Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10803


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ato m mino Ui
Por qnartel pago dentro de 10 das do 1. mez : i
dem epoisos i.ot 1U das do comecoe dentro do qnartel. ,
Porte # correio por tres mez es ,*........, t
PINTA FEIRA 26 DE 0UTBBR0 DE 1865.

SfOOO
61000
7S0
ron anno pago dentro de 10 di as do 1.' mez ,. ,
Porte ao eorreio por om anno
i91001
!|00l
E.NCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o ir. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques Sr. A. de Nemes Braga; Cear, o Sr. J. .lose" de
Otiveira ; Maraoho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
driirues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
FHIios; Amaiouas, o Sr. Jeronymo da Coala.
E.NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Uias; Baha, o
Sr. 'Jos Martilis Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparrnho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estarces da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antn, Gravat. Bezerros, Bonito, Caruar,
Altiuho, Garanhuus, Buque, S. liento, Rom
Conselho. Aguas Bellas e Taearal, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco: tergas e sbados as 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel
dia.
Segunda vara do clve-fl:
hora da tarde.
tercas sextas ao meio
quartas e sahbades a I
EPHEMfiRIDES DO MEZ DB OUTBRO.
4 La ebeia as 8 h., 11 m. e S6 s. da t.
II Qunrto ming. a 1 h., 9 m. e 22 s. da t.
19 Loa nova as 2 h., 7 m. e 52 s. da t.
27 Quarto cresc. a t b.,! m. e 16 s. da l.
DAS DA SEMANA.
23. Segunda. S. Joao de Capistrano f.
2i. Terga. S. Raphael arch.; S. Fortnalo m.
25. Qoarta. Ss. Crispm e Cnspiniano irs. mm.
26. Quinta. Ss. Evaristo e Floro mm
27. Sexta. S. Elesbo imperador da Ethiopia.
28. Sabbado. Ss Simio e Judas Thadeo app.
29. Domingo. S. Euzebia v. m.; a b. Beatvtada.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 horas e t8 m. da manhaa.
Segunda as 9 horas e 4-2 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROaV
Para o snl at Alapoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Pamas-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, majo,
julho, setembro e aovembro.
ASSIGNA-SE
no Becife, na livraria da praga da 'nifrrralnTla
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
6FFIGIAL
GOTCRIW 04 HMJUJU.
Continiiiro do expediente do dia 21 de oulubro
de 180o.
Offleio circular a lodosos juizesde direito e mu
Olcipaes.Tendo chegado au conhecimenlo do go-
verno imperial, que se promovem execugoes por
dividas de ordens religiosas, cujos bens movis,
immoveis ou semoventes sao inalienaveis, vista
da le de 9 de dezembro de 1830, e segando o pa-
recer da secciO dos negocios do imperio do conse-
Iho de estado, exarado em consulla de 7 de dezem-
bro de 1863, noqual tambem se reconhece, que a
expressa disposigo da lei citada de 9 de dezembio
de 1830, reguladora da mate ia, seria Iludida se
taes ipfiis fossem sujeitos a execugoes e penhoras,
mandou Sua Magestade o Imperador, por aviso cir-
cular de 23 de seierabro ulumo, em vista da re-
quisigo do ministerio do imperio de 15 do mesrao
mez, recommendar a Vmc. aioteira observancia da
referida lei que di Jeitos pelas ordens regulares sao nullos e de ne-
nhum eiTeito em jnizoou fra delle, urna vez que
a Ma celebrago Do prectda liceuga do governo
imperial.
Portara.O presidente da provincia resolve no-
mear para o Ia batalhao de guardas naciunaes que
se deslina ao servigo da guerra os seguintes offl-
ciaes :Para teuente O alteres Joao Jos de Al-
nieida Pernambuco Dito Andr Xavier Vlanna.
Para alferes o sargento vago meslre Jos Polycar-
po de Freitas Jnior, o Ia sargento Autonio Augus-
to de Souza Novaes, e o sargento Trajano France-
no da Costa Lins.
.23
Olfieio ao Exm. eommendador presidente da As-
sociago Protectora da> Familias dos Voluntarios
da Patria.Ulferecendo os phannacealicos Bariho-
1 imeu Francisco de Souza & Carvalbo para bene-
ficio das familias dos voluntarios da patria a quan-
lia de 110*825 rs., importancia de 12 por cenlo do
valor dos medicamentos por tilles formcidos a en-
fermaria da casa de deteogao no trimestre de ju-
Ibo a seleinbro ltimos, assini o declaro a V. S-,
alim de qae mande receber a referida quaniia dos
offerentes.
Dito ao Exm. desembargador provedorda Santa
Casa de Misericordia.Sirva-se V. Exc. de remet-
ter-nie algn exemplares impressos do compro-
miso dessa Santa Casa de 17 de margo de 1862.
Dito ao marechal commandante das armas.
Mande V. Exc. ali-tar no 5a corpa de voluntarios da
patria, a Manoel Joaquim de Sani'Aona, que para
isso se ollereceu ao couimandaiiie do presidio fie
Fernando, e foi por este remettido no vapor .Uu-
rnanguape, segundo coramuuicou-me em offleio do
Ia do correnle.
Dito ao mesmo.-Transmiti a V. Exc. para o
fin conveniente a inclusa guia do desertor da cam-
panilla de cavallaria desu provincia, Nicolao Pro-
copio do Rozario, que segundo consta do olflcio do
Exm. presidente do Rio Grande lo .Norte de 20 do
correnle, sob n. 7,414, apresentou-se naquella ca-
pital no dia 17 de setembro ultimo, e seguio para
aqu no vapor Oyapock.
Dito ao mesmo.Autoriso V. Exc. a mandar dar
baixa do 5a corpo de voluntarios da patria Fran-
cisco Ribeiro de Andrade, aceitando para substi-
tuido o paisano Antonio Flix dos Santos, urna vez
que este seja considerado apto para isso em ins-
pecgo de sade.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que no iticluso requerimento documen
tado pede Joao Cavancali de Albuquerque.
Dito ao oiesiou.Srvase V. lixe. de informar-
me acerca do que pedem nos laclas s requerimien-
tos Joao Dantas Ferraz e Jo? Hygino de Souza
Peixe.
Dito ao inspector da ihe.-ouraria de fazenda.
Recommendo a V. S. que estando em termos os
prets juntos em duplican que me remeiteu o com-
mandante superior da comarca de Olinda, com of-
licio de 21 do correnle, mande pagar os veo> imen-
tos nao s do destacamento da fortaleza de llama -
raca a contar de 16 de setembro at 15 do corra-
te, mas tambem dos cornetas do 9 batalhao da
guarda nacional daquella cidade relativos ao pre-
dio mez de setembro e ao correnle.
Dito ao mesmo.Em vista do pret junto em du-
plcala, e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar os veneimentos abonados pelo 2a cadete
francisco Carnelro da Silva, aos voluntarios da
patria por elle agenciados.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S. em additamen-
to ao meu ollicio de 21 do correnle, que os venci-
menlos mandados adiantar ao cadete Fraucisco
Carneiro da Silva compr'hendem sold e etape.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens,
para que nos devidos tempos seja paga pela collec-
toria de Goyanna ao major Joaquim Raphael de
Mello Itei), a qnantia de 205 mensaes que de seu
sold pretende consignar a sua familia o alferes do
batalhao n. 18 da guarda nacional do municipio de
Nazareth Fraucisco Baldomirode AlDuquerque Ma-
ranhao, designado para o servico da guerra, como
se v do incluso requerimento.
Dito o inspector da thesouraria provincial.
Re-tiluindo a V. S. o pret junto em duplcala que
veio annexo ao seu oflleio de 21 do crreme, sob
n. V25, e relativo aos vencimeutos de urna escolta
de guardas nacionaes que couduzio presos de jus-
tiga de liarreiros para esta capital, tenho a dizer
em resposta ao citado offleio, que de corlformidadn
com o parecer da contadoria dessa thesouraria, a
etape vencida pela mencionada escolta, deve ser
paga na razo de 36U rs. diarios, e nao na de 440
rs. como consta do mencionado pret.
Dito ao mesmo.Estando em termos os prets
juntosemduplicata,mande V.S. pagaros venciraen-
tos a contar do Ia de setembro at 15 do correnle, do
destacamento de guardas nacionaes existentes na
villa de Iguarass, e bem assim os corresponden-
tes ao da cidade de Olinda relativos a primeira
quinzena dete mez, como se v dos mencionados
prets que me foram relnmetlido^pilo commandan-
te superior daquelles umuicipio- com ollicio de 21
do corrate.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em hasta pu-
blica o Ia lango da estrada do Limoeiro na exlen-
sao de um kilmetro, servindo de base a essa ar-
rematagao a planta tabella, clausulas e orgamenlo
juntos por copia, e que para esse fim vieram an-
nexos ae offleio do chele da repartigo das obras
publicas datado de 3 do corrate, e sob n. 310.
Communicou-se a> chefe da repartigo das obras
publicas.
Dito ao lente coronel Mariano Xavier Carnei-
ro da Cunha. -Becommendo a V. S., qae recolha se
quanto antes a esta cidade com o seu batalhao, d-
dindo Ihe os guardas o voluntar os que se acham
aquartelados em Gam^lleira por diligencias do te-
nenle-coronel Criolaoo Vellozo da Silveira.
Dito ao tenante-coronel commandante do bata-
iho n. 3'J do Cabo, Joo Paulo de Souza Handeira.
ei o conveniente deslino ao guarda dj batalhao
sob seu cocemando, Francisco Jos do Monte que
fra designado para o servigo da guerra, e a que
se refere o olflcio de V. S. desla data, seb n. 90, a
qae respondo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. fornecer os objectos precisos para a escola de
instruegao primaria do presidio de Fernando, cons-
tantes do pedido junto.Gommuoicou-su ao com-
mandante do presidio de Fernando.
Dito ao mesmo.Em vista dd sua informago de
21 do crrente, sob n. 437, autoriso V. S. a com-
prar a Jos Vicente Godipho pelo prec,o por elle
apresentado, se nao houver quem por menos for-
nega as mochilas por elle offerecidas.
Dito ao director geral da instruccao publica.
Em vista de sua inforn agao de 19 do correnle, sob
n. 283, autoriso V. S. a mandar inscrever no res-
1 pectivo quadro, alim de ser adraittio no gymnasio
provincial como a umno interno gratuito, qoando
houver vaga,o iiiho de Jos llenriques Machado de
nome Antonio Scrates de Albuquerque Machado.
Dito ao chefe da repartigo das obras publicas.
Respondendo ao seu offleio de 21 do correte,
sob n. 337, i;nho a dizer que approvo o contrato
que por copia veio elle annexo, e foi por Vmc.
ce ebrado com Andr Luiz Delouch, para a cons-
truego de caixilhos, grades e ferragens para as
janellas do gyranasio provincial.
Dito ao ca aitao lente commandante do vapor
Oijapor.k.Pode Vmc. desembarcar a ala direltado
corpo de polica desla provincia e os recrutas, como
solicita em seu olflcio datado de hontem, neste mo-
mento recelndo, altela a falla de accommodagoes
para as nragas que se acham a bordo.
Dito ao juiz municipal da 1' vara desta cidade.
Reoietto a Vmc. para os fios convenientes, as
quatro ioclusas guias dos seoteociados de justiga,
Antonio Francisco Jos, Virissimo Manoel, Manoel
Soares de Medeiros e Jos Victoriano Uandeira, os
quaes vieram do presid) de Fernando no vapor
JUamanguape, da compaohia Pernambucana.
Dito ao adniuistrador do eorreio.Para satisfa-
zer o dlsposto no aviso circular da repartigo da
agricultura, commercio e obras publicas, de 28 de
setembro prximo fiado, aprsenle me Vmc. tem-
i po de ser enyjado uiesma repartigo, at o Ia de
dezembro protimo viadouro, um relatorio circuns-
tanciado do esta do telegrapho, declarando se
precisa de reparos, e qual a despeza provavel com
esse servico.
Dito ao engenheiro da estrada de ferro.Para
que eu possa salisfazer a requisigao da thesouraria
provincial contida em olflcio de 21 do correte, sob
n. 427, faz-se preciso que Vmc. me remella urna
nota da divida relativa ao exercicio prximo lindo,
do juro de 2 por cento garantido por esta provincia
a companhia da estrada de ferro.
Portara.O presidente da provincia resolve au-
torizar a Thcmaz Bassich a alistar voluntarios, que
sero addidos ao batalhao queorgamsar o lente-
coronel Luiz PauMuo de HoJIanda Valenga, e re-
commenda as autoridades a quem esta for apresen-
tada que o auxiliem no desempenho dessa com-
missao.
Dita.O presidente da provincia resolve nomear
para servirera em commissaono 3a corpo de volun-
tarios da patria, os olflciaes seguintes :
Estado-maior.
Tenente-ajudaote Francisco Eduardo Benjamn.
Tenenle quartel-mestre Joao Antonio da Silva
Pessoa.
Alferes secretario Luiz Ferreira Maciel Pioheiro.
1.a Companhia.
Capito Jos Joaquim Lopes de Almeida.
Tenente Jos Hygino uarte Pereira.
Alferes Herrnillo Aureliano Chaves de Souza.
Dito Victaliano Cordeiro Lins.
1* Companhia. ,
Capilo Joo Baptisla Pioheiro Corte-Real.
Tenente Flonucio Rodrigues de Miranda Franco.
Alferes Joaquim Urcieio Paes Brrelo.
Dito Jos Hygino dos Santos.
3.* Companhia.
Capilao Benedicto Marques da Silva Acaua.
Tenente Alexandre de Souza Barroso.
Alferes Pedro da Cunha Bellrio de Araujo Pe-
reira.
Dito Antonio de Albuquerque Paes Brrelo.
4." Comitanhia.
Tenente Floriano Jos de Miranda.
Alferes Joo Baptisla de Freitas.
Dito Francisco Mena Brrelo Barros Falco.
o.* Companhia.
Capitao Jos Joaquim Ramos Ferreira.
Tenente Joo Baptisla de Moraes Reg.
Alferes Joaquim Jos de Olinda Tavares.
Dito Luiz Machado Dias.
6." Companhia.
Tenente Antonio Graciado de Gusmo Lobo.
Alferes Antonio Pereira Valladares.
Dito Francisco Jos de Almeida Pernambuco.
7.* Compaohia.
Tenente Pedro Eugenio Cerqueira Lima.
Alferes Francisco Paes Barreto.
Dito Joaquim Rodrigues Pinheiro.
8.* Companhia.
Tenent- Francisco Xavier Camello Pessoa.
Alferes Austricimiano de Torres Gallindo.
Dito Antonio Joaquim Machado.
Fizeram-se as necessarias commuoicagoes.
Dita.O presidente da provincia resolve nomear
em commisso para o 5a corpo de voluntarios em
organisago nesta capital, os offlciaes abaixo men-
cionados :
|. Companhia.
Capitao Francisco Jos da Costa.
Tenente Custodio Floro da Silva Fragoso.
Alferes Camillo Machado Freir.
Dito Antonio Tristao de Serpa Brandao Jnior.
2.a Companhia.
Tenente Felippe Borges Leal.
Alferes Izidoro Theodnlo de Mallos Ferreira.
Dito Manuel du Nascuneuto Pootes.
3." Companhia.
Capito Joaq Jim Ricardo Monteiro de Paiva.
Alferes Francisco Jos de Mello.
Dito Jos Ferreira da Silva.
4.* Companhia.
Capito Hygino Firmo das Chagas.
Tenente Vicente da Silva.
Alferes Jos Xavier de Souza Fonseca.
Dito Jos Thjodoro de S Barreto Villas Boas.
5.* Companhia.
Capito Antonio de Paula Cavalcanti de Almeida.
Tenente Simplicio Lins de Souza Fontes.
Alferes Sidnnio Joaquim do Reg Brrelo.
Dilo Jos Francisco do Reg Barreto.
6.* Companhia.
Capito SalnstianO Domingues da Silva.
Alferes Joo Gomes de Souza.
7.* Companhia.
Tenente Caetano Pinto de Veras.
Alferes Joo Nepomuceoo Alves Macil.
Dito Pedro de Alcntara Pereira.
8.* Companhia.
Tenenle Joaquim dos Sanios Azevedo Jnior.
Altere Antonio Manoel da Costa.
Dito Martimano de Gouva Moura.
Fizeram-se as necessarias communicagoes.
Expediente do secretario do governo do dia 23 de
oulubro de 1865.
Offleio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc, o Sr. presidente da provincia, manda trans-
mitir a V. S. as duas inclusas ordens do ministe-
rio da guerra, datadas de 28 e 30 de setembro ul-
im0- t.
4a secgo.Secretara do governo de Pernarabu;
co, 23 de outuhro de 1865.
S. F.xc. o Sr. conselheiro presidente da provin-
cia, manda lazer publico que da audiencia as ter-
gas, quintasfeiras e sabbados a urna hora da
tarde.
O secretarlo,
Dr. brancisco de Paula Sales.
j faz publico para conhecimenlo-da guarnirn e dc-
vido rll'eito, a relaco dos Srs. offlciaes nomeados
; pela presidencia em portara datada do hontem pa-
; ra servirem em commlssJo no terceiro e quinto
i corpo de voluntarios da patria em organisago a
esta provincia.
Relago nominal dos Srs. offlciaes nomeados para
servirem em commisso nos corpos de volunta-
rios da patria terceiro e quinto.
i 3.a Cerpo.
Estado-maior.
Tenenle-ajudantc Francisco Eduardo Benjamn).
Tenente quartel meslre Joo Antonio da Silva Pes-
soa.
Alferes secretario Luiz Ferreira Maciel Pinbeiro.
1.a Companhia.
Capito Jos Joaquim Lopes d'Almeida.
Tenente Jos Hygino Duarte Pereira.
Alferes Herrnillo Aureliano Chaves de Souza.
Dito Victaliano Cordeiro Lins.
2." Companhia.
Capilao Joo Baptisla Pinheiro Corte Real.
Tenente Florencio Rodrigues de Miranda Franga.
Alferes Joaquim Urcieio Paes Barreto.
Dito Jos Hygino dos Santos.
3.* Companhia.
, Capito Benedicto Marques da Silva Acaua.
lente Alexandre de Souza Barrozo.
Alferes Pedro da Cunha Beltro de Araujo Pe-
reira.
Dilo Antonio d'Alboqaerque Paes Barreto.
4.* Companhia.
Tenenle Floriano Jos de Miranda.
Alferes Joo Baptisla de Freitas.
Dilo Francisco Mena Brrelo Barros Falco.
5.* Companhia.
Capito Jos Joaquim Ramos Ferreira.
Tenente Joo Baptisla de Moraes Reg.
Alferes Joaquim Jos d'Olinda Tavares.
Dito Lino Machado Dias.
6.* Companhia.
Tenente Antonio Gracindo de Gusmo Lobo.
Alferes Antonio Pereira Valladares.
Dilo Francisco Jos d'Almeida Pernambuco.
7.a Companhia.
Tenente Pedro Eugenio Cerqueira Lima.
Alferes Francisco Paes Brrelo.
; Dilo Joaquim Rodrigues Pinheiro.
8 a Companhia.
Tenenle Francisco Xavier Camello Pessoa.
i Ajferes Austricliniano de Torres Gallindo.
I Dito Antonio Joaquim Machado.
5.a Corpo.
1.a Companhia.
Capilao Francisco Jos da Costa.
Tenente Cusiodio Floro da Silva Fragoso.
Alferes Camillo Machado Freir.
Dito Antooio Tnsto de Serpa Braodo Jnior.
1 2.a Companhia.
Tenente Felippe Borges Leal.
Alferes Izidoro Tlieodulo de Matlos Ferreira.
Dito Manoel do Nascimeuto Pontes.
i 3 Companhia.
Capito Joaquim Ricardo Monteiro de Palva.
i Alferes Francisco Jos de Mello.
Dita Jos Ferreira da Silva.
i 4.a Companhia.
Capillo Hygino Firmo das Chagas.
Teoenle Vicente da Silva.
AKeres Jos Xavier de Souza Fonceca.
Dilo Jos Theodoro de S Barreto Villas-Bas.
5.a Companhia.
Capito Antonio de Paula Cavalcanti de Almeida
Tenente Simplicio Los de Souza Fontes.
Alferes Sidronio Joaquim do Reg Barreto.
Dito Jos Francisco do Reg Barreto.
6.a Companhia.
Capilao Salustiano Domogues da Silva.
Alferes Joo Gomes de Sonza.
7." Companhia.
Teneote Caetano Pinto de Veras.
Alteres Joo Nepomuceno Alves Macil.
Dilo Pedro de Alcntara Pereira.
8.a Companhia.
Tenenle Joaquim dos Santos Azevedo Jnior.
Alferes Antonio Manoel da Costa.
Dito Martiniano de Gouva Moura.
(Assignado.) Francisco Sergio d'Olijeira.
Est conforme.Antonio Francisco Uuarte, 2.a
rs. ministros da fazenda
fcundo el rei D. Fernando
egniam se a estes ouiros
ir unitiva,
-peradas porta do edi
Pela urna hora da lard
mitiva. No primeiro car
D. Luiz e a rainha, e os
e obras publicas. No sei
e o infante D. Augusto. ;
carros conduzindo a real
As pessoas reaes foram
flcio a exposig.) pe.a dlrecgo da sociedade do
palacio- de crysta I e pelos membros da commisso
central, que acompanharim suas majestades e al-
teza e pessoas do seu sequilo al ao fundo do sa-
lo onde se aebava o Ibnloo.
Dentro do palacio estlvam cerca de duas mil
pessoas. Os accionistasle as suas familias oceupa-
ram as galeras superiores, e os demais asisten-
tes tomaran) indistinciamenle lugares no salo.
A cmara municipal, [o Exm. bispo da dlocese, o
governador civil, os generaes da 3a e 4a divisoes
militares e pessoas da c irle oceuparam os espalda-
salo rumpeu a grande
orgam, o hymno do Sr
Achando-se todos nosj
a orchestra terminado
dente da commisso Ar
res que estavam dispos m aos lados do throno.
Quando suas magesta Jes e altezas entraran) no
orchestra, acorapanliada do
D. Luiz I.
seus respectivos logares, e
o hymno, o Sr. vice-presi-
tomo Ferreira Braga, apro-
sahiu do pago a real co- paz irais alia considerago entre os estranhos e o
- descoberto iam el-rei i fara avultar aos nossos propros olhos, elevando
por coasegutate o espirito publico a altura d'onde
brotam uatural e espontneamente as acge- pa-
triticas.
i Este certaroe do trabalho, esta festa verdadei-
ramente nacional, um marco lo glorioso que le-
vantamos no catninho dos nossos progressos, abre
I a industria nacional urna poca de tamos e taes
| aperfeigoamentus, e promette ao paiz to variadas
! vanlagens, qae sinto verdad-ira ufana em que este
| grande successo se realisasse, comu feliz presagio
no comego do meu reinado.
i Meu presado pai, o esclarecido presidente da
| exposigo, acceitou e abraco do mesmo modo tao
aprazivel encargo.
a O seu augusto nome, como, bem presumieis.
recommendou desde logo sympathia publica sssa
grandiosa empreza.
KF.INO llB ITALIA.
cheio
ximou-se do primeiro degru do estrado real, e
pronnnciou o seguate
discurso
Senhor.Saudamci jubilosos o excolso monar-
cha I Sede bem vnd
qual pai inaugurar a
a todas as culturas d
scena, em sua modos
chai, tocante I Se nao
s hospedes reaes I Vindes,
berlura do palacio de crys-
lal portneose que voss> s laboriosos filhos erigirn
inteligencia. Imponente
ia verdaderamente patriar-
sois grande pelas vastas
fronteiras do vosso tdVrilorio; as livres ioslilui-
goes, os bros, as virtu les cvicas do vosso povo
res do mundo. Nossos
seus aventurosos descobri-
ilares muito dilataram o
m gentilezas d'armas me-
taes tropheus gotejam san-
as faculdades do povo; ago-
invadir e conquistar as
s oprogresso, allumiado
vos sublimam enlre os]
maiores outr'ora por
memos e faganhas m
vosso imperio, hoja po
nos se prezam, porque
gue, exhaurem a vida,
ra cada nago aporfla i
suas rivaes com as arml
com os lume- da -ciencia.
Vedes aqu no reiunto deste alcagar o vasto
repositorio dos productos da Dataren, e dos fruc-
los da cultura do eogepho humano, que vem ao
cerlame inlernacional da industria disputar a pri-
mariaa palma vencedo a, que o tribunal do jury
este congresso co-mopoli-
l'ora avante o nico tilu-
que o direilo publico ha-
conferira aos principes i
ta; o seu diploma ser
lo de legitima domioago
ver de consagrar.
Nesta lula da intel igencia e do trabalho o
vosso povo novel, est msaiando anJa as suas
torcas ; cora os olhos li os na perfeigAo de estra-
nhos artefactos reage co n nobre emulago, aspira
a igulalosa excede-hs : na vanguarda desle
esperangoso pr: maso nu
de cumprir as fatdicas p
em todas as iniciativas
dos duros decretos da P
pre acatar, qae, nao ao fundadoro nosso saudo-
so Pedroque radiante dje alegra, cortara o pri-
meiro torro, mas sim aopatural successor e lega-
tario coubesse a sagrago
cujas primicias, cujo fruclp
da sob os faustos auspicio
o Sr. D. Fernando, eximk
por excelencia appellidad
tada cotn o favor e proteeg
gestadc, ah esl ostentan
louganias.
Se tantos esforgos m sos, tantas fadigas, to
graves sacrificios dedicado I a realisago do subli-
me peiisameoto, symbolisa
cripeo, merecerem o agr
M., a direcgo da sociedac
e a comimsso central da
as.-az galardoada. Seja \
e abrir a exposico inte
receberemos merc.
t Deus guarde a precie
lalados annos.
Porto e secretaria da
tembro de 1865.Amonio
do Alian.Dr. Jos Frucl
des de Carvalho.Domiog
meida.Visconde da Triodade.Francisco Pinto
llenriques.Antonio
Fiada a leilura
Jos
is Pinto de Faria.Joo
lexposigao em 18 de se
Ferreira Braga. Alfre-
oso Ayres de Gouva
tenente-ajudanle de ordens iotorioo eucarregado Osorio.Joaquim A. Atthl > Jnior.Googalo Gue
du detalhe.
Dia 25 -
Ordem do dia n. 138.
O marechal de campo commandante das armas,
declara para os lins convenientes, que a presiden-
cia nomeou por portara datada de hontem ao Sr.
lente do 2a batalhao de infamara do exercito,
Julio Pompeo de Barros Lima, para servir era cora- a el-rei o Sr. D. Fernando
misso ne posto do major do 5a corpo de volunta- to sociedade do palacio
rios da patria. : presidencia da exposigo
Faz outro sim publico, que a mesma presidencia de 1865.
tendo oa referida dala (44 do correnle) privado do > Em seguida S. M. el-rei
po-to de alferes do batalhao n. 45 da guarda paci- das raaos do ministro das
nal do municipio de Barreiros a Jos Nicolao Be- co e industria o segrate]
ierra, por se achar condemuado s penas do grao voz grave e solemne .
mximo do arl. 98 do cdigo penal, e como lal So meio de vos, il ustres portuenses,
comprehendido as disposiges do Ia do art. 66 licito duvidar do nosso progresso. Nao licito
da lei n. 602 de 19 de setembro de 1850, flealhe mesmo receiar que elle s ja lalo e vagaroso.
Os raais distioclos artistas,, os mais iolelligen-
tes indusiriaes nacionaes e estraogeiros correram
pressurosos ao seu convite. Neahuma nago por
mais poderosa e adiantada desdenhou vir tomar lu-
gar entre os laboriosos Portuenses. Honra Ihes seja
feila, como para os toolivu de grado.
Aos votos que fazeis pela minha felicidade e
da minha excelsa esposa, pela do principe real, de
meu augusto pai, do serenissirao infante D. Augus-
to e mais familia real, correspondo com os u>ais
fervorosos votos pelo engraudeeiraeuto e ventura
do paiz que nos servio de bergo.
Ternjinado este discurso o Sr. Ferreira Braga,
vice-presidente da commisso levauOu os vivas a
el-rei D. Luiz I, a rainha Maria Pa, ao principe
D. Carlos, a el-rei D. Fernando e ao infante D. Au-
gusto, e era seguida foram os membros da direc-
go da sociedade do palacio de crystal e da com-
misso central a beijarem a rao de Suas Magesta-
des e Altezas.
Eslava consumado o acto inaugural da exposi-
go, que fui aonuuciado por salvas de 21 tiros na
fortaleza da Serra do Pi;ar e vapor de guerra Lyn-
ce e muitas girndolas que subiram ao ar.
Depois do beija rao, el-rei i). Fernando deseen-
do o estrado real veio agradecer ao vicepresidente
as palavras que Ihe havia enderegado, e pedio-le
para agradecer da sua parte a todos os seus colle-
gas a escolha que delle linham feito para presidea-
te da exposigo. Enlre nutras palavras dis&e el-rei
D. Fernando : este dia o da minha maor glo-
ria, e lica elle archivado no meu coragao como o
raais feliz tambem da minha vida. >
A orchestra romped de nov, tocando em primei-
ro lugar una syophonia do Widor e em segundo
a grande marcha do Sr. Daddi, ambas expressa-
mente escripias para serera executadas oeste acto.
Foi nesta occsio que o Sr. Antonio Ferreira
Braga olfereeeu a Sua Magestades e Altezas exem-
plares do catalogo da exposigo e vistas do palacio
de crystal.
Depois, Suas Magestades e Altezas acompanha-
dos da commisso central, percorreram as salas da
exposigo.
El-rei D. Luiz irajava a (arda de almirante, leu-
do ao peito a gra-cruz e commenda da Torre e Es-
pada, o loso de ouro pequeo de Hespanha, da
Legio de Honra, commenda de S. Mauricio e S
Lzaro, ordem da Jarreleira e outras, e a raiuha
trazla vestido de glac cor de rosa, guarnecido de
rolos de setim branco e folhas, capa de cuitosas
cqltor das boas artes, I rendas do Inglaterra, collerinho a mangas iguaes,
o rei artista, e acales-1 chapeo brauco, guarnecido de rosas e flores miu-
das.
El-rei D. Fernando vesta firda de marechal do
exercito, e o iufante D. Augusto a de major de lan-
ceiros.
A's 3 horas da tarde tinham Suas Mgestades e
Alteza tesminado a sua revi-ta a exposigo e se-
guan) caminho do pago real.
O palacio de crystal lera de comprimento 110
metre-se de largura 72 m., 34. E' formado de tres
grandes naves: a central ruede de comprimenlo
107 metros, altura 18 ra, 9u, e de largura 21, ra,
53, e ao longo delta correm em toda a extenso,
apoiadas em columnas de ferro, duas galenas pa-
rallelas, resguardadas em todo o compriraento por
urna grade tambem de ferro; as naves lateraes lem
cada urna 81 m, 10 de compriraento, 8 m, 31 de
largura, e 14, m. 3! de altura.
E' no fundo da nave central, terminado por um
simi-circulo de vidros roxos, azues e amarellos,
rcha o Porto, porque tem
ilavras de ser o prmeiro
i iris e fecundas. Estava |
ovidencia, que nos cum-1
do templo da industria,
esta exposigo encela
e presidencia de S. M.
o pessoal de Vossa Ma-
lo tantas raaravilhas e
lo no l'rogredior da ins-
do e aprasimento de V.
do palacio de crystal,
exposigo, eslimar-se-ha
M. servido saoccionar
nacional portugueza, e
a vida de V. M. por di-
Pacheco Pereira.Eduard. Moser.Joaquim Tor- qae est colloeado o grande orgo, comprado em
qualo Alvares Ribeiro.Jo Antonio Casianheira. Inglaterra por cerca de 7 cootos de res e que es-
vedado o alistameoto em qualquer dos corpos de
voluntarios da patria que nesta provincia se acham
em organisago, no caso que pretenda oelles ser-
vir ; nesta itelligencia lcaro os respectivos Srs.
commandantes.
(Assigoadn.) Francisco Sergio d'Olwetra.
Est cooforme. Intonso Francisco Duarte, 2.a
tenente ajudaote de ordens interino encarregado
do detalhe.
ADlooto Bernardo Ferrei a.Joo Goelho de^Al-1 tuve no palacio de crystal de Sydetham. Junto a
plataforma do orgo achava-se, sob docel de vel-
ludo roxo com ornatos dourados, o throno que oc-
euparam Sua Magestades e Altezas duraule a cere-
monia da inaugurago.
As armas porluguezas cercadas de tropheos, e
as letras inicias dos nomes do imperante e da rai-
nha viam-se all dispostos em agradavel perspec-
tiva.
Na orla da plataforma do orgo acham-se codo-
cadas quatro estatuas representando urna o histo-
riador Ferno Lopes, outra o celebre gemetra Pe-
dro Nunes, a terceira o historiador Joao de Barros
e a quarta Jeronymo Corte-Real. Eslas estatuas sao
expostas pelo Sr. Vctor Bastos e fazera parte do
do Nascimento Leo.
o Sr. Fetreira Braga agradecen
a honrosa que tinha tol-
de crystal, acceilando a
nlernacional portugueza
o Sr. D. Luiz recebeu
dirs publicas, commer-
discurso que leu com
nao
dos homens ou pelas cala nldades da natureza. Mas
Cahem as nages do ea esplendor pelos erros monumento a Cames.
erro tambera que se le
rio-as voz enrgica da
com a mesma rapidez
pautara e resurgen) glo-
tatria e da liberdade. E
com que foram arrojadas
de, se com f bem firme
para o abysmo, sao impe Midas para a prosperida-
EXTERIOR.
cii.niwno das armas.
Quarlel general do coinuaudo das armas de Per-
nambuco na cidade do Recife, 34 de oulubro
de 186o.
Ordem do da n. 137.
O marechal de campo, oqmtltandante das armas,
COKRKSPO.VDE5CIAS l0 IA
KIU DE PKRV vnilK'O
N PORTO.
27 de setembro.
Esto abenas as ponas do palacio de crystal
porluense, e la dentro exhibidos coro tnethodo e
osteotando primores de arte, variados e riquissi-
mos productos da industria humana.
O dia 18 de setembro, em quo essas portas se I
abriram de par em par para receber o chefe su-
ovino da nago, que, acompanhado de sua augos-
U familia, veio inaugurar a raaior e mais civilisa-
dora das festas que se lem visto nesta cidade,
mais urna dala memoravel a registrar na historia
do Porto ja to ennobrecido por factos illuslre.%
por commeltiments grandiosos. E comorgulho:
deve ella ser registrada pelos portuenses, porque
Ibes coube a gloria de levarem ao cabo com felit
xito a primeira exposigo inlernacional na peoin- i ,"'*" ?l,',?f f Ul?^
sula Ibrica 1 Honra Ihes seja pela sua audaciosa
resolugo pela sua oobre iniciativa.
Esto, pois, abertas, repelimos, as ponas do pa-
lacio de crystal porluense e inaugurada urna gran-
de tostado trabalho. Penetremos la dentro e das-
crevamos a solemnidade com que se effecluou este
notavel acontecimento.
O dia 18 de seierabro appareceu bello como o
mais formoso dia de primavera. A luz brilhame
do sol em nada se ressenlia da proxitnidade do
outono.
nagdes, chatnou ao seu
dustriaes dos dous mun
e da itelligencia.
E*te espectacuto
grande gloria e urna be
c Poi ardua a missac
e passo bem seguro ince-
tam o caminho das refor as, o caminho nico por
I ende se opera a regener gao moral e physica dos
povos.
Este movi ment una vez comegado lorna-se
urna necessidade de Ul nafcniud* e urgencia que
i nao h melhoramenlo q ae liqae circumscripto na
! rea que Ihe iragou o se i autor.
a Assim Portugal dt pois de atravessar longos
periodos de desventura, que o fizeram descer do
fastigio da sua passada t raodeza, se v agora, gra-
gas Providencia, entra lo em urna nova poca de
esforgos e commettimeot )s que fomentados e forta-
lecidos pela paz e pela iberdade Ihe ho de asse-
gurar em prximo futur > o lugar que outr'ora oc-
cupou entre as nagdes nais cultas e afortunadas.
< A primeira exposig > Internacional que se rea-
' lisou na capital do mura o commercial, seguio-se a
de Paris, e Ul o poder e a influencia dos progres-
sos da humanidade que em pouco mais de dez an-
nos urna cidade de segu da ordem de um paiz que
anda ento se julgava a razado um secuto das mais
orear os in-
gozamos. Ardua foi tan
. guslo irmo, evangelisa
sublima idea da supren|
bal to.
eio para os la
os, as maravilbas da arte
pois para Portugal urna
n fundada esperanga.
de meu excelso av m-
liberaes, de que lodos nos
bem a larefa de ineu an-
ulo e radicando entre nos a
acia e gloritlcago do tra-
< Taes feilos nao por
gao que del les Uzesles,
me ao mesmo lempo.
t Convidado por vsl
do palacio de crystal, (
iam esquecer-vos e a men-
>enhorou-me e sensibilisou-
para tomar a presidencia
mais tarde para dar torca
ou 'acalentar, cmo dljzeis, o desenvolvimenlo da
exposigo, a ludo me | restei do melhor grado, re-
Desde o meiado da manhaa que as ras adjacen-1 conhecendo todo o alc nce do commellimento,
tes ao local da exposigo eram transitadas por I O espirito do scelo, o exemplo do meu sau
muito povo, mas ao meio da era tmpossivel pene- doso irmao e o amor <
trar por qualquer lado na hoje denominada ra do' aos meus subditos, le>
Tnurapho, vulgarmente conhecida pela dos Car- gulbo e salisfaco a al -agar o secundar cem todas
raneas, e onde est situado o palacio real, que peu. as minhas torgas esse
oo disla do palacio de crystal, i mente civilisador, can
pensamenlo generoso e alta-
civilsimo dar, ao nosso
ue consagro ao meu paiz e
aram-me cheio de nobre or-
De ambos os lados e em todo o compriraento da
nave central viam-se disposlas baudeiras de diver-
sas nagoes, e oo alto das cnlumoas que sustentara
a dita galera estavam collocados rtulos de figura
elipsoide lendo, em letras brancas sob campo ver-
melho e orla dourada: inscripgoes allusivas aos di-
versos paizes representados na grande festa.
Eis as inscripgoes:
REINO DE PORTUGAL. "
Eis-aqui, quasi cume da cabega
Da Europa toda o reino Lusitano:
Onde a trra se acaba, e o mar coraega.l
E onde Phebo repousa no ocano
(Cames: c. 3a, E 20 e 21)
IMPERIO FRANCEZ
Mi de chefes beres, de hroes soldados,
A Gallia herdou de Roma o geoio, a sorle.
(Barbosa du Bocage: Sonetos.)
CONFEDERAgiO GERMNICA E SUAS DEPENDENCIAS.
Sujeitos ao i i peno de Allemanha
Sao Saxonos, Bohemios e Pamouios,
E outras varias nagoes que o Rheoo fri.
Lava, e o Danubio, Atnasis e Albis rio.
(Camoes III, 11.)
REINO UNIDO DA GRAA-BRETANItA E IRLANDA.
Ahi d'enlre as vagas
Surge a princeza altiva das armadas,
Patria da lei, senhora da justiga,
Couto da foragida liberdade
Salve, Brtaonia. salve, flor dos mares 1
Eu le sado, ierra hospitaleiral
(arrett: Camoes, C. I)
REINO DA HELGICA.
Da Blgica, nago manutaclora
Se mure o progresso radiante fra.
(Mald : Odas.)
IMPERIO DO BRASIL.
Um paiz opulento, rico e extenso :
Em nada do meu proprio o differengo :
Era o ureo Brasil, lo vasto e fundo,
Une pareca no diamenie um Mundo
(Duro : Caramuru, VIII, 21)
REINO DE HESPANHA.
Eis-aqui se descobre a nobre Hespanba,
Como cabega alii de Europa toda ;
Em cujo senhorio e gloria estranba,
Muitas vallas tem dao a (alai roda.
(Camoes, Ul, 17.)

| Da trra om brago vem ao mar que
I D'esforgo, Dages varias sojeilou ;
Brago forte, de gente sublimada,
: Nao menos nos engenhos que na espada.
| (Camoes, III, 14)
REINO DE HOLLASDA
O' vistosas campias,
Onde a prodiga trra grata Hollauda
Nos lenros pastos a abundancia manda.
(Cl. L)
REINO DA DINAMARCA
lien-:- da mmha Dinamarca,
Os ihesouro d'um monarrha
Junto a vos nao tem valor.
(Casiilba :Ootomao.)
IMPERIO DAMMaU
Enlre as nobres nagoes desee do Norte,
Estendendo-se, a Russia Ilustre e tone.
(Pereira)
IMPERIO TURCO
Os coxins, os tpeles, pedraria,
Ricas alfaias vos dar Turqua.
(B. Mae.)
ESTADOS UNIDOS.
Fecunda de successos prtenlos
Este seculo a America conduz.
(Costa e Silva : Passeio C 1.a)
Esperava agora, lalvez, o leiior, que liz^sesnos
urna revista a exposigo, e Ihe desrrevesseoaos as
raaravilhas de arle que ellaencerra. Tinnamos para
isso de reservar para a raissiva segrale a des-
cripgo, ja comegada, do palacio de crystal, e de
despresar outras noticias que, como preliminares,
devem anteceder aquelie trabalho.
Orientado assim o leitor, sigamos o nosso plano.
A frente principal do editicioesu voltada para o
ii ote e, como ja' dissemos -II- tormido de tres
naves e eoberw de ferro e crystal.
A nave central (em em toda a saa exlensao, da
cada lado, onze portas, que coraminicam ewa as
naves lateraes, moteo, e ontro saldes.
As duas naves lateraes nao teem galeras.
A que se estende do lado do poeoie lesa na ex-
Ireraidade uraa porta envidracada que deiia para
os jardias. Ha raais nove portas que commanieaai
cora dilferentes -alas e entre eias a distmada para
o gabinete de leitura, e a que occopa a secretaria
da direcgo.
A nave lateral do nascente tem tambem nove
portas pelas quaes se coraraunica coro a sata de
espera do salo concert, cora urna bella estafa
com plantas dos trpicos, e oniras salas e gabi-
netes.
Na parte posterior do edificio corre urna varaa-
da com grade de ferro e pavimento de mosaico.
Do para ella duas portas que licara na extremida-
de das galeras da nave central. D*u varanda se
avista a margem esquerda do rio Doaro desde Vil-
la Nova de Gaia at a' Fz, e a parte da margem
direita que vai de Miragaia tambem at a' Put, e
bem assim se descobre a parle da cidade do lado
do nascente.
Em (orno do edificio estendem-se os jardins e
parques n'uma superficie de 90:000 metros qoa-
drados.
Eotra-se para e palacio pela parto do jar Jim que
tica em freute das tres portas principaus, sobre as
quaes, e em coda a altura da nave central, se H
em letras de metal douradoProoredior.
Na ra principal dojardim, que em frente do
palacio, ha dous repuxos de ferro fundido, imitan-
do o broiize. Estes repuxos, nm de cada lado da
ra, esto no eenlro de duas figuras allegoricas de
corpo inteiro.
A referida parte do jardim fechada por grada-
ra de ferro, cora quatro grandes portas de entrada
pela ra do Triumpbo.
Do lado do niscente do palacio, e a pouca distaa-
cia desle, levanlam-se dous annexos de roadeiras.
Reseute:n-?e da brevidade com qae foram cons-
truidos.
Ligado aos dous annexos esta o circo asim cha-
mado pur ser destinado para cavalbnhos e com-
pan- ambulantes de. os de encerrada a eipo*i-
go. Da parle de poente esta o grande parque. Ve-
se ahi cuostruida uraa casa de refrescos no gsto
suisso.
A exposigo oceupa todo o edificio, annexos e o
circo. Os productos oo eso grupados por pal-
ies, nem tao pouco segundo a sua especie oo --
melhanga dos lius a que se deslinam. SacranVou-
se a di-po-n;o natural para dar realce a* effeito
do quadro. E' este um grande embarago para o
estudo e confrontes dos similares.
O jury mixto da exposigo eaaaMMi se no dia
18. Presidia o Sr. visconJe de Villa Manir, que o
presidente geral di cunseiho de presideaie dso
em que se divide o jury.
(Con/iimar se-ha )
DIARIO DE PERN1MBC0.
Chegou hontem a nosso pono c vapor Irtelz
Ptotemy, da linha de Liverpool, alim de tomar
aguada, procedente dos do Rio de Janeiro, Baha
Alagoas, apenas irazendo joroaes deste ultimo, por
nao haver tomado mala nos primeiros, vi seguir directamente de Alagoas para Liverpool.
Dos nmeros do Jornal do Commercio do Rio do
10,11 e 12 do correnle, extrahiram os joroaes de
Macei as noticias que segnem :
Fallecern) : no dia 10, o Dr. Prederico Au-
gusto Pamplona, deputado a assembla geral peto
Ia districto da provincia do Ceara e no dia II, o
eonselheiro Diogo Soares da Silva de Uivar, es-
inspector da aula do commercio da corte e funda-
dor do conservatorio dramtico brasileiro.
Por cartas imperiaes de 6 foram aaiuralisa-
dos cidados brasileiros, os subditos portogoez^
Joo Soares da Silva Sanios e Manoel Correia dos
Sanios.
Por decretos da mesma dala :
Foram comeados : o Dr. Jeronymo Sodr Perei-
ra para o lugar de lente da cadeira de phystotoffia
da faculdade de medicina da uahia, e i barao de
Taulphceus professor da cadeira de historia media
e moderna do intrnalo e extrnalo do eoilegiode
Pedro II;
Foi concedida ao conego Dr. Joaqnim do Moate
Carmello a demisso que pedio do lugar de profes-
sor substituto de philosophia rheioni, etc.. das
aulas preparatorias annexas a faculdade de direito
de 5. Paulo ;
Foi feila a merc do foro de tidalgo cavalleiro da
imperial casa ao marechal decampo Francis.-. ,n-
tonlo da Silva Biltencourt, ea Vctor Brrelo sa-
buco de Araujo, filho legitimo do conselheiro tusa
Thomaz atoco de Araujo :
Foi permiltido que Jos Silva Sanio*, profes-
sor da cadeira de gravara de lut-dalhas da acade-
mia das bellas arles, continu no magi-ierio com a
graliUcago addicional de aOO?, por contar man da
25 annos de cITeclivo exercicio.
Pelo ministerio da fazenda xpedio-se m*
alfandega da corle, ordenando que, seada eaaaa-
niente que baja toda a brevidade no receesnaeato
das noticias da guerra entre o imperio e a repa-
blica do Paraguay, sirva-se dar as mais tvrtaiaaa-
tes ordens para que o empregado do eorreio roe
for a bordo dos navios que efeegarem dos porto*
da provinoia do Rio Grande do Sol e do Rio ia
Prata buscar as respectivas mala possa atracar
aos mesmos navios logo que derem unJo, e a qoal-
quer hora da. u da noite.



Bforlo de Peraaiaibaco Quinta felra 16 de Ontnbro de |Sft.
A orden do da Boa Vista, Manoel Pedro Alexan-
drrao, por crirae ele-furto.
O chefe da 2
sessao,
J. G. de Me< finta.
Casa de detiicao.Mov ment do da 24 de ou-
tubro de 1865.Eistiam 356, eolrarara 10, sa-
hirara 9, existen) 357; a saber : Nacionaes 258,
mullieres 4, estrangeiros 28, mulheres o, escravos
58, escravas 4 ; total 357.
Alimentados custa dos cofres pblicos 182.
Movimento da enfermara do da 23 de outubro
de 1865.
TI veram baixa
Acerca da colonisaco americana dii o Jornal
de 11 :
Consta-nos que o Sr. coosulhelro Silveira-Lobo,
ministro da marinha, procurou o general Webb
para Ihe dar laorinacoes sobre algumas localida-
des e valles da provincia de Minas Geraes, mais
proprios e vantajosos para receber emigrados, dos
que se esperam dos Estados-Unidos.*
A assembla da provincia do Rio de Janeiro
devia abrirse no dia l do corrente.
Escrevem do Mangaraliba ao mesmo jor-
nal :
Depois de copiosas chavas, o dia iu de outubro.
raiou alegre para esta villa com a chegada do va- Aneceto Nunes da Silva, indigestao.
por de guerra uacional Ledo, Iraztndo a seu bordo Jos Alves da Silva, dem,
o Sr Dr. Guilheruie Schuch Capauema. Tiveram alta : / i
t Apenas ancorara o navio, o Sr. Br. Domingos Damlao Coelho de Mello. / !
Monteiro Peixoto, juiz municipal do termo, acom- Manoel das Revs Bezerra.
pandado do capito Jos Candido Teiieira, foram Manoel Antonio Espindola.
a sea bordo, e d'tlli vierain com o Dr. Ca^anema Cemiterio pubuco, obituario do da 23 de
e mais pessoas, qae foram hospedados em casa do outubro de 1865.
advocado Sr. Joo Alvares ttubio. Jdsephina, Pernambuco, 17 mezes, Boa-Vista; con-
t Sr. Dr. Capanema encarregou o Sr. Dr. Pe- vulgoes.
xoto de mandar preparara picada por onde tem de Valeniim, Peroambuco, 2 annos, S. Josa ; escro
passar neste municipio o o elctrico, e levantar os fulas.
esteos 5 coaJjuvaudo aoSr. Dr. Peixoto as mais Emiliano, Pernambuco, 8 das, Boa-Vista; es-
autoridades, os propietarios, e |os fazeudeiros to- pasmo,
mandse logo no dia 2 todas as providencias para Jos, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio ; tu-
Antonlo Sergio da Cruz Muniz.
Joo Jos da Cruz 11-mi?.
Miguel Anlianjo da Crnz Munz.
TT3MC
CASO HIBIIVE
servado, (e que j fi
doleruiinudas nio.t t
ma, e febres intern
tas vezes por anazar
D'VilIA
Molestia Ulcerosa
Curada.
i publicar) em certas c
as; por exemplo: ane-
itentes, terminam mui-
a, que accuraulaco
de serosidade no tes< ido cellular (agua quan-
do est entre a pelle'
dropesia do ventre.
o comeco dos traballi
Cousla que o Sr. baro do Sahy encarrega-se
de mandar abrir a picada, preparar e levantar os
esteios sua cusa, a partir co morro Miueiro al
a praia de S. Braz cerca da una legoa ; os dis-
tinelos fazendeiros e proprietarios Srs. Francisco
Dias Caldoso, Joao Das Carioso, llenrique Jos
Teixeira, Pedro Moolebelio e ostros, cujos nomes
nos escapam, estad lambem promplos a auxiliar
eflicazmeiiie a idea, j derrubiado madeiras, pre-
parando-as, ele. : e que o Sr. commeadador Ma-
noel Vieira de Aguiar fara lodo o servico daquella
parle da linha que atravessa sua fazendn, at
muito
Sahx.
aim do morro do Muriqui, a ebegar ao
bereulos.
Miguel, Pernambuco, 3 das, Boa-Vista ; espasmo.
--------->m> ii a>-Q-,ti---------------
CHR0i\SC4 _JLI)ICIAK!A
TEUfSU.fAIj 1A SlKSiAClO.
SESSAO DE 21 DE OUTUBRO DE 1865.
PRESIDENCIA INTERINA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
(ilTIRANA.
As l.1, horas da manhaa, presentes os Srs.
desembargadores Guerra procurador da cora,
Lourenco Santiago, Molla, Domiugues da Silva e
Barros Vasconcellos. fallando os Srs. desembar-
gadores Santiago, Almeida Albuquerque, Assis,

C" -*-" > 'lili I III I ', 41111,1 i 1.
O vapor Lco parti para Angra Jos Res no ura( e Uoha Cavalcauli,
dia segninte.
Alagoas,No municipio de Porto Calvo, foram
volados para depatados provlociaes os Drs. Tho-
maz Espiadola, Luiz Laurindo l'aes de Lima, Olym-
pio de Arroch las Galvo, Luiz Brrelo Corroa de
Menezes, Vicente Cascaos, Fel x Morae?, Galdino
da Natividade e Aoacleio Brando, paures Manuel
Amancio e Manoel Fortunato, o os Sis. Vicente de
Paula Carvalbo, Domingos Bento da Moeda, Jo^
Alves de Aguiar, Alexandre Maria da Fonseca, Ma-
noel M. de Faria Maia, Francisco Carneiro da Cu-
nha Teixeira, Themistocles Leo e Anlonio Joa-
quim de Carvalbo.
L-se no Dtarm:
O vapor Tocii/ims que entrou neste porto na
sexta-feira 13 do corrente, fora portador das agra-
daveis noteiasque o publico devorou logo na sua
anciedade.
A povoacode Jaragua deu logo slgoal a esla
capital de qu as nclicias eram das mais satisfac-
torias.
i Os fugeles atroaram Immsdialamente os ares,
e divulgadas as novas do bello aconterimento de
18 de selembro em que as g.orias do triuinpho
perlenceram ao magnnimo imperador e as armas
brasileiras.
De eolio por dianie o jubilo era immenso na
1 opulacao.
Fecbaram-se as reparlices publicas, e dei-
Xuu-se a povo expandir todo o seo enthusiasmo.
c O commercio basteava os pavilhdes naeionaes
: a frenle de seos estabelecimentos, eomo varios
-
De to os os lados da cidade soltavam-se fo-
alino-se a sessao.
gaetes e
meDtos a (elle.
Os >ii
e lirilharu
Numerosos
siasmo as
O c.'
Passados os feitos, deram-se os seguinles
JULCAMENTOS.
Aggruvo de petiedo.
Aggravante, D. lenriyuea Elisa Banks; aggra-
vado, o juizo.elaior o Sr. desembargador Guer-
ra. Sorteados os Srs. desembargados s Lourenco
Santiago e Barros Vasconcellos. Deu-se provi-
menlo.
Aggravaute, Francisco de Paula Reg Barros ;
asgravado, o juizo. Relat r o Sr. desembargador
, Lourenco Santiago. Sorteados os Srs. desembar-
gadores Domingues da Silva o Molla. Negou-se
provimentc.
DKSlf.NAr.A0 DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
les :
Appellacd crime.
Appeilanle, o juizo ; a'ppellado, Flix Cvriaro da
Silva.
PASSAQBNS.
Do Sr. desembargador Motla ao Sr. desembar-
gador Assis
As appellacdes civeis.
Appellanie, D. Joanna Mana das Dores; appel-
lado, Jos Hygino de Souza Peixe.
Appellaute, Francisco Mannho de Albuquerque
Mello ; apellado, Francisco Jos Vianna.
A appellaco crime.
Appellaute, Antonio Jos Oiympio ; appellada, a
Justina.
O dia do apparecer.
Appellado, Joaquim Luiz \ lelra ; appeilanle,
Jos Franc.sco iiitianeourt.
os repicaran! semprj.
,ravam-se snbscripcdes para os divert-1 **$]* SS2& 1Sf- Barros v**scm a
' v | br. desembargador Sautiago
As appellacoes Civel>.
r n ,.te a iiluminarjio da cidade foi completa I ^Sfi^ii!"'"1? Cysniron Frelr de Mo"
. raes ; appellado, Joaquim Pereira Bastos.
rapos populares seguidos de mu-1 ^Tt^J^a n? Man0el A,V6S ; PPe,,ado>
ponferreram d.baixo de explosoes de enllm-! Jud/ "",?,. ^- e ollve,"-1)
Appeiiante, Francisco de Paula Borgcs UchOa ;
: appellada. a Sania Casa de Misericordia.
.V's ll horas e mea encerroa-se a >
uas da cidade e Jaragua'.
yin de S. Dominaos saino encorporado
t?ndo a' soa
a festejar a victoria de. Uruguayanna,
frente umn linda msica.
Os estadantes do lyceu Ezeram tanib^m seus i
festejos| na frente do esabeleciment e com ouira
mosica sahiram a percorrer em boa ordem as ras
da capital e Jaragua' at qaasi m-ia imite.
A msica do commercio reuni se e com
acompanhamento numeroso concorreu bstanlo
para o brildanlismo oa noile.
A guarda nacional de.-latada e aquartellada
teudo lamliem a' frente a .-ni banda de msica per-
correu 3 cidade com immenso enthusiasmo.
ueimou-se maito fogo do ar, reinou grande
enthusiasmo, douve sempre darmonia e .dem.
Os vivas eram repetidos e exressivos.
A illuminacao das ras fui ainda mais esplen-
dida que nos festejos do Paysapd, Riachuelo e
Yataby.
. : ai acia dia claro.
Assim correspondem es Brasiletros aos sacri-
! ;eus irmos no iheatr j da gyerra.
c A causa que defendemos humanilaria, no-
bre, elevada e santa.
da Brasilefros expandem seu patriotismo com
a oais prenunciada espontaneidade.
Que coniinuo a Dlviua Providencia a velar
sobre o nosso imperador e forcas do marinha e
gaarra.i
se julgando os feitos com da designado,
o habeas-ccrpos por falta dos cinco seni
embargadores.
ao, Dao
1 adiado
es des-
5HRES?0ISIGIAS
FERNAMRS
Ui
mmn BAIIA.
Reune-se hoje o Instituto Archeologico Gtogra-
phico 'rrnambucano ni sessao ordinaria.
No engenho Petigoary, da comarca deGoyan-
nn, tentn Maximiano Carneiro da Uunlia contra a
existencia de Candida da Silva, sobre quem desfe-
chuu um tiro, que ferio a de leve.
O Sr. Jj- Isidoro MaMins est nomeado
agente d.- leiloes desla prar,a.
Foram presos no Chora-menino doas escravos
do Sr. Luiz Francisco de Paula Cavalcaoli d'Albu-
qaerqae Lacerda, proprietario do engenho Ubd.em
G.iyanna.como indiciados no ferimeoto do eitordo
mesmo engenho.
A captara ful reali-ada pelos soldados do corpo
provisorio Manoel liezerra de Vasconcellos e Anto-
nio Pedro Jos de Mello, que levando os referidos
escravos a pres-mca do digoo Sr. Dr. chefe de po-
Srs. rededores.- No Liberal n. i sol) a epigra-
ph" [netos diversos l se o segainte : o Dr.
Luiz Felipie de Souza LiTw, oulru meinbro da mes-
ma actitalulade, 1. supplenle do delegado, arrebata
a rara das maos do i." supplenle, entao em exer-
cie.io, etc. etc.
Em bem da verdade devo declarar que iuexac-
lo aquello tpico na parle em que mim se refere.
O I." supplenle, Dr. Luiz Felippe nao me arrebalou
a vara, como all so a (firma ; pelo contrario, um
ou doas dias anles do cerco e varejo do engenho
Jurissisaca, entendi-mepessoalmente com elle, para
assumir o exercicio da delegacia deste termo, o I
que de feito tuve lugar em dia por mim designado,
e instancias minhas. Nem ha em tal proceder
nenhuma n ividade, p.iis ha alguns mezes tenciona-
va en pausar o exercicio da delegacia e se enlao o !
nao tlz fui porque dos supplentes immediatos, uns
nao quixeram acceita-lo, outros nao estavam jura-
mentados, cloque testemunho com esses mesmos se
abares.
E' manifest pois, que, entregando o exercicio
do cargo de delegado suppbnte, obrei exponlenea
mente, e por iniciativa propria, e sem presso de
quem quer que fosse.
Qaeiram Srs. Rr. dar inserco i estas breves
linhas, como feja pablicacao, apenas tenho em vis-
la restabelecer a verdade alterada, por informa-
goes inexactas, prestadas redacto d'iquelle
jornal.
Ulinga, 3 de outubro de 18Go.
Jos da Silva C. d'Albuquerque.
Todos aquellos quff so acbao sujitfls i sof-
frer molestias scrofulosa^, ulcerosas, ou sypl.
laicas, anda mesmo as reputadas de peior
natureza, apenas necessitao de lr o seguinto
caso maravilhoso, para que se sinto inteira-
mente conv.-ncidos que a sua jiropria cura,
nao s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joio Josk FfinKEntA Barboza, residente
na Cidade- de Maranhiio, tiuha todo o seu
corjH) coberto de chagas ulcerosas, e durante
algunos annos se achara .lebaixo do tratamento
do mdicos os mais afamados, tendo usade
durante todo este lempo quasi toda a especie
de mc-decinas que em taes casos empregada
pela faculdade medica, pon'm debalde sem
obtet o menor beneficio ou ali\ io: achando-se
pois em taes apuros ello finalmente resolveu-
se, depois do repetidos e baldados esforcos
fazer uso da;
Salsaparrilha
DEBRISTOL.
No todo elle apena* chegou a tomar Cinco
farrafas de Salsaparrilha o qnatro frascos das
Pihilaa Vegetaba Assuearada, e o resultado
foi ello obtr una completa e porfeita cura.
Os Surs. Fekheiha & Cia., Droguistas do
Mamullan, forSo quem sup;.rirao*os medica-
mentos, e acbao-se perfeitamento ao facto
d'cste caso, e os mesmos Senliores, nao s se
achao promptos confirmar o mesmo, como
tambera em fornecer o actual adresso do Ser.
Bakuoza, toda e qualquer pessoa que por
ventura se desejo informar da verdade.
Recommenda-se mu particularmente aos
Doentes deste escolente remedie, n5o usando outro
no ser a Genuina Sais; parrilha de Brisol,
a qual e' exclusiramente preparada por
LANMAN & KEMP,
De XOV1 YORK,
pois que todas as mais sao inefllcazeB e de nen
bum prnetmo
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
e depois ascile ou hy-
ique accumulagao de
serocidsde do peritor o.
E7 sabido que o fe-ro um dos agentes
mais importante para que o sangue se pre-
pare e aperfeice dei idamente, e por con-
seguinle o mais proptio para impedir o des-
envolvimento destas nolestias; mas sendo
te, sorben te c secer-
associado como se
)d dar o resultado
eriencia me tem de-
de offender as entra-
19 canas tecidos de aigodo, roupa ; a Schaflie-
tlin ^ C
2 barris vinho a J. da S. Faria.
2 ditos ditos ; a M. J. de Sonza.
2 caixas couros ; a N. O. B.
1 dita registro; a Greciam & Lailhacor.
i caixa calgado ; a Campos & Lima.
2 caixas pannos e roupa ; a Alvaro Augusto de
Almeida.
1 caixa carnizas, 2 ditas chapos; a A. C. de
Abreu.
RECEEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Reudimenlo do dia i a 24...... 43M5"925
dem do da 2o................ 4585508
elle um efficaz excitai
nente, claro que
ada nesle xarope,
que se espera, c a ex|
monstrado sem risco
nbas.
Os effeitos dos incit mtes, sao : promover
as secrecoes, e absorc es, augmentar o ca-
lor natural, e remove- aquellas dures que
nascem da falta dos m nimenlos irritativos.
Os sorbenles sao taml em aquellos agentes, | riq
os quaes augmentam o movimenlos irrita-
tivos, que formam abs irgo, e os s cernen-
tes aquelles que augmo ilam os movimenlos
irritalives que consti uem as secreses.
Assim, pois, v-se que i em a precisa combi-
nacao e mndicacu ni-
eado indistinctamente.
tico deixa de fazer appl
conhecer esuspeitar qu
pulmo, org5o essenci.1
ouira enlranha est
que, se se tivesse app
poderia ter evitado o
molestia. Assim, pois
do como lica uxp co por nao offender as
lestias contra as quaes
frigerante pode ser apptcado com proveito,
sao : as amenorrheas, o i suspengao do IIu*
xo menstrual das mulh
miiuiicao da ma^sa do
tencia alterada, dores
dade dos orgaos diges
mucosos, flores brancas
do sexo femenino, ca
43:61IJ433
ftendimenlo do da
dem do dia 25...
CONSULADO PROVINCIAL.
Ia2i.
41:680,5707
1:32^119
43:018^830
10?MENTG m POETO
lde ser elle appli-
Muitas vezes o pra-
cai;Do do ferro por
o ligado, o bofe ou
da respiracSo, ou
ojTendida; entretanto
icado em tempo se
esenvolvimento da
o xarope prepara-
pdc usar sem ris-
bntnnbas. As po-
o xarope tnico re-
res, anemia, ou di-
angue e sua consis-
estomago, debili-
(ivos, fastio, Iluxos
chlorose, molestias
aclerisada por lan-
guor geral, actlotisacal paluda da cor ou
lesvenlinliada, empobte
enfaites-clironicos das
alporca- ou escrophulas
cao, pallidez, e os estra ,'os produzidos pe-
las molestias syphitica: : asthenia ou falta
ia hydrope-
endo-se o cuidado
ultimas molestias
las molestias syphitica:
j de forcas; fraqueza gt|ral: e
sia anazarca e aseiles
jde observar tiestas duas
principalmente, e em topas as outras, qoe
Navios entrados no dia 25.
de Janeiro 13 dias, barca ingleza Ocean Mi-
de, de 499 toneladas, capilao P. Gellard, eqni-
pagem 12, em lastro ; a Saunders rothers
& C.
Rio de Janeiro, Rabia e Macei- 9 dia, sendo 16
horas do ultimo porto, vapor ingle* l'lolomy, do
799 toneladas, capito Peel, equipagem 32, car-
ga assucar e aigodo ; a Saunders Brothers
4 C.
Navios sabidos no mesmo da.
BarcelonaSumaca hespanhola Lola, capito Mil-
lele, carga algodao.
Barcelona-Patacho hespanhol Safo, capilao Ma-
reslany, carga algodao.
Maranhao Hiate brasileiro Garihaldi, capilao Cus-
todio Jos Vianna, carga dlffereotes gneros.
Liverpool por Lisboa Vapor ioelez Ptolmij, ca-
pito Peel, com a mesma carga que trouxe dos
portos do sal.
Acarac e portos int'rmedlos Vapor brasileiro
Purahyba, commaniante J. J. Marlins.
"Df i
imento do sangue,
geeras abdominaes,
escorbutos, opila-
Cousulado le Portagal
Sao coovidadoe os gestores iredores do na*-
subdito portuguez Pirmioo Pacheco Gomes, e *>
ausentes Anlonio Jos Vieira Braga e Joao M*ri
Alves de Azevedo, a irem roreber nsle trm^ah*-
o qae Ihes toca em rateio na liqoidaro do pon.
e maesas respectivas.
I aspo nao emanen! dr
mariaha.
Fai-se publico qae a eommi.-so de periMw, na-
minando na forma determinada o retrnlaB)t^
anana ao decreto n. 1,324 de 5 dr fevereiro de
18,)4,_o casco, machina, caldeira, apparelb, ;. a -
reacio, veame, amarras e aaeoras do v#or
farahyba da compaohia Penuiabacaaa de aave-
gacao costeira, achoa todos estes objecios ea nu-
do de poder o vapor navegar.
lnspeecau do arsenal de marinlu d Peraatc
buco 7 de oolubro de IMSL
O inspector,
_________,________II. A. Barbo-a da Alcawda
De ordem d> lllrn. Sr. intpei-tor da tne"ra-
ria de fazenda desla provincia, sao chama.fc,* *
foreiros dos terrenos de marinha abaiio declara-
dos que iran.-fenram partes de seas terrecer. .
anda nao reqnereram os tilul-.s das parles reatan-
tes, que tem de ser expedidos na c.oformidade a
aviso do ministerio da fazenda de 3 de oolobf**
1836, a solicitaren) os referidos ttulos deo:ro C.
prazo de 15 das contados desla data.
Secretaria da Ibes jurara de fazenda ia Fr-
nambaro em 21 de outubro de 1863.
Servindo de ofB>-ial malor,
Manoel Jo> Piolo.
Nomes Jos foreiros a que se refere o anaer:
cima.
Alejandrina Teixeira Soulo.
Autonio Jos Co:iho do Rosario.
Antonio los Gomes do '.orrHo.
Clara Hermioda da S.iva Cardeal e ir.ai; her
de Antonio Dias da Silva CardaaL
Francisco Jos Martins da Cosa,
Francisco Sergio de Mallos.
Ilenrique Jorge.
Herdeiros de Franci-eo Xavier P.-reira d.r
IJem de Igoaeio N-ry d Foaseca.
IdtMO de Jcio Ma: i i Seve.
dem de Jote (Jomes Villar.
dem de Jos d.. Silva M-n lonca Viann.
dem de Luiza Tiiereza de Jan* ilarb.sa.
dem do Dr. Manoel TVx-ira Pinto,
dem de Maria Robera da C >n- i.-i >.
dem deJaciaM de Abren RiMro, CaMaaa
na Joaqaiaa Kibeiro e Maria Joaquina Hown
dem de Joto l'into de. Lenoi Jaoor.
dem de loaquim da Silva Lopes.
Jos Higino de Miranda.
| Luiz Joa Noaei de Casiro. I
Manoel Antonio de Jen.
Manoel Pirmioo Ferreira.
I Mathens Au-lin A C.
i-r
um dos effeitos Balotara
ro-venlre corrente, e as
gadas.
O modo de usar-se e
cripto no lelreiro pregapo no frasco.
Vende-se unicamenti
Diieila n. 88 de
Jos da l
deste xaropo te-
urinas deseoibara-
|regular-se vai des-
Luiz Antonio Gonealvez Penna juiz de paz da fre-
gnezia de S. Fr". Pedro Goncalves da cidade do
Rieife etc.
Fajo saber aos que o presente edital virem que
o Dr. Jos Joaquim do Souza, me dirigi apatieao
do Iheor seguinte :lllrn. Sr juiz de paz. Diz o
Dr. Jo- Joaquim de Souza, qae sendo credor do
Joao Alves Ferreira da i|uantia de 2tl200 prin-
cipal juriiS de duas letras sacadas por elle contra! i.i ., ciPiik J'L'i*!
Anlonio Joaquim de Ohveira, cuja importancia foi | %Ai.'\" llLli\L
paga pelo supplicante a Joao Antonio Carpiateiroj Pela admini.-lrac:o do c.jrreio de-!:. .
da Silva, acontece que al hoje nao foi osupphcanle faz pobbco que em virlude da ronver_
pago de dita quantia, pelo que quer faze-lo citar pa-1 celebrada pelos eovernos brasileiro e 'tul
ra a prinieira consiliacao deste juizo alim da ver expedidas malas para Europa no da 30 d
se amigavelmenle Ihe paga a importancia de que i te mez pelo vapor francez Natarrt.
se trata. As carias serio recebidas at as i aor
E como esleja o supplicado em lu?ar inserto e da que for marcada para a sahida do va^i
nao sabido, requer o supplicante a V. S. digne-se joroaes at tres hora- aolas.
admiiti-lo a osiilicar a au-encia do supplicado a Administrado do c rreo de Pernimbui. lid
na bolica da ra
ocha Paranhos.
j
1
PRACA DO tECIFE.
ICIO.
i fQciaes.
otnbro.
I65"00 por arroba,
arroba posto a
C'otc,.s
2o de
Algodao primeira sorlo
Aigodo de Macei 175 00 por
fiordo (hontem).
Cambio suure Londres9
1*000.
Cambio sobre Pars !| d/vista
franco.
Di bourcq Jnior,
Caixa filial lob.ti
Pcrnam m co.
ras de seu apela ite c
A caixa desconta as le
daiixa de 600 ao anno.
O^uarda-livros
Ignai
Xoto banco
-: -c.T-.-r- -._ :
JTUliJuljisiV^aJ^
PEDIDO
A Jai tabeba.
As virtudes llierapeuticas da jurubeba silo desde
muito eoohecidas nao s no Brasil, pois qae deltas
Iratou Pisn em sua excedente obra Historia na-
turalti el medica Inane, occtdentalix. genio as
Antiihas, onde o sueco das folhas u froctos como
aqu, muito estimado e apphcado contra as obs-
: trueges abdominaes, principalmente do figado e
| bacj; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequenria, isto se nao deve a
nao recooheoerem elles essas virtudes, mas sim a
nao seren encontradas com facilidade e e.m todas
as estaeoes do anno os tractos dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresentam os deenles em fazer
uso do sueco desses tractos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :;
esta planta pertence familia das solaneas, e tem ->l1VlJ Banco descont
a dennminacao de solanum pantailatum, que Ihe Prazo a 10 imrcento ao i
" foi dada por Lvneo. conta >rrente cora juro
Parcceiido-nos conveniente facilitar o uso do sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-'
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar! KOVO IlHIlCO
com elle nao s um extracto alcoolico qae pode ser I q j^qvo Banco 1)3^3
applicado em pilulas, mas lambem um vinho, um .ip,.-m*in n i "y
xarope, e um emplastro que pode substituir, em l
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isio prestamos um servido humanidade e
hiera pea tin.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coeco das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e tterapu-
tica, dizem que ns Au'ilhas se faz uso do sueco
dos frudos
d/vista 2G 3|4 d. por
3o7 rs. por
Presidente,
maraes,
Secrclario.
co lo Brasil era
o Nuues Curreia.
de rcraai-
co.
Duendo aeautolar no futuro o meu direto T "W'WI maduro' Jf" p anla con!ra Mtor"
veuho pelo pre.-ente prevenir a qualquer pessoa rho vesical ; e a autondade dos nomes desses me-
que tenha de fa,er negocio com Joaquim Salvador dlC's' m'!ri',,"lamenl ^s nos leva a crer em
Ide Siqueia Cavalcanie, que, leudo pTsado nove',uas nalaTf' e Pr '^cuidaremos de ter em
lettras da quaulia de 2:OuoW0 cada urna ao mes- ?1S" estabelecimento essas raizes, para que possam
mo seulior, deixou e.-le de cumprir a condico ,ser tXl"'r,rne.nIaaas; ... ...
cau-a do contrato, na falta da qual nuil?, todo o ,h A rct"!,;"-ao S^r"^ffl e laI' e -S t1esuUa'3os
le maudou os recolher a casa de detencao, coutralo commercial, na cxpresso do arl 129 do ,neraPen,lc*jS ol,lldos DWmameBte sao tao impor
as competentes averiguacoes cdigo do commercio tantos, que nos parece intil dizer mais do que
,s bre o faeto criminoso, nina vez que coofessaram ; protesto conseirniniamfliitfl p doctp a pm nnma isl!> 9ue nca escripto.
alim de proceder-se
"-- *"
, uintemente, e desde ja, em nome
have-lo pral.cado com revelacao da morle do \ dos demais consignatarios das referidas lettras,
n i. i i n. i- i1*0'" ^u'z (:e Siqueira Jnior e Salvador de Siquei-
ela delegacia do 2. d.str.cto.fo. preso o Pre-ra Cavalc.uio/para que ninguem se possa, em ,
a engao. Recife, 21 de i
to Frederico, escravo do coronel Jos Gomes dos qUal,,uer temp'o, chamar,
-Nidios Pereira de Bastos, tiroprietano do engenho outubro de 865.
Manoel Ignacio de Siqueira Cavalcante.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
Rendimento
dem do dia
ALFA.N
>1o dia 1 a
Em 24 de oui ibro de 1863.
etras al seis mezes de
nno, e toma dmlieiro em
conforme as conaiees
de Pernambuco
dcimo quinto di-
opr aeco.
EGA.
i......
MOVIMENTO
Volumes entrados com fatendas.
com gt eros..
Volumes sahidos cem faz ndas.,
com geieros.
Descarregam hoj
Brigue francezTrois F
Barca traoeaaaSonto A tiridea.
Galera inglezaUermion
j Brigue dioamarquez Ja
Uaaass, por haver fe i to alguns ferimeatos o fei-
tor do mesmo engenho, Bernardino de Lemos
Sales.
Procedidas todas as averiguacoes, e leta a com
ptenle vestoria no oiTendido, foi remeitido o deln-
queme para a casa de delenco, afirn de prose-
gnlr-se nos demais termos do processo, que vai ser
iastaurado.
O Alheen Plubisopliico iliterario encerrou
no sahbado ulumo os seos trabalhos 'este anno.
A ra primeira renniao no anno futuro foi marca-
da para a prirreira quinta feirr. d'Abril.
Hoje se extrabir pelo novo plano 4." par-
to da lotera (3ti.'), '
voluntarii'S da patria.
O Sr. Antonio Jos de A7evedo, rommercian-
te portuguez com estahelecimenlo de iDstrumenlos
a roa Nova desta cidade, acaba de ter a honra de
offerecr a Sua HagesUde a Imperatriz um rico l-
bum, que entum urna bella pbanUsia militar para
piano, d'Tjminada Tomada de Pai/sanl e Monte-
Protesto
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
j tosas, o reino vegetal, e perience classe
! dos tnicos e desobstruentes. sendo em pr#ga
Patacho hamburguez
483:2665307
33:6915887
516:9615204
A ALFADEGA.
363
768
-------1,131
161
1,360
-------1,21
26 do rorrente.
eresmercadorias.
idem.
nette farnha de trigo.
Patacho portuguez Mi -ia da Gloria diversos
generes.
mma diversos gneros
Polaca hespanholaPon illasvinhos.
Brigue inglezSi
Barca ingleza
Brigue inglezG
oa com rvantagem contra as febres intermitentes Patacho portuguez -Fart
rho da bexiga e mesmo para combaier a menstrua
cao difUcil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho idem de dem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
-c->
da no Diario de Pernambuco de 21 do corrente
ractiticaudo, como racticam todo seu protesto, in-
serto nesle jornal de 14, 16, 17 e 18; cujos funda-
mentos nao poden) ser destruidos pela seiitenca do
digno juiz -Municipal da 1" vara publicada pel Sr.
beneficio das familias dos ',UI a Cardozo. a l.ual, so comprehende os co-
leteganles, que entervieram na escriptura de com-
posiyo aiu que se funda aquella seoleuea cumo del-
la se v as palavras-em face da composifo
constante da escripiura de folhase uunca os abai-
xoassignados.que nao figuraram naquellacomposi-
cao, e, (jue conseguiutemenle nao podem ser pre-
juJicados |)or actos de terceiros que nao os obri-
S::::Sr^';^ de"^^ Xarope tnico refrigmnle de velante e de
Dlaero-oosooe a composicao magistral e de em duvida exmelo por aquella sentenca para ferro pr^arado pelo pharmaceutico Jos
elleiio briihaute ; e os entendidos mell.ur a pude- a,'uelles ''"" se compozeram com elle, tambera I da Mocha Paranhos, estabelecido nacidade
rao apreciar, vendo-a aquella loja, onde est ella C l,Ub ,',(i acha e'" scu |,leu0 Vl8ur ''ara lodS os
expo-la a venda, oufros co-litigantes que nao interviaram era seme-
-Coraeeara* hoje urna serie de artigos em lhanle co,r PosK'o, e, que a requerimento delles
nossa ollava pagina, e?cr.ptos pelo talentoso ac- "VE ;"e roee.deu esse. uto.
demic Guimares Jnior acerca das poesas do- Protesto, pois, dos abaixoassignados lem o seu
Sr. Fagundes Varella, e para elles couvidamosa ^l's":,J"7 na justija, a sentenca a que se re-
atiendo dos oossos leitores. fere Sr/ u[?zo *ra-lbe o fundamento, e ma- ja 1Q encerra e rPfr"epr.nift npia nar
v sime, sabendo-se que essa sentenca est pendente idlU0. tue uiteiid, e i eingeranie pea par-
Hoje o agente Cordeiro Simoes faz Teilao de' de appella;o interposU para o tribunal superior, Ite 3Clda, alem da precisa para perfeita SO-
moveis, escravos, predio, dividas, acefiesdo Novo ; como podem examinar os interessados no cartorio I lUQao e COmbiuacao do ferro; este atacado
Banco e Caixa Filial, cabriole!, carrocas, cavallos, do esenvo Cunha. 'nelo acido fica pm xtrpma diosiSn a ic
obras de ouro e prata, obras de i.tleratura e outros" Os abato* assigudos lendo-o feito, ao liveram Ef '^J? 2!5 SLI\ L LTa
mullos artigos de posto, as H horas, no armazem,! outro fin seno acautellarem seus dreitos contra Sim ma'S SOlUvel quee possivel, de SOrt
a ra do Cruz n. 57. jas aliena^ies desses bens, que procura fazer o Sr. Que ja nao e tao dependente de ser digerido
REPAnngAo da polica. j Carduzo, es quaes se acham reduzidos a urna casa pelos cidos fracos, que se acliam no SUCCO
fcxtracto da parle do da 25 deoulnl.ro de 1865. terrea e ura sobrado (segundo consta); fique por- uastrico durante a famffifai Oa Pinnsiinroc
Poraii recomidos a casa do detengo no dia 24 tanto sabet.do o Sr. Mesquita Cardoz', que nao se T^Sn, L ?Sa "1^1 !
C-orr0te i 11 'leme a saa acao ""Plente com que ameaca os
A ordem do Illra. Sr. Dr. chefe de polica, Jos abaixo as*, gnados, e anles muito Ihe agradecem o
Alexandre, Perfelto Severino da Silva, Manoel Fer- favor que Ihes faz eotentando-lhes esa promeltida
nandes Mera, Antonio Braz da Silva, Jos da Cos- aeco, para a ripal o provocam e desafiam, ser
la Lima, Jos Luiz da Conceicao, Daniel Bispo Rei bora que uu actb uestes con a especialidade cele-
e Manoel Jos Tneolonlo de Araujo, para reeruias. bre, qua o iicompanha, vem eoriiuecer mais as pa
earvao de podra.
ionidem.
mercadorias e ferro.
icharque. o-:
liupoi lavao.
Sumaca hespanhola 1
lona, consignada a Tassc
guinte
150 pipas 12 meias di
avala, entrado de Barce-
Irmos, manifesteu o se-
as, 100 barris de 5o e 39
ditos de dcimo, vinha ti ilo, 100 vultos de barro;
ao capilao da mesma I).
Brigue francez IVois
era Ido Casis.
Vieres, entrado do Havre,
consignado a Tisset fren 5, manifestou o seguinte
a Th. Jefferies.
os de escriplorio
do Hecife provincia
Direita o. 88.
Este xarope, que d toto ao movimento
muscular por sua qualidade frrea, ao
mesmo tempo purgativo pela parte do vc-
3 fardos panno de la
1 caixa livros e objec
N. de Soma.
15 caixa tecidos de li
chapeos de sol*, a F. Sou
100 cextos champanhe
25 ditas agurdente, 10
diiihas, 1 dita vidros, 3
pannos e tecidos ; a T. C
1 caixa sapaios e obrasl
de Pernambaco, ra I 7 canas bros de aigoj;
pos, carloes, grvalas e
Azevedo.
20 barris e 40 meios
tinto e 68 volumes, lecidr
nho, ditos de la, grvala
balo, etc.; a J. Keller &
3 caixas pianr.o?, in>l
a Antonio Jos de Azeve o.
de medicina sao de opinio que o ferro e
todas as suas preparares gozam das virtu-
des eminentemente tnicas, que aproveila
em todas as molestias que sSo caraeterisa-
das por fraqueza; e com effeito acho exac-
A ordem do subdelegado de Santo AoIodo, Joao! ginas da historia de nosso foroj Mos a obra, Sr. ta essa opiniao; mas nao e dado o ferro em
JlanoeJ de Carvalbo, por desobdiencia.
I
: Manoel de Mesquita Cardozo.
5,400 {ledras ; ao Barii
3 caixas oleado, i dita
tim de que seja elle citado por editaes na forma da
lei, sob pena de revelia. .Vestes termos pede a V.
S. deferirnento.E recebera' merc. load Caeta-
no de Abrto, procurador.
E mais seno continba em dita petizo aqui trans-
cripta aqual sendo-me apresentada ueila profer o
meu despacho da maneira seguinte : Justifique.
Freguezia do Recife 10 de outubro de 1865.Gon-
Qalves Penna.
E mais seno continua em dito meu despacho
aqu bem e fielmente transcripto e sendo me pelo
procurador do justificante apresentadas suas teste-
munhas passei a proceder a in piiriQo d.:s mesinas
que deposerara d baixo do juramento dos Sanios
Evangelhos a respeilo da ausencia e incerteza do
luiar para onde fosse habitar Joo Alves Ferreira,
e sendo ludo autoado me foram os autos conclusos
e seado por mim lidos uelles dei a miaba senten-
ca do theor seguinte :-Jnlgo por sentenca apr-
sente juMificac.o em vista dos depoimentos das
testemunhas de folhas 3 e verso a respeito da au-
sencia era lugar nao cerlo de Joao Alves Ferreira,
pelo que mando, se passe a respectiva carta com o
praso de 30 dias, sendo publicada pelos jornaes
desta cidade, e afuxada no lugar mais publico des-
ta freguezia, pague pelo juttilicante as cusas.
Freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves do Recife, 13
de outubro de 18G5. Luiz Antonio Goncalves
Penna.
E mais senflo continba em dita sentenca aqui bem
e fielmente transcripta, por (brea da qual o e.-cri-
vo deste juizo passou aprsente, pela qual se cha-
ma, sita, e hei por citado ao ausente Joo Alves
Ferreira para o allegado na petic.o neste trans-
crita, para que comparecapr si ou por seu bastan-
te procurados na primeira audiencia depois de rin-
do o dito praso para con-iliar-se a respeito <:o ex-
posto na mesma p-ticao sob penna de revelia ; e
aasim toda e qualquer pessoa, parentes e amigos
do ausente a podero fazer sciente do expendido
cima.O official de justiga que serve de porteiro
neste juizo affixar a presente no lugar mais publi-
co desta freguezia, a qual sera' publicada pelos
jornees desta cidade.
Dada e passada nesla freguezia de S. Fr. l'edro
Goncslws da cidade do Becife aos 10 de outubro
de 1865 Eu Innocencio da Cunha G.ianna, es-
crivo o escrevl.
miz Anlonio Goncalves Penna
outubro de 1863.
O admini>trador,
Domingos dos Panos Mir
KMia -jrc-zj
DE
3MPREZA--
0 beuelici do actor Am ) lo annuot i
hoja 2o do correte uo pole ter lu^'ar eia aaa**-
I ia da grave eofermiJada da Sr.1 D. A
de do Amara!. 0 baaeficiado pede aos oea- i
Iros convidados o favor de conservarem r
carios at ao dia em que 6r de novoannuc

ijms urna,
PQUETESA VAPOR.
E' esperado dos porlos d-
at o da 30 do corr ole o vai ;
Galgo, o qual depois da deraor.
JJ do costme seguir para os or-
tos do aart-*.
Desde j roaeba so paingerai e eD;aya-M a.
carga que o vapor poder conduzir a qoil d
ser embarcada m dia di- sua ch"gad t -.-
das e dinheiroa trete al o dia, da sabid i i -
ras : agencia ra da Cruz n. 1. escriptorn te A..
nio Luiz deOliveira Azevedo & C.
coiPiiiAlkiauaiA
DE
PAQUETES A VAPORc
Dos portos do norte e-; -
at o da 31 do corrente o
Toeantttu, eoajMMataMi o pr -
mero lente Pedro
^r Duarle, o qual depois da d
do costme seguir para os portal do sni
Desdej recehem s-[-i-- irs e eor .'
lela ulti-' carga que o vapor poder eondoxir. a qu
' ser embarcada no dia de sua chegada,
mendas e dinheiro a frele at o dia da -
2 horas : agencia ra da Cruz n. I, escrip:c<-
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C.

a Jos
la, de algodao, larlalana e
'age.
100 caixas vinho linio,
itas licores, 30 dilas sar-
fbrdos e 8 caixas chales,
rislianseo.
de ferro ; a Sceur Legat.
o, panno, cobertores, cha-
chales ; a Henrique &
manteiga, 2 ditos vinho
de aigodo, ditos de fi-
cha peos de sol, saias a
C.
turnemos de msica, etc.;
anteiga, 25 caixas sardi-
a Anlonio de Almeida
30 barris e 40 meios n
nhas, 5 dias agua minera
Gomes.
3 caixas sardinhas, 4 larris
loes, 5 caixas presuntos, 295
manteiga; a Tisset freres
19 caixas calcado, parfel, merceana, tecido de
la, chapeos, 25 barris e! 5 meios manteiga; a So-
dr da Molla.
No dia 27 do crreme, depois da audiencia
do Sr. Dr. juiz municipal da Ia vara
ma vez a' praca um terreno na ra do Corredor
do Bispo com 20 palmos de frente e 52 de fundo,
ao qual est edificada a casa n. 38, enjo terreno
foi penhorado a Jos Francisco Cesar por execuc.o
de Joaquim Jorge de Souza.
De ordem do lllm. Sr. engenheiro em chefe da
reparlico das obras publicas se faz publico que o
concurso para o preenchimento das vagas de pra
ticantes desta reparticSo, lera lugar no dia 15 de
dezenibro vindouro, as 10 horas da manhaa.
Os exames versaro sobre lingua nacional,
abrangeudo a escripia, leilura e analyse gramma-
tical, deseuho linear e de aquarella, arithmetici
em todas as suas operagoes, e geometra linear.
Os requermentos para inscripto dos candida-
tos devero ser apreseotados al o dia 13. e pode-
ro ser instruidos com quaesquer documentos os
ttulos sefentneos que- abonera a capacidade dou
mesmos candidatos.
Sec.elaria da reparlico das obras publicas 19
de outubro de 1865. No impedimento do secre-
tario,
___________Joo Joaquim de Siqueira Vartjo.
O conselho de compras do arsenal de guer-
ra precisa contratar o forneeimonto do rancho dos
aprendizes menores do arsenal de guerra nos me-
zes de novembro e dezembro do corrente anno, o
stguinle :
Carne verde, dita seca, arroz pilado, bacalho,
toucmho, feijo, manteiga, assucar, azeite doce,
vinagre, farnha da trra, pao, bolacha, caf e cha.
Quem quizer contratar laes artigos apresentem
suas proposlas e amostras na sala do cooselho de
compras as 10 horas da manhaa do dia 26 do cor-
rente.
Sala do conselho de cempras do arsenal de guer-
ra 24 de outubro de 1865.
O encarregado da escripturacao,
Manoel Jos Azevedo Santos.
Pela liscalisaco da freguezia da Boa-Vista
se faz puhlico, para conheclmento dos habitantes
da mesma freguezia, que d'ora em diante ser fei-
to o despejo no lugat dos Coelhos, sendo as mate-
rias fecaes no alagado, e o lixo em lugar secco;
incorrendo em infracto todo e qualqutr que o fl-' Para Lisboa
zer em outro lugar. | sahira' com brevidade o brigue portogoaz
Fiscalisagao da freguezia da Boa-Visla 21 de tanto II, recebe carga a frete e passageiron,
outubro de 1865.-O Bscal, os quaes tem excedentes commodos : trata se caav
Jernimo Jos Ferreira. I Manoel Ignacio de Oliveira Filbo, ao largo aGar-
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir com milita brevidade o palhaJ^
nacional Pdade, tem parle dn ?eu carreaaaaMc
engajado : para o resto que Ihe falla e escravos a
frete, para os quaes tem excedentes coraraadae,
trata-se com o seus consignatarios Anion.'o La.;
de Oliveira Azevedo & C, no sea escriplorio roa
da Crnz o. I.
Cotupankia 1 as Hensageriei? IaT-
periale.
No dia 30 d:
correnle am es-
pera-se dos par-
tos do sol o va-
por francs Va-
rarle, coa lia-
da use Mviaasl
o qnal depo* da
demora do caa-
lume seguir' para.Bordeaux tocando em T-
cenle e Lisboa.
Em s. Vicente ha ura vapor em correspaaiaaaaa
com Gore.
Para condiccoes, freles e passagens trata-se aa
agencia ra do trapiche u. 9.
O hiale
Irmos.
Ciar
Dous Irmos : a tratar
coa Tawc
Linha regular do Brasil.
Espera-se do Havre a galera $m~
ferino, ao frele de 25 1. 10 J*.
be carga para o Havre a freles I
tos : a tratar com os coasifaatar.
Tisset-freres.
vinho, 1 caixa car-
barris e 400 meios
do Livramento.
oros, 3 volumes queijos,
2 caixas teeidos dn algodao, 1 dila calcado, 5 ditas
chales de la, 2 dilas tecida
souras e agnlhac; Liodea
substancia pelo mo resultado que teoho ob- & c.
7 caixas tecido de algoeSo a de la ; a Moohard
de aigodo, i dita tbe-
Wild & C.
Faculdade de direito
De ordem do lllm. Sr. director se faz publico
que no dia 3 de novembro prximo vindouro co-
raecaro os exames preparatorios, e os pretenden-
tes poderao desde j inscrever-se, o que devero
faze-lo por meio de requerimento datado e nssig-
nado, ao Exm. Sr. director e acompaobado de cer-
tido ou outro documeuto, do qual conste a habili-
taco na materia sob que versar o eiame, tudo de
conformidade com o artigo 2o do regulamento com
plementar.
Secretaria da faculdade de direito do Recife 25
de outubro de 1885.
Jos Honorio Bezerr| de Menezes.
Secretario.
| po Santo o. 19, escriplorio.
III l 11.
LEILAO
De liiacces d m\* linl
do Brasil.
5 ditas do novo banco de
Cordeiro
a requerimento dos administradores da
lida de Golherme, Carvalbo C, el
lllm. Sr. Dr. Juiz de direito, especial do


ro de perwMnb S
ftri leilo da= acg5es cima mencionadas no valor
de 200,5 cada urna, isto
HOrfi:
(iuinta-feira 26 do corrento as 11 horas
No armazem a ra da Cruz n. 57.
TEILAO
DE
_!__.
Cor de 1ro Miuics.
far leilo de cinco titulas de dividas na impor-
tancia de 1:1695760 rs., a requerimento dos ad-
ministradores da mas da Silva a mandado d > iun. Sr. l)r. jau de direi-
le especial d) comraereio, os qua-s sao pertenece-
tes a referida mas-a e se aidiain em poder do dito
afete aexaiue dos preieuileules cujo leilo ser
eildeluado
MOJE.
Quirila-l'eira do corrente as 11 Loras.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
luslilul) Archeologico c Geograpico Pernam-
bncaue.
Haver sessao ordinaria quinta-feira 26 do cor-
rete, as il horas da manhaa.
ORDEM DO DA.
Trabalhos e pareceres de commissoas.
Secretariado Instituto 2i de outubro de 1863.
J. Soares de Azevedo,
_____._______________Secretario perpetuo.
Aluga-se mu escravo e nma esnrava : na
ra Velha n. 40_____________________
C. Lomp, subdito francs, val para Europa.
Hypdito Schafll:r vai para Europa.
Leilao
De m sobrado de un andar quasi no-
vo, edilicado em chaos propios e na
ra das Aguas Verdes u. 55.
Cordeiro lines
precedida a compeient': aul>risaro far leilao do
predio cima descripto, podendo desde j os pro-
tendentes examlna-Ios, para cujo flm obtero as
chaves no armazem do referido agente tua da
Gru u 37, aonde sera effectuado o leilo.
i. ;*...B a.
Quiota-feira 6 do corrate as 11 horas
em ponto.________________
LEILAO
Be novis, predio, toja de fazendas e
dividas da mass* fallida de Irino
laaaaria de Oliveira.
agente Marlins fara' leilao a reqnerimento
dos administradores Ja massa fallida de [rindo Ja
cuarto de Oliveira e de.-pacho do lll.n. Sr. Dr. juiz
especial do commercio, dos movis e grande casa
terrea sita na travessa do Monteiro deronte do
metro, loja le tVzenlas da ra do Queimado
B.3 e das dividas da dita massa na importancia
de rs......
O lilao = m ve tara' lagar na casa da tra-
do Monteiro e da loja, predio e dividas na
.! >ja a' ra di Queimado n. 3. s 11 horas.
LS31LM>
novis, escravo, cabrlo-l, carrosas, cavados,
ohrasde ouro, olheres de prata, salvas, pali-
teiros, obras de lilteratara e outro 3 mallos arti-
o- de gosto.
&*'deiro ttfcudes
sonta e risco de qaem perteacer fara' leilo
de ioljili3s completas, guarda roopas, guarda
lime a eadelra*, marqoews, mesas, camas rance-
_a-,' apparelhoj de aimoco e jantair, relogios do
: i prata, cadeias, correntSes, obras de Gar-
re:, Bocage, C. C. Branco, etc. etc., o na mesma
oeeasto vender' um escravo de nome Estevo,
erioalo, de idade 20 annos p)_cj _,s ou meaos,
ISIO
BOJE
.as II horas, no rmate n a ra di Cruz n 57.
Leudo d^ predios,
w __."_u._r__h
Quinta-feira _6 de oulubro qs li horas.
Pela ageste Euzeliiok
ama casa terrea n 1 ni ra e Santa The-
re?..., rende p- r nvz 183.
dem dita n. 21 na roa do Nogdeira, os solos
s, rende por mez -'>?,.
[dem dita n. 7 na travesa do Livrameoto rende
20J.
!: m dita n. 89 na ra de Efortas rende por
11 i.
I mi dita n. lis na ra das Cinco Ponas de-
ita igreja nova matriz de S. Jos, rende por
mez -'-5.
E nutra nos fundos desla de n. 3 ua ra do Di-
rende por mez I6:5.
" s Srs. pretendemos queiram ir examinar com
: ocia aflm d i fan r boa i : | lisicao, su
hmeot) ftprovavel um piro proporcional at-
.i as boas localidades que eslo situadas,
i de bein conservadas serao vendidas pelo
maiof preco que se achar ratoavelmente. __
De amajnobiha de Jacaranda', 2 csndieiros a
. jarros, i toca lur. 1 grande apparador, 1
i de jantar, cadeiras de balan;), cadeiras es-
tufadas, raarquezas, radiras, mals de viagem, 1
. de Ierro e muitos outros ubjeetos.
Cinco apparelhos de louc nova para jantar, 12
apprellios para uilets, dlfrereates canecos de lon-
ja outros arligos.
Sexta-Vira _7 do ccrren'e.
Por intervenc do agente Pinto
io armazem novo da ra da Cadeia em freute
ao Becco'Largo.
:ipiara' as 10 horas.
LOTER1
AOS 6:000$000,1:200000
e5
BILHETES A' 5.->000, MEIOS A' 25500 E
QUINTOS A' 1,5000.
Corre sabliado 4 de novcnibro.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meise quintos da 3a parte da u:l lotera
(37a) a beneficio da Santa Casa da Misri-
cordia. cuja extracto ser no lugar e hora
do cos tune.
Os premios de 0:0003000 at 105000
serao pagos urna hora depois da extracjSo
at as \ horas da larde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas serSo guardadas somon-
te at a noite da vespera da extraegao.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soua.
Os abaixo assigoados, declaraui que se acha
amigavelmente dissoWida a sociedade que gyrou
uesia praca sob a firma de Ferreira 4 Martius,
continuando a liquidarn a cargo de ambos, e de-
claram nada deverem por letra, endosse, aceite,
ti anca, ou carta particular, nesta praca, nem fra
dell, todava se alguem se iulgar seu credor agre-
sentein suas cuntas no |)raso de 3 dias, para serem
conferidas e pagas.
Recifw 23 de outubro d-> 1863.
Joaquim Farreira Valente.
Jos Marlins da Silva.
Aloga-se por muito menos de sen valor urna
casa terrea anida nova e com soffriveis commodos,
a quem adiantar um auno de aloguel : tratase ua
ra Auusta n. 54, das 6 as 9 huras da niauhia.
Prerisa-se da quantia do 70 a juros com
boas urinas : i|ue:n tiverpara oar deixe carta nes-
ta typographia.
Precisa-se alugar dentro do Racife
I as roas da Cadeia, Vigario, largo da ra
da Cruz, Apollo. Senzala, un armazem que
seja enchuto e nao hmidos para recolher
fazendas de algodSo : quem o livor e quizer
,alugar appare^a na ra da Cruz n. 55.
Aluga-se um sotao com eommodos para fa-
milia, o qual tem varanda para a ra e escada in-
dependenle : na ra larga do Rosario n. 31, se-
gundo andar.
Aluga-se urna casa com commodos para fa-
milia, na ra da Mangueira n. 8 : a tratar na ra
da Queimado n. 38.
Precisa-se de una escrava para andar com
orna taboleta, qae osenhor aflance a conducta :
na ra uo Imqerador n. 71. seguudo andar, se dir
quem quer.
Precisa-se alugar urna preta que sirva para
vender n ra : quem tiver dirija-se a ru da
Praia n. 27.
O PARAGUAYOS
E' a ordem do da 1 Acabar com os Par<-
gniyoa a bayoneta, a mini, a resolver;
fulrina-los com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermma-los era surama aesp<;da, a
fai-ao e a punhal de que se trata; mas
ninguum se lembrou ainda de esmngar os
Paraguayos com as armas que eus nos con-
cedeu; acabar com elles a taco e a ponta
ps, para o que necessario eucourapar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tocos,
quebra marmore e outros que se vendem
45-RIJA JJIS2ITA -."
arratix, ir atll)acar ti (if
HISTOISE DE JULES CESA?,
Tl E
Um ool, ni
Borseguins Bordeaux........ 80;>0
patricios......... 0(5000
para senhoras, en-
53300
com lago e fivella .. WSOO
5$000
Birseguins para meninas bom
3-5000
Sapatos de lona, sola clstica. ^OOO
lGO'i
de tranca........... 15600
econmicos para se-
nhoras........... ,5300
com salto de lustre.. 2240
Chineloes do Porio.......... 1,5600
I e atlas.
m 4,1865.
b conomiqae et politique
atlas.
a Plata, in 4.
du Rio de la Plata, in i.
irsil, 3 in 4.
n 4.
',;>^
6 ANDE n
i
pianos de anuario e mesa, 1 mwbilia branca
lampo d'1 peJr.< marmore, c I igios de pare-
de, de cima de mesa u algibeira, santuarios de ja-
ran nd, I mesa elstica grande e nova, guarda-
locica, apparadore?, eamaa franrezas, marqoezas
Iar_';;s e estreitas, 1 realejo com 40 pecas de rcu
rorrentes foleadas de ooro para relogios, ob-
de ouro e prata, uma porgan de pecas de
casimira de eores, muitos trastes avalaos e gran-
de quantidade de objectos de us > domestico.
Sexta-feira, il do corrente.
NO GRANDE ARMAZEM DE LEILES
DO AGENTE
SLYMPIO
36Slua da Cadeia do ilecife-30
LILA
De um rico aderezo com bri I ranles, anneis,
cnrrentps, tranceltns, telogios, ctu es
' com hrilhani.es e 1 flauta.
Sexta-feira 27 da corrente.
Por Intervencao do agente Pinto, ra da Cadeia,
armazem era freno: do becco Largo.
Precisase de 200^000, dndose garanta :
quem quizer annuncie para ser procurado.
Precisa se do uma ama escrava ou livre,
para todo servieo interno de urna rasa de tres pes-
1 soas : ua ra do Hospicio n. 62.
Precisa-se de Ua ama para andar com nina
menina : na ra da Imperatriz n. 34, prinieiro
andar.
O- senhores socios efleetivos do Club Com
merrial sao convidado- a rennlr-se em assemlda
geral as G horas da tarde do dia 26 do corrente,
aflm de deliberarem acerca de negocios tendentes
ao niesmo Club.O secretario,
Francisco Lucio de Castro.
DEPOSITO DI CALCADO
FABRICADO NA CASA DE DETEXCAO
Risa Aova a. 61.
Ah se encontraran obras de di-
versas qualidades, e por preoo mui
diminutos, a relalho e em porces.
" S se vende a dinheiro.
Jornal das Familias
Pnblicacao mens..l, Ilustrada, Iliteraria, artsti-
ca, recreativa, etc., ornado de laurinos, vinnetas,
gravuraN s:bre ac, aquarellas, sepios, pegas de
msica, desenhos de trabalhos sobre talagarca, de
crochet, de ponto de meta, laa e bordados, moldes
de vestidos,capas, e em geral de ludo o que con-
sement a trabalhos de senhoras.
Esta pabllcacao acha-se uo ;l anno, e assigna-
' se ua livrarla econcmica ao p do arco de Santo
Antonio, oude se acham tambm cellecgoes do Io e
i 2* auno do dito jornal.
- .
xr%

Um completo-sortime:to de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, conro de lus-
tre, marroquins, tai xas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cohiga ao comp ador pela baratera.
Quem precisar de um jardinheiro ou f'it.ir
para um sitio, dirija-se a ra de Hurtas n. 142, l"
andar, que achara' com qunm tratir.
Olub pernambucano.
A partida do mez de outubro tera' lugar ua noi-
te do dia 23._______________
DA k'
Aos 6:000;?00.
BiSheies garantidos.
V beneficio das familias dos briosos
voluntarios da patio.
A" RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTME
O abaixoassignadovendeu nos seos muito feii-
les bilhetes garantidosda lotera que se acabou
de extra I: ir, a beneficio das familias dos volunta-
rlos da patria, os segointes premios:
Tres quintos n I6*i'{ com a sorte de G:0005.
Um ineio n. 2liC cun a sorte de, 1:200,5.
Om ineio n. 3i0 com a sorte d? 600 jOU.
Dous quintos n. 2312 com a sirte de 200^000.
E outras umitas sortes de 1005, 40-3, M} a
10*000.
Ospossuidores podeni vir recebar seus respec-
tivos premios sernos descont:, das leis ca Casa
da lrortuua ra do Crespo n. 23.
Achm-se a venda os da i' parte da lotera
(36*J beneficio das familias dos voluntarios da
patria, que se extrabir a 2 do corrate-
PRECO.
Bilhetes .... 6,5000
Meios......3000
Quintos.....1^200
Para as pessoas que comprarom de W0|#W
para cima.
Bilhetes.....Sr
Meios......ni">0
Uuintos.....15100
MaNOEL MaRTINS l'll'ZA.
& bachure!
francisco engasto da Costa
ADVWADO
Ra do Imperador numero 69.
0 cabelleireiro.
Curios Dui.ois mu-lou o seu estabeleci- ^
ment da praca da Boa-Vista para o .-.o- ^ag.
brado n. 18 da ra da Imperatriz. I;1,
LamartineFu de Cesm
Dimersaij(L A.)Jfisloir
du Paraguay, 2 In i &
Brossard Hpuilii Ues d
urandHisloire pnliuqu
BeauclannpHisloire du
Dems-Le Brsli, in 4.
Doyl'lmpire du Brsil,
ifcnrfti-le Br.-il.
Saint Hilaire Voyages a Brsil.
Cltevahrr\e Mexique. in
uhailty Campagnes dk l'Amerique du Norte,
in 8
Laboulaye-Pars eu Ame 'que, in 8.
Burton Voyage aiix gran ls lacs de l'Afrique orin-
tale, tu 4.
Yves iTEvreux Voyage d ins Ib Norddu Brsil fail
iluvaut les annes 1813 et 1814.
AubSu Jiistin pbiloseple et marlyr, in 4.
BersotDoctrine d- Si. A gu-tn. in 4.
Encyetiqueel les Evqi es de france, 2* edition,
1865, in 4.
fKnriir.liqicel l'Episcop, t Franjis, 1865, in 4.
PauccrtExposition et Ei chainemeol du Uogme
Cathollque, 2 iu i.
Penonlatroductii'n phik
ni'iale de la li-ij.i. ;i.
Matijnouh liberte dans
in i.
Plantar Conferences donpes N. D de Paris, n i.
A Semana Ilustrada e o Bazar Volante do
Bio de Janeiro, assignam-se em casa de J. Falque,
ra do Crespo n. 4 : os senhores as.-ignantes que
reeebiam o Bazar Volante directamente do Bio, e
que quizirem contiuuar, devem assignar na casa
acma,re:'eb:ndo logo os primeiros nomeros doter-
ceiro amo que principiou no Io de outubro cor-
rente.
Ama.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na ra
do Imperador n 83, terceiro aniar.
LEILO
De uina taberna nos oelhos.
Segunda-feira 30 do corrente.
fjflgalmente anlorisado o agente Pestaa far
i >r conta e risco de quem p^rtencer da ar
mi'; >j gneros e nteneilios existentes na taberna
sitan is C ir-lhos fin um ou mais lotes: segunda-
feira 30 do corrento pilas 10 horas da manhaa na
mes.La taberna.
LEIILAO
Sexta-feira 3 de rnvembro as i l horas, na
ra da Cade a armazem n. 53.
pelo agente Euzebio
'De. duas casas terreas na liha do Retiro junto
a p rit; grande da Passag^m da Magdalena, com
rente para o rio, sao novas, feitas a moderna,
snuiu friscas por ser do lado do nasceate, tem
aeco no Hajoes para amia numerosa, una prin-
cipalmente que maior tendo gabinete, alm de
quintil murado hi mais terrea) aprov.-itavel para
baixa de capim: o< pretendentes queiram anteci-
par->-- a ir examinar, o lempo ti proprio de gozar-
se d.i- iianhjs, das 4 as 6 horas da tarde cslarao
aberu- para assim prestar-se a quem quizer fazer
boa cquisicao.
e
AVISOS DIVERSOS.
\ -----------------------------------------------------------
J.io Fernandes Prenle Vianna, sua senhora.
um ti4ki* e 3 escravos, vo para o Aracaty.______
~^ Precisa-se de uma ama que saiba cozinhar
besa e comprar : a tratar oa ra do Pires n. 24.
fo JaenOjio de Soma subdito portuguez
retirase para a liba de S. Miguel.
Fugio do engenho Dous Ros, pcrli-ncente a' ci-
dade de SQianna, uma escrava de oome Luiza, ten-
do cor pieta, alta, corpo regalar, olhos grandes,
denles alvos e perfeitos, pertercente ao Sr. Firmo
da Costa Villar : recommenda-se as aioridades
policiaes 3 capitaes de campo a captura da dita es-
crava, prometiendo ser tiem recompensada a pes-
soa que apprehende-la e leva la ao referido enge-
nho, ou no pateo doTereo n. 42, 2 andar.
Alcga-se por prego commodo um terceiro
andar do sobrado da ra da Senzala Velha o. 48 :
a iratar na loja.
Precisa-se de uma ama livre : a tratar na
ra de Apollo n 52, sobrado de um andar.
u
sophique l'histoire ge-
la foi calboliqoe, 1861
Ponjnulatle Pre de Ravignan. Sa Vieel ses od-
vres, in 4.
SiguierGrandeur du Caiholieisme, 2 in 4.
JtwfMati Es-ai sur le Christianisme, in .
2/ui-de la Prdiaiion par le Cur de St. Sul-
pice, 5" edllion, 1S65.
CEUVBBS de Atzog, Bnlms, Baittain, BotSUH,
Bourdnlone, Bvandt, Chaignon, St. Fram:oiS de Sa
les, Feneliin, Gratry, Guillms, LaptenfMU, Mari tul,
Mamltott, Hontalembert, Nmirisson, de Potler, Re-
bundemjo, Ribadetuira, Rodrigues, Ventura, Ve-
nillot.
Aleares de Azevedo-Obras, 3 vol. in 8.
Atencara Gnaraoy, 2 vol. in 4.
> as Azas de um Aojo, comedia, 2' edicao,
1865.
Mai, Drama, 1863.
Antonio Fen eirObras Completas, i' edicao, 2
in 8, 186o.
Almeida Garretl Obras
Gnimardes (J. II. da Silva)-Poesas, in 4. 1863.
Manoel Heiiwrdes Escerptos, 2 in 8, 1863.
MagalhaesUrania, in %.
> Suspiros Poticos, in 1,3* ediro, 18ii.'>.
> Fados do Espirito Humano, tu 4.
> Tragedlas, m 4.
Coub'derago dos Tamoyos, in 4.
Maeedo (J. II.)-Theatro, 3 In 8.
Dous Amores, 2 in 8.
Rosa, 2 ii> 8.
O M'Co Louro, 2 in 8.
a Uoreninha, In 8.
Romanees da Semana, in 8.
Historia do Brasil, m 8.
Terebra da SileaPlutarco Brasileiro, 2 in 8.
Jernnymo Crt- Real, in 8,1863.
Vereira da SilvaVariedades Lilt'rams e Polti-
cas, I i n 4
Obiias de A. Ilrrrulano, CnmZes, Barros, Comi
Gonzaga, TU. Braga, ele., etc.
Pelletan (Eugene)\.-\ Hre, n 4, IMft
Proudlwn (J. P.j-de la Ciparil poU pie des clas-
- 'iv! ieree, in 8 M 8.
> du Principe de lart, in 8, HKL
LIVROK Bi: D>H.iTI< .%.
Andrude PintoAtlnleiir a i ~ R 11-ntrs de
Provlttcia, iu \. 1863.
Cdigo CoHUurci'ilAnncta plc 11 le 18(14.
DOulnna das Aayes por J. H. Correa ralles, t>
edieao. 1863.
L!TTi;CiVTJKt.
Obiias de Ampre, Barantt. Cwftf^m, Ckasles,
Chateaubriand, Consin, Gmtkt, 0mM, re, etc.
OBBAS de BaluiC, llernard, Cwm'M.
Cooper, Fetal, Gozian, Marr Mrp, .duij'r. kock>
Sana, Soutii, Sonvettrt, !,-, ele.
PtSUA.
Obiias -'< Ariosle, Baxbirr, Che. m, Dante, tti-
H', II -Hiiie, llun, I.nmartur He., >'-'
LlVUOSOR Lb'xo dourados t ne&memU eneaderma-
do$ propuot para prtsrattt.
ALM\NACK Di-: LEMBRNfLi.
l.l SO-|I!\SII.KIRO, l'AC. \ I i' MI,
FOLIUNHVS DE LAUMMEHT.
r.\n\ o A5K0 iif. I
MA GRANDE DESCOBERTA
IBEDflLHfl
memente reconln v.\
torno o uso d'ell
os mais robustos c
DE
- .-.
./
HORRA
As propiedades ledicacs do ajeo de figado de bacalao forao unani-
Jas. Mas seo ciieiro e seo sabor tao dcsagradaves
meitas Yc/.es mpossivel, niesmo aos estmagos
tos mais condescentos.
I:
Por is.so a deee iberia do Snr. CHBVRIBB, que lhe permcllio de
desinfectar inleirarr ente o oleo de ligado de bacalliao sem alterar suas
propriedades lem e do um dos mais felizes problemas resolvidos pela
tbcrapeulica moderna.
O oleo deflgatlo debacalhao desinfectado deChevrier,
com um ciieiro agrkdavel e um sabor assucarado, o nico que n;1o
tem nem gosto nem cheiro de peixe.
Objccio de nwncosos relatorius scientificos elle goza em Franca
de uma fama bem i icrecida, e receilado por todos os mdicos cm
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tendo as m-esmas
propriedades do ole^ide figado de bacalbau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos caaos islo as :
Pobreza do angue,
i:<or excesMO ilc
tralialho ou de prnr.ercn,
Moli'M(in*i i!o lironrhios recen-
tes ou cliionica,
Toswen peflinaxe,
GaMtrltCft. KaMlrnl^lafl,
Ilori'M de erttoma^o.
Molestia escrafnlosaa,
Karhitlsuto,
ltsiriiefo das ^laudes,
Tsica imlnionar,
Molestias du pelle,
Caiislltuicao ljiapliatlca.
Anemia, dt-hllldade, fi-aijuer.n,
agrema,
Elle convem a todns as compleieps e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimcniavo das enancas fracas c docntes
m folleto accompanha cada vidro e contera as observacoes medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito gerai em Pernambuco ra da Cruz n. 22 eui casa de Caros & Barbosa.
0 Oleo de 'jado de baealiiui. desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor tneio de administrar o tmm. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de (gado de bacalhan.
augmenta a acefio tao efficaz d'este ultimo, se disso!-.- n; .:-
fcilmente nos liiiuiios das vas digestivas, se as.-imila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de ptalas,
xaropes, etc., onfini perde suas propriedades irritantes e ri\>
provoca a constipad
As pessoas as mais delicadas que nao poden supportar ;t
preparares ferruginosas ordinarias, asquaes, piincipalnie;
nos paizes quentes, tem incitas vezes grandes inconveni-i
poderao com i nova descoberla do Sur. Chevkier, usar do f> :;:>, 't
um dos mais poderosos agentes tlierapeuticos, tomando-oui;
ao oleo de figado de bacalhau.
0 oleo de ligado de bacalbau desinfectado ferruginoso
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
n pis iuiq I Aia AfaiiitiJiiiu-'iiii.i
wMwn iJ i- Utiliiiit v *x Dase e terreno ueossario a ,|ui-ui ijaiziredi
:"; Klld a J'ilZ U. 17. Ci* car um engenho para desfructa-lopelos annosqi
mwm
Offerece-se um moro para cozi'ieiro: na ra
do Forte n. 30.
Alupa se muilo em conta o sobrado da ra
de S. Ileuto, defr.nte de S. Pedro Velho.em Olinda
concertado e pintado de novo, tem moitos commo-
dos e bom quintal, e muito fresco e tica perto do
banho: a iratar na ra do Imperador escriptorio de
Claudio Uubeux.
cruz u. 17
tem
le p ?eo estabele-
ffloel Ptuer Jehustra '-,. C-.aip .
Ruada Vnzala Non n. \.
AGENCIA UA
rtsudEv^o de \.ox Soor.
b
honra de J?R se convencional-, no lugar deuoininado Balsamo. .Machinas a\apor.ile 4 e cava:li>s.
m:


m
Atteii^iD.
Precisa-se de um officia
faiate para corlar: na rna
va-'-
m
de al- m
da Ca- M
% deia do Hecife n. 38, primeiro ^
Sandar- 51
Alugam-se na ra do Imperador o primeiro
andar da casa n. 39 e o armazem n. 16 : a iratar
com Luiz de Moraes Gomes.___________________
Precisa se de um caixeiro de i annos de
idade para taberna, com pratica ou sem ella : no
paleo da ribeira z.. 23.
Notas do banco do Brasil e das caisas Qlaes
m
M
M cajas trras sao de ama produeco prodigiosa, e
, ^* tica distante ir.eia legoa, por um lado, da colonia
J*k de Pimenieiras, por ootro, da povoaco de Capoei
',* ras. e crea de legoa e niela das povoa(5es de S
participar ao publico iju
rmenlo cima im-ncionad
") funocionando muito regu
v vidu de todas a> aucomintu
:./.; ria- e sobre ludo com alga ia limpea. Benedicto e Panellas ou Terra Nova em todos os
Moendas e meias moendas para eoffflbo.
raixas de ferro coado e batido para cage-
QBO,
rmenle, jiro-
as accommti Jags nocessa- ^
meus ateces- M. referidos povosdos ha feiras regulares eemdiffe-
cebidos at o 3 rentes dias da semana, onde se acham bon> recur- ','
indouro os da ^' 50S S:> encon,rani mercadas liara as diversas -
i xo as-i"iiada 'W I"11*1''" de negocios, abun da grande fara de Trom-
nissiveis. M betas,estegao terminal da viaferrea, da qual o Mi binaspiN descarogr algodo.
^ terreno mencionado dista de ti a 8 leg >a< pela es- Motores nnra ditos.
JB Irada rial, cojas margen; estao uarnecidas de ,,..'. ;. .., ,
HK moradores e fazendas ruraes, que lornaiu o tran- 'ii">''i'|i3 ue 0^.t^ra_____________^
^ sito uimiamente agradavel : quem quizer lucrar
de cinco a mais folhas da umi plant.i do caona
poder cuntratir este negocio na ra estreita do
Rosario n. 28.
Os arloi-s firmados por
- res Gedrim & ':. serao i
>s meado do mei decutubro
casa terao a Qtma da abs
e serao cuino d'ante> trans
Tabella dos primos.
t assign llura ni-n-al com diretto
a um banh) diario a 320rs...
I dita d" 30 cartoes tran-'missi-
velsa36rs...........;.... I0S K)
l| dita de la dito.- a 400 rs.... C$000 S
1 banho avulso, momo ou fri ou
de cIiovico.............----- oOO S
^ 1 dito aromalisado com agria fl>
95600
1*
w
tez rida...................
^ Os medicinaes serao pelolpreco q
OB convenciouar:
O estabelecimenlo estar' aberto nos *
*f* dias uteis das da manhaa as 10 da noite
J3 e nos dias sa til i tica dos al 2 horas ita lar-
VSt de, havendo chegada de vapor estar'
^J aberto por mais alnm lempo.
Malhilde G. Lessa.
Arreios i carro para um e loas ca'.alios.
elogios de o iro patente ioglez.
Arados americanos.
is par-
para
s de i
Alfil E ^i
Os arrematantes da mas-.i fa!|H^ de Joaquim
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra y/teira Coelho 4 C. pranaam aos senhores leve*>-
do llin^id n. 7 : a tratar no inesmo sobrado. rf )ara ,|U,. no [raso de 30 das r.-nham on tnan-
casa de pouca d :n pagar o que .^tao devendo a' m--ma ma--t.
, taberna. na ra da Cadeia do lleeife n. 3, c n' ti: i o dit)
praso, s que nao paiarem, ter.l i de ver un n-
1-OiO ->t< precisa-sede ui
toe se S familia : na roa do N
ma ama para
cusir n. 29
' H
-'"' %''O ^'W'W *'~rMWW> e que saibaresneiUr seosmteresias e sua posico, vu> de no-ne F
""""^TriR riQNrtVA^^'2 que d prompto aipediente aos negocios da casa Vu r.iupa .1 di
"" t.3AiiuvA -^ na aii-i-nria do pairao : nao se ollia a precio e na
pode Ser procurado 3 qualijiier lio- >^; cionalidade quemsejulgar com estas habilita
descontam-se na travessa das Cruzes n. 8. ^M^Xf'^M :&*4WM 'W^'fi
- Aluga-se a casa terrea n.39 na ra da niao: M&l&B* ^m&M KM
------------- -------- i I'recisa-se de um caixeiro i||ie tenha as habi-
S- Aluga-se uma casa em Beberibe : a tratar |M(5es necessarias para tomar conta de um esta- i Acham-se ausentes do poder do abaixo as-
com J. I. de M. llego. i belecimento de moldados, que seja fiel, intelligente | signado, desde o dia 23 do corrente os seus escra-
"auslino, pardo, baixo e grosso, la-
pa de algodaoziuho : quem o pegar queira
leva-lo em Santo Amaro, ou na praca de Corpo
Santo em casa do abaixo os Manoel Custodio Peixoto Stares.
DEST'EOID^
Frauci-co Joao do Pilar, tenente do Io corpo da
guarda nacional que segu para a campanha do
sol, nao tendo tenipo de despeJir-se de abrumas
pessoas que lhe sao charas aqui uo Recife e na
ilha de Itamaraca', por mediar apenas um dia en-
tre a aceitado do seu offerecimento e o seu em-
barque, veui por raeio da publicacao deslas linhas
cumprir esse dever de amuade,___________
Precisa-se de uma ama para o servlco inter-
na : na ra estrella do Posario n. 18, para easa
de pouca familia.
- Kugio no dia 2i de outubro urna escrava ^bOi* pelo Mf> se prMNVtt* a e
crionla por oome delicia, estatura regalar, cabello hir' ju,|cb|ini.u(e. |te,.f-, 5 de oMBtrc j>
grande, testa gran le, com marca de urna cicatriz, jj,jt-j
olhos grandes, bocea e nariz pequeo', muito es-1
perla e bem fallante, cheia do corno, tem o p es- pra quem precisar de bao
, querdo bastante enxado, por islo anda mal : qu-mi duas casas com commodos para familia, n* tina
a apprehender leve-a a ra estreita do Rosario, do Retiro, junto a pouie da Ph)MHB : a tratar
loja de marciniira n. 34, a seu senhor Jos da -om L. M. R. Valenca.
Silva Oliveira, qae sera recompensado.

; ra em seu consultorio homeopa-
! thico, largo da matriz de Santo An-
I mu n. 2
No mesmo consultorio tem sem-
[ pre medicamentos em tinturas e
i glbulos em carteiras e avulsos de
I Catellan e Wober e muito em conta.
^5

{oes deixe carta fechada nesta typograpbia com as
iniciaos B. B. B.; previuese aos pretendentes que
lerein o prsenle nao se incommodB em deixar car-
ta fechada sem ter plena consciencia de ter as ha-
bilitado es aqu expendidas; pois pesias occasioes
japparerem Untos disparates que causa tedio quan-
do se v o individuo.
CAIXEIKO.
Precisa-se de dous trabajadores para pada-
iar : na ra larga do Rosario n. 16.
Ignacio Pessoa .Esteves da Silva cunvida
aos seus amigos e aos amigos de seu socio e
primo Jos Pereira Jacintho para asisti-
r m a inissa que tem de se dizer pela alma
do Uado Jos Pereira Jacintho fallecido na. |
provincia do Ceara', pai deste, as 7 horas do
da 28 do correle na igreja matriz de S-
Jos.
Precisa-se de um amassador, na padaria em
Santo Amaro, atraz da funiicao do Sr. Starr.
Deseja-se saber se existo nesta provincia ou
em nutra qualquer do imperio, a negocio de seu
interesseosublito portuguez Antonio Luiz Mondes,
natural de Villa Real do Reino de Portugal, filho
legitimo de Joao Luiz Mendes, que em Janeiro ao
corrente anuo embarcou com destino a esto porto,
e em marco prximo passado consta por cartas
que indoregou a familia acbar-se no Maranho,
no; tanto pede-se ao mesmo senhor ou a quem del-
le noticia tiver o especial favor de dirigir-se a ra
di Ma lre de Dos n. 18, a entenderse com Fraga
Rocha, ou anuunciar pelos jornaes que se in-
demnisara' qualquer despeza feita para tal flm.
Offerece-se um caixeiro com pratica de taberna
e d fiador a sua conducta : na taberna da ra de
S. Francisco n. 70.
O abaixo assignado por si e como liqudala, ic
da extiacla firma Duarte Carvalho & C, declara
nao dever nada nesia prai;a, nem fra della, toda-
va se alguem se jnlgar seu credor aprsente suas
coutas no praso de 3 dias, para serem couferidas e
pagas; declara qno nao tem nenbum aceite, endos-
se ou fiauga.
Recife, 23 de outubro de 1865.
Joaquim Ferruira Valente.____
O solicitador Pedro Alejandrino da Costa
Machado contina a enc:irregar-se de cobrancas
nos termos do Cabo e Ipojac, e no dosta c.idede :
pode ser procurado na ra estreita do Rosario
numero 34.'____________________^_
Precisa-se alugar um preto que seja possao-
te : na ra do Rangel u. 9:___________________
Aluga-se o segundo andar da casa n. 33 sita
na ra da Guia : a tratar na ra da Cadeia n. 4i,
segundo andar. ^_______________
Quem quizer comprar ama taberno com pou-
eos fundos, propria para quem quizer principiar,
dirqa-se a roa do Rangel n. 39, que achara' com
quem tratar.__________________________
Os abaixo assigoados previnem ao respeitavel
publico que pes-oa alguma negoeie duas letras,
*,v? sendo uma da quantia de 800,5 aceita por Thom
joaquim de Oliveira, e outra de 1:390$ aceita por
Jos Peilro de Oliveira a vencerse a oilo mezes
ambas, e sacadas por Blork & Irinao, por quanlo
os mesaios pretendem em juizo provar seu direlto.
Recife 21 de outubro de 1865.
Thom Joaquim de Olivetra.
Jos Pedro de Oliveira.
CRIADA.
Precisa se de uma criada para casa de homem
solteiro : na ra do Queimado n. 3i, loja.
~SORVETE.' ~~
Sorvete todas as noiles j na ra do Trapiche nu-
mero 18.________________________,
O abano assignado subdito portuguez, reli-
ra se para a Europa, e deixa por seus procuradores
para tratar de seus oegocios commerciaes, em 1
lugar ao Sr. Jos Marlins da Silva, e em 2 ao Sr.
Joao Francisco de Silva Novaes, deixa igualmente
urna procurago especial ao Sr. Gaspar Antonio
Vieira Guimares, para tratar de seus negocios ju-
diciaes, tanto no que disser respeiio em seu oome,
como no das Urinas sociaes de Ferreira & Marlins,
e Duarte Carvalho & C.; e mura lambem especial
ao Sr. Justino da Silva Boa Vista, para alugar e re-
ceber os alugueis de suas casas.
Recife, 23 de outubro de 1865.
Joaquim Ferreira Valente.
Joa Fernandes Prenle Vianna, retirndo-
se hoje para o Aracaty uo vapor tParahyba. sen-
te extremamente nao poder pjr motivos de sen
O collegio dos orphaos desta cidade tem ca-: ,no estado de saude despedir-se de seus amigos e
reocia de srvenles para o servico do meno
eotender-se com o respectiva director.
t/H
Precisa-se alugar um molequo para o servico
interno e externo de casa de paso : na ra da
Moeda n. 33.
Precisa se de uma ama para o servigo de
duas pessoas : na ra estreita do Rosarlo n. 18,
primeiro andar._______________________'
Precisa-se de uma ama que saiba coiinbar- e
engommar para casa de pouca familia : a tratar
na ra do Queimado n. 51, loja.
pessoas que lhe fizeram favor de o visitarem em
sua grave enfermidade ; protesta, porm, o sea
raconiiecimento, e offejece o seu presumo em
qualquer parte oode se achar,
Precisa-se alugar um preto: ra da Praia
n. 47.
Precisa se de um criado : a fallar com te-
nente-coronel Barata. *u* das Triuxaeiras 36.
M 1 Vi ..-...= .
|Dentista de Penunnl >iico.J
H Una eslreila do Rosario n. 3,
ao p la igreja
|FSANCSCO PINTJ OZGSIOj
\~i Col loca, denles artifleiaeii !
pelos ^yjtteaaas mus un- 1
Si tiernos
H Emprega todos os meios seieMltnM para
S conservar os natnraes. Pode ser praara-
SB do em seu gahinetn das 9 horas da n.i-
SM i) 111 -i as S da larde.
Pre i-a se do um buu cjelalwiro : ua ;na da
Antonio Demetrio da SllvTLaranja, chegado Aurora n. 32. ____________________
recentemenle do Para a esta cidade, e ondo vera i; gnar |a.|ivros que dispo- IgiMHi ho-
liquidar os seus negoci s, vende muilo em conta ras prtuo,.s a tier alguotas ecri|Has assia por
a sua casa n. 67 sita na ra do Pilar em Fra de par|jdas dobradas como simples, garanf awno o
Portas, e o seu sobrado sito na ra de S. Bento, trabalho e commodidade M preco : a qo^m cob-
defronte de S. Pedro Velho, em Olinda : a tratar vler 0j s,,us StiVu..lS deix: carta fechada ni ty-
na ra do Imperador, escriptorio de Claudio Du- pographia deste Jornal cora a< iniciae* A. I.
^ Aluga-se o 1 ou 2- andar do bS5n. 26!, S? ** "*' *" *******
da ra da Matriz da Boa-Visia : a tratar nos Coe-|a
lhos, ra dos Prazores n. 10.
Precisase de uma ama de mela idade para j
fazer o servico interno de casa de piuca familia/
menos engommar : ua roa Direita, loja n. 47.
AlugJ-se a segunda casa a' beira du rio na
ilha do Retir >, tem copia fra com cancellas de
ferro : a tratar com Miguel Joaquim da Costa,
roa da Cadeia n. 12.
Grandes melhcras
as machinas imperiaes ile oscr-
Armazem n BU Broad-Wa; NewlwL.
E sysieraa, com mallas e importantes in>-'hora\
sendo examinadas or nabeis peritos bmi inora-
das de snmma perfeieao. A agolha dirriU eea
perpendicnlarrnent>*, con o ponto de Infido, qn*
nao desmaneha nem embarnra c. que igual e>
ambos os lados; faz costaras' perf<-in em lo-ti a
qaalidade de tecnlos, desde o rouro at a roa" m
Prensa-se de uro felor para um pequeo sitio cambraia, tendo lios d^ algod.o, te sed i ou d b-
perto da praoa, pref-re-se casado, e por Me se da nho ,,,,. u e mais gro,50 at.,, m.1s j,|g4j.,. Ce-
easa propria e boa para morar, seodo porem pes- mo nSo ,em r,1(las u^ntai|a,t f>or M i^ rT,u b a
soa capaz, dando boas iolormacoes, Unto pela pro- menor a|ri,0 p,,ssf \ irahalha enat pWHM4e e .
bidade como pelo sea trabalho : a quem convier, I sem r,,nlrad.cao-UMA MACHIMA QCB NAO FAZ
dirija-se a ra Nova n. 19, 1 andar. _____ RU1D0 ALGUM
T. J. Me.
Feitor.
D. Maria do Loreto de Barros Campello caga | i- J- ARTHLR & C, fabrietntet t frof
os .{poderes da procuragao que passon ao Sr. tonos na casa supra. ___^^_____
Francisco de Avila Meudonga, ficando, por tanto, ~~l__iMti__i _ri_*ri*
livre da responsablidade de qualquer aclo que, IBHtrn riiw primwrvw.
como seu procurador, dito senhor prariqu-, visto m professor jubilado so oir-reca p~ra leinoear
como nesta data nada deve ao mesmo Sr. Memlon- em algam engenho pert) da ndade : quero prev
q e nem a qualquer ontra pes-r-a. Recife -3 de sar dirija-se a ra Velha n. 17, qae achara fom
outabro <_ 18S. quera tratar.
T.


Diarftv 4 h
? 4|niatfa felra eirtiAro de !*
CONSULTORIO MEDWMIKIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEICO, PARTEHIO K OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fimdfio 3
(Starrati*, >* l^tlljacar rt i
i
Ra do Crespo TST. 9
LIVROS NACIONAES ESTRANGEIROS
Religio, philosopbia, jurispru leucia, litteratura, scieocias e fres.
PAPEL ARIA, OBJECTOS PARA ESCRIPTORIO.
LIQUIDACAO GERAL
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 te 11
Qoras da manho, edas 6 e meia s 8 horas da -aoile, a excepto dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No raesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tiDturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguinlea.
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 185000
de 30 tubos grandes. 24,J000
de 48 tudos grandes. 30,5000
de 60 tubos gran Jes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conformo o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a fcOO ris. i
jLIVROS.
A melhor odra da homeopatnia, o Manual de Medicina Homeoptico do Dr. Jahr
dous grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do r. Hering........... 100000
Repertorio do Dr Mel Moraes GOOO A n ? a osarrf!8s abaix mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
Diccionario de tercios de medicina 3^; de Pars, Londres, Birrmngam, Manchester eem diversas cidades da Allemanba, e tendo comprado todo as memores condicoes
Os remedios deste estabelecimento s5o por' deroas Mohecidos e dispensara por! EJTliSlSSS/S mr.i^6 ? SfK Sg ^^ PT me"0S d SCU Valor* mU PrinciPalmeDt Pr tanto de seren novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios Imente ^tt^^CSLI^J EuroJ ti.
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
60 Ra da Cadeia do Kecite 60.
energa
Casa de saude pura escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, pira o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iratamegto o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ba muias pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que podem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'abi em diante 10500.
Asoperaces serio previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annuneiante.
Joo da Silva Ramos, medico, me-
dico pela universidaJe de Coimbra,
d consultas em sua casa da 0 as
11 horas da manhfia, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as hora para
isso designadas, salfo os cajos ur-
gentes, que serlo soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manla,
Tem sua rasa dt sade regular-
mente montada para receher qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem cnmroodos
ipropriados e nella pratica roalquer
opperaro cirurgica.
Para a casa de sanlo.
I'rimeira classe.. 30Oou diarios.
Segunda dita... 3500
Terceira dita .20 Ksle estabelecimento j Lea
acreditado pelos bons servidos que
tem prestado.
O proprietaro espera qup elle
continu a merecer a cimlianca de
que sempre tem gozado.
Criada.
Precisa-se de orna riada para eosiohar r m-
prar em rasa de homem sulteiro: oa ra do Quei-
mado n. ."12, loja.
I
I
I
Precisa-se de urna ama para tolo o servido
do casa ne posea familia : h paleo da malriz de
Sanio Antonio n. 8.
DE
J. VIGNES.
!V. 55. RA DO 1MPERADOR X. 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje asss coohecidos para que seja necessario insistir sobre a
ma superioridade, vantugense garantas queolerecem aos compradores, qualidades eslas incontesta-
Teis que elles tem detinilivamente conquistado sobre todos os que lein apparecido nesla praca ; pos-
suindo um teclado e machinisrao que obedecem tolas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nnnea falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
Ussimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eDoommendas, tamo nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sorlimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos coiumodos e razoaveis.
Precisa-se de uina ama
para pouca familia : na ra
n umero 17.
ama
das
que
nova
para
Aguas-Verde
Mm rozinhar
de Santa (Ha
com brilbantes, como boloes. anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
is artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Benoette ; com-
perfumarias finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
. Deletlrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Sociele Hygieniqoe, Mompelas,
Mailly, Regemer, P. Guelaad, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na
China e no Japo; ricas pecas de crystal tino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite> e adornos para cima de consolos e para grande loillette, o que se tem
feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal lino inglez'para cha e caf, os ornes em ." ."Eg-jg *^M* nm !**
nada sao inferiores a prala, e muitas outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senbo- imperador n. "o, armaz.m% faz sTo pr4n"\t
ras, excellenles luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana una para cha ecaf, ditos para j otar, e immensos arli- nuncio pan nao chamar -sea ignorancia.
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc ; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan- Quem precisar de urna ama para r*a de
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff&C, realejos modernos de Gavioli & C., para se toar na pouca familia, dirjase a ra
ra, ditos com_ figuras para saloes e ditos com figuras em movimento; mode> nos e bonitos instrumentos de pbvsica (mgica i para numpro 36____________
theatros ou sales, ditos de pbaotasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; stereocopios de nova in-
vencao e com bello sorlimento de vistas das principaes cidades da Europa; grande sorlimento de brinquedos finos para inanias, e
bonecas fallando papae e mame ; grande sorlimento de candieiros a gaz, o que se tem feilo de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitaco na Europa, grande e magnifico sorti.i ento de ca tobas, cestinbas e outras galanteras feilas de crina e seda,
proprios para presentes; grande-sorlimento de estampas fin >8 coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vldros para cosmoramas, um bello chalara de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelara fina, como lalheres com cabo de metal lino, colheres, tbesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diversos artigos feitos de rame; completo sorlimento de
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros ; camas de ferro de todos "
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-;
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias para quem faz pao-de-I, bolinhos, etc.;;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sorlimento de Compra-se eieciivamnie ooro
violoes unos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras nefas de charlo para toillette; machinas para varrerocho, obns ventas, pagando-se bem: na roa larga de
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos bales de papel fino transparente e lanlernas HSi,rio n-n- loJa d'' our.ves.
coloridas para illuminaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
ugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscoutos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 00.
FOGODAR.
No armazem da bola amarella, no oit.'io da '-
cretaria da polica, recehem-se enrommenda- de
ogo do ar para denlro e fra da pn vmria..
C0MP1A&.
p prata re
NO GRANDE AR-
MAZEM.
Compaiiliia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma lauca em tiinieiro, leposilado nos cofres do estado, garante a boa da
m i ni si mea o Ha companhja.
BANQUEIROS DA COMPANHIA* DIRECgO GERAL
O Rauco de Hespaoha Madrid : Ra do Prado n. IO
Estacompanhia lipa pelo systema mutuo todas as corabinacoes de superviencia dos segu-
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira qne em nenhum caso mesmo tr ira ti des
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondenles a estes.
Sao to supreliendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em rcenles liquidai
ces ecoinbiuaodo-ocoin a mortalidade da tabella de Depateieux que e adoptada pela companh-
para seus clculos a liquidares, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsicaoannua.
de 100# produz em effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119,5300
de 10........3:9125600
de 15........11:2085200
de 20 .......30:256OOQ
de 25........80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia u. 32, ou a Boa-Vista rna da Iraperatriz n.12,estabel
ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
FUMARIAS FIMS

DA E ICAO 5 silelr8.in M
Siivmo Goilberme de Harros raspn ven
de pffwtivamenie escravos de aml s os sesos : &
rna do Imperador n. 79, lerceiro andar.
Compra-se ouro, prala e pedras pnriHW,
em obras ralbas : na ra da Cadeia do Kecife,
cja de ourives no srco da Cmntfttk
- Na ra do Crespo o. 16, primeiro aodar-
ibras sterlina- e moeda* de ouro bra.
LONDRES.
Para completa liquidacao
de Paris e de Londres dos mais
Comprase papel diario para embmlho, pa-
. ga-se bem : na padana da roa da Imperatrii nu-
mero 66.
ica"o vendem-se, por muito menos doseu valor, perfumaras muito finas e novas ebegadas recentemente
is afamados fabricantes segundes: E g Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, | Em obras veihas! co^ta-se na* prara da le
vioiet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud 4 Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frere, etc. etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de dependencio n. 22, loja de biihetes. '
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garranchas e vidros de difieren-1 Compra se earam fsemente) o> aiivo r,
les modelos, pos para limpar denles, banba em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer armazem de aigodao de Saunders Brothers 4 c,
presentes, e mudos ontros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande D0 caes de Apull(:___
armazem da Exposic5o de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PARA SEXHOltAS.
Ricos e modernos penles de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante al o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 00.
Ii! VAN \OVAJS I>E JOlVI\.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGRI
Compra-se urna mobilia completa de qual-
quer qualidadecom tanto que esteja em botn esta-
do : a tratar na ra do Alecrim n. 2.
VENDAS.
VKKN-fil
um vest lo de blonde para noiva, com veo,
capella e ramo para o peilo : na rna do Ca-
boga loja de Cascan A Puntual.
RA DO BKUM A. 38.
Altendendo as numerosas occasioes em que tem succedido aos senhores de en-
genho o perderem grande parte de roas safras por infelicida ies imprevistas que os
deixam sem meio de comp etar as suas moagens; como mortes de animaes de roda, ar-
rombamentos de agudas, levadas et;., o pmprietirio desti fabrica lembra aos ditos se-
nho es a conveniencia, nesies casos, de fazer collocar urna machina de vapor, por isso
nao s aproveitando a safra existente e providenciando contra a reinciae'cia de taes
aconiecimentos, mas tambera introduzindo na sua industria um reconhecido melbora-
mento.
Portanto annuncia que est prompto a garantir o assentamento das suas espe-
ciaes e mu acreditadas machinas de vapor, em estado de funeciouarem urna semana de-
poisda chegada das pefa> no engenho. Estas machinas podem ser applicadas a moen
das e meia-moendas j existentes ou pode se mandar com ellas moendas novas a vontade
do compndor. Ellas tem tanques ou depsitos d'agua e boeiros, todos de fero, e n2o
pre:isam pra seu assentamento de obra alguma, quer de carapina, quer de alvenaria.
Estas machinas de vapor sao construidas especialmente para facilitar a condc-
elo, em provadequ j se achara assentadasem lugares onde se julgon at entiio dffi-
cilimo ou impossvel faze-las carregar.
No caso de desmmtelarem-se as rodas d'agua, ha sempre prompto, rodas de
ferro que se assentam no mnimo tempo.
Nesta fabrica se acha todo e qualquer objecto de que possa precisar um engenho.
Vende-.-e urna e.-crava crinla.
No grande armazem da Exposicao de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da imperatrz loja de Mr Dubarry n. 8 habilidades: na ra da Penha n.
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes visljas para quadros de sala e para albuns, como: audar-
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
rv ca. e rom
174 segunde
Amarante.
Vista geral de Guimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Dpuro no Porto.
Villa da ponte da
Coimbra.
Jarean
VISTAS DE IERNAJ?1RU;0.
Tiradas na occasi5o em que S. M. o Imperador aqui esteve
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanM
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz, com a pyramide.
Torre do Arsenal com
a i
em 1859:
ndo S. M. o Imperador no da 2 de dezembro,
iihdo para o Te-Deum no convento do Carmo.
M O Dr. Cosme de S Pereira conti- fl|
na a residir na ra da Cruz n. 53, I
! e 2o andar, onde pode ser procu- i
rado para o exercicio de sua profis- 5
sao medica, e com especialidade J
sobre o seguinte
1 molestias de olhos;
2o de peito:
3* dos org5os geni- g
ti urinarios.
Em seu escrptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
I cao que julgar conveniente para o
I prompto restabelecimento dos seus |
8 doentes. m
mmmmmmmmmmmmm
Saques sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
Eoubo
[- uminacSo na frente,
o, na ebegada de S. M. o Imperador.
raieu uu cuuegiu euui o paiauque.
VIAEU A EUROPA.
Stereoscopios de nova nveDcSo com ricas vistas das princ taes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Li boa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidacao no grande armazem da Ex )osico de Londres na ra da Cadeia do Recife n 60
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8; e na mesma ra loja de n iudezas n 54.
Grande noy idade chegada ni vapor francez Navarro
Pelo vpo francez Navarro acaba de receber de Paris um li ido e completo sorlimento de brincos de fino cristal, o qne se
tem feito
ferentes
fundir com o melhor brilhante:
Na noile do dia 15 do correte foi roubado de
urna sala qne ca nos fundos do sobrado de um
andar na rna do Seve, freguezia da Ba-Vista, no
qual mora o abaixo assignado, os segointes objec-
tos : 1 relogio de ouro sabooete n. 25424, patente
inglez, mostrador de louca escura, com cadeia e
cbave de ouro, e com outra mais fina lambem de
ouro com chave de dar corda, um par de castices
de prata lavrado com anglicas, urna esenvaninha
de prala em forma de concha, prato e espevitadei-
ra de prata, ama crrante do mesmo metal com
diversas chaves miudas, quatro oncas de euro,
2945 em prata que se achavam n'um sacco de da-
masco de la de cor branca e verde. Suspeita-se
que o ladrao entrara por urna das janellas que
deita para o quintal do referido sobrado, abaixo. n-
das quaes fica o lelbado que serve de coberta a co- ~"
zioha. qne no pavimento terreo: pede-se, pol,'
a- autoridades policiaes para que empreguem os nint.rai.hfa
^j^sssffifSSss rS3K8SsSftr
roremofrer^dos.os.objectosroubados,paraappre- S^^TV.X!B
la
do

Semeotes novas de herlalics.
Chegou pelo vapor Gladiator um varlid i s.r-
litnento de sementes novas de horulica : oa ra
do Queimado n. 47, loja de ferragens.
Vendem-se diversas casas de pedra e ral,
urnas na povoaeao de Apipucos e ostras muitas
perto delta, enire as qnaes quatro construidas a
moderna e bem acabadas, de muito km r >mmo-
dos, bastante frescas, prximas do rio CapibanlH e
da estacao dos mnibus por se arharem -mala*
nos melhores pontos. Esta venda faz pan pa-
ra pagamento : os pretendenles diriain-se a seu
proprietario, ahaixo assignado, no referido lugar,
ou ao Sr. Jos Affonso Ferreira, na alfaodega
______________Joo Francisco do Kego Maia.
Continna-se a vender doce de caj em calda,
laranja, jalea e grozella a oOO rs. a libra : no pa-
teo do Carmo, esquina da ra de Moras, arnuzem
numero 2.
CAMBKAIA.
Cambra a de forro com 8 l|2 vara* a peca a i.
est-se acabando : na loja da porta larga da roa da
lmpciairiz n. 52, de Paredes Porlo.
Normas para escripia
Venlem-se normas para escripia por C. Adler,
proprias para meninos, em collercoes de as. I a 6,
e lambem collecfdes de na. I a 12 : na livran.
universal n. 54, na roa do Imperador.
Vende se urna-parle e um predio no .lio dos
Arcos, pertw da igreja dos Ilemedios, o qual pro-
prio para olaria por ter excedente barro, e as tor-
ras quasi todas proprias : a tratar rom Joa<|U>m
Jos Goncalves Bellro, ra do Vigario n. 17, es-
criptorio.
a de mais moderno e de grande moda hoje nos priroeiros taiies, passeios e theatros de Paris, s5o de cristal branco de difd-sUte faiir*-ca qDalro ,eKoas
raodellos etambem d lindas cores, o effeito magnifico des a nova pedra e modello inteiramente novos. bem se poder con- ^mu^mSmmM
Vende se ou arrenda-se o engenho Manass
p n eia da povoa-
moenle e rorrete,
Kndissimas cruzes do mesmo crista um sortimento completo de fuellas de madreperola dVdifferei- M^woroTpm^'esVrbVieeimnto interesan-
tes tamanhos e formas para cintos de senhoras, e bem assim botes de differentes tamanhos para colletes. Caribes de visitas das pes- ,e- Tan,bem >e #ndem aiguos erravo do servi-
soas mais celebres da Europa. Estampas de santos o que se tem fei o de mais fino, grandes e pequeas: ludo se vende Dor menos c? de rampo' f1aval,os d" rod* **"* manso, as-
de seu valor, na ra da Cadeia do Recife n. 60, armazem de Tbouu Tcixeira Bastos? P 8 fi~Y?^ ^f" '
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
JH gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no pnmeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo tanto das operacSes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para denlro quer para fra
da cidade.
Len Chapelin tem exposto a' disposiciio do
publico o retrato da voluntaria da patria a Exm*.
D. Marianna A do llego Brrelo em carlss e
grande formato.
Precia-se alogar ama~'escrava que saba~co-
zinhar bem e comprar : a tratar na rna da Cruz
6 pr;ni- iru andar.
Voluntaria da patria.""
hender como roubados. Offerece-se a gratiflcacSo
de ilM' rs. a qualquer que descubra o autor do
roubo. Joo Fernando da Cruz.
Recife 16 de outubro de 1865._______________
Precisa-se de urna ama para servico interno
e externo : na ra larga do Rosario n. 21< jxriaaei-
ro andar.
Alugam-se duas casas na povoa^ao do Mon
teiro a margem do rio, as quaes estao pintadas de
Irosco, e tem ooos comraodos : a traiar aa ra do
Crespo esquina n. 20.
Aluga-se o prifu&iro andar da casa n. 9 Ha
na ra Direila : a fallar a m Companbia fidelidalle de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rili de Jaueiro.
AGENTES EM PE I.NAM1IIT0
Antonio Luiz de Olivei a
competentemente autorii
toria da companhia de si
de, tomam seguros de
ras e predios no seu es
Crux o. 1.
mmmmmmmmmm:
CASA
Azevedo C,
ados peladirec-
guros Fidelida-
nbvios, mercado-
iriptorio ra da
a fallar no mesmo engenho com
ou readeiro :
o proprietario.
Vende-se urna taberna na ra da Casa" For-
te junto aos acougues, propria para principiante
por ter poacos fundos e ser em ptimo lugar
enmmodos stiflici dentes i od m ir ve la, a tratar oa ra do Impera-
dor n. 46, armazem.
&
LETIU PERDIIIA
co que perdeu urna
Souza. Andrade
r ezes de praso, da
letra foi paga|pelo
s. como consta do
O abaixo assignado faz putii
letra de seu aceite, sacada por
C, em 28 de margo a seis r
quantia de rs. 3,351*750. cuja
abaixo assignado aos sacador
recibo dos mesmos, que tem ei i seu poder, e por
isso nada val, pelo que protesip que nenhum va-
lor lera qualquer tran^ago qae por ventura al-
goem que a achar lente fazer dom dita letra.
Apolinaaio Liberato de Mello.
Foi achado om chapeo de sol,
na* immediaeoes da ra do Sev
i lqpp.dirija-se a ra DireiU a. i
era bom estado,
: quem or $eu
9.
N
FIGADOoe BACALHAU
^
Aluga-se a casa n. 4 da ra do Principe, com
j salas, 3 quartos, cozmha fra, quintal e cacimba
I a tratar na na Nova n. 3.____________
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rna
1 do Imperador n. 79 : a tratar na ra do Crespo
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta pra?a, toma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto- mdicos, este mdicamente que goza era
no, ra do Vigario n. i, pavimento terreo. Franca de um successo to raro como bem
Na ra do Brum n. 6, engomma-se roupa de merecido, reccilado liartmenle pelot
ar So"! e*DhorB'frizalDse babad;)s e *'s m principaes mdicos dos hospitaes de Paris.
o e prego commo o.------------------ q QLf.Q Df, F|(JAD0 DE BACAUlAo desafecta-
naoaASSme KRSTl tftSO. ~ "C ST* 0S ^
ra, sotao, coro pequeo sitio e diversos arvoredos succeSS0S as molestias em que Se emprega
periodos banhos salgados : a trotar na roa nova* I 'eo quaudoso acompanhadas de debi'li-
deSanta Rita, serrara n. 13. I dade e aloma.
I
/
P <*o processo de Cbrrner, pnarmacrutic* tn
Paris, roa do Fanboura. Maitnurle 21.
Este oleo de um cheiro agradatel, e de
um sabor assucarado o nico qne nao tena
nem o gosto, nem o cheiro do peire. Ob-
jecto de numerosos relatorios scientificos e


tolarlo de Peniftafebitee |uina ieira te d Outubro e 9i*.
SALSA PARR1LHA DE AYER.
Transcrevemos aqu alguns
dos inultos attestados que temos
recebido das virtudes da salsa
'parrilha do r. Ayer.
Rheumatismo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Grande loja e armazem o
Pavao.
Roa da Imperatriz d. GO. de Gama & Silva.
Tendo os proprietarios d'este estabelecimenlo de
liquidaren) urna grande porfo de suas fazendas,
al ao fim do crreme anno, aflm de fecharen) con-
tas e apurar dinheiro, resolvi-rara vender todas as
fazendas com grande abatimenlo em precos, tanto
j em porcao como a relalho, e per Uso previnem a
todos es seus freguezes, e ao respeitave! publico, e
(Juro Pelo. | as|pessoas que negociam em peqneua escalla cora
.1 faendas, que ueste esiabelt-cimento encontrarao
Soffri rheumatismo pormoi- UB grande sorlinieuto que muito Ihes hao de agr-
vezes, e vendo annunciado dar ,anl "> procos como em qualidade; assim
um inrn-il ii'pta rirlarlp a como Inantlam Pelos stus caixriros levar as fazen-
um jornal a esta ciaaae a. das e amoslras nas caslS das faillj|as que nao po-
balsa parruha de Dr. Ayer, re- derem vir a loja, ou dio as amostras deixando li-
8olvi-me a comprar um frasco e fazer uso jar penhor.
d'ella; e ames de concluir o primeiro fras- Cambra las lisas a 3.S00, na Unja do
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve, pava.
dr oos joelhos ; aparte do corpo que es-! Vendem-sc pe^as de cambraia lisa branca e
tava affectada d'csse terrivel enoommodo transparentes, leudo oito e meia vara cada pega,
que roubou-me tantas noites de somno.
Erupcdes, horbiilhas pstulas,
ulceras* e (odas as molestias
da pello.
DO SR. OAO PAULA DK ABRE E SOUZA.
Ra de S. Pedro. fin de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de ama
erupija'o syphilitica em todo o corpo, moss
agua hkang...
(olleiras de marroqum, com cascaveis
e sem elles.
Na iua do Queimado loja da Aguia Bran-
Outros objecin
Vindos tanil.'em para a antiga loja de
miudeza ra do Queimado n. 16.
Sapatinaos desetii/i bratico bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambera bordados e
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim/ igualmente bonitos.
pospontadas e com cascaveis, ou -em elles| Meias de seda, colrespondente do tam^l
proprtas para caes e outros bicbinbos.
Peanas iiilezas de ac e douradas.
abo*dos sup.itinhos
Outras mui lina
No novo sortimento de pennas de aco que brancas listradas.
a Aguia Branca acaba de receber, vieram Luvas finas de fii da Escossia brancas e
tambem outras de metal doorado e bicos de cores,
mu bem acabados, e por essas boas e t- Lillas de seda para senhoras.
cessarias qualidades os seus acreditados fa- Ligas de dita para seutioras e meninas,
bi cantes Perry A C, as recouimendam aos1 PentflS de tari ir iga mui fortes para des-
entendedores apreciadores do bom, valen- embarazar,
do mesmo a differenca que ha no preco de Carritois com rciroz preto e outras cores. Q Qdl\u Cttfil(t 6
Carleiras com r. ulhas. "
de lio da Escossia e
Luvas de Joiivic.
a loja de rofodezas un >
do n. 10, resehoii-. s <
8-6 a
-gXl 38-8S.8S28
M c ft..
P 1
i 3 B3
2- g B ai.5.8
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na coniinuaco de escrever ; i
pelo barato preco de 3*o00, ditas muito fiuas, por I assim pois quem dellas se quier utilisar I
4*500,5*, 6* at 105, sendo lapadas e trans* compra-las* dinheiro a vista : na ra do,
remes, assim como cortes de cambraia com salp- n.ipma.|0 in., ,i kani. nranrs n q
ros a 2*800 : isio s na loja e armazem do Pavao,, "eimaoo loj-i a Aguia branca n. .
ua ruada Imperatriz n. 60 de Gama A: Silva. hllJilS l'Olll borlas I' sem ellas
Cortes de phantasia a 3#o00. corliiiailus.
Vendem-se os mais lindos cortes <3e tobantasia i -_ i*-iu o,.i;
mm as mais Iradas cores qce lem viudo ao merca- A Aguia Branca recebeu um bello SOI ti-
do, sends faietida transparente, que seTve al para metilo de franjas com borlas 6 sem ellas
ba?s, pelo baraio precx> de ^500, ditos trancos para cortinados, lodas de novos e bonitos
para
trarido-se sempre com mais violencia naca- fcKndanJWta tina a 45000 : isto na ija e arma- desenhos, cuja comoiodidade do preco est
zem do Paveo, na ra da Imperaira n. 00
.u.i & Silva.
(ambraias de forro.
de Ga-
ra, prove muitos medicamentos e constil'tei
muitas mdicos, e eslava quasi desanimado
quflndo vi os annunoios da Salsa parrilh*
io 4)r. Ayer : comecci a fazer uso d'ella e
(nos primeiros dias ;a empeo aggravou-e,
perm antes de acbar o segundo frasco ti- i^io so'na loja e armatm do pavao, na ra dalm-
jvia o mal dcsappa:-ecido completamente de Pra!?: D-60-de na Sv.
-todo o corpo. >)
Doctor Don Jos. Vai.des Hbhher, profes-
Si)R DK MEDIOffA Y C1BCM&, StJBDEtCGADO
EM AMBAS Ai FACOLTABGS OKL SESTO DIS-
tricto.Habana.
Certifico que be usada la zarzaparril-
la del U>r. Hkyer, y come depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crdotea, asi mismo au- ya"
]or ^ las considero como um porgante, cuja modernas qu lera vintio ao mercado a
accin ademas de ser -.estira, fea sido muy **s oon' manguitos, para acabar,.. 14 ;
eeaf en-ol trtamete de las ofermidades Us cum '""
que exsigei: el uso de tos porgantes, y or
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
da na ra do Queimado ioja da guia Bian-
Na loja co pavtto. Jn" 8' .
Vemlora-se pe?as de-cambraias de forro muito JOgO da paciencia OU CUriOS tieleflh
boas, pelo barato pre-;o de 25 e 25500 a pe^a : mPillo.
Na ra do Queimado loja da Aguia Br-an-
rlCs "i'aB'di ca n" ^' ac^m"se a venda por precos ra-
A 10JOOO, na loja do pavao. J* SaXnbaS CT labJa!, de 1S?S
TMJem-se os m8fs ricos-eortfs granadinos, fa- que das diversas pinturas dellas se formara
zeeiM de muita ptantasia que serve at para bai- agradavets vistas e paisagens, segundo os
lespor seren transparentse cora palma de seda e desenhos que acompanham. Na verdade
lecidos com a seda, peo'Dcraiissimo pre^o de 105 csse un deleitavel efl reteniraeito com o
(#Ja um islo o na oa j armazem ^ pava), na,. .___. ., ,
ra da Imperatriz n.6o! e Gama & Bilva. (iual se desPe & CUrWSldade, 6-pora a 1D-
As cauisinkis do l'avo. telligicia. Os apreciadores irijam-se
Ifende
con
15500, d:-
dilas pre-
est
lineles braucos e pretos.
paraveslidos.
oprias para ditos,
as de novellos grandes
queimandom
Bom c baratissimo.
Ra do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos ebetro mapneticas Itoier para
', as crianzas nao morrerem de convnltdes pelo ba-
redondo. \ rato pnco de 45-
Novidades.
Riquissimas pulseiras oo braceletes para senho-
15. 25 e 35,
Agulhas francez is, as afamadas.
Caixinhas com a
llaspas de baleia
Filas de linho pi
Caixas com linl
para crochets.
Traneellim de bbrtacha preto,
Bonitas flvellis grandes de aex>,
douradas, nadreperola e tar-,ra e paia mm a )lB u t
taruga. das voltas para pescoco a 35-
A loja de miudfas ra do Queimado Enfeites.
n. 16, recebeu um bonito sortimento do Riqnissimos enfeites pata cabrea consa de mui-
sto a (5500, 5, 35. 45- 55, 6 e 75
Fivelas.
Bimitssimas Bvelas de madrcperola e de tarta-
estao sendo N-endidas em dita loja por pre-1 rog^ arsim (:I110 prela&
eos commodos ; a$sim como boas e bonitas
fitas de gorgoro at hamalotado, proprias pa-
ra ditas fivcllas.
Oculos de peueira e de outras
qualidades, para quem soffre
da vista. i vestidos.
A'loja de miudiias ra do Queimaco Binculos.
o> 1*6, tambem recebeu ocelos de penetra Bonito sortimento de binociucs com superiores
com vidros claros escoros, para quem sof- vidros para os amantes do ilieatro.
ivellas grandes para cintos, sendo de ac, l0 6
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
Cruzes.
Rqu ssimas cruzes douradas
gosto que se pode desejar.
Gascarriihas.
Bonitas cascarrilbas com biqniobos
1 aljfar cousa inteiramen^e nova jiara
orm <> millar
eefeiles
vacilo-en psiomendac estas preparaciones.
Y para (os fines que puedan convenir doy
la presente en Regta a "7 18430.
l)R. lOS'V. B CRIIKRA.
Escrop huta.
ATTESTAna DO H.LaI. SR, fWANCISCO IIHlaf
iros santos. Oarc Preto.
" Me echo ha quasi dous annos afcetrdo
rs., mangoi-
los e goiiaaas pretas a 15, linissiinas tolinlla^ de
cambraia branoa bcrdad.i a 500 rs., calcinhas para
menina a G40 rs., romeiras de fil e cambraia
branca tardada a '.5000 : na Iojh da l'avao, rae
da Imperatri:- a.'j, de Gan A Silva.
MHi'.hi'inbat ques de c Vendea-se scuthembarques d9 cor milito ten:
enfeilados a i5. 6 e 75000 para acabar : na loju
e armacem do'i'avo, ra da Imperatriz n. 60, tie
Gama A SHW.
Organdy moemis>ino.
de escrfulas,
gumas vezes
do < vida- c
tsaho-stfio
ta cidadt
ftade randas do recobrara mniia Saude ; fBandO grande sor'Jmenio dos mesmos matizados que se
ullimenKnle reaolvi fazer uso da llsc.var- y,en-em a ^ '* e HSM>0: loja,? arOTaa,-Jn do
rilhade Dr. Ayer. Ccmpleta.n-se boje,*"* mVs^movclo ".Lio ^
trinla.e sete dias que coijiecet me este1 ,. TOM'rM. pavau.
santo.nmedlc e ta^s me.bcras ^USSXSSSSSSStml dorada,
senlitvo fluelenllO COtlviCCao de etP.'areve assim como enfeites para oabeca dos
recobrara naiiha saudc. perdida lis toito i mais modornos que tem viudo
temrx:. listo se "vende por um preco razoavel que muito-
freda vista, assim como outros de armarao
lem-se s mais modernas camnrahas borda- i ra uo (Jueimado, a dita loja da Aguia Braa- (je aco gortidos ih graos
wnan^.i,0\Pi:^:eDh_^^ 'coroas e tercos de cornalina.
ORiloscnferlesparasfnlioras, a antiga loja ;de miudezas a' ra do
k Aguia Branca acaba de=rcceber un no- 'Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
vc e lindo sortiaenio de ecteites es mais >roas e tercos'deBoroina, os quaes estao
modernos -3 gostos inteiramonte agradaveis, ^ disposigao -dos toons christaos que es qui-
s como seu louvavel costume os est ven- ^rem comprar em-dita loja : na ra do
rdeudo baratamente a quera com dinbeiro se 'Queimado u. t6.
I dirigir ruado. Queimado, loja da Aguia: Espoajas ftnas grandes e pe-
| Branca n. 8. -quenas.
leas dt la para senhoras Vende-se na me do Queimado, loja de
Veaem-se a ra do Queimado. ojada miudezaso. -16.
Agu* Brasea>t, 8. inversos objeetos.
Mala mosca A antgalojaije miudetas ra do Qnei-
Nt loja da.lguia Branca cha-st a venda mado *6, acaba de receber muitos e di-
Chegararo -es
mais moderos
mais modernes organdys oair. os |
padioes, seno quasi lodos listra
Assim Of rao uns peo,uininos
que servo para eofcite de reii gto mais com excel-
lente vidro.
Seslinhas. \
Riquissimas'cestinbas rom prearos para me-
ninas tie esco'a trazer m* braco, assim como de
vidro enfeitafaa proprias para mimo.
Pen'es.
Rtpuissimos pentes c Lorvacha com aro bran-
code metal para menina segurar o cabello ['fio
barato'preco de 5(Ki rs., duza 55, assim como
grande-sortimenlo de (odas ls qualidades para de-
9embaracar.
Escovas.
Grande sortimen'.o do escovas oara rcupa e pa-
ra cabello, paraunhas e para denles.
Lunetas e oculos,
"Fmsstmos lunetas de um e dous encllenles vi-
dros c aro de bi'.falo e de lartaruga, assim como
iropiio para quem
DEPURATIVO,
DoD'SERUUX, ePariz
l'harmaceulico de \' cense, ex
interno ht lii.spitacs, prci.a-'
com a medalha de bronze.
-r.i i'
as.
Li de linho,
de se-
Iba 40 res: ma ra e. Queimado, loja1 de
Apia Branca n 8.
.ttkersos brioquedoce entrcioairaent*
dsorada, k Aguia rauca naraa "do enadO'ft
is mejores e ., recehee divefsos briaquedos pama crian- r"^^ ""
Trf \tl V*'sendG 'estradas de ierro, barcas e patee''8 U(W_
Id"-1 fesea preta deoutras cores pa-
ao
razoavel ^ , ibes bao da agradar: isto's na loja < Rfmazem eicctncos, appareiiKS ce metal,teuta pinta- w .t,* ruar vestidos, odiloles, naliis, etc.
. fiu lis Tjoiesiaav iucii na Mes. du Sv5ot:a rua da [llltwral-jZ n.eo, de Sarna. & 'ds e porcelana donraKa para atenfn e jan- 4,em
Do U*t. Sr. Ita Jackso;'. i |^ loallias de linho do Pava*. ilf/r e muitos autros br.<]uedos Ah>dici< muito conhfcu',0 tas procw-ciac do\ Vendem-se superiores toallias de linho 4as me- .,a -e p KAidfaim h-riiampnip na mi.ilu
mi do Bmtl. Ihores que tem v.ndo ao mercado pelo baratissimo ?iZ\^J^?^^2TZl A i Idem <^:3gOdao brancas 6 diversas OU- preffos menos do que em outra garte .assim
na 'i^ueimaao, loja da Agmz Branca o *. I tras.cores pa^a vestidos de chita. muitos outros aojemos que nao se pole mencionar
t n. .lelas prelac 60, de Gama A Silva. <1Q
InmmJiSSTwtH^m asagJ ,AAgu8 Brinca qu^r acabar coa: a por-|
ha ufaneas sendo da mehsr fazenda do ueste secero, lendo nic roda, pelo taratissi- s.apesar < ff-jaho re.eitado a Salsa panilha do fT. 3000a doxU, en 800 rs. cada ama
n_ .* ._ ^ -i _*__a loja e Armazem do Pavao, na rua da-Uiiperalri
Dr. Aiter nos casos r.is inveterados de
Syphilis ceutucionat : sempre >m os
mais felaes resultados; *". o melho. alle-
te queoonheco.
Letatuirritea e Hoces braiaeas.
Temos cartas em que ^.os conlam casss
invetarades que foram radicalmente irados..
com mm -eu do^s frascos 4'esta Sala* par- 60, de Gama & Silva. & o par, aim de que nguero mais calce
ril/,a. .Novas.vestidos na loja At.Pavao a 10^5)0. vancas pretasdc;flgodao,_agira pois 6 apro-
0 espii^) nSe nos nemitte trausTever Cbegmwnpara loja do-rajos mais rieos cor- eharem a*iem-e fu do
ranina ac^stados nnAnaosnimns l vi- ".deJ'?!i3!'le cambraia transparente wm os Queimado, OOS 04 .4UttotaJ0S que. p0.4Jim0S 8W- nais deUnadcs bordados de dUerenles r ores s pon- {* v.in(i' Ja, 4,r,n,.a* arf Unr e*
iides defite .asiraclo eoaaposto Oe SaJS2 ico de agtUJia, sendo nVste.feneroa maior esv.da- ^ vtnue,i ^-urantava-*^ o.par,- aes-
r-' rilha to Dr. 4yer. Basta declarar ao '^e quetem v:odoaomerca*c.araniindo-se < le-"*6*? nico dMCwt'0 estarla: um pouco tri-
publico qiue tem" sido empsegado ha aaais Km moi* roxenda e eofees sulliciente para o
. .abello.
dem lamben de sarja tonada, de bonitos: A-superior agua para at ungir os cabellos, as
e novos deselfeos baTbas brancas e fazer conserva-Ios, os frascos
dem idear brancas, lisas e lavradas, pa- SJJ J? r0tU' ',Ue ensina a l"'"a COmi
droes icuarnie.Je novos e bonitos. w Para ca
dem degrgurao de-seda achamalotada, superior banha sera gordura rom um frasco:
e muito esoorpadas, para cinto de fivellas cora agua propria para limpar a cabeca, os frascos
acompanha um folheto que ensina o modo como
se deve applicar, assim como agua balsmica,:
piala e poz para limpar denles.
de la igualmente ortidas em cores | GFande sorlmenlo deinbas era copos, em la-
t para OS mesmos fins. | como
muiios
por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
mero 7.
f30utemharqes. vestidos fretos, etc.
Novas e lindas guaroiejes para enfeitar
mn preco de 105000 ; das bordadas a croch a ,a~im eo 1)0151 eslado U oueaiRtl 800,
65CO0 *>#300, dnascomfeabadinhosa3(IO, na ^j,...,^ _, esnlviifa .r vaikIaJm a Si O
loja e armazem do Pavao, o.-, rua da Imperatriz n.
muita .'.-./i irla e enfeU
corpo e tnaoges, e veniiMii-se pelo baralo i>r-/> de
de vinte uam pota profesao med, a taato .,iejoto cada.uT), na loja da rvao, na rua S ira-
das America* como da Europj, seui nuoc2kjorairiz.B.i6(i, de Gama & Sihu.
desraentir a ca .aba reputaoao. 6c espanilhos 4f!Pavo.
Par a cura ridicj! de escrfulas e ifTec<*e TandenMe n grande e variado sortimemo de
nflYfnlAB raohilU a mA'atiw vnfaL ^parnllios os mais bemfeitos que lem viodo ao
k .ntereads, sendo de iodos os tamandoa pelo barat-
simo />reo de.45, 55, e 65000,,por haver grande
soriiicenlo, na loja do Pavao, naisa da imperalri:
n..i i', 'le Gama (_ Silva.
.-.-"..!ii!s e moisstidS sypbi-'
littcas, ulceras, feriiks, chaga,
-i':l'i:'.;t.'s entallas t todo e
quaquer incoicax)do que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOaWiM A
SVIii PAKKJMI.t DE AVER.
A' venJa na rua Dtnaita, ns. l.JsS e 76;
rua da Quitanda n. 51 .; praca da (Consti-
tu cao, e 30 e Hospicio, n. 40. na-
rprincipaefi pbarmacias e drogaras ,dc im-
.perio.
Vende-se em Pernambuco:
na
goe/ras,
.Va rua > \\\n. n. 38 veo6---ee um rr.'.kque
de C-annos de tdac'e vico 'de urna es.ca.
.Vende-se wnoiGa em Bemfiea a' margea do
rio ap!baribe, ai IviiCinies ronimcdos para una
grane.' familia : raxa-ie na rua Sota n. %\, dac 9
horas ac i da tarde.
i-Vfri
HARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&C1!
Vendem-se superiores meias crua inglesas pelo
baratsimo preco de 45(00 e 55000.a duzia, dilac
de lodas as qualidades para seoora, meninos e
moninas., na loja do Pavao, na rua ,da Imperatriz
n,0, defama & S;va.
lADg
Pechiuch
<&-
Acha-so
vendt na livr.-ira acad^nica, na rua do Impera-
dor ; na ta Sr. .\..igueir^. jante ao arco de Sanie
Antonio ; na Ky^ograpnia imparcial, ua rua *x-
treita do osario a compilai>o de toda a legi>4ac4io
Xendente aciinisacao, a 'rrecadae;o e iscali-
a SS419** na lja do Pio.
Laaiuas a 320
Laa/iblias a 32o
LaeiDhas a 320.
Vende-se ooi grande sortiraenio das raaisaas
.e raais bonitas lazioas matizadas com os mais
,indos desenboe, sendo azend^ ^ue val cinco tus-
Ies, e vende-te pelo baratissimo preco de u-ma
j.paiaca o covado por ser urna grande peircSo desla
linda fazenda : na loja do Pavao, na rua da Impe-
I rali iz n. 60, de Gama Silva.
I?i,iili ss garibaldinas, s Pari ,-fiide a 326
t 400 rs.
Chegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
lAazinhas garibaldinas com lios de seda, sendo lo
dos os padrdes miudinbos com as mais iudas co<
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no ses.escriptono rua Ja Cruz n. f
Bval sem .igiiB.dk)
fia do Qt^imado os. 49 e.55, oja de
miudezas de Ires portas, esUquci-
.'iiando Itido boro ebarato, queH qui-
mt ver e admirar venltEiu loja do
mi i n lio.
! CiXfsM papel aiuizade, e sem ella Oso a paulado
a-000 rs.
Granas de botoes de tonca praleados azenda mo-
derna ;6 JtiO rs.
Duzias de fpenna de ao fazenda boa a Vi rs.
Pecas de tra/ica de .Oa lisas e e ioda cures a
40 rs.
Tranca deseda com vidrtlhos?, moldes no-
ves e.mui boni-ts.
dem idem de cores tambem de bonitos
laoldes.e agraaveis cores.
i^otoes para as mesmos .ins, sendo pre-
tae de seda laawres ,e menores, enfeitados
oqcj vidrilbos e pendentes e outros de di-
vepias cores.
ci'.m pretos di velludo.tarabem desorti-
dos lmanho. i
lmt-.2s de daos vidros com aro de aco, bfalo
wfwlaraia.
A ioja de miudexas, rua n Queimado
n. 16. recebeu ua: bello sortimento de lo
natos celos de vidros com arraaco fina de
aco, bu&lo e tartarcga, e os est, vendendo'
;por preeos razoaveis : os pretjndoutes diri-
jam-seaesta loja na mu do Queimado n. 16. \
I*
Desde mailo temp o ^jbUrn! :
m! :iikI -nou o uso das pteparn^ne-' (|
iiitilutedas depurativa wfcecid.-
sob a nonie do Arrobes, Xaio,..-jj v^
de Salsaparrillia coroposto* t f
iCoja are-ao, maior parle da* veaesl
| milla." e nalcum* casos perizo^
i O Ctmmim ammwwae
". O CO^TO AGF.A&AVLIS I *)
pvoi r.so ion-r. M c-t iici \
1S Ql'E O SEO HOIO M rH'
nMunavan
Onif^.so iuetMrc .
rcltoftobflveraoeaa Vra
fa sob o palrorii.io das pr:n- ;|,
celebridades medicas, os poe aciiua
de lado quauto lem ekblid* albe
boje.
Cura rpida sem o nm
nenhum oulro remedia in-
terno, das escrophui-.. .
herpes, affeccoes syphi-l
liticas hypertrophi>
dos tessidos celular s
hydropisias e em
todas as molestias prwlu/ >
pela allerarao do sangue ; ta
o resultado que querais;
e que temos sem-
pre obtido.
Urna eiplica^o acco*' - \idro.
Desconfar-se, da> CiIcCcjcik al
tacocs.
Para at encomtndat iriyir-t' ,
Sares. BVISSOH CT a'% 1S, BTri:.,-
Eu-cne, Pariu
de
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receber um linde e magnifico sor-
timento de oculos, lunelos, binculos, do ul-
timo emais apurado posto da Europa e ocu-
los de alcance para cbservaces e para os
maritimos. ,
I
I
!
I
Vendem-se
LOJA DO BEIJA FLOR
Na rua do Queimado n. 63.
Tem recebido um sorroento de cruzes que se
eslao usando, de diversos gostos ; s quem tem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de voltas
de aljofares de diversas cores, enfeites para se-'
nhora de diversos gostos,
Resulla pelas ejperin.cias fciu a
Franca pelos mais afam.. ios meSkm ic. .-..
LAS e o x Miorr de nvnnoroTVi % \ i \
Z. LPfNE sJo o oplimo remedia eoBtra i
otea de imi-igf.ns ou UERres e ouiraj o,, v-
pelle, al as mais nreleradas, a.-,,T;i ,
JU MOlil'IIL \, a Smil.IH. as Ol.t~TI\- (
FILOSAS. OS RHF.lHATIfltfOS efcmi':-n-.. i
Deosit geral em 1'arU. txa casa .'e r.i i-
VABELONYK. rua Bourein-MUnen-e. \ \
e mais baralo do que
ohioas arm.iici.nas de serrote para destrocar I era IM'noer oulra parte.
aJrado : na.ffts ela Sema la,no va n. 42. l'acas e garlo .
Vende-se f.-.ccas e garf s de cabos de balance de Rarliei7a p JnSn rta C Rra>n t r
nmboiaoaS200aduzia. dilas de dous boloes a
Venuem-se no Recite em casa de flasft i
deeores
rs. o
paca limpar (entes i 40 e
eos Astreitas com AO viras a
Escovas fiaisiimas
320 rs.
Pecas de fila de
320 rs.
Caixas com eolcfcfcies franczes, superiores cuali-
dades a 26 rs.
Tinleiros de barro, ieom superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordao para vestidos, fazenda boa*
20 rs.
Bzfalhos muito fino para torete a 200
ft) rs.
Lus com superior banlu a 200 ra.
Aiwellioj'es /hilas fr&ncezas
escora* e fixas a rs. o ?%ndi!?,par5dC^a i?100' (ii,,as de eabo "i610.
... a j2O, ditas de cabo branco, rolico e cravado a
covado!! !3jioo.
Na-ma do Queieadon. | vendem-se chitas tran-! Tem recebido variados sortimentos de balaios
cezas escoras e finas a 280 o covade. para meninos de ecola, deforma de peixiohos, I
----------------1-----------"----------?------ patlnhos e oulras de diverso gosto, que s com a
No fl,T'Ttll7PBTl flP lrtV.PTinaSi v's,a bem se Pde apreciar, e tambem serve para
5 'o leilSo do hospital portuguez : 19*3 para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
Escovas para roupa.
Veade-sc escovas para roupa
RIVAL,
Rua lo <|ieiB>ado ^9 r*l.
Contina a vander leda* as^hiod^za joe .ta.x
declara por precos admiraveis.
baratas de Santos Coelho
19.
res a migacao das sedas de quadrahos, e acabam- FrA ^Co dos dintekos de orphaoe defuotos e ansep-. se pelo barato preco de um cruzado o covado, islo fSS! e S* ?
4fcs, herancas seeoun, legados, etc., contendo nao pechinchs : na luja do Pavao, rua da Impcralriz MOr?.
tes etapregdbs de iu^tiea fazenda, e3mn dos di-
reitos aaciooaes e emolumeatos que fo devidos.
Este livro contendo niiiV df 700 paginas ra ntida
impressSo e bom papef. e prestndose a ueilidade
recommec-'Javel.
sto 10*000 por cada en
omos.
Algodao trancado da Baha
A. V. da gilva Barroca, roa da Cadeia n. 4.
Vende se om escravo flor com 16 annos de
idade, muito sadio e forte, inoito esperto, lambem
se aluga outro da mesma tiui* : no Corredor do
Bispo n. 13, a ver a qualquer hora. Na mesma
casa precisa alugar-ee urna e.-crava que eja fiel e
saiba vender na roa.
garratinhas com agua de Colonia a
com superior agua e Colonia a
ebeiros muito finos a
a 240 rs. e grandes a
e de
para
Frascos bonitos com cheiris finos a SOO rs.
Dum de meias muito tinas para senhora
s o regiment d .cusas e a lei eral das txecu- n. 60, de Ga&na (& Silva. Fraecos trandea
$6s, como tambem todas asrdeos e avisos do Vestidos a 4 640 r*
K2M22 ^^L,Pir'otra2l0cH! ***** ^^ vestidos a Maria fia om Caixas eom 12 frascos de
_^^n**?*_,*?H?^_??!l*^??.f'??!^ ImnMboirtfada^jetotea-aUsataao prende 4*000 1*100
para acatar : ua toja e armazem do l'avao, rua da Sabonete* pequeos de bolla
Imperatriz n. liO, ik Gama & Silva. 320 rs.
kaunias a 160 rs, I I'uza de sabooeies pequeos com cheiro a 700 rs.
Vendem-se superiores -lazinhas iransparentes Agua dentiflee superior qualidade a fiOO rs.
Sen S ml'r r'a xemnlar enTtam com bo,ji,0 Padr5es- 56,lo lisa' e de Wn. P^ allas (!om "*** p de arroz a 800 rs.
ida exemplar em >" baralJ58W0 ^ de'ieo r8 covado<' JJffi Frascos de superorec essencias santal e outros a
____.______________ acabar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz u. 60, 1*200.
Vende-se earne do serian mullo nova a 400 de Cama r. a libra, e de oilo libras para rima a 360 rs.: na Manguitos e golas a 00 rs. a 500 rs.
roa de Santo Amaro n. 8. e na lravea da rua \ Vendem-se maoguilos cora golas de cambraia "a^os pm'meiros de lodos os precos a 160, 200,
Beba n. 8. I pej0 baratissimo preco de 00 rs., isto para li-
no armazem de 'luidar : Mioja do Pavao, rua da Imperatriz n.
60, de (iama Silva.
Cortes de chita do Pa vito
Vendem-se cortes de chitattranceza muito boa
com 10 covados a 2*500, dito! com 11 covados a
'JtT^T* Cm,'2 2TSS a UT\ ht0S Pe para acabar : na loja do Pavao, rua da Imperatriz 10 varas a 600 rs.
n. 60, de Gama Silva. Dtas de bjcos SDperoreS> para acabar a 600 e
ijataluus para calicri de senhoras. 800 rs.
Vendem-se superiores agasalhos para cabera de Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
senhora ou cachins, sendo fazenda mais moderna Rimeros de choro e panno a 160 rs,
qoe tem viodo neste genero ao mercado, pelo ba- Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
; ralissicoo preco de 3* cada um : na loja e arma- Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
zem do Pavao, la da Imperatriz n. 60, de Gama Grosas de botoes pequeos relos oara calca a
& Silva. 100 r?.
i Cbales de renda a 106. l .-j, i;>$, 20* e 2o,, na
laja do Pavao.
Vendem-se chales de renda prela mullo finos a
10* e 12*, ditos de linho a lo*, ditos de seda de
chales de reuda a
Gollinhas rooito finas para senhora a 200 rs.
Caixas cora soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Vendem-se capellas de a'jofar para srem collo-
cadas nos tmulos, catacumbas, sepultura;, no da
2 do vindouro noverabro (linados) com as inscrip-
caes seguintes : meu pai, minha roSi. raeu esposo,
m'raha esposa, meo filho, minha filha, saudades 6lc.; liuho dos melhores que ha em
etc., e tambera se veude orna capella ri(|ui?simai 20 e 25'S, ditos brancos de tres ponas a 6$, islo
de marmore : na r.raca da Independencia loja de s na loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
calcados ns. 37 e 39, as nicas que ha no mercado. I n 60, ele Gama & Silva.
varas" de cordao de espartilho a 20 rs.
Novellos franrezes com 20P jardas a 40 rs.
Prcas de liras bordadas a 640.
Uuzias de meias cruas muo fortes e superiores a
3*500.
Vendem-se verdadeirosj charutos da Baha,
feitos com fumo de Havana : no armazem do agen-
te Olympio, na rua da Cadeia do Hecife n. 36.
Rua tio Queimado a.
Vende-se o seguinte :
Oobertas de tula fina a 2*800.
Citas de dita 2*400.
Lencoes de pauto de linho a 2*200.
Difs de dito de Jinho a 2*.
Ditos de bramante de linho de um so panno a
3*200.
Panno de linho fino eom 9 1|2 palmes de largu-
ra pelo barato preco de 2*400 a vara
Bramante de linho fino eom 10 palmos de lar-
gura a 2*500 a vara.
Pecas de cambraia com salpicos brancos
cores com 81)2 varas a 4*500.
Pegas de cambraia adamascada propria
corneado de cama com 20 varas a II*
BaJec do arcos a 2*500,3*. 3*500 e 4*.
Lenco* de cambraia fina a 24600 a duzia.
Ditos de dita a 2* a duzia.
Athoalhado de linlw fino a 2*800 a vara,
Di lo de algodo a 2 a vara.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos'de largura
a 1*200 a vara.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para sa,a a 3*500.
Fil de linbo liso fino a 800 rs. a vara.
Dito de dito com salpicos a I* a vara.
Cambraia de linho fina a 4*500, 6*500 e 0* a
vara.
Cortes de laazinha de lindos gostos com 15 co-
vados a 5*.
Pecas de madap..|ao finissimo pelo baratissimo
preco de 8*, 9*. 10* e 11*.
Flanella branca fina a 600 rs. n cavado.
Dita de cores fm 'O .<
Bales de musstbna ^ara i... 'Ua a J, 3*50
e 4*.
Cambraia de fjrm a 3* a peca.
Dita fina a 4*500,6* e 7a a peca.
Guardanapos de linbo a 3*800 a duzia.
Toalhas de algodo felpudas duzia a 12*.
Esteira da India propria para forro de sala de
4,5 e 6 palmos de largura per menos preco do
que em ontra qualqqer parle.
Neste armazem tambem se enconira um grande
sortimento de roupa feila e por medida.
muilo finas com
difiranles gostos a 640 e I*, ditas pera denles a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se psuiado papel e caixinhas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmv^lopes a 640r.. a ca i
xinha.
""CAMAS DE FERRO
Grande sorlimento de camas proprtas para col-
legio e tambera para quem quizer passar a festa :
vende-se na rua Nova n. 33.
mM~ VILLAR
Com loja rua do Crespo n. 17.
Receben d Pars sedas em corles mui-
to superiores e bellissnoe padrdes, e
| chales de renda pretos para 10*.
f Ust importante estabelecimenlo torna-
le recommendavel ao bello sexo pfla va-
PP rjedade de fazeudas uperiores e bellos
Sgofto*
Proteja o bello spxq ao Villar
e verotodo* a pros^eridade.


I
i.i

Vende-se riscadlnho francez a 200 rs. o covado,
por ler graude qnantldade, esla-se acabando : na
rua da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Paredes Porto.
Atten^ao
Vende se ou aluga-se um riti no principio
da estrada do Arraial, com boa casa, a qual tem
muitos commodo, o sitio tem mallos arvoredos,
bom baoho, baixa de capim, diversas planlacoes
ele, etc., torna-se recommendavel para passamen-
to de festa por (car perto do Parnameirim, onde
passam os mnibus e breve passar a estrada de
ferro: a talar pa rua larga do botarlo sobrado
D. 22.
Vende-se urna preta crioula de 18 a 20 annos de
idade. com habilidades, nao tem vicio nem acha-
quo, muilo sadia e posante, propria para casa
de grande familia
Boa Vista n. o i.
a tratar na rua da Matriz da
G\Z.
No armazem da rua do Imperador n. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, lera para vender-se o me-
Ibor gaz existente no mercado.
Massos de ('aillos lixa 'os par.-. >;** i '..
Espelhos de mcbUiras eera -1 9 0,248
Bonels de oliado para nvnhi ,. | no.
Ditos de couro .-nperior banda ; I".'
Frascos rom Mntrior tinta nina a 2Q r-.
Meiadas de mba froxa para bwdiiJ H
Caixas com 100 envelopes, fazenda Ri -
Grozas de pomas ileafe. fiinna > i i
Grozas de botoes madre;*rola : u i
e 640 rs.
Caixas eom 50 mvelioa de i.nl.a v gaz a ; u
Caixas rom snperiorr ohratos V la a I
Pecas de lita brinca elstica eom I '.ata- i .<< r
Varas de franja de la para mfntr de .:
40 rs.
Baralhos dourados suii. riores ,}!iai ; i a ,% -.,
Novellos de lii.ha ron KM jardas M) r-
Livrus para asseMus Je ronca tawadb a |m
Pares d;> bolf.es para ptmlto, l7en |Tesouras para costuras superior-.- i;ual:\...f.
400 e 1.
. Caixas de pennas de ralbgraphia. bMmfe fea
lUOU.
I Massos com superiores gramas a M rt.
Pares de tpalos de trinca a tape) a i
Caixas com superiores afoHaM a IM rs.
Libras de laa sornd.i- da baajms r f- ^ 7< i.
Caixas com sorcrinre obrejas de ma-.-a a i> r^
R'idlnhas com alflneles trancazos iiniiin str.-rrt.
a 20 rs.
Resmas de p.ipei almaeo a 2*400 i -:' :#:o r
Escovas para rou'n, fa"zcndu boa a T=0 t I*.
Duzias di tesoi'.ras core t?30' d- r^-v-n
600 rs.
Duzias de faca? e prfea de ral i r.-., a Z**:-.
Talheres muito fino para enancas a M *%.
Pulseiras para meninas s 390 r's
Ditas e rollas para =tnhnra i m
F; isros de .\?ua Florida uJettatn : IMMk
Frascos com soperi.'r bat.hi a NO f '
dem de snpenorolM bal- -,. i NO rs.
Caixas com lamj.arinas par.-. :i m-r a 40 r-;
Varas de babadt) do Porto a 30 e IV r.
Carlas de alllnelps franrezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 i.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo donrado, a 80.
lilas para vestido? a 55
rs. o covado!!
Na rua do Queimado d. 1 vender.-.-e superna
laas para vestidos a 240 rs. o ova* ; a rta. ?*
tes que se arahPm.
gaz, gaz. gaz.
Gaz fm latas, o melhor que lem vindo ao ner
cado : vende se no armszrt.' u\ Barres 1 Siit.
i travessa da Madre de Dos o. 57.
Wmm ^Bak. m aaaaai
-.r>*-


Diarlo de l'ernambnco Quiuia Ira 2 de Outubro de *

N. 11 Ra do ueimadoN. 11
y. A loja do fazendas de Augusto Frederico do.s Santjs Purto, acaba de rereber um mni-
f-1 to grande e novo soriiftit-ato de corliuados bordados para cama de noivos a 35, 40$, 4i5,
| 50*000, 60,5000 e 70*000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 15300 e 2*.
Caelnnez de la de diversas e bonitas cores a 3*5*00 e 43.
Chales de Kuip, fazeuda a mats moderna, a 165, 205, "5 e 2o*.
Kotoudes de goip, tambem os mais modernos a 26,5.
JL Colillas de soja de edr para cama de noivos a Sj3 e 60-3.
gi Alcatifa de iiuho para salas, tazenda larga, bonita e de milita durajao,
? covado.
to Tapetes grandes e pequeos, com ricos desenhos, para sof.
K Satas bordadas para senhoras a 75, 8,5, 9* e 105-
Cipas e soulerubarques de seda preta pata senlioras.
lijnets, chapeos 8 chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Cuapeos elegante; para senhoras, a 12*.
Pecinhas de Boisslma brelanha de liolio a 75000.
Laaziabas de quadros a 320 rs, o covado, setim oe Pars 700 rs. o covado, e
braias francezas de coi es a 00 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdenopole preto e de cores, esguines, silesias e cauL raias ee liuho, sortimeiito, de diver-
sa? fazendansiara luto,chapeos de seda para homens a 9,5 o 10r5, chapeos deso de seda,
udus manguitos bordados, e oulras limitas fazondas que se venden) por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
li l !J
No ultimo vapor vind da Europa
Superiores cortes de seda de cores o quj tem viudo a Pernambaeo de melor
em seda.
Assim orno mais algumas fazendas de bom poste .para vestid?.
gosto
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve d
tanto deste armazem como do armazenj
teo do Carino n. 9, principal armazem
dor n, 40.

1
.:-
\ B0 CRESPO ]* 13
LOJA. DE
Antonio Correia de Vasconcellos e 0.
-.

-'yr a ago gas
JO-- 4>.v
:-' \0-
CtUTiHEg 5S3G SEDA
ar .i i i !lo paquete ugiez riquissimos cortes de moreaallque de cores, o seda lavrada pa-
..... Di DOVOS.
Seda de quadros por L?000 o covado
nuH uu CRESPO -5
Amura! fc Cenpanhla.
Fazem scieute ao respeitavel publico, e com especiali
genhos, lavradoresemuispesiuas Jo centro, quo naca mais fa
beraram os proprietarios dos tres grande armazens, reunir
tnentos em. um s annuncio, pelo qual o preco de um 8
naos que nao infringiremos a tabea que abaixo vai publica
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro,
mente em oulras rauilas casas, porm nos nossos estabelecirhentos nao se dar i
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder n
serao tara'.em servidos como viessem pessoalmente fazendo-oos
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, n
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que s
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos
5 por ceuto na sua despeza diaria.
ENCICLOPDICA
-lis: da fispeda i B'iz as-iuazcm
da porta larga 58.
. a i tdarla fradi eza rctSes Porto.
: I ecircento encontrara o respeitavel
um variado sortimento de fazendas franee-
-. suissas e all naes, que s.1 venderlo
; i c imodo.
Paredes Tirio
dIc i de renda s cores que se vende-
vendando por 65, dit>s pretos, fa-
' 85. S-5a 20*, um son:-;:-oto pom-
i' i de mmeteles, capas e .-uutambarques 14* a
ratriz u '.', juu'.o a i adarla fian-
. armazem da pona larga.
des Porto
um rraptoo strlimento la ISasinbas a
Paredes Porto
jReceeu pelo ultimo paquete francez ricas laas
grmadinas com Aires de seda a OO e 500 rs. o
co ado. estilo acabando-se, carabraia preta para
ut). Porta larga junto a padaria frauceza, a ra
da Imperatriz u. i.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapoln a 45300, 55, 6,8 e
10r>, pecas de algodSo por barato prego, chita fr.io-
ceza a 240, 280. 320, 360 r. o covado, precalias
inuil) Dnas a :JG0, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 2W) rs. o covado. Raa da Imperatriz n.
52, juno a padaria franceza.
Paredes Poito
Vende gangas de cr propria para roupa de me-
ninos a 3i rs. o covado, riscalo francez fino a
320 rs. o covado. lina da imperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo parite espartilhos a pre-
goicoso por 3f, sao baos, lencos de seda para se-
nhora e homem a l, ricos cortes de cambraia
Superior serveja
bricantes, como seji
Ashe a 7,5oo e7,o(
a garrafa. Tamba
como seja: Victoria
zia e a 5oo rs. a ga
vid
Superior vinagre
caada e 280 rs.
Sfrveja
e Lisboa a 2,ooo rs. a
lgarr;fa. Tambem ha
mais baixo para 2oo ib. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azei} doce
. '.. le 500 rs.
I atriz n. ^- janl ;> pa lai la franceza,
larga m
1 i para i ama franceza a
115 a | i nbraia to .. oj 13 at 103 a
. coruv. ile tarlal i< a h h ti ; s(? stos a 35500
fio le si' inteira-
o covado, n i armazem
! Imp iratrl jnnto a pa-
frai
Parfilej P-ert
allin io te um sortimento de
Iras para 5, b inil >s caxineis
ira pesi jo di ;.......' Roa da imperatriz
1
.. arm .::., rta rga.
Paredes Por
i
bordados de 18t? a 7j, por icr um toque de mofo,
eslo se acabando, na ra da Imperatriz n.52, iun-
' 1 rs. &>vado<. i .1 afabar, cambraias de m a padaria franceza.
''-'- ;i ira r u- n ----------
U armazem da arara est fa-
zendo liquidadlo detodas
as qaalidades de fazendas,
na raa da Imperatriz n. 56
Lonrengo PerPira jieodes Gnimaraes, dono do
grande estabelecimento, tem resolvido vender as
fazendas por meos do <|ue em outra qualquer
parte, menos 30 por cento.
Cambraias brancas lisas a 3^000.
Vendem-se cambraias brancas lisa> a 35000
35500,45, 45800, 6,5, B5o00 e 05, lapadas a 65500
e 7jj : alendes Guioar&es.
Chales de merin a 2:>000.
Vendem-sc chales de merino estampados a 25,
merm liso a 35SC0.
Gsberlores de ilgodia
Vendem-se cobertores ue aigodo a 800 rs., di
tos bons a 15600, 25 e 55500.
Cambraias de um i s cor
Vende-se cambraia de urna s cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saias bordadas pelo barato Dreco de
"5000. v
Corles de cambraia
Vendem-se os mais modernos cortes de cam-
braia bordados, seuao fazenda de go>to, a 105000 e
125000.
Kiscados esrocezes a 2S0 o covado
Vendem-se riscados escocezes a 280 o covado,
tiras bordadas a 15. -mremelos a 800 e 15.
Lininkaa a 220 rs.
Laazinhas finas a 220, 240, 280, 320, 360 e 400
rs. o covado.
Corles de rambraia
Vendem se corles de cambraia com barra a 35
e .'5500, ditos sem barra a 25800 cada corle, Men-
dos Goimares.
Chanbreg
Vendem-se chambres para homem a 45, e s
para acabar, pe tos de linlio a 000 e 15, lentos de
hnho finos a 300 e liO rs, colarinhos de lioho a
500 rs., camisas rancezas a 15'tOO, 15800, 250OO,
2540, 25000 e 25800 : s Lourenco Pereira Men-
es GuiiK.res.
Corles de ia
Vendem-se cortes de la a 35, 35500 e 45500;
MenJes Guimares.
Cbitas para cubera
Vendem-se chitas para Cubera a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
Cambraias de cores
Recebea-se um (raade sortimento de cambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casemiras
Vendem >e casemiras a l-580 o covado, finas a
25240. 2#5QQ e 35 o covado.
Mantciga hgleza perfeitamente fior ebe-
gada ltimamente de 1,00o a -I,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abamento.
Mantciga franceza da safra nova a 8G0 rs.
a libra e em barril lera abatimento.
BAMIA;
Banlia refinada superior a Gio rs. e em
barril ter abalimento.
can
Cha uxira de prmeira e superior quaiii'a-
de a 2,8oo rs.
dem hysson o mdlior neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcio ter abalimen-
to, tambem lia proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,uoo rs.
a libra.
Biscouos
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata. i
Ii3aehiuhas
Latas com holacbinlus da acreditada fa-'rs. a
brica do beato Antonio, proprias para dar a!
doenles de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. | JB^^S,]
dem com qualro libras de-bolacliinlia de Gencbra de laranja w
soda a 2,ooo rs. a lata. du'.ia e 1,000 rs. ao fias
OllPllOS Gencbra de Hollanla
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus.
Grande sortimcnlo de fazenihis por atacado c a rctalho. e um completa sart
ment de roapa feita, de casemira e de brim, ludo por menos <\m tm
outra qualquer parte: quero, duvidar venlia W.
CALCAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta de finos
brins (trancos e bom brim pardo.
Paletos
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo. w m
Colletes
Dase e PUOSOS, de boas casemiras pretas e de cores o de tino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas do 2$ al 5.
Cero lilas.
Ceroulas de superior bramante de tino linbo.
Italcs.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at 12 anuos,
dem superiores para senbora.
QnwUut c maulas.
Superiores mantas para pescoco de bomem, as mais modernas do mercado.
.YEadapnlao.
Madapollo bom a 80, 9&, 10 o lio.
Chapos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balito a 10^.
Feaqsies de easemlra.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao bavendo au-1 sim
ao freguez manda-se fazer por medida e com muita promplidao.
nao arrepender pessoa! Todas esta3 fazendas por precos insignillcantissimos, pois o Oto do Ma aoV
pois poupar mais de qmnrfreguezes.
LOJA DO BALAO
DE
progressivo pa-
ma do impera-
c aos senhores de en-
iiilar suas compras deli-
odoj os scus estabeleci-;
.'r de todos, promette-'
lo, annonciar os gneros
como socede constante-
andar seus fmulos que
|o favor de mandar scus
metiendo nos urna conta
Bass dos melliores fa-
rm: SBlers & Bell. T. F.
o rs. a dozia e a Too rs.
ha de outras marcas
Alcope a >,ooo rs. a da-
rafa,
gire
AJXEVEDO VMS.
Superior azeitedoed
garrafa c a 4,600 rs. a
Mat
de Lisboa a 600 rs. a
caada.
teas
HINCHA
NO
ARMAZEH BE FA%EDA
Macarrao e fialaerima 3(30 rs. a libra e a
5,ooo rs. a cai>:a. I
PaMU
Superiores pascas
arrobt
j,.*i o
ac xa i
ibra.
l,5oo o qnarto e
hespanboi:; e a 32o
rs. afiasqueirae a 5Go
Queijos namengos ebegados no u.imo uom je uoJianUa em
rapor a 2.000 rs., tambem ha do vapor pas- t]a urns.
BIIA
rdadeira a lo,5oo a! M
o.
verdadeira a c,ooo |
rs. o frasco.
botijas a ico rs. ca-
Garrafes com 24gar-afas de gencbra de
\'*hoe I rgnrao prelo para vestido cora
rad cada um 35500 I, Rrsdenaple preto a
_'. 1 < ova lo, aas lizas finas a 400
ISas iIh i|iiairinlii para vestido, enflo-
rado. Raa da Iraperatrii n. 52,
.... larga.
Paredes Porlo
para vender por pre?a comraodo, pegas de
m I varas a 75. 8-5, panno de
i para enejes a 610 e 700 rs. a vara, braman-
ido 1 de 4 largaras a 25200 e 255'00 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
g )sl s a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
lino, rieos cortes Se cambraia Mara Pia a
205, iirlatana bran i e <- cor a tilo e 720
vara. I!ua da Imperairi: armazem da porta
11. 52.
Houps tilia
1 da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
i .1 1 ada. 1 franceza, eocontra se oeste cs-
1 oto um completa sorliraeoto de palets-
1 -, d.: todas as qaalidades, cai-
co! tes, c roulas, camisas, grvalas, metas,
deso, ditos francezes para cabeca, por
I ara menino e outras
' ndas ; prejos commodos, armazem
rta larga.
' ':.'.-nto encontrar o respe!-
- ipre um completo sortimento de
fetas de todas as quaiidades, como sejam
pal de alpaca preta ede cor, ditos sobreeasa-
: 5 '. J, lil isde brim parJo a 25800, 35 e
: lioo a i.3, ditos meias cazamira a
1 55, ditos cazemira siccos a 05,75,85
brecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
a 65, 8 e 113, ditos sobrecasacos a 125
'\' ue merino preto a 65, 75 e 105, cai-
bnm de. diversas qaalidades a 15800 a 45,
- brimeos a J-iOO e 6300, ditos catemira 53,
65 e 73, ditos pretos a 53, 65, 85 e 105, ditos
eazemiras a 3| e 45, coletea de diversas
la li s, si roulas francezas de algodo, dlas de
, ditas du bramante a 25 e 25500, carnizas de !
lao de linho francezas de 25500 e .-i5- Gran-
cbio ha neste genero, grvalas de todas as
q lali lades o brancas para casamento, grande sur-
' lo de meias para senhoras, ditas para homens ;
a 35. superiores a 35500 e 45-
colares Royer 011 colares ano-
dinos
superiores a 35o()0 e 45- I para facilitar a denticao das enancas e preserva-
: eoinulft) sortinento de chapeos de sol de las das coavulsoes.
1 35, dil di seda a 55, 75, U'5 e U$,' O feliz resallado oblido immensas vezes pela
flilos francezes para cab ya, grande sortuneuto I prodigiosa furga magntica d.is colares Royer, nos
a ,;'*- casos de convuls5es, e denticao das criangas, tem
PcCllHClia ailniravel. altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
Grande sortimento de chambres a 15600 e 5- e hoe i4 5e Pde dizer "De est5 geralmente con-
leaces do cambraia para bomem a 25 a dazia, di-1 Je,t"ado?> e estimados de luuumeraveis pais de
: linho a '5 e 55. familias : de uns por.jne do uso dsses salutares
Grande snrlimento de roupa para meninos e 00- i J!?_re! Iiram.salvos 0 peri?, _seus fnars nin-
tras mnitas Dualidades que seria enfadonho men-
las.
Hollauda a S.ooo rs. o
ha agarrafos com 5 e 14
G,ooo rs. cada um.
Vl-LA
Velas de spermacete
dem de carnauba d(
arroba e de 3Go a io r;. a libra.
garrjfao. Tambem.
garrafas de 3,2oo a 1
1 Goo rs. a libra.
lo a 12,ooo rs
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Cbocolate bespanhol a l,ooo e I,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l,ooo rs. a libra
e portuguez a S00 rs. a libra, em porco
ter abalimento.
VINIIOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
ouro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces eoutras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melbores
marcas a 4oo e 000 rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e i.000 rs. a caada.
Superior vinho cliamisso em barril a Gio
rs. agarrafa ea 4,>oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2co a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
NA BAO
Sabo maca de prmeira qualidade de 18o
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo'Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
em cax3o. 'lata.
com 22 e I|2 varas e com um pequeo toque da
RA DO QUE i.M A DO 27
CUSTODIO AKV.lMIO & C
Peras de madapoKo fino france2
mofo a 85000 rada peca.
Cambraia branca para forro a 1?5600 a peca.
Lencos de cambraia para homem e meninos a 15600 cada duzia.
Cambraias organdis milito lindas a 600 rs. a vara.
Gassas de cores a 260 rs. o co*ado.
Laas de cores muiio lindas a 300 rs. o covado.
Ra do 4|neimado es. 9 9, aruinfeem de fazendas.

- -,,

QSX.
t&* ::'":
MODA.
Paredes Porto recebeu pelo ultimo paf|iieti>
boarnus de cores ricamente enfeit^d a 12?, 135 e 205
tejada porta larga junto a padaria franceza.
nm "completo sortimento de rapas <
na ra da Imperatr:: a. 52
PEIX
Peixe em latas j.i preparado de l,ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAIXCO
Alpista e painco milito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e d 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serras,
."Uanoel Peixoto da Silfva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaesvendemos pelo mdico pre$o de l.Go,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4/o), e 5,ooo rs. a caixa.
Uetre
Licores francezes e poriuguezes a l.ooo e
l,4oors. agarrafa 011 frasco.
Doees
Doce da casca da goiaba e caixes pc-
queoos a 7oo rs. e de| 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caix3o.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muilo bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 01 rs. a lata.
ijMfcii
CHAPEOS A
Novo modello de ci
Fazeudas.
Vende se superior merino preto proprio para ca
pa- dn senb ira e vestidos a 25, lustrn) d. China
a 15S00o covado. ua da Imperaiuz^i.orta larga.
Paredes Porto.
Venda em seu .->: ibclccimentu t;ras e eniremeios
.bordados,prande Borlimeato de corpia'u-s rica-
l 9 "". ;5 e 05. S oParrdis Pur-
t, raa da [mperatrii no 52; porta larjra junto a
padaria fraaseza.
nhos e de outros porque eollieram daquelles tao
proficuo exeipplo para i^ualmenie preservar os
seus. Assim, po's a aguia branca, lendo em vis-
tas a utili-ade e proveit > desses prodigiosos cola-
res anodinos oa R lyer, mandna vir o novo sorti-
meoto que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempa algnm a falla delles possa
ser funesta ao- pas de familia, os quaes Bcaro
certos de os achar constantemente na ra do Quei
malo, loja d'aguia branca u. 8.
Charntos da Bahia
a 15 a caixa j na ra di Moeda n. 43.
'Y*
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
' Figos pelo ultimo vapor
Fructas seccas pelo uitimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Receberam Gregorio Paos do Amaral & C. mais um completo sortimento dkl
Fili JPJRfiTO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaines.
Annamites.
Ponfradoan, etc, ete.
i:\Fm(AO iIIsih: io a ho*
hapos ingleza de fiaissima palba para senbora com ama
ampia banda de tifo de cores.
de laa preta e de cores proprias para luto, 011 passeio pelo dmnutissimo preco de ls>.
Seda matisadi em pecas
padres modernissimos que faz o effeito de um vestido de subido prero. Assim como :
ricos cortes de moireanlique brancos, ce cores, de gorguro lavrado de Blond paraca-
same do.
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objectospara noivado.
CORTEN lll TARIATAMA
cora enfeiles de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padres e feitios difierentes.
E outras militas fazendas por precos commodos que vendem
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
5 RA DO CRESPO 5
V
Queijos londrinos pebo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto Hambrelo uliimb vapor.
Tudo se vende barato nos seguiutes armazens :
Ra do Impetrador n. 40, Verdadeiro Principal.
Rua do Qiielmado u 9, Unlo e Comnereio.
Largo do Carino n. 9. Progijessivo.
Vende-se
Bramante de linho fino e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodao de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, rua do Tra-
piche.
Vende-se o engeono Fumas, sito na fjegue-
zia de Santo Amaro de Jaboato, bom d'agua e
tem proporcOes para 2,000 paes aonuaes : os pre-
tenderes dirijaro-se ao engenho S. liento, a tratar
com o propnetario, qde Iodo o negocio se faz a di-
nheiro ou a praso.
Cal de Lisboa.
Vendem-se barns com cal de Lisboa a 65 cada
um : na rua do Brum u. 66, armazem de assucar.
Cal de Lisboa.
Na rua do Vigario n. 19, 1 andar.
avariado.
Francez barrica SJOM
Portland idem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland idem 12*000
No armazem de Tasso irmios caes VApofla.
Novidadf.
r.hegaram os bonitos chales e retooda; de agripa-
re brancos, e vendem-se na roa 4a Imperatriz a.
52, loja da port? larjra, de Paredes Porta
Chales de renda
Paredes Porto, na roa da Imperatriz n. 55. porta
larga, vende chales de renda dn eorea co laqpi
no toqne de mofo, a 3J500 II, bielda w wt$
e 125000.
111 r-j^% ir



Diario de Pernambsco Qulua elra 28 de Ouubro de | P*ft

Sea o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
.\ apreciagao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 ora magniflco sortimcnto [de molhados,
que sendo em>.sua mxima parte mandados vir directamente do estrangdro'"podem ser
vendidos por precos assas razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e irteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranza de qne
nenhnm outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por svia posigao social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, ccrveja, vinhos finissimos manteiga e cha semprede
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte fario mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaides ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cia!, escolhido por pessoa entendida que certamenle muito deve agr Jar aos senhore-
compradores.
N5o se tem poupaJo sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
lar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
A Gaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra.
[dem e painco de oito libras para cima a
i 00 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Amexas francezas em latas de todos os ta-
annos. MANTEIGA ingleza e franceza de i
m idem em potes de todos os tamanhos. qualidade a 1$, a libra.
dem dem em bocetas de todos os tama- Marmelada dos mais acreditados fabricantes,
obos. IMacarro e talharim a 320 rs. a libra.
dem idem era frascos de todos os tama- Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
urna.
n
| KIRSCH de Wasfer a U a garrafa.
L.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
H
nhos.
Azf.ite doce de primeira qualidade a 580 rs.
a garrafa.
Almos a 200 rs. o molho.
Abstxtho a 25000 a garrafa.
II
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
a do Principe Alberto a 11800 a 'ata, e
de cinco para cima a l#700.
dem de so la em latas grandes a 2*000 e
de cinco para cima a i#800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
15-200, 1^250 6 14300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglesas.
Banha de poreo refinada.
c
rs. a libra.
CHOCOLATE francez a 000
dem suisso a 1$ a libra.
;. :n de musgo a 10500 a libra.
ChouricaS muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 2 40 e 960 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7,5000 a ar-
roba.
Conservas era fiascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
CincARAS e pires a 1^800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e era duzia se faz grande aba-
timento.
'dem Victoria Bas tres X e de nutras marcas.
hahdtos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
oabaras, Trovadores, Regaba, Mississipes,
Paneteilos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha* de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
oreto ponta branca, etc., etc., a 2#000,
..20, 2)000 e2;>800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados do todos os tamanhos a du-
zia a 2(5500, 35500, 45 e 5$.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a !> e IjjfOOrs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o mago
de ciaco macinhos.
i
Mostauda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingles de todas as qualidades.
-Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
00 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3i5500.
Milho paraoo e alpista, sendo mais de 8 li
bras a O rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos era latas a 800 rs.
OsIras iftglezas e americanas.
P
AT
ii
%m
presos da eguintt
tabella para todo, po-
tiendo assim servir de ba-
se para o ajaste de coca
com os portadores;
A LEGITIMA
SALSA?
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
k
,
I Senhore* wnhoras, o aceio que presidio aosarrapjos destenovo estabelecimento, e mais qne indo a promntid e "ni
czacom que serao trali-itag envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccSo e preferencia na rom
Ta dos gneros que precisare O e quando nao possam vir [}oder?o mandar seus portadores, ainda que estes seiam non nrathm
rois serao to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recoramendagan, afim de rji
tra paite. I .
Manteiga ingleza especialmente eset linda a Aletria, macarro e talharim a ioo rs. a li-
rUEPAIIADA TIICjIEirC I
LAN1AN & IIIP.
que n3o vo em
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Coo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : lestrelinha, pevide e rodi-
nha branca oualmarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em 'incoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho era pipa : Porto, Figneira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo fs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,oo je 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,3oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercadq como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvaz a fina a 16,ooo, 15,ooo.,
i2,ooo e 10,000 i caixa com 1 duzia e9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e i,5oo -s, a garrafa.
Sardinbas de Nantos a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas nglezajs muito novas a 5,ooo a
a libra.
Ha em
o rs.
Sal refinado em frascos devidrocom tampa
do mesmo, a
ooo rs.
dem suisso o mais superior que tem viudo 1 barrica e 320 rs.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de so
Ervilhas e favas portnguezas j preparadas! qualidades a l,3f
em atas hermticamente lacradas a 64o. Carios com bolo francez muito proprios pa-
Feijio verde muito superior a 040 rs. a lata. I ra mimo a 64o is.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
para mimo a 3,oc
Passas de carnada
a libra.
NOVA YOE*.
Composta de sol su neis*,
proprkdades eminei lem u
approvada pelas jomafi ;..:, m > >#.
dicina; osadajoos i mu ipa < :
vis militare* e la marinha r> .-i.
no continente americano ; rti-i.:.,
V mfi v nca d3S marcas Desacreditadas facultativos mais drslinctos do
?1125 a meorCad^ a 5o0' S6 e 64 firail e da Amen.a hespanl -
zia C 6' e 6'500 a to*| CU2A RADICAiail
escrophulas, rheumatismo, i- -
(ermidades venreas e mere i
antigs, morphei e toda? as i
venientesd'm :. do vieii i
Emquantoexistem varas res *
falsificafos, i reciso a maici
Cevadinha de Franfa muito nova, a2oors.
Lnarulos do affamado fabricante Jos Furia-
do de Simas, das seguintes qunlidfides:
Exposicao Normal de Bavana, Imperiaes,
Londrinos, Guanal-aras, Parisienses Sus-
piros Delicias, a
piros ueiicas, a i,ooo, 4,ooo; 5,oooJevirosenfianV
16,ooo e 7,ooo 3 caixa o rm n eias. aLSS IJj

Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejnm: Flor do Norte, Ma-
mitas de Javana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,fleo e
3,ooo a caixa.
ognac ingle/ das melhores asnas, a Booe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata cem
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e ,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2no a grosa.
atas de diversas Toucinho de Lisboa mnito novo a 32o rs. a
libra e 8,aoo a arro"
A legitima salsa (je BrislPl -
CAORS d PARBOZ.
JO DA (.. lili.wr
JoSo da (.. 8ravf & ;.
Deposito rera em Peras .
Crnzn.22 em ca?s d( Car i


.

Si'llin ii c i : I r:i l -
para nn Diaria e n i ra i i i n -.
para carro ppji |. i. no .
baleia. flii.ii.i- .. ii i i;..,,-..:;.,!, i ; i i
us, '..(:, n Ull l Bf :-.. I
1| ojera : icdi.- !; i! s urt i
Cadi ia de Ptcife c. 31
em caixinhas enfeitadas
o rs.
8,ooo a caixa e 4oo rs.
Chocolate francez hespanhol e suisso a Ooo, Figos de comadre a| 24o rs. a libra.
i.ooo e t,2oo rs. a libra.
Amendoas de casca
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas i (ioo rs.
a l5C00,de
sejam savel,
PEIXE em posta, latas grande
todas as qualidades, como
goras, corvina, pargo, sairaao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Pichas era latas, excellente preparaco.
Palitos para demes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas era quarto a I -5100.
dem muito novas z 400 rs. n bra.
Pomada muito nova a 'SO rs. a duzia.
QCETJOS flamengos.
dem pralo a SOO rs. a libra.
Mera snissos a GOO rs. a brs.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINIiAS OU UORINQES a
R
BAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 1-5200 a libra,
dem francez a 23500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25?.
Saiidinuas de Nantes do todos os fabricantes.
dem de Setubal era latas muito grandes a
720 rs.
Steablnas a 600 rs. o maco.
Sag muilo novo a 00 rs.
T
TOCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!
hra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Rrito no Beato
eradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs
xe a 8oo, l,*oo e I,2oo rs. Ameixas francez.s
Vinho Bordeaos das marcas mais acredita-1 tampa do mesmo
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas t
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-j tamanhos com
raa.
Genebra de Hollanda a Pc rs. a botija de
cona certa.
Prasqaeirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1, ooo e H, ooo rs.a frasqueira.' Conservas inglezas
Caf do Rio de ta qualidade a 28o rs. ali-' 8,ooo a duzia.
bra e 8,Soo rs. a arroba. Vassouras de escov
Caf do Cear muito superior a 2 lo rs. ali- 4oo rs.
sal, da fabrica de Joio j
Antonio, emlata de 6 li-l
fm Tasco de
a lSoo.
cada nma.
Azeite doce refinado
a 9oo rs. a garra
Batatas muito novas
o gigo com 36 libra-.
mole a 4oo rs. a bra.
Banba de porco refinada a 05o rs. a libra. v ? y J9WW
Bolachinha Alberto, as melhores que r.rr-' w '; t> i ti *% *
Vi nd- > [. I ti., rio larc>
d. 1(i den,minad;:--, niz-cte : i.um
d'.r dirija-se a r. i-n ...
r .
~i~wa i' ;
i
senlemeclelem vindoao mercado, a 2,oo
a lata.
Farinha do MaranhSo muito alva e cheirosa ^
ni? Bichas ue Bamborp
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,ooo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco ile di-
versos tamanhos, mnito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,(ioo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
m cpixinbas de diversos; Azeitonas de Rivascm ancoreras grandes de
emitas estn pas na ca-1 8 garrafas por 6oo e too rs. a garrafa
xa extenor, a l.iou, l,6oo, I,8ooe2,ooo, Azeitonas portugnezas a ooo rs. agarrafa e
%
:
vidro core
l,5oo cada urna ancorela.
hespanholou portuguez Champagne da mellior qualidade que vem
Ta e lorooo a catxa* ao mercado, a 2,ooo e 3,ooo a garrafa, e
hbra e2,ooo | 24,ooo e 26,noo o gigo.
Nozes muito novas
a 75o rs. o frasco
a para esfregar casa a
a 16o rs. a libra.
rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do MaranhSo de Ia qaadade a loo Molho inglez emgar|n.a de vidro comrclha
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a
roba.
do mesmo, a 16o
IMostarda ingleza dos melhores fabricantes,
I a 8oo rs. o frasee
8o rs. a libra e 2,4eo a ar-! Mostarda franceza um potes j preparada a
4no rs. o frasco.
Pincoe alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas.
arroba. sopa, a 2oo rs.
Massade tomatesdesuperior qnalidade a 6 io Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a
iho.
lata de urna
libra eo6 rs. a
roa-; !;> a garrafae 1'
Palitos ile dente a I
excellente legume para
libra.
,ooo a duzia.
4o rs. o maco.
Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
*j a libra.
Figos emsextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa soja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas eonfeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8o(
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,loo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 6 40 rs. a carrafa.
i Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
I garrafa.
Iodos ts [ai v da Eurcia i
d.?la= ;n l. .-.:.:
vf-ndeni a ireco de hr :t. ; i
hfirorn.i '- v do Poai
tmmm
De usqv ite Itlom
.hvsgv
Vi un ?c Di i 11 f
P. Maurer & C, na Ni v;

Chfftien ;tos << :p rln-s ir .r
Vendem-sp corpiohos taukn]
mi il .- 'i.j e ."'s. ; ;. ''' : t
Parede: rto, iu.. c. Inulerattu .. i
pa, juu.u a [ad...... u
DO AFAMADO JOUViN.
para
\ende-se pelo preco de 23 o par luvas novas de pellica de Jovin, qhegadas no ullimo va por
tornera e senhera : na ra da Imperalnz loja do miudez s n. 34.
---------------------------------------------------------------a---------


fia

B CD
3 g.S'jB fi-l.fi o-S.
a 3
a> 2.
-
^T* M aa
es ~i B rr m
o

O C5
13

r1 aj o t q
a B o o-K "
-
S.S
ce
Principe Alberto, de 1831, a 5000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2$ a garrafa.
Lagrimas do Douro a IjSoOO a garrafa.
a todas as qualidades: brasileiros, SfuffiSS'*9 a 2f51 a garrafa-
, inglezes, francezes, etc. etc. ^JQ ^l/fgS e |j>500 garrafa>
D. Luiz a 1 :> a garrafa.
inglezes, francezes, etc. etc.
B
gRVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
BBVxnocE a 400 rs. a libra.
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
rdem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feho verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 1(3.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2(5 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 2J garrafa.
Wermouth a 2j, e a caixa a 18)5.
Bitter Maurer a 1 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Brides e picadeiras decalnaz*Hpetn*l]nqneo*
Lhegaram para a loja de mindezas da roa do
Qneimado n. <39, os mais Anos e lindos catangas
D. 32, loja de tanto para bnnqaedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezai.
fpojuca.
Vndese na roa do Queiraado
Azevedo & Irmo.
LDlul'ilIctS. Vende-se barato o sobrado n. 21, sito na roa
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran- de S. Pedro Martyr, era Olinda, e nm terreno onde
ele sorlirnento, a 35 ata 65, ditas Victoria mnito; se aeha edificada grande parte da cidade do Rio
(mas, cora 10 varas a 65, 65500 e 75 : na ra da, Formoso, o qual terreno estende-se da matriz at o
Jwperatrfr n. 6*2, junto a padaria fanceza. I trapiche; a tratar na roa da niao n. 37.
o -i
H 3
o
~
es o
c-
-^ 2
c?2, -
2.
-j
3 ^ 2. o" S 51 g fH
3o-?'S3oc0SW
S.NM

w ^
er
a, D

o
=J "t:
BB
."5
O O)
c
O
fi>
O.
B
t
1
i
m S ^
32
T3 9

O
2
C5

O
581
U
ACHINAS
m
de trahalhajr n ;io para
' descai'o^aralgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C3
o; i) a a
Estas machina;
Te^^ podemdescarocaj
; lualquer esped
\tP9$ltir' rdd bas,anM
Wfiih !^r) duas pessoas para
Tasso Irmaos
Vendeni no seo armazem roa do
morim n. 35,
Licor fino Curaeo embotijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas coin rolbas d*
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei iagniol.
Vendem-se palmeras imperiaes, em estado
de seren transplantadas: no sitio morado es-
querda, depois. do becco do Espicbeiro, nos Af-
i Dictos
i_; de algodao
estragar o
sen
fio,
otrabaiho; pdt
descarogar urna
arroba *de algo-
dao em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba;
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
Assira como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um beilissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem v*r e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saanders Brolhers.&C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nnicos agentes neste paiz.
sai
Bren em barricas pequeas.
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ra do viganofl. 19, primeiro andar.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, beas
de carga e de sella, por preco commodo : a tratar
no hotel de Franca;___________________
O castello de Grasville.
Tradmido do francez por A. J. C. da Crin.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
oa pra^a da Independencia, vraria ns.
6 e 8.
A tleneoC).
Senhores e senhortis.
Os propietarios da nova loja e armazem de fa-
zendas e roopas felas, na da Imperairiz n. 7, de
Guimaraes CV Irmo, acabsm de reduzir os preeo*
de suas fazendas menos 20 o/O do que em outra
qualquer parle, afim de apurar riinheiro.
Lanzinhas de todos os padroes pnr barato preco
por ter grande porco, a saber, 2:0 e 240, 2H0 e
320 rs. o covado ; vende-se tambem um grande
soriimenio de chita? estrellas, pelo diminuto preco
de 200 rs. o covado : dilas francezas largas a 20
e 260, 280, 300 e 320 rs. o covado ; ditas preclara.-
muito finas a 360, 4C0, O e 500 rs. o co-ado,
isto $6 na nova loja e rmazem de fazends e n u-
pas felfas de Guimaraes & Irmao, ra da Impera-
triz n. 72.
E' baratissimo.
Pegas decambraia tranca a 35 e 355C0, ditas
mais finas a $5 e fo'00 at 9J, cambraia organ-
dys de lindsimos desenh'--s a 320 e 360 rs. o co-
vado, ditas muitas finas a OO e 50, isto s na
loja de Guimaraes Irrciio. ra da Iroperatriz
n. 72. F
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores de algodao a tj>, ditos me-
lhores a 1^600, 25 al 6. grande sortimenio de
chales de merino pelo barato preco de 29 e w'OO,
3, 35l'0 e 4?, ditos fines a 5?, 6>, 8j, ditos de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baratissimo preco : isto s na loja de Gui-
maraes & Irmao, ra da Imperatnz n. 72.
Oh que pecbincha.
Cambraias de nma s fr, fazenda muito mo-
derna, a 320 e 360 rs. o covado, vende-se per este
prego por 1er nm pequeo toque de mofo ; grande
sortimento de saia.s bordadas que se vende muito
barato : isto s na loja de Guimaraes & Irmao,
ra da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vestidos de cambraia borda-
dos, fazenda inleiramente nova, por preco muito
barato; tambem chegaram as mais modernas
mamas de seda para pescoco, e vende-se por com-
modo prego : isto s na loja de Guimaraes & Ir-
mao, ra da Imperalriz n. 72.
Pechincha admiravel.
Este novo estabelecimento recebeu um grande
sortimefcto de riscadinhos escossezes muito pro-
prios para vestidos de senhorts e meninos, a 320
rs. o covado ; vende se um grande sortimento de
entre-meios e babadinhos, e tiras bordadas, por ba-
rato prego.
Roupa feita.
Evadio-se no dia II de >efen < '.
ramilla, fregoi 7ia 'le lp< o/, uro rrrai
radn Joaquim Urionk, roB id:o.:
punco mais, bonita figura, : t.r.; .
barba,rom bita *: 'r 11
le, pernase pez bem fulos, lem %\
as nadegas i.i bastan'^ veihas; tb
caiga i can isa d< :,..
Ih i.;.' a, assim n i na t
dre, peqnei ,t<-m estrada b>ixa ira-n lo, m
doas grandes rbagas di r i j.iit' b : : iw-m
barrigudo e velho; ten ferro [ordia t
do delles. Estetsoravu di.....
que pretenda assentar pra^a na eprrp&liij i
zoavos : roga se as i i r d di 11 '
lies d.' campo a ai i :
enpi-niio arima, oa a rea o Vigario n. I i. ;
gratificara' bro.
Fogio una pr< la ja veifea, da ra laparM
D. 225, levou vofUdo do rhiia e cteln n-.v 4
cbita, muito falladelra e tem pi r *>-
signaes so o< wgnintes : baixa, dedeni
gra, om >i}.nr,i n."< rostas redunda : levo-a a me*ma roa oa a roa larga A R >
46, padaria, qoe >er.;' reci mpe -
aos capitfies de campo e
polica
260jOO0 e gr>(ifrfit pr rada 9
Pesappareren em i rinrip'10 do m*z de ontul>re
prximo passado, de b> rdo do palfaahote aaioaai
Arroto Main. dou escrav < de neme R. brto, puf
appellido Marei, e Mipnel. o 1" de idade 45 cana.
pooco ma-s .11 menos, rri Dio, cor fola, e?-tnra
baixa barba cerrada, rm ponen li rio m ;
e com algons chuiles branco, tanto n^ I..-.
mo na ratera : o 2#ll>, rheio do rnrpo. ten
ba, falla grossa, representa ler de 23 a 30 aaoaa .
enjos escravos desconfiase andarem pelos arrsbai-
des desta cidade : quem os api rer^nder, ajeeia
levar a ra do Trapirhe n. 1. on a bordo d^
navio.
(riiliieaoo lo. 'O$.
Ausenlou'se da basa o. "9 da roa do fmp- n,*or
(ontr'ora Cnlli'C'n) no sahhadn 16 do corr nte itrt
ce setembrode 1863, o esrravo pardo dem m* a-
quim, rom os signaes seguintes: Matara
idade 18 a 20 anuos, sem barba, ps largos, vinos
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz canda
e bem viivel na tpsla. parte do dent^ rtr fr rt
arruinados, e com falta de alguns dos lado-, sahto
com calca de brim pardo p palek t corto de panno,
mas levou mais roupa branca e de rr, mato
astucioso, eosioma inlilular-se forro e andar ra^
gado ; f. i escravo do Sr. Guilherme Prederwro t
Souza Carvallio, genro do finado Sr nvm.
Manoel Gongalves da Silva : roga-se a ,aa cap:nra
a todas as autoridades poliriaes e a qoalqoer ca-
pitao de rampo ou ootra pessoa parlrniar que 9
apprehender se gratificar enm 30#, alem ("as des-
pezas de conducciio, entregamlo-o a seo senhor
Miguel Jos Alve's. na casa arima. ou no sea es-
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.
ti ttenca* >
Acham-se fngidos os escravos segninit* : Beato,
Vende-se um grande sortimento de roupa feita "u'al0'"1a!,e de 2o 3mo?.> j>e"os annelados, sea
de todas as qualidades, palitots, calcas e colletes, Ma entes ora pi.oro limadcs, secro do corpa,
camisas e seroulas: tudo isto s ,,es!la arSa- e falh nm P0000 ^pseangada e Loix,
orne,
um,
crionio, j um pouco velho, allnra regalar, mato
cabelludo, barba com algons cabellos blancos, aa-
. sim como na cabera, corpo reforgado, olbos na
tanto pequeos, falla grossa e a veze? ffpgpct
ronco : pede-se as autoridades poliriaes a asa ea
pitaes de campo qne os fagam apprehender e 000-
duzi-losa' casa de sea seohor o majtr Aoi<>m'c ia
Silva Gusmao, que generosamente rerompenari,
1 e Ibes pagar toda despeza qne fizaren rom a .-a
j eonduegao : suppoe-se qoe elles tero ido em s#-
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveir Aze- goimenlo dos sertoes desta provincia, por scra
! Sitios desses logares.
Na nova loja de fazendas de d 11 i maraes
& Irmo.
Ba da Imperatriz n. 91.
Vinho do Porto superior em caixa de duz.a,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveir Azeve-
do & C, no sen escriptorio roa da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca?"
ra vender Antonio Luiz de OH
vedo & C, do seu escriptorio ra da Cruz n. 1.



Diario de reriiattibac Quinta felra 1 de Outnbro de #&
mnu.
CUITAS .10 Dll. THEODOKETO.
1-. H. Faguades
. CAN I
Va re la.
;; PHANTASIAS
: vol.ea !2 -arraui, de Lailbacar ti C.
I
SubtiiHtdme da almao ideal.
A alma asenos semine para o Ideal.
i U3ta ro ...,.i.i de seres crueula o intermina-
si, sanate tenebroso duello da materia o do
..;. da contingencia hamana e da crcaco
liviua, do corpo a da alma, da vida e da morte,
lo i: ni da eternidade, nao houvpsse o vostgio
de urna aurora que se levanta, de um ponsamento
|.ia se irradia, de urna Mea cimentada nos ltimos
i;. is ilo combato e as prlmelras palavras da
victoria; o mo Cariamos nos lo espirito que attral
trabadlo, do trabaluo ijue se alimenta de lagr-
ii-, o dessas lagrimas choradas a porta da moci-
i Hie, e que um genio fatal iffasta do mundo das
eludieras, aiiraadu-as anda trmulas de soulios e
le esperados*, sobre o fri problema di sepultura
j da norto ?
! \ nina parceila luminosa na creatara humana,
a sustenta cima das miserias e do solTrimen-
;. o do um salvador mysterioso que apanda o
naufrago entre as rochas e as ondas ja sombreadas
' la aia fnebre da ave da mirle : e esse raio,
sssa, taz, esse auxilio divino resmeos-se em tres
i liaba sublimes laucadas a face do universo; tres
lachos enoaulados que brilliaram nos pervidosolhos
li ti mero e de Milln, pairando sobre a eneberga
; \isso abandonado, acompaohaod Bschylo no
las revolugoes o da> baUihas, e servuido de
gula j> fras regidos do nort; ao phautasma de
in vagabundo.
o idea,'. urna mentira urna mentira
iivioa.
Ai..- dessa meiiiira surgi um mundo de revella-
(", a ce verdades, mas doss palavra cabalstica
jvau iu-se um seculo magestoso, mas oessas tres
yllabas B0gast00.de o poema da humaBiJade llu-
ii'. i.i, prenden se a epopa do fuiuro e formou-se
a iridade magniliea que abri o lvangellio da
i ..- le .-obre as ruinas do desconhecido, sobre as
as oscuras do paganismo e de mythoi Homero,
Uaui Klosptok.
Homero foi o mais altivo cavalheiro dos lempos
[rtinilivos. Abragado a epopa conlemplou o sol
.ac .1 jco, e o .--u grito de uerra abalou os fun-
i .uioMos do mando espavorido.
Homei i oi ura g'rrto, aole foi um gemido, e
> isptokT Klosptok foi urna lagrime.
i ideal urna mentira mas nina mentira di-
vina.
.^.fote susteotoojO nos biacos robustos e admira-
r!.-, iiauhou-o nas sombras lululentas do inferno,
iiU jU-o nas vagas sombras da desolago o
ia norte, e arromecando-o afronte das tradges
.'inour, espern a p firme os brados da oyposi-
t i entupidas .zumbaras de um passade i
O aval. .
D inte foi a alma de um secuto, descendo s
reva- il >bs< iranlsmo, ao seio tenebroso do pro-
,i e do myiiio, para vlngar a humanidade fu
i- as cadeias em que a laocaram as primeiras
.; para apandar no fri chao do osquecimen-
ios lmalos o diadema do universo agonsan-
le Dante corrfgio Esehylo.
' trgico Mitigo copln Promethen na escabrosa
nia do Caneaso envbaciando os astros com o
seu respiro impotente o tentando de balde arrancar
do? labios urna ^upplica ave da vinganga eterna
i inava-lbe a fronte com o vento glacial do
. enormes. O poea florentino nao pintou
. : i ambicioso do passado pagando urna alfron-
i i di in la le creadora : nao o pintn nas ulumas
.:.- aem permitlio que aquelles mamaros mar-
Ios se quedassem por mais lempo sob as
i abntre no tmulo dos rochedos: Danle
;ou fromelbeo, e depois de amparar sob o
;a r-.-.-plauJecenle a victimo dos deuses enco-
los, u-iigeu as trovas com o .-eu olhar lera-
,:estuoso, conquiston a scentelha divina e deu alma
i una tradlgo que morria, deu vida a um mun-
l.i rjue agonisava, deu luz a um sol sem raios e
sera cbammas que brilhara um momento sobre
* corda despedazada do Chrlsto e viera atufar se
nas sombras -saogninolentas dos dias de faoa-
" :no.
Das mos do gigante cabio um monumen-
tO : Danle formn a Divina Comedia. As mesmas
171- que o baixaram at aseutrauhas da trra
I, paotaram-o ao alto do firmamento: era um lio-
merr. oue descia ao inferno mas era um poeta que
.-ubi a ao Paraso :
Giuslizni mosse il mo Alto Fatlore.
Klosptok o genio do chrisliauismo snbiudo
i Goihsmanl e viudo contar a humanidade pecca-
dora, e.-trcphe por eslrophe, o ineuarravel poema
da redempcao de um mundo, da misericordia de
um beus, c das agona?, de urna victima :
Afea pai I meu pai\ porque me abando-
naste?
Klosptok levanta o sudario do marlyr omnipo-
tente, e antes de contemplar a paluda cabeca do
Rilt-mptor coroada de espinos e de lagrimas,
antes de repetir as ultimas palavras, a ultima
exhalacao, a ultima harmona daquella harpa estal-
lada aos ventos da misericordia e do peccado
treme como o aojo do Terror ao erguer a espada
de nveos e de fogo sobre a fronte do Messias e
elle mesmo, elle o poeta, elle o creador, ajoelha-se
solugando aos ps docondemnado celeste, esconde
a cabeca no p e no sangue do Calvario, e humli-
de como urna prece vera deltar-se junto ao corpo
que arqueja anda, aquelle grande corpo mallu- que em lempo nSo se amesquinhe a recompensa.
miado por aquella alma enorme que remicr u'um
minulo mil milhoes de almas raiseraveis e
vis:
Oh! Luz da Elermdalel
.Milton raoslra a raca decabida envolta nas trovas
m peccado e do crime : o aujo do mal abre as
atas predestinadoras sobre as massas escravisadas
pe erro, e como a Virgem dos amores derrade-
ros, cant?. a nenia da escuridao no inllnllo do
desespero.
O ideal do poeta o^lez, o sonho magestoso do
caoljr do Paraso Perdido, banbado ainda nas
ondas do sarcasmo e da ira quo suscilaram as
paginas do Eil.on, ague.i a mordacidade de urna
lyra remindente, e essa cabeca revolucionaria
que nao trepiden em pregar os espiobos e as ca-
deias no pulso do re marlyr da Inglaterra, loma
com osdedas convulsivos a espada llammejante, e
em caracteres iudeleveis grava o crime do primei-
ro homem no dorso rasgado da especie condetu-
uada.
E fronte dess combateotes est um here,
testa da Columna victoriosa as paginas da I Miada
formam urna capa gloriosa ao rei da epopa: ao
re dos reis, ao sonhador dos sooliadores :
Natura lo fe e poi ne rumpe la stampa.
a' em noine do ideal que eu te escrero nesle
niinento; em nome do seniimento e da idea, dos
combates da luz e das victorias da inlelli-
gencla.
Porque motivo alinhavei o nome d* Klosptok
nesias paginas ephemeras, nesta miseellaoea folhe-
tinisticaT Porque recordei o Purgatorio e o Pa-
raso ? Porque razio trouxe para aqqj o rival de
Carlos | e o autor da do Paraso Perdi'hf
Porque fall^i no euiendimento e na razo : na
inlelligencia e na alma.
.Nao ha ideal longe da religiao : urna phrase
dogmtica que eu poderia salvar da reputico se
nao tivesse gosto particular em pregar as rainhas
iilas em pleno di i, a merc de todos os ventos e
ao alcauce de lodos os que em vista do tea bello
nome, posto na epigrapho deste escnpio, procura-
rem rocouhecer o que eu tenbo a dizer em artigo
lo longo.
Os primeiros poetas do mundo seguera a estrada
do futuro cora os olhos fltos na estrella polar que
da cabera do Regenerador cahio e eogasiou-se ras
fimbrias do horisoute.
A humanidade ser sempre acreanca de milh5es
de seculos: se Cbristo niio arapara-la, a infeliz
tropega e de.sapparece na voragem.
Christo foi o primeiro poela das geracoes passa-
oas, das gerac.5es presentes, dos tempos que ho
de vir. Ouile as suas epopas, os seus epinicios,
os seus cnticos e os seus poemas ? Na eternida-
de. Yum minuto de idealismo ello creou Home-
ro: n'um exiasi le amor formou o Paraso: n'uma
lagrima de piedado perdoou ao mundo.
Qual a malor dessas tres epopas? Qal a
maior? Christo ni nuvera radiante do cu ou no
lenho solitario do GolgolUa ? Quera poJer esco
Iher entre duas eternidades ?
O fanatismo Insultara ao edemptor amparan-
do-se sob as dobras do F.vaogelho. O seculo XVII
na ingiaierra procla.nava orna religiao falsa, em
cujas bases a serviduo e o opprobrio batiam palmas
aos ilotas e aos beatos da bypocrisia. Quere um
BxemploT O Paiist de Hariowe.
A Allemanba sensata nobre entregou
a liiBilie a aspada da vinganca e o profundo
philosopbo, mais racional e pirventura mais livre
espalhouoobsenraotismoe as sombras, prendeu-se
a philosophia da liberdade e do direito, e o novo
Faust ergueu-se aos applausos de um universo
amparando nos seus bracos nervosos a regenera
Qo do homem e a justica da humanidade.
Gcotho, Peirarcha, Tasso, Danle, Klosptok, Milton
Cantees, toda assa pha'aoge de espantosas cabecas
via no seu dolo o futuro, nesse futuro a eternidade
e nessa eternidade ? Deus.
O ideal o principio creador do genio : a dvio-
dade desee nos raios da in^pirayao nos arroubos do
talento, e o poela que idealisa er em alguraa
c.ousa espleidida.
Levntese do chao no seculo XIX alguos pre-
conceitos I tterarios, que amesquinham o tlenlo
e que bastardeiam a nobresa intellectual.
Vers que ninguem condemnar Lamartine por
ter ennegrecido a sna fronte divina na fumo das
revoloeSes, e Vctor Hugo deizar a solidao melan-
coaa do exilio pelo ruido atroador das palmas
triumpbaes.
(Continuarse-ha.)
L. C. P. Guimaiiaes Jnior.
Assim, apenas terminada a penosa viagem que
essas forcas tem feto, em urna estaco cra, para
ir al o Uruguay, vo logo entrar era campanha
sob a direcco do activissimo general em chefe da
vanguarda (Flores).
E' bom que o paiz conhega taes sacrificios, para
O Imperador, com sua comitiva, realison a via-
gem que projectava Uruguay cima at S. Borja.
Acompanha-o o Sr. visconde de Tamandar, o que
faz erer que Sua Magestade nao vai ainda em via-
gem de retirada, ms em urna mera digresso, da
qual regressar ainda a Uruguayana para assistir
organisacAo e partida das Coreas brasileiras, que
acompanbarem o general Flores.
O general Mitre deve j ter partido para reassu-
mir o coramando era chefe do exercito alliado, que
continuava marchando lentamente ; as forcas ar-
gentinas estavam em Mandisovi, e a brasileiras
perto de Mocoret, que, como se sabe, a frontel-
ra da provincia de Corrientes.
Consta que as ultimas ordens mandara apressar
a marcha dessas for;as ; mas, sendo seu trera e
bagagens lo pesados, nao levarao menos de ura
mez oo mais, para ebegar frente do exerciso de
Mobles.
Este contina fortificando se Mm do rio Sacia'
Luza, e apoiando-se a sua direita nas bateras ds
Cuevas.
Junto a ess baleras tem-se con*srvado a es -1
quadrilha paraguaya, que parece rronwrosa era i
erabarcacoes pequeas : to nsmerosa qoe se tem
espalhado o boato de que ella veio atacar a esqna-
dra imperial, tirando algum resollado.
E' absurda, ao menos na ultima parte, essa sup-
posicio, M ames invewjao dos agiotas, lalve* para \
firmar a pequea subida do ouro, que honte se
fez sentir.
Anda assim continuar todos a sentir que nv',
nhura dos encooracados aqoi se acha; e nem te-
qnr oSr. vice-almirante, cnsso melhorCTconraj:.T-
do, que l anda< no Alto-Uruguay acompanhando c-
Iraperador.
Refere o ttepublicano, jornal que se publica na
Concordia, que estavam a anegar San:a-P6 os
conlingentes de Santiago e Tucaman s orens do
general 'labiada, e ao Rosario os balalhes de Cor-1
dova.
O' general Emilio Mitre podera assim r?nnir
V.000 a 5,000 bornees.
O estado sanitario do nosso esercilo acampado
boje -margem do rio Maudosibytiico e em mar- i
cha pela provincia de Etre-Rios,. o mais satis-
factorio possivel, em< relago ao roe ja Ihe techo
por muitas vezes communicado em missivas an'.t-
rlores.
Considerando o Sr.. general Ozorio nas causas
eflicieiiies do atropello de todo o servigo feto co]
grande hospital militar ambulante, o reeonhecend')!
que por maior que fesse o zelo dos acnltativos o
resultado nao attingiria nunca ao que fura de de-1
aejar, resolveu crear hospitaes por divisos, fican-
do cada dtvso do exercilo com o sewpessoal me-
dico e erapregados convenientes.
Esta medida, posto rv fbsse tomada a 2: do cor-
rete-, tem |a offerecido vanlagens, nao s quanto a
boa direcgo e scalisago do publico servigo, mas
at- quanto mais rigoresa economa dos-dinheiros-
p ubi icos.
Segundo consta-me, essa medida notrocfte ac-
crescimo de despesa; pois> que os veneimentos de
um enfermeiro-mr e os de um amanuense foram
distribuidos pelos que servem esses cargos nos res-
pectivos hospitaes.
Depois da c.reagao de taes hospitaes. o forneci-
ineuio de gneros para dtetns dos doen!es tem sido-
feto cora promptido a- de boa quahdade.
J nao lesiemunharaos lamentagoes db enfermos-
por falta de distribuya regular de suas dietas.
O numero crescenie dos carados a o diminuto
obituario que offerecem os referidos hospitaes, -
urna prova inconcussa da vantagem de tal' organi-
sagao.
Ao Dr. Pi'.anga coube a fiscalisagao.de todo o
servigo medico; mas, tendo adoecido- e retirado
para o paiz, succedeu na adminislragao deste ra-
mo de servigo o mui dislincto cirungio Dr. Ha-.
theus de Andrade.
Sabemos de fonte limpa que os generaos qoe
commandam as diversas divisoes mostram-se satis
feitos com o servigo medico.
O passadio do exordio bom, e os gneros que
o constituem sao de boa qualidado.
Por este lado deve o governo tranquillisar-so,
pois que anda nao viraos era presenciamos sol-
dado algum brasileiro queixar se de fome.
Isto alegra-nos muito.
Nosso exercito diariamente trabalha em exerci-
cios, e nossos bravos generaes esraeramse por dar
aos seus commaudados a mais bella iastruego.
A disciplioa tem sido mantida com todo o es-
plendor, sem que a necessidade de urna medida
extrema tenha sido urna s vez reclamada.
Cora a sua cooheeida actividade, o general Fio-1 O enlhusiasmo pelos combates que devera asse-
res no quer descanco, e logo depois de rendida a i gurar-nos a victoria dentro dos muroi de Assump-
Uruguayana principiou o seu exercito a repassar o i gao arde em todo o exercito, e longe nao estara' o
Uruguay para a margem correntina. da em que os tres estandartes das nagdes alliadas
Dizem as folhas que a elle se vao reunir mais tremulem, victoriosos, sobre as rauralhas da pro-
6,000 borneas de iofantaria brasileira, lirados das pria Humayta'.
forgas do Rio-Grande, mas que ainda nao tinham i o nosso exercito acha-se assim organisado': cora-
cheuado I'ruguayana. mandantes, da 1* diviso o bravo general Andreas,
IHE VIRO DA (CERRA.
da 3* o distincto coronel Braodo, da 3' o intrpido
general Sampaio, da 4 o valoroso biigadeiro Pinto.
Alm destas divlsdes existem duas brigadas, a
Ilgeira, da qual comraaodanle o brigadeiro Nello,
e a de artilheria, que comrandada pelo tenente-
coronel commandante do i" de artllharia a p.
Nao se confirmaran! de nenboraa forma as ap-
prehensoes qoe baviam hontem (26 de setembro),
de que os Paraguayos, lendo accumulado grandes
elementos, tivessem atacado com algum successo a
esquadra brasileira do Paran'.
Hontem receberam-se della noticias que alcau-
'/.iii al ii do corrente; nao podiam ser mais mo-
dernas. Eslava de todo descangada em seu fun-
deadouro do Riucao do Soto, e mesmo festejando a
rendigao da Uruguayaoa, cuja noticia Ihe ehegra
cora mnita rapidez.
Da esquadrilha paraguaya nada se sabia, e pre-
sume-se qoe ella seria retirada para Corrientes, as-
sim como desfeitas as batertas de Cuevas, Meree
des, etc.
Pelo menos Robles, que linha por om momento
mostrado intencode avangar At Goya, alias aban-
donada, e apenas sob a prdtcgo da esquadra, lor-
nava a retirarse, sem duvlda por cowhecer ja' a
rendifir? de Esligarribia com todas as seas forgas.
A proposito deste ehe;e dire aqui que elle, con-
versando com diversaado com diversas pessoas,
nao deu aoexercilo de Rubes mais de i7,090>pre-
cisamente metade do que Ine eraprestavas at
agora.
Se por ta' forma conima o potter militar o
Paraguay, amesquinhando-se em nusero* e em
qualidade, ser necessario dispensar metade \w
forgae ailiadas, para qne o resto lenlin- com que
comba ter.
O coronel Esligarribia seguia de fact? para a
corle co paquele Xtrsey. f
Quando ahi apparecer um homem alio, bistante
robusto, rigueiro, de physionoraia impassivel, e
eerto andnr tropero, o Lenidas da Uruguayana.
. Deixando-se-lhe a esrolha de residencia nos ter-
ritorios das- tres nag5es alliadas, elle preferid 3 do
Imperio, e segu para a corte acampanbado de
dous offlciae3- brasileiros:
Esligarribia foi antes um general jrosseirc io
qoe mo na iavaso d nosso territorio^ e se mal-
los excessos contra a proprepado praticavam seue
soldados, devd antes attribuir-se a' avidez e indis-
ciplina desses.
Gs soldados paraguayos, 30 sahirem prisioneiros
da Lroguayana, iam carregaodo ludo o qu6 tinham
podido apanhar, sem exceptuar os objectos mais ri-
diculos e mais ir.uteis nas reaos de um saldado.
Em todo o caso a populaga do Rio de Janeiro
bastante nobre para comprenendr que 3&tgarn-
bia ura infeliz, que procura na bondad ci povo
brasile.ro... urna hospeda gen.
l'M POICO DE TOO.
Do Mario O^icipi'trnnscrevemo* o segoiaie es-
eripto do Sr. Ladislao Neto, sobre as frucias- do
Brasil que devem ser apreseniadas na expewgao
uoiversal de Pars :.
Entre os productos-naturaes que o Brasil deve
reunir para a expeoigo universal, que lera- logar
era 1867v era Paris ser necessano fazer sobr3sahir
a collecgo de nossas fruolas.
B' admiravel a quanlidade quo possuimes-em
oomparagao com as que apresentam os outros pai-
zes. Mas urna falla.commum a lodos os povos- o
menoscabo em que se teem as oroducgo9S no'.oveis
da ierra natal a, fado natural, mas ordinario, quan-
to maior a exuberancia dessas proJucgoes, lauto
menor o valor em que se a considera.
E' por isso que as pessoas encarregadas do reu-
nir as riquezas naturaes da provincia que habilam,
desprezam urna mullido de iuleressantes especio
de fruclas do paiz, sob a supposigo de que nao
merecem a pena de ser apreseniadas, quer pelo
sabor mais ou menos acido ou adstriuge-ite que
possuem, quer por serem pequeas, qur smfim
por diversas raides de pouca ou nenhuma impor-
tancia.
E' um completo engae
De todas as producgdes de nosso solo as fruclas
sao por muitcs motivos as mais ioteressantes a as
que mais fcilmente poderemos apropriar s-espe-
culacoes da industria.
Quem ignora as modiEcages que solrenam as
fructas da Europa parachegarem ao estado em que
hoje as apreciamos.
Nao ha duvida que a pera, a maga, epecego, no
estado inculto, sao muito inferiores ao.aambuc, a
aboticata, a mangaba, e a um grande cumeio de
ouiras fructas do Brasil que, como estos, nao foram
ainda sujeitas s modificagods impostas pela mo
do homem.
A cultura encarrega se por meios. mui facis ac-
tualmente de desenvolver a polpa do fructo em de-
trimento de suas semsntes da mesraa sorle que o
jardineiro amesirado multiplica em pouco lempo
as pealas da flor naturalmente simples custa das
estames della.
Em consequencia de to til processo, nossas
fruclas, por meu res que sejara e por menos sabo
rosas que nos paregam, nao deixaro por isso de
merecer nossa particular atlengao.
Fagamos, pois, conhecer aos industriaes e aos
horticultores europeos a bella e numerosa collec-
FOLHEDI
O DEMONIO DO J060
HEWftIQUE CONSCIENCE.
~ix"
(Continuacao.)
Gernimo eslava ajoeltiaJo a' beira da cova que
fdra aberta para sua sepultura. Cobria-lbe al-
gum sague secco urna parte do rosto, e a outra
parte, m extremo paluda, raostrava-se to cavada,
que se poderia dizer que esses poucos dias de sof-
ii nenio iiuuam sido de sobejo para que o pobre
meco s tivesse a pede e os ossos. Os olhos des-1
vairados eniravam-llie profundamente nas rbitas,
B como o pescogo estava eofraquecido pelo fert-1
ment, peudia-lbe sera lorgas a cabega sobre o
Uo.nbro direito. O falo eslava cheio de nodoas e
Je ierra. Via-se que, em lela com a morie, ras-
leiara de-esperado de redor da adega para salvar-
se, se fosse possivel. dessa lgubre sepultura.
Oh I quera quer que pelo amor de Deus,
aoja gol* d'agua I disss Gernimo com voz iraca,
mis que teria movido e eoracao mais empeder-
nido.
Julio meneou em silencio a cabega.
oe beber I de Deber I repeli o infeliz. Ar-
dem-me as entranhas, consom- ne ospulmoesuma
sede ardeute. Agua, agua, urna gota d'agual Sal-
vem-me da mais horrorosa morte I
apiadado e perdendo, por assim dizer.aconscien-
cia da sua situac-lo, Julio levou a mo ao seio
e lirou dgibo agarrafa; destapou-ae deu-a,sem
diier urna palavra, ao pobre ferido. Este soltou
um Prado do alegra, deitou as maos garrafa com
ouergia febril e beijou cora, ardor a miio que Ihe
apresenlara aquelle liquido salvador.
Julio recuou um pouco, e eom o coragao palpi-
tadle, olhou para o infeliz Gernimo, que, trmulo
de alegra, dava o vinho aos labios, como se o ge-
serosa liquido tivesse da derramar-lhe no seio nova
vida.
E com effeito, depois de ter bebido um bom tra- \
go,pareceu que Gernimo tinhi mais forga; bran-
do sorriso Ihe assomou aos labiosa bruhon-lhe.nos i
olhos vivo reeonheelmento, quandodeixou cahir no
chao a garrafa e disse, erguendo as raaos para
Julio.:
Oh, Deus o abancae I brigado; salva-rae de
urna morte raedouita. o Senhor Ihe tome era con-
tas, no juizo liaal, todo o bem que ou leona feto
emraitiha... A luz '.inha-me cegado; mas agora
comeeo a ver... T s Julio, uo s ?
E este reconheciraento pareceu logo encher de
terror o ferido ; porque deixou descahir completa-
mente a cabega de lado e murmurou em voz Iraca
e desanimada :
Julio, Julio, fosfe tu que me laogasle naquella
cadeira I
E ergueudo a cabega, vio a faca na mo de Ju-
lio e treuieramlhe todos os membros.
Urna laca na la maol Al), t vens para rae
matar I grilou elle, arrastando-se para traz ater-
rado.
E' verdade, senhor, respondau Julio com tris-
teza ; rita aqu para mata-lo ; mas nao pense que
cumpro esta fatal ralssio sem abalo e com animo
tranquillo; pelo contrario, o meu coragao estreme-
ce de eompalxio e slalo Ittdizivel repugnancia era
dar-lhe u u timo golpe...
Ab, tu' nao s sem coragao; has da ter d de
mira nsse Gernimo, estendeado os bracos para
elle.
E' impossivil toroou Julio; a fatalidade es-
t sobre nos ambos; cooJeinuou-o irrevogavelmen-
te a morte ea mm a deshumanidade. Todas as
supplicas seio mellis ; nao ha nada que Ihe possa
salvar a vida. Pego-ibe encarecidamente, seobor,
i que nao faga muito difflcil a minha raissao; sub-
metta-se resignado a sorte a que nao pode esca-
par.
i
Um grito agudo se desprenieu do peilo de Gero-
ronimo quando estas fras palavras o convence-
rara de qua eslava perdidas todas as esperangas.
Meu Deus I pois sera' verdade, Esle escu-
ro calabougo ha de ser a rainha sepultura I 11 .i
de morrer sem conBsso I Os meus ossos nao ho
de descangar em Ierra santa I Oh, piedade, pie-
dade I
A necessidade urna lei desapiedada, senhor,
respdndeu Julio, e mais razo lenho ou para quei-
xar-me do seu rigor. No co vai adiar, ao menos,
a recompensa da innocencia, e eu tenho de car re-
gar ueste mundo com um crime que me imposto
por um poder irresistivel e que me faz tremer de
horror, masque por me fazer tromer nao deitar
de ser urna terrivel MOOttelO contra a rainha po-
bre alma. Nao, meu senhor, nao d logar a ne-
nhuma osperanga engaadora. Antes que eu saia
daqui esla cova ha de receber-lhe o corpo. Se lo-;
goqne entrei, no curapn o meu triste encargo,'
foi em parlo ponina urna irresislivel compaixo me;
paralysou o braco, mas aluda mais porque queria
dar Ihe terapo de dirigir a Deus a sua ultima ora-,
gao. Perianto, preparo a alma para a darradeira
viagem. Esperareis. esperarei com paciencia'
ainda qua seja ura quarto da ora. Res socegado
que nao virei sorprehehie-lo com urna morte su-1
bita.
Dizendo isto, Jubo poz o candieiro no chao, met- j
teu a faca na balota e assentou-se em um tronco
que eslava era um canto da adega.
Gernimo, acabrunhado pela glacial linguagem
de Julio, deixara cahir a cabega sobre o peilo. Por
algum lempo permaneceu immovel e mudo, como
se houvera acceitado a sua triste sorte com com-
pleta resignago Mas nao tardou qne delle se
apossasse outra vez o terror da morte.
Al, impossivel I Tu' nao me matars, nao ?
I Diz, Julio, meu amigo ; ollia, eu vou arrastar-rae
i aos leus ps, innunda-los com as rainbas lagrimas
i abragar-te os joelhos; lu' has de eommover-te,,,,
gao que possuimos destes producios vegeU.es, in-
cluindo sem excepgao as que nao sao comestiveis,
mas qoe paregam dignas de interesse sob ootro
qual quer aspecto.
Grande numero de plantas da flora brasileira
possue nas fructas diversas materias colorantes da
mais ou menos valor para a tinturarla.
Basta leinhrar entre ellas algumas especies de
solaneas. de suranlhaceas, de rubiceas, e particu
larmeote de vochysiaceas do serto (qualea, salver-
lia, etc.), conhecidas pelos nomes vulgares de po-
terras grandes, pao-terras pequeas, banaoeiras do
campo, etc., cujas frutas, quando maduras, secre-|
tam dos tecidos internos, das divisoes loculares ura
sueco de cor variavel entre o encarnado e o rxo
(segundo a especie) que me pareceu digno de ser
experimentado na tinturara mais delicada/
E j que me ocenpo de nossas fructas indgenas,
recommendarei com instancia as qoe possuimos
u'um grupo de plantas notavels de nossa flora :
quero fallar dos fructos das sapindaceas.
Entre estas plantas pertencenles em grande par-
ta aos paizes iuterlropicaes, possuimos rauias ar-
veres, arbustos, plaotas herbceas, e, sobretudo,
grande quanlidatte de cipos igualmente de diffe-
rentes apparencias- exteriores.
Seu fructos lornam-se muito recommendaveis
pela inmensa varirdade. que offerecem em suas
propriedades : uns s-ao comestireis, outros vene-
nosos, e alguns, eiidira, ricos de materias alcalinas,
podera se? applicados medicina e industria, como
o sao desde ja ua> regioes baldas de recursos em
que os encentramos exponlaneos e abundantes.
0 guaran do Para (pMlloioea sarbilis) sobre o
qoal j chamei a aitenco publica em ara trabalho
recente (1), a-pilonaba (sapidus esculenlus), a fruc-
la do Paro (schirai delia a dulis) sao fruclas de
sapindaceas multo apreciadas nas paragens em que
so acham incultas, e se torr-arao sem grande tra-
balho muito meHiores pela cultura, sendor porm,
o gcaran desdo j tao recortmendavel paias*8QM
qnalades nutritivas, que no meu entender dfcve
ser elle para o futuro tao estimado, quanto o sao
boje o caf'e o ciwcolate (2).
A per destes encontramos na :esnia familia al-
gumas especies mu- venenosas, entre as quaes ci-
tarei o (amoso curare (paullinea curare) analysr.tio
ha pouco mais de um mez no collegio de Franca,
e reconhecido por ccnler o veneno mais violento
de quantcs sao coneeidcs actualmentea cora-
rina.
Finalmente, entre cvfructos venenosos e os ce-
nesttveis, enconlrani>>s- tambera na-mesma familia
;Jguns, que, sendo dotados de prircipios narco-
cos, sao erapregados na pesca pelos caniponezes ri-
beiriohos do S. Francisoo^do Tocaclias e dos mus
ros do norle do imperio.
As sapindaceas sao, pois, de urna rariedade mu
grande, nao s quanto as-frmas de saas bastes
mas tambera o sobretudo nos principios coctdos
eraseus fructos : adinlrarao-nos do ver na.mesraa
familia fructos de toda a aaiureza, esobremaoeira
nos sorprende o encontrawuos, j n.io digo na mes.
na ."amilia, mas no mesmo. genero an fructo ex-
cessivamenle venenoso-o curareao lado de ou-
tro, o guaran', que sob; ser innocente a mais
nutritiva de todas as plantas do globo.
0 i.;ue dra' deste Cai.-o e deste AboLvegetaes o
Sr. A'looso Karr, que se admira de oocoatrar um
indivldao honesto e caritieso, como >a batata in-
gleza no meiode numerosos malfeitcws como elle
os chama, da familia das sotaneas, masque nao
sao seus congeneres ?
Kis,.pos, um grupo de vegetaes, cojos fructos,
sob muilos aspectos, lerAo.de captivar particolar-
mente a curiosldade dos industriaes cwroper-s.
Bemoomo as sapinde^eas, de qu6 acabo de fazer
mengOj.as malpghiacas, as sapotaceas e prtico-
larmecte as myrtaceas nos daro immensa riqueza
nesta a^pecialidade.
Em .-umma apresectemos urna collecgo com-
pleta, cuanto for possivel, deste genero de produ;-
tos, eabora raesmo ella tenha o afeito de parecer
raais soienllica que industrial.
au uos vai nisso nenhum deshonro : ao con*..a-
rio para. um. paiz novo, como o-Brasil, sera' n:na
excellente recommendago.
Entre alguns esludos que tenho feito no palacio
de industria.de Paris sobre o assumpto que me-oc-
cupa neste momnjn, lenho procurado conlerer
quaes sao os melhores meios empregados pelas co
lonias francezas para aexhbigo dos fruetc pul-
posos quecostumara,enviar para as exposigies uni-
versaes e particularmente para as que se fazem lo-
dos os annos no palacio da industria mesmo.
Fallando com franqueza, acho que ner.bum me-
Ihoramento de valor se tem feito ltimamente nos
ta especialidad**.
A copia de cera, de que se ho servido algn*
expositores^ exige a mao de um artista hbil t-fio
s para bem representar a forma naiural dojfsuc-
lo, mas at para copar-lhe elraenio s cores.
No Brasil, como o sabemos, seria isso imnr^ioa-
vel actualmente ou pelo menos asss dispendioso.
(1) Correio Mercantil de 26 de margo, MmJtor
Universal de Fraoga e Ballet d?..sociedadc- botnica
de Fraoga.
(2). O guaran j muito conhecido na* far-
macias da Franga, onde, preparado er pastiiaas,
applicado aos doeotes debilitados, como o melhor
dos confortativos conhecides.

Alm disso a simples exposigio das formas oo
bastaro para os fructos de om paiz loogiqao.
Ser preciso analysvk, estndando-lbes a :s-
iructura e ao mesmo tempo as propriedades ebi-
micas.
0 melhor, pois, segundo pens, sera apreseatar
os fructos mesmos por meio da con^ervagio ao al-
cool ou na agurdenle ordinaria e al oo sueco da
canoa.
Este ultimo me parpe* mesmo prefenvel aos
primeiros para a conservago da maior parle dos
fructos pulposos, por que, examinando eu aifias
que se baviam ron-ervado durante alguns mezes
neste liquido, acbei-os um indhor esudo que lodos
os que tinham sido guardados aaaleool.
N''-ti-- ulai urna certa reduegao de volme en
razio da contraego operada pelo haoido ambiente
nos t'-cidos d-rlicados era quanto qrre aos outros a
forma nada ou muito pouco liaba pedido de sen
estado natural.
Para o transporte des? collecgaO aysler serv-
rem-se de frascos e de boraes de vidra da amor
consistencta, mas que nav soatenham ns*tt ijue ata
pequeo numero de esoatan dHIerentas de- fractos,
aiim de que a menor iudica<\au tost pan en%-
oar cada especie delles.
As mfuniiacj-s. que Uavein acorapaabar as sol -
lec5es destinadas a urna expc.'tgio tn paizes es-
iraugeiros e leofkfnea a parto delicada e, direi
at, o lado esseooal de que dep^-iide amias vnt*.
lod;: a importancia dessas aollecge*.
A falla de inslrucgoes necesaria* a eoaapieus
foi o maior defeilo cjue apresunloana Dima eipo-
sigao de Londres a ecilecgo brassfra, alias atar
das mais ricas que all se vio.
Ser por lauto precieo que nos prsvitnmos eoa-
ira um l escolho.
Este accessono a primeira vista sercadario lia
importara* que alguns paizes, apezar de suas exi-
guas prodjc.-.jes naturas*, obtiverai jo ceru
consideragvi nas exposig>s, que tem r.avdo s.
mente pela: informagoes i-Moociusas, escripias oo
graphicas, ue acorapanha'Mi suas collerjm.
Chamando, pois, todo o roldado para a boa a
completa coordeoago da nvssos fructos accns-Hlu .
rei que menc^one-se cora parHculahdade : o 'tgar.
em que tivereiu sido coihidea a ao mesmo teofoo a
qualidade de seiodesse lugar ( sa bailo ou alio
hmido ou secco abastecido de arvaredo oo deseo.
berlo ) : a data da tcoiheita e quaaltdade approxi.
raada das fructeira eiisleote> : os owtos de cos-
duugo actuaes; de |ue se dispoe aesa regiao : a
nome vulgar a c- uso do fructo, os ovar : a aa-
pareucia exterior da plaa, da que lora coihi 1
{se arvore, ar busto, planta terbacea, etc.) a a
tina) seria mui'.e til e muito looaavel que se reo-
nisse collecrao um pequeo kervar, coateado
apenas um rair.iubo da planta, a quaperlencer ea-
da espacie de fruelo, sendo sooromauer aprecia-
veis as que lorora acompanhadao da (teres.
Es>o precioso accessorio, quano nao sirva para
rutra cousa. s-rrve.s*- iaa non. para a deiernM-
aaco do fruc'.o. a j i um graoda-servieo que nos
prestar.
A notas, qr.a-aqai deixo, aeerasseatuci qaa o
f.-ueio para sor bera represeolad e para qoe aae-
Ibor se preste \.quaiquer exame, joaa> qaa seja
eolOido entre verde e maduro, isto a* epoea em
que elle atiingjsau maior deseovoliiateata sea to-
dava ter entrado na base da matcsagao.
Ouiras indic^agoes poderiam ser atada aprnaau-
c'as nesle trabalho, tBas espero rjria ellas serio na-
tnralmente sugeridas a commisso qaa for encar-
regada da seo'o dos productos v.-gelaes.
Sobra a er.tigrac> americana para o Brasil, j-
sira se exprime o HewYork llc-.i. :
Sabemos i;ue acurrante de cmigrgao par. j
Brasil lomase cada da mais intporlaoie e po-
pular.
Estes emigrantes, que pela maior parte pe.tao-
cem aos C-siados do Sal, abaodaoan as saas pro
priedades eeajoraiuliara-se para as ricas e firleis
regioes da.Ameriea Meridional.
Eutra e!!e.s Co&lam-se 15 ou !6 solistas qt era
barcaram segunda fera proxco- passada nc vapor
.H-oi'ii:<: para o Itio de Janeiro.
I ni destas cavallerns o agente da rcau do
rail arailias qua se propoem emigrar para o Bra-
sil, casotcjam favoraveis as informagas.
Datamos considerar estenonmento coaioataior
lateraasa.
Ind'jb:tavalmenie o orgi.'iio da moitoo- miis'.as
nao supporiara a condig, ; social era que a gue rra
deixou os estados confeiliradm
Uetestam a idea da igualdade pobtiit nna\ seas
amigos es^ravos ; a acni-ia prefe'eru oipalriar-sa
de urna vaz.
Muilos rieran tabitar no norte, dinas ellos qoe
eutre os senhores do \.mi ; oolros, ooa> ventos,
dirigiraiii-se mais par. o sul, onde voJem cultivar
o algodao, caf, asscuar, ail, etc.e, au oie-.uk> i*nj-
po, lornar-se chefes- de um systema servil bastaste
semelhante ao oue a guerra abola
Acompanheremi?:.e.>m su ramo latt-resso o pro-
gresso deste inovicnenui.
Para mais de 3L>,bVU sulistas *so pra*>>ptos a
emigrar para o l'ra.-ii, e se as mforatacoes dos
agentes por elles enviados forera ftzvorawi,, mui-
lo provavel que u emigragao k>ma matr.res pe.
porges.
Oh, pela salvago da tua alma, deixa-me vi ver
nao queiras nas loas mos o meu sangue inno-
cente I
E arrastandorse sobre os joelhos e as raaos, o
desventurado quiz, cora efleito, ir at aos ps de
Julio, mas este, tirando a faca da bainha, fez com
a mao um signal ameagador.
Gernimo deu um grito de desesperacao, endirei-
lou-se e, tremendo, arrastou-se sobre os joelhos at
a beira da cova, onde, esgotadas as forgas, deixou
cahir a cabega sobre a larra hmida, e poz-se a
cLorar, gemendo e solugando, a sua horrorosa
sorte.
Os gritos abafados que Ihe escapavam do seio, no
meio de lagrimas, erara tao dolorosos, partiam tan-
to o coragao, pelo lora sinistro que Ihes dava o rae-
do da morte, que Julio sentio-se abalado at ao
fuodo da alma e insensivelmente limpou duas la-
grimas que Ihe corriam nas faces.
Cora tima voz cheia de profunda compaixo,
disse :
Vamos, senhor, socegue e sugeite-.se resigna-
do a irrevogavel sentenga da son. Para qnem
tem vivido no temor de Deus e com honra e leal-
dade, a morte nao mais do que urna passagem
para urna vida melhor.
Um grito pungente, que pareca de indignagio,
juotou se aos solugos convulsas do mancebo.
Sun, comprehendo, dissl Julio; cuida quo a
compaixo que eu sinlo nao i raais do que urna
cruel irona; aecusa-rae de dekhumanidade, nao
Idigoaria com razo,
vida de motu pro-
bao me deixara es-
a a justica ha de
a esta ade-
verdade ? Al a sepultura ama
senhor, o aigoz que Ihe tirasse
prio. Mas ai, senhor, a mim
colba nem vonlade. A' man
dar vista a esle pavilbo e labbem
Amanhaa I exclamou Gernimo exlasiado por
ama esperanga sbita.
Se eu nao o matasse, achcllo livelroente, continuon Julio, ijia esperanga faz-
mis
iba dar um grito de alegra |
esta esperanga
va, senhor, porque, se podesse realisar-se, meu
amo devena morrer no cadafalso e eu pagara na
forra a minha cumplieldade.
Julio t ah, Julio I disso Gernimo supplican-
te, eu te desculpaFei, declararei que ests innocen-
te e recompensar- te-hei eom generosidade.
E' intil, senhor; a le castiga sera laiseri
cordia. Meu amo declarara a parte que eu tive no
crime, e pensa que os juizes me perdoaria o lelo
empurrado para a oadeira ?
Slvame, d me a vida, Julio; anda que eu
tenha de rojar de joelhos aos ps do>uiz, ainda
que tenha de implorar essa graga do imperador se-
ras declarado innocente; acredita-me i
Ha outra razo que nao sabe, senhor, toroou
Julio cora amargura. Eu sou um proscripto que
na Italia est condemnado a morte; s meu amo
sabe o meu verdadeiro nome. A mais pequea in
delidade minha far que elle rae entregue aquel-
les que, ha cinco annos, procuram o condemnado.
Ainda Ihe parece que oposso deixar vver? O que
me pede a morte de meu amo e a miuha. E que
morte I Para elle o ferro do algoz e eterna infamia
sobre a sua familia; para mm a tortura e a for-
cal... Nao continu a aecusar-me, senhor; nao
lucte contra urna sorle iraplacavel; reze a sua ul-
tima orago ou dija-me se est prompto para rece
ber o golpe mortal. Nada o pode salvar; esla co-
va aberta diz-lhe urna triste, mas desapiedada ver-
dade.. Pela ultima vez, senhor, nao me obrigue a
recorrer a surpreza ou a violencia.
Gernimo deu a ouvir um lamento desespe-
rado.
Ah, morrer tao novo e to innocente I disse
elle, gemendo. Nunca mais ver a luz do sol I Oh,
Mara que tanlo amo, como has de chorar a minha
morie I Ob, meu pobre to, porque ha de tao hor-
rorosa desgraca abreviar os dias que le restavam t
AaYus t adeus I
A voz de Gernimo, dizendo esse ultimo adeus a
vida, era tao pungente 9 tao cheia de desespera
Em Birmmgham fez se experieom de nma aava
luz chamada magnesium iight, a qua I, por iseo da
um globo n/ja se mantinba ao ar, i'.luraioava o fr-
mamento, as ras, as casal e a mulndao o* eevw
sos, lo completamente* como a luz do sol.
O resaludo d'es>a experiencia nao pedia ser
mais satisfactorio.
Lomtudo disse eom
io-lante I
Deixa rea feo-
go, que Julio esuemecen.
muiia fneea :
Est promplo, senhor ?
Ainda nm instante mais os
responden Gernimo supplicaate.
rar.
Juotou as mos, pendeu a cabeca sobre o peito
e murmurou urna prece fervorosa; mas, apezar da
fallar bano e de. na appareacia acceita: resaado
a sua sorte, comtudo era vtsivel que ora terror io-
descriptivel o fazia estremecer de espago a espago:
porque todo o sea corpo trema e a oa vos meio
abafada era trmula, ancuda, como se toda a >oa
alma gemesse ba luda contra a mora qoe o aaaaa-
gava.
Entretanto pouco a piuco o orar parecen dar a
Gernimo alguraa consolaco ou pelo kihm hus
resignago, porque eeaaaraa os estreaeciioenius
nervosos que Ihe agiiav.im os membros e a saa vos
toroouse mais dsiincta e raais soregada.
Julio, que, trmulo de commugao, linha os otaos
cravados n'elle, julgou ouvir que G-rooitao pedia a
Deus que perdoasse aos seus ioimigos; nos anas-
do o seu proarto nome se ergneo da bocea a in-
feliz mancebo para o cu como urna supplica ar-
dente, e que elle percebeu claramente qoe a dea-
dilosa vielima pedia pela alma do seu matador. Ja-
llo deixou cahir a faca e disse com nm prolaatdo
suspiro:
Foi-se (oda a minha resulugo I Ja nao simo
forgas para dar cumpriinenlo ao mea encargo I
Um grito de alegra e ao mesmo lempo de aacie-
dade escapou a Gernimo, ouvindo essas palavra*
da bocea de Julio.
Ab, exclamou elle, ama voz do cu que fal-
la ao teu coragao I... Escuta-a, Julio I Tea d de
mim I Deixa-me viverJ
(Conlinuar-ie-ha.)
PRENAMBUCO T?. PS *. *. DS P. 4 fOJtO
' i
J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E40DNHJGE_9RGTSB INGEST_TIME 2013-08-28T00:19:52Z PACKAGE AA00011611_10803
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES