Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10782


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IL1. MERO 225
Por fiarte] pago dentro de 10 das do 1, mez ...ti.. 81000
dem depois dos 1." 10 das do comecoe dentro do qaartel. 61000
Porte ao eorreio por tres uezes .,.,,......j 750
SEGUNDA FEIRA 2 D 0DT0BR0 DE 1865.
"' "" .. | ,
Por anuo pago dentro de 10 das do 1. mei 191001
Porte ao eorreio por uoi anuo ..,.,.?.,.,.,, SfOOf
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Jo'aquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Gualdo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SDBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Das; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Serinbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, AguaPreta Pimenteiras, as quintas
feiras.
Olinda, Cabo, Escada e estagoes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.l
Santo Antao, Gravnt, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas Tribunal do commercio :
(Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Paod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesquelra Fa- _d,. nunI.s s 10 hnras
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis- ,zeD"a 1u,masas ,u "oras-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartasJaizo do commercio: segundas as 11 horas,
feiras. lito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
segundas e quintas.
Primeira vara do civel: tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
bora da tarde.
EPHEMEBIDES DO MEZ DE OUTL'BRO.
4 Lna cheia as 8 h., 11 m. e 46 s. da t.
11 Quarto ming. a 1 h., 2 m. e 22 s. da t.
19 La nova as 2 h., 7 m. e 52 s. da t.
27 Quarto cresc. a 1 b., 30 m. e 16 s. da t.
DAS DA SEMANA.
2. Segunda. S. Leodegario b.; S. Guarino m.
3. Terga. S. Maximiano b.j S. Eustiquio m.
4. Quarta. S. Francisco de Assis fundador.
5. Ss. Placido e seuscomp. mm.; S. Athilano b.
6. Sexta. S. Bruno fund. da ordem cartuxa.
7. Sabbado. S Marcos p.: S. Sergio m.
8. Domingo. S. Brgida princeza de Nericia v.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; jwra o nort
ata a Granja a 7 e 22 de cada raez; paa Pernan-
do nos dias 1 i dos mezes de Janeiro, marjo, malo,
julho, setembro e noverobro.
ASSIGNA-SE
noRecife, nalivraria da praga da lndpendlen
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa Ao
Faria & Filho.
EXTERIOR.
MONTEVIDEO.
Montevideo, 12 de setembro de 1863.
i! -ni que nao tentia, por ora, grandes noticias a
communlcar, comtudo principio a escrever esta
correspondencia porque de momento a momento
ellas podem chegar, e obrigar-rae a um i rabal lio
apressado.
Calculo a anxiedade com que uessa corte e em
com cartas do celebre Antonio de las Carreras para
alguns peasonagens do partido blanco, datadas das
Cuevas em 26, as quaes dizia que o tinha a seu
lado, como vaqoeano, e que marchavam a avistar-
se era Humavta com o presidente Lpez. Nestas
mesmas cartas assegurava a seus amigos que o
general Robles era esperado rom 27,001) horaens, e
que marchara immediatamente sobre Entre-
Ros.
Finalmente chegou o paquete Esmeralda do Pa-
ran, e se soubo positivamente que nao houve tal
invaso, e que os Paraguayos perraanecem inacti-
vos desde o rio Sinta Luzia at Corrientes, occu
todo o imperio se espera por este paquete para sa- pando-se smente em levantar fortificagoes desde
fcer do resultado do cerco da Uruguayanna, donde as barrancas Cuevas,
s ha noticias at o dia 8 por ora.
O nosso infatigavel almirante, depois de l ter
chegado e ha ver conferid! com os generaos Flores,
Paunero, baro de Porto-Alegre, Jacuhy, e Cana-
varro, julgou conveniente voltar a Concordia, dei-
xando 8 vapor Onze de Jun'io no porto da Federa-
do, cima do Salto, e vind) a cavallo at aquello
lugar acompanhado smente de um de seus aju-
dantes de orden?, o primeiro
Motta.
Correram logo varios rumores a esto respeito, ,lmJna Amazln7slenm"amAmr\Vs-
nouve quem cnegasse a espMhar que entre elle e o tincl0 chefe Barroso, e durante elle reinou a maier
general Flores se suscitou grave desntellgencia animagao.
A nossa esquadra se acha anda no Rincn do
Soto, em una situago excellente.
O trbulo pago pelas nossas guarnicoes s mo-
lestias e epidemias leve um termo. O "estado sani-
tario ptimo, e o espirito de soldados e mari-
nheiros excellentes. Beina grande alegra, e nin-
guem se lembra dos trabalhos que j tem passado,
e dos que parada Ihes esto reservados. No dia 7
teneote Silveira da $e setembro festejou se all o anniversario da nossa
i independencia com grande enthusalsrao. Os offl-
Flores se suscitou
acerca do commando das torgas em operages em
nosso territorio, e que par resolver esta impor-
tante questo veio este solicitar a presenga do ge-
neral Mitre, que immediatamente parti acompa-
Bhando-o, e levando mais dous batallioes de infan-
tana brasileira, um dos quaes o quarto batalho
A msica de polica de Nilheroy com suas bel
las pegas mais brilho dava a esta festa improvisada.
O hroe do Riachuelo foi o alvodos mais finos obse-
quios e attengoes de seus companheiros de armas.
Houveram varios brindes.
Uo Sr. chefe Barroso, a' independencia do Bra-
de voluntarios commandado pelo Dr. Pinheiro Gu- s|,
maraes, e mais o batalho Sautofecino D(3 Sr. capito-tenente Pinto, immediato do Ama-
Parece que com effe.to o general Flores leve a zom ao dia u de jaoho peIa nossa victoria Da.
pretengao de querer ser o commandante em chefe Val, de que foi here aquella chefe.
naquelia circumslancia, quando o tratado da tripll-1 Do Sr. Dr. Antunes, ao Ilustrado clero brasilei-
ce allianca claro a este respeito, e garante o com- ro niguamente representado pelo captao da fraga-
mando na hypothese de terem lugar as operages la fre| Antonio da Conceigo de Mana,
em nosso territorio, a um chefe nosso._ j Do Sr. padre-mestre, depois de urna breve allo-
Para mostrar quelle general que nao havia de- CU5i-l0 ao saCerdocio nao menos digno da medicina,
sar em sujeitar-se ao commando do barao de Porto
Alegre, o general Mitre, sem fazer questo de sua
to bem exercitado na esquadra, e all representa-
do pelos Srs. Dr. Claudio e Dr. Antunes.
posigo tambera de chefe de um estado, parti pa i Da Sr. chefe a- lrjp|jce a||,aaQa libertadora do
ra Lruguayanna, deixando, alem disso, o grande parauay
exercito sob o commando do marechal Osorioem-1 Do"Sr. 'capiao-tenente Pinto ao valente exercito
bora se ache nelle o general Gelly y Obes, militar brasileiro.
mu dslincto, e actual ministro da guerra. Ah Oo Sr. orone| Bruce a' distincta marioha impe-
se reconhece a grande delicadeza, e tino admiravel na|
do chefe da Confederagao Argentina. D'0 pra,ieo Bernardino ae Sr. chefe Barroso, pela
Tambem se afflgura aos le lores impacientes mui victoria do dia 11. Este brinde foi estrondosa-
demorada a expulsao dos imraigos do solo sagrado. meQte applaudido, e o chefe comraovdo respondeu I
da patria. .querauila parte tocava nella ao chefe dos pra-
Devenios ficar satisfeitos de poder contar quasi (jC0S
com certeza e*le facto, depois da agglomeragao Do Sr. capito lente Pinto ao Exra. Sr. viscon-
de lautos erros, cujas conseqaencias boje palpa-.'$e de Tamandar.
Iao.s- Do Sr. chefj agradecendo, no meio de estrondo-'
Mas nao ha razao par? ser pessimista nem para S03 vivas a esla jemonstraco de verdadeira esti-
Jamentar a nossa imprevidenca. E bera certo o ma de seus SUb9rdinados ao nosso almirante,
nfao que diz-que Dos escreve direito por linhas Por ultimo Sr cne Barroso elevou um brn-
torta?, e elle tem plena applicag.io as nossas cou-1 de a S. M. o Imperador, que foi vivamente corres-:
at' ,..... .ponddo.
Se Lpez soubesse que o Brasil e a Conederagao 0 banquete foi lauto e profu-o, e at os nossos i
Argentina se achavam preoarados para receber a oflj,.iaes tiveram nores para adornar a sua mesa.
aggressao de suas hordas de barbaros, ou nao nos E- ,rUle e peosa a pOJj5ao d0 chronlsta quando
declarara a guerra, ou se o fizesse, se collocana ,em de passar a narrag0 de um assuraplo alegre
na defensiva e nos esPerana era sea territorio cora para ou[ro que 0 sensibilisa.
um exercito formidavel pelo numero, que se pode- 0 bravo e dslincto 1 tenent: Alvaro Augusto!
na tornar excellente pelo tempo que Unha para se :de Carvalho, commandanto do vapor Ypiranga.l
instruir cora exercicios frequenies. poupado pelas balas nos gloriosos dias 11 de junho
Nossas tropas to.r.anam quarteis de mvejno, e e 12 de agosto, acaba de morrer no hospital de '
Buenos-Ayres no da 5 do correnle, no mesraodia
em que desembarcou naquelie porto de bordo do
paquete.
Perdeu a marinha um de seus mais esperangosos
estelos, e os seus collegas fiearam por isso mui af-
ilelo.-, porque o eslunavam muito.
Resta agora que o governo imperial ampare a
a viuva e tilhos deste joven ollkial de marinha, os
quaes resdem na provincia de Santa Camarina.
Tambara morreu o eservao de 2" classe Joao
Carlos Gouveia de Faria, embarcado no mesmo va-
por, e se presume que victima de urna alta dse de
. trtaro emtico que iiidependentemenle toraou sum I
consultar aos mdicos.
14 de setembro.
Chegou o fio va que nos traz que S. M, o Imperador no dia 3
eslava em S. Gabriel, com seus augustos genros, e
que no dia 8 chegara ao Algrete, de que se con-
jactara que no dia 10 estaria era Uruguayana.
Factos locaes nao os ha de ioteresse.
No theatro de Solis organsou-se um basar para .
: applicar-se o producto da venda do> objeclos alli'
reunidos ao auxilio de soldados orieniaes feridos
na guerra actual.
Morreu o destimdo coronel Fidelis. O Br asil
perdeu nelle um cidado que o honrava pela sua i
intrepidez e dedicagao.
ITtTERIOR.
IUO OE JANEIRO
14 de setembro
Euirou hontem de Montevideo com datas at 2
se prepararam para entrar em campanha de no-
vemhro em dame, que quando poderamos ter
reunido todos os elementos uecessarios para atacar
o inimigo em seus entnncheiramntos.
Elle, porm, eslava bem informado da nossa s-
tuaeo militar, e nao calcilava com os bros dos
Brasileiros, que de cada cidado tem feito um sol-
dado.
M.irchou, pos, com urna alfouteza que impoz.
Arou com sua phalange para distancias temera-
rias, e por um momento pareceu que se ia cons-
tituir o arbitro dos destinos do Rio da Prata.
') que succedeu, todos nos sabemos. Perlo de
20,000 paraguayos eto ja fura de combat", e o
carmino para Assumpgao nos esta' mais Irauco do
que nunca.
Isto poderemos marchar da mesma sorte em
novembro ; mas com um exercito aguerrido, vic-
torioso, enlhusiasmado, para encontrar 20,000 ini-
migos menos a comnaier dos melhores solJados do
despota, e um exercito enfraquecido, desmoralisa-
do, j meio vencido, portauto.
Por esta simples apreciago se pode reconli-icer
que nao temos perdido o lempo, gragas Iniciativa
do general Lpez, e que hoje nos achamos mais I
adiantados' do que poderamos prever, se elle se |
conservasse em sua casa, onde teriames de fazer- i
lite urna guerra leuta e de resultados ncertos. Pe-
lo menos teamos de entrar no Paraguay com
80,000 homens para ter esperanzas do xito.
Corre hoje que Sua Magestale o imperador'j
tinha chegado no da 8 do crrente l'ruguayanua
com 1,000 homens de iofantana, e que ueste mes-
mo dia se enconlrou com Sua MagestaJe o general
Mitre.
Outros dizera que foi Sua Alteza o Sr. conde
d'Eu que chegou com 6,000 homens.
O vapor lio da Pro/a que se espera depois de do corrunte, o patacho Jacuhy, cujo captao nos ob-
amanba nos dir ao corlo o que ha. jsequiou com as fulhas que Irazia.
Tambem se tem espalhado que o coronel Esti-1 Nao haviara alli chegado noticias da Uruguayana
garribia, nao obstante a briosa resposta que deu ; posteriores s que nos trouxeram os ltimos vapo-
mtimago do general Flores, recusando renderse, res; encontramos porm as folhas diversas des-
mandou depois saber que condgoes Ihe garanlam cripgoes da bataiha de Yatay a correspondencias
para urna captulago, e que Ihe foi respondido que do theatro da guerra, que embbra se refiram a suc-
aos otflcUes se concedera licenga para seguirem cessos j condecidos, ainda podem interessar pelas i
para onde quizess m, fican lo os soldados como pr-' particularidades que relatam.
sioneiros de guerra. I Transcrevemos alguraas, accrescentando apenas
Ser* craa loucura deste chefe resistir a forgas que era Montevideo se dizia que tiuha o general
to superiores que o rodeiam c que sao calculadas Flores dado aos Paraguayos na Uruguayana o pra-,
t>m 22,000 homens cqni 40 pegas de ariilharia so de 12 horas para se renderem. O ataque esla-
ralada, nao tendo elle mais do que 7,000 com 3 va fixado para o dia 23, o mao tempo que fazia po-,
percas. rm talvez obrigasse a deferido at 28.
Todos os correios que esle tem expedido para o A Tribuna transcreve do Nacional de Buenos-
general Lpez a para o general Barrios, que est Ayres urna carta que se diz escripia do exercito
em Corrientes, lem sido apaohados pelas nossas por pessoa de crdito, e na qoal se refere que Es-1
forgas, e deste modo impossivel que Ihe chegne tigarribia tinha levantado bandeira parlamentar na
soecurro de parte alguma. Uruguayana e enviado um parlamentario, propon-
Seria mesmo ama fortuna que o imbcil do ge- do tratar cora os chefes argentiaos e orientaes u)*
neral Barrios desprendesse urna columna de 10 a j nao com o brasileiro.
Campo da Victoria em Yatay, a 20 qudras da
! Restaurago, agosto 18 do 1863.Mea querido Ho-
racio. u primeiro brado da victoria te ter j
15,000 homens em soccorro deste, porque nesle
caso era outra forga para se bater em delalhe.
Cirreu igualmente ha dias a noticia de que urna
forga paraguaya, cujo numero nao se sabia ao cer-
to, hava invadido a provincia de Santa F, aira-
vessando o Paran na altura de Goya. Accrescen-
tava-se que o caudilho entre-riano Telmo Lpez vi-
cha testa deila.
Esta noticia fora irazda ao governalor de Santa
F por um indio do Chaco, e aquella a communi-
cou logo ao general D. Emilio Mitre, que marchou
in continenti para a frouteira com a forga que
tinha.
A provincia inteira se preparou com enthusias-
roo para repellir a invaso, e o governo nacional
expedio logo urna escuna corn armamento, munl-
c5es a aigumas pegas, que o que faltava, a quai
segu o rebocada pela nossa canhoneira oim-
temy.
A invaso pelo Chaco, porm, que seria urna
fortuna, nao foi mais do que urna bola dos federaos
que com ella exploraram alguma cousa a situacao.
chegado, pos com aatecipago sabia qne Eduardi
uho Flores seria o portador da feliz nova. Como!
este sempre acompanhou sea pai em todos os mo- ]
meatos da acgo, creio que poders ter dado noti-
das exaclissimas, pois elle assegarou-me que te
transmilliria os mais minuciosos promenores.
Anda que o general Flores enviasse ao governo
sua parle ouki.il, a qual creio que obters com fa-
clidade, quero todava dar-te alguns proraenores;
sobre o que presenciei no desempenbo do meu hu-
milde cargo neste feito d'armas, que far poca nos
annaes de nossas glorias militares.
No dia 16 s 2 horas da tarde, na occasio era
que passavamos a ponte de Capiquic, recebeu o
general urna parte do chefe da vanguarda, commu-
nicando-lhe que as forgas paraguayas em numero
de 4,500 a 5,000 homens sahiam da restaurago
cora direegao a nos.
O general raandou fazer alto a cerca de 20 qua
fizeram assim mesmo urna divereo irapedid i dras do passo, fazendo avaogar as artilharias ar-
que aquellas forgas marchassem para a Concordia gentlna e oriental at coroar urna alta eminencia
a se reunirera ao geoeral em chefe, como de- que tlnhamos vanguarda e onde estavam sita-
v.am
As circamslancias de estar Telmo Lpez frente
columna iovasora foi reconhecida inverosmil;
porque declarando o Indio que tinha visto aquella
gente suspeita no dia 16, apanhou-se um bombeiro cebido parte de que os Paraguayos retrocediam.
das nossas cavallarias queja tintura suas avanza-
das acerca de 30 quadras daquelle sitio.
O exercito argentino passava a ponte s 3 e s 4
acampavamos todos em consequencia de ter-se re-
Ao fazermos alto, nosso exercito persuadio-se que
era chegado o momento da peleja e proromperam
todos os corpos em enlhusiasticas accIamagSes,
desdobrando-se os estandartes ao som dos hymnos
argentino, brasileiro e oriental.
Kepm,poIies, morriones e bomas appareceram
todos as pontos das bayonetas.
A deciso de hontem correspondeu 20 enlhusias-
rao do dia anterior.
Hontem s 6 1/2 horas da manhaa rompemos a
marcha sobre a Restaurago, as 8 horas desabri-
rnos o inimigo que tinha reunido seas pelotoes
como a 20 quadras do povoado a por tras de urna
colina. Suas forgas de cavallaria achavara-se a
nossa direit 1, a alguma distancia ; sua infamara
nossa esquerda, ou para melhor dizer defronle do
centro de nosso exercito. A distancia entre am-
bas, quo sera de 6 a 7 quadras, era oceupada pelos
infantes oceultos e parapeitados as vallas das cha-
caras que livemos de atravessar at encontrarmos
o grosso do exercito.
! O coronel Pallejas fez carga com os 4 batalhSjs:
I Florida, 24 de abril, legiao de voluntarios e volun-
tarios da Libertad, ordenou que este ultimo se dis-
persasse em guerrilhas, oceupando urna distancia
igual que oceupava em columna cerrada, e guar-
dando as respectivas distancias os outros tres ba-
talnoes, que marchavam a 100 metros nossa re-
taguarda.
Ao chegar ao cirao da collina, ha um monlezinho
de laraogeiras, circundado de fossos, e oestes fos-
sos estavam agachados os Paraguayos em numero
consideravel, pon5ui foram vistos por urna peque-
a videta que mandei adiante, segundo rae orde-
nou o coronel Pallejas.
Chegamos nao obstante, estendidos em guerrilhas
at 11 ou 12 varas da borda da valla, onde os vo-
luntarios viram-se obngados a fazer alto, apesar de
terem ordem de seguir para diante ; iao forte era
o fogo que tiahara de solfrer. Porm obrigados os
soldados pelos offkiaes do corpo que collocararase
na vanguarda, carregaram a bayoneta, abandonan-
do os Paraguayos a valla e correndo era debanda
da a reunir-se ao grosso, na mesma occasio era
que os tres batalhoes a as proteeges de miabas
guerrilhas chegavam j misturados e a mrche-
marche, fazendo um fogo mortfero sobre a direita
a esquerda do inimigo.
O coronel Pallejas foi avisado de que a sua di-
reita em um vallo a protegida pela cavallaria,
achava-se urna emboscada com duzentos e tantos
homens, a qual foi acutilada, ficando o maior nu-
mero dentro da mesma valla.
Entretanto o centro, composto de tres batalnoes
brasileiros, e a esquerda da infamara argentina
apertava a infamara ioiraiga que era fuga segua
em direegao parallela sua cavallaria aperlada
tambem pela nossa. Em urna hora de luta a acgo
eslava j decidida, o campo eslava caberlo de ca-
dveres do inimigo, sua bagagem em nosso poder,
e um crescido numero de prsioneiros que monta
neste momento a 800 ou 1,000 homens.
O resto dos Paraguayos aperlados por todos os
lados, tratou de evadir-se por agua, conseguindo-o
mui poucos, pois o general havia antecipadamente
postado do outro lado urna diviso da cavallaria
para aprisionar todos os fugitivos, operagao esla
que produzio um muito feliz resultado.
o resto do exercito paraguayo pereceu.
O espectculo horrivel
A poslgo que tioham os Paraguayos para defen-
siva era formidavel; pelejaram com urna resoln-
go que pasma : a maior parle morreram, e o res-
to rendeu se. Eulre estes contase o chefe, major
Duarie, e varios cnefes e offlciaes.
O terreno tornava impossivel qualquer retirada,
pois achavam-se elles encerrados em urna como
enseada formada pelo Uruguay e o Yatav ; o cam
po de bataiha era um banhado.
A maior parte dos pri>iooelros foi destinada aos
corpos de infamara, os feridos conduzidos para os
hospitaes, onde reeebem lao esmerado tratamento
como os nossos.
Nos outros solTremos nao poucas perdas, meu ba-
talho tem nula e tantas baixas.
Tomaram-se todas as bandeiras paraguayas ; ao
batalho de voluntarios coube a honra de ter urna
tomada pela compauliia do intrpido lenle Tn-
fon Eslevan, e a qual foi apresenlada como penhor
de victoria ao general Flores.
Ti vemos feridos os coronis Fidelis e Mximo
Prez, e varios outros; captao Garcia, cunhado
do coronel Pallejas, e mui levemente o coronel Re-
gules.
Temos tambem a lamentar outras desgragas de
monta, porm nao quero ser eu o mensageiro de
tao faoestas novas.
Tenho muito que dizer-te, porm falta-mo tempo,
at para dizer minha familia que estou bora.
D immediata publicidade a esta : assim sabe-
ro todos os que tem interesse em saber que no
meio da embriaguez da victoria sei lembrar-me
del les.
Lembra me aos meus amigos. TeuCandido.
Neste momento sahem a conferenciar cora o Im-
perador do Brasil o coronel D. Bernab Magarinos
e o secretario do general Flore D. Julio de Herre-
ra.Vale.
Remetite urna porgao de objeclos lomados ao
inimigo, entre os quaes os ornamentos do capello,
que tambem est prisionelro. Aqui est tambera
o cirurgio, o qual foi destinado para o meu bata-
lho.
Neste momento marcho com o meu batalho de
guarmeo para a Restaurago.
Acampamento do Passo dos Livres, em 20 de
agosto de 1863.Querido amigo.Depois da mi-
nha ultima, em que tive o praier de communicar-
Ihe o nosso triumpho do Yatay, no qual perdeu o
inimigo os tres mil horaens que tinha nessa povoa-
go. O mais que preoecupa agora a attengo sao
s sete ou oito mil Paraguayos que flearam corta-
ram corlados na Uruguayana, bonita povoacao bra-
sileira que temos aqu na frente a vista e quasi
falla, pois o nosso acampamento est sobre a mar-
gem do Uruguay, e em frente do lado ou|||to se
ergue aquelle a urna milha pouco mais olenos
da nos.
Hontem enviou o general Flores ao campo ini-
migo, por meio do pequeo vapor brasileiro que
bloqueta a Uruguayana, urna communicagao a Es
tigarribia, que coramanda a forga paraguaya, inti-
mando de renderse, visto achar-se cortado, em paiz
inimigo, bloqueado pelo rio, por embarcagoes ini-
migas, sitiado n'uraa povoago deserta por 11,000
brasileiros, e tendo na frente deste lado quasi
igual numero de forgas argentinas e orientaes vic
toriosas, que podem passar em poucas horas; e
sabe o meu amigo o que acaba de responder o pe-
tulante chefe paraguayo ? que semelhantes pro-
posigoes nao se fazem a homens que como elles
sustentara a santa causa, lutando pela independen-
cia do Paraguay (como se alguem a atacasse) e pelo
equilibrio americano.
Disse finalmente ao general Fldres que passasse
as suas legies para aquelle lado aim de ter occa-
sio de provar-lhe que o soldado paraguay) sabe
morrer. Oh 1 se o sabemos. No dia 17 morriam
como verdadeiros aniraaes daranados ; a a culpa
dalles se preferem morrer a agazalhar-se sob o
amparo da huranidade, da civilisagao a da liberda-
de que se Ihes offerece.
O portador desta intimago foi um dos prsionei-
ros do dia 17, o tenente Zorrilla, que commandava
um batalho paraguay}. O infeliz ia nm pouco
receioso pela sorte que o esperava entre os seus
patricios, mas felizmente e com a-sombro de todos
que j o tinham por perdido, foi elle mesmo que
voltou com a resposta que lha redro. E' positivo
que j anteriormente se nos havia assegurado qne
esle chefe paraguayo (Estlgarribia) era o melhor
hornera e o mais instruido do exercito inimigo.
Em consequencia, pois, da teima do inimigo,
que, nao obstante ver se absolutamente perdido e
sem a menor esperaoga d< salvago, recusa entre-
gar as armas, esta mesma noite principia a passa-
gera do nosso exercito que terminara amanhaa.
Veremos se, quando o Estigarnbia se vir cerca-
do por 20,000 homens e 40 canhdes, pensar do
mesmo modo que hoje que estaraos separados pelo
Uruguay.
Como as forgas brasilelras tirarara ao inimigo
todos os gneros, nestes ltimos dias tiveram de
comer os bois das suas carretas. Foi assim que
hontem se nos ofereceu o espectculo do incendio
das mesmas, sem duvida "carregadas tambem de
alguma plvora, vista das repentinas e gigantes-
cas columnas de fumo que levantaram.
Esta operaco e o (acto de se ter elle movido
com toda a sua columna at urna legua cima da
povoago fez nos acreditar que emprehendia urna
I retirada, que Ihe seria tao desastrosa quanto im-
possivel ; porm fez logo alto, e disparou uns ses-
senta tiros de pega para urna extensa linha de ca-
vallaria brasileira que Ihe poz ao flanco.
Julgamos que as suas balas nao alcangavam, por
isso que os Brasileiros ficavara a p e immoveis.
Hoje desde o amanhecer appareceram os Para-
guayos na extrema esquerda da povoago, onde fi-
earam at a noite, parecemto oceupados em cons-
truir aigumas obras de forlficago.
Neste momento ( oito horas da noite ) da riban-
ceira, de onde Ihe escrevo, avistam-se, alera dos fo-
(tos do acampamento do ioimigo, qdatro immensas
fogueiras mui perto de-te, e quiga' coro>o fim de
alumiar as obras de defea que esto construindo.
Para estas fogueiras prestaran) indubitavelmenle
um bom contingente os trastes e madeiras das
casas, pois por mero divertimeoto quelmaram na
Uruguayana at os pianos, e nem pouparam o pa-
pel das paredes.
Hoje mesmo fui com alguns amigos visitar a pe-
quena povoago dos Livros ou Restaurago, porm.
causa verdadeira afRicgo a tristeza de toda ella e
o brbaro destroco que o inimigo fez as diversas
casas. Vimos urna mui bonita em que, nao se ten-
do fartado de saquear e de despedagar desde as
portas e ledos al aos mais velhos e insignificantes
movis, profanaran] talvez a reliquia de alguma ter-
na mi, um pequeo alade que encerrava o cada-
ver de urna crianga, cujos restos encontramos es-
parsos nos quarlos e no pateo.
Erafirn, todas as casas contribuirn!, no todo ou
em parte, conforma o seu material se prestava, pa-
ra as fogueiras dos acampamentos paraguayos. E
se faziam isto aqui, onde procurara proselylos, o
que noestaro fazendo na Uruguayana, paiz Intel-
ramento inimigo, e onde nao enconlraram um s
habitante ?
Entre os objeclos tomados ao inimigo cahio tam-
bem o diario da campanha, que cada chefe para-
guayo tem ordem do supremo para apresentar da
marieira a mais prolixa.
O presente, que do commandante Duarte, e no
qual se achara insertas as communicag5es detalha-
das e quasi diarias, que enviava ao tyranno da As-
sumpgo, revela da maneira mais evidente o isola-
raenlo em que se acha o inimigo nesta provincia,
cujos habitantes Ihe sao absolutamente hostis, o
que naturalmente Ihe produz frequentes contrtem-
eos.
Das nos-as perdas nada tenho que accrescentar
ao que Ihe disse na minha anterior, antes, pelo
contrario, posso assegurar-lhe que os nossos pou-
cos feridos vo muito bem no seu curativo. Do
inimigo ha uns 400 feridos. 1,600 prisioneiros e o
resto morios. 4ff
Al outra occasio. SainFo o amigo BaUkatar.
Acampamento na costa do Sauce, a duas mi'has
i Uruguayana, em 23 de agosto de 1863. Meu
querido Horacio.Pela ra de Colon sahimos para
embarcar em Montevideo; pela ra de Colon en-
tramos na Restaurago, e pela mesma ra subimos
para embarcar e passar pira esle lado Ah I quan
do querer Dos que entremos de volta pela ra de
Colon de Montevideo para nunca mais tornarmos a
sahirl
Desde honiem de manhaa est a infamara orien-
tal pisando territorio brasileiro.
As brigadas argentinas e brasileiras anda estao
effecluando a passagem, e pens que por todo o dia
de hoje estar o exercito reunido desie lado para
amania comegar a hostilisar o Inimigo, que se es-
t entrincheirando na praga.
Esle entrncheiraraento con-iste em um fossq e |
um parapeito de lijlo que crcumvatla a povoago. I
Nao creio que os Paraguayos possara sustentar-
se urna hora com semelhantes elementos de resis-
tencia.
Tara cinco pegas de 4 e de pessiraa qualidade,
o seu alcanc limitadissimo.
O ataque era simultaneo, pois a esquadrilha, de
combinagao com as forgas lerrestres, effectuar o
bombardeameulo e far'um desembarque sobre o
proprio porto.
Envo te a resposta que deu Estigarriba pro-
posta da capitulacao que Ihe fez o general:
Est cheia de dignidade e faz honra ao hornera,
por abominavel qua seja a causa que defenda.
0 general facililou-ra'a para que l'a enve e a
publiques:
c Viya a repblica do Paraguay I
O commandante em chefe da diviso para-
guaya era operag5es sobre o rio Uruguay.
c Qnartel-geueral em marcha, Uruguayana,
agosto, 20 de 1865.
Sr. general em chefe brlgadero D. Venancio
Flores.
Hontem, noite, bem tarde, recebi a ola da-
tada desse da, e que nao foi entregue pelo tenente
prisioneiro Jos Sorrilla, que entregar V. Exc.
esta minha resposta.
< Li attentamecte a citada nota, afira de respon-
der-lhe como deve o militar de honra a quem o su-
premo governo da sua patria contia nm posto deli-
cado. E em consequencia devo declar V- Exc.
que, como Paraguayo, como militar t como solda-
do que defende a causa das insiiluicoes, da inde-
pendencia da sua patria, e cujo governo est resol-
vi do a raanter a todo o transe a integridade das re-
publicas do Prata e seu equilibrio, nao posso, nem
devo acceitar as proposiges de V. Exc.
Ainaa suppondo que, como V. Exc. diz na sua
nota que respondo, estou perdido e nao devo es-
perar proteegao do3 exercitos do Paraguay, a hon-
ra e a obediencia s ordens do supremo governo da
minha patria, mandam-raa antes morrer que entre-
gar as armas que nos copliou S. Exc. o marechal
presidente da Repblica, para defender os sagra-
dos direitos de to nobre causa contra um inimigo
estrangeiro.
e Os chefes, offlciaes e a tropa da diviso que
commando, sao do mea mesmo modo de pensar, e
eslo decididos a suecumbir todos no campo antes,
do que acceitar urna proposta que deshonrara e
eneberia de eterna infamia o nome do soldado pa-
raguayo. Contente com a posigo modesta que oc-
cupo no meu paiz, nao quero honras nem glorias,
qua seriara adquiridas cusa da minha patria e
cora proveito de alguns desbragados Paraguayos,
votados ao servgo da conquista estrangeira.
1 Como eu, toda a diviso do meu commando
suspiram pelo momento de provar a' V. Exc. que o
soldado paraguayo nem coma o numero dos seas
inimigos, nem to pouco transige com elles, quando
defende to nobres e caros direitos.
< Dos guarde a V. Exc. muitos annos. Anto-
nio Estegarriina. f
Se o Sr. Eslegarribia sustentar as suas convic-
goes com igual energa at o momento em que os
nossos canhOes o metralharem a' faria, e perecer,
sera um hroe inmolado ao capricho do despotis- anda
mo, e eu sere o primeiro a fazer-lhe a apotheose.
Anie-hontem chegoa a esle campo o Sr. barao
ae I orto-Alegre, que vem tomar o commando de
se podem encontrar pormenores inters
sanies :
Restaurago, 29 de agosto de I83. Meu
querido Horacio.Agora mesmo acabo de deseni-
oulro lado s coas
m, pondo termo as desavencas e inimizad** mendo-te que fegas por elle o que fa7.a. p.,r|raim.
ja'p 2! 5niileiras 'lentes na provincia, barrar nesta povoacao. Vira do
urna SLSla 9U e*ftrCil b-rasileiro livesse a ida de embarcar alguos dos
Uma cabegaque dingisse a SUa ar-cJIo nara nm mi. rfmrom runn;. .. /r....... ... ._.!
pondo termo a's desavengas e inimizades
pessoaes, que tem entorpecido as suas operagoes
e tornado impotente uma torca que s por si, bem
combinada, tera bastado para servir de dique ao
transborda ment dos invasores.
O imperador achava-se lia cinco das em S. Ga-
briel, a emeoenta leguas deste campo.
E mu provavel que os offlciaes enviados pelo
i>r. general o tenham encontrado na data desta, e
que em poucos dias estejam aqu.
Hontem a' tarde chegou um estfela do general
Hornos, que se acha deste lado do rio Corrientes
sobre a cosa, conservando uma dvisao de 400 ho-
mens do outro lado. Os Paraguayos estavam a
leguas do mesmo rio.
Ordenou o general que os mais feridos tiquean
aqu ate outrs opporiunidade.
Ha quatro correios que nao recebo correspon-
dencia tua, nem sequr Joruaes ; isto fazme pre-
sumir que, embriagado cora o enlbusiasmo do
triumpho, esqueceste-le de mim, o que me lem
custado a crer..
Nao ha absolutamente cousa de importancia ;
as noticias concernentes aos aconteeim ilos que se
joassara no Paran devem ter chapa ao leu eo-
nhecimente ha mais tempo.
nesde que nos pozemes defronle da Uruguaya-
) na nao se deu o menor incidente.
. O alaqoe, qoa
Fsta oflnta .ii itV., t .>. juiguei elfecluar-se no dia inmediato ao nosso des-
* da njf LuSuayna esta tao perdida como embarque, tem >do demorado
a da ReUaragao, Horacio. de esperar-se a
Vou crendo que a campanha do Paraguay nao
sera tao longa, corao me pareca antes de eome-
gada.
Melhor; mais vale enganarmo nos a favor do
que contra.
Teu, etc.Candrfo Buslamanle.
Acampamento no Passo dos Llvro?, agosto, 2i de
18oo_ Querido amigo. Pouco tem variado a si-
tuagao depois da minha ultima carta. Nao obstan-
te, com a opportunidade que nos offerece a sahida
o Victoria, na madrugada de amanhaa, aggrega-
rei este appendce a' minha anterior.
Os
ero consequencia
prxima chegada do Imperador,
pue traz novos couliogenles de infaman 1.
Acredita o general que, augroenudis as nos-
sas forgas, o chefe inimigo coroprehendi-ra quanto
tem de crilica a sua posigo e proceder rasoavel-
mente, evitando o derrarnamenlo de >aogue. Ouvi
que est disposlo a mandar da novo outra missio
a Estigarribia, que s resiste a aceitar :.s bases de
uma captulago honrosa, por causa das sugges-
toes do captllo do exercito, prente e lavonlo de
Lpez.
O vapor de espigao laqnary approximou-se
hontem da Uruguayana, e disparou algo os tiros de
bw n exercito ao mando dos generaes bala de artilharia contra as trincheiras immigas.
riorcs e l aunero estao ja na outra margem, fal- Estas trincheirai foram construidas pelo exer-
tando so a esle ultimo passar a sua artilharia (urna cito brasileiro antes de evacuar a pov..aco os
P KAq"*I,Ta .am1anIlaa- Paraguayos nao fizeram mais do quiltrear mais
loda a cavallaria deste exercito da vanguarda e fu idas as vallas,
um batalho de guarda nacional correntino ficam t Posto que sitiados, os Paraguayos tem immen-
nesta povoago assim como as ambulancias, baga- sa quantidade de vveres que os Brasileiros nao
gens e cavalhadas, de maneira que s passou a in- poderam estragar por falta de lempo. Casiam es-
pantara e artilharia que, reunidas a's forgas bra- tas provisoes de 10,000 quinlaes de bolaeba. e cr-
leirasso ocommando em chefe do marechal ba- ca de 8,000 quinlaes de farinha, alm de iOOOar-
rao de I orto-Alegre, formam um total de 15,000 robas de toucnho e outras inuitas proaiaa, de
?eln?- de que nao me record agora. Para venc-los a fo-
ai e o exercito que neste momento se encontra me, seria preciso gastar algura lempo,
a rnea legua de Lrugayana e cora suas avangadas Construiram duas pequeas baleras, orna aa
a.,? T.aCai- allura o cemleno, mas ura tanto d.staoie, e outra
Antes de tres das deve estreilar-se o sitio e prximo do porto. Estas bateras poderio resistir
principiar o bombardeamento por trra com 40 meta hora ao fogo da nosso artilharia.
nocas de fogo e pelo rio por duas canhoneiras que Aqui chegou o mm z-im de uma censpiraco
tem pegas ate 32. ; tramada pelos blaneos, e que devia re oenur 'em
Com taes elementos, ja pode calcularse a resis-: varios pontos da repblica. Semore me r dos el-
irao os 7 ou 8,000 Paraguayos encer- feitos que ha de produzir semelhante rompiraeo ;
rados na Uruguayana, por mais que, como fazem,
trabalhera dia e noite sra levantar trincheiras com
o material das casas que destruiram.
Se o nosso exercito tivesse a menor pressa em
render estes Paraguayos, poderia eu assegurar-
lhe que a saa resistencia durara tanto como o
nosso primeiro ataque, porm como parece que
predomina a mui justa Ida de fazer valer com
mas anda mais me ri depois da feslanga de 17.
Posteriormente soube (nndo-me tambem) que a
tormenta fui desabar sobre a typographia da Ri-
fon a Pacifica.
< Os Paraguayos baviam-lhe promellido que
apenas pisassem no Sallo,o Estado Oneual se de-
clarara alijado delies ; consequeolemenle quan i o
looc diseeram que eram Uriunlaes as bandeiras
prefeieOcia a immensa superoridade da nossa ar- dos nossos batalh'es nao quizeram acreditar, pen-
Ulharia sem expor nossos cagadores a serem disi- sando que os Orientaes eram seus alliadoi.
raados por detraz das trincheiras, orovavel que
o sitio dure mais algum lempo. Isto se antes a
fome que ja principia a affligr o inimigo, e a cer-
teza de sua irremissivel perda, nao o obrigarem a
render-se como muitos acreditam.
tsquecia-me dizer-lhe que os sitiados tem tam-
bem cinco pecas de artilharia ; mas como o cali-
bre dellas de 3 e 4, poucas sero as que hao de
alcangar as posigSes das nossas.
Ha j bastantes das que sabemos que o inimigo
lem a sua tropa a meia ragoum punhado de
farinha o quic um caldo de ravallos mumias que
anda conservara comendo o musgo das casas em
que os tem encerrado-.
Adeos, nao ha tempo para mais. -Seu, Baltasar.
O almirante viScoode de Tamandar, diz a Tri-
buna, tinha subido para a Urnguavna com duas
canhoneiras.
O offlcial D. Julio Herrera, enviado pelo general
Flores a S. II. o Imperador com a noticia da vicio-
o Nao esl mao modo de inculcar se nosso alija-
do no nosso dia 17 t....
< A flolilba brasileira, que era esperada do Sal-
to, nao chegou, nem provavel que ebegue, por-
que o rio baixa coo-ideravelmenle.
t Esse porto ja' lem outro aspecto ; ha raais de
trila embarcagoes, que ch-garam berr prvidas
de artlgOS de sort ment geral. A povoago ja' rao;-
tra tambera outra disposigo.
O tempo lera eslado fro e chuvoso, succeden-
do-se os lemioraes.
Vejo que voces devem ter Picado inteirados
dos pormenores do dia 17 pela parle do general
Paunero.
Esqueceu me dizer-te que os Paraguayos
queimaram aigumas casas ; todas as que elles jut-
gam que pdem servir para fortifiearem-sa nos su-
burbios.
Portes divisoes de cavallsria segniram hoja
teem ordem de levar
rages at Itapua, a rauilas leguas
a s. M. o Imperador com a noticia da vicio-; com direccao a Aguapey, e
ra do Yatay leven tambem de presente a Sua Ma-' soaa exul rages at" Itapua,
gestado uma bandeira paraguaya "
talho de volunlarios orientaes*.
Do lado do Paran chega-nos em primeiro lugar
a noticia de haverem nos*as forgas de Mato-Gros-
so reoecupadoCorumb, Coimbra' e Miranda, o que
obrigou toda a esquadra paraguaya a subir o rio.
Esta noticia diz-se irazida por tres individuos
que fgidos de Corrientes passaram pelo Chaco se-
gurado os riachos que vem desaguar no Paran
tomada pelo ba- d'aqui.
Almocei hoje a bordo do vapor l'niji. iy, cer-
cado de copsideravol numero de amigos.
Ao concluir as minhas cartas sempre inclu
lembrangas minhas ; agora rogo-te que nao des
lembraugas minhas a pessoa alguma, isto que
ninguem, nem mesmo tu', se tem lestfbrado da
mim.
E nao sera' muito que o meu rescnmenu
abaixo dos pontos oceupados pelos Paraguayos, chegue at ao extremo de nao escrever-le nem mais
No computo das torcas brasileiras restauradoras,
avahadas em 20,000 homens, houve decididamente
engano, esperemos porm que no fundo possa ser
exacta a noticia, ao menos em parte.
A nossa esquadra do Paran (cava anda no
Rincn de Soto.
Os generaes correnlinos Caceres e Hornos, com
uns 3,000 homens, ficavam sobre o rio Corrientes.
Os Paraguayos estendiamse por differentes acam-
pamentos ao longo do Paran at abaixo de Bella-
Vista, e nao se sabia da columna nenhuma desta-
cada para o rio Uruguay.
8egundo a Esperanza de Gova, o coronel argen-
tino Ocampo bateu a 17 uma'torga de 56 Para-
guayos, matando 41 e fazendo 15 prisioneiros, de
modo que nao escapou ura s inimigo. Um offl-
cial aprisionado declarou que o exercito para-
guayo, composto de 14,000 homens, achava-se na
es.ancia de Quevedo sobre o Santa Lucia.
O exercito entreriaoo nao eslava anda prompto
por falta de cavados, e dizia-se que o general Ur-
quiza tinha recebido ordem de Mitre para sobre-
estar na reunio das suas forgas at a segunda
ordem.
Das repblicas do Pacifico temos tambera ai-
gumas noticias.
No Chile o congresso approvou a le da liberdade
dos cultos religiosos.
No Per formou-se novo ministerio, tendo re-
nunciado o general Vivanco a pasta da guerra, e o
presidente Pezet assumindo o commando do exer-
cito contra a letra expressa da conslituigo, pro-
clamou-se dictador de facto. Todo o seu exercito
estava concentrado era Lima e Cpllo, e o coronel
Prado, cabega do revolugo, oceupava o deparla-
mento de Junn, com mais de 16,003 homens. A
corveta Union chegando a Arica, entregou-se aos
revolucionarlos.
17-
Eotrou do Rio da Prata e porlos do sul do im-
perio o vapor Brasil.
De Montevideo temos folhas at 8 do correte.
Acabava de chegar alli o Rio de la Plata, proce-
dente do Uruguay e Buanos-Ayres. Apertava-se
cada vez mais o sitio da Uruguayana, mas at o
da 3 nao se tinba dado o ataque. A este respeito
diz o Syglo :
t Al 3 nao se tinha tentado o ataque contra a
U ruguayana, porque se resolveu fazer aos sitiado
segunda e ultima intimago. Para isto reuniram-
se em conselho de guerra os generaes Flores e
Paunero, almirante Tamandar e o baro de Por-
to-Alegre.
c As condgoes que se referem sao as segra-
les :
t Deixar sabir livres com as honras da guerra
o chefe Estigarribia com todo o seu estado-malor e
offlciaes, ficando prisioneira de guerra toda a tro-
pa, e eniregando-se iodos os petrecbos, vveres,
etc., existentes na Uruguayana. Se estas condgoes
nao forem aceitas, principiar o ataque.
A Tribuna publica as seguales cartas em que
uma linha, sem que por isso dei'xe de ser sempre
leaCandido Bustamante.
Restaorago, 30 de agosto de 1865.UVa que-
rido Horacio.Hontem escrevi-te por Leopoldo Ar-
tea.'a que prometleu-rae entregarle proroptamenie
a minha correspondencia assim que cnegasse.
< Embora nada occorresse desde enlto, como
prevejo a anciedade de voces por saber mais algu-
ma cousa do ibeatro da guerra, escrevo-le apra-
veitindo a partida do Victoria.
< Mais pormenores a respeito do dia 17 uo te
darei agora nem depois. Creio qne com a parte do
general Paunero teem voces de sobra para que fl-
quera intelrados e dera-se por salisfeitos.
t Nao ha novidade alguma, nem havera' por
muitos dias, por quanto parece que prorozou-se o
prazo para o ataque.
Supponho todava que a' ultima hora, a Uru-
guayana lera' sido tomada por voces varas vezar,
e felicto-os pelo novo irumpho qne alcangarana,
eiuhora isso pouco ou nada me satisfaga, pois que
nao evitara' que tenhamos nos de lo na-la de
novo.
< O general Paunero se encarregara' de mandar
enlo a sua parle offlcial minuciosa, exacta, ver-
dica, incontestavel.
< Vejo que lens pouco presentes as datas e as
distancias do lempo em que occorreram alguns
acootecimentos.
Dizes na Tribuna que em 22 de agosto com-
pletaram-se dous mezes que o batalho voluntario
sahio de Montevideo.
f Ests era erro : em 21 de agosto, quatro dias
depois da bataiha, fez ura mez justo, exacto, ver-
dico, incontestavel (nao tanto, todava, como a
parle do general Paunero) que deixamos Monte-
video.
c Anda nao chegou o imperador, mas de es-
perar que chegue. Parece que en to bavera' gran-
des cousas. Hei de inteirar-te de ludo.
A esquadra brasileira anda nao appareceu ;
trata de dar-me aigumas noticias della, pois aqui
estamos oells nolis.
Tenciono ficar aqni al amanhaa, goz;.ndo das
muitas commodidades que se podem desfrutar
nesta Restaurago, que cumpre restaurar.
A sade val bem, e o humor ainda m:lbor do
que a sade, como ja' leras visto por esta carta.
Estamos bem... salisfeitos com os elementos;
os fornecedores continuara como al aqni. com a
sua carnezita cansadita e magrita, embora o ge
ral Paunero nao o diga na sua parte.
Que se la coma l, corao dizia Alvano.
t E' o peior inimigo que lemos (fallo da cana
magra, e nao de Paunero, nem de Alvano),porque,
corao sabes, diz o calhecismo que o dea onio e o
mundo podemos expel ir de nos, porm cora a car-
ne nao vejo que do mesmo modo possa ex proce-
der, porque com ella iriam para o Infere) os for-
necedores Vidal e Ribas.Teu, Candido. >
Em frente da Uruguayana, 2 de setembro da
1865.Meu querido Horacio.Nao tenho nono
tempo para escrever-le, mas qnwo faze-lo. aluda




~x


biario de Peraambne Segunda lelra de Outubro de AS*-
"
que seja i correr. Occupemos o mesmo acampa-1
renlo que no primeiro da.
t Nao ha nada de novo. .
c Houve boj* um conselho dos ctefes. U ai ju-
rante Tamaudarc volta para ahi, eoporudor
desta carta.
t Parece que resolverse deQnilivameraie adiar
o ataque por alguns dias.
c Mandou-se ao chefe E-ligarribia -ama nota as-
signada pelos generacs Flores, Marques (barao de
Porto-Alegre), Tamandar e Paunero, fazendo-lhes
propostas honrosas. Isto foi feto por iniciativa de
alguns dos sitiados. Aiimenta-se a esperanga de
que aquella gecte se cheguo a' razo e nao se sa-
crifique estrilmente.
i Houve, tioje algumas guerrilhas sem maiores
resultados.
''' a urna primeira utimagao que se na^ entrega-
rla, mandou depois um emissano a F'.ores pediudo
que Ihe indicasse as condgdes que impunha no ca-
so de render-se"o sen exercito.
O general Flores respon.dea-lhe que a nnica
garanta que Ihe poda ofterecer, era' a da conser-
vagao da vida de seas soldados e que Ihe conceda
ura praro de 24 horas somente para decidr-se.
< O chefe inimigo contestou ainda que nao pu-
nha duvida em aceitar essas condlc5es por dura
que parecessem, mas que desejava para isso en-
tenderse pessoalmente com elle mesmo general
Flores.
Este mandn enio com poderes precisos e
em seu lagar ao coronel Nicacio Borges.
c Nessa mesma occasio, porm, seguiram para
ca' o coronel Magarinos e secretario Obes, com
a
t O general Castro- escreve de oito leguas de ] sua comitiva, pelos quaes soubemos aqu desles
distancia, commuuicando que vai persegutndo di-' pormenores.
guns fugitivos. Mas a vista delles nao podo haver duvida al
* guma que a esla hora cstA o etercito paraguayo
desarmado e portanto nosso prisioneiro. Da seu
amigo Adolpho Penha.
raiiiripa tambem que existem cerca de 1,000
paraguayos espalhades por differentes pentos.
t Esto perdidos.
Sao inauditas as atrocidades commuidas peles
Paraguayos.
cito era frente a Uruguayana at o 1." do correte,
trazidas pelo capilo Jos Mariano de O.lveira.
t O Sr. conselheiro baro de Porto-Alegre resol-
veu, era conselho des offlciaes getteraesj atacar o
inimigo no dia 7 de seterabro.
t Diz o capillo Mariano que o bosSo exercito
tem mais de 20,000 homens das tres'armas; que
o sitio dos inimigos estava aperladsimo ; que
Urngnayana soffra raartos estragos e que a deser-
gao paraguaya era em grande escala.
i O batalhao de voluntarlos da eidade do Bag,
para o qual foi nomeado major co:r.mandanie o Sr.
eapitao Tranquilino Augusto Velloso, recebeu a
denominago 3, e no da 8 seguio para S. Gabriel
depois da ceremonia da benco da bandeira, offer-
lada ao batalho pelos subditos porlaguezes, cere-
monia que nos dizem foi solemne, pronunciando
por essa occasio discursos anlogos, frente do
batalhao, o Rcv. vigario Gandido Lucio, o Dr. juz
de dirtrito Trigo de Loureiro,-Dr. jnz municipal
Tertuliano, capilo da guarda nacional Feliciano
Antonio de Moraes e o lenle Dezuzar.
Teosos alimentar a parda de um sol'jlM|oao7., 0 ent;0 cor.iprehendera quanto deve o Imperio do
batalnode oaulariae dehaverem _,,^0 [tridos e, Brasil e seas adiados esperar do soldado para-
contusos um tenente do 3. corpo c d voluntarios e guayo, que sabe morrer com gloria ao lado de sua
13 pragas de prel dos corpos da nri^adapcomo V. I bandeira mas sem render-se.
Ese. ver da relago junta ; e d-4 de mais torga t Deus gaarde a V. Eic. Antonio Esligar-
alliada, 60 morios e 150 ferido* e contusos, entre \ rebta.t
elles 0 coronel Fideiis, ferino na cxa direita, o o O Rotulador de Pelotas diz ter all chegado em
coronel comraandante dd Fintee Quatro de Abril, commisso do seu cargo o secretario da presiden-
em urna mo, bem co'no a raorte do ajudante do ca Dr. Padua Fleury, e ser esperado a todo o m-
raosme batalhao.
c Os offlciaes do estado maior desta brigada per-
manecern ero seus lugares e cumprlram seas de-
veres ; e o major de commisso, assslente do di-
putado do ajudante general, Joio Neporauceno da
ment a' frente de numerosa reuniao o coronel Ma-
noel Lucas de Oliveira.
L-se no Commerctat :
No dia 10 do corrate o 3o corpo provisorio
do coramando do tenente-coronel Jos de Gastro
Meu prezado amigo D. Apparicio.S. Gabriel
j 28 de agosto. Acabo de chegar da Restaurago,
"Forara tomados ofidios de Estigarribia dirig- em commisso do general Flores ao Imperador que
s a Barrios, pediudo auxilio e noticiando e de- esta' em caminho de Cacapava para onde sigo.
* Como ha proporcao nao quero deixar de ter o
sastre de 17.
t Nada mais occorre. Adeus.Candido.
t Foi tomada por nossas torcas urna partida de
seis homens, um efflcial e um <;aqueano (dorrenti-
no) que sahio de ruguavana julgando escapar a
vigilancia das nossas avangadas. O official deca-
rou que ia a Humayi pedir reforgo em uome de
Esiigarribia, porque a sua posigo era multo gra
gosto de sauda-lo.
t Ja' sabera' que a 17 do crreme, derrotamos
completamente os Paraguayos que estavam do os-
tro lado do Uruguay, naResiaurago. ao mando do
major uarte, e os quaes erara 3,060 o lanos ho-
mens; ficande morios 1,700 prisioneiros 1,56-3, e
perdeudo nos 80 homens morios e 200 feridos, ti-
Silva, muito me coadjuvou, fatendo com promplt-1 Aatiqueira levanteu acompamento do lagar em que jamis com o sen governo
Em virlude das considerago-s exposUs e 4e
haver chegado ao conhecimento do que a asMgoan
que individuos de guarnicao dessa praca tetra mos-
trado a ouiros desle exercito, o sea desojo do eo-
nhecer por escrlpto as bases da convenio qoe
proporiamos aos sitiados, redlgintos as qoe r>n<-
lam da carta junta, tambem por nos a*ipna)a, e
que juntamos para seu conheciment. V. Ecx. ad-
vertir que Ihe offrecemos as eondicoe* m.i-s boa-
rosas que se costomam conceder entre nagoes ei-
vilisadas ; porm deve persuadirle que eMe pro-
cedimento da nossa parte ama prova mais dos
sentimentos que nos animam a respeito dos rida-
dos paraguayos a quum nao podemos confundir
do reunir aos corpos as pracas qae de momento se acnava, e consta-nos que hontetn cava acampa
Be arara na retaguarda pela difficuldade das passa [ do no Passo das Pedras.
gens em vallas e banhados, e no centro da liulia
de fogo reconheci seu sangue fro e valor no com-
bate, e por isso o julgo digno das alineles de V.
Exc.Acampamento do coramando da 12.' briga-
da, junio villa da Keslauracao, 18 de agosto de
E', pois, mais um corpo da valentes Rio Gran-
denses que vai incorporar-so ao exercilo de opera-
goes na provincia ; o Deus da guerra o conduza a
victoria.
Hontera 12, seguio para Jaguarao o vapor
Deus guarde a V. Exc. mnilos annos.Venan-
cio Flores.Vizconde de Tamar dar.Baro de
Pjrto Alegre.Wenceslao Paunero.
Bases do conven o.
Os representamos do exerro alliadn da van-
guarda, brigadeiro general I). Venancio Flores, in-
vernador provisorio da Repblica OrieBial do Urii-
No dia 4 seguir tambem de Bag para S. Ga- 1865.Illm. e Exm. Sr. general Manoel Luiz Qio- Gaarany, levaudo a seu bordo o major Jos Tho- guay e comraandanie era ch*-fe do exercito alliado
rio, commandante em chefe do exercito.Joaqun
Rodrigues Coelho Kelly, tenente coronel cjraman-
dante.
Na mesma ordem do dia foi declarado que flea-
vam desligados do exercito e destituidos dos pos-
maz Leilao cora ura contingente de trinta e tanta.-
pragas pertencentes ao 2C corpo.
t Por ierra seguio o capilo Justo com sete pra-
gas para o mesmo destino.
t Seguio hontem, 13, para acampar no Rinco
ve e julgava perecer. O vequeano foi fusilado por j cando tambera prisioneiro o chefe paraguayo,
traidor. O official e os soldados foram postos em A torga paraguaya na L'ruguayana com o co-
liberdade mas tanlo um corno outres declararara roncl Esiigarribu, forte de 7,080 homens, deve lil-
ao general Flores que desejavam servir no exer- vw-fjja'' rendido; pois a nossa sahida das mme-
cito alliado, e pedirn, armas e aliftamento. dragoes de Uruguayana ficava o chefe inimigo era
Referi tambem esle official que Esiigarribia es-(tratados com o nosso general,
tava disposto a capitular deaecordo cora os Orien-j @ coronel Nicacio Borges, havia sido commis-
tas que servem seb suas ordens, mas que. o obsli- sionado para esso effeito, havendo contestado Esti-
nado em nao render-se em o jesuta uarte, que' garrabia ao general Flores, com quera quera en
acompanhaa columna munido de poderes mui es-: tender-se.
peciaes
Accresccnia a ja' rilada Tribuna :
x Urna pessoa bem informada nos communica o
seguinte
Os Paraguayos estavao sitiados por 20,000 ho-
mens e nao buhara que comer havia ja' quatro
das.
Sei que o Imperador vera com 14,000 homens,
Afumas correspondencias do exercito da van-: sendo 6,009 de infaniaria, e que vao reforgar o ex
uardaalfirinam terem as (ropas brasileiras aban- ercita da vanguarda do general Flores, os quaes,
donado com tmprectdmeta um colossal deposito de reunidos cora as forgas brasileiras da Uruguayana,
farinha, bolacha, looeinho, etc. Ha engao nisto. faro um total de 2G a 2$ mil homens.
As tropas brasileiras nao deixaram em Ura- t Tendo outro tanlo o general Mitre, 10,000_ o
cuyana viveres de qualidadealguma.O quealli po- general Flores e os correnliuos 6,000, formara'o
deria ter sido achado, por ser a nica cousa que grande exercilo alliado urna torga imponente de
exislia, erara alguns rentos de saceos de farinha, 68,000 homens.
orna poreao dii'bolai+.a e algum tabaco de rolo, Com esse exercito iremos a Assumpgo liber-
vertencctes a negociantes, que nao puderam leva- lar o Paraguay de seu tyranno. Bem depressa le-
los com o mais que foi salvo, por falla de trans- ra' isso lugar, porque o exercito alliado e inyenci-
portes Aliviaos e terrestres. ve I por seu poder, disciplina, valor e enthusiasmo.
c Ura fado mostra quo errneas sao as infor- De seu amigo e patricio.di-rnab Magarinos.
magoes mandabas pelos correspondentes : falla-se < P. S.Urna carta que recebemos douosso ex-
era 3,000 arrobas de toucinho. Para que existira ereito alera do Uruguay, escripia por pessoa auto-
touciho em ruguavana, se este genero nao risada, a ultima hora, nos diz:
consumido pelas povoacoes da campauha, nem for- Estaraos com o p no estribo,
necido a tropa braslleira ? Acaba de receber o general (Osorio) partici-
E' bem estar prevenido contra as hyperboles; pagao de que Lpez a testa de urna columna maior
a poca propria dellas. de 5,000 horneas, passara o Paran' e se dirige ao
O general Milro como seu quartel-general, o ] nosso encontr,
seu regiment escolla e alguma forra puzera-se; < Mitre deu ordem do se por em marcha ao en-
era marcha da Concordia para o acampamento do coulrj do inimigo o exercilo all
exercilo alliado. la este acampamento estabelecer- < Oxala' que a noticia da vine
se a o leguas da < oncordia, nao se sabia, porem,
se para aprehender immediatamenie operagiJes
contra os Paraguayos.
O almirante visconde de Tamandar tinga des-
cido da ruguavana, e dizia-se que Uvera larga
conferencia com o general Mitre, em consequen-
cia da qual aro agora ambos para o cerco daquel-
la povoagao, levando mais 1,500 homens de infan-
tera, um batamo argentino e dous braslleiros.
Deviarn embarcar na Federacin para subir o rio. l
lliado.
nda desses barbaros
I a nosso encontr seja exacta, porque ento mais de-
pressa se lera' concluido a nossa ardua tarefa de
levar a liberdade e a civlisago ao seio da tyran
na e barbarismo.
Nao temi lempo para mais; o proprio vai
partir; um abrago, etc., adeus.
O mesmo Brasil e o Marcilto Dias trouxeram da-
tas de Porto-Alegre at 7, Rio Grande 11 e Santa
Camarina 13 do correte.
Tanto na capital da provincia de S. Pedro como
No Paran' a nossr esquadra permaneca fuu-' no Rio Grande correr a noticia, vinda de difieren
ieada uo Ricon de Soto. tes pontos da campanha, de que as forgas para-
Esalhara-se o boato do qne urna forga para- guayas se tinhan rendido a 24 de ago.-to. Esta
guay atravesando o Chaco vinha sobre a provin- noticia, porm, como acaba de ler-se, nao se con-
cia argentina de Santa F, mas a noticia potico firmou al 3 de setembro, ultima data daquella
credilo mereca, o anda quando se realizasse, di- partes.
zia-se qne aquella provincia tinha mais de 2,000 Ao Diario do Rio Grande escrevem tae. S. M. o
bomens commandados pelo general Emilio Mitre Imperador era esperado em S. Gabriel iiu dia 31
para repellir a invaso. do passado, e que a esta eidade ja' tinlia cliiiado o
Relativamente s forgas de Robles dizia se que coronel Magarinos, eommissiouado do general Fi-
se estendiam da eidade de Corrientes at Bella- res, para niregar as bandeiras tomadas ao iuimi-
Vista em numero de 20,000 homens, estando o res- go no dia 17.
to commandado por Barrios em S. Lourengo, Bel- A mesma folha accrescenta:
la-VIota, Cuevas e S. Roque. as Cuevas tinhara a brigada do Sr. coronel coraraandanto supe-
es Paraguavos 18 prgas (oulros dizem 40) em ba- rior de Piratmy Manoel Lucas de Lima, composta
ipria iiiuiiiiiindnn rn. Al ao Io do_ correle nao dos corpos dos lenentes-coroneis Anliqueira, B'l-
linha o inimigo ousado penetrar em GyS. Feste-
jara elle como um triumpho a batalha do Yalay e
es seus bolelins diziam que o general Flores esca-
para com vida.
O Kovernador Lagrana tinha vindo para Curuzu
uiuu, Auieio ttuili i(.-ui j c do corpo nao orgaiiiiado
que o mesmo Sr. Lucas de Lima reuni em Pi-
ratiny e Cangussu', fleava em marcha para S. Ga-
briel.
O corpo do major Joca Silva, de Bag, tambem
Cualia, e a vanguarda commandada pelo general ficava cora ordem de marena para aquello mesmo
Caceras ficava anda sobre o rio Corrientes. poni. Com este corpo tambem segu o do major
c Da reuniao de Entre-Rianos ja' ninguem se Farinha. Estes corpos devem fazer parte da bri-
lembra diz a tribuna de Montevideo de 8 do cor- gada do coronel Joo Anlouio Severo.
rente.
L-se na mesma folha :
t Hontem as 'i da manhia deixou de existir cm
Duenos-Ayreso valente commandante da Ypirango,
Alvaro de Carvalho.
t Trabara as balas de 11 de junho re-peitado
aquella vida, e urna febro typho veio pr-lhe termo guarda nacional
a xislencia. urna companhia
O Sr. coronel baro de Serr Abgre, comman-
dante das fronteiras de Bag a Jaguarao, fuara a
sua residencia oaguella eidade.
Na capital da provincia estavam promptos para
marchar logo que o tempo dsse lugar os batalhoes
32 e 33, c o 73 de voluntarios Paulislas, um da
da Parahyba, dous do Maranho,
de zuavos' e um conliugeule do
Deploramos profundamente a perda que soffre Uuha.
a mannha imperial, e acompanhamos na sua justa Nauliima data tinham chegado o 18 e o 28 e e
dr os parelese amigos do fallecido. 8o de voluntarios.
Tinham chegado mesma eidade do Buenos-A y- Eslavara lambem promptos os corpos da guarda
res as nossas canhoneiras Iguatemu e Parnahyba nacioual de S. L-opolJo, SaoU'Anoa c Aldea,
cora 360 pra;as do li de volvntarios, para mar- Fallecer o alferes do 28 batalhao de voluntarios
diarera para a Concordia, por nao se carecer de Antonio Paes Brrelo, lilho do fluado senador Paes
tanta gente a bordo da esquadra. Tinham chegado Barrlo,
tambera alguns ferdos brasileiros. L-se no Diario do Rio Grande :
Da o Siglo : Apezar de uo haver quera tomasse a iuiciati-
No diario do Sr. Barroso, chefe da esquadra Va para festejar-se o dia 7 de seterabro de 1865,
brasileira tundeada era Goya, em data de 26 de todava nao passou elle desaperccbdo nesta ci-
agosto, se ada consignado que naquelledia. depois dade;
de urna ausencia bastante prolongada, regressaram guarda nacional destacada devem-se as hon-
o guardio e os tres mnnnheiros que por sua or-' ras de nao ter cado esquecido o grande dia da
dem tinham ido incendiar o Jrquitinlionha, enea- nagao.
lhado, romo os leitores nao tero esquecido, por ao Te-Deum mandado cantar pela cmara com-
occasiSn do combate de 11 de junho. pareceu o batalhao do coramando do Sr. capilo
c Dizein estes liomeus.qne enconlraram o refe- Malinas Terra Ve I ha, que fez as continencias e deu
rdo navio com a proa completamente enterrada na as descargas do estylo.
arca licando f a popa tora dagua. a xas tnnelieiras salvou a secgao do batalhao
Deitarara-lbe fogo; e logo se retiraram para o de artilharia do commando do Sr. capilo Mathias
Chaco, d'oode presenciaran, o incendio e oaviram Vasques; os quarteis de ambos os corpos estive-
rain embanderados, e a noile illumiuados.
os tiros de alarma dados em trra.
Estes homens trouxeram corasgo alguns ob-
jeclos pertencentes ao navio, como prova da sua
estada a bordo.
c N'uma carta particular, o Sr. Barroso lambem
d a mesma noticia, e accrescenta que, segundo in-
fermagoes que recebeu, os Paraguayos retiraram
a artilharia que tinham em Cuevas. >
as folhas do Rio-Grande encontramos ainda os
segrales pormenores sobre os suceessos da Uru-
guayana :
fesposla de Kstigarribia ao g'neral Canavarro.
t Viva a repblica do Paraguay.Commando
Tauo o batalhao como a scelo de artilharia
distinguiram-se pelo asseio com que se apresenta-
ram e o bem que desempenharam as manobras.
t A secgo de artilharia que pela primeira vez
trabalbou com pegas, desenvolveu-se perfeilaraente
bem ; sendo tanto a secgo como o 2 batalhao
elogiado em ordpm do dia pelo Sr. general com-
mandante daguarnigao. >
t O Sr. Antonio Luiz da Silveira, em viagem de
Chuy para a Mangueira, d'onde morador, encon-
trou dous marinheiros na Invernada, 40 leguas des-
ta eidade, que declararam ser nufragos do bri-
adiante a cmara municipal comprlmentoa a Sua
Magostado pronunciando o presidente da raesma
urna felicitagao.
Sua Magestade acompanhado de todo o povo,
apezar de fatigado da jornada qae acabava de fa-
zer, camtnhou a p at igreja, onde foi recebido
debaixo de pallie.
o Tendo feito a sua oragao, dirigise residen-
ca que Ihe estava preparada pela cmara, sendo
acclamado era lodo seu camimio com vivas enthu-
siaslicos que transbordavam da alegra do povo.
t Sua Magostado digno do respeito, do amor,
da dedicago dos Brasileiros.
t E' feliz todo o paiz que tem a fortuna de ter
como monarrha um Sr. D. Pedro II.
A' noile, tendo-se a eidade Iluminado toda,
foi a cmara municipal 'acompaada de inmenso
concurso de povo, cora a banda de msica dirigi-
da pelo Sr. Honorato, dar serenatas a S. M. o Im-
perador, ao Sr. ministro da guerra e ao Sr. gene-
ral raarquez de Caxias.
Sua Magestade e seus augustos genros esto
residindo no sobrado do Sr. coronel Tri>tao Jos
Pinto, o Sr. marquez de Caxias e general Beaure-
paire era casa do Sr. tenenlecoronel Faria, o sr.
conselheiro Ferraz em casa do Sr. baro de Cam-
bahy, o Sr. general Calman e o Sr. Delamare em
casa do sr. brigadeiro Gama. >
t No da immediato chegada de Sua Magesta-
de, bem cedo percorreu a eidade o Sr. D. Pedro
II, visitando o deposito de artigos bellicos o quar-
tel de artilharia, hospital da caridade, cada civil
o cmara municipal.
Todas as noites lera tido o augusto hospede na
porta de sua residencia urna numerosa reuniao de
povo e retreta.
Chegou hontem a brigada do commando do
Sr. coronel Fonles, composla do cinco batalhoes,
que desGlaram pela eidade e forara acampar pou-
co adiaote.
Sua Magesiade assistio passagem desses ba-
talhoes no lio Vaccacahy, recolhendo-se a palacio
em f.ceasio que a tropa segua para seu acampa-
mento.
Sua Magestade foi mais de urna vez saudado
em seu transito cora vivas que partiam da admira-
gao do povo, por v lo superior s fadigas que
soem irazer esses actos.
Sua Magestade tem sido comprimentado por
todas as autoridades do lugar, e por muitos cida-
dos, sahiudo todos coulentissiraos pela alfabilida-
de cora que o tratados por Sua Magestade.
Hontem (2) era o dia destinado para a sua
partida, mas difQculdide3 que se nao poderain su-
perar obrigaram a espagar para amaoha (4) a
viagern para o Algrele e Uruguayana, onde Sua
Mageslade pretende achar-se mui breve. >
A correspondencia do Echo do Sul accrescenta
que no dia l. foi Sua Mageslade visitar o Sr. ba-
ro de S. Gabriel, que ha lempos se acha grave-
mente enfermo.
Eis a felicitagao que a cmara municipal do S.
Cabriel dirigi a Sua Magestade :
A provincia do Rio-Grande est sobremannira
penhorada pela preseuga angosta de Vossa Mages-
lade Imperial.
Ella recebe este fado, senhor, como urna
prova do subido aprego que Vussa Mageslade Im-
perial Ihe vota.
i lim occasio lo solemne para ella, quando o
ousado esliangeiro pisa seu solo, e quaudo os Rio-
Graudi-nses, tomados de sorpresa, empunham as
armas para a desafronta, Vossa Magestade se dig-
na tomar a heroica resolugo do vir em pessoa
animar seus subditos, partilhar da sua angustia e
raostiar-lhfcs que nao os abandona, mesmo no pe-
rigo I
E' nobre, magna^B e sublime o proceder
de Vossa Mageslade ^^
Acreditai, senhor, que a provincia do Rio-
Grande reronhecer agradecida a imperial visita
de Vossa Mageslade, e se lerabrar eternamente
da divida que acaba de contratar com seu augusto
Mouareha.
t A cmara municipal dc?ta eidade, orgao legi-
timo do municipio de S. Gabriel, sent Intensa sa-
tisfago em testemunhar a seu soberano, os senti-
mentos de gratido de que se achara possuidos os
habitant s desle lermo, e em solicitar a honra de
beijar a augusta mo de Vossa Magestade Impe-
rial.
a Viva S. M. o Imperador Viva a familia im-
perial I Viva a nago brasileira I Viva a arma-
da e o exercito brasilero.
Na ordem do dia, sob n. 6, expedida do gabinete
do Sr. miuistro da guerra era S. Gabriel no dia 3,
foi publicado o seguinte i lucio, do qual consta a
parle que toman na batalha de Yatay a 12. briga-
da do nosso exercilo :
12.a brigada do exercito.Illm. e Exrc. Sr.
Hontem s dez horas e um quarlo da manha a
vauguarda do exercito ao mando do Exm. Sr. ge-
neral D. Venancio Flores, da qual fez parte a bri-
gada sob meu commando, entrou em acgo contra
forga paraguaya que oceupava a villa da Reslaura-
go, a qual se puzera tora della para receber o ata-
que, em numero de tres mil e tantos homens, sen-
do trezentos de cavallaria, segundo iuforraagoes, e
uraa bocCa de fogo.
i Durante o combale renhido desde aquella hora
at uraa da tarde, tiverara os alliados a gloria de
prem o inimigo em completa debandada, licando
nos oulros senhores do campo, da villa, grande nu-
bricl a brigada do commando do Sr. coronel Seve
re, coraposta dos corpos do major Joca Silva o do
teuente-coronel Celestino Guiarte. >
Com referencia a chegada de Sua Magestade a
S. Gabriel diz a folha da mesma eidade:
t S. M. o Sr. D. Pedro II com seus augustos tos que tinham no 3." corpo do voluntarios da pa- dos louros, o lindo esquadrao de cavallaria, com
genros e sua imperial comitiva chegaram a 30 tria o capillo Jos Correa da Silva Fragata, teen-; cerca de 300 pragas, do lermo de S. Jos do
tardinha a esta eidade.'' i tes Antonio Jos Villar e Luiz Gongalves Pedreira; Norte.
Um concurso immenso de povo recebeu os j Franga, e alferes Eduardo da Costa Passos e Jos j Cliegou no domingo de Montevideo, o Sr. Luiz
augustos hospedes no passo do Vaccacahy. e pouco Fraucisco da Silva. i Agostioho de Espirito-Santo, capilo do patacho
E nomeados em commisso para o mesmo 3. brasilero Acaso, da(praga de Pernambuco.cujo na-
corpo de voluntarios : vio foi a pique na'altura desta provincia cora os
Para capilo, o teoente do 5. batalhao de infan- i ltimos teraporaes que houve.
tara Joaquim Jos de Magalhes. Com muito trabattio se salvou o dito capilo e
Para tenenles os alferes do mesmo batalhao An- a toda a tripolaeao na laucha, e teriam perecido
ionio Jos da Cosa e o do 7. da raesma arma Eu- j todos se nao enconlrassem ura navio inglez que os
zebio Gomes de Argollo Ferrao. recebeu e couduzio a Montevideo.
Para alteres, o voluntario da patria sargento aju-! No dia 13 chegaram ao Rio Grande o Gerente e
dante aggregado ao 5. baialho de infamara An- o Isabel con luziudo tropa. O primeiro devia lar-
gelo Carlos Salazar, e o 2. cadete Francelino Leal gar a 14 para Moolevidx
Gomes. l>a capital da provincia havia datas at 12.
Ua campanha nao havia datas posteriores s qae' Tinha assumido o commando do corpo policial
referimos no Jornal de aote-bontem, nao obstante da provincia o tenente coronel Jos Anlouio de Oli-
dareraos alguns extractos das communicag5es re- veira Rusno.
cebidas pelo Echo do Sul. Quarenia accionistas da socedade bailante offe-
Montevideo 8 : i recrara a' presidencia os saldes dessas socedade
Falla-se por aqui que o general Milre teve | para nella se estabelecer uraa enfermara militar,
urna conferencia com o visconde de Tamandar, e
que o resultado dessa conferencia foi o presidente
da Confcderago Argentina partir para a Uru-
guayana seguido de 1,500 homens de infantaria.
Nao Ihe posso garantir esta noticia, apesar de
ter sido publicada nos jornaes desta repblica, por
que aqui o jornalismo, principalmente na aciual
emergencia, oceupa-se em publicar mentiras gigan-
tescas.
t O Urquiza nao tomar parte na guerra, nem
no exercito apparecer diviso entre-riaua.
O Urquiza quem na aclualidade mais tem
ganhado, porque elle que fornece todo o gado
para o exercito, e isto, como sabe, nao Ihe deixa
pouca ganancia; fique pois elle na sua charquea-
da, e s assm dar-uos-ha memos cuidado do que a
frente de sua Ju-isao.
Alm de Entre-Ros, Tucumaa e Cordova co'a-
servam ainda ua sombra os seus contingentes, o
quo me faz crr que tambero estas duas pro-
vincias nao tomaro parte na guerra ficando ua
cry salida.
t Aguirre, Carreras, Tiiora e mulos outros
salteadores blancos esio no territorio de D. Justo
Jos de Urquiza, e ahi oceupara-se exclusivamente
em conspirar contra o Brasil. Essas coutiuuadas
couspiragoes j leem produzdo seus fructos, pois
que no exercleito paraguayo derrotado na batalha
de 17 de agosto contavara-se, alm dos faraigera-
dos Apparicio e Ornego, 200 blaiuos e mullos
Correutinos, etc., etc. I
t As forgas paraguayas que se acham na Uru-
guayana sao as seguiutes.
'Seis batalhoes de infantaria ns. 14, lo, 17, 31,
32 e 33, quatro rogimenlos de cavallaria, ciuco
pegas de artilharia, um obuz e mais uas pegas
que acharara ali. Os batalhoes sao de 800 homens,
os regiraenlos de 500, e as pegas guarnecidas por
10 homens.
O vapor Uruguay que se achava em frente a
Uruguayana, pode com a endiente, chegar a Res-
taurago onde recebeu muitos feridos na batalha
que foi aceito.
Tambem acetou a mesma presidencia a ollera
que Ihe uaramo majoi commandante da secgo da ^,1,^,'sero stwtpMjn e
reserva da Encruzlhada Joao Peixoto dat-onloura rvAr ',
e seus ufliciaes, para organisar um esquadrao de
cavallaria com os cidados da reserva e activa que
deixaram de marchar com seus corpos, e os que ti-
verara a infelicidade de desertar.
Os vapores de guerra .4/nc/ia e Apa, e mrcame
S. Paulo e Juparan segirara no dia ti para Rio-
Pardo, conduzindo os batalhoes de voluntarios ns
32, 35 e 36, e a companllia de zuavos.
Fallecer no dia 7, victima de urna congesto ce-
rebral, o coronel reformado Jos dos Santos Perei-
ra, na idada de 75 anno-.
L-se no Mercantil de Santa Calharina de 14 :
No sabbad t 9 do crrente mez, pelas 6 horas
da tarde, indo o escalar da policia visitar o vapor
nacional Gerente, procedente do Ro de Janeiro,
que demandava o porto desta eidade, notou-se que
parta de bordo daquelle vapor, antes de haver elle
ancorado, um bote tripolado por quatro marinhei-
ros, que se diriga para a boa, junto qual costn-
mam dar fundos os paquetes da Companhia Brasi- ^ ^..
da vanguarda, vicealmirante visronde de Taman-
dar, commandante era chefe das forgas nava** do
Brasil no Rio da Prata, tenente-general baro de
Porto Alegre, commandante em chefe ds exercito
em operacoes nesia provincia e c general D. Wen-
ceslao Paunero, comraandante en chefe do i" cor-
po do exercito argentino, interessados em evitar o
intil derrainamenlo de sangue, ltenla a sitaag >
precaria em que eslo as torgas paraguayas que
oceupara a villa bra.-ileira de Uruguayana, con-
tando que o commandante em c tefe das ditas for-
ras estar ua altura dos serios deveres que obre
elie pesara, pelo que toca a salvagao das nurm-r >-
sas vidas de seus soldados, as qtiaes convi nublar
s le ni o direiio de expor no caso de fc-r alf
probabilidade de exilo (que nao pode esperan C n-
cordaram, em norae dos direilos da humanidad ,
oflerecer ao Sr. cor nel Amonio EstgarritiiA
comraandaiile em chefe do suprad.to exercilo para-
guayo, as seguales condigoes jara a entrega da
praga :
I." Odete principal, ufliciaes e mais fmrr'-
gados de disiiucgo do referido ex-rclto paraguy >,
sahir) com todas as honras da guerra, levaa-t
suas espadas,e podero seguir jara onde I6r do
seu agrado, sendo obrigago dosabaixo a-signad s
mioi.-lrar-lhes para i 2, Se escolherem para a s ia re^d-ncia a!-
guus pontos do territorio le qual fMff da- Bag*
respectivos RoTerntr a
pruvr a subsistencia dos meoeionada rm-fe* e
ociaes paraguayos durante a gir-rra, al i sua eon-
clusao.
3.* Todos os individuos do tr>pa, de-1 sar-
gento para baixo inclusive, fi.-aro pn ion i ros de
guerra, debaixo da ondigo de que sero respeta-
das suas vida, aliui>-nia te durante i periodo da guerra, por conu eV*
mesmos governo?.
4." As armas e mais pret;<-hos bellK-n- sa-
telcenles ao exercito paraguayo, sero postas
igualmente a disposicao do ex-rcilo altad* I -
nuncio Flores.Visconde de Tamandar.Barao
de Porto-Altxjre.Wenceslao Painero.
A esUs generosas proposlas respondru o para-
guayo :
c Viva a Repblica do Parag ay !
O commaudanle em chefe \ diviso era ope-
ragoes sobre o rio Urumy.
Acampamento na Uruguaya ia, 5 de t-tembro
leira, e que esse bole se virara, pondo em ilum-
nenle pongo de vida a sua guarnigo.
c O escaler da policia, que se achava ento mui
distante, nao obstante isso, e o muilo vento sul que
soprava e agitava extraordinariraente o mar, foi o
primeiro que pode chegar ao lugar do sinistro e re-
ceber a seu bordo dois dos nufragos, cujo salva-
mento foi devido aos grandes esforgo de sua guar-
nigo, bem como dos Srs. guarda-mr da alfanje-
ga e seu cunhado Patricio Marques I/nhares, que
tara a seu bordo em companhia do Sr. empregado
da policia, ento incumbido do registro d j porto.
Acudiodo em seguida diversos escaleres de na-
vios surtos no ancoradouro, turara tambem feliz-
mente salvos os outros dous marinheiros.
... ? ,. __. ,. esta parte nao fazrra oulra ronsa
Entrou hontem do Rio da Prata o paquete fran- 0 cj0 a dpn(> in
eez Carmel com datas de Buenos-Ajres at 13 e 0 governo da repblica do Paraguay,
Aos senhores representantes do exercilo alba-
do da vanguarda.
t O abaixo asignado, commandante em chefe
da divisa j paraguaja em operjgOes sobre r.
Uruguay, cumpre o dever de n-sprinder a nuia
que Vv. Exrs. Ihe dirigiram com dita de i do
correte, apimpanbanlo as basts de nro acei-rdo.
Aules de locar uu principal aa nol de \.
Exc.-. seja-ma perraiidu repellir, coro a decencia
e elevago proprias de um militar de h-rara, Mas
aquellas proposiedes coudas na referida noU, por
domis injuriosas ao supremo governo do ab.ix i
assiguado, rssas proposigoes, cora p*-rlodeNv.
Excs., roiioeam semellunle nota no nivl dos dia-
rios de Bueuos-Ayres, o> quaes le alguns annos a
nao trm outra
.evpramPDle
iMCaaie ao
em chefe da diviso em operagoes no rio Uruguay, gue nacional Puritano, em viagem de Buenos-Ay-
Quartel geoeral em marcha.Uruguayana, 20 res para 0 r0 de Janeiro, cora carregamento de
de agosto de 1805.A S. Exc. o Sr. brigadeiro Da- xarque.
vid Canavarro. Estes dous homens chegaram hontem, e sendo
O mesmo official paraguayo prisioneiro no apreseulados ao Sr. Dr. delegado de policia, disse-
combato do da 17, que me entregoa saa nota, e a ram chamarem-se Marcolino Jesuino dos Prazeres
do brigadero Flores, portador da minha contes-
tago a V. F.xc. e ao geseral Flores. Digo que de-
fendo e sustento a causa da repblica e a indepen-
dencia da minha patria, e que como soldado de
boara nio poseo, nem devo aceitar proposigo de
da--' alguma. Confio mui .; na nobreza e acredi-
tado valor dos saldados paraguayos para bater-me
ao lado delles, carao ja souberam fazer com solda-
dos de V. Exc. as pontas de ntuhy. Com a devi-
da constderago, etc.A. Esiigarribia.
e Trajano Rodrigues Cordeiro, ura marinheiro e o
outro cozinheiro.
t Que o navio a que pertenciara satura de Per-
oambuco com assucar para Bueoos-Ayres, e vol-
tando com xarque para o Rio de Janeiro escanga-
Ihara-se ao terceiro da de viagem com ura grande
temporal que apanbou, e que elles alcangaram sal-
var-ce com muito costo n'uma laboa, e que indo
dar no Estado Oriental vinham a p costeando o
mar grosso quando foram encontrados pelo ho-
c imbaj, 19 de agosto.-O iaimigo que est na mem~qae lhes deu cavallo e trouxe-os al esta ci
Lruguayaoa, moveu-se hoje com todo o sea equi- ade.
paraenio e caminhou em retirada al meia legua
da Uruguayana, com eela marcha deu lugar a que
a genio do liento Manes entrass por algans int-
tantes na povoagao.
t Por ella sabemos quo Uruguayana est estra-
gadissima, mobiuas, trastes, e al predios estao
queimados ou arrebentados.
20 de agosto.O baio de Porlo-AIegre assu-
mio o coramando ds nosso exercito.
t Diz se que o grande exercilo paraguayo, se
approxioia Restaurado, em soccorro dos da Uru-
guayana.
Em consecuencia dessa noticia vai ser saerifi
cada e arrazada.
Dizeo mais os nufragos que o eapitao do na-
vio chamava-se Joaquim Rodrigues dos Santos, e
que presumen) morresse, bem como o resto da tri-
polago.
_ Estes doos homeos sao nataraes do paiz, e fo-
ram recolhidos ao quartel da policia, onde lhes foi
dado agasalho por ordem do Sr. Dr. Camarim.
O Correio do Sul, folha de Porto-AJegre, suspen-
der provisoriamente a sua pnblieagio.
No dia 10 tinham chegado ao Rio Grande os va-
pores Japarana c Imperatriz com tropa.
Entrou hontem procedente de Santa Calharina o
' vapor Presidente, d'alli sabido a 16 do correte.
. Mesmo dia, s 5 horas da tarde. !, .No ?sn dia ch,ee*ra ""^???"?! ft?
Temos ainda algumas esperaogas de que o ini- lm, cujo commandante obsequiosamente nos re-
migo venha a capitular poupando-se a nossa pobre,ffletIeu fulhas 1ae leancam al 14.
villaAntonio Soares Coelho. i O Diario do 13 aecusando o fecebimento de Jor-
Amigo e Sr. Bordagorri e Garrastasa.S. Ga- naes e.cartas da campanha diz:
briel, 28 de agosto.Chegou o coronel Magarinos e, S. M. o Imperador havia chegado a S. Gabriel
Obes, secretario do general Flores, que veio em na tarde de 30 de agoslo, e no dia 3 da setembro
commisso deste general comprimenlar o Impera- (deveria ter seguido para Uruguayana, a eollocar-
dor pelo triumpho da Resiauraco, e como o Ira- se frente do exercito.
perador se acha em viagem de Cagapava para esla,! A brigada do Sr. coronel Fontes, composta de
seguera elles amaaswa a eocontra-lo. Teolio mais cinco batalhoes, chegra tambem a S. Gabriel no
noticias a comrauoicar-lbe alm daquella victoria. | da 2 do correte.
O cuete paraguayo na Uruguayana, tendo contesta-1 Por va de Bag temos noticias do nosso exer-
de 17^ que couduzio para Montevideo; neste meio Montevideo lo do correal.'.
lempo, porm, as aguas comegara a banar o o va-1 Da Uruguayana temos noticias at 8 (o Sig/o diz
por, tendo j concluido sua missao, ficou impossi-, al 9) e al o ultimo momento uo liaba priudpia-
bibtado, al nova endiento, de assuruir-o poslo que. do o ataque contra os Paraguayos encurralados La-
oceupava. quella povoagao.
O general Flores, ao pisar o territorio desta ; a 2 de elembro os geoeraes do exercito alliado
provincia, dirigi a sua diviso a segrale procla-! sitiador dirigiram ao commandante da torga para-
mago : i guaya sillada a intimago seguinte :
Soldados do exercito de vanguarda.Ja esla- (Juarld-general era freulc Uruguayana, 2 de
mos no territorio imperial unidos as legies dos ( setembro de ISti.j'.
valales Rio-Grandenses, que vos esperara aaciosos Ao Sr. commandante em chefe do exercito pa- -
para novamente combater os escravos do despota: raguayo. era operagoes sobre a costa do Uruguay, ffi^^^^'SSlSL .a*
raesmo lempo grosseiras calumnias contra o mes-
mo povo, que loes re.-pondeu promover (i a -ua
blindad.! domestica por meio do trabalb) honroso,
e fazeado Consistir a sua maior felicidad'* na sas-
teniago da paz interna, base fundamental da pre-
ponderancia do una lucao.
Se Vv. Excs. mostram-se tj zeiov-s por dar
a liberdade ao poro paraguayo, -e?uud> MM pro-
prias exprosso <, porque razo nao principiaran!
por dar a liberdade aos mfelizes negro- do Brasil,
I
liro
deixar pasmar na ociosidad* a
paraguayo, que fechados na rica villa da Uru- \ coronel D. Antonio Esiigarribia. innonoeer
guayana se divertera em incendiar os seusinelln-, Os abaixo assignados, represeuiaotes do Mf;; al(;u^J ,.,nlPna, de Rra-Qdes H imperio? IM
chama escravo i um povo que <-le
res edificios sem ter auimo de dar um passo para cito alliado da vanguarda, cumprem ura alto dever
dirigmdo-sea V. Exc. cora
prime, esperando contiadame
se consiga, prestara V. Exc. a ce
posgo e deveres Ihe irapoem.
t Antes de romper as hostilidades, para que esta-
mos preparados, sobre a povoagao da Urugaayan i,
oceupada por forga sob o seu commando, nao te
rianius salisfellr as pre-cripgoes mais sagradas da
civilisaeao e humanidade se uo Ihe pateoteasse-
mos o nosso sincero desejo de Cortar as grandes e
inuteis desgragas que occasionaria a resolugo era
llar no mam uc "IIJr O iCi'i.iUCIIO |ldtl'Od, US* imnin
. lo ac'.u?aPgura que o presidente do Para- combate, q-.ay.do tiver proba^biade de ve ,-;r
diante, e ali mesrao era poucos dias licaro sepul-
tados sob as ruinas da villa.
Desde ja rae aulicipo a saudar-vos como ven-
cedores e iriumplianles da praga da Uruguayana,
porque peraule roseas bayonetas e vosso arrojo
nao ha inimigo que resista.Venancio Flores.
Os Paraguayos uo dia 27 commelteram mais
uraa infamia propria dos raiseraveis escravos do
gaucho Lpez. Foi o incendio da alfand-'ga de
Uruguayana, alm de muitissimas outras casas que
nao tem escapado a seu vandalismo.
t O general Mitre recebeu uina carta de Juez [ que V. Esc at agora se lera permanecido, de sus-
de Paz da Federago, dizendo-lhe que ura seu visi- tontar se uessa praga.
nho sabido do Passos dos Licres a 31 do passado j
dava noticia de que na noute de 30 se passaram ao guay
acampameoto dos alliados 4G soldados e ura capi- nossos respectivos governo
to paraguayo da guaruigo da Uruguyana. da sua honra offendida e dos priacipios da lberda
c Esses Paraguayos referera que o terror na d e justiga que professam, resolvidos a faze-la cora
praga grande; j o vigor de que sao eapazes, sujeitaado-se serapre,
Que na noute anlecadente sua sahida tinha1 porm aos principios brneflos de moderago que a
havido urna reuniao, qual Duarte (frade), Esli- tornara meuos dura e sao obaervados por todos os
povos cullos da ierra.
Nao pois Sr. coronel, ama guerra de extermi-
nio a que fazemos ao presidente do Paraguay, do
que prova a exi-tencia d"S numerosos prisionei- ,
ros. chefes, offlciaes e soldados faitos no combate
do lia 17 do passado, e que nao cessam de leuvar
a reconhecida generosidade dos vencedores dos
quaes nao receberara a menor demonstrado cioaz
de aggravar-lhes a condico de vencidos.
c Animados por osles sentimentos, mo quere-
mos ser de forma alguma respoimveis pelo sacri
flco dos soldados que obed-cem a
o tinque esta nota ex- .quando aqu se
ente que, para que elle K P livr e espontanea vooud. .
peraco que sua 'lue Pr,da aos ^"v''""> J
p ma desde que o lirasil se mtrop
garribia, e os Orientaes blancos haviam compare-
cido;
Que Estigarrbia e os Orieutaes erara de oil-
nio que se rendessera, porra que o frade oopz-se
tenazmente a essa resolugo.
Para fundamentar essa sua opposigo, o frado
paraguayo au s fallava do dever de susleutar-se
a todo o transe, como tambem do reforgo que devia
chegar-lhes de ura momento a outro.
t Accrescentam que na praga s haviara encon-
trado alguns depsitos de farinha e bolacha ordi-
naria, e que tinham 100 cavallos e 300 bois.
i Estes ltimos liavum sido agarrados em urna
sortida que fizerara antes do exercito alliado ler
passado para essa provincia.
Dizem anda que os sitiados teem 6 canhoes
de calibrel2 que as raunigoes eram escassissi-
mas; que a diviso que esl operando sobre o
mero de armamento, carreame, a bocea de fogo, Uruguay, desde que sahio de Humayl havia per-
quatro bandeiras e crescido numero de prisionei- j ddo 2,700 homens leudo sido 400 no combato com
ros, enlre elles o commandante da forga major o coronel Fernandes.
Duarie ; nao sendo possivel at hoje avaliar-se o
numero dos mortos, pois que ainda sahem partidas
de clavineiros em perseguigo dos que passaram a
nado para o outro lado do arroio, deixando cora tu-
do o inimigo no campo de combale um numero
maior de mil mortos.
Felicitando a V. Exc. por umtal feito d'armas
cumpre-me declarar que a brigada sob meu com-
mando oceupou diguameote e susteotou as posi-
goes qae foram ordenadas, e os comraandantes dos
corpos se conservaram com calma, valor e sangue
fri durante a acgo.
Das partes dadas pelos mesmos consta : Do
3." corpo de voluntarios da patria terera-se os offl-
ciaes e pragas portado com bravura excepgo do
capillo da 7.a companhia Joo Correa da Silva Fra-
gata, tenente Antonio Jos Villar, Luiz Gongalves
Pedreira Franga, alferes Eduardo da Costa Passos
e Jos Francisco da Silva, que se deixaram Bear na
retaguarda at qae eessoa o fogo. Do 3." batalhao:
Diz o commandante terem os offlciaes e pragas
cumprido com o seu dever ; sendo porm dignos
de elogio o capltao mandante Jos Mara do as-
cimento, eapitao Gongale de Majtos Rocha, tenente
Joaquim Jos de Magalhes, alferes Antonio Jos
da Cosa e Jeronyrao de Amorira Valporto, que nao
obstante os obstculos da marcha, seguiram com o
balalbo entrando fogo em fogo. O sargento aju-
dante voluntario da patria aggregado ao batalhao,
Angelo /'.arlos Salazar, portou-se na acgo com co-
ragem, sangue fro e bravura, marchando serapre
junto 1.a companhia e coadjuvando os offlciaes,
Sem duvida alfa-
que o llrasil se introra-lleu r. -.
do Prata, cora o proposito deliberado de subm*iter
e esclavizar as repblicas irraas do Paraguay,
talvez ao proprio Paraguay, se e.-te nao cuniasse
com ura governo patritico e previdentj.
t Vv. Excs. bao de permit.i mi satas digres-
ses visto que as provocaram iusultand) em sua
nota o governo de minha patria.
Nu concordo com Vv. Exc:. em qo o militar
de honra, o verdadeiro patriota, deva limitar se ;
qnando tiver probabiblade deve
nda
au lores
capites, de quera o mundo afeara se recorda coea
or gol ho, nao couuram era o numero le atea ioi-
mlgos, nem os elementos de que di.-punbara, mas
veneiam ou moma n em nome da patria.
t Lerabrem-se Vv. Excs. que Leonila*, ( ra tre-
zenlos Espartanos, defendendo c passo das Terra -
pilas, noquizdar ou vides as prjpistg>s du re da
Persia, e quando um de seus soldados di>.*e-!be
que os inimigos eram lo nmeros >s que eseure-
ciam o sol quando dispararas*, as flechas, respon-
deu-lhe : t Melhar, combaterera mo o capilo Espartano nao po;?o dar oovi-ios as
proposlas do ininnc", porquanto fui mandado rom
os raeus compaoheiros para peb'jar em defeza do
Caraguay, e como sou soldado, devo responder a
Vv. Excs., quaado enumeran, a; torcas que eom-
V Exc. sacri- mandara e as pega- de artilharia de qoe dispeni :
o fumo da alilbaria nos fara
ficio estril na posgo era que os poz a sorle da lJ10 mtinor, c
guerra, como deshumana; porque s permitlido soinora.
_._.i.... __._. ......, .ir.sKihiii.i-niu Ao oe a sorte njs
combater quando existe alguma probabildade de
triumpho, ou quando se pode alcangar qualquer
vaul'agem psra a causa que se defeude.
V. Exc. est, segundo a opinio dos abaixo as-
sigaados, era ura caso extremo, e do qual s pode
esperar um fim desastroso se persistir era repellir,
as proposlas honrosas que Ihe dirigimos ; por coa-
t Hoalera (7), como eslava marcado, devia ler' seguinteas vidas de taotos compatriotas seus con-
lugar o 3taque por mar e ierra a Uruguayana. E': fiados a sua direcgo, devein ser-lhe devidamenle I
um festejo a uossa ladepeocia e em memoria a caras para uu immola-las eslerilmeotepor urna i
esse dia, os infames Paraguayos que ousaram mal eateudida honra militar que, as actuaes cir-;
invadir a provincia do Rio-Grande suecumbirara curastancias, nao pode ter justa e bem cnida ap-
todos. i plicagao.
c Nada mais, por esta vez. Sem a menor intencao de offender as opinioes;
Ue Bag dizem : polticas que V. Exc. professa, consideramos assm (
Parlicipo-lhe que temos noticias da Uru- mesmo conveniente recordar^ que a guerra que
guaran at 30 do passado. Os Paraguayos j | fazemos aclualmeote, se dirlflflao somente ao pre-
pediaq^aiisericordia, e supplicavara como ultima
condiejHque concedessemos apenas quatro salvos povo paraguayo, cuja Independencia e soberana
rtls pa-a seus principaes chefes c para o | esto garantidas solemnemente pelas nagoes allia
frade que est com elles.
t Estas mesmas condigoes, ,
negadas; e se nao forera antes conslrangidos pela piram e da boa intelligencia dos seus governos.
fome a render-se, estava designado o da 7 do cor
rente para se dar o assalto a Uruguayana.
prepara um tmulo nesta villa
d Uruguayanna, nossos conridadaos conservarlo a
lembranga'dos Paraguayos que inorrereos p -I- an-
do pela causa da patria, e que tmquanlo viveram
nao enlregaram ao inimigo a sagrada insignia da
liberdade da sua nago.
c Dos guarde a Vv. Excs. nenitos annos.An-
tonio Esiigarribia. >
Apezar do arregauho desta respos, a 8 o coro-
nel Esiigarribia pedio aos generaos do exercilo al-
liado que em nome da humanidado permitlissem a
sahida da praga sillada as familias nella encerra-
das, e considrava-se este primeiro passo con de
bom agouro, esperande-se que os Paraguayos, en-
tre os quaes consiava haver j ranas opinjes,
arabassem por entregar-se sem intil effuso de
sangue. De fado pra to grande a nossa soperio-
isericordia, *e supplicavara cono "ultima | sidente do Paraguay, i i mane.ra ao ridade, nao s em numero de homens sns
ue concedessemos apenas
condclBS" pa-a seus principaes chefes
em armas e todos os elementos de guerra, qae
pouco tempo poda mediar entre o primeiro ataque
J temos postas estabelecidas d6sde a Uru-
guayana at Pelotas, con, o concurso dos habitan-
tes de todos os pontos iolermedlarios e os do Rio
Grande.
i E-pero, pois, com toda a f, poder noticiar-lhe
o completo exterminio dos vndalos, pela posta do
dia 13.
c At l. >
A' mesma folha enviarara da campanha por
copia a seguinte resposta do chefe paraguayo Esii-
garribia a intimago do general Caldwell:
Viva a repblica do Paraguay I O comman-
dante em chefe da diviso em operagoes sobro o
no Uruguay, a S. Exc. o Sr. teoeate-geral D. Fre- flecliodo maduramente, se convenga da verdadedos
sendoVmbem~dno"de~e^ I derico Caldwell, commandante interino das armas tactos referidos e que, looge de defender a causa
mundo Nonato Gongalves e Napoleo da Costa imperiaes. de sua patria como parece er lo, serve lao somen-
Rosa, pela animago que faziam aos soldados e san- Acampamento em marcha, Uruguayaua, 20 de te a um hornera que a tem oppnmido, e que nao
gue trio com que se portaram. Da do 7. dito'agosto de 1865.Meus chefes, offlciaes e Iropa pode nunca propor ama voolade desptica e o atra-
das e cuja liberdade ioteraa se propoem ellas asse- (e a tomada aa praga.
l tambera como base da futura paz a que as-; u general lira era
m e da boa intelligencia dos seus goveroos. ,em fren,,e a. "WjW
Em v,rtude disto, nao poderaos deixar ds pon- Imperador tinha chegado a 7
derar a V. F.xc. que oeohuma razo justa pode im- walltra, nomgMSHH
pelli-lo a derramar o sangue de seus compatriotas
per urna causa reprovada e puramente pessoal, e .
uue V. Exc. mesmo oao tardar em deplorar Inti-!? v quena se explicara demora do auque a
mmente quaado, gragas a mudangapoltica que se lguaran pelas r.validades sebre o commando
prepara na sua patria, a vir entrar em urna exis- em chefe, para sanar as quaes tinham recorrido
tencia nova e reparadora, respirando a liberdade ao geieral Mitre.
que seu governante Ihe roubou cruelmente, sujei- Recommendaraos a leitara das nossas cerrespoa-
lando um povo a arrastar eternamente a cadea do dencias, as quaes, apezar de minuciosas en todos
escravo, tendo V. Exc. a coosciencia de haver sa- os pootos, ainda ajumaremos a seguale dirigida a
criticado seus proprios compatriotas para resistir a' Tribuna de Montevideo, por eonhecermos a natural
esse Immenso bem, em vez de trabalhar para al- [ avidez do publico de conhecer a menores partiru-
canga-lo.
E' lempo anda, Sr. coronel, que V. Exc, re-
general Mitre era esperado ;. toda o momento
em frente a Uruguayana, e disia-se qne S. M. o
no Algrete com a
de seas angostos gen-
ros. Oulros, porm, pensavam que Sua Maguada
nao poderia estar no Algrele no dia 10. No Rio
laridades dos imporiantes snecessos qae se esto
dando, e a respeito dos quaee, ainda assm deve-
nir- confessar que nVam ignoradas mollas circun-
stancias qne nos hahilitariam a formar jaizo mais
seguro.
Acampamento em frente a Urognavaoa, 7 im
setembro de 186o.
consta lerem-se portado bem durante o combate o obedecem as ordens do superior governo do Para- so sem termo do povo. Meu querido Horacio ..lenhura aconleei-
capito mandante Jos Antonio de Oliveira Botelho,, guay, e delle receberara o mandato de estar sob Esta urna das razoes porque nossos respec- ment grave tem tido lugar. Permanecemos esa
e tambera dignos de raeoro o capilo Caetano Xa-: minhas ordens. Em nenhuma das insirucgSes tivos governos nao olham o povo paraguayo como quietismo, nao por voolade do general Plores, qoe
dadas por S. Exc. o Sr. marechal presidente da seu verdadeiro inimigo nesta guerra, mas sim o go nesta situagao sa acha rora do
repblica, por escripto, se diz que rae renda; antes vernante absoluto que o tyrannisa e que o estra-
pelo contrario se me ordena que peleje at snc- viou e arrastou guerra ioqualiflicavel que provo-
cumbir era defeza dos sagrados direilos da patria cou e esta tambem uraa razo poderosa que ang-
e da integridade das repblicas do Prata; nao menta a responsabilidade de V. Excs insistir em
aceito pois propostas de nenhoma classe, e hoje defender-se nessa praga contra o ataque que dare-
corao amanha e como sempre, S. Exc. me achara mos apoiados em 20,000 homeos e 40 pegas de
disposto a dar a mesma resposta. Se as forgas de artilharia, sera contar os numerosos reforgos que
S. Exc. sao lo numerosas como assegura, venha, successivamente reta chegando.
vier de Oliveira, tenente Jos Fortunato Alves de
Oliveira, alferes Euzbio de Argollo Ferrao, ala-
res-ajadante interino Jesuiao Deocleciano de Souza
Bruno, Pedro de Alcntara Tiberio Capislrano e
Leopoldino Evangelista Paralaba ; os 2." cadetes
Francolino Leal Gomes, Io sargento Emygdio Viei-
ra de Lemos, 2." ditos Conrado Gongalves Meirel-
es, Jos Domingos Moreira, HermetoGomes Touri-
olio, e o furriel Sabino Suriano da Silva Mello. .
.'en elemento e ac-
lividade.
c A elle se opro.' a maioria, qoe, no mea en-
tender, deve pensar bem, apezar de ser maiona.
Todava, apesar da resolugo de ao se dar o
ataque eraquanto novos elementos alo so i
incorporados aos qae j possuimos,
nou-se a todos os batalhoes qoe comeeasseai a ar-
mar gabioes para a conslrocgo de orna irincheira
*ZZ____"?




Diario de pernajfcftnM Kcgiibdd feT" Otonbro de !&.
va rodeado de seu estado-niaior.
duve enthusiaslicos vivas, aos quaes corres-
pondeu o general.
Sao 11 horas; veremos o que succede antes
da madrugada.
Nao supponho ter mais nada a dizer-se.
Faz coin quo as inclusas cneguem com bre-
vidade aos inieressados.
Ten amigo.Candido Bustamante.
O exercilo alliado. que as ultimas noticias ante-
riores ja davam em marcha da Concordia, avanga-
va para a fronteira de corrientes, tendo ja chega-
do a Manisovi, o dizia-se que ia estabelecer mo-
mentneamente o sen quariel-general em
Cuatia', para onde ja' se dirigir o general
feito
que lia de flcar collocaJa era determinada dislan
cia dados inuoigos.
e Eu, no raen fraco entender, jujgo (fuer temos
elementos mais que sufflcleotes para tomar de as-
salto a praga, mesmo nao sendo a nossa infantaria
em numero consideravelmente superior s do ni-
migo ,- mas a nossa rtilharia superior a tudo, e
creio qae, cedendo a palavra por alguns das ao
canho, o Sr. Esligarribia ha de proraptamente
reconhecer qne estes nevos argumentos sao mais
convincentes do que os coneeltos exarados as no-
las qne he tora sido pas;adas no intuito de redu-
li-Ia a capitular.
Anda mais. julgo que nao ha a menor neces-
sidade do elTa^o de singue causado por um ata-
que enrgico, por quanto a sorte dos sitiados e o
im que nao de ter posteriormente, ja esto decre-
tados. A prolecco Impossivel ; o exercilo pa-
raguayo nao veni, e se vier ficara' perdido como o
de Uruguayana, e como o que foi desbaratado era
Yatay ; isto claro como a luz que nos allumia.
i Lipes cntrou as cegas ealluoinado na conten-
da. Dlxou-se slitamente engaar; os federaes
offereceram Ihe, os blancos tambera olferoceram-
Ihe, e outros que nao Ihe offerecerara fizeram-o
crer pelo menos que Ine poderimt dar o que agora
Jhe negaram veudo-o em to critica situado.
A nao ser assim, como explicarse o fado de
om exercilo invasor adiar so reduzido era lo dias
ao estado em que vein is o de Uruguayana. depois
da derrota de Yatav, sera protocolo de especie al-
guma t
Nao resta, pois, a menor duvida :
Lopes foi r.ruxitlcado como Christo entre dons
l.adres, con) a diOerenca que este um ladro
criixlfloado entre ouiros'dous.
y > Vi liando questao de atacarse ou nao, con-
cluir! diiendo-te que a oplmo que prevalece, em
geral, entre os cheles argentinos e orientaos, a
de efectuarse quanto antes o ataque, e asseguro-
te que urna vez que saiamos desta macelo e possa-
m is dar um novo dia de gloria a' nossa patria, pego
aocoiqao Isto seeffectue o mais breve possivel,
apezawR nao dever realisar-se to prompiaineule,
a julgar por cortos dadus que tenho.
t Dtr.es-mc, Horario, que de=ejas te remeta
com a raaior brevidado o artigo que te offereci de-
nunciando o< trahalhos do circulo de Gorreras no
Paraguay. Darnos lempo ao lempo ; est esta' a
chegar ; qunnlo maii se vive mais se aprende. Temos a' vista jornaes do sul do imperio, trazi-
Rao duvides que Esligarribia linha ordem de dos pelo vapor francez Guienne, com dalas do Rio
dirigir a sua marcha al ao Sallo o de favorecer o at 21 e da Babia at 7 do passado.
movimenio que preparavam os blancos ; isto estaj Alm do que damos sobre as rubricas Exterior e
provado. Interior, colhemos dos jornaes o que segu :
...............' S. Pallo.As ultimas datas sao de 15 do pas-
Envio-ie a resposia qus deu Estigarrilhaa' no- sado.
ta eoHeeliva que Iho dirigirain os ehefes do exer- No dia 6 liouve um sinistro na via terrea, que
cito alliado. Esia ultima diz-me o Sr. general quo as.^im relatado pelo Gormo Paulistano :
esta* era poder de sua senhora ; supponho que na A chegada da locomotiva e dos carros at a'
dala desia ja' ha de ser coonecida do publico. estaco do bairro da Luz desta capital, anuunciada
e Receberam-se uoticias do Paran' : para hontem, anciosamente esperada por extraor-
O exeroito Paraguayo retroceden, apezar de dinario concurso e com festas previamente prepa-
terse dito antes que se eslava fortificando sobre o radas, traduzio-se infelizmente em um dia do tris-
" *
assislio a brigada oriental e a brazileira qae Ihe Europa, tambera consagrado pela nossa legislado,
esia annexa. j qUe o applica ao recrutamento do exercilo, e a de-
A ceremonia era solemne e ao mesmo lempo signago dos corpos destacados da guarda nacional,
bonita; o tempo eslava encantador, e o sol arden-' deve ser applicado, no interesse actual da guerra,
te como os olhos de uraa paraguaya enamorada. ao servigo ordinario da guarda nacional;
Acabada a missa o exercilo destilou por dian- O conselho de ministros:
ta da leuda do general, junto a qual elle se acha- Visto o art. 2o do decreto n. 3,J9I do correte
anno;
Ouvidas as seeges de jostica, marinha e guer-
ra; provisoriamente decreta :
Art. 1* O cldadao gnarda nacional que por si
memos, e SobreK,do "" mnnlc5es, o Sr. mi- mais do tamanho da primeira, signes pelos quaes
nistro da guerra fox I" Pareci "mP'Ssivel. se pode verificar a falsidade d nota .
Isso, e a leaJaoV -"omniu1?,fra ^lamaM-\ De Nitherohy tinha negado corte um Cor-
Iha ao Imperador, o p> veilawento de lodos os po de voluntarios com 300 pragas
homens aproveitave?, sao .ervicos que o paz Ihe Chegra, procedente da Bagia, a corveta ame-
levar em conla de tas pagadas cu pas, se as ncaa lamala.
Mj Ficavam a sahir para o Rio Grande do Sul o
Alera das noticias da gtwra uma veio hontem transporte do guerra Leopoldina e os vapores //j-
pelo Mersey (que desta vez adn.ntoa um da a sua I perador e Diligente.
chegada) que da maior ponderado para o gover-1 A corveta encouragada Brasil ja' tinha chegado
, lio argentino. O seu commissirmsdo era Londres, I de Santa Catharina para o Ilio Grande, no dia 11
apresentar outra pessoa para o servigo do exercito (Sr. Riestra, eslava em to bom camlnlio de alean-' do passado.
por tempo de novo annos, com a idoneidade regu- jar o empreslirao de 2,000,000 encarregado de L-se no Jornal do Commercw :
lada pelas leis militares, Acara isento nao s do re- levantar, que tavla obiido de um banco o adlanta-1 i Por aviso do ministerio da marinha do 11 do
crutamento senao tambera do servico da guarda ] ment de 200,00^ al a realisago do empresti-1 correte foi mandado incorporar a' armada, pas-
nacional. mo. Desle dinheiro chegou hontem mesmo ao | sando moslra de armamento, o vapor Ledo, sendo
Se o apresentado j liver servido, o prazo sera de governo melade, deveodo as outras 100,000 & vir! na mesma dala nomeado para commanda-lo o pri-
SCn fHOftL.. a k.....- iD0 Pr."imo PaQuete. meiro lenle Joaqoim Cardso Pereira de Mello.
O substituido responsavel pelo que o substituir., Menos pela chegada da somma em ouro, do I Consta que este vapor sera' empregado no ser-
iado de grande diantamento, e ter. lo a maior par-
te do seu machinismo as>enladi.
Tendo o governo imperial declarad. haver
ineompatibilidade no exercicto -imulian-o rfo cargo
de presidente da provincia coin o Oe eonsclneirn Je
eslado, o Exm. Sr. conselheiro Soet* Praaro uptoa
por este, passando a adminisiragao da provincia -l>
Rio do Janeiro ao vice-pretideute Jo- Ta vares
Bastos.
Lose no Mercanlil de Santa Citharina :
Ante-honlem o, odia amanhceu amear-anJ .
tormente
Ao ineio dia cahio rc>entinam'Tt.! obre a ci-
djide um terrivd furarao de veno *. D., aeomia-
n.iado de ciiuva e coriseos, que felizmente doroa
apenas meia hora.
O oriente lornou-se itindottm, as faiscas elec
tricas repetiam-se a miud.. o mar |.)ri^n-*
encapelado e o
y Otes. Torna va a fallar-se da reuiao do exer- anlecedente lerao o mesmo premio e vencimentos
cito entroriano pelo general Urquiza, qne flcava concedidos aos voluntarios do exercilo pela le de
em Sania Candida.
Sobre o Paran' nada tinham
guyanos alera de saquear o que
A nvaso da provincia de Santa F nao foi mais
do que tima balela que ja' ningucm acreditava.
A nossa esquadra flcava tranquilla no Rincn
de Soto.
O paquete inglez Mersey levoa a Bueoos-Ayres
I ao Sr. Thornton a sua noraeacao para vir uo Rra-
! sil em inissao especial reatar as relaeies diploma-
ticas anglo-brazileiras. O Sr. Thornton apromp-
lava-se para subir o Urosnay e ir a' fronteira bra-
zileira comprimentar S. M. o Imperador. Nao
| havendo questao nenhuma que discutir, mas tra-
1 tando-se smente de realisar uma mtssao previa-
mente ajustada entre os dous governos, c de sup-
por que elle aprsente as suas credenciaes all
mesmo.
de Paula da Stlveira /-o6o.-
co de Paula Souza.
Em additameulo ao que damos em outro par-
apparelhos precisos, garrir, bal. a d. iaae em fren-
te ao estaleiro do Sr. W.-nre-iai, levada peo
rento e mar a Rita Man al.'i ettMgat) dar fundo.
. Um bota fo ganno f >i a praia em frente ao
morcado.
i, .
cer mo-1 no caso desercao, or espaco de um anno, cornado j que pela pro7aYo crVdo. qae"M EroTa "aciioVo i vifo'co'lToca^o Vo Zn7Zr"v^sll JFEIZIZZXP^ TZ lA !",e,u*i'u-
Crarnzu do da em que jurar bande.ra. geverno argentino, a praca manifestase aqu j belecer entro o'liio do Jaue.ro e o lio Graode do Z'no l* a "ra'a W *" SOrl0S "
d Gelly1 Arl 2. Os apresentados nos termos do artigo muilo satisfeita, e uma baixa no valor do ouro I Sul. ou porro. -^
- pronuncioa-se logo. Entro, hontem (10, o .ransporte de (raerra i^nSTe ft^StolC mi n\ 7Sl
. As rolhas de hoje exultam le prazer com a Vnncrza, trazeudo datas de Porto Ale"re at 1, Hin d S i' J^t^Jl" a de setembr,0,- de 18b;, "r ']a m^- Pfcm ato o rescate da moeda-papel... I fio l.nha chegado da campanha not.cia alguna
podiam pilhar. pendencia e do^imperio -Mrquez de Olinfa.-'o- ( Psl0 qqa nSo ha mas notil.,,. mil i tares,! cora data posterior a qoe nos troiixe o ultimo va-
Forliflcavam-se e diziara esperar o presidente Lo- t Thomaz Nabuco de Araujo. Jos Pedro Dm polticas, ou financiaes, conslulam-me dar uma que, por do Rio da Prala as foHns do Rio Grande
pez para emprehepder operaSesjor Ierra e agua, de Carvalko.-Jose Antonio S.iraicn.- Francisco leio na Nacao Argentina de hoje. sem reserva de aqenas eccontramos algumas das partes olli.-iaes
Dr. Antonio tranas-1 nenhuma especie, e antes seguida de amenos com- da batalba de Yaiay, alii recebidas por um barco
mentanos: casa-se o Sr. r. Elizald, minislro de vela chegano de Bnenos, e cartas de Bag o de
de relacoes exteriores desta repblica com o Sta. Saut'Anna do Livraraenlo quo nada adiani.im ao
te, transcreveraos do Jornal ti Conmereto a carta LXManoela Leal, Hlha do Sr. ministro residente que sabamos,
do seu correspndete em Buenos-Ayres, de U do do Brasil em Buenos-Ayres. L-se no Commercial de 1 :
passado: i E'ella uma formosa e elegante menina; elle,! Hontem efTectiiJU sua passagem para e>la ri-
b\S^nJ!^tL^VSM ***?** *}*!*><&> poltica, um dos mais :dade o esquadro de cavnllarfa do municipio de
je, ira adiar o Caimel em Montevideo, me permit- dislinclos cavalhe.ros da sociedade argentina; sao, s. Jos do Norte, ao mando do Sr, maior Genuino
te escrever esta cana a ultima hora, para commu- pois, alta e reciprocamente dignos. da silva Ferrelra, contendo esso esquadro mais
mear o que de hontem para lioje tem occorndo, ou : Da Naewn Argentina, rolh de Buenos-Ayres, de 200 homens, os que aqu desembarcaran., fal-
sa lera sahdo, e que nao deixa de ter sua impor- trancrevemos as seguntes linhas : lando lalvez mais 100 guardas
lancia. Poderia mesmo ser que emquanto a hora : Devenios annunciar aos nossos leilores o pro-
de fech ir amala nao chega viesse alguma cousa ximo eniace do actual minisiro de relices exte-
da Uruguayana. Chegou hontem o vaporzmho es- riores da repblica com a bellissima e sympathiea
perado do Paran', e parece qus esta' desmentida ftttra do Sr. ministro brasilelro Pereira Leal,
a noticia da invasao de Paraguayos no territorio, liste enlace esl< ^estiuado a fazer estrondo era
de Sanla-F Nao s anda nao apparee.eu a forca nossa sociedade
que aqu se diza ler passado
noticias muito modernas
DIARIO DE PERNAMBUCO.
. nao s |iela espectabililade dos se o de dius grandes botes, o OS bros. guardas
sado pira o unco, in' noiTOScomo principalmente porque a opiniao pn-; reuniam as suas saudacoesque to hem mereciam, recrus
deGoya, e alguma, de bl.ca l.,via collocado cora raz.io ou nao, o nosso sempre acompanhadVs essas manifstacoes pelo dTsererowraa
carcter insuspeito, eortlfieam que uenhum mov- intelligente ministro na categora dos refractarios
ment de forcas paraguayas bonve por aquelles contumazes em materia de casamento.
lados, e menos anda para alm do Paran'. o matrimonio do Sr. Elizalde ser nm golpe
c O coronel Telmo Lpez, que se dizia commao -. de morie para a consiellacao dos celibatarios. Sem
dar a invasao, adiase, ou antes achava-se em Bel- base e sem rumo, em presenca da apostatasia de
la-Visla, uo exercilo paraguayo, d'onde segua lo- um dos seus grandes sacerdotes, o solteirismo vat
go para llumayta a aprensetar-se a Lpez. I perder a cahega, cahindo em breve no florido abys-
Com esse coronel foram elfeciivamente, par- mo que se abre a sens ps.
tindo de Entre-Ros, o Sr. Antonio de las Carreras Quanto ao mais, nno se dir que as relacoes
diplomticas entre o Brasil e a repblica Argenti-
na nao ce acham no melhor estado de cordi&li-
Os navios jogavam deinaaMM Mate, e os av
?i)res Imperts*, tmparaa e fnmie, r.-ceian-
dO que a lormeula se prulongMsp, aeeoderam as
caldeiras.
O lancharda capitana do pop i, \ ; ia .lesem-
barear us recruias che;,'a los da iV,;.- ,i, v., ,>r Jn-
> '/ \n, ja' e;n meia flagean, apanhou o tsfie e le-
vo de arribar, fUflduaa ki em frente a ra do ovi-
dor, a lo bragas de di-! meia d>cae>.
a tempestada augmentava e o v. ni o rerrude;-
que em pouco, Cia o lancino garreo < v.ul.a de nemwn ar ce
aonde sena despcdaeadOt
Ah deu-se uuu vordadeira scena de terror e
anxiedade.
As ondas encapelladas vinhara eanednyr n
sobre a muralna, algaodo a lanehio r.>m iiu
a sua iripolaco e doueoOctaes qoe iaaa k-jacw ><
u elemeiNos, e em ri-. >
hym'no nacional, executado pela banda de msica "VFid\npn^S'ihJ'W''Vii.,:,!''rri -
ttS&JSbrr,sLa,i,r6te0U^ ^*-P^rSr'.^\! ta
que cavalleirosamente, anda quando o esquadro ros Torreo, que hincando mao d- im cabo i
ZTZ?7 SUbUrbr ,V"! -1 Cl k C"0Car- ul liuis" ad0 So r. fr.' "inrio.- S-hot, r\],
se a frente desse punhado de cidadaos brlo-os,oue rcU aind-ntn i,Ji i, i .r.;.......~.-.
deixavamaps s^ lanas e tao bellas rcordes. 5^6*X a paS SS?Z2To
Essa msica acompauhou o esquadro ate es-
ta cidade, e ao chegar ao nosso pono outra banda
dias aqu estarao.
As despedidas feitas pela povoar.ao da villa d >
Norte foram locantes o entliusiaslicas : no liltoral
I o povo saudava os seus irmaos aoe partiam, ja'
euto embarcados a bordo do vapor /{< Grandrn-
e outros eoigrados oneniaes que julgararn nao po-
der licar ani, ou ^ue spus serviros immediatos se-
riam de vantagem ao Sr. D. Solano.
Algumas particularidades interessante dessa
viagem, o do que os Paraguayos sao fazera^son-
berara-se pela correspondencia quo Carrera "
oiri-
que se eslava .
Santa Lucia, arroyo que fica a lo leguas, do outro teza geral, e taivez de luto para algumas familias gia a seu irmo e outros amigos em Montevideo,
lado de Goya. desta capital. [ a' qual achavara-se juntas cartas de outros seus
Para-
t Retrocedamos um pouco para relatar com afi-1 companheiros de perigrinacao
delidade que nos for possivel este acontecimento
Es toda a esperanga que podera ter os
guayos da i ruguayana 1
c E.n (tapa nao baria mais que 200 paraguayos desagradavel.
e prov.ivHi que aesta hora tenham tomado o ca- I c Os vereadores da cmara municipal haviam
minho de Yntay. (1 dirigido convites a diversas pessoas gradas para
Por ser Hoje anniversaritWlpindependencia do um copo d'agua no jardim publico, e as-im solera-
Bra-il, nosso alliado, o gensraf Flores expedio ao nisar a primeira viagem que ia ler lugar pela es-
exeretto a seguinte ordem do dia : irada de f.^rro, desde a cidade de Santos at a es-
Acampamento em frenie Uruguayana, 6 de tago terminal desta capital,
seiembro de 1863. i Alm deste convite dirigram outro reunindo
1* Amanhaa 7 o anniversarlo da indepen- no lugar da Mooca muilos dos seus concidados,
dencia do Brasil. Como adiados e amigos do Bra- para que, embarcando ah nos carros, fizessem uma
sil e do aovo brasHeiro, a balera do exercilo or- entrada solemne e festival na cidade.
natal da -a urna salva de 21 tiros urna hora da Como era de esperar, o concurso de povo, a
tarde, arvorando as bandeiras brasileira, argentina agglomeracao de familias as immediacoes da es-
c oriental, occupan.-lo a primeira o centro. laijo, erara extraordinarias, apezar do lempo Irio
2o Por ordem do general em chefe do exerci- e hmido que se ostentava.
to oriental e da vanguarda, o chefe de estado- Chegou aioal a hora aprazada, todas as alten-
mar t, s>gun lo chefe do mesmo, passar ao quar- goes se voltaram para ouvir o sybillo d locoraoti-
tel-geoeral .11 Exm. Sr. bao de l'orlo-Alegre, va, que pela primeira vez ia soar no formoso largo
.general em chefe do exercilo do Rio-Grande, para da Luz. Cim effeito, poucos minutos depois do
felicitar a S. Exc. pelo anuiversario da Indepen- mel da ouvio-se ainda a grande distancia o asso-
dencadipovo brasilelro e pela prosperidade de bio que revelava a prxima chegada do irem.
seu digno m.marcha.
3 Amanha nao lerao exercico os corpos
qu^ formara o exercilo da vanguarda, os quaes
permanecern com bandeiras desenroladas na hora
da mostra.
O estado sanitario do exercilo continua hora ;
s entre os Paraguayos prisloneiros so reproduzem
to i is os dias casos de epidemia e outras enfermi-
dades.
t Ate este momento nao tora havido noticias do
Imperador e menos dos commissionados que o ge-
neral inandou ao seu encoutn.
illoje devia estar de volta o almirante Taman-
dar, mas duvido que isso se realise, era conse-
quencia Agrade^o le, II iracio, as noticias particulares
qne me enva-tes e espero que continu como al
aqui propnrcionando-me esse prazer que paga
Os leitores que nos desculpem o mal encadea-
do desta noticia. No momento em que escreveroos
ainda nos achamos sob a mpressao de profunda
emoco que a todos assaltou. Ao lempo em que a
caravana triomphal de carros precedida pelo wa-
gn devia desponlar as iminediagoes da estacao
ouvio-se um grito annunciando que o trera se ha-
via voltado, precipilando-se pela rampa abaixo, de
uma altura de mais de lo ps...
A confusa) e desgOdo que enlao se seguiram
nao se descrevem : grande parte do povo correu
ao lugar do sinistro e ah r.-conheceu infelizmente
que um desastre se havia dado, produzindo uma
morie, alguns (orinientos e contusoes.
Pelo que ouviraos enlao referir, o fado pas-
sou se assim :
A' hora aprazada embarcaram na Mooca mui-
tao pessoas gradas, entre as quaes o Exm. Sr. pre-
coni usura o tiabalho (leve por certoj que causa sidente da provincia, as quaes precedidas de musi-
estas correspondencias. /
Sao encerrare! esta senao ultima hora, para
te avis ir de alguma cousa que passa occorrer.
Receberam-se noticias do Imperador : dirge-
se a Algrete, 20 legua< de Uruguayana ; mandou-
se preperar uraa casa para aloja-lo.
t o Imperador vinlo a cavallo em um dos ulti-
mo- das, tropecou o cavallo e cahio. Tambera
sastres seguintes :
Morto: o machinisla, esraagado debaixo da
segunda locomotiva.
t Feridos e contusos gravemente : os Exms. Sis.
barilo de Itapetininga ; Dr. Joao Ribeiro da Silva,
Cesar cabio p'assou o Rubicon.
Esta uma coincidencia como qnalquer outra,
porm bom que ella conste na hi.-tona, por pou-
cos ares qae eu pretenda dar-me de Tito Livio ou
de outro qualqoer.
Amanha 8. dia da Natividad?, se celebrar
nni i missa, ofDciando o padre travesa, capellilo
do exercilo.
< Nada mais. Recommenda-me aos amigo; e
ere lome leu amigo.Jos C. Bastamente. medico e vereador da cmara municipal ; Dr. Joa-
t Sempre em frenie Uruguayana, 8 de setera- quim Justo da Silva, medico e vereador : Rocha
bro de 1863. Miranda, concunhado do Exm. presidente da pro-
t Meu querido Horacio.Minha corresponden- vincia.
cia de lioniem chegar junto com esta por se ler Feridos e contusos levemente : conselheiro Dr.
demorado a sahida do correio at ver se chega Joaquim Ignacio Ramalho, conselheiro Dr. Vicente
hoje um proprio. Pires da Molla, coronel Joaquim Floriano de Tole-
t Chegue ou nao chage, a nossa corresponden- do, coronel Antonio Jos Osorio da Fonceca, Dr.
cia satura demadrugada. Vicente Mamedo de Freitas, mejor Sebastiao Jos
Aprecome a participar-te oque de mais Rodrigues de Azevedo, Joo Ribeiro dos Santos Ca-
importante que nao deixar de alegra-los. margo, Dr. Jos de Calasans Rodrigues de Andra-
Teuho esperanga fagueira e bem fundada de de, commendador Fidells Prates, 1 lente Henri-
qu: n;io correr sangue. que Luiz de Azevedo Marques, Joaquim Roberto
Recebeu-se hoje uma nota do coronel Estigar- de Azevedo Marques, barode S. Joao do Rio Ca-
ribia na qual pede aos representantes dos gover- ro, Rento Jos Alves Pereira, Custodio Keruandes
nos alliados se conceda em nome da humanidade da Silva, Celestino Bourroul, Dr. Diogo de Mendon-
ca seguiram viagem al a' freguezia do Braz sem o
menor accidente, com veloeldade regular. Da
freguezia do Braz em diante o machinista, de seu
motu-proprio, ou por ordem de alguem, deu toda a I
forca a machina, forca notada al pelas pessoas
pra'licas de caminhos de ferro. Deste fado (ou de |
se haver quebrado uma das panellas que prendem ) dado trazer as tropas que ainda conservar em Ba-
os trilitos' como alfli man outros) resultan que a to-Grosso, o que bem explicara a ausencia da sua
segunda locomotiva, e a primeira e segunda carro- esquadra de Corrientes I
gas que se Ibes seguiam, saltaram fra dos trilhos < Assm vai-se confirmando o que eu anda lion-
e precipilaram-se pela barranca do aterrado. tem assevera'ra, isto que o imperio nao tem mais
Deste accidente resuitaram infelizmente os de- motivo para sobresaltarse cora a guerra; ella esta-
tudo foi adiado
em (naos de am expresso, qae os Correntinos to-
raaram, enviado por Carreras a Enire-Rios.
As cartas do celebre ministro quimerista di-
zera entre outras cousas :
1 Que o exercilo paraguayo em Corrientes
conta 27,000 homens, commandados por Resqnina,
nao fallando em Barrios.
2o Que esse exercilo nehuma operacSo tem
tentado, por esperar a chegada de Lpez.
3o Que este achava-?e era Humay.', fazendo
grandes preparativos para a guerra tanto terrestre
corno fluvial.
Que as bnterias do Paran' sao varias e mui-
to iones, tendo a de Cuevas 60 pegas de grosso ca-
libre.
t Carreras diz isto a seu rniao com a sincerida-
de que natural entre irmins, porm ainda de
soppT que elle exagere os rneios do Paraguay, alim
de que, moslrando-se a carta a seus partidarios,
elles alimenten] melhores esperangas do que hoje
podera ter.
c O numero de canhoes em Cuevas indicio
desta verdade : esta' verificado que nao excedem
de 40, e elle eleva-o a 00.
t Admitamos, todava, que seja exactissimo o
numero de forgas paraguayas 27,000 homens. E'
elle to inferior ao das tropas alhajas qu-, se ten-
tar fazer defeza em algara ponto du Corrientes, vai
ficar este exerdtn encerrado rjnnsi como o da Uru-
guayana.
t De fado, so nos acampamentos do Ayuy, ou
agora Mandisvi ha 23,000 homens bra-ileiros e
argentinos, na vanguarda estio 3,00i) correntiuos,
embora mal orgaoisados muito ajudam : Flores,
Paun-ro e Madariaga, decidido oa-sumptoda l'ru-
gueyana levam s-us 12.000 escolente soldados :
eis ja 1^,000 homens contra 27.
Ha mais 3,000 argentinos aqui no Rosario, on
a chegar das provincias, e ha 13,000 senao 20,000
brasileiros no Rio-Grande do Sul, sendo 8,000 in-
fantaria.
Temos gente de mais para suffocar as forgas
de Lpez em Corrientes; e no Paraguay nao Ihe
restaro tantos que possa desfalca las considera-
velmente.
t Nem seria estranho que vendo elle augmen-
tar-so tanto o numero dos inimgos, Hvesse man-
de msica comegou a secular varias pecas, al
que o esquadro seguio a aquirlelar-se uo'edilielo
da Candade Nova.
A promptido com que acndiram ao orado
da patria esses cidadaos guardas do municipio do
Norte sobremaneira bonra-os, honrando o digno
major Genuino Ferreira e todos os disiinc'.os tlll
dade.
Gracejos ao um lado, desejamos aos futuros
esposos que a luz suave e radiante dessa la cha-
mada do inri esparja sobre a sua vida as alegras
e felicidades de que sao lo dignos.
t Da senhortta Lal nao se pode fallar senao
para tributar-lhe a homenagem devida a belleza
physica e moral, excepcionalmeule reunidas.
t () Dr. Elizalde, um dos velhos homens pblicos
mais eminentes, e to digno de aprego por sua
inielhg.-ncia como pelos inesiimaveis quaMades t'o IHm. Sr. coronel commandante superior
que o disiinguem como homem privado, qualidades o Sr. major chefe do estado-maor e outro ofDcial
qii", levando era si mesma sua mais doce recom- subalterno foram ao Norte assistir ao embarque do
pensa, formam a atmosphera purissima da feheida- esquadrilo.
de propria e dos'seres que nos sao caros, t
Eu irei mais longe, dizendo que a allianga
brasileira-argentma apparece aqui na sua expres-
sao mais cordial id est, mais do coracao.
Concluirei pela reproduegao de' duas nteres-
sanies cartas interceptadas :
t O major Duarte ao general Robles.
Sr. brigadeiro general D. Venceslao Robles.
Quayses, junho 3 de 1863.
Meu querido general.Tenho recebido ordem
do maredial presidente para me purera communi-
cago com V. S., sobre as manhas que devemos se-
guir para atacar aos defensores de Mitre. A mi-
nha posigao bastante mira, por que nao posso duas Ilustres familias daquelle municipio, e cha
avangar mais adiante, pois temo que nos cortera a mam-so Luiz Gongalves da Silva Peizoto Jnior e
retirada e nos fagara um cural, fechando-nos romo Ismael Silveira da Rosa.
a sahida das familias da praga para que sejam
transportadas costa argentina.
.Nao lulo. Ha hoje mais alguma cousa de
iniereaante.
Os portadores desta nota foram o coronel Itua-
busu e commandante Decoud, Paraguayos, os mes-
ga finio, Seralim Gongalves da Costa.
Alguus msicos e trabalhadores.
Consta-nos que o numero dos feridos 6 mais
subido, mas os seus nomes nao chegaram ao nosso
conhecimento^
E' escusado relatar que depois desse acontec
moa que estiverara ho;e no campo de Esligarribia, ment o povo retirouse contristado, e assim ter
onde forom bem recebidos por este e outros chefes miuou-se um dia que tantas esperangas lisongeiras
e oficiaes. fazia nascer.
O Sr. Ituabusu fez ver a Esligarribia a sua c Nao accrescentaremos consideragao alguma.
riste siiuagao e de seas companheiros, ameaga- A verdadeira causa do desastre ainda nao de nos
dos por um exercilo de 20,000 homens e 30 pegas, conhecida, porm natural que a polica e o go-
e ev.ieou-lhe a lembranca da patria para a qual se verno tratera de syndicar do facto.
abn .m as portas de um'vasto futuro de hberdade Ja' haviam na capital 277 voluntarios para o
e de gloria ; fex-lbe mil reflexoes, assegurando Ihe 2o corpo e diversos contingentes da guarda na-
que nao vinha pelejar contra o Paraguay, que sua cional.
baod-dra era a Paraguaya, a que eslava autorisa- Em Pindamonhagaba ama coraraissao obteve
do a levanta-la bem alto, como constava do dis- 10:0003000, para distribuir com os voluntarios qae
debellada, na apropriada exjre;so do Sr. Olinda,
e s resta colher os resultados dos nobres o patrio-
ticos esforcos que o paiz fez.
a Se aqui eslivesse a esquadra encouragada, e
com ella seguisse para o Paran' o Sr. vice-almi-
rante sem as demoras que em outras expedigoos
teem-se dado, era cousa de calcular por semanas a
uossa entrada na AssumpgSo.
a Mesmo sem os encouragados, taivez mulio II-
zesse igora no Paran' o genio guerreiro do nosso
vice-almiranle e a audacia de suas inspiragfHs.
Elle entende (desgragadamenie, no meu pobre jul-
gar) que a sua presenga aqu mais necessaria, e
a esquadra contina privada do seu digno e habi-
litado impulsor.
Das noticias que Carreras dava em suas cartas
v-setambem qae os Puraguayos nenhuma opera-
gao tentariam antes da vinda de Lpez ao exer-
cito.
Isto importa dizer qae nenhum auxilio tem de
esperar os sitiados da Uruguayana.
De resto, isto mesmo o qae condrmam as
noticias recebidas hontem de Goya; nenhuma for-
ca paraguaya e adianta para o Uruguay, e anies
forlificam-se as do grande exercito do rio Santa
Luzia I
a As noticias da esquadra, que alcangam at 8
do crreme do-a sam novidade. Continua fundea
da no Rinco de Soto.
t O Paran conlinuava balxando, de modo que
por ora nao se pedem esperar operagoes no
cima.
Chegou esta manhaa do Uruguay um pequeo
vapor, que nao adianta noticias da Uruguayana,
nada posterior ao dia 6 ou 7
cabras.
O marcchal me ordena que leve todo o gado
qne encontr, que mate lodos os pri'ioneiros que
cahirem em meu poder, e que persiga os gringos
() eos amigos de Mure. V. Exc.deve fazer o mes-
mo por l.
Os Corrcntrtds so uns tolos que nao querem
Hberdade, e permitiera antes estar como escraves
de Mitre, do que receber a liberdado que o rnare-
chal ;h.;s offerece por nosso conuucto.
Nao posso ser mais exleuso porque lenho iu-
raigo muito peno.
Seu alios amigo S. S.Pedro Duarte.
Caita de Esligarribia concubina do presidente
Lopes.
Sra. Elisa Antonia de Linch.Acampamento
em marcha, Uruguayana, agosto 18 d,e 18(i-">.
S.-nhora do lodo meu respeito e consideragao.
Com muito prazer leniio recebido o obsequio Sr. ministro da marinha,
que V. se diguou deve olferecer, demooslrando- Couio e Lamego Costa,
qual laucaran).para o lanchao em perigo o sjaaaaao
cabo, por meio do qual coa-^guio-s^, nao sem gran-
de risco, puxar o lanchao pira fra Uo caes, e&ta-
Ihando-o na praia.
A, aetividade o intrepidez doSr. eapitin .:o
pon., que arriscando sua vida fui o priaasera ajee,
despindo a farda, correu snk-re o rae-, e anim<>u
com sen exemplu a que muiiis p.-ssoas do pivo .>
imitassem, devem os ofBciaes e iripula--. q-je %
poi5 que demonstra sobejamente esse proceder as aenmra na ,|t. ,:,n,.h:V) a im s'lv.^o, na s,
merecidas sympatlnas quo elles gozara entre seus nha traac|0 mujl() ,,UV1,0S1 '
comrriHn* la dos Foi por isso qua i ai ,u e:n lodo-f.<-emblar.t's
. Oxala oeste municipio as reunioes de caval- grande sasfecoqnando vira o lanea chegar
lana tivessem por estimulo a do brioso esquadro salvo a praia.
de qne tratamos. Um dos remadores do landvo mando n viu
O IHm. Sr. coronel commandante superior (|Uasi a bater no paredo aliroB-se a. ca-s com
tal impelo que cabio da parle de dentro, mas nao
pisou-se
O Sr. rapito do porto, mpellido por um pi-
pe do mar, cahio do paredo n.. mar tnlhoii m
p; felizmente nao foi grave essa contagio.
Louvons pois ao Sr. Bama Torrea--, e ato
dos que o cojdjuvaram em obra lito mei itoria. .
L-Se no Correio \Urtanlil :
Chegou hontem (ti) a aoile do Rio da Prata o
vapor inglez Galilea da linha de Liverpool.
Recebemos por elle apenas o Sijto de 16 lo
crreme, que adianla ura dia as datas que tivenv
hontem.
Nao hivia noticia alguma de l'rtigu.-.yana.
Na noli' de 13 dn eorrenle ealur.. s. I.i e Mon-
tevideo unK^i..lento furacao. No porto tareas ae
alguus desastres.
t A barca Habana Carlota agarrou at bater na
proa do Galileo.
A barca franceza Lucie, em viagem de Cirdiff
para Bueoos-Ayres, perdea-se em f'un Stinia,
salvando se a triponcao.t
De uma caria que nos conlian, escrpta de
Uruguayana, extrahimi'S o seguinte :
I t Vmte dias ataaobramee era frente do immigo
com inteucfio de o nao deixarmos enirar em l'ro-
guayana, SOSientando a nos.-a vangn ida um (Me-
lante liroteio que o privava de carnear. Pouco se
dorma do nosso lado ; passavaOMS is r. >iie- ees
alarma, e afina! faliou-nos a farinha, o sai, e o ma-
te e vimo-nos redundes uni.-am- ote a eaeas e
esta mal assada, que t-uipo nao tmhamus para
mais.
O prego dos gneros as carretas do commer-
1 co espantoso ; o assucar, por exernplo, cu -la a
j 15000 a libra, a farinha a OJO rs., o caf a rVJiHX)
, cada libra, um cigarro 60 rs., finalmente tima fo-
O IHm. Sr. coronel Campos deve estar satis-
feito com esses seus commandados.
c Hontem, ao embarcar o esquadra.) do Norte,
apresentaram-se naquella villa ao IHm. Sr. cor-j-
nel commandante superior dous guardas de infan-
taria que pediram ao mesmo senhor um lugar vo-
luntariamente no esqnadrao que embarcava, pois
que quedara comparlilhar da sorle deses seus
concidados.
Immediatamente foram apresentados ao Sr.
major Genuino, que os receben mui lisongeira-
mente.
Esses dous garbosos mancebos pertencem a
t Folgamos de registrar pncederes que tanto
p3em em relevo os nobres seutimentos de quem
assim estremece pela patria.
Em Pono Alegre fallecer o tonete-corsnel An-
tonio de Azevedo Lima.
De Santa Catharina o pouco au* ha de iuteresse
consta aa carta que fica transcripta.
Sahio hontem a corveta encouragada Taan-
dar, n'uma corrida de experiencia barra-fra. A
respeito do resultado escreve-nos o Sr. priineiro
lente da armada Celestino Marques de Souza :
Quando o espirito publico acba-se felizmente
tao vivamente inleressado no problema dos nossos
encouragados, nao c incongruente que Ihe narre-
mos, posto que de carreira e toscamente, o que
acabamos de observar na experiencia recem rea-
lisada pelo raonit ir Tamundar.
Erara 4 horas da tarde, e e-tanlo ja' a bordo o
os Srs. chefe de divisad
aquelle encarregado do
Iha de papel veode-se aqui por ICO r- I
"f^".'SLniane,ra .qU" V' tTS&TofX&i 'IUarle STrA}- da n,ann"a' e e'1e infpfCtor d A3 deago-lo deaaboa trem-nla timiaiaW.
soldado paraguayo, a quem S. Exc. o Sr. marechal arsenal o Dr. Capanema, cemmandinle do vapor a|aganJo ,; e asim ,,urou 0 lom,0 a|l; dJ4 ,e!
presidente da repblica, em sua alta sabedona, Leopoldina, e os Srs. Level e Braconnot, largava o RUjDie
destinou para cora.ua.idar uraa forca era opera- navio a sua araarraco, e seguia de vagar por en- j MuUas vezes adjanlamo D05 aIl; a Tausuarda a
goe, contra o in.migo da nossa patria. tre os navios, afim de ganhar melhor lazeira para I pr,.eilcar 0 rolein e oao polll.as ta, pa,.,avam.
Queira V., mlnha dislincta sennora, solicitar poder andar toda a fo.ga. Ia o navio prempto a 'zuu(i.DOS aoj novids
52.****.l e arden1.9 dMeJ ""|l|".M!1:. fazer viagem, e eslava 7 ise 9 poilegadas, sendo j Era bas,at ap|,ar'ecer um hemem para ;
os Paraguayos Ozessen uma descarg;.. Em g--rji
bato nossos inimgos e injustos ggressores, tenho 0 fCU calado medio de 8 ps, mas carregade de
muito presente, como leal paraguayo, a pessoa de combuslivql 8 ps e 3 poilegadas, leudo toda a
S. xc. o Sr. presidente da repblica, que nossa couraga assentada.
estrella e verdadeiro guia no caminho spero da o navio acha-se euconracado, porm nicamente
v'da. pelo cotado", fallando s-l iu casamata para po-
Tambem nao tenho deixado un) s momento jer emprehender viagem com toda a seguranga.
de rae lembrar de V., e posso asseverar-lhe que o que observamos nos salislez plenamente, e
cada vez que tenho tido o iuimigo frente, miuhas demonstra luz meridiana, convence aes mais
oragoes pela prosperidade de nossas armas, depois scepticos, a possibilidadede de conslruirmos nos
de Deus, tem sido end'-recadas a V.', que sei que tambem monitores to bons corao esses to cele-
sempre vela e pede a Mara Sanlissiraa pelo feliz Dres dos Araeaieanos do Norte, esses verdadeiros
xito da cansa do Paraguay.
Queira V. acreditar-me de
j elles aiiram mal, e nesses tiroteos, e:n qae ^ i-t.i-
| rara para cima de 13,'HX) cartuchos, a tenas r..n.-e-
guirain ferir ura cavad > nosso......,..........
t 2 de setembro.Estamos sitiando Urugnayaaa
onde encafuaramse os Paraguay >- eni numero de
7,000 homens, sem (|ue possam apparecer lora das
trincheirasque cooslruiram
c Deves saber que a 17 do passado Klores l.ite i
cadveres flearam n*>
todo o coragao seu
affeelissimo servidor e dar minhas saudades muilo
carinhosas a tod.is as ciiangas a quem aprocio e
distingo como devido.
Estaoccasio proporcona-mo o prazer de com-
primentar a V. com toda consideragao e aprego, e
repetir-raeatlencioso e seguro servidor, que beija
seus ps.Antonio Estigarribia.
. o inimigo em Yatay t 2,OiW
| Ashavents da tradicgao, em tudo e pnncipalmenie | campo e i:00 prh\r>nerios ; o resto extravia ->.
as industrias. i Eu estive no campo da batalba duas horas depois
Ao passarmos pelas fragatas Astre e Nara-1 d0 combale e horrorisava a vista o campo juncada
sus (franceza e ingleza) tocaram ellas o hymno bra- ,je cadveres,
sileiro, e compriniementaram-nosaindr amando-se :
as respectivas bandeiras, o que foi relribuido de
modo idntico. Entretanto, o Tamandar, ufa-
no e garboso, sulcave galantemente as aguas espe-
Ihaticas da formosa bahia de Guanabara, e s 5 ho-
20.000 homens e brevemente
brasilelro qae ousaram raan-
tincvo que traziam sobre suas barretinas, que
elles combiara o systema brbaro de Lpez e nao
a seus compatriotas.
< Esiigambia abragou o coronel Itusbusn com
afasia e proraoileu responder, minifestando-lhe
que entre elles haviam opinies diversas. Esta
ultim parle muito significativa.
Creio que se nossa rtilharia estivesse eolio-
ca>la a a micos metros da trincheira paraguaya, es-
aas opmis se converteriam todas em uma
absoluta
c s antes de sahir o correio houver alguma
cousa de novo, te corarauoicarei.
No dormirei esta noite, farei de sentinella.
Hontem regressou o coronel Magariuos de saa
misso junto do Impera lor, o qual flcava em S.
Gabriel a 90legms distante daqui. Sua Magesta-
de r.ontava sahir d'alli com direceo a Algrete a
se alistarem.
Havendo o coronel Drago pedido viveres para,
a expedigo que commanda, o presidente da pro-
vincia deu as providencias precisas.
Escrevem ao Diario :
c Ja' passaram a ponte da capaila, no rio Tiet,
cerca de 200 a 300 Indios, pertencentes a'tribu
que foi a' essa capital buscar fornecimentos. Ma-
tarara Francisco de Souza Ramos e mais um genro
e um fllho do mesmo. Sahlram ao encontr dos
s e Indios 12 pessoas, e mataram o capito que os di-
riga, chamado Jos, o qual sendo baleado tres ve
zes, para o acabarem de matar foi preciso erapre-
gar a faca.
Dizem que elles vo a' essa queixar-se ao go-
verno, e dizer que nao corametteram taes vanda-
lismos. O que o governo deve fazer envla-los
para Santos na locomotiva, e de la' para o Rio para
4, rt,a seguinte ao da partida do coronel Magarlnos.. "^A'noi.CTjndicava as causas
Ocoided'Eiieoduquede Saxe, genros do
do sinistro da
.nraueuoncuomiusuo o.no, 8ouiuj u -.... nara .rneeder ulteriormente
Imperad ,r, aompanham Sua Magostado, bem co-1 Vl^f^SfftSSEfomm '
mo ouiros personagens. cavallaria da guarda nacional offereceu-se para
f O general recebeu ordem do Imperador na marchar para o theatro da guerra, com o sea cor-
qoal este Ihe faz justga, agradeceado o presente po composto de 300 homens.
que ihe fez da bandeira paraguaya tomada pelo Um marinheiro do patacho argentino There-
meu batalhao na aegao do dia 17. xa, assassinoa a' ura seu companheiro, sendo preso
0 sea maior desejo conferenciar com o ge- em continente.
de onde parece que
havia chegado a Concordia.
O que s.m consta-me e ter o Br. marechal Oso- da voluntarios da patria,
no receido communicagues ofiiciaes, que davam r
o Imperador a chegar ao Algrete nos dias 10 on
II, e como d'ahl a Uruguayana ainda' ha 2i leguas,
parece que nao antes do dia 15 estara no exercito
do Uruguay. Dest'arte desvanece se a esperanga
fle que S. M. presidisse desde o comego as opera-
goes contra aquella praga.
t Nao se acredite, porm, qae hoavesse lentidao
na viagem do Imperador; muito pelo o contrario
ella lera sido to toreada, e debaixo de tempo to
cr (chuvas, temporaes. etc.,) que os propros sol-
dados rio-grandenses que vinham com S. M mal
resisliam, e lalvez alguns suecumbissem.
t E' que o Imperador reconhecia a urgentissima
oecessidade de chegar a Uruguayana a tempo de
dirigir o ataque.
t Mas nao sesupprimem as distancias, os nume-
rosos rios sera pontes, os banhados de leguas de
extenso. E, pois, gastaram-so 6 ou 8 dias em
viagens que no vero far-se-hiam em tres.
t Os sacrificios de commodos que lem feito, as
verdadeiras privagoes que o Impprador tem soffri-
do, a ponto de passar 21 horas sem alimento, taivez
nem se acreditem ah. No enlamo s5o factos tes
A companhia intermediaria comprou o vapor ras em ponto eslava emparelhado com Santa Cruz,
Inglez Itero por 130 contos de ris, e mudando-lhe em coja altura o mar comegou logo a tornarse
o nome para S. Miguel. I mais ondoso ; seguindo sempre em direcgo a' Ra-
Suba a 9:637380 a subscrpgo para o |sa> qQe disia de Santa Cruz 9 milhas, vir'ao para
Asylo de Invlidos da Patria. dentro do porto as 3 horas e 27 minutos, marcan
Fui nomeada uma commissao, compqsta dos Q0-se ento aquella ilha ao SO 1|2 S, e justamente
Srs. Drs. Carlos Arthur Busch Varella, Joo Bap- no mesmo espago do tempo eslava de novo cora
lista Pereira, Jos Joaquim Machado, Luiz Joaquim \ Santa-Cruz; do que lira dito collige se logo (alem
Duque-Estrada Telxeira e Agostinho Marques Per- j0 qUe Ddicou a barquinha) que a marcha do na-
digo Malhelros, para organisar um projecto insti-! v0 regulou entre 7 12 miihas a 8 milhas, havendo
Kuindo no imperio os registros criminaos. ; 18 libras de pressao por pollegada quadrada as
Nao se achando ainda em execugo o Asylo paredes da caldeira e 123 rolages por minuto, es-
de Invlidos "iBudou o governoque sejam reco- tando o naviu immerso.como dissemos, 7 p. 9 p. e
Ihidos nos i ectivos quarteis, perceb9ndo as van- 2 1|2 ps nicamente fra d'agua.
tagens que liAs competeriam se estivessem era ser- < Quando mais mettido cora o assentamentq da
vico activo, as pragas da armada inatilisadas em couraga que falta, deve o hlice mergulhar mais, e
combate. deslocaudo mais agua impellira' tambera melhor o
Por decretos de 30 de agosto foram iguala- navio, e Ihe assegurara' 8 milhas de celeridade, o
dos os guardas nacionaes designados para o serv- que salisfzz pleuamente ao caso da Humana'.
Temos agora
limparemos o slo
char.......
Al depois da tomada de Urugnai ana !.....
Baha.Continuavan a affljir a ca nt.t os c *-
(ingentes da guarda nacional, deveodo em breve
chegar dous batalhoes da Cachieira, rada um -lel-
les com 400 e tantas pragas, <- um de SjoIu Amaro*
que j tinha aquartelladas 300.
Fallee.era.n o antigo negocianle Antonio Ro-
drigues Paranhos e o cirurgio Jos Gongalves
Muugo.
Enlre os offerecimentos feilos presidencia
da provincia, para as despezas da guerra, sobre-
saliera: o do Sr. Jos Sizenando Leitc e sua mulner
de 10:6725617, imporlaniia dos bens SJBB herda-
ram de seu sogro e pai o baro de Rio Real; e o
do tenente-coronel Manoel Lopes da Co*u Pialo
de 7:0005, alm d'nma annaidade Ce .vOW, a
comecar do anuo de 1866, em qiun > durar a
guerra.
Na povoago de Cacub foi assassinado Pe-
raphim Jos de Almeida, por mandado de sua
- As agulhas (da btacola eestaudarle) divergiao pr0pria mulher, sendo executor o cabra Joo. es
! entre si 2 quartas.eslando porm certa a agulha es-, craVo, com quem ella entrenaba retacGes licitas.
MarFecha,Tde0crarapdo03gnduado Lopo de Alraeida tandarte pelo queobservoii-se acerca da direcgo I ^0^ arabos" presos.
Henrique Botelho e Meno, para commandante das rumo,dad,0 ,ao Davi? PortC^Z sa 11, ain-! k Zi',E 2S?! -
', p r da costa de leste. Entretanto isto nao sausiez ain- i,r......i
da maito bem, e ha processo facis para determinar-
se o erro ou desvio provenate das grandes massas
de Ierro circamadjanceotes a ellas, corao nesle
caso.
c Nao s o navio recebia airosamente a vaga
pela proa, como os seus balangos eram doces ; tu-
do, pois, nos annuncia que o nosso primeiro moni-
tor, aproveitando uma quadra favoravel, alcangara'
sem novidade as aguas lodacentas do Rio da Pra-
ta, e assim poderao todos os deraais monitores se-
guir o seu rumo de sul para a grande cruzada con-
tra a barbaria dos Lpez.
Honra, pois, ao constructor que, sem ler mode-
los a' vista, como soe acontecer na Europa civili-
I sada, aprsenla o primeiro specunen de encomaga-
- Acorea das notas falsas do Banco do Brasil do ,o vantajosamei.te apreciado por todos nes.a
cor de rosa e do valor do 30* diz o Jornal do Com- exper|encla ; e honra tambem ao engenheiro que
"o : to bem soube calcular todas as difflculdadss da
Do exame feito na repartigao da polica resul- machina, e dolar o Tamandar de um machinismo
Joo Francisco de Moura Cuoha para agente do
Rio Formoso, na provincia de Pernarabco, por
demissao concedida Antonio Pereira da Rocha :
Joo Landelino de Alraeida Andrade, para aju-,
dante do mesmo agente.
Foram exonerados :
Gongalo Nunes Leilao, de agente do correio de
Prince imperial, no Piauhy ;
O Dr. Fidencio Pedroso Brrelo de Albuquerque,
de 2o cirurgio do exercito, seu pedido ;
Jos Joaquim da Silva.de tenentc da guarda na-
cional da Parahyba, no exercito de operagoes ;
Ignacio Toletuino Frazo, de alferes da dita do
Marnho, idem.
temunhades pela nao pequea porgo de homens ta : 1, que comquanto 9 irabalbo feito seja de ma- lao exceiiente.
desde principes at soldados, que acorapanham Sua
Mageslade.
1 Qa o paiz o saiba ao menos, o qae... jamis
o olvido.
As torgas de infantaria e rtilharia qae mar
neral. Minas-Geraes.Pelo delegado de Poaso-Alegre cham para o Uruguay, arada nos primeiros dias do
Jli) Herrera adoecea em camiaho, porm o foi coodemnado por crime de injuria o Dr. Antonio mez nao tinham ebegado ao Algrete, mas su ces-
seu iocoramodo no grave; tinha urn mdico, e
de suppor que brevemente fique restabelecido.
1 Doa esta noticia porque snpponho com ella
obsequiar a fimilia ; avade bem o que sao boatos
augmeoudos por amigos offl>i3sos. boatos esses
que pid-m chegar ao conheciinenio della. Esta
a verdade para, e do contrario nada dlzia; deve,
pois, trtnqalllisarse.
Candido da Rocha, juiz de dlreito de Jaguary. sivamenle iro chegando, sendo que vai bastante
Ro de janeibo.Foi publicado o seguinte de- adiantada a brigada composla do batalhao de per-
cret0 manntes, dolis 06 voluntarios o nm corpo de arti-
Altendendo qne a subsiitulgo no servlgo, que Iharia, tudo as ordens do brigadeiro Forites.
todos sao obrigados a prestar em derea da patria, Sao timas 16 pecas raladas que vio tambera
sem prejudicar o mesmo servigo, favorece as ou- em caminho da Uruguayana, de modo quo artilha-
tras proflssoes, as quaes por bem do estado devem ra o que val sobejar.
ser igualmente preenchidas; que o principio da Carlas do interior da provincia do Rio-Grande
* Celebrou se boje uma miss solemne, a qual substiiuigo, admittido emquasi lodosos paites da informam que na remessa. d equipamentos, (aida-,
!' a% m\%Ti'TlT' mTr^ ^iTI
neira a poder ludir s pe-soas desprevenidas, Dos ajude agora os lidadores quo so embar-
observase que o papel menos consistente que o cam no monitor Tamandar para darem a' nossa
das verdadeiras, sendo igual na or; 2", qae a cha- patria mais nm dia de gloria, e nos que advogamos
pa das notas falsas maior, do que das verdadei- calorosamente pela imprensa a causa dos monilo-
ras e a impresso. otis apagada; 3, que no em- res o esperamos confiadamente,
blema noia-se qae. qjrabalho em geral bastante A's 2 horas e meia da tarde de hontem (17),
grosseiro, principalm'en',p no irakalho de machina, depois das bengos da igreja pelo Rvd. parodio de
disiinguindo-sp apenas os. edificios e os detalhes do S. Joo de Nictheroby, cahio ao mar do esialeiro
desenlia,; V, que no corpo da nota se v que o da companhia Ponta da Areia, a nova canhoueira
dedaqantia 30$ se acha cahido. sobre orece- Greenhalgh.
bidomue flea na linha inferior, notando-se qne a, Em ludo semelhanle a'saa irmaa aconhoneira
d-Hia. palavrarecebidoest fra da ltb Henrique. Jfcvr/ns, recordam ambas fetos do jovens
mais aeima das outras letras da palavra; $ que brasileros, eujos companheiros de armas applau-
qo lugar onde est escripto em aigarisrpo,-R>., dirn estas significativas provas de apreg-o e estl-
Irlnta milse nota" que as cifras vao crcscerado ma, (Jm e oulro nao tardarlo a prestar bons ser-
pro^ressiYamente, tendo a.ultima quasi ^etade v'sjds o theatro da. |'jrra nr. sa acharem em es-
11 '' ;f------:----' '---- J""^ \---------
I I r/%11 /r-i
embarcaram, no dia 17. a
brigada de guardas nacionaes rompo U de i ba-
talhoes >ob o commando do coronel ciinmandante
superior da capital Evari-to Ladislao ua Silva,
com 896 pragas duas rompanhias de zuavos rom
93 ; 76 voluuiarios e 20 aprendizes marinlieiros.
Houve grande enihasiasmo e moita ronrurreBcia
no embarque.
Em cumprimento das nltimas (rdens impe-
riaes, a presidencia da provincia suspende* V>
exercirio por lempo indeterminado, o leiipnle-coro-
nel commandante do halalho n. 37 de sLiragngipe.
por nao ler dado o contingente qae Ihe loi mar-
eado.
O cambio flcava : obre Loadres de 21 l|2a
23 d.; sobre Pars 380 rs. ; sobre llaroborjin o>
700 705 rs. ; e sobre Portugal de 115 t* 0|O-
Sabio para Pernamboco, a SU, o patacho D
Luiz.
^
PERNAMRUCO.
umn mua.
Rsunc-se hoje o Instituto dos Advogados.
Dos porlos do norte de saa escala ebegon
sabbado pela manha, o vapor costeuo Persinwn-
ga, com dalas do Ceara' al 19 e da Parabyba ale
29 do correle.
L-se na. Consliluicao :
t A' 6ie a i7 do eorrenle chegaram, do Araca-
ty a osla cidade, duas barcagas carregadas de vo-
luntarios da patria, pertencentes ao corpo dessa
briosa milicia cidada organisado no Carirypelo
a.ialra
briosa milicia emana* orgaui>auu k wi. ^
Sr. major Abdoral, em numero de I9., segwdo I
ujqs injormados, afora os ofBciaes, om sad sjal


Diario da kcenxmbato s arinco; tfrluiLm tfp eolhposto de 200
Sravoi, os quaes sendo hrdefrGs das virtudes pa-
triticas dos Trislo < Fiigueiras, que na guerra
da independenc*. Tizeram figura to proeminente,
Dao podem na lucia de honra, a que vo aveutu-
jar-se, deixar de mostrarem-se dignos de seus
vs.
t Chegou antes de honlein (17) dos portos do
norte da provincia este vapor da coinpanhia per-
nambucaoa, (Persmunga) o qual trouxe de Sobral,
Sant'Anna e Acarac crescido uuraero de reeru-
las, para o exercilo e para a armada.
Este vapor condutio de Parasiuho para esta
cidade os salvados da escuna dinamarqueza, que
ha pouco all naufragou.
E>le importante servico prestado por esse va-
por da curapanhia pernambucana, que anda ha
pouco leudo encalhado ao sahir da barra do Ara-
caly por effeito de um tufo, e <|ue foi felizmente
salvo pela actividde e pericia doSr. Bates digno
commandante daquelle vapor, fornece-nosoccasiao
de louvar, como de Justina, a galhardia com que
o Sr. Rales salvou o navio de seu commando, facto
<]ue ao mesmo tempo abona a pericia e actividade
do pessoal da gente do mar, de qne abunda o por-
to do Aracaly, pessoal que provavelmente mullo
deve ter contribuido para a fortuna, com que aquel-
lo vapor deixou de naufragar entao.
t Chegou hontem (181 o vapor Camossim, da
companhia Maranhense, trazendo a seu bordo da
MlriBtt A EE1B0
para olllm.Sr. capilo do porU Mr,
Constando-nos que para preencber a? vagas
existentes na Associaco dos Praticos desl* pro-
vincia, se propeem individuos sem as baMilacOes
exigidas pelo respectivo regulamenle, os quaes
condados na protecco de atgitas Srs. praticos,
esperam alcaogar o seu desidertum, chamamos
para isto a attencao do Illm. Sr. capito do porto,
aun de nao ser Iludida a sua oda f com falsas
allegacoes de capacidade dos laes prttendentes.
Confiados no carcter imparcial e jusliceiro de S.
S., esperamos que obste a pratica de um abuso,
que, a dar-so, lera' em resultado coosideraveis
males, como os que provm da falta de pericia de
quem. a bordo de uro navio, o dirige em suas en-
tradas e sahidas deste porto.
OMMEBCIO.
Vovo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
videndo na razo de 8# por acco.
Caixa
era
um voluntario da patria : ao lodo 41.
Toda esta gente felo sob a direccao do Sr. al-
eres da guarda nacional da Vicos* Jos Antonio
Coelho d.; Albuquerque, que tem de voltar no mes-
mo vapor.
O vigario da capital da Parahyba marcou o
mez de outubro para se lucrar a graca do ultimo
jubileo. n
Ja' tinha voltado do centro da provincia o l)r.
chefe de polica, deixando pacificados os lugares
ende esteve.
transporte de guerra Oyapocl. devia sa-
hir da cuite uodia 23 do passado, para tazer o
servico da companhia Brasileira at o Para.
Chama-se Sizenaodo Sergio dos Santos o se-
nhor que apresentou os voluuiarios, de que trata-
mos no sabbado.
Fot publicado no decreto n. 3oO0, que isenta
do reerutamento e do servico da guarda nacional
ao guarda que di-r por si para servir no exercilo
orna pessoa idnea.
Sahiram do Itio de Janeiro, para Pernambu-
co com escala pela Babia : a' 18 o patacho Deben-
be e a' 19 os Migues Feliz Americano e thelh ;
e directamente : a' 17 abarca ingleza Janee a 21
o patacho F.tr/o.
Para o Marauho sabio do Rio, a' 19, a bar-
ca portugueza .Yoru Carolina.
Us unimos cambios do llio eram : sobre Lon-
dres 24 a' 2'i :l|i ; sobre Paris 388 a' 30G rs.; e
sobre Portugal de I2 a' 128 por cento.
O qosso amigo o Sr. r. Felippe Lopes Net-
to.em sua viagem a' Europa, foi encarrilado : 1
de visitar as colunias dos liberados, existentes na
Blgica, estudando o seu rgimen c resultados; 2o
de visitar alguma das pri>5es intermediarias da In
glaterra, onde os criminosos fazem a expiaco an-
tes de irem para as colonias penaes, estudando V.
Exc. minuciosamente as provancas successivas por
que passam os mesaros criminosos.
A' isso accresce o seguinte no officio que Ihe di-
rigi o Exm. Sr. ministro da justiga, para Ihe ser-
vir de instruccoes :
t Temi em vista as dnas medulas presuppostas,
V. Exc. peder' observar e esludar lu.io que con-
vier para esclarece-las.
t V. Exc. laria muito bem se sobre a materia
da sua commisso se entendesse com as pessoas
competentes e prolissionaes na Inglaterra, Franca
e Blgica, pedmdolhes especialmente um conselho
decisivo a respeilo dos decretos francezes de 1852
a I85i, relativos a suppressao do Bagne, e insli-
tuico das colonias penaes.
Para que a inspeccao e observacao de V. Exc.
sejam Utels as vistas do governo imperial, devora'
V. Exc. estar aqu at o mez de fevereiro prximo
futuro, trazendo o seu relatorio e os documentos
ofllciaes eaothenlicos que puderobter.
Conforme ja disse a V. Exc, antes da sua par-
tida, lera' Y. Etc., nao como retribuido, mas co-
luu in i. u.i.i.-..i.v, .io..i a., .-j.- >~ J- >.., .1-
2:0005, a mensadade de 300,3, para o que vao
ne.-ta data as ordens necessarias.
Na sexta-elra ultima, pela larde, indo o Por-1
tuguez Jos Esleves dos Santos banhar-se nos Coe-
Ihos, aconteceo-lhe cahir em um pero, de sorte
que Dosabendo nadar, foi ao fundo e suecumbio
em consequencia da asphyxia pela submersao.
Este o parecer dos facultativos qne procede-
rn! a respectiva vestoria.
Consta-nos que o infeliz Esteves clamara por soc-
corro, logo que calora no perao ; e acudindo a is-
to o inspector Luz Jos Antunes, nao pode toda-
va ser-lhe proficuo, visto ter o mesmo Esteves de-
sappareerdo incontinente.
Ja foi encontrad.i o cadver.
Pessoa fidedigna no* enmmunica, do Centro
da provincia, que o Dr. Cantillo da Silveira Uor-
g"s Tavora indgena val sallsfazendo com resulta-
do a autorisacao a elle concedida por S. Exc. para
alistar voluntarios da patria, em Barreiros.
< Sr. Tavora deoominou o balalho deColora-
do? do conde d'Eu.
Fazemos votos para que os esforcos desse expe-
rimentado patriota sejam galardoados com o xito
duplamente proveitoso a' causa da patria e aos seus
b.iis desejos de nconhecido civismo.
filial do banco do Brasil
Pernambuco.
A directora deslacaixa saca sobro o banco
Brasil no Itlo de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Bahi.
.\iivo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao auno al o prazo de seis mezes,
gensdi le provincial n. 61 je 2 e ma0
prximo passado, que sg as seguintes:
10*00 rs. diarios de -soi,i0i serem seus g.
Ihos menores recocidos aos estabelecimen-
tos provinciaes e educagao e o tempo que
estiveremna guerra ser contado pelo duplo
par 1 o caso de a posentador ia, e alm destas
tem todas as. mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da patiia. O te-
neiite-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
Consulado de Portugal
Nao se achaodo verificados os crditos dos se-
guintes senhores credores do finado subdito por-
toguez Gaspar Pereira da Silva, sao pelo presente
annuncio prevenidos, para virem prova-los, am
de serem contemplados no rateio de sen espolio.
Borges & Pontos.......188*200
Jos Bernardo da Silva..... 55000
Joo Luiz dos Santos A C. 93*840
Joaquim Jos de Azevedo..... 3755;iU
Francisco de Mallos Vieira. .1155330
Miguel dos Anjos;Machado. 55400
Viceute Ferreira da Costa. 485000
Seixas & Azevedo (urna addicao). 58*500
Manoel Fernandes da Costa (4 ditas.) 575580
Obras publicas.
Pela reparlico das obras publicas se faz publico
aos proprielarios dos predios da ra do Aragao e
parte da do Rosario da freguezia da Boa-Vista, on-
de se acha calcada, que Ihes marcado na forma
do rpgulamento de 27 de julbo de 1861, o praso
de 30 dias para a construccao dos respectivos pas-
seios das sua* propriedades.
Secretaria da repartido das obras publicas 28
de setembro de 1865.
Joo Joaquim de S Varejao.
PARA O
Rio de Janeiro
D'asso e cbristal, elogantes en-
feltos para senhoras.
iu .. Pelo ultimo vapor da Europa madarae R. Adour '
pretende seguir com mulla brevidade o palhabote r{cebeu um comp|ct0 ?0rtimento de enfeites de
nacional Piedade, tem paile do seu carregamento
engajado : para o resto que Ihe falla e escravos a
frele, para os quaes tem excellentes commodos,
trata se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1._________________________________
Para Macei
precisa-se de tres trabalhadores de padaria : a
tratar com Jos Duarte das Neves.
Vende-se urna negrinha de 15 annos; na
ra Augusta n. 70.
Barcaca Tentadora, meslre Joao Gualberto
de Franca, segu para o Rio Grande do Norle, Ha-
cao de Ass e Aracaty ; recebe carga e passagei-
ros al o dia 5 de outubro.____________________
Assu e Mossor.
Segu por estes dias a barcaca Dous Amigos,
ainda pode receber alguma carga : a tratar na
escadinha ou no caes do Ramos n. 24.
LEILQES.
!
Caixa filial do banco do Brasil ero j^ a u.alnara |min|Cipal desu Cldade es.
'ernambllCO. Ur em praga nos dias 2!) *do correte, 2 e 4 de
A caixa descorna as letras de seu aceite pela oulubro prximo futuro, para ser arrematada por
taixa de 6 0|0 ao anno. 'qnem por menos fizer, a obra dos reparos de que
O guarda-vros precisa a coberla da ribeira e acougne
Ignacio Nunes Correia.
LFANDEGA.
Itendimento do dia la 29......
dem do dia 30...............
MOV MENT DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas-----
t com geueros..... J7i
da fregue-
zia da Boa-Vista, oreada na quntia de 3:313*200
rs., aquel les que pretenderen! arrematar dita obra
deverao comparecer no pago municipal, nos indi-
470:0535606 cados dias munidos de carta de Banca de pessoa
22:085*632 idnea que garanta a arreraatacao. O orcamento
-------------! da obra acha-se na secretaria da mesma reparti-
492:1395238 cao, onde pode ser consultado.
===== Pa?o da cmara municipal do Recife 27 de se-
tembro de 1865.Luiz Jos Pereira Siraoes, pro-
j presidente.Francisco Canuto da Boa-viagem,se-
1 crelario.
Volumes sabidos cera fazendas.
t com gneros..
*- 174
233
160
-------393
Descarregam no dia 2 doc.orrente.
Brigue portagnezConstante //diversos gneros
Brarca ingleza-Coii/a'f farinha de trigo.
Brigue liespantiol RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 29...... 34:1315289
dem do dia 30................ 4:411*363
De orden) do Illm. Sr. inspector da thesoura*
ria de fazenda desta provincia se faz publico que
fica adiada para o da 7 de outubro prximo a ar-
rematadlo dos medicamentos, drogas e utencilios
do extincto hospital militar.
Secretaria da thesourana do fazenda de Per-
nambuco 39 de setembro de 1865. Servindo de
official-maior,
Manoel iQs Dinto.
Terca-feira 3 de outubro, depois da audien-
cia doSr. Dr.juizde orphaos, vai a' praca por ven-
da tres terrenos foreiros do sitio no lugar do Bar-
38:545*652 ro, freguezia dos Afogados, com 73 palmos de fren-
===== j te, com fundos suficientes, avahado por 159*500,
CONSULADO PROVINCIAL. | uf"0 avahado por 109*000, oulro avallado por
Rendimento do da 1 a 29...... 74:495*759 109*500 : vai a' praca a requerimento do inven-
dem do dia 30 ........... 15:951*152 tariante dos bens da finada Josepha Duarte.
90:446*911

PRAQA DO RECITE
SO 1E SETEMBRO BE ISG5.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saccou se sobre Londres antes
da chegada do vapor do sul de
24 V 2a d. por 1*000, e de-
pois houveram iransacces de
25 3/g a 25 } ; sobre Paris de
390 a 395 rs. por fr., e sobre
Lisboa de 110 a 114 por cento de
premio, montando o< saques ef-
feoiuados nesta semana em .
AlgodO......... O de Pernambuco vendeu-se at j
hontem de 15*500 a 16*000 por
arrota ; em consequencia da al-
la do cambio e retes vendeu-se j
hoje a 15*000; o de Macei. pos-,!
to a borbo.de 17*000 a 17*600;
e o da Parahvba tambe m posto a
bordo de 17*400 a 18*.
Vendeu-se a 70000 a a pipa.
Os seceos e salgados venderam-
se a 157 ,'a d. por libra.
Carne secca.....A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 2*600 a 4*000 a arroba,
e a do Rio da Prata de 2*200 a
2*800; ficando em deposito
150 000 arrobas da pnmeira e
s
THE .vr 110
DE
EMPREZA-OOIMBRA
Reelta extraordinaria
Terca-feira 3 de outubro
de 1865.
Primeira representaco do apparatoso drama
martimo, ornado de msica, de grande espect-
culo em 4 actos, pelo Sr. Aristides Abrancbes
SENHORA DAlB0MNCA.
PEltSO.NAfiENS.
Jorge de Amaral, couhecido pelo
Filho das Ondasmartimo.. Lisboa.
Joaquim, o vadiomarioheiro___ Simes.
Espadarte, segundo commandan-
te do Terror dos NavegaBes... Borges.
O To Filippe, pescador veltio____ Amodo.
Placido de Mendonca, r. em me-
dicina....................... Porto.
10,000 da segunda. Esponja, pirata................. Guimares.
Arroz.......... Vendeu-se o pilado da India a Rajad, idem................... Pinto.
2*7uOa arroba, e o do Maranhao. Pao da Geba, idem.............. Teixeira.
a 2*800 a dita. Bacalho secco. idem............ Peixoto.
Azeitedce...... Vendeu-se o de Lisboa a 2*600 Um taberneiro.................. Santa Rosa.
LEIO
A 2 de outubro,
Theodoro Christiansen far leilo por interven-
cao do agente Pinto, de um completo e variado
sortimento de fazend*s inglezas, francr.zas e al-
lemes, multas das quaes foram despachadas ues-
tes ltimos dias e mui proprias do mercado.
IIO*IC.
as 10 horas em ponto em seu armazem ra do
Trapiche n. 16;___________________________
jLKITO
DE
Terca feira 3 de outubro.
Monhard & C. faro leilao por inlervenro do
agente Pinto, de um lindo sortiraento de fazendas
francezas, suissas e allemes, existentes em seu
armazem praca do Corpo Santo n. 48, onde espera
a concurrencia de seus freguezes no dia terca-fei-
ra 3 de outubro.
Principiara as 10 horas.____________________
LEILAO
De urna casa terrea quasi nova, tendo 2 sala?,
3 quartos, cosinha, cacimba e um terraco cm
chaos proprios, sita na ra detraz da matriz n.
68, em frente do sobrado do Sr. Dr. Moscozo, e
rende mensalmente 255.
Cordelro simos
precedida a competente autorisacao fara' leilao do
predio cima descripto, podendo desde ja' os pre-
tendentesproceder aoexame cujo leilao sera' ef-
fectuado
Quarta-feira 4 de outubro as 11 horas
em ponto.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
ac e christal para senhoras, consislindo em ricos
diademas, denles, brincos, broche pulseiras, bo-
toes e urna inrinidade de enfeites de apurado gos-
to, ainda nao visto n'esta cidade: as pessoas que
pretenderem comprar, dirijam se ao sobrado de 2
andares, ra Imperial n. 1, perto da matriz nova
de S. Jos, para escolherem a seu gosto, visto nao
se poder dar amostras; das 10 horas da maoha,
at 4 da tarde.
B4\SliO
Um senbor padeiro manon fazer urna massei-
ra.porm por falta de farinha nao precisou della,
e assim se vende por modiiV preeo : a tratar na
ra nova de Santa Rita n/7,. defronte da ribeira
do peixe, com Jos Fer/eira Coelho._____________
Na ra das Cruzas x\.. 12, fornece-se comida
por commodo preQo, asslm como engomma-se com
perfeico.
Precifa-so de 3:0005, hypothecando-se urna
propriedade no valor de 14 a 16:000* para tra-
tar na ra do Hospicio n. 38.
A pessoa que perdeu urna pequea corrente
de prata com ires chaves, pode procura-las na pra-
ca da Independencia ns. 6 e 8.
Precisa se de urna ama para casa de puuca
familia : na ra da Concordia n. 29.
Attenclo.
O abaixo assignado chama a todas as pessoas
que sao seus credores para apresentarem suas cou-
tas alim de serem pagas, em tres dias a contar de
hoje, e aquelle que assim nao dzer perder todo o
direito de credor: podem os mesmos senhores pro-
curarem-me no Chora-menino, das 7 as 9 horas da
manhaa e das 4 as 6 horas da tarde. Recife 29 de
setembro de 1865.
Jos Luir, de Macedo Cavaicanti.
Precisase de um cozinheiro ou cozinheira
para casa de rapaz solteiro : na roa do mperador
n. 40, ou Queimadj n. 7.
Aluga-se um segundo andar defroute do mar,
com vista muito boa e muito fresco, na ra do
Trapiche Novo n. 22 : a tratar na loja do mesmo.
De
LEILAO
movis e olros artigas.
Agurdente.....
Couros ........
o galiio ha falta do do EMreito.
Bacalho.......Retalnou-se de 18* a 20* por
barrica.
Venderam se a 2*500 a arroba,
de 6*500 a 7*000 a
Pe xo lo.
Batatas.
Caf........... Vendeu-se
arroba.
Eotrou de semana nos protestos de letras o! na- ;.........
escrivo Torres, ruado Rosario n. 12, primeiro | Lerveja........
andar.
30 de setembro de
no dia 29
Repaktiqo d< polica.
Extracto da parte do dia
1865.
Foram recolhidos a casa de delenjo
do corrente :
A' do Dr. delegado da capital, los Francisco da
Silva e Jos Farias de Araujo, como indiciado em
crime de fenment-vs-graves.
A' crdem do subdelegado do Recife, Jos Ferrei-
ra. por desobediencia, e Antonio Francisco de Amo-
rira, para correceo.
A' ordem do d Santo Antonio, Antonio Alfonso
' Rigueira, para recrula, e Geroncio, escravo de Pe-
dro Jo*e de Siqueira, requerimento deste.
A' ordem do de S. Jos, DiooiziO Benedicto do
Rosario e Felicia Mara dos Prazeres, por briga.
A' ordem do da Ba-Vi.-ta, Del6oa, escrava de
J.jaouim Estanislao de Albuquerque, por fgida.
A' ordem do da Magdalena, Antonio Loureiro de
L mos. Amonio Joo Bipiista e Firmind Gomes da
Silva, para averiguacoes em crime de furlo de ca-
vallo.
O chefe da 2* secc?o,
Joaquim Gilseno de Maquila.
Pas ageiros do vapor francez Guienne, entra-
do do Rio de Janeiro :
Antonio de Azevedo Villarouco, Leopoldo Jos
Das e 2 irmes de caridade.
Passageiros do hiato brasileiro Seipypano, sa-
bido para o Acarac ;
Antonio Ferreira de Rocha e 1 crlaijlo, Sancho
Ferreira G me-, Cesario Jos Pinto e 1 driado, Jos
Francisco da Silva e 1 criado.
Passageiros do vap^r brasileiro Parahtba, sa-
bido para os portos do norle :
Balthazar da Rocha Bezerra Cavalcanli Dr. J.
Juveneip Ferreira de Arauj", JD. Josepha Candida j
de Aginar Pinto Nogueira, 2 tilhos menores e i I
ciiado, Dr. Joo Meados da Rocha, Fabricio Gomes
Pedresa, 1 ilho, 1 lilba e l criado, Antonio de Maia
Cuites, Luiz Antonio Pereira de Agolar, Jos de
Arela Bittancoutt Neyva, padre Jos Alxandre G.
de Mello e criado, Igeacio M de Santa Anna, Jos
Bernardo Ferreira. Silverio e 1 escravo do com
rnpndsdor Souza Leao, Antonio Alves Carvaiho,
Jos Carneiro Ferreira Chives, Antonio Joaquim
Joven LhM, padre Flix II. do Reoo, padre Sebas-
,io Fabio de Oliveira Lima.
Passageiros do vapor nacional Persmunga,
vindo do Acaraciie portos intermedios :
Thomaz Antonia Ramos Zany e I criado, Anto-
nio Crra de Vasconcellos, Jos Paulo e 2 escra-
vas, Francisco Thefllo da Rocha Bezerra. Etame
Francois Jaguay, Antonio Marques da Silva, Jos
Paulo de Castro Medeiros, Miguel Carlos de Fa-
ras, Vicente T., Amaro B. Albuquerque, Domin-
gos Uami, Jos Joaquim Ozorio, Haria da Concei-
cao, Joao Ignacio Ferreira e 1 criado, Araazlo de
Torres Bandeira, Clara e J3o ecravos, Manoel
< n'alvcs, Jos de Souza Coelho, Antonio Thomaz
Casimiro da Cunta, Jerouymo da Costa Lima,
Francisco Jos Rabello, 2 fllhos e 1 escravo, 2 pra-
cas e 1 preso de justica.
Passaeeiros do vapor francez Guienne, sabi-
do para a r. opa.
C, Je (,..i ac, Eduardo Rodrigues Aatran, Len
Merlio, Rene Couroner. ___
dem de 1*800 a 2*300 a libra.
dem de 4*500 a 6*500 a duzia
de garrafas.
Louja.......... A ingleza ordinaria vendeu-se
com 300 por cento de premio so-
bre a factura.
Manleiga....... Vendeu se a ingleza a 950 rs. a
libra, e a franceza a 750 rs. a
dila.
Maesas......... Vendcram-se a 5*500 a caixa.
Oleo de linliaca.. Vendeu-se a 1*700 o galo.
D. Eugenia
D. Camilla.
D. Leopoldina
D. Jesuina.
da
Cordelo Sinides
por conta e risco de quem pertencer fara' leilao
de diversos movis novos e usados, obras de ou-
ro, louca etc.-, isto
Quarta-feira 8 de outubro as i i horas.
o7--i\o armazem a ra da Gnuw-57
"Eeila
De urna meia agua ao paleo u\i prai-
zo n. 47.
Cordelro ftimes
a requerimento do inventariante de Joo Marti
niano Coelho, e despacho do Illm. Sr. Dr. juiz mu-
nicipal da primeira vara fara' leilao da meia agua
sita no paleo do Parazon. 47, isto
Quarta-feira 4 de ontubro
as II horas no armazem da ra da Cruz n. 57.
LElIaJLUl
De velas, cabos, encharcias, lonas, folhas de
metal, estopa, moitoes, ps, vassouras, 1 caixa
I ferramenta, 1 dita medicamentos, agulhas de ma-
rear, tintas, baldes, lampeoes, phares, espiogar-
| das, barriscom ca'ne de porco e de vacca, dilos
de mauteiga, ditos de bolacha,ditos de liogua.ch,
arroz, caf, massas, vinagre, farinha de trigo em
barricas, 41 barricas comidas em conservas, gar-
rafas com fructas em conservas e muitos ootros
objectos salvados da barca ingleza Mira & Cecilia.
Quinta-feira 5 de outubro.
No trapiche do Barbosa praca do Corpo
Santo lado do caes.
E. Armold Jnior, capito da barca iogle/a Mi-
ra & Cecilia arribada neste porto onde entrou
com agua aberta na sua ultima viagem de Por-
tland a Buenos-Ayrts, fara' leilao com autorisa-
cao do inspector da alfandega, era preseoca de
um empregado da mesma reparlico para o flm
nomeado.com assistencia do cnsul de S. M. Bri-
tannica, por intervenga) do agente Pinto e por
conta e risco de quem pertencer, dos objectos
cima mencionados pertenceules a mesma barca
e existentes no trapiche do Barbosa, onde se ef-
fectuara' o letlio no da cima mencionado.
Principiara' as 10 horas em ponto.
Precisase de um caxeiro com pratica de
taberna : na Soledade, ra de Joao Fernandes
Vieira n. 64.
Precisa-se de um hornera portuguez que en-
tenda de venda a retalho, que d fiador a sua con-
ducta, e d se Ihe interesse : a tratar na travessa
de Apollo n. 43.
Est fgida desde o dia 24 de janeiro do cor-
rente anno a prela crioula de come Eliza, que foi
do Uado Francisco Cavalcanti de Mello, esta pre-
ta representa ter 30 annos de idade pouco mais
ou menos, e tem os signaes seguinles : estatura
alta e corpulenta, dentes limados e em cada braco
tem urna marca de talho de fouce, costuma passar
por forra e muito conhecida nesta cidade, julga-
se estar refugiada era casa de alguem ne.-ia pra-
ca, pelo que protesta-se pelo presente haver de
quem quer que a tenha acoutada todos os damnos
causados : roga-se portanto a todas as autoridades
policiaes e capiles de campo a apprehengo de
dita escrava e leva-la a sua senhora ra dos
Martyriosn. 18,garaole-se a pessoa que a aprehen-
der 50* de gratieaco.
Jos Estevo de Oliveira, sua senhora .
Joaquina Francisca de Oliveira e seas filhos
agradecem cordialmente a todas as pessoas
que se dignaram assistir as exequias de sua
chara filha e presada irma Thereza Francis-
ca de Oliveira, e igualmente o fazera a ir-
raandade que acompanhou o prestito fne-
bre ; outro sim convidam a todos os seus
amigos para assistirem a missa e memento
do seUmodia, a qual ser celebrada na igre-
ja do Corpo Sanio, pelas 7 horas da manhaa
do dia 2 de outubro vinJouro, aulecipando
desde ja' os seus sinceros agradecimentos.
CASA DA FORTa
Aos 6:000#000.
BUhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTL ME
O abaixoassiguado vendeu uos seos muito feli-
zes bilnetes garantidos da lotera qne se acaboa
de extrahir, a beneficio do Institnio Archeologico,
os seguinles premios :
Um meio n. 822 com a sorte de 6:000*000.
Um quarlo n. 170 com a sorte de 1:200*.
E outras muitas sortes de 100*, 40*, 20* e
IOOOO.
Ospossuidores podem vir receter seas respec-
tivos premios sem os desconlos das leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da 2" loteria
(34a) beneticio da Santa Casa da Misericordia
para canalisaco d'agua e gaz no hospital Pedrc
II, que se extrahir sabbado 7 de outubro.
PREGO.
Bilhetes.....7*000
Meios......3*500
Quartos.....1*900
Para as pessoas que comprare u de 100(5COO
para cia.
Bilhetes.....6*500
Meios......3*750
Quartos.....1*700
Manoel Martins Fiuza.
SEOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Conipanliia ndemnisadora
estabelecida nesta praca, toma seguro* mariiim>,--
sobre navios escus carregamentos e contra fofo era
edificios, mercadorias e mobilias: no seo escripto-
jo, ra do Vigario n. i, pavimento terreo.
Na ra larga do Rosario n. 35 sobrado, da se
bolos de vendagem a 80 rs. a ptica.
Offereee se urna ama para > servico interno
de urna casa : na ra das Trincheiras n '"
Offerecese urna ama para o servico de ca-a
de pouca familia : quem a jketender dirjase a
ra do Fogo n. 20. "/-,\
Declaro que indo hoje aisfsdas 11 horas
pagar o imposto que devo da m nlia rarroea no
consulado provincial, o Sr. Theodorio ordenoo que
se me nao entregasse o respectivo conhecimento,
allegando que ja passavam das hora, qoando a
hora marcada era meio dia : p-ole>to, portanto,
nao pagar mult addicioual ou qm.lqu.-r despeza
judicial sobre tal imposto, Becife 30 de setembro
de 185.-Roberto Carrol).
Passas..
Presuntos.....
Queijos........
Sabao..........
dem de 7* a 7*500 a caixa.
Venderam-se a 16*000 por ar-1
roba.
Os flamengos venderam-se de
1*800 a 2* cada um.
O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a 220
rs. a dita.
; Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa a 11*200
a arroba, e o do Rio-Grande do
Sol a 9*000 a dita.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 90*
a 100*000 a pipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1805a 190* a pipa, e os de oo-
tros paizes de 158*000 a 170a a
dita.
Velas..........As de composicao venderam-se!
a 560 rs. por pacote de seis ve- I
las.
Descontos.......O rebate de letras regulou de |
8 a 10 por cento ao.anno.
Um pescador...................
Fragata americana, fllha do falle-
cido commandante do Terror
dos Navegantes...............
Luiza, filha do Dr. Placido.......
Urna pe.-cadra.................
Joanna, labrrneira..............
Pescadores, pescadoras, piratas e tripolacao
galera Senhora da Bonanc
j A acejio passa-se em 1850.O Io e 3o actos em
' urna das ilhas do Archipelogo dos Acores.O 2o
i e 4o a bordo do Terror dos Navegantes.
I A msica composigao do maestro o Sr. Colas.
: A pintura do Sr. Dornellas.
A scena do 2o acto representa o navio pirata
; Terror dos Navegantes em alto mar, esta scena
completamente nova e de grande effeito pela com-
binacao do seu machimsmo.
A scena do 4 acto representa a cmara do pi-
I rata Terror dos Navegantes em que a seu tempo
abordado pela galera Senhora da Bmanca, esta
scena tambem de um effeito maravilhoso na ap-
paricao da galera Senhora da Bunanca na occasio rua do Crspo n. 4, nico encarregado em Pernam-
da abordagem. I DUC0> onde se entregar os recibo-, e onde se as-
0 emprezario regosija-se sempre que possa apre- s|Kna- _____^______________.
sentar ao Ilustrado publico desta capital, especia- jacintho Medeiro Gaivao, subddjo portuguez,
culos embora dispendiosos, porm deleitaveis. retira-se para S. Miguel.
Os Srs. assignantes podem mandar buscar seus
camarotes e cadeiras at segunda-feira as 2 horas
da tarde.
Comecara' as 8 horas.
AVISOS SITEMOS.
Bazar volante.
Pede-se aos senhores assignantes que recebem
esta folha directamente do Rio de Janeiro, o faver
de maodarem salisfazer a importancia de suas as
signaturas do Io e 2o anno, em casa do J. Falque,
tna-q-ac.....iimi......m ia -
Francisco Jos de Campos Pamplona nesia
cidade, sob a firma de Campos Paraploua & C
declara que o Sr. Manoel Jos Ferreira Gusmao
deixou de ser o gerente da casa coramercial da
Arma de Campos Pamplona 4 C, e qus de hora
em diante o gerente da dita casa commercial
ca xeiro da referida casa o Sr. Daniel Jos Pereira
Lima; outro sim que em sua ausencia constitue
seus procuradores com poderes especires ao Sr.
capilo Jooquim Baptista Espinla Daniel, Jos
Pereira Lima e Clemeute de Araujo Lima Jnior.
Mamanguaie 20 de setembro de ISj.
Francisco Joi de Campos Pamplone.
n_MpMpBMpH_M_M|_wpM
Mana Francisca Bezerra de Mello e Can-
dida Rosa Bez.rra de Mello, pungidas da
mais sincera e cruel saudade mandam ce-
lebrar urna missa pelo eterno repouso de
sua muito presada amiga Thereza Francis-
ca de Oliveira e convidam a todos os seus
parentes e amigos a comparecerem a este
acto rejgoso sendo na igreja da Santa Cruz
amanhaa 3 do corrente, por ser o selimo dia
de seu falle:-imento. as 8 horas da manhaa.
Fretes.......... Para
libra
Liverpool 3/4 e '/s d. por
o % pelo algodo.
roggta BO POETO
Navios entrados no dia 30.
Rio de Janeiro e Baha 6 dias, vapor francez
Guienne, de 1183 toneladas, commandante A. de
la No, equipagem 123.
Baha7 dias, brigue inglez Airea, de 339 tonela-
das, capito John lenkins, eqoipagem 13, em
lastro ; a Johnston Pater Ass55 dias, lancha brasileira Morena, de 58 to-
neladas, capito Joo Theobaldo das Neves, equi-
pagem 7, carga sal; a Fernando & lrmao.
Acarac e portos intermedios9 dias e 13 horas
do ultimo porto, vapor, naciona Persmunga, 422
toneladas, commandante Francisco'Jos da Silva
RaTes.
Navios sahidos no mesmo dia.
Acarachiale brasileiro Sergypano, capito Pe-
dro Jos Francisco, carga dilerentes gneros.
Rio Grande do Sul-polaca brasileira Marta Jos,
capito Isidoro Serro, carga assucar.
Liverdoolbrigue iuglez UUswaler, capito New-
ton, carga assucar e algodo.
Portos do Norlevapor brasileiro Parahtba, com-
mandante J. J. Martins.
Bordeaux e portos intermedios vapor francez
Guienne, commandante A. de la No.
BECLUiCSS.
Convida-se as pessoas que est5o as
condices do servico militar, a engajarem
no corpo de polica e gozaren das vana-
ATOOS MABITIMOS.
COMPANHIA B&ASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 5 de outubro, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costme seguir' para os portos do
sul.
Desdej recebera se passagelrs e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sna ebegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
**ntogio Luiz de Oliveira Azevedo t C.
GOMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR,
E' esperado dos portos do sul
al o dia 3 do corrente o vapor
Oyapock, o qual depois da demo-
ra do costume seguir' para os
portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sna etiegada ; encom-
mendas e dinheiro a frete at o da da sahida, as
2 horas : agencia, ra da Cruz n. I, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Para a Baha
segu com muita brevidade o cter nacional Equa-
dor por se achar com parte do seu carregamento
prompto : para o resto frete- traia-se no escrip-
torio de Araonra Irmio, ra ca Cruz n. 3, ou com
o capito Anselmo Peres na praca do commercio.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Corre sabbado 9 de outubro.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e quartos da 2* parte da 2a lotera
(34a) a beneficio da Saota Casa de Miseri-
cordia para canalisaco d'agua e gaz no hos-
pital Pedro II, cuja extraeco ser no dia
supra mencionanado no lugar e hora do
costume.
Os premios de 6:0000000 at 1O0OOO
serao pagos una hora depois da extraccSc
at as i horas da larde, e os outros depois
da distrilmicao das listas.
As encoramendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraeco
como de costume.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Ao publico.
Acaba de sahir do prelo nocoes do systema m-
trico decimal por Jos Antonio Gomes Jnior ; esta
obra coolm as precisas laboas em que as acluaes
medidas de peso, capacidade, extenso se achara
convertidas ao systema mtrico, comparado a un
dade nova a anliga, atim de que os clculos no
commercio se execulem de um modo facilimo, pre-
cedido este trabalho de claros exemplos de con-
versao, para que possm ser comprehendidos por
todas as inteiligencias : vndese a 15 as hvra-
rias acadmica e universal, ra do Imperador ;
econmica, arco de Santo Antonio; e em casa do
antor, ra do Destino n. 3, onde s compradores
de dez exemplares para cima terao um beneficio
na razan de dez exemplares por cento.
Os senhores
Augusto Fischer.
Silvestre Jos Ribeiro.
Jacintho Jos Boteiho.
Domingos Alves da Silva.
Antonio Claudino Alves Gomes.
Jos da Silva Cabral.
Lourenco Justioiano da Silva.
Manoel Rodrigues das Neves.
Simo Jos de Azevedo Santos.
Joao Baptista da Silva Mangninho.
Eduardo Ferreira Bailar.
Alexandre da Cunha Coelho Catanho.
Joo Alves Quintal.
Manoel Antonio Mooteiro dos Santos.
Jo^ Caetano Vieira de Souza.
Marcionilla Francisca de Salles Lima.
Thomaz Das Souto.
Jos Rodrigues.
Valeriano Baptista & C.
Joaquim Vieira de Barros.
Joo Paulo de Miranda.
Ignacio Correia Vieira.
Francisco Luccas Correia.
Antonio de Queiroz Ferreira.
Rodrigo Gomes da Silva.
Bernardo Ferreira do Carino.
Jos Francisco de Arruda.
Selle, despachante.
Bittancourt, procurador.
Antonio do llego Pacheco.
Agostioho Vieira de Lima.
Cirne, relojoeiro.
Maooel Jos Soares de Avellar.
Joaquim da silva Moura.
Joo Antonio Coelho.
Antonio Joaquim Vidal.
Manoel Alexandre Cunes de Mello.
Amonio Joaiiuim da Silva.
Hay inundo da Si iva Gomes.
Jos Pereira.
Manoel Ignacio Dias.
Francisco Joaquim Duarte.
Manoel Alves Cardozo.
Antonio da Silva Guerra.
Jos Mara Placido de Magalhes.
Caetano C. Coito.
Augusto Coeiho Leite.
Angelo Jos de Sant'Anna.
Tenham a bondade de comparecerem na praca
da Independencia ns. 19 e -21 a negocio de seu in-
teresse^______________________________________
Precisa-se de 3:000 a premio sob bypothe-
ca de predio nesla pr.ca : quem tiver e quizer
da-los annuncie.
Desapparerr.il no dia 11 do corrente do en-
genho Camela, o escravo Joaquim, criouh, bonito-
to, baixo, pouca barba, bem fallante, falla de den-
tes na frente, bem feilo do corpo, tem algumas ci-
calrizes as naJegas de surra que ja levou, este
escravo disse que vinha assenlar praca em volun-
tarios : quem o pegar leve-o a ra do Vigario n.
14 ou aodito engenho Camella em Serinhaem que
sera bem recompensado, o dito escravo levou om
Fugio do engenho Pindoba, freguezia de Tra-
cunhem, ha seis mezes, urna es.-rava crioula, de
nome Severiua, de idade de 19 a JO annos, pejaJa
de tres a quatro mezes, pouco m.ns ou menos, de
maneira que j deve ter dado a Inz, com os sig-
naes seguintes : alta, bem preta. secca do corpo,
ro.-to redondo, nariz grosso, tem falta de doos den-
les na maxilla superior e do lado esqnerdo, oml.i-
go muito saliente -, consta que dita escrava veio
para esta cidade, e pretest^e p-!<* mpio* jodi-
ciaes perseguir a qumi a tirar .m seu poder, a
pede-se a quem a apprehender nueira entrega-la
aqu ao Sr. esenvo Attayde, ou leva-la *> enge-
nho Pindoba, que ser generosamente recompen-
sado.____________________________________
Fugio de engenho Pindoba, freguezia deTra-
cunhem, um mulato de nome Fiancisco, idade de
28 annos, pouco mais ou menos, com i s ?ignaes
seguintes : rosto redondo, cabMIos carapmhos,
altura regular ; este mulato bem conVeido BaM
cidade por ter perlencido ao Sr. '-'rancisco Osario
de Mello Jnior, c consta achar-se homisiado em
Beberibe, onde tem m.ii e irmos forros : pede-se
a quem o apprehender leve-o ao Sr. fscrivo At-
tayde, ou ao engenho Pindoba, que ser generosa-
mente recompensado.
Attenc&o.
O abaixo assignado chama a 'das as pessoa
que sao suas credoras para apresentarem sua ton-
tas alim de serem pagas, em oilo das, a contar de
hoje, e aquelle que assim nao tizer, perder," todo
o direito de credor : poJem o< mesmo* icalM 9
procuraren) rae no Chora-menino, da- 8 a 10 ho-
ras da manhaa, e das G as 7 horas da noite Re-
cife 30 de setembro de IHiio.
Jos Luiz de Macedo Cavalcanti.
lu-se l:H005 a premio.ni hypotheca :
quem precisar dirija se a na d< Horts o. 16.
Onde estar?
Ha dias focio eom algoas aafa'loi de m-t.il a
escrava Agulda.de 20 annos de idade, ponro mai-
ou menos, de cor parda, estatura regular, levando
um vestido de chita escura e chale prelo : qnem
a encontrar leuha a bondade de leva la a ra da
Aurora, casa n. 62, a sna senhora, Baroneza da
Victoria, que comprou dila escrava ha pouco tem-
po ao Sr. Manoel do Reg Barros.
Na ra nova de Santa Rita, casa n. 3-1. pat-
cisa-se de urna ama que cozmhe e compre para
pequea familia.
O escrivao Vascouc-ll-s mud>u o cartnrio de
cape lias, reziduos a au-ente- para a ra do Impe-
rador n. .10, lado posterior ao e-criptorio do Dr.
Pinto Jnior.
Precisase de urna ama par rasa de pouca
familia : na ra estreila do Rosario, loja de faai-
leiro n. 25. _______________.
O abaixo as-ign.ido declara que lir_ se ef.
feilo o annuncio qne boafaai publiroo n*.*tv Diana
no sentido de licar cassada a pr x uracao que havia
dado a Bento Caetano Muniz Vieira, pni sua
vontade que contralle a produzir MB elfeito* dita
procuracao.A rogo de Antonio Francisco de Me-
nezes, Macario Ribeiro Lima.
Perdeu se na noite do dia 29 orna cambada
de chaves com urna corrente de lata, da roa da
Penha at aos quatro cantos da Roa Vista : roga-se
a quera achar, de levar a roa Direita n. 30, pri-
meiro andar, on na loja.
Albino Baptista da Kocha,
relojoeiree dourador, portnguez, na praca da la-
dependencia n. 12, faz qualquer -oare-to perlea-
cente a sna arte por precos mais baratos 4o que
outro qualquer e responsabilisa-se pWo <.u traba-
lho, assim como tambem compra relogios ea se-
gunda raao.
Aluga-se a loja do sobrado da roa da Pmlu
n. 29 : quero pretender dirjase a roa da cambo.
do Carmo n. 8.
_ Sr. redactor.-Chega a unto a m.nha irraii-
do, que nao me pode comer, e por isso iaac/>
mo da peona para paientea-la; eu trato de sr.
Jos Joaquim da Silva, negociante, Portuguez, re-
sidente no pateo do Carmo, ao qutl senhor en soa
summamente grato, a como de mu> alia eoasi-
deraco se me faz conhecer pela* smz prora ;
por isso eu faltara a um dever sagrado se drizas-
s em olvido, e o nao recoohecesie como tal,
offerecer-lhe os meos proie e devida consideracao.
Martmiano Clemente di virirai_in
Associaco Commercial lie-
neficente de Pernambuco.
Nao se tendo reuoido numero sufliewale dos e-
nhores associados cara a reuoio eilraordiaaria
de assembia geral convocada para boje (2r), a
direccao pela segunda vez convida os senhores as-
sociados a se reunirem na sala das sesses ao dia
3 de outubro prximo vindouro ao meto dia, para
o i-ji ja auuuiiciado.
Associaco Commercial Btmeliceate de Peroam-
buco26de setembro de 1865.
O seertUrio,
(andido :. G. Alcoforado.
A 120 rs. a libra se pagara os joruaus para
embrnlho : na praca da Independencia n. 22
.Na i ua da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com aceio e promptiddo e por prei;o razoavel
Notas do banco do Brasil e das caixas Giiaes
^oscoQUm se tu travessa das Crutei n. 8.
Saques.
Antonio Jos Rodrigues de Souza roa
cavalio pedrez, pequeo, barrigudo, castrado, an- do Crespo n. 15, saca para o Rio de Janei-
da baixo al meio, da coico quaudo se espora e ro a 3 dias de vista. '
tem duas grandes feridas dos lados.
Aluga-se a casa terrea sita na ra Im-
perial n. 213, com salas, 6 quartos, co-
sinha fora e quintal com cacimba : a tratar
ua mesma ra n- _il ou na ra Direita
n. 8*.
SAQUES
sobre Lisboa, c Porto.
Jos da Silva Loyo & C. sacam sobre Lisboa a
Porto.
ll
/*!% #1-1
1


Diarlo de reraaoabueo Segunda elra t de Outabro de 1S*.

Preclsa-se de urna ama
familia, forra oa captiva ; na
praaaaoa4V7aca Grande liquidadlo a dinheiro.
' -I Ka loja e armazem do pavo.
n a m ti 'Hna da emperatriz u. o de Ca-
to U Mr A A 5. uiasfc Silva.
Os donos deste estabelecimenlo tem resolvido li-
AGUi BRANCA.
Cilleiras de marroquim, com cascaveis
c se ni ellos.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
obrls^ZrpaS^tm ?S ruaffaTo & *SSi ZS fSa^: ** ^dem-se colleifas de marroquim,
na rua Urga d01 soas que negociam em pequea escala com fazen- pospoptadas e com cascaveis, OU >em elles
das, que nesia
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamenle eseravos de ambos os sexos :
rna do Imperador d. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se ouro, praia e pedras preciosas,
em obras velhas: na rua da Cadeia do Recife,
leja de ourives no a reo da Conceicao.
Jornaes para embrulho.
Compra-se na fabrica de cigarros amiga rua dos
Quarlcis de Polica a. 21, a 140 rs. a libra.______
Compra-se carosso (sement) de algodao : no
aromen) de algodao de Sannders Brothers & C,
no caes de Apollo.
Compram-se moedas de ouro brasileiras de
55, 105, 165 e 205, com 6 por cento de premio, e
larabem pecas portugoe7as de 95 e 165 com 5
por cento ; na praca do Corpo Santo n. 4, primeiro
andar.
Na rua do
compram-se
sileiras.
loja e armazem encontraro um proprias para caes e cutres icinhos.
grande sortimemo por precos que muito Ihes bao Pennas inP7as ilo ac i ilnnritdac
de agradar, tanto em peca como a retalho, a I 'BBB "*iews ULdlO e UOIiraaas.
saber: No novo sorlimento de pennas de ac que
(flmhrllfl^ iV fnri-i a 9^(000 a Aguia Branca acaDa de receber, vieram
v 7 *#UU,U tambera outras de metal dourado e bicos
vendem-se pecas de cambraia branca para for- mn; ham ,.k.i ,,. k n ~
ro a 25 : na loja do Pavo rua da Imperatriz n. mu' b?m cabados, e por essas boas e ne-
60, de Gama & Silva. cessanas quahdades os seus acreditados a-
Aloreantique branco
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha :
na loja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates com
mofo.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com lindsi-
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-se pelo baralissimo prego de 360 rs. o co-
vado : slo s ua loja do Pavo rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
bricantes Perry C, as recoiumendam aos
entendedores r apreciadores do bom, vaien-
do mesmo a differenca que ba no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na coniinuaco de escrever ;
assim pois quem dellas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na rua do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
Na loja do Pavao. : desenbos, cuja commodidade do preco est
Vendem-se lazinhas transparentes para vest- em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
* dos sendo das cores mais modernas que tem vindo ao mercado pelo baratissimo prego de 200 rs., ditas
com palminhas de seda a 240 rs.
Comprase papel diario para embrulho,
gase bem : na padaria da rua da Imperatriz u-
mero 66.
Compram-se dous sobrados em boas
ras: quem quizer vender dirija-se a rua
do Apollo n. 38, armazem.
compram-se
a 240 rs. : isto so para li-
quidar, assim como lazinhas mocambiques com
os mais bonitos padroes a 240 rs. : Uto na loja do
Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos corles de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
transparente de novosgoslos que servem al para
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
co de 35 cada um por ter-se comprado una gran-
de porco : oa loja do Pavo rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a$.
Vendem-se superiores lencos de seda para ho-
rneas e senhoras a 15 : na loja do Pavao na rua
/, ~------------------------------- da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Compra-se | s pennrtilhn* rin Pnvn
um cabriolet de quatro rodas e que lenha assentos l~ffy WJJW lllfiun UU JrlAvllU
para quairo pessoas, que esteja em bom estado, el A 4$ 5$ e 6$
tendo cavallo tamben se faz negocio : quera ti ver | Veudem-se os mais superiores' esparlilhos com
Oncas hespanholas e da patria
na praca da Iudependeuma n. 22.
Compram-se moedas brasileiras de 205
215 na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
Comprase urna balacea decimal, usada : no
armazem da viuva Paula Lopes, escadiaha da al-
fandega._______
Compram-se
libras sterllnas : na praca da Independencia nu-
mero 22.
rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso entrcleni-
mento.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que Jas diversas pinturas dellas se formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en'retenimento com o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
teligencia. Os apreciadores dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeitos.
Bonitos enfeites para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimenlo de enteites os mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
Loja do gallo vigilase rna do Crespo
numero 7.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico um grande sorlimento de galanteras e i
objectos de muilo gosio que tem chegado nestes
Blllmos navios e vapores de sua proprla conta, i
que por isso mesmo vender pelo menes preco
que Ine for possivel, como sejm :
Lencos.
Os lindos lencos imperiaes para senhora cousa
inteiramente nova.
Albiins.
Albuns muilo finos com capa de madreperola e
delartaruga com guarnigao de prata para 0 e
100 retratos, assim como de oulros mais inferiores
de 20 a 50 retratos.
Msicas.
Olidos objectos.
Vindos tambern para a antiga loja de
miudezas a roa do Queimado n. 10.
j Sapatinhos deselim brauco bordados pa-
ra baptisados.
Oulros de merin tambem bordados e
igualmenle bonitos.
Meias de seda, correspondente i/o tama-
nos dos sap;.tinlios.
Outras mui linas de 6o da Escossia c
brancas listradas.
Luvas linas de lio da Eseossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita pata senhoras e meninas.
Pentes de tartiruga mui fortes para des-
embaracar.
Carrileis com retro/, preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
laspas de baleia para vestidos.
I, Fitas de linho proprias pata ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
Ipara crochets.
Trancellim de borracha prelo, redondo.
i Donltas flvcHas grandes de ac,
douiMiliiN, u>treperola e lar-
taruga.
A loja de miudezas rua do Queimado
j n. l(i, recebeu uta bonito sortlmento de
I flvellas grandes para cintos, sendo de ac.
i ..- i
'_
var.
es
Caixinhas
pegas de msica propria para mimo, assim como esfJo sendo vendidas em dita
f"m,!?.l,l ^.'"ifL1^!?:!? douradas, madreperola e tartaruga, as qoaes
8 aereado vender, pode dirigirse ao caes do Ra-: as competentes fitas para apertar petos baraiissi- e como seu louvavel COStume OS esl ven-
mos n. 14.
N D i S.
roos pregos de 45, 5 e 65 por ter chegado urna dendo baratamente a quem com dinheiro se
^irKfiGai&SH^501 ruada,m-, dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Tartatana branca a 64 rs. | Brancal de u. m senhftI.a8
Vende-se Uriattaa branca muilo fina a 640 rs. a MCiaS Ue Ida pdld SenilO dS.
vara, dias de|todas as cores a 800 rs. a vara, di- vendem-se na rua do Queimado, loja da
tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara : na Aguia Branca li. 8.
cr.nca e chronolog.ca, compreheudendo |oja do p,^ na *'ada Inipera(riz n. 6()> de \
ma A Silva.
0 bramante do Pavo.
Bibliotheca lusitana
histrica
a noticia dos autores porlugezes e das obras que
compozeram, desde o lempo da promulgado da le
da graca at o lempo presente, por DIGO BAR-
BOSA MACHADO, 1711, 4 grossos volumes enro-,
do ; obra varissima, cuja edico ha muito se acha
exgolada. indispeusavel a todo o bornean leltra-
lio ou do prolisso scienlilica. de quem a historia
patria e as letras uaciooaes nao pudein nem devem
ser iguuradas : vende-se na livraria de Jos No-
gueira de Souza no arco de Santo Antonio.
Vmho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Fin/ios do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancrelas de dcimo encapadas com superior
vinlio, barns de o" e 10 em pipa : na rua do Vi-
cario o. 19, primeiro andar.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
_ Na rua do Queimaile n. 1 vendem-se superiores
laas para vestidos a 210 rs. o covado ; a ellas, an-
tes que se acabem.
Vende-se algodao trancado da Baha : no
armazem de A. V. da Silva Barroca, rua da Ca-
deia n. 4.
GAZ, CAZ, CAZ.
Gaz f m latas, o mellior que tem vindo ao mer-
cado : vend- e no armazem de Barros & Silva,
Iravfssa da Madre de Dos n. 57.
Vendem-se duas escravinhas, urna mulati-
nha de 11 annos e urna ccgnnha de 7, ambas cora
principio de servico domestico : nos Coelhos, rua
dos Prazeres, casa n. 12.
.4 liencao
Vende-se a taberna sita na rua dos Coelhos, no
lundo da igreja de S. Goncalo, com poucos fundos,
livre e desembarncada, tanto de debilo cemo de
imposto? pertencente a Joao Antonio Alves, e bem
afreguezada : o supplicante vende por querer re-
tirar-se : a tratar na mesma.
Vcndom-se quatro burras mulo mansas, boas
de carga e de seila, per preco commodo : a tratar
no hotel de Franca.
Venderse nma esorava de O annos de idade
com urna cra de lo dias, lava, cozmha e engom-
ma : a tratar na travesea do Porabal n. 20.
Vecdem-se as propiedades ns. 4 e 7, sitas
na rua da Florentina : a tratar na casa da esquina
p. 1, na mesma rua, da-- 10 horas por diante.
Vende-se urna casa pequea que rend 125
mensaes: a tratar na rua do Queimado n. 48.
Luvas de Jouvin.
A loja de miudezas na rua do Queima-
do n. 10, resebeu-as por este ultimo vapor,
Vndese tira carro (vicloria) novo e elegan-
te, com os arreius competentes d melal principe :
na Pon:e VVilia n. 8, por precu commodo.
As melhores chitas francezas de cores
escuras e fixas a 280 rs. o
covado!!
Na rua do Queimado n. 1 vendem-se chilas fran-
cezas escuras e finas a 280 o covado.
Mala mosca.
Na loja da Aguia Branca acba-se a venda
Vende-se superior bramante de linho'do melhor0 PaPel C0 CompOic5o para dar fim as
que tem vindo ao mercado com 10 palmos de lar-; mOSs, sendo O modo de usar facillimo, e 0
gura a 25600 a vara, panno de linho muilo su- effeilo efficaz : molba-se 0 papel e deixa se
perior para iences, toalhas e seroulas 640 e fiar n'nm prato, e nelle pousando as mos-
SS^T^SSJfiS10 Da raa a cas. entristecem e morrem. Gusta cada fo-
Meiaspara meninas a 2,500 ^ZL"n. a
Vendem se meias para meninas de.todos os la- ni, u- j. ._#.:^._.
manhos a 25500 rs. a duzia, ditas de seda preta ^verses brinquedos e enlrctenimento
para senhoras a 800 rs. o par, ditas inginas (tara para CfidUCaS,
homem a 5'5 a duzia, islo na loja do Pavao na rua ,.:- Rrnnca m ma "Hn flnnimarln n
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. A A?u,a "rlnca na% rua O JueimadO .
Coriinudos para oamas. ,8> recebeu diversos brinquedos para cnan-
Vendem-sericos cortinados para camas pelo ba- Cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
ralo preco de H5 o par. Ditos bordados muito ri-: elctricos, apparelhos de metal, louca pinta-
eos a 245 colchas do fu=iao para cama a 55B00 e da e porcelana donrada para almoco e jan-
Gama & Silva fUa PeralnZ C' de, tar e muitos oulros brinquedos de madeira.
;que se vendem baratamente: na rua ik
Os balees do Pavo a 25S00, 3. e 3500 Queimado, loja da Aguia Branca n 8.
Vendem-se os melhores baioes de arcos ameri- Ma.k .m.. ,i canos, sendo com 20 arcos a 2>500, dilos com 28 '* PrWaS M Sefld pdrd sennoias a
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500, ditos para i 500 r8 O par.
2SK ,d,ei-to,,0H 1lan,aDh0S a 2l300,e 3^ su" i A Aguia Branca quer acabar com a por-
penpres baioes de bramante e murcelina com <__ ? ,,'
cauda, sendo bstanle grandes a 55, iMo na loja Ca0 de meias Pre,as (1e seda Para senhoras,
do Pavao, rua da lmeratriz n. de Gama & ; e apesar do muito maior pre 0 que lhe CUS-
Silva- i taram e o bom estado em que anda esto,
As camisiuhas do Pavo. | comtudo esl resolvida a vende-las a k 0
Mendem-se as mais modernas camisiuhas borda- ris O par, afim de que ninguem mais calce
das com manguitos, para senh,ras, senJo as mais meas pretaa de algodao, agora pois apro-
modernas que tem viudo ao mercado a 45oU0. di- ..,-, L i i- j-
tas com manguitos, para acabar, a 15 : ditas pre-! veitarem a qiiadra e dtrigirem- e a rua do
tas com manguitos para luto a 15800 rs., maognl- Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tra-
los e goliobas pretas a 15, finissimas gelinhaa de bem vender as brancas a 1$ o par, e des-
cambraia branca bordada a 500 rs caleiohas para ^ 0 unico JefeitO estarem um poUCO tri-
meuina a 640 rs., romeiras de tilo e rambraia ,:_--
branca bordada a 15000 : na loj do Pavao, rua feUc'ras,
da Imperairiz n. 60, de Gama i Silva.
Paletots arelas a 6:>
Vendem-se superiores paletots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casaros a de fZCndS baratas de SailtOS
nperiores calcas de casimira de cor a 75 e >, ., ^ ,
a
caixinhas pequeas com msica tanlo de veio co-
mo de dar carda.
Vestuarios.
Riquisslmos vestuarios- de seda para criaofas
assim como louquinhas, sapatinhos e meiasinhas
de seda.
Capellas.
Riquissimas capellas brancas de flores para noi-
vas, assim como meias de seda brancas.
Porta boquet.
Rlquissimos porta bequel com cabo de madre-
perola para flores.
Leques.
Riquisslmos leqaes de madreperola e de sanda-
o assim como de osso.
Liv iii los.
Ripuissiraos livrinhos com capa de tartaruga
guarnecidos de prata para missa.
Adereces pretos.
Riquissimos-adereces pretos sendo pulseira, ro-
zetas, alfinele e volia, assim como de cores fiogin
do perolas.
Brincos.
Rlquissimos brincos e rozetas de todas as qoa-
lidades e gostos modernos.
Bonecas.
Riquissimas bonecas de porcelana ede massa e
de cera, assim como os que fallam chamando por
papai e mami.
Peales,
loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bon-ias
titas de gorgorao acbamalotado, proprias pa- i
ra dilas flvellas.
Ocitlog de peneira c de outras
qiialidades, para quem soffre
da vista.
A'loja de miudezas rua do Queimat'o
u. 10, tambem recebeu oculos de peneira
om vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da-vista, assim como oulros de armado
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tereos de corualiua.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes estilo
a disposigao dos bons christaos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na rua do
Queimado n. 16.
Esponjas llnns grandes e pe-
queas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de1
miudezas n. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
Liquidatfio fe peehncbas
no anuzem da Arara.
O proprielaiio da ranie lija e arn..2.m da
Arara tem resolvido vtnder ^uas BKcBdas por
menos 20'poretote do >,u>- ttn att%wr asan
parta por mu venjua n as humi* Jni
rem dos procos, a saber :
Corles de tiliiia (in barras.
Vendt-ni-se I imo> rortet dr ramhraia IsasK
com barras de aiRerrni^s rri |eJo t<
preco de 35 Cinbraias braii-.-s
V.ndese ramln.. a Irvfira :j,
15500, Sf c 05 a .,... e e butrm
dad'-> : na na da Impcratru n ii.
IrrUpka dr reto.
Vende-se brelnba de rulo coa
2K0o, esta se acabando eria pceb
luja da Arara, de Mn:.l-. Goiaari -
Lazinhas.
Vendem-se as mai.- mudetas i."a:;r.r.*- K ga-
das pelo Diurno vap..r, tendo ptdlSc. mui t\
los se teode pelo baniisHBw prreo da 240 n
covado, (. fazenda qoe esa i utra arte .-- cesis a
400 rs.: na loja e arnsesra da Arar. t. :c,
pailas.
Vende-se grande poreao e clara- pi-r baratos preca a HO, K te ?,i
rs. v covado. dilas percalas liras i. 3C0 '. r*.
covado, moias mais ie ouin s pri jo.
Chales j Desia fazenda ba om fraude miiskesiu e rfco-
I les de merino estampados em muito enCAfia.-,
e < >-ia .-e rendendo pi lo barato preo Je -i taa
um, uto para acabar.
| Calcitas i!e fuslo.
Vendtm-se colehas .jp fnsiji o ..,;,. ,
a i), dilas de dama.^co diU
2*840 e900cada :... : L
Menat Gaimarftes.
ladate .
Vende-se madapoiiu ;. oO,
7*600 e fv" a pee', eni ^r^.lo r.
jardas a :t. :;-3.'0 trir n. 36, Mondes Goirnai -
Sftiilr barqws.
V.nde.-e sontembarqne a' 5.-. f e :
preos de prosdenaplcs a '85, I9 e -'1
o me*mo preco.
Catnbraias de cerrs.
VendenvM eamhraias de core sead
3 20, 3Oe iOOis. o .vade,
Caserairas.
Vend -se easemlra c mi .h: i *
o e-vado, e meei?d.i ^ ^ : .0 v
r Se .
,1. a
' ra
.
\ej.'-'
I
. .
- -
-
2.;aio
oSalsa parrilba de Aj(T~
PARA A CLBA Di
ENCIIOFI \
Riquissimos pentes de laruroga para senhora, tersos objectos que fazem completar o seu
assim como para menina e de militas outras qua- bello sortimento, sendo :
M ARMAZEM
! 8*, ditas pretas a ti!, 7r5 e t>*, paletots de meia
: casimira a o* e 6, ditos do casimira a 10, calcas
de rneia casimira a 4> e 4*500, ditas de br'im
I branco de linho e de cores, coletes de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muilo em coma, s com o fim de apurar di-
uheiro : na loja do Pavao, rua da imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavo
Vende-se um grande sorlimento de madapoloes,
chitas, algodaozinhos das melhores marcas, ga-
ramindo-se vender mais barato do que em outra
qualquer parle, sendo a dinheiro a vist, na loja do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Chegoo pelo ultimo vpor francez um grande e
variado sorlimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles muitos de poma redonda a imitacio de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por precos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lanzinhas da Escossia
a 360 rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas lanzinhas da Escos-
sia, sendo a fazenda mais moderna que lem vindo
ao mercado este auno, por serem a'imitago das
Vende se urna parte e um predio no silio dos
Arcos, perla da igreja dos Remedios, o qual pro- sedas.escossezas, com as mais lindas cores, pelo
prio para olaria por ter excellente barro, e as ter- Darallfsimo preco de 360 rs. o covado : na loja e
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaquim f-."""I0,,do
Jos Goncalves Beltro, rua do Vigario n. 17, es- l ,a &"va-
criptorio.
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
Chales e relindas.
- Vende-se urna carroca'para cavallo, [sad, _y,eDdem'se fhales prj,os de rnd"' seDdo de 4
com lodos os pertences : a tratar na rua do Sebo : P??la> 1 as ma!s. moderoas retondas, por preco
._.. ki baratissimo : na loja e armazem do Pavao, rua da
i Imperatriz n. (>, de Gama & Silva.
Vende-se um moleque moco, muito bonita fi-
gura, com lo annos de idade, sem vicios nem acha-
ques, no Corredor do Rispo n. lo ; nessa mesma
SouUiembarques de cor.
Vendem-se southembarques de cor multo bem
enfeilados a 5*, 6* e 7*000 para acabar : na loja
casa precisa-se alugar urna preta que saiba vender e armazem do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de
na rua e seja fiel, para vender miudezas, e Um- Gama & Silva
bem tem um moleque para se alugar.
Vende-se a taberna da rua dos Assoguinhos
n. 20: a tratar na mesma.
Farinha te mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo d C., no seu escriptorio rua da Cruz o. 1.
Charutos da Babia
a 1* a caixa; na rua da Moeda n. 43.
Vndese a casa lerrea n. 23 da rua Impe-
rial, com um* mei agua no mesmo terreno, que
deita para a raa do scente : a tratar no largo
do Carino n. 90.
Veude-se a melad i de um sitio com boa casa
e muitas fructeiras, e una grande baia para ca-
plm, n entrada de Relea : quem quizer procure
na rua do Raogel n. 7, segundo andar.
Henry Forst'r k C.
na rua do Imperador n. 3, ou no caes de fedro II
n. 3, lem para vender o seguate :
Farinha de trigo das melhores marcas existentes
no mercado.
Hachioas americanas di 20, 40, 60, 60 e 120 ser-
ras para descarocar algodao.
Motores para o servico das machinas ou oulro
qualquor irabalho tendente a rodagem.
Prensas para ensacar algodao.
Roeas am-rieanas'para cabrioiei.
Gaz de pnmeira qualiade oltimamente chegado
pelo navio Jaboato.
Cassas fraueezas a 280 rs.
Vendem-se Qnissimas cassas francezas com mo-
dernos padrees a 280 e 320 rs. o covado: na loja
e armazem do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Oryandv modernissimo.
Chegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padroes, sendo quasi todos iistra-
dos, como se usam agora, com as mais lindas cores
e fizas; vendendo-se pelo barato preco de 900 rs.
Coeiho, rua do Queimado n.
19, vende se o seguinte :
Lences de panno de linho a 2*200.
Dilos de bramante de linho de um s panno pelo
baratissimo preco de 3*200.
Loberas de chita da India a 2*400.
Pegas de eambraia de salpicas branca e de cor
com 8 1|2 varas, pelo baratissimo prego de 4J500.
Pegas de eambraia adamascada com 20 varas,
propria para cortinado a 11*.
Raides de arcos a 3*, 3*o00 e 4*.
Lencos de eambraia brancos pequeos, a duzia
2*000.
Ditos ditos de dita finos, a duzia 236OO.
Rramante de linho fino com 10 palmos de largu-
ra, pelo baratissimo prego de '2*400 a vara.
Atoalhado de linho a vara 2*800.
Dito de algodao 2*.
Algodao enfeslado corn 7 1|2 palmos de largura
a 1*200 a vara.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para saia a 3*500.
Fil de linho liso fino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a i*.
Cambraia de linho fina, a vara 4*300, 6,500, 9*.
Flanella branca lina a 600 rs o covado.
Dita de cores a 880 rs.
Cortes de algudozinho de lindos gostos, com 15
covados, pelo baratissimo prego de o*.
Madapolo fino largo a 9* e 10* a pega.
lidades
Enfeites para cima de mesa.
Riquissimos enfeites para cima de mesa e para
toillet.
Fi velas e sin tos.
Riquissimas fivelas de madreperola e de metal,
assim como bonilos siolos.
Flores.
Riquissimo sortimenlo de llores o mais lino que
se pode desejar.
Jogo para familia.
Riquissimo jogo de vispora em caixinhas de ma-
deira cntvrnisada e pedras finas proprias para en-
trel'1 ''i.i.tuio de familia.
Para viagem.
iliquissimos estojos coai todos os pertences finos
para homem.
Fitas.
Riquissimo sorlimento de lilas de todas as qua-
lidades e lindos gostos.
Franja.
Rlquissima franja de seda de muilo linos pa-
droes tanto de cores como pretos, assim como de
borlla e sem ella propria para cortinado.
Trancas.
Riquissimas trangas de seda preta e de cores as-
sim como de algodao e de la...
Perfumaras.
Graude sortimento de perfumaras de todas as
qualidades edos melhores autores al o prsenle
conhecido e muilos otrtros objectos qoe se tornara
enfadonho mencionar, hto s no vigilante rua
do Crespo n. 7.
4 BAH4TIS IMO
Grande liquidacio de fazen-
das e roupa feita nacio-
nal, na rna da Iuipera-
2r^
'*n
9
2>
1
. 72, loja de
s &|rmao.
Gni-
Os 1 os deste eslabelecimenlo lem re-
solvid- suas fazendas por pregos baralis-
simos, o fim de apurar dinheiro ; aprwvel-
lem as :j .ichas.
Chitas la gas francezas a 260, 280,300 e 370 rs.
o covado.
Percala- finas com lindos desenhos a 360, 400,
440 e 500 rs. o covado : islo na loja de Guimares
& Irmo, na rua da Impcra.riz n. 72.
Lazinhas de quadrinhos e de listrinhas. sendo
de lindissimos padr5es a 220, 240, 280 e 320 rs. o
covado : vendem-se assim barato pela grande por-
go que tero.
Chales de merino estampados a 2.sl)U0,
Dilos de merino liso a 3*800, 45 e 5*. ditos es-
lampados a 6*o00, 7*, 7*500 e 8*.
Ricos ch-lesdc renda.
Chegou pelo ultimo vapor francez um grande e
F.las finas de sarja da mais estreita que
ha al a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja Lvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas c lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorgurao de seda achamalotada, I
e muito encorpadas, para cinto de flvellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, colleles, palitos, etc.
dem de lla igualmente sortidas em cures
e para os mesmos fins.
dem de algodao brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques, vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guarnicoes para enfeitar
I soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores c menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e oulros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos lamanlios.
Lmelos de dous vidros com aro de aro, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netas e oculos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por precos razoaveis: os pret-ndentes diri-
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 16.
*3
e (odas as vcrrtrfas
lirnTCDimfesdcifa
(ctlas as Molestias m
pelle
eicnsiprllss, (lastra, Ierra*.
sainas,
nastidas, en.|ii.ri.>,
REUMATISMO
STFHIIilS
em lonas as suas turmas, assim run*
o mal que provm do uso excessr 1
MERCURIO
l'lt'crat-o do Ogado
erem summa todos os males que 1
e igem na
IMPUREZA DO SANGUt
E om alterante poderoso para n
RENOVACO do SA.VIK
e para dar nova !'o;<;a e vigor
enflaquecido pela (locura.
Vende-se tm Peraambueo:
na

tsi uu
rpoja
,;:M
il
MAG1EFRAN
DEP.fflAURER&C,!
RUA NOVA N!"
i)
XAROP
deLABELON
Empregado com ioTariavel successo itndt *< .nnoat
pelos Mdicos de todos es paizes contra MfriSM
orgnicas oa nto orgnicas do coraci, as diTersu hj-
dropisias e a maior parte das molestias do peito e d*9
bronchios ipneumenia. catarrhox pulmonares, ut'.ntt.
in/lamma(Bet nervosas dos bronchios, caarr \tiras, ite... i
0 xahtPE de labelo.WE oio te rende se.-.io <
Srrafas com rotulas de cor e (echadas com nma -r.jp
ramio a firma do inventor.
En PARU. ma B*urB>B-VlllrBrMTr. I*.
Vendem-se no Recife em casa de (.. r.
Barboza e Joo da C. Bravo & C.
ni* al
Rua do Queimado ns. 49 e 2*.
Zer Ver e admirar Veulian loja dO Contina a vender todas as miudezas qoe ubxi
i:.....;.. 1,.. declara por precos admirante.
Rival sem segundo
Rna do Queimado ns. 40 e 00, loja de
miudezas de tres portas, est quei-
mando ludo bom e barato, quem qui-
Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louca prateados .'.tzenda mo-
derna a ItiO rs.
Duzias de penna de aro fazenda Loa a 40 rs.
Pecas de tranca de laa lisas e de todas cores a
40 rs.
Eseovas Qnissimas para lmpar denles a 240 e
320 rs.
Epeira da India de 4, o e 6 palmos de largura, lo fina e padroes inteiramente novos a 280, 360 e
propria para forro de sala, por menos preco do que 1400 rs. o covado, cortes de cambraias com barras
em outra qualquer parle. | sendo de cores e brancas, pelo barato preco de3,
Neste armazem tambem se encontra um grande 3J1200 e 39500, ditos de chitas a 25, 2500, 3 e
variado sortimento de chales de renda pretos, sen-, Pecas de Ola de eos eslreitas com 10 varas a
do fazenda inteiramente boa, e vendem-se por pre-1
eos muito razoaveis : isto na rna da Imperatriz n..
?2, loja de Guimares S Irmo.
Cassas francezas.
Vendem-se cassas francezas, sendo fazenda mui-;
sortimento de roupa feila e por medida.
FAKELO
de Lisboa o mais superior que ha 45500 e a 55000
o sacco: na rua larga do Rosario n. 30, taberna
da esquina, defronte da igreja.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C., no seu escriptorio rua da Crux n. 1._______
lgodo da Baha
Na loja de Andrade & Reg, rua do Crespo n. 8,
esquina da rua do Imperador, vende-se superior
algodao da Baha por menos preco do que em ou-
tra qualquer parle.
Vende-se o sobrado n. 21 sito na rua de S.
Pedro Martyr em Olinda, e vunde-se tambem nm
, terreno oude se acha edificada grande parte da
a vara : na loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60, i cidade do Rio Formo.so, o qual terreno se estende
da matriz at o trapicue: a tratar na rua da Unio
Chitas a 210 e 280 rs.
n. 37.
Vendem se superiores chilas escuras a 240, 280,;
320 e 400 rs. o covado, sendo todas de cores tixa-; i
ditas inglezas, muito boa fazenda a 200 rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, rua da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de merino a 25000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000cada um, havendo tambem um
grande sortimento dos mesmos matizados que se
vendem a 65, 75 e 850OO : na loja e armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Silesias a 45000.
Vendem-se superiores pecas de silesia, sendo
fazenda muito Gna e propria para saias e carnizas
de senhora, e tendo e lendo 12 jardas cada pega,
peloibaratissimo preco de 45000 a peca : na loja a! Vendem-se quatro burros muilo mansos, bons
armazen do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Ga- de carga e de sella, por preco commodo : a tratar
I raa & Silvau_______________ no hotel de Ffauca.
0 castello de GrasviUe.
Tradiizidn do francez por A. J. C. da Craz.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo. preco de 3/J00C
oa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8. _________
TERRENOS A' VENDA.
Vndese um terreno proprio para edideaco,
collocado no centro da cidade, com 68 palmos de
frente e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
rua da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
macoes, na rna do Sol n. 37.
3,5500.
Vende-se um grande sortimento de gollnhas
para senhoras e meninas pelo barato preco de 320,
400 e 500 rs. cida urna ; todas estas fazendas se
vendem por pregos mais baratos que em outra
qualquer parle : tsto s na rua da Imperatriz n.
72, loja de Guimares o Irmo.
Coxnes de lilas de todas as cures a 45500 e 55
cada urna, sendo ao ultimo rosio, na loja de Gui-
mares & Irmo, na rua da Imperairiz n. 72.
< orles de casimiras
Vendem-se .cortes de casimiras a 25500, 35 a
45, ditas muito finas a 65, 75 e 85 : isto na loje
de Guimares & Irmo, rua da Imperatriz n. 72.
avaHado.
Francez barrica 55000
Portland idem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Por lia nd idem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do'Apollo.

Vende-se no escriptorio de Mauoei Ignacio
de Oliveira & Filbo,largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
t duzia e barris de oitavns e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
' de 1 duzia.
Palmella tinto de excellente qualdade em caixas
de 2 duzias.
Yinhos de Lisboa moito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
AUencae a pechinclia"
Sapatos de tranca com sola de cortica a 15 o
patf.x na raa do LivratBeoto a.Jj>,
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito tinos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garraliuhas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
15400.
Sahonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia dt- sabooetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua deniifice superior qualidadea 800 rs.
Caixas cora superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
152OO.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
aSOOrs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollnhas moito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fila de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Dunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 200 jardas a 40 rs.
Pegas de liras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muilo fortes e superiores a
35500.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na rua da Senzala .Nova o. 42.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de moldaras Joorada a 200. 40 e 120 r
Bonels de oliado para meninos a IJKKr).
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos rom superior linla rocha a 240 rs.
Meiadas de linna froxa para bordado a 20 e ff
Caixas com 100 envelope?. fazenda fina a MI rs.
Grozas de pennas de ac, r.i?enda super sv 1 W r~
Grozas de botoes maiiicperola moi a SUtle
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do (ras 1 'i-O r.
Caixas com superiores brelas de rola '. M 1
Pegas de lila brama t-lastira com 9 va^ a U* Varas de franja de la para enteiies de ;?.
40 rs.
Kara I los dourados superiores qualidadrs a SI U r.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 r.
Litros para asseulos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para panno, fa/enda rica a !;0 rs
Tesouras para costuras superiores qnakjaiies .
400 e 15.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda sea a
I50OO.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranga e tapete a 15500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de la sortidas de bonitas cores a ~5<00.
Caixas com superiores obreias de mansa a 40 rs.
Rodiohas com alfinetcs francezes muilo nperisres
a 20 rs.
Resmas de papel almago a 25400 ** 9#00 r*.
Eseovas para roupa, farenda boa a 720 e 15.
Duzias de tesouras rom toque de ferrugea a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de rabo prelo a 350U0.
Talheres muito fino para criangas a 24) rs.
Pulseiras para meninas a 32o rs.
Ditas e voltas parasenhoia a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 15280.
Frascos com superior banha a 240 e 50) rs.
dem de superior oleo babosa a 3*20 rs.
Caixas com lamparioas para 3 mezes a 40 rs
Varas de habado do Pon a 80 e IV rs.
Cartas de alfiueles (rancezes a 100 rs.
Qaadernos de panel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 r.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
A Sencao.
i
Vende-se doce de cajo', laranja, grozi lia e etica
em latas de tima e duas libras a 700 r... a Nfcra :
no largo do Carino, esquina qoe vulti para a raa
de (lorias, armazem o. i.
Vende-se a casa terrea da rua rt S o.
8, chaos forelros: a Iralr na praga di InJtpen-
dencia n. 22_____________________________
Vende-se um sobrado de dous andares aa
ruada Penda : a fallar ua rua Ja Casabas do Car-
ino n. 8.


-"
DlarSo c Peruabnc* Segunda letra t de Ontuforo de t *

re
A Ioja de fazendas de Augusto Frederico dos Santos Porto, acaba de receber um mili-
to grande e novo sorlimento de cortinados bordados para cama de noivos a 36J, 40, 45J,
0^0OO,6050O0e 70000.
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 15-300 e 2$.
Cachinez de la de diversas e bonitas cores a 3floOO e 45-
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 16, 203,2i$ 8 25$.
Rotondes de guip, tambera os mais modernos a 26,5-
Colchas de seda de cor para cama de noivos a oo& e 00$.
Alcatifa de liuho para salas, tazenda larga, bonita e de muila durarlo, a 600 ris o
covado.
Tapetes grandes o pequeos, com ricos desenhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 7f, ,&, 95 e 10$.
Cipas o soutemharques de seda preta para senhoras.
Bonels, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a 123.
Pecinnas de linissima bretanha de llnho a 75300.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 700 rs. o covado, e cam-
braias francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Cisemiras de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdenopole preto e de cores, esguioes, sil>ias e cambraias ee linho, sorlimento, de diver-
sas fazendas para luto,chapeos de seda para homens a 95 e 105, chapeos deso de seda,
lindos manguitos bordados, e outras rauitas fazendas que se venden) por precos razoaveis,
inclusive ,
Esteiras da India para forrar salas
QQr\
i -J-V
a
-i*
%
&
HAS VmMWMMMAm.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de sedado cores o que tura viudo a Pernambuco de melhor gosto
em seda.
Asstrn coito mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO IV* 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e
CORTES U>E SE 14
o
O
O
1

DE
AZEVEDO A FLORES
Rna da Ca O balo vende sempre por menos que em outra qnalquer parte, quero migar que
isto nao e verdade dar-se ao trabalho de vir apressar qnalquer fazenda de que preii--
tambem se manda levar casa, para qne as senhoras melhor possam csco'ber, Dfaic
amostras deixando penhor.
ios srs. e i:\i;i \IIO
Superiores algodes americanos branco, azul e de listas par ropa deescravos.
Aff RESPEITAVEL PUBLICO MADAPfMLOS
A tabella akixo publicada serve de base ejirew ^
BiLOKS
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-'
teo do Orino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
C.

i***
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-1
genhos, iavradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-:
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-;
tnentos em um so annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-'
mosque-nao infrigiremos a tabella que abaip vai publicado, annunciar os gneros Lindos cortes de la com riquissimas barias a matiz, os mais modernos que hi no mercado
Superiores balos de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes para sofs,
Lindissimas gravatas c mantas para pescoco de homem.
Superiores camisas de meia e raeias para homem e stnhora.
Calcas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de raoreantique de cores, e seda lavrada
roes inteiramente-novos.
Seda de quadros por 1$000 o cavado
5-RA DO CRESPO-5
Gregorio Pac* do Amaral & Companhia.
pa-
por nm preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo j
aioda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que1
BPSd tambem servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus I
pedidos em- cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta I
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
alguma que fizer sna despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.

ENCICLOPDICA
i'i 1 ib a la Imperatriz armazem
da porta larga ft.
unto a padarla t'radccza de
Pare les Porto.
N'este estabeleciraento encontrar o respeitnvel
; nm variado sorlimento de fazendas france-
'. n jic:>>, snlssas e ademaos, que se vndenlo
I: 'jo commodo.
Paredes Porto
vende olales de renda de cores que se vende-
a I8j) est wndendo por 6,5, ditos preos, fa-
:i nova, 55,63, 8-3 a ('>, um sorlimento oom-
pli-to de manteletes, rapas e soutambarquesliS a
i.'. 1a Imperatriz n %i, junto a padarla fran-
. armazem da porta ^r;?,-,.
Careles Porto
Receben um completo frumento de laasinhas a
:". e SO rs. novados, para acabar, cambraias de
2i0 rs. o covado, rlscado escos^ez para Toa-
pa de menino, fuslao d* linho a 420, 100 e 500 rs.
II .a da Imperatriz n. ii junt) a padana franceza,
izem da porta larga.
Pareiles Porto
Receben para cortinados para cama franceza a
i 13 a peca cambraia lisa fina a 35 43 al 10- a
corles de tarlaia na de bonitos gostos a 3>*>00
e 45, cambraia com fli'ir de sida, gostos inteira-
vos a lOOjfi 500 rs. o covado, no armazem
ra larga n. 52, roa da Imperatriz junto a pa-
d >rl.'. franceza.
Paredes Porto
ben relo ultimo paqaete um sorlimento de
cru com pedraspara o pescoco. bonitos caxineis
i para pescoco de senhora." Ra da Imperatriz
-. irmazam d.< pira larga.
Pandes Porto
ende cortes de rporlo preto para %-estidocom
i! envados cada um 35JOOO, grsdi*oaple preljfca-
iflOO, 13800 e 23 o covado, Lias lizas tinas a'Wl
rs. o covado, lias de quadrinnopara vestido, enfoj*
tada. a 320 rs. o covado. Hu da Imperatriz n. &[.
armazem da porta larga.
Paredes Porlo
Tem para vender por preco commodo, pecas de
lian de llnho com 10 varas a "5, 83, panno de
i i ara iences a 650 e 700 rs. a vara, braman-
linho de i larguras a 23200 e 25500 a vara.
Paredes Porlo
Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
gostos a 103 e 125, tnus ve-tuanos para menioa
' m nio, ricos corles de cambraia Maria Pia a
103 e 205, tarlatana branca e de cr a 640 e 720
r. a vara. Ra da Imj erairiz armazem da porta
larga n. 52. ~
Ronpa feita
Ra da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padaria franceza, encontra-se neste es-
tab>>!ecimento um completo sorlimento de palels-
saccos e sobrecasacos, Je todas as qualidades, cal-
ca.-, c Metes, ceroulas, camisas, gravatas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabera, por
precos onmmodos, roupa para menino e outras
is fazendas iior precos commodos, armazem
a porta larga.
No mesmo e-tabelecimento encontrar o respei-
: publico, sempre tim completo sorlimento de
las fetas de todas as qualidades, como sejam
pal tos de alpaca preta ede cor, ditos sobrecasa- i
ii i ~j a ;>5, ditos de bri.-n pardo a 25800, 33 e
"), ditos Unos a 45, ditos meias cazemira a
\ 43 e 53, ditos cazemira saceos a 63, 75, 85
I I ">. ditos sobrecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
no =accos a 63, 85 e 105, dilos sobrecasacos a 125
e 253, ditos de merino preto a 63, 75 e 103, cal-
! brim de diversas qualidades a 13800 a 45,
rtilos brancoa a 23500 e (300, dilos cazemira .'3,
l3 e "3, dilos prelns a 55, 65, 85 e 103, ditos
cazemiras a 35 e 45, coletes de diversas
qualidades, seroolas francezas de algodo, ditas de
l'oho, ditas de bramanie a 25 e 250OO, carnizas de
algodo de linho franelas de 23500 e 33- Gran-
di: 1 chincha ueste genero, gravatas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor-
tmenlo de meias para senhoras, ditas para homens
.1 33. -upenores a 33500 e 45-
Um completo sorlimento de chapeos de sol de
alp ea a 35, ditos de seda a 55, 75, 1P5 e 13,
di' francezes para cab ga, graodo soriimenlo
a 63.
Pechiucha a Grande sorlimento de chambres a 43600 e 52,
!-ni de cainhraiapara bon-jm a 25 a duzia, di-
!... I linho 1 45 e 53-
Grande sMimento de ronpa para meninos e ou-
tr.i- muitas qualidades que seria enfadonno men-'
a, iia-las.
Fazeadas.
',' nde-ne superior mt-rin preto proprio para ca-
pa. de senhora e vestidos a 23. lustrim da Ghiua.
a 15800 o covado. Rna da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em seu estabelecimenloiras e enlremeios
bordados, grande sort.meoto de corplnhos rica-
mente bordados a 35, 45 e 55- So o Pa/edes Por-
lo, ra da Imperatriz no 58 -, porta torga juolo a
padaria franceza.
Paredes Porto ,
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas lijas'
granadinas com fl >res de seda a 400 e 500 rs. o
covado, estn acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga juuto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sorlimento de fazendas
brancas, como sejam madarolo a 45500, 55, 65 e
103, pe^as de algndao por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320, 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junte a padaria franceza.
Paredes Poito
Vende gangas de cor propria para roupa, de me-
ninos a 320 rs. o covado, riscado francez fino a
320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espariilhos a pre-
guigoso por 39, sao bons, lencos de seda para se-
nhora e homem a l, ricos cortes do cambraia
bordados de 18j a 7-?, por ter um toque de mofo,
esto se acabando, na ra da Imperatriz n.52, jun-
io a padarla franceza.
colares Sloycr 011 colares ano-
dinos .
para facilitar a dentifao das criancas e preserva
las das convnlsoes."
O feliz resultado obtido immen^as vezes pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
cas> de convisoes, e denticao das crianzas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje ji se pode dizer que estao geralmente con-
ceituados, e eslimados de inniimeraveis.'. pais de
familias : de uns porque do uso dsses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
nhO'-, e de ootros porque colheram daquelles to
proficuo azemplO para ignalinenie preservar o*
seus. Assim, poli, a aguia branca, tendo em vis-
las a ulilidade e proveit desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, mandDu' vir o novo sorti-
meoto que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os quaes flearao
certos de os acharconsianlemente na ra do Quei
mado, leja d'aguia branca n. 8.
Manteiga itgleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de;,l ,00o a l.loo rs. a li-
bra, e em barril ten abtimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8G0 rs,
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
caii
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem byssen o ;melhor neste genero a!
2,6oo rs;,,e sendo em porco ter abatimen-
lo,- tambem ha proprio para negocio de 2 a I Superior azeitc doce de Lisboa a 600 rs. a
2,4o rs. a lfbra. garrafa e a 4,600 rs. a caada.
dem preto superior de I,8oo a 2,ooo rs. MdSSClS
3 libra. Macarrao e taherira a 360 rs. a libra e a
Camisas francezas e seroulas finsimas de bramante.
Superiores chitas largas, escuras e claras de todos os presos.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
Serveia A QDEM N0S LER
erior serveia' Bass dos melhores fa- a TodaS 3S SemanaS re[ormamos osso o, _annuncianf!o ao publico novas
brSn^^SJii^SbS ABel! T. F.'f^ DVS PreC3 Cm mm peS3aS SUp;e Scmpre ser as mesmasS
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs. z
a garrafa. Tambera ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcope a S.ooo rs. a du-
zia e a Soo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e i,4oors.
a caada.
.4 zee doce
lllscontos
iu,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- j Passas
versas marcas a l,2oo rs a lata. j Superiores passas a l,5oo o quarto e
Bolaehinhas 5,5oo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas com bolachinlus da acreditada fa-'rs. a libra.
PELO
Atten#o o barateiro de ob-
jectos ebegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro finos
com 24 luzes, do melhor gosto e por prego razoa-
vel: assim como apparelhos para cb e para jan-
lar, brancos e de cores diferentes ; ditos de por-
celana dourados e pintados e brancos; apparelhos
para jamar de porcelana branca; tamnem se ven-
den) em pegas separadas, como os freguezes qui-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em caixao e a re-
lallio ; lanternas de todas as qualidades de vidro-.
ditas de casquinho inglezas muito linas; candela-
bros Je vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa para jamar; gigos com apparelhos
para cha; e outros muitos sortimentos de todas as
qualidades e precos commodos vontade dos com-
pradores, que se'vendem na ra da Cadeia do Re-
cife junta do arco da Conceigao n. C>\, e na rna
Nova no grande armazem de louca e vidros junto
igreja da Conceicao dos Militares n. 49.
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata. **
Queijos
Queijos flamengos chegidos no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- darris.
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 I,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porfao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das
tadas marcas, como sejam: ?
Duque do Porto, Velho Secco,
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Ped
mas Doces e outras marcas a l,c-r.
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia. '
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e i.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso era barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira era
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mafs bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3'aixasTmma duzia fr garrafas de su- *'*> agarrafa onrico,
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa *
redi-
iecca,
as do
i^agri-
a garra-
gevi:bki
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e 1,000 rs. ao frasco.
Genebra de HollanJa verdadeira a 6,000
rs. afiasqueira e a 56o rs. o fiasco.
Idora de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Bollante a 8,000 rs. o garrifao. Tambem
I ha garrafoes cora 5 e 14 garrafas de 3,2oo
,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra,
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a i4o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,800 a
4,000 rs-, a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho A
Filho e Brandao e de oulros muitos, os-
quaes vendemos pelo mdico preso de l.Coo
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,Soo, e 5^ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l,oooe
LOJA 00 BtsJA FLOR
Na ra to Qucimado n. 63.
que
se
tem
7oors. agarrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.* e 2/ qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
k t n.to
Sabo maga de primeira qnalidade de 18o [
Doce a casca da goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o eaixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Fruta*
Frutas em calda e em tatas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo s. a lata.
Tem recebido um sorlimento de cruzes
esta a usando, de diversos gostos ; s quera
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de voltas
de aljofares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer outra parte.
Facas e garios.
Vende-se faccas e garfos de cabos de balanco de
um bolao a 52O0 a duzia, ditas de dous botdes a
6jHO0i dita para doce a S,jlO0, ditas de cabo preto
a 3J200, ditas de^abo branco, rolico e cravado a
3*000.
Tem recebido variados sortimentos de balaios
para meninos de encola, de forma de peixinnos,
pallnhos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bem se pode apreciar, e tambem serve para
o leilao do hospital portuguez : litas para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beqa-flor.
Escovas para ronpa.
Vende-sc es;ovas para roupa muito Anas com
di (Terentes gostos a 640 e 15, ditas pera denles a
120,210, 320 e 300 rs.
i^. Papel e envelopes.
Ven^e pautado papel e caixinhas a 680 rs.,
! dito de cr a 700 rs., e eumvelopes a GlOrs. a ca
xinha.____________________________
Charutos da Baha
a I-3.a caixa : na ra da Hoeda n. 43.
Veode-se a casa da ra do Aiecrim n. 4,
com 3 quarlos, 2 salas, terrago, cozinha, quintal,
cacimba, e todo Iluminado a gar, cora 3 janellas
de frente e 1 porta, corredor ao lado : a tratar na
me.-ma ra n. 2.
a22ors. a libra
em caixao.
e do 16o a 2to rs. sendo! Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor.
Mac&ts pelo ultimo vapor.
Ameixas pelo oltimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Frucias em calda pelo ul.imo vapor.
Nozes pelo ultimo vapor.
Receberara Gregorio Pacs do Amaral C. um variado sortimento de novidade
como sejam:
NOVOS PADROES EM COiTES DE SEDA
CtiJLC'llA3 ME IMHASIO
Portuguez e francez, de seda e de laa e seda.
JLEQUES
Lindo sortimento de leques de madre-perola, marfira e osso, trans renle e de
seda com mimosos bordados.
VELLUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
Cor de vinho.
Carmczim.
jLUVAS OE J 1 VIA
Brancas e de cores para senhoras e homens.
UlSiVVTl*
Mantas de meia, de seda, de retroz de duas voltas largas e muito eslreitas de
urna s volta.
Grosdeneples de todas as cores.
CIMTOS
Com vellas de tartaruga esmaltadas, madreperola e cobertas de seda, feilas para
as mesmas, ete.
iIB A I.IvS DE FIL DE CORES
Gostos inteiramente novos, ainda nao vistos neste mercado.
CASEMIRAS
De quadros miudinhos e largos.
Enfeites
O melhor e mais moderno sortimento de enfeites proprios para Kocke com bons
penles de tartaruga e sem elles.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
Cnstnmes para menlxios
de gorguro de la de diversas cores, bordados com muito gosto.
Perneadores para senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem.
Vestidos feos para senhora.
Tudo por preeos razoaveis.
5 RA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.

Acha-se
Queijos londrinos pelo uliimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
Presunto fiambre pelo uliimo vapor.
Tudo se vonde barato nos seguintes armazens:
Rna do Imperador n. 40, verdadeiro Principal.
Ra do incluado n. 9, l'ulo e Comuierclo.
l.argo do Carme u. O. Progressivo.
venda na hvrarla acadmica, na rna do Impera-
dor; na do Sr. Xogueira, junio ao arco de Santo
Antonio ; e na lypographia imparcial, ca ra es-
treita do Rosario a compiladlo de toda a legislagao
tendente administradlo, arrecadago e liscaii-
sa?o dos dinheiros de orphaos defuntcs e ausen-
tes, horanyas jacentes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execu-
g5es, como tambem todas as ordens e avisos do
governo, que a luda tem explicado, tanto a respai-
lo das obrigacoes inherentes ao cargo dos difieren-
tes erapregados de justica e fazenda, como dos di-
reiios nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impresso e bom papel, e prestando-se a ulilidade
de dlflerentes classes, toma-se recommendavel.
Seu cusi 105008 por cada exemplar em dous
omos.
mwm^mnmmmm
Bichas de Hamburgo
todos os paquetes da Europa se recebe
destas amigas do sangue humano e se
^ vendem a troco de pouco lucro s aBm
Wl de ter sempre cousa nova : a loja de bar-
viv beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p ^
Jfc da igreja. &
iii wmm ^iDiff
Vende-se
Bramante da linho Qno e largo para lenges.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavado.
Cobertores de algodo de um e dous pellos.
Na casa de Edward Penton n. 17, ra do Tra-
p iche.__________________________________
Algodo Para saceos e ronpa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muito superior
qnalidade : vende-se no escriptorlo de Manoel Ig-
nacio de Olivelra & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
s
VILLR
8
Com loja i rna do Crespo d. 17.
Receben de Pari sedas em cortes mui-
to superiores e bellissimos ptdrSes, e
chales de reBda pretos para I0J.
Este importante e.-tatH^cimeno torna-
se recommendavel ao bello sexo peto Ta-
ri edade de fazendas superiores bello
a gostos
Proteja o bello sexo a Villar
| e verao todos a prosperidade.
MBS 4 CA
Vende-se arroz com casca, praco m costa,
dido em alqueire a vontade do com rador esto
no trapicha do Cunda : para tratar pu rsa do Vi-
gario n. 29.
r SB-jK! #B BBBBBBU
Fumo da Bahia para
charutos
i

Vende-se fumo superior do tocas as
qualidades, a retalho e por alaeido o par
preco commodo : no Recito, na da Ca-
cimba n. 1.
Sola.
Vende-se 450 meios da sola do bus i
a tratar na ra do Queimado n. 53, loto do lerra-
gens. 4QMMaa
.
Vende se tres casas terreas na villa do Cabo,
sendo urna com eslabeleciraento \ a tratar ao |
* do Terrn. 139, i.* sallar.
^_
-
s


~

-.


V
I,
t
Diarfo de Pernambnco Segunda tetra t de Outubro de i S*.
DO
GERENTE
SJl'Wsi
m
PUBLICO

*f./t!fet.-.t,r;::tt-.. ,-= -J*
Mem o menor coitstran
gimento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENC&O
a prec.os da aegnlntc
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de b--
se para o ajuste de cenia-
com os portadores.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
$212 aumai di si muh ara
AO
RESPEITAVEL ITBRL O.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande rma-
le m da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua maximt parte mandados vir directamente do estrang iro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffiancar, com toda a seguranga de que
oenhum oulro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos flnissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pooco favorecidos da sorte farao meDsalmente urna economa de
omitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de lora da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore>
compradores.
Nao se leuu poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DttHEIRO A VISTA:
A i Ghaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. | urna.
dem e painco de oito libras para cima a j K
100 rs. i KIRSCH de Wasser a 2? a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ I,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem dem em potes de todos os tamanhos.
dem idera em hcelas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos
nhos.
j LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 1$, a libra.
Maumei.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e taliiarim a 320 rs. a libra,
os tama- Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs. Momo inglez de todas as qualidades.
a garrafa. Marrasquino verdadeiro de Zara a
Amos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
BOLACHINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
idem do Principe Alberto a 1#800 a lata, e
de cinco para cima a I#700.
dem de so la em lates grandes a 20000 e
de cinco para cima a 1300.
Biscorrs inglezes de todas as qualidades a
1)200, 1^250 6 15300.
Bolo francez cm caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Ciiol'ricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 200 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7?000 a ar-
roba.
Conservas em fiascos a 320 rg. cada um,
sao muio novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenene a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei/
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos,'hysson, buxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., ele, a 25000,
252'!0, 25500 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINIIA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
Idem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15-500
Farf.llo ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Hassas finas para sepa branca e amarella a
00 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500. .
Mimo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
H
NUZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para demes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a (400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 000 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MORINQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
m
SAB0 massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame jieXeon a 2P.
SARjHrtAs de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
' 720 rs. )
Stearina^4'/600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Com-clc-o)
PARA BEM DE TODOS,

E' BARAT1SSIMO! 11
Graude liquidar de fcutieta r rM
feila nacional, na roa dalrcpfratru
n. 72, luja de Guinaiaes ,v Irat.
Os propriettnos deste e*tabe!t emento uir r*
solvido liquidar tm suas fezendas rxr tr--, tara-
tissimos so com o Om de ai urar tehciro
lea as pcchinchas.
Vende-se um grande sortimento ,'t- .fitas kt*>
i cezas largas a 260, 280, 300 370 ..-.. dlU<
percalias muito linas a 3C0, 4tO. \W ;-i ,.
covado : isto s na lija de Guru.aiat.. A ,
na ra da Imperatrit n. 71
E' muito barato >
Cortes de la | ara vestido de senhtra a ;..
Corles de la a 'o.
Corles ce i i 3$,
Aos 3,(00 cr vados de laa,
Vtnde-.-e lpiint.as dequadns. c- riel ^
lindusin.rs pMld>t a 250, 540, ttOt :;-.< i-,
vado, vtnde te assim borato por u .
e querer se acabar : isio s na loja oe (.uu.r.t
& Irmao, ra da Imperaniz n. 72.
i ^ Aos 2,000 chales de aei t..
Veude-se chal s de mru o ttttu i : 2(CV
e 23500, ditos dp merino lire a 3J8-0. .; e H,
Senhore* T.horas, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptid3o e intel- d>GrMte so/meu ~% 7**t'5**"
ezacom que serSo trati3^ envida a urna visita ao mesmo, certos de qvesm dovida me darao a proteccSo e preferencia na com- b,aia *, pelo e
ra dos gneros que precsarj o e quando ~
-os sero to bem servidos como se viessem
Ira p?rle.
Minleiga ingleza especialmente escclhida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,000
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,60o rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
,u .., ~ -w.*,, w..- Uv Mv .^ ....- ...~ uu.u a p.uMKvau e prererencia na com- u,aia "-1" li"12. v^ ^arai.,,!,,., c< .,; .
o nao possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratico? m
m passoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de ane nSo*Sn*m "L*tbit$* 'A>H0O, V?;
v U1U uc que iidovaoem Vend-* petas ce madaioi.'.i. n n. z4 ian 1
I ,, <#W0, t* 6#, 7*. 8#, 91 e JO
Aletria, macarro e taliiarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franga muito nova, a 2oo r.
35,ooo rs. Charutos do aTamado fabricante Jos Furta-
Vmho empipa: Porto, Figueira e Lisboa al do de Simas, das seguintes qualidades:
zia.
32o, 4oo e 5oo rs. a arrala, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo..
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Linguigas muito novas a 800 rs. a libra e em, Vinho do Porto das melhores marcas que
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato ? 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 040 rs. a lata.
6,800 a 9oo rs.
a garrafa e 10:000 a caixa.
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para esGrever.
libra.
VINHOSI
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velbo secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 agarrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa. ,
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
po^^o alguma.
Lanterue a 800 rs. a garrafa.
Bordeaox Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Werraoulh a 25, e a caixa a 185.
Ritter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
Na ofBcina de ferreiro da ra do Jasmira n.
ha para vender nma carroca feita, com esmero
propria para carregar orna pipa com agua, afim
de veode-la pela ra Na mesma offleina ha tam- Q|Jeiraado n_ 69 os mais flnos e lindog ca|ungas
bem um cabnolet de duas rodas, novo e muito bern | ,., h.,^ ^ mD ^ .,.. L.
Caluogas liaos e brlnquedoa
para meninos.
Lbegaram para a loja de miudezas da ra do
acabado ; quem pretender estes objectos, pode di-
,rigir-se a mesma- que achara' com quem tratar.
< Potassa da Russia
irluito nova e superior : vende-se no escriptorio
! e Manoel Ignacro de Oliveira & Filho, largo do
' roo Santo n. 19/
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas._________^_______
Luva* de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras : s
quem recebeu foi o beija-flor, ua ra do Queimado
numero 63.
conia certa.
Frasqueirasde uenebra de Hollanda
e 64o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos! o gigo com 36 libra-.
grandes a 1,oooe ll.onors. a frasqneira.| Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-! 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. j Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranha"o de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
, rs. a libra e 2,8oo a arrofta. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arrufa. a 8oo rs. o frasco.
Idfn de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
' roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa;Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa Je tomatesde superior qualidade a 6 io Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 15 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. 'Palitos Je dente a 14o rs. omaco.
Exposico Normal de Ihivana, Impeiiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
I,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a la la c$m
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a prosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5uo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5co o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,Coo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa,
xa exterior, a l,4o>, I,6oo, l,8oo e 2,ooo| Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorea.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez | Champagne da melhor qualidade que' vein
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a loo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a ?5,ouo e 5,BoejPQ8saeuito novas emeaixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.'' Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra. s
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- \ Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a l55oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em ctixinhas de diversos
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-! tamanhos com bonitas estar' pas na cai-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de I
Sal refinado em frascos de vidro com lampa DiMfrancez cem I2jartas Ji ;.;, .y
do mesmo, a 5oo rs e 7
fprvfii hra,,!., ,!, J i- j Ntnde-se um grande EorlintMc i c-llirta*
V-erveja nranca das marcas mais acreditadas para robora e n.tniL.s ptio baratr irtci de -<
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 04o 4t0 e il rs- Ci> : 's't' na ij c. i t*
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a da-im s & lnrao' r.u,aiil ""f*"*" '"-
loupa leila
Roopa feila
Grande aoilinccnto de roopa : !., (a* m
qualidades, que se rende por prrn \;n\
aflianra seque se vtnde pr n df> que i m 11.1ra qualquer |arte.
Ra un lija de biciin t 4>ub; ats
& niiiao.
Hua da Inperalrlz n. Zt.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roopa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
garrafa.
esciu^gs rwi

*.
No dia 28 de agosto prximo pa-
cern) do engfDho Parar)', mid na ei warri
mueiro, os escraves Francisc > Al .i v.
icnrenles aomajer Claudino C-1!' .. M. .' O
primeiro alio, uceo do rorpo, om I..... c ,: Lu-
do, e de cor cabra, tim a (ara beiita, L-.-iju
barba,cabellos caiaplnbos, \s corita e :?..-,
saino vertido de ralea ramlsa i
chapeo de feliro, levando lamben ) ... .
irouxa conlendo roii|a oe u.-i, a sater ian
de chita e calcas I n-nras r pardas, ;. \> .,
um chapeo de renri', i; nmi aiRn 0..,is: i
preto, rricnlo, aecro do rorpo, malura
tim falla de dtntts na frcuie. un> i urt '
do, e tem ps finos e ben leilos, ua t-m n
ladino. Ambos.sSo mocos, leudo de idad Jtt *tr
nos, pouco niai- c-u meno ; desronlla te qo
uliam lucido para a.-sniiar pra^a n.-ia ki .:* <
(uemi'iitra qualquer : qu leva-tos oo aodilo rpn.lK. cu ;"r.>i S\ ..,
Alvaro Baibusa da Silva, ua ra da Cruz l .'.
que ser ben icc mpersado.
L \ u&^y
aos eapitaes de campo
polica
2001000 H fialilc5a fr raa
Desapparereu em principio do v i de
prximo pafsado, de bordo do pal! al "ic i
Arroto Malo, dous fcravos de n< n I h i-jc
appellido Macei, e Miguel, o Io de k ,.<' 'i.'.
pooco ma>s u menos, rritnio, err fu i, |i .
haixa barba cerrada, om pouco urii ia- ri -.
e com algone cabelles brancos, tanto n* tari i co-
mo na cateea ; o 2' alto, rV.eio di. eorp i. fem i t-
ba, falla grossa, reprsenla ter de 25 a 30
cojos eseravr s riese nPase andarem j
des desia cidade : quem es aperebnr>r, t i'i
levar a ra do Trapiche n. i, ou a bordo o d :o
navio.
en
i-o
DO AFAMADO J0UVI.1.
Vende-se pelo preco de 2,5 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para homem e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. 54.
ffili-s.isg^giisgg
2^ a 3 i c-3 p = = .i a
o
3 w .
M


ra
%B
o ?? o
U3
3 -
a.
2. O 2
o,, o "3 o _,
S,Bgs.os.|ae gsjs
ra
& 1 I S
o o *
CKJ ^
IA.

ra
v.
rj>
a | M
B 5. -5
ra w
B, ".S
'O* =
O.
3
3
2.
Cu
ra
ra
as
3
SO &"'
W3 O 2 O
nn
o
as
O
o
as
Tasso Irm&os
Yeiideni no seo annazera roa do
Amerim o. 35?
Licor fino Carago em botijas e meias botijas.
Lieores finos surtidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonbe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendera-se palmeiras iraperiae?, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado es-
qaerda, depois i do becco do Espinheiro, nos A-
i flictos
ACHINAS EP4TENT
de trabalhar rea o pars
ti'al>alhar reo
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
0LDA1
f
Estas machinaj
podemdescaro(ax
qualquer especi*
de algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o irabalho; pdt
descarocar urna
arroba de algo-
dio em earoct
em 40 minutos.
ou 18 arroba
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que desearocam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutras dessas machinas.
Os meamos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis testas machinai
mencionada^; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n .47.
Saondcrs Brothers &C.
IV. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
A LEGITIMA
uuiFumu
Auseulou-se do eugtnho Frerneii -. .i ^ue-
zia da Escada, no diasi'iiunda-fe.ra II tic* i ;.--
le, o escravo de nome-Cosme, crionlo, ii ade de O
e lautosannos, estatura baila, rl >i i di < i\ ---
padoas largas, falla um pooco otante, lev u ea-
mia e caifa de algodu riscado, rha| i d palba ;
cujo t-scravo foi riti Sr. J. s Fi ; icii i' : ,
vrarior do engtoho Rainha do.- Anii.- da diu ir^-
guezia. para cujo logar provavel qoc e techa
dirigido por ter sido cria do dito senhor, e fm ven-
dido nesta cidade ao Sr. Jo-- Rodrigues de Sena
Santos, em junho prximo paseado p< lo* Srs. M ;:a
& Ribtfro por aulorisacao do dito Pr. ,- F r ;-
ra : roga-se as autoridades rompel nles > ;
particulares d<- o apprehtnderem i dirigir em-se ao
referido engenhOj ou a roa do IrrpiritR-r n. 12,
terceiro andar, que se recompensar.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lnnetos, binculos, do ul-
timo e raais apurado gosto da Europa,
PBIPABDA NICAMENTE POR
LAMAN & KEMP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
prepriedades eminentemente depurativas;
appfovada pelas juntase academias de me-
dicina; usadajnos principaes bospitaes, ci-
vis militares e da marinba as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanbol
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, eo-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morpbea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitacSes e
falsiflcac5os, preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS'A RARBOZA
JOO DA C. BRAVO A C.
Joo da C. Bravo & C.
- r
,. --. ,
Acham-se fgidos os escravos reglMBlw : Ben:o,
mulato,idade de 25 annos, cabellos annelad.-s, --m
barba, denles um pouco limados, secco do cerno,
lesla larga, e falla um pooco desrancada ; e L-jir,
crioulo.j um pouco velho, allura regular, mnito
cabelludo, barba com algnns cabelles brancos, a-
sim como na cabeca, corpo reforcado. olhos ms
lanto pequeos, falla grossa e as vezes fise se
ronco: pede-so as autoridades poliriaes e aos ea-
pitaes de campo que os acam apprehendpr e con-
duzi-losa' casa de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmo, que generosamente recompensara,
e Ihes pagara toda despeza que fizt-rem o m a se
condcelo : suppoe-se que riles terso ido em se-
gnimento dos sertes desta provincia, por serem
filbos desses lugares.
Fugio no dia 18 do correnle mez o ^relo tri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
on menos, alto, rosto comprido, snissa potro fecha-
da, ps grandes e chatos, ecosiuma andar d.alper-
gatas, levou camisa de algodo, caica* velbaa
roas, chapeo de palha velho, e Umhem ui.. 1 u-:,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel que tenha ido para 5 'iml ;i m
ou Rio Formoso, onde j tem sido capiurado por
vezes. Roga-se s autoridades e capiacs de campo
que apprebendam e o levem at seu senhor Jeio
Cavalcanti Lamenha Lins, residente na Estrada
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalranli da
Albuquerque, que se recompensar generos>
mente.
Ao amanhecer to dia 26 de ago.-to fugiram
do engenho Camaragibe dous escravos rrjoulos,
ambos carreiros, sendo um do neme Semeo, na-
tural do ferio de Ouricury, alio e bem futo, cara
redonda, nao mofto preto, e soffre de urna hernia;
o oulro de nome Nicolao, nascido no mesmo en-
genbo, estatura ordinaria, secco do corpo e robus-
to, na mesma occasio desapparereran- torro*
do servido do engenho. de suppor que leiiham si-
do levados por elles, on por algum que Ihes ser-
vio de gnia e seductor, porque na noiie preceden-
lea sabida dos ditos escravos forara vi.-tos dujs
borneas em communlcacao com o Stn.eao junto a
entrada do engenho :-quem prender e trotixer di-
tos escravos ser recompensado
I -.
V
9
Pugio no dia 19 deslemei de setembro o es-
cravo Nicolao, de idade de 13 para 14 annus, cor
fnla, falla mansa, cabellos caraplnhos, rs das en-
tradas na cabera sao roivos, olhos grandes, conhe-
ce algomas letr alphabeticas. todas as rnimeri-
DepositO geral em PernambUCO ra da I cas, e levou caifa e camisa de rucado atol, f-i en-
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza : centrado no da 22 na roa do l^owtdom
--------------------------------------------------------- uro cavallo, e em companhia de alguns matotos
d 7 rj. 7 p A 7 que se dirfgiam para fra da cidade, os q jaes e
xmtlj xm%.Mj \Xi%.u I ignora donde sejam. Assim recommenda-se a to-
Vende-se gaz da melhor qualidade a das as autoridades policiies e capites de campo a
lija Mita: nos armazensda ruado Im- appr.ebens56' dodito escravo, bem come> queti-
perador n.,6 e ra do Trapiche Novon. 8. g?. POR 605000 I 1 po AWMe) o. 31, qoe generoMmente recororemnr
Urna machina de costura : na loja n. 20, B, rna ewgara todas as despezas feus a quem o en-
do Crespo. bregar.
firtin
u>






-
- ;

r
Mario de rcrnambnco Aegnnda felra t de Ontubro de i*.
I
HIEHMt
lU POCCO DE TIJDO. "
0 Imial do Commemo, de Lisboa, publica o se-
golnte .obre a instrucgao primaria na Italia :
unos a |ui expor aos nossos Icitores o quadro
villas (borgate), ceotros de populago, que, nos ter-
mos da le devera 'ser providas de escolas. Estas
villas sao em numero de 9,388 ; deste algansmo,
5,627 tera escolas elementare?, as nutras 3,361 nao
teera.
Falta,' portanto, ura terco para prover anda de
escolas.
Quanto ao algarisrao das creancas que frequen-'
anda insulllciente, apezar da
da .nstruccao primaria de um povo, cojos destinos. Um as esco)aS
pre >< i dpam rom rai5o o mundo inteiro. |e
Lllalia, qoe foi o brco das renasceoca das let-, Elevase to smente a 1,109,221, das quaes
liona recahido no rgimen da oppres-rio, as tji.H'J sao do sexo masculino e 482,635 do sexo
ignorancia. Em raria* das suas provin- f(,lllenjua
i in*irn icrelementar era ministrada em fui. Esl algaulaaap, relativamente a' populago total
sa de esmo'a. | das cranlas de 5 a 12 annos, equivale a 38 por
Sob o noy rgimen, a transtotraacio foi com- \ cont para os rapares, e 30 por cento para as ra-
e boje a Italia aprsenla resultados.pelo que^ parigas.
di respeito rastrurgo primaria, que bao de ira-
pressiour vivamente todo os espiritos.
Daremos conla d'esses resultados sem commen-1 Alem das esc las ele neniares, ha na Italia asy-
urmoj I los onde as cranlas de 2 ar 5 aunos recebem
Os factos fa laro por si raesmos. uma alimentaco sadia, e fazein exerciclos apro-
Segundo as novas le?, a iistrucca elementar priados a' sua idade.
inferior ou do primeiro grao, comprehende o ensi-j ja e conseguio formar uestes estabelecimentos
ligioso, a letlura, a escripia,antbmeliea ele-.alumnos e aluinnas sabendo ler e escrever. Ha
r, a lingua italiana e as nogoes elementares, it80 asylos destes que admittem ao todo 82,000
.1 y-iema melrico. creanga<, das quaes 40,000 pertencem ao sexo
A inslrnccio elementar do segundo grao admit-1 masculino e 42,000 ao sexo femicmo, e a este res-
alem do desenvolv ment destas materias, as j pio, diremos que em algumas cidades importan-
E' para lamentar que o'numero dos alumnos e
alumnas diminua durante o esli.
t
. as da c'omposcao, a.calligraphia, a escriptura- tes o uumero-das escuias de raparigas superior
i geograpbia elemeular, a exposigo dos fac- ao dis escolas de rapazes.
.>A>H*I /* f\ .' .Illl.l.
Sente-so ua Italia a impenosa necessidade de
,> nota'veis da historia nacional, e o conhe-
nto das scienclas physicas e natoraes, appli-
is principalmente aos usos ordinarios da vida.
'as escolas superiores de mancebos eosinam-
mbem os elementos de geometra e o desenlio
linear.
Xas escolas de dunzellas, periencenles ao segn-
rao, ensina-se iguaimeuie a pratiea dos traba-1
sucos,b dar, cozer. etc.
[talla possui, nos lias de 1862, 89,4 escolas
elenientares, das quaes 17,15'.) para rapazes, e
13,263 pira raparigas.
Esle numero total de escolas, divTdia-se em----
3',3W.esculas publicas, e 6,082 escolas particu-
lares.
As escolas 3o primeiro graoeram 28,026, e as
fscolas do -segundo grao chegavam ao algarumo
:. 197 ; as escolas mixtas nao passavam de 136.
oparando a totalidade das ditas escolas com
: ; da populago, ou com "a totalidade do
territorio, achavara-se 14 escolas por 10,000 ha-
hitantes, e 11 escolas por 100 kilmetros qua-
ios.
a provincias do Piemonte oceupavam o primei-
ro lugar, pelo que diz respeito-a primeira eompa-
i-".!, e as d l-ombardia cecupavam o primeiro
quanto a' segunda.
A rastrueco elementar italiana administrada
por 17,60 meslies e 13,817 mestras.
S escolas publicas contam l,33i meslres e
Iras.
A ?sots particulares contam reuniJas 3,170
cousa rxuj notavel, 4,871 mestras.
i. es de ambos os sexos devem ser pro.
ura diploma fpaleulc.j
i. d ol ni i definitivo op provisorio. Os ins-
res institutoras, prvidos do diploma defin-
:.. sao en) numero de 16,770. Apenas 11,651 tem
m i ifovisorio.
**!? q -se g ramente que todd o ensino italiano
iaslico. E' um engao. E'muito mais se-
Escrevem de Berln:
Al aqui tinhamos tido associac5es femeninas,
locaes e (soladas; mas nao tinha becorrido a nin-
guem o constituir uma assembla geral destas so-
ciedades para toda a Allemanha. ^J
Parece chegado o momento de preencher este
vacuo.
Annunciou-se para 16 ou 18 de oulubro prximo
orna assembla geral deste gnero em Lespzig, de-
baixo do titulo de Frawen Konferenz.
Son, Ihe responden elle.
Pois sabe que Analmente dei'cabo d'elles. .
O marido nao comprehendeu, e pegando na luz
vio sua mulher indifferentemente, assentada ao p
do fogo com a camisa manchada de sangue, e o
Do vosso casamento...
Sim I Do teu casamento com elle! Ento T
pensas que nao setque voces se estimam mui-
to?l...- ,
Ora, mas de estimar para amar ha muita di-
cadaver de Christovao aos seas ps com a cabeca' feren^a...
quasi separada do corpo. I P(>is lli te esqueceste, que tinha promettido
No quarto prximo eNavam as duas filhas dego- a ra mao ao capitao ? '
|a(jas_ O pai sempre dizia que nao queriria obrigar
O marido gritou, c aos seus gritos acudiram a o meu coraco... eu estimo muito o capllao, mas
Trata-se naturalmente de crear 'um lugar entre! f"ha, o genro e o fliho mais velho. nAo o quera para marido...
todas as associacoes femeninas e de reunir os re- Eiher ^^ Prso sem resistencia e confes-' Pois Ui, nao lequeres caaar com o Jernimo,
cursos pecuniarios indispensaveis para a funda- sou os crimes que havia commeiiio, uizendo iue Clotilde?...
gao e sustentacao de um jornal femenino (Frawen seu marido era um trabalhador laborioso, ms que Eu meu pai, disse ella chorando, na) quero
seitung-) que deve publicarse em Berln, jpara apezar disso os seus salarios nao Ihe chegavam casar...
servir de orgo a todos os seas associados. e cu- Para sustentar ama familia to numerosa, que ella | Mas entao, Sipa dos raeus peccados, t nao
deva entrar no da seguale no hospital para urna vs que tens vate e tres anuos, que preciso to"
operado d'olhos e que seas filhos (cariara a mor- (mares estado...
rer a forae, e sem terem que vestir era que ca Igar
O genro desmenlio isto, dizendo que sua ora
nao recebia por semana menos de uma. libra.
Parece que a infeliz leve um ataque de loucura,
alm da enferraidade d'olhos soffria outras doen-
ja redaccao estar exclusivamente a cargo'das mu-
Ih eres.
At aqai as sociedades femeninas, que subsli-
tuem as religiosas dos catholicos, nos paites pro-
.testantes.nao se oceupavam seno de obras de can-
dada e inolfensiva's; porm agora gracas a sua vas-
ta organlsaco e a seu orgao de publicidade se en
contraram naturalmente conduzidas
problemas sociaes e polticos.
Para o futuro teremos poltica femenina.
S fallava isto para resolver as quest5es pen
denles.
Pois o deixe-me a escolha, que eu prometto
casar-me em breve...
Passado tempo,
quera casar-se.
i discutir os cas, tenJo de ir para a estacao da policia?fem uma ; Quera o escolhido,
cadeirlnba, por nao poder andar.
instruir a mulher.
Na enmmuna de Uilao, ha 273 escolas de rapa-
rigas e 116 de rapazes
Na communa de Turira, ha 153 escolas de rapa-
zes c 189 de raparigas.
Na communa de aples, ha fi9"escolas de ra-
pazes e 129 de raparigas.
Esles factos explican) a superioridade incontesta.
vel da mulher italiana, e.a grande m.isso que
ella desempeoha na emanciparlo progressiva do
paiz.
E' opinio assentada em varias provincias que a
mulher preferivel a qualquer mostr para a edu-
caciio da? creancas.
Era Uni, muilas divisoes elementares, sao con--
fiados mulberes, e a tentativa, diz o relatorio do
mioi foi mui bem succedida.
E' .cruiar raulheres aptas para o ensino ; a sua
retni.uico menos onerosa, e a sua acgo sobre
as creaucas muito mais efcaz, jioslo qae raais
suave.
Estabeleceu-se tambera um grande numero de
escolas nocturnas, e durante o domingo para os
adultos. Estas ultimas augmeniam de da para
da. ," .
Eis aqui como se repartem as escolas entre as;
diversas partes do reino :
Temos algumas nformacSes asss curiosas a-
cerca do tranco.dos escravos brancos no Oriente.
O-numero de enancas circassianas expedidas an-
"nualmenle de Conslaatinopla e outros portos tur-
cos, eleva-se a 10:000.
O preso dos rapazes em Alexandria de 150 a
225 piastras; as raparigas vendera-se 'de 500 a 650
piastras, segundo a sua belleza.
Este infame trafico tem lugar abertamente, sem
E' do Sr. C. Costa esle esboco a peana :
MASA singular.
O Sr. Maooel das Cangalhas Meudanha era um
respeitavel senuor, tanto por suas formas physicas j Velos.
Clotilde veio dizer ao pai, que
perguntam todos a
um lapuya, respondeu ella -resoluta-
uraa.
E
mente.
Toda a familia ficou de borra aberta, e o-Sr-
Mendanlia quasi d era louco, por'causa da ignobil
resoluto da tilha, com quem linha tido tantos dis-
corao por suas qualldades moraes.
Tioha esta senhpr, alm de outras, urna filha,
gorda, corada, bera talhada, eque leve a habilida-
de de inspirar uma 'paixo fortissiraa, mais forte
do que alcool da io graos, a" Sr. Jeronyrao dos
Tercos, digno ollicial da guarda nacional.
Jeroayuro, araicissimo do Sr. Mendanha, um da
em que vinha cora este de fazer a tlecao da mesa
As provincias do antigo Piemonte, a saber : Ale- conveniencia pasmosa; todas as outras
xandria, Cuneo, Novara e Turira, contam 6,985 zeram coro,
escolas, das quaes 4,007 para os rapazes e 2,918 O magislrado bam vio as damas quo
que o governo turco empregue o menor esforco rtgedora de uma irmaodade, e sentio para obstar a elle. toso p0r n50 ter straidio juz a pessoa para quem
Custa a crr como na Inglaterra, onde a escrava- C||e cabanou, chegou-llie tal assomo de ternura,
tura negra causou e causa ainda tanta agitaco, nao que impiorou do Sr. Meodaoha a coucessao da
se elevou um brado para protestar contra este com- m5o ,je su-a [h3 e qae 0 Sr_ Mendanha de bom
mercio; tanto mais que esses escravos brancos sao grado coocedeu mediaale a vontade della.
destinados a uma escravatura mais horrvel do que I jeronymo'princpou pois'a ser raais assiduo em
a dos negros. suas VjSjas a Mendanha : de noile ia tomar cha :
----- ^ ao domingo leva as meninas missa ; quando ha-
A imprensa dos yankees noticiou que um ameri-!via coavite para baile, o Sr. Jeronymo acompanha-
cano descobrio o raeio de'ntilisar a lama das ras va a familia. Escusado djzer, que nestas occa-
e della extrahir um azeile, que d boa claridade o\ sioes, dava elle abrago liada Clolhilde ; (assim
que nao cheira mal. i se chamava a futura esposa' de Jeronyrao) e tolo
! seria se assim nao fizesse. Clotilde, era troco de
! tantos obsequios, tocava ao piano algumas cousas
Ha pouco ura-magistrado mai espirituoso foi de que Jeronymo raa.s gostava.
convidado a ura sarao por um negociante abas- Cabe a(]ui uma reflexao
* Os Srs. pais de familia, qur tenham raelos, qur
O convidado apresentou-se de calca branca, e fez d5&j entendem que, apenas suas filhas sa.bara di-
os seus comprimentos aos donos da casa. zer bMi ,hes devem dar um meilre de piano> ,
Grande escndalo, motivado pela calca branca. ou.tro de ca anda ou[r ,hes eQS|ne di.
A dona dacasaraordeu os araos; amatqt,\wUtaMeeroeU e oulras ,ndeias, que afinal.
intima amiga esia, achou o tul senkw de uma in-
A familia agglomerou-se em roda de Clotilde pe-
diram, rogaram, choraram, mas de balde ; a reso-
lugo era inabalavel; a joven bateu com o p no
chao e gritou alto e bom som, para eterno opro-
brio da,familia, que s casara com um ta-
puya.
OSr. Mendanha, foi por esses matos de Christo,
em procura do mando escolhido por sua (llha ; o
que afinal eaconlrou.
Casados que (orara, o lapuya de quem me pas-
sou o nome, foi com ClotjUe, para o cenlro : cons-
ta de fonle lirapa, que elle faz as delicias de sua
mulher e que ja tem dous filhos, lisidios como aze-
viche.
Jernimo dos Tercos, ao depois desta decepgao,
poz toda a^ia myra n'uma candidatura a ministro
dos tercetros, o que nao chegou a gosar pois que
morreu (na vespra da eleig.io em que pretenda
ser elelto) de uma inamniai.-o de ligado, causada
pelo uso da Salsa Parrilha de Drislol..
Eu, que assisti a isto, e a muitas outras cousas;
anda por c ando para dar conla ao.publico, dos
diversos modos porque cada umdesempenha o seu
papel uo drama da vida.
-*-~
vista a ignorancia em que ellas fieam, da sua lia-
damas h- gua e de oulros misleres de maior necessidade,
| han si'rve stvam ^ aSjm obram, e de envergonbar a ellas, pela
para as raparigas. A populaco destas de 317,500 cochichaodo; porm fingi que em nada linha fei- jgnorauca era que se veui, e anda mais pelos
creancas. (o reparo, na certeza de que se.lhe havia de depa- apertos ^ cerlas occa55es, era que raui precisa
A Liguria (Genova e Porto Mauricio), muito me- rar a occasiao de tomar urna desforra. a eloaencia phraseologica
nos extensa, conla 1,502 escolas frequentadas por Sereno com o sorriso nos labios, passeiava pelas TZ0 entendido, que nao me 'possivel'dar um
5J, alumn0S- salas>sem dar a conhecer CO5a alei'na- conselho. sem que acabe ridicuarisando o caso.
A Lombard.a s r.valisa cora as provmcias do Vou dar-lhe uma boa l.co; disse as suas vi- Mas Jeronymo do3 Terqo n5o se contenlava
Piemoule. Tem 6,892 escolas das quaes 3,466 de sinhas urna trigaeirinha mui graciosa e casadinha
rapazes, e 3,426 de raparigas, sendo a sna po- de fresco, e dirigio-se com passo firme para a vic-
polacd de 316,902 creancas. tima, a qual eslava saboreando deliciosamente um |
ciiaremos a provincia de Mi Uto, a_ qual conla sorvete.
1,708 escolas.
i j l-'ranca e outros paizes. O nume-
res seculares sobe a 35,329, dos
10 314 meslres e 12,015 mestras, o que o
u do que succede em Franca, onde o ensino
da-raparigas est quasi totalmente entregue s
. religiosas. 0 institutores clericaes
i.. smente ao numero de 9,092 dos
quaes 7 2'J meslres e 1,802 mestras.
i i dos institutores de ambos os sexo?,
na feta outr'ora exclusivamente pela polica,
oui liberal. Premeiam-se us nielhores mes-
. hendidos aquellos cujas escolas dei-
duu .i desejar, 1,963 obtiveram mnades
is ra 1863, e s 110 foram censurados.
. diz respeito a co.-lames, ha muita se-
-'iilaridade provada iraz comsigo
. todava, por esle motivo incorreram
le 7 meslres. A ocapacidade (ara-
ko deexcluso, isas communassao
i,- ueste nonio.
...:.i de 1863, foram substituidos 73
azes, e apenas i'J lustiiutoras.
A iustru ;o primaria foi por muito'tempo es-
(.i.i, porm sob o oduxo da lber-
ura desenvolvimento considuravel.
m araexemplo o oue se passou n'algu-
ii provincias.
Antes de 1830, o Piemonte tinha doze escolas
ida U',000 habitantes; em 1863, havia vihle
vi Liguria, onde havia dez escolas por
cada 10,000 habitante?, existiam em 1863 deze-
nove.
aludo todas ascommunas' ainda nao estao
prvidas \ esc das. Duzentas e nove nao tem es-
is publicase nem particulares, 21i nao tem es-
publicas e 6.6i7 nao tein escolas panicu-
As commanas privadas do escolas publicas de
rapazes sao em numero de 25), e as que nao tera
as publicas de raparigas sao de 1,807.
i. misroi n";o confundir com as commca?, as
Os que estavam ao faci do que se ia passar, ca-
A Emilia, que se compoe jlas provincias de Bo- laram-se; as seuhoras tremiara .de impacieocia, e
lonha, Ferrara, I'orli, Modena, Parma", Placencia, um risinho de escarneo se Ibes desenhava. nos la-
il'avena, e da antiga Emilia, isto das provincias bios.
que estveram largos annos oppnmidas pelo clero A vossa vinda hoje a esta caslpprova de so-
tem s 2,623 escolas frequentadas por 79,17o bejo a vossa amabilidade, senhor jalz, disse a lou-
creaocas.
A Ombra conta 529 escolas e ha 1,263 as Mar-
cas (Ancona, etc)
A Tos-ana tarabem nao ocrnpa o primeiro lugar,
pois que apenas tem 2,291 e?tabelecimentos'de ios-
iracgo primaria frequentados por 67,121 creau-
cas.
De resto a insiruccao primaria desenvolve-se ah
actualmente com actividade.
Os Abrusos e Molise, n> amigo reino de aples,
contam smente 1,067 escalas frequentadas por
32,267 creancas.
As rics provincias da Carapanha, incluindo lie
nevenie, aple?, a trra re Lavoro, o principado
Citerior e o principado Ulterior em 1833 apenas
linham 1,996 escolas, das quaes 1,191 de rapazes e
803 de raparigas, frequentadas pouco mais ou me-
nos por 70,400 crengas.
A Poglia tem 1,183 escolas, a Basilicala 386, e
as Calabrias 920.
quinha, era voz alta para que todos ouvissem.
O magistrado fea uma graciosa, contioenca.
Sois ao mesrao lempo galanteador e espiri-
tuoso. .. na vossa ausencia niugura se diverte, e
alm d'isso, nos as raulheres notamos que andaes
sempre vestido com muila elegane
to I -. Ah I se lodos os maridos se parecessem
cora melodas; quera mais alguma cousa em
consequencia, teve Clotilde de ouvir-lhe uma ma-
nante declararao, que deu em resultado o tornar-
se a menina muito esquiva.
As veritas, de Jeronymo, reuetiam-se, pois que
eslava elle como j dissemers apaixonadissimo :
uma, duas, e mais vetos do dia, se o leitor/osse a
casa do Mendanha l havia de encontrar Jero-
nymo I
O Sr. Mendanha eslava socegadissimo em quan-
!to a estas visitas; pois sabia que nem Jeronymo era
! capas de praticar como villo ; nem to pouco Clo-
I tilde, capaz de se esquecer dos seus principios...
Ella, ja tidha sido pedida a seu pai, por collega
delle, o qual teve em resposta queManoj das
Cang.Vihas Mendanha, nao qnjiva e educava filhas
': para casar com esirangeiros, que sua lilha, s ca-
! sana com nacional de quatro costados como ella.
comvoscol Nao esta" mais na minha mo... acho
vos... esta noile... encantador.... essa caiga) Enliado cora esla resposta, o pretndente foi ha-
branca sobretudo... > | ler a poria'onde as ragas se cruzassem com raais
Formaa senlwra, folgo muito que a minha facilidade.
caiga vos agrade, interrompeu o juiz sorrindo, e s Passaram-se quatro annos, e Jeronymo nesla ra-
me resta exurimir-vos um desejo... ; tice platnica, sem obter de Clotilde raais que o
Qual elle t perguntou a raoreninba. ^ U am t,eJacit0 de Trocalori bem esecula"
, .. do ao piano
E o de a vossos pea depor o objecto do vosso
especial agrado, accrescentou o juiz, cora um ar
extremamente gracioso.
Fcil de suppor como ficaria a moreninha es-
touvada, ao ouvir esta resposla; por isso se reli-
A Sfcllia, que foi despezada .por tanto tempo, I rou mordendo-os labios, e jurando que nunca mais
linha nos (ios de 1863, 1,002 escolas primarias pu- ge lembraria de dar liges aos magistrados,
bll .s ou particulares, da? quaes 814 de rapazes e
283 de raparigas.
Estas escolas sao frequentadas por 36,685 crean. Em uma pequea casa de Skin-Harkel, praga
?as. m Baukside, Southwark, em Londres, moravam John
A ilha de Sardenha aprsenla um coniingenle de Lark, sua mulher Esther de 41 anuos, suas filhas
681 escolas e uma populagao de 20,666 alumno*. Elisa de 5 aunos, Esiher de 2 annos e seus filhos
Ainda pouco, mas p ncleo bom e pro- Christovam de 9 aunos e John de 14 annos, tra-
mete. bem vivan) com elles uma filha casada que pouco
____________^- v lempo havia que tinh dado4 luz uraa crianca, o
marido.
Acaba de se lancar a agua o navio couragado John Lack acarretava car'vab, e acordava os vi-
maior que se conhece. siuhos que precisavara sahir-cdo.
O vapor Dunderberg, construido em New-York, Urna manha sahio para chamar as pessoas que
tera 381 ps de compnmeoio, 73 de largo, 20 de Ihe haviam dauo essa incumbencia, e-quando vol-
fundo c a sua arqueagao de cinco mil tonella- tod, sua mulher lbe disse :
das. fc's tu f
-<"*
FOLHETDI
0 DEMONIO DO JOGO
ron
HENEiaUE CONSCIENCE.
ni
IContinuago.i
HubaSimo Turchi, acuna distancia da ponte
4,i Vinha, tinha una cas- raagni ca onde era a fei-
i ou administraco da casa de commercio dos
ivisi; mas lambem possuia na xtremidade da
' |0*4e, umjardim de recreio para onde, em-melho-
res ien.r,r,?j costunurva convidar os seus amigos e
conheci^ [iara esplendidas flstas, banquetes e
concert-, i'icava perto da igreja dS. Jorge, no
ra lo dos ten .), >IHa editictges a que se dava o
nome de Pradodo Hospital. ,
l'or fora nao apt;erj(ava lOS passageiros senao
um muro fie cerca w.m nenhuma abertura, som-
No era pouco I que lano, .aiuda eu niio pude
obler.
O pobre ofllcial despeitado de si raesmo, mas nao
desanimado, oi decisivamente pedir ao Sr. Meuda-
nha que fechasse a poca do seu casamento, ao que
respondeu este, que a mao de sua filha nao per-
tencia a outro, salvo a vontade della; e que ira
tratar disso.
Mal sabia o velho, o desgosto que o aguar-
dava.
aiendanha mandou vir Clotilde a sua presenga :
o que se passou vai abaixo :
Vera c, minha Clolildej senta-te aqui; t sa-
bes que eu te quero muito, que desejo ver-te feliz...
Dize-me uma cousa, t. nao gostas do nosso capitao
Jeronymo ?
Eu estmo-o, meu pai 1
Estima-o... ein?... anda minba sonsinha
que eu bera te entendo I
Pois o pai nao me ha de entender!...
'Entendo, entendo I Olha, sabes o que elle me
veio dizer hoje... que fixasse o da do vosso casa-
mento. .-.- ...
fonte de *jorros, que devia certaments apresentar laadiantadaa tarde ; o sol liona chegado quasi
urn sob;*o espectculo quado, abenas todas as ao termo do seu 'escurso, e se anda razia resplan-
tornoira;, aquelles monstros estranhos repuxassenT decer as grimpas das torres em 'estrellas de ouro,
agua era todas as direcgoos e em raios saltitantes, os seus raios obliquos-j nao chegavam ao chao do
pelas-boceas, venias e olbos. jardim. No meio das mouta* de verdura e -entra-
No fundo do jardim, e a grande distancia do mu-' da das grutas espalhava-se pouco i pouco a luz
ro de todos, os lados, levantase um pavilho de confusa que' anonncia a approxirage da nOute.
gosto antigo feito de pedras pardas, cujas paredes
erara quasi completamente coberlas de hera, e, alje-
zar da sua cor sombra, tinham nm aspecto muito
pittoresco.
Salvo algumas janellas esguias, fechadas com
Nao se ouvia nesse Ingar o ras leve som o ru-
mor dos trabalhos do povo na cidade povoava o ar,
e os'nos das igrejas derramavam as suas toadas
sobre a habitarlo solitaria, mas como nenhum ru-
mor sabia dessa habitagao nem da visinhanga, to-
varas de ferro, e a escada de lousa que precedia j dos os que vinham de longe ainda fasiam mais pro-,
a porta de entrada, essa pesada constraccao nao fundo o silencio.
apresentava nada nolavel seno duas pequeas tor- S, por inlef vallos, um ruido surdo, como o ran-
res redondas, que se ergoiam do chao at icarem ger de uma lima, pareca sahlr do velho edificio;
sobranceiras as arvores gigantescas que licivam
visinbas.
Era visivel que havia muito tempo que nioguem
cuidavado jardim, porque os passeios estavam ta-
petados de m herva, .e nos taboleiros de flores
ainda se viam meio apodrecidas as estacas qae ti-
por altas arvores- e, no horisonte, as poli-jnham amparado as plantas .do outomno anterior.
du, grimpas de duastorrinvas que se erguiam do As estatuas estavam coberlas re manchas escuras
meio de moaias de verdura : p,)T dentro, pelo con-
ii .trio, bavia urn vasto jardim cops passeios capri-
chosos ora er|itavam de redor de Uu taboleiro flo-
rido, ora suuiam um outeribho e desciara a um
valle onde iara perder-se em escura iyuta. Em
luuilos pontos, entre as monlanhas de verdara, er-
guiam-se estatuas brancas que represenlavara,
quasi lodas, deuses da mylbologia pagaa ; oo meio-
do jardim, entre rochedos de primoroso artificio,
achava-se nma baca de pedra tosca em que pre-
cia que nadavam animaos monstruosos, como dn.-
ges, basiliscos, lagartos e salamandras. Era umaijcnsamsntos.
feitas pelo p sobre-agua da chuva; uma carnada
delgada de musgo cobna os monstros da fonte, e a
pouca agua da 'baca esta va coberta pela esc uma
verde da decoroposigao.
Esles sgnaes geraes da ausencia-do hornera, as
cores escuras do edificio, a nudez das arvores e
arbustos que cresciara sola, e sobretodo um si-
k-ncio que nenhum rumor quebrava, davam a esse
sitio um ar triste de desamparo de que resultava
nao sei que sensago de solido e de fri que nao
poda levar a alma seno para dolorosos e amargos
mas era to pouco distincto e cessava tantas vezes
qoe nao poda turbar a solido e o silencio de lu-
gar.
De repente troaram no jardim duas pancadas,
pesadas, como de martello. Era algnem qae bata
porta exterior da parede.
Depois de alguns instantes de novo silencio, ap-
parecen na escada do pavilho um homem qae
descea divagar ao jardim.
Era alto, delgado, de cabellos ruivos, barba pon-
teaguda tarabem ruiva e bigodes retorcidos; as fa-
ces, anda que magras e chatas, eram vermelbas;
mas aida mais vermelho era o nariz. Nos olhos,
cercados de limbos cinzentos, mostrava certa ex-
presso de desvairaraento. Os bragos e as pernas
eram de extraordinario comprimento, o andar e os
movimentos vagargsos e pesados, como se os mem-
bros tivessem sido deslocados t nao houvesse nos
msculos forga nem elasticidade.
Pelo vestuario Indicava ser um criado; trajava
um obretudo de couro escuro, um gibao vermelho
e calcos da mesma cor, sem bordados nem orna-
montos.
Nesse momento tinha as mangas arfegagadas, e
os magros bragos ns at aos colovellos. Tinha
uma lima na mo, e pareca ter sido perturbado
em trabalho serlo peas pancadas dadas na
porta. m i '
Chegado a. porta exterior, tirou do giba o uma
chave e perguntou em italiano :
Quera ?
Abre, Julio, o teu cara arada Bernardo, res-
pondeu-lhe uma voz na mesma lingua.
E' provavel que de passagem entornasses no
Camello alguns copos de cerveja de Hamburgo.
Trouxeste-me tu ao menos -um quartilho della ?
Nada I pois nao me trazes nada l Arrebento aqui
com trabalho ; estou a morrer de sede e ninguem
se lerabra de mim. Deixa ca' ver a mola I
EHirou das mos do seu camarada uma vara de
ago curva, e examioou-a dobrando-a e tornando a
dobra-la, como experimentando-Ule a forga de re-
sistencia.
Bernardo era hornera membrudo, disforme, cora
nm costado saliente que poda parecer corcova.
Annunciava huraildade e pusilanimidade na phy-
sionomia, mas ao raesmo tempo brilhava-lhe no
fundo dos olhos pequeos e pardos nma centelha de
malicia, e o modo como elle olhava para o hornera
ruivo era com ura sorriso que pareca juntamente
supplicar e escarnecer.
Este disse-l.ie em tora de autoridade :
A mola parece boa. Agora vai buscar um
quartilho de vinho do Rheno atraz do poco de S.
Jorge. .
Bem sabes qae prohibido 'por nosso amo.
O dique de Cherbourg, construido ao.norte, se-
para a bahia do mar -largo e forma o-limite marti-
mo desle vasto e -bello eslabelecimento.
Este dique, obra gigantesca tantas vezes desenp-
ta, tem 3,712 metros de comprimento, ua sua parle
iiupurior e : T.sil uu sua base.
CoinpOe-se de duas partes, uma chamada ramo
de ste e outra ramo de oeste.
Esta ultima maior do que a primeira.
Formara ellas entre si um ngulo de 170 graos
do qual a parte saliente est apresenlda ao ruar-
A distucia do dique ao caes, situado perto do
forte Longlet, de 3,300 metros.
importante pelo qual o ministro do reiao da Italia,
em su nome e era nome de lodo o gabinete, expee
as tendencias liberaes de que o governo nanea se
tem desviado, maniendo no exercito o espirito de
corporagao e disciplina, elementos inseparaveis de
ama organisago militar poderosa e bem orde-
nada
Florenga, 20 de agosto de 1865.Sr. prefeito.
Urna ordem mui secreta dirigida um ament aos
cominandantes de corpos pelo minislrc da guerra,
para que, segundo as circumstancia<, elles roanti-
vessera entre os seus subordinados aquella solida-
riejade moral que, com a disciplina, d tanta forra
ao espirito militar, chegou ao conheciuunto do pu-
blico por um d'esses factos que o abaixo assgnado
se abstem de qualibear, e cahio em poder da im-
prensa peridica que so serve de todos os arga-
mentos para censurar e corabater a acgo do go.
verno, qualqner que seja a forma por jue ella se
manifest ; interpretada depois sinistraniente.cora-
uientada com paixio, suscitou, nao se pJe -negar,
uma certa couimogo, que infelizmente Sa preten-
de agora augmentar, cora tanto maior pengo para
a causa publica, por isso que o momee lo em que a
naci se concentra para renovar a sua representa-
gao legal mais grave.
Lamentando, Sr. prefeito, esta agitaco incon-i-
derada, se nao artificial, podareis fcilmente reco'
nhecer, no p'leno exercicio das vossas importantes
funegoes, que o nico lira da circular de qae se
trata era prevenir indistinciamenie todos os orTl-
ciaes do exercito, ah'in de que, se qual |uer d'elles
se luruasse o objecto de accus.inles oubliea- ou
particulares, nao perdesse por isso a estima e coa*
Danca dos seus collegas, nem fosse por elles aban-
donado antes de ser apreseutada prOva legal ou
moral dos tactos imputados.
No seu espirito e leltra a circular Mo desenvol-
va *e nao um principio de jusliga rigoso e de cm-
venieocia necessaria ; era impo-svel -acl^nalmen-
le ver d'ella a sombra de uma intengli amear-a-
dora para o exeicicio das franquas plika-
Taes inlengoe? nao poden na verdide ser airi
buidas de boa f a.o illuslre general qu e-ta a esta
dos negocios da guerra, nem aos .: .n-elheiros da
coroa seus collegas. A sua antiga fe as in-iui-
goes livre?, cimentada pelo5 seus arios polticos aa-
tigos e recentes, devia ao que parece," protege-los
contra a suspeila injuriosa de quererera, de caso
peo?ado on por irreflexii). attentir contra direitos
con>ignados no estatuto, ou contra a sapeita no
menos grave de olfenlerm ao mesmo iemp< o
exercllo, desconhec-rado as suas Vir:udes milita-
res e a sua dedicagu pelas livres in-tituigoes da
nago. .'
E' muito importante, Sr. prefeito, que gragas a
vossa inlervenco autorisada, os vossos adminis-
tradores se convengam d'isto : e esses coase
sero taalo mais opporlunos agora quando algn?
dignos membros das duas cmaras, Mtpweai
que fra do parlamento e sua aut> ridade ': .pe-
0 Diario de Varsovn d esfts iteressanles por-
menores da assenso era balo verificada naquella
Cidade era 11 de julho, pelo famoso areooata Berg
e mais 5 pessoas :
O balo subfo as 6 1|2 horas da tarde no jardim
de Saxe.
Um instante depois, eslava altura de 7,000 ps
e as 7 1|2 comegou a descer.
A's 8, eslava quasi em trra, a nove verstes de
Varsovia.
Ilerg prevenio os seas corapanheiros de que
quando o balao estivesse a chegar a trra haveria
um abalo.bastante violento na barquinha, e pro-
poz-lhes que se deixa?sera atar com cordas, mas el-
les preferiram agarrsr-se aos cabos sem terem os
ps na barquinha.
No momento decisivo, o abalo foi to forte, que
dous dos areonaias foram arremessados ao chao, e
que alliviando o balo o fez-subir outra vez, e
altura aierradura de 17,000 ps..
Os passageiros comegaram a respirar cora dilli
cu! lade e a sentir vivissimo fri.
EotAo Berg, vendo que sahia muito pouco gaz
pela bocea do balao, trepou para cima d'eile pelas
cordas, e com uraa navaiha fez-lhe aberturas em
dous pontos.
.0 balo desceu ; todos os areonaiitas* eslavara
agarrados as cordas ; mas a eommoc&o foi 'outra
vez to violenta que caho em tena outro passagei-
ro por se quebrar a corda que o segurava. Besul-
touque o balo lornou a subir, mas a peqdena a
tura, para cima de um bosqueje a barquinha, que
resvalava pelos cimos das arvdres, expuuha desa-
pledadamenie os pobre viajantes a serem lacerados
pelos ramos.
Por lira Michaelson, adanle-de uerg, deitou
uma ancora que ferrou era uraa arvore, Berg dei-
tou as raaos a ura ramo, e foi n'essa posigo que
alguns carapiuos os encon'rarara.
Ajudado por esses horneas e por cordas, os in-
trpidos arcouautas chegaram a descer trra per-
to da aldea de Babica, a uns quinze verstes deVar-
sovia.
A circular que adame publicamos um acto
Deixa-me fr embora. Elle maudou que voltasse
ja' a' feitoria.
Vai buscar vinho ou quebr esta mola em
mil bocados nessa corcunda !
. Sempre injuriar e armar, bulha, murmurou
Bernardo. Bem sabes que nao rae falta boa vonta-
de. Irei buscar o vinho; da' ca' o dinheiro.
JMhheiro I Posso saltar para o ar sem ter
medo de perder dos bolsos nem um chavo. Abona
la' esse quartilho. *" *
Estou a tinir, Julio ; mas tul Nosso amo ain-
da hontem le deu nao sei quantos schilliogs. Tu
mesmo ra'o dissfste.
Os dados comerara-me tudo.
Jogador daranado disse Bernardo com um
suspiro. Eras capaz de jdgar a alma se houvesse
quem pozesse contra ella nm carolo de ouro.
E' multo possivet respondeu Julio em tom
de mofa, porque a minha alma ponco mais vale.
. Ai, que irapiedade Nos estamos aqui sos,
mas olha que la' em cima esta' quera ouve o que
nos dizemos. Deus pode castigar-te, Julio.
O homem ruivo encolheu os hombros.
Contina nos tens excessos nocturnos, tornou
Bernardo, perde o teu dinheiro ao jogo, alljga era
vinho o teu juizo, e depois, no cabo desse bonito
caminho, ha uma forca e uma roda, e por detraz r'
o diabo que anda a' cata de todas as almas des-
encaminadas. Adeus, pensa no que te digo;
lembra-te de que Deus era sua jusliga ba de um
dia pedir-te comas da tua vida. At amanhaa I
Mas Julio correu a' porlat fechoa-a e metteu a
chave no bolso.
Deixemos-nos de brlncadeiras, disse o outro
vlsivelraente Incomraodado. Abre a porta ou quei-
xo-me a nosso amo.
as pessoal, e dando, pelo contrario, raais amplitu-
de sua qnalidade de mandatarios do paiz, ss a- .-
ciem para manifestagoe? hostia ao governo do rei,
augmentando a desintelligeneia por coo-eiimoi-,
o perigg de se desvairar o espirito di? popula,
por meio de juizos errneos -e apaixonados.
Deveis depois, Sr. prefeito, considerar como um
rigoroso dever o nao permitlirdes aot os fuo
narios que eslo s vossas ordens lenham a menor
conveniencia, e anda menos solidariedade. em -e
melhantes mauifestaces que vao, mais ou n.
explicitamente, at a'ccu-ar o governo de se .tT. -
tar das praxes constucionaes, aecusaro ioju-la
que elle sabera repellir tempo proprio no terreno
legal. Nao pode elle porm, pela sna dignidad-; e
m nome da juslica, tolralas mesmo da parte da-
quellesque, sendo chamados pelos cargos que exer-
cera a coo|ierar para a acgo do governo constitu-
cioual, eslejam em coutrad.cgo clara com o seu
dever apenas comecem a protestar contra ePe e a
combtelo.
O abaixo assigoado espera que o Sr. prefeito,
aecusndoa rcepgao da prr- que houver feiio no sentido das presf-nt-? instroe-
goes e dos resultado? que obliver. o ministro, G.
Lanza.
A medida que a .America vai sendo mais perfeita
mente conhecida, apreseolam-se a vista maravi-
Ihas physicas, cada vez raais numerosas e eviden-
te--.
Por maiores que sejam os elogios feito? quelle
paiz, por mais subido que seja o eiiihu-ia-m 1
viajantes que tem visitado as floresta-, a? plai
os rios, os lagos americanos, os elogios ainda
nao se exhaunram, o enthusia-rao irada pode re-
nascer.
De feito. o aventureiro que vai en cata fie t -r-
reno? aurferos, de mirias, ou de terrenos proprio
para a cultura, descobre horisootes i,ue o deslura-
brarn e encantara.
O- lago? atoes d^rohertos n nma di.-tancii d
sete milhas, cerca de II-keport, fazem a afiastnis-
trago Ous viajantes que teein a veuiura decoat-m-
piar ?eus lago?, o? mais bellos e pitttrescM d)
mundo.
Sao rodeados d.r monlanhas elevadis-imi-
espemam na crystalina sgaa as suas ilbargasal-
cautiladas.
A agua lera cor do azul celeste; o que fez com
que esses lagos (ossrin chamados lagos asaes.
Todava, esia agua d to transparente, que a vis-
ta pJe distinguir os objeetoa at a pi ^ loa lid
20 ou 30 p?.
Os lago-! azues .,1o dous, e-cada u n miles BSSfie
uma milha de comprimento e me a ce largura
At aqui nao tem sido possivel saber a prcJondi-
dade que elles tem ; lo.grande .|oe nao se i I
medir.
Acham-se nestas aguas exeeeatei peixes, laes
como salmonete, trola, lucio e outrus que : ...
agradar ao paladar mais delicarfo.
E' de esperar que ura dia, naquellas regiBes en
cautada?, se eslabelega um hbil cosinheiri
pela sua sciencla em preparar o pena du- lagos
azue?, faga daquelles lagos o poni era reuna de
L'kiaii Cuy e de bakeDtrt.
Como delicioso navegar por aqu-lles lagos '.
Homo seria encantadora uma casi de j-mur, de
pnde se podesse avistar esta bella paislgem !
E que delicioso banquete preparado nuquel-
las margen?, com os deliciosos peixes dos Jagos
azues t
O futuro reserva talvez ao? lagos izue?, uma re-
putago que hoje mal podem adivmhar.
Qce me importa nosso amo ? disse o homem
ruivoarir. Tu dizes, meu camaracra, que acaba-
rei na forca. Ests engaado. Qcem com ferr.0
mala, diz la' o dictido, cora ferro morre. Jenho
furado lanos com o meu ferrinho (|ue um dia ha
de chegar a minha vez. Anda esta noite passada
houve festa, Bernardo. Deixei esleiididos uns oito
e piquei um braco a um, e quanto aos dous oa tres
que ficaram no sitio, o meu fe.rro .-abe melhor do
que eu o que feito delles. Varaos por um pouco
la' para dentro e te contarei como isso foi.
Isso nao ; nao lenho tempo.
Ora adeu? I eu le farei ter lempo. Nao sa-
turas d'aqui sera teres oanlo as minhas aventaras
desta noite.

~ E' sempre a mesma historia. Seno disses-
ses seno a verdade, ja' ha muito tempo que nao
haveria lugar nos cemiterios para onterrar os po-
bres diabos que tens matado. Abre a porta, Jodio;
deixa-me sabir.
Julio agarrou-lhe nma mo, e lev. ndo-o a' forca
para o lado da casa, disse-lbe :
Estou aqui s todo o da e nao vejo ninguem
a quera diga uma palavra. Eston a er quando me
entorpece a lingua na bocea. Has de ouvir as mi-
nhas aventuras, queiras ou nao queiras. E olo
que eu te vou contar, Bernardo, poders imaginar
que honra ha para ti em ler por camarada um no-
mera to intrpido. Nao niostres ma' vontade;
bem sabes qae ca' comigo perdes o tempo se resis-
tiros. Ta ris ? -e en quizesse, eras tu as minhas
mos como uma pela. Mas como s meu amigo, e
to fraco que nao s capaz de resistencia, nao tens
nada qae receiar. *
_______ (Continua'-y-ka.)
PERNAMBCO-TYP. DE M. F. US F. 4 FU
> '
*
I
. i
. -
*
'
a
:


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB245ICX6_CSLFJY INGEST_TIME 2013-08-27T23:36:21Z PACKAGE AA00011611_10782
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES