Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10789


This item is only available as the following downloads:


Full Text
<
AMO ILJ. MDMERO 232
Por qaarel lago dea tro de i O dios do lt mez : i fifOOO
dem depois dos 1.' 10 dios do comecoe dentro do quartel.... 61000
Porte ao correio por res ezes........;., i 750
TERCA FE1RA 10 DE OUTUBRO DE 1865.
for anno pago dentro de 10 das do 1.* mez i91001
Porte ao correio por um anno............., SfOOt
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyt>a, o 5r. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4
Futios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Serinhaem, Rio Formoso.. Tamandar, Una, Bar
reros, AguaPreta Pimenteiras, as quintas
feiras.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,| AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, nastergasJTribnnaldo commercio : segundas e quintas.
feiras.
Pu d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ez, as quartas
feiras.
Relago: tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : qnintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 14 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira tar do cirel: (tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
EPHEMERJDES DO IEZ DE OUTUBRO.
4 Lna chela as 8 b., 11 11, e 46 s. da I.
11 Qaarto ming. a 1 h., S m. e 22 s. da t.
19 La nova as 2 h., 7 m. 52 s. da t.
27 Quarto rele, a 1 h., 3C m. e 16 s. da t.
, 9. Segunda. S. Dionizio b. m.; S. Loiz Beltrao.
quartas e sabbades a 1 Un. Terca. S. Francisco de Borja; S. Penito b.
111. Qnarta. S. Nicaciob. m.; S. Samatra.
12. Quinta. Ss. Cypriano e Walfrido bb. mm
13. Soxta. S. Eduardo rei de Inglaterra.
14. Sabbado. S Calixto p. m.: S. Gaudencio b. m.
15. Domingo. S. Thereza de Jess v. c.
PAUTE OFFICIAL
GOVERNO Qk PtOVIAJ!.
Expediente do dia C de outHbro de 1865.
Offieio ao 1-lxiii presidente da provincia da Pa-
raliyba. Era vista das ponderagoes feitas no re-
querimento incluso por copia, pelo voluntario da
patria, Luiz Ferreira Maciel Pinheiro, resolv man-
dar eflectivar a sua praga no terceiro corpo desla
provincia, a que se achava addido : do que dou
sciencia a V. Exc. em addilamento ao meu offieio
de 16 du selembro ultimo, em que communiquei a
ida para essa capital do predilo voluntario.
Dilo ao inareclial de campo commandante das
armas. Queira V. Etc. informar sobra o que pe-
de no incluso requerimento o capilo reformado do
exercito, Joo Mannho Paes Brrelo.
Dito ao mesmo.Faca V. Exc. eliminar do tata-
Iho de guardas nacionaes destinado ao servigo da
guerra, os guardas do batalho n. 10, Manoel Joa-
quim do Nascimenlo, e do batalho n. lo, Manoel
Antonio Barbosa, que foram julgados incapazes do
servico em iospecgo de sade, segundo V. Exc.
declarou em seu offieio n. 1777, de 5 do cor-
rete.
Dito ao mesmo. Informe V. Exc. sobre o que
pede Marcolino Mara da Conceigo, no incluso re
queriraento.
Dito ao mesmo.Ao voluutario da patria, Anto-
nio Joaquim Joven Lras, que regressou da Para-
hyba no vapor Paran, mande V. Exc. considerar
como praga ffectiva do quinto corpo desta provin-
cia, conforme quer.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. adiantar com urgencia, a Joao Jos
Claudimiro, a quantia de 48,5000 por conta da gra-
tificado que tem de vencer como foguista contra-
tado para os vapores da armada.
Dilo ao mesmo. Transmiti a V. S. os dous
prets junios em duplicata, que me remellen o com-
mandante superior da comarca de Nazareth, em
otico de 30 de setembro ultimo, sob n. 223, alim
de que nao havendo inconveniente, mande pagar
pela col ectoria d'aquella cidade, os vencimentos
na importancia de 27120, de duiS escoltas de
guardas nacionaes, que vierain a esta capital con-
duzndo recrutas.
Dito ao mesmo Recoramendo a V. S. que, em
vista dos iuclusos documeulos, e nao havendo in. I
conveniente, mande pagaros vencimentos relativos!
ao maz de selembro ultimo, dos oflkiaes de pri-
meira linha, tambores, cornetas e clarins emprega-
dos nos corpos da guarda nacional desla capital, e
bem assim o alugoel correspondente aos mezes de
julho a setembro desle anuo, da casa em que func-j
ciona a secretaria do respectivo commando supe-
rior, segundo consta de offieio deste datado de hoje
e sob o. 375.
Dilo ao mesmo. Ao relojoeiro A. Berlrand,;
mande V. S. pagar, conforme solic.tou o director
do arsenal de guerra, em offieio de hontera, sibn.j
423, a quantia de 10JOOO era que imporlou o con- j
cerlo autorisado por esta presidencia do reloglo da
secretaria do commando das armas. Comrauui '
cou-se ao director do arsenal de guerra.
Dito ao inspector da tliesouraria provincial.
Inteirado pelo seu offieio de honlem, sob n. 400, de
liaver Frauci.-co Xavier Soares, offerecido em has-
ta publica a quantia de 0<5000 pelas pedras de
cantara, que se aebam junto ao arco da Conceigo,'
leuho a dizer era resposla ao citado ollicio que p- i
de V. S. acceitar esse oferecirnento.
Dilo ao mesmo. Deferindo o incluso requer-
melo documentado do prufessor publico interino
de iustrucgo primaria da povoago de Trombelas,
Alexandre Maguo Peiiolo de Alencar, recoininendo.
a V. S. que mande pagar-lhe os seus vencimentos
correspondentes aos qualjrze das do mez de se-
tembro ultimo, em que por doenle deixou elle de i
dar aula.
Dilo ao mesmo.Estando era termos os inclusos.
prets em duplcala, que me remetteu o comman-
dante superior da comarca de Olinda, cora oficio ,
do primeiro do corrente, mande V. S. pagar os
vencimeoiOS relativos ao mez de setembro ultimo,
dos guardas nacionaes destacados nos municipius
de Olinda e Iguarass, como se v dos menciona-!
dos prets. Communicouse ao commandante su-'
perior da guarda nacional de Olinda e Iguarass.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarass. Tendo nesta data
mandado eliminar do batalho de guardas nacio-
naes destinado ao servico da guerra, o guarda do
batalho n. 10 do municipio de Iguarass, Manoel
Joaquim do Nascimento, que foi julgado incapaz
era aspecgo de sade; assim o declaro a V. S.
para que remella esta capital outro guarda era
substituigo quelie.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios do Brujo e Cimbres.Em res-1
posta ao seu oficio de 13 de setembro prximo
lindo, tenlio a dizer-lhe iue, em vista do proced*
ment do lente coronel commandante do bala-
lbo u. 38 de infamarla do municipio de Cimbres,
Antonio de Siqueira Barbosa, deve V. S. fazer-lhe
i i -riiva a pena do artigo 97 ;," 4 da le n. 602 de j
S9 de setembro de 1850, cumprindo que me intor-
me circunstanciadamente sobre o modo porque o
referido tenente coronel tem satisfrito s ordens
iransmittidas por esse commando superior em re-
lago a designado e aquartelamento dos guardas
para o servico da guerra, afim de poder tomar a
eu respeito a providencia do artigo segundo do
decreto n. 3506 de 4 de agosto do correute anno.
Dito ao director do arsenal de guerra.- Declaro
a V. S. para sen conherimento que oestadata man-
dei abonar pela thesouraria de fazenda a quantia >
de 4800O a cada um dos foguistas, Joo Manoel,
Pacheco e Pedro Jos Rodrigues, por conta da gra-
lificago que tem de perceber como contratados pa-
ra servirem nos vapores da armada.
Dito ao administrador do corren. De partici- i
paco da secretaria de estad) dos negocios da:
agricultura commercio e obras publicas datada de
15 de setembro ultimo, sob n. 226, consta que Tora i
concedida naqu lia data a demissao que Antonio
Pereira da Rocha pedio do lugar de agente do
correio do Rio Formoso, e para o substituir no-1
nieado o actual ajuJante Joao Francisco de Moura
Cunta, que Toi tambem substituido por Jos Lan
delino de Almeida e Andrade, vencendo a 1 cln-
coenta por centodo rendimento t agencia e sen-
do-lbe xada a gratilicago annual de 120000,
para Ihe ser preeochida no caso era que pela por-!
centagem nao prefaga esta qjanlia; e o segundo ;
com o vencimento do agente quando lizer as
suas vezes : o que communico a Vmc. para os iiis
convenientes.
Dito ao teneute-coroDel commandante do bata-
lilao n. 38 de infantaria do municipio de Cimbres
Antonio de Siqueira Barbosa.Infrmeme Vmc.1
e com urgencia sobre o cumprimento que tem da-1
do as ordens expedidas por esta presidencia era
circular de 16 de agosto ultimo, relativamente a
designaco e aquartelamento dos guardas naci I
naes, que o batalho sob seu commaado tem de dar
para o servido da guerra, declarando a razo por j
que at esla dala ainda nao me commuoicou a
execugo que deu juelias orden-, e uem ao menos!
aecusou o reeebimento da referida circular.
Dilo ao capilo do porto. Dos recrutas de que
trata o seu offieio n. 195, de hontera datado, s de-,
vem ser remellidos para a corte no vapor Varano.
os qae esto mencionados na relago junta, o que
declaro a Vmc. para seu conhecimento e afim de
que os faca embarcar cora o de de qae traa a mesma relago.
Dito ao ebefe da repartigo das obras publicas.
Tomando em conslderaco o que Vmc. expoz em
seu ofiici de 4 do corrente, sob n. 318, concedo
a aulorisacao nelle pedida para lavrar o termo de
reeebimento definitivo do 11 I a neo da estrada do
Pao d'Alho a Nazareth (empreza Mamede) e nesta
dala recommendo a thesouraria provincial, que,
vista do competente certificado, pague a quantia
de 2:4000^000, constante de seu citado offieio, que
tica assim respondido.OoTciou-se ueste sentido a
thesouraria provincial.
Dilo a cmara municipal do Bonito. Respon-
dendo ao offieio que me dirigi a cmara munici-
pal do Bonito em 15 de setembro ultimo, tenho a
dizer-lhe que nao se tendo ainda procedido a elei-
co de vereadores do municipio de Bezerros, nao
se pode por esla razo considerar finstallada a
respectiva villa, deve por tanto a mesma cmara
continuar a arrecadar a renda do seu municipio
em relacao as duas freguezias de Bezerros e Gr-
vala, e com estas despender o que for necessario
al que comece a funccionar a cmara do novo
municipio.
Dito ao gerente da Companhia Peroambucana.
Pode Vmc. fazer seguir para os porlos do norte
o vapor Persinunga no dia 9 dele mez a hora in-
dicada em seu offieio de 5 do corrente.
Portara.O presidente da provincia attendendo
ao que requereu Manoel Joaquim Lobato, resolve
eonceder-lhe liceoga para remetter para o presidio
de Fernando no vapor Mamanguapc da Companhia
Peroambucana, os gneros constantes da relacao
junta, assiguada pelo secretario do governo, nao
podendo porcm effectuar o gesembarque dos ditos
gneros sem qu por parte do commandante do
mesmo presidio se proceda a exame, afim de se
verificar se ha agurdente ou outra qualquer bebi-
da espirituosa.
Dila O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o juiz municipal e de orphaos do
termo de Ipojuca, bacbarel Francisco Brando Ca-
vanti de Albuquenjue, resolve conceder-lbe 2 me-
zes de licenja com ordenado na forma da le, para
tratar de sua saude.
DitaOs Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, mandem dar transporte at a corle
no vapor Paran em lugar de pra destinado a
passageiro de estado ao cabo Marcolino Milito
Moreira, ordenanza do capito Zesgler.
Dita.-OSr. gerente da Campanhia Pernambu-
cana mandem transportar at o presidio de Fer-
nando, no vapor Mamanguape em lugar de proa
destinado a passageiro de Estado a Mara Jos da
Annunciacao, mulher do sentenciado Vicente Fer-
reira Soares.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, mandem transportar at o Rio de Ja-
neiro no vapor Paran em lugar de proa destina-
do a passageiro de estado a Anna Mara de Mello,
que consta ser desvalida.
Expediente do secretario do gorerno do dia C de
outubro de ISbo.
Offieio ao inspector da thisouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda
transmittir a V. S. as 14 iaclusas ordens, sendo 8
do tribunal do thesouro nacional, sob ns. 117 a
124 e 6 expedidas pelo aiiaUterlo da guerra com
datas de 9, 12 e 18 de setembro ultimo, bem como
i officios um da directora geral Jas rendas publi-
cas e outro da secretaria daquelle ministerio, data-
das de 9 e 2J do citado mez de setembro.
Despachos do dia 6 de ontubro de 1865.
Requerimentos.
Antonio Jos de Castro.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Alexaudrino Thomaz de Aquino Coelho. Iofor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Severitno de Mello Falcao. Informe o
Sr. Dr. juiz de direito da comarca do Brejo, ouvin-
do o juiz municipal respectivo.
Companhia de vapores brasileiro.Informe o
Sr. Inspector da thesouraria de fazenda, tendo em
vista o aviso de ministerio da fazenda de 7 de
dezembro de 1864.
Cosme Jos de Freitas.Indeferido.
Cosme Goncalves de Vasconcellos. Junte o sup-
plente cerlido de idade.
Tenente Epifanio Borges de Menezes Doria.
Dirija-se a tiiesouraria de fazenda.
Francisco Antonio Corri de Barros.Apresen-
te o substituto no quartel general do commando
das armas para ser inspeccionado.
Bacharel Francisco rando Cavalcante de Al-
buquerque.l'.-e portara concedendo a licenca
requeiida com uidenado ni furnia da le.
Fortunato Ribeiro de Allm juerque. Junte o
SUpplieaote cenldao de casamento.
Genoveva Maria da ConceicSo. Eutregue-se a
certidao pedida.
lguacio Luiz de Brito Taborda.loforme o Sr.
inspector da thesouraria da fazenda.
Joaquim Curdeiro d* Silva.Seja inspeccionado.
Padre JosPorliro Gomes.A* vista da informa-
gao da thesouraria nao pode ser attendido.
Jos Victorino da Silva. Em vista da infor-
raago, nao tem lugar o que rejuer o suppli-
caute.
Joo Alves da Cunha uliveira.Nao lera lugar
o que requer o supplicante.
Joaquim Jos de Santa Anm.Nao tem lugar o
que requer o srpplicanle.
Jos Caetano Pires da Silva.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria da fazenda.
Joaquim Maria de Carvalho. Informe o Sr
inspector da tliu-ouraria da fazenda, tendo em vis-
ta o aviso do ministerio da fazenda de 7 de dezem-
bro de sril.
Luiz Francisco de Paola Ramos. Informe o Sr.
juiz municipal do termo de Cimbres.
Manoel Firmino Ferreira.Nao tem lugar.
Thomaz Antonio de Paula Buarque. Informe o
Sr. Dr. ebefe de polica.
Tertuliano Ernesto de Moraes Carvalho.O lu-
gar que o supplicante requer j foi provi' >.
Virtuosa Maria da Concelrjo. Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do Rio
Formoso e Serinhaem.
PERNAMRUCO.
R8V1STA DIARIA.
O Sr. Joao Nepomuceno Alves HtfJI, que dei-
cara
Antonio Francisco Carneir > da Cunha e I escravo,
Severiano Jos da Silva,
padre Antonio G. BezerraJ
Barros, sua senhora. 3 eri incas,
I omlngos Carlos Saboia,
Bellarmino do Reg
criadas, Franojseo Jos Sel
Jos Rufino de-Melto e 2 c
Passageiro-; do vapor
sahido para a liba de Fern indo :
Francisco Jkaqnim, Nona
A. Martins de Jess, Maria
e Francisco Gomes de Andiade.
xando seus commodos, sem atienclfaos seus inte
resses pessoaes, correr a alistar-se como volunta-
rio da patria, e que ainda em seu ardor patritico
tem agenciado o alistamento de nao pequeo nu-
mero de voluntarios, acaba de fazer abstenga > do
premio de 300,5000 e da sorte de trras, que ga-
rantida ao voluntario pelo decreto de 7 de Janeiro
prximo passado.
E' este um proceder duplicamenle louvavel, e
pelo qual se faz o Sr. Macil credor de elogios.
Era consequencia de ser concedida a exone-
ragao pedida pelo Sr. Dr. Luiz Antonio Pires, foi
nomeado delegado litlerario da Escada t> Sr. Dr.
Sergio imz de Moura Mattos.
Por apresentago dos Exras. Srs. coramenda-
dor Domingos de Souza Luo e barao de Guarara-
pes, foram alistados no 5. corpo de voluntarios os
Srs. Martinho Francisco Ferreira, Antonio Ignacio
Nones, Izidoro Aotonio Fragozo e Joo Flix Ra-
mos Lieulier.
Hoje faz leilo o agente Cordeiro Simoes de
movis, escravos e outros objectos de goslo em seu
armazem a ra da Cruz n. 57, as 11 horas.
Apezar de se trabalhar no domingo cora todo
o alan e diligencia para concluir-se o leilo de
prendas offertadas em favor do Hospital Porluguez
de Beneficencia, apezar mesmo de nelle trabilba-
rera com o maior zelo e dedicago o Sr. Pestaa,
bem como o Sr. Pinto, que delicadamente se apre-
sentou a offerecer e mostrar os objectos expostos;
nao foi todava possivel concluir-se esse servigo,
reservande-se o restante da exposigo para urna
outra arromatago, que devera' ter lugar em o:ca- Boa-Vista, um volvo.
sio propria, nao se sabendo se sera'no mesmo ,r.Anlo.^o^ods Janei
local do Hospital ou em outro, porque se deseja
attender a' maior commodidade dos concurrentes
quelie acto todo de beneficencia e caridade.
Nao podemos ainda informar os nossos leilores
acerca do producto liquido desses objectos, lo ge-
nerosamente doados em beneficio dos pobres des-
validos, mas ha toda a probabilidade que ascenda,
na sua totalidade, a 6:000$.
estino
iados.
irasileiro Mamanguape,
Manoel Baptista Barbara, Jo mna Mara do Rosario,
Thereza Maria da Conceiga< Maria Jos da Annun-
ciago, 15 sentenciados e if~
Fehciano Maceado, Francis
BITUARIO DO DIA 5 DE
mno?, Santo Aotonio,
Guedes Alcanfora-
oltelra, Santo Antonio,
Cemitbbjo publico,
octubro de 1865.
1 Antonio, Pernambuco, 3
febre cerebral.
Laura Cavalcanti de Mor es
do, Pernambuco, 15 anoos,
febre cerebral.
Francisco, Pernambuco,
cravo, Santo Antonio, tetand.
Jos Antonio Franca, Per ambuco,
sado, Boa-Vista, intente.
Maria, Pernambuco, 40 d jas, Recife,
( escrava.)
Bernardiho, PernambucoJ
cravo, Santo Aotonio, incep talite.
Ricardo, Pernambuco, 30*
vo, Boa-Vista, escrfulas.
Philomena, Pernambuco,
6
Anglica, Pernambuco, 4
va, Boa-Vista, tubrculos p limonares.
Felizarda Maria da Couce gao, frica, 60
solteira Boa-Vista, cancro.
Francelina dos Prazeres,
PREAMAR DE I70JE.
I Primeira as 8 horas e 30 m. da manha.
ISegunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ol at Alagoas a 14 e 30; para c norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Pigoeiraa dt
Faria & Filho.
4 escravos e 2
de Barros, Dr.
a Mari da Conceigo,
Rosa do Nascimento,
pragas de polica, Jos
o Bento Ferreira Lnna
ro,
1 Vista, insuficiencia da valv
Pedro, Pernambuco, 1 ar
(50 annos, sol toi ro, es-
80 annos, ca-
convulsoes,
30 annos, soltelro, es-
annos, solteiro, escra-
p mezes, S. Jos.
annos, soltera, escra-
annos,
Pernambuco, 16 annos,
solleiro, Bia-
UMIMWIIO DS ARMAS.
Quartel general do eomrnaodo das armas de Per-
nambuco na cidade do Recite, 9 de oulubro
de 186a.
Ordem do da n. 126.
O marechal de campo commandante das armas
faz certo a guarnico para seu conhecimento e de-
vido effeito.
i. Que a presidencia em portara de 6 d'esle
mez, concedeu a demissao que solicitou o Sr. Joo
Luiz Ribeiro de Faria do posto de capito da 8."
companhia do batalho n. 8 da guarda nacional
desle municipio, e por tal motivo deixa de perten-
cer ao 1. da guarda nacional destacado para o
servigo de guerra do qual fica eliminado.
2. Que o mesmo presidente em oficio oe 7 do
corrente, mandou que fossem elogiados pelas pro-
vas de patriotismo e desinteresse que patentearam
os voluntarios do 5." corpo Joao Nepomuceno Alves
Macil, e Francisco Jos da Costa, que renuncia-
rara em bem do estado para as despezas da guer-
ra a gratiicago de 300'JO0, e a sorte de trras a
que Ihes da direilo o decreto n. 3,371, de 7 de Ja-
neiro do corrente anno.
(Assignado.) Francisco Sergio (TOliueira.
Est conforme.Antonio Francisco Duarte, 2."
tenente-ajudante de ordens interino encarregado
do detalhe.
iO annos
la.
no, S. Jos, convulsSes.
M manila, Pernambuco,;; i annos, solteira, escra
va, S. Jos, ascite.
A-i Ir Epiphanio Monte ro, Piauby, 28 annos,
solteiro, Bia-Vista, tubercui is polmonares.
Candida Maria do Sacrat ento, Pernambuco,
Com quanto na licilag) dos objectos alguns nao anos' casada, S. Jos, hyp
rtrophia.
obtivessem o prego que mersciain, outros foram
levados a um valor muilo excedente, como, por
exemplo, urna pega de culta, que o Sr. agente Pin-
to arrematou no domingo 1 do corrente.
Essa pega depois de ter all produzido 315000,
deu ainda em mo do mesmo senhor, em beneficio
do Hospital, mais 1645000 ; e de novo voltando
ao leilo do dia 8, produzio 345000 mais, promet-
tendo o ultimo licitante entrega-lo de novo para
ser em seguida arrematada, em beneficio do mes-
rao estabeleciraeoto piedoso.
Remettem-nos o seguinte.'pedindo sua publi-
carao :
< S. Exc. o Sr. conselheiro presidente da provin-
cia visitou hontem a cidade de Olinda com o pro-
psito de examinar o encanamento superior do rio
Beberibe ; e consta nos, que depois de ter chegado
al o Forno da Cal voltou cidade, percorreu di-
versos lugares, entrando no hospital dos alienados,
e demorndosen algum tempo, e Dcando ao de-!
pois no recolhirhento da Conceigo, onde a sua'
excflllenlissima snhora quiz ver as recolhidas : di-'
rigio-se depois S, onde tambera s* deraorou,
examinando as obras, que se cstao fazendo ; e a
larde foi at o quaitel do largo do Carmo.
c Consta-nos que S. Exc. est disposto a conti
nuar o encanamento do no Beberib, para matar a
sJe dos habitantes de Olinda, condemnados, lia
muito tempo, ao suplicio de Tntalo.
Praza aos ceos; que o Exm. Sr. l'aranagu,
persista no seu louvavel intento, e que nao obstan-
te achar-se a sua attengo sobrecarregada com as
providencias da guerra, nao se esquega das neces- i
sidades palpitantes dos seus governados.
l'ma intelligencia acurainosa, e urna vontade
perseverante nao deixaro de encontrar recursos
sufficienles para promover o bem real da provincia
confiada a seus cuidados ; e perpetuar a memoria
do seu governo era caracteres indeleveis, que de
certo serao apontados pelo dedo da posteridade
agradecida, e
Solicila-s-nos esta publicarlo :
t Pretenda ola responder mais as aecusagoes
feitas ao digno riscal da freguezia de Santo Anto-
nio para nao massar o publico, a quem tanto res-
peito, porm me vejo forgado a dirigir de novo
duas palavras ao Sr. Eoidmico em abono do Sr.
commendador Caetano Pinto de Veras, a quem tra-
tei apenas de pagar um tributo, deffendendo o, pela
aniisade que a este cavalheiro consagro.
Ao ler o que sahio no Diario de 7 do corren-
te, liquei perplexo e extremamente admirado pela
maneira gaiata por que se dignou tratar-me o Sr.
Epidmico. Guardando sempre as conveniencias
di homem para homem e nao de gaiato procurei
responder pela ultima vez ao Sr. Epidmico, porm
fui retribuido de forma diversa, aislo direi : cada
um d o que tem. Ainda esta vez foi injusto para
com o Sr. commendador Veras o Sr. Epidmico.
Nilo foi, uito interveio e nem pedio para que se Ihe
delendesse das aecusagoes que pareca seren fei-
tas a hscalisago o Sr. commendador, apenas o de-1
ver da amisade e nao o espirito de patronato ; por
que nunca precisei e nem recebi do mesmo cava-
lheiro favores, me obrigou a defiende-lo, o que fa-
ria para com o Sr. Epidmico se estivesse as mes-1
mas relagoes que est para comigo o Sr. comincn-!
dador Veras.
Sirvam eslas linhas para desengao do quem
julga fcil e de nenhum valor escrever para o pu-'
buco censurando empregados que saben cumprir os
seus deveres, sendo que nem imprtame e-arrisca-
da misso semelhante proceder.
Bacharel F. Q.
Repartico da polica.
Extracto das partes dos dias 8 e 9 de outubro de
1865.
Foram recolhidos a casa de deteoco no dia 7
do corrente :
A' ordem do Dr. delegado da capital, Cesario,
escravo de Joao Francisco de Oiiveira, a requisi-
go deste.
A' ordem do subdelegado do Recife, Jos da Cu-
nha, para correego.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, An-
tonio Jos Bjnto, para recrula ; Hypolito, escravo
de Salvador Henrique Cavalcanti, a requerimento
deste.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Felippa do
Senna de Sania Anua, Senhorinha Maria da Con-
ceigo e Rosalina Mana da Conceigo, para cor-
reego.
A' ordem do subdelegado da l...vYi-ta, Fran-
cisco e Isabel, escravos, esta de Maria de tal e
quelle de Miguel Jos de Almeida Pernambuco,
i por fgidas e Isabel Mria do Espirito Santo, para
j correego.
A' ordem do subdelegado do Peres, Severo de
Oliveira, como desertor.
Dia 8
A'-rdera do subdelgalo da Bia-Vista, Raymun-
do Jus de Lima, por crime de r julo.
A' ordera do subdelegado de S. Jos, Manoel,
escravo de D. Rosa de tal, para corrego.
O chefe da 2* secgo,
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Passagoiros do vapor brasileiro Persinunga,
sabido para os portos do norte :
Damianna Maria do Bon parto, Pernambuco, 25
annos, solteira, Boa-Vista, i hthysica polmonar.
Maria, Pernambuco, 15 aezes, Boa-Vista, con
vulsoes.
Manoel, Pernambuco, 4' dias, Boa-Vista c
val-oes.
Joo, Pernambuco, 2 an os, Boa-Vista, convul
soes.
8
Jos Rosa Rodrigues, Mitas, 30 aonos, solteiro,
Boa-Vista, molestia de peilo
Maria Umbelina da Concc gao,
annos, solteira, Boa-Vista, ;
Evaristo, Pernambuco, 20
vulsoes.
Germano, Pernambuco,
dentingo.
Sabiua, Pernambuco, 11
(tuna.
Raimunda, Pernambuco,
crava, Boa-Vista, congesto
Josepba. 28 annos, Para,
Vista, tubrculos polmonare
40
Pernambuco, 24
oeraia.
mezes, Boa-Vista, con-
k mezes, Boa-Vista,
nezes, Boa-Vista as-
0 annos, solfeira, es-
erebral.
olteira, escrava, Boa-
-
s a
SI
I si
I p I
i : I
I : i : i
&c I
Masi
ulino.
-i
Fem nio.
Man ulino
Fem
Mase ulino.
Fe mi
-I
S8 I
w I
I I Mase ilino.
I I
a
u. TOTA!.
oo i
i I
>
it
>
o
y:
Z
>
o
>
71
:\
mno.
VI
en
H
en z
n
Fem lino.
o
a
o
Mase dio.
uno.
g I
: o
>
Fem uno.
o
I
I
>
E.
t
-i
o

t
I|2, 6, 6 I|2, pelo
9, 10 1|4, pelo Dr.
adverte: ca.
Na totalidade dosdoentes* sistem 171, sendo 103
homens e 68 mulheres.
Foram visitadas as enferrijaras estes dias
. As 6 1|4, 6 1|2, 6 1|2, 6,
Dr. Ramos.
As 9 1|2,8 i|2, 9, 10,9
Sarment.
Fallecerm :
i Nicolao Jos de Fontes; enciphalite.
Jos Antonio Franca; enterile.
Francelina dos Praseres volvo.
' Aotnio, preto ; insuficiencia das vlvulas.
Felizarda Maria da ConceigiJ; cancro ulceroso.
1 Josepha, escrava -, phlysica pulmonar.
Maria Umbelina ; anemia.
Chrisibghen Brangaor; apjnn :ia.
wwKe
CMARA MUMPAl DO RECIFE.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 9 DE SETEM-
BRO DE Ij
Presidencia do Si: P
Presentes os Srs. Thomaz
Reg, Santos e Df. Villas-Bol
lida e approvada a acta d.i
declarago do Sr. Dr. Villas
encarregada a commisso di
examinar o cano conductor
65.
reir Simoes. _____
'Aquino, Gustavo do
s, abre-se a sesso e
antecedente, com a
tas de na ter sido
sade para de novo
fumaga expedida da
fabrica a vapor de Antonio M ia Brito, e sim urna
fim.
commisso especial para ess
L-se o seguinte
expedienU
Um offieio do Exm. presid
zendo que em vista do mo e
a robera do agougue e rio*
Boa-Vista, cujos concertis i e necessidade proce-
iler-se quanto antes, como lu< o expoz a cmara em
olficio de 23 de agosto ultimo
antorisago pedida pela mesn a cmara, para dis
pender mais at o fim do correte exercicio a
Amaro B. de A. Maranhao, Aotonio Telemaco quantia de 3 0005000, alm dja que esta' marcada
Lima Verete, Dommenico VanoL 4 pragas, Fran- ta respectiva verba.Inteirada.
cisco da Silva, Aotoqio Jos de Souza Carvalho, Outro do juiz de paz Io supblente do V distrteto
s.
nte da provincia, di-
tado em que se acba
ira da freguezia da
dajreguezia de Jaboatao, Manoel Mondas Carneiro
Leo, communieando nao poder comparecer no
dia 6 do corrente para prestar juramento, em con-
sequencia de achar-se atacado de um defluxo forte.
Inteirada.
Outro do cidado Jos Antonio Gomes Jnior,
ofterecendo um exemplar da obra que fez publicar,
denominadaNog5es do systema mtrico decimal
declara ambicionar muito que o seu modesto
servigo merega a approvago da cmara.Mandou-
se aecusar o reeebimento e agradecer.
Outro do solicitador, remetiendo a conta das
despezas judiciaes feitas at 7 de junho ultimo, na
j qual se verifica um saldo a seu favor de 533890,
: pede para o pagamento desse saldo, e para conti-
nuar com as despezas judiciaes a quantia de 1005.
] Mandou-se ordem ao procurador para entregar a
i quantia pedida, e remetterse a conta para a com-
| misso de pulleia.
Outro do contador, dizendo que no dia 30 do
corrente finda-se o tempo por que foram arremata-
das diversas rendas municipaes, comoselam tainos
de agougue e cazinhas da ribeira de S. Jos e Boa-
Vista, casas da praga da Independencia, da Sole-
dade, Florentioa e Imperial, imposto de afferigoes
de pesos e medidas, e 80 rs. por carga de farinha;
pede a cmara que providencie a respeito.Man-
dou-se por em praga para serem arrematadas as
mesmas rendas nos dias era que corresse a sessao
ordinaria, a qual o Sr. presidente nesta occasio
marcou para principiar no da 13 do corrente e
seguintes.
Outro do mesmo, informanlo o requerimento no
qual o Dr. Joo Francisco Teixeira pede o paga-
mento da quaniia de 3555340, de custas em que
fora condemnada a raunicipalidade; declara achar
os documentos legaes, menos o de n. 9, que urna
procurago para receber as custas pertencentes
Luiz (.andido Furtado Csjhp, a qual Ihe parece
nao dar poderes para IssoWwandou-se informar ao
advogado.
Outro do engenheiro cordeador, informando nao
haver inconveniente em conceder-se ao Dr. Sabino
Olegario Ludgero Pinho, demolir a frente de sua
casa sita ra das Flores n. 2i, e reedifi-a-la d
novo, fazendo nella um porto para coeneira, urna
vez que Ihe seja dada cordeagao. Maodouse
cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimento no
qual o capito Jos da Fonceca e Silva pede para
que Ihe seja permiltido substituir a varanda de
seu sobrado sito a travessa da Bomba n. 2, que
de madeira, por outra de ferro, visto que a pri-
meira se acha arruinada ; declara nada ter que
oppor.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento em que Joaquim Velra de Barros, propie-
tario da casa terrea n. 11, sita ra das Aguas-
Verdes, fregu-zia de Santo Antonio, pede para que
Ihe seja concedido concertar a coberta da mesma
casa, e fazer cornija na trente : declara nada ter
que oppor a semelnaote preteoco. Conce-
deu-se.
Outro do mesmo, informando nao haver incon-
veniente em permitlirse que Domingos Ferreira
das Neves Guimares faga algons reparos na co-
berta da casa n. 32 da ra Imperial, freguezia de
S. Jos. Permiltio-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento no
qual Jos Alves Lima, proprietario da casa terrea
o. 36, sita ra do Rosario da freguezia da Boa-
Vista, p^.de para que Ihe seja permitlido fazer no
quintal da mesma casa cem frente para a ra dos
Pires, una mela-agua ; diz que nada ha que oppor
a pretengo do peticionario, urna vez que Ihe seja
dada cordeagao e nivelamcnto. Mandou-se cor-
dear.
Outro do mesmo, respondeudo ao oficio que Ihe
fura dirigido em 30 de agoslo ultimo, declara que,
deu cordeagao a Jos Joaquim da Costa Maia, para
reedificar a sua casa sita a' ra do Imperador n.
32, conservando o alinliamento em que a mesma
se acha, porque assim o determina a planta da ci-!
dade approvada para regular as editicagoes na-
qoella ra, sendo por tanto menos fundada a per- j
suasao em que esta' a cmara, de que os predios |
all existentes devem avangar para a frente, o que'
s tem lugar com os que existem do lado do oas-:
cenle.Em vista de semelhante declarago, conce-
deu-se a licenga a Jos Jiaquim da Costa Maia.
Outro do mesmo, dizendo ter-lhe sido apresenta-!
do por Jos Thomaz Cavalcanti Pessoa, o requer-
OWOto que remelle, para dar cordeagao, afim de po-;
der o peticionario fazer 290 palmos de cerca em !
frente de seu silio na travessa do Luca, freguezia
dos A fugados; declara nao se poder conceder o que
elle requer, sera que primeiro se faga recuar a
cerca do sitio fronleiro, por quanto a seguir o pe-'
ticionario com a cerca que pretende fazer no ali-l
nhamento do muro do sitio vizinho por elle enge- j
nheiro marcado, como o mais regular, ficara'.
adiante a estrada muito estreita, oppendo assim
difflcoldades ao transito publico.Adiado reque-'
n ment do Sr. Pinto.
Outro do mesmo, informando o requerimento,
no qual o commendador Elias Baptisia da Silva,
pede psra que Ihe seja permiltido fazer cobrir o
caixo de casa existente na ra do Sol, freguezia
de Santo Antonio, esquina do largo do Capim ; diz
que dito caixo acha-se construido no almhamento
das casas visinhas, e tem o mesmo nivellamento
que ellas, assim como a mesma altura, mas que
essa altura nao a que est marcada as posloras
em vigor, mas sim as que precederam a eslas,
Udavia parece-llie mais regular, e mais conforme
com o aformoseamento da cidade que se consinta
ao peticionario concluir a casa em questo, dando-
Ihe a mesraa altura que s visinhas, do que, que
a faga levantar; desfeiando o quarteiro em que
se acham. Concedeu se no senliao da informago.
Outro do mesmo, remetiendo o orgamenlo das
obras de que precisa a estrada do cemiterio publi-
co em Santo Amaro, importando na quantia de
50G5O00.Que se pozesse em praga para os dias I
14, 16 e 18 do corrente
A commisso do matadouro publico apresentou '
um requerimento, indicando certos mejramen-
os que sao necessarios fazer-se n'aquelle estabele-
cimento, e sao elles os seguintes :
i. A necessidade de haver agua potavel oo
grande curral para o gado beber.
2. Que esse mesmo curral fosse calgado, por
quanlo no lempo invernoso torna-se um perfeito
lamagal, a ponto de que o gado anda enterrado no
mesmo lamagal at cima dos joelbos.
3 Que se fizesse mais um curral junto quelie
ao lado do poente do matadouro. para nelle reeo-
Iher-se lodo o gado que vem da feira, para se nao
misturar com o gado velho.
4. Que se reparasse algumas ruinas nao s na
casa do estabelecimento, como na estrada pelo la-
do do norte em quasi toda ella.
5." Que fosse reparada urna raxadura na contra-
verga da casa da adminislrago.
6." finalmente : Que fosse reparado tambem em
algumas parles o canal.Posto em disemsao, foi
approvado, autorisando-se em seguida a commis-
sao para calcular, quanlo ao primeiro melhora-
ment indicado, qual o numero de rezes que dia-
riamente existe no matadouro, e qual o numero
de baldes d'agua ser necessario, afim de se poder
contratar com a companhia de Beberibe; quanlo
aos mais melhoramentos, que se officlasse ao en-
genheiro para orgar a despeza.
A commisso de polica, acerca do requerimon-!
lo de Libanio Candido Ribeiro & C, lido na sesso
de 30 de agosto ultimo, deo o seo parecer verbal-
mente oo sentido de nao poder ser favoravelmente
defiendo dito requerimento.Sendo posto em dis-
casslo esse parecer, foi a^umvado, despachando--]
se o requerimento da maneira por que se pronon-
ciou a mesma commisso.
Tendo o cidado Jos Joao de Amorim, requeri-
do a cmara para exonera-lo da malta qae Ihe to-
ra imposta pelo fiscal da freguezia de Santo Anto-
nio, em consequencia de nao ter comphdo aioda o
que foi determinado na vestuna procedida em soa
casa n. I i da ra das Cruzes, allegando que omi-
tas causas concorreram para semelhante falla Je
sua parte entre ellas de nao se terero modado os
moradores da mesma casa, e o tempo invernoso
nao ter dado lugar para semelhante fim ; a cma-
ra attendeu-o, e mandou offic'ar oeste sentido ao
respeclivo fiscal, tendo concedido ao referido Amo
rim smente o praso de oilo dias para oo deeorso
delle principiar a obra dos concertos da mesma
casa.
Por indicagao do Sr. presidente, mandou-se re-
commendar aos fiscaus das freguezias de Jaboatao,
S. Lourengo da Malta e Munbeca, que activassem
a cobranga do imposto de 500 reis por cabega de
gado mono para o coosuromo das mesmas fregue-
zias, visto qae os marchantes dellas nao esto
izentos de o pagar.
Mandou-se recommendar, reqoerimeoto do
Sr. Thomaz de Aquino ao fiscal de S. Jos, que es-
t'.-n !'> as suas vistas para a ribeira da farinha e
do peixe de sua fregnezia, visto qae codu acba-
rem-se j oceupadas por atravessadores.
O Sr. presidente lembrou a cmara ser coove-
; niente denominar-se a nova ponte do Recife, aber-
I ta ao publico no dia 7 do corrente, e pois em dis-
cusso essa sua proposia-o Sr. Gostavo do Reg
I pede a paiavra, e propoe que deve ler ella o roes-
: mo nome de ponte do Recife, como liona a oolra.
1 O Sr. Santos pede a paiavra e propoe para qoe
a nova ponte se denomineponte de 7 de setem-
bro.Assim pois concordoa toda a cmara que a
dita ponte tivesse este nome
I)espacharam-se as petiges do Dr. Antonio Joa-
|': .n de Moraes e Silva, D. Anglica Bernarda de
; Miranda, Antonio Fernandes Velloso, Antonio Ra-
mos, mordomo da Santa Casa da Mizeneordia,
Bernardo Jos da Cosa Valenle, Damazo Antonio
d'Alcantara, Elias Baptista da Silva, Francisco
de Barros Correa, Francisco Jos de Araojo, ba-
charel Francisco Leopoldino de Gusraao Lobo, Goi-
Iherme Ferreira Pinto, Jos Joaquim da Costa
Maia, Jos Alves Lima, Jos Joo de Amorim, ba-
charel Joo Jos de Moura Magalhes, Joaqoia Jo-
s Pereira Alhandra, Jos Francisco Pereira da
Silva, Jos Francisco Pereira da Silva Jnior,
Francisco Marlins Ferreira dos Santos, bacharel
Joo Francisco Teixeira, Jos Luiz Ferreira da
Costa, Jos dos Santos de Oliveira, Julio Cesar
Vieira de Amorim, Joo Francisco Bastos, Joaquim
Clemente dos San os, Jos Anselmo Goozaga de
Oliveira, Jos Francisco de Sooza Lima, Jos
Francisco de Menezes Amorim, Jos Mareeliao
Gongalves Salgueiro, Libanio Cindido Ribeiro &
C, Lourengo Jos de Moraes Carvalho, Manoel Fi-
gueiroa de Faria & Filho, Maximiano da Silva
Guedes, Manoel da Cosa, Maximiaoo da Silva,
Rosa Mara Prazes dos Santos, Dr. Sabino Olegario
Ludgero Pinho ; e levanlousea sesso.
Eu Francisco Canuto da BOa-Viagem, secretario
a subscrevi.Pereira Simo-s, pro-presidente.
Dr. Villas-Boas.Santos.Fonseca.Reg.
CI1R0MC4J1IDICURIA
TRimYU, DA lili V< (O.
SESSAO DE 7 DE OUTDBRO DE 1865.
PI1ESIDE.NCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs- des-
embargadores Santiago, Giiirana, Lourengo San-
tiago, Almeida Albuquerque, Molla, Doria, Guerra
procurador da cora, l'cha Cavalcanti. Domin-
gues da Silva e Barros Vasconcellos, faltando o
Sr. desembargador Assis, abrio-se a sesso.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
Jl'LGAMBNTOS.
Aggravo de pelirao.
Ageravnte, a irmandade de S. Jos de Riba-
Mar aggravado, o juizo.Relator o Sr. desembar-
gador Santiago.Sorteados os Srs. desembargado-
res Domingucs da Silva e Barros Vascooceltos.
Negou-se provimento.
Appellaees crimes.
Appellaote, Raymundo Jos de Santa Anna ; ap-
pellada, a juMiga.Improcedente.
Appellante, o juizo; appellado, Marcolino los>-
Rufino.Improcedente.
Appellante, Sevenno Rozendo da Silva; appella
da, a justiga. Reformaran) para o mximo da
pena.
Appellante, o promotor; appellado, Loiz, es-
cravo de lguacio Vieira de Mello.Improcedente.
Appellaees cireis.
Appellante, Clemente Luiz de Silva N'etio ; an-
pellado, padre Manoel Jos Rodrigues da Silva.
D sprezaram-se os embargos.
Appellante, Francisco da Cunha Araojo Piohei-
ro ; appellado, Manoel Francisco de Sooza Leo.
iteformada a senlenga.
Appellante, Jos de Alenquer Simoes de Ama-
ral ; appelladas, Eliza Sigiet e outra.
Appellante, o juizo ; appellados, os herdeiros de
Francisco Alves Puntes.Continuad a senteuca.
//i-cor/>Mj.
Negaram ordem de habeascorpos a Constantino
Nonos Pires.
DBSIOHAfO DE da.
Assigoou-se dia para' julgamento das Hpt*.
tes :
Appellago crime.
Appellante, Aotonio Francisco de Mello Baca-
marle ; appellada, a jusliga.
Appellago cirel.
Appellante, Joaquim Ribeiro da Silva ; appella-
do, o juizo.
DILIGENCIA CRIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor 4a
jusliga
A appellago crime.
Appellaote, Lzaro Francisco Bezerra ; appella-
do, o juizo.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. de -embar-
cador Gitirana
A appellago civel.
Appellante, Fernando Francisco de Agotar Mosw
taroyos ; appellado, Jos Crios Teixeira.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Alboqoerque
As ppellages crimes.
Appellante, o juizo ; appellados, Joo Patricio
da Costa e outro.
Appellaote, o juizo ; appellado, Manoel da Pai-
xo Regs.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Assis
As appellagoes civeis
Appellante, Francisca Paulina de S. Jos ; ap-
pellado, Manoel Joaquim Ferreira M te hado.
Appellante, Guilherme Angosto de Miranda; as-
pellada, D. Anna Fernandes Vieira.
A appellago crime.
Appellante, o juno ; appellado, Antonio da Ra-
cha Bezerra. ^
O dia de apparecer.
Appellado, Felippe Mena Calado da Fonseca ; se-
pelanle, D. Rila de Carvalho Paes de Andrade.
Do Sr. desembargador Donungues da Silva a
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
A appellago civel.
Appellante, Lu> Jos Rodriga in Sooza ; as-


i
Diario de Pernimbneo Terca elra l de Oatabro de iSftft.

:2=5
_k^_
pellada, D. osepha Leopoldina de Mello Manota.
Do Sr. desembargador Barros VscBfceuo ao
Sr. desembargador Santiago-
As appellaces civeis.
Appeliante, Beolo Freir de Macedo ; apoeltado,
Francisco Fernandes Beoevides.
Appeliante, a fazenda; appellado, Alexanare Jo-
s Malheiros.
A' 1> hora enccr'cu-ae asesso.
COMMVICiDQS.
m distmcio viajante francs, fallando do Mxi-
co no tempo da admlnislracao de Jurez, deixou
escapar estas memoraveis palavras :
t A morte da sociedade mexicana infallivel.
Os dinheiros pblicos tiram-se do chamado thesou-
ro da repblica, para seren malbaratado*, como
se lira agua de um tanque para fertilisar terreno-
incultos, e baldos. Quer na ordena da magistra-
tora judioiaria, quer uo funeciooalismo correccio-
nal ou policial, os emprego; sao confiados aos ho-
meo, que as pas>adas dministracoes haviam
sido por seus crimes, e malversares, condemna-
dosao ostracismo da moral publica. Acontece mui-
tas vezes que um autoridade, que tem de juigar
algura reo de crime um pouco mais antigo, fura
cmplice no mesmo crime, e com o mesmo reo, de
modo |ue este, quaiido aperlado pele sen novo
juiz, Ihe alira em rosto a parte que leve no delicio,
cuja puoicae reclama hoje com tanto ngor I
Quem lr estas palavras do insigne Mr. Boblain,
v mllas, antes a descripc&o fldelissima do que se
tem passado, e se passa nesta provincia, do que
no Mxico.
E' urna lastima para nao dizermos nm horror,
o que vai por esses municipios do iulerlor (e lam-
ben no doltecife !) a respeiio de autoridades poli-
ciaes I
As feridas abenas no principio da moralidade
e oao Grande, bufando e escavando como urna
fe 1 E nao se falle na polica. Joo Grande d
e malla por sua conta e risco, porque capanga
eleiioral. O subdelegado Jos Roborlo sonbe oeste
cruel esbancamento, e nem cuidoa de ir ver o
paciente para formar o corpo de delicio. A algoera
que chamou a sua atiencao para o facto, e Ihe dis-
se que Ihe cumpria fazer punir o criminoso, res-
pondeu elle com todo este cynlsmo : nao sabem
quem Joao tirando J< Para que implicara com
elle e o offendem na saa honra I Deixem-no, e si
ello offender ou prejudicar, mudam-se, que tudo
est,acabado....
Ora esla qual a polica do Sr. Jos Roberto em
Afogados.
Os furtos de cavallos nao cessara ; Joo Grinde
esta' na sua safra; mimosea o subdelegado de
quem amigo, e faja Deus hom lempo-----
O cx-inspector do Giquia', Ricardo Panlaleo da
Gamara Santiago vio-se taoatormentado por qnei-
xas e clamores contra o campia do Sr. Jos Ro-
berto, que pedio a sua deuilsso, publicando pela
imprensa o motivo porque tomara tal resolucao.
Olhe o Sr. Dr. chefe de polica para a freguezia
do Afogados ; mande fazer o corpo de delicio de
Joo Cahelleira, para que Joo Grande seja pro-
cesado e punido de sua audacia : iuforme-se das
relacoes que existem entre elle e o subdelegado, e
ir aquella freguozia do estado em que se acha.
O espectador.
nimmu pidieo
Ao publico.
O abaixo assignado tendu obtido um resultado
vantajoso na cura que fez, como se vera' do attes-
lado junio, em um lilbo do Illm. Sr. Francisco Lu-
cio de Castro, que de idade um niez soffria urna
hernia (roptura).e hoje se acha completamente cu-
rado, oTerece o seu pequeo presiimo a todas as
publica, em pocas muilo anteriores a 1850, ia'm! pessoas que se quzerem uiihsar delle, qualquer
sendo cicatrisadas pela cordura dos ovemos, que : que seja a idade, condicao k sexo, podendo afilan-
votaram ao desprezo. c oullidade os sicarios, os car qoe, pelas experiencias empregadas, tem tirado
tranquibernios, e malfazejos, que nestes ltimos .o melhor resultado que possivel imaginarse,
lempos foram, e cootiouam a ser aproveitados, nes-1 que a completa cora e em pouco lempo
ta confuso de elementos sociaes, para satisfazlo
de vingancas, e de iuleresses iguobeis de um par-
tido ignotiilissimo
Francisco de Paula S Peixoto.
As pessoas, portante, que quizerem honra-lo com
a sua conliauca, dinjain se a' luja da ra Nova n.
Muller, o obscuro assino de Briggs, cujo proees- 34, que pelo dono oa mesma serio encaminhadas
80 ioteressoO a Europa toda, e para coja captara o I Atiesto em f de verdade, e jurarei se preciso
governo ioglez euviou a America dous navios a fdr, que um meu fllho de nome Maooel, contando
vapor, e La Ponierais, o famoso enveneuador dema- apenas um mez de idade, appareceu com urna her-
demazelle de Paw, foram eoudemnados pelo core- na ; para a' sua cura nao poupel esforcos durante
dicto do jury, e subirn ao cadafalso em Londres o espaco de 13 annos, mas sem resultado algum, e
e Pars, teodo contra si provas indirectas, e muilo ao contrario a roptura a-se dilatando considera-
menos claras, e eoncludentes do que muitas, que velmenie, a ponto de Bear em cenas conjunecoes
por ah convencen de crimes alrozes a iudividuos, de la bstanle incommodado, nao podendo nem
que exercem autoridade policial I andar, al que eniendendo-me com o Sr. lente
E' um horror 1... Francisco de Paula Sa' Peixoto, inr,umbio-se este
Acaulele-se o governo. A corda est demasiado de po'lo bom, e como de facto assim aconteceo,
tensa. As titiras do corpo s cial nao tem urna elas- por meio de urnas ligaduras com orella de panno
ticidade demasiado indeferida. A paciencia dos que fino, e aigumas applicacoes internas, sendo que no
soflrem perseguicoes injustas exgota-se cada da, o flm de quinte das o anel ja' eslava qnasi contra-
er mallos lugares ja se teria de todo exgotado, se hido, e no de dous roetes achava e o pequeo
nao fossea esperanza oe remedio por parte do go- completamente curado, apezar de ser bastante
vei no. K' necessario ne desacorocoar os qae go- traesso.
njuui rooi o desdem s sitas queixas. Nao tema,
nr-h i.'.-, ie o governo pela guerra do Paraguay;
puiv/ne esla apezar do desaso porque foi comecada,
e (jigida at a ida do Imperador para o sul, na
distingu i -so deniro de poucos d'as : Lopes est ,
crea lo por mar e por trra, e nao tardar que
.-, h' ais n-s-os ouvidos : Lopes ngio, correu.
Art. 87. O socio que, por te* MSUeidad, m
adiar desempregauo, prese d dieD.*t&Mfade-
de trabalhar, percebera am*' prHf.6o nuneaf
que, nao excedeodo de trinta-nil rt, podrser
reduzda seguudo a maior ou menor necetsldad
do socio.
Art. 58. Ao socio, que se desemptegar por
motivis justos, a directora por si ou por seus
cenhecimenlos procurar emprego adequado s
i babililacdes que elle tiver, at duas vezes ; e se
! elle se retirar para outra praca, promover-lhe-ha
as possiveis recommenda.Ses.
Art. 39. A'quelles que por molestia, ou outros
motivos graves, liverem necessldade de se ausen-
< tar, pagar a sociedade as dspezas de (raospor-
te com commodidade e decencia, para o jiras
< provincias do imperio ou para palz eslraogeiro.
Art. 69. Ao socio que fallecer, a directora!
mandara fazer um enterro decente, se elle nao
deixar meios para isso. O enterro ser acoinpao
nhado por urna cotnmisso nomeada pela direc-
loria, e esla no selimo da maudara' resar urna
> uu.-r-a (a que assisllra' una commisso de seus
membros) por alma do fallecido.
Art. 61. A sociedade cuidara' activamente do
livramenio do socio que fr preso ; mas s Ihe I
prestara' o soccorro de que trata o arl. 57, n del-
le necessitar. Dado, porm, no mesmo auno o
caso de reincidencia, ou conhecendo-se que o so-
- ci assim pratica por habito ou roa' ndole, a so-1
> ciedadeoabandonaras consquencias do sea ac-,
i lo, licando suspenso ao socioogoto de seusdirei-
i los pelo leujpo que a directora julgarlconven ente, i
Art. 63. Fallecendo qualquer socio, a ua viu-!
> va e Ulhos menores, Sendo privados de meios
para sua decente suslenlacao, gozaro dos bene-
Ucios da sociedade da segrate maneira :
1." A viuva, emquauto se conservar nesse
estajo e se comportar honeslanieu,le, receber
urna mensalidade de vinte e cinco mil ris.
i -. Os ulhos, legtimos ou legitimados, dez
mu ris por mez, sendo um s ; quinze sendo
dous, e vinte se forem mais de dous, isto emquan-.
t to nao chegarem a idade de doze annos.
t Art. 70. A contar do 1 de Janeiro de 1866
passar a joia (que at 31 de dezembro deste an-
naide dez mil ris) a ser de 23J00 para os que
desde entao forem admiltidos, continuando toda- i
via a cobrarse a mesraa mensalidade marcada
no % 2o do art. 11 (500 rs.) .
Couimuam a receber-seassignaturas, para o que
ha listas expostas no Gabinete Porluguez de Leitura
e na ra do Crespo n. i, livraria do !>r. Nogueirade
Souza. Pode ser joco lodo o cidado portoguez ,
em pleno gozo de seus direitos, que tiver meics li- i
citos de subsistencia e bom pro' edimento
Secretaria do Muiiie-Pio Portuguez em Pernam-
buco, Io de outubro de 1865.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
2o secretario.
CURA
fepwio/a e Adiuiravel
DE MA CHACA
CANCROSA E ROEDORA
ou
POLYPO \0 MWYL
Recife, 6 de ODinbro de 1863.
Francisco Lucio de Castro,
(Eslava reconhecida).
foi se embor^L Abiit, excessil, evastt, erupit. O
governo o que deve temer e recelar a anarchia
interna, a corrupeoque lavrae langa raizes pro-
foadas, e dinheiro da oaco quo se esvae e
desipparece no golpho de desperdicios injustifi-i
var!
DADES
Kcieacls e medicina.
L-se na Union Medcale de Parts:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
I rias vezes de urna descoberla importante
"Nao tem os nossos avisos como provas das des- para a therapeulica, que consista na desin-
affeicoes; nao; queremos al ajuda-lo a salvar a feceo do oleo de ligado de bacalho sem
sociedade do pelago dos males pblicos. Nao se me tiiar nenhuma dassuas propriedados.
zangue eom quem amigave'mente Ihe diz a verda- Tpmns n .ra7Pr ,l0 annunriar iip ari de : zangue se, porm, com quem o .ilude com fal- lemos o prazer e annunciar noje aos
sissimas normaQes, e... i ossos leitores, que esse resultado 101 obtl-
0 cordato. do de modo o mais completo por um hbil
i, j pliarmaceutico de Pars, o Sr. Chevrier, que
QUESTAO JDBtDlGA. consegu.o desinfectar o oleo de ligado de
bacaihao C"m o alcatrao e o balsamo de
Lm esaavo. que foi Europa, em comjmnhia Toin As experiencias feitas por muitos de
desea senhor, voltando com esle vara o Imperio, ___ r
ronlmi a ser escravo, ou fica tare por esse facto f n0sOs P1 alioselcc ebres, nos hosp-taes e S0-
a le, as decisdes do governo e a jurisprudencia bre seus doentos particulares, as analyses e
dos tribunaes re-pondem uniformemente que fica ensaios de cfiimios competentes, nao dei-
l.vre, como se vera as iran Accoioam. Accordam em relacao, etc Que re- ,
formara a senienc* apoellada para juigar provada datamos aqu as? propnas palavras de
a Inteoeio dos appellantes Benedicta e seus Sidos; um juiz muito eminente e competente o Sr.
porquauto declarando a carta de lei de 7 de no- Dr. E. Ilumbert, laureado da academia im-
vemhro de 1831 Dqart. i', llvres todos oseara- peria| de medcina e professcr de Chimica.
vos que enirarnn no Brasil, e o aviso desude l ,, ... .. ,. ,.
maiu de 1856 que esla lei applicavel ao^ escravos fcubmotti a analyse, diz este distincto
que, lendo sahido do Brasil com seus senhores, a proft-SSOr, O Oleo de ligado de bacalho lia-
eile voltarem, por nao estarem tomprehendldos na tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
excepc.ao do art. i da le. citada eircomstanc.as certificar que esse producto
em que se acham os appellantes, nao podiam elles \ i" pi
ser considerados como escravos contra a expressa na0 .Perdeu neahum dos seus principios
determinado da lei. Portanto, reformando como medicamentosos nem tliimicos, que se
reformam a sentenca appeliada, jolgam llvres os acham no oleo de ligado de bocalho ordi-
appellanies, pagas as cusas pela appellada. B.o, nar0 !._ nrnnorrn ,]as iihtanrias
9 de mlho de 1861.- Simors da SUva, P. I. Al-
mevta Albuquerque. Mascarenb'
vencido.Braga. Valdetaro.
->i'ira.
estranhas que e poem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenlium modo alterar suas
Embargado esle acrord^m, foram os embargos nronridadiW mpdii-aps p so t Inrna dp ii
desprezados, e interposlo o recurso de revista, foi prop letiaues meuitat.se so a toma ue um
esla denegada.
DISH>SIC La de 7 de novembro de 1831. Art. !. Todos
os e do Brasil, vindos de fra, ficam livres. Excep-
tuara se :
1. Os escravos matriculados no servico de
embareacoes pertencenlss a pait onde a escravl-
do pcfraitlida, em quanlo empregados no servi-
do das mesmas embareacoes.
2. Os que fugirern do territorio ou embarca-
cao estrangera, os qnaes serao entregues aos se-
nhores que os reclamarern, reexportados para fra
do Brasi
uso fcil c mesrao agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado pelas
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ce. tveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
a'/som. 1H8 Je 20 de maio de 1856 3> sercio. portantes e preciosos da therapeutica, quem
Ministerio dos negocios da justiga. Rio de Ja- descobrio 0 meio de <> tornar de um USO fa-
neiro o de raaio de 1856. cil para todos, prestou um verdadei-o ser-
,AjL^nVSS dio d fc i arte de curar e aos praticos.
zerabro do anuo prximo passado, propondo a se- "or ISSO nao podemos concluir melhor
guioie que-tao: se um escravo residente era paiz do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
estraugeiro pode entrar no Imperio, e ser nao s nca e ut[ descoberta uue merece de Ser
conservado em escravido ; mas ale mandado en- _j i- un
tregar a seu senhor pelas jastieai do pa.z: propagada e dizer com meu collega o Sr,
O mesmo augusto senhor, ouvido o conselheiro Dr. Hicbelat OS trabalhos que conduzem as
procurador da cora, e visto o parecer da seceo descobertas d'esta especie devem ser pro-
de justica do conselho de estado, cora o qoal se tegidos pelos mdicos.
conformou por sua imperial resolucao de li) do V ,..__,,, ._un j. o ,-u. -.
crreme mez, houve por bem decidir pela negativa importantes trabalhos do Sr. Chevrier
a qoestao proposta : porquanto a lei de 7 de no- sobre 0 oleo de ligado de I acalho Ihe fi-
vembro de 1831, art. Io, declara livres os escravos zeram obter um resultado nao menos im-
qne entrarem no Brasil vindos de fra, com a ex- portante. O qual Consiste em ter associado O
ceprao somante dos matriculados em embarcaroet *__. i.' i n,i ii,ii- r\ i .
pn-tencentes a Vaiz ond, a escravido permitala, frr a0 oleo de figado de bacalho. O oleo
e dos fgidos do territorio esltangeuo, os quaes de figado de bacalho ferriyinoso de Che-
devem ser estregu* ou reexportados: sendo que trter COnstitue lalvez 0 melhor meio de dar-
cor consequencia na ciada le. est tambera com- se 0 ferro pois 0 0(llir0 je ferro unido
preheudido o escravo que por ordem, oo em com- j, __ __ ii-jji
panhia de seu senhor, ou por qualquer razao, que deste modo co,n oleo (le ,,lado de baca"
to a fuga, sahe do imperio e ao depois voiia a Inao se dissolve mais fcilmente nos qui-
eiie. o que commonico a V. Exc. em soiucao ao dos das vias digestivas e por consequencia
seu referido oflicio e para sua iniellipencia se ass,mi|a muito mais bem do que Sb a
Deo-guarde a V. Exc. Jos Tliomaz Sabuco i n u
t Aromo.-Sr. presidente da relajo da corte. ,frma de plalas OU xarope. Emfim elle
A polica le Afogados. perde assim suas propriedades irritantes, e
Apenas enirou na subdelegacia de Afogados o ha-, nao provoca a COStipacO. E' assim que
harel Jos Roberto de Moraes e Silva, j comecam OS doentes, CUJO estomago nao pode SUppor-
aappareter os attentadose crimes era escandalosa tar nenht..ma preparacO marcial, tomam fa-
progressao. Joao Grande esta com cana branca; ,_ l y v, ,
para furtar eavallos, esbordoar, e al matar impu- Imente o oleo de fado de bacalho ferru-
nemente ; porque, como diz aquelle subdelegado, I ginoso de Chevrier.
Joo Grande hornera de presiimo para eleieges: I Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
xpe a sua vida por amor do progresso OW Iotas jceber um grande SOrtimenlO dos celebres
eleitoraes; nm dos campias de lina, o mais des-1 -. ,>. ,
temido e coraj m. azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
Na qHinta feira da semana panada eslava Joo i noso de Chevrier.
Guedes de Barros, por aicnnha Joao Cabelle1, na' Yende-se na pharmacia de Pedro Maurer
estrada do Giquia, mui socega lo e tranquillo, quan-' a r ra Moya n ig
do ah appareco o mesmo Joao Grande, que anda va
com elle despeitado e furioso pelo segnjnle : des-
appareceram do rancho de joao Cabeileira dous ou
tres cavallos do uns matulo-, que tioham all des-j
cansado ; e, saf ida a mo, tinham elles sido fua-
dos por Joo Grande que os vender ao irmo do
8r. Amaro do Sal, condecido vulgarmente por Ga-. Exm. Sr. presidente da provincia a approvago dos
zuza da Futinga. Joo Cabellelra sonbe do facto e estatutos do Atonte Pi, julga conveniente levar
den cora a Imgua nos denles por lodo aquelle Gi-1 desle j ao conhecimenlo de lodos os interessados
qoi. Joao Grande, porm, que nao perdoa aos alguns artigos dos estalutos, emquanto trata da im-
malsinsque alacam a sua piobidade, porque elle pressodestes paraserem davidamente distribuidos.
Monte-Po Portuguez.
A directora provisoria, acabando de obler do
A jurubeba.
As virtudes llierapeuticas da jurubeba sao desde
muito condecidas nao s no Brasil, pois que deltas I
tratou Pisn em sua excedente obraHistoria na-!
ftiraftj et medica Indio; occtdentalis, seno as
Anlilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqu, muito estimado e appl.cado contra as obs-
(rueces abdominaes, principalmente do Hgado e
bacj ; e se todos os facultativos desta proviccia o
nao applicam com frequencla, isto se nao deve a
nao reconhecerera elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estacoes do anno os fructos dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresentam os deentes pm fazer
uso do sueco desses fructos, era consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e lera
a denominaco de solanum pamculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozeraos e conseguimos preparar
com elle nao s um extraclo alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambem um vinhD, nm
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e eslamos persuadidos qoe
com isto prestamos um servido duraanidade e
hlerapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coeco das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as Amilhas se fax uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rdo vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ler em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repuiacao da jurubeba tal, e os resultados
tderapeut.cs obtidos ltimamente sao lo irapor
tantes, que nos parece intil dizer mais do que
isio, que Oca escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinte.
Ao publico.
0 conselhr dos professores da Escola Normal
abaixo assigoados txaminou com escrpulo as
Aocdes do systema mtrico decimalpublicadas
per Jos Antonio Gomes Jnior, e por elle sujeitas
ao juizo desta escola e de opinio que esle bre-
ve trabalho, destinado a auxiliar as operaeoes do
commercio e os clculos as repartieses de fazen-
da, satisfaz as necesidades e preenche as lacu-
ras que al aqui se davam nos tratados e opscu-
los sobre a materia, esc.riptos anles para os mance-
bos iniciados na setnela, do que para a classe la-
boriosa do commercio, qoe desejameios prati-
cosde fazer os seus clculos com a maior brevi-
dade.
Com effeilo o trabalho do Sr. Jos Antonio Go-
mes Jnior, que o conselho lem'.era raaos, eernomi-
sa o tempo que cada individuo gastara d'outro mo-
do a nduzir os amigos pesos e medidas ao syste-
ma que a lei adoplou, pois que por urna simples
operago de aritlimelica se acha a converso dse-
jada em kilogrammas, litros e metros.
E' portanto o conselho de parecer que aqoelle
trabalho que o suppdcanle offerece, de sua compo-
sieo, de grande utiliiiade praiica para toaos
aquelles individuos que sao obngados a clcular
pelas novas medidas de extenso, capaeldade e pe-
so, e sob este ponto de vista adraissivel as escolas
elementares da provincia.
Sala das conferencias da Escola Normal de Per-
nsmbuco, 2 de oulubro de 1865.Francisco Ro-
chad P. B. de Medeiros.Maximiano Lopes Hacha-
do.Jorge Dornellas Ribeiro Pessoa. Mi.jwl ^r-
chavjo Miudello.
(Eslava sellado e reconhecidasasqoatro assigna-
turas.)
Pastilhas Tcrmlfngas deKemp.
Criancas atormentadas por vermes pdem
ser alliviadas com urna s dse de pastilhas
vermfugas de Kemp, que sao incitantes
emapparencia, e deliciosas demais no seu
gosto para serem regeitadas. Estas pastilhas
sao muito procuradas por quatro motivos:
nao contm mineraes ; nao precisam depois
de purga te ; effectuam o que sedesejasem
causar dr ; as mangas "esto promptas a
tomar maior dse do que a marcada na re-
ceita. Nenhuma mai que j as tenha expe-
rimentado urna vez quer outro vermife go na
sua casa.
A' venda por lodos os primeiros dro-
guistas no imperio, e em Pernambuco por
Caors A Barbosa e J. da C. Bravo & C.
JURUBEBA.
vive honradamente, nao fazendo seno apanhar o
sen cavallinho de vez em qnando ; enconlrando-o
geito de Ihe dar ora conheciraento, vai-se a elle,
da-lhe una tremendissiraa sova de pao, que dei-
xou o pobre homem raoife como urna sopa.
De maneira qoe la esta' o pobre Joo Cahelleira
espancadq, passado de dores em cima da cama,
K) poder irabalhar para dar de comer seus filhos.
Assim obrando, enteode a directora levar ao es
pirito de todos a convieco da mxima convenien-
cia de cooperaren!, por si e por seus amigos, para
a estabilidade e desenvolvimento do Monte Pi Por-
tuguez, que poder enio por essa forma corres-
ponder aos humanitarios flns, qoe leve em vista o
seu benemrito fundador.
Seguem os artigos alludidos:
A jurubeba urna das substancias medicaraen
tosas, ao reino vegetal, e pertence clsse
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
oa cora vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorgitameoio de figado e baca
Ella lem sido appiicada com incontestavel proveilc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrua-
cao diilicil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Burato alcoolico de jurubeba.
Emplac-tro dem.
Oleo dem.
Tintura dem de dem.
Xarope dem.
Vraho dem de dem.
Pilulas de ext. dem.
Deposito, pbarnucia de Pinto, ra larga do
sano n. 10.
Urna creada de- servir residente em Pernam
buco o pertrneente ti Ex.' Sefir*. V18CONDES8A
DE Ooianna, ft)i at'.itcnda d'uma terrtvel cha-
gi enneropa c roedoraou Polrpo no Nariz.
A mesma involvia u tomara todo a parte in-
ferior do nariz, amea^ando j distruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
cou primeiro por apparecer sob o bei^o supe-
rior e parte da face, cztendendo-se por tal
forma e com tal rapidez, que em pouco amea-
rava traasformar todo o tate n'uma enorme
charga viva e asquerosa. Durante t terrivel estado, todos os recursos ncilicnats
que em taes cazos se uzfto forao abundante-
mente empregndoa, sem que do levo fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de tao hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e csforQos
forio baldados, e no em tanto o mal crescia eis
quo por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas^esto ponto, se ezperimentou pela
vez primeira a
SALSAPARRILHA
DE BRISTOL.
O effeito produzido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadera-
mente maravilhoeo e sem igual; este grande
purificador do sangue e dos humores do gys-
tema, immediatamente pz um termo mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atraves dos tecidos oe mais
delicados do corpo, expeUindo ate ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'uiu curto espaco de tempo produzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quo admiravel resultado foi obtl
do apenas com o simples uso
D'uma so nniea Garrafa!
d'este incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendamos portanto todos os Doentes
que procurem obter com o maior cuidado a
uaica e verdadeira Salsaparrilha de Bristol,
nicamente preparada por
L ANM AN & KEMP,
De NOVA YORK,
na certeza de que, todas as mais preparafoes
imitativas n5o valem para couza algroma
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
Novo Banco de Pernambnco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
devindo na razo de8# por aeco.
------------------------J--------------
Laixa lilial do i anco uo Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil no Ro de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Baha.
tfovo banco de Pernam-
bnco.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes
Caia filial do banco do Brasil em
leraambuco.
A caixa descoma as letras de seu aceite pela
aitxa de 60|0 ao anno.
Ogaarda-livros
Ignacio Nones Correia.
LFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS MECOS DOS GNEROS SUJEITOS A DIREITOS
DE EXPORTAgO. SEMANA DE 9 A 11 DO MEZ DE
OUTUBRO DE 1865.
Mercaduras. Unidades. Valores.
Abanos.........eento IJftOO
Agurdente de cana .... caada 800
dem restilada ou do reino 800
Idera caxaca....... > 380
dem genebra....... 800
dem alcoolou espirito de agua- 900
ardente........
Algodao em caroco .... arroba 33*i00
dem em rama ou em la 14,5000
Arroz com casca...... I 500
dem descascado ou pilado 2,8600
Assucar mascavado .... c 25000
dem branco....... 35500
dem refinado...... 5J>!20
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........casada 2*000
dem de coco...... > 14600
dem de mamona .... 15000
Batatas alimenticias .... arroba 15200
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... > 35000
dem lina........ 75000
Caf bom ....... 65i00
dem escolha ou reslolho. 65000
dem torrado......libra 410
Caibro.-........um 360
Cal..........arroba 280
dem branca .... 500
Carne secca (xarque) ... 35200
Carneiros .......um 45000
Carvao vegetal .....arroba 15000
Cavernas de sicupira urna 35000
Cera de carnauba om bruto. libra 300
dem idem em velas ... i 300
Cha ......... i 15500
Charutos .......cento 5500
Cevados (porcos).....nm 155000
Cocos (seceos)......cento 45000
Colla........libra 6O0
Couros de boi, salgados j. 155
dem idem seceos espichados 240
dem idem verdes..... 100
dem idem cabra eortidos um 350
dem idem de onca .... 105000
Doces seceos......libra 15OO0
dem em gela ou massa 320
dem em calda ..... > 500
Espanadores grandes um Iimmj
dem pequeos...... 25000
Esteiras para forro de estivas
de navio........cento 155000
Estopa nacional ....,' arroba 15600
Farinha de de mandioca alqueire 15800
dem de araruta .... arroba 45000
Feijao de qualqner qudlidade t SJ0OQ
Frechaes .......um '5000
Fumo em tolha, bom arroba 145000
dem ordinario ou reslolho 85000
dem era rolo bom...... BJ060
dem ordinario ou restolho. 55000
Gallinhas .......ama 600
Gomma........ arroba 25500
Ipecacuanha (raiz)..... 255000
Lenha em achaa cento 25000
Toros ....,,,,, ilfOOO
Linhas e esteios......uw 65000
Mel ou melaco......caad* 240
Milho ......... arroba 15500
Papagaios .......un 35000
Pao Brasil.......quintal 55000
dem de jangada......um 55000
Pedras de amolar .... ama 800
dem de. filtrar ..... 45000
dem de rebolo ..... 15000
Piassava........molho 120
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento 35500
Pranchoes de amarello de dous
costados.......um 205000
dem de louro...... 105000
Rap.........libra 15000
Sabio.......... 120
Sal...........alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 255000
Sebo em rama....... 55000
Idem em velas...... 7,3000
Sola em vaqueta......urna 25000
Taboas de amarello.....duzia 1405000
diversas...... 875000
Tapiocas.........arroba 35'iOO
Taiajuba........quintal 25000
Travs.........urna 6#00
Unhasdeboi ......cento 200
Vassouras de de piassava 105000
Ditas de timb....... 75OO0
Duas de carnauba..... 65000
Vinagre.........caada 500
Allandega de Pernambuco, 6 de oulubro de
1865.
(Assignados):
O 1. conferente, Florencio Domingues da Silta.
O 2. conferente, Jos Thomaz de Aginar.
Approvo. Alfandega de Pernambuco 7 de oo
lubro de 1865.A Eululto.
Conforme. O 1." escriplurario, Ricardo Pe
reir de Faria.
ALFANDEGA.
Reudimento do da la 7...... 137:0715225
Idem do dii 9............... 25:4015136
162:4185361
MOVIMEiNTO DA ALPADE6A.
Volumes entrados com azendas----- 73
c c com gneros..... 194
------- 267
Volumes sahidos ecm fazendas..... 117
cora gneros..... 297
-------414
Desea rrepam aoje 10 do correute.
Barca inglezaSeraphinamercaduras.
Barca americanaAnnconddfarinha de trigo.
Brigne inglezLoferro.
Brigue hespanholConnncharque.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendlmento do dia.l a 7 ...... 5:5345287
Idera do da 9 ................ 14.495169
1:3835156
CONSULAnO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 7....... 10:0355735
dem do dia 9 ............... 4:2635107
14:2985842
Arrematago
Terca-reira'lO do correte aa sala .>
cas, as 11 horas do dia, perante He. Sr.
juiz de orphos se veodera' em Diurna erara
hrado de 3 andares sito na roe do Ammttm
avahado era 5:0005.___________________
'orrei feral
Pela administraefio do rorreio des
faz publico que hoje (9) as 3 boro i
char-se-ho as malas qoe o vapor nnHn
nunga lera de conduzr para ee portos de
ao Cear e portos mi. rmedios.
Obivs lbicas.
Pela repani;ao das obras pabJ
aos propneano das oa.*as bj. 16, J4, 32, 3,
8i e 86 da ra da Aurora, e e. 3 Aa re 4 la
rador, em (reata das qna*-* arha
o clcamento en runseqU'Dcia de
res para que rnannVm faxer os
ros, certos de ijii-, va caso eoainrio,
colados por esta repariicao, e remelMa a
despeza feila com ewei reparos a bieeearan
vincial para ser cobrada pelos meio; eo
segundo a ordem do governo da provieria
Secretaria da reparlico das obas o
de oulubro de 1863.
Jou Joaqoiai *e S. Vareje*.
n-
:
TMiL ^ TRO
DE
EilPBEZA- JOIMiiRA
Quarte-feira 11 de outui^o
de 18(:>.
Represeetar-se-ha o moiio applieebln inm*
mariiimo era 4 actos
4!
n\
MOVIMENfO 50 POETO
Navios sahidos no da 8.
Ilha de Fernandovapor brasileiro Mamanquape,
commandante Mello.
Porto Segurolancha brasileira Morena, capillo
Theobaldo J. dos Sanios, carga sal.
Observado.
Suspendern! do lamaro para Macei a barca
Dgleza Mimosa, capillo Pepperell, com o mesmo
lastro que trouxe da Nueva Rahia (na Patagonia),
e para Nt-W-York o lugre hamhurguez J. Capper,
capilo A. Capper, com a mesma carga que trouxe
da Baha.
IVacio entrado no dia 9.
Hondura-90 das, barca hamburgueza Camalita,
de 300 toneladas, capilao L. Jeosen, equipagem
17, carga madeira ; ao mesmo capilao. Veio
refrescar e seguio para Hamburgo.
Navios saludos no mesmo da.
Rio de Janeirovapor inglez de guerra Sharps-
hooter, commandante Har.
Porlos d<> nortevapor brasileiro Persinunga, com-
mandante BelmiroBaplisia de Souza, carga dife-
rentes gneros.
Obsfrvacao.
Fondearam no lamarao duas barcas raglezas
mas nao tiveram communicac,o com a ttrra.
BONANCA
Dar flm >n espectculo a oprete cenara en I
acto pela ultima vez
TO BltAZt
Guapeara' as S tara*.
Os senhores que encommeitdaraw eanar^ns
cadriras podara mandar ao escriatorie eV> tb^atro
al as 4 horas da larde do dia 10.
AVISOS MAIITOIQS
COMPANHU BMSILEIU
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portns do il e*entae
al o da 14 o co r^aa vsear
Tocan!ins, crraataae-ialr an-
meiro trnenie Peer B)p*Ht)
Duarle, o qoal dej x a *ira
do cosiume seguir para os portos 4o arv.
Desde j receben) se passageirs eaje je a
carga que o vapor poder rooduir, a -ntai >v?r
ser embarrada no dia de soa befada, larwa-
mendas e dinheiro a frete al o en 4a aabaia a
2 horas : agencia ra da Gru a. I. escrie*"*) Antonio Luiz de Oliveira Azevetn a C ________
Companhia da* HeniNagcrlr Int
perlalea.
Al da 1'.
;0LiEi(dES.
Consulado de |ori!i:il
Pelo presente sao convidadas todas as pessoas
que liverem objeclos era concert ua loja de lar-
tarugueiro que foi do finado M^noel Jo.- Soares
Guiraares, na ra das Trincheiras n. 1, para den-
tro em oito dias irem reclama-los do depositario
Joao Casimiro da Silva Machado, na ra da cam-
boa do Carmo, pagando dilos cenceos, do contra-
rio serilo vendidos em leilo para pagamento des
mesraos ; bem como sao convidadas larabem as
pessoas que all liverem penhores de ouro, para
irem tira-Ios deniro do mesmo praso.
fcQUBia Gi
Relaco das cartas seguras existentes na admi-
iiisirarii do correio desta cidade, para os se-
nhores abaixo declarados :
Dr. Antonio Alves de Souza Carvalho.
Candido Vieira da Cunha.
D. Emilia Fortunata de Gusmao.
D. Florenlina Mara dos Prazeres.
Dr. Felippe Lopes Neto.
Francisco Miguel da Costa.
Joo Alves Matheus.
Dr. Joao Mauricio Cavalcanti da Rocha.
Joo de Freitas Guimaraes.
Mauoel Ferreira do Nasciraento
Manuel de Queiroz Monleiro Regadas.
Maooel Thomaz dos Santos.
Innocent Sraoltz. ___________________
Correio geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico para tras convenientes, que em virlude
da convenci postal celetrada pelos governos bra-
sileiro e francez, serao expedidas malas para Eu-
ropa no dia 14 do correte pelo vapor ingle/.
< Oneida >.
As canas serc receidas al tres horas antes
da que for marcada para a saluda do vapor, e os
jornaes al quatro horas anles.
Administragao do correio de Pernambuco 10 de
oulubro de 1865.
Domingos dos Passos Miranda
Administrador.
*> rme espera-s da En-
npa o vaacr
fraarrz Xmrmrr',
e ejeal toe** da
d'-nwa 6s> eae-
li.rcr "faira aa-
n saia i %k
de Janeiro.
Para cradic^ijes, freles e passagees irau-se ia
agencia ra do Trapiche n. 9.
COMPAffHIA BRISILEBi
DE
PAQUETES A VAPOR.
E" e-perado 4os por* a i
al o dia 20 do nrreite o va
Oynpot-k, o qual drpor* 4a ifaw-
ra do o-tu me stgoira' jara se
porlos do sol.
Desde ja recel.cm se pa.-sateiros e eega;a e a
carga que o vapor p ser embarrada no dia de sna etvga4a ; reran
mendas e dinheir a frele at o da 4a sebat*. as
2 horas : agenna, rua da Croa a. I, eseriptoo 4e
Antonio Luiz de uliveira Azevedo Jk C
Mcmmhao e Vara.
O brigue escuna nacional Graciosa, lre4o ja
parle do seu carre.'ainenlo, pretende segeir cosa
a posstvel brevidade, e recebe alg ten rarfa : a
tratar com o seu consignatario Aoljaio 4e Ais
da Gomes.
Cear
O hiate t Dous Irraos
Irmaos.
a traur coas Tassc
Inspec^o do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos, exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de
l854,o$ cascos,raachlnas,caldeiras,apparelho, mas-
ireacao, veame, amarras e ancoras dos v-pores
Persinunga e Mamanguape da companhia Pernam-
bucana de navegaco costeira, achou lodos estes
objectos em estado de poder os vapores navegar
Inspeccao do arsenal do marinha de Pernam
buco 7 de oulubro de 1865.
O inspector,
_______________H. A. Barbosa de Almeida
O Illm. Sr. inspector da thesunraria da fa-
zenda desta provincia manda fazer publico que Ti-
ca marcado o da 26 do crrante para o concurso
que se tem de abrir nesia mesma thesouraria pa-
ra preenchimento das vagas de 3o escriplurario da
niesuia thesouraria. Os exames versaro sobre as
seguintes materias: theoria da escripeo mercan-
til por partidas simples e dobradas e suas appli-
cacoes ao commercio e ao thesouro, laadurcao
correla das lioguae ingleza e franceza ou pelo
menos da ultima, principios geraes de g"ographia
e historia do Brasil, algebra ale equacoes do i
grao e pratica do servigo da reparlico ero que o
empregado estver servindo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 9 de outubro de 1865.
Servindo de ofllcial maior,
Manoel Jos Pinto.
terca-feira 10, ao meio dia, depois da an-
diencia do Sr. Dr. juiz de orphos, vio a praca por
venda dous terrenos com 73 palmos de frente e
fundos sufflcientes em um sitio no logar do Barro,
freguezia dos Afogados, chaos foreiros, avahado
cada um em 1095500 : os terrenos tem arvoredos
de fructo, e vao a' praca a requerimeuto 0 inven-
tarame dos bens da finada Josepha Duarte.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir cora umita brevd;da o palbabste
nacional Piedade, lem parte do seu rarretaiaeMo
engajado : para o resto que Ihe falla e estraves a
frele, para os quaes tem exc. lenles roiiiraa4aa,
trata si- com os seus consignatarios Antonio Luz
de Oliveira Azeveio & C, no sea escriptorie rea
da Cruz o. 1.
para a Baha
segu rom (oda a bre vida le o ps tacho eactoaa:
D. Luiz ; para o resto da carga q je ihe falla tra-
ta-' e com o seu conignalarlo Jos Mara Palnca
no largo do Ceras Santo n. 4.
Liiilia regular do Brasil
E-pera-se o brigne fraaevi Tms
freres, que sahio de Havre no 4ia 6
de selernbro ao frele de 25 f. e 10
0o- Recebe carga para o Havre
a fret-s baratos : a iraiarTnm ee
onsignatarios Tissetrem.
Masuner le Jeune & Fils tea lo sido erereai-
dos por varios corregidores que haviam resee
de se ver levantar os fretes aos amigos preros, ao
caso de licarem sos encarregadss desle serp,
como antigaraenle compromettem-se por ew
a nao tomar mais do que 35 f. e 10 Op> 4'a-y
que se comprometlerem de saa parle a carrejar
toeas as suas merendonas nos seu i nans. O 4ra>
contrato echase depositado em casi de Tissel fre-
res que o apresenurao aos iuleressalos ) es4e-
ro lomar conhecimenlo delle e a-shroa k as as
condic^oes forera de sna conveniencia.
Para o Maranhfto,
O palhabote Garibaldi mesire Costodis Jete
Vianna : a tratar com Tasso Irmacs.
LEILOES.
LEI LAO
A 10 do corrente.
N. O. Bieber di C. snecersores trio teile
inlervengao do agente Uliveira, do seo nft
sitio com linda casa de viveoda c( uleodo i
modaedes para grande familia, terraeo grasVato
e com portaj de ferro, teodo o sitio murad* esa
tres lados, baixa para rapim, om bom jardiea, ar-
voredos fructferos, cacimba de ptima age eses
tanqne para banho e Analmente cora casa para au-
tor, estribara e cocheira, a si'uaeait e mais ar-
to re sea e agradavel possivel, e sobremodo ntil per
ser muilo alegre e estar collocaeo na eslraa de
Sam'Anna, antes de chegar a Casa Porte, ese frsa-
te do amigo sitio do finado coromendador A atoa o
da Silva, por onde actualmente tiansilam os oe>



!~t------------



Diario de Pernambneo Terca Icttft IO de Oai'nhio de 16,

.Hi
i
i
taitas, e em breve tem de passar a estrada nova
de ferro em construcgo.
HOJE.
ao mea da em ponto, porta da Associac^iSo Com-
inera ai desta praga.___________________________
De mollias, loncas, obras de oure e
ostros arligos de gosto.
. Cordeiro Slmes
por canta e risco de quem pertencer far leilo de
nobttis completas, louea, obras de ouro e prata,
trastes avulsos e oulros muitos arligos, isto
m aiiuazeia a ra da Cruz n 57.
LEILAO
De tima escrava de nome Ibfia, de naco, dadr
40 anoos pouno mais ou menos, perfeila cosi-
nh-ra e lavadcira e rom tnais algunas hab-
Jiddes.
Cordeiro Simdcs
fari leilo por conla e risco de quem pertencer
di activa, cima dita, isto
hoii:.
No armazem a roa da Cruz d. 57.
LEILAO
De ama tabei-na na Ptsstfea da Mag-
dalena raa Reg & Xeves.
soat cnsense de eu* oredores e por inlervenco
da ag<-nte Cordeiro Siidcs faro leilo ilos gene-
ras, aritiieao e m us ntensilitis de su:i tabnrna era
am ou inais lotes a vontade do* compradores, co-
ran tambera as dividas activas na importancia de
*?>,cojo balanra se acha em poder do referido
agtate ao enoje dos pretndanles, isto
Vjuaria-i'oira 11 do crrente as 10 horas.
Na mesma tabrna.
ffitikiJakak>^^L^L^UL^raaki!dyi
a
Approvada por diversas academias e recommendad >s peas celebridades medicas M
T\ de Franca e do cslraugeiro. P
ia A medicina tem reconhecido que a eloolricid.ide produz sempro Hom resultado _
9"l em Indas as molestias, porque ella resiabelece a circul.ico no organismo e faz as- i
tim desapparecer a causa dos soffrimenlos; hoje todos os mdicos a applicam em
Bquasi todos us casos. O Sr. Buisson de liivilliers tem consguido eompor urna esco- fl
va electro magntica que pro luz a vonlade de quem a emprega seus miis uleis c Lj
* felizes resultados. Ustrabalhos do autor foram coroados por um resultado com- m
*1 plet", ceino oattestou > Dr. Vial .1 it.ijit ni) seu relatorio. ^J
la Esta escova tem bou xito as molestias seiruiuli's: rheumatismos, gaita, pa-
dH ralysiu, fragueza dvs membros e da columna vertebral, molestias da medula .
espinhal, emburacos gstricos, nevralgias, incohacSo das pernos, iores artieu- li
" lares, debilidade geral,eagurgilamento dos pulmoes, etc., ele. )
5eu u*t fcil p nn ctiga n mhu na praparaeio. ma gala aooaitMUiha Bada cicova.
Deposito central: lioalsnrt da Prince Kazine, 18, Pars. = Agente no Rio de Janeiro, di-^
UarRoiO, roa nof a do Oador 33=Depoito no Porto, na pliarmacia du aligael Jos da Souia
r'erreir Ilainbar h n. T1. L.
3iqBl^TEiE^Ni'nh=|i.nLlfc,b1^
Alnga-ae o sepundn andar do sobrado da rna
do raperaaor n. 79 : a tratar na ra do Crespo
n. 16. _______________
Precisa-se do um meninide 10 a li anuos
de idark.para caixe'ro : na- ra do Rangel n. 8.
deposiio.
I
Ama de leite
Precisa se de urna ama de leite ; na praca do
Corpo Santo n. 17.
Ama.
fvsfss

0 Dr. Oasanova
pode ser procurado a qualquer hora 8
em seu consultorio homeopathico,
*S IMRIGU 1YOS
E' a ordem do dia I Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
Precisa-se alugar una escrava ou forra, que
saiba coziohar e comprar : na ra de S. Fraocis-
i co ou Mundo Novo n. 54.
Precisa se de dous trabajadores de padaria
para a cidade de Santo Anto : a tratar na ra
Imperial, padaria n. 39.
Ama
Precisa se de urna ama forra para comprar e
cozmbar para urna s pessoa ; na travessa de S.
Pedro n. 2, da< G as 9 horas da manbaa, acharo
com quem tratar.
Precisase fallar a> Sr. Bpjbigeoto da Silva a
negocio de seu interese; na ra da Imperatriz
numero 9.
Sevtsri;iuo do Siqueira Cavalcanti faz publi-
co pelo presente que Ihepertcoce boje o escravo
Caetano, cabra, estatura inediam, de idade ib an-
nos, nao obstante a tem ulguns cabellos brancos,
nariz arrebitado e gi ande, peruas cambetas, ps
apalheiados, com faltas da unbas e costas cicatri-
zadas de relfio, o ijual fQglo do engenho Para fre-
guezia (I> Inojoca, do poder do Jo> Valentim
Vieira de Meih, de qoem recebi em pagamento.
Recife 9 de outubrn de 18G5.
L KI1..10
De mobilias, pianos, secretorias do Jacaranda, me-
elsticas, apparadores, trastes avul-os, ob-
jv.-td!. de-xiuo e prata, relogias, charol >s, es-
cravos, Dagussan, obra de direito em 16 volu-
oms a oolros muitos arligos.
Mj;rta-fr)ira 11 do correte as H horas.
K CHANDE ARMAZEM DE LEiLOES
1)0 AGENTE
OLYMPIO
largodamaliix.de Smto Antonio ^ j de esporo^ armstioiigs epatadas dettO
g n. 2.
^ No mesmo consultorio tem sem-
pre medica lientos em tinturas e
glbulos em crteras e avulsos de
9 Catellan eWeber c muito em conla
Offereee.se um menino com pratica de taber
a tratar no becco dos Ki'rreiros n. S.
Precisa se de urna ama para lavar eengoman*
^'120; extermina-los em summa a espada, a na ra do Trapiche n. 38, segundo andar.
WSjfatloe.a punhal de que se trata; mas Precisa-se lagar ama, preta ou pr.i
Ti nioguem se I
11 Paraguayos co
ao para
familia :
IllOguem se kmbrOU ainda tle esmagar OS oservico interno eexterno (U casa de fin
-a as armas que Deus nos coa- elu Fora d'; l'rlas rua dos Gwaranes n. 2o.
cedeu; acabar com elles a tacao e a ponta ^^T^alrfrra'oheiras' 26. recibem-w
pes, para o que e necessano enconragar esta escravos para vender em coramissao, aiflauca-se
:JlKhh da Caileiai *so ite:sl*e-:i c
na
Precisa se de dous copeiros : no liolel trova-
dor, rua larga do Rosario n. 4.
COZINHEIBA."
Precisa-se de una b >a cozintieira : na rua do
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga obra, arranca t( eos.
quebra marmore e o otros que se vendem
45-RUA IKilTA45
I^IIIO
Erna part' de nna casi df. campo.
f/Meer em teil i ama pirte de um sitio na Cipun-
gaqae foi do ilaado Francisco Custodio de Sana-
nato, af aliada a dita parte era 1:8254550 rs., e lo-
do o sitio em i:):OO0a%, tendoo mesmo boa casa de
vineiida e sitio com basantes plantajes, boi bai- j murado, cacimba a OOSta fura :
cipiin, paireirai etc., etc. \ na rua Direita n. 24.
darta-feira 11 do correte as 11 horas
39 gr:nile arinaiPin do agi'nle referido.
35Ruada Cadeia do Recite 36
S.-bo n. 35.
' PEITOR.
Precisa-se de um fetor capaz e trabalhador para
um sitio perto da praca : a quem coovier dirja-
se a rua Nova u. 17, pija.
Precisa-se de dous amassadors : na rua do
Rangel n. 9.
Alaga-se a casa terrea da rua lm|ie-
rial n. 7i, d ni 3 quartos, 1 salas, quintal
a tratar
, Borseguins Bordeaux........
patricios.........
para sen horas, en-
feilados.......
com laco e fivella ..
Sapatoes encouracados.......
JBirseguins para meninas bom
elast co.................
i Sapatos de lona, sola elstica.
o bom tralainonto e prumpta venda.
Vende-se urna burra de ferro grande e da
rneihor qnalida le que-ha, gaiauliJa pruva cunta
fogo c fraude, e que sra igual ou tnelhor a qoal-
quer burra que exista nesia piovincia : enteude-se
Be ama
LEILAO
ttja de clraratos
Terco u. 2.
Vartins fara' leilo da armaco e pprtencos da
loj do pateo do Terco n. 2.
Quiota-fiira 12 do correte,
.As II horas do dia.
eiIAO"
D f mobilia de angico a Luiz XV e 1 dita do ja-
. trailla usadacjnstmi a pnmeira de li ca-
deras de gu irnica i, 2 de braco, I mesa, 2 con-
sel -fte a segauda -l 12 cadeiras de
tro ele, i de bataneo, 1 sola, 1 mesa e 2 ban-
tbas.
Cordeiro Kiiues
por iqu e risco de quem perteaeer far leilo
h ojelosaeima Jilos.
HOJE AS lt HORAS.
. rmazem a rua da Cruz n. 37.
1
3
131 (
t
AS DA FOR!
Aos 6:0#000.
?Slliclcs garantidos.
avelludados
de tranfa...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lustre..
Chineloes do Poro..........
Um completo soriime; to de calcado daj
trra para homens. senhoras e meninas;
8000
ii300 no escriptoriorua do Trapiche o. 40, primeiro.
S-55PO Joaquina Fsrnanjes Viauaa faz scient ao
/A'lfi re-'il't'"'ve' puhiico o com especialidade ao corpo
do Couirrierclo que deilou de ser caixeiro de Au-
5oOlO jono lus dos Res, por se adiar doenle e ter de
retirar-se para o mato a miar de su'a saode, agr-
ISOOf) drccnclo ao mesmo seuhor o oom tralameuto du-
Beceberam Gregorio Paes do Amaral & C. um variado sortimento denovidade
como sejam:
NOVOS PADROKS EI COATES DE SEDA
COLCHAS IIK lA3IA^CO
Porluguez e france/., de seda e de la e seda.
ide^ucai
Lindo sortimento de lerjues de maare-perola, marfim e osso, trans rente e de
seda com mimosos bordados.
VEEitaUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
Cor de vinho.
Carmizim.
IiUV-H HE 3'VWKM
Brancas e de cores para senhoras e honn.-ns.
.Mantas de meia, de sede, deretroz deduas voltas largas e muito eslreitas de
omaso Tolla.
Gfrosdeneples de todas as cores.
Com fivellas de tartaruga esmaltad s,madreperola c cobertas de seda, (Vitas para
as mesmas, c!c.
CMAl'iES 1E Fili DI3 CORES
Costos intetramente novos, inda d2o vistos oeste mercado.
CASEMIHAS
De quadros miudinhosolargos.
finfeites
O mel'ior e mais moderno sortimenio de enfeites proprios psra KocI:e com boos
penles de tartaruga e sera elles.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
CU8tuin.es 5ara aueuus
de gorgurao de la de diversas cores, bordados com muito gosto.
Perneadores para senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem.
Vestidos feitos para senhora.
Tildo 5>or gireeo razoaveis.
5 RUA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral seu caixeiro.
Creme,
1560:
1G00
Sorvele de rrem hoje ao roeio dia : ua rua do
5500 Trapiche n. 18.
2i240 Na raa da Cacimba u. C, lava-se e engom-
1^500 mase com perfeifao.
llusiea de Ollnda.
O Sr. mestre HaUias Machado queira ir a' Ca-
I -- assim como bezerro francez, couro de lus-1 punga, casa n. 9, concluir o solo que uo acabou.
no paito ao a bctielicio das familias dos briosos tre, marroquins, taias de todas as quali-
voluntarios da patria. dades, fitas para sapateiro, muito sortidas, Instituto
A' RA DO CRESPN. 23 E CASAS DO COSTUMB sola e couros que tudo visto necessarian.en-'
O abaixoassignadf venden nos seas muito fei- te faz cobija ao comp ador pela harateza.

Leilfio
Su casa terrea da rua da Ponte Yelha
numero 23.
Sexta-feira 13 do ouiubro.
Kor tatervenjao do agente Pinto, rua da Cruz
a. a.
ees bilbetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a benecio da santa Casa de Mise-
ricordia, os seguiates premios:
Dous quartos n. loiii cora a sorte de t:0003.
Dous quartos n. 72 com a sorle de 1:2005.
Um ineio n. 1796 com a sorte d'; 1005000.
E oulras muitas sertes de 1005, 405, 205 e
105000.
Ospossuidores podera vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuita rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 3J parte da lotera
(3o'J a beuoliciu das familias dos voluntarios da
patria, que se extrahir a 18 do correle.
PREGO.
Bilbetes.....65000
Meios......35000
Quintos.....15200
Archcoloyici) c (ieorjrapiieo Penan
Imcann.
Ha ver sessSo ordinaria quinta reir 12 do cor
reute, as 11 horas da inanhaa.
Ordem do dia.
Trabalhus o pareceres de cominissoes.
Secretaria do Instituto 9 de outubro de 186o.
J. Soarcs de Azevedo,
Secretario perpetuo.
\^ Sala para alugar.
Alnga-s>> tima sala e dous quartos, bstanla
grande e muito propria para escriptorlo ou para
alguma senhora viuva : para se tratar na rua da
fundada e admini.-lrada pelo banco Allianct do1 Seuzala Xova n. 39, taberna da esquina.
^'r"L^eDlu"na 'las comPaflhias MWtonie pode-1 ~ Perdeu-se no dia 6 do correte, a noite. por
nt,u n "ir "S seus1,as5"i!"11os garantas como as 0(.casi5,( d Te.D ()a fesU snhora do [{l)'?a.
que lno> olierece a l'revideute; que sao rs..
JDZ3
Sociedade
seguros
tuos sobre a vida
admini.-lrada pelo
IURRAY & LANMAN
to delicada, como elegan-
Para
i ono non iran ~, W ,7 i,r u '...... rio no Carnio, um lengo de labvrinto cheio, lem nm
SmiS, lr.d ?, "f', ""' P* eni conformidade do art. 61 dos estatutos dsia sccie I.. aiu.*,J.. a., r,.',..
dade,e responsav
as"pessoas que"comprarem"d 100^000 fj^jSniJJ*88'1" por todos os seus emPre8;,dos
Alem disso extraordinaria a vania?em que
leem aquellas pessoas que se inscreverem e-ie an-
nonesta sociedade, pus que vito associar-se a um
grande capital subscripto desde o Io de Janeiro al
esta data. O homem que du-idar do sorprehen-
Bilhetes.
Meios. .
Quintos.
para cima.
.... 55300
.... 25750
.... 15100
Manoel Martins c'iuza.
p ah ico.
restituir, dinja-se ao convento do Ctrmo a entre-
in-a|ga_r ao Sr. Kr. Jorge, que sera recompensado.____
Aluga-se para passar a festaou annualmeote
urna excedente casa para grande familia, com bons
comniodos, reedificada de novo, a margena do rio
Cpibaribe, na Ponte de chAa Junto a padaria : a
tratar na rua da Cadeia do Recife n. 43, loja.
Precisa-se de um menino porluguez para ca-
dente resudad) que offerece esta sociedade, ignora xeiro de loja de qumquilharias: na rua do Rangel
inteiramente a materia, e maneira por que se re-1 numero 17.
LOTERA
t 6:0005000,1:200^000
e 500^000.
uvo e oxcelleute piano approvado.
B1LHETES A' 55000. MEIOS A' 20500 E
(jINTOS A 15000.
\ 'ham-se venda na respectiva thesou-
rar.t ruado Crespo n. 15, os bilhetes,'dtdou
Escrava fgida.
O abaixo asslgnado previne pelo presente que S^,eL'^i^^Te'rifStro,r Ma
oinguem faca negocio com urna letra por elle ac- f nflqaer incredolidade, basta lemferar.se .,ue|
cola, e da qual sao saccadores os Srs. Block A Hn a capitaes siu convertidos em iiiscripcoes i >o dia 3 do correte fogio ama preta crioula, a
Irmao, joalheiros hoje bastante conktcidos. ?? dlv,da.Pu,)l"':l reno nacional ; e da mesma j qual lem os slgnaes segrales: esfatura alia, gros-
O que motiva o presente aviso o seguinte : !."r",a osJuros !"*? fln^U ^ forem v-n- j sura regular, urna pequea furida do tornozelo do
Api
Irmao
de,
homens
ment, Ihes comprasse joias, e oa recommeodasse
lambem aos meus pareules, atira de que elles se
sahissem bem en sua exeursao.
Tudo
um aliiu
Qual sera', pois, o pai que ao nascerlhe um fl levar na rna do Brum n. 70, segundo andar.
Iho deixe de inscrever o sea o me na Prevideute | ..... _^ -------
com 50-3 por auno para qnando elle tiver 23 annosj ATI'KIVIjAiI
o issefiz ; e entre nutras joias comprei-lhe 'encceber "m do,te de 2L06?ft P,H1C0 **" m m"
lete debrilhante para homem, pela quanlia /|Uann"a esta 1ue nenliuma oulra forma po-
is contse saiscenios mil ris Parte dessa deLa ^T", COm S pe,>"Bn0. defPn"?olso e
ii(j i'cijuruu uc>r,iiiiKfi>u e *pir. ni|11) yan 1
i rwpitpnm a. n.tr^ sem sacrificio algum ; ide paes de familin, deposi-iieiIi l-*dld venucr :
nto.enoitosdaS' parte da lotera (35*) JSTLTSTlSa TJfS7XEl ,a'par,e ft !**.P^?
Ilenry Forster A C, rua do Trapiche n. 8
til e moralisa jora insiimicao; veris assim em
pouco tempo um futuro cheio de ventura para vos
ou para os entes que vos sao mais charos neste
mundo.
Em casa dos Srs. Valle Porto & C. se darSo gra-
tis os estatutos e prospectos desta companhia.
AttencHo.
Perdeu-se hontem 2 de oulubro, do aterro da
i do nao o lerem visto, e estaren) promptos a dar- Boa-Vista at a rua do Crespo, um embrulhocon-
06Z (Sfl antes aesse ; me o valor do mesmo alinele em oulras joias, que tendo a quanlia de 6105 : quera o tiver achado e
dia Uver sabido para OS portOS do norte 0 eu escolhesse. E como das poucas que me apre- qnizer levar a roa do Crespo n. 19, ser generosa-
DOC brasileiro que se espera do sul do seotaram, Denhunna me agradasse, declararam-me
contrario ser ella no dia inmediato ao *\j'J&!?^^lZSZ*l.
eabda.)
3 beneficio das familiis dos voluntarios da mil ris a vencerse em Janeirovmdouro.
patria, cuja extraerlo ser pelo pl.no abai- Feito assim o negocio, e partinlo elles para o
10 publicado. engenho Jaguar, urna pessoa de minna familia
Us premios oe o.uuuouuu ate tUfjuuu umaj,, defeilu e|jra|he uma ande dQ
rio pagos una hora depois da extraccao valor, depreciando^ sammamente.
al as i horas da tarde, e OS outros depois Passaudo Ingo depois, de volla por aqui os mes-
da dtSlribuicO das listas. mos Srs-> mostrei Ihes o deleito da joia, i qu- elles
O andamento das rodas, ser na quarta-1 ?h*'>. dera,.,..ne mil satisfacoes, afflrman-
Prensas para enfardar algodo.
Machinas de descarocar algodo, de 30 a
60 serrotes, com motores, assim como moto-
rs que servirao para qualquer servieo, e tima
machina de 120 serrotes com uma machina a
vapor, propria para a mesma.
A agua florida de Murray & Laninan
olhada como un artigo do perfume, nao
tem piulido ser igualada pelas preparacoes
as mais costosas: conserva seu ar ma, co-
mo se formasse parle ta prenda a que ella
se applica.
Sua eficacia 6
tes sao seus multiplicados usos, quer seja
empregada como arligo de toucador, qor
no uso do bando, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
DS suavidade, brilho e elasticidade as
compleicoes, .derois de se haver lavado; al-
livia a irritacao de friipcoes ordinarias; faz
desapp;reccr o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ibulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efli-
ciencia c elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que soja preciso applica-
a como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antdoto exceden-
te para os desma>os causados por cansaco
ou suffocaco. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joiio da C. Bravo & C.
VERDADEIRO LE ROY
de SIGKORET, Docteur-Md.'cin
Ru de Seine, 51, PARS.
r
s.sag-
m
sflSlMil
2- 2- e "i*
1*1
iflfakl|5
fcira 4S do corren te mez (se antes desse
mele gratificado.
PLANO
Para as extracepes
DE

rm nao quizeram levar o mesmo alfioele e resti-
tuir-me a letra, asseverandome que dentro de um
mez, o mais tardar, por aqui voliariam para ulti-
mtum do negocio, fazendo qualquer outra tran-
saccao.
Em virtude da recommendago com que se me
apresentaram, e em vista das maneirasdelicadas'
com que tratavam, ostentando se uns cavalleiros 1
(cavalleiros de industria ), tive de acredita-los, e
era boa f esperar o cumprlmento da sua promessa.
Passados, porm, dous mezes, sem que me appa-
recesse nenhum dos mesmos Srs., e chegando ao i
meatsoohecimento que diversas pessoas tambem
Approvado pelo Eim. Sr. presidente.
1000 bilhetes a 55000.....,.......20:0005000
Beneficio, sello e commisso 24 0p9.. 4:80050001 convidei pelo Diario aos Srs. Block a enledefem
Liquido...... 15:2005000
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
i Oompanliia Indemnisadora
1000 bilhetes a'55000.....,......". 20:0005000: haviam sido victimas de seraelhantes logracoes, !?^elec.da nesla pra5a- toma seguro* maritimos
>i "dpr sobre navios e seus carregamentos
i Premie-de.-..... 6:0005000
1 Dito de------'------ 1:2005000
i Dito de-.....:..... 5005000
i Dito de.......... 2OO5OOO
5 Ditos de 1005000 5005000
ii Ditos de 205000 4405000
43 Ditos de 105000 43115000
915 O.W6 de 65000 5:4905000
____ -------------15:2005000
100> Premios.
3000 Brancos.
4000 liilbetes.
N. h. tJ premios que estilo sugeitos a descont
5o, o d-- 5095000 ao de 5 por cenlo, e os de-----
-l:2O-5i3J e 6:0005000 ao de 17 por cento, sendo
.5 pur ceoto da lei provincial e 12 por cento da
e/al-
IIxtiTariadas loteras 7 de outubro de 1865.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrignes de Souza.
e contra fogo em i
iu amigo, uessa praca, o Sr. Laorenti- S%ff52!S?? S T^-'TLD? 'eiescriptc'!
no de M.randa, o qual, depois de em vo espera- Jlrua do Vlari n- 4- Pavenlo terreo.
los, procurou-os, e apezar de vanas entrevistas! i< |naca3Sl
nada pode conseguir no intuito de receberem elles
o alfinete, e restituirem a letra.
Summamente tesado era seraelbanle negocio, I 0s arrema,an,es da massa f,,^ de Joaqum
fago a presente exposicao, nao s para que outres Vieira Coe)ho & c previnem aos senhores devedo-
estejam de sobre-aviso a respeito desses joalheiros, res no praso de 3)) djas ve||ham QU ma.
como para que flquem tolos prevenidos de que op-; dera pagar 0 qae estSo devendo a- mesma massa
ponho-me ao pagamento da referida letra, e que na ruada c,d;a do Reefe n 3> ( que findo Q dj((;
praso, es que nao pagarem, terso de ver seos no-
assim nao pode haver sobre ella transaeco
goma.Ignacio de Barros Wanderlev.
POGO DO Ufe-
No armazem da bola amarella, no oilao da se-
cretaria da polica, recehem-se encommendas de
fogo do ar para dentro e fora da provincia.
Ufferece-se um mogo para coziuheiro: ua rua
do Forte n. 30._________________________________
mnibus.
No dia 14 do correte principiam novamenle os I
mnibus de Claudio Dubeux a trabalhar as car-
retos de Apipucos Cachanga e o inda, em vez de
- A. I."SteTtedde retirar-se para Europa, principiar no dia 15 como se aununciou.por ser
domingo. No dito da 14 sobem de tarde os mes-
mos mnibus para Apipocos, e no domingo tor-
nara a subir s 6 1|2 horas da manbaa nao s
para aquella lugar, como para o Cachanga, pre
mes publicados pelo Diario, e se promover a co-
branza judicialmente. Kecife 5 de oulubro de
1865.
^mmmmmmmm
faz nMr o publico que deixa por sen procurador
lustmce o Sr. David Flach.
Aln^a-se a casa t-frea da rua do Cotovello
B DEPOSITO DE CALCADO
m FABRICADO NA CASA DE llFTi;\i;,A0
~$ Rua \ova u. I.
Qt Ah se encontraro obras de di-
J versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a retalbo e em porr;oes.
W S se vende a dinheiro.
llassa fallida de Uulihernie
Carvalho Se C.
Os Srs. credores queiram mandar apre-.
o. 8. com coramodos para familia: a tratar na roa manecendo estos -boras em todos os dias santilca-1 ~ ,-, H nwiiud "l1"-
Veu o. 57. i aos ate segunda deiiberago. Nos das uteis ficara sentar mus ttulos para serem venlicados
-r---------------------------------------------|em vigor as horas do cosime. Fiquem porm 'e admiltidos na forma do art. 859 do COdi- |
Na ru do Livramenion. 19, ha para alugar | entendidos os senhores passageiros, que nao Ihes nr0 comercial : no escrinlorio a rna do Vi-
Bi eseellente escrava para o servieo interno de mrmiiid inwrm mm rt, nmnihns os sens,._, fcl v uu y
< s
B3 n < J r'P S
ri 2 2.2-S o 2
=
o 2"
9 ?
M H
2 6
32 3 2
9 Si^r0- 5
S^Ssla
Sgge18
* D ^
o.
M o
ES OD
O QD
a-a-u. Sis.
*"c3 fi- 8 a
o-l -i ai* a-a
W P- ^3 "T* Tul
VIft Ss
2.
ilt IB r"
;
iS3a.S i 2"g _5b m
Ulht|i|i3|
Wl lififSi
S Ss es
358-
tifa
glf
Em cada garrafa, i ai, onlre a rolha u pj|wl azul
que leva o mpii ainclf, mu rotulo iutpr>'sso fin
relio com o Sri 10 tal i.r.ni ro i.n\ i mi nAKCIX.
.Y. B. RemettendO-M urna Ieltra ile 500 ton
sobre Pars, nrrilavH a 10 dias de vista ao mximo
goza-sc do abaliinrnto e do maior descont.
De|H>sito principal
lo Irgilimo La Roy
em Caza do nosso
muco afronte pelo
lirazil a Snr Anto-
nio PuM : de l.-
tmiu na Baliia e
nosprincipas phar-
maceutcoi.
Fugiodo engenho Taqun, ter nw d>- Sacl)
Antao, de 8 para2 de setembm pionuio |. -aado,
uma escrava de nome Con-iane/'i, com os sienaes
seguintes : cor cabra, cabellos um p u> c.rapi-
b.cs, inda qneamarradosecom tranca*. (h:.do
orpo. aluna de mediana para bailo, raaos e ps
pequ>oi'i>, olhos pequeos e vivos, putui e>, u it
calino, peilos grandes, rosto bocbirbud i e de eor
um piuco fula,tem algomas manchas pooco vizi-
veis uos bracos, a semelhao(a de pannos, fiap-
prebodida no Barro, evadindo-se, foi fela en-
trar uesia cidade em a noite do da 6 do corrente
mea, levuu diversos vestidos e rnai roopa, argola i
de ouru as relas e inllula->e hvre : quera a
apprehender, levando-a a' rua N-va n. 52, 1 an -
dar. sera' recompensado generosamente.
l'recisa-se de ofQciaes dj cigarreiro : na fa-
brica da rua di< Campello, no Itecifn, n 4. Na
mesma ha sempre um grande sortimento de cigar-
ros, tanto grossos como Daos, de boa qualidade, e
por prego commedo.
Ama.
Na rua de Santa Rita n. 23,1" an lar, precia se
de uma ama.
Aluga-se um sobrado de um andar, lija so-
t.l'i. coic coramodos para Familia, no i atea da Boa-
Visia ; qu-m o preteuder aiinuna--.
Jo.- Joaquim da Cooha GuiMries, MneUi
ponugnez, relira-se para l'.irttigal a tratar d sua
'ande, e deixa pur sens procurad i re, em I logar
Joao Baptista Telle-i, 2J Jos Lail F^rreira da Cos-
a, 3Benioda Silva Rosas.
Precisa-se alugar urna ama que saiba coii-
ohai : na rua das Urales, em Santo Antonio, n. 41,
segundo andar.
f
?C2
O abaixo assignado, agente fiscal da provii-
cia da l'arahyba nesla cidade i. ReeUr, f.n sciea-
to a todos us senhores pMprietario* e conJuctores
de lodos os gneros que vicrem dos diversos di-
trictos da mesma provincia, principaintenie os tac-
cas com algodo que devein traBur BO lpoou ca-
beras das raesmas, a legenda Parahyba do Nor-
tee acompanhados de guias das autoridades po
liciaes dos lugares d'omtc sahirein para o mercado
desta capital, pena de serem apprehendidos lodos
aquelles gneros que vieren dos precitados distric-
tos sem ellas, como determina a lei, e para qoe
nao se ehamem a ignorancia faco o presente.
Bernardo Jo.- Martins rVreira.
Precisa-se de orna ama de
['alma n. 41, taberna.
eile; ua rua da
uma es
moa casa por 10 raensaes.
Antonio Luiz Fernn Jes Guimares, subdito
porto^uez, relira-se pariTa Babia.
permiltido levarem em cima dos mnibus os seus i aar(l ,, i-i
escravos sera que estejam calcados, devendo os i n
respectivos senhores pagar a competente passagem aumtnisti auor,
na porpocao de qualquer oatro passageiro. i Justino Jos de Sou/a Campos.
Precisase de um forneiro \ na rua Direita
n. 69.
A pessoa qae annaneiou precisar de 300 a
400?, dirjase a rna de II. ras n. 16.
GRAGEAS
GEIalSH GONTE
AppreMd pala Aoa4amU da Medicina da Parla.
Resulta pelos dous relatorios, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em 1858. que as GRAGEAS dt
ti.is e cont sao o melhor e mais efficaz remedia
ferruginoso para curar a chlorosis (alias fluor-albo), >
Huios brancos, a fraquexa da compleiiio nos dons
sesos, e tambem para ajndar a manslruacto das mocas.
Estas Grageas nlo s&o Tendidas senlo em caixinhas
ou tidrns cobertos com rotar e fechados com ama tira
leTando a firma de depositario geral : I.AIBLONYK,
Bbarmaceutico, ria Bourbon-Villentute, 19. Pori.
Por esta subdelegada se faz publico qne f >
ram apprehendidas duas canoas que io pela agua
cima, sendo uma de um s pao e haMunt-^ arrui-
nada, no lugar da Torre, e oulra de carroira lam-
bem armiada, defronte da camboa dos Remedios:
quem sejuigar com direito as mesmas, provando
serio entregues.
Sobdelegacia da Magdalena 7 de oulubro de
1865.O subdelegado 1 supplonto em exerclcio,
Jos Bercardino fereira de Brito,
rf&
^
FIGADQde bacalhau
P eo processo de Cbrrrirr, pharmarrnliee ea
Pars, rua do Fauhourg Monlraai le 21.
Este oleo de um cheiro agradatel, c d$
um sabor assucarado o nico que nao tem
ero o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
jecto de numerosos relatorios scienlificos e
mdicos, este mdicamente que goza en
Franca de um successo to raro como bem
merecido, receilado diariamente pelo
principaes mdicos dos hospitoes de Paris.
0 OLEO DE FIGADO DK BACALHAO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quando sao aoompanhadas de debili-
dade e atonta.
.X
I'
r~rz
*LT



4
UUrie 44 ^enuB^sacu *- Ter$* felfa 10 de Outubro de ittt*
UQUIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA tXPOSQAO DE LONDRES
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados teoentemente pelo dono do eslabeleciment as principaes abricas
re Paris, Londres, Rirmingham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, c tendo comprado tudo as mdhores c-ondices
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mei breve para a Euroi a.
Ha ieste vasto armazem i ict s objectos com brilhantes, orno botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntoes, anneis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfaroarias finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud Mailly, Regenier, P. Gueland, e inglezas de Eug. Rimrnel eoutros ; ricas galanteras em marfim, madreperla, ele. fabricadas na
China e no Jap5o; ricas mecas de crystal fino como anda no appareceram Beata cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticacs, enfeite^ e adornos para cima de consolos epara grande toillette, o que se tem
feito de mais elegante cm Paris, Londres, Birmingbam etc^ modernos apparellios de metal fino inglez para cha e caf, os quaes em
nada-sao inferiores prata, e muitas outras pepa du mesmo metal, ricos pantos de tartaruga da ultima moda para trancas de senho-
ras, excellentes luvasde pellica do afamado Jouvio, appapdhos de porcelane fina para cha e caf, ditos para (Mar, e immensos rti-
cos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; celcado dus principaes fabricantes de Pars e ditos de pan-
no com sola de borrscha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff 4 G., realejos modernos deGavioh & C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; mode-nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
thelros ou saloes, ditos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoraraas com vistas novas, da e noite; stereocopios de nova in-
vengo e com bello sortimento de vistas das pr'n.cipaes cidades da Enropa; grande sorlimento de brinquedos finos para (naneas, e
bonecas fallando papae emame ; grande sorlimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que lem
merecido toda a aceiUcao na Europa,grande e magnifico sort'nt ento de ca xinhas, cestinbas e outras galanteras felas de crina e seda,
proprios para presentes ; grande sorlimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
proprio para meo de mesa de janlar ou para jardim; cutelara fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas
mascaras de
os tamanlios, ..
las. chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, propnas para quera faz pao-delo, bolinlios, ele;
pannos par cobrr mesas, bolsas grandes e pequeas para viagons, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violoes finos ; finuras finas e jarros de alabastro ; galanlaiias e outras pecas de chao para toillette; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illuminaces moda de Paris; salva-vid* de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
luares fundos ; ameixas novas em caixinhas, biscou;o9 inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muilo barato, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra oa Ca-
deia do Recife n. GO.
Joto da Silva Ramos, medico, m-
I dico pela unversida le de Coimera,
K* di consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
f casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em
[ qualquer occasiiSo. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
[ pital Pedro II, aonde encontrado
|| diariamente das 6 s 8 horas da
fmanbaa,
Tem sua casa de sade regular-
m mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
[ nados, para o que tem commodos
. apropiados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
& Para a casa de sade.
M Primeira classe.. 3)5000 diarios.
m Segunda dita... 30500
fTerceira dita 2f5COO
Este eslabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que
f> tem prestado.
}*; O propnetario espera que elle
Wi continu a merecer a conflanca de
JJque sempre tem gozado.
mm
&9I
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO

DR. PEDftO DEAlTLVHYDE LOBO MOSCOSO,
nKDICO, PARTEIHO E OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundito-3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos os das das 7 as 11
oras da manliao, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos das santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguiBles.
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
' de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteara conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
I que se pedir.
Um Jubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 res.
m vitos.
A melhor bdra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Lr. Jabr
dousgrandeivolum.es com diccionario -........* 200000
Medicina domestica do Dr. Ilering........... 100000
Repertorio do Dr. Meli" Moraes............ 60000
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estibeleimento sao por deraais conhecidos e dispensara por
Samuel Power Johnston (lompanhia iant0 de serem novamehte recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros,- enrgicos e duradores: lia tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e portaiMo a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de satide para escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o aonunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O ratimento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
tanecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceilo se nao
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seas
doentes. :
Paga-se 20 por da durante 60 das e d'ahi em diante 10500.
Asoperaces serio previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedirr o aonunciante.
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuadlco de Low Woor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava!los.
Moendas e meias moendas^ para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho.
NO GRANDE
MAZEM.
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente'inglez.
Arados americanos.
Machinas para destrocar algodo.
Motores para ditos. I
Machinas de costura;.
O bc-harel
Francisco Affljtusl da Costa
M
DA EXPOSICO DE
LONDRES.


ADVICfiADO
Ra do Imperador numero 69. M
No hotel italiano, ra do Trapiche n. o, pre-
Para completa tquidaco vendem-se, por muilo menos do seu valor, perfumaras muto finas e novas chegadas recentemente cisa-se de orna pessoa iue taiba engommar, e de
Rimmel, R. Matheus &C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver, ontr que saiba cozohir
ONAL
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pi
jnuiid & vleyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes lia grande sortimento d'agua de! Aiuga-se uma es m b
gua de lavando, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafi. has e vidros de difieren- R*SSbS '
Colonia em vidros e garrafas, ag...
tes modelos, pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixnhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
bem.
Cruz, obrado n. 92.
irava boa cozioheira, docei-
do pateo da Saota
CAIXtlivO.
Precisa se de uro calxeiro : no armazem de mo-
B* A, fifi % 113 ^"11^ % I Ibados da ra do Imperador n. 57.___________
Ricos e modernos penles de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se j ^ predios^esii^ga f'qeni Urer e qffi-
por menos de seu valor para se liquiJar, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60. zer da-los atmancie^______________________
IUvas w^vjkis HE jfouvm. NA MI4 NOVA N. 6
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Pars, tanto para homem como para senhora por menos de! precisase de uma ama para servlco de casa de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
CompaaMa geral hespauhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma fianca cm iialiciro, deposilado nos corres do estado, garaale a hea
ministraco BANQUE1R0S DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECgAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. It
pouca familia.
Wandryasillo dtj Mello Lios faz sciente que
r^^rb^o ^41 comprou a Bernard e Cerqueira Castro Monteiro
g*M.lf 1 tjrWSi WrWmMM uma liihngraphia e tu lo quanio existia na mesma,
No grande armazem da Exposico de Londres, roa da Cadeia do Recife n. 60, ra da Imperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8 ,su w r"a Ja Cadeii ea^^^no'K
-e na mesma ra loja de miudezas n. 51, vendem-se excellentes vistas para quadroi de sala e para albuns, como: de tres da" a contar la d'ta deste.
Porto.
Campo de Sant'Aiina e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Carca.
Coim:ra.
Precisa-se alug
Precisase de ai i escravo de meia idade para
servico interno .e exte no de uma casa : na roa do
SebD n. 8.
Quem precisar de um coziuheiio para uma
! ou duas pessoas, diri, ase a ra do Fugo n. 32, que
se dir.
uma eserin que saiba co-
VISTAS DE PURIAMBKJO.
Tiradas na occasiao em que S. M. o Imperador aqui estove em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallara acompanhando S. M. o Imperador no da 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Tueatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d i Arsenal com a illumnaco na frente.
Tasseio publico, na cliegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collego com a tropa.
Pateo do Collegioeom op,alanque.
VIAJIS A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invenco com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para lqudaco no grande armazem da Exposico de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-, gg
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
| zinhar e comprar
I Sol n. 9.________
! Precisa-se da q
quem liver innunciej
qjuem liver dinja-se a ra do
Precisa-se de d
ria : na ra larya d<
iatla de 3 a 400* a juros:
para ser nroenrado.
us iraoainadores para pada-
Rosario n. 16.
Teica-teira 10
ua ra Augusta, casal
preto, pelas 12 horas
Precisase de i
propriedade nc valor
tar na ra do Mospic
lo corrente noel vai a leilo
n..., diversos trasies e um
do da.
:000 hypothecando se uma
de 14 a 16.0005 : para tra-
3 a- 38.
Estacompanhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de supervitncia dos sega-
sobre a vida.
Nella pode se tazer subscripcao de maneira que em nenhum caso B*MM jn ncilidcs
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem a sociedades da ndole de A KACIO
DAL,queainda mesmo dimlouindo urna tenja parte do interesse produzido em recentes liqnidai
ces ecombinando-o com a nortalidade da tabella de Depareieux ijue e adoptada pea r..i:ipanh--
para seusalculos e liquidagoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimporsicaoannua.
de lOO produz em elfectivo metlico:
No Qm de o annos.......: I 1;:;iiO
de 10........3:942*600
de 15........11:208*200
de 20........30:256*000
de 2o .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Prospecl's e mais ioformacoes sero prestadas pelo sub-director nesla provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, roa da Cadeia n. 32, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,e ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
DE
O Dr. Carolino
Bjj O Dr. Cosme de S Pereira conti-
nia a residir na ra da Cruz n. 53,
i 1 e 2o andar, onde pode ser procu-
I rado para o exercicio de sua profis-
B sao medica, e com especialidade
sS sobre seguinle
31 Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os das das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
m
I CASA DE BANHOS. |
Riiatia Cruz n. 17. h
m
i
i
m
A abaixo assignada, tem a honra de
participar ao publico que o seu estabele-
emenio cima mencionado, acha-se hi'je
funecionando rnoilo regularmente, pr-
vido de todas as accommodaroes necessa-
rias e sobre tudo cora alguma limptza.
Os<-artes firmados por meus anteces-
sores Cedrim & C. serao recebidos at o
meado do ion decutubro vindouro, os da
casa tero a firma da abaixo assignada,
e serao como d'anies transmissiveis.
Tabella dos precos.
( assignura mensal com direito
a um banho diario a 320 rs.. 95G0O ?
1 dita de 30 carioes transmissi- ^
veisa36rs................ 10*800 S
1|2 dita de lo ditos a 400 rs.... 6*000 fl|
i banho avulso, momo ou fri ou 2Jjg
de chovisco................. BOJ J
i dito aromatisado com agua Do- afs
rida........................ 1*0^
Us medicinaes serao pelo preco que se isS
convenciouar: JJJ
U eslabelecimento estara' aberto nos &&
dias utels das 6 da manhaa as 10 da noite ^
e nos dias santificados al? horas da lar-
de, baveodo cliegada de vapor estar' 2jp
aberlo por mais al?nm lempo. f
Malhilde 6. Lessa. j0
Arrenda-se um silio no Jacar, estrada que
vai para Agua-Fria, cum casa de pedra e cal ulti-
rriamente edificada, com ba-tames commodos ; este
s lio lem arvoredos de fructas de todas as qualida-1
les, bom terreno para plntaco, e ha xa para ca-
pim Alua-se lambem o armazem do sol na ra
la Concordia, proprio para qualquer eslabeleci-
,,''',',l\LrnlV^CJc,a4d0r^,arr0S0 que moi;a duas casas ora commodos para familia, na ha
no sobrado n 34 onde est o dito armazem, tanto; do Re|| jaDt0 pme daFPa,5agera : a ,ralar
iilf. acto iiinutn liara n cmr, minpi/in.jn ,/ __ r
jiii L. M. H. Vaieoi;a.
Para quem precisar de banhos, oflWce-se
para este quanto para o sitio mencionado.
- Aluga-se a sala do 2o andar do sobrado da
ra do Imperador n. 75 -, a tratar no mesmo andar
at'as 9 bores da manhaa, e depois na taberna n.
46 da mesma ra.
E-CRAvA.
Precisase aluaar uma escrava u
interno de casa de fainilij na ra da Cadeia do tS^Stl^SSS?M
liec fe. n 52. terceiroandar.
para o servido
nc,*
*
B Casa de banhos
S Largo do Carmo a. 26.
QS Este eslabelecimento lio hem monlado
w oa sua origem acbava-se de ha muilo
%< em quasi completo abandono pelo pouco
^ ioteresse de sua adminbtracao.
Hoje que o novo proprielario empre-
-l; gou todos os raeios para reslaheler a
I graude utilidade deste eslabelecimento,
. pode assegurar ao publico que qualquer
Wl que seja o numero dos concorrentes
lg!j| acharao desde j prcniptidao e aceio nos
banhos trios, momos on medicinaes, a
jf^ casa dos banhos se achara abena todos
3J5 das das 6 huras da manba as 11 da
^ noite
M Pr'os.
a Banho de choque....... 500
*"' Dito fro ou momo..... 500
Diio de farello.........1*000
Dito medicinal sera se-
gundo sua quilidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou morno. 10*
25 carioes paja banho fro, mor-
no ou de chuvlsco..........10*
12 catines para os mesmos... 5*
12 ditos para banho de farello. 10*
mm mmmr
Aluga-se o prirhelro andar do sobrado da
ra Imperial n. 144 i om bastantes commodos para
uma grande familia, e muilo fresco : a tratar na
pateo de S. Pedro n.

Francisco de Lima San-
tos contina a ajorar na ra do Impera-
dor n. 17, segun o andar, tendo alias seu
gabinete de con ultas medicas, logo ao
entrar, no pnmei o.
O mesmo doutbr, que se tem dado ao
estudo tanto das qperacOes como das mo
leslias internas, pj-esta se a qualquer cha-
mado, quer parq dentro quer para fora
da cidade.
m
|Dentista d(
B ua estrella
aop
1PRANC1SC0

Pernambuco.
io Rosario n. 3,
la igieja
&
. PINTO
* Colloca dei tes artlflciaes
pelos syst mas uials mo-
dernos
Emprega todos os neios scientificos para
conservar os natura es. Pode ser procura-
do em seu gabini
nhaa as 5 da tarde.
e das 9 horas da ma-
HfiSSMHU
m
SOCIEDADE
Instituto rhiloMipblto.
De ordem do Sr. presmenle convido aos senhe-
res socios a comparecerqm quinta-feira 12 do cr-
reme, as 4.toras da larde, na saia das sessoes,
afim de aFsisiirem ao eucerramento dos tiabalhos
desle aono, como j ficod. determinado por sesso
anterior.
Secretaria do Instituto 'hilosophico 7 de outubro j
de 1865.
Fre erico H. L. Tavora.
DE
J. VIGNES.
. 5o. -RUI DO IMPtiaiAKOIl .^. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assis cooliecidos p.ira <|Ue seja necessano insistir sobre a
sua superioridade, vanlii;ea.se garantas queofferecem aos compradon^, qualidades estas inc ,ntesta-
veis que elles tem detinllivainente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla prara : po~-
jaindo um teclado e machinismo que obeducain tolas as vontades e caprichos das pianistas, sena
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhorarnrutos fnp'>rtan-
tissimos para o clima deste paiz ; qaaoto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muilo agrada-
reis aos ouvidos do* apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Ilondel. de Paris, sodo
correspondente de J. Vigne?, em cuj capital foram sempre premiados em todas as exposiedes.
No mesmo estabeleimenlo se achara sempre uro explendido e variado sortimento de musirs dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos commodos e raznavels.
ALCOHOLADO de GUACO
:den, Rasgal
O Alcoholado de Guaco de Pascal uma nova preparaco da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo inialivel do contagio venerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2 Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceraefles primitivas e secun-
darias, ec.
3* Empregado em injeccoes, o melhor tratamento dos corrimentvs
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea na?
mulheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e /<-
ridas de tn natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ec.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcedla, ec., e recebeu a approvacSo
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, iday.
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedicito, PASCAL e C*, 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
1 secretario.
Gralificaco de 50$.
Ansenton^se da basa 39 da roa do Imperador
(odtr'ora Collegio) no sabbado 16 do corrente mez
de se tem br o de 1865, o escravo pardo denome Joa-
qun), com os signaesseguintes : estatura regular,
idade 18 a 20 annos, sera barba, ps largos, olhos; va) tentlo terracos ejcanten os para flores I
grandes, rabello corrido, com uma cicatriz graude j um dos |aj0l casa ms portes;
sitio na estrada do J
Aluga-se uma c isa muito fresca com
cobioa (Capunga No-.'
ASTHME
ASTHIYIA ASTHMA1! ASTHMAI!
SUPFOCgAO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio effcaz para combattir estas molestias, acalmar om attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. DeecoberU inieinuncBe
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis
lados que lem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, em todas
biicas de Franca e do estrangeiro.
Aluga-
O arrematante das dividas da massa fallida de
& C, e do espolio do
fallecido Custodio Lniz Gomes, previne aos sonho-
res devtdore para que, no praso de 30 dias, le-
nham a bondade de virem sati.-fazer seus debilos
no espaco dos dias cima, do contrario seus nomes
serao publicados : a tralar na ra do Arago nu-
mero 3.
um sobrado de um andar em frente ao hospital
Pedro II, a margem do rio Capibarihe, aonde os
l>anl)os salgados sao mu recommendaveis e agr-
daris, o qual tem 3 salas, 3 qoartos e estribara, pejiaVei"pubco ou a quem mais convier, que di
e mnitas ou-; de 0 ia 5 j,, frrente deixou de ser caixel
Sr Joo Alves de Moura
Manoel Francisco Paredes .cientfica ao res-
e bem visivel ua testa, parte dos dentes da frente
arruinadas, .rom falla de alguos dos lados, sahlo
com calca de brim pardo e paetot curto de panno,
mas levou mais ronpa branca e de cor, muilo
astucioso, costuma intitular-se forro e andar cal-
_ <;ado; f i escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvalho, genro do tinado Sr. commendador
t Manoel Gongalves da Silva : roga-se a sna captura
a todas as autoridades policiaes e a qualquer ca-
piiao de campo ou ouira ijessoa particular que o
apprehenJer se gratilicar com 30$, alm das.des-
pezas de conduccao, enlr?gando-o a seu senhor
Miguel os Alves. na casa cima, ou no seu es-
criptorio na ru 1 da Cruz casa n. 19.
Mtio com 8 cajueiro .1 saponzeiros, e mnitas ou-; de 0 dia g do correnle deixou de ser caxeiro do
tras frucieiras, por 2o* mensaes : a tratar no lar- Sr Joo A)ves de Mor, : appr0veila no entretan-
to dos Coelhos com o Sr. Antonio Urneiro da M en?e|0 para manifestar ao mesmo Sr. .Moura
r-UDh3-________________________________ e a sua xm". familia os seus protestos de gralido
Precisa ee de uma ama para todo o servico pelas maneiras Ihanas e urbanas com que sempre
de casa de poaea familia : na travessa da matriz foi tratado durante lodo o lempo que foi eraprega-
de Santo Antonio n. 8. do de sua ca-a.
UVAS
chegadas pelo vapor Amazonas, em mqito bom
esudo : na ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Roga-se ao Sr. Jos Jorge de Siqueira Filbo,
acadmico do 2o anno, natjral de Serglpe, o'obse-
quio de apparecer na rna larga do Rosario, esta-
belecimento da esquina, difronte da botica do Sr.
Dartholomeu, a negocio que nao ignora.
de ferro, banhtiro, epeheira, estribara, ga-
linheiro e quartos foa, assim com commo-
didades,bast.nte freia, tem cacimba com
siffrivel aguae o sitio todo murado: a'
tratar na ra do Pilai em Fora de Portas,!
primeiro sobrado a dreita logo depois do
arsenal de marinhi, fu na ra da Cadeia
Velha (Recife) scrip orio no primeiro an-
dar da asa n. 3. Pira a casa ser vista pe-
los preten ientes ach r5o as chaves no sitio
junto do Sr. Joo Baista Vieira Ribeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
&WmMM*MMMMmm O fiel retrato du voluntaria
* Compauhia lidelidade de seguros A +
D. Mariana Amalia do riego Brrelo naioral da
Roga-se aos devedore 1
(Lardoso de Gouveia qm
Att }n$io
do fallecido Fortunato
venham ^satisfacer seus
lailB.
Mato
m-------.
..
dbitos em casa do proc irador Judicial da herdei-
ra, Dr. Angelo Henriquei da
do n. 24, para nao seren chamados
ra da Liogoeta 0. 3.
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
AGENTES E.M PEHNAliBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competeutemente autorlsados pela direc-
tora da companiiia de seguros Fidelida-
de,tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no sen escriptorio ra da
Cruz n. I.
8"
ciade da Villora : acha-se a venda na liUVfra-
phia de F. H. Cari", ra -Ja Cadeia do Reeife n.
9 1." andar.
Notas do banco do Brasil e das eaixas Hiaes
descontam-se na travessa das Cruzes n. 8.
Os credores de Jor de Casi, o R. lewlo sao
oonvidados a mandar receber o primeiro dividen-
do : na ra do Amoruii n. 41.
Saques.
Antonio Jos Rodrigues de Souza ;ua
mSsa juuo? onaidoCrespo n. 15. saca para o Rio de Janei-
ro a 3 dias de vista.
cm
Aluga-se a casa n. 4 da rna do Principe, coa S
salas, 3 quartos, coznba fora, quintal e eaei
a ira ar oa rna Nova a. 3.
-^ "**-! jj' jk
>
-*


'\
Diario de ernatabnco Terca feira O de Outobro de isa
Ama secca.
Ni ra da Imperatriz o. lo, segaado audar, pre-
cisare de urna ama que tenha acabado a criago,
para cuidar de urna enanca, na quaiidade de ama
secca.___________
Na ra de Sania Rila n. 68 lava-se e engom-
ma-se bem, e por commodo prego.
COMPRAS.
Compra-se ellectivaraente ouro e prata era
obras velhas, pagaodo-se bem : na ra larga do
Rosario n. S4, loja de ourives. ______________
Silvino Guilherme de Barros .compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.________
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,
leja de onrives no arco da Conceigo.__________
Na ra do Crespo n. 16, primeiro andar-
coropram-se libras sterlinas e rooedas de ouro bra,
sileiras.________________________________
Comprase papel diario para embrulho, pa-
pa >e bem : na padaria da ra da Imperatriz nu-
mero 66. ___________________
Ouro e prata.
Em obras velhas : compra-se na] praga da In- f
dependencio n. 22, loja de bilhetes.
Grande liquidado a dinheiro.
.\a loja e armazem do pavo.
Raa da .Imperatriz u. GO deGa-
\ na fe Silva.
Os donos dsle eslabelecimenlo lem resolvido li-
quidar suas fazendas per pregos baratissimos, s
com o flm de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontrarlo um
grande sorlimeato por pregos que muilo Ihes ho
de agradar, tanlo em pega corno a retalho, a
saber :
Cambraias de torro a 2$000-
Vendem-se pecas de cambraia branca para for-
ro a : na loja do Pavo ra da Imperalriz n.
60, de Gama i Silva.
Morcanlique branca
Vende-se superior moreantique hranco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha
na loja do Pavo na ra da
Gama & Silva.
Otitros objectos.
Viodos tambem para a anliga
loja de
miudezas ra do Qucjimado d. 16.
Sapatiuhos desetim Vaneo bordadus pa-
ra baptisados.
Outros de merino timbera bordados <
GIN BRANCA.
Colleiras de marroquin, com cascaveis
e sem elles.
Na ruado Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim, igualmente bonitos,
pospontadas e com cascaveis, ou >em elles Meias de seda, correspondente no tama-
proprias para caes e cutres biehinhc*. nho dos saptinhos.
Pennasinglc/asdcaco edonradas. Outras mui linas d
No novo sorlimtnto de pinnas de ac que brancas listradas.
a Aguia Branca acaba de receber, vieram Luvas finas de fio da
tambem outras de metal dourado e bicos de cores.
mui bem acabados, e por etsas boas e ne-j Ditas de seda para stjnhoras.
cessarias qualidades os seus acreditados fa-j Ligas de dita pata st
bicantes Perry & C, as recon.mendam a entendedores e apreciadores do bom, valen-! embaracar.
do mesmo a diflerenca que ha no prego de i Carriteis com retroz preto e outras cores.
lio da Escossia e
Escossia brancas e
nhoras.
nhor.is e meninas.
Comprase +
para uona encommenda urna escrava preta ou par-
da, com habilidades, principalmente em costura e
engommado : na ra do Imperador n. 42, terceiro
andar se dir.
COBRE L T\0 E
CHUMBO
Compra-se cobre, lato e chumbo : no armazem
da bola amarella, no oito da secretaria da polica.
Imperatriz n. 60, de urnas para outras, porque estas setotnam!
mais duraveis na coniinuagao de ese-rever; |
Percates Cum mofo. assim pois quem dellas se quizer iitlisar,
Na loja do Pavo a 3G0 rs. compra-las a dinheiro a vista : na ra do;
Vendem-se as mas Anas ptrcaUsrom lindissi- Queimado loja. da Aguia Branca n. 8.
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um franjas COIU borlas e SCI11 ellas para'
cortinados.
A Aguia Branca recebcu um bello soiti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de covos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do preco est
em relaco a largura : acliam-se ellas a ven-
pequeno toque de mofo que larga logo se lave e
iquida-se pelo baratissimo prego de 3G0 rs. o co-
vado : isto s na loja do Pavo ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinkas a 200 rs o covado.
Na loja do Pavo.
Vendem-se lazinuas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratissimo prego de 200 rs., ditas
com palminhas de seda a 240 rs. : isto s para li-
quidar, assim como liazinhas rnogan.biqucs com
os mais bonitos padroes a 210 rs. : i.-to na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de (ama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Carteiras com apulbas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Hnspasde baleia pan vestidos.
Filas de linho proprias para ditos.
. Caixas com lindas le novellos grandes
para crochets.
Tfancellim de bonapa preto, redondo.
Bonitas ttvollas grandes de ac,
doiiradas, inaurcperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas' ra do Queimado
Comprase carosso (sement) de algodao : no Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in- l zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
armazem de algodo de Saunders Brothers d; C, dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda que das diversas pinturas dellas 6 formam
transparente de novosgosios que serven at para agradaveis vistas e paisagens, segundos
Dilles e partidas, vndense pelo baralissimo pre- rjsfflihoa nii ppnmnanham Na verriaile
co de 35 cada um por terse comprado nina gran- uesuH10!> 9 xompannam. i>a \eruaue e
l de porco: na loja do Pavo ra da imperalriz n. esse um deleitavel en retemmento com o
60, de Gama & Silva. qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
Lencus de seda a 1 $ telligencia. Os apreciadores d rijam-se
Vendem-se superiores lencos de seda para ho- riia do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavo na ra ca n. 8, que setao satisfeitos.
da imperaniz n. co, de Gama & Silva. L Boniles enfeites (ara senhoras,
US tSpCr(llhOS U PtVO A Aguia Branca acaba de receber um no-
A 4)5 5$ e65 'v0 e unt'0 sorlimenlo de enteites (s mais
Vendem-se os mais superiores' espartilhos com modernos e gostos inteiramente agradaveis,
as competentes filas para apeitar pelos baratissi- e como seu louvavel costume OS est ven-
inos precos de 'i&, S% a 65 por ter chegado urna
grande porco |iara a loja do Pavo: ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Tartalara branca a 64'* rs.
Vende-se larlatana branca muilo fina a 640 rs. a
vara, ditas deftodas as cores a 800 rs. a vara, di-
daa ra do Queimado loja da AguiaBran-in- ^-recebeu um blonito sorUn.enlo de
can. 8. : flvellas grandes para cintos, sendo de ac
Jogo da paciencia ou curioso enti eteni- douradas, madrt-pcroii
nionln estao sendo vendidas (
raeniP'. eos commodos ; assiu
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-' fllas de 8oror0 achar.
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-lra dilas fi%ellas.
e tartaruga, as quaes
m dila loja por pre-
como boas e bonitas
palotado, proprias pa-
o caes de Apollo.
9$200 por c. ila libra sieriina
paga se na prara da Independencia n. 22.
Atteucao.
Na ra do Crespo n. 8, e.-quina da ra do Im-
perador, comprase urna machina de costura em
bom estado.___________________
Compram-se 2 casas na Roa-Vista e vende-
se nrna na Capunoa : a tratar na ra do Mondego
D. 8o.
VEHBS.
Bibliotkeca lusitana
histrica, critica e chronologica, compreliendendo
a noticia dos autores portuguezes e das obras que
cqmpozeram, desde o lempo da promulgaco da le
da graga al o tempo prsenle, por DlUGO BAR-
BOSA MACHADO, 1741, 4 grossos volumes em fo-
lio ; obra varissima, cuja edigo ha muilo se acha
exgotada. indispensavel a todo o homem lettra-
do ou de protisso srienliflea, de quein a historia
patria e as letras nacionaes nao podem nem devero
ser ignoradas : vende-se na livraria e Jos No-
gueira de Souza no arco de Santo Antonio._______
"Vende-se arroz com casca, prego em couta, me-
dido em alqueire a voniade do comprador c est
no trapiche do Cunlia : para tratar na rna do Vi-
cario n. 29.
As inelhorcs chitas francezas de cores
escuras c fixas a 280 rs. e
covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se ilutas fran-
cezas escuras e Moas a 280 o covado.
Vinho do Porto superior era caixa de duzis,
tem para vender Antonio Luiz de'Gliveira Azeve-
do S C, no sea escriptorio ra da Cruz n. I.
.NoTidailc.
Chegaram os bonitos chales 3 retondss de geipil-
re brancos,'U vendem-se na ruada Imperatr-iz n.
52, loja da pirt? larpa, de Paredes Porto.
g CA.MRUAIA.
Cambraia de forro com 8 l|2 varas a pega a 1&,
est-se acabando : na loja da porta larga da ra da
Impciatri.- a. oi, de Paredes Porto.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na rii-do Queimado n. { vendem-se superiores
laas para-vestidos a iO rs. -o covado ; a ellas, an-
tes que se acabem.
dendo baralamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
iUeas de la para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
na Aguia Brinca n. 8.
Mala mosca.
Na loja da Aguia Branca aclia-se a venda
o papel com entupo; cao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar faciuTlrK^ e o
effeito efflcaz : molha-se o papel e deix
fle-r n'nm prato, e nelle pousando as mos
cas, entristecen) e morrem. Costa cada fa-
ina iO ris: n?. rna do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brinquedose entretenimento
paro criiincas.
A Agota Branca n-a ra do Queimado n.
18, recebeu dive sos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara
loja do Pavao na ruada Imperalriz o. 60, de Ga-
ma fU Silva."
0 bramante do Pavao.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
que tem viudo ao mercado rom 10 palmos de lar-
gura a 2^600 a vara, panuo de linho muito su-
perior para Icnces, ualhas e seroulas 610 e
700 rs. a vara : Uto na loja do Pavao na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Yleispara meninas a 2,504)
Vemem-se meias para meninas de lodos os ta-
maitos a 25300 rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, di'as inglezas para
homem a 5f a duzia, isto na loja do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de-Gama & Silva.
i!.rliiiiii!os para oatnas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato preco de i\$n par. Ditcs bordados muilo ri-' elctricos, apparclhos de metal, louca pinta-
eos a 245, colchas de fusto para cama a un da porcelana donrada para almoc- e jan-
Gama & Silva "'"^'^ 'de ioi cutros brinquedos de madeirP.
que se vendem baratamente : na ra Au
Os balese Paviio a 10500, 3 e 3o00 Queimad", ioja da Aguia Branca n 8.
Vendem-se ss melhores baldes de arcos ameri-itip: ,,.,., .1- .i., _.,_.. Hhr.fl a
canos, sendo com 20 arcos a 25300, ditos cun 2o ; "el,ls P,uafi ,,e V. P BBB1WW
arcos a 35,4os com .'JO arcos a 35300, ditos para 2)00 lS 0 par.
lcdH S rZll^s a SS^J' A Aguia Branca quer acabar com a por-
va uo.ucs de bramante e muicelina com M l
Ja, ser-de bastante gandes a 35, i--to na loja $0 de matas prcias de seda para senhoras,
avo, -ra da Imperatriz n. 66, de Gama &; e apesar'do muito maicr pre taram e o bom estado em que atada estao,
As camisittJias do Pavao. comtado est resolvida a vende-las a yi 0
Meodem-e as mais modernas camisinhas borda- ris o psr, afim de que Tsngucm mais calce
das com manguitos, para senhoras, seno as mais nip;Ma mrot^a Aa aanAa an. ra ni* irirn
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di- medS P" sdcalgodao, ag. ra petS 8 apro
tas com manguitos, p:;ra acabar, a 15; das i.re- veilarem a quadra e flrngirem- '2 a ra do
tas coik manguilos pera lulo a 15800 rs., mongui-1 Qucir.iado, loja da Aglffil Blr.CC n. 8. Tara
tos e goiwhas pretas a 15, linisMina-s gotlohas de bem vender as branca a 13 o par, e des-
caiiiora,-:; liranca borlada a 300 rs., takinlias'jjara
Oculos de peoelra e de outras
qualidades, pira quena soffre
da vista.
A'loja de miudezas ra do Queimado
o. 1G, tambem recebeu oculos de peueira
com vidros claros e oscuros, para quem sof-
fre da vista, assimconio cutros de aimago
de ac, sonidos emg os.
coi-oas e terecs de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos dec)rnlina, os quaes estao
a disposiciio dos bonsl christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas Anas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos o' jeoos.
A antiga loja de miudezas ra do Qoei-
mado n. 16, acaba dt receber mui tos e di-
versos objectos que f.zem completar o seu
bello sortimento, send ):
F.las finas de sarja [da mais estreita que
al a mais larga, tollas de vivas e agrada-
cores,
em tambem de sai[ja tarrada, de bonitos
notros desenhos
dem dem brancas. Misas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorguro ci seda acb-amalotada,
e muito encorpadas, ppra cinto de fivellas
grandes.
de seda preta i de outras coi es pa-
Liquida^rio no armazem da
Arara.
O proprietaiio da loja e innaztin ca Arara vai
lazer lii|uiilacao de todas as tazeodap, s para a
purar dinneiro a saber :
Luiros de cassas braners cm bai ras de cr.
Vende-se lencos brancos cora barras oe cores a
ICO rs. cada um, dito de mais delicadas cores 200
rs.e brancos a 200 e 2'0rs. edos de nr.o a 200 e
600 rs., de esguio a 710 is. nm enjo : isto pa-
ra a(cabar.
Brelmlia pi f"s ; ^a.
Vende-se a mais lina brrtanba e linho e enfes-
lada a 15 a vara, fendo fazenda .ue sempre ;e
veudeu a 15'i(0 ;: v,.ra.
Laaziiibis a 2 0 rs. o avado.
Vende fe um grande > v... nlo de liazinhas a
220, e 2i0 rs. o covado, > para acabar : no ar-
mazem da Arara, n. 56, M>nJes Guimares.
Cambriias de cvrra.
Vende-se urna ^grande por^ao de cambraias de
cores, das mais rrmderoas ijue lem .indo, ao mer-
cado, e se vende a 300, 30, .'(CO e iOO rs. o ''ova-
do, sendo Cateadas muilo finas, so na Arara.
Chitas francezas.
Vndese chitas raneezas a 2C0, icO, :i00 .-
rs., peira'as a 360, r loo rs. o covado, chitas
roberas a i40 rs dita latg: s >M0 rs. o covadi
las encarnadas da mascadas a 320 rs. o coyadu
para liquidar.
Cambrais para ferro.
Vende-se cambraia para forro a 5 a pecadora
8 1|3 varas.
Candil-;i:s !ia:..a Gnss.
Vende-se ran-braia branca a $, 3JS0O, \ '-0
14500, 55 e 35500, e 65, 6.'i0 e 75 a p en.
Laa/inhas lisas.
Vende-se lazlnhas i;-a-, Mada bonitos uradiOes
a 500 is. i las a 400. e i i*. ., covado, -u na Ij
ja loja do Arara u. 56
EtgniSo.
Vende-sc espuiao de linho fin i a l-3fi00 vara.
6hanibrrs para hrn rm.
Vende-se chambres '.ara fii-mtrn a 45 e 4;5('
cada um, colariidu.s de linho para hoium, iue .-e
vende a 60 cada cm.
Chales de icrit a 2 >(0..
Vende chales d^ meiii a 2-1 cada um, ditos li-
sos. 45, estampados a 65 e 75 Mendes Guima-
res.
Colchas.
Vende-se colchas de tnslnn .115 Jita- de damas-
co a '>5, dila de chitas 3f240, 5, cada urna, ;o
na Araran. 57.
PABA A CURA DA
ENCKOFII.A
e crfas as n U (ia*
IKMfinrnfMh.i,
iJt
!23
3:0
ai a
di-
isto
indas t* iii'fllr.4 d^
pefle
rhrrvsipellas, iiwrw, rlrrra,
s::r;s.
B -'!'!:>. i-Iil'ipg'JtS.
REUMATISMO
. SYI*lllff.-IH
em tocas as suas formas, m ri n i, u '-
o mal que provm do oso i ieei\<
y.i.hi.i rio
I'Iceraco lo Ogat^o
uivm sttmma lodos (* males rn n> a
e igi m i
IMPUREZA IO SANGIE
1- i ra ai :iar;te podi ii*n nata a
RI N< VACAO LO SAKCIE
e i ; ;!:ii" nova oi(a vigor ao irr jj
nh onecido pela di i.'-;:.
'>' : '-se em Pernambuco:
Algodo Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Ferniio Vei'-.o, e le muito sopera
qnalidade : vende-seno escriptorio de IfanoeClg-
nado de Oliveira & i'ilt,
numero 19.
larg do Corpo Sanli

meninas
perjures
caud
do l
Silva.
V
ra roar vestidos, copleles, palitos, etc.
.aem de 15a igualmenlte sortijas em cores
para os mesmos lins.
dem de algod5o brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos jde chita.
Idea de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidosipretos, etc.
Novas e lindas guarn
soutembarques, vestidos
etc., obras do muito gos
Tranca de seda com v
vos e mui bonitos.
dem idem de cores
moldes e agradaveis cr
Botes para os mam
los de seda roaiores e
com vidrilbos e penden
men.na a 640 rs., rumeiras de H carntraia tas u mko defeito '****** ** Pouco tri"| versas cores,
branca'bordada a 15'joO : na loja d-o Paveo, rna gueiras. j(
da lB#orat>1< n. SO, de Gama Oc Silva. ^de-se um srfio n "
WWiaw pielosao^ rio Capbaribe, com cornmodos para urna grnnire :
Vedem-se supenor-s paletots saceos de panno familic, e com frocierras : trata-so na ra" Nova;
de Lisboa o mais superior .que ha 45o00e a o5000 preto, .boa fazenda. a 65 ; ditos sobre-casacos a D. 24, tas 0 horas as 4 a tarde.
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 e i -'------------------ ------
85, dMas preas .a -6, 75 e t>5, paletots de meia | \ A |1 II I TE |? I|
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas lili A n'fl l'jfilv II
de meia casimira a 45 e 45500, ditas oe brim
FARELO
gOes para enfeitar
pretos, manteletes,
o e modernsima.
dvilhos, moldes no-
tambem de bonitos
es.
>s fins, sendo pre-
nenorc?, enfeitados
es e outros de di-
o tambem de sortf-
o sacco : :i i ra larga do Itosario n. 59, taberna
da esnum?, defroote da igreja.
Colla da Bata superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no-seu escriptorio ra da Cruz n. .1.
lgodfio da Bahi
Xa lo;;i de Andrade & Reg, ra do Crespo n. 8,
esijuina da ra do Imperador, vende-se superior
algodao t'a llahla por mecos prego do (ue em ou-
tra qoalqaer parte.
Veade-se o sobrado o. ti sito na ra de S.
Pedro Martyr em Oliuda.e veade-se tambem um
terreno onde se acha editicada grande parte da
tidadedo Dio Pormoso, o da ii. i:..: at o trapicne: o tratar na ra da Unio
n.37.______________________________________
0 cstelo de Grasvile.
Tradt:d o do francez por A. J. C. da Craz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos peo baratissimo preco de 3600C
oa praja da Independoncia. livraria ns. j
6ek______________________________
TEBREX03 A' VEWDA.
Veade-ce om terreon jiroprio para edificaQa.i,
collocado no centro da cidade, com 68 palmos de
frentee 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
rna da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
macoes, oa ra do Sol n. 37.
Vendem-se dous escravos mogos, -proprios
para todo o trabalho de campo : na ra de Apollo
XJ.11.________________________________________________________________________________________________
Fariiiita de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C.,no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Ven Crnies n. 12 : a tratar na mesma.
Vende-se um escravo mogo, idade 27 annoe
proprio para todo o trabalho, tanto da praga como
decampo por s*r roboro e sadlo; a tratar na rHM
doblar n. 143, ou lS', taberna.^
Vende-se o deposito da ra Xov.a c. 58 em
^irtuae de um dossocioj ter desahir para fra da p
Impenio, a oedido em pretfls de v.IIoi
ilenira a margem do'dos lamailllOS.
Lonrtos de dens irdros coin aro de aro, lufto
C larlan |.
A loja de miudezas,
braneo de linho e de cores, coletes de todas as de faZClldaS DO,rata deSaillOS
qualidades. Todas estas obras se vendem por1
prego muilo em conta, s com o (im de apurar di-
uheiro : na loja do Pavao, ra da imperalriz o, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja de Pavao
Vende se um grande sortimenio de madapoloes,
chitas, algodozinhos das melhores marcas, ga-
rantine-o-se vender qnalaner parte, sen.o a dinheiro a vista, ca loja do
Pavo, ra da Impera'.riz n. 60, de Gama & Silva.
uicos chales, pelos de renda.
Chj;<)u pelo ultimo v;por Irancez um grande e
variado sortimento dos mais ricos diales pretos de
rendbanlo de linho como de seda, tendo entre
ellos mullos de ponta redonda a imilagao de man-
teletes e muiloscom o centro de cor, e vende-se
Coeho,rua do Queimado n.
19, vende e a seguinte :
Lences de panno de linho a .5200.
Ditos de bramante de linho um s panno o:!:
baratissimo pre^o de 3520<).
Loberas de chita da India a 25400.
Pecas de cambraia le sajpicos branca e de-cor
com 8 i|2 varas, pelo baratissimo prego de 45500.
Pecas de cambraia adamascada com 20 varos,
propria para cortinado a 115.
Balos de arcos a -\l-, 35306 e 45-
Lenc.ys de cambraia brancos pequeos, a lois
35000.
Bilos-diiQS de dita finos, a duzia 2jfi00.
{taimante de lini Sno-cim 10 palmos de If.rgo-
.i rua do Queimado
segundo
4? e d, loja de
miudezas de lies pbdas, estquei-
arat<, quem^ui-
vcham loja do
Rival sem
|{tia do tyieimgtio ns.
mando tudo tioro e I
zer ver e admirar
O gallo cania e est
iNlil-SilE
W uj > : :. i' w V
BBJ
cu ella liso e pautado
raleados fazena mo-
m
a boa a 40 r.
e de todas cores a
por precos muito em .conta por terem sido manda-1 '*;,p18Klo..bar,a,l,>:si0rt'e0 22_Sr a vara
dos virde conta propria pelos donos da loja do pa-
vao, rufi da lmperatris n. 60, de Gama A Silva.
Laiizinhas da Escossia
a j6 K. o covado.
Vendem-se as mais benitas lanzinhas da '-Escos-
sia, sendo a fazenda mais moderna ao mercado este anno, por sere.n a* nlac4o seda escossezas, com es mais lindas ores,, pelo ., !" 'an('a ''" ^^^ rs c eo
hlr-iliccirn nr.M Ha -|<1- re n or.Ar. n* Inis o. "' d '';'S a 880 T?.
\l).iu:',o do linho a vara :'-Z J'.'<)-
I>ilo te algodao 25.
AljoCo enfestado <)3m'7't2 palmos de largura
a 150.a vara.
Pecas.de bn-ianha 4e rolo own 10 varas propria
paia sai?, a 355(0.
Fil de linho liso ir,o. vaia'vO rs. .
ito coh salpicos a S5-
15500,1,380,85
vado.
Inpar denles a 240 e
tas com 10 varas a
superiores quali-
baratissuco prego de 300 rs. o covado : na Ioja e
Di
avao, rua
da Imperatriz n. &, de : Cortes de^Igodaozinho de untes gostos, com fS
* iriCf mam,
Caixas de papel innizade, e
a60Ors.
Grozas de boties e louga
derna a 160 rs.
Uuzias d* penna Co ago tazi
Pegas di tranca de lia lis t
40 rs.
Escovas mi:simas paia
320 rs.
Pegas de fita -de cs est
320 rs.
Caixas osen clcheles francekcs
dades a 20 fs.
Tinleiros Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa
20 rs. 1
Baralhos uiuito inos para vollarete q 200
240 rs. 1
Latas com superior baoha a.: M rs.
Frasees de niacag perula me to Uno a 200 rs
frascos e garratitias com
100 rs.
Frascos grandes eem soperio
640 rs.
Caixas com H (rceos de c
15100.
covidos, i*lo baraiissvsni prega de 55-
Madauot&o.finn largo a 5 e 10," a pega.
Esleir daifadla de t,6 palmos de largwa,
propria ,:r...:'..rro de sala, por meaos prego do que ,'Sabonetes pequenoc e bolla
em ouira o,uaIquer pane. -320 rs.
Neste armazem tambem oc3nlra um grande,-Duzia de .abneles ,p?< i sortimenl-j de.roupa teila e por medida.
Algodiio'trangado da BaMa
' A. V. da Silva Barroca, rna da Cateia n. i.
M?ua dentifiea superior qnalidap' a 800 .fs.
m de iiiAS co,n soperinrip de arroi 800 B
^rseos de superiores essencias|sanial e cutros a
15200.
no n cs cinco Puntas.
-- Veadem-se cinco terrenos contiguos a rua
da Cauta e Saudade, e o sobrado da rua da Roda
armazem 'Jo
Gama -Silva.
Chales e (ondas.
Vcodem-.se chales pretos de renda, sendo de 4
ponta, e as mais rnodercas retondas, por prago
baratissimo : na loja e arnwzem do Pavao, rua a
Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Sou_embai queti de cor.
Vendem-se s.uthiii,barquea de cr muito bcra
enfeitados a .i'5, C-3 e 75000 para acabar : oa loja
e armazem do Pavo, ma da aiperatriz d. 60, de n. 11>. recebou iim beO sortimento de lo-,bascos com essencia jara lira
Gama & Silva. juelos e oculos de viilros com armacao lina de' -2 30 r?- .
Cassas fra.cezas a 2?0 rs. |afj0> bufa,0 e ar,iru3f e M mh venderido |Pg g 'tos de dernw pdrtea'Tml SS- S ^na For P' eC0S "S : ('s, Pret ?^nles diri- Fra'scos bo'nos com cheiros finos1 a 500 rs.
a armazem do Pavo, rua da Imparatiizn. 60, de. sm-se a esta le ja cania do Queimado a. Ib. Duzia de meias muito finas para senhora
Gollinhas muito finas para senhorA a 200 rs.
Caixas eom soldados de ebucibolpara menini
160 rs.
Crmde soit.mentode camas proprias para col- Pecas e fi(a d(J |3a para de(jru_
quemando,
Eom e baraiissii_o.
Ilua do Cresiic a. 7.
Collares.
Collares anodinos el, i tro n avecicas Fcitr paia
as criangas nao morrerun de cenvuisoes f to ba-
rato prtcfl de 45-
Novidades.
niqutssimas pulseiras ou braceletes para senho-
ra e para meninas a 15,1 e '5- -- m cerno lin-
das voitas para pescoco a ?".
Enfeites.
Mqnlssimos enfeites paia <-,.](c^ rousa de mui-
to g isto a 15300, 25, 35. 45. "5,' C5 e 75.
FiveJas.
Kiquissi'mas (velas de madrepercia e de tarta-
raga, arsim como pretas.
Cruzes.
Rqnssimas crotes doorad'.s ptrni o melhor
gosto que se fK!de desejar.
Cascarrilhas.
Benitas cascarrirbas'Com biquinhes de seda e
aljfar consa inteiramea'o nova para enfeites de
vestidos.
Binculos.
Bonito sortimento de hin< culos com." up rieres
vidros para os amantes do iheatro.
Assita como ons peqoitinos
que serve para eofeKe d- relc!0 raais com exce!-
lente vidro.
Sestinhas.
Riquissimas eosnhas com prepares para me-
ninas de escola ti .zer no braco, s.-im como de
vidro entenadas proprias par.Vmrmo.
Penles.
Ripuissimos pentes de borracha com aro bran-
eo de metal para menina segurar o cabello pelo
barato prego de-SflO rs., e duza "5. assim como
grande sortirr.ente de todas as qualidades para de-
sembaragar.
Escovas.
Grande eortimento de escovas para rcopa e pa-
ra cabello, pare, unhas e para denles.
Lmelas e oculos,
Finfssimos Innetos de um e. dous encllenles vi-
dros e aro de hualo e de tartaruga, assim como
oculos com rame dos lados proprio fara quem
soffre dos oculos.
ToiiijuiriLas.
Riquissimas touquinhas de fil-de linho,
da e de laa.para criangas.
Para o cabello.
A superior agua para attingir (S
barbas trancas e faier m..-.;-...
acompaoha um rotulo que ensina a
se deve applicar.
Para caspa.
Snperk.r'barrha sem gordura com m frasco
com aguaprrpria para limpar a rabeca. os fraseos
acompaoha om foihelo que ensina o modo cerno
se deve applicar, assim como anda lal-aTie,
'iO rs.e grandes a opiata e pez para Hinpar denles.
BaDhas.
Grande soriimentode banhas fm copes, em a-
ni 1
mj mu -1 k.: H fi B
NOVA 'IH?\..
UE COR CHEIPO E PAROG ;\i I I
Inlioitamenle o ais 1 tii azi 1 |i
os mais remed spfi ; os ena
que i'xi.iin para a 1 [ ulsao da; .
Nao causara dores e produzcan
sem precisar logo Ui pois de
nlmiu e iSoincitante? un ppare -
ciosas em gosto, rjoe r,si>i -
promptasa lomar m is do que 1 .
ceita.
Uleis como um exi bi
remover ns ol sti nc r c do tent: .
do caso do n5o existir tm vcrm< n
PASTILHASVERMIFI'CAS PE KHPS Kii
las eiofalliveis na"suar;>ercto c .
os respeitos JigDas dcci nia;,'.:, < -
C'to de lodos 03 paos de fatuas. !' rea-
radas tinicamcul p' r L?... '<
Nova Y01 k.
U pos: pera! ce "rr:r. r
Cruzn.i2 en: -- 1 t < aro* Ha
Vende --1 un ; mr.l :._-.
ann- s. pi-cc 1 m i< 11 111 n -. I ma -'.
multo i r :!'.''' J
moilu r n-:.-. nd ..: a
Iralar n:; 11. das Fl r, i n. >.
Vi n r.ma canfa yt pria
area ou tiji orna ibta de warr-ir :
cun Aii!. r.. do R go ',! '. Iro: 1 r.!r nte
riz em Sanio Amaro.
Vende-se ui a casa dt Uipanj 11.. reS. '-'
enel o< Afoga U> 13; a :ratar aa I .- u
de Libanio Cadid ltil.i-.ro.
V< :u!---:' i.:.i rr,-!, : i r m 16 ai r ,"a-
de, e a!upa--t'.""iir.i [.ara cii-,"'.. n
muito espeilos : ',eJ r Bi-p
mesma casa aluga-se nrna -;-. m .
der na rua e sea lie!.
car,ei
-. os
f( :rr
de se-
os, as
frascos
i como
i.:;na de Colunia
agna de Colonia a
muito finos a
Tendo-se de-encaminl-ado urna cuta iars :et
dirigida em Londres ao Exm. Bario Ft tcl Me, r-
ga-se a quem achar a referida cart. 'e -e -errir
manda-la entregar na rua larga do Beaarto, aotira
do -r. Bartbolomeo Fracci-c, de ?, oa, n. 3
na rua da Cadeia do Rmft", l.j.i (!! I rn 1
44, pelo que se gratificar.
Vendem-se i tsTavas fendo o. .
engonimadtira e rom ma' hatwlidaA'?, 1
negrinhas de dad, s II, IJ, 11 lanne-*,! < -
vo que coslnha bem odiarlo, I ito para i
servigo mesmo para .-ue, dada .> u
2OO5 : na liavessa do i.anro n. I.
noduas de roupa
regos a (60, 200,
tas de folbae em frascos de ti les os !ar aohes por
pregos menos i'o 'leem outra garte. assim como
muos i utros i hjides que r ao se pode mencionar
por he,je : s 0"gallo vigilante rr.a do Cr(--pT nu-
mero 7.
:" ":'3':-2??,3__!3_5Sa_3BE3l
0?-|ainK Aiodcroissinie..
Chegaram os mais modernos org.vidys com os
mais modernos padi oes, seudo quasi Iodos Ostra-
CAMAS DE FERRO
d. 47, com bom rendiinento annual : a tratar com do, eomo se usara agora, eom as mais lindas cores legio e tambera para quem quizer passar a festa :
seu proprieario no Campo Verde n. 18 C. | 9 fixa*;; vendendo-se pelo iarato pre$o de 900 rs. vende-se na rua Nova n. .i.
VeBde"-se fimo de Gafanhnns muito emea- ja va!;a: na loJ do Pavao l da Imperatriz n. 60,
nop-Jteodo Terco n. 11. Xa mesma casa i de (,,n5a <& Silva.
ta
:ompra;n-se danos para emiiruliio.
VedeBVM 30~ittas ateriinas a 05700
qa<-m nao der ta prego escasado anparecer :
tr*'ar na rua do MonJeg.i, olana n. 13, das 10 ho-
ras ao meio dia.__________________________
Vende-se urna escrava crmula, de idade 20
anns, qoesabe engommar, cozinhar o lavar : na
rua do Queimado que totta para o Rosario n. 18
C, loja de mludi-zas.__________________
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na rua do Queima-
do a, 10, resebeu-as por este ultimo vapor,
Vendem-se
machinas _ericana? de serrote para decarafAr
algodao : a tai da Senzala .Nova n. 42.
Chitas a 2iU t 280 rs.
i Vender se .-uperioreshitas escuras a210, 280,
e 320 e 400 rs. o covado, endo todas de. cores lixa> ;
1 i ditas inglezas, muito boa fazenda a 2(,0 rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, rua da Impera-
triz n. 00, derGama & Silva.
Chalis de merino a 2.6000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 5000 cada um, havendo fambem um
grande soitmenlo duS mesmos matizados que se
vendem a l'-, 75 e 85000 : na loja armazem do
Pavao, rua da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Silesias a -SOdO.
Vendem-se superiores pegas de silesia, sendo
fazenda muito (na e propria para saias e carnizas
de lndiora, e leudo e tendo t2 jardas cada peca,
pelo baratissimo prego de 450O0 a iega : na loja a
arinazen di Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Ga
ma Silva.
Cbi luja na do (re^oj n. 17.
Receben de Pars sedas em eorles mui-
lo superiores e bellissirnos padioc?, e
chales de rerda pretos para 105.
Ust importante r.tabtltcimento torna-
se, rerommemlavel aol,ello sexo pea va-
riedade de fazendas superiores e bellos
gostos
proteja o liclio sf.\o ao VIIp
: crijdf.
10 varas a 600 rs.
Ditas de iicos superiores
800 rs.
Pedras de lowsa para rae nios a I6(|
Duner.os de iboro e panno a ICO rs.
Caicas com benita*etlampas parara!
Papacbos eonifridos, boa fa?end a ,|
Gr sas de noioes pequeos pretos
100 r?.
varas de cordSo de espartilho a 20 r
Novellus francezes com 2(V jardas a
Pegas de liras bordadas a 610.
; Uiizlaa 356'0O.
e vestido, com
para (acabar a 600 e
Jffij e verao todos a pros
m mmtmw m mmmm
G.AZ, GAZ, GAZ.
Gaz em lata.', o melhor que tem viudo 20 mer-
cado : vende se 111 armazem de Barros i Silva,
travessa da Madre de Dos n. 57.
Vende se urna parte e um predi) no sitio dos
Arcos, perto da igr.ja dos Remedios, o qual 6 pro-
prio para olaria por ler encllente ha; o, e as tr-
ras quasi indas proprias: a tratar :om Joaquim
Joe-6 Connives Beltio, rua do Viga
criptorio.
Charutos da liaiiiki
a 15 a caixa-; na rua da Moeda n. 43.
HASSA E XABOPE
DE f
BERTHE
COM COSE1XA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa e todas as IrrilafSa
do peito.
AVISO
FalsificagSes reprehensiveis ?xc:tadf.> pelos
successos do Xarope e da Mista de Bertk,
nos obrigao a recordar que esses productos
Uo justamente
nomeados nao se
entrego senoem
hcelas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqui indicada. i,,l*a*"ifc,|lM**ltjenBi
151, ru Saint-Honor, Jf pharmacia no
1 pharmacias
Veaaem-se no Recife em casa de Cacrs 6
to n. 17, es- Barboza e Joa"o da C. Bravo et C.
e a 100 rs.
.) rs.
para caiga a
0 rs.
e superiores a
Novidades de apurado gfrto
A nova !;! do mia-lru* r.:.; :i I ,-
provida de un c niplet >: runenlo
gosto propriarm nte para senkvra, m -
mencionan 1 s alguns los mais r,
sejam : ric-.s sii:1 pra senh ra t 5 fu,
para sinti send i esta* iloorad; s .1 25 ->
dila* donrada* chapa larga .-. 3 -.
bfalo fmitando tartarrga a 2^"'0 '. ,1
dourad.-.< ;.'.-! 1 pn>prlariiiemed .: '"'.k
35 e ?f5Q0 e Igomas par.i 1-3. sai ;
na mes'n." loja n* mol procniMlos h- :i ,:-,%.
tal a I4i0, 2500, :'5 e :<#50Q, .1: ,. .. 1
imitando piflas|J, 1* t contascravaJs com irdrinhas a !UM !
I mos porlanto : s Btmas. s de dar n-s a prefereuci?, 10S q
servhf a comelo I Moemprrccs :
para a-sin col-'., r-n ; ir.ai, r ::::'
isto na lofi de Manoei toaqaiai II .V 1
Impera t'iz.
Carne lo scnto em gMafaa
Vende-se de mnito boa quaiidade: na ;...
Vigario 11. 24, (irmieiro v.... r, eMripl ri >.
jneljo '* scr/fto
Vende-so ba rua da Cadeia do Radie 0. '
commido lito.
Vende-se 1 casa 'r-rea Ja rna fc ?. bj
8, ebos forelros: a tratar m praga dn _aiin
dencia n. 22


Vendem se qualro burras malo nansas, boas
de carga e de sela, por pre.;o cotnmt-i'o : a iratar
no hotel de Franca.
/>.
Iltnrv Ptri(>r k i).
na rua do Imperador n. 3. n no croa di r>* 1 :
p. 3, lem para ven '-r o seguir.;
Pannba de Irigo das ma# 1
no aaepcado.
Machinas mericanaa i i
ras para descarogar aJcodao.
MoKres ; .1,-3 o r\:;) J : Ir
qualr;; r trabalho ttp&nte a rodagu.
Prensas (.,ira encr.er,r a!ji
Rnea= am. :';..;,...- :. 1
Gaz de ptirr ;..','..
pelo bavii JabvMii.
--*. -


Diarfo de Pernamfctic Terca elra H> de Ontubro de I8*
W11B0S
N. 11Ra do QueiinadoN. 11
A loji de fazendas de Augusto Fredericodos Santos I'orlo, acaba de receber um mni-
to grande e novo sortimento de cortinados bordados para cama de noivos a 365, 405, 455,
SOiOOO, 605OO0 e 705000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 15500 e Si.
i.achinez de la de diversas e bonitas cores a 35300 e 45-
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 165, 205,225 e 25^.
ltoiondes de guip, tambem os mais modernos a 265-
Colchas de seda de cor para cama de noivos a 555 e 605-
Alcatifado linlio para talas, tazenda larga, bunita e de muita durarlo, a 600 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, com ricos desenhos, para sota.
Saias bordadas para senhoras a 75, 85, 95 e 105-
Cipas e soutembarques de seda preta para senhoras.
Boneis, chapeos e chapeliinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a 125-
Pecinhas d6 lioissima bretanha de linho a 75500.
Laaziuhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braias fraucezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire untique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
To*denouole preto e de cores, esguioe?, silesias e cambraias ee linho, sorlimento, de diver-
sas rateadas par. luto,chapeos de seda para borneas a 95 e 105. chapeos deso de teda,
lindos manguitos bordados, e outras mollas fazendas que se venden por presos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
i.:
GHEGA1AH
m
A

DAS COIjLUJMWAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem viudo a Pernarabaco de melor gosto
emseda.
Assim como mais alguraas fazendas de bom gosto para vestido.
HITA CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, e seda lawada pa-
roes inteiramente novos.
Seda de quadros por 1#Q00 o covado
Gregorio
5-RA DO CRESPO-k
rio Pae* do Amaral fc 'ompJhhia.
ENCICLOPDICA
~ $ \Zm da Iiuperariz armazem
da porta larga &9.
?ssuto a padaria fradeeza de
Paredes Porto.
Nesl' estabelecimento encontrar o respeitavel
poblico um ariado sorlimento de fazendas franre-
7a.'. inglesas, suissas e allemaes, que se vender*)
prego coinmodo.
Paredes Porto
Vende ctales de renda de cores que se vende- 320 rs. o covado. Roa da Imperatriz n. 52
ram a IS-3 est vendando por 65, ditos pretos, fa- a padaria franceza, p >rta larga.
i. a la nova, 55,05, 85 a 205, um sortimeuto com-
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com filtres de seda a 400 e 500 rs. o
covado. esto acaban 1*>-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimenlo de fazendas
brancas, como sejam madarolo a 45500, 55, 05 e
103, pecas de algodo i>or barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
muiti fina* a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Poito
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o cavado, riscado francez fino a
junto
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n, 9, principal armazem ra do Impera-!
dor n. 40.
Fazem sctenle ao sespeitavel poblico, e com especialidade aos senhores de en-
.genhos, Iavradoresemaispessoas .do centro, que para mais facilitar suas comprps deli-
beraran os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeled-1
meatos em um s annuaoio, pulo -qual o preco de um ser de todos, pnjimette-1
tnos que nao infringiremos a tabella qoe abaixo vai publicado, aonunciar os gneros
;por em preco, e na occasio da o-smpra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muilas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se da|r islo
ainda mesrao com .prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tam'iem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
padidos em cartas feixadas; para editar qualquer engaos, remetiendo bs urna conta*
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepander pessoa
alguma que 6zer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupaf ipais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Pono
ara
pl*lo de manteletes, capas e soutambarques 145 a
Ra da Imperatriz n 42, junto a padaria frau-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Porto
Recebeu um completo sorlimento de liasinhas a
i',ii. e 580 rs. covados, liara acabar, cambraias de
. 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
I menino, fu.-tao de linho a 420, 400 o 500 rs.
Un:, da Imperatriz n. 5i junt) a padana franceza,
armazi m da porta larga.
Paredes
He jen para cortinados para rama franceza a
115 peca cambraia lisa fina a 35 45 al 105 a
I i, corte? de tarlatanade bonitos gostos a 35500
c i",. cambraia com flor de seda, gostos ioteira-
n ov is a 10(1 fi 600 rs. o covado.no armazem
irla l rga u. 52, ra da Imperatriz junto a pa-
i franceza.
Paredes Porto
!: '.'I mi pelo ultimu paquete um sorlimento de
ex zes com pedras para o p^scoco. bonitos caxineis
O" la parapescoco de senhora. Roa da Imperatriz
i] ., armazem da porta larga.
Paredes Pono
Vende cortes de gorgnrao preto para vestido com
! rvad cada um 3'iJOOi). grsdenaple preto a
.V 0, 15800 c-J.5 o covado, laas lizas Unas a 400
i---. n c iva lo, ISas de qnadrinho para vestido, enfes-
i,v! i, a 320 rs. o ovado. Ra da Imperatriz n. 52,
mazem da porta larga.
Paredes Porlo
Tem para vender por prego commodo, pecas de
; de linho com 10 varas a 75. 85, panno de
liara lenges a 540 e 700 rs. a vara, braman-
Paredes Porlo
Rcebeu pelo ultimo paquete esparlilhos a pre-
guicoso por .i?, s.io ojos, lencos de seda para se-
nhora e homem a 1?, ricos cortes de cambraia
bordados de 18J a 7, por ur um toque de mofo,
esli se acabando, na ra da Imperatriz n.52, jun-
to a padaria franceza. _______
COlares Rover on colares ano-
dinos
para facilitar a dentico das criaseis e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado obtido immensas vezos pela
prodigiosa forca magntica dos rolares Royer, nos
casos de eoDvoisdes, e dentic^o das crianzas, tem
altamente elevado o sen bem merecido prestigio,
enjela se ple dizer que estao geralmentc con-
ceiiuados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salutares
colares viram salvus do perigo seus jsharos filhi-
nhos, e de oulros porque colberam oaquelles tao
proficuo exemplo para i;ualmeniej preservar os
seus. Assim, pols, aaguia branca, tendo em vis-
tas a utilizada e proveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, raandju vir o novo sorti-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo alguin a falla delles possa
ser funesta ao- pas de familia, os quaes Gcarao
certos de os acharconsiantemenlo na ra do Quei
mado, laja d'aguia branca n. 8.______________
Attencao o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro Baos
te de linho de 4 larguras a i&iW e 25500 a vara. CQm M |uzeS) dQ me^hor pm e por pregQ raMa_
rareaes Fono V(J|. assra Como apparelhos para cha e para jan-
Vende corles de cambraia bordadas de ricos tar, brancos e de cores differentes; ditos de por-
goslos a 105 e 125, ricos vestuarios para menina ce|ana dourados e pintados e brancos; apparelhos
e menino, ricos cortes de cambraia Mana Pia a para jantar e porcelana branca; tamnem se ven-
dem era pecas separadas, como os freguezes qui-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, era caizao e a re-
105 e 205, tarlatana branca e de cor a 610
rs. a vara. Ra da Imperairiz armazem da
larga n. 51
Roupa feita
e720
porta
lina da Imperatriz n. 52 armazem da pona lar*
ga junto a padaria franceza, encontrase neste es-
tibelecimento um completo sortimento de paletos-:
saceos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
is, col leles, ceroolas, camisas, grvalas, meias,
ciiapo' deso, ditos fraseases para cabera, por
precos eomiDOdos, roupa para menino e outras
i.iuitS fazendas por presos comrnodos, armazem
di porta larga.
No m^smoeilabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roopas fetaa de tortas as qualidades, como sejam
pal l; de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa-j
.o ; !-; e 55, ditos de brim par Jo a 25800, 35 e j
10, ditos linos a 45, ditos meias cazemira a
35500, 45 e 55, ditos cazemira saceos a 65, 75, 85
e 105. ditos sobrecasacos a 10 e 125, ditos de pan-'
dj saceos a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
e 235. ditos de merino preto a 65, 75 e 105, cal-
en- de brim de diversas qualidades a 15800 a 45,
ditos brancos a 25300 e 6500, ditos cazemira 55,
' e "5, diios pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
meias cazemiras a 35 e 45, coletes de diversas
qualidades, seroulas fraucezas de algodo, ditas de
linho, ilias ile bramante a 25 8 25500, carnizas de
lo de linho franct zas de 25300 e 35.
taino; lanternas de todas as qualidades de vidro:
ditas de casqu'raho inglezas muito Anas ; candela-
bros Je vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro paradores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua ; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para cha; e outros muitos sortimentos de todas as
qualidades e precos enmmodos vonlade dos com-
pradores, que se vendem na ra da Cadeia do Re-
cife junta ao arco da Conceicao n. 64, e na rna
Nova no grande armazem de louca e vidros junto
iifrpja da Onreieao dos Militares n. 49
LOJA DO BEIJA FLOR
Na rna do Qucimado b. 63.
Tem recebido um sorlimento de cruzes que se
estao usando, de diversos goslos ; s quem tem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de voltas
de aljofares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
i em qualquer outra parte.
Facas e garfo?.
Vende-se '.tecas e garf.s de cabos de balaneo de
Gran-! nmbotoa 55200 a duzia, ditas de dous botoes a
jfl.-lSiTEftt.t
Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de I.oooa l,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter- abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysssn o mellior neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcao ter abatimen-'
to, tambem ha proprio para negocio de a
2,4oo rs. a libra.
idem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Serveja
Superior serveja Bass dos mellu res fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Asbe a 7,5oo e 7,000 rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo is. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
a 2,oiio rs. a
Tambem ha
Blstcoutos
Superior vinagre de Lisboa
caada e 280 rs. a garrafa,
mais baixopara 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6( o
garrafa e a 4,600 rs. a caada.
Massas
Macarro e talierim a 360 rs. a libra
15,ooo rs. a caixa.
DE
AZEVEDO FLORES
Roa da Cadeia do Kecife, esqui da W !ro de Deas.
O balao vendo sempre por menos que em outr^alquer parte, quemjulgar que
isto nao verdade dar-se ao traballio de vir apressar qualquer fazenda de que precise;
tambem se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam eseo'.ier. Do-se
amostras deixando penhor.
AO $R$. DE E\CrIIO
Superiores algodes americanos branco, azul e de listas par.i roupa de escravos.
MAOAPOIiOES
Superior madapolo fraucez, fazenda especial para camisas e saias d\ seahoras ;
tambem ha inglez de todas as qualidades c precos.
BALOES
Superiores bales de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes para sofas,
Lindissimas grvalas e mantas para pescoco de homem.
Superiores camisas de meia e meias para homem e senhora.
Caigas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
Lindos cortes de la com riquissimas barras a matiz, 03 miis modernos que ha no mercado
Camisas francezas e seroulas finissimas de bramante.
Superiores ciiitas largas, escuras e claras de todos 03 preco*.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico nova*
fazendas e novos precos e nao como muilas pessoas supjioe sempre ser as mesmas fa-
Latas com superior biscouto inglez da di- i Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passas a i,5oo o qrjarto e
Bola ehlahas i 5,5oo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas com bolachinlus da acreditada fa-!rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a! ^nrwnn
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. ^ wESEBR.4.
dem com quatro libras de bolachinha de' Genebra de laranja verdadeira a Io,5oo a
soda a 2,ooo rs. a lata. dazia e 1,000 rs. ao frasco. ,
OnAiA^ Genebra de Hollanla verdadeira a 6,000
Queijos flamengos chegados no ultimo
HINCHA
RA DO QUEMADO N. 27
CUSTODIO CARVALHO C .
Pecas de madapolo fino francez com 22 e 1(2 varas e com um pequeo toque de
mofo a 830O cada pera.
Cambraia branca para forro a 1)5600 a peca.
Lencos de cambraia para homem e meninos a 1(5600 cada duzia.
Cambraias organdis muito lindas a 600 rs. a vara.
Cassas de cores a 26o rs- o covado.
Laas de cores muito lindas a 300 rs. o covado.
Rna do Quelniado n. 2 9, armazem de fazendas.
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- ,ja ums.
ldom de Hollanda em botijas a 4oo
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo el,2oo rs.
Garrafes com 24 garrafas de gen(
Hollanda a 8,000 rs. o garnifao. Timbem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra g 000 rs. cada um.
e portuguez a 800 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porlo das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a 1,000 a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs: a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha maisbai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
SLIBAO
SabiSo maca de primeira qualidade de 18o
rs. ca-
bra de
,2oo
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra,
dem de,carnauba de lo a 12,ooors
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PE1XE
Peixe em latas j preparado de 1
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINgO
Alpista e painco muito novo de I800 a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 r;. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castjtnho &
Filho e Brando e de outros mu tos, os
quaes vendemos pelo mdico preco dt I.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. 1 caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Bocea
Doce da casca da goiaba e caixlies pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes pa -a cima
a 64o rs. o caixao.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechar, as her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
a lata.
mi
Bichas de Haniburgo
todos os paquetes da Europa se recebe
deslas amigas do sangue humano e se
vendem a troco de pouco lucro s afim
de ler sempre cousa nova : a loja de bar-
beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
Acha-se
1
><
Vende-se
perche e outras frutas a 0) is.
a22ors. a libra e de 16o a2lors. sendo|Tambem hlalas grandes para 1,210 rs. a
em caixao.
'lata.
de pecbiacba oeste genero, grvalas de todas as 6A500, dita para doc- a 5iO0, ditas de cabo preto
I oaltJades e brancas para casamento, grande sor- 3*200, ditas de cabo .branco, rolijo e era vado a
tinonlo de meias para senhoras, ditas para homens 3J*iO0.
a :J, ,vup..-riores a 33500 e 43. Tt,m recebido variados sortimentos de balaios
lim completo sortimento de chapeos de sol de i para meninos de escola, d forma de peixinhos,
a paca a 35, d.los de seda a 53, 73, 193 c 143, p.amhl0.RJ' ntra5 *? dil is franeeiea para cab ca, grande sortimento
a 03-
redunda almiravel.
Orando sortimento de chambres a 5,5'JOO e Si,
leri^is de cambraia para homem a 23 a duzia, di-
to- 'I- lir lio a 43 e 53-
Grande surlimento de roupa para meninos e nu-
tra-; iMiilas qualidades que seria enfadonho m?n-
u.iii-las.
Fazendas.
Vende-se superior merino preto proprio para ca-
ra- de senhora e vestidos a 23. luslrim da China
a 13800 o covado. Ra da Imperatriz, pona larga.
Paredes Porto.
Vende emseu estabulecimentotirase entremeios
bordados, grande sorlimento de corplnhos rica-
mente brdalos a 33, 43 e 53- S o Paredes Por-
to, ra da Imperatriz no 52 ; porta larga junto a
padaria franceza.
*
vista bem se pode apreciar, e tambem serve para
o leilao do hospital portuguez ; las para botar de
diversas cores a 73 a libra : s no beija-flor.
Escovas para ronpa.
V>ndi'-.-c estovas para runpa muito Dnas com
differentes goslos a 640 e 13, ditas pera denles a
'120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e caininhas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640r.. a ca
xirrha.
Sola.
Vende-se 450 meios le sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Qaeimado n. 53, lojo de ferra-
gens.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreio- competentes de metal principe :
na Pon'.e Velha n. 8, por preco commodo.
^45
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Macaas pelo ultimo vapor.
Ameixas pelo nltimo vapor.
Passas pelo ltimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Frudas seccas pelo ullimo vapor.
Fructas em calda pelo ullimo vapor.
Nozcs pelo ultimo vapor.
Queijos kndrinos pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo ulimo vapor.
Tudo se vende barato nos seguintes arraaiens:
Ra do Imperador u. to. Verdadeiro Principal.
Una do Queimado n V, U0IS0 e Commerclo.
Largo do Carme 11. 9, Progressivo
Bramante de linho Gno e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodo de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche^___________________
RIVAL
Sfiffl Sfi&SIXI^O
Ra do Queimado ns. 49 e A*
Conllna a vender todas as miudezas que abaixo
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para dentes a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Ronets de oliado para meninos a 13000.
Ditos de couro superior fazenda a 13500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60
Caixas cora 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas deago, fazenda superior a500rs.
Grozas de botoes madreperola tinos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas d* franja de laa para enfeites de vestidos a
40 rs.
liaralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Litros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boles para punho, *eiida rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 13.
Caixas de pennas de calligraphii, fazenda boa a
I3OOO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 13500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 73000.
Caixas com superiores obreias le massa a 40 rs.
lijtliiHia- com alQnetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 23400 e 23800 rs.
Escovas para ronpa, fazenda boa a 720 e 13-
Duzias de tesouras com toqoe de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas garfos de cabo preto a 33000.
Talheres muito fino para criancas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 13280.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 30 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porlo a 80 e 14' rs.
Cartas de alunles francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo donrado, a 80.
Fumo da Baha para
charutos
Vende-se fumo snperior de todas as
I qualidades, a retalho e por atacado e por
I prego commodo : no Kecife, ra da Ca- I
25 cimba n. I.
m m^RmlHl RotMARH
venda na livraria acadmica, na roa do Impera-
dor ; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparci;I, na roa es-
treita do Rosario a compilacao de toda a legislacao
tendente administracao, arrecadaco e fiscaii-
saco dos dinheiros de orphaos defnntos e ausen-
tas, herancas jacentes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de custas e a lei geral das execu-
. como tambem todas as orden; e avisos do
overno. que a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das nbrigacoes inherentes ao cargo dos differen-
tes embregados de jnstica e fazenda, como dosdi-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livre contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestando-se a ntilidade
de differentes classes, torna-se recommendavel.
Seu custo IO3OOB por cada exemplar em dous
omos.___________^^^^^
E' BARATiSSIMO! 11
Grande liquidaran de Alendas f ronpa
feita nacional, na rna da Imperatiix
d. 72, loja de Goimares lina*.
Os proprietihos deste estabelecimento tem re-
solvido liquidarem suas fazendas por precos bara-
lissimos s com o !im de apurar dinheiro, aprovei-
lem as pechincbas.
Vende-se um grande sortimento de chitas fran-
cezas largas a 260,280, 300 e 370 o covado ; ditas
percalias muito finas a 360, 400, 440 e 500 rs. o
re va d o : islo s na loja de Ou i maraes Ir mi,
na ra da Imperatriz n. 72.
E' muito barato t
Cortes de la 1 ara vestido de senhora a 33.
Cortes de la a 3.
Cortes de 12a a 34.
Aos 3,000 covados de la,
Vende-se laazinhas de quadrose de lisirinhas A*
lindissimos |>adrd<>s a 220, 240, 280 e 320 rs. o co-
vado, vende se a.-sim barato por ter minia porcao
e querer se acabar : islo s na loja de Gnimaraes
Si irmo, ra da Imperatriz n. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merino estampado a 23000
e 23500, ditos de merino liso a 33840, 43 e 53,
ditos linos a 63500, 73, 73500 e 83.
Grande sortimento de cor es de vestido de eaa-
braia coro barra, pelo barato prego de 33, 33200
35500.
Ditos de chita a 23, 23500, 33 e 33500.
Vende-se pegas de madapolo com 24 jardas a
43500, 53, 63, 73, 83, 93 e 103
Dito francez com 12 jardas a 33500, 43, 43500
e5300a
Vende-se uro grande sortimento de geilinnas
para senhora e meninas pelo barato preco e 3,
400 e 500 rs. cada nma isto s na loja i Gol-
maraes & Irmao, roa da Imperatriz n. 72.
Roupa feita
Rorjpa feita
Grande sortimento de roopa feita de toiav as
qualidades, qne se vende por pregos baratissMoa;
alliaura se que se vende per meos 20 por cesto
do que m outra qualqoer parte.
Ka nova loja de fazendas de Gninaraes
Irmas.
Rna da Imperatriz n. 19.
Vende-se no escriptorio de Manoel Igaacto
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto mnito superiores esa caixas do
1 duzia e barris de oilavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marea, en caixas
de 1 dozia.
Palmella tinto de escolente qnalidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa moito superiores da marea PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.



\
T
filarlo de Pe
DO
GERENTE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVE.L PUBLICO.
A. apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
len da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magniQco sortimento ^de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro"'podem ser
vendidos por precos asss razonis.
Sem a fatuidade de qdWer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumpriraento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2.j Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic5o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que corapram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escoltado por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A i Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA. a lO rs. a libra. j urna.
dem e painco de pito libras para cima a u
100 rs. KIRSCH de Wasser a 23 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........] t
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francozas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2)5000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1(5800 a lata, e
de cinco para cima a 1J700.
dem de sola em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 1$800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
I 5200,10250 el 5300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamia de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a 1$ a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 200 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas era frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Pauetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pona branca, etc., etc., a 20000,
22o0, 205*50 6 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidadas de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco marinaos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
porluguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVIUIAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
Mein o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que"
nao agradar.
ATTENQ
na precoa da seguintt
tabella para todos, pu-
dendo assim servir de ba-
se para o ajaste de conta*
com os portadores:
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor quabdd? j
0alata: nos armazeiisda ruaos im-
perador d.16 e ra do Trapiche \ovnn
ttftxtNlM
w
JCII1
ch
i
RA DA CADEIA IJO RECIFE N. 53
(Logo passando o arto da Concelco)
PARA BEM DI I TODOS,
Senhore '-nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos de
ezacom que serao traU(LM nvida a urna visita ao mesmo, certos
rra dos gneros que precisara. e quanclo nao possam vir podero
rois serao t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo
tra parta.
Manteiga ingleza especialmente esedhida a. Aletria, macarro e talljarim a 4oo rs. a n
te novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e mel-
le qne sem duvida me darao a proteceo e preferencia na com-
mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco orticos
para com estes toda recommemlacaa, afim de que nao vao em
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa oe tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
GO rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3*0500.
Mii.ho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 80O rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, liuguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparado.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
<*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QCARTINHAS OU MORINQUES a
Et
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
8
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23?.
Sardimias de Nantes de todos os fabricantes.
Idem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Goors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
to mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelihha, pevide e rodi-
nha branca ou amarell i a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 li tras.
Vinho do Porto muito
engarrafar, em ancore
35,ooo rs.
Vioho em pipa : Porto, figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. a g
rrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8c o.
fino proprio para
as de 9 caadas a
Vende-se rhcadinho francez a 00 r .
por ler grande quanlidade, aabVM araaaaa i
ra da Imperatriz n. 52, loja da putta la,.*.
Paredes Porto.
Vende-fe um bom sitio na i tob I M i '
Beln, cora grande casa e mullas 6 u
jaixd de capim, o qual setnpr -:
;ende-se por preeo eommodo : n ..,:.,
n .7, sgondo andar.
Xa cocheira 5o Sr. major Qotii ira Mi : i
ra vender-se um cabriole! de 4 redil un mu lo
bom estado e maneiro, ah dir-se-ha ioem vende.
Brea em barricas pequeas.
Cera em velas de todos os tamanhos.
Bogias.
Mercurio.
Na ma do Vigario n. 10, primein ftanr.
i m -.
ESCBAVOS IVID
le excellente quali-
garrafa e em cana-
Vinho branco de Lisboa
dade a 4oo e 5oo rs.
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missalemcaixas.de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. garrafa.
Vinho do Porto das me hores marcas que
vem ao mercado com > sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do P( rto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000,15,000,
12,000 e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
1,00o e l,5oo rs. a gai -afa.
Vinho Cherexde superio qualidade al 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa..
Sardinhas de Nantes a I 00 rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas mu
barrica e 320 rs. a libi 1.
Bolachinhas de soda em
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo .Passasmuito novas em ciixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a24ors.,e2,4oo rs., Passas de carnada a 8,oco a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o i|s. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal,
Peixe em posta em latas hermticamente la- j de Brito no Beato Antorjio, em lata de 6 li-
eradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezes em fi
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a i
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em cai
tamanhos com bonita^
xa exterior, a l,4oo, 1,
cada urna.
Azeite doce refinado hespj
a 9oo rs. a garrafa e
Batatas muito novas a
o gigo com 36 libra
a 7k>
e >o:fj
8ofrs.
I. I
pa
000 a caixa.
a libra e2,5oo
rs. o frasco e
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra di" 'aranja verdadeira em frascos
grandes al ,00o e H.ooors. a frasqueira.: Conservas inglezas
Caf do Bio de 1' qualidade a 28o rs. a li- 8.5oc a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. i Vassouras de escova
Cafado Cear muito superior a 24o rs. ali-| 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16rJ
Arroz do Maranho de Ia qualidade a 100! Molho inglez em garrafa
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza ilos me
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,ioo a ar-1 Mostarda franceza em p^tes j preparada a
roba. ioo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra ei,oooaLentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libr .
Massa de tomates de superior qualidade a 61o Marrasquino de Zara piopriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-| 10 a garrafa e II,000
Sal retinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem arj mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,800, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Frota-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Ilavana, Impeiiaes,
Londrinos, Guanal-aras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da caica de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha paraos navegantes, a
2oo rs. -
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Paulos do gaz a 2,2oo a grosa.
latas de diversas Toucinho de Lisbji muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a ntoba.
Banlia de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fnietas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito, proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
kinhas de diversos, Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
_ estn pas na ca- 8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
[ioo, l,8ooe 2,000 Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
nholouportuguez,Champagne da melhor qualidade que'vem
to novas a 5,ooo a
nuito proprios pa-
a.4oo rs. a ibra.
fs.
da fabrica de Joo
seo de vidro com
Roo.
Fugio do sitio ao lad-> da c;. .; ;. -if,i.
dos Afilelos, no da 3d.-t BOTfflMr, on a i rea -
oula ue cuino Feii.i:idade, lepresebl.. i r t >>
pouco ma'is ou DKBvS, bem parecid:
de chita branco com palmas rxa-. )olga
seduzda, 6 natural de Macelo : rova '..t- r -
dades e capules de campo a sua ^1-1-ieli ai e
mandem ao dito silio, on a ra d- ufa i -....
1, que serao pagos de todo o trahalh--.
I'ina e era*;.
Fngio o anno ptsndo, do enper-r Pn -, da '->
marca do Limoeiro, ona esciava i'c r-n e I.i:7,-.
; crioola, idade 2o aun- s, i-'h- s ie> n' <<-.
guiar, cara redonda e nariz lantn- ik'-kc if?
1 direitos, porm afoveirados poi mutas -.- r.iw
. boba e buho, que ludo surpre |S?lp ti<- i-h:-lit.
cen cii'airizes de chicc'e |teM tttn, uncihar
' de*c( nfiade, julga se andar aqoi c-.-;. r
Recife : qtiem a f r-gar, dirjase a rna do n. 13, casa de AnU-nin de StWfa '
seu legitimo enhir no pfribo I' W -r"- ra
generosamente r- roo ptn.-adi; a.-s. r, d.-, o nr>-
mo abaixo assignado pn le la c< m lod riger c:.
lei contra queni o liver acontad .
JoaquiO F. C. te Oliveira.
No dfa 29 do prximo paMda n.e/ fngioa
prea Romana, crioula, d. 40 tamr, uaixa, i i
veslido veiho, tem algumas marca- de fu lias t*
cabera : a pessoa que a pegar pMi leva-la a nm
o C^ldeireiro n. 2, on dewoMa u nai i
armo na offleina de Manuel MsaMHHt C r.ar.
Fugio de engenho Pind- ha, Ir- gora i ir Tra-
cunhem, um mulato i nome PnadM*, io.de d
28 annos, pouco mais ou menos, cum itiajBMI
seguintes : resto redondo, hmm carapinho*.
altura regular ; e>te mulato bem r nVddo nesla
cidade por ter pert ncido ao Sr. Francisco l sOT
de Mello Jnior, e consta aehar-se Imniisiado em
| Beberibe, onde tem miii e irmaos l<-rros pede se
a qiiem o appreheendT leve-o ao Sr. ttoMm t-
I tayde, ou ao engnho Pindoba, qoe sera jiSWwa
1 mente recompensado.
a esfregar casa a
rs. a libra,
fie vidro com rolha
hores fabricantes.
Iho.
1 Palitos do dente a Iot.i. o maco.
V
VINHOS
ri
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2$ a garrafa.
Lagrimas do Douro a 1#500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2# a garrafa.
Duque a 10 e 1,5500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posiriio alguma.
rs. a iiDra. Lanterne a800rs. a garrafa,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs. ^^ Medoc a &0 rs., garrafa.
dem S. Julien a 606, 800 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
a duzia.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra. y
FigosemsexlinhasaSo rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
sso
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 2,5 o par luvas novas do pellica de Jouvin, chega
para homem e senbora : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. 34.
mnrxo
9 tros a> -
2 u g -j .
slfg.
- O"
337>-
O o -
5.Q.

y. J-
2.
o
OB
O
c 3 S^o
s
aj o. '"
815 5 2

o
en oa
2 a
b^s ^
S- c
si
2 "
3 a =T
S".2-S
flog
c m _.
rs .,, T3
Vj~ O)
Ti
O o
8 2
ra
5
-i
.0
ra
s>
a oj o
O-O. C3
o o, o.
OT 2.5-
. uj ra
?
&S--9
ct> p
3
W <
LTB =
3 S.S
B p
S a

-
'
1
z_
3
o. =!
3 Si
B S
M *
1
O


o.
o
w a.
< 3?
o 2
Z
si
3o
2 o
O -1
s*
O a>
OJ
T3 CD
a, 1
B
o
ra

en

5 D
Ir
Figos de comadre a rs. a libra.
FeijAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americaoo em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bit ter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na officina de ferreiro da ra do Jasmlm n.
ha para vender nma carroca feila, com esmero
propria para carregar urna pipa com agua, aflm
de vende-la pela ra. Na mesma offleina ha tara-
bem nm cabrlolet de duas rodas,novo e muito bem
acabado ; quem pretender estes objecto?, pode di-
rigir-s a mesma que achara' com quem tratar.
Potassa da Eussia
mnito aova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19
Calnngas finos e brinquedos
para meninos.
I-negaram para a loja de miudezas da rna do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de mindezas. ____
Lavas de pellica.
Receben pelo ulti.no vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras : s
qnem receben foi o beijvflor. ua roa do Qqeimado
numero 63". V
S
o_
El
u>
2.
o*
cw
to
3
a
en
s
s g
la
'65
o
>
g
las no ultimo vapor
Tasso Irmaos
Yendem no sen armazem rna do
Ainoiim n. 35,
Licor fino Curasao em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosLheres.
Santernes.
Chambertln.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordaras.
Cognac.
Od Ton.
PAeiei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de seren trasplantadas : no sitio murado es-
qnerda, depois .o- pecco do Espinheiro, nos Af-
flictos
ACHINAS DPATENI
de trafealhar roo para
descarocarjalgodo
FABRICABAS
Por Plant Brothers & C.
OLDA
Estas machina
podem descarocar
^qaalqner especit
ifde algodao sen
estragar o fio,
sendo bastantt
duas pessoas para
otrabalho; pd*
descarocar omt
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba
por dia on S ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas pa *a serem movidas por
animaes, que descaro^am 18 arrobas de algodao
limpo, por dia; e motores p^ra mover urna, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e ijxamina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n. i7.
Saunieis Brothers & G.
N. II, praca do Corpo Santo
RECiFg.
Os nicos agentes neste ijaiz.
Framcisco Jo$ Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado go no da Europa,
Grande armazfm de tintas.
RA DO IMPEHADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito t
productos chiraicos utensis e os mais empregados
e usados napharmacia,pintura, photographia. tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di
reciamente as principaesdroganasdeParis, Lon
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena ronfianca e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas salsfar
cem promptidao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidade e pureza de seus ingredien-
tes poder') ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas
e que se encontram no mercado em latas fechadas
Tem grande collecgao de vidros de differentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidra^as e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
rtopriedade e outros; de papis dourados e pra-
peados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrnlho, para forro de casa, para desenlie
com fundo j feito; de papel albuminado l,e Urisi.
verdadeiro saxe para photograpbia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de liohaga
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanto em fo
lhas de varias cores; tinlas vegetaes, inoffensi-
vas proprias para confesarlas; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella; essencia de rosa superfina, de ne-
roly.jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouqoet.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta.
louro, cereja, alfazema, juinpero. Portugal, lima!
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob
jectos que scom a vista podero ser mostrados.
Joao Pedro das Nenes,
Gerente.
avariado
Francez barrica 5000
Portland idem 85O0
Em perfeito estado:
Francez barrica 10,5000
Portland idem 12^000
No armazem de Tasso Irmaos caes do;Apo|lo.
Allenco a pechincha
Sapatos de tranca com sola de cortica a \& o
par : na rna do Liv rameo to n. o.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de nma dnzia
de garrafas para rasas particulares, sendo: Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem arelas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de &' e 10* em pipa : na rna do Vi-
cario n. 19, primeiro andar.
No dia 28 de agosto preuno pamaSe ScMpftre-
ceram do engenlio Parary, tilo na rcnavra Uu L.-
moeiro, os escravds Fraoriieoe AUxinre, pcr-
lencenlis aomajor Ciaudino Conrla SalkNe.
primeiro alio, >ecco do corpo, um lata* es; j.1. >
do. e de m cabra, nm a rara beiig >;>, ii\
barba, cabellos cara| ichts, |i's rsrHi (
sabiove.-tido de rale* e rama De uituf /o..
(hapo de Miro, levando tamlim rr-awtpi naa
irouxa centendo nuia de oso, a saber: raDu.-as
de chita e calcas brancas e pardas, lew u lamben
um chapeo de couro, mu ladir.c n.!.
preto, crionlo, secco do corpo. e-istr.ra rrfnfcw,
tem falla de dentes na frent-, un' [<0(
do, e tem j s tinos e bes feilos, tan iem rr.i::te
ladino. Ambos sao moco, leaSo l,--
nos, ponto mais u Broos ; dn-er!.! m ijawte-
nham fusido para assentar i rara Mta |
ru em runa qualquer : rjfm ooavprrb^i T|
leva-Ios on ao dito engenho. <,n a' < ara de BM
Alvaro liarbi.sa da Silva, ta ma da Crnz n. i.
que ser bem recompensado.
aos capitaes de campo e .
polica
200^000 fe tualifitaco !- aa"a3
De>arpareceu em rinrifiio do BMi aoUaSM
prximo passado, de herdo do pall.^l ..ie Mtl
Arroto Halo, dous eeravos de n n I!. U:l\ r rr
appellido Macei, e Miguel, o t'deiM.i.- ii rr
pouro mas <>u menos, rru nlo, cor faia, e.-iaiora
baixa baila cerrada, nm pooeo tono das lernas,
e com alguns eabellos bnncoa, tant'i m barl.a co-
mo na cabera ; o 2* alto, rbeio do rorpo. sem bar-
ba, falla gro'ssa, reprsenla ler de 25 a 30 a naos ;
cojos escrav(s desconfiase andarem ata arrabal-
des desta cidade : quem os appreb^nder. qotira
levar a ra do Trapiche o. 4, on a bordo c. l
navio.
% tienen

Acham-se fogidos os esrravos seguintes : Ben.
mulato, idade de 25 annos, rabelos aonelados, sen
barba, dentes um pouco limados, secro do rorno,
lesta larga, e falla um pouco descascada ; Luiz,
criouloj nm ponro velho, altura regnlar, mnile
rabelludo, bi.rba rom algons cabellos branco, a*-
sim como na cabrea, corpo reforeado, olhos na
lanto pequeos, falla grossa e as vrxrs ae. -t
ronco : pede-s-.' as autoridades poliriaes e aos es-
pitaos de campo qne os facam apprhender con-
duzi-losa' casa de seu senhor o major Antonio s
Silva Gusmo, que generosamente recompensar,
e Ibes pagara toda despeza que fizerem rom a su
condoreo : sopp6e-se qoe riles lerio ido <-m a
gnimento dos sertdes deta provincia, por sema
filhos desses logares.
Fugio no dia 18 do errante nsn o treh' r-
enlo de nome Isidoro, de 30 anaws ponro m**
ou menos, alto, rosio compri.io, sofesa ronm fecha-
da, ps grandes e rbatos, ero>tpma andar di-alper-
gatas, levou ramisa de algodao, raleas r^bas a
rotas, rhapo de palha velho, e tsmbrm oa> braet.
rarangnejeiro. Se nao andar vatardo sor esta
cidade provavel qne trnha ido pora Senrhjer
on Rio Formoso, onde j tem sido rapinrado anr
vezes. Roga-se s auioi idades e rapilars de rampa
qne apprehendam e o levem ao seu srnpor kim
Cavalranti Lamenha Lins, residente sa F-trnla
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda fcvalraatl 4a
Albuquerqne, qne se recompensar fenerasa-
mente.
Ao anianhecer do da 26 de go-to luairam
do engenho Camaragibe dous esrravo rr>ncl> s,
ambos rarreiros, sendo un de nome Srmein, na-
tural do serto da Ourk-nry, alio b*m frito, rara
redonda, nao moito preto, e .-ofre de nna herma:
o onlro de nome Nicolao, nasria na nasnn en-
genho, estatura ordinaria, serr 4o rorpo e r-bu*-
to, na mesma occasio desapparrreram 3 sansas
do servico do engenho, de sosasr an* snbsai -
do levados por ellrs, on por a%am na mes sa>
vio de guia e seductor, porque na rcile preceden-
te a sahida dos ditos escravos foram istao asm
homens em communicarao ron o Seir.eao onn> a
entrada do engenho : quem prender e trorxer s-
tos escravos ser recompensado
Fogio do engpnho Pindoba, freguez ia *> Trv
cunhem, ha seis metes, nma esrrava cku'a. 4s
nome Severina, de idade de 19 a 20 aas*, sejada
de tres a quatro mexes, pouco ma on robaos, 4a
maneira que j deve ter dado a lux. rom m >in>
naes seguintes : alia, bem preta, erra 4o raraa,
rosto redondo, narix grosso, lero falu de *oc- ara-
tes na malilla superior e do lado exjoeraV, sto-
po mullo saliente ; eonstt que dita saman ven
para esta cidade, e pretestt-se peh s a*eos hxaV
claes perseguir a quem a liver em sen poder, a
pede-se a qnem a apprebender queira entreg la
aqu ao Sr. escnv5o Atuyde, on lvala ao easn>
nho Pindoba, qne ser generosamente recooneay
sado.
\



Diarlo de rcrnninbaco < TeHf* le Ira 1 de Onfnbro de t4
7
LiTEiTOB.
THEATRO DA l'tltl.
mesmo pello e.peravam o paquete ingle para se.
guirem para a Europa.
Trabamos sido mal informados.
E' complelamente inexacto.
Parece que em eompanhia de vinte e tantos che-
O ejercito adiado forte de 20,000 horneas, per- (fes e offlciaes blancas havia sahido da Conceigao do
macere era frente de Uruguayana, onde os para- Uruguay no dia 22 de agosto, dirigndo-se para o
gacyos tratsm de Ibrfiear-sabnndofossos c cons-. Paraguay, coGduzdo por Telmo Lpez.
romdo nnralbas. Que sociedadu lla igual I
A columna qua o general Flores enviou com or-
dem de chegar at Aguapey depois da batalba de
17, cbegOD al al!; ellectivamente e tomou urna par-
tida paraguaya composta d 1 offlcial e lo soldados
dos derrotados desse dia.
A mesma f >lha pablioa efeta ordem do dia :
Acampamento no Sauce, i de agosto de 1865.
Artigo nico. Salda los d exercito da vanguarda,
t
Graves devem ter sido as causas q le actuaran!
no animo dos generaes alliados e es levaram a de-
morar o alaqne l'rugaayana.
Longe do theatro dos acontecimeuos nao r Ju-
nios com seguranca avaliar a f irca das razoes de
tal demora, mas devemos ter plena coufianca na
eapacidade ja provada dos chelos do ejercito alija-
do, os quaes reunira-se a ultima data o geueral Mi- ja estaes no territorio impe ial, reunidos as legioes
tre, e contar com breve e completa victoria. dos valentes rio-grandense qua v/s esperam com
As ultimas noticias do acampamento em frente ancia para rombater novan ente contra os cscravos
de Uruguayana alcancam a 9. do despota paraguayo, qu i encerrados na rica el"
cidade de Uruguayana, se comprazem em incen-
epos das ntiraacoes e respostas que j conhe.
cerno e das que raais longe publicamos, Estigarri-
lii.". polio aos olidos alliados, em nome da humani.
dado, que' permitiisse sahida .s familias que se
achav-ru na cidade. Foram portadores deste ped
do deus paraguayos qu" faz^rn parte do exercito al-
liado, l:urburn e coramindanle Decond ; estes, se-
gando dizem algumas correspondencias, fizeram a
KUgarribia consderagoes que parecem ter produ-
cido inapressao no espirito do chufe paraguayo. Res
mior.dj aos san- compatriotas, dijse este que en-
tre'o sitiados tnvia varias opinioes.
diar seus meihores edlfleii s, sem atreverem-se a
dar um passo adianle, e o de dentro de dous das
os enterrareis em saas ruin is e muralhas com novo
aniecipo a saudar-vos>
na praca da Uruguaya*
le vosas bayonetas e de
que resista.
.mu 'iiulo um dos iro-
,constando de urna das
approveitou a occasiSo em que elle se baria dei-
tado.
Juan ?
Qua queres,homem f respondeulhe o outro
Quero-te mais do qu: a mea pai e de que a
minba mi.
Obrigado, hornera, deia-me dormir.
D'ahi a pouco repeli :
Juan ?
Homem, que queres ?
Quero te roais do que a toda a minba familia.
Obrigado, amigo, deia-me dormir.
Por flm determinou se a pedir dez tostes.
Juan ?
Que queres ? inimigo I
Empresta c dez tostSes.
Estou a dormir.
E fallas I
E' porque sonho.
denodo e valor. Desde ja m
veucedores e iriumphautes
na, porque ao empunhar
vosso arrojo nao ha inimlg
A S. M. o Imperador foi
pios da victoria de Yatahj
bandeiras tomadas aos paiiguayas. Foi portador
I deste valioso mimo da-victiria o secretario parti-
cular do general Flores, in
0 irooel Magarmos ,a regressara. lUva encon- a ^
rado i liberador em S. Gabriel, donde s. M. devia .
i u._^.. i i No Passo des L.vies es
eguir para Algrete no da *.
umbido de participar o
i liciu-lo por isso.
abeleu-se um hospital,
| onde se acham mais de 70 enfermos, quasi todos
li da II era o imperador esperad- em frente parauayo3, feridos ao dia
de (V guayana. onde =e encontrara com os gene.
raes Mure e Flores. fne"1 Duarlc> f4
! nos-Ayres, eslava sen'io
No dia 7 do corrate, segundo ordem do generai inoras o commodos que os
Plores, a batera oriental deu 1 hora da tarde bein conceder aos seus iuii
urna salva de 21 tiros, arvorando as bandeiras bra- paraguayo nao se mosira intrato a tantos favores
sileira, oriental e argentina. O chefe de estado- e fez publico o seu reconbeiment e seu espanto
rnalor do exercito da vanguarda M, em nome do por meio de urna carta dirigida imprensa.
17 do passado.
remettido para Bue-
h spedado com todas as
homens civilisados sa-
igos vencidos. O chefe
De Corrientes sabe-se que p general Cacerescom
i) mil horneas tove ordem para avancar e effecti-
vamente atravessaa o rio Corrientes.
general Flores, ao quartel general do bario de Por-
(9-Alegre, felicitar a S. Exc. pelo anniversaro da
independencia do imperio.
Espalhira-se a noticia de que o valente coronel
Fidelis fallecer victima dos ferimentos reeebidos Da n"a "luadra sabemos que ficava tundeada
na batalba de Ylahy, onde teve to brilhante pro- uo Riocio uu Solc-
cedlmeoto. Em data, porm, d; 15 o Siglo de Mon-' a8eule paraguayo em Buenos-Ayres ja tinha
tevido diz ter recebido cartas em que tal noticia ftll entrega ao banco nacional das 2,000 oncas de
desmentida, aereseentandose qoe o coronel Fide. 0uro' Perlen-entes ao Paraguay, que foram em-
iis i melhor de seu* soffrimentos e em breve se.
guiria para Montevideo.
Mitre devia chegar ao acampamento de Uru-
giayna a 9 do correle. Acompaohavaino doasba
is brasileiros e um argentino; dos braileiro<
ii o 11 de infan'.ana de liona commandalo
P'!o fnoni0 coronel Lopes e outro o Io de volunta-
rios di patria s ordens do nosso amigo o Dr. P-
nheiro Guicarfies.
Batre o 4" de voluntarios e um batalhao rio gran-
vjnnse houve grande, mas pacifica luta ; ambo?
qneriam marchar para o lugar em que havia ini-
migts da patria a combater. O marechal Osorio
decidi a favor do Dr. Pinheiro Gifflaraes, de con-
formidade cora a proraessa que anteriormente fi-
zara.
O exercito de Robles ou de Barrios, porque nao
se sabe com certeza quera, commanda o exercito
parjgcayo de Corrientes, parece ter fixado all re-
sidencia.
Disia-se que os passos de Santa Lacia estavam
fortificados pelos paraguayos, d'onde se pode talvez
concluir que elles nao pensam em ir soccorrer a
columna que invadi o Rio-trande, e ja tratam de
sua propria seguranca
O exercit- da Concordia rizera um movimento
p'.ra w frente, dirigindo se do Ayui Grande para
Mandisovi, sob as ordens do marechal Osorio, a
anem Mitre entregara o commando em chefe ao sa-
hir para l'ragoayaoa.
o exercito de Corrientes intentar ir ?m auxi-
lio de Estigarribia, o que parece poneo provavel,
ser nocessariamenle flanqueado pelo marechal
Osori.'.
Verificara se que era destituida de fundamento a
nalicii da invasao de Santa F por forjas para-
goayas sob o commano de Telmo Lopes.
E boato parece ter sido motivado pelo seguin-
'u : A'guns saldados argentinos que linham fijado
feridos e:o Goya, e oolros pontos, qaizeram depois
de rcstabelecido* encorporar-se ao exercito : per.
seguaos pelos paraguayos lomram o carainho do
Ciacc, onde aquelles es seguirao. Dalii o boato de
invasc.
Serve ainla para de-trair esse noticia a circums-
laucia do ?ab?r-se, por cartas interceptada?, que
Telmo Lopes, em eompanhia de Carreras e oatros
blancos dingia-se para o Paraguay no mesmo dia
Ti q ie K dizia ter ele sido visto no Chaco.
A osquadra brasilt ira conlinuava ancorada no
riacon do Solo, tendo si '.o diminuida das canhei_
ra- [guatemy e Parnthyba, que descerara at Bue.
nos-Ayres, afim de nter grandes reparos deque
precisa vam.
Corra como ceno que at o dia S8 o general Dr.
.uza apresentar-se-bia frente de um exercito en-
trerluno de 12,000 homen?, cumprindo deste modo
i proraessa solemne que fixera ao general Mitre de-
pois do acontecimenlo de Uasualdo. Assim se rea-
lise esta noticia.
A Tribuna, de Montevideo, fallando 'de Antonio
de Las Carreras, diz c seguinte :
Ha das passados enunciamos que este celebre
personagem em eompanhia de Aguirre e outros do
FOLHETDI
0 DEMONIO DO JOCO
i'R
HENRIQUE CONSCIENCE.
(CoatlDDaeao.)
Van de Werve, a quera urna jrtuta enorme
permiltia desenvolver rnuito luxo, cos'.uaiava rece-
taer era sua casa, todos os mezes, noute, os prin-
cipaes Fidalgos de Antuerpia, tanto es'.rangeiros co
mo indgenas. O seu aiaor pelas artes e leltras o
mover a iravar era intimidada os meihores artis-
tas e o; sabios mais nomeados do seu lempo com
as pessoas mais nobres mais ricas e mais impor-
bargadas por semenca.
Se, porra. pelo lado do Uruguay nao temos an-
da urna noticia importante a communicar aos nos-
sos leitores, temo-las do Matto-Grosso interessan'
tes sob mais de um ponto de vista.
As folhas do Praia deram publicidade s com-
municacO-s traziias por dous individuos que fugi-
ram de Corrientes e que chegarara no da 21 ao
pono de Montevideo.
Esses individuos souberam do pratico do vapor
paraguayo Ipor que urna forga consideravel do
Matto-Grcsso com seis vapores desceu o rio e ata-
cou as guarnieoes de Coimbra, Corumb, Doura-
dos, Nioac e oatros pontos tomados e oceupados
pelos paraguayos, fazondo-as prisioneiras e levan-
tando de novo a bandeira nacional. Disseram mais
que o vapor Anhambahy foi queimado.
Em virtude destes aconte<,!mentos havia 16 dias
que nao desoan; vapores de Mumait a Corrientes
e suppunlia-se que !:aviam subido o rio para con-
duzr trc a.
Segne avante a brilhante caravana...
E de seos labios a vintora emana,
E nunca ella paroa
E a iberiade sem temor, sem medo,
Como o roci as fendas do rpehedo,
as almas infiltrou.
Pediram-lhe impulso... Elle deu luz...
Pediram-lhe a mao... e elle na cruz
Do supplicio expiroull
Ferio-Sanso modernoaos Philisteus,
Que um demonio adoravam co no Deus,
E serapre triumphou.
Triumphou-----Muilo embora no seu sangue
Sua cubeta rebolcasse exange
No p que a desbotou ;
Esse sangue... mancbou a la historia,
E o brilho seductor de tua gloria
Essa morte oburabrou:
Longos annos geraera um povo inteiro...
Qual Moyss fora elle quem primiro
Conta urna folha do Mxico qoe se acaba de des. Guiara as raullidSes
cobrir nos arredores de Kuanch.nango os vesti-; fe WashDglon LicoIn foi de w)yQj
giosde tiga cidade i lia, no meio dos Sua estatua de gloria elle-do povo
PUntou nos coraces.
Essa vida que, povo, amaldigoas
Circunda o mundo inteiro de curdas
De eterna duracae...
Ha de chamarte a bocea do futuro,
i Um dia que nascer sem luzescuro
ra de posse dessa herdade, que data de tempos re-' Caim, o teu irniao t
motos; a escriptura dava-lhe por limites, a norte E l Otando o ttrico horisonte,
e ao nascente, a cidade de H. Enlao has de esconder a negra fronte
Todos concordaran) em que existia nessa direc- No veo da cerracao :
cao urna matla muito cerrada, onde nunca tinha E peranle um sepulchro ajoelhado,
entrado nenhum dos assistentes por causa dos mal- Ao Senhor pedirs no chao proslrado
tos espessos que embaracam a entrada. P'ra leu crimeperdo.
No calor da discussao assentaram todos em que' No esC0Ddanjos 0 (0 povocnora
Sefosseama.tam Da liberdade o astro a luz descora,
Com muila difculdade se pode abrir passagem ... '
t ... j .1 De sangue se tiogio...
e descobnrara-se logo vest.g.os de ras; mato U-Ajate, |eU eo nblense...
ad.ante encontraram-se duas casas com os tectos Cadaver de Tio ,a se ou
em forma de abobada triangular. 0 inftrno sorr0
Entrando em urna dellas, descobrlo-se um recin. Da ,jberdade 0 anjo m curvad0j
quacs foram apanhados alguns dolos e outros ob-
jectos cariosos.
As autoridades de Huancbinango, acompanha-
das por muitos habitantes, foram dar posse judi-
cial de urna herdade a um individuo que a tinha
comprado.
Travou-se conversa sobre um ponto da eseriptu-
lo imraenso, cheio de dolos de pedra.
Os exploradores espalbaram-se por todos os Loc-
eos e encontraram rauitas portas fechadas com pe-
dras argamassadas.
Tanto se apartaram uns dos oulros que, quando
chegou a hora de partir, foi preciso dar tiros de
espingarda para se operar a Manilo.
Tem o brilho dos olbos empanado
Do pranlo que chorou :
Malditoquem nao leu naquella idea
Alfogada por deus urna epopa
Que um tumulto feixou.
---------- mm -
DI POLCO DE TODO.
l'm peridico hespanbol conta o seguinte caso:
No anao de 1835 desertou do exercito um sol-
dado natural de Novelda (Alicante) e formando
urna quadrilha de vate e tantos individuos enire-
garam-Si por espaco da alguns annos ao roubo e
a pilliagera. comraettendo, alm disso, alguns cri-
raes pessoaea sem que nunca se podesse desco-
brir os seus autores.
Retirados do negocio desde muilo lempo, viviam
todos como pesseas honradas, quando ltimamente
appareceu no paz o amigo desertor, que se havia
retirado para a Argelia ; e co o j vinganca de llie
lerem os seus an:';os companheiros recusado urna
cena quantia. qae reclamava, denunciouos a lo-
dos, deuunciando-se a si proprio como autor de
diversos crimes.
Por este motivo tizc-ram-se varias prisoes, e en"
tre os criminosos figurara algumas pessoas, cuja re-
putaco de honradez era sem mancha.
Este Judas qae se chima Ra nao Salles, dlsse an-
te o tribunal que por espago de vinte annos fora
o aojo exterminador da provincia de Alicante, que
s sabia do seu escondrijo para matar, e que raa-
tava, voltando depois a esconder-se.
Das suas declaracoes deduz-se que 6 autor de
alguns amigos assassinatos, entre os quaes se con-
ta o de uro seu irmao.
Eulre as pessoas presas por denuncia deste cri-
minoso, acharase um aleaide e seu filho, e um ex-
tra lo. actualmente capello, que tambem fora de-
signado, pode evadir-se.
Que tal o Judas !
Achavam-se no mesmo quarto dous gallegos
fazendo vida commum de companheiros de fa-
digas.
Um delles que eslava falto de dinheiro, julgou
prudente podi-lo ao seu compatriota, e para isso
guras semadas por meio dos ornatos, eram pinta-
das ao natural, salvo o vestuario em que havia ex-
cesso de dourados.
Do seio do tecto lavrado desciam delgados pila-
res que, reunidos em feixes segundo os principios
do estylo gothico, davam-lne arrimo s solidas vi-
gas, que eram seis, todas cobertas de esculpturas
de mil cores. A decorarlo destas travs estava em
harmona de desenho e de forma com a dos lavte?
do tecto, e pareca um proloogamento delles, como
se o arenitecto tiouvera querido fazer consideraros
ornamentos delicados das travs como urna verdu-
ra luxuriante, cujos troncos sahissem de entre os
lavouros de carvalho.
Em almofadas dispostas entre essas roaravilhas
da esculptura, estavam os escudos do armas da fa-
milia Van de Werve e daquellas kcom quem tinha
ligago de parentesco. Era urna grande profuso
de emblemas e divisas: ledas, javalis, aguias, ar-
minhos, fachas e coras de ouro, de prata, de sino-
pie e de azul, tac numerosos e tao brilhantes que,
Um digno sacerdote napolitano, cura em urna pe-
Assegura-se que foram vistas colomnas de pedra quena jgreja enlre Capua e San[a Marja MaJor> fo|
quebradas e degraos em urna elevacao. cnaraado ,eyar flS socoorros dj re mQ.
Um soldado que deu urna coronhada era urna ro-er de ura caseir0 que es|ava gravemenle en_
cha, ouvio o echo reproduzr-se no interior. ferma
Muita gente tem tratado de descobrir tudoo que O casena e seus filhos, que sao quatro rapagoes
all possa haver, eo prefecto de Huanchmango robustos, foram mesmo os que serriram de escolta
mandou ao imperador um extenso relatorio cer- ao bomdo cura, para nao ter qae recear dos sal.
ca dessa descoberta, e em que diz que enviar os teadores que infestan) o paiz.
dolos colhidos na primeira expedlgo. Chegarara a herdade ; a moribunda recebeu os
Fizeram-se pergunlas aos Indios dos arredores ltimos Sacramentos com profuoda f, na presenta
sobre o motivo porque tiveram tanto lempo em se- ^e 9eu marido e de seus filhos que ajoelharam ao
gredo aquellas rumas, e responderam que era cou- pe d'ella.
sa que nao devia ser revelada e que ninguem de- Concluida aquella pa tarefa, qaz o sacerdote
via Ir malta, porque tinham provas de que ica- Vllar Para presbyterio, e como ja' era da, en-
ra encantado todo aquello que la' entrasse. endea Que oo havia perigo em ir s, e recom-
------------ i -a^--------mmmm----------. mendou aos cinco homens que o linJiam ido bus.
Em Fugino, na Italia, foram descoberlas, entre car que nSo lesaraparassem a enferma, por qae
os papis da bibliotheca de um convento, cujos'era clara 1ue *" "' horas vida-
frades se secularisaram ha pouco tempo, algumas De mais parecia-lhe que o seu carcter da sacer-
paginas inditas do livro de Cicero Da Republi- dote e sobre ludo o vaso que coDtinha os Sacra.
ca, i e varios trechos de livros perdidos da grande meatos, obrigariara os bandidos a respelta-lo.
historia de Tito Lvio. Carainhava, posr na melhor paz de espirilo
Arabos os origlnaes vao ser brevemente publi. quando de repenw ouvo gemidos que sahiam de'
cados. i urna casinha solitaria.
l Sera receios, dirigio-se logo para o ponto onde
Em Caianea, na Sicilia, deitando-se abaiio uraa'pen5ava qae era neeessarlo o seu auxilio, empur-
casa moderna edificada sobre as ruinas de outra rando ama porla meio aberta, achou-se na presen-
romana, foram encontrados preciosos fragmentos
que completan) algumas lacunas dos
de Tcito.
Annaes
ca de maltas pessoas assassinadis; urnas parecan)
completamente privadas de vida, o' ras estavam a
perder muito sangue e davam aquc.es gritos dalo"
rosos que o tinham guiado para all.
Em urna venda de livros que se fez no Mxico ^^ ouvi)Se riraor de p^sos n5o longe da casa
no principio de mareo, livros que pertenciam an-: sahl0 iogo para pedirsoccorro.
liga nunciatura apostlica, achou-se a obra de-tan- Era um destacamento de carabineros reaes que
peu Litta, com notas meditas cscriptas peto autor' eslj0 em capua-
e que completara as informacoes que a obra d; Chamados pelo sacerdote, corrern) todos a soc
.correr os desgrasados feridos.
OofO'cial comraandante do desiacamcnlc, fez Der-
milias italianas.
E' do acadmico Aristides A. Milln :
ABHAHA0 LINCOLN.
as noiles de tormenta, quando o vento
Ruga desvairado, eo pensamento
Pairava na amplidao :
Dos abysmos um vallo alm se ergua,
E cantava : e do canto a voz sombra
Cortava o coragao.
t Bergo dos livresque, affrontando a-roorle,
D'esse ousado Breto a vil cohorte
Lan;aram pelo chao :
E a bandeira gentil da liberdade
Desprendern) das torres da cidade
Aos tiros do canhlo :
Reali?a-nos, por Deus, o sonho augusto
Oh vede bem que assim manchis o busto
Que Frankm b-arilou :
Nao te allegues as vagas desses erros,
Arranca-nos do pulso os negros ferros
Que o povo te arrancou.*
E nm hroe que lha ouvira ardente o grito
Ergueu-so-, qual rochado de granito,
Abrlo-lhe o coracao...
Salva os sacros direitos dos Tiilotas,
Nos secfrmracos ciagindo os patriotas
Da gigante nacao.
gualas s vctimas e soube que tinham sido saltea
dos de noile por urna quadrilha de ladree?, apesar
de lerem regularmente pagado sempre o imposto
do sangue.
Os salteadores exigem dos habitantes do-paz que
ibes paguem urna quantia annual para que sejam
respeitados assim como os seus gados.
As victimas tinham sido atacadas por homens
de cara coberta.
E ento nao conheceram ninguem ? pergun-
tOU O (filo i al.
Conhecemos, sim senhor, respondeu um dos
feridos, um nosso vizinho, o casena Petro ; eu
conheci-o, por que o panno que elle tinha sobre o
rosto, cahio Ihe quando lutava comigo.
O casena Pielro era exactamente o homem que
tinha ido buscar o cura para sua mulher algumas
horas antes-, provavelmenie fuera aquellas boas
obras na ida para o presbyterio.
Com a indicaoao qua Ihes foi dada, os carabine-
ros marcharan) logo para a herdade, onde nao s
prenderam Pielro e seas Bino?, mas tambem os
mais da quadrilha que estavam a dormir por de-
traz de urna cortina levantada aos ps do leito da
pobre mulher que acabava de morrer.
seus navios em viagem, que nao bavia aftegurado.
Diachol disse comslgo o bom do bomem,
apontando o dedo ndice para atesta, Jacho I ereio
qae andei mal em nao assegurar o mea navio.
E correu dlreito casa do assegorador mais
prximo, onde se travou o dialogo seguinte :
Senhor, peco vos que me deis um apolice de
seguro para um dos meus navios, que tarda a che-
gar a este porto.
Nao tendes noticia alguma do vosso navio T
Nao, senhor.
O risco grande, deveis convir, e por isso
s poderei tomar este seguro a condicoes mu one-
rosas para vos.
Pois bem, aceita las hei.
Convmvos tal prejo ?
Cravm-me.
Neste caso, vou refleclir; se araanha nao
receberdes a apolice, signal que o negocio nao
se pode realisar.
Dito isio, os doas espertalhoes separaram-se e
cada um delles correu em busca de noticias. O
assegurador nada pode saber, porm o negiciante
recebeu informacoes exactas acerca do seu navio.
Ora, essas informacoes eram de tal natureza, que
este ultimo julgou dever dellas dar conhecimento
ao assegurador.
Escreveu-lhe, portanto, nos seguintes termos :
Tenho noticias do meu navio; se a apolice nao
esliver feita nao a faja.
ptimo, dsse o assegurador. Apanhei-te no
jaco. O teu navio est a vista, talvez; ta queres
fugr dos teas compromissos. Espera um pouco.
E n'ura abrir e fechar d'olhos enche se urna apoli
ce datada da vespera, que levada por um caxei-
roao negociante, com urna carta mu polida.
Senhor, aqu est a apolice.
Ai 1 meu Deus t Custa-me isto bastante
E a nos larabem ; mas vos promettesles.....
E' verdade. Todava....
J era larde, a apolice eslava feita.
Ah I Sinto devera? que assim fosse, por que
fui informado esta manhaa, que o meu navio foi a
pique. Nada se salvou.
Na America este genero de especularlo nao tira
a ninguem os foros de homem de bem.
man i
O Diario de Vienna conta pela forma seguinte
um fado que diz ser ignorado dos botnicos, e que
pode crear urna industria nova :
Em urna curia excurso ao campo, um nosso
amigo vio una joven e linda caseira que, com bol-
les bracos muito brancos, nos al aos hombros
cnsaboava, cantando, em urna grande tina de ma.
deira poisada sobre um tripe, a roupa braaca de
du.-s lindsimas criangas.
Estas, que tinham trepado a urna cadeira, davam
alegres risadas cada vez que podiam metter as
furtadellas as suas moszinhas na- espuma brasca
qae cobna a agua de varrella c formava milhares
de bolhas- fcrilhantes cem todas as cores do arco-
irisi
Sabem o qae produzia-aquella espuma e aquella.'
boinas e que dava ao panno urna brancura de
nev ?
Bram simples raizes de luzernas ervidas, du-
rante meia hora, em agua da fonle, e depois pisa-
das e amassadas.
E' urna receila de mioha mi, disse a mulher ;
nao s me poupa muito sabao, mas dme excel-
lenta materia para fazer a varrella : substitue com
vantagera as cinzas que de uso empregar.
vacclnadores
malta.
foi condemnado a doas libras i*
>uma
tanies da sociedade de Antuerpia ; e a sua casa
viera a ser o ponto de reuoiao de ludo o que havia! quando a luz do meio dia entrava na sala, mal po-
melhor e mais distncto oa cidado.
Quasi toda a parte anterior da sua casa era oc-
cupado por urna vasta sala a que dava o nome de
dia soffrer a vista o radiar de toda aquella magni
Ucencia.
As armas dos Van de Werve, senbores de Schil-
sala dos aniepassados, porque a adornavam nurae- de, pioladas em maiores dimensoes do que as ou
rosas re>cordac5es da soa illastre familia.
As paredes eram cobnrtas at certa altura com
esculpturas em carvalho, to artsticamente conce-
bidas e lio delicadamente traba hadas, que pri-
meira vista dizer-se hia ser um jogo de tapecarias
tras, fleavara no fundo da sala. De redor brilhava
grande numero de escudos de armas em ponto mais
pequeo, taes como os brazdes dos Wyoeghem, dos
Van Immerseel, dos Van Wilre, des Van Meldert,
dos Van Coolput, dos Van Brulocb, e dos Van Zy-
de tolas as cores; porque se, em certos sitios, era' mier. vlsivel a cor am pouco oseara do carvalho, todo o 1**8 *os Van de Werve.
mais resplandeca em ouro e prata, e era realcado! "os nicbos' formados pelos pilares viam-se os re-
pelo raais bello vermelhc, pelo mais brilhante ama
relio, e pelo mais puro azal celeste. Innmeras fi
! tratos da alguns dos mais Ilustres aniepassados de
! Gutlberme Van de Werve, assim como o seu, no
qual era representado como capitao de- uml com
panhia allemaa ao servifo do imperador Garlos V.
Os retratos nao oceupavam todas a& almofadas.
no rico forro-de madetra; em grande nnmero del-
las brllhavaon preciosos paoes creados pelo pin-
cel dos mestres de mais nomeada na Neerlandia.
Podiam all admirar-se algumas obras dos immor-
taes irmaos Van Eyck, do pathotico Qaintino Mas-
sys, do iotelligeate Rogerio Van der Weydens, do
espirituoso Jeroaymo Bosck, do laborioso Lucas de
Leyde, e de outros mais, cuja nome era ento pro-
nunciado com respeiio no mundo da arte.
Em um ngulo da sala, ao lado da c-hamin, es-
< tava um cravo ricamente embutido de madeiras de
todas as cores, e sobre elle havia dous alaudes e
urna viola. Por conseguirte, em casa de Van de
Werve tambem havia quem sa oceupasse com a
feiticera arte da msica
Do lecto desciam seis lustres de cobro dourado;
na saliencia do fogo pousavam doas grandes can-
delabros ; ao comprido das paredes, nos feixes for-
mados pelos pilares, havia grande numero de pe-
I quenos caslicaes. Quando Van de Werve recebia
nouto as pessoas do seu conhecimento, o reflexo
das innmeras luzes no ouro e prata que estava se-
meado com profusa >, devia dar a essa sala um as-
pecto magestoso, e predlspr os nimos dos convi-
vas para afectuosas expanses por esse luxo de luz
e esplendor.
Tres dias depois da tentativa de assassinato que
dolamos narrada, havia grande reunao noute
em casa do Sr. Van de Werve. Posto qae este ac-
cidente o hoavesse affeclado dolorosamenie, e que
sua lillia Mara anda noesiivesse restabelecida do
abalo que entira, cora,ia J bavia decorrido muito tempo, sem que ura ne-
gociante de Nova-York, recebesse noticia de um dos
para que a reunao deixasse de ser onto, esperan-
do que ella poderia contribuir para que todos es-
quecessem, aquelle ternvel alternado.
A' hora aprasada podase ver da ra unja viva
luz radiar da casa Van de Werve sobre os edifi-
cios fronteiros. A porla principal eslava, aberla,
e no ampio vestbulo esperavara em grande nume-
ro os criados dos convidadas que ja: tinham che-
gado.
O salo eslava cheio de pessoas de dfferentes
condicoes e idades : mas nao havia omitieres, por-
que esse sero tinha sido annunciado como urna
reunio de fidalgos, artistas, sabios e negociantes
notaveis.
Ja' devia ter decorrido muilo tempo dopos da
chegada dos numerosos hospedes do senhor Van de
Werve, porque, segundo a fantasa ou a ioclinagao
de cada ura, estavam divididos em difiranles ma-
gotes, e quasi todos enlretidos em conversarles
cordiaes e familiares.
Alguns dos da mais idade estavam assentados de
redor de urna mesa, e conteraplavam com muita
aitencao cinco ou seis livros novos que pareciam
excitar a sua admirado; oulros que, pelo seu ves
tuario menos rico, podiam ser tidos por artistas,
examinavam desenos; um magote, evidenteraen-
formado de jovens cavalleiros, cercara Geronymo
pedindo-lhe pormenoras do attentado de que esti-
vera para ser victima.
No fundo da sala, nao longe da chamin, esta-
vam os ricos estrangeiros que tratavam de com-
merclo em Antuerpia. Anda qae reunidos n'esse
poni para divertir-se e distrahir-se, tambem con-
versavana, por habito, ceroa dos navios esperados
do cambio e das mercadorias. *E,otre esses estran.-
Deduz-se de estalstcas offlciaes que es-grande*
viaductos construidos nos caminhos de ferro fr3n-
cezes-do um comprimento tolal de 30,000 metros,
equivalente de um desenvolvimenlo de 6 leguas.
Gamo lypo deesas obras citaremos o viaducto de
Val-Fleiry, ao p de Meudon, construido em 18&0,
com um comprimento de iU) metros, custandoura
pouco mais de 100 contos de res.
O viaducto de Chamnout, na linha de lo '-.', deve
ser tido como o primeiro era razao da despeza, por
que custou 1,044 contos.
Na lioha do oeste notavel o viaducto de Mir-
ville que cu-leu 414-contos-r e na linha de Lyo, o
viaducto de Brunoy que importou era 272. contos
de res.
Quanto aos lunneis, os seus comprimentos som-
inados do 130,000 metros, isto se se alinhassem
os subterrneos que e^istera na rede dos caminnos
francezos, e que *o 3i), achar-se-hia um compri-
mento de 30 leguas.
O subterrneo mais consideravel o de Xerthe,
na linha de Pars ao Mediterrneo, proximidades
de Marselha,.que custou 1,800-cont?.
O do Credo, na linha de Lyo e Genebra. impor-
tou era 1,170 contos.
A sorama de todas as> despezas feitas com as
grandes obras de arte, ponles, viaductos e subter
raneos, em toda a rede franceza, do 77,883 con-
tos de res.
i ii--<3>-a< "
Ha pessoas que querem converler barga, e ou-
tras que, nao erguendo to alto as protengoes, que-
rem vaccinar forja. Isto acontece s vezes em
Inglaterra.
No dia 3 do correte comparecern! peranle um
tribunal dous nglezes aecusados de terem vaccina-
nado urna enanca de alguns mezes cootra a vonta-
de dos pas.
Foram absolvdos por falta do provas sufficica-
tes.
No da 17, um Slater e um Pin, animados pela
experiencia, iacularam a vaccina era una menina
de 7 annos s'.-m consenlimento dos pas.
Estes querelaram, e cada um dos doas teimosos
L-se na Semana Ilustrada o Mfowte:
O leitor oa a leitora j vio a Jovila ?
Mas quem a Jovita ?
E' a curiosid.de do dia, o dolo da artoalidadV, a
nome da moda, a ptssoa do too, a gk-rta 4o Pao-
hy, o orgulbo do Cear,a masa da guerra dispatada
pelas vinte provincias do Imperio,a ho-p^deobriga-
da de todos os palacios, o delirio das p'ateas, a pre-
oceupacao do governo, a poesa do exercito eoear-
nada sob a forma airosa de nota rapariga iravessa,
exaltada, graciosa, meiga, terrivel, mysteriosa.
A Jovila a fascioaco do pathotisato; o soako
dos rapaze?, o espicho das mogas, a io<|Uetaeo as
senhoras, a inveja das viavas, a distraccM dos oaa-
ridos, a admiraco dos velhos, o chiche de todo o
mundo.
Mas quem a Jovita ?
Palavra de honra que eu nao sei mesmo o qoe
seja a Jovita.
Dizem que urna mora, mas au aoea qae
um homem; dizem qae nm sargento, mas m
sargento qae asa de satas; Venas voderaa qae
sem atragoaa. nenham Vulcano all ao se frasea
mente ao Derts Marle e alegre e resotaia aureba
para a guerra como para ama festa.
A Jovila, penso tambem alguns e oao sea ratao
urna feiticera disfargada.
O seu retrato anda por todas as mos; effa em
pessoa procurada com aociedale, lodos a qoerera
ver, todos a querem coohecer, lodos almejan por
apertarlhe a mo, e sabe Deus qoantos saspiraa;
por abraga-la.
i-.' a li nra do paiz, dizem oatros, virilidad* do
seu sexo, a exaliagoo dos sentido?, o delirio do pa-
triotismo, o esforgo supremo da rragilioade hnaaaaa
revoltada em face das atrocidades eMnmeliida-
\ pelos selvagens aggressores da patria.
Ella vai como as deusas da mytholog-a urgir ao
meio das batalhas, envolta em cveos p, e>
fumo e de sangue dardvjar os raios otete aos
seus olhares para melhor fulminar os ioiastfos que
ultrajaran) duas vezes o pudor da nagio e t podar
do seu sexo.
Quem sero os vencidos T
Os soldados de Lpez ou os soldados do im-
perio?
Aquellos depois a batalha ou estes aofte la
victoria.
Sero os corpos ou ao almas, as prictetras lerttr
pela magia poderosa da< herona moderoa ?
Como quer qae seja, a Jovita m protesto.
um siemplo, um est>mnlo, taiwi oau
censura.
Quando urna rapariga d; desoito annos eoponh*
resolutamente as armas para ir desafiraotar a hoa-
ra nacionai que homem, que Brasileiro- baver por.
ahi que nao corra a al.-tar-ee como votoatare ea-
vorgonbado de haver sido precedido por oaaaa oaeoi-
na frgil de corpo mas valecte d'aaiao
E se nao i o amor da glora ou o amcr da pama
me a condnz, mas o amor e a dedeearo por
algum col meaos ideal, quem-nao aa eovergoDka-
r de sentir pela patria, pelo sagrado pracpo da
uacionalidade, menos fervor o. mlhnd Jo
que os que revela essa mora pelo objecft da vn
predilecgo.
.em corre, c.\.7S,
geiros via-se um grande numero de vestuarios deffe-
rectes e ouviam-se faltar varias linguas. All acha-
va-se o hespanhol ao lado do idioma de Lucca, o
portuguez perlo do florentino, o inglez junio com o
genovez, o allemo a par do veneziano; e do raos-
mo modo que na bolsa de Antuerpia, esses horneas
de ierras to varias achavam meio de se corapre-
henderem.
s
O Sr. Van de Werve eslivera quasi sempre a'
porta da sala para receber os que chegaram ; mas
n'esse momento, supoondo que traba >a' entrado o
maior numero dos convidados, foi correr todos os
magotes, tomando parte na conversao e dizendo a
cada ura algumas palavras agradaveis.
O velho Deodati tinha-se assentado em urna ca-
deira de bragos encostada parede. Todos os con-
vidados o tinham compriraentado b felicitado pela
sua ida aos Paizes Baixos. Ti vera de correspon-
der a tantos cumprimentos que se senta cansado
de ter fallado tanto e de ter estado muito tempo
era p, e linha ido assantar-se por um pouco para
descansar em urna cadeira apartada de lodos.
Ao sen lado eslava assentado Simo Turch que
conversava familiarmente e era voz baixa com o
velho. O traidor finga extraordinaria affego pelo
velho fidalgo, lsoogeava-o tanto quanto podia, tes-
temunhandolhe por lodosos modos respeito e com-
placencia. Ja' tinham fallado da tentativa do as-
sassinato, e SimaaTurohi exprimir o espanto que
Ihe causara essa attentado, porque nao sabia nem
acredilava qua Geronymo (ivesse iuiraigos. Sem
davlda, o assassmo Brufferio tinha se engaado,
cousa qae muito facilmeate poda acontecer em
consequencia da escuridade da nofte em que este-
ve para realisar-se q rrime.
Surjem a rada paeso os desenga
Neste mundo, doulor:
J meu eansado corpo verga aos aaao-,
E eis-me presa de amor f
On singular, oh hybrlda belleza
Que me encantaste assim I
Sers mulher? acaso s la pnoceta?
Demonio? ou seraphim?
s opulenta,forte e poderosa,
A* vezes, sontra a le.
A fortuna dar? a quem le goza.
Trazes dol de rei.
Es bastarda, meu bem, mesmo eaaeitada,
Que nao condeces pai;
L-gi'.inia-to a le. Poste gerada
No culto Paraguay.
Mas tua mai possue nome na historia;
E euconlrc-a muita vez
Passeiando as ras, de victoria,
Com madame Aiilvez.
E" morgada. Descende em linba- recta
De dona Corrupcao,
Casada co lacaio de urna neta
Da fogosa Ambigo.
E' ^rima-irmaa da lvida Avareza,
Filba de Bvlzebuih :
Chama se sua ro.ai dona Esperteza,
Condessa. de Urub.
A casa vnculou, que era foreira
Do Val de Catumby;
Chamava-se casal da-Ladroaira,
No tempo de David.
Mas quer saber, doulor, quai avenan
Amoroso me traz
De to alta senhora ? Foi diabrura
Do viio Salaoaz.
Eu quiz ganbar dinheiro, a paz negocio
De fu-as e rapim.
Era negociante, e ao samo ocio
Pude enlrar-me emfim.
Dorm. Viajou-me a tirina nos- vapore
Do mar commercial.
Quando accorde, disseram-me os credorea
Qae as favas um mal!
Eis aqu, meu doutor, porque me deixo
Apalxonar da ingrata;
Quepo ser rico I E, pois, cahio-mt- c qoeixo
Por dona Concordata^
Emquanto Suno Turcbi, parecen lo traaaaiOc
conversava assim com o veHio fldalgo. de cario es-
conda no fundo da alma um designio secreto, oa
projecto criminoso ; porque, a cada palavia. alca-
gava o olbar pela sala para Geronyox, e Iwftaa-
se por adivaahar-lhe aas feices ou aos gestos a
qae elle daia. Nao perda um momento-do vista o
que havia de ser esposo de Mara.
Terminada a conversa sobre o allautado. vrfho
Deodali correu com os olbos os differeates ssagoles
de convidados, e perguntoo por fia a Turcai:
Quem aquelle homem de-sobretodo de vel-
ludo roxo e de mangas estrellas a quea
negociantes parece que lestenaanham taato
to ? Nao o velho alto ; com esse j>' eq
conhecimento e sei que o rico Fuager d Ao
go ; o outro que esta' ao. lado avile.
E' um banqueiro, responden Sino Tarea*.
E' riquissimo e chamase Lzaro Tncber. Diaate
d'elle esta' o chefe da casa dos Ho:bsMir. Os
qae Ihe presura aiiencio sao fidalgos qoe pertoa-
em s grandes casas de commereio dos Gifli, os
Spignoli e dos Gaallerolli. Par detraa Calles osu'
D. Pessoa, feilor do rei de Portugal, a asavenor
com Diogo d'Aro e Antonio de Yallio fsHum da
Hespanha. Os que esto de redor d'elles sao ae-
goclantes italianos e porlogaezes, cajos nnaan po-
derla dizer, porque o conheco todos. as iio
pormenores qae na iateressam,
(Conlinumr te-ha.)
PERNAMBUGO-TYP. DE M. P. DE F. & FILHO
-
"!T

t


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELGOWXIMZ_GYJ1N0 INGEST_TIME 2013-08-28T00:01:04Z PACKAGE AA00011611_10789
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES