Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10791


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/


.
AMO III flOMEBO 234.
~__--
for qoarel pago dentro de iO das jj|f,mei i i 51000
dem epois dos i.0' 10 das do coniecoedeulro do qaartel. 6J000
Porle ao corre/o por tres nezes ,.........t : 750
QUINTA FEIRA 12 DE OTBRO DE 1861
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o 8r. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal,o Sr. Antonio Margues da Silva; Aracaty,o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro
drigaes; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
fr'illios ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXGARREGADOS DA SUBSCRPCAO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claodno Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Alves; Itio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagdes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratii, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commrcio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do clvel:
dia.
Segunda vara do clvel:
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO 1
D
4 La cheia as 8 h., 11
11 Quarto ming. a 1 h., 2
19 La nova as 2 h., 7 m.
27 Quarto cresc. a h., 30
erras sextas ao meio
uartas e sabbadea a 1
EZ DE OUTUBRO.
n
e 46 s. da t.
i. e 22 s. da t.
52 s. da t.
m. e 6 s. da t.
DIAS DA SEMANA.
9. Segunda. S. Dionizio b. m.; S. Luiz fieltrao.
10. Terca. S. Francisco de Borja; S. Pcnito b.
H. Quarta. S. Nicaciob. m.; S. Samatra.
12. Quinta. Ss. Cypriano e Walfrido bb. ram
13. Sexta. S. Eduardo re de Inglaterra.
14. Sobado. S Calixto p. m.: S. Gaudenc b. m
15. Domingo. S. Thereza de Jesos v. c.
PREAMAR DE HO.IE.
Primeira as 10 horas e 6 m. da marjhaa.
Segunda as 10 horas e 30 mfnntos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES C0S7EBGS.
Para o snl at Alagos* a 14 e 30; pan o ert*
ata a Granja a 7 e 22 de cada me:; para ?enu
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marg~.taai)
julh", setembro e rovembro.
ASS1GNA-SB
ncBerife, nalivraria da prar-a da Independen-'
ni. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroad*
Faria & Fiiho.


PARTE FFICIAL
GOYERNO DA MOJIIUCI.
Continuifo do expediente do dia 7 de oulubro
de 1865.
OlBcio ao marechal commandante das armas.
A V. Exc. ser apresenlado o guarda do batalhao
n. -''i de infaotaria do munieipiu da Escada Manoel
Jos Taboca, para ser alistado no balalhao de guar-
das nacionaes destinado ao servico da guerra.
Dito ao capito Joaquim Fernandes Gama.Lou-
vando o patritico olfereciraento que faz V. Exc.
para ir tomar parte na guerra do sul, apezar do I
qutnquagenario, cbeme dzerlhe que muito agra-
dece essa prova de dedicacao a causa do paiz, e
que opportunamente sero aproveitados os seus ser-
vicos.
- 9 -
OfQcio ao marechal commandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de mandar alistar no 5 corpo de
voluntarios da pauia a Martinh) Francisco Ferrei-
ra, Antonio Ignacio Nunes, Isidro Antonio Fragoso
e J io Flix Ramos Lieutier.
Dito ao raesmo.Mande V. Exc. eliminar do
balalhao de guardas nacionaes destinado ao servico
da guerra os guardas Bernardino de Senna do Sa-
cramento, Jos Joaquim da Silva Barros eJoSo,
Paulo dos Santos, visto que segundo o seu officio
n. 1,515 de 6 de setembro ultimo, foram juigados
incapazes daquelle servico em nspecgo de saude,
declarando-me V. Exc. a que corpos pertencem j
esses guardas aflm de se providenciar sobre a subs-1
tituicao delles.
Dito ao mesmo.Declaro a V. Exc"para osflns
convenientes que em offlio desta data commuoi-
cou-me o Dr. chefe de polica que remetiera ao
commandante do 5 corpo de voluntarios da patria,
os soldados Thomaz Ferreira Maraba e Jos Manoel
Nunes, que tendo-se ausentado do mesmo corpo
rieran) reconduzidos do districto de Jaboatao em G
esto mez. i
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Estando era termos o incluso (.re em duplicata, e
nao havendo inconveniente, maule V. S. pagar ao
cabo Joo Severlaoo, conforme solicitou o comman-1
dante superior interino da comarca do Bonito a
quantia de 79J360 em que importaram os venci-
mentos de urna escolla de guardas nacionaes que
ve. i daquella villa conduiiudo recrutas que se des-
tinaram ao servido do exercilo. I
Dito ao mesmo.-Respondendo ao officio que V.!
S. mo dirigi em 3 lo corrente, n. 732, tenho a di-
zer que pode mandar pagar a Joao Baptista dos ]
Guimares Peixolo, sob mioha responsabilidade,
visto nao haver crdito para esse (Ira a quantia de
36J00O que se est a dever, proveniente das dia
ras abocadas no exercicio prximo lindo em liqui-.
dacao a 6 recralas vindos do termo de Flores, com ;
destino ao exercito, de que trata o meu officio de
23 de setembro ultimo.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. i
Recommendo a V. S. que em vista dos inclusos
prets em duplicata e nao havendo inconveniente, i
mande pagar ao sargento Eduardo de S Correa'
commandante do destacamento de guardas naci-1
naes existente na villa do Cabo os v<-ncimentos do
mesmo destacamento, correspondente ao mez de
setembro ullimo, conforme solicitou o commandan-
te do batalhao de infantaria, n. 39 daquella contar-1
ca em officio de i do corrente, sob 72.Communi-1
cou-se ao predito commandante.
Dito ao mesmo.Tomando em considerarlo o
vque expoz o vigario capitular em officio de 18 de
agosto ullimo, sobre que versa a sua informado
de 19 de setembro subsequenie, n. 366, recommen-
do a V. S que independentemente de Manca, man-
de entregar a Francisco Jos de Campos Pamplona
os 14:959*720, votado pelo o ari. 15 da le do
orcamento rigente para as obras da igreja matriz
da'lreguezia de S. Jos desta cidade.Communi-
cou-se aoExm. vigario capitular.
Dito ao mesmo. Transmuto a V. S. a inclusa |
conia em duplicata, e bem assim um mappa dos'
presos pobres recolhidos aejdeia da villa de Ga !
ranhuns durante o mez de setemtro ullimo, alirn
de que, de conformidade com o que solicitou o de-
legado daquelle termo em officio de 3 do corrente, '
sob n. 19, e nu havendo inconveniente, mande pa- >
gar a Joao Baptista dos Guimares Peixoto a quan-
lia de 2145000 despendida com o sustento de taes
presos no supradito mez de setembro.Commuui-
cou-se ao delegado de polica de Garanhun?.
Dito ao commandante superior da guarda naci-
Bal do Recife.Expeca V. S. as suas ordens para |
que o sargento ajumante do primeiro batalhao de
infantaria desle municipio, Marcelino Augusto da
Silva Villar se apreseule ao general commandante
das armas ali.n de servir de amanuense ao res-
pectivo ajudante de ordens, perchando os venci-
mentos do respectivo posto.Fizarara-se as neces-
sarias communicacoes.
Dito ao tenenle-coronol MariannD Xavier Car-
neiro da Cunta. Em resposla ao olflcio qu i V. S.
me dirigi em 4 do corrente, tenho a declarar-lhe
que segundo a ioformaco do marechal comman-
dante das armas, de 6 desle mez, s pode foroe-
cer-se por ora ae balalhao sob seu commando far
detas brancas, calcas de brim, gravatas e binis
redondos, reservndose os demais artigos de far-
damenlo e os utensilios mencionados na relago de
que trata o seu citado officio para serem forneci-
dos quando o batalhao recolher-se a esta ca
pital.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Fago
apresentar a V. S. o menor Joo Alves da Silva
para que o mande alistar na companhia de apren-
dizes mariobeiros se estivor as coudiges do res-
pectivo reeulamento.
Dito ao director do arsenal de guerra.Nesta
data officio ao marechal commandante das armas
para mandar efectuar a troca de corpos entre si
que pedirn) o anspegada do corpo de guarnigo
Paulo Antonio dos Santos e o soldado da compa-
nhia de artlhces Dionizio Jos Antonio de Lima nos
requerimentos sobre que versa a inforraacao de V-
S. b. 423 de 5 do corrente : o que Ihe declaro pa.
ra seu conhecimento. .
D.to ao commandanie do corpo de polica.Man-
de V. S. alistar do corpo sob seu commando os
paisanos Manoel Joaqun) e Joaquim Jos Vieira,
que segundo o seu officio n. 961 desta data foram
juigados aptos para isso em iospeceo de sade.
Dito ao chefe ,da repartilo das obras publicas.
D Vmc. a9 necessarias providencias para que
seja feito com brevidade o encinamenio do gaz pa-
ra illuminaco das duas casinhas que fleam aos
Jados do palacio da presidencia.
Dilo ao gerente da companhia Pernambucana.
Por conta do ministerio da guerra mande Vmc.
dar passagem para a capital do Rio Grande do
Norte, no vapor Persmunga, a 4 pracas de polica
que vieram a esta provincia escollando recrutas
para o exercito.
Portsria.u presidedte da provincia constando-
Ibe de offloki do presidente da cmara municipal
da villa do Cabo, datado de 16 de setembro ultimo,
que o tenente do esqoadro de cavallana n. 6 da
suarda nacional daquelle municipio Thomaz Jos
da Silva (iusmo se acha exercendo as funecoes
de vereador da mesma cmara na qualidade de
supplente, resolve, de conformidade com o disposto
no i" artigo 15 da lei n. 602 de 19 de setembro
de 1850, dispeogar a esse offlcial do servico de
destacamento para que estava designado.Com-
rounicoa-se ao presidente da cmara municipal do
Cabo.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
caoa manije dar uta passagem de estado a T, no
vapor que segu hoje para o norte at o Aracaty a
Antonio Telemaco Ferreira Lima Verde.
Expediente do secretario do governo do dia 9 de
(iiitubro de 1863.
Officio ao Dr. chefe de polica.O Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. que
deu o conveniente destino ao menor Joo Alves da
Silva, de que trata o seu officio n. 1,563 desta
dala.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc: o Sr. presidente da provincia manda trans-
mitir a V. S. as duas inclusas ordens do thesouro
nacional sob n. 114 e 116.
PERNAMRUCO.
nmn mxm.
Hoje reune-se o Iuslituto Archeologico eGeogra-
phico lvriiaiiiliur.au.. em sesso ordinaria.
Acaba de offerecer-se o Sr. tenente Joaquim
Bartholomeo Marques dos Santos para marchar
para o sul, tendo S. Exc. mandado o mesmo Sr.
servir no 1. corpo de guarda nacional destinado a
guerra.
A dedicacao patritica d'este senhor tanto
maior, quanto teve de abrir urna especie de luta
de sentimento com sua familia para traduzi-la em
fado ; e da sua existencia em dar patria o que
Ihe devido, logrou aBnal que secalassem precon-
ceitos da sensibilidade paternal, sendo Ihe permt-
lido o comprimento do dever do cidado porque
tanto arabicionav3 o seu peito verdaderamente bra-
sileiro.
Com o espectculo de hoje encerra a serie
de trabalhos'do Sr. Simoes no theatro de Santa
Isabel.
Representacao especialmente dedicada despe-
dida do actor querido da platea e apreciado do nos-
so publico, deve ser por certo muito concorrida;
e efectivamente se-loha, pois assim, entre aqelle
actor que se recolhe patria e o publico que o
victoriou sempre, dase no momento da despedida
o testemunho reciproco da eslima e gralido do
aclor ao publico, e do apreco e considerag do pu-
blico ao actor.
O Sr. Jos Muniz d'Almeida, incumbido pela
presidencia aflm de agenciar o alistamento de vo-
luntarios, tem elTeclivamente cumprido a misso
de que se atarefou. Ja no 3." corpo de voluntarios
estilo alistados unidamente onze individuos por
elle agenciados, e no 5. ha um, alm de ouiros,
que devem ser anda inspeccionados; e o mesmo
Sr. continua a promover o alistamento de novos.
A barca ingleza Imperador, em sua viagem
de Philadelphia para o nosso porto, encontrn a
galera ingleza Ariel, em viagem de Londres para o
cano da Boa Esperaoca, com 27 dias de viagem, na ,
lat. N\ l*-22' e long. O. de Greenvich 29-27','
sera novidade alguma a bordo.
Distribuimos hoje com o nosso Diario un)
impresso que contm, alm do respecilvo desenho, S
urna exposico detalhada da machina de vapor loco-
morel de Calla.
Deixando de dizer urnas palavras, recommenda-
mos a leitura desta exposico principalmente aos
nossos agricultores; pois muio Ihes interesa o
conhecimento que ah vo beber, podendo d'elle
tirar vantagens reaes para si e para o paiz.
Quaesquer informacoes a respeito podera ser
pedidas ao Sr. Jos Barbosa de Mello, ra da
Cruz n. 52.
Mais urna operaco delicada acaba de_ pra-
ticar o Sr. Dr. Carolino, a qual sob esla relaco va-
mos consignar sciencia do publico.
Nj dia 27 do prximo passado achava-se soffren-
do, havia tres dias, um innocente de 13 mezes de
idade, lilho do Sr. A. F. da Fonseca mora
dor ra da Gloria n. 10, e seus soffrlmentos
provinham da existencia de um calculo ou pedra,
que tendo-se a custo, escapado da bexiga, pJera
chegar at a parte media da urethra aonde enca-
Ihara de modo a resistir por todo o referido tempo
a muitos remedios e tentativas, alias acertadas. A !
bexiga repleta das urinas retardadas tinha-so des-1
tendido a ponto de dever recear-se o sea rompi-
inento, e as dores airoses, que o innocente enfermo
experiraentava, o punham era constantes torturas,
como fcil imaginar-se : havia eminente risco
de vida.
Neste estado, e no referido dia 27 do prximo
passado s 9 horas da noite, foi chamado a toda
a prega oSr. Dr. Carolino Francisco de Lima Sao-
tos, hbil medico desta cidade, cujos conhecimen-
tos e pratica especiaes das molestias da urelltra
sao reconhecidos e confessados por todos; e o Sr.
Dr. Carolino" foi o anjo salvador desse outro angi-
DDO, que em to tenra dad* experimentava to
pungentes dores, extrahindolhe urna pedra por de i
mais voluraosa era relaco capacidade da urethra
era urna lio tenra idade.
O Sr. Dr. Carono depois de urna luta do mais
de meia hora, contrariado pela excessiva dor que
experimentava o pequenino operado, pela impro-1
priedade aa hora, e delicadeza dos orgos ; depois'
de haver empregado sem resultado diversos ins-
trmenlos com o fim de quebrar a pedra sem es-
magamento dos tecidos, considerando que qualquer
demora mais poderia occasionar ou a ruptura da I
bexiga ou mesmo alguma convulso mortal, apezar!
de ser noite, repetirao-lo, redobrando esforcos,
lanceta dilatou mais o orificio da urethra, que por;
demais aperlado obstava a passagem dos lastra-1
mentos, e por ah fazendo penetrar um outro ins-
trumento apropriado Iranspoz a pedra, que, entao, j
m chante cerlos movimentos bem combiuados pode,
ser trazida at o dito orilicio d'onde, segura por
uina pequea pinca, foi extrahida.
Concluida esta primeira parte, e a mais impor-
tante, da operaco, como quer que a urina nao sa- i
hisse logo, o hbil operador passou urna sonda at
a bexiga e por esta extrabio urna enorme quanii-
dade de urina misturada cora algura sanguc que
corra da urethra.
Assim se concluio essa to dolorosa quanto deli-
cada operaco, e lo delicada que por vezes foi o
Sr. Dr. Carolino obngado a parar com a manobra,
temendo algum incidente pernicioso provocado pela
creancinlia, que se estorcia com as dores, procu-
rando morder a si mesma, e propria mi, que
incoDsolavel e transida de susto pela vida preciosa
do Qlhinho, difQcilmente o acalentava.
Quanlo sublime, quanto grande o trinmpho
da sciencia, que ao tempo que salva urna vida, que
resume quiga um fuluro imraeDso para a patria, e
raesmo para a humaoidade, consola urna familia
intelra, que antevendo a perda de um objecto ama-
do se entrega a dr, ao pranto, e ao exaspero!
Que momento de satisfaco para urna familia,
como essa do Sr. Fonseca, o era que v restituido
a vida o filho querido, que vira aotes prestes a
suecumbir; que vira antes soffrendo tanta dr,
tantas angustias, e em lao grande perigo, e que de-
pois v calmo, sooegado e gosando de um*omno
tranquillo e innocente I ?.....
E o medico modesto, verdaderamente amigo da
humanidade; o medica que trabalha guiado antes
de ludo por um sentimento de humanidade to no-
bre quanlo desinteressado ; tao desinteressado
quanto respeitavel; o medico que traduz em cada
olhar em cada gesto, em cada movjmealod'os mem-
bros dessa familia, a quem restituir o filho, com o
(litio o socego do espirito, e com este a felicidade,
a mais profunda gratidao; o medico a verda-
deira copia da providencia; o medico em taes
casos se ostenta cercado de ama aureola de luz tao
brilhante, que deve fazt lo tomar a apparencia de
um ser sobre humano [
Como esta tem o ar. Dr. Carolino praUcado ou-
tras muilas operacSes, que enchem de gloria sua
vida medica, operagoes delicadissimas execuladas
sempre com a mais abalisada pericia e das quaes
jamis resultou aos operados incidentes graves de
perigo de vida. Recordamo-nos de ter consignado
em nossas columnas o (acto importante de baver o
mesmo Dr. extrahido, ha anuos, em cinco minutos
pela urethra o sem o menor estrago, um peclaco de
algalia de 2 polegadas, que se quebrara na bexiga
de um tal Jos Apolioario, que fallecen muito tem-
po depois de molestia de peito ou de coraco, na
ra da Gloria.
Sempre que tiverraos occasio de render culto ao
mrito o faremos, venha elle d'onde vier, com tan-
to que seja em bem da humanidade e era particu-
lar de nossa bella prov ncia.
Hoje o agente Cordeiro Simoes faz leilo do
movis cabriole! e cav.llo e outros muitos artigos
a ra da Cruz n. 57, as 11 horas em ponto.
A allocucao que segu, foi pronunciada pela
Sra. D. Mariana Amalia do Reg Barreto em des
pedida a cidade da Victoria, pouco antes da sua
partida:
< Briosa corporaco da guarda nacional, bravos
Victonenses; vou partir para a guerra I
O brado da patria tito vilmente ultrajada, ecuou
em meu peito.
As atrocidades pralicadas pelo mais requintado
canibalismo, que o mundo ja vio, transpCz-se ao
natural acanhamento do meu sexo, e me appre-
senteiVoluntaria da Patriapara no campo da
honra debellar essas hordas de infames Para-
guayos, que lo ousadamente profanaram o solo
brasileiro, manchando o brllho de duas fulguran-
tes estrellas, do imperio da Santa Cruz, nossa cara
patria.
Caros patricios, aqu rae acho entre vos, fazendo
a minha despedida.
Sigo para a guerra com animo varonil, encor,
porada a milhares de bravos, que marchara imp-
vidos ao campo da honra, com o primeiro cidado-
o raelhor dos monarchas a sua frente
Sim, Vicloriensss I Mariana hoja um solda-
do da patria : impvida marcha para urna campa-
nha longlnqua, superior as soas forcas; farei, e
espero vencer suas difficuldades; tenho vonlade,
firmeza, e/esignaco para encarar qualquer pe-
rigo. '
1 Tereis noticia de que, sem desar da minha
dignidade, tenho sabida cumprir as obrigacoes de
soldado.
Adeus, Victonenses! adeus, briosa corporago
da guarda nacional 1 Vossa comparochiaoa parle
para a guerra, sem temer as consequencias delta ;
em quanto vos do remanso da paz, Qcai fruindo
vossos gosos, tornando-vos surdos aos reclamos da
patria offendida porum bando de salteadores; des-
mentindo assim o nome pernarabncano, que anda
noje, gloriosamente cobre as sinzas dos nossos
antepassados.
t Se escapar dessa empreza heroica, voltarei aos
lares patrio, trazendo era urna m outra os louros da victorias
Adeus, adeus, Vic.orienses I Kspero, que do
serei esquecida de vos; e vos peco que por esla
ultima vez entoeis comigo.
t Viva a religlo Catholica Romana.
Viva S. M. o Imperador.
Viva a Familia Imperial.
1 Viva o Exm. presidente da provincia.
Yivam os Pernambucanos amantes da patria.
t Mariana AmaUa^io Reg Barreto
Damos hoje publicidade, na respectiva secgo, i
a um annuncio da companhia de Seguros Mutuos,'
sobre a vidaA Previdente,e para elle pedimos ;
a atteDco dos nossos leitores, visto vir incluida a
lista dos subscriptores residentes nesia cidade,
mostrando ao mesmo tempo a tolalidade da quan-
lia de 272:9O0}0, inoeda forte, cuja cifra prova
a subida confiauca que aqui tem inspirado aquella
soclfdade altamente econmica e moralisadora.
Hoje publicamos a deciso linal que em gran-
de recurso de revista, proferio a relaco da erte
nos autos de appellacao crime do Sr. 'iburcio Va-
leriano Baptista, com o agente de renias provin-
cias do Porto Calvo, provincia das Alagoas, refor-
mando a senteoga do Sr. juiz municipal Dr. Joa-
quim Ayres de Almeida Freitas.
Materia importante, para ella chamamos a atten-
g5o do publico, afim de que seja bem apreciado es-
te julgado.
Houtem passou a vista deste porto um vapor
de dous canos em direcgo ao sul; o que suppoe-
se pertencer a estago dos Estados Uuidos, ao Pra-
la, apezar de nao ter igado baudeira alguma at
desapparecer no horisonie.
i'or carias recebidas do Ouricury, consta ter
havido all urna reunio das pessdas mais notaveis 1
do termo em numero de cerca de duzentas, para
promoverem o alistamento de voluntarios da pa-
tria.
A frente de lao patritica idea achavam-se os
Srs. Dr. Antonio Buarque de Lima, )uiz de dlreilo
da comarca, e vigario Francisco Pedro da Silva, os
quaes reunidos aos seus amigos e mais pessdas in-
fluentes, esto organisando qualro companhias que
devem seguir brevemente para esta capital.
Por occasio de se tratar dos raeios de realisar
to patritico pensamento, offereceram se logoqua-
tro capites da guarda nacional, o escrivo e .ul-
tras rauitas pessas, que declaram acompanhar aos
seus amigos na cruzada que o Brasil envia ao Pa-
raguay.
Louvamos a' todos esses distiactos brasileiros,
que, apezar de habitaren) pontos longioquos da
provincia, acoden) ao reclamo da patria.
Repartii;ao da polica.
Extracto da parte do dia 11 de outebro de
1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 10
do corrente.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Francisco
Jos Rifceiro, por enme de esteillonato.
A' ordem do subdelegado do Peres, fausiioo, es-
cravo de D. Antonio, por andar fgido.
O chefe da 2" secgo,
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Gmr OUTUBRO DE 1865.
Joaquim Jos de Sant'Anna Barros, Pernambuco,
50 aonos, solleiro, Recife; tubrculos pulmona-
res.
Joaquim dos Santos Azevedo, Portugal, 75 annos,
casado, Boa-Vista; congestao acrovosa.
Bernardino d'Almeida Ferreira, 60 annos. viuvo,
S. Jos; encephalite.
Christbghan Branagarss, Irlanda, 65 ancos, sol-
leiro, li ia-Vi-la ; apoplexia.
Christovo, frica, 75 aonos, solleiro, Santo An-
tonio, congestao cerebral.
Candida do Monte Ferraz, Pernambuco, 29 annos,
casada, Boa-Vista ; catharro pulmonar.
Maria, Pernambuco, 6 dias, S. Jos ; convulgoes.
Secundaria, Pernambaco, 2 anuos, Boa-Vista; to-
ce convulgoes.
Antonio, Pernambuco, 14 annos, Recife; espasmo.
Maria, Pernambuco, 1 hora, Santo Antonio; es-
pasmo.
10
Remigio Jos d Fonceca, Pernambuco, 58 annos,
Boa-Vista; apoplexia.
Jos dos Anjos Barros, Portugal, 33 annos, sollei-
ro, Boa-Vista; perilooite agudo.
Paula Maria do Nasctinento, Pernambuco, 3a aD-
nos, casada, Boa-Vista; febre typhoide.
Cyriaco, Pernambuco, 11 mezes, S. Jos ; es-
pasmo.
Maria, Pernambuco, Santo Antonio; no nacedor.
Heorique, Perqam.auco, 7 meze,ss S. Jos; ma-
rasmo.
UlliOMCA
?II 11V DO
9 DE Ot'TUBRO
Presidencia do Sr. Dr. Jo*
Freitas Henriaues juiz
vara criminal'.
Promotor publico o Sr. Dr
Reg.
Advogado o Sr. Dr. Ameri
Escrivo Joaquim Franci
Clemente.
INCURIA
i:i "!:
:: 1865.
Antonio de Araujo
direilo da primeira
Jacintho Pereira do
estrada, nao obstante as multas que Ihe forem im-
postas pelo fiscal.
A comraissode polica o presentou o segaiote
parecer, quedepois de descutido foi approvado :
A commisso de polica a quem foram ioderega-
das as petgoes de Joo Lins & Xareiso, tendo exa-
minado a localidade era que se acha o estabeleci-
menlo dos mesmos do parecer que sejam deir-
dos no que requeren).Rejife 18 de setembro de
:o Itetlo de MeodoDga. 1865Feliciano Joaqnm dos Santos, Joaquim de
teves Almeida Pinto.-Esteve em praga, e foi arremata-
do com abale de dous por ceios, por Jos Stares
h;, aecusado por crime Pinto Correia, sob fianga de Antonio Jacintho Bir-
iges, u concert da estrada do cemiterio publico
da manhaa, com- desta cidade.
(los, foram multados Despacrnnm se
jurados j multados '
e a cada um
de furto.
Feita a chamada as 10 non
pareceram 37 senbores jura
em mais 205000 cada um dos)
dos aoieriores dias de sesso
Dhores seguintes:
Firmino dos Santos Vieira.
Jos AfTonso dos Santos Bastea.
Francisco de Miranda Leal Si ve.
Dr. Eduardo da Barros Falci de Lacerda.
Manoel Antonio Gongalves.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
Dr. Hermino Francisco do Es| irito Santo.
Aberta a sesso, procedeu-sB o sorleio do
de sentenga, o qual prestou o juramento dos
tos Evangelhos, foi o reo intei rogado e 11.1o o
cesso da formago da culpa f i desenvolvida
cusago e defeza e flndos os ( ebates depois da re-
plica e trepliea resumida a m
da defeza, foram propostas as
foram entregues ao president-i interino do Jury de
te retlrou com os de
sentenga com o processo que
mais membrosdeste a sala da: conferencias a meia
voltou a 1 1(2 da
foram lidas era alia
as petgoes de Angelo Custo
do so- SLw. r"'?S' ^T T Pinheiro Joaquim. mand0U igo chamar o Rv* Dr. fiom
I n !'? P??tt,C"r,2 ?* Soares de Brjfio. conferenciando com elle e zoo lUmVeo
rp'ir, / ?- ar'"a Made'ra 1-erreira Flavo Fer- visor, eocarregou o primis de .lingir-se
jury
San-
pro-
a ac-
reira Cato, Guimares & Oliveira, Jos Alves Li-
ma, Jos Caetano de Carvalho, Joaquim Baptista de
Araujo, procurador de D. Anglica Bernarda de Mi-
randa ; e levanton se a sesso.
Eu Franciscd Canuto da Boaviagem secretario a
subscrevi.-Pereira Simoes, pro presidente, Reg
Dr. Villas-Boas, Santos, Fonceca.
GOMMNICADOS.
lera da aecusago e
Iquestoes de facto que
hora depois de meio da d'ond >
tarde com suas respostas que
voz pelo presidente do jury de seBtenga, em vista
de cuja deciso o Sr. Dr. juiz de direito condemnou
o reo a pena de 2 annos e 1 mez de priso com
irabaiho e malta de 12 i|2 do valor furia Jo e le-
vantou a sesso adiando-a para o dia seguinte pe-
las 10 horas da manha em que tem de ser julgado
o preso Joo, escravo, acensado por crime de ferl- |J^"nTabipreelaa,vamonoiaproximando
ment e offensas pbysica.
10 DK OUTUBRO
Presidencia do Sr, Dr. Joao A\ntomo de Araujo Fre
tas Henrtqaes juiz de dir
criminal.
Promotor publico o Sr. Dr
Reg.
A declararlo do Sr. padre Jos Antonio dos
Santos Lessa.
VIII
Agora que se acham dilucidados cerlos tpicos,
que deviam servir de preliminares resposla que
tenho de dar declarago que o Sr. padre Jos
Antonio fez em juizo ; agora que se acha provado
que eu nunca hostilisei ao Rvd. Lessa, era fui
causa da demora na tomada das comas, e muito
menos tive parte na suspenso que elle soffre ;
agora finalmente que o Sr. padre Jos Antonio dos
Santos Lessa vai sendo anda mais conhecido do
que j era, e a verdade dos seus juramentos cada
to da primeira var-
Jacintho Pereira do
Sr. Francisco da Cunha Machado
Advogado o
Freir.
Reo Joo, escravo do Sr. Malhias Lopes da Costa
Maia.
EscrivoJoaqum Francisco de Paula Esteves
Clemente.
Feita a chamada as 10 hor as da manha com na-'
receram 44 senhores jurados foram multados em
mais 20000 cada um dos jui ados j multados nos
anteriores dias de sesso e elida un dos seguin-
tea :
Dr. Manoel Ar.ihur de IIolanla Cavalcanti de Al-'
buquerqae.
Joao l'iuio de Lemos Jnior.
Aberta a sesso procedeu-se o sorteio do jury de
senteoga o' qual prestou o juramento dos Santos
da questao principal ; e pelo episodio que o Sr. pa
; dre Jos Antonio provocou na parte do seu depoi-
mento de que vou tratar, conhega o publico que
mesmo entre nos se reproduzem anda algumas
! vezes tramas hediondos, semelhanles aos que se
lem nos romances pavorosos ; e se hoje nao se
do (ratos victima, se nao se faz correr o sangne que motivava o requerimeoto e despacho, e da pro-
dos corpos espicagados sobre os cavalletes, por- messa que zera o Exm. Sr. hispo, nenhuraa dn que no secuto XIX, nos paizes civilisados, nao se da teve em apresenta-lo regente, que sem demora
I consente impunemente que seja maltratado o corpo Ihe deu licenga, e ella se retirou sem que a Glice-
I humano ; porm permute se que seja torturado o ria o soubesse.
quer resultado funesto; sendo qoe a regente, que
de ludo sabia, nao lioha fon-a mural bastante para
comer as recu-lln Jas e chama-las ao cumprimenio
dos seus deveres.
Isto referi eircumstaneiadaminte a Sra. D.
Anna Claudina, nao com o lim de enredar oa de
lzer mal a alguem, na-, porqae se va aperreada,
porque soffria muito com a desorden en qu es-
lava o recolhimento, porque pengava a saa exis-
tencia, e ella desejava que este estado de coosas
ebegasse ao conhciinenioda anioridade snperior,
alim de que se loaiassem providencias enrgica-,
como as circumstaacias eaigiam.
OSr. padreSerapio nosedirig ornis aeste nena
aquella : foi ter-se directamente coa o Eun. Sr.
bis>o, e Ihe narrou o que atabava de covir. S. Exc.
feral, e
eonego pro-
-se quanto
antes ao rccolhimeato, afim de indagar dos (actos e
examinar quaes as medidas que se deviam tostar.
O Sr. Dr. Figueiretio ponderon que, no estado em
que estavam as cousas, tendo elle de proceder
avenguago de factos em que tal v- z sabsem c ,m-
promettidas nao s a Gliccria, tono algumas oa-
tras recolhidas, e havendo j a GI cena exacerbado
os nimos de algumas compaobeiras contra a Sra.
D. Anna Claudina, por ser esta qaen com soas
qucixas tizera saber o que l se passava, e dera la-
gar s admoestagoes do Rvd. cora e do Rvd. capel-
lo, e iuanifeslando-se essa indisposigo a ponto de
recelar a Sra. D. Anna algum alternado da parte
de Glicena, entenda elle vigario geral qoe era
muito conveniente que quando li'.sse de proceder
sindicancia dos factos, nao eslresse no recoihi-
mento a irma do Sr. Araaral, alio de qoe a Gli-
ceria nao rompesse em algum de-atino; pele qoe
' julgava prudente que a Sra. D. Aona Claudina sa-
hisse do recolhimento por alguns dias, sob qual-
quer pretext", e que logo qoe estivesse re-ubelec:-
ii i a ordem e a paz, voltaria ella ento para o re-
culhimenlo.
Tanto o Exm. Sr. hispo, como o Rtm. viga-
rio geral, e acompaohado do Rvas. conego pro-
visor lavaros da Cima approvaram esla medi-
da, que acharara rouilo acertada, e mandaran fa-
zer um requerimento em nome da Sra. D. Anna
Claudina de Aguiar e Silva, o quil o Exn. Sr. D.
Jeo despacnou, roncedendo Ihe passar alguns dias
fura do recolhimento a pretexto de tratar da sua
sade. lnteirada a irma do Sr. Anaral da cansa
corago, que seja estragado, que fique atrozmente
dilacerado, victima de calumnias c machinagoes
infernaes, embora esse corago pertenga a urna
mulher, a quem se deva talvez a salvago e a hon-
ra de um estabelecimento.
E que o sangue derramado granga muitos de-
fensores, e as dores moraes, as ingratidoes, as in-
justigas, nao apparecem vista, nao commovem, e
poucas sympathias attrahem, pouca ailengo me
recem, a nao ser da parte de algum corago bem
formado, que tem por timbre pugnar pela jusliga,
esteja ella de que parte estiver, e defender a inuo-
Evangelnos, foi o reo interrogado e lido o processo ceDCa 0pprtmWa por mais desvalida que seja a
da formago da culpa, eem seguida desenvolvida vic|ima EnIrem05 na materia do presen-e ar-
a aecusagao e defeza, fiudos os debatas resumida a (0
materia da aecusago e da defeza, foram propostas
as quesloes de facto que foram entregues com o
processo ao presidente interino do jury de sentenga
que com os de mais membris delle se retirou a
sala das conferencia a meia hora depois da meio
da, d'onde voltou as 1 1)2 d tarda cora suas res-
postas que foram lidas em al a voz pelo presidente
do jury de sentenga, em vista de cuja deciso o Sr.
Dr. juiz de direilo absolveu Ojro condemnando a
rauuicipalidade as cusas, e levanlou a sesso
dianUo-a para as 10 horas da manhaa do dia se-
guinte, em que tem de ser julgado o reo Bento Jos
da Silva, aecusado por crime1 de roubo.
CAI4I1
SESSAO
MUNICIPAL DO RECIFE
ORDINARIA AOS 18 DE SETEMBRO
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Entretanto (diz o Sr. padre Jos Antonio no
t seu depoimento jurado aos santos Evangelhos),
t entretantosusciiouse em olinda urna qoestad
t sobre urna entrada ou nao entrada para o reco-
t Ihimento de Xossa Senhora da Conceigao da-
< quella cidade de urna senhora (cujo nome nao
tem present;, mas que bem conhecida por spr
t irma do Sr. Antonio Luiz do Amaral e .Silva,
i empregado na thesouraria geral), a qual ja' ha-
via estado no dilo recolhimento, e nessa occasio
se achava fra, a titulo de tratar da sua sade.
Os sobreditos conegos (Gama e Santos) nao sabe
f se com razo ou sem ella, protegiam a entrada
< ou regresso dessa senhora para o recolhimento;
t e a madre-regente e as mais recolhidas se oppu-
c nham, en consequencia da desharmonia que
reinava entre ella e as demais recolhidas. O li-
c nado prelado, porm, ouvindo ambas as partes,
decidi o nao regresso daquella senhora para o
t recolhimento, e os seus prolectores ficaram in-
c teiramente desaponlados visto como haviam afJJr-
< mado a alguem que ella havia da entrar por
torga para o recolhimento. (Palavras textuaes
Presentes os Srs. Thoma: de Aquioo, Gustavo do
Rogo, Santos e Dr. Villas-Boas e Pinto, brese a
sesso : e lida e approvada a acta da antece- do depoimento.)
unte Se eu podesse acreditar que o Sr. padre Jos
Foi llda o seguinte I Antonio estava louco, seria certamenle quando vi
expediente. relatado em juizo esto faci, que a pagina mais
Duas petgoes de Ba*lho Alvares de Miranda Va- negra da historia da Soledade^ e que deve ser o
rejao, ambas' com depacho da presidencia de 15 do opprobrio eterDo do Sr. padre Jos Antonio, se,
crranle, mandando a cmara informar, as quaes como pelo depoimento d a entender, foi S. Rvma.
o dilo Basilio trata anda a cerca da acommodago o autor da mais clamorosa injustiga que se praticou
relativamente a questao da ribeira da freguezia de
Boa-Vista, conclue pedindo a S. Exc. inlervenha
para que se effectue a aqommodagao, resolvendo
que o prego seja entre vinte e cinco e irinta contos
de ris.l'oslos em discussao, o Sr. presidente
sombra do Exm bispo D. Joo.
Nao se zomba assim, Sr. padre Jos Antonio, nao
se zomba assim com as dores moraes que solfre in
justameote urna senhora : e ha cerlos
que sao verdadeiros opprobrios
Joo.
Nos principios do anno de 1862, vivendo no re-
colhimento de Olinda a Sra. D. Anna Claudina de
Aguiar e Silva, irma do Sr. Antonio Luiz do Ama-
ral a Silva, empregado na thesouraria, queixon-se
esta senhora ao padre Joo Serapio da Cruz, (en-
to cura da s, e um dos confossores das recolhi-
para aquelles que
pondera a cmara ser conveniente que fossera taes s alcangam : ha derrotas que eu preferir! sem-
peltees, remeltidas a rejpncliviva commisso para pre a' mais completa victoria. Passemos a' narra-
esta'dar o seu parecer. Assim se resolveu, e como gao do acontecido, e saiba a diocese de Pernambu-
a commisso nao estivesse completa por nao ter co qual era a ndole daquelles que se apoderaram
comparecido o outro membro o Sr. Barros Reg, do animo e da vontade do Exm. Sr. bispo D.
fra em seu lugar nomeado o Sr. Aquino Fonceca.
Um cilicio do procurador, de 31 de agosto ultimo,
communicando que se havia entendido com o ado-
vogado, sobre as comas apresentadas por Angelo
Custodio dos Santos, acercadas quaes ja' informa-
ra a contadura e que o mesmo advogado Ihe decla-
rara, que a cmara s lioha de pagar aquantia de
que tratava a mesma contadoria.Posto em dis- das) de que o recolhimento estava muito mal go-
cusso, a cmara resolveu que se despachasse ape- vernado, que reinava all muia insubordioago, e
tigo declarando que o peticionario s linha direito que alm disso urna recolhida, que la' havia cha-
a iCoJSOO. mada Gliceria andava sempre em nxa com as de-
Outro do fiscal do Recife, communicando que mais companheiras, e principalmente com ella pro-
tendo se dirigido ao proprietano da casa de taboas pria, injuriando-a constantemente, e ate ameagan-
sita a ra do Brum, tenente-coronel Fraocisco de do-a com paocadas. O Sr. padre Serapio chamou
Miranda Leal Seve, Ihe intimara conforme Ihe fra a regente, que era Mana Z-ferma da Silva Birala,
ordenado, que mandasse demolir a mesma casa, ao e a exhortou, e Ihe deu os conselhos que ulgou
que seno tem prestado, embora Ihe tivesse elle prudentes, afim de obstar s desordens que se da-
fiscal ponderado o estado de ruina da mencionada vam no recolhimento.
casa, e o perigo que ameaga ao publico; e porque Esta admoestagao s servio para enfurecer mais
nenhuma providencia se tem dado a respeito, traz Gliceria, que sabendo d'onde partir a queixa, ain-
ao conhecimento da cmara para providenciar. da maltratou mais a Sra. D. Anna Claudina. O Sr.
Que se respondesse ao fiscal procedesse a urna ves- padreSerapio, vendo que os seus conselhos poze-1 igual a ella, e propria para portiira, cononie a
loria nessa casa, e depois cumprisse o que deter- ram as cousas era peior estado, deu parte_aoSr.co- fMOBSM^OjMMO S
miuam as posturas.
Outro do fiscal de Santo Autonio, participando
qoe o chafariz do caes de 22 de Novembro pelo seu o Sr. padre Joaquimd Assumpgao, capellao do mes-
desarranjo faz com que se conservem effectivamen- mo recolhimento, e encarrega-lo de aconselbar a
te dous grandes lamaces naquelle lugar, dosquaes regente, e resiabelecer a ordem na casa. .0 Sr. pa-
pode resultar dao a salabridade publica, seodo dre Joaquim d'A por isso conveniente que se represente a compa- dido do que havia sido o padre Serapio
Xo dia seguinte foi a Olinda o Rvm. conego Dr.
Manoei Thomaz de Oliveira, dlrigion-se ao recolhi-
mento da Conceigao, mandou chamar a regente,
expoz-lhe o lim para que o Exm. Sr. bispo all o
mandara, e no coro da igreja proceden ao interro-
gatorio das recolhidas, entre as quaes se achava a
celebre Gliceria como qoe desesperada, e qnerendo
precipitarse do coro em baixo ; pelo qoe l, inti-
mada para relirar-se. O Sr. vigario geral, d~pois
de ioterrogar diversas recolhidas H presenca do
Sr. conego Manoel Thomaz de Oliveira, perejrreu
o refeilorio, e parte o convento, aeompanhado
sempre da regente e do mesmo Rvm. doolor, ato
que se retirou, e foi dar conta ao Exm. prelado
diocesano da misso de que tora tmearregado.
O Sr. Dr. vigario geral achou verdadeiro indo
quanlo a Sra. D. Anna Claudina havia referido; as-
sim o declarou a S. Exc. itvma. o Ihe apreseniou
documentos convincentes do desmancho em que es-
lava o recolhimenlo.Bales documentos exisiem.
Disse mais o Sr. Dr. Fgueiredo que era necessario
remover sem demora a recolhida Gliceria, a qual
era um pomo de discordia entre as demais reco-
lhidas; que a regeule devia ser mudada, pois nao
obstante ser boa mull t nao lioha energa alguma,
e era incapaz de governar ; e que o mao e-lado em
que se achava u estabelecimento provinhaprincipal-
mente do deleixo e iudilTerengacimque ella trata-
va as cousas. Disse mais o Sr. Dr. Fgueiredo que
all nao via nenhuma recolhida que servisse para
regente; que so a purteira a Sra. D. Maria Joaqui-
na Ribeiro, pareca ter quahdades para deserape-
uhar bem esse lugar; porm que essa nao quena
ser regente, embora elle vigario geral a tivesse
persuadido que se S. Exc. Rvma. a nomeasse, devia
accelar o emprego.
O Exm. diocesano, vista do e-tado em que se
achava aquelle estabelecimento, das provas qoe
linha diante dos ollos, Ueterminou que a Gliceria
fosse removida para outro recolhimeoto, demittio
de regente a Sra. Barata, e nomecu a porteira re-
gente interina, obrigando a debaixo le obediencia
a aceitar o lugar, em quanlo procurava ontra re-
gente : e depois de fazer executar todas estas me-
didas, eocarregou o sea secretario particular o Sr.
padre Jos Antonio dos Sanios Le;sa de procurar
urna regente para o recolhimento de Olinda I
D'ahi a dias disse o Sr. padre Jos Antonio qne
tinha mandado vrr do recolliiraeuto de Goianna ama
triumphos I regente e urna porteira. Perguntindo se-lhe para
que mandou vira porteira, quem In'a eocommen-
dara, visio estar o lugar rouilo bem servido pela
Sra. D. Maria Joaquina Ribeiro, responden que a
porteira oo era muito boa. Instado para qne dis-
sesse por que oo era boa a portiira, responden :
< Porque ella talln raal do regulamento que rege
o recolhimenlo, e o fez diante do conego Baptista
de Albuquerque e do major Mangoho (!!) nter
rogados esies senhores por carta dirigida a cada
um delles pelo Rvm. conego Manoel Thomaz de
Oliveira, respooderam que nunca liaban ouvido
tal cousa, e que a Sra. D. Mara Joaquina era ana
senhora de muila pruludade e de multa coosidera-
go. 0 Exm. Sr. D. Joo disse que continuara a ser
porteira a Sra. D. Maria Joaquina Ribeiro, e a qoe
viesse acompanhando a regente icaria como sim-
p>s recolhida; e se era de confian ga, a ajudaria na
vigilancia e boa direcgo do convento. Qnernd)
a irma do Sr. Amaral entrar tofo para o recolhi-
mento, responden o Exm. Sr. bispo que deixasse
restabelecer-se ioleiramenle a ordem do recolhi-
mento, deixasse chegar o tomar posse a nova re-
gente, que ento entrara.
Chegou Analmente a regente eocommendada pe-
lo Sr. padre Jos, que uina recolhida do conven-
to de Goianna, chamada Francisca Theodora de S.
Jos. Trouxe em sua companhia ootra recolhida
neg provisor Tavares da Gama, que julgandoacal-1 Lsta recolhida chama-se Francisca Antonia Bezer-
mar os nimos com facilidade, limilou-se a chamar ra da Crcuraciso. Escrevo aqui estes nomes por
que elles devem figurar ao lado do neme da victi-
ma, e principalmente porque entoudo que devera
ser bem codheridos os nomes de: las duas mulhe-
a Glice-
n n i a do Bebenbe, para mandar fazer o concert de ria julgon-se entao urna mulher temida ; a man-
que precisa o dito chafarie.Assim se detiberou. nidade tornou-a de urna audacia espantosa; ella
Outro do mesmo renovando o pedido que fizara atlrho a si algumas companheiras, e a desordeno
a cmara por officio da 5 de julho, para autorisa-lo toroou-se quasi geral do recolhimeoto, soffrendo
a conduzir em carrogas para lugares convenieotes mais que qualquer outra a Sra. D. Anna Claudina
llxo e entulhos existentes em diversas ras da fre- de Aguiar, porque fra ella quem pedir provideo-
guezia.Autorisou-se, declaraodo-se-lhe que em cias cootra a aoarchia que all reinava, e agora se
quanlo fizesse este servico deminuisse o numero via uao s iosultada, como em perigo a sua exis-
de ser entes. lencia, visto como a Gliceria at (Miagara a amea-
Ontro do fiscal dos Afogado-, communlcaodo que gala com um caivete do mola.
Jos Caroelro da Cuuha, tem obstruido cora esca- Nestas circumstancias a Sra. D. Anna tomn
vagoes a estrada que conduz para o Cordeiro, re- urna resolugo decidida : expoz ao Rvd. cura nao
duzlndo em alguns lugares a largura de tres pal- s a anarchia em que estava a casa, as divisos
mos pede a cmara que Ibe declare qual deve ser que entre as recolhidas se haviam (armado, e o pe-
o 3eu procedimento para com Jos Caroeiro, llera rigo que ella propria corra; como tamben) Iba de-
da rauita que ja" Ihe impoz.Posto era discusslo clarou francamente o verdadeiro oslado em que se
deliberou-se que se ouvisse ao advogado, e que es-1 achava o recolhimento, as irregularidades que all
tadeclarse qual o meio a empregar contra Josse davam,os males que ja' existan, e a falta da
Caroeiro, no caso <}e continuar elle a obstruir a providencias para regqlarisar a c:asj, e evitar qual-
res que o Sr. padre Jos Antonio nuodom vir para
os Iras que leve em vistas. Pelo decurso da narra-
gao se ver que a encommenda (o bem feita, e ae
muflieres dignas do emprego para que o Sr. padre
Jos Antonio as destlnou. E' pena, porm, qne a
tal irma Antonia (assim era conhecida e chamada
no recolhimeoto a porteira que o Sr. padre Jos
Antonio encommeodou) lo depressa recebesse o
premio dos sous servigos, pois alKrcaodo com a re-
gante anda no tempo do Exm. hispo D. Joo, foi
logo demitiida de porteira, excluida do reeoih-
raento e transferida para o de Goianna, seodc-lhe
supprimida a mesada que reeebia no ieeolhimonio
de Olinda pelos seus boas servicos. Isto me eooioa
o Rvm. Joaquim da Assompcao, capellao do reco-
lhimento de Olinda.-ao que en Ibs respond : Os
raaos por si raesmo se destroem. t Devo tambem
observar aos leitores qne quem a substituto fa a
mesma aotiga porteira, a Sra- D- Maria Joaqan
Ribeiro, aquella que foi demillida por ter /**>
mql do regulawmlo, Coniin.wr.os eom a arrarto.


Diario de iPernacrtmco
Quinta lyfrft f f de Ouhtforo de i ***.


Apenas cheg;.ram a Oliada as duas recolhidas de i queixa se de jun iudLviduo, qao diz Ihe parecer
Coianna> officiou a nova rgeme ao Exm. Sr. bis- Joao Grande
lo duendo que all se actiava, e rnais a couipa-! Apenas soube do fado, jslo e pelas 8 horas da
ni eir qoe liana viodo para porteira. O Exro. pre- bou te do mesmo da, por me baver commuoicado
lado nomeoa-a por rima portara regente do reco- o inspector da quarteirao, diriga a casa do> of-
himenlo e Nossa Sebora da Conceicao de Olm- \ tendido qoe achet de p, e fiz proceder ao respec-
veude nesla cidade na botica cima indica-
da, do abano ass.giutdo ; e eui outra qual-
pelo mesmo
eram leves, e
da, e na mesma portara ordenou que acompanhei- ilvo corpo de delicio, achandose presente, entre
re entrasse como simples recolhida, pois por ora vanas pessoas, o es-inspector Ricardo F
dispensava os servicos, visto estar o recolhimenlo da Cmara Santiago, e venficando-se
muito bero servido de porteira. i ^'P0 ae delicio, que as ofieosas ei
A nova recente ouerendo dar logo urna prova nao havendo sido preso emflagrante o autor do cri-
de remito t obediencia ao seu prelado, offieiou-lhe me, dsseao ofTendido que apresentasse a suaquei-
dizendo que s 'turnara conta do lugar de regente xa, e que este nao fez, dirig.ndo se, por' conselho
se a companheira que havia trazido fosse normada | nao sei de quera, ao Sr. Dr. cbefe de polica, na
porteira do mesmo recoltiimento; do contrario nao segunda-teira, ao qual
era denunciar, e contiuuar no processo, ao estn
do decidida a prejudicial sobre a exequibilid 4de
do imposto no caso vei tente, mandando, Xl()at0
mandou o inspector, suspender quaiquer .^^j. duer parte que se tem annunciado nao e da
ment a respeito : considerando, u,ae^fo ejUstin- JSOesma COmposic3o, e nem O abano assigna-
do no processo copia authenlica d?s ^ e j^guia- u 8e rfisponsabilisa.
aceltava o lugar e voltava de novo para uoyauna .
e que S. Eic. honvesse de decidir logo, pots a nao
concordar com o veiiar a conduccao, que all eslava a espera della,
e retirar-se iroaiediatame.ule. Eu creio que isio
nao precisa de commentartos : basta dizer que
quera responden assim ao chele da igreja pernam-
bucana, fui a recolhida Francisca TUeodora de b.
Jos, mandada vlr pelo Sr. padre Josa Antonio, pa-
ra regente do iecolhimento de Olmda. Deyo ad-
vertir tambera qoe este oficio clvcgou as raaos fio
Era. Sr. D. Joao em da era jue o Sr. conego
provisor Tavares Gama nao foi a' Soledade.0 que
costuraava succeder com os oficios e tramas deste
jaez. O Exm. Sr. t. Joo, apezar de ha ver reco-
onecido que a Sra. D. Hara caquina RitoeWO des-
empennava rauito bera o luear de porieiro, apezar
de haver lido as cartas que ora defeza e abonoi del-
la escreveram os Srs. conegc Baptisla e mejor Man-
goipho, demtttic-a de porteira, e nomeoa para o
mesmo lugar a porteira cncommeodada pelo Sr.
padre Jos Antonio.
mentos infringidos, e pelos quaes ftra 0 recorren-
te condemnado, pols que nao esto encorporados
era direito. Considerando tioalrnenic, que nao sen-
do citado o recrreme, ou seu procurador da re-
messa do processo par.! a instancia superior, aOm
de defender-se, ha rma falta, que importando a
Jos da Rocha Paranhos,
VAIUEDADES
Setnelas e medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
Os jornaes de medicina faUaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therapeutica, que consista na desin-
fecco do leo de ligado de bacalho sem
Ihe tii ar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annunciar boje as-
ao qual alias me consta que nao
poude fallar.
Na mesma occasio em que proced ao corpo de
delicto, o ex-inspector Ricardo disse-me que, visto
ser iuimigo do Joo Graude, receiava soffrer delle
atgama odensa ; respoudi-lhe que lancasse rao
dos muios legaes, como fosseratermo de bem vi-
ver ou de segeranca, porque a policasaberia cum-
prir o seu dever.
Repillo as calumnias e miseraveis intrigas lan-
zadas por quem tem lalves Inimisade innata a to-
da c quaiquer autoridade, que nao paotue com o
erima.
Alegados, 11 de eutubro de 1865.
Josc Roberto de ioraes eSilva.
n
ItKAfifS A PEDIDO
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
privado de um direito lio sagrado, o da defeza, muito conhecidas nao s no Brasil, pois que deHas noSSOS lcitores, que esse resultado foi obtio
traz insanavel nullidade da seotenca recorrida : Iratou Pisn em sua excellente obra-Historia na- 0 Q modo 0 mas completo por um hbil
julgam nullo todo este processo e condemnam as turahs et medica Indio: occidentahs, senao as ninrmarpn,;1.n a,, i>ar;s ncr chevricr me
cusas o recorrido. : Antilhas, onde o sueco das olhas e fructos como. pnarmaceutiOT at taris, o sr. uiievi ni,r,, q ut
Rio, 7 dejulho de 1865.-Mascarenhas, presl-' aqui, rauito estimado e applicado contra as obs- COnsegUlO desmleclar O Oleo de
dente interino, Pereira Mooteiro, F. Queiroz, Go- truccoes abdominaes, )rincipalmente do figado e
mes Ribeiro. ba

Esta conforme.O escrivao, Porfirio Gandido de nao applicam com freqnencla, isto se nao deve a
Assis Araujo. nao recouhecerem elles essas virtudes, mas slm a
E' quanto pede o supplcante, que fielmenle fiz nao .erera encontradas cora facilidade e em todas
extraiiir por cerlidao. Secretaria do supremo tri- as estacoes do anno os ructos des?a planta, e a re-
bunal de justiga, em 30 de agosto de 1865.Eu se- pugnancia, que apresentam os deentes era azer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nSo desconhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e tem
a denominacao de solanum pancula! m,
foi dada por Lyoeo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o .
sueco dos fructos da jumbeba, que o rnais em-1 professor, O oleo de ligado de Ijacalbao^na-
cretario, Joo Pedreira do Coulto Ferra7, a subs-
crevi e assigno
O secretario,
jooo Pedreira do Coulte Ferraz.
Xarope tnico refrigerante de veame e 4e
bacalho com o alcatrao e o balsamo de
Tolo. As experiencias feitas por muitos de
nossos pratioselec ebres, nos hosp'taes e so-
bre seiis doentes particulares, as analyses e
ensaios de chimicos competentes, nao dei-
xam nenhnma duvida a este respeito.
Kelatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
Dr. E. Ilumbert, laureado da academia im-
que ihe, perial de medicina, e professor de Chimica.
uso do 1 Submelti a analyse, diz este distincto
Voto de gratidao.
Sis. Redactores. Fallara a um dever sagrado,
esses, cujo curapriraeno nao sei eximir-rae, se
ORmCMtM fa vares da Garaa, eso pode dei- apenas r.stabelecldo da graveenfermidade; de que
r deromwr.'in um brado de indignacao e de ; fui Diurnamente salteado, nao viesse a impreca
Z*A .r.i. n,Z nmamnihi.T=h?va imno^tc dar teslemunhodo reconhecimen o a que me obn-
cTndSeoKp ST^SSmtaS SStoS ^ saram o Sr. r. Caetano Xavier Pereira de Bri.o,
5ue nraa nulhe? h:a ameacado desobedecer ao | pela preste com que se d,gnou acudir aos recia-
?eu SterTse este nto qoitesse W pela condlgo rnos dos meas compaeros d arraas, e a esmera-
a'ato? dopelas cans que Ihe ornara a cabeoa ve- ge ; e o Sr. Dr. Antonio Goncalyes de Moraes,por
neranda, aulorisado pelos lagares que oecepava igual, promptidao, e ambos pelo seu trato deica-
iuoto ao seu prelato, e mais se ludo pec longo disssimo.
habito em que esteva de dcr' a verdade ao seu ; Aos meus collegas acadmicos aos meas com-
pastor, de acoaselha-lo, e de *aantHfea erros panhe.rns d'armas, vo'untar.os do 3 curpo.e cora
ferro preparado pelo pharmaceutico Jos pregado, nos proponemos e conseguimos preparar! tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
da ocha Paranhos, estabelecido nacidade 9orn,,elJf nSo. s..u_ exlrarl0.^.?lc0^e..:,L'ld,e .^ vrier, e posso certicar
do Recife provincia de Pernambuco, ra
ireita g. 88.
Este xarope, que d tom ao movimento
muscular por sua qualidade frrea, ao
mesmo lempo purgativo pela parte do vc-
parlicularidade ao mui digno commandante, o be-
nemrito coronel Francisco Joaquim Pereira Lobo,
cujos disvellos de pai, suppriram-me a ausencia de
minha familia, rendo aqui um voto de graudao, de
que espero dar-llies prova no correr de minha vi-
da militar, anda hontem iniciada.
Recife, 11 de eutubro de 1865.
Joio Baptisla Pinheiro Corte-Real.
era que o faziam cahr, ponderou respetosamente
ao Sr. bispo a (a:ta que kavi?. commettido em de-
millir assim 0a pessoa que havia desw.ipeonado
o seu lugar cc*r.i toda a [!robrade e lionradez, que
nao havia trar.sit'ido jamis com as irregularidades
que se davam no recolkimecto, e qera julparta
pelo vigario geral digoa de ser regente daquelle
estabelecimeuto. Fez-Ihe observar tm disso o
proeedimeoto irregular, ?. audacia mesmo da no- --------- m t ---------
va recente, que deveado exigir qtse as recolhi-
das ih otedecessem, eemeeava per dar o exem- Agn de Floi'ida de Mtirray e
po da mais revotare desobedieacie. ao seu prela- Lanniau.
do....... E como Sr. Onega previsor visse tme Fm wime das sen|loras serem a preciosa porce-
ludo quanto dizn era bagado, pms o exm. ar. u. ma dg bmr0 humgno por isso mQsmo ellas teem
Joao persiga em sustentar o que Uavia praucaao, todQ 0!l0,,eran0 direito a eleicau de tuda a especie de
com a linguagem tranca de qoe mpre usou.div tl |U5uria? (jue arle estimulada pela galn
s.-lhe qne se prrparasse para ceder a novas condi- {ana podp invenlar En|re todas as (jUe pertt.n.
ni-**, e as mais cstraofias exigencias; que oebae f(m 0( ,i{,uram no (nuPa,ior nenhuma ha quepos-
ja' Itie prediziajiaeqnM dellas havia de ser a nao sa exceder era aromtica delicadeza e finara, aquel-
ulrada .la Irmaa do Sr. Amaral para o recoihi-
respeadeu com vehemencia o Se-
do Amaral ha de entrar, summaraente u|j| e agradavel em varias forma
pus a eila se deve :er-se evitado no recullumento
ni grande meUm.tVbtmos
Sr. conego Tavares da Gama.
liesiabrii-ceda a crdem no rerolliimento de UIr-
da, requeren a irmaa do Sr. Amaral que, tendo
que esse producto
nao perdeu nenlium dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acham no oleo de ligado de bacalho ordi-
nario. A fraca propoigo das substancias
eslranhas que ^e pem no oleo natural para
dissimular o clieiro e o sabor desagradaveis,
applicado em pilulas, mas tambera um yinho, nm
xarope, e ura emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
cora islo prestamos um servlco a humanidade e
hlerapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coeco das raizes da jurubeba, e Mrat e elens,
lame que encerra, e refrigerante pela par- era seu Diccionario de materia medica e therapeu-
te acida, alm da precisa para perfeita so- hca, dizem que as Aniihas se faz uso do sueco nao pode de nenluirn modo alterar suas
luc5o e combinacao do ferro; este atacado dos fructos maduros desea planta cootra o catar- propriedades medicaes e s a torna de um
npln iridn fica pm ^xfrpma divido e as- rho vesical I e a Ufor'da,1e dos nomes desses me- f -, mosmo agradavel
pelO aClOO Oca em extrema TUTO, e as (li merecidamente celebres, nos leva a crer em us2,,dt" e m<-s,mo 'VlJ'
Stm o mais soluvel que e possivel, de sor te suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em Em resumo, o oleo de fujado de tco-
quej nao to dependente de ser digerido nossoestabelecimeoto essas raizes.para que possam Iho desinfectado pelo processo Cltevrier
pelos cidos fracos, que se acham do sueco w experimentadas. g0za e propriedades idnticas ao oleo de
gstrico durante a digesto. Os expositores ^^^^"tllSi^S, E-S? ^ ^ bacalho ordinario, que elle repre-
tanles, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pbarmacla de
Joaquim de Almeida Pinto.
Monte Pi Portuguez em Per-
nambuco.
A directora provisoria tendo de proceder mmt-
diatamcnte a realisar^o das quantias asignadas
pelos cidadaos porluguezes que se \ttm iDsrripto
cuino socios, e enleodendo qne nao sera baldado o
appello que, para mais facilitar esle servio, nova-
mente faz aos humanitarios e patriticos entimeo-
tos dos illustres cavalheiros qoe lo briosametie
a coadjavarara na acqoisi(o de socios, (ornndo-
se assim credores dos mais bem merecido enco-
mios ; oosa solicitar dos mesmos senhores obse-
quio de se iucnmbirem de receber as qoanlias as-
signadas as listas qae devoJveram, para o qne
Ihes serflo entregues as mesmas lisias e os recibos
competentes firmados pelo Sr. Jos A hres Lima,
thesoureiro interino da assm-iaco, na aiuencu do
Sr.JBernardino Gomes de Girvalho.
Boga a directora provisoria aos dignos ravj-
lheiros, a quem confia esta honrosa missao, o mais
escrupuloso cuidado na occasio da eobf anca, a&m
de que os recibos s st-jam entregues a pea*oas
que, conforme dispdem os estatutos, por sna pronV
so ou emprego eslejam no caso de ser socios, islo
afim de se evitarem duvidas que para o futuro pos-
sam suscitar-se sobre esle ponto.
A directora provisoria, era nome da associaco
que tem a honra de representar, cordialmcnle agra-
dece a lodos os sens distinrtus consocio* qoe 00
cavalbeirosamente se teem prestado a anxilia-la no
iuluit. de faier gciminar e desenvolver o iUute
l'io Portuguez em I'ernambuco, antlcipaooo-Ikc* >>
mesmo lempo a expressao do sen sincero rrci.nl.e-
cimento pelo novo servico qne solicita a bm da
inslituicao ; e roga outro sim qoelles hefes
que aiuda nao dtvolveram as lisias, o favor de o
fazerem com as asignaturas que bouvereni okaido,
ou em falla deltas, com as suas proprias simplts-
menle.
Secretaria do Monte Po Portuguez em Pernam-
buco 1U de cuiubro de 18C5.
Joaquim da Silva Lo y o
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos
i' secretario.
de medicina sao de opiniao que o ferro e
todas as suas preparar,oes gozam das virtu-
des eminentemente tnicas, que airoveita
em todas as molestias que sao caracterisa-
das por fraqueza; e com eleito acho exac-
ta essa opiniao; mas nao dado o ferro em
substancia pelo mo resultado que tenho ob-
servado, (e que j fiz publicar) em certas e
Monte-Pio Portuffuez.
senta exactamente.
; Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e turnado peas
pessoas cujo gosto e olalo sao dos mais sus-
ce.itiveis.
', Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
e
metilo.Na,
bi.-p'i, isso nao : a irmaa
p li:
a;:::
la cima mencionada no alto deste paragrapho.
Possuinilo nma mimosa e delkadlssima fragrancia,
quer ja
i ... i s o.-itivcs pelos quaes sahira por alguns
das do i. clbimento, S. Bxc. Rvma. a mandafse
novaroenie eawar. O Exm. Sr. D. Joio mandou
que a nova rejrenle informas.-e se a Sra. D. Anna
Claodlna de Agciar e Silva j podia entrar para o
recoihiuit-ato: e a nova regente que, te&do vindo
baria poneos das de Gcyanna por encommeoda
que para all lizera o Sr. padre Jos Antonio, nun-
ca tuina visto nem conhecido a irmaa do Sr. Ama-
ral, informou todava que a casa ia em paz, e que
s-e S. Ese. quera que continuasse a reinar alli a
paz nao coQseolisse nr. entrada da Sra. Anna
Claodisa; que aquella senhora nao devla mais eih
trar, porque pertorbava a ordem e nao se podia
gavernar esiandj ella naquelle recoltiimento.
V) Ei in. Sr. I). Joao ficou descontente com esta
inlorin..co, mostrou-fr ao Sr. conego Tavares da
Gama que Ihe responden logo. Eu nao Ih'o dis-
se?I V. Exc. ha de desenganar-se se 6 ou no
vrrdade o qoe eu pre vejo.
nuc jo como aformoseadora da compleico, ex-
responam o ce||eote misturada com agua como meio agradavel
para enxagoar a bocea e alvejar os dentes, e final-
mente como um excellente e admiravel raeio cura-
tivo em todos os casos de nervnsidade, desmaios
vertmens e attaques hystencos, em si ella merece
um nome na materia medica, assim como em oc-
rupar um lugar imlespensavel sobre o toucador.
(Afim de se evitar o d.-sgosto de se comprar um \ que se espera, e a experiencia me tem de-
genero de inferior qualidade, nada mais se precisa monstrado sem risco de ofender as entra-
fazer, do que perguntar-se pela Agua de Florida de' rjhas.
Munay e Latinan. r>s pfr.,tns Ar., nritantP Vende-se as pharmacos de Caors (- n'>" eS' *
J. C. Bravo & G.
A directora provisoria, acabando de obter do
Exm. Sr. presidente da provincia a approvacao dos portantes e preciosos da therapeutica, quem
determinadas mole tias; por exemplo: ane- estatutos do Monte-Pa; joiga conveniente levar descobrio o meio de o tornar de um uso fa-
mia, e febres intermitentes, terminam mui- desiej ao conhecimento de todos os inieressados c| para tojos> prestoa um verdadeiro ser-
las vezes por anazarca que accumulacao ^SA'SS^SSm SrifiS X *" "^^ ^ ""S ,Kn
de serosidade no lescido cellular (agua quan- r Assim obrando, enteode a directora levar ao es-: Por isso nao podemos concluir melhor
do est entre a pelle) e depois ascile ou hy- pinto de todos a convcgo da mxima convenien- do que felicitando o Sr. Cheviier por sua
dropesia do ventre, que accumuiacao~de ca de cooperarem, por si e por seus amigos, para rca e uti descoberta que merece de ser
prnr-i.lartP nn iwriftlnAn a estab'lldale e desenvolvimento do Monte Po Por-
Bcruoiuaae uu pe itoiiw. tuguez, que podera enlao por essa forma corres-
E sabido que O ferro e um dos agentes U0Qder aos humanitarios lias, que leve era vista o
mais importante para que o sangue se pre- seu benemrito fundador.
Seguem os arligos alluddos :
Art. 57. O socio que, por sua infelcidade, se
acnar desempregado, preso ou imposibilitado
de trabalhar, perceber urna prestacao mensal
C0MME1CI0.
pare e aperfeice devidamente, e por con-1
seguinte o mais proprio para impedir o des-
envolvtmento destas molestias; mas sendo
elle um efficaz incidente, sorbente e secer-
nente, claro que s associado como se.
acha neste xarope, pode dar o resultado
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os trabaIhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devera ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes, trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de gado de bacalho Ihe fi-
& Barbosa e
Em observancia do despacho do Exm. Sr. conse-
Iheiro presdeme do supremo tribunal de justiga,
certifico que a fulhas 10 dj livro i do registro da
sentenca crime se acha registrada a ijue pede o
supplcante, cujo theor o segninte :
Numero 1,816.Vistos, expostos e relatados es-
tes autos de revista crime, enlre partes, recorrenle
Tiburcio Valeriano Ujptisla e recorrido o agente
Para o vellio prelado ludo eram apprehensoes,! das rendas provincia**, Elias Tude de Carrafai e
ludo eram receios, o elle nao ousava mandar eutrar
para o reculhimenl" aquella a quem, como elle
propuo coofessara, se devla o nao ter havido
no mesmo recoKiimenio um grande molim. 0
Itvmo. Sr. conego lavares Gama fallou-lhe com a
liberdade e franqueza costumadas e depois procu-
rou eonveace-'.o pela lgica dos fados; disse-lhe
que nao se poi'-ia receiar que a Sra. D. Anna Glau-
dina alierasse a ordem, visto como fura ella a que
mais pugnar:, para que naqutlla casa reinasse a
ordem ; fura ella a caasa nica das providencias e
das medidas enrgicas que se haviara tornado: que
era urna senhora j entrada era anuos, e que alm
de todas as de mais cousideracoes era forcoso man-
da-la entrar, visto como fra S. Exc. quera ihe
mandara dizer que sahisse, que logo que houvesse
nova rgeme voltaria para o recoltiimento.E a
Sr. I). Anua Claudina sahira do recoltiimento con-
fiada na palavra do Exm. Sr. hispo t. Joo.
Culuu-se c Sr. conego provisor ; porm S. Exc.
mosirava-se aba'ido e sobretndo muilo receioso ;
de sor le que bem dava a cooheuer que nao era so-
mente a iofermaco da regente que actuava no seu
espirito. E c E>.ra..Sr. D. Joao pedio alguns das
para deliberar.
Piquemos.aqui por hoje : amanha continuarei
a narradlo d-ssa serie de perseguic5es. No obs-
S'lva : concedem a revista pedida por nullidade
inanifesta e injustica notoria da senleuca de fulhas,
que eondemuou o recrreme as penas do art. 177
do cdigo criminal, pelo crime do contrabando.
Porquanto sendo a denuncia fundada na falta de
pagamento do imposto provincial sobre escravos
exportados para fra da prov.ncla, e tendo a thc-
souraria das rendas provociaes ordenado ao seu
agente, como se v a folhas 18, que suspeodesse
quaiquer procedimento contra o recrreme por es-
tar afecta a mesma thesouraria a que^o sobre a
exequibilidade do imposto no caso vrteme, nao
poda o mesmo agente figurar mais no processo,
como parte legWma, emquanto nao fosse resolvida i
s incitantes, sao : promover
as secreces, e absorcSes, augmentar o ca-.
lor natural, e remover acuellas dores que
nascem da falta dos movimentos irritativos.
Os sorbenles sao tambem aquelles agentes,
os quaes augraentam os movimentos irrita-
tivos, que formam absorcSo, e os s cernen-
tes aquelles que augmentam os movimentos
irritativos que conslituem as secresoes.
Assim, pois, v-sc que sem a precisa combi-
nacao e modificaco nao pode ser elle appli-
cado indistinctamente. Muita* vezes o pra-
tico deixa de fazer applicafo do ferro por
conhecer e suspeitar que o figado, o bofe ou
pulmo, or^ao essencial da respiragao, ou
outra enlranha est offeadida; entretanto
que, se se tivesse applicado em tempo se
poderia ter evitado o desenvolvimenlo da
molestia. Assim, pois, o xarope prepara-
do como fica exposto se pode usar semj^s-
co por nao olender as enIraiibas.^_A/mb-
lestias contra as quaes o xarope onrcs-re-
que, nao excedendode trintaml ris/poderser zeram obter um resultado nao menos im-
reduzida seguudo a maior ou menor necessidade portante, o qual consiste em ter associado o
!M58. Ao socio, que se desempregar por frro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
motivjs justos, adirectoria por si ou por seus de figado de bacalho fenginoso de Che-
conhecimentos procurara emprego adequado s vrier constitue lalvez o melhor meio de dar-
habilitagoes que elle liver, at duas vezes ; e se se 0 ferr0. Pois o iod:;ro de ferro unido
elle se retirar para outra praca, promover-lhe-ha rf j f. Aq Aq baca.
as possiveis recommenda.oes. ... .. ., ,:_.
Art. o'J. A'quelies que por molestia, ou outros lhao se dissolve mais fcilmente nos liqui-
.'quelles que por
motivos graves, tiverem necessidade de se ausen-
tar, pagar a sociedade as despezas de transpor-
te com commodidade e decencia, para mitras
provincias do imperio ou para paiz eslraugeiro.
Art. 60. Ao socio que fallecer, a directora
mandar fazer um enterro decente, se elle nao
Novo Banco de Pern^nbef
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devindo na razo de 8-5 por accao.
da i xa lilial do hinco du Brasil fu
Peniambuct.
Adirectoria destacaixa saca sobro e banco
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Uahi.
\ovo banco de Pcrnam-
buco.
banco desconta letras na presente semaara a
por cento ao anno at o prazo de sei* jftii
Caita Alia I do lia neo do Krasil f m
lernambuco.
A caixa desconta as letras de sea aceite pala
ailxa de 60| ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Crrela.
ALFANDEGa.
Rendimento do da i a 10......
fdem do di& 11...............
196:36i*2fit
20.0*S07
2f3:i07518
dos das vas digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipaco. E' assim que
deixar meios para isso. O enterro ser acompao os doentes, CUJO estomago nao pode suppor-
nhado por urna commissao nomeada pela direc- nAnhnia nronararn marcial lomam fa-
toria.eesla no stimo da mandara'resar urna ,d(r nentitiraa preparagao maitiai, toiii.im ia
missa (a que assistira' urna commissao de seus Cilmente o oleo de fujado de bacal/uto ferru-
inembros) por alma do fallecido. ginoso de Chevrier.
Art. til. A sociedade cuidara" activamente do qs senhores Maurrer & C. acabam de re-
"fi? so -lh.e ceber um grande sortimento dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de l'edro Maurer
,5, C. rua Nova n. 18.
HUM
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 37
t com gneros.....
Volumes sabidos cem fazendas..
eom gneros..
pela thesouraria essa questao prejudicial, de cuja irigcrante pode Ser applicado com proveitO,
decisao dependa a precedencia e veriicacio do con-
trabando denunciado.
Em segundo lugar sendo o recrreme acensado
e aflnal condemnado como infractor de leise regu-
lamentos provinciaes. que nao esto encorporados
em direito era indispensavel que a denuncia fosse
instruida "com a copia authentica dessaslelsou
disposicoes, que-se dizem infringidas para que se
podesse conhecer e ajuizar da jusiiga ou injustica
' do julgado em presenta de seu contexto e das dis
posicoes das leis geraes, que nao podem ser alte-
radas por leis ou rgulamentos provinciaes.
taute serem passados mais de tres anuos desde que! Em terceiro lugar mostra-sedos termos exarados
tiveram lugar esies acontecimentos, comtudo a re-1 a-foihas 52 e segrales, que a sentenga reeonlda
eordacao dellesainda me punge bem dolorosamen-' '<>< proferida sem que o recrreme ou seu procu-
te. Devo t.davia declarar que apezar de o Kr. pa-
so : as amenorrheas, ou suspencao do flu-
xo menstrual das mulheres, anemia, ou di-
minuicao da ma.-sa do sangue e sua consis-
tencia alterada, dores de estomago, debili-
dade dos orgos digestivos, fdStio, fluxos
mucosos, flores brancas, chlorose, molestias
do sexo femenino, caraclerisada por lan-
guor geral, acclorisafo paluda da cor ou
esverdinhada, empobrecimento do sangue,
efartes-chrouicos das visceras abdominaes,
alporca- ou escrophulas, escorbutos, opila-
prestara' o soccorro de que trata o art. o", se del-
le necessilar. Dado, porra, no mesmo anuo o
caso de reincidencia, ou conhecendo-se que o so-
cio assim pratica por habito ou ma' ndole, a so-
ciedade o abandonar s consequencias do seu ac-
to, Ucando suspenso ao socio o gozo de seus drei-
los pelo tempo que a directora julgar conveniente.
Art. 63. Fallecendo quaiquer socio, a sua viu-
va e Ulhos menores, ticando privados de meios
para sua decente sustentadlo, gozaro dos beoe-
cios da sociedade da segmute maneira :
t. A viuva, emquanto se conservar nesse
estado e se comportar honestamente, receber
urna mensalidade de vinte e cinco mil ris.
< % 2." Os lhos, legitimes ou legitimados, dez <
mil ris por mez, sendo um s ; quinze sendo
dous, e vinte se forem mais de dous, isto emquan-
to nao chegarem idade de doze annos.
Art. 70. A contar do 1 de Janeiro de 1860
passar a joa (que at 31 de dezembro deste an-
no c de dez mil ris) a ser de 255000 para os que
desde entao forera admittidos, continuando toda-
va a cobrar-se a mesma mensalidade marcada
no 2 do art. 11 (oOOrs) .
Continuam a receber-seassignaturas, para o que
ha listas expostas no Gabinete Portuguez de Leilura
e na ra do Crespo n. 2, livraria do Sr. Nogueira de
CASO HORBira
D'DIA
Molestia Ulcerosa
Curada.
-------121
n
667
Descarregam hoje 12 do crreme.
Barca inglezaSeraphinamercadorias.
Barca americanaAnacondafarinha de trfco.
Barra ingk-za Impeador farinha de lugo.
eros.
Brigue hespanhol Carinacharque.
Patacho portuguez Furtodem.
liM|ioi vfio
Barca ingleza Imperador, entrada de i'inladel-
phia, consignada a Matheus Austin & C, iti.Ie--
tou o seguiule :
3,022 barricas faiinh) de trigo, 200 barr- la-
nha, 200 saceos farello, 200 caixas kenteae, 8
volumes cadeiras, 10 ditos candieiros e rtMfe,
2u volumes machini^mo para padaria, 1 caiaa ta-
jelos para dentista ; aos cenoignatarios.
HECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 10...... 8:78345:{
dem do dia 11................ I.7|N3
10.053*356
CONSULAOO PROVINCIAL.
hendiine-nl do da 1 a 9
dem do dia 10........
ii:i*J842
4:lbO*4S3
18:45'.'*322
dre Jos Aclocio me apresentar tambem empenha-
do na entrada da irmaa do Sr. Amaral, eu nada
pude eniprehender de nolavel em beneficio dessa
senhora. Doia-me da ingralidio e da injusticia pra-
licadas para com ella : doia-me de ver o Exm. Sr.
I). Joo sen cimo nem resolugo para desmesca-
rar a impostara, afngentar a hypoensia, e tiurlar
s panos que a sua sombra se urdiam : poim eu
nada poma fazer em favor da justiga, e me limitava
aos meus bons de-, ejos. Isto mesmo expuz por va
rador fosse citado cu tive?se por quaiquer modo
scieacia da remessa do processo para a instancia
superior, alim de defender se peranie esse juzo,
falta esla que importaudo a priva;o do direito de
defeza natural, fere de insanavel nullidade a sen-
tenca recorrida.
Por estes fuudamentos, pois, concedem a pedida
revista, e mandam que seja o processo reniettido
a relajo do Rio de Janeiro, que designara para a
revisa 3 novo julgainealo. E advertem o esorivo
Rogerio Fc-rnandes Barros, que nao Ihe era licito
ras vezes ao Sr. Antonio Luiz do Amaral e Silva! ajunlar aos autos os documentos a folhas 69 e 71
guando elle la a casa do Sr. padre Gama micresca- por Ihe eer vedado pelo art. 10 da le de 18 de se-
lo em favor da estrada de sua irmaa para o reco- tembro de 1828.
Ihimeuto. Faco esta declararlo nao para arrudsr Rio de.Jaueiro, aos t<5 de dezembro de 1864.
de mira quaiquer responsabilidade, mes para rc- Brilo, presidente, Almeida, Veiga, barao de Mont-
tabelecer a verdade dos factos e nao tirar a gloria serrai, baro de Pirapama, Fran?a, Pinto Clitchor-
a quem na verdade a merereu. i ro. Mariani, Machado Nuaes, LeSo, Cerqueira, Sil-
Olitida, 6 de ouiubro de 186S. va, Villares.
Conego Joaquim Fetrtira dos-Santos. Certifico mais que se acha archivado na secreti-
P. S.No arlig j autecedente, publicado no Da- ra deste tribunal o accordam da relacao revisora
no de 7 do corrale em lugar de ler-se :.-... ce-' do theor seguate :
cao, pallidez, e OS estragos producidos pe- Souza. Pode ser socio todo o cidadao portuguez
las molestias syphiliticas: asthenia ou falta
de forjas; fraqueza geral: e ha hydrope-
sia anazarca e ascites; tendo-se o cuidado
de observar nestas duas ultimas molestias
principalmente, e em todas s outras, que
um dos elieitos salutares deste xarope te-
ro-venlre correute, e as urinas desembara-
zadas.
O modo de usar-se e regular-se val des-
cripto no le re ro pregado no frasco.
Veude-se nicamente na botica da ra
Direita n. 88 de
Jos da. Rocha Paranhos.
berto de das de gloria, leia-se: oberlo de das, e
de gloria. Dous paragraphos aiaixo, onde esl
supra summum da iciprudeccia, leia-se supra sum-
mum da impudencia.
Conego Snn.'os.
<|iieHto jurdica.
A PBESRSQA DA AUTOUJDADE NO ACTO DA BU13A DIS-
PENSA O atSPSCTIVO MANOA1O?
N'; por que a autoridade nao compete secao
conceder ou expedir o mandado de busca : vide le
de 3 de dezembro de tf&i, e regulamento de 31
de Janeiro de 18'i2 : a extcuQo do mandado com-
pele aos oficiaos de jusii^a: art. 196 do Cdigo do
processo criminal.
A autoridade, pois, pode assistir a deligencia,
mas nem se diga por istoqoe a executa ; por que
esta altribuicac nao Ihe compete: a lei expxessa-
mente declarou, ;jue compete aos olliciaes de Jus-
tina,art. 196 d .cdigo citado. E' como a cilaco,
a penhera, oarres'.o, que o juic ordena, mas nao
Ihe cabe exerular. Assim, nao vei aocaso dizer-se
que absurdo, que a autoridade jue rnauda pro-
ceder a busca, cumprz o seu proprio mandado, se
elle nececario, nao obstante a sua presenta. De-
mais, omaedado, na hypothese, conatitue urna ga-
ranta, que a presenca da autoridade uio pode sup-
pnr.
Sub censura.

OEBESPONSENCIAS
Srs. redactores.Vai communicanteanonymodo
Ulano de Pernambueo, de 10 do correnle. denun-
ciando a fonle poltica donde procedem os seos
odios, acredita que podera' comprometter-me pe-
rante a opiniao publica, e perante as autoridades
supperiores aecusando-me Iraicoeira e calumniosa-
mente eomo subdelegado dos Afogados, cujo exer-
cicio reaesumi no dia S.
Foi theraa para essa catilinaria o espancamento
que soffrera Joao Paulo Guedes de Barros, no la-
gar denominado Aterrmho do Giqui, para nm
jado fra da estrada ; e em consequencia do qual
Copia do accordao proferido nos autos de revista
crime n. 36, .pela relaeao revisora desia corte,
era virtude de deciso do supremo tribunal de
justiga de 1 de dezembro de 1864, em cujos au-
tos sao reeorrentes Tiliurcio Valeriano Baptista
e recorrido o agente das rendas provinciaes,
Elias Tude de Carvalho e -Silva : na forma
ababo.
Accordao em relaQo.Vistos estes autos de re-
vista crime da villa de Porto Calvo da provincia
das Alagoas, entre partes, recurrente Tiburcio Va-
leriano Baptista, morador na provincia de lVrnam
buco e recorrido o agente das rendas provinciaes
Elias Tude de Carvalho e Silva, denuncia este a
aquello por ter feto contrabando, eiportaodo tres
escravoc comprados na villa, sem que pagasse os
direitos de exportaeao, fazendo assim nm prejuizo
a fazenda.publica de 450^000, alera de eommetler
um crime previsto no art. (77 do cdigo penal.
cem circumstaucias aggravantes dos 4*-e 8o do
art. 16 do mesmo cdigo. Defeode-se o recrreme,
allegando, que nao fez contrabando, porquanto o
regiment de 31 de agosto de 1863, reprortuzindo
em pleno gozo de seus direitos, que liver meios l-
citos de subsistencia e bom prooedmento.
Secretaria do Monte-Pio Portuguez em Pernam-
buco, Io de outubro de 186o.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2o secretario.
.11 ten cao
Ao publico.
O conselhr dos professores da Escola Normal
'abaixo assignados examinou cora escrpulo as
I Nocoes do systema mtrico decimalpublicadas
; por Jos Antonio Gomes Jnior, e por elle sujeitas
; ao juizo desta escola ; e de opiniao que esle bre-
ve trabalho, destinado a auxiliar as operacoes do
' eommercio e os clculos as reparticoes de fazen-;
.-,... da, satisfaz as nece.sidades e preenche as lacu-
Xarope alChoollCO de veame, preparado nas ()Ue al aqu se davara nos tratados e opuscu-
pelo pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, los sobre a materia, escriptos antes para os manee- j
estabelecido com botica na ra Direita n. nos iniciados na sciencia, do que para a classe la-:
88 em Pernambuco boriosa do commercio, qoe desejameios pratl- :
,- .- eosde fazer os seus clculos com a maior brevi-;
Late xarope e mcontestavelmenle superior uade.
a todos OS xaropes depurativos, de cuja Com effeito o trabalho dd Sr. Jos Antonio Go-1
COmposic5o O seu maior ele t ento a salsa raes Jnior, que o conselho tero'em maos, economi-!
parrilha, pois que se tem conhecido ser O o lempo que cada iudividno gastara d'outromo-
Lin.,, LIul^ do a reduzr os amigos pesos e medidas ao syste-;
veame mais enrgico para a prompta cura raa que a lei adopioo, pois que por urna simples;
das molestias, cuja base essencial depende operaeao de aritbmetica se acha a converso dse-!
da purificacao do sangue : assim poi se iada eB1 kiiogrammas, litros e metros.
tem verificado por muitas oessoas aue se E' .Pp"""0 2S2 *&&". queaqaelle'
trabalho oh o supplcante offerece, de sua rompo-
atoan, de grande til idade pratica para todos
aquelles individuos que sao obngados a calcular
pelas novas medidas de extenso, capaeldade e pe-
so, e sob esle ponto de vista admisslvel nas escolas
elementares da provincia.
Sala das conferencias da Escola Normal de Per-
por muitas pessoas que
acbavam desengaadas, as quaes acham-se
hoje restabelecidas com o referido xarope
aleboolico de veame entretanto que al-
guns, tendo usado do xarope de Curinier,
de Larrey, de salsa parrilha, de saponaria,
oleo de ligado de bacalho, e OUtrOS agentes nambuco, 2 de outubro de 1865.Francisco Ro-
desta ordem nada coaseguirara E* elle de ckael p- B- Medenos.MaxiMwno Lopes Macha-
facil digesto, agradavel ao paladar e ao ol- a^SJSSSi^ R'Mn Pmoa-M9uel Ar'
phato Ajgons mdicos desta cidade e da (Eslava sellado e reoonhecidas as quatro assigna-
o que eslava estabeiec.do na le provincial de 8 de de Maeeto o teem recommendado para a CU- turas.)
malo de 185*. so considera contrabando, a espor- | _a .ias r
lagao da escravos presos a bordo das embarcares ,
encontradas cora destino a outra provincia, sem \ Mipigens, tiflJia, escrophulas,
que tenham pago os direilos respectivos; que fei-1 Tumores, ulceras, escorbuto,
SS^^JST1S^'X^' ^T* Sara d(^enerada' flui alvo- A l'ut*ba i "- estancias medicamen
SiT^roSSl amlLiX Fodas esUs affecces provm de urna cau- osas, ao reino vegetal, e perience classe
0 sa interna; nao ha pois razao aiguma em dos tonicos e Jesobstruentes, sendo em prega
aa com vantagem contra as febres intermitentes
JURUBEBA.
m en tu de
aconleceu, e que havendo
pedido elle recrreme
fiaoca e lempo para apresentar os escravos, e dada crr que ellas se podem curar com remedios ES3SX MmSmmSS BTS
pane ao inspector da tbeseuraria provincia desto' cxtprnos Tamhpm p nrpsrrava n mno ac.ompannaoas oeengorgiuaeoioae ngaoo e naco,
occnrrencia ete mr de=niriio mandn inforn.ar p 77"^ iamnem se prescreve O xarope Ella lera sido applicads eom mcontestavel proveilc
3 a choo ico de ve ame para o tralamento das contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
ordenou que o agente suspeodesse quaiquer pro-
cedimento, que tivesse dia respeito; que assim. affeccoes do syslema nervoso e fibroso, taes fjg ^^JLIS^aF^JSL* "?8!?}!" I
nao podia o agente denunciar, fallando a base es-1 como :
senciai, o corpo de delicto; que esses escravos
elle os comprou para emprega-los no engenho S.
Jos, que Ihe seria ajudado para pagamento de di-
vidas, pois esto anda em seu poder, e qoe disso
mesmo coramumeara a dte agente, mandando os
buscar, etc. Finalmente, que sendo irregular esse
procedimentonao havendo base para o processo,
legitimidade e competencia para elle, fosse julgado
de nenhura effeito. O que ludo visto e examinado,
etc., etc. Considerando a Incompetencia do agente
Gotta, rlieumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, ernmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre
tudo, da maior utilidade para curar radi-
calmente, e em pouco tempo o rheuma-
tismo.
Adverte-se que o verdadeiro xardo eso se
cao diffJeil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinbo idem de idem.
Punas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do
sario n. 10.
Todos aquelles quo se acbo suie'itoe sof-
frer molestias scrofu]osa^dcerosas, ou syphi-
liticas, anda uicsmo as reputadas de peior
uatureza, apenas necessito de ler o seguinte
caso maravilhoso, para que se sintSo inteira-
iiiiiii convencidos que a sua propria cura,
n5o s meramente possivel mas sim absolu-
tamente certa.
Joao Joan Ferkeira Barroz, residente
na Cidade de Maranhao, tinlia todo o seu
corpo coberto de cliagas ulcerosas, e durante
algunos annos se adiara debaixo do tratamento
de mdicos os mais afamados, tendo usado
durante todo este tempo quasi toda a especie
de medecinas que em taes cosos empregada
pela faculdade medica, pore'm debalde sem
obter o menor beneficio ou alirio: ackando-se
pois em taes apuros elle finalmente resolveu-
*e, depois de repetidos e baldados esforcoe a
fazer uso da|
Salsaparrilha
DE BRISTOL.
No todo elle apenas cegou a tomar Cinco
Garrafas de Salsaparrlha e quatro frascos dos
PiluUu Vegetaes Azucaradas, e o resultado
foi elle obter una completa e perfeita cura.
Os Sers. Ferbeiua & C'ia., Droguistas de
MaronbSo, forSo quem suppriro os medica-
mentos, e iiclitid-sti perfeiiament ao tacto
d'este caso, e os meamos Senhores, nao s se
acho promptoe confirmar o mesmo, como
tambem em fornecer o actual adrosso do Ser.
Barboza, toda e quaiquer pessoa que por
ventura se desej informar da verdade.
Recommcnda-se mui particularmente aos
Deentes que tenhao o maior cuidado na escolha
deete excellente remedio, nao usando outro
Dao ser a Genuina Salsaparrilha de Bristol,
a qual exclusivamente preparada por
LANMAN&KEMP,
De X V V YORK,
pois que todas as mais ajo inefflcozea e de nea
hrun presumo
Vende-se nas boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
MfiMEST BO P01Y0
Nano entrado no 4ia 10.
Bahia vapor americano de gnerra Watq, com-
mandante W. A. Kirkland.
Obserrarao.
Nao houveram ealradas.
IBT1E8.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oficial da impe-
rial ordem da l!u-a c juiz de direito especui de
commercio desta cidade do II.ufe de Peraamto-
co e seu termo, pi r Sua Mageslade Imperial e
Constitoeional o Senhor D. Pedro 11 a qoem
Deus guarde etc.
Fago saber pelo presente, que no dia 23 do mex
de outubro do correnle anno, se ba de arrematar
por venda a quem mais der em praca publica, de-
pois da audiencia respectiva, o escravo de nme
l'omao, crioulo, de 14 anans de idade, avalizo
por 800,3000; o qual vai a praca por execucao de
Joaquim da Silva Castro contra D. Josepba Fraa-
. cisca Pinto Reguelra Ramos.
E na falla de licitantes ser a arreraalacio feiu
pelo preco da adjudicado com o abaiimenio res-
pectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimenlo de loaos,
mandei fazer o presente edilal, qne ser afiaaa
nos lugares do costume e publicado pela imprensa.
. Dado e j a-.-adu nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 10 de outubro de 1865.
Eu, M.iii' I de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, "ffifiil ih impt
rial ordem da Rosa e juiz de direito especiaJ ac
commercio desta cidade do Recife de PrriTfco
co e seu termo, por Sua MagesUde Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro 11 a ania.
Deus guarde etc.
Faro saber aos qoe o presente edilal viren e
delle noticia tiverem, que por parle de Maaeei Al-
ves Ferreira, me foi dirigida a peticao do \im.r
segrate :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Dia Jaaaorl
Alves Ferreira, negociante inairiculado, oar, qne-
rendo interromper a prescripeo qne esl i
te a dilferentes dividas oriundas de le ras e i
de livro, nos termos do artigo 453 j 3 le
do commercio, vem requerer V. S. se i
mandar passar carta de edictos para qoe, depois
de feto o protesto, seja este intimado a Daaac
Domingues Pereira de Menezes, como arreilaate
de urna letra da quantia de 5O000O, venad en
25 de Janeiro de 1861, e como devedor de S&390,
por ci na de livro, e a Manuel Cavakanie UcMa e
Izabel Cavalcanle Lins, responsaveis per ama le-
tra de 369893, vencida em tl de marco de 1M4.
visto nao saber o sopphcaote os logare Je saa
morada, passando se a lina I, certido para servir
de titulo ao mtsmo sopplicante.
Pede a V, S. deferlmento.E. R. Mee.Dr.
Aguiar.
Na qual dei o destecho do tbeor segniele :
Tmese; ejnsiimjne a aneeacia ao da ido
correte mex s 11 Horas da maabaa.
Reoife, 4 outui.ro 1865.Alencar Araripe.
Em virtude do qual fra a mesma petice des-
tribuida ao escrivao desle juio Maaoel Mari Ro-
drigues do Nasciraento, o qual lavroo o termo de
protesto do theor segninte :
Termo de protesto.
X
i

wmmmmmmmmmmmmm
Havi

Diario de Perri*#ii>tf<;ft **M_tC'fef*a'l -
Aos 4 decutubro de 1865, na eidade do Reeife
eni raeu eartorio appareceu o supplicaDte por seu
bastante procurador Beroardiao de Sena Das, e
disse peraoie mim e as testemunhas i afra assigna-
das que reduzia a protesto o contedo de sua peti-
za i reiro, o qual offereceu como parte ao presen-
te; e de como assim o disse e protestou, lancoi
este termo, no qual depols de lido se firmara com
as test^monhas pre-ent-s.
Ea Manoel Mari Rodrigues do Nascimenlo es-
crivo o escrevi.Bernardino de Sena Uias, Anto-
nio Pinto de Barros, Joaquim de Albuquerque
Mello.
E tenilo o suppliranle produsido suas testemu-
nhas, sellados e preparados os autos sub rain a
imnha conclu-o e nelles dei e profer a sentenca
do ilieor segrate :
Bei por justificada a ausencia dos supplicados,
que inaudo sejam citados por edites de 30 das pa-
ra o fim requerido a folhas 2, pagas as casias ex
causa.
Recite, 9 de outubro de 1863. Tristao de Alen-
car Araripe.
Por forja da qual o referido escrivo fez passar
o presente pelo qual chamo, cito e hei por inti-
mados aos ditos supplicados para que compare-
can oeste juno deutro do iudicado praso, aflu de
al lega redi o que fr de jnsiiea.
E para que chfgue ao conhecimenlo de lodos,
maudei passar 6 presento qne ser publicado peU
imprensa e afflxaio nos logares do coslurae.
Reeife, 10 de outubro de 1863.
Ea, Manoel Mara Rodrigues do Xasciraenlo es-
crivao o sub.-crevi.
Jristo de Alencar Araripe.
4 senhora
DA
BONANCA
o
Dar fim ao espectculo a interessanie scena-
Sextn-feira 13 do correte.
O leilao lera lugar na mesma loja da ra das
Trincheiras, as 10 horas da manhaa, os preten-
I denles podem examinar a relaco dos ohjectos do
i primeiro andar do sobrado da ra da Cadeia o.
9, escriptorlo.
COZINHEIBA.
Precio-s de urna boa cozinhelra : na ra
Sebo o. 3.
-------t.~a
A^TE^CAO
, || W filIlCI 1 A Aloga-sc o s -un h andar do . da roa
do 1F iA1*^^Iv9 dolmperauorn. 7'J-satratar na ra do Crespo
E a oraa o da f Acabar com os Para- n._i>.___________
;playos a baj'onelt, mini, a revolver; '- Precisase deoaTmeninos!lo a' 11aawos
fulmina-los com 03 encouracados armados de idade,para caixeiro: na ruad.? ngel n. .
LEILAO
6 SS__$ KbKS de espores, armstrongs e raiada de80 ***
! dirigida em
{ ga-se a quena aehar a referida carta, de
cmica
TO i.theis
Pagando urna visita de arai-
sade.
Comecara' as 8 horas..
O actor Simoes querendo despedirse do publi-
co, escolheu esta interessanie scena cmica para
tal fim ; visto achar-se ella era analoga co;n a sua
retirada, servia I o an mesmo lempo esta escolna
para dar urna prova ao publico Peroambucano do
quanti vai penhoralo pelo acolhimento que teve
da parte dos habitantes de lo bella provincia.
mal
zia da Boa Vista
Sexta-feira 1:} do corrente.
Por nlervencao do agente Pinto, ua ra
Cruz n. 38, as 11 horas em ponto.
da
Do sobrado da na ila Aurora n.
Sexta-feira 13 de otiiunro.
O agente Pinto far ieilio precedida a com pe
60.
^servir 120; extermina-los oin summa a espada, a
se trata; mas
esmagar os
Deus nos con-
'.'-'i' i, < a tacao e a ponta
riarn ftl^lR fl^E P* Para o que nectario eocqurjr esta
ni
na
Precisa se de orna ama
Corp Santo n. 17.
Ama do lcite
de MH : M IMP di
, ra brein.^ '' '' I Lpe-ferro, maga cobra, arranca tocos..
CASA DA FORT
Aos 6:O0O$O.
Ui Ihetes garantidos.
quebra marmore e outros que se vendem
45-RA IRJEITA.45
85000
O00
tente autorisarao do sobra.lod-1 ra da Aurora n. A beuetico *las fafailias do* l)POSO
00, as 11 horas o da acuna dito em seu escrip-
MISOS ailITIM
flt
COMPAItffilA BUSILEIRA
icm.
Por esta subdelegada se faz. publico que f)-
rata apprehen lid is duas canoas que iao pela agua
i. sendo urna de ura s pao e ba-tanu arroi-
: uo lugar da Tune, e outra de carreira lam-
ben! arruinada,defronte da ramb.it des Remedios:
queni sejulgar cim direito as mesmas, provando
serio entregues.
Sobdelegacia da Magdalena 7 de outubro de
1863.O subdelegado 1 supplente em ejercicio,
Jos Beroardiao fereirade Brlto.
Fisi-alisarai Ja freguc/ia de Santo An-
tonio o Reeife
O abaixo assfeoado, desojando cumprir reslric-
tatneiiie o quaulo determina o Ait. 8o do Til. ti
das postaras muolcipaes de 3t) de junho de 18i8,
qu^ dttFica prjhibido a venda de ganpa e be-
bidas que poseam arruinar a satide : os infracto-
res serao multados em 'dt, e na reincidencia sof-
, aietndo duplo da multa, I' dia> do prisao:
e I le :i '.i la e qualquer pessoa qne sonber o lu-
gar eflt que se venda nesia fr.iiuezia de Sauto An-
. dita garapa, lite fazer aviso para que em
coatineaU se faea enmprir o quanto determina o
ai;. t cima declarado
Pisealisaco da freguezia de Sanio Antonio do
Recite 10 de outubro del H('.
Caetano Pinto de Veras
______________Fiscal.___________
Correto geral.
Pela admiaistraco do correio desta eidade se
Ui publico para fins convenientes, que em virtude
da convenci postal celebrada pelos governos bra-
; e (raacez, sero expedidas malas para Eu-
r :.. no dia li do corrente pelo vapor ingle.
(Incida .
A- eartas serc recebidas at tres horas antes
da que fjr marcada para a sabida do vapor, e os
j irnae at quatro horas anles.
Ailmiiiistracao do correio de l'ernambuco 10 de
outubro de 1868.
Domingos dos Passos Miranda
Administrador.
O Ulm. Sr. inspector da ihesouraria da fa-
zea i i Jesta provincia man la fazer publico que l-
< iread i o da ib' do corrente para o concurso
que se. tem de abrir oesla mesma ibesouraria pa-
ra preencbiinento das vagas de '5o escripturario da
mesoia thesouraria. 0< esames versarlo sobre as
ites materias : Iheoria da escrpcSo mercan-
Ut (tor partidas simples e dobradas o suas appli-
es ao commercid e ao thesouro, taadurcao
', cta das linguae ingleza e franceza ou pelo!
la ultima, principios geraes degographia
aona do Brasil, algebra ate equacoes do 2"
grao e pra'ica 'o servigo da repartico em que o
lo estiver servndo.
ttaria da ihesouraria de fazenda de Per-
namttaee 9 de outubro de 1865.
Serviudo de ollb-ial maior,
Manoel Jos l'into.
DE
PAQUETES \ VAPOR,
js portos do sul esperado
at o da li do corrente o vapor
Tocanlins, eommaodaote o pri-
meiro lente Pedro Hypolito
Duarte, o qual depois da demora
do costme seguir para os portos do norte.
Desdeja recehem se passairelrs e engaja-se a
carga que o vapor poder condazir. a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encom-1
mendas e dinbeiro a frete at o dia da sabida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriplorio de
Antonio [.uiz.de Olireira Azevedo & (',._________
C"oHt|)inhi:nl; Hcusigeries Im-
periales.
Al o dia 14 i
do corrente mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor
fraocez Navarre,
o qual depois da I
demora do cos-
tume seguir pa-!
ra Baha e Bio
de Janeiro.
Para condic.coe*, frele e na^sagens trata-se na
agencia ra do Trapiche n. ','.
Rio Grande do Sul.
Segu com brevidade a barca nacional frica-
na, recebe alguma carga a frete : trata s na ra
do Trapiche a. i.____________________________
COIPAIHIA, BRASILERA
ITE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o da 20 do corrente o vapor
Oyapork, o qual depois da demo- j
ra do costme seguir' para os
portos do sul.
Desde ja Fcebem-se passageiros e engaja-se a
carea que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada ; eocom-
mendas e dioheiro a frete at o da da sabida, s
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriplorio de
Antonio Luiz de ulivelra Azevedo & C.
Borseguins Bonleatix........
patricios.........
para senboras, en-
feitados.......
ip. .- com lago e fivella ..
torio ra da Cruz n. 38. voluntarios da patria. Sapates eocouracados.......
Os pretendentes poderao obter as chaves da A' RA DO CRESPO N". 23 E CASAS DO COSTCME Borse"Uns para meninas bom
mesma casa na lJa da ra do Crespo o. 21. O abaixoassignadovedeu uosseus muilofel- fila t cr>
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
deexirahir, a beuelicio da Santa Casa Je Misa-
<"' ricordia, os >eruintes premios:
DC UBI SIO eunt fa8a le ViVetnla O Dous quartos n. i:>SJ Bom a son de G:000.
ous quario< n. iX com a sorte de 1:2005.
Un meio n. 1796 com a serte d* OOSOOO.
E outras umitas .-.ortos de 100, i0. 204
10000.
Ospossuidores podem virreceber seus respec- Cuinelfies do I'orio
tivos premios sem os dttscoutos das leis na Casa
110 RSarinbo (eucruzi da Fortuna a ra do <;re.$po n. 23.
e i20i. Acham-ae a venda os da 3" parte da lotera
da
Leilfu
ni ras >
Rusaiinlio (chaos ttr
7
ano*.
elasteo
Sapatos de lona, sola elstica.
avelluilaJos.........
de tranca...........
econmicos para se-
nlioras...........
com salto de lustre..
Precisa se Miar a 1 Sr. Ephijrcni. da Silva a
negocio de seu inlen-sse; na ra da lmpratriz
numero 9.
Aos grealiarei.
Da ?e ns terrenos neceasartos a pierr quiz-r
ficar utn engenho para d^.-frarta-lo paisa *r>mw-
que se convencionar, no lagar denominado Balsa-
mo, cujas Ierras -ao de u::>a prodorr5'i prodigi^-a:
e fiea distante meia iegu, p r um ld la vi nia
de Piroenteiras, por ootro, da potando de (apriei-
..... ras o cerra de legua emeu 0aspnv>-acSesa.
>>>< U Benedicto e Paaellas on Terra-lfasa : i idos n<
5t#8( U referidospovoados ha finias regalares < em dirTe-
54>OCO rentes dia- da semana, onde se acfcaai braa recur-
sos e se enconlram mprcatio* para a Nvotmi Vufii l"'''-''s ''" negocio?, alen da grande n-i. de Trom-
ofW. u etas, estacan terminal da va frrea, da nal o t*r-
2(9000 reno mencienado dista de seis a ato lempas pela
1 (iO 1 estrada real, cujas margeos et5o guarnecidas de
i m'>rad"ri's e fazenlas ruraes, ojw loroam o transi-
lolnfaniamente agradavet.
Ou.-ni quizer lucrar de urna planta de raaoa.
cinco e mals folhas, podar contratar i -le negocio
na na plr<>iia do Rosario n. 38
500
20240
i'Vi-U
0 secretario da insandaiJe ile
vender em leilo o sitio
Ihada de Bilm) com 470 pairnis de frente e 1200 Acliain-se a venda os ida 3* parte
ditas de fondo, nanitas fructeira-, coqueiros etc.,i(35\) beneficio das familias dos voluntarios
lendo baiza para .su plantar c.apim, e a casa do patria, que se-estrabir ajl8 do crrante.
vivenda tem 2 salas, 2 i|uartos e costaba fura. E,
pertencente o referido sino a vinva do linado Ma-'
noel Alejandrino de Mell 1 e Albu merque. Sera
elTectuado o leilao sabbado li do corrente s 11
horas, 00 gran le arinazem d 1 referido agente. para
30 -Rna da Catlcia do asedie3(5
PltlQO.
Kildetes .].," r.oiidii
Meios. ; 3O00
Quintos. 1^200
as pe.s.soas que cquiprarem del0000
para o tu a,
me ne [V*saa
Um completo sortimeoto de calcado da Senhora do Ten;o convida a toeVn os ir-
terra para homens. senhoras e meninas; uos da mesma para reiiuiao de imn fa>
assim comoezerro franeez, couro de lus- ral domingo 15, 'tas II h<>rs I manhii
tre, marroijuins, taixas de todas as ijitali- pura se eleger a nova mesi que lem d'v
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas, funecionar nofuliiroat.no de 1866.
sola e couros que ludo visto necessariamen-1 Alagare ama casa com;; ,,oart.,s b qnin-
te faz cobica ao comp ador pela baratera. tal e cacimba, pintada de m.vo no rorretof da M
LEILAO
De pianos de mesa, apparadores, ricos sanctuarios
de Jacaranda, relogios de ouro e prata, instru-
mentos para msica, avul-os, muilos ohjectos
de ouro e prata, como cadelas de relogios, tran-
cehns para os ditos, um realejo com 40 pecas
de msica, sahonetes, diversas obras de laby-
riotho, mabilias completas, cadeiras avulsas e
outros muilos arligos.
Sexla-feira 13 do crtente.
NO GRANDE AltMAZI-VI DE LEILES
l) AGENTE
OLYMPIO*
36Hua da Cadeia so itecil'e -3G
Bilhetes.
Meios. .
(Juintos.
Ma.noei
uflrece-se um mogo 1
do Porte n. 30.
d35'00
2#750
15100
, Martn s Piuza.
ara cozinheiro: na rna
> ni i i bus.
No dia li do corente pr
mnibus de Claudio Dube ix a traba
reiras de Apipucos, Cachan
principiar
domingo.
po n. 13: a tralar na ra das Crnzes n- 2. Junto a
lytographia.
A Pre vidente.
tendo a quantia de (105 : qnem o tiver achado e SoCCudC (le SCUUFOS '.!)' l\\< sobre O
quizer levar a;rua do Crespo n. 19, sera geueros;- .'...-
mente gratiPicado.
Atten^o.
Perdeu-se hontem 2 de outubro, do aterro da
Boa-Vista at a ra do Crespo, um ombrulho con-
ncipiam nnvamente os :
ar as car-
ga e Oiinda, em vez de .
DO (lia 15 com se annunciou, por ser
No dito dia 14 siliem de tarde os mes-

m&i :ifc?3 m& &.
MARTIMOS
> ida, fundada e admiuistruia pela
lianc Alllanca n Poito ; .iraalia
4,00,0O,0W rs.
Esta muito til u moralisadora iasliluico c> n-
ta em lVrnambuco ua segaialea
I SfBSCniPTollES.
E
mos mnibus para Apinujcos, e no domingo tor-
nam a subir as li 1|2 horas da manhaa nao s
para aquel le lugar, como [para o Caebangi, pre
man.'cendo estas horas eni todos os dias santifica-,
aos ate secunda deliberaefo. Nos dias uteis Reara A OmpailQia IlKenmiSadOra
em
ent
Arrematacao
Sexu-feira 13 do corrente, na sala das audien-
cia, pranlo o lilm. Sr. Dr. juiz de orphos, se
vender' em ultima praca o sobrado de tres anda-
res e sotao, sito :ia ra do Amorim n. 25, avaha-
do n 5:0005, conforme o escriplo em mao do
I 1 iro. ____________________________
ufo da 20 do corrente-, na sala das publicas
audiencias, linda a do Dr. juiz de orphaos e ausen-
sta eidade e *m termo, ira' a praca pela ul-
tima ver com o valor de 10:84i5S89, e por execu-
co -la viuva e berdelros do lina Jo teoente-coronel
; ; .r lo Antonio de Miranda, contra o bacharal
Francisco Gomes Vellozo de Albuliuerque Lins e
sua inufher, o qne pussuem estes no sitio de trras
pr irlas de grandes eiteneo, na estrada dos Affli-
regaesia da Boa-Vista, e cujos lemites, obras
a beatfeitorias, eonsto do escriplo em mao do poj-
teira daqnelle joiso.
Amaro Antonio de Farias.
De ordem do llbn. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se faz publico que
fica transferida para o da 14 do corrente mez a
arrematacao dos me licamenlos, drogas e utencilios
i enuncio hospital militar.
Secretaria da Ihesooraria de fazenda de Pernam-
boco II de outunro de 1865.Servindo de ofllcial-
znaior, Manoel J)s Pinto. __________________
_ Pt]Fsuble:egacia do Peres foi mandado re-
colher a casa de detengo a preta crioula que re-,
presenta a idade de 40 annos, por suspeita de ser
eserava e andar fgida, que diz chamar-se Fausti-
na. sendo interroijala declarou ser forra por sua
saai ra I). Harta, nava de ura Sr. Miranda que
morreu em Lisboa, e que era parante dos Srs. Jos I
Fem, do eagenhoGaipio, e Theotonio Vieira, do;
engenho tinga : quem tiver direito a mesma,
compareea, que provando seu dominio Ihe sera
eatragae.
subdelegada do Peres 11 de outubro de 1865.
O subdelegado
Alexandrino Marlins Correia Barros
No dia sexia-feira, 13 do corrente, fluda a
audiencia do Dr. juiz de orphaos, vai a pra^a de
venda ura eocrava de meia idade e doenle, pelo
mai .ir preco que acbar.
Tribunal do commercio
Pela secretarla do tribunal do commercio de
Pernamiiuc.3 se faz publico que nesla dala foi ios-
erigaa 110 competente livro o registro da escuna
c Saibor da Conceicao, de 161 toneladas, pro-
prtedade de. Manoel Marques de Amorim, e da qual;
me&tre Lauriann Jacinlho de Carvalho.
Secretaria do (ribuual do commercio de Pernam-
Lucu 10 de dezcinbro de 1865.
O oCQcial-maior,
Julio Guimaraes.
' re ordem v lllm. Sr. inspector da thesoura
ria de fazenda desta provincia, se taz publico a
qaein interessar possa, que no dia 16 do corrente
mez comecaraa na referida thesouraria os paga-
mentos las pensoes do monte pi dos servidores do
esu Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
bijci em 10 de outubro de 1865. -Servindo de offl-
cia-maior,
Manoel Jos Pinto.
Cc.ar
O hiate Dous Irmaos : a tratar com Tasso
Irmfks. ^^__^___
F.\ R A O
Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o palhabote
nacional Piedade, tem parte do seu carregamento
engajado : para o resto que Ihe falla e escravos a |
frete, para os quaes tem excedentes commodos,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1.
I'ara a Babia
segu com toda a brevidade o patacho nacional
D. Luiz ; para o resto da carga que Ihe falta tra-
ta-e com o seu consignatario Jos Maria Palmeira
no largo do Corpo Santo n. i.
Linha regular do Brasil
Espera-se obrigue franeez Trois
freres, que sabio do Havre no dia 6
de setembro ao frete de 25 f. e 10
0|o- Recebe carga para o Havre
,a fret-s baratos : a tratar com os
consignatarios Tissetreres.
Masuner le Jeune Pila lendo sido preveni-
dos por varios carregadores que haviam recelos
de se ver levantar os fretes aos antigos preces, no
caso de licarem sos encarregados deste servico,
como amigamente comprometlem-se por contrato
a nao tomar mais do que 35 f. e 10 0[0 d'aquelles
que se comproinetteruin de sua parte a carregar
toeas as suas mercadorlas nos seu- navios. 0 dito
contrato acha-se depositado em casa de Tisset fre-'
res que o apresenlaio aos ioleressados que pode-
rao Homar conhecimenlo delle e assigna-lo se as
condicgdes forera de sua conveniencia.
l na 11a 1 Ir de um 1 casi d campo.
OLVMI'IO
vender em leil 1 uina liarle de um sitio na Capun- j
ga que foi do uado Francisco Custodio de Sam- i
paio, avahada a dita parte en 4:825,5550 rs., e to-
do o sitio em 13:0005, tendo o mesmo boa casa de :
vivenda e sitio com bastantes plantaces, boi bai- ;
xa de capim, palreiral etc., etc.
\n ijr.ii'le anuaiem du agente referido.
Sabbado i 1 do corrente as 11 horas.
36Ruada Cadeia do Recite3
Leilao de predi* st
Sendo duas grandes elegantes casas terreas de
pedra e cal, bein editcadas e a moderna, sitas na
travessa da Ponte de Gehoa para Santa Auna a
margena do ameno rio Capibanbe, em chaos pro-
prios. A do lado do norte tero 2 portas e 3 janel-
las de frente, poriu ao lado com gradeamento de
ferro, janellas 110 oiiaoomle lem urna grande cal-
cada, 2 salas na frente e u:u\ atraz, 5 quarios, co-
sinha indepeudente, grande sotan com 2 quartos
e janellaspara o oitao, oelieira, estribara para 4
cavados e um quarto para escravos, arvoredos uo-
vos, baixa de capiui, a qual extrema com um bra-
co do Capibanbe. A do lado do sul tem 2 ponas
e 2 janellas na frente, sala e corredor independen-
te, sala airaz e um grande salo contiguo ao cor-
redor, soto, 4 quartos no inttnor da casa, cosi-
nha e dous quaitos em seguida, estribara para 2
cavallos, arvoredos, baixa de oapim, cacimba com
boa agua para beber, ambas as casas sao de ex-
cellente conslruccao, portas almofadadas e ptima
ferragem.
Urna mei-agua defronte do arsenal de mariuha
n. 2.
Um sobrado na ra da Assumpciio n. 44, de
dous andares e soto, chao proprio rende 60u&.
Quinta-feipa 19 do copente.
A porla da Associacao Commercial as 11 horas
do dia.
CONTRA FOGO.
. impanhia Indemnisai
vigor as horas do cLstume. Fiquera porm. subeleeida nesU praca .toma seguros martimos
' '. s"n"or,' i'4-ag"ros, une nao Ibes Sbre navios tS(,us carrogaiivnios e contra fogo em
per aullido levarem em oiia los mnibus os seus
I escravos sem que estojan calcados, devendo os
respectivos senhores pjg; r a comptenle passagem
naporpi>(ao de q alquer bulro passageiro.
logfl
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto
jio, ra do Vlgario n. pavimento terreo.
PEITORAL
Os arrematantes da massa fallida de Joaquim
Vieira Coelbo A C. previnem aos senhores devedo-
I res para que no praso de ;K) dias venham ou man-
: dem pagar o que esto devendo a' mesma massa,
! na ra da Cadeia do itecife n. 3, e que lindo o dito
praso, os i|ue nao pagaren, lera o de ver seus no-
I mes publicados pelo Diario, e se promover a ro-
branca judicialmente. Reeife '6 de uiiiubm
1865.
Albino Jos da Silva......'.....
Luiz Antonio Siqneira...........
Augusto Cesar >! A'^vedo Guedes
Amerieo Nones Correia..........
Antonio Alvesde. Mora s.........
Mano-I DoartH de Figueire lo.....
Mr.uoel Marlins de (Hiveira Aze-
vedo ........................
M. T. Basto...................
Antonio da Silva Pontea Guima-
raea...........................
Manuel Gomes da Cruz..........
Antonio Lourenco Teixeira Mar-
ques........................
Bernardo Jos de Oliveira Machado
Jos de Sa l.-iiao Jnior ........
Domingos de Sa' Pereira Jon'or..
Vicente Per reir C-iimbra........
Jos Joaquim Alves.............
Jos lvmande- Luna. .. ........
Jos Joaquim Leilao............
Jos Antonio I 11 Itaslos.....
'''' Joaquim Lnia Pe reir Leal......
Silviao Guilnerui- rt llarros.....
Alfredo II nrique Garca.........
Aulonio Valeulimdi Silva Uarroea
fi DEPOSITO DE CALCADO a Br!?TCJ,fBi*,,fc "
m FAKli: 11)0MCASA DE DETI'NCAO M vt?X^^Ott^n.'.iy.'.'.
m
se KEMP.
que d o nome es-
ra el remedio, urna
a por muito tempo se
i fiara a cora das n-
on aiioi^il:w Pro l.im-
a anacaliiiila mexicana
pecial este ncompara
arvore, cuja madeiva
ha usado no Tampico
fermidades cima meiiLionadas. Foi lam-
bem ensaiada e apprc vada pela academia i
medica de Berlim 0 leitoral deKemp'
um xatope delicioso itileiramenle livre de
opio, acido hydrocyani o e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo & C. e em
mritos pharmaceulicos c
Rna \iva B, 61.
Ahi se enconlraro obras de di-
versas qaalidades, e por preco moi
>' diminutos, a tetallio e em porpes.
W- S se vende a dinbeiro.
mm*m t m
Precisa-se de urna ama para
no de urna casa de tres pes'soas :
picio n. 62.
Aluga^e o 2" andar do sobrado da ra do
Rosario da Boa-Vista n. 53, muito fresco : a tratar
na ra das Cruzes, sobrado n. 9, Io andar.


0 servico inter-
na ra do Hn,-
ASIA
todos os estabeleci-
o imperio.
MISOS BIYEBSS.
Para o Maranhao,
O palhabote c Garibaldi raestre Custodio Jos
Vianoa : a tratar com Tasso Irmaos.
LOTERI/
AOS 6:000#000,1:2000000
e. 500^000.
Novo e encllente plano approvado.
Precisase aiugar urna ama para comprar e ro-
ziohar em urna casa de homens solteiros, prefere-
se eserava : a tralar na ra do Queitnado n 46,
loja de Guimaraes & Bastos.
Preeisa se de dous caixeiros com pratica de
taberna, de 10 a 14 annos : na ra larga do llosa-
rio n. 18.__________________________________
(estaou aiinualmente Precisa-se de urna ama pira todo o servico
1 ule familia, com bous de urna casa de pequea familia : no pateo do
reedificada de novo, a margem do rio Carino, esquina da ra de Hurtas, armazem u. 2.
na Ponte de L'ehV Junto a padaria : a Precisa.se deliTcriada para o servico in-
11. ii, luja. (erD0 fl exiern0 ,\e oma casa eslrangeira de pouca
Precisa-se de um meiiin* portuguei para cai- familia, preferindo se queseja eslrangeira : na ra
xeiro de loja de quiuquiiharias : na ra do Rangel Nova n. 23, loja. ______________
numero 17._______________j______________________ A pesf0.x (|ll quer 3;0005 cora hypotheca em
Precisa-se de urna ama tle leile; na ra da predios nesla eidade, annuncie ou va ra da Con-
l'alma n. il. taberna. [
Preeisa se de ura fomeirio ; na ra Direita
n.G9.
Aluga se para passar a
urna excedente casa para gra
commodos.
Capibanbe
tralar na rna da Cadeia do 1\<<'.
ceicao n. 22, as 9 horas da manhaa, que l se dir
quem d.
LE IL OES.
LEILAO
Xa ra do Livramenlon. 19, lia para aiugar
BtLHETES A' 5^000, 'MEIOS "A' 20500 E urna encllente eserava para olservico interno de
QUINTOS A' 1^000. uma C8*a ,,or 2* mensays-
1 OITerece se uma senhora honesta para encar-
regar-se da criagi de um menino ou menina que
esteja as circunstancias de precisar dos disveilos
de uma mil, Inda tnesmo tendo a crianca al a
idade de 12 mezes, abantando a mesma senhora o
JUm aa i .ramio na ra no tipa Ihaenii ------------------------------------l----------------- Idade de 12 meZes, aiHncanuO a mesilla seunoi a u
ACam-se a venda na tespeaiva Uesou- Antonio Luiz Pernandes Guimaraes, subdito bom traiamento e cuidado sobre o que deve velar :
man o .. a o 1 \ PhAAMA ti 1 r\a t,lii.,t.i __.^._______ .:_^ ^ _~_^. ^ r_i_-l.
De uma luja de charutos uo pateo do
Terco n. 2.
Marlins fara' leilaa da armacao e pertences da
loja de charutos do pateo do Terco n. 2.
As II horas do dia.
LLILiO
Movis e outros artigos de gosto.
Cordelro lines
por cuita e risco de quem perleucer far leilao de
uma mobilia de Jacaranda usada, 1 guarda roupa
de dilo, 1 guarda louga, 1 mesa grande de louro,
cadeiras, commodas, camas, marquezas, 1 rico ap-
parador de inogoo, canoieires e outros arligos.
IIO JE.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
LEILAO
De um cabriolet de i rodas muito maueiro
e em bom estado com todos os pertences
e tambero, um cavallo preto proprio para
carro,
Cordelro Simoes
far leilao do cabriolet a cavallo cima menciona-
do, isio
HOJE AS II HORAS.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
TIIE i'rito
Leilao
Da casa terrea da ra da Ponte Yelha
numero 23.
HOJE
Hor intervenco do agente Pinto, ra da Cruz
n. 38.
LEILAO
EMPREZA--COIMBRA
lilm o espectculo em despe-
dida pelo actor lindes.
HOJE
Quiut-feira 12 de outubro;
de 1865.
Beoresenlar se-ha pela ultima vez o muito ap- j
plaudido e aparatoso drama martimo em qnalro
actos, ornado de msica >
De dous escravos, obras de ouro. Mr-
raaco, ferragens, pentes de tartaru-
ga de todas as qualidades, roupa
is ula e movis.
espolio de Haaoel los Soares
Ciulmaries.
Marlins far leilao por ordem do Ulm. Sr. Dr.
Claudino de Araujo Guimaraes, cnsul de Portu-
gal, dos escravos, movis, roupa usada, armacao,
ferragens e fazendas existentes na loja de tartaru-
gueiro da ra das Triacbsiras n. 1, pertencentes
ao espolio do fallecido (subdito portugusz Manoel
Jos Soares Gnimariea.
raria ruado Crespo n. 15, os bilhetes, portuguez, rciira-se para a Bahia.
meios e quintos da 3a parte da lotera (35a)
a beneficio das familias dos voluntarios da
pairia, cuja extracto ser pelo pl.no abai-
xo publicado.
Os premios de 6:000#00O al 10500C
serao pagos uma hora depois da extraccao
0 a pessoa inleressada poder tratar na casa do pales
! de S. Pedro n. it.
Ra Xova us. 2O e 2'4.
O proprielario deste estabeleijimento avisa ao
respeitav, I publico que acaba de[ receber um ri-
quissimo sortimeoto de objectos ide gosto, como
at as i horas da tarde, e os outros depois sejanii ca(iacnos drt |a fle carneirb de liodissimas
da distribuijaodas listas. cores, laoto para sala como para Icobnr coosolos,
O andamento das rodas ser na quarta- riquissimos tapetes, e miiiios nutrbs artigos. Este boa conducta, cora habilidade, s se aluga para
frira IR fin r-nrrpnlp mP7 ( "' los apreciadores, onde enconlraro apar de melhor________________-----------------------------------
Precisase de una ama que saiba cosinhar
e engominar para casa de pouca familia : a tratar
na ra do Crespo n. 18. primeiro andar.
Quem precisar de uma ama para casa es-
trangeira, dirija-se ao paleo do Hospital n. 13 que
achara com quem tralar.
Aluga-se a loja do sobrado da ra das Flores
n. 3 : a tralar no sobrado do pateo de S. Pedro nu-
mero 1.______________________________
Alagase uma excellente eserava moca e de
dia tiver sabido para os portos do norte o traumeoto os mais commodos prefcns.
vapor brasileiro que se espera do sul do
contrario ser ella no dia immediato ao da
eahida.)
PLANO
Para as extraece*
DE
<%flDL_ft
Aluga-se um sobrado de um andar, loja e so-
tao. con commodos para familia, no pateo da Boa-
Vista ; quem o pretender annuncie.
Jos Joaquim da Cnuha Guimaraes, subdito
portuguez, retira se para Portugal a tralar de soa
saade, e delxa por seus procuradores, em Io lugar
Joao Baptista Telles, 2* Jos Luis perrelra da Cos-
ta, 3 Benio da Silva Rosas.
Precisa-se de uma ama que tetina
bastante e bom leite para amamentr uma
crianca : na livraria da praca da Indepen-
dencia n. 6 e8, se dir quem precisa.
Ama secca.
Na ruada Iraperatriz n. 13, segundo andar, pre-
cisa-se de uma ama que tenha acabado a criacu,
para cuidar de uma enanca, na qualidade de ama
secca.
Precisa-se aiugar uma ama que saiba cozi*
' nhai : na ra das Cruzes, em Sanio Antonio, n. 41,
segundo andar.
ApprOVadO pelO E*m. Si', presidente. ^TvTriano de Siqueira Cavalcanti faz publi-
4000 bilhetes a 3J000.............20:0005000! co pelo presente que ihe perteoce boje o escravo ma-se"bem,~e"por commodo preco.
Beneficio, sello e commissao 24 0[0.. 4:8005000 Caetano, cabra, estatura median., de idade 23 an--------------'-.^--------j u.,..- ,-
--------------I nos, nao obstante a tem aJguns cabellos brancos, ~ Joaquim Fernandes Viauna faz se ento ao
Liquido...... 15:2005000: nariz arrebiado e grande, pernas cambetas, ps respe.tavel publico e com epeciahdadeao corpo
Na ra de Santa Rila n. 68 lava-se e eogom
1 Premio de........ 6:0005000
1 Dito de.......... 1:2005000
1 Dito de.
1 Dilo de..
5 Ditos de
11 Ditos de
22 Ditos de
43 Ditos de
915 Ditos de
1000 Premios.
3000 Brancos.
1005000
405000
205000
104000
65000
3005000
2005000
500*000
4405000
4405000
43U50O0
5:4905000
--------------15:2005000
'. apalhe(ados, cora fallas de unhas b costas cicatri-
zadas de reino, o qual fugio do engenho Para fre-
guezia de lnojuca, do poder de Jo. Valenlira
Vieira de Mello, de qoem recebi em pagamento.
Reeife 9 de outubro de 1865.
do commercio que deixou de ser caixeiro de An-
tonio los dos Beis, por se achar doenle e ter de
relirai-se para o mato a tratar de sua saude, agra-
decendo ao mesmo senhor o bora tralamenio du-
rante o lempo que foi seu caixeiro.____________
Na ra da Cacimba o. 6,
mase com perfeicao.
lava-se e engom-
Precisa se de uma ama para layar eengomma*:
na ra do Trapiche n. 30, seguudo andar.
Precisa-se aiugar uma preta ou preto para
o servigo interno e externo de casa de familia :
em Pora de Porlas ra dos Guararapes n. 26.
4000 Bilhetes.
N. B. Os premios qae esto sugeitos a descont
sao, o de 5005000 ao de 3 por cento, e os de----- Na roa das Trincheiras n. 26, recebem-se
1:2003000 e 6:0005000 ao de 17 por cento, sendo escravos para vender em commissao, afflaogase
5 por cento da lei provincial e 12 tor cento da o bom traiamento e prompta venda,
geral.
Thesouraria das loteras 7 de outubro de 1863.
O thesoureiro,
Sala para aiugar.
Aluga-SA uma sala e dous quartos, bastante
Antonio Jos Rodrigties~'de Souza grande e multo propria para escriptorlo ou para
rt alguma senhora viuva : para se tralar na ra d;
- Perdeu-se na noite de 30 de setembro, do cl,;, a \ov7n 39 taberna da e nuiua
Caldeireiro at o theatro de Santa Isabel, uma pal- Seuiala
seira de ouro cora duas redomas penduradas :
quem a tiver achado e queira reslltoi-la, dirija-sii
ao escriptorio do Dr. Jos Bernardo Galvao Alcofo-
rado, que ser recompensado.
Ama.
Na rna de Santa Rita n. 25, Io andar, precisa se
de uma ama.
f
I I
r-#%\ #
Instituto Archeolojiic e (ieograpaieo Peraam-
haeaao.
Haver sessao ordinaria quinta-feira!2 du cr-
reme, as II horas da manhaa.
Urdem do dia.
Trabalhos e pareceres de commissSes.
Secretaria do Instituto 9 de outubro de 1863.
J. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Ama.
Precisa-se aiugar uma eserava ou forra, que
saiba coiinhar e comprar : na ra de S. Francis-
co ou Mundo Novo n. 54.
Jos Antonio da Gusta Va lente-----
Jnstino da Mola Silveira ........
Manoel Marques de Oliveira .....
Antonio P. i laude. Dnartc Aillo-ida
Joao Marn.s de Barros.........
Antonio Joaquim Fernaudes da
Silva........................
Cu>iodio Jo> Alvos Guimaraes.
Jos Concalves Villa Verde.
Alfredo Jos Aolunes Gnimari i.
Mainel da Caoba Guimaraes.....
Joaquim Cabral de Mello _.......
Jos de Azevedu Man e Silva.....
Bernardo Pereira do Vallo Porto..
Ignacio Pereira do Valle.........
Peli*berlo Ferreira de Oliveira...
Domingas Jos Ferreira Guimaraes
Manoel da Molla Machado.......
Manoel Joaquim da Rocha.......
Seranm de Sena Jorge.........
Mauoel Joaquim Fernandes......
Josepha Maria da Conceicao......
Luiz Pereira Lima...........
Antonio llenrique Rodrigues.....
Manoel Francisco dos Santos Maia
Manoel Joaipiim Ribeiro.........
Manoel da Silva Nogneira.......
Joao Licio Marqiiis.............
Francisco J >ao de Barros........
Joaquim Kudrigues Tavares de
Mello........................
Jos da Silva Loyo.............
Francisco Jos Alves Guimaraes
Caetaoo Cyrlaco da Cosa Moreira
Jos de Mello Costa Oliveira......
Manoel Muniz Tavores Cordeiro..
Antonio Joaquim de Vasconcellos.
Antonio Ji- Silva do Brasil......
Joao Jos Rodrigues alendes..
Luiz de Moraes Gomes Ferreira..
oiniugos Jos da Costa Anunm,.
Manoel Fernandes da Costa.......
Joao Carlos Coelho da Silva......
Manoel Ramos de Oiiveira.......
Manoel Jos Pereira Marinho-----
Manoel Ferreira Bartholo........
Manoel Francisco Marques.......
Gregorio Paes do Amaral......
Joaquim Jos Uoocalvea Beltrao
Joo da Silva Ferrei-a..........
Jos Joaquim da Silva...........
Antouio Jos Coiir.bra Gmawraea.
David Ferreira Biliar............
Antonio Jo^ dos Res...........
Joo Ribeiro Lopes...............
Joaquim Custodio deOiiveiraj.....
Jos Gomes de Freilas...........
Bernardino Gomes de Carvalno...
Antonio Baptista Negueira.......
Joo Francisco dos Sainos Juoier.
Francisco Ribeiro Pinto Guima-
raes .........................
Alfredo Prisco Barbosa..........
Manoel Soares Pinbeiro.........
Joao doCoulo Alves da Silva.....
Joaquim Mraieiro da Cruz.......
Antonio Jos Daolas............
Salusliano Fraachco Marlins.....
Antonio Pereira de Fana.........
Anlonio Luiz Ferreira Lima......
Manoel Jo- da Cunha Porto.....
Pelix Venancio de Cntalo-e.....
Manoel Alves da Silva Caldas-----
Joo Francisco Aniunes.........
Custodio Colaco Pereira Jnior.
Jos Gongalves Torres..........
Antonio Jos Paulo de Carv*ibo...
Joaquim Ferreira dos Sant)s
Coimhra Guimaraes..........
Justo Cesar de Almeida Jordao...
Jos dos Saotos Oliveira.........
Helar mi no do Reg tbrros.......
Manoel Ignacio Rodrigues Praca..
Joo Jos da Silva..............
Fortunato J. G. B-...............
Jos Correia de Meadouca Sobvi-
nho.........................
Emiliano Evangelista de Moraes..
Antonio Pedro de Souza Soares...
Manoel Jo? da Cosa Pereira.....
Joo Pereira Reg..............
R.MS.A.F.................
Custodio Francisco Marlins.......
Qr urnas.
i".
1 iiflitK"
-nm
um)
lOIH'V'IMI
1:2.u> D
iissnjiwo
t>:13O40OH
1:2301000
l:'N)Oj00U
:a)..ji(.- Lt'UOOU
2 ."hHWJOOO
3005000
l:2305M)
2:30i>Sain
I --''
;:.".
1:2"
.
I '
) '
I --'
\ .1, -
.-'
'Al
30H50I4I
1:231*4000
23*15000
i.i:,.y..
I:00050W
l:00i 150**0
I i: 11.51100
i u i-,ih
15WO
l:00*l|000
*>" '
1:2'-'"/i II
I O
. '
7 3
1:-'
l:2
1 :,..-.inio
ti: i-".'
Mfcft*
II):IH.
1 ; '". -11
1 1'
2:0005 111
i:2.">>5iaH)
1:2305MB
2:0m 4000
2:.">"
3 m 05000
3:730f*JH
!:7o"5"1"
4:0ii*'-5"")
1:231*5000
JOW
I:2."a5iiOO
I^Vi-inO"
2:3* *4Mt
:;::.V'S"O
i 00 5">00
i .lOd-Va
2.30*5000
s.oii5 o*
2.*IOl000
3 1 "*
I.IX--OOO
2:3U**;'-Jt>>
l:2V40ia
l:0005M
i.-io*a
l:0650t
75OJ0M
IOU50W
I 2SH50*
i-Mimooo
II m*-5ii)o
5:23*,
I:*
M
I:
ii*m>4a
2:3004000
l.umjwio
l:250i*M
|i):00050*X>
1:250500
I:
1:1
.-uOJNO
l:2~*JJino
l:2505*O
:JW05>0
OOOflM
73Of00O
272
0 inspector desla companhia participa ao*
amigos que se acha de pas.*agem aes'.a ridae.
aonde se demora al o prximo vapor Irww aa
i a Europa ; o qual se promptiliea a lar jsnM*t*ae
(esclarecimenios que Ihe sejam pe4i*'* **_*'
Amfti Iu companhia, como recebe qualquer itscaaaaaaa
, < nue teoba de ser remelliJe P'ra a me*iaa.
Precisa se de uma ama forra para comprar e i '. Ieu". ---------------1-------3
oozmhar para uma s pessoa : na travessa de S- { No berro da Liugueta a. 5, preaaa-ae
Pedro n. 2, das 6 as 9 horas da maobia, acharao | moleque de 14 a 18 annos, paga-ta Ma >*> Bel
com qnem tratar.
1 e capaz.


Diarlo 4f k'ernambaco Quiocu |e|M lt e ailtMb)PO de I*
LIQUIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA IXPOSIQaO DE LONDRES
s
60 Ra da Cadeia do Recife
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estrjbelecimento as principaes fabricas
Oe Par, Londres, Birmingham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, e teodo Comprado tudo as melhores c ondices
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricis objectos com brilhantes, como botoes, atinis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntoes, aunis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas?
TSailly, Regenier, P. Guelaad, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na
China e no JapSo; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
-ditos para gaze para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeites e adornos para cima de consolos e para grande toillette, o que se tem
'feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal Ano inglez para cha e caf, os trates em
nada sao inferiores prata, e reuitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho-
xas, excellentes luvasde pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, dkos para jantar, e immensos arti-
gos de porcelana fina doorada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wdlff & C, realejos modernos de Gaviol & C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras ern movimento; modei nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
theatros ou sales, ditos depbantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; stereocopios de nova in-
venco e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento de brinquedos finos para mancas, e
bonecas fallando papae e mame ; graude sortimento de candieros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
merecido toda a acertago na Europa, grande e magnifico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas finas coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras editas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cuidara fina, como talheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diversos artigos eitos de rame ; completo sortimento de
mascaras de veludo, setim, era, papelao e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros ; camas de ferro de todos
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartees de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quera faz po-del, bolinhos, etc.;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras Decas de charao para toillette; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illuminaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fuados; ameixas novas em caixinhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendera barato e muito barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 60.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
Para completa liquidaco vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E"g. Rimmel, R. Matheus & C Lubin, Sociedade Hygienica. Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafh.has e vidros de differen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da ExposicSo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PARA SE\IIOKA*.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
IilTVAS MOTIS DE JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Expsito de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGR4 PHIA.
No grande armazem da Exposicao de Londres, ra da Cadeia do Recife n, 60, ra da (mperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
CONSULTORIO BICO-CIRIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR. '
3 Ra da Gloria, casa do Funclo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
Horas da manho, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopaihica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteins
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12(3000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
El VliOS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dous grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering.........\ \ 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes........... \ 65000
Diccionario de termos de medicina..........\ 35000
Os remedios deste estmelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
unto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maior
energa c certeza em seus effeitos.
Casa de saade para escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qae podera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10300.
As operaces serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante. .
A NACI0NAL7
Companhia geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma Sanca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
ministraco da companhia.
uu
Aluga-se a casa d. 4 da roa c Priseise, -on 3
salas, 3 qaarios, cozioha fra, quintal e raciona ;
ajratar na ra Nova o. 3.
Precisa-se de officiaes~dT~riprrira : m la"
tonca da roa do Campello, so Peeifa, 4. .la
mesma ha sempre um grande sorlinean de cigar-
ros, tanto grossos como Gao, de boa
Por preco comroodo.
Precisase de 3:000$ a premio obre .
lbeca de predios nesta praca : qnen ti ter t
zer da-los annuncie.
Samuel Power Jthistti iCM
Ra da .-'enzala Nova n. 4.
AGINCIA DA
Fundido de Low Mnnr.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engento.
Taixas de ferro coado e batido para ent-
nho,
Arreios di- carro para um e doos cav
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para desearocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Ao publico.
Joo Paes de Almeida Lio, p-oprietario i
gento Caramillo, no logar do Gamella da
Grande, previne por meio do prsenle
que niDgnem faca transar rio alguma con i
ira da quaotia de 1:200* por elle aceita,
fot entregue aos Sjs. Block & rmo,
cuja letra proveniente da compra de sn par de
rosetas de ouro com brilhantes, que estes
senhores ltie vendern), visto cerno achan-seeoaa
defeilos os ditos brilhantes, e pessoas enteadMaa
dizein, que em virtude de taos d. feitos mi pode*
valer mais que 00,1.
Caektrrt.
Desapparereu de um sitio na Passagen da Mag-
dalena em frente a estrada do Itemedio, um ca-
chorrinho galgo, macho : roga-s a osera o Urer
visto ou segurado de o mandar m dito sitio os
na ra da Cadeia do liecife n. 21, que se grati-
ficara.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECgAO GERAL
Madrid : Ra do Prado u. io

VISTAS DE PERNAMBUCO.
Tiradas na occasiao em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convento do Carato.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d i Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na ebegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIAC.EM A' EUROPA.
Slereoscopios de nova invencSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposicao de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n. 54.
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacSes de superviencia dos segu-
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso mesmo por Borle dos
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzera as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que anda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
cues ecombiuando-o com a mortalidade da tabella de Depareeux que e adoptada pela companh--
para seus calculse liquidacoes, em segurados de idade de 3 ai9 anuos, umamporsicaoannua.
de IQOf produz em efTectivo metlico:
No lira de o anuos.......1:1191300
de 10........3:942*600
de 15........11:208*200
de 20........30:256*000
de 25 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatrz n.12,estabel
ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
DE
Deseja-se alogar nma esmva qoe salte eo-
zinhare comprar : quem a ti ver va a roa do Sol
numero 9.
Gandi Bubeux, proprieano da
mnibus, faz sciente ao publico que ao du I- de
outubro do correle aono bavera mnibus- para
Hospital Portuguez, de maoba e de larde, asstsa
como no dia 15 do mesmo roez eoaliasaa a- li-
nhas de mnibus para Apipoeos, Cacqaafa dia-
da, como era d'antes ; faz scie-iie aos seaaeres
assignantes que nao podem cont aoar aas suas as-
signaturas em quanto nao se poterea qBMes, e
nao sao mais admeltidos os billetes nos omaioos.
Atteiicao.
Chegaram a livrara encyclopedira de Jos Bar-
bosa de Mello, ra da Crnz n. 52, as ii|rtalu
obras do Dr. Cherooviz :
Formulario ou ovia neika,
que conlm a dcscripeo de lodts os iditaeMa-
tos, sexta edico, com 121 figuras no kilo -|ae re
presentara as plantas medicioaes; I votane de
820 paginas, enea de r nado, pree/: 6*.
Diccionario de edkiaa petalar
qae contcm a de.-cripcao das molestias e o sao) ira-
taraento, terceira edico, com 231 paginas; 3 vo-
lumes encaderuados, preco 20*.
Historia natiral
para os meninos e meninas, ou coavorafo da
um pai com seus lnos sobre moitos aaaoaaes
vegeues; 1 volume encadernado, coa l\ lora.
prego 4*000.
Sahio a luz em Paris, e vende-se aa saeaan Btra-
ria Iwrailias e sermes paraebiaes para todas ea
domingos do anuo por i. I. Roqueta, S votaasv,
encadernado, com o retrato do autor.
DE
J. VIGNES.
S. 5o. RA DO IMPERADOR M. 55.
Os pianos desta anlga fabrica sao hoje asss conheidos para qae seja necessario insistir sobre a
iaa superiondade, vantugens e garantas qae olTerecera aos compradores, qualidades ests incontesta-
veis que elles tem deUnitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoraraentos importan-
; tlssimos para o clima deste paiz; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars socio
' correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposeoes.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
Attenco.
Vende-se gaz da mel.ior qualidade a 50 ti.
garrafa : na ra Formosa n. 10.
Cal de VBSm
Na ra do Vgario n. 19, andar.
Attencu.

~ O Dr. Cosme de S Pereira conti-"
na a residir na ra da Cruz n. 53,
i4 e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
s5o medica, e com especialidade
sobre a seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhla, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c3o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
mmmmmmmmmmmmmm!
ESCRAVA.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
interno de casa de familig : na ra da Cadeia do
Recife n. 52. terceiro andar.
Aluga-se urna casa muito fresca com
sitio na estrada do Jacobina (Capunga No-
va,) tendo temeos e cntenos para flores
em cada um dos lados Ja casa, dous porloes
de ferro, banheiro, cocheira, estribara, ga-
linheiro e quartos fora, assim com commo-
didades, bastante fresca, tem cacimba com
soffrivel agua e o sitio todo murado : a
tratar na ra do Pilar em Fora de Portas,
pricoeiro sobrado a direita logo depois do i
arsenal de marinln, ou na ra da Cadeia!
Velha (Recife) escriptorio no primelro an-j
dar da casa n. 3. Para a casa ser vista pe- j
los f reten lentes acharao as chaves no sitio:
junto do Sr. Joao Baptista Vieira Ribeiro. i
Carlas para os senhores
Andr Avelino Ribeiro Lima.
Alexandrina Mara do Rosarlo (Olinda.)
Francisco Luizda Silva Costa.
Pedro Jos de Picho.
Theotonio Alves Ferreira.
Virissimo Ferreira Chaves Jnior, na companhia
Pernambucana no Forte do Manos o. 1.
CASA DE BANHOS.
Ruada Crnz o. 17.
A abaixo assignada, tem a honra de
participar ao publico que o seu estabele-
cimento cima mencionado, acha-se boje
funecionando muito regularmente, pr-
vido de todas as accommodacoes necessa-
rias e sobre tudo com alguma limpeza.
Os cartoes firmados por meas anteces-
sores Cedrm {f C. serao recebidos at o
meado do mez de outubro vindonro, os da
casa tero a firma da abaixo assignada,
! e serao como d'antes transmissiveis.
Tabella dos precos.
: 1 asslgnatura mensal com direito
a aro han lio diario a 320 rs... 9*600
i 1 dita de 30 cartoes transmissi-
velsa360rs................ 10*800
! 112 dita de 15 ditos a 400 rs.... 6*000
1 banho avu so, momo ou fri ou
de chovisco................. 500
| 1 dito aromatisado com agua flo-
rida........................ 1*000
Os medicnaes serao pelo preco qae se
convencionar:
O eslabelecimento estara' aberto nos
das ulels das 6 da manha as 10 da noite
e nos dias santificados at 2 horas da tar-
de, havendo chegada de vapor estara'
aberto por mais algum lempo.
Mathilde G. Lessa. '
l
m
..1
Casa de banhos
Largo do (armo n. 26.
Este estabelecimento to bem montado
na sua origem acbava-se de ha muito
em quasi completo abandono pelo pouco
interesse de sna idminiftrarao.
Hoje que o novo proprietario empre-
goo todos os meios para resiabeler a
grande utilidade deste estabelecimento,
pode assegurar ao publico que qualqaer
que seja o numero dos concorrentes
acbaro desde j promptdio e aceio nos
banhos trios, momos ou medicnaes, a
casa dos banho se achara aberta todos
dias das 6 horas da manha as 11 da
noite.
Precos.
Banho de choque....... 500
Dito fro ou morno..... 500
Dito de farelio......... 1*000
Dito medicintl ser se-
gundo sua qualidade.
Asslgnatura.
Por mez banho fri on morno. 10*
25 cartoes para banho fro, mor-
no ou de chovlsco..........10*
12 cartoes para os mesmos... 5*
12 ditos para banho de farello. 10*
ALCOHOLADO de GUACO
de N. PASCAL

O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacSo da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2" Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injeccOes, o melhor tratamento dos cormentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulberes.
4o Emm como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
relas de m natureza, chagas gangrenosas, darlros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Baochet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRJER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Casa de expedicSo, PASCAL e C", 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
Para quem precisar de banhos, offercese
: duas casas com commodos para familia, na ilha
do Retire, junto a ponte da Passagem : a tratar
-om L. M. R. Valeoca.
fii RA NOVA S 6
precisase de urna ama para servico de casa de
poura familia.
Precisa-se alugar urna escrava quesaiba co'
zinliar e comprar : quem tiver dirija-se a roa do
Sol n. 9.
jt O Dr. Carel do Francisco de Lima San-
>t tos contina a morar na ra do Impera-
* dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
g*| gabinete de consultas medicas, logo ao
>m entrar, no primeiro.
O mesmo dontor, qne se tem dado ao
estudo tanto das operagoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
m
mmmm mmmmmm ?mmi
GratiGcaco de 30$.
Aasentouse da basa n. 59 da ra do Imperador
(outr'ora Collegio) no sabbado 16 do crreme mez
de setembrode 1865, o escravo pardo denoroe Joa-
quim, com os signaes seguintes: estatura regalar,
idade 18 a 20 annos, sem barba, ps largos, olhos
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz grande
e bem vsivel na testa, parte dos dentes da frente
arruinados, e com falta de alguos dos lados, sabio
com calca de brim pardo e paleto! corto de panno,
mas Ievou mais roupa branca e de cor, muito
astucioso, costuma intitular-se forro e andar cal-
cado ; fvi escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvallio, genro do finado Sr. commendador
Manoel Goncalves da Silva : roga-se a sua captura
a toda.< as autoridades policiaes e a qualquer ca-
pito de campo ou outra pessoa particular que o
apprehender se gratificar com 50*, alm das des-
piezas de condueco, entregando-o a seu senhor
Miguel Jos Alves, na casa cima, ou no seu es-
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.
UVAS '
chegadas pelo vapor Amazonas, em muito bom
estado : na ra do Viganon.^19, primeiro andar..
No hotel italiano, roa do Trapiche a. 5, pre-
cisa-se de ama pessoa que saiba eogommar, e de
outra que saiba cozinhar benn______^^^
Notas do banco 4o Brasil e das caixas iiliaes'
dcicontam-se na travtssj. das Cruzes n. 6. i
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMAt!
SUFFOCQO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio efficaz para combattir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Ue6Coberta inleiramenle
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, na do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas u
boticas de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros A Barbosa.
10
m
Companhia Qdelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGF.NTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorlsados pea direc-
tora da companhia de segaros Fidelida-
de.tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sea escriptorio ra da
Cruz n. 1.
mmmmmmmmmm wmm
Aluga-se ama escrava que sabe eogommar
e coztobar com perfeicao; quem a pretender diri-
ja-se a loja de barbeiro, ra do Crespo n. 70, qae
achara1 com quem tratar.___________________
Precisase de um caixeiro com pralica de
taberna : ao pateo do Terco o| 141.
enco.
O abaixo assgnado faz publico que se Ihe de-
sencaminhou urna carteira do marroqoim, grande,
de 4 boleos, contendo diversos papis e letras, a-
vendo er-ire estas urna da quantia de 638*, aceita
ou endossada pelo sr. Tliomaz de Aquini Carva-
Iho, em tos de 1863 ou principio do 1864, cuja
letra foi devidamente paga em seu vencmeote, em
mezes do proprio aono do aceite ou endosse, fican*
do por isso o dito Sr. Thomaz livre de qualquer
rerponsabilidade sob a referida letra : a pessoa
qne tiver achado a dita carteira faz especial favor
manda-la entregar ao abaixo assgnado. na rna do
Qneimado n. 12, visto que a ninguem servem os
referidos papis e ietras. Recife 10 de outubro
de 185.
Jos Rodrigues da Silva Rocha. J
Pergunta-se, visto se desejar saber, qnal a
por qne a contraria de Santa Ri a proeara
a trasladaran para a matriz de Santo Aotooi, tm
imagem da Senhora da Piedad-*, perteaeeMe a'
mesma matriz, e que fui lemporah*aeate para a
igreja de SanU HiU Sera' porque)ulgian; tom
direito adquerido sobre a mesa ianfaai 1 5ia.
porque nao bouve dadiva da parta da transit*
do SS. Sacramento, e por isso elles ao toaVa al-
legar semelbaole direito. Para ooe
a contraria de Santa Rita a pcrs.stiri .
to, ao Exm. vigario capitular aaae-sa miervaaaa
no conflicto em que se acham ditas irmaaJade*,
arim de decidir, como for de jostiea, a ipeat aer-
tence dita imagem. Ao irmo jesuta, escrrva 4a
contraria de Santa Rila, pede-so seja ans rmn
cendente, e tenha um pouco do lgica, o vea aas
nesse negocio parece nao ter razio alguna, e aa
prova, se o Exm. vigario capitular atervior, wre-
mos dentro em breve tempo, e al qoe a irnaaaa-
de do Sacramento rica, e rot*......
Um parochiaoo de Saoto .Wim.
Fogio no dia 27 do pas-ado urna escrava e
nome Benedicta, com os signaos segaiates: alta,
cor fula, rosto compndo, o muito tino, teta torta,
beico muito preto que parece ser calor a> airatl,
nadegas empinadas, Irvou vest) de caita ruta
j velho, camisa de algodaoziaho. chales ae neri-
n amarello e um caneco de caregar ag aa ; ein
representa 45 annos, muito beba ruoa, aanw aor
esu cidade vendendo agua, o julgaso ella ler aa-
guido para as partes do sul, ao logar eoinoaa
borraxonde, tem filhos o foi de l : roga-se ao au-
toridades policiaes e capites de caneo a aaare-
heosao da dita escrava, o leva la ao Pasten Patu-
co, loja n. 5, que serao generosamente recoaaaoav
sados.
O abaixo assibnado declara pelo presea**
que tica de nenhum effeito o annuneio que t ta-
biiear por te jornal em 20 da j libo ao r-xreate
anno, dizendo que se procarava dar carador a tea
iranio Miguel Archanjo Seve. Recife 9 do deaeaa-
bro de 1865.Jos Harto Seve.
Aluga-se a loja do sobrado da raa Inaertol
n. 64 por preco muito razoavel, o con moi
commodos : a tratar no primeiro andar a i
mo sobrado.
Precisase de om Caixeiro de 12a 14aanw
com pralica de taberna, qoe seja portagon, e ene
d ador a sua conducta : a tratar aa m 4a Pa-
dre Fioriano n. 74.
GOHPlAt.
Compra-se efectivamente ouro o prata ea
obras velhas, pagando-se bem: na roa larga oe
Rosario n. 24, loja de ourives.
Sil vino Guilherme de Barros conpra e m-
de efectivamente escravos do ambos os sexoa :
roa do Imperador n. 79, terceiro anear.
Compra-se ouro, prata e podras preciosa*,
em obras velhas : na ra da Cadeia so Rerifr,
cja de ourives no arco da Coneei.;ao. ____
Na ra do Crespo o. 16, prineiro aasar-
coropram se libras sterlinas o moe sileiras.
Comprase papel diario para enbruiho, aa-
ga se bem : na padaria da roa da Imperatrz aav
mero 66.
Ouro e pratai.
Em obras velhas : compra-se na' praea da ta-
dependencio n. 22, loja de bi I beles.
Comprase
para ama encommenda ama escrava aren oa sar-
da, com habilidades, principalmente em imf e
engommado : na roa do Imperador n. 42. terceira
andar se dir.
Compra-se urna cadeirinba
qae esteja em bom uso : quem a river
ou dirija-se a livraria enryelopedk de J. E. de
Mello, na ra da Cruz n. 52, Recife.
- 9*200 por cada libra sterlio;
praca da Independencia n. 22.



Diarlo de feruaaabnca tuiuta fe ira i fe de Outabro de i 84*.
COBRE L40 E
CHUMBO
Compra-s cobre, lalo e chambo : no armazem
da bola amarella, no oilo da secretaria da polica.
Comprase carosso (sement) de algodo: no
armazem de algodo de Saunders Brotbers & C,
do caes de Apollo.
Atteiico.
Na ra do Crespo n. 8, esquina da ra do Im-
perador, comprase urna machina de costura em
bom estado.
VENDAS.
Na cocheira do Sr. major Quinteiro est pa-
ra vender-se um cabriole! de 4 rodas em muito
bom estado e maneiro, ahi dir-se-ha quero vende.
Abio
Recita extraordinaria.
pimas vi:i.i:i ii;<*
DO
DR. AYER.
Nao ha necessidade mais ge
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo tempo innocente, efficaz
e digno de toda a confianca.
As pilulas que ora offerece-
mos ao publico preenchem estas
condices; pois pdem ser to-
madas pelas pesscs mais iracas
sem petigo algum, nao tendo em
Grande ioja e armazem do
Pavao.
Ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Tendo 03 propietarios d'este estabelecimenlo de
liquidaren) urna grande porco de suas fazendas,
at ao flm do correte anno, afim de fecharen! ron-
las e apurar dinheiro, resolveram vender todas as
fazendas com grande abatimenio em precos; tanto
em porcao como a retalho, e por isso previnem a
todos os seus freguezes, e ao respeitavel publico, e
as pessoas que negociara em pequeua escalla com
fazendas, que neste estabelecimenlo encontraro
um grande sorlimento que muito Ihes nao de agra-
dar tanto em precos como em qualidad*; assim
como mandam pelos seus caixeiros levar as fazen-
das e amostras uas casas das familias que nao po-
derem vir a Ioja, ou do as amostras deixando fi-
car penhor.
laiubraias lisas a 3so00, na Ioja do
Pavo.
Vendem-se pe^as de cambraia lisa branca e
transparentes, tendo oito e meia vara cada pega,
pelo barato prego de 33500, ditas muito finas, por
45500,55, i-5 at 103, sendo tapadas e transpa-
rentes, assim como cortes de cambraia com salpi-
co a 25300 : isto s na Ioja e armazem do Pavao,
na ra da Imperatriz n. 60 de Gama Silva.
Casimiras escuras,
na Ioja do Pavo.
Vendem-se superiores casimiras escuras, mes-
ciada e entestada, lom seis palmos de largura, pro-
prias para caigas, paletots e coletcs, pelo barato
de 13600
AGUA BRANCA.
Colleiras de marroquim, com cascavcis
e sem elles.
Na ra do Queimado Ioja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou tem elles
proprias para caes e outros bicbinhos.
Pennas ioglezas de ac e douradas.
No novo sorlimento de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu bem acabados, e por essas boas e Do-
cenarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry 4 C, as recommendam aos
entendedores e apreciadores do bom, valen-
do mesmo a difl'erenca que ha no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na coniinuacao de escrever ;
assim pois quem deltas se quizerutilisar
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado Ioja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
prego de 13600 o covado, assim como corles da deserirm? cnia rnmmn.lwlailp rin nrprn pst
mesma fazenda para calcas a 23800, ditas garibal- ue-ennosj cuja commoidae ao preco esld
dinas muito ba fazenda a l$600: isto s na Ioja e,m relaeao a largura : acliam-se ellas aven-
o armazem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
nocivo a sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
efiietentes e activas para purificar os corpos |
mais robustos.
Estas pilulas explorara e purifican) toda
a extenso do canal alimenticio, e dao vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua aceo viciada c fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inesttmavel contra dr de
cabera nervosa, enxaqueca, priso do ven-
Ire, hemorrhoidas, molestias do figadot fe-
bre gaslro-hepatica, e todas as molestas,
biliosas que leem sua origem no entorpeci-
mento do figado que causa a escassez da
bilis na inflammacae d'este orgo que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos orgaos diges-
tivos.
A ictericia
produzida pela absorpeo da bilis no
sangue, dando amarellenta ; nao smente dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de 1 o pilulas to-
das as manhaas, isto bastante para mover-
dana ra do Queimado Ioja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia mi curioso entreteni-
mento.
Na ra do Queimado Ioja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
quedas diversas pinturas deltas se formara
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
barato prego de 123000: isto na ioja e armazem | desenhos que acompanham. Na verdade
do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Gama &| AS(!A nm talaitamdi nvot0nm0ntn com o
Chales pretos a 104(000.
S o Pavo.
Vendem-se chales pretos de renda muito gran-
des de qualro ponas, pelo baratissimo prego de
6u m.Cv.u., -. ... ~ 1103 cada um, ditos brancos de tres ponas a 6-3:
sua eomposicao mercurio nenv na Ioja e armazem do Pavao, na ra da Impera-
outro ingrediente nocivo sau- trizn- 60 de Gama & Silva.
Betondes a 125O0O.
Vendem-se ricos retondes de renda preta, pelo
Silva.
esse um deleitavel en'retenimento
Cortes de phantasia a 35500. I"31 se desPe la a curiosidade, e apura a in-
Vendemse os mais lindos cortes de pbantasia: telligencia. Os apreciadores dirijam-se
com as mais lindas cores que tem vindo ao merca- ra do Queimado, a dita Ioja da Aguia bran-
do, sends fazenda transparente que serve al para ca n. 8, que sero salisfeitos.
bailes, pelo barato prego de !3OO, ditos brancos nm;i <;.. ._ ._i____
fazenda muito fina a 4-3000 : isto na I-ja e arma- i OnitOS entClteS para SenllOraS,
zem do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60 de Ga-1 A Aguia Branca acaba de receber un no-
ma 4 Silva. ivo e lindo sortimenlo de enteites os mais
i ercales do pavao. modernos e gostos inteiramente agradaveis,
Vendem-se as mais Guas percales com os mais ; e como seu louvavel COStume OS est ven-
ffSS^S^TJSSTMZ f ** Gratamente a quera cora dinheiro se
armazem do pavo, na ra da Imperatriz n. GO, de
Gama & silva.
Carabraias de forro.
Na Ioja do pavo.
Vendem-se pegas de cambraias de forro muito
boas, pelo barato prego de 23 e 23300 a pega :
islo s na Ioja e armazem do pavao, na ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
. Goslumes para homens.
A 130000, na Ioja do pavo.
Vendem-se superiores costnmes de casimira ga-
ribaldina, sendo caiga, paletot e colete, pelo barato
prego de 133, ou vendem-se separado, sendo caiga
da mesma fazenda por 43, paletot da dita a 63, co-
lele da mesma a 33, caigas de cassineta fazenda
e
um grande sorlimento de caigas de casimira
\ 73 e 83 : isto
na ra da Imperatriz n.
o ventre smente at que se recupere a ac- de nma ? tr a **e paletots da mesma a
Cao sua do systema.
Mal do figado, jebre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigestao, a necralgia
ou tic doulcureux, sao todas molestias que
tera seu comeco n'um desarranjo da bilis,
A observaco dos ductos da biUs faz esta
vol er ao sangue, com que circula depois
dirigir ra do Queimado, Ioja da Aguia
Branca n. 8.
Heas de la para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, Ioja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com eomposicao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeilo efficaz : molha-se o papel e deixa se
ficar n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen! e morrem. Custa cada fo-
Iha 40 ris: na ra do Queimado, Ioja da
Aguia Branca n
pregos de 63, 73 e 8, o sTn'a Dorsos brinquedos e entretenimento
trosos saudc e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao -curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Rua Dirella 15
RIO DE JANEIRO
Vende-se em Pernambuco:
na
Ioja e armazem do pavao,
60, de Gama & Silva.
Calcas e paletots de casimira
vende o pavo.
Vendem-se superiores caigas de casimira de dille-
rentes cores, sendo fazenda muito fina pelo bara-
tsimo prego de 75, paletots saceos da mesma.
para enancas.
A Aguia Branca na rua "do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos de metal, louca pinta-
da e porcelana donrada para almoco e jan-
vem todo o corpo e causa estragos desas- sed olira muit0 bem' fcjta pelo b'ara,SSi',no pre?0' utr e muitos outros brinquedos de madeira.
Outfros objectos. |
Vindos tambem para a anliga Ioja de:
miudezas rua do Queimado n. 16.
Sapatinhos desetitn branco bordados pa-i
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
ito dos sapatinhos.
Outras mui tinas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
llaspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas Urdas grandes de ac,
douradas, madrcperola e tar-
taruga.
A Ioja de miudezas rua do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sorlimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
esto sendo vendidas em dita Ioja por pre-
ces commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoro achamalolado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra e de outras
qualidades, para quem soffre
da vista.
A'Ioja de miudezas rua do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de penetra
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armaco
de ac, sortidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga Ioja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposico dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita Ioja: na rua do
Queimado n. 16.
Esponjas Anas grandes e pe-
queas.
Vende-se na rua do Queimado, Ioja de
miudezas n. 16.
iitveisos obyectos.
A antiga Ioja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Fitas finas de sarja da mais estreita que
ha al a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja kvrada, de bonitos
e novos desenhos.
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.'
dem de gorguro de seda achamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
Liquida^ao no armazem da
Arara.
Arara vai
para a
O proprietario da Ioja e armr.z- ra a
lazer liimidago de todas as faz-nda>,
purar dlnneiroa saber :
Lencos de cassas brancos com bai ras i!e tr.
Vende-se lengos brancos com barras a- cores a
160 rs. cada um. dito de mais delicadas cores iOO
rs.e brancos a 200 e240rs.editos de lioho a 30O e
61)0 rs., de esguio a 700 is. um enco : isto pa-
ra a[cabar.
Breuiba en femada.
Vende-se a mais lina brelanha de linho e enfes-
lada a^a vara, >endo fazenda que sempre re
vendeu a J'i(.0 a vara.
Laazinlias a 2 ifl i s. o covado.
Vende se um grande sorlimento de ISazinhas a
220, e 2i0 rs. o cavado, para acabar : 'no ar-1 engommad
Vende-se urna ma'ita moga, de MtJa
anno?, ponro BSij tn :i .-:;. t, beaUa .- i
muilo prepria para o sertifo muito robn.-ia, e vende-se per ,r vj tm
tratar na tt das VI res n. 33
Vndese urna canoa propna .; t ^ir
are ia ou lijle, e urna iu iis eaflnlra: a :r.iar
com Autonio do R-ro M.d'iros c Dfr.Jt'.e U
riz cm Santo Amaro.
mazem da Arara, n. 56, Mmdrs (uimaraes.
Cambraias de cores.
Vende-se orna grande porgao de cambraias de
cores, das mais modernas que tem viudo, ao mer-
cado, e se vende a 300, 3i0, 360 e lOO rs. o cova-
do, sendo fazendas muito unas, s na Arara.
Cbilas francezas.
Vende-se chitas francezas a 260, 20, 300 e 320
rs., percalas a 360, t 400 rs. o covado, chitas para
cobertasa 240 rs, dita largas :120 rs.,o covado, di-
tas encarnadas da mascadas a 320 rs. o covado isto
para liquidar.
Caminis para forro.
Vende-se cambraia paia forro a 2# a pega, com
8 i|2 varas.
Cambraiis branca tinas.
Vende-se cambraia branca a 3. 3$oC0, -15000
455'00,35 e 55500, e sendo muita tina e tapada a
65, 65500 e 75 a pega.
Uazkbas lisas.
Vende-se laazinhas lisas senda bonitos pradrSes
a 500 rs. ditas a 400, e 440 is. o covado, s na Io-
ja Ioja uo Arara n. 56
Esyuo.
Vende-se essuiao de linho fino a !5?G0 a vara.
Gbambres para bonea.
Vende-se chambres para homem a 45 e 49300
cada um, colarinlios de linho para homem, que se
vende a 560 cada um.
Chales de merino a 2->G00.
Vende chales d merino a 25 cada um, ditos li-
sos. 45, estampados a.65 e 7J Men-Jes Guima-
res.
Colchas.
Vende-se colchas de fuslo a 55 uta- de damas-
co a 45, dita de chitas 25240, 25, cada una, isto
na Arara n. 57.
Algodo Para saceos e rotipa de cscravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escriftorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
Vende-se urna ca.-4 dr- t;i ni ru
Eoel dos Afogadof n. 13; a :i*\t M T
de Libaniti Caodidu Ribvira.
Vende-se um noleijue com M u de, e aluga-.-e outro para rriatf, 1. .
muito e.peiios : no Csrredof i* lli-y, u. I". .'a
ine.-ma casa atnga-te nma raer?* qu der na rua e .-eja lid.
Vendem-se 2 eacravas sendo aroa tn>qpM
eir e com mais kaMaMWta, i .mJ*-
neglinbas d-_- idades ll, 12, 13 e tiannt>,l ut$*
vo i|ue cosinia bem o diario, i dito par* ; U>
M-ivicu mesmo para sitie, dade M ar.u jot
2605 : na travesa do carrr.o n. I.
iNoviiades de apurado go?tc
de 105000 : islo s na Ioja e armazem do pavo,
n rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cllelos do pavo.
Vende-se om grande sorlimento de cohetes de
todas as qualidades, como de casimira de cor, di-
ta preta, de velludo, de raeia-casimira, de brira
Uu
que se vendem baratamente: na rua
Queimado, Ioja da Aguia Branca n. 8.
Metas [lelas de seda para senhoras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar cora a por-
branco e pardo, vendendo-se tudo isto porum pre-1 rs0 ^fi mpias nrplas <1p aytT nara nhnra co nue muito loes bao d aerear: h /, na mi td0 ae m\m pretas de seua para sennoras,
go que muito Ihes bao de agradar : isto s na Ioja
PHARMACIE FRAHCAISE
DERMAURER&C'f
RUA NOVA N^ia
m
e armazem do pavao, na rua da Imperatne
de Gama & Sirva.
Cortes grasad i nos.
60 e apesar do muito maior prego que lhe cus-
taram e o bom estado em que anda esto,
comtudo est resol vida a vende-las a 5C0
A 10(OOO, na Ioja do pavao. i ris o par, afim de que ninguem mais calce
Vendem-se-os mais ricos cortes granadinos, fa- [ meias prctasde algodo, agora pois apro-
zenda de moa phantasia que serve at para bai- veitarem a quadra e dirigirem-;e rua do
Queimado, 1oja da Aguia Branca n.8. Tam
bem vender as brancas a 10 o par, e des-
I las o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
PARA ACABAR.
Vendem-se as procuradas caisas para tabaco
pilas no Aracaty a 400 e 500 rs.: na rua da 'Ca-
flGian. 7, Ioja.
Esoravo para vender
Vende-se um e^cravo mogo e robusto, proprio
para qualquer^crvigo, com especialldade para o
do campo : a tratar na rua do 'Jueirnado n. 40,
Ioja de Gnimaraes & Bastos.
Vende-se por prego muito commodo ruma,
peqcena parte do engenho Conceigao, sito na o- NolOS fMWQ> meninas CL !2,50
marca de Porto Calvo, provincia fle Alagoas : a Vendem-se meias para meninas de todos os ta-
tratir na rua das Cruzes n. U, l' andar, das 10 manhos a 25500 rs. a duzia, ditas de seda prete
hom-damanhaa as 3 da tarde.______________ para senhoras a 800 rs. o par, dita inglezas para
TEftBENOS A' VENDA. homem a 55 a duzia, isto na Ioja do Pavo na rua
Vende-*e um terreoo proprio para editicacao, | da Imperatriz n. 60, deGama& Silva.
les por serem transparentes e com palma de seda e
tecidos com aseda, pelo karatissimo prego de I05
cada um : iso s na Ioja e armazem 4o pavo, na
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Percates cun mofo.
Ia Ioja do Pavo a 3G0 rs. Vende-se um sitio em Bemfica a margem do
Vendem-se as mais Gnas percales com lindissi-irio Capibsribe, co;n commodos para nma grande
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um .amilia, e com fructeiras : trata-se na rua Nova
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e ; o. '*> das d horas as 4 da tarde.
liquida-sepelo baratissimo prego de 360 rs. o co- i mT r> >-----------
vado : Islo s na Ioja do Pavao'rua da Imperatriz \|| l |J II / L II
n. 60, de Gama & Silva. [\\3 UlflA/jLfl
0 bramante do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho do melhor |
que tem vindo ao mercado cora 10 palmos de lar-
gura a 25600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lenges, toalhas e seroulas 640 e
700 rs. a vara : isto na Ioja do Pavao na rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
de fazendas baratas e Santos
Coho, rua do Queimado n.
19., vende o seguinte :
Lenges de panno de linho a 25200.
Ditos de bramante de linho de um s panno pelo
collocado no centro da cidade, cora 68 palmos de
frente e 218 de uuao, tendo tres frentes, para a
rua da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
magoes, na rua do Sol n. 37.
Luvas de Jouvin.
A Ioja de miudezas na rua do Queima-
do n. IG, resebeu-as por este ultimo vapor,
As cainisiiibas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15, fnissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para
menina a 640 rs., romeiras de fil cambraia
branca bordada a 15600 : na Ioja do Pavo, rua
da Imperatriz .a. 60, de Gama & Silva.
Fazendas brancas na ioja do Pavo
Vende-se nm grande sorlimento de madapoles,
chitas, algodocinhos das melhores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em outra
taratissimo prego de 35200.
Loberas de chita da india a 25400.
Pegas de cambraia de salpicos branca e de cor
-com 8 1(2 varas, pelo 'baratissimo prego de 45500.
Pegas de cambraia tdamascada com 20 varas,
propria para cortinado a 115.
Baloes de arcos a 35,35500 e 45.
Lengos de cambraia 'brancos pequeos, a duzia
25000.
Ditos ditos de dita Anos, a duzia 25300.
Bramante de linho flnoom 10 palmos de largu-
era, pelo baratissimo prego de 25400 a vara.
Atoalhado de linho a vara 25800.
Dito de algodo 25.
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pegas de uretanha de roli com 10 varas propria
para Fil de linho liso tino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a 15.
Cambraia de linho Fina, a v;na 45300,0,500,95-
Fliauella branca fina a 600 rs o covado.
Tarn ha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio rua da - Vende-se urna burra de ferro grande e da
tnelor qualidade que lia, garantida prova contra
ogo.e fraude, e que ser igual ou melhor a qual-1 qaalquer parle, eadoTdmheiro a vista"a Ioja do I **** de cores a **80 "
' Pavo, rua da Imperatriz n. 6, de Gama & Silva. C^tt8 de algodezinho de
Lanziuias da Escossia
a 360 rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas laazinhas da Escos-
sia, endo a fazenda mais moderna que tem vindo
quer burra que exista nesta provincia : ntende-se
co escriptorio rua do Trapiche n. 40, primeiro.
Vndese o deposito da rua Nova n. 58 em
viftude de um dos soeio* ler de sahir para fra do
imperio., a pedido de um irmo : a tratar no mes-
mo ou n&s cinco Ponas.
Vendem-se cinco terreno? contiguos a rua
da Cfitc e Saudade, e o sobrado da rua da Roda
n. 47, com iom rendimento annual : a tratar com
seu proprietario no Campo Verde n. 18 C.
lindos gostos, com 15
corados, pelo baratissimo prego de 55-
Madapolo fino largo a 95 8 i5 a pega.
Esielra da Indis de 4, o e 6 palmos de largura,
propria para forro de sala, por menos prego do que
em unir qualquer parte.
Id i de seda preta e de outras cores pa-
ra rti ijruar vestidos, colletes, palitos, etc.
idem de laa igualmente sortidas em cores
e para os mesmos fins.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques, vestidos pretos, etc.
Novas e lindas guarnieses para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botos para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos tamanhos.
Lonetos de dous vidros com aro de aro, bfalo
e tartaruga.
A Ioja de miudezas, rua do Queimado
Rival sem segundo
Rua do Queimado ns. 49 e 5o, Ioja de
miudezas de tres portas, est qnei-
nando ludo bom e barato, quem qui-
eer ver e admirar venhan Ioja do
fiigodinho.
Caicas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botes de louga p ratead os fazenda mo-
derna a 160 rs.
Buzias de penua de ago fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranga de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escevas flnissimas para impar dentes a 240 e
320 rs.
Pegas de fila de cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles franeeaes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, cora superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito unos para vollarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muilo lino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas eom agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 re.
Cairas com 12 frascos de eheiros muito finos a
15400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
ao mercado esle anno, por serem a' imitado das I S5J ?' "Ia
sedas scossezas, com as ans Hiela corg peto I so"'"*"' d "upa fena e por medida.
baratissimo prego de 360 rs. o covado : na toja e A.*5dao trangado da Baha
Neste armazem tambem se encontra nm grande Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
' la. > Agua denliOce superior qualidade a 800 rs.
io arraazem'de ^V"SS**J*13"*!2i "
FARELO
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
frascos com essencias para tirar noduas de roupa mero 7
aSOOrs.
de Lisboa o mais superior que ha 45300 e a 35000
o sacco : na rua larga do Rosario n. oO, taberna
da.esquina, defronle da igreja.
Asmelliores chitas francezas decores
escuras e fixas a 280 rs. o
covado!!
Xa rua do Queimado n. 1 vendem-se chitas fran-
eeras escuras e Tinas a 280 o covado.
Vinbo do Porto superior era caixa de duzia,
armazem do Pavo, rua da imperatriz n. 60, de' A. V. da Silva Barroca, rua da Cadeia n. 4.
Gama & Silva n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-
vendem-se !ZS1 de cor muito bem J^s e o^los de vidros com armaco fina de Frascoscoracheirosdelodosospregosi
enlejiados a S&, 65 e 75000 para acabar : na ioja I aco- bufal e tartaruga, e os est vendendo ] 2i0 e 3ao. loaos pres lw' 2W'
e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de I por precos razoaveis : OS pret 'ndentes diri- Frascos bonitos com eheiros finos a 500 rs.
Gama & Sva. jam-seacsta leja na rua do Queimado n. 16. .Duzia de meias muito finas para senhora a
O gallo cania e est
qaeimando.
Bom e baratissimo.
Rua do Crespo n. 9.
Collares.
Collares anodinos electro magnticas Boier para
as criangas nao morrerem de convul.-Oes pelo ba-
rato prego de 45.
Novidades.
Biqnissimas pulseiras ou braceletes para senho-
ra e para meninas a 15.25 e 35, assim cemo lin-
das voltas para pescoco a 35-
Enfeites.
Biquissimos enfeites para cabega cousa de mtfl-
to gosto a 15300, 25, 35, 45, 35, 65 e 75.
Fivelas.
Riquissimas Hvelas de madreperola e de tarta-
ruga, arsim como pretas.
Cruzes.
Riqu ssimas cruzes douradas porm o melhor
gosto que se podedesejar.
Cascarrilhas.
Bonitas cascarrilhas com biqtiinbos de seda e
aljfar cousa inteiramente nova .ara enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sorlimento de binculos com] superiores
vidros para os amantes do theatro.
Assim como uns pequininos
que serve para enfeite de relegio mais com excel-
ente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas cestinhas com preparos para me-
ninas de escola trazer no braco, asfitn como de
vidro enfeitadas proprias para mimo.
Pentes.
Ripuissimos pentes de borracha com aro bran-
co de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prego de 300 rs., e duzia ?JL as;im como
I grande sortimenlo de todas as qualidades para de-
sembaragar.
Escovas.
Grande sortimento de escovas para roupa e pa-
ra cabello, para unhas e para dentes.
Lunetas e oculos,
Finlssimos lunetos de um e dous excellentes vi-
dros e aro de bfalo e de tartaruga, assim coico
oculos com rame dos lados proprio para quem
soffre dos oculos.
Touquinhas.
Riquissimas touquinhas de fil de linho,| de se-
da e de laa para criangas.
Para o cabello.
A superior agua para a
barbas brancas e fazer conser
acompanha nm rotulo que ensina a forma| como
se deve applicar.
Para caspa.
Superior banha sem gordura com nm frasco
com agua propria para limpar a cabega, os frascos
acompanha um folheto que ensina o medo como
se deve applicar, assim como agua balsmica,
opiata e paz para limpar dentes.
Banhas.
Grande sortimento de banhas em copos, em la-
tas de folhae em frascos de lodos os tamanhos por
pregos menos do que em outra garte, assim como
doeadas e gosto propriwaeaie I. n. i
35 e 35300 e algunas para l, aexai
A nova Ioja de miud--za< roa da !-.
prvida de um completo .-orlmenlo de I
goslu prupr .mu ule para .-enhora, os mencionamos algos* ea mais rocarades r-
sejam : ricos sinlos para senhora a '.-Y a
para intoseud) esia taradas a i-y, .
Uis duuradas chapa larga a 35 ,
bnfalo imitando tartaruga a 5 a#Mt.
xt .
na mesma Ioja os mui !>rociir;i>to;, bru
ul a 15300,2530O, 35 3#0, dita
unitaudu proia> a 15, .', e ;.'.' O, pu ira
cenias cr avadas com pediinhaa a I"..-
mos portanto ?s Exmas. zahoras u i
de dar nos a .n ;\.. :, pois q 'i
servir a conteni tant< tu pi -1 .
para assim coinermjs manr camera de :. .
iito na pj.i de Uanoel Joaqoiui ia & ; -
Imp-r triz.
Carne do aertfto cm gir:, -.^
Vende-se de mnilo boa
Vigarit

a i
n. z. primcir.i an ii -. r.
Vende-se na rua da Cadeia do Re,: i
coinrriodc prego.
lor
lleirv FfhTI i.
na rua do Imperadoi u. 3, cu r.o e, i .- i'
n. 3, kn para vender o Miars!
Faru.ha de trigo das or.eibores mari-
no mercado.
Machinas mericanaa de 20. o, SO,
ras para descarogar algodo.
Motores (;ua o servido ;..- ; tehic -
qnaiqnor traba ho tendente a roda
Prensas :ra i ns r Jo.
Botas americanas para eatrioei.
Gaz do piimeira qualidade u.iimunicii!-!
pelo navio tJabo'.3o>.

,
Vendem-$e
:
ne
.! le;
machina? americanas de serrle para le
algodo : na rua da Senzaia .Nova n. 43.
Bibliolieci lusitana-
histrica, critica e chronologica, etmpr
a noccia dos autores poi.uguezts e das
compozeram, desde o lempo da prom
da graga al o lempo presente, or I v. .
BOSA MACHADO, 1741, i irossrs v .-
lio ; obra varissima, cuja etiigo ha ..
exgotada. indispensavel a ledj o i <:
do ou de proOssio scienlifka, de qo na
patria e as letras narionaes nao po.' i-! c
ser ignoradas : vende-se na livrari..
gueira de Souza no arco de Sanio Aiu i .
XfflBHCAC/
Vende se arroz erm casca, prego em n
dido em alqoeire a vonute do com i..:
no trapiche do Cunha : jara tratar l;. ;l .
gario n. 29.
n-
,,-
l 1
DE BIACIHE;
O imperial Instituto artstico acal
dous grandes qna!ros repn sentando
val de Riachuelo, e a passagem pela .
Mercedes, qnadros iinpi.rtentissimo?, qu
AL
' D|
. .: nti^ l)..-
la
O
'I'.iairo eseravos n;- r.-..
para o raatpo, i ,-' c
Brum n. 70. t Md ir.

Brasileiros devem possnir; assigna -.> ,,. .
dous quadro? a i 15 pagos na eccntiao da ..
tura, cojas listas s; acham no estabeleeiaiei. i.
J. Falque, rua do Graspo n. i, onde -.,...,
postos os exempiares des daos quadr.s.
Venem-.-e
defeito?, proprios
prego ; na rua do
Vende-se um taulatinbo de l -ir i-i<
de, sem vicios ne.n Mbaojaas ; no 1" .:. I
brado o. 7 da rua o'e Ap/lo.
Gaz de prmeira agalid
Vende-se no armazem da viova Paula Lopn t*-
cadinha da alfandega, por menos do ajoe era tura
qnalgner parle.______________________
Vendem-s-' 3 partes da casa da na f~.,
n------: a tratar na rua da Peoha n. '', ; r
andar.______________________________
Na Boa-Viagem.
Vende-se ou aluga se urna casa terrea no*: ti
ta a moderna, a brira da estrada real, te* '. -
las e porta no meio, dila no oito, i s.la-, I piar-
los, cosinba fora, copiar, cacimba com ?xee.iei.,
agua, alem de um terreno ao lado da cara, eont
grande fundo, sitio coa bons arvoredos n..vo. eu-
jos fructos a seu tempo secolhem rom ab'jmiau-
cia : sao convidados os pretndeme? ao pr--v>
exame : a tratar na rna da Cadeia -rmaiem n. 53.
Vendem-se ps de abio, fructa esta ja txm cr-
nhecida ne>U cidade, e a primeira do Para
Maranho : a tratar com o Pintinbo, na ro d.>
Palma n. 51.
Vende-se um lastro d 22 1|2 ftoefla&H d
carvo dep rua da Cruz n. 38.
Mii;.' M. .kii i ,c quartos, rozioha fon. e amurada com |
PST- l Vend >e urna casa terrea no Ingas isa .v
rombados, em Olinda, tro ala in quartos, rozioha 'ora, e amurada com Ierran bs-
tetl
qoeri pre-
tender dirija se ao referido legar p*r ver, roa
chave est em mo do Sr. Emidb Henhqa. Ma-
fra, e para tratar tm Fra de Portas, rua d > Pilar
numero 137-
Vende-se a taberna da rua do X en ;r.i i..
49 por seu dono nao puder continuar por falta i
sande, muito ba casa para nrgocio por estar bfir.
afreguezada e propria para quem tiver familia por
ter bons commodo* : qnem a pretender dirja-'e a
mesma para se tratar.
muitos outros hjecios que no?e pode mencionar
por hoje : s ce gallo vigilante rua do Crespo nu-
Grande bazar
Organdy medernissimo.
Chegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padres, sendo quasi todos Iletra-
dos, como se oum agora, com a mais lindas cores
a lisas; vendendo-se pelo barato prego de 900 rs.
a vara : na Ioja do Pavo, rua da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Chitas a 240 e 280 rs.
Vendem-se superiores chitas escuras a 240, 280,
CAMAS DE FERRO
Grande sorlimento de camas proprias para col-
legio e tambem para quem quizer passar a fesla:
veude-se na rua Nova n. 33.
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-; 320 e 40O rs. o covado. sendo todas de cores lixa;
do & C, no sea escriptorio rua da Cruz n. 1. ditas ioglezas, muilo boa fazenda a 200 rs. o cova-1
~ do
\ovidade.
Chegaram os bonitos chales e retondas de guipu-
re brancos, e vendem-se na rua da Imperatriz n.
32, Ioja da port? larga, de Paredes Porto.
S CAMBRAIA.
Cambraia de forro com 8 l|2 varas a pega a 25,
est-se acabando : na Ioja da porta larga da rua da
Impciatriz n. 52, de Paredes Porto.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na rua do Queimado n. 1 vendem-se superiores
las para vestidos a 210 rs. o covado ; a ellas, an-
tes que se acalem.
na Ioja e armazem do Pavo, rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
diales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000 cada um, havendo tambem um,
grande sortimento dos mesmos matizados que se
vtiidem a 65, 75 e 85000 : na Ioja e armazem do;
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama c\ Silva.!
0> sirios do pavo.
Vendem-se rlquissimos sinlos de fitas de diver-'
sas cores e dourados com (vela larga e dourada,!
assim como enfeites para cabega dos melhores e
mais modernos que tem vindo ao mercado ludo
isto se vende por um prego razoavel que muilo
Ihes ho de agradar : islo s na Ioja e armazem
VILLAR
Com Ioja rua do Crespo n. 17. tfi
Recebeu de Paris sedas em cortes mui- w
lo superiores e bellissimos padres, e 91
| chales de renda pretos para 105.
etste importante estabelecimenlo torna- S
se recommendavel ao bello sexo pela va- i
P| riedade de fazenda? superiores e bellos tt|
8 gostos
Proteja o bello si.xo ao Villar '
e vero todos a prosperidade.
mmmmmm m mmm-mun
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fita de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botSes pequeos pretos para calca a
100 rs. /
varas de cordlo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20P jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Uuzias de meias ernas muito fortes e superiores a
35500.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
1 Arcos, perla da igreja dos Remedios, o qual pro-
! prio para olaria por ler excellente barro, e as tr-
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Gongalvos Beltro, roa do Vigafio n. 17, es-
criptorio.
IHASSA E XAROPE
BERTH
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as De/luxos, a Grippa e todas as IrritafSes
do peito.
AVISO
FalsificagSes reprehensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da assa de Berth,
nos obrigo a recordar que esses productos
tao justamente
nomeados n3o se
entrego scno em
bocetas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. *', '""tai ImtttUm
Rua \ova ns. 90 e 29.
Carneiro Vianoa, proprietario deste importa*; -
estabelecimenlo, tem a satisfaga de seiealM ir
rospeitavel pub'ico, ajM acaba t.) ncutn
lisslmas anatas masmetieas, as s|HM fm a pr-
priedade de tornar tirine a mo que r >m ,'>** es-
crever : est porlauto saoad) o mai to min i
a' pessoas de idace avangada, ou ata<-ada a> ?
lesllas nervosas.
GAZ, GAZ, GAZ.
Gaz em latas, o melhor que tem vindo ao mer-
cado : vende se no armazem de Barros i Silva, | Charutos da Baha
de pavao na rua da Imperatriz n.',60, de Gama & travessa da Madre de Dos d. 57. a 15 a caixa; na rua da Moetla n. 43.
181, ru Saint-fonor, NA pharmacia DO
. luvre, e em todas as pharmacias.
Vendem-se no Recite em casa de Caors 4
Barboza e Joo da C. Bravo & C.
Vendem-se quatro burras muto nansas, boas
de carga e de sella, per prego commodo : a traur
no hotel de Franga.
Colla ta Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azev de A
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Algodo da Baha
Na Ioja de Andrade & Rogo, rna do f!rtsf i ,
esquina da rua ao Imperador, vende -e Mpstttf
algodo da Baha per menos preco do que ti.i .,u
Ira qualquer parte.
Vendo o sobrad n. 21 sito na rna S :
, Pedro Martyr em Olindn, e vmde-se tan
terreno r.od'e >>> acha edificada gran-Je pan
cidade o Rio Forrcoso, o qoal terrino se
da matriz al o irapicr.e: a tratar na rna da
n. 37.__________________________________________
0 castello de Grasville.
Traduzido dofiancex por A. J. G. da Cris.
Vende-se este bello roante em qu-tr
tomos pelo baratissimo preco de 3)
a pra^a da IiiilepenJencia. 'ivrar? ru.
6 e8.


Diarlo de Pernarabmco Quinta rlra 19 de Outubro de ISA*.


N. 11Ra do QueimadoN. 11
A loja de fazeodas de Augusto Fredorico dos Santos Porto, acaba de receber um mni-
to grande e novo sortimento de cortinados bordados para cama de noivos a 365, Wf, 455,
305000, 60,00 e 70*000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 15500 e 2*.
('achintz de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 45.
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 165, 203, 5 e 235.
ltotondes de guip, tambeni os mais modernos a 265-
Colcbas de seda de cfir para cama de noivos a 555 e G05.
Alcatifa de linho para salas, lazenda larga, bonita e de malta durarlo, a 600 ris o
covado. .
Tapetes grandes e pequeos, com ricos desenhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 75, 5, ^5 e 105-
Capas e soutembarques de seda preta para senhoras.
Ilouets, chapeos e chapellinas para senhoras, dos goslos mais moderncs.
Chapeos elegantes para senhoras, a 125-
iVcinhas de finissima bretanha de linho a 75500.
Lazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setira de Paris a 700 rs. o covado, e eam-
braiaa francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire anlique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdeaopole preto e de cores, esguines, silesias e cambraias ee linho, sortimento, de diver-
sas fazeodas para loto,chapeos de seda para homens a 95 e 105, chapeos deso de seda,
lindos manguitos bordados, e outras muilas fazendas que ?e vendem por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
> f^Sg**' se^ *&& \$Sr *%& '&&-' *&&
i

DAS COIiLUMUTAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de sedada cores o que tem vinJo a P-.-rnarnbuco de melor gosto
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RUI DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
*1
o
a
!^^^^
DE
AZEVEDO <* FLORES
Roa da Cfl'tefa do Kccifc, esqui.1* da IMre de Deas.
0 balo vende sempre por menos que em nutra qualijuer parte, qtiem julgar qae
isto nao 0 verdaile dar-se ao iraballio de vir apressar qaalqoer fazenda de que preri-e;
tarabem se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam esco'lier. D3o-se
amostras deixando penlior.
AOS HMH. DE EWCniO
Superiores algodoes americanos branco, azul e de listas par.i roupa de es
osemos.
COK"?ES DE SED?.
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
r3es nteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o ovado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pac do Ainaral t: C'ompanhla.

% ^ W m i*
ENCICLOPDICA
59 Rui da Imperariz arniizeni
da porta Sarga 59.
Jt'.zaio a padaria fradeeza de
Pare les Porto.
Veste estabeleciraento encontrar o respeitavel
ico um ariado sortimento de fazenda? france-
inglezas, suissas e aemes, que se vendeao
reg commodo.
Paredes Parlo
'. ,' ch il s de renda de cores que se vende-
" a is~ est vendando por 65, dito pretos, fa-
?.. w!.', nova, 35,64, 85 a 205, um sortimento com-
piti de manteletes, rapas e soutambarquos 14-5 a
.:' ". Ra >!n Imperatriz n 42, Junio a padarla frao-
.. armazem da p rt.i larga.
Parata Porto
Receben tim completo sortimento de ISasiohas a
-Sil rs. covado, para acabar, cambraias de
: 240 rs. o covado, riscado esrossez para rou-
I i nin fstao de linho a '20, 100 e .j'00 rs.
H la Imperatriz n. 52 junto a padaria franceza,
am va m da porta larga.
Paredes Parto
i ara cortinados para cania franceza a
!', : p ; i cambraia lisa fin a 35 4-5 at 105 a
: i, corte> de tarlatana de bonitos gostos a 35300
>, cambraia cwn flor de seda, gostos inleira-
mente i ivns a 00 e 300 rs. o covado, no armazem
i la larga n. 32, ra da Imperatriz junio a pa-
. ia franceza.
Paredes Part
i pelo ultimo pa jiiete um sortimento de
draspara "P'scojo. b.nitos caxineis
de liia para pesclo de senhora. Raa da imperatriz
:. -. armazem d > porta larga.
Paredes Porto
n cortes de gorgarao preto para vestido com
I is cala !!:i 33JOOO, grsJ-napl.; preto a
, 00 <-. 2!, o covado, laas lizas finas a iOO
cova i \ ir.i.- de ipiadrinho para vestido, nfas-
is n. a 320 rs. o covado. Rui da Imperatriz d. 32,
; i '!a porta larga.
Paredes Porto
i para vender por proco commodo, pegas do
le linho com 10 varas a 75, 85, panno de
para leneoes a 650 e 700 rs. a vara, braman-
'e de linho de 4 larguras a 25200 e 25300 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
gostos a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
. menino, ricos corles de cambraia Mara Pa a I
105 e 205, tarlatana branca e de cor a i'0 e 720
rs. a vara. Ra da Imperariz armazem da porta
larga n. 32.
Paredes Porto
Recebeu pelo all mi paquete francez ricas laas
granadinas com flores de seda a iOO e 30!) rs. o
covado. esli acaban-lo-se, cambraia preta para
uto. Porta larga unto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 32.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapolo a 15300, 35, 65 e
105, pecas de algodao por barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280, 320. 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, WO rs. o covado, chila ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Poito
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covad), ri.-caio francez fino a
320 rs. o covado. Rui da Imperatriz n. 32, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
R-'cebeu pelo ultimo paquete osparlilhos a pre-
guicoso por 3o, sao bous, lencos de seda para se-
nhora e homem a Ir, ricos cortes de cambraia
bordados de 18J a 7j, por ler um toque de mofo,
eslao se acaban i, na ra da Imperatriz n. 32, jun-
lo a padaria franc-za.______________________
COIares Roycr ou colares ano-
dinos
para facilitar a denlicao Jas enancas e preserva-
las das cjnvulsoes.
0 feliz resultado obtido immensas vezes pela
prodigiosa forja magntica dos colares Royer, nos
casos de convolsoes, e denticio das arancas, tem
altamente elevado o seu bein merecido prestigio,
e hojej se ple dizer que estao geralmente con-
eeituados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salobres
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
ho?, e de onlros porque colberam daqnelles tao
proficuo exemplo para ignalmenie preservar os
seos. Assim, pols, aagnifl branca, tendo em vis-
las a atilldade e prveit" desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandiu vir o novo sorti-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em t^mpoalgum a falta delles possa
ser funesta ao- pas de familia, os quaes icaro
certos de os achar constantemente na ra do Quei
mado, loja d'aguia branca n. 8.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidade a
{1$ a lata : nos armazensda ra do Im-
perador n.16 e roa do Trapiche Novon.8.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de ba^e de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-1
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem setente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pesoas do cetitroj que paramis facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reonir todos os seus estabeleoi-:
atentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-1
taos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geueros
por am preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, portn nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam^ern servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual aonunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca era nopsos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por ceuto na sua despeza diaria.
j!IA!>A1OM>B3S
JUATEItt*
Manteiga ingleza perfe tamente flor che-
gada ltimamente de l,oooa l.ioo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 80o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
lacha refinada superior a 6io rs. c em
barril ter abatimento.
CIIl
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem bysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo ern pon;o ter abatimen-'
to, tambem ha proprio prra negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de 1,80o a 2,ooo rs.
a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos mclhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,000 e 7,000 rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria c Aleope a u.ooo rs. a du-
zia e a 000 rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,000 rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem lia
mais bailo para 2oo rs. a garrafa e 1/toors.
a caada.
Azeie doce
Superior azeite doce de Lisboa a Ooo rs. a
garrafa e a 4,Goo rs. a caada.
Massas
! Macarro e taherim a 300 rs. a libra e a
Roupa feita
Ra da imperatriz 11. 52 armazem da porta lar-
unlo a padaria franceza, enconlra-se neste es-
tablecimento um completo sortimento de palets-
saccos e sobrcasacos, de todas as qualidades, cal-
r-i-. Golletes, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabeca, por
presos com modos, roupa para menino e outras
mnilas fazenda* por pregos com modos, armazem
-i:i parla larga.
Ni mesmo e lavel pablico, sempre um completo sortimento de
ruup^s fetas de todas as qualidades, como sejam |
pal, tos de alpaca prda e de cor, ditos sobrecasa- ;
c 1- a (r3 e o, ditos de brim par Jo a 25800, 3# e
34300, ditos linos a 4J, ditos meias cazemira a
;:V')'1. '15 e -i&, dito; cazemira saceos a 65, 75, 85
e 15. dii< s si.brecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
e 235, diPs de merio preto a 65, 75 e 105, cal-
;,- de brim de diversas qualidades a 15800 a 13,
ditos brancos a 25300 e 6500, ditos cazemira 55,
7, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, coleles de diversas
qnalidades, seronlas francezas de algodo, ditas de
linho, litas de bramante a 25 a 25300, carnizas de
algo lo n> linho fr.incozas de 25500 e 35- Gran-'
de pechincha neste genero, grvalas de todas as
qualidades e hrancis para casamento, grande sor-
lmenlo de meias para senhoras, ditas para homens
a 35. superiores a 35300 e 45-
L'm completo sortimento de chapeos de sol de
alpaca a 35, ditos de seda a 35, 75, 105 e-115,
ditos francezes para cab'53, grande sortimento
a 65.
Pechincha ailmiravel.
Grande sortimento de chambres a 45600 e 5$,
lencas de cambraia para homem a 25 a dozia, di-
tos <1e linho a 45 e 55-
Grande sottimento de roupa para meninos e ou-
tras muitas qualidades que seria enfadonho men-
o mvlas.
Fazendas.
Vndese superior merino feto proprio para ca-
pa^ de senhora e vestidos a 25. lustrim da China
a 15800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende emseu rstabelecimento tiras e entremeios
bordado*, rrande sortimento de corpinhos rica-
mente bordado a 35, 45 eT|L S o Paredes l'or-
to, ra da Imperariz no 52; porta larga junto a
padaria rranceza.
Pechincha
Vende-se riscadinho francez a 200 rs. o covado,
por ler grande quaotid^de, esta-se acabando : na
ra da Imperatriz n. 52, loja da porta'larga, de
Paredes Porto.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na raa do Queimado n. 63.
Tem recebido um sortimento de cruzes qne se
eslao usando, de diversos gostos ; s quem tem
o hiMja-flor.
Tendo recebido variados sortmenlos de voltas
de aljofares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
era qualquer outra parte.
Facas e garfo?.
Vende-se faccas e garf >s de cabos de bataneo de
um boio a 55200 a duzia, dilas de dous botes a
65*>00. dita para doce a 55lOO, dilas de cabo preto
a 35200, ditas de cabo branco, rolica e cravado a
35"00.
Tem recebido variados sortimento? de balaios
para meninos de escola, de forma de peixinhos,
patlnhos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bera se pode apreciar, e tambem serve para
o leilo do hospital portoguez ; laas para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
Eseovas para roupa.
Vende-sc escovas para ruupa muito Anas com
differenles gostos a 640 e 15, ditas pera denles a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e caixinhas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640r.. a cai
x inha.___________________
Sola.
Vende-se 450 meios le sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Queimado n. 53, lojo de ferra-
gena.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreios competentes de metal principe :
na Ponte Velha n. 8, por preco commodo.
Orea em barricas pequeas]
Cera em velas de todos os lamanhos.
Bogias.
Mernrio.
Xa ra do vigario n. 19, primeiro andar.
Biscoutos 15,000 rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- j Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. I Superiores passas a l,5oo o qnarto e
Bolaehlalias ''5,5oo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas com bolachinlns da acreditada fa-ra. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a I *^-m?-wwwb a
doentes de 2,ooo a 3,000 rs. a lata. | CaE^FEliK.m.
dem com quatro libras de bolachinha de Genebra de larai.ja veidadeira a Io,5oo a
, duia e i,000 rs. ao frasco.
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos clieg^dos no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- |a ums.
Genebra de llollanda verdadeira a 6,000
rs. a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de llollanda em botijas a 4oo rs. ca-
Supcrior madapolSo fraucez, fazenda especial para camisas e saias de senhoras ;
tambem ha inglez de todas as qualidades e precos.
BILOKS
Superiores baloes de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes para sotas,
Lindissimas grvalas e mantas para pescoco de homem.
Superiores camisas de meia e meias para homem o senhora.
Calcas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
Lindos cortes de laa com riquissimas barras a matiz, 05 mais modernos que ha no mercada
Camisas francezas e seroulas finsimas de bramante.
Superiores chitas largas, escuras e claras de todos os precos.
Superior cambraia branca transparente para Testidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novaf
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
lencias.
GRAND
HINCHA
ARMAZEM 3IJE FAZENDAS
RA DO QUE MADO N. 27
CUSTODIO CARVALHO C.
Pecas de madapolo fino francez com 22 c 1(2 varas e com um pequeo toque de
mofo a 8$00 cada peca.
Cambraia branca para forro a 1-5600 a peca.
Lencos de cambraia para homem e meninos a 1(5600 cada duzia.
Cambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 260 rs- o covado.
Laas de cores muito lindas a 300 rs. o covado.
lina do Queimado u. 3?, armazem de fazendas.
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra 6,000 rs. cadaum.
e portuguez a 800 rs. a libra, em poreio:
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.000,
3,5oo e 1,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
llollanda a 8,000 rs. o garrdfao. Tambem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
mm wmm mm *****
* Bichas de Hamburgo
jM todos os paqueles da Europa se r>>ceb
gj|g destas amigas do sangue humano e s
i*i vendem a troco de pouco lucro s aiii
' jSR de ler sempre cousa nova
ecebe
se
. adra
uc tci MTinjMu i/uu>*4 uvia a loja de bar-
beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.

PEXE
Pc-ixe em latas j preparado de 1,000 a
l,2oors. Xlpista e painco
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho 4
anceretas de 8e9caadas a 24,ooors. a an- m fl BrandSo e dfl Qatros' muitos, os
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
S.tBAO
Sabao maca de primeira qualidade de 18o
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e portuguezes a 1,00o e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frutas
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 0) is. a lata.
a 22o rs. a libra e de 16o a 2lo rs. sendo I Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caixao. 'lata.
Vende-se um bnm sitio na encruzlhada de
Belem, com grande casa e muitas fructeiras e com
jai-v.i de capim, o qual sempre est alugado e
:ende-se por pre;o commoao : na rna do Rangel
7, segundo andar.
Uvas pelo ultimo vapor.
JK Peras pelo ultimo vapor.
3P Maguas pelo ultimo vapor
3* Ameixas pelo ultimo vapor.
-^ Passas pelo ultimo vapor.
# Figos pelo ultimo vapor.
Fruttas seccas pelo ultimo vapor.
fFructas em calda pelo ultimo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
fr, Queijos lor.drinos pelo ultimo vapor.
3k Queijos llamengos frescos pelo ultimo vapor.
V Presunto fiambre pelo ulmo vapor.
As Tudo se vende barato nos segrales armazens:
.Sj Rna de Imperador n. 4LO, Verdadelr Principal.
tm Ra do Queimado n. 9, 1 'nlo e Commerelo.
V Largo do i armo u. O, Progressivo^
Vende-se
Bramante de linho fino e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodo de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piebe.__________________________
RIVAL
SEI SEGL\r^>
Ra do Queimado us. 49 e o4.
Contina a vender todas as mindezas que abaixo
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a i000.
Ditos de couro superior fazenda a IjloOO.
Frascos com superior linta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha Irosa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes, faienda fina a 600 rs.
Grozas de peonas deacn, fazeeda superior aoOOrs.
Grozas de bot5es madreperola linos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de Hnha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores brelas de cola a 40 e-80 rs.
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
I,i tus para assenlos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boloes para panho, fazenda rica a 120 rs.
Tesnuras para costuras superiores qualidades a
400 el.
Caixas de peonas de calligraphia, fazenda boa a
1JOOO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 1,5500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de roassa a 40 rs.
Hudinhas com alfinetes francezes muito superieres
a 20 rs.
Resmas de papel almaeo a 2J4O0 e 2800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15.
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para crianzas a 240 rs.
Polseiras para meninas a 320 rs.
Dilas e vollas para senhora a 500.
Frascos de Agna Florida vtrdadeira a !280.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 320 rs.
Caixas com lamparines para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14C rs.
Carlas de alfinetes francezes a 100 rs.
Quadernog de papel pequeo a 20 rs.
Gravatas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo doorado, a SO.
mm m 111111111
I Fumo da Baha para
charutos
Vndese fumo superior de todas as 5
I qualidades, a relalho e por atacado e por |
preco commodo : no hecife, ra da Ca-
H cimba n. 1.
11111111 lllJK&ll
Achato
venda na livraria acadmica, na rna do Impera-
dor na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typograpliia imparcial, na rna es
ireila do Rosario a compilaco de toda a legislacao
tendente a atjUttji Iye, arrecadacao e fiscali-
sai;ao dos drj^MRsde 6rphos defunios e aosen-
tes, heraa^as Jacentes, legados, ete^ con leudo nao
s o regiment de cusas e a le geral das neca-
coes, comolambem lodas asorden* e avisos do
overno. que a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigaroes inherentes ao cargo dos di derro-
tes empregados de justica e fazenda, como dosdi-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestndose a utilidade
de differenies classes, torna-se recommendaval.
Seu custo 105000 por cada exempiar em don*
omos.__________________________________
E' BARATISSIMO! I!
Grande qaidacao de fa/pnrtas e rtipa
feita oaeional, aa roa da Imperatriz
n. 72 loja de tiniinares i Iras*.
Os proprietarios deste eslabelecimeoto lem re-
sol vido liquidaren) suas faiendas por precos bara-
tissimos s com o lim de apurar dinneiro, aprovei-
lem as pechinchas.
Vende-se um grande sortimento de chitas fraa-
cezas largas a 260,280, 300 e 370 o covado ; ditas
percalias muilo finas a 360, 400, 440 e 500 rs. o
covado : isla s na loja de (iuiraares IrmSo,
na ra da Imperariz n. 72.
E' muito barato l
Cortes de laa | ara vestido de senhora a 3.
Cortes de lila a 3.
Cortes de 13a a 35.
Aos 3,000 covados de la,
Vende-se laazinhas de quadros e de lislriohasi*
lindsimos padrVs a 220, 240, 280e 320 rs. o co-
vado, vende se assim baralo por ter mmia porjo
e querer se acabar : isto s na loja de Goimaraes
& Irmao, rna da Imperatriz n. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merino estamrado a 25000
e 25500, ditos de merino liso a 35860, 45 e 55,
ditos finos a 65500, 75, 75500 e 85.
Grande sortimento de cor es de vestido de cam-
braia com barra, pelo baralo prego de 35, 35300
Ditos de chita a 25, 25500, 35 e 35500.
Vende-se pecas de madapolo com 24 jardas a
45300, 55, 65, 75, 85, 95 e 105
Dito francez com 12 jardas a 35900, 45, 45500
e 5500a
Vende-se nm grande sortimento de goilmtaa
para senhora e meninas pelo barato preco de 32S,
400 e 500 rs. cada urna : isto s na loja 4 Cal-
maraes & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Roupa feita
Roupa feita
Grande sortimento de roupa eita de todas as
qualidades, que se vende por precos baratissimos;
affianca-se que se vende por menos 20 por ceoto
do que > 111 outra qualqner parte.
Xa nova loja de fazendas de Gnimarie
Irmao.
Rna da imperatriz n. J*.
Vende-se no escriptor'10 de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filbo, largo do Corpo Saalo n. 19 :
Vinhosdo Porto muilo superiore em raixaa e
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Moscatel de Setubal da melhor marca, am caixas
de 1 dnzia.
Palme lia tinto de encllenle qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de cata.
4PWP
!_______
;r


litarlo de Periiftml>eo galtota Iclra lt de Ontnbro de -.**.
NOVO GERENTE
ki PUBLICO

LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
am *\ niDnn ni si mm mu
Sem o menor couslrau
glmento se entregar o
Importe do genero qne
oo agradar.
ATTENQ&Q
# prevo* da egulnti
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de pa-
se para o ajuste de contas
eom os portadores.
\eode-se uro escravo cnoolo, de 28 ar.nov
' boal cozinbeiro, copeiro e estnbeiio : na prac do
, commercio d. 2.
ESCHYS FU&JK&
AO
KESPEITAVEfi ITBII IC O.
A apreciaejo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande rma-
seos da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortmonto 'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangeiro''podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranza de que
neohum outro o exceder no restricto cumprimento das segu'mtes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posic5o social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. ete., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
moitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEG1NTES PRECOS S SE VENDE
A DLVHEIRO A VISTA:
j Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o are* da Conceieo)
PARA BEM DE TODOS,
DI V.U
-
para cima a
libra.
rs. a libra.
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a .
Amk.ndoas, casca molle, a 280 rs. a
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de lodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos da lodos n* tama
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Araos a 200 rs. o molho.
Absy.\tho a 2^000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a i #800 a lata, e
de cinco para cima a 1700.
dem de soda em latas grandes a 2,-SOOO e
de cinco para cima a i#800.
Biscoiros inglezes de todas as qualidades a
15200,15230 e15300.
Bolo francez era caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglozas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO
dem suisso a 15 a libra,
dem de musgo a 15500 a libra.
Chockicas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e era duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e deoulras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 25000,
252O0,25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35300, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasleros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
urna.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qnalidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
LATAS cora graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarrao e TALHARiMa 320 rs. a libra
Ma?a u. lu.uAi. a uuu rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
00 i rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miuio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
H
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15000, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
<*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MORINQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a liora.
Tomate era latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho se eco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico ri-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao algnma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Jalien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyniho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
Senhore' r- nhoras, o aceio que
ezacom que ser5o tratvH&Sj'WOviaa a urna
rra dos gneros que precisare.o e quando
pois serSo tao bem servidos como se viessem
tra paite.
Manteiga ingleza especialmente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij5o verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 2io rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.OUU t l,uu i, anua.
Espermacete superior a 6oo e64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de: pei-
xe a 8oo, 1 ,ooo e 1,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde senebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,ooo e H,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomatesde superior qualidade i 6 4o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
mo.
presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-
visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteceo e preferencia na com
nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco nratico*
pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacaa, afim de quenvoem
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a ooo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qnalidades:
Exposico Normal de H;.vana, Jmpeiiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das mellores marcas, a Fooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs. -
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muifo novo a 32o rs. a
libra e 8,ooo a arroLa.
Banha de porco refinada a 63o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
Caixins^rM n ML$JU8&.9fosco-,
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por Ooo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a ooo rs. a garrafa e
4,500 cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que" vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gorama de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a i,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francezmuito propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Milo de amendoas-a 5oo rs.
Bolachinha d'agu sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
lampa do mesmo', a !55oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamaiihos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
i Molho inglez era garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
i Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
15 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Fogio de enpenho Taqu.iri, u m rtr .-an
Anio, de 28 para 29 de wtra bro |
urna Moran df nme Coo.-ianc, ni m ifmn*
Siguintes : c>r cabra, cabella'd- ,-r.n-
hos, inda que amarrados e coa t *,
nrpo, aliara de mediana pan I i
pequeos, olhps peqnenos e viv -.
calmo, peilos grande.-, rosto i<
um pouco fula, tem algumas mam I
veis nos bracos, a semclhanca i '
prehendida no Barro, evadin
Irar nesla cidade un a noile o<< <
mez, levou diversos resudo* e i.
de ouro na-, relas e inlitn'a-->
apprehender. levando-a a' ra \
dar, sera' recompensado ftton *.
Escmvi fugids.
Xo dia 3 do correrle fefto* ortla Ci N -
qual lem os signaes seguiqtes: astaicra uta. .-
sura regular, urna pequea ferid.' tm ,,.
p direito pela parle de dentro, e um pe ,c ,- tm-
nal de queimaduia entre es i
proceder cim lodo o rigor da lr rmica
llver ac.ouiada.e paga-se prr.umm i
levar na ra do Broas p. 70. K|HI | .
Fugiu rio silio Miaste d.i < .. ida.
dos Afilelos, no dia 3 d) c. neste, r,r
: oula de nome Felicidad.-, reori -: _*
\ pouco mais ou nient?, Um pateta,.. n .- -tu,,
; de chita branco cum pateas rox--. toa -r
seduzda, natural de Haeerf : i. ... .,,.. n.
dades e eapitSes de canap a sr.;
mandem ao dito sitio, ou a ra oa Cabria eMia a
1, que serao patios de todo o trata N
l'ma e erara.
Ftigio oanno passao, <; tm.....
marca do Limwirc, una escrau i, i. Lasn
crenla, idade Viaaawf, ollks resn ,?
guiar, cata redonda t naris laa Its. irs
direllos, porm sforeiades por auii-ai vw
boba e bicho, que indo u m\
cem ricainzes d clifoie petas um -. tria-,iar
dei-cccliado, julga se andar ai;o. .
Recife : quem a [epar, diiija-se aia > (j -
do n. 13, caa de Antonio d- ? u ... tata
ten legitimo .enher no ingiri l-.<.- .-.,' ria
generosamente rtrotrpingad-: a.--,n. ni --
mo abaixo a.-signado pruea c n rini as.
lei contra quem o tiver acoaio.
Joaquid I". C. di
Xo da SO do prximo pawi i
preta Rcmanr., cricula, de M 111 <
vestido velbo, tem alanatas soari B1
cabeca : a pessoa que a pegar r<. Wn-h i p
( Cldeireiro n. 2, ou defroate il r i
>wbo na (Uleina de Uanoel MalaqBtas Craaraxi
Fugio de entenno PinsV baTiirpiii
cunbem, um mualo de nome Fr; li i> :o, io-
28 annos, [ooeo irr.;.- (un.i-i, -, ,.n.
seguintes : resto redund-, cabe s asipmtoi
altura regular ; este mulato hen: roa'trefc'o n'-ia
cidade per ter peUredo ao Sr. Praneitcv i esara
de Mello Jnior, c rtn.-ta acliar-se limisiado tm.
Beberibe, onde lem mii e Irmaoa I. rrus ptd-
a quem o appreheendT leve-o ao Si l>
ta\de, ou ao engnbo l'indoba. qu-- -r g< ^rea-
mente recompensado.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 2 o par luva> novas de pellica de Joavin, chegadas no ultimo va por
para hornera e senhera : na ra da Imperatriz loia de miudez s n. 54.
-----------------------------------------1-------------------------------------a_-----------------------------------
n
"
t
- M H
ai

si
M
o 2?
% B
si
o ce
ftft
P
n
<
5 ta<
cu
u en
* sr

as C
4
o ?
2. S
5 *
o
= 2
as
a>
o
ce
o o
=-
CO C/3
S-s.
= p
09
vi CK3
* 3
65
i3
C-T3
es as
sr w
en ,
" c
a o.
|
C/3
> > ft ae
1 -< S3
B9 = O
lili
H1
o o
85
he;
2.1
pw 09
CB en
O O M,
a
_ S 09
i p Ja
S
5
os
-I
o -i
* r-r
2 "' 2.5
" o. o o
B CD
2.P.
co p
^?
<
09
3_
Vi
, 09
'
O
oTB
2 2.
09 -
oq O
O
B
Na ofBcina de ferreiro da ra do Jasmim n.
ha para vender orna carroca feita, com esmero
propria para carregar ama pipa com agua, afim
de vende-la pela ra. Na mesma orficina ha tam-
ben) um cabriolet de duas rodas,novo e muito bem
acabado ; quem pretender esles objectos, pode di-
rigir-se a mesma qce achara' com quem tratar.
Potassa da Russia
mnito nova e snperior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Olivelra d pino, largo do
Corpo Sanio n. 19;
Catangas fiaos e arlnqaedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da rna do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas.
Lavas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras: s
quem recoben fot o beiia-flor. na ra do Queimado
numero 63,"
09
1
c_
B
|
o.
ce
09
a
a
.
09
o
09
"^1
S 2
3 <=>
5: 09
3
O 03
o c;
09
Cu
O ?
3
If
3 3
o jo.
cr S"
o S
8 !
09 i
Cu
O
3
a
*jpi
s
^
o
>
o
S
MACHINAS DEPATE[\I
de
trabalhar nio par*
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C,
OLDAM
Tasso rmeos
Yeiifleiii no seo aroiazem rna do
Amoriiu n. 35,
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAeiei lagniol. _________ ____
Vendcm-se palmeiras imperlaes, em estado
de serem trausplantadas: no sitio murado es-
qnerda, depois i4o Pecco 4o Espinbeiro, nos Af-
flictos
Estas machinai
podem descarocar
qualquer especi
.de algodao sene
estragar o fio,
sendo bastanti
duas pessoas para
otrabalho; pdi
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earoc/
em 40 minutos,
on 18 arrobas
por dia on 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutres dessas machinas.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e eiaraina-lo, no arma-
xem de algodo, no largo da ponte nova n.i7.
Saunders Brothersk C.
\". II, praca do Corpo Sauto
RECIFE.
Os nicos agentes neste pair.
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 21
O armazem de tintas um grande deposito dt
productos chimicos utensis e os mai? empregados
e usados napharmacia, pintura, photograpnia, tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as princlpaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena confianfa e salisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satefar
com promptidao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas qne sao importadas,
e que se encontram no mercado ero latas fechadas
Tem grande eolleccao de vidros de differentes
formatos, desde urna oilava at dezeseis ongas de
capacidade; de vidros para vidraeas e diamantes
para corta-Ios; de pinceiS para fingir madeira com
rtopriedade e outros; de papis dourados e tra-
peados e folha- de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrulho, para forro de casa, para desenlie
com fundo j feito; de papel albuminado l,e Brisiu
verdadeiro saxe para photograpnia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo
Ihas de varias cores ; tintas vegetaes, inofTensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tii^is em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouqoet.limao, alcaraiva, melissa, ortela pimenla.
looro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lina,
ans da Russia, canella, cravo e moilos outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Jo3o Pedro das Neves,
Gerente.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lnnetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
A
*
Mi
SO
Re dia 28 deag ?io proxin," aado iawa
ceram do engenho Paran, tftn n.. rr; (.,.
moe'lro. os escravos Fraeisce r A!i*ar>dr> pr-
piimeiro alio, .-teco ao confb, ui oi< **m-~>
do. e de eer caira, tem a rara Lenj -a, l.j-uti
barba, cabellos carapnlus. ; .' rnrtes
sahio ve.-lido de caifa e ramtaa tr ? i
chapeo de lellro, le\ando Unbem rn>* trouxa contendo roupa de bm>, labei : au a>
de chita e calas braneas e partfan ,n
um chapeo de couro, mu adir'. (
preto. crioulo. seceo do corpo. rrialnva rrfalv,
tem falta de denles na frente, i rna ; nr I ri -
do, e tem ps fines e bem ein-, taLen
ladino. Ambos sao meco?, unt<> d
nos, pouco mais en Beos : dwbnfta
nbam fucido para a-sentar praca n*la ave i
euem cuta qualejuer : qniffl osi piel '
leva-Ios ou ao ditu engenho, on a i
Alvaro Barbosa da Silva, i.a ra da Cru: r. (a.
que ser bem recompensado.
aos capitftes de campo e i
icia
poli
200|000 fe gratiliccac pti: cada ix
Desappareceu cus principio do a.n de ouiubn
prximo passado, de bordu do pa baboM n^>
Arroto Malo, dous escravus de n. appellido Macei, e Miguel, o 1 de idae 43 onnos.
pouco mas ou menos, crie uli'. cor fui;, enMM
baixa barba cerrada, nm piuco torta das pernas,
e com alguns cabellos bastee, totes n.< lama re-
mo na calera ; o 2 alio, ebeio do eerp*, tea bar-
ba, falla grossa, representa ter de 2o 39 ooue ;
cujos escraves desconfiase andarem pelu? arrabal-
des desta cidade : quem os apprehender, qocira
levar a ra du Trapiche n. 4. ou a l_>r.l ,:.
navio.
%*> V>
avariado
Francez barrica 5000
Portland idem 8^800
Em perfeito estado:
Francez barrica 16,5000
Portland idem I2000
No armazem de Tasso Irmaos caes do'Apollo.
Allencao a pccliincha
Sapatos de tranca com sola de cortica aljo
par : na ra do Livramento n. 3.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo: Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto eD. Luiz ; tambera
tem ancoretas de dcimo encapadas coro snperior
vinho, barris de 5 e 10 em pipa : na rna do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Atteaco
Acham-se fgidos os escravos senulnie* : C:n;
mulato, idade de 2o anuos, cabellos anneladcj, .-<
barba, dentes um pouco limados, secco do corpe.
testa larga, e falla um pouco descansada ; e Lua,
crioulo, j um ponco velho, altura regalar, mcito
cabelludo, baiba com alguns cabel os brancos, as-
sim como na cabeca, corpo retorcido, olhos rna
tanto pequeos, falla grossa e as vezes Unge s*
ronco : pede-so as autoridades poi eiaes e aos ca-
pitaes de campo que os facam apprehender e no-
duzi-losa' casi de seu seDhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompennra.
e Ibes pagara toda despeza que fiziTem eom a ua
conduccao : suppde-se que elles terao ido em se-
gnimento dos sertes desta provincia, por sers
filhos desses lugares.
Fugio no dia 18 do correte mez o preto cn-
oolo de nome Isidoro, de 30 annDs pooro mais
ou menos, alto, rosto comprido, soi.-sa pooro fecna-
da, ps grandes e chatos, ecosiuroa andar <-a,per-
patas, levou camisa de algodo, calca veiba t
rolas, chapeo de palha velho, e lamber nm boaet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel que tenba ido para Ser innata
ou Rio Formoso, onde j tem sido captura Jo por
vezes. Roga-se s autoridades e cagues de campo
que apprehendam e o levem ae sen senhur Jao
f.avalcanti Lamenha Lins, residerte Da Etr^da
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Caalcantl de
Albuquerque, que se recompensara generoaa-
mente.
Ao amanhecer do dia 2b' oe (o--to lujiraa
do engenho Gamaragibe dous escravos crioolo,
ambos carrelros, sendo um de nonac Semeao, na-
tural do serto de Ouricury, alto e l m ferto, cara
redonda, nao me i lo preto, e soffre de orna tierna:
o ontro de nome Nicolao, nascido no mesmo en-
genho, estatura ordinaria, secco do rorpo e robus-
to, na mesma occasio desapparee->ram 3 borroa
do servico do engenho. de soppor que tenham -
do levados por elles, ou por aignn qne Ibes ser-
vio de guia e seductor, porque na noile preceden-
te a sahida dos ditos escravos foram vistos eVos
homens em communlcasao com o Semeao jnnfc. a
entrada do engenbo : quem prender e tronier di-
tos escravos ser recompensado
Fogio do engenho Pindoba, freguezia de Tra-
cunhem, ha seis mezes, urna escrava rrionia, de
nome Severina, de idade de 19 a 20 annos, pejaia
de tres a quatro mezes, ponco mais oo menos, de
maneira que ja deve ter dado a lar, coro os sig-
naos seguintes : alta, bem preta, *ecea do corpo,
rosto redondo, nariz grosso, tem fal a de don dis-
tes na maxilla snperior e do lado esqnerdo. orobi-
go multo saliente consta qne dita eserava wfo
para esta cidade, e pretesta-se pelo rodee Jaw-
ciaes perseguir a qnem a tiver em sen peder, e
pede-se a quem a apprehender queira entrega !a
aqu ao Sr. esenvao Atla^Be, on le va-la a enge-
nho Pindoba, que ser generosaroenie reeorop^n-
sado.

.. ~


Diario de fernambiio 4*uluta leira lt de Oiitubro de 1*.
JURISPRUDENCIA
O I oilllll
0 fado de nao ter haviflo a menor reclamago
quanto as referencias que temos feito a cortos aba-
sos, o )Stra que o poder da verdee se torna ir-
resislivel, mrmente em quanto a distossao r-
ik' dispensar cenas iiim'iHa'iiaeo'odlosaa, c nao se ,
:i..-:i:...o proposito (le molestar por iuteresseou
q\ |aer motivo Ineonfessavel.
-S. bernos (jue certas aHusoes claras, directas, in-
cisivus podem arraslar um individuo auto u pubii-
co perspicaz que o apona e o faz corar de vergo-
nta Nesle caso resta ao ofendido ou calar-se re-
ilgnido, bafxar os olhos cora humitdade christa,
e ver na increpagao sorrateira um castigo mere-
cido, e um" meio ou antes opporluniJade para a
egao; ou eutao balbucar algomas palavras
que nao importan) um protesto consciencioso, mas
sel :n de altenuar una impresso desagrada val...
ou um mo conceito que uiuguem quer ler, ainda
guando uso faca por desmerece-lo.
Ha, porm, certas censuras vagas de tal nature-
za, que ninguem pode tomar por ellas o pio
ua naba sem tornar-se logo suspeito. Si taes ceu-'
jaras nao nos cabera, Piquemos tranquillos, e dei-
ge no-las passar para irem a quem tocan). Quaudo
S3 tero ratea na assadura, inaior motivo aiuda pa-
ra ama prudente e nena disimulada reserva; por-
que so algum bisbilboteiro ira talhar a carapuca.
\ ida de alarma, que pode estimular algum chro-
aiila descuidado. Passa mol rpida a impresso de
um artigo fugitivo de gazeta. O que 6 bora nao
provocar'desenvolviraentos e repetig5es' mdit -
enti
Q ac lo tomamos em nossos hombros um peso
. superior as nossas [oreas, nao cogitamos em
|j .'jar ninguem. Falta nos a veia para este
mister. Inteneionalmenle aunca recusaremos o lou-
vor merecido. Criticando abusos, nao recuaremos
ant.; o risco de desagradar. E' que nem todos po-,
dem eahir sob as uossas vistas com provas convin-
cenles. O espirito do seculo nao para ajudar pro-
odas compromeltedoras, que Dio dao proveito
ia!. Oa pobres missioaarios (que sao bem pou-
i j; l) ..uuaui por alii desconsolados, a cumprir seu
fadario, sem sequilo e sem auxilio.
Sao filia quem diga que a impreasa tem produ- \
::': i rnaioc somraa de males ue de beas. Ha nisto
:.ju fundo de verdade, que fcilmente se explica.
Notase quasi serapre excesso, parcialidade, injus-
ticiqaarno elogio, quer no vituperio. Forado
choque das paixdes, s se v ordinariamente o
aparo extremado e meticuloso em guardar conve-
niencias a tudo traose. E' um systeraa que nao
ponas vezes faz calar a verdade, ou a mutila e
desligara horrivelmente.
Mas diga a imprensa as verdades com certa de-
cen ia e comedimento; nao esqueja sobre ludo
as verdades praticas; e ja nao ser licito duvidar
da influencia poderosa que ella pode exereer sobre
os costamos.
luterrogae-se cada urna das pessoas que conhe-'
cera oosso foro, e todas responderlo que existen)
abasos, e abusos gravissimos que eonvm extirpar. |
E p rqae n5o serio elles revelados e combatidos ?
0 silencio sobre v>rin mw.'--
T.raos ouvido queixnmes amargos de alguns'
pleiteantes, victimas do desleixo ou do abuso de
coadanea. Mas por maior que seja a indignagao,'
por m;iis grave que seja o damno soffrido, raro
que alguem teoba a coragem de dizer a verdade
era voz aita. Com relagao ao foro sobre ludo, po-
de : 31 .vez airmar sera exageraoSo que as epo-'
chas ferreabas do absolutismo edaiaqusigo, tal -
vez nao se levaste muito raais longe o escrpulo e
i de fallar em publico. O certo que som-!
bi a a tolerancia e do my.-terio vio marchando ira-
pavid os espritus fortes, os liomens de juizo, rin.,
do-s. -' provaveimente de algum romorzinho inaligoo
inda pos-a chegar-lhes ao ouvido.
sobre tuJo oeste paiz ura symptoma geral
desanimador. Por va d regra os melhores carac-!
tere;,os mas activos e prestrnosos, iutam s ve- j
zc: ama vida inteira,o diegam ao fim de sua
rioagao extenuados, deseridos, sem terem ao
menos a cunsolago de legfrem s suas desoladas,
1 kmiiias um futuro garaatido. No reverso do qua-
Oro. a mediocridade, o demerito, o egosmo osten-
tam una pujanza deslumbrante, de origem re-:
d ',-ida ou incgnita, mas em tolo caso mlla-!
grosa. Observam-se avanzos tao prematuros, for-J
tunas to rpidamente accumuladas, que dispen-
saran) ao hornera curioso o trabalho de ir ao thea-
tro ver os effeitos da preslidigitaco, que elle bem
podra apreciar gratuitamente n'um scenario vas-
Ussimo. Os phenomenos que a esterespeito se aa-
nriram no mundo offlcial, do-se em todas as cas-
ses, quasi na mesma proporcSo. Pelo que respei-
",a aos recursos, anda completamente invertida a
osala byerarebica do aiereciraento. Os superiores |
sao muitas vezes inferiores aos subordinadosquan
io ao tratamenlo.
Limitamo-nos por agora a tocar d? passagem em
certa- anomalas, sem ibes querer assignalar as
causas o aflutos, facis de attingir.
E si alguem pozesse em duvida o moderaco e
parciinonia com que nos temos serapre referido a
varias miserias, nos Ihe pediramos o especial fa-1
vor de indicar-nos o meio de cumprir urna misso
to espinbosa sem provocar algum desgosto. Seria!
urna ligo vantajosa_para quem nao tem a menor
indisposigo individual, e s nutre desejos de retn-,
buir cora reconheciraenlo as provas de benvola
attengo que aiuda nao deixou de merecer.
Sirva isto de attestar a pureza de nossas
c5es.
Mas era se tratando de cortos factos, havemos de
discut los com franqueza. Sobre as queixas que
se possam fazer por amor das allusoes, diremos ura inverD0 mais "'fe-oroso
siraplesmeate : Quipotest capere, cpiat.
Para os individuos cuja susceptibilidade extre-
ma possa estranhar a nossa rude franqueza, ac-
centareinos aindaque diante dos abusos que fla-
gellam esta pobre nacao, e contristara qualquer
bomem honesto, desejariaraos poder subir cora a
verdade ao. ponto mais alto. E'ura voto que
fazemos do intimo d'atpia. Assim Dos nos aju-
dasse a curapri-Io. Nao receiariaraos compromet-
timentos, lembrando-nos de um texto das sagradas
paginas : Son possumus ahqmd adversus verta-
tem, sed pro-veritate.
Recite, 10 de outubro de 1863.
/. n. c. f. j.
Inten- pe;as e toda a infantaria argentina no acampamen-
to, menos 2 batalboes. Toda a noute choveu, e a
agua cahia tao fra que mais parecia nev. Outro
novo temporal; em cela tres dias ura; nanea vi
O que mais admira
o fri excessivo nesta latitude.
t Da 2o. -Contina o temporal com mais for-
5a. Nao se pode trabalhar. Os cavallos raorrem
de fri e de forae. Na infantaria argentina pere.
ceu ura hornera enregelado : nao ha lenha; a ex-
cassez extrema. S temos carne caneada e fraca,
e isso raesmo a raeia racao, o que nos causa dysen-
terlas; o campo esta rapado. Os cavallos nao
comem raeia libra por (lia.
LifTEATHBA.
TUEATftO DA (JUERIIA.
At 3 de setembro nao se tlnha ainda investido a
praga de L'rnguayaua, onde coutinuavam os Para-
guayos fortiticndo-se, Os sitiados mostram-se dis-
posios a resi.-tr. Incendiaran) a alfandega e variis
casas para facultar o Jogo da sua artilharia. Le-
vantavam trincheiras e abriam fossos, trabalhando
activameute noute e dia. Contada dizem varios
crrespoudenles que elles tem procurado entreter
os generaes alliados com propostas de capitulado
inaceitavsis, talvez na esperanca do serem soccorri-
dos peles generaes Robles ou arrios.
A situacao em que se acham reconhecidamente
critica. Os proprios sitiados deram-n'a a conhe-
cer. Urna partia expedida pelo general Estigarri-
bia na noute de 21 do passado foi surprehendida
alera'da barra do Minnay j internada em Corrien-
tes e interceptados os despachos desse chefe nos
quaes pedia soccorro ao general Robles pintando lhe
a m siiuacao era que se acha collocado.
Dz-se porm, que os instigadores da resistencia
sao o padre Duarte, de quem j fallamos, e um
blanco exaltado, o Dr. Savanak a quera se attribue
a redaefao da resposta dada por Estigarribia
intiraacao dos generaes adiados.
No dia 1' bavia chegado a Uruguayana o almiran-
te Taraandar e accrescentam os correspondentes
das folhas de Montevideo e uenos-Ayres que hou-
vera conferencia de generaes, deliberando-se por
maioria e contra o voto do general Flores adiar-se
o ataque praja. Esse adiamento altnbuido
pelo Sr. Candido Bustamaote e o secretario parti-
cular e amigo intimo do general Flores, a esperar-se
a chegada de S. M. o Imperador.
Accrescenta e.se minucioso e caracterlsado in-
formante que as trincheiras, que esto sendo refor-
jadas pelos Paraguayos, foram feitas pelos soldados
braslleiros antes de evacuaren) a pra^a e quando
esperavam resistir e que os sitiados esto prvidos
de grande quantidade de vveres, deixados pelas
autoridades brasileras por nao terem tido terapo
de tira-Ios ou inuiilisa-los. Comtudo, mesmo
pola relacao do corresqondentejjrjeoj^,, -a jjjg_
tif" por" muito terapo. Os sitiados estabeleceram
duas bateras, urna na altura do ceraiterio oulra
prxima ao porto. Avahase em 10de mil homens
o exordio que est sitiado.
As forjasalliadas elevam-se a 18 mil borneas cora
quareota pecas de artilharia, nao iocluindo as da
esquadnlha.
No da 2 foi dirigida urna nova ntimacao aos
sitiados. As coudices propostas, dizia-se, foram
as seguintes: livre saluda com as honras da guerra
ao general Estigarribia, seu estado-raaior e offl-
ciaes; ficando prisioneira tuda a tropa cora as
municGes de guerra e bocea, existentes na uru-
guayana.
O almirante Tamandar que depois de conferen-
ciar com os generaes sitiadores, descera o rio, vol-
lou no da 5 para Uruguayana levando em sua
companhia o general Mure com 1,500 infantes, Uto
, um batalhSo argeutiuo c dous braslleiros.
Nao transprava a raz&o dessa inesperada via-
gem.
O Republicano, da Concordia, noticin que na
noute de 1) do passado haviam desertado da Uru-
guayana 4 soldados e um capilo paraguayo. A
elles se al'.ribuem as seguintes coramunicacrs:
Que na noute anterior a sna sahida bouvera
conselho entre Estigarribia, Duarte e os Meos
exaltados que os instigara.
Que Estigarribia era de voto que se rendessem'
mas que o frade oppunha-se.
(Jue na praga haviam encontrado provisoes e
ii:;am ainda cora cavallos e treseutos bois.
Que a diviso sitiada desde que emprehendeu as
suas operacoes tem perdido 2,700 homens, dos
quaes 400 no encontr cora o general Fernandos.
O coronel Pallega, um dos offiaes superiores do
exercito oriental d, aos jornaes de Montevideo
minuciosas informacoes era frraa de diario. Tac.
importante nos parece elle que aqu o varaos
resumir.
t Dia 2i.Contina o desembarque sem inter-
rupgo. De araanha lizeram os corpos exereicio
de batalhao. A cavallaria rio-grandense attrahio a
attenjao geral. A 1 da tarde retiraram-se os cor-
pos a seu acampamento. Desde hontem queamea-
Qa temporal-, principia chover e a ventar fortemen-
te. Isto quisi impossibilita o embarque e desem-
barque das tropas. Sem embargo a noute estava
todo o nosso psquadrao de artilharia cora suas 8
mos censurados: oh ?... nao debalde solicita va-
raos a compaixao dos coragSes seasiveis. Um ma-
orOlleros do batalhao de S. Nicolao, exaspera-
do pelo mo passadio e pelos padecimentos que lhe
causavam duas feridas, suicidou-se hontem, s ve-
zes a morte raais doce do que certa especie de
sotlrimentos....
< Erapregou-se o dia aa passagem do rio pela
artilharia argeatina, nica que licou do outro la-
do, e pelas duas pegas brasileiras de.desembarque.
Dz-se que esta noile vera ja o general pernoitar
ao acampamento com seus soldados; talvez araa-
nha nos movamos para diante, mas ainda duvido.
t Dia 28. Outra vez o raao lempo ; cessou a
Como fcil comprender, todo est parali- Beada de n0Dtem e amauheceu um dia asparo de
sado. Veio da Uruguayana um estrangeiro que '
conseguio fugir; diz elle que o commercio desse 0i soffriraentos e os elementos heterogneos
ponto comprometteu-se a raanter por 40 dias o de Q-ae se compera nossos corpos tem occasionado
exercito paraguayo cora vveres seceos; gracas a algumas desercoes na brigada: esta raanhaa che-
grande quantidade de artigos que as autoridades 8aram cinco desertores appreheodidos era Capire-
brasileiras deixaram n villa ao relirar se : fl- y. direceo para E. O. a sete leguas distante do
cara-lhes s quarenta bois, e earueiam quatro des- acampameato, tres erara do batalhao Liberdade e
tes por dia: as fortifleagoes dizera que sao difflceis dous de voluntarios garibaldioo?, lodos cinco es-
de fazer pela natureza do terreno pedregose; pelo trangeiros: mandei-os prender e dei parte ao ge-
que tem-se empregado nos parapeitos madeiras e neral, a quem compete tomar providencias,
outros objectos: os fossos nao sao muito pro- i Em Entre-Rios nos deserlaram os soldados en-
fuaos, i tre-rianos, em Corrientes os correntinos, no Brasil
tem mandado distribuir provisoes aos soldados, os
quaes ora se oceupam em lavar a roupa.
t A praga continua silenciosa. Vem-se algons
(rara no territorio de Santa F, era coramaaada
pelo coronel entre-riano Telan Lpez, e afore se
verifica de urna maneira tncv/itestarel qmtme
guardas que nao hostilisara os trabajadores era chefe estava era Bella-Vista, acampamento para-
guayo, a d'alli segla para Homait E eis eomo
isto se verifica.
Foi por partidas correnliaas apanbado um ex-
presso que de Bella-Vista tentara passar para En-
tre-Ros ou Estado-Oriental, e apanhou-se a cor-
respondencia que all levava.
Eram em priraeiro logar eartas do ex-ministro
oriental Carreras para um sea irrn.io e varios ami-
gos de Tetrao Lpez, c de ontros emigrados blan-
cos, que todos refi-riam ter feito o Irajecto de Eo-
pregados nos entrincheirameatos o na demollgo
de casas.
Hoje devia ler-se feito um reconhecimento so-
bre o Inimigo para avancar o campo e estrellar o
sitio ; masa chegada do almirante Tamandar, que
entrou no porto do Passo dos Livres a bordo do
Iniciador, fez com que se adiasse essa operago
para araanha. Quando chegou o almirante foram
as msicas, chefes e olllciaes coraprimenta-lo, e re-
cebeu-os a todos cora alhaneza que o caracterisa :
ch garam cora o almirante reforgos de petrechos eIure^RJoa a' Bella-Vista, afirn de ajuniar-se s forgas
rauaigoes para os Brasileiros..... paraguayas, e d'ahi passar a llumayt apresenur-
. se a Lpez, que parece os aguardava. D;ziam mes-
mo que iam embarcar ja' para aqaelle destino.
Setembro i.-Recebemos hoje ordem para
nos municiarmos e apromptarraos alira de mar-
char amanha. O almirante regressa aguas abai
xo : das canhonoiras fez desembarcar dous obuses
e vai accelerar a remessa de novas torgas para as
ulteriores operagoes, depois da tomada da praga.
Do exercito de Barrios sabemos apenas que
esta no Ambrosio perto do rio Corrientes : se esse
exercito fr derrotado, a campaoha ser ura pas-
seio militar, do contrario ser trabalhosa.
O nosso alimento continua a ser mo, sempre
Hontem sahirara duzentos Paraguayos a deseo- os brasleiros e allemes, nossos corpos sao um ver- j carne caiI^a(jaj qUanto a mim, ba 8 dias, que a nao
berta a ura quarto de legua de dL-tancia; troca- Janeiro mosaico, a respeito do pessoal, e como
ram-se alguns tiros e retirara se em seguida. Pela faell comprehender, todos nos levamos alguns ori-
noute tomaram-se precaugoes para repelllr alguma ,
entaes.
sortida que intentasse fazer a guarngao da praga ; Nao se cencloio ainda o dssembar-jue da ani-
mas a noule se passou sem novidade, com ura fri ilnana' a das W*' a' montadas em trra, os na-
que gelava. Y'os trabalham em passar os restantes.
a chuva; mas
< Esta' cooseguintemente desmentida a noticia qne
se mostrava o crescente desvario de Lpez ; pouco
alterara a actualidade das coasas, fallo da iavaso
' Sania F.
Observarci agora qne das cartas Interceptada:
ao Carreras, e cujo extracto o* jornaes do, reso"
.am esclarecimentos de alguma imporfaieia.
Para logo nao da elle mais de 27.000 ao exerci-
lo paraguayo que ocenpa a provincia de Corrien-
mesmo
e
i sabido que os blancos nao guardara raodera'jab
as hyperbolicas, teremos que o grande exercito de
i Lpez, com que ha seis mezes am?a?ava co e ter-
provo,e sentimos grande diUkudade em procurar tes, marg-m do Paran, etc. Admitliado raes
aliraentos de outra natureza ; de bois c cavallos | tei P ^^^
nao fallemos, mal podemos arraslar as carretas, se-
ment os chefes de brigada e dous ajudantes vo
montados, ludo o m:iis vai a p.
- Setemlro 2.-De raanhaa exercic. at as 10 'ra.e '"'' m mui, PDC ma,r' *'l- !" '
prcximidades
da
Dia 26.-Cessou a chuva; mas odiamaa-! Hoje, por descuido, sabe Dos de quem,cahio noras depol9 roram corpos pro,er.se de lenha. Wras e argentinas renoMas as
rm^e'faTsturTeTaVsortr uV?
oTt^col 'uraa Z^ S***?* rl0' l ^ SBtcesS0 foi jUDt0 "'^^ !T2vera tTaTtocl*,, maf^e'ooatr ^{T^JS^^SZJtZ o lS
fortuna de seu dono. Mandei trazer as bailas de Uraa canhoneira brasileira deu boje no porto depois- de ura conselho dos generaes, o qual se ef I m de exerci[0 de nnmrdt q,e moirentanea-
artilharia pora o acampamento. O general em era Uruguayana dous tiros de canhao, aos quaes o fectuou ao mtio d-^ na temJa do geDerai em chefe; | ^^ se occupa m readi,.o r-rugoaya2a, mas
chefe se conservoo na ponte do desembarque, acti-'oimigo respoedeu cora outros. Repartiram se 300 assistiram a elle o almiranre Tamandar, general
vandocora sua presenga ludo, creio que boje ac-'espingardas dos Paraguayos eom tres osquadroes Paunero s os generaes brasilslros : ignora-se oque
bar de passar a Infantaria e artilharia argn- brasileiros, que foram municiados cora munigo all foi resolvido, raas indubiravelraente comcram
Una. tomada ao inimigo. Este parece disposto a> com- amanhaa as-operagoes.
Os chefes dos corpos passaram revista de bater e em bom pede disciplina, pois al agora nao 1 Antes do- conselho 3abia-se que o almirante e
armas c munigao: prsparamo-nos para apertar o se lera passado para nos um so soldado, conten- os generaes brasileiros se opputrhara ao ataque ira-
tam-se cora coraplatar seus entriucheiraraentotos mediato da Uruguayanna at chegarem os reforgo'"
queimar casas; hontem incendiou a alfandega e brasiloiros que- eslao em marcha para este ponto'
varias casas do porto; para despejar seus fogas e mais 3,000 homens, que-o almirante propunha
em caso de desembarque. fazer vlr por agua.
t Chegou- farinha e aguardeate para a brigada c Reapeito muito sabetSoria e a pericia dos
brasileira; o geoeral em chefe se occupa em pro- chees superiores do exercito-alliado, mas cada da
sitio amaaha.
O geoeral raandou-me, inspirado por ura anjo
um cesto com bolachas, que temos devorado, o
malte : bolachas nestas- alturas depois de quatro
dias de abstinencia... Tambera ti vernos rages de
dous oitavos de carneada ; porm as roes eram
iracas e cangadas, que mais-servem de adeentar-nos
do que de alimeatar-aos.
O resto do dia passou-se sem novidade-.
t ula 27. Finalmente temos bom tempo, faz
um sol formoso qua tem fortalecido nossos corpos
entorpecidos pela chuva e pelo fri excessivo des-
tes tres ltimos dias; cahio a'noite urna jeada
magnifica, to copiosa, como a-que provavelroente
ter cahido era Montevideo; dous soldados, um do
batalhao Florida e outro do 24, perecern) de noi-
te, assistiram hontem revista, deitaram se boas e
araanheceiam morios por causa do fri e da dbi-
lidade em que se achara pela esoassez e ma quaii-
dade do aumento que teera tomado, desde que pas-
saraos para -.- u Danda : carne pura caneada e fra-
ca, e esta bastante escassa boctem.de.nwnh
_ ,.... humiuiu iijuuvo ouro miiiar aos vo-
luntarios garibaldinos, e antes de hontem outro do
batalhao do coramandante Ornos.
< Agora se- v praticamente es inconvenientes
que se tirara de nao cuidar, como devido, da ali-
mentagHo dos homens, e que deixamos notadas
neste Diario, cota tanto pesar de algumas pessoa3
de Montevideo, que to injustamente nos aecusa-
ram, quando diziamos as cousas-como ellas sc,
quindo estamos em lugares despcvoado3 longe do
litoral, nao temos mais do que resignar-nos e re-
mediar as necessidades, conforme possivel; po-
rm, ho litoral, nossos soldados deveriam achar al-
gum refresco, como bolacha, agurdente; vlnho, fa-
rinha e at caf : esta infantaria lera soffrido mui-
to nestes dous mezes de invern tao spero, e tem
que percorrer todava iramensas distancias e dar
serios combates : esta campanha tem sido olhada-
como cousa. insignificante, e preciso que se con-
vengan) que -negocio serio e muito serio : ao pas-
so que nos afastaraos do centro dos recursos, o
Inimigo S3 aproxima aos seus. Montevideo um
ponto mu distante; em quanto se opera no Drii
goay e Salto, deve ser nosso contro de operagoes-;
preciso acoumular neste ponte armazens de ludo,
e olhar para este exercito de raodo differente do
qua se tem feilo.
t O general em chefe do exercito nao pode fa-
zer irapossiveis vamos operar por trras devasta-
das pelo inimigo o por psvoagoes saqueadas por
elle : bastara os desacertos que se tem comme'.tido
no lempo que levamos tfe campanha, convindo
considerar que aossa infartara deveria estar a ]u
em dous dias sa e fresca-: temes gasto dous me-
zes ; temos estropeado e aniqnillado nosso pessoal
as marchas por ura paiz incapaz para infantaria;
agora sitiamos o inimigo, que desfructa o-que es-
tes chefes rabeis Ihes deixaram gratuitamente no
povoado.
t Na Restaurago acontecen-nos o que tinhamos
prognosticado. Quinbentos feridos aiwados pelo
chao, sem medicamentos;;, estamos reduzldos acs
mdicos argentinos e brasileiros ; o que fazia de
cirurgio em chefe morreu na batalla e Acarara
tres que nao reouera as habilltagoes neceessarias.
Deve-se attender que Bao funccioocu a artillara,
e que aqui em Urugoayaua o caso ser diverso,
se, como creio, o inimigo se defender; Acaremos
sobrecarregados de feridos, dos quaes nao sei co-
mo havemos de tratar, se o geaeral Mitre nao nos
enviar os aieios: quando lh pedamos um corpo
de sade militar com ambulrncias e o mais,. era.
curar alguma cousa a este respeito para a infanta- 1ue se de,nora a,a(lue
que logo repassara para Corrientes. Como 40,000
homens contra 27,000 ; e no9 sobeja para tentar
urna invaso directa ao Paraguay o exercito no-
grandense de 20,000 homens, que vencida a Uro.
guayana nada tem mais a fazer na provincia.
Agora comprehende-se porque t qoe, em Icjar
de acudir aos reclamo* e suppli-a ** Estigar-
ribia para que lhe ventora em diiIio as forjas
de Barrios, cuidara anteo-de sna proprra segaraa-
ca, fortificando os passo:- dos rios qoe lUts ficam
na frente.
Da carta-de Carreras parece resaltar is*> mes-
aao de urna maneira mais positiva, pois diz que o
exercito paraguayo nenhuma opf ra>o fera* at
solfre o moral das nossas
tropas notavel prejuizo e d-se ao inimigo uraa ra-
na argentina e oriental de uns pequeos navios portancia que nao merece ; a gloria nao deve re-
que chegaram com algum sortiroeato de comesti- gatear-se ; os Instantes sao supremos, e as vaata- actar-se a sua frente o presidente Lpez, qoe esta
gens que feriamos hoja, corbateodo, pederiam | fazendo preparativos em llumaita'. (/ra, sera fazer
voltar-se em favor do inimigo, se a este ehegassem operacoes e^sc exercito nao pode adiantar eclam-
reforgos ji.de Barrios ja de outra qualqaer-par- direcrlo Urnguavaaa, sabendo qoe ao
nurta, posto que ate a hora que esorevo estas li- -e, porque deixar para amanhai o que se pode fa-'
nao chegaram rezes para zer hoje ?
veis.
Hoje felizmente nao temos tido morios de po-
No tem quo comer, o campo esta' destruido intei-.
ramele.
c Dia 29. Nao occorreu novidade alguma du-
rante a noite nem na descoberta : o inimigo traba-
Iha sem cessar; hojo se espera acabar de trans-
portar a artilharia argentina o- s duas pogas bra-
cilrtiroa, # m \
t Alt- ao pnmerro de setembro creio que aao
havera' nada serio; o tempo parece etar seguro e
facilitara* as operagoes em frente da praca;
c Dia 30.Temos em fim bom tempo ; a artilha-
ria argentina e-u toda no acampamento, porm in-
teiramente desprovioVa de cava!ls, cuja eseaesez
falta ainda.que s para levar a artilharia da Uru-
guayana.
nhas, quatro da tarde,
u^,, ,rperp. OT mu.. I pi'SEKF/JffS^S'^
lidao de cavallos e alguns boas; pobres animaes I 2, 0rfereceiv-passar a 3ua cavallwia, desmc3t-la
e leva-la de arma branca at s trincheiras iniroi-
gas : mais'ainda ; propoz at cembater sement
cora argentinos e orientaos; mas tudo foi intil.
Querera dar importancia aos paraguayos, que Ibe
boa bom proveito ; tna6 nao se acense amanha o
gc'vernador Flores.
Na campanha que levarnos feita ca> poucas vezes
se tem elle desesperado, e nalraeu'.e resignado re-
icaiiuuu-.u u^ r_____1.
Da Concordia as noticias que taraos sao ?.s -se-
guimos :
O exercito- ia resera ia mudar de aca-mpo-
meato.
O general G!ly estava incumbido de asse&nr o
campo, nao avawgando era todo o caso mais de S
leg^ws alm da Concordia.
U exercito fcrasileiro ia setinha pesto era marcha
extrema, o general era chefe prciura remediar esta do AyD Grande. pwwOU.uv.
O xercto paraguayo de Corrientes- nao s mo-
ver ainda.
Goja ainda nao foi oecupada : e a nove leguas
O imraigo permcee Inerte, da intenta nem ^^^ esSo concentradas as heste* de Lpez.
emprehend8 ; oceupa-se smen'.e em desemoedir a Fazeiu continuas correras pelas imraediagoes, mas
frente e qneimar as easas. Os Srs. Sal7aonat e cententam-se eom devastar as propriedades. Urna
Ziptrn entretem diariamente oSr. barao-de Jac- j'is'a0 eDtrou em s- *W*> mas re-jrou-se imroe-
u 11 1-.ijj \ a diatamente.
hy sobre as probabidades de entregar a dade, 0 governador Laganna marchou para Cururu,
concedendo-se-lhe condrgoes que elles nSodeminam cuatia, mas crise que vol tara' para Goya.
era defioem : chamarse isto gaaiar terap. O* paraguayos que esto deste lado ignorara ou
fBgein ignorar a sua derrota em Yatahv. Ao coo-
Cnegou da Concordia e Salto um navw com trar0 celebraram com grandes festas essa jornada
munigoes- para os argentinos e orientaos: mas o cazao uraa viotoria, sendo correnle entre ellas que
desembarque e transporte aos aampame3ts fe- s alllados foram completamente batidos.
to rom tantas di moldadas ana -=6 sa exn'icam nela SSundo novos clculos, o exercito paraguayo
10 com .amas uiuitawaaes que so sa exp.icam pea Mste p0Qt0 e|evado apeoas | ^ ^ nomea&> E
lenlidao 9 mesquinhez que se observara em todas os seus soldados esto quasi ns.
as providencias : gasta-se tres dias no rjae se poda. Robles voltou ao coramando do exercito et fazer em tres oras. dirige as oporagoes da columna que esta' era Cue-
vas. Neste ponto t-m. o inimigo iO pegas de artl-
Hx grande numero de aferraos: ealcula-so lharia R9 C0U5U qne tenn piTt^rf;kt^ .
que chaguem a quinbentos, entre os das brigada* gum em auxilio da colaaraa do Uruguay,
oriental e brasileira : este acampamento e o ultima A esquadra ficava no Rincn de Soto,
temporal nos tem. sido fataes; a falta, como da Garra q-ae os paraguayos tinham retirado das
j k !.. j r .....-. _w.__Cuevas as pegas que ah haviam montado.
costume de hospital e de facultativos ; tenho-mo 0 vapor s?esperaTa hoDlem (13 ^ setem.
visto na necessidade de chamar para os meus en, brol do p3ran chegou ,arde( (razenl> n0l|c18
ferinos o doutor da brigada brasileira, o Banilia o de alguma maeira ma)t0 saujfecior.as.
qual caritativamente os tratie at -Ihes subministra
medicamentos.
Nao se conlirma.e antes desmenie-se a passagem.
i de urna forga paraguaya ao Chaco, territorio de
Nossos feridos tem marchado auasi todc-para Santa F.
o Salto ; entre os peucos que nao tem sido possi-, Entretanto, o governo dossa provincia nao des-
val conduzic para all, conta o capillo do Morid*' continuava em seus preparativos para o caso que a
D. Manoel Garca; que pouca melhora tea tido e invasao se realizasse affroata-la cora decisiva Tan-
que at se desespera de poder salvar-lhe a perna tagem.
ferida. Os pribioneiros- feridos Ocam por ora n ^ general D. Emilio Mitre, qoe se tinha adan-
Restaurago al que possam seguir para, o Sallo. tado ao encontr da pretendida columna iavasora,
t O general Castro seguio Uruguay cima pela nio havia, certo, partcipacoes favoraveis, ou
margan, direita cora urna forte columna de mil e I contrarias ao facto da invasao ; mas isto explica-
quinhenlos cavallos a eslabelecer-sa na Gez at se. Nao tendo achado inimigos ia avangaado ata
que se resol va o problema que temos-aanosra rrea- oade .fosse possivel que elles se achassem para
te que j se vai toreando tardo f forara presos d'ahi ccafirmar, ou desmentir positivimento a ia-
quairo desertores do 24 de Abril por urna partida vaso.______
brasileira que fez urna sortida de oito a dez leguas ; NoafSeria possivel que ella se realizasse sata ser
do. acampamento era direegao ao Estado-Oriental:: presentida, e de Goya, recebendo~se hontem car-
sao nove os presos, e apezar da pena de morte,. wn_! tas at 8 do corrate, nada dizsm de semelbante
posta aos que desertarem de suas banderas, o ge. eranreza paraguaya,
neral em chefe nao tomou providencias algumas. Eis agora, um indicio mais alrecto. Assiverava-
t Da LContinua o bom tempo. O steneraj se que a columna de forgas paraguayas, qne pene.
FOLHETIM
O DEMONIO DO JOGO
POR.
HENRIQUE CONSCIENTE.
(Continuagao.)
Gernimo nunca vira assim vestida a filha de
Van de Werve, que costumava trajar de cores es-
curas ou pelo menos muito pouco alegres. Toda
de braceo, como ento lhe apparecia, dava ares
do noiva. Nao se poda duvidar que fosse essa a
vontade de seu pai; mas qual seria a intengo ?
Quereria por aquelle modo anaunciar que Mara
estava promettida e que breve sena esposa t
Estes pensamentos atravessavam o anmo abala-
do de Gernimo que, trmulo, pregava os olhos na
virgem que entra va na sala dando a mo a seu
pai.
O velho Beodati tinha deixado a sua cadeira, e
camnh ira at s-alas dos convivas, para, segun-
do as conveniencias, assislir passagem de Mara.
Simo Turchi aproveitra este movimenlo para se
apartar um pouco delle. E j era tempo, porque
quando Simo, como os outros, recebera a primei-
ra impresso da graciosa apparlgo, o seu corago
se lhe contrabira no peito pensando era que essa
nobre e pura menina seria sua esposa, se Gerni-
mo nao Ibe bouvesse levado a felicidade da sua
vida.
O olhar que langou sobre Gernimo, como um
relmpago de odio e de iaveja, ainda que muito
rpido, era urna sinistra ameaga de morte. Feliz-
mente para elle, todos os olhos estavam cravados sinceramente grata pela leal syrapathia que dedica
era Mara; se assim nao fosse, alguem poderia ter- ao sobrinbo do Sr. Deodati. Tem um bom e gene-
lhe
projecto que l estava occullo.
O Sr. Van de Werve apresentou sua filha aos
convidados. Todos exprimirn) a sua admirago
em pbrases cheias de urbanidade, e disseram que
se dariara por felizos podendo passar alguns ins-
tantes na sua corapanbia. ..
A nobre menina responda com sereno e amavel
sorriso s felicitagoes e lisonjas que lhe eram diri-
gidas. Havia no tora da sua voz e aa forma da
suas palavras tanta modestia, tanto recato e ao
mesmo tempo to rara urbanidade que os asisten-
tes olhavam uns para os outros como querendo di-
zer que nunca tinham visto nada igual. O que era
ainda mais admiravel, posto que os convidados
lhe presiassem pouca atlengo por estarem hab-
ido aa alma sombra, e adivinhado o horrivel reso coragao, e devo muito a Deus por ter dado a
meu pai e a Gernimo um amigo ti) dedicado.
As doces palavras da virgem pozeram Turcbi em
intoleravel situago. Osaaguefervia-lhe as veas;
o corago torturado agitava-se-lhe ao peito; a ci-
catriz, aecusaudo a sua agitago, desenhava-se-ibe
ardente no rosto. E era-lhe preciso parecer tran-
quillo e responder, com o animo livre e sera nu-
vens, s affecluosas palavras de Maria; porque de
redor delle havia pelo menos vinte pessoas que ti-
encootro lhe sahiria na fr.-r.ie o exercito r.'lial)
que se adianta da Concordia.
N& se confrrriia a noticia da chegada do fape-
rador a Uruguayana no da 8 ; pois. serondo pW-
ticipagoes ao general Osorio, Sma MageMade- cne-
gou a Algrete no oa II, isto mesmo a despeito
dos mais constantes, e pode diter-se, heroico es-
tarces para precipitar as maretas comas ferias
que podiam ma Faifa Deus que rJnda assim cftepae a iemee dte
fazer Tmxsa a readgao da Urcgaayana.
UI P1MX0 DE TCDO.
Traaserevemos do Dtano de 3. Paulo :
5 CDE FERO.
Trazeao sempre acalga esburacada
Em urna certa parleconheciaa,
Passanao o C-do-ferro vai a vid3
Sem pontos,mas cora a ment atribulada
Atteoto sempre ao som da badalada
Supporta o anno inielro a forte llda ;
A chamada azendade corrida
Ve nessonhos, de noute, a belelada.
Dei c ponto, rae Dos 1 esloa perdido I.,
De frada de casiisa corre a' roa
N'as rcalas acerda arrependido !
Eis d m pobre ohrislao a vida crua I
Pint3i-a como pudepor pedido
A' porta d'um col lega luz da la I
o piCADrmo
Bemdito sejas tu, oh I picadinbo,
Que rlo deixas a m=a do estndaate
Nao largas o tea postos bem con-.ante
Serapre bom, oempre quente e cheir'.sinao I
Sr o Lpez ese bicho lio damniaho
To cheirasse, na guerra, ara s instante
Seria menos- vil e petulante
Nao sera lo bostao pobresnhc I
Vai pr'a guerra oh inallivel orabater
E leva ala comligo a cosinheira
Que nao sabe nada mais aqu fuer!
h) fique, ara teu lugar a frigideira
Pois nao posso no dmogo mais comer
Picadinho e picadinao at morrer!
no Banco.
( lirada do quazto.)
Dogo-guorlGao bom que te partiste
Sera graga deste curso descontente
Nao fiques l no sino elernamaote
E viva eu c as aulas sempre triste I
Se nessa grande torre em que subiste
Memorias do cursista se conseute
Nao te esquegas do banco duro e quente
Em que sempre assenladotu me viste I
E se vires qne pode merecer-te
Alguma cousa a dr que me ficou
Por ler, at formarme, de soffrer-ta
Roga a Pires que do curso la lroa
Que nos faga pr'ao anno logo ver-le
Pois qu'elle nunca os quartos supporioo...
elle dizia.
Por um esforgo quasi sobrenatural fez-se supe-
rior sua commogo e justicou-a pela impresso
que sentir como todos os outros ; tambem fallou
de sacrificios que sao feitos voluntariamente e que
tuados a presencia-Ios, erara os ricos e variados cora tudo deixam no corago urna ferida dolorosa ;
conhecimentos de Maria. Se u n Hespanbol, um^ de urna abnegago deque o bomem pode conso-
Fraacez, um Italiano ou um Allemo lhe fallasse,
ella responda a cada um na lingua do seu paiz;
mas palavras benvolas, muitos nobres alianos fo- Que aqU8lle caDlico neerlandez nao podia ser posto
rara ter cora ella e pedirara-lhe que cantasse urna era paralello com o briihante e vivo estylo da mu-
canzone ou urna meloda qualquer. s'c italiana. Mas esse sentir dosfavoravel nao M
Com liceoga de seu pai, conseotio Maria em sa- de loDga dura. Breve cederam como todos os ou-
tros ouvintes a irresistivel influencia da mgica
tisfazer o desejo dos convidados; mas pareceu be-
voz de Mana. Era tal o silencio na sala, que se
sitar algum tempo sobre a lingua era que cantara,
0 K .' i nodia ouvir o murmurar das folhas agitadas no jar-
e poz-se a folhear alguns cadernos de msica que .
-,;...,. ,. dim pe a branda briza de maio.
Cbristiano lhe apresentara. F
O velho Deodati, que n'esse m miento estava ao Mara tinha emfim levantado a cabera o volvido
p do Sr. Van de Werve, exprimi to vivamente' os olhos para o co com expresso de adoragao.
o desejo de ouvir um canto em lingua neerlande- Todos os que a vim senliara-se como em xtasis e
za, que Maria nao pode ir contra aquelle dse- julgavam ver na virgem doce e modesta nm aojo
nbam nelle pregados os ottos e podiam ouvir o que 1- Pedi0 Perdao aos D0Dres italianos e annun- que cantava perante o throno de Deus.
lar-se para assegurar a felicidade de ura amigo,
mis que, pelo menos durante certo tempo, nos
cou que ia cantar um Kyne na sua lingua ma- Gernimo ao pode conter duas lagrimas de en-
terna. j thusiasmo; o velho Deodati tlnha as mos juntas
Christiaao asseatou-se aocravo para acompauhar como se o cantar de Maria o tivesse obrigado a
o canto e poz-se a preludiar. orar; at Simo Turcbi estava dominado pela ad-
Maria sollou na sala as primeiras notas como mlrago, e tiaha talvez esquecido por ura momento
delicioso murmurio; mas pouco a pouco a sua voz o odio e o clume que lhe dilacervam a alma,
tomou um accento mais Brrae e uraa expresso de Entretanto Maria continuava o seu cantioo, que
senliraealo mais profundo, at que no fim de cada' dizia :
estrophe a palavra eleison se erguia como um hym-1 Kyre. Daus veio a trra pelos homens; se-
ja isto sempre para nos um movivo de alegra.
mas era especialmente a bella lingua italiana qu, abysma a allDa as trovas da esperanga perdida... n0 ,r c0 com maiis eQergia e '"siasrao; .
tinha na sua bocea urna del.ciosa suavidade. Maria compreheadeu-o B agradeceu-lhe os seus comPasso era "*" ]^tmo' s'rap'9S e che, '
Quaudo chegou ao velho Deodati, tomou lhe am- bons sentmealos Ide serena e lran(lullla meloda. Mana de va sen-
bas as mos entre as suas e disse-lhe Wo ternas e Agradecida', muito agradecida, senhor, dlsse! ^"STtlJIJ'?^^^
affecluosas palavras, que o velho se senliu profun- em lom profundamente coramovido, afastandose
daraente commovido e s pude balbuciar algumas para ir satldar na sala as outras pessoas.
palavras de reconhecimento. os convidados estavam pela maior parte de p, e
Ao passar por Simo Turchi, disse-lhe com jo- reunidas de redor de Maria o maior numero da
vial sorriso : pessoas presentes acompanhararana no seu pas-
Don gracas a Deus, Sr. Turcbi, por o ver se0 atravez da sala.
tico religioso, porque em lugar de esforgar-se pa-
1 ra lhe dar effeito, ainda abrandava a voz, ja' to
doce e to suave, e soltava lentamente as notas
dos labios, como se a cantora estivesse absorta
, em alta conlemplaco e escutasse urna msica ce-
!leste.
Uo depressa restabelecido. Folgo deveras de o ver Quando Maria se aproxiraou do cravo, e dirigi Ao principio, os fldalgos italianos olhavam uns
aqui esta noute. Devo esltma-lo muilo e ser-lbe a mestre Cbristiauo, hbil cotteador de viola, a'ja-! para os outros, e parecia que queriam exprimir
1 Kyrio. Deus nasceu por nos de urna virgem
escolhida entre as virgeus, e fomos soltos dos lagos
ao peccado. Eleison.
1 Kyrio. Pelas aguas do baptismo escapamos ao
inimigo; Deus ajuda-nos para nao cahirmos as
suas mos malfazejas. Eleison.
f Christe. Oh santa medicina para os nossos ma-
les terrivels 1 Elle quiz morrer para livrar-nos do
mal. Eleison.
i Gbriste. Nosso irmo amado o domo libertador,
oh Christo, da'-nos graga para s praticar-mos o
bem. Eleison.
Christe. Filho do Eterno Pai, nosso consola-
dor, nao nos desamparos na hora da amargura.
Eleison.
a Kyre. Deus, Padre, Filho, Espinto Santo, tres
pessoas e um s Deus, perraitli que vos looveans
no co. Eleison.
Ja' a virgem tinha acabado de cantar ba alguns
instantes, e continuava na assembla o mais pro-
fundo silencio. Todos receiavara perder am som
d'aquella doce voz; mas quaudo se notoa qoe Ha-
ra tinha abaixado os olhos e que o cntico acaba-
ra, ergueu-se entre os ouvinles um murmurio 4
admirago e de reconhecimento. Todo correo a
felicitar Maria.
No meio dos comprimentos qoe Ihes dirigiam,
ella descobrio Geroairao, que, muito commovido,
e a alguns passos de distancia, liona ainda uraa
lagrima nos olhos. Ou porque qoizesse escapar
aos elogios de todos, ou porque cedesse a na ver-
dadeiro desejo, dingio-se vivamente pira ella, pe
gou-lbe na mo e levou-o com affectuosa iasMta-
cia para o cravo. Quera que elle cantasse ama
aria italiana.
Gernimo, turbado e com a cabega quasi per-
dida, resisti algum terapo ao sea pedido -, mas
seu tio, movendo-o a satisfazer aqaelle desejo de
Maria, ainou a pressa um alade, e como primei-
ra palavra do seu canto desprenden dos laam a
palavraItalia I com um tom que, como na in-
citamento ao enlbuslasmo, fez estremecer teos es
coragdes.________________(Continuar-se-k*.)
PERNAMBUW-nP. PE F. DE F. & tUfiO.
-----------------------
*.. _r~r _. l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZKP0E5SG_63LSI6 INGEST_TIME 2013-08-28T01:53:33Z PACKAGE AA00011611_10791
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES