Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10802


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IL. ADMIRO 245.
Ptr partel pago deutrode lOdiasdc 1, mei ...ti., fifOOO
dem depois dos 1.' 10 das do comecoe dentro do quartel. 0f6#l
Ptrteocrreiwtresaeze8........... i WQ
OARTA FEIRA 25 BE 0DTDBR0 DE 1865.
Por mo pago dentro deiOdia 1.* mei ,,,.... 191001
Porte ao eorreio por um anuo ,...... SfOOt
ENCARREGADOS DA SBSGRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fillios ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, a Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estar-oes via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarassii e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
a I ti ii Ir, Garanhuns, Bnique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacara!, as tercas
(eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Taroandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenleiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados is 10 horas.
Fazenda : qnintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do eivel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbada a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE OUTL'BRO.
4 -La chela as 8 h., 11 m. e 46 s. da t.
11 Quarto ming. a I h., 2 m. e 22 s. da t.
19 La,nova as 2 h., 7 m. e 52 s. da l.
27 Quarto cresc. a I h., 30 m. e 16 s. da t.
DAS DA SEMANA.
23. Segunda. S. Joo de Capistrano l.
24. Terya. S. Raphael arda; S. Porlwnalo m.
25. Quarta. Ss. Crisplra e Crispimano irs. mm.
26. Quinta. Ss. Evaristo e Floro mm
27. Sexta. S. EleshSo Imperador da Eihiopia.
28. Sabbado. Ss Simo e Judas ThaoV app.
29. Domingo. S. Euzebia v. m.; a b. Berovioda.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 horas e 18 m. da manh.ia.
Segunda as 9 horas e 4-2 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES CDSTEIROS.
Para o snl at Alago;* a 14 e Vi; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada me:; oara Psmss-
do nos dias 14 dos mezes de janeim, mrijo, **%.>
julho, setemhro e novembra
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da prara da lnVp>nn>ct
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Pigueiro 4t
Faria Filho.
FFICAL
soverso da paavrn.
Expediente de dia 2 i de oiitnbrn de 186o.
Orneio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
rouel a quantia de 8:000$ de que Ihe rara carga
na respectiva guia para ajustar contas na corte.
Dito ao mesmo.De eonformidade com o pare
cer da contadona dessa thesouraria a que se refe-
re a sua informal;o de 12 do corrente, sob n. 751,1
mande V. S. pagar a Joaquim Al ws da Silva San-
tos a quaclla de 603600 rs., que se Ihe est a de-1
ver, proveniente de cem covados de Hiele e una
peca de scndareza que vendeu ao arsenal de ma-1
rinna desla provincia com deslino ao telegrapho da
r Solicito de V. Esc. a expedigo das convenien-
tes ordens para que a thesouraria de fazenda des- capj[a| 0 Cear, certo de que nesta data offlcio ao!
ta provincia, seja iuderanisada da quantia de ris Kxm presidente daquella provincia para mandar,
000, que nesta dala recommendo seja paga a n(|,.mnsar esta reparlicao da predila quantia.
Joaquina Alves da Silva Santos, proveniente de urna rit0 a mesmo.Mande V. S. abonar em os de
peg de sondareza ecem novados de Hiele, compra- VjjS (empjs as cousignacea que segundo os inala-
dos pelo arsenal de raarinha cora destino aotele sos requer mentes prelendem deixar de seus sidos
grapho dessa capital.
Dito ao conselheiro presidente da relago.Re-
melto a V. Ex. para seu conhecimento copia do
aviso circular de 2o de selembro ultimo, sobre
bens de ordens religiosas.
nesta provincia os alferes do 1" batalhao de guar-
das nacionies destinado ao servido da guerra, cons-
tantes da relago junta.
Dito ao mesmo.Faca V. S. abonar em os devi-
dos lempos a consignado, que segundo o reque
Dito ao desembargador presidente do tribunal do rimento incluso, pretende de deixar seu sold nesta
commercio.Remello a V. Exc. para seu conheci- provincia c alferes Joo Francisco Paes Brrelo
ment copia do aviso circular de 25 de selembro q6 tem de segair para a corte com o corpo de po-
utlimo, sobre bens de ordens religiosas.
Dito ao marechal de campo commandante das
armas.Srvase V. Exc. de informar sobre o que
pedem Laurinda Mana da Cuneeiyo e Geraldo Ma-
noel Pereira, nos reqnerimenios que aqiii junto co-
bertos cora oleios do Dr. chefe de polica datados
de 19 do corrente.
licia a que perUnce.
Dilo ao mesmo.Tendo de embarcar amanha
liara a cor'.e o corpo de polica, recommendo a V.
S. que proro..rue ho]e os trabalhos dessa thesoura-
ria at as 8 horas da tarde, e mande abri-la ama-
Dhfia at ao meio dia, aflm de poder atlender a
qnalqner expediente relativo ao embarque do refe-
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre ri(lo ,.0Tf0_
o que requisitam o commandante do pre>idio da Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Femando e o respectivo capello nos inclusos of- Remeti a V. S. inclusa relago das praeas do
litios. i i corP de I'olicia, que amanha lem de embarcar
Dilo ao mesmo..No caso de que seja julgado para n sll|_ a|m dt mll! manije pagar a qnanlia de
apto para o servico da guerra o paisano Antonio |.jj 1-3000 rs. relativa a dois mezes da gratificado
Rodrigues dos Santos, que o guarda do Io batalhao con(.edida oe|a |t. provincial n. 611 de de maio
de artilharia Hermenegildo de Aquinn Paes Barre- uumo-
to olferece para subslitul-lo, mande Exc. alistar no L)jl0 ao memo.p0r conta da verba do art. 55
cago concedida pela le provincial n. 611 de 2 de
maio ultimo.
Portara.O presidente .Ja proviocia resolve no-
mear provisoriamente o Dr. Joo Pedro Maduro da
Fonceca, lente cirurglo do 1* batalhao da guar-
da nacional destinado ao servico da guerra.
Dita.O presidente da provincia, resolve conce-
der a Jos de Albuquerque Lins, autorisagao para
agenciar voluntarios da patria, e recoramenda as
autoridades que o auxiliem nesta commisso.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, fajara receber e transportar para a
corte, no vapor Oyapock, por conta do ministerio
da guerra, o 1 batalhao da guarda nacional desta
provincia, destinado ao servico da guerra, e a ala
dircita do corpo de polica, cora as suas respcti-',
vas bagagens.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira |
de Paquetes a Vapor, mandem dar transporte para'
a corte, por conia do ministerio da guerra, no va-
por Oyapock, diversos caixoes coniendo o farda-
meolo do 1 batalhao da guarda nacional desla pro-
vincia, destinado ao servico da guerra.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, mandem dar transporte para a corte,
por conta do ministerio da guerra, no vapor Oya-
pock, as praeas e recrutas constantes da relago
nominal junta por copia.
4" seego.Secretaria do governo de Pernambu-
co, 23 de outubro de 1865.
S. Exc. o Sr. conselheiro presidente da provin-
cia, manda lazer publico que d audiencia as ler-
das, quiutas-feiras e sabtados a urna hora da
larde.
O secretario,
Dr. francisco de Paula Sales.
batalhao de guardas naeionaes destinado ao servi-
do da guerra, fazendo eliminar deste corpo aquel-
la guarda.
| 4 da le n. 635, mande V. S. entregar ao agente
DI?
liel pagador da reparlicao das obras publicas, con-
forme solicitou o respectivo chefe em olllcio de ho-
oito ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de dar as con- ^ S()|) n ^ a quantia de 400,5 para ir occorren-
venientes providencias para que o batalhao de guar- do a despeza com a 0Dra a fazer se para abasteci-
das naeionaes destinado ao servico da guerra, es- menlu -a.ua 4 cidadts de Olinda.Communicou-se
teja prompto para embarcar no vapor procedente ao Chefe da reparlicao da* obras publicas,
do norte, licando V. Exc. certo de que acabo de Djl0 ao raesmo.-Estando em termos o pret un-
oficiar ao inspector .la the-ourana de fazenda, pa- l0 em (iU|)|(.a,a> mande y. s. pagar.ao teuente An-
r:i ajustar comas ate o lira d> mez corrente, e pas- toniiJ BaptiaU de Millo Pexoto.ou ao seu procura-
jar gnias de soccorriment ao mesmo batalhao. (ldr nt!st;l Capiial,conforme solicitou o commandan-
Dlto ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do na- te SU|(ennr ja comarca de Garanhuns em offlcio
estado, e aOroala das leis do paiz, andam pabh-
camente pelas ras da capital offerecendo aos in-
cautos por veoda, me liante baxo prego ou gratui-
tamente a quem nao quer ou nao pode comprar,
pequeas Biblias falsilicadas, oracoes com a estam-
pa de Nosso Seohor Jess Christo Cruxificado, e
pequeos folhetos intitulados uos Oracfio de Fami-
lia, outros Vivo o Morto f etc., onde de envolla
com a verdadeira doutrina, existem historias ap-
crifas, principios subversivos, e mximas detesia-
veis.
Nao smente na capital que elles assim prati
cam : acorocoados pe i silencio dos pastores, e to-
lerancia publica, procqram jas villas do interior;
j sliveram oa Escad, como me communicou o
Rvd. parocho respectivo : alguraas dessas oracoes
me tem .'ido remettidae do centro da provincia : e
at j (iveram a afooteza de comparecerem em
miiiha presenea dons desses emissarios deSatanaz,
cora o i'nn de justilicarem a autenticidade de suas
Biblias, e a doulrioa s seus folhetinhos e ora-
coes, proferindo um dejles nessa occafio a blas-
femia qn Nosso Senlpr Jess Christo comec.ou o
eslabelecimenlo da verdadeira doulnna, e outros o
completaran I I E be(n que repellidis por
com a energja que soe
funda, o amor verdad
ror ao scisma, heresia
mim
aspirar a convic^ao pro-
e f orthodoxa, o hor-
e ao embusto, o zelo pelos
nleresses do caiholicisn lo e pela prosperldade pre-
sente e futura da patria natal; constame todava
que se ineuleam como alutorisados por mira para
proseguir na sna obra de perverso I
E sera possivel, Rvnk. Sr. que presenciemos si-
lenciosos e impassiveis essa propaganda hertica,
que tantos males pode cjrasar a igreja e ao estado ?
ser possivel que consintamos, se espalhem por en-
tre a populacho incauta Biblias, folhetos e oracoes,
talhao de guardas nacknaes destinados ao servico
da guerra, o guarda do batalhao n. 11 de Infama-
rla do municipio de Goyanna, Eduardo Pereira da
Paixo, que foi considerad ineapai do mesmo ser-
vico em inspercao di- sade por soffrer de bobas,
segando V. Exc. deelarou em seu olBcio n. 1,910,
de 18 do corrente.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc inspeccionar o po de "poliai L'ui de F|.a?a Mello Jnior, confor-1
guarda nacional do muuicipio de Barreiros Automo mtJ go|lcilou 0 respetivo commandante em olllcio
de 7 do corrente, sob D. 100, os vencimentos rea- j
tivos ao mez de selembro ullimo, dos guardas na-
eionaes destacados naquella villa.-Communicou-:
se ao commandante superior de Garanhuns.
Dito ao mesmo.Especa V. S. suas ordens, para ;
que em vista da ioclusa folha, e nao havendo in-
coBveniente s>-ja paga ao ex-quartel me.-tre do cor-
gp-
de boje, a ijuantia de 10080 rs., em que importa-
ram as diarias abonadas do Io a 21 do corrente
mez a dois seutenciados erapregados no servico do
quartel daquelle corpo.Coramuucou-se ao cora-
maiiilante do corpo de polica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife. -Do batalhao da guarda nacional
que se acha aquartelada, man! V. S. destacar 6
pravas e 1 cabo na freguezia dos Afogados como
soliciten o Dr. chefe de polica.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Pode
V. S. remetter para a corle no vapor Oyapock, pa-
ra o que licam expedidas as convenientes ordens,
os tres aprendi7.es marmheiros de que trata o seu
oficio n. 1,003 desta data.
Dito ao mesmo.Tendo de embarcar para o su I
o corpo de polica e o 1batalhao da guarda nacio-
nal desimano ao servico da guerra, recommendo
Y. S. que mande collocar amanha as 2 horas da
tardo no caes desse arsenal, as embarcares que
houverem disponiveis para o embarque daquelles
balalhoes.
Dito ao commandanle do corpo de polica.Em
additamento ao m?n oficio desta data, recommen-
do a V. S. que mande passar para o corpo provi-
sorio os cabos Joaquim de Souza Barros e Joo
Barbosa Xavier da Silva.
Diio ao director geral da nstruegao publica. |
Em vista de sua informaco de 19 do corrente, sob i
n. 289, mande V. S. msc.rever no respectivo qua-1
go" dro, alim de ser admitiido no Gymoasio Provincial.
como alumno interno gratuito quando houver vaga, |
o lilho de Francisco Lucio de Castro de igual no-
me, aprest-ntando o supplicants certido de idade e j
de vacclna.
Dito ao juiz de dreito interino da Boa-Vista, ba-
cbarel Agnelo Jos Gonzaga. Scieote de quanto.
rae cominunica Vmc. em seu oficio de 25 de se- j
lembro ultimo, cont que com a coadjuvaijo do
promotor publico, delegado^ e mais autoridades,
eonsegOiri remetter para esta capital jo maior uu-
mero possivel de voluntarios.
Portara.O presidente da provincia, conforman
Conrado de Moura, q e foi designado para o servi-
do da guerra.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de mandar
alistar no 5* corpo de voluntario* da patria, a fran-
cisco Xavier Cavalcanti Luis e a Clemente Perei-
raira da Silva, senda este apreseniado por aquelle.
Dito ao mesmo.-Aprsenlo a V. Exc. o lenle
da guarda nacional do Iguarassii Francisco Jos do
Pilar, que se offereci u pira marchar para o sol
co io 1' balalhj de guardas naeionaes destinado
ao sei vico da guerra.
Dito ao mesmo.A presento a V. Exc. o alferes
da guarda nacional de Nazareth Alfonso de Bollan-
da de Albuquerque Maranho que se offereceu pa-
ra marchar para o sul coin o I" batalhao da guar-
da nacional destinado ao servico da guerra.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do ba-
talhao de guardas naeionaes destinado ao servico
da guerra o guarda do batalhao n. 25 de infamara
do municipio da Escada, Ricardo Romualdo Rodrj-
que sobre ser casado e com fil'nos que con-ti-
tue urna isenc/io que deve ser attendida, visi-
v lmente doenie.
Dito ao mesmo.-Mande V. E\c. eliminar do Io
batalhao de guardas naeionaes destinado ao serv-
i; i ila guerra, o guarda Jos Victorino do Amor
Divino, por ser Incapaz lo servico.
Ditoao mesmo.Mande V.Esc. alistar no3 cor-
po de voluntarios da patria os cidados Francisco
Antonio das Chagas, Joo Nuguetra de Oliveira,
e Francisco Ignacio d- Jess
s Antonio da" Silva.
Dito ai mesmo.Mande-me V. Exc. aposentar-
me 0 guarda na ional do municipio do Brejo, Jos
de Castro Barbosa, que se aciia aquartelado com
contingente destinado ao servico da guerra.
oDilJ ao mesmo.Mande V. Exc inspeccionar
com urgencia a Joaquim Francisco da Silva guarda
nacional do municipio de Iguarassii.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em vista da conta junta em duplcala, que me re-
metteu o director do arsenal de guerra com offlcio
de boje, sob n. 138, e nao havendo inconveniente,
mande v. s. pagar a quantia de 28# qnese esta a 4~ apr^'toiprewntadrpe teentMO-
dever a Joan Gomes, pela eonducao de ulencilios rone| C0iumaudaille d0 40 batalhao de infamara da
daqu'He arsenal para diversas guardas nesta capi-
tal e tiestas para o mesmo arsenal.-Commiinicoii-
se ao director do arsenal de guerra.
Dito ao mpsmo.Transmuto a V. S. a inclusa
relacao dos offlefaes do corpo de polica que tem
de embarcar amanha para o sul, alim de que ibes
mande passar as respectivas jiuias.
Dito ao mesmo.Mande V. S. aju>tar contas ate
o lim do mez corrente, e passar gula de socrorri-
mento ao batalhao de guirdas naeionaes de-tinado
ao servico d* guerra qu>- tem de seguir para a
curte, no vapor procedente do norte.
Dito ao mesmo.Mand 1 V. S., em vi*ia da folha
junta em duplicada, entregar com urgencia ao Io
ten inte Ernesto Ignacio C rdim, conforme solicitou
o capillo do porto em oficio de hoje sob n. 211, a
quanua 3605 para pagament) dos premios a que
teem dreito os i marmheiros engajados, Jos da
guarda nacional do municipio do Recife, sobre que
informou o respectivo commandante superior em
offlcio de 20 do corrente, resolve promover a alfe-
res da quinta companhia do mesmo batalhao, o
guarda Arcelioo Jos de Almeida Peruambuco.
Coramunicou-se ao commaudanle superior do Re-
cife.
Dita.O presidente da proviocia, resolve nomear
Lnil de Franca Mello Jnior, para capto do cor-
po provisorio creado pelo art. 2o da le provincial
11. 611 de 2 de maio do corrente anno.-Fizeram-
se s necessarias coininunicacoes.
- 22 -
Oficio ao marechal commandante das armas.
Pode V. Exc. mandar effeetnar a substituido do
guarda nacional do 7" batalhao da guarda nacional
deste municipio, Joaquim Jos de Sanl'Auna que
Silva Paix-i, Eduardo Obonnar e John Fosler, bem offerece para servir por si no Io batalhao da guar-
como da gratiflcacSo que compele a pessoa que da nacional destinado ao servico da guerra, o ci-
ag'mciou taes engajamentos.
Dito ao mesmo. Mande V. S.
vidos lempos a consignadlo qu
abonar em os de-
; pretende deixar
nesta provincia o lente do batalhao de guardas
naeionaes destinado ao servico da gu rra Jerony-
mo Cesar de Vasconcellos, ua vez que esss con-
signaco nao exceda da importancia do respectivo
sold.
Dito ao mesmo. Ao tenenle do 2o batalhao de
infamara aquartelado Juvino Epiphanlo da Co-
nha, que honlem foi Horneado capto da S' compa-
nhia do batalhao de guardas naeionaes destinado
ao servico da guerra, mande V. S abonar sem de-
mora os vencimenlos a que liver direilo al aquel-
la data inclusive.
Dito ao mesmo.Mande V. S. ajustar contas al
dado Juvlniano Jos Anlunes.
Dito ao inspector da ti.esouraria de fazenda.
Communico a V. S. para os lins convenientes, que
por portara desta dala nomeei provisoriamente te-
nenie cirurglo do Io batalhao da guarda^ nacional
destinado ao servigo da guerra, o Dr. Joo Pedro
Maduro da Fonceca.
Dilo ao mesmo. Transmiti a V. S. para seu
conhecimento e/ffm conveniente o incluso requer
ment em que Francisco Joo do Pilar, lente do
batalhao da guarda dacional, que segu hoje para
a corte com destino a guerra, pede para consignar
seu sold nesta capital a sua mulher D. Leobina
Lucia de Miranda.
Dito ao mesmo. Era vista do que pede no in-
dia 22 do corrente, ao 2o '.enenle reformado do' cluso requerimento o alferes reformado do exerci-
exercito Epiphano Borges de Menexes Doria, visto lo Jorge Rodrigues Cidreira, que segu hoje para a
tr de seguir amanha para a corle com o corpo de corle com o Io batalhao da guarda nacional desti-
polieia onde oceupa o posto de lente secretario, nado ao servigo da guerra, mande V. S. pagar-lhe
Dito ao mesmo.A Manoel Jo- MorPira, mande a quantia de 165331 rs., importancia de 7 das de
V S pagar se nao houver inconveniente os venc-; vanlagens, que perlencelhe do commando da fr-
menlos constantes do pret junto em duplcala, que taleza deTamandar, a coolar do primeiro a 7 do
me remelteu o lente-coronel commandante do corrente.
batalhao n. 27 de infamara do municipio de Ca-, Dito ao mesmo. Expeca V. S. s suas ordens,
ruar com oficio de 6 do corrente, e relativos a | para que em os devidos lempos seja abonada a
una escolta de guardas naeionaes que conduzio! consignado de 25,5000 mensaes, que segundo o
para esta capital recrutas com destino ao servi- requerimento incluso pretende deixar nesla pro-
co do exercito e guardas naeionaes destinado vinca o alferes do Io batalhao da guarda nacional
gUerra l destinado ao servigo da guerra, Jos Policarpo de
Dito ao mesmo.Declarando me o tenente-coro- Freilas Jnior, a seu pai Jos Policarpo de Frei-
nel commandante do l* batalhao da guarda noci- tas.
nal destinado ao servigo da guerra, nao todero I Dito ao inspector da thesouraria provincial.
seu balalhao ajustar contas por (alta de lempo, vis- Transmiti a V. S. para os lins convenientes s in
to ter de seguir amanha para o sul, recommendo
a Y. S. que mando eqtregar ag referido lenente-co-
clasas relagoes das pragas de crt do corpo de po-
lica, as qua.es consignara oesta provincia a gratifl-
(OVERXO no uiiipai>o
i*a:it\ Aiiimc <
SEDE VACANTE.
Expediente do dia 14 de oulubro de 1865.
Oficio a irmandade doSanlissimo Sacramento
da freguefia de Santo Aniao.Auendendo ao que
em oficio de 8 do corrente me expoa a mesa re-
gedora da irmandade do Santissimo Sacramento,
erecta na matriz de Santo Anio aa cidade da Vic-
toria, concedo permisso ao Rvd. parocbo respec-
tivo para transferir o Santissimo Sacramento para
a cape'la apropriada, que a mesma irmandade no-
vamente fez construir com toda a decencia no re-
cinto da matriz.
Devolvo o compromisso que acompanhou o of-
flcio.
Dito ao vigario de Santo Antao.Autonso *
V. Rvm. para transferir e conservar o Santissimo
Sacramento na capella apropriada, que a irrnanda-1
de respectiva para esse lim mandou c instruir 00
recinto da matriz, o que de summa utilidade, |
visto como cora mais decencia e maior revereucia !
se conserva o Santissimo Sacramento em urna ca-!
pella fechada, que s tem de abrir-se quando ha
uecessidade.
16
Oficio ao Exm. presidente da provincia.Te-
nho a honra de aecusar recebido o oficio de V.
Exc. de 9 do corrente, communicando-me que aca-
ba de antorisar a thesouraria provincial a entregar
a Francisco Jos de (lampos Pamplona, indepen-l
dentemente de ianga, a quantia de quatorze con- i
los novecentos e cincuenta e nove mil setecentos e
viole ris, que pela assembla provincial foram
votados para satisfazer o deiiito cunlrahnlo cora a
concluso das obras do interior da njva matriz de
S. Jos.
Agradecendo a V. Exc. a coadjuvaco que se
digna prestarme, alim de qae eu possa satisfacer
lo sagrado compromisso que contradi em beneli-
cio da religio, e mesmo dos cofres proviuciaes :
reitero os sinceros protestos de alta considerago
e respeitosa eslima, que consagro pessoa de V.
Exc, a quem Deus guarde por muitos annos.
17
Oficio ao prefeito do Hospicio de Nossa Senhora
da Peoba.Attendendo as ponderosas razos que
Vossa Paternidad)] Reverendissima expoe no seu
oficio de lo do corrente, attendendo aos reconhe-
Cldos benelicios e relevantes servigos que os Rvms.
missionarios capuchinhos prestam aos Seis a ipiem
evangelisam, reconhecendo (|ue nas occasiijes de
missao se convertem muitos peceadores, se repa-
ram muitos escndalos, e procuram casar-so mui-
tos infelizes que viviam amasiados, com grande
damno das suas almas, das familias e da socieJade,;
seudo rnuito conveniente facilitar quanto for pos-
sivel essas unioes sacramenlaes, sera todava rela-
xar a disciplina da Igreja, era omiltir as formali-
dades prescriptas pelo sagrado concilio Tridentino
e constituicoes diocesanas, concedo que d'ora em
diante, quando qualquer dos Rvms. missionarios
capuchinhos residentes nesta diocese abrir missao
em alguma freguezia, possa o Rvd. parocho, de
combinaco como mesmo Rvd. missionario, correr I
qnaesquer :-roclamas em dias de missao, mesmo
consecutivos, quer sejam festivos quer nao : com-
tanto que os contrllenles sejam daquella fregue-
zia ou das fregnexias llmitrop'ies, ouvidos todava
os respectivos vigarios, alim de informarem sobre
qualquer irapedimenio que possa haver.
18 -
Offlcio ao vigario de Nova Cruz.Attendendo
necessidade que V. Rvm. expoe no seu offlcio do
Io do corrente, a que respondo, concedo-lhe um
mez deliceuca parasahirda sua freguezia, deixan-
do na regencia dalla o Rvd. coadjuctor.
19
Circular aos Rvds. vigarios do bspado, exhor-
lando-os a que previnam o pove contra as biilias
falsilicadas e livrnhos perigosos que os emissarios
da propaganda prolestauteandain espalhando pelos
Incautos.- Urna das principaes obrigagoes dos pas-
tores das almas apaseentar as ovelhas quo Ihes
sao commettidas, com a saudavel pregago da pa-
lavra de Deus, e ensiuar-lhes a verdadeira doutri-
na. Esta obrigag a que por direilo divino e
eclesistico eslo adslrlctos os Rvds. paro hos como
pastores e mestres espirituaes, a i|ue devem cum-
prir em todos os lempos, u-ge mais que nunca
quando o espirito do erro e da mentira, desde-
nhando os anatheraas da igreja, o zelo dos pasto-
res, ea aecao repressiva da autoridade publica, se
slenla ousado, perverteudo a erenca catholica,
corrompendo a moral evanglica, 'usultaodo a re-
liiiii 1 do estado,e minando os fundamentos da se-
ciedade.
O proteslanlismo, desprezado, escarnecido pela
opioio esclarecida do mundo civilisado, por causa
da illegilimidade e :orpe:as de sua origem, iu.-ta-
bihdade de seus fundamentos, ioconsequeucia de
suas doutrinas, mulliplicidade de suas seitas, es-
travaganc.ia dos seus ritos, rivalidade entre seos
chefes, sua falta de unidade, suas mximas anar-
chlcas, e sua perigosa influencia nos desliuos do
hornera e da sociedade, perdendo por isso terreno
de da em dia em todos os paizes da Europa e na
propria loglaterra, pelas rpida-, e brilhanles con-
quistas do catholicismo : o |jrotesUn(ismo, digo,
quasi raorto de marasmo, nos seus ltimos paro-
xismos, tenta um derradeiro esforg procurando
novas regioes, para desla arle compensar suas per-
das com novas conquistas ; e com este designio in-
fernal invadi o nosso paiz, eslabeleceu o centro da
sua propaganda na capital do imperio, e enva
emissarios por todas as provincias.
Nao Isto urna flego, urna triste realidade,
um fado de publica noloriedade, que nao e possi-
vel dissimular. Esses emissarios da sociedade b-
blica protestante existem entre nos, na cidaie do
Recjfe, e com liieriv. menoscabo da religio d.g
onde, pensando ella na sj
encontrar o alimento da
veneno que Ihe dar a
permanegamos apalliicoi
ua boa f e simplicidad?,
vida espiritual, encontra o
morle ? Sera possivel que
e indilTerentes a ruina es-
piritual dos liis? que diixemos envenenar as pas-
lagens onde devem pasi
donemos ao assalto deis
confiado nossa guarda
Nao, us possivel. Q
er as ovelhas ? que aban-
lobos o aprisco que foi
e a nossa vigilancia ?
bando os apostlos da men-
tira algara a voz para pr ipagar o erro, os apostlos
da verdade nao devem emmudecer; pelo conlrario
devem clamar incessan
diz o apostlo, que os litis sejam levados em roda
de lodo o venio de duutr
tuda dos que induzem
:n pela malignidade e as-
erro.
Cumpramas o nosso lever; usemos dos recur-
sos que nos d o nosso
autoridado publica, co
religiosa permitlida pi
dicao de respeitar-se a il
ollender a moral publica,
ninslerio, certos de que a
hecendo que a tolerancia
las leis do paiz com a eon-
eiigio do eslado, e nao se
nao tardara muto em
secundar o nosso zelo c un os meios repressivos de
que dispoe.
Tendo pois o sagrado
e imperioso dever, como
ordinario desta diocese. Je velar no bem espiritual
desla importante Pffcao
do rebanho caiholico cou-
zeloso e vigilante pastor,
pirilual da divina palav
sem cessar a verdadeira
reprehenda, corrija, ard
mente, cuino recomm
do por todos os meios, |
pelo bem das almas, aos
compren] era aceitera e
cues, que eontem erro
emente para evitar, como
ada a minha iodignidalde, uovamente exhorto, e
convido a V. Rvma-: pa -a que, como cooperador,
nao falle com pasto es-
as suas ovelhas ; pregue
doulrina; ensine, exhorte,
ua opporiuna e Importa-
nda o apostlo ; prevenin
e Ihe sugerir o seu zelo
seus parochianos que nao
sas Biblias, folhetos e ora-
condemnados pela sauta
Madre igreja ; que os qi emem, se os tiverera em
seu poder; e que evitt o o contado pestilencial
desses emissarios, que
por isso incorrido nos a
tra-os que propagun d
seinpre professou o ens
ca e apostlica romana.
E para que esta clreu
10 de todos os liis, V R
manuscripia ou inpres-
jornal desla diocese, a p
gos successivos a eslagai
registrara nos livros coi
alera dis.-o nas suas pre
tas julgar conveniente i
lempos a lempos, se ass
taucias.
ps distrbuem, e que teem
Alhemas fulminados con-
ntrinas contrarias a que
on a santa igreja catholl-
ar chegne ao conhecimen-
ina., logo que a receber
la, ou a ler em qualquer
blicar em quatro domin-
da missa conventual, e a
hpetenl-'s, menciouando a
;agoes tantas vezes quan-
e repetindo-a memo de
a o exigirem as circums-
Oficio ao vigario int
do a dilllciildade um que
se prover de coadjuclor,
licio de 18 do corrente ;
de irabalho que tem ha\4
tes ; tenho resolvjdo pi
quo incorreu ipso fado o
jo, em razo de ter salud
do prximo passado ; e
0 -
no des. Jos.Atienden-
V. Rv.na. diz achar-se de
orno me expoe 110 seu of-
httenlendo ao augmento
do, e a falta de sacerdo
termo suspenso em
Jtv.J. Joo Gomes de Arau-
inal no concurso de 11
habilito para continuar a
j
exercer o lugar de coadj ictor dessa freguezia, de-
vendo para isso tirar npu proviso.
I
Oficio ao Rvd. Jos Ao onio dos Santos Lessa.
V. Rvma. rae dirigi em
as instes circnmstancias
imente, resolv levantar-
imposta, pelo que pode
no exercicio das suas or-
Altendeiido a supplica qu
dala de 17 do corrente, e
em que diz achar-se actu
Ihe a suspenso que Ihe f
Y. Rvma. desde ja entrar
dens.
Devolvo-lhes inclusos o
honorario e o exequtur
apresentar.
Dito ao vigario de Santo
ta data levantado a suspe
Rvd. Jos Autonio dos Sa
cipo a V. S. para sua
Dientes.
Igual aos vigarios de S. iPedrb Goncalves do Re-
cife, S. Jos e Boa-Vista,fe mutatis mnlandis aos
superiores dos conventos d^ Peuha, do Carino o S.
Francisco.
seu titulo de camarista
mperial que me mandou
Antonio.Tendo eu nes-
so que havia imposto ao
Ds Lessa, assim o parli-
itkelligencia e lins conve-
NOVAS DISPENSAS hRTniMONIAES.
Chegaram do Rio de Jantlro as petigoes de dis
pensas do Io grao igual da linha lateral e 2o grao
altiugente ao 1 de consaugiiinidade constantes da
lista abaixo publicada e cuja concesso foi au-
torisada pelo Exm. e Rvm. I Sr. internuncio apos-
tlico em data de 29 do proxpno passado.
Podem pois ser iirocuradail em Olinda na secre-
tarir do bispado e no Recife.I em casa do lllm. Sr.
conego da capella imperial Francisco Jos Tavares
da Gama, ra da Cruz n. 56.
Oiindaj 17 de outubro de I-
Conego Joaquim Fer,ieira dos Santos,
Secretario do pispado.
Lirta das pe
Clementino Pereira de Mana
Jess.
Manoel Pereira de Oliveira e
Conceigo.
Claudioo Coulinho de Mello
zende.
Antonio Bezerra de Maria
Jess.
Joaquim Dourado Cavalcanle e
Albuquerque.
Manoel da Annunciago Lyra, t
Jess.
Sebastio Nunes de Magalhes b Jovina Francisca
de Lima.
Manoel Francisco da Silva
Jess.
Joo Ribeiro da Costa e Marii
Auna.
Jos Antonio de Oliveira e Anna
gao,
Joaquim Manoel Pereira e Brasil
ceigo.
Manoel Bezerra da Silva e Theodora Franeisca Ma-
ra da Conceigo.
Vieram mais as segmntes peticoes concedidas na
mesma data.
Sehasiiao Jos de Aranha Vasconcellos e Felippa
Maria de Albuquerque.
Antonio Theodoro de Medeiros e Mana Bezerra de
Pigneiredo.
Joo Cabral de Mello e Amelia Maria de Jesus.
llerc.iilano Theotonio da Silva e Anna Luzia Caval-
canle de Mello.
Miuel Antonio da Silva e Anna Mara do E-pirito
Santo.
Manoel Joaquim Bezerra e rtiercza Maria de Je-
sus.
coma das arias.
Ojiarle I general do eorarnaudo das armas At Per-
nambuco na cidade do Recife, 23 de oulubro
de 1863.
Ordem do da n. 136.
0 marechal de campo commandante das armas
faz certo
segundo ouvi dzer que a representado seguir *;
mesmo llavana para a corte.
O que Ihe posso afiangar que o cmmeTno
unnime neste reclamo de toda a razio e josliga,
assim como que com o maior jubilo 1.1 visio cb-*gar
e ancorar nesie porto o primeiro vapor da ara-
gao mercantil dos Estados Unidos; snccedeB.lo sao
s que o povo alttuio aos caes a presenciar aho-
gada do novo elemente ~de communiragio com u
iros povos, mas larabera alguns eotnra^reMales l
consulados estraugeiros alm de mludeirarem
as suas casas, mandaram i.n-; r ao r grande
quantidade de foqueles, parrcen'do anles r urna
festa por motivo de alguma victoria nacional qu.s
se peleja no sul do imperio, do que um anmleci-
tO trevial e ja1 esjwrado pelo nosso coaMBMNli po-
pulagul
De poltica pouco ha a dizer a vfata da minha ai-
tima carta, o fado real que os jornaes mais ira-
portantes eslo calados e nem se crea que asa m
tivos de Conientaraenlo porque os que aqu vivean
sabera como as cousas se pasaui quuuio a liuera-
de da imprensa.
Entretanto o que ha de mais importante nestes
ltimos dias, foi o jamar oITcrecido p.l>x prin.ua*>
111 r
a guarnico para os lins convenientes,
quo a presidencia homeou por portara de iO do merabros do partido conservador a'<> iilu-ire drpa-
correnle mez ao Sr. 2. cadete 1.' sargento almo- lado alagoano Dr. Tavares Bislos surnmamente ro-
xarife do forte do Buraco Francisco Carnero da ', onecido pelos seo* escoplos do .-oliiario em tt(*-
Silva, para o lugar de agente do recrutador no ter-', rencia a livre uavegago, aberlura ecommerc da
mo do Bonito, que exercido pelo Sr capto Ze* do Amazonas e outros assuuiptos imporianlrs.
f-rino Rodolpho DelgaCo Borba ; e por oficio de ] O servico do janlar foi xcellente r^nn.
18 lainbem do corrente mandou ijue se louvasse e:uma bella e eaeoHdl sociedad cuinpo-'a de dis-
agradecesse ao Sr. I. cadete do 3." corpo de vo- Uncios cavalheiros, eulre m ihjhk m runiavam o
luntaros da patria, Francisco Paes Brrelo, pela chefeida eslago naval Wandeno. k, os da com-
prova de patriotismo que acaba de dar renuncian- missao brasileira e peruana de limite* entre o ira-
do em favor do eslado para as despezas de guerra peno e aquella repblica, o diputado LaMi da i.n-
conlra a repblica do Paraguay a gratifleacio de "ha, o desembargador Cimp.s, m-pedor daalbn-
3O000 e a sorle de trras a que Ihe d direilo o dega, o gerente da companhia do Amazonas, alma
decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro do corrente un opina pessoas de dislinrgo e tio rommVrtw.
anno. \ O janlar 1 nncipiando as 6 hora.-, da lanh terrai-
Declara outro sim o mesmo marechal de campo l; as 9 da noile, fazendo-se muilos brindes *en-
commandante das armas, que a presidencia em tfe elles os io.os noiaveis sao os -ejuini> :
portara de 20 d'este mez, n ornem jiara o 1.* bala- Do Sr. Dr. Pfabeira ao Sr. Dr. Tavares Ba-ios
Hio da guarda nacional destacado para o servigo E' eom grande prazer, raeus seohores, que vos
de guerra, os Srs. offlcaes seguntes : '/'Jo aqu reuud is |>ara ob-equi.ir a ianap M ii--
2* Companhia. lindo cavalheiro aquem cabe as honras iam ban-
Capilo o lenlo da mesma Euzebio Xapole.io de 'iuel^. Chelo de admirago pela maneira paraa
Siqueira.
o." Companhia.
Capto o tenenle quartel-mestre Pedro Ab-xandri-
no Rodrigues Lins.
6.* Companhia.
Capio o tenenle di mesma Dorindo da Cunha
Lima.
7.J Companhia.
Capto o leoento da mesma Camillo Augusto Fer-
reira da Silva.
8.' Companhia.
Capto o lente Juvino Epiphano da Cunha.
Tenenle o alferes da mesma Aurelio Crispiano da
Cunha.
Alferes o alferes reformado do exerclo Jorge Ro-
drigues Cidreira.
Portara de 21 do corrente.
Eslado maior.
Tenenle cirurgio o Dr. Jo3o Pedro Maduro da Fon-
seca.
Para as companhia.
Tenenle o alferes Joo Jos d'Almeida Pernam-
buco.
Dilo o alferes Andr Xavier Viauna.
Alferes o sargente quartel-mestre Jos Polycarpo
de Frenas Jnior.
Alferes o 1." sargento Antonio Augusto de Moura
Xovaes.
Dito o l. sargento Trajano Francolino da Costa
Lins.
E finalmente, que por oficio de 21 mandou in-
cluir no sobdllo batalhao I, o Sr. Alferes da guar-
da nacional do municipio de Xazarelh Antonio de
o dislincto parlamentar cura dos n-go ios publico*
nao se esqoeceado nunca de repartir a sua ai -n-
cao cun e.-la infeliz provincia, L-o era p-'Ssivel.se-
nhores, que permanecessenios imtilf^rei'le, a 1.V1
subidas provas de sympathia e dedicar' para cun
a ierra que nos vio nascer.
Senbores, sempre que se irala do vallr lo
Amazonas, nao se faz e.-perar a voz elo pi-ut- i
dislincto cavalheiro que para melbor s-tm
por >i proprio estudar as suas necessida-b-. r. ;n ,
os seus recursos.
Em prova, poto, do apreeo ern que o t-:o k
do reconhecimenio que Ihe devenios mbh pa
ses, espero, sennores, que me acompanhare- ao
brinde que dirijo a S. Exc. o Sr. Dr. Aurelio Can-
ludo Tavares Bastos.
Do Sr. Dr. Cauoao.Sr. chefe Je esqiu-fn,
commandante da estacan naval, e a inmola ura-:-
leira.
Do Sr. capilo teuente Coala Az-ved >- 11 Ir.
] general Carrasco, chefe da eooMBNse de h
! do Per, que nao ha de poupar eslorc p-.
|em breve esteja termnala 1 Jenureaca 1 1 > irm-
, les entre o imperio e aquella rapaMea.
Do Sr. W'ali ucbock-a disliucU classe m>di-
Ica desta provincia e especialmenie ais.Srs.Dr-.
Canto, Lobato e Preitas.
DoSr. Dr. Fr-rilasao Sr. Jos da C -la Aze-
vedo, acujo trabalbo inlelligenle muitodeve o Bra-
sil o especialmente as aroviucias do Para e Ama-
tonas.
Do Sr. Dr. Marianoao corpo do c Majen i<\
t Do Exm. Sr. Dr. Tavares i;.i-t- : Dapeaj ile
Hollanda Albuquerque' Maranho, que se offereceu i demonstrar as vantagensegraadan ao no--o lo,
para servir na campanha do sul. j fazendo ao mesmo lempo senlir as sua mais ir-
(Assignado.) Francisco Sergio d'Oliueira. jgeutes e palpitantes necessidades, araJereu lie-
Esl conforme.-Infonio Francisco Duarle, 2.' nigna e lisongeirainenle as provas t aprego de
tenente-ajudante de ordens interino eucarregado c osiderago, que de um modo lo franco signi-
do detalhea
OORBESPOcVDEIVCIJlS IMDIA
illlt IK FU\AiaiUO
PARA.
lelm, II de outubro de 18"i3.
Deixei de escrever pelo vapor transporte Oyapock
nao por encoinmoJos de saude, mas antes pela al-
flu.-ucia de trabalhos que tive naoccasio da cliega-
da o partida do mesmo.
Felizmente esta falla superada com oappareci- sahe lmpida
ment neste porto do paquete norte-americano Ha- imprensa livre, senhores, aqu representada pelos
nmii que acaba de chegar de New-Ydrk para inau j Srs. Drs. Piobeiro e Mariano.
gurar .1 carreira de vapores enlre as duas ame- \ Do Sr. Francisco Gaudencio da Cosa I -.
ricas. 1 inspector da alfandega, pelo muilo que tem contri-
Cora mais ou menos demora e espirito publico | buido para o tlorescunenlo do no-so cnmmerc il-
aguardava o bello da em qae surglsse a realisago liando com inlelligenle discrigu : re-
da uavegago de vapor entre o Brasil e os Esla-! fisco rom os do commercio.
Qcativo, Ihe iributavam os cavalheiro, que o hon-
ra vam com aquelle fe.-lim.
. Do Sr. Dr. Lobatoao Sr. desembargador Cam-
pos, como magistrado honesto, lateara, litu-trado
e intellinenle.
Do Sr. Brambeeraos paraenses, pela hospiia-
Iidade e bom acolhi nenio, que sempre dispensara
aos estraugeiros.
Do Sr. capito-teoenle Jos da i.osta Azvelo
a liberdade da imprensa :Elemeoto mais pode-
roso do progresa, se alguma ra a imprensa se
tem excedido no desempenho de sua im--.o, esse
excesso, dequeeamesaM leub". p victima, me radica cada vez mais no prineipnn,
que sempre adopiei, da iiberdade da impreasa. A
dscosso provec a discussao, e do seu embale
a verdade e iriumpha a virtud^. A"
roes.
je Josepha Maria de
Sebastiana Mara da
le Mariana de Re-
Antonia Mara de
Mana Francisca de
Arcelina Maria de
Isabel Man de
ha Jos de Sania
Maria da Concei-
na Mara da <:<:n-
dos-Unidos, com especialldade entre o Para e esse
paiz, porque alm de affastado das communlca^es
rpidas com a Europa, apenas tinhapara o seu ex-
tenso e importante commercio exterior as Incons-
tantes e irregulares vagens dos navios de vella e
dos paquetes da companhia Brasileira.
Infelizmente depuis que communicou o llavana
com a ierra, soubese que as vagens da nova com-
panhia americana, smente seriara para este porto
de dous em dons mezes, por isso que. segundo cons-
ta, algum retardamento de das ha na rapidez das
vagens, assim como a incerteza de internases quan-
to a passageiros.
Se Isto verdade nao sei como se pode explicar
este fado quando a le para a cuucesso da respec-
tiva subvengao, por parte do governo imperial foi
com a clausula expressa dos paquetes lorarer no
Para'.
E nao se acredite que o vir ao Para' os paquetes
americanos um mero favor concedido ao commer-
cio e a sua deputago poltica que reclamou seria-
mente pela eff-clividade de semelhanle clausula;
as cifras cominerciaes dos valores exportados e im-
portados entre esta provincia e os Esiados-L'nidos.
eslo cima de lodas as consiJeragoes especiosas;
porque ao passo que o commercio entre Bahia e
Peruambuco nao lermomedio, na alguns annos a
esta parle, muto superior a dous mil conios, e do
Para ja sobe a tres mil 1 E isto n'uma provincia at
aqu entregue aos seus proprios recursos, por as-
sim dzer, sem populago e conseguinteinenie sem
nenhura desenvolvimento ua agricultura.
Dlter-se lambem que a vinda ao Para' retarda as
vagens dos paquetes, seria enlo raelhor que nao
se inaugurasse seinoihaute Iraha ; pois que se 0 va-
por tende a facilitar ea vencer cora presteza e pou-
tualidade as distancias, sejam quaes forera as lon-
gitudes dos pontos intermedanos da navegigo,
para que conceder este beneficio da rpida comrau-
oicago em proveilod'uns porlos com prejuizo de
outros, quando os menos allendidos sao os mais
importantes pelo valor e ex tensan dasre.lagues com-
merciaes cora o poni da procedencia 1
O commercio Je-1.\ praga ficou sem duvida bas-
tante descrneme- yum semelhanle alteragao na> via-
gens paraa'jul.
Segundo consta, hoje mesmo reuniram-se alguns
negcianiei iralavam de representar por tal mo-
tivo ao ministerio das obras publicas afira de
qua s'e remedeie semelhanle falta, toda em despro-
fto dos luteresses morcanlis naeionaes e estrau-
geiros existentes nesta provincia, e creio mesmo.
Do Sr. inspector da alfandv 3r. bu",
de Maua, a quem muilo devem arta provincia e a
do Amazonas.
Do Sr. Dr. Lobatoao Sr. Pimenta Bueno, o
gerente, inlelligenle e honrado, que pir vi 1 parte
muilo lem concorndo para o lustre e brnh bj
companhia do Amazonas.
Do Sr. Dr. Piuheiro era ratposta ao Sr
Azevedo :t U ultimo dos lidadores da irapr-nsa
nao posso, senhores, ouvir silencioso o brino paj
a ella foi dirigido pelo disiincto cavalheiro o Sr.
Costa Azevedo. Verdade que a imprensa aqu,
como por toda a |iarle, se l-m alguraas vejr- -
cedido e sallado fura dos seos eixos ; roas e*>ie*
excessos. senhores, longo de virem era prejoizo de
sua missao, servem perfeilamenle a cau-a .\ eii-
lisago. A historia a alampada do futuro 1 a la
queda que o hornera da' no curso de sua perrgri-
nago, um marco que assignala a pass.igem da
civiiisago.
Mas, senhores, nem mesmo esses desvos ap
prenles podem ser increpados a' imprenta ; ao
governo que se quer raetler era indo e pretende
absorver no estado a individualnl.ide, a iniciativa e couliscaiido lodos os direilo*, a go-
verno, sim, que cumpre lomar contas dos excel-
sos da imprensa. Verdade que, como bem diss*
o dislinclo Sr. Tavares Bastos, nao ha mais hoje
anllese entre o povo e o re, mas, sen.tore-, e-ia
verdade iheonca esta' anda looge de ser nma
verdade pratica e se nao ha mu- hoje antilnese
entre o povo e o re, existe anda, desitri'-v-
damenle, entre o povo e o noverno, que longo
de fazer convergir todas as torgas viva* do eMaJo
para sua prosperidade, -e compraz ero vencer sa
concidados e Iraze-los curo pristoneiro-. As pai-
xoes rums e mesqoinhas, \A<, que nao rasas ve-
zes dominara as alturas do poder que sa d. vera
imputar esses excessos, que o dislinclo cavalheiro
assignalou.
< E, pois, que lenho dito quanto suBriea
para lestemunhar o mu reconheciraenio pelo *-
lindo cavalheiro que tanto nos peaaorou cora suas
expresses benvolas, permilli, senbores, qaa alar-
gue mais o circulo dp brinde por ello dici* J.< a
sauderaos lodos com a imprensa livre, o cummer-
cio livre, a navegago livre e lado* o eleraeatos
poderosos do progra-so e prosperidaile puMna
t Do Exm. Sr. Dr. Tavares Basto*: Depoi* da
manifestar cm ura, luagulico discurso, as vistas do
goveruo em relacao aos gabioeles sul-anrarieaDos
saudou a coraqjis#ao de limites do rVrri.


Ciarlo de Vernacbaco -- Qaavta Jaira, 35 de Outubrol de SS*.
t Do Sr. Augusto Costa coma BCarrejiao do mostrando ciumes juila sua-prosperidad
consulado peruano, agradecendo ao Exm, Sr. Dr. mando iinatquer ingerencia no modo
'lavares Baile-. seus goverajs sao administrados. Acii
dado ou recia-
por que os
lina de ludo
Do secretario daeommtssc da limites de Per nos desojamos que elles tenliam a convierto de
A' commissao de limites do Brasil. que as nsgoes da America, se quizereni continuar
Do Exm. Sr. Dr". Tavares Bastos-ao partido
conservador, u aos seus grandes homens que mui-
tos e relavantes sarvigos tem feito ao paiz.
Do Sr. Dr. Piaheiro aoSr. Dr. Leilao da Cu-
nha, pelos grandes e importantes servidos por S.
Exc. prestados a' provincia e ao paiz, na magistra-
tura e insirucc/io publica, cmo na advocada e ad-
ministraco. .
a Do Sr. Dr. Frenasera resposla o Kxm. Sr.
Dr. Tavares Bastos, agradecendo a S. Exc. as p..-
lavras lisoogeiras. com que brindava ao partido
conservador, que tantos e io valiosos servaos tera
prestado a causa publica.
< Do Sr. I'iui. uta Bueno, agadecendo as eauda-
coes dirigidas au Sr. bario de Mau.i o a sua pes-
soa, o fazendo votos pela llberdadfedo Amazonas.
Do Exm. Sr. Dr. Leito da Cunha cominis
a excitar, devem aspirar a uraaindependencia ab-
soluta e subsistindo por si propria, e a urna per-
z
luxo do arranjo da casa, o(T:recee ara sortimenlo
telo de obras de litteratur^ sotcnclas, atlas,
ele, etc.
Esta livraria, que leva a primaz** s eraais des-
ta cidade, tem sido um ponto de visita esses dias.
A audieuca do juizo de paz drfrngnaiii dn
Santo Antonio, que devia ler tido luhr hontem,
feita igualdade poltica com as outras nagoes da hoje (2o) as horas e lugar do costume.
trra, -e o Brasil concordar comnosco nesta po- j Auianhaa se extrahir pelo nove plano a i'
litica, nos s remos d'ora era diante ntimos amigos parto da lotera (36*) a beneficio das. familias dos
e o futuro nos [ara' praticameote "alliados firmes e voluntarios da patria.
'narllj"!aveis- Depos d'amanhaa (sexta feira, S7 do corren-
0 discurso, cuja traduegao cima ofTerecemos, te) effectuara o agente Pmto o seu leilao de movis
produzo alguma impresso, pois fra de duvida e apparelhns de louga, aanunciado para o arinazem
que as ultimas palavras do presidente ha urna al- da ra da Cadeia em frente ao beco largo,
lusao aos ngocios do Mxico. O New-York He- O esenvo dos protestos de lellras, Jos Ma-
raid, de 26 le setembro, diz que o presidente con- rianno, est de semana.
sidera na sua resposta o systema dos governos Hoje o agente Olympio far leilao, no seu
americanos como luleirameute independente do grande armazem da ra da Cadeia do Recife n. 36,
sjstema europeu ; e por cuiiseguinte qualquer de raobilias, trastes avulsos, objeclos de ouro e j os abaixo assiguados tendo-o feilo nao liveram
tentativa dparte das potencias europeas com o prala, candieiros de gaz, relogios, crystaes, 3000 outro lim seno acautellarem seus (iireitos contra
lim de subjugar, inodificar ou intervir no governo chamins para candieiros de gaz, pegas de clsticos .as alienagoes desses ben<, que procura fazer o Sr.
sao que proporcionoit aquello festim, interpretando j de qualquer dos estados do nosso continente, urna para botinas, e outros muitos arligos. i Cardozo, os quaes se aeham reduzido a urna caa
assim os sentimentos cordiaes do povo paraeose usurpago grosseira e deve ser considerada como lustamos pela collocago do um gradil, ou o terrea e um sobrado (segundo consts); lique por-
para com o distincto e Ilustrado depotado alagoa- indirectamente hostil a lodos. que for mais conveniente, uo paredo em que Qn- tanto sabendo o Sr. Mosquita Cardoz >, que nao se
no, com quem sempre se achoa a de.putagao pa-| O inesmo jornal accreseenta A idea de excluir da a ponte do Recife, e ladea o caes de 22 de no-; teme a sua argo competente com que ameaga os
raense, quaudo se tratava dos inleressos desta pro-' absolutamente a influencia europea deste continen- vernbro na sua projeegao para o sul. abaixo assignados, e antes muito lhe agradecem o
vincia. te io lisa e inalteravel como as lela dos mdos e Esta medida tem um fundamento de precaver- favor que Ibes fazententando-lhes esi a promettida
Be Sr. Dr. Cantana S. M. o Imperador, cuja dos Persas. A intervengan que injustamente se se algum sinistro com a sua execugo; e faz-se aegao, para a qual o provocam ed
dedicago pela causa publica lio grande, que as ortica em insliluicoes americanas emquanto nos tanto mais precisa, quanto ainda na segunda feira bom que um acto destes com a espec
coBjunctnras aotuaes, nao hraitoo em tomar o bar- estavamos com as naos atadas posa profundamen- ultima precipitoa-se accidentalmente nm individuo bre, que o acompanlia, vem enriquece
rete de voluntario e sacrificar ledos os seas com- tenocorag deste povo. Esio seutimeoto far que a!li passava, e foi cahir sobre monioes de pe- ginas da historia denossofrol Mao
modos para partilhar dos trabah s na guerra ao explosao de nm modo que a paz do mundo poder dras e ostras, de que felizmente pOJe sabir, ainda Manoel de Mesquita Gardozo.
constante da eeriptur* do folbas: nnnea o* rai- 31 ditas tecidos de la, de linho, de algodao, cha-!
xo assigaado-sque u.io figuraram n iquellacomposi- pos de fellro, crinolinas, etc.; a Joao Keller & C.'
cao, e, que consegnintemente nao podem ser pre- 3 carxa?objeclos para chapeos de sol; a Manoel
juoMcados por actos de terceiros q le nao os obri- A'C.
gam : Se 6 certo que o aresto pro :edido nos beus 6 caixas tecido de algodo, camisas de Oanella,
de queest de posse o Sr. Mesquita Cardozo, est mantas-para eavallo, couros, etc., a Monhard & C.
sem duvida extincto por aquella Isenteoga para
aquelles que se compozeram com elle, tambem
certo que se acba em sen pleno vigor para lodos os
oufros co-4itigautes que nao iniervieTam em seme-
Ihante cooaposigao, e, que a requqrimento delles
foi, que sa procedeu a esse aresto.
O protesto, pois, dos abaixo assignados tem o seu
ass-nto na lei e na juslica, a sentengn a que se re-
fere o Sr. Carduzo nao lira-lhe o fuuciamenlo, e m-
xime, sabeadO'SC que essa seDtenca esta pendente
de appellago- interposta para o tribunal superior,
como podem examinar os interessad )s nocartorio
do esenvao Cunha.
Os abaixo assiguados tendo-o feilo
2o barris e 2o mios, mnteiga ; a 11. B. Las-
serre.
700 gigos batatas, 4 caixas drogas, 12 ditas cal-
cado, 2 ditas couros, 7 barricas e 4 caixas tonga,
lado dos bravos, que pelejam pela dignidade da
nagao.
Este brinde, particularmente, foi estrepitosa-
mente correspondido.
Houverain outros muitof brindes, e urna bella
banda de msica marcliia!, corresponda atlos
elles, que foram enthiisiastcamente appfaudid s.
Durante aquella (esta d' honra, que levo lu
gar na linda chcara do honrado e dislncto coi
ser perturbada, se nao boa ver urna solugo prxi-
ma da questo do Mtxico.
Repelimos, o melhor o talvez nico meio de ar-
ranjar osles negocios que smente dizem respeito
America convocar um congresso em que a devi-
da influencia dos Estados Cuidos se fara sentir.
Nos jurnaes receidos nao encontramos noti-
x-presidente
a so achava
Antonio Sergio da Criz Muniz.
Joo Jos da Cruz Mu liz.
uz Muuiz.
u-; cia algu.na a respeito do processu do ex
n-1 dos Estados Confederados, o qual ainds
metciante d*>sta praga, o Sr. Joaqaim Francisco j na fortaleza Monroe.
Pernandes,situada na estrada de Nazareth, o qual!
de bom grado a ceden para e-*e Ara, reinon sem-
pre muiia oidem, inuila alegra e a ma:or satisfa-
go.
Comegou o festim as S e meia horas da tarde
e tetmtnoo as 8 e meia horas da noite.
f Procedessem sempre assim os homens, ac-'
Iheudo o.....rito, onde quer que elle esleja, fazendo
completa abstraego da publica, e demonstrando a
sua tolerancia de ideas, como acbam de fazer os
conservadores em relagao ao Sr. Dr. Tavares Bas-
tos, membro de um partido opposto, que nunca te-
riamos de lamentar os seus actos, quer como iio-
meus pblicos, quer como particulares, qur, em-
fim, romo poliiieos.
t O Sr. Dr. lavares Bastos ha de reconhecer,
felizmente, que os paraenses sao sensivels s gratos
aos servigs, que 8. Exc. tao livre e espontanea-
mente nos tem prestado.
Pelo con leudo dos brindes pode-se ah avili ir o
alcance de sementante maoifertagSo, por parle de
membros de um partido opposicionist* ao illusire'
parlamentar, qae embora liberal, milita actual-
mente as bandeiras da situagao progressisla, e
mais notave ainda se lornou este aconieci^iento,'
por que alm de nao se ver" n nos convites aliiuns
dos membros d i partido predominante da'provin-
cia, a elle nao coacorreu o presidente e outras au-
torida les q le sempre se presumir que por del
o c irtezia deviam apparecer 1
' esino il istre parlamentar acaba de seguir
que bastante pisado.
Ao obsequio do Sr. Dr. Antonio da Cruz Cor-
deiro devemos a recepgo de seu bellissimo drama
Prologo da Guerra ou O Voluntario da Patria ; e
a esia offerla somos reconbecidos.
Desta producgummosa,em que as ideas se pa'.en-
tam e se casam com urna imagiuago frvida de poe-
ta inspirado, ja demos couliei-.nnenlo na algum lem-
po aos nossos leilores, transcre.vendo para as nossas
paginas um artigo apreciativo de seu mrito late- tas liespanlioias, O formoso paiz
Agua
D'es.
Exc i lava grande nteresseoconselho de guer- rario
ra a que foi ubmettido um ofBcial sulista, o capi- mando das lettras; e agora que o temos sob as
Io \V i tz, o qu il aecusado de lt tratado barba- vistas, recunbtcemos ijuo o aualysia nao sabio dos
lamnteos riMoneiros Bderaes confiados a sua limites da ana apreciagao conscieuciosa de um Ira-
guarda em Andersonville. ballio, i|ue o seu aulor classilicou, por um requin-
Tinhamse reunido a convengo do Estados te de modestia, de ensaio dramtico, quando ja
de Alabama o a da Carolina do Sai. Ambas tiuham um fruelo que iLComuieuda a quem o produz.
dsclarada a escravatura abolida nos seus respec- E' um drama que, nascido das effusoes espon-
livos tejrilnrios. laneas do entliusiasmo patrio, f.dla ao corago.nelle
A convengo da Carolina do Sul tinha resolvido d^speriaudo a fibra do mesuio enibusiasmo, ao pas-
enviar uaia commissao de tres membros a Was- so que descreve na linguagem attracliva do verso
hington para impetrar do poder execativo o perdi mais fluenle e natural os elevados senliineutos do
de J. fferson Davis i) seus companlieiros. povo brasileiro pela susteotacao da bonra nacional.
A convencao le Alabama tinha deciarado nullas Como mesmo o declara o Sr. Dr. Cordeiro, o
Miguel Archanjo da C
de Florida de Morra
man.
e o mais remotos dias dais doscober-1
Ja Florida,
y c Lin-
ui da 13 para 0 Amazonas no vapor de guerra
.; i a oompaohia do capitso lente Jom; da
C i' i <; Azevpd i, i o 11 ja visitado no m ism i vapor
a fortaleza de M icap.
todas a dividas coutrahidas
do durante a guerra.
Sir Marin Tele e ouiros capitalisias inglezes
meiubrcs .la companhla que "pretende construir
gr,.ule ponte inteniacion.il enlre o Canad os
Esl i los-Unidos, tinham chegado a catarala do Ni-
gara, nuil foram recebidos com grandes fesias.
O banco de Coocard, no condado de Meddle-
sec, tinha snTrilo um rouio na importancia de
:;oi',0()0 dollars.
New-York Uerald de 28 de setembro da as
seguales noticias :
Do Mxico temos noticias de continuos com-
bates e de loeerteza. A heroica cida le de Matamo-
ros esta cercada pelos liberaes commandados pelo
general Escobedo. Xa cidade In urna giiainicio de
1,800 h ou -as e. a Torea silla.lora consiste de 2,300
e da opporiunidade do sea apparecimenio no tem sido justamente afamado pelo balsaitli-:
co e odorfero aroma de suas raris e Dores-1
cenes llores e verdeantes arbutos. Aqoi
temos pois o fluctuunte perfttuii i e incens
de seus jardins agrestes e seus aromticos
e refrigerantes bosquezinhos, Il armoniosa-
mente conceutrados e encerrados (Teatro de
um diminutivo espaco bermelicament fe-
chado e sellado.
Esta Agua Florida deriva e recebe a
exquisita fragrancia das frescas,
e lorescenles follias, de flores
25 dilas chapeos e objeclos para homem, G far-
dos e caixas tecidos dellnho, 31 barricas fan-
nba de trigo, 200 gigos cerveja, 40 caixas queijos,
100 liarais cimeuto, 58 balotes papel, 220 barris c *'ela '
MO meios mnteiga : a E. A. Burle & C. faz Pnbl
11 balotes papel de imprimir, 20 barris o 40
meios mnteiga, 1 caixa cartas de jogar, 1 dita vl-
dros; a ordem.
2 barricas vinagre, 5 caixas eltro, camas de fer-
ro, modas, objeclos de sengueiro, bronze, e 1 pran-
xa de madeira de faia ; a Adour.
2caixas perfumara e papel; a Izidoro Netto
& C
16 caixas calcado, pannos, linhas, chapeos, per-
fumarias a Monleiro Lopes & C
1 caixa piano ; a Ferreira & Malheos.
3 di as chapeos ; a J. A. Moreira Dias.
3 ditas calgado ; a Antonio R. Pinto
1 dita xarope; a B. Francisco de Sonza.
1 dita pasta e xarope peitoral -, a Falcao Das.
7 caixas perfumaras, pianos, chapeos, papel, 10
a obra, Sr. | ditas obras de ferro, tinta, vidros, miudezas o 1 vo-
ume amostras ; a Al ves llainburger A C.
- Pela fisralisaco da fregurzia da Boa-Vista
se faz publico, para conbeelmenlo dos babiianh-s
da mesma freguezia, que d'ora em dunle ser Jei-
to o despejo no lugar dos Coelhos, sendo as ante-
nas fecaes no alagado, e o lino em lagar neen ;
incorrendo era infraego todo e qaalqurr qne o %-
zer em outro lugar.
Fiscalisago na freguezia da Boa-VisU 2 de
outubro de 186o.-O liscal,
___ Jernimo Jos Ferreira.
safiam, sera
alidade cele-
mais as pa-
pi CO.BEIO I.HML
lela administragao do corra desta rio
'. publico que em virlude da caov.ngo postal
celebrada pelo- governos brasiiiroe fraoct-z, s-irao
expedidas malas para Europa a da 30 do torren-
te mez pelo vapor francez Xatarri.
As carias aario receluihis at 2 honrs ant
da que for marcada para a sabida do vapor, e os
jornaes at tres horas antee.
Administrarlo doc.rreio de Fernambuco 21 de
outubro de l^-'i.
O administrador.
__________ Domingos dos Passos Xiraaia.
COKREIO (EUL
Reiaro das cartas seguras eiisleutes na ailniai.v-
tracodo nrreio iesta t'hlade para os seifcerrs
abaixu declarados :
Dr. Pelippn Lopes Netto.
Dr. Ju.o Mauricio Cavalcanti da P.ocha.
TEI*
100 barris e 100 meios maniera, 20.) caixas vi- ''^*.]1** &**
nbo, 2 dias bezerrus; a Manuel Joaquim llainjs e, eu" "eiH-
Silva A Geuros.
40 barris e 40 meios mnteiga; a J. M. do Roza
& Filho.
50 barris e 70 meios mnteiga; a Mauoel Fran-
cisco Corger.
10 barris e 20 meios mnteiga, 1 barrica Mica,
1 caixa colelras, pellas preparadas, oeulos e iusiiu-
meiitos de msica; a A. Uubert A Fllhos.
305 caixas vinbo, 105 dita- aguarden!', 10 dilas
az-iie doce, l dita amostras; a Th. Christiansen.
200 barricas farinha de trigo, caixas papel, 3
ditas movis, 1 dita espelbos, 1 dita papel piulado,
1 dita tbras de madeira; desuiouladas: a Tasso Ir-
mos.
4caixas papel: a Cuimaraes A Oliveira. j
90barris e 140 muios mnteiga; a J. Pater & C.
.- -
v
p. lo governo do esta- seu drama um episodio de lagrimas furtivas e sin-
0 seu sublime edelicad
ceras, de gemidos snllocados, de suspiros doloridos, trpico,
a par do dever, da honra, da diguidade, e J
amor vulcanjeo pela patria.
O typo do voluntario da patria bello.
O de-enho do capltao Alberto fiel pbysiono- na, e e inlitiilamente superior
r.iia do militar brioso.
O carcter da menina interessanle no amor
anglico da virgem, que sent o coragao partido
pela ausencia do pai e da amante, que vao pugnar
p.la patria, que ella estremece.
Em todo o drama lia urna cadeia de vida e poe-
sia, que o anima e prende o interesse.
A oosso turno, pois, felicitamos o Sr. Dr. Cordei-
ro pela sua feliz eslra.
RlPARTIGO DA POLICA.
rerdejantes
ei plantas do
' nao desmerece em nada, posto eth compara- trio, 60 gigos batatatas, i caixa
cao com aquella da mais lina agua da Codo- 10s- bil"

Mnto tem dado que falla:' a visita deste mogo ao inania os sitiados, Hejia, que afllrmam que, se ti
Para, acreditando usque elle se aprsente depu- vessem mais alguma raunicao, lomariam a praga
tad i peln Ain iz )"?, outros que aqu se acha por de :;-;..lt >. As foroas republicanas tiuham tomado
ordo.n do ;ovvrno ern estados e colbendo d.s a pequea cidade de Catorzo, era Leoa, adiando
para a realisagao da abertura franca do grande ahi armamento e munigSes. O coraraandante acres-
rio, cenia qnn a* negociantes da cidade be tinham for-
U im o que disserem, quanto a viagem do Dr. ni ci 11 18,000 pesos para as tropas. Os Ju : s
Tai is Bastos, pois convengo-rae qae nao foi por tambem preteojem ler derrotado 900 im;eii listas
simples passeio, nem por meros esludos que veio a, no passo das Cabras e dizem ler oceupado a ei-
a 3,000 homens, nao contando as guerrilhas de
Coiuna se fossem bem commandados os iuiperla- tes individuos
listas porteran resistir por mu lo tempb, mas os A'ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica. Lino
lunristas fazera tal conceito do general que com- e Theodortco, ecravos de Francisco de Paula Ca-
a Vaz A Leal.
1 caixa crcnolinas, confeegoes, etc.; a A. A. de
Almeida.
6 caixas tecido do algodao, 2 ditas ca gado, 1
O perfume, dita chapos de sol de algo ." i, "JO barricas alca-
1 barrica | m-
sirgueiro; a F.
( Sauvage A C.
que se ra- caixas cabos e preparos para chapeos de sol,
inca em Paris; em quanto.que 10 contra- seda, calimbosechicotes; a F. Maestraly.
rio o seu prego apeas a metadle do custo caixas papel, Cardozo .\yr-s.
de quaesquer um dos outros. D lpca^f|dtec,d0 do ll",a,"'-''s Pa sella: a
E' importante e necessario que se repare. 't j,calcado, 2 ditas tecidos de la, 2 ditas
para os nomes de Murray e Lanman, OS obras de vime, 2 barris vinbo, i eaixa tinta, I di-
quaes achar-se-lio inscriptos e[gravados, I "*> de algodo evestuaria; a Linden Wiid
sob a capa, letreiro e garrafa, catella esta & 2Ccai]tas ob los de ,rgueir0), j^a movis, l
que se torna mu cssencial em cnsequen-Ljita chineliasi i dita perfumara, i dita chapeos
Extracto da parle do da 24 de outubro de 186o. do mercado se adiar inundado de iiinitaces \ de sol e calgado, 2 dilas chapeos, 1 Jila tecido de
Pora recomidos a casa de deteucao os seguin- jnferores Q \ua l-'lorida i lai dita boioes de osso, caixas para rap, malas,
Acha-se a venda as farmacias de J. C.! dil Perfumara, brinrjuedos, enfeiti
Bravo A G. e Caors Barbosa.
EMPREZA- "OBIBRA
Quinta-fvira 2G de ontol
BENEFICIO DO ACTOR 1.11/. Altl.OS AMOEO.
D-pjis d urna brilhante oavertara dar'
a V. Ferreira da ao espectculo alinda |>oesia dramtica
pressamente escripia em obsequio ao benefl
xas caries de jogar, para papel, peutes, ele- P'lo disllnrto poeta o Sr. Victoriano Palhai
ser recitada pela Sr.* D. Eageaia infante da C-
mara
tamulos.
ncr- :
100 barris o 100 meios dita
Cosa A Fillio.
4 ca
Magdalena nos
Em seguida o magnifico drama em ">
Alexandre Dumas Filho.
esla parte do paiz.
O jury desia cidade acaba de funecionar, lendo
na maior parte dos processos imposto dilferunt-s
penas aos reos indiciado-: entre e.-t foi rondera-
nad i o proprielario do Diario do Grao Para, Fre-
derico Carlos Rhossard, no art. 238 do eod. crim.
grao mximo, por baver-se apropriado de urna ty-
pograpliia encommenJada na America, contra a
vootade de seo dono.
Depois da deportagao de Jos Joaquim Mendes
Cavalleiro, empregado no mesmo Diana, era con-
sequencia natural e esperada a condemnagao de
Hbossard.
Do o nm n :io pouc i ha d n itavel era referen-
cia as transacgdds commerclaes. O cambio con-
serva-se elevado para a Earopa.
tjs navios no porto sao os segnintes :
Gloria II liiite brasileiro.
Anda Patacho bespanliol.
Tocantins barca franceza.
Guilhtrme Tett idem dem.
t'd lid patacho inglez.
/.le"'' I. ir i ingleza.
Lujeiro bngue portoguez.
Sahiram para Lisboa as barcas Ugeira e Ama
zonas esia a 12 e aquella a 15 do correte.
O vapor sabe esla madrugada para Pernambuco,
Babia e Rio de Janeiro.
dade de Cazavajal. Os jornaes de Mata imros ne-
L'am formalmente a veracidade de taes i i.-.
Se..' tn la as ultimas noticias a iwoIucao de
Hayti ainda nio tinha silo extincta. Os ivheldes
resistiim no Cabo llaytiano, e o presdeme iiffra-
ra, lin'ia sido detido era sua marcha pela necesi-
dad de melh irar o estido sanitario do exercilo em
valc.anie d'Albuquerque, por crimo de morle.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, An-
tonio da Silva Ihrros e Loureugo Antonio da Silva,
para rorreegao.
A' ordem "do de S. Jos, Pedro Houorato de Li-
ma. Joaquim de Sanl'Anna, Mana Anglica, por
di-lurbios; e liraz, escravo de Jos Marques d'A-
raorim, por suspeito.
A' ordem da Boa-Vista, Ignacio Fernandes d'AI-
baquerque e Florinda Maria dos Prazeres, para
correceo.
A' ordem do delegado de Jalmatao, Francisco
Xavier das Chagas, por desobediencia ; e Jos
Francisco Gomes, para remita.
O chefe da 2* sessao,
J. G. de Me-quita.
liaba dirifrido urna proclamaeo as Passageiros do vapor Havana, eutrado de
suas iropas, excitaudb-as a n5o deixarera toda a
re u di a ser vencida por um puntudo de rebeldes
do Cabo Hayliano.
De S. Domingas sabe-se que a sabraissao de
Pineul a Cabral fez cessar tod i o risco da con-
tiouaga da guerra civil. A populaga i liuha feste-
jado este acontecimento com tfes das de r-'co-jo.
O ex-presidente Barrios, de Sao Salvador, ti-
nha sido fusila lo por ordem de Dueas actual pre-
si I inte -aquella repblica.
Barrios quiido eslava frente do governo do
seu paiz, linli i sido expulso pelo dictador de Gua-
temala, Carr. ra, que collocou Dueas na cadeira
presideneial.
Depois d um longo desterro, o general Barrios
tentou recuperar a.posiga perdida por meio de
ama rev daga i, mas ella ful mal sac li la e elle
en:! i refuiou-53 Nicaragua cujo governo o
entregooa a Dueas.
- Havia urna mudanga no aspecto da revolngio
d.> Per na dala das ultimas noticias, e a sitoagflo
era mais favoravel ao presidente Pezet. O diefe es-
lava tranquillo e marchava rpidamente na sua
carreira de prosperidade e propresso.
A revolucio do estado do Panam tinha sido
sol .cada, mas tinha havido una invasaiAe rebel-
de; de Sania Martha, outro estado da_repblica
Columbiana, causando grande conslernagao entre o
povo.
O algodao conlinuava a 44 d.
Quanto w Para, referimo-nos ao que diz nos-
so correspondente, na carta que em outro lugar
publicamos.
Nova-York: Manoel Almagro, Marcas Espada,
Pnan Ysern, Francisco de Paula Martnez, Francis-
co Donaire, Juan Aguirre.
.
ETrr. :r'*~.-
PERNAMRUCI
DIARIO D PEMAMBUC.
Ao obsequio do Sr. J. E. Huertas, digno commis-
sano e agente da mala do vapor americano Bana-
na, primevo da tinha entre os E-tados-Cuidos e o
Brasil, devenios o obsequio do rcrebim-olo de di-
versos jornaes da u. lie pcrlo de 2j' a 30 do passa-
do dos quaes collieiiios o que segu :
.No da 24 tinha sido recebido em audiencia so-
lemne pelo presidente dos Estados-Unidos o conse-
Iheiro Joaquim Uaria Nascente de Azamboja na
(juaiid^d plenipotenciario desse imperio.
_0 nosso representante prenunciou nessa occa-
sio o seguate discurso :
Semiur presidente. Tenho a honra di col-
locar as vossas mos duas ca/tas d; Sua Sfa-
gestade o Imperador do Brasil, em una das quaes
vus communicada que se acna concluida a miss i
do Sr. constilbeiro Miguel Mana Lisboa, e na nutra
que me acho nomeado enviado extraor ;inarm e
ministro plenipotenciario junto a' vossa pessoa. As
expresses dasmiuh is credencias mauile.-tam a al-
ta calima que o nieu augusto soberano professa pe-
v pessoae us importantes interesse que li-
g i a o nnpeno a esta graude naco. O Brasil, Sr.
presidente, nanea leve outro pensamente seuo o
de manter inalteraveis e de estrellar ainda mais
as relages de amizade e boa harmona enlre os
dois paizes. Este o rn a que tenderam lodosos
ineus esforgos para corresponder a eoottanca que
foi em intm depositada. Eu raejalgarei muito fe-
liz, Sr. presidente, se nodesempenho de urna mis-
sao tao honrosa e importante poder merecer tam-
bem a vossa eonflanca; e espero, a visia dos moas;
seiilinienlos pessoaes a respeilo dos Eslados-Q-''
dos, que os raeusactos fcilmente rne farogauhar
a .-ympaihla do vosso governo, como
ineuie me recommeudado. Xesta occ
ne apresenlaudo-VS em nome do mea soberano os governo hespanhol.
mais rdanles votos pela prosperidade da mo' Picar ella entre nos at a prxima passagera do
orle Americana debaixo da vossa sabia adrarais- vapor francez a bordo do qual devem seguir para
tracao; eja-iue lambein periniiudo expressar-vus a EirKpa.
De Xc\v York, por S. Tbomaz e Para, com
23 e meio dias do primelro e 6 e meio do ultimo
porlo, chegou hontem a esta cidade o vapor ameri-
cano Havana. Perteiice a Companhia de vapores
entre js Estadcs-Umdos c o Brasil, e vera inaugu-
rar o .-ervigo da liuha.
E' um bello vaso, de 1801 toneladas, move-se a
rodas, cala l'J pi-s, carrejado; e deita 9 10 mi-
Ihas por hora. Tem 2-iO ps de comprimento so-
bre 3i de largura, e pode accommodar de lj'0 a 00
passageiros.
Foi construido em 1864 no porto de Ptuladel-
phia, com destino liuha de Havana.
Os vapores desta nova liaba devera locar nesle
porlo, em viagem dos Esiados-Unidos pera o llio,
nos das 22 de rada mz, e de volta para all
a 9.
A' bordo deste vapor veio urna commissao scieo-
lilica, composta dos Srs. Manoel Almagro, Marco
farogauhar Espada, Juan ls-n e Francisco de Paula Martnez, R SS^S-TS
loeipressa- de valia do Pji e Amazonas, onde estiveram col- ,
easiaosolem- leccionando preciosidade da naiureza, por contado [y .;,,'' ,. ,,i
direumente da parte de S. M. o Imperador o seu
profundo seiiiimento pelo infausto acontecimenio
do da 14 d-, abril que poz toda a naci era luto,
justamente no momento em que os lirilhanles re-
sultados devido ao patriotismo e exiraordinaria
per.se ve ranga do vusso illu-tre predecessor deviam
causar o maior regosiso. >
O presideute respondeu oseguinle :
Sr. Azambuja.-As vossas credenciaes mani-
feslam qae vos leudes oceupado Io alia pusieao e
esarcido tanta influencia no vosso paiz queeu pos-
No da 23 do correte, depois de meio dia, na
la!. S. 6 38' e long. O. 34 27', avislOU este va-
por urna barca laliana, navegando para o sal.
O vapor qae deve chegar prximamente o
Costa tica.
Por portara de hontem foi nomeado o Sr.
tenente reformado do exercito lienrique Tiberio
Capisirauo, para servir em commissao o posto
Eleirao das juizas, escrivas c ordenas que lie
de festejar a Mai Santissirna das Dores na ca-
pella de Santa Cruz, e da mesilla Scnhora era
Olinda, no seijiiinle anno de 1866.
Juizas perpetuas protectoras.
As Ex mas. Sra.-.:
liaron.za do Liviamento.
!). Adelaide de Mattos Leraos.
1). Maria do Sacramento Coitinho Lisboa.
D. .Maria Cavalcaole Lns.
Juizas por eleirao.
As Exmas. Sras.:
D. Maria di Livramento Souza, raulber do Sr. Dr.
Jo.- Soriano de Souza.
D. Guilheriiiina de Andrads Souza, mulher do Sr.
Dr. Tarquinio Braulio de Souza Amaranto.
D. Custodia Carolina Augusta de Souza, mulher
do Sr. Dr. Braz Florentino Henriquo de Souza.
Juizas por devoeao.
As Exmas. Sras.:
D. Mana da Concelgao Cavalcaole d'Albuquerque,
mulher do Sr. Joao de Sa.
D. Maria d> Medeiros llego, filha do Sr. Joao Igna-
cio de Medeiros Reg.
D. Leonor Amazonas Villas-Boas.
D. Guilhermina Emilia Moreira.
D. Joanna rsula Moreira Alves.
D. Antonia Ermelina de LeSo Azevedo.
D. Amelia de Araujo Amauraas.
D. Anna Francisca da Silva Braga.
D. Francisca Soares Peixolo.
1). Ermelinda Amalia da Cunha.
D. Ignez Fernandvs de Souza.
. Auna Joaquina de S. Jos.
D. Augu-ta Celestina de Moraes Sarment.
D. Maria Severina Lins de Miranda.
liscrtvaas por elci(o.
As Exmas. Sras.:
D. Audrelina Claudia de Olinda Castro.
D. Joaquina Berraogenes da Silva Braga.
D. Franceliua Flora da Silva.
D. Mana Ursulina dos Santos Guimaraes.
t. Carolina Ursulina dos Santos Guimaraes.
D. Auna Cecilia da Cooceico Moreira.
Escrtvaas por devocao.
As Exmas. Sras :
D. Joanna Evangelista Soares de Mello.
D. Itaiuiunda Ursuliua dos Santos Almeida.
D. Mana Francisca Ambrosiua Bibeiro.
D. Joanna Baplisla ua Silva Amorira.
Carolina da Silva.
Bocha.
Bibeiro.
D. Joanna Francisca da Couceigo Silveira.
D. Maria Clara do Sacramento.
Mordomas.
Todas as mais irmaas e devotas da Virgem San
TISS1MA.
Director
Conego Joo Chrisostomo de Paiva Torres.
-----------.ni laafc W
A jiirubcba.
As virtudes Iherapeuticas a jurubrba sao desde
muito conhecfdas nao s no Brasil, pois que deltas
I ratn Pisn em sua excellente obra Historia na-
turaks et medica India ocadcntalis, seno as
Anlilhas, onde o sueco das folbas e fruch s c, como
aqu, muito eslimado e apphcado contra as obs-'
truccops abdomfnaes, princpalmenle do ligado e
bacj; e se lodo- os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequenria, isio se nao deve a
nao recoohecerem elles essas virtudes, mas sim a
nao seren encontradas com facilidade e .-m todas
i as estagoes do anno os frucios dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresenlam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
i ser extremamente amargo.
Ajumbeba n.io 6 desconbecida dos botanistas :
esla plaa iiertence a familia das solaneas, e lom
a denominagao de solanum pamculatum,, que I be
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar b uso do
sueco dos fruclos da jwubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applcado em pilulas, mas tambem um vinbo, um
xarope, e nm emplastro que pode substituir, em
certos caso?, o de, Vigo ; e eslamos persuadidos qtu
com isto prestamos nm servlgo liumanidade e
! hlcrapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
\ coecao das raizes da jttrnbeba, o Mrat p Dolens,
; em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
| tica, dizem que as An'ilhas se faz uso [do sueco
dos fructos maduros dessa plaa contra o catar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomes disses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a'crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ler em
nosso rstabelecimeuto essas raizes, para que possara
ser experimentadas.
A repnlagao da urubeba tal, e os resultados
therapeuticos obtidos ultimamenie sao lao impor
tantes, que nos parece intil dizer maisdoqut
isio, que tica eseripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pi i/o.
I dito perfumara, brinqucdos,
a II. A Azevedo.
10 caixas nnuitezas, pclles, sedas e calcados, 2
dilas cartas do jogar, 2 ditas brins; a Antonio da
Silva Faria.
I caixa tecido de algodao; a Mello Lobo A C
3 caixas e 1 barril xaropes, tinta, oleo medici-
nal, ouro em l'olha, drogas, chocolate, cha e baaba
de porco ; a Caors A Barboza.
KECEBEDOIHA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
I'endimento do da 1 a 23..
dem do dia 24............
40:0105747
3:139J178
DAMA DAS CAMELIAS
O dillicil papel de Miiiirida G.uthier
sempenhadopela Sr.* D. Adelaideo Amar-i e o
de J irge Dnval pelo Sr. Pedro Joaquim do Amara-
que graciosamente se presiam ao seu eoll
A Sr.1 D. Eugenia de commum aecordo na B
emprezarioe era obsequio ao beneeiade pres -
a cantar o duelo
0 ESTUDITE E 4 UTAKHU
Os bilbetes podem ser procurados na ma de
Santa Isabel n. 3. ou no theatro.
Com. cara as 8 o "
Em conse<|ttcncia de linver liaile n i rJob
e accedendo ao pedido de alpuns socio, fira
transferido o espectculo para qamla-ftiis
26 de uitiubro.
4?IS0S MlEiflMi!.
tVBtaiA BBASILE1U4
DE
43:155*923
pi
CONSULADO PROVINCIAL.

Itendimento do da 1 a 23..
dem do dia i..........
39:923*331
i:76i*17
41:68'J707
-. vjr.-r-- ~x--".i'ii>'?"v-'f>-ii-rrr^?'e~r-
j
fT
'


E h 0 0.
Caixa filial tic banco do Brasil en
fernaiubu co.
A caixa desconta as letras de seu ace te pela
daitxa de 60|0 ao anno.
Ognarda-livros
Ignacio Nunes Corroa.
.\oto bau'o de Pernam-
buco.
Em 24 de outubro de 1865.
O Novo Banco descoma letras at seismezes de
prazo a 10 por cento ao anno.
Xovo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devindo na razo de cSi por acgo.
AQUETES A VAPOR.
I'.' esperado dos por' -
^ '-1 al o dia 30 di corr. n-e o
' ":'\- Galgo, o qual depois da d
'"' .: c.i-tuuie satura para c
f "* los do non .
Desde ja recebem-se passageiros e eagaja-se ?.
carga qae o vapor poder coodazir a qm! devera
ser embarcada no da 'l i siii ebegada, encotni
d:.s e dinheiroa (rete at i dia da sahida a 21
ras: agencia na da Cruz n. I. eseripkri. d
-------------------------nio Luiz deOliveira Azevedo & C.
New-York com escala porS. Toomaz e Para em UQli AululiL AoILLLuA
23 'i nas sendo do ultimo porto 6 '/ dasVapor DE
americano Batana, de i,S00 toneladas, com- it i iTkST',rrf7,W fc If 4 fi\it
mandante M. R. Green, equipagera (38, em las- s. xi. tro; a Henry Poster e C, Dos p .ros do norte esperado
Martas sabidos no mesmo da. 1,^4^ ate o da 31 o corren!-; o
Rio-Grande do NortePatacho inglez, Spray, capi-1 \ 'J^fx^: Tocantins, command.-.ni- o pri-
lo H. Melhwish, em lastro. ':''"* n"'"u '' nenle PeJro iiy> '
New-YorkPalhabote inylez Sea Brecze, capi io ,. &EP Duarle.o quai depois da'
Daggeit, em lastro. Ju costume s gira para os portos do sul.
Pollos ,| dame Green. [ carga qae o vapor poder condazir. a-ju.!
; ser embarcada no da de sua chega.ia,
! mendas e dinheiro a fn te at o d.a .la

UjjjEi&&yl"Ji*&.
2 horas : agencia ra da Crnz
Antonio Luiz K:i>v-iri A...-V.
PABA O
n. I, eseript. r
do & C.
No dia 27 do corrente, depois da audiencia
do Sr. Dr. juiz muuicipal da Ia vara val pela ulti-
ma vez a' praga um terietio na ra do Corredor
do Bispo com 20 palmos de frente e 32 de fundo,
uo qual est edificada a casa n. 38, cujo terreno
ioi peuhorad.ia Joso rrancisco Cesar por execujao frcie nara os
de Joa.julra Jorge do Souza. tratase com os seos
Rio de Janeiro
pretende seguir com multa bruvidade o paic
nacional Piedade, tera parle do -eu carreja.'.,
engajado : para o resto pie lhe falta e eecravM a
tem excellentes com.;
consignaUrios Antonio L-ul
Santa Osa da Misericordia
do Recite
ra. Sr. commendador Jos Pires Ferreira,'
de Oliveira Azevelo &
da Cruz n. 1.
U, uo seu escrip; ;, I
01
thesoureiro da Santa
Casa de .Misericordia da tie-
CU.M I*A tNHlA PEKN AMBUCA N A
DE
Navegaco costeira por vapor.
te, pelas 9 horas da manba, na casa dos expostos, Paralivba, Natal. Maeo, Aracatv, e Ceara
fara pagamento das meu-alidades vencidas at o q vapor
eife manda fazer publico i|ue uo dia 30 do corren-
ultimo de setembro, aquellas amas que forem
acompanbadas das respectiuvs enancas.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Re-
cife 18 de outubro de 1863.
O escrivo,
F. A. Cavalcanii Cousseiro.
Purahyba, cemman-
dante Martina, segu no d.a 2"> do
correte as 3 horas da taro- !'.-
__cebe carga at o dia 2':.
.'?'--.--I^a^^mendas, pa-sa^eiios e din'..
frete at as t horas da tarde do dia da ahida :
escriptono no Forie do Mallos n. i.
De ordem do lllm. Sr. engenbeiro em chufe da ,. ? iT MiiaiEerlani f
repartido das obras publicas se faz publico qae 9i *'** MeoaBcrie i
ALFANDBGA.
Rendimenlo do dia 1 a 23.....
dem do dia 21...............
436:863* 19 i
26:4035173
483 2665367
MOVIMEMO DA ALFADEGAJ
Voluraes entrados com fazendas____ 243
t cora gneros..... 893
Voluntes sabidos ce ni fazendas..... 33
coaa gneros...*.. I,8l6
1,138
Descarrejram hoje 23 do correrte.
Brigue francez Trois Freresmercadprias.
Barca trance/aSanto Andrdem. |
Galera ingleza -Bermioneidem e car*ao,
1,969
Devendo acautelar no futuro o meu direito,
t venho pelo presente prevenir a qualqner pessoa, Brigue inglez Glaucasbacalhao.
de que otenha desfajar negocio com Joaquim Salvador Brigue dioamarquez -\-antlle farinha de trigo.
diversos
-gurar-vos que seris agradavelmenie ac- Por dila da mesma data foi nomeado o Sr.
Iludo nao so pelo corpo diplomtico mas tambera tenenle do ex>rcito Julio Pompea de Barros Lima,
peto povo do.- .bstados-Loidos. Eu relribuo ao para servir .m commissao o posto de maior do
brasil os iious sentimeiitos que, em uome do vosso quinto corpo de voluntarios da patria,
soberano, vos manifestastes a respeito do nosso \ Deixou de seguir hontem, a bordo do vapor
paiz. O Brasil ja 6 urna grande nac,o e tem os Havana, alguma tropa para a corle, nao s por
elementos necessanos para vir a ser urna das pri- uao admitlirera seus commodos seno 130 praca* Cavalcante, para que niu:,'uem se possa, era
mcira:, entre as uacws. Sinto que em lempos pas-; como por nao poder deraorar-se ma s do 8 a 9 lio- qua|,Iuer lt'raP0. chamar a engao. Becife, 21 de
sados nao podessem ^x'siir relar;6es mais estrellas ras era nosso port.., tompo insuffieidnte para o oulujro ,d.e ,8t,a:
entre o BraMl e os Estados-Unidos. Occupando arranjo e embarque da tropa. Manoel Ignacio de Siqueira Cavalcante.
posigoes inieirameoto seraelbautes as duas partes1 A" bordo delte segu ram para o sul, vindos do -------------n^>->^-*i------------
r?-C"nllDe.nle;affi,er'l'ano, estes dous paizes deviam,1 Para, 72 recrutas e um tenento do exercito, alm
raajor do terceiro batalhfio de guardas uacionaes de s"Iue,ra Cavalcanie, que, tendo passado nove Patacho portuguez Mirra da Gloria
destinado ao servico da guerra era organisaco em letlras a 'luaulli de 2:000*000 cada urna ao mes-: generes.
Garanhuns. mo seulior, deixou este de cumprir a condigo, Brigue inglez-A./nid-carvo de pedir.
causa do coutralo, na falta da qual nullo todo o Brigue inglezBi/c/mZ/kicarvo de pedra
contrato coinmercial, na expressao do art. 129 do Barca inglezaEdh Manon idem
cdigo do coramercio. Pawcho hamburguei Kmma diversos gneros
Prolesto conseguintemente, e desde j, em nome Polaca hespanholaPortotlasvinhoi
dos demais consiguaiarios das referidas lellras, | Brigue inglez-G7ni(lci-mercadori is e ferro.
Jote Luiz de Siqueira Jnior e Salvador de Siquei- Patacho portuguez Partocharque.
Importaeo.
Vavor americano Batana, vndo dle New-York
por S. Tbomaz e Para, manifesiou o s guite
1 caixa fazendas; a A. Dumont.
2 dilas livros; a T. Christiansen.
Brigue escuna nacional Cisne, entiraio do Bio
Grande do Sul, consignado a Amorim Irmos, ma
promover o progresso da cvilisago
dierio, e portauo o desenvolvimento dos recursos
malenaes, o raelhoramento do commercio, e a in-
troduego, at quanto for possivel, de Irabalbo livre
Era vez de enfraquecer os novos estados araerica-
spondem a
publica-
.. corrente
Deste bemts- Henry Alexander, George Bo-s, J. P. Maley, Soln ractilicando, como ractilicam lodo seu protesto, in-
Dick e Antonio Ferreira Quiques. serlo nesle jornal de 14, 16, 17 e 18; cujos funda-
Hoje d o Club Pernambucano a sua partida raeutos nao podem ser destruidos pela sentenga do
mensal. nigao juj/. municipal da 1* vara publicada pelo Sr.
s Srs. Garraux de Cailhacar C, que tem Mesquita Cardozo, a qual, s comprehende os co-
estabelecimentos de livros no Bio de Janeiro e em lelegantes, que entervieram na escrlptura de com-
Jos da Cruz i nlfestou o seguate :
13,720 arrobas de carne secca dd
barricas com 162 1|2 arrobas de sebt
couros vaceuns; aos mesmos.
Patacho nacional Elvira, entrado d
signado a Amorim Irra.los, manifestou
U-nn^^ viliJ,lb0S "os-desejamos dar-lhes for?a IS. Paulo, acabara de abrir ra do Crespo, n. 9, posiejo era que se funda aquella senle'nca como del-
nepositaodo ftejles urna generosa eooflanca, e ao! um livraria em grande poni; na qual, a par do la se v as palavras-em face da composijao1
carque, 23
coado e 30
Baha, con-
o seguinle
9,732 arrobas de charque, 109 cotillos vaceuns
a ordem dos mesmos.
Barca franceza Santo Andr, entrada do Havre,
consignada a E. A. Burle & C, marifestou o se-
grate :
1 caixa medicamentos; a P. Mauer S C.

concurso (.ara o preenchimenlo das vagas de pra
ticanies desta reparticao, tera lugar no dia 13 de
dezembro vindouro, as 10 horas da manhaa.
Os exames versaro sobre lingua nacional,
abrangendo a escripia, leitura e analyse gramma-
lical, desenho linear e de aquarella, ariihinelica
em lodas as suas operagoes, e geomeiria linear.
Os requerimenlos para inscripcao dos can da-
los deverao ser apresentados al o dia 13. e pode-
rao ser instruidos cora quaesquer documentos os
ttulos scientihVos que abonera a capacidade dou
mesmos candidatos.
Sec. etaria da reparticao das obras publicas 19
de outubro de 1863. No impedimento do secre-
tario,
Joao Joaquim de Siqueira Varejao. ,
O conselho de compras do arsenal de guer-
ra precisa contratar o forneciment do rancho dos
aprendizes menores do arsenal de .'tierra nos me-
zesde novembro e dezembro do corrente anno, oi
segrale :
Carne verde, dita seca, arroz pilado, bacalhao,
loucinho, feijao, mnteiga, assucar, azeite doce,1
vinagre,farinha da ierra, pao, bolacha, caf e cha.
Quem quizer contratar taes arligos apresenlem
suas proposlas e amostras na sala do conselho de
compras as 10 horas da manba do dia 26 do cor-
rele.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 24 de outubro de 1863.
O encarregdo da escripturacao,
Manoel Jos Azevedo Santos.
Tribunal do commercio
Pela secretarla do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data foi ins-
cripto no competente livro o Sr. Jos Izidoro Mar-
ti ds, agente de leilao desta praga, nomeado por
despacho do mesmo tribunal do'commercio de 19
do corrente raez.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco 23 de outubro de 186.*.
O offlcial-maior,
Julio Guimaraes
pcrtalcs.
No da .' fo
corrente ro*z rs-
pera-se dos por-
tos do sn va-
por franca a-
rarre. ronnaBaii-
dante Mas^r^r
o qual depos da
demora do
turne seguir' para.Bordeaux locando em S. Vi-
cente e Lisboa.
Em s. Vicente ha um vapor em correspondencia
com Gore.
Para condteges, (retes e passagens traia-3e na
agencia ra do irapiche n. 9.
Cear
O hiate Dous Irmaos : a-tratar coro Tassc
Irmos.
Linhu regular do Brasil.
E^pera-se do Havre a galera Sc:-
ftrino, ao treta de 23 f. 10 J. Rece-
be carga para o ll.vre a (retes bara-
tos : a ir alar com os consignaiaiA*
Tissei-freres.
Para o Marankao,
O palhabote Garibaldi >, mesire Custodio Jos*
Vianoa : a tratar com Tasso Irmos.
Para Lisboa
sal ira' com bre vid a de o brigue portuguez
tanto lli, recebe carga a frete e passageiroa,
os quaes tem excellentes commodos : trata se cao
Manoel Ignacio de Oliveira Filho, no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio.
! *
asEILOES.
Pela mesma secretara se faz igualmente publi-
co, por ordem do inesmo tribunal, que flea nesta
data registrada urna procurago, na qual D. Fraa-!
cisca Freir da Costa constitue sen baslaute pro-
curador a seu genro Irineo Januario de Oliveira.
Secretaria 21 de clubro de 1865.
O ofHcial-malor,
Julio Guimaraes.
LaElIitO
Traste de caa de familia e a ttr-
ci;na com li bullales.
Cordeiro imrs.
\ por conla e ordem de nma familia que se retira
l para Europa fara' leilao de ama mobilia de ara-
i relio cora pouco aso, mesa para jaotar, eaoua da
! ferro, comraodas, apparador, guarda looga, cadti-


Diario de perntifcboe arta fe ra 5 Je Oninh o de 1**3
ras avolsas, loma e vidros, assim como a eserava
da nome Luiza, a qual lava, costnha e engomoia
cora perfeicao ludo existente do primeiro andar
do sobrado da ra do Rangel n. i.
IIOJE
Qaarta-feira 25 do torrente as II horas,
no mesmo sobrado.
3,000 chamins de crystal para can-
dieiis a ?,az.
HOJE.
XOr.RWUE U>,\HZ'"M no RENTE
O LY NI PI
3(5 -llaa da Cadeia do Keclfc3
Teilao"
De 15 aecops da caita lilil do Banc>
do Brasil.
5 (lilas do novo banco de Pernambuco.
Cordelro rimes
a requerimento dos administradores di massa fal-
lida de ijuiilierme, C;rvalho & C, e mandado do
lilrn. Sr. Dr. Juiz de direito especial do comraercio
far leiiao das acgdes acama mencionadas no valor
ile 2005 'ada urna, isto
y unta-feira 26 do correte as il horas.
No armazem a roa da Cruz n. 57.
M^J \.J -M. Ml JLV -M- -C-B E' a ordem do dia I Acabar com os Para-,
AOS fi'OOOJOOO 1'200^000 pW a yemela, a ***>> a resolver;!
AVd U.VV/l^UUy, 1.4UV^i;JVjfullBna.log cdtn os encouratados armados!
G O00$000. de espores, armstrongs eraiadas de 80 4
Novo e excftllente plano apoiovat. }* extermina-tos on sumo a espada, a
ILIIETES A'5-5000, MEIOS A' 2(5500 E fa.'i0 a puntal e de que se trata; mas
nioguem se
embrou anda Je csmagar os
BILIIETES
forre auiauha Paraguayos com as armas que Deus nos con-
Acham-se venda na respectiva thesou-: ccden' acabar cora e,l,S a tac5 e a Pnnta
raria ra do Crespo n. t, os bilhetes, P% Pafa meio* c quintos da 4a parte da lotera (30*) Parte do nosso corP com os formidave.s
a beueco das familias' dos .voluntarios *'?*'*"' csmaga cobra, arranca t^ces
patria, cuja extracto serano lugar ehora 1*' ma"'JxJ*-
do coslume-
80000;
bjJOO
Os premios de 0:0000000 at 105000 Borseguins Bordeaux........
sero pagos urna hora depois da extraccao I KnseVhoras m-
at as i horas da tarde, e os outros depois para sennoias, tn
da distribuicSo das lisias. u, r.,'Q*uV ''
As encommendas serSo guardadas somen- > ecSr cSos '
at a noito da vcspera da extracto. tp*Z, ^i g15:i; V
O thesoureiro, Burseguin
elast co
te
Antonio Jos Ro Iribes de Sou *a.
li .rsc-giiins para meninas bom
5^500
4;)SU0
C. Lompe, subdito traurez, val para fcump
LEILAO
DE
3&A8
Cordelro finidos.
Ura cilio de cinco litlos de dividas na impor-
Ueta de 1:1695760 rs.,a requerimento dos ad-
ministradores da inassa fallida de Miguel Gomes
da Silva e mandado do lllm. Sr. r. juiz de direi-
1 speeial do contraercio, os quaes sao pertenrt li-
tes 1 referida massae se acham em poder do dito
ile a exame dos pretendentes cojo letlo ser
effecloado
Quiuta-feira 26 do corrente as 11 horas.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
Leiiao
Jos Caetano'de Carvalho vai a Eun pa.
Joao l-'eroandes Prente Vianna, sua senhora,
um Olho c 3 escravos, vo para o Aracaly^______
Preci'a-sede urna ama que saiba cozinha
bem e comprar : a tratar na ra do Pires n. 24.
Hypolito Sehaffler vai para Europa.
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
1 com sallo de lustre..
3^000!
20000:
1,500111
10000'
i
0500
224
10600
ra de Apello n 5, sobrado de 11 m andar.
Chineloes do Poro..........
Um completo sor.imei to de calcado da
- Precsa-se de uma ama Mvre: a tratar na trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, litas para sapateiro, muilo sortidas,
sola e couros que ludo visto necessariamen-
te faz cobiga ao comp ador pela baraleza.
Quem precisar de nm jardmhiMro ou feitar
para um sitio, dirija-se a ra de Hurlas n. 142, Io
andar, que achara' com quem tratar.
De um sobrado de um aliar qaasi ne-
vo, edificado cm daos pronrits e na
ra das gu is Verdes 11. 55.
C'ordeiro isiies
precedida a competente aotorisaco far leiiao do
; I 1 cima descripto, podendo esds j os pre-
icii'Ii-nUs exainliia-ls, para cojo fin obterao as
chaves no armazem do referido agente ra da
Cniz n 57. sonde ser rfeetnado o leilSo.
Quiuta-feira 26 do corrente as il horas
em punto.
LEILAO
De movis, preie, ioj; de fazeinlas e
dividas da mr-ss- fallida de liineo
anuario de Oliveira.
O ageste Martina fara' leiiao a requerimento
d^< administradores ^a massa fallida de IrinC-j Ja
Duariode Olivelra e despacho do Ilion. Sr. l)r. juiz!
al doeomaiercio, dos movis e grande casa
: n t ita na travessa do Moqteiro defronte do
gaznmetro, loja de fzendas da ra do Qi unido
n. 5 e das dividas da dita inassa na importancia
de : ......
Qninta-feira 26 do corrente.
0 lellab dos movis tera' lugar na casa da tra-'
v lo Honteiro e da loja, predio c dividas ua
mesma loja a' ra do Queimado u. 5, s 11 horas.
Leiiao de predios,
Q tinla-feira 26 de outubro as II horas.
Pelo jente Eii:cl)io.
D tima casa terrea n I ui-ru de Santa The-
: ;i f -1 rmez 18^.
1 lem dita n. 21 na roa d ) Nogaeira, o; solos
forenvs, rende por mez 25$.
;i dil i n. 7 na travessa do Livratnento rende
; / 20fi.
n dita n. 89 na ra de Hortaa rende por
m :;.
, ni dita u. 148 na roa das Cinco Ponas d-
la i^'reja nova matriz de S. Jos, rende por
o,5.
E outra nos fundos desta de n. 3 na ra do Di-'
que. rende por mez 165-
Os Srs. pretendentes qoeiram ir exa ninar com
; acia aflm de fa/.er boa acquislgo, su t
rendimenn provavel um juro proporcional at-
ado as boas localidades que esto situadas,!
alai no bem conservadas sero vendidas pelo;
..... r prego que se adiar razoavel mente.
Precisa-se de dous trabalbadores para pada-
ria : na rna larga do Rosario u. 16;__________
Joao Jacinth) de Souza subdito portugnez
retira-se para a llha de^S. Miguel.
iRiadaT ""~~"
Precisa se de uma criad i para casa de homem
solteiro : na ra do Quciinado u. 32, loja.
SOR VETE.
Sorvete todas as nuiles; ua ra do Trapiche nu-
mero 18.
O aballo assi^nado sub lito portuguez, reti-
ra-se para a Europa, e deixa por seus procuradores
para tratar de seus negocios commerciaes, em Io
lugar ao Sr. Jos Martina da Silva, e em 2o ao Sr.
Joao Francisco de Silva Nivaes, d"ixa igualmente
ama procuraban especial ao Sr. Gaspar Antonio
Vieira Guunares, para tratar de seus negocios ju-
diciaes, tanto no que disser respeito em sea nome,
como no das firmas sociacs de t'eireira & MarUns,
e Duarie Carvalho & C.; e outra tambem especial
ao Sr. Justino da Silva Boa Vista, para alugar e re-
ceber os alugueis de suas catas.
Recite, 23 de outubro de 1865.
Joaquim Kerreira Valente.
Os abaixo assignados, declarara que se acha
amigavelmente dissolvida a sociedade que gyrou
nesia praca sol a firma de Perreira & Martins,
cintinuando a liquidacao a cargo de ambos, e de-
clarara naa deverem por letra, enlosse, aceite,
lianca, ou carta particular, ucsta praga, nem fra
della, todava se alguem se jlgar seu credor apre-
sentem suas comas no praso de 3 dias, para seren
conferidas e pagas.
Recite, 23 de outubro de 1863.
Joaquim Perreira Valente.
Jo- Martins da Silva._______
Alnga-se por milito menos de seu valor uma
casa terrea anda nova e com soffriveis comrnodos,
a quem adiaotar um anuo de alugoel : tratase na
ra Augu>ta n. 54, das 6 as 9 li >ras da manliaa.
Precisa-se de uma ama para servido interno
e externo : na ra larga do Ra^ario n. 21, primei-
ro anJar.
Precisa-se da quantia de 70e)3 a juros com
boas firmas : quem tiver para dar deixe cuta nea-
ta typigraphia.
Desappareeea do sitio de Santo Amaro se-
gundo passando o cemiterio indo da Boa-Vista um
boi preto barsado : q'iem o apprehender leve-o
ao mesmo silio que sera gratificado.
GfrlLffDE 0ESCOB
As p*opiedai!es niedi-
memontc reconbeeidas. S
torno o uso d'elle rouit s vetes mpossivel, mesmo aos.estmagos
os mais robustos e aos me
Por sso a descoberla
desinfecuir iiileiramente o
propriedades tem sido un
Iherapoltica moderna.
O oleo defigado de
com um cheiro agradavel
tem nem gosto nem clieir
Objeclo de numerosos
de uma fama bem merec
lugar do Oleo de figado
propriedades do oleo de
nos mesmos casos isto n is
Mnlrsln FaerofulosnB,
Rnrliitirtmo,
Oba:rurro (las lando
Tlairu |>iilmoiiar,
Mnleatlaa da prIU-,
Coimlliuiro lymplialie
AiK'inla, debllldudc, Ira ur?
Nanrru,
Elle convem a todas as
s condescentes.
do Sur. Ciievribr que lhe pcTmettio de
oleo de ligado de baolhao sem alterar suas
dos mais felizes problemas rcsolvios pela
>acalhao desinfectado de Chevi ier.
e um sabor assucarado, o nico que n3o
de peixe.
tclatorios scientificos elle goza em Franca
la, c rcceilado por todos os mdicos em
de bacalhao ordinario. Tndo fls mvesnias
igado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
Club peraambucauo.
A partida do mez de outubro tera' lugar na noi-
te do dia 2o._____________________________
CASA DAFORTO^
Aos 6:000^000.
Bilhetes garantidos.
A beneficio das familias dos briosos
voluntarios da patria.
V ROA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTTME
O abaixoassiguadovendeu nos seus muito feli-
zes Ltilhetes garantidosda lotera que se acabou
de exiraiiir, a.beneficio das familias dos volnta-
nos da patria, os seguintes premios:
Tres i|uintos n. 16'>3 com a sorte de 6:0005-
Ljn meio n. 214C aom a sorte de 1:2005-
lira meio n. 340 com a sorte di 6005000.
Dous quiutos n. 2312 com a sirte de 200,3000.
E outras muitas sorles de 1005, 405, 205 <
iOjOOO.
Ospossaidores podem virreceber seus respec-
tivos premios sernos descont*das leisoaCasa
da fortuna ra do Crespo n. 23.
Acharftvse a venda os da 4" parte da lotera
(36*) a beneficio das familias dos voluntarios da
patria, que se extrahir a 26 do corrente.
PREGO.
R Dictes .... 65006
Meios......35000
Quintos. ..... 15200
Para as pessoas que compraren! de 1000000 anrtir na ra do Seve, fre-ruezi:
' qual mora o abaixo assjgnado,
tos : 1 relogio de ouro saboneti
WEDALHA
DE
HOHNi
o oleo as seo cheiro c seo sabor tao desaa*adaveis
Pohrrxa da oanaue,
r*fnirnniriilo por fxcr.t.sB de
trahalho ou de pra^erca,
Molraliaa doa bronchioa rece-
ir u rbronleaa,
Tome pei-linazea,
Uualrites, KaalrnlsbMi,
O Oleo de- ligado de bacalluiu de.nfeetado ferruginoso ir
Ghevrer coastitue o mrlhor rucio de administrar o ferro. O
ioduro de Ierro reunido coia o oleo rtr ligado de bacalian,
augmenta a aceto tao efcaz d'este rallno, se dissolvemais
fcilmente nos Ifipiidofl das vias digestivas, se asimila muito
ruis bem do que quando tomado sob a forma de pilulas.
Miopes, etc., cnfin perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a censtpuedo.
As pessoas as mais delicadas que nSo podem supportar as
preparaeoes ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmenle
bos paizes quentes, tem uuitas vezes grandes inconvenientes,
poderao-com a nova descoberla do Snr. Chevkier, usar do ferro,
um dosniais poderosos agentes therapeulicos, lomarido-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
CIibvrier, se emprega em lodos os casos que o ferro acon-
selbado; julgmmos intil de os enumerar.
llore de entornago:
fcompleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas a i mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaco das cri incas iracas e docntes.
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observacoes medicaes.
Deposito em Pariz, n t pharniacia de Cbevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em essa'tte Cares vi Barbosa.
J 3
i
--
O
~' C ~ P. oe _
2. -. -. e s ^
- =- = '. 2 H
a S, fi 2 -, a*%
2 3 ^'
m .
rj
Na noite do dia l-'i do corren
uma sala que fica iks fondos
IiRL.
ti> uma mohiiia de Jacaranda', 2 candieiros a
az, 4 farros, 1 tocador, 1 grandd apparador, i
de iantar, cadeiras de; bataneo, cdeiras es-
is, raarqnezas, Cddciras, malas de viagem, I
i i ierro e muitos luiros objectos.
Ctaco i|iparelhos de luOQa nova parajantar, 12
as para tjileis, dlfferenles cauecus de lou-
iro! rtigos,
Sexta-feira :7 do correle,
intervenca'o do agente Pinto.
N e,iriz"m novo d i r:n da Cadeia em frente
i U i Largo.
Princi; i ira' as 10 horas.
i\DE FEII
De pianos de armarioe mesa, I mobilia branca
ip de pedra marm u;, relogios de pare-
cima de mesa e algibefra, santuarios dja-
la, i mesa elstica grande e aova, guarda-
I. ... aparadores, camas francezas, marquesas
larg i estrellas, I realejo com 40 pecas de i/u
otes Meadas de onro para relogios, ob-
l de onro e prata, unu porcao de pecas de
le cores, mailos trastes avulsos e gran-
.. ti I ide de obj-ctos i us i d imestico.
. Sexta-feira, 27 do corrente.
NO (It.VNE ARMAZEM DE LELES
DO AGENTE
OLYIVtPIO
36 Ua Cadeta jo Heeile-30
lEILAO
De nma taberna nos oelhos.
Seguada-feira ;{0 do rorrele.
ilm-nte aotorisado o agente Pestaa far
i r coala o risco de quem perteocer da ar-
. gneros e otencilios existentes na taberna
. f] .eihos em um ou mais lotes : segnda-
la do corrente pilas 10 horas da mauha ua
a taberna.
Alnga-se a cas?, n. i da rna do Principe, com
salas, 3 quarios, cozinha fra, quintal e cacirabaj
a tratar na rna Nova n. 3.
Precisa-se alugar dentro do Rccife
Das roas da Cadeia, Vigario, largo da ra
dn Cruz, Apollo, Senzala, um armazem que
seja enchuto e nao hmidos para recnlher
fazendas de aigodo : (ju.'m o tiver e quizer)
alugar appareca na ra da Cruz n. ;j.
Alngam-se dua casas na povoacao do Man
teiro a ni rgem do rio, as qnaes eslo pintadas de
(rosco, e tem bons c immodos : a tratar ua ra do
Crespo esqnina n. 20.
Na ra dos Gu^rarapes o. 64 precisase de
ama ama (prefere-se captiva), para casa de pi |U -
na familia, para o pervigo iiu-rno e externo, que
saiba engommar e czinhar.
Aluga-se para passamento de testa uma casa
na loa-vi;.gein com 4 qnarMs, 2 sala-, cozinha f-
ra, lao, com pequeo suio e diversos arvoredos,
perlo dos bandos salgados : a troiar na ra nova
de Santa Hila, serrara n. 13.
axposico.
Na casa de banhos rna da Cruz n. 17, existe
em exposico um retrato aquarella da Exm." Sr."
D. Marianna Amalia do R>go Brrelo voluntaria
da patria, um bellissimo trabalbo do Sr. Len
Cliapelim._____
Aluga-se. um sotao com comrnodos para fa-
milia, o qual tem varanda para a na e escada n-
dependente : ua ra larga do Rosario n. 31, se-
gundo andar.
Aluga-se uma casa com comrnodos para fa-
milia, na ra da Mangueira n. 8 : a tratar na ra
da Mangueira n. 38.
para cuna.
Bilhetes.....5#300
Meios. /. 2>7oO
Quintos. I. i,8100
Manobl Martins Fiuza.
:M O bachaieS M
M Francisco Ingasto da Costa 38
3K ADVOCADO Mj
Ra do Imperador numero 69. ^
0 cabelteireko.
|^ Cerlos Duhoi* mudou o ^i'.n estabeleci- ^
g melo da praca da Roa-Vista para o .-o- ~,
PS lirado n. |S da roa da Imperatriz. 25
Ufferece-se um iiioqo para cozihelro: na ra
do Forle n. 30.
Alaga se mnito em conta o sobrado da rna
de S. liento, defrtinte de. S. Pedro Velho,em Oliuda
concertado ('piulado de ivo, lem amitos commo
dos e bom quintal, mnito fresco e fica perto do
banho: a tratar na ra do Imperador escriplorio de
ClaU lio DlibellX.
io^lez, mostrador de louca
te foi roubado de
do sobrado de um
da R -Vista, no
os segrate* objee-
0. 23424, patente
Metra, C"m cadeia e
chave de onro, e com mitra mus fina tambem de genhn o perd -r-m grande parte de SP*S saf.as por iiifeci la les mprevs
ouro com ihave de dar corda, i
de prata lavradu com anglicas
de praia era forma de eflnel
ra de prata, uma crranle do
pialo i
i. IjUl i
diversas chaves muidas, quairo oncas de enm
2943 em praia qas se aebavam
masco d lia de cor Branca e
que o lailrao entrara por umi
ileila para o Quintal do rifen..
das quaos Usa o telhndo que sei ve d,- robera a co-
zinha, que no pavimento te:
a< autoridades policiaes para
meios neceaaanos para descobr
assim aos senb oes unrives e n
forem offerecidos us objectos ro
hend r como ronbad s. Ollert
de ;003 rs. a qualqoer que d
roubo. -Joo Pernaudo da Cru


Os arre matantes da massa
i Vieira Coelho & C. previnem a
! res para que no praso de 30 di
, dem pagar o que e-io devendr
: na roa da Cadeia do Recife n.
! praso, us que nao pagaren), tei
Kt
a as T o
X
i
RA iStt 11&&IJM m*
AUendedo as n'.verus .s i c aeiOe em
qui
ten; FUCcedido aos sen1
df r
M

"' p,r oa?s"?,*< deixamsem meio-'k cmp elnr as stras m .prnos; como mortea e ani "ViladHi- romli.imentos de a^ud-s,levadas ;.., o poprietirin deafi fiiiri-a letobra
rom
n'um sarco de da-
Rrerde. Suspeila-se
das janellas i sobrado, abaixo
reo : pede-se, pois,
pie emprt-guem os
iem o la ir.io, bem
ais pessoas a quem
ibado?, ':-:a prp-
e a graliQcagio
fec.ubra o autor do
ib -
alf] la de Joa |uim
s senhores devedo-
3..: ditOS
nho es a ciiiviMiioncia, nestes oso.s de f.iz.TcoKocar urna mafhina de vaper, fu m
feosaprovflSralo a safra existente e providenciando entra a reiwiie .ia ar.oniecient"S, mas tambem introdozindo u sua ur.ustria um recoshecitlo aefterav
ment.
Portante annuncia qae est prompti a garantir o asseotanmlo daa -"uas i
ciaes e mui acreJitadas machinas de vaper, em estado de fu necio arem umi setaini le-
pnis da rhegada das peca no engenta Esta* ouebinas podem ser applindas a rruren
das e m 'ia-moendas j:'i exiva i vita le
do comprador. Ellas tem tanques ou depo>itos d'agoa e boeiros, tod precisam p?ra seu as-enta -nenio deobra algnma, quer de carapfna, quer 'p alvenari i.
Estas michinas. de vapor sao construidas especialmente p>ra faiiiiar a cood:-
ciio, em provadequ j se achia asseatadasem lugares onde se ju'goa at entn iKkV
cilimoou mpossivel faze-las carregar.
Nocaso d-'desmiatelarem-se os rodas d'agua, ha sempre prompio, rodo de
ferro que se ass ntam no mnimo lempo.
Nesta fabrica se acha lodo e qaalquer objeclo de que possn precies um encrenho.
venham ou man-
a' mesma massti,
. e que find i o dito
j de ver seus no-
Di ii io, e ^e promov i a co-
o de outuliro de
H faiate para corlar: na rna
*M deia do Recife
.-: andar.
Alngam-se na ra do Imperador o primeiro
andar da caa n. 39 e o armazem n. 16 : a tratar
com Luiz de Moraes Gomes.
Precisase de um caixeiro de 12 anoos de
idade para taberna, com pratica ou sem ella : no
pateo da ribeira r.. 23. __ _
Notas do banco do Brasil e das caitas filiaos
desconiam-se na travessa das Crnzes n. 8.____
Aos credores do finado Joao Pacheco de
Queiroga, roga o leMamenteiro do mesmo qoeiram
apresentar suas cootas competentemente legalisa-
duas casas com commodos pa
do Retiro, junto a ponte da I
-om L M. R. Valonea.
banhos, oferce-se
a familia, na lita
assaeem : a tratar

ques sobre
Manoel Ignacio de Oliveira ]
Lisboa : no largo do Gorpo Sai
m DEPOSITO BE (ALCADO 1

precisa-se de uma eserava para andar com
nma laboleta, qae o senhor afiance a conducta :,
na ra do Imqerad ir n. 71. segundo andar, se dir d*s Para eri'm coutempladas no ivnBittrlo a que ,.
se esta procedendo, ate o lira do correiue mez, a ,~+ .- i >*_
ra Velha n. 35.
FABRICADO .'.A CASA D DKTEXQA0
Rna Hova n. ia.
Ah se encontraran ibras de di-
versas qualidades, c.pi r preco mui
diminutos, a ictalho e em porpes.
V;..j S se vende a dmheir ,

quem qner.
f.
Jeil o
m
sita n
fer..
UV. !
ifiSOS BITOSGS.____
Insiiluto I eheologico e Geographico Pcniatn-
bncano.
1! itera sesso ordinaria iuinta-f<>ira 26 do cor-
re> as 11 horas da manhaa.
OUIEVI 00 DIA.
Tra baldos e pareceres de commlssoes.
Secretariado Instituto 2 de outubro de 1863.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Joo Luiz Ribeiro de Parias, respondendo ao an-
nunciidoSr. Luiz Antonio Goncalves Perreira,
publicado no Diirio de 17 do corrente. pede a
este senhor que laya sua ampia declarado, por
Mato nao esl dispo>lo a cumprir o ?eu chama-
do, e declara o negocio que tem com este senhor,
e e-te ser-ms devedor de urai letra da qumtia de
1:5004 l' Tial recebi ana mololia por eonta no
valor de OjS, do que passei recibo, licando a de-
ver-mo a quantia de 9005, a vencer no 1 de maio
de 66 ; e se lem algum negocio a este respeito,
quem llie doe o dente qu-i va a' casa do Barheiro,
qaanto ao seu insensato anonado, o desculpo, por-
que taita, torca e>tranhi a isto o arrojasse.
__Aluga-se un escravo e uma eserava : na
ra Velha n. 40.
Aos agricultores.
D-ss a terreno necesario a quem quizer edifi-
car um mg nho para d-sfructa-lu pelos annos que
se conveucionar, no lugar denominado Balsamo. Aloga-se uma casa
cajas trras sao de urna produccSo prodigiosa, e com J. 1. de M. Reg.
Oca distante ir.eia legua, por u n lado, da colonia
dePuiietiieir.is, por outro, di povoaco d.- Capoei-
ras, e cerca de legoa e inea da- povoaco's de S
Benedicta e Paneliasou Terra Nova ; em todos os
referidos povoados ha feiras regulares e em diff'-
rentes dias da semana, onde se achara boas recur-
sos e se encuntraio mercados para as diversas es-1
pecies de negocios, alem. da grande feira de Trom-
batas, estacao terminal da via-ferrea, da qual o
terreno mencionado dista de 6 a 8 legoas pela es-
trada rial, cujas margen* estao guarnecidas de '
moradores e fazendas raraes, que tornam o tran-
sito nim.an ente agradavel : quem quizer lucrar
d claco a iii'.k foias da ama planta de ranna
podera contratar este negocio na ra estreila do
Rosario n. 28.
- Aluga-se a casa terrea n.3!) na ra da Uniao:
:\a ra do Rosario da Boa-Vista n. 40 engom-
ma-se com aceio, presteza e por commotlo prnj >
jg,, ;-. ..--. ,' .<: .* .:.-.* v. rir-", ~r< '" ~ ~---*< r..... r*i ~.-r-ri
i
m
Lisboa.
Filho sacam sobre
to n. 19.
^.4 '. "* <
iDentista de Penuimbucoul
riiia estreila do Rosario n. 3,
M pe da gr^i
cimento cima mencionado, acha se h"je *< a>s
funcionando muito regularm, nle, ,ro-*;; Vu ANCSCO PINT J GZQ&IOl
vidodetodasasaccoimnodacoesnecessa. WiamKnMBvmW rilB l tinjw-
S* iga totloca deute arliOciae j
pelos '-.y iteiuas m.'As nti- I
CS4
l/f*K>M tft D
Hi!a';< Cruz a. 17
A abaixo assignada, tem a honra de j^-
participar ao puWco que o sen PStabeJe- w-
AVISO
uin Bebeiibe : a tratar
ua ra de Santa
m
a
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 9 sita
ra ra Direita : a fallar na mesma.
Precisa-se alugar uma preta que sirva para
1 vender n& ra : quem tiver dirija-se a ra da
Praia n. 27.
Precisase de. 2005000, dando se garanta
quem quizer annuacie para ser procurado.
- Precisa-se d i urna ana
Rita n. 25, 1" andar.
0 UR. CASANOVA m
pode ser procurado a qualqoer ho- S
ra em seu consultorio homeopa- S
ihico, largo da matriz de Sanio An- B
nio n. 2 ?"^
No mesmo consultorio tem sem- r^-
pre medicamentos em tinturas e ^
I glbulos em carteiras e avulsos de H
^ Catellan eWeher e muito em conta. ^
mwmmwmmm tmmmwm
Assoeiaco couiniercial Be-
neQceate.
Tenlose de contratar a obra que precisa o pre-
dio comprado para fuccionara mesma assor.iacao,
! convidare as pessoas que della se quirerem en-
| carregar a dirigirem-se a rna do Trapiche n. 44,
1 terceiro andar, e de conformidade com os planos
! determinados fazerem as suas proposias.
.!. llunder, tend ide retirar-f
aseos devedores que tenham a
darem pagar suas di nas na
| sobrado n. 19, onde mora o Si
que est com os podares necesi
e fazer as quitacoes oecessaria
nio niandaivm pgar at o
mez depois serao chamados a)
Jornal das t
Publicacao mensnl, Ilustrad
CSj recreativa, etc., ornado de
gravuras sobre ac, aqnarelu
msica, desenhos de irabalhos
crochet, de ponto de meia, la
do vestidos,capas, e em geral he ludo o que con-
sement a irabalhos desenlilas.
Esta publicacao acha-se no 3o anno, e assigna-
se na livraria econmica ao p^ do arco de Sanio
Antonio, oude se acham tambtm collecjes do Io e
> desta praca roga
bondade de mali-
ma da Imperatriz
Prederico Chaves
anos para receber
t, sob pena os que
ini de.ste corrente
jizo para pagar.
m
ras g sol.re tudo com alguraa litnpeta.
Os artoes urnAdM por meu> autecs
sores Cedrim i C. sei.ao recebidos al o
meado do m. z m utubro vindouro, os da
casa lerto a firma da abaixo assgnada,
e serio como d'antes transmissrveis.
Tabella dos preces.
1 assignilura mm.-al com direito
a nm banlw diario a 320 rs.. 950OO
1 dita de 30 carles tran*missi-
veis a 3& I rs................ OSS-'-O
l|2 dita de lo ditos a 400 rs.... 6-3000
1 banho atulso, momo ou fri ou
d- chovisco................. 500
1 dito aromalisado cora agua flo-
rida......................... 13010
(); me-licinaes seriio pelo preco que se
conveuciouar:
u e das olis das 6 da manhaa as 10 da noite
r- nos dias santificados al 2 hora< d<. ur-
de, havendo chegada de vapor estara'
aberto por mais algum tempo.
Mathilde G. Lessa.
lri-uos
Emprega todos os meins trteatineos rara
conservar os naturaes. POe s-r proeura-
do em seu gabinete das i' horas da ma-
nhaa as o da (arde.
,._....: ..i, m:

. ..
111
*fc.-yAt
Precisa-se de um caixeiro que tenhaashabi-
litaroes gcessarias para tora ir conta de um esta-
beleciment le moldados, qmvseja Bal, iotelligente
Attenca;.
A pessoa que auuur.'-iou v nd r U milheirude
lij dos de alvenaria batida a -")"; i nvlheiro, ton-
ra appar c r na fabrica da irav --.i '. < '. ricca o.
2, caes do Ramos, pira realisar a v la.
Samuel Nwer JthisUii \ Corpaiii
Ruada ^erzala.Nuva n. 4.
AGIHCU DA
fh'iBtudicfiu de l-ow Huor.
VI mu hs a vapor de 4 e 6
Moendas e meiae moeoda para i-;.ureafco.
raizas de ferro coado e balido cara aa*j>
nho.
Gfimdes melhcras
as machinas imperiaes de Cbser-
Armazem n. Sl| Broad-Way NewYork.
Estas machinas sao construidas ptr um novo
systema, com muitas e importantes melhoras, e
sendo examinadas por habis peritos foram julga-
das de summa perfeirao. A agulha direita e cose
C41XIK0.
Olferecese um caixeiro cora pranca de taberna
e d fiador a sua couducla : na taberna da ra de
S. Prancisco n. 70.
O abaixo assignado por si e como liquidatario
da extineta firma Duarie Carvalho t\; C., declara
oao dever nada nesta praca, nem fra deila, tda-
amilias
,,., ,- e uue saiba resnertar-scus iniere-se- e sua posicao,. F '
iJ?5?*lf!*?- qued promptoP exped,euie aos negocios da casa Arados americanos,
na ausencia do patrao ; nao se olha a preco r na
cionalidade quem se julgar com estas habilita
roes deixe carta fechada nesta lypographia cora as
laieiaes B. B. B. ; prevlnese aos pretendentes que
l rein o presente nao se incommode em deixar car-
la fechada sem ter plena canscieocia de ter as lia-
bilitac&es aqui expendidas; pois ne>ias occasioes
apparecem lautos disparates que causa tedio quan
do se v o inlividuo.
Arrcios d carro para um e dous cavalloe.
Reiogios de o to patente inglez.
ligurinos, vintieta
;, sepios, pegas de
sobre lalagarca, >io
bordados, moldes
2* anno do dito jornal.
____________L __________ Os abaixo assignados prevmemao respeitavel
A Semana Illasirada e o Bazar Volante do publico que pessoa alguma negocie duas letras.
Rio de Janeiro, assignam-se em casa de J. Falque, send0 uma ja quantia de 8005 aceita por Tliom
ra do Crespo n. 4 : os senhires assignanles que joaquim de Oliveira, e outra de 1:3904 a-.eila por
reerbiam o Bazar Volante di ectamenin do Rio, e jos pejr0 ,i, Oliveira a vencer-se a oilo mezes
que quizerem continuar, dev m assignar na casa an,baSi e sacadas por Block. A Irinuo, por qnanto
os mesaios prelendem era juizo irovar seu direito.
Recife 21 de outubro de 1863.
Thom Joaquim de Oliveira.
Jos Pedro de. Oliveira.
Precisa se alugar um preio que seja pussan-
te : na ra do Rangel n. 9.______________
Aluga-se o segundo andar da casa n. 33 sita
na ra dVGnVa : a tratar na ra da Cadeia o. 44,
segundo andar.
cima,recebendo logo os pfimeiros nomeros do ter-
ceiro anuo que principiou i o Io de outubro cor
reme.
Ama
Precisa-se de uma ama p
do Imperador n 83, terceiro
ra czinhar : na ra
landar.
Fugio do engenho Dous R
cambraia teodo flos de aigodo, da seda ou de li- R % de ombn de m5
nho, desde e mais grosso ate o mais delgado Co-1 Joaquim Ferreira Valente.
mo nao tem roda* dentadas, por se ter evtalo a -------------------------------
menor atrito possival, tral.alha com facilldade e O solicitador Penro Alexaodnao da Losta
sem contradigao-UMA MACHI.NA QUE NAO FAZ Machado contina a encarregar-se de cobrancas
RUIDO ALGUM nos termos do Cabo e Ipojuca, e no desta cidede :
T. J Me. ARTI1UR & C, fabr cantes e proprte pode ser prgcurado na ra estreita do Rosario
furtos na casa supra I nu mero 34.
r.:
Ma iuaa pax i descara^ar a^odo.
Metores para ditos.
MachioEs de eestvra.
m ye.
uc
; a
os,
Quem quizer comprar uma taberno com pou-
cns fundos, propria para quem quizer principiar,
pertencente a' ci- dirija-se a ra do Rangel n. 39, que achara' com
dade de Goianna, uma escra\ade nome Luiza, ten- quem tratar-_____
do cor preta, alta, corpo re
ular, ulhos grandes, __ q collegio dos orphaos desta cidale vn ca-
! denles lvos'e perfeitos, pertfcrcente ao Sr. Firmo rencia de serventes para o Servico do ac.mo : a
da Costa Villar : recommenda-se as autoridades eotenrter-si; com o respectivo director.
a captura da dita es-
recompensada a pes-
policiaese capites de camp
crava, prometiendo ser oem
soa que apprehende-la e lev; la ao referido enge-
nho, ou no pateo do Tergo n
Aluga-se por prego c
andar do sobrado da rna ib
a tratar na loja.
42, 2o andar.
bmmodo nm terceiro
5;ozala Velha n. 18 :
- Precisa se de nma ama para o aervico de
duas pessoas : na ra estreita do Rosarlo n. 18,
primeiro andar.
0 advocado Airona) de Arbuqwrqnf >!
lliirique Luiz Cavikanti .indcrlf
Avisa que sobre sua lianca fortn deixadx ha
dous dias duas letras sacada pelo dito Sr. W.-
deriey, a quem o auiiuiiciau'.e nao l*aa a boma de
contecer, ignorando quem as ttve*-e deixado em
seu escriplorio na ra estrena d>> R->ann 34 :
asstm caimo observa qaa poucos dias bllam _!*'*
se nao poder sellar ditas letras sem revalnlaf/>.
_ Precisase de um bom MitaMra : na ma ia
Aurora n. 32.
Um gnarda-livio* que dlspfc 'le Intimas h-i-
ras, propde-se a fazer alguinas eaeriplaa a*sim por
partidas d.bradas como -imple-, garante 'i*.> w.
uabalhoe commotidale no preco : a qwm eaO
vier os seus servicj*, deixe carta ferhirt w ty-
pographia de.ste jornal com a* inicia*-- A. I.
Desenca uin ho u* 3&
Roga-s^ a quem achar cu tiver n ii--ia d na
iiah de folba de tlandres Ce tres panno* pooeo
mais on menos, ront -ndo objert i* MM r.-aao
liem seja tres fardas hr.inca-, mm handis rW la,
um par de cliarl.Pra, um retkt* orein r.i
toes dourados, caiga* e camisa, bem r.o
patente e mais docunienlo* do ten ule M. Ca
da Paz, um par de bolinas, tres rhicies
cousas, pertencentes ao segando cad-te e sirgenf
do c irpo de podra ab.ix assignado o qnil !'-
settarutBimn-tt no desembsr.iuedo va.. r
aleo quartel de pliza : q/mm teilo mm r)i n
m
_ Prfcisa-se de uma ama" esc-ava oa livre, ou eacootra- o podera_ eutregar o >iio qua;
para todo servigo Interno de uma casa de tres pes- que sera' recompensado,
soas : ua toa do Hospicio n. 62. ioaqu.m Simio \ leira da Pax.


*eiiisumlme aftmarU letra tft rtnfcro de t Sft
| f I-1 g
I i> s
g- =r ftl 3 Q 3
s s J H i
I SL
efe
C9
^^
3
ils
W
2." 2 2
B
? S s
l" 11
s- I r
B i. H
i tt ce
f I i.
ElffrS
5 S
00
"O
w

09
I
1 w

ff w
11 i i S a
15 5
9
w
C6
6
Pernambuco, ra Nova n. 18 pbarmacia fraoeeza de
P. MAURER & C.
Dr. Cosme de S Pereira conti-
> na a residir na ra da Cruz n. 53,
m Io e 2o andar, onde pode ser procu-
| rado para o exercicio de sua profis-
s sao medica, e cora especialidade
g sobre seguinte
Io molestias de olhos ;
jjf 2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
g Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas coraecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
I cao que julgar conveniente para o
)| prompto restabelecimento dos seus
tm doentes.
mmms
&
VERDADEIRO LE ROT
de SIGXORET, Docteur-Mdecin
Ru de Seine, 51, PARS.
_ Altiga-se una casa con grande sitio em San-
t'Auna, confronte ao aniigo sobrado do finado Bcl-
lero, lem muito* arvoredos, e bem luralisado por
li -ar na beira da estrada po- ande passa o mni-
bus : qum pretender dirija-so a ra da Cadeia
do Recife n. 3.
Precisase de ii.ua ama para andar rmn una
menina : na ra da [mperatriz n. 34, primeiro
andar. i
Em cada garrafa, vai, entre a rollia e o papel azul
que leva o meu sinetr, un rotulo impresso em ama-
relio com o Sello Imperial do coverno fkakcfz.
f/. B. l>emetIendo-se urna lettia de 50 francos
sobre Paris, aceilavd a (10 das de vista, ao mximo,
goza-te o ahalimrnto r do malnr dtscunto.
Deposito p---
do legitimo
em Caz. do
nico agente pelo
Brazil a Snr Anto-
nio Fr^c : de La-
cerda na Baha e
no principa? pliar-
maceutcos.
ahalimrnto r do maior
prinripal ^
lo nosso Adxv o^
Com
ns LIMAS
CHIMICAS DE
P. MOURTH, forne
cedor da Caza Imperial do Ejercito
frnncez, garntese que qualquer
pessoa podera sem dor nem perigo
livrar-se de seos callos. Esta inven-
cao : privilegiada em varios paizes.
reconhecida oficialmente cfficnz
por 15 nacfts, premiada com me-
dalhasde 1' e>2" classeeappro\ada
por diversas academias e pelo Exn"
Presidente da Junta de Hrgiene da
corte. Por ordem do Ministro da
Guerra fez -se em Pariz experiencias
Iwbre ii. lis de 21-00 soitiudos quel
jficarflo livres de seos callos-, igual
I rebultado foi obtido na guarniro
do Rio de Janeiro. Huii de 3000
I pessoas ja se tem curado rom estas
! Limas. As provas do que su diz aci-
Ima c os atlestados acham-se no
I prospeetu, que se dfl no deposito.
1 Casa principal em Pariz, B1 Princel
liuqene, 18, Agente para o Brazil, \
o 5' M. O. BRANCHES, rua\
\da Alfandega, N 10, w Corle.
Le se no Monieur (te la l'harmacic.
Aclecliiridadc boje empregada por lodo o
a mdicos afamados, para o tratamento de muitas
molestias, mcsuiopara as que resisten as outras
medicaces.
A electridade produzidn pela friccao lem urna
superioridade inconteslavcl, e a vanlagem de nao
dar abalo, c de poder ser graduada pelo doente.
A causa a inais frequente das molestias a
eslagnacao do sangiie ou dos oulro liquidos vi-
tacs. Restableccndo se a circula;a no orga-
nisnio, curacao-se as molestias.
Quando Sc sent alguna dr em quelquer
parte docorpnlogo, cinstiiictiramentc, seerfrega
o lugar endolorido com a mao, c isto allivia. Isto
explica o resullado incoiUeslavel que deve pro-
duzir u in apparelbo elctrico. Por isso temos
prazerem annunciarao Publico queoSnr Buisson
de Bivilliers residente, boulevart du Prince-
ICugene, 18, em Pariz, dolou a medicina de um
apparelbo Electro Magntico, sob a forma de
urna tscova, com o qual os doenles se podera
curar sem neliuma outra medicaca. Os mdicos
que a tem experimentado, aileslara que a
Escov* Electro Macmbtica efficaz para
curar: os Rheumatitmos, aParalysia, Gotta,
Traquexa dos mimbro, e a Columna ver-
tebral. debilidade %eta\, IVevralgi'as, etc.
Estamos certos que breve cada familia possuira
e.ta cova que prestara gi andes servicos.
A pedido de muitas pessoas, o autor decidio-se
a cslablecer um deposito de seos apparelhos no
Hw d: Janeiro, em casa da Sn Didieb Ruih-,
ra turna do Oucidor, n S3.
Pernambuco, pbarmacia frauceza de P.
Maurer dr C, roa Nova n. 18.
() tundir.- ucn-8 elitlivos io Co i Goin-
mercial sao convidados a renolr-e era ass mbla
fetal as 6 horas da tarde do da 2(i do eo rente,
a6ai ao w.mk (ilab.-0 .'ternario,
Francisco Lucio de' asiro.
arra, e taitfacax t "
3FVu.a. do Crespo 1M. O
LIYROS NACIONAES E ESTRANGEIROS
ieligio, pliilosoplii.., jarispruiencia, litteratora, scieocias e ;
PAPELARA, OBJTECT0S PARA ESCRIPTORIO.
res.
LIQIDACO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSICtO DE LONDRES
ra
;t
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Paris, Londres. Birmingham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condices
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ler de partir moi breve para a Euro a.
Ha neste vasto armazem ric s objeclos com brilbantes, como botes, aunis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntes, anneis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras Anas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVEH, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, DeleUrez (Perfumerie du mond lgaut), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P.Gueland, e inglezas deEug. Rimmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na
China e no Japao; ricas pecas de crystal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castigaes, enfeites e adornos para cima de consolos e para grande loillette, o que se tem
feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha ecaf, os qnaes em
nada sao inferiores prala, o muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho-
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos; de porcelana fina para cha e caf, ditos para pintar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff& C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na
ra, ditos com_ figuras para saloes e ditos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrumentos de pbysica (mgica) para
theatros ou saloes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, da e noite; stereocopios de nova n-
vengo e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento de brinquedos finos para enancas, e
bonecas fallando papae e mame ; grande sortimento ide candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitagao na Europa, grande e magnifico sortn ento de ca xiobas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
propn'os para presentes; grande sortimento de estampas fin "s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vdros para cosmoramas, um bello chafara de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelarja fina, como lalheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas iuas, caivetes e outros artigos, diversos artigos eitos de rame ; completo sortimento de
mascaras" de veludo, setim, cera, papelao e rame j doces confeitados e chocolate em caixinbas e em vidros; camas de ferro de todos
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz pao-de-l, bolinhos, etc.;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violes finos ; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras Degas de charo para toillelte; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illuminagoes moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixnhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los ser3 um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposgo de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 60.
Joo da Silva Ramos, medico, _
dico pela universida le de <:oinhra,
d consultas em sna casa das 9 as'
11 horas da manha, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em so
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os cajos ar-
gentes, que serio so corridos em
qualquer occasiao. D consollas aos
pobres que o proctirarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qoal-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperago cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3^000 danos.
Segunda dita-----34500 >
Terceira dita .5000 >
Este estabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
tem prestado.
O propnelario espera que elle
continu a merecer a coofiaoca de
[que sempre tem gozado.
Criada.
!
Precisa-se de urna criada para r .sinbar e r m-
prar em casa de homem soKeiro: oa roa do Qmi-
raado n. 'i, loja.
Instrarrit primaria.
Um professor Jubilado se oflerere para leceioaar
em algum eagaoM perto da cidad- : quem pren-
sar dirija-se a ra Velha n. 17, que achara coa
quem tratar.
COMPBAS.
Comprase efTeclivamente ouro e prala em
obras velhas, pagando-se bem : na roa larga do
Rosario n. 2i, loja de oor i ves.
Silvino tiuilherme de Itarros compra e vea-
de erTectivamenle escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terreiro andar.
Compra-se ooro, prata e pedras prerkya?,
em obras velhas : na roa da Cadeia do Reevfc,
cja de oorives no arco da Conceico.
Na roa do Crespo d. 16, priaaeiro
compram-se libras sierlmas e moeda< de ooro bra.
sileiras.
Compra-se papel diario para embrolho, pa-
ga-se bem : oa padarla da roa da Irnperatriz nu-
mero 66.
Oh r c prata.
Em obras velhas : compra-se na prara da le
dependencia d. ti, loja de bilheles.
Comprase carosso (sement) de alcodao: nc
armazem de algodao de Saunders broliters di C,
no caes de Apollo.
Comprase om candieiro de tu m boa so-
lado : na ra da Seozala Velha o. 48.
COBRE LATO E
, CHUMBO
Para completa liquidagSo vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente Comprase cobre, latao e chambo : no anaaienr.
de Paris e de. Londres dos mais afamados fabricantes seguinles: E"g Rimmel, R. Matheus C., Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, ida bola amareiia, no oitao da secretoria da polica
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de ~ Comprase umapequeacarteira deviagea:
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafiuhas e vidros de difieren- JoXsto bufe iZ*! 2t brn
tes modelos, pos para limpar daptes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixnhas e balainhos com perfumaras para fazer: __ *
presentes, e muitos outros rticos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande ---------
NO GRANDE AR-
MAZEM.
FUMARIA
DA EXPOSlflAO DE
LONDRES.
armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PARA E.\IIO.Il.%N.
VENDAS.
Vende-se uma escrava crioola, mc^a. eeoic
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se: ndardadeS; a rua da Pcnh* "' "* """*
por menos de seu valor para se liquiiar, no grande armazem da Exposigao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. GO.
IiUVAS WOVAS ]>E JOLV1*.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Pars, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposigfeo de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGR PHIA.
Sementes novas de ktrtalic*.
Chegou pelo vapor Gladiator om var"ud> sor-
timento de sementes novas de hortalica : na raa
doQueiraado n. \". loja de ferragens.
Vendem-se diversas casas de pedra e ral,
limas na povoaeao di; Apipucos e o jira* muirs
perto della, entre as qnaes quatro coostrnidas a
moderna e bem acabadas, de minio boas rommn-
No grande armazem da Exposigao de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da (mperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8, daesueaodos ^mnibu^^Ve aeharemP^ua'ta!
e na mesma rua loja de miudezas n. 54, vendem-se excellen|tes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Gnimares.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAN DE Pl)itHTAMUL<;0.
Tiradas na occasiSo em que S. M. o Imperador aqu estove em lso9:
Palacio da presidencia, a cavallria acompanhando S. M. o Imperador no da 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminagao na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio eom o palanque.
VJAEM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invengao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franga.
Inglaterra!
Italia.
nos melhores pontos. EMa venda faz->e para pa-
ra pagamento : os pretendentes dirijam-se a sea
proprietario, abaixo asignado, do referido logar,
ou ao Sr. Jos Aflonso Ferreira, na arfaudega.
___________Joao Francirco &> Reg Maia.
Laas para vestidos a 240
re. o corado!!
Na rua do Queimado n. I vendem-se soperiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, ac-
| tes que se acabem.
lireu em barrira pequeas.
Cera em velas de todos os tamaitos.
Bogias.
Mercurio.
Na rua do igario n. 19, primeiro andar.
Vende-se um escravo flor eom 16 annos de
idade, muito sadio c forie, moito esperto, umbem
j se aluga outro da mesma idade : no Corredor do
; Bispo n. 15, a ver a qualquer hora. Na me-ma
casa precisa alogar-se urna escrava qoe ^eja Bel e
aaiba vender na rua.___________________
Conlinoa-se a vender doce de caj ero calda,
: laranja, jalea e grozella a oOU rs. a libra : do pa-
teo do Carmo, esquina da rua de rlorus, armazem
numero 2.
AVIO
Vende-se a armacao propria para miudezas oa
outro qualquer negocio, na rua larga do Rosar
n. 42 : a tratar defronle ns. 27 e 23, qoe achara
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidagao no grande armazem (la Exposigao de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im- com quem tratar,
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8. e na mesma rua loja de miudezas n 54. ----------------CylIudrosT-------------------
Grande novidade chegada no vapor francez Navarro Na rua Dirtiia ha "ara **
Pelo vapo francez Navarro acaba de receber de Paris um lindo e completo sortimento de brincos de fino cristal, o que se %&*' para Padar,a'c,ie*ados m......*
feito de mais moderno e de grande moda hoje nos prmeiios I ai es, passeios e theatros de Paris, s5o de cristal branco de dif!
desta nova podra e modello inteiramente novos. bem se podera con-,
lista! um sortimento completo de fivellas de madreperola de difieren-
tem
f eren tes modellos, e tambem d lindas cores, o effeto magnifico
fundir com o melhor bullante: lindissimas cruzes do mesmo c
tes tamanhos e formas para cintos ue senhoras, e bem assim botes de differcnles tamanhos para colletes. Cartes de visitas das pes-
soas mais celebres da Europa. Eslampas de santos o que se tem feito de mais lino, grandes e pequeas : tudo se vende por menos.
je seu valor, oa rua da Cadeia do Recife n. 60, armazem de Tfc
*# O Dr. Carolioo Francisco de Lima San- 3tt|
S tos contina a morar na rua do Impera- \<
/X dor n. 17, segundo andar, leudo alias seu W
'I, gabinete de consullas medicas, logo ao mW
v*/ entrar, no primeiro.
W O mesmo doutor, que se tem dado ao **;
^gv estodo lauto das operares como das mo- H
| mado, quer par. irulro quer para fra S<
- da cidade. <|K
Len Chapelin lem
HW-%r
( Companhia fid
maritim
SR
omaz T'xeira Bastos.
8J>
idade de seguros
Os e terrestres
eslabelecida nj Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMUUCO
Oliveira Azevedo & C,
utorisados pela direc-
Antonio Luiz de
competentemente;
do
publico n reiratu da w.lunlana da patria a xin".
D. .Marianna A do liego Brrelo em carlo.-s e
gran!" formato.
Massa fallidaT
Alves. Ilimburger C., adniinislradores da
Dia.*a fallida du Guimaraes Irmos, pcJein aos
eredores da ina s, no pr.iso de 8 dias, findos os quaes procedeao
ao dividendo. Recife, 16 de outubro de 1865.
Precta-s aiugar noia escrava que saiba co-
zinhar bem e comprar : a tratar na rua da Cruz
n. .6 pnmdro andar.
Voluntaria da patria.
Acha-se venda na pholographia artstica, ro*
Nova esquina da Gambos, di Carmo, o retrato eai
cartes i- visita da voluntaria da patria D. Ama-
lia do Hegg I3vre!o, em ponto giand;.
de, tomam seguros
rias e predios no .
x Cruz n. 1.
twmm .mwmmmm
disposica J
loria da companhn. de seguros Fidelida-
0 abaixo assignado fa: publico que perdeu urna
letra de seu aceite, saca
C, em 28 de marco a
quanlia de rs. 3,35l75<|>. cuja
abaixo assignado aos
recibo dos mesmos, que
Isso nada val, pelo que
lor lera qualquer tran^
guem que a achar tente
Ifll
Foi adiado um chapee
aas iaimediagoes da rua
dc-no dirija-se a rua Dirt
I
Vendem-se capellas de aljfar para seren enllo-
cadas dos tmulos, catacumbas, sepultura, no da
2 do vindouro nuvembro (finados) rom as ns-rip-
f'dra ntISSar a ftSta. caes seguinles : meu pai, minha rrSi. meu e-|.- .
Alnoa se a eieellenle easi da Ira da Helim n m,nha e' " LttKtagiDmm^
S5K; 37" ffS oicas^Sm^
de navios, mercado-
eu escriptorio rua da E
Rogase so Sr. Francisco Brandao liivalcan-
li de Albuquerqne qne tenha a hondade de dirigir-
se a rua (la Imperalriz n. 19 : a fallar com Frede-
rico Chaves, ou auuuncie sua morada para se Ihe
fallar a negocio.
Alugase o segundo andar do sobrado da rua
do Imperador n. 79 : a tratar na rua do Crespo
n. 15.
i'EUUillA
Ba por Souza. Andrade &
;ei> rnezes de prasn, da
elra loi paga|pelo
secadores, como consta do
tem em seu poder, e por
protesia que nenhum va-
cio que por ventura al-
lazer com dita letra.
Normas para escripia
Ven-Jem-se normas para escripia por ll Adler-.
proprias para meninos, em colleegoes d* ns. I a 6,
e tambem colleccoes de ns. 1 a 12 : na linaria
universal n. 54, na rua do Imperador.
Vende se uma parte e um predio do sitio dos
Arcos, peri- rls \?r, p ,1,^ V t.-'V^. o r"%\ DTO-
prlo pai a umita, p,., ^i itmiapls tar;<, e a tor-
ras qnasi lolas proprias : a traiar rom Joaqun
Jos Goncalves Beltrao, rua do Vigario a. 17, es-
criptorio.
Apolina lio Libralo de Mello.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
eslabelecida nesla praca, loma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e tnobilias: no seu escripto-
jio, rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Vende se ou aluga-se om sitio do principio
da estrada do Arraial, com boa casa, a qna! teta
muitos commorto-, o sin) tem muitos arvoredo-,
bom banho, baixa de capim, diversas planbcoes
ele, etc., torna-se recommen lavel para pa--.ini r-
to de (esta por icar perto do Parnameirim, ocle
passam os mnibus e breve pissari a estrada da
ferro: a tratar na rua larga do Rosario sobrado
n. 22.
de sol, em bom estado,
do seve : quem lor sea
tan. 119.
JI1VI2 U
, um vestido de blonde para noiva, cora veo,
ho mem e senhora, friz am-se babadas e afos com Capella e ramo para 0 peito : na rua do Ca-
ac eio e prejo commod o. bug loja de Cascao 4 Pontual.
r


Diario de feruaambuco QuarU icira S de
a molestia ou infecco pecu- Grande loja e armazem o
lial coDhecida pelo nome de Es- p .
crofula ura dos males mais,
prevalecentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das. Iiqaidapein araa grande -ao de soas fazenda>
enfermidades de que soflre o al ac fim do correIUe anno, afim de fecharen con-
genero humano : disse un cela- tas e apurar dioheiro, resolveram vender todas as
Rua da Imperan iz n. 60. de Gama Silva.
Tecdo os proprielarios d'esle estabelecimento de
mais de urna terca par*, ^v,(odososseusfreeuelefi e ao respeitave publico,e
todos aquelles que morrem ames j as|pessoas que negociis em pequea escalla com
da velhice SO victimas, OU dir- [ fazendas, que neste estabelecimento enconlrarao
U OU indirectamente da Escroto-. "> grande soriimenlo que muilo Ihes ho de agr-
i/i nnr ai nf t3n rlps- dar 'amo em pre?os como em qualidade; assim
l .por m udu c mu uco j como inandam pelos seus caixeiros levar as fazen-
tiva, porm a principal causa de muitas jas e amostras as casas das familias que nao po-
M1IM1"mbrmiH,L rOn lh s5n a %**** "* ^ "'
AGUIA BRANCA.
Colieiras demarroquiai, com cascaveis
e s-.ni el les.
Na rua do Queimado loja da Agnia Bran-
ca n. 8, vendem-se colieiras de marroquim,
Ere or ( faaends coro grande abatimento em precos, tanto POSpontadas e com cascaveis OU sem elles
. m!w di 1, iiS, nartP de em P'>rSao ca relalh0> e Por so prwinem a proprias para caes e outros biclunhos.
Peonas inglezas de ac e douradas.
No novo sortimento de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram j
tambem outras de metal dourado e hicos,
mu bem acabados, e por essas boas e ne- j
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
....___- .- __ .-.____i uitcii vir a ii'iJ. uuuau as aiiiuiia ucimuuu u- j. .
outras enfermidades que n3o lhe sio geral- at pt,nnor. '' bricantes Perry & C, as recommendam aos t
mente attribuidas. Cambraias lisas a 3&0OO. Da loja do entendedores b apreciadores do bom, valen-
E' ama causa directa da phlhysica pul- Pavo 'do mesmo a diflerenca que ha no preco de
monar dasmolestias do figado, do estoma- VendeBMe de cambraia ,isa branca e I urnas para outras, por que estas se tornara
go e ajfeccdes do cerebro :Entre os seus transparentes, tendo oo e meia vara cada peca,: mais dura veis na continuac5o de escrever ;j
numerosos symptomas acham-se os seguin-1 pelo barato preco de 3*500, ditas muito floas, por: assim pois quem deltas se quizer utilisar i
tes -.falta de appetite ; o semblante pal-!500,5*, 6* at 10*, sendo tapadas etranspa-.compra-las a dinheiro a vista : na rua do,
ido e s vezes inchado, ds vezes de urna JJjyg fgS* T^LTpX Q loja da Aguia Branca n 8.
alvina transparente c outras corado e a- na rua da |mpera,m n. 6o de Gama & Silva. Franjas C0D1 borlas C sem ellas para
marellento ao redor da bocea ; fraquea e crles e phantasia a 30500. cortinados,
molleza nos msculos: disgesto fraca e Vendem-se os mais lindos crtes de pbantasia: R Maten nm helio snrti-
appetitc irreaular falta de enerla venlre com as mais lindas cores que tem vindo aomerca-' a Aguia Branca leceoeu um ueuu suiu
inchado ewc^irrZutor-maSTo do' sends fazenda transpaen.e que serve at para ment de franjas cora borlas e sera ellas
wenam e etacuacao tnegutar quanao o ba pe|0 barato preCo de 35O0, ditos brancos para cortinados, todas de novos e bonitos
mal tem seu assento sobre os nnlmoea. ums fazenda niuit0 na a 45oou : isto na tota arma- desenhos, cuja comniodklade do preCo est
cor azulada mostrare em roda dos olhos; zem do Pavao, na rua da Imperatm n. 60 de Ga- ftm rfi|a(..'n \armn ap|iam>sfi Jg vfin.
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos ma & Silva.
tornam-se avermelhados : o hlito ftido, Cambraias de forro.
a lingtia carregada, dores de cabeca, ton- Na loja do pavo
tetras etc. Vendem-se pecas de cambraias
Oulabra de 18.
as Dassoas de rliamwirfii mutrobilnsa an- boa?' fel barat0 Pre5 de ** e 2,i)300 a ?e?, ;
nos pessoas ue uispositao escruiuiosa ap ,|slos Da ,oja e arnmem do pavao na rua daIm.
parecem frequentemente erupcoes na pelle peralrz n. 60, de Gama & Silva.
da cabeca e outras partes do corpo, s5o pre- Corles ran; (linos.
; em relacao a largura : acham-se ellas a ven
da na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8.
de forro muito Jogo da paciencia on curioso entreteni-
dispostas s affecedes dos pulmdes, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
menlo.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
Outroa objecloa.
Vindos tambem para a antiga loja de
miudezas rua do Queimado n. 16.
Sapatinhos d( selim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de nlerin tambem bordados <
igualmente boni ,us.
Meias de seda correspondente no tama-
nho dos saptinios.
Outras mui i as de o da Escossia e
brancas listrada .
Lavas linas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda
Ligas de dita
Pcntes de trt
embaracar.
Carriteis com iletroz preto e outras cores,
agulhas.
zas, as afamadas,
alnetes brancos e pretos
a para vestidos,
iroprias para ditos.
de novel los grandes
lara senhoras.
para senhoras e meninas,
ruga mui fortes para des-
Carteiras com
Agulhas franct
Caixinhas com
Haspas de bale
Fitas de linho
Caixas com lii has
para crochets.
Trancellim de
BoDltas flvcl
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na riin > Queun*-
do n. 16, resebeo-as por ele aliam \ >fm.
il5ff|il!
n
HSfEs
I
bonacha preto, redondo.
as grandes de ac.
dou radas, |di adre per o la e tar-
taruga.
A loja de miu ezas rua do Queimado |
A t0000 na loja do pavo. i d r d ., sp form
; mais ricos cortes granadinos, fa-: ^ue Vendem-se os >.
nnos. Portanto, nao smente, aquelles, zenda de muita ptufeaaia que serve at para bai-1 agradaveis vistas e paisagens, segundo os
que padecen das formas ulcerosas e luber- |es Por serem transparentes e com palma de sedae desenhos que acompanham. Na verdade
<* teccao contra os seis estragos; lodosas &*aJ^X^Ss$ qual se despeta a cur.osidade, e apura a m-
quelles cm cujo sangue existe o virus laten-. As camisinlias do Pavo. lelligencia. Os apreciadores dinjam-se a
te d'este terrivel flagello (e s vezes heri- Mendem-se as mais modernas camisinbas borda-
ditario) CSlao exposlOS tambem a soffrer das das com manguitos, para senhoras sendo as rnais
..( '; i,, ., .. ___ ___- modertas que tem vindo ao mercado a MoU.dl-
enfermu ades que elle causa, que sao : las com m^guUo5j para acabar> a l&. dilas pre-
A pftthi/sica, ulcerardes do figado, do es- las com nianguitos para luto a 15800 rs., mangui-
iomago e dos rins: erupcoes e enfermida- tos e golinhas preas a i$, finissimas golinhas de
des eruptivas da cutis; rosa ou erysipela; i cambraia branca bordada a 500 rs., tetabas para i modernos e gostos inteiramente agradaveis,
barbullas, pstulas nascidas, tumores, rh- ^SS^iSSS^m^AASa!rm e como seu louvavel costume os est ven-
I dendo baratamente a quem com dinheiro se
I dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
' Branca n. 8.
Meias de la para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
i Aguia Branca n. 8.
rua do Queimado, a dila loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que serao satisfeitos.
Bonitos enfetes para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber un no-
vo e lindo sortimenio de enteites os mais
O gallo canta e est
que marido,
Bom e baratissimo.
Rua do Crespo n. 7.
Collares.
Collares anodinos electro magnticas Roitr para
as mancas nao mrrertm de convulsOes pelo ba-
rato prtco de4>.
Novidades.
Riqusimas polsefras ou braceletes para senho-
ra e para meninas a \5. i& e :J, assim como lin-
das vollas para pesclo a 3.
En fe i les.
1
l
VI 3 i ti
lt*\ K i- ? '
H-o S- gE e -
i i i]:nnq
5. 1 ~ tinsal
i/%
n. 16, recebeu likn bonito sortimento de Riqusimos enfeiies para cabeca cousa de mol
flvellas grandes jara cintos, sendo de ac,,,0 83St0 a **. 2#. ** 5& c* e 7*-
domadas madrej erla e tartaruga as quaes: m veas d'e'madreperoia e de,
estao sendo vendidas em dita loja por pre-1 rDga'arsim cuino [irela5
eos commodos ; issim como boas e bonitas Cruzes.
fitas de gorgor5o ichamalotado, proprias pa- Riqu ssimas cruzes dturadas porm o melh
ra dilas fivellas. I eosto que se pode desojar.
lfl|
n h
lr?
IB
1
branca bordada a 1^600 : na loja do Pavo, rua
cmnacarbunculos, ulceras e cltagat, rneu- \ a Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Southcmbarqucs de cr.
Vendem-se southembarques de cr multo bem
enfeitados a 5, 6 e 7J0O0 para acabar : na loja
e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Organdy inodernissimo.
Hala mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
mutismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fetmidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraque.cimento e debilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz tubercu- Chegaram os" mais modernos organdvs com os I
los e finalmente consumpco_ pulmonar : ^*^.^J^ Bf SfidR ua "S "" > -
as glanulas ella produzmchacoese tornara- ^^^S^^nu^^ooS.'o papel com composicao para dar fim as
se uiceras. nos orgaos aigesuvos causa a vara. na )0ja do Pava0) rua da imperatriz n. 60, moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
desarranjos que produzem ndigestao, dis- de Gama & Silva. effeito efficaz : molha-se o papel e deixa se
Chales de merino a 2*000. ficai^n'iim prato, e nelle pousando as raos-
Vendem-se os mais modernos chales de merino ntrlatL-am p mnrrpm fnla caria fn-
estampados a 20O0 cada um, havendo tambem um cas, eniiisteiem e morrem. LUSia caaa 10-
graude sortimenlo dos mesmos matizados que se Iba 40 res: na rua do Queimado, loja da
Todos estes males tendo n mesma on- *endem a C)J 7| e ooo Da |0ja e armazem do Aguia Branca n 8.
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Q?ergig brinOUedoS e entl'etenimenlO
OsSintOSdo pavao | mJTSLmm
vendem-se riquissimos sintos de filas de diver-
sas cores e dourados com 6vela larga e dourada,
assim como enfetes para cabera dos roelhures e
mais modernos que tem viudo ao mercado ludo
BaVRSUT: BaTkf 7S-SS K^s' a7pa7elhoTd7raeuroia"pira:
do pavo oa rua da Imperante n.'.60, de Gama & da e porcelana dourada para almoco e jan-
As toalhis de linho do Pavo. tar e muitos outros brinquedosde madeira.
Vendem-se superiores toalhas de linho das me- que se vendem baratamente : na rua u
__.._. |hores (iue tem vmd ao mercado pelo baratissimo OnAimadn i,,ia da ktmi* Rranca n R
feto de tumores, erupcoes cutneas, erysi-i^^ 9(S000a duzja? ou 800 rs. cada urna, na iu.eimaa0. l0Ja aa Aguia liranca n. 8.
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,' loja e armazem do Pavo, na rua da Imperatriz n. alelas preas de seda para seOBOraS a
ulceras, rheuma, sarna, parchas, hy drope-W* de Gama & Silva. ^ ^ 500 1'S 0 par.
Oenlos de p neira e de outras
qualidades, para quem soffre
ds Tlsta.
A' loja de miudezas rua do Queimado
o. 16, tambem n cebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assin como outros de armacSo
de ac, sonidos < xi graos.
Coroas e te reos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de< jrnalina, os quaes estao
a disposicSo dos 1 ons christos que os qui-
zeremjcomprar e n dita loja : na rua do
Queimado n. 16.
Esponjas Unas grandes e pe-
q nenas
Vende-se na ru: do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Dlversbs ofrjeetos.
Cascan ilhas.
Bonitas cascarrinas com biquinhos de seda e
aljfar cousa inteiramente nova para euluites de
vestidos.
Binculos.
Bonito soriimenlo de binomios com superiores
vidros para os amantes do theairo.
Assim como uns pequininos
que serve para enftite de rekgio mais com excel-
lente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cesnhas com prepares para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfcitadas proprias para mimo.
Pentes.
Ripuissimos penie> de Lmrracha com aro bran-
co fle metal para menina segurar o cabello |>elo
barato preco de 500 rs., e duzia ?i5, assim como
grande sortimento de todas as qualidades para de-
sembarazar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas oara roupa e pa-
ra cabello, paraunhas para denles.
COMEITOS
DEPURATIVOS!
Do Dr SERVAX. > Parir
Pharmaceuiico de i' elmsu, ur
inlerno com a medalha de bronzt.
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affecgOes cut-
neas.
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A sais parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais effica/es que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contera virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado inconlestavelmcnle peas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
A antiga loja de
mado n. 16, acaba
versos objectos qi
I bello sortimento, sendo:
Filas finas de s: rja da mais estreita que
ba al a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem d( sarja hivrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa
para enancas
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. Debilidade ge-
ral:IndigesUo, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do ulero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summa, toda serie
de nfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certides no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se iiatribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de tongas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtudes: posto que offerecido
ao publico sob o nome de S/dsa parrka,
composto de diversas plantas, algunas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PE1T0KAL DE CERKJA fi AVER.
Cura promptamefilti a asthma, bronchite,
tosse, dclluxo, angina, coqueluche,!
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia o el hicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmes pdem ser curadas em pou*
co lempo pelo peioral de ceueja do dr.
A.TEB.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro rua Direita n. V.
Vende-se em Fernambuco:
na
As saias do Povo.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
Vendemse as mais finas saias bordadas asagu- i__^_ ..vi..
iha brancas sendo da m,ihor fazenda que tem vin- C5o de meias preas de seda para senhoras,
do oeste genero, tendo mui a roda, pelo baratissi- e apesar do muito maior pre^O que lhe cus-
mo preco de 105000; dilas bordadas a croch a laram e o bom estado em que ainda est5o,
65000 e 8ouo, das com babadmhos a 9*000, na comtudo est resolvida a vende-las a 5C0
loja e armazem do Pavao, na rua da Imperatriz n. .- -. ,______. i
60 de Gama & Silva. re,s Par afim "e Que ninguem mais calce
Nms mMMm na kja do Pava a O^OW. nieias pretasdealgodo, agora pois apro-
Chegaram para loja do Pavao os mais ricos cor- veitarem a quadra e dirigirem- e rua do
tes de vestidos de cambraia transparente coraos Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
mais delicados bordados de differenles cores a pon- Dem venerj as brancas a 1)5 O par, e des-
to de agulha, sendo n este genero a maior novida- ., ,_____ .. ._
de que lem vindo ao mercado, garantindo-se o te- ^s O UlllCO defeitO e estarem um pOUCO tn-
rem muita fazenda e enleiie.- sufflcientes para o gueiras,
$m
PHARMACIE FRANCAISL
deP.MARER&G1!
. RUA NOVA N': 13
corpo e mangas, e vendem-se pelo baralo preco de
I00(i0 cada um, na loja do Pavo, na rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os escardillos do Pavo.
Vendem-se um grande e variado sortimento de
espartiiiios os ouiis bemfeitos que tem viudo aa
roercads, sendo de lodos os tamanhos pelo baratis-
simo preco de 4, 55, e C5000, por haver grande
soriimenlo, oa loja do Pavo, oa rua da Imperalrii
n. 00, de Gama & Silva.
Veudtm-se superiores meias cruas inglezas pela
baralissimo preco de IfOOO e 55000 a duzia, dilac
de todas as qualidades para senhora, meninos e
meninas, na loja do Pavo, na rua da Imperalric
n. 60, d<- Gama & Silva.
Na rua do Brum n. 38 vende-se um moleque
de 10 annos de idade com algum principio do ser-
vico de urna casa._______________________
Vende-se um'$itio em Bemfica a' margem do
rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
grande familia : tratase na rua Nova n. 2i, das 9
horas as 4 da tarde.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo
C, no seu escriptono rua da Cruz n. i.
Acha-
ut-se
n 1 anta na livraria acadmica, na na do Impera-
dor ; tu do Sr. Nopui'ira, junto ao arco de Santo
Aatouis e na lypographia ifnparcial, na rua es-
treita ta Hosari a eoBjpilacao de toda a IfpMura
tendent administraipio, arrecadacao e fiscali-
sago dw dinheiros d orptiaos defunios e ausen-
tes, heraa$as lcenles, legados, etc., contend/) nao
s o regHento de rustas t a le geral das cccu-
{oes, corri tambera lodas as ordens e avises do
governo, que a ludo lera explicado, unto a respei-
to das obrigafies inhereni"s ac cargo dos diferen-
tes empregado.^ d>' justica e fairnda, c:.mn dos di-
reilOS naciooaee e e.nolumenlos p&Mte j^aralissirao preco de 160 rs. o covado
E-te livro cnnlendo mais de 700 paginas em ntida I.....____. v,.vj_ n...;- .... j. 1___
impressao e bom papel, e prestando-se a utilidade
de differenles eJassef, torna-se reeomroecdavel.
Seu eusto 10J00O por cada exemplar em dous
orno*.
Vende-se. no escripu.no de Manoei Igoac.io
de Oliveira A Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porlo multo superiores em caixas de
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Moscatel de Setobll da mehor marca, em cairas
de 1 dnzis.
Palmella tinto de escelienle qualidade em caixas
d<: 2 duzas.
Vinhos de Lisboa muito superiores da mar-a PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Porladas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
a 320 rs. na loja do Pavo.
Laziubas a 320
Lazinhas a 32fj
Laiiukas a 320.
Vende-se um grande soriimenlo das mais linas
e mais Lonias (aaziuhas matizadas com os mais
lindos desenhos, sendo lazend.i que val cinco tus-
toes, e vndese pelo baralissimo preco de urna
pataca o covado por ser urna grande porcSo desta
Jinda fazenda : na ioja do Pavo, na rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Laiinlia; garibaldinas, s o Pavo vende a
e 100 n.
Cliegaram pelo ultimo vapor as mais bonitas
l&azinhas garibaldinas c-nn hos de seda, sendo lo-
dos os padroes iniudinhos com as mais liudi.s co-
res a imilaco das sedas de quadnahos, e acabam-
se pelo baralo preco de um cruzado o covado, isto
peehinelM : na luja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 00, de Gama & Silva.
Vestidos a i->
Vendem-se crles de vestidos a Mara Pia ora
barras bordada*, pelo baralissimo preeo de 45000
para acabar : na loja e armazem do Pavo, rua da
Imperairiz n. 60, de Gama i\ Silva.
haziulias a Hit) rs,
Vendem-se superiores lazinhas transparentes
com bonitos padroes, sendo lisas e dequadios, pelo
isto para
acabar : na ioja"do Pavo, rua da Imperatriz a. tiO,
de Jama & Silva.
Manguitos e yolas a 300 rs.
Vedem-se manguitos com golas de cambraia
pelo baralissimo preco de 500 rs., islo para li-
quidar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Curies de ebila do I'at.u
Vendem-se cortes de cl.iia franceza muilo boa
com 10 cavados a '.'0, ditas coiu li covados a
25600, ditos com 12 covados a 24800, isto s
para acabar : na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. CO, de Gama Silva.
para limpar dentes a 240 e
cs eslreitas
Kivalsem segundo
Rua do Queimado ns. 49 e oii, loja de
fiiudczas de tres portas, est quei-
mando tudo koiu e baralo, quem qui-
zer ver e admirar veuham loja do
Bigoriinho.
i Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Gratas de booes de louca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Mimas de penna de aro fazenda boa a 40 rs.
i Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas Qnissimas
320 rs.
Pecas de fita de cs eslreitas cora 10 varas a
320 rs. v
Caixas com clcheles fraucezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
joQ Tiateiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltarele a 200 e
240 rs.
Latas com superior baoha a 200 rs.
Frascos de macaca pcrula muilo lino a 200 rs.
Frascos e garratinhas com agua de Colonia a
400 rr. i \
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.:
Caixas cuiu 12 frascos de cheiros muito finos a
100.~
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de .abneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a K00 rs.
Frascos de superiores esseueias santal e outros a
1,5200.
Lonetas e oculos,
miudezas a rua do Quet- Finlssimos lunetos tfe um e dous excellentes vi-.
de receber muilOS e di-1 dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim coreo
e fazem completar O seu | oculos com rame dos lados proprio para quem ,
1 sollre dos oculos.
Touqainhas.
Riquissimas touquinlias de tri de linho, de se-
da e de la para criancas.
Para o cabello.
A superior agua para attingir os cabellos, as
i barbas brancas e f7er conserva-Ios. os frascos
lavrad pa-1acomDaD,ia nm rotulo que ensraa a forma como
drfles igualmente ni vos e bonitos. e d ar' pa,a caspa.
dem de gorgur D de seda acbamalotada, Superior banha sm gordura com um frasco
e muito encorpadas para cinto de fivellas ] com agua propria para limpar a cabeca, os frascos
grandes I acompanha um folheto que eosina o modo como
dem de seda pre. ?e ra > ,ruar vestidos cohetes, palitos, etc. sr r Banhas.
iem de la ignal nente sortidas em cores: Grande sortimento de banhas em copos, em la-
o para OS mesmos li is. las de folha e em frascos de todos os lamanhos por
dem de algodSo brancas e diversas OU-'. Precos menos do queem outra garle, assim como
tras cores para vesti Jos de chita. j m0il0oeout
dem de borrach i brancas e pretas para merro 7e
soutembarques. vcslidos pretos, etc,
Novas e lindas g larnicoes para enfeitar '
soutembarques, vesi idos pretos, manteletes,
etc., obras do muit gosto e modernissima.
Tranca de seda ct m vidrillios, moldes no-1
vos e mui bonitos.
dem idem de ches tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botes para os nesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiore e menores, enfeitados
com vidrilhos e pe dentes e outros de di-
Videra pratos de v lindo tambera de sorti- \ jment0^.^^,lu^ frlftS*!]*
dos lamanhos.
Frascos rom essencias para tirar noduas de roupa
a 800 ra.
Frascos com cheiros de lodos os precos a ICO, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias multo linas para senhora a
4800.
Golliuhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de fita d* laa para debrura de vestido, com
10 varas a C00 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Bichas de Hamburgo
todos os paquetes da Europa se rrcebe
destas amigas do sangue bumano e se
vendem a troco de pouco lucro s afim
de IcT sempre cousa nova : a loja de bar-
be i ro rna estreita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
Vjasilhos para cabeca de senhoras.
Vendem-se superiores agasafhos para cabeca de Pedras de lonsa para menino? a 160 rs.
senhora on cachins, sendo fazenda mais moderna Runecos de. choro e panno a 160 rs.
que tem viodo msle genero ao mercado, pelo ba- Caixas com boninsestampas para rap a 100 rs.
1 ralissimo prejo de 3 cada um : na loja e arma- Capachos comprdos, boa fa;:enda a 'OO rs.
izem do Pavo, ina da Imperairiz n-60, de Gama Grosas de botos pequeos pretos para calca a
;& Silva. JOOr?.
Chales de renda a 10, 12>, 15, 20$ e 28#, na varas de cordo de esparlilho a 20 rs.
Ioja do Pavo. Novellos fraucezes com 20<_ jardas a 40 rs.
Vendem-se chales de renda preta muilo fiuos a
10$ e 12$, dilos de linho a 15$, ditos de seda de
linho do? melhores que ha tm chales de renda a
tO o 25-5, dilos brancos
I vea- de (iras bordadas a 640.
Dazias de meias cruas mui'o fortes e superiores a
30500.
de tres ponas a 6?, isto Vendem-se verdadeirosj charutos da Rahia,
s na loja e armazem do Pavo, rua da Imperatriz feitos com fumo de Havaua : no armazem do agen-
I n. 60, de Gama & Silva. te Olympio, aa rua da Cadeia do Itecife n. 36.
machinas americanas 1 e serrote para
algodo : na rua da Se zala ova n. 42.
o armazei
baratas de
s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
Desde muilo lempo puWteo
abandonoo o aso das preparacnes
mi ilutadas depurativas coohecid*
sob o nome 1I0 Arrobes, X aro pe
de Salsaparrilha composlos ele
Cuja .ireao. maior parle das veacs
nulla, e u'algums casos perigosa.
Os Cosmtos um'Katuos Twn eTO|
e o costo iiutlims MOT o
p:',innuiLi- -ii-Turi r.T
ns Qir o p.o unoo or nir 1:.
iNi.ien\E;j.
O surreiwo qu# tlln r
frito* obllverao C1B Fr n
C sob o patrocinio das riaeipa>
celebridades medicas, os poe cima
de lado quanto tem eiislid alh
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenlium mitro remedio in-
terno, das escrophulas .
herpes, affeccoes syphi-
litcas hypertrophiaal
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
todas as molestias produzidas
pela allcracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Urna explieacao ccor--S ead
dro.
DesconCar-se, das faleicaci.
lac/jcs.
Para ai encomendat dirigir-*
Snrti. BUISSOH ET C1', 13, B' Primct
Euzcnt, Pari.
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receher um lindo e magnifico sor-
Lonetos de dous vidrts rom aro de aro, bfalo
e ta taruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-1
netos e oculos de vidros com armaeo fina de;
ac, bfalo e tartar jga, e os est vendendo |
por precos razoavei
am-se a esta loja na ua d Queimado n. 16.
timo e mais apurado gosto da Europa e ocu-
los de alcance para observaces e para os
martimos.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Queimado n. 63.
Tem recebido um sortimeDto de cruzes que
oVprrt^denteTrtrj- i e0f^0t de diveriO gSt0S; s quem
Tendo recebido variados sorlimenlos de voltas
j de aljofares de diversas cores, enfetes para se-
V vilC eil-Se [nhora de diversos gostos, e mais barato do que
se
tem
descarocar era Ml1uer 0UlrJ? ^ .
Facas e gario
Vende-se foccas e garf s de cabos de balanco de
As Dielliores ('hila $ frailCezaS de COreS i um boiiioa o^OO du?a. ditas de dous boloes a
,,.,.,,,..,. a fi, aa -i 98(1 rs n 6*500, dila para doce a ."SIOO, ditas de cabo preto
c iij as d ou fb. a 3500j djus de c.dh0 aii(.0; ruso e cravado a
CO"ado ::tvtio.
Na rua do Queimado n.l vendem-se chitas fran-i Tem recebido variados snrtimentos de balaios
ceras escuras e finas a 80 o covado.
Algodao Para sacos e roupa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se n > escriptono de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Fil 10, largo do Corpo Sanio
nuraero 19.
di de lazendas
Santos Coelho
Ruado Qneimado u. 19.
Vende-s) o sepuinle :
Cobertas de chita fu a a "2*800.
Dilas de dita a i&O.
LenQues de panno uje linho a 2*200.
Ditos de dito de linhp a 3*.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
3*200.
Panno de linho fino com 9 1|2 palme? de largu-
ra pelo barato prego dB 2*00 a vara.
Itramanie de linho ino com 10 palmos de lar-
gura a 2*;OO a vara.
Pegas d cambraia com salpicos brancos
cores com 8 i|2 vara a &*5(J0.
Pecas de cambraia adamascada propria
cortinado de cama coi ] 20 varas a II*
Balees do arcos a itoOO, 3*. 3*S00 e 4*.
Lencos de cambraia fina a 2;600 a duzia.
para meninos de e patlnhos e outras de diverse gusto, que s com a
vista bem se pode apreciar, e tambem serve para
o leilao do hospital portuguez ; laas para botar de
diversas cores a 7* a libra : s no beija-fbr.
Escovas para roupa.
Vende-sc escovas para roupa muilo finas com
diferentes gostos a i'.i'i v I*, ditas pera dentes a
120,240, 320 eoOOrs.
Papel e envelopes.
Vende-se paulado papel e caixinhas a (80 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a GiOrs. a ca
x i n ha.
MASSA E XAROPE
BERTH4
S COM CODEIXA
Preconizados por todos os mediros eonlrj
as Defluxos, a Grippa e todas as rritmeits
do peilo.
AVISO
FalsiBcacSes rcprehensiveis exeiladss pdM
successos do Xarepe e da Matta de Her.k,\
nos obrigao a recordar que esses protcu
tio jnslamente
nomcados nao se
entrego senao em mm" IJti-
bocetas e em Iras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. ** ""'"""'i''r '
451, ru Saint-Honor, ha pbarmacu ro
. LUVRB, e em todas as pharmartas.
Venaem-se no Retile em cas:
Barboza e Jo5o da C. Bravo v^ C
Rua do tiucimaU .
Contina a vefldrr wt. -
declara por prrj -
Massos..' palitos lisa
Espelht* '!' iinidiir.i .i.. .:


i
- aw. i'

.
Bonets dr oliad ; ara
[Ditos de rooro tK.'Tif- fa.'i nda 'r'" 0
' Frascos i um so( x< r i ta rnrha a !
Grande sortimenlo de camas proprfs para col- lleiada Je i.nt.a ,'n \:> jai rd I
camas m mm

legio e tambem para quem quizer
vende-se na rua Nova o. 33.
passar a festa
MMP mm mmmm mmmm
0 VILLAR i
r
para
~
Dilos de dila a 2*
Alboalhado de iinti
Dito de algoOao a 2|
Algodo enft-stado i
a 1*200 a vara.
Pecas de bri-tanha (
para sa,a a 3*500.
Fil de linho liso tii
Dito de dito com sa
Cambraia de linho I
vara.
Cortes de Hadaba d
vadusa ii*.
Pegas de madapolio
prego de 8*, ?*, 10*
Flaneila branca fina
Dita de cores ina a
Baldes de masselini
e 4*.
Cambraia de forro
Dita lina a b*500, 6^ e
Guardanapos de lint
Toalhas de algodo
Esleir da India prc
4,5 e 6 palmos de lar
que em outra qualque
Nesle armazem tam
Bata.
lino a 2*800 a vara,
a vara.
om 7 112 pajpnos de largura
e rolo com 10 varas propria
fraissirao
II*.
a fOO rs. o cavado.
880 rs. o covado.
para menina a 3*,
sortimenlo de roupa feila e por medida.
Cambraia d
eslse acabando
Impcialriz n. 52, de plaredes Porlo.
DI
r--------- ~
o a 800 rs. a vara,
piros a 1* a vara.
oa a 4*500, 6*300
e 9* a
lindos gostos cora ti> c-
pelo baralissimo
3r5o00
3* a pega.
7 a pega.
o a .1*800 a duzia.
elpudas duzia a 12*.
pria para forro de sala
ura per menos prego do j de grande familia
parle. i Iloa Visti n. 54.
bem se encontra um grande,
de
Com loja rua do Crespo n. 17.
Receben de Pars sedas em cortes mal-
lo superiores c bellissimos padro.-s, e
chales de renda pretos para lo*.
Esto importante eslabflecimeuto torna-
se recomuiendavel ao bello sexo pela va-
riedade de lazendas superiores e bellos
goslos
proteja o helio sex( ao Villar
e vero lodos a prori.erid.ide.
m\

,-:^:
m
t

.

misa
cha
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande qaanlidade, esta-se aeabaiu1 na
roa da Imperatriz n. 52, loja da poila i-:s, -
Paredes Porlo.
Atteuoo
Vende-se ama preta crfoola de 18 a 20 annos de
idade. com habilidades, nao tem vicio nem acha-
que, muito sndia ep- sante, propria para casa
a tratar na rua da Matriz da
CAMBRAIA.
forro com 8 l|2 varas a peca a 2*.
ja da porta larga da' rua da
G\Z.
No armazem da rua do Imperador n. 3
Caes de Pedro II n. 2, lem para vender-se
Ihor gaz existente no mareado.
ou no
o rae-
Caixas ron loo envi
Groza* de pcnoai
Grozas de bntSet i m I t;r
e OiO rs.
Caita.- rom .'50 novelice di tti '. pa "- i
Caixas com superiores ij '.'. I *i
Pegas de tita l.r toa lasliri tm* 5 Taras i .
Varasd Irania de la va rafete! #e' :
40 rs.
Baralhos dourad sopen-'<* qoalidade .
N ivello de linha rom Mli laidaa *
Litros para asenlos de ( hrvxa i
r... u de I '\>" pera pon o. far*i
Tesonras par:-, c :-\v : :
I 400 e I*.
I Calade peonas de ra'srspi
1*000.
IHassos com supeiiores gra- ," a 31 r
i Pares de tapate* de r-..-a : '-'."il .
Caixas COO superiores apiri '-' ; :-.
Libras de. la sorlida.-.l- |. n
Caixas com superiores oi:r la i
R-jdlnhas com alfioetes fr. n
a 2l! rs.
Resmas ie pape! almagr a 2*V0
Escevas para roupa, fj I "-?*.
Hoz .i- de les -
600 r?.
-ir' -' preto a 3JCO"
liai......
I Puls.ira- para i......
i Dilas e vollas parasenr. :.. a .
' Frascos de Agoa Florid I '
Fraseos romsoperi 'to-
ldero d-' superioroie<
Ca;\-. r m lam iriau i
.Van? i-' |iabad<> do Pt- i I*.
i Carta? de alnoetes frar.cei
i Quadero.s de pape! ; pan i
Grvalas de cores, f.zenda. sapericr. a 500 r.
i Papis de afamas, fund cale, a M.
1 "^Algodili-.i:... i '
A. V. da Silva Barree., rua n 0*( ia u. .


/
r
Diarlo de Pernamtmco
&m
N. 11Ra do QueimadoN. 11
-A loj de fazendas de Augusto Fredeyeo dos Santos Porto,acaba de recebor um mni-
to grande e dovo sortimento da cortiBados bordados para cama de noivos a a(j>, 405, 435.
50*000,60*000 e 70*000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 1,S500 e 2.
( achiLffl de la ie diversas e bonitas cores a 3&500 e 4*.
('.nales da goip, fazeuda a raais moderna, a 165, 20*, 22* e 25*.
Rotondas de guip. tamben) os raais modernos a 20*.
(lulclias de sJa de cor para cama de noivos a 55* a 60*.
Alcat.fade linbo para salas, azenda larga, bonita < de omita durago, a 600ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, ccm ricos desenlio., psra sof.
Saias bordadas para senhoras a 7*, s*, 9* e 10*.
Cipas e soutembarques de seda preta para senboras.
limis, chapeos e chapellinas para spnhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para sen eras, a 12*.
IVciuhas de linissima bretanha de liolio a 7*500.
Laaziuhas de quadros a 320 ts, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braia francczas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire noque pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdenopole preto e de cores, esguioes, silesias e canibraias ee linho, sortimento, de diver-
sas fazendas para luto, chapeos de seda para hom<-ns a 9* e 10*, chapeos de sol de seda,
lindos manguitos bordados, e oulras omitas fazendas que se veudm por precos razoaveis,
nlusive
Esleirs da India para forrar salas
;v?0 em seda.
AS liUJMIiAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem vindo a Pernambuco de melbor gosto
da.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO M. 13
LOJA DE
Antonio Corroa de Vascoiiceos e C.
o

.JSSX
mm*%
CORTES ^E EOA
Chegarara pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreautique de cores, e seda lavrada pa-
.... :ateiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pac. do Amaral fc Companhla.
,;,

ENCICLOPDICA
atu:. da iiuperairiz uruiazcui
da porla tarea 9.
Jauto a padarla fradecza de
Paredes Porto.
I Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete francez ricas laas
granadinjscom Qires de seda a 100 e 500 t. o
covado, esto acabndole, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da mperatriz n. 33.
Paredes Porto
Vende are. coraplelo sortimento de fazendas
brancas, coma s.'jam raadaroliio a 45500, 5*, 6* e
103, pecas de algodao por barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o corad?, precalias
estabeleeimen. encontrara o respeitovel ^SSB?* Sotado ^TtSSrJM'n
"n variado -r.im-ntp de fazendas W,- Sjao^o a p^riaTant^ dl ImPera,riz D"
as, suissss e all.ou.es, que se venderlo P-irerlM Po-ln
o commodo. _r ra cues i o. iu
P-irciIc! P.f'n Vendfl cansras de cor propria para roupa de me-
, iio- i, -."'" a nios a 320 rs. o covado, riscado francez ftao a
'vendSpr 'VBJSmt' mS8?Tl- *>P6mWi n. 52, unto
- a padaria franceza, p ra larga.
Paredes Porto
Ricebeu pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
guifoso por 35, sao bons, lencos de seda para se-
unora e nom.-m a l, ricos cortes de cambraia
bordados de 18j a 73, por ut um toque de mofo.
^ ". laastobas a. esto se acabando, na rna da mperatriz n., ion-
1 rs. .vados,, para acabar rambraias de t0 a padaria franceza.
w : -. o corad cano i scosez p ira r u-
"i-enino. fusta 420, tOO 500 rs.
::.';- junl i a paJar i franceza,

Patc
') i para ror'n I"- para cama nncez a
a I<; cambraia lisa lina a 3JI 1-5 al IOS a
larl i; .deb oil >sg -tos a 3*:ii)0
in !;> : : le sed?., gostos inl
f '"" '" rs.o iiv.uio.no armazem
n n. 52, .". ratrii mnto a pa-
raoi'
Pan ic* Port
te um sortimento de
' :; : rtalarga. r... n.nnn
, Chalfti de merini a 2>000.
I areflfs I orn Veodem-sc chales de merino e?tampado3 a 2.3,
-f -i.. r AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos, |
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
!

Fazem sciente ao respeitavel pablico, e com especialidade aos senhores de en-
jfentios, iavradoresemaispessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os proprtetanos dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um so annuncto, peto qual o prego de um ser de itodos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annuuciar os gneros
por um preco, e na occasi5o da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras multas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar sto
amrja mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sarao tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas fesadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pea qual se vera os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
aiguraa que 6zer saa despenda em nossos estabelecimentos; pob poupar mais de
5 por cento na sua despega diaria.
-i, 5-, C5. 85-i 20*, um sortiir.fnto r.im-
;'' manteletes, rapas e soatambarqnes 14-5 a
la da mperatriz n 42, junio a padarla fran-
> t\ 'em da ; n I rga.
Paredes Perl i
I!

0 armazem da arara est fa-
zendo liquidncao detodas
as quidadesde uzeadas,
na ra da mperatriz n 56
Loarengo Pjteira Mendcs Guimaraes, dono do
grande stabeleei ment, tem resolvido venders
fazendas por menos do que em outra naalqner
parte, menos 30 poi c--no.
Cambraiaa brancas 1 tas a 3000\
Vendsm-se cainbraias brancas lisas a 3*000
Manteiga i igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa l.loo rs. a li-
bra, c em barril lera abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 80o rs,
a libra e cm barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e en
barril ter abatimento.
CII
Ch.i nxiin de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem liyssen o mellwr neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcio ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio- de a
2,4oo r&. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Latas com superior biscouto inglez de di-1
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
i lim3 i" 0 '. Rl i :: lpie preto n
i l) -', o corado, las lizas unas a iOO
.vad laas le qnadrinho oara rostido, enfos-
. 320 rs. o c irado. Ra da tmi eratriz n. 52.
. izeai da porta larga.
Paredes Por!o
. ::> ar i vender per preco commodo, pefas de
inho com 10 raras a 7*, 8*, panno de
If-nees a 6t0 e 700 rs. a vara/l.raman-
. 'inlio de 4 largaras a 25200 e 2*500 a vara.
Paredes Porto
ide cortes de cambraia bordadas dricos
>s a 10-3 e 12*, ricos vestuarios para raenin?.
nio, ricos cortes de cambrMa Maria Pa a
' tarlatana branca o de cora 65 '
CnbirlfliTs de atyodao
Vendem-se colicrion-s na aigodo a 800 rs., di
tos bons a ltO0. -'-5 e 5*300.'
Cambraias de urna s cur
Vcnde-se cambraia de urna s cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saias bordadas pelo bara'.o prego de
7*000.
Cortos de eambrjia
Vendem-se os mais modernos cortes de cam-
braia bordados, sena fazenda de gosto, a 10*000 o
12*000.
Kiscailus ese-ornes a 2S0 o corado
Vendem-se riscado.- escoeezes a 230 o covao,
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores- fa-
bricantes, como sejam: Shlers & BellT. F.
Ashc a 7,5oo e 7,ooo rs. a .iuzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de oulras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a ooo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. 2
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa 3 1/toors.
a caada.
Azele doce
Superior azeite doce fe Lisboa a 8oo rs. a
garrafa e a 4,Goo rs. a caada.
Massas
! HacrrSo c talaerim a 3C0 rs: a libra e a
,coo rs. a caixa.
I*assas
Superiores paseas a i,5oo o qcarto e
K-.>!ehinhns 5,3co a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas ccm bolaclinhas da acreditada fa- rs. a Hbra.
brica do hc.ito Antonio, proprias para dar a'
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. | CE .VE Bit A
dem com quatro libras ds-bolachinh de Genebra de laraoja verdadeira a io,5oo a
seda a 2,ooo rs. a lata. du/.ia c 1 ,ooo rs. ao frasco.
OllPA^ Ger.ebra de llonnda verdadeira a 3,ooo
nnv. i uojjuo rs. afiasqueirae a 5Gors. ofrasco.
Qaeios flemengoe chegadea no ultimo 1(lom do n0nanda em bntijiH 4
vapor a 2,5oo rs., tambem ha-do vapor pns- (]a ums_ J
sido a 2,3oo rs. Garraoes com 24 garrafas de genebra de,
rh*w k i i I c : Hollaikla a 8,000 rs. o garr-fo. Tambem'
Chocolate hespaohol a i ooo e t,2oo rs. In garraf3es Com 5 e i i garrafas de 3;2oo a i
a hbra, frarxez e sotsso a l,coo. rs. a libra g 0q0 ,-s cada um
e-portugus a SUO rs. a libra, em porrao VEL^S
t3r abatimento.
n n AZEVEDO FLORES
Kua da Oarleia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande sortinienlo de fazendas por alicate c a retalho. e um completa sarti
ment de raapa feita, de caseniira e de bi m, ludo por meaos iie em
outra qualquer parte: quera du>i de lindas e finissimas casemiras escuras claras, de superior casemira preta defines
brins brancos e bom brim pardo. '
Paleto
de superiores casemiras escuras e claras, de fina alpaka branca, de superior alpaka pre-
ta e de brim pardo. V i
Colletes
de boas casemiras pretas e de cores e de fino brim branco.
CAMISAS
Superiores camisas francezas de 2:> at 5.
Cero nas.
Ceroulas de superior bramante de fino linho.
Baldes.
Superiores bales de arcos para meninas de 2 at t2 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravaas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de homcm, as mais modernas do mercado.
Madapolo.
Madapolao bom a 8$, 95, lo5 e 126.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balao a 105.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta. escura e de cores claras, e nao ha vendo que sirva
ao freguez manda-se fazer por medida e com muita promptidao.
Todas estas fazendas por precos insignilicantisstmos, pois o filo do BaBo ad-
quirir freguezes. uuwiM.jcau-
LOJA DO BALAO
DE
AZEVEDO AMMAMMBM 1E FAXEHOAS
RA DO QUELMADO N. 27
CIISTOIIIO AR1 A1.HO & V.
Pecas de madapolao fino francez com 22 e !j2 varas e com um cequeno toque de
mo'o a 8-5000 cada peca. "
Cambraia branca para forro a 1,5800 a peca.
Lencos de cambraia para homcm e meninos a 1$600 rada duzia.
Cambraias organdis muilo lindas a C00 rs. a vara.
Cassas de cores a 2G<> rs. o covado.
Laas de cores multo lindas a 306 rs. o covado.
Ra do Quelmado u 29, armazem de fazendas.
^r j:.-;-- ..ce- c^ ... ---^ ^-~s:yzg^>
Paredes Porto receheu plo ultimo paqneto um'completo .--ortimento de canas e
Bournus decores ricamente enfaitados a 12?, l.">3e 05 : Da ra da mperatriz n 5
toja da porta larga junto a padaria franceza. '
5 -j

.......-..............i e t-*J *cuucui*--> iiMrtau^ tMiweatis a z&j o <
-. Kua da Imperairii armazem da porta tiras bordadas a 15, ntremelos a800e 1$.
->~ Laiubas a 220 rs.
Laazinhas finas a 220, 240, 280, 320, 360 e 400
rs. o covado.
Curtes de cambraia
Vendem-se corles de cambraia com barra a 3,5
e 33*>00, ditos sera barra a 2$800 cada corte, Men-
es uimares.
Ghanbres
Vendem-se chambres para homema 43, eso
para acabar, peilos de linlio %0 e 1$, lencos de
linbo finos a 300 .-. 6io rs, eolarinhos de linho a
,.,, 500 rs., caiftlsas fr mcezas a JiOO, 15800, 2o00,
, sempre ara completo ortimento de 2-3240, 25-jOO e 3800 : su Lourenc-) Pereira Men-
. 1. itas de todas a? rjoalidades, como sejam des Guiuianies.
paca preta e de cur, ditos sobrecasa- Corles de ia
' li! ,.' '," '",r!.' ;! 2800, 35 a Veodemse cortes de ISa a $, 3^00 e 4*500:
1 o, tilos lino* a '5. ditos meias cazemira a Menlt- Gulmira.'s
i.j ie3a.dltoscaiemirasapco*a6#i7a,8j CW mm Aurta
IOS, ditos Robrecasacos 1 10 e 12-5, ditos de pan-
Ina '1 'onerntrir n. 52 armav.^m da porta lar-
Lo a padaria fraoceza, eocontra-si ueste es-
.-i i' 1 u..i c im| leto -01 tiecnt.) de palets-
las a i quali ladea, cal-
.-,:-, i-1- .sas, grvalas, metas,
le I, ditos francezes para cabera, por
.: lino e outras
rendas | : ; scommodos, armazem
! 1 larga.
' enlo encontrar o respe!
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Voltio Seccoj Lagrinins do
Douro, Ma:ia Pia, D Lniz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,00o a garra-
fa e 9.000 a 12 ocors. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e .ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisse em. barril a ftio
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anctjretas de 8 e 3 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a (iiOrs. a garrafa, taiiibem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Velas de spermacete a Gco rs. a libra,
dem de carnauba de le a !2,ooors a
I arroba e de 36o a 44o rs. a bra.
PEIXE
Pctee em latas j preparado de I.coo a
l,2oors. a lata
ALPSTA E P.AINCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,oo:>rs. a arroba e de lio e 1G0 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Mar.oel Peixoto da Silva Nelto, Castaabo &
FHfeo e Braadio e de outros muios, os
qujes vendemos pelo mdico preco de l.Goo,
2, 2,8oo, 3,300, 4,5o i, o J>,000 rs. a caixa.
Ivlcore.
Licores bancezes 2p.rtoguezes a l,ooo e
'" ">s-^ m ?- ..
>.'iiri'.asar.-c a iu e 130, a tos ue pan- v*nnm ,;, u ,
1105, ditos obreUsacos a 12J \ <. =lt* para cubera a 210 rs., france-
,n.', Si -. es 7t ,n, ..f za a J) ^ o evado.
dii'. .i.; merio preto a 6^3, 7J e 10.3, eal-
I i.nm de diversas qnalidades a 12800 a i".
Caiuliraias de cores
Recebeu-se um grande sortimento de cambraias
raneas a 2*500 e 0300, ditoi cazemira Si Recebeu-se un j:ra_
i prel a "i3, 05, 8,5 e 10, ditu< de Corei (lue -se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casemiras
Vendem-se, casemiras a 1^280 o covado, finas a
- pr
emiras a 3-5 e 45, clets de diversas
: -, seroul 1- trancezasde algodao, ditas de
d al -i-i.5' 2J500, carnizas de
de linho franeexas de 2*.-;00 e 3*. Gran- 2,5240. 2-3500 e 35 o covado.
1 este ronero, grvalas da todas as
ladea e brancas para casamento, grande gor
.' meias para senhoras, ditas para homens
: superiores a 3*800 e 45.'
completo sortimento de chapis de sol de
". dil 1 de seda a 55, 75, iw e 113,
COIares Rvyer'on colares ano-
dinos
para facilitar a dentina., das mangas e preserva-
las das convulsScs.
.*., .. v ..v, O Miz resultado oblido immen-as vezes pela
111= trnceles par caboa, g.-ande sortimento prodigiosa forja magntica dos colares Royer, nos
. casos de conv>jls5es, e denlirao das criancas, tem
PCCll.'ncha aillliiaVCi. altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
chambres r. iSBOO c ,';- e h'ia '* Fe P'^e dizer 1ue estr' feralmente con-
duzia di- ce'lu!11'0*' e '?slimados de innumeraveis pais de
familias : de un< porifiie do uso desses s-alutares
colares viram salvos iiu perico seus charos filhi
aoo a caada. 1, ~"~"~ "~~a -1'." lus
Caitas com urna diuia de garrafas de su- i'4o rS" a 8arrafaO h.
Ooce da casca da goiaba
r*
perior vinho Bordeauxa7,ooo rs. a eaixa e
"00 rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2," qualidado de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
StAB.iO
e canses pe-
queos a 7oo r. o de fo daixoes para cima
a 6io rs. o caixao.
Frutas
Frotas em cal Ja e em latas fechadas her-
mticamente, muilo bom eneitadas, conten-
do pera, peceo, ameixa rainha Claudia, al
Sabo maca de primeira qualidado de 18o perche e out/as frutas ato) rs. a lata,
a 22o rs. a libra "e de 16o a 21o rs. sendo Tambpm ha htas grandes para 4,2oo rs. a
em caixi5o. ;- lata.
'^flSIss


idesortb ae
r#* do cambraia >mem a 2-5
nti 1 1 i 55.
i.raode sollmento de roupa para meo n .:-
.....- quali la |ue"seriai fadoi hi ni n- ai)0<> 8 de oalr,t- Prqn9 colheram daqnelles tao
las, prollcao exeniplo para igualmeaic preservar os
Fazenilas seus. Assim, pol*, aga|B branca, leudo em vis-
. 1 superior merino oretr nrnuri um ra '^ a utilitado e proveit desses prodigiosos cola
. "", ----- s^r iuue=ia ac pas ae lamina, os quaes Dcarac
: le em -: esl ib -ment firaa c entrmelos certos de os adiar constantemente na ra do Quei
bird te j rtimeoto de eorplohos rica- madn, loja d'.guia branca n. 8.
' 3 I, ';3 e o5- 80 o Part. ;s,Por-
' 1 I Ar'r. no o?
pad?.r3 fraaeeza.
pwta !arga jaato a
Charutos da Baha
a 15 a caixa : na ra di Moeda n. 43.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Maclas pelo ultimo vapor
Amei.vts pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fruttas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozcs pelo ultimo vapor.
K.
^
--"
Queijos lor.drinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo uLimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguales armazens:
Ra do Imperador n. SO. Verdadelro Principal.
Ra do Qiieiniado n. 9, Unio e Commereio
Largo do Carino n. 9, Progressivo.
ri II
Receberam Gregorio Paes do Amaral & C. mais um completo sortimento de
FIL FIIETO
Manufacturado em Challes
Points
Algeriennes.
Rotondes.
Africaines.
Annamites.
Ponfradoan, ele, etc.
CHAPEOS 4 KXP0SIC.4O ilKNII IO* A Ml
Novo modelb de chapeos ingleza de i.iissima palha para senhora com urna
ampia banda de tifo de cores.
CIPAS
de la preta c de cOres proprias para lulo, 011 passeio pelo diminutissimo preco de 105.
Seda matisadi em pegas
padroes modernsimos que faz o effeito de um vestido de subido prefo. Assim como :
ricos cortes de moireanliqttc brancos, -:e cores, de gorguro lavrado de Blond para c-
same uto. r
Magnificas grinaldas e mantas.
Colchas de seda portuguezas.
Cortinados para cama e janellas.
Camisas bordadas,
e outros muitos objeelospara noivado.
CORTES HE TAKIiATAWA.
com enfeites de cores da mesma fazenda, o que ha de mais moderno.
CACHENEZ
de muitos bonitos padres e feitios differentes.
E outras militas fazendas por precos eommodos que venden
Gregorio Paes do Amaral & Oompanhia.
5 RA DO CRESPO 5
Vende-se
Bramante de linho fino e largo para lenfes.
Brim lona encorpado e-fino para montana.
Mamas para cavallo.
Cobertores de alsodao de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche.
Vende-se o engente) Fumas, sito na fjepue-
zia de Santo Amaro de Jaboatao, hom d'agua e
tem proporeges para 2,000 paes annnaes : o pre-
tenderes dirijam-se ao ergenho S. Bento, a tratar
com o propnetario, que todo o negocio se faz a di-
nheiro ou a praso.
Cal de Lisboa.
Vendem-se barris com cal de Lisboa a 65 cada
um : na ra do Brura u. 66, armazem de assucar.
Cal de Lisboa.
Na ra do Vigario n. 19, andar.

avariado.
Francez barrica 5JO00
Fortland idem 8J500
Em perfeito estado:
Francez barrica iOJOOO
Portland idem 12#0O0
No armazem de Tasso Irmaos caes do'Apollo
\otidide.
Cheparam os bonitos chales e retondas de pupa-
re brancos, e vendem-se na roa da mperatriz a.
32, loja da pon? larga, de Paredes Porto.
Chales de renda
Paredes Porto, na ra da Imperalrli n. M, porta
larga, vende chales de renda de< eores com peque-
no toqne de mofo, a 3J5O0 e. i, faienda de 104
e 125000. ^
]
i .^ mm a^_ m


filarlo de PernAMfraco ttiaria ffelr 25 de Ontnbro de 18**.

ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
'IH & liii IDl 3IB Mull MU
AO
RBSPEITAVEIi PIBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
gen da Liga establecido ra Nova n. (50 um magnifico sortimento ,'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do eslrangtiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessanle estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm nlliancar, com toda a seguranca de qu
nenhum outro o exceder no restricto cuuiprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo trataraenlo, acharo nesta
casa os melhores qeeijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cb sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqiier que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, r.freguczando-se nesta casa, onde so llies vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucr, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidad-3, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo scu proprio interesse, a es le estabelecimento para se convenoe-
res do quanto se pdc vender barato.
Para os senhor s que comprara para tornar a vender existo um sortimento < spe-
cis!, cscolhido por pesaos entendida que certamen te muito deve agradar sos senhores
compradores.
N5o se teca poapado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DMIEIRO A VISTA:
A ; Gaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a ISO rs, a libra. urna.
dem e painco de oito libran para cima t i
100 rs.
Abroz de 90 rs. a libra a.......-.
Amendoas, casca icolle, a 280 rs. a libra.
Avkllas a 2i0 rs. a libra.
Amebas francezas emjatas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os taannos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tamc-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a" S6C rs.
a garrafa.
Aliios a 200 rs. o molhc.
Absyntho a 2 000 a garrafa.
B
BOLACHI.XIIAS do Beaio Antonio em atas
grandes e pequeas,
idem do Principe Alberto a idSOO a lata, e
de cinco para cima a I700.
dem de so ia em latas grandes a 2-5000 e
de cinco para cima a {>S00.
Biscoiros inglezes de todas as qualidades a
15200, 15250 e15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cela
urna.
Batatas inglesas.
Baniia de porto refinada.
c
CHOCOLATE francez a COO rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Ghoomcas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a" 210 e 2G0 rs. a libra, e em porcSo
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao milito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charpe de grosella, orchata, etc., etc.
CmcARAS e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca lente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
t ment.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das raais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabirai',, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Qa de tridas as qualidades e de todos os
precos, hysson, bus m, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 25000,
252'0,25';0e 25800.
Copos lisos de todo;; os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhoc a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o mace
de cinco macinhos.
i tei
Ipi
Sem o menor constran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
cao agradar.
.i-evo da eguinii
tabella para todos, po-
dendo assim servir de bi-
se para o ajuste de comas
com os portadores.
AGUA FL
X>H3
MURRAY & LA!
de Morra}'
RA DA CADEIA DO RECFE N. 53
(Logo passando o ared da ConceicSo)
PARA BEM DE TODOS,
A agua florida de Horray Lai
otliada como um artififl de peiAm\
lem podido ser igualada pe; irepu
as mais cuitosas: conserva su ?i Ka,
| mo se formasse parle da pri n!a ;. tfm ti a
se applka.
Sua eficacia lo delirada. w
Intel- 'e8 s" seus multiplicados i i tft
Senhore* choras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptidSo e
ezacom que serc tnfflflNf envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecSo e preferencia na com- empregada como ariif,o ue
Ta dos gneros que precisare e qnando nifo possam vir poderao n andar seus portadores, ainda que estes sejam pouco orticos oso do banho, ou como
rois serSo to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vito em pel'e, depois qoe se fenna
i 0 .,;
.,-1.- i ila
: KIRSCH de V/asser a 25 a garrafa.
E.
! LATAS com .graxa a 80 rs. cada urna.
Letr.'a a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmblada dos mais acreditados fabricantes.
Macarko e TALHAiiiM a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 60 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
.Massas tinas para sopa branca o amarella a
(JO rs. a libra, em caixas Gom 9 libras a
35500.
Mu.no paiaeo e alpista, sende raais de 8 li-
bras a 103 rs.
M
NOZES a rao rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
I
PEIXE em posta, latas grandes, a 15*-00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, saimao, pescado e
pescadinba, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em la las, exceliente prepararao.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em cuarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muiic nova a _S0 i. a duzia.
I
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 000 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QCART.MIAS OU MOIllNQI'ES a
II
RAPE' Mearon a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25300 a libra.
H
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz ibatimento.
Sal refinado era frascos a 500 rs.
Salame de Len-a 23.
Saudimias de Fiantes de todos os fabriesntes.
dem de Setubal em latas muito grandes s
720 rs.
Stbamnas a 600 rs. o maco.
Sag rnuito novo a (00 rs.
T
TOUCNHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em la l as a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente escclhida a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior cm latas de 45
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em aas de 1 e 2 li-
bras a l,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra c em
barril se faz abatimento.
Cbouricas c paios a Soo rs. a libra.
Coste!lelas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por c 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,oco rs.
dem londrinos muito frescos e de superior |
qualidade a 8oors. a libra.
idem prato a 8oo rs. a libra, e inieiro se fa
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo j
Alctria, macarro e talbarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
eagarrafar, em ancorla de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, too e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.|
Vinho branco de Lisboa de exceliente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana*-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa eih caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhprcs marcas que
vem ao mercado como eam: Lagrimas
do Douro, Duqucdo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D- Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e lo,ootiacaixacom I duzia e9oo,
l.ooo e l.oors. a garrafa.
Vinho Chercxde superior qualidade a 16,ooo
j para limpar as gergivas i i
iiaiilo.
L suavidade, brilbo e el (i',..i.
compleicoes, depois'dese bavti l > :
livia a irritacio de huih"
deapparecer o desagrada; ..
pannos, das sardas, do rusto, ..
casta de febnlces, e \i^
Sal refinado cm frascos devidrocom tampa
do mesmo, a ooo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vera ao mercado, a Soo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do affamado fabricante Jos Porta- !S onc ?uei
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imi;criaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 0,000,
6,000 e 7,ooa caixa 011 em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos. Vencedores,: ?u ^F0"?' Pr,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5co e | \*i t
3,ooo a caixa.
ciencia e eleganc 1 sao .-
veis nos casos tai qoe teja pi
la como eslimoianli e antist,
cuisos o ascuibl nona .
lidades infeccionadas, i.a ...<
fermo, asim como i ub i
te paia (s desmaii s ; -^; -
Preparada
Kova-Yi 1 .
Caors & Barbosa.
.1 ... -
,
:

ognac inglez das melhores marcas, a 800el ,, ,... rJ''M'&i['
l,2oo a garrafa. | l eFc:!t0 ^tral c^ Je '
Docedacafcadegoiabaa2,oooalalacom Cro n- caw de Caro

.
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.exceliente cha para os navegantes, a
Sardinhas de Mants a 4oo rs. os quartos e j 200 rs.
64o rs. as meias latas. Seboas de Frsnca muito grandese novas
a duzia e'i.Soo rs.r~garrafa.

I


Rolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica c 320 rs. a libra.
latas de diversas
Bolachinhas de soda em
qualidades a l,3oors.
Carles com bolo francez milito proprics pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas eme:
para mino a 3,ooo rs.
carnada a 8,000
tintes enfcitadas
a caixa c 4oo rs.
o mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas.portuguezas j preparadas
cm latas hermticamente lacradas a 6o.
Feijo verde muito superior a 040 rs. a leta.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e S^'oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2, ico rs. I Passas C
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanuol e suisso a 9oo, Figos de -comadre a 24o rs
l.ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole
Espermacele superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo r
bra e em caixa se faz aba lmenlo. .Rolachinhad'agua e sal, da fabrica deJoSo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de B: ilo no Pealo Antoni), em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,Boo rs.
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francez;? em fui;
Vinho Bordeaox das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a 15-
a libra.
ino ro. a
ibra.
vidro com
. ,00o e
a gar-
das que vem an nosso mercado a
8,000 a catea e 64o e 7oo ris
rafa.
Genebra de Holanda a o rs. a betija de
conta cert?.
Frasqneiraade renebra defollanda s 6,800
Ameixas franc zas
tamanhos com bonitas
od
00.
m cahunas de diversos
esta:: pas na ca-
10 rs. c rasco.
cana urna.
Azeite doce refinado herpar
a Ooo rs. a garrafa e lo
Batatas muito novas a 80 r ;. a libra e2,5oo i
Genebra de iarauja vardadeira eiuascosj o gigo com 36 li:>ra
grandes a 1:ooo e ll.oocrs. a frasqneira. Conservas ingic-zas a 75o
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-'. 8,500 a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de ascova
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a 1- 4oo rs.
bra e 7,Soo rs. a arroba. Nozes muito novas a
para
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bo'.achinba Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Perinhado MaranhSo muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e I,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a 1,60o, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Rodos, excellenle peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
rs.
estregar
casa a
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
V
VINHOS
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafcs por 600 e 800 rs. a garrafa,
xa oxterior, a l,loo, 1,0 x), l,8co e 2,ooc Azeitonas portngoezas a Soo rs. a garrafa e
f ,5oo cada urna ancoreta.
holou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
o frasco e; a libra.
I Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
t Papel azul para botica a 2,000 a resma.
60 |s. a libra. iBalaios para roupa suja, grandes e peque-
Arroz do Maraoso le Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa dif vidro com rolhaj nos, por diversos precos.
rs. a libra e 8,800 a arroba. do mesmo, a 6c rs. j Amendoas ennfeitadas a '6 rs. a libra,
dem da India a loo rs. a libra e ,Goo a Mostard;. ingleza dos meltfores fabricantes,: Latas com fructas em calda: pera pecego
r,arrn,ba; _. a 800 rs o frasco. I damasco, rainha Claudia ecerej'a, a 800
dem ile Java z 80 rs. a libra e 2,4on a ar-'Moslarda franceza etn pojes j preparada a rs.
roba- ,.. *00 W- frasco. I Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
Painco e alpista 114o rs. a ora e4,eooa Leotilhas francezas, exceliente legr.me para fa ea 1 4oo e 2 000 rs a caada
arroba sopa, a1 tei.rs. a Khrai Azeite doce de Lisboa a',8oo rs.'a caada
Massa de tomaierw;e superior qualidade s > '10 Marrasquino de Zara prbpnamer.e ditos e 640 rs. a garrafa.
s. a lata de urna libra e 56o rs. a r> '1 i $ a garrafa o 1,00o fa duzia. vinagre branco j engarrafado a 5oo rs
o maco. I garrafa.
Sellins ingieres ce;.; borrenh:
para montana i!-- sen! 1 ra lamix m iko;
para carn ecabrfole, .. 1 ara
baleia, fondas com el'5ticidade jir* ''' *>
us, e cniruMiu.it 3 bjecti ii;!-;.-
l(0jrjca : lodoi ttUs bjectoi en>!: >
fjadeiado Ri rife .:. ", '. ;.i 1! :! r->.______
Veude- e ;< tabero* du larj >
n. 16 denominadao Horizonte : qo
der dirija-=e a m^sma.
.........mmm
De Mvsgo de Itlandia
Vi nde-se na : lic, >
1'. Maurer & i... roa *io%a u. .
Chegnem nos c<:
Vendem-se eorpiobos teeai brah
n-.i-ii s a 4 e j, in.ii > .i-a.*i
Paredes Firl". ra ia \u erab 1 d. -. *
^t, JLiu. a padarla iaoceza.
caz, gaz, gaz.
Gaz em 'alas, o melbrr qoe le 1 !
a-.o : vende se no armasen d ''
iravessa da Madre de Dei a n. 57.
Vende-se carne .1" serla 1
r. a libra, e de oil 1 lil rs- 1
roa de Santo Amaro n. 8, e n.. i:..- ;
Bella n. 8.
MHMIII .-->
' *


',ho.
Palitos de denle a 1 io r
&a
^W

Vende-se pelo prec.o de 25 o par tamas novas de pellica de Jouvin, chegjdae no ultimo va por
para bemem e senliora : na ra da Imperatriz loja de miudez s n. 3.
a
O1?
' ~^^.P 5 br = o
Di
w 5-
C3
3 M
en
D
O. _
-IX i"
2 o
O B ,
3
a.
CD 5
fas
o w 3,
~ & 8 I' a-a 0.-5
,SSc'wBr*-
S 9 S 2 < a
2^ S?
-5 i3
~i
3
; r ~Z? O "* i -i
S^D.o'^SoO,^
0q.w3o2-^
ai
i5
en
I
Principe .berto, de 1831, a 5^000'a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 1&500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2$ a garrafa.
* eSLoa^/S e l^oOO a garrafa.
D. Luz a I :> a garrafa.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ibvadocs a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Pavas em latas a 500 rs.
Fcmo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 1#.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa..
Carca velos al)?.
Colarei a 900 rs. a garrafa ;f 0 nico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Hordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julen a 600, 800 e l# a garrafa.
Absyntho a 2$ a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 2#, e a caixa a 18)5.
Bitter Maurer a 1(5 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 2)5500 a
caada.
Arieles e picadeiras de: *' V.eA5l!M"e#-
Lheg.irara para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
n. 32, loja de tanto para brinquedo de meninos romo para cima
, de mesa : na mesma loja ge encontrar bom sor-
^___^___ timento de miudezas.
Ipoj
nica
Vende-se na ra do Queimado
Azevedo & Irmo.
LBinnraiaS. Vende-se barato o sobrado n 21, sito na ra
Parede Porto vende cambraias lisas Anas, gran- de S. Pedro Martyr, em Olinda, e ora terreno onde
de suriiinenio, a 3 al 6J, ditas Victoria muito se acha edificada grande parte da cidade do Rio
fnas, com 10 varas a 64, &300 e 7 : na mi da Formoso, o qual terreno estende-se da matriz at o
Jmperalru o. $?, junio a padaria fanceza. 1 trapiche : a tratar na ra da Unlao n. 37.
* o. o
2 a 2 1
3 o

en

,-So
r~ as
8-s
SSft
o.
o

Ui
a>

1
&>
&^ 3
O
o sre- 3
Si
-t
o,
i
"lil
o
Bj
2s-
t
s
o.
CD
I
>
S
o
11
de
trafralhar
dcscaroca
P
nio
algodo
I
pars
FABmclnAS
Por Plant Br
OLDLM

thers & C5
Mf i
Tasso Irmaos
Vendem no sea armazem raa do
Amoi'im 11. 35,
Licor fino Curaco em otijas e meias botijas.
Licores finos sortidos era garrafas com roldas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplanttdas: no sitio morado a es-
querda. fJengj$ido becco dp gspipbgiro, pos A-
j Ciclos
Estas machina.-
podem dtcaroca
qualquer especii
_Jde algodao sem
! estragar o fio,
** sendo bastanU
duas pessoas para
otrabalho; pd
descaro^ar urna
arroba de algo-
dao em earoco
em 40 minutos
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodt
iimpo.
I
Assim como machinas >ara serem movidas por
animaos, que descaroca m 18 arrobas dealgodac
para mover urna, duas,
Iimpo, por dia; e motores
eutr3s dessas machinas.
Os mesmos tem para vi
por que pode fazer mo1
mencionadas ; para o
agricultores a virem ver
tem de algodao, no largo
SaandTs Bi
nder um llissimo va-
er seis destas machina:
jue convida-se aos Srs.
examina-lo, no arma-
lia ponte nova n.47.
olhers&C.
9. II, praca doCorpo Santo
RECI
Os aicos agentes neste
Venderse urna casa
Pescadores n. 29. contend
nha fra e nm fratide qnlntal
praia de S. Jos : a tratar
Reg, na ra Direita n. 2(1
Vendem se quatro b irras mulo mansas, boas
de carga e de sella, per pi ec.o commodo : a trata
no hotel de Franc?.
'E.
paiz.
terrea sita na ra dos
2 salas, 4qnartos, cozi-
com sabida para a
com Cussy Juvenal do
, Io andar.
O castelio de Grasville.
Trarlur.ido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatt
tomos pelo baratissiino preco de 3|J00C
oa pra?a da Indepe
6e8.
idencla, Jivraria ns.
A ttencam
Senhores e senhoras.
Os preprietarii 9 da nova loja e armazem de fa-
zendas e roupas fritas, ra da Iinperairiz n. 72, de
Guimares & Irmo, acaham de reduzir os precos
de suas fazendas menos 20 n/0 do que em oulra
qualquer parte, alim de apurar dinheiro.
Lanzinhas de lodos os padroes por barato precn
por ter grande porcao, a saber, 20 e 240. 280 c
320 rs. o covado ; vende-se tambem um grande
sortimenio de chitas eslreilas, pelo diminuto preg..
de 200 rs. o rovado ; ditas francezas largas a 210
e 260, 280, 300 e 320 rs. o covado ; das preclara.-
muito finas a :j(iO, 4(0, 440 e 00 rs. o ccado,
isto s na nova loja e armazem de fazendas e rou-
pas feitas de Guimares & Irmo, ra da Impera-
triz n. 72.
E' baralissimo.
Pecas de rambraia branca a 3* e 3,5300, ditas
mais finas a 45 e iioOO al 9$, eambraia organ-
dys de lindissimos desenbes a 320 e 360 rs. o co-
vado, dita> muilas linas a 400 e 440, isto s na
loja de Guimares 4 Irmo, ra da Imperatriz
n. 72.
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores de algodao a 1, ditos me-
lhores a l,g600, 2 al 6$, grande sortimento de
chales de meriu pelo baraio prego de 23 e 2>o00.
3, 3S500 e 4*, ditos fines a 5>, 6, 8J, dilos de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baralissimo prego : isto s na loja de Gui-
mares & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Oh que pecbincha.
Cambraias de una s cr, fazenda muito mo-
derna, a 320 e 300 rs. o covado, vende-se por este
prego por ter um pequeo toque de mofo ; grande
sortimento de saias bordadas que se vende muito
barato : isto s na loja de Guimares & Irmao,
ra da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vestidos de eambraia borda-
dos, fazenda inteiramente nova, por prego muito
barato; tambem chegaram as mais modernas
mantas de seda para pescogo, e vende-se por com-
modo prego : isto s na loja de Guimares & Ir-
mo, ra da Imperalriz n. 72.
Pecbincha admiravel.
Este novo estabelecimento receben um grande
sortim<|ito de riscadinhos escossezes muilo pro-
prios para vestidos de senhoris e meninos, a 320
rs. o covado ; vende se um grande sortimento de
ntremelos e babadinhos, e tiras bordadas, por ba-
rato prego.
Roupa feta.
Vende-se um grande sortimento de roupa feita
de todas a? qualidades, palitots, caigas o colletes,
camisas e seroulas : tudo isto s
Na nova loja de fazendas de Gaimares
& Irmo.
Rna da Imperatriz n. 9t.
Evadio-se r.o d:.< II d
Camilla, rrgui-zla de Ipojom, bu .-
nado Joaquun Urionlo, rom Wade .: l .
pooeo mais, i omb Qga altura i
barba,ci-r) falla >! dente na tnt'.
te, prnas e z bem .: -. leu
as nadepas i^ bastante
calca p camisa d.' algodao de dura,
Ih.i pintada, assim o mo tem ni e
dn i |i np, le Bstrad I -
duas grandes ebagas de cangalla n
barrigudo e vi Iho, tei Ni
do delles. Efteesoravo dlsse ibi
qoe pretenda assentar praca na ,
zoavos : roga se as ai '"i idades i
lies de campo a a: pr i :. i
engenho cima, ou a ra o Vigaiio u. i i. ,a< s
graiifleara' bem.
Fugio urna pn la ja velha, da ro
n. 'lio, levou vestido de cima e rhaH m
cinta, multo falladefrs i m : r
ngoaes sao o- segninles : b3xa. d.
gra, i mi ?i;nal as rostas r' I a l :
leve-a a mc,ma rna on roa larm
(i, nadara, qoe sera' reeon a
Miim
aos capiaes de campo e
polica ^
200^000 e ?iitlific;t(;a por rada m
De-3|parecen cm rrin^ipio di rr.? r-
prximo passado, de bordo do paihi--r. i
Ai roto Malo, dous e^cravos de BMavl fri", par
appellido Macei, e Miguel, o l*a>ht*de
penco mas tu menos, crirulo, cor fo'..
baila barba cerraba, nm pono |i>ri<< da :
e rom alsuns cabellos branros. lattlo e bar
mo na eaheca : o 2** all<>. cheio dn n- | mi
la. falla gnV-a, representa lari iK
enjos esefa s desrenfia-se antaren
des desta cidade : quem es aBfrrkM>r, ;
levar a ra dj Trapiche n. 4, on a borda d
navio.
Gralilicaco de 0O5.
Ansonton'se rta basa n. *>9 da rna d.: ',wf -,i<
(outr'ora Collecio) no sabb.ndo 16 do eotn nte arel
de setembro de I86o, o oseravo pard>- do n. me k*-
qoim, com os signaes seguintes: rsfalura re;,
idade 1S a 20 aunos, sem barbo, pib IbRjoa, uws
grandes, cabello corrido, com orna cicairiz grande
e bem visivel na testa, parte dos d> nte> da fr r'
arruinados, e com falta de alguna de l
com caiga de brim pardo e paletot corlo la pasan,
mas levau mais re upa branca e de tur, swito
astucioso, costoma intitular-se forro > indar cal-
cado ; f. i escravo do Sr. Guilherme Frert-riro de
Sooza Carvall.o, genro do finado Sr r m
Manoel Gongalves da Silva : roga se i >oa raptan
a todas as autoridades policiaes e a "nalqoer rav
pitao de campo ou outra pessoa part.rn'ar qaao
apprehender se gralifirar rom ."0, ali'm das dw-
peza< de conduegao, entrpgando-o a sen
Miguel Jos Alves, na casa cima, ou no
criptorio na ru da Cruz caja n. 19.
A tleoe^o
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Crnz n. 1.
Farinha de mandioca.
Acham-se fgidos os escravos segolotts: BeMt,
mulato, idade de 2o annos, cabelles annelados, fea
barba, dentes um pouco limados, secco do ror^i,
testa larga, e falla nm pouco descangada : e Loto,
orionio, a um pouco velbo, altura regular. OBBMt
cabelludo, barba com alguns cabellos branco, a
sim como na cabega, corpo reforgado, olhos aa
tanto pequeos, falla grossa e as vejes floto-
ronco : pede-sc as aoloridades policiaes e a.. ea>
pilaes de campo qoe os facam apprehender e i
duzi-losa' casa de seo senhor o majr.r Ant<
Silva Gusmao, que generosamente recen
! e Ibes pagara toda despeza qne fiz r m con a i
1 conduegao: suppde-se que elle? tuao ido em
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aje- \ gnimento dos sertoes desta provincia, por
vedo & C, no seu escriptorio roa da Cruz n. 1. 1 Qlhos desses lugares.
S
T.- ^r.


Diarlo de Pernabneo QaarU letra ts Ounbro de f *
L1HERT01A.
THE1TR0 DA tERKA.
Os ornaes publicam a participago. que, em for-
ma de caita, o Sr. general Mitre dtigiu ao gover-
no dosta repblica sobre a reuiigao da columna
paraguaya da Uruguayua.
B' uoi documento importante para a historia da
guerra actual ; a iiual a segninte- :
Uruguay na, 18 de selembro. Exm. Sr. vice-
presidente D. Marcos Paz.
A guaiuicao da villa do uruguayana entregou-se
hoje a diseripgao s armas alijadas, sen lo supe
rlor a mais de seis mil horaens ; sendo os trophos
desu victoria cinco cautines, nove baudeiras, mais
de cinco mil espingardas, mil e trezenlas langas
con snas bandelrolas das coros paraguayas, clavi-
notes correamos, caixas de guerra e mais equipa-
monto, a:m de urna esqoadrilha de canoas e bal-
las, as unes iotcntavain evadir se da sorla. que
os esperava.
Felicito as uagoes adiadas, ao povo argentino o
a' V. Esc por este importante triumpho, que pre
mi o feliz e glorioso lim qae tera' a nossa cam-
panba.
O general D. Julo fcfadariaga. qae foi meu aju-
mante de campo, apresentara a V. Exc. urna das
bandeiras paraguayas
Bavendo se estipulado que a guarnilo sahlria
. rincheiras desarmada o sera honras, cora seus
.!i fseoffieiaes tambem desarmados, na frente, e
saoindo por essa oecasio da forma Din p"Na-ban-
lolra, r>i -I-rila despojado pelo general Cabral, aja-
dante de campo de S. M. o Imperador Jo Brasil. O
imperad n a recebeu e eulregou me, o cu acceltei
i n un do pwo argenuo, cora reeoruseio do
dia de hoje, em que cerca dsete mil homens des-
tiUram, rendidos porania o Soberano eos represen-
tantes da soberana dos povos alijados. Offerego
He iropho a' minha patria como duplamente pre-
oioso e fnemoravel.
Os prisionelros .serio divididos entre os allia-
s ''u.'u igualdad, conforme as estipulagOes auto
rures.
O general Madariaga, portador desta dar' a V.
Sxc. os Ue mais detalbes.
Oportunamente se dar conta ollciaimente dcs-
. destecho ao ministro da guerra, assim com a
i*eid(o dos trophos que toquem repblica ar-
{. tilma.
e-ta oecasio terel entoa salisfagao de decla-
\. o cavalheirismo com que se portou o nosso no-
e alaoo do Imp-rio do brasil, querendo ceder-
os maior numero do trophus, especialmente ani
... na ; honra que declina-nos, acc-aiundo tanto o
jneral Plores como eu urna s pega de arti-
baria.
ll.'Ceba um abra:.1' Je felicitaco.Barthulomeu
cha do Commercio eaerove :
E ',-j i|uu se pegam coutas.
t*ass i purallo liasualdj.
i i) iinheii ? e as seminas que custaram
i SCji
No priucipi i da ;uerr. Urquiza recebeu do go-
i i...; nal 1:i-'OO oncas de uurj para os pn-
uieiiv. gastos.
i jo na feiodoste dinheiro ? em que se ha elle
jov rlido ?
(j lem que o saqe 1
i |uiza u uuico que pode dlxe-lo, porque a
snas m.ios foram parar as 1:000 oncas deomoj
y" i ;- J encontravam, qaando princi-
piaran] os pnmeiros apuros, no exhausto cotre na-
abe ?e qu .'. tropa mire nana nao receben sol-
i\ i-.,:!!-' o seu chefe inmediato nao tova despeza
i i : ;i iqoaoto las estjverara a sen
cargp.
lotori |ue l'rquiza ulo tem co turne de pa-
c.i m diuioiro aos que o servera, pois aludos
com promessas on ameacas.
n i en retanto as 1:01)0 tingas de ouro tiradas do
s i lugar, eom o i :i le tentar a cobica do cau-
: ind > ulo se sabia anda que papel faria o
sea vaiimeiilj c nllumcb, nao toruaram a seu
posl i.
U dinheiro que cabe nos boleos de Urquiza, al-
ma no Inferno, nao torna a sabir nunca.
rodo o ouro do mnlo seria pouco para en-
los.
Dir talvez que gastn as 1:000 oncas com por-
-j i res.
Poi ira, Sr. Urquiza, a quem diz o senhor
IStol
Em lempo algum foi visto o senhor u->ar do taes
ampritu utos com a sna gente, para quem leve
um Iratamenlo especia muito conbecido de lodo u
paiz.
O -un dito meus entnrianos nSo precisara dinhei-
ro, 6 ja' muit sabido.
Quaodo osses que o caudilho clama seus entre-
ranos cruzaram morios de fumo, bem que cheios
de gloria, as ras Ja populosa ctdade do lioenos-
Ayres, o caudilho rocosou algans millies, que fo-
ram-liies uffer I is par i paga-Ios dando por pre
IjWfiwwi mal chama Urquiza pagar aos seus Foram successivamente tomadas todas as forla- *ri, habilitarla Ulvw a Inglaterra a zombar das
servidores. iezas d'aquelle principado. ameagadoras aggressoes da Russla.
Um exemplo ainda mais rcente, raostra quanto A cidade de Khokan tambera foi tomada, e o'
arraigada esl nelle semellianie. mxima. khan, depois de ter feito oficialmente acto de sob-1
Nao ba mullos dias, antes do asuaido o Manes miss0'foi reD,e8rado no 8ea ,nrono co 'smIIo
Tari Phares de Urquiza, o governo nacional orde- ido imPera,,or d Russia- I EsU Ph*si* io Sr. Firmino Candido de
nou o pagamento dos cav,los que deviam levar' Nf flm d'es,a campanba, dons dos estados do, Figueiredo:
pa/ta uu.j j---------i.. Turkesian eslavam subjagados pela Russia. To-
dava anda restavam dous livres : o principado de
Boknara e o prrocipado afgban de Balck.
cada soldado a" campanha.
Fon bem, onga o mundo inteiro, Urquiza se op-
poz a isio, fazendo ver que seraelhante medida i
nao era conveniente para a occasiao.
Parece qae Deas o inspiran.
O dintHiro que se hovvesse enviado para um tal
m, seria um eterno arrependim^nto.
Todo quanto levamos dito, apena urna indirec-
ta, que, se julgarem conveniente, ponham entre o
parenthesis das circunstancias.
Em summa, as tropas enirenanas estao dissol vi-
das e por pagar, e as 1:000 oncas que Urquiza re-
cebe u naj voltam e nem se sabe aonde foram.
Talvez seja um nidiscripgao pergunla-lo : po-
rm tera al forga a verdad.) compremida, que se
nao Ihe cernios passagem para o ar livre, arre-
benta.
Alm disto, o dinheiro faz tanta falla nestes
momentos, que mais fcilmente nos conformamos
com Basualdo do que com as 1:000 ongas de
menos.
Averigue-se, pois, qual lia sido o destino dessa
somma,eirale-se de respoiuabilisar-seaquem a re-
cebeu para gastos da guerra.
Urquiza uao podera' dizer como Sclpiao : As
cotilas esto ah, porm nao as veris.
E' justo que lodo o orasll repita agradecido o
nome do heroico pratico Joio Baptlsta l'ozzo, que
lao brilhanteraente guia os navios de nossa esqua-
dra as aguas cm que elles Vimos assim referidos os seus servigos, e com
grande prazer transcrevemos a parte do artigo que
se refere a elles : -
A imprensa, Sr. Redactor, um tribunal im-
portantissimo : reproduz e perpetua o mereciraen-
to da quedes que legtimamente o possuem ; e cons-
cio disto passo a dizer-lbe que o governo e a na-
cao devem ao pratico da cauhoueira lielmonteo ita-'
liauo Joo Baptlsta Pono, urna recompensa nao
vulgar.
Aquello eslrangeiro, que habita ha muilos an-
uos estas plagas, que esta senhor da uavegagao dos
nos tanto quauto possivel, abandonou seus inte-
resses commerciaes, deixou parausar suas transac-
goes, e offereceu-se para servir de pratico em nossi
esqaadra, mdependente da recompensa mensal de
l0 pataebes que o Brasil d a quem conduz a sal-
vo suas cauhoneiras pelo Prati e seus conilueoles.
Pozzo declarou ao visconde de Tamandar que as-
sim proceda por syrapailn.-ar coma causa do pro-
gresso, da civili-ago e Ja liberdide bem enten-
dida.
O que o TaraaoJar fez, todo o paiz sabe. Re-
cebeu-o ccniu pralico da B lionte ; raas agrade-
ceu a segunda paite de seu olfereciineuto, o elle
percebe os veucimontos como qualquer outro pra-
ticu.
t Pozzo foi ferido no da 11 de juoho no passa-
dico da Belmente, ao lado do commaodante Abren:
p :: a se cun urna coragem e enthusiasmo nao
vulgares : pessoa de boa oducagSo e de bons
principios, e e>t em condicSes de ser utilisado em
nossos navios como pratico elfectivo, ou j ou para
o futuro.
Ao governo, por tanlo, eumpro recoraponsan-
do-o devidamente, fazer essa trio boa acquisicao.
cu poico de uno.
E' com razio, diz ara jornal francez, que os es-
tajistas da Gr-Bretanha se in juietam seriamente
era vista dos rpidos progressos que os Russos vao
fazendo na Asia Centni.
A barroira que oatr'ora oppunha a cordilheira
do Cauc.so.as inva-Oes dos exercitos do norte, dei-
xou virtualrnente de existir a Russia, dispensada
da necesstdade de destinar tropas para a continua,
gao de urna guerra to desoladora como t nerosa,
emprebeudida por ella com o lim de conquistar urna
solida fronteira ni parle oesto do mar Caspio,po-
de boje consagrar todas as suas furcas, para a con.
quista do Turkesian, una das etapes que, no en-
tendw dos diplmalas Moscovitas, bao de conduzir
a Russia ao termo da saa con tinte publica : o es-
tabelecimento da sua supremaca na Asia.
Antes meMiio que as tribus caucasianas tivessem
sido completamente subjugados, os Russos haviam
po>to p no Turkesian.
Khiva, capital do khanado a'esle nome, cabio em
poder d'elles e os seus postos avangados chegavam
al Bokbara.
Mais larde flzeram se aggressores, pondo em
carapanha forgas rain superiores aquellas de que
;.;u .illi dispunbam na Asia Central.
Nao esta bem definido ainda o motivo que deu
lugar a sua iovasao do principado de Khodan ; a
urna grande potencia que cobija o territorio de um
visinho fraco nunca faltara pretexlospara fazer um
appello as armas.
Sera querermos cora ludo indagar se os Russos
tiaham ou nao justos motivos de queixa, conteutar-
nos-heraos cora assigualar o vigor extraordinario
:e-io de sua i que nao os quera acostnmar com que os Rosaos levaram a cabo acampanha do
mu.
-v^-j^v.i ,.hwj
Khnken.
. Porm o principado de Bokhara governado por!
um principe que alliado e amigo declarado dos'
Russos, e que, alm disso. apoia as exageradas pre-
'enges sobre o principa lo de Bal.k postas em I
campo pelo Mrtfor Abdulrahman khan.
Isso um desafio laugado ao ameer de Caboul, o
qual quer manter sobre o throno urna das suas
creaiuras, estaudo por isso en lula abena contra a
aoimadverso que Ihe professam os Mussulmanos
da Asia Central.
Todava os Russos nao ensarilharam as armas na
nova fronteira que adquiriram ; os fados occorri-
dos recenteraenle no Bukhara fazem prever que
este principado partiihara' provavelmente dentro
em pouco a sorte de Khiva e do Khodan.
A cidade commercial de Taschkend foi tomada,
em a noite ae 15 para 16 de junho passado, pelas i
tropas do general Schernaief.
Como sempre, desde o comego das hostilidades/
os Russos desenvolveram urna extraordinaria acti.'
vidade e energa.
A sorpreza foi lo completa, o assalto deu-se cora
lana impetuosidade, que a vieloria apenas custou
aos Russos urna perda relativamente insignificante:
25 morios e S8 feridos.
As gazetas de S. Petersbargo nao faltara pretex-
tos em defeza d'esta aggresso : visinhariga da
fronteira rus.iana do foco do pbanatfsmo mossul-
mano na Asia Central, consolidaeao da paz, desen"
volvimento das relajos commerciaes.
Diz-se at mesow que o joco lira da expedieao
foi o delibetar os habitantes da pesada tyrannia i
que os acabrunhava, o que a oceupago ha de ees-
sar logo que pareja slidamente estabeleclda a in-
dependencia de Tasbkend. FelizmeBle todos ja'!
sabein de cor essas phrases pomposas, essas llores
de rhetorica com que os conquistadores nunca ees-
saram nem ho de cessar de ornar e esmaltar as
Justificagoes.
Os Russos invadir o Bokhara e ma6 do que
provavel que nunca mais sahiam d'alli.
D'este modo, durante o curto espago do vate an-
uos, desde o momento em que a appangao d al-
guns negociantes russos n'alguns pontos situados
a quem das frooteiras do Turkesian, coroegou a in-
fundir sospeilas e apprehensSes aos diplmalas
anglo-inuiaojs ; durante e.stes vinie annosr dizia-
mos nos, a Russia lera marchado com tanta delibe-
ragao e firmeza, que hoje deve ser considerada'
como a mais forraidavel potencia militar e poltica
na Asia Central, que achou finalmente ama occa-
silo favoravel para intervir nos negocios internos !
dos afghans.e para fazer rnumphar a sua influen-'
cia no nico estado anda ludependente que separa
as suas possessoes d'aquellas do governo britnico-
Al aqui, os inglezes da mai patria nao tem
cessado de fazer mofa dos receios manifestados
pelos anglo indianos, os quaes, apesar de ludo,
eslavam no caso de appreciaf e ver de mais perto
as successivas invasoes da Russia.
A onda desmaia
No combro da pra a,
E as rendas da sal.
Da virgem beijou ;
E o anjo vagueia
Brincando n'areia,
Nem raesmo recea
Do mar, qae a mol oo.
Brinca va,
brinca va,
E as concibas guardava
No seioqiie arfava
infantil;
No brinco
E a negra bolina,
De forma to fina,
quenina,
a bicar.
te
Gentil, p.
Pisara so mi.
N'areia macia.
Que o vento movia
A virgem escrevia
'Screva a scsmar
E o astro do dia
Seus raios suma
Na onda bravia
Das aguas do mar.
O anjo s'jnclina
Qual brapca bonina;
E a frente porprina
No brago poasou,
E, aos ralios da la,
Ligeira flla
as ondas flucta:
Na praia
E am vulto elegat|
Na praia distante
Caminha, constante,
Cantando ao luar:
Donzella oh I donzeila,
A nonle to bella I
Mea barco tem vela;
Voemos ao mar.
E a virgem dormente
Despena contente;
E voz, qne indamente,
Responde tambera :
A nou le tao bella !
Teu barco tem vela
Conduz a donzella
As pralas d'alm.
A onda desmata
No combro da praia,
E as rendas da saia
Da virgem beijou;
E o aojo vagueia
Brincando n'areia,
Nem mesmo o receia
Do mar, que a molhou.
Deste numero, conlavam-se 12:509 escolas
mussulmanas com 414:771 discpulos, 2:662
escolas christaes, com 135:229 discpulo?.
Na Europa a opiniio publica foi geralmenle des-
favoravel ao Brasil no comego da gaerra com Mon-
tevideo. Mas logo que se conheceu que a poltica
do imperio era enllocar na direcgo d'aquella rep-
blica o partido que podesse garantir a paz as nos-
sas fronleiras; logo que se vio que, longe de que.
rer conquistar, o Brasil nada mais quera que a
conservago da Repblica Oriental, porm li-
vre da anarebia e do dominio de homens sangui-
narios : os mesmos que censuraram o governo do
imperador nao tiveram phrases bastantes para lou-
va-lo.
Agora vemos que nos Estados-Unido? ha o mes-
mo erro, sobre a guerra que fazeraos ao Para-
guay.
O New-York Herald, diz em seu numero de 30
de agosto as seguintes palavras, que demonstram
claramente como couhece mal a queslo qae se agi-
ta no extremo sul da America.
Em resumo sao estas as suas ideas.
Principia comparando o Brasil, em sua grande-
za, recursos, e populagao, aos Estados-Unidos, po-
rm que em quanto este urna repblica a mais
liberal possivelo Brasil urna raonarchia creada
as ideas do direito divinoideas que hoje nao es-
tao a par do seculo.
Que o Imperador, seguindo como pode as pisa-
das de Cezar e NapoleJo, ambicioso e quer e pro-
cura todos os melos para augmentar e engrande-
cer o seu imperio como por exemplo a guerra
actual contra o Paraguayurna guerra em que as
outras repblicas de leste da America do sul se
leem prestadoilludidas pelo ambicioso Brasila
concorrer para a destruigao de urna repuulica ir-
maa, quando pelo contrario deviam se uuir para
repellir o leo de sua preza; raas, nao obstante a
enorme desvantagem com que lucia a pequea, po-
rm heroica repblica do Paraguay, a sorte da
guerra at agora nao Ihe tem sido desvantajosa.
Conclue apresentando a idea que se mande urna
carta de instrueges ao embaixador americano ge-
neral Webb para que este leve ao conhecimento
do nosso monarcha a resolugao do povo americano
de nao abandonar a doulrina do Monroe.
Que paiz americano se pdejulgar mais sectario
da poltica de Monroe do qne o Brasil ?
Qual foi a zuna que o imperio j annexou ao seu
vastissimo territorio i
E para que ?
O Herald falla tiesta guerra sera o meoor conhe-
cimento.
Ignora ou finge ignorar que a provocacao parti
do Paraguay que o seu modo de declarar a guerra
ao Urasil e a repblica Argentina foi fra do que
costumam fazer os povos civilisados; foi assim co-
mo fazem os indios quando invaden o territorio de
seus visinhos para commetter depredages com a
mira de voltar carregados de despojos, que devem
desfructar a sombra das florestas era que se occul-
larn.
Se o Herald tivesse eolhido boas informagoes ve-
na que o Brasil e a Repblica Argentina, castigan-
do o Paraguay, cumprem o seu dever e mostram
das duas novas imHheresj seguir oo principios de Monroe, porque puaem a
Un jornal francez nos revelia urna particufari-
daie asss singular acerca do emir Ab dei
Kader.
Nem urna neta outra
A ningucm causara, por ceno, maravilha esta do e orgulhosa conlianga que a Inglaterra tera na sua
'urga e podero. Purera, como Achules, tem um
ponto vulneravel, e esse justamente o ata-
cado
Nao ba de lardar muito, talvez, que ella se veja
obrigad* a reconhecer que a previso dos futuros
progressos da Russia deu lugar a guerra dos
afghans, de cujo destecho a mpronsa ingleza se
queixou amargamente, attribuiodo o a ma direcgo
dos negocios indianos.
Quando chegar o dia em quo a Inglaterra com-
preheuda que nao estando ainda conquistados o
Punjanb e o Scinde, aquella guerra era prematu-
ra; que abandonando com precipitacao o Afgha-
Distan, e fechando os olhos sobre o progresso dos cassiano, que iraduza
Russos na Asia central, o governo anglo-indiano interprete rabe que, a
deu provas, talvez, de urna profunda pericia francez.
Plilit'a ? S esta razao bastara
Nao ousaramos afirmar que, depois de subju- vesse oatras, para impel
garem o Afgbanistan, os Russos nao bao de pen- do emir frequentassett
trar viva forga na India, ainda mesma que a Pars,
fronteira estivesse guarnecida por um exercito
nglez.
Mas em lodo caso, deve-se reconhecer que a sua
visinhanga se torna assas incommoda, sobretudo
neste momento em que o recrutamento d lugar,
na metropole, as mais acaloradas discussSes, tendo
o governador general das Indias recommendado
ao conselho colonial a reduego das guarnigOes
europeas, a lira de minorar os embaragos que
accommettera na Inglaterra, as autoridades mi-
litares.
elle ignora absolutamente o fcherke, que se falla ; territorios, como se os tivesse conquistado.
na Crcassia. Admira o etithusiasmo do jornal americano mon-
O marido v-se porlanio abrigado a recorrer a roisla pelo equilibrio do nosso continente, tanto
um interprete para dar o bom dia as suas mu- mais quatido uo censura o seu governo por nao
lhres- | j pedir boje comas a Franja pela invaso do Mxico,
.,. ; quando a Unao luiava. com a guerra civil.
Por fortuna foi nessle potico Oriente- oue se ; r-, ...,:____ ..
. .. .. I kra oa a posigao quo o mundo esperava ver
laventou a linauaceni das Cores. i n--. i-_- .>
.. k os Estados-Loidos assunnr, e anda spera e espe-
De que servem as palavras.quando se pide fallar rar
por meio de posas, amorss perfeitos e malme-
queres ? I Como aos jornaes Europeus, ha de chegar tarrt-
Todas as vezes que essas duas senhoras tinham bem ao Herald a ve; de nos fazer justiga.
necessidade de fallar com alguma modista fran- Hoje ja d ve saber as vantwjens que o Paraguay
ceza, a dimVuldade augmenlava, e eram entao tem alcancido. Riachuelo, latahy, etc. Ihe iro di-
precisos dous interpretes: o interprete etr- sendo,
a phrase eai rabe, e o,
seu turno, a traduzia em
ama bolsa de peregrino, qne o imperador eoslona-
va levar as soas viagens a Roa.
Tinham Ihe deixado o sen setftro, e a seos ps
via-se um escode de ouro, presente do pasa Leo.
Sobre o seu peilo ostentava-se una cadeia de ta-
ro, e pendentes della duas esmeraldas forataado
ama caixa, e nella esuva encerrado un fragnili
da cruz, enviado ao imperador do Occidente pela
imperalriz Irene. *
Tera-se dito sem razio em maltas eomposigoes
Iliterarias qne Carlos Magno linda sido sepultado
sentado.
Tem confundido a ceremonia qne precede ao en-
terro com o pruprio enterro.
Carlus Magno estuve exposto sentado sobre nm
,brono dourado, com os seus vesUdos imperes,
tendo as mos e sobre os joelhos o livro dos Evaa'-
gelhos, eslava revestido do celicio de peccador par
cima do qual Ihe tinham posto o sea trage de sobe-
rano.
Porm o corpo ou antes o esqueleto de Carlos
Magno se encontrn estendijo n'um alade no
fuudo de um abobada que para elle se tinna cons-
truido na igreja de Aix-la-Chapelle, que Carlos
Magno tinha fundado.
O seu epitaphio apresenlava a panicolaridade
nao indicar ?ora precisSo a idade du finado.
E tuaginario. Decestit lepuagenarnu.
O mesmo Egioard, secretario de Carlos Magno,
pareee nao saber a idade do seu senhor, poisaan
lugar Ihe fflppoe 72 annos feitos, n'oalro diz qae
morrera de 71.
A joia, que tinham poslo ao pescogo de Carlos
Maguo pela sua morte, e que, como dissemos an-
tes, conlinha um fragmento da Cruz, foi dada
pelos habitantes de Aix-la-Chapelle a Napoleao,
que a langou ao pescogo de saa entiada, a rai-
nha llortence, conlando-lhe que a linha trizido em
Austrelitz e em Wagram, como um talismn qne
Ihe poderte dar a victoria, astra como Carlos
Magno o linlia feito oulras vezes com idetica es-
peranga.
I<-se no Eschotiaste Medico :
Os segrales dad a, extrahidos de um artigo do
Times, m.stram o estado de adiamntenlo das ao-
vas canalisagoes de Londres, a que o KfckoUatte
se tem referido por vezes.
O total dos caos de 1,300 milhas, haven-
do d'estes 82 inilhas que sao dos interceptores aas
margena do Tamisa.
O numero de tijollos empregado n'e-ia obra
moni; i a 318,000,000; o cimento eleva-se a
880,000 jardas cubicas ; e a ierra tirada para a
execugo dos cannos principaes a 3,500,000 jardas
cubicas.
A forga das bombas empregadas de dia e de
noite para a reniog.io das materias dos cannos de
,380 cavados nominaes; e o consumo de earvo
anda por i'i.000 loneladas por aono.
A canalisago do norte do Tamisa recabe diaria-
raenle' 10,000,000 de ps cbicos de malinas, e a
do sul l.OOO.t.OO de ps cbicos; mu hs eapaeMla-
de para 11 milbes e meio no lado do Dorle, para
> e tres qnattos no ladu do sul, alm de 28 rai-
Ihes e meio de legua de chuva no lado do norte,
e 17 milho.s e um qoarte no lado do ni, oa am
total de (>'! milhes .le pes cabicos de >iqm4o.
Todas as obras esto j completas, excepto as do
ni iis baiso nivel do lado do norte, .pie tendo de
correr pur debaixo do leito do Tamisa nao pode-
ram ainda ser construidas.
s>*
ainda quando nao hou-
ir que as duas mulheres
o graade mundo em
O sastello do Arnemberg ama bonita casa oro
que habitou muito lempo a duqoeza de Saint Lsue
seu. Blbo, hoje Napoleao III.
A duqueza de Saint Leu habitava esta casa de
campo,.nea em iccuidagoes da grandeza a iimi
lia Bonaparte.
Resulta de informagoes fidedignas recebidas de : Hav,a alli uroa sala loda gaarnecida de objectos
Florenga, que o represontanie da corte de Berln 1u,! pertenceram a Napoleao I e a Josephin-a.
Juncto do rei da Italia, acaba de participar olDcial- A lill|a da viuva de Beaaharnais possura n'uma
mente ao ministro dos negocios estrangeiros em Sr3nd Florenga a uomeago deium plenipotenciario espe- SBa m5' e imperador,
cial encarregado das negociagtes relativas a um Estas cartas em que requentemento se manifes-
tratado de commercio talo-prussiano. tava o amor mais apaixonado, tinham otiasi todas
Este enviado extraordinario o conselheiro Del- datas histricas ; porque Napoleao as ascrevia nos
bruck, director do ministerio do coraraercio era campos de batalha.
Berln, e um dos negociadores do tratado
Afflrraa-se que, nestas circumstanclas, e aura de com a Franca.
feito
O objecto mais notavel da collecgao formada pela
rainhalljrtence, que assim se denominava mutas
contrapesar o crescente podero da Russia nos "r- Delbrack dentro em pouco dever achar-se vezes a duqueza, era urna joia de esmeraldas, ca-
mado o Mnm (fe Carlos Magno.
.Nos nossos tempos modernas se linha aberto o
paizes alm do Hiraalaya, o governo britannico em Florenga.
tenciona fortificar os seus postos no gulpho persi- j
co, creando estacoes martimas convenientemente Segundo se l n'um jornal de Constantenopla' sepulcbro de Carlos Magno era Aix la Chapelle.
situadas, e podendo servir de bases de operagao a consta dos documentos emanados da chancellara Enconirou-se o esqueleto do imperador do Occi-
corpos de tropas marchando subre os flincos de da instruccao pnblica, que em dezembro de 1864 denle perfeitamente conservado e revestido ainda
um exercito invasor. ; hava em loj0 0 mper otiomano 13:071 escolas coia as suas roupas e ornamentos uipenaes.
Seria esta urna medida prudente, que, sem elementares, frequentadas por 660:000 discpulos Tluna duas coruas SQt" a cabega, a sua espada
fallarmos de urna supremaca naval incontesla- de ambos os sexos. ao lado, e perto daquella terrivel espada penda
FOLHETDI
0 BEMillO DO JOGO
Pon
HENaiQUE CONiiCIENCE.
E pegando em urna caixinha du madeira que es-
lava sobre, o fogao, poz-se a bater urna pederneira
cora o fuzl.
Passou-sc muito lempo sem quo a isca pegasse e
Julio murmurava palavras de impaciencia; mas
por fira colheu o resultado dos seas esforgos e lo-
go um graade candieiro enchea todo o quarto de
claridade.
Julio chegou-se para a meza e disse :
Ah, agora ao menos podere satisfazer o de-
- Duzentas coreas I que bei de eu fazer de tan-1 Levautou da meza vjnte coroas uma pQr ^^ forga e da ^^ do liquid0j guardou q pg_
to dinheiro tera que bei de gasla-h ? Beber vi- C0Dt0U.as na mio> conleinp|ou.a3 raujt0 Iemp0 gou no candieiro e disse sera tirar os olhos da
nho, inalvazia, moscatel, vraho das Cananas, do com trsteza e dep0ls rarimiroa> deixando-as ca- garrafa :
raelhor, do que da alegra e conforto ao coragao ? hir em um;bolso do calgo: | Para dolar o morto na cova e enche-ia bas-
Mas era assim darei cabo de tanto dinheiro. Jo-; Viole coroas I uipa quantia enorme; mas Um alguus instantes raas o mais que cumpre fa-
gar dados a florms e a coroas ? Sim, seru o me- pde ser a febeidade de minha pobre mai cega. ier levara' mais de urna hora. E' estar sep.irado
Ihor meio de ser um da cem vezes mais neo ou Tenho no meu cinto uma'bolsa parte, onde guar- de vos muito tempo, nao assim? Para me fazer
de ficar sem um chavo. E' singular como a ri- darei o que para minha rai...
queza me faz avaro e receioso; ja nao tenho dse- Seus olhos tinhain-e oravado outra vez no di-
jos de joar ; cousa que nunca mais farei; vou Dheiro que brtlhava sobre a mesa. Pareca que a
IX
niiuuacao.j
Davam sele horas na igreja de S. Jorge e eslava sejo que rae espicagava ha mais de uma hora. Ter vestir me como ura fidalgo, de setim, velludo 'e se- coutemplagao do ouro o entristeca.
prximo crepsculo, quando Julio abriu a porta duzentas coroas, ser rico como um banqueiro, sen- da ; hei de beber e comer do que apparecer mais como j diminuio sensivelmente I disse sus-
do j trdira l seu amo o a passos ligeiros se dirigiu tir o peso do ouro a carregar os bolsos e nao ter, delicado ; vou viver era luxo e abundancia, como: pirando. Pensava eu qu o meu thesouro nao se
para o pavilhao. oecasio de fartar os olhos na conleraplagao do se o mundo fosse para mi m um paraizo terrestre, acabara e s ura pensamenlo me tira a decima
Traba urna mo debaixo do capole como se le-: thesouro I Agora estou ; ninguem me pergunta- \ Ah, que bella vida I parle I Nao ira' o resto da1 mesma maneira ouando
vasse neila alguma cousa e a outra no bolso metti- ra d'onde este dinheiro me veto. E' temoo de co- '
ta entre as curcas Je ouro que Simio Turchi Ihe zar .-era inquietago a vista da rainha riqueza E ponlinuava em silencl e risonho a con'empla-
dera. Murmurava de si para si, Iluminado o ros-, Paioa urna cadeira para a meza assentou-se Qa da SDhada ,el,c"iade' ('uando um P^amen-
10 p>r cena expresso de alegra : vuntade com as pernas estendidas e poz-se^a t0 desaradavel lhe *breveio de repente e Ihe es
- Gracas a Deas, resist lentagao I .lueriam examinar a luz do candieiro mos cheias da mam capou um Waem *r,t0 de sarPreza- Baleu na
queeojolL e beVesse no Cysn, corlado 5 de ouro. raaos che.as de pegas le5la ^ff mo e murraurou cora expresso de E2XEZ&!F tt
mas a, moe ...s de ouro que tenho aqu fizerarame | Depois de ter bem apalpado os bolsos e de se ier l"St"a "ue bem Se lha desenhava n0 ** : ^^^^2^"nate iZern'n es"
lembrar que tenho pnmelro ura dever seno a convenc.do de que todo o dinheiro eslava exposto i Quft vil e que miseravel maroto eu sou I o tlverera a acabar as duzentas coroas. Mas nao
ennprtr. epois do trabaIho, a paga. O^jue te- a sua vista, raelteu os dedos por entre o ouro para' que me d cuidado a maneira como hei de gas- aera1 bom contar muito com isso, porque d'aqui
da
Ihor vmho de Hespanha, caro como prata em bar-
ra e rorle como fogo liquido. para nao perder nenhum sora raetallco ; os olhos
Entrando em um quarto do pavilhao, tirou do largamente aterios contemplavam immoveis o bri-
gibio duas garrafas e uma do capole, po las sobre Ib-ble thesouro.
eu esliver na Allemanha? Os dados e o vmho nao
me deixaro sem nada era alguns raezes, e nao me
abysmarao na miseria ? Como as minhas ideas se
escurecem ? Ainda agora ludo me sorria; agora
) aqui debaixo do capote ba de IndemnUar-rae ihe saborear o deslumbrante fulgor e o Unir cheio lar, ou antes como hei de estragar este thesouro; at la pde o algoz cortar-lhe a cabega. Nesse
sede quei sollri e do tempo perd.Jo. E' do me-1 de encantos. ; e muit0 |0Dge (,e mim es,a a|gue(n que ,a|yez a I cas0) as coasas Umbem n5o correriam h(J|n pare
Nao dizia nada e sofTreava s vezes a respirago j esta hora esteja estendendo a mo a pedir uma es-' raim. A miseria deitar-me-hia fra da Allemanha
mola. Pobre rai I Sabe Deus se el|a ter agora e me obrigaria a voltar aos Palzes-Baixes ou
um boceado de pao I Seu iugrato lilho nao ter Italia. Em lugar de ser rico e de viver com luxo,
compauhia levarei comigo a vossa companbeira,
que ja' esta' em meio : uma garrafa nao impedir'
que eu execute convenientemente o meu trabaiho ;
pelo contrario, dar-me-hacoragem e forga... Va-
mos la' depressa I
Tapou a garrafa, metteu-a enire o peito e o gi-
bo, caminhora com o candieiro na mo para a en-
trada da adega e desceu vagarosamente a escada.
O corredor subterrneo que ia dar adega onde
Julio linha deilado o cadver de Gernimo a' beira
da cova preparada, era bastante coraprtdo ; por
conseguate ainda elle teve tempo para sentir a in-
fluencia do enrgico vinho da Hespanha. Prova-
velmente o que elle tinha bebido allivira-lhe os
espirites e alegrra-lhe o coragao; porque, ja' per-
lo da adega, gracejou a cusa das suas inquieUgoes
passadas e al cantou os priraeros versos de uma
caogo alegre.
Mas a palavra morreu-lhe nos labios ; um vio-
lento abalo nervoso sacudio-o dos ps at a cabega
e elle erapallideceu de terror.
Outra voz linha respondido a' sua por detraz da
a meza e contemplou-as por ura pouco com estra- j
uha expresso de avidez.
Nao, agora nao; mas nao tardar I Vamos em muda adrairagao; sempre calado, e talvez sem
primeiro ao que preclsj fazer. Nao, o vosso consciencia do que fazia, poz-se a enflleirar as
amave sorrisp nao pude tentar me. Tende pacien- moedas e pareceu conta las; depois ajunlou-as em
cia, raiohas uoas amigas I antes de passada uma montes de vinte cada um ; em seguida passouas
hora conversaremos. Enrher uma cova e levar algumas vezes de uma mo para outra, al que,
a'gumas pipas vazias para a adega, depressa se tendo emfitn saciado o sea desejo, poz-se a olhar
faz... Mas ja est aqui tao escaro, que nem dis- peasaivo para o chao.
lingj bem neslas moedas a elogie do imperador! Sabindo iesla meditacao, exclamou n'um Impe-
acceuda-se o candieiro. lo de alegra :
merecido cem vezes a sua maldlgao? Na verdade, nfallivelraente cahiria na bocea do lobo e a forca porta fechada da adega.
Por ramio lempo Julio, cora um sorriso de feli-! tenho medo de mim mesmo I com dez coroas, com ; seria um lira bem merecido. E se nao se deseo- Julio, terrivelmente sobresaltado, alongava para
cidade nos labios, perraaneceu assim abysmado' a vigsima parte do que vou extravaganciar, pode-1 lrir o matador de Gernimo ? Eoto podere tor- a adega um olhar flxo e forcejava'por comprehen-
ria ella, um anno ou mais, estar livre de miserias, nar a vir era socego e meu amo me acolher cora der alguma cousa das palavras indistioctas que de
Porque que nao deixei flear a raen amo vinte co- bons modos, temendo que eu descubra o segredo. l sahiam.
roas para Ih'as mandar ? Se eu podesse ir agora Isso depende em grande parle do cuidado com que Meu Deus I disse elle Gernimo esta'
feitoria realisar esta boa lembranga I... Imposs
vel; o Sr. Turchi vomitara raiva em labaredas, e
alm disso eu nao me fio nella. Na Allemanha
nao me ho de faltar occasides de saber se ella
arada vive e de Ihe fazer chegar i% mos um bom
soccorro em dinheirQ,
eu lizer o qae anda tenho para fazer aqui. Sera' vivo
executado bera e lealmente. Vamos l; a vista Tremendo-lhe todos os membros, recuou no cor-
deste ouro ja' rae nao alegra. Alguns goles de vi- redor subterrneo e parou, com a cabega descahida
nho e a' obra com coragem 1 sobre o peito, a uns vinte passos da adega. Devia
Abri urna das garrafas e despejou quasl at ao estar completamente abysmado era algum pensa-
mel. Depois, resmoneaado consigo acerca di ment doloroso, porque o seo olhar flxo pareca n.'
Uma nobre castellaa, que vive em Franca, lon-
ge do balelo das edades, acaba de lomar ronira a
epidemia cholerica precauges desnerrasara*, at-
tendendo distancia em ime ella se aeha dos la-
gares infeccionados e do ir saudavel que respira
n'um ameno'valle.
A sua quinta, pouco afastada de Aix, esl cer-
cada de uma elevada muradla,que foi a levantada,
a lim de tornar mais abundante e mate cenxnoda
a caga s lebres e aos euelhos.
Essa muradla de que uma cidade do minioevo
se tena mostrado satisiita, abrange um vaL.;o es-
pago.
Junto as portas d'esta vjven.ia vgiam, de espin-
garda ao hombro, dia i mata, algn* aldeios, .jue
parlilhaia os terrores iVe -ua ama.
Acola pratica-se o mesmo que as gdad., a
nosso vea mu sensata*, de M-'-in i e de Palermo;
o imprudente que se apprnvima n'essas ponas oa-
ve o ruido das armas, e pde gosar do prazer cte
ver, pelo buraco da (echadura, os canos .la* espin-
gardas abaixarem-se, ao mesmo lempo ana recebe
o desabrido convite da avisar de largo.
.Vesta velha mansa, a- cartas somente se rece-
bem, depois de paasaren portwt anana de vaagre,
na uxtremi.lade ue uma cumenda teaaz.
Junto a uma das portes, se alevanta um barra-
cao, .nde os prenles a amigos fazem qoarentena;
e s depois d fumigacoes repetidas urna- panana
de vezes no dia, durante algumas- semanas, cpv
sao adiaiiiidos no ca-iello.
E' Jo Sr. C. A. Machado :
OESPERTA I
Jaca I o sol fulgura no horsonle!
As aves soltam hymn >s de alegra
E o cabrilinh trepa sobra o- monte :
Levanta-te, qae dia !
Minha tupi despena, oVixa o elto
Vamos gozar dos mahaaos frescores;
E: to doee aspirar de manhasinha
O perlum. das flores !
Nao queres contemplar a natnreza.
Virgem sempre gentil ? Dar am urrr
Ao sol, que com s*us raics d b Ao soaso paraso ?
Vm Qlha de Tupan, vm anj; lindo.
Anda comigo, vamos duramente
Vogar n'nira Igar, o ceo ( calmo
E Lmpida a corrate !
Jacina I no horsonle o sol fulgura f
As aves soltam bymnos de alefria,
Vm deslumhrar com ala binNHn
O monarcha do dia!
a iromobiiidade de
terrogar o lagedo, e elle linha
uma estatua.
Por flm sollou um grande suspiro e mormuran
em tom de profundo abalo :
Mas como pde iio ser ? Meu amo dizia qoa
da primeira vex o seu punhal tinha ene. nlrado me-
tal, mas que a terida do Bananas era bastante funJa
e larga. E se a punhalada oo fosse segura ..
Que hei de fazer ?... Deixa-lo viver T
Ficou por um pouco em dolorosa indeciso.
E' irapossivel! seria uma senienca de marta
para mime para meu amo. E' pMi titr,lher
entre a sua vida a a nossa. E' implacav.t fatolj-
dade a que me. briga e nao me dado escotber
Lina Tacada b fica ludo arrumado. Vamos nada
de hesitar. A miuha faca esia" bem aada.'
E tirando a faca .la bainha, exaimnou-a e ten-
teou-lhe a pona com os dejos. Mas ate .rae eJre-
mecc e um grito de horror se Ibe despreoJ^ ,L>
seo.
Fatal posieo i Matar a sanue fri na ha-
rnero... um homem iunocente. Que mal me le
aquelle pobre Sr. Gernimo f Metter-lhe una faca
no peito I Oh, nao slnto animo para tal cruel-
E em contorsoes de anciedade e desespernn.
disse emlim com voz rouca :
Mas preciso I nao ha outro remano r
enme pde aterrar-me e fazer-me estremecer
eu que nao posso fugir-lhe. S a' costa d oa
vida que meu amo pde escapar ao cadafaiso
eu forca. A sorte impelleme irresisuvt-lmeate
sou escravo da necessidade. Seja o oue ten ni
ser I 7
Com passos vacillantese como ceg, Julio corren
para o fundo do corredor, mellen a faca entre na
denles, abri a porta da adega e dirigi a las nm
o rundo para ver a victima que devia fenr.
Parou trmulo-no rouio da adega e nm senilmen-
te de compaixo Ihe tnirua outra vex na ateta
quando deu com a visia em Gernimo. Ao entrar
tinha empunhado a faca para acabar a obra borri
vel com um golpe precipitado ; mas afora, atea-
mente abalado, contemplava o desdiloso mona, na
estendia os bragos para elle e con Voz dilacerante
Ihe peda que Ihe valesse.
( Continwsr-se-ka.)
PRENAMBUCQ ~ J\j. pfi M. f. DK p. ^ nq^p
O
\
II avaan ^a,a. aaana
~~
T
:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGI0OQS8Q_A3R6AO INGEST_TIME 2013-08-28T01:33:44Z PACKAGE AA00011611_10802
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES