tornar de um uso f-
elo xarope alcoliolicode veame e pillas pur-
gativas do mesmo, acha-se restabelecida, e
no tiS'i dos medicamentos os tumores ler-
minaram pela suppuracao.
A Sra.o. Woa. moradora na ra de Santa jcil para lodos, prestou um verdaderosr_-
Rtta n. 13, pnmeiro andar, soffren.In mesmo mal ha mu'tosannos, poisqueaery- Por isso nao podemos concluir melhor
sipella atacava amiudadamente, depois que do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
tem tomado esse remedio nunca mais Ihe rica e til descoberta que merece de ser
deu. propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os trahalhos que conduzem as
em seu Diccionario me molera medica e therapeu
tica, dizem que nis Auxilias se faz uso do sueco
dos frustos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses me-
os mais im- d'cos> merecidamente celebres, nos leva a crer em
1 suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
uosso eslabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticus obtidos ltimamente s3o iSu impor
umies, que nos parece intil dizer mais do qut
isto, que tica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
Outros muitos 'actos desta ordem deixo
de mencionar aqu para nao me tornar pro-
ffito eenfaejonho.
Sendo a erysipclla urna mol stia que sem
duvida eTeito de materia grrada no corpo
como expem alguna esenptores de medici-
na, e em consecuencia da febre lanzada
na pello, onde produz inflammaco, e que
muitas pessoas, por nao se terem conve-
nientemente tratado, suecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de-
vera usar de remedio algum, o que faz-se
estender o mal por nao se ter a principio
combatido : por isso, pois, conveniente
que, logo que alguem se sentir atacado de
tal mal, deve provocar a transpracao toman-
do ao principio urna colherinhi de cha do
xarope alcohlico de veame dissolvido em
urna chicara de infusao de flor de sabu-
gueiro quente, adocaddp-a com mais assu-
car, continuando nos tres dias nesse trata
tamenlo, no fin dos quaes usara' do xaro-
pe ile veame na forma prescripta no recei-
tuano, tendo todo o cuidado de se abafar,
afim de soar conver ientemente, alem de
conservar o \entre frrente, que conseguir
tomando urna ou duas pilulas purgativas do
mesmo veame.
Todos quantcs suecumbem desta moles-
tia se diz :fdleceu de erysipella recolhi-
da ; ao contrario, alguns"expositores pre-
sumem ser o desenvolvimento da putrefac-
co no san ne, tanto que o lu^ar inflamma-
do que, entao a sua cor era encarnada, se
troca em lvida ou negra, eterm na em gan-
grena, e por essa raz3o que conveniente
O xarope alcohlico de veame na iufusao de
llr de sabugo, para se conseguir resolver a
inflammacao, ou pelo menos terminar pela
supporaco, impedindo assim a gangrena.
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua qiialidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para imped,
a putrefaccao as molestias.
Na erysipella nao deve o enfermo nos pri-
meiros tres dias us?r de comidas e bebi-
das que possam esqueotar e inflammar o
sangue.
Acomida durante esse tempo deve ser do
reino vegetal, como sag, farinha do Mara-
nhao, pao torrado bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina qoe
aconselhasse que nos primeiros tres dias de
accom:i ettimctos do mal, nao se usassede
medicamentos; o que elles repeliera sao os
ungentos, junturas que Qb&ruem mais e
jepellem do quepromovem aevaeuajo da
parte; o que corivm trazar o lugar ata-
,cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
pirafo e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veame vende-se
a boiica da ra ireita n. 88, de Jos da
Rocha Paranhos.
Tenho recebido cartas de algumas pes-
soas de ou ras provincias qoe me commu-
nicam ter desia cidade sido remettido o meu
xarope falsificado, que tem dado resultado
ao descrdito de minha preparacao, cujo co-
rhecimento se tem verificado depois dos ef-
titos que taes remedios apiesentava ; as-
sim, pois, tenho a declarar ao publico qne
no letreiro que vai i regado na garrafa do
xarope, sempre foi assignado por meu pu-
cho, e daqui em diante, alm desta assig-
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de I acalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nSo menos im-
portante, o qual consiste em ter associado o \
A tenco
Xarope alehoolico de veame, preparado
pelo pharmaceulico Jos da Rocha Paranhos,
estabelecido com botica na ra Direta n.
88 em Pernambuco.
Este xarope incontestavelmentc superior
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo a todos os tarops depurativos, de cuja
de. fajado de bacalho ferriginoso de Che- composico o seu maior ele > ento a salsa
prier constitue lalvez o melhor meio de dar- parrilha, pois que se tem conhecido ser o
se o ferro. Pois o iod ro de ferro unido veame mais enrgico para a prompta cura
deste modo com o oleo de figado de baca- das molestias, cuja base essencial depende
Ibo se dissclve ma>s fcilmente nos lqui-da purificado do sangue; assim pois se
dos das vas digestivas e por consequencia \ tem verificado por muitas pessoas que se
se assimila muito mais bem do que sb a achavam desengaadas, as quaes acham-se
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle hoje restabelecidas com o referido xarope
perde assim suas propriedades irritantes, e i alehoolico de veame; entretanto que al-
nao provoca a constipaco. E' assim que gUns, tendo usado do xarope de Curinier,
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-; de Larrey, de salsa .parrilha, de saponaria,
larj^nbtna preparacao marcial, tomam fa- oleo do tigado de bacalho, e outros agentes
desta ordem nada conseguiram. E' elle de
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
fcil digesto, agradavel ao paladar e ao ol-
Os senhores Maurrer & C. acabara de re- phato. Alguns mdicos desta cidade e da
ceber um grande sortimcnlo dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Veude-se na pharmacia de Pedro Maurer
& C. ra Nova n. 18.
Xarope tnico refrigerante de veame e de
ferro preparado pelo pharmaceutico Jos
da Rocha Paranhos,estabelecido nacidade
do Recife provincia de Pernambuco, ra
Direita n. H8.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular por sua qualidade frrea, xo
mesmo lempo purgativo pela parte do ve-
lame que eu erra, e refrigerante pela par-
te acioa, alm da precisa para perfeita so-
lueao e combinacao do ferro; este atacado
pelo acido fica em extrema divisao, e as-
sim o mais suluvel que possivel, ce sorte
queja nao to dependente dcsi-r digerido
pelos aciaos fracos, que se a ;hara no sueco
gstrico durante a digesto. Os expositores
de medicina sao de opiniao que o ferro e
todas as suas preparaees gozam das virtu-
des eminentemente tnicas, que aproveita
em todas as molestas que sao caracterisa-
das por fraqueza; e com effeito acho exac-
ta essa opiniao; mas nao dado o ferro em
substancia pelo mo resultado que tenho ob-
servado, (e que ja fiz publicar) em certas e
determinadas mole tias; por exemplo: ane-
mia, e febres intermitentes, terminam mui-
tas vezes por anazarca, que accumulacao
de serosidade no lescido cellular(agua quan-
do est entre a pelie) e depois ascite ou hy-
dropesia do ventre, que accumulacao de
serocidade no peritoneo. ,
E' sabido que o ferro um dos agentes
mais importante para que o sangue se pre-
pare e aperfeice devidamente, e por con-
segrante o mais proprio para impedir o des-
envolvimento destas molestias; mas sendo
elle um efficaz eicitante, sorbente e secer-
nente, claro que s associado como se
acha nesle xarope, pode dar o resultado
que se espera, e a experiencia me tem de-
monstrado sem risco de offender as entra-
nbas.
Os effeitos dos incitantes, s5o : promover
as secrecOes, e absorces, augmentar o ca-
lor natural, e remover aquellas dores que
nascem da falla dos movimentos irrilativos.
natura o farei tambem no papel que cobre I Os sorbenles 85o tambem aquelles agentes.
de Macelo o teem recommendado para a cu-
ra das
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, fluxo alvo.
Fodas eslas affecces provm de urna cau-
sa interna; nao ha pois razao alguma em
crr que ellas se podem curar com remedios
externos. Tambem se prescreve o xarope
alehoolico de veame para o tratamento das
affecces do systema nervoso e fibroso, taes
como:
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocoudria, emmagrecimento.
O xarope alehoolico de veame sobre
ludo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
vende nesta cidade na botica cima indica-
da, do abaixo ass gnado; e em ouira qual
duer parte que se tem annunciado nao da
mesma composico, e nem o abaixo assigna-
do se responsabiiisa.
Jos da Rocha Paranhos,
COMMEBCIO.
Gaita filial do banco do Brasil em
Pe i'aambu co.
A ca ca descoma as letras deseo apelaitec a
daitxa de GO| ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nanes Correia.
Novo Banco de iPernanhiico
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
defindo na razao de.80 opr accao.
Movo basco de Pernam-
buco.
O Novo Banco descoma letras de praeo at seis
metes a 10 por cento ao anuo, e toma dinheiro
a praso Sxo, ou em conta corrente pelo premio e
coDdides qoe se convenctooar.
Volumes sabidos cem fazenda?..... 114
com gneros..... 972
--------1,086
Descarregam hoje 28 do corrente.
Barta rance/aSanto Andrcemento.
i Patacho portuguezAfana da Glonapedras.
Patacho bamburguei Emma diversos gneros
i Brigne inglezBslclutliacarvo de pedra.
Barca ingleaEdilh Manon -idem.
Galera inglezaHermioneidem.
Bri^ue inglerGrrH Brigue francezTrois Freres -pedras,
Patacho bremeose Schlanke Muid farinha de
I trigo.
I Polaca bespanholaPortollasvinhos.
i Patacho portuguez Furtocharque.
Importaco.
Continmcao do manifest do brigue hamburguez
Emma, entrado de Haotiurgo.
5 caixas couro de bizerro, retratos, harmnicos;
A Vai& Leal.
12 ditas genebra; a Francisco Guedes d'Araujo.
20 ditas vidros,2 volumes amostras ; a Ladislao
Josa Ferreira.
4 ditas perfumaras; a S. T. Bastos 20 barricas alvaiade de zinco, 3 ditas dito, 1 dita
miudezas; a Joo da Silva Faria.
4 canas ferragens; a J. A. M. Dias.
10 volumes fazendas de algodo, de linho e dito
de 15a, miudezes e estopa, 20 caixas louja da bar-
ro, 300 ditas velas de spermacete, 128 rollos cabos;
a Babe Sctimeltau & C.
9 canas echaduras, limas, estribos, cextos e
ferragens; a Prente Vianoa & C.
11 volumes fazendas de la, de linho e miude-
zas, 4 caixas papeleo, 3 ditas boloes, 2 ditas pelles
de bizerro, 2 ditas ferragens, 3 volumes amostras;
a Linden Wild & C.
1 raixa lithographias pintadas, 1 dita hrioi|ue-
dos, 1 dita miudezas ; a Tbomaz Teixvira Bas
los.
6 ditas presilhas, fitas, botoes, melas e sabo; a
lieiirljue & Azevedo.
6 ditas ousa para escrever; a Silva & Car-
doso.
1 d:ta la para bordar, 1 pacote amostras a
Isidoro Netto j C.
6 ditas e 1 barrica tinta, verniz, bronzo pedras
de lithographia, machiuas, papel, papelao pedra
pomes e diversos artigos, 1 taboa; a F. H. Caris.
7 ditas brim de algodo, fazenda de linho, e dita
: de algodo, 3 ditas accordioes, 3 ditas ferragens, 1
dia grampas, 1 dita quadros de Santos, 5 ditos
pelles envernizadas e engraxadas, couros etc. ; a
D. P. Wild.
17 ditas cadeiras: a Rocha Lima & Genros.
4 ditas conserva?, 1 dita chapeos, o ditas miu-
dezas, 1 dita amostras, 50 barrilinhos banha, io't
caixas agurdente ; a ordem.
I dita sapatos e meias; a Manoel Jos Fernn-
des Barros.
II ditas louca, 4 ditas salame, 1 dita nos mosca-
da ; a Dencker & Barroso.
Galera ingleza Hermione, entrada de Liverpool,
consignada a Seuipson 4 C.; manifestou o se-
guinte :
3 fardos Qo, 50 barricas enxadas, 3 ditas ferra-
gens, 1 calxa cofre de ferro e 20 barricas salitre ;
a Johnston & C.
100 barrs manteiga, 30 caixas cha, 33 fardos
fazendas de linho; a J. Pater & C.
1 caixa cha, 12 fardos tecidos de algodo ; a
Sonthall Mellors & C.
2 votantes ferragens; a Brander a Brandis.
!i lardos estopa; a Patn Nash & C.
3 caixas tecidos de algodo, 3 fardos pannos e
cobertores de la ; a Phipps Brothers & C.
1 dita ferragens-, a Raba Sehmettau A C.
30 ditas miudezas e linha, 11 volumes tecidos de
algodo; a Sempson.
1 pega de ferro; a Souza Campos.
6 barricas culelerias, 8 ditas fechaduras, 74 ditas
ferragens, 2 caixas cadarzos de algodo ; Prente
Vianna A C.
400 toneladas de carvo ; a Th. Jeffenes.
25 barricas manteiga ; a Mara Palmeira
100 saceos arroz, 22 barricas enxadas, 2 fardos
fio ; a ordem.
4 fardos creguellas ; a Mille Latham &C.
25 barrls manteiga ; a F. Corga d C.
10 barricas pedra-hume, sal e pos preto, 1 cai-
xa vidro para botica; a B. F. de Souza.
Brigue bremeuse Schlanke Mata, entrado de
New-Yorc, consignado a Henry Forster & C ma-
Difosluu o M-ijuiiiii- :
1,407 barricas farinha de trigo ; aos mesmos.
LFAN'DEGA DE PERNAMBUCO.
PACTA DOS PBECOS DOS GNEROS SJEITOS A DIREITOS
DK EXPORTAQAO.SEMANA DE 23 A 28 DO MEZ DE
OlTUllIlO DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
1^500
800
800
380
800
900
33800
145600
15500
25600
25200
35500
55120
25000
15600
15000
15200
35000
75000
65000
65000
440!
360
280
580
33200
43000
13000
35000
300
300
15500
25500
155000
45OOO
600
155;
240
100,
350
103000,
13000:
320
500
45000
23000(
153000 [
13600
13800
43OOO
23800
53000
143000
83000
83060
53OOO
600
25500
255000
23000
113000
65000
240
13500
33OOO
53000
53000
800
1*000
13000
120
335OO
203OOO
103000
13000
120
400
Travs.........urna 630TO
Unhas de boi ......cento SOO
Vassouras de de piassava 103000
Ditas de timb....... 83000
Ditas de carnauba..... > 63000
Vinagre........ caada 500
Alandega de Pernamuco, 21 de outobro de
1865.
(Assignados):
O 1." couferente, Francisco de Paula Goncalcts
da Silva.
O 2. conferente, Jos Baptisla de Castro e Silva.
Approvo. Alfandega de Pernambuco 7 de ou-
tobro de 1865.A. Eulalia.
Conforme. O praticante, Jos Ftlippe de lio-
raes e Silva.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 26...... 44:2473629
dem do dia 27................ 1:4393443
46:6873072
SBOYIMENTl SO'PlIlfO""
Vanos entrados no dia 27.
New-York45 dias. patacho hreraense Schlanke-
Matd, de 145 tonelada*, capito Schuleraberg,
equipagem 9. carga 1,300 barricas oom farinha
de trigo ; a Henry Forster & C.
Rio Grande do Nort-7 dias, brigue francez Ca-
rohne, de 227 toneladas, capito E. Jagoury,
equipagem 9, com lastro ; a Tisset frere.
A'acios sabidos no mesmo da.
Aracaty Lincba nacional Graciosa, capito Joo
GomM da Costa, carga differente> gneros.
Rio Grande do Sul Brigue nacional Mafra, capi-
llo Joaquim dos Santos Souza, carga assucar.
Salta Casa da liscricaria
da Recife
A Illm* junta administrativa 4a Santo Cana i
Misericordia do Recife manda convidar as peo
que se quicerem encarregar da mo d'ofcra 4a ea-
nalisacao de gaz no hospital Pedro II, qoe coa.
recan na sala das sessoes da mesma roela no di
2 de novembro prximo viodoaro, pelas l horas 4
tarde, afim de tratarem do ajaste, e nesla secreta-
ria se daro aos pretndeme os esclarecales*
necessarios.
Secretaria da Santa Csaa da Misericordia do Re-
cife 77 de outubro de 1865.
O official,
Manoel Antonio Vi
DnE3.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 26.....
dem do dia 27.......,.
Abanos......... eento
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca.........
dem gMeora......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente........
Algodo em caroco .... arroba
dem em rama ou em la
Arroz com casca..... c
dem descascado ou pilado t
Assucar mascavado.....
dem branco....... a
dem refinado...... (
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........ caada
dem de coco...... i
dem de mamona .... >
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... >
dem Una.........
Caf bom ........
dem escolha ou restolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ... >
Carneiros ....... um
Carvo vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
!dem idem em velas ...
Iha .........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)...... cento
Colla.....i libra
Couros de boi, salgadosa. .
dem idem seceos espichados >
dem idem verdes .... >
dem idem cabra cortidos .
dem idem de uncu .
Doces seceos ,
dem em gela ou massa
dem em calda .
Espanadores grandes .
dem pequeos...... >
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de ara rula .... arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes ....... um
Fumo em tolha, bom arroba
dem ordinario ou restolho >
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho.
Gallinhas ....... ama
Gomma*........ arroba
Ipecacuanha (raiz).....
Lenha em achas..... cento
Toros......... >
Lindas e esleios...... um
Mel ou melaco...... caada
Milho......... arroba
Papagaios ....... um
Pao Brasil....... quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar .... urna
dem de filtrar .....
Idem de rebolo .....
Piassava ........ molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novillios....... cento
Pranchdes de amarello de dous
costados....... um
dem de louro...... >
Rap......... libra
Sabo......... i
Sal........... alqueire
um
>
libra
um
Pela inspeceo da alfandega se faz publico,
que em virtude da portara da thesouraria de fa-
zenda sob n. 140 hontem datado, precisa se contra-
tar o concert de urna parte da coberla do edificio
por cima do armazem u. 5, cujo orcameulo na im-
portancia de rs. 3295280 acha-se na mesma repar-
tigo, onde os preteudentes o podero examinar,
alim de organizarcm suas propjstas, que devero
ser eutregues em carta fechada at as 2 huras da
tarde do dia 10 de novembro prximo.
E para contar se passa o presente. 4* scelo
da alfandega de Pernambuco 27 de outubro de
1865.O 4o escripturario,
Joo de Assis Pereira Rocha.
O Dr. Tristao de Menear Araripe, official da
imperial ordem da llosa, e juiz de direi-
to especial do comuiercio nesta cidade do
Recife de Pernambuco por S. M. I, ele.
Faco saber pelo presente, que no dia G
do mez de novembro do corrente anno se
ha de arremat r por venda a quem mais der,
em praca publica depois da audi ncia res-
pectiva, a casa terrea n. 17, sita na ruado
Jasmin, na freguezia da Boa-Vista, com por-
ta e janella na frente, duas pequeas salas,
dous quarlos, quintal murado e cacimba
meeira, a qual vai a praca por execuco de
Albino da Silva Leal, contra a viuva e ber-
deiros de Francisco Jos Gomes de Santa
Rosa.
E na falla de licitantes, a arrematado se-
r feita pelo prego da adjudicado, com o
abalimeoto respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei fazer o presente edital, que
ser afflxado nos lugares do costume epu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta do Recife ce Per-
nambuco, aos 13 de outubro de 1805.
Eu, Manoel de Carvalho Paes de Andrade,
escrivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Roca e juiz de direito especial do
comniercio desta cidade do Recife. de Pernambu-
co e fu u-riuo, por Sua Maeeslade Imperial e
Constitucional o Seohor D. Pedro II a quem
Deus guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem. que no dia 6 de novembro do
corrente anno, se ha de arrematar por yenda a
quem mais der em praca publica deste juizo, o
seguate:
Urna armacao com os seus pertences de roadeira
de louro e amarello da laja da ra Direita u. 62, a
qual tem candieiro de gaz por 1505 e mais as fa-
zendas seyuintes : 90 leacos de chita de ganga a
120 rs., 21 chapeos de sol para senhora a 50 rs.,
1 balo por 25, 11 enf-ites para senhora a 200 rs.,
12 chales de algodo de cor a SOO rs., 19 lencos
brancos de cambraia a 160 rs., 14 pares de meias
para numera a 200 rs., 3 ditos deiriesmo a 160 rs.,
2 pares de luvas a 300 rs., 10 chales de la com
franja a 25, 3 chiles de ganya lavrada a 15f 12
camisas de madapoloa 15, 47 camisas de chila a
500 rs., 29 camisas de riscado sendo de algodo
azul a 500 rs 80 ceroulas de algodo branco a
SOO rs., 33 caigas ae castor a 600 rs., 19 caigas de
algodo de lista a 600 rs.,21 calcas de algodo azul
a 6u0 rs., 13 caigas de'brjm branco de algodo a
15, 18 jaguetoes de castor a 600 rs., 5 palilots de
brim branco a 15, 12 lencos de seda e algodo a
500 rs., 7 palitots de casimira a 25, 2 coletes de
casimira preta a 15500, 1 palitot sacco por 35. 3
palitots de merm cem algum mofo a 25500, 3 pa-
iilts de alpaca a 25, 5 caigas de casimira ordina-
ria a 1, 4 cobertores d-. algodo a 15, 10 corles
de caigas de castor a 500 rs, 48 chapeos de baeta
a 500 rs., 1,574 covados de chila franceza larga a
200 rs. o covado, 195 covados de chita ingleza es-
treita a 100 rs. o covado, 8 pegas de chila ingleza
a 55, 63 covados de setim mofado a 300 rs., 34
covados de seda mofada a 100 rs., 9 aberturas de
madapolo pioladas a 160 rs., 70 covados do sarge-
iui a 160 rs., 42 covados de merino setim a 500
rs., 20 covados de Qanella a 240 rs., 12 pegas de
algodo liso a 43, 10 ditas de dito ordinario a
25500, 90 varas de dito a retalho a 200 rs., 7 pegas
de algodo azul liso com 278 jardas a 240 rs., 4
ditas de dito azul e lista com 136 jardas a 160 rs., j
256 cuvados de castor a 160 rs., 2 pecas de brim
braoCQ com 57 jardas a 600 rs., 171 varas de brim '
pardo a 500 rs., 32 covados de chita preta a 120
rs., 14 grozas de bot5es a 160 rs., 20 ditas de ditos
80 rs. ; somraa total 1:3235740.
Os quaes foram penhorados por execuco de
Rabbe Schametteau & C. contra Manoel Ferreira
Diniz
E nao havendo langador que cubra o prego da
avahago, a arremago sera feita pelo prego da
adjudicaco na forma da lei.
E para que chegue ao ctioliecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa e afflxado nos lugares do costume.
Recife, 20 de outubro de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento
escrivo o subscrevi.
Iristao de Alencar Araripe.
CORREIO.
O Sr. Domingos Jos de Parias qaeira 1rijrir-s
areparlicau do correio afim Co IthlO (ERAL
Pela adminislrago do correio nesta cidade m
faz publico que em virtude da cooveuro postal
celebrada pelos governos brasileiro e fraocei, serio
expedidas malas para Europa no da 30 do correa-
te mez pelo vapor francez Navarre.
As cartas sero receidas at as 2 horas antes
da que for marcada para a sabida do vapor, e m
jornaes at tres horas antes.
Adminislrago do c -rreio de Pernambuco 21 de
outubro de 1865.
O administrador,
Domingos dos Pamos Miranda.
Juizo municipal de Ipojnca 25 de oo'.nbro
de 1865.
Pelo juizo municipal de Ipojnca se faz poWicc-
qne se acha preso e recolhido 5 eadeia desle ler-
mo o pardo Antonio, que diz ser escravo de Igna-
cio Marques de Araujo, morador no engenho (]
malino do Norte : quem for sen dono, comparera
neste termo, que provando Ihe ser entrego*.O
juiz municipal I* supplente em exercicio,
A. Peregrino Cavalcaotl de Albuquerqoe.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de tVzenda dista provincia, sao chamados os
foreiros dos terrenos de manaba abaixo declara-
dos que transferirn partes de sens terrenos e
anda nao requertram os ttulos das parles rUn-
les, que tem de ser expedidos na conormidade do
aviso do mmisleiio da fazenda de 3 de outubro ae
1856, a solicitaren) os referidos ttulos dentro do
prazo de 15 das contados desta dala.
Secretaria da thesouraria de faienda de Prr-
nambuco em 24 de outubro de 1865.
Servindo de official maior,
Manoel Jos Pinto.
Nomes dos foreiros a que se refere o annuacio
cima.
Alcxandrina Teixtira Soasa,
Antonio Jos Coelho do Rosario.
Antonio Jos Gomes do correio.
Clara lierminda da Silva Cardeal e mais herdeiro?
de Antonio Dias da Silva Cardeal.
Francisco Jo.- Martins da Costa.
Francisco Sergio d.; Mallos.
Manrique Jorge.
Herdeiros de Francisco Xavier Pereira de Briio.
dem de Ignacio fkn O Fonseca.
dem de Joo Maria Seve.
Idem de Jos omes Villar.
dem de Jos da Silva M'-ndonga V anna
dem de Luiza Thereza de Jess Barbosa,
dem do Dr. Manoel Teixeira Pinlo.
dem de Maria Robera da Conceigo.
dem de Jucintho d > Abren Ribeiro, Conslani-a Ma-
ra Joaquina Ribeiro t Maria Joaquina Ribeiro.
dem de Joo Pinto de I.-m >s Jnior,
dem de Joaquim da Silva Lopes.
Jos Higino de Miranda.
Luiz Jos Xuat-s de Castro.
Manoel Antonio de Jasas,
Manodl Firmino Ferreira.
Matheus Austin & C.
TIIiEVrHO
DE
S. ISABEL
EMPEEZA-COIMBF.A
Sabbado 28 de outubro
de 1865.
Subir a scena pela primeira ves neste tbeatri
o magnifico drama em 5 aelo?, original portuguez
do Sr. Ernesto Biesier.
FORTUNA E TRABA HO
D. Joanna.
D. Leopoldo
D. Camilla.
D. Engenta.
Amoedo
MBsSRMNB.
Ignez.........................
Magdalena.....................
Eugenia.......................
Viscondessa deTuyves..........
Autonio Vieira.................
Francisco Gomes, typegrapno..... lassm
Pedro Miranda, negociante....... Porto.
Esievio Miranda, jornalista...... Borges.
Matheus Ferreira, guarda livros de
Miranda..................... Pinto.
Anselmo Leite.................. Teixeira.
Um compositor................. Peixoto.
Um noticiador.................. Guimaraes.
Um distribuidor................. Sania Bo*a.
Um aprendiz................... Augusto.
pocaActualidade.
Este excellenle drama foi dedicado pelo sen au-
tor a dislinclissiim classe lypographica. A idea
inicial desta pega fazer realgar na scena uro
das classes operaras que eiitre nos mais se tem
apnmorado.
Foi nesta magnfica omposgj que a classe ij-
pograohica presentiou o sea autor com urna rica
pena de ouro, galarduan lo a assim pelo sen r-ri-
moroso trabalho que tantos elogios merecen na ha-
prensa porlugueza.
Dar' fim ao espectculo o sempre appaudMb
vaudeville em 1 aclo
A corda sencivel.
Comegara as 8 horas.

SEGUALES.
AVISOS MRITIMCS.
COMPAA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos porlos do sal
al o dia 30 do corn ole o vaper
Galgo, o qual depois da demora
do costume stguira para os por-
los do nort-.
Desde j recebem-se passageiros e eapaja-se
carga que o vapor poder condnzir a qiul devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encommea-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as S at-
rs : agencia roa da Cruz o. 1, eseriptono de Aav
nio Luiz de Oliveira Azevedo \ C
MOVIMENTO DA
ALFADEGA.
Volumes entrados com rateadas.... 43
537:8475874
19:2763895
Salsa parrilha....... arroba 253000
Sebo em rama...... 53000
dem em velas...... 73000
Sob emlvaqueta...... urna 23000
657:1243769 Taboas de amarello. .... duzia 1405000
ir < diversas ...... 873000
Tapiocas......... arroba 33000
Tatajuba........ quintal 23000
De ordem do Illm. Sr. engenheiro em chefe da
repartigdo das obras publicas se faz publico que o
concurso para o preenchiment das vagas de pra
ticantes desta repartigao, ter lugar no dia 15 de
dezembro vindouro, as 10 horas da raanhaa.
Os exames versaro sobre lingua nacional,
abraugendo a escripia, leilnra e analyse gramma-
tical, desenho linear e de aquarella, arilhmetic
em todas as suas operagoes, e geometra linear.
Os requerimentos para inscripeo dos candida-
tos devero ser apreseolados al o* dia 13. e pode-
ro ser instruidos com quaesquer documentos os
ttulos scientiflf os que abonem a capaeldade don
mesmos candidatos.
Sec.ietaria da repartigao das obras publicas 19
de outubro de 1865. No impedimento do secre-
tario,
__________Joo Joaqnim de Siqueira Varejo.
Sania Gasa da Misericordia
do Kecife.
Pela secretaria desta sania casa se faz publico
que o hospital dos lasaros precisa de um cozluhei-
ro : as pessoas que pretenderen) exercer esse em-
prego, devem dirimr-se ao Illm. Sr. mordorao de
mez Antonio Jos Gomes do Correio, em sua resi-
dencia na cidade nova de Santo Amaro, ou ao re-
gente do mesma hospital.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
eife 27 de outubro de 1865.
O official,
Manoel Antonio Viegas.
COMPANHIA B1ASILEI1A
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porlos do norte e-peradr
al o da 31 do correnU* o vapor
Tocantins. commaodaute o ptv
meiro lenle Pedro ifypott
Duarte, o qual depois da desassa
do coslume seguir para os portos do sal.
Desdej recebem se passagelrs e engaja-se a
carga que o vapor poder condnzir, a qoal devera
ser embarcada no dia de sua chegada, saaass-
mendas e dinheiro a frete at o dia da anida as
i horas : agencia ra da Cruz n. I, eseriptorto a
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo h C
Conpauhia das Heuaageries
perlalra
No dia
corrate
pera-se
los do sal
por Ira;
torre,
daass
o anal
/

tome seguir' para.Bordeaux tocando esa
cente e Lisboa.
Em s. Vicente ba nm vapor em i
comSore.
Para coodicgoes, freles e passageat traia-sa a
agencia ra do trapiche a. a


Diarlo de peraaiubn aMbado f 6 Je Outubro de iS.
PARA 0
Rio de Jaueiro
pretende seguir com raalla brevidade o palhabote
nacional Piedad*, tem parle do en carregamento
engajado : para o resto que Ihe falta e escravos a
frete, para os quaes tem expelientes cornmodos,
trata se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, oo seu escriptorio ra
da Cruz n. 1.
Ccar
O hiate c Dous Irmos : a tratar com Tasso
Irmos.
Cilindros niaciicmos.
Anda existem 2 de resto: na ra Di-
reita n. 84, padaria.
GASA DA FORT i

Linha regular do Brasil.
Espera-se do Havre, a galera Sol-
ferino, ao frete de 25 f. 10 .1. Rece-
be carga para o Havre a fretes bara-
tos : a tratar com os consignatarios
Tisset-freres.
Para Lisboa
sahira' com brevidade o brigue portuguez cCoos-
tante ; recebe carga a fete e passageiros, para
os quaes lem excellentes cornmodos: trata se com
Manoel Ignacio de Oliveira Filho, no largo do Cor-
ito Santo n. 19, escriptorio.
GOMPANH1A PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira por vapor.
Macei e escalas.
Segu no dia 31 do corrente
as 5 huras da tarde, um dos va-
'xjj. pores da companhia. Recber
}.'.:-3?9&AeB carga at o ilia 30. Eneotiiinjii-
das, passageiros dioheiro a fre
le al as Inoras da tarde do dia da sabida: es-
criptorio no forte do Mallos n. 1.
&IIL0IS.
JLE.lL 49 barricas com serveja
HOJE.
O agente Pinto fara' leilfo por eonta e risco de
servoja branca, as 11 horas do dia acuna dito no
armazem do Aunes em frente a alfandega.______
Jos Izidoro Martins agente de leiles
tem seu ere iptorio a ra da Gadeia do Re-
cife n. 9, onde pode ser procurado das 9
horas da man'iaa as 4 da tarde._________
O abaixo assignadn declara que comprou a
padaria sita na ra do Mondego n. 47, ao Sr. Car-
valho & Mallos, livro e d;seinbaracada. Itecife 26
de outubro de 1865.
Francisco Pereira Lebre.
Gnilherme Joaquim da Slva Braga, aluga a
casa da roa da Aurora n. o : quem pretende-la
pode dirigir-se a mesma que achara' com quem
traiar.____________ _______________
Silva ntunes A Irme participan) ao publi-
co que o Sr. Antonio Jos Loureiro desta data em
diante nao mais seu caixeiro. Recife 25 de ou-
tubro de 1865.__________________________
Precisa-se de urna ama para andar com una
menina : na ra da Imperatriz n. 34. primeiro
andar.
Ama de leie
Offerece-se urna mulher: na ra Augusta n. 23.
USIliO
De una taberna nos Coditos.
Segunda-feira 30 do crtente.
Legalraeute autorizado o agente Pestaa far
lelo p ir coma e risco de quem pertencer da ar-
mario, gneros e uleocilios existentes na taberna
siu nos Coelhos ein um oj mais lotes : segunda-
feira 30 do crrenle pelas 10 horas da manha na
mesa.a. taberna.
LEILAO
De un niulalinlto de 'nuil;- igura limi-
to p roo rio para pagem.
I'ni: negra cosinheira e engomma-
deira.
O agente Martins faraleilao por ordem do Illin.
Sr. Dr. Claudlnod'i Araujo Guiraares, cnsul por-
luguez dosescravos cima perlencentes ao espolio
de Manoel Jos Soare-; Gui maraes.
Terca-feira .51 do corrente.
Defronte da Associagao Commercial, as 11 horas.
Le i Ido de predios.
Sendoduas grandes e alegantes casas terreas de
pedra e cal bem construida? e modernas, sitas na
travessa da Ponte de Uchoa para Santa Anua, a
mirgiin ao ameno rio Cipihanbe, em chaos pro-
arios, com grandes salas, jauellas no oito, quar-
tos, um gratule soto com 2 quartos em urna del-
las, cosintU; eocneiras, esirioanas, muitos arvore-
dos e baixa para capen, cacimba com inuito boa
agua para beber.
. Urna meia agua n. 4 defronle do arsenal de ma-
rinna cim frente para a ra da Guia.
um sobrado de 2 aiiiares soto n. 44 na ra
da A. Urna niela goa o, l no b eco doCalabooce (ter-
reno propriid rende 88 por mez.
Terca-feira 3 de outubro,
O agente Martins far leilo com a competente
aulurisacao dos predios acuna defronle da Associa-
cao CommerciaL as 11 horas.
J Leilao
Ueqim escravo moco.
Terca-feira 31 do corrente.
Pelo agente Martins, defronle da Associacao
Comm-Tcial, as 11 (horas.
LBL40
-SexU-feira 3 de niveinxiro as 11 horas, na
ra da Gade^Karmazein n. 53.
pe Ir agente Euzebio
D-> duas casas terreas na llha do Retiro junto
a ponte grande da Passagem da Magdalena, com
frente para o rio, sao novis, feitas a moderna,
muito fraseas por ser do lado do nascente, tem
aceoiamodacrjes para familia numerosa, urna prin-
cipalmente iju maior tendo gabinete, alm de
quintal mralo ha mais t-rreno aproveitavel para
baixa de capim : os pretndante* queiram anteci-
par-se a ir examinar, o lempo proprio de gozar-
se dos bandos, das 4 as 6 horas da tarde estarao
abarlas para asslna prastar-se a ijuem quizer fazer
boa aeaoisieio.
Na ra Imperial n. 160 existe para
ser alugada por commodo prego, urna casa
nova com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora.
quintal muito grande murado, com. um
grande tellifiiro, com porUto e cacimba: a
tratar na mesma ra n. i.11 ou na roa Di-
reita n. 84, padaria.
Festa de Nossa Seniora do
Tercio.
Amanhaa domingo 29 ter lugar pelas H horas
a fesia sendo pregador o Iilm. e Rvm. Sr. Frei Ma-
noel de Nossa Seotiora da Saude e a noite ladai-
aba sendo orador o Illm e Rvm. Sr. padre mestre
Antonio de Mello e Albuquerque. Na occasiao da
festa tocar nella a Ilustre sociedade Bella
Unioque de bom grado adheriram abrilhantar
nossa festa, em todo o act) hatera varios baloes.
A irmaodade e devotos alera d. muito subearre-
gada com a grande obra que emprehendeu fazer
este anoo a qual esla pateaK nao quiz de forma
alguma visto ser o ultimo anuo deixar de raoder a
U i ni lia dos Cos nossa Padroeira, no seu dia aeces
de gragas por nos dar forjas, valor e constancia
nao s a mesa que Anda como a todos os devotos
que concorreram levar a obra no estado em que
se cha teudo-se despendido s este anno valor
superior a 3:0004-
Precisa-se d; utm casa c m sitio ou
sem elle, perto da cidade, para um estran-
geiro : na ra do Trapiche n. 16.
Aviso.
IffSOS OTEBSGS.
A Semana Illuslrada e o Bazar Volante do
Rio te Janeiro, assignam-se em casa de J. Falque,
ra do Crespo n. 4 : os senhores asignantes que
reeebtam o Bazar Volante directamente do Rio, e
que quizerem continuar, devetn assignar na casa
aciiu.rer.ebdndo logo os primeiros nomeros doter-
ceiro anno que priocipiou uo Io de outubro cor-
rente.
LOTERA
A0S 6:000*000,1:200*000
e 500*000.
B1LIIETES A' 55000, MEIOS A' 2,5500 E
QUINTOS A* IfJOOO.
Corre SHblwd4de novembro.
Acam-se venda na respectiva thesou-
rana ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meio-e quintos da 3a parte da 5a lotera
<37a)a beneficio da Santa Gasa da Msti-
cordia. cuja extracco ser no lugar e hora
do costme.
O* premios de 6:0000000 at IO#000
serio pagos urna hora depois da extraccao
at ;is i horas da Larde, e os outros depois
da ilistribuigo das listas.
As encommendas seri guardadas somen-
te al a noite da vespera da extraegao.
O thesoureiro,
Antonio Jos Ro irigues de Sou'.a.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
bem e comprar : a Iratar na ra do Pires n. 24.
C. Lora pe, subdito francez, vai para Burpa.
Hyp dito Sehafller vai para Europa.
Ausentou-se de casa de seu senhor Jos Mara
Seve, no domingo 22 de oatubro corrente, o es-
cravo Gnilherme, pardo, idtde 20 anno?, com os
signaes seguirn* : altura e corpo regulares, rosto
comprido, bom cabello e usa de estrada aberia,
sem barba, com um pequeo signil preto n'uma
das faces, nariz e labios grossos, bem fallante e
muito amigo de conversar. Tem principio de cara
pina e marcineiro, ja trabalhou ao raestre Vieira
em servigo de conduzir carros cora gneros
sahidos da alfandega, costuma dizer que
forro, pelo que em companhia de rapazes livres
j tem trabalhado em gymnaslica : aos domingos
alarde sania calculo e passeava pela Soledade,
ra de Joao Fernandos Vieira e Cisco etc. Nj mes-
rao dia cima sahio elle fealcado e vestido com ca-
misa de madapolao, caifa de brlm pardo, palito!
de fazenda preta com quadriohos brancos e cha-
peo baixo de castor preto, e consta que embarcara
no vapor Oyapock como praca do 1" batalho de
guardas nacionaes, com destiao ao Rio de Janeiro.
Mas, podendo nao ser exacia esta noticia, roga se
as autoridades do Recife e de fra, e a todos
aquelles particulares que delle souberera, a cap-
tura do raesmo escravo, levando-o a' ilha dos
Ratos, ra do Seve, casa n 16, onde ser gratifi-
cado.
Associacao Oommercial Be-
ueficeute de Pernambuco.
Tendo chegado ao conhecimento da direcgo des-
ta assocug) que se pretende contratar o estabele
Cimento de docas, do caes do Ramos at a Caban-
ga, convido os senhores associados a sereunirem
em sessio extraordinaria de assembla geral no
da 3 de novembro prximo vindouro, ao meio
dia, aiim de se discutir o que mais conveniente
ao commercio desta praca.
Associacio Commercial Beneficente de Pernam-
buco 28 de outubro de 1865.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
Aos 6:000*000.
Bilhetes garantidos.
A' Kfj.A ?0 CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTME
O abajioi.'signado vendeu nos seus muito feli-
ces bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
de extrahfr, a bent>Hcio das familias dos volunta-
rios da patriados segrales premios :
Um meio n. 2fl86 cora a sorte de 6.0005000.
Tres quintos n. 1604 com a sorte de 1:200$.
Um inleiro n. 1163 cora a sorte d* 50050O.
E outras muitas sones de 100$, 40$, 20$ e
105000.
Ospossuidores poden virreceber seus respec-
tivos premios sernos eseootos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda es da 3" parte da o" lote-
ra (37*) beneficio da Santa Casa da Misericor-
dia, que se extrahir sahbado i de novembro.
PREGO.
Bilhetes.....65000
Meios......3$000
Quintos.....1$200
Para as pessoas qtu comprarcm de IOOOOC
para cima.
Bilhetes.....SUDO
Meios......2$750
Quintos.....1$I00
__^^_^^ Manoel Martins Fiuza.
- Ufferece-se um mogo para cozinheiro: na ra
do Forte n. 30.
Precisase de um caixeiro de 12 annos de
idade para taberna, com pratica ou sem ella : no
pateo da ribeira t. 23.
Motas do banco do Brasil e das caixas filiaes
descontara se na travessa das Cruzes n. 8.
-- Aluga-se a casa terrea u.39 na ra da L'nio:
Aluga-se a casa que foi do fallecido Guerra,
na povoagao do Monteiro, o qual tem muilo bons I
commolos para familia : a tratar no pateo d 1 Cor-!
po Santo n. 21, escriptorio, ou na ra de Apollo 11. j
1, segundo andar.
Precisa-se de dous Irabalhadores de padaria,'
que entendam perfeitamenle rio fabrico de pao e
bolacha : na padaria da ruados Quarleis n. 16,
acharo com quem iratar.
Precisa-se de urna ama para o servido de
duas pessoas : na ra sstreita Rosario n. 18,
primeiro andar.
Alugam-se as casas terreas ns. 4 e 20 da ra
de Henrique Dias, vulgarmeute conheeida por Es-
tancia, bem como o sitio denominado llha, no bec-
co do mesmo nome u. 1, e a casa terrea da ra do
Domingos Pires n. ai, todas com cornmodos para
familia : os prelendentes podem dirigirse a ra
da Cadeia do Recife 11 39.
! MA GRANDE DESCOBERTA
oi-uo
WTijiT*
-.,
DESINFECTADO
MEDALHI
DE
H0NR4
DE 3ACALHAU
AFECTADO FERRUGINEO
As propiedades medicacs do oleo de fiyado de bacalao forSo onani-
memente recanhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor tao desagradaveis
torno o uso d'elle muitas vezes imposKvel, mesmo aos estmagos
os mais robusllos e aos mais condescente^.
Por isso a' descoberta do Snr. CHEVRrzR que lhe pfrmettio de
desinfectar int^iramente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas rcsolvklos pela
therapeutica modenia.
O oleo de ligad o de bacalhao desinfectado de Chevrier.
com um cheiro\ agradavel e um sabor assucarado, o nico qae nao
tem nem gosto\nem cheiro depeixe.
Objccio de numerosos relatorios scientificos el! goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo pe figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades d oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Moirfctiiia rirrurulofiaa,
nnrhitiamo,
Obalrurr&o daal glandes,
Tlaira pulmonar,
Molestias da pclle,
Conallluifao lyhipbatlea.
Anemia, deblllafade, fraquesa,
Masri-za,
Elle convem a
Pobreza do sangae,
Esfalfamento por exeesaa de
Iraballio ou de prazeres,
Moleatlaa dos broaehlos recen-
te ou ebronleas,
Toasea pertinaces,
Gastrltes, Kaslral(;lois,
O Oleo de figado de bacaliiau dc-sinfecLido ferruginoso de
Chevrier censtitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido cora o oleo da figado de bacalhao,
augmenta a ai rio to effcaz d'este uliinio, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfira perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipace.
As pessoas as mais delicadas qu2 nao podem supportar as
preparacoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezea grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapculicos, lomando- unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
Dores de estomago.
todas as compleiedes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentado das crianzas fracas e doentes.
Um folleto accompanha cada vidro e contera as observacoes medcaos.
Deposito em I 'ariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pbarmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa CONSULTORIO
Deseja se alugar urna casa terrea, que te-
nha quintal, no bairro de Santo Antonio : quem
liver annuncie.
Precisa-se de urna ama para todo o servico
de casa ue pouca familia : no pateo da matriz de
Santo Antonio n. 8.
Ninguem fara negocio cun a taberna n. -IU
da ra do Rungel sem que se entenda na ra do
Imperador n. 46, armazem, e faz-se o presente an-
nuuco para nao chamar-se a ignorancia.
Quem precisar de urna ama para casa de
pouca familia, dirija-se a ra das Aguas-Verdes
numero 36.
que saiba corinhar
nova de Santa Rita
m
m
gas
A abaixo assignad
participar ao publie
cimento cima m-m
funecionando muito
m

ruz 11. 17
a, tem a honra de
i que o seu estabele- |
ionado, acha-se hoje '<
regnlarmente, pro- 2w
vido de todas as acdommodar^oes necessa- #
ras e sobre tudo coi 1 alguma llmpexa. *S
Os andes lirniadis por meas anleces- M
sores Ccdrim & ':. ferio recehidos al o ^
meado do mez de ti ubro vmd"uro, os da
1 abaixo assignada, ;'-!;
iransmissiveis. '*M
ds presos. SM
com direito
transraissi-
VO Y>'.'.'.'.
Precisa-se de urna ama
para pouca familia : na ra
numero 17.
9,5600
103800
6^000
500
iA'
8-Bgg-
llfs
*7-
fifi fllifl
g-
.- o S Q.
g-B8"5
casa terao a firma
e seraocomod'aiiir
Tabella d
l assignitura mens
a um banho diario a 3>) rs.
1 dita de 30 cartoe
veis a 360 rs....
1|"2 dita de lo ditos
1 banlio avulso, morbo ou fri ou
de chovisco..
1 dito aromatisado c|om agua flo-
rida..
Os niedicnaes ser
convencionar:
U estabelecimentol estar' aherlo nos
' dias utels das 6 da utanhaa as 10 da noite
e nos dias sanlificadus al t horas da tar-
de, haveodo chegadn de vapor estara'
aberlo por mais alguoi Mnpo.
Maihllde G. Lessa.
15000
Bo pelo prego que se
R>
AOS AGRICULTORES
D-se e terreno iiere car um engenho |>ara de.fructa-lo|iel05 annos que
ge c iiiveiiciouar, no lugar ilenomnado Balsamo.
onjas ierras sao de urna proAuceo prodigiosa, e
Mea distante rr.eia tegua, por :n lado, da colonia
de Piineniciras, por outro, dafiovoacao de (^apoei
ras, e cerca de leg'ia e meia
Benedicto e Panellas ou Terra
a povoagoes de S
Nova ; em todos os
referidos povosdos ha feras tegulares e em difle-
, o
Pf-
ecisa-se
fallar com os senhores abaixo declarados, ou com
pessoa que os reprsenle uesta cidade :
Antonio Remandes Ramos de Olivea.
Joao Pinto da Costa.
Francisco Ferreira de Andrade.
Antonio Borges Galvao L'cha.
Bernardino bomingnes Moreira.
Francisco Jos de Almeida.
Manoel Peres Campello Jacorae de Gouveia.
Francisco Aclonio da Costa.
Joaquim Jos Ferreira (Barreiros),
Jos Mara Ribeiro (Goiauua)
Pedro Jo- de Mello Costa.
Jos Martins Nogueira de Mello.
Jos Luiz de Siqueira Cavalcanli.
Antonio Germano Al ves da Silva.
Queiram aunuuciar onde podem ser procurados,
ou deizem caria nesta typographia cora as iniciaes
T. C. S.
Fugio no dia 17 do corrente mez o mulato
Vicente, idede 40 annos, alto e magro, cabellos
annelados, barba rapada, rosto comprido e descar-
nado, ps grandes, e costuma andar de alpergatas,
levon camisa e calca de algodSo branco : roga-se
as autoridades policiaes e capitas de campo que
a apprehendam e levera a sua senhora Francisca
Senhorinha de Mendonca Pinto, na ra do Monde-
go n. 61, que ser generosamente recompensado, j
Precba-se de urna ama que saioa coiinhar e
comprar bem : a tratar na ra do Queimado n.;
22, loja.
o s:
pl I g.
Eli
is si
?2
rentes dias da semana, onde
sos a se encontris nieriad.i-
pecie> de negocios, alem da grh
betas, e>iacio teiiiiinal da vi
terreno mencionado dista de C
acham bons recur-
para as diversas es-
nde frira de Trom-
I-terrea, da qual o
8 legoas pela es-
eo
I
9
trada rial, cujas margens esi io guarnecidas de
moradores e fazeodas ruraes,
sito nimiamente agradavel : 1
de cinco a mais folnas da um
lindera contratar este negocio
Rosario n. 28.
1 X'
CONFEITOS
DEPURATIVOS
DoD'SERVIUX, dePariz.
Pharmaceutico de \* classe, tx-
interno dos hospitaes, premiado
com a medalla de bronze.
Ama.
- Jame Bailleau, franeeza, vai a Eurupa.
Antonio Jo- Loureiro declara ao corpo do
commercio qae d-ixou de ssr caixeiro do Sr. Silva
Antunes 4 [raos, e agradece aos mesmos senho-
res o bom (racamento durarte o tempo que esteve
em -11a casa.
Precisa-se de urna atoa para urna casa de.
pouca familia, que saiba couohar, lavar eengom-1
mar, e que compre na roa : quem estiver uestas
cooieSes, dirija-se a ilha eos Ralos, ra da Sauda-
de, casa n. 1. por traz da -iva casa do Bymnaslo.
lieseja-si) fallar ao Sr. Andr Uias dos San-
tos a nffoeto ^tie nao ignorar, na roa da Roda
numero 17._________________________________
A casa terrea da ma de Ilortas n. 89 forei-
ra ; aviso a quem arrematar.
~~ O-se 1:2003 a premio de dous por cenlo
r-im hypotheca em bons de raz : na ra da Sen-
zala V Iba n. H se dir quera di.
No armaz-m de fazendas na ra da Imperairiz |
n. 28 se prensa de urna ama para cozinbar e cora-1
prar.
Irmandade das almas erecta na matriz do SS. Sa
rameiilo da freguezia da Roa-Vista.
Por autorii-acao da mesa regedora convido a to-
dos os nossos irmaos am de que se dignem com-
parecer no dia Io de novembro, pelas 10 horas da
manha, iu consistorio da mesma matriz, afim de
em mesa geral se proceder a eleielo da nova mesa '
que tem de reger uo anuo de 1865 a 1866, como
determina os arligos 22 e 25 do compromisso que
rege esla irmandade.
Coosi.-torio da irmandade das Almas na matriz
da Boa-Vista 27 de outubro de 1865.
Manoel D. da Silva Jnior
_______________________Escrivo.
.Vo pateo da Paz n. 68, nos Afogados, preci-
sa-se de urna ama para casa de familia.
No paleo do Terco n. 44 precisa-sa alugar
urna escrava que saiba fazer todo o servico, para
casa de familia, paga-se bem com tanto que seja '
boa escrava._____________________
Quem quiser compqar abacaxis dirija-se a i
Boa-Vista, beco dos Ferreiros n. 3.
* wmm mmmmm
O R. CASANOVA m
pode ser procurado a qua^quer ho- fa
ra em seu cnsul lorio homeopa- S
ihico, largo da matriz de Santo An- W
nio n. 2
No mesmo consultorio tem sem- Jm
pre medicamentos em tinturas e *
glbulos em carteiras e avulsos de 'M.
C^tellan e Weber e muito em conta. flj
Desde muilo tempo o publico
abandonou o uso das preparacoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha composlos, etc.
Cuja accao, maior parle das vezes
milla, e n'algums casos perigosa.
Os COKFEITOS DEPl SATIVOS Tr.M O ASPECTO
E O COSTO ACBIDIVEIS B CONT SOI OM
PEQUEO VOLUMB SUISTAaCIt CTI-
T1S QUE O SEO MODO DE PBEPAla ni
INALTBRAVBM.
0ncces*oaii*eate*c. >
folios oIliverao ena Frail-
ea sob o patrocinio das principa es
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quanto tem existido ath
hoje.
Gura rpida sem o socorro
de nenhum outro remedio in-
terno, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisiaa e em geral
todas as molestias produzidas
pela alteracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Orna explicarlo accompanha cada
vidro.
Desconfiar-se, das talciOcacoeset imi-
lacoes.
Para ai encomenda dirigir-te aoi
Snra. bissom et o', 18, /' Princt
Eugint, Porta.
gue tornam o iran-
uem quizer lucrar
planta de caona
na ra estrena do >
I
utista de Per iambuco.|
Ra estrella do Rosario n. 3,
ao p la igr ija
^FRANCISCO PIN! 0 0Z0HI0*
I Colloca deates artiflciae !
pelos ystemas mais mo- I
SI demos
Sb Emprega todos os meios s ienlicos para 1
conservar os naturaes. Pc s ser (irocura- 5
seu gabiuete das horas da roa- S
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO.
heuico, ia; .2^:10 as ophrauou.
3 Ra da Gloria, casa do Fundi 3
O Dr. Lobo Moscoso da consultas grainilas nos pobres lodos os dias das 7 as II
oras da manlio, e das G e meia as 8 huras da noite, excepto dos das -aDtitkadtk.
Pharmacia especia / homeopa Mea
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimenlo de carteiras
rabos avulsos, assim como tinturas de varias dymaamisaces e pelos pre.os se^uinit.
Carteiras de 12 tobos grandes. l.-jooo
de 4 tubos grandes. 181000
de 56 tubos grandes. 2'$O0O
de 48 tudos grandes. 305000
de 60 tubos gran Jes. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e corr os iiilwn
jue se pedir.
Um tulxi avulso ou frasco de (intua de meia onca 1-5000.
Sendo para cima de i2 custarSo os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 riis.
LITROS,
A melhor odiada homeopatliia, o Manual de .Medicina Homeopatbicu do Dr. M<
dous grandes voluntes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do r. Ilering........... l
Repertorio do Dr. Mel Montes............ ?> 00"
Diccionario de termos de medicina........... 3-jOOO
Os remedios deste estibelecimento sao por demais conhecidos e dis[>en.sam pm
.anto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/erem usar de remeoios
verdadeiros, enrgicos e duradores: lia tudo do mellior que se pode desejar, jjlotx s de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura di s mais acredi-
ados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e perianto a matur
auergia e certeza em seus efeitos.
Casa de saude para esc raros
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-st.-lhe qualqoer
operacao, pira o que o annunciante julga-s sufiQcientemente habilitado.
O Iratimento o meib'ir possivel, tanto na parte a1' aentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas r ..-soas de cujo conceilo se nao
pode duvidar, qje podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seos
lenles.
Paga-se 25 por dia durante 00 dias e d'ahi em diante 15500.
Asoperaces sera.) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annuncante.
S do em
BB nhaa as 5 da tarde.
mmmmmm tta mmmm
Precisase de um bom cozi heiro : na roa da
Aurora n. 32.
- Aluga-se o segundo andar
do Rangel o. 7 : a tratar no m
precisa-se de urna ama pa
familia : na ra do Nogueira n.
Aluga-se urna casa com
milia, na ra da Mangueira o. i
da Queimado n. 38.
do sobrado da ra
smo sobrado.
a casa de pouca
(2J, taberna.
DE
VIGNES.
H. 55. RUI 1>0 IMPERADOR 55.
Os pianos desta aotiga fabrica sao hoje asss conhecidos Dar que seja necessario insistir obre a
ma superioridade, vantugense garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas iorooirsu-
veis que eiles tem delinitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; po>-
suindo um teclado e machinismo que obedecen] todas as vontades e caprichos ila- pianlsias, sea
alinea falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoraminios luip<>rtoa>-
lissimos para o clima deste paiz; quanto s vu.-.os, sao melodiosas e flautadas, e por is.o muito agratla-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-sc conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Bloodel, de Pars, soca
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados era todas as exposires.
No mesmo eslabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de "msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo lado veadido por
precos cornmodos e razoaveis.
(ammodos para fa-
a iratar na ra
Precisa-se
n. 47.
alugar um pr
lo: roa da Praia
Aluga-se urna boa casa ten
dos para familia, em bom estado
;a com commo-
na ra da Ale-
gra n. 16
la u. 54.
a tratar ua ra da Matriz da Boa-Vis-
Precisa-se de urna ama par;
do : na ra estrena do Rosario
de pouca familia.
o servico inter-
r 18, para casa
Antonio Demetrio da Silva [ aranja, chegado
: recentemenle do Para a esta cidade, e onde vem
liquidar os seus negocias, vende muito em conta
a sua asa n. 67 sita ua ra do I llar em r'ra de
Porta, e o seu sobrado silo na ru i de S. Bento,
defronte de S. Pedro Velho, em ( linda : a iratar
. na ra do Imperador, escriptorio le Clandio Du
Ibeux.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma flanea em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaile a boa i
ministraco da companhia.
DIRECgO GERAL
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
Madrid : Rtia do Priidoa. II
. Aluga-se a segunda casa a' beira do rio na
ilha do Retiro, tem copia fra con caneellas de
ferro : a iratar com Miguel Joai nim da Costa,
ra da Gadeia n. 12.
Feitor.
Precisa-se de um feitor para un
i perto da praca, pref- re-se casado,
casa propria e boa para morar, s
j *oa capaz, daodo boas ialormacdei, lauto pela pro-
' bidade como pelo seu trabalho : al quera convier,
dirija-se a ra Nova n. 19, Io andar. _______
pequeo sitio
k por isto se d
udo porm pes-
Aluga-se o segoedo andar
i na ra da Guia : a tratar na ra
segundo andar.
que seja possan-
Precisa-se alugar um preto
te : na ra do Raagel n. 9.
Aluga-se urna casa er Beperibe : a tratar
eom J. i. de M. Reg.
Fugionanoite de 8 do corrente
Lur.ia com os signaes seguinte*
a casa n. 33 sita
da Cadeia n. 44,
c -
II c
1%
a escrava
mulata, moga,
alia, secca, cabellos corridos como de cabocla, e
vrescidos, albos papudo*, rosto/ redondo, macaas
salientes, nariz curio e rombo na eitremidade,
bocea pequea, beteo inferior nieio cahido. denles
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as corubinacoes de superviecna Ut,-
sobre a vida.
Nella pdesetazer a subscripto de maneira que em nenhum raso n t.-n i |i c ui des
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole e NACI
DAL, que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse prodnzido ea rcenle* liqatdai
ces ecombinando-o com a raorlalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela ronipaak-
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 al9 anuos, urna imporsyo aaaca.
de 1004 produz em effectivo metlico:
No Qm de 5 annos.......1:1194300
> de 10 >.......3:94tf600
de 15 .......11:2084200
de 20 .......30:256*000
> de 25........80:3314000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais con.-ideraveis
Prospectis e mais informacoes sero prestadas pelo sub-diretior nesta provin:ia.
Joaquim Piuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.l2,e>tabei
ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
NOQUE
FOGO DO AR.
No armazem da bola araarelta, no oilao da se-
cretaria da polica, recebern-se encemmendas de
ogo do ar para deatro. e fra da provincia..
Cozem-se saceos paratassucar por achina : na
ra do Pilar n. 28.
cerlos, raaos largas, bracos
grossas, ps grandes, trajava
; do e chale branco : quem a
le-a-la a soa senhora, no largr
Aluga-se um
rna Velba a. 40.
escravo e ima <}$eraa: na
segundo andar, ojae se lhe recompensar.
Offerece se ama ama par i caa dej goucfc b
milia :. na ra do Amorim a. W.
compridos, pernis
estillo de chita usar
iprehender, queira
do Paraizo n, 18,
Precisa-se alugar um moleque para o servico
interno e eiterno de casa de pasto: na ra da
Moeda n. 33.
Acliara-se ausentes do poder do abaixo as-
signado, desde o da 23 do corrente os seus escra-
vos de nome Faustino, pardo, baixo e grosso, le-
vou roupa de algodaozioho : quem o pegar queira
leva-lo em Santo Amaro, ou na praga do Corpo
Santo em casa do abaixo ossigoado.
Manoel Custodio Peixoto Soares.
Precisa-se de urna ama de meia idade para
(azer o srrvifo interno de casa de pouca familia,
rneuo& engommar : na roa Direita, loja n. 47.
GA
Os arrematantes da massa faifida de Jo
Vieira Coelho A C. previnem ao< *?nbores
res para que no praso de 30 dias vnl ou
dem pagar o que eslo devend" a' mesma
na ra da Cadeia do Recife n. 3, e que non o *
praso, os que nao pagarem, lera a de ver sea* n*-
mes publicados pelo Diario, e se promovrr a eo-
braoca judicialmente. Recife 5 de oatonro 1865.
Para quem precisar de banno*. oftVrce-s*
duas casas com cornmodos para familia, na ilha
do Retire, junio a ponte da Passagem : a tratar
V)m L. M. R. Valeoca.
..
II FftIVFI
TT



Diariv buco *aJailo H^t tatabro de **.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade J
sobre q seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3 > dos orgos geni- |
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-1
rio examinados na ordem de suas g
entradas coaiecando o trabalho pe- I
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os das das gg
6 as 10 da manha, menos nos do- |
mingos. I*
Praticar toda e qualquer opera- gj
H Cao que julgar conveniente para o I
I prompto restabelecimento dos seus g(|
8 doentes. g
misms mmm m m mm
Saques sobre Lisboa.
Maaoel Ignacio de Oliven: & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Sauto n. 10.
aran*, it aill)atar el ie
i
IrViaa. do Crespo INJ.
LIVROS NACINAES E ESTRANGEIROS
Religio, pliiiosophia, jurispruieacia, lilleralura, scieocias e arles.
PAPEL ARIA, OHJi:< IOS PAIRA ES4 Itl PTORIO.
QfraxxanXi it Cdljacar et ic ?
jnniTnTn nninn
t
JFt.uM.eL ci CriSpo INT.
EISTOIRE DE JULES CESAH.
TOME. I
Um rol, tn i c atlas.
La.maiiti.ne Vu de Cesar in 4,186o.
Ponjoulatle Pre do Ravigian. fia Vieet ses ceu-
vres, in 4.
SiguierGrandeur da Catholi
Buyneau Essai sur le Chrisi
Jruif-de la Prdicatiou par
pice, 5* edlliou, 1863.
GEuvues de Alzog, Balms Bautain, Bossuet,
Na noite do dia 15 do rorrete foi roubado de
urna sala que lira nos feos do sobrado de um
andir na ra do Seve, freguezia da Boa-Visto, no
qual mora o abaixo assignado, os segointes objec-
tos : fcreloglo de onro sabonete n. 25424, patente
ioglez, mostrador de louga escura, com cadeia e
chave de ouro, e rom outra mais lina tamhom le
ouro rom chave de dar corda, um par de caslicaes
de prata lavrado com anglicas, urna esrnvaninha
de prala em frrna de coucl a, pralo e espevitadei-
ra de prata, una crrante do mesmo metal rom
diversas chaves miadas, qualro oncas de uro.
2943 em prala qu se arhavam n'urn sarco de da-
ma-co de laa de eor branca e verde. Sosp< ita-se
que o lailrao entrara por umi das janella- que
dcila para o quintal do referido sorado, ;:l>aixo
das quaes lira o telbado quo serve de robera a co
zinha, que no pavimento terreo : pede-se, pois,
as autoridades poiinaes para que emprfgnem
netos necessanos para descobrirem o la d rao, bem
as-im a os genitores oorives e mais i" ssoas a quera
forera i Uerecidos os ohjectos rouitados, para appre-
bender orno rochados. Offerece-se a gratillcaco
de -003 rs. a qaalqaer que descubra o autor do
roubo.- Joo remando da Cruz.
Recife 16 de oulubro de 186J'.
Jiuio Ja Silva Ramos, medic, me- y$
oteo pela universida e de coimbra,
da consaltas em sua casa das 9 .s
3 11'horas da manhSa, e das 4 ns ( ';
5% da tarde. Visita os doentes em suas;
ij; casas regularmente as horas para *
isso designadlas, salvo os casos ur-
f gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. Dconsultas ios
pobres que o procurarem no hos-
Ipital Pedro II, aonde encontrado |
diariamente das 6 as 8 horas da
gj. manha,
H Tem sua casa de sade regular- ^
H mente montada para receber qual- f
\-, quer doente, ainda mesmo os alie- !&1.
Si nados, para o que tem commodos "
jg apropiados e nella pratica qualquer |
I opperacSo cirurgica.
Para a casa de sade.
;.S; Primeira ciasse. ..160U0 diarios.
Wtji Segunda dita___3*500
Terceira dita .23000
Este es abelecimento j bem
acreditado pelos bons serviros que
tem prestado.
propnetario espera que elle
t continu a merecer a confianza de
que sempre tem gozado.
* -'" *&&&' -**a *t.$5spia f> *K
i .i-*m& -v^ae>f?iiss-g^s ;*&>.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
rio linperauor n. 79 : a tratar na ra do Crespo
n. lo.

m
1
lto-
.\
s
1
CONTRA FOGO.
A Oompanliia Indemnisadora
Ptabclecida nesta praca, toma seguros martimos
sobre navios aseos carrrgainentos e contra fogo em
edificios, mercaduras e moias: no seu escripto-
jio, ra do Vinario n. 4, pavimento terreo.
^ O Dr. Car dio Francisco de Lima San- S
Mg tos contina a morar na ra do Impera- >w
8g dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu &
g gabinete de consullas medicas, logo ao w
M entrar, no primeiro. 3
O mesmo doutor, que se tem dado ao H
tgfjl estudo tanto das operagoes como das nio- '?
MK lestias internas, presta se a qualquer cha
mado, quer para dentro quer para fra
:- :. da cidade.
mmmm mmmwm m*
Prer^a-se lugar urna escrava que saiba co-
zinhar bem e comprar : a tratar na ra da Cruz
n. 6 pnoioiro andar.
I
m
Alugam-se duas casas na povoaco do Moa-
teiro a margem do rio, as quaes esto pintadas de
frosco, e tem bons commodos : a tratar na ra do
Crespo esquina n. 20.
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEH> AMIUCO
Antonio Lui:t de Oliveiri Aievedo i C, ^
competentemente autorisdos peladlrec- tf2
5 toria da companhia de segaros Fidelida- 9
| de, tomam seguros de navios, mercado- jfg
f/i rias e predios no sen escriptorio ra da 3
mi Crui n. 1.
mmmmmmmmm mmmm
LET1U PERDIDA
O abaixo assignado faz panuco qae perden ama
letra de seu aceite, sacada por Souza. Andrade &
C, em 28 de marco a seis mezes de praso, da
quantb de rs. 3,3313730. cuja letra lo paga|pelo
abaixo assignado aos sacadores, como consta do
recibo dos mesmos, que tem em seu poder, e por
isso nada val, pelo que protesta qae nenhum va-
lor lera qualquer traosacao que por ventara al-
guem que a achar tente fazer com dita letra.
Apolinaaio Liberato de Mello.
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia I Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouragados armados
de espotoes, armstrongs e raiadas de 80
Grandes melhcras
luis machinas imperiaes de rnser-
Armazm n 536 Broad-Waj \e Vark.
Estas machinas sao construidas pr ora doto
systema, com omitas e importarles nvlhora* e
120; extermina-los em summa a espada, a -iend? examinadas por habis peritos tmm jui'ga-
facao e a nunhal de aue se trata ma e 4.umma P*rfeico. A agnlha direiu e cose
ninguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deusnos con-
cedeu; acabar com el les a tacao e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tocos,
quebra marmore e outros que se vendem
45-RLA rlfltlITA4.
l'ercira da SilvaVariedad
cas, 2 in 4
Obras de A. Herculano,
is Luteranas e Politi-
Camoes, Barros, Coulo
Ditnersay (L. A.)Histoire conoinique et polilique j Bourdalone, frundl, Chaigntn, SI. Franrok de Sa-
dn t'araguay, 2 In 4 & atlas. les, Fendun, Gralry, Guillis, Aimennais, Mmttnel,
zV/osiiri-ltpubliques de la Plato, n 4. Massillot, Monlalembcrl, Noui isson, de l'otler. Be-
Durand iiisioire polilique du Rio de la Plata, in 4.
tcduc/iaip-Histoire du Brsil, 3 in 4.
DenuLe Brsil, in 4.
Doyrimpire du Brsil, in 4.
Hendu le BrsU.
Sum llikiireVoyages au Brsil.
Chevaherle Mexiqne, in 8.
Uuhailly Campagnes de l'Amerique du Norte,
in 8
Laboulaiie Pars cu Ameriqne, n 8.
Burln Voyage aux grands lacs de I'Afrique orin-
talo, in 4. t
Fc d'Evreux -Voyage dans le Nord du Brsil fait
ilnvant les annes 1813 el 181 i.
AnbcSi. Ju.-tin philopophe et martyr, in 4.
Bi'isolDoctrine de Si. Aogostin, in 4.
CBncyeliqueel les Evqnes de France, 2a edilion,
I8(i.j. in i.
l'Eneyeliqueei l'Episcopat Franeais, 1863, iu 4.
PaucertEsposition ti Enchaiueu'ieiii du ogme
Catbolique, 2 in 4.
PrrronInlrodoclion pbilosophiqae i'histoir ge-
nrale de la Religin.
iatignon\i libert dans la fi catboliqur, lSGi
iu 4.
Planta-Conferences donuces N. de Paris, in 4.
gues.. Ventura, Ve-
bandengo, Bibadeneira, Bodr
ntllot. '
Alvares de Azetvdo-Ohriis 3
AlencarD Gaaraojr, 2 vul. in
as Azas de um Ado
1863.
Mai, Drama, 1863.
Antonio FerreiraObras Com
in 8, 1863.
Almeida Garrclt Obras
Guimaraes (J. 15. da Silva) Po
Manuel Bemardrs Exrerptos,
njagatliesUrania, in 4.
Suspiros Poticos,
Fados do Espirite
Tragedia-, ir. 4
--Confi'deracao dos tarnevo?, in 4.
Maccdo (J. M.) -Theatro, 3 In
Uous Aioores,
isme, 2 in 4.
anisme, in 4. i Gonzaga, Th. Braga, etc., Ate.
le Cur de St. Sul- [ Peltetan (Eugene)L Mm, in 4, 1865.
Proudlion (J. P.) -de la Ca| acit polilique des clas-
ses ou\ rieres, in 8 1865.
dn Pnn
Andrade PintoAltribuicSts
Provincia, in 4, 1863.
' Cdigo CommercialAnno ario, nica ediriio coin
rol. in 8.
4.
comedia, 2* tdicao,
ilelas, 4" edicto, 2
?ia?, in i, 18C3.
I in 8, 1863.
i 1,3" edicao, 1863.
Humano, in 4.
io 8.
8SO0O
o^OOO
5j5t500
4,5800
5^000
3^000
25000
J. H. Correa relies, 6'
Rosa,
iu
O H'iqo [.ouro, 2 ti 8.
j\ Morerinha, n 8.
Romanees da .'jemana, in 8.
Historia do Brasil, in 8.
Parir da SilvaPlutarco l'rasileiro, 2 in 8.
Jeronymo Corle Keal, in 8,18G3.
pela de 1864.
| Doulrtna das Accoes por
edigo, 1863.
LITTERTIRA.
Ubbas de Ampre, Baratlte, Capepgue, Cltasles,
Chateaubriand, Cousin, Gitllte, Guiso!, ele, etc.
Obius de Balzac, Bernapl, Campfleuru, umas,
Cooper, Feral, Gozlan, Karr Mery, turger.
Sand, Souli, Sonvestre, etc, etc.
B03:ri v.
Obras de Arioste, Barbt
ne, Honiae, Hugo, Latnart
Litros de luxo douradaA
dos propitos para presente
ALMANACK DE
LUSO-BBASILBtnO, PAB
FOLHIMIAS DI
PARA 0 ANN(|
Borseguins Bordeaux
patricios.........
para senhoras, en-
lejiados .......
com laco e fivella ..
Sapatoes encouragados.......
B jrseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avi lludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lustre.. 2#240
(:ipe de l'art, in 8, 1863. j Chineloes dn Por o.......... 1#600
PR.iTICA. Um compelo sor timen to de calcado da
dos Presidentes de Ierra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de tolas as quali-
dades, litas para sapateiro, muito sortidas,
nao desmancha ncm embaraca e qae igual de
ambos os lados ; faz costuras pe.-feias em toda a
qualidade de tecidos, desde o couro al a mais fina
cambraia, tendo (ios de alodao, de seda oo de k-
nbo, desde e raais grosso at o mas delgado. Co-
mo nao tem rodas dentadas, por se ter eritado a
menor atrito possirej, trabalha r.oir. f^r.iMMe e
sea rontradigaoL'MA MACHIMA QUE .NAO FAZ
RUIDO ALGUM.
T. J. Mr. AltTlirit & C, [tbririntes e prom*
torios na casa supra.
C0MP11S.
Compra-se efectivamente
obras ventos, p Rosario n. 24, loja de onrives.
m e prata rm
na ra larga do
Silviuo Guilnerme de Barro- compra e ven-
| de effeclivamente escravos de amiios os sexos :
li500i) ra do imperador n. 7i>, Icrreiro andar
i#800 Compra-se ouro, prata e p*dras preciosas,
| em obras velhas : na na da Ca ta do Hecife,
1500 cJa_de ourives no arro da Conceicao.
Na ra do Crespo n. 16, primeiro andar-
comprara se libras slerlinase moedas de onro bra,
silelras.
Compra-se papel diario para
ga se bem : na padaria da roa di.
mero 66.
emorulho, pa-
Imperatriz nu-
Onro c prata.
Em obras velhas : cotnpra-se na prara da In
NO
D
ARMaZEM DA EXPGSIQAO DE LONDRES
n
DE
*m
GO -5- Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento nsjs principaes fabricas
de Paris, Londres, Biiriiingham, \I?nchester e em diversas Jdades da Allemanha, e tendo comprado ludo as
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente
mente liquidar e ter de partir mu breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem tic s objectos com brilhantes, como botos, aDneis, rosetas etc., e bem assi
ouro, como trancellins, correntes, anneis e muitos outros artigos, retogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimenlo de l'azendas linas e modernas; miudezas, perfumaras linas dos principaes fabricantes inglezes ; francezes, como L.
T. P1VER, Lubin, L. Legrand, Ed. Ptnnud & Meyer, Deletlrez (Perfumerie du mond lgaut), Violet, Societ Hy penique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P. Guelaad, e ingle/as deEug. Bmmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na
China e no Japao; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim moderno
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfete; e adornos para cima de consolos e para grande toi
feto de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha
Kock,
r, Chcnier, Dante, Ilet-
<\e, etc., ele.
e ricamente encaderna-
sola e couros que ludo visto necessariamen-. dependencio n.~22~ oja de'bhets"
te faz CObifa ao Com) ador pela barateza. Comprase"carosso (sement),le alpodao : "no
Quem precisar de um jardinheiro ou feit.ir armazem de algndo de Saunders iirulhers & (1
para um alio, dirija-se a ra do Hurtas n. 142, Io no caes de Apollo.
andar, que achara'com quem tratar. I-----------------------_______._
<$ ....... M -4 .m qaer qualidade rom tanto que estej em bom
LEMBUANCA.
0 AUNO DE 1866.
LAE.MMERT.
de 1866.
S!^J
mel hores condicoes
por querer inteira-
\a diversas obras de
lustres para velas,
lette, o que se tem
|ecaf, os quaes em
nada sao inferiores prala, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda pan trancas de senho-
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para jantai
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de ?i
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleycl, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli &
e immensos arti-
|ris e ditos de pan-
para se tocar na
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; mode'nos e bonitos instrumentos de ph ysica (mgica) para
thealros ou saloes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, da e noite; stere
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimenlo de brnquedos fi
bonecas fallando papae emamae ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feto de mais
merecido toda a aceitacao na Europa, grande e magnfico sortimento de ca xinhas, cestinhas e outras galanteras fei
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin :s coloridas com o fundo preto e de outras de todos
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; culelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, colhees, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diversos artigos feitos de rame ; com
mascaras de vellido, setm, cera, papelao e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; cam
os tamaitos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes epequeos para retratos; cha los de sol, benga-
-16, bolinhos, etc.;
etc.; sortimento de
para varrer o chao,
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer- caf, ditas para bater ovos, proprias para quera faz po-d(
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas,
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras Decas de charao para tollette; machinas _
excellentes machinas para photographa para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino trans rente e lanternas
coloridas para ilitimmacoes moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para qu m toma bahos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de Lo
deia do Recife n. 60.
HO GRANDE AR-
MAZEM.
icopios de nova in-
i os para mancas, e
elegante e que tem
as de crina e seda,
s santos, ditas com
chafariz de crystal
pleto sortimento de
s de ferro de todos
|ue para ennuraera-
dres, oa ra da Ca-
FUMARIAS FIIAS
DA EXPOSICO DE
LONDRES.
Para completa liqudacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo finas e novas che jadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E"g. Rimrael, R. Matheus & C, Lubin, Sociedac
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande solimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garranchas (
tes modelos, pos para limpar dent.es, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com per
presentes, e muitos ontros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes o grande
armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
e Hygienica, Piver,
vidros de differen-
umartas para fazer
PARA SENHORAS.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senuora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do R
IiUVAS \OVi8 RE JOUVIN.
Yendem-se excedentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para se
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
H O fcehai-el
M Francisco Afftfstt da Costa
ADV'IGADO
B Ra do Imperador numero 69.
M 0 cabelieireiro.
fg[ Ccrlos Dubois mudou o seu eslabeleci-
g2 ment da prara da Boa-Vista para o so-
(NK loado n. 18 da ruada Iniperalriz.
>'
do : a tratar na ra do Alerrim n. 2.
esta-
COBRE LITIO E
CHUMBO
Compra-se robre, latao e rhnmbc : no arnwrm
da bola amarella, no oitao da serretaria da pohcia
iili'rs."
Vendem-se diversas casa de prdra e ral,
urnas na povoaco de Apipucos e outras muitas
perto della, entre as qnaes quatro construidas a
moderna c bem acabadas, de maitc bons commo-
| dos, bastante frescas, prximas do rio l>pibarih." e
j da estarao do* mnibus por se acharem' simabas
nos melbores pontos. E-ta venda f.iz-^e para pa-
K^^K* 51" PaTa,"":nl Prelendenies d:r...in. >e a sea
K^JR^-T^^ '& Wk PrciPrif>'a"""'. abano assicna.l.., no rtfarti lugar,
ou ao Sr. Jos Alfonso Ferreira, na ilfimfigi
Joo Prancisco dn IWsa Maia.
mmm
O solicitador Pedro AU-xandrino da Cesta
Machado contina a encarregar-se de cobranzas
nos termos do Cabo e Ipojuca, e. no desta cidede :
pode ser procurado na ra estreita do Rosario
numero 34.
m
g DEPOSITO DE CALCADO i
FAUKICAO NA CASA DE IIETLNCIO
M Ra Xovsk n. i.
w< Ahi se eucotttrarao obras de di-
B versas qttalidades, e por preco mui
^ diminutos, a retalio e em porcoes.
\ S se vende a dinheiro.
Aluga-se por prego commodo um terceiro
andar do sobrado dama da Senzala Velha n. 48 :
a tratar na loja.
Precisase de urna ama para o servico da
duas pessoas : na ra estreita do Rosarlo n. 18, |
primeiro andar.
Precisase de ama ama que saiba cozinhar e
engommar para casa de pouca familia : a tratar
na ra do Queimado n. 51, loja.
Samuel Poner Jolmstoo & Couipankia
Ruada Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnndtc&o de l,ow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
A i so
Conlinna-se a vender doce de caj m calda,
laranja, jalea e groxella a 800 rs. a libra : H pa-
teo do Carino, esquina da ra de Noria.*, armazem
numero 2.
~~CAMBItAIA.
Cambraia de forro com 8 l|2 varas a pera a 2-5,
est-se acabando : na loja da p. Imprratriz n. 52, de Paredes Porto.
Normas para e> cripta
Ven'Jem-se normas para escripia por C. Adlers,
proprias para meninos, em eoHeccta de os. I a ,
e tambera colleccoes de ns. 1 a 12 : na livraria
universal n. 54, na ra do Imperador.
Vende se urna parle e um predio no sitio dos
Arcos, perto da igreja dos Remedios, o qnal pro-
prio para olaria por ter excellente barro, e as lar-
ras quasi todas proprias : a tratar rom Joaquim
Jos Goncalves Bellro, a ra do Vicario n. I", es-
criptorio.
Vende-se urna taberna na ra da C te junto aos acougues, propria para principiante
por ter poneos fundos e ser em ptimo lufar e
commodos sufflcients para moradia : o* prn-
denles podem ir vela, a tratar na ra do Impera-
dor n. 46, armazem.
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na roa do Queima-
do n. 16, resebeu-as por este ultimo vapor.
6,1
No armazem da ra do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. i, tem para vrnler-se
Ihor gaz exigente no mercado.
ou DO
o me-
Vendem-se
O inspector da companhia de seguros mutuos so-'
bre a vida, denominada a PREVIENTE, tendo
em muita consideracao o proporcionar a todos os
associados toda a facllidade possivel do pagamen-
to das annualidades, resolveu nomear recebedores!
da dita companhia nesta localidade, os Srs. Mar-'
qees, Barros & C. Os subscriptores que nao qui-
zerein fazer os seus pagamentos na caixa da Pre-
vldenle no banco allianca do Porto, o podero fa-
zer na casa desles senhores, na conformidade do
artigo 18 dos estatutos de-la sociedade ; e aquel les
que por mao estado de cambio ou outra qualquer
circunstancia o nao facam at a poca designada
as suas apolices, o podero fazer dentro de um
anno e um mez, pagando mai tres por cento por
cada tremestre era atraso, de conformidade com o
artigo 36 dos ditos estatutos.
machinas americanas de serrote par descarocar
algodo : na ra da Senzala nova n. 42.
As melliores chitas franeezas de cores
escaras e fias a 280 rs. t
eovado
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se cbitas fran-
eezas escuras e finas a 280 o covado.
Veude se ou aluga-se um Mlio du pnucipio
da estrada do Arraial, cora boa casa, a qnal lera
maitos commodo?, o sitio tpm muitos arvoredo?,
bom banle, baixa de capim, diversas pUnUcoes
etc., etc., torna-se recomroendavel para p>
to de festa por tirar perlo do Parnaraeiriin, onde
passam os mnibus e breve passar a estrada de
ferro: a tratar na ra larga do r.osario sobrado
n.22.
Atleiic
K
cife n. 60.
hora por menos de
e Mr Dubarry n. 8
Deseja-se saber se existe nesta provincia ou
em ontra qualqner do imperio, a negocio de seu
interesseo subdito portupuez Antonio Luiz Mendes,
natural de Villa Real do Reino de Portugal, filbo
legitimo de Joo Luiz Mendes, qae em Janeiro do
correte anno embarcou cora destino a este porto,
e em marco prximo passado consta por cartas
que iodorecou a familia acharase no Maranhao,
portanto pede-se ao mesmo seohor ou a quem del-
le noticia ti ver o especial favor da dirigir-se a roa
da Ma Ir de Deas n. 18, a entenderse rom Fraga
& Rocha, ou aonunciar pelos jornaes que se in-
demnisara' qualquer despeza fe ta para tal lira.
Precisa-se de om criado : a fallar cora o te-
nenie-coronel Barata na'rhe das Trinciras n. 36.
Aluga se muilo em eonu o sobrado da ra
de S. Bento, defronte de S. Pedro Velho, era Olinda
concertado e pintado de novo, tem ranits commo-
dos e bom quintal, muito fresco e Oca perto do
banho: a tratar na roa do Imperador escriptorio de
Claudio Dubeux.
PHOTOGRt FHI %.
No grande armazem da Exposico de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da (mperatriz loja
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto,
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAN RE JPKRiVAAlRIXR.
Tiradas na occasiao em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859:
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanbando S. M. o Imperador no dia 1 de dezembro
indo para o Te-Deura no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminacao na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Roa do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIAliiEll A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc etc
Vendem-se barato para liquidace ne grande armazem da Exposico de Londres na ra da Cadeia do Redije o. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e Da m&sma ra loja de miudezas n 54.

ILEGIVEL
O abaixo assignado faz sciente ao publico de que
se evadir de seu engeobo Enveja o seu tutelado
Jos Evaristo Barbosa da Silva, levando em sua
companhia um seu escravo de nome Suterio, para
que nenhuma pessoa faca com elle negocio acerca
do dito escravo.
Joo Barbosa da Silva.
Precisa-se de urna preta ou preto para o ser-
vico interno e externo de casa de familia : na ra
dos Guararapes n. 26.
Na ra da Impcratriz n. 2 vendem-se bonitos
1 apparelhos de porcelana tina, brancos e doorados,
i para almoco e jamar, assim domo chicaras e pra-
tos avulsos por menos que em outra qualquer par-
te, lambem se vendem elegantes cadeiras de ba-
lanco par senhora e outras para de-canso.
Voude-se neo fogo de trro com lodos os
pertences. orna grade de ferro para porta e ama
porco de pedra marmore de 10 potreadas: na
ra do Imperador n. 4.________________________
Vende-se para fora da provincia una escrava
crioula e ama dina com idade de 2 mezes, con
escrava tem as habilitaooes seguintes : lava, en-
goman e perfeita costureira de bordar e mar-
car ; o motivo da venda se dir au comprador :
na ma do Nogueira n. 43.
que, muito sadia epo sanie, propria para casa
de grande familia : a tratar na ra da Matriz da
Boa Vista n. 54.
ATTENCAO Attencao
ffi.W9^..9|tf5:%S ^^^ habilidades, nao lem vicio era ,cba-
Tolentino de Carvalho, em data de 20 de fevereiro
de 1*63, a vencer se a 20 de fevereiro de 1866 ; e
estando o aceitante e o sacador prevenidos para s
a pagarem ao abaixo assignado, prevenimos disso T.nuQ nara vuctiJne a 9J.ii
ao publico, e pedimos a quemaachou de a restl- -L*"**3 pairt VCSIIUU a 4*\f
rs. o covado!!
Na roa do Qoeimado n. 1 vendem-se superiores
las para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
tes que se acabem.
tnir.J. A. de Brito Bastos.
mi n. *iii
Para a crostraeco de machinas
DE
ALBERTSON E IIOUGLASS
New London, Corraectieur, Esta-
dos-Unidos
Solicitam pedidos de descarocadores de algodo,
adoptados ao alcodSo sul-amerkaoo.
dicadoa es:e negocio durante 25 annos, e attende-
rao immediatamente a correspondencia que se ibes
dirigir.
Mirras
Vende-se a taberna bem afreguezada,
Ho-se de- na ra dos Assoguinhos n. 80.
PECHI>CHr
O propheta faz sciente ao respeilaval publico
( T'llwl em particular aos seus numerosos fregueses, qn
\ji id mi recebendo ama grande porco de saccas com fari-
Precisa-se de nraa criada para cosinbar e c >m- nha de mandioca, est resolvid a vende-las por
prar em casa de homem solteire: na ma do Qnei
mado n. 32, loja.
baralissirao preco, a ellas : na ma das Cinco Poe-
tas n. 86, e roa do Ranrel n. 49.
GRAGEASoeCUBEBINA
ccmCOPABAdeLABLONYE
Deseja-se saber se existe nesta provincia ou
em outra qualquer do imperio o Sr. Daniel Pereira
Braga, natural de Braga, filho de Joao Custodio
Pereira Braga e de Lulza da Rosa, o qual veio pa-
ra Pernambuco em o anno de 1846, e qne esteve
era casa do Sr. Joo Antonio da Madre de Dos,
M rna do Axeite de Peixe, e depois foi por man-' ^stes confeitos que tem por base o prin.
dado do mesmo seohor para o Rio Formoso, para cipio activo da vrimeira cubeba junto com
o engenho Paraizo, d'onde volloa no Oro de 13 icupahuba Dura, nao nausen oeatomara
mezes para casa do Sr. Antonio Mendes no Recife, VU* (""DL, t J.^m^.^ ym,Ba- .
e de la dlzera que foi para o mato ; assim mais s .El,'fs fazem P^ "mmediatamente aSBSM
vivo ou mono: a informar no armazem da ra rebeldes gonorrbas, mesmo as que ressti-
I da Cruz n. 33. ram a cubeba o a cupabyba isoladameute.


Diario de reffcftakboco Sabfcado 2 8 de O ttk.o de *.
i*r% MOTM
SALSA PARR1LIA DE AYER.
Transcrevemos aqu alguns
dos muitos attestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rheumatismo.
Grande loja earmazem do (J^ BlAN4.
1 aVclO. Colleiras de maiTouuim, com casi
Ra da Imperalriz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os proprieirios d'esie estabclecimenlo de
DE JOO .'OS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
cascareis
e sem elles.
! liquidarem m grande por^o de suas fazendas, Na lUa do Queimado loja da Aguia Brart-
i al ao lim do correle anno, atim de fecharen ton- ca n g, vcridem-Se colleiras de mairoquim,
i tas e apurar dinheiro, resolvern vender lodas as nnsr,nn.afias p rnm raecavpie nn >pm pIIp
'fazendas com grande anatimenio ern precos, lano POSpontadas e com casca\eis, OU ern 61168
! em porcao como a relalho, e por isso previnem a proprias para caes e cutres blChinhOS.
Peonas inglezas de ac e douradas.
No novo soriimento de"pennas de ac que
is e vendo annunciado dar tanto em preces como em quaiidade-, assim tamDem outras de metal uouraoo e dicos
iornal d'esta rularle a como mandam pelos seus caixeiros levar asjazen- mUi bem acabados, e pur essas boas e ne-
J "cld <'u.dUC a das e amostras as casas das familias que nao po- PpSfiaras ni,,i,|.i0c cens acrp.liMrlne. fa-
irnl/ta de Dr. Ayer, re- derem ir a loja, ou dao as amostras deixando 0- cessanas qualidades os seus acreditados ra
. m fr.o.n o far sn car oenbor. bncantes Perry & C, as recoir,mendam a >s
Onlro! objectos.
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Ernp^es, borhiilhas pstulas.
ulceras, c todas as molestias
da pellc.
DO SR. JOAO PAULA DE ABREU E SOUZA.
Ra de S. Pedro.Ro de Janeiro.
todos os seus freguezes, e ao respeitavel publico, e
1 as pessoas que negociara em pequea escalla com
fazendas, que neste cslabeb cimento encontrarao
Soffri rheumatismo por mui- um grande soriimento que muito lhes nao de agr- a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tas vezes, e vendo annunciado dar tanto em precos como em qualidade as. em um
Salsa parri
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso carpenhor. "" n nnn ... Dr,canles1,errv
d'ea ; e antes de concluir o primeiro fras- Umbralas lisas a 3.sOOO, oa loja do entendedores apreciadores do bom, valeu-
do mesmo a differenca que na no preco de
Vendem-se pecas d carabraia lisa branca e urnas para outras, por que estas sctorrwn
transparentes, leudo oito e mela vara cada pega, mais duraveis na conlinuacao de escrever ;
pelo barato prego de 35500, ditas muito finas, por assim pois quem dellas se quizer litilisar
45500,35, G^at 104, sendo tapadas e transpa- COmpra-las a dinheiro a vista: na ra do
rentes, assim como cortes de carabraia com salp- n m.in in mi; u,.,,,,.., n ft
eos a 25500 : isto s na loja e armazem do Pavao, UeimadO loja da Aguia Blanca 11. 8. .
na ra da Imperalnz n. G0 de.Gama A Silva. Franjas COIU borlas C St'Ill ellas para)
Corles, de pbantasia a 35t>00. cortinados,
Vendem-se os mais lindos cortes de pbantasia _..:. Dranfa rpcphpn nm helio sorti-!
com as mais lindas cores que lem vindo ao merca- A Aguia Branca receben, um neilO soiu
Soffna a mais de dous annos de urna do, senda fazenda transparente que serve at para ment de franjas ced Dorias e sem ellas (
erupcao syphilitica em todo o corpo, moss bailes, pelo barato prego de 35500, ditos brancos para cortinados, todas de novos e bonitos
trando-se sempre com mais violencia na ca- fazenda muito fina a 44000 : isto na loja e arma- desenhos, cuja commodidade do preco est
ra, prove muitos medicamentos econsultei em o Pavao, aa ra da imperatna n. 60 deGa- em re|aga0 a largura : acham-se ellas a ven-
muitos mdicos, e estava quasi desanimado Yambraias de forro. da na rua do Quematl ioJa da A8uia B,an"!
quando vi os annuncios da Salsa parrilha N 'a j0 _av5o ca n. 8.
do Dr. Ayer : comecei a fazer USO d'ella e Vendem-se pecas de cambraias' de forro muito JogO da paciencia OU CUriOSO enUelen-
nos primeiros dias a crupea aggravou-se, boas, ido barato pre$o da 34 e 24500 apega: inenlo.
porcm antes de acabar o segundo frasco ti-! isro s na loja e armazem do pavao, na rua da im- Na rua do Queimado loja da A^uia Bran-
nha o mal desaparecido completamente de Peralr,z a- ^* *?, jllrtfl ca n. 8, acbam-se a venda por precos ra-
todoocorpo. W]* V'v^ 'zoaveis, caixinhas com tabulas de madeira,
Doctor Don Jos Va.des Hicrrera, profe- A l.^UU nionoo p"o- f quedas diversas pinturas dellas fe formara.
soRDE-mcwA v cRi-Hju, sroDELKCADo JSTSp^pS^jK^^ valas e paisagens, segundos;
em ambas as FACCLTADEs del sesto Dts- !es |)ur Sl.,.em iransparentes e com -palma de seda o desenbos que acompanham. Na verdade ;
TRICTO.Habana. tecldos cora a seda, pelo baratsimo prego de iO^ esse um de|ejiave[ en retenimento com 0 '
Vindos tambem
miudezas rua.do
Sapatinhos dse
ra baptisados.
Oulros de raer
igualmente bonitos
Meias de seda, c
nho dos sapatinno
Outras mui lina
brancas listradas.
Luvas finas de tib da Escossia
de cores.
Ditas de seda pa^a senboras.
Ligas de dita pr
Pentes de tart r
embarazar.
Carriteis com re
Carteiras com a
Agulhas francez
Caisinbas com a
llaspas de baleia
Fitas de linho pi
Caixas com linl
para croebets.
Trancellim de b
Bonitas flvell
A loja de miud
n. 16, recebeu un
douradas, madrept
Cerlioco que be usado la zarzaparril- cadaun
la del
tenido
isto s na luja e arman ra do pavao, na
ftr, Aner, y como depurativo be ob- rua Imperairiz n. en de Gama &Sll.
de ella los masfclice! resultados en, +^-g*2^
s brda-
les cases de ulcera crnica, asi mismo au-' fas com manguios, para senboras, sendo as mais
lor y las considero como um porgante, cuya modernas que tem vindo ao mercado a 1,5500, di-
Y para los
la pres
18(50.
la presente en Regla
a 7
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
teligencia. Os apreciadoies dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeitos.
Bonitos enfetes para senboras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimen'o de enteites os mais;
eos commodos ; a
Otas de gorgorito a<
ra ditas fivellas.
Oculos de pe
qualldades,
da vista.
A' loja de miud
u. 16, tambem rec
com vidros claros e
de;
para a anliga loja
Queimado n. 16.
ira branco bordados pa-
ri tambem bordados e:
i
irrespondente no tama-
de o da Escossia e
brancas e
ra senboras e meninas.
iya mui fortes para des- i
roz preto e outras cores. Q (1(111
ulbas. y
s, as afamada.
linetes brancos c pretos.
para vestidos.
opilas para ditos.
as de novellos grandes j
cunta e
que imando m
est
bnacha preto, redondo,
is grandes de aeo,
douradas, auadreperola e tar-
taruga.
" zas rua do Queimado
bonito soriimento de
fivellas grandes pa ~a cintos, sendo de ac.
rola e tartaruga, as quaes
esto sendo vendid is em dita loja por pre-
sim como boas e bonitas
bamalotado, proprias pa-
lieira e de outras
para quem soffre
zas rua do Queimado
ibeu oculos de peneira
oscuros, para quem sof-
de ac, sonidos err
Coroas e tev
fre da vista, assim < orno outros de armaco
accin ademas do ser -egura. basklo muy las com manguitos, paraaeabar, aJ ; ditas pre-
pfica? en pI Imlampnln rlp las pnfprmidadpq les com !: ar|guitos t'ai'a lr>' a 1*8"y rs-',.'"i: l:"'
enxaz en ci inuamcmo oe las enrermuiaaes ,os e g|l[lhas |)relas a 1,5, nnisshnas golinhas de
que cxsigeu el uso de los porgantes, y on ca.id.raia brauca bordada a 5uo rs., caloinhas para. mdernos e gostos inteiramenle acradaveis,
vacilo en recomendar estas preparaciones, menina a^>V >?*'" br; e como sea loovavel costante os est ven-!
s fines que puedan convenir^doy ^Sn^orSaR^ silva.0 ""deudo baralamente a quem com dinheiro se
sei iu ; Souihembarqucs c cor. dirigir ruado Queimado, loja da Aguia
Vendem-se. southembaniues de cor muito bem Branca D. 8.
Bielas de la para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na losa da Aguia Branca acha-se a venda
Dr. ios V. HlIRRKRA.
Escrophula.
TTESTADO DO 1LI.M. SR, FRANCISCO FEIUU.Z
dos santos.Ouro Preto.
enfeilados a 5<5, 65 e 700 para acabar : Ka luja
e armazem do Pavao, rua da Imperalriz n. GO, de
Gama & Silva.
Organdy modomissimo.
organdys cora os
. Me acho ha quasi dous anuos aneciado; rnS^niXnos Sh^SS qua'si iodos iistra-
OG escrfulas, e tendo soliralo tanto qi.e al- ; (jos> COm0 se usam agora, com as mais lindas cores
{jumas ve;:es quasi que chego a desrnimar 9 xas; vendendo-se pele barato prego de 900 rs. o papel com composicao para dar nm as
da vida e maldizer da minba infeliz sorte; a vara: Da!ia do Pavao=rua da nperairi n. 60, moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
graos.
eos de cornalina.
A anliga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, ncebeu mui bonitas co-
roas e tercos deavnalina, os quaes est5o
a disposigo dos bo s christos que os qui-
zerem comprar en dita loja: na rua do
Queimado d. 16.
Esponjas flirts grandes e pe-
qi tenas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de 1 liudezas rua do Quei-
de receber mudos e d-
fazem completar o seu
mado n. 16, acaba
versos objectos qut
tenbo sido tratado por muitos mdicos (Tes-
ta cidade, e nenhum pode vencer i tcnaci-1
dade 'de minha molestia, estava
de Gamav Silva.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
: efleilo efficaz : molba-: e o papel e deisa se
'ficar n'trrn prato, e nelle poasando as raos-
Cusla cada fo-
sera espe-! estampadora 2,&000eada um, havendo ismbem um | cas, erfinsteiem e morrem. Gusta cada to-
rancas recobrara minha saude ; quando graede fortimemo dos mesmos matizados que se j Iba 4 res: na rua do Queimado, loja da
ltimamente resolv fazer uso da Misa par- vien Ayer. Completarn-se hoje P^ao, ruada lraperatr.z n.eO.deGama&SMva.
Diversos brinqucdfttic cnlrcteniaiento
pata criancas.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
rtllia trinta e sete dias que comecei com este ,. us S1"'05' payao.
! >.nmr-. 4 ^.ii,, 4k vendem-se riquissimos siulos de tilas de oiver-
santo remedio e tantas melborac fenho ^ cores e dou^,os coin 8vela larga e d0Urada-
sentido que tenho coavicc-ao de eri breve assim como enfetes para cabeca dos melhores e 8, recebeu divei sos brinquedos para crian-
recobrer a minba saude, perdida "na tanto mais modernos que tem vindo ao mercado tudoL2S sendo estradas de ferro barcas e natos
tempe. 1 isto e-Vonde por ra preco razoave! que muito | annappihni. Ho '..1 i,,,.-ninta-
^~Ciii. .____ -- .t- ; Ins hao de agradar : isto s na loja e armazem .eiecncos, apparemos ae metal, icuga pinta
j pMlis c moiesi las uiertau laes. dei)3Va na n:adaimprratrii u/Ge, de Gama & de 3 porcelana dourada para ahaoc^e jan-
Do Eli*. Sr. Dr. Jacksoi'. As toaMlat. de 1ull9 4, Plrt8o.
-'Medico muito conhecido as provincias do; Vendem-se superiores tealUas de linho das mo-
Slll do 'Brasil. Ibores que tem viado ao mercado pelo baralissimo
T&nhO receitado Saina parrilha ^'pn^ de 95000a duala,on800rs. cada urna, na
n- .,- ^^, .. ___:.:-.i. j a loja earmazem Dr. Ayer nos casos mais inveterados de ^ t.u Gama S::va v
Syphilis constitucional e sempre com os Af saias do Povo. '
mais fezes resultados; o melhor alteran- j Vendem-se as mala Boas saias bors'idas asagu-
te que COnheco. tha1 brancas sendo da ira-lhor fazena que tem vin-
Lcucorrha c llores brsaeas. <* Desle 'ene;.^nld0 'nui* dV;':o ^f .
Tomne eartaa om fino tina pr,r.lim risne m P^CO de 10JOO; ditas bordacas a crocit a | Uram eO bom CStad em que ailta eStaO,
Temos pailas em que nobcotlam casos m i0 e SiOuo, diascombabadmhos a 95000, Gao3mlQd0 ^ ^1^0 a verde-las a o-0
'inveterados que foram radicalmente curados loja e armazem do l'avio, na rua da Imperatm o-? ..miuuo **" re^lvlua TCBUe ,<1S'. "/."
com um ou dous frascos d'esta talsa par- 6, de Gama &^Siiva. gwa o par, afim de que ninguem mais calce
rilka. I *' reaiides na loja do fevac.a IOjJOOO. freas prelasdoelgodao, agir pois e apro-
0 espaco nao nos permitle trauscrever Ghegaram para loja do l'avo os mais ricos cor- veitarem a quadra e dirigirem-e rua do
todos oc attestados
parrilha do Dr. Ayer. Basta dec tarar ao de que tem vmkg ao mercado, (rarantindo-se o te-'**0 umco oeieo e estaretBim
publico que tem sido empregado ha mais **" muila faM'da e.''^-- sapcienies para .cetras,
fi --( .1 r -_ 1 corpo e maonas, vendem-se pelo barato preco de .^ *a*v..-~.**-.- v w? *
de vinit annos pela prol ssao med .a tanto ia50 0 cada u, na Ul|,, ,,., Pavao> na rua *,,,. .v. jg|^* ^.^. j^ %.%
as Amencas como da Europa, seui nunca pewiriz n. 60, de Gama 4 Silva.
desmentir a sita alta repulacao. Os cspariilLos do Pyo.
Pura a cera radical de escrfulas.e tffecces! Vendem-se -um grande e variado soriimento de
OSCrcfulos, sypliilis e molestas sypbi-^^r','h* ,s Eas bemfeitos que tem v.ndo ao
lar e muitos outros brinquedos de madeir.-\
qua se vendem baratamente : na rua ttu
{>ucimad >, loja da Aguia Branca n 8.
Seu.s atetas de seda para seolu-ras a
500 iis 0 par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
cao de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior pre>.o que lhe cus-
bello soriimento, se ido:
F las Anas de sar a da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de ;
e novos desenhos
dem idem branca
droes igualmente no
dem de gorguro
e muito encorpadas,
grandes.
Id-"' de seda pret
arja Livrada, de bonitos
, lisas e lavradas, pa-
os e bonitos,
de seda achamalotada,
pwa cinto de fivellas
1 e de outras cores pa-
ra :,.uar vestidos, colleles, paliis, etc.
oem de la igualmente sortidas em cores
<; para os mesmos fin s.
raneas e diversas ou-
os de chila.
francas e pretas para
dem de algodo 1
tras cores para vestid
Idra de borracha
soutembarques. vestidos pretos, et
Novas e lindas gurnicoes para enfeitar
iO" fjermitte traiISCrever ^Megaram para loja uo ravau us mais riuos cvr- rawicuiaijuiTuis c un iguciu- a a ua uv
i t.nenim^c tn-vii- *s de vestidos de carabraia trspan ule com os Queimado, loja da Aguia BraiKa n. 8. Tam
;r?'%?mr^?rf p \ '.^^^^^ vender s brancas a'ifi! o par, e des-
icto composto ue balsa to-deagulha, secdo n este genero a maior novida- i.ratv, n i- nnT-mr.mti.nfri
,S Bichas de Hanfcurgo
liticas, ulceres, feridas, chagas,
erupces cutneas e todo e
qualquar incomrwdo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM A
SALiiPARRILHADE AYER.
A' vendna rua Direita, ns. l M e 76;
rua da Quienda n. 51 ; praca da Consti-
tui<;o, n. "30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes ,pdiarmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na
t3^
PHaRMCIE FRANCAISE
deP.MAURER&C'.e
rua nova n us
rsais bemfeitos
mercads, sendo ds todos os lamaohos pelo baralis-
simo prec,o de '-5- 5, e G000, por baver grande
soriimento, na toja do Pavao, na rua da Imperalriz
n. 60, de Gama.fi: Silva.
Vendem-se superiores meias cruas inglezas peto
baralissimo preco de 4(00 e 55000 a duzia, ditas
de todas as cualidades para senhora, meninos e
meainas, na loja do Pavao, na rua da imperalriz
n. 66, de Gama & Silva.
g-BlI!
I*echiieha
a CO rs. na loja do Pavao.
Laciuhas a 320
Lazinhas a 32o
Lazinhas a
m
todos os paqust^s da Europa se recebe J
desias amibas do sangue humano e se
1 vendem a troce de poueo lu-aro s ata
de ter sempre cousa nova : a loja de bar- J
v' beiro rua estreita do Rosario;D. 3, ao p 4
JH da igreja.
os pretos, manteletes,
bosto e modernissima.
i vidrilhos, moldes no-
s tambem de bonitos
ores.
mos fins, sendo pre-
menores, enfeitados
fentes e outros de di-
soutembarques, vest
etc., obras do muito
Tranca de seda cor
vos e mui bonitos.
dem idem de crtl
moldes e agradaveis i
Botes para os me
tos de seda maieres
com vidrilhos e pend
versas ores.
dem pretos de vellpdo tambem de soni-
dos tamaitos.
Lonctos de iaas Jairu
e tarta
A loja de miudezas,
n. 16. receben um be
netos e oculos de vidros
ac, bfalo e .tartaruga
por precos razoavets
F^mcisco Jos Geraiano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo-e mais apurado gosto da Europa e ocu-
om aro de ac, bfalo
na.
rua do Queimado
o soriimento de lo-
com armaco fina de
, e os est vendendo
>s pret-ndentes diri-
jam-se a esta loja na rualdo Queimado n. 16.
Veom-se capell de aljfar para srrem collo-
cadas eos tmulos, catacumbas, sepultura, no da
1 do *idouro novembro (finados) com as ioscrip-
caes sepurfites : meu pai, mkiha raSi. raeu esposo,
minha etposa, meo filho, minba filha, saudades ele.
etc., e taaibem se vende urna apella riqusima
ce marraor* : na praca da Independencia loja de
dalcados ns. 37 e 39, as nicas que ha no mercado.
Vende-se a taberna ia lar^o da Sania Cruz
O. 16 denominadao Horizonte : .quem a preleu-
der dirijase a mesma.___________________
Na rua do Krum n. 38 vndese um moleque
de 10 annos de idade com algum pnt. .jio do ser-
vj^o de urna casa._________________________
' Vende-sem tio ero Bemfica msrgem do
rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
grande amilia : traate na rua Nova n. 24, das 9
horas t 4 da tarde.__________________________
(lolla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C., no seu escrlptono rua da Cruz n. I
GAZ, GAZ, GAZ.
fiaz em latas, o melhor que lem vindo ao mer-
cado : vndese no armazem de Barros 4 Silva,
trawessa da Madre de Dos n. 57. ____
Vendem-se verdadeiros' charutos da Baha,
feitos eom fumo de Havaoa : no armazem do agen-
te Olympiona rna da Cadeia do Becife n. 36.
' ~Algodo trancado da Babia : no armazem de
A. V. da Silva Birroca, roa da Cadeia n. 4.
Vende se on arrenda-se o engenlio Manass
distante da prafa quatro legoas e meia da povoa-
cao de Jaboatao, o qoal esta moente e correte,
tambem cercado, suflBcientes ierras, matas, e todas
as proporcCes para um estabelecimenlo Interessan-
te. Tambem se vendem alguns escravos do servi-
do da campo, eavallos de roda e bois mansos, as-
sim eomo a safra presente, ou sobre ella se far
qnalqaer negocio com o comprador ou rendeiro :
a fallar no mesmo engenho com o proprietario.
mariliojos.
Vende-se um grande tortimento das mais finas log ^ ateance para ofegervacoes e para OS
e mais bonitas lazinhas matizadas com os mais. 1"jvT____ v
lindos deeenbos, sendo facenda que val einco tus
toes, e vende-4e pelo baralissimo prego de urna
pataca o cavado por ser urna grande por/;3o desta
linda fazenda : na loja do-Pavo, na rua daJmpe-
ratriz n. 60, de Gama A Silva.
Lazinhas garmldinas, s Pavo vende z 320
e 100 re.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
.lazinhas garibaldmas com nos de seda, sendo to-
cha
Vende-se riscadinho francez a 400 rs. o covado,
dos os padroes muidinhos coro asmis linda.co- por ler grane HgD,dadc esU.M abando : na
js a imitacao das edas de quadr.nhos, e acabam- ra> da Impefal|.jz fl. 52t |0ja da porta larga, de
se pelo barato preco de um cruzado o covado, isto paredes p^
. -'.-ciiindia : na luja do Pavo, rua da Imperalriz
n. &0, de Gama & Silva.
Vestidas a i.->
'Veadem-se cortes de vestidos a Mara Pia ci i venda na livraria acadmica, na rua do Impera
barras bordadas, pelo baralissimo preco de 44000 dor; na do Sr. Nogueira, junio ao arco de Santo
Atfha-se
para acabar : na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperalriz n. 60, de Gama & Silva,
haziunas a i0 rs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonitos padres, sendo lisas e de quadros, pelo
baralissimo preco de 160 rs. o covado. to para
acabar: na loja do Pavo, rua da Imperatnz n. 60,
de Cama di Silva.
Haimiitos e golas a 300 rs.
Vendem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baralissimo prego de 500 rs., isto para li-
quidar : na loja do Pavo, rua da imperatrtc n.
60, de Gama & Silva.
Cartea de chita do Pavo
Vendem-se cortes de chita franceza muito boa
com 10 covados a 34400, ditos com 11 covados a
24600, ditos com 12 covados a 24800, isto s
para acabar : na loja do Pavo, rua da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
Igasalhos para eabeei de senhoras.
Vendem-se superiores agasalhos para cabeca de
senhora ou cachros, sendo fazenda mais moderna
que tem vlodo neste genero ao mercado, pelo ba-
ralissimo preco de 34 cada um : na loja e arma-
zem do Pavo, rua da Imperalriz o. 60, de Gama
& Silva.
Cuales de renda a 105, 12, Ity, m e 25, na
leja do Pavio. Sellins inglezes com borrenhas e lisos, silhdes
Vendem-se chales de renda preta muito finos a para montara de senhora tambem iguaes, chicles
104 e 124, ditos de linho a 154, ditos de seda de para carro e cabriole!, e para montara, todos de
linho dos melhores qne ha em chales de renda a baleia,fundas com elsstcldade para ambos osla-
20 e 2o4, ditos brancos de tres ponas a 6fy, isio dos, e ontros muitos objeetos inglezes, e brides de
s na loja e armazem do Pavo, rua da Imperalriz Ipojoca : lodos estes objectos vende-se Da rua da
D 60, de Gama d> Silva. Cadeia do Becife o. 31, loja de selleiro.
Antonio ; e na typographia imparcial, na rua es-
treita do Bosario a compilaeo de toda a legislacao
tendente administraeio, arrecadaejio e rkcali-
sacio dos dinheiros de orphaos defuutos e ausen-
tes, seraneas jacentes, legados, etc., contendo nao
so o fegimeoto de custas e a let geral das execu-
edes, eomo tambem todas as ordens e avisos do
goverao.. que a ludo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigacoes inherentes ao eargo dos diferen-
tes empreados de justica e fazenda, como dos di-
reitos naeonaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro eontendo mais de 700 paginas em ntida
iropresso e bom papel, e prestando-se a utiiidade
de dlfTerentes classes, torna-se recommendavel.
Seu cusi 104006 por cada exemplar em dons
omos.
Vende-se nm escravo flor com 16 annos de
dade, muito sadio e forte, moito esperto, tambem
se aloga outro da mesma idade : no Corredor do
Hispo n. 15, a ver a qualquer hora. Na mesma
casa precisa alugar-se urna escrava que seja fiel e
aiba vender na rua.
AUeucao.
A dlnknro
A pessoa que arromatou as miudezas existentes
>na loja da rua da Imperalriz n. 70, querendoaca-
bar logo com as raesmas, vende por menos de me-
lade de seu val n os serrantes objectos, a sa^er :
Aljofares, masso a 240 rs.
Aberturas para camisas, urna a 30.
Alamares para capoles, duzla a 500 rs.
Argolas para qnadros, duzia a 240
Salea para vestidos, libra a 700 rs.
Brincos prelos a baJo, duzia a 34-
Boloes pretos de osso, proza a 120 rs.
Bieo de blonde lar^o, v..ra a 900 rs.
Dito de dito estreito, a 120.
Dito preto largo, vara a 100 rs.
Dito dilo estrello a 50 rs.
Babados para toalhas, vara a 80 rs.
Cordas para viola, duzia a 120
Clcheles em cixiuhas, duzia a 360.
Ditos em caixinhas, da trra, duzia a 500 rs.
Col rieres de ferro, groza a 34300-
Ditas de chambo para sopa, duzia a 400 rs.
Ditas de dito para cha, duzia a 240.
Franja de algodo de cor para toalhas, vara a
40 ris.
Dita de dito branco para toalhas, a 50 re.
Dita de seda, vara a 200 rs.
Uta de la, peca a 200 rs.
Dita para coz, peca a ICO.
Froco de cores, peca a 160.
Kivelas para collele, duzia a 320.
Fita de retroz preto e de cures, peca a 280.
Fivel.is douradas para calca, duzla a 500 rs.
Pita com colchetes, vara a iOO rs.
liaras de carrilel de 200 jardas, Alexander, a
40 ris.
Lapis, duzia a 100, 200 e 240 rs.
Lsmparinas de seis mezes, caixinha a 40 rs.
Latas, libra a 14800.
Linha da peso, meada a 60 rs.
Obreias de massa, caixas duzia a 400 rs.
Pentes de massa pan atar cabello, duzia 34-
Ditos de dita dito a 900 rs.
Benda de Oi, vara a 20 rs.
Suvelas para sapateiro, masso a 14loo.
Suspensorios para escrotos, um 300 rs.
Trancila de la e seda, pega 800 rs.
Tranca preta com vidrilho, vara a 120.
Dita de seda, peca a 1580 .
Dita de la de cores, peca a 240.
Voltas pretas a Mana Pa, urna 14-
B oulras muitas miudezas tambem em bom es-
tado, que pela grande quanlidade nao possivel
descrever-se.
Vende-se carne do serlo muito nova a 400
rs. a libra, e de oito libras para cima a 360 rs.: na
rna de Santo Amaro n. 8, e na travesea da rua
Bella n. 8._________________________________
Cheinem aos corpinhos de cambraia.
Vendem-se corpinhos de cambraia com ntre-
melos a 44 e 54, esto se acabando : na loja de
Paredes Porto, roa da Imderatriz n. 82, poria lar-
ga, juo.o a padaria franceza.
Bom c baratissimo.
lina do Crespo n. 1.
Collares.
Collares anodinos ebetro magnticas Boier para |
as enancas nao morrerera de convulsSes pelo ba-
rato prtco de43-
Novidades.
Riqnissimas pnlseiras ou bn>cclites para senho-
ra e para meninas a 5. 23 -'!5, assim como lin-
das voltas para pescoco a :!<&.
Enftites.
Biquissimos enfetes paia cabeca cousa de mul-
lo g ,sto a 14500, 24, 34, 44, 5, G e 74.
Fvelas. e
Biquissimas tirelas de madteperola e de tarta-'
ruga, arsim como pretas.
Crnzes.
Biqu ssimas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se podedeseiar.
Cascarrilbas.
Bonitas cascar; libas cetn biquinhos de seda e|
aljfar cousa inteiramenle nova paia cnlt-lcs de
vestidos.
Binculos.
Bonito scrmeoto de binculos com superiores
vidros para os amantes do il^alro.
Assim como uns pequininos
que serve para enfeile de reb gio mais com exrei-
lenle vidro.
Sestinlias.
Bijui-iraas ceslinhas rom prepares para me-!
ninas de escola tiazer n > braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para mimo.
Penles.
Bipnissiraos peni-.-s de borracha com aro bran-
co de melal para n-nina segurar n cabello pelo
barato prego de 500 rs., e duzia *;4, as-ira c mo
grande soriimento de luda- as qnalidades para de-
aembaraear.
Escovas.
Grande sortiraento de escovas rrra routa c pa-
ra cabello, para unhas e para denles.
Lmelas e oculos,
Finissiraos lelos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de unalo o de lartaru?n, assim corno
oculos com rame dos lados proprio para quera
sollre dos oculos.
Tonquinbas.
Biquissimas tonquinbas de 1 l de linho, de se-
da e de la para crianzas.
Pira o cabello.
A superior agua para altingir os cabellos, as
barbas brancas e fazer conserva-ios, os frascos
aeompariha nm roalo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sera gordura com um fiasco
com agua propria para hmpar a cabeca. di fraseos
acompanha um folheto que ensina o modo como
se deve applicar, assim como agua balsmica,
opiala e poz para limpar denles.
Banhas.
Grande soriimento de banhas en) cojo?, em la-!
tas de folha e em frascos de todos os lmannos por i
pregos menos do que era outra garle, asMm como
muitos outros objectos que nao se poje mencionar
por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
mero 7.___________________________________
Rival sem segundo
Rna do Qaeimado ns. 49 e 55, loja o>
miudezas de (res portas, est quei-
maudo indo liom ebarat", quero qui-
zer ver e admirar veuliam loja do i
Bi^odinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botos de louca praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de aeo fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de lia lisas e de lodas cures a
40 rs.
Escovas fiiissimas para lin.par denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fila de cs eslreilas com 10 varas a
320 rs.
Caixas coro clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tlntelroe de barro, com superior tima a ICO rs.
Pecas da cordo para vestidos, fazenda boa a
20 re.
Baralhos muito finos para vollarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macar perula muilo fino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colunia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 fraseos de cheiros muilo finos a
14400.
Saboneles pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua denlifice superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frasros de superiores essencias santal e outros a
14200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roopa
aSOOrs.
Frascos com cheiros de lodos os precos a 160,200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
44800.
Gollmhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 re.
Pecas de fita dn la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas.de boloes pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novelas france7es com 201 jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muilo fortes e superiores a
34500.
No armazem de InzeivLis
baratas de Santos Coelfc
Hiia do apiado u. i -.
Veode-.se o segointe :
Cnlierta de chila fina a 24800.
Ditas de dila a 24400.
LaneoM de panno ae linbo a 242'"'.
Dilo's de dito de linho a 24.
Ditos de bramante de linho de um ai pasan
.14200.
Panno d linbu Rao cora 9 1|2 pi;:.. t lara.i
ra pelo barato preco de -' KM 3 xi-i
Bi amante de Uoliu bou ti ru p.i.i :
guia 2;j.')(.;0 a rara.
Pecas de cambraia cora >ai.
cores rom 8 i|2 varas a 44300.
Pegas de earahrau lUMnii
coi mado de cama coii> zO rataj a I
Baldes rio arcos a 24CO, 34. 34%0
Lencos de cambraia boa .. I|M0 i
Ditos de dita a 24 a dalia.
Alboaihado de liana Bao a 2480!
Dito de algooad a 24 a ara.
a._. do eofntado com 7 i|2 p.li..
a 14200 a vara.
Pijas de brclanhade rolo eom ',' 1 1
pai a .-a,.i a .'toOO.
Fil de Uta I1.-0 fino 1 8nO r<. a vai i
Uuo do dil>i com wl|. a 14
Cambraia de lintafina 1 i45, U
va 1 a.
Coi los de laziol ;t le liad gwi*
vados a 4.
Pecas de madaptdo BatMow
preco di !;j. 04,104 e 114
Flanella branca fiea a W)0 rs. o r,. !
Dita de cores lii r*.o ra
BhIOc.- de aossebaa \:.u BtMM 1
e 14
Caml na de f rr. a .'. a r^r.
l 1 lina a I450O, < itei
i; i 1 apo* i-- tir>l c 1 la
T la- : '; i'.x i" 1* dMta
K- t : India ;:o| rw 1 *n (" >
4,B 1 I a 11* rte lar) .:.;,.>
qoe m eu'ra qoalqi >
\ ii
siltc ni de 1 < '. .
.:
.11
'
*\
A
1
.
Os el "vr: en ios q
firrro, o iod* e 1
grao das prepar-1

11

seu resultados btidM ocio *-
iar-, e osrelalcri"- di
que ccnlirmra'! esa
e.'uini>'s affeccocs:
M!" ui:
rrui|*ria.
Anml-.
CIr ca lct.r!cl.
Mi .,li a.
Attumfeem rr
Sor.pri 6r> < re-
i;r>H r i.:r- ;r-- .irn
AtTcrr pulwaaar e
phlhmle.
Moleall** 4> .:S
Gaatrrl^lna.
Prrdn i", prsrtl-.r eU
Ve~ > se
cirui ;iea de i '
dot htspitvn dr" '. -o I-
AlCm daspilulof-df
fBtOOU de febillon. o< JWfe*
igualmente o Xarope lodura iiipla
Ierro e de quinina do mesmo amar
pr ;soft-= q*M nao (roslao de ir."
ma pilnlar e oc 'r '
como o iaropc .1 itu Je erre.
de altc.ar-se e t se ala poder ttmr
P.-v;.-se o folheio qn* se d *v- '-aa
dos pharmaceuii'O-ypiisitarioa.
Para-se evitarrm falsiticates. '! n -
prador em cada frase* de Plala a I-araue x aa-
ii^natura do invenior.
DepVsito gera! n Pars, afearmc-i j
142, rae du Bae. e ca mdas as boa.- ata
de Pranca a dos pniws esraaf eiros. ta

3
I

NUL
ISISMI
Os yn'n.uUi bismnlk
t-n-o-r
superiores a lo<:is ai c-:tras
bimuif emprtEttn asan ca% macar
pelos medien i:eto -* -
curar as
Dlarrh. as rkraalraa | tt* T'si-i
Djaarnlrrfaa. I ficatrllc
Drra al'ealAmaga I <.alras'., aar
Pyaprpalaa.
Os primeiros syr"pion>a d'e*s* 'ir \
affeccoesse manifcsuio ^.-Jic.riar^v 1 pmr
tSes laborintas, '
"estmagodepois de cada eonida a.m'in
tomafae*, e, maitas veres, por eyamm
co vmitos.
Este estado mdrbiHc se c doscnilio. iru >.
vitavclmenie, que seja:
aleallaa t aad Oppriaia.
A leler.-l
Palpllacs derar
Crea aoa rlna.
Os granulos Cherrier tac mkWm fSm
aommidades mediraes para premir j drap-
tas molestias e carel as qaaado ala miad ja c
lempo.
0 preco de cada fnsco deil
Oepdsito gerai em Paria, 1
e em todas as pbarmacias de Franca a 1
estrangeirot.
XARPE
deLABELONYE
CAMAS l)E FERRO
Grande soriimento de camas proprias para col-
legio e lambem para quem quizer passar a festa :
vende-se na rua Nova n. 33.
I3N> VILLAR
Com loja rna do Crespo n. 17.
Becebeu de Paris sedas era cortes mui-
to superiores e bellissimos padrSes, e
chales ds renda pretos para 104.
Este importante estabelecimenlo torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazendas superiores e bellos
gostos
Proteja o bello sexo ao Villar
e vero todos a prosperidade.
s
De
CHOCOLATE
Musgo de Islndico!
Vende-se na botica de r
P. Maurer 4C, rua Nova n. 18.
V
'-
II
rr\/Fi L
Emprendo coa iatariaiel acca -.si
Celos Mdicos di tadaa aa aaias ca ira i
rganicu ou oio arpaicas do coracaa. aa anana fcy-
dropisiu e > aaior parta das laolatiai da pik i*-
bronchioi (Baaaiaaai, 11Im rtm caca acm, mUtmut
M/Ucmc0t aaraataja^craacMw, taUrrfcairaj.tfc...
O xAltera de labelo*YB asa se adeaaaaa ar
Garrafas com rotulas da cor ftriadas eem ama flaca
HvacaW > Irma da nveatar.
aa rAllIS. raa Mirki. Vllk<.>. I a
Veuem-se no Recife em casa de t jr? a
Barboza e Jo5o da C. Braro 6 C._______
LOJA 00 BtUA FLOR
Na ra* do Qieiaa Tem recebido nm soriimento de ute* m/ut c
esta) usando, de diversos gostos ; s qutea km i
o beija-flor.
Tendo recebido variados sortimentiis de VaflaV
de aljofares de diversas cores, afeites t*i *
nhora de diversos gostos, e mais barato ic icjt
em qualquer ouira parte.
Facas e gario .
Vende-se faceai e garf s de cabo" J bai'Be. >
um boiao a 54200 a duzla, dilas da dous bnir.a a>
64SO0, dita para dore a 54100, ditas de rabo ptt%
a 34200, ditas de cabo branco, roiieo e enfado a
34<>00.
Tem recebido variados sortiaceolo de aaiaio
para meninos de escola, de forma de peuiaaas,
patinhos e oulras de diverse gosto, qne t> ecca a
vista bem se pode apreciar, e lambem serve p-u.
o leilo do hospital porlague. : He cata lac *
diversas cores a 74 a libra : s a besp-flor.
i:scova para rnpa.
Vrade-sc escovas para roopa moro loas rom
diletantes gostos a 640 e 14, dila* prra den;- s
ilO.MO, 320e500rs.
Papel e envelopes.
l' Vende-se pautado pape! e cahinhv 000 r
dito de c6r a 700 r?.. e nmr?lopes a t Wr. a ca
xinha.
\


Diarto de Pernamtmco Sabbado 18 de Oiiibro de 8**.
CORTINADOS BORDADOS
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A loj de fazendas da Augusto Fredericodos Santos Porto, acaba de receber nm mni-
to grande e novo sortiraeato de cortinados bordados para cama de noivos a 365, 405, 455>
oOJOOO, 60J0O0 e 70JKXX).
Lindas manas para grvala, de variadas cores, a 15500 e 25-
Cachinez de la de diversas e bonitas cores a 35300 e i-3-
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 165, 205, 22/ e 25/.
Rotondos de guip, tambem os mais modernos a 26,5.
Colchas de seda de cor para cama de ooivos a 55/ 60/.
Alcatifa de linho para salas, fazenda larga, bonita e de muila duracao, a 600 ris o
covado.
Tpeles grandes e pequeos, com ricos desenhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 7/, 8/, 9/ e 10/.
Capas e soutembarques de seda prela para senboras.
Bonete, chapeos e c.hapellin'as para senhoras, dos gostos mais modei ncs.
Chapeos elegantes para senhoras, a 12/.
Pecinbas de linissima bretauha de linlio a 7/500.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, cam-
braias francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, raoiro aatique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdenopoli! preto e de cores, esguies, silesias e cambraias ee liuho, sortimenlo, de diver-
sas fazendas para luto, chapeos de seda para homens a 9/ e 10/, chapeos de sol de seda,
lindos manguitos bordadas, e ouiras muilas fazendas que fe vendes) por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
MI A LOJA
DAS COILUM UTAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores corles do seda de cores o que tem vindo a Pernarabuco de melhor gosto
ero. seda.
Assim como mais alguraas fazendas de boro gosto para vestido.
RIJA DO CRESPO *. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES E SEDA
Cnej-arara pelo paquete .nglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
irl... ieiramenti! novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pae? do Amaral & Companhla.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas laas
granadinas com fbres de seda a 100 e 500 rs. o
covado, estilo acabanrto-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortiraento de fazendas
brancas, como sejam madapolao a 45500, 5/, 6/ o
10#, pecas de algodao por barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280, 320. 360 rs. o covad), precalias
muito finas a 360, iOO rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende gangas de cor propria para roupa de me
nios a 320 rs. o covado, riseaio francez fino
1-9
O
1
o
o
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
do Impera-
ENCIOLOPEDIOA
. 8 Ra da Imperatriz armazem
da porta larga 59.
Paredes Porto.
Neste estebeleeimento encontrar o respeitavel
ico um variado sortimenlo de fazendas france-
, inglesas, suissas e alleroaes, que se vndenlo
prego commodo.
Paredes Porlo
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade a(
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser dt
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar
serio tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor!
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois
5 por cento na sua despeza diaria.
s senhores de en-
>uas compras deli- j
os seus estabeleci-
todos, promette-
socede conslante-
no se dar isto
seus fmulos que
de mandar seus
poupar mais de
. o covaao, riseaio trancez uno a
Ddechales de rendado cores quo se vende- 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 52. junto
n a I8tf est vendendo por !/, ditos pretos, fa- a padaria franceza, porta larga,
nova, 55,65, 85 a 20/, um sorlinn-nto rom- Paredes Porto
" "^"/'"'"^r'f/ soal1am,bar'l|le,s *f a Receben pelo ultimo paquete e'partilhos a pre-
Rua da [raper.lr.zn 4 I, junio a padaria fran- guC0SQ ^/^ 'eng0, se(]a ^/^
nhora e hornera a t, ricos cortes de cambraia
bordados de 18 a 7#, por ter ura toque de mofo,
estao se acabando, na roa da Imperatriz n.52, jun-
to a padaria franceza.
.:.>, armazem da porta lrga.
Paredes Porlo
Hi nm completo sortimenlo de lasinhas a
: ij. e "-'SO rs. ovados, para acabar, cambraias de
i 240 rs. o covad", riaeado escosse para ron-
i.iinii., fusiao i!n linlio ;i 420, 400 e 500 rs.
i da Imperatru o. 52 junti a padaria franceza,
ni d i porta larga.
Pare les Porto
: : ir cortinados para caroa franceza a
i p ea cambraia lisa tina a 3/ 45 al 105 a
i. corles de larlatana de bonitos gM's a 3/500
". cambn ia eom flor de seda, gostos intena-
>nte 11)v, > a 100 c 500 rs. o novado,no armazem
rta larga n. 52, ra da Imperatriz junto a pa-
: franceza.
Paredes Porlo
Flucebeu pelo ulum paqnele um sortimenlo de
s eom podras para opesceco, hjnitoa caxiueis
la para pescoco de senhora. Ra da Imperatriz
52, armaz-.m da porta larga.
Paredes Porlo
Vend cortes de gorgorita preto para vestido com
1' novados cada um 35/000, grsdenaple preto a
1/cOO, I.5S00 e2/ o covado, lias lizas finas a 400
r n coa i", laas le quadrinho para vestido, enfes-
, a 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 52.
irmazem da porta larga.
Paredes Pono
Tem para vender por preco commodo, pecas de
lio i!e linho com 10 varas a 7/, 8/, panno de
.ara lences a 640 e 700 rs. a vara, braman-
: de isnho de 4 larguras a 2/:00 e 2/500 a vara.
Paredes Porlo
Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
justos a 10/ e 12/, ricos vestuarios para menina
.. nio, ricos corles de cambraia Mara Pi< a
0 armazem da arara est fa-
zendo liquidacao detodas
as qualidades de fazendas,
na roa da Imperatriz n, 56
Lourenco Pereira Meudes Guimaraes, dono do
graude eslabelecimonto, lera resolvido vender as
fazendas por menos do que em outra qualquer
parte, menos 30 por cento.
Cambraias brancas lisas a 3#000.
Vendem-s-i cambraias brancas lisa a 3/000
3/500,45, 45500, 5/, 5/300 e 6/, lapadas a 6/500
e 7/ : Manda Guiroares.
Chales de merino a -J-SOOO.
Vendem-sc chales de merino estampados a 2/,
merm liso a 3/800.
Cobertores de aljjoilao
Vendem-se cobertores de aigodo a 800 rs., di
tos bons a 1/600, 25 e 5/500.
Cambraias de urna s cor
Vende-se cambraia de urna .s cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saias bordadas pelo barato preco de
7/000. n
Cortes de cambraia
Vendem-se os mais modernos cortes de cam-
braia bordados, senao fazenda de gosto, a 10/000 e
12/000.
Riseados eseocezes a 280 o corado
10/ e 20/, tarlatana branca e de cor a 640 e 720 Vendem-se riseados eseocezes a 280 o covado,
r- a vara. Ra da Imperairiz armazem da porta tiras bordadas a 1/, entremeios a 800 e 1/.
irgan.52. Laazinhas a 220 rs.
Roupa Rita Laazinhas finas a 220,240, 280, 320, 360 e 100
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-,rs* covado-
m unto a padaria franceza, encontrase neste es- ,. Lories de cambraia
lecimento um completo sortimenlo de paletos-1 Vendem-se corles de cambraia com barra a 3/
ceos e sobrecasacos, de todas as quahdades, cal- e ^/aOO^ditos sem barra a 2/800 cada corte, Men-
colleles, ceroula.% camisas, grvalas, nielas,
M.lXTIElftA
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa I,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs,
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
Cha uxira de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcao ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de i,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Blscontos
Latas cora superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolarhiahas
Serveja
Superior serveja Bass I dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Splers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
de outras marcas
pe a 5,ooo rs. a du-
a garrafa. Tambem ha
como seja: Victoria e Alai
zia e a 5oo rs. a garrafa
Viuag; e
sboa a 2,ooo rs. a
rafa. Tambem ha
garrafa e l,4oors.
Superior vinagre de L
caada e 280 rs. a gar
mais baixo para 2oo rs. a
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
garrafa e a 4,6oo rs. a canada.
Massas
Macarro c talnerim a
160 rs. a libra e a
D,ooo rs. a caixa.
Passab
Superiores passas a
i o,5oo a caixa de arroba 1
,Soo o quarto e
espanhola e a 32o
adeira a lo,5oo a
Latas com bolachinlus da acreditada fa-!rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a I
doentes de 2,ooo a 3,000 rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha/ie' Genebra de laranja ver
soda a 2,ooo rs. a lata. duzia e I.ooo rs. ao frasco
OnAS Genebra de Hollanda
UUt/JJUS rs> af,aSqUera e a 56o n
Queijos flamengos chegados no ultimo I(iom de Hollanda em b Hijas a ioo rs. ca-
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- ,]a Uins.
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a i,ooo ei,2oo rs.
a libra, francez e suisso a I.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a I.ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a canada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a canada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
erdadeira a
o frasco.
6,ooo
DE
AZEVEDO FLORES
Eua da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus.
Grande sortimenlo de fazendas por atacado e a relalho, e um completo sorti
ment de roupa feila, de casemira e de brim, ludo por menos o,ie em
ontra qualquer parte: quem duvidar vetilla ver.
CALCAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta de finos
brins broncos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo.
colletes
de boas casemiras pretas e de cores e de fino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 23 ate 5.
Cero olas.
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
Baldes.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravatas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de homem, as mais modernas do mercado.
Madapolao.
Madapolao bom a 8$, 9$, 100 e 120.
Chapeos de sol.
Superiores chapos de sol de seda balao a 100.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que siira
ao freguez raanda-se fazer por medida e com muita promplidao.
Todas estas fazendas por precos insignificantissimos, pois o filo do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO fe FLORES.
PECHINCHA
NO
AR9I1ZEHI HE FAZENDAS
RA DO QUELMADO N. 27
CUSTODIO CARTAIilIO
Pecas de madapolao fino francez com 22 e 1|2 varas
mofo a 85000 cada peca.
Cambraia branca para forro a 1,^600 a peca.
Lencos de cambraia para homem e meninos a 10000 cada duzia.
, Cambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 26' rs. o covado.
Laas de cores muito lindas a 3U0 rs. o covado.
Ra do Queimado n. 27, armazem de fazei
ioft&&
* C.
e com um pequeo toque de
Garrafoes cora 24 garra
Hollanda a 8,ooo rs. o g
ha garrafoes com 5 e 14 g
^,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a
dem de carnauba de
arroba e de 36o a 44o rs.
ds Guimaraes.
ia de sol, ditos francezas para cabera, por
Chaubres
precos commodos, roopa para menino e outras I Vendem-se chambres para homem a 4, e
mitas fazendas por precos commodos, armazem para acabar, peitos do iiaiu a 900 e 15, lencos de
rta larga.
N> irifsmoeitabsleciraento encontrar o respei-
: publico, sernpre um completo sortimento de
r tapas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
o e o, ditos de brim pari a 25800, 34 e
I, ditos lino- a 4, ditos nidias caiernira a
. iOO, 10 e ai, ditos cazemira saceos a 6$, 7, 8-5
I0f, ditos sobrecasacos a 10 3 12, ditos de pan-
n MteetM a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 195
: 3, ditos de merino preto a 65, 75 e 105, cal-
i s de brim de diversas qualidades a 15800 a 45,
ji i- l.rancus a 25500 e 6500, ditos r-azemira 55,
lioho finos a 500 e 640 rs colarinhos de lnho a
500 rs., camisas francezas a 15400, 15800, 25000,
25240, 2*600 e 25800: s LoureDco Pereira Men-
es Guimaraes.
Corles de ia
Vcndera-se cortes de laa a 35, 35500 e 45500;
Mandes Guimaraes.
Chitas para eoberla
Vendem-se chitas para cubera a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de cores
Recebeu-se um grande sortimenlo de cambraias
5 c 75, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos de cores .ue se vende a 30, 320, 360 o 400 rs. o
cazerciras a 35 e 45, coletes de diversas covado.
i les, seroulas francezas de aigodo, ditas de
. ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
aigodu de linho francezas de 25500 a 35- Grao
lacha neste genero, grvalas de todas as
q lalidades e brancas para calamento, grande sor-
tiinoniO de meias para senhora, ditas para homens
:'.$, superiores u 35500 e 45-
completo sortimento dj chapeos de sol de
i a 35, ditos de seda a 35, 75, 105 e I$5,
francezes para cab'ca, grande sortimento
Pecltincha admii-avel.
Grande sortimenlo de chamares a 45600 e o,
s de cambraia para homem a 25 a duzia, di-
[i de linno a 45 o 53.
Glande sortimenlo de ro'jpa para meninos e ou-
mnitas qualidades que sera enfadonho men-
aa-las.
Fazenda.
'.Vnde-sfl superior merino preto proprio para ca
p.p- ilo senhora e vestidos a 4, lustrim da Gliina
i 800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimenio tiras e e.ntremeios
bardados, ir.mde sortimento de corplnhos rica-
> bordados a 35, 45 e 55. S o Paredes Por-
to, ra da Imperatriz no 52; porta larga junto a
padaria franceza.
Casemiras
Vendem-se casemiras a 15280 o covado, finas a
25240. 2?500 e 35 o covado.
colares Royer oh colares ano*
daos
para facilitar a dentico das mancas e preserva-
las das convulsdes.
O feliz resaltado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Mover, nos
casos de convnlses, e dentico das crianzas, tem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
e hoje jS se pode dizer que estao geralmente coo-
ceituado-, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filbi-
nho>, e de oatros porque eolheram daquelts to
procuo exemplo para igualmenie preservar os
se-^s. Assim, pois, a aguia branca, tendo em vis-
tas a uillado eproveit' desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandou vir o oovo sorti-
macto q'ie agora receben, e continuar a recbe-
los para que em lempo algam a falla delles possa
ser funesta ao-pas de familia, os quaes ficaro
certos de os achar consta lilemente na ra do Quei
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Charutos da Baha
15 a caixa; na rui da Moeda n. 43.
as de genebra del
rrdf3o. Tambem!
rrafas de 3,2oo a
(|oo rs. a libra,
o a 12,ooo rs
ibra.
PEIXE
j prepLrado
Peixe em latas
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E P.
Alpista e painco muito
4,ooo rs. a arroba e del'
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acr
tes, como sejam: Jo3o Fi
Manoel Peixoto da Silva
Filho e Brando e de o itros muitos, os
COcC a" i u quaes vendemos pelo modicb preco del.6oo,
Wf?iSf?JK2!rfeffi.f: 2,2,8oo, 3,500, 4,5oo, e/oors. a caixa.
de l.ooo a
iNgo
novo de 3,8oo a
o e 160 rs. a li-
'il i lados fabrican-
nado d3 Serrias,
i lelto. Casta nho &
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
IFK
Caf do Rio de 1.a e 2,* qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
*AB Sabo maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo
em caixo.
Licores
gimes a l ,ooo e
Licores francezes e portti
l,4oo rs. a garrafa ou frase i
Doces
Doce da casca da goiabh e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o c; ixoes para cima
a 64o rs. o caixSo.
Frutas
Frutas em calda e em lat
meticamente, muito bem en
do pera, pecego, ameixa rai iha Claudia, a
)) is.
perche e outras frutas a
Tambem ha latas grandes [|ara l,2oo rs.
lata.
s fechadas her-
edadas, conlen-
t lata,
a
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nocs pelo ultimo vapor.
Queijos loDdrinos pelo uliimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo uliimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguintes armazens:
Ra do Imperador n. 40. Terdadelro Principal.
Ra do Queimado n 9, i'nlfio e Commer^lo
Largo do Carino n. 9, Progressivo
ILEGIVEL
ULTIMA MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ultimo paquete am "completo sortimento de capas e
bournus de cores ricamente enfeitados a 12fl, !-"5e 205 na ra da Imperatriz n. 52,
loja da porla larga junto a padaria franceza.
i9^_
Receberam Gregorio Paes do Araaral & C mais ura completo sortimento de
Fili PACTO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaines.
Annamites.
Pompadoan, etc, etc.
Desde 10-5000 a 800i0,
CHAPEOS 4 KXPOSICAO
Novo modello de chapeos ingleza de li.iissima pama para senhora com o
ampia banda de Ufe de cores.
CAPAS
de la preta e de cores proprias para luto, ou passeio pelo diminutissimo preco de IO>.
Seda niatisada em pecas
padroes modernissimos que faz o efleito de um vestido de subido preco. Assim cono:
ricos cortes de moireantique brancos, ne cores, de gorgurao lavrado de Blood para ca-
samento.
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectos para noivado.
CORTES IIK TARLATANA
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padroes e feitios difieren tes.
E outras muitas fazendas por precos commodos que venden
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
____________5 RA DO CBESPO 5_____________
Vende-se
Bramante de linho fino e largo para lences.
Brim lona encorpado e fioo para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de aigodo de am e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
picho.
Vende-fe o engenho Fumas, sito na fjegoe-
zia de Santo Amaro de Jaboatao, bom d'agua e
tem proporefos para 2,000 paes annuaes : os pre-
tenderes dirijam-se ao engenho S. Bento, a tratar
com o propnetario, que todo o negocio se faz a dl-
nheiro ou a praso.
Cal de Lisboa.
Vendem-se barris com cal de Lisboa a 65 cada
am : ns roa do Brum u. 66, armazem de assacar.
Cal de Lisboa.
Na ra do Vigario n. 19, 1 andar.
avariado.
Francez barrica 55000
Poriland dem
Em perfeito estado:
Francez barrica
Portland dem
85500
105000
U5000
No armazem de Tasso Iranios caes 4*fA|
BulJi.
Chegaram os bonitos chales e retorta 4t ftiprn-
re brancos, e vendem-se na roa da liftialili ,
S2, loja da port? larga, de Paredes Porto.
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz d. 51, porta
larga, vende chales de renda d eore ni paaa-
no toque de mofo, a 35500 45, [ajenia U Mi
e 185000,
i
"


Diarlo de Peraambeco abitado tS de Outubro de !.
GERENTE
AO PUBLICO

Sem o menor eonstran
glmeuto se entregar o
importe do genero que
nio agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEL F05XCO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zcm da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento ;de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangeiro""podem ser
vendidos por precos asss razoavejs^
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm -iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhnm outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira quaiidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellas que sao pouco favorecidos da sorte far5o mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa quaiidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os seohores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe nm sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIJVHEIRO A VISTA.-
A Ghaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
para cima a
libra.
os ta-
ALPISTA a liO rs. a libra.
dem e paingo de oito libras
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a .
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas franczas em latas de todo
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os
nhos.
Azeite doce de primeira quaiidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a OO rs. o molho.
Absyntho a 2$000 a garrafa.
urna.
garrafa.

BOLACHINHAS do Beato Antonio em atas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de soJa em latas grandes a 2$000 e
de cinco para cima a 4#800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200, 1,5250 e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglesas.
Banha de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a !# a libra.
dem de musjjo a 10500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira quaiidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e era duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposicao,
Flor do Brasil Parisienses, Delicias, Gua-
sbaras, Trovadores, Rigalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202oO, 20560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigajros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cioco macinhos.

DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, lrancezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
P
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo ?erde em latas a 00 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fomo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Fareixo ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
KIRSCH de Wasser a 20
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
quaiidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
I Macarr.o e talharim a 320 rs. a libra,
tama-1 Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Miliio paingo e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZESa 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglesas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas gi andes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flsmengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou mohinques a
11
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
&
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatiment.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanierne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
ATTENCAO
jt presos da egnlnn
tabella para todo, pe -
deudo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contat>
com os portadores.-
AGUA FLORIDA


MURRAY & LANZAN
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelcao)
PARA BEM PE TODOS,
de Murrs\ & lu. ,a:
artigo de i. rfi Be. na>
Senhore5
ezacom que
Ta dos gneros
A agua florida
olhada como um
tem podido ser igualada peta
as mais custosas : conserva m h mi n,i. fi-
mo se formasse parte da pn nda p se applica.
Sua eficacia to delirada. i. r-i-
tos s5o seus nsltiplieadns .
empregada conio artigo de t<
artigo i> ti
- que estes sejam noiiro nratirs no uso uo banlio^ ou eoao c
ro,S.!fr??5obem8e SCOmOSeviesSempeSSOaImente' havend0 para com estes toda recommendaco, afim de SeSovSoem Pe,le- dPois 'P'e fe tei.l.a
j para limpar as gingivas w r. .; i
Sal refinado em frascos de vidro com tampa1'31^'^,, ,n K m _______
do mesmo, a 5oo rs. i Da suavidade, bnllio o *l I | ,-,
tra parle.
Manteiga ingleza especialmente escilhida a Aletria, macarrao
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior quaiidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
quaiidade a 8oo rs. a libra.
dem prato s 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a G4o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
3o,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branqo de Lisboa de excellente quaii-
dade a 4oo e Boo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l,ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior quaiidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimoa3,ooors.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e saL^fe fabrica
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez iiespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,noo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasile senebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libra-.
grandes a l,oooell,ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia quaiidade a 28o rs. ali- 8.5oo a duzia.
de escova para esfregar casa a
Qerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Ha vana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,000,
0,000 e 7,000 a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
ntillas de Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da carca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a 1,80o o cento e 1,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia quaiidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-, Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. ioo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e i,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior quaiidade a 6 io Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- i 10 a garrafa e 11,000 a duzia.
Iho. 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
qualidades a 2,5oo e l,ooo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna,
oras por 2,500 rs. iRuibos, excellente peixe portuguez, em
Ameixas francezas em fiasco de vidro com l barris pequeos ou a retalho, a vista se
tampa do mesmo, a 105oo. far o preco.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estn pas na ca-, 8 garrafas por 600 e 800rs. a garrafa
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, 1,800e 2,ooo, Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor quaiidade que vem
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a carrafa e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos presos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Vassouras
4oo rs.'
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
compleice*. depois de se Itv ti
livia a irritaco de ernp{& si >a
desapparecer o essgndtTfl .-.. o dos
pannos, das sardas, do rosto, .la a
casta de tbulcjes, e d ngti ket 1 a
parle onde quer que se app< p. ... flj-
ciencia e elegancia sao ifM m i# '!-
veis noscasos em que seja pr< ir 1 r ,-
la como eslimuianie e satis*], t.
cursos e assenUeas Mtaseri
lidades infeccionadas, na al<
formo, atsim como um satl I
te para os desmaios causa:..
ou suflbcaclo. Preparada 11 (
Lanman >5 Kemp, Nova York. 1 por
Caors & Barbosa.
____________Joo da ('.. I),.
RIVAL.
SEM &E 1 ]* -
Rna rio Quelmado a*. M9 r
Conllna a ver.dtr lodas as nitt .
mi i;.1,1 >>or |iro> tlnuiav. i .
Mabos t palilos lixados paia dcklM it>
Bspelbos demcldaras iwxttitu iu, tib t .
Buriel? de oliado p3ra meninos :. I(00.
Ditos de couro nperior fazerd a S". :oo.
Frascos cem suptriiT linla rocha 1 Hfl r-.
Meiadas de i.nha (roa rara hardMk .
Caixas com 100 e*velo|Mi.foseada Uia a 1
Grozas de peonas dea;o, fazei.da.~i,
Grozas de tetfies rratlreperola (Idos :
e 640 rs.
Caixas com iiO novellos de linha <:u gaz a .>
Caixas com superiore.. ottreai 1 .
Pecas de fila branca tlaslira cun 9 ,u
Varas de fraoja de la para mlnti tt
40 rs.
Baralin dourados superiuiesqaai u...lt.> .
Novellos de linha com 400 jarte Kt. -.
Livros para aaapatoa de n apa Mi !
Pares de buidos para punho, (arern, r ra a '..
par costuras Miprri'.r.- ,. >r-.\
de calligraplia, faztu
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 2 o par lavas novas de pellica de Joavin, chegadas no ultimo va por
para hornero e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudez s n. 54.
O w Cfl .
M
H
oto
a-
5-o
as
O
a
re
ZJ
9*
DO.
m co
CD
CL.fD 'O ? S*
a -J < -
-1 tu o
_S S e-rr-BS "
O
g^3

a
||
00
2.0 5
w
* S"S
3 5
22
pojuca
Vende-se na roa do Que i mudo
Aievedo & Irmia.
Brides e picadeiras de caIun*a8paJSeiiuol!,iq,,ed0i
Ltofraram para a loja de mindezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
n. 32, loja de tanto para bnnqnedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de mindezai. ______________
Vende-se barato o sobrado n. l, lito na ra
de S. Pedro Uartyr, em Olinda, e nm terreno onde
se acba ediOeada grande parte da cidade do Rio
Pormoso, o qual terreno estende-se da matriz ala o
trapiche ; a tratar na roa da UniSo n. 37.
Castalias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sorUJMBto, a 3# at t, ditas Victoria mnito
finas, com 10 varas a bt, 6J5(0 e 7 : na ra da
Imperatriz d. 51, junto t padaria fancczi.

^3 -i
' 1 i
2 O O i" w
?BS. -5-
2 8 2.
o.

2. CD
-.o
-i
O. 2 -3
3 a
-5
O
a
-'
..
09 V
O.
O
oq O
8 a
&9 *
y
8
t
O
i?
-
5
r
1
o
s
>
O
Tasso Irms
Ycadem do seo armazem rna do
Aniorim n. 35,
Licor fino Carabao embotijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos fraseos.
VinhosUieres.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe. ,
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
PAeiei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas : no sitio murado i es-
Iquerda, depoisido becca do Espinbeiro, nos Af-
1 flictos
machinas wmm
de trabalhar mo para
descaroear i Igorio
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C9
OLDAM
Estas machinas
podem descaroear
qualquer especii
isde algodo sen
l I "estragar o fio,
"* sendo bastant
duas pessoas para
otrabalho; pdi
descaroear urna
arroba de algo-
d5o em earocc
em 40 minutos,
on 18 arroba;
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
iimpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodao
Iimpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
entras dessas machinas.
O mesmos tem para vender um beilissimo Ya-
por que pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e etamina-Io, no arma-
lem de algedo, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brothers i C.
M. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz._________
flren em barrieas pequeas.
Cera mrelas de todos os Bogias.
Mercurio.
Na ra do vigano n. 19, primeiro andar.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de sella, por preco commodo : a tratar
no hotel de Franca.
A (tensad.
Senhores e senhoras.
Os proprieiarins da nova loja e armazem de fa-
zeodas e roupas feitas, ra da Imperairiz n. 72, de
Guimaraes <& Irino. acabam de reduzir os precos
de soas fazendas monis 20 o/O do que em outra
qualquer parle, afim de aporar dinheiro.
Lanzinhas de todos os padroes por barato proco
por ter prande porco, a saber, 20 e 240, 280 e
320 rs. o covado ; vende-se tambem um grande
sortimento de chitas esiroitas. pelo diminuto preco
de 200 rs. o covado ; ditas francezas largas a 240
e 260, 280, 300 e 320 rs. o covado ; ditas preclaras
muito finas a 360, 4C0, 440 e 500 rs. o covado,
isto s na nova loja o armazem de fazendas e rou-
pas feitas de Guimaraes & Irrono, ra da Impera-
triz n. 72.
E' baratsimo.
Pecas de cambraia branca a 3JJ e 3#500, ditas
mais finas a 45 e 4'00 at 9, carrbraia organ-
dys de lindissimos desenlias a 320 e 360 rs. o co-
vado, ditas mnitas finas a 400 e 440, isto s na
loja de Guimaraes & IrmSo roa da Imperatriz
n. 71
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores de algodao a I, ditos me-
lhores a 1,5600, 28 at 6?, grande sorlimenio de
chales de merino pelo barato proco de 2$ e 2>'00,
3, 3*500 e 4, ditos fines a 5j(, 6, 8, ditos de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baMjjssimo proco : isto s na loja de Gui-
maraes 5 Irmao, ruada Imperatriz n. 72.
Oh que pecbincha.
Cambraias de urna s cor, fazenda muito mo-
derna, a 320 e 360 rs. o covado, vende-se por este
preco por ter nm pequeo toque de mofo ; grande
sortimento de salas bordadas que se vende muito
barato : isto s na loja de Guimaraes & Irmo,
ra da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vestidos de cambraia borda-
dos, fazenda inteiramente nova, por preco muilo
barato; tambem chogaram as mais modernas
mantas de seda para pescoco, e veijde-se por com-
modo preco : isto s na loja de Guimaraes & Ir-
mo, ra da Imperatriz n. 72.
Pechincha admiravel.
Este novo esubeleciroento receben um grande
sortimejito de riscadinhos escossezes mnito- pm-
Tesonrai
400 e I>.
Caixas de peonas
i 5000.
Massos com superiores graafW a 3
Pares de sapatus de tranca o tapi-i :,:.>
Caixas coni superiores agulha- i MO rs.
Libras de lia soriidasde twMae.....
C;.ixas cora superiores obris* n\ --. .
Rodiuhas com alfiaete> fraaercei .
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 240u MMl r
Escovas para roupa, falencia Lu- a 1.(1* \.
Dnzias do tosouras com loqu
600 rs.
I>uzia^ de facas e garfos de cafo pn le '
Talheres muilo fino para enanca* a i\u r*.
Pulseii as para menina.- a 320 rs.
Ditas p Tollas para senhera : -"
Frascos de Agua Florida virda 'oin j !'
Frascos rom superior banha a 240 :;ro r-.
dem de superior oleo babosa a 3:C T:.
Caixas com lamparinas para 3 m. t 40;
Varas de babada df Portn a 80 p IV r-.
Carlas de alfitreles francozes a 100 rs.
Qoadernfis de papel pequ> no a 20 rs.
Grvalas de coros, fazenda saperia i 3H li
Papei> de apulhas, fundo doors* a
urna taberna bm frtf>aa4a, *
quem quizer dii'j -->e a :..
Vende-se
pateo da Paz n. 9
EMBAOS FTOW-
tmm
aos capites de campo e
polica
200$000 'e gralificaca. b- a^la stl
Devappar: de OLtot-rc
prximo passado, de bordo do pall>?.i o'o nac b;
Arrow Malo, dous esrravos de n< roe K- fx-rb. ar
appellidu Macei, e Miguel, o i* de idaJe 45 *unci.
punco ma s ou menos, ri n ui >. r< r
baixa barba cerrada, nm penco torio das rern;
e com algnus cabellos trancos, tanto na barba o
mo na cabeca ; o 2* alto, cheio do corpo. tea bar-
ba, falla grossa, representa ter de t", a 30 ann'
cojos esclavos desconfa se andare, pelos arraru.
des desla cidade : quem os appiebender. c
levar a ra do Trapiche n. 4, on a bordo do d:K
navio.
Gralificaco de 50$.
Ansenton'se da basa 59 da rna do Imperar
(outr'ora Collegio) no sabbado 16 do o rront*- tot
de solembrode 1865, o escravopard qmm, com os signaes seguintes : estatura rogotar.
idade 18 a 20 annos, sem barba, pal largo*, oibw
graudes, cabello corrido, com urna orara graad*
e bem visivel na testa, parte dos Vntes da frrn'e
arruinados, e com falla de algn dos lado. **m
com calca de brim pardo e paleto) corto de panno,
mas levou mais roupa branca e de cor, intio
astucioso, costoma intitular-.ce forro andar eat-
cado ; f i escravo do Sr. Gnilberroe Frederko -J*
Souza Carvalho, genro do ttuado Sr lumrotadadbr
Manuel Goncalveii da Silva : rogase a sua ap.ura
a todas as autoridades policiaes e a pitao de campo on ontra pessoa partirolar qw
apprehender so gratificar com 50. alm das d*v
pezas de condueco, enlrogando-o a sen
Miguel Jos Alves na casa cima, ou no sm
cripturio na rm da Cruz casa n. 19.
i\ Itencao
0 castello de Grasville.
Tradnzido de franeet per A. J. C. a Crnz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3<500C
aa pra^a da Independencia, livraria ns.
6 e.
Acham-se fgidos os escravos seguintes : Beas,
mulato, idade de 25 annos, cabellos anneiado, um
barba, denles nm pouco limados, secco do cotm,
testa larga, e falla nm pouco descargada ; e Lnfc,
crioulo.ja nm pouco velho, altura regalar, omS
. cabelludo, barba com alenns rabellrs branco*. i>
prios para vestidos de senhoris e meninos, a320,simcomo na cabeca, corpo reiWeado, olkoe um
rs. o covado ; vende-se um grande sortimento de tanto pequeos, ralla grossa e a* ver fiar
entre-metos e babadinhos, e tiras bordadas, por ba-' roeco : ped-se as anloridados policie e ses ca-
rato preco. i pitaes de campo qne os lacam apprehender -
Roupa fetta. Iduzl-losa'casa deseusenboro major Aastoindk
Vende-se nm grande surlimento de roupa feita Silva Gusmo, que generosamente n r mpriiri,
de todas as qualidades, palitots, caigas e colletes, e Ibes pagar toda despeza que fizerem rom a ton
camisas e seronlas: todo isto s condncco: snppe-se qne olles terao ido em so-
Na nova loja de fazendas de Gnimares ??l!me"U) dos555 **" **". v*
* ti- fllhos desse* lugares.
& Irmao.
Rna da Imperatriz
9.
Fugto no dia 14 de ooiubro orna
crioula por nome Felicia, estatura regular, cabelle
Vmho do Porto superior em caixa de duzia, grande, testa grande, com marca de na oeasrfc,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve- olbos grandes, bocea e nana pequeo, maMe m-
do & C, no sen escriptorio rus da Crui n. I. perla e bem (allante, cheia do corno, lera o p m-
!__;_ u- j. _j:'._ qoerdo bastante enxado, por isto anda mal : fMB
farinha de mandioca. U apprehender levea ana estreiu do Reaaria,
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Ase- \ loja de marcinelria n. 34, a seo seaaor Joae aa
| vedo ok C, no seu escriptorio ra da Crnz n. 1. Silva Oliveira, que ser recompensado.


Mario de rernambnc $ftbbado 18 e Otnbro de !*.
TTERATM.
CARTAS AO DR. TIIEODOliETO.
L. IV. Faguade Varella.
' CANTOS E PHANTASIAS
Uta Tul.cm 12Garraux, de Lailhacar & C.
III
Varilla: Cantos e Phantasias.
(Coudu'i&o.)
No VIII cantoo poeta cora :i sua musa de
{r.rjaidaa liraucas e fluctu.nles, das verdes flores
da primavera e do encanto, prega-llie ao dorso n
as al vas peonas da primeira edade, caiga a de se-
tim, euvo!ve-a n'um lurbilbo de gazes transpa-
rentes e obrganos a segci-la ao passado, forga-
nos a correr com ella pe:as varzeas esmaltadas
dos (|umze annos, ouvindo o rumor infinito dos
bosques orvalhados, respirando o ar inebriante
das florestas virgens, apanrundo o [rucio aniadu-
rocido que rolen por cima das folbas seccas e das
sylvas morios, contemplando o horisonte calmo
como am olhar azul que no:; enamora, parando an-
te o rio que mormura na sombra e no mysterio,
em cujas aguas placidas as andorranas azues e as
(tarcas brancas vem molhar a pon'.a da aza fati-
gada, u prestando o onvidypara colber o preludio
melanclico e lento da ave solitaria, que enva do
mals calmo e escuro da folhagem am adeus ao dia
que desapparece, um adeu:. s plaas que fogem
na correuteza do no, urna lagrima emperolada de
harmonas as paludas manhaas que fugiram e
la souhadora que levanta urna pona do co para
v r e-piar a crago farla do auroras e de amor :
< Saudades I lenho saudades
D'aquttIU's cerros azues.
Que tarde o sol innuadava
De loiros toques de luz.
Teulio saudades dos prados,
Dos coqueiros debrugados
A' margeni do ribeiro,
E o dore de Ave-Mana
Que o sino da freguezia
Langava pela amplidao I
Nestes versos e em toda a cancao VIII as ima-
g.-ns que a lyra deixa escapar ao deslizar das syl-
iaoas, sio regu ares e syraelricas como as lumino-
sas ojias d'um estnbilho d* Hossini. Nem ha a
almelada vaidaJe do canter novel, que procura
11 ^s lisuras amoatoadas a perfeico do hymno e a
gympatbia da popularidade, nem o desgarro impa-
i'in'e do Sculptor que qu>)braas delicadas formas
d'uma estatua enchendo-a de recortes e inantes
arabescos.
Nao : o artista offerece-nos a sua crago nua,
de trancas solas e com essa fria voluptuosidade
do marmoie quo elevou Clziuger e fezenlouquecer
Pbldias anle a viso do paganismo erguendo se do
consorcio do ocano e do doloroso suspiro das
vagas.
Gomo o artista do buril e da pedra, o artista da
lyra e da penn.i patntela nos o seu modelo, en-
trega nos a sua futa, temendj apenas qne nos com
as Dossas mos Irageis e simples deixeraos a tni-
ca de Eloha, as vaporosas plomas do anjo de Israel
snnevoarera-se r.a bruma da tempestado e ferire ol-
ee as sylvas do caminho onde o echo nao repete
< mau.>r palavra de consoiago, o mais passageiro
canico s viragdes que se esvairam :
< Inda revejo ene dia
Cneio de dores e pranlos
Em que to puros encantos
Oh I sem saber os perda I
Lembia-ms anda : era i tarde,
Norria o sol entre os nuntes,
Casava se a voz das rolas
Ao boiboriuho das fonles :
O espago era todo aroma*,
Da malta virgem as comas-
Paira va um grato frescor;
As criauc.uhas brincavam
E as violas resjavam
Na cabana do pastor. >
Nestes versos ha lagrimas, meu amigo: estou
vendo agora adiante de mira as mais bellas visoes
d Casimiro de Abreu, que aitrahidas pela voz do
cantor de invenilia, curvara a paluda cabga so-
bre as Primaveras e chonm sobre um tmulo.
alais algumas elegantes composiges fecham a
pane pnuieira do livro : Voltemos a pagina :
Vamos entrar no templo das saudades e das remi-
niscencias : lembras-te do titulo da segunda parle
dos Cantos f Licio das Sombras.
Ol I quand ce di.nx pass, quand cet age sans tache,
Avec ta robe blands ou nolre amour s'attacbe,
Hevient daos nos ctemins,
On s'y susp.nd, el puis que de larmes ameres
Sur les la.nticauz Qetris de vos jeunes comiere-*
Qui vojs r< sierit au:c mains I
Essa deva ser a epygraphe do Livro das Som-
bras; essa deveria ser a primeira lagrima do Li-
vro das Lagrimas.
c Pensara em ti as horas de tristeza
Quan o estes versos paludos compuz :
Cercavam me planicies sem belleza,
Pezava-rae na fronte um co sem luz.
Ergue este ramo sollo em teu caminho;
Sei que em teu suio asylo encontrar I...
S tu conheces o secreto espioho,
Que dentro d'alma me pungindo est I...
O poeta dirige estas qoadras... aqaem? Ao
ar, i luz, respiraco, vida, desgraga, & ma-
Iher I Nestas duas ultimas syllabas resmese um
mondo : nesia ultima palavra revella-se um seco-
lo, um seculo que nos todos temos vivido porque
todos nos temos amado um minuto na trra.
Nao seria melhor pararmos porta desse tena
po, callarmo nos na primeira pagina desse Livro T
Ah I qne de illusoes explendidas se perdem no
desvario dos vinte annos I Os caslellos araontpam-
se, amontoam-se e cera no raeio das ruinas, das
saudades e das lagrimas.
A alma angustiada, orpha das mais loiras espe-
ranzas, viuva dos mais opulentos sonhos da moci-
dade, ensaia um olhar suffrego sobre as nuvens
condensadas do passado, escuta anda pela ultima
vez os rumores do mundo e as agrestes melodas
dos poemas abandonados, repetindo ao pe de cada
tronco, sombra de cada arvor6, debrugada ssi-
nha sobre a melanclica extenso do mar as lon-
gas noites de esli :-t Obi minha felicidade I
onde esl o tmulo das tuas aspiracoes d'uma hora,
o epitaphio das toas sublimes loucuras d'um mi-
nuto?
t Oh 1 miohas noiles de illusSes celestes t
Visoes bruamos da primeira idade I
Gomo de novo revivis lo lindas
Por entre as balsas da nativa herdade I
Como no espago derramis, suaves,
Ta o langue aroma, vibracao tao grata I
Como das sombras do passado, mesmo,
Tantas promessas o porvir desata
Esse gemido harmonioso abre urna nova ndole,
urna forma nova imaginaco caracterstica do
aulhor das Nocturnas.
O Livro das Sombras distilla das suas tristes e
nebulosas paginas esse aroma mortalmente delicio-
so, que presidio a muitos arroubos de Shakspeare
e a quasi todos os lyrismos de Musset, e H. de La-
touche.
E' o somnambulismo romntico anligo modelado
ao gosto da poesa contempornea.
Como um raio solitario, escapado s perdidas
auroras do lempo perdido, como urna saudade to-
da banhada de aromas e de preludios, de vagas
melodas e quasi sumidas nevoas, levauta-se a
idea, o pensamento do poeta alirando das sonoras
azas as explendidas harmonas que o suspendem
cima deste mundo miseravel.
Embora I mais fra a dor que nao vem despi-
da e solitaria : mais doloroso o gemido que atra-
vessa como urna nuvem foragida o lmpido bori-
sonte das fe-tas e dos ruidos:
Poison shows worst in a golden cup ;
Dark nigbt seems darker by ibe iighlning flash...
assexlilhas.(Canto XIII) adivinha-se o per-
fil lilterario que confeccionou o livro das Noctur
as. J a imaginario affasta de si a serenidade
dolorosa da consoladora angustia, e ao sentimento
profundo une-se o estylo byronico e o genio crea-
dor de A. de Musset nos oliimos poemetos es-
criptos :
< Amo os nocturnos lampyrios
Que gyram, errantes cirios,
Sobre o chao dos cemiterios,
E ao claro de iredas luzes
Fazeui destacar as cruzes
Do seu fundo de mysterios.
Amos porque todo o mundo
Lhes vola um odio profundo,
Despreza-os sem compaixao I
Porque todos desconhecem
As dores que elles padecem
No meio da creacao I
Seguera-se algumas eslrophes sob o titulo som-
bro de Horas Malditas.
Alii mais cruenta a phrase e a imagem mais
acerba do que as sexlilhas. Abandona a poesia a
vslidura romntica que tanto a idealsa na Ma-
drugada beira mar, e cobre-se do invern da
descrenga e do gelo da angustia mal soffreada :
Oh I essas horas tremendas
Tenho-as sentido de mais!
E os males que me causaram,
Os tragos que me deixaram
Nao se apagaro jamis I
Relendo os priraeiros versculos do mais triura-
phante hymno da collecgo sinto o que ha de ver.
dade a esse respeito no prefacio do livro escriplo
pelo elegante escriptor o Sr. Jos Ferreira de Me-
nezes. A meu ver esse Cntico do Calvario a
encarnago de todas as lagrimas d'um pai, de to-
dos os sonhos d'um poeta, de todas as angustias
d'um hornera.
Eu poderia correr um veo sobre elle e cilar
apenas alguns dos seus trechos mais admiraveis.
Mas quero antes de ludo dizer-te, meu amigo, quero
dizer-te a ti, poeta e philosopho, homem e mogo,
que esses versos magaiQcos sao m poema : exprimem o solugo do desespero aos ps
d'uma cruz, exprimem o desespero d'uma agona
sobre o lumuio d'uma existencia e sobre o epita-
phio d'um lilho :
< Eras na vida a poraba predilecta
Que sobre um mar de angustias conduzia
O ramo da esperanga...
Lamartine sentio a mesma dor e com egoal
crep occallou a sua fronte scismadora s frias
rajadas dos ventos orientaes. Gethsmani e o Can.
tico do Calvario voara como dois solugos intermi-
naveis que a posteridade ha de ouvir eternamente.
Oh I quanlas horas nao gastei, sentado
Sobre as costas bravias do Ocano,
Esperando que a vida se esvahisse
Como um floco de espuma ou como am friso
Que deixa n'agua o lenbo do barquelro I
Quantos momentos de loucura e febre
Nao consum perdido nos dsenos,
Escatando os rumores das florestas,
E procurando nessas vozes torvas
Destioguir o meu cntico de morie I > .,
Por essa nica poesa, por esse nico e divino
lampejo d'um genio emprehendedor, Platao cora-
lo-bia poeta e as musas desenredaran] um fio ar-
gnteo das suas gazes oscillaoles para prenderem a
Apollo mais ama lyra, para engastaren] na cupola
divinal mais um astro precursor de grandes vic-
torias.
O Cntico d Calvario a nrna em qne repousam
as mais adviraveis eipansoes do poeta fluminense.
O Cntico do Calvario o seu Cntico de Gloria.
Ongo o tanger montono dos sines,
E cada vibrago contar parece
As illusoes que murcham-se comtigo I
Escuto em meio de confusas vozes,
Cheias de pbrases pueris, estultas
O linbo morluaro que relalbam
Para envolver ten corpo I Vejo esparsas
Saudades e perpetuas slnto o aroma
Do incens das igrejas, ougo os cantos
Dos ministros de Deus que me repetera
Que nao s mais da trra I...
qne alguma voz vibrante e imponente pregue as
suas bellezas e explendor no centro do nosso uni-
verso Iliterario.
Nessa metrlflcagao sao escriptos os cantos segua-
les : Um dia o sol poente dourava a serrana
Queixat do Poeta Refltxoes da meia noite Ai
piracSes e Vozet no ar. I
A forma de todos esses hymnos envolve um pen-
samento robusto, brilhante e soberano como um
tersiculo de Corneille.
c Ssinho no descampado,
Ssinho, sem compaoheiro,
Son como o cedro altane i ro '
Pela lormenia|agoutado.
E' a primeira quadrja da RestgnacSo. Nesses
versos o talento fecundado pela energa sentimental
caza simplicidade da forma e rylhmo o ideal,
sobraocelro como urna aguia do Lbano :
t E quando o jraio incendido
Rogar-me, entp cahirei
Em meu orgulho envolvido
Como em um manto de re.
Nos Protestos o poeta fluminense cinge-se mes-
ma ordem mtrica que os poetas italianos denomi-
nara Terza Rima e it que Azevedo offertou-
nos urna elegante copia, no volume das obras in-
ditas. Seote-se nos Protestos a nncgo piedosa que
tem-se manifestado em'quasi todos os poetas meri-
dianos :
Esquecer-me de ti?IPobre Insensata
Posso acaso o fazer quando em minh'alma
A cada instante a la se retrata?
As quadras undecasyllabas sob a epigrapbe
Sim, poeta I Os horisontes esculam anda as loas Desejo recordara algumas das mais intimas can-
nenias dolorosas ; as estrellas solitarias miram-se ?es e estrophes de Alvares de Azevedo. Ha como
nos sombros galhos do cypresle, e a noite ajoelha- que urna resignago evanglica sob um corago de
da sobre a lapida d'um tmulo poe o dedo nos la- vinte annos :
bios e reclama silencio. QQando eu morreif adornem-me de flores,
Madrugada a beira mar urna das mais frescas e Descubrara-me das pendas do mysterio,
encantadoras coneepgoes dos Cantos e Phantasias-
O espirito cuida entrever no co luminoso da alvo-
rada todos os sylphos e gnomos que o da sacode das' Desengao Em
loiras madeizas do sol. E' o genio de Iiurns em-1 proseguem na me.'
prizonado n'uma das mais elegantes e coradas es- viII de Juvenilia.
E ao som dos versos
Meu donrade caizo
trophes de J. Autran, o poeta marselhez :
Nous amons qn'un matin sans voiles
Nons penetre de ses ciarles ;
La nuil, auz blancheurs des toiles,
Nous aimons que d'errantes voiles
Mesurent nos immensits.
Madrugada beira-mar como urna ebuva de
iris, estrellas e orvalhos que cahe silenciosa sobre a
face somnolenta da trra anda adormecida :
t O firmamento inteiro
Transborda de fulgores,
Do sol aos esplendores
De Deus ao vasto olhar;
Esparsas no infinito
As nuvens cambiantes
Se espelham triumphantes
Na face azul do mar. >
A Varzea, embora emraoldurada em seztilbas
possue a mesma quantidade de syllabas da Madru-
gada beira-mar. A insplragio corre igual cami-
nho : serena, melodiosa e rica de amenidade como
urna estrophe de Milln ou urna pbantasia de
Gluck : ^
A's luzes matutinas
Sorrindo entre neblinas,
A varzea como linda I
Parece urna crianga
Rosada, lonra e mansa
No mulle bergo anda. >
Ha entre a Madrugada beira-mar a Varzea
um crnico de sombra inspirago e tristeza. E'
como o anjo da recordagao e da raorte abrindo as
azas doloridas e abandonando urna lagrima sobre
as cinzas do passado :
{c Nao me delestes, nao I Se tu padeces,
| Tambera minh'alma teu soffrer partilha,
E sigo em prantos do supplicio a trilha
Curvado ao peso de tremenda cruz I
f Paluda rosa do alcacar eterno 1
Candida pomba que a innocencia nutre I
Melhor le fura a sanha d'um abulre
que compuz, carreguem
aocemiterio.
toda a parteNo Ermo
ma trilha dos cantos III, IV e
ao como os sons trmulos e
melanclicos d'uma larpa abandonada, que arre-
benta corda por corda no silencio e no mysterio :
Oh I nao me falles da gloria,
Nao me falles da esperanga,
Eu bem sei qae sao mentiras,
Que se disspjtm, crianga I >
Em toda a parte Juma oragio : lermina por esta
longa e piedosa toada de amor :
t Quando a tristeza desdobra
Seu manto escuro em rainh'alma,
Emo me afundo na essencia
Da minha prrjpria existencia
Para entender te, meu Deus I
No Ermo todava a imaginagoequlibra-semais
vigorosamente no arrojo e na altivez do pensamen-
to. Nessas estrophes o canlor das Phantasias pren-
deu-se ao preceilo fundamenlal de V. Hugo :
< Le poete ne doit avoir qu'un 'modele : la ua-
ture; qu'un guide, la vrit.
A sua harpa vibra, sonora e victoriosa :
c Salve erguidas cordilbeiras,
Brenhas, rochas allaneiras,
D'oode as alvas cachoeiras
Se arrojara troando os ares I
Folhas que rangem cahindo,
Feras que passam rugiodo.
Genios que dormem sorrindo
No fresco chao dos palmares I
Nos hymnos que restam, o poeta das Vozes-
a"America o quasi sempre ousado, altivo, como um
senhor feudal as ameias guarnecidas dos seus
castellos seculares. O Ocano Sete de Seiembro
Ao general Jurez essas tres immensidades de
gloria, de soberana e de herosmo, foram dedilha-
das pela robusta lyra era todas as notas e explen-
didas accealuag5es da arle amiga. O genio grego
nao apresentou Homero so seu coche de charamas
e Appelles n'um throno de marmore ? Os tres ca-
ticos do poeta contemporneo sao como a magestade
de Apelles parlindo o marmore ante o vulto de Ho-
mero que edifica a epopa primitiva :
Que estas profanas mos que te rogaram 1 >
Essas sombras velam-nos o sanctuario da alma
que as pa^sou para o cadioho da rima e da accen- Tu sa idea mais soberba e vasta
tuagao mtrica. O que dizer-te mais sobre essa' Que do genio de Deus ha rebentado,
poesia? O silencio s vezes tem mais philosophia Oh raar aoaa vencido I...
do que todas as scieocias da trra.
Os Hymnos a Jurez e a Sete deSetembrodous
Em varias eomposlgoes dos Cantos e Phantasias grandes noraes de duas grandes liberdades sao
que nos acompanha como o corcel mortuario da le- warin, o qae todos os mdicos nao tinbaa iod-
genda media. Essa verdade a lndlfferenca pu- ao fiteT< e.)o s rjem. ,
blica pelas coosas de arle e litieraiura: essa som- 0 Sr. Dopont de Loges a#ressoa-se a vistor a
bra fatdica prndese aonoasoflanco e obriga-nos a paralyUea corada ( este o oome que lacea lo.
a estacar i porta das mais risonhas e opulentas as- rja a cidade.)
pira?5es da moc.dade. Embora I as revologSes sao Um conS|deravel numero de pessoas de todas as
como as ondas do Mediterrneo; placidas, marmu- condig5es foram igualmente ve-la.
rara no silencio e as trevas feridaa pela proa dos A moiat Clery) cuj;)S forc M lfi|0raM| &
novos descubridores e das novas naos dos Colombos ,ja dia. -manifestou desejos de assistir proclive
regeneradores, rompera o dique e aliram-se victo- que devia ter lugar no domingo 25 na soa fregae-
riosas sobre o dorso fluctuante dos navios e sobre !a ; e, com efeito, foi nella, nao obstanta o espaco
a solido indefeza das praias. Apparega o audaz percorrldo nao exigir meaos de ama hora.
navegante que lempo : a nos^a litteratura nao Hoje S9 continu i cada vez melbcr, andando con
urna intentara nascente urna lilleratura mor-' a roair ^^^ eDX4ooeca nio a noa^.
banda. O desanimo corta e mata: preciso luz, e m se no nma anca ya ^ ^
a luz surge do embate e da confusao das massa. AQ(e
amonloadas. Apparega o conquistador; traga com- v y "<"> *
sigo o pharcl do progresso e da lula. Seja ousado c,es,as,,c nao "ueTemos ""'' "' "M,s -*
como o soberano da Macedonia. Seja como elle : I S diremos que cadadia auglDeDUa ,
porque Alexandre quando folheava as paginas do prodoilda por esle saccesso em ^tz e em toda a
Tcito ia procurar as gigantescas forgas de que ne- comarca.
cessitava para plantar a victoria e a vida nos t-
mulos do universo.
Recfe, outubro de 1865.
L. C. P. Guimarabs Jinioh.
e particularmente as Melodas do Esto o poeta
ezercita se em manejar o verso caracterstico de
Voltalre e Ducis.
Tu o sabes: em materia de esthetica e plstica
: de formas eu sou soffrivelmenle pago e exube-
rantemente grego : recebo a estatua, aliso-lhe os
contornos robustos, admirn-a, sem procurar conbe-
' cer se o reeorte da espadua menos puro que os
] ngulos faciaes, se a postura do Joelho quebra a sy-
metria do porte soberano. Todas as Apbroditas para
mim valera Venus, e todas as Venus sao formosu-
j ras inmitaveis. Haja alma, isto baja luz, haja
luz que a co se espraiar as menores linbas da
figura, no mais sombro- da fronte descabida, no
magestosos como o Ocano. O poeta sabe jogar
com as armas do sentimento como com os raios de
Jpiter. Recorda a terna dogura de Lamartine na
Varzea, lembra no Ocano, nos versos a Jurez e
no Sete de Seiembro mais de uraa pagina da Legen-
da dos Seculos.
Colmal paraphraee ossianica repete adrairavel-
mente os sons plangeptes e lamentosos do bardo do
III seculo. A Ira d Sal Aum engeitado e
Analmente urna caogo adoravel Noiit saudosa
sao as garras de ouro que salvara os Cantos e Phan-
tasias ao dente mordaz da critica e dos Aretinos do
lulhetim.
Ahi tens tu uraa victoria da intelligencia I Esso
mais subtil do burzegulra esmaltados da Quemante- volurae ura acontec.mento na litteratura do paiz.
clarav.de Os Cantos e Phantasias excitaro a novos com-
O verso alexandrino deve ter bastantes propug-
nadles neste nosso continente : se Bocage soube
accomraoda-lo ao paladar portuguez, necessario
FOLHETBI
0 DEMONIO DO JOGO
POR
HENlftE COWSCIENCE.
^
i
(Continuagao.)
Algum lempo depois de fechada a bolsa, tinha
Simo Turchi entrado em sua casa e preparava-
se provavelmeute para sabir, por que tinha tira-
do o giuo e veslico oulro de cor menos alegre.
Ao seu lado, em orna cadeira, tinha a capa da
noite.
E tava com ares de bom humor; levantava a
cabega com altivez ; radioso sornso Ihe lluninava
o rosto, e quando um pensamento novo vinha al-
gumas vezes int^-rromper os seus preparativos, es-
r<-gava as raaos com triumphante contentamen o.
Julio tinha partido para a Allemanha I Nada em-
barag,.ra a sua sabida, porque era quasi noite e
niuguem o vira anda na cidade. Por conseguinte,
Simo Turch- no traba mais nada a temer, por:
que se, coiura o que era de esperar, se descobrisse
no seu jardiiu j cadver de Gernimo, nada Ihe
curiana convencer a todos de que Julio fura quem
cominettej o crime.
Ja TukJf, >or algumas p.ilavras vagas ditas aos
seus cralos e conhecidos, tinha preparado o ter-
reno para que a aecusago fosse recebida como
muno natural, se viesse a s;r necessara. Sobretu-
do mosirra-se muito inquieto por no ter Julio
pa-sado a noite em casa e por no apparecer em
todo o Jia. Dizia que na veipera noite tinha se-
veramente repretendido o seu criado por ser um
bomem iiissoluto ^ pela negligencia com que fazia
as suas obrigag5\Iria Jolio pedir ao vlnho o es-
quecimento das speras reprehensoes de sea amo
e estarla era alguma taberna a esperar a noite pa-
ra entrar em casa ? Era o que pensavam os outros
criados, que nao podiam comprehender a inquie-
tago de seu amo ; mas disse ento Turchi que ha-
via ja algum lempo que tinha observado em Julio
fosse o que fosse mystenoso ; que o tinha sorpren-
dido s vezes com a cabega entre as mos e os
olhos fitos no ar; qne o ouvira gemer, murmurar
e darprofundos suspiros quando eslava s : emuraa
palavra, qae Ihe pareca que Julio tinhadsm grande
peso na consciencia e que o perseguiam remorsos
ou terror.
De manha cedo, tinha mandado Bernardo ao
pavilho, fiogindo que quera saber se Julio la es-
Uva. Bernardo disse que no linha visto Julio nem
tinha achado nenhum signal da sna presenga, sal-
vo duas garrafas vazias em urna mesa na coznha.
Disse Siraao que foi elle que mandou l por essas
garrafas, e Bernardo no pensou mais em tal
cousa.
Simo Turchi bem quizera ir nesse mesmo da
ao jardim para se certificar da partida de Julio e
do cuidado cora qae elle fizera o seu irabalho; mas
receiava, pela sua presenga naquelles sitios, des-
pertar a atteoco dos agentes da justica ou tal vez
ter de, a>si.tir s bascas, se houvesse inleocao de
levar at ao jardim a Indagago ordenada pelos ma-
gistrados. Quando fosse noile, as buscas deveriara
ser nata ramente inlerrompidas, e ento fria ao pa-
vilho e desceria adega para ver se ludo eslava
bem e convenientemente arranjado.
Era chegada a hora. Como o crepsculo co-
megava pnco a ponco a snbstitair o dia, os ageu-
tes da justiga ja deviam ter suspendido os seus tra-
baihos e no encontrara nenhum nos prados do
hospital.
Tendo deitado a capa aos hombros sabio Simo
de casa., dobrou, ligeiro e alegre, a esquina da ra,
epelo terrapleno Calharina dirigise para a praga
de Meir.
Mal chegava ao raeio da ra quando vio o juiz
ordinario, Joo Van Schooahoven, que vinha ao
seu encontr.
Um sorriso assomou ao rosto de Turchi; folga-
va que o acaso ihe flzesse encontrar o magistrado,
porque isso Ihe dava occasio de conhecer b re-
saltado das averiguagoes feitas.
Disse Ihe o magistrado, depois dos comprimentos
do estylo.
Que feliz encontr, senhor I la agora mesmo
a soa casa.
A minha casa I repeli Turchi com urna ad-
miraran reprimida ; tem noticias do meu pobre
amigo ?
No, senhor, quera fallar-lhe de urna eousa
qae nao grave, mas qae pede urna conversa en-
tre nos. Eu poda hoje noile dizer-lhe alguma
cousa em casa do Sr. Van de Werve ; mas o lu-
gar no era proprio para tratar do qae .
Nesse caso, Sr. jutz, vo.temos para minha ca-
sa, balbuciou Turchi com mal dissimulada oeuie-
: tago.
Onde ia agora ? perguntou o Juiz.
Ia passear um pouco... pela praia para pro-
curar urna dstraego a dor que me causa o desap-
pareciinento do desgragado Gernimo.
O que lenho a dizer-lhe cao cousa que ob-
. teve ao seu passeio. Acompanba-lo-hei e aprovei-
tare! tambem a fresca briza da (arde.
E forara. Simo, piccado por inquieta curiosi-
dade, interroga va com os olhos o seaeompanMiro.
Quando chegaram um pouco mais longe a si-
tio onde se acharara sos, disse o Sr. Van Schoo-
nboven :
Aquillo de que qnero fallar-lhe no pedira
tantas precaugoes, se eu no fosse juiz ou se no
fossemos bous amigos, Masgagora a miuh
mettimentos os poetas brasileiros e os escriplojes
de nossos das ?
Ha urna vepdade cruel, urna verdade tenebrosa
tornase muio difioil, era conseqnencia destas
duas cireomstancias, e son forgado de ante-rao a
reclamar a sua indulgencia. Bem sabe que os meus
agentes do busca a tildas ascasas e a todas os jar-!
dins. especialmente nos prados do hospilal^por ser
l qne foi visto o Sr. |Geronimo pela ultima vez. A
maior parte desse bairro foi corrida hoje al aos
resantos mais secretos, sem que se descobrisse o
mais leve vestigio do erice.
Simo Turchi comprehendeu a inlengo das pa-
lavras do juiz, e posto que o seu corago batesse
anciado. esforgou-se por parecer ndtOerenie e dis-
se desembarazadamente.
E ento entend o Sr. Van Schoonboveu que
tambera se deve dar busca no mou jardim, no
assim ? E' natural; niuguem est cima da le;
ha casos em quo o nobre no vale mais do que o
burguez.
Acredite, Sr. Turchi, que nunca me virla a
ideia fazer urna visita to pouco respeitosa a casa
de um cavalbeiro eliinavel, especialmente quando
esse cavalbeiro meu excelleole amigo ha annos;
mas bem ve como se formou a necessidade d'esta
busca sem que en n'isso tenha a mais leve culpa.
A presenga dos ezecutores da le em numero de
mais de vinte nos pirados do Hospital chamou a ra
os habitantes do bairro. As averiguagoes leem si
do presenciadas por grande quantidade de curio-
sos; e quando o poro nolou que s se excepluava
o seu pavilho, poz se a gritar e a aecusar de iu-
jusliga os magistrados. Os meus agentes disseram
de certo, para se desculparem, qne eu tinha dado
ordem para que o leu jardim nj fosse examinado*
Seja como for, des le esla tarde a voz publica tinha
levado o negocio ab conhecimenlo do burgo mestre
e dos venadores,, o elles vieram pedir-rae que
mandas&e dar buca ao seu jardim para no dar
calo as accossgoejs do povo___
Todas essa explicares sao superQuas, Sr,
CU POLCO DE TCDO.
O Monde refere a segulnte que teve lugar em
Franga :
A menina Anna Clery, lllha do procurador geni
do tribunal imperial d'Argel, foi atacada na idade
de quatro annos de urna paralysia da medalla es-
pinhal, de to terriveis effeitos, que depois de ter
experimentado toda a especie de meios para a cora-
bater, a reduzio em 1855, na idade de onze annos.
a estar na cama constantemente.
E' publico e notorio em Metz que durante estes
ltimos nove annos esteve a paciente completamen-
te paralytica, exceptuando os bragos, n'um estado
de magreza e debilidadeeztremas, deitada sempre
de costas, presa de violentas enxaquecas de dous
em dous das, com a cabega constantemente encos-
tada na alraofada, sem nunca poder eslender as
pernas, pegadas s coxas pela contraego dos er-
vos, e incapaz de digerir alimento algum solido,
sustentando-se s de um pouco de bebida refrige
rante.
Depois de cinco annos de assislencia, o Dr. Wa-
rin renunciara a toda a esperanga de cura.
Os primeiros mdicos de Pars e Strasburgo ti-
nliam tambera por incuravel a menina Clery.
A enferma conservava-se gragas viveza da
saa f.
Commungava todas as semanas, e todos os mo-
mentos que af fraqueza da vista e das forgas Ihe
permiltia dedicar-se ao trabalho, os consagrava
feitura de toalhas d'altar ou outros ornamentos de
greja que bordava, levantando as mos altura
dos oltios, e servindo-lhe de apoio osjoelbos.
Era dez annos no tinha posto os ps no chao,
era tinha sahido do qnarto .-e no duas vezas ; a
primeira para passar o vero no campo, ha j al-
guns annos; a segunda para ver urna immensa co"
roa de llores que linham tecido algumas seoboras
suas amigas ao pateo da casa para adornar a igre-
ja parochial ( S. Marlinho ) durante a adorago
perpetua doSarrtissimo Sacramento.
.. Qutrta-feira 13 de junho, vespera da adorago,
foi o pancho avisita-la para Ihe agradecer o ler
enviado para adorno da igreja quairocentas rosas
artiflciaes, fructo do trabalbe de muitos annos.
De repente occorreu ao parodio convida-la a fa-
zer-se levar igreja nos brages da sua criada na
quinta-feira seguate, vespera da festa do Sanlissi-
rao, dia fkado para'a meia hora da adorago aos
habitantes da sua ra.
E' de advertir que a adongo continua nao tem
lugar era Metz sendo de quatro em qualro annos,
que dura tres dias era cada freguezia, e, Analmen-
te, que se destriboem entre os visinhos de cada ra
as meias horas de adorago por meio de conviles
que so Ibes dirlgem a casa.
A menina Clery aceitn por fim o convite ao pa-
ncho, o qual lhes fez observar que no linha de
alravessar se no e jardim de casa e urna pequen
passagem para chegar a igreja ; e, com eflieilo, no
dia seguate a paralytica, acompanhada de sua
mi e da Sra. Coetlosquet, foi levada do eolio da
sua criada, em cujos hombros eocoslava a cabega
que havia dez annos no poda sustenta! por si
me>ma.
Chegando a igreja, a mulher que a leva va sen-
tou-se no primeiro banco que enconlrou no fundo
da igreja, tendo sobre os joelhos a pobre paraly-
tica.
A menina Clery, apenas comegou a sua oraglo,
sento-se presa de atrozes dores, em termos que ez-
clamou :
Se oo estivesse diante do Santissimc- Sacra-
mento, largaria a gritar.
Depois sentio ura ranger geni em todos-os mem-
bros, e accresceutou :
Orai, orai I Ponde-me de Joelhos 1
Um momento depois levantou-se e comegou a an-
dar com a mais viva comraogao, sustentada nica-
mente pelos bragos por sua mi e pela Sra. de
\ Coetlosquat, que solugavam de alegra.
As tres horas voltoa s igreja para assistir a
vesperas; oo dia seguate, s sete horas, para com-
raungar, subindo sera, auxilio de mnguem os cinco
degraos que ba at ebegar ao lugar da commu-
nhao.
No domingo 18 foi a igreja sete vezes.
N'araa palavra : segundo a expresso do Dr.
A familia de Clery muito conheeida en Franca
e na Argelia.
A menina Clery tem um irmo procurador tra-
pera! em Orara ; outro substituto ei
urna irm religiosa do Sagrado Ctrafra w.
e am tio major do segando de engenbekes, em
Metz.
E' do Sr. Joo Candido G. S.
DESEJOS I LAGRIMAS.
Quem me den outra vez poder amar-te t
Quem me den poder bem estreitar-le
D'um abnco ao calor I
Quem me den mirar-te a fronte lisa ;
Ob I poder-te chamar minha Bellia,
Meu anjinho de amor I...
Quem me den poder sagrar-te a vida f...
Seguir-te a sombra senhoril, querida :
Beijar-le o corago I....
Quera me dera no amor, n'esses delynos,
Suflocar o pezar de meas martyrios :
Pedir-te a salvagao I.....
Ah I Belliza, mulher de meas amores I
Tu oo sabes pezar as mmbas dores :
Tu no sabes soffrer f...
Tu naj sabes o que passar-se os annos,
Envolvido no p dos desengaos,
Onde vai-se morrer I....
Ta nao sabes o qae ser-se crianga f
Alentar-se no t eito ama esperanga.
V-la mora, por fim I
Ta oo sabes o que sincero amante
Ver ugir de seu seio palpitante,
A nuvem de rubim f.....
Eu era n'este mundo, um peregrino f
Procurava um olhar bem feminino,
Que me enchesse de luz !...
Procurava encontrar farinoso ame :
Procurava enlevar-me no perfume
De tras lindos seios ns I-----
Era jovem : senta o crneo ardenle t..
Precisava de amor, sorrir contente
Do amor as convolsoes I...
Tinha febre quera embriagar me t...
Aos ps de uraa mulher a-joelhar-me,
Fra voltar-lhe oragdes I___
Um dia eu te encontrei I Foi venturoso'
Em teu rosto diaphano, formoso,
Vi auroras de co I-----
Bat azas, contando, inebriado ;
Por mil mandos voei: depois cansado
Cahi no seio lea.....
Tu sorriste, e sorrindo rae aparaste...
Ergneste-me os cabellos roe beijasle
Na fronte juvenil.....
Eu medrozo, convclso e delyrante.
Puz a mo na covinha palpitante
De teu peilo febril
Oh I o amor nos unir estreitaroente I
A mesma vida frvida, tremente,
Sentamos ignaes I
Criamos para os divina esphera :
Fomos gozar de amor a primavera
De Deus l aos nzaes I...
Sim I da amenos perfumes nOs t veaos,
Nossas frontes de flores coroemos,
Amor nos coroou.....
Fomos saudar o sol d'esta ventura.
Negra, nuvem vestida de amargara,
Nossos vOos cortou I...
Ta paJlida me ornaste eovergonhada t...
Eu oihei p'ra minha aza arrebeaUda,
Tinha sangue-----gemir
Como um lenco chorei I me ajoelbando,
Levantei meu olhar, lui exclamando :
Mea Deas I por qae eai ?.....
juiz, pelo menos quanlo ao que me diz respeito
disse Turchi, interrorapendo-o. D-se busca no,
meu pavilho como as outras hab tagnes dos pra-
dos do Hospital.
Estavam no longe da ponto de Meir e conserva-
rara-se calados por ura pouco, porque se vi un cer-
cados de gente que passava. Mais adianle, junto
do cemiterio de Nossa Senhora, Simo disse :.
O que em ludo isto me offende, e, por assim
dizer, me irrita, a falta de respeito e o atrevimeo-
to do povo. Como ridicnlo e parvo I E' como se
me julgassem capaz de maltratar ou de malar o
meu melhor amigo I Esta sospeita insensata faz rae
ferver o sangue I
A colera de Simo era fingida; mas elle tinha
aproveitado com alegra a occasio de esconder de-
baixo das appareocias d'essa paixio a anciedade
qae o alormeatava. Eslava bom preparado para o
aununcio de urna busca que se ia dar no sea jar-
dim, porque Ibe tinha previsto a possibildade e
por conseguinte lomara as suas providencias. Mas
agora urna duvida lerrval sargia no seu espirito
sobre o resultado que poda ter essa averiguago e
sobro o modo como seriara recebidas as suas deca-
ragSes. O mais lev incidente imprevisto, a menos
maltosa circunstancia poda (rahi-lo.
E' escandaloso I disse elle, cerrando os pu-
nhos Emitiir publicamente a opinio que am no-
bre como eu possa descer ate ao infame papel de
ura assassino por emboscada I Hel ae tratar de sa
ber quem sao alguns d'esss desavergoonados ca-
lumniadores, e veremos depois, Sr. juiz, se a jus-
tiga de Antuerpia sabe proteger um innocente
estrangelro contra clamores difamatorios da cana-
Iha.
Socegue, senhor, disse o Sr. Van Schoonno-
veo. Dou-lbe toda a razo para se irritar; mas
est mullo engaado se peosa que a busca ao sea
jardim seja, da parte do burgo-mesire e dos vena-
dores, alguma cousa mais do que o cumprimenlo
de ara devor para saiUfaier o povo. E quanlo a

Ah I' Belliza, mulher de meas amores r
Tu no sanes pezar as miohas dore :
Tu nao sabes soffrer I...
Tu no sabes o que passar-se os annos.
Envolvido-no p dos desengaos,
Onde vai-se morrer I...
n-
mim, pego que por maneira neohnma a'o leve ees
mal.
No precisa da desculpas, Sr. jniz, date Si-
mo, apparentemente mais socegado. Pois ka an-
da mais natural do que dar urna basca no jardim ?
O que me irrita a insolencia do povo. Coaapra o
seu dever e queira continuar a bonrar-mo coa ana
amisade que muito preso e qae bei de lazar por
merecer sempre.
Ora, diga-me, Sr. Turchi, quando Ibe eoav
vm ir commigo ao seu jardim para peminir aos.
agentes a busca no pavilho ?
Quando? Isso pan mira indi late.
Nao, no; e-colba a Dora; sao qoero
maneira nenhuma causar-lho o mais peqaeao
commodo.
Simo Turchi rrfleciio um insume e disee :
Amanha de machia teobo oeeocioa i
caos urgentes de que no posso deixar de tratar;
a melhor hora para mira seria pelo neeio dea.
Pois sim I E ss fosse as duas nons T
.. Pode ser: ento, das daas para aa tres.
Irei por sua casa para irmos amos jeatos a
localidad-.'. E pego-lbe qae nao pense amis. a'esU
visita domiciliaria, qae nao tem neaboaaa iraoor-
tancia; urna simples condescendencia ceas e ne-
vo. Terei honra de o ver esta noile esa atea do Sr.
Van de Werve ?
Anda no sei, Sr. juiz. A exeesana tristeza
da menina da casa rasga-me o corago a per tai
modo me turba a razso qne, dnale notan ata-
ras, no lenbo podido alcangar on nmaeet de
descanso. Se eu podesse ao menos oflereeer algu-
ma coosolagao a destitasa nenaa! tfas da ene
serve juntar as minbas lagrimas as soaa
nem um raio de esperanga vem lllumiiar a i
ooite qae aos cerca ?
O Sr. Van Scbooabovea pern e apertoe a i
de Siraao Turchi.
( Contmmr km.)
- I
PERNAMBUCQ HP. DB X. F, VKt. A FIUO
------
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP44B1355_LK72IZ INGEST_TIME 2013-08-28T00:57:36Z PACKAGE AA00011611_10805
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES