Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10793


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-,~
AMO ILi, flPMERO 236
Por qaartel pago dentro de iO das do i," mez : i .
dem desos dos i.0i 1 das o cemeco e den tro do qaartel. .
Porte ao cerreio por tres mezes '.........,:


//
5|0OO
6|000
750

'
Por anno pago dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao correio por um anno ..,.,..
ENCARREGAJ)OS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Antonio Alexrndrfno de Lima;
Natal, o Sr. Auiodo Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr, A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alvos &
Filhos Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bez9rros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. liento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqoelra
lugazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quarlas
feiras.
Sexinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRTRUNAES DA CAPITAL.
SABBADO 14 0 OUTDBBO DE 1865.
>
191001
1$000
Tribunal do GDtnmercio : segunda- e quintas.
Relacao : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 Iioras.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
I Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel
dia.
Segunda vara do clv
hora da larde.
: tercas e sextas ao meio
I: quartas e sabbades a 1
EPHEMEltlDES DO MEZ DE OUTUBRO.
4 La cheia as 8 h.,'il m. e 46 s. da t.
11 Qua.rto ming. a 1 h., 2 m. e 22 s. da t.
19 La nova as 2 h., v m. e 52 s. da t.
27 Quarto rese, a 1 \t., 30 m. e 16 s. da i.
DAS DA SEMANA.
9. Segunda. S. Dionizio b. m.; S. Luiz Beltrao.
10. Terca. S. Francisco de Borja: S. Penio b
11. Quarla. S. Nlcaciob. m.; S. Samatra.
12. Quinta. Ss. Cypriano e Walfrido bb. mm.
13. Sexta. S. Eduardo rei de Inglaterra.
14. Sabbado. S Calixto p. m.: S. Gaudencio b. m
lo. Domingo. S. Thereza do Jess v. c.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as II horas e 42 m. da manha.
Segunda as 1-2 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEJR05.
Para o sul at Alagoas a H I 30: para o ncrt
ala a Granja a 7 e '22 de cada mez; para Peraao-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, aao.
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e dos propietarios Maooel Figoeiroa 1
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
GOVBRNO DA PSOUIIICI.
Expediente do dia 11 de oulubro de 186o.
Ollcio ao Exm. deembargador provedor da San-
ia Casa de Misericordia.Accusaodo recebido o
ofiicio de V. Exc. de 10 do corrente sob n. 430,
tenho a dizer-lhe que se nao houver inconveniente
ire assislir a testa do Padroeiro do hospital Pedro
II, que se tem de celebrar no dia 19 deste me7, e
para a qual V. Exc. dignou-se de convidar me.
Dito ao mesmo.Nos termos do artigo 14 da lei
provincial n. 611 de 2 de maio do corrente auno,
mande V. Exc. admiliir no collegio das orphas as
menores de noraes Florinda, e Vieencia, Binas do
2o sargento do 8" corpo de voluntarios da patria
Joaquim Nunes do Valle, devendo o supplicanle
apresentar as respectivas certiddes de idade.
por nao haver concluido esse trabalho dentro do
prazo que Ihe foi marcado. Neste sentido vou otB-
ciar a thesourana provincial.Neste sentido offl-
ciou-se a thesouraria provincial.
Dito ao capito do Porto.Oficiando ao general
commandante das armas para mandar dar baixa
do >. corpo de voluntarios da patria e apresentar
nes>a capitana a Manoel Joaquim Ferreira, que
teodo-se engajado para o servigo da armada na
qualidade de grumete e recebido a respectiva gra-
tilicacao, se alistara naquelle corpo '. assim o com-
munico a Vrac. recommendaudo-lhe que d a esse
individuo o conveniente destino no primeiro vapor
que vier do norte.
Dito ao Dr. juiz de direito de Tacarat.-Em
resposta aos seas ofDcios do Io de julho e II de se-
tembro prximo findo. tenho a dizer-lhe que es-
te de Londres tem respeitado
com potencia beligerante sem ,
Espera-se nesta corte ainda que
o Imperador nao tarde em manda
sua legaco, agora que sabid
Tnoroton no Rio de Janeiro ; entretanto esta espec-1 declinado, e com as Cautelas que aqui tem sido to-
tativa lera ainda de prolongar-se, visto como a au- madas nao lardar
britannico, e
radicaos, aca-
. .un i'onviie para
r all ; mas er.se honrado deputado sera' obngado
neme per.go de ser c laminada pelo uso de car- tura do parlamento que este auno si reunir' ra l
alguns traficantes buscaran) cedo em consequencia da sesso preparatoria para
mercados; gracas porem al- a venficacao dos podere
severos, essa triste especulacao As necessidades do Mxico continuara a ser fa-
voraveis causa imperial. As tropas francezas se
echara de posse de Chihuana, e Jurez deixra .
sgzspjsffi t r rr r ", 'iri SrP^ SrtSsassftsar* "n""
anuo, a parur da data do eroprestimo. as cir- No meio da profunda paz que sempro tem reina- hora. Entretanto es=e nohre
lando o termo de Tacarat reunido ao da Floresta, cuniataucias polticas dilHceis em que nos acha- do neste paiz ha j iinuito lempo, acaba de "
forcosamente de demorar a apresentago do dipl-
mala inglez, o que deve preceder a nomoagao da
nova missao brasileira para a curte de Londres.
O governo do Brasil acaba de contratar nesta
nes empestadas que
expr venda nos
guns exemplos
praca com a casa de Rolhschiald & Filhos um em- cessou, evitando-se assim o perigo inmenso queli-
presumo na somma de cinco miihes esterlinos a ca alludido. O piz lem enlrelanto soffrido enor-
o 0|0 por um prego de emisso de 47, recmbolsavel mes prejoisos com
e lendo a lei provincial n. 620 do correle anno, mos, ninguem poderia esperar que viessemos fa-
mudado para este ultimo a sede da comarca, n'elle zer neste mercado urna operacfio linanceira por
deve fuoccionar o conselho de jurados. prego barato, e neste sentido havia eu j informa-
Dito ao Dr. promotor publico desta capital. do os leitores ; as condiges pesadas a que Uve-
o pois a consequencia natu-
D,.o ao mes,no.-Em rlsla de soa ioformaeio de ~ ^^der^o Dr.UJaS "dT'd"VeUo mos de^ujeIlar-no7
)nsO V. bX-. a man- i -ras;j. ,,n ;..,',.,,, .,*.*. .J. m; u;. ral da nmtinSn dimn.l
! presdeme do jury desta cidade em offlcio de hoje ra' da posico difflcil em que se aclia o Brasil, e
9 do corrente sob n. 420, autor
dar entregar a Jos Joaquim Alves da Silva, o seu datad teQho reso'lvido'desenojara Vrac. afim de flae ha via de embaracar qum quer qi
gibo de nome Antonio Joaquim Alves da Silva, que continu a prestar os seos servicos n'aqoella jo cargo houvesse de ser confiada urna semelhanie
nif ? .^ .-ih l'Jl?.'r' i...-.. c. tribunal como se faz necessano : o que Ihe deca- commissio. As chamadas do actual emprestimo
J.to ao mareehal commaoJame das armas.-S.r- ro para ,er execu?5o sero fetas com longos intervallos, devendo po-
Portara. O presidente da provincia tendo em rem a primeira de 2o |0 verilicar-se na occasio
vista o resultado do concurso a que se procedeu da siribuigo aos subscriptores da parte qu! Ihes
no dia 22 de setembro ultimo, resolve nomear pro- couber no emprestimo; a ultima ter lugar em
fessoras das cadeiras de instrucgao primaria da setembro do auno provimo futuro, mas os assig- hiogton de que essa siciedade havia remettido ar-
srgunda da cidade de Goianna Mara Adelaide de nantes poderao realisar ja a lolalidade dos paga- mmenlos e emissarios de New York para diver-
villa de Serinhaem e Leovigil- mentos com urna reducco de o 0|0 sobre as som- sos pontos da Irlanda, com o lim de proclamaren)
v.vse V. Exc. de mandar alistar no o" c^rpo de
voluntarios da patria, a Jlo Sabino de Souza Pei-
xe, que para Isso se me olTereceu, permeitindo V.
Exc. o uso das insignias de 2o clete por ser lilho
do alfares da extincta 2' linha Joo Francisco de
Souza Peixe.
Dito ao mesrao.Sirva-se V. Exc. de mandar
u.i Irlanda um sucdesso polico que poderia ter
proaatido graves eonseqoeneiaa para a ordem so-
cial se nao houvesse sido alalhado em lempo. A
associaco secreta denominada dos t Fenians ,
filiada na Irlanda e |nos Estados-Unidos, prepara-
va-se para levantar em Cork e Dublim, a 17 do
correte, o grito de (repblica sob a proteccao da
Unio Americana, quando o lugar-tenente da rai-
uha, autorisado pelo conselho privado, procedeu
ao confisco do jornal Irish People, publicado em
Dublim, e no qual as ideas d'aquella associagao
eram sustentadas. O governo da rainha havia si-
do previamente informado pelo gabinete de Was-
f"r?'r m?ls co,nl'le,e t5la<, d,i desorganisacao apezar dos
Maximiliano
Para completar esta narraran rpida, diremos
que a sociedade dos fenianos foi organizada em
1848, depois da execugao dos compatriotas rnm-
promeltidos naquella poca. Desenvolvnu -> ,ni-
mediaiamenle nos Eslados-L'nidos e n. Canad, e
desde 1857, era notavel pelo seo poder e pela in-
fluencia progressiva de que disponha.
Accre-rentaremos aqui, qoe a denominar-So de
fenianos traducco da lingna irlandeza mm, de
faunos. Quine dos primeiros colooi-adores da Ir-
landa.
Eisaqui o que lemos podido rolher a resneito da
grande sociedade irlandeza. Ao inglezesOa ami-
to que azer esta associacao. Siio m>steriosos o
seu respeito se espalham e nVjnm
e.-tara a esta pontos enlende-se que ha exageraco na maneira
paiz continua no de fazer comprehender os acontecimeoto*.
esforcos que o imperador
para regenera-lo ; mas
esgotadas, e nestas cirr
ralisagao geral em resultado de urna
A Inglaterra que at agora
erauor Maximiliano emprega principio da independencia dos MfN que l
S as (naneas publicas estao sumido lao numerosos capitaes para a en
ircumjtancias, alem da desmo- cao completa da raga preta, conserva os
Barros e Silva, da
eliminar do batalho de guardas nacionaes desu-
ados ao servigo da guerra, o guarda do batalho
n. 16 de infamara do municipio do Pao d'Alho,
Antouio da Motta SiUeira, aceitando em seu lugar
o paisano Jos Bernardo de Lima, por elle ofreci-
do para subslitui-lo urna vez que esteja as condi-
goes da lei.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. recolher ao
deposito o guarda do batalho n. 2o de infamara
do municipio da Escada. Ricardo Romualdo Rodri-
gues, destinado ao servigo da nuerra.
Dito ao mesm >. Queira V. Exc. informar sobre
o que pede o cabo de esqnadra do 4" batalho de
da Maria da Silva Cordeiro, do Bim-Jardim re mas subscriptas. Causou nesta praga alguma es- o grito da separago ; e pois nao tardou em con-
lismina Constancia de Azevedo, da Gloria do Gol- tfaohesa apparecermos novamente venda com "
la, Celicina Maria de Sianoira Varejo, de Barrei-j ttulos de o 0|0, quando parecamos querer uni-
ros Graciliana Felcissima Cabral, de Pona de formisar a nossa divida externa com o padro de
Podras Hermila Floresta da Cunha Salles, o da do 4 *l- 0|0 ; entretanto esta circumstancia nao leve
Brejo da Madre de Deus Leoncia de Luna Freir. uor cer|d inlluencia alguma sobre o prego do em-
Communicou-se ao director geral da instrucgo prestuno, porque elle teria ilj ser feto por um
publica. prego de emisso anda menor se o juro houvesse
DitaO presidente da provincia conformando- de ser 4 4 l|2 em lugar de o 0|0 : para nos
SSL?S SMrSSSK. 2V fifeB.-* "o ansente da capital p^r motivo
lem pugnarlo pelo
tem ron-
emancipa-
. s Irlande-
dnnra tnrir gUerr? 3' zps fo1' um domini'' W se pode considerar como
fThad'o m n,J ,11 r af,ra empMe*ad0S em men"s 'Oeral, sem manifestar a menor d tainado sem que nada prometa um melhor resulta- de garantir os direilos
do, a menos que o partido republicano levado por clairam.
um bem entendido patriotismo quzesse depor as A
armas, prometiendo ao mesmo lempo obediencia
a hfi.imperiL de parte o eeSismo que resulta desta iMaaam
eterciin fJ5' ?/,' 3 M"'C Um 0rp0 de diremos nacamente de passagem .pie de-le rte,-
11 T2S eagrafS a e-,e ao,,ho e 1,,e averno mo modo se escrev.a na Russia a re-pe,io da H-
base de poder qualquer; este parece ser a ver- ; irava ao de S Peiersburgo, a nece sa* de eon-
..' ,, ..... ; ceder a hberdade aos polacos '
rnrran.a S ^ ^ l,m0* ^t liAl A UMIBMfe doS
por va de Croe khaven. O presidente | Cork derlarou
que aquel les povos re-
imprensa em geral encarece aos sacrificios
fetos pela Inglaterra a favor da Irlanda Pondo
mallogro desse crim de alta traigo, no qual de-
venam tomar parle individuos de todas as classes.
Foi assim que autorisado competentemente passou
a execuiar a le militar, sopprmindn aquello jor-
nal, coolis ando todos os documentos que foram
encontrados no edificio em que se imprima aquel-
follia, declarando Cork em estado de sillo e pro-
do condado de
do> ferin* er
se com a proposta do Dr. chele de polica n. lo"i3 nouve a conveniencia de pelo meio adoptado po- cedendo a priso de muitos individuos implicados
de 6 do corrente, resolve considerar vagos os lu- ^erraois realisar naaior somma d'entro d-um certa nesse projecto de insurreigo. A opporlunidade pediente ai); mer rtiln conTrT
gares de subdelegado e primeiro supplente dodis- capiial nominal pedido, o que na aclualidade era com que foram adoptadas eWs medidas alias ur-
Iricto do Gurja, segundo da freguezia de Santo de toda urgencia como obvio. Nao me consta gentes, produzio o elT-ito desejado pois que a auto-
artimaa a p Francisco Jos de Albaquer.iue Ma- Am?po dH ',6oa,o por llrm us orneados deixa- $*&?*<**** concurrencia com Mrs. ridade nao leve assim de debellar uma revolugo,
,^.K5, n. i.,,______........ dodeacceilar as nomeagoes; e para os referidos Kollischild, e tal expediente poderia talvez haver -contra a qual teria ndo a necessdade de fazer uso
magistrados
que a organisago
perigosa para a mesma praga.
ja all lendo melhorado | u Cork Examiner foi o primeiro dos jornaes in-
primeira auiondade da glezes que apontou a necessdade de se loroarem
al que precauges para proteger a costa occidental da Ir-
landa. Em virinde desta prevenga., organisoa-se
h i um cruzeiro naval.
fenians urna corrnpgo de friann.i
ii1ni'p..mn,rV^"u.""" ',""-"""" iue ao presi-1 Pelas prisoes que se lem elT-rtuado na lrlaa.la,
edSnte n.?i.!! ,"' ,raDCamenle por "'' Pelas medidas adoptadas a respe.iode todos oscon-
com a diolTl ''0 COm n*1 SC l'omPadpce dados ; pela linguagem da irapr^nsa e finalmente
com a dign.dade do governo mexicano sustentar pelos ltimos telegramroas de Dublin. iOmomo
e parece que esse ministro Koverno liga a maior importancia aos proyectes dos
de sade, mas se achava
consideravelmente. Essa
repblica oceupava-se da
lera' de apresentar cm dezembro prximo no con-
gresso, e em qoe parece expora' francamente as :
sua vistas acerca da quesla do Mxico. A este
respeito Mr. Seward tem declarado
ranho, no incluso requerluieuto.
Dito ao mesmo Mande V. Exc. alistar como
voluntario da patria no 3o corpo a Manoel da Vera
Cruz do Nascimento, e Manoel Francisco do Nasci-
mento, apresentados por Manoel Jordao deVascon
cellos, e no a, a Lonrengo Francisco do Nascimen-
to, apresentado por Jos Uicicio Paes Birreto, e a
Ohristovo de llollanda llego Cavalcanle, a quera
se permittir o uso das insignias de cadete.
Dito ao mesmo.Haja V. Ex. de informar acerca
do que pede no incluso requanmenlo o voluntario
Leonel Bispo Ramos de Medeiros.
Dito ao mesmo.-Tendo Manoel Joaquim Ferrei-
ra, que se acha cem praga no o corpo de volunta-
rios da patria se engajado para o servigo da arma
da na qualidade de grumete, e havendo ja recebi-
do por isso a respectiva gratificago recommendo
a V. Exc. que mande dar-lhe baixa daquelle corpo
e apresentalo ao capito do porto afim de ter o
de-tino.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do ba-
talho de guardas naciooaes destinado ao servigo
da guerra o guarda do batalho n. 10 de infant-
ria do municipio de Iguarass Francisco Antonio
Correa de Barros acceilanJo em seu lugar o paisa-
no Joo Manoel Gongalo que foi julgado apto em
iospecgo de sade.Coinrnunicou-se ao comman-
dante superior de Olinda e Iguarass.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S que em vista do pret junto
lugares nomeia f
Subdelegado, o cupito Antonio Pereira da C-
mara Lima.
Primeiro supplentV, o capito Joaquim Moreira
Pereira Vianna.
Communicouse ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1571
dillicultado
uma posico dnvidosa
se inclina para o lado daquelles que opnam pelo
reconhecimenlo do novo imperio, tomando ete
successo como um faci consummado.
O gabinete de Washington tem feito
novas re-
rainal de cada apolice.
A laxa do juro do banco da Inglaterra mantem-
se a 4 0|0, e nos Joint Siock Banks o descont tem
regulado eutre 3 e 4 por cento. Nao creio que
haja brevemente moditicago nesta situaco, por
a successo final da opeeagao. Estes da forga armada; lodos ai/uelle- que se acham im-
novos Orados do Brasil licam a premio de i l|i plicados e presos, estad, jA sujelos deciso dos
porcada cem libras, que o valor no- jurados peranie quen. respondern pelo crime de docgoes no ejercito, manteado ag^nmaloV'ca de
r h,hI- C ?1e B,en,,P,B commeiler, e as auto- duzenlos mil homens, da qual se diz ^ero destaca-
ercednainlanda CnlinUam f "** invelW* *" a'*<'ns regiment de Velos qoe serio ovil
al" d L "!'T? a rna,or11v|8!la"cia dos ao Hait para auxiliarem o presidente GelTrard
aun de revivaren) a ordem que para ellas e o fim contra a revolia all exiMenle e de 9 do crreme, resolve nomear o bacharel An-1 oto o deposito do banco" te.n gradua.meieaug. ^^,LVT^y,I^ml!S!X Ktedis fSS*3f de'Car,3r-Se V**1'
S^^SS*LS%V3s\tt&BES*SLu7J&:&. 25^^w^-,w*.^d'a"ui --pr-iod"cava
de delegado de polica do mesmo termo, vago
fallecimento do tenente-coronel Jos Joaquim
zerrade Mello. Communicouse ao Dr. chefed< > te supplaniar qualquer lenlativa q_
dos buscassem praticar, apesar de haver sido des-
ui-
ram
. do exercito, se
bem i|ue estes eslivessem aclualmente em inactivi-
dade.
polica.
Despachos do dia 11 de oulubro de 186o.
Requerimentos.
Antonio da Motta Silveira.Aprsente o substi-
tuto no quartel general para ser inspeccionado.
Antonio Martins Pereira de M'-llo.Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional de
Pao d'Alho.
Alexandre Magno Peixoto de Alencar.lnform
o Sr. director da instruegao publica.
-----------R. ..,,.., .., ,.,,, inmuno no ouru i
ponto do Reino Unido; de modo que 15'6 sobre esta oraca
por | v'^to como essa operagao lera de realisar-secora o lugar-tenente de sua magesiade po^sue hoje lo-
B. | longos intervallos. dos os recursos para cem elles poder eventualmen-
k o- iQglezes raantem-se entretanto le supplaniar qualquer lenlativa que esses associa-
, a qj /|8 o que todava se explica por outras cau- dos buscassem praticar, apesar de haver sido d.
as. us fundos brasileiros de o 0|0 cahiram a 93 ; coberta a trama em que elles tomaram parte. M
e os de *||J OjO de 71 a 74, em consequencia da las prisoes lem j sido follas, as quaes ligur;
introducgao neste mercado doavultaJo emprestimo alguns soldados e varios ofTIciaes
de cinco milboes que acabamos de contratar. Coi.- '
a 143 1/2, e o cambio a
DIARIO DE PEBWAMBCO.
Irlandezes.
As primeiras noticias deste projectado movimen-
lo, poz-se em arco toda a polica irl.mdza. H
que parece uma parle della descobrioen alguns
condados, e especialmente no sul da Irlanda, qu
um grande numero de mancebos se exercitava de
noite no manejo das armas.
Hoje que este negocio tem lomado ampias pro-
porgoes, iraia-se em geral de saber qoaes serio a*
meios que a Inglaterra procurar para .-ahir
embaragos em que se enconlra.
Entre a imprensa ingleza enconlramse opimas
diversas. De umlado existe oreceio deacontecinvu-
tos graves;do outro deposita se a maior cont'un-
j ca as torgas de que dispoe a Inglaterra. Aqoel-
I les ternera o desembarque de "0 a 200 mil boroens
armados estes julgam que s a classe interior da
O governo da rainha1 est disposto a actuar com
a mais firme deciso, nao hesitando diante dos
i para rnanter a iniegrilade da monarchia
A imprensa desta capital tem appro-
vado cabalmente a po/itica do gabinete nestas cir-
cumsiancias, sustentando a urgencia de acabar
com aquelles perturbadores da ordem publica, se
re aqu que em breve teremos de solicitar novas
quanlias, visto como as pedidas nao bastarao para
: cobrir os enormes encargos que pesara neste mo-
ment sobre o imperio ; era tal caso os scrificios
a que teremos de sujeitarino-nos sero ainda mai ) britanuica.
Beatriz Maria Francisca.-Assignado, volle que- res devendo estar na proporgo da difflculdade
rendo. c?m que s poderemos solver novos oous pecunia-
Candido Ferreira de Moura.Requeira depois ^.s fundos ponuguezes tem variado de 46
que esliver aquartellado. 'I8 a i7 0|0. Os hespanhoes 3 0|0 fieam a 47 l|2, bem que a Inglaterra nao deva receiar li
Deifino Duarle Rodrigues.Informe o Sr. inspec- g saas ^l" a 75.- 0s da Ruenos-Ayres 6 0|0 e cujo programma poltico era altamente ridiculo;
em duplcala, e nao hvendo inconveniente, inande tordo arsenal de marinha. i a r? 3 0| a 'J Eos turcos 4 0|0 muitos folhas (em igualmente elogiado ocompir-
pagar a Manoel Machado Dias a quaniia de 1953 Flix de Valois Correa.Informe o Sr. director aranlidos de 100-101. lamento do gabinete de Washington para com o de
em que importara os vencimentos acontar de 19 da instruegao publica. da ii i i .i / er,iainbllC ncou em Liverpo-1 Londres, sem prestaren) crdito aigum insina-
setembro prximo passado al 8 do corrente do5 Francisco Alves Pessoa.Informe o Sr. comraan- e M'-* a Hl por libra ; o do Maranhio de 18 i gao corrente de que os Fenians se achavam
voluntarios da patria alistados ua comarca de Ga- dame do corpo de polica. ftiT -i e. da Rabia a 17 d. por libra. O de accordo com o presidente Johnson quinto ao
ranhuns, como se v do mencionado pret. Francisco PinheroCoelho. Informe o Sr. com-; Peuio tem sido bom, e com tendencia para con nm qne elles tinha.u era vis:a. Em verdade Mr.
Ditoao mesrao.-Declaro aV.S. para seu conhe- mandante superior da guarda nacoual de Nata- |servar os^pregos acuna mencionados apezar da Seward foi o primeiro a rommunicar os manejos
cimento e Ara conveniente que nesta data, e de relh- i ,.mp'-5?0 'ue 'fn havido de Mohile de grande dessa associago ao ministro britannico em Was-
Pelo Navarre recebemos correspondencias e jor-, populago irlandeza est filiada naquellas associa-
naes da Europa com as seguimos datas : Hambur- \ ^s, e como tal receiam pouco de um aovinvnto
go 20, Londres 23. Pars 24, Porto 27 e Lisboa 29 '|ue nao encontra apoio oa nobreza do paiz, o;m
do passado. i no clero.
A ioa que mais preoecupava os circuios po-1 As correspondencias dos Eslades-l'nido* alimen-
iticos da Europa era a possibilidade de uma revo-;lam os receios que manifestam em Inglaterra.
lugao na Irlanda, promovida pela sociedade fe- \ N'uma caria de Nova York, publn-ada no Timts
mana.
l.'ra jornal de Paris d os segunles pormenores
sobre o feuianisnio :
t E' quasi intil recordar que a Irlanda foi con-
quistad i cm 1171 por llennque II, com aJheso do
papa Adriano IV, e que desde enio se acha sub-
l-se o seguinle :
* Em diversos pontos do norte repeUn-se os
meelings dos fenianos. Recebem-se consideraveis
quaniias, qu sao enviadas para a Irlanda, oo era-
pregadas na compra de armas.
Ahi vai pois a Inglaterra liberal pacificar om
Joo Antonio Ferreira.loforme o Sr. comman-: 'luan"'dade da melle genero.
danle superior da guarda nacional de Pao
d'Alho.
Jos Philadelpho Gomes.loforme o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional de Pao
o Sr.
conformidade com o aviso do minislerio da fazen
da de 21 de agosto ultimo, acabo de recommendar
aos agentes da companhia Brasileira de paquetes
que mandem dar transpone para acorte, porconta
daquelle ministerio, ao coniador dessa th-souraria
Emilio Xavier Sobreira de Mello, a sua mulher D. Albo.
Josepha do Carino Caldas de Mello o dous filhos, 'ose d'Avila Bitancourt Neiva.Informe
D. Maria Emilia Sobreira de Mello e Emilio Xavier inspector da thesouraria da fazenda.
Sobreira de Mello Jnior, esie de idade de 12 aa- 'ose Valerio dos Santos.Depois de aquartellado
nos e aquella de 18. o supplicante defenrei como for juslo.
uito ao mesmo. -Rnspoodendo ao offlcio que V. J'JS Henrique Machado.loforme o Sr. director: je 18 s.22 s. por
S. me dirigi em 9 do corrente, sob n. 740, tenho a da jnstrucgo publica. | ,M- '_ Pr libra ; i
dizer que nao obstante as reflexoes nelle comidas,
mande pagar ao inspector do arsenal de inarinlia
O cacao do Brasil esta de 37 s. a 59 s. por cwl.
Caflo de primeira qualidade do 71 s. a 80 s. pjr
cwt. ou 112 arralis ingleses; dito de secunda
qualidade de iti s. 70 s. ; \e ordinario de o2 s. a
63 por cwt. Pao Brasil tica com a eolagao nomi-
nal de 70 s por toneleda. Assucar braoco de
Pernambuco e da Parahyba de 23 s. 26 d. por
cwt.; mascavado do 18 s. a 22 s. 6. d. Dito bran-
co da Babia de 22 s. 6 d.a 26 s.; e mascavado
cwl. Couros
ditos salgados
hiogton, o isso basto para provar que os Eslados-
Lnidos nao desejam por modo algum lomar parte
num acto cuja responsabilidade implicarla uma ,
traigao para om uma naco amiga. A esta hora 'rlan',1ezes ,em procurado na emigrago
corre j na Irlanda o proc'esso dos implicados, que a,seus maleSi Todos os anoos grandes massas
em breve serSo julgados. i abandonam a sua patria para se transportarem
O clero catholico irlands lem reprovado aberta- Amerlea ou a Australia, onde, pelo menos, vivem
mente essa tentativa de insurreigo, prestando ao! oseu lraDalno, praticam livremenleasua religio,
governo da rainha um apoio moral de grande pre- reunemse sem obstculo, e dirigem em commura
co ; de mais que a subslituigo da aulondade mo- os seus volos a lerra nata
meitida a autoridade bastante severa da cora bri- Povo opprimido, augmentando a polica e o eiern
lannica. | to. E nao falla na imprensa quem aconselhe a es-
Os Irlandezes tem supporlado sempre com im-1 labelecer desde ja o estado de sitio,
paciencia o iugo da Inglaterra, que os trata como Annuncia-se de novo a sabida de lord Palmers-
um povo conquistado, especialmente desde a cele- Ion do gabinete. Haja algumas semanas que n-
bre derrota de Royne em 1690. A recordago do! le trado se espalhavam boatos tm Londres, ailri-
nde agitador O'Connell ainda se nao ex- jbumdo a resoluco do primeiro ministro aos seos
padecimentos. K-'tes boatos eram enlo desmenti-
dos n'alguns circnlos, anda que u'ouiros se indi-
cava lord Granville, como snecessor de lord Pal-
merston.
A reonio do parlamento lie u a Uiada para
23 de novembro.
Abrir-se-ha no primeiro de Janeiro futuro a see-
go da linba forrea hespanhola de Merida a ridade
Real. Ficam d'este modo a cidade e porto de Lis-
boa ligados
tingulo.
Reduzidos a' ultima miseria, vexados por um
rgimen poltico e social, cujos inconvenientes sol-
m e cujas vantagens Ibes sudesconhecidas, os
um reme-
a gratiheagao que vencer no corrente exercicio na
qualidade de superintendente das obras do raelho-
ramento do porto de.-ta capital.
Dito ao inspector da inspector da thesouraria
provincial.-Estando era termos o pret junto em
com a capital de llespanha, e d'ahi
com a Europa, o que dar sem duvida mono maior
seceos do Rio narchica pela republicana, nao poderia jamis me- .^essas reunioes nasceu o fenkmisno, isto o importancia linha de leste portugueza.
_ do Rio Grande recer a concurrencia d'um partido que sempre part!, (|ue pena na emancipaco da Irlanda;! Esle facto vai lomar mais intimas e de ceno
Jos Joaquim Alves da Silva.Dirija-se ao Sr. I *C d. o 1|2 por libra. professou ideas eminentemente conservadoras. E Par,|d Que nunca cessou de existir, como o pro | mais 'requemes as relaces commerciaes dos d>-us
desembargador provedor da Santa Casa da Mise ultima quinzena houve o seguinte movimen-' quo seria feito da pobre Irlanda sob rgimen ricordia. ;l0 martimo entre o Brasil e a Iuglaterra, e vice-! precario, caso o grito da revolia viesse a vingar 1 a epoca da conquisto. bos.
Jos Bernardino de Mello.-Nao tera lugar. ^n' ?" LlverPo1 'ogene (10) para a Bahia ;! A lua das paixoes traria comsigo os mais desas- lteuD'dos em granJe numero na America, os A opposigao em llespanha nao deixa de follar
Jeronymo Duarte Rolngues.Informe o Sr. ios- i de Deal Ida (17) para o Rio ; de Llvelpool Damsh Irosos effeitos, peioraiido assima'i eondigSes d'um : Irlandezes, pelas maravilhas que ollerece a lber-1 em crise ministerial. Segundo os joroaes oppsi-
ctor do arsenal de marinha. nnttsi (i7) para 0 Maranhao ; de Gravesenai paiz que por falla de tranquillidade interior lem Jade naoquizeramdei:
peclor
Joaquim Nunes do Valle.Dirija-se
a-t Sr. des-
e de Dcal
duplcala, e nao havendo inconveniente, mande V. embargador provedor da Santa Casa da Misericor-
S. pagar a Claudioo do liego Luna Jnior, confor- dia, a quem apreseatara o supplicante certido de
me solicitou o commandante superior da comarca 'dade de suas lilhas.
de Santo Aniao ?m offlcio de 7 do corrente, a qnan-
tia de 286)3800 em que 'importara os vencimentos
relativos ao mez de setembro ultimo do destaca-
mento de guardas nacionaes existentes na cidade
da Victoria.
Dito ao mesmo. Po le V. S., conforme indica
em seu offlcio de 10 do coraente, sob n. 406, des-
pender no corrente exercicio al a qoantia de 2005
com a acquisigo de mais um armario para nelle
serem guardados os livros e documentos existentes
nessa repartigo correspondentes ao exercicio pr-
ximo lindo.
Dito ao commandante superior da guarda naci-
Luiz Gomes de Andrade.lodeferido vista dos
douumentos.
Leonardo Jos Feitosa.Informe o Sr. comman-
dante superior da guarda nacional de Gara-
nhuns,
Maria Jos de Mello.Informe o Sr. comman-
dante superior da guarda nacional de Santo
Aotao.
Maria Joaquina d'Annunciago.Declare a sup-
plicante onde se acha preso seu neto, e qual a au-
toridade que o recrutou.
Martinho Francisco de Souza.lodeferido.
Mana Jinuaria da Concelgo. Era vista da in
Segundo havia eu j communicado, a viagem da seu fim seria
Sua Magestade a rainha para a Escossia leve cora
effeito lugar no dia 12 do corrente, e all chegou
essa soberana com perfeila saude, devendo per-
manecer nesse ponto al o prximo mez de ootu-
, bro. O conde Russeli, ministro e secretario de
estado dos negocios eslrangeiros, acha-se na Es-
' cossia de servigo junto de Sua Magestade a rainha,
sabido aggravar o mal da sua surte. O mundo in-! e, orgam*aram urna aciiva propaganda, consegran- i da pelo partido progressisla de se conservar na
teiro ollia com sympathia para esse povo conquis- '"quietar o governo inglez, o que ja' nao absiengo, rerusa-se a asslgnar o decreto da disso-
tado ; mas ninsuem que respeita as idefas de or- Pouco; 'ugo da cmara, proposia pelo general O'Don-
dem, deseja ver aquello mal remediado por abalos .' ^ esT,adra formidavel cruza na costa da nell.
terriveis que venham prejudicar a organisaeo so-1 .' eilcarr^Kada de exercer a mais severa vi- A imprensa ministerial declara que quando se
cial, porque um semelhanie expediente importarla 8|lan!;ia- O perigo existo. organisou a actual administrago se eoncordoo en-
fuerera Isto dlzer que acreditamos no Irium- j tro o homens chamados ao poder e cora, m aa
cortes actuaes seriam dissolvidas, em se pensar
a anarchia que sempre reprovada : a Irlanda,
proclamando a repblica, nao obrara de boa f, o
revolucionar o paiz com outro inten-
to, e taos experiencias sao de alcance to grave
que convrn eviti-las. Quanto
considera a questo no campo da
acha de posse d'aquella parte do Reino Unido nao
pode fazer oulra cousa seno usar da forga da sua
autoridade para inanter o seu direito.
No dia 17 do corrente
nhad^d!".3,^10!!?^ ?CUri5es fsemp/e acompa-' prrelpTAotaTeo^e^T^TBSo segundo'd'ebrel
nal do Pao d'Alho.-Respondoaos dous ornaos que formago nada ha que deferir. n"aa" ..T,,"!" *"'"J',!?,, coroa- A '.mprensa : de Italia, e que veio a Inglaterra para visitar as
V. S. me dirigi em 10 do corrente, declarando Ihe Manoel Antonio Coelho.Informe o Sr. desem-, ~J?CX,2J!L**liSS 1* esS8 min,s'ro em curiosidades deste paiz. Sua alteza real veio acom-
que ehegaram a esla capital e tivram o conve- bargador provedor da Santa Casa da Miseri-; d0.Pa r o gabinete por motivo do des-
nieote destino os 9 guardas do batalho n. 16 desse cordia.
municicio de que tratara as relagas annexas aos MaHHMMMMMMHHa.BM^^nww.
mesmos oQlcios.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Goianna.-Ordene V. S. ao commandante
do batalho n. 12 de infontana desse municipio,
que preste uma uarda de honra para acompanhar
3 imagem de S. Miguel em proci-so nessa cidade
na tarde de 13 do corrente, requisilando ao delega-
do desse termo as armas e correantes necessarlos
para a referida guarda. OiTlclou-e neste sentido
ao delegado de Goianna.
Dito ao tenente-coronel Manoel Gongalves Perei-
ra Lima.Cora o offlcio de V. S. de 9 do correle,
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS IMl|l>IA
RIO DE 1*KRAAJIIIL'CO
l.OMUIDS.
23 de sfiemliro de 186o.
Brdeos, deixaram ainda em suspenso
lilink Bonny (il) para Pernambuco
Drake (22) para a Baha.
Do Brasil ghegaram : do Rio Grande King (10)
a Liverpool -, da Bahia Cathenne (12) a Grave-
seal ; do Pernambuco Meltta (15) a Liverpool ;
de Pernambuco Belle Poule (16) a Liverpool ; do
Rio Grande Alpha (19) Liverpool.
pno dos fenianos r que esperamos que possam ll-
berlar-se das torgas brilanuicas ? Nao, de certo. O
que acreditamos, o que esperamos, o que sobretudo
trra esta desejamos, que a manifestagoque lera lugar ac-
le e como se talmente, e os projectos dessa numerosisslma as-
sociago, fagam reflectir os estadistas e polticos da
Gra-Bretanha e os induzara a acolher favoravel-
menie os votos da Irlanda. Quando censuramos
alguns actos da diplomacia ou do governo de In-
glaterra, nao cede na mais pequea cousa a sym-
palhia que professamos pelo povo inglez.
. Applica-se porventura o governo da rainha
i panhado pelo raarquez d'Azeglio, ministro de Italia Viploria os principios de fraternidade proclamados
Z^ oh qUe,fe aCha Com ,-ra,n,,a acerca d0 nesta corte, com quem acaba d seguir para Du- pe-los seu homens pblicos, a esse di toso paiz 1
,?nvtnn^',ier,e,C7K ul,imamente obre a blln, onde val visitar a exposigo internacional 2* Po,s bem'?s0, aPP''cando esses generosos
J de Gaste.n Salsburg : parece que Sua agora aberta ness capital. Desse ponto sua alteza PnciP"0S Q" a Inglaterra conseguir associar-se
Su?!!! cond,;,nnara vivamente a linguagem ; real regressara' aqui, seguindo posleriorraente para "voniades dos Irlandeaes...
)s>e documento nue carac.ierKnn rt n^i.Hn- i a Bell(ja e ou(ros' ,0 'De oulro modo, os fenianos continnaro a ma-
; neira de uma sociedade dentro de oulra sociedade ;
as folhas desia capital appareceu ltimamente e as rebellines, que rebentam de tempos a lempos,
a noticia, vinda de Florenca, de haver o governo espalham a confuso e a desorden) n'um grande
italiano creado em Montevideo uma eslago naval numero de familias.
sob o commaodo de um contra almirante. as Assim se escreve em Paris. Esle rpido esbogo
circunstancias actuaes em que o Brasil se acha d idea sufliciente da siluago.
all em guerra e quando tem tido de repellir recia- Em Londres, o Times diz tamben) o que o fe-
macos inslitas do ministro italiano, aqoelle ex- sionismo.
pediente deve chamar a attengo do governo im- A sociedade divdese em tressecgSes
xar de pensar na mi-patria, j cionislas, a rainha em presenca da resologo toma-
sse documento que caraclerisou de espoliador
o acto diplomtico que acaba de resolver a ques-
to dos ducados, ao que todava respondeu esse
ministro com o accordo em que lodo gabinete se
achava acerca do modo porque fra esiigujatsada
a poltica da Prussia e da Austria.
Lord Palmerston parece haver declarado a rai-
nha que da sahida do conde Russeli por semelhan-
As noticias do imperio, viudas pelo paquete de le motivo resultara a dissolugo do gabinete, pelo
aqui os es- que sua magestade leve de aceitar o faci consum-
a attengo do governo im- A sociedade divdese em tressecgSes indepen-
oi-me'^res^Ud^ouar-da- do KtoMtoToVttu pTrRoTqVanToTo^^^ KaVBS "mSSSLV ERSS SttKS 6"e Pd6 FSi. adP,ad Cm tTZSSStiTt SUS lEF" "5F
commando Ricardo Romualdo Rodrigues, que teve lerra contra o Paraguay I A passagem do Iblcuhv para com el re da Prnssi T jXa-se nn.s n ,e p '"" de l0.rna.r T? pe5ad\?- ,0?,s!enc,a com 1" EuStgaJ'me"?- A pTTI* \*mf soa sde na
? a -. *4 'I A 'ropa, de L.S, l incidente SSh SBT iSUSR STSS'^^Jtt .oaCadnda.SeBUnda D8 LS'adS LD'dS ,erC6,ra
como potencia belligerante. ^a Irlanda conhecda com o nome de socieda-
de republicana irlandeza, e conta uns sessenta e
Uma parte da imprensa iogleza tem publicado cinco mil homens apios para pegar era armas. Mas
do conde Russeli acerca do as suas reunioes nao sao publicas.
Esse ministro propoe s na-1 As circumsiancias obrgam-nos a observar as
um tratado, em maiores precaugoes, e d'aqui que procede an-
a declarado pira- nunciarem s autoridades britannicas os fenianos
i sanrgo penal, devendo como conspiradores occullos ou como carhona-
nao grande drama militar que agora lem lugar no R;o Bretanha lamenta o espirito retrogrado das gran-, dentis as alias partes contratantes conseguirem rios.
^A?tSJS!f^'i!!!.?-!!*I. S p!nr,^"!?^^0";*-,0!.6!^0? secunda- das suas respectivas legislaturas medidas repressi-, No Canad os fenianos gosara da maior;seguran-
o conveniente destino.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande fez em Inglaterra finito ma'o elfeito contra nos' s I sena mesmo para'lamentar qoe "uma soberana
V. S. fornecer a mesa regadora da ordem Terceira bem que se nao duvide do xito d'uma guerra em '. constitucional quizesse insistir sobre aquillo que
de Nossa Senhora do Carmo, mediante indemnlsa- que a superioridade do Brasil a todos os respeitos j passou para a responsabilidade dos seus minis-
go o cartuxame de mosquetaria ?em balas que for
preciso para as salvas da festa de Santa Thereza.
e bem reconhecida ; a demora quo tem porfn ha-: tros; do mais que a circular pela qual o conde
yido as operagoes do exercito alliado, explica-1 Russeli laxou a Prussia e a Austria de haverera
um novo documento
trafico de escravos.
Diio ao commandante do corpo le polica.Man | da por falta d'accordo entre os cooperantes e al despresado as justas e legitimas aspiragoes dos po- go.-s civilisadas a celebrago de
V. S. apresentar na repanigo de pohcia ama-1 pela defeegao de Urqulza, o que ludo contribue a vos dos ducados, tem merecido ueste-paz a appro- virtude do qual aquelle crime sei
iaa as 10 horas do dia, 1 sargento e 10 soldados desvairar a oplnio acerca da jusla apreciago do vago unnime, como expressao do quanto a Gra- taha para os elTeitos da saneco
de
nhaa
do corpo sob seu commando, lirados dos que
tem de embarcar para o sul, afim de escoltarem 3 da Prata.
rBioosos at o termo de Serinhaem. successo occorrido entre a nossa diviso naval que rios que formam com ellas a Confederago Germa-
Dtlo ao chele da repartigo das obras publicas, bloqueia o Paran e o navio italiauo que com um nica, e a sua rejeigo por parle da cora pria por
Inteirado de quanto Vmc. expoz em seus ofReios' falso pretexto buscou romper aquelle bloqueio, tanto a rainha em divergencia nao s cora os seus
de 22 e 25 de agosto ultimo, sob n. 271 e 273, te- [ opinando pela justiga que nos assiste, e a qual a ministros mas tambem com o paiz ioteiro.
nho a diaer era resposta, que pode mandar lavrar t curte de Florenga nao pode deixar de deferir; em ; O principe e a princeza de Galles, bem como os
o termo de recebimento da pintura de diversas | verdade a loglaterra teria procedido do modo por principes Alice e Luiz de Hesse. seguirn) para
qoe fizemos, sem permillir que a girla da diploma-' '
ca da Italia viesse estorvar o uso d'um direito de
belligerante qoe no caso alludido pertence eviden-
temente ao governo brasileiro : at boje o gabine-
pontes oa eslrada da Victoria, de que arrema-
tante Jos Feroandes da Silveira Daltro, descontn-
dole no respectivo certificado a importancia da
malta em que incorreo o mencionado arrematante
Abergildie na Escossia, onde permanecern algum
tempo.
Suas altezas reaes acabavara de regressar da
Allemaoha, oode tinbam acompannado a rainha
vas em conformidade com aquelle principio. Esta I ga, ealli empregam menos precaugoes para adqui
idea altamente humanitaria ha de encontrar toda- rir adeptos. Ohedecem a chefes eleitos, mas tem
via embaragos praticos, porque dillicilmente e
querer entrar em convenios acerca de um as-
sumpto do qual essas mesmas nagoes pretendem
baver prestado a mais seria attengo, sem que ca-
regam de urna presso externa qualquer para Ihe
dar o deseovolvimento que as leis da humanidade
e a poltica tanto recommendam. Duvidam, pois,
alguns jornaes que lord Russeli seja bem succedi-, selheiros de estado,
poucas reunioes geraes.
Mas nos Estados-Unidos a sociedade dos fenia-
nos, livre em toda a sua maneira de proceder,
fuocciona luz do dia. Nao rahece juramentos,
nem signaes mysleriosos para ser conhecido.
Alli obedeceodo a um chefe e a um cooselheiro
supremo, dirigida por um certo numero de con-
no
que poderia praticar o partido progressisla.
Esta polmica promette continuar, por em quan-
to de um lado se sustenta que o governo encontra
difculdades naquella medida ; do outro o partido
ministerial pretende que a promulgaran da nova le
eleitoral reclamada pelas opinies llberaes, i uma
prova de accordo que de pnocipio existe a respei-
to da dissolugo.
Em Lrida, e parece que n'outros pontos houve
pequeoas desordens, seu carcter grave, anda qoe
alguns jornaes dizem que se tornou necessan > o
emprego da forca para dissipar os turullos. Em
Lrida, o geral da povoago foi extranha completa-
mente ao tumulto.
No dia 7 de setembro foi recebido em au-
diencia particular pela rainha de llespanha, o mar-
quez de Tagliacarne, ministro da Italia.
No acto da apresenlago das suas credeaeiaes,
este dlplouata espressou-se nesles termos :
Senhora.Tenho a honia de depositar as roaos
de vossa magestade a carta em qoe el-rei, roen au-
gusto soberano, vos anouncia que, em virtude de
uma lei, approvada pelo parlamento nacional, e qne
j obteve a sua real sanrgo, tomara para si e para
os seus successores o titulo de rei de Italia.
Tenho ao mesmo tempo a honra de apresen-
tar a vossa magestade as cartas qoe roe arredilara
junto da vossa augusta pessoa, na qualidade > en-
viado extraordinario e ministro plenipotenciario.
< Por estas ultimas, vera vossa magestade quo
el-rel deseja vivamente estrenar e robustecer o*
mesmos lagos de verdadeira amisade qoe existir*
durante alguus secutes entre a familia de vosea
magestade e a sua.
< O mais vivo desejo de el-rei e do sen governo,
que se consolidem as melhores relages entre as
duas coras e as doas nagoes.
Julgo-me diloso. senhora, de ter de offereeer a
vossa magestade nesta occasio, a expressao dos
sinceros votos que el-rei e o seu governo bzem
pela ventura de vssa magestade, folicidade da sua
augusta familia, e prosperldade da nobre nagao hes-
panhola, a qual a Italia esto unida por tontas syra-
pathias e inieresses communs.
< O meu primeiro dever ser tratar de me tor-
nar digno da missao qne me esto c ranada; e a rai-
nha maior ventura seria alcangar no desempenho
do mea dever a preciosa benevolencia de vossa ma-
gestade.
A rainba Isabel responden n'ester termos:
-
>|


Diario de ycfnaaibnc sabbado 13 de Oulnbro de ift
-
t Seuhor ministro.-Ao receber a carta de el-
re vosso augusto soberano, participando-me que
em virlude ae urna lei vulada pelo parlamento, to-
mara para si e seus successores o titulo de re da
Italia, aquella em que vos arredila como seu en-
viado extraordinario e ministro plenipoleuciano
junto da mmha pessoa, tenho o prazer de vos m.i-
nifesw que tambem eu desejo estreitar os laeos ue
verdadeira amisade, que durante tantos secuios
existirn entre a sua e a minha familia.
Agradego sinceramente os votos, que ra ei-rei
pela mmha felcidade, da minha familia, e t
Gaviefn, de que demos j noticia aos uossos
Icitores.
As apreciages dos jornaes allemes, a respeilo
deste documento diplomtico, variam segundo as
opinies da imprensa.
Na Russia os jornaes liberaes recoramendam
prudencia, e urna grande reserva nos actos ulte-
riores do governo; mas estes conselhos de urna
parle importante da imprensa naquelle paiz, sao
pouco attendidos pelo partido feudal. Est longe
de ligar importancia as demonstrares diplomti-
cas das duas grandes potencias occidentaes, trata
- 5 a e peco-vos que em de mostrar que o chefe do ministerio dos negocios
meu neme hTan miuaes o'votos que pela mi- estrangeiros da Gra Brrtaoha atacou o amor pro-
S^prneiJoalSIteS A SO. felicd.de. de prio. e a d*oidade nacional da Alleraauha, >--
Praca de Londres 25.Os consolidados realisa-
ram^se 89 '/i- 0*3 Pr c n!o portugttrtes a 47.
Praga de Paris, 25.Os fundos de 3 por cento
cotaram-se a 68, 25, os da 4 '/j 7 a 96, 25.
Praga de Madrid, 25.Os fundos consolidados
sua familia'e pela prosperdade da nacao italiana.
Quant-i a vs, senhor ministro, acredito qe
sois diguo a alta missao que vos foi confiada pero
vosso soberano, el rei da Ita ia ; e para a
nhares devidamenle, como Aesej.es,
ja' c.'otar com a minha benevolencia, e
cooperario do meu governo.
A recepgo do ministro italiano destruio compit-
tamenie, cao de cerlo as esperanzas, mas es mane-
jos que o partido reaccionario empregeva, para
fazer acreditar ao publico que a demora 6a auaitn-
cia da rainha tinlia urna sigmticagao.
As palavras affectuosas e es seotimetUos que ae
um e cutro lado se manifestaran! a respeilo das na-
coes fcespanholas e italiana, provocan que o rece-
hecimento da Italia foi um acto muito refleetMo
do gabinete de Madrid, que n'este pesso allendeu a
opiwo que geralinentc professa partido liberal
naquelle paiz.
-- Alguns jornaes annuncam a chegada ao-
principes de Orleans e Berna, onde foram MI*
dos por um grande numero de pessoas importan-
tes.
O duque de Pari-> e o duque de Chartres,fizeram-
a nrm-piifr nanue!! Pirtade nr'.OS ailllROS leaeS que
era Lima, achandj-se as forgas retolucionarias do
sul reunidas no vale do Jauja. Segando as"uttt-
mas noticias, os insurgentes tinham emprehendido
um movimento, mas nao se poia ainda saber qnal
era a sua direceo.
Um navio de guerra da repblica, que se achata fkaram a 41,40 os difleridos a 38,30.
em Valparaso, foi unir-se a esquadra revoluciona- Era data da 29 enviam-nos nosso
na fundeada em Arica. O general Castilla liana
embarcado n'aquelle navio em Valparaso para so
collocar, como comimndaote em chefe, a frente do
movimento revolucionario. A siluagSo do governo
estabelecido em Lima tornava-se cada vez mals dif-
flcil.
O chefe dos revolucionarios, Montero, tinha-se
apoderado das ilbas Chinchas, como se dlzia, mas
nao se oppuoh. ao livre movimento commereul.
A esquadra dos insurgentes unha partido para Barcellona houve no da 26 s 14 casos.
Callao, e no ultimtum que fra apresentado ao
presidente Pezet, declarava-se que no da 17 de
fortes
se preceder naquella cidade pelos amigos ie.es q
esto em melhores relares com os principes re-
presentantes das ideas democrticas
Alguus centenares de pessoas foram esperar os
principes a estadio do raminho de ferre.
A escorsio dos principes francezes na Saissa tem
prendido as alteneoes e a Patrie, cojo carcter lio-
naparlisla n.Vi i. desconhecido, nao occulta que a
sua ida a Borne tomn repentinamente as propor-
edes de um aconlecimen'.o.
A sua chegada a Berae, o duquo de Chartres
proferio um discurso, qne n'alguns circuios c losi-
derain como minio significativo; o principe Wlou
da ceutralisago do goveruo e da opporliinidade d
operar um movuneulo que esteja com ella em re-
laco. .
Por proposta de urna eorporacio municipal
de urna das povoagoes da Blgica, mandou o go-
verno de Bruxellas fechar as escolas cailiolicas que
existiera debaixo da direegodcs t irmaos da dou-
trina corista e dos irmaos de Nossa Senil >ra.
Propagaran]se na Italia diversos boatos, e
um delles, a que se tem d~.do maior importancia,
refere se a execugo do convenio de 15 de seu-m-
bro, concluido entre a lta'ia e a Franca.
Segundo esle boato, o gabinete das lulhenas di-
n.-i i ao gabinete de Florenga um convite para ac-
tivar o pr.H-urar mesmo pOr termo ao negocio re-
lativ i a divide pontificia, alias a execugao daquelie
cufivenio serla addiada.
o) principaes jirnaes italianos reproduzram <
bo.iip, mostrando dar-lhe aigum crdito.
p ;- di leilura do eonvenioedas anteriores deca-
racdS do general Montebello, que Roma seria
abandonada pelas tropas imperiaes, apenas que ter-
minaste o prazo de doas nanos estipulado.
O exercito rancezdeve conservar s^ nos estados
romanos at ao da ftxado para sua evacnagao.
Cartas dfl Roma dio a entender que o padre santo
esta] convencido de que a exeeucio do convenio Ihe
n;i.i errara' a menor d.fii.uldade.
K asim que de Roma explicam os preparativos
,| te -.....;": i realisando para as solemnes canonlsa-
goei que so diz, ho de attrahir a cidade eterna em
1867 um grande numero de prelados de todos os
paues cataolicos.
Mr.deMirode, perdeu a eoDangado papa; diz-e
e qjw esta Ihe (Ora aceita por S. Santidade, e que
a ia saluda de Roma e partida prxima para a
Beluica, nao de ter um pretexto.
Mr. Heggio, deputado ao parlamento italiano le\e
ama lORga audiencia do s.immo pontfice. Alar-
mase que as ne.gociagoes emprehendidas por
Viagezzi, possivel que sejam brevemente con-
tinuadas por Boggio, daudolhe talvez outras
bazes.
o dficit do orcamento romano muito gra-
ve, i As^'gura-se que o proprio oapa confessara
ao eral de urna ordem religiosa, que o eslaio da
an
gando sobre lord Russell as censaras proprias o
partido qne advoga e sustenta os principios abso-
lutistas.
a mprensa prussiana contina a procurar
podis dede I por todos os meios attenuar os effeitos que noocci- agosto rompera o fogo contra os fortes e navios,
com a leal! dente da Europa proJnzio o assassinalo do subdito que ainda obedecern ao governo estabelecido em
francez Mr. Olt, a respeilo do qual se diz anda Lima, se este nao attendesse as exigencias da revo-
liaverem reclamado a Franca e a Inglaterra. E', lugao.
era Berlin que mais se escreve era defeza do conde Cansa que o presidente se propoe resistirle pa-
de Eulemburgo. ra esse lirn expedir ordens para os seus navios so
A linguagera dos advogados da impunidade do formarera em linha de batalh;., alm d'outros pre-
cito criminoso por este gosto : i Satisfagao 1 ca- parativos de defesa.
mam os olllciaes; de qua e porque ? ? Pode por-
ventura exigir-se que um membro eminente daso-
ciedade, que forma um estado,' comparega pe-
ranle os juina por causa de ara cozinheiro ? Seria
um mao exemplo, especialmente se se quer im-
pedir que os estrangeiros se envolvara ua adminis-
tragao da justiga da Prussia.
Seria um ataque a honrada nobreza ; iria ani-
mar-se o orguiho do bowaes, e daqui podenam re-
sultar pericos muito graves para a trauquilidade e gio sufflciente para dominar os partidos,
para a >eguranca do paiz. ; Na Havana estivam ver .cando os proprieU-
0 crime a que esta correspondencia se refere e ros ricos e os t-egociantes de mais importanc* d..
cuja impunidade tanta indigna-o tem producido Cuba repetidas reuntoes, com o lira de e
geralmeote e sobre ludo em Fraoga, leve lugar era a questao da aboligao da escravidao.
correspon-
dente de Lisboa, os seguintes telegramraas :
Vienna 25.A Correspondencia Geral des-
mente a noticia que se tem espalhado de que a
i'tussa est rosolvida a responder s ideas que se
attribuem a's potencias occidentaes, por isso que a
Franga e a Inglaterra nao nzeram observagao al-
guma offlcial a respeito do convenio de Gastein.
< A cholera continua em Marselha, mas com
menos intensidade; desapparecen de Valencia, e
a 89
Praga de Londres 25.Os consolidados
Vi- Os 3 p. c. portuguezes a 47.
t Praga de Paris 25. Os fundos de 3 por cen-
to colarara se a 68, 25. Os de 4 4 a 96, "25.
PERNAMRUCO.
A' ordem do de S. Jos, Benedicto, escravo do
Dr. Bernardo Pereira do Carmo, para correego.
O chefe da 2" secgao,
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Cemitkhio publico, obituario do DA 12 DE
OUTUBRO DE 1865.
Delphina Maria da Conceigao, Pernambuco, 40 an-
uos, casad, Santo Antonio, entente aguda.
Maria Ignacia da Conceigao, Porto Calvo, 24 annos,
solteira, Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Juvencio de Tal, frica, 50 annos, Santo Antonio
tubrculos pulmonares.
Maria, Pernambuco, 40 dias, S. Jos, espasmo.
Honoria, Pernambuco, 1 anuo, Recife, convul-
s5es.
Maria, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos, lossc con-
vulsa.
Carlota, Pernambuco, 14 mezes, Boa-Vista, moles-
tia interior.
Marganda, Pernambuco, 3 annos, S. Jos, ane
mia.
A revolugao domina toda a repblica, mas pare-!
ce que nao existe a melhor harmona eatre os In-,
glezes.
A' 14 de agosto devia terse celebrado urna reu-
oiao dos uiembros do corpo diplomatice para trata-
ren) sobre as eventualidades, que podem resultar
' da presenga da esquadra revoluciaria em Callao.
o estado em que se acha o Per, s o genera1".
Castilla, depois de inumphar a revolta, lera prest'.-
tBtiSTl DIARIA.
Temos sob a vista os jM&M Polticos ou a his-
toria dos principaes acontecimenios polticos da
provincia do Para', pelo Sr. r. omiugos Rayol.
Da leilura rpida
notamos ser urna publicagao que
Antilhas, e estimado por toda a popoiagao da Ame-
rica Hespanhola, 4e preferencia a todas a* mais
esseocias e agnas de rneiro, so a punco viesse a
ser finalmente inlroduzdo pela tez primeira b**i
paiz, depois de tao largos annos deexlsleocia I
atrinco e louvavel promptido qne as noss.s bellas
patricias mostraran) na adopgao da mesrna. prov
que as senhoras hespanholas, as qoaes a prelere
a propria eau de Cotogne, nao dio mais qne oee
jusio apreco a delicada pureza do ariigo.
(Como atn mel preventivo contra quaesqoer
mposigSes o frandes, lorna-se Beeessario o pedir-
se a agua genuina de Murray 4 Lanman, irndo
o cuidado de examinar e ver qoa ditos nomes se
achera inscriptos sob cada envoltorio, leureiro o
garrafa, pois a falta dos mesaos prova evidente
de sna falsidade).
Vende-se em casa de Caors & B. e J. C Bravo
&C.
i i _____ I
.j '.^.^.
GOMMWICiBOS.
Bonn.
Parece qne nVstas reunifies a maioria se pro-
Na Prassla tambera o assassinato produzio gran- nunciara
de sensagao.
Mr. Ou era um cozinheiro ao servigo de urna ca-
sa ngh-za, (a do principe Alfredo )
Espalhou-se profusamente urna memoria, firma-
da por crescido numero de assigna'.oras, em que
se pede ao governo francez que intervenha energi-
cameute para reclamar do governo do rei da Prus-
sigao no
j<-iland
ou menos
berdade completamente.
Calcula-se que actualmente o numero dos escra-
vos na Havana nao inferior a 378:000
Us proprietarios e ricos negociantes de Havan
sia a safisfacao devida Franga e a familia da vic- pronunciam-se pela liberdade dos pretos:, mas em
li,8_ presenga das diffiouldades em que se acham os
O certo que emquanto o imperador e a impera- E irizde Franca) sahirain a 11 de setembro para crueldade, especialmente no sul, que a aotoriaaoe
liiarnlz, parti Mr. Droovn de Lhevs, ministro dos nao pode reprimir, qoerem regular este negocio
ueg cos e,trangeiros para Baden.bude.se acha o de modo qu^ observando-se o principio de l.berda-
re da Pru-sia e o >eu presidente de cooselho, Mr. de gnral, se atienda ao mesmo lempo tanto aos tn- ^^
de Bismark, com quem deve conferenciar. teresses e segurauca da sua propriedade, como as mmt^ v -,
Os Svs. 4o'n Paes Barreto de
Lacerda e llanoel Ignacio de
.%lbu]iierqiic Maranno.
Consta que oSr. Manoel Ignacio de Albtiqnerque
s de^ToposSo,' Maranhao, dra o triste espectculo de aposentar-
se recommefld se na villa do Cabo, no da 6 d'este mez com a
pelo modo lucido de exposigao e aprec.ag.ao do> \ negra Germana, escra va^diseu nado Sr Joao
fados, e mais ainda por coll.gir e reunir em um i Paes Barrele Lacerda, se nhor <"?/.n?en"" "
ponto dados esparsos, que, sen. islo e de.xados ao pan (a qual sera motivo "JJ,r"'
lempo, viriam seno prdr-se, talvez corromper- do do poder de sen n^J>I^Mm do mez
se na tran^m.ssao dos acontec memos pela tradi- \ de setembro ultimo ) e NfMNTpertote onlgno
gao ; e d'ahi a impossibilidade de ser mantida a | Sr. Dr. delegado de polica do respectivo termo,
verdade histrica na altura que convm ao UM^|pJbMS l!^'*^^^
riographo.
Trabamos desta ordem sao sempre de valor ines-
onde a Ins-
ta reslrioge-
anto for col-
para a historia eral um ser-
vigo real ao paiz.
E por isto tem o trabaloo do Sr. Dr. Rayol um
valor duplicado, que o recommenda a leilura de
todos.
Deve esta obra constar de tres parles,
ja impressa a primeira, que a de que traamos, e
comprehende os snecessos occorridos desde a con-
vocago das cortes geraes em Portugal al a pro-
clamagao da nossa independencia ; e d'ah.i at os
luluosos dias de 1835, sera' materia para as duas
ue sero publicadas successiva-
C0.MME1C10.
Caiva filial do bufido do Brasil tu
i'ernamtioco.
A caixa desconta as letras de sen aceite pela
aitxa de 60|0 ao anno.
Ognarda-livros
Ignacio Nones Correia.
\ovo banco de Peraana-
biico.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis Unta
Novo Banco de Peraamboet
0 Novo Bar'o paga o dcimo quinto di-
da sobre os rigorosos castigos qup, dizia elle, 1er' Je\ndo na razo dc85 por aego.
ella recebido de seu senhor. Con>ia mais que o ____
Sr. Dr. delegado, se bem que parecesse indiguado j ALPAH0E6A.
por tao revoltante procedimento, mandara com tu- nndimenio do dia I a 12...... 2i6:09'l*l'<0
dem do dia 13............... 1.t:73'l5S
necessidades da su>teotagao dos negros
As noticias do Mxico sao favoraveis a con-
sohdagSo do imperio. As tropas do imperio tem
alcangado differeates vantageis sobre as forgas dis-
persas dos juartutas. Mas nao passa desabercebi-
do que repelidas veres tem os principaes chefes si-
do batidos, apparecendo logo depots seguidos de
novos e numerosos bandos, que. ou oceupam as
mesmas posigSes, ou devastan) as povoagoes por
oode passam.
Dao-se estes fados com o celebre Nvgrett e Cor-
tinas.
O mesmo acontece com o chefe Regules, que,
tendo ha pouco derrotado a leg.ao belga, e ten.o ~ "PV"" f
logo depoi, sido posto em debandada pelas tropas ^fSgJ?8 Zfa\l
imperi.es, reappareceaoccapando DmpM,> o PJ ^atoa, l jo
sualfaz'.'nda reclamava medidas (iromptas e eflca-
zes,| urna vez que se queira evitar a crise emi-
uen
O Sr. Boggio representava na ultima cmara as
ideis do partido clerical, conjuntamente com o G
t.anlu. Ilizse que a sua misso tem reUgoes com
a aliiiiide que o partido clerical quer lomar as
prximas elcigoes.
Na Italia, as eleicoes preoecupara lodos os
nimos. A poltica que tem por baze Roma capital
da Itfilia, e o projecto que se refere a venda dos
beos ecclesiaslicos, por assim dizer, aquelle que
maislpredomina, com especialidade entre os lio-
mens que participara das ideas do partido da
atgicl
O resultado das prximas eleigoes, ainda que
nao -eja favorave! ao gabinete actual, ha de ser
confome aos principios liberaes, que predominatn
na Italia, e que presidiram a sua emancipaco.
A imprensa na sua maior parte recommenda aos
el-iiones os chefes do partido liberal Mingheiti,
Ratas, Limarmora e outros.
As jfolhas chamada-: religiosas tambem apresen-
tatn o4 seus candidatos, aconselhando ao partido
clericall a necehstdade de disputar vivamente o
cam.io aos liberaes.
Ii' prximamente esperado em Fl renga o Sr. D.
I.niz I re de Portugal e sua esposa a rainha Maria um conseibo seme
Pa depaboya filha do rei Vctor Emmanuel.
Acompanham t MM. o duque de Saldanha e
viscom e de Tavire.
a orreu o general trance?. Lamoricine, que
em Cas elfldardo commandava as tropas pontifi-
cias. 1 lascara a de fevereiro de 1706.
Ciutinutvam a manifestar-se incendios n'al-
guns pintos do imperio da Russia, enchendo de
terror i s p ivos de umitas localidades.
Na aliizia repetiam-se com mais violen-
cia I isde o dia l a 14 de agosto onze cidades
e vilta: do dslnclo de Czviskow foram destrui-
das pelas chmalas, causando perdas considera-
veis. S upprf se que os incendiarios pertencem a
urna quiidnlha de bandidos. Urna das cartas ijize
deuunciam a origem deeses alieulados foi affixad i
n'uma e|squina. Fui reproduzida pela imprensa e
dizia :
Po lodo este mez ficarao reduzidas a cinzas
c as lo alidadas, de Myrmkow, My . chow Worivohine, e Thist. Tudo ha de ficar
t destruido al ao territorio de Billi. E' Joo
queiri o escreve, e quando elle o escreve, cos-
c turna pJ lo em pratiea.
Alguinas carias tem appareoido assignadas pela
rinnmiSsao secreta-
Algiins districtos tem pedido proteceo ao go-
verno itontra os malfeilores.
A imprensa russa attribue to grandes calami-
dades a vinganga dos Polacos. Acrescenta que
existem Ruerrilha de inc-ndiarios assalariados. Os
povos I tem medo de prestar apoio as autoridades
contra os criminosos.
As correspondencias de Dresde vem desmen-
tida a noticia da entrevista entra os res da Prassla
c Saxnnia.
Pareco porm que existe urna caria recente do
rei de Saxonia ao rei da Prussia, na qual manifes-
ta a esperanga em que est do prximo restabel"-
cimrito das boas relagOes entre as cortes de Dres-
de e de Iterlin.
Este boato espalhado na Allemanha, deixa ver
qual o apoio que os estados secundarios podem
prestar no estado actual do Schleswig Holstein.
Suppoe-se desde ja que a Saxonia sera seguida
pela Baviera e assim successivamente por todas
as pequeas potencian que compoem a fede-
rago.
Jdsta alternativa, os ducados s podem eoniiar
as duas grandes potencias occidentaes. Mas
ainda que a linguagem do Moming Postd diz que
a InTlaierra nao foiervir na questao dos ducados,
e qujea Franga se lucia com obstculos Internos e
externos nao podera distrahir na actualidade as
suas attengo s, as circulares dos dous gabinetes
de Pati- e Londres acerca do convenio de Gastein,
deixam prever novas cumplicagoes na Allenia-
nhai Em quanlo os povos dos ducados clamarn
pula voz dos seus representantes junto da dieta
germnica, a Franga e a InglatTra mostram a sua
aprovago aos seus agentes diplomticos, em rola-
cao aos ajustes ssnccionados em Sattzburgo.
A agitagao augmenta notavelmente nos ducados
e mais particularmente em Hil. Alguns deputa-
dos convocaran) por escripto os representantes dos
estados do Holslein para urna reunio no dia 6 de
setembro. O desconleutamento do paii raanifes-
luu-se naquella assembla.
Os jornaes alleme3 reprodazem todos a
circular do conde Russell, sobre a convengao de
Seja qual for a ttitude da Franca, diz-se que
nao c este o a^sumplo que mais deve preoecupar
os gabinetes da Europa occidental, mas sim os ar-
mamentos do porto de Kiel e o estabelecirnento de-
finitivo nos ducados das autoridades que all de-
vem tomar a direegao dos negocios civis o milita-
res, em virtude do ultimo convenio, cuja disposi-
ges parece nao lerem agradado a Franga, nem a
Inglaterra.
Segundo dizem os jornaes correm os boatos
em Vienna de que o commandante era chefe no
reino veueziano, o general Beuedeck, se retira do
[nfere-se servigo activo.
E' faci que o general Benedek n'uma ordem
dirigida ltimamente ao exercito do seu comman-
do, declara que enlrega o commando superior ao
seu logar-tenente, o leld-mareclul Schrnerling. de Michiacan, e cora fo Diz-se que Beoedeck se oppoe a reduegao do obrigou a retirar urna divisan imperial.
exercllo austraco, que o governo de Vienna quer
levar a effeiio, asseguraodose que esta a causa
por que resigna o seu posto.
O general Beoedeck, um offieial muito consi-
derado pelos seus couliecimenlos militares. Se o
governo austraco, apesar de sua opinio em con
trario, persiste em reduzir o exercito, demonstra-
se evidentemente, que a stuago fiuanceira do im-
perio o obriga a esta medida, que alguns jornaes
apuntara j como muito favoravel ao reino itaian .
Diz-se que o ministerio austraco pretenda
conlrahir um emprestimo de duzenlos inillioes de'
fijiius iudependeute de previa aotorisagao da ca-
mar. i
Parece que alguns dos membros do gabinete
pensaram em fazer subscrever para este. in;irest-
radk a aristocracia hngara, que depois da viagera
do imperador Francisco Jos se moslra favoravel
ao goveruu.
Mas os magnatas protestando a sua maior dedl-
cagao, declararan! francamente que nao estavam
habilitados a fornecer aos cofres do imperio urna
lo consideravel somina, especialmente nio sendo
a sua apphcaco destinada a Hungra.
Ne-tas circunstancias diOlcil cobrir o empres-
timo.
Em Slullgard celebrou se ltimamente um
congresso das associages operaras allemaes.
O rei da Suena eslava a partir de Stochkol-
mo para a Cliristiania onde S. M. lencionava assis
tir a a
guez.)
Na Sucia a reforma constitucional, que era a
ordem do da, encontrava entre as clisses privile-
giadas urna euergi'-a resistencia.
O re e o seu primeiro ministro, autores do pro-
jeclo da nova constituigao apreseulado a dieta fo-
ram atacados n'uma circular da associago lode-
peodeote da Nobreza, segundo afflrmou o Post de teuazes partidarios.
Gothembourg.
Nessa circular era convidada a nobreza sueca a
defender os seus privilegios, que se julgam amea-
gados por aquella medida.
Qualquer reforma no sentido liberal, encontra
naquelle paiz urna opposigao enrgica.
O parlamenlo dinamaniuez ifolkeling) ocrupa-se
da reforma da coustiluigo. Muitos oradores pedi-
ram ao presidente do gabinete dinaraarquez que stuago bnanceira da repblica, ouiro
aconseliiasse o rei a abdicar a favor de Carlos XV urna grande significagao na America, parece altas-
da Suecia. O presidente declarou na cmara que tar um pouco as ideas, quauto a sorle que aguarda
ante seria um acto de alta irai- o auligo presidente da confederagao. Sao as elei-
go. A discos*) no parlamento e estes boatos, goes
do incontiaente proceder a visloria requerida; mas
que, tendo-se verificado que nenhum vestigio, por ,
mais leve que fosse, apresenlava a escrava de terj
sido castigada, Picara tao envergonhado da miseria
que acabava de presenciar, que despedir logo, e '
I com raao humor, ao Sr. Manoel Ignacio e seu ad-
estando ,'vogado; mandando recolher a'cadeia a escrava
para ser entregue a seu senhor, quando por este
fo Sao estes e outms aloda mais honestos os meios
de que se serve o Sr. Manoel Ignacio para langar
fra do engenho Mupan a seu cunhado o Sr. Joo
Paes, que foi all collocado por seu pai ha mais de
20 annos.
A' vista pois, de um tal procedimento doSr. Ma-
nuel Ignacio, o do que foi publicado em o n. 221
d'este Diario, a re-peito das dectarages feitas em
juizo pelos negros, Pedro e Maria, escravos do Sr.
Joo Paes, de lerem estado ambos occultos na san-
zalla e em um mucambo do enpeuho Arassnagi,
residencia do mesmo Sr. Manoel Ignacio, continua-
ran! ainda os seus apreciadores a dar inteiro cr-
dito a's suas intermiuaveis historietas ?
2f.|-.823ftlM
MOVIMENTO DA ALFADE'A.
Volumes entrados com fazendas..
t c com gneros..
v"olumes sabidos cem (azoadas..
en gneros..
143
344
37
73t>
6&:
-------- 791
As cartas de Puebla referiam-se ao revez que
solTreu um pequeo destacamento de laoceiros
austracos e urna compantiia de infamara mexi-
cana. Estas forgas foram cercadas por um corpo
consideravel de juaristas; os imperialistas foram
muito maltratados, mesmo depois de se renderem.
As circumstancias de que se apresenta revestido
esle aconteciinento, irritou vivamente os nimos
era Vera-Cruz, e nos principaes centros onde pre-
domina a d* da sustentago do imperto.
As noticias dos Estados Unidos apre-entam-se
debaixo de diversos aspectos
Era quanto o novo presidente e o seu governo
trabalham no senlido da reorganisigo. os princi-
paes separatistas manlem-se n'uma boa parle da
repblica.
As violencias, que n'alguns pontos da America
se tem praticado a respeito dos prisioneros, ali-
mentara os odios existentes, dificultando a obra da
Unio.
Oomegou a verificarse a eraigragao de homens
muilo importantes, que dirigiram as operages do
sul.
Segundo urna ordem do gabinete de Washington,
os separatistas, contra quem nao exislr nenliuma|
aecusago especial, podem deixar o paiz, solicitan-
do passaporie com a condigo de nao voltarem ao
paiz sera autorisagao do governo federal.
A par destas medida?, que excluem alguns cid- (
direitos que. pertencem a 13-
Assim, portanto, v-se que ella comDrphende o
periodo mais importante da historia poltica pa-
raeuse, cuja leilura nao pode deixar de inleressar ;
pois habilita a estudar-se caracteres que poderiam
ser desvirtuados com a acgo do lempo, se a esle
se deixasse a sua memoria.
E, pois, chamando a aliengao publica para urna
obra to importaute; recommenuando sua leilura
e possessao, devenios acrescenlar que a assignatu-
ra loraa-se na livraria do Sr. Nigueira, ruado
Crespo n. 1, a 23000 por voluine ntidamente ira- Tendo-me sido feitas, em urna correspondencia
presso. anonyma, publicada no miio de Pernambuco d
O vapor francez Navarre, trouxe da Europa 17 rtl, fevereiro deste anno, urnas prfidas e inju
para o nosso porto, 17 | rj0sa, alluses, protestei pelo mesmo Diario de 20
Rio de Janeiro, 27 j ,)e fevereiro chamar aos Iribunaes o meu delrac-
para Montevideo, e 93 para Buenos-Ayres. Entre tor e jar conia ao publico da deciso dos mesmos
os do Rio acha-se o naturalista francez Jean (Jeor-;
ges Z-imer, e os de Buenos-Ayres o cnsul do Chi-1
le Demetrio Laslania.
- Procedente de i'hladelphia por S. Thomaz,
com 28 dias do primeiro, chegou hontem o vapor
mercante americano Britannia, de 369 tonel-
ladas.
Foi construido no anno do 1862 em Glascow na
Escocia, tem 179 ps de comprimeuto sobre 23 de
largo, ecala 11 ps d'agua.
Tem duas machinas de vapor, cada urna das
qnaes da forga de 330 cavallos. Dela 10 a 12 mi-
llias por ora e tem accommodagoes para 13 passa-
geiros.
Va ser vendido no Rio de Janeiro.
Nada adiantou as noticias trazidas pelo Na-
varre.
No communicado sob a assgnatura do Cor-
iribunaes.
Venho hojo cumprir essa promessa, declarando
que o homem cobarde, que entend-u dever detra
bir de minha honra sob a capa do anonyrao pe-
rante o publico, guardou o mesmo rigoroso incg-
nito em presenga da responsabilidade legal, que
evitou, fazendo-se representar por aquillo que com-
mumente se chama um testa de ferro.
O responsavel legal da alludida correspondencia
eraManoel Paulino Ramos, queja' hayia sido
anteriormente condemnado por crime de injurias
impressas, homem que nunca vi nem conheci, e
qu- nao tinha boas e nem ms razos para detra-
lur de mim. Certo, pois, de que nao era elle o rai-
zeravel autor da correspondencia, entend comludo
que o nao devia poupar; porque a moralidade pu-
blica exige que a diTamaco pela mprensa nao
j encontr tao doceis instrumentos.
Chame-o aos iribunaes, para responder pelo cn-
me, cuja autora lnha tomado a si, e ahi foi con
Descarregam hoje li do corrate.
Barca inglezaSeraphina mercaderas.
Barca ingleza Impetador farioha e trigo e
mais gneros.
Brigue liesuannol 7onnacharque.
Patacho porluguez Furtoidera.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Hendimento do dia 1 a 12...... 11:101 JW4
dem do dia 13................ wtUW
12-664*364
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1
dem do dia 13....
a 12.
t-2:64W
3:629*948
26:279*113
....... _..'
dalo, publicado era nosso numero de hontem, deu-
se nma falla que hoje a ractificamos :
Na segunda pagina, primeira columna, s linhas demnado a seis mezes de prisao e mulla corres-
5, onde se le na liberdade pratica se dever p00dente melade do lempo, como se ver das
entender na liberdade theorica. duas sentengas infra transcripta-.
Segu hoje no vapor inglez, coto destino a g, nao consegu apanliar o meu insidioso detrae-
Lisboa, o disllnclo actor porluguez Smoes, que lor) pUnja-o ao men>is o remorso de ter concorrido
volve ao seio de sua familia, depois de urna diva- para a condemnago d'aquelle, a quem constiluio
gago ariistica por alguraas provincias deste im- re>ponsavel de sua torpissima diffamago.
M0IMEHY0 g ?0IT0
Nanos entrados no dia 13.
Bordean e porios intermedios -17 dias, vapor fran-
cez Navarre, de 1271 toneladas, commandante
Louis Massenet, equipagem 115, carga fazendas
e outros gneros.
Philadelphia por S. Thomaz-28 das, vapor ame-
ricano Ilritannia, de 370 toneladas, capito Gal-
lager, equipagem 36 era lastro; a Matbeus Au<-
tin C.
Navios sahidos no mesmo da.
Rio de Jaoeiro e Baha Vapor francez Sararre,
commandante Louis Massenet*
MaceiBarca franceza Spliere, capito Rbes, car-
ga algodo e couros.
Rio da Prata pelo Rio de Janeiro Barca bra.-ilei-
ra Valle, capito Francisco Jos de iouza, carga
assucar.
EDIT1ES.
perio ; as quaes por seu merecimeolo pessoal e
tlenlo artstico soube conquistar estima, e sempre
mereceu applausos.
Entre nos, com effelto, jamis declinou elle des-
ta senda honrosa, fazendo do proprio respeito a
condigo para ser considerado, como o foi em sua
pequea demora nesta cidade, onde deixa recorda-
goes bem gratas.
Como homem particular assiiu se hoave, e como
daos ameriranos dos
bei'iura do~Soiti~ng, ("parlamento norue- dos os membros da grande repblica, venios os jor-
naes do norte publicar longas narragoes dos actos
violentos praticados pelos confederados, para justi-
ficar as represalias, que ainda hoje se pralicam
jufgado por um tribunal militar, e nao por um tr-! prouucio a acqu.s.gao
O digno
gos, associou-se mais urna vez de modo bem -lo-
fado de temunho de urna alma qne comprehende e sabe
pralicar aegoes nobres sem
parles da repblica.
,di- reorganisagao da BmV\ m%LuuGE*T i reeonhecimen,
a campania
naa.m urna certa agiiagao na Dinamarca, ao pas- Em lodo o paiz se preparam para
so que alimeutam as osperangas do partido escan- que deve ter lugar no outomno.
aiaavio A lucia eleiloral promette ser muito enrgica. O
O jornaes de Copenhague combatem qualquer presidente Johnson em foce de acgo de lodos os
_"j 11/1 uiiviJ uv v novo ajuste ()ue tenha por lira a troca de urna par- partidos, nao recua na poltica que 1
te do territorio que hoje perteuce a mouarclua di- qual nao dexa de se encamiahar par
inaugurou, a
a a conci-
namarqaeza, por urna porgo do Schleswig, princi
palmeute quando os povos daquelle ducado se pro-
nunciare! por ama anuexago a Dinamarca.
Apesar de todos os accordos, a Allemanha
existe na mesrna efervescencia, devida as exigen-
cias polticas da Prussia, e nestas circumsiancias,
nao seria extraordinario annunciar-se um novo
conflicto.
Recife,
SBHTBNQa
liagao.
Assegura que apenas se rena o congresso ame-
ricano, o partido democrtico pora o reconhecmen-
lo do imperio do Mxico. Parece que esle tam-
bem um assumpto de que muito se oceupam os cir-
cuios polticos nos Estados Unidos.
- Os jornaes da Earopa publicam una carta
escripia pelo aoiaal presidente dos Estados Uuidos;
No- ducados a populago nao parece aceitar com da America, a um amigo de tlerln, considerando
resignago o rgimen que se Ihe impoe.neni a ma- este documento como um programla poltico do .
neira por que se Ihe quer d.spr da sua sorle, sem chefe daquella grande repblica,
ser cousultada. Desla carta extrahimos os segumles paragraphos,
Apesar da opposigao que houve da parte da au- mais importantes :
tondade, sempre se rennirain alguraas dezenas de Eslou completamente resolvido a empregar 10-
membros dos auligos eslados, resolvendo renovar dos os esforgos imaginarios, para que a miabaM-
peante a dieta federal os anteriores protestos dos mnistrago seja verdaderamente nacional, e nao o
representantes legaes do paiz, contra a partillia dos instrumento de nenhum partido.
ducados. Nao sero naturalmente agora mais fe-
lizes.
As ultimas noticias do Oriente fallara muito
dos inovimentos que se operara sobre as fronleiras
do Monte-Negro. Os turcos tratara activamente da
constiucgo de novo bockhans, preteudendo ter
estes trabalhos conclu dos antes da prxima pri-
mavera.
Oempenhoque o governo de Constantinopla mos-
lra nestas obras, no armamento das fortalezas e na
accuraulagao de manlimentos de toda a espec receiar ura novo conflicto.
A imprensa da Europa, oceupa-se por emquanto
pouce desle assumpto, sem Ihe negar comtudo a
importancia, por isso que n'um caso de ataque da
Se alguem abusasse do poder ou da influencia
do estado em proveito das aspiragoesde algum par-
tido determinado, seria to criminoso, como se at-
tentasso contra a existencia da nago.
t O nosso paiz sahio da lula, que susteotou por
espago de quatro annos para defender a sua exis-
tencia, mais forte e raais unificado, e com taes ele-
mentos de progresso, como nao ha exemplo na his-
toria.
t Alegrme muito que ura observador to coqs-
ciencioso como vos, me diga que toda a Earopa
comprehende, que o nosso tjoverno e o governo do
pouo, que [anda toda a sua (orea no poro e que s
vive para elle.
t Alm disso tenho f era que a nossa prosperl-
parle da Turqua, o Monte-Negro nao podena en- d uanjonal na dt contribuir para o triumpbo
dos principios populares nos outros paizes.
coutrar o apoio da Servia erabora neste paiz se
pronunciem as opiuiJes por urna junego cora o
Monte-Negro.
Parece que sao estes mesmos projectos que attra-
era a attengo da Turqua, provocando as ra-didas
de que tratamos. Os partidarios da junego tanto
A imprensa registra esla carta, como um docu-
mento que eleva Mr. Johnson altura de um im-
portante homem de estado.
as circumstancia difflceis em que se acha alu-
no Moute Negro como na serva, tem-se oceupado da a America, a publicidad) dada a esta carta par-
de negociacoes nesle sentido sem attender aos di- licular nao indfferenle.
reitos de suzerania que a Porta conserva n'aqueltes O governo de Washington, prosegue Das med
pajZes das de reorganisagao, e nao obstaute os embaragos
Porta Ollomana acaba de publicar um re- que encontra, em consequencia da aboligo da es-
eulamenlo cpie tem de evitar os abusos que at cravido, um grande numero de homens de cor
agora se lera succedido na Turqua, quanto as con- ja fez reverter em proveito proprio os importantes
Yes-oes de autorsato- para emprezas industriaes. interesses que colhera do trabalbo livr?.
Em geral estas concesses eram alcaogadas por Em Portugal abrio-se a 18 de setembro m
pesoas que nao eram capazes de saUsfazer aos toda a solemnidade a exposigao internacional do
seus compromisos. Porto. Assislirar1 el-rei, a rainha, o principe-real
Na Turqua Umbera os emprezarios expioravara D. Carlos, el-rei D. temando e o infante1 O. Augus-
a admlnistragio publica. | to. Regressuram no dia Si a Lisboa. Devem par-
O governo ottomano quer de futuro que as suas, tir para a Franga, Inglaterra e Italia no da 2 de
einorezas possam progredir, sem que os especula- outubro no vapor de guerra Mindello. Serao acem-
dores procurem tirar partido da inexperiencia. panhados pelo marechal Saldanha e visconde de
Prosegua a revologo no Per. N'aquella Tavira. .
repblica linha havido ltimamente mudanga mi-; No da 27 venficon se o baptisado
nisienal licaudo o gabinete composto deste rao- filho do re D. Luiz, S. A. o raanle
do presidente do cooselho de ministros e raiois- quadras italiaoas, franceza e ingleza achavam-se
iro'dos negocios estraogeiros-Calderm; da fa- no Tejo paraassistirem aos festejos do bapnsado.
zeeda Loyaza ;-da guerra, o coronel Cuba;-do Fallava-se n'um emprestimo de 33.000 contos
reino.'iomes Snchez; da justiga, Zarata. que o governo trata de negociar.
O exercito da repblica eslava todo concentrado 0 estado sanitario, satisfactorio.
olhar a inleresse pro-
prio, que ento reputa de ordem secundaria.
No dia 16 reune-se o Instituto dos Advogados,
no lugar e hora do costume.
O Sr. Joo Landeltno Dornellas Cmara foi
considerado na classe de opposilor das cadeiras do
Curso Commercial Pernambucano, por acto do go-
verno datado de 12 do corrente.
Dos jornaes da Europa colhemos as seguintes
noticiaes coinmerciaes :
Hamburgo, 21 de setembro.
O algodo subi 1/2 b por 'i, flcando colado o de
Pernambuco de 17 a 17 1/2 b. por e o de Macei
e Ceara' de 16 1/2 a 17 1/2 b.
O assucar tambera subi 1/4 b. sendo o prego do
branco de Pernambuco de 18 a 20 i/2 b. e o mas
cavado de 16 a 17 b.
Os couros salgados seceos de Pernambuco reg
lam de 3 1/2 a 6 b. e os do aiaranho de 3 a
5 1/2 b.
Havre, 20 de setembro.
O algodo, assucar e cooros tiveram animadas
transaeges na ultima quiozena -, ficando colados :
o algodo de frs. 190 a 227 50, e os couros salga-
dos verdes de Pernambuco de frs. 43 a 47.
Lisboa, 28 de setembro.
O algodo de Pernambuco, Ceara', Maranhao e
Para' vende-se de 340 a 360 rs. por <8.
O assucar brauco de Pernambuco de 1&800 a
2300 por arroba e o mascavado de 1#400 a 1#330
por arroba.
Os couros salgados do Para', Maranhao e Per-
nambuco regularam de 100 a 120 rs. por Devia parlir no dia 29 do passado, para o
nosso porto, do de Lisboa, o vapor inglez Gladiator.
>aluram para Pernambuco, do Porto, a 17, o
brigue Esperanca; e de Lisboa, a 27, o brigue
Lata II e a 28 a barca Mananna.
Ficavam carga em ambos os portos :
Para Pernambuco, as barcas Armtnda e S, Joao,
os brigues Bella Figueirense, Relmpago e Sobe-
rano :
Para o Para', as barcas Flor do Vez e Adelaide,
brigues Tamega e Feliz Ventura ;
Har o Maranhao, a galera Maria ; e
Para o Ceara', o patacho Estrella.
Distribue-se noje a 3* forma da Bibliolheca
Dilteraria.
Passageiros do vapor francez Navarre, entra-
do de Bordeaux e portos intermedios :
Mine. Arnoud Eudocic, Joo Chnstian e 1 filho,
De Cohn Alberto J. Baptiste, Joaquim Mexima da
Rocha Pinto, Jos Tavares Ado, Joo Simes Pi-
menla, J. C. da Gama, Abreu, sua senhora e 1 fi-
lho, Silva Santos.
Passageiros do vapor francez Navarre, salu-
do pora o Rio de Janeiro e Baha :
Rufino Antonio de Melle, S. Schlegen, Marx Le-
vv, Evan Levy, J. da Silva Santos, Quiteria da Si
de outubro de 1865.
Jos Joaquim de Lima Batro.
DO II.I.M. SU. DR. 101Z MCMCIPAI. DA Ia
Vara.
c Vistos estes autos etc. Attendendo qne o reo
(Manoel Paulino Ramos) confes sido elle o autor da correspondencia sobre a epi-
graphe-Ao mrito -e assignada-O admirador,
inserta no Diario de Pernambuco de 17 de feverei-
ro de 1863 -,attendendo que u'essa corresponden-
cia, as expressoes tarjadas na queixa iDjorloao
ro ao queixoso o coudeiuno a seis mezes de pri-
sao e mulla correspondente a melade do lempo,
grao mximo do ait. 237 3- combinado com o
arl. 236 4o do Cod. Penal, visto dar-se a circuns-
tancia ag'gravante do 3o do ait. id (reincidencia).
provada pelo documento a fl 10 e II, e as castas.
a Recife, 24 de agosto de 1865. lermoyenes S-
crates Tavares de VusconceUos.
SENTENgA P1I0FER1DA PELO ILLSt. SR. DR. IGIZ DE D-
ItEITO DA Ia VARA.
t Confirmo a sentenga de fl. 23 por seus funda
menlos. Nao se podendo deixar de reconhecer o
mesmo appellante, em vista, nao s de sua cons-
so constante a fl 18, roas tambera pea ahrifrago
do segundo
D. Affonso. iSs-
10 Dr. Trislio de Alencar Araripe. offieial da
imperial ordem da Rosa, e juiz d* direi-
to especial do commerco nesta cidade do
Recife de Pernambuco por S. M. I, ele
Fago saber pelo presente, que no dia 6
do mez de novembro do correnle anno se
ha de arremat r por venda a qoem mais der,
em praca publica depois da audi ncia res-
pectiva, a casa terrea n. 18, sita na rita do
Jamio, na freguezia da Boa-Vista, cora por-
ta ejanella na frente, duas pequeas salas,
.lous quartos, quintal murado e cacimba
meeira, a qual vai a praca por execugao de
Albino da Silva Leal, contra a vinva e her-
deiros de Francisco Jos Gomes de Santa
Rosa.
E na falla de licitantes, a arremataco se-
r feila pelo prego da adjudicaco, com o
abalimento respeclivo da lei.
E para que ebegoe ao conliecimento de
1 todos mandei fazer o presente editl. que
resultante do documento a II 49, como o responda- .
vel legal, nos termos do i 8 do art. 7- do CoJ.psora allixado nos lugares do costume epu-
Crra., pelo arligo em quesio, nem sendo verdadei- ] blrcado pela imprensa
ras, em relagao aos autos, as nullidades de que co-
gita em suas razes o appellante, como se mostra
pelas razes do appellado, neg provimento a pre-
sente appellaco e pague o appellante as cusas.
Publicada em mi do escrivo.
Recife. 22 de setembro de 1865.-Joao Antonia
de Araujo Freitas Henriques.
Dado e passado nesta do Recife de Per-
nambuco, aos i' de outubro de I8G0.
Eu, Manoel de Camino Paes de Andrade,
escrivo o subscrevi.
Trisito de Alencar Araript;.
in i _____ *j
MCLAEiSOES.
Monte Pi Fortuguez era Per-
nambuco.
A directora provisoria tendo de proceder imme-
dtatamenle a realisago das quanlias assignadas
pelos cidadaos portuguezes que se teem inscripto
como socios, e entendendo que nao ser baldado o
appello que, para mais facilitar esle servigo, nova-
mente faz aos humanitarios e patriticos sentimen-
tos dos illustres cavalheiros que lo briosamente
a coadjuvarara na acqoisigo de socios, tornando
se assim credores dos mais bem merecidos enco-
mios ; ousa solicitar dos mesmos senhores o obse-
quio de se iucumbirem de receber as quanlias as-
signadas as listas que devolwram, para o que
Ihes serao entregues as mesmas listas e os recibos
competentes firmados pelo Sr. Jos Alves Lima,
thesoureiro interino da associago, na ausencia do
Sr. Bernardino Gomes de Carvalho.
Roga a directora provisoria aos dignos cava-
lheiros, a quem-fionlia esta honrosa missao, o mais
escrupuloso cuidado na occasmo da cobranga, afira
deque os recibos s sejam entregues a pessoas radtS) ,,ue no praso de 1.3 dias. roaiaeVs da M,
que, conforme dispoem os estatuios, por sua prolis-, desl devem |r rera.|6S respectivo eoMtf
sao ou emprego estejam no caso de ser socios, isto #ob de |indo d|l0 praso alim de se evitarem dWMftS que para o futuro pos-1 formidade C0I as 0rdens do Exm. Sr. presidente
sam suscitarse sobre este poni. | da provincia, remolidos para o arrenal de guerra.
A direcuria provisoria, em nome da associago Manoei Argemiro do Xascimenio.
SaBla Gasa da liserietnlia
do Recife
De conformidade cora as ordens da llloi' juou
administrativa da Sania Casa de MiserkordM o
Recife fago publico a todos os devedores de foro
de terrenos e sitios perlencentes ao palrimoaio da
exmela misericordia de Oiinda, que dentro do
praso de 3 dias, catados da data desle, devea
dirigirse ao respectivo obrador Luu do Rey>
Uarros, regente do hospicio de alienados em Ota-
da, e a elle pagarem os seus dabuos, sob pena de
seren demandados.
Secretaria da Saula Ca* da Misericordia do Re-
cife 13 de outubro de 1805.
O escrirao,
F. A. Cavalcan Ccusseiro.
do
Santa (lasa de Misericordia
Recife.
De crdera da Illra' junta administraitva da Saala
Casa-de Misericordia do Recife scienuftco ao pa-
n-ales ou interessados dos orpbos, akatso u-cia-
que tem a honra de representar, cordialmente agra-
dece a todos os seus dislinctos consocios que to
cavalheiro.-amente se teem prestado a auxilia-la no
intuif' de fazer germinar e desenvolver o Monte
Pi Portugus em Pernambuco, anticipando Ihes ao
mesmo tempo a expresso do seu sincero reconhe-
cimento pelo novo servigo que solicita a bem da
instituigao ; e roga outro sim quelles senhores
que ainda nao devolveram as listas, o favor de o
fazerem cora as assignaturas que houverem obtido,
ou em falta destas, com as suas proprias simples-
mente.
Secretara do Monte Pi Porluguez em Peruam-
va, Augusto Rocorcon. sua inulher e sua cunhada, buco 10 de outubro de 1865.
Joaquina Isabel Augusta do Carmo, sua mi e 1
crianga, Manoei Alves de Aguiar, Guiseppo Paga-
netti Giovanni Rossi e Antonio Luiz Fernandes
uitnares.
Passageiro da barca f-aoeeza Spliere, saluda
para Macei: Joo Barroso de Carvalho.
REPAIlTIgAO DA POLICA.
Extracto da parte do dia 13 do corrente
Foram recolhidos a casa de detengo na dia 12
do corrente :
Jos da Silva Loyo
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos
2 secretario.
Agua florida de mirra y &
IV wi 111.111.
Na verdade cousa estranha e para admirar
que este delicado e precioso perfume, teodo sido
Albino Jos Gomes de Alencasiro.
Luiz de Franga Tavares de Mello,
Carlos Godofredo Lucbow.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia d t~
cife 13 de outubro de iSo.
O escrivo,
F. A. Cacalcanti Cotuuiro.
Terga-felra, 17 do corrente, na sala das au-
diencias, peranle o lllm. Sr. Dr. jni;. de orpbos,
se vandera' em ultima praga o sobrado de ires in-
dares e solio da ra do Amorim n. 25, avahado
em 5:0Oi5O0O, contorme o escripto em raao de
porteiro.
A1 ordem do subdelegado do Recife, Antonio Vi- manufacturado a mais de vinte annos; exclusiva-
cente de Souza Paiva, por desobediencia. mente para os mercados da Ameriga do Sul e das
Pela scalisago da freguezia da Boa-Vista
faz-se publico a quem inleressar, qne ao dia II do
corrente foi remetalo mesrna fiscalisaco om lei
que se achava distrumdo as lavnuras de um eMa>
no lugar da estrada de J0A0 de Barros : qoeai se
julgar com direilo ao diio bol, comparega aa refe-
rida fiscalisaco, onde Ihe s<-r entregue o mencio-
nad" bol, pagando as despezas e molla.
Fiscalisago da freguezia da Boa-Vista 12 de eu>
tuuro de 1863.
Jeronymo Jos Ferreira-
s


Alarlo de persitbiteo Sabbado i A Je Outubro de f M
No dia 20 do corrente, na sala das publicas
aadiendas, liada a do Dr. juiz de orphaos e ausen-
ta d**ttdaJe e sea termo, ira' a praca pela ul-
tima ver cora o valor de 10:8465889, e por execu-
<;io da viuva e herdeiros do tinado tenente-coronel
Bsraar-lo Aotooio de Miranda, contra o hachara!
Francisco Gomes Vellozo de Albutiuerque Lias e
sua umltier, o que possuem atoa no silio de trras
proprias de grandes eitencao, na entrada dos Affli-
H, freguesia da Boa-Vista, e cujos leinites, obras
e beineitorias, consto do escripto em mao do poi-
Amaro Antonio de Farias.
De ordem do llltn. Sr. io-.pector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se faz publico que
tica tran.-ferida para o da 14 do correle mez a
arrtiinatacio dos medicamentos, drogas e utencilios
to eitinci- hospital militar.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 11 de oulunro de 1863.Servindo de oflkial-
maior, Manuel Jos-j Pinto.
Pela subelegacia do Peres foi mandado re-
coilier i casa de detencao a preta crioula que re-
presenta a idade de 40 anuos, por suspeita de ser
escrava e andar fgida, que diz chamar-se Paosli-
na. e sendo ioterrogada declarou ser forra por sua
senhora D. Maria, viuva de um Sr. Miranda que
morreu em Lisboa, e que era parante dos Srs. Jos
Flix, do engenho liaipio, e Theotonio Vieira, do
engonhc Utinga : quem livor direito a mesma,
rw.-nparfca, que provando seu dominio Ihe sera |
entregue'
subdelegada do Peres 11 de oatubro de 1863.
O subdelegado
Alexandrin? Martins Gomia Barros
LEU0ES.
Leilao
De un silio coui Rosariuho (chaos proinio*.)
OLYMPIO
mnibus.
t^m*McrTewcr*'s-'**:-**---' _*

EMPREZA--50IMBRA
Nao tendo chegad) o paquete inglez que sejue
pira a Europa, e queren I o emprezario dar mais
aigutM momentos de prazsr ao pablieo pernambui
cano oro una ulti.na recita pulo actor Simes,
prepara separa
IIOJE
Sabbado 14 de outubro
de 1865.
A pedid i de muins amigos da empreza repre-
ir-se-ha o segainte espectculo extraordinario
par.i rir dividido ein > partes :
PRIMEIRA PAUTE.
A interessante comedia era 1 acto
OESTES HA POC S
SlsGUNDA PAKTB.
A nova scena r "Mica ornada d msica.
0 VARREOOR.
TERCEUU PAUTE.
fj Iiem e-cri^io e lindo calenburg
ti n\ M 1I0KT0S
ou
A VI3A DE UM PAR.
QI'AKTa paute.
O muio applauJido e apreciado entreacto, or-
nado de miisiea
AMOR LONDRNO
QUINTA PAUTE.
A chistosa opereta em I arto
TO braz.
Coraecara' as 8 horas.
S chagar o vapor e nao for a effeito este pro-
gramraa a >mpr*za fara' representar
fLnniigo lo iTc outahro O sempre applaudido drama em 3 actos
O flJER 1)1) OLIO
Dsr*' m ao espectculo o duelo
O ESllhNTE E 4 LIVIDEUM
peU Sr." 1). Eugenia e o Sr. Lisboa.
vender em leilao o sitio no Rosarinno (encruzi
Ihada de Belm) com 470 palmos de frente e 1200
ditos de fundo, muitas frucleiras, coqueiros etc.,
tendo baixa para se plantar capim, e a casa da
vivenda tem 2 salas, 2 quartos e cosinha fora. E,
pertenceote o referido sitio a viuva do finado Ma-
noel Alejandrino de Mello e Albu merque. Ser
elfeetuadoo le lio sabbado 14 do correte as II
horas, no grande armazem do referido agente.
30Rna da l'.idcia do Btec-lfe3rj
IEIIIO
lima paite de um i cas di- campo.
tender em leila i urna parte de nm sitio na Capun-
ga que foi do dnado Francisco Custodio de Sam-
paio, avaliada a dia parte em 4:8255300 rs., e lo-
do o sitio em 13.0005, leudo o inesuio boa casa de
vivenda c sitio com bastantes plaotaijoes, boi bai-
xa de capto, palreiral etc., etc.
Xu jriuilc animen) do agente referido.
Sabbad;) 11 do correte as 11 horas.
3GIliiada Cadeia do Recife3(5
Leilao de instrumentos
Segunda reir serio vendidos em leilao no arma-
zem do agente Olympio na ra da Cadeia, os ins-
trumentos segua tes :
Tina pancadaria nuva.
Um clarineto.
Um par de trombones.
Um dito de chaquiehorns.
Previne-se que os instrumentos de metal acham-
se todos linipos e azeitados.
Leilao
Da loja demiadezs Iriz a. 70.
Martins levara' novamente a leilao a loja de
miud-zas la ra da Impcratrir. n. 70, contendo um
bello sorlimento e muilo proprio para qualquer
principiante por ter pouco fuod; e. ser bem collo-
cada.
Segunda-feira 16 do corrente.
O leilao lera' lugar na mesma loja as 10 horas
do dia
Claudio Dubeux de uovo lembpa aos Srs assig-
oanles dos mnibus que oo tenham pago suas
mentalidades hajam d se porem quitis pois hoje
14 do correle tornam o mnibus a funcionar e
tenho dado ordem que os senhores que nao esti-
verem quitis n3o podern ser asslgnantes.
I

dos!
pasaiaiuento de Jas
Alijos de llarros.
A dr e a saudade nao -e pode comer no
fundo d'aima sea urna expresso mals pa-
tente que Ihe d allivio. A pasagem de. um
prente e amigo que muito se preza, o ulti-
mo adeus de um bornera embora ob-curo, de
tanta virtuue, eu quero que se mais perpe-
tu na memoria e sentir de amigos e paren-
tes que so lastiman) de sua partid i; eu que-
ro nos mesraos sentimentos oomnauos a to-
dos nos seus prente; e amigos, na recorda-
co de suas virtudes, do doce trato de sua
amisade, acolher o cuuforu de uossa dor e
saudade, na conormHQo com a volitado de
Oeos, que acliou sua vida bastante uesse
valle de lagrimas para o resgate da sua al-
ma ao co.
Nao venlio conter essa vida de lodos nos
conhecida,ipie osestraulios na) prezein sa-
be la, a ne um liomem obscuro ; vendo fa-
i-r tancar ao papel sentimeotus que uisei
di'.er, e que de rainiia alma transbordara, a
cada hora que me assalia a saudade d- Jos
dos Aujos de Uarros para que so resta ao
amigo pedir a Dos pelo mus curto all vio
de suas penis para loo alcangar a gloria
eterna.
Assim j nos sera menos amargjo nosso
sentir.
Itecife 13 de outubro de 1803.
Maooel Januario d; Barros.
CASA DA FOHTOI
Aog,r6:000^000.
Bilheces garantidos.
A beneficio voluiilacios da palia.
A' RA DO CUES! 0 N. 23 E CASAS UO COSTUME
O abaixoassig adovendeu nos seus muito feli-
ces bilhetes gara nidos da lotera que se ac bou
deextrahir, a be leticio da Sania Casa de Mise
os segui itee premios:
1563 com a sorte de 6.0005.
72 com a sorle de 1:2005.
6 com a sorle d- 4005000.
1 sortes de 1005, 405, 205 e
ncordia
Doos quartos n
Dous quartos n
Um meio n. 17|
E oulras muita
103000.
Ospossuidores
tivos premios
' da Fortuna ra
podera vir receber seus respec-
e n os descontos das leis na Casa
du Oespo n. 23.
Achani-so a veida os da 3" parle da lotera
(35") a beneciodas familias dos voluntarios da
patria, que se exlfaliira a 18 do correule.
PliECO.
Bilhetcs .... 65000
Meios.....35000
Quintos!. .... 15200
Para as pessots que compraren! de 100)9000
para cima.
Mnete:.....55500
Meios......25750
Uuioto:.....I5IOO
Manon. Martins Piiiza.
Uffereee-se um mogo para cozinheiro: na ra
do Forte n. 30.
.VJTT33J
\o
Quera quizer preslar-se no servieo do conligonte
da guarda nacional dest nada ao sul do imperio,
em suliflituico a um guarda nacional e mediante
boa gratilicacao, pie dirigir-se a' casa n. 56 da
ra da Cadeia, que achara c>)in quera tratar.
Precfsa-se de nra feitor para administrar um
sitio na Escada : quera pretender dinja-se a ra
de llortas n. 122, que adiar com quera tratar.
Precisa-se de urna una para casa de urna s
pessoa : na ra estreita do Rosario n. 17, segundo
andar.________________________________________
de
ni
LEILAO
Movis, f.izcnJas c ranea feita.
Martins fara' I lo por ronta e risco de quem
pertencer de dous guarda roupa, mesa;, cadeiras,
cabides para alfaites, 2 baleos, quadros, roupa
felta sendo casaca, sobre-casacas, calcas e colle-
tes de brira e casemira, diversas pecas de case-
miras e nutras fazendas existentis na Ion do so-
brado da ra da Imp-ratriz 11. 9.
Terca-feira 17 do corrente.
As 10 horas do da.
Precisase de um caixeiro de 12 annos
idade para taberna, cora pratica ou seni ella :
pateo da ribeira t.. 23.
mwmmMmmwmMmmm
m
m
'"4
Attenco.
M
..mi mainmut.
COHPiUSIA 3USILEIRA
DE
PAQUETES A. VAPOR.
Dos portos do sul operado
iWsilka ^it at^ ''* '^ ^" Rorren'e o vapor
s '.IjvT^v Tocantins, commaod.inte o pri-
'.' '"^^E^ n"'ii" luiente Pedro Ilypoliti
-.-: i'isESSW Duarii-, o qnal depois Ja demora
Jo c '-lil'iie seguir para os portos do norte.
Desdej recenem se passageirs e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete al o dia da saluda as
2 horas : agencia ra da Cruz n. I, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Aze.vedo A C._________
PAlt\ O
Rio de Janeiro
prelen le seguir com multa brevidade o palhabote
nacional Pintad, tem parle do seu carregamento
ngajarto : para o resto que Ihe falta e escravos a
fre-, para os quaes tem xcellentes commodos,
traa se cora os seus con de Oliveira Azeveio & C., uo seu escripiorio ra
da Cruz n. i.
Cear
O hiate < Dous Irmaos : a tratar cora Tasso
Irmans.
fara a Itahia
3Pgue ron toda a brevidade o patacho nacional
D. I.niz : para o resto da carga que Ihe falta tra-
:a-<- com o seu con>ignalano Jos Mara Palmeira
no largo do Corno Santo n 4.
Leilao de predios.
Sendo duas grandes elegantes casas terreas de
pedra e cal, bem edificadas e a moderna, sitas na
travessa da Ponte de Lichoa para Santa Anna a
margera do ameno rio Capibahbe, em chaos pro-
prios. A do lado do norte lera 2 portas e 3 jaoel-
las de frente, porlao ao lado com gradeamento de
Ierro, jauelias no oilo onde lera urna grande cal
cada, i salas ni frente e um \ alraz, 5 quartos, co-
sinha mdependeote, grande sotao com 2 quartos
e jauellas par o oito, cocheira, estribara para 4
cavados e um qnarto para e>cravos, arvoredos no-
vos, baiu de capim, a qoal estrema com um bra-
co do Capibarihe. A do lado do sul tem 2 portas
e 2 jauellas na frente, sala e corredor independen-
te, sala alraz e um grande saio contiguo ao cor-
redor, solo, 4 quartos no interior da casa, cosi-
nha e dous quaitos t-m seguida, estribara para 2
cavados, arvoredos baixa de capim, cacimba com
boa agua para b-*ber, arabas as casas sao de ex-
cellente constroccao, portas aimofadadas e ptima
ferragem.
IToia-inci-agadilefroule do arsenal Oe manona
n. 2.
Um sobrado na ra da AssumpfSo n. 44, de
dous andares e solao, chao proprio rende 6005-
Quinta-fein 19 di corrente.
A porta daA do dia.
___avisos grasos.
Custodio Pinto Braga vai a Europa tratar de
sua saude.
Elias Leo Ue Ploeg, subdito hollanUt-z, vai
para Europa.
4
Tolas as pessoas que sp jnlgarem.ere-
doras do fallecido J >.io J >- de Carvalli 1
Moraes, por c.jutas miudas, titules veu-
cidos ou a veucer-SB de qualquer nature-
za que sejam, queirara apresentalos na
ra doQueimaiio n. 13, no prazo de 8
das, a contar da dala de-te para S'-rem
examinados a pagos pelo inventarame
do mesmo casal Joao Jos de Carvalbo
Moraes Filho, nao obslante ter o fallecido
declarado em seu te.-tamento nada deVOT ,'ji6
nesta praca e uera de sua esciiplurago s
consta divida alguma, pelo que ha pre- j$
"JK sumpcao ne falsa tuda e qualquer letra \^
3 ou ttulos que apparecem assignados pelo ^S
^ fallecido. Recife 13 de outubro de 1865.
wmMmmmmmmmmmmm
Oabaixo assignado previne aoSr. tdesourei-
ro das loteras do Rio de Janeiro e as pessoas ijue
aqui na provincia cosiumam descontar taes bilhe-
tes que nao paguera quaesquer premios que -1 un
nos bilhetcs inteiros de, a<. 3961, 3965 e- 5113 da
10* lotera a henefido do Monte Pi Geni dos Ser-
vidora do Estado, visto que taes hithetes se per-
deram do pider do abaixo assignado, achando-se
os dous primeiros assignados pelo annuncianle e
o de n. 5143 assignado a lapes pelos associados, o
que se faz publico para prevenir fu'uros : assim
cerno tambem rogase a pessoa que os ichou de
entrega-Ios na loja da ra da imperalriz n. 12, que
se gratificara'.
Ignacio Jos de Moura.
Ollerece se urna senoora hojwstaji-Uia-entar.--
regar-se 0a cnacao ae um menino ou menina que
esieja as circumstancias de precisar dos disveilos
de urna mai, inda mesmo tendo a crianca al a
idade de 12 raezes, abantando a mesma senhora o
bom tralamenlo e cuidado sobre o que deve velar :
a pessoa interessada poder tratar na casa do pate*
de S. Pedro n. 22. _____
Alugase um silio na ra de Joao Fernandes
Vieira 11. 54, com boa casa e graude sotao, cochei-
ra e estribara, tendo no mesmo sitio um jogo de
bola com lodos os seus pertences : a tratar na ra
Direita a. 137.
mwmmr*
mnibus.
No dia 14 do orrente prineipiam novamente os
mnibus da Gi odio D.)b-ux a trabalhar as car-
reiras de Appujos, Caclianga e Olinda, em vez de
principiar no ina 18 como.se annunciou, por ser
domingo. No dito da 14 soera de larde os mes-
mos mnibus liara Apipncos, e no domingo tor-
tiam a subir a: 6 1|2 horas da matihaa nao t
liara aquelle lugar, ruino |>ara o Cachang, pre-
inaneeendo esta i horas em todos os das santifica-
dos ate segnndi deliberaco. Nos dias uteis lieam
em vigor as horas d>) costme. Fiquem porm
entendidos os srahores passageiros, i|ue nao Ibes
perniillido lovarem em cima dos mnibus os seus
escravos sera que est jam calcados, devendo os
respectivos seihores pagara competentepassagem
na porpocio di qualquer outro passageiro.
m
><&
I.nrgD do C'armo o. 26.
tabelecimenlo tio bem montado
Igem achava-e de ha muilo
completo abandono pelo pouco
de sua adrabaistracao.
e o novo pfoBfietario erapre-
os meios para restabeler a 3%'
ultihdade desle estabelecimenP>, sspS
ublico que qualquer
o numero dos concorrenles
esde ja promplid.io e aceio nos
ios, ni' m ou medirinaes, a
'anhos se achara aborta todos
horas da inanhaa as 11 da
m
Os
sa de baaaos m
.->
:
i
""y
m
I
Di lo
Dito
Dito
Por mi
25 car loes
no 011 de
12 car
12 ditf
M
ft aS:
Este e.-
na sua o
em quas
IDleresse
Hoje qi
pon todos
granil
pode assifgurar ao
que seja
acharae O
banhos Ir
casa dos
(lias das |>
nuile
m
500
500
U00
Precos.
Banlio de choque.......
fro ou momo.....
de farello........
medicinal ser se-
gijiido sua quulidade.
Assignalura.
7. hanho fri ou momo,
ara banho fro, mor
buvisco.........
oes para os mesmos...
s para banho de farello.
mmmmm
jjLOJI
l'K
J
Xracay
O hiate 1 Graciosa > vai sabir com muita brevi-
dade, recebe carga a frete ; a tratar no trapiche do
algodao cora o mestre.________|___________________
Rio Grande do Sul.
Se^ue com brevidade, a barca nacional frica-
a, recebe alguma cirga a f r ;te : tratase na ra
do Trapiche 0. 4.
COrdPAVHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR,
E' esperado dos portos do norte
at o dia 20 do corrente o vapor
Oyapo<:k, o qual desos da demo-
ra do costante seguir' para os
portos do sul.
Desleja rrcebera-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser eraSarcada no dia de sua chegada ; encom-
mernias e dinheiro a frete at o da da sabida, s
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Ant mi Luiz de Oliveira Azevedu & C.
Lmhsi regalar do Brasil
Esperase o brigue f raocez Trun
frtra, quesahio do Havre no dia 6
de setembro ao frete de 25 f. e 10
^Oo- Recebe carga para o Havre
,a fret s baratos : a tratar com os
__consignatarios Tisselreres.
Masurier le Jeune & Fils toado sido preveni-
dos p r varios earrefadoros que haviam receios
de se. ver levantar os fretes aos autigos presos, no
caso ce Icrea sos eocarregados deste servido,
com antigamente comprjmettem-se por contrato
a nao t .mar mais do que 35 f. e 10 0(n d'aquelles
que m e.imprometlerein de sua liarte a carregar
toeas a~ suas merca loria* nos seus navios. O dito
confalo achi-se depositado emea-a d- Tisset fre-
res que o apreseolaro ao- ioteressados que pode-
ro tomir conheciinento ilelle e assigoa-lo se as
eandiccoes forera de sua conveniencia.
Para o Maranhao,
O palhabote Garibaldi rnesire Custodio Jos
Vianaa : a tratar com Tasso Irmaos.
LOTERI
AOS 6:000/?000,1:200000
e 500^000.
I'ovo e p\epllentep'aiio aprjrovado.
BILIIETES .V 5:>000, MEIOS A" 2,5300 E
QUINTOS A" 15000.
Acham-se venda na respectiva theson-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e quintos da 3a parte da lotera (35a)
a beneficio das familhs dos voluntarios da
patria, cuja extracto ser pelo pl.no abai-
xo publicado.
Os premios de 6:0005000 at i00000
serao pagos urna hora depois da extracejo
al as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas lisias.
O andamento das rodas ser na quarta-
fcira 18 do corrente mez (so antes desse
dia tiver sabido para os portos do norte o
vapor brasileiro que se espera do sul do
contrario ser ella no dia inmediato ao da
sabida.)
PLANO
Para as extracede*
m muMmm,
m
Approvado pelo r.\m. Sr. presMenle.
4000 bilhetes a 5*000.............20:0005000
Beneficio, sello e comraissao 24 0|0.. 4:8005000
Liquido...... 15:2005000
1 Premio de........ 6:000000
1 Dito de.......... 1:2005000
1 Dito de........... 5005000
1 Dito de.......... 2OO50OO
S Ditos de 1005000 5005000
II Ditos de 405001) 4105000
22 Ditos de 205000 4405000
43 Diios de 104000 43"5000
1
s
m
915 Ditos de
1000 Premios.
3000 Brancos.
65000 5:4005000
----------------15:2005000
4000 Bilhetes.
N. B. Os premios qae estio sugeilos a descont
sao, o de 5OO5OOO ao de 5 por centi, e os de------
1:200*000 e 6:001)5000 ao de 17 por cento, sendo
5 por cento da le provincial e 12 por cento da
geral.
Thesouraradas loteras 7 de outubro de 1865.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues d >. Soasa
Monte Po Portuguez
Hoje as 5 horas da tarde, no Gabinete Portuguez
de Leitura, haver se*so da directora provisoria,
para que sao convidados lodos es seus respectivos
membros por ordem do film. Sr presidente.
Secretaria no Monte Po Portuguez era femara
buco 14 de ouiubro de 1865.
Joaqun) G'.rardo de Bastos
2* secretario.
ictor f;iiY\m\
X. iO-ltua da Cadeia do lle.cife- X. 40 S|
O proprn tarto deste es- ^
tabeleriinenlo, premiado 3R
com a nieda I ha da expo- *^f
sieo universal de Pars ^
'^*V^k no anno de 18o5, lem ex- ^
-ad^P^L. posto a venda em sua lo- W
ja, um grande sorlimento m
de relogios para algiL^ira como sejam de J^
jlv ouro e prata, sendo dos mentores fabri- ^
jH cantes, de patentes nglezes, suissos e
*M orisontaes. Tambem lem urna grande
? quantidade de relogios para parede, e
H que batera horas, ditos para embarcacoes
yM e para cima de mesa, todos S sao dos mais bonitos mod-!os. 0 mesmo
,"(| concerta relogios de todas as qualidades M
-m existentes, assim como tambem coneerta "".j?
3 chroooraetros de algibeira e maritimos : ^S
l recebe sempre por tolos os vapores, um H
-Jg completo surtiraento de correntes e irn- 1M&
*g celins, sendo ludo de ouro de lei e de y
jH minelos OS mais moderno. W\
mmm*M mmm # mmmmm
Precisa-se de 2:30i5 a juro, dando-* fiy-
potbeca em tres escravos pecas, por pequeo pra-
so : quera os quizer dar aonuncie sua morada pa-
ra ser procurado._______________________________
Recreio Familiar.
Sao couvidado os Srs. sio a comoarererem
sesso geral que devera' ter lugar as 7 horas da
norte de 16 do correte, ne edificio do mesmo re-
creio. _________________________________^_
O abaixo assigoado, agente fiscal da provin-
cia da Parahyba nesta cldade do Recife, Taz sciente
a todos os senhores proprietarios e conductores de
todos os gneros que vierem dos diversos distric-
tos da mesma provincia, principalmente as saccas
com algodao que devem trazer no topo ou cabegas
das raesmas a legenda Parahyba do Norte e
aeompanhadas de guias das autoridades policiaes
dos lugares d'onde sabirem para o tsercado desta
capital, pena de seren apprehendidos lodos aquel-
es gneros que vierem los piecitados districtos
M'in ellas, como deterraiua a le, e para que no se
chamerii a ignorancia faro o presente.
Bernardo Jas Martins Pereira
Rogi-se a pessoa que adiar duas dispensas
para casamento de Manoel Fernandes e Vernica
Mara de Souza, de a entregar na ra do Quelma-
do b. 10, que se Ihe licara' muilo obrigado.
Os administradores da inassa fallida de tre-
neu Januario de Oliveira rogam a todos os senho-
res credores de apresentar-lhes os seus ti lulos
aflea de que possam proceder como determina o
Arl. 859 do Cod. do Com, de vendo esta apresen-
taco ter lugar no praso de oito dias, no armazem
de Joao Antonio de Araujo & C.______________
JiONf m PWUL1R PER-
NUHRICMI-
Em virtude do art. 18 dos estatutos convido aos
senhores socios a com^arecerera na casa das ses-
soes as 10 horas da mauha do dia 15 do coi ren-
te, para, reunidos em aseenMa ge-al, fazerem a
elelc.ao do novo con-elho que lem de dirigir ns tra-
balbos do Monte Pi, no exercieio de 65 a 66.
Secretaria do Monte Po Popular Pernarabucano
de outubro de 18(15.
Bernardo Palean de Sonza,
jo secretario.
Attencao.
Perdeu-se h^ntem 2 de outubro, do aterro da
Boa-Vista at a ra do Crespo, um cmbrulho con-
tendo a quanlia de 6105 : quem o tiver adiado e
quizer levar a ra do Crespo n. 19, sera generosa-
mente gratificado.
&ym& mxmm mm*m
i^jS Companhia lidelidade de seguros ^
S maritimos e terrestres ^
9 estanelecida no Rio de Jaueiro. ^
Sr aokntes em pehnamuuco MR
)f^ Antonio Li^iz de Oliveira Azevcilo & C, ;v-
yg competentemente autorisados peladirec- ^t
H loria da companhia de seguros Fidelida- ^
^g de, tomam seguros de navios, mercado- *
?A ras e predios no seu escriptorio ra da SJ
2fi> Crn n. 1. ?P8
UVAS
chegadas pelo vapor Amazonns, em muilo bom
estado : na ru* \ Vigario n. 19, primoiro andar.
.Notas do banco do Bras e das caixas filiaes
dejcontamse na travessa das Cruzes n. 8.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
do Imperador u. 7'9 : a tratar na ra do Crespo
n. 15.
P di bacbarel
M Fraiiciseii Augusto da Cosa 33
i^ ADVOOADO &;
"H Ra do Imperador numero 69. gBjj
tm^m mmm WufcmWi^w.: <
O secretarip da irmandade de Nossa
S enhora do Terijo convida a todos os ir-
maos da mesma para reuniao de mesa ge-
ral di'iiiintfu lo. pelas 11 lloras da mauha
para se eleger a nova mesa que tem de
unecionar no futuro anno de IflGO. ____
Ahjga-se a loja do sobrado da ra Imperial
n. 61 por prego mullo razoavel, e com muilo bons
commodts : a tratar no primero andar do mes-
rao sobrado. 1___________________________
AtencTiO.
Aluga-se urna casja terrea no Monteiro para
quem quizer passar a festa ou arrenda-la, cora os
segaintes commodos : 4 quartos, 2 salas, cozinha
e despensa, banho mu|to tum de choque ou de ou-
tro, um banheiro de m|dra e cal ao p da casa, 1
quarto grande defronlij da casa que serve para es-
cravos, cocheira e eslilibaria ; quem pretender di-
rija-se a ra do Queiirlado n. uo, ou a ra do Im-
perador por cima da laja de louca de barro, no se-
gundo andar.
Os abaixo aasignados participam ao publico
e especialmente ao corpo do commercio, que em
30 do mez passado, de commuin accordo e da rae-
Ihor harmonia,dissolver*in a sociedade que liiiham
na padaria da ra da Florentina n. 3, e no deposi-
te da ra e debaixo da firma de Beiro & Fernandes, licauJo
todo activo o passivo a cargo do ex-socio Jos Fran-
cisco Fernandes e o ex-sbeio Manoel Joaquim Nu-
nes Beirao desonerado d* lodo o passivo e activo
da extincla firma. Recife l de outobro de 1865.
Manoel Joaquim Nones Beirao.
Jos Francisco Feruaudes.
Da praia do caes do Ramos, e na mar da
madrugada do dia 10 do corrente, furtaram entre
um grande numero de madeira um pranchao de
amarello de tres costado', nao ohstante achar-se
toda a madeira acorrentada : a pes>oa que der
noticias ou denunciar onde se acha, ou quem a
comprou, recebera' 205 d gratilicacao, guardan-
do-se todo o segredo : na ra da Cruz, escriptorio
n. 30, on na ra da Palma n 41. ______________
Quem precisar de um jardinheiro ou feitor
para um sitio, dirija-se a ra de Hortas n. 144, Io
andar, que achara' cora quera traur.__________
AtteneiU;.
Agr & Quinteiros rogain a todas as pessoas
que sao devedoras a esta firma, o virem saldar seus
dbitos nestes 15 dias, ao contrario serao chama-
dos a julio, pois nao possltel que taes dbitos
1 sejam demorados por esta forma, visto que os an-
' nuncianles tambem teem ebrigaeoes a cumprir, e
j esto cansados de tanto esnerar
Aluga-se urna exeeilenta escrava moya e de
boa conducta, com habilidade, s se aluga para
casa de familia : a tratar na na Velha n. 40.
F0Gl 17
No armazem da bola amarella, no oitao da se-
cretaria da polica, recebera-se encommendas de
ogo do ar para dentro e fora da provincia..
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia I Acabar com os Para-
I guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
fa ao e a punbal e de que se trata; mas
ninguem se lembrnti ainda de esmngar os
Paraguayos coa as armas que Dosnos con-
eedeu; acabar com clles a tacao e a ponta
ps, para o que necessario encouragar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
I rompe-ferro, esmaga c< bra, arranca ti eos.
quebra marmore c outros que se vendem
45-KIA UIREITA45
Rorseguins Bonlemix........ 85O0Q
patricios......... o>00
para senhoras, en-
feitados....... 5(^500
com lafo e fivella .. isi'0
Sapatoes encouracados....... o->0 0
Borseguins para meninas bom
elasteo................. 3)5000
Sapatos de lona, sola elstica. 250.0
avelludados......... 1(960')
de tranca........... 1)5000
econmicos para se-
nhoras........... |800
com salto de lustre.. 2jJ2i
Chindos do Por o.......... I.; : 0
Um comp'cto sorlimento de calcado da
trra para homens, senhoras o meninas;
assim como be/erro francez, cnuro de lus-
tre, marroquins, taitas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que ludo visto necessariamen-
te faz cobiga ao comp ador pela barate/a.
A Previdene.
Sociedade de seguros miitnos sobre o
vi la, fundada e administrada pela
banco Alilanca 110 i'orl ; garanta
4,00iV'0O,0O0 ps.
Esta mono mil e raoralisadora nslluio con-
fa em IVrnambuco os seguinles
SUBSCBIPTOBES. QUANTIAS.
ilui'dn fm le.
Albino Jos da Silva.......... 5:0005000
Luiz Antonio Siqneira.......... l:-')04i;tio
Augusto Cesar de Azevedo Uuedes. 2:oO00U0
Amaneo Nuoes Corroa.......... 2unooo
Antonio Alves de Moraes......... 1:0001000
Manoel Duarte de Fiftueiredo..... 1:2S0*0O0
Manoel Marlins de Oliveira Aze-
vedo........................ i :2ooA000
M. T. ISasto..................... 6:2505000
Antonio da Silva Ponles Guima-
res.......................... 1:250*000
Manoel Gomes da Cruz.......... 1:0004000
Antonio Loorenco Teixelra Mar-
ques........................ 500-30011
Bernardo Jos de Oliveira Machado 1:2.>0000
Jos de S Leilao Jnior ........ 2:5005000
Domingos de Sa' Pereira Jun;or.. 500&000
Vicente Kerreira Coimbra........ 1:2305000
Jos Joai|Uim Alves............. 2:3005000
Jos Fernandes Lima............ !:23tW00
Jos Joaquim Leito............ 3:7805000
Jos Antonio rte l!i ito Bastos..... 7:50051100
Joaquim Luiz Fern-ira Leal...... 6505000
Silvino Guitberrae de Barros..... 5.000500')
Alfredo Henrique Garca......... 5^5oti
Aulunio Valentim da Silva Barroca 6:1 K15OO
Jos Rodrigues da Silva Unges. 1:250-3000
Manoel Jos Morelra........... 6:h5ih>
Virgilio de Castro Oliveira....... 2:5005000
J. Antonio da Costa Valeule 1:250,3000
Ju>lino da Hotta Silveira ........ 1:.Mi. oro
Manoel Marques de Oliveira..... 1:2805000
Antonio Fernandes Duarte Almeida 5:0005000
Juo Martins de I5:n ros......... i:0005000
Antonio Joaquim Fernandes da
Silva........................ 1:2505000
Custodio Jo- Alves Gnimares... 1:2505000
Jos Goncalves Villa Verde..... bOi'000
Alfredo J.- Antuncs Guimaraes.. ____ 5O5IM-0
MniMI uo liuunn laiiiiiinin .o->"^iiilllli >I> |R4>J
Joaquim Cabral de Mello ....... 2505000
Jos de Azevedo Maia e Silva..... 2:2.">5'iOO
Bernardo Pereira do Valle Porto.. 1:00050 0
Ignacio Pendra do Valle......... l:00050i'U
Felsberto Ferreira de Oliveira... I:2"03(i00
Domingos Jos Ferreira Guimaraes 6:0005000
Manoel da Multa Machado....... l :5005000
Manoel Joaquim da Rocha....... 1:0805900
Serafn) de Sena Jorge......... 5005000
Manoel Joaquim Fernandes...... 1:25050 0
Jcsepha Maris da Cunetelo...... 1:000300"
Luiz Pereira Luna........... 8005000
Antonio Henrique Rodrigues..... 7:5005' 00)
Manoel Francisco dos Santos Maia 1:250500/)
Manoel Joaquim Ribeiro......... l:23O5OV0
Manoel da Silva Nogoeira....... 2:5005010
Joao Licio Marques............. 6:25050w
Framisco J)ao de Barros........ 10:1005000)
Juaquim Rodrigues lavares de
Mello........................ 10:0003000
Jos da Silva Loyo............. 8:7505000)
Francisco Jo Alves Guimaraes 1:0<)05''0<1
Caetano Cyrlaco da Costa Moreira 2:0005')00
Jos de Mello Co.ta Oliwira...... 1:2305000
Manoel Muniz Tavores Cordeiro.. 1:2505000
Antonio Joaquim de Vasronrellos. 2:0005000
Antonio Jos Silva do Brasil. ----- 2:5005000
Joao Jos Rodrigues Mendos...... 5:0i.0000
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.. 3:7505000
Domingo* Jos da Costa Amorira,. 3:7505000
Manoel'Fernandes da Costa....... 4:0005000
Joao Carlos Coelho da Silva...... 3:25"5000
Manoel Ramos de Oliveira....... 1:2505000
Manoel Jos Pereira Marinho----- I:2a04u00
Manoel Kerreira Bariholo........ I:f5fl|00i
Manoel Francisco Marques....... 2:8005000
Gregorio Paes do Araaral........ 3:?5O|000
Joaquim Jo- Goncalves Bellro 4:00-5000
Joo da Silva Perrei-a.......... 2.5003000
Jos Joaquim da Silva ......... 2:5005000
Antonio JosCoitr.bra Guimaraes. 8:0005oOO
David Ferreira Bailar............ 2:0005000
Antonio Jo- dos Res........... 5 0005 00
Joao Ribeiro Lupes............... 1:0003000
Joaquim Cundi de Oliveiraj..... 2:8005000
Jos Gomes de Freilas........... !:2SH000
Bernardino Gomes de Carvalbo... 1 :OO0fO0O
Antonio Baptisia Nogueira....... BBOfOOO
Joo Francisco dos Santos Jnior. 1:2505,m>)
Francisco Ribiro Pinto Guima-
raes......................... 1:0003000
Alfredo Prisco Barbosa.......... 75050'"'
Manoel Soares Pinheiro......... 1005000
Joao do Cotilo Alves da Silva..... 1:2505000
Joaquim Monteiro da Cruz....... 2:50(>5"00
Antonio Jos Dantas............. l:O0OJP00
Salustiano Framisco Martins..... 65050(0
Antonio Pereira de Faria......... 5:25i 5"oO
Antonio Luiz Ferreira Lima...... 1:0005000
Manoel Jo.- da Cunha Porto..... 2:0o05O"O
Flix Venancio de Cantalire..... 1:2505000
Manoel Alves da Silva Caldas------ 3005000
Joo Francisco Aniones......... 2:0005000
Custodio Colaca Pereira Jnior... 2:5005000
Jo< Goncalves Torres.......... 1 ;0O05O00
Antonio Jo-e Paulo de Carvalbo... 1:2505000
Joaquim Ferreira dos Santos
Coimhra Guimaraes........... 10:0005000
Justo Cesar de Almeida Jordao... 1:2505"00
Jos dos Santos Oiiveira......... 1:1505000
Belarmino do llego Barros....... 2:5005000
Manuel Ignacio Rodrigues Praga.. 2:0005000
Joc Jos di Silva.............. 2:8005000
Fortunato J. G. B................ 2:5005000
Jos Crrela de Mendonca Sobri-
nho......................... 1:2505000
Emiliano Evangelista de Moraes.. 5')03''00
Antonio Pedro de Souza Soares... 1:2505000
Manoel Jo.- da Costa Pereira..... 1:2503000
Joao Pereira Reg.............. 2:5005000
R.M. S. A. F................. 2:0005000
Custodio Francisco Martins....... 7505000
27.9005000
O inspector desta companhia participa aos seus
i amigos que se acha de passagem nesta cidade,
: aonde se demora at o prximo vapor francez para
a Europa ; o qual se promptifica a dar quaesquer
i esclareomentos que Ihe sejam pedidos acerca dea-
1 ta companhia, como recebe qualquer documento
1 que tenha de ser remedido para a mema.
Ama.
Precisa-se alugar urna escrava on forra, que
! satba cozinhar e comprar : na ra de S. Francis-
' co ou Mundo Novo n. 54.
n
Joio da Silva Ramos, medico, me- I
i dico peta nniversida le o> oimbra. I
R d consultas eui sua casa M 9'
I 11 boras da manbiia. e dan i as t
da tarde. Visitaos doen'.es emsoasl
casas regularmente as bwai para
isso designada?, salvo os csmm >
gentes, qae seirio necorrdon nm
qiialijoer occasio. DcoiiMilt,:s aos
*^ pobres que o procuraren) no ata-
pilal Pedro II. aonde eno rlirado
$ diariaroente das G s 8 horas da
msnba,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para racetitr fJMf-
quer doente, anda mesmo os alia*
nados, para o que lem tMM
aproi nados e nella pratica qoal juer
ojiperaro iit'0|o;,a.
Para a casa de Mde.
I'rimeira elasse. .31006 diarios.
Segunda dita... 35900
Terceira dita .35000
Este e8tabelernaeoto j Lera
acreditado pe'os |>ons ervirrrj que
tem prestado.
O propnelario espera que elle
continu a merecer acoriftartca da
..que sempre tem gozado.
es.
v.--.
-. r
I
Aluga-se a casa n. i da roa ii i Prinrir^,
salas,.'{ quartos, cozinha fura, q'iinia, p -a a tratar u* iua Nova n >.
S^iiiuel Power Joiinstoii 5 iioniaaabia
Ruada en/alaKora n. 4.
, II y.r.w m
Fundl^hu Ir l,ow nr.
Machinas a vapor de i e u cava
Mocadas e meias moenda i:ra engaahn.
Taixas de ferro coado e balido para aaaja-
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogiosdeoi.ro patente infles.
Arados americanos.
Ma hias iara descarocar algodao.
Motores para dito.
Machinas de costura.
o pttb/uo.
Joao Paea de Alm.-ida Lio, r rorri- irie *. ?-
(tirano Caramni, no lugar do Oval a da Barra
Grande, previne por m>i.. j,j |.rsi-ne aur que niiignein faca iransa ira da quautia d 1:2005 pan elU: mu ira. poal
foi entregue aos Sas. i.i... k IraaaV, mBmmm,
enja iKra c prov nienle la compra d um par o>
rselas de ouro rom brilhaote, ajM ^-i-s u.e-mos
senhores Ihe vendern, virto mm ..rfeaaa-f* r.n
defeilo- ns ditos brilhanles, e pc-oas entea.li.ia
dizein, que era virlode de laoa aVIettos a poder
val-r mais que 2005.

!
?

Cl :ai n a livrai p ryrl ; '
b Sil le M dio. roa ni |>*ui ; '...
ibr>- o i Dr. Cnern..vu
hiiiimlariii ou yuia nrdia.
que c ntm a desrripco de t< - c-
lo?, -'\i.i idirai. ron lil ligara n l-iv-i ni in as plantas medicioae<> : I v.
B20 paginas, nicad. rnadi, pri >; (i.
MedMar de mnli. iaa |Mm:-r
qU contera .i de-e: ppio das 11 > i ,-n ..- -.
tameni >. terceira editv, t ni :i -,.:,i.. -.
luiii's encadi-riia.i"-,'i r-oi :Oi.
Historia natural
........Tf-7. .........;,,-. ..|| .|. .!-,_
um pai coan seos lnns sohr rnuito- anm
vegtlaos; 1 volnrne encadernad", i-uw !5 figura?,
preco 45900. .
Sabio a luz era 'aris, wnde >- na mesma !i*ra-
ria h trulias e seru.o. paraenlaes pira i..
domifigos do anuo por J. I. Boqawle, i !*>,
. 11 .! t- r uadu, cora o ri-iraio do autor.
AGurroioA"
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray & l.ann in
oltiada como um artigo dr perfume, nao
tdm poiiido ser igualada pels prepira.;.>s
as mais custosas : ennsena son an na. ev
ib o se formasse parte da prenda a que aBi
ae applica.
\ Sua efficacia to delicada, como .le/an-
tls s3o seus multiplicados usos, .ipt *eja
eaipregada como artigo tle loiicador, quer
n* uso do banho, ou como stiavisaiK'r da
peile, depois qoe fe tenha fVito a lortta:
j pitra limitar as gengivas oo arootuttsur o
ha I i ib.
Lv ^uayidade, brillio e etasticlade as
complei^es; livia a irritaco de ntpvt'S ordinarias : faz
desapparecer o uesagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rui;as e toda a
casta de ebulices, e d vigor e fn-senra a
parle onde quer que se anplique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente inf.illi-
veis nos casos em que soja preciso applira-
la como estimbate e antisptico, no* con-
CUtSOS e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na aleo\a de ura en-
fermo, assim como c um antidoto ei-HIen-
te para os desmaios causados por cansaro
ou suflbcae3o. Preparada nicamente por
Lanman Kemp, Nova York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo A C.
Deposito geral em Pernamnoco rna da
Cruz o.22 em casa de Caros & Barbou
ti ra 11 lira tito de OS-
Ansentou]se da basa n. .'i9 da rna do Imperad.*
(outr'ora Collegio) no -ahli.ado IS do rornnle mri
qoim.com os .-ignacsscgninie- : rsiainra rrgolar.
idade 18 a 20 anuo-, sem barba, ps larg'-. ollv-
grandes, cabello corrido, com urna ricalnz gfMfe
p bem vi^ivel oa testa, parte dos denles da r-iM'-
arrnioados, e com falta de algn* do* lados. >Mr.
com calca de brim pardo e palelot rnrio ai pann.'.
mas levou mais roupa branca e de rr, oii"
astucioso, rostoma intitular-se forro e andar ra'-
cado ; f i estrave do Sr. Guilh.rme Fre.Vriro r
Soma Carvalbo, genro do tinado Sr r-imi .-Mad r
Mano-I Goncalves da Silva : rogase a >ua raptara
a todas as autoridades policiaes r a qualquor ra
pitiio de campo ou outra paaiea particular qn*
apprehenJer se gratificara com 305, alm das *-
pezas de condoepi', nitregando-o a -eo senh. r
Mignel Je. Alves, na ca>a cima, ou no se e
criptorio na ru da Crui caa n. 19.
Precisare de um Caixeiro de 12 a 14 ano
com pratica de taberna, qoe seja portuguez, <\n*.
[ d fiador a sua conducta : a tratar na roa Pa-
' dre Plcrano n. 71.
.



r
ttlarlft t r ernaa-bur* Sahbado l:Ue Octtiibro de t *
f\
V
LIQUIDACAO GERAL
NO
I CASA DE BAHOS. I
Ra 'a Cruz n. 17
A abaixo assignada, tem a honra de fl
participar ao publico que o seu estabele-
cimento cima meucionado, acha-se hoje
funccionando muito regularmente, pr-
vido de todas as accomrnodae&esnecessa-
rias e sobre tudo com alguma limpeza.
Osc-arioes limados yor meas anteces-
sores Cedrim & c. sei.io recebidos al o
meado do m<-z de outubro vinijouro, os da
casa tero a firma da abaixo| assignada,
e serocomodantesirausmissiveis.
Tabella dos precusi.
1 assigu< & um banho diario a 320 rs..
1 dita de 30 carioes transmifsi-
vels a 360 rs..............1..
i|2 dita de I ."i ditos a 400 rs..!..
i banho avulso, momo ou Trio ou
de chovisco...............u.
i dito aromatizado com agua lio-
m
m
m

m
9^600 M
o*8oo j;
6*000
500 2?
GRANDE ARMAZEM DA LXPOSiCAO DE LONDRES
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabeleciment as principaes fabricas
Oe Paris, Londres, Birmingham, Mancliester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores condicoes
por ser a dinbeiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem i ic s objectos com brilhanles, como botoes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correnloes, anneis e muilos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud A Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P. Guelaad, e inglesas de Eug. Rimmcl e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na
China e no Japo; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castices, enfeite- e adornos para cima de consolos e para gratide toillelte, o que se tem
feito de mais elegante em Paris, Londres, JJirniin^ham etc.; modernos apparellios de metal lino inglez para cha e caf, os quaes em
nada sao inferiores prala, e muitas outras peras do mesrno metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de sen ho-
ras, excellentes luvas de pellica de afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para jantar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan- Z&Wnafa&afi
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff&C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na WWJaWRfli
ra, ditos com figuras para salos e ditos com figuras em movimento; raodei nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para ,,.~ .." q_"?m
theatros ou saloes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noile; stereocopios de nova in-
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa ; grande sortimento de brinquedos finos para < ranlas, e
bonecas fallando papae e mamae ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitaciio na Europa, grande e magnifico sorti.i ento de caixinbas, cestinhas e outras galanteras feitas de. crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas tn is coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal precisase de orna ama para servic|o de casa de
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; entelara fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas, pouca fan""a-_________________|
ditas modernas para alfaiates, navalbas finas, canvet-s e outros artigos, diversos artigos feitos de rame ; completo sortimento de :.T-Pr-e-,sa"se.alUB*r "ma c5crav?' rme saina co-
Aviso
Na Urde do dia 10 do eorrente foram sobtrani-
dos ou perdidos uns autos de deposit > ja' ulgados,
da ra do Crespo n. 8 al a ) largo da I ndepeaden-
cia : qacm os tiver arbado digne-se entrega-ios
do pateo do Carmo o. 43, a Jos Joaquina da Sil-
va, que sera' gratificado.
Precisa se de um aroassador :
da ra Itial do Mangoinho n. zo.
na padaria
COMPBAS.
S
rida.................."....L 15000
s medicinaes sero pelo prtco que se
convencionar:
U eslabelecimento estar'
das uleis das 6 da maulia as
e nos das sanlicados al 2 ho
de, haveudo chegada de vap
abirlo por mais algum lempo.
Mathilde G. f>WM.
iberio nos
Oda noile
as da tar-
ar esiara'
,XS
precisar de baohbs, offerece-se
duas casas com rommodos para fanilia,
do Itetirn, jimio a ponle da Passafcem :
om L. II. I. Valeoea.
na ilha
a tratar
NA NA MAN. i
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Oorapanhia Indemnisadora
estabelecida nesta prac.a, toma seguros martimos
sobre navios e seus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto-
lio, ra do Vigario n. i, pavimento terreo.
Precisa-se de urna ama que tenha
bastante e bum lete para amamentar urna
manra: na livraria da praca da Indepen-
dencia n.6 c8, se dir quem precisa.
Na ra de Sania Hita n. G8 lava-se e engom-
ma-se bem, e por commodo preco.
Perdou-se na noile de 30 de selembro, do
Caldeireiro al o thealro de Sania Isabel, urna pul-
seira de ouro com duas redomas peaduradas :
quem a liver achado e queira resiiiuila, (liri)a-se
ao escriptorio do Dr. Jos bernardo Galvao Alcoo-
sado, que ser recompensado.
0 I.IUW BAZAR
lina .Viva as O e 22.
O proprietario desie estabeleciinenio avisa ao
respeitavel publico que acaba de receber um ri-
quissimo sorlimenio de objectos de posto, como
sejam, capachos de laa de carneiro de lindissimas
cores, tanlo para sala como para cobrir consolos,
riquissimos tapetes, e inultos outros artigos. Este
esiahelecimetu o lorna-se digno de ser visitado pe-1 Comprase urna cadeirioha com dous bracos
los apreciadores, onde encontrarao apar de melhor que esteja em bom uso : quem a liver aonnnrie
Comprase efectivamente ouro e praia em
Obras velhas, pagando-se bem : na roa larga do
Rosario n. 21, loja de ourives.
Silvino Guillx-rme de liarros compra e ven-
de efTeclivamente escravos de ambos os seos :
ra do Imperador n. 79, terreiro andar.
Comprase ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas: na ra da Cadeia do Recife,
cja de ourives no :rco da Conreiro.
Xa ra do Crespo d. 16, primeiro aodar-
compram se libras slerlinas e moed^ de ouro bra,
sileiras.
Comprase papel diario para embrulho, pa-
gase bem : na padaria da rna da Imperatriz Da-
mero 66. ___
O uro e prata.
Em obras velhas : compra-se na praca
dependencio n. ii, loja de bilheles.
da la-
Compra-se
para urna encommenda urna escrava preta ou par-
da, com habilidades, principalmente em costara e
engommado : na ra do Imperador n. ii. lerceiro
andar se dir.
tralamento os mais commodos presos.
Precisa-se
m, em, papelo e rame j doces confeitados e chocolate em carxinbas e em vidros;' camas de ferro de todos ffi!% comprar: qoem liV6r diriij,-fe
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartoes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapos de sol, benga-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf", ditas para baterovos, proprias para quem faz po-del, bolinhos, etc.;
pannos par.i cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras necas de charo para toillelte; machinas para varrer o chao,
excelentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baldes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illuminaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinbas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. GO.
O Dr. Carolino Francisco de I
>p% >w< >^, w
ni .i San- Wt
tos contina a morar na ra ih Impera-
XO GRANDE AR-
MAZEM.
S MAS
DA EXPOSICO DE
LONDRES.
dor n. 17, segundo andar, tendo
gabinete de consullas medicas
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
estudo lauto das operacoes com
lestias internas, prestase a qualpjer cha
mado, quer para deutro quer
da cidade.
. 2K J& Jw* S '&<
Cachorro.
Desappareceu de nm sitio na Pas?
daltna em frenie a estrada do
Sm#
Aluga-se a casa terrea da ra Impe-
a ra do rial n. 74, ci m 3 quarto<, i salas, quintal
! murado, cacimba e cosinlia fura : a tratar
na na Direita n. 2i.
ou dirija-se a livraria enciclopdica de J. B. de
Mello, na ra da Cruz n. "i, Recite.
alias seu
logo ao
i das mo-
juer cha-
para fra
wm
Precisa se de urna ama
Corpo Santo n. 17.
Ama de leite
de leile
9?00 por cada libra sterlina
praca da Independencia o. ii.
paga-se na
na praga do
COBRE L
CHUMBO
E
chorrinho galgo, macho : roga-se a
visto ou segurado de o mandar em
Para completa l.quidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente Da rua da ^adeia do Recife n. M,
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus 5i C, Lubin, Sociedade Hvgienica, Piver, r'cara-____________________
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud& Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'gua de "" Ainga-se a sala da frente d,i 3
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garralLhas e vidros de difieren- 25. r1- d mperador ," *},
tes modelos, pos para limpar dentes, banda em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinbas e balainhos com perfumaras para fazer mfS^a_!^i-Jirra_r'a "n|Versal "
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no gratide
armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Bgfm da Mag-
Renidio, um ca-
quem o tiver
dito sitio on
i|oe se grati-
Cal de Liboa
Na rua do Vigario n. 19, Io andar.
PARA SEXHORAS.
s de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito d
por menos de seu valor para se liquiJar, no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
andar do so"
a tratar ua
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o uresente vende-se ann?' ,end? que se Procurava dar
no Aa con roUr n. > iin,.; un ~/> ^o~i^ -^,., crxo:s^ a~ i i__ ______j. /?.j., r.. irmao MiguelArchaojo Seve.
O abaixo assihnado declara | elo presente
que tica de neohum efl'eito o annuncio que fez pu
do correle
fcurador a seu
biiear por este joroal em 20 de julhfi
dar
Recife
de 1863.Jos Maria Seve.
IiUVAS HOliS IIE JfOlVIY.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
9 do outubro
Grandes melkras
PHOTIIGR % IIII %.
No grande armazem da Exposico de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60, rua
e na mesma rua loja de miudezas n. :>i, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
as machinas imperiaes
Arnuiem n. 536 Broad-Wav
Estas machinas sao construidas
sysiema, cora muilas e imporliiite
send> examinadas por habis peritos foram julga
da (mperatriz loja de .Mr. Dubarry n 8 das de summa p/Vao.
nara alhnns cnaift perpendicularmente, com o ponto
e coser-
NewYork.
par um novo
melhoras,
Precisa se fallar ao Sr. Ephigenio da Silva a
negocio de seu inleresse; na rua da Imperatriz
numero 9.
A os agricultores.
Da-se os terrenos necessanos a quem quizer edi-
ficar um engenho para desfructa lo peios annos
que se convencionar, no lugar denominado la sa-
mo, rujas trras >ao de um produn;an prodigiosa;
e Rea listant- meia legua, por um lado, da colonia
de Pimenleiras, por buiro, da povoaco de (lapoe-
ras, e cerca de legua e meia das povoacoes de S.
Renedicto e Panellas ou TerraNova : em todos os
referidos povoados ha feras regulares e em dife-
rentes dias da semana, onde se acliam bons recur-
sos e se encontrara mercados para as diversas es-
pecies de negocios, alm da grande feira de Trom-
betas, esta^ao terminal da via frrea, da qual o ter-
reno menciouado dista de seis a oito leguas pela
estrada real, cujas margeos estao guarnecidas de
moradores e fazendas ruraes, qu-5 tornam o transi-
to nimiamente agradavel.
Quem quizer lucrar de urna planta de canna,
cinco e mais folhas, podera contratar este negocio
oa rua estrella do Rosario u. 28.
Aluga->euma casa como quartos, bom quin-
tal e cacimba, pintada de novo no corredor do Ris-
po n. 13: a tratar na rua das Cruzes n. 42, Junto a
lytographia,_________________________
Compra-se cobre, latao e chumbo : do armazem
da bola amarella, no oiio da secretaria da polica.
Compra se carosso (sement) de algodo : ao
armazem de algodao de Saunders Rrotbers C,
no caes de Apollo.
Compra m-sc duas casas na Boa-Vista, e vei-
de-se urna na Capunga : a tratar na rua do M a-
dego n. 85.
Compra-se ou hypotheca-se nma casa de pe-
dra e cal, na cidade de Olinda, Peres, ou algum
outro lugar que ten ha condurco certa : a tratar
na rua do Caldeireiro desla cidade o. 92.
VENDAS.
Xa cocheira do Sr. major Quintriro est pa-
ra venderse um cabriole! de 4 rodas em mu
bom estado e maoeiro, ahi dir-se-ba quem vende.
Familia de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Jal
vedo & C, no seu e.-cripiorio roa da Cruz I.
Chales de renda
Paredes Porto, na rua da Imperatriz d. 52, porta
larga, vende chales de renda de cores com peqoe-
no toque de mofo, a :io00 e 15, fajeada '! 10^
e 12^000.
A agulha direita e cose
le \ncmlu, que se
au desmancha nein embaraca e guc igual de
ambos os lados faz costuras perfdilas em toda a
qualidade de tecidos, desde o couro li a mais tina

\
*-
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponle pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Rarca.
Coimbra.
I cambraia, tendo los de algodao, de
I nbo, desde e mais grosso al o mais
me nin lem rodas dentadas or
seda ou de li-
delgado. Co-
-ter evitado a
'acilifla
e e
: menor atrito possivel, trabalha com
sem contradicaoUMA MACHIMA (fcUE NAO FAZ
RUIDO ALGUM.
T. J. Me. ARTHUR & C, fabricantes e proprie-
i taos na casa supra.
Vende se um moleque crioulo, de idadede
15 annos ; quem o pretender dirija-se ao Corredor
Os arrematantes da massa fallida de Joaquim do Bispo n. 18 C, que achara com qoem tratar.
Vieira Coelho 4 C. previnem aos senhores devedo-
res para que no praso de 30 dias venham ou man-
den) pagar o que esto devendo a' mesma massa,
na rua da Cadeia do Recife u. 3, ?, que lindo o dito
praso, os que nao pagaren), tero de ver seus no-
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branza judicialmente. Recife 5 de oulubro de
1865.
VlfeMTAS M PER1AMBIK O.
Tiradas na occasio em que S. o Imperador aqui estove em I59 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
. \ indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz cfom a pyramide.
Torfre d'i Arsenal com a illuminago na frente.
' Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio eom o palanqtie.
VAGEM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
,. Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidado no grande armazem da Exposico de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na, mesma i ua loja de miudezas n 54.
; Para se passar a festi nao ha
melhor
Aluga-se a bem conhecida casa denomi-
nada Cana-fistula, que foi do finado Xisto
| Vieira Coelho, amargera do ri i Capibaribe
i no Monteiro, assim como a cas; que foi do
Sr. major Raixa. na povoaf i, com boas
commodidades para grande fanilia: a tratar
na rua do Crespo com Andradfe & Reg.
Aluga-se para se passar a~festa um
sitio ci muma boa casa com lastante com-
modo, caiada e pintada e at: lavada, no
lugar da Torre e muito fresca a tratar na
padaria da Torre.
&
Aluga-se um sitio na T*rre para se
passar a festa com alguns commodos, caiada
e pintada e muito fresca por barato prego :
a tratar na padaria da Torre.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
FABRICADO XA CASA HE DETENCAO
Rlia \(iv;i n. 61.
Ahi se encontrarao obras de di- S
versas qualidades, e por prego mui *
diminutos, a retalho e em porgues. H
S S se vende a dinheiro. L$
mmmmm m&mm mmm
EsCItAvA.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
interno de casa de faraih| : na rua da Cadeia do
Recife n. 52. lerceiro andar.________________
Aluga-se urna casa muito fresca com
sitio na estrada do Jacobina (Capunga No-
va^ tendo terracos e canteios para flores
UBYIXTHOS
Ricas toalhas de labyrmlho, fronhas de labyrin-
Iho, bicos e rendas da ierra : na rua do Crespo,
loja n. 7 A.
Na livraria universal, rua do Imperador n.
54. ha para venderNova Lei Hyp..iheraria cira
os regulamenlos- diversos Mhelos sobre o sy-t^-
roa niejnr.o por diferentes autores, e precos de
400 al 34000.
Vendem-se mais barato do qoe em qualquer
parle para liquidar, dous bonitos motores para i
e 4 cavallos, os quaes sao proprios para mover ma-
chinas de descarocar algodao, cylindros de pada-
ria e outras qn I63qa*r m-i.-hmas : a ver e iraur.
na fabrica da travessa do Carioca n. i, caes do
Ramos.
Vendem-se duas escravas de 12 a I i annos,
sendo urna crioula e outra cabra, leodo ambas ha-
bilidades : a tralar na roa de S. Gonzalo u. 5.
Vende-se urna negra crioula de bonita figura.
sabendo cozinhar, engommar e fazer o mais serTl-
(,'0 de urna casa, nao tem vicios nem achaques : oa
rua do R >ngel o. 7, 2 andar.
Vende-se nma casa meia agua na travessa
das Rarreiras, por prego muito commtdo : oa mes-
em cada um dos lados da casa, dous portos ma travessa n. 9 se dir quem vende,
de ferro, banhtiro, cocheira, estribara, ga-
linheiro e quartos fura, assim com commo-
didades, bastnte fresca, tem cacimbt com
soffrivel agua e o sitio todo murado : a
tratar na rua do Pilar em Fora de Portas,
primeiro sobrado a direita logo depois do
arsenal de marialn, ou na rua da Cadeia
Velha (Recife) escriptorio no primeiro an-
Vende-se vinte milheiros de tijol" de alvena-
ria batida da melhor qualidade que se pJe encon-
trar, a razao de :in o milheiro : na otaria da
Rarreiras u. 10.
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMAD
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, rua da Cruz n. 22.
aamft h D",?JS4rcv
L-S-h Idos MENINOS
Os elementos que compoem esla |)reparac5o, o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Lusla attestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prticos mais eminentes,
que confirm;rao sua poderosa cliieacia as se
guintes affecedes:

Mineo Frqu.-T.B.
Aarnila,
Chl<- ou Ictericia,
Mcntruo,
AfTcccom do otero,
SupprenMoeii .la*, rc-
ft-raa r dcaord ca na
nieaNtruaf ao,
Affi-crao piilmuDiir e
ahttalalca,
Molmtlaa >l Gaatralf(laa,
Perda d'aaBrllle,etc.,
Can va leneene a de Ion
Kan niolratlaa,
Maleotlaa eiicrarala-
Mi,
Panelra,
ObHlriirraa daa glan-
dulaa,
Huiuore* trios,
Tuuiore* braneos,
Rachltlumo,
AfTcerra canceroaaw
e Myphllltlcaa,
Fehre typlioldea,
BeilgnN, etc., etc.
Vejaos: os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gazeta
dos hospilaes de 28 de jutho 1860, etc., etc.
Alim das plalas de iodureto duplo de ferro e de
quinina ,le Re ilion, os Mdicos aconsclliao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ierro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob fr
ma pilular e os meninos. F.ste xarope nSo tem
como o xarope d'iodurctode ferro, o inconveniente
de altcrar-se c de se nSo poder conservar.
Peca-se o folhelo que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitaren) falsifcac5es, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
4 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes jstrangeiros, etc.
As
piirao producida!
pt'ljiM elaboracoca
I I fi \: (.(,.,! ilonall
IIK-IltOH.
pastilhas digestivas com a pepsina de
Wasman, empregao se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medcaos de
Pars, Londres, Vienna, etc., em lodas as in-
commodidades cm as quacsadigesto dil'fcl,
penosa, imperfeita ou mesmo iinpossvcl: es
o melhor remedio para cural as.
Gastralgia*, Diurrlienn e a ronMll-
DlM}ICp**UH,
Ei.-i buraco*. yHMlrlcop
A K.ltllll-,
A nfl. itim'. oraunl-
raa do rnliiiajco,
Sua accao vivifica o sangue c os rgios de
tal sorte que, ath as pessoas que sem sofTrvr
as affeccoes gstricas cima mencionadas sao
nicamente iracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, c necessilo substancial alimento
para forlificar-sc, achilo no emprgo das pastil-
has depepsina de Wasman, um poderoso mcio
para a isso chegar.
Aviso importante.O successo das pastilhas
pepsina de IKosmandcu causa a se fazerem
falsficacdcs e mitacoesd'essc proilucto que os
mulos se querem desfzcr. Pois por falla
d'uma boa preparacao o pepsina (jue n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastilhas tehbS as iniciaos B. P. c saio da
pharmacia Chevrier.
Deposito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
211 Faubourg-Montrnarlrc, e coi lodas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes ostrangeiros.
CURADAS PELOC
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra aa CLICAS DOS MENINOS
e duranlr a dr tlfe
(Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
tea
N' S. Contra a
TOSSE CONVULSA
NERVOSA
a TOSSE
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
V 3. Contra aa
convulcOes
A CHOREA
nos meninos
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissmo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamenlo das molestias dos
meninos cima indicadas, e verSo encher um
vacuo importante na iherapcutica, no que toca as
affeccoes da infancia, para as quaes, ath hoje,
ainda se nio pode indicar tratamenlo racionnal-
ncm nfallivel.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharraaceu,
ticos depositarios.)
Preco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falshcacocs, exija o com-
prador que rada frasco tenha sobre os rtulos a
asignatura Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Franc*
* los paizes cstrangciroR.
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras prepararles de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos, os paizes, para prevenir e curar as
DE CHEVRIER
MiiIi-kiIum de liudo,
A Ictericia,
ralpiturno do corarlo
llore naa rlna,
Dlarrheaa chronlcaa,
DyaHenterlaS,
mires d'catomago,
nyapcpftlao,
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
Maa dlgeatea,
Gaatrltea,
Gaatralglaa.ete.,
Oppi-eeot-a,
Iirt'H de rabera,
irritaeca le beaiga e e em 'odas as pharmacias ae Franca e dos paizes
4a niatris, ele. eslrangciros
MASSA e XAKOI'E
DE CODENA
DB
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Hagendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martn Soln, Arar,, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Ins'lituto de
Franca, mdicos dos hosptaes de Pars, tem
provado que a Massa e Xarope delBerthi
o remedio o mais seguro contra lodas as
dores nervosas e tendo a propritjdade de
calmar com admravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico), defluxo, coqudluche on
tosse convulsa, bronchite e tsica p limonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achSo em lodas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificaran, ex i ir cm
cada produlo o nome
e a firma Berth.
Deposito geral em Paris, em casa <
Rua Sb-Croix-dt-Ut-Bretinnelr
A tten?am
Senhores e senhuras.
Os proprietarios da nova loja e armazem de fa-
zendas e roupas feitas, rua da Imperainz n. 72. de
luzr M pr'-co*
que eiu uuira
Hibeiro.' Qualquer parte, afim de apurar dinheiro.
.---------- i Lanzinlias de tolos os padroes Hf barato preco
Sevenano de Siqueira Cavalcaot faz puhli- por ter Rr;iude mdo, a saber. 2iO e JVO. m <
co pelo preseute que Ihe perleoce hoje o escravo j 320 rs. o covado ; vende-se tamb-m um grande
Caelano, cabra, estatura mediana, de idade 25 an-1 sori,ento de chius eslreitas. pelo diminuto pr-co
nos, nao obstante ja tem alguns cabellos braneos, j de 00 rs. o covado ; ditas franreza* larca, a JM>
nariz arrebitado e grande, pernas cambetas, l's e 2(J0) 280, 300 e 320 rs o covado ; d;Us preclaras
apalheiados, com faltas de unhas e costas cicatri-! mml0 fillas a :m |m iW e 500 rs. II ,
zadas de relho, o qual fugio do engenho Para fre-! si0 so Iia nova ,0ja e armazem de fazend-s e r.u-
puezia de loojuca. do poder de Jo.e Valentn) :pas feiUs de Guiraaraes & IrraiU rua da Impera-
dar da ca*a n. 3. Para a casa ser vista pe-1 Gu"imar5e< & innao. araba U n
los piel en ientes acharo as chaves no sitio de suas fazeudas menos 20 q/o i
junto do Sr. Joio Baplista Vieira
ERIER,
ASTHME
Pelas commiisoes em grosio, dirigirse aos S- WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, rna Saint-Laxare Paris.
ASTHMA ASTHMAH ASTHJWA
Suffoeceo nervosa e Opiiress*
nico remedio cfficaz para comba) er estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Sui uno (mbar
ainarello) do Dr Danet. Descoberta inteiramente
recente, este novo producto se ten propagado
com extrema rapidez gracas aos adm raveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Gb.au veaud, 5i,
rua do Commercio, l'aris-Grenelle, ( em todas as
bcicas de Franca e do estrangeiro.
...--
mmm
' Vieira de Mello, de quem rerehi em pagamento.
| Recife 9 de outubro de 1865.
Alagase urna escrava que sabe engommar
; e cozinhar com perfeico ; quem a pretender diri-
ja se a loja de barbeiro, rua do Crespo 0. 70, que
achara' com quem tratar.
Precisa se de ama ama pira todo o servico
> de una casa de pejuena familia : no pateo do
Carmo, e-quina da rua de Hortas, armazem n. 2.
Precisase de deas araassadores de padaria :
a tratar na rua eslreiia do Rosario o. 2 A.
Leite aop da vacca.
De domingo lo do correte em dianle haver no
pateo do Carmo leite ao p da vacea as 6 horas da
manha, pouco mais ou menos, o copo a 200 rs..
triz n. 72.
E' baralissirao.
Pegas de cambraia branca a 3; e li'xH), rfna<
rnais linas a 1.5 c i'mMI at !>$. raronrau org-ta-
dysde lindis-im >s deenh-s .'lo e ;t>0 r*. o co-
vado, ditas muitas linas a 400 e i Vi, Mi so oa
loja de Gaimares & lrm.10 roa da Imperatriz
n. 72.
Aos 2,000 cobertores.
Vende-se cobertores de algodao a I?, ditos me-
lhores a 15'iiiO, 29 at 69. grande soriimeaio da-
chales de merino pelo barato preco de 2a e W,
3j), 3?.iiKi e i?, ditos finos a 5?, 69, 8;, ditos J-
renda, os melhores, que tem vindo ao mercado,
por baralissirao prego : isto s na loja de Gui-
maraes Irmo, rua da Imperatriz n. 72.
Ol que pecindia.
Cambraias de urna s cor, fazeoda muito nv>-
Precisa-se alugar um escravo, paga-se J0
mensaes : qaam liver enten Ja-so cora o chefe da j derna, a 320 e 360 rs. o covado, vende-se .por est*
estaco das Cinco Pontas. preco por ter nm pequeo loque de mofo ; grande
! Aluga-se o sitio da Bi Ve'rdTnTlTSa Ca-' tS^S^J^SH K7? S-a-TT lS?
ponga, com duas casas de vivmda e arvoredo, W MpVa?ri n % '
g^gy-gy-?-1!* Pr lerbanh0 e vlVtif Os mibKnos"vestidos de cambraia borda-
ro^j tratara, mesmo___________________ Idos.fazenda inleirament^ nova, por preco mniu>
Precisa-se de um cralo para rapaz soltero, barato; lambem chegaram as mais modernas
e que entenda de bolear; 110 largo do Carino n. 2, mantas de seda para pe-c.><;'. e vende-s<- > >r eom-
2o andar.
- Antonia Maria Monleiro declara ao respeita-
vel publico que nada deve, e quem se julgar ere-
I dor da mesma, apresentara' suas contas no praso
1 de tres das para seren sabsfeitas, na rua do Ale-
1 t m n 4.
O abaixo assjgnado, consenhor e rendeiro do
1 sitio denomidado Tacaruna da freguezia da Boa-
Vista, pelo presente convida aos seus censenhores
a virem receber o Io anuo do arrendamento do
; mesmo silio, lindo no dia lo de julho prximo pas-
1 sado na (ilha dos Ratos) rua da Saudade n. I, vin-
, do os mesmos consenhores com seus ttulos legali-1
sados, das 3 horas da tarde as 6.
Manoel Joaquim de Miranda Seve.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar para una cosa de duas pessoas : a tralar
na rua da Imperatriz n. 3i, 1 audar.

Aluga-se um sitio perlo da cidadd
na rua do Crespo u 8 B,
a tratar
Justino Marlins de Almeida deixou de ser
procurador do Sr. Jos Francisco Bento desde o
! dia 4 do eorrente em qee ficou cuite : convida ae
1 mesmo sentior para o recebimento da procuracao
modo preco : isto s na loja de Gumarae- & Ir-
mo, rua da Imperatriz n. 72.
Pecliincha admiravel.
Este novo estabelcciraento receben um gr
sortimento de riscadiobos eeosezes mr.:> \r -
prios para vesiidos de senhons e meninos, a ;t2<>
rs. o covado ; vende se ura grande sorlinicnio de
entre meios e babadinho-, e tiras borda Ja-, por ba-
rato preco.
Roupa feila.
Vende se um grande s iriiment) de roupa frita
de todas as qualidades, palitots, calcas e cullet-s.
camisas e seroulas: ludo i>to so
\a nova loja de fazeu las de Goinare
& Irmo.
Rna da Imperatriz n. s.
Gal de Lisboa.
Vendem-se barris com ral de Usb-ja a t<& caJa
ura : na rua do lrum u. 66. armazem d- as>oear.
Arroz com casca
Vende-se arroz eom casca por c mmodo preco -
a rua da Seozala .Nova o. 29.
, a. a
T__-~-^


urna
a molestia ou infecto pecu-
lial conhecida pelo nome de Es-
crfula um dos males mais
'prevaleoentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse um cele-
bre escriptor da medicina que
< mais de urna terca parte de
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrfu-
la :por si nao t5o des-
tiva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do /gado, do estoma-
go e affecrdes do cerebro :Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falla de appetite ; o semblante pal-
udo e ds vezes incitado, ds vezes de urna
alema transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fragela e
molleza nos msculos: disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, venlre
inchado e eracuaco irregular ; quando o
mal tem seu assento sobre os uulmoes. ame
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados :o hlito finido,
a lingua carregada, dores de cabera, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposicao escrofulosa ap-
parecem frequentemente crupees na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas ;is a/fecedes dos pulmdes, do jigo-1
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosa; da escrfula que necessitam de pro-
teccjio contra os seus estragos; todos as
quelles em cajo sangue existe o virus laten-1
te d'es e terrivel flagcllo (e s vezes heri-
ditario estao exposlos tambem a soffrer das |
enfermidades que elle causa, que sao:
A plthysica, ulcera roes do /gado, do es-
tomago e dos rins : erupcoes e enfermida-
des en, 'liras da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbul/ns. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumaca -bunculos, ulceras e cliagas, rheu-
matisuu dores nos ossos, as costase na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fertnidalles uterinas, hijdropesia, indiges-
Ido, enf aguecimenlo e dvbilidade geral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e li nalmente consump^o pulmonar :
as glanulas ella produz inchaeoes e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affecces cuta-'
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, cahecem do mesmo remedio: a sa- [
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa itarrilliu le Ayer
compoita dos antdotos mais elica/.es que
a sciencip medica tem podido descubrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdaderamente extraordi-1
narias provado inconlestavelmente pelas
curas notjavcis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupcoes cutneas, erysi-
pelas, boryulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parchas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos! nos pulmoes. Debilidade ge-<
ral:Indigesto, Sgphiiis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulcerdces do ulero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza j
do sanguet Vede as certides no Alma-
iwuk e .Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugaies onde
se vendemjos remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtudes: posto que oflerecido
ao publico sob o nome de Salta parrilla,
composto de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa patri-
lha no seu poder aliante.
PElTOH.tl DS CEKEJA M. AYER.
Gura pr* impamente a astlima, brcmcliite,
tosse, defluxo, angi-aa, coqueJuche,
phlliyika primaria, tubrculos
pulmonares, e tedas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmones pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo peitoral de cbhesa do db.
AVKIt.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. i.
Vende-se em Pernambuco:
na
.1
-'yji/
HARMACIE FRANCAISE
deP.MARER&C'I
RA NOVA N 19
(jraude bazar
Ra Xova ns. O c **.
Carnerro Vianna, proprietario desie importante
eslabeleciinento, tem a satisfago de scienliicar ao
rospeitave! publico, que acaba de recelar as uti-
lisslmas estetas magnticas, as quaes tem a pro-
priedade te tornar lirme a mi que cuei ellas es-
crever : est poriamo sanado o mai tao comnium
a'pessoas de idade avanzada, ou atacadas de mo-
lestias nervosa-.________'____________________
Celta da Baiiia superior
Tem para veoder Antonio Luiz de A&eredo &
C, no sea escriptorio ra da Crai n. 1.
lgodlo da Baha
Na toja de Acdrade & ttego, ra do Crean* o. 8,
esquina da ra do Imperador, vende-se euperior
algodo da Babia por meaos preco do que ra oo-
ira qualquer part.
Vndese o sobrado n.21 sito na roa e S.
Pdro Martyr era Oiinda.c vende-se tambem nm
terreno onde se acha edificada grande parte da
cidade do loo Formo-so, o qual terreno >e eslendc
da matriz at o trapiene: a tratar na na da Vniia
K.j?.____________________________
0 castello de Grasville.
Trauzido do francez por A. J. f>. da Crm.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratsimo preco de 3600(
aa praea da Independencia, livraria ns.
6 e8.
PARA ACABAH.
Vendemse as procuradas caixas para tabaco
feitas no Aracaty a iOO e 500 rs.: na ra da Ca-
deia d. 7, loja. |____________________________
Vendem-se cinco terreno; coalipuot a ra
da Uniao e Saudade, e o sobrado da ra da Roda
n. 'i7, com bom renJimenln annual : a tratar com
seu proprielario no Campo Verde o. 18 C. 1
Grande ioja e armazem do
Pavao.
Ba da Iraperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Tendo os proprielarios d'esie eslabelecimenlo de
liquidaren) urna grande porrao de suas fazendas,
al ao lim docorrenle auno, lim defecharem ron-
tas e apurar dinheiro, resolveram vender todas as
fazendas cora grande abatiinenio em preeos, tanto
em purrao como a retalho, e por isso previnem a
todos os seus freguezes, e ao respeitavel publico, e
as|pessoas que negociaiu em pequeua escalla com
fazendas, que ne.Me eslabelecimenlo enconirarao
um grande sorliraenlo que muito Ibes bao de agra-
dar tanto em preeos como em qualidade -, assim
como mandara pelos seus caixeiros levar as fazen-
das e amostras as casas das familias que nao po-
derem vir a loja, ou dao as amostras duixando li-
car penhor.
lanilirais lisas a 3.sb00, ua loja do
|a>ao.
Vendem-se pecas de cambraia lisa branca e
transparentes, tendo oilo e roela vara cada peca,
pelo barato precu de .'15500, dlias muilo linas, por
4oo0, S&, 6 at i0, sendo lapadas e transpa-
rentes, assim como cortes de cambraia com salpi-
cos a 2&M) : isio s ua loja e armazem do l'avao,
na ra da lmperatnz n. 60 de Gama A Silva.
Casimiras escuras,
na loja do Pavo.
Vendem-se superiores casimiras escuras, mes-
ciada e enfestada.iofn seis palmos de largura, pro-
prias para calcas, paletots e coletes, pelo barato
preco de 1(MKi o covado, assim como corles da
mesma fazenda para calcas a 25800, ditas garibal-
dinas muito boa fazenda a tjj600 : isto so na loja
e armazem do Pavo, na ra da Imperairiz n. 60
de Gama & Silva.
Chales pretos a I0;)0(O.
o Pavo.
Vendem-se chales pretos de renda muilo gran-
des de quatro ponas, pelo baratsimo preco de
i05 cada um, ditos brancos de tres ponas a 69 :
na loja e armazem do Pavo, na ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Retondes a 125000.
Vendem-se ricos retondes de renda prela, pelo
baralo preco de J^OliO : islo na loja e armazem
do l'avao, na ra da Emperatriz n. 00 de Gama &
Silva.
Cortes de phantasia a 3J500.
Vcndem se os mais luidos coi les de pbanlasia
com as mais lindas cores qce tem vindo ao merca-
do, sends fazenda transparente que serve at para
bailes, pelo baralo preco de 35500, dilos brancos
fazenda muito fina a 15000 : isto na lja e arma-
zem do l'avao, na ra da Imperatriz 0. 60 de Ga-
ma & Silva.
Percales do pavo.
Vendem-se as mais linas percales com os mais
lindos padroes, sendo das melhores que tem viudo
ao mercado a iO rs. o covado : islo s na loja e
armazem do pavo, na ra da Impertir n. 60, de
Gama A Silva.
Cantaras de forro
Na loja do pavo.
Vendem-se pegas de cambraias de forro muilo
boas, pelo baralo preco de 25 e 2-5500 a peca :
isto s na loja e armazem do pavo, na ra da Im-
peratriz d. 60, de Gama v\ Silva.
Costumes para liomcns.
A 131000, na loja do pav5o.
Vendem se superiores eostomes de casimira ga-1
ribaldina, ,-endo calca, palelot e colete, pelo baralo |
preco de 135, ou vendem-se separado, sendo calca
te mesma fazenda por 45, palelot da dita a 65, co-
lele da mesma a 35, calcas de cassioela fazenda
de ama s cor a '15. e paletots da mesma a 65, c
um grande sorliraenlo de calcas de casimira preta
pelos baratos preeos de 65, 75 e 85 : islo s na
loja e armazem do pavo, na ra da Imp.ratriz u.
60, de Gama & Silva.
Calcas e paletots de casimira
vende o pavo.
Vendem-se superiores caigas de casimira de dife-
rentes cores, sendo fazenda muito tina pelo bara-
tissimo prego de 75, paletots saceos da mesma,
sendo obra muito bem feita pelo baratissimo prego
de 105000 : isto s na loja e armazem do pavflo,
na ra da Imperalriz 11. 60, de Gama & Silva.
Os col leles do pavao.
Vende-se um grande sorliraenlo de colletes de
todas as qualidades, como de casimira de cor, di-
ta preta, de velludo, de meiacasimira, de brim
brain'o e pardo, vendendose ludo isto por um pre-
go que muilo Ibes bao de agradar : islo s na loja
e armazem do pavo, na ra da Imperalriz u. 60,
de Gama & Silva.
Cortes granadinas.
A 10)5000, na loja do pavao.
Vendem-se os mais ricos crlis granadinos, fa-
zenda de muita phantasia que serve at para bai-
les por seren transparentes e com palma de seda e
tecidos com a seda, pelo baratissimo prego de 105
cada um : isto s ua loja e armazem do pavo, na
ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Percates cum mofo.
Xa toja do i'avfio a 360 rs.
Veudem-se as mais linas percales com liudissi-
mas cores para vestidos de senlioras, leudo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-s<: pelo taratissimo prego de 360 rs. o co-
vado : isto s a toja do Pavo ra da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
0 bramante do Pavao.
Vende-se superior bramante d (mito da melhor
que tem viofro ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 25600 a vara, panno de tinho muito su-
perior para tenges, loalhas e seroulas A 6i0 e
700 rs. a vara : isto na toja do Pavo a ra da
Imperalriz o. 60, de. Gama A Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de lodos os ta-
maitos a 25500 rs. a desia, diias de seda prela
para Mdboraa a 800 rs. e par, dit*S iiiglezas para
homem 1: 55 a duzia, islo a loja do Pavo na ra
da Imperaniz n. 60, de Gama & Silva.
As eamisinhas do I'a\n:.
Henem-se as mais msdernas camisinhas borda-
das com manguitos, para seuhoras, sendo as mais
modernas que tem vindj ao mercado a 45500, di-
las com manguitos, para acabar, a 45 ; ditas prc-
las-oo.-i) manguitos p:u-s lulo a 15800 rs., mange-
los etgoliuhas preas 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinitas para
mcuma a 640 rs., nmteiras de iii e cambraie
brama bordada a lG;rd : na lojt do Pavo, rna
da toperatriz n. 60, de Gama & Silva.
I'a/.einlas lirati.-as na loja do Patn
Vsde-se um grande sortimenio de madapoloe?,
chites, algodozmhos das melhores marcas, ge-
raattisdo-se vender mais baralo do que em ouina
qwdsjaer parle, sendo a diuheiro a vista, na toja de
1'avi 1. ra da Imperatriz n. 60, de Ganu & Silvc.
Lanzinhas da Escossia
a 360 rs. -o ovado.
V sia, -sendo a fazenda sais moderna que tem viada
ao mercado esle anno, por serem a' imitago das
sedas-escossezas, com as mais -lindas core?, pele
barattseimo prego de-300-rs. o-cavado : na loja-e
armat-em do Pavo, ra da'Imperatriz n. 60, d
Gama Silva.
Soulbeniltarqucs de oir.
Vendem-se souihembarques de cor muito bem
enfeilados a 55, 65 6 7{000 para acabar : na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Organdy iiivmussbmi.
Ghegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padroes, sendo quasi lodos listra-
dn-, como se usara agora, com as mai- (indas cores
a linas; veodendo-se pelo barato preco de 900 rs.
a vara : na Joja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Chitas a 210 e 280 rs.
Vendem-se superiores chitas escoras aliO, 280,
320 e 400 rs. o covado, sendo lodas de cores lixa^ ;
ditas inglezas, muito boa fazenda a 2(j rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de. Gama iV Silva.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000cada um, bavendo tambem um
grande sortimeruo dos mesmos matizados que se
vendem a 65, 75 e 85000 : na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama <\ Silva.
Os Billas do pavo.
Vendem-se rlquissimos tintos de filas de diver-
sas cores e dourados com tivela larga e dourada,
assim como enfeiles para cabega dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao mercado lodo
isto se vende por um prego razoavel que muito
Ihes ho de agradar : isto s na ja e armazem
u.> pavo na roa da Imperalriz n.',60, de Gama &
AGUA BKANC4.
olleii's de marroqoim, com cascaveis
e se 111 el les.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroqoim,
pospontadas e com cascaveis, ou sem elles
proprias^ara caes e outros hichinhos.
Vn na* inglezas de ac e douradas.
No novo sortimento de peonas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu! bem acabados, e por essas boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry & C, as recommendam ans
entendedores'1 apreciadores do bom, valen-
do mesmo a dillerenga que ha no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na continoacao de escrever ;
assim pois quem dellas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Fi-injas com borlas e sem ellas para
cortinados.
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do preco est
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
da na ra do Queimado ioja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso entreleni-
ment.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por preeos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que das diversas pinturas dellas se formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
telhgencia. Os apreciadores dirijam-se
ra do Queimado, a dila loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que setao satisfeitos.
Bonitos enfeites para senlioras,
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimenio de enteites os mais
modernos e gostosinteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de laa para senlioras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na lo;a da Aguia Branca acha-se a venda
0 papel com compoMcao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeito efficaz : molba-se o papel e deixa se
ficar n'nm pralo, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen! e morrem. Custa cada fo-
Iha 40 ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brinquedos c entretenimento
para cr i ancas.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu diveisos brinquedos para crian-
gas, sendo estiadas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos de metal, louca pinta-
da e porcelana donrada para a I moco e jan-
tar e amitos outros brinquedos de madeir"
que se vendem baratamente : na ra uu
Queimado, loja da Aguia Branca n 8.
Meias pretas de seda para seuhoras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
cao de meias pretas de seda para senlioras,
e apesar do muito maior preco que Ibecus-
laram e o bom estado em que anda estao,
comludo est resolvida a vende-las a 510
ris o par, aOm de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, ag ra pois apro-
veitarem a qnadra e dirigirem- e ra do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
bem vender as brancas a 1(5 o par, e des-
tas o nico deleito estarem um pouco tri-
gueiras,
Vende-se nm moleque CTin 16 annos de ida-
de, e a(i)ga>s outro para criado, muito bons e
muito espertas : no Gsrredor do ispo n. to, Na
mesma casa alagan una escrava que salba ven-
der na na e seja fiel.
IoIkuzkm-
de fazendas baratas de Santos
CoelhOy ra do Queimado n.
19, vende se o seguinte :
';. 'iinirs de panno de lioho a 25200.
Unos de bramarte de linhode um s panno pelo
<)aratissimo prece de 35200.
(iberias de chita da India a 2540.
Pegas de cambraia de salpicos branca e de cor
com 8 l|2 varas,pelo baratissimo DTOC de 45500.
Pecas le catnteraia adamascada com 20 varas,
propria para cortinado a H.
Daloes de arcos a 35, 35500 e 45-
Lengos de carotraia brancos pequeos, a duzia
25OOO.
Ditos ditos de dita tinos, a duzia :>Gio.
Ilramante deknho fino com 10 palmos de largu-
ra, pelo baratissimo prego de 5400 a vara.
Atoalhado de inho a vara 25800.
Dito de algodio 25-
Alyoao ettestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para saia a '.t&H 0.
Tilo de linlio liso lino, vara WW rs.
Uno com salpicos a 15-
Cambraia d' linbo fina, a vara 455'00, 6,600, 9*.
Klanella branca lina a 600 rs o covado.
Dita de cores a 880 rs.
Corles de algodozinho de lindos gostos. com IS
covados, 1 lo baratissimo pre^o de >&
Madapolo Rao largo a 95 e 105 a pega.
Esleir da udia de 4, 3 e 6 palmos de largura,
propria para forro de sala, por menos prego do que
em oulra quabjuer parle.
Neste armacem tambera se eocontra nm grande
sortimento de roupa feila e por medida.________
Algodo 'trangado da B.ihia : no armazem de
A. V. da Silva flarroca, roa da Cadeia n. 4.
n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-
netos e ocelos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo c tartaruga, e os est vendendo
por preeos razoaveis: os pret-ndentes diri-
jam-se a esta k\ja na ra do Queimado n. 16.
CAMAS DE FERRO-
Grande sorlimeolo de camas proprias para col-
1 vi e tambem para quem quizer passar a festa :
veude-se na ra Nova n. 33.
iia! wmwm mmmm
VILLAR i
| Com luja a ra do Crespo n. 17. g5j
Receben de Paris sedas em corles mui- aje
lo superiores e bellissimos padr5?s, e
P chales ds renda pretos para 105.
liste importante eslabelecimenlo torna- a
se recommendavel ao bello sexo pela va- *S
P| riedade de fazendas superiores e bellos fiji
gostos
prateja o helio sexo ao Villar
W e vero todos a prosperidade.
m mmmmmmm mmmmmm
GAZ, GAZ, GAZ.
Gaz em latas, o melhor que tem vindo ao mer-
cado : vende se no armazem de Barros A Silva,
travessa da Madre de eos o. 57.
Outros objeetos
de
Viudos tambem para a antiga loja
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatiohos de setim bianco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, corresp indente no tama-
nho dos sapatintios.
Outras mui finas de
brancas listradas.
Luyas finas de 80 da E|scossia
de cores.
Ditas de seda para set
Ligas de dita pata sen
Pcntes de Lar t ruga mi
embaracar.
Carriteis com retroz prd)to e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francesas, as acamadas.
Caixinhas com allinetes
Haspas de baleia para
Fitas de linho proprias
Caixas com linhas de
para crochets.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
llouifas flvellas gr indrs de ac,
douradas, madri'perola e lai'-
taruga. [
A loja de miudezas irua do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac.
douradas, madreperola tj tartaruga, as quaes
esto sendo vendidas em dila loja por pre-
eos commodos ; assim ((orno boas e bonitas
fitas de gorgorito achama
ra ditas fivellas.
Orillo* de penetra
Liquidacao no armazem da
Arara.
lio da Escossia e
brancas e
loras.
lor.is c meninas.
i fortes para des-
brancos e pretos.
estidos.
para ditos,
novel los grandes
qualidades, para quem soffre
da vista.
lotado, proprias pa-
e de outras
ra do Queimado
oculos de peneira
A nova loja do mind*tt roa ta Intfi
provida de um eompu lo kw tim u\ < ii<
O proprietario da loja e armazem da Arara val
lazer liquldacao de lodas as fazeudas, s para a
purar dinheiro a saber :
Lencos de cassas brancos com bai ras le cor.
Vende-se lencos brancos com barras de cores a
160 rs. cada um, dito de mais delicadas cores '0
rs.e brancos a 200 e 240 rs. e ditos de lioho a :KX> e
600 rs., de esguio a 700 rs. um lenco : Mo pa-
ra a|cabar.
Iliflaiiha enfcslada.
Vende-se a mais lina bretanha de linho e entes-
tada a l a vara, .-eudo fazeuda >|ue sempre <:
veudeu a ia400 a vara.
Laazinlias a 2 iO rs. o covado.
Vende se um grande sci lmenlo de laazinhas .1
220, e 2'tO rs. o covado, > para acabar : no ar-
mazem da Arara, n. 56, Mendes Goimaries.
Cainliraias de cores.
Vende-se una grande porco d>- cambraias de
cores, das mais modernas que tem rindo, ao mer-
cado, e se vende a 300, 320, 360 e i'.'O rs. 0 cova-
do, sendo fazeudas mullo linas, s na Alara.
Chitas francezas. n- portanto as Eitnas
Vende-se chitas trncelas a 2CO, SW), 300 320 d- darnos a preere:
rs., percalas a 360, e. 400 rs. o covado, dulas para
roberas a 240 rs dila largas :i20 rs., o covado, di-
las enramadas da mascadas a 320 rs. o covado islo
para liquidar.
Cambrais para forro.
Vende-se cambraia para forro a i& a pe;a, com
8 1|2 varas.
Cambraias branca linas.
Vende-se cambraia branca a 3. 3Jo(;0, 5000
11000,3J eo'S'oo, e sendo muita Una e lapada a
6#, 6J50 e 1> a |ieca.
I.a/inlias lisas.
Vende-se laazinhas h>as, senda bonitos uradf'ie?
a oOO rs. diias a 400, e 440 rs. o covado, >o na io-
ja loja do Ai ai .1 n. 06
Esijuio.
Vende-se esguiao du linho lino a I5MK) a vara.
lilLiinlircs para liomem.
Vende-se chambres para homem a i e ijooo
cada nm, colariohos de buho para liomem, jue se
vende a 560 cada um.
Chales de merino a 2 MKI.
Vende chales de merino a 2 cada nm, dit li-
sos. 4, estampados a 65 e 7 MenJes Guima-
raes.
Colchas.
Vende-se colchas de fostao a i5 lila- de damas-
co a 4, dita de chitas 2>2io, i>. cada urna, isto
na Arara n. 57.
Algodo Para saceos e roupa
da fabrica de Pernao Velho, e de
qualidade : vende->e no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do C-jrpo Santo
numero 19.
TEHREXOS A" VENDA.
Vende-se um terreno proprio para d ;
collocado no centro da idade, com 68 ;>a!r
frenlee2l8de fundo, tendo tres bestt -.
ra da Palma, da l'az e da Cincordia : > kftter-
macoes, na ra do Sol n. 37.
Luvas de Jouvin.
A loja de miodezas na ma 1! y
do n. 16, resebeu-as por esta tii:,n...
Novidades de apurado gonto
1
: 1 '
,
gosto propriaiin nle para mh>Ii ra, w
menrionamos algn.- dos :..!' pr.rurari'
Si ;:.iii : ricos siolos pi ra -en! r 1 '1 V '.
I ara siulo sendj estas domadas Si .
, Jila- domada- chapa Urga a 3J e II
| buUlo imitando tartaruga .'-'d
! aradas p y slu propriamenle m> J ra
3 e .iu5'oo e alfomas i ara l. aim r
na mesma ioja o- idl.i pro.urati bn -r----
il a i.'iOo, 25500. ?i 1 :55i4), -i;..-
imando perolas a l>. 2| e tfS< O, -
cuntas clavadas cora peilrinhas a l-V.1-" I
o

1 1
_! .11)
1 1 ;
ri.horas r: 1 -
, : 01- qo- i
servir a roittci.lj lautot-iu !.?>.'> toinn
para assim rolbermos mau 1 mkbph
isto na l.ija de Manoel J i'.nm Das <
lmp lalnz.
Ilenn Forst r A C.
na ma do Imieradoi n :i. on m ,;?* dr i-.n 11
11. -t. : 111 para vender o MgnhMe :
Farinlia de trigo da- melhores marra- ?!< es
no meri-ado.
Machinas americanas ii 20. (o, 50, M 'er-
ra? para descarocar algodio.
Motores para o arrvioi das machina-' iu ruir
quah|uor Irabalho bndrnli a redagem.
Prensas para ensacar algo^o.
Ilota- americanas para cabrio efc
Gaz le pi imeira qualidade olmament" -::.ia-.
rel- navio iJaboaiaV.
Vendem-se
de escravM
muito superior
est
A' loja de miudezas
n. 16, tambem recebeu
com vidros claros e escaros, para quem sof-
fre da vista, assim comq ontros de armacao
de ago, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos decjrnalina, os quaes estao
a disposigo dos bons prstaos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas Anas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezasn. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objeetos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Filas finas de sarja da mais eslreita que
ha at a mais larga, tpdas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sferja Uvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorguro; de seda achamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
Id.-' Je seda prela e de outras cores pa-
n jruar vestidos, colletes, palitos, etc.
dem de laa igualmente sortidas em cores
0 para os mesmos flns.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e prelas para
soutembarques. vestidos pretos, etc,
Novas e lindas nuarnicoes para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos. .
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botes para os meemos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas edres.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos lamanbos.
Lmelos de d e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
Rival sem segundo
Ra de Queimado ns. 49 e 5o, loja de
miudezas de tres portas, est quei-
mamo ludo lio 111 ebarato, quem qiii-
f. Bigoilinlio.
Cateas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 000 rs.
1 Grozas de bolones de louca prateados fazenda mo-
derna a ibO rs.
, Dizzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de laa lisas e de todas cores a
' 40 rs.
Estovas nissnas para limpar denles a 240 e
320 rs.
1 Pecas de fila de cs estrellas com 10 varas a
, 320 rs.
; Caixas com cokhetes francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinla a 100 rs.
IVi-a- de cordao para vestidos, fazenda I iva a
20 rs.
tiarallios muito tinos para vollarete a 200 e
240 rs. .
Latas com superior bauha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito lino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes rom superior agua de Colonia a I
640 rs. ,
Caitas cora 12 irascos de cheiros muilo Gnos a acompanha um folheio que eosraa o m 13'(00. se deve applicar, assim como agua bal-amica,
Sahonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a opiata e poz para limpar denles.
330 rs. Banhas.
Duzia de .abneles pequeos com cheiro a 700 rs. | Grande sortimento de banhas em copos, em la-1
Agua denlifice superior qualidade a 800 rs. tas de folba e em frascos de lodos os lamanhos por
Caltas com superior p de arroz a 800 rs. I preeos menos do que mi oulra garle, assim como '
Frascos de superiores essencias santal e outros a muiios nitros 1 ojelos que nao se poie mencionar
l200. por boje : s no gallo vigilante ra do Crespo nu-1
Fraseos com essencias para tirar noduas de roupa mero 7.
afOOrs.
machinas americanas de serrla para de.-
alfodio : na ra da Snala .^ova n. al
o o.S
4 =
."i rucar
-03
9 o ^i =
o n 3
r> o -
2 ~S 2 8 3 5T5 --rg
Kliiiiirti
O galh) cania e
queman do.
Bom e baratissimo.
Hua do rcs|io u. 9.
Collares.
Collares anodinos ebclro ma!;nelicas Boier para
as crianzas nao morrerem de convoIsSes pelo la-'
rato pr*o de 45-
Novidades.
ltiquissimas pulseiras ou braceletes para senho-
ra e para meninas a 15. 2 e .'(, assim como lin-
das voltas para pescoceo a ''&.
Enfeites.
Riquissimos enfeites para cabera ron-a de mui-
to gjsio a 1,5500, 25, 3$, 4^. 55, C* e 7,5.
Fivelas.
ltiquissimas tivelas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como prelas.
C.ruzes.
lliqu ssimas cruzes douradas porm o melhor >
gosto que se pode desejar.
Cascarrilhas.
Bonitas cascarrilhas com biquinhos de seda e
aljfar ronsa inteiraroente nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sortimento de binculos com .-uperiores
vidros para os amantes do Ihealro.
Assim como uns pequininos
que serve para enfeite de rekgio mais com eicel-
lenle vidro.
Seslinhas.
Biquissimas cestinhas com preparos para me-
ninas de escola tiazer mi braco, assim como de
vidro enfeitadas proprias para mimo.
Pe ni es.
Bipuissimos pentes de borracha com aro bran-
co de melal para menina segurar o cabello pelo I
barato pretjii de 500 rs., e dnzin "-^. as-im como
grande sortimento de ludas as qualidades para de- j
sembaragar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas oara roupa e pa-,
ra cabello, para unhas e para denles.
Lonetas e octi'os,
Finlssimos lunetos de um e doos exeellentes vi-
dros e aro de bfalo e de larlaruga, assim coreo
ocnlos com rame dos lados proprio [ :ira quem
solre dos oculos.
Touquinhas.
ltiquissimas lonquinhas de fil de linho, de se-
da e de laa para crianfas.
P&ra o cabello.
A superior agua para allingir os cabellos, as
barbas brancas e faier conserva-ios. os frascos
I acompanha na rolulo que ensina a firma como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banba sem gordura com um frasco
com agua propria para limpar a cabera, os frascos
DEPURATIVO
DoDrSERVAX. de Parir
Pharmaceutico de I* classe. ex
interno dos Imspilae, fire.iado\
com a mtdalha de bronze.
Desde muilo lempo o publico
abamlonou o uso das prep ir.iroe>
inundada- depurativas cmilierida-
sob o nome lo Arrobes, Xarope
Cuja arcao, maior parle das veiesi
milla, e n .d.'iims i-j-o.- pcrL--.i
Os CoaniTic depuativosiho tsricroi
r. o costo MiaanaM 1 "t i
pn.n I MI KIHMr. -IB-T>CI I- Mt>
AS Qt'E O SEO MODO DE P*EP: >
INAl.TERAVEIS.
O MnrrexHO que cateac
f-ilos oDltvcrao eBBl Fr
fa sob o patrocinio das priocipae
celebridades medicas, os poe cima
le ludo quaulo tem existido alhe
hoje.
Gura rpida sem o socorro
de u'iilium outro remedio in-
tu 110, dad escropbul- a .
herpes, affeccoes syph
liiicas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisian e em geral
todas as molestias produzida?
pela alteracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e jue temos sem-
pre oblido.
Urna explicarao acconpaaia cada
vidro.
Desconfiar-sc. da- r.i i<-il-.:> e- ri ii
taocs.
Para as eneonoi'iis ririjir-K ao
Snret. Buissoif ET c'% ls, B' Prir.cf
Eugne, Parit.
GRAGEAS
GELISE CONT
Frascos rom cheiros de todos os preeos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Bibliotheca lusitana
histrica, crilica e cbronologica, comprehendendo
a noticia dos autores poriojtoezes e das obras que
compozeram, desde o lempo da promnlgaco da lei
da graca al o lempo i'nsenle, por DIUGO BAR-
BOSA MACHADO, 1741. t arossos volnmes r-m fo-
lio ; obra varissioia, cuja pdico ha muilo se acha
exgotada. t. indispensavel a todo o homem lellra-
Pecas de fila de aa pan debrnm de vestido, com (*oa (|c pr(i|i?fo H.,nlfifa. de qaem a ,lls,oria
iu varas a 000 rs. patria e as letras naci.nacs nao podt-rn nem levem
Ditas de bicos super.ores, para acabar a 600 e Prr iguora,,as: v.ndese na livraria de Jos No-
aJi.. L 1. ..________. i/-n .. gueira de Souza no arco de Sanio Antonio.
Peoras le lousa para mpninos a ICO rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas rom bonit.-s estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boioes pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de cordao de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20' jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
Dnzas de meias croas muilo fortes e superiores a
33.500.
te lie 1 ri* d r i.-i.
BdopUd 5 prli uliM
Vende se arroz com casca, pnc,u em conta, me-
dido em alqueire a voniaile do comprador e est
no irapiche do Cuuha : para Halar na na do Vi-
gario n. 29.
tlit'jjicm aos coi'pinhos de (ambraia.
Vendem-se corpinhos de cambraia com enire-
Vende se urna parle e nm predio no sitio dos meios a 4i e b, estilo se acabando : na loja d
Arcos, perla da igr. ja dos Remedios, o qual pro- Paredes l'orto, ra da Imderatnz n. o2, poria lar-
rio para olaria por ler excellente barro, e as ter- ga, jun.o a padaria franceza.
; ras quasi indas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Gonjalves Bellrao, rna do Vigario n. 17, es-
. criplorio.
Cinnitos da Baha
a l a cixa na ra da Moeda a. 43.
CoDihiaias.
Parede Porto vende cambraias lisas finas, gran-
de sorliinento, a 3 al 6J, ditas Victoria iruilo
finas, com 10 varas a 6-3, 6J5t)0 e 75 : na ra da
Imperatriz n. i>2, junto a padaria fanceza.
Approv.d.t pela Ac.diBDia 4*
Benita petaa dni rpiatnriot.
Academia nu 1K10 e em I85K, que M GAt.lAS ua
UELii e CUNTE >to o melhor e uns eriieaz reniedw
ferruginoso para curar a ehlorosis (alias laor-alb), a
Huios brancos, a fraqurza de coapleisao nos dnaa
sexos, e tamben) para ajudar a menslraacio das moca;.
Esi.is Grageas nlo sio rendidas sanio en caixmhaa
on vidros cobertos com roalo e fechados coa urna iwa
levando a firma do depositario gara] : lmiloxti,
Bbarmacenlico, ra Bourbon-ViUnmni. 19. Paru.
Venaem-se no Rccife em casa l- i: i.
Barboza e Joao da C. Bravo & C.
Vendem-se quatro liurra- rnntu na
,'e carga e de .-. ; r rre.y c;usolo : a triui
1.1 hotel de 1-ranc.a.
II\!ALIIA\TvTl~
DE RIACHUELO.
O impela! instituto arti-tico araba de in
iliis grandes qna-ios ri-p" ywaw a ka
\al de Iti.ichiiei'i. e a |ias*arm '' aw
Merceibs, qnadros importrnl t -. iju* i
Brasileiros devern | -or: ss>ign.i < i
doQS quadros a 115 pagos na ctnru Ja ;!;
tara, rujas lisias s acharo m nul>etaetaM>al
J Falque, ra do Crespo n. 4,onde se arh.rr *\-
postos os ejemplares dos ditos qoadr>-.
Vi nde-se um uralalusi > t
de, sem vinos nem achaqne: n
' L 7 da ra e Apolio.
ti anno* de i I ,i ,
t

T~r\



v.f
Diario de Pernanibuco -- Nabbido 13 de Outubro dr }
fft&&&,
PliOS MUDADOS
N. 11Ra do Oueiinado N. 11
A toja de fazendas de Augusto Frederico dos Sanios Porlo, acaba de receber um mn-
to crande e novo sorli:nento de corlinados bordados para cama de noivos a 3G5, 405, 455,
505000, 605000 e 705000.
Lindas mantas para grvala, de variadas cores, a 15500 e 25-
Cachinez de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 45.
Chales de gnip, fazenda a mais moderna, a 105, 203, 225 <' -'%>
Rotondes de gaip, tamben) os mais modernos a 265-
Colchas de se Ja de cor para cama de noivos a 555 e C05-
Alcatifa de linho para salas, lazcnda larga, bonita e do muita durajao, a 600 ris o
covado.

1U.
Tapetes grandes c pequeos, com ricos deseuhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 75, K5> *5 e 105-
Cipas e soulemtaruues de seda preta para senhoras.
Bonets, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a 125-
IVcinhas de linissima bretanha de linho a 75300.
Lazinnas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braias francezas de cores a 300 e 700 rs. a vara.
Casimiras de quadros, moire aulique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdeuopole prelo e de cores, esguioe-, silesias e cambraias ee linho, sortimento, de diver-
. fazendas para luto,chapeos de seda para bomens a 95 e 105, chapeos deso de seda,
lindos manguitos bordados, e outras muitas fazendas que fe veudem por precos razoaveis,
inclusive
Esleirs da India para forrar salas

i
DAS COIiLtJIlI^AS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem vindo a P.-rnambuco de melhor gosto
em seda.
O/j Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RUI DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e 0.
: ..-A
fcM


COIITES DE NEIM
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
irees inteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o cavado
5-RA D!) CRESPO-5
Gregorio Pae? do Aiuaral t Companhla.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com ires de seda a 500 e 500 rs. o
covado. estio acaban1o-se, cambraia preta para
uto. Porta larga auto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um coptelo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapolao a 45500, 55, 65 e
10-3, pecas de algodio por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita iugleza
lecimenlo encontrar o respettavel a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
riado sor tmenlo de fazendas france- 52, junto a padaria franceza.
suissas e allenies, que se venderao Paredes l'oito
on)mod-<. Vendp gaogjs e cor propria para roupa de me-
I rcaos I orlo nios a 320 rs. o covado, risr.alo francez fino a
Vende Chalis de renda de cores que se vende- 320 rs. o covado. Km da Imperatriz n. 52, junto
r-.m a I83 esta vendendo por 65, ditos pretos, fa- a padaria franceza, porta larga,
j.'.'ida nova. -*>. l5, 85 a 05, um sortimento com- Paredes Porto
V -V" T1"*' lpZ3 -'"Ulambarques 145 a R.,cebl!U pe, uUim lele e.=partlhos a pre-
:. lina da typeratt n 42, junto a padaria fran- guj por 3, so 9I[S) 'lenQO de seda para%e.
8, armazet^ aa pjrw larga. nhora e homem a I?, ricos cortes de cambraia
Paredes Porlo bordados de 18J a 7-;, por t-r um toque de mofo,
ebno um completo sortimento de lasinhas a estilo se acabando, na ra da Imperatriz n.52, juu-
ENCICLOPDICA
; 2 WUta da Iniperatriz armazem
da porta farsa &2.
lanlo a padaria fradeeza de
feste estal
. I i nm
tas, Ingiezas,
Paredes Porto.

1ABTE AMEID A?
jr*a
f**\ S
^
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da (adeia do Itecife, esquina da Madre de Dos,
O balSo vende sempre por menos que era nutra qnalquer parte, quem julgar qae
isto niio verdade dar-se ao traballio do vir apressar qnalquer fazenda de que precise;
tamhcm se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam esco'lier. Dioso
amostras deixando penhor.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste arinazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazera sciente ao respeitavel publico, e com especialdade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os scus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, prometle-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geaeros
por um prego, e na occasiSo da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
arada mesmo com prejuizo nosso, qnalquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam'.em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos era cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarraos, o que seno arrepender pessoa
alguraa que 6zer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
AOS SUS. IBE KlfeiAlfil
Superiores algodes americanos branco, azul e de listas pan roupa de
MADAPOIiOES
escravos.
: e280rs. ovados, para acabar, cambraias de io a padaria franceza.
.. .'.o rs. o covado, riscado escossez para ron- ^m----------.a--------
de menino, fasliu de linho a MO, MK) a 500 rs. -'lares Itoye
Ra ria Impera r\/. n. 52 juul) a padaria franceza,
armazem da pona l?rga.
Paredes Porlo
Receben fiar cortinados para cama franceza a
115 a pee cambra i >. lisa fin a 3> 5$ al IOS a
. cortea da tarlalana de bonitos gostos a 33500
, cambraialcon flr de seda, costos inteira-
. :!. rovos a |0fl 5'.H) rs. o covado.no armazem
er oa colares ano-
dinos
para facilitar a dentic.io das crianzas e preserva-
las das convulsoes.
O Miz resultado obtido unmen-as veres pela
prodigiosa fore magntica dos colares Roye.r, nos
casos de convoIsSes, e denticao das criancas, tem
altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
e boje ji se pote di;er que estio geralmentc con-
.: orla larga n. 52, roa da Imperatriz junto a pa- ceitaados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de nos poripie do uso desses salutares
colares viram salvos ao perigo seus charos filhi-
nho-;, e de outrus porqae collieram daquelles tao
proficuo exemplo para igualmente preservar o<
seus. Assim, pol*, a agaia branca, tendo em vis-
tasa utilidade e provet des-es prodigiosos cola-
res anodinos ou Rover, mandju vir o novo sorti-
mento que agora reeebeu, e continuar a recebe-
l'ende cortes de gorgnrao preto para vestido com los para que em t-rnpo algum a falta delles possa
i cada um 3500t), grsdenaple prelo a ser funesta ao- pas do familia, os quaes Gcarao
aria franceza.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete um sortimento de
i n *es com pedras para o p 'scojo. bonitos catineis
la para pescocc de seohora. Ilua da Imperatriz
u i, armazem -.la porta larga.
Paredes Porlo
600, I WOfl e 5 o covado, lias lizas linas a 100
' i lo, I5ajs fa qnadrinho para vestido, enfes-
n .:. a 320 rs. d covado. Ra da Imperatriz n. 52,
./ni da pul tu larga.
Paredes Porlo
Tem para, vender por prego eommodo, pegas de
certos de os achar constantemente na ra do Quei
mado, l.ja d'aguia branca n. 8.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
li.) a lata : nos armazensda ruado Im-
i.. le linho com 10 varas a 7, 8&, panno de perador D.i fi e na rio Trapiche Novon.8.
para li nges a C50 e 70'J rs. a vara, bramau-
id de linho de 4 larguras a 25200 e 23500 a vara.
Paredes Porto
Vende corles de cambraia bordadas de ricos
gostos a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
e menino, ricos corles de cambraia Mara Pa a
105 e 20, tarlalana branca e de cor a 840 e 720
rs. a vara. Ra da Imperatriz armazem da porta
larga n. 52.
Roupa feita
^ec I iiii cha
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ter grande quantidade, esla-se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52, loja da porta larga, de
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar- Parea"^ Porto.
;n junio a padaria franceza, encontrase oeste es- fl II [\f\ DCMA CI O D
i.tbelecimeiitonm completo sortimento de paletos-, i-WOH LIU UL.IJH iLUrl
ceos e sbreoajacos, de todas as qoalidades, cal- Na PQ lio Qlicimado D. 63.
rolletes, eerjoulas, camisas, grvalas, meias, Tem recebido um sortimento de cruzes que se
: e is ne sol, ditos franeezes para cabeCa, por estao usando, d^ diversos gostos ; s quem
commodos, roupa para menino e outras 0 heiia-flor.
tem
por precos commodos, armazem
miiii.s fazendai
la U'trta larga.
o mesmo eitabeleeimento encontrar o respei-
fvi'l publico, >Ciiipr; um ompleto sortimento de
ronpas fetas de todas as quaiidades, como sejam
pal t; de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-
< a 15 55, ditos de brim parlo a 25^00, 35 e
" i), (ios linos a 45, ditos meias cazemira a
355OO, 15 e 55. ditos cazemi
e lOf, ditos s..hrecasaeos a 10
111 saceos a 05, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
: 2.'., i1l"= de merino preto a 65, 75 e 105, cal-
i- o linm de diversas quaiidades a 15800 a 'i-5,
ditos brue is a 25500 e 6500, ditos cazemira 55,
65 e 7-5, dilos pretos a 5-3, 65, 85 e 105, ditos
meias cazennras a 35 e 45, coletes de diversas
ida le, seroplas franeezasde algodiio, ditas de
. ditas de bramante a 25 e 25500, carnizas de
i.1 d-- I10I10 francezas de 25500 e 3. Gran-
. cbtacba oeste genero, grvalas de todas as diferentes gostos a 6i0-e 15, ditas pera dentes a
I ides e brancas para casamento, grande sor-. 120,210, 320 e 500 rs.
iiim nto de meias para senhoras, dilas para homeus [ Papel e envelopes.
35. superiorei a 35500a 45- Vende-se paulado papel e caixinbas a 680 rs.,
Um comideto sortimento de chapeos de sol de dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640rs. a cai
alpaca a 35, ditos de seda a 55, 75, 1P-3 e 115, xinha.
dii-is franeezes i^ara cab ea, grande sortimento -------------------------75i-------
bola.
Pccllinclia a illliiavel. Vende-se WO owios de sola de boa qualidade :
Grande sortimento de chamares a 15600 e i*, I a lraUr na raa do Quemado n. 53, lojo de ferra-
le ices de eaiohuia para homem a 25 a duzia, di- 8,?DS-
los de linho a 45 e 55.
Grande sortimenlo re ronpa para meninos e en-
tras muitas quaiidades qae seria enfadooho m-n-
las.
Faxentlas.
Tendo recebido variados sortimentos de voltas
de aljofares de diversas cores, eofeites para se-
nbora de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer outra parte.
Facas e garfo?.
Vende-se f.-iccas e garfas de cabos de balaneo de
um hotaoa 55200 a duzla, ditas de dous botoes a
ira sceos a^65 '"i&bl ^^St ''',a Para C* a o^,00> d'Ias ^e caD0 Pret0
10 e"l25, ditosde pan- |jg^ ditas de ca,' branco> roIi e cravado
Tem recebido variados sortimentos de balaios
para meninos de encola, de forma de peixiohos,
palinos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bem se pode apreciar, e tambera serve para
o leilo do iio.-pii.il portuguez : las para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
Escovas para roupa.
Vende-sc essovas para roupa muito finas com
Sftrveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers A Bell. T. F.
Aslie a 7,5oo e 7,000 rs. a luzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tamben) lia de outras marcas
como seja : Victoria c Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem lia
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors,
a caada.
Azeite doce
Superior azeitc doce de Lisboa a 600 rs. a
garrafa e a 4,600 rs. a caada.
Mansas
Mncarro e taherim a 360 rs. a libra e a
15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez da di- l*assas
versas marcas a i,2oo rs. a lata. i Superiores passas a l,5oo o quarto e
llolaehinhas \ 5,5oo a caixa de arroba hespanbola e a 32o
Latas com bolacliinlits da acreditada fa- rs. a libra,
brica do beato Antonio., proprias para dar a j
doenles de 2,ooo a 3,odo rs. a lata. j CrjEMEBRA.
dem com qualro libras de bolachinba de Genebra de laranja verdadeira a lo,aoo a
soda a 2,ooo rs. a lata. duia e 1 ,ooo rs. ao frasco.
OllPlrt5 Genebra de Hollanla verdadeira a 6,000
UlieiJUS rs af,aSqera e a 5(jo rs. o frasco.
Quetjos flamengos cbegjdos no ultimo ijom de llollanda em botijas a ioo rs. ca-
vapor a 2,5oo rs., tambem lia do vapor pas- a ums.
sado a 2,3oo rs. Garrafes com 24 garrafas de genebra de
_ CHOCOLATE llollanda a 8,000 rs. o garr Chocolate bespanhol a 1,000 e I,2oo rs. ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
Manteiga i igleza perfeitamente flor ebe-
gada ltimamente de l.oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril ter ahatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 860 rs.
a libra e em barril ter abalimento.
BANUA
Banlia refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abalimento.
111
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,800 rs.
dem hysson o melhor ueste genero a
2,6oo rs., c sendo em porcSo ter ahatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
BiCOtltOS
Superior madapolao fraucez, fazenda especial para camisas e saias de senhoras ;
tambem ha inglez de todas as quaiidades e precos.
BAIiOKS
Superiores balos de arcos e de panno para meninas e senhoras
Bicos tapetes pequeos e grandes para sofas,
Lindissimas grvalas e mantas para pescoco de homem.
Superiores camisas de meia e meias para homem e seohora.
Calcas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
Lindos cortes de la com riqusimas barras a matiz, o> mais modernos que ha no mercado
Camisas francezas e seroulas Gnissimas de bramante.
Superiores chitas largas, escuras e claras de todos os precos.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cuberas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico doto
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup,>e sempre ser as mesma* a-
,endas.
HINCHA
ARMAZEM DE FAZENDAS
RA DO QUEMADO N. 27
CUSTODIO CARVALIIO C.
Pecas de madapolao fino francez com 22 e lr2 varas e com um pequeo toque de
mofo a 85000 cada peca.
Cambraia branca para forro a i 600 a peca.
Lencos de cambraia para homem e meninos a I600 cada duzia.
Cambraias organdis muito lindas a 000 rs. a vara.
Cassas de cores a 26u rs- o covado.
Laas de cores muito lindas a 300 rs. o covado.
Raa do intimado u. 2. armazem de fazendas.
<\
4
Wnde f. superior merino fet 1 proprio para ca d('u.
pn- de tenhora e vestidos a -5. lustrim d.i China ,-'.
3 15800 o covafo. Raa da Imperatriz, porta larga. e":ano-
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreios co-npetentes de m^lal principe :
na Pon'e Velha o. 8, por preco eommodo.
Bren em barricas pequeas.
C"ra em velas d-3 todos os tamanhos.
Paredes l .1 >.
Vende em sed estabeteeimento tiras e entremeios
bordados, franqe sortimento de corpinhos rica-
menle bordadas a 35. i3 e i'>. S oParldis Por-
to, ra da Impetalriz no 55; porta hrga junto a
padaria franceza. \.
Na na do vigan n. 19, primeiro andar.
Vende-se um lom silio na encmzilhada de
Belem, com grande casa e muitas fructeiras e rom
oaixa de captm, o qual sempre est alunado e
ende-se por preco comraoao : na ra do Rangel
7, segundo andar.
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacele a 600 rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de 1,000 a
I,2oors. a la la
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joao Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco del.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
EJcores
Licores franeezes e portuguezes a l.ooo e
i,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a o is. a lata,
a 22o rs. a libra ~e de 16o'a 2lo rs. sendo I Tambem ha lalas grandes para l,2oo rs. a
em caixao. lata.
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcHo
ter abalimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Varia Pa, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9,ooo a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso cm barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,000 rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SABIO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
Bichas de Hamburgo
W? lodos os paquetes da Europa se recebe
4^ destas amigas do sangue humano e se
'~ vendem a troco de pouco lucro s alim
S de ter sempre cousa nova : a loja de bar-
A* beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao pe
3W da igreja.
Acha-se
m
m
Vende-se
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fru tas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo uliimo vapor.
No7es pelo ultimo vapor.
Queijos londrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ultimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguimos armazens:
Ra do Imperador n. 40. Verdadelro Principal.
Ra do 0,uelmido n. 9, UniSo e Commercio.
Largo do Carme n. 9, Progressivo.
Bramante de linho Tino e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavalio.
Cobertores de algodiio de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. t7, ra do Tra-
piche.____________
RIVAL
SEM SjE&UNDO
Ra do Queiuiado ns. 49 e &*.
Contina a vender todas as miudezas que abaixo
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para dentes a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Dilos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de Imita froxa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes,fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas deacn, fazenda superior a500rs.
Grozas de botSes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de liona do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pe^as de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qnalidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Lutos para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, faretida rica a 120 rs.
Tesouras para costaras superiores quaiidades a
400 e 15.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15OOO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tran;a e tapete a 15300.
Caixas com superiores agulbas a 240 rs.
Libras de liia sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de roassa a 40 rs.
Rodinhas com alneles franeezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almarjo a 25400 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e i>.
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para criancas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 32n rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida verdadeira a 15280.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 320 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14!' rs.
Cartas de alflnetes franeezes a 100 rs.
Qnadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
Fumo da Babia para
charutos
J Vende-se fumo superior de todas as
5 quaiidades, a retalbo e por atacado e por
OH preco eommodo : no hecife, ra da Ca-
SS cimba n. 1.
venda na livraria acadmica, na roa do lacera-
dor ; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Saato
Antonio ; e na typographia imparcial, na ra ea-
treita do Rosario a compilado de toda a legislaeao
tendente administraco, arrecadaco e fiscali-
sa^o dos dinheiros de orphiios defontos e ausen-
tas, herancas jacentes, legados, etc., eooleodo sao
s o regiment de cusas e a le geral dais eiecu-
coes, como tambem todas as orden* e avisos do
governo. que a tudo tem explicado, tanto a resuel-
to das obrigacoes inherentes ao cargo dos dinerea-
tes empregados de jnstica e fazenda, e^mo dos di-
reitos nacionaes e emolumentos qae sao devidos.
Este livro conteodo mais de 700 paginas em itida
impressao e bom papei, e prestando-se a utilidad*
de differentes classes, torna-se recommeodavel.
Sen custo 105000 por cada exemplar em deas
omos.
Vende-se no escriptorio de Manoel Igaaeio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Sanio o. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores era caixas de
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de 1 duzia.
Palmella tinto de excedente qualidade en caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa motto superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aieve-
do (Si C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Vende-se urna burra de ferro grande da
melhor qualidade que ha, garantida prova contra
fogo e fraude, e que ser ignal ou melhor a qoal-
quer borra que exisla nesta provincia : entende-se
00 escriptorio ra de Trapiche n. 40, primeiro.
FARELO
5
am*mmnmmm***mm
de Lisboa o mais superior que ha 45500e a 5500)
o sacco : na ra larga do Rosario n. 30, taberna
da esquina, defronte da igreja.
As melhores dulas Iran e/ns fie ctres
escoras e lixas a 28 rs.
covado!!
Na ra do Queimadon. I vendem-se chitas Iraa-
cezas escuras e finas a 280 o covado.
Gaz de primeira qualidade
Vende-se no armazem da viuva Paula Lopes m-
cadinha da alfandega, por menos do que em
qualquer parle.
NMidide!
Chegaram os bonitos chales e retonda* >_
re brancos, e vendem-se na ra da Imperatriz
52, loja da portr larga, de Paredes Porta
i CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 1|2 varas a peca a 25.
est-se acabando : na loja da porta larga da raa da
Impciatriz n. 52, de Paredes Porto.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. I vendem-se superiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a eUas, an-
tes que se acabem.
Vendem-se qualro escravos moco sea
defritos, proprios para o campo, por
precio ; na ra do Brum n. 70, 1* andar.
Vende-se o engenho Fumas, sito na fj
zia de Sanio Amaro de Jaboalao, bom d'afna
tem proporc5es para 2,000 pes annnaes : os nm-
tendentes dirijam-se ao engenho 8. Rento, a tratar
com o propnetario, que todo o negocio se fax a d-
nheiro ou a praso.

'"
^_-


i.
Dlarfo de PerBMmbnco &M>ado 13 de Oni.ir.bro de a) SO*
0
AO PUBLICO
Mem o menor cosiran
glinento se entregar
Importe do genere que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIj PIJBIICO.
A. apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxim.i parte mandados vir directamente do estrangt iro'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ..fliancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
limitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucsr, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumasmartes nao po-
dem ou nao querem vehder.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, 'elo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para lomar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certameDte muito deve agradar aos senhore-
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DLMHEIRO A VISTA:
muito nova, a 80 rs. cada
ATTEKPO
oreaos da eguint?
tabella 6 para todos, pe-
tiendo assim servir de hu-
e para o ajaste de coala*
com os portadores;
Na Boa-Viagem.
Vndese ou aluga se urna casa torrea nova, Ju-
ta tmoderna, a btira da estrada nal, tem 2j.i*et>
las e porta no mi io, dita no oiio, 2 >.-.la, 4 nnt-
tos, co-ioha fora, copiar, caeiaaba real fie
; agua, alom de um terreno ao Mo rt: r-p., eoaa
grande fundo, sido com bons arvor '.'. i *mn ru-
jos fructos a seu lempo se eolhem n Imlat-
cia : sao aonvidados os pr ten b nt
txame : a tratar narna da Cade nn%u n t,. <..
Vendem-se pea de abio, (rucia nta ,. I
nhecida nesta cidade, e a primmmt wPm*
Maranbo: a tratar com o Ptalfcabu,
Palma n. 51.
Vndese o deposito da rua Nova
virtnde de um dos ocios ler de -ahir i
; imperio, a pedido de um irmo : a I
mo ou as cinco Ponas.
a. :<* .
i f -a **

iMm FUtov,
RUA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando areo da Concelcao)
PARA BEM DE TODOS,
Senhore
ezacom que serao trat-
ara dos gneros que precisaren
rots sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaciio, afim
tra parte.
Fugio no da 2!) de selembro trstMBM fmm
do a prea Itomaua, crioula, de 40 aun.- aaHa,
: tem urna marca do lalho no p reM, o ra uta
! das espadoas tambem tem m mar.! de U nda ;
| esta escrava fot comprada no Sr Tinaco Jo I .
1 Santos que lem loja d.' calcado na ru.i U*|
^nhoras, o aceio que presidio aosarranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a DromntidSn a lnwi-IRo8,,o : Ped'!"s''a PoMeta e cai'"" J* ''
,1,1^, -nvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccao e preferencia na com- S!RS(SSSXSZ SP i l
e quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejnm pouco praticos, vento do Carino, oflktMd
de que nao vo em
para cima a
libra.
a lata, e
2000 e
400 rs. cada
rs. a libra.
ALPISTA. a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a .
Ame.ndoas, casca mulle, a 280 rs. a
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
maitos.
dem dem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos do lodos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 23000 a garrafa.
II
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 10800
de cinco para cima a I#700.
dem de so la em latas grandes a
de cinco para cima a 10800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200,1250 e15300.
Bolo francez era caixinhas a
orna.
Batatas inglezas. '
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO
dem suisso a l 5 a libra.
dem de musgo a l5500 a libra.
Choi-iucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 2G0 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75OO0 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao miiilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiaiioi'e de grosella, orchala, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerneja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252i0, 25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55-
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 c 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
1
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, fraucezes, etc. etc.
B
ERVIL-HAS seccas a 120 rs. a libra.
krvadoce a 400 rs. a libra.
FABINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas e,m latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Graixa em latas,
urna.
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
I LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs*/a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, loo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente Quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque'do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
. 12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs, a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 i rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Mii.no painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qnarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
<*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartiniias ou Mor.iNQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 89.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steari.nas a 600 rs. o maco.
-100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
Manteiga ingleza especialmente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento. Bolachinhas ingleza^ muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem vindo barrica e 320 rs. a libra,
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda em latas de diversas
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas! qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartees com bolo francez muito proprios pa-
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata. I ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,opo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo a caixa c 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoa a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua |e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la-: deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 It-
eradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rls.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francez;i! em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesrr
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc- zas
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-! tamanhos com
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs.a botija de| cada urna.
Sal refinado em frascos
do mesmo, a 5oo rs.
danidrocom tampa
Qerveja branca das marcas^ais acreditadas
que vem ao mercado, a 5ob, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Manoi'l Malaijir
Fugio do sitio ao latn d.. t\ sJ*
dos Afilelos no dia 3t i ciT'iiiti. ui
oula de nome Felicidad^, ttprtttmi* u r :;
jiouco mais ou men's, liem paren.;,
de chita branco rom paisa* ron;.. -er
sedazid.i, natural de Macei : rag i
dades e rapies de campo a m 11 i
mandem ao dilo sino, cu a rua da < ateia Ve:!ua.
1, que sero pagos da lodo o Iraball n.
Urna e.*erava.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do allantado fabricante Jos Furia- Fugio 0 arn0 pnmHt d(, Pnp,M,(. v, .
uo ae simas, das segundes qualidades: marca do Linwirr, urna awava .;
Exposico Normal de Ik.varia, Impeiiaes, criouia.idade 2oai.ni.-. omi .eiuian-
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus- !?la!;'cara '^^ f ,ri/ "" ; '
nirnlicQc ^ i ^ ; rn > Bireitos, porm afovelradc* por a*r<# r rr
piros Delicias, a i,ooo, 4,5oo, 5,ooo, tflb e Mtbo, que iodoB.p7p toM.a ,
b,ooo e 7,ooo a caixa ou em ii eias. I cent cicatriz?s de rhiror i-e.a ut\t, na
Charutos finos de diversas marcas
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
e fabri-'deKfnliado, juipa p andar 8(|oi i*-u rn'iV Rerile : jucm a pipar, dinja-sr a rr..i
i do n. 13. rafa de Antonio de S'P O iv>-H
nilhasdeHavana, tntervallos,Vencedores,!f,u i^imo .-.nhir ro .i:.iio p>nk ,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e! senerosamenie rtronp(n.-.id..: imnai
3,000 a caixa. mo abaixo assipnado pide la c m lo* i ra
ognac inglez das melhores marcas, a Sooel,ei CL,ra quem &"S'\,.;1
l,2oo a garrafa.
o, a 15500.
em caixinbas de diversos
bonitas estn pas na cai-
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muilo novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e i,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
F. C. d.- OiiTeira.
No da 29 do irc^in pas.-id ii -.
conta certa.
xa exterior, a 1 4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a ooo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a Ooo rs. a gar -afa e Io:ooo a caixa
e 64o rs. o frasco. Batatas muito nov isa 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos j o gigo com 36 1 bra-.
grandes a l.ooo e 11,ooo rs.a frasqueira. Conservas ingleza:. a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-| 8.5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de esc
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-| 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. ; Nozes muito novas]
Arroz do BfaranhSo de Ia qualidade a loo Molho inglez emg
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16b
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dks melhores
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza fem potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco!
va para esfregar casa a
a 16o rs. a libra,
rrafa de vidro com rolha
rs.
fabricantes.
Painco e alpista a 14o rs. a libra 64,000 a Lentilhas francezas
arroba. sopa, a 2oo rs.
Massadetomatesdesuperiorqnalidadea64o Marrasquino de Za
rs. a lata de urna
Iho.
excellente legume para
libra.
a propriamente dito a
libra e56o rs. a rola- 15 a garrafa e 11 ooo a duzia.
Palitos de dente a 1 So rs. o maco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gipo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Sag muito novo a
V
VINHOS
111
ii
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 2S o par luvas novas de pellica de Jouvin, cljegadas no ultimo va por
para homem e senhora : na rua da Imperatriz loja de miudez s n. 54.
_-----------------------------------------------------------------------------a------------
en
0=5
cDcrcoo-i *-* m o o o
iaa-:=.=.a,:=:og-i(ii
^ss-o
CD
o
'~
Sal
o
CD
-a
o
ad
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhcrs.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 10200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posio alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho ligueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
"2 2
2 =
CD
2 CD
O. c
.__2 o coop
S a Si 2- to ""
_. o os
o p.a
S t CD
S^-^2
" S ^ 3 2-2
b -, trn
w 5.5" s o g r-1
o. 2 S re a
CD
a>
-ji
CD 3.
?3
~ CD
a
'JJ

en <
_ M
'*n
"* m v
as S. as
Q g-
en .
en
a
as
-i
as
n.
3
m
3
o_
a.
a
en
2-
CD
as
3
CD
en
p-sl
VJ
-a
S
-n
O
B
o
o
as
o.
o
o
o as
o -1
as as
&~-
O as
T3 CD
as -1
5'aT
2 "-
o
O
so
o
>
Naofflr.inade ferreiro da rua do Jasmim n. CallIDgas Anos e brioquedos
ha para vender urna carroga (eita, com esmero j para meninos.
propria para carregar urna pipa com agua, anm Lheparam para a loja de miudezas da rua do
de veode-la pela rw. Na mesma offleina ha tam- Qaema,|0 n. 69, os mais finos e lindos calungas
bem um cabriolet d duas rodas, novo e muito bem tan(0 para hrinquedo de meninos como para cima
acabado quem iretander estes objertos, pode di- de mei-a na raesma |0ja se encontrar bom sor-
rigir-se a mean que achara' com quem tralar. timento de miudezas.
Lavas de pellica.
Recebeu pelo ultimo vapor lindas luvas de pelli-
mnlto pva e superior : vende-se no escriptorio' ca de cores e brancas para homem e senhoras: so
de Manoel Ignacio de OHveira & Filho, largo do (quera receben foi 9 bena-flor. na rua do Qneimado
<^)rpo Santo n. 19 pumero 8S.
Potassa da Russia
Tasso Irmos
Vendem no sea armazem roa do
Amorim n. 35,
Licor fino Corago era botijas e meias botijas.
Licores finos surtidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos rasoos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Herraitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado es-
querda, denois.do beoco d,o Espinheiro, nos Af-
MACHINAS MPATENT
de t rabal lia al & mo pan
descaroeiir algodo
PAB1UUADAS
Por Plant Bilthers & C
OLDIH
Estas machina:
podemdescarofar
r^ qualquer especi
i de algodao sea
I/'estragar o fio.
sendo bastanti
duas pessoas para
otrabalho; pd
descarogar ums
arroba de algo-
do em earocr
em 40 minutos,
ou 18 arroba:
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
tirapo.
Assira como machinas paila serem movidas por
animaos, que descaro^am 8 arrobas de algodc
limpo, por dia; e motores p -a mover urna, duas,
euirjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vend ;r
por que pode fazer mover
mencionadas ; para o qut
agricultores a virem ver 0 e :araina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da lonte nova n.i7.
Saunders Brolters k G.
X, II, praea doCurpo Santo
RECIFE
Os nicos agentes neste p
um bellissimo va-
seis destas machina.'
convida-se aos Srs.
nietos
Germano
% 22,
acaba de receber um lind) e magnifico sor-
Framcisco Jos
RUA NOVA
timento de oculos, lunetos
limo,e mais apurado gosto
Grande armazem de tintas.
IlUA )0 IMPEllADOIt N. 22.
0 armazem de dula.- um grande deposito t
producios chimicos utensis e os mais empregados
e usados na pharmacia, pintura, phutographia. tin-
turara, p\ rotechinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdrosanasdeParis, Lon-
dres, Hamburgo, Anvcrs e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianra e satisfazer qualquet
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas saJUfara
com promplldo qualquer pedido de lintas moidas
a oleo, cuja qualidade e pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande rolleccao de vidros de differentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis onc,as dt
capacidade ; de vidros para vidrac,as e diamantes
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira coa
rtopriedade e outros; de papis dourados e pra
peados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenbc
com fundo j feito; de papel albuminado l,e Brisu.
verdadeiro saxe para photegraphia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linha^a
clarificado, oleo de loiele, secativo de Harlim, ourc
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanlio em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegelaes, inoffeusi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly,jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquel.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta.
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros oh-
jectos queso com a vista poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Netts,
Gerente.
avariado.
Francez barrica 5000
Portland idem 8500
Em perfeito estado:
Francez barrica 103000
Portland idem 12000
No armazem de Tasso Irmos caes do; Apollo.
Attenco a pechincha
Sapalos de tranca com sola do cortica a 1* o
par : na rua do Livramento n. 5.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri
prea Remana, rrionla,de iOasau i \>m
Vestido velho, lim algunas nan;> c<- frrta a
rabera: a pessoa que a pegar pide km la
do Ci'ldeireiro n. 2. en efroriic -. r, ..
Carmo na eflicina de Manod Malaqoux C nerfa.
Fupio de rr pitho lirdi l.a, Ir i: > Iba>
cnnhero, um mulato de didc Fiambro, idale V
28 nonos, pouro mais (umen-s, n m >a*i#aaa
sef ulules : rtsio rulcndo, ralfli. s rarapa
altura regular; tile mnlalo \>tmtahtti4c anta
cidf.de per ter icitinrido ar. Sr. Fi.hi i-n i
de Mtllo Jnior, e consta arhar-se tmisiido im
Beheribe, ende tm mai e irmos k>rrw af
a quem o pprehemdfr levi-o ao Sr. tsrrHaa ai-
layde, ou ao engnlio l'indiba, qne sera gtnerid-
nienle recompensado.
%
l0
No dia 28 de agosto prximo i>--:< li -. -
eeran do engenho Parary, sito no rrmai
moelro, os esclavos Francisco Aleawrr. ;
leneenls ao majur Claudinn Cotrm de M< <
primeiro alio, sicco do corpo, DOi l*Wi e.-
do e de r< r caira, Um a cara bexif -a. 'mm
barba, calilles rarajinlt.-, rf saino vestido de calca e camisa t'.r lgt43o
chapeo de feliro, levando tanltm ci n-ico cs
irouxa conlendo roopa de uso, a nln ..:,
de chita e rakjaa briBraa e paidas. n. u taBii *
um chapeo de cauro, i- mu iadu> O mjm
pelo, crioulo, sreco do rorjo. esialora i
ttm falla de denles na frente, um bibcv tria-
do, c ttm |s fines e b ladino. Ambos sao mocos, leude .....tad .-
nos, pouco mais m menos ; descorra
nham fueido para asarafar pra^a a>ia t <-;
< u em rulia leva-Ios ou ao dito irginho, ou a'rasa Ce Bi
Alvaro Barbosa da Silva, r arta da Cruz ..
que ser bem recompensado.
li
aos capitaes de campo e a
polica
2001060 fe iratiitftfit ur rada u
De'-appareceu em principio do n>ez de ooloMn
prximo pssado, de bordo do paihal-ote nai
Ai ruto Malo, dous escravus de m me II- b*V>, par
appellido Maeei, e Miguel, o Io de Mada Y-'< m i >.
pouco mas ou menos, crii Dio, eof fu'a. LJMWI
baixa baiba cerrada, nm pouco tmiu d- |eiE,
e com alguns cabellos hranrrs, tanto n lait- -
mo na cabera ; o 2* alio, cheio do rorpo. >em bar-
ba, falla grossa, reprsenla ler de S8 a W1 M
cojos escrav g desconfiase andarem [iel" arr?H-
des desla cidade : quem o* appreh< i.der, iiuet*
levar a rua do Trapiche n. i. i-n a bordo dt
navio.
m
t:
*.neni

Acham-se fgidos os tscravos .-ej;uinies : Btc*,
mulato,idade de 2o annos, cabellos aonelad<;, .-.a
barba, denles um ponco limados, secco do e r,
testa larga, e falla um pouco descascada ; a L
crioulo,j um pouco velho, altura regoiar, oico
cabelludo, birba rom alguns cabellos braceos, *s-
sim coma na c a beca, corpo reforjado, olhos es
tanto pequeos, falla grossa e as veze fin ,*
ronco : pede-se as autoridades policiaes e aos 'c
pitaes de campo que os facam apprrhender e c
duzi-los a' rasa de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente rerumpen-3r.
e Ins pagara toda despeza que fizert m rom a oa
conduc^o : suppoe-se que files lerau ido sai -
gnimrnto dos sertoes desta provine!.., por senas
fllhos desses lugares.
Fugio no dia 18 do coirenie roez o orelu aai-
oulo de nome Isidoro, de 30 aini> s pouro ziojb
ou menos, alto, rosio comprido, suissa atan fr, *
da, ps grandes e chatos, ecostuma andar deaiu^a--
galas, levou camisa de algodo, calca veita.- -
rolas, chapeo de palha velho, e lanibrm um imaet.
caranguejeiro. Se nao andar vagando i>or e>*
cidade provavel que tenha ido para Sennrtaa
ou Rio Formoso, onde ja tem sido capturado ;-
vezes. Roga-se as autoridades e capilaes iif ca
que apprehendam e o levem ao seu senlx
Cavalcanti Lamenha Lins, residente na EKraa
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalrama m
Albuquerque, que se recompensara gene
mente.
binculos, do ul-
da Europa,
mas do Douro, Duque do Porto eD.Luiz ; tambem pede-se'a quem aapprehender qoeira ent
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior aqol ao Sr. esenvao Attayde, cu l'va-la
viobo, barris de 5 e 10 em pipa : na roa do Vi-, nho Pindoba, que ser generes, rw rea
Sano n. 19, primeiro andar.
Ao amanherer do dia 26 de agosto futir
do engenho Camaragibe dous escravus- rrK>o>ot,
ambos carreIros, sendo nm de nome Serreao. aav
lural do serlao d Ourirnry, alto e brm fet. nn
redonda, nao moito preto, e sofre de orna herau:
o outro de come Nicolao, nascido no mesmo t*-
genho, eslalura ordinaria, serco do rorpo e r* to, na mesma oecasio desapparpeeram 3 t-orra
do servido do engfnho. de suppor qoe tenhai
do levados por elles, ou por algn que Ibes *>-
vio de guia e seductor, porque na noile preredeav
le a sahida dos ditos escravos foram vistos dos*
homens em commuoicacao rom o Semejo junto*
entrada do engenho : quem prender e tronier di-
tos escravos sera recompensada______________
Fugio do engenho Pindoba, fregnezia de Tr-
cunhem, ha seis mezes, urna avian crioni. M
nome Severioa, de idade de 19 a 20 ann< de tres a quatro mezes, pouco mais 01 m>Do, J
maneira que j deve ter dado a loz. com o* w^-
naes seguintes : alta, bem preta. secca do corita,
rosto redondo, nariz grosso, tem falta de dous --ttr
tes na maxilla superior e do lado esqoerdo, a:\bt
go muito saliente ; consta que dita escrava fi
para esta cidade, e protestare pelo mnos Ja*-
ciaes perseguir a quem a liver em seo poder.
- entrega a
ap-
recofrp*v
; sado.


Diario de reiroimbaco %abl>ado IS de Oiitubro de iSSfr
LiTrEBTRA.
THEATRO DA CIEUILV.
O exercito da Cncordia levanten acampamento
o fiti estacionar em Gaaleguacito 7 leguas cima
desse ponto, d'onde lia noticias at 11.
0 exercito brasileiro vai na vanguarda.
estado sanitario das tropas t'.-.v .iuvjI.
Parece que lia loiencaodesecsUbclecer oacam-
pam i::, desee exercito na povoago eurrentina
!u i-Cuati.
i) *. aneceram-se os boatos da iovaso projecta I.
sobre a provincia de Santa F.
E' o socialismo reallsado e concluindo na prati- lo governo francez de urna missao scientifica na
u era s prohibido, alim de quo todos os Qllios
pertencessem ao estado.
Hoje anda, o governo o principal e mais rico
negociante ; 6 elle quo possne ama bella flotilha
de vapores, construidos uus na Inglaterra, outros
no proprio paiz, fazeuJ) um servigo regular entre
A eounuunicagao eotab liada, para esse m, pelos Assampeio e os portos do l'rata, por meiodosquaes
irahidnres de Carreras o Tello Lopes est oler- '"anda elle buscar todas as mercaderas que quer,
ropiJa, tendo sido Interceptada a correspondencia ; pagaudo-se a si mesmo os direitos nnpostos aos par-
desses exaltados blancos. E'n urna dassuascar- li:ulaits-
tas a'.ira de acelerar as operac6 militares no territo- ""aguayas abslem-se de explora-Ijs, com receto de
n i eorrentino : aecrescuta que Resquim e mo u.a, o governo se apropne do lucros.
Barrios que commauda a columna em operacoes e | O casamento o agora permitirlo e reconbecido
eleva o exercito paraguayo, que opera sobre o Pa-
nfila' a 27 mil homeu<.
Amrica meridional, na sua Historia poltica e
econmica do Paraguay, publicaco recente-
Depois de caracterisar, por fados to novos
la estraoha repblica, e amia no do seu successor Iquanto autbenticos, como se formn e manteve o
Ljpez, pai do presidente actual, o governo era o systema inaugurado por Francia, e que anda peza
nico proprietrio, o unico negociante, o nico se- sobre os habitantes empobrecidos e emboutecidos !
nlior, o nico pai de familia, porquantoo casamen- do Paraguay, como os governos asiticos sobre as :
ca pelo aniquilamento do individuo em proveito
daquelie que goveroa.
No lempo de Francia, primeiro dictador daquel-
Lopez era esperado a lodo o momento.
. falla de orden* suas, atiribue-se a macean
dj seu exercito que, lose de a vanear, tem retroce-
dido
0 general Cacares permanece em um lugar de-
nominado Cafarrenho, 18 leguas distante Je G'ya;
paraguayos esto a 10 ou 1-2 leguas oceupando
i Uln Alta, a estancia d; Artaza o Cueva-.
') Republicano da Concordia, fallando dos refor-
i;..s que esto a ebegar a Uruguayana, exprime-se c" e os bomens do mar.
; tinte mido a respello de Sua Alteza o conde NSo raro acnar a bordo dos vapores, sob a c-
d'Eu : mi5a d laa azul do marinheiro, e descaigo, os fl
i o., diviso de mil liomens as ordens do con- Mws das priraeiras familias da Assumpcao.
de d'Bo, genro do Imperador do Brasil, vera en- 0 Paraguay nao aboli a escravidio, mas os es-
gro>: ar as Qlelras do exercito alliado que sitia a craTOS que | se acna(I)j nl) passam a fa||ar a vef.
Uiguayana e que em breve dar' conla dos bar- dade, de pensionistas occiosos de seus amos sugei-
toseetes ao governo, de urna maueira mais sen-
sivel.
no Paraguay ; mas, antes de coutrahilo, os habi-
tantes conservara o costura: de pedir licenca ao
presidente.
E' o governo que ordena o trabalho dos cultiva-
dores.
Elle proprio Qxa as qualidades de algodo e ta-
baco que se ddveylantar ; por toda a parte tem os
seus agentes -^**^ e manda buscar para as
obras pi:i,u-as^HFos in.iivi I ios de que prensa.
aos quaes ndSp um ceitil.
Do mesmotpdo arranja elle os soldados do exer-
li i i.- que a defendem.
E-.e reforco um excesso de garanta e segu-
s* nutil dizer que a poltica do Paraguay hos-
til, nao s ao estrangeiro, como anda ao contrato
dos naluraes do paiz com o muudo exterior, por
i anca para o deseulaee feliz e rpido dessa ope-
rario.
O conde d'Eu tem urna estrella invejavel; i -i-
rece ter nascidocem destino de corabater a u.ipa- que a iuvasodas luzes edas opiuioes lioeraes.ge-
na em todos os climas e em todas as remides. ramente espalhadas, poriam flu ao systema ac-
Na guerra de Marrocos ofleroceu seu brago a j tual.
uausa da civilisacao e servio-a com bnlho idus- j o Sr. Arcos, no seu recente estudosobre La-fa-
trando seu nome con valor e juvenil enlhus-1 ta,est era inteiro accordo com o Sr. Beck Ber-
asmo. | oard, quanto a" apreciago do Paraguay.
li iie vera desempenhar igual mis.-o no Rio da .
., Depois de curiosos detalhes acerca da adminis-
, ,.. ,. tracao lut-rna daquelie paiz, na sombra dictadura
A causa da triplica a nanea, coma un soldido A .. ,. H nwwwi
..... a Ur- r rancia, que, por sua como eta falta de
nnn e o on'.hu-ia ,,,..,..,, commereio com os estados vsnhos, arruinava os
tus ataltus d.t liberJade novos luuros para a sua ...... .. uu" "'
i laaaaos e o thesouro, ultima consequencia a que
-ueral Flores receben de Sua Magestade o I elle ,eQlava reraediar Pel nu,ndro nflailo de mu-
I aperador urna carta cm que Ihe le justica, agr-' J'f "'c3^ com que elle puna as menores
-^eodo-lhe o presente que Ihe fez o general da i la'Us' e ol>r.gando os cdadaos suppostos ricos, a
lundeira paraguaya : en,rt>gar aj Pre5lden' Si horas, 10 ou 20,000
fl., sob pena de morte ; depois de mostrar qual
A correspondencia do lito do Snl accrescenta era, com semelhaote admininraegao, o estado de
qtte no dia l'f. Sua Mag-istade visitar o Sr. ba- um paiz onde, diz o autor, ninguem lia, nem falla-
rao 'ie S. Gabrlel.qne ha lempos e acha gravemen- i va, nem gritava, onde poucos riam, tornndose o
le enfermo. Paraguay silencioso como um tmulo, onde o ho-
De Bag dlzera : mem volUva ao estado selvagem, n, nos campos.
P.-.rlieipo-lhe que temas noticias da Uruguayna quasi n as cldades ; o Sr. Arcos julga philoso-
::ie : J do passado. Os paraguayos ja' pediam mi- piucamente os fados.
icncordia, esupplicavam como ultima condigao,I r,imnrt5n ,iaman. t .
, uompressao demasiada ; fechamento svslemali-
raeconcedessera-s apenas quatro salvo, conduc o0 do paiz ao elemento estrangeiro, especialmente
el?ac"mSeea|Psr,nC'PaeS ep,n'r,d<,M ***** occidental; sequestro das fortunas
p e\ ... ,. particulares era proveito do chefe do estado; mo-
L mesmas condico.s porem, Ibes forvm ne- 1() guVernainenlal ,mla ^ nj
a e se nao forem antes cons.raneldos pela pris5es mor|es ^^ ^M J \
fii.ea rendere-se, estava designado o da 7 docor- i, h-m. <. i... .
reul para so dar issa.lo a'rguayaua. J f^-ba da As^umpgao ; arbitrio de forga, e do-
11 lem p *ta- icidas desde a Uruguay-: C,"Jafde,de SUje'?a* f'8 (,oa Sr" Artos ,orna
,,,, a 1 \ 'an1'"-''" "i seus leitores. Ello desvenda esse
na ate Pelotas, ,.icui so dos habitan es de !.,^ ,. ,-,- .
' .. estado social e poltico, sem igual, ta vez sem pre-
tjju> pontos luteriiie^i.ius os do mo-Graude. .,..
uuc- cedentes, e nos mostra como o Bino de Lpez (o
Espero, pois, com toJa a fe, poder noticiar-he o j- > ^U|<" |U
i dictador actual requinta o systema do pai, e entra
completo exi-rminio uos van Ja os, p- a posta ao!.______. i '
' u-ld uu, largamente na va de extorsoes publicas e de op-
| pressao do Dr. Francia.
O commercio da nerva malte, diz o Sr. Arcos,
dimiune ; as contribucoes augraentam ; o imposto
I do sello foi applcado a todas as transacgSes, por
! menores que sejam. Estas loucuras do despolimoo
! produziram o seu etfeito ordinario ; empobrece-
a Europa a constitu- ram o thesouro presidencial asslm os blheles do
0;a !^i.
CM POLCO iE TlllO.
' .le nir Nacional publica o seguate sobre
0 PAKAGCAY.
Conbecemos pouco e mal
cao intima dos repblicas hespaoo-americanas, e ; banco, que estavam a par no lempo do velho Lo-
gracas a alguns estudos superciaes ou apologas
interessadas, a opinio da curopa raramentecon-
forme verdade.
' Paraguay, ir '-, quo -e encolheo com-
mercial e politicamente, fechoo as suas fronteiras
a lo los ollios europeos, eonstituiodo assim urna es-
pecie de pequea China americana, conservasse n-
teiramente ignorado deste lado do Atlntico, nos
- costumes, instituic^o, geographica, poltica e
historia.
Rasga se, porm, o veo : tres viajantes dislnc-
los, dos qoaes um sul-raericano, os Srs. Carlos
Beck Bernard, Alfredo Eemarsay, e Santiago Ar-
i .- p.ibiicaram simultneamente obras ebeias de
actualidade, interessanies e importantes, sobre o
Paraguay.
0 slalo social da repblica e o facto do seu so-
lamente, diz o Sr. Beck Bernard, que dirigi por
muito tempo a colonia de S. Carlos, junto de Santa
F, consiituem um plieuomeno poltico dos mais
Dota veis.
pez, soffreu ja' urna baixa de 30 00, e pole-se di-
zer que a sciencia econmica e administrativa do
novo presidente fez diminuir de metade o crdito
do Paraguay, ou para melbor dizer, da casa com-
mercial de Lpez & C.
Sao se concebe na verdade como semelhante
paiz pode ser admttido no rol das nacoes
populagoes do extremo oriente, o Sr. Demarsay en-
tra em alguns detalhes curiosos acerca do exercito
paraguayo.
O Paraguay, diz o Sr. Demarsay, por seu tsola-
menlo rigoroso e seu estado de hoslildade poltica
constante, a respeito dos seus vsinhos, obrigado
a mauler um estado militar fra de toda a propor-
go com os seus recursos.
O inconveniente mais serio destes exerclos exa-
gerados e permanentes, tirar agricultura bra-
cos, cuja ausencia constitue, tanto como as seccas
prolongadas e devastagao dos insectos, para a in-
suficiencia das colheitas, e a caresta crescente de
todos os gneros.
Aqu, como no mais, reapparece o poder absolu-
to, sera lmites, do chefe do estado.
O recrutamento feito a disposigao dalle.
Todos os horaens, ainda os casados, sao aptos pa-
ra servir.
Ficam no exercito era quanto se julgar que s3o
precisos; e voltara primara requisigao das auto-
ridades.
Ao lado deste exercito regular poz o governo mi-
licias ou guardas nacionaes, aos quaes se joniam
com o nome de guardas auxiliares, todos os homens
de lo a 55 annos, que por extrema pobreza nao
podera entrar as milicias.
A nacao toda est assim arregimentada.
< s guardas nacionaes prestam ao estado servigo
de toda a especie; fornecem guarnieses as frontei-
ras, conduzem rebanbos, trabalham as estradas,
pontes, colheita de mate, e ludo o mais que se Ibe
impoe em nome da patria.
Ora, cmquanto esses homens abandonam assim
os seus campos e o cuidado dos seus interesses,
nao recebem sold algura : o estado contenta-se em
alimenta-los.
J tivemos occasiao de ver que, emquanto asci-
dades e villas argentinas contara mais de 100,000
emigrantes europeus, o Paraguay Do abriga no
seu territorio 200 estrangeiros.
O Sr. Demarsay informa, coratudo, que o general
Solano Lpez teva um momento, no tempo de seu
pai, a intengo de coiooisar urna parte do Paraguay
com colonos europeus.
Chegando Europa, o quadro de um mundo no-
vo para elle, o contacto .de urna sociedade de que
elle nao tinha idea, arrastou o joven Lpez a pro
jeclos de emigragao que elle se oceupou de reaii-
sar sem autorisago previa de seu pai.
Concluio entilo com urna casi de Bordeaux um
contrato, em virtude do qual 410 colonos de ambos
os sexos e todas as idades foram mandados para o
Paraguay.
A 14 de maio de 1853 foi lavrado um decreto
que estabelecia sob o nome de Nova Brdeos, urna
colonia no territorio do Grande Chaco.
A escolha pouco conveniente do lugar exposto a
frequentes iunuodacoes; a conduela malvola dos
chefes da colonia um regulamento que tirara aos
colonos toda a iniciativa e liberdade ; finalmente a
execuQo incompleta das obrigagoes contrahidas
pelo estado, irouxeram o insuccesso daquella infe-
liz empreza.
Alguns emigrantes, morrendo de fome, reduzdos
ao desespero, tentaram evadir-se e deixar um lugar
em que nao podiam viver.
Os soldados que os perseguirn), mataram dous;
um tercairo foi punido com o mais indigno castigo.
Dessete foram presos, postos a ferros a riscados
da colonia.
Lamentamos nao poder, por falla de espago,
acompanhar o Sr. Demarsay nos detalhes com
quaes elle completa a historia deste nico ensaio
de colonisago europea naquella ierra inhspita.
Tal a siluagSo poltica a social do Paraguay,
stuagao contraria a ludo o que se chama civilisa
gao, diguidade, justiga e liberdade.
Julguem agora se um tal paiz, ou antes um tal
governo, merece as sympaihias da Europa Occi-
dental, e se pode justificar o ruido laudatorio que
se faz em seu favor em muitos joraaes francezes,
com pr. funda sorpreza do mundo sul-americano;
julguem se ha equidade em comparar essa adminis-
iragao semi-barbara a Repblica Argentina, regida
por um governo regular e nacionalmente constitui-
do, cujo sentimento de verdadeira liberdade, ba-
seado na legalidade respeilada e poderosa, o amor
do aperfeigoamento, e a expanso internacional,
Leio a grandeza no espago
De la fronte loacaii :
Ha de a rosa de la alma
Desabrochar amanh la.
Por Dos 1 NSo deines o mundo
Ennevoar Uus fulgores...
Nasceste. em bergo le sedas,
Morre n'um leito de flores...
S virtuosa... E n|
Ters um lindo arre
Na mocidade um s
Dourado por vivo so
O mundoJudassjj da-nos
Os beijos da vil traic
Infiltra rindo o veni
Nos poros do coragl
Seria com doces cantos
Nos arrasta a' perdigao,
Quando em seus bra|gosnos cospe
as faces a maldigac
Como hoje tusrae
Sempre o s no cora(
E lita sempre urna es
as dobras da cerrai o.
Quando as azas da
Subires, menina, aos
norte
:os,
Receba tua alma virgem
A palma das maos de Dos.
Traoscrevemos do Jornal de
tisboa o seguinte
O camponio entrou para um gabinete, e o tinir
de pratos fez-lhe comprehender que o padre janta-
va socegado.
Esperou muitos quartos de hora sem que Ihe ap-
parecesse ninguem.
Cansado de lana demora, o camponio tossio, can-
tou, assoviou, mas ludo debalde.
O pachorrento padre dormia, naturalmente, en-
costado a' banca do janlar.
Exasperado por se ver Irataao com tao pouca
consideragao, o camponio comegou a bater em lo-
dasas portas.
Olha de repente para urna porta de vidraca e en-
costado ao caixilho v urna especie de botao.
Nao bavia que duvidar ; o seu compadre vis-
conde tambem tinha em orna porta um botao da-
daquelles para chamar os criados.
Vai-se direito a' porta, e em lugar de carregar
no que elle suppuuha se ura botao de metal, aper-
! ta o entre os dedos.
Ouvio-se ento um grito agudo no quarlo para
oude abra a porta de v,draga, e o camponio reti-
ro u os dedos sujos de simona a sangue.
Apertara a verruga do nariz da governanle, que
espreitava, por um vidro partido do quarlo do
amo, o que o camponio fazia entre as quatro pare-
des do gabinete.
O padre acordou ao grito feminino.
E entao fez-se o ajuste.
Em vez de duas ocamponio mandou resar seis
missasduas por alma do compadre... e quatro
Levantaram-na entao os porteiros e quizena
entregar-lba.
NSo, disse-lhes elle, os embaixadores de el-rei,
men amo, nao eslo costumados a levar wiifo,
de parte nenhuma, as cadeiras de que se servi-
rn).
Recordamos
realeza.
ter sido a rapi nm attribufo da
Urna carta do meare de Monbard, dirigida a ac- pe|a da verruga que tinha desapparecido do nariz
demia das sciencias de Pars, $ lida na ultima ses-
sodesta academia, annuncia-ilie que a ioaugura-
i cao da estatua de Buffon, qve dieve electuar-se com
'grande solemnidede, foi fixada para o
prximo mez de outubro.
da 8 do
da ama.
E a ama passou o resto da vida mui satisfeila.
Como sao as cousas do mundo I
Quiz o acaso que na brutahdade do camponio
estivesse o aperfeigoamento do rosto da gover-
nante.
as maos do sabio, o rae ti o que allumia o cahos
da ignorancia ; a mensagei. a de suas ideas, e a '
.ontidente dos seus mais iolin os segredos.
a cora que se abra
as mflos do historiador
raovem as ruinas o picare
brecha as tradigdes esqueciejas, e a alavanca com
que se d moviraento aos sec ilos.
as maos da mulher a tontidente de suas ac-
goes, a capa de seus vicios, 4 a trombeta cora que
apregoa suas virtudes. j
as maos de um ministrl quasi sempre urna
arma terrivel.
as maos do ignorante r
penoa de pato.
as maos do critico alt
tro de cana e urna carabina
O Armico del Polpolo, de Palermo, publica os se-
b p com que se re- I guintes pormenores do assassinio do Sr. Errigo,
Ainda hoje se diz de nm principe qne elevado
a rei: revestio pnrpnra real.
Em Roma ns soldados preteranos elegiam nm
imperador lancando-lhe aos hombros ama rapa de
palpara.
Xa idade media, nunca nm rei rcehia om em-
baixador, sem estar revestido da capa oa manto
real.
Esle uso conservon se para todas as ceremonias
de grande apparate.
As ampias pregas do manto tem rerta nobrea
dlgnidade que impoe respeite.
Depois de 1793, foi a capa mtfMl pelos fco-
mens, que a snbMluiram pelo carrirk oa capole
de milites cabeciles sbrenoslos mas no lempo da
restauragao, lornaram os romanilcos a inanfnrar
o uso da capa, mas entao mui ampia, para se po-
derem embugar sem consirangimenro.
Depois, tendo o conde Dorsay dado vojra em
Londres ao Paleto!. alraveson este a Manda, e im-
plntense em Franca, onde dora ainda.
A capa leve por consolagao, ser adoptada pelas
senhoras.
as maos do periodiqueii
formas; participa da batuii e do gaucho do ira- Bav agastou-se, dirigi speras censuras ao geren-
a vara de Aarao, mas 'o. e retirou-se depois de ordenar que nao se pu-
peiro ; pode ser, por vezes
confunde se com a vara de
medir.
U toucador a alma do rabioete de vestir.
O segredo da rosa esca
cabellos prelos, a garridice
urna tranga, o gracejo de cj
boga urna forma, o mysteri
tamente confiado ao espelhc
donzellas de quinze annos
dor das que completaram
mais terrivel das que teem
e rugas as faces.
A mulher que se apresen
as costas ao espelho, sorpn
inconveniencia da natuieza
director do peridico italiano A Provincia :
Apresentou se um sugeito ao Sr. Bay, e disse-
lhe que desejava inserir um artigo no seu peridi-
co. O director da Provincia nao pode acceitar o
artigo porque nao eslava assigoado, e porque o seu
autor nao quiz pagar a quaotia que Ihe exigirn)
pela insersao.
Decorridos poucos dias pedio o gerente do pe"
rlodico ao Sr. Bay que mandasse inserir o artigo ;
unca mais que urna I raas 0 director negou-se de novo a faze-lo pelas
mesmas razoes anteriores.
rnadaraente um scep-: > D^clarou entao o autor do artigo que pagara
Mini. j ao gereute dez francos, a qui ou Ihe haviam de
o susceptivel de mi| restituir o dlnheiro, ou publicar o artigo. O Sr-
blicasso o artigo.
Na larde do mesmo dia estava o Sr. Bay es-
crevendo no seu gabinete, quando nelle entrou o
gerente, como succedia moitas vezes. Poucos ins-
late escondida em uns lanles passados ouvio-se um tiro de pistola. A es-
ie um lago que prenda posa do Sr. Bay, que estava em urna casa contigua,
ualquer prega que es- correu logo ao gabinete e achou o marido banhado
da pallidez, ludo, em- no proprio sangue, em consequencia de um feri-
fin, que compoe o adorno cas muflieres, absolu- mente de bala no himbro esquerdo.
do toucador.
t Produzio geral impressao este facto. A po-
O espelho representa a mus querida alTeigao das llcia adoplou logo lodas P^v-dencias para obla
Segundo diz urna folha esirangeira espera-se que
o congresso de esludantes de L*e seja coworri*)
por varios homens tmioenles.
Um dos que j enviou a sua adheso o Sr. Jo-
les Simn.
Assegura-se que na carta qne elle escrevea a
este respeite, prometleu convidar alguns dos ami-
gos Ilustres que tem em Franga para o acoa-
panharem, e que enire elles espera poder coatar o
Sr. Jnles Fabre. A presenga de homens taes ser-
ve de resposla aquellas que nao tem querido ver
oaquelle congresso, seno urna reunio de esta-
danies era ferias.
o agradavel consola-
os trinta ; e o inimigo
ja' cabellos brancos e
a que o assassinio se evadisse da cidade ; e como
ninguem quiz dar-lhe asylo, eotregouse elle volun-
tariamente a prisao e confessou o crime.
?*-
a triste quando volta ; Deve-se, sem duvida, o uso da capa a neces-
ndeu no roste alguma siaade de se ter preservativos contra o rio; e
>u dos annos. rauito provavtl que as primeiras que se usaram,
Aquella que ri e canta de >ols de se ter mirando, fossem feitas de pelles de aniraaes mortos as ca-
ficou satisfeita do carmirn dls labios e do rosado Cadas.
i S depois de se aprender a tecer os estofes,
'que se tizeram capas mais leves e commodas.
Foi certo dia ura campo o procurar um padre
para o encarregar de Ihe diz ir duas missas de seis
vintens, pelo descango ter to da alma de um seu
E' verdade que os dois Lpez nada pouparam formam> ate Pe|o contraste, a mais expressiva cri-
FOLHETDI
o demoITdo jogo
POR
HENRIQUE CONSCIENCE.
vi
! Continua gao.j
Seriara cinco horas da arde e estava Julio.de
bragos cruzados, em um dos quartos do pavilho de
seu amo. Cahidj -m profunda preoecupago, la-
va os olhos em urna cadeira de bragos que eslava
ao p da janelia, nica daquelie aposento, e mo-
va a cabega de lempos a lempos com expressao de
mquieta duvida.'
Alguns passos no pavimento que Ihe fleava por
cima, desviaram-no das suas rellex5es, e irnico
sorriso Ihe contrahlo o rosto.
E chama-me fraco, murmurou Julio, elle que
um cobarde Ha urna hora que anda de quarlo
em quarlo como se o perseguissem phantasmas in-
visiveis. Mas como elle arranjava bem as cousas
para si I C o Julio malaria o pobre rapaz e ira
enterra-lo na adega : o Julio que havia de fazer
ludo. Com gente filsa teda a camella pouca. O
que elle quera bem claro : queria, 6m caso de
necessidade, poder aecusar-me do crime sem in-
lervenc.lo sua. Pois pode ameacar e bufar a von-
tide. Ou elle d c golpe ou o signor Gernimo sabe
d'aqui como tiver entrado.
Caiou-se, pass u urna mo pela testa, e disse sem
despregar os elhos da cadeira :
E saber eu que dentro de urna hora b de ha-
ver um cadver nesla cadeira do inferno I E ento
o cadver do fidalpo mais bondoso e mais affavel
que tenho conbecido Oxai que o seu aujo bom
o aliaste desie maldito logar. O signor Turcht
quem o matar..... mas eu tenho de ajudar. E
para mostrarem-se muito outro-; do que sao : acha-
rara penas para escrever o Semanario e dissimular
a v rdade.
Por outro lado, os agentes diplomticos que vo
ao Paraguay, nao tendo oulra missao mais que fa-
zer tratados, e augmentar os pontos de commercio
dos seus paites, fecharam os olhos aquella adrai-
nistrago deploravul, esquecendo que as relagoes
internacionaes sao impossiveis e necesariamente
esteris, cora aqueile phantasma de nagao.
A estes testemunhos de escriptores serios e ob-
servadores conscienciosos, veio juntarse um ulti-
mo, o do Sr. L. Alfredo Demaisay, encarregado pe-
tica e directa condemnagao do Paraguay.
E' do acadmico Aristides A. Milln :
MENINA.
Na linda flor de leus labios
Eu vejo a flor da innocencia,
Leio a ternura em leus olhos
Na languidez da dormencia.
De toas faces divinas
Vejo... rebenla a belleza...
E' tua cutis a t -lia
Do pincel da nalureza.
compadre que ihe deixara
para as bandas de Aiuerca, i
condidos em urna arca de pao.
Bate a' porla e apparece
Entre os gregos e romanos eram as capas mu
elegantes e sumpluosas.
Faziam-sc de estofes de ia, de extrema finura, e
tintas em purpura.
Exiga o luxo que se tivesse muilas; e geral-
mente conhecida a histeria do emprezario de es
Ihe urna rochunchuda pec(acu|05 pUD|cos, que procurou Lucullo para
urnas fazenditas, ahi
uns mil eruzados es-
governante, muito encaroigada de laces, passaodo ,ne pedir que lhe eraurestasse algumas capas de
b decoro sacerdotal, e j
dos cincuenta, como exige
possuindo engastada no nariz
escura, que era o flagello da I
ra, e que depois de mais cr
um forte anteparo aos pesadjos oculos azues que
desciam at o bieio do nariz.
Levantando os oculos com
da direita e limpando cora un
pouco de siraonle que trasbor
tas, a respeitavel governanle ez saber ao campo-
nio que o senbor padre tinha sihido.
Ora o camponio nao era kteiramente leigo na
arte das recepgoes.
Era possivel que o padre nao estivesse em casa ;
mas tambem o era que nao tivesse sahido.
purpura, com que pndesse vestir os seus actores,
urna enorme verruga j Dara uS lruar eludu;e.
ua legitima possuido- i
jscida, promettia ser *~" -v,ao Se'se 'euho, respondeu o creso; venha
amanha.
E uo dia seguinte recebeu o emprezario quatro
mil capas de purpura, que Ihe eram mandadas por
o pollegar e o ndex : Lu(,u||o_
lenco encarnado um
Java das largas ven.
A capa foi, por muitos secutes, attributo da rea-
leza eda lidalguia da Franga. Faziara se dos mais
ricos estofos, e bordavam-so de ouro, de prata, e
at de pedradas. .,
Conta-se que um dia um erabaixador francez,
aprsenlaodo-se ante Carlos V, depois da batalha
de Pavia, e nao vendo cadeira para se asseular,
entendeu que o tiniiam querido humilhar. Tirou
Disse a' sua interloculora o motivo que all o entao dos hombros a capa, que era riquissima, tan-
conduzia, sentindo ter de procurar autro sacerdote, to pelo estofo, como pelos borbados de ouro, en-
pois que os seus negocios nao Ihe permiltiam que rolou a e fez della urna especie de almofada, em
demorasse mais de um da fra da sua trra. : que se assentou, causando grande assombro ao im-
A porta abri se e o camponio foi rogado e ins-! parador, que. de despeito, mordeu os labios,
lado a que esperasse, porque o senhor padre nao; Terminada a audiencia ergueu-se, saudou Car-
se podia demorar. I |0S y, e no levantou do chao a capa.
I
lnaugurou-se em Bonlogne sor-Mer, no imperio
francez, a estatua de Jamer, o propagador da va-
cina.
Foi prestada asta homenagem ao grande bemfei-
tor da humanidade por meio de subseripcao pro-
movida pelo doolor Lonel e para a qnal coocorre-
ram lodos os mdicos de Pari?.
O acto da ioaugurago veriflron-se com soleoni-
dade.
Concorreram a elle depatac.>s parisienses e in-
glezas, alm dos memhros do municipio de Boteg-
ne, ontras passou notareis, oomero-o cooeorso
de povo.
Depois da ceremonia, a moniripalidade oflereceu
um lauto jamar, para o qual linham sido eoavida-
dos as depntages de Paris e Londres, e diver-
sos cavalheiros de todas as cidades do condado de
Kent.
O monumento foi levantado na praca do porto
em frente do caes onde desembarcam todos os an-
nos cem mil viajantes inglezes, qne. pondo os ps
no solo francez, notaran desde logo a honvnagem
prestada pela Franga a um dos sens mais .Ilustres
compatricios.
Matto-Grosso levantase f
Tal foi a grata nova qn* nos irrmxe
Jaruhy.
o patacho
em que parar esta tragedia de sangue T No cada-1 descahida sobre o peito, e s quando a elle se che-
falso para o amo e na corda para o criado. Ahi: gou que Julio sabio em sobresalto da sua profun.
est o lira da raioha vida desgragada I Se eu, em I da preoecupago.
condemnado; depois um ferro bue brilhou ao sol, Caale, muito larde I bradou Turchi quasi
sangue e urna cabega cabida.... I desorientado. Insensato, desejas a mioha perda, a
Julio calou-se com intengo: mas seu amo a- a raioha ruina, a raiuha deshonra para sempre ?
siz sr ;re rc t'* ;: i jt,s? ees* Em me e"" pe"Mm, con""so n'" br'to m"m,m evo*Hi"itx",i,,r ^ ***a m"""
Dai nao teria fraudo d> ini n,.r, 1.J__,sempre a pensar r lens medo? rouca : mim oo alto da sua grandeza, esposo de Mana Van
^t^ral^^.r,^^ -"RKl i h I^Werve.N.oisson.o.Sereieuofe.i.orico,
mente cmplice em crime horroroso. E' porque, E verdade de nada or,,,, y n a n m' ~ P applaud.a e icobr.a de maldi- o altivo. E quando mesmo tudo perdesse, quando
como dizia o velho cura de Porto-Fino, o mal ura larei. ""*" ^ QUe ma' ^ Ume-' mesmo no cadafalso es,ivesse meu fira* havia de
labyrioiho ; quem se melle nesse caminho de en-
cruzlhadas, perde o fio que vai dar ao bem. Ah,
saciar esta sede de vinganga que me abafa o cora-
gao. Nao ha nada, nada que possa conter-me ; e se
que o ma- goes o nome...
Que nome ?
Mas, continuou Julio, se nada tenho a receiar O seu nome, senbor
se eu esuvesse ao p de minba mi, na Italia I Lou- % Lr tS'tTJi^^i^ZSl Sim3 TurCh MttW ,S abalad0 por esse esPec" E 'T bSlaGUl' Ju"0'1',aSSara Pr Clma d
codesejo! muito larde, ando fgido e a rainha ^q^^LtLT taculo do seu Ora possivel, que du um grito e re- 'e" cadver para matar aquello que envenenen a
cabega d dinheiro. Quem pode saber 0 se ssaj. cnau (raneado. F.cou por um p{,uco mudo e de
ticoa por alguns instantes abysmado nos seus Quem? Pois nao ha 14 rn cima um olho que '
pensamentos; depois fez um pesio de impaciencia v ludo? Em quanto aqu,
e tornou :
no mais "profundo se
Julio contemplava-o fulminado pela commoco,
v^:^*^b^r tTespTdesorriso represo-NioUDta
- ura adeus I para que rae serve agora eslar a sede de vinganga, nao ouvir Deus ao menos ogri- *? ^^ ?" y"' S P"a eXper-
pensar nestas cousas? Estou em seu poder e hei de lo de agona do s.goor Gernimo? Se ***** Pder,a faier renunciar s amo
sugeitar-me a necessidade. Mas depois de dado o Julio vio com secreta alegra que as suas pala-; a SU3 per,gosa emPreza i s"a Intengo era tam-
golpe, depois de comraetlido o crime, cujas provas vras faziam tremer seu amo, apezar de querer Si- bem "*"*'* d'eSSe raodo v,Dar"se da violenc'a
maier.aes possara testeraunhar contra elle, lam- mo flogir uraa irnica insensibilidade. j qa* ",e er* preCIS0 S0,7rer da sua parle'
bem eu bel de ser alguem e hei de poder dizer : Tem graga I murmurou Turchi ; Pielro Mas Simio Turchi nao esteve multo tempo de-
' r? 0r lembrale d0 Ju"- flo a'8z seu Mostajo que se lembra de fallar em Deus I As mi- baixo da impressao d'aquella predigo de mo a-
criado ,Por ora ainda nao posso nada; se eu fi nhas precauges esto muito bem tomadas; quan- gouro. Levantou a cabeca e disse com ar de des-
zesse alguma cousa para impedir o crime, elle se- do a adega subtenauea Uver recebido o segredo preso :
na capaz de fazer desapparecer tudo o que podes- ninguem ira la esgaravata-lo. Cobarde bypocrila, o mdo e a inquielaco
se provar o seu projecto, e de enlregar-me ao fel-1 Parece Ibe isso, senhor? Quando que no o que te faz ver essas cousas. O homem mais ani-
lor de Lucca. Eu sena levado a Italia e esquarie- vem a descobrir-se urna morte assim ? Nao para moso seria cobarde com os cobardes. E' urna fa-
jado na trra de m.nba mi. Nunca dei a pobre admirar que eu deixe descabir a cabega sobre o talidade que eu seja to desgragado que precise de .
velha senao magoas mas hei de esforcar-me para peilo e me ponha a malucar. Aicda agora estava ti. Se nao fosse isso, livrar-me-hia da tua presen-1 dando um salto de surpreza e terror.
para matar aqueile que
miuha vida. NSo queiras embaracar me, porque
nao sei o que faria I
E Simo Turchi levou a mo a um puohal qne
tinha a' cima; as suas faces estavam roxas, os la-
bios tremiam-lhe, e era fulminante o olbar que cra-
vava no servo.
Esla ameaga pouco assustou Julio, provavel-
menle por nao acreditar que seu amo Ihe dsse
execugo. Com Irnico sorriso nos labios, deu dous
passos para traz, levou a mo a' faca e disse zom'
beteiro :
Havia de ter graga, senhor, se o signor Ger-
nimo nos encontrasse aqui a lunar. Nao poda ha-
ver nada melhor para elle se salvar.
Como I pois atrevias-te ?...
Nao sel porque nao. Parece-lhe qne Julio se
deixana malar como urna mosca?
- Escuta I elle ahi vem 1 griteo Simio Turchi,
Coimbra, Dourados. [flota, Miranda, Coiim. Cu-
rumb estSo de novo em nosso poder.
A bandeira nacional trmula novamente sobre
esses pomos ainda ha pooeo tomados por nm mi-
migo Iraicoeiro!
E* iso pelo menos o que nos annnnriam corres-
pondentes officiosos, cujas eommooicacSes deseja-
mos ver em breve ofBcialmenle confirmadas.
Uruguayana nao tardar tambem em voltar
ao seio da nossa nacionabdade, inteira como nos
pertence I
A Providencia abenro por loda a parte as arou*
brasileiras e onde ajwr qne as hostes selvaffens
de Lpez, .-e encontram com as forga* qne repre-
sentara a liberdade, a civilisago e a humanidade,
sao vencidas e desbaratadas.
poupa la a essa suprema infamia. Mas ahi vem o
signor Turchi..... Vai porOar cutra vez para que
seja eu quem d o golpe; mas nao cahir sobre
mim o sangue do innocente.
Simo Turchientrou. Eslava muito pallldo; mas
a cicatriz que Ibe sulcava a fronte e a face estava
ainda mais plida. Nao trema; roas o seu andar
pareca precipitado, e apertava os dedos nos pu-
nbos como homem tao magro de viva impaciencia.
Vio de longe o criado pensativo, com a cabega
eu como em sonhos, e via cousas lio terriveis e io ga. Mas ao menos eu nao recuarei quando tiver de I No pateo soavam as pancadas do martello de
dolorosas, que nem rae atrevo a dizer-lh'as. Bem v levar a cabo o que projeclei. Falla, diz-me o que | ferro da porta do jardira.
que ainda lenho lagrimas nos olhos. posso esperar de li I E' chegada a hora; nao ha
Entao que vias l perguntou Turchi com an- tempo para hesitagSes.
ciedade crescente. Veremos qual de nos far com mais tranquil-
O que via? O juiz e os executores da justija lidade de animo o que tem de lazer. Engana-se
que aiavara a um homem as maos as costas, e o c commigo, senhor; eu nao tremo. Se me vem
arrastavam pela ra como odioso malfeitor, e o po- estas negras e tristes ideas por sympathia por
vo atirava lama ao preso e ehamava-lhe assassino. meu amo. Parecia-me que cumpria um dever mos-
Via um cadafalso, e nesse cadafalso um algoz e um trando-lhe mais urna vez o abysmo.
Julio, pela ultima vez, que posso esperar de
li ? Perguntou Turchi com anciedade.
Farei o que prometli fazer, nem mais nem
menos.
Bem, corre a abrir a porta. Nem uraa pala-
vra imprudente; nada de inquielaco acensada pe-
lo rosto. Has de traz lo para aqui; diz-lbe que
estou oceupado com o negociante estrangeiro; se
elle nao se assentar logo, espera um momento fa-
voravel e faz que elle va' dar a cadeira. Depois
chama-me e farei o reste.
Eolio sempre quer que en faga rahir o signor
Gernimo na cadeira ? murmurou Julio.
Ja' sahindo do (Juarto, responden Ihe Turchi cjnj
voz ameagadra e olhos chamroejantes :
Pietro Mostajo, lembra le do eilor de Lacea f
Julio sahio, dirigio-se para a parede e atrio a
porla.
Bemvindo, signor Gernimo. Que boa aova
sera' a que o faz vir vjsmr men amo no sea jar-
dira ? lia bem lempo que o nao vi qor ca'...
E' verdade, Julio, ha mnito lempo, rejpoodeo
o mancebo com franco sorriso, entrando oo jarata
e dingindo-se para a casa. Parece que atada ooo
se peosa por aqui em receber os amigos, porooa
tudo esla' abandonado e agreste. O Sr. Toreoi nao
lem fallado em inaudar Hoipar o jardiin ?
Ja* fallou o'isso, mas ha algnm tempo <,ae
anda triste, e parece que al lem perdido a voott-
de de diverlir-se.
Bem sei, Julio, bem sei; mas isso na mu-
dar para melbor.
Ab, Deus o queira, senhor
Que fundo suspiro tu dsie, Julio l Inquietad-
me. Teu amo esta' doente ?
Julio cooheceu que era preciso mnita prudencia
para nao dar a Gernimo suspHIas de algosa po-
ngo. Respondeu com voz desafogada:
Nao nada. Meu amo passa bem e al est
hoje alegre. Desde aquella ooite em que vi a es-
pada de BrufTerio quando sobre o peito do omAot
amigo de meu amo, ficou-me ca dentro nao sei o
que, que me a perla o coracao e me faz dar assra
longos su .piros.
(C
PERNAMBUCO -T\P. DE M. F. DE F. & FILHO
i
T.. _



DIARIO DE PERNffiBUCQ.
(np|lemento ao n. 23.)
RENDIDO DE URITCITAYAWA.
INTERIOR.
RIO DE J*\i;iKO
3 de oulubure de \%->.
Cahio Uruguayana.
A planta impura do Paraguayo nao manchara
por raais tempo o solo sagrado da patria.
Eis a noticia que nos traz o Gerente, quo era-
pavezado e embandeirado cntrou hontem a nossa
barra procedente do Rio da Prata com escala pelos
portos do sul do imperio, trazendo datas de Bue-
nos-Ayres at 2., e .Montevideo 24 do passado.
No dia 18 de setembro o exercito alliado levan-
tou acampamento e sob o commando em chefe de
S. M o Imperador, iue poucos das antes chegara
ao campo, acercou-se da praga, oceupando a di-
reita os Brasileirs, commandados pelo bario de
Porto-Alegre, o centro os Argentinos, commanda-
dos pelo general Mitre, c a esquerda os nentaes,
commandados pelo general Flores. Ao mesmo
tempo 42 bocas de fogo ameagavam os sitiados.
Nao se disparou un tiro, nao nos custou urna
gota de sengue o triumpho, lagrimas de viuvas
nem de orphos nao humedecern! as palmas da
victoria.
O parlamentaria enviado a Estigarribia trouxe
em resposta que o Paraguayo se rendia ao Impe-
rador do Brasil. Entao o Sr. ministro da guerra
conselheiro Perra?, enlrou na praca, Estigarribia
entregou-lhe a espada, e licou ludo concluido. s
prisioociros forara distribuidos pelos tres exercitos,
e os officiaes sahiram sera armas.
Nos seguintes documentos e cartas encontrarao
os leitores minuciosamente referidos todos os por
menores deste feto, que enc'.ie de jubilo o corago
dos Brasileirs :
CARTA no MINISTRO DA GUERRA FEIUUZ.
Uruguavana, 18 de setembro de 1863, s 8
lloras da noite.
a Octaviano. Boje estamos na l'ruguayana.
t Logo que o general Mure chegou, Estigarribia
se dirigi a este disuado gecepal, fazendo-llie pro-
posicoes. O ofllcio que lhe foi dirigido como che-
le do exercito nao podia agradarme, o nenhuma
resposta lhe deu. Mais tarde, porm, se abriram
as conferencias entre os generaes sitiadores, e de-
pois de combinado o plano de operagoes se resol-
ven que a praca fosse intimada logo que as tropas
avangassera e tomassem posicao.
Occupamos sem resistencia as posicoes deter-
minadas pela comb nago dos generaes, assestamos
tambera sem resistencia as nossas 42 pecas de ar-
tilbaria, e ao meio dia em ponto se Ibes inlimou
que se rendessem.
t O Imperador eslava em posigo conveniente, e
eu com o general baro de Porto-Alegre e sua
comitiva mais frente.
A Intimacao foi feita pelo mesmo general ba-
rao de Porto-Alegre era nome dos adiados : se Ibes
deu duas horas para responderem ; e a resposta
veio nestes termos :
Io Que as pragas de sargento para baixo en-
tregariam suas armas, licuado prisioneiros;
2o Que os officiaes e mais pessoas de distrae-
rlo sahiriam com suas armas, bagagens, e pode-
riara residir oude quizessem inclusive no Paraguay;
3 Que os Orientaes seriam prisioneiros do
Brasil.
Reunidos os generaes em presenga do Impe-
rador, se combinou em responder que se admit-
tiara as condlcoes 1 e 3- e que, em quanto a 2'
se modificava por esta forma : Os officiaes en-
uegariam suas armas, podendo residir onde qui-
zessem, menos no territorio Paraguayo.
Se combinou que eu levara a resposta verbal-
menle e que tratara era nome dos cuetes adia-
dos.
Me dirigi s trincheiras e ahi se apresenta-
ram Estigarribia e o orientalSalvanach; declare-
lhe o que se havia resol vido fine pediram que es-
crevesse, assim o lira em urna pequea mesa que
me apresentaram. e assignei .em nome dos adia-
dos.
i Deram 2 i|2 ioras da urde,
i Foram conferenciar e voltaram meia hora de-
pois. A resposta foi nos termos convencionados
constituindo-se prisioneiros de guerra.
t Convidei entao a Estigarribia, ao padre Duar-
te e a SaUanaeh para que viessera comigo para
apresentalos ao Imperador; charaei o gene-
ral baro da Porto-Alegre para que estabelecesse
a forma do desarmamento e a entrega do material
de guerra, p segurado com Estigarribia e os ou-
ros os apresentei ao Imperador.
Immediatamente, estando Sua Magestade e os
generaes adiados presentes, procedeu ao desarma-
mento, passando para o nosso acampamento os
officiaes e soldados Paraguayo, operago esta que
durou at a noite.
t O numero dos soldados, nao incluindo officiaes
etc. de 3,103.
c O padre Duarte, Estigarribia, os Salvanachs,
etc., eslo a bordo.
i Nao escapou nem um hornera.
Est, pois, L'ruguayana, aioda que incendiada
e saqueada, era nosso poder.Ferraz.
CAUTA DO PRESIDENTE MITRE.
L'ruguayana, 18 de setembro. Exm. Sr. vice-
presidente D. Marcos Paz. A guarnido da villa
de Uruguavana entregou-se hoje a discrigo s ar-
Eraquanto o vapor aquenta as 'raachinas, te fa-
rei urna descripeo succinta, por-jm tao completa
como possa, da grande comedia representada pelos
Paraguayos a que acabo deassistir na L'ruguayana.
t Como ja' sabes, ba das que os generaes da
vanguarda iizerara urna intimago a Estigarribia,
subraeltendo-lhe proposicoes para que se rendesse.
Este as rejeitou, fallando das Thermopilas, de Le-
nidas, de Xerxes e nao me record de quera mais.
t Nao obstante, como ja' te annunciei, no dia 13
o chefe sitiado passou nma nota ao general Mitre,
annunciandolhe que se achava disposto a aceitar
novas proposicoes.
f Viva a Repblica do Paraguay 1
O commaodante em chefe da diviso paraguaya
em operagoes sobre o Ro Uruguay.
t Sitio de L'ruguayana, 13 de setembro de 1863.
t A S. Exc. o Sr. general em chefe do exercito
alliado, brigadeiro D. Batholomeu Mitre.Exm. Sr.
abaixo assigoado, comraandante em chefe da
divisao paraguaya sitiada era L'ruguayana, tema
honra de dirigir-se a V. Exc. desejoso, tanto ou raais
que SS. Elixc. os chefes da vanguarda de V. Exc-
de evitar o derraraaraento do sangue dos seus con,
cidados, mas como os mencionados chefes fize-
ram ao abaixo assignado proposicoes indecorosas
para um militar de honra, minhas respostas lera
sido proprias dos oferecimentos, e dignas do ho-
rnera a quem o governo do sua patria conflou urna
espada, espada de honra e de lealdade.
t Se V. Exc. deseja evitar o derrainamenlo de
tem a occasio opportuna de faze-lo na al-
naclonal saudam a V. Exc. por vir compartir com
elle suas fadigas, pengos e gloria,
c O primeiro corpo do exercito argentino se fe-
ao Imperador, tornou-lbe este sorrindo-se
honras que nos fazem.
i
Sao
Vai sahir o vapor, e neste momento acaba de
ebegar um proprio com a grata noticia de se te-
Hoje as 9 horas da manhaa achou-se o gene- rem os Paraguayos rendido no dia 18 sem dispara-
licita urna vez mais pela honra de ter sua frente ral Flores a bordo do vapor em que est o Sr. pre- rem um tiro, e que no dia 19 pretenda fazer o nos-
o illuslre chefo que o conduz'o sempre pelo carai- sidenle Mitre, afim de receber a visita que o Im- so exercito sua entrada na villa de Uruguavana, le-
nho da gloria, e se compraz de ter esta occasio perador pretende fazer-lhes. | vando a sua frente S. M. o Imperador e seus dous
de prometier a V. Exc. que cumprir com o seu Segundo os mappas dos chefes, ba no acam- augustos genros.
dever melhor, se possivel, do que o tem feito pamento adiado 9,300 bayonetas e 42 pegas de ar
durante os cinco mezes em que tem estado ausente tilharia.
de V. Exc, e que se a obstinagao do inimigo que Ha tambem 8,300 homens de cavallara.
se acha hoje encerrado no estreito recinto da Uru- Devem em breve chegar 5,000 homens de in
guayana, o levasse al ao extremo insensato de re- fantaria e artilharia, que vinham cora o Imperador, cito, sem que tenhamos de lamentar perda de
sistir, o primeiro corpo de exercito, duplamente !e que Sua Magestade resolveu deixar em caminho. vidas.
piaram a 9, sob a direceo do Sr. engenheiro Sal-
gado, ara muito adiantadas.
Em Sant'Anna progredia com rapidez a reunio
do novo corpo de voluntarios qne est creando o
Sr. capito Joaquim Jos de Vargas ; notando-se
entre os voluntarios o subdelegado da villa e pro-
fid;tudoquantotrouxe o proprio, que o reputo BSSfimTce,laado ** Sr'J
Nao resta, pois, a menor duvida que o inimigo
rendeu-se e esta' hoje em poder do nosso exer-
animado pela presenga do chefe na nago, saberla
levar ao ataque, era 'toda a linha, o pavilho celes-
te e branco do povo argentino.
c A estas palavras com que o nosso general in-
terpretou tao dignamente os sentimentos de todos
os chefes e officiaes e tropa desta diviso, S. Exc.
respondeu com essa linguagem tao Quente e ele-
gante que o distingue, algumas breves e entusis-
ticas palavras. Sentimos nao nos recordarmos del-
tas lateralmente, mas em substancia disse elle :
Que por sua parte senta igual prazer de saudar os
chefes e officiaes do primeiro corpo do exercito ar-
gentino da vanguarda, ao qual lhe era grato de-
clarar que havia cumprido cora o seu dever e mais
para adiantar-se.
t Os Paraguayos mostram-se decidido a defen-
derem-se, porm imagina-se que quando virem o
ataque seriamente emprehendido mostrem-se me-
nos lelraosos.
a Nem as fortificacoes que os protegem sao taes
que possam inspirar-lhes confianga.
i Urna parle das trincheiras nao s dominada
pelas colinas prximas, como tambem ser varri-
da pelo fogo da esquadrilha brasileir.
< Estigarribia mandou sabir da praca algumas
mulheres e enancas que all haviam lirado.
i Este passo, que parece dictado pela caridade,
foi aconselhada pela necessidade de diminuir as
sangue, .,
tura que V. Exc. desejaria era caso anlogo ao j baixo da sua direegao que tinba cabido ao primei-
meu. !ro corpo do exercito a honra de dar os primeiros
Pode V. Exc. abrir proposigoes dignas, e nao, tiros em desaggravo da honra argentina offendida,
duvide que, se assim fr, os desejos de V. Exc. e como lhe caberia em breve a de varrer o inimigo
do que com seu dever, pois se tinha conduzido I boceas, porquanto. nao tem abundancia de vi
com herosmo. Que primeira noticia da injuria veres.
feita patria pelo governo do Paraguay tinha con- c A principio acreditou se que o ataque teria lu-
nado ao valor e patriotismo do general Paunero,! gar no dia 12 ; parece porm que ficou definiliva-
as primeiras operagoes da guerra, e que era de-1 mente marcado para o dia 15.
< Neste sentido lomam-se todas as medidas.
O ministro da guerra do imperio dava as mais
os raeus sero satisfeitos.
t Deus guarde a V. Exc. raudos
nio Estigarribia.
c Mitre nao lhe respondeu.
o At o dia 17 as cousas se achavam no mesmo
enrgicas providencias para memorar e servir- dos
hospitaes e tudo mais que interessa o bem estar
estado fugindo da praga algumas pessoas, iguaes
todas ora pintar o estado desesperador dos sitiados,
e sua pouca voslade de bater-se.
Ida margem do Uruguay, e de disparar sobre elle das tropas adiadas,
annos.Anto- f os ltimos tiros j sobre as ribas do Paran. Fo- t Do Sallo ia fazer-se urna grande remessa de
. ram enlhusiasticamente acclamadas estas palavras. tudo quanto fosse necessario.
t Era seguida vieram S. Exc. o general Flores, Como em Montevideo, diz sempre a Iribuna,
o barao de Porto-Alegre, o visconde de Tamanda-1 tem-se comraentado urna pretendida desintelligen-
Conflrmando-se pelo Gerente esta nolicia, repet-
ram-se as demonstragoes de regosijo popular. A es-
te respeito diz anda o Otario:
Com a noticia official da capitulago dos Para-
guayos na Uruguavana, a uossa cidade illuminou-
se toda hontem e duas bandas de msica, acompa-
nhadas de immenso povo, depois de terem tocado
porta da casa da cmara, onde se deram mmensos
vivas e subiram ao ar varias gyrandolas, sahiram
a percorrer as ras e foram linda tocar a porta
dos consulados argentino e oriental.
dental.
sustentava na
da trplice al-
,o povo ahi
am-se algu-
Os que se apresentaram nesse mesmo diapela brasileiro o Imperador do Brasil, acompanhado do
manhaa disseraui que Estigarribia, instigado pelo conde d'Eu, duque de Saxe, ministro da guerra e
padre, ia tentar essa noute vadear o Uruguay, bur-, muitas outras alias personagens da corte. Os ge-
lando a vigilancia da fljiilha brasileir, valendo-se neraes Mitre, Flores, Paunero e suas respectivas
para Isso de algumas chatas e canoas que haviam comitivas passaram a saudar o Sr. D. Pedro II, de-
construido deniro da villa. morando-se um pouco no campo.
t Prevenido o visconde de Tamadar, se colla- Em breve, pois, realizar-se-ha a to fallada
cou com seus vapores era frente da Uruguayana, conferencia entre os chefes das nagoes adiadas;
r, o general Canavarro e demais personagens dojcia ntreos generaesbrasileiros,argentinoseorien
exercito a comprimentar o general Mitre. taes a respeito da demora do ataque, aproveilaraos
Hoje s 10 horas da manhaa chegou ao campo ; a opportunidade para dizer o que encontramos as
achando-se a bordo do navio chefe o Sr. duque de
Saxe, genro do Imprador.
t Foi devido a esla operagao, e a oto ou dez ti-
ros que se zeram de bordo, que os Paraguayos
abandonaram seu louco projecto de fuga.
Na mesraa noute coraegaram os preparativos
para o ataque.
t Varias conferencias tiveram lugar entre os; que nos acharaos, s tenho a accrescentar ao que
generaes Mitre. Flores e baro de Porto-Alegre. i disse em minhas cartas anteriores que as opera-
t Nellas se accordou dar o commando em chefe goes contra esta praga coraegaro de um momento
mas pesso garantir que bem que o presidente Mi
tre congratule se com a occasio de por-se de ac-
cordo com o Imperador sobre os negocios da guer-
ra, tal conferencia nao foi solicitada, mas smenie
proporcionada por incidentes casuaes.
< Agora voltando parte mais interessante des-
tes negocios, que sao as operagoes da guerra em
do exercito a S. M. o Imperador, obrando de com-
mum accordo com os generaes.
O presidente Mitre e general Flores conbina-
ram o plano de ataque, que submetteram a S. M. o
Imperador, e este o aceitou sem a menor raodi-
cago.
< Dispostas assim as cousas, deu-se ordem para
para ou tro. Para islo dispomos j da torea e ele
mentos de guerra necessarios.
< Depois do rorapimento das negociagoes de
rendigo, de que j dei-lbe noticia, os sitiados tor-
naran) a dirigir-se aos cnefes deste exercito, pe-
dindo-lhes permisso para sal rem as familias da
L'ruguayana (200 pessoas). Responderam aquellos
cartas agora mesmo recebidas do campo adiado.
Nenhuma desintelligencia, rivaiidade ou preven-
gao manifestou-se naquella conferencia, na qual
s se tratou do ataque sob o ponto de vista militar.
A questo debatida era esta : tendo os Para-
guayos 7,000 homens dentro da praga, seria con-
veniente atacar as trincheiras com as 9.500 bayo-
netas que entao (inhamos sitiadores r
Os chefes braslleiros, e parece que tambera al-
guns dos argentinos e orientaes, admilliam que a
praga podia ser tomada, mas com grande perda de
sangue, e justamente porque, sendo o maior nume-
ro de forgas de infantaria argentina e oriental, se-
riam estas as que mais teriam de soffrer ; parece
que os chefes braslleiros queriam evitar um ata-
que por demais sanguinolento, por ser prematuro.
Hoje nao ha do lado dos sitiadores a superlori-
de de forgas qne os preceilos da guerra exigem,
ms sero 9,509 bayonetas contra 7,300 que eslo
na praga, pois que nao deve conlar-se com a caval-
lara para atacar trincheiras ; entretanto tudo se
espera do valor e disciplina dos adiados, sobretudo
sendo estes muito superiores em artilharia.
Concluiremos dizendo que era inmenso o en-
thusiasmo das tropas das tres nagoes, vendo che-
que ao amaohecer do dia seguinie, isto hoje, os Estigarribu que nada era mais natural e se de- gado o momento to desejado, de dar aos Para
e'xercitos adiados se preparassera para marchar. va esperar dos paizes cultos que representavam,
Esta noticia produzio um grande enthusiasrao do que accederem de bom grado ao seu pedido,
as divisotfs oriental e argentina, qne vlsitei essa porm que anda nao havia a necessidade de fazer
noute : outro tanto, me disseram, se passou no sahir as familias.
exercito braslleiro. Que, quando nos approximassemos para bom-
Esta ordem se executou com a velocidade do | bardear, se Ihes daria um prazo para sahir. Mas,
como a fome parece que vai fazendo-se sentir na
praga, Estigarribia tornou a insistir na necessidade
da immediata sahida dos neutros; e como o presi-
raio.
A's 6 horas da manhaa de hoje nao havia urna
s barraca em p, desapaprecendo como por en-
canto essas milbares de habitagoes volantes que
momentos antes cobriara as coxilhas, cujo silencio
secular havia sido momentneamente interrumpi-
do pela vida agitada e bellicosa do acampamento,
t A's 7 horas, os tres exercitos estavara promtos
a eraprehender a marcha ; cada um levava urna
quantidade de guiones centos de paos largas e breve de posse de Uruguayana.
pequeas escadas que com as picadeiras, pao oar-! Alm destas negociaos officiaes, ba mil ontras
retos, coraple tavam os elementos preparados no particulares de quanlos Paraguayos voluntarios e
acampamento para dar o assallo villa. i prisioneiros nos acompanham, os quaes fallara to-
Pouco antes das 8 horas, o echo longiquo do dos os das com os sitiados, com a mais absoluta
clarim deu o signal de romper a marcha. franqueza, cordialidade e odio ao lyranno.
Nada mais imponente e nem chelo de grande-1 E' o que V. poder verificar a vista das cartas
za que o espectculo que entao se apresentou a
meus olhos, que ainda contemplavara essas enor-
mes massas de infantaria avangando gallardamen-
te ao som festivo de suas alegres msicas, segui-
das por 40 pegas de artilharia e por grandes co-
lumnas de cavallarias, cujas bandeirolas se viara
fluctuar era abundancia, confundindo as capricho-
sas cores de cada regiment, de cada urna nago
que lhe remeti, e em consequencia das quaes as
pessoas que as assignaram tiveram larga entrevista
com Estigarribia, assim como os officiaes e solda-
dos da comitiva de uns tem cora as dos oulros.
i Nao sei, pois, o que significa esta completa pa-
ralisago do terrorismo paraguayo, o que sei que
o proprio Estigarribia acredita qne contrahlo bas-
tante ment para que Lopes o enforque, se, o que
adiadas no campo da honra e da gloria. I nao espera, podesse tornar a v-lo.
No plano de ataque a collocago dos exercitos < Chegaram hoje ao nosso acampamento dous
era a segrate:
t No centro o argentino.
A' direita o brasileiro.
A' esquerda o oriental.
t Para chegar a' povoaco era preciso passar
um arroio, sito a vinte quadras do acampamento
jue acabava de levantar-se.
< O general Flores,ao lado de qnera andei to-
do o dia, podendo assim ser testemunha de tudo
hatalhes brasileirs, e o santafeziano do coronel
Abalos, que, segundo dizem, pedio para vir formar
a vanguarda.
Adeus. SeuBalthazar.
t L-se na Tribuna de 23 :
< De cartas escripias em frente da Uruguayana,
e que alcangam a 12 do corrente, commumeam-
nos o seguinte extracto :
-No dia 10 chegou o Sr. presidente Mitre aquel-
mas adiadas, sendo superior a mais de seis mu conhecr os passos.
homens; sendo os trophos desta victoria cinco Quando os encontrou fez avangar suas tropas,
canhes, nove bandeiras, mais de cinco rail espin- qQe em Um momento os passaram, coreando urna
gardas, rail c tresentas langas com suas bandeiro- |n(ja coxilha que all havia.
las das cores Paraguayas, clavinotes, correiarae, Depois de haver oblicado a' esquerda, a colum-
caxas de guerra e mais equipamento, alera de urna na oriental fez alto, para dar lugar a que passasse
quadrilha de canoas e bailas, as quaes intenta- a argentina, afim de ir U
quanto occorreu hojecom essa actividade assom-! le lugar, acompanhado do Sr. visconde de Taan
brosa que o distingue, avangou pessoalmente a re-1 dar, seus ajudantes de ordens, e dous batalhoes
de infantaria, os quaes eram o Santa F e 11 de
linha do imperio, formando uraa forga de cerca de
rail homens.
O 4U de voluntarios da patria, do Rio de Ja-
es.
vara evadir-se da sorte que os esperava
< Felicito as naguas adiadas, ao povo argentino
e V. Exc. por 'este importante triumpho, que
prediz o feliz e glorioso fim que ter a nossa cam-
panha.
O general D. Jlo Madariaga, que foi meu
ajudante do campo, apresenlar a V. Exc. urna das
bandeiras Paraguayas.
Havendo-se estipulado que a guarnigo sald-
ra das trincheiras desarmada e sera honras, com
seus chefes e officiaes, tambem desarmados na
frente, e sahindo por essa occasio da forma um
porta bandeira, foi della despojado pelo general
ornando desde logo a posi-
go que cada qual linha de oceupar na linha de
ataque, emquanto que o exercilo brasileiro, a mar-
chas forgadas cruzava pela retaguarda a oceupar a
direita.
i Poucos momentos depois de ter feito alto, dis-
tinguimos que,avangava para o lugar onde nos
achavamos, uraa immensa comitiva: era o Impe-
rador do Brasil, seguido do conde d'Eu, de todos os
generaes do Imperio que o acompanhavam, sea mi-
nistro da guerra, ede um crescidissimo numero de
chefes e officiaes. ustro da guerra do imperio, conselheiro Ferraz.
Ao reconhec lo cora o seu binculo o general: Deu S. Exc. a agradavel nolicia de que che-
Cabral aiudanie de campo de S. M. o Emperador I Flores sahio ao seu encontr, emlanto que os bata-; garia no dia seguinte S. M. o Imperador,
do Brasil. O Imperador a recebeu e entregou-mej lhoes de infantaria desfraldando os seus estndar-1 t Com eifeilo no da 11 adianlou-se ao encontr
e eu aceiui em nome do povo argentino, com re-
cordago do da de hoje,em que cerca de 7,000 ho-
mens desfilaran) rendilos peranle o soberano e os
representantes da soberana dos povos adiados.
Olferego este tropheo minha patria como dupla-
mente precioso e memoravel.
ter saudavam ao monarcha e faziam ouvir
lodias do hymno de sua patria.
i O inimigo nao tinha j que comer, restava-lhe
apenas alguns cavados magros.
c Todo o armamento, mo e de fuzil, quatro
pegas, bagagem e correspondencia, tudo ficou era
Os prisioneiros sero divididos entre osada- poder dos adiados,
dos corn igualdade, conforme as estipulagoes an- i Depois de percorrer algumas ras da villa, di-
teriores. I rigi-me ao porto.
t O general Madariaga, portador desta, dar Setembro, 19.
V. Exc. ns demais delalhes. t A's 7 horas da noite cheguei Restauragao.
t Opporiunamente se dar conta offlcialmente, Nnguem sabia nada, e a nolicia produzio
deste desfecho ao ministro _da guerra, assim como grande enihusiasmo.
a relaco dos trophos que tojuem repblica ( < O meu amigo o Sr. Pastor S. Obligado sahio
Argentina. i para o acampamento cora agrande nolicia, que te-
Nesta occasio terei ento a satisfacao de de- nho a gloria de ser o primeiro em trazer do cam-
rlarar o cavalheirismo cora que se portou o nosso po da victoria,
nobre alliado do imperio do Brasil, querendoce-j c Setembro, 20.
der-no> maior numero de trophos, especialmente < A' 1 hora da madrugada cheguei Concordia,
artilharia ; honra que declinamos, aceitando tanto' A's 7 da manhaa me puz em marcha para I
o general Flores como eu urna s pega de arti- Buenos-Ayres (Montevideo, a cujos povos, felicito!
Iharia.
t Receba um abraco de felicitago.Dartholo-
meu Mitre.
t Vida de Uruguayana, campo da victoria, 18
de setembro de 1863.
c llurrah hurrah e sempre hurrah t
t () problema da Uruguayana est resolvido 1
t Satisfazendo teus desejos, meu querido Hora-
cio, me apresso a transmittir le a noticia desta ex-
plendida victoria, tanto mais grande, quanto que
ella nao nos costa urna gol. de sangue, e ao mes-
mo tempo foi alcangada sera que urna s victima,
um s soldado da cruzada redemptora tenha sido
sacrificado em suas aras.
f N3o sei so eu terei a fortuna de ser o primei-
ro em levar ao povo de Montevideo a nova de to
feliz acontecimento; porm, era o ardente desejo de
que assim seja, fago quanto me dado neste mo-
mento.
i Para esse fim acabo de fretar o vapor brasi-
leiro Uniao para que me leve a' Federago, e dalli
seguirei por trra at a' Concordia.
c Ao mesmo tempo despachei dous proprios, um
pela costa argentina e outro pela oriental, para as-
sim previnir um accidente qualquer que me prive
de chegar eu a tempo de tomar o primeiro vapor
que saia para Buenos-Ayres e Monlivido.
por este esplendido triumpho, que nao custa nem
guayos uraa ligo que nunca mais possam es-
quecer.
t Todas as cartas do tamhem testemunho da
alegra e cordialidade que reinava no campo allia-
do, e de que davam to nobre exemplo os chefes
das tres nagoes e os generaes que os representa-
vam frente das tropas.
Como se vio, os blancos na Uruguayana nao qui-
, zeram entregar-se seno aos Brasileirs. E' para
dente j eslava aqu, concedeu-lhes a permiso t (,s honroso qne na desgraga s tivessera f na
solicitada, de maneira que hoje vem elles pare i nossa generosidade os mesmos que nos haviam
este acampamento. mortalmenie oflendido. Este facto comtudo foi as-
Diz se que ainda esta pendente uraa negocia-! sra comraentado em Montevideo pela Tribuna :
gao de entrega da praga, porm, como quer que I ,QQando a revolugo balia s portas de Montevi-
seja, creio que de um ou outro modo estaremos em' ^ a bandaira imperial era arrastada pelas ruase
os tratados com o Brasil entregues .ao furor das
chammas na praga publica, pelo partido blanco.
Cahio esse partido era 20 de fevereiro e os
que o formaran) dispersaram-se era todas as direc-
ges, deixando victoriosa eratodoo territorio orien-
tal a revolugo iniciada por um horaem.
Alguns blancos, sera resignago para soffrer o
peso da derrota, pediram ao lyranno do Paraguay
um posto as fileiras do exercilo, e o obtiveram.
i Pois bem I ouga o povo, para que julgue da
dignidade que caracteriza a esses homens.
i Os que linham arrastado a bandeira imperial
e queimado os tratados, os que diziam : < Havemos
de vingar a Leandro Gomes > acabam de entregar
suas armas ao pavilho brasileiro, dizendo que :
iE'i nica garanta de salvago para elles na
L'ruguayana.
t Onde esta esse valor moral de que tantas ve-
zes lizeram alarde ?
Onde est) esses soldados de honra que pre-
feran), de palavra, antes a morte do que rende-
rem-se?
i Ahi eslo ja' a sombra da bandeira brasileir,
como tendo se rendido, e nao como homens que fa-
zem alarde de uraa honra que esto longe de ter, e
de nm valor que Ihes falta.
t Temem o imperio, e procuram-o como urna ga-
ranta I
f Arrastarara a bandeira brasileir pelo chao, e
vo buscar asylo e proleceo a' sua sombra I
Queimarara os tratados com o imperio e nao
tiveram a coragera de queimar nem um grao de
plvora antes de renderera-se a discripgo!
Honra I onde te sumiste t
c Valor 1 o que feito de ti ?
t Os blancos da Uroguayna que respondan).
Da nossa esquadra do Paran' a nica nolicia
que temos consta do seguinte trecho de uraa
Rinco de Soto, 13 di selerabro de 1865.-Es-
tamos esperando que desga a esquadra paraguaya,
a qual dz-se que esta' em Cuevas; Deus queira
que venba, pois estamos desesperados com a ramo-
bilidade obrigada que soffremos.
< Havemos de recbelos como merecem, por
que unio-se ao desejo de escaramenla-los o de
mostrar-lhes que, se desejam dar-nos abordagem,
nos havemos de adiantar-nos em fazer-lhes primei-
ro esta vootade.
i Tanto assim que temos a bordo urna guarni-
go que ja' se torna excessiva.
t Era tempo de. paz a guarnigo de nma canho-
nera como a Itajahy de 75 homens; no caso de
guerra de 100; pois bem, temos 180.
< Isto lhe mostrar como estamos preparados,
pois em urna praga d'armas que tem seis ou sele
camarotes para officiaes, estamos hoje 16 e o prati-
co, sem fallar as malas, mesa de comer, etc.
c A tudo isto juntem que ba ordem superior de
nao passar de um navio para o outro sem permis-
so escripta do commaodante, nem mesmo os pra-
ticos; privago completa de comraunicago com a
trra e s ao meio dia cora as embarcagoes que
vem vender algumas cousas salgadas e por prego
excessivo
Das provincias argentinas apenas se refere que
mais algumasguerrilhas foram.dispersadas em Rio
ja e Santa F.
As noticias do Pacifico tambera sao de pouca im-
portancia.
No Chile cahio as cmaras a reforma constitu-
cional para liberdade dos cultos.
No Per a revolugo ganhava cada ves mais ter-
reno.
neiro, commandado pelo tenenie-coronel Dr. Pi-
nheiro Guimares, teve de caminhar mais de 20
leguas por trra, indo embarcarse em Monte-Ca-
ceres.
i A maior demora que teve o Sr. presidente na
sua viagem, desde a Federagao at a Uruguayana,
proveio do mo lempo que reinou, e de ir o vapor-
ziobo excessivaraenle carregade, porquanto levava
600 pragas a bordo, ao mesmo tempo qne rebocava
duas embarcagoes com o resto da tropa e petre-
chos.
< Tambem no dia 10 chegou ao acampamento
dos adiados, em frente da Uruguayana, o Sr. mi
as me- de Sua Magestade o Sr. visconde de Tamandar,
acompanhado dos generaes e de grande numero
de chefes e officias brasileirs, aos quaes o Impe-
rador tratou com a sua recenbecida affabilidade,
dando ao Sr. vice-almirante lisongeiras demons-
tragoes do aprego.
Eis agora, diz a mesraa folha, como na carta de
um amigo descreve-se a ebegada do Imperador ao
campo alliado :
a Approxi mando se o Imperador do quartel-ge-
neral do nosso exercito, os generaes Mitre e Flores
sahiram tambera a encontra-lo.
c Anda a cavado apertaram-se as roaos com
multa cordialidade.
t Chegando ao quartel-genoral, Sna Magestade
apeou-se, e rodeado de urna mutido de chefes,
officiaes, etc. conversn algura tempo com os ge-
neraes, conservando aquelle alfago grave e ao mes-
mo tempo sincero, que tanto recommenda a D. Pe-
dro II.
i Depois dirigio-se Sna Magestade a quasi todos
os officiaes que o eercavam com tanta' affabilidade
O quartel da guarda na
frente de sua illurainagoos pa
llauca, e ao passar por elle a
parou; deram-se mullos vivas
mas pegas.
O Echo accrescenia
t Continuou o enthusiasmo por iodo o dia de
hontem e a' noiie chegou ao seu auge'. t
< A cidade illuminou-se toda, e por toda 2 parte
se via o troar de centenares ie foguetes.
As 7 horas sahiram a percorrer as ras da ci-
dade tres bandas dejmn^ca, precedidas de grande
numero de cidados, qe empunhauSo o pavilho
nacional victonavam ao nosso monarcha, aos adia-
dos, ao exercito, etc. #
t A noite de hontem foi ama vordadeira noite de
enthusiasmo popular.
O Commercio de Pelotas refere nestes termos a
maneira porque foi all recebida a communicago
da entrada dos adiados era Uruguayana :
Esla faustosa noticia chegou hoje as 10 1)2 ho-
ras da manhaa, sendo portador della o Sr. Silva,
que sahio hontem de raanha de Bag, sendo leva-
da all por um proprio que, vido por transmittir
to grandiosa quo explendida nova, fez o trajelo
da Uruguayana a Bag em tres dias (70 leguas.)
< Em um instante correu a noticia de um a ou-
tro ngulo da cidade e centenares de foguetes ele-
varara-se ao ar, annunciando ao povo o magnnimo
triumpho oblido pelos soldados da civilisago, que
abandonaran) patria, familia e lar para remir do
jugo do lyranno a milhares de habitantes que ja-
ziam as tre vas, plantando o pavilho da liberdade
na Repblica do Paraguay, embrutecida por Fran-
cia e Lpez, e elevando-a a par das nagoes civili-
sadas.
l'ma carta da mesma cidade exprime-se por esta
(orina :
Ha longos annos que resido em Pelotas e nun-
ca vi tanto enthusiasrao popular como no dia que
chegou a noticia da entrega dos Paraguayos sitia-
dos na Uruguayana.
t No sabbadb eram 10 1/2 horas da manhaa,
ainda bem o Sr. Silva, portador da fausta noticia,
nao tinha destribuido a correspondencia, e j por
todos os ngulos da cidade ouvia-se troar de cen-
tenares de foguetes que sobiam ao ar; e como por
encanto a feliz nova correu por toda a populago,
o regosijo seguio todo o dia e noite chegou ao'seu
auge.
< Tres bandas de msica precedidas por distinc-
tos cidados que erapunhavam as bandeiras aina-
das, fazendo tremular na frente o pavilho auri-
verde, dirigiram se ao pago da raunicipaldade, e
all, depois de numerosos vivas, que foram corres-
pondidos enlhusiasticamente, foi tocado o hymno
nacional, subindo ao ar nessa occasio diversas
gyrandolas, e logo apoz o Sr. Dr. Garcez pronrn-
clon o bello e patritico discurso que em seguida
publicamos, e que foi frenticamente applaudido.
t D'alll as msicas sahiram a percorrer as ras
at alta noite com immenso concurso de povo, to-
cando as residencias dos Srs. delegado, subdelega-
do e agentes consulares das nagoes amigas, sen-
do era algumas dellas offerecidos profusos copos
d'agua.
c No domingo continuaran) as demonstragoes de
regosijo, percorreado, noite, as ras urna banda
de msica com muito povo.
Honre tambem espectculo dramtico em gran-
de gala, que foi bastante concorrido.
< Emfim, foram tantos os regosijos qne nem por
occasio da pacificago da provincia derara-se tan-
tas demonstragoes.
O Diario publicou o seguinte offlelo quo contm
algnmas particularidades a respeito da entrega de
Uruguayana :
< Illm. e Exm. Sr.A forga paraguaya que oc-
capara a Uruguayana rendeu-se no dia 18 do cor-
rente, as 4 horas da larde, aos exercitos adiados,
cuja frente eslava S. M. o Imperador.
< S. Exc. o Sr. ministro da guerra communicon
esu importante nolicia ao Exm. enviado extraordi-
nario e ministro plenipotenciario do Brasil junto ao
governo argentino, em carta do mesmo dia do acon-
cimenlo s 8 horas da noite.
t O exercito invasor suecumbio sem haver dado
um tiro, entregndose sob as condiges seguin-
tes :
As pragas de pret prisioneiros de guerra. Os
officiaes e pessoas gradas depunham as armas, fi-
cando-lhes o direito de ir para onde quizessem,me-
mos para o Paraguay.
Os officiaes orientaes que se achavam na co-
lumna inimiga, prisioneiros de guerra do exercito
imperial.
O inimigo entregou 5,103 pragas de pret, que
segundo os jornaes desta cidade, forara divididas
pelas tropas das tres nagoes adiadas.
O chefe da columna, o eelebrecapello Duarte
e officiaes orientaes estavam a bordo dos vasos de
guerra brasileirs que bloqueavam a villa pelo lado
do rio.
< O Sr. ministro nao diz nada do armamento e
muoigdes de bocea e de guerra.
t Consta, porm, que aquelle era pessimo, de
fuzil todo elle, e em muito mo estado.
c A artilharia, diz urna carta do exercito orien-
tal, acha-se enterrada na ilha do Pic, urna legua
talvez abaixo da Uruguayana ; mas acho essa noti-
cia inverosmil, pois qae estivemos sempre se nho-
res_do rio.
Os vveres eram escassissimos na praga onde
isa dos negociantes portuguezes Le I le
a dia 7 as 2 lii da tarde seguio para o
Os subditos porluguezes residentes em Pella?, a
convite do seu cnsul, o Sr. Jos Vieira Pimenta,
coiisarara-se e offereceram uraa bandeira a orate
corpos do voluntarios daquelle municipio. Ja all
se estavam preparando festejos para o regresso de
S. M. o Imperador.
O presidente da provincia havia expedido ao ge-
neral commandante da guarnigo e fronleira do
Rio Grande, a seguinte portara :
Provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sol.
Palacio do roverno, em Porto Alegre, 13 de se-
tembro de 1865.Illm. e Exm. Sr.Ijimpre qn-.
V. Exc. logo que esla receber faga eliminar dos cor-
pos que se acharen) s suas ordens os Orientaes
que por ventura possam ter sido alistados para
elles, nao obstante a exhibigo do titulo da sua oa-
cionaldade, o que hei por muilo recommendado.
Dos guarde a V. Exc, Sr. general commaodante
da guarnigo da cidade do Rio Grande. Vucondt
da Boa-Vista.
Fallecer repentinamente no Rio Grande, no da
23, o Sr. Manoel Gomes de Oliveira, capito dobri-
gue brasileiro Tygre.
Era Porto Alegre sepultrase a 18 o Dr. Cyro
Jos Pedresa, victima de urna molestia de corago.
De Piratinim commnnicaram o fallecimento do
Sr. Placido de Oliveira Fara, na idade de 110
annos.
De Algrete publicou o Echo de 26 a seguin-
te carta a respeito da chegada de Sua Magestade o
Imperador aquella cidade e sua partida para a
campanba :
t No da 6 pelas 8 1|2 horas da noite chegoo a
esta cidade o Exm. ministro da guerra, qne h bos-
pedou em cas
e Silva; c no i
exercito.
as poucas horas que aqu esteve,algumas re-
formas fez nos empregados dos depsitos e hospi-
taes militares.
t No dia 8 s 4 1|4 horas da tarde chegoo S. M.
o Imperador, acompanhado pelos principes seus aa-
gustos genros e mais comitiva.
< Foi hospedado na casa da cmara, que se
achava preparada para tal fim. Ao escnrecer,
quando todos pensavam que Sua Magestade dese-
jasse descansar das fadigas da viagem, >. guiado
sabio a visitar o hospital militar e os drpmim,
e alguns barretes passou por nao encontrar al-
gumas cousas a seu gosto, demittindo alguns em-
pregados.
A's 8 1|4 horas recolheu-se, e as 9 1|4 foi per-
mittida a entrada s pessoas que deejavam ter a
honra de comprimentar aos augustos hospedes,
entre os quaes comparecen nma coramisso de
tres subditos portuguezes, qne em nome dos seos
compatriotas residentes naquella cidade feliritoo a
Sua Magestade pela maneira que abaixo transcre-
vemos, ao que Sua Magestade sempre, como o bom
pai de todos que pizara o solo brasileiro, se digoou
ouvir c agradecer a esses fiis amigos do Imperio e
das suas glorias, esta demonstragao de respeito e
de amor, que esses subditos lhe consagrara.
Indagou Sua Magestade, entre ootros assump-
tos, que numero de Portuguezes baria naquel-
la cidade, e deixou todos penhorados da mais viva
gratido.
i No dia 9, s 9 Ij2 horas da manhaa seguio
cavado para o exercito, acompanhado dos princi-
pes e da sua comitiva.
< Grande numero de pessoas a p acompanba-
ram Sua Magestade at um quarto de legua da
distancia, e d'abi por diante muitos o lizeram a
cavado.
A mesma folha publicou no dia seguinte outra
carta de Algrete. E' esta :
c Chegou a esta cidade, no dia 8 do corrente, o
nosso adorado monarcha, s 2 horas da urde d'es-
se dia achava-se grande mutido de povo no pas-
so de Ibirapabilam ; muitas meninas vestidas da
branco e com faxas de fitas verdes e amarellas, e
tambem os camaristas, anciosos esperaran) a ebe-
gada de S. M. Imperial j poucos instantes depois
assomou a augusta comitiva, e entre viras entbu-
siaslicos passou o rio ; ao desembarcar, todos agru-
pavam-se em torno dos illustres viajantes, e i por-
fa queriam todos ter o lugar mais prximo ao ret-
cidado; ento approximou-se a cmara munici-
pal, e o Sr. Dr. Geminiano recitou em nome da
mesma cmara um bello discurso, ao qual Sna Ma-
gestade dignou-se responder agradecendo a cma-
ra pelos seus sentimentos ; em seguida foram ao
encontr do Imperador as jorens de que cima
fallel, e d'entre ellas sabio urna (libraba do Sr.
Jos Cardoso Ferreira Alvim, a qoal reeitoo uro
singelo mas tocante discurso que a todos entbu-
siasmou ; feito isso dirigio-se Sua Magestade e co-
mitiva para a cidade acompanhado de immensa
concurso de povo, sendo a cada passo victoriado
cora vivas a elle, aos principes, familia imperial,
nago brasileir e muitos ootros; Soa Magestada
agradeceu o carro que o esperava para conduzi-lo
cidade, dizendo que prefera ir a p. Lamento
nao ter tempo de sobra para relatar-te miudaroente
a sua chegada, s te direi que o Imperador btm
amado, teve urna recepgo toda popular, aonde elle
dando o exemplo, seguio do passo al cidade sem-
pre a p e de envolta com o poro, indagando da
tudo que via e dirgindo-se a qualquer pessoa que
perlo della estava.
Na porta da igreja estava o palio, que ella
agradeceu graciosamente, e confundido com o
povo entrou na casa de Deas, onde fez oragio.
< Fiada a ceremonia religiosa, dirigi se para a
casa da cmara, a qual eslava preparada conve-
nientemente para recbelo.
c Apenas tomou algum alimento, sabio logo a
percorrer o hospital, onde indagou de tudo, fallan-
do com todos os doentes, um por nm; d'abi, j ao
escurecer, foi aos depsitos de goerra, examinou
tudo, e censurando a reteogo dos objectos bellicos
que ahi se achavam, ordenou que sem demora os
remettessem para o exercito, e com effeito isso se
fez, pois meia noite carregaram-se e sahiram
carretas para o destino Indicado.
i No dia seguinte anda os habitantes desta ci-
uraa s lagrima e nem urna gota de sangue.
Teu irmo e amigo.Hctor F. Vrela.
Transcreveremos ainda, para complemento das
noticias, a seguinte carta que relata alguns suc-
cessos anteriores entrega da praga :
i Acampamento em frente Uruguayana, 11 de
setembro de 1865.Querido amigo.Ainda nao
tomamos a praga; porm esta ser a ultima carta, Grande, trazendo ponches
me parece, em que eu tenha o desgoslo de dar-lhe largas. >
semelhante parte. Ainda prosegue a carta do nosso correspon-
i Era necessario que terminasse esta situagao,' dente :
do contrario gastar-se-bia a nossa plvora | c A's 3 horas da tarde, justamente na occasio
em salvas; nao crea que isto urna figura, a em que levantava se urna grande tempestado, inon-
mais completa realidade, pois que os anniversa- tou o Imperador a cavado, o foi percorrer o acara-
e as chegadas de personagens succediara-se' pamento da cavallara brasileir, que o mais pro
que os Argentinos e Orientaes moslravam-se de al-
guraa maneira admirados.
< Os pricpes confundan.) se at com os subal-
ternos, conversando Ihanamente com lodos, fazen-
do-lhes perguntas, etc.
c Tanto o Imperador como os principes traja-
vara modestamente moda da campanha do Rio
e chapeo prelo de
Do Rio Grande a ultima data de 27.
Eis como o Diario refere a maneira porque foi
recebida naquella cidade a primera noticia da ru-
abas trega da Uruguayana.
c A cidade do liio Grande foi hontem a' tarde
sorprebendida com o troar de rail foguetes, salvas
de pegas e repiques de sino!
A curiosidade publica se agitava de modo ad-
miravel, e todos como que machicalmente, corriam
para a ra da Boa-Vista a esperar o vapor Especu-
lardo que embandeirado dava toda forra cora a boa
dade repousavam, j estava o Imperador e seas
genros a passeiarem pelas ras e arrabaldes. Re-
todavia parece que havia abuodaocia de licores. colheu-se a palacio e s 9 1|2 horas da manhaa do
A guarogo entregou-se n'um estado de exte- dia 9, ei-lo ja a carado, acoiupannado de soa co-
nuaco e sordidez inacreditavel; mas em cambio mitiva, caminho da Lruguayana I Que actividade.
vinh'a toda ebria, e durante a capitulago vendia aos parece incrivel que o horaem acostumado s eom-
nossos licores e cerveja de cima das trincheiras. modidades da vida seja tao infangavel.
Taes sao ao menos os pormenores que do as cor- Todos ficaram adorando esse monarcha pa-
respondencias publicadas nos jornaes desta cidade triotico; foi compnmentado por cidados do lodas
h0g as classes e nacionalidades, e a todos receben, nao
Foi o Sr. genera, baro de Porto-Alegre que *jgA'^SSlCtSXT^
poder vottar para o faraguay. | chegaf % esle |ugar S5o esperou a ^^
A forca prlsioneira desfilou perante os chefes do imperador; no dia 8 1 hora da tarde seguio a
das tres nagoes adiadas, depondo as armas, e pas- ,0(ja a pressa para a l'ruguayana.
sando para o nosso acampamento. Nao escapou ] Quando o Imperador atravesson no dia 5 o Passo
nem um s homem de toda essa columna. i 0 ROSario, o Sr. commendador Domingos Ribas,
Essa noticia, chegada aqui hontem por um va-' qQQ aDi esperava Sua Magestadi, offertou-lbe cem
por de Buenos-Ayres, tem sido festejada com o gordos cavados para a sua viagem.
maior enthusiasmo. Ainda agora repicam lodas as i 6
igrejas, e hontem cruzaram as ras msicas e ban-1 necebemos directamente da Uruguayana a
S. M. o Imperador ao
Recebemos
deiras o dia todo, applaudindo o novo triumpho da seguinte proclamago de
rios e as chegadas de ,
rpidamente. ximo da linha inimiga : apenas levava corasigo a i nova de terem os Paraguayos se rendido em Uru-
(i Tivemos o prazer de receber neste acampa- {sua comitiva e um piquete de seis lanceiros. | guayana I
ment a S. Exc. o presidente da repblica, que < Sera embargo do fortissimo temporal que ca-1 < Atraca o vapor, a noticia corre de bocea em
com uraa parte de seu estado-raaior vcio da Con- hia s 4 horas, andn Sua Magestade tres leguas bocea, mas cora alternativas, porque cada um a
cordia a bordo do navio chefe do Sr. visconde de debaixo de copiosa chuva. j commentava a seu bel-prazer, por falta sera duvida,
c Estavamos cerca de 25 quadras das trincheiras. de maiores dados ou cartas minuciosas,
da Uruguayana, quando urna das nossas sentinel- Nos mesmos ficaraos perplexos ae principio,
las avangadas veio dar parte de que um batalho sem sabermos no que acreditar, at que um Sr.
paraguayo estava em movimenlo fra das trin- passageiro nos fez entrega de uira carta escripta
cheiras. | em Pelotas a' ultima hora, as costas de urna ou-1 e dos voluntarios ns. 8, 24, 25, 28, 30 e 33.
Quando o marquez de Caxias deu parle disio tra caria, em que nos dizem : 1 As fortifkagoes da cidade de Bag, que
Tamandar.
t O general Mitre dirigio-se barraca do gene-
ral Paunero, que, testa de grande parto de seus
chefes e officiaes, o recebeu, drigindo-lhc as se-
guintes palavras, pouco mais on menos:
< Os chefes e officiaes do Ia corpo do exercito
trplice allianga.
Queira V. Exc. e a brava guarnigo de seu I
commando aceitar tambem as minhas felicitagoes'
por elle ; felicitagoes tanto mais sinceras quanto
esse estrondoso acontecimento escoima a provincia
do Rio Grande da ominosa presenga da invaso es-
trangeira.
t Dos guarde a V. ExcQuartel em Montevi-
deo, 23 de setembro de 1865.-Illm. e Exm. Sr. te-
teoente general Jos Fernandes dos Santos Pereira,
commandante da guarnigo e fronteira do Rio Ora*
de.Fetippe Bethebcz de Oliveira Ntry.
No da 7 a brigada que estava na Cachoeira ao
mando do Sr. coronel Hyglno Jos Coelho formou
em grande parada, e no dia 8 marchou para a cam-
panba.
A brigada compe-se do 22. batalho de linha,
do corpo n. 24 de guardas nacionaes de Cachoeira,
princt-
exercilo
< Soldados I O territorio desta provincia acha-se
livre, gragas a simples attilude das forgas brasilei-
r? e adiadas.
t Os invasores renderam-se, mas nao est ter-
minada a nossa tarifa: a honra e dignidade nacio-
nal nao foram de todo vingadas, parle da provincia
de Matto-Grosso e do territorio da Confederar jo
Argentina jazem ainda em poder de nosso ini-
migo.
t Avante, pois, que a Divina Providencia e a
juslga da causa que defendemos eoroarm nos*os
esforcos.
t Viva a nago brasileir
Uruguayana, 19 de setembro de 186o.v
Pbdro II, Imperador Conitncional e Defensor
Perpetuo do Brasil. Angelo Muniz da SUra
Ferraz. __________________.
' PERNAMBUCO -TYP. DE M. r.imw.a IlLUo
r.

-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGOCYM19T_RI539F INGEST_TIME 2013-08-27T21:23:56Z PACKAGE AA00011611_10793
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES