Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10781


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
\
I
\
-
AMO IL1. HOMERO 224
Ftr qairtel >ag deiilro de 10 das da i, mez ,.t,,
dem dejis das I.* 10 das do comeco e dentro da quartel. .
Parle aacarrefaaapireiBeMs............|

5|000
6|000
750
SABBADO 30 DE SETEMBRO DE Km.
Par anna pago dentro de 10 das da 1. mez
19|008
Parte ao correio por um anno......>, 11000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olfnda, Cabo, Escada e estacos da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio AlexMtdrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira j Maranhao, o Sr. Joaqoim Marques Ro- Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
drigue3; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves 4-1 Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa. Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL. L/8'?/' ,. .. _,
r Paod Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Babia, o Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos! ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
Rlbeiro Gasparinho. I eiras.
SerinhSem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quinta*
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Prinwlra rara do civel: tercas sextas ao metal DIAS DA SEMANA,
da.
srf/rvc,ve,: qaams sabbadM a I BE* oWiSi'Pmm-
bon da ,arde- Quarta. Ss. Cosme e Damio ira. mm.
EFEMRIDES DO MEZ DE SETEMBRO. ttlwRSSItittgg*
30. Sabbado. S. Leopoldo m.; S. Urso m.
8 Lticbeia as 41 h., 32 m. e 16 s. da ra. I Domingo. S. Remigio b.; s. Verissimo m.
12 QojVto ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m. PREAMAR DE H0JE
19 Umnova as 8 h., 26 m. e 10 s. da primera as 0 horas e 30 m. da Urde
|to cresc. aos 27 m. e 10 .. da m. Isegunda as 0 horas e 54 minutos da manbaa
PARTE QFHCIAL
GOVERNO DA PROYllUCI.
Relatorlo com qne o Etm. Sr.
0r. Antonio Borges Leal cas-
adlo II raneo pan mu a adminis-
trado desta provincia ao sex-
to vlce-presidente Exm. Sr. ba-
rio do Rio Formoso.
( Continuar ao.)
FAZKNDA GERAL.
Mandei proceder na forma da lei pelo alcance
de 14:771,5669, em que loi encontrado o pagador
da thesouraria Manoel Jqs Teixeira Bastos ; e
contra quera se achasse em cnlpa pelo desfalque
de 28,221^035 encontrado no cofre da alfandega.
Ao juiz de direito do Limoeiro recommendei a
priso do tenente-coronel Severino Alexandre Vil-
lar i m, pronunciado, como collector das rendas ge-
raes, por defraudaco da fazenda.
Remetti a 11 de julho ao presidente da relago
para informar urna representado, em que Clemen-
tino de Araujo Cavalcanti Tdeclara pertencerem a
a fazenda nacional as propiedades de trras deno-
minadasFazenda Grande, Macaco ou Breginho
a- quaes, tendo sido arrematados por Antonio Ca-
valcanti de Albnquerque Mello, como ierras naci-
naes, esto na posse do tenante-coronel Thomaz de
seu offlcio de 25 do prximo passado, tenho a de-
clarar-lhe que bem obrou V. Rvma. era attender
ao impedimento posto ao matrimonio de Jos Fer-
reira de Azevedo, o qual deve vir expurgar-se do
dito impedimento na cmara ecclesiastica para on-
de envi os papis que V. Rvma. me reraetteu.
Dito ao vigario da Palmeira dos Indios.Acen-
so recebida a sua carta de 12 do correte, e em
resposta tenho a dizer-lhe que nao tendo-se enten-
dido comigoo portador desta carta, deve V. Rvma.
mandar buscar as dispensas, de que me falla na
cmara episcopal, onde tem de satisfazer as des-
pezar do costume.
Dito ao vigario da Fazenda Grande.Em res-
posta ao seu offlcio de Io de julho deste anno, ca
be-rae dedarar-lhe que deve V. Rvma. continuar a
exigir dos contratantes a certido do seu baptis-
mo, quando nao houver certeza de serem baptisa-
dos ; e nao Ihes sendo possivel aprsenla la, deve-
rao justificar verbalmente com duas testemunhas,
pelo que nada pode V. Rvma, perceber.
25
Offlcio ao vigario da Escada.Tenho presente o
offlcio de 24 do correte, que V. Rvma. fez acom-
panhar de urna das Biblias que ah se aodam ven
dendo, e pelo qual me pergunta se essa das fal
sificadas, cuja leitura est prohibida.
Em resposta tenho a dizer-lhe qne a Biblia qne
me fol entregue com o sen offlcio das que se es
palham por parte da sociedade bblica protestante,
reconhecidamente falsificada, e portanto deve V.
Rvma. impedir por todos os modos que essa obra
se espalhe pelos seus parochianos, deve exhorta
los que nao deem entrada em suas casas a taes
livros ; e se por infelicidade alguem a comprou,
que d fim a ella, on exigindo do vendedor o im-
PERNAMRUCO.
Ajumo Cavalcanti, seu cunpado Lourenco Bezerra
Cavalcanti de Albuquerque e outros successos da-
quelle Antonio Cavalcanti, os quaes as desfruclam,
vendem, e deltas dispoem em tudo como suas pro- p"ie7on^amando-a7pwa"qa" prefuzo'se nao
pnas, apezar de ter sido a arrernatacao annullada i0rne an(ja maor
poraccordaodarelag). Se esse propagador do erro persistir no seu ne-
Nomeei Joao Vctor Liauliqr para agrimensor dos fando intento de perverter aos incautos, recorra
ba- V. Rvma. s autoridades policiaes, aflm de que se
Francisco de Oliveira Mello e Silva, fiel do pa-
gador a mais de 10 annos, para pagador interino,
por informacao do inspector^ era substituido de
Manoel Jos Teixeira Bastos, | suspenso pelo des-
falque.
Manoel Pereira Camello Pessoa para recebedor
da recebedoria de rendas internas geraes, por ter
pedido demisso Joao Teixeira Peixoto.
Francisco Bibiano de Gouya para correio da
iinpeca a propagado de livros Infensos religio
do estado.
Cumpre que me partecipe qualquer que fr o re-
sultado, afira de se tomarera mais enrgicas pro-
videncias no caso de haver reluctancias.
26
Offlcio ao Exm. presidente da provincia.Ten-
do eu designado o Rvd. Manoel Joaquira Ferreira
da Sepulveda para proceder aos reparos de que
mesma recebedoria em lugar de Antonio Cypnano carece capella de S. Joao Baptista "da povoacao
da*i'YawFrSg0S0' quJe "S10 drmssaov1 'do Abreu,na freguezia de Barreiros, e havendo na
Adolpho torrara da Silva p^ra substituir aquelle thesonraria a quantia de um cont de ris, con-
que tambera pedio demisso. I signada para a reedificago da mesma capella por
Estanislao Alves de Bolhoes para continuo da re- ,e provincial, de cuja data me nao record, rogo a
cebederia por demisso dada, a Manoel Joaquim v. Exc. que sirva-se dar as necessarias ordens,
Correa de Almeida, a requisicaO do inspector. aBm de que essa quantia scja emregue ao nem
fazenda provimial. Rvd. Sepulveda.
Esta repartigao e as que lhe sao subordinadas DUo a mma. camara manicpa| da c|dade do Re-
funccionara regularmente sob inte l.gente e pro- cife _Tendo eu nomeado Q Uv(j Ff Jji de NdS.
Lldosa d.reccao do seu digno Inspector Jos Pedro sa SeDnora da Sailde_ cape|15o nlerno do cemjle.
aa s"va- rio do Hecife, aflm de exercer all as funecoes sa-
o.M- a EXERCICI PASSAD0- o-on cerdotaes em quanto durar o impedimento do Rvd.
Saldo do_anterior............J .t^ capello eflectivo, como sollicitou a Illma. camara
RestituiQoes..................I 1 l:07bdo69
Movimentode fundos.......... 179.042J5')8J
Renda propria do exercicio..... 1,441:510S9O
Receita geral................
Despeza geral................
Saldo geral..................
Saldo da caixa do calcamento...
Emprestimo ao exercicio cor-
rente......................
1,632:4865609
1,510:1835009
A dedozir : emprestimos
pela caixa de deposito...
feito
122:303,8000
5:403,5175
70:0005000
197:7065775
31:0005000
106:7065775
capello eflectivo, como sollicitou
municipal da mesma cidade em offl -io de 23 do
prximo passado, a que respond em 31 do mesmo,
e tendo o religioso por mim designado pedido es-
cusa, em razao de se achar doente e morar longe
da praca, novamente nomeei para c mesmo lugar
o Rvd. Sebastiao de Andrade Wira, o que parti-
cipo Illma. camara municipa^t sendo que nao
preenchi o lugar ha mais tempBpor me nao ser
fcil encontrar sacerdote que qulzesse sojeitar-se
s onerosas funecoes que all esto a cargo do ca-
pello, cujo estipendio nSo corresponde ao tra-
balho.
Dito aoRvd. Sebastiao de Andrade Vieira. Sen-
do necessarlo prover interinamente o lugar de ca-
pello do ceraiterio publico da cidade do Recifer
visto achar-se enfermo o capello efectivo, no-
REVISTA DU1U.
Por portara datada de hontem foram promo-
vidos, no esquadro de cavallaria n. 1 da guarda
nacional deste municipio do Recife, capitao o Sr.
Daniel Cesar Ramos e tenente o Sr. Hyppolito
Jos Roberto; sendo nomeado alferes para o mes-
mo esquadro o Sr. Luiz Gongalves da Silva.
Hoje vai scena pela primera vez no Santa
Isabel o apparatoso drama martimo a SenAora da
Bonanga, cojo effeito scenico de um maravilhoso
que encanta e sorprende ; o que alada mais real-
zado pelo intermeio de msica qne orna o drama.
Lembramos a conveniencia de haver na pon
te de 7 de setembro ao menos dous guardas, oa
conservadores, que, collocado cada um de seu lado,
tratem nao so de varrer todo o cisco qae all o ven-
lo aggloraera, como ainda redem que facam da
ponte lugar de inmundicia, como ora j all se v.
Alistaram-se honteui no 3o corpo de volunta-
rios da patria os seguintes cidados:
Domingos Jos da Silva.
Bernab Jos da Silva.
Jos Antonio da Silva.
Francisco Colho de Souza.
Jos Valerio de Souza.
Anselmo Silvestre Uutra dos Res.
Ignacio Vieira.
Estamos devidamente informados que os cinco
priraeiros senhores cima inscriptos foram apresen-
lados ao Sr. coronel commandante do 3o corpo pelo
respeilavel proprielano Segismundo Cesar dos San-
tos e que por este modo presta valiosa coadjuvago
defesa do paz, assegurado empregar os mais
diligentes esforcos para offerecer era trraj prxi-
mo outros voluntarios.
Folgamos de registrar actos desta ordem que se
podem apontar como verdadeiro estimulo aos que
por sua posigo social esto no caso de promover o
alistaraento.
Damos hoje era nossa 8* pagina diflerenles
pecas, que foram recitadas por occasio da festa
anoiversaria do Gabinete Porluguez de Leitura
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o noria
lata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
|julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da pra^a da Independencia
Ins. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa di
iFaria & Filho.
algura nao se chame ao engao, en farei
de alguns artigos da le da guarda nacio-
decretos ltimos em vigor.
Viva a religiao catholica apostlica romana I
Vira S. M. o Imperador I
Viva a briosa guarda nacional I
Vita o exercito e marinha brasilelros I
Jos ilaria dos Santos Cavalcanti, tenente-coro-
nel commandante. >
Qista-nos que o Sr. major Joaquim Francis-
co Dink se offerecera ao Exm. Sr. presidente da
provincia, nao somente para coadjuvalo no seu
louvavel empenho de organisar um contingente de
voluntarios no municipio do Rio Formoso, como
para com elles marchar para o sol em defesa da
patria.
O Sr. major Diniz comm
reserva n. 11 da guarda nacional daquelle "muni-
cipio, onde ha oceupado diversos empregos electi-
vos e de nomeago do governo, e anda oceupa o
SESSAO
SETEMBRO
JUDICIARIA EM 28 DE
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
A ni/ ^ecretario> Mi Gutmaraes.
as iijf horas da manha o Exm. Sr. presidente
gf?a abfta a e*sio, estando reunidos os Srs.
desembargadores Silva Guimares, Reis e Silva e
*\6 J Srs deputados Rosa, Candido Alcofo-
Lulz'do SanLM'randa L8"' e SUpplenle An,on0
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
^iignaram.'se os iC0Tss proferidos na ultima
> nos fetos em que sao
E bem sabido, Srs. redactores, em toda a co-
marca do Limoeiro, o procedimento arbitrarlo, e
descommunal raalversajo era que sempre se tem
distinguido o Sr. major Lourengo Soares Cordetro
de Mello, as vezes qne infelizmente se tem confiado
o exercicio da autoridade.
Anda desta vez o Sr. Cordetro brilboa ; pois na
qualidade de 1 supplenle de juiz municipal, de-
pois de ser convidado e ter-se recusado entrar em
exercicio, em ausencia do mu digno proprielario
Dr. Emygdio de Santiago, procuroo com avi-
dez assumir a autoridade, levado onicaraente
pelo seu antigo e familiar inslincto de vioganca
para com os seus desaflectos.
Eis
ABDellaate wLifiu aVv mi- ^ls'senhores redactores, um facto qoe a toda a
andante da seceo da da?D? Z fSa Ma fa S j S' appeH*" eV,>vden,Ca oP?va que acabaroo9 de :
1 noelhntM nVaimns 2S* a .u* Nodia9docorrentesahiooSr. Cordetro
de AraoS FraS Znt\ r maSSa f? ",da eD.genho' qual ra ^aimada, que deixa o seo co-
Joao JaSo Pmf?H t a & C" ; aPPellad0', V(l ^m Procura da vic"n>a que deve saciar sua se-
lugar de suppleote de juiz municipal. ......i Appel!m,^adrainltrares
Alera disto, o Sr. Diniz chefe de numerosa fa- !
railia, cojo amor e dedicacao nao o impediram de
dante interino do batalho n. 44 de infamara da D. Beata MaraV& ; aPPellado' retndo Matls tomar posse de um bem que lhe
No dia 9docorrente sahio o Sr. Cordetro do seo
agenho, qual "
il em procura
de de sangue, e chegando aquella villa, ordena
da de./ "Vr^cT'T":00 nmassa ?."'" 'ramediatmente a priso de Antonio Ferreira de
appellado Jo fe8?'S & ComPanh,a altos inspector de polica, seu desaBocto ^vergo-
uherme Romer. nhosa desaffeicao I...) e conI quem no dia 7 tiDha o
s da massa falli- j Sr. Cordetro resngado, por ter ido ao seu engenho
guarda nacional do mesmo municipio, nao poden-
do acompanhar os defensores da patria contra os
Paraguayos, por que, alm de ser tarabem chefe
de familia, senhor de engenho, cuja safra nao po-
derla abandonar, sem gravlssimo prejuizo para si
e para o estado, oft*ireceu 1005 de gratificacao a
cada um dos goardas do seu Datalho que volunta
riamente se offerecer para o servic > da guerra.
Damos os nossos devidos parabens a estes lllos-
Benta Maria de Jess.
! pertencia fundamento o Sr.
daWmorim PralmnS,orad,0re3. do massa ff,ll!da i Buayo decret0 de Pris3 com o vago e reprovado
ultftiVSSST *c-; appel,ada' Til e7a'!riga3es p'icias-. i5SE
Cordetro o
o vago
seu para-
loaquim Jos de Abreu Jnior.
_ JULGAMENTOS.
sendo apresentada em mesa urna peticao de An-
tonio Uuedes Gondim solicitando a junecao de al-
guns documentos aos autos que elle contende com
Laodido Moreira da Costa O tribunal indefe-
do por modo inslito as sabias e preventivas pres-
cripcoes do ministro da justi^a na sua circular de
2 de Janeiro do presente anno, prescripcSes tanto
mais salotares, quanto tem por lira acabar cora as
arbitrariedades e caprichos de autoridades mal-
volas. E nao admiltimos que se pretenda acober-
tar o Sr. Cordetro com
recidos pelo abaixo assignado, para auxilio das des-
pezas da guerra :
Bilhetes ns 619. 1.120,1,479 e 2,330.
Meios ns. 536, 819, 1,332, 1,783, 2,172 e 2,818.
Quartos ns. 70, 401, 710, 989, 1.093, 1,254,
produziram
5565500.
O thesoureiro, A. J. Rolngues de Souza.
REPARTigAODA POLICA.
Extracto das partes do dia 29 de setembro de
1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 28
do corrente
"""".....' uu www fonuguez ae Leitura ;' i 33, 2 071 2 261 2 417 *?*>%
e^para a sua apreciacao convidamos os nossos lei- l^ggSm d" ltrtis ? a 33? ',
Foram approvados pela presidencia os esta-
tutos do Monte-Pio Portuguez, eslabelecido nesta
cidade.
De Olinda remettem-uos o seguinte :
Amanha ter lugar a feslividadede Nossa Se-
nhora das Dores na capella da Santa Cruz em Dun-
da, feta pelo Sr. conego Joao Chrysostomi de Pai-
va Torres, pregando nesta occasio o Rvd. Jos
Esteves Viaana.
O Sr. capitao William Bontinek Doyle, cnsul
inglez nomeado para esta provincia, acha-se nesta
cidade, tendo vindo no Onetda.
Igualmente aqui chegou pelo mesmo vapor o Sr.
James Wodhonse, nomeado para Idntico lugar na
provincia do Para, para onde deve seguir em
pouco.
Hoje distribue-se a 3" forma da Btbhotheca
Luterana.
O apreco que esta Interessanle publicacao tem
tido, a aceitaco que lhe presta o nosso publico, ha ^HlTgTnoX SonzaTa^
animado a respectiva direccao e empresa a fazer >
sahir em breve mais de
preliminar se devia ou nao receberse a sustenta- i t o que faro l;
za am se os emh'meQl da CaU3a Despre" Convm ni" Prasciudir ama cirenmstancia que
ADoellanieffeSS" i,n- ^ = n seKUo-se ao faci da priso e que nos leva a crer
cante an;ii^?lI?aacCl? deSiaae,ra 9aval" 1ue Sr- Corvfeiro tinha razao, qoando disse-s
Sa Cava can'/ q AH-,SHalVad0r,r 6SS0a d- S'_ ; qUe fa> e a se8uln,e : "duas horas oePis da
SSeramS i omZrti *** Da U"'ma sessao--.ser colbido cadeia Ferreira de Mallos, requeren
Aonelan te ifc ~-_____ Ieste h"btas corP a Dr. juiz de direito da comar-
*Cl r a,"td^ Mag.aihaSs Casr- !F. Porto esseimparcioi magistrado, oo por ser
S fe,,lS & a Adiad0 na u,tima Ja adiaotida a hor (5 horas da tarde ou por ser
^^^SSSZ'tSt&^: ap- ZSSS^A*'** --ortalvez,
Lopes de Souza, como pronunciado no art. 269 do
cdigo criminal; Manoel das Noves Bandeira e
Manoel Joaquim da Paixo, como sentenciados ap-
pellados; Jos Ballhazar, como desertor; e Simiao
Thomaz de Aquino, como guarda nacional designa-
do ao servico da guerra.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Hermoge-
Jos dos Santos, Manoel de Souza Fructuoso e Ro- 1
mo Jos de Carvalho, para remitas.
A' ordem 4o subdelegado de Santo Antonio, An-
tonio JosA Galvao, para recruta ; e Thom, escra-
vo de Manoel Pereira Magalhes, requerimento
pellados, Seixas & Azevede.Sendo proposta urna
preliminar sobre imposico de multa ao advogado,
joao 1 asars dar^ ssss8 ons st
bargos.
Appellanles, Estanislao Baptista Rodrigues de
bouza ; appellado, Antonio de Arruda Camara.
Appellante, D. Carolina Josepha de Almeida ; ap-
pellados, a viuva e herdeiros de Jos Hygino de
Miranda.
Saldo restante a 15 de julho-----
------------------' mel a V. Rvma. para que etrea o referido lugar
Despeza real................. 1,434:7795894 em quanto durar o impedimento do Rvd. capello.
EXERCICIO CORRENTE.
Emprestimo do passado........
Arrecado na i* quinzena.......
70:0005000
28:7055557
Receita geral.
Despeza geral.
Saldo geral.
Despeza real
98:7055357
77:4285557
21:2785000
21:8735272
na quizena.......
DIVIDA ACTIVA E PASSIVA.
A activa acha-se toda escriplurada por conlas
correntes, e em juizo para ser cobrada, na impor-
tancia de 514:0535-^90, verificada al o ullimo de
junho passado.
A passiva, liquidada tambera at aquelle lempo,
Duo ao vigario de Aguas Bellas.Pelo seu offl
ci de 14 do corrente, vejo que lhe nao chegou s
mos o que lhe escrevi em data de 28 do prximo
passado, nem V. Rvma. o leu em algura dos jor-
naes que nesta provincia publicara o expediente
do bispado. Unvio-lhe, pois, urna segunda via, para
sua inteligencia, aflm de que possa seguir quanto
antes para o snl do imperio.
Por esse offlcio ver que approvo a escolha do
Rvd. Manoel Ferreira d'Assurapc.o, para que fi-
que regendo essa freguezia durante a auzencia de
V. Rvma., na qualidade de coadjutor pro-parocho,
cuja proviso dever sollicitar quanlo antes.
Dito ao vigario de Barreiros.Accuso recebido
o seu offlcio de 12 do corrente, em resposta cir-
monta a 811:3965536, comprehendendo ris......!cu-lar de 30 de junho, em que eu o encarreguei de
745:8105880 de juros de 2 por cenlo garantido'obter enlre os s.e3 parochianos algumas esmollas
pela provincia companhia da estrada de ferro,! Para um collegio de propaganda catholica estabe-
vencido a 9 de fevereiro de 1858 a 30 de junho de lecid0 em Londres no foco mesmo do protestantis-
1864. I mo- Juntamente com o seu offlcio recebl a quantia
A de 332,250,000, provimenlc das apolices emit- !de viote mi' rs, producto das esmollas que pode
tidas por autorisacjio da lei n. 488 acha-se araorti-' obter.
sada com excepeo de 47,350,000 que os credores r, j _. t a t,
nin tpm nnwSrSn Liste do* pessoas que na freguezia de Barreiros
subscreveram para o collegio do Sagrado Coraqao
de Jess, eslabelecido em Londres, s quaes se re-
fere o officio cima.
nao tem procurado.
Em pagamento do calamento feito no exercicio
prximo lindo excedente a importancia dos fundos
que lhe foram destinados em dinbeiro foram entre-
gues ao empreileiro 69 contos em litlos aulorisa-
dos pela lei n. 558 e pelo contracto.
EMPRESTIMOS.
O de 40 contos feitos ao finado engenheiro Ma-
mede acba-secompletamente amortisado, bem como
o de 20 contos concedido Reg & Brrelo : a
Carolmo dos Prazeres Reg............ 55000
Vigario Joao Baptista Soares........... 45500
Luzia Maria da Coneeico............. 25500
Jos Candido de Miranda.............. 25000
Francisca Maria das Chagas........... 15000
Manoel Candido de Miranda........... 15O00
Francisco Joaquim de Oliveira......... 15000
amortisaco de outros, em que se coraprehende o .
de um cont de ris a camara municipal de Olin- fcnf "J""d* f'LvPa"............. K
da por ordera da presidencia de 14 de novembro E5221 u S h,dr Pra'e-res......... l^
passado, depende ainda de resolugo daassembla 'l0nnhymra,Mar1SadHaP,;nsnce,ao
provincial
THESOURARIA PROVINCIAL.
Era vista do resultado do concurso a que proce-
deo em Janeiro ultimo para o lugar vago de 2o es-
cripturario da tbesoraria de provincial, nomeei a
Joao Carneiro Montelro da Silva Santos para o
exercer.
Nomeei o tachare I Jos Joaquim de Souto Lima,
para o lugar de aju Jante do procurador fiscal na
comarca do Limoeiro, e o bacharel Miguel Jos de
Almeida Pernambuco para exercer interinamente
o de procurador fiscal durante o impedimento do
bacharel Cypriano Feoelon Guedes Alcoforado, a
quem conced tres mezus de licenca.
(Continuar se-ha.)
cioviuxo do bispado de
i'i;r\ahi(o
SEDE VACA.ME.
Expediente de dia 22 de sclembro de 1865.
Offlcio ao vigario do Limoeiro.Nesta dala auto-
riso o Rvd. vigario interino de Pao d'Alho para por
esta vez nnmerar e rubricar o liVro que V. Rvma.
lhe apresentar, para langamentos de assentos de
baptisados dessa freguezia. Fica ssim respondido
o seu offlcio de 4 do correte.
Dito ao vigario de Pao d'Alho.Antoriso a V.
Rvma. para pe? esta vez numerar e rubricar o li-
vro que Ibe fr apresenlado pelo Rvd. vigario do
Limoeiro, para langamenios de assentos de baptisa-
dos da respectiva freguezia.
Dito ao vigario da Escada.Accuso recebida a
eslatistica dessa freguezia coordenada com cuida-
do e adaptada aofim que tive em vistas quando o
ex%i.Igual aos vigarios do Penedo, Baique, Bom
Jardlm, Iioperairiz e Ass.
-23-
Offlcio ao vigario dos Touros.Em resposta ao
\
Josepha Luiz de Barros.
500
500
205OOO
COHMANDO DAS ARMAS.
Quartel general do eomnindo das armas de Per-
nambuco na cidade do Recife, 29 de setembro
de 186o.
Ordem dia n. 122.
O marechal de campos commandante das armas
declara para conhecimento da guirnigo e devido
effeito, que a presidencia designou em portario da-
tada de hontem o Sr. tenente reformado do exerci-
to Henrique Tibero Capistrano para exercer as
funcQdes de agudante do Io batalho da guarda na-
cional destacada para o servico da guerra ; e por
ootra portara de igual data manlou transferir pa-
ra a fileira de urna das corapanhias do mesmo ba-
talno o Sr. tenente ajudante Gamillo Augusto
Ferreira da Silva.
Determina o mesmo marechal de campos que na
manhia do dia 2 de outubro promixo vindouro se
passa revista de mostra era seus repectivos quar-
leis, aos corpo e companhias abaixo mencionadas.
As 6 horas a companhia de artfices, e de volun-
tarios da patria denominados zuavos ; as 6 1|2 ao
5* corpo de voluntarios da patria as 7 ao volun-
tarios do 6 corpo ; as 7 1|4 acompanhia de caval-
laria ; as 7 3|* ao 3o cjrpo de voluntarios da pa-
tria ; as 8 ao 1* batalho da gnarda nacional des-
tacada, eao.corpo de guarnicao desta provincia
e finalmente as 8 l\i ae deposito.
(Assinado.)Francisco Sergio de Oliveira.
Est conforme. Antonio Francisco Uuarte, 2*
tenente-ajodante de ordens Interino encarregado
do detalne.
urna forma por semana,
satisfazendo tambem assira s instancias de grande
numero de assignantes.
Esoalhou-se nestes ltimos dias que se havia
arrependido a Exma. Sra. D. Mariana Amalia de
Reg Brrelo, de ter-se offerecido para acompanhar
seus irmos ao sul; crculou este boato e tomou
vulto na credulidade publica, sera lerabrar na mor
parte que poderia ser ella umi raystificacao.
Nessa circulago, porm, chegou elle a't a Vic-
toria, e fui ao cooliecimento da herona donzella ;
a qual, em presenta de ul desvirtuado do seu ca-
rcter varonil, appareceu na feira daquella cidade
no dia 23, u ah, em meio de applausos entusis-
ticos, repellio a alfronta que sefazia, viogando o
seu carcter com as segointes palavras :
Meas charos patricios !
t Nao estou arrepandida de seguir para o cam-
po da balalha, para prestar os servicos de huma-
uidade, eomo espiritos invejosos da miaha gloria
tem desejado e de proposito propalado.
< Estou firme no meu intento : juro-o perante
Deus 1
Avante, Lriosos Victorienses
Segui-me para o Paraguay,
allronlar a patria ultrajada I
A' ordera do de S. Jos, Thomaz Antonio Perei-
ra, para correejo.
O chefe da 2' secgo,
Joaquim Gilseno de moquita.
CHR0M4_JUD1CIARIA
TUMI VAL DO COtt flEHCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 28 DE
SETEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, e presente o Sr. desembargador fiscal, o Exm.
Sr. presidente declarou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
O Exm. Sr. presidente ordenou que se reiterasse
I o convite ao Sr. Jos Jeronymo Monteiro para que
se digne comparecer nesle tribunal, afira de tomar
parte no julgamenlo dos embargos que pendem da
appellaeo entre partes:
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Seve Filhos & C.; appellado, Francisco Xavier
de Oliveira.
PASSAGEM.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Reis e Silva :
Appellante, Joaquim Salvador Pessoa de Sique-
ra Cavalcante appellada, a directora da caixa
filial do Banco do Brasil nesta cidade.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. pre-
sidente oncerrou a sesso urna hora e meia da
larde.
m ?
DESPACHOS.
No requerimento de Ignacio & Medeiros, pedin
do que se lhe certifique se Gamillo Pinto de Lemos
I tem registrado titulo de caixeiro dos supplicantes
e ahi varaos des- oa de Rabe Scharaettau & CComo requerem.
No de Vicente Bezerra Montenegro, pedindo o
Viva areligio catholica romana registro danomeago de seu caixeiro Joao Fernan-
Viva o Sr. U. Pedro II I jde da Silva Vianna.-Registre-se.
t Viva o Exm. Sr. presidente da provincia I N de L'J,Z Jos da Suva Guimaraes, pedindo
t Vivam os voluntarios da patria Ib 1ue se declare no lvro competente qne deixou de
A seguinte proclamaco foi dirigida pelo Sr. exercer os pode es da prucuraco de Frederico
tenente-coronel, commandante do 17 balalho da : Gaotier, que se acha nesta cidade. Como re-
guarda nacional da freguezia da gloria do Guita, 1uer- < _
na revista do 1 deste mez : onNo de Antonio Francisco Leite, Brasileiro, de
t Batalho I A nossa patria, honra e vida esto J ?0D0S de idade, eslabelecido na cidade de Ma-
em perigo.
t A repblica
de Paraguay, desconheedudo os
direitos mais sagrados, com forca armada inva-
di o territorio brasileiro, roubando, matando e
coramettendo toda a sorle de crueldades, serae-
ih a ni;a de urna manada de lobos quando eocontra
um simples cordeiro fra de sea rebanho.
Para repellir semelhante audacia do iniraigo,
que ousou manchar o solo do imperio da Santa ~5a.61'
Cruz, preciso que todos os Braslleiros, que esto
as circumstancias de lanzar mo das armas, sem
cei, com casa de commercio de fazendas, em gros-
so ea retalho, e compra e vendas de gneros do
paz. pedindo ser admetlido a matricula, juntando
em abrao de sua pretendo um attestado dos com-
merciantes desta praca Antonio de Moura Rolim,
Antonio Luiz dos Santos e Jos Gomes Villar.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Antonio Lourenco Teixeira Marques, por-
guez, de 35 annos de idade, eslabelecido na ci-
dade^ de Macei, com negocio de fazendas, em
gross e a retalho, pedindo ser admettido malri-
I! IV DO RECIFE
2 90E SETEMBRO DE 1865.
Presidencia do Sr. Dr. Joao Antonio de Araujo
Freilas Uenrioues juiz de direito da primera
vara criminal.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacintho Pereira do
Reg.
Advogado o Sr. Dr. Antero Manoel de Medeiros
Furtado.
Escrlvo Joaquira Francisco de Paula Esteves
Clemente.
Feta a chamada as 10 horas da manha, achara-
se presentes 41 senhores jurados, o Sr. Dr. juiz de
direito tomou conhecimento das faltas e escusas
dos Jurados que faltaram. dispensou da presente
sesso por doentes os Srs. Antonio Mana de Mi-
randa Seve e Jos Egdio Ferreira, por convenien-
cia do servigo publico os Srs. Jos Pedro da Silva,
Francisco de Oliveira Mello e Silva, Jos Xavier
Faustino Ramos e Candido Autran da Malta Albu-
querque, e multou em mais 205000 a cada um dos
jurados j multados nos anteriores dias de sesso e
mais a cada um dos seguintes :
Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva Santos.
Luiz Antonio Goncalve Penna.
Dr. Joaquim Pirees Machado Portella.
Joo Pedro de Jess da Matta.
Manoel Gomes de S.
Francisco Jos de Oliveira.
Dr. Bernardo Pereira do Carmo.
E declara aberta a sesso. procedendo ao serteio
do jury de sentenga, ao qual deferio o juramento
dos Santos Evangelhos, foi e reo interrogado de-
convencido da legalidaae da priso, negou-se ao
despacho da petiQao, aguardando-se para indefe-
rl-la de volta de um curto passeio que effectuoa
no da segointe, e no qual demorou-se apenas
7 dias, dando tempo ao seu alter ego forja- um
monstrosinho, que baptisou de sommario enme,
contra a victima F. de Mallos i Felizmente oahlo
o tal processo na apreciado do Dr. Emygdio de
Saotiago, que deu lhe o verdadeiro valor'-despre-
zando-o.
Que se ambicione, Srs. redactores, o exercicio
de cargos pblicos, levado pelo nobre sentimento
de distribuir juslica com os que della necessitam,
nada por terlo mais digno de louvor, e que eleve
o cidado alta estima de seu paiz. Mas, ambicio-
na-los tendo replectoo coraco de odio e malver-
sado, so como meio de impunemente dar expan-
so aos seus mais instincios de jvinganga, nada
tambera de mais hediondo, de mais degradante.
Recife, 29 de setembro de 1865.
Spectador.
disiucco de cor poltica, voem ao encontr. O cola apresentando em abono de sua pretencaoum pois do que fol lido o processo da formaco ; em
nosso adorado monarcha, e os principes, seus gen
ros, talvez j estejam era frente delle panilhamlo
das fadigas da guerra, para alcangar os louros da
victoria.
De todos os ngulos do imperio surgem bata-
Ihoi's de voluntarios, c contingentes de guarda na-
cional, at de Inhamuns urna joven de 18 annos,
Joao irros, Antonio Bernardo Vaz de Carvalho I n, nh9ips nannic rni, #..;. ,e__ la a
juiz
o Ferreira & Araujo.Vista ao Sr. desembargador
fiscal.
os debates depois da replica e treplica resumida
Na duvida proposta pelo Sr. offlcial-maior da se-
cretaria sobre o titulo requerido por Barbosa &
Vaseoncollos, propietarios do trapiche Novo, sito
Jovita Alves Feitosa, segne no batalho dos volun-emMacei0-v,:ta ao Sr. desembargador fiscal,
tarios do Piauby, que ha pouc*s dias passou para J. requerimento de Antonio de Pinho Borges,
o theatro da guerra, a qual no mesmo batalho Pediodo o registro da soa no^neagio de caixeiro de
vai oceupando o posto de 2" sargento: esta joven
irocou o dedal e a agulha pela fardTe a espada.
Oh I que exemplo incomparavel e invejavel I Eis-
Luiz Antonio de Siqueira.Regstrese.
Cora inlormagao do Sr. desembargador fiscal:
No de Olympio Goncalves Rosa, pedindo o re-
aqui o retrato della ( mostrando-o). Vede e imi- B'sl da escriptora de hypotheca que lhe fez Joo
tai-a I I Sabis a quem deixado esse dedal e agu- Iha? A'quelle Brasileiro que estiver na circum3- da I"'PO.duvida o Sr. offlcial-maior da secreta-
tancia, e fr designado defesa, negar-se a ella.' ria* ~ Reg'slre-se na forma requerida pela parte ;
Alera disso, accresce que alguns estrangeiros resi-1 consultando-se o governo acerca de dever ou nao
denles no Brasil, e cora especialidade a maior par-! continuar o registro commercial de escripturas de
te dos da nacao portugueza, e depois desta os Alie- nyP'hecas de bens de raz, depois que est em
io Rio-Grande do Sul, tem tomado parte na 5?c'ica0 a lei nunler0 i'2J7 de 2i de setembro de
maes no
defesa do imperio, e quanto mais vos, guardas na-
1864.
cionaes, que sois brasileiros Pernambucanos, des- i No dos directores da companhia de segaros In-
cendentes dos hroes Vieira. Camarao, Henrique deranisadora, pedindo o registro dos novos estatu-
Dias e Vidal, e guardas da naco, a quem a patria ,os oa raesraa e do decret e carta imperial que os
deposita toda a conflanga Lembrai-vos desses glo- |PProvou e sobre o qual tambera poz duvlda o
rosos nomes, e nao recueis perante a quadra que *L ifflc,.al raaior da secretana.-Salisfagao o pare
o inimigo se aprsenla, qae os perigos da guerra
nao sao das cores que se pintara, negros tornar se-
hiam elles cora o desamparo.
Sr. offlcia
cer fiscal.
.No de Joao Antonio do Amaral, pedindo ser ad-
mettido matricula.Como reqoer.
Os senhores Deputados C. Alcoforado e M. Leal
o A defesa da causa justa e santa e pertence a dando conta da commisso de que haviam sido en-
A nii patria exige dos filhos carregados na sesso passada, offereceram consi-
derado do tribunal
todos os Brasileiros.
o soccorro disposigo do pai. Portanto langai
mo das armas, e correi voluntariamente ao cam-
po da batalha roda do chefe da nago, que l
espera para, de um golpe, debellar o audaz inimi-
go, que tantos males tem causado honra e aos in-
teresses da nago.
c Contingente, comparecei no quartel do com-
raando, e igualmente aquelles que voluntariamente
se prestem a alistar seu nome, afira de ter o desti-
no, segundo as ordens do governo. Nao deis lugar I
um documento do qual se v
que corretor Antonio Botelho Pinto de Mosquita
fura desonerado do cargo de camarista da villa de
Pesqueira em 18 de abril ullimo, dizendo os mes-
mos senhores deputados constar-lhes que o referi-
do corretor est resol vido a voltar para esta cidade,
e continuar no exercicio do seu offlcio.O tribunal
mandou archivar nao so as certidoes, como o do-
cumento ora apresenlado.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
a que a polica vos obrigae ao cumplimento dos | dente encerrou a sessao as U horas e melada
vossos deveres com perdas de vossas garantas -, e I manha.
materia da aecusago e da defeza o mesmo
propoz as questoes de fados qoe foram entregues
com o processo ao presidente interino do jury de
sentenca que se retirou cora os de mais membros
delle a sala das conferencias pelas 1 1|2 hora da
tarde d'onde voltou as 2 1|2 com suas rospostas que
foram lidas em alta voz pelo presidente do jury de
senlenga, em vista de coja deciso o Sr. Dr. juiz de
direito immediatamente declarou que appellava da
deciso para o tribunal da relago publicando a
senteoga absolvatoria em favor do reo e levaotou a
sesso adiando-a para as 10 horas da manha do
dia seguinte era tem de ser julgado o reo Manoel
Carlos dos Santos, aecusado por crime de homici-
dio e que j foi conderanado a gales perpetuas e
prolestou para o mesmo jury.
-----------------m---------M9CKH--------------------------
E' falso o que se l en um annuncio publicado
no Diario de 25 do corrente, com relago ao varejo
do engenho Jurissaca; porquanto nem al i foram
encontrados guardas nacionaes que andassem fora-
gidos, era recrutas que se eradssem.
Quatro foram osindividuosyapresionados pelo Sr.
subdelegado do Io dislneto desta freguezia quando
varejou o dito meu engenho,.: datles, dous sao
guardas nacionaes do batalho e Muribeca, e cora
seu pai e sogro Antonio do Lor\lo, tinham vindo
fazer urna planta de cannas era miiihas trras; e
tanto nao necessitaram de andar foragidos que
foram postos em liberdade logo que sua priso
conslou ao respectivo commandante, o Sr. tenente
coronel Mariano de Sa e Albuquerque, que os re-
clamou a autoridade que os prendera; o terceiro
foi igualmente posto em liberdade pelo tenente
coronel Joo Paulo Carneiro de Souza Bandeira,
commandante do batalho deste municipio, cuja
disposigo fol posto pelo Sr. subdelegado, apesar
de nem ao menos ser qualificado guarda nacio-
nal: eo quarlo, finalmente pela propria autoridade
que o prendeu, foi sollo por lhe faltar idade para
o servigo das armas.
ti' falso que outros se tivessem evadido.
Entend dever protestar contra semelhantes
falsidades, para que os que rae nao conhecem me
nao atribuam actos quo sou incapaz de pra-
ticar.
Engenho Boa-Vista, 28 de selembro de 1865.
Joaquim de Souza Ledo.
?UBLICA<;5ES i PEDIDO
C0MMNIC1D0S.
Ao publico eao Exm. Sr. presidente da proviucia.
Srs. redactores.Oceupando pelo primera vez
s m pequeo espago em vosso conceiluado jornal'
inlo dizer-vos, nao tenho por fim louvar algoma
acgo nobre e de elevado mrito, mas resta-me a
consciencia de nao fazer offensa pessoal, e sim
tornar patente o abuso da autoridade, afira de que,
sendo ella punida traga para a sociedade o effeito
desejavel, e nao unvelemento deleterio da ordem,
calcando ao ps a fbi a seu sabor e por mero ca-
pricho. E assim pYocedendo, jnlgaraos prestar ora
servico a sociedade, qoe lucrando sempre que se
levanta urna voz de louvor e de animago ao m-
rito e virtudes do funcciooario publico, nao me-
nos aproveita quando se ergue um brado de indig.
nago contra seus desmandos e cegos caprichos,
por qoanto, tanto urna como outro, tendera ao
mesmo fim, isto o desenvolvimento da moralida-
de publica, e como consequencta necessaria maior
grao de perfeigo social, sagrado penhor da ordem,
seguranga e garanta da liherdade individual.
J
Copia do luminoso, e jurdico despacho proferido
pelo Exm. Sr. Comelheiro Presidente do Superior
Tribunal da Relacao, sobre urna representarlo
do Sr. Dr. Juiz de Orphaos deste Termo, a respei-
to da sua pretendida competenctapara o inventa-
rio dos bens do Bngadeiro Gaspar de Meneses Vas-
concellos de Drummond, a qual alias j havia sido
firmada pelo mesmo conspicou Tribunal, no Juizo
dos Feios da Fazenda, por dependencia do
inventario da primera mulher do dito Brigadei-
ro que nesle ultimo Juizo se proceder.
Vista a representaglo do Juiz de Orphos desta
cidade, e a' resposta do Juiz de Direito substituto do
Juiz de Direito dos Feitos da Fazenda, visto o Ac-
cordo da Relago, que denegou provimento a' ag-
gravante, e mandara continuar o inventarlo pelo
Juizo dos Fens, jnlgando-o assim competente, e
cora jurisdiego legal, e ja' adquirida para o mes-
mo inventario : Considerando, que os dous Juizes
usca suscitaram conflicto, ou lua de pretendes
para firmar a sua jurisdiego, nao obstante ter ca-
da um dado principio ao inventario, o Juiz de Or-
phos, acceitando o juramento da Viuva dotada, e
o dos Fetos a um herdeiro, em virlude do requeri-
mento dos herdeiros maiores : por quaoto, por es-
te ultimo procedimento interpozra a Viava o sea
aggravo, preteodendo declinar a jurisdiego do Juiz
dos Feitos, e decabindo, como Dea dito, do mesmo
aggravo, fra firmada ajorisdiegao por meio do
processo jadiciario, dando-se provocago da parte :
Considerando, que nao se pode suscitar conflicto
depois de julgamenlo pelo Juiz Snpenor.ou por meio
do aggravo, on por senlenga defflnitiva.em grau de
appellaeo, cabendo das decisdes sobre materia de
competencia dadas em qualquer Juizo, ainda que
as cansas caibam n'algada, o meio de aggravo de
peligao ou instrumento, Art. 15 n 1 do Dec. de 15
de Margo de 1842^ Reg. de 7 de Marco de 1855 ;
visto como a questo de competencia de ordem
publica, a qual prejudial a iovaso de quaes qoer
jurisdiccoes : Considerando, qne, para evitar-se o
conflicto, ensinam todos os Escriptores qoe boa
camella, allegar ante o Juiz a sua incompetencia,
porque com o julgaraento bea firmada ajorisdie-
gao, e nao tem mais lugar soscitar-se o conflicto :
atleodendo, qae da deciso do aggravo nao se pude
interpr mais qualquer recurso, Art. 122 da Lei de
3 de Dezembro de 1841 ; sendo qoe por isto nio
pode a Relago reconsiderar, e tomar conheci-
mento do aggravo, oo para revogar, oo para confir-
mar ; cumprmdo ao Juiz de Orphaos respailar, e
i




r
i
Ai
Diarlo de Pernaiabnco Sabbado 30 de Sicciubro de i8*
ifif [ T TT ftRRi
como inferior sugeitar-s' as deeisSas Superiores,
cumpri-las.e observa-las. Nao hwendo poiseonfljeio
algum para que possa ser subraetlida a' Relago a
sua degisti, farftiuanto a iocompetencia esta deci-
dida, e firmada pelo meio legal, e pel Sapeffone-
gitimo, nio y6*e por isto dar-se mWs decisao, soore.
conflicto, que nao existe. O escrivo da Chancel-
lara extraa duas copias deste raeu despacho para
serem enviadas aos Juizes respecuvos. Recite, sJ
de setembro de 1865.P. Sonta.
,-------_-----------__.-----------T---------.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
frndoale'm dlsso csquecldo, era relag'i. a primeira, dante tenente Jos Caetano da Si
a leltra di) .iriso de 3t d?Tgosto de 1833, e recom- do que se Uvera ochado a quaa)
mendagao da polica constante do offlcio folbas 16, apresenta-se na sala do conselho de compras e abi
fcaveado j4 sa dado nesta capital, por occasio dfl o l rauito ufano perante alguraa* pessoas deri-
oma igual falta era diligencia semelhanle, o pro-, terio que se achavam presentes, com o flm duplo
testado cnsul portuguet de que falla o relator*) de tornar duvidosa a probidade do figurado eom-
do ministro da jusliga no crreme anno, nao o exi-1 prador I
>Mt contente \ Baptista de
a do ctrctUe, loa de 8.J
Antonio Mara Ramos.Jos Car-
JLiUiz dos Santos.
Estavara as armas imperiaea.
18fea.t-rewab nenn.rw-. riemente es- de que temos faltado, nao seja dada aos edilic
**!2 IXSXFn.SStortS&S* WK5 e s,m propriamen/e ao. domicilio do ,
Illm. Sr. Or. juiz de dlreito da 4*^-u,'-
nardo Alves P.uhe.ro, precisa que V. S. Ihe mande
dar por certidao o theor da snienca proferida por
V. S. nos autos de suspeicao intrnate peloi supli-
cante contra o delegado de polica do 1' districlo
desta cidade : e por isso pede a V S.detenroeulo.
E. R. M.CeniSque. Recite, 4 de setembro de
1865.Freiias Heuriqmts
aaquim Francisco de Pai
cnvao privativo do jury, execugoes
correigo, desla comarca
Imperador, que !>eus gaarde, etc.
Certifico que revendo o processo de suspeigao de
que trata a petigo supra, dalle consta ser a sen-
tenca pedida por certidao do theor segrate :
Vi-tos os autos, julgo procedentes os artigos de
suspeigao da folbas 6, oppostos pelo recusante Ber-
nardo Alves Poheiro contra o delegado do Io dis-
tricto deste termo, bacharel Luiz de Albuquerque
Mariins Pereira, e seu e.-crivao Dionisio Ferreira
Cavalcanti : _
folhas 3 era
mia de mandar escrever era referencia s buscas
referidas o auto de que falla o art. 122 ao regla-
mento de 31 de janeiro de 1812, alora tamben) era
relacao a ambas ellas, o auto de que falla o art.
201 do cdigo do processo criminal, que parece s
foi escripto acerca da segunda diligencia, nio sen-
do dispensada a ordem por escripto, nos termos dos
arts. 212 e 192 do cdigo do proeesso, anda mes-
mo nos casos exofficio, como o deque
Namero 903.
Pagon 200 res.
Recife, 38 te-agosto de 1865.-Chaves.Serrano.
Enada raajsse continhaem ditas procuraces pe-
didas por certidao, que eu escrivo flz copiar dos
proprlos originaes.
Recife, 16 de setembro de 1863. Subserevo o
assigno em f de verdade.Joao Vicente de Tor-
res Bandeira.
Caixa tilial do banco do Brasil em
PeNiamboco.
A directora desta caixa sana sobro o banco
Brasil fio Ri de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmu banco na Baha. *
JURUBEBA.
s.
Repondeodo ao sentiorAmigo da justica,
tenho a dizer-lhe que nao nada injusto o pedido
Pois bera. A publicaeao dessa prova robusta
das miserias ds que ba sido tbeatro a desraorallsa-
(to arsenal de guerra de Pernambuco, se deseja
cora o maior impendo, para della se tlrarem certos
corolarios que fcilmente fario sobresahir a verda-
de, e desmoronarao a estrategia de que e lngara
mo, para com a malor infamia e deseara-sa fazer
carga a un, e desabonar a outra, a qaem a toda o
se trata, e transe se procura arredar da concurrencia is
em todos aqueles'ai que Ve refere o'art. 120 do re- compras que promove o citado conselho.
gulameolo de 31 de janeiro de 1842 e 189 do codi- Setembro 2f-,i855.
go do processo criminal. E se bem a imraunidade J- C. A.
edificios
Cl'ni es e "aienas*, v Mili piuyrianienMi ou uviimnO QO Ct-
rmr Si. M o dado, segundo dimana da lettra do art. 214 do co-
digo criminal, nao se podendo considerar como, que fez o Sr. scal e a Exma. cmara municipal,: rh" J*,be-fIBa e mesmo para combater a menstrua-
domicilio a loja de charutos do queixoso, que de- pedindo providencias sobre os despejos iramundos resultante da mesma anemia ou cnic
ve ser considerada como outra qualquer casa pu-, que continuadamente se fazem entre a ruada
blica, certo todava, e resulta evidentemente dos, Palma e a ra da Paz, cujo ftido bem sentido a
autos que as buscas referidas em ambos os casos : quera passa junto do porto do quintal pertencente
se limitaram a loja indicada, e que as duas vezes,' a propriedade do Sr. Jos Joaquim Alvas, e entra
que naqnelle da ah fot offlcialmeoie o denuncia- na ra da Palma.
E urna vez que o digno amigo da justiga se
dignou replicar-nos, diremos mais que nao s os
despejos epidmicos que se fazera, como tamben)
servirem-se da prolongado do muro para fazerem
os despejos corpreos, e isto at a ra da Con-
cordia.
Nao contesto o zelo e a dedicacao que a Exma.
ao o processo que """"""" V*"" w mT da parte. cmara tem pelo bem sanitario do seu dominio,
recusante pela atlribuida orracgao aa iei ue | o procede anda tamDem a qUeixa em rela;ao ; uem o contrario Ihe raerecem os districtos debaixo
agosto de 1860 e decreto de 14 de ovem-or",u0 sua quarla conclusiio, por is<,o que o denunciado da sua jurisdiccao.
mesmo anno, navia ja qua?i um mez, qu lenJ(j _.j|Jo a au,oriaade peraDtB qUem correu o pro-1 Nao ignoramos, tao pouco, o quanto o Sr. fiscal
proprlo delegado, como tambem o mvau c cess0) de que fa|ia a peli(;a0 a fo|nas j eSse pro-; tera sido e e prestavel s exigeocias da cmara
do, se acnavam ambos prante mi mmm ^^ C(JSS0 em grao de appeilaga.o foi julgado insanavel- municipal, tornando as ras destavenezarauito
mente millo pelo juiz de direilo da segunda vara mais aprazlveis do que estavam no lempo do seu
crime nesta comarca em virtude de ter o denun- Ilustre antecessor, ainda mesmo que ludo isto seja
ciado obrigado a funecionar em taes autos o escri-'. feito pelos dooos de eslabelecimeutos.
vo da subdelegacia de Santo Antonio, sera delles! Em quanto ao que o senhorAmigo da justi-
constar impedimento dos escrives das varas mu- came aconselha, para eu fferecer os uieus debis
nicipaes.como se v pela certidao da senten^a de servicos a Exma. cmara, nao o faco porque sei,
folhas 7 folhas 8. que ella nao m'os acceitarla, porque a Exma. ca- nosSOS leitores. que esse resultado ful Obtl-
0 documento de folhas 20, junto ao processo pe-' niara bem sabe que qualquer habitante que paga do de modo O mais completo por um hbil
lo denunciado 6 contra-producente, porque delle, crescidos imposlosgeraes ao paiz, lera direito de pharmaceutico de Faris, O Sr. Chevrier,'que
1." Porque em face do documento a
combinado cora o de ^^^^ot^' sivamente"retidos na" delegada, sera t
do, era ambas tambem varejn o domicilio do quei-,
xoso sendo ah, e dentro de movis que foramen-,
contrados os objectos de valor de que falla a peti-
cao de queixa, os quaes at ltimamente, como se j
prova pelo documento a folhas 9, se achavara abu- i
incontestavel que ao l.
do o processo que ltimamente insiaurou coi
agosto de 1860 e decreto de 14 de novembro
vi* i*' nnasi um mez. aue i
referi
mim denunciados, i
pelas violencias e (actos especicados na mesma
peflCM de queixa, factos e violencias que em resu- \
mo constara dos documentos de folhas 2b e i. ,
2." Porque essa propria suspeirao a esse lempo, i
quaudo mesmo nao fosse neste caso de pleno di-
reilo, por forca da denuucia referida, e conforme
os termos do art. 61 do cdigo do processo crimi-
nal e art. 247 do regularaento de 31 de janeiro de
1842, pareco que, em consciencia, devia por si
mesmo espontneamente prevalecer independente-
menle de ser presentada pela parte, tm visia de
quanto dos autos consta, sendo lamauho o desejo
manifestado pelo delegado de intervir no processo
contra o recusante, que nao s se recusou de se
averbar de suspeito pelo despacho a folhas -, em
causa em que ja' legalmente nao poda intervir
como juiz, como at chegra ao ponto de nao res-
peitar os escrpulos cooscienciosos a' esse respeito
do seu proprio escrivo, segundo se v pelos do-
cumentos a folhas 29 e folhas 32 a folhas 3* verso,
e a quera, alias, obrlgon a funecionar em cau>a,
n que escrupulisava elle de assim o fazer.
3." Porque ainda mesmo quando o proprio dele-
gado recusado, bem como seu escrivo, podessem
tazer crer que se achara extremes de prevencaoem
guma para a jasttsa e contra o direito e interesse
A jurnbeba urna das substancias medicauen
tosas, ao reino vegetal, e perlence claese
dos tonioea e desobstruents, sendo em prega
aa com vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorglamento de litado e bago.
Ella tem sido applicada com ncontestatel provellc
contra a anemia ou cWoroJe, e hydtoaesia, catar
rose.
Extrato alcoolco de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo dem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto,
sario n. 10.
ra larga do
Noto banco de Pernam-
buco.
O banco desconta I etras na presente semana a
9 por cento ao anno al o praxo de seis mezes,
aLFANDEGa.
Rend ment do da 1 a 28.....
Mera do dia 29..............
115:8614396
54:102*210
470:0531606
VARIEDADES
Sciencias c medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therapeutica, que cousistia na desin-
feceo do oleo de fijado de baoalho sem
Ihe tiiar nenhuma dassuas propiedades.
Temos o prazer de annunciar boje aos
se l claramente que, anterior e verbalmente ja ha- chamar a attencao do mesmo paiz para qualquer ...,.,.. flooinfurtar n r>lpn Ac iaarin p.
va sido recommendado o denunciado pelo Dresi- objectos de cousas que seja pernicioso a salubrida- W"""'" uebtuiBowr u vuw ut, "b<"
bacalhao com o alcatrao e o balsamo de
dente da provincia, assim como posienormeute Ihe
foi offlcalmente respondido pelo che.fe de polica,
que serapre que houvesse o denunciado de chamar
algum escrivo de outro juizo para Jervir perante
si, fizesse juntar aos autos as declarares de Impe-
dimento dos escrives dos juizes municipaes, o que
nao lendo sido ainda de semelhanle vez cumprido
pelo denunciado, foi por soa exclusiva culpa,_ ao-
nullado. o processo de que se falla por forca nao s
dos principios de direito, que regulara a compe-
tencia dos funecionarios, como tambem de confor-
midade com a lettra do aviso n. 102 de 3 de maio
de 8.J9.
.. ~.~. H---------..-.- j,So ,i, ani- O documento de folhas 23 corrobora o, que antes
relacao ao recsante, tepote te Pa2o^TAL ja havia a presidencia explicado ao proprio denun-
go constante do Diario "a folbas 28, nullidade de
um anterior processo acerca do mesmo recusante ,
pnr culpa de ambos e mais ludo quanto a respeito |
de semelhanle prevengo dos autos se infere, e de ,
intuio, que os recusados se achara legalmente i
impedidos de poderera funecionar em qoalquer'
processo instaurado contra o recsante, pela nimi-
sade dirivada do (acto da denuncia apresentada
pelo recusante contra os mesmos reculados, ecomo
inlmigus considerados at pela lettra da ordenacao
livro 3* titulo 56 7, que declara ser iniroigo ca-
pital de outrera iodo aqoeHe, que, em algum teropo
leve ou tem feito crime ou civel com outro a hy-
potbese aquella em que se acha o recusante para
com os mesmos recusados.
4. Porque finalmente, se bem os fundamentos
das suspendes nao devam ser abandonados a von-
tade e caprichos das partes, que multas vezes as
procurara de proposito e quando para isto se nao
do fundamentos lecaes, lambem se deve attender
por ouiro lado, que juizes legalmente suspeilos se
cao prevalegam de sua posiyo, alim de mtervirera
em causa em que a >uspeico consignada pela
le, devendo em todos os casos os mesmos juizes
por si proprios apreciarem.se razoes exisiern para
se dtfvidar da sua imparcialidade, o que e condijao
que affecta a valida4e do processo, importando
muito a" moral, bera como a ordem publica, como
refere Pimenta liueno, que os mesmos juizes se
apresentem sempre como instrumentos puros da
le, e que baja a consciencia social de que as rela-
goes ou dehetos dos cidados sao examinados,
apreciados e julgados sem parcialidade, odios ou
paixes.
Mu posto, julgando procedente os artigos de sus-
peico referido?, como julgo pelas razoes expostas,
afim de que produzam seus effeitos, segundo o
art. 253 do regularaento de 31 de Janeiro de 18-*2,
paguem na forma do art. 71 do cdigo do processo
criminal os recusados as cusas.
Recife, 2 de selembro de 186.-Joo A. de Arau-
jo Freitas H^nnques.
Joaquun Francisco de Paula Esleves Clemente, es-
crivo privativo do jury, exeruces criminaes e
correiglo desla comarca do lien fe, por S. M. o
Imperador, que Deus guarde, etc.
Certifico em vista do processo mencionado na
peligo supra, ser a senten^a pedida por certidao
do theor segrale :
Vistos os autos, julgo procedente em relacao a
segunda e quarta conclusoes, a petigSes de queixa
de folnas 2 a' folbas o, apresentada pelo queixoso
Bernardo Alves Pinbeiro, morador nesta capital,
contra o delegado do 1* dstrclo deste termo, ba-
charel Luiz de Albuquerque Martms Pereira, e ira-
procedente em referencia as demais conclusoes
quanto ao mesmo delegado, assim comotambem
improcedente a mesma queixa em relacao ao es-
crivo Dionisio Ferreira Cavalcanti, igualmente de-
rnunciado, pelos motivos que passo a expor acerca
\ de ambos:
l. Procede a queixa em relacao a' sua segunda
concluso, quanto ao primeiro denunciado, porque
certo, que pelo art. 179 7o da nossa constitui-
cjio, era sua casa tem todo cldadao um asylo invio-
lavel, onde se nao pode penetrar de noile sera con-
sentiraeiito, ou nos casos exceptuados naquelle so-
bredito paragrapho do referido artigo da mesma
constiiuico, e art. 290 do cdigo criminal; e de
dia ninguem tambem, nem mesmo a propria auto-
ridade, seno nos casos e pela maneira que a lei
tem determinado, casos que se acham todos espe-
cificados no art. 211 do supradito cdigo, arl. 120
do regulamenlo de 31 de janeiro de 1842, era re-
ferencia ao arl. 189 do cdigo do processo, e ma-
neira que se acha prescripta no arl 212 do cdigo
criminal, art. 12o do supramencionado regularaen-
to de 31 de Janeiro de 1842, e art. 192 do cdigo
do processo. Se, pois, o delegado denunciado as
duas buscas, que realisou em casa t'o queixoso,
como refere-se na propria petigao de queixa, espe-
cialmente em relago a segunda, que foi formal,
estando presente o chanceller do consulado Portu-
guez, como o mesmo denunciado nao contesta, e
para a qual nao se dava pressa, nem foi feita de
momento, assim praticou o denunciado em ambas
ellas, nao s independentemente do auto previo ou
posterior, que por forga do arl. 122 do regula-
menlo de 31 de Janeiro de 1842 Ihe cumpria a esse
respeito fazer, como tambera independentemente
de todas as demais formalidades, que a lei para
taes diligencias prescreve, at mesmo sem se ba-
ver para taes buscas expedido order por escripia,
com expressa desgnagao da diligencia e motivos
dellas, nos termos do art. 212 do cdigo criminal,
192 do cdigo do processo, e 125 do regulamenlo
de 31 de Janeiro de 1842, visto que, aponladas
pelo queixoso taes faltas de exacto cumprimento da
lei era relacao a garanta de seus direilos, e pedia-
do elle acerca de taes oraissoes o cumprimento da
mesma lei, o magistrado nao pode, era semelhanle
conjunctora, deixar de julgar o denunciado ocur-
so em saucc.au penal, por isso que nenhuma auto-
ridade policial, por mais elevada que seja, pode
penetrar em casa do cidado, seno nos casos res-
trictos, e pela maneira que as leis tem determi-
nado.
Nao que o delegado denunciado nao eslivesse
autorlsado pelo 5o do art. 189 do cdigo do pro-
cesso criminal, e art. 120 do regulamenlo de 31 de
Janeiro de 1842, para proceder a' taes buscas, as
quaes julgava precisas para verificar as suspeitas
de criminalidade, que pesavara sobre o queixoso,
nem tambem que por ouiro lado, a acgo legal da
justica deva ncar enervada peraole quem quer
que seja, mas, porque s mediante as condigoes
legaes, pode ser violado o domicilio do cidado, e
s tambem mediante ellas pode ser o mesmo cida-
do obrigado a franquea-lo, segundo os termos
precisos do | 7' do arl. 189 da nossa conslituicao,
nada sendo mais sanio, segundo refere o proprio
Dr. promotor publico, em sua resposta de folhas
46, do que o domicilio do cidado, que em sua casa
tem um asylo inviolavel, e pelo que tambem ex-
pende o profundo Pimeota Bueno, deve ser impre-
terivelmentu punida toda violago da lei neste caso,
embora ninguem possa tornar o seu domicilio coito
de criraes e de criminosos.
I) faci de ter o delegado denunciado, em pro-
pria pftssoa, procedido as duas buscas referidas,
ciado, em relago a esse mesmo assumptp, vend-
se bem que sse aviso de 18 de Janeiro do correte
anno, nao faz mais do que confirmar a doutrina
couhK'iua de que os delegados somenfe podem
funecionar com escrives de outros juizos, na [al-
ta absoluta ou impossibilidade dos escrives dos jui-
zes municipaes e contra o que impertinentemente
continuava a recalcitar o denunciado, de modo a
ser annullado por sua culpa nica mais esse pro-
cesso, como foram por esse mesmo motivo, nao
poucos outros.
de de tal oti qual lugar.
Nao acceito o que me diz o senhor amigo da jus-. Toln. As experiencias feitas por muitos de
liga no tercejro periodo do seu annuncio, porque noss0s pratioselec ebres, nos hospitaes e SO-
acho ser muito caricato o dizer-se que urna cmara h lnontps nariirnlaros as analvp municipal para attender ao asseio de todas as ras, I Dre seus (loentes particulares, as anaiy. es e
seria necessario esgolar lodos os seus rendimentos, ensaiOS de Chimtcos competentes, nao dei-
para satisfazer aos guardas fiscaes que preciso xam nenhnma duvida a este respeito.
collocar era todas as esquinas, para assim obviar Relatamos anu asi proprias palavras de
aos moradores espertares ^jejrtnteje.tes um juiz muito eminente e competente o Sr.
trevas da noute, vao fazer os seus despejos juuto
do transito publica, quando que com isso nao
preciso at guardas fiscal, Visto que a populago
nao nenhum ente inraciooavel que nao atienden-
do as leis; e se a Exma. cmara municipal decre-
tasse um projecto de lei prohibindo. os despejos -
iramundos nos lugares que nao sejam designados tral desinfectado pelo proceaSO do Sr. Che-
pela mesma cmara, sob pena de ser multado lodo vpier, e posso certificar que esse producto
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submelti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalhao na-
aquello que incorresse nessa postura, estju con-
victo que nao naveria tanta immundicia por quasi
todos es cantos; e se algum abuso se dsse, ser-
verla a multa para satisfazer ao guarda que o
reprimisse.
Nao de noute que ali se fazem despejos,
tambem no decurso do da.
O syslema por onde eu med o tal lixo, foi pelo
antes de comegarem
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acham no oleo de figado de bacalhao ordi-
nario. A fraca proporc3o das substancias
estranhas que -e pem no oleo natural para
dissimular o clieiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
, syslema melrico; porque antes de comegarem a
Entretanto, por outro lado, nao procede a peti- (tirar por cima do monturo algum desse lixo, como propriedades medicaes e S a torna de um
gao de queixa em relago a sua primeira conclu- Ihe chama o senhor amigo da justiga, fallara uso facj e mesmo agradavel.
sao, por isso que n) provou por nephum modo o cousa de meio metro para a inmundicia cuegar ao
queixoso, nem mesmo pelo depoiment das suas nivel do muro I...
testerounhas que houvesse side injuriado eimaltra- Ja v pois que nao errei seivindo-me do adject-
tado pelo denunciado nn correr das busca.s ref-ri-' vo quasi.
das, e nem tambem depois, ainda mismo com1 Agora j andam limpando o tal lixo; Deus quei-
a expresso raarinheiro,de que falla' a dita ra que se nao continu cora taes despejos punidos,
queixa. certos de que muito
Tambera nao procede a mesma petirn em rea- autoridades,
gao a sua lerceira concluso, porque se nao i,rova,
e nem do processo consta por modo aluni que o
denunciado houvesse mandado funecionar na cau-
sa o escrivo da frt-guezia de Santo Antonio, por
affeico, odio, contemplagao a alguem, on para cora
isso promover interesse pe cos pelos quaes se podem dar as dilTerentes espe-
cies de prevaricagao de que se falla nos diversos
paiagraphos do art. 129 do cdigo criminal, e pe-
lo que, assim, nao tem lugar a capitulago de tal
crime feita ao denunciado era relago a referida
conduso 'la queixa.
Nao procede, finalmente a mesma queixa acer-
ca do escrivo denunciado : porque dos autos se
nao prova a culpa que nella se Ihe altribue, como
se mostra pela resposta do proprio denunciado, de
folhas 28 a folhas 33, visto nao ter sido por eSle in-
vadido o domicilio do queixoso, havendo-se o mes-
mo denunciado limitado a escrever o auto poste-
rior a segunda busca, e para o qual fra chamado
no balco da loja do queixoso, nem mesmo, nella
penetrar alm do referido baleao, e tendo jera se-
melhanle diligeucia, bem como no procosso func-
cionado por ordem do delegado, a quem dev a obe-
decer, nao Ihe compelindo apreciar a legitiinidade
ou nao do impedimento dos escrives respectivos
por ser isso materia da exclusiva competencia, e
nao dos escrives. I
Nestes termos, e em vi^ta de todo quanto fica
exposto, pronunciando o delegado denunciado, co-
mo pronuncio era relago s conclusoes segunda e
quarta da peligao de queixa, o julgo por taes fac-
tos incurso as penas dos arts. 154 primeira parte
e 162 do cdigo criminal, pelo que mando se1 lance
su nome no rol dos culpados, pagas por elle as
cusas. E julgando por outro lado, como jijlgo a
referida queixa em referencia ao mesmo delegado
improcedente, quanto s conclusoes primeira e ler-
ceira, e tambem improcedente era relago ao es-
crivo mencionado, recorro nesta parle deste meu
despacho e relativamente a ambos para o superior
tribunal da relago na forma do 2 do art. 439
do regulamenlo de 31 de Janeiro de 1842. Feilas
as notilicagoes do estylo e passado o prazo 'legal,
segundo o aviso n. 12 de 12 de Janeiro de 1834, se
nao fr interposto recurso pelo delegado, pelos fac-
tos porque fica pronunciado, d-se vista dos autos
ao Dr. promotor publico para vr com o libello na
forma do art. 401 do regulamenlo de 31 de janeiro
de 1812, assim como era ludo mais o escrivo
curapra o seu regiment. Publicado em mo do es-
crivo.
Recife, 18 de setembro de 1865.Joao de A. de
Araujo Freitas Hewiques.
liarla Ramos annexas aos autos do sequestro
dos bens do finado Brigadeiro Gaspar de Menezes
Vasconcellos de Drummond :
Nestes termos pedo a V. S. assim Ihe defir,a. E
receber merc.
Recife, 22 de setembro de II 1865.-'rica" e ulil descoberta que
Agua de Florida de Hnrray e
Laniuan.
Esta aquella excedente e original agua de chei-
ro para o loucador, que to altamente lera sido ex-
hibida e exhortada por lodos os Jornaes publicas
da Amrica do Sul, e da qnal se tem vendido! tan-
tas imitagoes nesie paiz. Entendemos que foi para
guardar o publico contra semelhantes imposfgoes,
qne os propietarios do artigo genuioo, depois de
o baverem introduzldo a' mais de vinte annos, as
Repblicas Hespanholas, Cuba e Brasil; comegararo
nao somonte a manufactoral o para este mercado
como lambem para os mais j cima mencionado'.
Este excellente e inpagavel artigo j comegou
ser popular, e de esperar, que aqu em breve ve-
nha a supplantar e leve a palma, como j o fez oa
America do Sul, a todos os perfumes e esseocias
mais costosas que dos costuma vir da Europa.
Ella igual em todos os respeitos, quando nao su-
perior aos mais fios extratos que nos vera do es-
trageiros. (Vede que os nomes de lurray e Lan-
man, se achem inscriptos e gravados sob cada ca-
pa, ietreiro a garrafa, pois sem o que nenhuma
verdadeira.
Veode-se oas pharmacias de Caros & Barboza
e J. da C. Bravo & C.
------------ ni i ring n i
O arsenal de guerra.
A bolea ou a vida I..... assim costuma, dizer
o salteador que a deshoras e
ao viandante
espera.
Prestai-vos a urna infamia, ou do contrario
seris inconlinente derailtidol.....assim se diz
actualmente aos serventes de certa casa maldita
cora prespecliva de arseoal. E isto oo nma
fbula I...
Oesgragadameote a pura realidad.1!!!
Agora alguma cousa com referencia a epigra-
pbe.
Em falla de provas que fizessemcarga a umdos
empregados ltimamente suspensos a requisco
do respectivo Sr. director, lembrou-se alguem de
chamar a um pobre servente por nome Ignacio
Ferreira Tavares, e apreseotodo-lbe um papel era
que declarou haver presenciado a entrega que
aquello crapregado Qzera certo foroecedor da
importancia de avullada porgo de um genero que
Ihe comprara partenceote a fazenda, impz-he
que o assignasse ao que o misera (Deus sabe com
que remorsos I.,,) se prestoo, alim de nao perder
O pao quolldiano...
Pe possa desse importante documento, o Sr. ajo-
uos obrigaro na eslima das
O epidmico.'
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lhao desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacalhao ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peas
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ce.tveis.
Moje que o oleo de figado de bacalhao
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
em dividas; eo socio Bernardmo com 10:0005000
(em coraraandila), sendo em dmbeiro &3145834 e
o resto em divites, utencilios e movis, devendo
dita sociedade durar tres annos contados do i* de
junbo do crreme. "> I "))l#l
Secretaria do tribunal te commercio de Pernam-
buco 26 de setembro de 1865.
O offleial-maior,
JoMo Guimares.
Obras publicas.
Pela repartigo das obras puBlicas se faz publico
aos propietarios dos predios te ra do Arago e
parte da do Rosario da freguezia da Boa-Vista, on-
de se acha calcada, que Ibes marcado na forma
do regulamenlo de 27 de jolito de 1861, o praso
de 30 dias para a con-trnego dos respectivos pa-
seos das sua- propriedades.
Secretaria da repartigo das obras publicas 28
de setembro de 18661
Joo Joaquim de S. Varejo.
No da 30 do correle, finda a audiencia do-
juiz de paz do 1 dislricto da Boa-Vista, tem de ser
arrematado um cavallo rugo com cangalha, ava-
llado por 805, Pr execugo de Luiz Horeira da
Silva contra Manoel Maniva, a ultima praga.
Perante acamara municipal desta cidade es-
tar era praga nos dias 29 do corrente, 2 e 4 de
outubro proxiao futuro, para ser arrematada por
quem por menos fizer, a obra dos reparos de que
precisa a coberia da ribeira e agougue da fregue-
zia da Boa-Vista, errada na quantia de 3:3135200
rs., aquelles que pretenderen) arrematar dita obra
devero comparecer no pago municipal, nos indi-
cados dias munidos de carta de nanga de pessoa
idnea que garanta a arrematacao. O orgamento
da obra acha-se na secretaria da mesma reparti-
go, onde pode ser consultado.
Pago da cmara municipal do Recife 27 de se-
tembro de 1865.Luiz Jos Pereira Siraoes, pro-
presidente.Francisco Canuto da Boa-viagem, se-
cretarin.
tLurreio peral.
Pela adminislrago do correio desta cidade se
(faz publico para fios convenientes, que em virtude
da convengo postal celebrada pelos governos bra-
LiverpoolBarca porlugueza Alexanore Uercula- sileiro e francez, serao expedidas malas para Eu-
wo, capito Antonio Agostinho de Almeida, carga ropa no dia 30 do corrente pelo vapor francez
MOV MENT DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas....
i c com gneros.....
Volumes sahidos cem fazendas..... 218
i c cora gneros..... 664
- 882
Descarregam uo da 30 do corrente.
Brgue portuguezConstante //diversos gneros
Brarca inglezaConrad farinha de trigo.
Patacho nacional Jaboatao breu.
Brigoe hespanholCon'ndcharque.
KECEBEDORA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 28...... 33:3675194
Idem do dia 29................ 7675093
34:1345289
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 28...... 65:4495364
dem do dia 29.............. 9:0035445
74:4525809
MOYIMEitTO H PCETO
Navios sahidos no da 29.
algodo.
Maroim-Patacho hollandez Antje Haverbult, capi-
to Hudlen, era lastro.
ParahybaBrigue inglez Albwn, capito
Daris; era lastro.
Observado.
Nao houveram entradas.
Illm. Sr. Dr. Juiz dos Feitos da Fazenda Subs-
tituto.O Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de
Drummond vera requerer a V. S. se sirva de man-
dar dar-lhe por cerlido o theor verbo ad ver-
buin das procurages bastantes do Dr. Gaspar de porlantes e preciosos da therapeutica, quem
Menezes Vasconcellos de Drummond, e Antonio descubri 0 meio de ti tornar de um USO f-
cil para todos, prestou um verdadei-o ser-
\ qo arte de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos copeluir melhor
: do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
D-selhe.Recife, 22 de setembro de
Freitas Henriques.
Joo Vicente de Torres Bandeira, escrivo vitalicio
dos Feitos da Fazenda Provincial desta provin-
cia de Pernambuco etc.
Certifico, em face dos autos de inventario dos
bens da finada I). Anoa Maria do Sacramento Re-
gueira Pinto de Drummond, ser o theor das procu-
ragoes pedidas por certidao na petigao supra, o se-
grate :
Eu abaixo assignado, bacharel em direito e ad-
vogado dos auditorios da comarca do Rio Formozo,
constituo por raeus bastantes procuradores nesta de figado de bacalhao ferriginoso de Che-
cidade, ou a onde (or necessario aos Srs. Drs. Jos vr{er coDStitue talvez 0 melhor meio de dar-
Nicolao Regueira Costa e Antonio de Vasconcellos
Menezes de Drummond, para era meu nome reque-
rerem e trataren] do inventario dos bens deixados
por meu finado pai o Exm. Brigadeiro Gaspar Me-
nezes Vasconcellos de Drummond, podendo os di*
los raeus procuradores requerer quaesquer dili-
gencias tendentes seguranca dos bens e tirada del-
les do poder de quem quer que seja, e finalmente
fazer tudo quanto for bem e necessario para perde assim suas propriedades irritantes, e
garanta dos meus direilos ; podendo substituir a ng0 provoca a CODStipacaO. E' assim qi
presente era pessoas de sua confianga, e os subsii
propagada, e dizer com meu coilega o Sr.
Dr. Rtchelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem sej; pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de bacalhao Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalhao. 0 oleo
se o ferro. Pois o iodnro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lhao se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vias digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Etnfim elle
que
toldos era outros: e para tudo isto ibes concedo os lentes, i estomago nao pode suppor-
poderes em direito necessanos. tar nenhoma .prepararlo marcial, lomam la-
Recife,5 de agosto de 1865,-Gaspar de Menezes cilmente 0 oleo de figado de bacalhao ferru-
Vasconcellos de Drummond. qinoso e Chevrier-
Numero 2.Estavam as armas imperiaes.Pa- '
gou 200 res.
Recife, 10 de agosto de 1865.Chaves.Serrano.
Imperio do Brasil provincia de Pernambuco procu-
rago bastante, que faz Antonio Mara Hamos,
como administrador de sua mulher D. Laureaona
de Menezes Vasconcellos de Drummond Ramos.
Saibam quantos este publico instrumento de pro-
curago bastante virem que no anno do Nascimen-
to de Nosso Senhor Jess Christo de 186o aos 26
dias do mez de agosto do dito anno, oesta cidade
do Recife de Pernambuco, em meu escrplorio
comparecen o outhorgante Antonio Mana Ramos,
como administrador de sua mulher cima mencio-
nada, residentes no termo de Serinhaem, elle ao
presente nesta cidade, reconh cidos de mim tabel-
Os senhores Maurrer & C. acabara de re-
ceber um grande sortimento dos celebres
azeiles desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
C. ra Nova n. 18.
6
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tratou Pisn em sua excellente obra Historia na-
turahs et medica India occtdentahs, seno as
fiaoe dasleVtemunbas presentes abaixo assignadas, Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
pelo proprio de que dou f, e peranle as raesmas aqu, muito eslimado e appltcado contra as obs-
testeraunhat disse, que pela presente constitua seu trueges abdomlnaes, principalmente do figado e
bastante procurador nesta cidade ao Dr. Jos Nico- bagj; e se todos os facultativos desta provincia o
lo Regueira Costa para todos os termos e aegoes nao applcam cora frequencla, sto se nao deve a
concernentes ao inventario, partilhas dos bens dei- nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
xados por seu finado sogro e sogra Brigadeiro nao serem encontradas com facilidade e em todas
Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drummond e sua as estagoes do anno os fructos dessa planta, e re-
primeira mulher D. Anna Maria do Sacramento Re
gueira Pinto de Drummond, pelo Juizo da Fazenda ou
em qualquer outro que de direito for. Podendo tam-
bem vender um ou dous escravos pertencentes ao
mesmo casal, sendo a veoda em nome de todos os
herdeiros do finado Brigadeiro Drummond, para o
que ceda e trespassava aodito seu procurador todos
os poderes geraes e especiaes em direito concedi-
dos a elle outhorgante, afira de que era seu nome
em todas as mais prelengoes, causas e demandas
crimes, civis, commerciaes e ecclesasticas, man-
dar ou promover era qne elle outhorgante for autor
ou reo ante quaesquer autoridades policiaes ou ad-
ministrativas, reparticdes publicas, auditorios e tri-
buoaes de justiga, desde os Juizos de Paz e Sob-
delegaeiai al o Supremo Tribunal de Justiga, usar [
de todas as aegoes, recursos permitlidos por lei,
pugnancia, que spresentam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e tem
a denominagopde solanum pamculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolco que pode ser
applicado em pilulas, mas tambem ura vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
cora isto prestamos um servlgo humanidade e
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
propondo-as, desistindo e variando dellas," pedir, coeco das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
acceitar e conceder esperas, moratnrias,coocordatas, j em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
composlgoes e corapromissos, protestos, contra-pro- j tica, dizem que as AnMIhas se faz uso do sueco
testos, desistencias e quaesquer outros actos ne-! dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
cessarios, prestar juramento de qualquer nalureza rho vesical; e a autoridade dos nomes desses me-
que seja, nomear peritos, murados ou arbitros dicos, merecidamente celebres, dos leva a crer em
commerciaes e extrajudiciaes, inquirir e contes- i suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
tar testemunhas, receber de seus devedores e| nosso estabelecimento essas raizes, para que possam
das estagoes e depsitos pblicos ou particulares > ser experimentadas.
qualquer objecto, divida oudiobeiro que Ihe per-' A reputago da jurubeba tal, e os .resultados
lencer, dando recibo ou quitago do que receber ; therapeuticos obtidos ltimamente sao lo impor
seguir em tudo mais cartas de ordens, que valero | tantes, que nos parece intil dizer mais do que
como parte da presente, podendo sobstabelecer os
poderes desta em soa generalidade ou com restrceo
eautborisarossubslabelecidosa substabeleceremem i
ouiros, mesmo para fraflo Imperio, revogar os I
subslabelecimentos, ficando-lhe sempre em seu in-
teiro vigor os poderes da presente : reserva para
sua pessoa toda nova citago, que com soa mfor-
mago a far. Em f de verdade assim o disse e ou-
thorgou, sendo-ibe esta lida assiguou com as tes-
temunhas presentes assignadas.
Eu tabelllo a escrevisubserevo e assigoo era
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
S0MME1CI0.
Guyenne >
As cartas serc recebidas. at tres horas antes
da que for marcada para a sahida do vapor, e os
John jornaes at quatro horas antes.
Adminislrago do correio de Pernambuco 23 de
setembro de 1865.
Domingos dos Passos Miranda
Administrador.
O Dr. Eduardo Augusto Pinto d'Oliveira, juiz mu-
nc^ipal e do commercio do termo deOlinda, por
Sua- Magestade Imperial c Constitucional o Sr.
D. Pedro II, a quem Dos guarde, etc.
Fago saber pelo presente, qne no dia 19 de outu-
bro prximo vindouro, depois da audiencia respec-
tiva, se ba de arrematar por venda a quem mais
dr, em praga publica de>te juizo, um sitio deno-
minadoFundoem Beberibe-debaixo, do termo
de Olinda, em terreno proprio, com casa de viveo-
da de pedra e cal, com duas sallas, quatro quar-
tos com gabinete ao lado, de taipa, cozinha e des-
pensa tambem de taipa, com telheiro emaberto;
com diversos ps de coqueros e arvoredos de fruc-
to, contendo uraa capueira, onde se pode tirar le-
nha e estacas para o mesmo sitio, o qual divide,
pelo nascenle, com o pantano de Olinda, pelo sul,
com o sitio de D. Scnhorinha, mi do finado Anto-
nio Claudio da Silva Guimares, pelo norte, com o
sitio denominadoCraveiros, e pelo poente, com
o beco que serve de estrada do mesroo sitioCra-
veiros e trras do finado Henrique Gibson:
achando-se a coberta da casa do referido sitio em
mo estado; avaliado por 4:0005000, pertencente
a Antonio Nobeito de Souza Lealdade, e a este pe
nhorado por execucao de Antonio Botelho Pinto de
Mesquita, e nao havendo licitante, sera a arremata-
go feita pelo prego d'adjudicago, e com o abati-
mento respectivo da lei.
E para que chegue ao conheclmenlo de todos
mandei passar editaes que serao aflixados nos lu-
gares do costume.
Dado e passado nasta cidade de Olinda, aos 22
dias do mez de setembro do anno do nascimento
de Nosso Senhor Jess Christo, de 1865, quadrage-
simo quarto da independ nca e do imperio do
Brasil.
Eu Felippe do Nascimento de Faria, escrivo, o
subscrevi.
Eduardo Augusto Pinto d'Oliveira.
BE
juigoa.
Convida-se as pessoas que eslao as
condicoes do servico militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gensdi lei provincial n. 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes:
ifSiOO rs. diarios de sold, serem seus fi-
Ihos menores reeolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de educado e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm destas
tem todas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da pattia- O te-
nente-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe._______________________
Obras publicas.
Pela repartigo das obras publicas se faz publ
aos propietarios dos predios do largo do Corpo
Santo, ra do Trapiche, travesea da Lingoeta,
caes de 22 de Novembro, entre a travessa do
Ouvidor e o largo do Collegio, e ra larga do
Rosario, que Ihes marcado na forma do re-
gulamenlo de 27 de julho de 1864, expedida para
execugo do art. 57 da lei provincial n. 596, o pra-
so de 30 dias para a constrnego de respectivos
passeios das suas propriedades.
Secretara da repartigo das obras publicas 23
de setembro de 1865.No impedimento do secre-
tario,
Joao Joaquim de Siqneira Varejao.
Consulado de Portugal
Nao se adiando verificados os crditos dos se-
guintes sensores credores do finado subdito por-
tuguez Gaspar Pere;ra da Silva, sao pelo prsenle
annuncio prevenidos, para virem prova-los, aflm
de serem contemplados no raleio de seo espolio.
Borges & Pontes.......i8SfSn
Jos Bernardo da Silva.
Joo Lniz dos Santos 4 C.
Joaquim Jos deAzevedo.. .
Francisco de Mallos Vieira. .
Miguel dos AojosiMachado. .
Vicente Ferreira da Costa. .
Seixas & Azevedo (urna addigo).
Manoel Fernandes da Costa (4 ditas.)
Rovo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
tesTemoho'te verdade." "ube'ijaVpbico Joao' videndona raz5o de,8)5 poraccSo.
35000
93*850
375350
1135330
55400
485000
585300
575380
_ Hoje 30 de setembro se ha de arrematar por
adjudicacao, por ser a ultima praga, perante o
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2* vara um sitio no
lugar da Casa Forte, cora arvoredo e casa de vi-
venda ; outro dito no mesmo lugar com casa e ar-
voredo, e arabos m bora estado, tudo peoborado
aBozendo Alves da Silva por execugo do tenente-
coronel Jos Antonio Lopes; assim como tambera
se ba de arrematar pela mesma execugo urna pe-
quea casa de taipa contigua aos ditos sitios. Os
pregos sao commedos.
Tribunal do commercio.
Pela secretara do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data foram
registrados:
O dislralo de Joo Joaquim da Costa Lete, Jos
Joaquim da Cosa Leile e Manoel Jos Gongalves,
dissolvendo era 31 de dezembro do anno prximo
passado a sociedade que linham sob a firma de
Joaquim da Costa Lete & C, cuja liquidago fica a
cargo dos ex-socios Joo Joaquim e Manoel Jos
Gongalves, e o ex socio Jos Joaquim exonerado de
toda responsabilidade.
O distraeto de Armioio Pessoa de Albuquerque
Henrique Xavier de Araujo Saraiva e Mello, dis-
solvendo a sociedade que tiuham sob a firma de
Armioio 4 Saraiva, cuja liquidago fica a cargo
de Armioio, e ambos responsaveis pelo resultado
da mesma liquidago.
O contrato de sociedade celebrado entre Jos
Gomes dos Santos Corris, Joo Manoel
Correio geral
Pela admnistrago do correo desta cidade se
faz publico que hoje (30) as 3 horas da larde fe-
char-se-ho as malas que o vapor costeiro Para-
luba tem de conduzr para os porlos do sul ; islo
at o Cear soraente.
Correio
Pela adminislrago do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
do disposto no arl. 138 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro de 1844. e art. 9 do-
decreto n. 185 de 13 de maio de 1851, se proce-
der o consumo das cartas existentes na adminis-
trarn pertencentes ao mez de setembro de 1864,uo-
dia 2 de outubro prximo, as 11 horas da manha,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde j exposta aos interessados.
Adminislrago do correio de Pernambuco 23 de
setembro de 1865.- O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
TflEtrilO
DE
EMPREZA-COIMBRA
Em consequencia de nao se poder concluir o
grande macbinis*mo do drama Senhora da Bo-
nanga -deixa de ter lugar hoje a primeira repre-
seotacao, ficaodo para
Terca-feira 3 de outubro
de 1865.
Os Srs. assignantes podem mandar buscar seus
camaroles e caderas al segunda-feira as 2 horas
da tarde.
AVISOS MAIITIfflGS,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o coste! ra por vapor.
Paratiyba, Natal, Mico, Aracaly, Cear
e Acarac.
No da 30 do corrente segu
o vapor Parahyba commandante
Martins, para os portos cima m-
%^^ dicados. Receber carga al o dia
xfiS&isJaSte* ^, encommendas, passageiros e
dinheiroa frete at o dia da sahida as 2 horas da
tarde escrplorio no Forte do Matos n 1.________
Compaahia das Mensageries Im-
periales.
No [dia 30 do
> j* corrente mez es-
pera-se dos por-
tos do sul o va-
por francezGuin-
ne, eommandanle
Aubry de la No,
o qual depois da
demora do cos-
tume seguir para Bordeaux, tocaodo em S. Vi-
cente e Lisboa.
Era S. Vicente ha um vapor em corresponden-
ca com Gore.
Para fretes, enndiegoes e passagens trata-se na
agencia roa do Trapiche n. 9.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir com mulla brevdade o palhabote
nacional Piedade, tem parte do seu carregamento
engajado : para o resto que Ihe falta e escravos a
frele, para os quaes tem excellentes commodos,
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C, oo seu escriptorlo ra
da Cruz n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira por vapor.
* Una de Fernando.
No dia 28 ao meio dia segu
um .dos vapores da companhia
para" o porto cima indicado. Re-
cebe carga al o dia 27. En-
commendas, passageiros, dmbei-
ro a frele al as 10 horas da manha do dia da
sahida : esenptorio no Forte do Mattos n. 1._____
GOMPiSHA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sol esperado
al o da 30 do corrente o vapor
Tocantins, commandante o pri-
meiro tenente Pedro Hypolito-
Duarte, o qnal depois da demora
do costume seguir para os portos do norte.
Desde j recenera-se passageiros eengja-se a
carga que o vapor poder conduzr, a qual dever
ser embarcada ao dia de sua cnegada ; encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida, s
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorlo de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BiASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR,
E' esperado dos portos do norte
at o dia 5 de outubro, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qnal depois da
Pontual. demora do costume seguir' para os portos do
Jnior e Bernardino Correia de Rezeode Reg, es-' sul.
tabelecldos nesta cidade sob a firma de Correia, Desde j recebem se passagetr e engaja-se
Pontual & C., com o capital de 24:284*268, para o | carga que o vapor poder conduzr, a qoai dever
qual entre o socio Santos Correia com 7:142*134
em geoeros, divida, utencilios e movis existentes
no estabelecimento ; o socio Ponlual com........
7:142*134, sendo em dinheiro 2:369*614 eo resto
.
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorlo da
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C
i



i
II mm ^^ m mmmmm


L
PMMnfca Mh***o 3O Je *ebro de **.<
flffrffrfgas
lita de & Miguel
A escuna portugueza a preteude sabir impre-
terivelmente at o dia 30 do corrale mez, e para
passageiros e carga trtate com o consignatario
Joao do Reg Lima, na ra de Apollo n 4.
Para a Bahia deve seguir com muita brevi-
flade o catar nacional Eqdr, por se adiar com
parte do seu carregamento promplo, pata o resto
a frete trala-se no escriptorio de Amonm Irraos
ra da uruz n. 3, ou com o capito Anselmo Pe-
res na praca do Commercio.
IIIIOSI.
A % de outtibrom
Tbeodoro Christiaosen fari leilo por interven-
go do agente Pinto, de um completo e variado
sortimento d fazenlts inglezas, francozas e al-
fomes, raultis das quaes foram despachadas ues-
tes ltimos dias e mu proprias do mercado.
Segunda-feira 2 de ontubro
as 40 horas em ponto em seo annazem ra do
Trapiche n. 16.__________________________
DE
Ter^a feira 3 de outubro.
Monhard iS C. farao leilo por iutervenco do
ajenie Pinto, de um lindo sortimento de fazendas
rancezas, suissas e allemes, existentes em seu
annazem praca do Corpo Santo n. 48, onde espera
a concurrencia de seas freguezes no dia terca-fei-
ra 3 de outubro.
Principiara as 10 horas.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Corre sabbado 9 de outubro.
Achara-se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 45, os bilhetes,
meros e quartos da 2* parte da 2a toteijia
(34a) a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia para canalisacao d'agua e gaz no hos-
pital Pedro II, cuja exiraccSo ser no d'ia
supra mencionanado no lugar e hora do
costme.
Os premios de 6:0000000 at 100C0
ser5o pagos urna hora depois da extraccjo
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuico das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto
como de costume.
O thesoureiro,
i______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
A o publico.
Acaba de sahir do prelo nocoes do syslema m-
trico decimal por Jos Antonio Gomes Jnior ; esta
obra contera as precisas taboas em qne as actuas j
medidas de peso, capacidad', exteQSo se acham |
QSWlAi.*iiTUGlJEZ
DE
IlE&X**tfl;\< A EM PERA Vil-
-
# M#m>
omiogo I
CONTRA FOGO.
A Oompanhia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma segaros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seo escripto-
Jio, ra do Vigario n. pavimento terreo.
ApprOTima-Sf yrfomlgo 1* 3e outubro, dia con-
sagrado a celebraco do aniversario uY-.-ia pa
Kiluicao, e em que vai Urobem ter lugar o ba-
zar de phendas era favor dos enfermos e neces-
silidos.
A junta administrativa, que jor si e por inter-
medio de coromissoes se lia lrlgiao s Elmas.
Sras. e cayalneiros par meio de cirliculares, cuja
copia abaixo eprodinrimos, tem pelo presente
scientitlcar que os donativos destinados a esta fei
J.
Dao-se esmolas no cemiterio publico no
! dia 30 do corrente as 7 horas da roauba,
em tencaod'alina de Joao Jos de Carvalho
Moraes.
Na ra larga do Hosario n. 35 sobrado,
bolos de vendagem a 80 rs. a pataca.
da se
Offerecese urna ama para o servico Interno
de urna casa : na ra das Trincbeiras n- A0
hospital
sabbado 30 do corrente.
1 Constituera as diversas comraissos os Srs. f i
Manoel Gomes da Cruz, tra"essa da Madre de Dos
numero o.
Augusto Muniz Machado, rna do Vigario n. 3.
Jos da Silva boyo, Forte do Mattosn. 13.
Jos barbosa de Mello, ra da Cruz u. 52.
Jos Nogueira de Souza, ra do Crespo n. 2.
Narciso Jos da Silva, roa do Queimado n. 4J.
Manonl Itodrigues da Silva, ra do Queimado nu-
mero 61.
DE
VIGNES.
%. 55. RIJA DO IMPERIDOR X. 9&.
O pianos desta amiga fabrica sao hoje as-s conhe.-idos para que seja nrire&arfs insistir sobre s
sna superioridade, jantugens e garantas queofferecem aos compradores, qualidados estas Jneontesta-
ua lem apparecdo Mata praca ; pos-
ntades e caprichos das pianistas, sem
iltimamente melhoranwrjlbs Imporlau-
ussimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas o'flautadas, < por isso multo aarada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazera-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exp'osicoes. '
No mesrao estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
meihores autores da Europa, assira como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos coniroodose razoaveis.
_
consultorio mm
DO
-CIRtl
K
&
i i l&
le fouce, costu ma passar
muito conhecida nesta cidade, julga-
____IfISOS DIVEBSOS.
Bazar volante.
Pede-se aos senbores assignantes que recebem
esta folha directamente do Rio de Janeiro, o faver
de mandaren) satisfazer a importancia de suas as-
signaturasslo 1* e i anno, era casa de J. Falque,
ra do Crsp^n. 4. nico encarregado em Peroam-
buco, onde se entregar os recibos, e onde se as-
signa.
Precisa-se fallar ao Sr. Fernando Gar-
zoli : na praca da Independencia n. 6 e 8.
Jaciutbo Medeiro Galvao, subdijo porluguez,
retira-M para S. Miguel.
Os senhores:
Augusto Fischer.
Silvestre los Ribeiro.
Jacuuho Jos Bolelho.
Domingos Al ves da Silva.
Antonio Claudino Alves Gomes.
Jos da Silva Cabral.
Loureoco Jastioiano da Silva.
Jo.io Carlos Basto* de Oliveira.
Manoel Rodrigues das Neves.
Sirao Jos de Azevedo Santos.
Joao Baptisia da Silva Maoguinho.
Eduardo Ferreira Bailar.
Alejandre da Cunha Coelho Catanho.
Joao Alves Quintal.
Manoel Antonio Monteiro dos Santos.
Jo. Caetauo Vieira de Souza.
Marcionilla Francisca de Salles Lima.
Thomaz Das Souto.
Jos Rodrigues.
Valeriano Baptista & C.
Joaquim Vieira de Barros.
Joao Paulo de Miranda.
Ignacio Correia Vieira.
Francisco Luccas Correia.
Antonio de Queiroz Ferreira.
Rodrigo Gjmes da Silva.
Bernardo Ferreira dj Carino.
Ot Fr.iu tiM-o de Arruda.
Sette, despachante.
Bttuacourt, procurador.
Antonio do Reg Pacheco.
Agoainho Vieira de Lima.
Cirue, reiojoeiro.
Mauoel Jos Soares de Aveliar.
Joaquim da nilva Moura.
Joan Antonio Coelho.
Antonio Joaquim Vidal.
Manoel Alexandre Gomes de Mello.
Auionio Joaquim da Silva.
Raymuudo da Silva Gomes.
Jos Pereira.
Manoel Ignacio Dias.
Francisco Joaquim Duarte.
Antonio Jos dos Reis.
Manoel Alves Cardozo.
Antonio da Silva Guerra.
Jo- Mara Placido de Magalhes.
Caetauo C. Coito.
Augusto Coelho Leite.
Anii-lo Jos de Sant'Anna.
Tenham a bomladc de comparecerem na praca
da ludepenlencia ns. 19 e l a negocio de seu in-
teresse._____________________________
Precisase de 3:000 a premio sob hypolhe-
ca de predio nesta praca : quem tiver e quizer
dalos anmincie.
- Uesappieceu no dia 11 do corrente do en-
genho Camela, o escravo Joaquim, crioul), bonito-
to, bailo, pouca barba, bem fallante, falta de den-
tes na frente, bem feko do corpo, lem algumas ci-
atrtzat as na legas de surra <|uo j levou, este
escravo disse que vraha asseatar praca em volun-
taos : quem u pegar leve-o a ra do Vigario n.
11 o ao dito engenho Camella era Serinhaem que
sera bem recompensado, o dito escravo levou um
cavallo pe irez, pequeo, barrigudo, castrado, an-
da baixo at meio, da eoiea quaodo se espora e
tem duas grandes feridas dos lados.
Devoco de \. S. do Hosario no Carino
Cjnvido a todos os nossos irmaos a compare-
cerera no oosso consistorio domingo Io de outubro
ali.n de eleger-sn os novos funocionarios que ho
de reger no ann) de 1863 a 1866. Consistorio
29 de selerabro de 1865.
Jos Leonardo Grego,
Secretario.
Esl fgida desde o dia 24 de ianeiro do cor-
convertidas ao syslema mtrico, comparado a anli- reate aano a preta crioala de comJ, Rln qae foi
dade nova a antiga abra de que os clculos no Q0 finado Frik*cisco Gavalcaoti de m[% e'sla pre.
commercio se executem de ura modo facilimo, pre- la represel)ta [er 30 aQnos de d d 'oavo mais
cedido este trabalho de claros exemplos de con- oatDeao?e tem 03 sgaae5 seguioies: estatura
versao, para que possam ser comprendidos por ala ecorpnlenla,dentel Imados e em cada braco
todas as inte licencias : vende-se ai* as l.vra- ,* uni/marca'de taIno
ras acadmica e universal, ma do Imperador;
econmica, arco de Santo Antonio; e em casa do seeslar refUgiada ei0 casl dtJ ;i| m
autor, ra do Desuno n. 3, ondees compradores ; 5a:peloque "p^sta-se pelo presente haver de
ucueuuiu ,|Hem qDer ,|U9 a teni^ acoutta todos os damoos
_____ | cansados : roga-se porUnto a todas as autoridades
Perden-se nma pulselra de ouro na noiie de poftciaes e capuaes de campo a apprehencao de
20 do corrente, desde o becco dos Ferreiros pelas dWlescrava e leva-la a sua senliora ra dos
ras da Aurora, ponte de ferro al a 21 ordem do Martyri >s n 18,garant"-sea-pebsoaque aapreuen-
theatro de Santa Isabel: roga-se a pessoa que df 50$ de gratiticaco.
achou, querendo rostituir, fara' o favor de a levar
ao becco dos Ferreiros, casa de Domingos Antonio
da Silva Beiris, que sera' generosamente gratifica-
do. Os signaes da pulseira se mostrara' outra
igual.
Jos Antonio da C.sta Valente, pateo do Paraizo'
BeSffii da Costa Vleme, ra Direita nu- QR. PEDKO DE A.TTilI [YDE LOBO HOSCOSO.
mero lo. ***.>***tm niD'R Lourengo ibeiro da Cunha Oliveira, rna da Praia'
numero 49.
Vicente Alves Machado, ra nova de Santa Rita '
FeUxVereira da Silva, roa da Imperatriz n. 60. ; ? Dr' t_bo M,Sas0 d CODSUluaS, graln,taS a0S P-breS l-d3, S _!*? daS -1 __ f!
Joao Francisco Paredes Porto, ra da imperatriz' Qoras da manhao, edas o e meia as o horas ua noiie, a excep<;ao dos das santicados.
MUDICO, PARTUIRO C OP^IIAUOR.
;3 Ra da Gloria, casa do Fund&o -3
de dez ejemplares para cima terao um
na razao de dez ejemplares por cento.
A 120 rs. a Hura se pagara os jornaes para
embrnlho : na praca da Independencia n. 22.
Na ma da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da cun iceio e promptido e por preco razoavel
Pharmacia especial liomeopalhica, do|
Dr. Sabino Olegario L. Pinho.
RA MOTA \. 43.
Vendem-se por precos commodos, os melhores
medicamentos homeopathicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubos, glbulos inertes, chocolate ho-
meopaihico, escovas elctricas, apparelhos.para la-
var os olhos, etc., ele. ^
Vende-se o Thesouro homeopathico, a melbor
obra que existe para a patrica da homeopalhia.
O Dr. Sabino da' consultas todos os das uteis
desde 10 huras do dia al duas horas da larde.
Visitas aos domicilios sempre que as circuns-
tancias as exiglrem.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
PfflffllHOS*!
Ruada Cruz n. 17.
S A abaizo assignada, tem a honra de
}> participar ao publico qne o seu estabele-
cimento cima meucionado, acha-se hoje
funecionando muito regularmente, pro-
,<^ vido de todas as accommodacoesnecessa-
_ rias e sobre tudo com alguma limpeza.
Os i-artoes firmados por meus anteces-
sores Cedrim C. serlo recebidos at o
meado do ni-z fie outubro vindouro, os da
casa lero a tirina da abaixo assignada,
e serao como d'antes Iraosmisslvefs.
Tabella dos prefos.
{ assignatura mensal com direito
a um banho diario a 320 rs...
i dita de 30 carines trausmissi-
velsa360 rs................
1|2 dita de lo ditos a 400 rs....
1 banho avulso, momo ou fri ou
de chovisco.................
i dito aromatisado com agua flo-
rida........................
Os medicinaes serao p^ prego que se
convencionar:
U estabelecimento estara' aberto nos
dias uteis das 6 da manha as 10 da noite
6 nos dias santificados at 2 horas da tar-
de, havendo chegada de vapor estar'
aberto por mais algum lempo.
Mathilde G. Lessa.
. i wjuwjiujaiiw bjiil &z*twm*r'
Jos Estevao de Oliveira, sua senhora i)
Joaquina Francisca de Oveira e seas lilhos
agradecen) cordialmente a lo las as pessoas
que se dignaram assisMr as exequias de sua
chara filha e presada irm Thereza Francis-
ca de Oliveira, e igualmente o fazem a tr-
inan tade que acompanhou o prestito fne-
bre ; outro sim convMam a todos os seus
amigos para assisilrem a missa e memento
do stimo dia, a qual ser celebrada na gro-
ja do Corpo Santo, pelas 7 horas da manha
uo da 2 de oulubro vintouro. nntecipando
desde ja' os seus sinceros agradecimentos.
n. 48.
Joao Laiz Ferreira Ribeiro, ra da Santa Cruz nu-
mero 6.
Codide Alberto Sodrida Molla, Passagem.
Manoel Ribeiro Basto-, ra do Queimado n. 18 A.
Outro sin confiamos que as pessoas a que por
esquecimento nao tenlia sido dirigida carta de pe-
dido, aceitm a que de preseate transcrevemos,
como se directamente I lies fra destinada para o
tim nella descripta : aguardando a junta adminis-
trativa com igual reconhcirnento, quafqar qne
soja a olferta que se dignarera enviar era beneficio
desia casa de carldade.
Secretaria do Hospital Porluguez de Beneficen-
cia em t'ernambuco 23 de setembro de 1863.
O secretario
Joao Pereira Rabello Braga.
Ema.:Sra^^~as-sraola langada no regaco da
indigencia e, na phrase de um sabio moralista, a
virtue mais amavel qu^asgracas, mais alegre
que presta ao neeessltado, lava Ibe ao leito da ddr
o linivo a setis aco'bcs soffrimnlos?I
E nao ha aduvida-lo : o contrario sena desdizer
da propria Divindade. Pois bem, Exma. Sra os
ti
Albino Baptista da Eocia,
relojoeiree dourador, portugu-z, na praca da In-
dependencia n. 12, faz qualqaer concert perten-
cente a sua arte por precos mais baratos do que
outro qualquere responsabilisa-se pelo seu traba-
lho, as-un como tambera compra relogios em se-
gunda rao.
Irmaiiilatie de Senhuc Bom Jess dos
P--SSOS na matriz do Corpo Santo.
Por ordem da mesa regedora convido a todos
os irmos a comparecer domingo Io de outubro
prximo futuro a urna hora da tarde no consisto-
'rio da mesma irmandade, aflm dse proceder a
eleicao da mesa que tem de funecionar no seguln-
I te anno.
O escrivao,
'.____________Antonio Rufino de Andrade Luna.
Ollerece-se urna urna para o servico de casa
: de pouca familia : quem a pretender dirija-se a
rna do Fogo n. 20.
que, como receptculo da humauidade enferma e
desvalida, ahi se uflerece ao amor do prximo, como
um vasto campo para nelle vicejarero as sublimes
virtudes, que constantemente brolam do benigno
coracao de V. Exc. : bastando para isso apenas
**-<
m
9600
105800
6,5000
300
15000
fiASA DA FORTi
Aos 6:000$000.
Bilbetes garautidos.
A* RCADO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixoassignadovendeu uos seas muito fel-1
tes iiiihetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio do Instituto Archeologico,
os seguales premios :
Oa meio u. 822 com a sorte de 6:0005000.
Um quarlo n. 170 cora a sorte de 1:2005-
E >utras muitas sortes de 1005, 405, 205 e j
iOjOOO.
Ospossuidores podera vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leisnaCasaj
da Fortuna ra da Crespo n. 23.
Acnam-se a venda os da 2' parte da 2' lotera
(3'"J a beneficio da Sania Casa da Misericordia
para canalisaco d'agua e gaz no hospital Pedro ,
i, que se extrahir sabbado 7 de oulubro.
PRJ2CO.
Bilhetes .... 75000
Meios......35300
Quartos.....15900
Para as pessm que cenprarem de 100(5000
para cima.
Bilhetes.....65300
Meios......35730
Quartos.....15700
Manoel Martins Fiuza.
Precisa se de um cozinheiro ou cozinhelra I
para ca-a de rapaz solteiro : na ra do imperador j
n. 40. "ii Queimado n. 7.___________________
Aligase um segundo andar defronte do mar,;
CSV |s(a muito boa e muito fresco, na ra do
Trapiche Novo n. 22 : a tratar na loja do raesmo.
Precisa s de um caixeiro com pralica de
taberna : na Soledade, ra de Joao Fernandes
Vieira n. fia.
la'asso e fhiist.il. elogantes en-
feitos para senhoras.
Pelo uitimo vapor da Europa madarae R. Adour
recebeu ura completo sorlimento de enfeites de
ac e christal para senhoras, consislindo em ricos
diademas, denles, brincos, broche pulseiras, bo-
toes e urna innidade de enfeites de apurado pos-
to, ainda nao visto n'esta cidade: as pessoas que
pretenderem comprar, dirijam se ao sobrado de 2
andares, ra Imperial n. I, peno da matriz nova
de S. Jos, para escolherem a seu gosto, visto nao
se poder dar amostras; das 10 horas da manha,
at 4 da tarde._____________________
Precisa-se de um criado que saiba bolear, e
que seja tambem copeiro : a tratar na ra da Cruz
armazem n. 38.
Um senhor padeiro mandou fazer urna massel-
ra, porm por falla de fariolia nao precisou dalla,
e assim se vende por mdico preco : a tratar na
ra nova de Santa Rita n. 17, defronle da ribeira
do peixe, com Jos Ferreira Coelho.
Na ra das Cruzes n. 12, fornece-se comida
por commodo preco, assim como engomma-se com
perfeico.
rmandade de Sania Gicilia erecta no
convento do Carino.
Por ordem da mesa convido a todos os irmos
para comparecerem a mesa geral que ter lugar
no da 29 do corrente mez as 3 horas da tarde, pa-
ra tratar-se de negocio de grande inleresse, a be-
neficio da mesma irmandade. Consistorio 27 de
seteranro de 1865.
O secretario interino,
Benjamn do Carino Lopes.
Aluga-se a casa terrea
sita na ra Im-
perial n. _13, com 2 salas, 0 quartos, co-
sinha fora e quintal com cacimba : a tratar
na mesma ra n- 211 ou na ra Direita
n. 84.
Sr. redactor. Chega a tanto a minha grati-
dao, que nao me pude conter, e por isso laneo
mao da penna para pitentea-la ; eu trato de sr.
Jos Joaquim da Silva, negociante, Porluguez, re-
sidente no pateo do Carmo, ao qual senhor eu sou
summamenle grato, e como de muito alta consi-
deracao se me faz conhecer pelas suaz provas ;
por isso eu faltara a ura de ver sagrado se deixas-
se em olvido, e o nao reconhecesse como tal, e
offerecer-lhe os meus protetos de gratidao, estima
e devida considerarlo.
Martiniano Clemente do Nascimento.
Urna e-erara.
Fugio o anno passado, do engenho Patos, da co-
marca do Limseiro, urna escrava de nome Luiza,
crioilla, idade 23aonos,olhis rotulares, bocea re-
gular, cara redonda e nariz tambem redondo, ps;
direitos, porm afoveirados por marcas de eravos,
boba e bicho, que tudo sempre gostou de possuir,
com elcatrizes de chicote peas costas, tem olhar
desconfiado, julga-sc andar aqui nesta cidade do
Recife : quem a pegar, dirija-se a ra do Queima-
do n. 13, casa de Antonio de Souza Oliveira, ou a
seu legitimo senhor no engenho Palos, que ser
generosamente recompensado ; assim como o raes-
mo ajiaixo assignado protesta com lodo o rigor da
lei contra quem o tiver anouado.
Joaquim F. C. de Oliveira.
^immtnrmmmmmmmmmmmmmmmm
M
8
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
s5o medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rio examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da r&anhSa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
proropto restabelecimento dos seus
doentes.
s
s
I harmacia especial liomeopatkica
No me^mo co sultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteins
tubos avulsos, assim como tinturas do vai as dymiiamisaces e pelos precos seguintes.
Carteiras de i 2 tubos grandes. 12J000
de 2i tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 245000
i de 48 tudos grandes. 305000
de GO tubos gran les. 353000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para citaa de 12 custarao os precos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor odre da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopatnwo do Dr. Jab-
que o.-, risos da innocencia, mais rica que iodos os l OTtn.w volnmos rnm ilircinnnrin aftAfllO
Ihesouros do universo de quanto mor valia nao ,lloos """6? voiumes com (lioCionaiio............ __J*7
devera'ainda ser aquella que, alera do soccorro Medicina domestica do Dr. Hering........... 1050i>0
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 65O0O
Diccionario de termos de medicina........... 3<>00O
Os remedios d>;ste estibelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
abaTxoKsTi^'aao^^'ososd8qu V\ Eie. some- tanto de serem novamente recommendados as pessoas que qui/ercm usar de remedios
te anhela se ihe descortine ura prado, onde por verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
suas delicadas maos sejam cultivadas as mais mi- verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservarlo, tintura dos mais acredi-
EX^i^^^ lados estabelec.mentos europeos, a mais exacta e acorada preparado, e portante) a maior
vem expor a' piedosa contemplado de v. Exc. o energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, p ira o que o annunciante julga-se sulBcientemente habilitado.
O iratamenio o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
que, em favor dos pobres, v. Exi'.faca jangar'nes- fuaccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se na
se torro de necessidades uma joia, ura mimo, pode duvidar, qae podera ser consultados por aquelles que desejaram mandar seus-
urna prenda qualquer, a qual para logo, por uma jfinri__i
providencial iransformacao. ver se-ha convertida, O0 __,._, 3, v- ,- nn
em pao para matar a fome ao necessilado, e em re- i Paga-se 25 por da durante bO das e d ah em diante lioOO.
medio para cura do infeliz. As operares serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
To ceos esto os abaixo assignados do> bonda- raz0aveis que costuma pedirr o annunciante.
doso acolhimento que V. Exc. dar a esta humilde
supplica, que em forma de iniciativa Ihe dirigem,
que desde ja' contam receber das maos de V. Exc.
uma primorosa olTrenua, para no dia 1 de oulubro
do correle anno, ero q le se tem de solemnisar o
10 annivursano da mstaliacao do Hospital ser all
exposta, como fragrant rosa em delicioso jardim,
a mover a admiracao dos concurrentes, e a desaliar
nelles o desejo de "a iroearem por un premio tanto
mais avultado, quanto maior for a porfa, que nesse
certamen moral por sera duvida se devera' estabe-
lecer.
Desta sorle a religiao marcara' mais nm trium-
pho : em quanto que o rverilo da aecao, que V.
Exc. praticar, subir' aos cos as caudidas azas
do reconhcirnento, obler ajusta recompensa que
Ihe devida, e para cuja efflcacia serao iucessautes
os votos dos que lem a honra do assignar-se de V.
Exc. respeitadores e obrijados.
Hospital Porluguez de Reoeficencia em Pernam-
buco, aos 3 de junho de 1865.
O proveoor,
Antonio Lopes Pereira de Mello.
O secretario,
. Joo Pereira Rebe.llo Braga.
Illni. Sr.As irrecusaveis provas por V. S. cons-
taniemenie manifestaos de considerar o amor ao
prximo como a mais preeminente de quanias vir-
tudes se exorna o seu bem formado coracao, nos
anima a vir solicitar de v. S. sua generosa coope-
rado era favor do bazar de prendas, que a junta
administrativa do Hospital Porluguez de Beneficen-
cia nesta cidade pretende expor naquelle estabele-
cimmio no dia 1 deoutubro do corrente anno, em
que celebra o anniversario de sua installacao : es-
perando que V. S. se diguara' coucorrer para elle
com uma dadiva qualquer; a qual servindo de
lomar mais apparalosa e brilhanle aquella feira da
Caridad?, d ao mesrao lempo era resultado um bem j
significativo augmenio ao celeiro dos pobres enfer-
mos, que quelle receptculo de dr e de miseria
vao demandar soccorro sos males que os aligem,
e a' penUaria de que sao victimas.
geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOR1SADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma Sanea em dinheir, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
ministracao da companhia.
BANQUE1ROS DA COMPANHIA
O Banco de Uespanha
DIRECgAO GERAL
Madrid: Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as corabinacSes de >aperviencia dos segu-
sobre a vida.
Nella pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso aietnif per n (i u cr s
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendenles os resultados que produzsm as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo dimlnuindo uma terca parte do inleresse produz>3o en> recentes liquidai
coes e corabinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adeptada pela companh--
para seus clculos e liquidacoes, em segurades de idade de 3 al9 annos, uma imporsicao annua.
de 100 preduz e:n efeelivo metlico:
No flra de 5 annos.......1:1193300
de 10 .......3:9423600'
, de 15 .......11:2083200
. de 20 .......30:2o6000
, de 25 ........80:33130fXr
as idades menores de 3 annos e maiorar-de30; o*prodaetos sao mais sonsreraveis.
ProsppcDs e mais informacSes serao prestadas pe!a sub-direclor nesta provrneia.
Joaquim Piuza de Oliveira, ru daCadeia n. h%oa a Boa-Vista rna da Iro?3ratrij B.12,etabel
ment dos Srs. Rayronndo,Carlos,Leite & Irmaa.
Joo Jos de Carvalho Moraes Filho, Luiz
Alfredo de Moraes, Jos Candido de Moraes,
bacharel Francisco Cordeiro da Rocha Lam-
pelloe o raajor Belarmino do Reg Birros,
filhos e genros do fallecido Joao Jos de
Carvalho Moraes, cordialmente agradecen]
a todas as pessoas que se dignaram assistir
as exequias do .-cu mui presado pal e so-
gro e dom especialidade as venerandas ir-
mandades que o aeompanharam ao oemite-
terio publico, e ao Illm. Sr. Tnomaz f ernan
des da Cunha pelos relevantes servicos que
prestou e ao mesmo tempo aproveitam o
ensejo para convidar aos seus amigos e aos
do finado para missa e memento do stimo
dia que se tem de celebrar na capella do ce-
miterio no dia 30 do corrente as 7 horas da
manha pelo que desde j antecipam os seus
Sinceros agradec ment-. ____________
Gratificaran de 50$.
Ausentoajse da basa n. 59 da ra do Imperado!"
Seguros da attenco qne a V. S. merecer' a es- (outr'ora Coilegio) no sabbado 16 do corrente mez
mola que pedimos, era tempo opportuao Iremos e setembrode 1865, o esoravo pardo de nome Joa-
pessoalmeote recebe-la, como encarregados que so- qUm> com 0s signaes seguimos: estatura regular,
mos de to piedosa colheita, a qual nao fallaro as ida_e 18 a- 20'annos, sem barba, ps largos, olhos
beocos do co, da mesma sorte que serao prolon- grandes, cabello corrido/ oora ama cicatriz grande
gados os ditosos dias do V. Si, como multo Ihe de e _em viswel na testa-, parte dos denles da frente ^
sejam os de V. S. alientos veneradores e obri- arruinado*, e com falta de alguos dos lados, sabio. '
*
gadds.
(Os membros da commissao.J
Recife, 30 de junhb de 1865.
mmm mmmwKm^mm
H| O bacharel
m Francisco Augusto da Coata
Attenco.
Precisa-se de um homem porluguez que en-
tenua de venda a retalho, que d fiador a sua con-
ducta, e d se Ihe interesse : a tratar na travessa
de Apollo n. 43. _________________
Quem precisar de ura caixeiro para cobran-
cas ou para tomar conta de uma taberna por ba-
lance, do que tem pralica, dirija-se a ra do Amo-
rim n. 1 A.
O abaixo assignado chama a todas as pessoas
que sao seuscredores para apresentarem suas. con-
tas aflm de serem pagas, em tres das a contar de
hoje, e aquelle que assim nao dzer perder todo o
direto de credor: podera os mesraos senhores pro-
curarem-me no Chora-menino, das 7 as 9 horas da
manha e das 4 a- 6 horas da tarde. Recife 29 de
setembro de 1865.
Jos Luiz de Macedo Cavaicanti.
~~~ Precisa-se de ura bom cozinheiro, preferin-
do-se escravo ; a traiar na ra da Cruz n. 3i-
Associacao Commercial l)e-
ueficente dePernmbuco.
Nao se tendo reunido numero sumeiente dos se-
nhores associados para a reunio extraordinaria
de assembla geral convocada para hoje (26), a
direccao pela segunda vez convida os senhores as-
sociados a se reunirem na sala das sessOes no dia
3 de outubro prximo vindouro ao meio dia, para
o fim j annunciado.
Associacao Commercial Beneficente de Pernam-
buco 26 de setembro de 1865.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
SOEZ; PEIXE ~
RELOJOEIRO E IHIlllAHOll
20RA DO HANGEL'&Q
Participa a seus amigos e fre-
guezes que acaba de receber mag-
nficos relogios de ouro e prata e
correntes de ouro para relogios
do mais apurado gosto.
Concerta relogios de qualquer
natureza, caixas de msica e dou-
ra nao s relogios como qualquer objecto.
l'r.'iiisa-se de uro pequeo de 14 a 16 annos
que tenba pralica de taberna : a tratar na ra du
$rum a. 47.
S4QUES
sobre Msboa Porto.
Jos da Silva LojQ & C. ?acam O^re Lisboa e
Porto,

aovecABo
M Ra do Imperador numero
mmmm mmm w
A pessoa que quizer ir para>o-sul em
lugar de um guarda que foi tirado' psra ir,
d-se 200fS de graticaco : a tratar na ra
de Santa Rita n. 75.___________________
Uma raulalnha de idade de 77annos, pti-
ma eosluceim e modista, tendo renebido educa^ao
como qualquer mulher livre que a tenha lid, pre-
cisando da quantia de 6003 para completar sua
alforria, hypoiheca seus servicos pelo tempe- que
se convencionar : quem quizer fasen esle adianta-
mento annuncie para ser procurado : deetaraBdo-
se que s se faz este negocio pa*a.casa de- bmdia
de consideraeo.
Irmandade d \. S. d&Rosam do
Red fe
Por ordera da mesa regedora nonvido- a lodos os!
irmos a comparecerem no di;:. J do correte a 1
hora da tarde, no consistorio da mesma irmanda-
de, a6m de se proceder a elei^so da meea qne tetn
de fuBcciosar no segointe anno.
Antonio Jos Coimbra. Guimares.
Bscrvo^
AMA
Precisase de uma ama para casa de pouca f*
! milia, daado-se vreferenen. a eswava: a traiar
defroate ao ponao do ga.iometrc.
Pelo presente por mim assignado, declaro
que h >t;i data deixo de continuar cora o negocio
de carne sunca, ficando.para ornecer os meus fra-
geles ^Joaquim Ignacio Pessoa de Siqueira,
armaad^^8: em"oder do mesmo senhor acha-
rM^Hn idos met freguezes as suas cartas de
pedH|re o mesmo Sr. Siqueira est autorisado
parKce ier e coatinuar a fornecer at que eu
voite- ao commercio, se fieos nao mandar o con-
traria- Goncalo Alves Tavares.______________
' P reclsa-so de 3:0003, hypotheeando-se uma
propri edade no valor de 14 a 16:0003 : para ira*
lar a. ra do Hospicio n. 38.
A pessoa que perdeu urna pequea corrente
de prata com tres chaves, pode procura-las na pra-
ca da Independencia ns. 6 e 8.
"" Precisa se de uma ama para casa de pouea
familia : na ra da Concordia n. 29.
com calca de brim pardo e paletot curto de panno,
mas levou mais ronpa. branca e- de cor, muito I j
astucioso, oostnaia intitular-se forre e andar eal-i:
cado ; foi escravo do Sr. Guilherme Frederico de j
Souza Carvalho, gen?o do finado Sr. commendador;
I Manoel Goncalves da Silva : roga-se a sua captara ;
11 a todas as autoridades policiaes e a qualquer ea--; i
W pito de campo ou outra pessoa particular que o j'
fe apprehender se gratificar com 303, alm das des- j
m pezas de sonduccao,. eniregaado-o a seu senhor-\
JS I Miguel Jos Alves, aa casa cima, on no sea es-
SR criptorio-na ra da Cruz casah 19.
_c>w >sieesAr>i
* DEPOSITO DE CALADO i
M IABIUC1D iA CASA DE DETENgO
^| Ra \ova o. I.
Abi se encontrarao obras Je di*
versas qualidades, e por preco mui
diminutos,.a retalho e em porcos.
S se vende a dinbatro.
*
Casa de oaahos
l.crg do Car a. 26.
Sste estabelecimento to i>em montado 1
Da sua origem achava-se de ha muito j
em quaei completo abandono pelo pouco
interesse de sua admlnif.najao. y
Hoje que o novo pri>prietark) empre- ^
gou todos os meios para reslabeler a flK
grande utilidade esle esl&belecimento, ^pf
pode "segurar ao publico qae qualquer '
que seja o numero do6 concorrentes flw..
aeharao desde j promptJdfio e aceio nos $j '
banhos trios, momos cu- medicinaes, a '
casa dos banhos se achata aberta todos /
dias das 6 horas da ntaaiiia as 11 da w.
aoite. ^f
Pregos
Banho de choque....... 500
Dito fro ou morao..... 500
Dito de farello......... 13000
Dlo medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
9or mez banho fro ou morno. 103
25 eartdes pa ra baoho fino, mor- MR
bo ou de chuvlsco.......103 jaf
12 canfies para as mesmos... 53-
ti ditos para baa! de farello. lOfr.
%mmmmm

cao.
Franeisco Garrida,, aotigo proprietar.Q do bote
i Trovador, sito na roa. do Rosario, de votte de sua
utubro do correte anco havera oroaibus parado c a-" n a,ne- *-" ^ enomi.
nantes qui> nao podera continuar nos suas assigna-. <* n0, mes.m ^'f^ ^n(m'7^' ^00*
turas einquanto^no se pozerera quites, nao sao Jj* **% &ZXSS^K'
-- Precisa-se de um homem idoso e de boa con-
ducta moral paraoceupar o lugar de aio de meni-
nos : quem esuver nestas circunstancias dirija-se
ae primeiro andar do sebrado da ra dr..Madre de
Dos n. 36.
mais adractlidos os Drihetes uos mnibus^ 5^^^ q_e Vm oulra qualquer parte.
0> abaixo assignado faz scieBte ao respaitavel mt! publico e cora especialidade ao sorpo do cammer-
ci, quedeixou do ser caixeiro- dos Srs. Barros &
Silva desde o dia 28 do corrate, e agradece aos
mesraos setinores o. bom tratase nto que Ihe- deram
durante o lempo que foi seu caixeiro.
Jos de lesus Morara.
AMA
Preeisa-sa de uma ama para lavar e engommar
para casa do pouca familia, preferiodo-se escrava:
a tratar na ra da Praia era casa do Sr. Manoel
Jos anlis.
Qoem precisar de urna ama para o servico.
interno de casa de familia, dirija-se ao becco da
carahoa do Carmo, casa n. 2, que ahi achara com j j
quem tratar.
No
freguzes,
bilhares para recrearem-se, bem como sorvea to-
do* as noites para rerssearm-se.
mmmm mmmm mmm
Coa&paubia fidelidaiie de seguros
S martimos e terrestres
_s estabelecida no Rk> de Janeiro.
B AGENTKS EM BRNABIBUCO
W Anloaie Luiz de Oliveira Aievoo i C,
SU competentemente aulorsados pala dlrec ,
* loria da companhia de seguros Fidelida.
_B de.tomamsegwosde navios, roercaao-
Q rias e predios no seu escrijrtorio ra da |
:mwmmm*mmwm
UVAS
U co egie ue orpnaos ucsia uiuaue wui po- .'": m mmtn luMtl




Mrto ei_M_frf* -- safcbado SO e Se.e_nl.ro de i *
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do di a Acabar oom os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
failo e a punhal de que se trata; mas
ninguem se lembrou anda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com elles a taclio e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cebra, arranca tocos,
quebra marmore e oulros que se vendem
4&-RIA IUKEITA45
Borseguins, Bordeaux........ 85000
patricios. ........ 30000
> para senboras, en-
feitados....... 50500
com lago e fivella .. 40800
Sapatoes encouracados....... 50000
Borseguins para meninas bom
elast co................. 30000
Sapatos de lona, sola elstica. 20000
> avelludados......... 10600
de tranca........... 10600
econmicos para se-
nhoras........... 0500
com salto de lustre.. 20240
Cbineloes do Por lo.......... 10600
Um completo sortimento de calcado da
trra para homens, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necesariamen-
te faz cebica ao comp ador pela barateza.
O Dr. Carolloo Francisco de Lima San- jH
tos contina a morar na ra do Impera- S
dor d. 17, segundo andar, tendo alias seu g
gabinete de consultas medicas, logo ao H
entrar, no primeiro.
O mesrao doutor, que se tem dado ao j
m estudo tanto das operagSes como das mo- |
vs lestias internas, presta se a qualquer cha
UMA GRANDE DESCOBERTA
OUEO
de FIGADO de BACALHAU
. DESINFECTADO
IEDALHA
DE
HONRA
DE BACAlHAU
DESINFECTADO FERRUGINEO
mado, quer
da cidade,
para dentro quer para lora
As propiedades medicaes do oleo delgado de bacalao forlo unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor Uto desagradaveis
tornSo O uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo toa estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberU do Snr. Chkvkier que lhe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeutica moderna.
O oleo de ligado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agradavel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem nem gosto nem clteiro depeixe.
Objecto de numerosos relatnos scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos m
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhan ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Mol-atlas rarrarulaaaa,
Rarultla-to,
O-airiirr-a imm glanilra,
I laica pulmonar,
Mole.lia. da pelle,
Canatlluir-o lymabatlra,
Anemia, arblll-adr rraajuna,
M|rrw,
'rn da aa_gur,
Eafairamenla par rirrut de
*__!_ 4e prasere,
Maleatiaa das braa-alaa rceea-
" chraalcaa,
Taaaca acrclnaica,
Gaalrltra, ftaalr-la;la_,
O Oleo de ligado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accSo Ufo efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nSo podem supportar as
preparagoes ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderSo com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
I>area de calaraaga
Elle convem a todas as compleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentacao das enancas fracas e doentes.
Um folleto aocompanha cada vidro e contem as observacoes medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pbarmacias de Franca e do estrangeiro.
_____ Deposito geral em Pernamb-co ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Attenco
O arrematante das dividas da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Santos & C, e do espolio do
fallecido Custodio Luiz Gomes, previne aos sonho-
res devedores para que, no praso de 30 das, te-
nham a bondade de virem satisfazer seus dbitos
no espago dos das cima, do contrario seus nomes
serao publicados : a tratar na ra do Aragao nu-
mero 3.
Acha-se contratada a compra do predio sito
na ra dos Coelhos o. 8, no bairro da Boa-Vista,
o qual pertence ao finado Anacleto Jos de Men-
donca, e hoje pertence aos Srs. Antonio Carneiro
da Cunha e Americo Jos da Silva : quera tiver
qualquer allrgagao a fazer sobre sua venda, quei-
ra apresentar sua declaragao ao Sr. procurador
Albuquerque, na ra do Imperador, al qurrta-
feira 27 do corrente.
Aluga-se a loja do sobrado da ra da Penba
n. 29 : qoem pretender dirjase a ra da camboa
do Carmo n. 8.
Rival sem segundo
Roa do Qaeimado os. 49 e 55, loja de
miodezas de tres portas, estqoei-
mando tudo bom e barato, quera qui-
zer ver e admirar venham loja do
Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botfes de lonca praleados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Estovas finissimas para limpar denles a 240 o
320 rs.
Pecas de fila de cs estreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores Duali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa
Baralhos muito finos para .voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garrafinbas com agua de Colonia a
400 rs.
J3SSSSSkZ r na ra.ES.1o1 "JWandes com *** Bolonia a
Saques.
Antonio Jos Rodrigues de Souza ua
do Crespo n. 15, saca para o Rio de Janei-
ro a 3 das de vista.
mmmmm mmmm mmmmm
Dentista de Pe _ambuco.3
i Roa estreifa do Rosario n. 3, i
ao p da igreja
[francisco pinto ozomoj
! Colloca deoles artiflciaes 1
pelos y* tenias mais mo- *
| demos
I Emprega todos os raeios scientificos para I
I conservar os naturaes. Pode ser procura- !
I do em seu gabinete das 9 horas da ma- 1
I nhaa as 5 da tarde. jj
LIQUIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentement pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Pars, Londres, Birmingham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores condiges
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Europa.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com brilhantes, como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntoes, anneis e muitos oulros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras Anas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubn, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygenique, Mompelas,
! Mailly, Regenier, P.Gueland, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na
: j China e no Japo; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
: ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castigaes, enfeites e adornos para cima de consolos e para grande toillette, o que se tem
I feato de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes em
nada sao inferiores prala, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trangas de senho-
____s> excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para jantar, e immensos arti-
Rogase aos Srs. Manoel Felemon Fernandes gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
nJ2o%FaXaCmaC|ilolrrmeso0nque na igDoram *' "^l60 COm s0,a de >orncha- Pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrumentos dephysica (mgica) para
| theatros ou sales, ditos de phantasmagoria; lantejas mgicas, cosmoramas com vistas novas, da e noite; stereocopios de nova in-
jl vengao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento de brinquedos finos para enancas, e
Inonecas faiando papae emame ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
2 merecido toda a aceitagao na Europa, grande e magnfico sortimento de caixinhas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
j i proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin as coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
i figuras editas com novas paysagens para cosmoramas', finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
propno para meio de mesa de jantar ou para jardim} cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diversos artigos feitos de rame; completo sortimento de
mascaras de yeludo, setim, cera, papelo e rame ; ddees confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartfes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
8. las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer ja, ditas para baterovos, proprias para quem faz pao-de-l, bolinhos, etc.;
II | pannos para cobnr mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobertores, malas, etc.; sortimento de
I violues finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galan\Urias e outras Degas decharao para toillette; machinas para varrerochao,
E t excellentes machinas para photographia para tirar retraes, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
c, coloridas para illuminagoes moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e enturas, proprios para quem toma banhos em
i | tugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscoulos inglezes engatas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
|, los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposigao de Londres, na ra da Ca-
e dea do Recife n. 60.
COMPBAS.
Compra-se eflectivamente ouro e prata em
m : na ra
Rosario n. 24, loja de ourives._________________ Caias com 12 frascos de cheiros mnito finos .
Silvino (juilherme de Barros compra e ven- 1U00.
de effectivamente escravos de ambos os sexos : Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes
roa do Imperador n. 79, terceiro andar. 320 rs.
Ouro e nrata ^0I,a ^e sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
-- MtlM._____________ | Frascos de superiores essencias santal e outros a
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,' 15200.
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,. Frascos com essencias para tirar nodaas de roupa
leja de ourives no arco da Conceico.__________ ] a 500 rs.
Jornaespara enornlho. | F|^e~m cheiros de todos os pM5o, a i60,,
Compra-se na fabrica de cigarros amiga roa dos Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Quaneis de Polica n. 21. a 140 rs. a libra. | Duzia de meias muito finas para senhora a
Comprase carosso (sement) de algodo : no i **800-
armazem de algodo de Saunders Brothers & C, .,llDnas mut Boas para senhora a 200 rs.
no caes de Apollo. i Caixas com soldados de chumbo para meninos a
~",^^^^^_.._^ 160 rs.
^~1rSm4fixT"9oJnoendmaSfi n' "n?basileiras Peas de 0la ds l5a P" ** 'estido, com
a*, ua, ib$ e 20*, com 6 por ceoto de premio, e I n aras a 600 rs
tambem pegas portugueras de 95 e 165 com 5 Ditas de bicos
por cento; na praga do Corpo Santo n. 4, primeiro I 00 rs
n w\ /-f Q S* ***
' _----------------_____________________. Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Na ruado Crespo n. 16, primeiro andar, Bunecos de choro e panno a 160 rs.
compram-se libras sterlinas e moedas de ouro bra- i Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
sileiras-______________________________ Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Comprase papel diario para embrulho, pa- Gr.05a.s de bo,5es
ga-se bem : na padaria da ra da Imperalriz nu- rs-
mero 66.
superiores, para acabar a 600 e
pequeos pretos para caiga a
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 200 jardas a 40 rs.
Compram-se dous sobrados em boas Pecas de liras bordadas a 640.
ras: quera quizer vender dirija-se a ra D,S__!8 raeias cruas mui'ofor,e e superiores a
do Apollo n. 38, armazem.
Joo da Silva Ramos, medico, me-
| dico pela universidaie de Coimbra,
ffi d consultas em sua casa das 9 ss
m 11 horas da manhaa, e das 4 as 6
AS da tarde. Visita os doentes em suas
|Sf casas regularmente as horas para
f isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasiSo. D consuetas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
f manhaa,
Tem sua casa de sade regular-
I mente monlada para receber qual-
; quer doente, ainda mesmo os alie- jj
nados, para o que tem commodos
& apropriados e nella pratica qualquer H
& opperaco cirurgica. B'
Para a casa de sade. jw|
Primeira classe. .3;$000 diarios. W
Segunda dita.... 3,5500
Terceira dita .20000
J^ Este esiabe'ecimento j bem 8
acreditado pelos bons servigos que 8
W tem prestado. m
PO proprietario espera que elle S|
continu a merecer a confiaoga de m
,^que sempre tem gozado.
Ao amanhecer do dia 26 de agosto fugiram
do eogenho Camaragibe dous escravos crioulos,
ambos carreiros, sendo um de nome Semeao, na-
tural do .-erlo d* Ouricury, alto e bem feito, cara
redonda, nao mtito prelo, e fofire de urna hernia;
o outro de come Nicolao, nascido no mesmo eo-
genho, estatura ordinaria, secco do corpo e robus-
to, na mesma occa.'iao desappareceram 3 turros
do servico do engenho. de suppor que tenham si-
do levados por elles, ou por aigum que Ihes ser-
vio de guia e seductor, porque na noite preceden-
te a sabida dos ditos escravos foram vistos don?
homens em communlcacao com o Semeao junto a
enirada do engenho c quem prender e trouxer di-
tos escravos ser recompensado
Fugio no dia 19 deste mez de setembro o es-
cravo Nicolao, de idade de 13 para 14 annos, cor
fula, falla maosa, cabellos caraplnhos, os das en-
tradas na cabeca tao ruivos, olhos grandes, conhe-
ce algumas letns alphabeticas, todas as numri-
cas, e levou calca e camisa de riscado azul, foi en-
contrado no dia 22 na ra do Aragao montado em
um cavallo, e em compaohia de alguns matutos
que se dirigiam para fra da cidade, os quaes se
ignora d'onde sejam. Assim recommenda-se a to-
das as autoridades policiaes e capites de campo a
apprebenso do dito escravo, bem como que o fa-
cam conduzir a' casa de seu senhor Pedro Ulysses
Porto, nesta cidade do Recife, ra do Socego (Cam-
po Verde) n. 31, que generosamente recompensar
e pagara todas as despezas feitas a' quem o en-
tregar.
Samuel Power Johnston k Compaohia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
FuadlcSo de i.ow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para nm e dous cavatios.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarogar algodo.
.Motores para ditos.
Machinas de costura.
Oncas hespanholas e da patria : compram-se
na praca da Independencia n. 22.
Compram-se moedas brasileiras de 20
M : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Comprase
urna negrinha de 8 a 9 annos de Idade
ver dirija-se a ra Direita n. 29. loja.
35300.
Vendem-se
quem ti-
Compra-se urna balanca decimal, usada : no
armazem da viuva Paula Lopes, escadinha da al-
fa ndega.
Compram-se
libras sterlinas : na praga da Independencia nu-
mero 22.
VENDAS.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
PERFUMARAS finas
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
machinas americanas de serrote para descarogar
algodo : na roa da Senzala iNova n. 42.________
BARATISMMO
Grande liquidadlo de fazen-
das e roupa feita nacio-
nal, na ra da Impera-
triz n. 72, loja de Gui-
marfies &JIrmao.
Os propietarios deste estabelecimento tem re-
solvido liquidar suas fazendas por pregos barat-
simos, s com o Gm de apurar dinheiro; aprevel-
tem as pechinchas.
Chitas largas francezas a 260, 280,300 e 370 rs.
o covado.
Percalas finas com lindos desenhos a 360, 400,
440 e 500 rs. o covado : isto na loja de Guimares
Bibliotheca lusitana
histrica, critica e chronologica, compreheudendo .
a noticia dos autores portuguezes e das obras que & Ir_tio, "r_i"da'lmperaTri"""^"?..'
compozeram, desde o tempo da promulgacao da lei Laazinhas de quadrinhos e de lislrinhas, sendo
nMAaa.a,ln5nnrnp,,sP,reS,enle' P0r ?IUG0 BA?_! de 'i-d'ss.mos padroes a 220, 240, 280 e 320 rs. o
ROSA MACHADO, 1741, i grosses volumes em fo-1 covado : vendem-se assim barato pela grande por-
do ; obra vanssima, cuja edigao ha muito se acha cao que tero
agotada. E indispensavcl a todo o homem leltra-' ('halos do meriit pslamnaitoe a ^flflft
lio ou de prolissao scientifica, de quem a historia*iUdlt!s UL meriQO l st.illipatlo> a _6UUV,
patria e as letras nacionacs nao podem nem devem i Dllos de merm liso a 3_800, 4a e 5#, ditos es-
ser ignoradas : vende-se na livraria de Jos No- lampados a 65500, 7$, 70500 e 8$.
arco de Santo Antonio.
gueira de Souza
Vinho do PTto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Para completa quidago
de Paris e de Londres dos mais
tgo vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito Qnas e novas chegadas recentement
is afamados fabricantes seguintes: E"g. Rimmel, R.Matheus &C., Lubin, Sociedade Hygienica, Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
colonia era vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafmhas e vidros de difieren-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha era potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PARA DEMORAN.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante, at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
IiUVAS *OV.tS DE OLIVIA.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentement chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposigao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGR t PHIit.
No grande armazem da Exposigao de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da fmperatriz loja de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadro3 de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAN DE ll e<\% YSItM <_
Tiradas na occasi5o em que S. M. o Imperador aqoi esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
j Torre do Arsenal com a illuminagao na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Cotlegio com a tropa.
Pateo do Cotlegio eom o palanque.
VIAUKU A' EUROPA,
Stereoscopios de nova inveng_o com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franga.
Inglaterra.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem aocoretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de o9 e 10 em pipa : na ra do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Fiiiiin em follia
Vende-se mais barato do que em outra qualquer
parte : no armazem da ra da Moeda n. 43.
Laas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. I vendem-se superiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, au-
ges que se acabem.
Vende-se algodo irangado da Baha : o
armazem de A. V. da Silva Barroca, ra da Ca--
deia n. 4.
POR 605000 I !
Urna machina de costura : na loja n. 20, B, ra
do Crespo.
Urna prenda
Vende-se urna mulatiuha de 11 anuos com prin
cipios de habilidades : a ra do Crespo loja n. 23
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. I.
GAZ, GAZ, GAZ.
Gaz em latas, o melhor que tem vindo ao mer-
cado : vende se no armazem de Barros & Silva,
travessa da Madre de Dos n. 57.
Vendem-se duas escravinhas, urna mnlati-
nha de 11 annos e urna eegrinha de 7, ambas com
principio de servigo domestico : nos Coelhos, ra
dos Prazeres, casa n. 12.
A ttencao
_
e
'?
lia.
Dez mil solipas.
Contrata-se para o candnho de ferio de
Apipncos, 10,000 solipas de madeiras de
qualidade* quem pretender fornece-las diri-
ja-se at o dia 30 do corrente mez, ra
do Imperador n. 55, segundo andar, para
tratar do ajaste._______________________
Remedio infalivel contra as agnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na botica
fraoceza, r:;j da Cruz n. 22, e pelo prego
de 30.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidago no grande armazemida ExposigSo de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n. 5i.
Vende-se a taberna sita na ra dos Coelhos, no
fundo da igreja de S. Gongalo, com poneos fundos,
livre e desembaragada, tanto de debito cerno de
impostos pertencente a Joao Antonio Alves, e bem
afreguezada : o supplicante vende por querer re-
tirar-se : a tratar na mesma.
Vendem-se quatro burras muto mansas, boas
de carga e de sella, por prego commodo : a tratar
no hotel de Franga.
- Vende-se urna escrava de 20 annos de idade
com urna cria de 15 das, lava, cozinha e engom-
ma: a tratar na travessa do Pombal n. 20.
Vendem-se as propriedades ns. 4 e 7, sitas
na ra da Florentina : a tratar na casa da esquina
p. 1, na mesma ra, das 10 horas por diante.
Vende-se urna casa pequea que rende 12A
mensaes: a tratar na ra do Qaeimado n. 48.
Ama.
Para o servigo de urna casa de urna s
pessoa, se precisa de urna ama que engom-
me e cosinhe, paga-se bem : na ra da Cruz
n 16. segundo aniar.
- Ma praga da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se puro, prata, pedras preciosas e
tamben se faz qualquer obras de e_commenda e
odo e i__lquer concert.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar e comprar
para casa de muito pouca familia : na ra da Con-
cordia, sobrado do armazem do sol o. 34.
tasa em Sanl'inna.
Aluga-se urna casa com bons commodos e fres-
ca, por barato prego, para os mezes da festa ou
por aono: a tratar com Manoel Luis da Veiga,
ra da Gloria o. 94.
CAIMIBO
Precisase de um caixeiro de idade de 14 a 16
annos, com pratica de taberna, e que d fiador a
sua conducta : na ra da Madre de Dos n. 9 se
dir quem pretende.
Para quem precisar de banhos, offerce-se
duas casas com commodos para familia, na ilha
do Retiro, junto a ponte da Passagem : a tratar
-ora L. M. R. Valenga.
Luvas de Jouvin.
A toja de miudezas na ra do Queima-
do n. 16, resebeu-as por este ultimo vapor,
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J.LEPINE
Resulta pelas experiencias feitas as Indias e em
Franca pelos mais afamados mdicos que as i;kavu-
LASi e o XAROPE de IIYDROCOTYLA ASITICA da
J. LCriNR sao o ptimo remedio contra todas as espa-
n d* "mGF-NS ou HERPES t outras molestias da
pelle, at as mais inveteradas, assim como a lepra
on morphea, a siphilis. as molestias escro-
fulosas, os RHEUNATisMos chronieos, etc.
Deposito geral em Paris, em casa da FOURJVIE. >
, LABLONYE, ra Bourbon-VUUneuvt, 1.
Ricos ch-les de renda.
Cnegoo pelo ultimo vapor francez um grande e
variado sortimento de chales de renda pretos, sen-
do fazenda inteiramente boa, e vendem se por pre-
go? muilo razoaveis : isto na roa da Imperalriz n.
72, loja de Guimares & Irmo.
Cassas francezas.
Vendem-se cassas francezas, sendo fazenda mui-
to fioa e padroes inteiramente noves a 280, 360 e
400 rs. o covado, cortes de cambraias com barras
sendo de cores e brancas, pelo barato prego de3,
3521X1 e 350, ditos de chitas a 25, 2S00, 3& h
35500.
Vende-se um grande sortimento de gollinhas
para senhoras e meninas pelo baralo prego de 320.
400 e 500 rs. cada una ; todas estas fazendas se
vendem por pregos mais baratos que em outra
qualquer parle : isto s na ra da Imperalriz n.
72, lija de Guimares 4 Irmao.
Coimes de laas de todas as cores a 4#300 e 55
cada urna, sendo ao ultimo gosto, ua loja de Gui-
mares & Irmo, na ra da Imperalriz n. 72.
Cortes de casimiras
Vendem-se cortes de casimiras a 25500, 35 a
45, ditas muito finas a 65, 75 e 85 : isto na loje
de Guimares & Irmao, ruada Imperalriz n. 72.
Vende-se o sobrado n. 21 sito na ra de S.
Pedro Martyr emOlinda.e vende-se tambem ura
terreno onde se acha edificada grande parte da
cidade do Rio Formoso, o qual terreno se estende
da matriz at o trapicne: a iratar na rna da Uniao
n._37._______________________
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo prego de 30OOG
oa praga da Independencia, livraria ns.
6_e_8.________________________
Vende-se no escriptorio de Manoel-Ignacio
de Oliveira & Fimo, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porlo muilo superiores em caixas de
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Moscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
d 1 duzia.
Palmeila tinto de excellente qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa mnito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se ura carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreios competentes de metal principe :
na Pooie Velha n. 8, por prego commodo.
As melhores chitas francezas de cores
escaras e uvas a 280 rs. o
covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se chitas fran-
cezas escuras e finas a 280 o covado.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, perte da igreja dos Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ter eicellente barro, e as tr-
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaqun.
Jos Gongalves Reltrao, ra do Vigarlo n. 17, es-
criptorio.
A tlen<;am
Vende-se tima escrava moga sem vicio', e que
sabe cozinhar o diarlo de urna casa, engomma, la-
va de sabao, e muito carinhosa para criancs :
quem pretender dirija-se a ra do Sebo o. 7, qu
se dir quem vende.
Vndese urna carroga para cavallo, osad,
com todos os ptrtences: a tratar na ra do Sebo
numero 54.
Venderse um raoleque mogo, muito bonita fi-
gura, com lo annos de idade, sem vicios nem acha-
ques, no Corredor do Bipo n. 15 ; nessa mesma
casa precisa-se alugar urna preta que saiba veoder
na ra e s-ja fiel, para vender miudezas, e lara-
bem tem um moleqne para se alagar.
Vende-se a casa da ra do Alecrim n ',
com 5 quartos, salas, terrago, cozinha, qoiui.,,
cacimba, e todo Iluminado i gaz, com 3 jaoellas
de frente e 1 porta, corredor ao lado : a tratar na
raema ra o. 2.
_
_--


DUrI.de
afcbado SO de *eUmbf de AS*.
0 NOVO GERENTE
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
2lia & miman idi si iDO'iftuia
A0 PUBLICO
Sem o uuuor conctran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
nSo agradar.
ATTENCSO
a presos da segutntr
tabella para todo, io-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de conta*
com os portadores;
AO
RESPEITAVEIi PBUK O.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento Jde molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro'*podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fataidade de querer qne este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda' a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das segaintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acuario nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condiclo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a esle estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
ARMAZEM NIO
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53 |
(Logo passando areo da Concele&o)
' PARA BEM DE TODOS, i
i
Senhores senhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptidao e inte-
ezacom que ser3o tratados* onvida a urna visita ao mesmo, certos de qne sem duvida me darlo a proteccJo e preferencia na com-
rra dos generes que precisare e quando n3o possam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticoo,'
rois sero Uto bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nSo v3o em,
tra parte.
Aletria, macarro e talbarim a ioo rs. a li-
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a......
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellaas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 25000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1(5800 a lata, e
de cinco para cima a 1 51700.
dem de soda em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a 1|800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, |#250 e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Ba.nha de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
CuouRicAS muito novas a 00 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abalimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba, i
Conservas era frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata. etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e d outras marcas.
Charetos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'HaVana, Exposiclo,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegilia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidad s e de todos os
precos, hysson, buxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202-0, 20560 e2^800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs. -
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 je 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos,1, a 80 rs. o maco
de cinco marinaos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, fr incezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 r a libra.
srvadoce a 400 rs. a libra. |
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
KIRSCH oe Wasser a 20 a garrafa.
Ii
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 I rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs. \
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 40p, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeijAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs. i
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
O
Ostras inglezas e americanas.
i
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salm5o, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.;
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para demies a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
<*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a
H
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
n
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINH0S1M
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Donro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carmelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicSo alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaox Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
Manteiga ingleza especialmente escollada a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita
das que vem ao nosso mercado a 7,oou c
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira era frascos
grandes a l.ooo e H.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
e taiianm a 4oo rs. a
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o.ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l,ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a ioo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinba d'agua e sal, da fabrica de Joao
de Tirito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ar-oixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a I05oo.
Ameixas frano zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4oo, 1,6oo, 1,8oo e 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
1 a 9oo 1 Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez ^garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba,
dem de Java
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa
arroba.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna
Iho.
do mesmo, Mkt rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco,
a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas. excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
libra eo6o rs. a reta-
10 a garrafae U.ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a ooo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
CevadiDha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charnlos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Havana, Jmperiaes,
Londrinos, Gnanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em nieias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a -2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a fioo rs. a libra.
Bolachinba Alberto, as melhores que pre-
sentementetem viudo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com frudas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que' vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a ooo rs. a
garrafa.
E'BARATlSSIMO!
Grande Iii{uidac< de (tiendas e upa
feita nacional, na ra da I ib pera Ir iz
ii. 72, loja de Guimares A Irma.
Os proprietinos deste e.-tabe.'ciraento tem re-
solvido liquidaren) suas fazendas por i r< 513 bara-
tsimos so com o lira de apurar diuheiro.'aprovei-
tem as | echinchas.
Veude-se um grande sortln.ento de chites fran-
cezas kugas a 260, 280. 3U0 e. :. ditfts
percalias uiuitu !.!-;.> UW, 40. ',\- r.. o
eovadu : uto so na kj* de Gu;n...:.\- v rrtao.
na ra da lu>pewfr~n. '72.
E' muito barato I
Corles de 15a | ara vestido de senhora a 30,
Cortes de Ia a 30.
Cortes de ia a 30.
Aos 3,(00 avades de ia, v
Viinie-.-e lazinbas dequadrese de i.-iriLhiste
lindissimes padroes a 220, 240, 2801 30 rs. o co-
vado, vende se assiin tarato por ter mniia percao
e querer se acabar : mo na loja de Guimares
& irmo, ra da Imperatriz d. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merino eftamt ad:> a 2CC0
e 230, ditos de merino liso a 2R0, i> e 5,
ditos finos a 6SC0, 7. 7o(0 e ?.
Grande soitimeuio de cor es dcvelido de cm-
brala cun barra, pelo barato preco de ''J, 320
35C0.
Ditos de chita a !f, 2*5X0, ? e 2,5300.
Vende-re [icas de madapolao cem 24 jardas a
ii'XO, C, 0, 7, 8, 9* e lo
Dito francez cera 12 jardas a 3t%0, !, 4>0i>
e 5000.
Vende-se um grande soitimnto de goliinhas
para Fenhora e mininas pelo barato prfgo de 320,
400 e '.( O rs. cada urna : isto ( na loja de Gui-
mares & Iimao, ra da Imperatnz n. 72.
Roupa feita
Roupa feita
Grande soitiir(n:o de uupa feita ce i.das as
qualidades, que se leude por preces baralisuKCS ;
aflianc.a se que se rnde per mines :0 o cuto
do que IVa nova leja de fazembs de Guimes
& Irmo.
Rna da Inipcrn eSalsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as niofeftfas
provenientes delia
todas as molestias da
pelle
eberjsipellas, lumorfs, nlcens,
sarnas,
cascidas, empingeos,
REUMATISMO
SYPIIILIS
em todas as seas formas, assim ermo todo
o mal que provm do uso excessivo do
MERCURIO
Ulceraeo do Ogado
erem summa todos os males que tem sua
e igem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACO DO SANGUE
e para dar nova forca e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
P, MAURER i C, .
Rna \ova n. 18.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 25 o par lavas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para homem e senhera : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. Si^________________________
P"M c O O rr"-< ai 2 2 5 9
Slllg'i'i.ifliiii
5 "2
5 o. SJ ttfi.
cd _, as pr. H -
B9
CJ
83 o*

Se
w IX) Q. 9" 3
- a 5 "O P.
% B^J
s
11
-40
i, O ST o. r? Q. S
b 5.S ~ S-? S 3
SlfS'IS. elfi
g-2&s:| 2|
o._ o &= P
M
2 3
nos."
MACHINAS BEPATEN!
de
parf-
trafralhar mo
desear o^ ar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
CB
a>
CD
oai 2
a o
a w
a B 2. a*
i* 3?
as *
as
aq
a
ts
w a,
5*2
?
as
r>
o
as
o.
o
2.S.
as
c/i
1 as
' O.
O
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 205UO a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
__Na ofucina de ferreiro da ra do Jasmim n.
ti, ha para vender urna carrosa feita, com esmero
e propria para carregar urna pipa com agua, aBm
de vende-la pela ra. Na mesma otBcina ha tam-
Calnngas finos e nrinqnedos
para meninos.
Uiegaram para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
"i
o.
s
5
_
=-
S
2.
s
o
o
a>
bem um cabriole! de duas rodas, novo e raoito bem ,ant0 para brmquedo de meninos como para cima
acabado ; quera pretender estes objecto?, pode di-
rigir-se a mesma que achara' com qaem tratar.
Potassa da Eussia
moito nova e superior : vende-se no escrlptono
ie Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Grpo Santo n. 19<
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miude^.g.
L uvas de pellica.
Recebeu pelo nll'uno vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras : so
quera recebeu fo o beija-flor, na raa do Queimado
numero 63.
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem raa do
Amoi'im ii. 35,
Licor floo Caracho em botijas e meias botijas.
Licores tinos sonidos em garrafas com rolnas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhosheres.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAeiei lagniol.
Estas machinai
podemdescarocar
Jqualquer especU
S,'de algodo sem
I>3
MURRAY & LANMAN
duas pessoas para
otrabalho; pd
descarocar urna
arroba de algo-
do em earoco
em 40 minlos,
od 18 arroba
por da oo 5 ar-
robas de algodac
limpo.
movidas por
descarocam 18 arrobas de algodac
duas,
Vendem-se palmeiras imperiaea, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado es-
querda, depois do becca do Espinheiro, nos A-
flictos
Assim como machinas para serem
animaes, que
limpo, por dia; e motores para mover urna,
eotras dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinaj
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
tem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers & G.
%. II, praea do Corpo santn
RECIFE.
Os nicos agentes neste paii.______________
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
F4KEL0
de Lisboa o mais superior qne ha 4o00 e a 5J000
o sacco : na roa larga do Rosario n. 30, taberna
da esquina, defronte da igreja. __________^^^
Colla da Baha soperior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seo escriptorio ra da Cruz n. i.
A agua florida de Murray & Lanman
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pelas preparacoes
eSlIrtgar ht fiu'as ma's custosas: conserva seu aroma, co-
1 mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efficacia tro delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleicoes, depois de se haver lavado; al-
livia a irritacao de erupcoes ordinarias; faz
desappsrecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebuliges, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua effi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cuisos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antiduto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocaco. Preparada nicamente por
Lanman & Kerap, Nova-York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Jo3o da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamboco rna da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
ti3alata: nos armazensda ruado Im-
perador n.i6 e rna do Trapiche Novon. 8.
XAROPE
deLABEL
Eupregado com inTariavel taccesso u.>..: acnu
pelos Mdicos de todos os paizes contra u itiaa-
orgauicaj on no orgnicas do corai, a.1- dli hy-
dropisias e a mtior parte das molestias do pei'o e dos-
bronchios (pneumenia, catarrhot pulmonar;:. aHima,
infiammaBet nervosas dos|6roiicMos, colarr/ieiroj, ele...I
0 XAR6PB de labf.lonye nao se vende talo eot
Krrafas com rotulas de cor e fecbadas com uica cr.^pa
lando a firma do inventor.
Em pars, rnn Bonrlin-Vlllenene, 9.
Venaem-se noRecife em casa de Caors A
Barboza e Jo5o da C. Bravo & O
Liquidadlo das pecliinclias
no armazem da Arara.
O proprietarin da grande loja e armaztm da
Arara tem resolvido vender tuas fazendss por
menos 20 por cento do que em qualquer outra
parte por isso venhan ver as fazendas e se admi-
ren) dos precos, a saber :
Cortes de cambraia com Larras.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia branco
com barras de diferentes cores pelo baratissirr.o
preco de 3 cada corte.
Cambraias brancas.
Vende-se cambraia branca a 3, 300, 45,
M800, '5 e O a peca, e de oulras mais quali-
dades : na ra da Imperatriz n. 56.
Bretanba de rolo.
Vende-se bretanha de rolo com 10 varas a
25800, est se acabando esta pechincha : s na
loja da Arara, de Mendes Guimares.
Lazinhas.
Vendem-se as mais modernas lazinbas ch'ga-
das pelo ultimo vapor, tendo padtoes muilo btni-
tos se vende pelo baratissimo pre;o de 240 rs. o
covado, 6 azenda que em (utra parte se vende a
400 rs.: na loja e armazem da Arara n. U6.
Chitas.
Vende-se grande porcao de chitas sendo escuras
e claras por baratos precos a 240, 2C0, 280 e 3iO
rs. o covado, ditas percalas finas a 360 e 400 rs. o
covado, umitas maivde outres precos.
Chales de merino.
Desta /azenda ha um grande sortimeBto de cha-
les de merino estampados cores muilo delicadas,
e esl se vendendo pelo barato preco de 2 cada
um, isto para acabar.
Colchas de fusUo.
Vendem-se colchas de fusi3o de todas as cores
a 55, ditas de damasco a 45, dilas de r hita a
25210 e '5900 cada urna : s Lourenco Pere.ra
Mendes Guimares.
Madapolao.
Vende-.=e madapolao a 45300, 55, 65500, 75.
75500 e 85 a peca, entestado se vende cora 12
jardas a 35,355P e 45500: na ra da Impera-
triz n. 56, Mendes Guimares.
Soutemhtrqufs.
Vende-se foutembarque a 5, f6 e 75 dito.'
pretos de grosdenaples a 185, 195 e 205, caps
o mesmo pregn.
Cambraias de cres.
Vendem-se cambraias de cores sendo finas a
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casimiras.
Vende-se casemira com listas a 25300 e 25800
o covado, e mescladas a 35 : t Mendes Guiroa-
raes.________________________
Attenco.
Vende-se doce de caj', laranja, prozella e gela
em latas de urna e duas libras a 700 rs. a libra :
no largo do Carmo, esquina que voita para a ra
de lionas, armazem o. 2. '
Atlcncao a pccliinclia
Sapatos de tranca com sola de cortica a 15 c
par : na ra do Livramenlo n. 5.
Barato para acabar.
Na praca da Independencia n. 39, 'ende se ror-
zeguins para homens a :i('0o, 45010 e 300O,
borzeguins para senhora 25000, 35C00 e 45000,
isapatOfS de buerro para homens 45000.1 jales
:de tran?a 50O0, sapatcs aveludado 1|000. Iot-
zeguins p?ra menino, com pmia de ferro a 2G0O,
: borzeguins para menino 4^000, borzfguins para
enanca 800.






en


JMait?e4PUUtMbH abundo V de Uoltmbro c
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A loja de fazendas de Angosto Frederico dos Santo* Porto, acaba de receber un roni-
to grande e novo sortiraento de cortinados bordados para cama de noivos a 365, 405, 455,
50^000,60^000 6 70^000.
Lindas mantas para gravata, de variadas core?, a 15500 e 25.
Cachinez de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 43. -
Chales de guip, fazenda a mais moderna, a 1153, -03> 223 e 255-
Rolondes de guip, tambera os mais modernos a 265-
Colchas de seda de cf para cama de noivos a 553 e 605.
Alcatifa de linbo para jsalas, (azenda larga, bonita e de muita durarlo, a 600 ris
covado.
Tapetes grandes e pequeos, com ricos desechos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 73, ?3. 93 e 10o.
Capas e soutembarqus de seda prela para senhoras.
lionels, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais moderncs.
Chapeos elegantes para senhoras, a 123-
Pt-cinlias de flnissima bretanha de linho a 73'">00.
Lazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Pars a 700 rs. o covado,
braias francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Caserairas de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras pretas,
grosdenopole preto e de cores, esguines, silesias e cambraias ee linho, sortimento, da divt r-
aas fazendas para luto, chapeos de seda para homens a 93 e 103, chapeos de sol de seda,
lindos manguitos bordados, e outras muitas fazendas que se vendem por precos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
<
o

DE
AO RESPEITAVEL PUBLICO
AZEYEDO FLORES
Ba da (a O balo vende sempre por menos que era outra qualquer parte, quem julgar que
tsto nao e verdade dar-se ao trabalho de vir apressar qualquer fazenda de que precise-
tambem se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam esco'ber. Do-st'
amostras deixando penhor.
IOS 8RS. IE EN &EIVHO
Superiores algodes americanos branco, azul e de listas para roupa de escravos.
JflAOAPOIiOES
DAS COJLLUMtfAS.
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que lera viudo a Peruarabuco de melhor
emseda.
Assim como mais alguraas fazendas de bora gosto para vestido.
RIJA DO CRESPO V. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e 0
q**R?l
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riqnissimos cortes de moreanlique de cores, e seda lavrada pa-
ai oes inteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RUA DO CRESPO-5
Gregorio Paes do Amaral k. Compaohla.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas laas
granadinas com fbres de seda a 400 e 500 rs. o
covado. estao acabaodo-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. o.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapolao a 43500, 53, 63 e
103>, pecas de algodo por barato preco, chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
' muito finas a 360, 100 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Potto
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, risoado francez fino a
320 rs. o covado. Ilua da Emperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espanilhos a pre-
. guieos:) por 35, sao bons, lencos de seda para se-
nbora e boniem a 1?, ricos cortes de cambraia
bordados de 18$ a 7ff, por ter um toque de mofo,
estao se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
A tabella abaixo publicada serve de base de precos, tambem^S
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carino n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem setente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senbores de en-
genos, lavradoresemaispesaoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seas estabeleci-
mentos em um so annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-1
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai. publicado, annunciar os gneros Lindos cortes de 15a-om riquissimas barras a matiz, os mais modernos que ha no mercado
por um preco, e na occasio da compra quererem por
precos.
BALOES
Superiores bales de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes para sofs,
Lindissimas grvalas e mantas parapescofo dehomem.
Superiores camisas de meia e meias para hornero, e senhora.
Caigas de/casemira e superiores paletos saceos de casemira.
ENCICLOPDICA
51 Ra da Imperatriz armazem
da porta larga 59.
f unto a padaria fradeeza de
Paredes Porto.
estabelecimenlo encontrar o respeitavel
Din variado sortimento de fazendas france-
ngleaas, suissas e allemaes, que se vendoio
: -'o commodo.
Paredes Porto
le chales de renda de cores que se vende-
r m a 183 est vendendo por 65, ditos pretos, fa-
nova, 55.65, 85 a 205, um sortiraento cora-
rte manteletes, capas e soutambarques 145 a
ti ;. Ra da Imperatri?. n 42, junto a padaria fran-
:.. ariiazem da parta larga.
Paredes Porlo
Receben um completo sortiraento de laasinbas a
540, e 280 rs. cavados, para acabar, cambraias de
cor a iiO rs. o covado, riscado escossez para rou-
pa de menino, fusto d.) linho a 420, 400 e 300 rs.
1'. la da Imperatriz n. 'i juut> a padaria franceza,
armazem da porta larga.
Preles Porto
ebeu para cortinados para cama franceza a
i peca cambraia lisa fina a 35 45 al 105 a
outro, como socede constante-!
mente em outras muitas casas, porera nos nossos estabelecimentos nao se dar isto \
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tambera servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seos i
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta j
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa j
alguma que fizer stia despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
colares llover oh colares ano-
dinos
para facilitar a denticao das mangas e preserva-
las das convulses.
O feliz resultado oblido immensas vezes pela
prodigiosa forga magntica dos colares Royer, nos
corlea de larlatana de bonitos"gos tos~a 3*5300 icasos de convulses, e dentica das crianzas, tem
cambraia cora flor do soda, gostos ioteira- / altamente elevado o sea bem merecido prestigio,
Manteiga i-gleza perfeitamente flor che-
gada ultimameutede'1 ,oooa i,loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANDA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CII1
Cha uxim de primetra e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2, loo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,50o rs.
a libra.
Biscontos
Latas com superior biscouto inglez de di-!
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes,-como sejam: Shlers & Bell. T. F. j
Ashc a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambera ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azmte doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
garrafa e a 4,6oo rs. a caada.
Massas
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a i,5oo o quarto e
Cam*u^rancezas e seroulas Gnissimas de bramante.
Superiores chitas largas, escuras e claras de todos os precos.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e n5o como muitas pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
zendas.
PELO GU
seda
!
mente oovsTOO e 500 rs. o"cvdorno"armazem!e noJe J se P'le dizer 'lue est" geralmente con-
di. orla larga o. 32, ra da Imperatriz junto a pa-! ceituados, e estimados de innumeraveis pais de
dara franceza. familias : de uns porque do uso dtsses salutares
Paredes Porto colares viram salvos do perigo\seus charos filhi-
nhos, e de outros porque colheram daquelles tao
proficua exemplo para igualmunie preservar os
Assim. pois, a aguia branca, tendo em vis-
R i'ebeu pelo ultimo paquete um sortiraento de
cem pudras para o pescoco, bonitos caxineis i .
.......ara Jeseoc de seiLra.Vltua da Imperatriz \ "* J ,)|i- a "f1* 1,ran?a' *?n*0 em J*
D. 32, armazem da porta larga. P 2t^J2SSf G T tSS p"od,8|OSOS *
res anodinos mi Koyer, mandiu yir o novo sorti-
meLto que agora recebeu, e continuar a recebe-
'alta delles
Paredes Porto
Vende cortes d'< gorgorSo preto para vestido cora
il' c.vados cada um 335000, grsdenaple preto a
I, 13*00 e-25 o covado, laas lizas finas a 400
covado, laas de quadrinho para vestido, enfes-
lada. n 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 32,
arOD -lera da porta larga.
los para que em lempo algum a falta flelles possa
ser fanesta aos pas de familia, oa quaes ficaro
certos de os achar constantemente na ra do Quei
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Attengo o barateiro de ob-
jectos chegados de, novo:
grande sortimentoA
dous grandes lustres de vidro finos
Paredes Porlo
T m para vender por preco commodo, pecas de j
io de linho com 10 varas a 75 85, panno de
para lenges a 650 e 700 rs. a vara, braman- vonitom u
te de imho de i larguras a 2-5200 e 25500 a vara. do menor goslo e por pre,0 razoa.
*areues,"r") ivel;assim como apparelhos para cha e Barajan-
\t-nde cortes de cambraia bordadas de ricos tar, braneos e de cores differentes; ditos^de por-
. isl is a 105 e 125, nems vestuarios para menina celana dourados e pintados e braneos; apparelhos
e meotao, ricos corles de. cambraia Mana Pia a para jantr de porcelana branca; tamnem se ven-
,t'5, tarlatana branc* e de cor a 640 e 720 dera era pecas separadas, como os freguezes qui-
da Imperaffiz armazem da porta | zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
m
.ii^ffii
Oolaehiahas
Latas com bolachinlus da acreditada fa-'rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queij
Queijos flamengos oflipQos no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas- oVms.
sado a 2,3oo Garraloes com 24 garrafas de genebra de uma s votT
, L,luyuiLAl!' Hollanda a 8,ooo rs. o garrufao. Tambem
Chocolate hespanhol a ooo c i,2oo rs. ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a'
a libra, francez e suisso a l,ooo rs. a libra g ooors. cadaum.
VELAS
Velas de spermacete a 6oo rs. a libra,
dem de carnauba de lo a I2,ooo rs. a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
; 0,000 a caixa de arroba hespanhola e a 32o
GEXEBRA
Genebra de laranja verdadeira a Io,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo I
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
Beceberam Gregorio Paes do Amaral & C. um variado sortimento de novidade
como sejam:
NOVOS PADROES EiH COSTES DE SED4
COLCHAS HE I AJ ASCO
Porluguez e francez, de seda e de laa e seda.
EJEQUES
Lindo sortimento de leques de maure-perola, marfim e osso, transparente e de
com mimosos bordados.
VELLUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
Cor de vinho.
Carmezim.
LUVAS de jrmviM
Brancas e de cores para senhoras e homens.
GRAAT1
Mantas de meia, de seda, de retroz de duas voltas largas e muito estreitas de
rs. a vara. Ra
larca n. 32.
Roupa feita
P.ua da Imperatriz n. 52 armazem da porta lar-
.'a junto a padaria franceza, encontra-se neste es-
t ib.: Mmenlo um completo sortimento de palets-
saccos e sobrecasacos, de todas as qualidades, cal-
ca? clleles, ceroulas, camisas, grvalas, meias,
e para vinho finos e ordinarios, era caixao e a re
talho; linternas de todas as qnalidades de vidro;
ditas de casquinho inglezas muito finas; candela-
bras da vidro e de brome; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro paradores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agaa ; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelho
etopos deso ditos francezes para cabega, por ^a ch'e ontTos ramios sor.fraen o7 de'o a al
prc.os commodo, roupa para menino e outras qualidades e precos commodos vontade dos com-
lin,,'-!,S,a i- aS Pr pre5S co,nn'udos' ariQ"em pradores, que se'yendera na ra da Cadeia do Re-
a larga. Icifo junte ao arco da Conceicao n. 64, e na ra
m-s.no ctabelecimenio encontrara o respe.-: NofaJ no grande arraazem de louca e vidros junto
publico, sempre um completo sortimento de greja da Conceicao dos Militares n. 49.
roupas fcitas de ledas as qualidades, como sejam I_____
de alpaca preta e de cor, ditos sobrecasa- Vede-se a armado" dp~iima taberna no ln.
'.irio'a i-arSL1 2580, 35 e 6" Qna.ro CaTo^^cfdldTde 8ta.*S lo-
lito finla 4S, ditos meias cazemira a cal vantajoso para negoc;-,
. ditos meias
3$300, 1-5 e 3, ditos cazemira saceos a 6$, 7$, S$
e I0, diios sobrecasacos a 10 e 12$, ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e 10,5, ditos sobrecasacos a 12J
i5, ditos de meriu preto a 65, 75 .e 105, cal-
J'. brim de diversas qualidades a 1*5800 a 45,
ii'c brincos a 25300 e 6500, dilos cazemira 55,
* 7 ,, ditos pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
azemiras a 35 e 45, coletes de diversas
Bade?, seroalas Irancezas de algodo, ditas de 0 nor
^^^V^.SP^^sT^nrMo' 5rtimrs de volii5
chincha nete ceoero erbalas derind d?a,Jrares de diversas cores, enfeites para se-
ffi-e'^sg^,Sm^ ""ato do que
Sto de meias para senhoras, ditas para homens inaiqaer oulra parle.
soperiorea a 3-5300 e 4-5. Facas e garfo?.
i oraidet.) sortimento de chapeos de sol de Vende-se faccas e garfe-s de cabos de balanco de
a 35, ditos de seda a 55, 75, lt e l'i-5 nm boto a 35200 a duzla, ditas de dous botoes a
l'r.os rancezes para cab ca, grande sortimento b*500^dl,a Para doce a i>*00, ditas de cabo preto
por prego commodo :
a tratar cora Rufino da Silva Ramos, na ra de
Mathias Ferreira da raesraa cidade.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Queimado n. (3.
Tem recebido um sortimento de cruzes que se
ai^a eslii3 Dsand. de diversos gostos ; s quem tem
e portuguez a 800 rs. a libra, em porgao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a ,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e i.ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com uma duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 4. e 2. qualidade de
fi,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
\ SABIO
Sabo maca deprimeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra
em caixao.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpisla e painco muito novo de 3,8oo a
4,000 rs. a arroba o de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brandao e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.6oo,
2,2,8oo, 3,5oo, 4,5oo; e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caix5o.
Frutas
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo :s. a lata,
e de 16o a 21o rs. sendo I Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
'lata. A
Grosdeneples de todas as cores.
curros
Com fivellas de tartaruga esmaltadas, madreperola e cobertas de seda, feitas para
as mesmas, etc.
CHACES DE Fili DE CORES
Gostos inteiramente novos, ainda n3o vistos neste mercado.
CASEMIRAS
De quadros miudinhos e largos.
Enfeites
O melhor e mais moderno sortimento de enfeites proprios paraKocke com bons
penles de tartaruga e sem elles.
Chapeos de castor branco milito finos da ultima moda,
Cnstnmes para meninos
de gorgurao de la de diversas cores, bordados com muito gosto.
Penteadores para senhora.
Camisas para senhora.
..Ditas para homem.
Vestidos feitos para senhora.
Tildo por precos razoa veis.
5 RA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Acha-se
Pechincha a Grande sortimento de chambres a 4J600 e o,
olives de cambraia para hornera a 25 a duzia, di-
tos dje linbo a 45 e 55.
Gi tode sol lmenlo de roupa para meninos e ou-
ims nmus qualidades que seria enfadonho mtn-
ri/Oa-laf.
Fazendas.
Vede-se superior merino preto proprio para ca-
pas de senhora e vestidos a 5, luslrim da China !
a 1^800 o covado. Ra da Imperatriz, porta larga.
Paredes Porto.
Veade era seu estabeleciraento tiras e eniremeios
bordad s, grande sortiraento de corplohos rica-
mente bordado a 35, 45 e 35- S o Paredes Por-1
lo, ra da Imperatriz uo 52; porta larga junto a LnarUlOS d Baha
padaria franceza. 'a 15.a caixa : na ra da Moeda n. 43.
a 35200, ditas de cabo branco, rolico e cravado a
35H0O.
Tera recebido variados soitmenlos de balaios
para meninos de eseola, de forma de pemnhos,
pailnhos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bem se pode apreciar, e tambem serve para
o leilo do hospital porluguez : laas para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
Escovas para roupa.
Vende-sc escovas para roupa muno Anas com
differentes costos a 640 e 15, ditas pera dentes a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pantado papel e caixinhas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 6i0rs. a cai
Biaba,
...
Uvas pelo ultimo vapor.
Peras pelo ultimo vapor. ,
Macaas pelo ultimo vapor.
Ameixas pelo ultimo vapor.
Passas pelo ultimo vapor.
Figos pelo ultimo vapor.
Fructas seccas pelo ultimo vapor.
Fructas em calda pelo ultimo vapor.
No?es pelo ultimo vapor.
venda na Iivraria acadmica, na roa do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junio ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na ra es-
ireita do Rosario a compilagao de toda a legislacao
tendente adrainistracao, arrecadaeao e fiscali-
saco dos dinheiros de orphaos defuntos e ausen-
tes, berancas Jacentes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de custas e a lei geral das execu-
coes, como tambem todas as ordens e avisos do
governo. qne a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigaces inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de justica e fazenda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e preslando-se a ntilidade
de differentes classes, torna-se recommeodavel.
Sea custo 105009 por cada ezemplar em dous
omos.
H Bichas de Hamburgo 1
W todos os paquetes da Europa se recebe W!
"ijt dsstas amigas do sangue humano e se tt!
B vendem a troco de pouco lucro s aflm 5
JR de ter sempre cousa nova : a loja de bar-
^g beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
Queijo' londrinos pelo uliimo vapor.
Queijos flamengos frescos pelo ultimo vapor.
\ Presunto fiambr pelo ulmo vapor.
Tudo se vende barate nos seguintes armazens:
Rna do Imperador u. 40. Verdadelro Principal.
Una do Queimado u. J. i'olo e Commerclo.
Largo do Caruio u. 9, Progressivo.
1
C^O VILHR *
Com leja rna do Crespo n. 17.
Recebeu de Pars sedas em corles mu-
* lo superiores e bellissimos padroes, e
I chales de renda pretos para 105.
Este importante estabeleciraento torna-
se recoramendavel ao bello sexo pela va-
g*| riedade de fazendas iperiores e bellos
~ gostos
Proteja o bello sexo ao Villar
fS e vero todos a prosperidade.
Msaaaa m mmmmmm
Tende-se arrtz com casca, preco em conta, me-
dido em alqneire a vontade do comprador e est
no trapiche do Cuoha : para tratar (na rna do Vi-
gario n. 29.
nmmm-mwm wmmmmwm
Fumo da Bahia para
charutos
Vende-se
Bramante de linho Qno e largo para lenges.
Brira lona encorpado e fino para montara.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodo de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche. ______ ___________^^
Algodo Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Ferno Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
jiS Vende-se fumo superior de todas as
8 qualidades, a retal no e por atacado e por
mt prego commodo : no Kecife, ra da Ga-
g cimba n. f. ^
Sola.
Vende-se 450 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Queimado n. 53, lojo de erra-
gens.
Vndese tres casas terreas na villa o Cabo,
sendo uma com estabeleciraento ; a tratar no pateo
do Teroo n. 139,1.* andar.


w-i


Diarto r remat** ablftA 30 U **** Je *
V
i
Grande liquidado a dinheiro.
Kt loja e arDMzem 4o pavao.
Rna da imperatriz n. SO deca-
na t& Silva.
Os donps deste eslabelecmento tera resolvi li-
quidar suas fazendas por presos iWalissimos, so
com o flm de apurar dinheiro, e previnem as pes-
so*s que negocian) en pequea escala oom fazen-
das, que netta loja e armazera encontraro um
grande sortimento por pregos que muito Ikes ho
de agradar, tanto em peca cmo a relamo, a
Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pecas de cambraia branca para for-
ro a 25: na loja do Pavo ra da Imperairiz n.
60, de Gama & Silva.
Moreantiqw branco
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 500 o corado, pechincba :
ua loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60,.de
Gama & Silva.
Percates com mofo.
IVa loja do iav5o a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com llndlssi-
mascflres para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-se pelo baratissimo prego de 360 rs. o co-
vado : isto s ua loja do Pavo ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 200 rs o covado.
Na loja do Pavao.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo ,
ao mercado pelo baratsimo preco de 200 rs., ditas
com palroinhas de seda a 240 rs. : isto s para li-
quidar, assim como lazinhas mogarcbiquus com
os mais bonitos padr5es a 240 rs. : Uto na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
* Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lipdos cortes de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corle sendo fazenda
transparente de novosgoslos que servem at para
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
co de 35 cada uro por terse comprado urna gran-
de porgao : na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a 1$
Vendem-se superiores lencos de seda para ho-
mens e senhoras a I5 : na loja do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os espartilhos do Pavao
A 40, U e 60.
Vendem-se os mais superiores espartilhos com
as competentes litas para apertar pelos baratissi-
mos pregos de 45, 5$ e 65 por ter chegado urna
grande porgao para a loja do Pavo: ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Tartalana branca a 64* rs.
Vende-se larlataBa branca muito fina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na ruada Imperatriz n. 60, de Ga-
ma A Silva.
0 bramante do Pavao.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
que tem viudo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 25600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lenges, toalhas e seroulas 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Meias para- meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de todos os ta-
maitos a 253OO rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, di'as inglezas para
homem a 55 a duzia, isto na loja do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corlinudos para oauas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato preco de 115 o par. Ditos bordados muito ri-
cos a 245, colchas de fusto para cama a 55500 e
6> : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os bales do Pavo a 20500, U e 30500
Veudem-se os melhores baloes de arcos ameri-
cano", sendo rom 20 arcos a 25500, ditos com 25
arcos a 35, ditos com 30 arros a 35500, ditos para
meninas de todos os tamanhos a 2;500 e 35, su-
periores baloes de bramante e murcelina com
cauda, sendo bastante fraudes a 55, isto na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 66, de Gama &
Silva.
As eaoiisinhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di-
las com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas prelas a 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para
meuina a 640 rs., romeiras de DI e cambraia
branca bordada a 15600 : na loj* do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Palelols prelos a 60
Vendem-se superiores palelots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casacos a
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 e
85, ditas prelas a 65, 75 e 85, paletols de meia
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, calcas
de meia casimira a 45 e 45500, ditas de brim
branco de linho e de cores, coletes de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muito era conta, s com o fim de apurar di-
ubeiro : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavo
Vende-se um grande sortimeolo de madapoles,
chitas, aigodoziohos das melhores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em outra
qualquer parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos de reoda.
Chegou pelo ultimo vapor rancez um grande e
variado sorlimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
tiles muitos de ponta redonda a mitacao de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lanzinhas da Escossia
a 360 rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas lanzinhas da Escos-
sia, sendo a fazenda mais moderna que tem viudo
ao mercado este anno, por serem a' iraitago das
sedas escossezas, com as mais lindas cores, pelo
baratissimo prego de 3G0 rs. o covado : na loja e
armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Chales e relondas.
Vendem-se chales pretos de renda, sendo de 4
ponas, e as mais modernas retondas, por prego
baratissimo : na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Southembarques de cor.
Vendem-se southembarques de cor multo bem
enfeitados a 55, 65 e 75000 para acabar : na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, d
Gama & Silva.
Cassas franems a 280 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com mo-
dernos padroes a 280 e 320 rs. o covado : na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Organdj moderntssuo.
Cbegaram os mais modernos organdys com os
mais modernos padroes, sendo quasi todos listra-
dos, como se usam agora, com as mais lindas cores
e fixas; vendando-so pelo barato prego de 900 rs.
a vara: na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama Silva.
Chitas a 240 e 280 rs.
Vendem se supenores-cbilas escuras a 240, 280,
320 e 400 rs. o covado, sendo todas de cores fixas;
ditas inglezas, muito-boa fazenda a 200 rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, roa da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de merino a 20000.
Vendem-se os mais modernos chales de merino
estampados a 25000 cada um, havendo tambem um
grande sortimenlo dos mesmos matizados qoe se
vendem a 65, 75 e 85000 : na loja e armazem do
Pavo, rua Silesias a 40000.
Vendem-se saperiores pegas de silesia, sendo
fazenda- muito Osa e propria para saias e carnizas
de senhora, e tendo e tendo 12 jardas cada pega,
pelolbaratissimo prego- de 45000 a pega: na loja e
armazen do Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Loja do gallo vigilan e ra do Crespo
numero 7,
Neste eslabeleeimento encontrar o respeitavel
publico um grande sorlimento de galanteras e
objeetos de muito.gosto que tem chegado nestes
ltimos navios evapores de sua propria conta,
que por isso mesmo vender pelo menos prego
que Ihe for possivel, como sejtn :
Lencos.
Os lindos lengos imperiaes para senhora cousa
inteiramenle nova.
Albuns.
Albuns muito finos com capa de madreperola e
de tartaruga com guarnigno de prata para ?0 e
100 retratos, assim como de outros mais inferiores
de 20 a 50 retratos.
HUSC38.
Caixinhas ricamente enfeitadas -locando duas
pegas de msica propria para raimd, assim como
caixinhas pequeas com msica tanto de veio co-
mo de dar carda.
Vestaarios.
Riquisslmos vestuarios de seda para criangas
assim como louquinbas, sapalinhos e meiasinhas
de seda.
Capcas.
Riquissimas capellas brancas de flores para noi-
vas, assim como meias de seda brancas.
Porta bnqnet.
Rfquissimos porta bequet com cabo de madre-
perola para dores.
Leques.
Riqaissimos leques de madreperola e de sanda-
o assim como de osso.
Livrinhos.
Ripuissimos livrinhos com capa de tartaruga
guarnecidos de prata para missa.
Aderecos prelos.
Riquissimos aderegos pretos sendo pulseira, ro-
zetas, alfinete e volla, assim como de cores fingin-
do perolas.
Brincos.
Riquissimos Brincos e rozetas de todas as qua-
lidades e gostos modernos.
Btneeas.
Riquissimas bonecas de porcelana ede massa e
de cera, assim como os que fallara chamando por
papai e mami.
Pentes.
Riquissimos pentes de tartaruga para senhora,
assim como para menina e de multas outras qua-
lidades
Enfeiles para cima de mesa.
Riquissimos enfeites para cima de mesa e para
toillet.
l'ivclas e sintos.
Riquissimas Ovelas de madreperola e de metal,
assim corao bonitos sintos.
Flores.
Riqissimo sorlimento de flores o mais fino que
se pode desejar.
Jmjo para familia.
Riqissimo jogo de vispora un caixinhas de ma-
deira envernada e pedras finas proprias para en-
tretedimento de familia.
Para viagem.
Riquissimos estojos com todos os pertences finos
para homem.
Filas.
Riqissimo sorlimento de fitas de todas as qua-
lidades e lindos gostos.
Franja.
Rlquissima franja'de seda de muito finos pa-
droes tanto de cores como pretos, assim como de
borlla e sem ella propria para cortinado.
francas.
Riquissimas trangas de seda1 preta e de cores as-
sim como de algodo e de la.
Perfumaras.
Grande sortimenlo de perfumaras de todas as
qualidades e dos melhores amores al o presente
conhecido e muitos outro< objertos que se tornara
enfadonho mencionar, isto s no vigilante ra
do Crespo n. 7.
TERRENOS A'~VENDA.
Vende-se nm terreno proprio para edificago,
collocado no centro da cidade, com 68 palmos de
frente e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
magoes, na ra do Sol n. 37.
Outros objects.
Vindos tatiibm para a antiga loja de
miudezas fu do Queimado n. 16.
Sapatinhos de slim' branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambera bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente do tama-
nbo dos sapatinhos.
Outras mui unas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartiruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com alfinetes brancos e pretos.
Haspas de balei para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linbas de novellos grandes
para crochets. 1
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas ivella* grandes de aeo,
douradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudeaas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimenlo de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
estao sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra e de outras
qualidades, para quem soffre
da vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, tambem recebiu oculos de peneira
com vid ros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como ontros de armacao
de ago, sonidos era graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A ant^a loja de miudezas a' ra do
QueimadtTn. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposigao dos bons christaos que os qui-
zerem comprar -em dita loja : na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas linas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objeetos que fezem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Fitas finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
de seda achamalotada,
para cinto de fivellas
dem de gorguro
e muito encorpadas,
grandes.
dem de seda preta e deoulras cores pa-
ra debruar vestidos, colletes, palitos, etc.
dem de laa igualmente sortidas em cores
e para os mesmos finsl
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidas de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutemharques. vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guamices para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com! vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos tamanhos.
Lonelos de dons vidros com ara de ac, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimenlo de lo-
nelos e oculos de vidros com armacao fina de
aeo, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por precos razoaveis: os pretendentes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
R1VAL~
Ra do Queimado ns. 49 e &*.
Contina a vender (odas as miudezas que abaixo
declara por pregos admira veis.
Massosde palitos lxados para denles a 100 rs.
Espelhos de moldiyas douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 1000.
Ditos de couro superior fazenda a 1,5500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de liona froxa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de peonas de ago, fazenda superior aoOOrs.
Grozas de bot5es madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs. i
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e80 rs. i
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de laa para enfeites de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Livros para assenlos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para punho, faenda rira a 120 rs.
Tesooras para costuras superiores qualidades a
400 e 1.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda Loa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15300.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de la sortidas de bonitas c6res a 75000.
Caixas com superiores obfeias de massa a 40 rs.
I! idinhas com allinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almago a 25400 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Duzias de tesouras eom toqne de ferrupem a
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para criangas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 15280.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 3-20 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14o rs.
Cartas de alfinetes francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fondo dourado, a 80.________
NO mxirn
de fazendas baratas de Santos
Coeho, ra do Queimado n.
19, vende se o seguinte :
Leuges de panno de linho a 25200.
Ditos de bramante de linho de um s panno pelo
baratissimo prego de 35200.
Loberas de chita da India a 25400.
Pegas de cambraia de salpicos branca e de cor
com 8 1|2 varas, pelo baralissimo prego de 45500.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas,
propria para cortinado a 115-
Baloes de arcos a 35, 35500 e 43.
Lengos de cambraia brancos pequeos, a duzia
23000.
Ditos ditos de dita finos, a duzia 2j600.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largu-
ra, pelo baratissimo prego d 25400 a vara.
Atoalhado de linho a vara 25800.
Dito de algodo 25-
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para saia a 35500.
Fil de linho liso lino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a l5-
Cambraia de linho fina, a vara 45500, 6,500, 95-
Flanella branca fina a 600 rs o covado.
Dita de cores a 880 rs.
Corles de algodozinho de lindos gostos, com 15
covados, pelo baratissimo prego de 55-
Madapoio fino largo a 95 e 105 a pega.
Esleir da ludia de 4, 5 e 6 palmos de largura,
propria par forro de sala, por menos prego do que
em ouira qualquer parte.
Neste armazem tambem se enconlra um grande
sorlimento de roupa feila e por medida._______
Algodo da Bahi
Na loja de Andrade & Reg, roa do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, vende-se superior
algodo da Baha por menos prego do que era 00-
tra qualquer parle.
Yende-se a taberna da
n. 20; a tratar na mesma.
ra dos Assoguinhos
ESCRAYOS FGIDOS.
AGUA BRANG4.
Colleiras de marrequim, eom cascaveis
e sem elles.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroqim,
pospontadas e com cascaveis, ou sem elles
proprias para ces e outros bichinhos.
Peonas inglezas de ac e donradas.
No novo sorlimento de'pennas de ac que
a Aguia ranea acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mui bem acabados, e por essas boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
hrirantps Pprrv f as recommendam aos No dia 28 de g,sl Proximo Passado de?-ppare
Dricanies j/errj & L., as lecommenudui u ceram do eDgenno PiTiTyj sil0 na eamnea do U-
entendedores < apreciadores do bom, valen-, moelro, os escravos Francisco e Alexamire, per-
do mesmo a differenca que lia no preco de lencentes ao major Claudino Correia de Mello,
urnas para outras, por que estas se tornam prlmeiro alto serr do corpo, omento espada*
/ ,i ,.,....... do. e de cor cabra, tem a cara bexieoa, bastante
mais duraveis na continuacao de escre\er ,. barb abeIl0S raraplllh0S) ps carVs'e largos,
assim pois quem deltas se quizer utilisar e slhio vej-tido de cai?a e camisa de algodo azul,
compra-las a dinheiro a vista : na ra do chapeo de feltro, levando tambem con ;igo urna
Queimado loja da Aguia Branca n. 8. 'ruja e**0 roui'a de Ufp. a
K
180
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
de chita e caigas brancas e pardas, levon tambero
um chapeo de couro, mu ladino. O secundo
preto, crioulo, secco do corpo, estatura regular,
tem falla de dentes na frente, un u uco barba-
do, e tem ps finos e bem feitos, tambera rauuo
ladino. Ambos sao mogos, tendo de idade32 au-
para cortinados, todas de novos e bonitos. nos, pouro mais en menos
desenllOS, Cuja commodidade do prego est i' fham ucldo para assentar praga neta provincj
pm rplaeA a lirrmn aeham.cp Pilas a vpn- f u em outra 'lual iiatao a largura acnam-se enas ajen- |eva.,0. ntl ao dl[0 engeniio, ou a' casa de Brnn.
daa rna do Queimado oja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso entreteni-
menlo.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por precos ra- ao CapiteS de CamDO e
desconfiare que te-
provincia
"le
Broao
Alvaro Barbosa da Silva, na ra da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que das diversas pinturas deltas se formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento como
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
tetligencia. Os apreciadores dirijam-se
ra do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeitos.
Bonitos enfeites para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimen:o de enteiles os mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel co&tume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Netas de la para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Nata mosca.
Na loja da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com componico para dar fim as
a
polica
200s000 ce gralificaco por cada nm
Desappareceu em principio do mez de culubro
prximo passado, de bordo do palhabcie nacional
Arroio Malo, dous escravos de nome Rnbert". por
appellido Macei, e Miguel, o Io de idade 45 anuos,
pouco mais ou menos, criculo, cor fula, estatura
baixa barba cerrada, nm pouco torio das pernas,
e com alguns cabellos brancos, tanto na barba co-
mo na cabega ; o 2 alto, cheio do corpo, sem bar-
ba, falla grossa, representa ter de 25 a 30 annos :
cujos escravos desconfia-se andareni pelos arrabal-
des desta cidade : quem os apprehender, queira
levar a ra do Trapiche n. 4, ou a bordo do Me
navio. __
Ausentou-se do engenho Freeheiras, fregu
i zia da Escada, no diasegundafeira 11 do corren-
te, o escravo de nome Cosme, crioulo, idade de 20
e tantos annos, estatura baixa, cheio do corpo, es-
padoas largas, falla um pouco manso, e levon ca-
misa e caiga de algoflo riscado, chapeo de paiha;
cujo escravo foi do Sr. Jos Ferr ira de Souza, la-
vrador do engenho Bainha dos Anjos da dita fre-
guezia. para cujo lugar provavel que se lenna
dirigido por ter sido cria do dito senhor, e foi ven-
dido nesta cidade ao Sr. Jos Rodrigues de Sena
roga-se as autoridades rompetentes e pe
particulares de o apprehenderem ediriglrem-seao
referido engenho, ou a ra do Imperador n 41.
terceiro andar, que se recompensar. ______
encic
mm
avariado.
Francez barrica
Portland idem
Em perfeito estado:
Francez barrica
Portland,
..l^m
I
55000
85500
105000
125000
Xo armazera de iJ^Pirmos caes dolApollo.
. Vende-se a casa terrea da ra de S. Jos n.
8, chaos foreiros: a tratar na praga da Indepen-
dencia n. 22.
Santos, em junho prximo passado pelo* Srs. Molla
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o i & Rlbefro por intorisago do dito Sr. Jos Ferrei-
effeito efficaz : molha-se o papel edeixa se;r
ficar n'um prato, e nelle pousando as mos
i cas, entristecem e morrem. Custa cada fo-
: Iha 40 ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca u 8.
I Diversos brinquedos e eniretenimento
para enancas,
A Aguia Branca na ra "do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
gas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
I elctricos, appareihos d? metal, louca pinta-
da e porcelana donrada para almo?' e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na ra do
Queimad), loja da Aguia Branca n 8.
Meias pretas de seda para sentrras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
c5o de meias prelas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preco que lhe cus-
! laram e o bom estado em que anda esto,
'comtudo est resolvida a vende-las a 5C0
ris o par, aOm de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, agora pois apro-
veitarem a quadra e dirigirem- e ra do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam-
f bem vender as brancas a i# o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
Vendem-se quatro burros muito mansos, bons
de carga e de sella, por prego commodo : a tratar
no hotel de Franga.
Acham se fgidos os escravos segrales: Rento,
mulato, idade de 25 annos, cabellos anudados, seo
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descangada ; eLniz,*
crioulo, j um pouco velho, allura regular, mniti
cabelludo, barba com alguns cabellos brancos, as-
sim como na cabega, corpo reforgado, olhos un?
tanto pequeos, falla grossa e as veres finre-s*
rouco : pede-se as autoridades policiaes e aos ca-
pites de campo que os fagam apprehender e con-
duzi-losa' casa de seu senhor o major Antonio Silva Gusmo, que generosamente recompensar,
e Ins pagar toda despeza que fizerem com a sua
condueco : supp5e-se que elles terao ido em se-
gnimento dos sertoes desta provincia, por serem
filhos desses lugares.
Fugio no dia 18 do crreme mez o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
ou menos, alto, roste comprido, suissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, ecostuma andar deaiper-
gatas, levou camisa de algodo, caigas velhas >
rotas, chapeo de palha velho, e tambera um bonet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por estt
cidade provavel que tenha ido para Serinbem
ou Rio Formoso, onde j tem sido capturado pu
vezes. Roga-se s autoridades e capiles de campe
que apprehendam e o levem ao seu ser.hor Joo^
Cavalcanti Lamenha Lins, residente na Estrada
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalcanti de
I Albuquerque, que se recompensar generosa-
> mente.
LISTA GERAL.
DOS PREMIOS DA I. PARTE DA i LOTERA, ^CEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 557, A BENEFICIO DO INSTITUTO ARCHEOLOGICO PERNAMBUCANO, EXTRAHIDA EM 29 DE SEIEMBRO DE 1865.
NS. PREMS. XS. PREMS.INS. PREMS.
290 65
3
4
5
8
13
14
i7
22
23
24
26
30
31
33
34
40
41
42
43
44
53
54
55
56
57
58
62
67
68
70
75
76
77
84
87
92
93
99
102
5
6
12
13
16
19
21
22
37
44
46
105
65
105
65
65
105
65
1005
4005
65
150
63
65
70 1:
71
72
73
77
79
82
83
88
89
95
97
99
202
4
5
11
13
14
16
17
19
23
25
30
31
34
37
38
39
41
43
44
46
50
56
57
62
63
64
65
68
73
75
79
,80
2t05
65
205
65
105
65
505
105
105
65
92
93
94
95
96
302
12
16
18
32
37
42
43
47
51
52
53
59
66
77
80
82
89
95
401
3
6
9
15
16
23
24
34
36
37
40
43
45
47
48
55
56
57
61
62
63
73
79
83
,65
NS. PREMS.
485 65
105
90
91
93
96
504
5
11
18
20
26
29
30
32
35
36
40
44
46
47
52
53
54
56
58
60
66
70
76
80
84
86
90
94
95
96
602
5
8
9
10
13
15
20
21
23
24
26
33
34
105
105
165
205
6
NS. PREMS.
636 65
37 -
40 -
47 f
48
55
56
64
68
69
74
75
77
82
85
93
94,
99'
701'
2
f
4
5
7
13
r9
33
36
37
39
41
43
46
53
68
71
73
78
81
82
84
89
90
94
96
800
3
4
5
XS. PREMS.
813 65
16 -
22 6:0005
30 65
34
38 -
53
54
62
67
69 -
70 -
71 -
73 -
40
65
NS. PREMS.
998
65
91
92
94
95
97
98
903
4
9
10
11
13'
23
25
28
33
35
41
45
49
50
52
55
56
58
63
60
66
71
75
77
83
84
85
94
1005
.105
99
1008
15
22
24.
29
32
37
44
48
52
66
73
74
81
84
85
86
91
92
95
99
1100
9
10
12
14
15
22
27
28
34
35
41
48
51
57
60
67
70
76
77
79
82
83
85
65
NS. PREMS.INS. PREMS.
105
65
105
65
90
92
-
1196
98
1202
4
8
13
14
19
25
26
29
35
44
48
50
51
53
54
55
59
62
63
65
67
75
76
78
79
95
1301
2
3
4
6
9
15
21
23
30
3*
3o
55
56
60
65
68
70
71
75
78
65
105
65
105
65
1384
86
87
99
1401
2
6
9
12
13
16
19
21
24
25
27
29
34
38
47
52
55
57
62
65
66
71
74
79
81
82
83
88
93
1506
7
10
14
15
17
18
21
22
24
26
30
31
38
43
46
105
65
65
105
65
65
NS. PREMS.
1560
67
68
72
76
79
82
83
92
94
96
98
1602
8
18
22
26
33
34
39
44'
48
49
55
61
65
72
80
82
83
86
87
1706
8
11
14
16
19
20
22
23
26
29
31
33
40 -
44
45
49
55
NS. PREMS.
105
65
65 1757
_ 60
_ 61
405 62
65 67
__ 75
405 76
65 79
81
_ 82
005 87
65 89
91
92
93
97
105 99
65 1801
2
3
^^ 4
_ 8
105 10
65 11
105 13
65 25
26
30
_ 39
_ 46
55
_ 58
68
69
71
74
75
76
77
80
81
83
84
88
92
__ 1903
8
_ 13
_ 19
_ 26
205
65
i
NS. PREMS.
1930 65
31
32
33
34
35
36
41
42
44
46
62
70
73
76
77
78
79
80
82
86
88
89
92
98
2003
5
6
7
8
14
15
17
18
26
29
40
42
50
51
54
58
59
61
62
69
79
93 -
105
205
65
NS. PREMS.
2097 65
^102
4
6
7
14
16
23
32
34
35
36
43
52
53
61
66
68
75
77
89
94
96
97
2200
4
7
11
12
13
25
205
405
65
105
65
NS. PREMS.
30
36
37
53
68
69
72
73
76
77
78
80
81
86-
88
89
94
2296
97
98
2304
5
7
9
12
21
26
27
28
38
39
43
44
45
49
53
58
59
65
68
74
76
84
2403
4
13
16
17
21
22
23
24
26
27
29
31
32
33
34
44
47
51
52
53
54
65
205
65
105
65
105
65
105
65
205
65
205
65
NS. PREMS.
2468 65
81
84
87
92
95
96
97
98
2500
3
4
6
14
19
22
29
33
35
36
46
49
54
76
81
85
86
92
93
97
99
2600
1
3
7
24
27
31
33
36
44
45
47
51
56
63
71
74
77
105
65
205
405
105
65
405
65
NS. PREMS.
2679
80
81
82
89
93
94
98
99
2702
4
8
10
11
16
19
21
4
25
26
38
41.
44
46
48
54
56
58
60
62
65
66
69
73
76
78
83
84
87
92
2808
12
15
18
19
23
24
31
32
33
405
65
1005
65
205
65
NS. PREMS.
105
2836
38
45
46
47
59
60
61
62
64
72
74
76
77'
79
81
83
89
90
2900
1
2
3
11
16
17
20
22
25
27
29
37
38
42
45
46
47
50
52
56
59
64
66
83
87
92
93
94
99
3000
65
105
65
105
65
10
65
105
65
105
205
J65
205
65



Diarlo de Pernafltbneo Sabbado 30 de Setembro de !*
LlTTERATB.
Gabinete portogaez l'ernambuco.
dar o papel que Ibe pertence nesla crusada ensan- lade com q
fuentada da barbaria paraguaya contra a cvllisa-
ci imperial I
le pressurosos acudimos aos amigaveis
reclamos de Brasil; qae o digam o fervor a o In-
teresse qua nos inspira urna causa lo justa; que
Este facto nao est na ndole do povo pernambu-, o diga o afija com que todos anciosos, offegantes,
!*-.?-e.IV!i!.r8" lxPlica55 no gimen social. aguardamos! noticias do sul, e saudamos a appari-
paquete como a de um mensageiro de
a que tem sido submettida esta ralate e impor-1 cao de cada
- -"!* !!1*" AqMles |ue ode,anB as Institu- boas novas.
Nao possol
Allocufao com que ...... ~.. ......----, -,
vice-director, abri a sessao magna em 15 ie v06* populares, nao veera que sao ellas no nosso
agesto de 186514 anniversario do Gabinete. rgimen o grande apoio dos {ovemos e o germen
Senhores.Cbeio de prazer e de honra, venho poderoso das grandes aegoes. Restituam se a Per-
cumprir com o dever que me impoe o artigo 68, nambuco a acgo e a palavra populares, e o eu-
24 de nossos estatutos, annnnciando-vos que o Ga- thasiasmo guerreiro se ostentar na altura das ne-
Bioete Portuguez de Leitura, celebra hoje seu deci-1 cessidades do dia.
mo quarto anno de existencia. Perdoae-me, senhores, se Oz esta digressao; ful
Oriundo de Portugal, estabellecido ha quarenta a ella arrastado por ver restabelecidas no Gabinete
annos no Brasil, tendo votado a metade de minha ( Portuguez de leituia suas sessSes magnas, com a
alma trra de meu berco, e a outra regio maoifestago dos sentimentos de nossa mocidade
bemlia onde nasceram meus filhos e netos, nao esperanzosa. E por esta circurastancia duplamente
posso esquivar-rae a ura sentimento de sagrado or- com vosco me congratulo,
gulho, quando vejo abragarera-se estas duas na- Dignae-vos de acceitar as fellcitago'es qae, em
coas, entrarem no mesmj templo, prostrarem-se nome do Instituto Archeologico e Geographico
ao mesmo Deus, e drrem na mesraa liogoa. ; Pernambucano vos dirige a commissao encarrega-
A intelligencia, como a rellgio, tem um abrigo da de o representar nesta brllbante festa era honra
sempre franco para todos os que se chegam a ella, das letras porluguezas.
Apparece por toda a parte, por todos os climas,'
por tolos os paires. Nao ha eutrigas que possam
envenenar suas sementes, nem poderes que a con-
sigam varrer da superficie da trra.
Ella eterna, porque urna das mais bellas re-
vellagoes da divindade.
O Gabinete Portuguez de Leitura urna prova
do que. acabo de avangar.
Fundado por um horaem amigo da sciencia e da
verdade, dispondo de poucos fundos, de poucos
recursos, tem prosperado at hoje, espalhando a
instruego e o amor do estudo, facilitando a leitu-
ra, qae desgragadameote para rauitos um pomo
vejado, at chegar ao poni lisongeiro em que se
acha actualmente.
Vos o vedes, senhores, maior parte de vos
que estaes presentes, podis testemunhar a mar-
cha perfectiva! de nossa associacao; e por conse-
guale estaes no caso dejulgar de stu adianta-
mente.
E pois, hoje que mais ura marco temos vencido
no nosso carainho, hoje que mais urna difllculdade
temos derribado, justo que por algumas horas
abandonemos nossos trabalhos para rendermos
gragas aos cos, e expandir a alegra de nossa
alma.
Es a razo por que nos achamos aqui.
Sep a nossa festa um hymno liberdade, e s
ettras, urna adoraco sciencia e litteratara.
Appaguemos em nosso corago todos os odios
passados, matemos o espirito de partido, suffoque-
mos a serpente da desunio, para que sua pesso-
nha nao corrompa o sagrado santuario de nossa
unituicao. Uaamonos, por quo a unio a con-
dicgao de toda a torga e de toda a conquista, seja-
mos irmaos, por que perante a deusa que adora-
mos nao ha extranhos era partidarios, e eu vos
asseguro que o Gabinete Portuguez de Leitura ser
o orgulbo de seus assocados.
Recebei pois minhas saudagoes e agradecimen-
tos por vossa solicitude, exultai, porque a festa
que hoja se celebra a festa do talento e da lus-
traco, entrai sem temor porque as portas do tem-
plo eslo abena?, e seu recinto franco para todos
os que pensara, todos os que sentera, todos os que
imatn a ciencia e as artes.
S le bem-vindos, senhores.
Duas patarras recitadas em sessao magna do Ga-
binete Portuguez de Leitura, por occusiao do seu
14 anniversario.
Socu o mais humilde e obscuro desta civilisado-
ra nsiituigo que, semeliiante a urna arvore fron-
dosa, abriga sob a sua protectora ramagem quan-
; tos a ella se querem acollier, eu onso hoje pela vez
primaba elevar a minha dbil voz perante to nu-
meroso e Ilustrado auditorio.
Grande a minha ousadia, sentiores, eu bem o
conbego; mas igualmente considero, que a bene-
volencia anda quasi sempre allada illustrago, a,
pois, nao deverei receiar muita severidade da par-
te daquelles cuja attengo ora onso oceupar, tendo
eu tambera apenas era vista em um dia para a nos-
sa sociedade to festivo, em um dia era que portu-
guezes e brasileiros nos achamos aqui congrega-
dos, a folgamos de mais estrellar os lagos que j
to estreilamente nos unem, cougratular-me com-
vosco pelo perfeito acord e boa harmona que rei-
na entre as duas nacionalidades.
nem devo mais demorar me nestas
consideracSd, senhores, com quanto o assumpto
me seja grat > era extremo, a permuta grande des-
envolviment i; a vossa attengo melhormente vai
ser oceupada por illustres a ja' de vos bem conhe-
cidos oradoras, que annualmente nos fazem aspi-
rar a suave fragrancia das mimosas flores, com
que to magistralmenle sem entretecer as suas
virentes grinaldas; volverei, pois, a' obscuridada
d'onde por um momento oasei sabir, fazendo com-
tudo sinceros votos para qu: o dia 15 de agosto de
cada anno saja para todos nos, porluguezes a bra-
sileros reunidos no vasto recinto deste Gabinete
nm da, que aos vlndonros perpetu as mais gra-
tas recordagoes de perfeita onio a concordia en
tre os merabros das familias brasileira e portugue-
za, que todos hemos mister de conservar, de estrel-
lar pelos mais robustos nos.
Joaqun Gerardo de Bastos.
>a<
O Gabinete Portuguez de Leitura em Pernambu-
co deveu a sua creago aos esforgos patriticos de
alguns portuguezes, que em boa hora entenderam
dever levantar em ierra estrauha, mas amiga, este
tropheu de gloria to signicativo de que alies bem
apreciam a uecessidade da cultura do espirito, do
desenvolvlmento das faculdades intellectuaes, a de
acompanhar o progresso e a civilisago, diffundin-
do-a como eslava ao seu alcance pelos nossos com-
patriotas, e facultando-a Igualmente a'quelles a
quem por tantos ttulos aos ufanamos de chamar
irmaos.
Graves estorvos encontrou a realisagao de to
til idea, mas como tudo vence a forga da perse-
veraba a do patriotismo, o Gabinete Portuguez de
Leitura logrou vingar, e, gragas aos esforgos con
tinuados das suas administrages, tem medrado
progresivamente at chegar a" lisongeira situago
em qae boje o vemos, podendo offorecer aos asso-
cados que coota em seu seio urna livraria nume-
rosa e escolhda em todos os ramos dos eonhecimen-
tos humanos.
Slnto o maior prazer em consignar aqui que,
couscios da utilidade resultante da conservago do
Gabinete, em todos os anno.
E' existir duas vezas,
E' nanea morrer tambera.
No mundosaber lado.
Marchae as faces no estado,
E nanea seris ningaem.
' grande, solemne, angosta,
Esse abrago fraternal,
Brilhante, immenso, robusta,
Do Brasil e Portugal.
O mogo e o velhopossantes
De seus feitos deslumbrantes
Dizem ao mundo que os v :
Das nossas victorias calmas,
Eis o thesouro de palmas
N'am monumento de f.
Aqui se fundem dous poros,
Lusitania e Santa Craz.
Ramos velhos, ramos novos,
Ambos se estrellan] de luz.
Sao dons cnticos que soam;
Sao duas almas que voam
Para os mundos do porvir;
Espadas, broqueis, diademas,
Tacapes, sellas, poemas,
Levam as raaos a sorrir.
Por cima destes dous Isceptros
Scintillam tambem dous ses;
Passam-lhe em frente os espectros
Dos nossos grandes hroes.
Que buscam ellas T Sauda-los.
Que buscam ellas ? C'roa-los
Co'a realeza dos coas;
Pois nestas horas felizes
Esposam-se dons paizes.
Ambos bemdiclos por Deas.
Discurso pronunciado pelo Illm. Sr. Luiz Nicolao
Faguncbs Varetla, acadmico da faculdade do
Recife.
Senhores IDominado anda pela agradavel im-
presso que me produzio vosso honroso convite ;
deslumhrado pela magostada do auditorio a pelo
brilhantismo' da festa que celebraas, nao posso ven-
cer minha timidez e embaraco, ao erguer a voz
fraca e sem prestigio neste recinto onde s devera
repercurtir a palavra da sciencia, da poesa e da
inspirago. Se porm a divindade nao me outor-
gou a sublime scentelha do genio, se porm meas
olhos cansados nao podem estender-se alera dos li-
mites tremendos de minha mediocridade, sobja-
me n'alma o amor s artes e as lettras, e o animo
de arrojar-me ante a imagem da civilisago, como j i
o Indiamo pbanatico anta a imagem monstruosa A humanidade avanga Ium sabio o disse
de Jangernaut. A humanidade nao se desen- Um apost'lo da idea, um nome Ilustre,
volve sem lulas, o progresso nao caminha sem
Victoriano Paulares.
Quinze de Agosto -Escripia para ser recitada na
sessao magna do 14 anniversario do Gabinete
Portuguez de Leitura em Pernambuao.
um baptismo de sangue, as grandes ideas nao
germinam sem urna tempestada de intrigas a
calumnias. A faisca celeste roubada a omni-
potencia de Jpiter consagrou o primeiro supplicio
intelligencia e a verdade. Scrates o heroico fi
Iho de Sophronisco teve a cicuta em premio de sea
genio. Jess expira estirado em seu madeiro no
Gjlgotba por ter sonhado ama lei mais branda que
o cdigo ensanguentado de Moyses. Jerooymo de
Praga, Joo Hass, Savonarola, Galileo continuara as
paginas sombras desse drama saistro onde a igno-
rancia e o erro suplantam a intelligencia, e o des-
tino do hornean prosegue em sua marcha perfecti-
vo! atravez dos ergastulos e patbulos, das cruzes e
das fogueiras....
Que honra a patria dos genios poderosos i
Dos Descartes, Hugos e De-Lavignes!
A humanidade avanga, lumiadi
Pela brilhante luz de um grande.seculo I
Val aquecida pela chamma augusta
Do sol da liberdade, que ba raiado
Entre as nuvens de sangue, p e fumo,
Desse noventa e tres medonho a bello I
Qual gigante cndor-o pensinente,
Nos raios desse sol banhando as azas,
Da sciencia percorre ignotos mare3.
Deixa, em ruinas, velhos preconceitos
E subindo at Deus, grita : sou livre !
A humanidade avanga I O despotismo
Despio as vestes fulgidas que ornavam
Aquelles raembros hirtos, deturpados,
Debalde, debalde, senhores, urna vez cabida no
entendimente do homem, a verdade como a se-1 ela d,ssoluao trPe das cortes I
mente produkiva do Evangelho, ha de crescer t'Corre esP'ril humano pressuroso,
Nao subsisleto ferros que preodam o pensamento, iLabios em fog0' ProMrando em ancias,
uao vigorara, leis que possam vedar aos ouvidos do
LM-M^aj. i "-";:, em iuuu ua auuos decorrdos as diver-
""ri^il^f **." P-1 .rectoras teera .Mo o prazer de desempenhar
de agradecer aos nossos irmaos
cente do ateimento Felosa, por parte do Ins-
tttuh Archeologico e Geographico Pernambucano. 6rit0 eQCarg0
Srs. do Gabinete Portuguez de Leitura.-O losti- brasileiros a sua eflkaz cooperago, que se batra-
cio Archeologico e Geographico Pernambucano, !duzd0 na offerla de valiosas obras. Uxal cada
havendo receodo o honroso convite qua lhe diri-' vez mais se reProduzara tao lisongeiros testemu-
gisles para asslslir prsenle festa do anniversario nllos de inleresse Pel estabelecimento, os quaes
la installago de vosso tao proficuo estabelecimen- rineanao encomios para quem os exhibe, redun-
to, eavia-vos de seu seio urna commissao eocarre- dam em muluo proveUo de todos ns-
gala dj apresentar-vos suas mais sinceras felicita- Ko lenciOQava. senhores, neste nosso festira ul-
:;es, participando assim do justo regosijo de que ,raPasiar o passivo e prudente papel de especta-
deveM achar-vos to legtimamente animados.' E 'dor' Prtin vndo ao estabelecimento hapoucas
a mic, como ura dos membros dessa commissao!hora?' vend0 s preparativos em que se azafama-
e orador do Instituto, cabe a distineta honra de vam alguni de nossos prestrnosos consocios; es-
er o interprete dos sentimentos de profunaa salis-
faccao, de que se acha possuido.
praiando olharcs enthusiastas por este recinto era
que, em idnticos dias, nos temos achado aqu, a
mutuamente expandimos cordeaes manifestages
, e contraternidade; contemplando as augustas el
0^ impulso manifestaraente salutar que haveis .
dado a cultura do espirito nesta trra, onde sois gies dos monarclias que presidem aos destinos das
presrnosos hospedes, por demais saliente, para nossas duas nages, e especialmente litando olhos
qns possa ura s momelo ser posto era duvida; e
sabera todos a intima ligago que existe entr a
cultura do espirito e a publica moralidade.
Congratulme anda cora vosco pela renovaco
la forma, porque costumaveis solemnisar a vossa
inslitofeSo, mediante sessoes magnas, onde a pa-
Iavra de oradores conscienciosos e de mancebos
cneios do mais santo enthusiasmo pela grande cau-
sa do progresso social se fazia oavir brilhante e
plena de bellas a eloquentes ligoes, que erara ou
'.ros tantos elementos de civilisago hngados como tambera exhibir entre vi
amplexo fraternal entre as duas nages amigas
habitando este solo bemaventurado. E eu, que
nba por costume trazer a ellas a minha humilde
oflerenda, posso dar testemunho dos benficos re-
sallados que ellas produziam, sempre supperiores
a qualquer enfado que possam ter causado algu-
mas prodaccSes de alcance menos pratico e menos
immediato.
O rgimen da palavra, embra suge.to a alguns
abusos que alias podem ser corrigidos, rae parece
sempre prefervel ao rgimen torvo e suspeitoso
do silencio. Ali a opinio, quando se desvair, en-
contra guias que lhe indieam o verdadeiro crai
nho i aqu, pelo contrario, o erro astuto sabe in-
sinuarse por caminbos sorrateiros a tortuosos.
Quanto a mim, prefiro essa pratica que vigorava
ha poucos annos as sesses magnas das diversas
associagoes que se desenvolviam na capital de
Pernambuco, mudez que ora se nota. Espiritos
tmidos se mostraram recelosos dessa manifestagao
de sentimentos populares; mas o certo que o
enthusiasmo nacional, raorto na palavra fallada e
na palavra escripia, se mostra na siluago em que
nos achamos muito a quem das condiges deseja-
veis em um paiz livre.
E se nao esta a verdade como expliaar este
amortecimenlo da opinio pernambucana diante
do grande acontecimento que atrahe os esforgos
da nacionaldad brasileira e para o qual conver-
gem as dedicagoes sublimes ? Kefirome, senhores,
a essa guerra que ao sul do imperio, guerra de
devastago e de barbaria, nos move sem motivo a
si arrastado por estpida ambigo o tyranno sel-
vagera do Paraguay.
La esta erapenbada a flor da mocidade brasilei-
ra, que ba sabido elevar-se a toda a altura do he-
rosmo ; l se trata de vingar o sangue brasleiro
atrozmente derramado e at a honra das familias,
calcada aos ps pelo selvagem embrutecido.
J o primeiro representante do Brasil, erguen-
do-se ao sublime papel de defensor perpetuo do
imperio, abandonou a corte e a familia para par-
tilnar com o simples cidado as fadigas da guerra;
a com aquella actividade e perspicacia que distin-
guen! o monarcha brasleiro procura levar a ani-
niagu e o enthusiasmo nacional ao corago dos
nossos soldados.
Entretanto Pernambuco, o bere que em outras
pocas salvou esta nacionaldad, o afamado guer-
rero do norte, parece adormecido diaute de to
graves acootecimentos; Pernambuco, depols de
enviar os seas primeiros contingentes, parece olvi-
vidos sobre os quadros que representara os vultos
egregios de Joo l'ernandes Vi aira, A. F. Camaro,
Andr V. de Negrelros e lleurique Das, desses
qoalro hroes que lauto brilbaiu na coramura his-
toria de Portugal e do Brasil, e foram os restaura-
dores da heroica provincia de Pernambuco, como
que desconlieci a minha nihiiidade, e olvidando ou-
tras valiosas consideracoes que por ventura po-
diam fazer-me hesitar, resolv tatnbem apreseular
o meu tenue e insignificante contingente, resolv
odos, irmaos, amigos e
compatriotas, um pequeo testemunho dos senti-
mentos que nutro, gloriar-me de ter por pai o ve-
lho e venerando Portugal, por irmo o joven, bra-
vo e esperangoso Brasil, e manifestar que, embora
boje materialmente desligado o pai do Qlho, para
com aquelle broto espontneos de raeu peito os
senlimentos mais cordeaes de profunda affeigo e
respeito, a para com este com quera ora estou mais
em contacto, e de quem aprecio as brilhantes qua-
lidades, os sentimentos mais fervorosos de perfeita
sympathia, de fraterna amisade.
Em todas as occasioes em que Portugal ou Bra-
sil, sentem as faces orvalhadas de lagrimas, ou
porque Ih'as faga nascer o jubilo, ou porque Ih'as
despert a dr, vemos os flihos de um e oulro paiz
tomarem parte activa, interessada, as magoas ou
alegras reciprocas, partindo o exemDlo dos thro-
nos, das altas regioes officiaes, at a' massa, at ao
coragao do povo, at s ultimas carnadas da socie-
dade.
Por urna destas provagoes, que em sua infinita
sabedoria o Omnipotente envia s vezes aos povos,
acba-se actualmente o Brasil empenhado em urna
guerra de honra, de brio, de dignidade, na guerra
da civilisago, offendida no que ella lem de mais
charo, contra a barbarie, contra a selvageria acan-
tonada n'um palmo de terreno l ao sul da Ame-
rica.
O Brasil nao eslava preparado para aparar a re-
bater de prompto os golpes vibrados pelas mos
dos salteadores do Paraguay, a por isso grandes
sacrificios tem elle precisado fazer e anda preci-
sara' para se desaffrontar dos ullrages, que to
traigoeira e cobardemente Iba foram feitos. Embo-
ra, muito embora I As hostes brasileiras, a sua
marioha de guerra, especialmente, acaba de forne-
cer ao mundo no glorioso combate* naval de Ria-
chuelo um brilhante exemplo de que a coragem, a
bravura, a intrepidez, o patriotismo, nao sao parti-
Iba exclusiva deste ou daquelle povo, se por ven-
tura o Brasil carecesse anda de taes demonstra-
gOes; a en, a ns, os Olhos de Portugal, orgulba-
mo-nos, congratulamo-nos por to heroico feito, ji
porque a gloria delle emergente sobre ns em par-
te reflecte, j porque como irmaos, as alegras dos
nossos irmaos sao tambem as nossas.
Portugal, e especialmente seus Albos residentes
as amenas a hospitaleras plagas brasilicas, nao
se teem mostrado indifferentes a' rude prova por
qae o Brasil passa; qae o digam as demonstrages
sinceras que teem bavido em todas as provincias
de norte a sal do imperio que o digam a boa von-
espirito, o prazer d escutar essas vozes melodiosas
que descera da patria eterna como os cantos inspi-
rados dos p/rophetas as cimeiras do Cedrn.
Camiobar estas mesmas palavras que to l-
gubremente soaram ao precito da legenda, sao a
divisa de [progresso. O anjo do desenvolvimento, o
genio que fustera o facbo brilhante que deve alu-
miar a tejra da proraisso, vai testa do genero
humano, Jriumphante, deslumbrador como a figu-
ra my.-licp do Manoujndosianico, sobre um alvo
co rcee rom a cabega coreada d tiles. O ejro camiuha paralelamente, mas o seu
aspecto simstro como o vulto do Giaur, o seu ca-
va! lo ntgro como o cavallo de Siva, e no seu
rastro at ram-se sequiosos os corvos de Josaphal,
e desenbam-se as sombras Iutulentas das agaias
dos Abru::zos. E' a lei de todas as cousas. O in3-
linclo religioso dos povos primitivos, nao pode bera
desenliara divindade sem contrapor-lhe o espiri
lo do mal. E' a dualidade Persa, a dualidade
christa. Ororaass e Arimanio, Jeovah e Satn.
Os majs bellos effeitos de luz foram apanhados
pelo genifj de Raphael e Kemtatndt na antithese
das sombras. A mais grandioSracgo da religio
o quadrd do ente inmaculado, esclarecido pelo ir-
radiar dasespheras, tendo ura olhar era Deus e ura
p sobre O inferno.
Desgragadamente a verdade que s urna adian-
to da razo, adianle do Um do homem, adiante do
principio absoluto que o rege, a verdade, essa ima-
gem sublime dos sonhos de Klopstok a de Milln,
tem sido a victima do espirito de partidot Para
uns ella est nos preconceitos e superstigoes de
urna edego de tradiegoes.as parbolas pavoro-
sas dos liradas ascticos, na iraposigo de S3res que
partllhara as tristes condigSes do erro e da fallibi-
lidadel Para outros est no orgulho, no triste orgu-
Ibo que traz como consequencia immediata a mi-
santropa de Tlmon o Atheoiense, e o fel do Caliban
de Shakspeare I
A fonte pura da verdade eterna I
E na sua passage', espavoridos,
Fogem os corvos das errneas crengas 1
i)a tyrannia escudoo fanatismo
D lugar razo, que vai levando
Sobre os povos do mundo o seu imperio.
Mais claras se deslisam turvas aguas
Dessa existencia de esperangas erma f
Ao talento se abriram novos mundos,
Mais largos horisontes, onde escrlpto
Alm ver seu nome em lettras d'ouro I
A humanidade avanga : a santa idea
Do progresso a condiw I Em cada peito,
Ura altar ao dever, outro virtude,
No fundo de cada alma um pensamento :
Suprema perfeiedo trra tnteira I
Era vez do cadafalso que as pragas,
Terrivel sorvedouroia arraslando
Tantas vidas em flor, que urna lei barbara,
Urna lei criminosa all levava,
Erguem-se os bustos de passados genios,
Que a fronte cingem de azuladas nuvens 1
Em vez da lucia que ensopava o solo
No sangue fraternal, lucta mprofkua,
Dainada filha de ambigdes sem nome,
Que as trevas mordiaro-se, febrentas
Pelo brilho da fama, onde subiara,
Mas seguidas do quadro pavoroso
De mootes de cadveresl surge,
Desponta a aurora festival que estreita
Em liberal amplexo o mundo inteiro t
II
Nago de brios, Portugal nao pude,
Nao eslava era seu genie avenlureiro
Cerrar os olhos e fugi/ luz 1 Xt~^
Astro soberbo, perennal luzeiro,
Emquanlo a Europa se envolva em trevas,
Em longes ierras arvorava a cruz 1
Ave gigante, desejando espago,
Do genio da tormenta, affronta as-iras,
E vai looge fitar mais quente sol :
Deixando um co d'amor, todo saphiras,
V-se a nobre princeza do occidente
Alm do Ganges conduzir a prol".
A verdade a razo, senhore*, nada mais do que
a consciencia individual, este principio que levou
Prometeo ao Caucaso, Christo ao Golgota, Lalier
ao fogu I Nada ha de verdadeiro fra de ns, em-
bora estejam pejados de preceitos os tratados de
theologia,embora os ntersssados nos aprseemem
suas mximas:medalbas cujo reverso representa
o Salan pavoroso, copia dos saiyros gregos, a qnei-1E' 1d ida Immorredouras epopas
mar almas, como se almas se podessem queimar I Quiz espaihar as paginas da historia
Embura, eu appellarei para a propria Biblia,, para
os proprios doutores da igreja. r
Nada ba de novo debaixo do sol, o que existe j
foi, o que ser, o que neste momento, diz o
Bcclcsiasles.
foli foros ir, in te ipsum redi, in interiore no-
mine habit vertas, diz S. Agostlnho.
Estas consideragoes, senhores, vierara a proposi-
to de vossa festividade. O Gabinete Portuguez de
Leitura teve raaos dias, hoje a primeira associa-
cao Iliteraria de Pernambuco. Os seus detractores
cahiram como os aojos rebeldes. Nao ha probabi-
lidade de habilitago 1 Teve o seu Calvario, tem
hoje a suaapotneose 1 E eu, que sempre terei urna
prece, um canto, um hymno, para tudo o que
progresso a liberdade, venho trazer e meu grao de
incens a a niiuha coroa de lauros.
Rasgaei a onda da intriga e da calumnia, passei
Impvido entre os imbecis, arrestando seus risos
estultos, e vira, pagar o tributada gratidao que vos
devo.
Eis o que vos poda dizer, senhdres, na vossa fes-
tividae; algoraas ideas minhas vos poderiam agas-
tar; a culpa vossa, desles-me ama importancia
que nio merego. Mas o qua acabei de dizer, o direi
senpre. Nada me araedrontar. Estas verdades
desapparecerao de meus labios, quando mais uma
gotta de sangue nao houve em minhas veas, nem
um assomo de dignidade em meu corago.
Inspirago de momento;poesa recitada no Gabi-
nete Portuguez de Leituro na noute de 15 de
agosto.
Por cima de um livro abarlo
Ha sempre um ralo de luz,
Que da vida no deserto
O pregrioo conduz.
Sorver da sciencia as fezes,
Se mais tarde, porm, nos rxos pulsos
Sentio cruel dor d'atras cadeias
E na face o rubor da escravido -T
Em honra liberdade,seu peado l
Quiz na obra soberba do resgate.
Mostrar s geragoes que aps viessem
Sobrehumano o valor dos flihos seus f
D'Almeidas e Ribeiros nao esqueeem
As heroicas aeges, que enchendo a trra.
Se elevaram brilhantes al Deus I
E hoje a onda de luz que o mundo corre
Veslio-se de fulgor, tomou mais brilho
Ao tocar magestosa seus umbraas t
Um nauta do pugresso em cada iilho
Tem da scen4^~~jvassando os mares,
Tem gloriosos feitos immortaes I
Por toda a parte, no seu rico solo,
Caminha a industria, recortando os montes,
Na Ilustradora forga dos vages;
Abrem-se as artes novos horisontes,
E os poetas em honra do trabalho
Soltara dos labios divlnaes cangoes I (2)
III
E ns looge da patria, bergo augusto
Que embalou nissa infancia, tambem temos
Em honra do progresso um templo erguido :
Alevanta-se aqu onde dous povos
Se fuadem n'am s povo, ante a sciencia !
A. de Souza Pinto.
(i)
(1) E. Pelletan, Le monde marche.
{i) Entre as mais brilhantes composigoes que
diversos poetas portuguezes tem apresentado em
lonvore anlmago dos que trabalham> avultam as
do Exm. Sr. Antonio Feliciano de Castilbo, o mais
incangvel obreiro do progresso. O seo livro Es-
trias Potico Musicaes deve ser decorado' por to-
dos aquelles qae se regosijam com a presperidade
de Portugal.
O autor.
DI POLCO DI TUDO.
Offerecemos attengo dos nossos leitores os se-
guimos tactos histricos a caractersticos.
CBH LIBRAS POR CASAB. POR CAUSA DE UM BILLIO
DE BEIJOS.
Sao coisas dos tribunaes inglezes.
E' urna questo qae se pode recommendar seria-
mente attengo dos inconstantes que promeltem
casamento sem pensaren) na gravidade da pro-
ra essa.
Nao em Inglaterra que podem ser lidos por
frivo-ios os juramentos de enamorados, e se o in-
discreto cahe na desgraga de escrever dona dos
seus pensamentos que a ama, qne a adora, qne
ella o gaz da sua vida, que elle est ancioso por
accender o facbo do hymeneu, e outras coisas
mais ou menos inconvenientes; e sobre tudo se
reconsidera depois de ter confiado do papel todas
essas bonitas coisas, a joven miss vai procurar
um advogado, porque as senhoras solteiras ingle-
zas sao todas muito praticas, conta-lhe a sua his-
toria com todos os pormenores, e intenta ama que-
rala.
A mesma historia outra vez contada na pre-
senga de um jury a de magistrados; por lm
cuidadosamente estampada as columnas dos pe-
ridicos e vai correr o mando todo.
Mas o jury, sempre galanteador, nunca deixa de
conceder queixosa uma indemnisago, qae faz
ficar um pouco caros alguns tristes bocados de pa-
pel rabiscados com a penna enlhusiasta da pai-
xo.
Ora, ara ceno antoa prendea-se em relagSes
intimas, porm honestisslmas, em 1833, com a fi-
lha nica de um negociante de Bradford ; estavam
ambos emprogados no mesmo armazem de ferra-
gens, a sem deixarem de oceupar-se com a venda
de cassarolas, ps e tenazes, tinham coraegado uin
dueto encantador que pareca nao ter fim.
A' noute, junto do pai da loira miss, o enamora"
do rapaz bem mostra va estar doido por ella, e ella
nao lhe Brava a dever nada.
A palavra promessa, era Inglaterra, nao uma
palavra va ; as miss tomara-n'a sempre a serio,
e eis urna prova :
Em 1858, Danton foi uma bella manha annun-
ciar sua futura que parlia para o Cabo da Boa
Esperanga.
Lagrimas, desesperago, etc.
Casemos, e leve-me comsigo.
Com a raelhor vontade; mas juigo mais acer-
tado que espere at que eu volte.
Parti, e cumprio a promessa que fizera de es-
crever.
E que carias, santo Deus t
Continhara miudezas to intimas, protestos de
amor tao enrgicos, que o jalz aconselbou ae ad-
vogado da miss que nao estafasse os ouvidos do
tribunal com a leitura de certas passagens.
O que certo que Danlon pedia n'essas cartas
sua bella correspondente que lhe guardasse a f
jurada, e jurava pela sua honra de dedicar-lhe
sempre o mesmo amor.
Em 1860 vollou Inglaterra.
J nao havia cartas nem havia nada.
O silencio mais absoluto.
A pobresinha devorou as sua lagrimas; imagi-
nou Danton assasslnado, morto de um ataque de
apoplexia, esmagado por uma carrnagem.
Anda ha pouco lempo o chorava, quando son-
be pelos peridicos (secgo dos casamentes, que
o que as meninas solteiras costumam 1er) que o
seu infiel eslava casado.
Furiosa, querelou do prfido e reguereu indem-
nisages.
O tribunal concedeu-lhe 103 libras.
Era urna consolago ; mas provavelmente pre-
fera s 100 libras um bom marido.
Miss Carr, diz o International, de Londres,
urna encantadora moga de vinte e dois annos;
filha de um honrado ntgocianle, e ha mais tempo
que os rapazes da visinhanga ao passarem por de-
baixo das janellas da linda donzella, soltara lasti-
mosos suspiros; porm a loira filha de Albion
conservava-se ndillerente a todas as demonsiragoes
dos seus indiscretos namorados.
Todava, um bello diaque queris ? o cora-
gao to fraco I alia prestou attengo aos pro-
tstese declaragaes de um gentleman, Mr. Atkins,
e como rapariga honesta que era, acceitou a ho-
menagem que lhe era offerecida ; mas de ludo in-
formou a seu pai, o qual permittio ao joven pre-
tndeme que viesse passar a noite junto da sua
amada.
E eomo M. Atkins, na minha presenga, beijoa
Marina por mais de ama vez, porque elle ja se
considerava.bgado, e devla, portanto, catar com
ella; este o mea ariamente principal, a d'aqui
nao arredo p.
Escasado dizer qne o auditorio apenan com
as mos as ilhargas forga de rir.
Os jurados retlrando-se para sala das delibe-
rares, concederam a miss Carr 400 libras de
damnos e perdas.
Achara-se registados mais 33 sinlstros occorridos
no mar.
Desde o principio do anno, o numero dos smis-
tros martimos de 1,331.
Uma das maiores fabricas de letras de cambio
falsas que lem existido da cario a qae acaba da
se descobrir em Berln, em casa de ama viuva da
idade madura.
Esta mulber, que ha dons annos se empregava
em negociar letras da cambio, a qae venda ordi-
nariamente a 30 por cento menos do valor nominal
as letras que tinbam noraes de pessoas respellaveis,
conseguio, pela exactido com que pagava as la-
tras, mesmo alguns dias antes do vencimento, cap-
livar a confianga de urna legio de pequeos cap-
talisias.
Foi assim que, depois de preparar o terreno, a
viuva emittio nos ltimos tempos 180,000 tnalers
em letras de cambio, a desapparecea com o di-
nheiro que .adquiri, e que, dedazindo o* 30 por
cento, perfaz a quantia de 126,000 tbalers.
ararn realmente engragadas estas duas crean-
gas j Atkins ainda nao era maior, e a bella miss,
que j tinha completado vinte e duas primaveras,
pareca nao ter mais de quinze.
Com as mos entrelagadas, diziam um ao outro
tudo o que os noivos em taes occasioes co3tumam
dizer, e fazlam e desfazlara castellos no ar ; nao
faltavam no raeio d'isto os juramentes, as promes-
sas, as proraessas...... sempre selladas com ura
be'J0..... na presenga do pap, que isso fique
bem entendido.
Alkins eslava na idade era qua a paixo invade
o corago e lhe devora todos os thesouros; s vi-
va para a sua nova; s a ella va, nao pensava
em mais ninguem, a devemos accrescentar que
lhe pagavam na mesma moeda ; e para prova disto
bastava dizer que quando elle se va obrigado a
partir para Cheshire, apenas chegado, pegava na
penna e escrevia a sua querida Martha uma com-
prida carta, na qual enviava um sonoro beijo
aquella que devia ser soa companbeira.
Martba apressava-se em responder; e devemos
suppor que esse beijo sonoro foi muito apreciado
viste que, n'oatra carta, o joven Atkins agradeca
a joven miss a remessa que ella lhe fazia de
10,600,000 beijos.
Guarda-los-hei, dizia elle, mas de que me ser-
viro elles estando eu s ? etc. Pois bera I sou
mais generoso do que vos, Martha adorada, a vos
envi 1,000,000,000,000 de beijos; acharis o al-
garismo demasiado alte ? Um billio I... Bem
dizem os poetas que c os beijos voam.
O billio de beijos desappareceu, assim como
aquelle que d'elle razia remessa.
O Sr. Cirr, pai de Martba, vendo sua filha gra-
vemente compromettida, engoifou-se n'um mar de
refleies.
Em Franca, um pap collocado em idnticas
circunstancias honvera levado sua filba a viajar
Na Inglaterra, Nafrara is business, e querendo"
sem dnvida, curar o mal palo systema homeop-
tico.
Vamos aos tribunaes, disse elle ; minha filha fl-
cara, tal vez, ainda mais comprometiida, mas___
os jurados conceder-Ihe-ho uma indemnisago.
Eis, portante, o caso narrado, divulgado perante
ojuize os Jurados; um amigo de familia, citado
como lustemunna, v-se na necessidade da expli-
car as suas theorias sobre os beijos.
As diversas castas de beijos, disse elle ; torna-
se evidente que o beijo que eu dava joven Mar-
tba era inoffenslva; ha mais de vinte annos que
sou amigo de seu pai.
Claro esta que o beijo qne o Sr. Carr deposilava
na testa de sua filha nao poda causar-lhe damno
algum ; porm, um beijo dado por um mancebo
a ama donzella bem educada, infinitamente mais
grave.
Ora, isso s deve ter lagar quando os dois jo-
vens eslao ligados um ao oatro pela sua palavra.
Os festejos de Brest foram o complemente dos
de Cherburgo, que igualaram pelo que diz respei-
to magnificencia, ao enthosiasmo e cordialida-
de que sera cessar reinaram as relagoes dos ma-
rlnhelros inglezes e francezes, enja allianga asse-
gura a manulengo da paz do mundo.
A esquadra ingleza, chegada a Brest em Si da
agosto, d'alll parti em 24 para regressar a Ingla-
terra, onde chegar algans dias antes da esquadra
franceza.
E' electivamente na enseada de Portsmooth que
a manada da Gra-Breanha dever retribuir as
honras que a marraba franceza lhe fez successiva-
raenle em dous primeiros postes militares da
Franga.
4 Eis aqui o programma dos festejos que aguar-
dara a esquadra couragada franceza no porto da
Portsmooth.
Na tarde do dia 9, dia da chegada da esquadra
franceza, o almirante e os officiaes superiores se-
ro recebidos a bordo do Osborne pelo duque de
Soraerset e pelos lords coramissarios do almiranta-
do; no dia 30, visitar-se-ha o arsenal e os princi-
paes estabelecimentos pblicos, e de larde lera la-
gar ura banquete a bordo da nao ingleza Duke of
Wellington.
Em 31 ha ver revista de tropas em South Sea
Common. Era seguida os officiaes francezes toma-
ro parle n'um lunch que Ihes ser offerecido -pelo
tenente general sr George Butler ; depois ser
recebidos pelo maire, pela corporago, e pelos ha-
bitantes de Portsmouth.
No dia 1.* de setembro ter lugar um grande
baile no arsenal, e no dia seguinte a esquadra sa-
tura de Spilhead.
Eis aqui o quadro synoptico das esquadras eou-
ragadas franceza e ingleza no mar, em abril de
1865.
ESQUADRA FRANCEZA.
Solferino, 1,000 cavallos. Este navio tem as ex-
tremidades couragadas at a linha d'agaa.
Mogenta, 1,000 cavallos. Couragado como o Sol-
ferino.
Magnanime, 1,000 cavallos. Uouragado de popa a
Valeureuse, 1,000 cavallos. Couragado de popa
a proa.
Provence, 1,000 cavallos. dem.
Suneillante, 1,000 cavallos. dem.
Savoie, 1,000 cavallos, dem.
Ftandre, 1,000 cavallos. dem.
Herome, 1,000 cavallos. dem.
Invincible, 900 cavallos. dem.
Gloire, 900 cavallos. dem.
Normandie, 900 cavallos. dem.
Couronne, 900 cavallos. dem.
ESQl'ADRA INGLEZA.
Azincourt, 1,350 cavallos. Couragado completa-
mente.
Warrior, 1,250 cavallos. Extremidades couraga
das at a linha d'aaua.
Blak Prince, 1,250 cavallos. Couraga parcial.
Achules, 1,250 cavallos. Couragado a excepgo
da popa e proa.
Royal Oak, 800 cavallos. Couragado completa-
mente.
Prince Consort, 1,000 cavallos, dem.
Caledoma, 1,000 cevallos. dem.
Ocean, 1,000 cavallos. dem.
Hedor, 800 cavallos. dem.
Zealons, 800 cavallos. Couraga parcial.
Valiant, 800 cavallos. dem.
Resistance, 600 cavallos. dem.
Defence, 600 cavallos. dem.
O Jornal de Lisboa publica o seguinte :
Durante a recente guerra civil dos Estados-Uni-
dos, os dous exercitos deram 252 batalbas mais ou
menos importantes:
89 foram na Virginia.
37 no Tennessee.
22 no Missorl
12 na Georgia.
10 na Carolina do Sul.
11 na Carolina do Norte.
7 no Alabama.
13 na Lulziana.
16 no Arkansas.
5 na Florida.
5 no Texas.
5 no Maryland.
14 no Kentocky.
1 n Pensil vanea.
1 no Novo Mxico.
1 no territorio indio.
A ultima mala de Nova-York, trouxe a sitnagao
floanceira, at 31 de iulho, que o secretario das fl-
nangas dos Estados-L nidos da America, poblicou
em 15 de agoste.
Ei-la:
Divida com jaro em especial
Divida com juro em moeda
legal...................
Divida cajo juro cessou.....
Divida sem juro...........
Daros.
1,108,62,641,80
1,289,156,548.05
1,527,120,09
357,906,968,92
Total 2,757,238,275,96
Os quaes muiltiplicados por 90d'ris, dio a qaan-
tia da 24,815:3244180.
O juro sobre o primeiro capitulo
de.
O jaro sobre o segundos de...
Oa res 1,353:362^319.
64,535,837,50
74,740,630,28

'

'\
.
139,262,468,78
PERNAMBUCO-HP. DE M. F. DE F.& P1LHO
i

' fc ai "r-irT" ~m. rv,^*,l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECQKFTAHF_TVQS7M INGEST_TIME 2013-08-28T02:13:18Z PACKAGE AA00011611_10781
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES