Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10799


This item is only available as the following downloads:


Full Text

/
AJflfO 1LL fflIMERO 242
Por quariel pago dentro de i Odias d 1, nez : i ,
dem deo8 dos i.0' 10 dias do ceuecoe dentro do quartel. .
Porte ao etrreio or tres jnezes ,*......... \
5J000
6|000
750
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrtno de Lima;
Natal, o Sr. Aniouio Marques da Silva; Aracaiy, o
Sr. A. de Lemos Iliaca; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhlo, o Sr. Joaquim Mafijiies Ro-
drigues; Para, os Prs. Geraldo Antonio Ai ves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Uias; Baha, o
Sr. Jos Saritas Alvos; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinlio.
SABBADO 21 DE 0UTBR0 DE 1865.
Por auno pago dentro de 10 dias do 1.* mez ,,,... 19|00f
Porte ao correie por na anno............. S|009
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Esnada e estac5es da via frrea at
Agoa Pela, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antfio, Grvala, Becerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazarcth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agoa Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s tO horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas
dia.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
sextas ao meio
quartas e sabbados a 1
EPHEMEU1DES DO MEZ DE Ol'TUBRO.
4 Loa cheia as 8 h.,
11 Qnarto mtag. a 1 li., 2 m. e 22 s. da t.
19 La nova as 2 h.,
17 Quarto cresc. a 1 I
E
c 1865.
Portara. O presidenta da provincia, conformn-
dose cora a propona aprsentela pelo tenente-co-
ronel do batalho n. 20 de infaalaria da guarda
nacional do municipio de Nazareth, sobre que in-
formou o respectivo commaniante superior, em of-
fleio de o de oovembro do anno passado, resoive
nomear os ofBciaes do referido batalho os cida-
dos abaixo declarados :
Kslado-maior.
Tenente quartel-mestre o alteres da 1" companbia
Orlando Mlquilmo de Almeida.
I- companhia.
Tenente o alferes da seeg de reserva Antonio Vi-
cente da Costa Azevedo.
Alferes o guarda Goncalo Jos Lopes de Albu-
querque.
2' companhia.
Capito o tenente da 3" Joio Francisco Cavalcanti
de Yasconcellos.
3* companhia,
Tenente o alferes do batalho n. 18 de infantaria
Jos de Barros Brrelo Couiinhn.
nacional do municipio do Limoeiro, a importancia j matriz, provida, dos livros necessarios, e feito o
dos vencimentos desse mferior, de um cabo e de lancamenlo de todos os assentos; e bom assim de
10 guardas que veram d'aquelle municipio escol- haver V. Rvma. publicado o Santo Jubileo, tendo
lando guardas nacionaei destinados ao servigo da principiado no da 17 do dito mez, dentro do qual
guerra. devem os deis lcralo.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. | Resolvendo as consultas qne em dito sea offleio
o
por em ex-visuaaor Lamino de Mondonga Kurtado mandn
arremaiaco o reparos urgentes de que necessita fechar, e da bencao do cemiterio que se vai coas-
a ponte da Magdalena, pois que vo elles ser fei- trur nessa freguezia, declaro-lhe Io que, se a ca-
tes por admlnislrago segundo a autorisaco que pella est limpa e decente, e tem os paramentos e
0Y&R3G na ?mm IA.
Conliuuacao do eludiente do da 9 ie outubro! o"ato Vjf.S. que jimMm sem effeito o I w jh capella \ie Pajussara, que
.i. ioi>K I mea offleio de 10 do corrente mandando por em ex-vi>uador Lamillo de Mendonga Furtado mane
Vieram mais
11 m. e 46 s. da t.
m. fe 52 s. da t.
, 30 m. e 16 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda Ss.Martiniano.rilvsioe Satarnino irs
17. Terga. S. Florentino b.; s. Mariano m.
18. Quarta. S. Lucas evang^f S. Theodoro m
19. Quinta. S. Pedro de/kfcantara f.
20. Sexta. S. Joao (Rancio ; S. Crapazio m.
21. Sabbado. S. nala e suas comp. vv. mm
22 Domingo. S. Ladislao L; Ss. Heraclio e Aodia.
PRRAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manha.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feraan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo
julho, setembro e novembro. '
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da 'n-trpnaaTli
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figneiroaa
Faria & Filho.
Joao Cabral de Mello e
Herculano Theotonio d
cante de Mello.
Meuel Antonio da Silva e Anna
Santo.
na
tes peticoes concedidas
na dala.
u Vasconcellos e Felippa
e.
Antonio Theodoro de Ai edeiros e Mara Bezerra de
Figueiredo.
Amelia Mara de Jess.
Silva e Auna Luzia Cval-
as segn
mes
sebastio Jos de Aran
Maria de Albuquerq
sus.
'*-
sacrificio d missa, como V. Rvma. assevera, deve
ser aberta ao culto publico; nao se esquecenao V.
Rvma. de verificar a existencia do patrimonio que
presume ella possuir, e velar na sua manuten-
gao; 2 que, a autorisago que em offleio de 30 de
agosto dei a V. Rvma. para celebrar a bengao
solemne do cemiterio comprehende nos a bengao
da primeira pedra, como a do mesmo cemiterio,
depois de concluido.
- 11 -
Offleio ao vigario da Gloria do Goit.Tenho
presente o offleio de V. Rvma. do 1 do corrente,,,
em que me relata o triste estado da matriz dessa ",',,.
freguezia, cuja frente e preles later.es eslo esco-: *W d'
radas, e ameago total desmorooamento; e me *
pede licenga para celebrar e administrar osdemais >
sacramentos na pequea capella do cemiterio. uni-1 fauj0,a e
Pres
Maria do Espirito
a e Thereza Maria de Je-
A cavallo lamben), e a seu lado, ia o infante D. resneeiivi rtir ,
I Aogustc, com uniforme de lanceiro. L-Xin C respondendo sai magestade
Acompanhavam S. M. e A. o eevernador civil do f "-ongeiros para a sociedad-, para o Por
distncto, ,lo^eaiado-m,!,;'L'SSwmroC^,*r%Z^ at*ru
descoberto ia depois a rainha levando o nrincine -.- 4 uI0 erna,:,0Dal poriugueza no meto do
tea. no regago, vestido Se'branco^ com JEtS I VSSSZ21 ZTTZl *2! T B,w
que nnha pluma branca. ?sP3<-'adores nacionaes e estrangeiros. A alio-
No mesmo carro ia el-rel o Sr. I). Fernando, ves- Sff? fo' d,r'B'di4 elrei Sr D- ?'*.
tido tambem de general. ropondea >ua magestade em termos sitamente r>i-
COMflANDO
Quartel general do com|
naitiliurn na cidade
de 186o.
Ordem do
O raarechal de camp
manda declarar para oj
''nrrni'p" o errente, nomeon
da n. 132.
commandante das armas
convenientes (tas, que a
o conselho de guerra que
da 4* companhia do 5
atria, Francisco das Cha
pela culpa de se lia er insubordinadamente,
para com o Sr. alferes de mesmo eorpo Vicente da
acab) de dar aochf; da repartigo das obras pu- utencihos necessarios para a celebragao do santo i Manoel Joaquim Bezer
blicas.
Dito ao mesmo.De cooformidade com o final
da informadlo do chefe da repartago das obras
publicas datada de hontem c sob n. 329, recommen
do a V. S. qne mande prnovamenle em praga as
obras da cada da cidade de Nazareth com o ac-
cresrimo de 12 por cent) sobre o orgamento d'a-
queilas obras, ollerecido por Thomaz Antonio Gui-
maraes.Communicou-se ao chefe da repartigo
das obras publicas.
Dito 10 mesmo.Em vista do competente certi-
ficado mande V. S. pagar ao emprelteiro do caiga-
ment desta cidade a qnantia de 16.9893033 a que
elle tem direito por haver feito no mez de setem-
bro ultimo servigo correspondente a essa quantia
' segundo consta do offlrlo junto por copia que me
dirigi o chefe da repartigo das obras publicas
| em 16 do corrente, sob n. 328.C immenicouse ca 'lue existe nessa povoago (feta em 1858 pelo i
ai chefe da repartirn das obras publicas. benemrito e virtuso missionario frei Caelano def cP ,<.*, Pnrnno\ \v
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em praga as Messma) em qnanto se reparain as ruinas daigreja u or> ","W*"OT
obras para a conclusao do raio de leste da casa de matriz. andictnr 13
I detencSo, servtndo de base a essa arrematagao o t^oncedendo a licenga que V. Rvma. solicita, UJ,,'"IUIMI 51 r,
1 erejamentojUBlo por copia na importancia de..... *?.I..M,.1-:n??.s?ffrf delri.nieQt0 .a prompta e re-1Q Sf cap||0 Ncacjg J fres de Souza.
Vo
capito Augusto Li
Tenente Joaqinm i
Offleio ao Exm. eommendador presidente da as- ^.'---------' '"" -'"'" .....J eviu.0 selle prompto'fo^seinTepandaVas'uina;', Alferes ?5 Mn,(?
sociacao Protectora das Familias dos Voluntarios Dito ao commandante superior da-guarda naci- |oo qae comegaram a apparecer. Empregue pois ,\..* ,,, ,''1,.
da patriaTransmito a V. Etc. para o lio. con- M| d Recife-_Man(lt, y. S.addirao batalho da V. Rvma. todoV o zelo e actividade para que a sua I O'-^ado.) tranc
veniente, o mcluso reqaerimeoto de Adriana Ma-, gaarda naciona| aquartelado, afim de poder tirar matriz seja o mais breve possivel restituida ao seu
por all os seos vencimentos, o sargento ajudanle primitivo estado de seguraaga e decencia;
do Io batalho de infantaria da raesma guarda na- de (Iue auxiliare! nesse nobre empenho, quanto
Ciooal Marcolino Augusto da Silva Villar, que se em mim couber.
acba em servigo na secretaria do commando das Dit0 ao vigario interino de S. Jos da cidade
general
Seguiam-se as carruagens com es vereadores,
autoridades e pessoas distinctas, que linbain ilo
esperar a familia real.
O prestito seguio assim para a Lapa, onde entra-
ram SS. MM. e AA. pelas 6 horas e meia da tarde,
e portanto, ja de noite, cantou-se o Te Deum Lan-
damus, lindo o qual, se dirigiram para o palacio
real, onde entraram s 7 e 3 quarlos.
IMS ARMAS.
mando das armas de Per-
do Recife, 20 de outubro Depois dos reaes personages vinha um esqua-
drao de cavallaria 6. de 60 c-ivallns.
1 companbia.
Tenente o alferes do batalho n. 18 de infantaria
Joaquim unes Machado r.outtnho.
.V companhia.
Alferes o guarda Adelino da Costa Villar.
Communicou
perior.
dente.
' Antonio Pinto.
Aad ctor.
Jos da Silva Neiva.
ria de Oliveira, mnlher do soldado do o" corpn de
voluntarios da patria, Manoel Chrispioiano de Je-
ss, no qual pede ser contemplada no numero das
pessoas a quem essa associago presta os soccorros
aes.
al Ferreira.
s de Souza.
ro de Andrade Malvinas,
oro da Silva Fragoso.
seo Sergio d'Oliueira.
Est conforme.An/oi 10 Francisco Duarle, 1:
pg^: tenente-ajndante de ord MU interino encarregado
do detalhe.
da sua instituicao. armas.-Cornmnnicou-e ao inspector da thesoura- do Recife.Tenho presente o offleio de V. Rvma.
Dito ao marechal commandaule da armas.-^ rja (|c fazen,,a de 10 do corrente, em que communicando-me as
Oneira V. Exc. informar com urgencia sobre o que Dj(0 ao me pondera o inspector da thesouraria de fazenda no > ^ ||Ca ^ Je l0 n|tJmo fl |ftodo j ^ suspenso do confessor ao Rv. coad]Utor dessa
incluso offleio que me sera devolvido. | cebido a gra,iflca?5o de5tinada as pragas que tem freguezia.
i de marchar para a carapanha o guarda nacional v- Rvma. sabe, que o Rv. coadjutor incorreu
Dito ao mesmo Sirva-je V. Exc. de mandar
Sofiav
Dito ao mesmo.~Informe V. Etc. sobre o que
peda o goarda Joaquia.los de &t'Auna, desti-
nado para^ ww HitoBMauildaiaodo o termo
da irispeceo a que deve ser elle submettido.'
Dito ao mesm. Sirva se V. Exc. de agradecer e
elogiar a prova de patriotismo e desinteresse do 1* j
cadete do 3 corpo de voluntarios da patria, Fran-
cisco Paes Brrelo, renunciando o premio e a sorie
de trras, a que Ibe da' direito o decido n. 3,371',
de 7 de Janeiro do corrente anno.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do Io
batalho de guardas nacionaes destinado a guerra.
para cujo servigo foi designado, o guarda do o" ba-
talho de infantaria deste municipio, Lourengo Be-
zerra Cavalcanti, acceitando em sen lugar o paisano
por elle offeiei-ido Jos Sllve tre Bezerra, se e>ti-
ver as condigoes da lei. *
Dito ao nie.-ino.Sirva-se V. Exc. de informar-
me acerca do que. oede no incluso requerimenio, o
voluntario da patria do o" corpo, Joao .-alvino de
Souja Peixe.
Dito ao mesmo.Em resposla aos seas offlcios
datados de 12 e 16 do corrente, e sob ns. 1,848 e
1,896, tciiho a dizer que pode V. Exc. mandar or-
ganisar as companhias que faltam para completar
os corpos de voluntarios ns. 3o e o".
Dito ao mesm*;Sirva-si V. Exc. de informar
sobre o que pede no incluso requerimento, o solda-
do do 2o corpo de voluntarios da patria, Jos Vic-
torino da Silva.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pede no incluso reqaeruiieul.-, Antonia do
M
deste mez.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. -Para
ser alistado na companhia de aprendizes martahei-
ros, se estiver as condigoes do respectivo regula-
mento, faga apreseutar a" V. S. o menor Marcelino
Candido.
Dito ao m:smo.Mande V. S. alistar na compa-
nhia de aprendizes mannheiros, se estiver as con-
digoes do respectivo regulamento o menor Janua-
ro Alfonso da Cruz que Ihe ser apresentado com
este offleio.
Dito ao cmmandant! do corpo de polica.Em
deferimenlo ao requerimento d > 2 sargento do
corpo sob seu commando, Gaudno de Carvalho
Pes de Andrade, sobre que versa a sua informa
gao n. 992 desta dala, autorso V. S. a conceder-
Ihe permisso para usar das in-gnias de 1* cadete
logo que elle embarcar com o mesmo corpo para a
corte.
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar no corpo
sob seu commando, os paisanos Joao Lopes da Sil-
va, Francisco Jos da Oliveira e Joaquim Alves de
Azevedo, que foram julgados aptos em iospeegao
de saade segando V. S. duclarou em seu ollicio n.
993 de-ta daa.
. Dito ao chefe da repartigo das obras publicas
Concedo a autorisagao que Vmc. pedio em offleio
de hoje, sob n. 331. para mandar annnnciar novo
sar as leis disciplinares da igreja, sem causa legi-
tima que o justifique; portanto, para en poder deli
berar cerca do seu pedido, necessario qne V.
EXTERIOR.
cavallaria 6, de 60 cavallos.
Os corpos da guarnigo seguiram tambem at
Lapa, com as suas competentes bandas. D'ahi par-
tirn tiara os quarteis.
Urna forca de ir.fantana n. 18, urna msica e
urna bandeira faria a guarda de honra no palacio.
O povo pelas ras era immenso.
Com a familia real vieram as Sras. duqueza da
i Terceira, e condessa de Souza Coutinho, damas da '
e diricindo-lho palavras Min]iaos veadores, marquez de Sabu^a e vis-
conde de Laucadao camarista D. Manoel da C-
mara quatro ajudantes de el rei, entre os quaes o '
general Pasaosnm aiadante de el-rel o Sr. D.
Fernandoe o medico da casa real o Sr. Magalhes
Coutinho.
sequiosos. A fausta noticia da abertura da aanaaV
gao foi annunciada ao Porto por ama salva real das
fortalezas da Serra do Pilar e Foz.
O governador civil.-Januario Correa de Al-
meida.
El rei o Sr. D. Loiz, sna magestade a rainha
e o principe D. Carlos chegaram no dia 21 a orna
hora da noite, a estago principal de Li-boa como
se esperava.
Sua magestade o Sr. D. Fernando liaba vin t
no dia antecedente.
Fazia a guarda de honra na estacao a regiment
drf infantaria n. 7, que para all roare'ioo silenciu-
sameole a meia noite. Sesenta ou mienta raval-
los do regiment de lanceiros escoltaram a familia
real at ao pago da Ajuda.
O mini>terio, commandante da diviso, governa-
dor civil, muitos dos altos funeeionarios do estado e
a offlcialidade dos corpos da guarnigo, de gran le
uniforme, foram esperar a real familia
Apezar da hora ser adianlada, bastante povo se
reuni as immediacoea da gare.
Quando o comboyo que fonduzia sus magti-
des pas-ou por Marvilla, o ediBcio da atata n..r-
De Aveiro acompanharam a familia real o gover- mal ?'ava vistosamente illuminado, e embandeira-
nador do districto, capito do pono, inspector dos ?* *.,.a.n5aram-se de ,a numerosas girndolas
das ras principaes illumina-
pesos e medidas, director da alfanJega, delegado
do thesouro, e o deputado e presidente da cmara
municipal de Avero, Manoel Firmino de Almeida
Maia.
A' noite as casas
ram-se.
Os pagos do conselho e quarteis tambem se acha-
: vam illuminados, conforme o costume em casos
taes de regosijo publico.
De dia as ras de transito do prestito real acha-
vam-se com todas as suas janellas guarnecidas do
cobertores de damasco, e de grande numero de
COHKESPASTDl!
RIO E FJEK
i.i"* lo..
28 de seteml
No da 13 parnram
rei o Sr. D. Luiz, sua aug
D. Fernando, o principe r
faote D. Augrfsto. A fami
s 7e meia horas da man
Rvma. me declare se Ihe nao possivel achar outro < Bquadrao de lapceiro- F
sacerdote desoecupado, de sua confianga e zeloso,'., rglii;t de jnfanlarn
que possa aceitar a coadjutora dessa freguezia.
Quanto ao impedimento opposlo ao casamento
de Andr Call Alves de Souza por Francisca Ma-
ria do Sacramento, de que falla V. Rvm. em dito
seu offleio; necessario que o impedido venha
exprgalo pelos tramites legaes.
12
Offleio o vigario d'Agua-Branca.-Recebi o offl-
eio de V. Rvma de 2 do corrente, e lico inleirao
do que nelle me communica acerca da collecta
para o collegio de propaganda calholica establec-
do na cidade de Londres, e ca publicago do Sanio
; as circumvi-inhancas est
concurso de povo. Na entt
os angostos viajantes, o m
te, o director da companh
ferro porluguezes,.E, Gon
chefe Le Crenier, Gromicl
verno, os principaes chefe
e muitos ofliciaes do exen
SS. MM. entraram no
mente preparado para esse
algum lempo. O salo esta
MUS DO IA
A3IB1JCO
rdel8Co.
iara o Porto, SS. MM. el-
ista esposa, el rei o Sr.
al D. (/arlos, e o Sr. in-
a real chegou a estago
a,acoirpanhada por um
fogaetea.
O marechal do exercto, conde da Ponte de
Santa Maria, commandante da divisao, os Maceta
commandantes das brigadas, os guvernadores d-
pragas e fortalezas, e os commandantes dos rorpos.
com os seus ofBeiaes montados e um offlrial de cada
el se foram no dia 24 ao pago da Ajuda, a mia
hora depois do meio da, alim'de enrarrimentarero
suas magostadas pelo seu regreo a capital.
No dia 20 foram alguns ofBciaes e pirantes da
a' esqnadra italiana visitar os arseoaes. de m;innha
e do exercito, sala do risco, fundicao, musen, "te.
bandeiras, que Ihes davam um ormosissimo aspee- >enao, na Msila ao arsenel do exercito, acoropa
to. Notaramse.com especialtdade as mas de S. nha(l05 P'o t-neote-coronel de estado naiorde ,r
Joao e Almada. tunara, e sub inspector interino Joao Manoel i.jt
No dia imraediato (20) chegada de suas mages-! de,ro-
des e altezas ao Porto, foi sua magestade el rei o halr,! M implantas que o doqne de P.ilir. i
Sr. D. Luiz visitar o palacio declfial, onde, visli- ?.?nv,,ou para ?er.em F0""*"*" >* do pa>
do paisana, e sem o menor apparalo, se demorou
at s 2 horas e meia da tarde,
ciosameote a exposigo.
O monarcha ira ton com a maior
dos quantos enconlrava.
Depois do Sr. I). Luiz se retirar, tambem l es
teve, no palacio da industria, seu augusto pai, o Sr.
visitando minu-
affabilidade to-
izia a guarda de honra j D- Fernando, que por suas maneiras adqaire to
n. i. Junto estago, e i gr*f>do popularidade. .^
iva agglomerad grand
ida principal esperavam
oisterio, grandes da cor-
real dos camiuhos de
choux, engenheiro em
o Couceiro, fiscal do go-
i do caminho de ferro,
ito.
lo, que foi exclusiva-
lim, onde se demoraram
a ricameule decorado, e
sua magestade elrei D. Fernando tambem foi
lacio de cryslal, haalgumas raras e lencadas de
diversas partes do mundo. Ha entre lias 16 pal-
meiras, 21 acacias, 17 encaliptas, 18 planta? de
Angola, 131 plantas diversas, e 116 petunias. Gran-
de parte destas plantas, tlcara no jardiro, e s nina
pequea parte que voltam para a quinu do L<-
miar pertencente ao duque de Palmella.
A sa le do iuf-liz visconde da Luz cada vez
peior 1 S. Exc. acaba de padecer orna forte eotv
geslo, resultando haver ficadu em peiftitu r
visitar o palacio da Bolsa, assim como pelas duas d^"^!c!u,_a;rSahi'} de Rii,ha folhas *** *' na-
horas fez a honra de visitar o palacete do viscoude
da Trindade.
ati
Jubileo nessa fregu.^, \eV00 Vdo | J VoK^JSSBJS^tSta
lie mez ue outubro, para dentro deiie lu- friIV)U mna arVeCilda,ao
os liis a indulgencia concedida pelo nosso |imlo ,a)ri adoroado vdl)
r'- 'l0 IA- MM. entraram danAia n-.
o crreme mez de outubro, para dentro delle In-
crarem
SS. padre
Foi-me saturnamente grata a noticia que em dito
offleio me da V Rvma. da diligencia, zelo, o aclivi- i
dado com que o capito Joaquim Antonio de Siquei- j
ra Torres, e mais parochiancs dessa freguezia ir;.- j
balliam na edilicago de urna nova matriz que,!
depois de concluida, ser um dos mais bellos tem- i
pos do interior 'essa provincia. Eia pois, Rvm.
concurso qne tera' lugar no dia lo de dezembro seunor, uo cesse de animar como disvelado pastor
prximo vindouro para preenchimento das vagas com a s.lla palavra e exemplo a dedicago religiosa
de praticante existentes ne-sa repartigflo, pois que desses liis calholicos e benemritos cidados que, i a0 das QtVezas p
o nico concurrente que se apresentou nao foi con- aulepoudo a ludo o bem espiritual e o interesse [endo parlldo jeLis.-.a
MM. entraram depois na c
ras prelixas. S. M. a rainh
pe real que milito risoolio
com a mosioha aos que al
comiiiva real acompanhav
da companhia o Sr. E. Con
ment, engenheiro fiscal
(Jromincho Couceiro, o Jir
tructora, e o seu eugenhein
SS. MM. e tola a familia
seal de guerra. Communicou-se ao director do
arsenal de guerra.
Dito ao inspector (la thesouraria de fazenda.
Annuindo ao que olicitou o commandante interino
do bataino n. Vi de infantaria do mnuicipio de
Itarreiros, em offleio de 2 do corrente, reeommen-
do a V. S. que eslaudo em termos o pre junio em
duplcala, mande pagar a Francisco Tavares de
Lima a quantia de itfii'iO, em que Importramos
vencimentos de duas escoltas, que condunram
d"alll para esta capital, os recrutas Joio Francisco
da Silva, Joaquim Celebra, Primo Feliciano da Sil-
va e Manoel Joaquim dos Sanios, dos quaes o 1*
foi posto em liberdadn por ter sido julgado incapaz
e os outros destinarara-se ao servigo do exercito,
bem como 3 guardas nacionaes com deslino a
guerra, segundo consta de offleio do chefe de poli-
ca n. 1,613 de 17deste mez(Communicou-se ao
predito commatidaiiie do batalho.
Dito ao mesmo.A Manoel Figueira he Faria
& Filho, maude V. S. pagar seno bouver incon-
veniente a quantia de o8$320 de que trata a coola
juma em duplcala, proveniente deannuncios man-
dados publicar pelo conselho de compras do arse-
te de-tino aos menores Januarlo Alfonso da Cruz e
Marceilino Caudido de que tralam os seus offlcios
n. 1,621 e 1,627 desta data.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Esc. oSr. presidente da provincia manda trans-
mitir a V. S. as ,* inclusas ordens do thesouro na-
cional sob izo a 128 e 132.
espoSido1!" 18 pr0Xm')aSSad0 ''Ue Ca aSS" i ""Na occ;
Dito ao padre Iguaci
a V. Rvma. para por
depois de competent
tinados para os langamentos
los. casamentes e bitos da freguezia de Cajazei-, mur.kipaTdo VoTtre'dem.sra
O presidente da mesma cmara, visconde de La
J, n'esta visita acompanhado do seu ajudanle o
conde da Campanba. Foi em carro descoberto.
Vio tudo minuciosamente, com especlalidade a lin-
da sala qne serva all do primeira residencia ao
rei Carlos Alberto.
O visconde da Trindade otfereceu ao Sr. D. Fer-
nando um expendido lunch, do qual sua magestade
se servio.
As 4 horas e meia da tarde suas magestades el-
um | rei e a rainha, acompanhados do principe real, o
SS i do Infante D. Augusto sahiram do pago, e percor-
rendo diversas ras da cidade, se dirigiram ao
campo da Regeuerago, onde el rei passou revista
brigada em ordem de marcha.
Depois de varias manobras, que os corpos exe-
cutaram, distribribuio sua magestade el-rei cinco
medalhas de bom comportamento, urna a um sol-
dado, outra a um sargento, outra a um alferes, ou-
tra a um capito e a ultima ao coronel de infanta-
ria n. o.
Commandava a brigada o visconde do Leiria.
El rei e o infante Augusto estavam a cavallo,
o priraeiro vislindo a farda de generalissmo e o se-
gundo a de offlcial de lanceiros. A rainha com o
principe, e a duqueza da Ferreira assistiam de
cario.
Finda a revista suas magestades e altezas regres-
do coiiselho de Villa saram ao pago. Todas as ras do transito esta-
Rentar SS. MM. e AA.,: vam vistosamente embanderadas, e as janellas
do eslylo, seguiram guarnecidas de ricos cobertores de damasco.
Ao jantar ningnem mais assistio alm da comit-
i ponte pensil, que es-! va. Perto das 10 horas da noite chegaram suas
na. magestades e infante I). Augusto, ao theatro Raquel
vendo ja o rcceiar as grandes excitiiiVs, soa es-
posa e tilho recolheram-no aos carinho* domestico.
(Continmtr-si-Kui
e carruagens em
ri morosos relevos,
rruagem real s 8 ho-
poz a ; mella o princi-
i alegre diriga adeuses
i se achavam. Alm da
m SS. MM. o director
choux, chefe do movi-
a explorago, e o Sr.
:tor da empreza cons-
em chefe.
real c'angaram esta-
oras e meia da tarde,
horas da manha.
etes anuunciaratn aos
111 e embandeirada,
municipal, assim co- |
, que ihe fowmapj^ttdos>loRv,irnoi^
DB
ii:ai^\aaii to
SEDE VAGAffTB.
Expediente do dia 9 de outubro de 186o.
Offleio ao vigario de Patos.Recebi o offleio
de V. Rvma. de 2i ao prximo pausado, irazendo
incluso um requerimento do Rv. Aquilio Satyrio
de Souza, em qae me pede licenga para fazer um
cemiterio, e edificar urna capella na sua fazenda
S. Jos, em beneficio dos liis que ahi habi-
tan] em distancia de cinco e mais leguas da
matriz.
V. Rvma. sabe, que os sagrados caones e cons-
respeclivo.
Espero do reconhecido zelo religioso de V. Rvma.,
que se nao escasara de prestar csse servigo a
igreja.
Dito ao vigario d3 Goyanna.Tendo o Exm. e
Rvm. Sr. internuncio apostlico, em olli.io de 31
de agosto, a mitn dirigido, declaraudo em vigor o
despacho do Exm. finado diocesano, de 16 de ou-
tubro do 1863, que cJncede a irmandade de Nossa
Senhora da Conceigo dessa cidade precedencia
as procissoes e mais actos religiosos sobre a Ir-
mandade de S. Benedicto da mesma cidade, assim
o coramunico a V. Rvm. para o fazer constar as
referidas irmandades.
I Os papis inclusos pertencem a irraandade da
Conceigao, e V. Rvm. Ih'os entregar.
illocugo. Ao que S.
guite forma :
a Testa dos que amam
a mira dos seus cui-
nal de guerra, durarte os mezes de julho a setem- liluigoes diocesanas prohiben) edificar qualquer
bro ltimos. igreja ou (apella, sem que previamente se Ihe
Dito ao mesmoAutorisando nesta dala o cora- constitua patrimonio canouico; e consequente-
tnandante das armas a mandar organisar as cun-1 mente so depois de preenchioa essa frmalidade
panhias que faltara pira completar os corpos n. 3 legal, posso dar licenga para a edilicago da pensas do 1 grao igual da linha lateral e 2o grao
NOVAS DISPENSAS MRTMMONIAES.
Chegaram do Rio do Janeiro as petices de dis-
goaea, derigio a el-rel uma
M. se dignon responder da si
a Venho orgulhcso assistii
o trabalho, e poera no futuro
dados.
< A historia contemjxiraneh desta invicta cidade,
bastara por si s a dar renot e aos seus habitantes,
ainda que desajudada fosse
sado. O Porto di-lo a fama|
heroicas empiezas, e do< alt
Meu av achou nella hoinens
mo esforgado, e meu irmo,
me avivar as saudades, com
cer nos Porluenses a grande
que supera os obstculos, e i
o que era julgado ulopia.
Do que sois e do qne valei
milia dou* autorisados
e 5 de voluntarios da patria, assim o coramunico a
V. S. para seu eahecimento.
Diio ao mesmo.Estaudo em termos os incluso^
prets em duplcala, que vieram annexos aos offl-
cios docjmmandante das armas, datados de hontem
e sob ns 1900 e 1901, mande V. S. pagar os ven-
cimentos relativos a primeira quiozena deste mez,
das pragas do 3o e 5' corpos de voluntarios da pa-
tria em organisago nesta provincia.
Dito ao mesmo Estando em termos o prel jun-
to em duplicata, mande V. S. pagar os vencimentos
dos cidados que se alistaran) na Aldea do Riacho
do Matto, para servirem no terceiro corpo du vo-
luntarios etn argaaisacao ue>ta provincia, com ex-
clu-o soraenle dos relativos aos que vo c.ont"in-
plados com os ns. 28 e 33.
Dito ao mesmo. Sob minha responsabilidade
mande V. S. entregar ao tenente coronel Francisco
Cavalcauti de Albuquerquo Maranhio, a quantia
de 600|>000 para pagamento dos prets dos volun-
tarios que liver alistado em Goiafiaa, do que jires-
tar contas nessa thesouraria, logo que chegae de
.-ua commisso.
Uilo ao mesmo. Nao obstr.nte o parecer junto
por copia do procurador li.-cal dessa thesouraria,
datado de hontem, mande V. S. pagar ao chefe de
polica removido da capital da l'arahyna para a -!o
Rio Grande da Sul, bacharel Gervasio Campello
Pires Ferreira, um cont de ris como ajuda de
custo para as desperas com o seu transpone, po
capella.
Quanto ao cemiterio, concedo a licenga supplica-
da; e desde ja autoriso a V. Rvma. para benze-lo,
depois de concluido, se tiver a dev.da decen-
cia. E o autoriso tambem para benzer o sino de
que falla em seu dito ollicio, que lica assim res-
pondido.
10
Ollicio ao vigario uterino da freguezia de.....Em
offleio de 9 do corrente, me communica V. Rvm
que lendo dado licenga ao Rv. F. para assistir o
recebimento matrimonial de. F. e F. seus pa/-
chianos, nao se realsou dito casamento por' se
haver espalbado c chegado ao conhecimentb do
mesmo Rv. P. o boato de que entre os nnbentes
havia impedimento de affimidade Ilcita em grau
prohibido: diz mais v. Rvma. que, tendo proce-
dido as necessanas averigoacSes, nao descubri a
fonte desse boato, e que o nubente e a sua inculca-
da cmplice Ihe declararan) com juramento entre
elles nunca houvera illicitas relagoes : e conclue
consultando me sobre o modo de se haver um tal
occorrencla.
Respondolhe que deve effeituar o casamen-
to; porque, se pelas Itis cannicas basta o dito de
uma teslemunha para impedir qualquer matrimo-
nio; todava deve isso entender-se de uma teste-
munha conhecida, de um dito certo e determina-
do ; e nao de um boato vago, sem origem certa,
que em direito nao tem valor algum, e mormente
bergodas liberdades patriase
seus muros a firma do meu abgusto avO o Senhor
attingenle ao Io de consanguinidad"? constantes da D, Pedro IV, de gloriosa mei loria, acceitou iain-
hsta abaixo publicada e cuja concesso foi au- b"m no espontaneo auxilio o i lagnanimo re Garlos
t irisada pelo Exm. o Rvm. Sr. internuncio apos- Alberto avo da excelsa rainh t minha presada es-
lolico em data de 29 do prximo passado. Posa-
Podem pois ser procuradas em Olinda na secre-' A vossa historia, j rica de reitos que a illustram,
tarir do bispado e no Recife. em casa do lllm. Sr. eoriquece-se hoje com mais i ma pagina brilhante.
conego da cape.m imperial Francisco Jos Tavares Accordar a rivalidade honesti dos que trabalbam
da Gama, ra da Cruz n. 56.
Olinda, 17 de outubro de 1865.
Conego Joaquim Ferreira dos Sanios,
Secretario do bispado.
Lula das peliroes.
cimentar o amor do bom e do
estimulo as pacificas glorias
triaes, os mais conformes
; e ao bem estar das nagoes.
Ao chamamento patritico
onde a companhia do Gymnasio dava uma reciu.
Foi a jirnneira recita.
Foi a primeira recita, que houve n'aquelle thea-
tro, depois de importantes mclhoramento?, que com
o mais bello gosto aili fez o seu proprietano.
As 9 horas e meia sahiram os augustos persona-
gens com toda a sna comitiva, e dipgindo-se para
a praga da Trindade, no rneio das acclamagoes po-
pulares.
Entraram ahi entao no baile do Club, que esleve
brilhantissimo, como era de esperar dos esforgos da
sua digna direeco.
O Sr. Antonio Maria de Mascarenhas, portuense
residenle no Ro de Janeiro, aproveitou esta occa-
pubhca, cidadedas',siao Para faz,'r funecionar o seu apparelho de luz
iros commettimentos. elctrica, que expoe na exposico internacional.
A luz, projectada de uma das Janellas da secre-
taria da ordem da Trindade, sobre as portas do
Club, produzia um efleito brilhante.
Era immenso o concurso de povo, que all se
achava e se demorn at tarde admirando a mesma
luz.
El-rel o Sr. D. Luiz, no seu jantar do dia 17,
para assistir ao qual convidara, entre outros cava-
iheiros, o presidente da cmara municipal do Por-
to, brindou ao Porto, all representado pelo presi-
dente da seguate forma :
Brindo a cidade do Porto, a notavel entre as
nolaveis. Cidade sempre a primeira nos commetti-
mentos uteis e que tem sabido fazer florecer os lou-
ros do trabalho joulo aos vrenles louros da Moer*
dade, eque pode ler oorgulho que nos commetti-
mentos iodustnaes acha lautos bragos para a real-
garera como outr'ora um pnnhado de bravos capi-
taneados por meu augusto avo fez prodigios de va-
lor por que na sua bandeira eslava escripia de- < Amoedo,
feza da santa causa da justiga e da liberdade.A'
cidade do Porto.
las tradiegoes do pas-
a altura do seu ani-
de quem acabaes de
razia-se em reconhe-
irtuil-1 da tenacidade
onverte em realidade
lendes na minha fa-
juizejs. O Porto que foi o
vio crescer dentro de
bello, e aspirar pelo
dos triumphos Indus-
i idole da nossa poca,
Clcraentino Pereira de Maria "e Josepha Mara ce graude festa da civilisaco a icudo jubiloso como
da cidade invicta,
n ambas as qualida
lico de que sei prezar
pela prosperdade
n
Jess. Portuguez e como rei, para e
Manoel Pereira de Oliveira e Sebastiana Maria da des Ihe dar um tesmunho pul
Conceigao. i os esforgos dos que trabalha
Claudino Coutinho de Mello e Mariana de Re- da nossa patria e pelo engraiidecmento da sua in
zende. I dustria. A presenga de toda i minha familia na ci-
Antonio Bezerra de Maria e Antonia Maria de 'dade do Porto, esperando qu< se descerren) os por-
Jess. tos do palacio m que se acc imulam as provas da
Joaquim Dourado Cavalcante e Mana Francisca de i vossa actividade industrial, inequvoca deraons-
Albuquerque. trago de que sabemos aval ir as vossas fadigas, e
Manoel da Annunciago Lyra, e Arcelina Maria de dellas tiramos justificado or$ulho.
Jess. Agradecendo a cmara municipal desta gloriosa
Sebastio Nunes de Magalh;s e Jovina Francisca cidade as felicitagoes que mi diiigio e o muito que
diodo esse pagamento Vr iffectuado sob minha sendo contrariado com juramento como no caso
responsabilidade, se para isso nao bouver ere- vertente.
jilo. Reraetto-le os papis que acompanharam o seu
Dito ao mesmo.A'vista do pret nominal inclu- offleio.
so por duplicata, mande V. S. com urgencia pagar | Dito ao vigario de Jaragu.-Pelo seu offleio de
ao segundo sargento do batalho n. 21 da guarda 22 do prximo passado, tico inteirado de estar essa
de Lima.
Manoel Francisco da Silva e Isabel Mana de
JeMiJ.
Joao Rlbciro da Costa
Anna.
Jos Antonio de Oliveira e Anna
gao
e Marinha Jos de Sania
Mara da Concei-
contribuio para a realsagp desta festa nacional
espero confiadamente que iko ser a ullima vez
que tenha de applaudir a ousadia das emprezas
desta nobre cidade e a f
realisa-las.
Pego cmara mnnictpa
muta aos seus habitantes os
Joaquim Manoel Pereira e Brasilina Maria da Con- prosperdade.
ceigo. i El-rei o Sr. D. Luiz vesta a farda de geoeralls
Manoel Bejerra da Silva e Theodora Francisca Ma- (simo, e seguio a cavallo, precedido de quatro ba
obusta com que sabe
do Porto que trans-
votos que fago pela sua
O miuistro das obras publicas parlicipou do
Porto ao presidente do conselho de ministros a
abertura da exposigo internacional a 18 do cor-
rente s 2 horas e"30 minutos da tarde no meio de
fervente enlhusiasmo de milhares de pessoas que
saudavam suas mage.-tades e altezas.
Sua magestade dignoo-se de responder allocu-
go do presidente da cmara, e as suas palavras
produziram grande jubilo.
O governador civil do Porto participa a abertura
aa exposigo Internacional, ao presidente do conse-
lho de ministros da forma seguinte :
t Exm. Sr. presidente do conselho de ministros.
t Acaba de abrirse solemnempnie a exposigo
internacional portngueza. A festa foi brilhante e
completa.
El-rei o Sr. D. Luiz, sua magestade a rainha,
PEBNAfflBUCO,
RSriSTA SMAIU.
Estrearam antehontem os doos aoven artitas
que fazem actualmente parte da companhia dram-
tica do Santa Isabel, oSr. Pedro Joaquia e sua se-
nhora D. Adelaide Amara!.
Foi mais uma noite de triumphi que lev- g pit-
eo pernambueano, e mais um sero aagnieo M
all passou o nosso publico, cuja admirar-1 apre-
ciadora cahia symnathica e fervfote sobre aquellos
artistas como um feudo devido ao talento, je
nelles irradia na belleza de tudo qaaatj emana de
Deus.
Nao fallaremos da prodoccao de Domas filho..
ella conhecida como um primor da ese* I realista,
para d'i.-to dispensar-nos. Mas a su nefu'-l-
n'es>a noite lomando um carcter local, como que
impoe-nos o dever de nao calar era nos as impr-**-
soes que experimentamos em presenga do Vsm-
penho do rirama, cujas bellezas nos forana revHa-
das com o sentiin-mlo de almas escolhidas, ijue
primeiro se apoaHMa das ailaafiM que tem d- r
presentar, para dar-lhes a traduegao gennica. n
fundindo assim o actor na per^onagem.
A Dama das Camelias sendo um d'es*e< dramas
cujas personages sao importantes por mais 1
titulo um seu lodo, todava a sua torga d.- expan-
so, a SOa vida de sentim-ntos elevaus, a -o i
ma reside em MargarMa iluuihier % en Arman '.
Uuitil-.o o Sr. Amoedo n'esta pajil iisra. I>.
Adelaide n'aquelle tocaran) ao sublime, e-i.,
cendo enire o* eapecurforu c o s-u traoaib uma
como corrente magntica, que c mimunrava
les irapressoes fundas, orvalhadas pela -sibiiol i-
de do eoraco em face da graadeta do ieotinvnt.'.
em face Ja devnaci mais sublime.
A Sra. D. Adelaide encarnando se na Maryn I;.
perder aquella per>onalidade para Bwpaaw aatl
por uma prodigiosa Iransinigracao, de i|ue al
nio capaz.
Nos mom-mlos supremos eni pw a paixo
brava se a orga da vontade, que a seo turno su-
bordlnava se lambem a grao leza da h>, i
Sra. D. Adelaide achou em nagiies, apresentou ; --
tos,expre-souse d' minio como s o faria a pr
Manjarida sob o d- mimo d'is L.entimenlos
Irados e grandiosos, de que era o seu pito a th--i-
tro.
E o publico enlo su-pendia se das jai-vra- U-
quella mulber; bebia-lb- cun o eoraco a bf
mas reaes, que aljofravam Itie as faee> ; e r ; r-
jante sob a [iresso de urnas e outras, d-f-ri a ac-
ut o triiimpho, que era devido.
A Sra. D. Adelaide nao desmerecen, poi*. da re-
putaco que a preceder niiii-o S.vi i
Artista de mrito real, nao p-ije .-er vi-la -o r
admirada; edaadmiragio d tilinto arii-nc... |g
que dotada, a cons-quemria le<>lun.-.. I -.i
ria, o applauso que obleve do mi puiin- .
deve ser Ihe bastante agradavel, visto n. i
se li.sonja.
Armando Ducal se nao uma crear) Jo M.
o >eu enero querido de irnMN; e
este portanto foi colorido com a alma d > MM mi
moso. para quem os alfecio- da aima i
sao doceissao como que urna escala enr iraan-a
d'oude o senlimento com a sua mobilidaoV adwira-
vel saca to los os lons acnmrnodado-* a >ua exprs-
alo.
O Sr. Amoedo, quer no esinar intenso da p.n
que encina o peito de Armando, quer n aecrbiit.--
i-e das ironas arrancada- au mesmo por uma faUa
anreciago do carcter da nmiher de -e'< nb -.
n'uma e if mitra phase, em lo>los os seu> ponto ia-
termedios, as dilferentes transigais tm mm
sabe crear, o Sr. Amo-de persotnHeou ao proj>.
Armamlo traduzmdo lodo qnanto devi-na lofaul-
tuar u'alina deste n'aquellas tiSerenies sttua-
go-s.
Um amor que desee e repousa era orna mui'n
sobre qaem pesa o estigma da soei izarte: ara
amor que vai al a consumir uma castilla noon-
rla da Conceigao.
i tedores, que iara na frente lo cortejo
el-rei o Sr. D. Fernando e sua alteza o Sr. D. Au- jeuto de seus cultos ; um amor que diviuisa tuna
gusto entravam no palacio de cryslal urna hora alma encerrada em corpo manchado ; um amor
da tarde com o devido ceremonial, e por entre um que rehabilita a mnlher, emflm, a ser b m traduxi-
luzido acompanhamento e seguiram pelo nave een- do, s poder se-lo por qaem sabe o qne a Mena e
tral at ao throno. All dignou-se el-rei o Sr. D. i dispoe da ceotelha celeste do talento.
i Luiz ouvir a allocngo qne, por parte da soeledade j E o Sr. Amoedo assim o fez.
I do palacio de cryslal, Ihe dirigi o presidente da O papel de Jorge urai. pai de Amtvh, bi
-

r.. ^rzrrrz^zri


1101 I* f
Diario de fernatabnco Sabbad 11 de Oiitnbro de &S6&
tribuido ao Sr. P-dro Joaquim, que tambera estrea- uin discarso, porfiw, aKwa de minha incapacidade
va era nossa siena. Intelleeiaal, naja lia a. accrsceuiar do que disse-
Papel limitado, mis de alguma importancia, uelle rain os iliustres oradores que me precedern.
revelo -i-e o Sr Pedro Joa raimo centro dramtico Apenas iffiito-mo a dizer entre vos duas palabras,
i lem um n uno feilo, deixanio eutrever se o por me ser necesario, robora com termos obscu-
que m M ,
que tem a dar em taes papis, quaudo mais uesen-
volvidos.
Para melhor aprecia lo aguar Jamo- occasiao mai.
aprouriida, bem queja tenhamos a -eu respailo
iuizo formad em presenc do sea trabalho no .5
acto do drama, nes-a lula em que a voz da razao
calma e fria fa/. cal ir a do sentimenlo ardeute de
urna alma vida de amor, mas que tem a grandeza
de sacrificar se diguidade dos ptoprios impulso>
e ao grito dolent! de um pai, que entre si e o seu
amor se ergue como o brado de condemoasao da
sociedade.
rus ; e, smentd o taco porque o que pretendo di
zer-vos com relacao a mim.
Compatriotas, como niuguera ignora, a patria
precisa de soldados para deteader seus brios ul-
trajados pelos prfidos e vndalos paraguayos, e,
seria urna vergonha para nos se osse preciso o
ioverno laucar rao do recrutaraento para poder,
entre os Salgueirenses, um novo que se diz liberal,
iehar bracos para a defeza da integridade da hon-
ra nacii nal I
Portanto, senhores, perante a nacao e perante
vos, neste momento solemne, eu me declaro vo
Maria, Pernaasbuco, 2 mezes, IloaViste.
Manoel, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos; losse
convalsa.
Manoei, Pernambuco, 1 anno, Recife; denticio.
_^
. &m mmmk mwm
Nesta scena pathetica soube o Sr. Pedro Ioaquim luntario da patria ; e resignada a prestar, como
vencer a sympaihia pela mulher devotada, conquis- \ saldado, os servicos que es t i ve re m era miaas fra
lando para si o aprejo do publico. leas forjas.
as demais parles fui o drama soffriveluionte liec.onhego, senhores, que tenho urna familia,
de-empenhado ; mas cumpre. oue o panel de Pru- a mem adoro, que em talo necessila de miuha
denaa Duvemuy >eja melhor "compreheudido, nao preseuc.i ; mas vejo oulro dever mais sagrado,
se llie dando o .aracter de urna eaa;po:ifza, ao pas- qual o de defender os brios da patria, e por con-
so uue elle requer una certa distmeeio de trato na seguate a honra de miaba mulher e filhos 1
se predio se mudasse
mesmos nao se tenliam
elle fiscal obriga-tos a
sene, i da cmara para
s os moradores nao <
procurador do prlmein
nados concertos; e Ihe
senhura D- Mana o n
pes Nomine se nao engaue no ramalhet, que tem de
trazer a Margarida.
Meus concidados, espero encontrar d'entre
vos muitos que penseos de mesmo modo, e que me
facam frente e me igualem em iguaes sentimentos,
- Foi vendido em leilao por 1:6005 o casco, voando comign ao theairo da gera.
carga, madrearn e veame da galera ingieza Du-
can Uumbr.r, naufragada no banco das Rocas.
leudo sido arreinataotes os Srs. ilenry Forsterl
& C, para all tem de fazer partir o patacho Jaboa-
icio, afim de reinar o que for possivel.
lluje pelas 7 huras da inanhih, na matriz da
Boa-Vista, celebra-se una missa recada por alma
do tinado marquez de branles.
Na lat. N. 4 40" e long. 28 47" foi encon-
trado a 9 do con ente o brigue inglez Consbroock.
Proceda de Liverpool, trazendo ja 40 das de
viagem, e o Rio de Jan-iro era o seu destino.
indu booleo pela manla a preta Minefvina,
escrava de Apolunio Ausberto de Farias, tirar um
deute em a toja de barboteo n. G, da ra da Penlia,
da freguezia de Sanio Antonio, falleceu pooco de-
puis d'e realisada aoperacao, declarando os perito.*,
que procedern aos sxatues, ler >i lo ella victima
de urna pertrbetelo nervosa, oriunda do t mor do,
acto a que foi sujeita. O subdelegado da freguezia;
comparec-u e fez proceder as inves igacoes preci- j
sas, ordenando que s seja a preta enterrada de-
note de 24 oras, em couformiJade do parecer me-
' Falleceu na casa de detenclo, no dia t9, An-
tonio Jos Clemente, mandado recolberna vespera
pelo subdelegado da fregoezia de S. Jo.-.
E>le hornera moslrava symptomas de aheiincac
mental, quando entrnu para o eslaMivimeuto,
tornndose furioso pOUCO depois, e s mellnraudo
proporqiio que a congetlao cerebral, de ijue falle-
cen, se prononciava.
Do- porto* do norte de sua escala chegou non-1
tem o vapor cosieiro Ptiruhyba, com datas do Cea-
ra at II e da Parabyba al 19 do correte. us
lornaes co'hemos o que segu.
!' .i assa-sinado n dia 27 do passado, na cidace
il lj.auiit,oSr. Miguel Antonio da Silveira Ara-
il am voluourio da patria, que logrou eva-
Na villa da Telha foi lainhem assas?inado, em
i! ->.- i.-z. Joao Gregorio, a maudado da pro-
pria mulher,quo fui em continente presa.
i'., |<. era na capital, o Sr. J>i> Pereira Jacintha.
No dia 8 do correnle cliegaram de Sobral, ca-
Viva S M. Imperial !
Viva a uacao brasileira !
Vivam os rasiieirus dignos desle nome I
Bernurdo ilactcl de Souza.i
< Voemos, bravos, aos campos,
Nossos lirios defendamos;
Nem mais demora um mo i ento !
Alerta I as armas corramos I
Assim ultrajados
Viver nao devenios :
Ou honra, ou a morte
Com forca brademos I
Nossa pstria desdenhaJa
Nao pode prestigio ter ;
Uu intactos no-sos brios,
(Ju com honra perecer.
Assie, eic, etc.
Ao tyranno paraguayo
Meslra licao v. mos dar ;
ftlarcio fgo em nos se acenda ;
Vamos laes feras domar.
Assim, ele, etc.
Mavorcio fogo se aecuda
No brasilico coracao,
P'ra que trophos se levantern
N'lluinayta' e n'Assnmpcao.
Assim, etc., ele.
E, depois de e.smagarmos
A serpe vil e tyranna,
Com altivez voltaremos
A' Ierra Pernamhucana.
Assim, etc., etc.
t Jos': Gomes de Souza Perraz.
Para o Io hatalhao de guardas nacionaes
pial, 16 vulontarios da patria, all agenciados pelo destinad > ao servico da gaerra, foram nomeados
coruiii i Domingos J.suino. provisoriamente os aegolntea officiaes :
X i i rniu do Pilar, da Parabyba, foi assas9nado __ 2" companhia.
um lilho do seohor de engenho JfarawilA vim i, em desforra d'nroas chicotadas qae elle Ihe Siqoeira.
el, ra. 5* companhia.
Encerraram-se.no dia 3 do correnle, os trabalhos Capitao o tenenie quarlel meslro Pedro Aleandri-
da assembla provincial. no Rodrigues Lins.
Realisou-se ao dia 13 a festa de Nossa Senhora
parte, Dcat a cmara
que se respondessu ao I
tasse os proprielarios c
turas, e avisasse de no
'ff 111 Eli \ VI. I>0 CO.tl.TIKfTU I
ACTA ASKSSO ADMINISTRATIVA DK 19 DE
OUTURO DE 1865.
PRESIDENCIA DO BXM. SR. DBSEMB.KGAOjB
ANSBtMO FRA.NiaSCO PERBTTI.
As 10 horas da manhita, estaudo reunidos os Srs.
depuudos Rosa, C. Alcoforadu, ilasto e .V.irauda
Leal, o Ezm. Sr. presideule declarou berta a ses-
so.
Lida, foi approvada acta da sessSo antece-
dente.
expi:die.ntk.
Foram distribuidos aos senhores depuiados os
livros Diario de Mauoel Ignacio de Oliveira Fi-
llij c Candido Alberto Sudi da Multa.
DESPACHO^;.
No requerimenlo de Aureliauo Augusto Je Oli-
veira, pedindu desouerai;o do offlcio de agente de
leiles desta praea.Junie-se ao processo do sup-
plicante e d-se" vista ao Sr. desembargaclor lis-
cal.
No de Jos Izidoro Martins, pediudo ltalo de
agente de Ieiloes, visto ler cumprido o despacho de
lo do correle.Prestado o juramento paaae-se ti-
tulo.
No de Vicente Bezerra Montenegro, pedindo o dlcia^que ah Ihe d-.ia
registro
Joaquim
No de Antonio J.- Leal R.jis, pedindo o registro se constituirn! d.raos
de una prucuraeao do Danco Mercantil Poriuense. bavia elle deterrninadc
Sellada a procurado, volle. tirassem as tabeas que
No de Francisco Preire da Costa, juntando ura desembarazado o liau
documento para que sej registrada urna sea pro- entrar para as ditas c
coracao coufenda a Inneu Janoario de liveira, '
que foi suliuieitida ao Sr. desembargador fiscal.
Vista ao Sr. desembargador fiscal, na forma re-
querida.
No de Antonio Jos Duarte da Silva Braga, bra-
sileiro, de airaos de dado, d nuiciliad.j u ostabe-
lecido com casa de coramereio em grosso e a rela-
Iho, na cidade de Macelo, cojo crdito commercial
comprova com um altesiado dos commerciantes
de sobrado o. 27 da raa estreita do Rosario, per-
tencente ao Dr. Antn o Jos d'Amorun e D. Mana
Senhorinha do Livranenlo, sendo procurador so-
mente daquelle para r ceber os alugueres Jos dos
Santos Neves, e haven lo nessas vestc.rias os peritos
marcado para os conc rtos da primeira o prazo de
seis mezes, visto aci.ar-se escorada, e para os da
segunda vinte dias, em coosequeucia do estado
de ruina, em que sj achara os seus reparti-
mentos interiores, havendo alguns ja desabados, e
outros para isso, era raister que os moradores des
quanto antes, e como os
ainda mudado, e nao posta
so, trai o occorrido a pre-
providenciar, visto que nao
uerem mudar-se, como o
proprietario, que se acha
fra, declara nao ter o dem para fazer os meucio
affirmam que a ouira con-
o fara, porque pobre.
Po.-to em discussao, re:olveu-se, quanto a primeira
concertos de que trata
ao procurador para pn
Outro do mesra >, infi
Florencio Pereira Braf
de S. Benedicto, da igr
cisco; declara que o b
nao lem saluda para )
achara em muilo mao i
teirada, e quanto a segunda
.-cal, que fiado o prazo uiul-
nforme determinara as pos<
o aos aquilinos para que
acowpanhou o do Juiz de Orphaos da Cidade de
IL-zeude, com us autos de advocaturia a que elle se
refere, pedindo providencias, que facam eesar o
conflicto de jurisdiejo creado pelo Juizo de Or-
phaos da Villa de Aias da Provincia de S. t'aulo,
tenho de Ihe significar, que versando scmelhanle
queslao sobre competencia de duas autoridades ja-
dictaras, c competencia j tratada, e decidida por
despacho nos aiitos, o remedio era usar dos recur-
sos de appellaco, ou augravo de peticao ou instru-
mento, conforme a nalureza definitiva ou interto
cutoria da decisao, cuino expresso na Ord. L. 3
til. 2 % 9, L. Io tit. 6 9, e Itegutamento n. 143 de
! 13 de Mareo de 1842 or. lo i 1" E outr> snn, que
qaando o Juiz enfeuda, quedece-em falla de quem
recorra, /rajar da questiio, como conflicto, p le
usar do jno, que consagra o Regiment das Reta
ces du'A de Janeiro de 1833 no art. 61, e a Retardo
proceder como entender de direito.
Dtu guarde a V. Bxc.Ensebio de Queiroz
JJotitinho iattoso Cantara.Sr. Vice-Pro.-idenle
da Provincia d-> Ilio de Janeiro.
se mudem, e se os priprietarios nao fizerem os
vestorla, avisasse tambem
videnciar.
rraando a petjao de Luiz
a, presidente da confiara
ja do convento de S. Pran-
eco de quo o meiro irala
frente, e um dos que se
stado por causa da iinmun-
i os moradores, e peh dlvi-
ntaes das casas all exis-
ta oomeacc de seu caixeiro Francisco sao de taboas que nos quu
da Triudade.Ite"isire-se. lentes Ihe flzeram os eus moradores, parece que
linal do art. 6o das pos
1855 perience a mu
limpeza, visto que os
pobres, pede aulori.-ac,
a limpeza do mencin
sao, mandou-se recom
proceder a limpeza en
citado offleio.
Tendu os empreiteirl
Manoel da Silva Santo* Henry Forster & C. e Joao rido para que a cmara ordenasse ao sen eogenhei-
Quinao de Aguilar, pediudo .-er admatido raa- ro, para indicar ao f ngenheiro da companhia dos
tricla.Vista ao Sr. desembargador fiscal. mesmos irilhos. o lugir na Soledade
No de Tnereza de Je.us Azevedo, pro|>rieta- ser aberta lima roa
ria armadora do hiale Marta Amelia, ouu'oia bar pedido, mandou ollleir
caga, pediu.ly que se Ihe d a respectiva carta de | eogeoheiro, e assim d sspaehou a peticao dos ditos
reghlro.Vista ao Sr. desembargador liscal. empreltelros.
No de Rento de Barros Feij, hespauhol, de 42 Despacharam-se as
iJo referido becco, com ludo
a esses moradorec que re-
faziain a divisio para licar
lio a aquelles que qoizerem
sas: e sendo corto que pelo
oras de 20 de novemhro do
Icipalidade mandar fazer a
moradores sao nimiamente
Sopara alugar carros fazer
do becco. Posto em discos-
nendar ao riscal que tizesse
dito becco, como exige no
os dos trilhos urbanos reque-
onde tem de
a cmara assentiudo a esse
no mesmo sentido ao seo
leticoes de Antonio Jos de
annos de idade, ebelecido oesta cidade com com-: eo, Landido Martin i d Araujo, Praocwco AITon-
mercio de chapeos, pediudo ser admellldo mam- so Marlms Garvalho, sabel de parias Uuimaraes,
cula, juntando em abono de sua preleuco am al- Joao Luiz & Narcizo (i, bacharel Jos Bernardo
testado dos c.imm reanles Feliz Souvage & C, Galyao Alcoforado, ba
Joaquim Monteiro da Cruz e Augusto Cesar de ra, Luiz Florentino Pt
Abreo.Vista ao Sr. de.-einbargador Bseat Fjuza, Manoel Martiai Fiuza \ e levautuu \
No de Jacintbo Jo- Nunes Leile, portuu-uez, de sSo.
das Neves. padroeira da provincia, tendo sido mu
tu esplendida, bem como as novenas.
Fbi extraordinariamente festejada a rendi;5o de
Urugjayana, por Te Deam, e fogo de artiticio, quei-
m id i, a expensas de particulares, no largo de pa-
lacio, na uoute de 17.
Acerca dos festejo diz o Publicador :
. Defacto o r ! i letra s 7 h'iras da noite, com um expleo-
dor, pompa, e concurrencia, quaes s as vimos na
visita de S. M. o Imperador a esta provincia.
A matriz eslava ornada, como para a feta,
que se havia lindado no dia anterior. A mesma II-
lominac&o interna, e exte.na, sendo que Indi a ci-j
6' companhia.
Capito o leoeote da mesma Donndo da Cunha
Lima.
7' companhia.
Capital o lenle da mesma Cimillo Augusto Fer-
reir da Silva.
8* companhia.
Capitao o lente Juvino Epiphanio da Cunha.
Teupiite o alferes da mesma companhia Aurelio
Crispiano da Cunha.
Aiferes o alferes reformado do exercito Jorge Ro-
drigues Cidreira.
Dlstrilme se hoje a 6' forma da Bibliotheca
Lilterari i.
A respectiva empreza, pretendendo dar de ago-
dade se illuminou igualmente. ra em diante mais de urna forma por semana, a
Todos os sacerdotes existentes na capital, quer instancia mesmo de um grande numero de assig-
seculares, quer regulares asststiram ao acto. ; nantes, resol vea para isso realisar, solicitar dos
Um numero crescidissirao de seohoras no rnais, seu* assignaates o allantamento de 15 correspon-
-o t'jilete de gala, oceupavam as cadeiras,' denle a seis forma; e espera que essa coadjuva-
.i lioham sido collocadas no corpo da igreja, a gao Ihe nao sera' recusada atient) o fim e a modi-
qu.il Qcoo lateralmente cheia. cidade da qnantia.
Tudas as pessoas d'e>ta capital, que se acha- Contrataram-se para servir na armada em
vam em clrcnmstancias de poderem peuetrar na quanto durar a guerra os machinistas brasileiros
os Srs. Delfino Duarte Rodrigues, e Joronymo
Duarte Rodrigues, mocos destnelos e de boas
qualidades, senlindo pulsar em suas veas o san-
gue, de urn verdadeiro brasileiro deixam as suas
vidas tranquillas e aliram-se aos mares, para ir em
defeza de sua querida natria contra os sclvagens
inimigos |iaraguayos, estes honrosos exemplos sao
digno de todos os elogios. Os ventos sejam propri-
25 annos de idade, domiciliado e eslahelecioo na
cidade de Macelo, capital das Alagoas, com nego-
cio de gneros seceos e moihados, erff grosso e a
retalho, cujo crdito commercial comprova com
attestado dos commerciaules Joao de Abunda Mon-
teiro e Joao de Siqueira Ferrao, pedindo ser ad-
mettido matricula.Vista ao Sr. desembargador
No processo in.-iaurado ex offlcio contra o agen-
te de leites Aureliano AogUstO de liveira, pela
falta de apresentacao do conhecimenlo do respec-
tivo imposto.Vista ao Sr.desembargador fiscal.
N'uuiro cent a o agente de leudes Luiz Antonio
Rodrigues de Almeida, pelo mesmo motivo.Igual
despacho.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente eucerrou a sessao s 11 horas e meia da
manha.
SESSAO JUDICIARIA EM 19 DE OUTUBRO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESKMB.U'.ADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As 11,(horas da manliaa o Exm. Sr. presidente
declarou aoerla a sessao. estaudo rsooidos OS Srs.
En Francisco Cano
r. Villas Boa-, Fono
harel Joo Francisco Teixei-
reira Braga, Manoel da Silva
a ses-
o da Boaviasem secretario a
subscrevi, Pereira Sinoes pro-|iresidente, Santos,
ca, Bego, Silva do Brasil.
0OM1M HGADOS.
O correspoodente lo Diario do Rio de Janeiro,
referindo o fado de h iver sido pronunciado em ci i-
me de responsahilida le o delegado do Io dislricto
desia cidade, Luiz de Mbuquerque Martiu- Pereira,
cousta-me, atlriouira o acto da pronuncia, nao
incootestavel justiga dos motivos que a diclaram,
mas a' circumslancia de ser o advogado da queixa,
que den base ao processo, amigo intimo do juiz de
direilo da primeira vira, perante quera foi agitada
aecusago.
Tendo sido eu o advogado a que se refere o dito
tuito de por meio da cavilla-
igurar um acto de jusliga.nue
foi ger.ilui.oiie applaudido, como ajustada applica-
gao da lei ao ca>u occi nenie, sou moralmente obri-
tao grosseira aleivosia, que,
imponente conlestagao no
de que goza o magistrado a
co respocdenle, no
gao c do embuste des
gado a desmentir um;
alias, encentra a inait*
bem merecido couceil
desembargadores Silva Guimaraes, Res e Silva e qUem se e||a dirige.
Accioli, e os Srs. deputados Rosa, Candido Nao devo ao illuslrao Sr. juiz de direito da jiri-
Alroforado, Basto e Miranda Leal, e supplente nleira vara eenao as atengoes delicadas e cavallei-
Jos Velloso Soares. rosas, que elle sabe distribuir' quanto* o coraran-
Lida, foi approvada a acta da precedeole ses- nicam : a' sua ca.-a ful apenas una vez, de passa-
gein, sem designio dil o visitar. Porlanto, nao
disse a verdade o correipondeule, quando allirmou,
que o advogado do processo do Sr. Martins Pereira
era amigo intimo daquelle juiz.
Nao posso, por maneim alguma, admillir, que o
interesse que se toma por um i-untiado chegue ao
poni de se recorrer a' jdilTainago e a' calumnia
sao.
O conselho director do Instituto flhal dos Advo-
gados Brasileiros, communica em offlcio de 16 do
correnle mez, assignado pelo digno presidente o
Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado, que foi re-
ostallado nesta capital o indicado Instituto a 11
de agosio ultimo. O Exm. Sr. presidente aiolheu
igreja ali concorreram.
Occaparamos lugares de honra S. Exc. Sr.
presicente seu seu secretario Dr. chufe de. polica.
vice-cousules Diuamarquez, PorlugUtZ Inglez, Hes-
panhol, e Italiano e o estado raaior, e mais ollicia-
lidade da guarda, nacional, que se achava aa ca-
pital.
t Urou o Rvm. commendador Lindolfo, que se
prestou a subir ao pulpito, em tao pooco lempo, cos e os mares bonangosos.
|iaia que aquelle acto patritico nao Beasse sem
urna ora gao.
Sob um docel, no lugar competente, se achava o
bostode S M o Imperador, com una guarda de
Fallecen honlem, de urna apoplexia fulmi-
nante, na ra do Pires quando ia em demanda de
sua casa na estrada de Joao de Barros, o Sr. Fran-
cisco Antonio Cavalcante Cousseiro, empregado
4 offlciaes, revesando-se neslc servigo tolos os pre-: aposentado da the-ouraria provincial e escriptura-
sentes. rio da Santa Casa da Misericordia. Darnos nossos
As bandeiras adiadas esiavam collocadas em' pezares a sua inconsolavel familia,
paternal amplexo oas duas coluoioas do arco cru-' Foi capclurado hootem o desertor do corpo de
zeiro. polica Ignacio Jos do NasciraeDto, e remettido
c Nao se pode descrever o prazer, que reassum- pelo delegado de Jaboalao com offlcio de 19 do
brava de todos os semblantes, o recolhimento, e correnle; e recolhido ao respectivo corpo.
coro prazer e.-ta pailiripagao e iransmiltio-a ao paraencobrir osseus errps, enuegreceodo-se a no-
meritissimo tribuual. Dr(! otencao do magistrado, que cumpre o seu de-
JLXGAMENTOS. ver, corrigindoos. Tal vez que o proprio Sr. Mar*
Appell.mtes, osadmiui.-tradores da massa fallida tns pereira fS>e mais daido eofflciosocom aquelle
de Seve Filhos ix C. ; appeilado, Francisco Xivier jUJZj do gue eu> ue nao tbnho, como mulla gente,
de liveira. Adiado na sessao de 12 do correnle queda pronunciada para a> cortezias ezumbaias.
mez., sprezaram-se os embargos. ge o correspondente sbubesse que, depois de
Apnellante, Virginio Barbosa da Silva ; appella- apresentada a queixa ao jijizde direilo da primeira
dos. Carduzo Souza.Adiado as sessoes de ia vara ronira o Sr. Martius Pereira, fra este mesmo
e 16 do crreme mez.Foi confirmada a senten- que deferir a esse juiz o couhecimento da sospei-
ga appellada. gao a que respondeu no priceso, que Instauron ao
Appellautes, a viuva Neves lada, a directora do Novo Banco de Pernambuco., gUD(la vara> nao serja ,:10 u,.,| em aventurar pro-
grahdao de lodos quauos da vam alli gragas aose-
nhor Deas dos Exercito pela incruenta victoria,
que >e Jignou conceder as armas alfadas.
Depois do TeUeum seguio a mostea, com nm
immenso concurso de povo, a percorrer as ras,
em cujo trajelo dava vivas a naci bra.-ileira, a
S. M. Imperador, aos alliad is aos chefes dos
exercllos das trez nagdes amigas, aos hroes de
Paysand Riachuelo, Cuevas, lalahy, e
guayaoa.
I'a-sageiros do vapor brasileiro Parabyba,
entrado de Acaracu' e portos intermedios.
Antonio de Souza Noia e 1 escravo, Maooel C.
Nunes Pinto, Dr. Joao J. Ferreira de Aguiar, Jos
Maria do Amaral Jnior, Gustavo L. Furlado Men-
donga, sua senhora, 1 filho mnor, 2 criados e 6
e Triudade, Francisco Jos Gomes, Joao V. Ferreira,
Uru- F. Cde Carvalho. Joao Ferreira de Souza e 1 cria-
do, Alexandre Lopes Viegas, Jo> Joaquim de
Adiado ,nas sessoes de 12 e 16 do presente mez. posigoes,.
f rejudicada a preliminar proposta pelo Sr. des- ; padameute
euibargador revisor. Foi cunlirmada a sentenga Recife 1
appellada em parle e e n parte reformada com o
voto do Exm. Sr. presideule.
Appellante,Jos Ribeiro Bastos; appellado, Joa-
quim Luiz Vieira.Adiado as sessoes de 12 e 16
do correnle. Foi coulirmada a sentenga appel-
lada.
que o proprio sr.
previmo.
19 de oulubro dt
Francis
- T>-ia>
Marlins Pereira anleci
18G5.
to Teixeira de S.
Ao publico.
No Diario de hoje. sob] a epigraphe Gabinete
i Portugus de Leitara e o p eudonymo Alguns so-
Appellantes, Luiz'Fonseca de Medeiros e Joao cios, vera inserida urna insidiosa poblicacioem
Al ves de Moura ; appellado, Antonio Joaquim Sal- que se procura prevenir o e ipirilo r
SITdivamente leve lugar, na noile do dia 17, Souza, Luciana Maria da Conceigao, Veviana de
a illuininae/io,e fago do pateo do palacio, que no- Souza Caldas, Damazio M. de Souza, Joao Biptista
ticiamos, mandados fazer pelos eucarregados dos Gadea, Candi lo Ferreira e 1 criado, Jeito Baptista
festejos por ocasiao da capitulagaode Urugoayana. de Souza, Elias Baptista e Silva, Manoel Jos Mar-
A cidade illuminou-se a ra Direila pareca tras, Jos Ruliuo de Souza Rangel, Antonio A. da
eontinoaco e complemento da illumioagao arma- Costa, Ani.nio P. Borges, Jos Alves da Costa,
da defioule ao|ialacio, sobre a qual sedesprendiara Pr. Alberto de Santa Angosta, Antonio Francisco
as bandeiras alliad is. Machado, 67 recrulas, 1 preso e 6 pragas de |>o-
> Urna pyramide foi collocada ao lado direilo,. licia.
como comego da obra, a esquerda urna arniagao Passageiros do vapor Mamanguape, sahido
pintada representando um jiortico, noqual se viam para o portos do sul :
em fexes sobre os arcos das portas as mesmas| Jos Portella, Manoel Fontan, Benjamn Beltrao
bandeiras alliadas, oceupando o centro o pavilho de Aleuc.ir, Francisco Xavier de Mallos Telles, Dr.
nacional. | Joaquim Pires Carueiro Monleiro, a senhora e 4 es-
O lyceu, que fica esquerda, eslava Ilumina-1 cravos do capitao tunente Jos Aveliuo da Silva
do pelos estodantes, que quizeram manifestar tam-; Jacques, Candido Jos do Reg, africanos Felippe
bem a parte que ja comegam a tomar na- glorias j da Costa e Fraucisco, Galdino Brasiliano dos San
danagao los, Francisco Gongalves de Seizas Jnior, Alber-
Um llirono armado na entrada daquelle edifi- to It. Glaeuy, Porissidrnio de Mello Accioly, Anto
ci snstentava, sob um docel, a effigiedeS. M., es- oio Francisco Maia e >ua senhora, Jos Alves Bar-
gado.
Appeilante, Francisco Antonio de Bn'.o: ap-
pellados, Rocha Miranda Fnhos & C.
Appellante, Joaquim Martinho da Cruz Correia ;
appeliados, D. Felicia Relaves e a fazenda provin-
cial.
Adiados a pedido dos Srs. depulados.
PASSAGE.M.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Silva Guimaraes, juiz certo :
Ap|iellaute, Belanniuo Alves de Arxa ;', appel-
lado, Manoel Pereira Mouteire.
DISTRI11U1QOES.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes :
Appellante, Joao Pinto Regis de Souza ; appel-
do dos dignos membros do actual conselho delibe-
rativo do mesmo Gabinete, jara que nao fulminen)
por iniquo e monstruosamente absurdo o chamado
processo, que contra mim orjou a ex directora
Ferreira AlvesGuimaraes- Goncalves de Azevedo,
I de ominosa memoria, para lar expansao a senti-
mentos, que me parece poucu abonarem o carcter
! desses senhores.
Sendo esse o fim especial la alludida poblicaclo,
pouco me importariatn as malvolas insinuages
nella arleirament espalliada i, porque deposito ple-
' na f Da reclidao do ronselh) deliberativo, a quem
ja' euviei a minha defeza or escripto, defeza que,
segundo julgo, reduz a p as Improcedente* e falsas
allegages contra mim exhib das; como, porm, o
.ados,'os"administradoresda massa fallida de Amo- autor ou autores di tal publlcagao, sem nenhuma
iim, Fragoso, Santos & C. i necessidade, sem a mnima iirovocagao da minha
Ao Sr. desembargador Reis e Silva : | parte, me insultam cobarde e desabridamente, re-
Appellant.-s, Manoel Ignacio de Oliveira e Jos velando assim quera sao e quaes os seus sentimen-
Pereira da Cunha-, appellada, a directora da ca- tos, entendo eu nao poder responder categrica-
mente aos villoes aaonymos enao chamando os a
lando os degraos daquelle Ibrooo lluminados pro
fu>amenle.
Vanas bandeiras ondulavam a porla do edifi-
cio, onde -e achava urna radeira magistral, da uual
alguns esludanles recitarara discursos e poesas,
modestos, mas sinceros tributos de seu patriotismo.
A's 8 horas chegando o Exm. Sr. vicepresi-
dente, acompanhado de urna cornmissao de estu-
daates, que fura convida lo, tocou o liymno nacio-
nal, subirn) ao ar girndolas de fagos, e rompe-
rn! os vivas dados per S. Exc, phrenetieameute
correspondidos por admiravel numorod pessoas,
que enebiam a rar parte do grande pateo de pa-
lacio.
Nesta festa verdaderamente popular o povo
concarreo com fervor, e era extraordinario o nu-
mero de senhoras, que orlavam o edificio em urnas
poocas de cadeiras eofileiradas.
t A mulher brasileira eminentemenle ialrio-
tica.
O palacio do governo eslava repselo dos mais
dlstinctos cavalleJros da capital e suas familias,
obsequiadas com affavel arnabidade pela Etma.
familia do Sr. vce presidente.
t Pindos os discursos e poesas escolsticas,
principiou a arder o improvi-ado fogo que nao des*
acredilou o pyrotechnico, que delle se eucarregou
durando at qaasi meia noite.
L'ina ceia abundante, e sucrulenta, servida
com lazo, foi offerecida as seohoras e cavaiieiros,
fazeudo-lhe estes as honras que aquetas apenas en-
celaram.
t Senhoras, cavalleiro* e msica, sao os elemen-
i. de um baile, portanto priucipiou o turbilho da
dausa, sement inlerrompldo momentneamente
pelo servigo do cha, que Ihes foi efferecido durante
um armisticio. *
Estas pegas que seguem foram recitadas na
reunio havida em Salgueiro a 24 do mez prximo
passado :
Meas coQfiiaados | Nao venho enire vos fazer
bosa, Dr. Francisco Lucas de Souza Rangel, 1 es-
crava de Joao Ferreira da Costa, Elias Rodrigues
Siqueira, Boaventura Jos Marlins.
REPARTlgO da polica.
Extracto da parle do dia de 20 oulubro
de 1865.
Fora n recolhidos a casa de detengao no dia 19
do correte.
A ordem do Dr. juiz municipal da 1* vara, Nica-
cio, escravo de Jos Baptista Flix, para ser con-
servado alli, visto se adiar em letigio.
A ordem do subdelegado do Recife, Jos, escravo
de Luiz Amonio de Siqueira, a requerimento
deste.
A ordem do _da Boa-Vista, Ricarda Maria da
Conceigao, e Joao Lucio Fernandes, para cor-
reegao.
A orden do do Peres, Joao Valentn) Bispo, e
Marcellmo Joaquim de Oliveira, como deser-
tores.
O chefe da 2* sessao,
J. G. de Mezquita.
CEMITERIO PLULICO, OBITUARIO DO DIA 19 DE
OUTt'URO DE 1865.
Joo Francisco dos Sanios, Maranliao, 33 anuos,
solteiro, Boa-Vista; hepatite.
Dionizio Jos Antonio de Lima, Pernambuco, 30
annos, solt-iro, Boa-Vista; urna estocada.
Jeronyruo Pereira da Silva, Pernambuco, 42 annos,
viuvo, Sanio Antonio; asphixia.
Maria Joaquina de Oliveira Amaral, Pernambuco,
42 anuos, casada, Recife; ensephaliie.
Francisca Romana Nogueira, Pernambuco, 60 au-
no-, casada, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Maria Uuibebna dos Prazeres, Macei, 40 asnos,
casada, S. Jos; estupor.
Antonia Francisca Correa de Mello, Pernambuco,
80 annos, viuva, Boa-Vista; velhice.
Mana, Pernambuco, 42 mezes, Boa-Vista; ctharro
sufocante.
Florentin'o, Pernambuco. 2 dias, S. Jos; espasmo.
xa filial do Banco do Brasil nesta cidade.
Recurrente, D. Anna Luiza de Mello Brrelo ; | barra dos Inbunaes, receloso,
recorrida, a eommissSo administradora da massa
fallida de Gomes & Filhos.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos 4 C.; appellado,
Mello & Irmo.
Appellante, Jos liygino de Miranda ; appella-
do, Beuto Jos da Co>la.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sessao urna hora e meia da
larde.
minio receloso toda-
va de que oo banco dos real, em lugar de ver
apresentarem-se os verdade iros villoes, s compa-
| rega algum misero testa de ferro, lo desprezivel
como os seus despreziveis mandantes, salteadores e
assassinos da repulagao alheia.
At l; e o queoccorrer levare opportunamente
ao conhecimenlo do respeitavejl publico.
Becife, 20 de selembro de if6o.
Joaqnim Gerardo de Bastos.
aUU Mi Mil AL DO RECIFE
4 SBSSO ORDINARIA AOS 19 DE SETEM-
BRO DE 1865
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Preseotes os Srs. Thomaz d'Aquiuo, Gustavo do
Reg, Santos, e Dr. Villas-Boas, abre se a sessao
e lida e approvada a acia da aatecedente.
Lo-se o seguinie
EXPEDIENTE.
Um offlcio do fiscal da treguezia de Santo Anto-
nio, representando que a casa de sobrado de dous
andares n. 11 da ra das Cruzes, pertencentes a
Joo Jos d'Ainurira, o qual obtendo licenga para
fazer os concertos determinados na vestorla que na
mesma fora feita, deitara abalxo os fundos da dita
casa, v-se que a parede do oilo desamparado do
lado do sul, e Mugella, e como quer que o ari. II
do til. 7o das posturas de 30 de junho de 1849, re-
clama sibre levautarse edificios de dous andares
com paredes singellas, e achando se a casa de que
se trata nessas condigoes, participa a cmara para
deliberar como fr de justiga.Posto emdiscusso,
resolveu-se que fosse ouvido cora urgencia o enge
nheiro cordsador.
Outro do mesmo, informando contra a petigao de
Manoei da Silva Ferreira, na qual reclama acerca
da multa que Ihe fra imposta pelo dito fiscal, era
consequeocia de haver infringido a disposigao do
art. 2 do tlt. 6o das po.-turas de 30 de junho de
1819, allegando o peticionario ignorar semelhante
disposigao de postura.Indeferiose.
Outro do mesmo, commuoicaudo ter feilo vesto-
rla na casa terrea n. 7 da ra da Camba do Car-
ino, perlenceote a J"o de Brito Correia, e na casa
raiUCidOES i PEDIDO
CdDflictos dejuHsdiccao.
IIXISTERIO w.t JUSTICA
2* Secco.Ministerio dos negocios da J u-tka.
Rio de. Janeiro, 26 de Seteiibio de 1865.Illm.
e Exm. Sr. S. M. o Imperador, visto o parecer do
Conselheiio consullor dos ueg<(cio> da Justiga, vis-
to o parecer da scelo de justiga do conselho de es-
tado, ha por bem approvar a decisao de V. Exc.
sobre o requerimento de D. Arina Eslevam da Cu-
nha relativoao supposto conflicto de jurisdiccao
entre os Juizesdc Orphos da (japial, e de Castro,
constante a mesma decisao do offlcio de V. Exc.
consistindo ella em
conflicto por ver-
Uuizes de Urplutos,
o da appellacao, uu
tit. 6 i 9. liv. 3
de Margo de 1842,
Thomaz Nabuco de
ni o a do Paran.
de 8 de Julho prximo passado
nao conhecer V. Exc. do mesmo
sar sobre competencia dos dito
para cujo caso Itavia remed
aggravo, conforme a ord. lv.
tlt. 20 9 e regulamento de 15
Art. 15 1.
Deus guarde a V. Exc.Jos
Araujo.Sr. Presidente da Pro
H
Justica.Aviso de, 21 de Junho de 1850.
Ao Vice-Presidente da Provincial do Rio de Janeiro.
Declara as providencias que se deviam dar
para cessar o conflicto de junsdicco entre o
Juiz de Orphaos de Resendc, t da Villa de Aras
de S. Paulo.
3* Secgao.Rio do Janeiro.Ministerio dos Ne-
gocios da iustiga, em 21 de Junho de 1960.Ulna.
e Exm. Sr.Era resposta aoofflflio que V. Exc. me
dirigi, sob a. i 13 <> dala de 14 do corrente, que
Em resposta declaragao ou annuncio que no
Diario de Pernambuco e Jornal do Recife de 1 i,
16, 17 e 18 do curreule lizeiam, Antonio Sergio
da Cruz Muuiz, Joo Jo.- da Cruz Muuiz e Miguel
Archanjo da Cruz Muuiz para prevmir o publico
de que esiavam embargados os bens de raz que
possuo, fago pubhcagao da senteuga que desde e-
vereiro do correnle anuo, julgou extincto dito em-
bargo, e que convence de haver sido feilo dito an-
. nuncio sem fun lamento, com o Iim unicaiiicnle de
ni-ilestar-rae. e prejudicar minha repulagao e cr-
dito; .; desde ja protesto intentar a aeco comn-e-
lenle contra ura tal procedimeoto, para que nao
Oque impune o mal, e injuria, que se me jirocu-
rou fazer.
Recife, 20 de oulubro de 1805.
Manoel de Mesquita Cardozo.
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara.Ma-
noel de Mesqnita Carduzo a bem de seu direilo
precisa que V. S. mande que o esenvao Cunha re-
vendo os aulos de arresto requerido por Anlouio
' Sergio da Cruz Muniz, Miguel Archanjo da Cruz
Muuiz, Joo Jos da Cruz Muniz o OOtrus eontra
! o suppbcaiile, Ihe d por ceriido o llieor da seu-
; tenga por V. S. proferida no- mesmos autos.P. a
V. S. Ihe delira.E. R. M.D Recife, i8 de
' ouiuhro de. 1865.Tavares Vasconcellos.
Pedro Tertuliano da Cunha, cavalleiro da impe-
rial ordem da Rosa, escrivo vitalicio do civul nes-
ta cidade do Recife, por Sua Uage-tade Imperial o
Seohor D. Pedro II que DeUS guardo e.-t.
Cerlific.o que revendo os autos de embargo de
Ignacio Pedro das Noves e oatro=, contra Manoel
i ue Me.-quita Cardozo, como administrador de sua
mulher, delles consta ser o tiieor da sentenga que
se pede por certido da forma seguinie :
Sentenga*
Vistos estes autos. Julgo extincto o arresto de
: foi has, em face da Loui|)o-igao constante da escrip-
[ tura de ful has, e paguem as partes as cusas.
Recife, 2i de fevereiro de i.si;.;.Hennogenes
Sociales Tavares de Vasconc los.
E nada ma.s se eontioha em dita sentenga aqu
: copiada, que eu escrivo bem e Belmente llrel
j por certido dos proprios autos a que me reporto,
e esta vai sem cousa (jue duvida faga, conferida e
concertada na forma do estillo.
Cidade do Recife, 18 de oulubro de 1865.
Escrevi e assguei em f de verdade
O Escrivo
Pedro Tertuliano da Cunha.
9afi.s:i fallida 1 doaiquiu *Jo
Silveira.
Ura dos credores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira, pergunta aos administradores da re-
ferida massa se anda nao esio dispostos a proce-
deiem ao segundo diciendo, preferindo que o di-
nheiro arrecadado peraiau ga infructfera no cofre
a que seja dividido pelos respectivos credores.
---------- e
Erytipella.
O medicamento que com mais inlluencia
e energa tem combatido essa lerrivel en-
fermidade, tem sido o xarope alcohlico de
veame.
Urna escrava da mi do Sr. Francisco Fir-
mino .Monteiro, pessoa bem conbecida nesta
cidade, achando-se de cama, e com as per-
as bastante indiadas, e cheia de lumorvs,
tomando o xarope de veame, acha-se hoje
boa, prestando servicos.
A mana do Sr. Jos Francisco Pinto, mo-
rador na raa Direita n. 51, tendo sido
accommettida do mesmo mal, acha-se tam-
bem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbelina dos
Santos, moradora na ra das Calcadas n.
38, achando-se atacada de erysipella as c-
xas, com ijnatro tumores bastante volumo-
sos, no estado indolente, que a privava de
pr-se de pe lia muito lempo, com o uso
do xarope alcoholicode veame e plalas pur-
gativas do mesmo, acha-se restabelecida, e
uo uso dos medicamentos os tumores ter-
tninaiam pela supporac3o.
A Sra. I). Rita, moradora na ra de Sania
Rila n. 13, primeiro andar, solTiendo do
mesmo mal ha muitos annos, pois que a ery-
sipella atacava aroiudadamente, depois que
tem tomado esse remedio nunca mais Ihe
den.
Outros muitos toctos desta ordem deixo
de mencionar aqqi para nao me tornar pro-
lixo e enfadonlio.
Sendo a erysipella urna mol stia que sem
duvida eleilo de materia gerada no corpo
como expoem alguns esenptores de medici-
na, e em consequeocia da febre lancada
na pello, onde produz inll.mmago, e que
militas pessoas, por nao se terem conve-
nientemente tratado, soecumbem com o
pernicioso uso de que, nos tres dias nao de-
vem usar de remedio algum, o que faz-sfl
estender o mal por nfto se ter a principio
combalido ;, por isso, joois, conveniente
que, logo ijue alguem se sentir atacado de
tal mal, deve provocar a IranspiracSo loman-
do ao principio urna colherinha de cha d<>
xarope alcohlico de veame dissolvido em
urna chicara de infusao de flor de sabu
gueiro queote, adocaddo-a com mais assu-
car, continuando nos tres dias nesse traa
tamenio, no fim dos quaes usara' do xaro-
pe de veame na forma proscripta no recei-
tuano, tendo todo o cuidado de se abalar,
afim de soar conver ientemente, alem de
conservar o ventre correnle, que consegu a
tomando urna ou duas pdulas purgativas do
mesmo veame.
Todos quantos soecumbem desta moles-
tia se diz :fallecen de erysipella recolhi-
da ; ao contrario, alguns expositores pre-
smelo ser o desenvolvimento da putrefac-
cao no san -ne, tanto que o lugar inflamma-
do que, entio a sua cor era encarnada, se
troca em lvida ou negra, e tei m na em gan-
grena, e por essa razSo que conveniente
o xarope alcohlico de veame na infusao de
flor de sabugo, para se conseguir resolver a
inllaiimucao, ou pelo menos terminar pela
supporaeiio, impedindo assim a gangrena.
Os effeitos do xarope alcohlico de veame
applicado na flor de sabugo ao doente, nao
s de vantagem por sua qualidade diafo-
rtica, como pela anti-septica para impedir
a pntreaecao as molestias.
Na erysipella nao deve o enfermo nos pri-
meiroB tres das us?r de comidas e hebi-
llas que possam esquentar e inflammar o
sangue.
A comida durante esse lempo deve ser do
reino vegetal, como sag, familia do Mara-
nhao, pao torrado bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina que
aconselhasse que nos primeiros tres dias de
accom uettimeutos do mal, nao se usasse de
medicamentos; o queelles repeliera sao os
ungnenlos, {unturas que obstnem mais e
repellem do que promovem a evacuaco da
parte ; o que convm trazer o lagar ata-
cado e bem agasalhado para ajudar a trans-
piragao e defender do ar.
O verdadeiro xarope de veiame veade-se
na bolita da ra Direila n. 88, de Jos da
Rocha IVraohas.
Tenho recebido carias de algunas paV*
soas de ou ras provincias que roe MaWa>
nicam ter desta cidade sido rtmettido o met
xarope falsificado, que tem i'a-io resul
ao descrdito de minha preparaco, cujo -
ihecimento se tem verificado depois ds if-
leitos que laes remedios apresentava : as-
sim, pois, tenho a declarar ao poblicu q'.e
id lelreiro ipii vai n-gado na garrafa do
xarope, s^mpre foi assignado por meo pil-
ono, e daqui em dianle, aloi desta assig-
nalura o farei tambi-m no papel que I EN
a garrafa. Rogo ao mesmo publico que
quando forem assim engaad' s, tome* les-
temunhas, me r^mettam os rotlos falsifica-
dos e me participem |>ara faz ir eff'ft'to o
artigo 107 do cdigo criminal do Brasil.
Jos da Rocha Purnnk-.-.
JURUBEBA.
A jnrul.eha un.a das suhstancias awdieaeaw
tosas, ao reino vegetal, e pnente a r
dos inicos e esob.-iraeDlea, stado tm pref
na rom vantagem rootra as febres nterintienie--
acompaohadas de en( irjiianeniode timado e fcajo.
Ella tem sido applicaria coro incocte>utel preavaic
contra a anemia ou chlorose, e hydrope-^ia. catar
rlio da bexiga e mesmo para cooiiiaier a meostra-
co Jiiicii, re.- u I tan te da nie.-ma anemia oo cblc
rose.
Estrato aleoolieo dejurubeba.
Emplastro dem.
Oteo dem.
Tintura dem de dem.
Xarope id ni.
Vmho idera de id-m.
Punas de ext. dem.
Dep isito, pharmaeia de Pinto, rna larga do
sano ii. 10.
\ Jarubeba.
As virtudes IherapeaUeaa da jurnbeba .i, JeaVi
rnuito conhecidas nao so no lira.-il, poM MM i
Ira toa Pisn em >ua excelleate obraUn.na mi-
turalis el medir livti Antilhas, onde o sueco das folha- e fruri c ::.
iqui, muilo estimado e applicada ronira as oaa-
troeces abdoealnae, iiniieipalmente do Igade
bar >; e se lodos os facultativos di-sta provincia o
nao applieaBB com frequeuria, isto se nao deve a
nao recoohecerem elles es>as virtudes, na- slm a
nao .-ereni encontradas rom facilii ade e em toda-
as eataeSes do anuo os frucios des^apUnta, e a re-
pugnancia, que spresealaai os denles ero fajer
uso do sueco de->es fructos, em consequenr d>j
ser extremamente amargo.
Xjuru'ueba nao de.-euuhecida dos bolani.-tas :
esta planta perteoce a familia das snlancas, um
a denominado de solanum pamculatutn, que Ihe
foi dada |>or Lyneo.
l'arectudo-nos conveniente fac litar o oso do
sueco do; fructos da jurubrba, que r> mai- BaV
pregado, nos propoiemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alroolico que pode -er
applicado em pillas, mas tamben, umvinho, asa
xarope, e um emplastro que pode suHiiu.r, em
cerlos casos, o de Vigo ; e estamos persuadido* que
com isto prestamos um tarraja huraandade e a
bterapeadea.
Pisos, tratando da hydropesia, prescreTe a o>-
coc^ao das raizes da 711/ nbeba, e Meras eDehn-,
em seu Diccionario de materia mertica e therajmt-
tica, dizem que n^s An'ilhas se faz uso do -nrr;
dos fructos maduros desea plaa contra o cafar-
rho vesical ; c a autoridade dos nomes desses me-
dicos, merecidameule celebres, nos leva a erer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimentoessas raizes, para que ;.os-am
ser experimentadas.
A reputacao da jurubrba tal, eos resnH
therapeulicos oblidos uliimamenle sao a impor
tantos, que nos parece inulil dizer mais do qu
isto, que Rea escriplo.
Deposito : pharmaeia de
Joaquim de Almeida Pinto.
goijm io.
Caiu lilial '0 li; neo 1I0 Brasil ce
i'einaiii'ti co.
A cana descoma as letras de sen acule pel
daitxa de 60|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Xovo banco de Pcroam-
bnco.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao anco al o prazo de seis mezes
\ovo Cauco de Pernamhicr.
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devindo na razao de 85 por aeco.
aLFa.nhega.
(teudimenlo do dia I a 11).....
dem do di;. 20...............
33l:77i*IVf
.iMjWI
367:3li*0i
MOVIME.NTO DA Al.FADE'iA.
Volumes entrados com fazeodas..
t c com gneros...
Volumes sahidos ce ni (aleadas-----
t coa gneros....
432
765
-----1,197
7
611
------690
Descarregan. hoje 21 Jo corrente.
Vapor inglez6'/ii(/i(//ocmercadorias.
Ilngue francez Trois Freces -dem.
Barca france/aS.mto Andridem.
lirigue dinamarijuezeauette farinha de Irig?.
tingue ioglezAi/w/ararvo de pedra.
liarca inglezaEdilh .Mai ion idem.
lirigue inglezGerlrtutesmerradorias e ferro.
Sumaca hespanholaAijnstina vinhos.
Patacho oortuguez Fui tocharque.
Brigne lagteiBlaelmtk etntt de pedra.
Importaci*.
Patacho portugjez Mana da Gloria, cargado da
Lisboa, manifeslou o seguale :
200 caixas batatas ; a L. T. Alves da Silva.
280 ditas ceblas, 12 ditas sago, 6 dila ovas,
10 dila vermelhao, 80 ditas, 120 meias e 240 qoar-
los passas, oO bai ricas alpi>la, 25 saceos pimenia.
300 ditas farelo, 200 barrio cal, 26 ditos azeile, 24
ditas toucinho, 2 volumes leos ; a Eozebio Ra-
phael Kabello.
i dito rendas'; a J J. Pereira Albandra.
2 dilos calcado : a J. Pereira Arantes.
2 Oilos dito ; a J. Francisco da Crox.
I barril vmho ; a J. P. Moutinho.
20 ditos cal ; a J. Pereira da Cunha & Filho.
5 ditos vinho ; a J. Carlos Ba-tos de Oliveira.
20 ditos azeile, 10 ditos b.ioha, 30 ditos rbonri-
ros, 2 saceos cominhos. 10 ditos pimeLla, 30 ditos
eevada, o ditos amendoas, 10 caixas eaaella ; a
Jos Maria falmeira.
50 Ollas ceblas, 50 ditas batatas, 100 saceos fa
relio ; a Manoel Pedro de Mello.
GO ms de pedra ; a Antonio Moniz Hachado.
2 latas azeile e 1 cesto casianhas ; a A. Joaquim
Penisco.
108 barriscas cevada ; a R. Jos Gomes da Loz.
10saceos pini na. 10 caixas canda 5 ditas cha :
a Andr M. Pinto.
2 ditas calcaiio; a A. Rodrigues Piolo.
19 ditas censervas, 5 ditas bolacha, 16 ditas ve-
las de cera, 63 ditas 149 metas e 315 quart o pas-
sas ; a Thomaz de Aquino roncera.
1 guarila e 2 aucoretas vinho ; a Jos Anto-
nio da Silva Juuior.
1 caixa calcado ; a Custodio Jos Alves Gnima-
res.
25 barris azeite ; a Silva & Cardoso.
10 ditas alvaia le; a J. M. da Cruz Correa.
112 pedras para moioho ; a M. J. da Silva Oli-
veira.
50 saceos farello, 50 barris cevada, 90 ditos cal;
a Joao Macedo do Amaral.
75 caixas peixe, 30 fardos albos; a M. I. de Oli-
veira A Filho.
3 giges objectos de barro : a A. J. de Magaihaes
Bastos.
2 caixas calcado; a Chaves & Vianna.
*


MMHMi
Diario de ieii>atii>0 -^ ab*ado ti 4c i> ti tuina de 1S*.
1 dita ; a Satyro Seraphim da Silva.
100 barris cal; a J. A. Pialo Serdio.
416" 1(2 varas lagedo; ao baro do Livramento.
i vlume drogas; Caors <& Barbosa.
t Ato dilas; a B. K. de Soaza & C.
5 barris vinho; a J. Ribeiro Lopes.
Vapor nacional Parahyba, entrado dos porlos do
BOTle, manifeslou o seguinte :
De Maco,
2 saccas algodio ; a Manoel da Silva Sanios.
71 ditas dito; a Candido Perreira de Souza
Torres
58 ditas dito ; a Jos Torquato de S Cvale nti.
1(1 ditas dito ; a Jos Joaquim de Souza.
4 ditas dito ; a Gama & Silva.
30couros salgados, 55 meios courinhoscurtidos ;
a Tasso & Irmos.
20 arrollas de carn, 13 ditas de cera de abellia,
1 barril tnel de dita ; a Manuel do Souza Carneiro
Pi ansio,
520 couriuhos; a Cunlia Irmo.
17 arrobas carne ; a Antonio da Silva Puntes
Guimares.
Do Acarar.
298 meios de sola, 1,000 r.ouros miudos, 3 bar
ricas gomma, saccas algodio ; a Jos de Sa Lei-
lo Jnior.
200 courinhos, l sacco gomma ; a Joo Ferrcira
dos Santos Jnior.
8 barricas gomma ; a Antonio Goncalves do
Azevedo.
96 rolos salsa, 14 caits fazendas, 1 dito cha-
peos de feltro, 6 ditos machinas de descarocar; a
F. Eustaquio Rodrigues.
Do Cear.
75 frasqueiras geuebra, .10 capas cognac; a or-
dein.
Do Natal.
I? saccas algodio; a Rocha Lima & Guimares.
2 dit.s algodio ; a Manoel Jos FeraanVs de
B.irros.
VIO pell"< de cabra ; a ord<*m.
tingue ingle/. JeanHIe, entrado de New-York,
t igoado a Pblpps Brothers & C, manifestou o
ceg ate :
2,638 barricas farinha de tr go ; aos meamos.
Bngua inglez Baichit, entrado de Liverpool,
consignado a Sauuders Brothers & C, manifesteu
o s >goiote :
343 toneladas de carvao de podra ; aos inesmos.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
i;, lmenlo lo da 1 a 1S...... 29:1203 SO
dem do da 20................ 3:927*712
33:350J842
CONSULADO PROVINCIAL.
i-, lmenlo do da i a 19....... 29:635*480
dem do da 10............... 4:724*907
33:862*880
POBTO
S'.ino minti na fita 20.
carac e pori-s interroedios10 das, vapor bra-
silheiro Parahyba, de 104 toneladas, enroman-
dante Joaquim Jos Manas, eqalpagem 21, car-
ga varios genero*.
Natot saltillos no metmo da.
Babia.Patacho brasleiro U. Lmz, capitSo Jos
F -rreira de Aleve lo, carga d.llerentes gneros.
Liverpool' lingue inglez Titania, capitao J. A.
Tiioraaz, carga assucar e algodio.
Liverpool Barca (ranceza Maurtee, capitao Varlet,
carga algodio.
Porlos do SulVapor brasUeiroJfamaiioMupe, cora-
mandante Trajaoo da Costa Mello, carga dille-
rentes gneros.
Tribunal do commercio
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir com mufla brevidade o palhabote
Pela secretarla do tribunal do commercio de
Pernambuco se fas publico que nesta data fica re-
gistrado o distrato da sociedade que sob a firma nacional Piedade, tem parte do seu carregamento | Qointa-fera 26 do correte as H horas,
de Neves { Cruz tinham nesta cidade Antonio
lo especial do commercio, o quaes a perlencen-
teta re/erida massae se acharo era poder do dito
agente a eiaraa dos pretendemos cujo leilo ser
enVi-taado
11LTAIS.
O )r. Trislo de Al near Araripe, oflicial da impe-
rial ordem da Rosa e juix especial do omm-r-
ci n Sai M igestade Imperial e constitucional o Sr D.
Pedro II que Deas guarde, etc.
Paco s ib ir aos que o presente edital virera edel-
ie noticia tiverem que por parle do administrador
da rasssa fallida de GuiInerme Camino & C, me
f.-i 'iingila a policio do theor seguinle :
film. Se I)r. jais especial do commercio.Dii o
ao Ministrador da massa fallida de Gnillierme Car-
valhu ,S: C, que precisa iuterpor o protesto de que
trata inierromper a prescripc > djs dbitos dos seguiu-
les levadores, por leitras a indicada massa: Joo
' Vi ''ni das Neves, 3 letiras no valor de ris.....
5:724*934, Jos Luiz de Siqaeira Cavalnante 3 let-
tras no valor de 2:403*000, Pedro Jos de Mello
Costa 1 li'ttra no valor de 860*000; e los Martms
Non : 'ira de Mello 2 latirs no valor de 1:430*036
e p irque os supplicados se acnem ausentes em lu-
gar ignorado, reqoer a V. S. que turna lo o protesto
>or termo, se digne admitti-lo a justificar a ausen-
cia e sendo quanto baste o julgue por sentenca
mandando passar carta de edital or 30 das afim
' i o os supplicados intimados do indicado
proles! >.
P le a V. S. deferim mo.E U. M.Joaquim de.
\ in p rque Mello.
Sa iiual del o despacho do theor seguinte :
Justifique no dia J3 do corrente depois da au-
diencia.
Recite, 22 de setembro de 1865.Alencar Ara-
ripe.
Ku virtiile do qnal fora a mesma peticio distri-
buid < ao es. rivio oeste j11iz-> que anta iiiiui serve
M ni icl Mara Rodrigues do Nascimento, o qual la-
\i .i i o termo de protesto d i ie -r seguinte :
Termo de protesto.Ao- 23 de setembro de 1865
oa cidade do Recife em meu eariorio appareceu o
supj i ai p ir seu balant procurador u s ilcita-
dor ,' ; lim I" Allni | i"!' ;i M lo, e '!i- p -rail-
te ratm o as lesteinunlias infra assgnadas que re-
do/., a a protesto o c inteud i de sua peticao retro, a
qua recen como parte i] i presente que Oca
gen do: e le com i a--in u diss i e protestou lavrei
e-i" termo, no qual dep lis de lido se lirmou com
as dilas testenraohas.
E i Manoel Mara Rodrigos do Nasciraento, o
esenvo oescrevi.Joaquim de lbnquerqae Mel-
lo. Tnoraaz Paria.Augusto Luiz Pereira da Cu-
nta.
E ten lo o supplicaate prodtuldo 'saas testema-
nhis sllalos e preparados os anos snbiram a mi-
nh'i eoneluso e nella dei e profer a minha sen-
teci ito theor seguinte :
ll.'i por jastificada a aaseacia dos supplicados ; e
assi ii manda que seja n elles citados por editos de
30 lias para o dm requerido a falla 2 pagas a-
cu-l^s es-eausa.
Recife, 28 de setembro de 1805.Trislo de A-
leocar Araripe.
P r forea da qual o referido escrivo fez passar
o presente pelo theor da qual intimo a hei por Inti-
mado aos ditos sapplysa los para que comparecam
este jiiizo dentro do indicado i>r.i>).
E (.ara que chegue ao cooh cimenln de lodos
man le pa-sar. o presente que sera' publicado pela
imprensa e Hxado nos -lugares do cn-tume.
I!.-..-ifu, 3 deoulobro do 1865.
Bu Manoel Mara Rodrigues do Ma-cimenlo, es-
rivio o subscrevi.
Trislo de Alencar Araripe.
Francisco das Neves e Franci.-co Pedro da Cruz
Neves, a cuja liquldaca i fica obrlgado o ex-socio
Antonio Francisco e o ex-socio Crai desouerado
de toda responsabilidade.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco 18 de outubro de 1865.
O offlcial-maior,
Julio Guunaraes
liis|icn;aii to arsenal de marinlia.
O arsenal de marinha admitle serventes para as
obras com o jornal de 1* diarios.
Inspecgao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 19 de oulubn de lfrOo.
O secretaria,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Snbdelegaiiade polica da freguezia da Boa-Vista
18 de outul.ro de 1865.
Foram apprehen.-lidas a um menor um par de
argolas de ouro com dons diamantes, que so sup-
poo terem sido fuadas, visto como o mesrao me-
nor as andava vendendo por baixo prego : quem
pois se julgar com direiloas mesinas argolas. dan-
do os Signaes ou provando. ser-lhes-ba entregues.
O subdelegado,
Decio de Aquiuu Fonseca.
Arremata gao.
Finda a audiencia do dia 2i do correte, do juiz
I municipal da i* vara, escrivo Cunha, -era arre-
| matado por venda a i|uem niais der, o sitio de ter-
ras denominado Forte, as Candelas, com 655 pal-
. rnos de frente, 800 de fundo, com 80 ps de coque!-
ros. terminando pelo lado do sul. com Ierras de
i l'edro Joaquim de Barros, e pelo norte com trras
I de Madoel Gregorio, servindo de divisa pelo sul
um pdearoeira, a pelo norte um canlo da mes-
ma arvore, avahado dito sitio por fiO'l*, 0 qual
I vai a prae em virtiile da execucao que a santa
casa da misericordia desta cidade move contra os
lieideiros de |), Anua ll-uedicia Buavenlura do
Carmo, viuva do coronel Agostlnho Cesar de An-
drado Mello.________
muu) m\i~
Pela almini.trac.il do crrelo desta cidade se
faz publico i|ue em virtude da convenco postal
celebrada pelos goveroos brasileiro e fraucez, serao
expedidas malas para Europa no dia 30 do correo-
te mez pelo vapor fraucez Navarre.
As carias serao recebidas al a? 2 horas antes
da que for marcada para a .-aluda do vapor, e os
jornaes al tres horas antes.
AdministracAo doorreio de Pernambuco 21 de
outubro de I8B3.
O ad ninisirador,
______________Domingos dos Passos Miranda.
No dia 24 do crreme, depois da audiencia
do Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara val pela ulli-
ma vez a' praga um terreno na ra do Corredor.
do Hispo com 20 palmos de frente e 52 de fundo,
no qual est edificada a casa n. 38, cujo terreno
fui penhorado a Jos Francisco Cesar por execucao
de Joaquim Jorge de Souza.
Rdacit Jas carias viudas da rxcrcilo cm ojicra-
cees nos campos do sul o existentes na adini-
nsilrarao do eorreio desta riiladc, para os se-
Dhores abaia declarados :
Anua Mara da Oinceigao.
Amono l'olicarpo Rod'rigues de Salles (3).
Antonio Fausto de Abreu Contreiras.
Antonio Pricilio dos Santos.
Bernardina Miria dp Sacramento,
Can lida l'i ti -o aula Rosa de S m/.a.
Cantidiano Francisco de. Oliveira.
D. Cosma Rosalina do Naftimenio.
Emiliano Kine-tode Mello Tainborim.
Eugenio Praocis&j das Chagas.
Fumino Marliniano da Silva Cisneiro(3).
Francisco Dorolh i Rodrigues (2).
Francisco Goncalves de Oliveira.
Francisco Xavier Cavalcanti de Albuquerque.
Gustavo L Fuado de Mondones.
H"imino Pinheiro Mendonga de Mallos.
Juvencio Joaquim Igoaci" da Fonseca.
Joaquim Mamede dos Guimares
Joo Baptisla Fernandos.
Jos Francisco llamos.
J- Nicolao da Costa.
M.ina ilos Anjos Lima.
Maria Joaquina de Jess.
Mara Magdalena de Oliveira Mello.
Marcolina da Costa.
Manoel Baptisla Bruno.
M tnoel Telemaco.
ManoffJ Mi-ndes da Silva.
Mano I Pereira da Silva Serzedollo.
Theotonio Tiburcio da Costa.
Valeotim Marques dos Santos.
; engajado : para o resto que Ihe falta e escravos a
frite, para os quaes (em excellenles coramodos,
: tratase com os seus consignatarios Antonio Luiz
| de Oliveira Azeveio & ('., no seu escriptorio rus
i da Croz n. 1.
GOMPAiHU BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos porlos do norle
at 0 da 20 do correle o vapor
Oyapof.k, o qual depois da demo-
ra do co-tume seguir para os
nortos do sul.
Desdeja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua etiegada ; encom-
mendas e dinheiro a frele at o da da sabida, s
2 horas : agencia, ra
Antonio Luiz de Uhvel
compahTa
DE
Kavegaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Aracaly, e Cear
0 vapor Parnhtfba, enmman-
dante Martlns, segu no dia 25 do
'ij^&. correle as 5 horas da tarde. Re-
.jgicebe carga at o dia 24. Encom-
' af-aymondas, passageiros e dinheiro a
frete at as 2 horas da lar le do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Na ra do Brum n. 6, engomma-se roupa de
homem e senhora, frizara-se babadas e i>afos com
aceio e prego commodo. ^_^____
Paca a Ba!iia
segu com toda a brevidade o patacho nacional
D. Luiz ; para o resto da carga que Ihe falta tra-
ta-e com o sen consignatario Jos Maria Palmeira
no largo do Corpa Santo n. 4.
Ciar
O hiate Dous Irmos : a tratar com Tasso
Irmos.
Linha regular do Brasil.
Rspera-se do Havre a galera Sol-
ferino, ao frete de 29 r. 10 0I. Rece-
be carga para o Havre a.frotes bara-
jlos : a tratar com os consignatarios
Tisset-freres.
Para o Marankfio,
No arrnazem a roa da Cruz n. 57.

Leilo
De um sobrar) lie um andar quasi no-
vo, edificado em chais pro ros e na
ra das Agim Verdes n. 55.
Cordeiro Imes
precedida a competente aotortsaeio far lelo do
predio cima descriplo, podefldo desde j os pro-
lendentrs examnalos, para cujo fin oblerfro as
chaves no arrnazem do rebrillo ageute ra da
Cruz n 57, aonde ser effeciqado o leilo.
' Qunta-feira 26 do comente as 41 horas
_______________em ponto.________________
LEILO
a da Cruz o. 1, escriptorio de De IllOVtS, Uieito, ItU (le faZClI'IaS C
ilra Azevedo rPERNAMRUCANA- ivjdas ta masss lallnla .le In.ieo
Januano de Oliveira.
0 agenl" Martina fara' leilo a reriuerimento
dos administradores da massa fallida de Irina Ja
nuariode Oliveira e despacho do Illm. Sr. r. juiz
especial do comm-rcio, dos movis e grande casa
terrea sila na iravessa do Monteiro defronie do
gazomtro, loja de f'zendas di ra do yueimado
11.5 e das dividas da dita massa na importancia
de rs-------
Quiuta-feira 25 do correte.
0 leilo dos movis lera' lugar na casa da tra
vessa do Monteiro e da loja, predio e dividas na
mesma loja a' ra do (Jueimado n. 5, sil horas.
., kJfc^....'.-MUrt'.

CASA DA MTiHl
Aos 6:000^000.
BlIhcteM garantidos.
A beneficio das familias dos briosos
voluntarios da patria.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixoassignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera qne se ac bou
de extrahir, a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os segninles premios :
Tres quintos n. 1653 com a sorte de 6:000>-
Um meio n. 214C com a sorte de 1:200,5.
Um ineio n. 340 corn a sorte de. 6005000.
Dous quintos o. 2312 com a sorte de 2005000.
E outras muitas sones Ue 100,5, 40$, 205 <
oaooo.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
i tivos premios sem os descon'.os das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 4* parte da lotera
'(36*) beneficio das familias dos voluntarios da
patria, iju -o estrahir a 2d do correute.
PRECO.
Bilhetes .... 64000
Meios. ..... 35000
Quintos.....1,5200
Para as pessoi'.s que comprarem de 100r?OOC
para cima.
Bilhetes.....55500
Meios......25750
Quintos. .... 15100
_______ Manoel Martins Ftoz \.
laie experiencia !!!
Fnrlaram as i huras da tarde de quinta-fera, da
porta da talierna da travessa do Queimado. un
cavallo casienho rozilho, grande, com os dous ps
arregacados, frente abena em ero, e na orelha
direila urna marca de feridasem pello, earregador
baixo: pede-.-e as antoridades policiaes ou >i n m
delle sonber, dar parte na mesma taberna, que re-
compensar.
AOS 6:0Q0;?00, 1;800#000
e 500^000.
N#vo c eieelleot p'aw apiirovado.
BILHETES A' .>000, MEIOS A' -idoOO E
QUINTOS A' 15000.
Corre quinta-feia* 26.
en
9
*
Roga-se ao Sr. Ernesto BoMhode Aodrade qnal-
ra apparecer na ra da Aurora, em Santo Amaro,
a negocio que muito deve interessar.
Precis-se de um cria lo para o hotel italiano,
prefere-se esc.ravo, de boa Gooducta e sem vicios
nenhum : na rui do Trapiche n. 5.
SPARtC>
E' a ordem do dia Acabar cora o.
guayos a bayoneta, a mini, a ivvoJver;-
fulniina-los cora m encou:ai;ailus armados
de esporoe?, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em anmna a espada, a
fa 3o e a punial de que se lala; mas
niDgnem se I mbrou airnJ-i dg csiiingar os
Paraguayos co jj as armas que Dens iios con-
cedeu; acabar com elles a tacao e a pona
ps, para o que necessario (ocouracar esta
parte do nosso corfio com os 'rirudaveis
rom(ie-ferro, esmaga c.' lira, arranca un*,
quetiia marmore e otitros qne :e rndem
Borseotiins Uordeaux........ 8i0 K)
patricios......... .';>OuO
para senhora?, en-
feilados....... S|5 O
coto lago u lis ella .. 4h< O
Sapatoes enconracadoa....... 5^000
B-rseguins para meninas hura
e:ast co................. 3,-5'iOO
Sapatos de lona, sola elstica. ^OuO
* avdltidalos......... IJ0OU
de lranea........... loo
econmicos para se-
nlioras........... r.OO
com salto de lastre.. 24*40
Chineloes do Por o.......... I>;;o
Um comp elo sorme tu .ie calcado da
trra para bomens. senhoras e luenins;
assim ci mn bezerro fraocez, couro de lus-
tre, marroqoins, tai as e todas aa fjoali-
dades, litas para sap..t iro, muil surtidas,
sola e couros que todo fisto nr->.seriamen-
te faz cubica ao comp ador pela baratera.
'";
IOJA
m

-
1E
& Ifltffl
;siff
I)K
Acain-se vei
raria ra do Ci
0 palhabote Garibaldi
Vianua : a tratar com Fassu
raesire Custodio Jos I raeio- e quintos da 4" parte da
'radas.____________ja beneficio das familhs djis voluntarios da
Para Lisboa patria, coja exlraccSo sera no logar e hora
sahira' com brevidade o hrigue porloguez tCons-' do COStume*
lante H>, recebe carga a frete e passageiros, i>ara s premios de fi;000(S(000 at 403000
serao pagos tima hora depois da extraccao
at as 4 horas da tarde, e us otitros depois
odas islas.
suda na respectiva thesou- aiivoyado Alfonso de Alboanerqne Mello ao Sr.
Irespo n. 15, os bilhetes, i Beariiioe LtdxCavalcan Waoderlfj
iteria (W)
os quaes t-:n excellenles commoilos: trata se com
Manoel Ignacio de Oliveira Filio, no largo do Cor-
no Santo n. 19, escriptorio.
-- Para o. porlos .lo norte ?.t Mossor vai sahlr d;l diStribOICS
em poneos das a barcaca Raiqha dos Anjos *8 encommendas .-era i ouardulas somen-
ainda recebe alguma carga : a tratar com o raes- te at a noitO da vespei'.i da eXtraCCSO.
Avisa que sobre sua banca foram deixadas ha
dous dias duas letras sacadas pelo dito Sr. Wan-
derley, a quem o anauncianle nao tem a honta de
conhecer, ignorando quem as Uvesse deizado em
seu escriptorio na ra estrena do Rosario u. 34 ;
assim como observa que poucos das faltam para
se nao poder sellar ditas letras sem revalidacao.
tre lolc das Dores, na escadiuha.
ttnMmetttnKivi^ n-*:-.vrr-.

,<:<

Li
O ihesoureiro,
Antonio Jos Ro lrigues do Son a.
la ra
respo
Aluga-se o segando andar do i-obrado
do Imperador u. 7'J : a tratar na na do
n. lo.
ni a cao,
sa.
Ju laba de Abrabaro Fuin uinos subdito bes-
pannol retirase para Para.
De dous escrotos, obras de ono, ar- AlM,,;i.s, Una i,,.wl;;^a wra ,Jlh len,10
erragenS, DealCS dC tanarO- janellas para todos os laJos na aa de Joo For-
,.., ...... i.. ..w.naia nandes Vielra. com um >offiivel sitio plantado e
p, roupa usada o mms. am jog., de bo'tas ,., ,.,, os spus patences: a
i: -polio d Ma-aoel los loares trataran roa Direila n. 137. _____________
diii!i(i;irac*. Alugam-se duas casas na ppvoaeo do Boa-
Por ordem do [lim. Sr. Dr. Claudico de Araojo teiroa margen do rio, as quaes fisto pintadas de
Guimares, eonsul de Portugal, ir a leilo dous' frosco, e lem bons nominados : s| tratar na ra do
escravos, movis, roupa asada, objeelos de ouro, Crespo esquina u. 20.
armacao, ferrageus e fazendas existentes na loja ,r ....----------------
de lariarugueiro da roa das Trincheiras n. 1, tu- VllSStl lilllluti.
t^Z^Zr^G^^^'10"0^ A-ves. Homhuraer l adm.....tradoros da
Precisa-se de 100 ou looj a premio, dando"
se seguranza : quem qnizer dar annancie que se
paga o impor'e do aoouncio.
Precisa-se de mn criado prefere ;e escravo:
na ra das Crutes n. 22, a andar.
Aluga-se urna amaescrava : a\ ra dos l'ra-
zeres n. 22, nos ijoelhos.
No pateo do Terco n 44, preisa-se. alocar
urna escrava para o servico de casa de familia e
paga-se bem; as.im como se vende u.n bom es-
cravo moQj e bonita lisura sem deleito alguro.
pJD:'
0 r. Cosme de S Pi reir co
'-g na a residir na ra da Cruz n. hh, fg
j Io e 2o andar, onde pode sei | 11
^ rado para o exercicio de sua profis- "
SB Sio medica, e com especialidad^ *f
a sobre o seguinte
J 1 molestias de olbos; *;;
de peito : W,
> vi CToai u zt\% ii i % a
: fi. 10-Ru da CafU do R'rife- N. 40
O proprn Urw detle es-
labeltciiiient'. premiado
Com a ned.ilb'. (la expo-
sic'i universal de P ris
J*"-49 uo auno de I8j5, lem el
poslo a V o !> 'l: .-oa I )-
Ja, nm ^ ande -: lin i rito
;>-.f fl clogi s p ira algibeira C n
.. our i' i-rata. si ii'lii i! s melhores fabri-
ca ti tes, de patentes ingleies, jiii-sus e
urisontaes. Tambera lera ama c
qoantidade de r* Ijgi pat. -
m
je
.

m
'.--'

que batem h >ras, ditos para eml in-ai-es
e para cima de in sa, i i los si <
^ao ilos man iioiul mod-ins. O m
roncei la re"gios il i las as r|u ,:.
existentes, Bs>im c ti. tamb-'u r-i
nhronoinetros de algibeira e marili
.. recebe sempre por lulos os vaporas, dm
piel nim nlo de crreme* p tran- '
celms, sendo lodo de ooro 0Fi modelos n.s rnais modernos. f(
.-
Aiupi -e a i-m-, t-iti casa da ilti. ..
'), multe fre>ca <. bous comal il > : o .
Nova n 38. Tambera -- vende.
Quem prec.-ar de um jard i-i: ii i
para mn silio, dn ij i-se a roa de H lar a. I4j
andar, que achara' com ou' m mi ir
Club pernamfcCiUJO.
3
dos igaos .-ent- %f.
Segunda-feira 23 do correute.
As 10 horas da manliaa.
cv C.,
iiimaia -s
M
COiUiEiO GEH4L
Reiaeie das cartas segaras existentes na adoinis-
IrarSo do irreii) desta cidade para os seuhores
abaiie declarados :
Ani olio Antero Alves Monleiro.
Dr. Peiippe Lopes Mello.
Francisco llalino Corroa d-' Mello.
Dr. Francisco Gong Uves da Justa.
Dr. Joio Mauricio Cavalcanti da Rocn.
Jjao de Fre tas Guimares.
Leou Weill9.
Manoel de Queiroz Monleiro Regadas.
-.:.- --.'..: j -..- ;. .-.'.;. .- --
Tilia .1HO
DE
>.* .-'
hP
EMPREZA-OOIMBRA
Sibbado 21 dei outubro
de 18G5.
Segunda renresentacodo magnifico e aparato-
so drama em *> actos
k DAMA DAS CAMELIAS
Fina l i-ara o espectculo com a Miulime poeia
escripia pelo Etin. Sr Dr. Pedro Luiz Pereira de
Souza e representada pela actriz a Sr." D. Adelai-
de. intitulada
HYMNO A' POLONIA
ou
Os volntanos da marte.
Os senhores i|ue Qzeram encommendas de ca-
maroifls e 'adeiras podem mandar ao escriptorio
do iheatro al sabbado as 10 horas do dia.
Comegar as 8 horas.
;m MiBITIMOS.
52 eaixas de vintio imisealcl.
Cordeiro situos
por conta e risco de. quem perteneer fara' leilo
de S caixas de vinho muscatel existente no ar-
rnazem do Sr. Aunes larga daaltandega aonJe se-
ra' tlTeciuado o leilo.
Segunda-feira 2-J do corrente as 10 horas
^_________em ponto._________________
LEILO
De lima taberna nos .locllms
Terca-foira 21 do corrente.
LLalmente aunn-adj o agente ,1'estana fara'
leilo por conlae risco de qaern perioncer da ar-
rnaeao e nii|s gneros e aleocilios existentes na
taberna >ita nos Coelhos em nm ou mais lotes :
terea-feira i do corrale pelas 10 horas da ma-
nha ua mesma taberna.
massa fallida de Guimares Iriqos, pe-lem aos
| credores da massa, que Ihes aprsenles seu.- tila-
1 los, na praso dr- S lias, lindos os quaes proivdeio
I ao dividendo. Recife, Hl de outubro de 186o.
Ju.- Aulouiu l'iutu da Hocna retira-si para
, Europa.___________________[____________
Ni na di Crespo n. 10. briraeiro audar,
deseja-se fallar com o Sr. capiloj Weueeslao Ma-
Chad i Freires Pereira da Silva.
! LETIU PERIDA"
O abaixoasstgnado faz |>:it > me perden urna
lelra de sen aceite, sacada por Soaza. Andrade &
C, em S iie mareo a seis mezes de praso, da
qaanlh de rs. 3517t0 cuja Lira loi paga pelo
I abaixo assignad i aos -acal-Mes, eorai constado
recib) ou- inesmos, 0111 -m em sea podr, e por
isso nada val, pido i|u-' protesta qije nenhum va-
lor lera qualquer tranacao que por ventara al-
guem que a acbar tente fazer com dita lelra.
Apollnaaiu Liberaip oe Helio.
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comprando o trabalbo pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
j prompto restabelecimento dos seus
' doentes.
A p rlida do in-z de onlubro ir. r.
te do dia 23.
A negocio que na > Igoor ..---.
'no pateo do Paraizo n. IC, com o
, val de Henezes Fiaga.
Aluga-se por preco commodr nm m r>
andar do sobrado da roa d Seuzaia Veiha o. .s :
a tratar na loja.
Voluntaria da patria.
Acha-se venda na phot'grapbia arii-lica. ra
Nova esquina da Ctmboa da Canco, o retraa >m
eartoes ..'e visita da voluntaria ia patria f. Ansa-
lia do Reg Uarrt-to, em ponto grande.
Aluja-se urna cocheira no largo do
Paraizo n, (i: quem a pretender dirija-s-
ao misino sobrado.
C. LiiiI.h) subJiti frau
liara Europa.
Leilo
De um piano de Erard, noMlias, lou-
ca, cryslaes, ca ros, cavallos, e niui-
tos oulros ol'jett'is
Tetra feira i de outubro.
Uo Hospicio casa n. 10.
UIIF
Precisa-se de urna ama secoa para cuidar de nm
menino e fazi r mais algum servico .que seja pre
so : na ra do Queimado n. 39, loja de
das.
O bacharel
m
.
i
.
m
fazeu-1 k
m DEPOSITO B GA:GAB0
y.
Francisco Augusto da Cosa
Eduardo 1 WiismJnior, l>.-ndj de retirar-se
desta provincia,
geme Piulo
casa de sua residencia, no Hospicio casa posterior
ao Gymoasio : terca-feira 21 de outubro. Princi-
piara' as 9 l| horas em pauto.
Perdn-se desde a praca da Boa-Yista al o en-
genh i Fragoso um pequeo fardo contendo urna
porc i de caicas e palelols, algum as libras de li- i
nha u na resma de papel almaco : a pessoa que
[ acbou a quizer restituir, pode dirlgir-ae aloja de
Gama tV; Silva, aonle sera recompensado.
Precisase de urna mulher de b ios costuraos
ADVOCADO
Ra do Imperador numero -

.
i i I
na
HHTU xilino. nim/ ui; i^uidi-og .
cia, fara' leilo por- interveneao do 1uc M^ carinbosa, par., tratar de urna crianca de
, de lodos os objeelos perleucentes a Ul a,1,1J : "a rua Rel 7- l0 andar'
SSiBipSS.
SaHia fi-sa'iJa Misericordia
do Recife.
O Illm. Sr. eommendador Jos Pires l-erreira,
tbesoureiro da Santa Gasa de Misericordia do Re-
cife manda fazer publico te. las i) horas da manhaa, na casa do- eipostos,
fara' pagamento das mensaldades vencidas ale o
Biliino -le setembro, aquellas amas que forera
aciiuijianbada^ das respeeliuvs crianzas.
Sei>rtarpa da Santa Gasa da Misericordia do Rr-
.eife ."> de outubro de 1865.
O escrivo,
F. a. CavalcanV C.onsseiro.
U or em do Illm. Sr. engenheiro un chefe da
repar iedo das obra-, publicas se faz publico que o
coa i:- i ,-ara o preencbmento das vaga., de pa
ticantes desta reparlico, lera lugar no dia 13 de
dezeuibro viodooro, as 10 hora- da manhaa.
ii- exames versaro sobre bngua nacional,
abrang indo a escripia, leilura e analyse gramma-
ii .. lesenbo linear e de aquarella, arithmetica
ni idas as -uas operaco--. .- geometra lindar.
i- ; icrimentos para inscripcao dos can
tos '< ; ao ser apresentados al i dia 13. e p le-
r.io *er instruidos com qnaesqoer documenios os
tilul-.t- sqienlifii os que abonera a capaeldade dou
meMn candidatos.
Sv ciara da roparticio das obras publicas 19
de oatdbro de 18IJ5. No imped'nenio do secre-
tario,
Joo Joaquim de Siqueira VartjSo.
CMPtfilii BRVSILEIKA
DE
PaQUETES A VAPOR.
i + E' esperado dos partos do sul
at o dia 30 d i correte o vapr
Galgo, o qual depois da demora
do costume seguir para os por-
los do oort .
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder coaduiir a qu U devora
ser embarcada no dia de sua r.hegada, eneommen-
das e dinheiro a frete al o dia da sahida as i ho-
ras : agencia rua da Cruz n. 1. escriptorio de An-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & G.
Oe movis, escravos, eabrtlet, cario-
ca, cavalle., uro, piala, apparellios
il". al iliaco e j litar, caiiilelaltros,
relogies de ouro o trata c nitros
miiilos anigos de ijoslo que STiain
imiI'.-i i o nli iiieiicioua-los
Cordeiro ^lines
por conla e risco de quero nertencer far leilo
dos objeelos mencionados, isio
Terca-feira "2'i do corrente as 11 horas em
ponto.
No armazein a rua da Cruz n. 57.
Trastes de casa de familia e urna es-
crava com hbilidales.
por conta e ordem de urna familia que se relira
para Europa fara' leilo de nina mobilia de ama-
relio com poucou-o, mesa parajantar, camas da
ferro, commodas, apparador, guarda louga, cadei-
ras avulsas, louca e vidros, assim como a escrava
de nome Lu]za, a qual lava, cosinha e engomma
com per'eicao ludo existente no primeiro andar
do sobrado da rua do Rancel n.
Quarta-feira 27 do :orrente as H horas,
no mesmo sohrado.
Aluga-se urna casa na rua Augusta n. 92
para grande familia, a chave acha-be parede-meia
junto a mesma : a fallar na na do Vigario u. 20_
I'reci.-a-e Oe urna ama para comprar e cosi-
nhar para duas pessoai : na rua da Imperatriz n.
3i, primeiro andar. ^_______________
Preeisa-se.de urna ama para and ir com urna
menina : na rua da Imperatriz n. 34, primeiro
audar.
Preoisa-se da um amassador de padaria
roa do Rangel n. 9, paga-se bem.
Aluga-se o cegando audar do sobrado da ru
de Sania Hita n. 35, caiado e pintado de novo, e
com commo ios para grande faaiilia : a tratar ou
no primeiro andar do mesmo, ou no armazein de
carne seeea ha rua da Praia n. 44.
0 eabelleireiro.
Curios Dubos mudou o seu eslaheleci-
mento da praca da Boa-Vista para o &o-
.
m
18
O meio hilheto n. 911 da M*OQ i' parte da
lotera das familias dos voluntarios, pertence a
Dimingos Tasso e a Daniel Jos Pereira Lima,
morador em Mamanau.'pe
Jos Joaquim de Oliveira Goncalves e sua
familia cordialmente agradecem a todas as
pensos que se dignaram acoinpanhar ao ce-
mitorio publico os restos mortaes de sua
presada esposa D. Maria Joaquina de Olivei-
ra Amaral. ,
da rua da Imperatriz.
um mogo para cozinheiro: na rua
95 lirado n.
M1
- Ufferece-se
do Forte n. 30.
Aluna se muilo em conta o sobrado da rua
de S. liento, defrunte de S. Pedro Velho.em Olinda
concertado e pintado de novo, lem mnitos commo-
dose bom quintal, muito fresco e fica perto do
banho: a ir lar na rua do Imperador escriptorio de
Dubeux.
Ka
n
m
m
m
aatawuiMaai
GOMPiaii BUSILEIRA
DE
PAQUETES V V.iPOR.
Dos partos do norte esperado
.HJ. <-K ah 0 da 31 do Coi rente o vapor
' -'ffi^ Tocanlitu, c.ornmand.vnte o pri-
HhK meiro lente Pedro RypOiltO
jm||^ Duarle, o qual depois da demora
do cosame seguir para os porto.-- di sul.
Desdoj recebein se passagelrs e engaja-se a.
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, enco u
mendas e dinheiro a frele at o dia da sahida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C.
LEILO
De 13 aced' s da Cali lilial do Banco
do Brasil.
o ditas do novo lianco de Peraanboeo.
Cordeiro Wimes
a requerimento dos administradores da massa fal-
lida de Guilhernie, Carvalho A C, e mandado do
Illm Sr. Dr. Joi'. de .l.reito especial do commercio
far leilo das aecdes acuna mencionadas no valor
de 2005 cada urna, isio
(Jiiinta-feira 15 do corrente ns 11 horas.
No ,".rmazem a rua da Cruz n. 57.
LEILO
| DE
WWfmMM
far leibn de cinco liluios de dividas na impor-
tancia de l:tG9760 rs., a requerimenlo dos ad-
ministradores da mas-a fallida de Miguel Gomes
da Silva e mandado do illm. Sr. Dr. juiz de direi-
A mesa regedora da veoeravel '-onfraria de
Santa Rilado Cacsia convida aos irraios para no
dia domingo 22 do corrente as 3 horas da larde
reunirem-se no consistorio m mesma contraria
alim de acompanharera a procis ao no N. S. do
JBom-Parto que tem desahir da l^iiqa de S. Jos.
Consistorio da veneral confraria 10 de outubro de
; 186o.
Joao da Malta Beltrao,
| Escrivo.
-
Atteucilo.
Precisa-se de nm official de al-
faiate [).ira cortar : na rua da <>a-
deia do Recife n. 38, primeiro
andar.
Alugam-se na rua do Imperador o primeiro
andar da casa n. 39 e o arrnazem n. 16 : a tralar
com Luiz de Moraes Gomes.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, que saiba comprar e coziohar, prefere se
escrava : a tratar na rua do Imperador u. 79, se-
gundo andar.
Alusa-se una boa casa torrea com commo-
dos para familia, em bom estado, na rua da Ale-
gra n. 16 : a tralar na rua da Matriz da Boa-Vis-
ta n. 54. ____________________________'_
Precisa-se de um menino para caizeiro de
loja de onlnqnllharlas da rua do Rangel.
Precisa-se de um caizeiro com pratica de ta-
berna, de idade de 14 a 16 annos, e que (le nanea
a sua conduela : a tralar na rua do Imperador n.
14, e se dir para onde. -(
Aviso polica
Furtaram no dia 16, as 10 horas da manhaa. da
estrada do Manguinbo, um cavallo alaso, cora os
signaes se^uintes : no quarto dirello ferro AA e
na pa 8, frente aborta, tres ps calcados, inteiro,
dinas e cauda curtas, grande e carnudo, psladd
ra nos espinbaeos da cangalha, carregaaor baixo,
e nao novo: ropa-se as autoridades ou pe-soas
que o pegaifnu der noticias na nadarla do Chora-
menino, que gario ham gratificados.
A quom convier ladrilhar a aspbalto um ar-
rnazem, apsareca. aa ribelra do iieixe n. 19. v
~ Pede-se ao Sr. Ernesto Botelho de Andrade,
esludante do o" a o no, que faga o favor de vir bus-
car os seus bahus quo deixou no hotel italiana.
PABWCAWNACASADIDETF.XCM
Rua .\ov.i d. Sil.
Ahi se eitcuntrario obras Je di-
versas i|iiali lades, e por pre\o uui
diminutos, a letalho e em porfes.
S se vende a dinheiro.
. m#h:.< i w, -
Guilherrnino RoJrigucs do HoMeLiaM sviea aos
officaeS e pracas de ludo OS b^lall.'>< qu
beu un completo sortiioenlo dolad abjtilus
como sejam : bonets, talios, caattoas, banda-, la-
labarios, eharlatoiraa, espa I-- a g a- le i i *
larguras, e ven.le-se mais l>arato do qu* em nrr
qualquer parte, na inesn a i'ij.i roncera
querobject i tendente a mesma ai l : aa |
Independencia n. 17junto a loj de c lo
Sr. Arantes.
AMA
Precisa-se de urna ama para ra-a -. fi-
nnlia : a tratar na rua d i Rioayl n. W, m lar.
O abaixo assltroad i vi n a su i labn sa na
na rua Augusta n. 114, ao Sr. Jos i i Otilo Goi-
mares, llvre e desembaraza la.
Antonio de Souza Pe eir.
O abalxo assignado declara ao c-irr-o caav-
mercial que lemju.-toa compra di lab ras .i.i rua
Angosta n. lli. perteneante ao Sr mim
Souza Pereira lvre de divid is. nao d |
como le imposius. porUsto >e al^uem > )aataf
com diri-ito a mesma dinj^-se ;io p i da lid ira
n. lo, oestes 3 dias. Recife 19 de oolubro de
1865'.
Jos dn Coulo Guimr.'a-j.
^ U>ga-se ao Si. Z.ferin II ;|. itr- QXAa- 'ajf
J drade (esludante) de d n>ir >e a rua .;o -^
j^j Rosario da Boa-Vi.-ia a. 13, i nrgora
mbS que nao ignora, lato no prazo de : .,us. ~-j
JS to contrario declarar-se ha qnal o no ^*
91 ROCO. i,
AVIKO
J. Hunder, tendido retirar-se desta afta rof.i
a seus llovedores que lenham a bondad* de man-
daren pagar suas cuntas na na da lasawi
sobrado n. 19, onde mora o Sr. P roVric
qne p.ta com os nod-ros n-cessari s inr i r,- -.- .-r
e fazer as quilaeo s necessarfaa, Mt paaat us >|oe
nao mandarem pagar al n flm defSf ci-rr-ole
mez depois *ero chamad i- a pjilo
.Na rua Formos.i, eauatiM do aacv dos Fer-
reiros, sobrad i de um aa lar e 9 dao, aai:M--e urna
escrava para ca.-a de familia.
Conlrala-se a venda do ."o i i'.n i as nm
excelleoie mol de furo : a iraiar e.-cm.: ri> e*
Jos Pereira Viaima. na praei do Ofra > > :i! > n. i>.
O alano assiao&du '" i ub kro que oa
mais procurad,ir dos Sr-. Magalhae*, f! i-to* A '..
o nem dSr. Antonio Loilo le Mac,
Recife 18 de oulobro de 18ii.".
Antonio Diiiiidcos Pinto
Franca e Bra-il.
J. Hercier aifaiale francez procis i de h i
faat e h ias e.i-tori'iias : largo dj Carpo Sa-t
n. 27, primeiro andar. ____
Saques $i)i>re Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacara .-obra
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.


1 ^aw av mmmm


Mari*
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, IMKTUUIO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s H
doras da manho, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excep fio dos das santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes:
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos gran les. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LHRO.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr. Jab
dous grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. Mel Moraes............ 66000
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste eslabeleciment sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaciio, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e portanto a maior
energa r certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, p ra o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Irahmento 6 o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
pode duvklar, qae podera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1#500.
As operares serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Corapauhia Indemnisadora
esta bel eri da nesla praga, loma seguros mar liaos
sobre navios eseus carregamentos e contra fofo em
edificios, mercaduras e mobilias: no sra escripio-
j, raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
0JRJI)E BAZT
anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de; 0 fX ill]tlil SISi,......*,,, ,lb,
ouro, como trancellms, correntes, armis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricanteBennetle; com- respetav,i publico que acaba de reeber m ri-
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L. quissmo sortmeot i de objectos de fosto, cono
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfumerie du mond lgat.t), Violet, Societ Hygienique, Mompelas, lJJ. ^a,-l\ns 5a de care'r<\ ''" ic-iiss.mas
Mailly, Regenier, P. Guelaad, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na, riooMmos tapates e mm^omro^ riigi E-7e
China e no Jap5o; ricas pecas de crystal fino como ainda n5o appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,! esiaheiecimenio tornan digno de ser visitado ps-
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite- e adornos para cima deconsolus e para grande toillelte, o que se tem \ los apreciadores, onde encontrarn apar de melhor
feito de rnais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, o* qnaf* em traiamento os mais commodos precos. _______
nada sao inferiores prala, e muitasoutias pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senuo- Afllfi d lfttC
LIQUIDACAO GERAL
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQ&O DE LONDRES
DE
60 Ra da Cadencio Recife 60. ^
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Paris, Londres, Birmingham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condi(;oes
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, per menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Euro a.
Ha neste vasto armazem ric s objectos com brilhantes, como botes.
Precisa se de urna ama de leite ; na praca do
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha ecaf, ditos para j.ntar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado d^s principaes fabricantes de Paris e ditos de pan- CorpoSanto n. i7.""
;no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolffci C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na K?,j|:-^.eg
rua, ditos com figuras para saioes e ditos com figuras em movimento; mode^ nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para S^^^^KS^-.
thealros ou saioes, ditos, de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia o noile; stercocopios de nova in- ^ ... '_ | -.' v1^, meico.me-
ivengaoecom bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento da brinquedos finos para < naneas, e $| icopea nnnersiaaac ae oimora,
Ibonecas fallando papae e mame ; grande eormeato de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem Bj oa r"sUll?s em C3S* t,a,s
i merecido toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sorti;: ento de ca:xinbas, ceslinhas e outras galanteras feitas de crina e seda, v& s v?*.a. a*. e as as .
'proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin >s coloridas com o fundo preto e de outras de lodos os santos, dilas com | *:. "r e' s 3.os (loe"'es i>m SDas3
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas. Anos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal,tr ._ regularmente as oras para
proprio para meio de mesa de jantar ou parajardim; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas, m lsS0 ues'gDaaas> salvo os casos nr-
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outrosj artigos, diversos artigos feitos de rame ; completo sortimento de |J&! ^e",eh' 'lue ser_ao soccorndos q
mascaras de veludo, setim, cera, papelao e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros ; camas >!e ferro de todos 'I113 '1UP1 0C(asiil,)- a consultas
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapos de sol, benga-'.^j l'-, [e .'l116 Proc,,ra.rem no hos-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz pao-de l, bolinbos, etc.; 18 fj!'a. K,',Jro aonde o encontrado
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para Vjagens, e outros artigas, como cobert res, malas, etc., sortimento de & '
violoes finos; figuras fi^as e jarros de alabastro ; galanlarias ei outras ecas de charo para toillelte; machinas para varrer o chao, K
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas1 |
coloridas para illuminacOes moda de Paris; salva-vida de borracha, para horneas e senhoras, proprios para quem toma banhos em ^
lugares fundos ; ameixas novas em caixinhas, biscouios inglezes, em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-i
los seria um nunca acabar, e lodos se vendem barato e muilo barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 00.
BP^SSMB
DE
M&ta&SSkat dtta
DE
J. VIGNES.
M. 55. RIA WO 1HPERIHOR X. oo.
Os pianos deta ulica fabrica sao buje as ;ua superinridade,, raotugense garantas jim ollerecem aos com|iradores, qualidades estas incontesta-
tis que elles tem delinitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praca ; pos-
suindo ura teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importau-
nssimos para o clima deste paiz ; qaaato s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos oavidos dos apreciadores.
Fazemse confoime as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um expledido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
CJompauhia geral liespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
raa Sanca em diihero, depositado nos.cofres do estado, garante a boa da
ministmeo da companhia.
BANQDE1ROS DA COMPANHIA" DIREG^O GEItAL
O Banco de llespaolia Ha Ir id : Ra do Pjradon.IO
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as corabinacSe; de superviencia dos segu-
sobre a vida.
Neila pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhum caso mesmo rcr nri dos
gurado se pe.rca o capital nem os jaroscorrespondentes a estes.
Sao to su prebndenles os resultados ijue produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
cues ecinbiuaado-o com a mortalidade da tab'ella de Depareieux que e adoptada pela companh-
para seas calclos e liqui-dacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsicoannua.
de I0 produzem electivo metlico:
No flm de o annos.......I:ii9300
de 10........3:9125600
de 15 .......11:2085200
i de 20 .......30:2565000
de 25........80:3315000
Xas idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
regular-
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
Para completa I quidaco vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus & C., Lubin, Sociedade Hygienica, Piver,
Violet, L Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Maillk Gillet ftre, etc. etc., dos quaes lia grande sortimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavando, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafiubas e vidros de difieren-
tes modelos, pos para limpar denles, banlia em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos OLlros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposifo de Londres, na ra da Cadeia do Recite n. 60.
PAMA SESIIOltAM,
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de sjenhora, o que se tem feito de mais elegante al o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da ExposicSo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
IUVAS HUTAS HE JOUVIJV.
Vendem-se excellentes luva* de pellica, recentemente c
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da ExposicSo
legadas de Paris, tanto para bomem como paf#senbora por menos de
de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
2*IIOT No grande armazem da Exposicao de Londres, ra da
e na mesma ru:i loja de miudezas n. o, vendem-se excellentes
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antlonio.
Ponte pensil sobre o
Villa da ponte (
Coimera.
Cadeia do Recife n. 60, ra da Imperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8
vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Douro no Porto,
a Barca.
Joa
Prospecta e mais informacoes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia,
'uim Pinza de Oliveira, ru da Cadeia n. 52, i
ciento dos Srs. Itaymundo.Carlos.Leile t Irmao.
ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,eslabel
Ama.
Na ra de S. Francisco, ou Mundo-Novo n. 54,
para cozinhar e comprar, que seja fiel e sem
vicios.
Mu
Aluga-se a casa n. 4 da roa do Principe, com
salas. :t quartos, cotinha tora, quintal e cacimba
i tratar ua roa Nova n. 3.
Samuel Poner Jotiuston k Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
a?indl;ao de i.ow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava los.
Moendas e meias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
fe m#< *k& -; .
\ 3* -
"':
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
;._ tos contina a murar na rua do Impera-
*4 dor ii. 17, segundo andar, leudo alias seu
; h gabinete de consultas medicas, logo ao
^ entrar, no primeiro.
" O mesmo duutnr, que se tem dado ao
i iiid'i tanto das opera^oes como das mo- .M
lestias internas, prestase a qualquer cha- Sj
}-i< mado, quer para dentro quer para tora M
da cidade. ^?

iXoias do baneo do Brasil e das caixas tiliaes
descontam-se na travesea das Onzes n. 8.
i
Aluga-se urna casa com grande sitio em San-
l'Anna, confronte ao amigo sobrado do tinado Bel-
i- m, t-m muitos arvoredos, e'bem localisado por
B na beira da estrada p >r ande passa o omni-
b : i|ii"iii pretender dirija-se a rua da Cadeia
do Recife n.3.___________________________
Ala[a-se muito em cunta o sobrado da rua
d S. Bento, detroate de S Pedro Velho, em Olin-
d<. concei lado e pintado de n ivo, tem muitos
commodos e bom quiotal, muito fresco e fica
|i .lo do banho : a tratar na rua do Imperador es-
criplorio de Claudio Duheui.
^I/WsSR *-.>*' >.'\.-*s.Ai: tW.<.if\;k.--T-.
Companhia fidelidade de seguros H
martimos e terrestres g
estabelecida no Rio de Jaueiro. ^
AKNTES EM IT.hNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, *^f
.'- competenternei
loria da com
. !e,to!iiani seguros de navios, mercado-
*j5 ras e predios no seu escriptorio rua da 3!
0. Cru: n. 1.
Atten^ao.
Pcrdeu-se boDtem 2 de outubro, do aterro da
Boa-Vista Al a roa doCrespo, um embrulho con-
ti'ii'I'i a quanlia oe iil(i-i : ipiem o liver achado e
qoiter levar a rua do Crespo n. 19, sera geceros-
nienie {.'ratificado.
Len Chapelin tem exposlo a' disposigao do
publico o retrato da voluntaria da patria a Exm*.
D. Marianna A do Reio Brrelo em carlfieg e
grande formato.
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Ma binas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
mw&w* immmwm
Atten^ao. m
Todas as pessoas que se algarero ere- Pg
duras do falIfcMu Julo J-.sii de Camino %&
Horaes, por coalas miudas, ttulos ven- B
cidos ou a venc-r-se de qualquer nalure- |
za qns sejam. qneiram aprsenla los na
rua d Queiniado n. 13, no prazo da 8
das, i. contar da data deste para serem
examinados a pagos pelo inventarame
rio mesmo casal Joao Jos de Camino
Horaes Kilho, nao obstante ter o fallecido
declarado em seu testamento nada dever
nesta nra?a e nem de sua escriptnracao
?f4 con>ta divida alguma, pelo que ha pre-
^ siimpcao de falsa toda e qualquer letra
J ? ou ttulos que apparecem assignados pelo
5^ fallecido. Recite 13 de outubro de 1865.
VISTAS oe
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqui est
Pal ci da presidencia, a cavallaria acompat
Theatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre di Arsenal com
PKIIMMBIO.
ve em 1889:
hando S. II. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convento do Carmo.
t illuminaco na frente.
Passeio pu dico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o planque.
VIAGEM A' EUROPA*
Stereoscopios de nova nvenc2o com ricas vistas das prii cipaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
ttalil
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaejo no grande armazem da Exposicao de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja dmiudezas n 54.
Grande novidade chegada 10 vapor francez Navarro
Pelo vapo francez Navarro acaba de receber de Paris um lindo e completo sortimento de brincos de fino cristal, o que se
tem feito de mais moderno e de grande moda hoje nos primeires bailes, passeios e theatros de Paris, sao de cristal branco de dif
ferentes modellos, e tambem d lindas cores, o effeito magnifico testa nova pedra e modello inteiramente novos, bem se poder con-
fundir com o melhor biilhante: lindissimas cruzes do mesmo cri
(es tamanhos e formas para cintos ue senboras, e bem assim boto
manilla,
Tem sua casa de sade
mente montada para receber qual-
I quer doente, ainda mesmo os alie-
8| nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
B opperacao cirurgica.
f* Para a casa de sade.
S Primeira classe..31000diarios.
Segunda dita___3."00
Terceira dita .25000
Este estabolecimi-nto t- j bem
9 acreditado pelos bons serviros que
'& tem prestado.
M proprielario espera que elle
W continu a merecer a conlianra de
jet que sempre tem gozado.
Criada.
Precsase de urna criada para cosinhar e r. ini-
prar em casa de borneo soiteiro : na rua do Quei-
mado n. :i, loja.
Precisa-se alugar dentro do Recife
as ras da Cadeia, Vigario, largo da roa
da Cruz, Apollo, Senzala. um armazem que
seja encuberto e nao unidos para recolber
fazendas de algodo : quem o livor e quizer
alugar appareca na rua da Cruz n. 55.
Monte Christo.
Existe no foro de-la cidade ura solicita-
dor morador na freguezia quena) tem mi
vista, que querendo tornar-se um oulro
Monte Christo, costuma a pagar aos officiaes
com o abale da terca parte, sem atlender
que com islo commetie urna ve dadeira es-
torclio e segundo se diz por ahi este abate
nao recabeeno beneficio do consiituinle mais
em proveilo proprio. a ser isto verdade se-
r bom qui; oscimstitnintesfai;arnoinesnv>
quando forem apreseotadas as suas contas.
(Jue lal o Monte Christo que quer ser
rico por um meio to repugnante!! I
Fi |ue este solicitador c mwnc lo de que
se continuar euseivi mais explcito e enlo
apresenlarei oulros fados que de certo o
publico lera' de apreciabas.
Um official prejudicado.
AliiRa-se o primeiro andar da ^asa o. 6 -ta
na rua Direta : a fallar a* mesma casa.
COMPRAS.
Compra-se electivamenle ouro e prata tm
obras velhas, pagando-se bem : na roa larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
-',<
se
i
1
m
m
ementeaotorisados pela drec- aos
impaabia de seguros Fideida- '
Dentista de Pernambuco.8
m m
g i.ua estrella do Rosario n. 3,
ao pe da igr-eja
^FRANCISCO PINT 0Z0BI0|
mn tolloca deatcs artificiaos ^
pelos -. y liornas mais ni-,. *
m demos
Emprega todos os meios scientificos para
S conservar os natoraes. Pfie ser proeora-
5 do em >en gabioete das 9 horas da ma-
tJ ni.ia as 5 da tarde.
mam
la! um sortimenlo completo de fivellas de madreperola de differen-
s de differenles tamanhos para cohetes. Cartes de visitas das pes-
soas mais celebres da Europa. Estampas de santos o que se tem eito de mais fino, grandes e pequeas: tudo se vende por menos
de seu valor, na rua da Cadeia do Recife d. 60, armazem de Thoi az Tdxeira Bastos.
Silvino (juilherme de Barros compra e e-
de elTeclivamenie escravos de ambos os sexos :
roa do imperador n. 79, terceiro andar.
Compra-se ouro. prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Iteci,
cja de ourives no :rco da G.nceirao.
Xa rua do Crespo n. li*>, primnro andar-
compramse libras sterlinase inoedas de ouro bra,
sileiras.
Comprase papel diario para emtiruiho, pa-
ga-se bem : na padaria da rua da Imperatriz Da-
mero 66.
ASTHMA ASTHM/ ASTHMA
SUFFOCQAO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio effica?. para conibattir estas molestias, acalmar um attaqui
volta 6 o Xarpe aromtico de Succitio (mbar amarello) do Ur Danet. Oes
rcenle, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gravas
lados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, i4, rua do Comercio, Paris-Gr<|nelle, e em todas as
blicas de Franca e do estrangeiro.
(
d'asma e impedir a
poberta inteiramente
admiraves resul-
1
m
.i
ALCOHOLADO de GUAG
de n. Rasgal
a?.o da qual
tancia.
II
Precisa se de um caixero de 12 annos
idade para laberaa, com pratica ou sem ella :
paleo ta nbeira 23.
Prec;sa-se alugar urna escrava que gaita co-
zinhar bem e comprar : a tratar na rua da Cruz
n. 6 primoiro andar.
Precisa-se de 200 a juros a 2 0/0 sobre pe-
nhoreB de ouro, pelo lempo de qoatro mezes, pa-
gando-se lodos os me/es um lano at o importe ;
na rua de Aguas-Verdes n. 21, ou anuuncie.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de C ros & Barbosa.
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova prepoi
basta mencionar suas propriedades para appreciarsua inipo
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagi > veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2" Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais ai_.
as molestias syphiUttcas de toda a especie, ulceracOes primilivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injeccoes, o melhor tratamento do corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da le icorrhea ua
muiuercs.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura dak chagas e fe-
riaos de m natureza, chagas gangrenosas, darlros, ulcera; das pernos,
ophtahnia purulenta, ou blenhurragica, mordeduras e pie idas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izeuto de toda a acfSo mortfera, fdi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacSo
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, C lvo, Diday,
Melchior Kobert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicao, PASCAL e C', 33, rua Monsieur-le-
Prince. Parie.
m
i
i
m
M
k.
m
Rua ta Ouz n. 17.
A abaixo assignada, tem a honra de !SS
% pariieipar ao publico qae o seu estabele- \$p>
.--., cimento cima menciuiiado, acha-se .hoje
>Ss funccionando muilo regularmente, pro-
^, vido de todas as accommodacoes necessa-
ras e sobre tudo com alguma limpeza.
Os>arlies tirmados por meus anteces- ^
sores Cedrim ci K. serao rebebidos at o %&
meado do mn rteonlubro vindouro, os da vjjy
casa terao a lirma da abaixo assignada, ^
e serao como d'aotes transmissiveis.
Tabella dos pircos.
( assigoatura mensal rom direito
a um banho diario a320 rs... 9600 Wt
1 dita de .'10 cartes iransinissi-
velsa 360 rs................ 105800 |*
1|2 dita de lo ditos a 00 rs.... 600
1 banho avulso, momo ou fri ou ?*
de choviseo................. 500 S
1 dito arumalisado com sgua flo-
rida........................ 1,5000 m
Os medicinaes serao pelo prei;o que se S
couveuciunar: JJR
U estabelecimento oslara' aberto nos 3?
dias otis oas 6 da manbaa as 10 da noite g
i- nos das sanlilicados al 2 horas da tar- 5
de, havendo chegada de vapor estara' B
aberto por mais algum ttmpo. S
Mathlde G. Lessa. fe
mmmm mwm mwmm
Os arrematantes da massa falltoa de Joaqum
Vieira Coelho & C. previnem aos senhores llovedo-
res para que no praao de 30 dias venham ou man-
dem pagar o que esto devendo a' mesma massa,
na rua da Cadeia do Itecife n. 3, e que ndo o dito
praso, i s >iue nao paparen, terto de ver seus no-
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branza judicialmente, liedle 5 de outubro de
.1863.
Para quem precisar de banhos, offerce-se
duas casas com commodos para familia, na ilha
do Retiro, junto a ponte da Passagem : a tratar
-om L. M. R. Valenja.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca da Ib
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Comprase urna cadeirinha com dous bracos
que esteja em bom uso : qnem a liver annnncie
ou dirija-se a livcra enryclopediea de J. P.. de
Mello, ua rua da Crur n. oi, liecife.
Comprase BarosM (sement) de al^odao : ao
armazem deaIgodao de Saonders Drjlbers 4 C,
no caes de Apollo.
Comprase um randieiro de paz em boa es-
lado : na rua da Senzala VeUia n. 4S.
Compram-se libras sterjinas : na roa do Vi-
gario n. 17, prinjeiro andar.
COBRE L4T40 E
CHUMBO
t-omprase cobre, lalao e chnmbo : no armvm
da bola amarella, no oitao da secretaria da poti'ia
t- rrpf-a<\tff.-^i 11 laiM 9 fMafir?.
? E R D A S.
CHOCOLATE
De
i"
Musgo de Islndico
Veade-M na botica de
Maurer C, rua Nova n. 18.
i liCjiucm aos corpiulios de cambraia.
ViuJem-se corpinl os de cambraia com ntre-
melos a 41 e 51, rsto se acabr: do : na I ja de
Paredes Port". rna da Icnderatrii n. ' ga, juu.o a padaria franceza.
Catnlnaias.
Parede Porto vende rambraus lisas fins, gran-
de aorUinealo, a 31 at 01. ditas Vi noria au*
linas, com 10 varas a 65, 0,*.j)O e 71: na roa da
Imperatriz n. 52, junto a padaria Canceza.
Vendem-se verdadeiros^ rbarutis da Rabia,
feitos com fumo de llavana : ao arma'. >m do afe-
le Olympi. na rua da Cadeia do Recita i. 36.
Vendem-se qoatro borros de carga e desella:
a tratar na cocheira da travessa do On'idor jaa*
a rua das Cruzes.
Vendem-se e alugam-se bias de Haabor-
go : na roa do Vigario n. I, por pre^o man eoai-
modo do que em outra qualquer parte.


Diarlo de *eruanbuco -- Sabbado 91 de (tatabro de 1SS*.
\
Vendem-se capellas de aljfar pira seren collo-
radas nos tmulos, catacumbas, sepulturas, no da
i do viudouro Dovembro (tinados) com as inscrip-
caes segrales : meu pai, minha m3i. meu esposo,
minha esposa, meo filho, minha filha, saudades etc.
etc., e tambem se vende urna capella riquitsima
de marmore : na praca da Independencia loja de
calcados ns. 37 c 39, as nicas que ha no mercado.
Algodo trancado da Baha : no armazem de
A. V. da Silva Barroca, roa da Cadeia n. 4.
Vende-se urna boa escrava mutila muilo sa-
dia e sein vicios, cozinha e engomma : a tratar na
ra de Aguas-Verdes n. 21.__________________
SALSA PARRILHA DE AYER.
Tra.nscreve.mos aqu alguns
dos muitos attestados que temos
recebido das virtudes da salsa
^parrilha do Dr. Ayer.
Rkeuinafisuio.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
< Soffri rheumatismo por mul-
tas vezes, e vendo annunciado
era ura jornal d'esta cidade a
*"w Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; carnes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joellios; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Eriipccs, borbuthas piistulas.
ulceras, c todas as molestias
da pello.
DO SR. JOO PAULA DE ABREU E SOl'ZA.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
Sollria mais de dous annos de urna
erapcSo sypbililica em todo o corpo, moss
trando-sc sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e cstava quasi desanimado
quatido vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e.
nos primeiros dias a erupeo aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, pboeeb-
sor de medicina y cirl'rjia, subdelegado
em ambas as facultades del sesto dis- ,
tricto.Habana.
Certifico que lie usado la zarzaparril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo lie ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
]or y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser segura, ha sitio muy
eficaz en el tratamiento de las enfermidades'
que exsigeu el uso de los porgantes, y on i
vacilo en recomendar eslas preparaciones.
Y para los lines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de selenibro de
1860.
Dr. ios V. Herbeba.
Kscrophula.
ATTESTAIiO DO ll.LM. SR, FRANCISCO IERRAZ
dos santos. Ouro Pelo.
Me aclio ha quasi dous annos alTectado
de escrfulas, e leudo solfrido tanto que al-
binias vezes quasi que diego a des/nimar.
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por miiilos mediros d'es-'
ta cidade, e nenbum pude vencer i lenaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da "alsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se boje
trinta e sete dias que comecei com este
santo remedio, e lanas melboras tenho
sentido que tenho conviccao de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
tompo.
*ypiiils c molestias lucrrtiriacs.
Do [lu. Sr. Dr. Jacksoi',
Medico muilo conhecido as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receilado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizesresultados; o nielhoi alteran-
te que colillero.
Leneorrfaa e flores brameas.
Temos cartas em que nos contara casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-!
rilha.
O espaco nao nos permitte nwiscrever;
todos os attestados que possuimos Jas vir- j
ludes d'esie extracto composto de Salsa'
parrilha do Dr. Ayer. Hasta declarar ao|
publico que tena sido empregado ha mais
de vinte annos pela prolisslo med> ,a tanto
das Ameritas como da Europa, se.n nunca'
desmentir a sua alia reputaclo.
Para a cura radical de escrfulas e iffecces
escrofoios, sypbilis e molestias sypbi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupgSes cutneas e todo e
qualquer incomir. provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM a
SA,S V I A KSt. S.1E A 85 13 AVE.
A' venda na ra Direita, ns. 12 2G c 7G;
ra da Quitanda n.&[ ; praca da Consti-
tuicSo, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRANQAISE
deP.MAT]RER&C'.e
1
s>:
RA NOVA N
Continna-se a vender dov de caj em calda,
ltranja, |ali e groiella a 5)0 rs. a libra : no pa-
lio do Ciniu, esquina da rita de Borlas, armazem
numero 1
Vendenvse engloba las par i(K>3 as seguimos
obra* : <,T'nnw da nouvtrsa^ao ou repertorio
universal de todos os tonhecimentos neresssrlos
uteis ou agradaveis na vida social relativas as
seiencias, as letrac, artes, historia e ponpraphia.
enriquecido com iOO gravaras representando mais
de 1,000 "jieos. 2G rol., Troplony i vol., U^gron
C cad. 2 vol., Coellto ta Rocha direilo civil 2 vol..
Alejandre Dtimas theain cmpleto 4 vol.. Cabana
do Pai Tltom 2 vol., Boeage, obras completas C
vol, Jud-;ii Errant-: grand-s vol. e Ilustrados :
ra da Aurora Santo Amaro, d>pois d > Gymnasio
e ponte pequea na segunda casa.____________
Vende-se a armac.no toda envidracaja pro-
pria para qualquer negoc > e liem localizada por
cornmodo preco, na ra Direita n. 56 aonde se
tratado ajuste.__________________________
S CAMBRAIA.
Cambrila de forro com 8 \\i varas a p*c,a a 25,
est-se acaiando : na loja da pe na larga da ra da
Impcratriz s. 52, c!e Paredes Porto.
Grande loja e armazem o
Pavao.
Ra da Imperan iz n. 60. de Gama & Silva.
Tendo os propietarios d'este estabelecimento de
liquidaren) urna grande porcao de suas fazendas,
al ao fim do crreme anno, lim de fecharem ton-
tas e apurar dinheiro, resolveram vender todas as
fazendas com grande abatimento' em precos, tanto
, era porcao como a retalho, e por isso previnem a
(todos os seus freguezes, e ao respeilavel publico, e
as|pessoas que negociara em pequea escalla com
fazendas, que neste eslabehcimenlo encontrariio
um grande sortimenlo que multo I lies ho de agra-
dar lano em precos como em qualidade; assim
como mandam pelos seus caxeiros levar as laten-
! das e amostras as casas das familias que nao po-
jdercm vir a luja, ou dao as amosir?s deixando 11-
car penlior.
lamn lilis lisas a 3.S00, na loja do
Ia\o.
Vendem-se pec3S de cambraia lisa branca e
transparentes, leudo oilo e meia vara cada pe^a,
pelo barato preco de 35500, dilas muilo linas, por
4(8500,55, 65 at 105, sendo tapadas e transpa-
rentes, assim como cortes de cambraia com salpi-
cos a 25500 : isio s na loja e armazem do 1'avo,
na ra da Imperainz n. 60 de Gama Ov Silva.
Casimiras escuras,
na loja do Pavo.
Vendem-se superiores casimiras escuras, mes-
ciada e eufeslada.iom seis palmos de largura, pro-
prias para caifas, palelots e coletos, pelo barato
preco de 1560o o covado, assim como cortes da
mesina fazenda para calcas a 25800, ditas garibal-
dinas muilo ba fazenda a lf600 : isto s na loja
e armazem do Pavao, u.t ra da Impcratriz n. 60
de Gama 5 Silva.
Retondes a I2000.
liVendein-se ricos retondes de renda preta, pelo
barato preQo de 125000 : isto na loja e armazem
do Pavo, na ra da lmperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Corles de phanlasia a 3>>00.
Vendem-se os mais lindos cortes de pbanlasia
com as mais lindas cores t|ce lem vindo ao merca-
do, sends fazenda transparente me serve at |>ara
bailes, pelo barato preco de 35500, dilos braucos
fazenda mnito lina a 45000 : isto na luja e arma-
zem do Pavo, na la da Impcratriz u. 60 de Ga-
ma & Silva.
Percales do pavo.
Vendem-se as mais finas percales com os mais
lindes padroes, sendo das nelnores que, tem vindo I
ao mercado a 440 rs. o covado : isto s na loja e :
armazem do pavao, na ra da Imperan iz n. 60, de
Gama & Silva.
l'aiuhi-aias de forro.
Na loja do pavao.
Vendem-se pecas de cambraias de fnrro muito
boas, peo barato preco de 25 e 25500 a pera :
isto s na loja e armazem do pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama ; Silva.
(siams para liomcns.
A 13/5000, na loja do pavao.
Venden) se superiores co-tumes de casimira ga-
ribaldiua, sendo calca, paleto! e colele, pelo barato
preco de 135, on vi-mem-se separado, sendo calca
da mesma fazenda por 45, paleiol da dita a 65, co-
leto da mesma a 35. caigas de cas.-ineta fazenda
de urna s cor a 45, e palelots da mesma a 65. e
um grande sortimento de caifas de casimira preta
pelos baratos precos de 65, 75 e 85 : isto s na
loja e armazem do pavo, na ra oa Inip ratrlz o.
60, de Gama & Silva.
Calcas cpalctolsdc casimira
vende o pavo.
Vendem-se superiores calcas de casimira de diffe-
rentes cores, sentlo fazenda muilo tina pelo bara-
tissimo preco de 75, patelois saceos da mesma,
sendo obra muilo bem feita^elo baralissimo preco
de 105000 : islo s na lujaH armazem do pavao,
na ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os col leles do pavo.
Vende-se um grande sortimento de col leles de
todas as tjiialidades, como de casimira de cor, di-
la preta, de velludo, d.- meia-casimira, de brim
branco e ['ardo, vendendo-se indo isto por um pre-
go que muilo Ibes tifio de agradar : islo s na loja
e armazem do pavo, na ra da lmperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Cortes granadinos.
A tO^UOO, na loja do pavo.
Wndem-seos mais ricos cortes granadinos, fa-
zenda de muita phanlasia que serve at para bai-
les por serem transparentes e com palma de seda o
lecidos com a seda, pelo baralissimo prego de 105
cada um : isto s na loja e armazem do pava), na
ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As camisiiihas to Pavo.
Mendcm-se as mais modernas tamisinhas borda-
das com manguitos, para sennoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di-
tas cun manguitos, pura acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para lulo a 15800 rs., mangui-
tos e goliuhas pretas a 15, tinissimas polinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinitas para
meuina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, ra i
da Impcratriz n. 60, de Gama & Silva.
Chales pretos a 10^0(0.
S o Pavo.
Vendem-se chales prelos de rinda muito gran-
des de qualro ponas, pelo baralissimo prego de]
105 cada um, ditos I rancos de tres puntas a 69:]
na loja e armazem do Pavo, na ra da Impera-!
triz n. 60 de Gama & Silva.
Soulheniliai ques de cor.
Vcndem-se soulhembarques de cor muito bem
enfeilados a 55, 65 e 75000 para acabar : na loja
e armazem do Pavo, ra da lmperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
rgandj modernissimo.
Clieparam os mais modernos organdys com os
mais modernos padoes, sendo quasi todos listra-
dos, como se usara agora, com as mais lindas cores
o lixas; vendendo-se pelo barato prego de 900 rs.
a vara : na loja do Pavo, ra da lmperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas a 210 e 280 rs.
Vendem-se superiores chitas e^uras a 240, 280,
320 e 400 rs. o covado, sendo todas de cores lixa.- ;
dilas inglesas, muilo boa fazenda a 2i.0 rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Irapera-
liiz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de 111;lin a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 2,*,000cada um, havendo tambera um
grande sortimento dos mesmos matizados que se
vendem a 65. 75 t 85000 : na loja e. armazem do
Pavao, roa ta lmperatriz n. 60, de Gama ti Silva.
Os sirnos do pavao.
V-mdem-se riquissimos sinios de filas de diver-
sas cores e dourados com fivela larga e dourada,
assim como enfeites fiara cabega dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao mercado ludo
isto se vende por um prego razoavel que muito
Ibes Ivo de agradar : isto s na loja e armazem
do pavao na roa da lmperatriz n.'.60, de Gama &
As toallias de linlio do Pavo.
Yendem-se superiores toa'has de linho das me-
Ibores que tem vindo ao mercado pelo baralissimo
prego de 95000 a duzia, ou 800 rs. cada un.a. na
loja e armazem do Pavo, na ra da lmperatriz n.
60, de Gama & silva.
As saias do Povo.
Vendem-se as mais linas saias bordadas asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que lem vin
do neste genero, tendo mui a roda, pelo baralissi-
mo preco de 105000; ditas bordadas a croch a
65>00 e 85000, dilas com babadinhos a 95060, na
loja e armazem do Pavo, na ra da lmperatriz n.
60, de Gama cV Silva.
Navas vestidos na luja do Pavo a 10-5000.
Ghcgaram para loja do Pavao os mais ricos cor-
les de vestidos de cambraia transparente com oa
mais delicados bordados de diuVrenles cores a pon-
to de agulha, sendo n'esie gencio a maiur novida-
de que tem vindo ao mercado, parr.ntindo-se o te-
rem muita fazenda e enleites stilllcieutes para o
i'orio.e mangas, e vendem-se pelo Paralo prego de
I05I 0 cada um, na loja do Pavao, na ra da Im
peratriz n. 60, de Gama t Silva.
Os esparlilhos do Pavo.
Vendem-se um grande e variado sortimento de
esparlilhos os mais bemfeilos que tem viudo ao
mercada, sendo de todos os lmannos pelo baralis-
simo prego de 45, 55, e 65000, por haver grande
sorlimeBlo, na loja do Pavo, na ra da lmperatriz
n. 60, de Gima & Silva.
Heias cruas i;>(>00 o 000.
Vendem-se superiores meias cruas inglezas pelo
baralissimo prego de 45000 e 55000 a duzia, ditas
de todas as qualidades'para senhora, meninos e
meninas, Da loja do Pavao, na ra da lmperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
AGUA a.
CoIIeiras de niai roquim, com cascaveis
e sem elle.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou sem elles
proprias para c5es outros Lichinhos.
Ferinas inglezas de ac edouradas.
No novo sortimento de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu: bem acabados, e por es^as boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bi cantes Perry dr C, as recon.metidam aos
entendedores'1 apreciadores do bom, valen-
do mesmo a diflerenca que ha no preco de
1 urnas para outras, por que estas se tornam
mais durareis na continuaco de escrever ;
assim poisquem deltas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
corli nados;
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do prego est
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
da na ra do Queimado loja da A guia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso enlreleni-
mento.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que tas diversas pinturas dellas se formam
agradareis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleilavel en retenimento com o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
teligencia. Os apreciadores dirijam-se
ra do Queimado, a dila loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeitos.
Bonitos enfeites para s^nlioras.
A Aguia Branca acaba de receber un no-
vo e lindo sortimenlo de enteiles os mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Jleas de laa para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mala mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a renda I
o pape! com compoMCo para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facllimo, e o,
effeilo efieaz : molba-se o papel e deixa se'
fic^r n'nni pralo, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen) e morrem. Custa cada fo-'
Iba 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos briuquedos c enlretenimento
para criancas.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.'
8, recebeu diveisos brinquedos para crian-,
gas, sendo estradas de ferro, barcas e patos I
elctricos, apparelhos de metal, louga pinta-1
da e porcelana dourada para almoc e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira.
que se vendem baratamente : na rua i
Queimad loja da Aguia Branca n 8.
Meias pelas de seda para senhoras a
iOO ris o par.
A Aguia Branca quor acabar com a por-
cao do meias prclas de seda para senhoras,
e apesar do muilo maior pre.o que lhe cus-!
laram e o bom estado em que ainda eslo, i
comtudo est resolvida a vende-las a 5C0
ris o par, atlm de que ningucm mais calce
meias pretas de algodo, agiia pois apro-!
veitarcm a qnadra e dirigirem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam-
bem vender as brancas a 15 o par, e des-
tas o nico defeito cstarem um pouco tri-;
gueiras, ________ !
Chales de renda
Paredes Puito, na rua da lmperalriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque- j
ni loijne de mofo, a 35500 e 45, fazenda de 105
e 12,3000.
Vendem-se mais barato do que em qualquer
parte para liquidar, dous bonitos motores para 2
e 4 cavallos, os quaes sao proprios para mover ma-
chinas de descarocar algodo, cylindros de pada-
ria e outras quaesquer machinas : a ver e tratar,
na fabrica da travessa do Carioca n. 2, caes do
Ramos._________________________________ I
Cal de Lisboa.
Vendem-se barris com cal de Lisboa a 05 cada
um : na rua do Brum u. 6(, armazem de assucar.
Vende-se urna casa terrea sita na rua dos
Pescadores n. 29. contendo 2 salas, 4 quartos, cozi-
nha fra e um grande quintal cem sahida para a
praia de S. Jos : a tratar cora Cussy Juvenal do
liego, na rua Direita n. 20, Io andar.
Cal de Lisboa.
Na rua do Vigario n. 19, 1 andar.__________
.Na rua do Brum n. 38 vende-se um moleque
de 10 annos de idade com algum principio do ser-
vico de urna casa.________________________
Vende-se urna casa terrea na rua da Palma
n. 71 : a traiar 00 pateo do Carmo n. 3.
Outros bjectos.
Viudos tambem para a antiga loja
mindezas rua do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setim
ra baptisados.
Outros de merino
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
de
branco bordados pa-
tambem bordados e
nho dos sap.itinhos.
Outras mui finas
brancas listradas.
Luvas finas de fio dp. Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para
Ligas de dita pai a
Peines de tartirugej
embaracar.
Carriteis cora retro;! preto e outras cores.
Carteiras com agu: las.
le fio da Escossia e
lenhoras.
senhoras e meninas.
mui fortes para des-
Agulhas france/.as,
Caixinhas com allin
1 hispas de balcia p;
Fitas de lnho prop
Caixas com linhas
para crochets.
Trancellim de bon
Bonitas flvellas _
domadas, uia Ireperola
taruga.
A loja de miudeza
n. 16, recebeu um
douradas, madrepero!
Kivalsem segundo
Rua do Queimado ns. 49 r 55, I"- r
miudezas de Ires nerr.?, |M-
niandn tudo lio; e ral i zer ver e admirar vevks loj. :
i liiiioiiinlio.
Caixas de papel amizade, e sem lia Um e plMMl
: a MO r?.
Gruas de I loo^a pgaieaoa la na l-
der na a V.:') r>.
Du/ia- de nna te M bzeati i
i dv laa lisas e dv
.- .i x.
r -m i
O
as afamadas.
tes brancos e pretos.
ra vestidos.
ias para ditos.
de novel los grandes
beha preto, redondo.
grandes de aeo,
tar-
m canta e est
que imando m
Bom e baratissimo.
11 ua do Crespo n. 7.
Collares.
mas pa:;. Inripai
f. treitat _v :
- r.' it
!3 d
.. .: <
i
rua do Queimado
Ibonilo sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac.
a e tartaruga, as quaes
csto sendo vendidas fem dita loja por pre-
cos commodos ; assiti como boas e bonitas
fitas de gorgoro acha malotado, proprias pa-
ra dilas fivellas.
culos de peneira e de outras
qualidades, fara quem soffre
da vista.
A'loja de miudezis rua do Queimado
u. IG, tambem receb m oculos de penera
com vidros claros e e euros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armacao
de ac, sonidos em g ros.
Coroas e tercos de cornalina.
lYtM de traa
| W rs.
Esrov i- ;.
:i0 rs.
Pecas de
! .'i'iO rs.
Caixas com \!ietes lrOCea<
gallo canta e e$trSS:JSn.tmmillmi
Pecas de r-.rdao para vestido,
20 rs.
liar.ilhts muilo linos para volU: -u a ttb
j 2*0 rs.
: Latas ci m superior banba i 200 rr.
Francos da n r;a perola moilo tm -" ,-
Collares anodinos ebetro rnajineticas Roier para Vr-,r-'.- e arraSnhas rom agua t-
as crianzas nao morrerera de convulsoes pelo ba- t-J rs.
rato pneo de45. Frase grai nperfor IgD id C Irai
Novidades. J"1 rs.
Riquissimas pnlst'iras ou l.racf-letes para senho- C*'18* con" 12 frascos Je rheif
ra e para meninas a l&. 2 e :\, assim como lin- 0 ''00.
das voas par.i pescoco a 3$. Saboneto p quenos de bou* a 140 .pa
Enfeites. 32 rf-
Riquissimos enfeites pata cabeca cousa de mui- ''
to gjsto a 15300, 3$, 3J. if, 33, (6 e 7*.
Fivelas.
Riqui>simas (velas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
n 70.
A antiga loja de
Queimado n. 16, rece
roas e tercos decjrnilina, os quaes esto
maelo n. 16, acaba d
F.las finas de sarja
dem idem brancas,
dres igualmente nov(
dem de gorguro
e muito*encorpadas,
grandes.
Ir' de seda preta
r? tu oruar vestidos, i
miudezas a' rua do
beu mui bonitas co-
christaos que os qui-
loja : na rua do
a disposicao dos bons
zerem comprar em (it
Queimado n. 16.
Esponjas flnati grandes e pe
quenas.
Vende-se na rua co Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de mi tulezas rua do Quei-
; receber muilos e di-
Cruzes.
Riqu stimas cruzes douradas porm O
goslo que se pode desejar.
Cascarrilhas.
Bonitas rascanilha> ctiii biquinl de seda e
aljfar cousa inteiramente nova i ara enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sortimenlo de binculos com superiores
vidros para os amantes du ilustro.
Assim como ons pequininos
que serte parn enfeite de re- gio mis cem excel-
lenle vidro.
Seslinhas.
Riquissimas cestinlias cora prepares para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para"miase
Pentes.
Ripuissimos pentcs de borracha com aro bran-
co de metal para menina
un
Apua denti6re superior qoalidadea
Caixas com >up-ricr po de an i .
Frascos rores e c
\"2' I.
Fraseos rom sencias para tirar ailna ::
; a iioo rs.
melhor Frascos com rheiros de todoi os pret ai V
UO i : I i
Frascos b n:':s com chfiro fiaos a OOi .
'.'.
- :: pai .
Duzia d
1*800.
Ooilinbas r.u;u ;;as pira seabora a 200 r
Caixas coi:, moldados de chambo para in i .;
Pecas de fila di lia para debrcrc ti .' ,
10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para ..'..
800 rs.
Pedras de lousa pa" nwniBOS a 1C
Bnnecos de choro e par-r-i a I fio rs.
Caixas com bonit?*estampas para r,- K*)
Capachos compndos.boa fazenda ? "
Grosas de bolSes pequeos pretos para
100 rs.
varas d-- cordSo d" esi artilho ,. zO
Novellos framezes com iO jardas .. i .
segurar o cabello pelo
barato prego de 30o rs., e duzia 5, assim cjmo Pe?as de liras brdala; .. 640.
grande sortimenlo de todas a; qualidades .ra de-, Dozla? de meias cruas muio fur'.es e
versos objeetos que iazem completar o seu
bello sortimento, sene o:
da mais estreita que
ba al a mais larga, tedas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja Livrada, de bonitos*
e novos desenhos
lisas e lavradas, pa-
s e bonitos,
ie seda acfiamalotada,
Dar cinto de fivellas I
e de outras cores pa-
olleles, palitos, etc.
dem de la igualan nte sortidas em cores
o para os mesmos fins
dem de algodo bt
ancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha raneas e pretas para
soutembarques. vestid is pretos, ele.
Novas e lindas gua nicoes para enfeitar
soutembarques, vestid >s pretos, manteletes,
etc., obras do muito (osto e modernissima.
sembaracar.
Escovas.
Grande sortimenlo de escovas jr.'> roupa e pa-!
ra cabello, paraunhas e para dente?.
Lunetas e ocuios,
Finfssimos lunetos de um e dous excellentes vi-,
dros e aro tle bfalo o de tartaruga, assim coreo,
oculos com rame dos lados proprio 'ara quen>
solfre dos oculos.
Touqainhas.
Riquissimas lonquinbas de 6lo de linho, dse-'
da e de laa para caiancas.
Fara o cabello.
A superior agua para allingir os cabellos, as
barbas tirancas e fazer rrr.;-'v,-;. os frasco?
acompanha um rotulo que tii-:.:. ;. rma como'
se deve applicar. j
Para caspa.
Superior banha sem gordura m um Irasco!
com agua propria para limpar ? catees, os Irascos]
acompanha um folbePi que eosina o modo como|
se deve applicar, assim como f.gua balsa-nica,
opiata c poz para limpar denles.
Banhas.
Grande sortimento de banbas tm copos, em la-
tas de fullia e em frascos de ti d lai anbos por
precos menos do que era outra garle, assim como
muitos outros objeetos que nao se po-ie mencionar
por boje *s no gallo vigilante rua do Crespo nu-
mero 7.
3S500.
g
R1 o 5- >w ya g 3 s w
C. w P
lili*i lili
lili*] He
= lIBSSefiSS
10. I. ':- J
Tranca de seda com
vos e mui bonitos.
dem idem de core
moldes e agradaveis c
Botos para os mes
tos de seda maiores t
vidrilhos, moldes no-
tambem de bonitas
pres.
mos fins, sendo pre-
menores, enfeilados
com vidrilhos e pend ules e outros de di-
versas cores.
dem pretos de vellido tambem de soni-
dos tamaitos.
Lonetos de dous vidros
e (arla
A loja de miudezas
om aro de aro, bfalo
fuga,
rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidroi com armacao fina de
ac, bfalo e tartarug;
por precos razoaveis
jam-se a esta leja na rua
e os est vendendo
ps pret -ndentes diri-
do Queimado n. 16.
Vende m-se
machinas americanas de s
; algodo : na rua da Senza
As melliores chitas f
escuras c lixas
cova
Xa rua do Queimadon. 1
cezas escuras e finas a 280
Algodo Para saceos e
da fabrica de Fernao Velht
qualidade : vende-se no es
naci de Oliveira & Filho,
numero 19.
m ; m
do
rrote para descarojar
a .Nova n. 48.______
anecias de cores
a 28 rs. o
H
vendem-se chitas fran-
o covado.
roupa de cscravos
j e de muitn superior
priptorio de Manoel Ig-
largc do Corpo Santo
Vende-se
um eavaHo ruco muito bom de carroca : na co-
olieira du Ignacio Cabra I, junto ao pasaadlco.
Vt-nde-se um sitio em emfica a' margem do
rio Capibaribe, com bastantes commodos para urna
grande familia : traase na rua Nova n. 2i. das 9
horas as 4 da larde______________________
- Vende se urna machina movida a cavallo, a
qual serve para differentes misteres, como seja,
paja padaria e descarocar algodo, c farinna : na
rua do llanyel n. 9.
de fazendas bar tas de Santos
> Queimad) n
seguinte:
CoelhOy rua d
19, vende se o
Lences de panno de lio
Ditos de. bramanle de liu
baratissimo pre^o de 3.20).
ho a 2,8200.
o de um s panno pelo
Cylindros.
Na rua Direita n. 84 ha para vender cylinlros
araericanes para padaria, chegados ltimamente da
america.
RETRATOS*
Vendem se retratos de Est.*arribla a 300 rs. :
na roa estreita do Rosario n 11, ph -tograptiia.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escriptono roa da Cruz n. 1.
0 casteflo de Grasville.
Traduzido do francei por A. i. C. da Crni.
Vende-se este b( !lo ihanee em qua
tomos pelo baralissimo pe.;<> de 3j00C
ua praca da Independencia, livraria r.s.
6 eH.
Normas para escripia
Vendem-se normas para escripia por C Adlers,
proprias para meninos, em rolleccSes de ns. 1 a 0,
e tambem colleccdes de ns. I a l : na livraria
universal n. 54, na rua do Imperador.
Pechincha.
Vende-se 30,000 lijlos de alvenaria batida da
melhor qualidade que possivel a 23$ o mheiro :
quem quizer annuncie.
GAZ, gaz, gaz.
Gaz em latas, o melhor que tem vindo ao mer-
cado : vende se no armazem de Darros 4 Silva,
travessa da aladre de Dos o. 57.
M
a a 25400.
iipicus branca e de cor
issimo prego de i500.
nascida com 20 varas,
f.
G00 e 45.
icos pequeos, a duzia
Loberas de chita da Indi
Pecas de cambraia e
com 8 1|2 varas, pelo bara
Pecas de cambraia ada
propria para cofliaado a
lialfies de arcos a '$, '&
Lencos dt cambraia bra
25000.'
Dilos ditos de dita (nos, a di
iiramanie de linho tino cr
ra, pelo baralissimo preco ce 25400 a vara
APwlhado de linho a vara 2
Dito de algodo 25.
Algodo entestado com 7
a 15200 a vara.
Pegas de hreanna de rol(|
para saia a J5300.
Fil de linho liso lino, v,
Dito com salmeos a 15-
Cambraia de linho fina, a vab 45500, 6,300, 95-
Flanelta branca fina a 600 r
Dita de cores a 8SU rs.
Cortes de algodozinbo de !
corados, pwo 1 rpticsiino
Madapolo Qno laigu .. f 1
Esleir da India de 4, o e
proprit para forro de sala, p
em outra qualquer parl<\
Neste. armazem tambem se
uzia 21600 m
m 10 palmos de largu-
jseo.
I|2 palmos de largura
ci>m 10 varas propria
Ira S00 rs.
o covado.
IldvS gOStOS,
r co de 0$.
!('3 a pega.
palmos de
ir menos prego du que
com 15
argura,
sortimenlo de roupa felfa e lor medida.
mcontra om grande
Las para vos
rs. o cov do!!
[-idos a 240
Na rua do Queimado n. I
lias para vestidos a 240 rs. o|
tes que se acabem.
rende m-se superiores |
covado ; a ellas, an
Breo em barricas pequea
Cera em velas de todos os tai
Bogiaa.
Mercurio.
anhos.
Na rua do v igarto n. 19, pjrimeiro andar.

rrr
mi,...-. ;*":m '.. --'< :
Framcisco Jos Germaiio
RUA NOVA N. 42,
acaba de receber uro lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lonetos, binculos, do ul-
timo emais apurado gesto da Europa c ocu-
los de alcance para observaces e para os
martimos.______________
LOJ 00 BEUA FLOR I
Na rua do Queimado a. 63.
Tem recebido um sortimento de cruzes que se
estao usando, de diversos gostos ; s quem tem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimenies de volias
de aljofares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer outra parte.
Facas e garfo .
Vende-se f.-.ccas e garf s de cab-~'- de balanco de
om botao a 85200 a duzia, ditas de dous boioes a
65500, dila para doce a 35 KK), ditas de cabo preto
a 35200, ditas de ca!;o branco, :.:,- e cravado a
35 Tem recebido variados sortimentos de balaios
para meninos de escola, de turma de peixiohos,
pallnhos e outras de diverse gosto, que s cura a .
vista bem se pode apreciar, e tambem erv*' para
o Ieilao do tiospllal portugaez : I5as para botar de
diversas cores a 75 a libra : no beija-flor.
EscoTas parn roupa.
Vende-sc escovas para roupa muilo Doas com
diferenles costos a fi40 e 15. ditas pera denles a
120,240, 3-20 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se paulado papel e caizinha a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelo; es a OiOrs. a ca
xinha.
CAMAS 1)1 FEBRO |
Grande sortimenlo de camas proprias para col-.
legio e tambera para quem quizer passar a fesla :
vende-se na rua Nova n. 33. |
mmm^mm wmx mam
i
#..:.- U lILLi!
Com loja na do Cre.-|" .:. !7. ^
I!.-c.'bel; :! P..i- sc.la- i';-s mui- mm
lo superiores e bellissiis s padiQes, e ^
si chales de renda pretos para I .. Hj
s^ Kslc impurO'nii c.-;.i : -na- {a
S: se rcciihiiniMiaVi'! i '.', :-. ; la va- wi .
B liedade de fazendas soperi..-- .... s .',y
ga gustos
proleja o helio sexo ao Villar gi
^ e vero todos a pros, crida H
KV-.-.- f*;- ;: ''" *?
t:
Desde muilo lempo, o publico
.ibandonou o uso das preparcoes
iulitiiladas depurativas conheeidas
sob o nome do Arrobes, Xaropcs
e Salsaparrilba enmpostos, ele
Cuja arcao, a maior parle das vezes
milla. e u'algums casos pericosa.
Os Cn.vrtnos deplbathosteuo aspicto
K O 80SVO AGRADAVEIS B CON VM IV
PEQLEM) VOLLME SUBSTANCIAN 'TI-
VAS Ql'E O SEO HODC BE riEF-A!.i .
IRALTr.r..HEIS.
< ti :i . ffic* oiiiivcro em Frav,
^a sob o patrocinio das principa'^
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quanlo lem existido alb
boje.
Cura rpida sein o aporro
de nenham outro remedie in
ferno, das escropbulas
(herpes, afeccoes sypfai-
iiticas hypertropbias
dos tesados celulares,
kydropisiaa e em geni
todas as molestias produzidas
pela alteracao do sungue ; ta!
o resultado que queriarnos
conseguir e que temos sem-
pre obliilo.
ma expcacco aceorapanha cadsJ
vidro.
Dcsconfiar-se, das fjlcific-.nisi I
tapies.
Tura Sities, boissom et c', le-, B*Pate*
Eugne, Parii.
' .:'..


\

O i
?

<



Vende-se riscadinho francez a -. u covado,
por ter Kraodrt qnaotidade, esia-sa acabando : na
rua da Imper.itriz n. Si, loja di poru larga, de
Paredes Porto. ____________
Atten^o
Vende-se urna preta crioola de 1>* a 20 asno' de
idade, com habilidades, nao lem >:-'.. u m acba*
quo, multo sadia e posante, propria para casa
de prande familia : a tratar na ras da Matriz da
Boa VisH n. 54.
G\Z.
tofc~-**Mj3*-". 'thff llMi '
Eiii|'ie^'ittli> cem nvariivel successo d v.i
pelos M.Hfos do todos o$ paucs contra ;..- '.foleslu
orgnicas ou Dio orgnicas do corlean, % IfflM .
dropisias e a maior parte das molestias do peilo e -ios
broncbiosipneumoniot, catarrKos pulwumaret, tithmct.
in/ammo;"ie nervosas iot'Jtronchioi, catarrheiriu.eU,...!
0 xaiibi'E de LABELONYE r.o se vendesenac ai
arrafas com rotula de cor e techadas coai ama I ip*
evando a firma do inventor.
P.n. PAniS. rn.- Brbn-VIHeirnTe, 1%
Vennem-se no Recite om casa i) rs 6
Darboza e Joo da C. Bravo & C.
No armazem da rua do Imperador c. 3 ou no
Caes de Pedro II n. 2, tem para render-Sfl o me-
lhor gaz siente no mercado.
NoYdat!.
Chegaram es bonitos rha'es e rMB&s
re braucos, e ven!em-se a ua da ImperaLu i.
32, loja da p.rt? larga, de .'ir des Pono.


WmMI
L
Diario de Per Bambuco Sabbado 91 de Ouhibro de |S#5.
h4
,u
N. 11Ra do Queimado N. 11
A loja Je fazendas de Augusto Frederico dos Sanios Pono, acaba de receber um mili-
to grande e novo sorlimento de cortinados bordados para cania de noivos a 365, 403, 433,
jO.K, 005000 e 70,5000.
'-' Lindas mantas para gravata, do variadas cores, a 13500 e 2.
11 niez de la de diversas e bonitas cores a 35300 e 45.
Chales de guipti, fazenda a mais moderua, a 163. 205, 225 e 253.
J j!odes de guq tambera os mais modernos a 263-
2 Colchas de fda de cor para cama de nuivos a 53$ e G05-
Al-.-.ufa Jo linbo para salas, fazenda larga, benita e de muita duracao,
covado.
Tapetes grandes e pequeos, cem ricos desenbos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 75, ^5, 95 e 105-
Capas e soutembarques de seda prcta para senhoras.
I.)!.i is, chapeos e cliapellinas para senhoras, dos gostos mais modernes.
MI Chapeos elegantes para senhoras, a 125.
V P< cinhas de linissima bretanha de liulio a 75500.
^ Lif.z.nhas de quadros a 320 rs, o covado, setira de Paris a 700 rs. o covado,
53 brai: s fr ncezas de cores a 300 e 700 rs. a vara.
.' Casemiras de quadros, moire antiqne pretos e de cores, pannos e casemiras preas,
jrosd ilo preto e de cores, esguios, sileras e eambraias ee linho, srtimento, de dlver-
' sas fazendi s para lulo, chapeos de seda para honirns a 95 e 105, chapeos de sol de seda,
i nyutos bordados, e outras muitas fazendas que se vendem por presos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas

r
*j

nJL COIJLtTMffJaS.
Vo ultimo vapor viudo da Europa
(-priores cortes de sedado coroso qae tom vindo a P rna:nbaco de melhor gosto
eni seda.
Assioi como mais algnmas fazendas de bom gosto para vestido.
SSUA j0 CRESPO S* 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcelos e C.
.--.

&
--
a?R

--o.
-
'3B

es*.
o
o
A tabella abaixo publicada serve dt base de precos,
DE
AZEVEDO FLORES
fina da Cadeia do Recite, esquina da Madre de Deus.
Grande srtimento i! menlo de mina feita, de casemira e de brim, ludo por menos jueea
outra qualquer parte: quii du\i'ar venha ver.
CAICAS
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira preta, de fines
brins forneos e bom brim pardo.
j Paletos
|de superiores casemiras escuras e claras, de lina alpaka branca, de superior alpaka pre-
cia e de brim pardo.
Col leles
tanto deste armazein como do armazeralprogTessivopa-,^5038033^^
te o do (Ja mo n. 9, principal armazein
dor n. 40.
CORTES DE SEDA
. ira ') paquete mglez riqaissimos cortes de moroitique de cores, s seda lavrada pa-
.,.Jv': inteiramenle novos.
Seda de quadros por 1$000 o cavado
5RA D's CRESPO-5
Gregorio Pac? do A niara" fe Compctala.
<>

ENCICLOPDICA
,: "isi da Mperatrlz a-.-uiaze:
da glora larga S.
funto a paitarla Vaderza de
I'aroies Porto.
ibelecimento encontrar o respeitav, I
iriado sorlimento de fazendas fraoce-
insieras, suissas e allemaes, que se vende: fu
.'teo ccmmolo.
Paredes I'orio
chales de renda de cores que se vende-
I8j esta vi ndeodo p >r 63, dil is pretos, a-
nuva, 33,63, 8a -20$, um soiliniento cern-
meteles, capas e sontambarqnes l-"> a
". i Imperatriz n 42, junto a padaria fran-
i .: ;i mu da i> r i larga.
Paredes Porto
n ::m completo sorlimento de laaSlnhs a
y- '. S80 rs. cavados, DS^a acabar, eambraias de
-:' i rs. covado, rscado pstossm para r m-
in fual nho ?. 'rio. M)0 e 900 rs.
i da i:n; -ratn.'. n. Sjaoto a padana franceza,
-.: d irla i .
Pan Irs Porle
cortil los (ara cama fraticeza n
i cambraia lisa lin-. a :i,3 'i ai* U)% \
. tarlstana 4e bonitos g -!> a :;r.
5, ca de s 11, |oios inb ira-
. a ;: i h -"'i1 rs. o cov id i, na arm / n
' I: ;..-' <. 'i- : [inperatriz jauto a pa-
Paredes i'oilo
I ",! i i. i::.-!., um sorlimento de
i ::i i Iras para op si ; bonitos caxinels
laa parapes I ra. Ra da Imperatriz
-j S2, r.rnrz'm du porta hrga.
Paredet Porto
'., ; r ;;->< il.'^' rttnro prelo para vestido." m
ida u isdenaple preto a
,- -.'', i rova-lo, Has liziHnas a 100
PareJ(,'s Porto
Reccbeu pelo iiiui) paqaete fr.mc.ez ricas laas
granadinas cu;n fl tres do seda a i'!0 e 300 rs. o
covado. est.i acaban lo-se, cambra la preta para
luto.' Poria hrga unto a padana franceza, a ra
da Imperatriz n. o2.
Paredes Porto
Vende um completo sorlimento de fazendas
brancas, como sejam madapolao a i-3"jQ0, 3$, 6$ e
10J, pe^as de algoda.) por barato preco, chita fran-
ceza a iO, 280. 320, 3l!0 rs. o ovado, precalias
milito Boas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Itua da Imperatriz n.
32, junto a padaria franceza.
I'aredes Po'to
Vende angas de cr propria pira roupa de me-
ninos a 30 rs. o covado, riscalo francez fino a
320 rs. o covado. Rui da Imperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
R'cebeu ppfo nltimo paqaete esparlilhos a pre-
guicoso por 3, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e liom.ni a I-, ricos cortas de cambraia
bordados de 18 a 7$, por t: r um tcque de mofo,
estao se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jus-
to a padaria franceza.
ma do Impera- Superiores camisas francezas
CAMISAS
s de 2 ate .").->.
lade aos senhores de en-
tibiar suas compras deli-
o favor de. mandar seus
emoliendo nos urna conta!
C
Superior servej
bricantes, como stjam: Shlers & Bell. T. F.
Asbe a 7,5oo e 7,
a garrafa. TamtJ
)oo rs. a dozta e a >oors.
em ha do outras marcas
zia e a uoo rs. a
Superior vinagr
caada e 280 rs.
i.- le |u i' : i ira vestido, enfes-
(20 i -. o covado. lu da Imperatriz o. 52,
la porta lar;?.
Paieik's ?(>!:)
I ira v,-nJ.T | ir preco rofnmodo, p^as de
inho c ui 10 varas a 75, 8.J, panno de
liara nces a fiO e 700 rs. a vara, braman-
inbo Je '4 largan- a 2-5^00 e 25300 a var;^.
Paredes I'oric
Vende corles de cambraia bordadas de ricos
i 1115 e 12J, neos vestuarios para menina
lino, ricos cortes cambraia Mara Pa a
203, tirlatana branca e de cor a (40 e 720
: i. Hua da li iperairiz armazeni da porta
n. >-.
Y., asa feita
Itua di tinpentriz o. -'i armazcm da porta lar-
... | idaria fraoeeza, encontra-se n-ste es-
': nto u o completo sorlimento de paletos-
brecasacos, de l las as qualidades, cal-
i le*, ceroolas, camisas, grvalas, meias,
-. de sol, ditos Fracezes para eabeca, por
r '".ios, roupa para menino e outras
>idas i i' .' jos commodos, armazem
i larga.
<. a e lab lecimento encontrar o re<;v-
mlilico, sempre un completo sorlimento de
- ; ii de todas .i- quaiidades, como sejam
: i ii. a paca preta ede edr,ditos sobrecasa-
3 "i. :: is brim pari a 2S8O0, :i;
; r. linos a 4J, ditos moias cazemira a
:, 33, ditas cazemira saceos a 6J>, 7, 83
obrecasacos a 10 e 123, ditos de pan-
i. 63, 83e 10-5, ditos sobrecasacos a 12-5
lilns de marin t>r<-to a 63, 73 6 H'3, eal-
de diversas qu .'i la les a 1-3800 a 43,
icos a 23500 e 6300, ditos cazemira 53,
?3, dhos prelos a 53,63, 83 e 103. ditos
cazemiras 1 ^3 < 4-5, eoletes de diversas
> -, seroulas francezas de algodio, ditas d 1
: bramante a 33 e S3S00, carnizas de
i linho francfzas de 25300 e :?5- Oran-
neste ero, grava) is de todas as
mas para.c ain uto, grande sor-
ias para senhoras, dila3 para borneas
res a 33500 e 13-
t 1 sorlim to de cheos de -
1 : titos de se la a 33, 73. l?3 e 11r>,
cezes para cab ca, grande sorlimento
Pechioeha a miiavel.
tmenlo de enamores 13600 e S,
C -i a 23 duzl
: iho 1 'i-5 83.
ti nento de ronpa para meninos" n-
: tas |ti lidadi rja s ;ria enf : al 1 m ;
Fazeadns.
r m- ri 1 r>';.. pr 1 : 1
hora e sil los a 23. In-l im I '.' 11
[> o cuvad. Ra ratriz, ....
Pal P01U
V nde ems.u ntr mei -
! 1 : ir tunalo le t r\ I ih 1 '-
idos a 35, y :',. -:'. Pai
irga juat a
. -*
0 armazem da arara est fa-
zendo liquido cao detodas
as qualidades de fazendas,
na rua da Imperatriz n, 56
Lourengo Pttreira Meudes Goimares, dono do
grande eslabelcciu.enlo, lera resol vido venders
fazendas por menos do |ue em outra qualqaer
parte, meaos 30 por a nto.
Cmbralas brancas lisas a 3^000.
Veodem-Sti cambralns brancas lisas a 33000
33500,43, 13500, 53, 53500 e 63, tapadas a 65500
e 75 : tiendes Guimaraes.
Chales de merino a 2>000.
Vendem-sc chales de merino estampados a 2-5,
merm liso a 33800.
Cobertores &? alyodao
Vendem-se cobertores de aigodo a 800 rs., di-
tos bons a 13C0O, 2-5 o 3-5300.
Camiraias de urna s cor
Vende-se cambraia do urna so cor a 320 rs. o co-
vado.
Saias bordadas
Vendem-se saias lardadas pelo barato preco de
73000.
Corles de carabivia
Ven lem-se os mais modernos cortes de cara-
itraia bordados, senao fazenla de gosto, a 103000 e
I23OOO.
Ili^caos escocezes a 280 o covado
Vendem-se riscados escocezes a 280 o covado,
liras bordadas a 13. ntremelos a 800 e 15-
Liazinhas a 220 rs.
Liiazinhas fina a 220, 240, 280, 320, 360 e 400
rs. o covado.
Corles de cambraia
Vendem-se cortes de cambraia com barra a 35
e 33300, ditos sem barra a 23800 cada corte, Meu-
dSs ijuirnaraes.
Clianbres
Vcndem-se chambres para homem a 43, e s
para acabar, peitos de linho a '.K)0 e 15, lenros de
11 filio linos a 501 e 640 rs col trinhos de linho a
50O rs camisa- francezas a 13400, 15800, 23U00,
2-5240, 23500 e 25800: ? l.ourenco Pereira MeB-
des Guimares.
Corles do ia
Vendem-se corles de la a 35, 35300 e 43500;
Mondes Guimares.
Chitas para colterla
Vendem-se chitas para coherla a 240 rs., france-
za a 300 rs. o covado.
umbralas de cores
Recebeu-se um arando srtimento de eambraias
de cores que se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casemias
Vendem-se casemiras a 15280 o covado, finas a
25240. 2;300 e 33 o covado.
Fazem sciente ao respeitavel publico, c com especiali
gentos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais fa
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeloci-
mentos ern um s annuncio, pelo qoal o preco de um ser de todos, prometle-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publcalo, annunciar os gneros
por um preco, e na occasi da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabeleeimentos nao se dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualqner pessoa poder nandar seus fmulos que
serio tamben) servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, 1
pela qual se ver os pregos tal qnal annunciarmos, o que
alguma que bVer saa despenca em nossos estabelecimento:
5 por cento na sua despeza diaria.
HAHrrJEIGA
Manteiga i gleza perfeitamente flor ebe-
gada ltimamente de 1,00oa l.too rs. a li-
bra, eem barril teta abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 80o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banlia refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
Cili
Cha uxim de primetra e superior qualida-
dea 2,8oo rs.
dem hysssn o melhor neste genero a!
2,0oo rs., e sendo era porgo lera abatimen-1
to, tambem lia proprio para negocio de a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,800 a 2,3oo rs.
a libra.
Cero ulas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
talos.
Superiores baloes de arcos pata meninas de 2 at 12 anno?.
dem superiores para seiihora.
Ciravatfas e mantas.
Superiores mantas para pescoco de homem, as mais modernas do mercado.
.Mlailapolo.
Madapolao bom a 8& 9;5, Ifyjl e 125.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balito a I0$.
Fraques le casemira.
Fraques de casemiras, prela, escura e de cores claras, e nao havendo que sirra
enao arrepender pessoa ao freguez manda-se fazer por medida e com muita promplidao.
; pois poupar mais de Todas estas fazendas por precos insigniQcanlissimos, pois o tito do Balo ad-
quirir freguezes.
LOJA DO CLAO
DE
a Bas dos melhores fa-
AZEVEDO como seja: Victori 1 o Alcope a 3,ooo rs. a du-
arrafa.
inagre
Bisc^nlos
de Lisboa a 2,000 rs. a
a garrafa. Tambem ha
mais btixo para 2i|x> rs. a garrafa e l,4oors.!
a caada.
Aztitc doce
Superior azeitc doce de Lisboa a 600 rs. a
garrafa e a i.Goo is-. a caada.
assas
Macarrao e talasrim a 3G0 rs. a libra (
1 .ooo rs. a caixa.
Passas
sas a l.Sno o qnarto e
srroba hespanhola e a 32o
Latas com superior biscouto inglsz de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata. 1 Superiores pa
Balashinuas 15,5oo a caixa de
Latas com bolachinhis da acreditada fa-' rs. a libra.
brica do beato Antonio, proprias pai'a dar a;
doentes de-2,ooo a 3,ooo rs. a lat. I CrE.^EI 5 1
dem com quatro libras de bolacbinha de' Genebra de lar
soda a 2,ooo rs. a lata. duzia e 1 ,fioo rs.
OiirmriQ Genebra de II'
uu^ijw rs. aftasqoeirae
Queijos flamengos cheg?dos no ultimo i\om je Hollar
vapor a 2,3oors., tambem ha do vapor pas- ,]a nms>
sado a 2,^00 rs. ] GarrafiJes com
CHOCOLATE Hollanda a 8,oo(
Chocolate nespanhet a 1,000 e I;2oo rs. \n garrafoes rom
a libra, francez e suisso a 1,000 rs. a libra g 000 rs. cada ua
e portuguez a 800 rs. a libra, em pc.rgo
anja verdal
|ao frasco.
lana verdadeira a
a 0O1) rs. o frasco,
da em botijas a 4oo rs. ca-
ter abalimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sAJam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Ve'.lm Secco, Lagrinias do
Douro, Mara Pa, D. fcniz, Pedro V, Lagri-
a garra-
Idem do carnn
arroba e de 3Co 1
Pcixo em latas
I,2oors. a la la
ALPS
4,000 rs. a anob;
bra.
C
tes, como sejam:
Maooel Peixoto d
Fimo e Brandao
quaes vendemos pi
2,8oo, a,ooo, '1
1! FAZENDAS
BA DO QEiMADO N. 27
ClT$TOf> CJLHVAIilIO ^ C.
Pegas de madapolao fino francez com 22 c 2 varas e cora um pequeo toque de
mofo a 85000 cada pera.
Cambraia branca para forro a 1*000 a pera.
Lencos de cambraia para homem e meninos a 1)5000 cada uza.
Cambraias organdis muito lindas a 000 rs. a vara.
Cassas de cores a 26u rs. o covado.
Laas de cores muilo lindas a 3 >0 rs. o covado.
lina do 4tuelmailo 11. -3 5, armazem de fazendas.
pa a '0,000 :>
6,008
24 garrafas :'o genebra do
rs. o garrafSo, Tambem
Sel 4 garrr.fas de 3,2oo a
VELAS
Velas de sperrkacete a Goo rs. a libra,
tiha de lo a 12,ooo rs
14o rs. a libra.
PEIXE
j preparado de 1,000
lares B >y?r en colares ano-
dlaofl
para facilitar a denticSo d is eriancas e preserva-
las das cmivulsoes.
O fi-hz resaltado obtido inmensas vates pela
prodigiosa fore, magntica d >- colares Royer, nos
casos de convalsees, e dcnlicao das crnn^a<, tem
altamente elevado o sen beni merccMo prestigio,
a hoje j^ se pode der ijue estSo geralmente con-
eeimaiios, e estimador > innumeraveis pais de
familias : de un- poripie do uso dsscs salutares
clares viram salvos ao perigo sens charos filhi-
ohos, e de oniros p-jr<|ae colheram daquelles t.lo
11 v:'nd.j para igualmente preservar os
. Assim, pul-, a aguia branca, lando em vis-
Us a titili lade e proveii desea prodigiosos cola-
re* anodinos on Royer, maodou vir o novo sorti-
'.:-'. 11 (|ne agora rereben, a continuar a recebe-
; 1- para ti- em u>mpoalgnm a falla delles possa
; funesta ao pas de familia, > otiaes ficarao
certos de os ich ir c inte na raa do Quei
rnado, I ja l'aguia branca n. 8.
Ch. a-ntos da Slahia
a 13 a cjx 1; na n h M ieda n. i3.
mas Doces e outras marcas a 1,00o
fa e 9,ooo a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 000 rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,fJoo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 04o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho e Lisboa e Figaeira em
anesretas de 8 e 9 caadas a 2 i,000 rs. a an-
coris.
Superior vinho branco proprio- para mis- q
sa a 640 rs. a garrafa, tambem to mais bai- **
xo para 4oo, 5co rs. a garrafa e 3,2ooa
3,5oo a caada.
faisas com uraa duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordame a 7,ooo rs. a caixa &
7oo rs agarrafa.
CAF2
Caf do Bio de 1.a e 2/ qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 2io a 28o
rs. a libra,
BlO
Sabo maca de primeira qualidade de IHo perche e OOtras
a 22o rs. a libra e de IGo a 2to rs. sendo Tambrm ha lalas R
fA E P.AJNCO
Paredes Porto receben 7W>lo etimo paquete um'completo srtimento
boornos-de cores ricamente enfeitados a 12?, loJe S05
lojada porta larga juato a padaria franceza.
t>

na rua


H!VA!L
Rua do t|iieimado ns.
193
Alpista e pain;o muito novo de 3,8oo a
e de 14o e 100 rs. a !i-
IARTOS
Charutos dosnais acreditados fabrican-
Licores francezi
l,-4oo rs. agarrafa
Doce- da casca
quenos a 7oo rs. el
a 84o rs. o caixOs
Joio Furtado da Serrias,
Silva Nelto, Castarho &
e de outros muitos, os
!o mdico proco di} i.600,
,5oo* e i,ooo rs. a caixa.
Icores
s epiTlugnezes a l.ooo e
on Vasco.
ll>oecs
iia goiaba e canutes pe-
(}q 5o caixoes para cima
Frutas em calda
mlicamente, mu riel
2'rutas
em latas
bem enfeitadas, conten-
do pera, peceo, an eixa rainha Claudia, al
utas a 01 s. a tata.
(andes para l,2oo rs.
em caixSo.
lata.
"si
m&%
ai
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Maclas pelo ultimo fapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Fi^os pelo ultimo vap
Fru tas seccas pelo uliimo vapr 1
Fructas em calda pelo uliimo vapor.
No7os pelo uliimo vapor.
3 S\ (^\
fechadas her-
dld e &S.
que a baixt
^m$
*
>r.
r.
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamencos frescos pc'o ultimo vhpor.
Presunto Hambre pelo til imo vapor.
Tudo se vende barato n< s seguimos arma/eis
Rua mu a do n. Prigressivo.
nLVjfe:
l^argo do Carai
C>^??


T
Contina a vender todas as miudeza
declara por precos .-ulmiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
E.-pelbos de molduras douradas a 2U, 240 e 320rs.
flunets de diado para meninos a 1^000.
Ditos de couro superior fazenda a 1,3300.
fraseos com superior tiata rocha a '0 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60
Caixas rom 100 envelepes, fazenda fina a 600 rs.
Urozas de pennas de ac, fazenda su peno? aoOOrs.
Groza's de botoes coadreperola tinos a e
e 640 rs.
Caixas com 30 no vellos de linba do gai a 700 rs.
Caixas com superiores obreas de cola a 40 e 80 rs.
Pegas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja do la para esJeiles 40 rs.
Barteos dourado?. superiores qualidades a 400 rs,
Novallos de linha aom 400 jardas a 80 rs.
Altos para asseatos de rou^a lavada a 100 rs.
Pavea de botoes para punbo, fazenda rica a 120 rs.
Testaras para costuras superiores qualidades a
400 e \&.
C'iixasde penaas do cslligraphia, fazenda boa a
1000.
Massos com superiores grampos a .'10 rs.
Pares de sapatos de iranca e tapete a 1>300.
I Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
\ Libras de raa sortidas de benitas cores a 73000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodiohas com aISnetes fracezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 23500 e 23800 rs.
Eeovas para roupa, fazenda boa a 720 e 13.
Duxias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Dalias de facas e garfos de cabo preto a 33000.
Talheres muito fino para eriancas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs.
Ditas e vultas parasenhora a 300.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 13280.
Frascos com superior banha a 2'i0 e 300 rs.
dem de superior oleo babosa a 320 rs.
Caixas com lamparillas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babad.. do Porto a 80 e 14'; rs.
Cartas de altinetes fracezes a 100 is.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 300 rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
Bichas de flambur&o
lodos os paquetes da Europa se recebe
destas amiffas do singue humano e se
vendem a troco de pouco lucro s aBm
,!?? de ler seinpre coasa nova : a luja de bar-
vl beiro rua eslreita do Rosario u. 3, ao p
:9 da igreja.
a wmm mu
Luvas de Jouvq.
a loja de miudezas na rua do Queim-

Fumo da Babia para *
charutos
Vende-se fumo superior de todas aa
qualidades, a retalho e por atacado e por
preco commodo : no t.ecik, rua da Ca-
cimba n. I.
.
m
m
Acha-se
venda na livraria acadmica, na roa do !2)*ra-
dor-na do Sr. NogJi'ira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na lypographia imparcial, oa raa es-
lreita do Rosario a compilago de toda a b-ji-lacao
tendente admioistracao, arrecadagao e .sea 1-
sajn dos dinbtriros de orphaos defontos e ausen-
tes, herancas (asestes, legados, etc., contando nao
s o regiment de cusas e a lei geral da execu-
;oes, como tambem toda* as r.rdens e avi goveroo, que a ludo tem explicado, tanto 3 respei-
10 das obrigatosa inberenies ao cargo dos differen-
I les entongados de justica e fazenda, roo dosdi-
, rellos nacionaas a emolisraeiitos que sao devidos.
Este livro conlendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papei, e prestando-se a utilidad-)
de difirenos classes, lorna-se reccmm>-ndavel.
Seu custo 03000 por cada exemplsr em doo*
omos.
Venda -se no esrriptorio de Maaoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santi n. 19 :
Vinhos do Porto muilo superiores em caixas d
1 duzia e barril de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubai da melhor marca, em caixas
de 1 duzia.
Palo.-lia tinto do excellenle qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa muito superior** da marca PRR
em [lipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
apaado.
Francez barrica 53000
Portland dem 8|UKHl
Em perfeito estado:
Francez barrica IPJOOP
PortlaDd dem I230C0
No armazem deTasso Irmaos caes do Apollo.
Vende-se
X
Bramante de linho fino e largo para lene.e.
Brim lona f ncorpado e tino para montana.
Mantas para cavado.
Cobertores de aigodo da um e dons pollos.
Xa casa de Edwar I Fenton n. 17, rua do Tra-
piche. ______________
Wndn-se o engenho Fumas, sito na fjetne-
zia de Sanio A miro de Jaboato, bom d'agna e
tpm propnr^O para 2.IT00 p3es annnaes : o* pre-
! tendentes dirijam-se ao engetibo S. Bento, a tratar
com o proprietario, que todo o negocio se fax a ni-
do n. 16, resebeu-as por esto ultimo vapor, 'nheiro ou a praso,


wm
Diarlo de Pefaaiiibti abitado 11 de Otiuliro de iStU
GERENTE
AO PUBLICO
Mem o menor constrau
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELEC1D0 A KA NOVA N. 60
AO
'!"-
AGUA FLORIDA
** presos da egi*iu&t
tabella para todos, po-
icado asslm servir de fot
se para o ajuste de contat
com os portadores.
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande a""na-
eern da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento_.de molnados,
que sendo em sua maxiuu parte mandados vir directamente do eslranguro podem ser
vendidos por procos asss razoaveis. ,
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
crimeiro e nico em seu genero, pde-se porm .ffiancar, com toda a seguranca de que
neuhuw outro o esceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
i; Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.* Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua psito social gozam de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinlios Gnissimos manteiga e cli sempre de
primeira qualidade. etc., etc. .
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que sera sempre mul-
to bem servido. .
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa ae
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se ilies vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassuc*r, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arreba'.des ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, i'elo seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! d quanto se pode vender barato.
para os senhores que compran para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. _.-,
PELOS SEG1NTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMUEIRO A VISTA:
A Giiaixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna.
dem e paiuco de oito libras para cima a; li
100 rs. : KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
Arkoz de 90 rs. a libra a........i l*
Aiendoas, casca mulle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas trancezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azxite doce de primoira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Auios a -200 rs. o molho.
Absyutho a 2000 a garrafa.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Conccie&o)
PARA BE^M DE TODOS,
/
*-- '. ^~.,:- ... -"*
X3B
MURRAY & LA^ K
A agua florida de Murrav olliada como BDi irtft >'> r*rfi.iM
tem podido ser igualada pr? \nptn
as mais cusios; s: conserva .-i >raT.f
mo se formasse parle da pr< nd i i tfnf ii a
se applica.
Sua eflicacin ISo delicada
"rhoras, o aceio que presidio aosarranjps destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptidSo e intel- ios sao -< is inui; li< !< *&*
atlVj nvida a urna visita ao mesmo, cortos de que sem duvida me dao a proteccSo e preferencia na cun- empiegaa como arliyn i pPBTii i r
I
Senhore-
eza com que serJio tr
-ra dos gneros que precisaran e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, no uso do l.anlio. ou romo
pois sero t3o bem servidos cumo se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de quenovoem pelle, depois que se leu a
tra j?ric.
Minteiga ingleza especialmente escullida a Ale
i,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas i

li-
Letkia a 100 rs. a libra

IB
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata,, nqzes a 120 rs. a libra.
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a I?, a libra.
Marmklada dos mais acreditados fabricantes.
Macahrao e TAt.HAiiiM a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6(0 rs. a lata.
Mostauda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moliio .NCLEz de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3500.
Mii.no paineo e alpista, sendo mais ds 8 li-
bras a 100 rs.
m
e lalliarim a ioo rs. a
bra e 6,oooa caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
uha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,ooo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, era ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a!
32o, 4oo_e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de i du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duqijiedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvaba fina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e 10,009 a caixa com 1 duziae9oo,
l,ooo e l,6oo rfe. a garrafa.
Vinho Cherexdo superior qualidade al 6,000
a duziae I,5oc| rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as metas latas.
Bolachinhas inglesas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1,3oo rs.
j para limpar as gengivas ou
Sal refinado em frascos devidrocom lampa balito,
do mesmo, a 5oo rs. L' suavidade. brilbo e > 1 :
gerveja branca das marcas mais acreditadas compleieoes, dci os de w Irrti
que vem ao mercado, a 5oo, 56o c 4o livia a irrilaeo de eropefea or< :;. 1
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e6,5oo adu-'desapparectr o e&agmtefe! jm\
zia. pannos, das sardas, doitMtO, tus** *
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors. casia de s. e da wot 1
Charutos do aflamado fabricme Jos Furia- Pail onde quer que se appiiqx .
nilhasdeflavan, inlervallos,Vencedores,|ou suflbeaco. Preparada imi..n:*i.it
Lannian A Kemp, Nova York, ; 1
Caors & Barbosa.
Joo da C E
Deposito !eral em Pflrnas :
Cruz n.22 em casa de Carrf
i"
rr:s
em latas hermticamente lacradas a 64o. I Cartees com bolo francez muito proprios pa-
FeijSo verde muito superior a 640 rs.a lata.! ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 0,000 e 5,5oo iPassasmuito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.: Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez itespanhol e suisso a 9oo,, Figos de comadre a 2o rs. a libra.
l,ooo e I,2oo re. a libra. lAraendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacele superior a 6oe e 64o rs. a li- Midi de amencloas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermelicamente la- i de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
de cinco para cima a 10700.
dem de so a em latas grandes a 2^000 e
de cinco para cima a I800.
Bbcoitos inglez.es de todas as qualidades a
1200, 1^250 el 5300.
Bolo francez etu caixinhas a 400 rs. cada
una.
Batatas ingieras.
Bamia de poico refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra,
dem suisso alja libra,
dem de musgo a 1S500 a libra.
Ghouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porrao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada un,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ckauoi-e de grosella, orchata, etc., etc.
Cmcaraa e oires a 10800 a duzia.
Cerneja da s'uperior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'avana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Pauetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de lodas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preo ponta branca, etc., etc., a 2000,
22"0, 2560 e2800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de ciuco macinhos.

DOCES Je todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, ingleses, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 420 rs. a libra.
ervaouce a 400 rs. a libra.
f AUINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10CO3, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargn, salmo, pescado e
pescadhha, linguado, sardinha. ele, etc.,
Peras em latas, excellente preparaejio.
Palitos .para dentes a 120 rs. o mago cuito
grande.
Passas em quarto a 1-5400.
dem muito novas a 400 rs. 1 libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QCARTIMIAS OU MORINQUES a
R
RAPE' Mearon a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.
eradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,1,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeara das mareas mais acredita-
das que vom ao nos.so mercado a 7,ooo e
8,000 a ratea e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Gencbra de Mollanda a 48o rs. a botija de
bras pnr2,5oors.
Ameixas francesas em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a f#5oo.
Ameixas franc zss em caixmbas de diversos
tamanhos com bonitas esta: pas na ca-
do de Simas, das segundes qualidades: ciencia e elegancia sao iguatu-n* 1*1
Exposico Normal de Ilavana. Imperiaes, I nos casos em que seja preriso f>|
Londrinos, Guasbaras, Parisienses. Sus-! la C(,mo esiimulanic e anlisi pin
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo, cuisos eastemblas Domen**, 1., ;-
6,000 e 7,oooa caixa ou em 11 eias. liduiles infeccionadas, naalt<-* --
Charutos finos de diversas marcas e fabri-1 fermo, assim como mu '
cantes, como sejam: Flor do Norte, lia- W P8"31 s desmaios cansa.
vallos,Vencedores, 9" sufiotacao. prepai ada m. .:*i h
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melbores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Mattc.excellente cha paraos navegantes, a
*2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muilo novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemenletem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maralo muilo alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe porluguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
(jiaiuiV h'/rv
Rua Xo\,a n*. t *.
Carneiro Vianna. profr;. 1 w ,1 .
elatelerimtDtt, um a >aii.lra. di m ttftn
roS| 1 ilavel |uti ico. (|u MHkl \rttttl
li^iinas canelas mainielira, t i'n> -.
prifdade de turnar Bime a n'> qm r*-m iWn
iTt-ver : esl porlSBlo >aoadn 8 na' '** tttn > .
a'petfoas dr idade a-.tccada, cu taca4M M
li'iia> nervosa?.
escbavo m
Fujiio no dia 12 a eorrfM rrT a ?:rrs..
de nonie Ouilhermina, Mcio Ceafa. iU. -fi. 1
runo, tem no dou> pes tuint e futi^. 1
lo aparado : rofa mM MMWaef
[liijus de campo a apprfM?aw i '" *<
k-va-la a ru;i da Sania CrM n. ib. n^ ->r3.> n-
eompencadi.-.
8 garrafas por 600 e 8oe rs. a garrafa,
xa exterior, < ,4o), 1,60o, 1,800 e 2,0001 Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa e
cada urna. l,5oocada urna ancoiela.
conta certa. | Azeite doce refinado hespanholouportuguez, Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde enebra. de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lorooo a caixa. ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. | Batatas muito r.ovasa 80 rs. a libra e2,5oo | 24,000 e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja vs.-dadeira cmfrasossj o gigo com 35 libra-.
grandes a 1,000 e (i.ooors. a frasqueira.: Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qudidade a 28o rs. s!-; 8.5oo a duzia.
bra e 8,5-30 rs. a arroba. Vassouras de escpva para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a!i- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Mzranho de l1 qualidade e loo, Molho inglez em garrafa de vidro com roiha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesme-, a 16o rs. ,
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a > Mostarda inpeza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. e frasclo.
dem de Jr.va a 80 re. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza
roba. 4oo rs. o frasco
Paineo c e'pisla a 14c rs. a libra e 4,ooc a' Lenlilhas francezas
arroba. sopa
em potes j preparada a
. excellente legurae para
ia libra.
Massadetomatesdesuperiorqnalidadec6lo Marrasquino de Zura prepriamente dito a
rs. cicla de urna ibra e56o rs. a rota- 10 a gatvafae 1'
"feo.
1 Palito? de dente a
1,000 a duzia.
14o r?. o maco.
-
hV i>R':
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 80 rs, cada urna c 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 6io rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
garrafa.
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23*.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCfcteO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
V
VINH0S1
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posieao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
eanada.
DO AFAMADO J6UVIN.
Vecte-se pelo pre^c de 2J o par luvas novas de pellica de ouviji, chegadac no ultimo va pa-
para Ikomem senhora : 'a rua da lmperain: loja de miudez su. 4.
------------------* -------------i-----------------------------------------------------------

en -
= = C- S
, s, S 3 s
a: ,=3 g^ C vj a
?ll?Ip:
rr, T ui O M
O
1^3

f"G
5 M S" cr S w ?d
-o-g,

/3
o Ot
o as
* v <
Sai
Cu -I
u
_
ai
B. &
a
03
m
5

9
o
<~
o.

0903
O, CD
=
a>
f
O
s
p
c?
3
o
as

O
! "2 o _
a O Ct>
' S^ s
O ^
O as ?
N
a cd
o, -1
Es
O
[ACHIN mkW
de tr&fcalltar aO
deeearocar algodo
fabricadas
Por Plaat
pawi
%
O
-n j t Caluugas Anos e brinqnedos
PotaSSa da KUSSia para meninos.
moito nova e soperior : vende-se no escriptorio Lhegarara para a loja de miudezas da rua do
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Qneimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
Corpo Santo n. 19 Unto para brinquedo de meninos romo para cima
.________________________________ de mesa : na mesraa loja se encontrar bom sor-
ftVf7/#>e p nipetapiras rlp timeat0 3e miodefafc____________
/l/ lllVd C fJI-VUUVll U/9 UC Vende.se barat0 o sobrado n 21, sito na rua
,lon de S. Pedro Martyr, em Ollnda, e um terreno onda
se acha 'dillcada grande parte da cidade do Rio
Ipoj
Vende-se na roa do Quelmado n. 32, loja de Formoso, o qual terreno estende-se da matriz at o
Azevedo & Irmo. trapiche; a tratar na rua da aLao n. 1.
Tasso Irmaos
Vendem no sea aroiazem rea do
Amorim 11.35.
Licor fino Curacao em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos um garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Mnscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadau: no sitio murado es-
querda, depois.do becca do Espinheiro, nos Af-
fliclos
Brotliers & C.
OLDAM
Estas machn?.
pcdemdescarocar
qualquer especie
do algodao sen
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
" otrabalho; pd*
descarocar um
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutos.
ou 18 arrobas
por ala ou 5 ar
robas de algodat
limpo.
Acsim como mach nax para serem movidas por
animaes, que descarocain 18 arrobas dealgodc
limpo, por dia; e motoras .para mover urna, duas,
eulrjs dessas machinas.
Os roesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zemde algodo, uo largo da ponte nova n.47.
Saundeis Brothers & G.
X. II, praca do Corpo Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz._______________
Vende se urna fiarte e um predio no sitio dos
Arcos, perte da igrejai dos Remedios, o qual pro
prio para olaria por t>
ras quasi todas prop
Jos Goncalves Bellro
criptorio.
r excellente barro, e as ler-
as : a tratar com Joaquim
rua do Vigario n. 17, es-
Vendem se quatr
de carga e de seila, po
no hotel de Franca.
burras mulo mansas, boas
prego commodo : a tratar
Vinhorio Porto
das melbores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto eD.Lniz ; tambera
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5o e lf>[em pipa ; na rua do Vi-
gario d, 19, primeiro andar.
Alten(am
Senhores e senhoras.
Os proprietarins da nova loja e armazem de fa-
zendas e roupas fetas, rua da Imperairiz n. 73, di-
Guimaraes & Irmiio. arabam de reduzir os preco-
de suas fazendas menos 20 o/O do que em outra
qualquer parte, afim de apurar dinheiro.
Laozinhas de todos os padroes por barato prcc.>
por ter grande porfi, a saber, 220 e 240, 2rio r
320 rs. o covado ; vende-se tambero um grande
sortimeni de chitas esireitas, pelo diminuto pr*co
de 200 rs. o covado ; ditas franrezas largas a 240
e 260, 2P0, 300 e 320 rs o covado -, d:las preclara,-
muito finas a 360, 4(i0, 4'i0 e SOO rs. o covado,
islo s na nova loja e armazcm de fzendas e ron-
pas Mas de Guimaraes i Irroaj, rua da Impera-
triz n. 72.
E' baratissimo.
Pecas de cambraia branca a 3j> e 305W, ditas
mais tinas a 4,5 o 40800 al 9$, cacbraia organ-
dys de lindissimos desenhos a 320 e 360 r?. o co-
vado, ditas muitas finas a 400 e 440, isto so na
loja de Guimaraes & Irmao rua da Imperatm
n. 72.
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores de algodao a i$, ditos me-
lbores a 1&600, 2 al chales de merino pelo barato preco de2j e SfSOO,
3, 38500 p tf, ditos finos a 5?, 6$, 8;, diios de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baratissimo preco : isto s na loja de Gui-
maraes & Irmo, ruada Imperatriz n. 72.
Ob que pechinclia.
Camhraias de urna s cor, fazenda muito mo-
derna, a 320 e 30 rs. o covado, vende-se por este
prego por ter nm pequeo toque de mofo ; grande
sortimeoto de saias bordadas que se vende muito
barato : isto s na loja de Guimaraes & Irmo,
rua da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vellidos de
dos, fazenda inieiramente nuva,
cambraia borda-
por prego muilo
No dia Io de agosto do corirftfc
fngioda eftafio d^ Tu Bfccta
Elias, perleoceDtoaoSr.MwDrld -
rodio, levando ron..g-. CMtUi.i
tente cangalla, tan bn ftttrwn
cujo escravo lim o> -igr::.e? s-j.i ui l..
do, cor prela, IMtO r>. \a>; i< u u i r. n : r-
ras de bexigas, es denit- de i
do eoipo, e.-lalura re-ula;. i i '
cojoe.-rravo foi pefta* K
dOM legoas por um vaqoriru "!" *' *"
drigne da lazenda tucam ;
a fogir do Di ilird.-P -ir.! r. i
do rtlsse o mes-mo ttnhi rao fx-r i\ nr-
ido em procura do dito ttrnm, <<
casa do mesmo Sr. A<^ 'tifco ft i
e a eangarba icioa ana : i %**
loridades poKenes i eap i O m
hensao d" dito esnav .. e entrega '"
no Riaehao, distrirl.i em S. Ihun. ao Sr. kqpm K- >
morador em Oorimry, cu fmaln *> 1
J. Jcuqoim Pereira" d" Mentor .. p *
de gratificac.io a quem r, [jar 2""".
" Fupio do engenh i:aml)urr^i >
10 do corrente, o escravu .Anl r i i
baixo, grossura regatar, otth uraa i>-
ca, ps apalhetad"? >e ro-. MM i" twt a.*- i ut-
ta. que n > andar da d-n. n-;ra .
triz na testa, em urna terida na canalla, fttta raapa ti- .i-<*
escravo tal vez siga para > lWit.. v:>fc. i*i *
preso na i.-taeao de Al. f. du- i.a
crlente : quem o prcBtfrr iin i
ou a casa de meu eorretpi i
da (^ruz n. 4o, segundo andar, qu* -r'. f't
pensado.
aos capitftea de campo r a
polica
2001000 f> ?rslirj.f# ier r*H Ff
I)e-a'p."n reu em frinrifrio do rr< ? f> 'ttwfn
prox'nc passado, de l Arrota Malo, dous CJCrawi appellido Macei, e Wignel. o I* de nide i." amr--
pi neo mas .ni menos, cri. dio. *W fr yfcHii
baria barba rtirada, nm fmm fcrio ** perw
e rom algrn- eakrflM iraawu, tai' a lavl
mo na caleca : o 2*a'lo. che- I ,.
ha. falla aroasa, represara fer rff 5-' .1W a* :
enjos escra'S riesrinfia-se acidaren art s urtttl-
des desta ridade : quem w apfrvrr.^^r
levar a rna d Trapirh< n. 4. oo laatt 4 Mr
navio.
Gratificar!^ f 9fT
Ansenton'.se da lasa n. 9 da roa d> tajan*r
(oulr'ora Coegio) n sal-bafu 16 !' r.rrraie awz
re setembro de 186o, o escravo par J r1- aj m+ i- %
quim. rom os .-igraes segninte- : aaoaaaaa rrai
idade 18 a 20 annos. sem bart-a. ata taap -. tata
grandes, cabello corrido, rom ama rw ana i::ao>:o
e bem visivel na testa, parte dos cale- d. irroa
arruinados, e rom falta de ?!rnn? ii .<. .i
rom calca de brim pardo e patatal runo ov paaoa.
mas levju mais roopa branca e Je otar, .* aikrtu
asiurioso, rostoma intitular--e |nrn>*aaaJaVOBaV
i.ado ; f i escravo a
Souza Carvaibo, genro do Aado Sr r. # i,r
Manoel Gongalves da Silva : rc(a-e -ua r>#aaaa>
a tudas as autoridades poliriaes r :i makiarr rav
barato; tambem rhegaram as mais moderna.* pjin de campo on oolra posoa paiiiraaar ajavo
mantas de seda para pescuco, e vende-se por com apprehender se grali(i< ara n* fti. nrm 4a r+-
modo prego : islo s na loja de GuimarSc; & Ir-
mo, rua da Imperatriz n. 72.
Pecliincba admiravel.
Este novo estabelecimento recebeu nm grande
sortimenlo de riscadinhos escossezes muilo pro-
prius para vestidos de saibor, s e meninos, a 320 j
rs. o covado ; vende se um grande sortimenlo de
ntremelos e babadinbos, e tiras bordadas, por ba-
rato prego.
Roupa feita.
Vende-se um grande sortimenlo de roupa feita
de todas a^ qualidades, palitots, calcas e colletes,
camisas e seroulas: ludo isto sO
Na nova h-ja de fazenrias de Coimare
k Irmo.
Rua da Imperatriz n. T.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca.
peza> de c< nducgo, entregando -en BBaaai
Miguel Ji s Alves. na ra.-a arima, oc M aratoa-
rrif torio na rua da Cruz ra-a a. I
llfeni
*

Acham-se fgidos os escravos sntMte* : Be
mulato, idade de 25 anco-, ral
barba, denles nm ataja limados, seno d
lista larga, e filia oro rooro aVsraa^ada I
crioulo.ja um pouro vlbo, aHora rrttaae.
cabelludo, b. i La rom algnns cabrikis Wa
sim como na cabega, corri reforr^aav aiat aa>
tanto pequeos, falla fro*a e a **v ftaae
ronro pede-j" as autoridad** pclioa* a
pitaes de campo qo os lagam apprrbtaaVr e*
duzi-losa' ca-a de sen seohor o may* Aa-aaou
Silva Gusroao, qne generosameair rri
e Ihes pagar toda despeza qoe Bi rea nm a :
rondocgSo : siipp8e-se qoe elle."
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze- gnimento dos sertoes desta proTiaria,
vedo & C, no seu escriptorio rua da Cruz n. I. i filhos desses lugares.
I II r- Alt # II


Diarlo de re rambaro Sabbado 91 de Oaubro de !
LITTEBATDBA.
THEATRO DA GUERRA.
!>> diario do coronel Pallgas extractamos as so-
gui-iles noticias:
(Ha 19 tic Setembro. Pela manh.i .-jiiniran o
iv.'.,Mu e o 2i de Abrii os guarda- i ...- .n im na
praca; licarain n'ella soraente um I ..rgeo-
i dous ou tres baialhoe;. bftt4f< s' re.-olheu
u.i i. armamento e corrame, deixa.' :j iuimigo
Bu momenlo de ser desarmado.
Recorremos a
cerca de duas millas.
o Senhor Cruciflcado. o Redemptor do mando, com
j os bracos abarlos, pareca abrigar todo o exercito,
I qae pelas 10 horas da raanhaa alli prostrava-se pa-
ra ouvir o sanio sacrificio da raissa, que era acgo
de gracas mandou o Imperador celebrar.
Sua Magesiade, Suas Altezas, o ministro, gene-
raes Mitre, Flores e Paonero, visconde de Taman-
dar, barao de Pato-Alegre, e as comitivas tam-
bora assistfram.
Nao ha'piicel que possa pintar, nem penna que
descreva a emoco que todo>sentiaro, presencian-
Jo esse espectculo das potestades da Ierra, dos
. i guerreiros ia vespera, (.rostrados no campo peran-
tuncheira. Suaex:?nsao era de .' u "**""
.' a imajem do Divino-Meslre. As msicas dos
Toda a ..rncai.10 crisis- ul(Tewates corpos tocaram a|,ernadamonle be||as e
U:i em urna palissada de quasi dous metros de es- h.,._.nni,..,. __,
j 7... p, .. ri'irn>oiii pastura e outro tamo de altura. Como u terreno e
toJ > pedregoso, nao poderam apiouudar o fosso. I / ,___ ,
A, pecas de artillara era numero de 5, ura obuz 4 "ras da Urda fo' *erv'do *<*>
acerr e i pecas de brome eslavam distribuidas JJSJS."T?? T\ Cm Primor adornada-
era toda a liaba! ,re n n ri, "^ ^T' S"
... re o qual brilavara os tres estandartes das na-
Nao tintara reservas, lodo o pessoai estava sobre ,m,,las.. ar, .. -, ..
. ... ._,..__064 amallas era um perreilo emblema que syra-
r.U'i tnnchcira que. urna vez assalUa, Hanhuma hAM.,_, ,,,;,:,, ,., .. .
\ i bolisava a trplice aillanca subjugando as armas
ro'isteucia regu ar podiam oppoi\>; o.. ... ..
. '- i., Aa do Paraguay; jsetar e>?e o Aeree do por S. M. o
.uno se vo, neuiura desses pre-a.-jivo denun. ,,,.. \
Imperador aos chefes dos exercitos a 1 ados : antes
: va .i i asistencia espartana que se nos prouietleu ;' a. >,___ .. "
. de senlar-se a mesa. Sua Magestade offereceu aos
a idea que predormuava na praca era a da fuga u*t.~.
H K ,. disticntos generaos Mitre e Flores a era cruz do
,i iu rio, pata o que traba arara cun a paciencia p___-i t.... ^ r. .. .
... v Cruzeiro, fiveram a Honra de com Sua Magestade
,i na dos indgenas, em construir .anuas, balsas 0ll, ...
. (. e SuasAltezas sema r-se a mesa, alera dos generaes
i ingadas. tenas de armarios, gam-'.is, caixas, pi- 0l,nii.,,j., .._ n ... .
'* condecorados, u general Paunero, o ministro da
as aica iroaaas, em.im, de iinaut. ..fs cania as ,.,, ... ...
1 oerra e seus dous offlciaes de gabinete, capilao
t>'li0:'' Amaral a Antonio Carlos de Andrade, visconde de
Toda a parte exterior da trinchen fol demolida Tamandar e se( SKnitlt> o I- tenente S.lveira
e arrasada; as casas da povoacao iram todas sa- da Mi)lta marquez de Cax|aS( a( Cabra ba_
aneadas. Os mora e ou.ros mallos objec.os fo- rao de PorfthAtegre> Ca,dwe|| cheffl de
rain levados para o lugar onde eslavam acampadas quadra L,mare> g(,nera| Beaurepaj crn i5o.
as tropas;; toda a l.nha da trinchera oflereca o mr da >rm|d> Dr ^ cornmeDdador PDl0
aspecto de um basar grotesco .. a guarn.cao esta-1 ^ coronei3 p,;dr0 p.Qlo> MeR A
va ebria a cah.r, no momenlo de esperar o com- PacheM) commaDdan(0 do |a imperjali Dr
bate. Alguns embr.agaram-se cura kerosene, e, Figaelredo> meiC do mtm e tenenl
ou mirreram, ou ficaram doentes. Deseiavain ren- Aa nommii:-5, #. ,, ,K, ,. .. .
' ; oe commis.-ao Migue! Hibeirc Lisboa, secretario do
ler-se e nao pele|ar. Em quanto duravam as ne- gr cond() -rl2
gociayojs para a capitularlo, os soldados sahiam
9Sp itaneamente a despeilo dos offlciaes.
O consumo das fazendas de algodo, n5o tetn Em 1864, a China expe^ava para a Inglaterra llava-se em meio milhao de horaens e flxava em mil
augmentado desde 1860 para c. trezeot03 e noventa e ncjve mil setenta e qnatro e noventa contos de ris o capital da socledade.
Segundo a opinio dos liomens mais competentes 'ar|los da algodo, sera,' cjmtar outras expediedes Este algarismo tica moi quem da verdade, se der-
o mercado dos tecldos de algodo est mais ampia- consideraveis para Franca e para os Estados- mos crdito ao citado correspondente, o qaal acres-
centava :
Todo o irlandez qae sabe lr e escrever, e qae
nao lera raeios torna-se organisador; as lojas mal-
bassado, e para a logia- tiplicam-sa com urna rapidez incrivel. Cada opera-
de duzentos e cincoenla rio irlandez, dos mais pobres, da' o sea dollar para
mente prvido; o deposito basta parasuppriro Un'dos.
consamo regular calculado antes da guerra da Ame- Antes de 1863, as exikedlgSes de algodo do
rica a paz reslilue a liberdade s materias primas, E8vPl n5 eran sequer mencionadas as estatis
que al aqui estavara a*roar.enadas no Sul; ludo l cas- AWnglram o anno
indica portauto a eminencia de uraa baixa sensivel 'er" srnente, o algarlsmc
e sete mil cento e dous fai dos.
Cem o receio de cancarr
paramos aqui, promettend
E' do Sr. Firmino Cand
poesa :
A MI MA
do
LAUTA.
nos precos.
A guerra dos Estados-Unidos, a pesar dos terri
veis desastres a que deu lugar, leva o feliz resulla-
do de fazer estndar e aperfeicoar a cultura de um
geuero dos mais uocessarios a raca humana ; de
tornar impossivel a qaalqaer povo o mooopolio da
materia prima ; de por de hoje era diaote a indus-
tria europea ao abrigo do choque que, em 1860, a
abalou tao forleraente ; d3 fazer passar definitiva- Se larde, alta noite, me opbrirae a tristeza,
raenle o reinado do algodo do dominio procelloso "sas horas caladas peonad) ao luar,
da polilica internacional ao da pacifica economa e S tu, mmha flama, me enciendes as queixas,
da fecunda concurrencia. S lu me percebes se vs-me chorar.
De mil duzentos e cinco milhoes de homens qae E as notas cadentes, que oi chos repetera,
povoam a ierra, setecentos miltioes vestem-se de Sao tristes suspiros de am peito amador ;
algodo, quinhentos e vinle milhoes consoraem Parecera-me as vezes de vi agem queixosa
delle urna certa quantidade, e o resio, menos >!e ol- Cantando saudosa, fallando de amor
lenta milhoes, percorre com o corpo descoberto o
interior da frica, ou cebre-se com pelles de ani
maes as regides polares.
Como se acaba de ver, poucas realezas ha tao
slidamente establecidas como a do algodo, pou-
a caixa commum.
los a atten$ao do leilor,! Cortos meetings celebrados em New-York, em
concluir amanhaa. Chicago, era Jones Woods, junto ao parque central
da metropole americana, coulavam mais trinta mil
fe mam. ka passo que na Irlanda apunas se acham
Se a lyra modula mimosos arpejos,
Se o bardo se inspira vibr ndo a cantar,
Se a dextra Ihe apena as cordas delgadas,
E ao peito raagoado elle a laz reclinar ;
cas sao as questoes econmicas que mais do que Eu levo-te aos labios: e o ar que respiro
que e leu ;
ograia os rigores,
pro, que meu I
A um dia todo de festa, todo de jubilo, succedeu
o de hontm, em que voou nesta villa o deposito
Os corpos foram desarmados e entregues todos de raunicoes paraguyas, no aclo em qae um capi-
s torcas brasileiras, com excepc/io de uns duzen to oriental, ajudante n'ordens do general Flores,
que se achavam nos corpos recolhidos a um e 'azia a contagem das mesraas muirles, nao se sa-
., i) armamento ficou na villa em poder dos Bra- hendo per ora qual a causa da exploso : o mesmo
ileir< s. Tendo'sWo remetlida pelo major Olvo a capito fji grave e seriamente ferido, e morreram
larreta de E Mirante Tamandar tomou a ao offi.'ial e levou-a coadjuvavam alli o servigo.
nara o q-.artel do Imperador. Escusado dizer que muilo nos sensibilisou es-
te infeliz incidente.
Sua Magestade e Suas Altezas, com a comitiva e
ministros, dlrigiramse logo ao lugar do sinistro e
Est boje provado pela correspondencia do pa-.
Ir Hurle qu os Paraguayos nao davam qoartel
.'j.. Brasileiros. Ao ciiegarmos a praca vimos doui
:daveres de Brasileiros aos quaes F6 baria crta-
lo o nariz e as orelbas. Foram se;..litados pelos
:io3os soldados horrorisados de tanta barbaria.
.jamos agora como tratara os Brasileiros aos
.rus prisioneiros, Estigarribia, o padre Duarte, Lo-
> z, os Salvanak e Ztpitria, bem mo todos, pas-
enferwaria onde se achavam os feridos.
Sua Magestade, como em todos os lagares, nao
deseanea : nao quer residir aa villa, contina no
acampamento, mas todos os dias aqui vem, e visita
a cufermana e depsitos.
A respeito das futuras operacoes nicamente te-
iara em liberdade pelo acampamento, lindse nll a dizer-lhe. q_U no dia da missa e do jantar
para com elles todas as altencoes. conferendiaram a respeilo o ministro da guerra, o
Coraprehendero cues a magniade dos seas bM d'J wtoAf5re' vlsc'0Dde d8 Tamandar,
Jures ?
generaes Mitre e Flores; conferenciando depois o
Imperador, o ministro, visconde e baro, e que o
miuistro nao so descuida e lem lomado as necessa-
rias providencias, afim de que com brevidade e
com gloria ellas concluam.
CM POLCO m TODO.
L-se ao Jornal do Commercio de Lisboa, o se-
A gaaroico da Uraguayana corcpnnba-se das
legainles forcas: :!,8G0 pravas it nfantaria que
com a artilnarla e a cavallaria forma actualmente
al de 5,343 pracas.
: regimentos de cavallaria comp5< m-se de qua-
tro esquadroes; cajla umdestesda inascompa-l
nhias de 60 pravas cada ama; o pessoai escolhi-
Jo os homens sao altos e pela -iiaiur parle brau-
SO : nao lia lanos indgenas come ca iufantaria.!
i corpo do Bogavantes o gae tcnstrue e con- 8"'nte :
laz as canas, e occopa-se de ludo qaanto relali- i Durante a guerra da America a produccao do
navegago fluvial. algodo ao Brasti nao tomou o incremento, e a sua
Vem armados d; espingarda o is infantes exportajao conservoo-se no mesmo p em que es
a quasi todos carpnieiros mais .a menos habis l:iva-
i nadadores excellentes. Autes desta guer.-a, os Estados-Unidos forneciam
ato ao- vveres, pie se dlzer que a guarni a Europa occidental as seis stimas partes do algo-
vio havia consumido tildo quanto Ihe cabio as do de que elia careca. Occupam hoje o quinto
mitos. Restavam-lhes apenas OO cavaos magros.! lugar entre os exportadores. Em 1860. vendiara
'i ij te tinham em grande qaaalidade eram bebi- algodo na importancia de 191,806,35o dollars, isto
Ja- osiiruosas com urnas 60 harneas de assucar. mais de mil e quinhentos milhoes de libras de I
ymnos celestes,
o primor;
da ordiestra.
ao Senhor I
esta, raeregam a attenco geral. Contigo reparto no canto,
Todos sabem o que succedeu s fabricas da Fran- Se sulro, em segred". da
ca e da Inglaterra, quando rompeu a guerra civil Tu geraes de amores ao s-
dos Estados-Unidos da America ; a materia prima
era ento assuinpl da Inquietacao geral. Desde fs'os cantos sagrados, nos I
que o S irte licou vencedor, pergunta-se at onde Nas preces mvinas tu tens
chegara a baixa do preco do algodo. La surges maviosa no mei
O proolema est invertido, regressa aos seus da- *"***> Mhfdt, implora
dos norraaes. E enli0 se ai(a nojte g'jt^j^ a tristeza,
O algodo barato essencialissimo ao bem esta- Nas horas caladas, pensan lo ao luar,
da raca humana. So tu, minha fllauta, me e
Fareinos um leve esbozo da situaco tao profun- ^ la rae percebes se ves-i le chorar
daraente modificada pela guerra. Esta larefa se____________
nos torna mais fcil, gracas obra asss notavel e
completa, publicada por Conkling na Revista Mo- O cavallo francez, perte
derna. ge, que ha mezes, ganhod
pho nas corridas de Derby
foi novamenle proclamad
de boceas, na corrida de
com o Derby, ama das m lis bellas lutas hyppicas
dos tres reinos.
Glaudiateur I o invencitel Glaudtaleur I tal era
o nome que mais de cinc: >nta mil boceas prefe-
A prodaeco total do algodo sobre o globo, de
cerca de tnuta milhoes de fardos cada anno. A
quantidade anuual produtida pelos Estados-Unidos
nunca passou de cinco milhdes de fardos.
A influencia desta produccao superior em quali-
dade, fazia-se to somente sentir na Europa, o que
explica o motivo por que os soffrimentos das fabri-
cas francezas e inglezas, nao foram mais prolonga-
dos, e o prego dos tecidos de algodo nao subi
alm de todas as propon-oes.
J desmarcada de que o ven
Urna act.vidade ma.s pronunciada applicada nvaes ,emives chanjailM
cultura nas Indias e no Egypto, ura aperfegoamen i
to no machinisrao, tendo permittido o emprego de
materias primas, menos puras, a cessaco da mis-
tura em algumas fazendas de seda, de la e de li-
nt, paralysaram a cnse e limitaram os precos.
Para descrever com exactido a situago actual,
preciso fazer um calculo meio approximado da
ollera e da procura.
A produccao do algodo na India, raontava em PniIlen-0!>
1857 a 2,432 milhoes de libras; aquella paiz expe- A importancia do prem
dia para Inglaterra 272 milhoes de libras, e consu- cavall venc mia o resto, 21G0 milhoes de libras.
As fabricas de algodo generalisam-se no lo-
icente ao cande Lagran-
um assignalado irlum-
inglez, como noticiamos,
vencedor por millares
Doncaster, que rivalisa
lirio.
bsse previsto de ante-
riam, com entbuasmo e d
O triumpho, posto que
! mu, poz anda em maicr relevo a superioridade
:edor deu prova, contra
a raedirem-se com elle
Dos 239 cavllos registridos a principio, smen-
te 14 se apresentaram na ; rena, e correram cinco
a saber :
Gladiateur
Regala...
Archimedes .
The Duke...
Breadalbane.
dosto.
de Figueiredo esia | -^ a 300,000 assuciados,couta-se cerlaaenu rau-
lo mais de ura milhao delles na America.
Tambera se admittem as mulheres n'esta asso-
caco. A organisago das suas socied.des igual
a dos homens. Nao sao, todava, mui numerosas,
apezar dos meetings que ellas celebram, dos dis-
cursos que pronuncian) e do ardor com que ser-
vem a sua causa. Formam urna das duas gran-
des divisoes da associagao, a qual diviso se inti-
tula a Fernn sisternood, da fratermidade das
irmas tenan, ao passo que os liomens pertencem
todos Ana* Broterhood, ou fraternldade fenian-
Um conselho supremo, o ilead center, ou Centro,
ceniralisa todas as operages e governa a socieda-
de, que subdivide n'um numero infinito de lojas
ou clubs. Todos os membros da Fralerndade per-
tencem a um dos clubs, o qual dirigido por
um presidente e por uraa mesa, eleilos em as
sembla. Tudos estes clubs sao filiados uns aos
outros.
tendes as queixas,
I
I
3
i
5
Glaudiateur chegou ada ite de Regala tres com
i ganho pelo dono do
50 contos de ris.
Julgamos dever transcraver o seguinte artigo de
Uepois do rompimento da guerra da America, a ura jornal francez acerca la questo irlandeza que
produego indiana elevou-se rpidamente. Sem todos os jornaes denomina^) Feniansmo :
restringir o consumo local exportaram-se em 1864
um milhao trezentas e trinta e nove mil qurahen
tas e quatorze saccas de algodo. Fizeram-se for-
Pela terceira vez, em
questo irlandeza parece
nenos de um seculo, a
querer perturbar a In-
tunas collossaes; avalado era sessenU milhoes R a'"ra na sua tranquilli, ade. Aos revoltosos de
do libras sierlinas o numerario pago pela Europa l7?' .aos a8l,ados de '!48, 3UCcedera eslft anno
todos os anuos as Indias Orientaes. os/,, coja poderosa
vulto e se revela por toda
O luxo alli alliogio as barbaras proporgoes de
urna louca oslenlagSo.
Ogoverno inglez preven
orgauisago val tomando
a parle.
o, verdade, a exploso
da vasta conspirago traraida contra elle, ao mes
O ho-pital estava cheio de doentes.
Passmos o da scn comer. A praoa estava ex-
,i usa c u? (ornecedores sem rei. Carnearam-
^apenas 13 para os prisioueiros. .Nos jejuamos.
Amaahaa ou depois, ao mais tardar, comeca a pas-
>ar o exercito oriental e argentino ..ra o outro la-
Jo du rio.
America. Mas as medi-
malerias prima.
As quantidade.-. de algodo que actualmente exis-
lem no Sul sao avahadas de modos dilferentes; as
apreciagoes variara de um milhao a seis milhoes
de fardos.
Porm, durante Mes ltimos anuos, fizeram-se
esta urde manifestoo o Imp rador do Brasil o: Plaulaui35 fle al"^' '"ais p-.ra o norte, em Ten-
desejo de que !he fossem a,,r,. :,:aJ,s os chefes. DeSSe''kenlU:i- JI'*J1,r'Kaaas' "Nnuis, lud.a-
ao exercito argentino e oriental. Nos lomos acom- JJney" ^ **"** "* *'"'
paniados pelo chefe do eslado-raaior, e o Impera-1
lo:- nos recebeu com muita affectuosidada Dirigi-1 Portauto provavel que logo que urna nova omi-
no- perguotas sobre cosas pessoas, sobre a forgaiKraSao venha e.-:.abelecerse sobre o territorio par-
ios nossos corpos, e sobretodo elogioa rauito o jcialraente arruinad a do sul, d'alli a pouco, quando
al e fardamento do batalbao Florida, dizendo-' houver finalisado a crise da escravatura, os Esta-
me que era o corpo do exercito de qne mais tinha : '''^-Unidos ho de readquerir e augmentar sem
gostado; qae o sea porte demonstra que eram "^.ida os seus poderosos recursos de exportago.
Foram vistos rendeiros assentados em carros, mo teinpo da ,r|anda e na
cujas rodas eslavam cercadas de arcos de prata. das adopIadas em Dub|jn ^oderao frustar QS esfor.
O prego dos gneros alimenticios subi tanto que cos dos irrnos irlandezes
os ofllciaes inferiores do exercito inglez s podiam
comer carne urna vez por semana. A associa?io los fenian- ja1 nao vive solada. E'
Correu muito lempo como certo, que a fiagao na- um Parldo "'onal coc o qual se deve d'ore
tural dos indianos era superior a das manufactu- avanle Ca,ar e esso Part
vi: ranos e excellentes soldad a.
Depois despedimo-nos do amare! Impsrador e
relirmo-nos a quartfis.
Nada mais occorreu ueste dia de gloria pranos
'. .. de dieta.
Esse movimento, combinado com o impulso das
Indias, da China e do Egypto, ha de infallivelraente
produzir urna baixa de precos.
ras europeas; era um engao. constituem hoje alliado do mais temivels advrsa-
te riaudeiro mais dexira tira de urna libra de ma rios da draina(<'ao bri'ai"i
teria prima um fio de 190 kilmetros de extenso; Por mais de uraa vez latios dito que era na Ame
a manufactura de Tarare, para um vestido offere- rica que os fenam tintan revelado a sua existen-
cido imperatriz dos francezes, obteve do raesmo cia. Recordagoes pessoaes eforgadas por documen-
pesode algodo um fio do compriraento de 480 ki- tos que sao pouco conheci los na Europa, nos per-
lometros. millem fallar claramente sem rodeios acerca de
O algodo da Inda muito imperfetamente lim- uma associago, que nao secreta nos Estados-
po, motivo por que, antes da guerra, os inglezes Unidos, quo se rena qua do quer que recebe ahi
do tera auxiliares que o
preferiam o da America. as mais caracierislicas ai
Para fazer uso do algodo de Surate, na falta do cessar na sua obra, a des
dos E*lados-Unidos, foi preciso modificar o machi- laD.n'ca"iQH,Ha ; ,.,
_. ._.. A sociedade nao e secr
nismo e empregar raaior numero de operarios para
a manipulago delle.
Seja como fr, a India pode exportar annnal- meelm0^> em New-York,
assira o querem os feni- ns, os quaes, era varios
em Cincinnati e Boston,
pediram sempre que as si as hleiras fossera acces
OsofA-fdepo-itJ! disponivel de Liverpool, era | menlt mais de ""> milhao e quinhentos mil fardos p( .
1863, de 394,370 fardos, e em 1861 de 234000 far- do al*dao Para a EuroPa- ^ ^ TomoQ-se.
i recbo de ama carta., com dala de 83 de setem- j dos; hoje de 536,660 fardos. Este deposito tera A China um grande prodactor e um grande 2TZ'1Z
bro, escripia de rngoayana. para o Jornal do augmentado constautement
Commercio, da corte: l corrente anno.
besos, e prosegue sem
peito da vigilancia bri
ta, dissemos nos, porque
desde o principio do
Dias antes, nessa mesma tends, lestejava-se oj
consumido de algodo.
urna deliberago nesle
em numerosos grupos, acompanha-
dos das suas familias, tr<
Cada manha, diz Mr. Cooke, qne o Times oulra cidade, e darem osb
Em 1860, ames da guerra americana, o consu- mandou viajar s provincias celestes em 1857, da sua associago.
triumpho que ebleve o exercito, restaurando e li- mo a que dava aviamento o porto de Liverpool era em cada manha, que Deus d, de nm extremo I Os fenians recrutara-se
a provincia do inimiga invasor. Orna- de 1,085.600,000 libras. As previsSes do abastec- a ouiro do imperio chiuez, ba trezentos milhoes ja' nao possivel saber-s
nsporlarem se de urna a
nsivamenle o espectculo
com tanla liberdade, quo
o numero delles.
da, porm, eslava ela por outro modo. No dia 21 ment desta cidade pelo corrente anno correspon- de calgSes de algodo azul dentro dos quaes se I No mez de dezembro dL anno Ando, um corres-
vla-se nella erguido ura llgoiro altar, sobre o qual dem a um consumo de 1,010000,000 libras.
eseondem pernas humanas.
pondente americano do jornal inglez Times, ava
FQLHEHM
0 DE10D0 JOGO
POR
HENflftUE CONSClf NCE.
vfn
(Continuacao.)
Aigum lempo depois de ter accropannado sua
morada o velho DeoJati, Simio Tnrchi etava na
sua casa da ponte da Vinha, em urna sala do pri-
mero andar.
Deva esiar sobre-excado por extrema inquie-
tago ou por febril impaciencia, porque desceu ao
rz do chao, entrou no cscriptorio, andou como a
procurar alguus papis, lornou a subir, deu um
ptsseio pela sala, abri a janelia. olhou para a ra
em todas as direoges, lornon a fechar a janolla
com nao humor e por im resmungoj, baleado o
p com alllicco e colera :
Maldito jogador I A estas horas ?s! em afga-
na taberna, a beber, a jogar, a divertirse, em
quanto en estou aqui sobre brazas, esmagado pela
aneiedade e o lerror I Julio, Julio, se eu podesse
escapar a' sorle que me ameaga, como me havia de
vingar da la ingralidc I
Foi uulra vez para a janela. A innti'idade das
suas invo.-tigacoes parecen desanimado. Sollou
um suspiro doloroso, deixou-se cabir sobre urna
cadeira e llcoo por aiguns asanles cora os olhos
filos uo pavimento. Depois disse em ioai de deses-
perago.
Na verdade este crirae nao podera' ficar ig-
norado? Quem, por mea mal, mandara aquelle
rade dominicano ao encontr de Gernimo, para
guiar o juiz ordinario nas suas pesquizas ? E quem
pria na sua passagem aquelle banqueiro judeu
para conduzr a poiicia ao meu jardim ? Quem deu
ao juiz a idea de mandar fazer escavagoes nas
adegas ? O acaso Mas o acaso ceg e nao pro-
cede com to claro coanecimento das cousas I Se-
ria lerrivel se Deus se mettesse a guiar a justiga
pela nao I se o juiz supremo, que ninguem pode
engaar, me tivesse condemnado a urna morte in-
fame I Seriara enio vas todas as esperangas como
todos os esforgos para escapar I
Estas reflexOes esmagavam Simio Turch. Pen-
deu a cabega sobre o peito ; os membros estrerae-
ciam-lhe convulsos e s vezes desprendia-se-lhe do
seio um suspiro pungente.
Confusa surga ante o seu espirito urna viso
horrivel ; va ulvez o cadafalso erguer-se e levan-
tar o algoz o ferro luzido ; ouva talvez os clamo-
res da Tingaoca popular subindo para o co e cha-
| mando sobre a -ua familia urna elerna infamia ;
porque um estreraecimeuto nervoso agtava o ho-
: micida, qua soiiava inesperados gritos de angustia
como se o ferisse um punhal mysterioso.
Metleu a mas ao ?eio e lentamente lirou do gi-
bo um objectu que poz diante dos olhos e exami-
| nou com mudo tremor de susto e repugnancia.
Era urna garrafinla com um liquido amarello-
! aburado.
Veneno, um veneno mortal, mnrraurou elle.
'Quera ti ver roragera para tomar algumas gotas
j disto, rahe em suave somno, de que nanea mais
acorda... Sera' o nico mel ao meu alcance para
escapar a' vergooha do cadafalso? Em lagar da
riqueza o da felicidad?, sera' ama morte infame o
prego do meu crime ? Oh, nao, nao pode ser.....
longe de mim estas ideas I
Metteu a garnficha do seio e abysmou-se anda
' em mais dolorosas reflexoes ; mas emfira trium-
1 phou de algura modo do seu desanimo, e se nao foi
com menos dr, foi com menos desesperago que
1 elle disse :
E ludo ia to bem I Eu tinta nas mos a
obrigago das dez mil cordas; esse ganho permit-
a que eu occuitasse por muito tempo o mo esta-
do dos meus negocios; Maria nj me pareca in-
differente, e eslava certo de que, vendo-se sem'Ge-
ronimo. aloangaria com o tempo a realisago do
meu desejo. Viria a ser rico e poderoso ; o seu
dote era sufflcienle para me livrar para sempre de
I necessidades e humilhagoes. Mas... porque sera'
j que grita o povo contra os magistrados pelo des-
I apparecimento de Gernimo? ltimamente teem
1 acontecido bastantes cousas mais para pasmar e o
povo nao Ibes da' attenco. E esta agitago pu-
blica quemove o juiz a fazer osforgos extraordina-
rios para descobrir o que feito de Gernimo, e
esta a.itago publica ha de ser a causa da minha
, desgraga I Por ventura havera' urna razo myste-
riosa para esta extraordinaria exeltagao do povo ?
Sera' intil queeu lidd para escapar? Sera' mesmo
Deus quem me persegue ?
A reproduego desla idea de desesperago incu-
lio novo terror a Sirao Turch. Melleu a cabega
1 entre as mos, e ficou por muito tempo assentado e
| em silencio.
De repente poz-se em p de um salto, e era quan-
to ura sornso convulsivo Ihe contrahia os labios,
disse cora voz forte :
O aguilho da fatalidade capaz de dar cora-
gem ao mais cobarde. Fra com lestes vaos terro-
res I Cumpre lutar at ao fim. O juiz procura um
cadver e jura pela sua honra que o ha de desco-
brir I Pois que o descubia I Mas se o adiar fra
desta casa? por exemplo, em ura cano de despe-
jos? Ah, a inquietago qegava-me I... Anda ha
meio de triumphar I S alta que venha Julio. Se
eu podesse suspeitar em
patife esta' a jogar, man(lava-o chamar
nardo...
E assim dizendo, foi
ra.
Elle la' vem muito
como elle vem a passos
Ihe pesasse na conscienc
conservago da minha
|ue taberna aquelle odioso
por Bar-
ia janella e olhou para a
de seu vagar I Ora vejam
contados, como se nada
al Pouco Ihe importa a
honra e da minha vida ;
aborrece-me e despresa-me desde araorle de Ger-
nimo ; mas ao menos aj adame para escapar ao
perigo. Varaos a fingir ima colera muilo violenta;
porque se elle pressente que no peito se rae aperta
de aneiedade o corago, capaz demostrar-sa inso-
lente, e lalvez raesmo de escarnecer da minia
afllicgo.
Quando Ju o chegou a certa distancia, tratou
Turch de mover-lhe a attengo por um estalo dado
com a lingua; couseguip-o, e depois fez mil signaes
de impaciencia e de colt ra al que Julio chegou
porta.
Simo fechou ajanelli, e com a expresso da
mais violenta raiva bem estampada no rosto, vol-
tou-se para a entrada da sala.
Julio entrou. Appan ceu-lhe nos labios ligeiro e
irnico sonriso quando vio seu amo de p, com os
bragos cruzados e o olh irameagador.
Miseravel vadio 1 gritou-lhe Sirao depois de
ter fechado a porta, ni te ordenei que rae viesses
esperar aqu depois da bolsa ? Toma sentido; olha
que me ests sendo mu to pesado a posso tirar de
ti ama vloganca terrivi I. Nao rias, ou esmago-te
aos ps I
Ora vamos, senhor, para qae serve toda essa
colera ? Nao ha muito lempo que a bolsa se fechou.
No estado de Rhode Island, o mais pequeo da
America do norte, e cuja populago nao excede a
175,000 habitantes, conlavam-se ltimamente qua-
torze lojas fenam. Estas lojas ou clubs trazem
'odas uomes que recordara os amigos patrilas da
Irlanda, ou os sitios mais pitorescos e mais histo.
ricos do paiz natal.
E' para notar, alm d'isso, que a sociedade dos
fenians leve a sua orgigem lano nos seulimentos
de odio dos irlandezes conlra a luglaterra, como
nos senliraenlos de inveja, nutridos pelos ameri-
canos para com a Gr Brelanha. E' por isso que
o governo de Washiuglou nunca quiz estorvar o
desenvulviinento de urna associago deslinada um
da a ameacar a Inglaterra em sua propria casa.
Anda uo est es>juecida a tentativa de revolta
ensaiada pela Irlanda em 1848. Na mesma poca,
em 7 de agosto de 1848, celebrou-se publicamente
um meeting, em Boslon, a favor da independia da
Irlanda, e all foram lidas carias do maire da ci-
dade e de M. Wendells Phillips, ura dos chefes
abolicionistas, que enrgicamente approvavam a
rebellio irlandeza.
Em 27 do mesmo mez de julho, em 15 de agos-
to, e em outras datas successivas, celebrarim-se
meetings, em Nova-York e outros pontos, nos quaes
foram recebidas carias de adheso e donativos em
diuheiro, montando cada um U'estesa uns 550^000
de reely e de M. Seward, actual ministro de esta'
do, etc.
A guerra aroericaua e o apoio achado pelo norte
nas suas recrutas irlandezas, commandadas sobre-
tudo por Tbomaz Meaglar, ura desterrado que to-
mou parle na rebellio da Irlanda, augmentaran!
aluda mais a sympathia dos americanos. Em 14
de mareo de 1863, n'um meeting publico, e n'uma
meosagem ollicial.o-s chufes da associago poderam
dizer :
A fralerndade feniana, instituida ha poneos
annos como uraa sociedade secreta, deixou de
ser secreta ; o seu fim a uvaso da Irlanda
t por um exercito nao inferior a 100,000 liomens,
< e a Fraternldade conta com o apoio secreto, en
tre oulras pessoas de M. W. H. Seward, minis-
iro de estado.
Um anno depois, lem augmentado os embaragos
promovidos pela guerra, os nordistas confederara
mais favores aos Irlandezes, a estes poderam pu-
blicar no Siinhag Mercunj, de Nova-York um re-
lalono da commisso executva dos fenians de Chi-
cago em que se dizia :
< Receberam-se cartas de adheso de centena-
res do horaens eminentes do paiz entre outros
de Mootgomery Blair, director do correo.e ami-
go de Lincoln, do ministro Seward, de M. Col-
faz, presidente da cmara dos representantes do
congresso, e de mnenares de offlciaes do exer-
cito e da marraba americana.
E>tas carias de adheso constituem verdadeiras
filiagocs ; porque, so na America a sociedade dos
fenians, coraposla principalmente de Irlandezes
emigrados, tambera pode admitiir os eslrangeiros,
e nao s os eslrangeiros, mas tambem os pro-
testantes, os presbyteros, do mesmo modo que os
catholicos.
Nao ha exclaso por causa de nacionalidade ou
de religio, posto que o elemento predominante
seja irlandez. Todos os amigos da liberdade da
Irlanda sao chamados a associarem-se a um pro-
gramraa, que iragava nos seguintes termos a con_
vengo feniana de Cincinnati:
Reaccemler sobre o altar da Irlanda o fogo
t da liberdade,^.convidar os irlandezes de lodas
as partes do mundo a reengressarem cora as
t armas na mo, sua patria, Una da Esmeralda,
para ah vingarera a secular oppresso dos in-
a glezes I
As gazelas inglezas oceuparara-se, ha oilo das,
de urna occorrenca, que prenda toda a sua at-
tengo : nao fallavara nem da cholera nem da pes-
te boniva; nao fazlam alluso alguma convenso
r..
__. ^_ r_ ___
m
Se t^ve de esperar por mim, a culpa nao
minha.
Tens andado de tasca era tasca, nao assim?
Esliveste a jogar os dados; ha cinco dias qoe nao
fazes nutra coasa.
B' verdade; estava com urna sede insupporla-
vel; mas se nao vim mais cedo, dete a culpa i
torre de Nossa Senhora, que esta' dando as horas
muito atrasadas. Toca a socegar; bem sabe essa
colera nao rae faz raossa. O raelhor ir-me dizen
do depressa o que rae quer, porque com todas es-
sas demoras estaraos a perder ura tempo precioso.
Separei-rae de alguns amigos para vr receber as
ordens, e nao me custa dizer-lbe que tenho tengo
de ir ter com elles logo que nao tenha aqui que fa-
zer... Deixe-se deameagar-me coraos punhos
cerrados; esta' a azedar o sangue sem proveito
nenhum 1
A irreverente llnguagem do servo torturava Tur-
ch ; mas, ou porque a impotencia da sua palavra
Ihe lizesse tomar a resolugo da novo fingimento,
ou porque a reconhecida inutlidade dos seus es-
forgos o desaoimasso completamente, de improviso
mudou de expresso. Profunda tristeza se Ibe
desenhou no rosto e os olhos arrazararalhe-se de
lagrimas.
Assentou-se em urna cadeira, deu um suspiro
doloroso e disse.:
Ai, Julio, perdoa-rae o que ea te disser com
dureza, porque dictado pela impaciencia. Ainda
muilo cedo para se fazer o que e.u quera que fl-
ze.-ses, e, coratudo, j me desesperava a tua de-
mora.
O servo, espantado por ama linguagem to hu-
milde, olhou o ama cora desconfianga e perguntou ;
=. Eoto ba aigum perigo ?
de Gastein ou s eleigoes geraes da tala; at
mesmo os movimentos de Nafoteao Iravaai *m
segundo logar; a primasia pertencia 'aipiMs *a
a miss Crosse Carolina.
Tratava-se nada menos qne do rapto desae-
zella pelo sea groom,o qual tea apenas dento aa-
nos de idade.
Este negocio, levado aos tribona-s pwo pa< 4a
fuEiliva miss, leve o privilegio 4a fazer e-talar e
riso o numeroso auditorio que earh a a faferts do
tribunal de polica de Wandsworlh.
O que mais carioso p m>pec*or da poli-
ca chima se Lovelacf.
A donzella raptada lilla de am el-r^mn
(padre).
O Inspector da polica descobrto os don* tafliti-
\ vos n urna casa de Love-laoe (roa do Amort,Waa-
dswoorth.
Na presenea do pal da joven miss, den nao bat-
ea a todos o? cantos do quarto qoe os doo- rotnn-
I dos oceupavam, e achou varios obj*tlo* pertearea-
| tes ao clergijman, e alm d'i-so um i bolsa recata-
da de libras. Mas, o melber i amanaos bilar a
donzella.
Est mui eleirantenvnte vestida, | aao prete
dar-Hie cuidado o lugar em qoe se acto, e moti-
vo porque; loma 3seoio do banro ngas e de vez em quaodo langa na terao oaar
para o acensado, o qual cora e aaaixa os (av>*.
O juiz Explcai o motivo porque irnnfiaai
a casa paterna ?
Carolina.(franie os cantos da bocea e sunaosj
Sahi de casa para me casar com Saaflk. feria
quasi dous annos que meo pai o havia lomado ao
seu servigo; a minha iolimidade om elle data ir-
Natal, e lalvez mesmo nm pouco antes.
Juiz.Como foi qae comecna essa iatimidad *
Carolina.Montando a cavallo coa ello ; acom
panhava me sempre na qoalidade de groom ila-
caio.)
Juiz.Qual dos dous foi o instigador ?
Carolina.Nao sei.... nao ae ree,rdo kea....
Juiz.Vede bem se vos reeordaes____?
Carolina. ( culpas no cartorio.
Juiz.Ieis a meudo estribara
Carolina.Oh I sim...... para ver liapar ,-
cavllos.
Juiz.Qual dos dous foi o autor da proposta pa-
ra abandonardes o lar paterno ?
Carolina.Fui eu. Ilouve era ca*a ama eranJ-
bulha por causa Baile, em resnlladc da qual l,<
despedido o nico ente que me inspirara algnaa
sympathia. Enconir-'i-o n'nm corre-Jor, o di^e-
Ibe que se ama*M de ooole debaxo da janella do
meu quarto de cama, e que o signa para en par-
tir seria um papel acceso. Logo qne o papa se M
deitar, accend o papel. KntoSmith ve, aura da
janella a minha roupa, e desci cora anxHio artk.
Logo que chpguei na dei-lhe o meu brarj, di-
rigirao-nos visinha estago do camiobo d ferro,
e breve chegamos a Londres. Elle pwo eraeo
soberanos era dinbeiro e eu doos. Nunca faiki a
Jorge Smitli da fortuna que um dia me tocjrta.
Sahi da minha casa por mmha livre ronlade, sea
que Jorge a isso rae obrigasse. De reslo, loaos
iraraediatainente pedir licenea para nos ra*araos-
Aclamos grandes dilliculdades a vencer, visto ser-
me preciso o consenlimento Je meo pai. Final meo
le publicaran! se os nossos baohos.
O magluraa eoocedeu a Jorge Mmib a liber-
dade, mediante tiauga ; a joven Carolina ret roa se
cora ura ar exlremimente satisleilc.
Jorge Smiih d ares de nm condemnado a peaa
ultima.
. O clergyman suspira profndame ale sola la-
mentosas exclaunges; o inspector da polica, Lo-
velace, conserva se irapa^sivel : as lamas no audi-
torio murmuram sliocking shockmg .' as rapari-
gas fabricam um romance, e os rapazes nem a
bora rir.
------a
Em Veneza espalharam-se oliimament. em
grande numero, exernplares da seguinte proclama
gao, que se asseguiou ler obra do partido de ae-
go:
i Populages de Veneza f
A vossa altilude admiravel f Pela resisten-
cia heroica e tenaa que haveis oppo-to as anteabas
do inimigo commum, tendes-nos inspirado nova eo-
ragem. O governo austraco vem agora tentar ora
novo meio para vencer i da -edueco. Inseasa-
to I Esse governo nao vos coobece I l!esi-ti f re-
sist sempre A Italia espera o grande momeato,
e esse momento nao esta longe. Em nome d"es*a
patria commum qual tanto deveis, nao vos der
xeis corrempsr por prornessas que a Austria nao
pdecuraprir.
t Semelhante seduegoes, ignaes lisonjas, tenia a
Aastna com a Hungra, e cora a Croacia, ma- ea
vo I por que os hungaros e os croatas uabem
lera patria e tambem sao vossos irni.ios na despra-
ga, e alm d'isso tambem eonhecer a Austria, e
conhecera-na pelos seculo de dor II!
i Mximo de Azzegho, com quarto seja aa pa*
trila dislincto, nao manifestou na sua circular os
senlimentos dos Italianos. Ha j tempo que m
retirado da scena polilica. As soas vistas aao sao
as do governo italiano.
Populaeao de Veneza Vos sois o orgnlho da
Italia f Procurai nao inotilisar es sacrificios j
(dios, nu momenlo em que eslaes oara colher os
f rucios.
Viva a Italia una indepeodenle.
Viva El-Re Viclor Emmanael.
Os rossos coHChlaJts.
Florenga 1 de setembro de 1863.
Turchi aperiou a mo de Julio e disse m. luce
de alflicg :
Julio, meu amigo, amanhaa estarr.: "alvir
arabos carregados Jo ferros ea ama prtsao a' es-
pera da raorle mais infarad 1
Nao ser s o medo, senhor, :ue- lie faz ter
essas ideas ?
Nao, nao Tive uraa noticia, termal. Sa-
be-se que Gernimo, no dia era quo desappareceu,
foi visto peno do jardim dos Bestiris e na ra ios
Judeus, e que se dirigu para os arados do Hos-
pital. O juiz ordinario resalveo mandar ama-
nhaa pela manha visitar todas as adegas, e
e at mesmo cavar o terreno no bairro era que es-
ta' o meu jardim. Os agentes da jostica ho de es.
palhar-se, ao nascer do dia, patos prados do H>p-
tal, e, como notarara uallivolmeole que a trra foi
ba pouco lempo movida na a.lega,da*eobren;aqae
procurara. Tu empurraste Gernimo sobre a ca-
deira ; enterraste o seu cadver. Por conseguote
acompanbar-me-has ao cadafalso, salvse, cora
servo, lores rodado ou dependurado na forra. Jo,.
lio I esta terrivel noticia nao te dar' a corahecer
bera quanto perigosa a nossa sitoaego ?
Mas como sabe ludo isso ? pe.-guotou o eria-
do rauito enleado.
Soube-o mesmo pelo juiz.
Pelo juiz I
Sim, ouvi-e da sua bocea. Apesar da toa co-
ragem e de certo despreso da vida, pareee-me'qaa
nao teas mais desejo do qae ea de morrer pela
mo do carrasco, nao verdade ?
( Continuarse-ka.)
PERNAMBUGO -TYP. DB M. F. DE F. di FILHO
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOJJQABQF_KBK5OI INGEST_TIME 2013-08-28T01:55:35Z PACKAGE AA00011611_10799
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES