Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10794


This item is only available as the following downloads:


Full Text

\ i
ao m muo m.
SEGUNDA FIRA 16 D 0UTU6R0 DE 1861
Por parte] pago dentro de 10 das do 1, mez
dem depois os 1.' 10 das do comecoe dentro do
Porte ao correio por tres nezes .*.....
: i
5|)00
61000
750
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
OYiveira; Maranhio, o Sr. Joaquim Marques Ro*
dri_':ip<; Para, os Srs. Geraldo Antonio Aires &
Pililos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Uias Babia, o
Sr. los M.irtins Al ves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gas|iariDho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Carnar,
Altinh, Garanhuns, Bniqne, S. liento, Bom
Conselho. Aguas Bullas e Tacarat, as tergas
feiras,
Pod'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ourieury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago : trras e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tergas e sextas s 10 horas.
19|009
|009
Primeira vara do civel: ter
dia.
Segunda vara do ctvel: qu
hora da larde.
EPHEMEIUES DO ME
4 La cbeia as 8 h., 11 m.
II Quarto mng. a 1 h., 2 m
19 La nova as 2 h., 7 m. e f
27 Quarto cresc. a 1 h., 30 n
:as e sextas ao meio
rtas e sabbados a 1
DE OUTUBRO.
DIARIO BE PERNAMBUCQ.
O Tapar Tocantins fot sabbado portador do im-
portantes noticias, como iero visto os leitores no
suplemento ijue distribuimos nesse dia a' tarde
As datas dos joroaes chegam : do Rio de Janeiro a'
7, da lialna a' 11 e de Alagoas a' 13 do corrate.
S. Paulo. O 2' baialh'io de voluntarios contava
400 pragas.
Fallecer o acadmico Jos Cardse de Me-
nez s Souza Jnior, victima da varila.
Acerca da expedico mioeira diz o Correio
Paulistano:
Torearlas de Uberaba, datidas de 19 de so-
bro, ti vemos noticias de ja haver partido d'alli a
forra expedicionaria no da i do niesmo mez.
Ale boje (19), dzem as cartas, anda se acha
em liberaba a conimis-o Osoal da pagadoria, afim
de fazer seguir dous parques de artilh aria, que,
devendo acorapanhar a forra, nao o fez, porque a
familia Bering (que coropj a commissiio de fazen-
da que segu as torgas mineiras), Induzio a Salvia-
uo le tal, queja havU contratado esta conduego,
a fazer exigencias de tal natureza, que obriga-
rum aos Srs. corouel Lima e Silva e major Lins a
fazer novo contrato com Zacaras Jos da Silva.
Este partir deniro de quatro dias cooduzindo
os dous parques.
Depois de urna secca prolongada que se estn
deu por toda a proviucia, affliginio e pondo em re-
ceios a lavoura, tem cnido uos ltimos dias copio-
sas rbuvas nesta capital.
< De ante-hontem (22) as ti horas da tarde at a
madrugada de honiem desfez-se sobre esta (idade
Hm temporal, que comegou com saraiva e grossas
torrentes d"agua, e abuudou pira o alio da noite
em grandes pedras, multas do tamauho de ovos de
poniba, vento rijo e incessante trovoada seguida
de repetido fusilar.
Toda a noite passou-se entre urna pavorosa
tempestado.
As pedras fizeram mullos estragos as vidra-
cas e dizem-nos que s em uraa casa quebraram
40 vidros.
E' de sippor que as plantaroes sofressem
igualmente e licassem muito damnificadas.
Consta-oos que c.ihio com o temporal de non-
tem um raio na estacio da estrada ue ferro na
Lu', o qual fez muitos estragos. Tambem das sa-
raivas nao licou illesa a estaro, pois bastaute of-
freu com ellas.
Paran.Gomecra aquarlelar-se o contingente
da guarda nacional, em toda a provincia.
Gotaz. Foi convocada a nova assembla pro-
vincial, sendo marcado o Io de dezembro para a
respectiva eleicao.
L-se uo Uiario Oficial :
A populago eslava reauinuda, sem o menor
temor dos Paraguayos.
O que ameacava flagelar a todos era o eleva-
do prego dos gneros, principalmente do sal.
i A presidencia, depois de otliciar a de Goyaz,
para que os lavradores desta conduzissem viveros
para aquella, determiaou ao commandante do dis-
tricto militar de Villa-Hara, que promovesse a im
poriago do >al para Corita, das salinas da fronlei-
ra boliviana, olDciando as autoridades dessa rep-
blica e convidando os seus moradores a transpor-
ta rein sal, pennillindo-lhes livre transito.
A cmara municipal da capital otUciou ao cha-
fe de polica, denuuciando-ihe que o prego do sal
era consequeocia de especuiago, estando j a 80
o alqueire.
Em virtude disto e d) clamor da populacao, o
chele de polica consegnio que varios negocame-,
que linliam sal, se Obrigassem a vendlo a BOCUDO
o alqueire, a varejo a 3 a medida o a razio de.
2iOO de quartilho p ira menos em quanto durar
a siluaco diilicil da provincia, nao podendo por
pretexto algum elevar esse prego.
Ro DE IAMRIR0.Alui das. noticias que demos
no supplemento, eis o que colhemos dos joruaes,
por suas datas :
28 de setembro.
Achava-se respon-abilisado perante o supremo
tribunal de justica o Sr. Dr. Ciociuato Piulo da Su-
va, presdeme da provinria de Sergipe.
U aenuuciante o Sr. Jos Agoslinho do Nasci-
menlo qoeixa-se daquelle presidente por ter ras
gado ruinosamente e feilo jogo com os polacos de
dous requerimeutos levados p.jr sea secretario, nos
quaes pedia o cumprimento de obiigagSes, em vir-
tude de c.oiitraios celebrados entre elle e o goveruo
da provincia.
Diz que nao Picara ah o Sr. Dr. Cincinato, por
quanto, apresentaudo outro requerimenlo, pedindo
solugo daquelles, o Sr. presidente de Sergipe o
metiera ua pasta, dizendo (ue fosse elle reqnerente
pessoalmente procurar o despacho, porque quena
rasgar-Ihe o requcrimmto as ventas.
& diz o denunciante que o Sr. Dr. Cincinato as-
sun procedendo prevaricara e abusara do poder,
pelo que deve ser punido com as penas dos arls.
i-'-'. S !". --"i 6., 8." e 145 do Cdigo, concomo-
do as elrcumstanciai aggravant-s do arl. lti, Sij 4
e 10." (motivo frivolo e abuso de cooliaoca.)
As lesiemunhas olTerecidas si os Sis. tenente-
coron-l Manoel Diuiz Villas-Boas, secretario do
governo; alferes Antonio Jos Pereira Guimares,
ajudante de ordens; Francisco Pedro Ludovice,
juiz de paz de Aracaju' ; Dr. .Sorberlo Jos Diuiz
Villas-Boas procurador fiscal; capito Domingos
Mu n ii- de Carvalho Fontes e Manoel IguacioBem-
vindo, empregados aa mesa das rendas, e capito
Jos Pinto da Cruz.
Distribuido hunlem a proces-o, foi entregue ao
relator o Sr. couseibeiro baro de l'irapama.
Forara condecorados com a comineada da or-
d'-in da Rosa o Sr. capito leuente lleurique Au-
touio Baptista, e com a insignia de cavalieiros da
mesma ordera os Srs. Louis Amond e Augusle
Guis, pilotos francezes, pelos relevantes servigos
e pericia com que trouxeram a salvo at o
porto do Rio de Janeiro o vapor encouragado
lirasil.
1.- de outubro.
2*. secgo.Miui-teri) dos negocios da juiiga.
Rio de Janeiro, em 27 de s vmbro de 18(55.
Illm. e liiiii. Si-. Tendo o juiz e. direilo da 1* va-
ra crime da comarca da capital desaa provincia
consultado ao antecessor de V. Ene. sedevia deferir
jurameulo a Anioni) Joaquim Pereira de Oliveira,
noraeado para interinamente etorcer os offlcios de
-contador e distribuidor, visto Ihe parecer que em
face do art. 1 do decreto n. 1,294 de lti de dezem-
bro de 1853 era essencial mformagao previa e col-
lectiva das autoridades, perante quem tinba de ser-
vir o nomeado, e especialmente a delle juiz, a
quem competa deferir tal juramento, coucluindo
que Ihe parecia iliegal a nomeago feita pelo mes-
mo antecessor de V. Exc.; respondeu Ihe 9Sle que
o citado decreto nao exiga essa informacao conec-
tiva, e quaoao assim nao fosse nem por Isso havia
sido menos legal a nomeago que (izera, porquauto
qualquer dos magistrados podia separar-se das in-
formacoes de seus collegas, e a essa mformagao
singular cingir-se a presidencia ; sendo tambem
certo que da douirma do referido decreto seno
podia deduzir essa preferencia a que se julgava
com direito. S. M. o Imperador a cujo coubeci-
menlo levei o oQlcio dessa presidencia de 24 de
agosto do anno passado, e papis que o acompa-
nham ; vito o parecer do conseiheiro consultor dos
negocios da justica, visto o parecer da secgo de
justiga do conselho de estadojde 19 do corrente mez,
ha por bem mandar declarar a V. Exc. que ira-
procedente a duvia suscitada pelo referido juiz, por
que a informago exigida pelo art. 1 daquelle de-
creto para a nomeago provisoria dos offlcios de
justiga pode ser collecliva ou singular, como con-
vier aos presidentes do provincia, para procede-
rem com conhecimento de cau-a ; mas que esta
mformagao nao urna formula essencial de que de-
penda a attnbuigo que aos mesmo presidentes
confere, sem clausula, o arl. o* da lei de 3 de ou-
tubro de 1834, de prever provisoriamente os em-
pregos cuja nomeago da competencia impe-
rial.
eus guarde a V. Etc.Jos Thomaz Nabuco
de Araujo.Sr. presidente da provincia de Per-
nambuco. >
No dia 30 do prximo pas-sado sahiram para o sul
conduzindo tropas os transportes nacionaes Marti-
llo Dias, S. Miguel e Jos S. Rotmo.
Por e-ie nltimo oram remettidos 243 volumes,
contendo charutos eoutros arligos, par. serem dis-
tribuidus pelos marinlieiros e soldados da nossa es-
quadra no Rio da t'rata.
Este presente, na importancia de 6:9035900,
producto de urna subscripto promovida pelo Sr.
ministro Ja marinha, a qual ja sobe actualmente a
7: ti08800.
Tern, porlanto, de ser repetido, e justo que o
seja, porque os nossos bravos marinheiros fazem
se cada vez mais dignos da publica sympalhia.
O presente consta do seguinte : G caixotes com
20,000 charutos, 6 ditos com 200,000 cigarros, 1
dito com mortalhas para cigarros, 1 dito com 650
cachimbos, 51 rolos de fumo com 200 arrobas e 30
libras, 4 caixas cora 30 arrobas e8 libras de assu-
..r superior, 20 ditas com 20 duzus de garrafas
de aniz, 20 ditas com 20 duzias de garrafas de
\ cognac, 30 ditas com 30 duzias de garrafas de ge-
nebra, 30 ditas com 30 duzias de garrafas de la-
; ranginha, 10 ditas com 10 duzias de licores diver-
sos, 7 barricas com 2)dita< de xaropes diversos, 6
caixoes com 1,800 latas de goiabada, 2 barricas
c m 200 ditas de doces de araga', 2 caixotes cora
280 libras de bolacha de soda, 2 ditos com 288 di-
las de marmelada, 4 ditos cora 120 frascos de pi-
menta, 28 barricas com 57 arrobas de roscas su-
' penores, 2 caixotes com 200 vidros de xaropes me-
dicinaos e 11 jaca's com 500 queijos de Minas. >
i ^
A 28 do prximo passado seguio no vapor Ja-
guaribe o 38 batalho de voluntarios do Piautiy,
assistindo ao embarque os Srs. ministro da guerra,
visconde de Camama, general Polydoro e inspec-
tor do arsenal.
Constava em Santa Cathanna, a' sabida do Im-
peralriz, que a canhonetra Tamandar eslava na
enseada de Iiapbcorohy, 8 leguas distante de Santa |
Catbarina.
A subscripgo para o asylo dos invlidos da pa-
tria monta a 111:8215172.
Ja tomou posse a nova directora do Monte Pi
dos Servidores do Estado, que (em de funecionar
l no biennio de 1863 a 1867, composta dos Srs. :
presidente, conseiheiro Jos Maria da Silva Para-
ntes: vice-presideale, conseiheiro Jos Antonio de ;'
Calazans Rodrigues; secretario, Jos Julio Dreys; I
thesoureiro, conseiheiro Antonio Henriques de Sli-
randa Reg; directores, Dr. Lopo Diniz Cordeiro,
capito de fragata honorario Aunu-to Cesar de Cas-'
tro Meuezes e l)r. Jos Augusto Nascenles Pinto.
No mez Ando rendeu a alandega da corle ris
1,705:2805231; a recebedoria do municipio ris I
208:1565973: e a mesa provincial 114:581506o.
O or. ministro da marinha remelteu para a es-
cola de marinha, afim de serem all guirdados era
lugar condigno e conservados como irophos do
feio naval de 11 de junlio, a bandeira paraguaya
l.mada iiaquelle combate, eUffl barmetro.
No da 27 de houve sessao da commisso direc-
tora da exposicao nacional, ac.hando-se prsenles os
Srs. conseiheiro Burlamaque, Dr. Souza R-go, Vil-
lanova Machado, Matbeus d* Cuulia.commeudador
Lagos e Azevedo.
Leu-se e approvousea acia da ultima sessao.
Expediente.Aviso do ministerio da agricultu-
ra, trahsmiltindo copia do olBcio do director da
2* directora do mesmo miulsteno, e a copia da
nota que a este director enderegou o Dr. Ladislao
Neito sobre os frucios do Brasil que deven) figurar
na futura exposicao universal de Pars, afim de
que a commisso directora da exposigo nacional
proponba as providencias que entender convenien-
tes.Foi remedido ao Sr. Lagos para iulerpor seu
parecer.
Aviso do mesmo ministerio, communicando, para
sciencia dos raembros da commisso, que deseja
conlerenciar acerca das instruegoes relativas as
exposiges indusiriaes as provincias do imperio
com a pessoa que pelos mesmo for escolbida ou
com a prpjria commisso, e declarando que acha
de summa vantageni que essa conferencia lenha
lugar com brevidade no edicio**da secretaria de
eslado do ministerio a seu cargo. Resolveu-se que
toda a commisso assisiis.se a conferencia, e que
se solicilasse de S Exc. designago do dia e hora
para e.-se tim.
.Nada mais havendo a tratarse, o Sr. vice-presi-
denle levantou a sessao.
Escrevem-nos :
i O Sr. Manoel Martins Leite, cidado brasileiro,
artista e nao abastado, morador ra do Sabo do I
Mangue n. 37 E, pelo regozijo que leve hontem
com a ch*gada da noticia da rendigo da l'ruguaya-
na, deu liberdade a urna sua cria de cor parda, de
uome Mina, nascida a 16 de julho do corrente ;
anuo. >
Da directora geral do corpo de bombeiros
commumeam-nos o seguinte : Hontem, 3 do cor-
rente, as 3 horas da madrugada, pouco raais ou
menos, manifeslou se um graude incoudio no pre-
dio de tres andares silo a ra da ijuitauda n. 87,;
esquina da do Rosario, propriedade de Manoel Tei-
xeira da Cunha Louzada e residencia no Io andar .
de Baptisla & C, as lejas, 2o e 3 andar de Falque
& Irmos, establecidos estes com fabrica de cha-!
pos de sol e aquellos com olliciua de alfaiate.
O fogo, cuja origem se ignora, foi descoberto
pela patrulha da guarda nacional que roudava o
districto a que o predio pertencia, em virtude de
grande quantidade de fumaga que sahia pelas fres-
las das portas, as quaes foram arrumbadas, visto
os moradores nao lerem acudido ao aviso que de
(Ora se Ibes dava, e j lavrava com tal intensidade |
que, apezar da promplido cora que os soccorros
se apreseularain, nao foi possivel evitar a total rui-
na do predio incendiado e a communicagao do fo-
go aos collateraes de n. 85 da ra cima referida
e ao iramedialo da ra do Rosario. Estes predios, i
que correram grande risco, nao s solfreram es-
tragos iios respectivos solios, mas tambera aiguns;
oulros provenientes dos irabalhos de exlincgo.
Os edificios fronleiros ao mencionado, lauto pela:
ra da Quitanda como pela ao Rosario, tambem'
soffreram algumas avarias provenientes do calor I
reectido pelo incendio. Dos objeclos comidos na
casa incendiada mui poucos ou nada se salvou. O
fogo licou completamente extinelo s 2 horas da
tarde,dndose algumas contusdes e ferimentos,|
porrn nao graves, em pragas deste corpo e da
goarnigo d<> bomba franceza.
Compareceram todos os poslos d 1* secgo do
corpo, a guarnigSo das fragatas franceza LAsirte,
e da italiana Magenta, a 2a secgo auxiliar, os pi-
quetes do 1* batalho de infantaria e de cavallaria
da guarda nacional, sendo o pessoal do V posto
deste corpo, com o respectivo material, o primeiro
que apresentou-se. Acharam se tambem presentes
diversas autoridades policiaes e militares, cujos no-
mes e gradeacoes forara evados ao conhecimento
do governo imperial pela directora do corpo de
bombeiros, que ao mesmo lempo solicilou do Exm.
Sr. Dr. chefe de polica, que houvesse de tomar
providencias tendentes a demoligo da parte das
paredes do predio incendiado qne araeagara des-
abamento.
- 2
Pelos ministerios da guerra e marinha foram
publicados os seguintes avisos:
Em dala de 11 de agosto expedio-se avisos ao
marechal de campo commandante em chefe do
exercito em operagoes ao sul do Imperio, commu-
nicando que o coronel era commisso Felippe
Beihbez de Oliveira Neri foi nomeado para exer-
cer em Montevideo o emprego de que se acha en-
carregado o coronel de estado-maior de 1* classe
Pedro Maria Xavier de Caslro; devendo este, logo
que seja substituido, seguir para o Rio-Grande do
Sul, onde licar a disposico do Sr. ministro Ange-
lo Muniz da Silva Ferraz. >
2.* secgo.Ministerio dos negocios da inari-
nha.Rio de Janeiro, em 11 de setembro de
186o. Nao sendo sufHciente, para occorrer as
necessidades do servigo as actuaes circunstan-
cias, o numero de 30 fiis de commisso marcado
pelo aviso de 21 de dezembro de 1761, onforme
representou essa intendencia em pfBcio n. 145 de
6 do corrente : S. M. o Imperador ha por bem au
tonsar aV. S. a uumear mais lo dos ditos Geis, fican-
do sraeote oesta parte alterado o sitado aviso. O
que Ihe coramunico para sua iotelligencia e exe-
cugao.
Deu* guarde a V. S.Francisco de Paula da
Silveira Lobo.Sr. capito de mar e guerra inten-
dente da marinha. Coramunicou se a conta-
doria.
3.* secgo.Ministerio dos negocio; da raari
nha.Ilio de Janeiro, 11 de Setembro de 1865.S.
M. o Imperador tend > era considerago o relevante
servigo que araba de prestar o capito-tenente
ilenrique Amonio Baptista, tranzendo sao e salvo
ao porto do Rio de Janeiro o vapor Brasil, primei-
ro encouragado que posuimos, para o que iutou
com as maiores difflculdades e obstculos, como
sabido, e querendo ao mesmo lempo dar urna pro
va do aprego que Ihe mereceu a maoeira porque
se portaran) os z-pllo'os fraacezes Louis Amand, e
Augusto Guis, que acompanharam o dito otBcial
naquelle navio, houve por bem condecorar o capi-
to-lenente Baptista com a commeoda da ordem da
Rosa, e os dous referidos pilotos com a insignia de
cavalleiro da mesma ordem; o que tenho a honra
de communicar a V. Exc. para que se digne di
expedir os necessarios despachos, enviando a esta
secretaria de estado os diplomas afim de serem
entregues aos agraciados.
t Dos guarde a V. Exc. Francisco de Paula da
Silveira Lobo.Sr. marquez de Olinda.
Do ministerio da fazenda baixou a seguinte
circular:
Circular as tbesourarias de fazenda.Ministe-
rio dos negocios da fazendaRio de Janeiro, em
18 de selembro de 1865.Jos Pedre Dias de Car-
valho presidente do tribunal do ihesouro nacional,
ordena aos Srs. inspectores das thesourarias de
fazenda, onde houver caixas llliaes da caixa da
amortisago, que observera, uo que fr applicavel,
o disposto na ordem n. 135, que nesta data se ex-
pede a thesouraria de fazenda da provincia de S.
Pedro do Rio-Grande do Sul, e que a e-la acompa-
nha.Jos Pedro Das de Carvalho.
4." secgo.N. 13o.Ministerio dos negocios
da fazenda.Kio de Janeiro, em 18 de selembro!
de 1865.-Jos Pedro Dias de Carvalho, presidente
do tribunal do thesuuro nacional, tenio presente o
ollicio do Sr. inspector da thesouraria de fazend i
da provincia de S. Pedro, sob n. 258 de 23 de maio
de 18 >6, e o prpeesso que o acompanhou da divida '
anterior ao anno de I827,daquanlia de I:l40-i80.
de que era ciedor o fallecido Joo Estado de Lima
Brando, herdeiro do capito Jos Estado Itrandao,
a qual f i reparadamente inscripta sob n*. 361,362
e 363 no auxiliar da divida publica da referida
provincia, a favor dos suceessores di mesmo fina-
do Joao Estacio de Lima Brando, J-is Estacio de
Lima Brando, e Domingos Jos Ribeiro Alve*,
representante de sua mulher I). Maria Joaquina de
Carvalho, declara ao mesmo Sr. inspector que,
depois da execuco do art. 95 Ja lei de 24 de outu-
bro de 1832, revogado ficou o art. 39 da de 13 de
novembrode 1827, que autorisava o recebimento de
saldos para completar o valor de apolices, e por
tanto nao devia mais ser permitudo que os credo-
res de dividas de valores menores de urna apolice
fossem pagos, como foram cima mencionados,
que, tendo direito de receber apenas 715j666 cada
um, recolheram aos cofres da thesouraria 735174,'
e se Ibes deu urna apolice de 7005; porm que, \
atlendendo-se a nilo ter sido em tempo esclarecida
a intelligen la daguellas disposicoes para o caso de
que se traa, e assim tambem" a diflnculdade de
rehaverem-se boje as apolices individamente emil-
tidas licam approvadas as ditas inscripgoes e os
pagamentos feitos cm virtude dellas.
E por esta occasiao, solvendo a duvida proposta
no ofiicio da mesma thesouraria n. 174 de 11 de
novembro de 1850, a saber : se o facto de inscre-
ver-seuma divida menor de 4005 da direitos ao
credor de haver juros de sua importancia contados
do 1 do Janeiro de 1827, quanto as inscripgoes ef-
fectuadas antes da lei de 10 de outubro de 1833,
que alterou essa clausula e das dalas das inscrip-
coes qujnto as que se tem filo posteriormente,
engao em que ainda labora a dita thesouraria,
como so v da relago aonexa ao citado ollicio n.
258, em que vem mencionadas algumas quantias
de juros por pagar calculadas de dividas menores
de 4005 i declara outrosim, que em face das dis-
posigoes da lei de 15 de novembro de 1827, nao se
contam juros de quantias menores do 4005 langa-1
das nos auxiliares do &rande livro, ainda que das
inscripgoes conste erradamente essa clausula, por- j
que laes juros sao fomente devidos do valor das!
apolices; cumprindo que se faga annullar a divi- [
da dessa proveniencia que porvenlura se lenha in-
devidamente reconhecido e escripturado nos livros
da thesouraria.
Declara, finalmente, ao dito Sr. inspector que,
estando verificado que a divida de 9835200, ins-
cripta na provincia de S. Pedro, a favor de Eleute- i
rio Teixeira Crneiro apezar de periencer a do'
Rio de Janeiro, como se disse na ordem do ihcsou-
ro de 28 de junlio de 1834, nao foiioscripta e paga, i
nem na extincta thesouraria, dessa ultima provin-
eia, nem no thesouro, deve considerar-se proce-
dente a inscripgo, e isso mesmo ser notado a mar-'
geni da folha do livro auxiliar em que foi feita '
Jos Pedro Dias de Carvalho.
Communicam-nos tambem que por decreto de
20 de selembro foi creada urna inedallia comme- j
morativa do feilo de 18. Os merabros da familia
imperial, o ministro da guerra e generaes usa-la bao
de ouro, a dos ouiros oflSciaes e empregados ser
de prala, e a das pragas de prel, de urna liga de
lineo e antimonio. Todos a iraro do lado direito 1
do peito, a excepgo das pragas de prel, que a
usaro no esquerdo. A Ota sera de tres listas, duas
de cor azul celeste aos lados e a do centro ver-
de. Todas as medalhas tero de modulo oito
lunas.
Eis a felicilago dirigida pelos subditos portu-
guezes, residentes em Algrele, a S. M. o Impera-
dor, quando all chegou :
t Senhor I Os subditos portuguezes residen-
tes oesta cidade nao podem deixar de cotnpar-
gretenses, pela auspiciosa pri
perial.
t Ainda ha pouco, quando
florescente canlo da provi
pelas forgas paraguayas, e
seus habitantes, nao deixamos
inminente: boje, mudada
exultamos com elles.
Bem vindo sejais, Senho
Quando urna nago se v
46 s. da t.
e 22 s. da t.
12 s. da t.
. e 16 s. d l.
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda Ss. Martiniano, Elysioe Saturnino trs
17. Terga. S. Florentino b.; s. Mariano ro.
18. Quarta. S. Lucas evang. ; S. Theodoro m.
19. Quiuta. S. Pedro de Alcntara f.
20. Sexta. S. Joao Canelo ; S. Crapazio m.
21. Sabbado. S. L'r.-ula e suas comp. vv. mm.
22 Domingo. S. Ladislao f.; Ss. Heraclio e Alodia.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as I horas e 18 m. da tarde.
Segunda asi horas e 42 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a H e 30; para o nem
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias I dos mezes de Janeiro, margo, maio,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figaeiroa dt
Faria & Filho.
lilliar do jubilo quo doraini o corago dos Ale- da as forgas paraguayas de Robles, enguanto o Receba, pois, V M InperW recebara Soas Al-
mrPh,r?.eme"0 !'"* ,.inh* eSUd0 nrl i)n(!0roii- as augustas princezas, as felicitagf.es qoe Ihes
dirige o commercio da praga do Rio de Janeiro.
senga de V. M. Im-
'imos ameagado este
: cia do Rio Grande,
terror pousou sobre
de sentir a desgraga
tristeza em galas,
insultada e vilipen-
diada, uobre ver um povo i ileiro erguer-se para
vingar a affronla; muito m
do seu soberano, que o chama
da gloria.
* Acceitai, Senhor, nossa
parte de filhos de um povo
acha muiio ligado pelos lagos
giao e linguagem, e por vinc los anda mais for-
tes, os da amisade.
Vemos ao mesmo lempo im Vossa Magestade
o augusto lio do nosso ador do rei; e se nao po
demos, como outros mais feli
so throno offertas dignas de a
ao menos erguer ardentes vot
------^.^.-w j, i i ni 'i' ni' "i .- (- ir '.- 11 '- i i
da preciosa vida de Vossa M gestada e da augusta
is nobre ouvir a voz
e o conduz ao campo
humilde felicilago,
que com o vosso se
de parentesco, reb
marchara mais pelo sul encostado a fronteira de
Entre-Ros a ataca-las pela frente.
Notos batalhoes tinham vindo engrossar este
exercito, e j nio havia duvida que Urquiza torne-
cena pelo menos 5.000 homens. Por outro lado
approximavam-se do Uruguav as tropas brasileiras
que marcham pela provincia do Rio Grande, e os
alhados abrirao assim com mais de 50,00 a cam-
panna de Corrientes, onde Lpez nao linha talvez
17,000 actualmente.
S. M. o Imperador tinha recebido em audiencia
na Uruguayana o Sr. Thornton, como enviado da
'_raa-Bretanha, e licaram assim reatadas as rea
entre os governos inglez e
ces diplomticas
brasileiro.
O Sr. Thornton fallou nestes termos:
- Senhor.Tenho a honra de passar as mfios
_
S. M. Imperial dignou se de responder :
Agradego de todo o corago as felicilagoes que
nos dirige o commercio da praga do Rio de Janei-
ro, pelo planslvel motivo da qu'ia da Uruguayana.
^ Depois de apresenlada a feheitacao, chegando
S. M. Imperial e Altezas janella do palacio, fo-
ram phrenetica e enlhusiasticaraente victoriadas
pela multido que all se havia congregado.
O corpo comraercial seguio a p, sempre coberto
de acclamagoes, em urna marcha (riumphante e de
ovagoes at a praga do commercio. onde, depois
de enthusiasticos vivas, se dissolveu a reunio.
A [lima, cmara municipal dirigi ao mini-tr > do
imperio, por occasiao da feliz noticia da rendigo
de Uruguayana, a seguinte felicilago :
Illm. e Exm. Sr.O bnlhanie iriumpho que
es, depor ante o vos-
irego, sejanos licito nhecida
8 p"la conservago
\ wt-h ',"",'.r,al a carla Pr m>1M da aual S. M. a; adiante dos muros de Uroguayaoa acaba de obter
i* '"Slaerra se dignon de acreditarme em a causa da justiga, da humanidade e da civilisacao,
missao especial cerca de \. M. Imperial, e eu rogo representada pelo Brasil e pelas naedes alliadas,
nh J i S Sn8 de aco,her eom sua reco" Conlra barDaro immigos que ousaram profanar o
deci ment de vosso
ossas armas, que
justiga. Algrete, 8
familia imperial, pelo engrai
imperio e pelo iriumpho das
o da civillsacSo, da razio e dL.,.
de setembro'de 1865. Os COI mtissionadoi, Antonio
Mximo Gomes da Silva, Jos Joaquim da Costa
; Sobrinho, Joao Antonio Toir, s.
_ 4 _
j No vapor americano Menta i< chega ram o tr^ne-
ral Charles A. Washburn min stro dos Estados-Uni-
dos tesidente no Paraguay e ( general W. Wallace
W. Wood, encarregado por n: aitas familias dos Es-
la los do sul da Uuio Americ ma de tratar com o
governo do Brasil sobre a em grago para o impe-
rio de muitos individuos daqi elles estados. Diz-se
que o numero dos emigrante: sobe a 60,000.
benevolencia as segurangas de sincera
amisade, e as particulares expressoes [exoressions
speciales) que meconfiaram S. M. a Rainha e meu
governo.
Sou encarregado de expressar aV. M. Imperial
o pesar (regret) com que S. M. a Rarinha tem visto
as circumsiaocias que acompanharam a suspensao
das relagoes de amisade entre as corles do Brasil e
. da Inglaterra, e de declarar que o governo de Sua
Magesiade contesta (desainas) da maneira a mais
solemne toda intengao de ofiensa dignidade do
imperio do Brasil; que Sua Magestade aceila ple-
namente e sem reserva a deciso de S. M. o Re
digao da torga paraguaya, < ue invadir o nosso
territorii em Uruguayana, liversas familias gra-
das reuniram-se em casa i o Sr. commendador
Costa Ferreira, em S. Chris ovao, com o fim de
irem cumprimentar a S. M. a Imperatriz por to
assignalado successo obtido
Cora elTeilo, a's 9 horas
gentil de senhoras
gosto, formara a guarda de
presidido o prestito de urna
distioctos amadores, dirigiq
nal.
S. M. a Imperatriz di
todos o ingresso, para lerem
augusta mo e as das seren
se achavam a seu lado.
c O Sr. Francisco Manoel
lente reformado da aru
telas armas alliadas.
da noite, um grupo
vestida com sirnplicnlade e
honra a' bandeira, e
banda de msica de
m se a' quinta impe-
territorio da patria e Insultar no-sos brios, v-io sa-
tisfazer os mais ardentes votos da nagao Brasilei-
ra ; ella reconhece que o deve proteegao do Dos
dos exercilos, ao patriotismo do seu inclyio Impe-
rador e sabia cojperagao do- e ospicuos cida-
dos que se acliam eacarregidos la alta adminis-
trago do paiz, e dos que os precedern em to
honrosa missio.
A cmara municipal do Rio le Janeiro, pos-
suida do mesmo enihusiasmo qu-- -entera lodos os
Urasileiros, tem a honra de acres^entar a V. Exc.
as mais cordiaes e sinceras cmgraiulages por to
. assignalada victoria, cuja gloria cabe em grande
aos ueigas, e se considerar feliz em nomear um I parte aos patriticos cidados de que se compe o
ministro no Brasil, logo que V. M. Imperial estiver ministerio, que valiosos ttulos adquiriram ao re-
prompto a renovar as relagoes diplomticas. peito e gratidao de seus compatriotas desJe qae de-
bu acredito ter li-lmente interpretado os sen- claravain a far; do muodo con-isr o seu program-
timentos de Sua Magesiade e de seu governo, e'nn em salvar a dignidade da nago ultrajada pelo
vencido de que V. M. Imperial ter a | audacioso estrangeiro.
se, pus, V. Exc. aceitar e apresentar
aos disliuctos cavalheiros que fazem pane do mi-
nisterio do qual V. Exc. muito digno chefe, as fe-
licilagoes que pela rendigo de Urnguayana Ihe di-
rige esta cmara em su norae e no da briosa po-
pulago fluminense que ella gloriase de se apre-
sentar.
a, ._----------- wmw (<-'. um uii/vi im ili u i i u u iiuiiiv.17 i;
i ao espalhar-se inte-honi m a noticia da ren- bondade de aceitados no mesmo espirito de concl-1 > Dicne-'
paquete Brasil, leu ento en presenga da imperial
familia, um pequeo discu
nhoras.
Em seguida, todos desi
achavam collouadas estante com luzes, para ser
non se de permittir a
a honra de beijar sua
ssimas princezas que
Alvares de raujo, Io
ada, commandaue do
so em nome das se-
erara ao pateo onde se
e Deus salve a Pedro,
os diversas vezes por
entoado o hijntno nacional
os quaes foram interrump
vivas que partiam do povo.
Sua Magestade e Altezas dignaram-se assistir
da janella a esta demonstrpgo de amor que Ihe
tribulavam aquelles sbitos,1 fi.-is, que Miraram-se \
as 10 1/2 horas, levantando vivas a' Suas Magosta-
des e Altezas, a' nagao braf teira, a' trplice allian-1
que foram en-
liagao com que foram dictados.
Sua Magestade se dignou responder :
Vejo com sincera satisfaeio renovadas as rela-
goes diplomticas entre o governo do Brasil e o da
Graa-Brctanha.
A circunstancia de to feliz acontecimento
realisar-se onde o Brasil e seus leaes alliados ac-
bam de mostrar que sabem unir a moderago
defeza do direilo augmenta meu prazer, e prova
que a poltica do Brasil continuara a ser inspirada
pelo espirito de harmona justa e digna cora todas
as oulras nagoes. >
Sui Magestade tencionava partir a 25 para S.
Borja, voltar talvez a Urnguavaoa, e seguindo ao
longo da fronteira oriental r'egressar a Porto-Ale-
gre e d'alli recolher-se a corte, cumprida assira
gloriosamente a sua patritica tarefa no RioGran-
. de do Sul.
O Nacional de Montevideo refere como boalo
: que S. A. o Sr. conde d'Eu continuar a campanha
j ao lado do marechal Osorio, e S. A. o Sr. duque de
Saxe acompanhado do vice almirante visconde de
Tamandar. Ignoramos o fundamento que possa
' ter esta notici. '
Do lado do Paran temos datas at 22.
A nossa esquadra continuava tranquilla e de-
sassorabrada no rincn de Solo. Longe de virem
Depois de longa e penosa enfermidade, fallecen
hontem pelas 5 horas da manha o Sr. conseiheiro
de oslado marquez de branles, Miguel Calmen
du Pin e Almelda, senador do imperio pela provin-
cia do Cear, veador de S. M. a Imperatriz, prove-
dor da santa casa da Misericordia e presidente da
sociedade Auxiliadora da Industria Nacional e do
Instituto Fluminense de Agricultura.
Era grande dignilario da ordem da Rosa, graa-
cruz da do Cruzeiro, da de Nossa Seobora da Con-
ceigo de Portugal, e das reaes ordens Constanti-
niana das Duas Sicilia*, Italiana de S. Mauricio e
S. Lzaro, de Leopoldo da Blgica e de Carlos III
de ilespauha.
Exerceu por vezes o cargo de ministro e secre-
tario de eslado, especialmente as reparligoes da
fazenda e de estrangeiros, no primeiro reinado, du-
rante a minoridade e no reinado actual.
Para assisir ao enterro, que se eftoctuar boje
as 10 horas da manha no cemiterio da ordem 3*
ga e au exercito e armada i
tbusiasticamente correspom
Os raembros da praga
resolveram ir ao pago de |>. Cnrislovo felicitar a
S. M. Imperial e suas anguilas filhas, hoje as 5 ho i
ras da tarde, pondo para ese Um a' disposigo das
pessoas que quizer-m pars tornar nesta felicilago
a barca l'ravtata na praga las Mantillas. Os Mne-
les distribuem.-so na prac-
dia em diante.
us estudantes da esco
preteudem esla Urde pero
acioaai
idos.
do commercio tambara
do commercio do meio
cidade precedidos de umaj
compriineiitar os merabros
Tendo o Sr. inspeciofl
lindo o expediente a' un.
a de medicina tambem
brser afumas ras da
baada de msica e ir
do ministerio.
da alfandega dado por
a hora da tarde, reuni-
ram-se os empregados des a repartigo, e precedi
dos de urna banda de mu ica e das tres baudeiras I
das nagoes alliadas perco reram algumas ras da (
cidade, e foram comprime tar em suas residencias
OS merabros do gabinete,
repblicas Argentina e Or
M. o Imperador, a' naco
ataca-la os vapores paraguayos, dizia-se que Robles de S. Francisco de Paula, noraeou o Sr. presidente
tirava da batera das Cuevas a sua artiiharia, anles; do senado, na (orma do regiment, urna deputago
que o viessem azer os alliados. composta dos Srs. senadores Jos Maria da Silva
Km trra tinham os Paraguayos uus 5,000 ho-1 Paranhos, Jos de Araujo Ribeiro, vinconde de Sa-
mens na margem esquerda de Santa Luzia, e na pueahv, Bernardo de Souza Franco, Zicarias de
direita o grosso do seu exercito, urna de cujas; Ges e Vasconcelos e Jos Ildefonso de Souza
divi-oes chegou a S. Roque, e na forma do costume Ramos.
saqueou a povoago. Os generaes correntinos | Em demonstragao do seu profundo pezar, recom-
L-aceres e Hornos coutinuavam a vigia-los de | n.eudou a mesa uo Srnado que a secreuria se con-
|)e^!0- ; serve fechada por tres das, e o Sr. ofJkial-raaior e
>o M'rseii vieram o capito Francisco Sabino offlciaes da > esma secretaria e mais empregados
frenas dos Iteis e o 1 lente da armada Francis- j daquella cmara, acompauhando S. Exc. o Sr. pre-
co Jos del- reitas por parte da missao especial e' sidente visconde de Abal, resnlveram tomar lulo
no vice-aimirante com a noticia official da rendigo por oito dias, a contar de honiem.
*2S15?0*" ... O mesmo lempo de luto toman os empregados
Acorapanha-os o commandante da torga rendida, das diversas repartidos da santa Casa da Miseri-
o coronel L-ligarribia, quo pretorio vir residir cordia.
nesta corte, emquanto o padre Ruarle parece que 7
) os Srs. ministros das
"in ii. dando vivas a S.
brasileira e aos alliados,
que foram correspou lidos com enthuasmo.
Os empregados do cifrreio, os estudantes da i
escola de medicina e os o
guarda naciooal lamben;
com diversas msicas e
alliadas. >
Acara em Buenos-Ayres.
O vapor Apa deve trazer-nos prximamente uns
800 Paraguayos prisicneiros.
6
Ligo que chegou o vapor Gerente com a notcia
da capitulago de Uruguayane, o commercio do Rio
de Janeiro se reuni e deliberen solemnlsar bri-
llantemente este felto de gloria para o paiz.
Por tres dias diversas bandas de msica tocaram
Embarcou hontem a brigada da guarda naciooal
da Babia composta de 1,200 pragas, a bordo dos
vapores Leopoldina a Princeza dt Jame ule, assis-
tiram ao embarque os Srs. ministro da guerra, aju-
dante general do exercito, visconde de Camam,
inspector do arsenal e varios olciaes.
Deve partir era breve para o Rio da Pratt o
vapor de guerra nacional Recife, levando a seu bor-
liciaes do 3" batalho da
percorreram a cidade |
precedidos das baudeiras
Pelo ministerio de agrjcaltura, em portara de
2 do corrente foi nomeado Jos Manoel de Almel-
da para agente do correio da villa de Tury Ass,
no Maranho, em conseqoencia de demisso conce-
dida a Antonio Julio da Costa Leile.
Pelo mesmo ministerio, baixaram os seguales
avisos :
A 21 de setembro expejdio-se aviso ao presidente
de propriedade naciooal
las aguas do Tocantins
je tendo o governo rape-
aos voluntarios da pa-
lla a guerra com o Para-
da provincia do Para', q
rial de distribuir terrencl
tria, logo que, termina
goay, regressem as torga expedicionarias, e sendo
entina ueste imperio.
O vapor inglez Knv-Kee, arribou a curte, d'onde
sahira a 23 do prximo passado com deslino a Chi-
na, declarando o capito l-lo toito por falta de con-
digoes naulicas na construego do navio.
Eis una carla do Sr. Jos C Buslamante, que
narra particularidades da tomada de Uruguayana :
Campo da Victoria na Uruguayana, 19 de se-
os terrenos banhados pe
Araguaya, baja aquella
presidencia de dar todas as providencia-, afim de
que desde ja' sejam colindas todas as informagoes,
nao s relativas a' natureza desdes terreno-, na
parte que pertence aquella provincia, como sobre
os pontos que melhortls proporges olerecerera
para o estabelecimento Ue ncleos de colonisago |
nacional, bem como sobve a facilida'de das commu-
niear.5es, tanto entre os ditos pootos e o litoral da-
quela proviocia, como em relago s povoagoes
do norte de Goyaz. >
t Com data de 14 dej setembro expedio-se aviso
ao director do correio para que a correspondencia
que goza de Isengao de porte para as pragas das
torgas em operagoes to Rio da Prata siga pelos
paquetes brasileiros, vitto acharera-se restabeleci- i
das as viagens regulares desles.-Communicou-se
aos cnsules do Brasil! era Montevideo e Buenos- i
Ayres, declarando-se-ihes que pelos mesmos pa-
qnetes d'alli deve ser enviada a correspondencia. >
r 5
No dia 4 do correnis dirigiram-se diverso, ne-
gociantes, levando lgidas as baodeiras nacional e
americana ao Exange Hotel, a cumprimentar o I
Sr. general W. Wood,; encarregado por numerosas
familias dos Estados-llJuidos de tratar nesta corte
de sua emigrago pan| o imperio.
O Sr. general Wood raostrouse penhorado por
asta publiea manifestar >, a que associou-se gran-i
de concurso de povo. !
Mais tarde daremos aos nossos leitores o discur-
so que em nome dos negociantes foi ento pronun-
ciado, como saudago ao Ilustra general, e bem
assim a sua resposia.
Entrou tambem honiem o paquete inglez Mersey
do Rio da Prata com datas de Buenos Ayres at 27
e Montevideo 29 do passado.
Havia all noticias "da Uruguayana at 24. O
exercito alliadoj priikcipjavaarepassaroUrognay
para a margem correutina, e suppunha-se que o
geueral Flores com 13,000 homens marchara di-
reito sobre acidada is Corrientes a cortar a retira-
na praga do commercio, a qual esta va erabandei- do o r. Jos Marmol, ministr da Repblica Ar-
rada e as tres noutes illuminada.
Ante-hontem as 5 horas da tarde embarcaram
cerca de quinhentas pessoas em dous vapores em-
banderados, e chegando a ponte de S. Christavao
ahi encontraram o presidente o secretario da praga,
que os espera va, e muitas pessoas de S. Christovao
que eram dirigidas nessa recepeo pelo commen-
dador Cosa Ferreira, assim como a olflcialidade
do 3o batalho da guarda nacional.
Assim reunidos caminharam para a quin'a im-i
perial, onde liveram a honra de ser recebidos por' tembro de 1865
Sua Magestade a Imperatriz e suas augustas1 Meus queridos amigos.-Hontero escrevi-lhes pe-
III|IR-- lo Hctor, o qual, como carta viva, adiaotana as
Lma vez na presenga de-sas augustas senhoras, | michas noticias com alguos pormenores e mais al-
e tendo obtido venia de Sua Magestade a Impera-1 guma coma que poSsa ler saccedido nos instantes
tnz, profeno o Dr. Thomaz Al ves Jnior a seguale que Se deraorou aqu depois de acabada a miaba
allocugo: arU. ^
Senhora! Cahio Uruguayana! Os anisaros! Hontem a tarde entraram na Urnguayana o Sr.
do despota do Paraguay ja nilo ps.im o territorio d. Pedro II, o general Mitre e o general Flores
da provincia do Rio-Grande, urna das resplande-; acompanhados dos seus eslados-raaiores.
cenes estrellas da coroa brasileira I A cidade aprsenla nm triste aspecto; Dio ba
t Eis a nova que poz em alvoroco os habitantes ne||;, uma ,< familia nem um so paisano,
desta cidade ; eis o grande feilo que eoche de en- as casas esto completamente destruidas ; a to-
thusiasmo
esta trra
porque o commercio desta praga congregado em I pjo ha gomo duvidar de que os Paraguayos Uta
corporago fraternal vem hoje a presenga V. M., ama queda mu pronunciada para a destrnigo qoe
Imperial. n-,,, \\)r< acarreta utilidade aliiurna. Qnal o Un
Senhora, nao era possivel conservarmonos si- qae veram estes innocentes quebrando lodos os vi-
lenciosos e indifferentes ao movimento que desper- ,jros das jaoellas ?
e alegra o corago de todos que amara jahdade sem portas; uma destruigo total quo
de Santa Cruz; eis finalmente a razo jaz ira.
ta essa noticia; uo s para a gloria da nago,
para o futuro de suas relagoes na margem do Pra-
ta, como principalmente pira um testemuuho de
honra, de progresso e civilisago queda o paiz ao
muodo ioteiro.
Presumo que os Paraguayo-, espantados por se
acharem to feios cora aquellas inmensas barreti-
nas, de que j Ihes fallei, tomaran) por inimigos
aos espelhos e vidros, que reproduziam as soas es-
tramblicas figuras, nao posso descubrir outra eau-
Na ausencia do soberano, chefe do estado, na sa a- 0gensa que elles lera a um objecto de grande
impossibilldade de Ihe tribuiarmos os votos de nos-
so sincero agradeciraento e elerna admirago, cor-
remos pressurosos a depositar prante V. M. Im-
perial, a augusta mi sempre constante dos Bra-i-
utilidade, e que serve de adorno e mesmo de en-
canto para todos os seres, al para os menos do-
msticos do mundo, seno veja a alegra qoe pro-
duz ao cao e a curlosidade que desperla no gato
leiros, a consocia eminente e Ilustre da gloria do quando estes animaes se veeru retratado em
reinado do Sr. D. Pedro II, as felicitagoas que pres
tara o paiz inteiro, e especialmente os da corpora-
go que ora aprsenla mos.
pelho.
Por certo que as casquilhas
do genero em geral, allud-
i a |ui, r m perdi
seres menos racio-
Se no throno de V. M. Imperial se sentam os naes) devem estar furiosas contra os Paraguayos,
nobles sentimenlos da alma, parlilha de loda a hu- au8 ass,n as teern privado de tanto amigo lti
manidade, se o amor conjugal e maternal ahi res- discreto confidente...
plandece com tanlo'acrysolamento, fcil avahar
qual nao deve ter sido a dr de saudade em o co-
rago de V. M. Imperial com a ausencia de S. M.
o Imperador e Suas Altezas.
c Mas na misso pura que Dos consagra aos
grandes da ierra existe ura sentimento que abafa
todos os outros, c odever de fazer, a todo o transe,
a felicidade dos povos -, e assim, pois, reconhecen-
do em V. M. Imperial essa conviego. estamos bem
cert03 de que seu nobre corago se jolgar feliz e
ter achado lenitivo completo para a saudade.
< E ainda reconhecidos nao podemos deixar de
felicitar a V. M. Imperial, que no sacrificio toito
com a ausencia de S. M. o Imperador e Soas Alte-
zas, v smente o cumprimento da dever do cida-
do em defeza de seu paiz.
A Uruguayana nao pode competir com neobaaa
das nossas principaes povoagdes do litoral. Nao
tem a graga do Salto nem a magestade de Pay-
sand.
K uraa povoago vasta, espargida aqoi e all sea
semetria nem ordera, sobre uma collina pouco ele-
vada, o terreno de suave declive e desigual, as
ras saturnamente limpas, anda em temos mais
chuvosos, pois participa da vantagem de todos e
terrenos da margem do Uruguay : summamenie
arenoso e coberto de pedregolho.
O aspecto da cidade lgubre por cansa das te
Ibas que cobrem a maioria das casas, apezar de
haver muitas construidas recentemenie. As de *o-
ta sao muito poucas. O aspecto da cidade loma-
se ainda mais triste pela construego das janeUas.




-
>" "'
"**

alario e **ernaialmeo Segnud* Hl a a de Outubro de *<
todas em geral a gMotimt romo so nsam em Ka-
ropa, e particularmente em Kranca e Inglaterra.
Os nicos edificios pblicos do atguma importan-
cia sao o templo principal e o theatro, situados um
em frente de ootro. 0 primeiro excede muito em
mrito ao segundo. Nao est concluido, porm pro-
tnette ser un templo de primetra ordera, apezar de
ser tambera roberlo cura telha.
Aqui tudo telha, e procuro com aociedade o
encontr de algum vistan para ver se tambera te-
va chapeo de telha.
A Uruguayana oceupa um espaco de o Olmas
em derredor, penco mais ou menos a mesma dis-
tancia que oceupa a liuha de fortificacoes. Nati
tem suburbios ; urna ou oulra casa prxima da
poveacao e algons ranchos sem importancia eiam
a nica cousa -qtiis se achava fora da linha.
A trimheira est pessimtmente construida. Urna
pequea paite dtla feila de njolo sen) argamas-
sa ; a maior parte c de pao a pique cum taboado
pelo lado de dentro, e sobre es5e parapeito vinha
descansar a trra tirada dos fossos, bastante insiji-
nilicantes tambera, com cujo pese linha cnido pa-
ra den'.ro em muios parles a linha, diminuindo
por ccasegulute a altura do parapeito, que cm
geral nao excede de pouco Ktais de urna vara e
quarta.
Os fossos em muitas partes nao teem meia vara
Toda esia linlu estava confiada a pouco mas de
'.OOO homens, pois'ha-na povoaeao grande quanti-
dade de enfermos, e defendida por o pecas tu art-
Ihana. e nao por 8, como disse honiem, porque as
2 que foram mandadas a Duarie erara as que fo-
ram deixadas imprudentemente felos Brssileiros,
posto que nos expoohamos a alguma rectificacao
do ante hypeibohr.o retlilicador que appareceu na
Tribuna cura ares de Mentor, e a qual respondere-
mos como ja respondemos aquella.
Urna das pe;as lomadas foi apreseotsda ao gene-
ral. E' urna pega histrica
Tem o seguate dstico Liberdads, Iaualaaae, e
foi construida em Pars em maio de 1793, por II
ben-le-Jetrea. E' de calibre i.
Quiotes'tiros nao lera dispare*) este cannio,
quautos feuos a'arraas e episodies'c > presenciara
durante revoluco, periodo eic que represeutou
sem duv: la o sen mais importante papel l
E depoz de tudo Uto vir a servir a Lpez 1
Vamcs lava-la da m.icula de Uunanho peccado,
vollando-a contra elle 1
Tambera foram aprsentelas o general duas
bandeiras ; urna dellas bonvo elle por bem ceder-
vios, signos Sus quaes deviam ser Oais Tormida-
veis, e come fl construcejio testes caves deva nSo
so dar entrego aos constructores americanos, mas
consegertntemenle trazer urna cofcMderavel sorama
de oaro aos nossos cofres, John Bul! immediata-
raente mandou crear obstculos a esta empreza. e
procurou obter do Tycoon o previlegio da cons
de
Era nemsario terminar a queslo surtamente,
e assim se fez.
s 3 1/4 horas da tarde o ministro da guerra
mandou avisar a S. M. o Imperador que tudo eslava
concluido, que Esligarribia e seus soldados tiaham-
se rendido.
Os generaes Flores e Milre com o seu estado,
tnaior aproximarara-se s portas da villa rendida-
ficando da parte de fora das trincheiras.
Ser isto ama inmensa fortuna para o Bra- Hoje que O oleo de figado de bacalbo
sil; porque esto a colouisaco que nos serve, tem-se tornado um dos agentes OS mais in-
sertos TCm campos de- porlantes e preciosos da therapeutica, quem
Oftereceu se para marchar como voluntario descobrio o meio de o tornar de um uso fo-
ca guarda nacional, que destaca para a guerra, o cil para todos, prestou um verdadeiro ser-
Sr. Antonio Augusto de lloara Novaos. co arle de curar e aos praf,coS-
Moco de educacao, i couceituado, e dispondo de ___,_____'___, .___,.
principios literarios de commercio, tudo o su-1 Por sso nao podemos concluir melhor
irucgo de navios para elle, e ao mesmo lempo
imprimir um desar no nosso creseente nome como .,
constructores de navios para potencias eslrangei- t Eolio chegou o ministro Ferraz com Estgar-. bordina aos impulsos do patriotismo, que acta era do que felicitando O Sr. Lhevner por sua
ras. : ribia. J seu^coraco ; e assm ei-lo dando a' patria a dedi- rca e ui[ descoberta que merece de ser
Mr. Bull vio com pesar a armada rnssa Torne- t Ao dizer que estava reodido, o ministro Ihe cacao deque ella careco j pelo que se torna digno nroi)aada e dizer com meu colleca O Sr
oda pelos americanos com a corveta Iwpmest e o tirou a%espada e o revolver que trazia cima, de elogios. IC nT-u-i-i ...--i*.-- ___.,.^.nm
famoso General Admiral, e a italiana rom o Re Atraz vinha o celebre frade Duarte ; este misera
d'Italia e o Re Don Luigi de Portogalo, e soube vel vinha tremendo, oem poda camluhar, e o ge
Caixa filial do banco l'ernambo co.
A caixa descorna as letras de sen aceite prta.
paitxa de 60|0 ao anoo.
Ogoarda-livros
Ignacio Sanes Correia.
ALFANDEGA.
Rendimeato do da i a 13......
Idera do da 14...............
que S. M. Catholica Izabel d'Hespanha desejava' neral "brasileiro Cabral linha que ajuda-lo.
que um constructor americano fornecesse ao seu t Este era o valente que quera morrer como os
estado tres fragatas a vapor de 1" classe, e que o Espartanos.
Era tal o medo, que para tranquillisa lo o ge-
neral Cabral disse-lhe : nao tenha medo, que o Im-
perador garante sua vida.
A's cinco horas da tarde, os representantes das
Tyeooa linha encommenddo quatro navios, dos
qnaes um j estava prompto.
e Ora principe do Japo linha qnefmado um na-
vio inglez, e urna guerra picoyvns progredia ; era
um negocio local e nao um acto imperial. Mas
sobre este pretexto o ministro ingles em Washing-
ton protesiou contra a partida do Fuziyama, e es-
cudou o protesto com o boato de que este navio
era destinado ao servieo dos rebeldes. Por este
motivo o nosso governo deteve o navio, que nxe
pode sahir al boje.
t O seguate documento falla por si mesmo:
t Executice mmisiou."Washington junhe :C,
1865.Visto que nao ha necessidade de continuar
a prohibicao da partida para o seu destino ao va-
por Fuziyama, construido em Ntw-York para o
governo japoaez, ordenado que a prohibicao seja
ren.ovida.O secretario do Ihesouro queira por
tanto dar um certificada ao Fuziyama, e o secreta-
rio naval nao Ihe pdr obstculo algara.Andrew sao peires que bichos 1
Johnson, b Conforme iam sahindo, erara
Anda no mesrac jornal se le: | repartidos pelos tres exercitos.
Os poucos oflSeiaes que haviam
armas.
- m amigo nosso, que de presente anda pelos r. Hichelat os trabalhos que conduzem as
serloes, nos escreve de Granito em data de 20 do descobertas d'CSta especie devem ser pro-
J61:8
S65:ll*:'.9
passado, Hundo o segunte :
Custa a crer o que se passa por estas trras
em materia de governo ou desgoverno : ninsiuem
se pode julgar seguro em seus direilos, inclusive
o de vida : iohalei nem autoridade a quem um
pobre chrislao recorra, em qualquer aperto. As
autoridades daqui nieltem medo, at pela cara.
MOYIMEtNTO DA ALPADEGA.
Volumes entrados com fazendas....
com genero?..... 8'
ires potencias alliadas aproximaram-se perlo das Imagine a geute mais1 miseravel da localldade, a
trincheiras para verem desfilar es prisioneiros que
tan sahir.
t O Imperador estava no meio, o general Flores
direita e o general Mitre a esqueeda.
Que quadro pungente offereceu-se enlao a'
nossa vista I
< Os soldados paraguayos Infundiam compaixVa por una turba mulla de gente
e de.sprezo ao mesmo lampo. \ que i raticou excessos de violencias,
Parecan) loucos fugi.los do
seus trajos e physionomia.
t Pareciam cadveres ambulantes.
Em sua physiooomia estava pintada a fomo e
a miseria.
O general Cabral, ao v-los, exclamou: Isto
mais gralmente odiada pelos seus precedentes, e
perversos costumes que est desenhado um agen-
te de governo aqui, onde os melhores cidadaos,
por sua posico social, accoes e riqueza gemem na
oppresso. Anda ha pouco foi atrozmeute desfei-
liado o Gualter de Alencar, cuja casa foi invadi-
de-nfreada,
sem ter para
hospital, pelos \ isso o menor motivo 11 K saiba que Gualter ju-ta-
raente aqui muilo estihiado ; ese com elle assim
se pratlca, que direi dos pequeos e forasteiros 1
Dos queira, porm, qjue este estado de cousas nao
Esteve bellissima Cesta que no dcmmgo pri
meiro do correte des a sociedade Euterpe, no Pas-
seio Publico, em fa-ver das familias das pragas do
corpe policial, que desta piovincia marcharam pa-
ra o sol em deten (a palria, tendo sioo o pnmeiro
bataMio que se dlerecen.
A conenrrencia foi grande, a-czar das ampa-
ras de mao lempo e provavelmcote a colheita de-
' ve ter correspondido aos seotimenlos das pessoas
que la foram. As esportulas eram recebidas por
; duas gentis meninas, vestidas de tranco.
O Passeio estava todo eufeilado com bandeiras,
e sobre um pa'anque de folhagem locava a socie-
u ser entregue ceo presente de bem rae- dade Euterpe as pecas do programla.
rreida retribuico a sua esposa, que se diguou mi-, O fogu, allegonco Ja baUlhe de Riacboello, foi
mosear o nosso baUIbao en o Brandarte que tre-, ramio apreciado, nao ob.-taiiie ler sido de algum
mn'a hoje* uos, a centro. j modo prejutlicado pela chuva.
Todas as declarares que colh aulenormeule sa- Ilouvo poesias, que foram muito applaudidas e
hiram exaelssimas. companhtdas de estrepitosos vivas. A sociedade
Nao resta duvda que oc Paraguayos premedita-; Euterpe contnuou a tocar varias pegas para obse-
vam um plano. quiar o grande numero de pessoas que se demora-
Tmbam construido por;ao de canoas sufQcientes rain de satisfeito o programma.
para conter 40 homens t CO. Fe una excellente idea, pela qual merece en-
Muitas ha anda na mesma praca. coraras a soce.lade Euterpe, <| Haviain construido ttmbem urna quantidade de te lem feito grandes pr.-gressos na arte que cul-
prsnchas e balsas assentadas sobro pipas alca- tiva.
t Eu mesmo, fallando com Esligarribia, a quera
eonhecla do Paraguay, pergiiutei quautos erara, e
disseme que nao chegavam a 6,000.
t O resio navia morrido e achavam se na povoa-
gao mu i tos doentes,
t Acabada a sabida dos prisioneiros entramos
na villa e foinos a igreja, quo era delles o quartel-
general.
Alli havia alguns pobres dabos deitados.
O Imperador mandou que viesse imraediaia-
mente o corpo de satide para a-sisli-los, e dirigin-
do se para mira disse-me : Cuidaremos desses
infelizes.
A villa era am cerailerio e exhalava um chei-
ro anuseabundo.
acabe em agua turva
Ficaram a carga; no Rio de Janeiro, para o
nosso poito, a barca Corea e o brigue Lusitano
os prisioneiros ambos portoguezes, e o brigue brasileiro Adelaide.
Hontem deu o Club Pernambucano urna ex-
sahrara sera plendida partida em regosijo da rendicao de Uiu-
j guayaca.
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Clievner
sobre o oleo de figado de hacalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste, em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalbo. 0 oleo
de figado de bamlho ferriginoso de Che-
vrier constitue talvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iodaro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lbo se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vias digestivas e por consequencia
se assimila muilo mais bem do que sob a
forma de pillas ou xaropc. Etnlim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipado. E' assim que Abanos.......
os doentes, cujo estomago nao pode suppor- Agurdente de cana .
tar nenhnma preparac3o marcial, lomam fa- dem restilada nodo rali
cilmente o oleo de figado de bacallto ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer 1.J
Volumes sabidos cera fazendas..... 15
co.o gneros..... 181
-------- 1)5
Dcscarregam hoje 16 da correte.
Barca inglezaSeranhma mercadorus.
Barca inglrza mpeiudor f irinha de trigo e
mais gneros.
Bri.'ue inglezLen caavao]
Brigue hespanholCormacharque.
Patacho porluguezFartoidera.
LFANDEGA DE PERXAMIfl'CO.
PAUTA DOS l'BEf;0S DOS GNEROS S1JEI70S A leTT'">.
DE EXI'OIITACAO.SKMAMA DE 16 A M Wl 3IEI ..
OUTUHKO DE 1865.
Meicadorias.
Unidades.
. cent
. caada
- Hontem as 9 horas da manha enirou um no- <*ber um grande sortimcnto dos celebres
te, com o capito Sevanson, um passageiro e 6 pes- azeitcs desinfectado de Chevrier e ferrugi-
soas, procedente da lha das Rochas aoeste de Fer- noso de Chevrier.
PERNABRUCD.
R8VIST4 m\k.
Imadas.
A obra parece que '.ocava seu termo.
Nao se tem' pojide saber se se Iralava de uraa
evasiva ou de urna sorpresa esquadrilha brasilei-
ro, o que paiece que !he seria mais fcil e prova-
\i l, tratan lo se de am golpe desesperado.
Foram-me hoje en:regnes pelo general debaixo
de priso 1,400 prisuotiros, os quaes serao disiri-
bei los pelos cocpvs Je infamara. C;nsta-me que
lia uns 500 cu mais nos ouiros batallones. |
A malor parle o mocos; ha-os at de 13
auno-.
Q>- once etriamarao os leitores e tambera as
leiloras ao ouvirwa esta noticia, hoje que a malar
cunos da le do ma:s avaro mortal se satisfara com
am paragnayosito i
Por miaba parte nao sou nada egosta e cede \
los-lna lodos de-bem grado, o que uo faria se se
trata>se de para^uayasitas, das quaes aiuda afl vi
nem a sombra (ja se entende.)
Os Paraguayos esiio clieos de satisfaejio ao ve-
rem se tratados- cerno os traamos.
Caruearara-se-lhes qainxe rezes e mandes !hss
dar lauto p;o quanto foi possivel.
E" um meio suave de'fazer a caridade, e para
Deas protege a causa da rvilisaco I
As aspintcoes de todos os coracoes generosos
liveram a correspondente realisacSo com a vlcto-
nando de Noronha, trajzendo 6 dias de viagem.
Este bote pertencea galera ingleza Dwican Dim-
bar, naufiagada a 7 do correnle naqaella lha, em
sua vlagem de Londres com deslino a Sedny. Essa
galera de 1,374 toneladas, linha 60 pessoas de
equipagem e irazia 57 passageiros. Toda esta gen-
te acha se na referida ilha. que deserta, leodo-se
perdido o navio totalmente. O capito vera buscar
um vapor, para conduzir a -ste porto os nufragos.
Passageiros viudos do sul no vapor brasileiro
Tocanttns:
Cadete Rosendo Lopes da Silva, Dr. Luiz Gomes
Pereirae I escravo, Dr. Joaqun) Pedro Gonealves
da Silva, Dr. Joo Uayihundo Pereira da Silva, sua
seuhora, 4 lilhos e 5 escravos, Dr. Miguel Joaqoim
de Castro Mascarenhas, sua senhora, 6 filhos, 10
escravos e 2 criados, Pedro Joaquim da Silva Ama-
ral, sua senhora e I sobrinho, Pedro de Alcntara
Oliveira Costa, Adolpho Carlos Sane-bes, Jos Anto-
nio Guimares Nlto, Francisco Ferreira Rallar,
2 ex-pragas, I mulber e 2 filhos, 4 escravos en-
tregar, Antonio Jos AIvs da Cuaba, Felippe Mar-
a
Vetide-se na pharmacia de Pedro Mr.urer
C. rua Nova n. 18.
JURUBEBA.
o qual a populacao concorre de boa vontade, por- ria incruenta, que as armas bra^ileiras obliveram ques da Silva, Candido Jos de Cerqueira, Jos An-
u- sbreos Paraguayos em Uruguayana, onde de no- l080 lJa Cruz, Manoel Pereira Puntes Gribo, Relar-
que eoncilia a offerta do bolo com o prazer da mi
sica, do fugo, e da reunio variada.
Skugipe.At 4 do crreme, ultima data de no-
ticias, achavarase alistados 166 voluntarios.
Em consequencia de graves desintelligencias,
seguio para Itabaaninha o Dr. chefe de polica,
aim de pacificar os arrimos.
Al.vc.oas. O vapor inglez Galilea, da linha de
Liverpoul, apenas receben 10'tO saccas de algodao,
seguio para a Europa directamente.
Esla parte deixamos de incluir no supplemento,
que Hzemos distribuir no sabbado, por haver pas-
' sado na respectiva uaglaaco, seudo ella o segu-
ment da '1' columna que lindou as palavras
hymno da sua palrw.
i O -Imperador parou, e depoisde conversar com
ambas as personageus, o general Flores segaio para
o lerreuo do inimigo.
Pouco depois ehe^ou o presidente Milre, e os
I dous aoiigos coiitiuuaram avanzando sempre a par
Conhece-s que os desgranados n o comiam fea- jJ3 exerdlos.
vii Miuit.) lempo Agarravam o pflo com aneje- ;\o meio da os tres corpos o-cupaudo as posi-
goes que antes le disse, rodearam urna parte da
cidade, apoiaodo-se direila e a esquerdas das
vo irenrla o pavilhao nacional era todo o seu
garbo.
Desia grande nova foi portador o Tocantms, sea
do ella annunciada logo a' esla cidade por foguetes
queimados pelo telegrapho, a que se seguirn) re-
piques de sinos e nina salva real de 21 tiros, dada
pela fortaleza do Brum; e a populacho, que havia
pouco se erguera do leito do somno, foi assim de
todo despertada entre as emoews mais doces que
o patriotismo pode gerar em peilos.que eslremecem
pela ierra natal.
E pois, cora pouco as manifestarles mais solera
mino Pinto do Aranjo.-Francisco de Souza Macha
do, Valerio Jos da Flrauc, Antonio de Azevedo
Villarouco, Firmo Candido da Silveira, Possidonio
de Mello Aceloli, loaqoim Jos de Aranjo, Pedro
Correa Vieira, Luiz Pereira de drvalho, Jos Joa-
qmm do Oliven, Antonio Jos, Franci.-co Jos Lo-
pes, Joo de Stqueira Fernandes, Felippe da Silva,
Jos Manuel Bapusta, Antonio Teixeira Pinto, Jos
de Souza Guimares Jurior, Joao Antonio das Cha-
gas Craveiro, Manuel Pereira Colrim Jnior, Joo
Teixeira Machado, Francisco Ignacio C. e Silva,
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e pertence classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
o a com vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorgitamento de figado e bayo.
Ella tem sido applicada com inconlestavel proveilc
contra a anemia ou colorse, e hydropesa, catar
rho da bexiga e mesmo para combater a raensirua-
go difflcil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo dem.
Tintura dem de idem.
Xarope id-rn.
Vinho idem de dem.
Pi'.ulas de ext. idem.
Deposito, pharrmeia de Pinlo, ra larga do
sario o. 10.
.41 te 11 cao
dem canea.......
dem Rendir......
Idem alcool ou espirito de agua-
ardenle .......
Algodao em caroro .
dem em rama ou em la .
Arroz com casca.....
Idem descascado ou pilado .
Assncar mascavado ....
dem branco.......
Idem refinado......
Azeite de amendoiin ou mendo-
bim ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Rataias alimenticias ....
Rolacba ordinaria, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom .......
Idera escolla ou reslolho. .
dem torrado......
Caibros ........
Cal..........
dem branca ....
Carne secca (xarque) .
Carneiros .......
Carvo vegetal .....
Cavernas de sieupira .
Cera de carnauba em bruto. .
jdem idem em velas .
Cha .........
Charutos .......
Cevados (porros) .....
Cocos (seceos)......
Colla........
Xarope alchoolico de veame preparado ^SiSa*i
pelo pharmaceutico Jos da Rocha Prannos, I(](,m dem V(.rt]es y
dad i a alegra, e logo alllviaram aos nossos solda-
dos do peso, poi era um fechar de olhos consone!'
rara a graca de Dos, cum a^ual a casta de lautos
pesos se gSnha aqu o diabo, representado por
ess s usurario- que ebegam a pedir ora peso de
prata por ura pao
Os que reparli, devo declarar, em nome da ver-
dade e da minha bolsa, que nao custam mais
que meio pe.-o isto meio por meio, pois meio peo
e nao ootra cousa sao elles.
At este momelo, 6 horas, nao occorre ceasa
algum i, ri-in espero qo succeda.
Amanba prinolpio a pasar para a Resiaurajao.
Seinpre de V.Jos C. Bustamanie.
Baha.A junta da Associaco Commercal, pa-
ra o auno corrente, icou composta, oa ultima elei-
Co, dos Srs.: Manoel Belens de Lima, Joo Cerina-
bra, D.mingos Soares Pereira. Antonio Pereira de
Carvalh-, C. H. Williams, II. Hrenner, Jos Lope;;
da Silva Lima, Tneodoro Teiseira Gomes e J a-
quim L pes de Carvalbo.
Pelo vapor Qneida foi para a corte o raimo
de charutos e doce, destinado esquadra que to-
mn parlo no combate de Riachuelo.
.No da f. suicidou-se, com ura tiro de pistola,
o Sr. JolO Feroandes Chaves, ex-esenvao do foro
da capital, por desKostos de familia.
0 commendador Paulo Pereira Mont-iro offe-
receu a' presidencia todo o terreno e material ne-
cesario para a edificarlo de um Asylo de Invli-
dos, na proiiicia.
Outro
major AntouflWa C
dlvises argentinas e oriental sobro o lado do ce-
milerio que o ioimigo linha abonlonado reconcen-! applaudida, sahiram precedidos de uraa msica e
J ^ i ilnn.l..B|.i.i Ir. >* .> f i i-i n ci .iilii ft
, Francisco Ignacio Cardoso, Ismael Cesar Duarte,
nes foram produzidas, fechundo-se as reparticoes ; caniiid0 joq 0 Reg0> Kirmino Leocadio de Luna,
publicas e embandeirando-se edificios pblicos e Demetrio Rodrigues de Mello Castro, Domingos Jos
muilos particulares; e Isto tamben) se associa- y Farja.S) Francisco Firmiuo do iNascimeuto, Joo parrilha, Jiois que se tem Cllhecido
rara as casas consulares estrangeiras e todos os j perreira da Costa, Manoel Joaqun) do Carrno, Pan-
navios surtos em nosso porto. \ \0 Joaquim Telles, Antonio Loureiro Teixeira Mar-
Para logo os negociantes de algodao, com uraa (J1,t#> Antonio Francisco Maio, Joaqun) Azevedo
banda marcial e o pavilhao aun-verde, sahiram jial0 e jaCQtho Jos Nunas Leite.
Seguem para o norte :
Alfares Polibio Pinheiro Hornera, Jo3o Alves de
Oliveira Cabral, alferes Jos Avebno Dias e sua fa-
milia, idem Jos Ferreira Nobre Polnica, cadetes
Ildefonso da Costa Ramos, Pedro de Alcntara
Araujo, Morolontino Pompilio de Alraeda, Ne.son
Pereira de Abreu bacellar, Dr. Luiz Teixeira de
Lemos, Jos Joaquim de Miranda, Mana Ber-
do Forte do Mattos a perrorrer a cidade, dando en-
thusiaslas e repelidos vivas ; momenio> depois, os
empregados da alfandega, cuja repartico se fe-
chou por ordem de S. xc, depois Ce se demora-
ren) em frente do mesmo edificio, de urna das ja-
nellas, da qual o Sr. Oliveira segundo escritura-
rio recitou urna patritica poe iraudo loda a Ma gente as trincheiras.
i As bateras foram coi locadas a 6 quadras da
praca, oceupando pesicSes vantajosas, em quanto
que a> mas.sas do infaiitaria formavam columna a
retaguarda.
A marcha desses 20,000 homens sobre a povoa-
co, sua resoluco, a rapidez coin que executarara
os moviraentos, e o euihusiasmo dessas tropas,
proporvo que se apresentavain, era um quadro
capaz de commover ao menos enlhosiasta, erara
motivos mais que sufDcienles para quebrantar ao
apparente valor de Esligarribia e Seus conse-
Iheiros.
Assim preparadas as cousas, e disposto tudo
como para o ataque geral, se enviou praca um
parlamentario.: este conduzia um ultimtum, em
que se dava ao nimigo um prazo de 4 horas para
que ri-spoiide^se se aeceitava ou nao as bases que
liubam sido propostas, adverlindo-se que no caso
de nio o fazer nesse prazo, seria alacado sem de-
mora.
dos estandartes brasileiro, argentino e oriental, e oardin.i da Conceico,
segnindo p^la ruada Madre de Deas, travesa j040 Francisco Selaya.
da mesma e ra do Vigario, foram a' pra^a do perera de Miranda.
Commercio, e em frente a' casa da respectiva as- _____________________
suciacio, saudaram o corpo commercal de Per-; m^mmfmmmmmmm^S
nambuco, dando se nesa occasiao frenticos vi-
vas ao exercito brasileiro, aos adiados, ao povo j
peroambucano, ao magnnimo monareba o Senhor
D. Pedro II, os quaes lodos foram eolhusiastica-1
mente correspondidos; prosegnindo d'alh os mes-
mos empregados, acompauhados de grande mul-
tidao de povo, que se lh>-s foi reunindo, a saudar os
consulados das duas nacoes que comnosco plei-
teiam a mesma causa jnsta e sania, a cansa da
humanidade, postergada e vilipendiada pelo des-
pola feroz, a* cuja arbilrarledade e discrieo est
entregue um povo opprimido e fantico 1
Era magnifico ver como todos tomavam parle no
regosijo publico, nacionaes e eslrangeiros, coofun-
dmdo-se todos n'uma s nacionalidade O trium-
pho das armas braslleiras, a' cuja frente se acha
estabelecido com botica na ra Direita n.
88 em Pernambuco.
Esle xarope e inconteslavelmente superior
a todos os sarapes depurativos, de cuja
composico o seu tnaior ele i ento a salsa
ser o
veame mais enrgico para a prompta cura
das molestias, cuja base essencial depende I Esrapa'naeional
da purifleacao do sangue ; assim pois se, Farinia de de mai
lera verificado por muitas pessoas que se
achavam de.>enganadas, as quaes acbam-se
hoje tcstabelecidas com o referido xarope
alchoolico de veame; entretanto que al-
guns, tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrev, de salsa parrilha, de saponaria,
Dr. Gregorio Delgado, Dr. <}<*) de ligado de bacalho, e outros agentes Gomma >
Simn Raime cadete Jos de^ta ordem nada consegutiam. E elle de ipecacnanha (raiz)
I fcil digestao, agradavel ao paladar e ao ol- Lenha em achas
__ phato Alguns mdicos desia cidade e da Toros ...
de Macei o teem recommendado para a cu- M"i ,'u mehicoS !
dem idem cabra corridos .
dem idem de onea ....
Doces seceos ......
dem em gela ou massa .
dem em calda .....
Espanadores grandes .
dem pequeos......
Esleirs para forro de estivas
de navio.
Idem de aramia ....
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes ......
Fumo em tolh.i, bom .
dem ordinario ou reslolho
dem em rolo bom ....
dem ordinario ou reslolho. .
Gallinhas ......
Valores.
US 0
O
> :>>*>
> H>
arrota 3***>
lo.'*
t uam
. m
. iii'
, 3Jftt
I2U
caada <>
l*0
1")
arroba Il2i0
3Jf*)0
, Minio
. 6M)
libra VM)
um ''ti
arroba **0
,
> :tao
um W>
arrot.a >*>
urna ovjooo
libra :
, JM
l*-iOO
cento 2*">0O
um umm
cenlo \-yX*
libra **>
155
iW
100
ara -VO
ini-mo
libra l*)"0
O
, %no
ura ijjon
2JJ0O
cenlo t~t&**>
arroba 1 019
alqii-ire I*1
arroba 4*jO
. stio
50O0
fJOM
600
OBBESPONDENCIAS
i Principiavam os soldados a levantar suas bar- S. M. o Imperador, sempre grato a todos aquel-
racas em frente ao ioimigo, quando de repente o los em cajos petos palpitara coragoos humanos e
Senhores redactores.Profundamente satisfeito
com a educacao que acibam de reeeber minhas
queridas filhas Grata u Lidia, no colle^io dirigido
pelas Exmas. filhas do Sr. Dr. Felippe M;oa Calado
da Fonseca, faltara a' minha lealdade nao ma-
nifestando o mais publicamente possivel a minha
cordeal gratido a's mesmas Exmas. Sras., que lo
delicada e aproveitadameiite. repartiram rom mi-
nhas ditas filhas a educacao aperfeicoada e a ins-
troccao variada de que dispoem.
O Sr. Dr. Menna, i Ilustra gao das mais robustas
que entre nos existem, anciio honeslissimo, o pai
carinhoso, o preceptor cuidadoso dessas crianc-
Millio ....
Papagaios .
Pao Rrasil .
dem de jangada.
Pedias de amolar
dem de filtrar
dem de rebolo
. ra das
Impigcns, tinha, escropbulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, lluxo alvo.
Fodas estas affeccoes provm de urna cau-
sa interna ; nao ha pois razao a guma em
crr que eilas se podem curar com remedios ^assava ........
externos. Tambem se prescreve o xarope fo& ^ d vaccasou
alcbooiico de veame pata o tratamenlo das pranChoes de amarell de
aflecfoes do systema nervos.0 e fibroso, taes costados .
Corno : Mem de louro
Golta, rbeumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esteiilidade,
dous
um
arroba
>

urna
arroba
>
cento
>
um
caada
arroba
um
quintal
um
urna

i
molho
cenlo
um
ordera de avaocar sobre suas
general Mitro da
posigoes.
L'ra grito de alegra foi a resposta. Com effeito
a artilharia e iufanlaria coraecou a avanzar rapida-
sem que se dsse um
a transposiQao a menos
Algumas compauliias de cacadores foram pos-
tas em [.'uerrilhas sem que os Paraguayos os nter-
rompessem. Como coraprehenderas, o movimeolo
nao poda ser mais aucia*, nem mais atrevido, pois
naquelle instante so os barbaros, guarnecidos alraz
das nincheiras, flzessem urna descarga, ficariam
moi los
piedosos.
O Sr. coronel Lobo, commandante do 3 corpo de
voluntarios, acompanhado da respectiva fRcialida-
de e vanos cadetes, foi igualmente felicitar S.
Exc. pela victoria da> armas alliadas.
O corpo acadmico aps o encerramento do au-
no lectivo, que fesiejava, sahio tambem em nume-
roso cortejo, com urna msica a' sua frente, e foi
al o palacio, onde irocaram-se os vivas mais sig-
nificativos do eulhusiasmo que borbulhava em to-
dos os coraQoes.
A* tarde deu-se a passeata de urna outra msica
aeompanhada do digno Sr. Dr. chefe de polica, se-1
1,00o a 1,300 borneas, eomecaod pelos ge-! gudo de um concurso immenso de povo e de em- j
neraes com seus eslados-maiores, que eslavara ira- ; prganos pblicos de todas as cathegoras. percor- ]
passiveis observando o interior da villa, completa-1 reudo to distiuclos cidadaos quasi toda a cidade
mente deserta, era cujas ras nao se via transitar; ao som da mesma, e por entre as ovaedes mais es-
um.i s alma, pois que a guarnco achava-se toda j trepitosas.
uo largo de seu baluarte de defeza. A tolerancia A'ooite continuaran) taes demonsiracoes, toman-
do iiiunigo pode cousiderar-se como um agouro do maiores proporeoes anda ; e as ras ficaram
res inglezes Eeetyn, l'owerfull e Witemch, condu-1 ft|z ))ara 0 desenlace do drama em frente a' Uru- pejadas de povo. como em das festivos,
zindo o segando MEo guardas nacionaes de Sergipe.. guavana. O regosijo por expansivo locava ao pbrenesi.
A sabscripeo promovida, na fregoezia de i t Todava, uessa silua^o j nao era possivel re-, Um esquadrao patritico fez tambem sua pas-
Bom Jardim.^ para as de?pezas da.guerra, montava troceder, e assim enteudia o general Milre, que fal-' seiala, (rajados lodos os cavalheiros uniformemente.
laudo eu com elle, disse-me : se nao se rendem, A cidade illuminou-se quasi toda,
fazemos urna descarga de artilhara e em seguida : O llieatro de Santa Isabel deu um espectculo cm
lomamos a praca a bajoaea. : solemnisacao do mesmo acto, e ah de novo foram
Felzmeute uo foi preciso isso. A calma dos | despertadas as emojSes mais vivas.
Paraguayos, que uo su moviam de suas portas, fez
conselheiro presidente da provincia
nhas, que felizmente para ellas vao beber naquelle
coliegio os dados reaes ,>ara a felicidade futura da Mtrasmo, hypocondria, emmagrecimento.
a animara e mianiaria coi
imenlo importante fot feito peo meute sobre as trincheiras,
Costa Pinto, lilho do barao de so t,ro> cheg^d,, por r,m l
Sergiminm ;TBr,quanlo. altrn de dar era continente e duas ()uajr2s ao fo^os.
dez cootos de ris para as desp zas da guerra, en-
gajou-se a dar inais dous coulos anuuaes, em quan-
to ella llorar.
CoiUiuuaram a chegar a' capital batalhoes e
companluas avulsas de voluntarios, de lodo o inte-
rior, sobresahido entre, elles o Dr. Melcades Jos
de Azevedo Pedra, juiz niuuicipal de Barcellos.
Falleceram : o secretario da ihesouraria pro
vincial, Joo Gualberlo de Passos, o juiz municipal
do termo de S. Francisco Dr. Jos Pacheco Pe-
reira.
Tocararn no. ::orto da capital e seguirn) para
o Rio de Janeiro, uiide vo ser vendidos : os vapo-
familia e da sociedade. Um estabelecimenlo dirigi-
do por cidado to respeitavel e erudito, como o
benemrito Sr Dr. Menna da Fonseca, nao poda
deixar de prnduzir os salutares resultados, que me
trazem a agradecer-lhe solemnemente.
O coliegio de SS. Excs. no cooceito das pessoas
competentes o mais perfeto que neste genero pos-
sua a provincia, edi^ld a;abo de ter a mais viva
prova. Nao porm, toro o fim de recommenda-
lo, o que seria ocioso, rnss smente para expandir
a minha gratido ,],. puji,(|ue procuro a publicidade
da imprensa, pedindo por isto desculpa as mesmas
Exmas. Sras.
Recife, 30 de setembro de 1865.
Joao Flix dos Santos.
Rap.....
Sabao .....
Sal.......
Salsa parrilha. .
Sebo era rama .
dem em velas .
Sola emjvaqueta. .
Taboas de amarell.
diversas .
ja" a 19:0005.
A corveta D. Januana seguio para a corte
?o da 7.
Arribou, com sgua.aberta no aespanhol Mariantia, era viagem de uenos-Ayres
para Havana.
O cambio regulava : sobre Londres 25 I i
254|2d., sobre Pars 380 rs,. sobre Hamburgo 750
rs. e sobre Portugal de.110 a 113 por auto.
Ficava carga para Pernambuco, a barca
Jottti Palmyra.
Depois de pequea demora, seguic para o
Japc o vapor americano Ftiiiyaaia, de I.0C7 tone-
ladas, carregado de mumcSes de guerra. Foi
construido por muta do governo da Chioa para
fazer parte da sua esquadra. Dave montar ti pe-
cas.
Acerca delle diz o Jornal:
< Tendo-se espalhado fue o vapor amencaco,
ancorado neste porlo ante hontem, se destina va a
i &
mmmm i pedido
VARIEDADES
Sciencias e medicina.
L-se na Union Medcale de Parts:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
~.?-r.?,ir.U- !,?_1?.do..corr-nle'.0 Exm" Sr-' para a therapeutica, que consista na desin-
fecfo do oleo de figado de bacalbo sem
Ihe tirar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer jde annunciar hoje as-
nossos leitores, que esse resultado foi obtio
do de modo o mais completo por um hbil
com que varias pessoas se aproximatsera da conselheiro presidente da provincia aulorsou aoci
linua. | dado Rufino Jos da Cunha e capito Felippe Ro-
t Um dos prmeros que se aproximaran) foi o drigues Coemo a promoverera o alistameolo de vo-
general lXicacioiBorges, a quem o mesmo Estgar- luuiarios da patria, para organisarem uraa ou mais
ribia di&se : quo Ihedessem tempo para responder companhias.
e que o tivessem pressa. Hoje as 2 horas da tarde reune-se o Instituto
Poucos momentos depois-fui-cu cora meu ami- dos Advogados, na sala do tribunal do jury. ~ -" An iLJL~Sal" nl ."'
go Manoel Salsona. Coma que o primeiro vapor da companhia puarmaceutiCO de Par|S, o Sr. ievrier, que
Estiganribia j nao se achava sll, porm fal- americana entr o Brasil e os Kstados-Unidos sa
lanos com o eommandote Marlinec, que nos disse hira de xN'ew-Tork a 29 do mez findo, devendo che
lado achava-se gar aqu por todos eAtes da prximos.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior ofilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rbeuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se Tapiocas.......
vende nesta cidade na botica cima indica- al'.'Jtulja......
da, do abaixo ass"gnado ; e em outra qual unbasVeboi
duer parte que se tem annunciado nao da: Vassonras de de piassava
mesma composigao, e nem o abaixo assigna- Ditas de timb .
do se respoDsabidsa. "las c caraauta
Jos da Rocha Puranhos,
libra
i
alquoire
arruba
urna
duzia

arroba
qiiu.ta:
urna
cenlo
>
i
>
caada
zJMt
Il*>
ti.0
lw
;;ihio
55i*i0
SJM
0
i.JiX '-'
tioow
lili
3*300
20*0
10-5000
15000
lO
too
i*)00
74000
2500O
I',05000
^750ou
:i5O0O
5000
65"* O
O
I0500
BfWt
650M)
00
era preseoga de sua gente, que
prompto, e que a praca ia entregar-se dentro em
pouco lempo.
Mullos odiciaes de cavallaria brasileira esla-
vam lamben pcocimos s trincheiras.
levar petiechos bellicos para o Paragaay, S. Exc. Eutao priucipiou a comedia de que te fallei no
o Sr. presidenle da provincia ordenoo .aos Srs. Dr. principio desla carta.
chefe de polica e inspector d'alfaodega yue proce-
i'- m a uidagacoc- a lal respeiio.
OhiiVttTar.i essas aulndades o conhecimento
de que o vapor fuziyama foi construido nos K-> i
dos-Unidos para o governo japoaez, que do lote
de 1,007 tonelada; e que foi despachado en. New-
York, como aaie de guerra, tendo smeoie
iiordo as municCes e objectos indinensave;s.
A sua entrada .nesie porto foi motivada por
-falta de cano e raaelimenlos, como j noticia-
mos.
c O Sr. cnsul dos Estados-Unidos envin hon-
tem ao Sr. Dr. Junquelra, alm de uraa inforraa-
go satisfactoria acerca do deslino do vapor Fu-
ziyama, mandado construir pelo governo japonez,
um n. dojWtc-York-Tunes de 4 de setembro. em
que vera o artigo que abajxo publicamos sobre o
dito vapor, e que tira todo o pretexto de acreditar-
se aos boatos que se espalharam aqu.
t No entretanto louvavel o jnquerito que se
procedeu.
a Eis o artigo traduzido d'aqcelle jornal, que
no foi remetlido da secretaria da polica :
O amor proprio e a avareza do governo inglez
tem novo modelo no caso do vapor de guerra Fu-
ziyama, construido nesta cidade para o governo
imperial do Japo. Este navio foi eocommeadado
por intermedio do nosso ministro residente no Ja-
po, e foi construido com o ^onsealimeclo das au-
toridades dos Estados-Unidos.
c Quando estava prompto para cahir ao mar,
descobriu-se que elle .ra p aienpr de mais ires na-
Ein menos de um quarlo de hora, ruis de mil
jomen.- achavafb-se de.-te lado dos vallos. uraa se-
paraco que havia do kiimigo.
< Entabolou-se eutu um magetico commercio.
< Os Paraguayos tiabam garrafas de licor, cer-
veja, caixas de phospboros, etc., objectos todcw rou-
badOc, mas que os nossos ao toma-Ios pagavam lego
em ditiheiro.
A tiraidade desses nevos amigos nao fkou
aqu.
i Mulles de nossos soldados convidaran) aos si-
tiados para sahir fra das trnciteiras, e estes prin-
cipiaran) a sabir, e foram muil^ engaritados at
o nosso exercto.
c Poderia luver lula sob lae anspiciosf
Todos compiebeuderam entao que um esplen-
dido iriumpho sem derramamento d sangue ia ter
lugar.
c A's duas horas da larde o parlamentario re-
gressou para o campo do Imperador. Este fallou
com os generaes Milre e Flores, e em seguida o
conselheiro Ferraz, mlulbtro da guerra do Brasil,
entrou na praca para terminar a capitularlo com
Esligarribia,
Muitas pessoas entraran eom o ministro, sem
adiar inconvenientes.
A linha pareca um mercada, onde todos se
confunden).
i Cbegadas as coosas a este estado, para que es-
perar a resposla de Esligarribia ?
De facto, a questo estava resol vida, mas os
alijados nao deviam imitar aos Paraguayos.
desinfectar) oleo de figado "de
bacalbo eom o alcaftro e o balsamo de
A companhia encarregada desle serv.co denorai- As experienciak fetos por milites de
na-se United-Slates and Brasil Steam Ship Compa- nosSOS prattOSelCC cbrejS, 00S hOSp'taes e S0-
ny, e os seus vapores devem partir sempre nos bre seus doentes particulares, as analyses e
das 29 de cada mez, tocando era s. Tbomaz, Para, ensaios de Cbimicos competentes, nao dei-
xam nenhnma duvida ;. este respeito.
Iofurraam-oos que o Sr. Ivo Antonio de Arau-
jo Larangeira Leite, incumbido pela presidencia
promover o alistameuto de voluntarios, lem effec-
tivamente cumprido a misso de que se encarre-
gou ; de forma que, dos qualorze individuos que
lemapresentado, seguiram onze.no 2' corpo, ora
existente ao sul do imperio,e (res se achara alista-
dos no 5*.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laure?Vlo da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submelti a aoalyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalbo na-
O paquete inglez, que deve chegar da Europa tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
r* nm n\ rniif nerlunnunla linli* da Cutiii-ih.il r__ i
no m do rnez, pertenceale a linha de Soutbamp-
ton, o Rheno.
Dizemnos que novo, e construido com todas as
acommodaoes, reunindo ao luto dests, todas as
condicoes de solidez.
Depois d'amanha se exlrahir a 3* parte da
lotera das/familias dos voluulanos da palria (3oa)
pelo novo plano. estranhas que i e poem no
Pessoa autonsada escreve da corte a' oulra dissimular o ebeiro e o saH
deaa cidade o seguinte : nao pode de nenhum m
Ao mesmo tempo que o povo se entregavaaos nmnrP(|ipc mPiIic^Ps p
transportes de um justo prazer por lo feliz acn- V^fpmuam meioaes e
tecimeato, (a rendigo de Uruguayana) chegava a u60i 'aci' e mesmo agradav ;l.
este porto um general dos Eslados-L'nidos da Ame- Em resumo, o oleo de Hgado de baca-
rica com diversos membros de urna coramisso Iho desinfectado pelo processo Chevrier
encarregada de enlender-se eom o nosso governo, oza jp nronriedadP'S iilpnlica* an olpn rlp
e de comprar Ierras para 50 mil familias amerl- s
canas que pretendem passar-se eom os seus capi-
taes para o nosso paiz ; e isto ainda mais augraen-
tou o prazer geral, tanto que o cerpo do commer-
cio fez urna grande ovacao ao dito general.
f Consta me que este acaba de fazer uu contra
vrier, e posso certificar I que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem dhimicos, que se
acham no oleo de ligado ide bacalho ordi-
nario. A fraca proporcp das substancias
oleo natural para
or desagradaveis,
)do alterar suas
s a torna de um
A jariibeba.
As virtudes Iherapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecdas nao s no Brasil, pois que dellas
Iratou Pisn em sua excellente obnHistoria na-
turalis et medica Indio? occidentalis. seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como,
aqui, muilo eslimado e appbcado contra as obs-
truccoes abdominaes, principalmente do figado e
bac); e se todos os facultativos desta provincia o
nao applieam com frequencla, 1sto se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estacoes do anno os tractos dessa plasta, e a re-
pugnancia, que spresrntam os deentes t>is fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecda dos botanistas :
esta planta pertence familia das-solaneas, e tem
a denominacao de solanum paniculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeha, que o mais em-
pregado, nos propozemos e eplfseguimos preparar
eom elle nao s um exiracro-.^tCoolicQ que pode ser
applicado em plulas, mas/jraben) ura vinho, am
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de ytgo ; e' estamos.persuadidos que
com isto prestamos um s-ervifd humanidade e
hterapeiuica. ,* ; /
Pisn, tratando da hydropejia, prescreve. a dp-
cocQo das raizes da jurubeba', e Mrat e Delens,
em seu Diccionario 4e materia medica e therapeu-
tica, dzeOD que as An'ilnas- se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celbresenos leva a crer em
suas palavras, e por isto,cuidaremos de ter em
nosso estabeleciment essas raizes, para qoe possam
ser experimentadas.
A reputado da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos obtidos ltimamente sao tao impor
lautos, que nos parece intil dizer mais do que
Isto, que (lea escripto.
Deposito : pharmacia de ;.
Joaquim de Almeiia Pinto.
Vinagre.
Alfandega de Pernamuco, 14 de onlubro a>
1863.
(Assignados):
O i." conferente, Jos Alfonso Ferreira.
O i.' conferente, Francucn Alfonso Ferreira.
Approvo. Alfandega de Pernambuco 7 de on-
lubro de 186.A. Eulalto.
Conforme. O I.* escriplurario, Joo ie Assit
Pereira Rocha.
HECEBEDOKIA DE RENDAS INTERNAS lig-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do da 1 a 13...... 12:664*W4
Idem do da I i................ 74M5W0
13:41351151
CONSULADO PROVINCIAL.
(tendimento do da I a 13.
Idera do da 14.........
M:S79*!I3
01*739
26:88 U*5*

B
11
Moto banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
por cento ao anno at'D prazo de seis mezes
figado de bacalbo ordinario, que elle repre- 9
senta exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peias
to com o governo para fazer vir para o imperio nao Pessoas cujo gosto e olfato so dos mais sus- devindo na razao de 85 por atco.
id 50 mil, como 100 rail familias. Cej'tiveis.
Novo Banco de Peroambuco
O Novo Banco paga o' dcimo quinto di-
Carne secca..
FRAQA DO RECIFE
14 DE OUTUBRO BE ISBj.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Sacou-se >obre L ni re- de 25
X a 26 M d. por l*om, Mftve
Pars a .17 j' rs. por Ir.
Assucar........ Vendeu-se o mascavado parrado
e o bruto de 220O a 230O.
Couros ........Os seceos e salgado* veiMlrram-
se d- 153 a It) rs. |mt Ubr
A do lOo-liraude du sul vendas-
se de 3*000 a 4*200 a arrotw,
licaudo ern depoMlo 120.000 ar-
robas, e a do Rio da Prata de
2*100 a 3*000, ficando en de-
posito 16,000 arrobas.
Arroz.......... Vendeu-se opilado da India z
2*600 a arroba, e o do Haranbio
a 2*800 a dita.
Azeite doce......Vendeu-se o de Lisboa a 2*700,
o galn, e o do Esireilo a 3*U0
o dilo.
Dacalho.......Em atacado vendeu-se a 16* por
barrica, e a relalbo de 17*000 a
18*: tieaodo era deposito 1,300
barricas.
Btalas......... Vendern) se a 1*500 a arroba.
Bolachinhas..... dem a 4*000 a barriqoaha.
Caf........... Vendeu-se de 6*000 a 7*300 a
arroba.
Cha............dem de 1*600 a 2*100 a libra.
Cerveja........dem de 5*000 a 6*000 a dozia
de garrafas.
Farinha de Higo. ReUlhou-se de 21*000 a 23* a
barrica da de Philartelphi, a da
New-Yoik de 21*000a 22*, a de
Trieste de 20* a 22*, a de Bal-
limore de 20* a 21*, a fraaeea
a 20*, e a do Chile a 8*o0 o
sacco de 100 libras; ficando em
deposito 3,000 barricas da pri-



Diarlo de Peroambne* Segunda felra i 4 Ouuf.rd fie Ifci.
Rio Grande do Sul.
meir, 1700 da segunda, 5,500 (
da lerceira, 2,000 da quarta, 800
da quinta e 8,000 saceos da ul- Sef ue com brevidade a barca nacional frica-
tima, inclusive um carregamen- na, receba alguma carga a frea : tratase na ra
Lonca.
to chegado da America.
A iogieza ordinaria vendeu-se
com 300 por cento de premio so-
bre a factura.
Manteiga....... Venden-se a ingleza a 930 rs. a
libra, e a franceza a 800 rs. a
dita.
SIv^c.........Venderam-se a 5*500 a caixa.
Oleo de linhaca.. Vendeu-'c a 1*700 o galio.
Passas.........dem a 75 a caixa.
Presuntos.......Venderam-se a 165000 por ar-
roba.
.ueijos........Os flamencos venderam-se a
2* cada um.
Sabio.......... O inglez vendeu-se a liO rs. a
libra, e o dj Mediterrneo a 220
rs. a dita.
Toueinho....... Vendeu-se o de Lisboa a 1*3000
a arroba, e o do Rio-Grande do
Sul a 9,5500 a dita.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 903
a 1003000 a pipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1803a 1903 a pipa, e os de ou-
tros paizes ele 1383000 a 170; a
dita.
Velas..........As de eomposicao venderam-se
a 560 rs. por pacote de seis ve
las.
Descontos.......O rebate de letras regulou a
9 por cento ao anno.
do Trapiche o. 4.
(Juiilla-feira 19 de out til: ro.
Por Intervenco do agente Piolo e em sen es-
criptorio ra da Cruz n. 38. As 11 horas em
ponto.
MISOS DITEBSQS.
Cear
O hiate t Doos Irmaos : a Iratar com Tasso
rrmaos.
Lintia regalar do Brasil jinstituto Filial dos UrMta Brasi-
{reres, quesahio do Havre no dia 6 o cooselho director reuue se hnje em sessao or-
de setembni ao frete de 2o t.e 10 dinaria, a hora e no lugar do cosime.
O secretario adjunto,
F. L. de Gusmao Lobo.
,0(0- Recebe carga para o Havre
,a fret-s baratos : a tratar com os
?consignatarios Tisselreres.
Masurier le Jeuoe & Fils teado sido preveni-
dos por varios carregadores que havjam recelos
de se ver levantar os fretes aos antigos precos, no
caso de llcarem sos encarreeades desle servico,
como amigamente compr omettem-se por contrato
a nao tomar raais do que 35 f. e 10 0|U d'aquelles
que se comprometieren) de sua parte a carregar
toeas as suas merca lorias nos seus navios. O dito
contrato acha-se depositado cm casa de Tisset fre-
res que o apresentaro aos interessados que pode-
ro tomar conheeimento delle e assigoa-lo so as
condieces forera de sna conveniencia.
Fretes........
Para Liverpool
pelo algodo.
Vi a V -o /.
Para o Maranhao,
O palltatiute Ganbaldi mesire Custodio Jos
Vianna : a tratar com Tasso Irmaos.
LE ILES.
JSO?]
a\
RRI
Leilao de instrumentos
Segunda feira serio vendidos em leilao no arma-
zem do agente Olymjio na ra da Cadeia, os ins-
trumentos segrales :
Tina pancadaria nova.
I'ui clarinete
l'm par de trombones.
Um iiito de chaquichorns.
Previne-se que os instrumentos de metal acham-
se todos limpos e azeitados. _______
Leilao
Da loja de miudezas da raa da liupera-
triz n. 70.
Martios levara' novameute a leilao a loja 'de
miudfzas da ma da Imperatriz o. 70, contendo um
bello sortimento e muilo proprio para qualquer
principame por icrpoucofuud* e ser bem eolio-
cada.
IKOJE
O leilao lera' lunar na mesma loja as 10 horas
; do da
"LEELlO-
Movis, fazenJas e rouwa feita.
Martios fara*l'ilao porconta e risco de quera
j pertencer de doos guarda roana, mesas, cadeiras.
; cabides para alfaiate% 2 baleos, quadros, ronpa
; feia senda casacas, sobre-casacas, calcas e colle-
O Dr. Trisi.io de Alencar Araripe offlcial da ira- te* de bnm e casemira, diversas pecas de case-
penal ordem da llosa, juiz de direitn especial do' m,ras e uUtras fazendas existentes na loja do so-
Ndvtos entrados no dia 14.
Rio de Janeiro e portos interine lio-;6 1/2 das,
vapor braslleiro Tooantins, de 750 toneladas,
caminan Jante o Io ten inte Pedro Hyppolito Duar-
te, equipasem 52, carga differentes gneros.
Liverpool5i dias, brigue inglez Geiiruie, de 180
toneladas, capito A. Eooch, equipagem 9. cariia
f i'.'n 11s e outros gneros ; a Paln Nash C.
Tdrra-Xova 39 dias tingue iaglez Alexandra, de
223 toneladas, captlio James Goldsevorthy, equi-
paren) II, carga 2,i27 barricas com bacalhao ;
a lohnston Pater & C.
Sanos saludos no mesmo da.
Liverpoolbrigue inglez Nevo, capito John Jen-
kins, carga asquear e algodo.
Partos do nortevapor brasilelro Tocanms, com-
mandante o Io lenle Pe.dro II. Duarte.
Navios saludos no da 15.
Tem-Nova3! di**, patacho inglrn Spray, de 198
tonelada-, cainl i G?orge H. Melhuish, eouipa-
geni 8, carga 2,800 barricas com bacalhao ; a
J ihnston Pater iV C.
Ai ic ily 12 dia-, hiate hrasileiro Sobralense, de 18
toneladas, capito Antonio Gomes Pereira, equi-
pagan 8. carga algodo e outros gneros ; a C.
C da C. Monra.
Xu hoaverara sabidas.
Custodio Pinto Braga vai a Europa tratar de
sua gande.
Elias Leo de Ploeg, subdito bollandez, vai
para Enappa.
LOTERA
AOS 6:000^(000,1:200^1000
opirigijiyos mmmjmmi-imsmM
E' a ordena do dia J Acabar com os Para-
I guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
CASA DA PORTONi
Aos 6:000^000.
Oilbetes garantidos.
beoeicio das familias dos briosos de esporoes, armstrongs e raiadas de80
voluntarios da pat.ia. f,2?; termina-lns era summa a espada, a
A'RA DO CRESPN. 23 E CASAS DO COSTUME fa.'l0 e a PUnbal. e de.'lUe Se ,rala mas
Oabaixoassignadovendeudosseus muitofeii- ninguem se lembrou anda de esmagar os
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou Paraguayos coai as armas que Deus nos con-
Jfc'Sau,,r'a D8neflci0 da SaPta Casa de Mise- cedeu; acabar com ellos a tac5o e a ponto
Doa^J^TW^ sorte de C.OOj. Ps' Pa,ra ^e necessaro encouracar esta
Dous quartos n. 7 com a scjrte de 1:2005. P3rte do nosso COrpo com OS formidaveis
Um meio n. 1796 com a sorte de 400ooo. : rompe-ferro, esmaga ci bra, arranca t< eos,
i.outras muitas sones de 100, 40, 20 e quebra marrnore e outros que se vendan
4S-RIM OIHIIl 145
10000.
Ospossuidores podem virri)ceber seus respec-
tivos premios sernos desconts das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n.
Acharn-se a venda os da 3'
(35'J beneficio das familias ( os voluntarios da
correute.
e o
Corre depois I am:tnlia.
Vovoe 'xcellonte piano approvado.
BILHETES A' 5>00, MEIOS A' 25500 E
QUINTOS A' 1500).
Acham-se venda na respectiva tliesou-
raria ra do Crespo n. lo, os bilhetes,
meios e quintos da 3a parte da lotera (35*)
a beneflcio das famdiis dos voluntarios da
palria, cuja extraeco ser pelo plmo abai-
xo publicado.
Os premios de 6:000^000 at 10;$000
serlo pagos urna hora depois'da extraer;^ ,'
I at as 4 horas da tardo, e os outros depois ~
da distribuirn das lisias.
PLANO
Para as ex ?racede <
Para
6000
3OJ0
120
patria, que se exlrahir a 18 d>
PREGO.
Bilhetes .
Meios.....
Quintos. .
as pessoas que compraren) de 1005000
para cima.
Bilhetes. .
Meios. .
Quintos.
MANOEL Ib TIHS FlUZA.
cuziolieiro: na ra
^6
m
tJITerece-se um moco para
do Forte n. 30.
Gasa de baiiho
K.argo d Cnrui a. 26.
Este estalielecimento lai bem montado 6
na fu origem achava-se de ha muito
em qnasi completo abande io pelo pouco >5
ioten-sse de sua admini-tr ;cao. ,y*|
Moje que o novo propri itario empre- *
gou lodos os meidS^-^ara restabeler a
grande ulilidade deste e labelecimpnto, i'sijS
EMTAES.
Approvado pelo Exra. Sr. presidente.
4000 bilhetes a 3000.............20:0005000
Benecio, sello e commissao 2i 0|0.. 4:800000
pode asse^urar ao publico
que seja o numero do
achura) desde ja promptidfi
bauhos Irios, murnus ou
casa dos banhos se achara
23.
parte
da lotera
Borseguins Bordeaux........
patricios.........
para senhoras, en-
feilados.......
com laeo e Qvella ..
Sapaloes encouracados.......
Burseguins par-a meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
(4500
27O
13101)
80G0
55000
8/1500
y<4oo
550C0
3(5000
250; o
1.560"
15000
que qualquer
coucorreutes
o e aceio nos
medicinaes, a
aberla todos
Liquido...... 15:200000
1
1
1
1
8
II
22
43
915
Premio de...
Dito de.....
Dito de......
Dito de.....
Ditos de
Ditos de
Ditos de
Ditos de
Ditos de
1003000
405000
205000
lOlOilO
65000
commercio destacidade do Recite de Pernanibu
coe seu termo, por sua magestade imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guarde etc.
Fago saber pelo presente, que no dia 16 do mez
de outubro do corrente anno se lia i' arrematar
por venda a quem mais der, em praca publica, de-
pois da audiencia respectiva, o escravo de nome
Amaro, de uacao, de 43 anuos de idade, avaliado
. .i SOOfOOO, o qual vai a' praca por execuciio de
Ignacio Loiz de Brilo Tabordi contra Man ni Kir-
mino FerTeira e Francisco Bolelho deAndraie.
i falta do licitantes sera' a arrematarlo feita
pelo preco da adjudicagao cora o abatimento da
le.
E para que chegue ao conhecimento de todos, o
presente ser publicado pela imprensa, e alxado
nos lagares do costume.
Dalo e passado nesta cidade do Recife de Per-
aamboeo, aos 27 de setembro de 186o.
Eu Manoel de Carvallio l'aes de Andrade, escri-
t5o o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe.
brado da ra da Imperatriz n. 9.
Terca-feira 17 do corrente.
As 10 lloras do dia.
1000 Premio?.
3000 Brancos.
6:0005000
1:2005D00
5003000
2003000
5005000
4103000
4405000
43"*OO0
5:4905000
---------------15:2005000
m
m
500
500
13000
se-
JLEIIjAO
Da 5' C'iixas com pastas e 700
libras d" cha do IHo
Terci-feira 17 do corrente.
0 aacntePe-lana fara Idilio por conta de quem
pertencer de 50 caixas corn passas em qaartos,
meios e inleiros e 700 libras de cha do Rio em la-
tas de 1, 2 e 4 libras cada una : lerga-feira 17 do
corrente pelas 10 horas da manha no armazem
do Sr. A7evedo defronte da escaJinha da alfandega.
LEILAO
MCLiCM.
Sania C^sa da Misericordia
,do (jecife.
D ; conformidade com as ordens da Illm' junta
administrativa da Santa Casa de Misericordia do
I! vi;- i"ico publico a todos os devedores de foros
le terrenos e sinos pertenceotes ao patrimonio da
iUocia misericordia de Olinda, que dentro do
praso Je 3 dias, contados da data deste, d-vern
dirigirse ao respectivo c ibrador Lui do llego
is, regentado hospicio de alienados em Onn
da, e a elle pagarem os seus dabitos, sob pena de
seren demandados.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife 13 de ouiubro de 1865.
0 escrivo,
F. A. Cavalcanti Oousseiro.
Santa Casa de Misericordia do
Recite.
De crdem da Illm' junia administrativa da Sania
Casa de Misericordia do Recife scunlifico aos pa-
r-Mes ou inleressados dos orphaos, abaixo decla-
rados, que no praso de 15 das, contados da data
deste, devem ir retralas do respectivo collegio
de lindo dito praso seren elles, de coa-
formidade com as ordens do Kxm. Sr. presidente
da provincia, reswltidos pira o areual de guerra,
Man Argemiro do Nascimento.
Albino }'i~ Gomes de Alencastro.
Lu?, de Franca Tarares de Mello,
Carlos ( idofredo Luchow.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite 13 de outubro de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Terca-feira, 17 do correte, na sala das au-
dien i;~, perante o Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos,
se randera' em ultima praca o sobrado de tres an-
dares i- ~oi;io da ra do Amorim n. 25, avahado tuguez Manoel Jos Soares Guimares.
em 5:0005000, contorme o escripto em mo do | Quarta-feira 18 do corrente.
porteiro.
Entrn de semana n- protestos de letras o
escrivo Torres, ra do Rosarlo o. 12, primeiro
andar.
Terca-feira 17 do correte.
De lindos e delicadissimos objectos de gosto e
phaotasia a maior parte faltos por senhoras Per-
nambucanas e por ellas olTertadas em benecio
do
Hospital ^Potrdisiiez le Benl-
fleencla.
Existindo anda por trocar muitas prendas offe-
reridas ao hospital, resolveu a sua administrado
expo-las em leilao no dia acliai designado pelas
U horas da manha no armazem novo da ra da
Cadeia do Recife confronte ao Recco Largo.
Convidamos pois os amigos d'aquelle estabeleci-
muilo de caridade assim como tolos os amantes
do bello e do apreciavel a concorrer a este leilao,
que duplica de interesse pelo lio a que c desti-
nado.
Leilao
Dv objectos martimos.
Quarta feira 18 do corrente.
O agente Pe-tana fara' leilao por conta e risco
de quem pertencer de diversos objectos para na-
vios como sejam : vergas, mastaros e paos de cu
tello, caderones grandes e pequeos, bronzes, 1
farol em bom estado, 1 guincho, poreo de sapa-
| linhos grandes e pequeos e outros muilos obfec-
j tos que se acharo patentes : quarta feira 18 do
I corrale pelas 11 horas da manha na ra do Vi-
gario n. i.
De dous escravos, obras de ouro, arma-
cao, ferragens, pentes de tartaruga de
todas as tjualidades, roupa usa Ja e mo-
vis
espolio de Manoel los Soares
tSnivnares.
Marlins far leilao por ordem do Illm. Sr. Dr.
Claudino de Araujo Gaunares, onsnl de Portu-
gal, dos escravos, movis, roupa usada, objectos
de ouro, armaco, ferragens e fazenias, existentes
na loja de tarlarugueiro da na das Triacheiras n.
1, pertencentes aoesooliodo fallecido subdito por
4000 Bilhetes.
N. B. Os premios que esto sugeitos a descont
sao, o de 5003000 ao de 5 por cent >, e os de___
1:200*000 e 6:0003000 ao de 17 por cenlo, sendo
5 por cento da lei provincial e 12 por cento da
geral.
Tbesonrariadas loteras 7 de outubro de 1863.
O thesoureiro,
Aotonio Jos Rodrigues d > Souza
Precisa-sc de um feitor pira administrar um
silio na E-cada : quem pretender dinja-se a ra
de Horlas n. 122, que achara com quem tratar.
Precisa-se de urna ama para casa de urna s
pessoa : na ra estrena do Rosario n. 17, segundo
andar.
Precisa se de um caixeiro de 12 annos de
idade para taberna, com pratic3 ou sem ella : no
pateo da ribeira r.. 23.
Quem precisar de um jardinheiro ou feitor
para um sitio, dirija-se a ra de (lorias n. 112, Io
andar, que achara' com quem tralir.
Atteii$i.
Agr & Quinleiros ropam a todas as pessoas
que sao devedoras a esta firma, o virem saldar seus
dbitos nestes 15 dias, ao contrario ser-, chama-
dos a juizo, pois nao possivel que taes dbitos
sejam demorados por esla forma, visto que os an-
nunriantes tambem teem obrigacoes a cumprlr, e
j esto cansados de tanto esperar
Alagase urna excedente escrava moga c de
boa conducta, com habilidade, s se aluga para
casa de familia : a tratar na ra Yema n. 40.
dias das 6 horas da man' aa
noile.
Precos.
Banho de choque___
Dilo fro ou morno..
Dito de farello......
Dito medicinal ser
guudo sua qiulida le.
Assignatura
Por mez banho fi io ou
25 candes para banho io.mor-
no ou de chuvisco.........
#* 12 cirioes para os me mos...
xf* 12 ditos para banho dilfarello.
Atteucjo.
Perdeu-se honlem 2 de oui
Boa-Vista at a ra do Crespo
tendo a qnamia de 6105 : qi
quizer levar a ra do Crespo
mente gratiflcaao.
gai-iiiilin
momo.

i-, Gompanbia fidelidad
martimos e t
i estabelecida no Itit
bro, do aterro da
um embrnlho con-
m o liver achado e
. 19, sera gneros.
mmmmm
de seguros m
rrestres
de Janeiro.
KlfNAMItl'CO '
a Azevcdo & C,
ados pila direc-
fjguros Fidelida-
avios, mercado-
no
AGENTES E.M
Aulouio Lniz de Olivei
competentemente autor i
?*S tora da companhia de s
3^ de, tomam seguros de
93 ras e predios no seu ekeriptorio ra da
m Gnu n. 1.
rnmmmmmm
Aluga-se o segundo an
do Imperador n. 79 : a Iralaj-
n. 15.

Ji

lar do sobrado da ra
na ra do Crespo
m
O bach irel
M Francisco Augusto da Costa
ADVOCAD I
?g| Ra do Imperador numero 69. ^
Aluga-se a loja do sob ado da ra Imperial
n. 61 por preco muilo razoav I, e com muilo lions
commodos : a tratar no primpiro andar do mes-
mo sobrado.
0 cabelleireiro.
Cerlos Dubois mudou o seu e praca da Boa-Vista para o sobrado n. 18 da ra da
Imperatriz.
Pedido.
Antonio da Silva Ramos, pede por especial fa-
vor ao dono de urna trave que est na^rua do No-
gueira em frente a pirta da escada de seu sobra-
do, manjar tirar dita trave que empata o tranzito
na ra e entrada para o sobrado.
Igual pedido ao engranado qns leve a delicade-
za de por tamben no meio da ra e na frente da
porta urna ancora de ferro, talvez persuadido que
aquella ra tambem aocoradouro, por hoje lico
aqui.
Atteuft
o.
no Monte i ro
para
Aluga-se urna casi terrea
quem quizer passar a festa onj.irrenda-la, com os
seguintes commodos : 4 quar'.js, 2 salas, cozlnha
e despensa, banho muito bom le choque ou de ou-
tro. um baoheiro de pedra e cal ao |i da casa, 1
quarto rande drlronte da casa que serve para es-
era vos, cocheira e estribarla ; quem pretender di- Juaouim
nja-se a ra do Queimado n. 5j), ou a ra do im-
perador por cima da loja de loijea de barro, no se-
gundo andar. i
- Os abaixo assignados participara ao publico
c especialmente ao c^rpj do commercio, que em
avelludados......
de tranca.......
econmicos para se-
nhoras........... fy'iiOO
com salto de lustre.. 2^0
Chineloes do Porio.......... I^6< 0
Um comp'eto sortime:;to de calgado da
trra para homens. senlioras c meninos;
assim como bezerro francez, como de lus-
tre, marroquins, taizas de todas as finali-
dades, fitas para sapateiro, muito surtidas,
sola e couros que tudo visto necesariamen-
te faz cobica ao comp ador pela baratera.
A Inevidente.
Sociedade de seguros mataos sobre o
vida, fuudada e administrada pela
banco Altaica no Porto
4,000,000,000 rs.
Esta mnito olil e moralisailora institnico coa-
la em Pernambuco os seguintes
Subscriptores.
Albino Jos da Silva..........
Luiz Antonio Siqueira..........
Augusto Cesar de Azevedo Uuedes.
Amenco N'uoes Correia..........
Antonio Al ves de Mora-s.........
Manoel Duarte de Figueiredo.....
Manoel Marlins de Ohveira Aze-
vedo- ........................
M. T. Basto.....................
Antonio da Silva Poules Guima-
res...........................
Manoel Gomes da Cruz..........
Antonio Lourenco Teixeira Mar-
ques ........................
Bernardo Jos de Oliveira Machado
Jos de S Leilao Jnior ........
Domingos de Sa' Pereira Jun'or..
Vicente Ferreira Coimbra........
Jos Joaquim Alves.............
Jos Fernn les Luna............
. Jos Joaquim Leilao............
Jos Antonio de Brito Bastos.....
Joaquim Lniz Ferreira Leal......
SiLvino Giiiiiierine de Barios.....
Alfredo Delinque Garca.........
Aotonio Valentim da Silva Barroca
Jo> Rodrigues da Silva Borges. .
Manoel Jo.- Moreira...........
Virgilio de Castro Oliveira.......
Jos Antonio da Costa Vafete
Ju-tino da Meta Silvcira........
\ Manoel Marques de Oliveira.....
Anlono Fernandes Duarte Alnieida
Joao Marlins de Barros.........
Antonio Joaquim Fernandes da
Silva........................
Custodio Jo- Alves Guimares...
Jos Goocalves Villa Verde.....
AlfredoJo> Antunes Guimares..
Manoel da Cuuha Guimares......
Joaquim Cabral de Mello .......
'Jos de Azevedo Maia e Silva.....
Bernardo Pereira do Valle Porto..
lynacio Pereira do Valle.........
Felisberto Ferreira de Oliveira...
Domingos Jos Ferreira Guimares
Manoel da Motla Machado.......
Manoel Joaquim da Rocha.......
Serafn) de Sena Jorge.........
Manoel Joaquim Fernandes......
Josepha Mara da Conceicao......
Luz Pereira Lima............
Antonio Henriqne Rodrigues.....
Manoel Francisco dos Sanios Maia
Manoel Joaquim Riheiro.........
Manoel da Silva Nogueira.......
Joao Licio Marques.............
Francisco J )o de Barros........
Rodrigues lavares de
Joo da Silva Ramos, medico, me-
"Hico pela oniversida le de i oimbra,
d consultas em sua casa das!) as
11 horas da manha, e das i as 0
da tarde. Visit os doentes cm so
casas regularmente as horas para
isso designadas-, salvo os casos ur-
genies, que serao soccorridos em
qualquer occasio. D cnsul las aos
pobres que o procuraren) no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 0 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo n alie-
nados, para o que tem commodos
apropiados o nella piatica troattj
opperacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .34000 diarios.
Segunda dita... 30900
Terceira dita .2uoo
Este estahelecimento j tem
acredilado pelos bous scrvii.vs
tem prestado.
O proprielario espera que elle
i continu a merecer acoiifianca de
J^qaB sempre tem goadu.
i

:r.r
que
i
1
Aluga-se a casa n. 4 da ra do Principe, cora
salas. :t quartos, rozoha fura, quintal e cacimba
a tratar ua ra Nova u :i.
Samuel Power Jolmsluii &. Cumpanhia
Ruada SeozaiaNou n. 4.
Afi ENCA DA
Piindl?;! del.of- Hoor.
Machina's a vapor de i e 0 cava los.
Moendas e meias moendas para engeoho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho.
QANTIAS.
Moedn fol te.
5.0005000
1:2305000
2:3005000
ooooo
1:0005000
l:2o'050U0'
1:2505000'
6:2605000;
1:2305000
1:0005000
300500O
1:2505000
2:5003000
5000OO
1:150*000
2:5005000
1:2505'00
3:7505000
7:5004000
630f000
5.00050110;
a lOOQ
6:0u5000
1:2305000
6:0005000
2:3005000
1:2305000
1:501'5000
1:2505000
5:0005000 I
4:0005000
1:2505000
1:231'5000
50i'500
30050(0
1:2505000
2305000 '
2:2503''00 l
1:00050.0'
I:000f0u0
1:2505000
0:0005000
1:5005000
1:0005000
5005000 I
1:25050.0:
1:000501)0
5005000,
7:5005'00
1:2305000
1:25050001
2:3005000
: 2505000
10:0005000
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogioa de oto patente inglez.
Arados americanos.
Ma= hias para descarocar atfodao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
v;:
t
CU>
>'
Chegaram a livraria encyrl.-.pedira de J.,? Bar-
bosa de Mello, ma da i'.ruz n. 52, ;i >.guiotes
brasdo Dr. (;hern.,viz
Furmiilario ou gaia mnlira,
que contm a descripcao de bxt'is <> medicamen-
tos, sexta edicao, com 121 liorna.', no leXfa que re-
presentan) as plaas mcdinnaes ; 1 volume e
Diccionario de mcili ina |in|>u:r
que eonlm a descripf.io das niolrsna. e o seo fra-
t a ment, terceira edico, cm 231 paginas; :{ vo-
lumes cncaderuadM-, prec^i :"3.
Ilislinia nalural
para os meninos e i,e-ninas, ou ronver.-aca > A
um pai com -rus liii-is subre moil i .- o ., -
vegs; 1 vuiume eucadernadu.rom 151
preco '.5000.
Sabio a luz em Pars, e vende se n.. rne-ina livra-
ria h milias e sermoes paraehian para t.,.i... -
domingos do anuo por J. I. Rwjorle
enea demudo, com o retrato do autor.
2 v. Im*-,
A LESITIMA
TOL.
Protesto.
Mello.
Jos da Silva Loyo.............
Francisco Jo.- Alves Guimares
Caetano Cyrlaco da Costa Moreira
Jos de Mello Co.-ta Oliveira......
Manoel Muniz Tavores Cordeiro..
Antonio Joaquim de Vasconeelios.
Antonio J is Silva do Brasil -----
Joo Jos Rodrigues alendes......
Terga-feira, 17 do andante mez, vai a' praca,
Onda a audiencia do Or. juiz de orph'is, um preto
de maia idade, pelo prego que achar.
JOMQ) MU
segaras viudas do sul
RHarao das cartas
vapor
danta:
Dr. Antonio Ferreira Martms Riheiro.
Antonio Moreira (2).
Antonio Ante-o Alves Monteiro.
II rn tr lid > Duarte Uampos.
]). '.irolina Molra Lima.
Or. Francisco Lucas de Souza Rangel.
l"ra; i-e i Rufino Correia d>! Mello.
Fre I t i Marinbo de Araujo.
na Meira de Oliveira Coelho.
I -' Martins de Araujo.
Joao de Preitas Barbosa.
Joo Caneio Prospero Mxitanha.
Jos lngnelra da Costa *oards.
Jo i i! idrigU1 de Souza.
I da Siivi Lyo A C.
Dr. I. ii7. de Albuquerque Minios Pereira.
Luiz de Paula Lopes.
Lniz Ctetan Muniz Birreto f2).
Lniz \ i una.
Dr. itimiano Lopes Machado.
Miso i Antonio Sannago l.e-si.
Nk ilao Tolentino de Carvalho.
Satyr i BmOiano Meira de Vasconeelios.
Vt-::\- Suno-s Lopes.
KS55
Na ruadas Triucheuas o. 1, as 10 horas da ma-
nha.
Lei lao de predi*>su
Sendo duas grandes elegantes casas terreas de
pedra e cal, bem edilicadas e a moderna, sitas na
travessa da Ponte de Ucha para Santa Anna a
margem do ameno rio Capibaribe, em chaos pro-
prios. A do lado do norte tem 2 portas e 3 jaoel-
las de frente, portao ao lado com gradeamento de
Antonio Sergio da Cruz Muniz, Joao Jobo da-Croz
Muniz e Miguel Archaojo Muniz protestara contra
toda e qualquer alienaco, qur piriifular, iiur
em leilao, de bensde raz, dos fuaes .* nem se- ._________JoSerrancheo l-jroaudes.
nhores Manoel de Meqoita. Gafdoso e jasenhora, Da praiado aes do Ratbifs,. e na mire da
30 do mez passado, de commum accordo e da me-
Ihor harmonia.dissolveram a sociedade que tinham
ua padaria da ra da Florentina n. ."i, e no deposi-
to da ra estreita do R isario n. b A, a qual gyrava
debaixo da firma de Beirao & I eroandes, licaujo Luiz de Maraes Gomes Ferreira..
todo activo e passivo a cargo do ix-soein Jos Fran- Domingos J i- da Costa Amorim,.
cisco Fernandes e o ex-socio M noel Joaquim Nu-
pea Beirao desQtierad)> Ue todoi* .^^Jr^e activo
da extincta firma. Recife 12 de! outobro de 18(33
Manoel JoaquirolNunes Beirao.
PREPARADA HiCAHEHTE POR
Li\MA\ k I1IP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, razando da
sito- nesta cidade, porque todos elles eslao sujeito
ao onus de um arresto judicial, pelo cartirto do
escrivo Cunha, procedido a rejuerimento dos
prole-lautese outros, o qual se acha em seu pleno
vigor para os mesmos protestantes que nao assig-
naram e nem entervieram no acto da desistencia
do mesmo arresto, feita por alguns dos colitigan-
tes; e nem lao jioueo- desist rara da ac^o princi-
pal que tambem morera contra os^protestos e
que adamo ao arresto, esta elle pendente de urna
appelluco inierpola para o tribunal da relaeo ; e
quanto a accao principal est ella em seu vigor; c
que hzera publico para1 que ninguem possa allegar
em lempo ignorancia.
madrugada do dia 10 do corrent
um grande numero de madeira
araarello de tres costados, nao
toda a madeira acorrentada : a
noticias ou denunciar onde se
comprou, recebera' 205 de gratil
do se todo o segredo : na ra da
n. 30, wn na ra da Palma n 41.
furtaram entre
Um pranebo de
listante achar-sc
pessoa que der
ajclia,^ ou quera a
caeiio, guardan-
Cruz, esciiptono
mmmmmmmmmmm
HK
Precisase de um
pole ferro, janellas noouaoonle tem una grande cal-, idade, coto alguma ortica de tal
^ra ns f sinha independente, gnnde sotao cim 2 quartos tratar na Ponte Velha n. 10.
menino de 12 a 1C annos de j
berui, sendo que ]
da via-ferrea : a',
PAR\ O
Rio de Janeiro
prelcn le seguir com muia brevidade o palhahole
nacional Piedaie, lepn parte do ^e,l carregarnento
engajado : para o resto que Ihe Tilla e escravos a
frete, para os quaes tem expelientes commodos,
tratase com os seu?. consignitirios Antonio Luiz
de Oliveira Azeveio i C, no seu escriptoiio ra
da Cruz o. 1.
e janellas par o oitao, ocheira, estribara para 4 ~
cavallos e um qmrt) pira escravos, arvoredos no-
vos, baixa de capim, a qual extrema com nm bra-
co do Capibarihe. A do lado do sul tem 2 portas
e 2 anillas na frente, sala e corredor independen-
te, ala airaz e um grande salao contiguo ao cor-
redor, soto, 4 quartos no interior da casa, cos-
nha e dous quartos em seguida, estribina para 2
cavallos, arvoredos, baixa de capim, cacimba com
boa agua para beber, ambas as casas sao de ex-
cellenie constniccao. p irlas almifadilas e ptima
ferragem.
lima urei-agoa defronte do arsenal de marinha
Precisa-se de um caixeiro para deposito de
padaria : na ra estreita do Rosario n. 2 A.
Len Chpelin tm exoostb a' disposicao do
publico o retrato da voluntaria da patria a Exmv
D. Maria'nna A do Reg Birreto era cartoes e
grande formato.
Aiug criptorio ou pessoa sol le ra. cuja sala deila jaoella
para a travessa do Peixe Frito, no sobrado u. 2,
esquina da ra do Queimado: a tratar na salaa da
frente do Io andar *o dito sobrado.
i MM
IVlCTOft ilti\lll\
N. 10-Raa da Cadeia do Itr ie- N. 40
O proprit-urio deste es-
tabelecimenlo, premiado
com a medel a da expo-
si^'ao uoivers I de Paria
no anno de II 55, tem ex v(
posto a venda
ja, um grandt
o. 2.
Um sobrado na ra da Assumprao n. 44, de
dous andares e solio, chao proprio rende 0005-
Quinta-feiiM 19 do corrente.
A porta daAssoeiaeia Commercial as 11 horas
do di.
Teilao"
De moliilias deainaieilo, guarda ron-
pas, iioi'ilii loucasc outros irligos
Cordeiro Wlmes
por conta e risco de quem pertencer fara' leilao
de mobilias deamirello complts, guarda rojpa,
guarda looea, marquezas, cadeiras, lotica, vidros,
e outros muitos arligos de gosto.
Quinta feira 19 do corrente as_ 11 horas
Xi armazem a ra ua Cruz n. 57.
Aluga-se tom sitio em Beheribe de baixo, na
estrada queerftra pa^a o funda, com matas para !
tirar leob%,boas Ierras para plantando, barro para;
toda obra de lijoli mullas arvures de fructo : a I
pessoa ffce o pretender, dirija -so ao mesmo sitio,!
que achara com quem tratar.
Precisa-se de urna ama para casa de hornera '
sokeiro, que saiba coziBhW e engommar : na ra
da Praia n. 37._______ ,
Aluga se o 2o andar do sobrado da ra do
Hospicio n. 24, proprio para familia : a tratar no
mesmo.
em sua io-
sortiracnto
ho sejam de
lores fabri-
suissos e
Urna grande
parede, e
(Ubarcacoes
les relogios
O mesmo
qualidades
m concerta
martimos :
ipores, um
LEILAO
Da casa terrea com sntao na ra do scente n.
34, freguezia de S. Jos, edificada em chaos pro-
prios e com quintal.
Precisa-se de una ama para casa de rapazes
sotteiro- que saina bem cosm-iar, eugoramar e fa-
| zer o servico de casa : a tratar na roa -Nova u.
47, loja.
Precisa se de um ama forra ou escrava para -chamen) a ignorancia faco o pre
cozinnar, e fazeriodo omais servico interno de Bernardo Jos Mari
de relogios para algiheira coi
ouro e prata, sendo dos rael
cantes, de patentes ingleze.-
onsoniaes. Tambem lem
quantidade de relogios para
que balein horas, ditos para i
e para cima de rassa, lodos e
;3o dos mais bonitos mod-los
concerta relogios de todas as
existentes, assim como tambe
ehronomelros de algibeira e
recebe sempre por lodos os
completo sortmento de correales e tran
celins, sendo ludo de ouro dj lei e de
modelos os mais moderno-
O abaixo assignado, agente v
ca da Parahyha nesta cidade do R
a lodos os senhores proprletarios <
I todos os gneros que vierem dos
tos da mesma provincia, principal
com algoJflo que devem trazer no
das nnsamaa a legenda Parahy
aconipauhadas* de guias das autor
dos lugares d'onde sahirem para
capital, pena de sorem apprehendi
les gneros que vierem dos piei-i
sem ellas, como determina a lei, e
tuna ra-a : a tratar na na Oireita n. 91.
No largo do Paralzo, sobrado n. 18, segundo
Urna dita da ra da Gloria n. 8, cora quintal e andar, fazse e eote-se om perfeico toda e qual-
tambem em chaos proprios. i quer especie de obra.
Precisa-se de 2:3005 a juro
potheca em tres escravos pecas, po
so : quem os quizer dar annuncie
ra ser procurado.
da provin-
cife, faz sciente
((inductores de
iiversos dislric-
tiente as saccas
dpo ou canecas!
a do Norte e
dades ponaes
mercado deSta
os lodos aquel- j
ados distrietos
nra que nao se .
le.
ns Pereira.
dando-se by-.
r pequen i pra-1
ua morada pa
Manoel Fernandes da Costa.......
Joao CailosCoeliio da Uva......
Manuel Ramos de Oliveira.......
Manoel Jos. Pereira MariDho-----
Manoel Ferreira B|rthlo........
Manoel Francisco Marques.......
Gregorio PaesUo Amaral.'.......
Joaquim Jos Goncalves Bcitro
Jo5o da Silva Ferrei-a..........
Jos Joaquim da Silva..........
Antonio jos Coiir.bra Guimares.
David Ferreira Baltar............
Antonio Jo- dos Res...........
Joo Ribeira Lopes...............
Joaquim Custodie deOveiraj.....
Jos Gomes de Freita.*...........
Beruardino Gomes de Carvalho...
Antonio Baptista Nogueira.......
Joo Francisco dos Sanios Jnior.
Francisco Ribeiro Pinto Guima-
res ........................
Alfredo Prisco Barbosa..........
Manoel Soares Pinheiro.........
Joao do Como Alves da Silva.....
Joaquim M.mieiro da Cruz.......
Antonio Jos Dantas.............
Salustiano Francisco Marlins.....
Antonio Pereira de Fana.........
Antonio Luiz Ferreira Lima......
Manoel Jo.- da Cunha Porto.....
Flix Venancio de Canialice.....
Manoel Alves da Silva Caldas-----
Joo Francisco Aniunes.........
Custodio CUaco Pereira Jnior...
Jos Goncalves Torres..........
Antonio Jo-e Paulo de Carvalho...
Joaquim Ferreira dos Santos
Coimhra Guimares...........
Justo Cesar de Almeida Jordao...
Jos dos Santos Oliveira.........
Belarmino do Reg Barros.......
Manoel Ignacio Rodrigues Praca..
Joc Jos d Silva..............
Fortunato J. G. B................
Jos Correia de Mendon^a Sobri-
nho.........................
Emiliano Evangelista de Moraes..
Antonio Pedro de Souza Soares...
Manoel Jo.- da Cosa Pereira.....
Joo Pereira Reg..............
R. M.S.A. F..................
Custodio Francisco Marlins.......
10:0004000
8:750*000
1:000*000
2:0003')00 \
1:250-3000:
1:250500o!
2:0005000 |
_i, Vi \|\ i ii 11 i
5:0i0^ooo!propriedades eniiiit.iiten.cble deporatrt :
3:750ooo! approvada pelas juntase acadesiias de me-
3:75o,50oo dicina; usadajnos principaes bospitacs, -
r^irt'VlS mili,artS e ^a marinha as Antilhas e
i'oOiooo no continente americano ; reeditarla pelo*
1:.25ooo facnltativosos mais distinctos do imperio do
1:250100 j Brasil e da America hespanlml
3::75ofS CURA RADICALMENTE
4:Ooi ooorescropliulas, rheumalismo, escotl>::.>, eo-
2.ooooo | fermidades venreas emercuriaes. chagas
8-o!k)!1oo antlg;'s' morphea e todas MttflftiaBpr-
2:0OoJo00 v"nientesd'um estado vicioso do sangte.
aOool'JOOJ Emquanto existem varias imitares t
ii-n't'L0-! falstlicagoos, preciso a maior cautea para
1:250*000
1:000*000
obOSOOO
1:2503003
evitar osenganos,
A legitima salsa de Rristol vende-se por
CAORS & RARBOZA
JOO DA C. RRAVO A C.
JoSo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pemamt.nco rta da
Cruz n.it em casa de Caros Rarhoza
1:000-5000
7504000
10000 I
1:250*0001
Solooo Graticacao de oOS-
65040il0 Ausntense da basa n. 59 da ra do Imperador
S^S' 5000 (UIr'ora Co'legio) no sabbado 16 da forma mn
1 (1005000 oe s'''euihrode 1805, o escravo pardo BfmM loa-
2 000*000 ni,ini. com os signaessetviMN : btt*i regular,
1:250*000'
900*000
2:000*000
2:500*0001
1:0005000:
1:2505000'
idaile 18 a 20 aoos, sem barba. f<;< larp.-, ulhos
grandes, eabe'lo corrido, com urna ricsmz erande
e bem vi-ivel na testa, parte dos d. Bles da fri nt-
arruinados, e rom falta de alpuiis dos hd com calca d' brim pardo e palelel corto de panno,
mas lev.iii mais roupa branca e de rr, muito
astucioso, rostuma intitular-se forro e andar ca'-
10 0005000 v'a0 '"' escrav do Sr. Guiiherme Fru-rico de
I 250*000 ^"7il Carvalho, genro do iiuailo Sr comiiiendador
lo05tK)0 Maniel Goncalves da Silva : rogase a sua capiura
25O0SO00 'a ,l"'a'1 as autoridades policiaes e a qnalquer ca-
200050o() P'1^" l'ft campo ou ontra pessoa partmlar qne o
2500*000 api-rehenJer se gratificara com 505, alm das des-
^5005000 ** ^ condueyo, rniregando-o sen senhor
1 Miguel Jos Alves. na OMfl cima, ou no seu es-
1-2505000' ITIl,1orio na roa da Cruz ca-a n. 19.
1:250000
2:5l!0*000|
2:01X1*000'
750*000
272:900*000
O inspector desla companhia participa aos seus
amigos que se acha de passagem nesta cidade,
aonde se demora at o prximo vapor francez para
a Europa ; o qual se promplffica a dar quaesquer
esclarecimentos que he sejam pedidos acerca de.--
ta companhia, como recebe qualquer documento
que leona de ser remedido para a mesma. ____
Ama.
1 Precisa-se alugar urna escrava on forra, que
saiba cozinhar e comprar : na ra de S. Franeis-
1 co ou Mundo Novo n. 54.
ttencao.
Todas as pe.oa< que se jnli*rem ere-
doras do rallecid > Jo:io J s de CarraMa
Moraes, porcontas minias, titula- v,n-
cidos on a vene r-se de qualqoer natara*
za qne sejam, qneiram aprsenla los n
ra di Q leimado n. 1-3, no prazo 1' 0
das, a contar da dala de-te pura serem
examinados a pagos icio mvenuriaati
do mesmo canl Joao Jos de Carvalho
Moraes Filho, nao obstante P-r o fallecida
declarado em sen testamento na !^i il-ver
nesta prafa e nem de sna eviTiplnrc*1
consta divida alcuma, pelo que ha pre-
sumpeo de falsa toda e qnalquer letra
ou ttulos que apparecein assiitnario* pelo
fallecido. Recife 13 de outubro de 1865.
m
m
m
n
i
m
L
1


filarlo f> Per albuco Segunda elra 16 a Ouubro de !*

LIQUIDACAO GEML

NO
DE BANHOS.
a Cruz r.
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQftO DE LONDRES

60 Eua da Cadeia do Recife ~ 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelccimenlo as principaes fabricas
de Paris, Londres, Binningliam, Mancbester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado tudo as melliores condicoes
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do scu valor, e mui principalmente por querer inleira-
mente liquidar c ter de partir mui breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ric s objeclos com brilbantes, como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntes, anneis e nimios outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennetle; com-
pleto sorlimcnto de faendas Anas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER. Lubin, L. Legraad, Ed. Pmaud & Meyer, Delettrez (Perfomerie du mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P. Gueland, e ingle/as de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na
China e no Jap5o; ricas pecas de crystal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem.assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castices, enfeite- e adornos para cima de consolns e para grande toillette, o que se tem
feito de mais elegante em Pars, Londres, Birmingbam etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha ecaf, os quaes em
nada sao inferiores prala, e muitasoulras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senbo-
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cb ecaf, ditos para juntar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dis principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se locar na
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras ero movimento; modernos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
theatros ou sales, ditos de phantasmagoiia ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noile; stereocopios de nova n-
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Europa; grande sortimento da brinquedos finos para enancas, e
bonecas fallando papae e mamae ; grande sortimer.to de candieiros a gaz, o que se tem feilo de mais elegante e que tem
merecido toda a aoeitaco na Europa, grande e magnifico sortiment de caixinhas, cestinbas e outras galanteras feitas d* crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas lin figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello cbafariz de crystal
proprio para meio de mesa de potar ou para jardm; culelaria fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaates, navalhas finas, canivet-s e outros artigos, diversos artigos feitos de rame ; completo sortimento de
mascaras de veludo, setim, cf ra, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinbas e em vidros ; camas de ferro de todos
os lmannos, lavatorios, ele; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz po-del, bolinbos, etc.;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes a pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras ecas de charao para toillelle: machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para pbotoyrafihin para tirar relralos, grandes e pequeas ; lindos bales de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illumnafoes moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscou^os inglezes em latas, queijos, etc., e mudos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Ca-
deia do Reoife n. 60.
CASA
Ra -fa Cruz n. 17
A abaixo a; .igoada, tem a honra de ]
participar ao publico que o seu estabele- :
cimento cima mencionado, achase hoje
funecionando tnuito regularmente, pr-
vido de todas s accommodacoes necesa-
rias e sobre ludo com algnma limpeza.
Os'-artoes Trinados por meas anteces-
sores Cediim i f serio recetados at o
meado do mei deoutuhro vindouro, os da
cusa tero a lima da abazoassignada,
e serio como i 'antes trausmissiveis.
lanilla ilus preco.
1 assign-iura oensal com dimito
a um l.aiiln diario ai320 rs.. 9#600
1 dita d 30 artoes Iraosroissi-
veis a 360 r................dOJWiO
1|2 dita de lo ditos a 40 rs... "6*000
i banho avuls i, momo ou fri ou
de chovisco ................ 500
1 dito aromai' ;ado com agua flo-
rida....................... 15000
Os me'licini es serao pelo preco que se
ronvencionar:
o esiabelecl uento estara' atierto nos
das uleis das 5 da manhaa as 10 da noite
e nos das tan ilicados al 2 horas da tar-
de, havendo llegada de vapor estar'
abertu por ma s alRiun lempo.
Malhilde G. Lessa.
E*2 :<
Para quem
do Heiiro, jnnin a
repisar de banhos, offerce-se
duas cafas com co nmodos para familia, na ilha
om L. M. R. Vale. ca.
ponte da Passaprn : a tratar
na ai
precisa-se de urna
pouca familia.
\ i\0VA X 6
ma para serviyo de casa de
Precisa-se a!
zinhar e comprar
Sol n. 9.
WS) O Dr. Carol
mx tos contina
gar una esrrava que saina co-
qutm liver dinja-se a ra do
mmmmwMmM
io Francisco de Lima San- H
morar na ma do Impera- v=
dor n. 17, seg ndo andar, leudo alias seu g=
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companliia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma seguros martimos
sobre navios e seus carrcgamenlos e contra fogo em
edificios, mereadorias e inobilias: no sea escripto-
jio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo. i
Precisa-se de urna ama que tenha
i bastante e bom leite para amamantar urna
crianza : na livraria da praca da Indepen-,
dencia n. 6 e 8, se dir quem precisa.
. Na ra de Sania Rita n. 68 lava-se e engom-1
rua-se bem, e por commodo preco.
TghiNDe bazar
Ril^Vova na. SO e 9t.
O proprietaTo desle estabelecimento avisa ao
respeitavel publico que acaba de reeeber um ri-
quissimo sortimento de objeetns de posto, como
sejam, capachos de 15a de carneiro de lindissimas
cores, tanto para sala como para cobrir consolos,
riquissimos tapetes, e muitos outros artigos. Este
eslahelecuneuto l)ina-se digno de ser visitado pe-
los apreciadores, onde encontrara) apar de melhor
tralamento os mais commodos precos.
Aluga-se a casa terrea da ra Impe-
rial n. 74, com 3 quartos, 2 salas, quintal
murado, cacimba e cosinba fora : a tratar
na ra Direita n. 24._____________
Aria di leite
Aviso
Na tarde do dia 10 do corrente foram sohuahi-
dos oa perdidos uns aalos de deposito ja' jalgado-,
da ra do Crespo n. 8 at ao largo da loJepeadea
cia : quem os liver aebado digne-se eitrega-los
no pateo do Carino n. 43, a Jos Joaqaitn da Sil-
va, que sera' gratificado.
Precisase de um aroassador : a padaria
da ma Itial do Manguinhu n. 25.
precisase de una ama
Corpo Sanlu n. 17.
de leite ; na praca do
gabinete de i
entrar, no pm
O II!
onsultas medicas,
leiro.
esludii lauto d
leslias interna
mo d mlor, que se tem dado ao ^
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
H &
Alnga-se a u
brado da ra du
mesma ra, livrar i universal n. 5't.
logo ao
s operacoes como das mo- i^|
.. presla-se a qualquer cha- ^
mado, quer ara denlro quer para fra ^
da cidade.
mmMM mmm
a da frente do 3" andar do so-
I
mperador n. 52 : a Ira lar ua
ATTESCAO
Quem quizer prtstar-se ao servico do conligenle
destinada ao sul do imperio,
Para completa lquidac3o vendem-se, por muto menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas ebegadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus &C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, daTuaida nacioa
Violet, L. Legrand, Deletrez, hnaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de em sub.-tituic.io a i m guarda nacional e mediante
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafLhas e vidros de difieren-
tes modelos, pos para limpar dentes, banbaem potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos ontros arligos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
boa gratificacn, p>
ra da Cadeia, que
le dirigir-se a'casa n. 56'da
achara com quem tratar.
Notas do bar
dcsconUm-se na Ir
PAtti SE\HOItA$#
Ricos e modernos pentes de tartaruga para transa desenbora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
IiUVAS HOVAS 1IE JOLTI\.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Expsito de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
I'HOTttttR I FOLIA.
No grande armazem da ExposicSo de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da (mperatriz loja de Mr Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de m'mdezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.'
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAS IIK PERNA]*IB(J<;0.
O abano a-s
que fica de nenhu'
bicar por .-le jonja
anno, dizendo que
irmao MiguelArchahjo
, de 1865.Jos Mar a
co do Brasil e das caixas filiaes
vessa das Cmzes n. 8.
tinado declara pelo presente
i linio o annuncio que fez pu-
I em 20 de jolito do crreme
e procurava dar curador a sea
Seve. Recife 9 do oatubro
Seve.
Grandes melkras
as machina i imperiaes de coser-
Armazem n. o (6 Broad-Way \'ewYork.
Estas machinas sao construidas p-r um novo
systema, com muit is e importantes melhoras, e
Precisa-se fallar ai Sr. Ephigenio da Silva a
negocio desea inleresse;na ra da Imperatriz
numero 9.______________________________
Aos agricultores.
Da-seos terrenos necessanos a quem quizer edi-
ficar um engenho para desfructalo pelos annos
que seconvenciunar, no lugar denominado Balsa-
mo, cujas trras sao de urna produrcao prodigiosa;
e fica distante meia legua, por um lado, da colonia
de Pimenteiras, por outro, da povoacao de Capoei-
ras, e cerca de legua e meia das povaees de S.
Benedicto u Panchas ou Terra-Xova : un todos os
referidos povoados ha feras regulares e om difTe-
rentes das da semana, onde se, acham bous recur-
sos e se encontrara mercados para as diversas es-
pecies de negocios, aiin da grande feira de Trom-
betas, eslajo terminal da via frrea, da qual o ter-
reno mencionado dista de seis a oito leguas pela
i estrada real, cujas margeos esli guarnecidas de
moradores e fazendas ruraes, que loroam o transi-
to nimiameute agradavel.
Quem quizer lucrar de urna planta de canna,
cinco e mais folhas, poder contratar este negocio
na ra estreila do Rosario u. 28.____________
Os arrematantes da massa fallida de Joaquim
Vieira Coelho & C. previnem aos senhores devedo-
res para que no praso de 0 dias venbam ou man-
den pagar o que esto devendo a' mesma massa,
na ra da Cadeia do Recife n. 3, e que Ando o dito
praso, os que nao pagarem, terao de ver seas no-
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branza judicialmente. Recife 5 de oatubro de
1865.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e coro especialidade
sobre f seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos i.rgosgeni-
ti urinarios. ,
Em seu escriptorio os i! rao examinados na orden, de suas
entradas comecando o Irabalbo pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Jj| Praticar toda e qualquer opera-
I cao que julgar conveniente para o
H| prompto reslabelecimento dos sus |
m doentes.
mmmmmmmmwmmmmm
Aluga-se
Aluga-se o sitio denominado Tacirana tome**
! e fructeiras: a tratar na (Bita dos Ralo?) ra Saudade u. 1. ,______________
Na ra do Bram n. 38 vende-.-e om urtt<\-\*
de 10 annos de i lade, com algnm principio u r-
| vico de ama casa.
Precisa se de um caixeiro portognz qo-1 !'-
i nha algama pratica de fazemla-, par ama l"j*
' fora da cidade : a tratar na ma da Cadeia a '>
No armazem da b da amarella, no oiUo d.
crelaria da polica, rec.eiieni-se MIMRI
ogo do ar para dentro e fra da provincia..
C0HP1AI.
Compra-se efTectivamente ouro e i ra'a um
onras velhas, pagando-se bem : na ra lar.
Rosario n. 24, loja de ourives.________________
Silvino Guilherme de Barros compra *t-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos : a
ra do Imperador n. 79. terreiro andar.
Compra-se oaro, prau e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recite,
cja de ourives no :rco da Coaaittai
Na ma do Crespo n. 16, primeiro andar-
compram se libras sterliuase moeda< de ouro bra.
sileiras.
Compra-se papel diario para eabralho, pa-
ga-se bem : na padaria da roa da Imperatriz Da-
mero 66
send> examinadas
das de summa pe fe ;ao. A agulha direita e cose
perpendicalarmente,
nao desmancha neifi
ambos os lados ; fa
qnalidade de. tecidos
cambraia. leudo os
mo nao tem rodas
menor atrito possive

Tiradas na occasSo em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura uo convento do (iarmo.
Tbeatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d > Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIAGEH A EUROPA.
Stereoscopios de nova invencSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidacao no grande armazem da Exposicao de Londres na ra da Cadeia do Recife n.
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
Para spase
or habis peritos foram julga-
coin o ponto embaraca e que igual de
costaras perfeitas em toda a
desde o couro at a mais lina
de algodao, de seda ou de h-
uho, desde e mais g osso at o mais delgado. Co-
entadas, por se ter evitado a
trahalha com facilidade e .
sem conlradicao-U; A MACHIMA QUE NAO FAZ
RUIDO ALGM.
T. J. Me. ARTHUit S C, fabricantes e proprie-
turtos na casa supra
ir a festa nao ha
nlelhor
Aluga-se a bem
nada Cana-fstula.
Vieira Coelho, a
. no Monteiro, assirr
Sr. major Ha i xa.
commodidades pa
na ra do Crespo
Aluga-se pa
sitio cm urna boa
modo, caiada e
lugar da Torree
padaria da Torre.
conhecida casa denomi-
que fui do finado Xisto
mirgemdo rio Capibaribe
como a casa que foi do
na povoacao, com boas
la grande familia: a tratar
:om Andrade & Reg.
a se passar a festa um
casa com bastante com-
a e al lavada, no
i lo fresca ; a tratar na
pi itad
n u
Aluga-se urc sitio na Torre para se
passar a festa conj alguns commodos, caiada
60, ra da Im- e pintada e inuitolfresca por barato preco :
i a tratar na padari i da Torre.
D?I0DURET0 DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEJTDA EM PERtfAMIIUCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 2$.
r
Os elementos que compoem esta prcparac3o_, o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
sens resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prticos mais eminentes,
que confirmrSo sua poderosa efficacia as se
guintes affeccSes:
MlnKea no aRur,
Fraques*,
Anemia,
Clilorone ou Ictericia,
Menstrua,
Affeccoea alo utrro,
Saapreaaeea daa re-
eran c di'forilcim na
menHtruaeaa,
Aff<-i-c;to pulmonar e
phthlslca,
Molcutlaoil rulimm,
OaatralKlaa,
Perda a'appetlte.ete.,
Convaleaceneade Ion
rom luolestlao,
MolCHtlaa eaerofulo-
M,
Pupelra,
ObHtrucrio dan gln-
dula*,
Humorea fros,
Tumores brancoa,
RarhillNHio,
Affcefoca ninceroi
e syphllltlrns,
Febren typlioldes,
Beslgas, etc., ele.
PASTILHAS8
IGESTIVAS
DE PEPSINA
Dlurrliea-t c a eonsll-
paciio procluBldas
IK-I.I l'lllllOl'lirMl-N
defcltiiintas dos ali-
mentos.
Vejaos; os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 4860; a Gazeta
dos hospitaes de 28 de jullio 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo de ferro e de-
quinina ile Iieblon, os Mdicos nconsclhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlior para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob fr
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope dUodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-sc o folheto que se d de gra^a m casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificacics, exija e com-
prador em cada frasco de Tildas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Reb&lon,
4 42, me du Bac, e em todas as boas pbarmacias
de Franca e as dos paizes ?slrangeiros, etc.
Pelas oouuBissSes em grosso, dirigirse aos S
DE, PASMAN
As pastillias digestivas com a pepsina de
Wasman, empreg.o se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicacs de
l'aris, Londres, Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quaesadigestao 6 difficil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivcl: cis
o melhor remedio para cu ral as.
Gusti-nlicls*,
Dispepsias,
Embaraeosi;Htrleos
A ffnstrite,
Ah nffreres oraAnl-
eas do cslmaKO,
Sua aceito vivifica o sangue e os rgaos de
tal sorte que, alh as pessoas que sem soffrer
as r.ITcccoes gstricas cima mencionadas s5o
nicamente tracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessilao substancial alimento
para forlilicar-se, achao no emprCgo das pastil-
kas depepsina de IKsian,um poderoso meio
para a isso cliegar.
Aviso importante.Osucccsso das pastilhas
a pepsina de Wasman den causa a se fazercm
fasifcaedes c iinitacoes d'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacSo a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'cste
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastilhas tcnhfio as iniciaes B. P. c saiflo da
pharmacia Ghevrier.
Depsito geral era l'aris, pharmacia Chevrer,
21, Pauboorg-Montmartre, e em todas as boas
pbarmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
DOENCAS
dos MENINOS
CORADAS PELOS
XAROPES DO DOU-TOR DANET
N* 1. Contra as CLICAS DOS MENINOS ante
e durante a denllro
(Xarope de cvnoglosse e de acido succinido)
N* S. Contra a
TOSSB CONVULSA
NERVOSA
e a tosse
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
N* 3. Contra
I CONVULCE9
A CHOREA
DOS MENINOS
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sSo em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Fiama para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e vierao cncher um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
affcc(5cs da infancia, para as quaes, ath hoje,
anda se nao pode indicar tralamento racionnal-
nem infallivel.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preco do frasco em Paris, 3 ir.
Para se evitarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em l'aris, pharmacia Chan-
teaud, c em todas as boas pbarmacias de Franc;
e dos paizes estrangeiros.
IASSA
XAROPE
DE CODElNA
BERTH
As experiencias dinicas e comparativas
dos Snrs Magcndie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martip Soln, Aran, Viga,
C. Immont, etc., m^mbros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris, tem
provado que a Mas a e Xarope de Berth
o remedio o mais eguro contra todas as
dores nervosas e ti ndo a propriedade de
calmar com ad m ira v 1 rapidez as tosses rebel-
des e extremamente aligantes da grippe (ca-
tarrlio epidmico defluzo, coqueluche ou
tosse convulsa, bror chite e tsica pulmonar.
A Massa e Xa -ope de Berth, se
achao em todas as t ticas.
Para evitar qualquer
falsificado, exigir cnii
cada produto o nome
e a firma Bertb.
Deposito geral em l'a is, em casa de MERIER,
Ra Ste-Cro -dc-la-Bretinnerit.
Os granulos de bismuth de Ghevrier em supe-
riores a todas as outras preparacoes de bismuth
empregadas antes com o maior succdsso pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Ms dlgcslea,
Gastrlles,
Gastralgias, etc.,
Molestlus de ligado,
A Ictericia,
Palultaeita da earafao
Dores nos rtns,
0|*prcHCVi-s,
Dores ale rnln-ea,
Irrltaees de bcatea i
da matrlc, ecc.
Dlarrbeas cbronlcas,
DyssenterlaS,
mires d'estomga,
Dyspepslaa,
Depsito geral em Paris, pharmaciaChevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
estrangeiros.
ASTHME
ASTHMAH ASTHMA ASTHMA1!
Suffoccco nervosa e OppreMe
nico remedio efficae para combatter estas mo-
lestias, acalmar um ajtaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danelt. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre iproduzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Comraercio, Paris-Grenclle, e em todas as
boticas de Franca e de
WILLAERT e BERGER, comisario! em drogara, li, roa Saint-Laxara, Paria.
s

mMI

dt~
estrangeiro.
5 DEPOSITO DE CALCADO M
* lAIIIUi:\lllJNAC\SAIIK iii:h:m;.ao m
H Ra \tv;a n. I.
^ Ah se eacontraro obras Je di- f
J versas qualidades, e por prego mui
=*< diminutos, a retalho e em porces.
W S se vende a dinheiro.
m
EsCRAVA.
Precisa-se alupar urna escrava para o servio
interno de casa de fami b| : oa ra du Cadeia do
Recife n. 52. terceiro andar______________
Severiano de Siqaeira Cavalcanti faz publi-
co pelo prsenle que he perteoce hoje o escravo
Caetano, cabra, estatura mediana, de dade -"> an-
nos, nao obstante ja tem alguns cabellos brancos,
nariz arrebilado e grande, pernas cambetas, ps
apalhetados, com fallas de unhas e costas cieatri-
zadas de reino, o qual fugio do engenlio Para fre-
guezia de Ipojuca, do poder de Jo Valenlim
Vieica de Mello, de quem recebi em pagarneuto.
Recife 9 de outubro de 1865.________________
Precisa-se de dous amassadores d<; padaria :
a tratar na ra estrena do Rosario n. i A.
Leite aop da va cea.
De dominio lo do correle em diantc haver no
pateo do Carino leite ao p da vacoa as 0 horas da
manhaa, pouco mais ou menos, o copo a 200 rs.
Precisase alugar um escravo, pagase 30
mensaes : quem tiver entenda-se com o chefe da
estaco das Cinco Pontas.
Aluga-se o sitio da Baixa-Verde n. i, na Ca-
punga, com duas casas de vivenda e arvoredo,
proprio para passar a festa por ter banho e vivei-
ro : a tratar no mesmo.___________________
Precisa-se de um criado para rapaz solteiro,
e que entenda de bolear ; no largo do Carino n. 2,
2o andar. ______________________
Antonia Mara Monteiro declara ao respeiia-
xel publico que nada deve, e quem se julgar cre-
dor da mesma, apresenlara' suas conlas no praso
de tres dias para serem satisfeitas, na ra do Ale-
crim n 4.
~ O abaixo assignado, consenhor e rendeiro do
sitio denomidado Tacaruna da freguezia da Roa-
Vista, pelo presente convida aos seus consenhores
a virem reeeber o i" anno do arrendaineiiu do
mesmo sitio, Ando no da 13 de julho prximo pas-
sado na (ilha dos Ratos) ra da Saudade n. 1, vin-
do os mesmos conseuhores com seus ttulos legali-
sados, das 3 horas da tarde a* 6.
Manoel Joaquim de Miranda Seve.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
lindar para uo.a cosa de duas pessoas : a tratar
na ra da Imperatriz n. 3i, Io andar:______
"Alaga-se uro sitio porto da cidade : a tratar
na ra do Crespo n 8 li__________
Cal de Lisboa
Na i ua do Vigario n. 19, i" andar.
O abaixo assignado previne aoSr. tnesourei-
ro das loteras do Rio de Janeiro e as pessoas que
aqu na provincia costumam descontar taes bilhe-
les que nao paguem quaesquer premios que saiam
nos burieles inteiios de ns. 3961, 3962 e 3143 da
10" lotera a hencfii io do Monie Pi Geral dos Ser-
vidores do Estado, visto que taes bilheles se per-
deram do pider do abaixo assignado, achandose
os dous primeiros assignados pelo annunciante e
o de n. 5143 assignado a lapes pelos associados, o
que se faz publico para prevenir futuros : assim
cerno larnbem rogase a pessoa que os icliou de
entrega-Ios na luja da ra da lmperalriz ?. 12,que
se gratificara'.
Ignacio Jos de Moma.
Aloga se um sitio na ra de Joao Pernandes
Vieira ti. 5i, com boa casa e grande tolo, cochei-
ra e estribara, ten lo no mesmo sitio um jogo de
bola cem lodos os seus perlences : a tratar na ra
Birelia n. 137.___________________________
Recreio Familiar.
Sao convidados os Srs. socios a comparecerem
sessao geral que devera' ter lugar as 7 horas da
noite de 16 do corrente, no edificio do mesmo re-
creio.
Ouro o prala.
Em obras velhas : compra-se na praca da l.
dependencio n. 22, loja de Lilhetes._________
Comprase
para urna encommenda urna escrava preta ou par-
da, com habilidades, principalmente en costara t
eogommado : na roa do Imperador o. fci. terc-ir,
andar se dir.
Comprase urna cadeirinha com dous bran-
que esteja em bom uso : quero a livtr annnnc:
ou dirija-se a livraria eocyclopedica de J. &. de
Mello, na ra da Cruz n. 52, Recife._________
COBRE L TAOE
CHUMBO
Comprase cobre, latao chambo : no mtmmm
da bola amarella, no oito da secretaria da polica
Compra se carosso (sement) de algrdo : do
armazem de algodao de Sanoders Brothers C,
no caes de Apollo.
C 'in i r< ii i > duas casa.- na Bna-Vista, e wn-
de-se urna na Ca punga : a tratar na roa d > %-m-
dego n. 85.
Compra-se oa hypotheea-se ama casa 4e pe-
dra e cal, na cidade de Olinda, Peres, oa ai/am
outro ingar que lenha condoreo certa : a tratar
na ra do Caldeireiro da tseeidade n. 92.
9200 por cada libra ster.ina ; paga-se na
praca da Independencia n. 22.
YEffDAS.
Vende-se vinte milheiros de tijoo de al*ea-
ria batida da melhor qaalidade que se pode ene n-
trar, a razo de 3Q& o milheiro : na oan i da*
Barreiras n. 10.
Roga-se a pessoa i]ue adiar duas dispensas
para casamento de Manoel Fernandes e Vernica
Maria de Souza, de a eutregar na ra do Quelnia-
do n. 10; qne se llie ficara' muito obrigado:____
Traspassa-se on aluga-se urna padaria
prompta a trabalbar: trata-se ua ra Direi-
tt n. 24.
No hotel Oe Italia, ra do Trapiche, n. 5, pre
cisa-se alagar urn criado que seja escravo e pe-
queo.
4 ltencam
Seniores e sciharas.
Os proprietarl da nova lofa wmu rm I
zendas e rotipas feitas, ra da Imperamz m. 71, Ak
Guimares tV Irmo. ai-aluro d* rednzir i |t
de suas f.nendas menos 20 o/O do que em ojira
qualquer parle, alim de apurar dinheiro.
Lanzinhas de lodos os padrees por barato pre<;
por ter grande porco, a saber, SU) e iW. **>"-
320 rs. o covado ; vende-se tambein ui.. jr ,u
sortimento de chitas esireita*. pelo dimn,
de 200 rs. o covado : ditas franrezas largas a tV*
e 260, 280, 300 e 320 rs. o covado ; ditas preclara,
muito Ooas a 360, 400, 4M) e 500 rs. o ru -ad..
lato s na nova loja e armazem de fezeads- < r .
pas feitas de Guimiries \ IrSato, ra U Impera-
triz n. 72.
E' baralissimo.
Pecas de. caiii'.iraia branca a :t; :>>i0, dita*
mais rias a 45 e isOO al 9, ramnra ori-u-
dys de lindissiinos de-eolus a 320 e 360 r-. o co-
vado, ditas muilas Ooas a 400 e 440, i-io c i
loja de Guimares & Irmo roa da IspWaMi
n. 72.
Aos 2,000 cobertores.
\'ende-s-i cobertores de algodao a 19, ditos me-
Ihores a ISliOO, 2$ at 69, grande suriimenio le
chales do merino pelo barato preco de 2; e 250f,
3*. 35.'|J0 e 4?, ditos finos a 5?, 6, 83, dito* de
renda, os melhores, que tero viudo M mercad..r
por baratis-imo pre^o : 1*1.1 s Da Iota de Gu-
iarles Ov Irmo, rna da Imperatriz n. 72.
Oh que pecbincha.
Cambraia- de urna s cor, Uzeada niti n-
derna, a 320 e 3G0 rs. o corado, vende-se por esle
preco por ler um pequeo loque de mofo ; grande
sortimento de saias bordadas qoe se vende mtjiio
barato : isto s na loja de Gomara*; h Irmo,
ra da Imperatriz n. 72.
Os mais modernos vestidos de cambraia borda-
do*, fazeoda inleiramente nova, por 1 rer,.;. mciio
barato; tambem rhegaram as mais mi Jemas
mantas de seda para peseoco, e veode-<- v r n -
modo preco : isto s na loja de GnimarAe- m 'r-
mio, ra da Imperatriz n. 72.
I'tvliincln adiLiravel.
Este novo estabelecimento recebea am gran.le
sortiment.) de riscadinhos escossezes muilo \ r.-
prios para vestidos de senbrs e menin.m, a !ii>
rs. o covado ; vende se um grande sortimeal de
entre-meics e babadinbos, e tiras bordadas, por ba-
rato preco.
Roupa feila.
Vende se um grande sortimento de roopa fetu
de todas as qualidades, paliloig, calcas e coMetes,
camisas e seroalas: todo i-to s
Xa nova loja tic fazcmlas de Giiourca
& Irma*.
Ra da Emperatriz 31.
Vende-se ama negra rrioala de bonita flg' ra,
sabendo cozinhar, engommar e (azer o mais servi-
co de urna casa, nao tem vicios sen achaques : aa
ra do Rangel n. 7,2* andar.._______________
Vendem-se pembos de varias racas e cores :
na tabefua da ilha dos Ralos se M quem v
> ],>
sfeaafs


II
Diarlo de Pcrnamlbuco Segunda fe ira ltt de utnbro de 18**.

" S4LS1 PARRILHA DE AYER.
Transcrevemos aqui alguns
dos muitos alteslados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
II Imimalisiuo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
Grande loja e armazem o
Pavao.
Ra da Imperalriz d. 60, de Gama & Silva.
Tendo os proprietarios d'esle eslabelecimeoto de
liquidaren) urna grande porcao de suas fazendas,
al ao iim do correte anno, '.Un defecharem con-
tas e apurar dioheiro, resolvern] vender lodas as
fazendas coro grande abalimenio em pregos, lano
em porgo como a relalho, e por .-so previoem a
todos os seus freguezes, e ao respeilavel publico, e
as|pessoas que negociis em pequeua escalla com
fazendas, que neste esiabelecimento enconirarao
Soffri rheumatismo poriIWi- um grande sorlimtnlo que muilu Ihes bao de agr-
tas vezes, e vendo annunciado dar unto em pregos como em qoalidade; aswm
nm .,~ i j' ;^o,1q > como mandam pelos seus caixeiros levar as fazen-
em um jornal desta cidade a d d f Mj
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re- derem vir a loja, ou dio as amostras VisandoV cessar.as qualidades os seus acreditados Ta-
rrasco e fazer uso! r penhor. / bncantes Perry & C, as recommendam aos
do
aGUI4BHANG4.
Colleiras de marroquim, com cascaveis
e s ni el les.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou em elles
proprias para caes e outros bicbinhOfl.
Pennas inglezas le ac e deliradas.
No novo sortimcnio de pennas deago que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e lucos
mu! bem acabados, e por essas boas e ne-
comprar um
d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-j Cambraias lisas a 3.so00, na loja
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve, Pavao.
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
tava affectada d'esse terrivcl encommodo
que roubou-me tantas noiles de somno.
Empees, borbullias pstulas,
ulceras, e todas as molestias
da pello.
DO Sil. JOAO PAULA DE ADRE E S017.A.
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
entendedores'1 apreciadores do bom, valen-
do mesmo a differenca que ha no preco de
Vendem-se pecas de caro ala Iba branca e urnas para outras, por que estas se tornara
iransparentes, leudo oilo e meia vara cada pega, mais duraveis na continuacao de escrever ;
pelo barato pr^o de 35500, ditas muito linas, por assim poisquem dellas se quizer utilisar
4*500,% Cate 103, sendo tapadas e tranca- compra-las a dioheiro a vista: na ra do
remes, assim como corles de cambala com salp- ni,0;m,,i nn ,, A; ,
eos a 25500 : isio s na luja c armazem do Pavuu,
na ra da Imperatriz n. 60 de Gama A Silva.
Casimiras escuras,
na luja do Pav;io.
Vendem-se superiores casimiras escuras, mes-
ciada e entestada, lom seis palmos de largura, pro-
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas c sera ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
lodas de novos e bonitos
erupcao sypbililica em todo o corpo, moss prias para caicas, paieiots e coleles, pelo barato para cortinados,
trando-se sempre com mais violencia nac^l^^^ desennos> cuja commodidade do preco est
ra, prove muitos medicamentos e consulte! am amru?tSWJSR iseooFW3 m loj. em relacuo a largura : acl.am-se ellas aven-
muitos mdicos, e eslava quasi desanimado; e armazem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 da na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
quando vi os annuncios da Salsa parrilha 'de Gama & Silva.
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e I Chales vetos a lOflOCO.
nos prime/tros dias a erupcao aggravoo-se, Vi.udem.se ctalM p?eioM renda muilo gran-
porera antes de acabar o segundo frasco n- ae de quatro ponas, pelo baratissimo preco de
nha o mal desapparecido completamente de ioS cada um, ditos brancos de tres ponas a Cg
todo O COrpo na 'Ja ""'nazem do Pavao, na ra
Doctor Don Jos Vales Hkurkra, phofh, > g-**^
SOIt DE MEDICINA V CIIU1IJIA, SVHDE1.EGAD0
ca n. 8.
Jogo da pacieucia ou curioso cnlt eteni-
menlo.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
a mpera- zoaveS) caxnhas com tabolas de madeira,
que das diversas pinturas dellas se formam
Vendem-se ricos relondes de renda preta, pelo agradaveis vislas e paisagens, segundo OS
em ambas as facultades del sesto Dis- barato prego de 125000: isio na loja e armazem desenhos que acompanham. Na verdade
TR1CTO.Habana. do Pavao, na ra da Imperatriz o. 60 de Gama & esse um deleitavel en retenimento com 0
la 'UpAm??VS?*fa'E& Crl f,c Pl'nntash a 3*300. Jf' se dtiSPenta a curiosf,]e> "P.?ra a in:
ta del Di. Aiei, v como depurativo lie ou- ,. \ ,.,,.; telheencia Os enredadores dirnam-se a
., ii i r i- i. i. v.i>ndemse os mais luidos corles de pbantasia wiigoi. \jo api oe-miiui co uimju o
tenido de ella los mas felices resultados en C0I11 a, majs |,BdM eres qee lem vind0 aomerca-. ra do Queimado, a dila loja da Aguia Bran-
les casos de ulcera crnica, asi mismo au- do, sends fazenda transparente que serve at para ca n. 8, que seao satisfeilos.
jor y las considero como um porgante, cuya bailes, pelo barato preco de 3-3500, ditos brancos Ronilfls ciimIo-; tara ii'nhoras
fazenda muito fina a 4000 : isio na |.,ja e arma-; DOllil! LHItlUS |Mld ^ U0r8,
zem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga- A Aguia Branca acaba de receber ttl no-
roa 4 Silva. ivo e lindo sortimenio de enteites os mais
Percales do pavao. modernos e gostos inteiramente agradaveis,
Vendem-se as mais finas percales com os mais e como seu louvavel costume OS est ven-
accion ademas de ser segura, ha sido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y on
vacilo en recomendar estas preparaciones
Y para los Dnes que puedan convenir doy
la presente en Bcgla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. Hkrulba.
Escrophula.
ATTESTADO DO 11X11. SR, FRANCISCO FEltltAZ
dos santos. Ouro Preto.
Me acho ha quasi dous annos alectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desrnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
lindos padree?, sendo das melbores que tera vindo i dendo bara lamente a quem com dioheiro se
^Af&VtSutiJJiliti "iriir ado Queimado, loja da Aguia
Gama & Silva.
l'ambraias de forro.
Na loja do pavao.
Vendem-se pecas de cambraias de forro muito
boas, pelo barato preco de i& e 2>5'0O a peca :
isio s na loja e armazem do pavao, na ra da Im-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
Cosluraes para horneas,
A 13/5000, na loja do pavao.
Vendem-se superiores cosiumes de casimira ga-
ribaldina, sendo caiga, palelol e colele, pelo barato
Branca n. 8.
Heias de la para senlioras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na loja da Aguia Br nca acha-se a venda
o papel com compoMco para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar faciilimo, e o
effeilo efflcaz : molba-se o papel e deixa se
fiejr n'um prato, e nelle pousando as mos
ta cidade, e nenhum pode vencer a tenaci- de m ou Ve-ndm.se separa(l0i send0 caiga I "" fetef^Vii rem rail
dade de minha molestia, eslava .'.em espe-1 da mesma fazenda por W, paietoi da dita a 6*. co- fas J !?.le< cm e mon em. Lusta cada lo-
rancas de recobrara minha saude ; quando lele da mesma a 34, caigas de castinea fazenda j||ia u res: na ra do yueimauo, loja a
ltimamente resolv fazer uso da alna par- ide Dma s tr a **e Palelots da mesma a ^ e A8u,a Branca n 8.
rilha do Dr. Aucr. Completam-se hojeI Vr^^tttR\*" brinquedos c cntretenimento
Ayer.
trinla e sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas mellu-ras tenho
sentido que tenho conviceo de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
tempo.
M [llallis e molestias mert-uriacs.
Do Illm. Su. Un. Jackso:'.
pelos baratos pregos de 6J, 7J e 85 : isio s na
ioja e armazem do pavao, na ra da Imp.ratriz n.
60, de Gama & Silva.
Calcas cpaletotsdc casimira
vende o pavao.
par enancas.
A Aguia Branca na i ua do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
! cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
Vendem-se superiores caigas de casimira de diffe- elctricos, apparelllOS de metal, louga pinta-
remes cures, sendo fazenda muito ua ptl.i l.ara- j almnft p ian-
tissimo preco de 75, paletots sanes da mesma, aa e porcelana douraaa para almo?' e jan
sendo obra muio bem fea pelo baraiissimo prego tar e muitos outros brinquedosde mader?.
Medico muito conhecido as provincias do de 105000 : isio s na loja e armazem do pavao, que se vendem baratamente: na ra u
Slll do Brasil. na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. j Quemado, loja da Aguia Branca n 8.
Tenho receitado a Salsa pa<-rilha do Os colletcs do pava. Meias pretas de seda para senhoras a
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de Vende-se um grande sortimenio de Golletes de ,,,,,, ..
lodas as qualidades, como de casimira de cor, di- *>v\j icis w |m .
la pela, de velludo, d: meia-casimira, de brim A Aguia Branca quer acabar com a por-
Outro4
Viudos tambem
miudezas ra do
obj celos.
para a amiga loja de
Queimado n. 16.
Sapalinhos dse im branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos!.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinsos.
Outras mui linas de fio da Escossia
brancas listeadas.
de to da Escossia brancas
ra senhoras.
i a senhoras e meninas.
bga mui fortes para des-
nos casos
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o mellior alteran-
te que conheco.
Leucorrlia e flores Iiramcas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilia.
O espaco nao nos permitte liaoscrever
branco e pardo, vendendo-se ludo isto por um pre- -jq ,je meas nre|as ,Je seda para senhoras,
go que muito Ihes bao de agradar : isto so na loja | g ^^ Q mul() maor ^Q qU( ,he cas.
c armazem do pavao, ua ra da Imperalriz u. 60,
de Gama & Silva. laram e o bom estado em que anda estao,
Cortes Tanadinos. comtudo est resolvida a vende-las a 5i0
A 10,51000, n^ loja do pavao. ris Par- afim de e ninguem mais calce
Vendem-se os mais ricos curts granadinos, fa- Oicias pretas de algodo, agria pois apro-
zenda de raaila phantasia que serve at para bai veitarem a quaJra e dirigirem- e ra do
les por serem transparentes e com palma de seda e ; Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tana
todos OS atlestados que possuimos las \ir- tecidos com a seda, pelo baratisslmo prego de 105 ^ Vpnitr-i i hrancac (A n nar p d-
alsa <*da um isto s na loja e armazem do pavo, na >Dem ^encera as Drancas aiflo par, e aes
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. tas o nico deleito e estarem um pouco In-
gueiras,
Vende-se nm moleqne com 16 annos de ida-
de, e aluga-sc ouiro para criado, mullo bons e
muilo espertes : no Gsrredor do Bispo n. 13, Na
mesma ra*a alagare urna escrava que saiba ven-
der na ra e seja Del.
Percutes cun mofo.
Ka loja do Pavo a 3G0 rs.
Ven mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
tudes d'este extracto composto de Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela prolissao medi ,a tanto
das Americas como da Europa, seui nunca
desmentir a sua alta reputaco.
Para a cura radical de escrfulas e iffeccoes [quMa-se pelo barassro preg de 360 rs. o co-
escrofulos, syphilis e molestias syphi- vado : isto s na loja do Pavao ra da Imperatriz
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupcoes cutneas e todo e
qualquer incoma.<)do que
provm d'um estado
impuro d sangue,
tomem a
Stl.SV I' \I! tt II IIA DE AVER.
no mam
a. 6G, de Gama & Silva.
0 bramante do Pavao.
Vende-se superior bramante de linbo do elhor de UZendaS OratUS de OtltOS
que leo vindo ao arcado com. 10 palmos de lar- Cotiho^ rua do QueimOO 11.
gura a 25600 a vara, panno de linbo omito su-
640 e
rua da
perior para lenges, toalhas e seroulas
709 rs. a vara : isto na loja do I'avo na
Imperalriz n. 60, a Gama 4 Silva.
A' venda na rua DirilaTns. \i 26 e 76; Mt(L$ para meninas ft 2,5 ^aratissimo prego de 3*200
rua da Quitanda n. .'il ; praca da Consti- Vendem-se meias para meninas de todos os ta-' i."bertas de chita da India a 2^400.
tuicao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
19, vende se o seguintc :
Lenges de panno de linho a 25200.
tinos de bramante de linhodc um s panno pelo
principaes
perio.
pharmacias e drogaras do im-
manhos a 2^306 rs. a duzia, ditas de seda preta Pegas de cambraia de salpicos branca e de cor
para senhoras a 00 rs. o par, di'.as mpietas para com 8 t-j2 varas, pelo baralissimq prego de 45500.
Vende-se em fernambuco:
na
PHARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&G'.e
RUA NOVA N tm
(rraude bazar
Uomem a SJi a duzia, isio na loja do Pavo na rua
da Imperaniz n. 60, de Gama & Silva.
As caniisiuhas do Pavao.
Mendem-se as mais modernas camismhas borda-'
das com maDgui'os, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 450. di-
. tas com manguitos, para acabar, a \'; ditas pre-j
tas com mangudos para lulo a 1,5800 rs^ rnangui-
1 los e golinhas prelas a l, finissimas 4olinlias de
: cambraia branca bordada a 500 rs., calcinitas para
menina a 640 rs., romeiras de lil e cambraia
branca bordada a 1-56UO : na loj do Pavao, rua
da Imperatriz n. CO, de. Gama & Silva.
r.;/."iiuf. iiraucas na loja do Pavo
i Vende se um grande sorlimento de madaiioloes,
chitas, algodozinhos das melhorts marcas, ga-
raniindo-se vender mais barato do que em ouira
qualquer parle, sendo a dioheiro a vista, na loja do
Rua Aova ns.Oe 99.
Carneiro Vianna, proprielario desle impuitanfe
esubeleeimeoto, tem a ^J*'^r||** Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
ros4>eiiavel pub.ico, que acaba de recebar as uti-
lis-imas canelas magnticas, as quaes lem a pro-
priedade de tornar firme a mo que com ellas es-
crever : est porlanto sanado o mai tao eommum
a' pessoas de dade avangada, ou atacadas de mo-
lestias nervosas.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escriptono rua da Cruz n. 1
0 castello de Grasvile.
Traduzido do frasee! por A. J. C. a Cruz.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo preco de 3A00C
a praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Lanzinhas da Escossia
PARA ACABAR.
Veodem-se as procuradas caixas par tabaco
eitas no Aracaly a 400 e 500 rs.: na rua da Ca-
deia n. 7, loja.____________________________
Xa corlieira dn Sr. major Quinteiro es pa-
ra venderse um cabnolet de 4 rodas em muilo
bom estado e maneiro, ahi dir-se-ha quem vende.
Farulia de mamlioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C., no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Chales de renda
Paredes Porto, na ruada Imperatriz n. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peque-
o to-jne de mofo, a 35500 e 45. f.zenda de 105
e i-iOOO.
Vendem-se mais barato do que em qualquer
I 360 rs. o covado.
Vendem-se asmis bonitas lanzinhas da Escos-
sia, sendo a fazenda mais moderna que lem vindo
ao mercado este aono, por serem a' imilaco das
sedas escossezas, corn as mais lindas core?, pelo
baratissimo prego de 360 rs. o covado : ua loja e
armazem do Pavo, rua da Imperalriz u. 60, de
Gama & Silva.
SoiiuVuiliai ipics tic cor.
Vendem-se souihemharques de cor muito bem
enlejiados a 55, i-. <_- 7500(1 para acabar : na ioja
e armazem do Pavo, rua da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
Organdv modernissimn.
Chegaram os mais mojemos organdys enm os
mais modernos padroes, sendo quasi lodos listra-
dos, como se usam agora, com as mais lindas cores,
o linas; vendendo-se pelo barato prego de 900 rs.
a vara ; na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas a 2 iO e 280 rs.
Vendem-se superiores chitas escuras a 240, 280,
320 e 400 rs. o covado, sendo todas de cores fixa- ;
ditas inglezas, muito boa fazenda a 2o0 rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de merino a 2/5000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000 cada um, havendo tambem um
graode sortimenio d<>s mesmos matizados que se
vendem a 5, 75 e 85000 : na loja e. armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama <_V Silva.
Os si utos do pavao.
Vendem-se rlquissimos sinlos de fitas de diver-
sas cores e dourados com (ivela larga e dourada,
assim como enfeites para cabega dos melhores e
M mercado ludo
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas,
propna para cortinado a H5-
Dales de arcos a 35, 35500 e 45-
I.encos de cambraia brancos pequeos, a duzia
25000.
Dilosdilos de dila linos, a duzia 2j600.
iiramale de linlio uo com 10 palmos de largu-
ra, pelo baratissimo prego de 25400 a vara.
Atoalhado de linho a vara 25800.
Riin de alpodo 25.
Alt;ii!o entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15100 a vara.
Ceras de bretaoha de rolo com 10 varas propna
para saia a 35500.
Filo de linho liso lino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a l-V
Cambra de linho lina, a vara 45500, 6,500, Si.
Flanella branca lina a 600 rs o covado.
Dita de cores a 880 rs.
I Coi les de algodozinho de lindos gostos, com lo
covados, pelo baraiissimo prego de 55-
| Madapulo lino largo a 95
Luvas finas
de cores.
Ditas de seda pfl
Lipas de dita p;
Pentcs de tari
embaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carleiras com acudas.
Agulhas francez;is, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e prelos.
llaspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bolriacha preto, redondo.
Bonitas (ivelas grandes de acn,
doeadas, madreperola e lar-
taruga.
A loja de miudezas rua do Queimado
n. 16, recebeu um bonito fortnenlo de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
esto sendo vendidas em dita loja por pro-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoro acbamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Ocnlos de penetra e de outras
qualidades, para quem soffre
da vista.
A' loja de miudezas rua do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e oscuros, para quem sof-
fre da vista, assim como onlros de armacao
de ac, sonidos em graos.
t croas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebe) mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposico dos bons christaos que os qui-
z#em comprar em dita loja: na rua do
Queimado n. 16.
esponjas finas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objeetos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Filas finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorgurao de seda achamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
I'' de seda preta e de outras cores pa-
rn jruar vestidos, colletes, palitos, etc.
dem de laa igualmente sorlidas em cores
para os mesmos fins.
dem de algodSo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc.
Novas e lindas guarnieres para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cures.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos lamanhos.
Lonelos de dous cidros coro aro de aro, bfalo
t tartarmja.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
nelos e oculos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis : os pret-ndentes diri-
jam-seaestalcja na rua do Queimado n. 16.
Rival sem segundo
ftua do Queimado ns. 4!l e 55, loja de
miudezas de tres portas, est quei-
mando tudu bou ebaial-, quem qui-
zcp ver e admirar venham leja do
Bi^oiliulio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e paulado
a 600 rs.
' Grozas de botoes de louga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
j Pegas de (ranga de laa lisas e de lodas cores a
40 rs.
Eseovas finissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fila de cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com colchetes francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinieiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito lios para vollarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muilu lino a 200 rs.
garralinhas com agua de Colonia a
Liquidaoao 110 armazem da \
Arara.
O proprielario da loja e armaz-m oa Arara va i
lazer iiquidagao de todas as bteudas, io para a
purar dinneiroa saber :
Lencos de cassas brancos coin bai ras de cor.
Vmde-se lengos brancos com barras iie eres a
160 rs. cada um. ditu de mais deliradas torts 2(0
rs.e brancos a 200 e 210rs. e dilos de linho a 300 e
600 rs., de esguiij a 700 rs. um lenc.3 : isio i- pi-
ra ajeabar.
I'rcbnlia rafiutada.
Vende-se a mais lina brelauha de linho e ir,: -
lada a l& a vara, sendo fazeuda que sempre se
vendeu a I'ii (; ;i vara.
Liaaiubas a 2 0 rs. e CGfaaa.
Vende se un grande torilmente d- lazinha* r.
220, e 240 rs. o covado, s para acabar : no ar-
mazem da Aiara, n. lili, MendesGalmares.
Cambraias de tures.
Vende-se urna grande porcao de cambraias de
core?, das mais mndei as que tem vindo, ao mer-
cado, e se vende a 300, 320, 360 e 400 rs. ( '";.-
do, sendo fazendas muito finas, s na Alara.
Ibi las fraucezas.
Vndese chitas francezas a 200, 5*0, 300 320
rs., percalas a 360, e 400 rs. o covado, chitas para
roberas a 240 rs, dita lar .-.s 320 ts,0 cj\mW. il-
las encarnadas da mascadas a 320 rs. 0 covado isto
para liquidar.
Cambraia para forro.
Vende-se cambraia para forro a "i& a peca, '-"m
8 1|2 vaias.
Cambrahs bracea Guas.
Vende-se cambraia branca a 3>, 3S00, 000
45300, f e 5;i00. e sendo mu i la fina s lapada a
6*, 6'00 e 7,5 a peca.
Laziulias lisas.
Vende-se laiinlMs lisas, senda bonito; iiradroes
a'oOO rs. diias a 400, e 440 rs. o covado, -^ na lo-
ja loja do Arara n. '6
Esguiio.
Vende-se esgui) de linho fino a I-38(hJ :. vara.
(hambres para bomem.
Vende-se chambres para bomem a e 4c\K>
cada um, colariohos de linbo para bomem, que se
vende a 660 cada nm.
Chales de merino a 2,5000.
Vende chales de merino a 25 cada nm, di.es .i-
sos. 45, estampados a 65 e 75 Mendes tulraa-;
raes.
Colchas.
Vende-se colchas de fuslSo a 35 dila? de damas-
co a 45, dila de chitas 25210, 25, cada urna, isio
na Arara n. 37.______________
Algodo Para saceos e roupa de estraves
da fabricade Femo Vclbo, e de muito snp< rior
qnalidade vende-se no escriplorio de Man I Ig-
nacio de Oliveira c\ Filie1, largo do Corpo Sanio
numero 19.
TERRENOS A' VENDA.
Vende-se nm terreno i collocado no ci-ntri'r*a eijad,', p-in 63 i
renlec 218 de funjo, tt-ndo res frente.-, pi
rua da Palma, da Paz e da dae rdia : .... iaf.r
macoes, na rua do Sol n. 37.
Luvas de Jouvi?,
A loja de miudezas na im d- gi.ttma-
do n. 10, resebt'i:-as pw e?te uliiti H r.
Novi'kdes A nr va loja de miudezas rea la I .
pi; tida de u:n i- ;. .-. ;.l... ,,
(i i proi i imrM ,. j, ,
: ''.: i,:.::, : rie .- sin tu.- :.. m n! r i '.' ''>l'
i. ira sinlu send i eu ura& u sj'on iW9,
douradas i i a| Urya a 3J 353"
boflo imitando laiiarupa -.', 0 -raie-
d iota I i pi r.-m i.n i. Ii rr. _>TM .
35 e 35300 e alfosias para I", issia : rv*
na o.i na loja o- moi pn "un > 11 r....... rr- -
:.-.;;. '..joo, 230o,: 5 5-'Ao. diu-
.!;dj | ..rulas 15, i '
cravadas o m pedrinbi sal P.
mos o: lano a? Ez i hi i is Be i
de dar-nos a preferec ia, >.is *-
servir a ..' ;'.-' '*
i.: ,.--.[.. co tun.......bul io .
- i ija de Man i .. I >4 C, .: .
Imp latriz.
litar: '" i f
. i!" Imp rtui ii .i. (- i-
[). ''. !l p. : '. il-r O
Karmha no meiradu.
Ua binas americana! I '
r;.- p<.i :-'. i .-.... a .
M' i i'.-; na > rv ; ',.- ira
qti;i|i]in>r lr.il; '.-. :,' r' a
Pren>as para i ti a< ai aif
Ri am i ira ;..< pai i. :
Gaz i i ir.ier nilii mu ni
;; v o .Jai i ,l;"i
il .
;. se
machinas americana .--.:- ra '.
l.': : na rua da S nula > ..

-.''
Os elementos (p-' eompMmi
ferro, o iode e a qtu>*, a col
grao das preparares ferruposa- I '
seus resultados ol>li''~- p-lo): Medien
tacs, e osrelalorios ros radeos maisen-..-' e
que confinnrSo san uoderosa efr.caoii.-
aepuintes affecg5cs:
e 105 a pega
Esleir da In.lia'de 4,3 e 6 palmos de largura, Frascos e
propii-a para forro de sala, por meuos prego do que I 400 rs.
em unir qualquer parle. Fraseos grandes
Neste armazem tambera se encontra um grande 640 rs.
sortimento de roupa fela e por medida.________ Caixas com 12 frascos de
Algodao trangado d. Bahia : no armazem de '
com superior agua de Colonia a
cheiros muito finos a
A. V. da Silva Barroca, rua da Cadeia n. 4.
CAMAS DE Fllio
Grande sortimcnio de camas
legio e tambem para quem quizer patear a festa
vende-se na rua Nova n. 33.
0 Vil LAR
Com loja na do Crespo n. 17.
Receben de Pars sedas em cortes mui-
to superiores e bellissimos padroes, e
chales de renda pretos para 105.
Esle. importante esiaheb cimento torna-
se reconunendavel ao bello sexo pela va-
tiedade de fazendas superiores e bellos
gostos
l'roleja o bello sexo ao Villar
e verotodos a prosiieridide.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
I Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
| A:ua dentifice superior qualidadea 800 rs.
! Caixas com superior *p de arroz a 800 rs.
roprias para col- Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para lirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito linas para senhora a
m
GAZ, GAZ, GAZ.
Gaz em latas, u melhor que tem vindo ao mer-
cado : vende se no armazem de Barros & Silva,
travessa da Madre de Dos n. 37.
lgodo da Bahi
Na loja de Andrade A Reg, rua do Crespo n. 8,
machinas; a ver e tratar, isto se vende por um prego razoavel que muilo esquina da rua do Imperador, vende-se superior
do Carioca n. 2, caes do I Ihes hao de agradar : isio s na loja e armazem algodao da Baha por menos prego do que em ou-
I de pavo na roa da Imperalriz n.,60, de Gama & Ira qualquer pai te.
parte para liquidar, dous bonitos motores para
e 4 cavallos, os quaes sao proprios para mover ma-
chi as de descarogar algodao, cilindros de pada- | mais modernos que tem vindo
ra e outras qoaesquer
na fabrica da travessa
Ramos.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de lita de laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lonsa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridus, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de bolocs pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de rordSo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20;' jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias croas muito fortes e superiores a
35300.
Vendem-se duas escravas de 12 a 11 annos,
sendo urna crioula e outra cabra, tendo ambas ha-
bilidades : a tratar na rua de S. Gongalo n. 23.
O gallo canta e est
quemando,
Bom e baratissimo.
Rua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos electro magnticas Rc-er para
as changas nao morrerem de convulses telo ba-
rato prego de 45-
Novidades.
Riquissimas pulseiras ou braceletes para senho-
ra e para meninas a 15. 25 e 35, assim como lio-
das voltas para pescoco a 35-
Enfeites.
Riquissimos enfeiles para cabega cousa de mui-
lo g)sto a 15300, 25, 35. 45. 55, 65 e 75.
Fivelas.
Riquissimas tivelas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como prelas.
Cruzes.
Riqu ssimas cruzes douradas porm o meihor
goslo que se pode desejar.
Cascarrilhas.
Bonitas cascan ilhas com biqninhos de seda e
aljfar cousa Inteiramente nova para enfeites de
vestidos.
Rinoculos.
Bonito sorlimento de binculos com superiores
vidros para os amantes do Ihealro.
Assim como uns pequininos
que serve para enfeite de rekgto mais com excel-
lenle vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cesiinhas com preparos para me-
ninas de escola trazer no braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para'mimo.
Pautes.
Ripuissimos pentes de burracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prec" d- 300 rs.. e doria "5, assim como
graudesi i lmenlo de tedas as qualidades para de-
sembarazar.
Eseovas.
Grande sortimento de eseovas mrn roupa e pa-
ra cabello, para unhas e para denles.
Lunetas e ocn'os,
Finlssimos lunetos de um e ti >;:f excedentes vi-
dros e aro de bfalo e ce tartaruga, as.-im coico
oculos com rame dos lados proprio para qu-r.i
sollre dos oculos.
Touqainbas.
Riquissimas touquinhas de fil de linho, de se-
da e de laa para enanca.-.
Para o cabello.
A superior agua para alnpir es cal.ellos, as
barbas brancas e fazer conserva-Ios. es frascos
acompanha um rotulo que ensina a forma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem gordura com uro frasco
com agua propria para limpar a cabega, os frascos
] acompanha um folheio que eosina o modo como;
se deve applicar, assim como agua bal-amica,
opiata e poz para limpar denles.
Banhas.
Grande sorlimento de banhas em copos, em la-
tas de folha e em frasc s de todos os lamanhos por
pregos menos do que fin outra garlp, assim como
' muitos ouiros (bjeclos que nao se poie mencionar
por hoje : s no gallo vigilante rua do Cr^po nu-
mero 7. _________________________^^^^
| BibTiotheea lusitana
histrica, ci nica e chronologica, coniprd.etidendo
a noticia dos autores porlueuezrs e das obras que
compozeram, desde o tempo da promulgara! da lei
da graga al o lempo prsenle, por DIUGO BAR-
BOSA HACHADO, 1741. 4 erosses vofnmes em fo
lio ; obra varissima, cuja edicSo ha ronilo se acha
exgotada. indlspensavel a todo o hoinem letlra-
do ou de prolissao identifica, de quem a historia
patria e as letras naciunaes nan podem nem devem
ser ignoradas: vndese na livraria de Jos o-
gueira de Sonza no aren de Simli Antonio.
musan n* iur.<.
rr.-i|acr.a.
AnrmlM.
Cl.laror ao Iclertela.
Nrnatrna.
Afrrc 4a Irra
Sapprmaca *iu re-
graa r ileaariira na
mon. iruaf ao
Arrecraa fulmuinr c
phlhlHle.
MnlentlamTent.Tr -i~
Garlslaa.
Irrita d"aprllr rlr.
Vejao se os lu'.-:,-
Coatalrarra 4 !a
irn Ktlvi'i
Mnllai Bcrafa
FU.
Pap-lro
Ub'lrarrat tu
Miau.
numfre* < >
Huii.orra Iiisca.
narhltlaar.n.
' htteermr --mmrT.->9m--
e a^shi Ul<-aa
Fehrra ijvh*Htm
Varales. c;c. rtc
. de the- .. tk
t cirurgica de 30 de r.cvembre 1860; o;a
dos ho>:pitaes de M dr i-ilho 1 n60, etc., etc.
Alm daspilulas de imiureto dupl- de t*t
quinina de lebniov.. os Medico* aconseino
igualmente o Xarop d'iorTire daplr m
ferro e de rniinlna do m.i ohor *i
pessoas que nao j;osi;.o de men r"p5 "*
m piiular e os meninot. Esle tm *o
como o xarope A'iedmri de ferro, o .ieme
de a!lerar-se e de se r.ao poder eonsenrai
Peca-se o folheio qoe se di de fraga e:u can
des pharmaceuticosepo iurios.
Para-se eviurem fal>i!icagoes, exija o OaV
prador em cada frasco de Pilulai ou Xarope a as-
ignatura do invento..
Depsito peral em Pars, phirmaeiaRemlls.
142, ru du Bac. e em lodas as boas pharmaoa
de Franca a dos puizes eslrangeiros. etc.
t/j i/i.'on. ::.. vumuth ie Chvrler -
suiieriore a lodas u nitra* pr^i^ra
biimulk empr ;a r.:ei
pelos mdicos do lodoi 11 | u/U* p*r Kr i
c-j-ar ai
Dlarrhraa rhranira* | Ma 4Ir.l-
(Ijaarnlrrlaa. '.Klrlfr
[Vire d'i lmatfo Callralclaa, ca.
Dyiftepalaa.
Os primeiros ayn |Homai d'eiiu ormidaverr
affeccoesse mani:V-.o c.uiiiirii.ei.ie por mi*-
Ves i.:kcrii 'estmago depoii t eaa cmhb, cmh m
lomaraes, e, militas zes, por espeui.u
com vmitos.
Esit estado mrbido, :-c n ei ... j <~r
viiaveimente, que seja:
MrlCKtlna : R.-niic
A lcu-r>ela.
Palpltaraa ale eoraca
DSrra Hti rlna.
Oapreaaora.
liacrA Ir a-a&>. --a
Irritarpaaxla I. .
4a maSrls, rie.
s granulos Ciiovriur s2o ardaaadca mi*
sommidades medicaes para prevenir essas .ver-
sas molesiias c e ;: indo
to.Tipo.
0 preco de cada fitacc de 4 francos.
Depdsilogerw em Pars, pharmacuChw:icr
e em todas as pharmacias de Franca t r*~
cstrangeiros.
A
. o\- 7?
FIGADOdeBACALHAU
i Vndese arroz com casca, prego era conta, me-
dido em alqiu ir. a vontade do cnniprador e esl
no trapiche do Cunta : para tratar na rna do Vi-
gario o. 29.
llliegueni aos corpiolios de cambraia.
Vendem-se corpinho- de cambraia com entre-
meios a 44 e 54, eslao se acabando : ra loja de
Paredes Porto, rna da tmderatriz n. 52, porta lar-
ga, jun.o a padaria franceza.
Cambraias.
Parede Porto vende cambraias lisas linas, gran-
de sorli.nenio, a 34 al 64, ditas Victoria muito
finas, com 10 varas a 64, 65500 e 74 : na rua da
Imperalriz n. 52, junto a padaria fancea.
P eo processo de Cberrirr, pbrn.a,-;.
Paris, rna do PwhoW| iluninttr 2!.
Este oleo nm tabor assttcarcd o nicu tfm' t
nem o gosto, nem chttre da a i
jecto de Dameros relatnriof srienl i.
mdicos, este iMiJkaflMata. '.' i
Franca ile nm sorcesso Ut ni
merecido. i! receitado diuan i
principae mdicos dos hoepitaet :
O oi.eo di: ficado di: bacmm*
do TEiiRroiNoso einprega-se eoin o$in.....
successos as molestias em que se em
o oleo quaudo s3o acomj tvm I
dade e ntoiiic.
Vcmiem-se no l\("'.le em C*>a <;e i.
Barbn eJoSo da r;v. d C.
Vendem se qusir ; una- mu mansa-
de carga e de seila. o i prefo COOMH I : ai -'.
no l.oel de Franga.
Vente se urna parta e nm precio r." i
Arcos, pert da igr prlo para otaria por .
ras qoaM lodas proprias : a !r..i;
los GoncalTea Beitn :- r. -
criptorio.
Charntos da Baihl.
a 15 a caixa; na rua da "-oda n. 41. _______
Vende se nm i casa me i*ua na tr,
das Barreiris, p-r ; ~
ma travessa u. 9 se ma quem *ende.
.a*.
4aV m aa-a.
n


Diario de Pernambnco Segnnda felra O de Ontubro de !*-
v
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A loja de fazendas de Augusto Frederco dos Santos Porto, acaba do receber nm mni-
to grande e novo sorlimento de cortinados bordados-para cama de noivos a 3155, 405, 455,
5050tK), 605000 e 705000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 15300 e 25.
r.aehinez de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 45.
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 165, 205,225 e 255-
Itoiondes de guip, tambera os mais modernos a 265.
Culchas de sJa de cdr para cama de noivos a 555 < 605
Alcatifa de linho para talas, tazenda larga, bonita e de umita durago, a 600 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, ccm ricos desenlio, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 75, N3, ''5 e 105.
Capas e soutembarques de seda preta para senhoras.
Rois, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a 125-
Picinhas de finissima bretanha de linho a 75500.
Laaziuhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braias francezas de cores a 300 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras prelas,
prosdeoopule preto e de cores, esguioes, silesias e cambraias ee linho, sortimento, de diver-
sas fazendas para lulo, chapeos de seda para homens a 95 e 105, chapeos de sol de seda,
lin ios manguitos bordados, e outras muitas fazendas que se vendem por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
ff*fc*S fia ^rai
(MEGAIAH
das owuLinnrjLS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de sedada cores o que tem vindo a Pjmambaco de melhor gosto
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RUI DO CRESPO X. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e 0.
r.-v-s
ORTE DE EH1
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique d cores, e seda lavrada pa-
inteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o ovado
5-RUA DO CRESPO-5
Gregorio Pae? do Amaral *fc Companhla.
Paredes Porto
Receheu pelo ultima paquete fraocez ricas laas
granadinas com fl >rjs de seda a 400 e 300 rs. o
covado, estao acahanio-se, cambraia prela para
luto. Porta larga junto a padaria frauceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sorlimento de fazendas
brancas, como sejam madapoloa 45500, 55, 65 e
10$, pecas de lgida > por barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280. 350, 380 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a200e240rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria fraoeezt.
Paredes Porto
Vende gangas do cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, risc.alo fraocez fino a
320 rs. o covado. Rut da Imperatriz n. 52, junto
<&
3S
'^^^g--s^g^o<^<
k
\
fe
Qrm^
-DUHTE ALMEIDAv
/
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazem como do arinazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem setente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
berramos propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleri-
tnentos em um s annuocio, pelo qual o preco de um ser de todos, prometle-
os que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na oceasilo da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
aiada mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tam'jem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
.pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
ni
IH
#6 $>
ENCICLOPDICA
'.' Fin da Imperatriz armazem
da porta larga &2.
Pareiles Porto.
ta estabelecimeot) encontrar o respeitavel
i i.rn variado sorlimento de fazendas france-
* inslezas, suissas e allemes, que se venderao
:, prejo commodo.
Paredes Porto
rhals de renda de cores que se vende-
r-. a 18? est vendendo por 65, ditos pretos, fa- a padaria franceza, p>rla larga.
:: iva, 55. 63, 85 a 205, um sortimento com- Paredes Porto
Racebeu pelo uitim paquete esparthos a pre-
gncoso por 3), sao nona, lencos de seda para se-
nhora e homem a 1?, ricos cortes de cambraia
bordados de 18 a 7-;, por Ur um toque de mofo,
estao se acaban lo, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria francesa.
colares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a dentieSo dis crianzas e preserva-
la~ das convalsoX.
O Miz resalalo oblido immen=as vezes pela
prodigiosa forja magntica do colares Royer, nos
casos de convulso ;s, e deplelo das crianzas, tem
altamente elevado o seu bem merec lo prestigio,
e hojf j se p I: -liier que estao goralmente con-
ceituados, e eslimados de innuuieraveis pais de
familias : de un> porque do uso desses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos Olhi-
uho=, e de outros porque colherara daqnelles tao
proficuo ejemplo para igualmente preservar os
seus. Assim, pofc, a agnia branca, teudo em vis-
tas a aliHdade e proveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Riyer, mandiu vir o novo sorti-
mento que agora receheu, e continuar a recbe-
los para qu? em lempo algum a falla delles possa
ser funesta ao= pa.s de familia, os qnaes ficaro
certos de os acliar constantemente na roa do Quei
raado, loja d'aguia branca n. 8.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
i-S a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.lf e ra do Trapiche Novon.8.
io d" manteletes, capas e soutambarqnes li-5 a
Roa da l'itperatn? n 42, junto a padaria fran-
i, armazem da porta larga.
Paredes Por!o
"- 'i*cbeu um complclo sorlimento de iH^sinhas a
28 rs. cnado;, para acabar, cambraias de
.''_') n. o covado, riscado eseossez para roa-
nin i, fast ) i! i linho a 120, 'i'>0 e 500 rs.
da Imperatriz n. SSjaot) a padaria franceza,
m : i i ra larga.
Paredes Porto
ceben para cortinados para cama franceza a
.i i".; cambraia lisa fina a 35 WatlOa
E i, rorie* de larlalanade bonitos gostos a 35-">O0
i com fl'n d.^ soda, gostos inteira-
n i te nv s a 00 e ."i )0 r>. o covado.no armazem
11 larga n. 52, na da Imperatriz junto a pa-
raueeza.
Parcdea Porto
Recel en reto ultimo paquete um sorlimento de
rom pedraspara opBscoco. lonitos caxineis
de la para pesclo de seohora. Ra da Imperatriz
i. armazem da pona larga.
Paredes Porta
ende corte' de gorgnrao preto para vestido com
w cada um JoJOOO, grsdenaple preto a
10, I V'" I e 2| o cavado, laas liza* finas a 400
o c ''' la is de qnadrinho para veti-io, enfes-
320 rs. o covado. Itua da Imperatriz n. 32.
da porta larga.
Paredes Porlo
Ti m para vender por prego commodo. pegas de
:;mi i de linho crin {0 varas a 75, 85, panno de
lences a 6(0 e 70;) rs. a vara, braman-
iinlio de '4 larguras a 23200 e 25500 a vara.
Paredes Porlo
rende cortes de cambraia birdadas de ricos:
S a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
nio, ricos cortes de cambraia Mara Pa a
20-5 tarlatana branca e de cor a 640 e 720
r^ a vara. Ra da Imperairfz armazem da porta
i n. o2.
Roupa feita
Itua da Imperatriz n. 52 armazem di porta lar-
a padaria franceza, ene mirase neste es- j
Im mo nm completo sorlimento de paletos- i
i ibrec.asacos, do todas as qualidades, cal-'
odeles, ceronlas, camisas, grvalas, meias,
le ;. dilOs fraueezes para cabega, por
- commodos, roopa para menino e outras
- fazendas por pregos commodos, armazem
rl i :irL'a.
i ni no e -tab !>. ment encontrar o respei-
liuMico, sompre um completo sorlimento de
(-lias de todas as qualidades, como Bejam
. i!>: alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
. S ~j. d,tos de brini par Jo a 25800, 35 e
), ditos Ouosa 4J, dito< meias cazemira a
, 45 e 35, ditos atemira b*cpo3 a 05, 75,8J
ditos sobrecasaco a 10 e 125, ditos de pan*
; a f>5, 83 e 105. ditos sobrerasacos a 125
le merino preto a 65, 75 elOJ, cal-I
I nm de diversas qualidades a i-3800 a 45,
- a 23-jUO e 6500, ditos cazemira 5,
; ."-'., ditos prelos a 55, G3, S0> e 105, ditos
cazemiras a 35 e 45, colles de diversas
: idi seronlas francezasdo algodo, ditas do
itii isd bramante a 25 25300, carniza de
' hoho francezas de 25300 e 35. Gran-'
i D grvalas de todas as
I bs e, brancas para casamento, grande sor-
as para snnlioras, ditas para homens
i, superi ires a 3AJ00 e 4-5.
completo s iriimenl i do chapeos de sol de
i 35, ditos de seda a 53. 75, 195 e i i?..
v francezes para cal ca, grande sorlimento
Manteiga i igleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa l.ioo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Go rs.
a libra e em barril lera abatimento.
BANHA
Banha refinada Superior a 6io rs. e em
barril lera abatimento.
111 i
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., c sendo em porcao lera abatimen-'
to, tambem ha proprio para negocio de a'
Sfrveja
Superior serveja Bass dos melliores fa-
bricantes, como sejam: Shlers "v Bell. T. F.
Ashc a 7,ooo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lsboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeie doce
Superior azeitc doce de Lisboa a 600 rs. a
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Rccife, esquina da Hadre de Deas,
O balo vende sempre por menos que em outra qualquer parte, quem julgar qne
isto nao c verdade dar-se ao trabalho de vir apressar qualquer fazenda de que precise;
tambem se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam esco'her. Dio-se
amostras deixando penhor.
Superiores algodes americanos branco, azul e de listas para roupa de escraros.
Superior madapolo fraucez, fazenda especial para camisas e saias de senhoras;
tambem ha inglez de todas as qualidades c preros.
balGes
Superiores bales de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes pira sofs,
Lindissimas gravatas e mantas para pescoro de homem.
Superiores camisas de meia e meias para homem 1 serjhora.
Calcas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
Lindos cortes de la com riquisimas barras a matiz, os mais modernos que ha 00 mercado
Camisas francezas eseroulas Bnissimas de bramante.
Superiores chitas largas, escuras e claras de todos os precos.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico noraa
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas rappoa sempre ser as mesmas fa-
zendas.
2 4oo rs. a libra. 18arra^a c a 4.Goo rs. a caada.
dem preto superior de 1,800 a 2,3oo rs.' MctSSS
a libra. | Macarrao e talaerim a 3G0 rs. a libra e a
Biscoutos
10,000 rs. a caixa
Latas com superior biscouto inglez de di- \ Passns
versas marcas a i,2oo rs. a lata. Superiores passas a l,5oo o qt.arto e
Bolachinh.is ;5,oo acaixa de arroba hespanhola e a"32o
Latas com bolachinhis da acreditada fa-'rs. a libra.
UMXDLti
-.
-.

ec

i cha
h
Peekincha Imltavcl.
inde f : lmenlo de chambres a i5'00
e ;>
:-
le ea'iihraia para h uem a 23 a duzia, di-
inho '. ) 3J
11.1 sorlimento de roupa para meninos p nn-
r.. uit.ts qua idadesqae seria enfadonoo m?n-
-las.
Fazendas.
\ nde e spperiorrr trin creto proprio para ca
de senhora c vestidos a 25, lustrim da China
100 o eovado. Una da Imperatriz, porta larga.
Paredes Port >.
Vende 1 11 esl bflecimentn liras e entremeios'
bordados, grande sorlimento do corpinhos rica-;
' il lados a 35 H < 85. S o Paredn por-!
lo, rna ilm trairir. no K; porta larga junto a i
eza. i
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande qnantidade, esta-se acabando : na
ra da Imperatriz o. 52, loja da porta larga, de-
Paredes Porto.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ni- ihi Queimado n. 63.
Tem recebido um sortimento de crozes qne se
estao usando, do diversos gostos ; s quem tem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sorlimentos de voltas
de aljofares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
era qualquer ouira parte.
Facas e garfo'.
Vende-se faeeas e garf s de cabos de balanco de
um IjoiSo a 55200 a duzia, ditas de dous botoes a
055OO, dila para doce a 55100, ditas de cabo preto
a 35200, ditas de cabo branco, rulico e cravado a
35'KW.
Tem recebido variados sortimentos de balaios
para meninos de escola, de forma de peixinhos,
patlnbos e outras de diverso posto, que s com a
vista bm se pode apreciar, e tambem serve para
o leilo do hospital tortoguez j laas para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
Hscovas para roupa.
Vende-sc escovas para roupa muito finas com
di ir-rentes gostos h 040 o 15, ditas pera denle? a
120,240,320 e 500 rs.
Pape! e envelopes.
Vende-se paulado papel e caixinhas a 080 rs.,
dito de cor a 700 r.-., e enmvelopes a 6i0r.. a ca
sin na.
"SofaT
Vende-se 450 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na rna do Queimado a. 53, Ion de ferra-
lens.
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachiuha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Quei jos flamengos chegres no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- (]a ums.
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanliol a l,ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrinias do
Douro, Maria Pia, I). Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melliores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 04o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2 i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Cairas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors agarrafa.
CAF
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l,ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanla verdadeira a 6,000
rs. a fiasqueira e 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
PECHINCHA
NO
RA DO QUEiMADO N. 27
CUSTODIO CAKVAIilIO <& C.
Pecas de madapolo fino francez com 22 e 1(2 varas e com um pequeo toque de
mofo a 85000 cada peca.
Cambraia branca para forro a 15600 a peca.
Lencos de cambraia para hornera e meninos a 15600 cada duzia.
Cambraias organdis rauito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 26o rs. o covado.
Laas de cores muilo lidas a 3 >0 rs. o covado.
Rna do Uuelmado u. 33. armazcai de fazendas.
o
todos os paquetes da Europa se recebe
destas amigas do sangue humano e se
, vendem a troco de pouco lucro s afira
Garrafes com 24 garrafas de genebra de jg de ter sempre ooosa nova : a loja do bar-
Hollanda a 8,000 rs. o garr.ifao. Tambem ^< beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a;^*
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
_ f ?*-* ** mrnm-n! Acha-se
Bichas de Hambur^o B *venda .na',vrr,a S2*S5?na raa Imrra-
" 1 dor; na do ar. Sogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia
iza* Hk?SKa f&&i-JPfSilfi
Vende-se
Vnnde-se um carro (victoria) novo o elegan-
te com os arreio* com ptenles de me tal principe :
na Pon e Velha n. *, por preco commodo.
lir 11 em barricas pequeas.
r,,-ra em velas do todos os lmannos.
libias.
Mercurio.
.Va ra do \ igarto n. 19, primeiro andar.
Vende-se nm bom sitio na encruzilhada de
H !' m. com grande casi e muitas frneteiras e com
jaix.i de rapun, o q jal sempre est alugado e
ende-se por preco commooo : na ra do Rangel
7, s?gundo ansiar.
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
*lKAO
Sabao maga de primeira qualidade de 18o; perche e oulras frutas aoi ts. a lata,
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caizSo. 'lata.
PEIXE
Peixe em latas ja preparado de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o c 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
* Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furlado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, ps
quaes vendemos pelo mdico preco de l.Ooo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e portnguezes a l.ooo e
l,4oors. agarrafa ou frasco.
noces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muilo bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
Rramanle de linho fino e largo para lences.
Rrim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavalio.
Cobertores de algodao do um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche.

Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructa? seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo uLimo vapor.
Notes pelo ultimo vapor.
Queijos lordrinos pelo uhirao vapor.
Queijos flamengos frescos pc'o ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo til imo vapor.
Tudo se vende barato n"s seguinies armazens:
liii do Imperador u. JO, Verdadcro Principa!.
lina do Queimado n 9, Unio e Conauere!.
Largo do Carmo n. O. Progressiro.
>!$&&
35C
&p"eti&Wr
RIVAL
im SfiO t
Una do Queimado us. 49 e *.
Conllua a vender todas as mindezas que abaixc
declara por presos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320.rs.
limis de oliado para meninos a 1'io.
Ditos de couro superior fazenda a 12500.
Frascos com superior tinta rocha a 2i0 rs.
Meadas de lmha froxa para bordado a 20 e 60
(Jaixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas de ac, fazenda superior a500rs.
Grozas de botoes madreperola linos a 500 e
e 610 rs.
Caixas com 50 novellos de lnha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de lila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfelles de vestidos a
40 rs.
Raralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Lnros para asbalos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para ponho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e i i.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
12000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 12500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de la sorlidas de bonitas cores a 72000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alfinetes francezes muito superieres
a 20 rs.
Resmas de pr.pel almaco a 22400 e 2J800 rs.
Rscovas para roupa, fazenda boa a 720 e 12-
Dnzias de tesouras cora toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo prelo a 32000.
Talheres muito fino para cria ocas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 32' rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agna Florida vtrdadeira a 12?80.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 3*20 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babad do Porto a 80 e 14' rs.
Carlas de alfinetes francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo dourndn, a 80.
Fumo da Baha para
charutos
Vende-se fumo superior de todas as E
qualidades, a retalho e por atacado c por fl
preco commodo : no hecife, ra da Ca- gj
cimba n. 1.
mparcal, na rna es-
treita do Rosario a compilago de toda a l.-gi-laeao
tendente administracao, arrecadafao e fiseali-
saco dos diohriros de orphos defontos e aumen-
tes, herancas jaceotes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a le geral das eieco-
edes, como larabem todas as ordena e avisos do
governo, que a tudo tem explicado, tanto a r?spei-
to das obrigafoes inherentes ao cargo dos dirTerea-
les empregados de Justina e fazenda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro centendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestndose a utilidad*
de differenies classes, torna-se recommendaveL
Seu rusto e 102009 por cada exemplar em doos
omos.______^^
Vende-se no escriptorio de Manoel Ifirie
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto moito superiores em caixas d
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Muscaiel de Setubal da melhor marca, em caixas
de 1 duzia.
Palmella tinto de excedente qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa moito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vinho do Porto superior em caixa-de dazia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aieve-
do & C, no seu escriptorio roa da Cri n. I.
Vende-se nma borra de ferro grande e~da
melhor qualidade que ha, garantida prova costra
fogo e fraude, e que ser igoal oo melhor a qoal-
quer burra que exisla nesia provincia : enteade-sc
no escriptorio ra do Trapiche o. 40, primeiro.
F HIELO
de Lisboa o mais superior que ha V2500ea 5J00O
o sarco : na ra larga do Rosario n. 50, liberna
da esquina, defronte da igreja.
As melliores t hitas Ircmu fectres
escuras e lixas a 280 rs.
covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se chitas fran-
cezas escuras e finas a 280 o covado.
No'idade.
Chegaram os bonitos chales e retondas de goipu-
re branros, e vendem-se na roa da Imperatriz a.
52, loja da port- larga, de Paredes-Pono.
.< lki
mmmmmmmm
GAMRRAIA.
Cambraia de forro rom 8 I "2 varas a peca a 22,
esl-se acabando : na loja da porta larga da roa da
Impciatriz u. 52, de Paredes Porto.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se superiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, sa-
les que se acabem.
Vendem-se quatro escravos mogos e ttm
defritos, proprios para o campo, por eonmotfo
preco ; na ra do Brum u. 70, 1* andar.
Vende-seo engeaho Fumas, silo na fjegoe-
zia de Santo Amaro de Jah<>ai, hom d'agoa e
tem proporcSes para 2,000 pes annuaes : os re-
tendenlcs dinjam-se. ao eDgenho 8. lenlo, a tratar
com o proprielario, que lodo o negocio se faz a l-
nheiro ou a praso.
Cal de Lisboa.
Vendem-se barril com cal de Lisboa a 62 cada
um : na ra do Brum u. 66, armazem de
i
.**. *


'Wgg'
mmftt
T
-r"
P^PWIP
-
-
Diario de Pern.TBtbtico Segunda er-., f O v
GERENTE
O PUBLICO
Sem o menor constran-
gimento se entregar
importe do genero que
nao agradar.
i %5
i/*
&
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
mm A 1DDM idi sx MO ttia
AO
HESPEITAVEfi PlTl!LMTO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
eiai da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento .'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro"podem ser
vendidos por preces asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
neonam outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1." Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo trataraento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o.caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe nm sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore>
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINIIEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a I20rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a; u
100 rs. j KIRSCH de Wasser a 2J a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a......... I,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 1$, a libra.
Mahmki.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e taliiarim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6G0 rs. a lata.
Mostauda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moi.no inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
00 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3500.
Mimio painco e alpista; sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
BB
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 1 ^C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
guras, corvina, pargn, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em lalas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qnarto a 13400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
ATTENSO
t> prevos da egulnu
tabella 6 para todos, p-
eudo attstm servir de loa-
se para o ajuste de contar
com os portadores:
UBYhms
Itieas toalhas de lalyriatlio, hrote de lar yrin-
tho, biros e rendas da ie;ra : na ra do Crespa
luja d. 7 A.
Na livraria universal, roa d Imperador n.
54, ha para venderNova l.ej Bypultonaiii rm
os regularoenlos- diversos toando |re a na.
roa meinco por diflerenles autor, s, e mtmm 4k
400 al 35000L _
Vendcm-se ps de abio, iuria hM j- i '
nheclda nesta cidade, e a primeira
Marauho : a tratar rom o Ptabal) i. <
Palma n. 51.
Vndese o deposito da rua Rata n.53a
virlude de um d,s .-orio. ter de >..lnr ..: a
impeli, a pedido de um IraaM : i li
a,ii ou as Liuco Poulas.
RUA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
I
Senhore1
(Logo passando
PARA B
choras, oaceio que presidio aosarranj
o arco da Concelc&o)
M DE TODOS,
os destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intel-
rtnc p mo spm mivuta mo Horn > ^,.i__- K "T imci
ezacom que sero trati3*3 .'Tnvida a urna visita ao mesmo, c;rtos de que sem duvida me daro a proteccao e preferencia
rra dos gneros que precisare ja e quando nao possam virpoJero mandar seus portadores, ainda que estes sejam douco
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezasem tatas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absy.ntho a 23000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1*5800 a lata, e
de cinco para cima a 1*700.
dem de so Ja era latas grandes a 23000 e
de cinco para cima a I#800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
I-J200, 15230 el (5300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 1#500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas era frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
Idem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposigo,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Begalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252"0,25360 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. 0 maco
de cinco macinhos.

DOCES d todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERV1LIIAS seccas a 120 rs. a libra.
krvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde era latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano era latas a 15-500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
rois seriSo to bem servidos como se viessem pessoalmente, ha\
ira paite.
Manteiga ingleza especialmente escclhida a, Aletria, macarro
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-1 dade a 4oo e 5oo]
bras a l,6oo rs. da a 3,ooo e 3,5i
endo para com estes toda recommendacaa, afim de
na com-
ejam pouco praticos,
que nao vo em
e lalharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a ca xa.
Massa para sopa : efetrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouackarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caisa co; 18 libras.
Vinho do Porto r uito fino proprio para
engarrafar, em a tcoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : P rto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo r a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,coo < 3,8oo.
Vinho branco de Li boa de excellente (iuali-
rs. a garrafa e em cana-
0.
BS&AVQi FPtot..
Fugio no dia 29 de Mtoafcvi prosiae 1 ,:--
do a preta Romana, enoula, de kf ..1 n '.tata
tem urna marca de lalho no p diieiin, a rm una
das espadoa tambem tem urna nana ,; f r: la
esta esrrava foi comprada ao Sr. ThtSfe ]-.- 1
Santos que lem leja de raleado na rm larga
Rosario : pede-se a polica e raii!"', d< can
captura da dila esrnva ini' wrt p :
do-a a rua do ClMdraira n. 2. cu drfn r,< it
vento do Carmo, < ITicina d-
.Manoel Nalaqaia: I .1 |
Fugio do lio an laii-, la ri "aa
dos Afllirtos, do dia :<(l ctiiei.K ;.
oula de nome Kelicidadc, reprsenla i^r 2+ !*.
pouco mais ou mems, bem parn-ida. .. a > Mi
de chita braocn com palnaa ixa>. |g|pN -r
sedtuida, naiural de Macei : fofa a
1, que scrao papos de ludo o IrafallM
l.'ma
dem preto o que se pode desejar neste ge- j Vinho branco para lissa em caixas de 1 du-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem pratoa 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portnguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,000 e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
zia a 8,000 e 68(
Vinho do Porto das
vem ao mercado
rs. a garrafa,
melhores marcas que
como sejam: Lagrimas
do Douro, Duquebo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque gei uino, D. Luiz I, Madei-
fina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e 10,000 a jcaixa cora 1 duzia e9oo,
l.ooo e I,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde su erior qualidade al 6,000
a duziae l,5oo r a garrafa.
Sardinhas de Nante a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias stas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. 1 libra.
Bolachinhas de sodi em latas de diversas jToucinho de UboTmato nei a 32o rs a
qualidades a l,3oi rs. libra e 8,5oo a arroba.
Cartoes com bolo fn icezmuito propnospa- Banha de porco refinada a 600 rs. a libra
ra mimo a 64o r.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,oo( rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Sal refinado cm frascos devidrocom lampa
uo mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo. 56o e 64o
a Carrafa e ". Rnn (i J V p|>re*i -
garran, e o.bOO, 0,000 e 6,500 a du- mandem ao dilo silio, cu a ruada t ,utia r,
Ida
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos doaffamado fabrietnie Jos^Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposigao Normal de Ilavana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
b.ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam,: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Ilavana, ihfervallos, Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac ioglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a 1,80o o cento e 1,2oo solas.
Palitos do-gaz a 2,2oo a grosa.
Figos de comadre a
Amendoas de casca
ibra.
4o rs. a libra.
ole a 4oo rs. a
00 rs.
al, da fabrica de Joo
de Brito no Meato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas a
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-'
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezns eri fiasco de vidro com
Vinho Bordcaux das marcas mais acredita-i tampa do mesmo,
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas Grana zas em
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris agar- tamanhos com bonitas
rafa. xa exterior, a l,4oo
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de! cada urna.
CcraT;.
Fugio o anno pasMo, do enpi ir.. P*li.-.
marra do Lim'nro, uir.a rmava deroiri I --.
rrioola, Idade 16 an olh< 14 alare, 1.....
pular, rara redonda e nariz. ih l.p, iriori
drenos,porm ^fcvciadis i.r mur
toba e I ir no, que iodo n n pi e ftx' D t
ecn rlcatrizfs de rhirole pe.aj rol, l 1
defccnliadc, julpa .-e andar aqui m Ha 1 U dn
Rccife : quem a pifar, dirjase a it a t Oliva-
do n. 13, casa de Aoloaio u> (Vava 0>r*nra,
frn Ifpilimo cnhir ro trillo | wra
generosamente rt(CDp mo abaixo asslpnado pM it-ia c. n, 1..: t, im ca
Iti conra quem o livn muiado.
______________Joaqun F. C. (,- liveira.
No dfa 29 do prximo paa4e m*t h -
prea Remana, ermuia. di 10 ai m ban>,
vestido velho, lem alsomas nan; a<- linda? ra
cabera : a pessoa que a pepar fU leva a a n.
do Caldeireiro o. 2. iu tefnMe n cir.\>r
Carmo na tfflcina de Manee I Mal.-qi.ias n
Fogio de f rgi r ho Findi ba. Ir, sm ;;a
rnnhem, um mualo de nrire Frar.ri?rr>, aM
28 annos, ronco mais t'i Mar, rim 'ss'Bnae
sesuioles : rrsio rfdrndo, raleli. s rarspinho
allura regular; cu irulaio hm r nnurrir wtm
cidade per ler peiPr.ndo ae Sr. fttnehn 1 -: r
de Mello Jnior, e r< n.-ia arhar-se ttmmtt err
Reberibe, ende um nai e irir-aos Irrrw : r"1
a quem o appnhemder leve-o ao Sr.-rrivf.n .-'
Bolachinha Alberto, as melhores que nre- ,;,y(,e'PU ao *P** findeba, qne ;era feoeros^-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000 "'"""' [225822*2;__________________
conla certa.
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos., muito proprias para
mimo, a 1,600,2,6ob e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retlho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 60c e 800 rs. a garrafa.
l,boo, l,eoo e 2,000; Azeitonas portnguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
l(55oo.
caixinhas de diversos
estn pas na cai-
i lorooo a caixa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800: a 9oo rs. a garrafa
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos 1 o gigo com 36 libra4_
grandes a l,oooell,ooors. a frasqueira.! Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-' 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova f ara esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
Azeite doce refinado hfspanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
A so
a
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MORDIQUES a
R
RAPE' Mearon a 1,5 a libra,
dem Princeza do Rio a 1#200 a libra,
dem francez a 2#500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Saruinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steari.nas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOSI
Principe Alberto, de 1831, a 5#000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2)5 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 14(500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2)5 a garrafa.
Duque a 15 e 1(5500.
Chamisso a 1,5, 1)5200 e 1)5500 a garrafa.
D. Luiz a 1)5 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2)5 a gar-
rafa.
Carcavelos a 1(5.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por oo ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 2)5 a garrafa.
Kirsch a 2)5 a garrafa.
Wermouth a 2, e a caixa a 18)5.
Bitter Maurer a i 3 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na oficina de ferreiro da roa doiasmim n. Callingas Dos e lirinquedos
ha para vender ama carrosa feita, com esmero | para meninos.
propria para rarregar urna pipa com agua, afim Lnegaram para a loj5 de miudezas da rua do
de vende-la pela rua Na mesmaofflemaba tara- QueimKado n. 9, os mais finos e lindos calungas
bem nm cabriole! de duas rodas, novo e rau.te bem ,gantopara bnnn'aedo de meninos como para eima
25\! St.^,fn.d.hr,^^,,l?',JS; d" de mesa : na mesma loja se encontrar bom ,r-
rigir-se a mesma que achara' com quem tratar.
Potassa da Russia
tmenlo de miudens.
l.nvas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas depelli-
maito aova e snperior : vende-se no escriptorio ca de cores e brancas para homem e senhoras: s
de Manoel Ignacio de liveira & Filho, largo do quem receben foi o beija-flor, na rua do Qneimado
l^orpo Samo n. ty 'numero 63.
bra e 7,5oo rs. a arroba. jNozes muito novas a l
Arroz do Maralo de l1 qualidade a loo Molho inglez em garrafa
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos m^
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em pjates j preparada a
roba. 400 rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francesas, exc
arroba. sopa, a 2oo rs. a lihr
Massa de tomates de superior qualidade a fiio Marrasquino de Zara p
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- li a garrafae 1 !,ooo
Iho. 'Palitos do dente a 14o 1
o rs. a libra.
de vidro com rolha
lhores fabricantes.
lente legume para
opriamente dito a
duzia.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de ti o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegacas no ultimo va por
para homem e senhora : na rua da Imperatriz loja de miudez s n. 54.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------a----------------------------------
!UltftJiPi!i
II fllt Ifilll S*5?
l|Ji^-stlli|iris^
o n
-&3^
o tt o B
S r? 2
D.3
os o 2. os
3 S g,
?% B
5
o
o.
a
os
SE.
ce
cw
as
3
-1
-1 es
&5sisri,&g
_ O cr as
c T3 9--o
2 as D.J
3 OT a
p O as 3
ce =
Soo
GD
3
a. I
ce
lili
30
as O
o =; g y
o
&S!
"O ce
as -1
3
> -
JU _.
l
99
g
c
o
'O
O
a
Irmaos
,----------;;
Tasso
Vendem no sea armazem roa do
Amorim n. 3o.
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores finos sortldos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado es<
qnerda, dopois, do becco do Espinbeiro, nos Af-
gictos
---------------1------ .,.-, ;----i,
W4CHII\4S DI P4TE^
de
o maco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia' e creja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo.rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
garrafa.
mao
Igodo
par'
trabalhar
descarocar
FABRICAD,
PorPlant Brothers & C3
0LDA1
Estas machina.-
^ podem descarocaj
*fe qualqaer especii
^;de algodao sea
jjestragar o fio,
sendo bastanti
duas pessoas para
o trabalho; pd
descarocar nms
arroba de algo-
dio em earoct
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
arrobas de algodao
mover ama, duas,
animaes, que descarocam 16
llmpo, por dia; e motores par
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender! um bellissimo va-
por que pode faier mover i eis destas machinai
mencionadas; para o qne :onvida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exa nma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da p( nte nova n.47.
Saunders firolh irs k C.
M. II, pmea do C< rpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz
Framcisco Jos
RUA NOVA N.
acaba de receber um lindo
limento de oculos, lunetos, ttinoculos, do ul-
timle mais apurado gosto d i Europa
ermand
22,
i magnifleo sor-
Grande armazem de tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito dt
productos rhimicos ulensi? e os mais empregados
e usados napharmacia,pintura, pholographia, tin-
turara, pyroterhiniafogos de artificio) e cm outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di
rectamente as principaesdroganasdeParis, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceei
productos de plena conlianra e satisfazer qualqaer
encomnienda a grosso trato c a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas salUfara
com prompndao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontrar no mercado em latas fechadas.
Tem grande collercao de vuiros de differentes
formatos, desde urna oilava al dezeseis oncas dt
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira coa
rtopriedade e oulros; de papis dourados e pra-
peados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cures
para embrnlho, para forro de casa, para desenbc
com fondo j feito; de papel albuminado l,e Bristo
verdadeiro saze para pholographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, onro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em ra-
lbas de varias cores.; tintas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para ronfeitarias; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly,jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, orlela pimenla.
lonro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima!
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista poderaoser mostrados.
Joao Pedro das eves,
Gerente.
No dia 28 de agosto prximo passari 4ff(pare-
cern) do engenhu Piran, tile n;. rr marra .;
moeiro. os esrravcs FraBrhfe e A'-n.-n -re. r*r-
lenecntes .o major ClamUM Con tu ic lh i r.
primeiro alio, Fecro to rerpo, t.n r.;( r*i
do. e de ror rabra, lfm a rara tteiigi-ia, i >.
Lai ba, rabillos earapiohor, |s n.' -,. ,
^ahio ve.-ndu de ral^a e raaaifi n- alfiAe ank,
chapeo de feliro, levando tanlm. rtavr-if
iiiuxa riiendo roof de uc, a al.i i
de chita e raleas brincas e arda-, lew u i;.n r-
um chapeo de rouro, mni Mroi i1 H^iuint
prelo, rrioulo, secco do rorpo, r>'albra r.,
lim falla de denles na frente, urr nceti !
dn, e lem \t linos e bem feilt-r, lanieme 1
ladino. Ambos siio iriris, lerdo deiadeSSaav
nos, pouro mais mi dtiio ; d-s. 11:la i >-
nham futido para a.-sentar prara ae>ti 1 n -
111 em nutra qualquer : qmm os aM refci niifr pi*
lvalos c o ao dn rngmho, on a' raaa de P.mr*
Alvaro Barbosa da Sivi, ra rua da Crtz t. 45.
que ser bem recompensado. "
aos capitaes de campo e <
polica
200S000 de gratileatto pr twk ik
Dc-apparereu em principio do n.ez de nutuDir
fproximo passado, de bordo do paili3l..ie oancnal
Arroto Malo, dous esrravus de n asa R. brti., por
appellido Marei, e Miguel, o I" de o'.ade i5 aoBM.
ponro miM ou menos, rrii nlc ror fula, esta tara
liixa barba cerrada, nm pouro torta das peraaa,
e rom alguns cabellos branros, tanto na barba co-
mo na rabera ; o 2* alio, rheio do rnrpo. em bar-
ba, falla grossa, representa ter de 2.". a M anuos :
cujos esrravis descunfia se audarem pelos arrabal-
des desla cidade : quem os appreh-rulrr. qne.ra
levar a rua do Trapiche o. i. on a burdo do d*.
navio.
em
1
1

avaHado.
Francez barrica 5,8000
Portland idem 8500
Em perfeito estado:
Francez barrica 19,8000
Portland idem 124000
No armazem de Tasso Irmaos caes do-Apollo.
Acham-se fgidos os escravos eenlnie* : B^mn
mulato, idade de 2o annos, cabellos anudados, seis
barba, denles um pouco limados, secro do mrn
testa larga, e falla um ponco descansada ; e Loix,
rrioulo, j um ponro velho, altnra regular, mQ'io
rabelludo, barba rom alguns cabellos branros, s-
sim como na cabrea, corpo reforcado, olhos uc
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finge m
rouco : pede-se as autoridades policiaes e aos ca-
pitcs de campo que os faram apprrheoder e eos>
duzi-losa' rasa de seu senhor o majur Antonio ca
Silva Gusmo, que generosamente rerompensara,
e Ins pagar toda despeza qne fizrrem n a soa
condurgao : supp5e-se que elles lerio do em -
gnimento dos sertoes desta provincia, por tmm
fillios desses lugares.______________________
Fugio no dia 18 do correnie tota o 1 reu er>
oulo de nome Isidoro, de 30 aunes (ooro aun
ou menos, alto, rosie comprido, Nnasa pooro fecha-
da, ps grandes e chatos, e cosioma andar de alpar-
gatas, levou camisa de algodao, raleas Tena*
rotas, chapeo de palha velho, e tambem um henet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esa
cidade provavel qne tenha ido para Serrbala
ou Rio Formoso, onde ja tem sido rapinrado por
vezes. Roga-se s autoridades e capilar* de rarr.po
que apprebendam e o levem ar sen sentx r Jc*
Cavalcanti Lamenha Lins, residente na Fxrada
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalrantl cto
Albuquerque, que se recompensara generosa-
mente..
Ao amanheeer do dia 26 de ago.-to rugiraa
do engenho Camaragibe dons escravo* rrioolrs,
ambos carrelros, sendo nm de neme Serrvo. na-
tural do sertao da Ouricury, alio e bem feito, can
redonda, nao meilo preto, e sorTre de orna heraa;
o outro de nome Nicolao, nascido do mt -mo as>
genho, estatura ordinaria, serr do corpo e robus-
to, na mesma occasio desapparereram 3 burro*
do servico do engenho, de suppor que ir nham si-
do levados por elles, on por aicom que Ihes ser-
vio de guia e seductor, porque na noiie preree-
te a sahida dos ditos esrravos foram vistos oos
homens em rommnnicacao com o Semeao juma a
entrada do engenho : quem prender e irocier di-
tos escravos ser recompensado
Fugio do engenho Pindoba, freguezia de Trav
cunhem, ha seis mezes, ama esrrava crenla, de
nome Severina, de idade de 19 a 10 amo*, nejada
lllonc-ia a noriiimlii de tres a qoatro mezes, pouco mais on menos, da
c.n.. -*?* r*, maneira que deve ter dado a lux, com os sif-
Sapatos de tranca com sola de cortiga a l o naes se(raDteS : alta, bem preta. secra do r.,rpo,
r : na rua do Livramento n. 5. roMo reKdoDdo, nariz grosso, tem falu de don* deV
Vinhne An Vnvtn tes na malilla superwr e do lado esqnerdo, -
riTUlUb u rUTl go muito saliente ; consta qoe dila esrrava wto
das melbores marcas, em caixinhas de nma duzia para esta cidade, e protesta-te petos meios joV
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri- ciaes perseguir a quem a tiver em sen poder.
mas do Donro, Duque do Porto eP. Luiz ; tambem pede-se a qnema apprehender qneira entrega-to,
tem anerretas de dcimo encapadas com superior aqu ao Sr. esenvao ttayde, on leva-la an enge-
vinbo, barris de 5 e 10 em pipa : na roa do Vi- nho Piodoba, qoe seri generosamente recom
ario d. 19, primeiro andar. 1 sado.


Diarlo de reraamhnco Segunda llra iG de Outiifcro de 1*
ITMAIOM.
--.
CM POLCO DE TUDO.
S.bre a convengao de Gastein eoihmos os se-
jarates liados da {ornaos europeos :
O membros dos E-tados do Holstein dirigirema
ie&iStrmanica a .-eguiute UKiisagrm:
-'.a!
Eso assignado;, membros d i assembla des
d> Holstein, saudam cora alegra e roco
l, assim romo tolo o paiz, as victorias
|as pela Austria e Prossla.
Binicio dioamarquez, que se fnndava s na
Bla, ''st destruido ; o protocolo de Londres
Mi pisto de parte ; os ducados enlregaram-se com
inOanca a esperaoga de que depois de urna op-
pressio de longos anuos, poderiam aiinal gosar,
s ib o governodo seo legitimo principe e completa
r:j;ilc unidos a Alleinanlia, da indepepdencia por
tanto lempo desejada.
Esta esperanga foi dolorosamente destruida. De-
P v.s da paz de Yieona, t-rn decorrldo um anno, e
us d icados sao anda Imje um paiz que nao tem so-
l rana legitimo, nem representadlo para cooperar
para a orgaolsacao do s-u presente e do seu fu-
|IIIO.
Emqaanto que, mesmo sob o dominio dinamar-
qaet, os estados podiam reunir-so regularmente, e
Kar-se pelo menos das offensas, que se faziam
. paiz e protestar contra as injusticas que solria,
, i aiz nao foi mais otivido, desde que passou a
mos aiiemaas.
Uadaram-se as suas fronteiras, derani-se-llie go-
vernos diversos suecedendo-se rpidamente opera-
ratn se modiacacdes graves na sua administrago e
03 sua ordem interna, dispoz-se dos seas meios Q-
nancearos, sem julgar necessano ouvir a voz do
pal pelo orgo dos seus representantes.
Os abaixo assignados, membros dos Estados do
Holstein, tem guardado sileuc.o em preseuga de to-
dos estes tactos. Cuetos de eouauga julgavam fir-
men 'lite que esse momento penoso nao seria mais
o que um momento de transigi, e que dentro em
pouco os ducados senara eutregues ao seu egili-
iuo duque.
A>ta dieta I Agora chegou o momento em que
linos nao nos poder calar por mais tempo. A
convenci que os governos da Austria e Prossia
concluirn)em 14 de agosto em Gastein impde-nos
o dever mdispensavel de (azer ouvir a nossa voz.
N'esla convicgao ; nao s o regulamento difini-
ivo de nossa siiuaca, que o paiz espera com an-
ciedade, se acha laucado n'um futuro incerlo ; mas
i unio dos ducad>s do Schleswig e do Holstein
asta de novo dissolvida.
Os ducados considerara esta uuio como o fun-
damento da sua vida poltica e do seu desenvolv-
mento nacional.
Fui esta para elles a offensa mais sensivel que a
Dinamarca fez ao direiio que tintiam de viver uui-
dos. Por este direito combalcram com a palavra e
oa a espada.
Seuiiram-se cheios de alegra quando as grandes
'..radas aiiemaas tomaran a defesa. Apesarda
dr que Ibes causou as esperanzas perdidas, reco-
.i., erara todava con graldo que desde o come-
jo <1Sle anno estavam de novo unidos por meio de
urna adminislracSo coroinura.
Has por isso mesmo seu tem como o mais pro-
l'undo ataque aos seus direitos que esse lago seja
destruido i sentera-no tanto mais dolorosamente
quamo isto pode ser praticado por aiiemaas, e com
maicr extenslo anda do que outr'ora sob o rgi-
men dioamarquez.
Alta di.;ta !
A separaco dos ducados, eslauelecida pela con-
vencao de Gastein, nao s eucheu os coragoes dos
schle rig-bolteinezesde sentimeolo de seu profundo
d ssi antentamenio, mas tambera de graves inquie-
tacoes. I
.'. malla medida prova que se procede a respeito
dos ducados como se elles estives i'i iv caram pois mais do que nunca o receio do
que a duas grandes potencias lenham agora de
Cacto a posse dos ducados sem emprehender regu-
lar e difinitivamente os seus negocios.
0.- Labitanies dus ducados lizerni couhecer em
muitas occasioes, e sem provocacao, tanto quanto
era possivel as circamslancias a:tuaes, que es*a^
'air. promptos a fzer a Prossia .'das as conces-
sdes que ezigissem o icteresses da Alleraanha.
Provarlam que trabara a mais seria vontade, se
tiw-sem podido pronunnar-se por urna represen-
tado para que elles tivessem concorrida
ilas o Sclileswig-llolstein raauuve ao mesmo
temno toda a Bdelidade ao direito publico do seu
paiz, e o que ti o mesmo, ao direito do seu sobera-
no legitimo, que foi reconbecido to clara e obri
gal :amente pelas duas grandes potencias alie
maas na conferencia de Londres.
Partilhou a opiniao de que as cousas polticas
deve prevalecer ao direito urna pretendida oppor-
tunidade ou mesmo forga.
Tambem niio poderiam por consequencia, conce-
der que se quizessem deduzir de urna goerra, em-
prebendida para os libertar, direitos como os que
pertencem a ura conquistador.
Consideranam, pelo contrario, qualquer regula-
mento delinitivo dos negocios do paiz, que se
adoptassem sem o assentimento da represenlago
do paiz, como nao existente em direiloi mas como
um acto de violencia.
Osdeputados julgaram do seu dever. dar urna
< expressao ao que hoja move os coragSes da popu-
j lagilo schleswig holstein para uraa raaioria que est
| prompta unnimemente.
Esto lirmeraente convencidos a protestar, era
nome do paiz, opposta a separagao, contraria ao
direito publico do paiz, dos ducados de Schleswig
e do Holstein ; pedrada enrgicamente que o paiz
seja ouvido, sem a sua repre.v3ntac.ao, a respeito
dos seus proprios negocios, e declarando ao mesmo
tempo, que cousideram como nao existente em di-
reito, qualquer ajuste que se possa emprehender
' sem a eooperato do paiz ; e proclamando mais
urna vez alta o solemnemente fjue nSo reconhecem
como soberano legitimo do paiz senao o duque Pra-
dera) de Schleswig-Holstein.
Referindo-se ao que acabain de dizer os abaixo
assignados, furmulam o seguinte respeitoso pedido:
Que a alia dieta, queira proceder, que se reco-
nheca sem demora, o direito do nosso paiz.
Feto em Eiel, aos 6 de setembro de 1865.
(Seguem as assignaluras.)
O jornal offlcial de Derlin publicou a seguinte
patente do re! da Prussia.
Nos, Guiiherme, pela graga de Deu, rei da
Prussia, etc.
Faztraos saber pelas presentes :
Tendo S. M. el-rei Christiano IX de Dinamar-
ca, cedido pelo tratado concluido em Vienna a 30
de outuiiro de 1864, os seus direitos sobre o duca-
do do Lauemburgo, a nos, e a S. al. o Imperador
d'Austna era commum ; e havend*-nos S. M. o Im-
perador Francjsco los I abandonado a sua parte a
esses direitos pelo accordo estabelecido a 14 de
agosto'desle anno em Gastein, e concluido entre
nos a 20 do mesmo mez em Saltzburgo, o qoal foi
publicado em data do o, pelos nossos commissarios
civis, tomamos, em comprmanlo do voto manifes-
tado pela representacao do Lauemburgo, posse da-
quelie ducado pela presente pateute com todos os
direitos de soberana, accreseeniamos aos nossos
'lulos o de duque de Lauemburgo, e queremos
que o ducado do Lauemburgo se transmita na I
nossa casa real segundo os principios que actual-
mente existem para a transmissao da cora da
Prussia.
Apreseutamos a todos os habitantes do duca-
do a nossa saudago paternal, e Ihas ordenamos
que nos reconhegam de futuro como seu soberano I
legitimo, prestando-nos e aos nossos successores o
juramento de tidelidade e de conflanca s nossas
leis e ordenancas ; em relribuico Ibes assegura-
mos a nossa soberana proteegao, e promettemos de
OS goveioar com justiga, de proteger o paiz o os
seos habitantes no ejercicio dos seus direitos ad-'
queridos, e de prestar a nossa paternal solicitude a
sua propriedade.
borneamos nosso ministro do Lauemburgo o
presidente do nosso conselho de ministros e minis-!
tro dos negocios estrangeiros, de Bismark Shoe-
. nliauseu, e llie temos ordenado que governe o paiz
seguudo as leis e regulamentos que all existem ;
queremos tambera que todos os funecionarios do
ducado depois de nos terera prestado juramento de
dehdade, sejam confirmados e mantidos nos seus;
empregos.
Kncarregamos o nosso miuistro de estado, con-
de de Armim Boytzemburgo, de tomar por conse-
quencia posse do ducado de Lauemburgo, era nos-
so uorae ; de fazer prestar juramento aos funecio-
narios superiores do paiz, e de os encarregar de
(azer prestar juramento aos domis empregados,!
reservaudo a prestagao de l e liomenagera do paiz
para a poca era que nos seja possivel receb-la '
pessoalraente.
Feta em Brrhm, a 13 de setembro.Guilher- \
me, rex.~Referendado, De Bismark.
A Gazela da Allemanha do Norte publica a se
guite proci.macio do novo goveruai'or do Schles
Wig, o general de Manieuffel :
Habitantes do ducado do Schleswig.
Pelo tratado de Gastein, tendes vos ficado su
jeitos provistamente a uraa administragao par-
ticular, sob a autorilade de S. M. el-rei da Prus-'
sia.
c A palavra administragao prnssiana con-
ten era si o pensamento : justiga, ordem publica,
e desenvolvimento da prosperidade geral.
Recebendo, segundo as oruens de S. M. el-rei
da Prussia, o governo do ducado, prometto-vos ao
mesmo lempo atiender plenamente os vossos me-
resses proprios.
t Espero de vos obediencia s ordens de S. M.
a confianga.
Castello de Gottorf, a o de setembro de 1863.
O governador do ducado de Seheleswig, teen- i
te general, ajudante de campa general de S. M. el-
rei da Prusia.
E. Manteaffel.
Fago saber pelas presentes a todas as autori- j
dades, assim carao aos funecionarios e habitantes I
do Schleswig, que por ordem de S. M. el-rei da
Prossia, o seu commissario civil, presidente da re-
gencia, baro de Zedhiz, ha de dirigir toda a ad-
ministragao civil do ducado, sob a direcgo supe-
rior do governo, |
E. Mantenffel.
Nota circular do ministro dos negocios eslran-
geiros 'do imperador aos agentes diplomticos da
Franca no estraogeiro, acerca do convenio de Gas-
tein :
Paris, 29 de agosta de 1865.
Seohor..... Os jornaes publicara o texto da
convengao de Gastein.
< Nao meo pensamento examinar as estipula-
goes nos seus detalhes ; mas nao deixa de ter in-
teressa em conhecer quaes sao os motivos que oes-
tas negociagoes conduziram as duas grandes poten-
cias allemaes.
c Pretendern) ellas consagrar o direito dos an-
tigos tratados ? Seguramente nao ; os tratados de
Vienna tinham regulado as condicoes de existen
ca da monarchia dinamarqueza. Aquellas condi-
g5es (oran) desconsideradas. O tratado de Londres
era ura novo testemunho da solicitude da Europa
para a duragao da integridadedaquella monarchia;
foi desconsiderado pelas duas potencias que o ti-
nham assignado.
< Sera para a defeza de um direito de succes-
sao dasconhecido que a Austria a a Prussia se com-
binaran) ? Nao I Em vez de restituirem ao pretn-
deme mais autorisado, a heranga era letigio, div-
diram-noenlre si.
Consultaran) ellas os interesses da Allema-
nha 1 Nao I Os seus confederados s liveram pe-
los jornaes pblicos, conbecimento dos ajustes de
Gastein.
A Allemanha quera um estado indivisivel do
Schleswig-Holstein, separado da Dinamarca, e go-
vernado por ura prncipe cujas pretengoes tinha
desposado.
f Este condldato popular esta' actualmente pos-
to de parte, e os ducados, separados em lugar de
estarem unidos, passam debaixo de duas deferen-
tes denominagoes.
c Seriam os interesses dos proprios ducados que
as duas potencias qui^eram garantir ? Mas aunio
indissoluvel do territorio era, segundo se dizia, a
condigao essencial da sua prosperidade.
Tinha pelo menos por flra desaggregar duas
nacionalidades rivaes, fazer cessar as suas dis-
sengoes internas, assegurando a cada um delles
urna existencia independente ? Nao aconteceu as-
sim, porque vemos a linha de separagao, nao atten-
dendo de maneira alguraa a disliocgo das ragas,
deixa confundidos os dinamarquezes e os alle-
maes.
Attendeu-se ao vol dos povos ? Nao foram
consultados debaixo de qualquer forma, e nao se
pensou mesmo em reunir a dieta Schleswig-hols.
terneza.
Em que principios, pois, se funda a combina-
gao austro-prussiana ? Sentimos nao lhe encontrar
outro fundamento mais do que a forga, outra jus-
titicagao mais do que a conveniencia reciproca dos
dous compartidores.
E' esla urna pratica de que a Europa actual
ja estava deshabituada, a seria necessarlo procu-
rar precedentes as idades mais funestas da his-
toria.
A violencia e a conquista perverteram a no-
gao do direito e a consciencia dos povos. Substi-
tuidas aos principios que regulara a vida das so-
ciedades modernas, sao ura elemento de desorden)
e de dissolugo, e nao podera deixar de abalar a
ordem amiga, sem edificar slidamente nenhuma
ordem nova.
t Taes sao, senhor..... as consideragoes que
inspiram ao governo do imperador os acontec men-
tecimentos de que a Allemanha na actualidade
thealro.
Dando-vos conhecimento destas impresses,
nao mlnha intengao convidar-vo< a fazer obser-
vagoes a este respeito, na corte junto da qual es-
taos acreditado, mas sim indicar-vos nicamente a
linguagem que deveis empregar, quando se apre
sentar occasio para fazer conhecer a vossa ma-
neira de pensar.
Recebei, etc.
(Assignado.)Drouyn de Lhouts.
Nota de lord Itussell aos agentes diplomticos in-
glezes no estrangeiro, a'cerca do convenio de Gas-
tein:
t Senhor.
O encarregadode negocios da Prussia commo-
nicouine, em substancia, um despacho relativo a'
convengao de Gastein, e depois os jornaes de Ber-
ln publicaran) o seu texto.
a A' primeira coramunicagao que se fez ao go-
verno de S. M. dos preliminares da paz assignada
era Vienna, dei conhecimento em Vienna a em
Berlia das ideas do governo a respeito desses pre-
liminares.
t A presente convengao s servio para augmen-
tar os sentimentt que o governo de S. M. manifes-
tou naquella poca.
t Os tratados de 1818 derara ao rei da Dinamar-
ca um as-euto na dieta germnica como duque de
Holstein.
.' O tratado de 1852 reconhecau o direito de suc-
cesso, sobre a totalidade da monarchia dinamar-
queza, que o fallecido re tinba constituido na pes
soa do re actual.
< Este tratado, a despeito das segurangas dadas
nos despachos de 31 de jaoeiro da 1864, foi com-
pletamente posto de parte para Austria e Prussia,
duas das grandes potencias qua o tinham assig-
nado.
Havia direito de esperar que, quando tratados
sao deste moJo annullados, se recorresse pelo me.
nos, em seu lugar, e em sua substituigo, aos sen-
tiraentos populares da Allemanha, aos votos dos po-
vos dos ducados e a' opiniao da maioria da dieta,
to expressaraente formulada pela Austria e Prus-
sia as sessoas da conferencia de Londres. Desta
maneira, se urna ordem de direito tivesse sido des-
truida, outros ttulos, dimanando dos sentimentos
dos povos, teriain podido subslitui-lo, e esses ttu-
los acceitos cora respeito, niio deixariara de ter
probabilidades de duragao.
Mas todos os direitos, amigos ou novos, que
tivessem por base ura exarae si lemne felto entre
e precisa da von
ps pela conven-
forga foi o nico
soberanos, ou a expressao clara
tade popular, foram calcados ao
gao de Gastein, e a autoridade da
poder que se consuliou e reconhaceu.
< A violencia e a conquista foam pois as unica-
bases, era que as potencias om larlicipanles estas
beleceram a sua convengao.
O governo de S. M. lament vivamente este
desprezo, assim manifestado a respeito dos princi-
pios de direito publico, e da legitima pretengao
que om povo pode suscitar para ser ouvido, quin-
ao se trata da sua sorte.
Estas instrueges nao vos iautorisam a fazer
observagoes a este respeito na corte em que vos
achaes acreditado; tem nicamente por fim fazer
conhecer o sentido em que devera fallar, quando
se ofTerecer a occasio.
Sou etc.assignado Russell.
Ministerio dos negocios estrai geiros, 14 de se-
tembro.
E' do acadmico Aristides A. M
Iton:
FOLHEHM
O DEMONIO DO JOGO
POR
HENBIQUE CONSCIE]
VI
(Gontinuagao.j
Emquaoto isto dizia, guiava Julio o mancebo pa
n o quarto onde eslava a cadeira de bragosi
Meu amo esta' la' em cima; voudar-lne par.
te de que chegou. Entretanto queira assentar-se.
Julio sabio do quarto, mas era lugar de subir a
oseada, metteu-se atraz de urna porta e escutou
com viva aitengo para poder ouvir o raoger das
molas da cadeira.
Depois de ter aigum lempo esperado debalde
voltou e disse a Gernimo :
Senhor, meu amo pede que o desculpe. Esta'
oceupado la' em cima com urna pessoa em quem
lhe falln hontem, segundo elle me disse. Esli
ambos a escrever ons papis que lhe bao de ser
entregues. Queira ter paciencia para esperar an-
da alguns instamos.
Pensava que Gernimo ira d'essa vez assentar-
se na cadeira, e seguia-lhe com anria todos os mo-
vimentos; mas o joven cavalleiro foi pr-se a' ja-
nella olhando pensativo para o jardim.
Julio vio-se eoganado oas snas esperancas. Re-
fleetindo com que desconfianza e impaciencia seu
amo devia contar os instantes que se passavam,
disse a Gernimo cora fingida indifferenga :
Nao porto dos Dominicanos at aqu; tai-
vez seja meia milba, e meia milba de caminbo can-
sa fcilmente a quem andar um pouco depressa.
Queira assentar-se n'esla cadeira, senhor.
Obrigado, nao me assento. Nao estou cansa-
do ; gosto de ver estes bosquezinhos abandonados
ao estado selvagem ostentando a sua fresca verdu-
ra de maio.
O servo nao pode reprimir ura movimento invo-
luntario de despeito.
Julio, nao preciso que estejas aqui a fazer-
me companhia. Vai fazer o que tiveres para fazer,
e deixa-me licar s, porque isso nao me costa.
Nao tenho agora oceupago urgente, senhor :
se anda nao rae retirei, porque dese|o perguntar-
lbe urna cousa; mas talvez nao goste da mmha in-
discrigo...
Diz la' Julio. Precisas de mim para alguma
cousa ? Falla, e eu le provarei cora a raelhor von
tade que me iembro com reconbecimento do mo-
do corajoso como me ajudaste contra osassassi-
nos.
Nao isso, senhor. Ouvi dizer que estava
para casar com a Sra. Van de Werve. Esta noti-
cia foi para mira de grande alegria, mas anda nao
sei se verdadeira ou nao.
Estas palavras e talvez o nome da sua prometi-
da zeram desabrochar um sorriso nos labios do
mancebo. Deu dous ou tres passos para dianle e
disse em tom de funda alegria :
E' verdade, Julio, verdade o que te disse.
ram.
Corno vai ser feliz, senbor 1
E' verdade, Julio, Deus concedeu-me o favor
mais alto, que en poda esperar na Ierra. Agrade-
cer-lb'o-hei eternamente. No dia solemne tambem
bas de ter motivo para alegrar-te.
Eu, senhor ?
Sim, tu. Foi mesmo a Sra. Van de Werve
que resolveu recompensar o auxilio que me dste
contra Brufferlo e os outros malfeitores. No dia
do meu casamento ters uraa capo nova, ura gibo
novo, uns calgoes novos, ludo de bom panno r boa
seda, como anda nao leve nenhom criado.
Julio, movido por esta prova de bondade, abai-
xou a cabega murmurando um agradecimiento in-
distincto. Bera ouva que o cavalleiro continuava
' a fallar e se esforgava por provar-lhe que tinha
bem merecido aquella presante; mas de lorvado
que estava nao poda dar atlencao ao que elle dizia
\ e forcejava por alcangar coragem e audacia para
: cumprir a ordem que seu amo lbe tiuha oado. No-
1 tou que Gernimo estava justamente defronte da
cadeira.
Com repugnancia, mas movido pela idea de, se
deixasse escapar aquella occasio, nao tornara tal-
vez a apresentar-se-lhe outra assim favoravel, che-
1 gou-se a Gernimo como para manifestar-lhe outra
vez a sua gratido. Com um sallo assentou-lhe as
; mos nos hombros e erapurrou-o irresistivelmenie
' para traz sobre a cadeira.
O assento do prfido raovel abaixou-se; dos bra-
gos salnram duas molas de ago que tomaram o
mancebo pela cintura e o apertaram com tanta for-
ga contra as costas da cadeira que nao pide mais
raover-se.
Julio, Julio, que horrlvel gracejo este T urna
cilada I Foi leu amo que le deu ordem para pren-
der-me 7
Mas o criado, sem dizer urna palavra mais, ru-
gi do quarto, fechando a porta.
Ento, Julio, entao T pergontou Turchi, des-
cendo a escada ao encontr do servo; esta' se-
guro?
ANTE CM CADVER DE M XHER.
Caminheiros da vida, vede fro
Esse espectro estendido aqui no chao;
Ja' tambem nessecrneo arda urna alma
Ja' pulsou nesse peito um co'ago.
Hontera sornodo-se animada anda
Ao porvir lhe acea urna illuko:
Tantos sonhos de amor, tanta ventura,
Ellos todos aquiao rez do chao I
E esla virgen seductora outr'ora
Aqui a morte sepultou sem dt I
Por bergo hontem tinha roseas flores,
Hoje por leito (em revollo p I
O selo bello que pula va arfan e
Bem como as vagas de inquie o mar,
Cobre hoje ennegrecida poeira,
S o vento passando o vem beijar.
A mo mimosa q'apontava outr'ora
Porto de salvagao a' tanto nauta,
A bocea linda que dizia fallas
Uces to doces como a voz da frauta;
Tudo perdeu-se neste abysmo horrendo,
No fondo do sepulchro alera si,mio-se,
E o anjo que no horscopo chocara
Na hora d'agonia, ueus, sorro-se!
Oseio fri como fra a carripa,
E a cor das faces desmaiou na ierra ;
Similham fon tes seceos os seus olhos,
A bocea apenas um segredo eocerra...
E morreu 1 E cora ella foram Vengas,
Esperangas, amores, illusoI
E eu quevivanao beijei-lhit as plantas,
Dou-lbemoracurvado urna orago.
Os francezes continuam aprisionando salteado
res no territorio romano.
Kntre outros, houve um que por eslar doenle
foi mandado ao hospital militar de Monte Cavado.
O ar modesto e tmido charaou a attengo dos
soldados que, era consequencia do mao estado da
sua saude oceupavam a mesma enfermara.
A sympathia que este bandido Ihes inspirava era
tal, que lhe prodigalisavam os mais carinhosos
cuidados.
Poucos das depois pedio que lhe dessera um
quarto separado ; porm o pretexto que allegou
nao era suflciente, para que o seu pedido fosse
attendido.
O medico principal M. Le Roi, a quera o en-
fermo se dirigi para o mesra lim cora a maior
Insistencia, quiz certificar-se de que a l saude do
paciente necessitava tanto isolamento a e apezar
da repugnanc a manifestada pelo bandido, exami-
nou alternamente o pulso, nao era convencer-se
que em lugar de um feroz malfeitor, tinha diante
de si uraa mulher, e de mais a mais grvida.
A separago toroa-se mdispensavel, e' o bandi-
do, largando o bigoda postigo com que encobria
os labios, appareceu sob a forma de urna linda jo-
ven, com grande sorpreza dos enfermos e serven-
tes d'aquelle hospital.
Segundo depois contou, era a amanta de um dos
pnsioneiros que tinham caido em poder dos fran-
cezes, e durante dous aunos o havia segiido era
todas as suas excursoes e aventuras, partilhando
tod >s os sens perigos.
E' possivel que este successo romntico ^uavise
um pouco o castigo a que os dous amantes sera j
condemnados.
O barao Korvyn Lettenhove acaba de communi-
car a sesso de letras da Academia Real da Bl-
gica, urna noticia sobre um manuscripto mencio-
nado vagamente no catalogo da bibliolheca da un-
versdade de Leyda, era que o digno acadmico
reconheceu sem contestago o Psalterio de S. Luiz,
mencionado em dous inventarios do seculo XV.
Estudando este manuscripto em Leyda, que
Mr. Kervyn observou as notas margnaos, que se-
gundo o sabio acadmico sao escripias pelo pro-
prio S. Luiz, e que sao extractos dos livros santos,
applicados a diversas circums tancias da vida do
piedoso monarcha.
O' homem. hornera, gritava certo conductor,
que levava dianle de si urna besta carregada, ven
do parado no meio da estrada um sujeito deseo-
nhecido, que la ser derrubado palo volume da
carga.
O sujeito ol hou e affastou se rpidamente; di-
zendo ao conductor : Voc sabe com quem falla,
seu mariola T
E' verdade que o nao conhego, replicn o mogo,
porcm, co'no estava aqui to perto, julguei que
era hornera.... mas perdoe, se rae enganei.
Certo gatuno roubou de urna escada na baixa
um candieiro de petroline.
O duio zangado pela audacia do miliante jurou
que havia tirar vinganca; comprou outro candiai-
ro igual, mandando-lhe inscrever na cintaFoi
roubado e collocou-o no luhar do primeiro.
Escusado dizer que o rat) voltou ao cheiro
da isca, mas desta vez licou na raloeira, porque a
pessoa, a quem foi otorecldo em venda, lendo o
rotulo, filou o gatuno, que desta vez foi mais infe-
liz por ter de restituir o roubo, e de dormir a sona-
ra alguusdias.
Um redactor do Duhlin uniersily magazine d
asseguiules amostras de esiylode alguns tbeologos
ingleses.
Ura sermo, publicado pelo celebre doutor Bax-
ter, intitulado : Bspinhos e cravos para os
calgoes dos deis.
tm opsculo religioso annuucia-se como Urna
caixa de rai espiritual para fazer espilrar as al-
mas devotas. >
Ha um lbeoloo que deu ura medicamento Iheo-
logico, sob a forma de um livro intitulado : Se-
ringa espiritual para as almas devotamente cuns-.
Upadas. >
O eugeutioso Joo Ferry preduzio :
Uraa bofetada para se limpar da poeira com
que o sujaram sectarios hoslis; ao passo que no
mesmo tempo, o publico inglez era solicitado para
que se arrependendesse por t um suspiro de dr
sahido de um vaso de barro, conhecido entre os
bomens, sob o nome de Samuel Fish I
Do ultimo relatorio da comraissao militar, no-
meada pela dieta germauca, transcrevemos a se-
guinte estalisiica dos diversos conlingentes torne-
ados em lempo de paz pelos estados da confede-
rago, contingentes qua constituem o exercito fa
deral :
iloroens Cavallos
Austria....... 222,107 30,740
Prussia....... 238,700 34.089
Bavieira....... 67,012 8,388
W'erlemberg...... 30,343 3.195
Bade........ 19,767 2,444
Hesse........ 12,944 1,260
Saxonia....... 28,574 3:307
Nassau, Limbourg e Luxem-
bourg....... 22,457 2,133
Hannover....... 27,341 3,599
Bruuswick, Meklerabourg-
Schwerin.Mecklembourg-
Strehtz, Olderabourg, Rre-
me, Lubeck e Haraburgo. 23,054 1,897
Os oulros quatorze estados que formara as divi-
sos da infamara de reserva apresentam em cam-
po 19,845 homeus e 92 cavallos.
A forga total do exercito federal, no anno cor-
rele, elevase, por couseguinte, a 712,346 ho-
meus e 111,400 cavallos.
Em a noule de 8 do correnle houve em Constan-
linopla ura Incendio horroroso, perto de dez mil
casas foram em poucas horas presas de chammas.
Ui jornaes de Constanlinopla, que fallam deste
lamenlavel sinistro, dizem que o mussulmano bale
em retirada diante do incendio com o mesmo fleu
ma cora que costuraa fumar o seu cachimbo.
O mussulmano espera que as casas visinhas. co-
raecem a arder, para ento tratar de salvar irn
quillainenteos objectos.que j de anlemo encai-
xolou ou enlrouxou.
Se o fogolh'o permita, tira as portas da janella
e da casa, que bao de servir em a nova habitar >
que depois mandara' reconstruir.
E isto mesmo se repele na casa do seu vislnho e
as seguintes.
Um vez os objectos transportados para lugar se-
guro, o mussulmano com a mesma indiferente tran-
quillidade v arder a sua casa, e depois a do visi-
nho, pensando naturalmente como o sulio :
Varaos ver at onde o fogo chegara'.
Esta gente ca arruiuada, mas permanece sere-
na e tranquilla.
Pode-se quasi dizer que o fatalismo para alguma
cousa serve.
-o--
O Daily News publicou a seguinte relagao do
crimes commeltidos em Inglaterra.
1."Era Islworth, erapregaram-se diligencias a
respeito do Daniel Dosset, qua assassinara sua es.
posa.
2.Causa crime instaurada em Glocester em
consequencia do assassinalo de Maria Da vis, prati-
cado por seu marido.
3.Outro em Chaston acerca do assassinalo de
Were por um soldado de engenheiros.
4."Era Londres, tres changas assassinadas por
sua mi.
A cadeira fez o seu dever, respondeu Julio;
agora v fazer o resto. Quem sabe se poderiam tra-
hir-nos os seus gritos ? O perigo de morte d as
vezes aos pulmoes do homem uraa forga sobrena-
tural. Ai, senhor, parece que a minha cabega nao
est era cima dos hombros I Nao sent a mesma I
cousa ?
Mas Simo Turchi nao deu attengo ao gracejo.
Lirailou-se a resmungar alguma- palavras indisiinc- j
tas, levou a mo ao punhal e correu a saciar a sua i
sepe de vlnganga no sangue do infeliz Geronymo.
O servo ficou a meio caminbo da escada e escu-
tou os passos de seu amo at que ouvio abrir-se e
fecbar-se a porta do quarto fatal.
Ao principio noperceben mais ruido nenhum ;
mas nao tardou que ouvisse a voz de Geronymo,
que pedia soccorro, e a de seu amo que pareca
escarnecer e araeagar. S pelo son das vozes
que elle podia ajoizar do que se passava no quarto
fechado, porque estava rauito louge para entender
as palavras. Movido mais da agitago do que de
curiosidade, desceu a escada e foi escutar porta,
por detraz da qual ia realisar-se um crime espan-
toso.
Ouvio Gejonymo dizer cora voz queixosa e sup-,
plicante:
Ah, Simao, meu amigo, perdeste a razo ?
Matar-roe, tu, meu amigo, tu? Isso nao pode ser.
Deixa cahir esse punhal da tua mo. Nao me dei-1
xes inorrer sem conQsso I Se sao as dez mil co-
roas que le levam a esse gru de desesperago, eu
dou-t'as; rasga mesmo aqui a obrigago; nunca
mais fallaremos disso.
Maria, Maria Van de Werve I uivou Simo
em tom sarcastico. j
Ab I renuuciarei soa mo; partirei para a
Dalia. Nunca mais veris este paiz to fatal para
mim, para li, para tudo o que amo.
E'muito tarde I.... muito tarde I... E'pre-
ciso que morras I
Nao, nao, Simo! grilou oulra vez Geronymo.
Por d de ti mesmo nao molhes as mos no meu
sangue innocente. Deus est a ver-nos ; a tua cons-
ciencia ba-de torturar-te; nao Iavara mais socego
para ti no mundo. Nao entregues tua alma a uraa
condemnago eterna. Nao, Simo, Simo, nao me
males... Ah I...
Escapou-lhe um grito medonho, como se lhe
apertassem o peilo at esraaga-lo, e Julio ouvio um
golpe que se assemelhava ao resvalar de um pu-
nhal sobre metal.
Mas esse golpe, se era um golpe, nao podia ser
mortal, porque Geronymo levantou a voz com mais
forga, a gritou cora desesperago :
Quem me acode I Simo, deixa-me viverl
deixa me viver I
Mas sahio-ihe ento do peito um grito lgubre,
e ainda disse, extinguindo-se-ihe a voz na gar-
ganta :
Meu Deusl meu Deusl perdoailbel.. Morrol
Ouvindo o desfecho da horrivel tragedia, o servo
tinha recua lo no vestbulo at ao p da escada.
Logo que l chegou vio abrir-se a porta do quarto
e apparecer seu amo.
A sede da vioganga j tinha desfigurado o rosto
de Simo Turchi cora alguraas cootraegoes, mas o
crime ainda o fizera mais medonho. Nao seria f-
cil conhece-lo. Tinha os cabellos arrepiados, os
olhos espantados sciolillavam-lbe as rbitas, dos
labios sahia-lhe ara murmurio secco e rouco, e as
mos gotejavam sangue.
Passou pelo criado a correr e sem Iba dizer u>
5.aEm Bathley, enterro de Bannah Booke de
seu marido, assassioados ,por om voluntario cha-
mado Elias Sykes, o qual tratoa logo de se suici-
dar, mas que se ferio apenas levemente.
6."-Na Irlanda, deciso do tribunal supremo,
em que approvada a sentenga de morte dada
contra Lourengo King, por ter assassinado o len-
le de lufantaria Clulterbuck.
7.Ciuco assas>inatos commettidos em Londres
e era Itamsgat por Forward Soulehy.
Se accrescemarinos a esta nomenclatura ter-
rivel a suspenso de execugie, por nra vicio de
formalidade judicial, a respeito do Mrs. Wmsor,
condemnada a morte por ter assas-inada duas
criaugas recem-uascidas, i -remos de deduzir, que a
multiplicidade dos crimes em Inglaterra est oa
razo directa da multiplicidade das execuges, e
que o supplicio dos Pruebard, dos Muller, etc., nao
servio para deter a mo do* assassinios.
E depois destes exemplos havera' qoem defenda
a pena pe morte, como urna necessidade de casti-
gar os crimes ?
O Diario das Alayoas publica o seguinte :
Vamos dar aos leitores urna grande noticia.
Parbaos s Alagas I II mra e gloria a amiga
villa de Sania Maria Magdalena, velba capital e
hoje alienas cidadedas Alagas I
Ella, que deu o bergo aos mais disnetos alagca-
nos o honrase de ser a me patria de tantos filhos
Ilustres r. lamben o lugar de nascimento da exi-
mia patriota D. II -a Paulina, que ha dado bastan-
te que fallar a imprensa do Rio a do imperio, pat
ler apreseutado os seus 7 filhos para a guerra do
Paraguay I
E seus 7 lilhos sao lodos naluraes da cidade da
Alagas. assim cumu ella tambem I
Seu pai, o tinado mando de D. Rosa, o tenente-
coronel Manoel Mendos da Frasee, tambem filbo
da provincia, nasceu em Anadia.
Gloria a cidade das Alagas, que tendo dado a
familia Mello Severiano, com qoatro filhos varoes
para o exercito e tres senhoras para a campanba
acaba agora de dar i). Rosa Paulina, mi dos sete
hroes, vingadores da honra da patria I Todos os
membros destas duas familias sao filbos daqoella
gloriosa cidade.
Jos Gengalves de Albuquerque, liiho tambem
d'alii, lera qualro filhos no exercito e todos lasci-
dos naquella cidade das Alagas.
D. Rosa, sua mulher natural da Barra Grande.
Reveste-te, Alagas dessas galas, que le bao de
levar uorae poslendade I
Diz ura peridico que na Georgia (Estados-Uni-
dos) chegou a ser to escaga a moeda de pouco va-
lor, que se concordou substituida por oros.
Lemos tres ou quairo vezes e todava nao nos
resignamos a acredita lo : lembramo-nos de ter
visto era um livro, que os povos primitivos se va-
lerain de pregos, de bocados de sola, de conchas,
etc., e lamben que Licurgo legislon para qoe ss
moeda ostem de f-rro, cora o lim de qoe, nao se
polendo transportar com fcilidade, se evitasse o
desequilibrio que pro luz a aggloroerago em om
ponto e a carencia n'outro ; de todo isto, porm, a
substituir o dioheiro por. ovos, vai grande diftV
reuga.
Influe o tamanho no seu valor ?
lnflue que sejam mais ou menos frescos T
Valera quando sao gros '
Quzeramos, diz um jornal matritense, qoe a es-
tas a a outras perguutas que podaramos aecres-
cenlar, nos respondesse algum collega iransatUn-
tico ; por que r^ucameole, um pouco apaixonados
pela numismtica, desejariamos augmentar a nossa
collecgo de moedas cora um ovo norle-america
Ceno padre p-egava urna moral lo severa, qoe
chegara a assusiar todc o auditorio.
A mi do pregador, para consolar os devotos
ouvintes, Ihes disse pepois de concluido o sermo :
Nao fagam caso do que elle disse : na idade
de seis annos j elle menta com o maior desaforo.
No lempo de Napoleo I, nm soldado fraucez,
cosdemnado morte, pedio ao imperador que lhe
coocedesse a vida.
Nao posas anuuir a* leu pedido, lbe respon-
dau o imperador.
Senhor, confesso o deiieto qoe corametti, e
reconhego a justiga coa que me castigaes; po-
rm, o genero de morte que vou soffrer e atroz.
Se isso s que le inquieta, podere conce-
der-te um favor.
Qual elle, senhor !
de escolher genero de morte cora o qoal
preferes acabar os leus das.
Mil vezes obrigado, meu senhor, aceito.
Escoibe : como queres morrer ?
De velbice.
O imperador soliou nma gargalbada, e per-
doou-lhe.
-------------------
Diz ura jornal italiano que acaba de ter logar
un duelo entre o eogenheiro Fambri, redactor da
Patria, e o conego Asproni, director do Popote i*
Italia.
O resultado foi incruento.
Cada om dos adversarios disparou tres ve> a
pistola e nenhum bou ferldo.
Um padre bater-sa em duello I
Parece-nos ja estar vendo os catorros beaze-
rem-se.
da, subi a escada, e chegalo ao seu quarto detxja.
se cahir anciado em urna cadeira.
Julio, que o linha seguido, perguuton-tbe :
Est tudo feito, senhor ?
Tudo I deixa-me respirar disse Turchi, sor-
vendo o ar com forca.
Depois de esperar alguns instantes, lornoa Julio:
Esta' to cansado I elle resisti?
Resistir I nao. Mas quando qau primeiro
meiter-lhe o punhal no coraga a, o ferro encoolroa
metal eraugeu horrivelmeut;. Elle traz ua peito
de armas, Julio. Desconfiara do que o esperava
aqui?
O puohal de Turchi tinha cortamente encontra-
do o amuleto que Geronymo trazia sempre ao pos-
cogo.
Pode ser, seohor, que elle tenha alguma cou-
sa sobre o peito, responden Julio; para oo ie
aponan sempre os puntes, e ninguem pode sa-
ber se encontrara' as trevaa um inimigo oa om
assassino. Mas que ha nassa circumslancia qoe pos*
sa abala-lo tanto?
Oltia, Julio, sallava ranito sangue da farida.
A vista deste sangue os gritos sinislros de Gerony-
mo encheram-me de angustia e borrar. As peritas
tremiam-rae e pareceu-me que cabina antes de ter
acabado tudo; mas felizmente ainda Uve forgas pa-
ra por termo ao que linha comeoado. Urna punha-
iada no pescogo abafon-lhe para sempre a voz na
garganta.
E agora esta' besa morto?
Nao tem urna gota de sangue as veas.
(C PBRNAMBUGO -HP. DE V. F. P. 4 rtiA)
1 *m. m m m tmmm m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET035KX9J_M7D5E0 INGEST_TIME 2013-08-28T01:09:05Z PACKAGE AA00011611_10794
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES