Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10798


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ATO IL. HOMERO 241
Par qnartel pago dentro de 10 das do l,0 mez : i 5J000
dem depeis dos 1.* 10 das do comecoe dentro do quartel.... 6J000
Porte ao corfeio por tres nezes .',.,...,.,,, | 750
SEXTA FEIRA 20 DE 0UTUBR0 DE 1865.
fw anno pago dentro "de 10 das do 1. mez ,
Parte ao correio por uut anuo........, .
. 19|00t
- *|009
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexndrrao de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Margues 'la Silva; Aracaty, o
Sr. A. de l Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marque? Ro-
drgaos ; Para, os Srs. (trado Antonio Alves tf
Pilhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcan ias; Bahia, o
r. Jos Slarlins Alves; P.iu de Janeiro, *> Sr. Jos
Ribsiro Gasparinh'i.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, lodos os dias.
Iguarass e Goyanna nassegundas e s?xtas feiras.
Santo Anto, Grvala. Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Uaranhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conseliio. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
logazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salglieiio e Ext, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do comuiercio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo docommercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira
dia.
Segunda va
hora da
l do civel: tercas
do civel: quartas
tde.
sextas ao meio
e sabbades a 1
EPHEMpiDKS D MEZ DE WJTUBRO
4 La che
11 Quartoi
19 La no\
27 Quarto
i as 8 h., 11 m. a 48 s
og. a 1 h., 2 m. e 22-
ps 2 h., 7m. e 52s. d
a 1 h., 30 m. e 16
PARTE 9FFICI
fiOVEBNO Di riOfiUClA.
E^pedieule do dia 17 de iiulaliro de ISfiS.
O;llcio ao marechal de campo corara tldame das
armas.Queira V. Exc. emitlir o seu parecer ou-
in la o presidente da junu de aade acerca dos
ociosos pedidos qae me foram apresonlados pelo
commandante do presidio de Femando.
Dito ao mesmo.Expeca V. xc. a>suas ordens
para que que addido ao 3o corpo di volantarios o
c iroeta do corpo de guambio Manoel Jos do as-
cimento.
Hilo ao inesmo. Sirva se V. Exc. de mandar
alistar uo 3 corpa de voluntarios da patria a Au-
en*w da Silveira Martin< Leal a no o" a Jos Nic -
iao de Souza, apresemad> p ir Serapio de Mello
Cameiro.
Kilo ao mesmo. Srvase V. Exc. de mandar
iv- nina- do servido do 1 balalho de guardas na-
cionaes, o guarda Lino Jos de Oliveira, aceitando
como seu substituto o paisano Antonio Jo- de Sou-
za por elle olferecido, urna vez que esteja nas con-
diques da le.
Dito ao Inspector da thesjnraria de fazenda.
E:n visia do ucJuso pret em duplcala, e uo ha-
venda inconveniente, maude V. S. pagar os venci-
ruenlos das pragas do 2" balallio da guarda nacio-
nal desto municipio, aquartellado na fortaleza das
Cinco Ponas, relativos a 1* quinzena' do correle
mez, como solicitou o respectivo commandante su-
perior iolerioo, em otlicio de boje, sob n. 389.
Communicou-se ao commandante superior do Re-
cite.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. os inclusos
piis em duplcala, que me remenea o comman-
dante das armas com offlcios de honiein, sob n-.
1,S8'J e 1891, alim de que, nao havendo inconve-
niente ruante pagar os veociioentes relativos a 1*
quinzeni desie mez, nao so da compaolna de zua-
vos, mas la ii'i' n dos voluntarios do 6o corpj em
organisaeo nesta provincia. Communicou-se ao
mireciiei commandante das armas.
uno ao mesmo. -Co,u copia do offieio do inspec-
tor Jo arsenal Je marinha desla Jala, remello in-
clu-a a folha em duplcala dos venc meatos a que
tem direito o macbioisla Delphino Duarte Rodri-
gues, relativamente aos das em que estove em ser-
vigo na barca de aseavago no mez crranle para
que V. S. nao havendo iiiconveniente mande pagar
Ule com urgeucla a respectiva importancia, visto
ter de seguir para a corle no primeiro vapor que
p.issar do norte.
Dito ao mesmo. -Aceitando nesta data nao s o
patritico offerecimeuto que fez-ine o atieres do ha-
talho n. 39 do municipio do .Cabo, Silviu Jos Fio-
tana do Reg, para fazer parle do corpo que se
destina a guerra, sob o command > do tenante-co-
ronel Mariano Xavier Carneir da Cuoha, mas lam-
be, u a reuuucia da 3* parte dos vencimeutos men-
saes que ihe vierem a competir, atlm de ser appli-
cados as urgencias do estado, assim o cummiinico
a V. S. para seu couliecimeiiio e devidos elfeilos.
Dito ao inspector da lhsouraria provincial.
Em resposta ao offieio n. 405 que V. s. me dirigi
era 1U do Correle, lenlio a declarar-llie que as
conlas da quantia de 14:959^730 rs. votada pelo
i ari. 10 da lei do orgameuto vigente para a obra
da matriz de S. Jos de-la cidade, Jeveni ser apre-
Sfiiiadas nessa lliesourarla depois do recebnnento
daquella quantia.
Kilo ao mesmo. Declaro a V. S. para seu co-
nhecimento que fallecen no da 10 do crreme, se-
gundo cammunicou-me o commandante das armas
em offlcio I 16 deste me/, o s >l lado invalido do
corpo de permanentes tiesta provincia, Alvaro de
Luna Frer-1, que sa achava incorporado ao depo-
sito.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal deGoianna.Ten lo designado > lente Jo ba-
tabo n. 13 de infamara da guarda nacional desse
municipio Manoel Lourengo da Silva, para servir
como se ofTereceu, no Io batalhao da mesina guar-
da nacional destinado guerra : assim o comino-
nico a V. S. para seu eonhecimento e alim de que
o faga apreseniar-se sera perda de lempo ao gene
ral commandanl" das armas.
ilo ao commandante superior da guarda naci
nal do Rio Foruw-o e Seriobaem. Tendo nesta
dala mandado eliminar do batalhSes de goardas
nacinnaes destinado ao servifo da guerra o guarda
do 2 batalhao de anudara do. municipio do Rio
Formse Jos Pella dos Santos, jolgado incapaz do
mesmo s-rvici em inspecc&o de saude ; assim o
daciaroa V. S. pira.que faca virquantoantes para
esu capital nm gmrdaem suli-tttuicao aquelle.
D.to ao commandante superior da guarda nacio-
nal da Boa-Vista. Inteirado do conteudo do seu
offlcio de 17 de setemliro uliuuo, limbo a di/.er em
resposta que contipue V. S. ;i eniprtgar snuse.-for-
pos para que sejam cumpridas as rdeus do gover-
no no que sera eUlcazmr-iit auxiliado p ir esta pre-
sidencia: que o alfares A mir Nuoes de Barros,
:> Foi privado a posto ir portarla de 20 de sj-
tembro ultimo, como a V S. communiquei em offl-
cio Je ij do me.-mo mez, e que ne-ia data exij)
do; coramaodante- de balalhSe? informaros sobro
o motivo porqu an.li mo aqiiartellaram os s contingentes, visto como vou lazer-lhes effeotivas
as peoas do artigo segando do deerelo n 3o0G de
i de agosto ultimo, em que tem incorrido; cum-
pnndo que V. S. me Informe tambein e circoms-
lanciadairienle sobre a conduca de cada nm dos
referidos commaodantes, de modo a habillar-ioe a
tomar a respeilo d'eles a medida c inveniente.
Dito ao commandante do curpo de polica..Van
de V. S. dar bal xa ao soldado do curpo sob seu
command i Antonio de Aibuquerque Pilla Caval-
canli, cjue fui considerado incapaz do servigo, .--e-
gundo cuiisia do offieio do cirurgio do mesmo cor-
pe. a queallude o de V. S. n. 987 desta data.
Dito ao director do arsenal de guerra Mande
V. S. fornecer ao director da enfermara militar,
presidente da junta de sa!-*, dua> mil alias m-
pressas e igual numero de termos de iaspeccio,
cimo solicitou o marecbal cimtnandantt das armas
3m offieio n. 18S7 de 16 do corrcnte.
Dito ao vigario da fregueaia de Cabrob, padre
Anl no Jos Firmmo de Novaos. Expciindoas
convenienies ordens para que saja arrecadada, e
te ha a devi 'a applicacao a quania de 20 p r ceu-
to do seu ordenado, que Vnic. em offlcio de 2ti de
setembro ultimo, uuereo ia para auxilio das despe-
zas da guerra, cabe-me agradecer e louvar este ac-
to de patriotismo.
Portaria. O presdeme da provincia, ailenden-
do ao que requerea Alexandre Magno Peixoto de
Alencar, professor interino de instruccio primaria
da cadeira de Trombetas, e lendo em vista a infor-
macao do director geral da iusiraccao pnblica de
13 ilo corren!.-, sob o. 28i, resol ve couc-der-lbe 20
das de licenca com veneimentOS.
HitS. O presidente da provincia resolva desig-
nar o lente dj batalhao n. 13 da guarda nacio-
nal do municipio de Goyanna, Manoel Lourenco
da Silva, para servir no Io batalhao da mesma
guarda nacional destinado ao servigo di guerra.
Bita.O presdeme da provincia,deferindo o re-
querimento do teneuie reformado do xercito, Hcq-
rique Tiberio Capistrano, resolve dispensa-lo da<
(onceSes de ajudanie do 1* batalhao da guarda Da-
eional destinado a guerra, e para o sub-ti'ur re-
solte noraear teneote-ajudante em comnaissao o ci
dadao Manoel Ferreira Escovar. Fizeram-se as
necessariaa coramun'cacoes.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chele de polica n. 1522
de 3 deste mez, resolte noroea' a Francisco Pires
: de Carvalho e Martinho Lopes Diniz : este para 2o
; supplenlo n aquelle para Io do subdelegado de po-
lica do districlo de Belmonte, 3o da freguezia de
Villa-Bella, que se achara vagos no termo do mes-
mo nome. Communicou-se ao Dr. chefe de poli-
ca.
Dita. O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o promotor publico da comarca de
Tacaral, bacharel Daniel Germano de Aguiar
Montarroyos, resolve concedor-lho mais um mez de
lieenca sem vencrnentos, na forma da lei, para
tratar de soa sade.
Dita. O presidente da provincia resolve conce-
der tres dias de iicenga ao alferes do Io batalhao
da guaida nacional destacado para o servigo da
guerra, Luiz B-dchior Pessoa de Sigueira Cavai-
cante.
Dita. O presidente da provincia, em vista da
proposta apresentada pelo tenenie-coronel com-
manJante do batalhao o. 18 de infamarla da guar-
da nacional do municipio de Mazareth, sobre que
Informou o respectivo commandante superior, re-
solve considerar vago o posto de alferes da o* com-
panhia do mesmo batalhao para que foi nomeado
Marcelino Osar de Olinda Campello, e noma para
alferes da referida companhia o guarda Aflonso de
H illauda de Albuquerque Maraoho. Communi-
cou-se ao respectivo commandante superior.
go de vontade podemos boje salisfazer aos nossos
deteres de correspondente.
Diz-se que S. M. el-rei o Sr. D. Luiz parta de
Lisboa para esta cidade no dia 16 o que regressa-
r capital no dia 21.
O Sr. Janoario Correa de Almfida que toha si-
do demittido de governador civil do districto do
Porto pelo ministerio presidido pelo Sr. marquez
de S, foi novameute nomeado para o mesmo car-
go de que hontem tomou posse logo que entrou
nesta cidade.
S. Exc. gosa de muitas sympathiis. Foi espera-
do por muitos cavalheiros
o do re Carlos Alburio, nesta cida-
bido valor. S.
lia de Saboya
kjue milito me
fessor e ca
de, com ufltAcaixa de ouro, de sil
Rvm. lem reeebijj da augusta, fara
inequvocasfrovas de sympailua,
rece por seream ecclesiasiico de vi|a exemplaris-
sima.
O conego polaco Carlos Mikozewslt
nuado a celebrar inissa wk templos
dos das freguezias suburbanas, coihi
pane donativos emdinheiromais ou
ta otes.
Falleceu eo Lega, de lima febre
Amonio Adrio da Rocha, socio da ai
da t.
. da t.
t.
s. da I.
DIAS DA SEMANA.
ifi. spgnnda Ss. Hartiniano, Blysioe Satnrniac irs
17. Terca. S. Florentino b. s. Mariano m.
18. Quarta. S. Lucas evang. ; S. Tlit-odoro m.
19. Quinta. S? Pedro de Alcntara f.
20. Sexta. S. Joao Canelo ; S Crapazio ra.
21. Sabbado. S. l'r.-ula e soas comp. vv. mu
22 Domingo. S. Ladislao f.; Ss. Heraclio e Atedia.
PRFAMAR DE BOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manhaa.
Segnnda aso horas e 42 minutos da larde.
PARTIDA DOS VAPORES CJ3TEIH03.
Para o snl at Ataja**a li e 30; pan o
ala a Granja a7e li Id-estft i.-, v, para Peraaa-
do nos dias 14 dos matea de janer^, margo, nu.o
julho, setembro e novexbra
ASSKIfiVM
no Reciffl, na livraria da praca da lndej ndencia
ns. 6 e 8, dos proprieiarios Kaaoal Figu'.iroa.d*
Faria i Filho.
i tem conli-
desta cidade e
ndo em toda a
menos irapor-
^erebral o Sr.
reditada lirma
COllAfilM DAS ARIAS.
Qnartel general do cninraamlo das armas de Pcr-
iiamhiicn na cidade do Recife, 18 de oulubro
de ISlio.
Ordem do da n. 130.
O marechal de campo commandante das armas,
faz sciente a guarnigao para seu conhecimenio o
devido elTeito, que a presidencia em portara de 17
do curren!*, exonerou o Sr. tenente reformado
ll-urique Tiberio Capistrano, das unegoes do em-
prego d'ajudanie do 1." batalhao de guarda nacio-
nal, de-lacada para o servigo da guerra conforme
requeren, e nomeou o tenente em commisso para
o substituir no dito emprego ao cidadao Manoe!
Ferreira Escovar, e bem assim que na referida
dala, designou para servir no sob lito 1." batalhao
o Sr. leuenle do de n. 13 do mnnicipio de Goianna
Manoel Lonrencoda Silva.
(A-signado.) Francisco Sergio d'Oliueira.
. Esta conforme.Antonio Francisco Duarte, 2."
teneote-ajudante de ordeus interino encarrogado
do delalhe. .
Dia 19 -
Ordem do dia n. 131.
O marechal de campo commaudante das armas,
scleulidca a guaruigao para os lins convenientes,
que a presileucia em offlcio de 18 do correte,
atitorisou a orgaaisago das companhia-. 6.", 7.a e
8.* dos corpos de voluntarios da patria 3." e 6'.
com as pragas que actualmente existera e com as
que se forem alistando, e que em portaria de 16
o'esle mez abaixo transcripta, resolveu nos termos
do decreto n. 3,506 de i de agosto nlumo, suspen-
der por tempo. indeterminado dos postes que oceu-
pam aos Srs. offlviaes da guarda nacioaal designa-
dos para o servigo de guerra, mencionados ua
mesina portaria e determiuar qi fossem submet-
lidos a couselbo de disciplina c 11 iucursos nas
penas do arl. 100 da lei n. 602, de
de i8'0.
I.* Scccfio.Palacio do governo da Pernambuco
em 16 de oulnliro de 186o.
O presidente da provincia attendendo a que nao
comparecern) os offlciaes abaixo declarados, os'
quaes foram por portara de 10 de junho, 26 de
agosto, U e 27 de setembro ultimo, designados i
liara o servigo da guerra, resolve nos termos do L
decreto n. 3,306 de i de agosto d'esie anuo, sus '
pende los por lempo indeterminado i- determina;
que sejam submeilidos a couselho de disciplina
como iucursos nas penas do art. 100 da lei n. 602
de 19 de setembro de 1860.
Capiao Francisco Amonio de Sa I'adilha.
Baialbao d. 18.
Dito Rufino Baptisla Maraoho.
Batalhao n. 26.
Dlo Jo- Gomes de M"llo.
Batalhao n. 33.
Tenente Mariinlio Rodrigues da Silva.
Batalhao n. 13.
Dlo H rmino Egidio de Figueiredo.
Batalhao n. 2.
Alferes Menervno Bandeira de Mello.
Batalbio n. 43,
Dlo Jos lavares de Lyra.
Baialho n. 29.
Dito Jos Mauricio tf Almeida Bastos.
Rilalhao n.21.
Dito Vasco Pereiri de Moraes.
lialalliao u 33.
Dito Conrado Ferreira da Costa.
Batalhao n. 31.
Dito Manoel Romo Correa de Araujo.
Bualhao n. i.
Joao Lustosada Cunha Paranagu.
(Assignado.) Francisco Sergvt f Oliveira.
Esta conforme. Antonio FrancUco Duarte, 2.
tenente-ajudanle de ordens interino encarregado
di delalhe.
esta razio que 38 accionistas requereram convoca-
1 gao extraordinaria da assembla geral para se re-
solver se era compativel com a lei e ioteresses so-
ciaes que novamente fossem sujeilos a votagao os
candidatos a socios que na dila reuniao liuliam
sido reprovados.
A nova assembla geral elfectuou-se no dia i do
crreme. As.-istiu o Sr. cooselheiro Lousado, fis-
cal do goveruo junto das companbias anonymas; e
decidiu-.-e que fossem validas lodas as resolugoes
No dia 1 de oulubro tem lugar a abertura da
Uuiversidade de Coimbra com o jurai lento dos len-
tes. Nos das 2,3 e 4 do inesmo m^z, ha de se pro
ceder matricula geral, a qual contii uar nos dias
seguimos al 14 inclusive, na sala d is actos gran
des. No dia 16 tera lugar a oracao ce sapientia, e
no dia 17 a abertura de todas as*aula
A fetra de S. Bartholomeu em C timbra, diz o
Tribuno Popular, folba da localidade
anuo potico coucorridade feirantes e
da assembla geral de 16 em quanto foi legal o a devoc&O acabe mais anno menos a
numero de accionistas presentes.
Segundo n artigo 23 dos estatutos a assembla
geral compoe se de todo o accionista que liver una
ou mais aecoes e nao pode couslilur-se se nao es-
esleve este
16 de crerque
nno; porque,
presentemente, ja se nao carece de fe ras para for-
necer o povo, que boje com mais coiaraodidade e
por um prego razoavei.tem a sua dis wsigo o ca-
raiuho de ferro que em poucas horas > leva capi-
se, tem mais
tiverem presentes pelo"menos 30 accionistas. Ora ul ou ao Porto, onde quereudo sortir
a assembla geral, que foi o pomo da discordia, | por onde esctyha, lic.uid i-le ludo mi ito raais eco-
abnu-se com numero superior quelle, mas como nomico do que por esta forma.
durante a sessao sabiram alguns accionistas pane
dos cavalheiros propostos para socios foi regeiada
quando ja na sala niio estavam 30 accionistas, e
assim tera de haver prximamente oulra assembla
geral para reconsiderago dos actos julgados lle-
gaos.
O corollario de todo isto que houve conluio
entr a direcgo e alguns accionistas seus adeptos
para serera reprovados certos e determinados indi-
viduos que tendo comprado aegoes se propunham
ao approvo da referida assembla geral.
A junta geral do districto de Villa Real, na sua
ultima reuniao ordinaria ordenou que fossem ex-
tractas, como effectivamenle acabam de ser, as ro-
das de expostos nos concelhos do Pezo da egoa,
Ribeira de Pena, Sabrosa, Mezaofrio e Murga por
seren mal administradas e a mortalidade dos ex-
postes regular por tres quartas partes.
No anuo passado enlraram nas rodas do distric-
to 1,172 expostos e falleceram 867.
A rodas conforme ellas estavam sendo regidas
na estago do camioho
de ferro em Villa .Sova de Gaia. Na recepgao bou- j da praga do Porto Pinto & Rocha.
ve foguetorio e msica. A commisaao que ficou gerindo cis negocios do
Na companhia de segures seguranga, desla ci- municipio do concelbo da Regoa, eir coosequeneia
dade, lem havido mosquitos por cordas em conse-' da dissolugo da respectiva caraira i ue menciona-
< queucia de traspasses de aeges. Deu-lbe lugar o : mos na uussiva passada, compoe-se dos Srs. : Ma-
haver em assembla geral de 16 de agosto ultimo; noel Antonio Francisco Cenleira, piesidente; Ma
| sido regeitados para accionistas alguns individuos I noel Antonio de Carvalho Sexas Peo jira, vice-;re
j que estavam nas mesmas circumslancias de outros sideute ; Joaquim Ignacio Pereira Faria, fiscal: Joao
que foram approvados na mesma assembla geral. Jos Martins, llennqoe Pereira de Souza Giiedes,
i na verdade o fado era extraordinario e revol-: Auselmo Cuilherme Borges Feij e Francisco Xa-
i lanle e nao podia passar sem correctivo, e fui por vier Guedes Pimo.
A offlcialidade do baulho-o, 44 da guarda
| nacional, que se ach iva aqoi, tendo a sua frente
I c seo digno commandante irnerino, o major Tno-
ntaa de Calilas Lins, om varios cidadao* noiaveis
deaU cidade (que toda rpida e e-poiuanaamente
se illnminou a nonte). e alguns proprieiarios dos
arredor^s. entre os quaes se notava o Dr. Francia '
code Caldas Lins, se reuni em rasa da mui res-
peilavel mairona a Exma, Sra. I>. Mara Sevenni
da Itoc.ha Lins, onde um i banda de mosiea mar-
cial tocn vanas pegas, subindo continuadamente
ao ar innmeros foguetes, i|ue com seus estoaros
excitavam o patriotismo e eivthu-iasni) do povo,
que em grande quanitdade corra a tomar parte
no festejo.
Tocou-se o liymtio nacional, depois do qual, fo-
i ram dados, e com furor respondidos, vivas a S. M.
; o Imperador, a familia imperial, a conslitaigio, a
i iotegridade do imperio, ao exercito e armada bra-
sileira, aos defensores da piiria, as Iropas adiadas,
I a gna'da mcional, e final mente ao triurapho de
: Lrugii'iyanua.
Em segu la o Sr. Jo-viniano Mooteiro recitou
este, discurso, o qual fui muito applauJido :
Senhores.PermiiU queseja ea, o mais pe-
queo di todos, que oceupe a vossa benvola alten
gao. Dotis phenomenos indiscriptiveis me preoc
capara presentemente o cerebro e o corago. N>
coraco o pairioti mo, o no cerebro, senhores, o
enthusiasmo que Imlha e que deseja palentear-se.
Oh I necessario que o hornera lenha nascido n'um
paiz livre, n'um pedacinho de ierra embora, mas
que este paiz (enhi ama historia, mas que esta
historiao drama de lodos os lempostenha os
seus protogonistas, mas que estes protagonistas
[ tenham commeitido feilos .pie deslumbrem e que
sejam capazes de perpetuar a memoria de um po
vo, para poder ora um
e
hiram 10, existem 368 a saber : Nanonaes 2O
inullnres 6, estraageiros 30, mulb.-res3, neme*
60, es.-cavas i ; total oii.i.
Alimentados a coxla dos cofres publico^ |89.
Movimento da enfermara do dia 11 de outabT>
de 1863.
Falieceu :
Auiouio Jj.- Clemente, congest.io.
CeHITERIO MJBUC0, oBirCAHIO DODU 17 DC
OUTDBRO DK 1863.
Antonio Sebasiiao do Monto, Perna nbaco, 22 an
nos, sofleiro, Boa-Vista -. h-paite chronica.
Jo'i Xavier da Moa, Portugal, :>; aono-, viuvj
Boa-Vista ; amolecimento e-reWaL
Mana Carolina Barbosa, Pernambuco, anno-
solleira, cidade de Olioda ; phtysiea.
Del mira aria Catharioa, Peraambaco, 2t)aonos
solleira, Samo Antonio ; febre maligna.
Catharioa, liberta. frica, 70 anno-, >oltera, San
to Antonio ^congeslu cerebral.
Manoel, Pernaaboco, 3 mezas, Boa-Vista, gastro-
hepatite.
Manoel, Pernambuco, 13 dia-, Boa-VisU; es-
pasmo.
Joao. Pernambuco, 10 nezes, S. Jos convalides.
Clodovis, Pernambuco, 10 metes, cscravo, Santo
Amonio ; coqueluche.
GHMKIC4 JIDICIARIA
T-IIIHWL I>.V KF.LVIio.
SESSAO DE 17 DE OITIBRO DE l5oo.
I'IIKSIUK.VCI.V DO EXM. SH. CO.NsEUlEIRo
SOLZA.
As 10 lloras da manhaa, presentes os Srs. des-
0 tribunal ciminercial da dita cidude deelarou
era estado de quebra o negociante da mesma Jos
Joaquim Pereira. Esta sentenca foi lomada a re-
querimento dos administradores da nassa fallida
de Jos Correa de Almeida.
A compauhia i\ nca que deve representar no
thealro de S. Joo, na prxima poca beairal com-
poe se das primeiras damas absolutaij Elvira Deui,
que veni precedida de fama de excedente cantora,
e Luiza Chiararaaute, ja conhecida nesta cidade
por ter feilo parle da companhia pa -a.la, e que
niio agradou geralmente como priraai ona ; das da-
mas contrallo e mezzo-sopraoo Amet a Casaloni e
Bianca Bellochio; dama comprimaria ; supplcmen-
tar Enrichelta Lauretti; segunda dama eparicbino
Carolina Alen; do primeiro tenor al soluto Anto-
nio Agresti; leuor comprimario Lugi Mariotti; se-
gundos tenores Ciularelli, e Debezzil; dos primei-
ros barylonos Giorgi Paccini, Gaetano Giottie Boc-
eo Zanghi, primeiro baixo profundo absoluto Bou-
cbi ; balxo comprimario Luigi Tagliai^etra; pnmei-
o, para poder em urna occasiSo solemne, como embargadores Santiago, liilirana, L.ureoco" San-
>ia, yir animado do mais justo, do mais santo, do Mago, Almeida Albuquerque M tu Us Dina
mal louvavel enlhusiasmo, diaote do esiaodario cboa Cavalcmii, Domingues iJa^vaa'Baow
de sua nacionalidado, jamar os seusbrados aos de V.sconcelloa. faltando o Sr. Lsaiaananur Goer-
seus concidadaos por um acontecimento lio feliz, ra procurador da corea, abr.o-^e a se"*u
como o que ora fesiejamos-o da rendicao da ci Pa r!itZy*1 h"*' k J. i-UAME.NTos. g
t O Brasil senhores. esse bnareu de vinte bra Recurso coimneniat.
aL5,7^!Tl. Sped.aa7SCa^aS,',UKlhema' correte, ojuzo; recorridos, Joo Baptisla
nieta van, o, pulsos, vibrando o glad.o do herosmo, Gongalves Bastos e oulros.-Relator o Sr de-em-
tun saludo tragar nas espheras os mais assombro- bargador Assis.-Sorteados os Srs. J^,embarado-
lipbos. Como nos parece grandes, so- res Lourengo Santiago, Uchoa Cavbanle e Barros
tem sido cooilemnadas em todos o uistrctos do ro cariciio Catlos Rucea, segundo dito Giovaoi Not-
reino. As jumas geraes ja ha annos tralam de as' toli.
raelhorar iutroduziodo-lhe reformas que senSo ac-! O emprezaho promelle duas operas novas, o
bam pela rala com o mal, pois este provem mais Tausto, do maestro Gounod e La Caro
da desmoraHsagao do nosso seculo que da propria Paccini.
instituicao, ao menos allenuam-lhe os eff"itos. A | Nao sabemos se os leitores leriio
elila, de Joo
lonnecimento
questo das rodas e do pauperismo sao duas ques- de alguns dos camores cujos nomes eixamos ex
J de setembro toe: e 8|[a importancia social que, digamos de harados. De todos elle?, diz o empre ario da com-
ser resolvida e a se-' panha, que sao, no seu genero, capa idades mu-i
passagem, a primeira larde
gunda eremos que nunca.
A mesma juma votou o subsidio de 330JOO0 a
um empregado do governo civil para inspeccionar
as Irmandades, confiaras e oauellas do distrieto,
cuja boa adminisirago era duvidosa por nao to-
rera devidamente pre>tado comas ha a'guus an-
nos.
Este mal tambera quasi geral no paiz. Certos
e determinados individuos, arobertos do mamo
da religio, apossando-se do governo destes
estabelecmenios crem que os seus haveres sao
patrimonio exclusivo delles e dos seus adeptos.
Depois de malbarataren! parle dos bens e dinhei-
ros que llie foram confiados para administrar, ni-
gam-se sobre qualqn r pretexto, a prestar conlas.
Un desses pretextos, e o mais geralmente segdi
despronunciaram.
(Jua lauca a dos seus generaos I Que bello e que Recurso de riendo
generoso enlhusiasmo o do seu povo I Marchamos | Recrreme, Juvencio Deoclec'iano do Nascimen-
de victoria era victoria, senhores. Era lo pouco (0 recorrido, o conselho.-Relaior o Sr desera-
lempo ja quaotos nomes ha vemos decorado, no- bargador Molla. Sort.-ados os sr<. Iniin*mii
mes que a-, pronunciar nos dispertara as mais en- dores Barro- Vasconcelos e Lourenco Santiaao
thusiaslicas recorlagoes I Paysand. Moolevido, Deram provimenio.
Riachuelo, Yatay, Cuevas e llrugqayana I Inda ..gormo de peto*.,.
mais, senhores eomo poderla eu asqnecer o deno- Aggravante, Francisco de Paula Mindello ; ag-
do o civismo, e a intrepidez dos nossos irmaos de aegravado, o juizo. Relal r o Sr. Je.-embargaJ.jr
Matto-Grosso, ao pronunciarnos os nomes de Gitirana.Sorteados os Sr*. desembargadoresM.I-
Coimbra, Hirandi, Nioaee Corumb I
L'm viva, senhores. um brado rematar eslas
poucas palavra--, que atiabadas a pressa nao tem
ta e Almeida Albuq.ieriue.Deram provimenlo.
Habeiis-orpiis.
Concederam ordem a Joao Beoto de Vascon-
oulro fim que o de pitentear que lambem em meu cellos para o dia 21 do crreme, as 10 boras do
peno se nninhara senilmentos geuerosos : da.
Viva o valor, o civismo, o de.nodo e a
HEROICIDAOE DOS CNDORES WUSII.EIROS 1 >
* E logo formoa-se um passeio peas ras mais
caes. Veremos, para depois informar,
acontecer abordaren] alguns delles
pernambucanas quando por ventura
ulna de canto no lliealro de Santa Isa
Dos bataneles dos bancos Commersial, Mercan-
til, Uniao e AHianga, desla cidade, referidas ao raez
de agosto passado, razamos o resnmo
Existencia em dinheir" metallico 1,^40:8665470.
Letras descontadas e a receber 7,21^:9925317.
Bmprastimo sobre penhores 1,443:^395933.
Notas em circulagao 737:3685-
Diversos depositantes 2,418:424516
O banco Mercantil e.-ta pagando o
de 3 % ou 65 por accao, pertencente
tro do auno econmico do mesmo bam
A Voz do Minho jornal de Valonea,
porque pode
pelas praias
laja cumpa-
bel.
i.
dividendo de
ao Io se.nes-
o.
conia que os
do, que o governo n.io quer Bsoalisar mas sim carabineiros da vizlnha cidade de OJ, lalvez para
saber minuciosameule dos bens o reodiraentos se exercitarem em alirar ao alvo, derim agora no
desias corporacoes religiosas, para, como elles di- innocente recreio de dispararem
zem Ihe d-nar a mi. de bala I (' peior foi elles fazerem a/tjo da casa do
Desde 1834 que existe esta reluctancia, porra o j Sr. corouel Sexas, cuja parede foi atravessada por
mal velbissimo. E assim, os fundos de algumas j uraa bala, cora grave risco, ditera, da criada, que
irraao lades e confrarias acharase totalmente per- esleve era perigo de ser victima.
dia9s- I A autoridade administrativa de Valienga offlciou
Nesta sessao foi anda votada pela junta a verba | a idntica de 'Cuy para providenciar silbre tal caso,
dedouscontos de reis para reparos na casa do o Sr. Joaquim' Jos Ferreira, sobrinlto do Sr. vis-
a.ylo de Villa Real, e mais 3305000 pira dotagao conde de Guarativa, remetteu do Rio de Janeiro,
de 14 asylados, sob a conJigo do asylo licar com onde reside, um cont de ris para o! hospital da
a qualidade de districtal. Misericordia de Valenga do Minho, e 505 P^a a
O Diario de Lisboa, folha olRcial do governo, I confraria de Santa Mara dos Anjos, da mesma vil
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS I0 IA
iiIO E a>EK^'A5i|jCO
PORTO.
12 de selembro.
Est prximo o da da inauguragao do palacio
de crystal portuenso; e por isso a abertura da ex-
posicao internacional, que, como j diasemos, ha
de effeetnar-se no dia 18 do crreme.
A fesia promelle ser grandiosa, memoravel, por-
que a ella coucorreni mais de tres mil expositores,
com variadsimos productos, da Allemanha, Fran-
ga, Inglaterra, Italia, B-lgica, Hollanda, Turqua,
Estados-Unidos, Brasil, Hespanha e Portugal. Se j
exeepluarmos os expositores porluguezes, que so-
bem a mil os dous primeiros dos mencionados pai-
zea que teem maior numero de expositores, pois
da Allemanha emeorrem uns 500 o da Franga
mais de 400.
Da Allenfaoha vioram amostras de la vegetal,
formada do pinheiro sylvestre. da qual se abr-
cam lecidos muito linos, como cobertas, carnizas,'
meias, etc.;dama-cus de variadas qualidades,
rendas, amostras de essencia que sao empregadas
na compnsigao de licores e perfumes productos
de porcelana e crystal.
Da Franga figurara os bellos tecidos das fabricas
de Leo, os excellentes productos de ouriversana,
loagas, quinquelharia, papis pintados e muitos
outros artefactos de diversa naluresa.
A Inglaterra sobresal com variados e bem ac-
hados productos e entre elles grande collecgao de
tencas
Contra os vaticinios de alguns praguenlos cer-
to que a industria portugaeza toma parte muito
honrosa nesta grande festa do trabalho. Nao lem
de qae se envergonhar.
H ivemos era occasiSo opporluna traiar delida-
mente da exposigo internacional porlugueza. Pa-
ra entao reservamos as nossas reflexoes.
Podamos na aclualidade dizer mais alguma
cousa a respeilo deste notavel acontecimento, po-1
rm a morte de um filho na primavera da vida, I
suc.cedida no dia 31 de agosto ultimo, impressio-l
nou-nos de tal forma que ; por um grande Oafor-
esl publicaudo o resultado do apuramento deliui
tivo de pessoas inscriptas no recenseamento geral
e simultaneo Ja Dopulagao, elTectuado era todo o
reino em 31 Je dezembro de 1863. Por elle se
vericou que no districto do Porto existiam n'a-
qu-lle dia 23J676 almas nos dezesele concelhos
que coinpoem o mesmo districto, a saber
Dislrictos.
Amaranto............................
Baiao___;..........................
Bougas...:..........................
Felgueiras...........................
Condoraar;..........................
Louzada............................
Maia...............................
Marco de (anavezes..................
Pacos de Ferreira...................
Paredes.............................
Penafiel............................. 28:752
Porto.
i. Bairro (Sania Calhariua)...........
2." Bairro (C-dofeila).................
3." Bairro (Santo Ovidio)..............
Povoa de Varzim.........................
Santo Tyrso..........................
Vallongo.................................
Villa do Conde..........................
la, segurado assim o nobre exeraplo d( seu finado
lio qae nanea esqaecera os esubelec.'imentos reli-
glosos e pos Ja ierra da sua naluralidkde.
O assucar de Pernambuco, branco regula entre
25100 a 25100, o somenos 15800 a 15000 o o mas-
cavado 15400 a 13600. O branco da Rabia 1#800
a 15900 e o mescavado 15300 a 1540O, e este al-
limo do Rio 15300 a 15700.
Durante a quinzena importaran-se, I de diversas!
19 410 procedencias 4201 saceos, 395 caixas e23 barricas, i
Para consumo despacharam-se 99 I caixas, 106 i
cunhetes, 4 quarlolas, 73 barricas e 3,170 saceos.
A existeucia de 2,304 caixas, 458 cunhetes, e
1 quartola, 429 barricas e 31.850 saceos.
Na alfandega do Porto despachous para con-
23:830 sumo, em agosto ultimo, 363,473 kilqgramraas de
9:647 assucar, que pagou de direitos 41:941p535.
Almas.
29:022
20:243
21:858!
14:318|
16:107
17:680
27:430
30.210
31:681
18:808
21.539
8:522
18:838
Villa Nova de Gaya................... 47:733
O Sr. H. L. Fewerheerd, a quem j ba annos foi
concedida a explorago da mina de cobre era Te-
Ihadella, no concelho de Albergara a Velha, dis-
tricto de Aveiro, trata de organsar urna companhia
i qual o dito -eulior mediante algumas compensa-
goes, codera o direito que tem aquella mina.
O capital da companhia de 100:0005 divididos
em duas mil aegoes de 505, cada urna, pagas em
pequeas presiagoes com intervallo nao menor de I {"a"barca "Omito do'Para.
A mina
Pela dita alfandega exportouse no Referido mez
17:0005 em raoeda de ouro e 6:0005; em moeda
de prata. Aquella pesava 47 kilos e Q80 gramraas
e pagon de direito 2395300, e esta pefava 188 ki-
los e 500 gramraas, sendo os direitos 945230.
A mencionada casa fiscal rendeu no mez de agos-
to 237:8015185 e 1:87*5113 para as opras do cora-
merejo.
Cambios sobre Londres 90 d. d. 53 (,(M d. v. |
53 X,sobre Hamburgo 47 X nominal, sobre Pars
publicas, levando-se como em prcisso, e allu-
miado por dezenas de archotes o e^tandarle brasi-
leiro, que tantos ti iumphos e victorias lera alcan-
cado, parando o prestito em dilferenies casas, bem
como nas dos Drs. juues de direilo e municipal,
Rvd. vigario e major Joaquim Francisco Diniz,
em cujas portas toe m a msica o hynrao, ao fin
dar do qual lodos elles solavam os vivas do e-tylo,
que foram sempreentusisticamente respondidos;
sendo que ollvl. vigario pronuncio.! lambem este
discurso sobre as nossas victorias, e concluio con
vidando o povo a ali-t.ir--e como voluntarios para
debeljaro tyrannoLpez.
t Cidados I Vamos de victoria em victoria. A
cama : justa, Dos a protege.
O orgulho paraguayo abaleu diante da forga Im-
poneme bra-ileira : seto a olio mil horneas se en-
tregaran! a discripeao. Ja a Uruguayana esto' era
nosso poder ; o immundo p paraguayo ja nao pisa
o solo Brasileiro*
Tanto mais glorio-a esta victoria, que nao
houve effuso de sangue humano.
Eii, pois, Rio-Furinosenses, Huraaita' vos con-
templa.
A coroa da victoria vos esta' reservada, sede
homens, s le Brasileiros, emfim; corre! s armas,
quera estiver nas circumslancias aprsenle se vo-
luntario.
Viva a religio catholca Viva a naco Brasi-
leira Vivam os voluntarios da patria I
Convtn notar que ao chegar-se defronle do
quarlel onde esto os guardas naciones do contin-
gente, estes farda-tos, e de baixo de forma se en-
corporaram ao prestito, al que fralou o pas-
seio.
Admira como em tao curto espaco de lempo
se concebeu e executasse este festejo, que na ver-
dade esleve brilliante, esplendido.
Aos offlciaes, pois, do 44 cabera as honras
delle ; e sao portante dignos de louvor.
No dia 30 de selembro prximo passado, s
5 horas da tarde, reunidas as Irmaas da Associago
de Nossa Senhora das Dores, no corpo da igreja
do recolbiinenlo de Iguarass, sob a presidencia
do director o Rvm. Florencio Xavier Dias de Al-
buquerque, procederara aeleicao das fuuccionarias
qu; devem cooperar para o festejo do raez dolo-
ro-o em 1866, salvndo eleilas juizas as Exmas.
Sras : D. Eulalia Adelina de Souza Leo, lilhado
tenente-coronel Manoel Francisco do Souza Leo ;
D. Mara das Neves Carneiro da Cunha ; e as se-
nioras dos Srs. Luiz Ignacio do Andrade Lima e
Miguel Pessoa de Araojo Pinheiro ; o escrivas as
Exma-. Sras. D. Joaquina, mulher do Sr. capilo
Hermano Jos da Silva : I). Izidra, mulher do al-
feres Eslevao Francisco Pessoa : e a senhora do
AppelluriJes Clima.
Appellante, o juizo ; appeilados, Joio Fabricio
da Cosa e outro.A novo jurv.
Appellante, o juizo ; appelldo, Loiz Alves Br-
relo.Improcedente.
AmptUafe cirel.
Appellanie, D. Mara'-ancha da Conceigo Ca-
valcante ; appelldo, Dr. Joo Francia* de Arro-
da Falco.Desprezaram os embargos.
MSiOKAgO l>E MA.
Assignou-se da para" julgameuto das segua-
les :
Apoellaces eiveis.
Appellanie, a irmandade d i Sanii.-sraio Sacra-
mento do Cabo ; appelldo, o vigario Jos Loiz l'e-
reira de Queiroz.
Appellante, Manoel Elias de Moura ; appelldo,
baenarel Manoel Pirmiao de Mello.
Appellante, Juo dos Sanios Coelho ; appeilada,
a irmandade de S. Ii-nrdiclo.
Appeilages crimes.
Appellanie, Francisca Paulina de S. Jos ; ap-
pelldo, Manuel Joaquim Ferreira Micbado.
Appellante, o juizo ; appelldo, Antonio da Ro-
cha Bezerra.
DILIGENCIA CIVEL.
Cora vista ao Sr. desumbargador procarador da
aoioa
A appellago civel.
Appellante, a adminislragao drs recolhimentos
de Olinda ; appelldo, o pron.oior decapellas.
PASSA6BRS.
Do Sr. desenibargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Citiraua
As appeilages civris.
Appellante, Joo Francisco Alves da Silva; ap-
pelldo, o pardo Antonio.
Appellanie, Benio Francisco de Macedo ; appel-
ldo, Francisco Fernandes Benevides.
Appellante, Albino Jos Ferreira da Cunba ; ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. deseinbargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Molla
A appellago civel.
Appellante, Joaquim Amonio da Silveira ; ap-
pell.nl... Antonio Mnmz Saldanha.
Ao Sr. deserabargador AlraeiJa Albuquerque
A appellago civel.
Appellante, Francisco Marrano de Albuquerqoo
Mello ; appelldo, Francisco Jo- Vianna.
Do Sr. deserabargador Lourengo Santiago ao Sr.
deserabargador Almeida Albuquerque
Appellago criine.
Appellaute, ojuzo; appelldo, Balbino Francis-
co dos Santos.
Do Sr. desembargador Moita ao Sr. deserabar-
gador Assis
90 d. 541 por 3 francos.
Abriram termo de carga:em 29 de agosto o I
patacho opo Luna para o Rio-Grande do Sul; em
30 a barca Armmda para Pernambuep, em 5 do
cerrente a barca Adelante para o Para e o brigue
Adelino para o Rio-Grande do Sul; em 8 a barca S.
Joao para Pernambuco.
Enlraram:em 1 do corrente o brltue Lata, de
Pernambuco, e o brigue Guilherme, Rio de Ja
neiro ; em 10 a barca instaurarlo, da Baha ; em
As appeilages civeii..
Appellante, Francisco Botelho de Andrade ; ap-
Sr. Miguel da Luiiha de Araujo Pinheiro ; e mor- ad Jo5o Lar|os |{aslos da Sj,va
Appellante, a adminisir.icao da massa de Alves
& Cruz ; appelldo, Manoel joaquim da Silva Leo
A; C.
domas todas as irmaas da mesma sennora.
O Sr. Carlos Dubois, cabelleireiro brasileiro,
acaba de transferir sua residencia para a ra da
Imperatriz n. 18.
REPARTigAO DA POLICA.
Extracto da parle do da 19 de oulubro de 1865.
Ao Sr. deserabargador Domingues da Silva
A appellago civel.
Appellanie, Felippe Gomes da Frota ; appelldo,
diz-s.
e brasilelro;
te a barca i
,. Sahiram :em 31 de agosto o brlg
estar era excelentes, condigoes mean para a Baha; era 1 do correL..
econmicas e haver toda a probabilidade de que : hrasileira Brilhante para o Rio de Jaoiro; era 6 a
depois de s uisfeita a quarla parle do capital a ex- bar,.a elaudma e as galeras Adamasr e Campo-
ploracao come.ee logo a cobnr as despezas. nfza para 0 Ri0 de Jan|ro en) 9 0 patacho don
O desenvolv.raenlo da exploracAo de minas em teir0 para 0 Rj0 Grande do Sul
Portugal, data de poucos annos. Os capitaes appli 1 M||| ||I|M m ri M||------------
cara-se com timidez a esta industria e anda loje i
preferem oulro emprego, e sabido que emprezas
de tal nalureza carecem de avullados fundos para!
surlirera os effeitos desejados.
Era Londres acaba de organisar-se urna compa-
nhia peninsular de miaerago e lavagem dg ouro
sob o Ululo The peninsular gold mining and was-
hing campano simited com o capital de cem mil li-
bras sterlinas. E>ta companhia ja fez acqmsigoes
importantes de jazigos aurferos era Portugal, e en-
tre elles o do Rosmaminhal, no districto do Castello
Branco.
O principe Amadeu de Saboya, irrao de S. M.
a rainba, na visita que fez ao Porto, presenteou o
padre mestre Amonio Peixoto Sahjado, que oi coa-
HBVISTA BrAlIA.
le? noticias
Do Rio Formoso temos as seguio
datadas de 17 do corrente :
Ante-honiem pela manhaa chegoa aqu a no-
ticia da rendigo e entrega de Uruguayana, vinda
de Macei, e ponca atiengo mereceu, pr,r nao ser
fundada em dados certos. A's 5 horas da tarde,
porm, chegou de Gameleira ama Parla cootlr-
raando semelbanle noticia, e entao itnprovisou-se
logo ura festejo patritico.
Fora n recomidos a casa de deteogo no dia 18 Dt)mingos Go'mes da Frota.
do corrente. ... ,... ,, DoSr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
A ,rde"l d0 lm- Sr' ,Dr- Chel ?? P011 \2:. Sr deserabargador Moita
cisco Jos de Oliveira, Joaquim Alves de Araujo, 1
Joao Lopes Bezerra, Luiz J.i- de Franga e Cela-' ^ appellago civel.
no Jos Muniz ou Billas, para recrotas ; Galdno Appellante, Jos Amonio Feruandes Fradiqw ;
Jos de Mello, Jeronymo Vieira Pimo, Jos da Sil- appelldo, Jo- Mendes de Fieitas.
veira Barros e Joao Francisco de Oliveira, como Appellante, Joaquim Francisco de Albuq-ierqaa
guardas nacionae- designados ao servigo da guer- Santiago ; appelldo. Joo Dowtov Jnior.
ra ; e Joo Bapu-ta de Souza, coudemnado a 60 Do Sr. deserabargador Assi.-.aoSr. desembarga-
dias de priso. | c|0r Doria
A' ordera do subdelegado do Recife, Joio Jos de q a de apparecer.
Araujo, por insultos ; o Joo Gaevilto para corree- Appelldo, Fehppe Mena Calado da Fonseca ; ap-
gao- pellanie, D. Rila Francisca de Carvalho Paes de
A' ordem do de S. Jos, Manoel Jos da Malta, Andrade.
para correcgo ; Antonio Jos Clemente, por sus- Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
peito ; Sergio Luiz dos -autos e Raymundo, osera- gador L'cba Cavalcante
vode Manoel Vax, por disturbios. A appellago crirae.
A' ordem do da Capunga, Joanna Baptisla dos Appellante, Antonio Rodrigues da Silva ; appel-
Passos, por insultos. lado, Francisca Paulina de S. Jos.
Generosa Eugenia da
em criuie de leotativa
A' ordem do da Vanea,
Anuunctago, pronunciado
de morte.
O chefe da 2* sessao,
J. G. de Me Casa db DETENgo.Muvimenlodo dia 18 d.e ou-
lubro de 1863. Existiam 363, enlraram '3, sa-
Do Sr. desembargador L'choa Cavalcanli ao Sr.
deserabargador Domingues da Silva
As appellacoes civeis.
Appellanie, Francisco de Paula Borges L'choa ;
appeilada, a Santa Casa de Misericordia.
Appellante, Antonio Manoel Alves; appelldo,
Joaquim Tavares de Oliveira.
T7


Blaro c (fernanbaco Sexta efra SO de Ontnbr de S*
On
A appellagio crime.
Appellaote, o juito ; appellado, Felir Correa da
Silva.
Ao Sr. desembarcador Gtirana
A appellagu civel.
Appellaote, Malhias Lopes da Costa Maia ; ap-
pellada, D. Mara de Jess Cordeiro.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcelos ao
Sr. desembargador Santiago
As appellaces civels.
Appellanlo, Francisco Gomes Prente ; appella-
dos, a vluva de Hanoel Goncalves da Silva.
sabido, e nao ignora o autor do artigo, que a nota genio commua dessa cidade nao terwra cafas suas
da culpa dada ao roo, u qual deve passar recibo proprias, os mais dos aunos se mudo de uiua tre-
para juntar-se ao processo, o nao uin cabo de pa- geezia a ouira, e que seodj Isto desta nuueirs, se
trulha: e guando a allegagao do autor do artigo acontecera que muitas pessoas que um anno v-
fosse vindica, anda assiin dos autos nao consta vessem em urna Freguezia, e acerlasse de fallecer
prova dessa intriga ao cabo. o marido, ou a mulher o Jim a queur perteacess*
O meu collega, autor do artigo, deve saber m's cora seu Escrivo, faria o i aventario, e se depois se
que, quando pedi informagoes sobre o babeas-cor- mudassem para outra Freuezia e aee'tasse de fal-
pus requerido por Francisco Gomes, oenhama in- lecer, o que vivo ticasse, o outro Juiz, e Escrivo,
formago me foi dada, fazeodo o delegado supplen- em cuja jurisdiccio fallecesse, fario o outro inven-
te em exercicio carga ao Sr. Miranda, e este a tario, assiin que de urna mama fazenda, e de uns
\ aquello, de modo que nao chegou as minhas mos mismos orillaos, serio dous Jtitzes e de dous Es-
Imita de Kemp, um onstante e perpetuo benefi-
cio publico, um verdadero thesouro ineigotavel.
Pdese asseverar como um axioma incontesiavel,
quequalquer classe de>tosse, couslipago ou calar-
rho, se allivta, e cura mediante c seu uso dentro
doespaco de poucos dias, e s vezes dentre de pou-
n; hnrae i\ hrnnnkilac ftaolir-iilnc ini'll nvoi
pelos mdicos se allilviam, e s vezes se curam
em urna semana, com esta preciosa e excelleotc
preparar "i i vegetal; a melhor e a mais excellen'.e
de luda- quantas andafn em voga. robustece e vi-
gorisa os orgaos da rspirago; faz expeliir todas
as mucosidades e a plilegma; cura a asthma cliro-
Appellaote, Jos- ominges Correia ; appella- essa vislorta do ferimento grave, sendo que at no- ornan, por ter cada Juiz seu limite, e jnrisdicco
da, a ordera terceira de S. Francisco. 18 nao foi Francisco Gomes processado. limittada, b que sendo assim se acontecera, que o nica; u'uma palavra
Appellanie, a irraandado do Santissimo Sacra- E se como ceno, o Sr. Miranda, morando a 6 Juiz teria jurisdiego as pessoas o fazendas gue (caso de desarranjo o|i molestia dos orgaos polmo-
meoto do Cabo ; appellado, o vigario Jos Luiz Pe- leguas distante desta villa, nao deu a nota da cul- nao estavu em seu limite, A isso vos respondo,
reir de yueiroz. pa, como quiz o coulrario alDrmar, porque nao que quando tal acontecer. Hei por bem, que o
M mandou ao preso a nota da culpa no praso do dous Juiz que flzer o primeiro inventario em seu limite
TRIBUS VL BMP U03IMI3KCI dias, como quer o art. 248 do cdigo do processo, a e jurisdicgao do marido ou mulher qneprimeiro
razo de tres leguas por da, havendo estado no fallecer faca o outro inveulario, o pariiiha do que
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 16 DE exercicio por mais desse lempo, come disse ? Sou segundamente fallecer, porto que faleca em entro
conhecido na provincia, verdade, o meu passado limite, e jurisdicco de outro Juiz, c purera o Juiz
PRESIDENCIA DO EXM. SU. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO l'ERETTi.
s 10 horas da manhaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Aleoforado, Rasto e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o
Exra. Sr. presidente deelarou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
deute.
EXPEDIENTE.
Um offirio do secretario do meritissimo tribunal
do commercio da corte, de 2 do corrente, remetien-
do a relaco aos coumerciautes all matriculados
no decurso du mes prximo passado.Accusada a
reeepco archive-se.
nao me envergouha, e nem receio ser chamado pe- em cuja jurisdicco assim fallecer o donad.tro,
los meus actos a' presenga de quem for meu legi convem a saber,marido ou mulherqnanda for
timo superior e forja confesar mais, que ando ao fazer o inventario de sua fazenda, perguniar
com afronte erguida; nao me alerram informa- primelro que o faca, se a tal mulher ou nomem
poes, que por ventura existam na secretaria. Se foro ja casados, e achauoo que sim, se iuforme
as comarcas do Liinoeiro como a de Pao d'Alho, em cuja jurisdicco alleceo o primeiro, e como o
Bouito, andam como pinlou o aulor do artigo, por souher, o notifique logo ao Juiz que tiver lomado
que uo se quer freio aos desmandos de certas au- couhecimeoio do pnmeiro inventario, declarndo-
le como em seu limite he fallecido Fuu, ou
Fua, o qual por seu marido, ou mulher ser pri-
meiro fallecido em sua jurisdiecao do mesm> Juiz
a que o notificar, e ter j lomad.' ronheeimento do
primeiro inventario, e purtilha. Uto az sber, para
que vo tomar conheetmento e fazer o secundo
tondades, ije qoerem viver a' custado suor alheio
e do saugue dos cidados pacficos : e porque se
anda negociaudo com os cargos pohciaes: por
qoe nao me quero prestir a ser instrumeulo da
liga; porque teuho conscieucia dos meus actos, e
boi sempre merecido a estima e considerago das i
Outro da junta dos correlores, remetiendo Desta primeiras autori ladea da provincia, e goso de opi- mveuturio, uotueandolhe logo em que Fregueiis,
data a eotaco dos preces ementes da praga na u,0 geral dos meus comrcaos que nmito me res- ra, c casa era morador :t: da dita nvtffleacio
semana iada.Arcbve-se. peitam : porque tenho a miuba vida publica a tomar sua certido, e dala cm diante o dito luiz,
Foi distribuido ao Sr. deputado Miranda. Leal o fai t |u(juS e uu receio ser manchado em minha a que assiin foi notificado, tera' cuidado de I he ir
livro copiaJor de Augusto Cesar de Abreu carreira : porque nao sei fazer favores: por fazer o dito inventario, e parlilha. como Azora, 89
despachos. .^ que nao aeoberio c,m mioha auturidade a tratan- cm seu limite, e jurisdicac fallecer; e o sobredi-
No requerraento de D. Clementina^Theodora na leS> e |adroes, como tudo se poder ver as secre- to se guardara' no Termo, se aeonteeer-se mudarem
Silva, viuva de Mauoel Goncalves da Silva, pedio- tana da presidencia e da polica ; emfim, por os da Jarisdieao do limite de. nom w- para o do
do o registro da escripiura de autorisacao que deu (JUt ua ,)Ueru u Dem pSS0 jCr eleilo... outro. A qual provisao diz ser folla mi Evora a
asen lilho Luiz Goncalves da Silva, para poler o artigo, a que e.-lou re^pondendo, obra de 13 de Mayo de 1534 e estar assignada pelo dito Se-
commerciar.Vista ao Sr. desembargador fiscal eiicommetiJa, e permita Deas que produza nacr- ohor Rey" Jo.io o IVrceiro.
No de llenry Forsier & C, pedindo o registro de m o desejado effeito; mas fique certo o autor do En Maooel Pinto Leito, que hora sirvo de Es-
urna circular qoe apresentam, fazendo constar que ari,g0 jK qUe J( SJU ml(li porqUe processo autori- orlvo da cmara, o Bzescrever, e issigney.
H. H. Sewift ja nao faz parte da casa commercial (jaJes (|U(3 u;-l0 oain()rem seus deveres, nao receio Manoel Pinto Leito.
dos supplicantes Regi-tre se. de iniuha cuuducta, e muilo menos teniio reraorsos
No de l'edro Uniz d.; Carnario, pedindo certido eu ini0|U cousciencia; uutrotanlo uao podera di-
da matricula de Aut.mo Lonrenco Teixeira Mar- zer o collega que, como servico que quor fazer
ques.de Xlacn.-Como requer. este 2o circulo eleiloral, aguarda urna recompensa
No de Domingos Atves Matheus, pedmdo o re- db [aVores que hoje vai prodigalisaudo, e distri-
gistro de urna procuracio que ajunla de seu cons-; buindo a (|uem, digo sem medo de errar, e posso
Iftointe los Baplisia.da Fonseca Junicr.O ado- prova-lo, tem conscieucia deque nos actos de sua
gado junte procuracio do soppiicante.^ vida me tem procurado bajular, recorendo a ami-
II
Sobre dependencias de aventarios, ePartUhal.
As-entou-se em preseuca doSenhir Regedor
Fernao Teip< de Menezes pelo* Desembargalo'res
abaixo assinados, que o Inventario, que hora se fez
por mora do Doutor Eslevo de Foios, perteucia
fazei-Mi no Juizo do Juiz, que hacia feilo os ifous
buentarios ios imt mlheres que leve; eqw fi
uo ha nem existe um so
nares ou da garganta, que nao sejam curadas logo
a primera dse, e gexalmente flcaoi permanente-
mente curados.
A' venda as pliariiiacias de Caors & Barboza, e
J. C. Bravo & C.
Yovo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes
Novo Banco de Pernamboco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devindo na razo de 80 por aeco.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 18......
dem do dia 19...............
313:6083352
18:165*79
331:771*146
MOV MENT DA ALFADEGA.
Volornes entrados rom fazendas----- 385
com gneros..... 410
VARIEDADES
Soleada e medicina.
L-se na UnionlMedicale de l'aris:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therapeulica, que consista na desin-
feceo do oleo de figado de bacalho sem
Ihe litar nenhumaj das suas propriedades.
Temos o praztlr de annunciar hoje as-
nossos leitores, que esse resultado foi obtio
do de modo o mais completo por um hbil
pharmaceutico de l'aris, o Sr. Chevrier, que
conseguio desinfectar o oleo de figado de
alcatrao e o balsamo de
;ncias feitas por muitos de
ebres, nos hosp'taes e so-
particulares, as analyses e
os competentes, nao dei-
Volumes sahidos cm fazendas.....
com gneros.....
795'
56
492
------- 548
bacalho com o
Toln. As experi
nossos pratioselec
bre seus doentes
ensaios de chimii
xam nenhnma dirvida a este respeito.
Helatamos aqu
um juiz inuito er
r. E. Humbert,
as proprias palavras de
fiinente e competente o Sr.
laureado da academia im-
perial de medicini, e professor de Chimica.
|analyse, diz este distincto
de ligado de bacalho na-
pelo processo do Sr. Che-
rtificar que esse producto
Stibmetti a
orofessor, o oleo
tural desinfectado
vrier, e posso ce
nao pe deu neulium dos seus principios
No de Barbosa A; Vasconeeljos, pedindo por seu gS mttai [)ara apresentar se meu admirador, como cava o sen Inventario e partilkas sendo dependen
procurador, o mulo de administradores do irapt- bomem e magistrado.
che Novo, sito em Macelo, licaodo sem efleito o E>e o Sr. Miranda esse hora?m, qual o piola o
termo de responsabihdade na parte que diz res- autor do artigo, porque se uao ha defendido, urna
peito a Candido Venancio da Costa.Mostr o pro- vei se qUl|. dt; i;inia accus.coos feitas em jornaes?
curador que tem poderes para o que requer em
nome dos supphcanles,
No de Francisco de Miranda Leal Seve, juntan-
do ii roiihi'cimento do imposto de seu oflleio de
ton I >r.Como requer.
<}) i\ o vi-to do Sr. desembargador fiscal :
N i de Antonio Francisco das Neves e Francisco
Pelro da Craz Neves, pelinlo o registro do dis-
ti i! i ile ;i.i snciedade.Registre se.
No de Francisco Gomes da Silva Saraiva, reco-
Iheudo o regittro do sea navio Pela Destino, e pe-
m.i 11 de>on< raco da respectiva responsabihdade.
^n i requer.
N de J .- Izidoro Manas, pedinlo titulo de
ageaie de leones. Salisfaca a pnmelra parte do
parecer fiscal.
nES0U."Q\O.
O tribunal resolveu suspender os agentes de lei-
lo- Aureluno Angosto de Oliveira e Luiz Antonio
Rodrigues de Almoida, por nao terem pago no
prazo da le o imposto annual de seus offlcios, co-
mo fez constar o Sr. oV.ial maiov da secretaria,
procedendose na forma da le. e seudo a mesma
saspeoso scieniificada por offlcios dirigidos aos
dit"S agentes.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr.presi-
denta encerron a sessao as II horas e melada
manhaa.
Eu dexo ao publico a resposta ; entretanto que
sempre que hei sido injustamente aggredido, e por
auooyiuo, hei comparecido perante o publico, exhi-
bindo minha deleza. Devo, emfim, dizer que o pro-
cesso do Sr. Mirauda correu seus regulares turnos
Cid dos ditos Inventarios ; pelo que se havia de fa-
zer u Juizo, onde ellos forao fcilos. Lisboa 17 de
1051. O RegediT. Funtoura. A. Sooza. Mello.
Doctor Va I asco. Pereira Je Azevedo. Doutor Fra-
goso. Gama.
II
N. 66Aviso de lo i/.; t'ecereiro de 1855.
Ao Presidente da Provincia do Rio ie Janeiro
Decide, em solara) s providencias pedidas pelo 2o
medicamentosos
! acham no oleo di
! nario. A fraca
estranhas que -e
ese se o Sr. Miranda uao quiz fazer sua defeza, e EtcrtvSo dos Orphos da Cidade do Cabo Fri na
uem produzio prova alguna, procurando advogados mesma Provincia, que, posto deva ser man ida na
que a defeudessem com a coudigao de obter sua prattea de seren procetsadot no inesmo Cartorio os
absolvlyao, nao soucalpado, eo processo se acha Invenanos dos eonjugee fallecidos, he todava certo
ante, o superior tribunal da relajao, onde podera que o segundo Inventario tamhem carece de distri-
ser examinado. buicao para o effeito de ser indemnizado o outro Es-
Sirvo ino desta oocasio para responder a outro crt'od a quem competera, esse Inventario.
collega, que no Ulano de Peraambuco de 30 do mez 3* Secco.Ministerio dos Negocios da lustica.
ltimamente lindo, me tratou mal rom referencia a Rio de Janeiro em 15 deFevereiro de 1853.
pnso do Sr. Antonio Ferreira do Mattos. Acho Illm. e Exm. Sr.O 2 Escrivo do Juizo dos
que obra precipitada e leviauamenle quem a torio Urphaos da Cidade do Cabo Fro, desa Provincia,
e a direilo quer accu>ar, e sugeilo tica a urn so- Joaquim de Souza Borges Accioll dirigi ao Gover-
lemne desmentido : ueste caso esta o meu coilega no Imperial hum reqoe/imenlo, no qual expoz. que,
que, quer.-nJo fazer a defeza do Sr. Mattos, me ati- sendo aili creado pp|a Le Provincial de 87 de
rou faltas que nao commetti. Marco de 1844, o referido Uflkio d= 2 Escrivo dos
Ua certido abano vera o publico, que oSr. Mat- Orphos, c Ikaudo pertencendo ao Cartorio do Io
los foi preso no da 9, que uesse mesm dia (is 6 Quicio todos os feitos at ento existentes, quer
nem chimicos, que se
\ Hgado de bacalho ordi-
iroporcSo das substancias
)oem no oleo natural para
Km resumo, o
Uido desinfectada
goza de propried;
Klle muilo b
os quaes ^lle mk
lidos, quer pendentes, e sngeitos distribuieao os
que de novo fossem intentados e propostos em
Juizo, acontece que em cousequencia de disi r %
Provisao de 13 de Maio de 1535, e Assento di 17
de Jnnho de 1651, que o Juiz, que conlieceo da par-
lilha feta por morle de hum dos conjwjes, seja o
que essa inlurmafo me foi ministrada no que deva vonhecer da que se fizer por morle do ou-
quasi a uoite, que no dia 12 mande! juntar tro, tem-se entendido, que devem estes novos Iu-
boras da larde) requeren urna ordem do bao-as-
corpas, ije foi despachada a petico, sendo no dia
seguiuie bem cedo qualilicado e interrogado, assim
cuino o carcereiro : que uesse mesmo da ped in-
furina(,oss ao juiz municipal supplenle em exerci-
cio, a cuja urdem fra o Sr. Matlis rec ilhido a ca-
dea :
dia 11
! descobrio o meio
cil para todos, pi
! igo arle de cui
Por isso nao |
do que felicitando
dissimular o ebeir) e o sabor desagradareis,
nao pode de nei hum modo alterar suas
propriedades melicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmt agradavcl.
oleo de figado de baca-
pelo processo Chevrier
des idnticas ao oleo de
gado d bacalhn ordinario, que elle repre-
senta exactament
n tolerado pelos doentes,
anoja e tomado peas
pessoas cujo gostj) e olfato sao dos mais sus-
ce tiveis.
eo dft figado de bacalho
I tem-s tornado ut i dos agentes os mais im-
porlanles e precie sos da therapeulica, quem
de tornar de um uso fa-
estou um verdadero ser-
ar e aos praticos.
odemos concluir melhor
o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoi >erta que merece de ser
; propagada, e diz
;r com meu collega o Sr.
SESSAO JUDlCIARiA EM 10 DE OL'TBR
DE 1865. aos autsesso informago, e ualineute que no da venanos ser procesados pelo Cartorio do 1 Es
PBBSWENCU uo EXM. su. dlsembahgadob 13 me foiam os autos conclasos, e nesse mesmo crtvo sem distribuieao : sobre o que pedia provi-
a. f. i'euetti. da (13) despaehei, julgando improcedeute o recur- deucias.
Secretario, Julio Guimaraes. so de babeas-Corpus sob o fundamento de achar-se Sua Magestade o Imperador, Tomando em con-
s 11'j horas da manhaa o Exm. Sr. presidente o Sr. Mallos iuiciado em r"us ernnesde ferimentoe Fideracao a representado do supplieante Houve
deelarou aberta a sessao, eslaudo reunidos os Srs. graves, as pessoas de Joaquim Das da Silva e de por bem Decidir, que, posto deva ser mantida a
desciiibargadores Silva Guimares, Res e Silva e Luciano Ramos. pratica de seren processados no mesmo Cartorio
Ora se a tudoquanto fica expendido evidente, os Inventarios dos conjuges fallecidos, he todavia
por constar de certido, extrahida dos proprios au- certo que o segundo Inventario tamlit-m carece de
tos de habeas-corpos, como disse-se que estive lora distribuieao, para o effeito de ser indemnisa^o oou-
da villa 7 das, que uao despachei a petigo do Sr. tro Escrivo, a quem compelera o dito Inventaro.
Mallos? O que commuuico V. Ex., alim de n fazer cons-
E como pergnnto agora ao meu collega, autor do tar ao Juiz dos Orphos da Cidade do Cabo Fro
liga em 2d de selemhrj ultimo, solvendo a duvida j artigo, sendo o Sr. Mallos solt no da 28 a tarde para sua inielligencia e execncao.
secutte, proposti peiu presidente do tribunal do poda escrever artigo, ser remedido para o Recife, Deus Guarde a V. Ex.Jos Thomaz Xaburode
commercio da corte, em oflicio de 12 de agosto i na distancia de 16 leguas, impresso e publicado no Araujo.Sr. Presidente da Provincia do Rio de
prximo passado :" \ Diario de'0, tudo do mez de seleinbro prximo : Jaueiro.
Se adalo o julgamento de urna causa, na fr-! pretrito, e ja" follando da absolvgo e soltura da-; ------
ma do artiga 45 do decreto n. 1597 de 1 de maio,da pelo D-. joi? municipal, e lecendo-lhe ologios?! fiala* Pni'(iiirnn7 de 1855, e deixaudo de comparecer pa conferencia : Os entendidos que respondan! pelo collega, e este, aifiiicw; ri luguui. c LC'tu a.
segunde alguin dus depulados ja sorteados, deve- que se acautelle na carreira de sua vida de outra >abem todos os socios do Gabinete Porluguez de
ro proceder-se ao sorteio de outro deputado, ou igual cillaca. Lelll"i, 'lue 1s<"'10 Joaquim Gerardo de Bastos foi
devera e.-perar-se al ouira conferencia pelo depu- Tudo hei feilo quanto julguei bastante para de- proeessalo pela transada directora do mesmo ba-
lado sorteado, sendo que, ha piucos das, verifican- fender-me das injustas e ridiculas aggressoes ; Im bmete, por haver commettido faltas comminadas
ploro do publico descnlpa as minhas faltas, deixau- pems && 5'
do ao Sr. Mattos a liberdade de metter a mi em
vistos os pa-1 sui conscieucia para algum da se revoltar do tan-
r. Richelal os Ir ibalhos que conduzem as
Accioli, e os Sis. depulados Rosa, Candido
Alcoforado, Basto e Mirauda Leal.
O sr. Jos Velloso Soares nao compareceu.
Lida, foi approvada a acta da precdeme ses-
so.
Foi hdo o aviso expedido pelo ministerio da jus-
descobertas d'esU
tegidos pelos mee
Os importantes
sobre o oleo de
zeram obter um
portante, o qualct
especie devem ser pro-
cos.
jtrabalhos do Sr. Chevrier
figado de bacalho Ihe fi-
resultado nao menos im-
nsisle em ter associadn o
ferro ao oleo de fi :ado de bacalho. 0 oleo
de figado de baca Utdo feriginosn de Che-
vrier constitue tal ez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iod: ro de ferro unido
deste modo com < oleo de fijado de baca-
lho se dissolve riis fcilmente nos liqui-
Descarregsm hoje 20 do corrente.
Vapor inglez Gladiatormercadorias.
Barca ingleza Impeador resto das mercado-
rias.
Brigue inglesAqwtacarvo de pedra.
Barca inglezaEdith Manon -idem.
Brigue inglez-Gertrwlesmercadorias.
Patacho inglezSpraybacalho.
Sumaca hespanholaAgustina -vinhos.
Brigue hespanhol7onnacharque.
Patacho portuguez Fartodem.
Importavo.
Hiate nacional Santa Cruz, entrado do Aracaty,
consignado a C. C. da C. Moreira, manifestou o se-
guinte :
20 saccas algodao, 77 arrobas e 20 libras; a Do-
mingos Rodrigues de Andrade.
36 saccas algodao, 143 arrobas e 2 libras; a An-
drade & Reg.
25 meios de sola, II saceos com 37 arrobas e 12
libras de goma, 16 mnlhos com 400 esleirs, 90
ditos com 2,250 pelles e 94 saccas com 364 arro-
bas e 14 libras de algodao ; a Francisco Gomes de
Manos Jnior.
30 calxas com 44 arrobas e 4 libras de velas de
carnauba, e 101 saccas com 468 arrobas e 4 libras
de algodao ; a Prenle V|anna & C.
22"saccas algodao, 94 arrobas e 3 libras; a Jo-
hn.-ton Pater & C.
2o dilas dito, 109 arrobas e 24 libras; a L. A.
Siqueira.
123 ditas com 513 arrobas e 22 libras de algo
dao, 74 molhos com 1,850 courinhos, 81 calas
velas de carnauba, 81 arrobas ; a Jos de-S Lei-
to Jnior.
8 saceos gomma, 6 alqueires. 16 molhos cora
400 esleirs, 2 fardos com 400 chapeos; a Autonio
Alberto de Souza Agoiar.
10 saccas com 45 arrobas e 24 libras de algo-
dao ; a Alfredo 4 Mathnos.
Vapor nacional Tocantins, entrado dos portos
do sul, manifestou o segunde :
100 caixas velas steannas; a Joaquim Jos
Gongalves Beltro.
1 volume joias; a Lehamann freres.
1 caixote fazendas ; a ordem.
Gneros naciooaes.
1 caixo fumo picado ; a RoJolpho Tavares de
Souza.
1 dito dito dito : a Marques Barros A C.
1 pacota iivros impre sos ; a Joo Walfredo de
Medeiros.
2 metas barricas caf, 3 can oes cigarro?, 30
latas e 214 rolos fumo, 53 jacazes toucinho, el
caixa de folha com joias ; a ordem de diversos.
Polaca hespanhola Portla, viuda de Barcelona,
consignad, a Pereira Carneiro & C, manifestou o
seguinte :
221 pipas, 16 meias, 125 quintos e 130 decimos
vnho liulo, 100 meias pipas e 90 ditas de quinto
vinho branco, 50 cana-tras albo, 190 caixas azule-
jos, 100 calxas plomo.
HECEBEftORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCCO.
Rendimento do dia 1 a 18...... 27:211*213
dem do da 19................ 8:217*917
29:4295>30
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 18....... 29:0333243
dem do dia 19............... 6023217
29:635380
os supplicanles Sonlhall Meilors & C, pele
bastante procurador Miguel Jos de Mmttda Frr-
nambuco, e disseram peraote. raim e a ,>-nn-
nbas infra assignadas que redola a prot-*>
contedo de sua petico relro, a qaal oft-rewQ
como parte do prseme, fica sendo: e te corno
ssim o disseram e protestaran! iavrei e* l
no qual depois de lido se lirmaraai cora a
testemonhas.
Eu Maooel alaria Rodrigues do IVa-cimeBio,
escrivo o escrevi.Miguel Jo de Almeida Per-
| nambucoFrancelino Olympio Pereira de livei-
ra.Secundino Elioioro da l/mha.
E teodo os supplicanles pmlnzido as- l^leaio-
nhas sellados e preparado os otos- snbiraea a
minha concluso e nelles dei a senienea do ibeor
segninte:
Hei por justificada a au-.-nca do snpplirado.
maullo seja rilado por edil* de :io d as, para o i
requerido a fnlhas 2 pagas aseartM rx cNMl
Recife, 7 de oulubro de 1865. -Tnslau ds Mt$p
car Araripe.
Por torga da qual o referido escrivo fe pa*ar
O presente pelo qual chamo rito e h*> por i .".notado
ao dito su^iplicado para que eompareca ae-ie jateo
dentro do dito praso alim de allegar o que for de
justica.
E para que chegue ao coohePimeBto de tedV-s
mandei passar o presente qoe sera (.nbikado pe!a
imprensa eafflxado bu lugares iocMMnaR
Recif-, i:i de ooHbro d" 1863.
Eu Mauoel Mara Rodrgaos do Nascimeato
escrivo o subscrevi.
lrtslao de Alemar Averio*.
SLUACSB.
Sisnla Casa liecifo.
De rdem da Illm* junta aitmini-irativa da Saaia
Casa de Misericordia do Rrcif- fajo pah'in- *,::,
foi reeolhidoaouoepiial P.dro II um preto ataanw
Antonio, gravemente aferaw, o qual %ao\ ton tu
, escravo do Sr. Thomaz, morador na rea to Qoar-
; le, e pelo pre.-ente previne ao senhor '.
cravo qoe lica re.-ponsavi-l pelas tsaMM iaMa-
peetivo tratamenio, a razao de 1&* I i r :..
Secretaria da Santa Casa de Misericurd.a do Re-
cife 18 de oulubro de 1863.
O escri"a,
F. A. ('acalcan!i Cntt.neiro.
Sania (sa da ti serie ordia
do Kecife
O Illm. Sr. commendaior Jos Pires 1-emir.
Ihesoureiro da Santa Casa de Misericordia do te
cife mauda fazer publico que no da H> da c rrr%-
te, pelas 9 horas da manliaa, na casa dW e\r
fara' pagamento das nc n-alnlades reotida. I o
ultimo de st-temhru, aquellas amas qoe Coren
acompanhadas das respeciiuv* crian;..
: Secretaria da Sal?. I^sa da Misericordia jo Rt-
cife 18 de oulubro de 1863.
O esrrivso.
F. A. Cavaicanti Coa
dos das vas digesl
se assimila nimio
forma de pillas
perde assim suas [
nilo provoca a coi,
os doentes, enjo es
lar nenln.ma prepa
do-so esta hyputhe-e, o t ibuua
adoptou 0 segundo alvitre :
E Sua Magestade u Imperador,
o commercio
merc natural da Parahyba.
Villa do Limoeiro, 16 de outubro de 1865.
Jos Quintino de Castro1 Ledo.
receres do cooselheiro consultor dos negocios de tas injusligase persegucoes, que na feito no carae-
ju-lica ,e secco respectiva do conselho de estado, ter de inspector ao povo da comarca, sendo sua
decidi, que o arbitrio lomado pelo tribunal deve
servir de regra em casos semelbanles, por quanto
em virlude do sorteio o juiz licou ceno, e peloexa-
me do autos ;e tomou o mais habilitado para de-
cidir a causa, sendo que nao ob.-la a razo da de-,
inora, porque uiaior pode ella ser, se o outro sor-
teado lambem pedir o adiameulo, como pedio o
primeiro
O Exm. Sr. presidente orenou que registrado
e archivado se acense o recebimento de dito aviso,
declarando que este tribunal em casos idenlicos
tem .seguido a doutriiu nede indicada.
JILGAMKNTOS.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & Companhia ;
appellado, Ernesto Goncalves Pereira Luna.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellanie, Francisco Antonio de Brt'.o : ap-
pellados, Rocha Miranda Fnhos \ C.
Appellantes, Luiz
Al ves de Moura ; app
O socio Bastos, movido pelo seu genio atrabila-
rio, enviou aquella oireclona o especioso mimo da
Mara da Fonle e ouiros folhetos de sua esculla,
acompanliidos de um offlelo irnico e insultuoso,
com o nico lim de deprimir os individuos que
compunham aquella corporaco. Nao satisfeto eom
esta remessa, voltou de novo a carga, e por segn-
vas e por consequencia
mais bem do que sb a
pu xarope. Emfim elle
ropriedades irritantes, e
stipaco. E' assim que
omago nao pode suppor-
aco marcial, lomam f-
cilmente o oleo de gado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier
Os senhores Mau
ceber um grande iortimcnto dos celebres
Certifico que em virlude de portara consta dos do oicio transumpto liel do primeiro, euviou nova
amos de aabeas corpus requerido por Antonio Fer- 0//''''',> 'l^e mudo o fez recommeudar ao lonco
reir de Mallos, que esle fui recolhido a cadea bando, que anda hoje o acompanha uos seus desa-
dosta villa no da 9 de setembro, que requeren ha-, tinos.
beas-corpus no mesmo dia 9, que nesse mesmo dia Reuuindo-se o conselho, e sabendo o socio Bastos
foi despachada a peliQo, e que no seguiole da (10) 4U" a diretoria ia piteoiear-lhe as suas gentilezas,
foi qoahlicado, e interrogado, assim como o caree-, correu ao Gabinete, e conscio da pouca vergouha
reiro : que no mesmo dia pedio o Dr.juiz dedirei-1ue celebnsa, all foi verbalmente insultar a
to Informacdeg ao juiz municipal e qu este as directora e o propne conselho, precipitando se co-
pre.stou no dia 11: no dia 12 mandou jntalas aos,IU0 alienado sobre seus membros, fazendo aflnal l-
anlos e finalmente que no dia 13 Ihe foram os au-, vantar a sessao por tumultuosa '
azeiles desinftctadt
noso de Chevrier.
VetnJe-se na pha
A G. ra Nova
A ja
*rer & C. acabam de re-
de Chevrier e ferrugi-
macia de Pedro Maurer
18.
ubrba.
As virtudes therapeullcas da jurvbeba sao desde
muilo conhecidas nao sp no Brasil, pois que dallas
Iratou I'ison em sua expeliente obra Historia na-
turalis el medica Indife occvlentali, seno as
Anilhas, onde o sueco aqui, muito estimado el apphcado contra as obs-
Nuvios entrados no dia 19.
Aracaty11 das, palhabote nacional Santa Cruz,
de 101 toneladas, capitn Jos V ctorino das Ne
ves, equipagem 7, carga algodao e outros geue-
ros ; a C. C. da C. Moreira.
Havre42 das, brigue francez Trois Freres, de
185 toneladas, ca;.itao Parquet, equipagem 10,
carga mercaduras ; a Tisse Freres.
Havre,-34 das, barca fraoce/a S. Andr, de 268
toneladas, equipagem 12, carga mercadorias; a
E. Burle & C
New-York 49 das, brigue dinsmar.juez Jennett,
de 205 toneladas, capilao G. Flelscher, equipa-
gem 9, carga 2,600 barricas com farinha de tri-
go ; a Phpps Brothers A; C.
Lisboa38 dias, patacho portuguez Mana da Glo-
ria, de 184 toneladas, capilo Antonio de B. Va-
lente, equipagem 9, carga vinho e outros geno-
ros ; a Euzebio Raphael Rabello.
Liverpool50 dias, bngue inglez Balclutha, de
212 toneladas, capilao llenry Bowdeu, equipa-
gem 12, carga carvo; a Saunders Brothers
i C.
.Vario sh/i(/o no inesmo da.
Rio de Jaueiiovapor americano Bnaiinia, com-
mnndanle Gallaghe, em lastro.
065frt'a^(7o.
Suspendeu do lamaro para a Baha o brigue in-
glez Jane, capitn D. M. N.eil, com a mesma carga
que trouxe de Terra Nova.
Para atropelar a marera administrativa propoz
anda o Sr. Bastos, pira socios do Gabinete Portu-
guez, cincoenta individuos, alim de serem appro-
vados, e extrali-ios os respectivos diplomas, quan
do uus por aualphabetos, e outros por desfavorec-
Fonseca de Medeiros e Joo ao fra cercado e preso para recruia e lambem por ds da fortuna, nem sequr poderara satisazer ao pugnancta, que ipre
.diado, Antonio Joaquim Sal- haver espancado e fendo gravemente a Luciano cofre do estabelecimento a importancia da joia de t
tos conclusos e desp-.chados, n.jgando-lhe a soltura
por habeas-corpus, havendo o juiz municipal infor-
mado que havia mandado prender a Ferreira Mat-
tos por ser ac.cusado de haver ferido gravemente a
Joaquim Uias da Silva, morador nos Mendes, quan-
trueces abdomlnaes,
bacj; e se todos os fac
nio applicam com freq
nao reconhecerem elles
nao seren encontradas
incipalmente do figado e
Ilativos desta provincia o
liencia, isto se nao deve a
ssas virtudes, mas slm a
um facilidade e em todas
Ni
EDIiAES.
gado. Ramos, morador era Guabiraba, indo desta fregu
Adiados a pedido dos Srs. deputados. zia, e que naqnella data havia mandado citar teste
Appellantes, a viuva Neves ; Cardoso ; appel- munlias para ditos processos.
Iada, a directora do Novo Banco de Peroambuco.
Appellanie, Jos Ribeiro Bastos; appellado, Joa-
quim Luiz Vieira.
Appellanie, Virginio Barbosa da Silva ; appella-
dos, Cardozu & Souza.
Adiados na precedente sessio, adiarara-se a pe-
dido de outros seuliores deputados.
J'AssAOL.H.
Do Sr. desembargador Silva Gumaraes ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellanie, Jiaquim Martinho da Cruz Correia;
appeliados, L). Felicia li -laves e a fazenda provin-
Limoeii'o, 12 de outubro de I863.f-Em f de ver-
dade,
Hermino Delfino do Nascimento Liwa
cial.
cautas TJisTEMUNiiA vEs vtxoAS M ji izo esfecial Iho da guarda nacional em expedicao, alomar
uo commbrciu. ; parle das fadigas dos nossos irmos nos campos
Aggravantc, Joaquim Francisco da Silva Jnior; do sel, seria um ingrato se publica e solemoemen-
entradal
Convencendo se o socio Bastos, que eram este-
reis os seus esforeos para desviar a directora do
cumprimento dos seus deveres, correu desaponla-
I do para o Jornal do Recife, onde abri a bocea, e
j exgotou o vocaoulario dos convicios sobre os seos
; membros, cujo nico peccado foi desprezar os lat
[ dos da sua pessoa, e as milsimas cousissimas ne
, nhumas da sua preeoniaaila intelligencia I
Em vista do que acabamos de expr, est fra
de duvida que o processo justo, e nem o conselho
0 leiienie a Rimada baalli-in da nuarife narmu-.l a''lUal' que deve Jul8ar' l,od,'r conslderar i,n-
u (nenie ao seyuaiio uaiaido da guarfla nacional prCtaeuie como deseja o Sr. Bastos, e a illu ,lre
Gamillo AhjusIo Ferreira da Mlva aos seus com- tnbuneca do Forte do Mallos, quando lodos os fac-
pauheiros do mesmo balalho. tos que referimos se acham confirmados pelo reo,
Devendo seguir brevemente no primeiro bata- a ""nos que nao queira tile declarar que se acha
as estaees do anno os ffnetos dessa planta, e a re-
m os deentes Pin fazer
tos, em consequencia de
os f|u
esenli
ser extremamente amar} o.
inhecida dos botanistas :
njlia das solaneas-, e tem
m paniculatum, que Ihe
mmzmu i pedido
A jurubeba nao desc
esta planta pertence fa
a denominacao de solan\
foi dada por Lyoeo.
Pareceodo-nos conven ente facilitar o uso do
sueco dos fructos da ;'> tbeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extra lo alcoolco que pode ser
applicado em pilulas, m; > tambera um vinho, um
aggiavado, o juiz
Aggravau'.e, Joaquim Ignacio Bibero Jnior ;
aggravados, os administradores da massa fallida
de Seve, Filbes (i C.
O Exm. Sr. presidente negou proviracnto.
Nada mais havendo a tratar-seo Exm. Sr. presi
sidente encerrou a stsso a meia hora depois do nobres e distinctos.
te naodir gisse um adeus de despedida aos meus
amigos e compauherros do segundo batalho aos
quaes dedcarei sempre e em qualquer parte a
maior estima e consideracao.
Neste corpo, a que ti ve a honra de perlencer
desde a sua organisaco, eocontre caracteres bam
jneo-dia.
ORBESIONDENCAS
Saudoso portante me dispeco do meu digno com-
mandanle o Illm. Sr. tenente-coronel Rodolpho
Joao Barata Almeida, de todos os meus compa-
nheiros offioiaes, assim como dos inferiores e mais
pracas do segundo batalho.
A todos offereco o meu limitada presumo, e peco
que acedera e abraco de despedida do amigo e
compaobeiro que separase, e tal vez para sempre.
Despedindo-me de todos, o raeu coracao pede
que dirija um adeus especial aos meus amigos o
0 juiz "C iliieito fia comarca mceiro, a >nlico.
A demissao do Sr. Vicente Joaquim de Mirauda,
oi explicada por quem quer que escreveu o artigo Sr. lente Joaquim Pereira de Mendonca Jnior e
do Jornal do Recife, sb o 232, de seittfcira 6 ex-capito do mesmo batalho o Sr. Joaquim Mau-
do floeute mez, de um modo que quem me uao co-1 r'c' Goncalves Rosas.
nlK'cer juigara que proced sem inslica, condem-; Quarlel da Soledade 13 de outubro de 186o.
naudo-o por haver deizado de dar a nota da culpa i Camillo Augusto Ferreira da Silva.
a Francisco Gomes da Silva preso a sua ordem, u-o > fj o _
i npptent em exercicio da subdelegada do a|Legislaco relativa aos inventarios por
districto da freguezia do Bom Jardim desta comar-, *^
ca. E' preciso que eu declare, que o Sr. Miranda | uCpCQCDCia.
to couscioeslava do sen crime que me mandou: I
pedir, que o condemuasse no grao mnimo do art. j Provisao de El-Rei Dom Joo o Terceiro.
182 do cdigo criminal, e nao coutenle anda se i Vareadores, Procuradores, e Mysleres da minha
quiz cumprometler e cumprir a pena, se fosse eo- Cidade du Lisboa : Eu EIRey vos envi muito
ino pedio, coudemnado no miaimo. Eu nao poda saudar : Vi os apontamentos, que me enviastes, As
az.-r ajuste com ninguem sobre a deciso que hou-, em que dizeis essa Cidade ter para si nao fazerem nario i
vesse de dar, e entend a vista dos autos que o de- os seis Jaizes de Orphos, que tenho ordenado sua prolongacao geralmente de ponca duraco, e
via conjernnar no medio do citado artigo por nao, n'ella, e em seu Termo, haverem de servir em, em breve passa ; em quanto que um grande anli-
julgar atleudivel a sua resposta ooc autos, sendo: quanto ao i'empo em que dizeis gue por a mais ; dolo por excedencia, come o Peitoral de Anaca-
va bebado ou louco, quando os commetteu e con-
firmon.
Tambem nao poder esse processo considerarse
nullo por falta de formalidades, quando nao existe
le alguma no estatuto, que instrua a sua forma-
cao, e a ser assim, nennu.n processo que tenha do
msiaurar-se ser legal, porque nenhum ser ba-
seado na le que os nao ensina a organisar I
O que o actual conselho deve examinar sao os
documentos quecoustilueiii a aecusaco, pois esta-
mos convencidos que o Sr. Bastos em sua defesa
uo apoutar le alguma, que n aulorisasse a in-
sultar a adrarais raco, anda mesmo que ella com-
ineltesse erros na espera de suas altribuices,
quando Ihe caba o direilo de responsabilisa-la.
Fraalmeute a ser o socio Bastos absolvido, ou
auullado o seu processo, sauccionar o conseo o
methodo novisumo de faser ofertas s directoras
do Gabinete Portuguez de Leilura I
exemplo do sr. Bastos ser inmediatamente
reproduzido; as directoras de hoje em diante es-
laro sujeitas a receber descomposturas por esenp-
tto ; e quando teniem pulir os seus autores, a de-
1 sordera reinar em meic da associacao, segulndo
elles a norma de defesa Iracada pelo Sr. Joaquim
Gerardo de Bastos I
Cousidere, pm tanto, o conseibo na sentenca que
vai proferir, e na desmoralisagao que couduzir
a sociedade, caso fique impune o procedimento
desse socio.
Entretanto, esperemos pela sua dellberacao.
Alguns socios.
xarope, e um emplastro
cerlos casos, o de Vigo ;
com isto prestamos um s^vIco
h teraputica.
Pisn, tratando da hydr
coeco das piizes da jurii
em seu Diccionario de ma
tica, dizeio que as Au'l
dos fructos maduros dess
rho vesical ; c a autoridad
dicos, merecidamente cele
suas palavras, e por isto
que pode substituir, em
estamos persuadidos que
liuinaiiiJ.nl,- e
ppesia, prescreve a de-
eba, e Moral e Delens,
cria medica e therapeu-
las se faz uso do sueco
planta contra o catar-
te dos nomes desses me-
ires, nos leva a crer em
cuidaremos de ter em
preparares despuezivbis, apenas de ordl-
csto em voga per algum lempo, porm a
nosso estabelecimento essa raizes, para que possara
ser experimentadas.
A reputacao da jurubeb. tal, e os resultados
therapeuticos oblidos iilm lamente sao trio impor
tanles, que nos parece ii til dizer mais do qur
isto, que Oca escripto.
Deposito : pharmacia de
Joaquim
de Almeida Pinto.
ans
PRAQA DO I ECIFE.

10.
C'OllCt'S O
19 de o
Cambio sobre Londres90
e 27 d. por t#000.
uulu
Uciaes.
tubro.
d/vista 26 i|2 26 3/4
urcq Jnior,
residente.
Gumaraes,
! ecrelario.
Ilr I
Caixa filial do b^
Pernambd
A caixa depona as letra:
paitxa de 60(0 go anno.
Ogu
Ignacio


ilo Brasil em
co.
de seu aceite pela
rda-livros
Rues Correia.
O Dr. Trisi.io de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa e juiz especial do commer-
cio uesta cidade do Recife de Pernambuco por
Sua Magestade Imperial ele.
Fago saber aos que o prsenle ednal virem e
delle noticia liverera que por parte de Southall
Meilors & C, me foi dirigida a petigo do tlieor
seguinle:
Illm. Sr. r. juiz de dreito do commercio.D-
zem Southhall Meilors culados estabelecidos ne.-la cidade, que Manoel Jos
Leite, que exerceu a prosso de commercio com
loja de fazenda nesia mesma cidade, titila se reU-
rou occuliamente, e ficou devendo aos supplicanles
por letras 20:9335570, as quaes se venceram as
datas constantes da nota inclusa, porque at agora
o supplicado uo tem pago, uem os supplicanles
teem podido promover contra elle accao judicial,
por isso que nao sabido o lugar de sua residen
ca, e est a terminar o praso para a pre.-cripgo,
para interrompe-la querein os supplieanlcs protes-
tar, como protestan) pela conservaco de. seu direi-
lo, e requerem a V. S. que se digne mandar tomar
por termo o seu protesto : e como nao sabido o
lugar da residencia do supplicado requerem a V. S.,
que tomado por termo o prote-to, dgnese deter-
minar da, hora e lugar, para os supphcantes apre-
sentarem testemunhas para prova da ausencia do
supplicado, e iucerteza de sua residencia alim de
ser julgada, e V. S. mandar fazer a intimago do
protesto por ediles de 30 das na conforiiiidade
do art. 453 3o do cdigo do commercio.
Pede a V. S. que seja servido deferir-lhe distri-
buida esta, e reeehera merc.Camelo.
Na qual dei o despacho do theur seguinte :
Jusliliquem a ausencia no dia 4 do corrente mez,
pelas 11 horas da manhaa, lavrado o protesto
Recife, 2 de outubro de 1865.Alencar Ara-
ripe.
Em virlude do qual fra a mesma petico distri-
buida ao esenvao deste juizo que ante mim serve,
Manoel Mara Rodrigues do Nascimento.
Depois se via e mostrava seguir-se a nota de que
trata a petigo a qual do theor seguinte :
Relag.io das letras accedas por Mauoel Jos Leite,
Southall Meilors & fj. com a dala de seus venc-
menlos e deciarago de seus valores, cujas letras
estao selladas :
Oulubro 30 de 1860, 1:6005; novembro 30,
1:6005; d.zemhro 30, 1:6005; Janeiro 30 de
1861, 1.6005; Janeiro 30, 1:6205790; fevereiro
30, 1:6005; margo 30, 1:6005; abril 30, 1:6005;
maio 30, 1:6005; junho 30, 1:6005; juibo 30,
1:600; agosto 30,1.600J; setembro 30,1:7129780;
20:9335570.
Dejiois se via o termo de protesto do theor
seguinte:
Trme de protesto:Aos 2 de ontubro de 1865,
ca cidade da .Recife em meu cartorio appareceram
Insperro do arsrnal de mariain.
O arsenal de marraba admiiie serpentea para as
obras cora o jornal de 15 diarios.
Inspecgo do arsenal de marraha le Peraaarita-
I co 19 de outubro de 165.
O secretar,
: Alexandre Rodrigues dos aajaa.
De ordem do Illm. Sr. engenheiro tai r',<-f- fa
repartir/) > das obras publicas se faz publico que a
concurso para o preenchimento das vaga. de pra
ticantes de-la repartigao, tera lugar no da !3 da
dezembro vindouro, as 10 horas da manh:i.
Os exames versaro sobre iragia n..'.'..nal,
abraogendo a escripia, leitura e ai:aljse priinfiia-
tical, desenlio linear e de aquarella, aritti-.
] em todas as suas operaces, c geometra lio- ir.
> Os requerimentos para inscripgo im rae Hia-
tos devi-ro ser aprt-sentados at t dia lf. i
rao ser instruidos com quaesquer docui:
ttulos scientiflros que abonera a capaei# daa
mesmos candidatos.
Sec etaria da reparliga) da* obra poticas 19
| de outubro de 1865. No impedimento &j 'rt-
tario,
Joo Joaquim de Siqneira Varrjao.
Consulado Precisa-se saber noticias de Francisco Jo Al-
berto, funileiro, natural de Braga, reino de Porto-
gal : roga-se a quem as souher, o sapatial
quio de as levar a' chancellara daqn-i!..
gao, anda mesmo que ja' tenha fallecido, qne m
Ihe Picar muito agradecid.
Conselho O conselho proniove em 20 uo crreme n>z. tob
as condicoes do estilo, a compra dos objertf- abai-
xo declarados, e convida aos qne qneiram vcen-
los a apresenlarem suas propostas nesse da ai*
a's 11 horas da manbia eni carias fechadas :
Ol-jeclos.
8 lenges de ferro de ||4 de grossnraIPmias
de lapes 10 arrobas de mialhar bran '' arro-
bas de pregos ripares de robre2 fr :
fusos de metal 4 arrobas de pregos r-ir-s de
ferro 6 duzas de liboas de rostadraho l ama-
relio 3 duzas de tabeas de assoalho i amsala
de 3 palmos de largura 40 duzas de titos* da
louro para forro 20 duzas de taima de a.--, iba
de amarelloIH dnzias de limas chatas le lt> a 20
pollegada.10 duzas de limas meia rana tlt 16 a
20 pollegadas 2 arrobas de tachas de tetw i
arrobas de a.eua-raz 24 garrafas de tiau dr rs-
crevi r12 dnzias de taboas de pinho de 3 asa^fa-
das10 bandeiras nac maes de 9 pannos- i -haa-
deiras nacionaes de 4 pannos jo baatfra-af ua-
ciouaes de^t pannos 10 bandeiras Je ganp' de S
pannos 30enehams de quabdadeferro brqjo
para funlic', 600 covades de filete e nideWa*
de conslrucc) para nm transporte de to-vn.
Sala do conselho de compra* naaes, 16 de ou-
tubro de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjov
Subdelegada de poliria da freguezia da Boa Vista
18 de outubro de 1865.
Foram appnhendiJas a um menor n:; ;ar de
argolas de ouro com dmis diamantes
poe terem sido fuada-, visto cr-mo o mesieo mt-
nor as audava veodendo por batas prego : (jacas
pois se juigar com direilo as mt-smas Bajetes, daa-
do os signacs ou provando. sir-lhes-ha entregoe*".
O subdelega-lo,
Decio de Aquino ftasasa.
A r remata gao.
Fnda a audiencia do da 2i do corrente. d joir
municipal da \' vara, escrivo Cuaba, *era arre-
matado por veuda a quem mais der, o sillo de er-
ras denominado Forte, as Candeias, rom 655 pal-
mos de frente, 800 de fundo, com 80 j's de roq-jr:-
ros, terminando pelo lado do sul. com trra,- de
Pedro Joaquim de Barros, e pelo norie eom ierras
de Madoel Gregorio, servindo de divisa pelo sal
um p de nroeira, e pelo norte um ra 3o da aaes-
ma arvore, avahado dito sitio por 60U5, o qual
vai a praga em virlude da execucao que a saata
casa da misericordia desta ridade rrove rcatra e
herdeiros de D, Anna Benedicta Boaveatora do
Carao, viuva do coronel Agoslinho Cesar de Aa-
drade Mello.
THEVTIIO
S. ISABEL
EMPREZ A "OIMBRA
Sabbado 21 de outubro
de 1865.
Segunda representago do magaifi.;o e aparato-
so drama em o arlos
4 DAMA DAS CAMELIAS
Finalisara o espectculo com a sublime paaala
escripia pelo Exra. Sr Dr. Pedro Loiz Pereira da
Souza e representada pela actriz a Sr.* D. Adatan-
do, intitulada
I1YMNO A' POLONIA
ou
Os volntanos da morte.
Os senhores que ftzeram encommeadas im ca-
marotes e cadeiras podem mandar ao i illiptajia
do theatro at sabbado as 10 horas do dia.
Comecara as 8 boraa.

y


*

Olalf de peraambiie* *i#* fclra tO de Oniahre de f MIS
riSOS MASITIMS.
CdIPASHiA BUSILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do su!
al o dia 30 do correole o vapor
Galgo, o qual depois da demora
do rostiime seguir para os por-
tos do nort .
Oesde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condu/.ir a qutl dever
ser embarcada no da de sua ehegada, eneommen-
dis e dinheiroa frete ,ii o di:i da sabida as 2 ho-
ra* : agencia ra da Cruz n. I. escriptorio de An-
nio Luis de Oliveira Azorado & U.
'COMPlSfllABUSILEIRl
DE
PAQUETES V VAPOR.
Dos portos do norte 6 esperado
^fe.Ttt\ al O d.a 31 do corrent* o vapor
;T*7l^, Tocanlins, commandante o pri-
iv^^^Wb ""'"" lenenle Pedro Hypoliti
^'^SsSaaW Duarte, o qual depois d.i dem ira
di eo*tume seguir para os portos do sul.
Destaja receben se passageirs e engaja-se a
c irga que o vapor poder eoadtuir, a qual dever
ser embarcada no da de sua ehegada, eiioo"i-
rnendas e dinieiro a frote at o dia da saluda as
3 hora~ : agencia na da Cruz n. 1, escriptorio de
Ai;ouio Luiz de Oliveira Azevedo \ C.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir cora malta brevidade o palhabote
-: Mal Pieiade, lein parta do seu carregamento
;;ido : para o resto que llie falla e escravos a
', | .ira os quaes tem eicellentes commodos,
trata se com os seas consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C, no seu escriptorio ra
da Cruz ii. I.
"GOSP^flA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E esperado dos portos du norte
at o da 20 do correte o vapor
Qyapoek, o qaal depois da demo-
ra d'> contorne seguir1 para os
portos do sol.
>!< |a recebero-sA passageiros e engaja-se a
ga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua ehegada ; encom-
meodas e dinbeiro a frete al o da da sabida, as
1 iras : agencia, na da Cruz n. I, escriptorio de
Antonio Luiz de Ubveira Azevedo LOTERA
AOS 6:000#000,1:200,0000
e 5000000.
Novo e excipiente p'aoo aporovado.
BILHETES A' 55000, MEIOS A' -20500 E
QUINTOS A* 13000.
Corre quiuta-f'eira 26.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria ruado Crespo n. 15, os bilhetes,
j meios e quintos da 4a parte da lotera (36a)
a beneficio das familiis dos voluntarios da
patria, cuja extraegao ser no lugar e bora
do costme-
Os premios de ^5:000,5000 at 10$00
sero pagos urna bora depois da extraecao
at as i iioras da tarde, e os outros depois
Ja distribuirlo das listas.
As encommendas sero guardadas somen-
te at a noite da vespera da extraccao.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Soua.

\racaty
O Uiate (racima vai sahir com muila brevi-
recebe carga a frete ; a tratar uo trapiche do !
algodo ciin n ni -stre.
para a Italiia
. i com toda a brevidade o patacho nacional
D. Luiz ; pan o resto da carga (jue Ihe falta tra-
a-.. com seu consignatario Jos Mara Palmeira
a lairgo do Corpo Santo n. 4.
Cear
ate Dou Irmaos : a tratar cora Tasso
freaos. __________________
COMPANHIA PRNAMBC vNA
DE
Navegaco cosleira por vapor,
tfaeei e escalas, Penedoe Ara aj.
o vapor Mamanguapt, segu
no dia 20 do correte as o horas
da tarde. Recebe carga hoj (18)
e amanhaa ; encommepdas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o
sabida as i horas: escriptorio no forte do
Mattos n.l.
Linha regular do Brasil.
Espera-se do Havre a galera Sol-
ferino, ao frete de 20 f. 10 ol". Rece-
be carga para o Havre a,frotes bara-
to- : a tratar com os consignatarios
Tisset-freres.___________________
Linlu regular do Brasil
E-pera-se obrigne francez Trom
(reres, rpiesahio do Havre no dia 6
de seteinbro ao frete de 2o f. e 10
,0|0- Recebe carga para o Havre
.a fret-s baratos : a tratar com os
?consignatarios Tissetreres.
- Hasnrler le leun ^ Fila toado sido preveni-
dos |! ir varios carregadores que baviam recelos
i r lev intar os fretes ios antigos pregos, no
le flcareni sos eocarregadas deste servido,
inligamente compronletlem-se por contrato
ai t imar mais do que 35 f. e 10 Op) d'aquelles
i. -o. comprometieren! de sua parte a earregar
ideas as suas morca loria- oos sous navios. O dito
contrato aeh*-se depositado era casa de Tissel fre-
|ue o aprsenla rio ao- ioleressadns que pide-
r.i tomar conhecjniento delie e assigna-lo se as
tees for-.n de sna conveniencia.
Para o Manmho,
O palhabote Garibaldi >, mestre Custodio Jos
Vianna : a tratar com Fasso Irmaos.
Para Lisboa
?s; .' coro brevidade o bngoe porloguez Cons-
tante \\>, recebe carga i fr-e passageiros, para
os qua t i x i-;li'iit"- commodos: tratase com
Maaoel Ignacio de Oliveira Pilbo, no largo do Cor-
po Santo n. 19, escriptorio.
GASA DA FORTO
Aos 6:000^000.
liihetes garantidos.
\ benetcio das familias dos briosos
voluntarios da patria.
V RA DO CRESPO N. 23 R CASAS DO COSTUME
O abaixoassignadn vendeu aos seus muilo feli
zes bilhetes garantidos da lotera iue se acabou
de extrahir, a beneficio da< familias dos volunta-
rios da patria, us segointes premios :
Tres quintos n 1633 com a sorte de. 6:0005.
m meio n. 211C com a sorte de 1:200$.
'lira meio n. 3i> cora a Doiis quiutus n. 2312 com a sorte de 2005000.
E outras muilas sortes de 1005, 405, 205 e
1050(10.
Os m'ssoidores i.oil ra vir receber seos respec-
tivos premios sem os descintos das eis na Caa
da Horluua a ra d i ij: espo u. 23.
Acham-se a venda os da 4* parte da lotera
(36") a beneficio das familias dos voluntarios da
patria, ^ue se extrahir a 26 do correte.
l'KECO.
Ililhetes .... 65000
Meios......35000
Quintos.....15^00
Para as pessoas que comirarem de 100^000
para cima.
Bilhetes.....55300
Meios......25750
Quintos.....15100
Manuel Martins Fiuza.
Alugase o segundo andar do sobrado da ra
do Imperador u. 70 : a tratar na ra do Crespo
n. 15.
Quera annuncion precisar de 1.305'- pode diri-
se para informacau a ra das Criues n. 42.
- Jndaba de Abraham Fuiniininos subdito hes-
nol retirase para o Para.
*!S.I-l*mi*Hl
Atteucao. M
Precisa-se de um ofiBcial de al- ^
f.i ato para cortar : na na da Ca- *
tifia do Reeife n. 38, primeiro ^
andar. .
Guilhermino Rodrigues do Monte Lima avisa aos
officiaes e pracas de todos os b.iialhSes que rece-
ben um completo sonimentode lodos os objectos
como sejam : bonets, talins, emanas, banda", ta
labarles, charlalelras, espadas o gale de todas as
larguras, e vende-so mais harato do que era outr*
qualquer parte, na mesmn loja concerta-so qnal-
querobjecto tendente a rnesma arte : na prafa da
Independencia n. 17 junto a loja de calcado do
Sr. Arantes.
AMA
Precisa-se de urna ama liara i-asa de pouoa fa-
milia : a tratar na roa do Rangel n. 10, 2o andar.
O abauo assignado vendo a sua taberna sia
na roa Augusta n. 114, ao Sr. los do Couto Gui-
maraes, livre e desembarazada.
Antonio de Souza Pe-eir.
O abaixo assignado declara ao corpo com-
meri'ial que lem justo a compra da taberna da ra
Augu.-ta n. 114, pertencente ao Sr Antono de
Souza Pereira livre de dividas, nao de gneros
como de mpostos, porlanto se alguera se Jnlgar
com direho a mesma dirija-so ao pat^o da Ribeira
n. 15, uestes 3 dias. Reeife 19 de outuoro de
1863.
Jos do Couto Gnimaraes.
Club pera;
A partida do mez de on
te do dia 23.
A negocio no pateo do Parama n. 16,
val de Menezes Fraga.
mbueano.
ubro tera' lugar na no-
gnora, deseja -e fallar
com o estudanlo Dur-
GABIJriETE
lili
lili PKt-
porriMiiiz oh u
\A1IBI
De ordem do Illm. Sr.
deliberativo, convido a lod
Iheiios.para te reiiinrrin
sala da- respectivas ,-essoet|
rente, pelas 6 horas da tar
Secretaria do conselbo d
Portuguez de Leitura ein
tubro de 1865.
Doiniugb-i Jos de Amorim
1
iresideute do conselbo
s oe senbores conse-
iin sessao ordinaria na
seila-feira 20 do cor-
e.
liberativo do Gabinete
rernambuco 17 de ou-
seeretario.
Aluga-se por prego
andar do sobrado da rna d.
a tratar na loja.
Precisa-se de urna an a quo saiba
e eugoinniar para casa de louca familia
do Crespo n. 18, primeiro ndar.
Volunt lia
.:'
M
i
Roga-se ao Sr. Zeferino Unti Ibo de An-
drade (estudante) de dirigirse a ra do
Rosario da Uoa-Vi.-ta n. 43, a negoco
que nao ignora, Isio no praz de 3 dias, |K
iiinmodo um terceiro
Senzala Velha n. 48 :
cosinbar
: na ra
do contrario duclarar-se lia pial o ne-
gocio.
... -o
A.VIS0
Acba-se venda na plvit
Nova eaquina da C milioa d
carines u visita i!.i voluuta
lia do Reg Barr- lo, em poi
Aluga-se nina coi
Paraizo-D, : queso a
ao m- sniu sobrado.
m
da patria.
rapia artstica, ra
i; trin, o retrato em
iada patria D. Ama-
to grande.
lcira no largo do
pretender ditija-se
CONSULTORIO MDICO-CIRlRGfO
oo
i)R. PEDRO DEATTAJIYDE LOBO HOSCiMMl.
MKOItO, l'IU:i;SRG B OPURADOR.
3 Roa da Gloria, casa do Fundao >\
O Dr. Lobo Mscoso d consultas gratuitas aos pobres lodoa os ili i- te 7 as II
oras da manliao, edas 6 e meia s 8 horas di norte, excepto doa din antieados.
Phanrtacia especia! IwmmpatkUw
No raesmo consultorio lia sempre o mais appropriado soriimenio de carteiras
rabos avalaos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos puros s _-uiniej.
Carleiras de \ tubos grandes. l-2->000
do 2 i tubos giandcs. I8000
de 3G tubos grandes. iiJOO
de 4K tudos grandes. :)$000
de 0 tahos gran les 35^000
Prepaw-sequalquercartiiia conforme o pedido si; li/er. .; 'n <, r'mtilioa
que se pedir.
m tubo avolso ou frasco de tintura de meia onca 1-5000.
Sendo para cima de l custarao os precos eslabeleeidos para as ca leira.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
A melbor odrada homeopalljia, o Manual de Medicina Fom opaihi.n do Dr. Jahr
ious grandes volumes com diccionario .
.Medicina domestica do Dr. Bering
Repertorio do Dr. Mel Moraes .
Diccionario de termos de medicina
IV
J. Hunder, tendode relirar-s- desta prac roga
a seus devedores que tenham a hondade de man-
darem pagar suas c-nias na rna da Imperatriz
sobrado n. 19, onde mora o Sr. Frederico Chaves
que est com os poderes necesarios para receber
e facer as qmtacSes necessarias, sob pena os que
nao mandarem pagar at o lim deste corrente
mez depois serao chamados a juio para pagar.
Na ra Pormosa, esquina do becco dos Fer-
reiros, sobradj de um andar e slito, aluga-se urna
escrava para casa de familia.
Contrata-s a venda de 50 a 60 pipas com
exeellenie niel de furo : a tratar oo e.-enptorio de
Jos Pereira Vianna. na praca do Corpo Simio n. G.
Na fiuidieao do Bowmau precisa-se de ma-
lliailores e serventes
i
CALCADO
DE DBTEiCiO
Bftsu .\'ovt n. vil.
Alii se encontrarn obr&s Je di-
r^V
APOSITO DI
PJBlUClDXACAS.,
versas qualiJades,
rtiminutos, a
S se vende
-
ctall
a din
lelio.
v
por |ireco mu
e em porcoes.
.
Ana.
Na ra do S. Francisco.1 >u Mundo-Novo
para cuziihar e comprar, que seja fiel
n. o 4,
e sem
gir
pan
i
i;,^ -*k ZF M & ^M& ,
Precisa--' dj urna ama para comprar e co-
cosinhar : na rna de Horta< n. 4(i.
A pessoa que preclsai de 1003 ou 1504 an i
nuncie sua morada para -er |irocur:ido
Alugam-se na ra do Imperador o primeiro
andar da casa n. .'M e o armazein n. 16 : a tratar
com Luiz de Moraes Gomes.
i
I1C
i h
i Kaaau
faIIL3ES.
LEILAO
% queij Segunda-feira do corrente.
O agente Pa-tana firt lei^o por cuiii e risco
de q t-vii perteacer de 30 queijos pram desembar-
sa- -- ultiraimeote em lit-- a vontale dos com-
f liras : seguada-feira 23 do crrente pelas 10
as da rnanhSa n arm^-m do Sr. Aievedo de-
nte da escadinha da alfandega. __________
LEILAO
De urna tibciin nos Coellios
Terca-feira 2i do corrente.
L':t:t! m:! autiri-id. o agente .Pestaa fara'
leil'u pir eootae riseo de qaera piriencer da ar-
Meo e mu-gneros e utencios existentes na
taberna sita nos Coettios em um ou mais lotes :
,ter;a-feira 24 do corrate pelas 10 horas da ma-
iii :: na mesma taberna.
lu^litulo Flial d us A droga dos Brai-
leiros.
Pjm conhecimento dos membros do Instituto,
faz--e publico o programma remetlido a' rommis-
so de jurisprudencia, que deve servir de ihema a'
prxima diseusoo:
PI10GRAMMA.
Feito o inventario por mora de um dos
< eonjuges, fica estabeleclda a pendenciado jnizo
c para o segundo inventario, sej quai for a con-
'!:-; dos herdeiros, e sem atteocSo ao juico
^ privativo ou especial que for designado por lei
< para fazer este segundo inventan.)?
No caso alQrmativo, i: relativa esta pendencia
< a;sim ao esc-ivao como ao jais, e da-S, se;a qual
l> < juizo, em que se teolia feito o primeiro in-
* vet'.tariu, ou a razo que determmou esta com-
;i '-'ncia f
.SaU* tJo iastUotO, 16 de outubro de 1865.
O seeretario-adjanto,
F. /.. de Giismfia Lobo.
Aluga-e ama grande easa com sotao leodo
laaeMas i-ara todos os lados na ra de Joo Fer-
namles Vieira, rom um solfrivel sitio plmiado e
um j <> de hola* com lodos os seus pertences : a
tratar ai ra liireita n. 137._________________
itngam-8e dm^xasas na povoaca-> do Mon-
leiro a margem do rio, as quaes e-to pintadas de
iroso, e tem bous commodjs : a tratar na ra do
Crespo esgaina a. 20.
No dia Io de agosto do corrente anno de 1865
[agio da estaco da Trombcta o escravo de nome
Elias, pertencente ao Sr. Manoel de Souza Silva Se-
rodio, levando comsigo um cavallo com sua compe-
tente cangalba, lambem pertencente ao dito senhor,
cujo escravo lem os siguaes segninies : barba-
do, cor preta, rosto redondo, n iriz chato, com mar-
cas do bexigas, os denles de cima limados, cheio
do corpo, e-tatura recular, ps bastante grandes,
cujo escravo foi pegado acuna da villa do Pombal
duas legoas por um v.iqu-iro do Sr. Agostinbo llo-
drigues da fazenda Roncador ; mas como tornasse
a fugir do poder deste senhor, onde eslava, cegun-
do dlsse o mesmo senhor a um portad ir que linha
ido em procura do dito escravo, leudo deixado em
casa do mesmo Sr. AgosUnho Rodrigues, o cavallo
e a cangalba cima dita : roga-se, portanto, as au-
toridades policiaes e capites de campo a appre-
bensao du dito escravo, e entrega lo a sen senhor
no Riacho, districto de Panellas de Miranda, ou
em S. thoffl ao Sr. Joaquim Manoel do Sobral,
morador em Ourlcury, ou finalmente no Reeife a
Jo.- Joaquim Pereira de Mendonca, e se offjrece
de gratiBcacao a quem o pegar 2003.
Joao Luiz Ferreira llibu'ro comprou por con-
ta do Sr. Amonio Cabral de Lira, da IJarra do Na-
luba, um meio billiete -la oitiva oleria do hospi-
cio Pedro II do Rio de Janeiro de o. 2878, cujo
meio bilhete lica em seu poder : n. da loteria 145.
Precisase de urna ama para casa de pouca
familia, que saiba comprar e cozinhar, prefere se
escrava : a tralar na ra do Imperador u. 79, se-
gundo andar._____________________________
Qu-m anounciou precisar de 1305, va' a'
casa n. 48 na ra da A->umpcao, das 7 as 8 horas
da manhia, e das 4 la tarde em dlante.
Aluga-se urna boi ca-a terrea com comino-,
dos para familia, em ruin estado, na ra da Ale-
gra n. i 6 : a tratar na ra da Matriz da Boa-Vis-
ta n. 5i;____________________________
A pessoa que precisa de 100j a 150J poda
dirigir-.-e a ra Direila n. 60, primeiro andar, que
se dir quem da.
l'reci-a-se de um menino para caixeiro de
loja dequinquilharias da ra do Rangel._______
Precisa-se de um caixeiro com pratica de ta-
berna, ele idade de 14 a 16 annos, e que d flanea
a sua conducta : a tratar na ra do Imperador n.
14, e se dir para onde.
Aviso polica
Furtaram no dia 16, as 10 horas da ma'nhaa. da
estrada do Manguind, um cavallo ala-o, com os
sigoaes seguales : no qnarto diretto ferro AA e
! na p 8, frente aberta, tres ps calcados, inteiro,
I dinas e cauda curtas, grande e carnudo, peladu-
j ra oos espinhagos da cangalha, carregaoor baixo,
e nao novo : roga-se as autoridades ou, pessoas
que o pegar ou der noticias na padaria do Chora-
meuiuu, que sero bem gratificados.____________
0 abaixo assignado seientiflea a Illm* cma-
ra da cilade de linla ou a quem competir que
deixou de vender capirn das suas niixas all exis-
tentes desde o Io do corrente. Rocife 19 de outu-
bro de 1863.
lo- Luiz Innocencio Poggi.______
4|ne experiencia 11
Furtaram as 4 horas da tarde de qmnta-feira, da
porta da taberna da travessa do (jueimado, um
cavallo casienho rozilho, grande, com os dous ps
arregacados, frente aberta em cruz, e na orelha
I direitauma marca de (acida sem pello, carregador
baixo : pede-se as autoridades policiaes ou quem
delle soober, dar parle na mesma taberna, que re-
compensar.
- U aliaixo a.-signadu taz publico que nao
mais procurador dos Srs. Magalhaes, Bastos & t; ,
e nem doSr. Antonio Leite -de Magalhaes Bastos.
Reeife 18 de outubro de 1865.
Antonio Domingos Pinto
Sa q ues sobre Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Fi I rio saeam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
0 ailvogailo Alfonso de Albnqiicrqiie Mello ao Sr.
Ilcnriqie Luiz Cavalcanti Vaaerlej
Avisa que sobre sua banca foram deixadas ha
dou> dias duas letras sacadas pelo dito Sr. Wan-
derley, a quem o anQUDCiante nao tem a honra de
conhecer, ignorando quem as tivese deixado rm
seu escriptorio na ra estrena do Rosario n. 34 ;
assim corno observa que poneos dias faltam para
se nao poder sellar ditas letras sem revalida gao.
Precisa-se de 100 ou 1505 a premio, dndo-
se seiruranca : quem qnizer dar annuncie que se
paga o impone do anntincio.
Precisa-se de um criado prefere-so escravo:
na ra das Cruzes n. 21,2 andar.
Aluga-se urna ama escrava : ni ra dos Pra-
zeres o. 22, nos oelbos.
No pateo do Terco o 44, pre isa-se alusar.
urna escrava para o servico de casa de familia e
paga-se bem; assim corno se vende um bcra es-
cravo mogo e bonita figura sem dt feito algntn.
Quem precisar de 1:500-5 a jnros sobre by-
pothecade u;n pre lio aesta praga, dinja-se a ra
do Imperador u. 38, botica.
imuih
O Dr. Cosme de S Pereira coat- g
g| na a residir na ra da Cruz n. 53, g ,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
.1 mu
Precisa-se de ron i ama
lej para acabar de ni r
rna de I) >ming l< Pir-s n
leite.
05000
fMM
3-: Os remedios desie esUbelecmiento silo por domis conheeitloa e dispensas por
:anto de sercm novamente recommendados as pessoaa que rjoi enm usar ile reaetfioa
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha indo do melbor que sr pode d"s.jir, prWifc s da
erdadeiro assucar de leite, aniaveis pela Ma boa eoDservayo, tintura d s mais arredi-
lados eslabelecimentns europeos, a mais exacta e acurada preparado, e ci tai toa i
-ir.ergia certeza em seus effeitos.
lasa de semd* pa. exoaras
Recebe-se escravos para tralar de qualquer enfermidade ou fazer-se Ihe qnalrjner
operafiio, p:ra o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O Iralamento o melbor possivel, lano na parte alimentar, como na medtaa, e
funecionando a casa Ira mais de quatro annos, hn muitas pc.-sc.'s de cojo nceihi se nao
pode duvidar, q^e podera ser consultados por aqueiles que desejarein mandar jeta
doentes.
Paga-se 23 por dia durante 00 dias e d'abi em diante Iv'iOO.
Asoperacoes sera; previamente ajustadas, se nao se quizerem st:j" tar aos presos
razoaveis que costuma pedirr o annnnc ante.
que tema muito 'nom
nni m mino : a tratar na

VERDADEIRO IE ROY
de SIGKORGTt Docteur-Mdeciii
Ru de Seinle, 51, PARS.
O"
\
%
'%
Km cada Rarr.ir.-i, vai,
que lrv;i o inrn Silietf, l
ella^c.m o Sf.hu !mi
para o exercicio de sua prois- 5t
medica, e com especiadade *
rado
sao
sobre k seguate
{ molestias de ollios ;
2o de peilo :
3o dos orgos geni- ta
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se- *r-
rao examinados na ordem de suo^
entradas comecando o trabalbo pe- %').
los doentes de olhos. ^j
Dar consultas todos os dias das igj
6 as 10 da manhaa, menos nos do- fr
Praticar toda e qualquer opera-
Qo que julgar conveniente para o k,
prompto restabelecimento dos seus ft]
doentes. H
t-nlre a rolha e o papel azul
ni rutulo imprmo em ania-
KIU DO .uM li>u FniNCIZ.
.V. II. i emellrmlo-M urna lett de 50U trancos
lObre l'ar.s, aeei'.ivi-l a 10 dias de vista, ao mximo,
gnza-se r descont.
Iiiposito principal
'ln : -.liinn l.e Roy
'in Caza ilo nossn
iinicii agente pelo
Brazll 1 Sua Anto-
nio Frasc : de lk-
c'in na li.ilin e
nosprincipas pliar-
lllul'i'lltl'COS.
i. vignes.
.\. 55. RII.4 3>> J jI2S:HA>051 M. 55.
O pianos desta antiga fabrica sao boje as-.< coafemidas para qne soja neeewarn m-.-tir aaan a
ma saperioridade, vantngense garantas queofferecem aos eompradores, n.liia i, astas iiihut o
-eis qne elles tem derinilivameni- conqni^ledii sobre todos os que lem apparecMa n'sia ; n-a po*-
uindo nrn teclado e inachuiismo qne obedecen) tolas as vontades e eaprtriios da pianNOR, sea
Hinca falbar, por serem fabricad iS do proposito, e ter-se feito nhimamente neRnnnHNM imp-irraa-
;issimos para o clima deste paiz ; quanto vozes, sao melodiosas e flautadas, e |>or am mimo a#r ida-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Pazem-^e conforme as encommend.T:. t -oto cesta fabrica como na do Br. MamM, e Paria,
orreapondente de J. Vignes, em coja c oiii ii furam sempr premiad >s em toda- a< esp<:' -.
Nn mesmo estabeleeimento se acb ira mpn um expen lidoe variado sortimeMn ri
^.-Ihores autores da Europa, assiiii cerno harmnicos e pinnos harmoni.-'is, sendo tudo v i li i
riciis commodose razoaveis.
ON A "I
J
Companhia geial hespanhola de segura mutiv
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO 1)E 21 DE DEZE.MBP.c DE 1851
ma fianea en dioheir, leposiUte nos cofres do esLulu, garvata a bos i?a
minislraco da companhia.
DIREfXO GEItAL
AXQUE1ROS DA COMPANHIA
O iBanco de iEespanha
Madrid : Rna do Prado 11
Ama
Precisa-se de urna ama secca para cuidar de um
menino e fazer mais algom servico .que sej preci-
so : na ra do Queimado n. 3, loja de fazeu-
das.
O bischai'cl
Com
as I.IMAS
CHIk'ICAS DE
P. MOURTH, forno
cedor da Caza Imperial rio Exercito
francez, garntese que qualquer
pessoa podera sem dor nem perigo
livrar-sedc seos callos. Esta inven-
f ao : prh ilegiada em varios paizes,
reconhecida officinlmente cfficnz
por 15 nar^s, premiada com me-
dolhasde 1J c2' classeeappro\ada
por diversas academias e pelo Ex"'
Presidente da Jynta de Hygiene do
i Mi$%
M francisco Augusto ta Costa
H ADVOGADO
Hj ftua do Imperador numero 69.
asi
m
vk
Aluga-se a loja d3 sobrado da ra Imperial
n. 64 por preco muilo razoavel, e com muilo bons
commodos : a tratar no primeiro andar do mes-
I tno sobrado.
& 0 cabelleireiro.
S Cerlos Dubois mudou o seu estabeleci- ^
^ ment da praca da Boa-Vista para o so- .-^
I hradn n. 18 da ra da Imperatriz.
Ulferece-se um mogo para cuzinheiro: ua ra
, do Forte n. 30. ____________________._
Claudio Uubeux, autorisado por Amonio De-
metrio da Silva Larauja. residente da provincia do
Para, vende a casa n. 67 sita na ra do Pilar em
Pora de Portas, propriedade do mesmo Laranja :
para tratar na ra do Imperador n. 43 escriptorio
do mesmo Claudio Dubcux.
Aluj-a se muilo em coma o sobrado da ra
de S. nenio, defrnte de S. Pedro Velbo.em Olinda
.concertado epiulado de novo, tem muitos commo-
dos e bom quintal, muito fresco e fica perto do
banho:?a tratar na ra do Imperador escriptorio de
Claudio Dubeux. _________
km rRET
i i lenca
Rogase ao Sr. Ernesto Botelhode Andradequai-
ra apparecer na ra da Aurora, em Santo Amaro,
a negocio nue mono deve interesar._____
Precisa-se de um cria lo para u hotel italiano,
prefere-se escravo, de boa conducta e sem vicios
aeohum : na ra do Trapiche n. 6.
Pugio no da li do corrente rnet a escrava
.de nome Uuilliermina. naca) Cosa, alta, secca do
corpo, tm nos dous ps marcas do ftidas, cabel-
| lo aparado : roga seas autoridades policiaes e ca-
inies de campo a apprehenso da dita escrava e
leva-la a ra da Santa Cruz n. 16, que serao re-
compensados.
Declarase pelo presente que ninguem farja ne-
i.gocio algum cojn os animaes do ennentio Flurente,
' sito em Agua Preta, ijue alem de estarem com o
ferro triangulo, dentro do qual e distingue urna
forma de forqnilha, na anca e queixo direito, es-
1,11 elles de cauda, dinas e orelhas cortadas para
asstm serem conhecidos.__________
Franca e Brasil.
J. Mercier alfaiaie francez precisa de bons al-
faiaies e boas cosloreiras : largo do Corpo Sanio
n. 7, primeiro andar._____________________
'-Tpncisa-se de am amassador de nadara : na
na do llangel n. 9, pasa-se bem.______________
Alug'a-se o segundo andar do -librado da ra
de Santa Rita iv 9J}fcaaiado e pintado de novo, e
'com commodos para criiOde favili-i : a tratar on
no primeiro andar do mesmo.' cu no armazera de
carne secca lia ruada Praia n..44.___________
Na ra do Brum n. 35. eode-se um moleqoe
\ do 10 annos de idade, co,algum principio do ser-
! vijo de urna casa.
corte. Por ordem do Ministro da
Guerra fez-seem Pariz experiencias
sobre mais de 2000 soldados que
Iii-iiriu livres di' seos callos : igual
resultado foi oblido na guarnirn
do Rio de Janeiro. Mais de 3000
pessoas ja se tem curado com eslas
Limas. As provas do que se diz ci-
ma e os altestados odiara-se no
prospeetu, que se da no deposito.
Casa principal em Pariz, If Prince
BugM,lo, Agtnle paran Brazil,
o S<- M. O. ARRANCHES, ra
da Alfandega, N" 10- na Corte.
Le se no Moniteur Oe la Pharmacie.
A cli-ctricidade lioje emprepada por lodos os
mdicosafamados, par* o tralamcnto de muitas
molestias, mesmo para as que resisten! as outras
medicares.
A vlcctridade produzida pela frieran lem urna
>.-ui'i'i inriiladi! inconleslavel, e a vantagem de nao
dar aba'io, c de poder ser graduada pelo doente.
A causa a mais Trequcute das molestias a
estugnaca do -an-uc ou dos oulros lquidos Ti-
lines. Ki-slablecendo si; a circulaca no orga-
nismn, curacao-sc as mnlcstias.
Quando se sent aiguma dr em quelquer
parledocorpo logo, einslinclivamcnlo, seerfrega
o lim .ir eniloloriilo com a ma, e sin allivia. Isto
explica o resultado incontestavcl que deve pro-
duzir um appureio Icclrico. Por sso temos
prazrremannunciarao Publico quL'oSurBuisson
de CiiilM'-rs residente, boulevart du Prioce-
Eugtoe, 18, cm Parta] iloiou a medicina de um
appnrelho Electro M9gi>etico, sob a forma de
urna estova, com o qpal os doenles se podrra
curar sem nuliuma oulra meilicaca. Os mdicos
que a ten; experimentado, alleslara que a
8C0VA LECTBO-MAaMETICA c i-llir.i/ nr.l
curar: os Rhenmatislnos, a Piral y sia, Colla,
fraquea dos mrmliros e da Columna ver-
ti-1 r.-il debilidad* peral, Nfvralgio, etc.
Estamos cerlos que breve cada fainiia possuira
> .i.ta cava que pri--l.ua grandes serticos.
A podido de mullas pessoas, o aulor decidio-se
a eslublecer um deposito de seos apparellios no
> /.'.'-.i lie Janeiro, em casa do Su lliun.n liuirn:,
ra nuva do Outidor, n* 33. >
Pernanibuco, |ihannacia fraticeza de
Maure & C, ra Nova n. 18.
. i ;,;. ^MmMm.
Cmpanliia litlelidailr! de seguros
maritimose terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES UM fRtiNAllllUCO
Antonio Luiz ile Nireira lieveda i C,
competentemente aulorisartos pela direc-
tora da companhia de seguros Kidelida-
do,toniam seguros de navios, Mercado-^
rias o predios no seu escrip^io ra da ".*
Crtu n. 1. S^Si
i^^SystSxM^K .^s.^5
s.-K,*
Esta companhia liga pelo syslema mutuo todas as combinafoes de soperv caria cr- sega-
sobre a vida.
Ne'la pode se tazer a subscripciio da manrira que em nenbnm case trrsn i < n ; d< i
gurado se ptrea o capital nem os juroseorrespoudentes a estes.
Sao to supreiii-nJentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A >
OAL, ue linii mesmo diminuindo urna lerQa parte do interesse prodnzido em reet i t
tes econbinando-ocom i mortalidade da tabella de Depareeux ijue e adoptada petareuii
para seus alculos e liquidacSes, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna impor.- .
de 100 produz em effectivo metlico:
No lim de o annos.......1:1195300
de 10 .......3:9'i4600
de 13 .......H:20K*00
i de 20 .......30:256000
. de 2o .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais eonsideravejs
Prospecta e mais informar^oes serao prestadas pelo sub-director nesia provincia
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruadaCadeia n. 52, ou a Roa-Vista rna da Imperatriz D.'.f-tt'i
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite 4 lrmao.
RoilbO. Samuel Power Jobnston i Ceinarnkia
Na coute do dia 15 do corrente, foi ronbado del Rua da "eDzaia Nova n" 4"
urna sala, que lica nos fundos do sobrado de um aoeni.ia da
andar, da rua do Seve; freguesia da Boa Vista, no| Flindl^ao de laOW MW.
qual mora o abaixo assignado, os seguiutes objec- j Machinas a vapor de 4 e C cavados.
tos: t relogio de ouro sabonete, 25,424 patente m-, y0endas e meias moendas para eii>rtnho.
lea, mostrador d louca escura, con. cadea e Taixas de ferro coado e batido para en^e-
chave de ouro e com outra mais lina lambem de
' ouro com chave de dar corda ; 1 par de easiicaes
i de prata, lavrados com anglicas.: I escrivaninha
i de prata em forma de concha, prato e espivitadei-
' ra de prata; 1 corrente do mesmo metal cum di
' versas chaves miudas; 4 onjas de ouro; 29i5em
prata, que se achavam u'uin sacco de damasco de
laa ror branca e verde : suspeita se que o hdrao
. entrara por uina das janellas, que deila para o
] quintal do referido sobrado, abano das quaes fica
o telbado, que serve de coberta a cosinha, que no
' pavimento terreo: pede-se peis as autoridades
policiaes para que empreguem os meios necessa-
, ros para descobrirem o ladrao; bem assim aos
seohores ourives; e mais pessoas a quem (urein
i olferecidos os objectos toubados, para aprehender
i como roubados: offerecc-se a gratifica^ao de 2003,
a qualquer que descubra o autor do roubo. Rcdfe,
[ 16 de outubro de 1865. '
Joao Fernando da Cruz.
nho,
Arreios do carro para om e loos cavados.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Ma binas para descarocar ai/mio.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
MmmmmMMmm.i zw*
Atteiicfio.
m
I
m
m
Quem precisar de um jardinheiro ou feitor |
I para um sitio, diria-se a rua de Hurtas n. 142, Io, gg
i andar, que achara' com quem tratar. m*
i LO/A
ia de
Todas as pessoas que se jnigarem rrr-
doras do fallecido J ao J .s de Carvaih.
Moraes, por conlas miuda*. t tolos ven
cidos ou a vencer-se de qualq w nature-
za qne sejam. queiram a;ire>enta los na
roa d>Queimado n. 13, no jra?o d *
das, a contar da dala de^ie pra s<-rem
examinados a pacos pelo intvniarian'e
do me.-mn casal lula ot de l'arvalhn
Moraes Filho, au obstante ter n fallemlo
declarado em seo testamento nada deTr
nesta praca e nem de sua es'-npiurafio
consta divida alguma. pelo qo^ ha pre-
sumpcao ae falsa toda e qoalqner l<-ira
mi ttulos que apparerem assi> nados pelo
fallecido. Recite 13 de outobro de 1865. i
m
*
*
m
m


a ir^i k %-mvI ****** mz<&**wm
N. SO-Raa da Cadeia do Reeife- N. 40 S J f1** mmmm a^aataataa
Dentista de Pernambuco."
'& fl Rua estrella do Rosara 1.2, m^
"M { ao p la igreja
| ^FRANCISCO PINT 0Z0BI0g
O proprietario deste es-
tabeleeimento, premiado
com a medalba da exp-
sito universal de Pars
do anno de 1855, tem ex-
posto a venda em sua lo-
ja, um graode sortimento
K
P.
m
1
m
de relogios para algiheiracomo sejam de
ouro e prata, sendo dos melhores fabn- u
^ cantes, de patentes inglezes, suissos e f
S orlsontaes. Tambein tem urna graude %lB m*
S quantidade de relogios para pared-, e S JR
r^ que batem horas, ditos para embarcacoes ^ gj
^K e para cima de mesa, todos estes relogios W i
S sao dos mais bonitos modelos. O mestao >^
H concerta relogios de todas as qualidades 31! |
~i* existentes, assim como lambem concerta Mj
B chronometros de algibeira e martimos : ^5
__... .nM.na>A mam |j\jAa <\c uonnfit lint 'v^
Colloea dente artiSelae
pelos y ktenas anals ;-
dernos
Empregatodos os meios .-cientific. ara
S conservar os natnraes. Pode ser pnx-ura-
I do em >eu gabinete das 9 horas da ma-
I nhaa as 5 da tarde.
aaina^ man
Precisa se de um caixeiro de 12 anuos o>
o.
iteos, sendo tudo de onro d
mr.del 'S os mais modernos.
lei
K recebo sempre por todos os vapores, mu I
*5 comnleto sortimento de crrenles e tran- M idade para taberna, com pralica oo sem ella :
' >i e de ^ pateo da nbeira t. 3._____________________
_ Precia-se alogar urna escrava que saiba ro-
ziiibar bem e comprar : a tratar na rna fe Cruz
n. 66 primeiro andar.
Para paua r a frsta. Precisase de 200* a jnros a 0/0 s..bre pe
Aiuga se a excellente easa da ilha do Retiro n. nhores de ouro, pelo lempo de qnalro ?,
3, muito frese, e bons commodos : a tratar na rua gande-se todos os BM um tanto J^'mpotte -
Nova n. 3S. Tambera se vsnde. na rua de Aguas-Verdes n. 21, oo aturase*.


Diario tYrna*'jfn fw&ta elra He Ou(i*r de **
LIQIDACAO GERAL SIGEOS
NO
GRANDE ARMAZEM DA FXPQSIQfiO DE LONDRES
TU
Todos os arligos
&&
60 Ra da Cadeia do Recite 60.
bbarxo mencionados foram comprados recentemente pelo clono do estabelecimento as principaes fabricas
de Pars, Londres, Birminj liam, Manchester em diversas cidades da Allemanlia, e tendo comprado Mido as melhores condices
por ser a dinheiro, por iss< vende lodo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, c mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ler de paitir mui breve para a Euro a.
Ha neste vasto an azem ric s objeclos com brilhanlcs, como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, coi rentoes, anneis e muitos oulros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennetle; com-
pleto sortimento de fazendis Anas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrmd, Ed. I'inaud & Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P. Gueland, e inglezas de Eag. Rimmel e oulros ; ricas galanlerias cm marfim, madreperola, etc., fabricadas na
China e no Jap3o; ricas pigas de crystal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz o para peto leo, serpenl'nas, castigaes, tnfeile^ adornos para cima de consolas e para grande loillette, o que se tem
fuilo de mais elegante em i'aris, Londres, Birminliam etc.; modernos apparellios de metal fino inglez pnra cha ecaf, os quaes em
nada ao inferiores prala e muitasoutras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para tnmgas de senlio-
ras, excellenles luvasde ptlca do afamado Jouvin, apfMremos de porcelana fina para cha ecaf. ditos para j rilar, e immensos arli-
gos de porcelana fina douraia, como ricos vasoi para llores, figuras, etc ; calgado d >s principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, biauos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C., para se tocar na
rua, di los com (giras paa salos e ditos com figuras em nulvimento; mode-nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
theatros ou sales, ditos de plianlasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas com vislas novas, dia e noitc; stereocopios de nova in-
vencao e com bello sortime to de vistas das pri'.cipaes cidades da Enropa ; grande sortimento brinquedos finos para mancas, e
bonecas fallando papad e mamc ; grande sorl;mer-to de candieiros a gaz. o que se tem feilo de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitacao ni-Europa, grande e magnifico sorii i ento de ca xinhas, cestinhas e outras galanlerias feilas dj. crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fins coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello coaiariz de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, lliosouras finas,
ditas modernas para alfaiatas, navalhas finas, canivet s e outros ariigns, diversos artigos leitos de rame ; completo sortimento de
masearas de vellido, setim,:cera, papelao e rame ; doces confeilados e chocolate cm caixinhas e em vidros ; tamas ue ferro de todos
os tamaitos, lavatorios, etc.;; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retr.itos; chapos de sol, benga-
las, chicles e ditos paracarr.s; machinas para fa?er caf, ditas para haterovos, proprias para qtiem faz po-de l, holinios, etc.;
pannos para cobrir mesas, J bolsas grandes e pequems para1 viagens, e outros artigas, como cobert res, malas, etc., sortimento de
violoes finos; figuras finas c jarros de alabastro ; galanlarias e outras eras de charao para toilletle; machinas para varrer o chao,
cxcellentes machinas para pholographia para tirar reliat-is, grandes e pequeas; lindos baioes de papel fino transparente e lantcrnas
coloridas para iMtiminages moda de Paris: salva-vida de bornxha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas cm caixinhas, biscouos inglezes em lata?, qaeijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e mujlo barato, no grande arraazem da Exposiglio de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. GO.
MARTIMOS
ONTRA FOGO.
A Companhia Indemuisadora
eslabelerida nesta praca, loma seguros martimo*
sobre navios e seus carr. gaientes e entra fogo em
edificios, narratorias t. mobilias: no .-ti eseripto-
Jio, ra do Vicario n. 4, pavimento terreo.
Rua \ova ns. 2o c 29.
O proprieUrio desie e-talielei-imeiiio avisa ao
respeitav,l publico i|ii.'araba de re eb-r nm ri-
quissimo sortiimnio de objictos de jrosto, um
sejam, caparlios de iaa de i-arnciro d- lindissimas
cores, tanto pan sala como para r.bnr eon.-nl,.,
riquissimos tapetes, e muitos oulro< >rlipo-. E-te
estabelecimento tornase digno de ser Tisitado pe-
los apreciadores, onde encontrar apar de uielhor
tratamento os mais commodos fttem.
Ama de leite
rrecisa se de uina ana
Corpo Santo n. 17.
de lei.e ; na praca do
&.>>
lf$$*.'t$!
M
XO GRA.NDE AR-
MAZEM.
da exposicao DE
LONDRES.
m
I
rv".
PERFUMERA da casa oger
loulovart Sebastopol, 56, Pariz.
Itez medalhas, a condecoparao da Legin' CREME LABIALE de sueco de Rosas,
n honneur e a grande reputacao que tem lhe POMMADA VELOURS para amaciar
dado o publico, taes sao as recompensas que os pelle.
serviros prestados a industria merecerao a ELIXIR ODONTOPHILE.
esta importante casa desde sua fundacao em SABAO dedicado ;is damas americanas.
SABAO de bouquet de Franca.
N'uiu sortimento de mais de 500 artigos,
as pessoas elegantes escolhcrao os segundes:
ROSEE DU PARADIS, extracto superfino
para lenco.
POMMADA CEPHALIQUE contra acal-
vicia.
AGUA VERBENA para o toucador.
OXIMEL MULTIFLOR.
VINAGRE DE PLANTAS HYGIENICAS.
TINTURA VIRGINALE de beijoim.
ROSEE DE LYS, verdadeiru agua de
Jouvencio.
d de llores de alcea rosea.
d de llores printanieres.
d de bouquet do outono.
d de perfumes exticos.
d aurora, dedicado aos dedos cor de
rosa.
d de flores das montanhas.
d de cheiro de foins nouveaux.
d de bluets cheirosos.
d de althea balsmica.
d diapr, c.aixa rica, fantcsia pari-
sience.
Pernambuco, rua Nova n. 18 pharmaria franceza de
P. MAURER & C.
% t
i.

en
*S PARAGUAYOS
E' a ordem tio dia I Acabar com os Par. -
gaayos a bayoneta, a mini, a revolver;
Gheearam a livraria encvclopedica de Jos liar- fulmina-los com OS etiCourafados armados
bosa de Mello, rua da Cr'ui n. 52, as seguintes de esporoes, armstiongs e raiadas de 80
obras do DrChcrn.vu : 0 extenniI,a.|S em sum,na a e
Formularn. ou yuta medica, fa ao e ., an, al u ,l '
que contm a descitocSo de todos os medicam.n- nnanprn T.1.,,. -n h '
lo?, sexta edi5o, edm til figuras no texto que re- ^inguem se I. mhrott anda de esmagar os
presentan as plaas medicioaes; 1 volume de Paraguayos con as armas que Deus nos con-
biQ paginas, encadernado, prego 6. codea ; acabar com ellos a taco e a pwita
Diccionario de ncdirina popular ps, para o que 6 necessario encouracar esta
ra- parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga & bra, arranca U eos,
quebra tnarmore e oulros que se vendem
45-IUA OIREITA 45
850i
^OUO
tasnento, terceira edigao, com 231 paginas; 3 vo
iuraes encaderuados, imego ^Ofi.
Historia natural
para o? menino? e meninas, ou conversacao de
um pa com .-cus (ilhos sobre muito.- anitaes e
ve taes; 1 volune encadernado, com ISi (juras,
Borseguins ordeaux........
patricios.........
prego iOOO. .
Sabio a luz em Paris, e vende se na mesma livra- oras' en~
ra h inilias e sermoes
parachiaes para todos os
domingos do anuo por J. I. Roquete, 2 volumes,
encadernado, com o retrato do autor.
umm mmmm ^mrnmmm
^ O Dr. Carollno Francisco de Lima San- W
y^ tos contina a morar na rua do Impera- S
Swi dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea "
*H gabinete d< consullas medicas, logo ao MK
a entrar, no pnmeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
gt* estudo tanto das operagdes como das mo- SjJ
S lestias internas, prestase a qualquer cha- %
*K mado, quer para dentro quer para fra !8?
;. da cidade. ^
mmmm mmmmmm wm
Aolas do banco do Brasil e das caixas flliaes
dcscontam-se na travessa das Cruzes n. 8.
fe lados
com laco e fivella ..
Sapates encouracados.......
B Tseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
4tS00
5#0'J0
3r500O
4600"
1^600
avelludados
de lranga...........
econmicos para se-
nhoras ........... 500
com salto de lustre.. 2,5240
Chineles do Poro.......... 10600
Um completo sorthnento de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, lilas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
AttenQilo.
Quem qulzer prestar-se ao servigo do conligente
Para completa Tquidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E-g. Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Flygienica, Piver,
Violet, L Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gllet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
Colonia cm vidros e garrafas, agua de lavando, ana para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafishas e vidros de diferen-
tes modelos, pos para limpar denles, banha etn potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros arligos que se vendem por menrs de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazn da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Reilife n. 60.
PAfitA SE3.HOIIAS,
Ricos e modernos penies de tartaruga para tranca desenuora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquiiar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
IjIIVAS jVOVAS ise jouvin.
Vendem-se excellenles luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGR FHIA. x
No grande armazem da Exposigao de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da (mperatriz loja de Mr Dubarry n. 8
e na mesma rua loja de miudezasn. 54, vendem-se excellerttes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Ajuarante.
Vista geral de Gnimares.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAS DE PER1AMBKO.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1659 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre du Arsenal com a illuminago na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio com o palanque.
VIAGEM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invengao com ricas vislas das principaes cidades da Europa, como :
Franga.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidago no grande armazem da Exposicao de Londres na rua da Cadeia do Recife d. 60, rua da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n 54.
Grande novidade chegada no vapor francez Navarro
Pelo vapo francez Navarro acaba de receber de Paris um lindo e completo sortimento de brincos de fino cristal, o que se
tem frito de mais moderno e de grande moda boje nos primeiros bailes, passeios e theatros de Paris, sao de cristal branco de dif
ferentcs modellos, e tambera d linds cores, o efeito magnifico desta nova pedra e modello inteiramente novos. bem se poder con-
fundir com o melhor biloante: lindissimas cruzes do mesmo cristal um sortimento completo de fivellas de madreperola de diferen-
tes tamanhos e formas para cintos ue senhoras, e bem assim botes de differentes tamanhos para colletes. Cartoes de visitas das pes-
soas mais celebres da Europa. Estampas de tantos o que se tem feito de mais fino, grandes e pequeas: tudo se vende por menos
de seu \-3lor, na rua da Cadeia do Recife n. 60, armazem de Thomaz Te xeira Bastos.
mi
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSO
nico remedio cfficaz para combattir estas molestias, acalmar ura attaqne d'asma e impedir a
volia 6 o Xarpe aromtico de Succ7io ;auibarainarello) do Dr Danet. Ueecoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez rayas aos admiraveis resul-
tados que lem semprr produzido.
Deposite geral, na botica Chauveaud, r.4, rua do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
brincas de Franca e do ctrangeiro.
i CASA DE BANHOS. i
Rua Joo da Silva Ramos, medico, ine-
' dico pela universidade de oimbra,
fB d consultas em sua casa das 0 as
,.11 horas da manhiia. e das 4 as 6 S
da tarde. Visita os doenies em suas
|gi casas regularmente as horas para \
K isso designadas, salvo os casos ur-
;*. gentes, tpie serao soccorridos em ^
" qualquer occasio. D consultas aos ij
pobres ipie o procurarem no hos- *
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da W>|
manba,
Tem sua casa de sade regular- I
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
, nados, para o (pie lem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperago cirur^ica.
Para a casa de sade.
l'rimeira classe. .30000 diarios.
Segunda dita____36500
Terceira dita .25000
Este estabelecim|nlo j bem
acreditado pelos bons servigos que
ttm prestado.
^ propnetario espera que elle
9S continu a merecer a conliaoga de
% que setnpre tem gozado.
:;- v.-6t Ufe. M
Criada.
Precisase de uina criada para cosinhar e c m-
prar em casa de homem solteiro : na rua do Qaei-
mado D. '.i, loja.
Attencao.
Perdeu-se hontem i de ouiubro, do aterro da
Boa-Vista at a rua do Crespo, om embrolho con-
tendo a quatiiia de 6103 : i|uem o tiver achado e
quizer levar a rtta do Crespo n. 19, ser generosa-
mente gratificado.
Len Cliapelin tem exposto a' disposico do
publico o retrato da voluntaria da patria a Exm'.
D. Marisnna A do llego Brrelo era carloss e
grand'' Tirmato.
Massa fallida.
Alves, Homburger & C, administradores da
massa fallida de Gnimaraes Irraos, perfem aos
credores da massa, que Ihes aprsenles seas ttu-
los, no pr.iM) de 8 das, lindos os qnaes proceoerao
ao dividendo. Recife, 16 de outobro de 186o.
A Inga-se o segando andar do sobrado n. i
da rua do Encantamento e a casa terrea n. 3 da
rua do Hospicio : a traiar na rua. do Eoanlamtn-
loji.JL________ _________________
i'aixi'iro.
Precisase d* um caixeiro com lustante pratica
de padana, nao s duvida >lar bom orlenaJo: a
tratar na praca da IndepenJeneia ns. 6 e 8. das 2
as 6 Horas da'tarde.
A quem convier Mdnihar a U|iOaii nm ar-
majem, apparec na riheir* do peixe n. 19.
Creme,
Sorvete de reme hoje ao meio dia : na rua do
Trapiche n. 18.
Pede-se ao Sr. Ernesto Bolelbo de Andrade,
esludante do 5o anno, que (ac o favor de vir bus-
car os seus bahus ,n, deixou no hotel italiano.
G0MP11S.
Compra-se ellectivamenle ouro e prata em
oiiras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de otirives.
Silvino (iuilberme de Marros compra e ven-
de ellectivamenle esrraroa de ambos o sexos:
rua do Imperador n. 79. terceiro andar.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na rua da Cadeia do Kecife,
cja de ourives no ^rco da Couceicao.
Xa rua do Crespo n. 16, primeiro andar-
compram-se libras slerlinas e moedas de ouro bra,
sileiras.
'0 participar ao publico que o seu estabele-
>* cimento cima nx-ncionado, acha-se boje
ALCOHOLADO de GU
DE. N,
Alnga-se urna casa com grande sitio em San-
t'Anna, confronte ao amigo sobrado do finado Bel-
lem, tem mullos arvoredos, e bem localisado por
fli-ar na beira da estrada por ande passa o ornii- a P,iarda nacional destinada ao sol do imperio,
hus : qnem pretender dirija-se a rua da Cadeia ic,n suh^'inlcao a um guarda nacional e mediante
to liecife n. 3. i b0il gratilicacao. pode dirigirse, a' casa n. 121 da
'" 11 .^". ,, .;.__ .--------;^-,:------ Irua Bireita, que achara com quem tratar. ,
Aluga-se muito em conta o sobrado da rua _________'_____________
de S. Bento, defroote de S Pedro Velho, em 01 in-
da, concertado e pintado de novo, tem mullos
commodos e bom quintal, mnito fresco e tira
CASA
Mugase a casa n. i da rua do Principe, com
perto do banho : a tratar na rua do Imperadores- salas, 3 qoartos, cozmha ia. quintal e cacimba
cnptorio de Claudio Dobenx. a traiar na rua Nova n. 3. ,
O Alcoholado de Guaco de Pascal una nova preparagao da quaJ
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as 7jiotesft'as syphiiiticas de toda a especie, ulceragOes primitivas e secun-
darias, en.
3 Err;''-'-ruin em injecgfles, o melhor tratamento dos corrimentos
rcenla ou enronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
nulhere.e.
4o Emlim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
ridas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
^nphtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a aegao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvagSo
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Gostilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicSo, PASCAL e C*, 33, rua Mousieur-le-
Priace. Paris.
A abaixo assignada, tem a honra de p!S
m< funecionando muilo regularmente, pro- B
^0i vido de todas as accommodacoesnecessa- P^
., ras e sobre ludo com alguma limpeza. ;
Ti Os (andes firmados por meas anu-ces- .
j sores Cedrim tV d serao recebidos at o l
K meado do mes de oulubro vindouro, os da i
casa lero a firma da abaixo assignada, .
K e serao como d'anles transmissiveis.
B Tabella dos prefos. i
g 1 assign.itura mental com di.-cito
K a um banho diario a 330 rs.. 9^600*
k 1 dita de 30 ca loes traiionissi- j
velsa360rs................ 1Q08CO '
g 1|2 dita de lo ditos a 400 rs.... 6fiO0O }
bl 1 banho avulso, murno ou fri ou 2
S de chovisco................. 500?
| 1 dito aromalisado com agua fio-
nda........................ 15000 |
Us medicinaes serao pelo prego que se
convencionar: J
U estabelecimento estara' aberto nos \
dias ulels das 6 da manbaa as 10 da noite
e nos dias santificados al 2 boras da lar- f
de, havendo chegada de vapor estar' jp
aberto por mais algum lempo.
Mathilde G. Lessa.
va
Coni|ira-se papel diario para embrulho, pa-
ga-se bem : na padaria da rua da Imperatriz nu-
mero 66.
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca da In
dependencio n. 22, loja de bilheles.
Compra se tima cadeirinha com dous bracos
que esteja em bom uso : quem a tiver annunie
ou dirija-se a livraria enciclopdica de J. B. de
Mello, na rua da Cruz n. 32, Recife.
Compra se earosso (sement) de algodao : no
armazem deaIgodo de Saunders Brothers 6 C,
no caes de Apollo.
Compra-se urna eserava moga, que nao tenha
achaques e nem vicios, e que seja cozinht ira e en-
pommadeira : i>ara traiar na rua de Santa Rila
Nova, casa n. 3.
Comprase nm candieiro de gaz em bom es-
tado : ua rua da Senzala Velha n. 48._______
Compram-se libras sterjinas : na rua do Vi*
gario n. 17. primeiro audar.
' ....... j.i.. i i*
YENDAS.
CHOCOLATE
De
Depositogeral.ejn Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros d Barbosa.
Os arrematantes da massa fallida de Joaquim
Vieira Coelho & C. previnem aos senhores devedo-
res para que no praso de 30 dias venham ou man-
dem pagar o que estao devendo a' mesma massa,
na rua da Cadeia do Recife n. 3, e que findo o dilo
praso, os que nao pagarem, terao de ver seus no-
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branza judicialmente. Recife 5 de outubro de
1865.
Para quem precisar de banbos, offerce-se
duas casas com commodos para familia, na ilha
do Retiro, junto a ponte da Passagem : a tratar
".om L. M. R. Valenga.
Musgo de Islndico
Vende-se na bolle- r?o
_P. Maurer & C rua Nova n. 18.
Grandes nielhcras
as mucliinas imperiaes de caser-
.lrmazriu o. 536 Itroad-Way NewVerk.
Estas machinas sao construidas pir um novo
sysiema, com mollas e importantes melhoras, e
sendo examinadas por habis peritos foram jolga-
das de firmara perfeicao. A agulba direita e cose
perpendicularmente, com o ponto de lacada, que se
nao desmancha nem einbaraca e que igual de
ambos os lados ; faz costuras periitas em toda a
qualidade de tecidos, desde o couro at a mais tina
cambraia, tendo los de algodao, de seda ou de ll-
eno, desde e mais grosso at o mais delgado. Go-
mo nao tem rodas dentadas, por se ler evitado a
menor atrito possivel, trabalha com farilidade e ,
sem contradigo-UMA MACHLNA QUE NAO FAZ
RUIDO ALGUM.
T. J. Me. ARTHUB C, fabricantes t propru-
tartos na casa supra.


Diario de rernascbuc Sciia fe ra 90 de Outabro de *S3*.
Vendem-se capellas de aljfar para serem eolio-
cada nos lumulos, catacumbas, seiiulluras, no da
2 do vindouro novembro (finados) com as nscrip-
caes seguales : meu pal, minha ma. meu esposo,
minha esposa, meo lilho, minha filha, saudades ele.
ele, e tambem se vende urna capella riqusima
de marmore : na praca da Independencia laja de
calcados ns. 37 c 39, as nicas que ha no mercado.
Algodao trancado da Bahia : no armazt-m de
A. V. da Silva Barroca, ra da Cadeia n. 4.
A NUNCA.
(ollciras de arroqim, com cascareis
e sem elles.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
a
Grande loja e armazem o
Pavao.
Ra da Imperatriz d. GO. de Gama & Silva.
Tendo os propietarios d'este estabelecimento de
liquidaron) urna grande porcao de suas fazendas,
?.!!f,i"Ll^TDleanni?,!;,imdef^harfm,'0''' ca n- 8- vendeoi-se colleiras de mairoquim,
tas e apurar dinheiro, resolvern) vender todas as :.... ,i____ n
fazendas com grande abaliraeoio em presos, lano; posponlartas e C0H1 cascaveis, on >em elles
em portao remo a retalho, e por isso previnem a ; proprias para cies e CiUtTCS biellilillOS.
todos os seus freguezes, c ao respeilavej publico, e j PeDIIS ujM;>S fie UO C doeadas.
as|pessoas que negociara un pequea escalla com I kT __ .. .
fazendas, que ne.-ie estabelecimento encontrar. No novo sorlimento de uennas de ac que brancas listrada.
um grande sorliment que muitu ihes hau de agr-, a Aguia Branca acaba de receber, neram Luvas finas de, lio da Escossia
dar lanto em procos-como em qualidade; asim tambero OUlras de metal durad 8 btCOS
Ouios objectos.
Vindos taniLem para a antiga loja de
miudezas ra do Queimado b. 16.
Sapatinbos de feelim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Metas de seda, corresponde!, te no tama-
jnho dos sap timbos.
Outras mui linas de fio da Escossia e
A. y. da Silva Barroca, rua da Ude.an. 4.------| como mandan, pelos seus eaixeiros levar as fazeu-, ffiu Dem aca|j;idoSt ,. por fcsS3S boas e ne.
- Vndese urna boa escrava cnoula n.uito sa- s e amostras Das casas das familias que. nao po- P-ssarh, niia|(|aii|ic. JL, ,rriilarins fa
dia e sem vicios, cozmha e engomma : a traiar na >^n> vir a luja, ou dao as amostras deizando li- i asaras qualulaties OS MU acreditados la-
rua de Aguss verdes n. 21. car peniior. brieanles Perry & C, as recon mendam a 'S
de cores.
Ditas de seda
Ligas de dita
A molestia ou infecto pecu-
lial conhecida pelo nome de Es-
,s-(V^cro/"Ha um dos males mais
,^\ "^prevalecentes e universacs que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
-*- genero humano : disse um cela-
\J bre escriptor da medicina que
mais de urna terca parte de
Canil raas ii-
brancas e
para senhoras.
para senhoras e meninas.
P< tiles de tari ruga mui fortes para des-:
W
Sas a 3.S00, na luja do entendedores < apreciadores do bom, valen- embarazar.
pavio. (1 mesmo a diireren<;a que ba no preco de Carriteis com retroz preto e outras cores.
Vendem-sc rejas de cambraia lisa branca e'umas l)ara outras, por que estas se tornam Carteiras com agulhas.
transparentes, tendo oito e meta vara cada peca, mais duraveis na cunlinuaco de escrever ;'
pei.> haraio prego do 3-3300, ditas muio finas, por assim poisquem dellas se quizer utilisar
r?^'btJ*n '*.' '!& 2X compra-las a dinheiro avista: na ruado
reme.-, assim como cortes de rambraia com saln- n, .1_,j_ i ,.
eos a fisoo: isto .-6 ua loja e armazem do Pavao, Chamado loja da Aguia Branca n. 8.
na ra da Imperainz n. 60 de ama A Silva. Fl'alljas COIU boilllS e Mal ellas para
Casimiras escuras, rorlinailos,
na loja do Pavao. i r i tu u
Vendem-se superiores casimiras escuras, mes-; A Aguia Branca tecebeuum bello SOftl-
Riyalsem 8fcguu Roa lo Qtrcffflado ns. -i!> .:., loj de
miudezas Biando lurio iiou burato, quem qui-
zer jfere admirar miham a loj io
Bl : X.iIlO.
C papel amizade, e sem ella lisoe pa, .uto
;. rs.
i i ,; .- di ac | : idos fazem ,. -
: rna a ICC rs.
Pi '- de penoa 6v ;. f?zei l.i i Vi r.-
'egas de tranja de lia isas i i i "r;"a
tas ci
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou dir- ciada e eufestaoa.iom seis palmos de largura, pro- ment de franjas com borlas e sem ellas
H* taou inditectamente da Escrofu- prias Pra alcas, paleiots e coletos, pelo barato para cortinados, todas de novos e bonitos
l......... covdo M?,m-como cor,,;l d desenhos, cuja commodidade do prego est
prego de i(jO:i o covado, assim como cortes
es- mesma fazenda para calcas a 2^800, diUsgaribal-
tiva, porcm a principal causa de mnitas J'?" muit0',0a ls*eBda a li69i isl f*. na loiS
f -, ,l .. e armazem do Pavao, na ra da Imperairiz n. 60
outras enfermidades que naolhe sao geral- dc Gama& Silva.
- mente atribuidas. Retondes a 12<$000.
E' lima causa directa da pkthysiea pul- QYendem*se ricos r-lnnd^s de renda prela, pelo
Hionar, das molestias do (gado, do estoma- barato pr.go de 12$C00: isto na loja e armaz.-m
go e affoccdn do cerebro :-Entre os seus J*1* Da rua da lml,e,atriz 60 de tan^a &
em i elagao a largura : acbam-se ellas a ven-
da na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jago da paciencia n curioso enti elciii-
Bicnto.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por presos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
Aguihas frandezas, as afamadas.
Caixinhas c>m allinetes brancos e pretos.
Ilaspas de baleia para vestidos.
l'itas de linbo proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets, i
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas fivcllas grandes dc aeo,
donradas, madi'cperola e lar-
taritga.
A loja de m
n. 1(5, recebeu
fivellas grandefj
gallo canta e
que imando
9
est
Bom e baratsimo.
lina Coliares.
Collares anodinos eUrtro magnelicas Roier para F
as criangas nao rr.orrcrt m de convolsoes pelo ba- H
rato pri fo de \$.
Novidades.
Riquissimas pnlselras on braceletes pora senho-
ra e para meninas a \&. 2.3 e :, assim como lin-
das
40 rs.
r- "- Bni imai i .i. .. Jen es .
:5(l r?.
i' is ile ;a de
.:. rs.
::- com colfheles trance; superiores ana!)-
riad a 20 rs.
Tinte'r s de l arr? ,i i| i rtor tinta a 101
i de cordo para vi -: -. h oda
: :,.
rriiiiio Uno; para voltarete a
rs.
:.'" ei m snperior i 500 i .
1 i :- scac pf mi
. .rantii s coro agua d -..,: ..

rs.
e.
ag a i! C i
I? fr el ii i: til n
voltas para pescogo a :i.
udezas rna do Queimado; Enfeites.
um bonito sortimento dej Riqoissimos enfeites para cabega cocsa de mni-
para cintos, sendo de ac, l0 fer sio a IJSOO, 25, 3, \r., 5, C e ~.
a -'. i:, e vi., i'i
r
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
eslao sendo ven Jidas em dila loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bom las
fitas de gorgore achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellasj
Ocalos dc neneira e de outras
qualidades, para qucni soffre
la vista.
A' loja de m
u. 10, tambem
com vidros clare
udezas rua do Qoeimado
ecebeu oculos de peneira
numerosos symptomas acham-se os seguin- crles (le phantasia a W00.
tes: -falta de appetile ; o semblante pal- Veudemse os mais lindos crtes de pbanlasia
lidc e s vezes inckado, as vezes dc urna com as mais lindas cores qce tem vindoao merca- quenas i\eisas pinturas aellas se tormam
akfttra transparente e outras corado e a- d0 *end< fazi-nda transparente que serve at para. agradaveis vis'as e paisagens, segundos
marelleno ao redor da bocea: fraque e Kn^tti*^ ^ acompanham. Na verdade
molleza nos msculos: disgestL raca e tttt*iiffl^&*^ CSSe, Um del?tavcl enrelen.oiento como
appetile irregular, falta de energa, centre ma & Silva. qa' se f|espe ta a cunosidade, e apura a in-
inchado e evacuaco irregular ; quando o Percales do MVit. telligencia. Os apreciadores dinjam-se a
mal lem seu assenlo sobre os pulmocs. ume
cor azulada mostra-se em roda dos olhos:
quando ataca os orgSos digestivos, os olhos
tornaiu-se avermelhados :o hlito ftido,
a lingua carregada, dures de cabera, ton-
leinis etc.
as pessoas de disposic50 escrofulosa ap- Vendem-se pe?as"de canonlas' de forro muio'e com0 seu louvavcl costume os est ven- e^ c ar i
pareccm frcquentemi-ntu erupcoes na pelle boas, pelo barato preco de 25 e 25500 apega: HmiHa hmiMun*.* mni Minkim
da cabeca c oatras parles do corpo, sao pre- *. "a loa ar["'l7i'1" dn Pav;'. na ra d*lm
pe itiriz o*
Cosanles para liomens.
A 13/JOOO, na loja do pavao
Vendem-se superiores co->tumes de casimira ga
Fivel
Biqnlssimas Hvelas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como prelas.
Cruzes.
Riqn ssima cruzes douradas porm o melhor
gosto que se pod" desejar.
Cascarrilhas.
Bonitas cascarrinas com 1 iqn nh .- de seda o
: ;
rs".
C-'i'.
.
Srloi 11 rji
! 1...... r>|
Ajrna di r.tifice snpe ii 1 qnalidadi
Raizas cora snpe : .. Frasc 11 -..-,'-i en < >encias sanU
i
Ki.'- .:- I
a 300 rs.
Frascos c^rn rheiros ,. os; n '
2ill .. .
Frv
Do: i
"!
aljfar eousa iteiramenie nova
vestidos.
Binculos.
Bonito sortimento de binculo?
para enfeitc* de i;
.
c iini '' 11
.. l para
s e escuros, para qnem sof- \vidr0s P"* s amantes do tii>atro.
. Gollinlias multo Duas p; ra nhi ra a
I Caiza rom sol .. ... 1
com snperores|P(i;;;;fiIa(!ii
I s.
rnno di
Pftrca fts do nava leingencia. Os apreciadores dinam-se .WU1."U "W,,^BIMS,w"9; f Ul ** G00 r;
It,lV r rua do Oueima.lo dila Inii da Aania Rran- fre da visla, assm como outros de armagao Assim umo uns pcquinmos DiIas ,. w nwT|0re ari ica..
is percales cornos mais1 rua"o yueimauo, a una loja a Aguia uran- ^^ Sl,.;/1nc]pm rine | qne serve para eofeite de rekgio mais com ezcel- 800 r re,, para
vidro. id.,:..'.:.: .0sn, .
Na loja do pavao.
peratriz o. 60, de Gama & Silva,
(lispostas usafleccoes dos pulmDes, do ftga-
lindos padrocs, s-iulo das melhores que lem viudo ca n. 8, que seao salisfeilos.
ao mercado a 4io rs. o covado : isto s na luja, e | BonilOS CnfeteS para ScnllONS.
ano.izeni do pavao, na rua da mieatiiz u. 00, de; ,r ,
fiama (x sv. j A Aguia Branca acaba de receber um no-
CantbfaiftS de forro. vo e 'm(^0 sortimenio de enteites os mais
modernos e gostosinteiramente agradaveis,
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos dc cornalina.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Seslinhas.
Pedr.
! BuB1 '"- dc chi n
\m rs.
Riqnissimas cesiinhas com preparos para me- Calzas com bonllrsestampas par; mi
Queimado n. 16^ recebeu mu bonitas CO- ninas deescola trazer no braco, assim como de Capachos compridos.! 1 1
roas e tercos deornalina, os quaes esto
a disposiejio oslbons christaos que os qui-
na rua do"
pequeos pretos par;. <
deudo baralamente a quem com dinheiro se Queimado n I
3 d Queimad' ioja da Aguia I Esponjas finas grandes e pe-
uranenn. nenas.
Meias de Iaa para senhoras I vende-se na rifa do Queimado, loja de
Vendem-se na rua do Queimado, loja da miudezas n. 16.
Diversos o^jeetos.
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos, fortaotoj nao smente, afiuelles
que padetemdas ormas ulcerosas c // C4llosas d;i escrfula que necessitam de pro- prego de 135, ou vendem-se separado, sendo calca M*ll lllOSCa
leccjfo contra os seus estragos; todos as |da meama azenda por 4* paletol da dita a 6*, co- Na loia da Auia Branca clia-ie ? venda -^TT8"'-.k
auelles fin cnin ano-nr nvist/r. vriK latn le,e da ll,esina a 3A- 'alca^ 'I-' eassimta tienda nd '"-1 Ud AoUM }raP("' |6 ,caD
so H. .T,/ J 1 ng ?> V de urna = cor a 45, e paietets da meMiia a 6*. e o papel com compoMeao para dar fim as versos objectos q
te d este ternvel Qagello (e as vezes her- um gr;inde sor,nilI ,0 l(. ra,as de ca;1Illra (IIl.la moscas, sendo o ~
A antiga loja di
...................~-......v.....- "....... 1--.....------ "" v modc de usar facillimo, eo
aitario; eslao exposlos tambem a solTrer das pelos baratos pregos de 6$, 75 e 8 : isto s na efeilo efiicaz molba- toja e armazem do pavio, na rua da liup.ratriz n. fic,r n,m ^ c n|,,e |lOUsando as mos.
enfermidades que elle causa, que sao :
Aphthysiea, ulceraedes do figado, rfoe*-|60'de?B!'&s,,w-I ,
tomago e dos rins: eruprfnts e en fer mida- lalas e PlctolS (le casimira
des eruptivas da cutis; rosa ou crysipela; vende o pavao.
borbulha, pstulas asadas, tumores rk-: ^SSK ff,ir? SS-
CUmacarbunculOS, ukeras e chagas, rheu- tissimo prego de 73, paleiots saceos da mesma,
ntalisino, dores nos ossos, as costas e na sendo otra muito bem feita pelo baratissimo prego
cabeca, debilidades femininas, llores bran- dt l50W : isto s na loja e armazem do pavao,
miudezas rua do Qnei-
de receber muitos e di-
vidro enfeitadas proprias para"mimo. [Grbsas de botocs
Pentes. 100 rs.
Ripuissimos pcii' ? de i.orraclia com aro bran-; var."- de rordSo de esnarlilho a Su rs.
co de metal para 1. nina segurar o cabello peJo Novellos francezes eom 20 ardas a 40 r
barato prego de 600 rs., e dnzia :;o. ;--m emo Pcga^ de tiras bordada- a 6i0.
grande sortimento de lodas as qualidades ara de- Uuzias de meias cru:- muito fortes e m.. .
1 pa-
sembara^ar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas jara roupa
ra cabello, paraunhas e para denles.
[jtitielase oculos,
Finsimos lmelos de um e dous exi ell ntes vi-;
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim como]
te fazem complelar o seu ^0;;;rdr0eur dS "* PrPr' 'M'a VKm'
3o00.
S-!
5
B =1 =
bello sortimento, sendo:
Filas finas de sirja da mais estreita que
todas de vivas e agrada-
ba al a mais larga
cas, entristecen) e morrem. Custa cada fo-; ves CreJ.
iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da 1(lem lambem d^ sar:a ,wada de bonitos
Agina Branca n 8. e novos desenhos
[rauneS^Sj Diversos briuqoedose cnlrcteniraento;" dem dem bramas, lisas elavradas, pa-|5K,iBr!ol,,,0,naeBS,lia" fcnM COn'
pjira ci'iancas. \droes igualmente rovos ebonitos. para caspa.
A Aguia Branca na rua "do Queimado n.: dem de gorgor o de seda achamalotada, Superior banba sem cordura com um frasco
Touqnir-bas.
Riguissimas touquinhas de bl de linho, de se-
da e de laa para criangas.
Para o cabello.
A superior agua para attingir os cabellos, as
barbas trancas e fazer conserva-Ios. 1 ; frascos
na rua da impsratriz n. go, de Gama & Silva. 8, recebeu divetsos brinquedos para crian-: e muito encorpadai para cinto de fivellas,"'" a|:"t,pror"'ia P"a linif'ar c*1bf?a'": ra5C"s
tu* Luusaua uta uicenuao inteiioi, c en-. ,. .^ j. < acompanna um fo helo uue ea-ina o modo como
fermidades uterina*, hydropesia, wiget- Os collclcs lo pavao. cas, sendo estradas de ferro, baas e patos [grandes. se deve appiicar, ass.n, como agua balsmica,
to cnframierimrnti, o'richMJndP noval \ende-se um grande sortimento de colletes de elctricos, apparelllOS dt metal, louga pinta- | >' de seda pr*ta P. de OUtras cores pa- opiata e poz para limpar denle?.
- ruar vestido!, colleles, palitos, etc. Canlias.
dem de laa igua Intente sorlidas em cores Grande sortimento de banhas em coi os, rm la-
para os mesmos ins. ,as de ^"'na e cm frafC(s de todos os lmannos por
em de algodt
ama 4 Siiya Mei'.s preWdc seda para senhoras a l cores para ves
lories gran timos. 'Jim ris o oar dem de borrad a
A Aguia Branca quer aaba'r com a por- "SSTCJ!"" Pret8' CtC'
3 -
sfl 51-
|t-!Bf8e,i
fcsf'3 8.-.8 W
li'
= ?3^-^
=7
c
= == =
t n
5
m m < a g: a 1
3 n o c 2
t
lis
n o
s |3
N
^:

orgaos diges
Jesarranjos que prodnzem ndigestiio, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :;
na pelle produz erupcoes e affecgoes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, careceni do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o tanque.
A salsa parrillta de ycr
composla dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica ten podido descubrir,
Novas e lindas | uarnicoes para enfeitar
A 10(JU00, na loja do pavao.
Vi nderti-se os mais neos cortes granadinos, fa-
zenda de muia phanta-ia que serve at para bal- C les por serera transparentes e com palma de eda e e apesar do muito maior pr*o que Ihe cus- somemoarques, ^e; naos pi etos, manteletes,
.Th Iirra1Lseda' ft!2 barts8,n, "S?" dl 10* taran e o bom estaco em que anida esto,, el^ran L T g f -?,modeir!f,ma-
cada um islo so na Iwa e armazem do pavio, na ., r(lcr,|vl(i9 n von.Io las a !t( TranCa d^ seda rua da Imperairi/. n. 00, de Gama & Silva, comiuuo esia resoivitia a vtntie-ias a O' u .
As canrisihas do Pavao. "is o par, afim de qne i.inguem mais calce, w .
Mendem-se as mais modernas camlonha. borda- meias prelas do algodao, ag. ra po.s apro- Ljjgfi? s cores
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais veitarein a qttfldra'e dirigrem-'e rua do i ,- a8radave s cures.
modernas que lem vindo ao mercado a 1800, di- QueIUaio, leja da Afuia Branca n. 8. Tam Bo,,oes Pm 9S rie?mos fins> sen Pre*
las eom manguitos, para acabar, a.; ditas pre- ... .n(,erJ as brai:cas a 1,5 o par, e des- tos de seda ma,ons e menores, enfe.lados
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males .provenientes d'elia queS~ SSSSS^t^^SSC ^m ^.- J- -T vidrill
conten virtudes verdaderamente extraordt-ltosegoiinhas pretaa a a, finisTimas golinhasde tas o umeo tlefeito estarem um pouco tri-r" ,'J p acaDa (le receber um lindo e magiuhco sor-
narias provado inconteslavelmeiile pelas eambraia branca bordada & 300 rs., calcinfaas para gueiras, e>"
curas nota veis e bem conhecidas .que tem 2*? **5 "i EX1"* "t. 'H. en ('a-mbraia
fnil 1 > __- ^ branca hordada a H*>0(10 : na loj do Pavao, rua
reto de tumores, ernproes cutneas, ergs,- da injJL.ralrrz co; de Gama & Silva.
petas, liorbnU'.as, nasculas, c/iagas antigs,' ,
ulceras, rkeuma. sarna, parebas, h y drope- L,]a,es f?r':',S a 1006(0.
jtw, tom quando causada por depsitos lu- vcr,d<-se chale,, pjTS renda muito gra-n-
DerCUlOSOS nos pulmoes. ehilldade ge- des de quatro pomas, pelo
;ral: IndigestSo, Syphiiis constitucianal e
Chales de renda
molestias mercuriaes, molestias das mu I he
martimos.
LOJA DO BEUA FLOR
Paredes Porto, na ruada Iraperatriz n. 5, porta
larga, vende ebales de renda de cores com peque-
no toque de mofo, a 3J340 e 45, fazenda de 10,5
|ii..iw. ivceoeu un ueim soiiiiiienio ue tw- _., ,ift n,.,
l^^^TS^^J^^I^T.S^^\ -Vendem-se mais bmto do qne emqoalqner i netos eoculos de vi Iros com armacao fina de ^L5S ClBjat.O b..
e /i / ,Ur .'" de 'reS p051*8, a : Pare para liquidar, dous bonitos motores para i aro nilfa|ft tart- ..,- p L poli vuiidfl T-em rec?li? "."' sor,,roenf d,> "uzes 1ue ;
- lT*mrem fe1,30' na rua da Imper'a- e 4 cavallos, os quaes sao pronrios para mover ma-, S'SUS 2 8 xenae.nU0 1 **** osando, de diversos gostos ; s quem tem e,
triz n. 0 de Gama A Silva. rhin,s rta VLD' 0P ,,,,' ln,w Aa ,H,. 1 Por prec.OS razoave
SoulbcuiLarques de cm*.
chinas de descaroQar algodao, cylindros de pada- r"* i"*"0
:res, ulceracSeedo tero, a nevralgia e con-
vultoesepilepikaseem Summa, toda serie I Vendem-se southeobafones de cor muito bem na fabrica da Travesa do" Carioca "n.
de enreimidades que nascem da impureza enfeitados a 55, 65 e 75000 para acabar : na loja Ramos.
V,le as Gerlidoes no Alma- e armacem do Pavo, rua da Imperatriz n. 00, de
n. *
hrancas p ilivArsad nn- pres meD0S (1 'aeem 0Ulra earte- a-m cora
iiidutdb OS de Chita. por hoje : s no gallo vigilante rua do Crespo ou-
raneas e pretas para mero 7.
<._- 52 a
??g2 Sp IS
="3 S-3
r* _s>-
a? *<
T," s. s
a
B -
o-r-
O-B I 2
o X o >
I 4
_ o O m
ff" 9 C_ m =
Sil! I Uh
151 s :!
es
"O
rn
ry
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
tmenlo de oculos, helos, binculos, do ul-
^ dem pretos de elludo tambem de sort- limo emais aporado goslo da Europa e ocu-
dos lamanhos. j los de alcance para observaces e para os'
Louelos dc dous vidi s com aro dc ac, bfalo
e l rlaruija.
A loja de miude tas, rua do Queimado
m..l6. recebeu un bello sortimento de lc-
i Iros com armacao fina de
os pret mientes diri- < o neija-flor.
ria e outras quaesimer machinas : a ver e tratar, I jam-se a esta Ir.ia narua do Queimado n. 16. j Tendo recebido variados sortime^tos de volta?
.... .. i.------------ '__________________________________ na liint'wac Aa Aiv/ircis i.ipqc Anf.iitn; i nu.
caes do
do sauguc.
nack e Manual :se distribue gratuitamente nos lugares onde ri 0r9,lu,i ra Se vendem os remedios Uieuaram os mais modernos organdys com os um : na rua do B
aV, r r >L mais modernos padiCes, sendo quasi todos lisira-1 ,7;-------
ste remedio o frocto de longas o labo- dos, como M mam agora, com as mai< linda- cures L Vende-ae o
Vendem-se
Gal de Lisboa.
Vendem-se barns com cal de Lisboa a 65 cada
Bram u. 66, armazem de assucar.
ma casa terrea sila na rua dos
riOSaS experienuias, e ha abundantes orovas 8 fixil; 'ondendo-se pelo barato pwco de 900 1 p"pJtdorf,s n. 20. centendo 2 salas, 4 qnartos, cosi-
das suas virtu es no*to oue olTeiwido a vara : fla l(,Ja do pavo.rua da fcperatria n. GO, Dha ,0.racc ""i grande quintal com sabida para a
) de Gama & Silva praia deS. Jos : a tratar com Cussy Juvenal do
hilas a 240 e 280 rs ,e"0' na rua ,)ire,u n- -> l andar.
VeDdem-se superiores chitas escuras a 240, 280,
quae sao superiores a melLor salsa parri- 320 e_40^rs. o covado, sendo todas de core- lixa.- ;
ditas inglezas, muito boa fazenda a 208 rs. o cova-
de aljofares de diversas cores, endites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que 1
em qualquer oulra parle.
machinas americanas de serrle para descarocar Facas e "arfo-.
algodao : na rua da Sepzala Aova n. 42. Vende-se foccas e garf s de cabos de balando de i
posto
ao publico sobo nome de -ulsa parrillta,
composto de diversas plantas, algumas das;
Iha no seu poder-ffffVrw//'.
I'I'IIOI 1L l>C GEREJA lt?. AVF.R.
rCura 1 romptameote a astbota, bronchite,
tcK.se, (li'llu.\:, angina, coqueluche,
phthysiea primaria, tubrculos
puluajfiares e lodas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia -os etlicos declarados,
"odas as molestias da garganta, do peito
Cal de Lisboa.
Na rua do Vigarie n. 19, t andar.
As neihores (hila
escuras e \i\
co\
Na rua do Queimado
cezas escuras e finas a S
Algodao Para sacco
da fabrica de Fernao Ve
qtulidade : vende-se no
numero 19.
do : na leja e armazem do Pavao, rua da Impera-1 Na rua do Brum n. 38 vndese um moleque 1 nac, de Oliveira f| Filh
triz n. 60. de Gama & Silva. de 10 annos de idade com algum principio do ser-
Chales de merL'i a 2000. vico de urna casa.___________________________
Vendem-se os mais modernos chales de merino i Vende-se urna casa terrea a rua da Palma I
eslampados a ^OtlO cada um, havendo las>bem um ; n. 71: a iraiar ae paleo do Ca mo n. 3. meios a 45 e i>&, eo
mosmos matizados que se i
grande sortimemo dos
vendem a 65, 75 e 8000 : na loja e armazem do
Pavao, rua da Imperatriz n. 50, de Gama A Silva.
Vndese
em c.avallo ruco muito bom de carroca : na 0-
8 siiiios do ^'ivao.
\ 'nncm-se rlquissimos sintos de filas de diver-, -
sas cores e doarados com tivela larga e flourada.
e uOS pulmes pdern ser curadas em pou- assim como eafeiles para catieca dos melhores '|fio Capibarjbe, com bastiles com
CO lempo pelo PBCrOBAf. DE GBREtt DO DR. **'" modernos que tem viudo ao mercado ludo lrn^de. fV"]"',: lr3U^ na rua M
- Vende-se um sitio em lienilica a' margem do
modos para urna
ova n. 24, das 9
lato se vende per um preco razoave que muito I _* as ^ da '^rde.__________________________
k* vAn.la nae nrincm-oe hntieae .Imaa L'"'' h''-0 de ^T?r lsl s na loja e armazem Vende se urna machina movida a cavallo, a
Aveniia -.is principies noticas etiroga- dio.-.vao na rea da Imperatriz n:m, de Gama & qnal erve para differenles misares, como seja,
imperio, e na agencia ceretl do As toalbss de linlio do Pavo. paja padaria e descarocar algodao, e farinha: na
francezas a dU7ia-''i>,as f d0s l,[5es a!
~y o5o00, dita para doce a 55100, ditas de cabo preto'
IS a 2o" rs. 0 a 35200, ditas de cabo branco, rolico e cravado a
dfltt 35"00.
. ___j__ u ._ Tem recebido variados sorlinientos de balaios
iirSS? para meninos de encola, deforma de peixinhos,
p patinhos e ontras de diverso posto, que s com a
e roupa de cscravos vista bem se pode apreciar, e tambem serv- para
ho, e de muito superior leilo do hospital purtuguez : lias para botar de
|escriptorio de Manoel Ig- diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
largo do Corpo Santo, EscOfas para roupa.
Vende-se escovas para roupa muito linas com
Cieguen aos cor .i. I, os de cambraia. SS^l)*1*'^ df0,es a
le cambraia com entre-1 l>ap.-! e envelopes.
Paredes Porto, rua da In
ga, jun.o a padarja franc
COPEITOS
DEPURATIVOS
BoD-SERVDX. dePair
Pharinaceutico de ciaste, ex-
interno dos liospitaes, prtmiaio\
com a medalha de bronze.
I
acbatelo : na
de'
Gamb
Parede Porto vende ra
de si.rt.nenio, a -'i-j at
finas, com 10 varas a 65
Imperatriz n. 52, junto a
noru la? i Vende"se PauUdo papel e cai'xinbas a C80 rs.,1
z n. ,>2, pona lar- rti( de rr 700 r! e enmve|opes a Gi0r.s. a ca, 1
xinlia.
alas.
ibraias lisas tinas, gran-
'&, ditas Victoria muito
500 e 75 : ua rua da
padaria faneaza.
rias do imperio, e na agencia central
Rio de Janeiro rua Direita n. i'.
Vende-se em Pernambuco:
na
3X
PHARCIE FRANCAISL
deP.MADRER&C!
RUA NOVA N DI
Vendem-se superiores toa'has de linho das me- rua do Itangel n. 9.
; lhorf;.jiip tem vindo ao mercado pelo baralissimoi----------------------,_..,j_-----------------------
preco de 95000 a dazia, ou 800 rs. cada urna, na i n. *'"
: loja e armazem do Pa*o, na rua da imperatriz n.! p,a.ru Direita n. 84 ha para^ vender cylindros
00, de Gama Silva.
Gontinna-se a vender doce de caj era calda,
larauja, jalea e grozetla a Jo rs. a libra : nj pa-
lio de larmj, esquina da rua de Hurtas, armazem
numero 2.
~ATTJ3NCAF
As saiM do Povo.
Vendem-se as mais tiaas saias bordada* asagu-
Iha brancas sendo da melhor fazenda que tem vin-
do nesie genero, tendo mui a roda, pelo baratissi-
mo preco de 105000; ditas bordadas a crocim a
' 65< 00 e 85000, dilas com babadinhos a 95000, na
loja e armazem do Pavao, na rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
, Notos vestidos ua loja do Pavo a 10,-jOOO.
I Chegaram para Ifja do Pavao os mais ricos cor-
lies de vestidos de cambraia transparente cornos
' mais delicados bordados de diflerenles cores a pon-
; lo de agulha, sendo n'este genero a maior novida-
aninriean para padaria,llegados ltimamente da
aoaeriea.
Vendem se retratos d". Esticarribia a 500 rs. :
na rua estreita do Kusario n 11, photographia.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azeredo &
C., no seu escriptono rua da Cruz n. 1.
Breu em barricas pi quenas.
Cera.em velas de todos o lamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na rua do vigario o. ib, primeiro andar.
Las para vestidos a 240
rs. o eo rado!!
_ Na rua do Queimado n.
laas para vestidos a 240 r
tes que se acabem.
CAMAS DE FERRO |
Grande sormento de camas proprias para col-,
legio e tambem para quem quizer passar a fesla
vende-te na rua Nova n. 33.
KJ&
VILLAR
i vendem-se superiores
0 covado ; a ellas, an-!
MA.
.v
: rem muila fazenda e enfeites sufflcientes para o
Vendem--* englobadas par IO.15 as segrales corpo e mangas, e vendem-se pelo barato preco de
obras : diccionario da conversado ca repertorio 105OOO cada um, na loja do Pavo, na rua da Im-
universal de todos os conhecimentos neeessarios peratriz n. 60, de Gama 4 Silva,
nteis cu agradaveis na vida social relativas as ... .
sciencias, as letras, artes, historia e geopraphia,' os espartiios ao Parao.
enriquecido com 200 gravaras represeniando mais Vendem-se um grande e variado sortimento de
de 1,000 objecui*. 2G vil., Troplong 4 vol., Rogron espartilhos os mais bemfeitos que lem vindo ao
6 cad. 2 vol., Coelho da Itoclu direito civil 2 vol,. mercads, sendo de todos os tamanhus pelo baratis-
Alexandre nmas Iheatro completo 4 vol., (abana simo prego de 45, 55, e 65000, por baver grande
do Pai Thnm 2 vol., Bocage, obras completas 6 sorlimenlo, na loja do Pavo, na rua da Imperatriz
vol-, iudeu Errante 3 graodr-s rol. e Ilustrados : n. 60, de Gama & Silva,
rua da Aurora Santo Amaro, depois d> Gymnasio Heias cruas iOOO o 35000.
e ponte peqoena na segunda casa>____________ Vendem.se snperiores meias cruas inglezas pelo
Vende-se a armajo tola envidragada pro- j baratissimo prego de 45000 e S5000 a duzia, ditas
pria para qualquer negocio e bem localizada por de todas as jualidades para senhora, meninos e
commodo prego, na rua Direita n. .36 aonde se meninas, na loja do Pavao, na rua ta Imperatriz
traa do ajaste. I u. 60, de Gama & Silva.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatr
de que lera viudo ao mercado, garanlindo-se o te- tomos pelo baratissimo preco de 3500C
' I II fiil 1 f-i : ..n n ...1,1 ..li: 1 .____________ *
aa praca da Independencia.
6 e8.
livrana ns.
Normas para escripia
VenJem-se normas para escripia por C. Adlers,
proprias para meninos, em colleecfles de ns. I a 6,
o t.ambem eolleccSes de ns. 1 a 12 : na livraria
universal n. 34, na rua c!o Imperador.
Pechiincha.
Vende-se 30,000 tijolos de alvenaria batida da
melhor qualidade que possivel a 235 o railheiro :
quem quizer annuncie.
GAZ, GAZ, GAZ.
Gaz em latas, o melhor que tem vindo ao mer-
cado : vende se no armazem de Barros Silva,
travesea da Madre de Dos a. 57.
g CAMBI
Cambraia de forro rom A l|2 varas a pega a 25,
est-se acabando : na loja ca pnrla larga da rua da
Imperatriz n. bi, de Pared s Porto.
Vende-se barato o soh -ado n 21, sito na rua
da, e um terreno onde
arte da ridade do Rio
nd'-'c da nutriz al o
Uni.io n. 3?.
de S. Pedro Martyr, em Olii
se acba edificada grande 1
Formoso, o qual terreno es
trapiche : a tratar na rua d
Atteii
Vende-se urna preta crion
idade. com habilidades, nao
que, muilo sadia e po san
de grande familia : a tratar
lloa VisU n. 34.
ilO
a de 18 a 20 annos de
Un vicio nem acba-
Com loja na do Crespo 11. 17.
Receben de Pars sedas em cortes mui-
3 lo superiores e bellisslraos padrSi 5, e
fSft chaira o^ renda pretos para 105-
gji K.-ie importante estabflecimento torna-
fc^ se ii comiiiendavel ao bello sexo pela va-
^^ rii-dade de fazendas superiores e bellos
m~* gostos
proteja o helio sexo ao Villar
91 e vero lodos .i prosueridade.
mmmmtmmmmmm-
un roe
C
Vende-se ri>cadinbo francez a 200 r.-. o covado,
por ter grande qoantidade, esla-se aeabando : na
|e, propria para casa ] rua da Imperatriz n. 32, loja da porta larga, de
na rua da Matriz da i Paredes Porto.
Desde muito tempo o publico
abandonou o uso das preparacoes
intituladas depurativa! conbecid.i
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilba composlos ele
Cuja acc,ao, maior parte das vezes
nolla, e n'algoms casos pericosa.
Os C0^FElI0SE^r'lF.ATlT0STE5IO A-'ZC1C
S O COSTO ACIMDAVEIS I CO*T -7 C*
PEQt'Eiio imii! mmau
VAS QLE O SEO MODO DE PUEPAi .
I.1A; TCHAVEIS.
O urrcM<><)'e(m .
fciiuN or i'.'.-,-] >iu Fra
C sob o patroeinio das priiiripae-
celebridades medicas, os poe ciraa
de ludo quanlo tem existido albe
hoje.
Cura rpida sen o socorro
de nenhum outro rei e iii-
terno, das escropbulas ,
'herpes, atfeccoes H/pM
I'Mticas hypertro:>!iiag
dos tessidos celular es,
^ hydropisias e em gcral
ttodas as molestia* produzioas
pela altcracao do sangue ; tal
o resultado que s
conseguir e que temos seni-
|>re obl.iiio.
Urna explicarlo acconpanba cada
idro.
Descopfiar-se, das raleificarne> ti imi-
Uicucs.
Para as eiuvincndns irivr-te ao*
Snres. bcissoh bt o1", 18. 'Plinee
Eugine, Parit,
' C01VT
e com ludas as habilidades,
nhas de idade de 12 a 17 ani
annos de idade, ofOcal de pe
duela, um negro para comp
Carmo n. I.
na
ipl
Vende-se urna escravapp'.ima engommadeira ; ii-P* vV"li"Ill (lUT"b Quv h\j
juatro lindas negn-
os, um esciavo de 23
irelro, le;n boa con-
na travesea do
(Al
No armazem da rua do Im
Caes de Pedro II n. 2, tem pa
Ihor gaz existente do mercade
amm"m'
r7. ^r.
1
icrador n. 3
a vender-se
atiabe,
Na loja da rua Direila n. 57 ha para vender-se
tima grande porcao de bicos e rendas da trra e
por procos muito commodos : as pessoas que qui-
zerem mandar ver se darao as amostras aos por-
tadores. Na mesma loja tem bramante de linbo
muilo Bnn de urna s largura a 560 rs. a vara, fa-
ou no jzenda rau,1 propria para lenfes. .
o me-i Nende-se urna preta com'habilidades: na're braheos, e venden.se na rna i.....ptuttum,
I rua do Imperador n. 2. i 32, loja da port? larga, de Paredes i orto.
Approvad |U Ac., da Mit.. .:< ?an.
Resulta pelos dous rr'atnrios, ido|>uii->s pU ciu
. icideinia cm 1840 e em ISSS, que u GBAGCAS da
GEl.rs e CONT lio o melhor t mais 1 ffica reniedif
I ferruginoso pira curar a chlorosis (alias flior-alboi. m
I fimos trancos, a fraqueza de comple.iio dos Jom
sexos, e tambem para ajudar a menstraa^o m shm.
Es'.as Grageas nao sto vendidas santo em eaixiaka
uu vidros coberlos com rotalo e fechador, coa ama tt
levando a firma do depositario geral : ABELATB,
harmaceutico, rua Bonr6oa-riI<< 1. Parts.
Venaem-se no Recife em casa de Caer
Barboza e Jo5o da C. BraTO 6 C.________
Nuridadr.
Chegaram os bonitos chales e


ai

inclusive
TIMOS BiM
N. 11Bi do QueimadoN. 11
A luja de fazendas de Auguro Frederico dos Sanios Porto, acaba de receber om mili-
to grande e novo sorti 505UO0, 50O0 e 70*000.
Lindas mantas para grvala, de variadas cores, a 1*300 e 2*.
Cachines de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 4*.
Chales de guip, razeada a inais moderna, a 10*, 20*, 22* e 25*.
Roundes de gop, lainbem os mais modernos a 26*.
Colchas du seda de cor para cama de noivos a 5o* 60*.
Alcatifa de Unho para salas, fazenda larga, bonita e de nanita duracao, a 600 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, cem ricos desenhos, para sof.
Saias bordadas para seulioras a 7*, 8*, 9* e 10*.
Cipas e soutembarques de seda preta para senhoras.
Donis, chapeos e cnapeliinas para seulioras, dos gostos mais modernos.
Cha|ieos elegantes para stnhoras, a 12*.
l\cinhas de liuissiina bretanha de liuho a 7*300.
Laaiinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braias franeezas de cores a 300 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras prelas,
grosdenopole preto e de cores, esgnldes, silesias e cambraias ee linlu, sortimenlo, de diver-
sas fazendas para luto, chapeos (te seda para hornos a 9$ e 10*, chapeos de sol de seda,
liados manguitos bordados, e ouiras multas (atondas que se vondem por procos razoaveis,
Esteiras da India para forrar salas
ffi
CHTORAM k LOJA
DAS COIiLVHMAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem violo a PernaTibuco de melhor gosto
era seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vesdo.
RA 1>0 CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e 0.
COUTES EIE ISliA
Cliegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantiqae dj cores, e seda IsrraJa pa-
ires inteiramente novos.
Seda de quadros por 1^000 o ovado
5RA DO CRESPO-5
ftiregoro Pac* do Aniaral A Conapaishia.
Paredes P.irlo
Recebeu pelo uUiui > paquete francs rica- I
granadinas om fi ires de seda a 100 e 300 rs. o
covado, estilo acabaodo-se, cambraia preta para
luto. Porta larga jumo a padaria franceza, a ra
da Imperatriz i. <>J. *
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejara madapolao a 4*500, 5*, 6*
109, pecas i(k aigodo por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280, 320. 380 rs. o ovado, precalias
muito finas a 300, 400 rs. o covado, chita ingleza ;
a 200 e 240 rs. o cov.nl 9. Raa da Imperatriz n. i
32, junto a paduia franceza.
Paredes Porto
Vende gangas de r jr propria para roupa de me-
nino-a 320 rs. o covado, riscado francs fino a
320 rs. o covado. l\\i.\ da imperatriz o. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Rjcebeu pelo altim > paquete espertilhos a pre-
guigoso por 3;, sao bons, lencos d seda para se-
nhora e hornera a l?, ricos crt.-s de cambraia
bordados de 18.f a 7?, por ler um o^ne de mofo,
estao se acabando, na ra da Imperatriz n.52, jun-
to a padaria franceza.
1

'' $ *
1-8 ENCICLOPDICA
&S Kut da lmpera'iz armazcia
da porta B.-ga .'i,
turnio a padaria l'radceza de
Mare.!es Porto.
feste estahelecimenlo encontrar o respoitavel
ico um .ariado si rtimento de fazendas france-
zas, Inglexas, suissas e aliemes, que so venderao
r prego commodo.
Paredes Porto
Vende chales de retida de cores que se vende-
i; i a 189 >'-i vendando por 6*. ditos pretos, fa-
la nova, 3-3, C-5, 8* a 20*, um soitimento com-
de manteletes, capas e soutambarques 14-3 a
23*. Kua da Imperatriz n 42, junto a padaria fran-
. armazein da porla larga.
Paredes Porto
R >rebn nm completo sirtimento de laasinhas a
SW, f 280 rs. covado-, nara acabar, cambraias de
:'i'i rs. o covado, riseado escosse para r>iu-
i. mino, fasto de Moho a 420, 400 e 500 rs.
i. da Imperatriz n. 52 jauto a padaria franceza,
'ni da porta lar:: i.
Paredes Porto
Recesen para cortinados para cama francpza a
11-3 a peca cambraia lisa lina a 3,5 i* al 10-3 a
. -.' le tarlalana de bonitos gostos a 3#500
1 :': acoro BOr de sdda, gastos inteira-
ovi s a 'ii) 300 rs. o covado, no armazem
Ta larga i. 92, raa da Imperatriz junto a pa-
a franceza.
Paredes Parto
Recebeu pelo ultimo paquete nm sorthaento de
n tes com pedraspara opescoco, bonitos caxiueis
i a para pesclo de senbora. Etna da Imperatriz
n 55, armazem da porta larga.
Paredes Pono
Vi nde cortes do gorgora.i preto para vestido com
51 covados cada um 33*00i), grsdenaple preto a
I 5600, 1*800 e2* o covado, loas lizas linas a 400
iva lo, la is de qnadrinho para vestido, enfes-
,. a 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 32.
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Tem para vender por preco commodo, popas de
juiao de linho com 10 varas a 7*, 8*, panno de
Imho para lences a 60 e 700 rs. a vara, braman-;
e : linbo de 4 larguras a 2*200 e 2*300 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes de eatrrbraia bordadas de ricos
.' .-; .s a 10* e 12*, ricos vestuarios para menina
nio, ricos corles de cambraia alaria Pia a
(0* e 20*. tarlatana branca c de cor a 640 e 720
rs l vara. Ra da [mperairiz armaaaoa da porta'
urga n. 52.
Rotipu fcita
Roa da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-I
..: i a padaria franceza, encontra-se neste as-
ento um completo sortinento de paletos*
ibrecasaccs, de todas as qualidades, ral-
colletcs, ceronlas, camisas, grvalas, metas,
- Jo sol, ditos franceses para cabes, por i
. com modos, roupa para menino e ontras
nii.-. fazeodas por precos commodos, arroaiem
. l^rga.
o mesmo e>tabelecl ment encontrar o res pe-
; loblico, senipre um completo sortimenlo de
ronpas fetas de toda- as qualidades, como sejam
pal tu; de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
i;os a ; > 3, ditos de brim parlo a 2*800, 3* e
tos lino-a 4-3, ditos meis cazemira a
, o e 5*. ditos cazemira saceos a 6*, 7*, 8*
: i ditos sobrecasacos a 10 e 12*, ditos de pan-
u i sacc < a 0*, 8* e 10*. ditos sobrecasacos a 12*
25*, diti s de merino preto a 6*, 7* e 103, cal-
d brim de diversas qaaUdaos a 1*800 a 4-3,
iios brancos a 2*300 e 6*00, ditos cazemira 3*.
6 e 7-3, diios pretos a 5*, 6*, 8* e 10*, ditos
caz-miras a.3* e 4*, coletos de diversas
dades, seronlas francezas de aloodio, ditas de
11 al ditas de bramante a 2* e 2*300, carnizas de
lo de Imho francesas de 2*500 e 3*. Gran-
el ecliineba oeste genero, grvalas de todas as
i ides e brancas para casamento, grande sor-
ni ie nieias para senhoras, ditas para bomeos
a 3*, >u[ienores a 3*500 e 4*.
Ii com nieto sornmento do chapeos de sol de
, a 3*, ditos de seda a o*, 7*, 10* e 14-3,
dii >s fraocexes para cab ^, grande sortimenlo
Pechiucha a.Smiravel.
Sisada sortimento de enamores a *G0O e 83,
i .,, de camhraia para hornera a 2* a duzia, di-
io a 4* e 5*.
,:.,! lortimento de ronpa para meninos e ou-
iras militas qualidadesqoe seria onfadonho m;u-
d -las.
Fazendas.
Y, id.' se suptriur merino preto proprio para ca
; i ahora e vestidos a 2*. Insiri da China
a 1*800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabetecisfleototiras e entremeios
bordados, grando soriunepto de corpluhos rica-
ireno b irda I is a 3*, 'i3 e 5*. S o Paredes Por-
lo, ra da imperatriz no 52; porla larga juuu a
padaria francza.
AO I1ESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base
teo do Carino n. 9, principal armazem ra de
dor n. 40.
le presos,
svo pa-
Impera-
AZEYEDO FLORES
Kua da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus.
Grande, sortimento de fozeittas por alacaiio c a rctallio. e um completo srti
ment de roupa feita, de casemira c de brim, tuilo por meos que en
outra qualquer parte: qnem duvHar veulia ver.
de lindas e finissimas casemiras escuras e claras, de superior casemira prea, de finos
briDS brancos e bom brim pardo.
Paletos
; de superiores casemiras escuras e claras, de una alpaka branca, de superior ilpaka pre-
i ta e de brim pardo.
Colletes
tanto deste armazem como do armazem pr0gr4Ssivopavdetoa8OTiraspr^^^
Fazem sciente ao respeitavel pubeo, e com especbiiade aos se ihores de en-
genhos, lavradores e maispessoas do ceoro, que para mais facilitar suas
beraram^s proprietarios dos tres gran les armazens, reunir todos os si
atentos em um s annnncio, pelo qnal o preco de um ser de loe
compras deli-
us estabeleci-
os, promette-
mos que nao infringiremos a tabella qi:e abaixo vai publicado, annunc ar os gneros
por nm preeu, e na occasia da compra quererem por outro, como soce
mente em outras rauitas casas, porla) nos cossos estabelecimenos nao
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seu fmulos que
sero tambem servidos como visssem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas ; para evitar qualquer engaos, remetiendo i s urna c,p*ta
pela qual se ver os precos tat qual annunciarmos, o que senao arrep
alguma que fizer sua despenda em nossos estabelecimentos; pci& poi|
5 por cento na sua despeza diaria.
Superiores camisas fraacezas de ^ at 5^.
Ceronlas.
Ceroulas de superior bramante de lino linho.
Baldes.
Superiores baloes de arcos para meninas de 2 at t2 annos.
dem superiores para senhora.
Ciravaias e mantas.
Superiores mantas para pescoco de liomem, as mais modernas do mercado.
Hadapoie.
Madapolao bom a 8^, 9$, 10l e 425.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda balo a i0(.
Fraques de casemira.
Fraques de casemiras, preta, escura e de cores claras, e nao havendo que sirva
^nder pessoa ao fregoez manda-se fazer por medida e com muita promptidao.
para mais d Todas estas fazendas por precos insigoiQcantissimos, pois o fito do Balo ad-
quirir freguezes.
le
se
constante-
dar isto
Sftrveja
Superior serveja Bass dos
bricantes; como sejam: Shlers
Ashe a 7,Soo e 7,ooo rs. a duz
a garrafa. Tambem ha Se (
como seja: Victoria c Alcopc a l
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa
caada c 280 rs. a garrafal
mothores fa-
& Bell. T. F.
a e a 7oors.
afras marcas
,ooors.adu-
i 2,000 rs. a
Tambem ha
a e l/toors.
0 armazem da arara est fa-
zendo litpdae&o detodas
as qualidades de fazendas,
na ra da mperatria n, 56
Lourenco Peifira Heudest tuinia;aes, dotio do
grande Bsiabeleeiii.eo, tan resolvido vender as
fazeudas por menos '!onue era outra Qualquer
parte, nanos 3&poi eeoto.
Cambraias tanas lisas a 3i500di-
Venitern-se eambraia.s brancas lisas a SfOOO
3^oOOr15, WoUO, 5j, 5^l>0 c ,$, tapadas-3. <&3tiO
e 7$ : Mfites Gmnaraos.
Chales de xeria a 2 >00.
Vendera-sc chales de merino ,estampaG6- a 2^,
merm liso a 33S00.
Coberisres- de algsiUse
Veodem-se cobertores de aigodio a 8C0; rs., di-
tos beai a tJCOO, 23 e 5,5500.
Cambra^ *e una sfor
Veade-se cambras i urna s cor a 32} s. o co-
vado. "^
Saias bordadas
Vendera-se saias bordadas pelo barajo preQO de
7|0Ml
Cufies de canil --ia
VeDdem-se os raais modernos cortes de cam-
braia bordados, seouo fazenda de gosto, a lOfOOO e
12.JO0O,
Riscados esrocezes a 280 o MSaAa
Vendem-se risawk escocezes a 280- o covado,
liras bordadas a 13, entremaios a 800 e 13-
laazinbas a 220 rs.
Lazinhas finas a 220,21-0, 280, 320, 360 e 400
7s. o covado.
Curtes de cambraia
Vendera se erie d cambraia com barra a 33
e 33500, ditos sem barra a 23800 cada corte, Men-
es Guimaries.
Chaubres
Vendem-se chambres para bomema43 es
para acabar, pciios de linho a 90d e 13, leogos de
linho finos a 500 n 6U) rs, colaiinhos de linho a
500 rs., camisas francezas a 13400, 13800, 2JO00,
23240, 33500 e 238OO: s Lourengo Pereira Mea-
oes Guimares.
Corles de m
Vendem-se costes de laa a 33, 33o00 e 43300;
Mendes Guimares.
bi-is para soberla
Vendem-se caitas para coiierta a 240 rs., fraace-
za a 300 rs. & covado.
Cauibraias.de cores
Recebeu-se um raudo soriimeulo de cambraias
de cores que se venda a 300, 320, 360 e 400 rs. o
covado.
Casemiras
Vendem-se casemiras a 13280 o covado, finas a
25240. 2-:50O e 33 o covado.
colares Rayer 011 colares ano-
dinos
para facilitar a ilanticao das mancas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido unraen-as vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
casos de convulsoes, e dentinas das crianzas, tom
altamente elevado o seu be;n merecido prestigio,
enoje ja se pode diter quo eslSo geralmente con-
ceitnados, e eslimados de mnumeraveis pais de
familias : de un> porquo do uso dsset saiutares
colares viram saivos ao perigo sens charos fllhi-
olios e de ontros porqne colheram daquelles tao
proficuo exemplu p&ra goalmenio preservar os
seus. Assim, pr-, a aguia branca, lando erri vis-
tas a uilli lad- e proveit- desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Riyer, mandiu vir o novo sorli-
meoto qn" agora receben, e continuar a recebe-
. los para qaa em tonino algnm a falla delles possa
ser funesta ao pas ile familia, os quaes Ocarao
certos de os achare* nstanlemente na ra do Quei
malo, 1 ja d'aguia bran.,1 n. 8.
-------------------46-------------------------------~.
C'h-i'nlos da Baha
a 15 a caflv; na rti da Moeda n. 43.
Manteiga .igleza perfeitamentc flSr el le-
gada ltimamente de J.oooa l.ioo rs. a li-
bra, e em barril lera abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 30o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANIV
Banha refinada superior a Gio rs. 3 em
barril ter abatimento.
CII4
Cha nxim de primeira e superior qunda- mais baixo pan 2oo rs. a garra
de a 2,800 rs. a caada.
dem hyssen o mellioiv neste genero a A~Vt6 UOCP
%6oo rs., e sendo em porcaoter abatimen-;
to, tambem ba preprio para negocio ds a
2,4oo rs. a libra.
(dem preto superior de 5,8o a 2,oco:-s. j
bra.
MMMnfMP
Latos com superior biscouto- inglez d& ti!
versas marcas a 1,230 rs. a lata.
BBoliiehinhits
Lates com bolacliink^s acreditada fa- rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar' a
doentes de2,ooo a 3,000 rs. a tata.
dem cora quatro libras fio-bo!achinl2 Je
soda a 2,ooo rs. a I na.
Queijos
Crieijos- flamengos cheg^d'os no ui!no
vapor a 2,5oors., tambem ha o vapor pas-
satte a 2,3i)o rs.
CHOCOLATE. Jl&ll.inda a 8,000 rs. o garrafa..
C'iiocoiate hespanbol a i^eoo e I,2oo rs.'iw rrnrrafes com eligarr2fai-de S,2oo a ^
a bbra, fra-ncez e SQtSSG a 1>,ooo rs. a bra^eflors. cadaum. j&
e pcptnguez a 80C rz.- a librav em pcr';?o; VELAS
LOJA DO BALAO
DE
AKETEDO HINCHA
Superior azeite doce de Lisboa-a 600 rs. a
: garrafa e a 4,Guo rs. a caada.
Massas
Macarras 9 -talaerim a 360 r:L- a!ib?a
5,ooo rs. a caixa^.
Passas
pansas a l,5oo
' 5,5oo a caixa do arroba hespan
Superiores
Genebra de larama verdadtin a !o,5oo a
nzia e l.oso rs; ao frasco.
Genebra do-Ilolfemda verdad aira a 8.000 MK
rs. a ftasqueira e a 56o rs. o fr iseo.
Iflom de Hol!an Js ums.
Garrafes com 21 garrafas C.t
e a
o qnarn e'
io!a e- a 32o
BA DO QUEiMADO N. 27
CUSTODIO AfilVAl.lIO L\
Pecas de madapolao fino francez com 22 e i |2- varas e com um pequeo-toque de
mofb' a 850! 10 cada peca.
Cambraia branca para forro a I,?600 a peca.
Lencos de cambraia para hornera e meninos a l&GOO cada duzia.
Cambraias organdis muilo lindas a G00 rs. a vara.
Cassas de cores a 26o rs. o covado.
Las de cores muilo lindas a 3 >0 rs. o covado.
Ilja do Qneiniado u. 3. armazein de fazendas.
4ER
4or>?s.ca-
genebra de i
*. Tambem
Velas dospermacete a 6oo- n, a> libra.
dem de-carnauba de lo a !2,ers
i autoba e de 39o a 44o rs. a Libr
MODA.
ter abatimento.
VINI10S
Sportartfaho do-Porto abs mais acre-i-
taites marcas, como sejam r Madeira Secca,
Daque do Porto, Vallio Scsoo, Lagrimas do
Douro, Maa Pia, D/Luiz, Pedro V, Lagri-; j^oo rs. a.iata
mas-Doces e outras marcas a I,ooo a garra- AtPtST\. PA1W(
fa e .oco a 12 oco rs. a o\i7.ia. A,psta Q painQO muil0 w
PEIXE
Pcixe em lrias ] preparado
Vi n lio
marcas a 4oo e 5co rs. a garrafa, e a 3ooo.
3r5oo e 4,000 rs. a aada.
Superior vinho chamisso em barril a Gio
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figimira em
anceretas de 8 e 9-canacas a 2i,ooo m. a an-
coreta.
Superior vinho.brance< proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ba mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. garrafa o- 3.2co a |
3,5oo a caada..
Canas com urna disia de garrafas de su- j
perior vinho Bordeaos a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAF12
Caf do BJo> de 1.a e 2,a gaalidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e. de 24o a 28o
rs. a libra.
Sabo maca de primeira qmalidade de 18o
de- I.ooo a
de 3,8oo a
Parades Porto recebas pelo ultimo paquete um Vomplelo sortimenlo de capas- a
bournus decores ricamente enfeitado> a 129, 155e 20 : na ra da Imperatriz n. 5f,
lojada perla larga junio 3 padaria franceza.
Figueira e Lisboa das meftie|4(J0 n ^jjpjii (
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditadlos fabrican|
tes, como sejam: Joo Fartado da SerriaS)
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho ik
Filho e Brandao e de euti'os muitos, as
quaes vendemos pelo mdico pre o de 1.6co,
2, 2,8oo 3,5oo, 4,6oo, e 5,000 -s. a caixa,
Licores
Licores francezes e portngnez s a l.coo e
1,400 rs. a garrafa ou fsaeco.
Doces
Doce da casca da goiaba e aixcs pe-
quenos a 7oo rs. e do 5o caixe para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e era latas fe< haas ber-
meticamente, muito bem enfeitac as, conten-
do pera.pecego, araeixa rainha (audia, ai
perche e outras Srutas a 01
a^jfl&LQSft
RIVAL
Hua do Queimado ns. 4S e &h.
Conlina a Tender todas as miodezas que abaixo
declara per presos adroira-weis.
Mansos de palitos lixados para denles a 100 r -.
E*pelhos do molduras douradas a OO, 240 e 220 rs.
Donis de diado para eveninos a 1000.
Ditos de eouro superior fazenda a 1,8500.
Frascos com superior tinta.roeha a 2i0 rs.
Meiadas de linna froxa para bordado a 20 e 59
Caixas cora ICO envelcpef.fa-ienda fina a l rs.
Grozas de pennas de ago,. fazenda superior aSOOrs.
Grozas de bot5es mareprola tinos a 500 e
e6iG.rs.
Caixas com 50 nove-iloj de linha do gaz a 700 rs.
Caixas-com superioxes obrejas de cola a ID-e 80 rs.
Pegas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
fife4ktt mmwmwmmL.
Fumo da Bahia para
charutos
Vndese fumo superior de Uiias xi !
qualidades, a retalbo e pur atacado e por |
preco commodo no hecife, rdaCa-l
cimba n. 1.
Acha-se
venda na livraria acadmica, na ra do tetan-
do? ; na do Sr. Nogwira, junio ao .reo 4* Santo
AaMtio ; e na lypograpnia imparcisl, na ras es-
treita do Rosario a compilacao de io,iaa leirislaejao
taedenle adminir^racao, arrecada^ao e
safo dos dinh>-iros de orpbaos defaatos e m
es, herancas jaceaies, lepados, ele^ comeado nao
a 22o rs. a libra e de 16o a 2lo rs. sendo; Tambem ha latas grandes para
era caixadv ll*to.
is. a lata.
,2oo rs. a
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Klacjtas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
Notes pelo ultimo vapor.
fe
Queijos londrinos pelo ubimo vapor.
Queijos flamencos frescos pe!o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ubimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguintes arma?ens:
Yerdadelr Principal,
e Commer
Largo do Carmo n. O, Progress!v^
JL Ana do Imperador n. 4f>.
Mfc Raa do Qnelmado n. tJnlo e Commerclo.
Varas de franja de- a para enreltes de vestidos 1 J '0 repimenl0 B cu;,as e a le SJOTl da es
40 rs. f'coes, como tambem lodas asorde e ansos do
Bara-lios douradis superiores qualidades a 400 rs. overn0i qUt a todo tem explicado, lano a rraite.
Novollos de linha. com 400 jardas a 80 rs.
Lavros para asseatos de roupa lavada a. 100 rs.
Pares debotoes para puoho, fazenda rica a 120 rs.
iV.-oiiras para costaras superiores qualidades a
400 e -1-3.
Caixas de peanas de calligraphia, fazenda lai a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tpele a }500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidasde bonitas cores a 73000.
Caixas conl superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alunles franceses muilo superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 24C0 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e !
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para crianzas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs.
Ditas e vollas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 15280.
Frascos com superior banha a 210 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 3'i0 rs.
Caixas com lamparinas para 3 meses a 40 rs.
Varas de habado do Porto a 80 e 140 rs.
Carlas de alfiaeles francezes a 100 rs.
Quadernes de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
1 Bichas de Hamburgo
J^ todos os paquetes da Europa se recebe
*4i destas amiga* do sangue humano e se
H vendem a troco de pouco lucro s afim
3(8 de ler sempre cousa nova : a loja de bar-
vi beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
to das obrigat-;* inherentes ao ea#pc' dos dil
tes empregados de u>nra e (azeada. como
reilos oacionaes e emolumenta qn< sao 1
Este livro cosiendo mais de 700 saginas
impressao e bom papel, e prestAdo-se a alilMada
de dlffereE-tes etoss*, toroa-se reoimmendaT!.
Sen cusi o 105000 por cada axeraj lar em dsw
omos.__________________________________
Vndese no escriploriode Manoel Igaaeia
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo o. I :
Vinho- do Porto muiiu superiores em eaiua 4a
1 duzia e Larris de oilaves e decimos.
Muscatel de Selubal da metor marc.i, em caan
de 1 duzia.
Palmella linio de excellenM qualidade em caixas
de 3 duzias.
Vinhos de Lisboa mono superiores di marca MI
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.

-
we
ava riada.
SJO
85&00
Francez barrica
Porlland dem
Em perfeito estado:
Francez barrica I05OW
Porlland dem x5*
No armazem de Tasso Irmaoseaes do'ApoMo.
-

Vende-se
fi 1 r'Aii # 1
m
Bramante de linho fino < largo para
Brim lona encorpado e tino para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodao de um e doiis pallsa.
Na casa de Edward Fentoa n. 17, raa do Tra-
piche^_______________,_________________
Vende-^e o engenhu Fumas, sito n
zia de Sanio Amaro de Jabata, hom d*an
I tem proporedVs para 2,000 pae anMmss : m
... tendentes dirijam-se ao engeuho 8. Beato, a
A loja de miudezas na ra do Queima- com 0 propr,e,ari0> que |g|g Q negocio w fax a
do n. 16, resebeu-as por este ultimo vapor,: nheiro on a praso.
Luvas de Jouvin.
-


X
1
I)litio de Pe rtainbtico sexta Jir* t de Onhiluo de afjk*
0 PbliCO
em o menor constran-
glmento se
Importe do
nao agradar.
entregar o
genero que
Irritado dospulnter. angi-
na?, tee, escaros de
sangue, crupo ou rarro-
tilho, catarro, ronquido
e todas as innumerafei molestias |ii afier-
endo asslm servir de h&- jao aos orgfios da respirariu
e para o ajuste de conta*
com os portadores;
Aiiyco
presos da seguintt
tabella 6 para todos, po-
di:v%ppari:c i:n
ediante a acco da balsmica e ir,-
i*w
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 un magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangt iro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo o imeressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .lancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder uo restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato,
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo Iratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualqucr que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
auitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
seiga oassecir, ele, etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devera vir, pelo seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhors que compram para tornar a vender existe um sortimento 'spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamonte muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se lem poupado sacrificios, nem se ei.xar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Ghaixa em tatas, muilo nova, a 80-rs. cada
ALPiSTA a 1*0 rs. a libra. i urna,
dem e painco de oito libras para cima a! u
100 rs. KIRSCH de Wasser a 2J a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a.........i .
Amendoas, casca mulle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o aireo da conceieSo)
PARA BEM
Senhore" choras, o aceio que presidio aosarranjos
DE TODOS,
leste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intel-
ezacom que serao tnUlTj envida a urna visita ao mesmo, cert< s de que sem duvida me daro a proleccao e preferencia na com-
io mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
o para com estes toda recommendacao, aflm de que nao vo era
ANACAH
if
Avellas a 2i0 rs. a libra.
AiiMAS fran:ezas em latas de todos os ta-
maitos.
dem dem cm potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tamz-
nhos.
dem idem em frascos de todos
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 56
a garrafa.
Amos a 200 rs. o molho.
Absyntiio a 2^000 a garrafa.
B
BOLACrOIIAS do Beato Antonio em (atas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1(5800 a lata, e
de cinco para cima a i#700.
dem de soda em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a 13800.
Biscoiros inglezes de todas as qualidades a
13200, 1 250 el 3300.
Bolo trancez em caixinhas a 100 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE rancez a 000 rs. a libra.
dem suisso a I# a libra.
dem de musgo a 13300 a libra.
Chuuuicas muito uovas a 800 rs. a libra.
Caf a" 240 e 200 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao mulo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 13800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tencnte a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de oulras marcas.
Charuto das mais acreditadas marcas, co-
mo sejsm: Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Begalia, Mississipes,
Panelellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, botina, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 23000,
232"0,235150 e 23800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 23500, 30300, 43 e 53.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 e 1-3500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco maciuhos.
Letria a 400 rs. a libra.
11
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 13, a libra.
Mahmki.ada dos in?.is acreditados fabricantes.
Macabra e talkahim a 320 rs. a libra,
os tama-j Massa de tomate a 6u0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
, rs. Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas pera sepa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixaccom 9 libras a
33500.
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 ii
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 13C00, do
todas as qualidades, como sejam sav-e!,
goras, corvina, pargo, salrno, pescado e
pescadioba. linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 13400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 r. a duzia.
*
QUEIJOS Camengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 000 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Ql'artinhas ou MoniNQUES a
R
RAPE' Meuron a 13 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francs a 23500 a libra.
8
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 503 rs.
Salame de Len a 2??.
Sarimnhas de Nantcs de todos os fabricantes,
dem de Setebal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a GGO rs. o mago.
Sag muito novo a iOO rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em la las a 600 rs.
Tinta azul e preta para eserever.
V
VINH0S!
U
Principe Alberto, de 1831, a 53000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 23 a garrafa.
Lagrimas do Domo a 13500 a garrafa.
i Duque do Porto verdadeiro a 23 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades : brasdeiros,' Dui;ue a 4 e ^oo
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. rhl.;iS ,A
t:
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
CKVADocE a 400 rs. a libra.
FARINHA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 13.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Chamase a 13, 13200 e 13500 a garrafa.
D. Luiz a 13 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 23 a gar-
rafa.
Carcavelos a 13.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
| Lauterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 13 agarrafa.
Absyntho a 23 a garrafa.
Kirsch a 23 a parrafa.
Wermouth a 23, e a caixa a 183.
Bitter Maurer a 13 a garrafa,
Vinho Ggueira em ancoreta a 203.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 23500 a
caada.
Potassa da Russia
muilo nova e superior : vende-se do escriptorio
de Manoel Ignacio de Qliveira & Filbo, largu do
Corpo Sanio n. 19
Brides e picadeiras de
pojuca
Vende-se na raa do Qucjroado n, 32, loja de
Aievedo & Irmao,
Catangas finos e brlnqnedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, ns mais finos e lindos calungas
lano para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na raesma loja se encontrar, bom sor-
timento de miude/.ig.______________________
Agua de Mabar
Vende-s esta agua para Ungir os cabellas braa-
cos e subsas : na livrasia universal, ra do Impe-
rador n. 54.
rra dos gneros que precisaras e quando nao possam vir poder
rois serSo tSo bem servidos como se viessem pessoalmente, haveni
tra psrte.
Manteiga ingleza especialcente esa Iluda a
i,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chourifas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e interro se faz
abatimento.
dem saisso o mais superior quetem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas! qualidades a l,3or
em latas hermticamente lacradas z 64o. Cartes com bolo frabcez muito proprios pa-
Feijao verde muito superior s 640 rs. a lata. ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,53 Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,oc dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.- Passas de carnada h 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a Soo, Figos de comadre a
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca
Espermacete superior a 6eo e 64o rs. a li- Milo de amendoas % 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolacbinha d'agna 8 sal, da fabrica deJoao
Pcixe em posta em latas hermticamente la- de firito no BeatojAntonio, emlata de 6 li-
cradas e das melbores qualidades de pei-; bras por2,5oo rsi
xe a 8oo, l.ooo e l,2co rs. Amersas francezas pm f'aco de vidro com
Viiho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 135oo.
das que vem ao rosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas ((m caixinhas de diversos
8,ooo acaixaeOio e Too res agar-; tamanhos com benitas estai'pas na cai-
Aletna, macarro e talbarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,oo a caixa
Massa para sopa : estrjelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amar ella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com l libras.
Vinho do Porto mu to fino proprio para
engarrafar, em anc irelas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Por o, Figueira e Lisboa a
32o, loo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e ;,8oo.
Vinhobranco de LisLoa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo r >. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oc.
Vinho branco para mssaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado tomo sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Bainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSeoca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,ooo a claixa com 1 duzia e9oo,
l.oeo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas1 muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
rs.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, G,ooo e 6,5oo a du-
zia.
PEITORAL m KEMP,
a anacaliuila mexicana que d. i "i
pecial este incomparavel icn.i >.'.''. i
arvore, cuja madeira por taoiUi m|
ha usado no Tampico para a a ra A.' n-
fermidades cima naeoeioBadas. F( i Um*
bem ensaiada e approvada pela a a
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs. medica de B,'rim l)eil,,! a
vfirope delicio
acido hydrocyanico e
Charutos do affamado tabVicneTos' FuVla- um xar(,l!e .0'1,01050 "'leirmit',u-
do de Simas, das seguintes qualidades: P10' ac,,1 l'.vdn.cyan.co e ou
Exposicao Normal dei Ihivana, Impe. iaes, i d,e!,es ,,0.t,u,s- .
Londrinos, G uanabaras. Parisienses, Sus-! A venda m druanas
i
24o rs. .a libra.
mole a 4oo rs. a ibra.
rafa.
Genebra de Rsianda
conta certa.
48o rs. a botija de cada urna.
Azeite doce refinado
Frasqueirasde gonebra de Uollandc
e 64o rs. o frasco.
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5op, 5,000,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
cubas de Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ogiac inglez das melbores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta veidadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muilo grandese novas
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que
sentementelem vipdo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l.Goo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
de Ca ra Bu -
| boza, Bravo & C. e em todos us esUbaie-
mentos pharmaceuticos do impe m
Deposito gerai em Nanaaotuo ra c
Cruz u.22 em casa de Caros a ...... ..'
xa exterior, a 1,4oo, 1,6oo, 1,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
hespanhciou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Bat'.Jas muito novas
Genebra de Icranja vardadeira esi frascos o gigo com 3fi libran
grandes a 1,-oooe 1-1 ,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas
a para esfregar casa a
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-| 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de esco
Caf do Cear muito superiorato rs. a li-' 4oo rs.
bra e 7,5od rs. a arroba. [Neses muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de 1* qualidade a loo Molho inglez em gairafa de vldro comrolha
rs. a libra 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16r| rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza d(|s melhores fabricantes,
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
a 8o rs. a libra e2,5oo I 24,ooo e 26,ooo o gigo.
; Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a 75o rs. o frasco e
arroba,
dem de 5
roba.
Painco e
arroba.
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza
loo rs. o frasco.
Le.itilhas francezas,
sopa, a 2oo rs. i
fcftssa de toaiai-esdc superior qualidade a 64o Marrasquino de Za
-$ a garrafa e 11
Patito* de liento -i
s a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
s!4o rs. a libre e4,oooa
lida
libra eotoTs. a reta-
em potes j preparada t
legume para
rs. a lata Je urna
lho.
excellen.
libra.
M propriemente dito*
,noo a duzia.
4o rs. o maco.
a libra.
Figosemsexlinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
MARMaZII
de fazendas barato t S, ntos
Coelho, rit do Qveintoti n
19, vende se o eovivii :
Lenccs de panno de linho s S^Oo.
Ditos dr LrMrmntf d<" linhodc i ni pnu ftl
baraiissimo preco

Loberas de clni ;'a India a 'di o.
Pecas de cambraia de lalilam i n i c. ifi n,t
com 8 l|2 varas, pe' baratelno \r^ d^ iiSQO.
Pegas de cmbrala ad;,m?w.ds roa 20 rara*
propria para cortiDac'o a H4.
Baloes de anos a :&, 3C0 n 4.
Lencos de caubraia brau>os lajucct*, a Ju
20()0.
Ditos ditos de dita fir'=. a d7ia i'fOi).
Bramanic de linho lino c< m M fnimt t c-t larga-
nre- ra> Pp' baratsimo prego ce 25il0 a vara.
1 Atoalhado .le linho a vara 580.
Dito de alprrfao 2.
Algortao enfeslado com 7 1|2 palmos de 'arfnra
a )-- a vara.
Pecas de bretanba de rolo com 10 rara- prepua
para saia a .'(53(0.
Fil de linho li-o Uno. vara HIO r?.
Dito com lpicos i 1.5.
Cambraia Flanella branca lina a tiOO rs o tono.
Dita de cores a 1*80 rs. >
Cortes de algodSociDbo de lindos c -^, 1-
covados, pelo baratissimo preco rt- S#. ,
Madapolo lino largo a 'j& e 10* a p*.
Esleir da ludia de 4,3 e 6 pateos da torfora,
ropria para forro de sala, por menos fttft ,'''
em oulra qualijuer psrte.
Neste armazem timbem se encontra nm araBia
sortimento de roopa feia e por medida. ______
Grande bazar
Rlia \ova bm. He .
Carneiro Vianna, proprMarto iette imp
eslabelecimentc, tem a saliskfM d* l^,^..^'.<
rospeilavel publico, que acaba de recebff w nti-
lisslnias caetas maurnticas, as qnaes tem I | f-
priedade de tornar lirme a mo qiw < rn t \tm
crever: est porlanto >aoado u mai lio raMBMB
a'pessoas de idade avaticada, o atacadas t mo-
lestias nervosas._________
Vendem-se verdadeiros charnt da Baha,
feitos com fiirr.o de Havana : do arauzem d ?po-
le Olympio, na ra da Cadeia d> Reato n. m.
Esciivos natiL

00 AFAMADO JOUViN.
Veade-se pelo prejo de 25 o par luvas novas de pellica de JouvId, cjhegadas ec ultimo vapor
pars homem e seohora : aa ra da Isjperatriz loja de micdez 8 n. 54.
___.^____^___ a __..
3
.10
3 %
03 oo-i '< o o O o
Q S S o a s&S ?tr? 9 a
aa
-Ja

Cu t
oa O

VI
o
c 3 = "S B--3 7i
co a. 2. w Z,
o a. jj.
a o
ro
as
a
s
s
^3
B
M v I
^ a O m
B ara a

0
2.
?$
-a

15. sr
CD
O
i -1
a 3 S
3=1 O 2 e
a> '

O
O
a
3 ^m
su a. a a SS
P aa =^ S" C
O ??
"i
B9
ACII
11^
mi
de trabalhar Bto pars
descarear algodio
FA3I
ICADAS
Por Plant Brothers -& Gc
MiAl

Cu
O
B9
, _.
2.2.
>
O
2.
o
i
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem roa do
Amorim 11. 3li_
Licor rio Curac^o eiu botijas e meias botijas.
Licores linos sortidos era garrafas com ruinas d
vidro e em lindos frascos.
Viuhoscheres.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas : no sitio murado es-
querda, depoiSido beccj do Eipmbeiro, no3 A-
fliclos
*^
Estac machinas
podemdascaro^ar
^g^(quaiquer especi
jde algodao sem
/ estragar o fio, (
sendo bastanU i
duas pessoas para
o trabalhc; pdt
descaroca' urna
arroba 'de algo-
dao em earocc
em 40 minatos.
ou 18 arrobas
por diana S ar-
robas de alfodr
limpo.
Assira como machinas para serm movidas
por
animaes, que iecirog; m 18 arrobas de algodc
limpo, Dor dia; e motore s para mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um nellissimo va-
por que pode fazer molver seis destas machinai
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exaraina-lo, no arma-
zem d algodo, uo largojda ponte nova n.47.
Saueders Brothers k C.
.%'. SI, praca do Corpo Santo
RECFE.
Os nicos agentes nest i paiz.
Vndese urna parln eum predio no sitio dos
Arcos, perta da igreja dos Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ter excellente barro, e as tr-
ras qaasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Goncalves Bellro, ra do Vigario n. 17, es-
criptorio.
Vendem-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de sella, por prego commodo : a tratar
no hotel de Franga.
Vinhos o Porto
das melbores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do porto e D. Luiz ; tamfiem
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de o9 e 10 m pipa : na ra do Vi-
Saiio d. 19, primeiro andar.
A tem ao

SesiWes e selioras.
Os proprietarins da nova loja e armazem de fa-
zendas e mapas Ftas, ra da Iniperairiz n. 72, de
Guimaraes & Irmao. arabam de roduzir os pregos
de suas fazendas menos 20 q/Q do que em outra
qualquer parte, afim de apurar dioheiro.
Lanzinhas de todos os padroes por barato preco
por ter grande poreso, a saijer, 220 e 240, 280 e
320 rs. o covado ; vende-se tambem um grande
sortimento de chitas esireilas, pelo diminuto prego
de 200 rs. o covado ; ditas fraocezas largas a 240
e 260, 280, 300 e 320 rs. o covado ; ditas preclaras
muito finas a 360, 4G0, 440 e 300 rs. o covado,
isto s ua nova loja e armazem de fazendias e rou-
pas fallas de Guimaraes & Irmao, ra da Impera-
triz 3.2.
E' baralissimo.
Pegas de cambraia branca a 3s e 355C0, ditas
maisfinaR a k$> e 45506 al 9?, cambraia organ-
dysde lindissimos de?enhts a 320 e 360 rs. o co-
vado, ditas muitas finas a 400 e 440, isto s na
loja de Guimaraes & Irmao ra da Imperatriz
n. 72.
fAos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores'de algodao a IJf, ditos me-
lhores a I600, 2J( al 6$, grande sortimento de
chales de merino pelo barato prego de 2jJ e 25500,
3J>, 3j>SuO e 43, ditos fines a 5c, 6#, 8#, ditos de
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baralissimo prego : isto s na loja de Gui-
maraes & IrmSn, ra tfa^teiperatriz n. 72.
Oh que peebincha.
Cambraias de urna s cor, fazenda muito mo-
derna, a 320 e 300 rs. o covado, vende-se por este
prego por ler um pequeo toque de mofo ; grande
sortimento de saias bordadas que se vende muito
barato : isto s na loja de Guimaraes & Irmao,
ra da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vestidos de cambraia borda-
dos, fazenda inteiramento nova, per prego muito
barato; tambem chegaram as mais modernas
mantas de seda para pescogo, e vende-se por com-
modo prego : isto s na loja de Guimaraes & Ir-
mao, ra da Imperatriz n. 72.
Pechinca admiravel.
Este novo estabelecimento recebeu um grande
sortimento de riscadinhos escossezes muito pro-
prios para vestidos de senhorts e meninos, a 320
rs. o covado ; vende-se um grande sortimento de
entre-meos e babadinhos, e liras bordadas, por ba-
ralo prego.
Roupa feila.
Vende-se um grande sortimento de roupa feita
de todas as qualidades, palitots, calcas e rolletes.
camisas e seroulas: tudo isto s
Na nova lja de fazendas de Guimaraes
& Irmo.
Raa da Imperatriz a. 99.
Fallo do engenho Bamburral, na u Me oo i'ia
16 do corrente, o escravo Antonio. cr ote, prelo,
baixo, grossnra regular, olhos gran.'?s. barba pen-
ca, ps apalhetados e aereas, urna peroa mais cor-
la, que uj andar d demonstragao, un. urna cica-
triz na testa,em urna das pernas una marca de
ferida na canalla, veste roup.. de a'g- rlr dito
escravo tal vez siga para o Recite, vi>to ter ae
preso na estagao de Afogados na n-ite rt I? do
corrente : qiiem o prender dira-su a rafe aafaalM
ou a rasa de meu correspondente, no Kecife, ra
da Cruz n. 45, segundo andar, que sera* lacaaa-
pensado.
;i
aos capitaes de campo e
polica
200000 te tiilifi aco por rada Bal
Deapparereu cm principio do mt-z de ouibt>ro
prximo passado, de bordo do palhai ote iiaciuLal
Arroio Malo, dous escravos de Dome Ri brU>, por
ap|iellido Marei, e iliguel, o l'deioade 45 aonc.-.
pouco mas baixa barba 1 errada, nm pe uro torio das persas,
e com alguns cabelles Francos, tanto na baria co-
me na cabera ; o 2* alto, cheio do errpo. sem bar-
ha, falla grossa, representa ter de 25 a 30 annru ;
cujos escravos desconfiase andarern pelee afrakat-
des desla cidade : quem os appreh'tidrr. qoeira
levar a ra do Trapiche 0. 4, ou a borte do dito
navio.
Gralificaco de .'iliv.
Ausentou^se da basa 59 da ra do Imperador
(outr'ora Collegio) no sahbado 16 do correle mex
oe setembrodu 1865,o escravo pard' denime Joa-
qoim, com os *gnaes seguintes : er;.iiira recolar,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps larg -, olhcs
grandes, caheilo corrido, com orna cicatriz grande
e bem visivei na lesta, parte dos denles da frente
arruinados, e com falta de alguns do lados, sah'o
com calca de hrim pardo e paletot enro d>- panno,
mas levou mais roupa branca e de cor, muilo
astucioso, costuma intitular-.^e forro e andar ral-
gado ; f i escravo do Sr. Guherme Frederiro de
Sonza Carvatno, genro do finado Sr commeodadV-r
Manoel Gongalves da Silva : roga-se a >oa rapinra,
a todas as autoridades policiaes e a iiualqoer ca-
pitao de campo ou ontra pe:son parfrolar que o
apprehender se gratificar com 503, alcm da- d-s-
pezas de coodoc(io, enlregando-o a seo HBJBMV
Miguel Jos Alves, na casa cima, gu do sea es-
criptorio Da 1111 da Cruz casa n. 19.
?D<
i
Acham-e fgidos os escravo? segoinle: Benr..
mulato, idade de 25 annos, cabemos anillados, ea
baiba, denles 1.m pouco limados, -erro d<
testa larga, e falla um pouco desraizada : e Lo z,
crioulo,j um nouco vlho, altera regnlar, mtiu
cabelludo, baila com alguns cabellos bra neos, a*-
siin como na Labega, corpo reforgado. olbos oa
tanto pequeos, falla grossa e as veres flore-se
pede-: r as autoridad'
rouco : pede-sr as autoridades pt uciaes e aos ca-
Vinho do Porto superior em caixa de duzia, pitaes de campo que os facam appreheoder e coc-
tem para vender ADtonio Luiz de Oliveira Azeve- duzi-losa' casa de seu senhor o major Antonio da
do C, oo seu escriptorio ra da Cruz d. 1. Silva Gusmo, que geoerosameote rerumpeo*ar,
*""" *" l j >-------"*" e Ibes pagar toda despeza tue fizertm rom a soa
farinija fie maHIlOCa. eonduegao : soppSe-se que elles terao ido em 3*-
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze- gnimento dos sertdes desta provincia, por serta
vedo Si C-, oo seu escriptorio ra da Cruz n. 1. Albos desses lugares.


Diarlo de -rernambneo -- Sita feira SO de Ouuih o de !.
\
rEsIOiti.
iilEATltO DA GDEIUM.
Eicrevcui de Uruguaya* a 10 de setenibro o se
gnli ij ao Jornal do Commrrcio.
Como Cesar,pdde o imperador dizer
di el cin.
teceria, eslava sob aguarda da palavra de honra de
pagoso para exercicios hygienicos, o edificio acba-
se inleiramente isolado, e encerrado com todas as
suas dependencias por um maro com gradeamento
um Brasileiro.
O ministro da guerra, priraeiro a entrar na pra-
ga, por si ofTerecer para tratar com o respectivo porto de Trro, recebeudo ama ventilagao eons-
commandante sobre a entrega das forgas iniroi-! tante e salutur.
gas, trouxe o mesmo commandante e apresentouo Admira se ahi o asseio, a ordem, a boa disposi-
a Sua Mae^stadde, qoe recommendou muitoaos di- cao deludo. N'uma visita inexperada, dir-se-hia
: *'"** WJ i versos chefes do exordio imperial que tratassem que se preparara urna expsito publica de anni-
| bem e nao deixassem perseguir os prisioaeiros de versario.
A sua preseoca no exercito imperial eonciliou os guerra.
espiritos, animon e enthuslasmoa as tropas, que .
As aulas, excepto a de escripia, sao no pavlmen
E' por e-te modo qae o Imperador do Brasil res- to superior, onde as meninas resldem todo da, des-
pande as invectivas do saltirbanco do Paraguay, j cendosmeute as horas da refeigao, rogressan-
0 ministro !, gnerra, ja* to conheciflo no paiz do lo8 depois. Era qualquer parte, at mesmo no
pelos saos relevamos servieos e.>, diversas pocas dormitorio, nunca estao es meninas sem a presen-
e administraos* prestados, grangeoa nesta expe- a de ura:1 mestra, que as viga e admoesta pela
dicao urna gloriosa aureola para sua tilo bella. mais leVt falla ou descuido,
quanto benelica admraistragao. Levantam-se s ciuco e meia horas da manhaa,
Se antes daluta preparju com sanedoriaoverda-; reciura as oragoesdo da, dirlgem-se ao lavatorio,
le mendigos; carreados com as preas do ut"' "uo l(i0i os leinei'l^ P"a joe Bostas armas em que se observara todas as regras de rigoroso
tlcassem triumphaniss, no combate soube trocar a asseie, e depois de concluido o vestuario, descem
logo para a aula de escripta, d'onde passam para
a do almogo ao toque da sineta.
co.ii <;arbo e ardeml o no fego do patriotismo mar-"
cli. ira h )nlem s 7 boras da mana para o ata-
qu i lo inimigo que se havia aotrinebeitado na ci-
dade le Urngaayna, o as da tarde, de armas ao
hornero, presencia va o espectculo de deslilarem
i). mire ellas os vndalos humilhados, cabisbaixos
e araaldieoando o lyraaao que os sujeitou a to
insteseoadiceSes. Malirapilhos, pareciam umexer-
Os filante] sao urna familia
nterminavel, subdi- cujo viver um filar incessaole; a estes nada es-
vidida em varias especies ecoobecida sob difieren- capa guarda-chavas, bengalas, chicotes, msicas,
tes nomes, oculos, envelopes, um sinete para relogio, todo
O filante passa no mando sol) as seguintes desig- serve. Em sendo de vobis a Ntcolu I estao na
naedes : chcara.
Gauderio, ebupista, aleixo,
ra, etc.
O flm do filante aprovei ar quanlo pode do
le, assemelbavam-se os Par ignavos urna .
i la de salteadores, que depois do seu assalto beCa P.8,a *!" a Peana Pela MPd-
propriedade alheia, se retiravam aos seas recondi- \ Na. cirrumsianeiasas mais criticas nos lugares
tes escondirljos. mais perigoso?, sempre esteve, acompanhando o
borlista, meia ca-| Estes filantes deviam ser conhecidos pelos desea-
rodoso nome asseutava-lhes melbor.
At aqu fallamos dos que filam para des-
albeio sem dar cousa alguma do seu. eructar.
Vejamos meia duzia de especies para dar urna Agora resta fallar dos que filam para nao serem
idea da estirpe filadora. : desfructados.
O Sr. Firmioo adora o Deus jlaccho, symbolisado Pois tambera ha disso? pergunta o leitor
na cerveja Bass. Enconlra-se com um amigo, d admirado.
dos dedos de prosa, falla do ejalor excessivo que Tambera, sim, senbor. Ouga.
faz, diz que ao momento urna bebida fresca seria q Sr. Lopes sabe que um filante, cora quera se
um allivio a tanto suor, e con urna simpllcidade encontra na roa, Ihe vai pedir um charuto, lomalhe
a palavra, e diz-lhe :
Oh Leitao, d-me um charuto?
aga. Vwba na inleugao de pedir-te a mesma
1) e o Sr. Firmino eousa.
Sinto, mas nao tenho.
Mentira: Lopes tiDha as al(rlb?ras cheias.
Eis aqui urna especie bastante vulgar; mas
calculada pergunta ao amigo:
Cyriaco, pagas urna garrafa de cerveja ?
O Cyriaco, se bom rapaz, \,
Cyriaco fica sendo um paio (
um filante.
O Bernardino tratase; tem lempre boa mesa e!
nao desgosta de amigos ao janttir, como o Cyriaco '
va : rara : bastou -u-> presenga para intimidar o | "ler-se.
go, que pressaroso deooz as armas ; e assim
ou perante a civilisagio o baluarte, que a ty-
' i havia erguido nesta ba e heroica provin-
|ue tambera com ajtrnada de hootem liber-
to e dos seus selvageos invasores.
De nm alcance poltico foi o triumpho, qae o
x irrito imperial, e as forgas adiadas conseguirn!
ito os muros desta aprazivel villa, sem des-
Depois coraecara as aulas de-leitura, gramraa sabe de8|> agra(jave| maDJ .$ f encapotado.
verJaJe foi hon-.em urna bella jornada para general era chefe, e fo\ o priraeiro como cima "ca porluguezae franceza (com traducCao e con ver-, flca a( por-M a musa Ksta a/f/nnria andaciosa
s do imperio. Aiada urna vez sembaler-se | "OS que entrou na \.raCa antes de ella ren-1 ^ eograph.a, arithmetica e doutrina chris- ; Bernardino a d c Don fiQdo esIe trara,ho
Estes exercicios sao divididos uo espato que .. p H ,._ .
v vu e come por dous. E tarda e nao quero boHf mais em tal ma-
Todos os paisanos ompregados, que nao ,t.nham decorre ale ao mi10 d,a. das lres as c boras Bernardino d parte de pao, e Cyriaco de um tena.
obrigacao de entrar en, fogo) pediram ura lugar na da ,ardt- As COturas e os bordados oceupam o ^ Ro flnj de conIa eu g ^ somo3 ^^
linha de batalha: o offlcial de gabinete do ministro ,emP qemedeia entre as l.coes e o jamar que fi sf temQ magn nossas
Antonio Carlos Cesar de Mello Andrade, esteve ao tem la8r as duas horas'sendo a comida saD. abuD-
lado do seu companheiro o capitn A. J. do Ama- daQte e regular. A dansa, o desenho, a msica vo
ral, em toda? as posicoes que oceupou o mi- cal e de piauo reservam-se para dous das na se-
rastro. mana.
O mordumo em viagem, o commendador Fran-: Das seis s oito c meia da ooite, ha o estado das
pender um so tiro, uera derramar Juma so gota de cisco Pinto de Mello, recebendo ordem do Impera- Qoes: depois do que, todas as meninas tomara ba- Te|u tasnle para "^hec"rem *T
;" '' dor para flear tomando conta de todi o trem per- nho, ceiam, recitam as oracoes da noite, e reco- ;/-
!''?omil soldados que compuunam o exeretto
' ?uayo invasor do territorio brasileiro acbam-
pa do combate, e inteiramente desarmado ou
auiquillado.
Est assim cumpnda a nbre e gloriosa missao
da expedieao imperial; o Imperador, como defen-
sor perpetuo do imperio, bem mereceu do paiz, e
insegnio una pagina brilhante para a historia do
seu reinado.
Nos o vimos, sempre a testa do rate, aas po-
- .nais perigosas, apezar dos sabios e proden-
nselnos dos ijue sobre sua sagrada pessoa ti-
ra n grandiosa responsabilidade, e a qu-m res-
I -Jia.
Neslas circurastancias sei'ccupar a posicao
que digna de mim.
Memoraveis palavras.que as goragoes vindouras
repelro sempre com muito enttansiasmo I
Sublime e bello era o espectculo t'as tropas da
civilisaco, marenande em columnas contiguas pe-
mmensas campias, a tomarem posigao era
i '".:e das trinclieiras de Cjgailialismo.
com .erdadeire^M&H|oio e garbo.-as
javam ardentemente com^-.e^se coliocarara
mu imha de t.italha a' distancia de fuzil ordinario,
lioando a'direlia o etarcito imperial, uo centr a
Otvisao argentina, a na esqaerda a oriental.
i ida a cavallaria ficou na esquerda, e a' reta-
guarda em distancia conveniente para proteger a
liaba.
Qiando o exercito estava j em ordem de ata-
qu aviston-se ao lo.nge o galbardo batalhao de
voluntario#da patria n. i que havia chegado, e
:ido estar o exercito em operacSes neste lado,
pres! i entrar em combate, accelerou a marcha,
eci >ua tempo de eollocar-se em posicio conve-
nte te; foi recebido com enthnsiasmo, e o Impe-
1 ir, o ministro e comitiva forain ao seu encontr
-i ia I distanci.
S. M. o lu ra i '.acipa conde d'Eu, o mi-
11 gnerra enu estado raaior general em
bario de Porte-Alegre, generaes ajudantes
i campo, c comitiva imperial, postaram-se na
ln;: i.
S. A. o Sr. cuque do Saxe, acompanhado pelo
che! d<: divisao de Lamare foratn para bordo do
vapor de guerra Onze de Jnnho, para dalli assislir
r combate pela parte dorio, vindo depois eolio-
car-se ao lado do Imperador, |uando soube que o
inimigo se quera reuder, e veio assistir a' procis-
si i de Ignominia que fez o inimigo ao evacuar a
praca, que deixou em misrrimo estado.
Nao se v aqui senao casa-; arruinada?, incendi-
is e vestigios por toda a parte do mais hediondo
canibalismo.
lirande numero de objectos de valor, resultado
do saque.se tem arrecadado dos prisioueiros : na
bagagem do celebre padre Duarte, que, como j
na minba missiva anterior, era a alma, e tu-
d na divisao invasora, tem-se encontrado precio-
jueidos, e o que mais at imsgeus
e cousas sagradas.
Grande rancor ha contra o padre, no sei mes-
ar que seria deile se no fdra o ajudante de S. M.
I ir, general Cabral, que na jornada sentio-
so no vigor dos seas 2.'i armo?, oceupando posigoes
p;rigosas, efoi um dos primeiros a entrar na pra-
ca ; ira por orlem de Sua Magestade trazer sob
i referido padre, a qaem encontrou
ir mo, e aamou dauio-lh o bragoe dizendoque
poda sal,ir tranquillo e seguro, pois nada Ihe acon-
filante.
Entretanto accrescentarei alguma cousa mais
per-
tencente a' casa imperial, respetosamente pedio lhem-se.
permissio a Sua Magostado para o acompanhar, Tenno conhecido algumas senboras educadas para que nao seja to incorapllelo este modesto- U-a-
pois desejava estar sempre a seu lado. O que neise estabeleciracnto. Que differenga de outras balho.
agradecido, o Imperador Ihe permetio, e elle com que vejo as reunioes e nos saraos t A polidez e Conhego bm certo sugeitrafeb que tem a ma-Bia
a farda de lente da guarda nacional nunca de d0(;ura da expresso, a compostura dos modos, a de acbar boro, bonito e appiieivel tudo quan4o
samparou o sau augusto amo. facilidade do trato, distinguen) as alumaas do col- nao seu ; se alguem tem a iafelicidade de di-
Todos, como Brasileiros, estavao dispostos a itgo da Conceigo, que souberam copiar o porte xer-lhe :
curaprir seu dever, a vingar a honra ultrajada- dislincto e as boas qualidades de suas raeslras. Acha bonito o meu cao ? est s suas or
Nao houve Iota. No syslema j0 enS|D0) nada ^^ que n5o fosse dens...
O Lenidas da vespora tornou-se Pharsales; de-! ^^ regular. A' vantagem de residirem todas as \ O tal melro vai agarrando no bicho com unhas e
sejava pelejar a sombra do fumo dos nossos ca-, preceptoras no collegio, constltrando urna familla lentes.
nones, o bnllio, porem, das batonetts e das langas jsob a direccao de seu chefe,aocio bera cooheci-: ^e seuhor "ma especie de filantes que
das armas aliadas deslumbrou-o, abateu e o hami- do por seu araor s lettras.-accesce nutra vaala- ,ud0 i*** mteogo de ludo filaren.
naco sabe disto, se ha de procura-lo em oulra par- mazela,8- .
,___. .,. r i E prudenre parar aqu, nao achas 7
te procura-o no theatro. Da 'prosa e raais pros-a,, v ,.
assiste aos espectculos de bor\a, e firma a sua re- \ 0ra vamos' l"a rlao ma"sua 8 *ea St,eMI
putagao de espertisimo filante. estaome a dfter que te comprehendl no meo
Do pouco que tenho duo, tm os ieitorss pro- "'^P'^^ cnlla.te U9 eu guardafei sc,Tel0
das tuas faltas; fleo sabendo que este mundo
I um vale de filante? entre os quaes se conta o
s e um
Ihaudo o fez cahir.
E assim foi bom ; nao se lingio em sangue o glo-
rioso
SUa'' Ir^V6- a .grn",e ."trci' *11
liado a entrada gloriosa do liumaita e da As-
snmpco.
A' liumamdade o a civilisago cantaram tambera
victoria.
Depois de amanha ceiebra-se urna missa no
acampamento em aegao de gracas pelo triumpho
gem ainda mais apreciavel. Heliro-roe ao conceito Conhego duzias de sugeitos que se pSe espreita
proverbial dessa familia, cuja educago honesta e de l0,las as couversas. Assim que se falla em li-
inumpbo ; salvou-se o brio e dignidade ,imada real?a maUo pe|a graQde |Mbilidade que -los a dar apartes.
mente exercita. Tive mais urna occa.-iio de conhe-
| eer esta verdade, observando diversos quadros pri-
morosos, alguns a oleo, e varias outra amostra
de um talento cultivado.
Quando se observa a especie de desprezo em que
obtido hontem, iiaven'do umjantar s 4 horas "da vai cahiodo a cultura das prendas proprias do bel-
tarde pelo raesmo motivo, para o que Sua Magesta- l(> sexo> de dignou-se convidar os generaes das forgas al- Para entregarse de corpo e alma a entretenimen-
ladas ios frivolos, e a esse lidar incessante, variado e tre-
fego, imposto pelas modas dispendiosas e corapli-
Sua Magostada vai embarcado a Itaqai e S. Bor- cadas do toillete es^ecendo-se de que os predica-
ja, edahi r-gresvira1 ao Ilio de Janeiro, fazendo dos que revelara inlelligencia e esforgo.-atlracli-
uma esenrsao pela fronteira ao sul do imperio, indo vos que S(i a mor,e pd(} arrebatar,-*alem rauito formadas, que logo de raaoha me maadam pedir
a Algrete, para dahi dingir-se a Bage, Jaguarao, mais qai a ftrmosl>ra fysica, posta em relevo (si o jornal, e raro quando o nao lem priraeiro do
-Grande, Porte-Alegre, de onde tomara nao desfigurada) pelos encantos di roupagem ; que eu. Principalmente o Sr. Felisberlo ; esse
quando se observa todo isto, digo eu, nao se pode nao so l a borla,, como ainda se fica com a
deixar de applaudir o bello estimulo que as- direc- oiha.
, toras do collegio da tianceigo sabera dar s suas Sao duas creaogas estes individuos t
jovens alumnas. Esta especie vastissima, e supponho que entre
Um dia pJe achar-se reduzida aos apuros da osmeus leitores-noeucontro dousqaenao tenham
miseria a moga elegante que nascera e vivera na >do victimas destas fila*qaa>
Ura amigo communicou-nos a seguinte noticia opu|eDCa. Ta|vezque eoto s Ihepossam valer con- -. mmm ,
nhrf o prill.nri da rnncpien Peidn npsta ci- j Sa Uma OUira especie Oe fllailli's, e I11UO m;us
soore o coiiemo oa i.oncen.ao ejiaoenLiao db=u li tra penuna e coota a perdigao as prendas que
Um da roda diz:
Oh I hornera, o Mundo marcha de Telletan
um esenpto soberbo.
Euto bas de eiapreslar-m'o, acexesaenta o
filante.
Cora muito gosto.
Assim une Ibe vai as raos, diz immediata-
nieule:
Este nao rae sai mais das unhas :. fileio-o, e
foi muito bera filado.
A par do filante de livros anda o de jomaos.
Essa talvex urna praga peior.
Na rainha visinhanga tenho eu urnas airaas bera
o caminbo da corta.
E' isto o que se nos dtsse.
CH POUCO DE TODO.
<-

0 COLLEGIO DA COMCEICAO.
Fui aiii ha poucos dias, levado pelo de;ejo de
prestar informago exacta a um amigo que solici-
tou-a com instancia. O resultado de miabas obser.
vace? instigoa-me anioofferece-losmente a urna
apreciagao individual. Parcceu-me que, revelando-
0 raeu freguez nao linha promplos.
Tenho a bolea cheia, mas o fumo pessimo.
Sao ora fortes, ora fracos.
A fumaga que Ihe veio ao nariz deliciosa e
dade para educacao de meninas, e dirigido pelas Suas preceptoras Ihe ensinaram, insinuando-lhes'ao T2" TlZT'vT: 72" S*-""! *
Ribas do Sr.FelippeMenua Calado da Fonseca. Foi- mesrao lempo o araor ao trabalho prove.toso. Nao ZT P de cigarros e cha-
gamos sempre de registrar esclareciraentos fidedig- faam ahj exeroplos muil0 edificantes.... ," "
nos, que revelando aos rateres^-ados desta proviu- /<""< de cigarro lera os seguictes pretextos
ca e das l.mitrophes a existencia de uma utilissima Sr- Menoa> Pela sua Part*. na0 detsa de en" Pa filar :
iustituigao, coucorrem ao raesmo tempo para dar reler no animo de suas filhas o gosto pelas appli- Bqueceu-me a cigarreira.
uma idea do progresso (ue vamos teudo sob certas cagoes agradavers e uteis. Prende a attencao ao vi-
relaiGes. sitante um curioso gabinete cottendo colleegoes
mui variadas dos tres reinosanimal, vegetal e mi-
neral. Ahi encontra elle ura bom cabedal para o
esludrj das sciencias naturaes, de qea um dos provocou Ihe os appelites.
preceptores noGymnasio Provincial, onde tao bons Ura dos seus para tunar.
servieos poda prestar ao museo, enricuecendo-o, e Quer provar dos do amigo a ver se muda de
concorrendo tiara a classificago e arranjo cnnve- freguez.
nlente dos productos, muitos dos quaes sao dignos Eiccetera,, decelera, etcmtera.
o pela imprensa, prestara algum servido aos pas d(J figarar em qua|quer estabelecimento importan- E' preciso advertir que esas circurastancias
de familias. Si aqui ignora rauita genie o que se te deSSa natureza, e mereceram a particular alten- tanto se applicam ao cigarro como ao charuto,
passa, havendo at creaturas to fallas de curlosi- gao do Imperador quaudo elle aqui esteve de vi-
dado, que ainda nao se dignaran! visitar alguns rao- sita.
numeulos que nela cidade e na amiga capital at- ; Perdoem-me a digressao. Volo ao collegio da
trahem as vistas perspcazes do estrangeiro,o Conceigo, afflancando que tudo quanto disse cerg
que nao acontecer com os homens do interior e ca deile pode ser verificado por quera all fer no-
das provincia: vislnhas ? domingos tarde, dia designado para as visitas.
Eutretanto certas noticias valora menos como um i
teu.Aguilar deS.
sea ,w'S*rii
E'dcSr. A. de Scuna1 Pinto este hymao, cuja
msica esta' sendo composta pelo haDil profssor re
gente da crchestra do nosso Santa Isabel, Francisco
Libanio Colas.
0 GENIO DO IIIIASIL.
O nenio.
[fa lucta sangrenta, que os campos marea,
Os campos fbrmosos das tencas do sul,
Rio ha no meu solo, que nohro-campa,
Ura peilo sem brosdormente pal I
Os anciCtos*
A fronte que our'ora no horror das batalhas
Mos:rou-se rlsooha, da morte ac bramir,
Ind'hoje na frente de imigas meralhas
No ^a de, juramos pendida cahir I
Os manerbos.
Nos somos os filhos dos Andes gigantes,
Das selvas immensas, dos-ros caudaes ;
Aqu nestas almas, oom raios briihantes,
Valor e nobreza se mostram phanaea I
As mais de familia:
A' beira do berco velando cuidosa
O somno dos filhos qneDeus nos legou,
Podemos as clwgas pensar, cando3as
Dos filhea da patria que a lula ult?a;eu !
Asvirgens. ,
Gentis amazonas, doncellas e fadas
De um astro brilhante, chamado Brss>l,
Ouvimos sem niedo lioir as espadas,
Ao grito de guerra da patria gentil.
As. srianrfis.
Se acaso nao temos, nos corpos tenrhihos,
As forgas precisas s g-andes argdes,.
Nos somes o coro de temos anjinhes
Por nosses guerreiros cantando oragoes.
G 'genio.
Na luta sangrenta, que os-campos marca.
Os campes formosos da? trras do sal;
Nao ha no meu slo, qio nobre campea,
Um peitc sem brosdor raen te pal !
Minha senhora I perdoai o mea airevii__.
to... Eu nao quiz ofTender-vos... Ah .' se soa-
besseis... sim... comprehenderieis qne... nao
quiz molestar-vos...
Senhor, o vosso procediraento tm-orntenun-
te, indigno de um gentleman, responden us Sol-
n.
Pego-vos perdo. Ser royster que de joe-
Ihos, vos suppliquei que olvidis a minha levian
dade ?
Sim, senh&r.
E n'isto chegaram a Croylon ; miss Sulton fex
qoeixa aos agalles do cuninho de ferro, e o im-
prudente foi preso.
Houve explicares perante o tribunal de polica '
o reo nao negou os tactos ; wseverou lao smeote
que o beijo nao fura dado, e que lamentava multo
baver commetiido a aflMwa de -joe era acrusado.
O magistrado felicitou na Solton pelo sen pro-
cedimento, e, dirigindo-se ao reo, }tn disse :
Dizeis que estis arrependido j d'sso aodaes
com acert ; raas preciso que sirvaes de exempto
lodos esses estouvados maaeakoe, que demasiada,
vezes praticam actos cen-raveis eran as raparifas
qae apanliam iodefexas cm vigera ; todava, alten-
dendo aos voseos bon< antecedentes e ao rertificade
pasaado pelo chefe da casa a que perlenreis, en vo
coudemno smente a pagar a mulla de 5 libras e
13 snilliugs, ou na falla de pagamento a tres mezes
de cadeia.
Senhor juiz, eu quizera dizer duas palavras.
Nao teudes ja dir^ito a fallar.
fresse caso resta-me s pagar. Aqni eiao
senbor juiz, s 5 librase 19 shhsg?.
*Z*J*

:
FQLHETIM
DEMONIO DO JOGO
i'on
HEB^QE CONSCIENCE.
tributo devido ao mrito, do que como esclarec-;
mentes que podera prestar ulilidade.
Situada no lu;>ar denominadoCoelhos,a casa
do collegio participa das duplas vantagens do cam-
po e da cidade, proporcionando aos pas a facilida-
de de irem en: passelo a pe visitaren) suas filhas
Transcreveraos o seguinte sobre
OS FILANTES.
Os filantes I pois o que quer dizer semelhante
palavra val perguntar-me- o leitor.
Nao se afadigue, meu respeilavel senhor, ca
Ha urna especie de lan'.ts curiosa, e vera a ser
a daquelles que encorameodara as /langas, por
exeraplo:
O leitor, que pessoa seria, vai ao Rio e diz
ao Sr. Pereira que tem de fazer essa viagem. O
Sr. Pereira deseja-lhe muito ba viagem, e accres-
centa :
Trgame de la urna lembranga nao se
esquega.
Esta nao das ms.
Temos os filantes Ca occasio, os topam ludo,
Quaudo no aes do Buenos-Ayre desembarca
vara os feridos ao glorioso cmbale dd Riachuelo,
enire as pessoas que ali e achavam eslava o artis-
ta portuguez Amonio Mana Celestino. Havendo
falla de condugo para recolber ao ho.-pttat s doen-
tes, que ali eslava eiposios a' chuva, o artista
Celestino carregou em seus hombros, ajodado por
tres amigo- que convlduu, e couluzio para e-hospi-
tal,jjue dislava du caes cerca de ama legua, ao
guarda marinha Casiro e Silva, ferido naquel! ba-
tallia.
Acluudo-se actualmente nesta curte o guarda-
marinha, e lando aqui encontrado o Sr. Celestino
couvidou-o a noite, ora- casa de seu lio o Sr. commendador Ca-
tro e Silva.
No lira do sarao, achando se toda a familia reu-
nida, foi ao Sr. Celestino o(Terec|da esplendida ea>
sendo-liie dado a' mesa o lugar de honra, e fazen-
do-lhe o servigo os parantes do brioso guarda-
marmha.
O Sr. (lastro e Silva recitou ento uma tocante
allocugo, a que responde u cora pirases- nao menos
tocantes e sentidas o Sr. Celestino.
Foi uma verdadeira festa, presidida pela amisa-
de e pela giatido.
(1) Puo uma especie que me proraette as-
sem dispendio. Com onze janellas de frente, gran- j Ih'o explico. sumpto para nova obra. Por agora fique-se sa-
des salas, vasto e arejado dormitorio para admittir Filante uma palavrinha que os diccionarisias: bendo que o pato desles seres bons, dispos-
fugadamente cem camas, capella e sacrista, botica nao conhecem.raas com que nos estamos mallo fa- i los a ser engaadas pelos espertos em tudo e por
para promptos soccorros, jardim e campo rauito es miliarisados. todo.
iwm
na
Vil
(Continuacao.)
Simio Turchi levantou os hombros.
Ali, senhor, disse o veihi Deodali em tom de
censura, isto nao i sneroso. Anda ha pou-
cas horas, antes da bolsa, quiz inteirar-rae do se-
gredo, o j i tu i> saberia se .^.Igjns negociantes nao
tivessem vindo cortar .. no-sa conversago. Por
que nao ha de expliear-se agora ?
Sirao de'lou un olliar obliquo para Maria co-
mo se qaizesse iiier que a sua presenga nao o dei-
xava satisfazer o desej>expes so pelo anciao.
Maria, dis-e o Sr. Van de Wurve, pego-te que
vas ter cora a a aia. Tudo isto abala-te muito
e arruin-i-te a saade ; se eu souber alguma cousa
qae tenha interesse para ti, iramadiatamente t'o
irei communicar.
Ella levanion-se e:n silencio, dirigindo para
Tcrehi umolbar de melanclico queixumo.
chi aeadio iogo em lora de suppllca :
Nao me crimine I corta-me o corago ver-me
obrigado a afOigi-la ; mas esteja certa de que se o
figo por a estima era que a tenho e em que te-
uiio Gernimo.
Sem responder a esta desculpa, Maria obedeceu
a seu pai e saliio vagarosamente da sala.
Vamos, disse oSr. Vau de Werve, que se-
gredo esse de que quer dar-nos parte t
Vejo-me era grande embarago, respondeu
Turrhi, meneando acabegacom ares de duvida ;
a miutia inteago era faltar d'eslas cousas s ao
Sr. Deodati. Vou talvez cahir em ceosuravel
indiscrigo revelando ao Sr. Van de Werve um
segredo que em outras circamstancias, pelo me-
nos....
Nao, nao, pelo amor de Deus deixe-se d'es-
ses rodeios superfluos, disse Deodati sobre excita- Esta revelagao linha esmagaJo cora espanto e n'otle um lugar como passageiro E' clara que
do pela impaciencia. Porque que o Sr. Van de dor o velho Deodati. Nobavia nada qua-mais po- combat com todas as roinfeas forgas esse projecto
Werve nao ha da poder saber o que Ihe parece que desse magoar o honrado e escrupuloso, fidalgn do insensato, e que so o deixei depois que elle me
nos pode levar descoberta de meu pobre sobri- que a idea de que Gernimo linha sidn bastante im- prometleu qae nao ponsana mais em tai cousa.
nho ? prudente, leviaao e ingrato para arrisiar^ao jugos Mas como poda elle renunciar assim de leve
Pois bem, sou forgado a faze-lo I disse Tur- fundos da sua casa de commerciiK Trmulo e
ch, suspirando. Queiram, pois, aproximar-se e agitado, disse :
escular. Diz o Sr. Furchl que a perda foi considera-
Depois que Djodati e Van do Werve chegaram yej A n0anw monta ?
Nao sei, senhor; talvez os livros Ihe diera a
explicag-o d'esse triste enigma.
Houve breve silencio. O Sr. Van de Werve
as suas cadeiras de Simaos disse este sodreando
a voz como se receiasse que mais alguem podes-
se oovi-lo:
O Sr. Van de Werve nao tinha nntadn que ha
algum lempo andava Gernimo agitado e inquie-
to ; que s vezes pareca abstracto no meio das
mais alegres conversagoes ; era uma palavra, que
pareca persegui-lo estranha inquielago 1
E' verdade uue j tinha notado isso.
E o >r. Deodati 1
Eu tambera. Mas que quer isso dizer ?
Ha de haver ura raez que Gernimo, per-
guntaudo-lhe eu qual era a causa da sua melan-
cola, me reveiou era termos vagos e confusos que
linha perdido ao jogo urna quantia considera-
vel.
Ao jogo ? perguntou o Sr. Van de Werve
Tur-1 estupefacto.
Pois ueronimo era jogador t bradou Deodati
com mal soffreada iudignago.
Era Autuerpia joga-se rauito a dinheiro, e's
vezes muito dinheiro, continuou Siraao Turchl_
Comtudo nunca observei que o meu amigo tives-
se o vicio do jigo. Seja como fr, o caso e que
ao amor de minha filha? murmurou o Sr. Van de
Werve. O amor que elle dizia ter-ihe nao era
mais do que hypocrisia t Nao creio; nao ha nada
que rao possa fazer acreditar.
O seu araor nao era Ungido, respondeu Tur-
chi; pelo contrario, foi talvez a violencia desse
No tnhunal de pocia de CroytiM Inglaterra,
foi jalgado um proeesso mui curioso ; tratava-sa
de uma jyven miss, que um companheiro de via-
gem, demasiado galanteador, quiz abiagar-----*
beijar, ao passarem jior baixo de um tnel.
Miss Sulton, professora de nglez, acbava>ae
n'uma rorroagem de segunda clc->se, da linha .'e-r"
rea de Red Hill a "ndres.
Tomava assento ,io mesmo wr.gon um gentlt.*em
de bom aspecto ; os dous viajantes e.-tavam sos, e
logo que o comblo largou da oslago de Bed liill,
o geni lemn aproxuaou-se da joven mestra :
Perdn, bm, encomraodavos o fumo & cha-
rulo r
Oh I de modo algum. Podis fumar.
O gentleman aceenJou um charuto, e, a;< pass0
que furaava, enaboluu uraa. conversago aatrema-
raente banal, com a joven, que ihe responda sor-
;Ddo se ; porjm, ao atraver^arem um tumel asss
axienso, o mancebo galan'sador largou o canto oD"
Je estava assentad-, para se collocar era. frente da
joven miss, 9, quando manos ella o esporava, aper-
lou-a entre os seus bracos, e tentou dar-lhe um s-
culo ; os seus labios ainda conseguirn! roear-lbe
levemente a face, quando a joven o ropellia c;ia in-
dignaco.
Passado o tunnel, o atrevido viajante cahie 6in si
a arrependido exclaraou :
iwsrawwiaew'BEs.r^tw.^sirai
Pelo araor de Deus, soceguem, senhores, e
e nao esperera grandes cousas, disso o piii, vendo
quanto o annuncio de noticias agitava os seus ou-
vintes. Anda nao sei o qae feito do infeliz Ge-
rnimo, mas tenho razoes para esperar que breve-
mente o descubriremos; palo monos dnios-lhe
com o rasto. Ja se soubo- com certeza que, no dia
era que desappareceu, pelas cinco horas da tarde,
foi visto alera da praga do Meir. Um frade do
convento dos dominUanos, que o conhece muito
bem,comprimentou-o. e observou que olio se diri-
ga para o lado do jardira dos Bsteiros. Guiado
por esta indicarao, um dos meus mais habis
senlimenln que o desvairou. Tinha como cousa
tinha os ni los pregados no pavimento; o lio de certa que a descoberta da sua perda de dinheiro
Gernimo passava a mo pela fronte a perdia-sa ao jogo Ihe destruira para sempre a esperanga de i agentes tem-se forgado por seguir-lhe o tnlbo, e
era dolorosas reQexoes. ; obter a mito da mulher que amito amava. Pobre coro effeito doscobrio que nm banqueiro o vira
Turchi deixou passar alguns instantes sob a in- amigo, fugio talvez sorte que o ameagava para passar no bairro dos judeus. Nao sei mais; mas
fluencia da sua revelagao, en olhar penetrante, estudava ora ara, ara mitro dos passados instantes no raas profoHdo sileocio,' pesquizas urna diroegao acertada, que ialvez d o
seus interlocutores, para adiviahar o que Ihes ia Siraao Turchi disse com bem fingida admirago : melhor resultado. Amanha, ao romper do dia,
na alma. Depois disse a Deodati : Mas como estao arabos desanimados t.. fa- reno todos os agentes de que posso dispor, divi-
O Sr. Deodati est a ver este successo s pe- rece-rae que ames deveriam fotgar com a rainha do-os em secgiJes e dou ordem para que dem bus-
lo lado mau. Ora, se nao tivesse tambera um lado revelagao. Pois nao melhor poder pensar que ca em todas as casas, adegas e jardins de certa
bom, cora certeza a minha bocea conservara al Gernimo, posto que culpado de um erro, anda Pa"e da cidade, e isso com o maior cuidado e sera
sepultura o segredo revelado por nm amigo. Al est vivo, do que ter de imaginar que uma morte deixar nenhum canto por examinar. Eu mesmo
agora lodos nos receiavamos, a Blo s receiava-
mos, lodos linhamos como certo qu9 o pobre Ger-
nimo bouvesse sido victima da assassinos, nao
verdade ? E sabera o que, desdj a noite passada,
me parece muito provavel ?
Os deus velhos olharara para elle com ar inter-
rogativo.
Parece-me que Gernimo fugio colera de
horrorosa o roubou para sempre nossa af- andarel por ledas as secgoes a dar as averiguages
feigo? uma direegao conveniente.
O velho Deodali levantou-se e disse : Slraa0 Torebi "Q,ia coberto o rosto cora as mos
Meus amigos, tenho de retirar-me; a minha Para occullar o terror que de repente Ihe doscon-
raz-j desconcertase; nao estou bom..... Alm certara as feigSes e Ihe fazia bater violento o
nao pude saner com qaem elle tinha perdido, nem sea tio, e sahio.no s da cidale, mas mesmo do
quiz diier-me a importancia da sua perda. A sua paiz.
melancola e a sua iuquieta agitago vinham E' impossivel!... disse o Sr. Van da Werve.
d'esse mau successo. Trema de raedo e ancie-' Impossivel I repeli Turchi. Ha mais tempo
dade, na certeza de que seu lio descobriria em teria elle partido se eu nao houvera arranjado as
caxa o nos livros da sua escriplurago a falta de cousas de maoeira que Ihe Otease esperar o per-
urna grande qaantia sera juslificago nem indica- do de seu tio. Ni dia da sua cnegada, Sr. Deo-
gao. Quiz abonar-lhe o dinheiro que Ihe faltava,! dati, quando Gernimo correu para mira no esta-
rnas noacceitou o oflerecimento, porque a idea ds leiro, na praiado Escalda, pedio-m? que procuras-
engaar assim seu tio ainda o aterrava mais do se um navio inglez qae oartisse n'ese mesmo da
que a colera provavel do Sr. Deodali. ou no seguinte e que era sgrelo Ihe loraasse
disso, estou com pressa de ver nos livros de Ger-
nimo a prova era favor ou era contrario da do-
lorosa revelagao do Sr. Turchi. Peco qae me
deixem ir.
coragao.
Admi rado por to estranha agi tago, perguntei-lhe
o juiz :
ijac ha as michas palavras que possa aba-
Simo Turchi mauifestou a Intengao de acompa- la-'i lauto, Sr. Turchi 1
nha lo at sua morada: mas quando ainda esta- Ah, senhor, que me faz soffrer um horrlvel
vara fallando a esse respailo, entrou de repente o suppliciol respondeu Simoem tora lamentoso Ea
juiz ordinario, dizendo como compnmento : pensava que ia dar-nos a noticia de estar salvo o
Meus senhores, trago noticias I meu pobre amigo, e o que que nos prometi, se
Turchi tremou e fez-se pallido; raas como o im- fr bem siiccudido ? A descoberta do seu ca-
proviso apparecimento dojuiz com a sua singular daver I
saudagSo tambem tinha abalado os outros, nln- Com effeito... nao quero engalos. Ami-
guera poda descobrir qua o terror era a causa nha opinio que elle cabio debaixo do pualial de
nmea da pe turbago do Turchi. algum asiassiiw em alguma ra pouco frequenta-
Mr. Hocw o inglez que esleve lre> mezes e
meio prisioneiro dos salteadores, e qne acaba de
alcanzar a liberdade por meio de nm rsgate.-
(Jue diz Mr. Moeus dos salteadores T
Nada de raao.
Aflirraa que Manzo, chefe da partida,. nm ver-
dadeiro genllemw, e que os salteadores durante os
Tea mezes que com elles- habitou o ir a taran, com.
'oda a consideracao e re.ipeilo.
0,ueixa-ie da tropa, por que attacando os saltea-
dores fazia iogo contra e'la, enviava desta maneira
o nrojeeUs talvez anudo ne tivesse querido.
Allirma que e.-teve presente a quero ou cinco
encontros com a tropa, e que as vezes ao ver que
es .-alleadcres se acnbardvam, elle osanimava.
Diz tambera que muirs vezes tendo sido entre"
gue a guarda de um peqatom numero o> salteado-
res teria podido mata-Ios, em quanto dormiam, e
'nsir; mas que nao qnii fszc-lo por r;ne tnao viera
a Italia para matar italianos.
Isto refere uma correspondencia de Rorenca.
Oa lucios que viven, anda .-obre o alo dos Es-
lados-Cnidos desappancem com rapidez.
Em 133i), os recenseaaaaalos elevavam o nume-
ro del los a iO.fliK) ; m I8S5 er.i*ii.,m smeote
330,0M^.em 1860 o r-T.-n-fau^aio apenas dava
conta de 2>J.:j8o. E" nata dimiaaipa Je cerca da
30,000 lodos us ciucj anuos.
Esta propdreao adqnira mais importancia me-
dida que o poder des Estadoj-Uaidos. se alarga pa-
ra oeste, e antes de. pouco ancas o indio s exis-
tira aa historia.
Eis-a.jai os algarismos do rscens^amento :
E>tado de Nova-Yrk............ 3,785 i adis.
Colorados...................___ 6,000 c
Arkausas.............. ..... li.n-;
Novo territorio do Mxico......... 5,luo c
Dekolh......................... 39,664
Washington..................... 31,000 t
tah............................ 20,*)0 (
Minuesoto...................... 17^00 .
California....................... |;,8
Kansas........................ ,it
Michigan......................... 7,777 .
Nevada........................ 7,750 c
Oregon........................... 7.U00 <

da dos prados do Hospital uu em algum dos esca-
ros beecos (jee Ijcan entre as fregujzias de S. Jorge
e Santo Andr E o que 9u quero desco-
ln. Morto ou vivo, hei de saber o qoe feto
delle, anda que lenba de mandar esmigalhar o
lagodo. de todas as adegas e de cavar todos os jar-
dins a profuQJiJaJe de u ps. Toda a cidade
anda inqu-Ma e abalada com este accidente; o
povo grita e injuria os magistrados de Aataarpia,
como se fossemos cmplices no cri rae. Peia> ^n'ia
honra e pelo raeu n&ae juro que isto ba dc-esWa-
recor se I
Agradego essa zelo e cuidado, balbuci Tur-
chi. Queira Deus guiar-lhe os passost Cubo o
beindinamos todos se ainda podesse acbar vivo o
pobre Geroumwt
Ha poucx esperanga, senhor, ponea esperaa-
ga; mas... ludo possivel, murma/on o magis-
trado meneando a cabega.
O velho Deodati apertou Ihe a mi e disse:
Sr. Van Schoonhoven, coate com o mea pro-
fundo reconhecimento. Agora peco-lhe qoe me
perdoe o nao continuar a demorar-me ,eom lao boa
companhia ; mas sin', j-mc indisposto e carego de
ir a minha casa.
O Sr. Turchi tambera se relira ? perguntoo a
juiz.
Mas qnando Simao com certo olhar Ihe den a
entender nao poda deixar o velho Ir s, anertoo-lhe
a mao cora affecto e disse :
Eutendii. Tem razao. Adens at araanbaa.
Turchi deu o brago ao velho Deodati para ampa-
rar-lhe os passos varillantes. Assim saturara da
casa do Sr. Van de Werve, que os ac mpanhon al
a porta da ra, e, admirando a bondade de Simio
Turchi, seguio-os ecra os olhos at desapparaearaai
esquina do Sapal.
( Continuarse-ka.)

PEMNAMBUCO 1\?. DE )LJt. DE F. 4 P1LH0
wm
------------," ~~y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJC76K8B9_VPWWZE INGEST_TIME 2013-08-28T01:55:56Z PACKAGE AA00011611_10798
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES