Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10780


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-*- p
AMO ILl HOMERO 223

,-, A vw*-



Par qaartel paga deitrt it 10 das da 1,' mez ...ti., 5|000
Jdem deaais das i.0' 10 das do comete deatra do qnartel. 6|000
Tarta aa carreia ft tres mtm ..,,.,,,,,,,:, 750
SEXTA FEIRA 29 DE SETEMBRO DE 1861
Par anno paga dentro de 10 das do 1, mez 191000
Parte ao correie por om anno ,.......,.,, S|000
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J.Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drijue?; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Pulios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Gosfa.
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falr.o Uias; Rabia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Ignarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aluuho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Lirooeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEiti, as quarlas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimentelras, as quintas
feiras.
.1
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do d?ei: tenas sextas ao meto
dia.
Segunda vara do clval: quartas a sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
5 La cheia as 11 h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Qaarto ming. ae 2 h* 37 m. e 52 s. da m.
19 La nova as 8 b., 26 m. e 10 s. da t.
18 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
25. Segunda S. Justina v. m.: S. Ni lo rom.
26. Terca. S. Cleofas; S. Firroino b.
27. Quarta. Ss. Cosme e Damlo irs. mm.
28. Quiuta. S. Wenceslao dnque monge
29. Sexta. S. Miguel arch.; S. Fraterno b.
30. Sabbado. S. Leopoldo i.; S. Urso m.
1. Domingo. S. Remigio b.; 5. Verissimo m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 12 horas e 6 minuto? da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos das 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figoelroa di
Faria & Filho.
PARTS eFFiSIAL
Expediente do dia 23 de setembro de 4863.
Ollicio ao Exm. desembargador provedor da San-
ta Gasa de Misericordia.Em vista do que V. Exc.
pouilcrou era seu offlcio de 23 do corrente, sob n.
394, acerca da admissao no collegio dos orphaos
dos iiIi i- do tenente do corpo de polica Thoniaz
Rodrigues Pereira, de nomes Silve.-ire Rodrigue
Pereira e Thomaz Rodrigues Pereira Jnior, pode
V. Exc. maodar admittir naquelle collegio o se-
gundo dos mencionados lllhos.
Dito ao marechal de campo commandante das
armas.Mande V. Exc. addir ao Io batalho de
guardas naconaes destinado ao servico da guerra,
o alferes do 3o batalho de infamara desle muni-
cipio Joo Paulo de Carvalho, afim de servir era
algoma das companhiv, cujos alferes nao se te-
nham anda apresenlaBo.
Dito ao mesino.Mande V. Exc. eliminar do Io
batalho de guardas naconaes ao servico da guer-
ra o guarda do Io batalho de infamara do muni-
cipio do Recife Joo Jos da Silva, aceitando em
seu lugar o paisano Francisco de Freitas Chaves,
de, seguodo V. Exc. declarou em seu offlcio n.
1,631 de 20 do correte.
D.to ao raesmeConvido V. Exc. o os offlciaes
do exercilo qus se acliarem disponiveis para assis-
tirem a benco da bandeira do Io batalho de
guardas nacionaes destinado ao servico da guerra,
as JO oras damanha do dia 28 do correute, na
igreja da Conceigo dos Militares.Fieram-se
os demais conviles.
Dito ao mesmo.Aunuindo ao que soliciDu o
commaudanle superior da guarda nacional do mu-
niciuio do Recife em offlcio n. 272, rec.ommendo a
V. Exe. que nao s mande restituir ao 6o batalho
de infamara, o guarda do mesmo Galdioo Apolo-
nio Pereito de Meoezes, visto que eslava designa-
do para o servico da guerra quaodo asseotou pra-
i;;i no 3' corpo de voluntarios a que est perten-
<:en lo, mas tambera considerar como fazeodo par
te do contingente ministrado pelo referido 6o bata-
lho, o guarda Inaocencio Jos GoncMves, Que es-
uva destinado para -estacar quanao se olereceu
voluntariamente ao major Alexandre Augusto de
Fras Villar.
Diio ao mesmo.Queira V. Exc. mandar ios
peccionar o paisano Sabino Joo Chinaco da Cruz,
que o guarda do batalho u. 22 de infantaria do
municipio do Limoer-, Antonio Pereira de Lima,
ollero -e para substitui-lo no servico de destaca-
mento.
Dito ao mesmo.A V. Exc. faco apreseolar pa-
ra serem reolhidos ao deposito os 4 guardas na-
conaes constantes da relaco junta.
Dito ao mesmo.Convenho em que sejam ex-
cluidos lemporammenie dos corpos a que perten-
cerera, coraopropoz V. Exc. era seu offlcio n. 1,602
de 18 do corrente, as pracas do exercilo, que rece-
berera commissoes para servirem de offlciaes nos
corpos de voluntarios da patria.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
ali-tar os cidados constantes da inqlusa relaco
cora destino aos corpos de voluntarios nella indi-
cados :
No 5 corito.
Jos Tliemoleo da Silva Junior e Jos Fidelis.
Ao 6 corpo.
Lourenco de Hint, Benedicto Temerimens, Pedro
Jos, Jos Nunes Brrelo da Silva. Hermino Alves
da Cruz e Fnucisco Ferreira de Mello.
Dito aonvsmo. Communicando-me o Exm Sr.
ministro da guerra, em aviso de 5 do corrente,
que uaquella dala se expedio ordem para serem
reniettidos a companhia de cavallaria desla pro-
vincia os olijeclos <|ue perlencem as pravas boje
suas, o.- quaes cunstam da relaco a que allude o
oflicio de V. Exc. n. 1,784 de 21 de agosto ulti-
mo : assim o declaro a V. Exc. para seu conheei-
menio.
Dito ao mesmo. Autorizando o Exm. Sr. minis-
tro da guerra, em aviso de 14 de agosto ultimo, a
manda- dar transporte para a provincia do Ama-
zonas, em algum navio deeMado, aocapito refor-
mado do exercito Malhias Vieira de Aguiar, e sua
familia : asim o comraunlco a V. Exc. para seu
conheeimeoto. e afim de que o faca constar a esse
cfliwal.
Ditoao mesmo.Em aviso de 2 do corrente,
coramunicou me o Exm. Sr. ministro da guerra
baver nessa data mandado firnecer pelo arsenal
de guerra da corte, os artigos constantes do pedido
que V. Exc. me apresenlou com o seu offlcio n.
1,38a, de 21 de agosto ultimo : o que declaro a
V. Exc. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.De conformidade com o que
me requereu o desembargador provedor da Sania
Casa de Misericordia era ofleto de 23 do corrente,
sob n. 393, ex peca V. Exc as suas ordeus, atim de
que o voluntario da patria Manoel de Souza Ma-
chado, aprsenle ao mesmo provedor a cerlidao de
baplismo de seu filho de igual noine, que tem de
ser admiltido no collegio dos orphaos.Communi-
cou-se ao Exm. desembargador.
Dilo ao mesmeSirva-se V Exc. de informar
acerca do que pede Manoel Francisco do Nasc-
mento oo requerimento que aqu junto, com o offl-
cio do commandante do corpo de polica desta
data.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. recolher ao de-
posito os guardas do batalho o. 37 de infantaria
do municipio de Cimbres, mencionados na relaco
junta.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. dar baixa do
3o corpo de voluntarios da patria aoestudaole Li-
duino Lamberto GastHlo-Branco, visto ser de me-
nor idade, segundo declarou o respectivo pai, ba-
charel Luiz Lopes Castello-Brance.
Dilo ao mesmo.Faco apresentar a V. Exc.
pelo alferes do batalho n, 37 da^uarda nacional
de Cimbres, Jo.- Vicente Pires de Carvalho, os
dous desertores Francisco Jos de Santa Anna e
Loureuco Jos Filippe, do 2o corpo de voluntarios
da patria, os quaes se apresentaram ao delegado
de polica do lerino de Cimbres, afim de gozarem
do indulto concedido pelo decreto de 31 de maio
denle anuo, convmdo que V. Exc. os faca seguir
para a corle na primeira opporiunidade.
Diloao mesmo.-Em deferimeoio du que reqne-
reu Anna Francisca Gomes da Cruz, mande
V. Exc. dispensar do servico da guerra, para que
eslava designado, o guarda nacional do Io batalho
de artilharia deste municipio, Manoel Ramos de
Souza.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Declaro a V. S., para seu conhecimento, e hm con-
veniente, que os venciraenios de que trata o raeu
olcio de 6 do correnle, relativos nao s aos 31
guardas nacionaes que vieram da comarca de
Goyanna com destino a guerra do sul, mas tam-
bem s pracas da mesma guarda, que os escoltarara
at esia capital, devem ser pagos ao 2o sargento
Elpidio Jos da Silva, conforme solicitou o respecti-
vo commandante superior em otncio de 18 deste
mez.Cotnmunicou-se ao commandante superior
de Govanna.
Dito ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi-
nistro da marraba em aviso de 31 de agosto ulti-
mo, que regresse a corle o commandante da com-
panhia de aprendizes marinheiro Manoel Jorge
Velloso, que requeren servir na guerra, logo que
aqu chegue o commandante mandado nomear para
o substituir, assim o communico a V. S. para seu
conhecimento.
Dito ao mesmo. -Restilaindo a V. S. a conta que
veio annexa ao sen offlcio de 18 do corrente, sob
n. 687, leoho a dizer em resposta que os medica-
mentos a que lie se refere, fornecidos pelo phar-
maceutico Joaquim de Almeida Pinto, para os vo-
luntarios da provincia do Piaohy, foram entregues
na secretaria da presidencia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Estando era termos os inclusos prets em duplcala,
que me remelteu o comraaodanle superior da co-
marca de Pod'Alho, com offlcio de 20 do corrente, I
mande V. S. pagar o* venciraentos a contar de 16
de agosto at 15 de setembro deste anno, do desta |
camenio de guardas nacionaes daquella villa.
Cororauoicou-se ao commandante superior de Po-
d'Alho.
Dito ao commandante superior do Recife.Avis-
ta do seu offlcio n. 272, a que respondo, recornmeo-
dei ao marechal commandante das armas, a expe-
dicao das couvenientes ordens nao para qu se-
ja restituido ao 6" batalho a que perteoce o guar-
da Galdino Apolioarlo Perfelto de Meoezes que j I
eslava designado para o servico da guerra, quando |
asseniou praca no 3 corpo de voluntarios, mas
tambem para ser considerado como fazendo parte
do contingente do mesmo batalho, o guarda lnno-
concio Jos Goncalves que estava designado para o
mesmo servico quando se ofTereceu voluntaria-
mente ao major Alexandre Augusto de Fras Vil-
lar.
Dito ao mesmo.Deferiudo o requerimento dos
negociantes matriculados James Ryder 4 C, sobre
que versa a sua informaco n. 281 de 30 de agosto
ultimo, auloriso V. S a mandar dispensar do sar-
vico at a prxima reunlo do conselho de qualifl-
caco o guarda do 3o batalho de infantaria Jos
Aunes Vieira de Souza caixeiro dos supplican-
tes.
Dilo ao commandante superior de Goianna.
Com o offlcio de V. S. de 20 do correnle, foram-
me apresentados os guardas nacionaes Joaquim Jo-
s da Hora, Lourenco Randeira de Aguiar e Manoel
Fortunato destinados ao servico da guerra, aos
quaes dei o conveniente destino, e espero que V. S. j
continu em seus esforgos, afim de completar com
urgencia os contigentes que tem de ministrar para!
o mesmo servico os corpos da guarda nacional sob
seu rommando superior.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do BrcjoForam-me apresentados e liveram o
conveniente deslino os 10 guardas do baialhSon.
37 de infantaria do municipio de Cimbres, mencio-
nados na relaco qoe acompanhou o offlcio de V.
S. de 16 do corrente e muilo confio do seu zelo e
louvaveis esforcos que promover cpm urgencia a
remessa dos guardas que faltara para o completo
contingentes exigidos dos corpes desse municipio e
do Brejo.
Dito ao commandante do corpo de polica.Man-
de V. S. alistar no corpo sob seu comraando, ao '
guarda nacional do batalho n. 20 de Nazareth Be-
larmmo de Souza Lyra.Coramunicou se ao com-
mandante superior de Nazareth.
Dilo ao mesmo.Faca V. S. alistar no corpo sob
sen commando, os paisanos Jos Vicente ferreira
de Aquino, Manoel Francisco do Espirito Santo,
Jos Cabral eLauriano Antonio dePaula, que foram
cosiderados capazes para o servico em inspecr;o .
de saude, segundo consta do seu offlcio n. 897, des-
la dala.
Dito ao mesmo. -Mande V. S..as?entar prai;a no
corpo sob seu commando, ao> paisanos menciona-
dos na relaco junta, visto que segupdo o seu offl-
cio i!. 301, desta data, foram julgados aptos para o
servico em inspecQo de saude.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.De- l
terminando o Exm. Sr. ministro da marinha era
aviso de 31 de agosto ultimo, que regressa a corte
o commandanie da companhia de aprendizes mari-
nheiros Manoel Jorge Velloso, que requereu servir
na guerra, logo que aqui chegue o commandante
mandado nomear para o substituir ; assim o deca-
ro a V. S. para seu conhecimento e execucao na
parte que Ihe loca.
Dilo ao mesmo.Era vista do que pondera a :
thesouraria de fazenda as informarles por copia
inclusas convm que V. S. mande reconsiderar o
orgami-nto, que devolvo, da despeza a fazer-ne com i
o travejamento do andar da torre do collegio, so-
bre o qual ten de descancar o mastro do telegra-!
pho.
Dito ao lente coronel Joo Correia Brasil,;
commandante do batalho n. 28 de infantaria da
guarda nacionel de Garanhuns.Recebi o offlcio
que Vmc. me dirigi em 7 do corrente, na quili-
dade de juiz municipal supplente em exercicio
desse termo, e em resposta tenho a dizer Ihe que
convm que Vmc. passando ao seu immedialo o
exercicio daquelle cargo de juiz municipal, reas-
suma o commando do batalho a que perlence, l-
tenla a urgencia das circunstancias em que se
ai-ha o paiz, e a necessidade que ha de enviar
quanlo ^ntes para e>ta capital o contingente da
guarda nacional que ao batalho, sob seu comman-
do. cotibe dar para os corpos destacados em servi-
(O de guerra.
Dilo ao juiz de direilo da comarca de Pao d'Alho,
O alferes secretario do batalhs n. 16 de infan-
taria desse municipio, Jesuino Domingos Carneiro,
acliava-se designado para o batalho de guardas
nacionaes aquartellado, quando Vmc o noraeon
uterinamente para o lugar de promotor publico
dessa comarca, e urgindo o servico qua esse offl-
cial se recolha quanto antes ao 2 daquelles cor-
pos : assim o declaro a Vmc. para que providencie
convenientemente no sentido de ser dispensado do
referido lugar, visto que pode a nomeacao recahir
em outro cidado nao menos habilitado.
Dito ao chefe da reparlico das obras publicas.
Concedo a aulorisaco que Vmc. pedio em offlcio
de 22 do corrente, sob n. 307, para mandar lavrar
o termo de recebimenlo definitivo da obra encam-
pada dos reparos da estrada de Apipueos, no lugar
denominado Mondego, a qual, segundo coosta de j
seu citado offlcio, acha-se concluida de conformi-
dade com o respectivo contrato, e nesta data re-
commendo ao inspector da thesouraria provincial,
que avista do competente certificado pague ao em-
preiteiro daquella obra a quaotia a que tiver di-
reit-i : o que declaro-lhe para sen conhecimento e i
em resposta ao citado offlcio.
Ditoao mesmo.Mande Vmc. levantar com ur-!
gencia a planta do povoado de Trombetis, e fazer
i'i plano da edificaco do mesmo povoado, correndo
a despeza desse trabalho, pela verbaeventuaes.
Dito ao mesmo.Mande Vmc. eniregar ao ins-
tituto Archeologico e Geographico Pemambucano
desta provincia, o lapide quadragular de granito,
que existe junto cocheira deste palacio, e tem
urna inscripeo amiga do tempo do governador e
capito general Duarte Sodr Pereira, a quil o
mesmo Instituto requisita para ser conservada no
respectivo museu.Communicou-se ao Dr. Jos
Soares de Azevedo.
Dito a Luiz Ignacio de Oliveira Jardim.Agr-
decendo a manifesiaciio de patriotismo que d
Vmc. era seu offlcio de 7 do correnle, offerecendo
lodo o ordenado que percebe como agenle do cor-
reio dessa villa, em beneficio das despezas da guer-
ra contra a repblica do Paraguay, emquaoto du-
rar aquella, e a contar do I* de julho ultimo, pa-
so a expedir as convenientes ordens para a arre-
cadaco de semeihante donativo, e espero que os
esf reos empenhados por Vmc. em agenciar vo-
luntarios da patria, sero coroados do mais lison-
jeiro resultad
Dilo a Francisco de Paula Cavalcanli de Albu-
querque, delegado de Pao d'Alho. Mande alistar
no 5" corpo de voluntarios da pauia o cidado Jo-
s Thimoteo da Silva Junior, que Vmc. me apre-
senlou com o seu offlcio de hontem datado, a que
respondo, e cont que continuar do mesmo em-
penho.
Portara.o presidente da provincia, attendendo
ao que Ihe requereu Jos CaeUoo Teixeira da Sil-
va, resolve conceder hcenca para ir ao presidio
de Femando, afim de all tratar de negocios de seu
inleresse.
Dita.O presidente da provincia resolve nomear
para servir era comraisso no 5 corpo de volunta-
rios da patria, os offlciaes seguiotes :
Para alferes quartel-mestre Joo Antonio da
Silva l'-iiin.
Para as companhias.
Tenente O lenle da guarda nacional Joaquim
Lopes de Almeida.
AlferesFloriano Jos de Miranda.
Fizeram-se as uecessarias communlcacSes.
26
Offlcio ao Exm. presidente da Associaco protec-
tora das Familias dos Voluotarios da Patria.Of-
ferecendo o promotor publico de Olinda bacharel
Manoel Isidro de Miranda, o por % do seu ordena-
do em favor das familias dos voluntarios da patria,
acabo de recommendar a thesouraria de fazenda
que proceda a arrecadaco de semelhaole donativo,
e faca entregar a respectiva importancia a essa as-
sociaco ; do que dou sciencia a V. Exc. para sua
direceo. Officiou-se neste sentido a thesouraria
de fazenda e communicou-se ao promotor publico
de Olinda.
Dito ao Exm. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia. Autoriso V. Exc, em vista
de sua informaco de 23 do corrente, sob n. 403,
a mandar entregar a Adriano Luiz da Cunha Pai-
va o seu filho da nome Jos Francisco da Cunha
Pai va, educando do collegio dos orphaos.
Dilo ao marechal de campo commandante das
armas.Sirva-sa V Exc. de mandar alistar no 3
corpo de voluntarios da patria ao Io sargento do
batalho n. 27 de Caruar, Celestino Pereira Gue-
des Alcoforado, qu para isso se ofTereceu no dia
16, couforme declarou-rae o respectivo comman-
dante em offlcio de 19 do corrente.Communicou-
se ao tenente coronel Joo Vieira de Mello e Silva.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no 5 corpo de voluntarios da patria, a Joo
Nepomuceno Alves llacil, urna vez que or-recen
do se elle para isso, aioda nao jurou bandeira em
outro corpo.
Dito ao mesmo.Passo as mos de V. Exc. o re-
querimento do voluntario da patria Joo Biptista
de Monea Freir, aura de que se sirva de atten-
de-lo no direilo que liver para usar da insignia Je
2 cadete.
Dilo ao mesmo.Informe V. Exc. acerca do que
expoe nos dous inclusos offlcios o commandante
superior da guarda nacional dos municipios de San-
io Anlo e Escada.
Dilo ao raesrao. Na leitura do offlcio por copia
incluso do juiz municipal do termo do Buique, en-
contrar V. Exc. explicado o equivoco que se deu
entre os nomes dos indios Jos Romo de Vascon-
celos e Jos Rodrigues de Lima Vasconcellos, o ul-
timo dos quaes se acha cora praca no 2a corpo de
voluntarios desla provincia e 30 do exeteito.
Fica assim respondido o offlcio desse commando
de armas do Io de agosio ultimo, sob n. 1 297.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. dar baixa do 3#
corpo de voluntarios da patria, o estudanle do 3
anno da faculdade de Direilo Joaquim Rogerio de
Oliveira.
Dito ao mesmo.Faca V. Exc. alistar no 3o cor-
po de voluntarios da patria o cidado Alexandre
Correa Cabral, que se oTereceu para servir no mes-
rao corpo.
Dilo ao mesmo. Remello incluso o requerimen-
to que me inderecou o solJado do 5o corpo de vo-
luntarios da patria Anniano Jos da Silva Prat),
que V. Exc. se sirva de atiende lo no direilo que
liver para gosar das honras de cadete.
Dilo ao mesmo.Mande V. Exc. elimiuir do 1
batalho de guardas nacionaes destinados ao servi-
co da guerra, o guarda Jos Julio do Espirito Santo,
que foi considerado incapaz do mesmo servico em
inspeceo de saude, seguodo consta de seu otli-'io
u. 1,669 de 21 do correnle, convindo que V. Exc.
rae declare a que batalho perlence o mesino guar-
da, allra de expadir-se ordem no sentido de ser
substituido.
Dito ao mesmo. Mande V. Exc. dar baixa ao sol-
dado do 3" corpo de voluntarios da patria JosThe-
moteo dos Santos, que de menor idade como
mostrou seu pai.
Dao ao mesmo. Si'va-se V. Exc. de mandar
alistar no o" corpo de voluntarios da patria a Jos
Victorino de Sant'Anna, Pedro Rodrigues de Olivei-
ra e Jos Laurentino do Carmo.
Ditoao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do ba
talho de guardas nacionaes destinados para o ser
vico da guerra, o guarda Manoel de Moura Fruc-
tuoso que foi considerado incapaz do servico era
inspeccao de saude, como consta do seu offlcio n.
1,656 de 23 do correnle, declarando V. Exc. o ba-
talho a que. perlence, afim de providenciar-se so-
bre a sua substituto
Diloao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que solicita o commandanie superior do munici-
pio do Recife, no incluso offlcio datado de 25 do
corrente.
Dilo ao Dr. chefe de polica.Exija V S. do de-
legado do termo de Tacarat, a remessa das rea-
coes dos presos pobrrs recolhidos a respectiva ca-
deia durante os mezes de fevereiro a abril deste
anno, afim de que po*sam ser examinadas e pagas
na thesouraria provincial as contas das despezas
feitas com taes presos naquelles mezes como decla-
rou o inspector da mesma thesouraria em olDcio n.
289 de 28 de julho ultimo.
Diloao mesmo.-Era vista do que represenlou o
desembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, era olllcio de 22 do corrente, sob n. 391,
recommendo a V. S. que mande receber no hospi-
cio de alienados era Olinda e faca recolher a casa
de detenco, onde deve ser conservado com segu-
ranca, o pardo Ignacio, escravo de Antonio da Sil-
va Gusmo. i.ommunicou-se ao Exm. desembar-
gador provedor da Sania Casa de Misericordia.
Dito ao inspector da thesouraria ue fazenda.
Tomando era consideraco o que no incluso reque-
rimento expde Beolo dos santos Ramos, recom-
mendo a V. S. que mande pagar, sob mioba res-
ponsabilidade, visto nao baver crdito para esse
flm, a quanlia de 466$400 que se Ihe est a dever,
proveniente do fornecimento de carne feilo ao ex-
melo hospital militar, a contar do 1 de abril at 6
de maio deste anno.
Dito ao me chefe de polica em offlcio de hontem, sob n. 1,457,
recommendo a V. S. que estando em termos o pre
junio em duplcala, mande pagar ao alferes Jos
Vicente Pires de Carvalho a quantia de 7865160
emque importara os vencimentos de urna forca de
guardas nacionaes que veio do termo de Cimbres
conduzindo alm de dous voluntarios da patria e
10 guardas designados para o servio da guerra,
os recrutas Norberto Jos Antonio, Joo Jos Fide-
lis, Ignacio Luiz de Araujo, Joaquim Jos Rodri-
gues, Anlonio Miguel Villa-Nova, Flix Nunes Ma-
rioho, Antonio Francisco dos Santos, Manoel Fer-
reira, Florentino Jos Alexaodria, Zeferino Euphra-
sio ou Flavio dos Santos, Francisco Jos Ferreira,
Manoel Vicente da Silva, Mauoel Jos Tavares, Ger-
mino Jos Ferreira, Manoel Jos Cavalcanti, 'gira-
co Jos do Nascimento e Jos Ignacio, os quaes
foram remellidos^o commandante das armas para
serem alistados nos corpos do exercito, segundo
consta do predito offlcio.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar os venci-
mentos a que liver direito o alferes Jos Vicente
Pires de Carvalho, commandante de urna escolta
dej guardas nacionaes que veio do termo de Cim-
bres conduzindo voluntarios da patria, guardas
destinados ao servico da guerra e recrutas para o
exercito.
Dilo ao mesmo* Remello incluso os requeri-
menios, que me e*>recarmm o caj.itao Francisco
Borges Leat raffetoj Amonio Arlhor Moreira de
Mendonga, amftaa dj& corpo de polica, para queV.
S. mande abonar en os devidos lemp a consig-
iiac.ai) que eilei pretendem deixar de seos sidos
nesta provincia. '
Dito ao mesmo.Ioteirado de quanto V. S. expoz
era seu offlcio de hontem sob n. 710 tenho a dizer
em resposta que pague sob minha responsabilida-
de, visto nao hater crdito para esse flm a quantia
de 224709, que se est a dever a Francisco de
Souza Guerra, proveniente do aluguel das casas
que serviram de quartel as pracas do corpo de
guarnico destanas em Villa-Bella, a contar de 19
de maio a 30 de junho deste anno.
Dilo ao mesmo.Nesta data e para prestar o
servico que era feito pelo corpo de guarnico,
maodei destacar na villa do Granito, 1 alferes 1
inferior e lo pracas da guarda nacional : o que a
V. S. communico para o su conhecimento.
Diloao in-pector da thesouraria provincial.
Respondeodo ao offlcio que V. S. me dirigi hon-
tem sob o. 381, tenho a dizer qoe a quantia de
2:1004000, que vi ser empregada no pagamento
dp fardamenlo contratado para as pracas do corpo
de polica que se destinam ao servico da guerra do
sul, deve ser considerada como um adiantamento
feito ao mesmo corpo, e como tal descontada na ra-
zo dos 80 rs. diarios votados para fardamenlo na
tabella a qoe se refere o art. 52 do respectivo re-
gulamento, dasgraiificacoes concedidas a taes pra-
Cas pelos arts. 6 e 7 da le n.61i de 2 de maio des-
te anno, como V. S. indica no final de seu citado
offlcio.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. para seu
conhecimento e execaeao copia do plano, qoe nes-
ta dala approvei para a extraeco das parles da
lotera desla provincia.
Dito ao mesmo.Em de'erimenlo do requeri-
mento de Joaquim Mara de Carvalho, e tendo em
vl-la o que a esse reaneilo informm o director ge-
ral da Instrucgo publica em offlcio de honlem,
s ib 268, r.-i-orainendara V. S. que mande pagar a
suppiicaiiie a gratlficaco que liver vencido como
professora interina da cadeira de instrueco pri-
maria para o sexo feminino na villa de Tacarat,
nao obstante a falta qoe se nota no respectivo titu-
lo documpra-sedo mencionado director geral.
Dito ao mesmo.Residuo a V. S. as contas que
vieram annexas ao seu offlcio de 28 de julho pr-
ximo lindo, sob n. 289, relativas as despezas feitas
com o sustenio dos preses pobres da cadela de Ta-
carat durante os metes de agosto do anno prxi-
mo passado at abril ultim-, alio de que mande
pagar a Balbino SimSes de Carvalho Camello Pes-
soa, para is.-o indicajKjto offi-io do meu anteces-
sor de 4 de junho, avaHRe' a quantia de 1104200
rs., em que segund$JHreet da contadoria dessa
thesouraria importa^-jafs despezas, a contar de
agosto ja citado a jaeiro desle anno, por ter de
glozr-se as respectivas coatas a de 334800 rs.,
correspondente aos presos Claudiao Jos de Souza
e Joo da Cruz do Nasciir.ento, que nao se acham
contemplados as relacSes remeitidas pelo delega
do daquelle termo.
A importancia das contas dos mezes de fevereiro
a abril ser paga depois que o mencionado delega-
do enviar as relacSes dos presos corresponlenles
a esses mezes e que nesta data sao exigidas.
Dilo ao mesmo.Recommendo a V. S. que estn
do em termos o pret junto em duplcala maode pa-
: gar ao negociante Jos Mara Ferreira da Cunha,
conforme solicilou o commaudanle superior da
comarca do Limoeiro em offlcio de 20 do correle,
i os vencimentos a rontar de 16 de agosto ultimo at
113 deste mez do desUmenlo de guardas nacionaes
I exislentes naquelle lermo. Communicou-se ao
commandante superior do Limoeiro
Dilo ao mesmo.Se nao houver inconveniente
mande V. S. pagar a Francisco Canuto da Boavia-
[ gem a quantia de 1514600, despendida durante os
mezes de abril a jumo desle anno com o sustento
dos presos pobres da cad-ia do termo do Ouricury,
como se v das 3 inclusas contas que vieram anne-
xas ao offlcio do. chefe de pol cia datado de 23 do
correte e sob n. 1431.Coramunicou se ao Dr.
ebefe de polica.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
No vapor da companhia Pernambucana de nave-
gaco costiira, que deve seguir para esse presidio
no dia 28 do corrente serio envalas os 13 senten-
ciados de jnstica constan es da relaco e guia jun-
tas, os quaes vao ahicumprir as peaas a que esto
condemnados.
Inclusos achara V. S. para terem o conveniente
destino as guias de 9 dos sentenciados qje ah
exisfra sem ellas-e cujos nomes vo descrptos na
relaco n. 2.
Dito no commandante superior da guarda nacio-
nal da Boa-vista.Recebi o offlcio de V. S. de 20
de agosto prximo (iodo, acerca do procedimeuto do
alferes do batalho n. 47 de infantaria da guarda
nacional dessa comarca Andr Nunes de Barros, e
em resposla tenho a dizer que esse offlcial foi priva-
do do posto por portara de 20 deste me*, por estar
comprehendido as disposicoes do Io do artigo 65
da le n. 602 de 19 de setembro 1850.
Dito ao commandante superior da guarda na-
' clenal de Cabrob.Mande V. S. destacar na villa
i do Granito 1 alferes, 1 inferior e 15 pracas da guar-
i da nacional sob seu commando superior e commu-
I nique-me a data em queentrarcra estarem em ser-
! vico.
Convm declarar a V. S. que os guardas que por
i ventura estverem prestando servico anteriormente
i a esla ordem e em vrlude da circular desta presi-
deucia de 5 de novembro do aono passado, nao
lein direilo a vencim-ntos por l-rem sido chama-
I dos a presta-lo gratuitamente, como sao obrgados
: por forca do art. 86 da le n. 602 de 19 de setem-
bro de 1850.Fizeram-se as necessarias eommuni-
; cacSes..
Dito ao mesmo.Respondo ao seu offlcio de 10
| do mez prximo fiodo, dizen'Jo que a duvida a que
, V. S. allude, ja' fui decidida por oflkitfs de 3,11,
114 e 16 daquelle mesmo mez, nos quaes declare
que, de coufonnidade com o disposlo no ari-1. do
decreto n. 3,506 de 4 de agosto desle anuo, as de-
' signares dos guardas nacionaes para o servico da
' guerra, quaodo uo esiive>sera feitas por falla de
! reumo dos conselhos de qualilicaco ou de revis-
i la, deviara fazer-se pelos commandunles de bata-
j lliao, cora recurso para os coinraandanies supe-
riores. Pelo que nao ha motivo para demorar a
marcha para esta capital dos contingentes que ao
municipio do Granito coube dar : cumpriudo que
V. S. faca submetler a conselho de disciplina, nos
termo > do art. 99 da le n. 602 de 19 de setembro
de 1850, acuelles offlciaes e cominandantes de cor-
pos que nao tlverem aquarlelado os guardas de-
signados de seus baialhoes ou companhias e com-
* munique-me Iminediataraente para applicar-lhes as
penas eslabelecidas no decreto cima citado.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Man-
: de V. S. por a disposico do Dr. chefe de policia,
j em lugar que elle iodicar, as lanchas qua forera
precisas para o embarque de 13 sentenciados que
tem de ser enviados para o presidio de Fernando
! no vapor da Companhia Pernambucana no da 28
do crranle.Commuuicou-se ao Dr. chefe de po-
licia.
Dilo ao commandante do orno de polica.De-
feriado o requerimento do soldado do corpo sob
seu commando Manoel Vaz Pantalao de Oliveira,
sobre que versa a sua informaco de 21 do corren-
te, autoriso V. S. a eoneeder perasso ao suppli-
do Diario de Pernambuco de hontem, proceda a
semeihante respeito como for de direito.
I Dilo ao engenheiro fiscal da ponte de ferro.
Accusando recebido o offlcio de 21 do corrente,
em que Vmc. rae declara que para duraco
; da ponie de ferro do Recife julga de necessidade
que sejam cheias de betn as columnas de ferro
sobre qne asienta a mesma ponte, bem como que
tendo ficado desamparada junto a predita ponte o
iogresso ella no bairrodo Santo Antonio pelo lado
do sul era virtude do alterro para o calcamento
ter subido at a parte superior do caes contiguo,
julga tambera de necessidade ceroar se esse caes
por um gradil de ferro, para evitar que os tran-
sentes ao menor descuido caiam ao rio, tenho a
dizer-lhe que parecendo-me convenientes as obras
Indicadas no seu offlcio proceda Vmc, e me remet-
a os respectivos orcamentos.
Portara.O presidente da provincia, altenden-
do ao que requereu Joo da Silva Augusto, resolve
conceder-lhe licenca para ir ao presidio do Fer-
nando no priraero navio que para all seguir, le-
vando comsigo os gneros constantes da relaco
junta assignada pelo secretario do goveroo, nao
podendo porm elTectuar o desembarque dos ditos
gneros sem que por parte do commandante do
mesmo presidio se proceda a exame, ahm de se
verificar s< In agurdenle ou outra qualquer be-
bida espirituosa.
Dita.O presidente da provincia, lendo cm con-
sideraco o que propoz o director geral da iostruc-
Co publica em offlcio de 25 do corrente sob n. 266
resolve nomear a Sebaslio Antonio de Albuquer-
que Mello para reger inlermamente, e mediante a
gratificaco annnal de 600400o a lerceira cadeira
de inslrucco primaria da freguezia da Boa-Vista
desta cidade.Fizeram-se as necessarias coramu-
nieanoes.
Dita.O presidente da provincia, resolve desig-
nar o alferes do 3o batalho da guarda nacional
Joo Paulo de Carvalho para servir na 4* compa-
nhia do 1 batalho da mesma guarda naeional
destinado ao servico da guerra, ao qual ja se acha-
va addido, e em substituieflo do alferes Andr Nu-
; nes de Barros, que foi privado do poslo por porta-
ra de 20 do corrente.
Dita. O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
| cana, faca transportar no primeiro vapor que se-
; gulr para o presidio de Fernando, por conta do mi-
nisterio da guerra, os arligos de fardamenlo que
o commandante do batalho n. 9 de infantaria da
guarda nacional de Olinda tem de remetter ao
i commandante do contingente do mesmo batahlao
destacado naquelle presidio.
cauto para usar da insignia de soldado particular,
! quando embarcar para a corle com o corpo.
Dilo ao mesmo. D V. S. baixa ao soldado do
corpo sob seu commando Jos Domellas Cmara,
i aceitando era seu lugar o paisano Jos Pereira da
Silva, que elle offerece para substitui-lo, visto que
oi considerado apto para isso em inspeceo de
saude, segundo V. S. declarou era sua informaco
de 25 do corrente.
Dito ao director geral da instrueco publica.
' Approvo, afim de serem admissiveis no ensino das
escolas, os quadros de agrimensura applicados ao
| ensino mutuo e simultaneo pelo Sr. Laraotne, ira-
'duzido pelo professor Joo Jos Rodrigues, que
, para terem esse destino V. S. rae remelteu com o
| seu offlcio de 23 do correnle sob n. 269.
Dito ao presidente e merabros da Associaco
i Commercial Beneficente.Respondendo ao offlcio
| de... do correle, que rae dirigi a Associaco
Commercial Beneficente, cabe-me diz>-r que quin-
ta-feira, 28, as 7 horar da tarde, poJerei ter a hon-
ra de recebe-la, como desoja.
Dito ao Dr. juiz de direilo da primeira vara des-
la cidade.Em addltamecto ao meu offlcio de 31
do mez prximo lido, remello por copia a Vmc.
i o que recebi do director do arsenal de guerra
com os documentos em original a que elle se re-
i rere adra de que em vista do que consta d'elles e
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlcl general do eoiurnando das armas de Per-
nainliuco ua cidade do Recife, 28 de setembro
de 1863.
Urilan dia n. 121.
O marechal de campo commandante das armas
nomeia o Sr. segundo lenle reformado do exerci-
to Jos Ribeiro Padilha para servir interinamente
o lugar de ajudanteda fortaleza do Brum em subs-
tituto ao Sr. lenle ajudante da mesma fortale-
za Joo de Cerqueira Campado que foi sorteado
para servir na presente sesso dos jurados.
(Assiuado.) Frawisco Sergio de Oliveira.
El conforme. Antonio Francisco Uuarte, 2o
teuenie-ajuJanle de ordens interino encarregado
do dealhe.
EXTERIOR.
i OilKKSPOVIEXI VS !> O 1-
111 UE PERffAHBC
PORTO.
12 de setembr.
Est prximo o dia da inauguraco do palacio
de crystal portuense, e por isso a abertura da ex-
posico nt -rn ni ocal, que, como ja dissemos, ha de
effectuar-se uo da 18 do correnle.
A festa promelle ser grandiosa, memoravel, por
que a ella concorrem mais de tres mil expositores,
com variadissimos producios da Allemanha, Fran-
ca, Inglaterra, Italia, Blgica, Hollanda, Suissa,
Turqua, Estados Unidos, Brasil, Hespanha, e Por-
tugal. Se excepluarmos os expositores portuguezes,
qua sobem a mil, os dous primeiros dos menciona-
dos paizes que teem raaior numero de exposito-
res, pois da Allemanha concorrem uns 500 e da
Franca mais de 300.
Da Allemanha vieram amostras de la vegetal,
formada do pinheiro sylvestre, da qual sefabricam
tecidos muilo finos, como cobertas, camisas, avias,
etc.; damascos de variada qualidade, rendas, amos-
tras de essencia que sao erapregadas na composi-
Cao de licores e pertumes; productos de porcelana
e crystal.
Da Franca figurara os bellos tecidos das fabricas
de Leo, os excelleotes productos de ourivarsaria,
loueas, quinquelhanas, papis pintados o muitos
outros artefactos de diversa natureza.
A Inglaterra sobresae com variadas e bem acaba-
dos productos e entre elles grande coMeclo de
loucas.
Contra os vaticinios de alguns productos certo
que a industria portugueza loma parte muito hon-
rosa nesta grande festa do trabalho. Nao (era de
que se eovergonhar.
IIavernos em occasio opporluna tratar detida-
roenle daexposicao internacional portugueza. Para
enlo reservamos aa nossas reflexdes.
Podamos na actualidade dizer alguraa cousa a
respeito deste ooiavel aconlecimcnto, porm a mor-
te de um filho na primavera da vi ja, succedida no
dia 31 de agosto ultimo, impressiouounos de tal
forma que s por um grande esforco de voolade
podemos boje satisfazer aos uossos diveres de
correspondente.
iiiz-.-e que S. M. el re i o Sr. D. Luiz parte de Lis-
boa para esta cidade no dia 16 e que regressara
a capital no dia 21.
O Sr. Januario Correa d'Almeida, que tinha sido
demiltido de governador civil do districto do Porto
pelo ministerio presidido pelo Sr. marqnez de S,
foi novamenie nomeado para, o mesmo cargo, do
qual hontem toraou posse logo que nesta ci-
dade.
S. Exc. gosa de moilas sympathias. Foi espera-
do por muilos cavalheiros na estacao do caminho
de ferro em Villa-Nova de Gaia. Na recepeo
houve foguetorio e msica.
Para o districto de Braga foi nomeado governa-
dor civil o Sr. visconde de Pindello.
Na companhia de seguros Seguranca, desta cida-
de, tem havido mosquitos por cardas era conse-
quencia de traspasses de acedes. Deu-lhe lugar o
baver em assembla geral de 16 de agoslo ulurao,
sido regeilados alguns individuos que eslavam as
mesmas circumstancias de ouiros que foram ap-
provados na mesma assembla geral. E na verda-
de o fado era extraordinario e revollante e nao
poda passar sem correctivo, e foi por esla razo
que 38 accionistas requereram convocaco extraor-
dinaria da assembla geral para se resolver se era
compativel com a lei e Interesses sociaes que no-
vamente fossem sujeitos a votacao os candidatos a
socios que na dita reunido tiohara sido repro-
vados.
A nova assembla geral effeelou-se no dia 4 do
correnle. Assislio o Sr. conselheiro Lousada, fis-
cal do governo junto das companhias anonyraos, e
decidise que fossera validas todas as resolucoes
da assembla geral do da 16 em quanlo foi legal
o numero da accionistas presentes.
Segundo o art. 25 dos estatutos a assembla
geral comp5e-se de todo o accionista que liver urna
ou mais accoes, e nao pode constituirse se nao
estiverem presentes pelo menos 30 accionistas. Ura
a assembla geral, que foi o pomo da discordia,
abrise com numero superior quelle, mas como
durante a sesso sahiram alguns accionistas parte
dos cavalheiros proposlos para socios foi regeitada
quando ja na sala nao eslavam 30 accionistas, e
assim tem de h'aver prximamente outra assembla
geral para reconsideraco dos actos julgados
lli-gaes.
U corrolario de tudo isto que houve concluio
entre a direceo e alguns accionistas seus adeptos
para serem reprovados cerlos e determinados indi-
viduos que tendo comprado accoes se propunham
ao approvo da referida assembla geral.
A junta geral do districto de Villa-Real, na sua
ultima reunio ordinaria, ordenou que fossem ex-
tractas, como erJeclivameole acabam de ser, as
rodas de expostos nos concelhos do Peso da Regua,
Ribeira de Pena, Sabrosa, Meso-frio e Mun;a, por
serem mal administradas e a mortalidade dos ex-
poslos regular por tres quartas partes.
No anno passado entraram as rodas do distric-
to 1,172 exposlos e fallecern! 867 I
As rodas, conforme ellas estavam sendo regidas
tera sido condemnadas em lodos os districtos do
reino. As juntas geraes j ha annos tratara de as
melhorar introduzindo-lhe reformas que nao aca-
bam pela raz com o mal, porque este provera mais
da desmoralisaco do nosso secule que da propria
iustituieao, ao menos atteouam Ihe os efleilos. A
qoesto das rodas e do pauperismo sao dnas ques-
t'35 de alta importancia social que, digamos de
de passagem, a primeira tarde ser resolvida e a
segunda eremos que nunca.
A mesma junta votou o subsidio de 3504, a um
empregado do governo civil para inspeccionar as
ir manda des, coofrarias e (.apellas do districto, cuja
boa adrainislraco era duvidosa por nao terem
devi.lamente prestado conta ha alguns annos.
Este mal tambem quasi geral no paiz. Cerlos
e determinados individuos, a coberlo do manto da
religlo, apossaodo-se do governo desles eslabele-
ciraenlos creein que os ssus haveres sao patrimo-
nio exclusivo delles e dos seus adeptos. Depois de
raalbaralarera paria dos bens e dinheiros que Ihe
forara confiados para administrar, negam-se, so-
bre qualquer pretexto, a prestar contas. Um des-
ses pretextos, e o mais geralmente seguido, que
0 governo nao quer liscalisar mas sim saber minu-
ciosamente dos bens e rendimentos destas corpora-
les religiosas, para, como elles dizem, Ihe < dei-
tar a mo.
Desde 1834 que existe esla reluctancia, porm o
mal velhissimo. E assim, os fundos de algumas
irmandades e eonfrarias acham-se totalmente per-
didos.
Nesta sesso foi ainda votada pela ju. verba
de dous contos de reis para reparos.....casa do
asylo de Villa Real, e mais 3304000 para dutaeao
de 14 asylados, sob a condico do asylo ficar cora
a qualidade de districtal.
O Diario de Lisboa, folha offlcial do governo,
est publicando o resultado do apuramento defini-
tivo de pessoas inscriptas no recenseamenlo geral
e simultaneo da popuiaco, elfecluado em todo o
reino em 31 de dezembro de 1863 Por elle se
verificou que no districto do Porto existiam
n'aquelle dia 423,676 almas nos dezesele concelhos
que compem o mesmo districto, a saber :
Districtos. Almas.
Amarante................................ 29,022
Baio..................................... 19,410
Boucas .................................. 18,026
Felgueiras............................... 20,2'5
Gondomar............................... 21,858
Louzada................................. 14,318
Maia ................................ 16,107
Marco de Canavezes.................. 23,850
Pacos de Ferreira.................... 9,647
Paredes............................. 17,680
Penafiel............................. 28,752
Porto.
1 Bairro (Sania Catharina)........... 27.430
2.a Bairro (Cedofaita)................. 30,210
3 Bairro (Santo Ovidio).............. 31,681
Povoa de Varzim..................... 18,808
Sanio Tyrso......................... 21,539
Vallongo............................ 8,522
Villa do Conde..................... 18,838
Villa Nova de Gaya.................. 47,733
O Sr. H. L. Fewerheerd, a quera j ha annos foi
concedida a exploraco da mina de cobre era Te-
Ihadella, no concelho de Albergara a Velha, dis-
tricto de Aveiro, trata de organisar urna compa-
nhia a qual o dilo seohor, mediante algumas om-
pensaces, ceder o direilo que tem aquella mina.
O capital da companhia de 100:0004000 divi-
didos em duas mil acedes de 504000 cada orna,
pagas em pequeas prestacoes com iotervallo nao
menor de 60 das.
A mina, diz-se, estar ero excelleotes eondiccoes
econmicas e haver loda a prooabilidade de que
depoi- de satisfeila a quarta parte do capital a ex-
ploraco comece logo a cobrir as despezas.
O desenvolvimiento da exploraco da minas em
Portugal, data da poucos annos. Os capitaes ap-
plicava-se com lemidez a esta industria e anda
hoje preferem outro emprego, e sabido que em-
presas de tal naturesa carecen) de avultados fun-
dos para surtirera os effeos desejados
Em Londres acaba de organisar-.-.- urna compa-
nhia peninsular de mineraca i e lavagera de ouro
sob o titulo The peninsular gold mining and was-
hing campany. limited com o capital decemrail
libras Merlinas. Esta companhia j faz acquisi-
coes importantes de jazigos aurferos em Portugal,
e entre elles o do Rosmanin'ial, no districto de
Caslello Braoco.
O principe Amadeu de Saboya, irmo de S. M.
a rainha, na visita que fez ao Porto presenteou o
padre mestre Antonio Peixoto Salgado, que foi
coufessor e capelln do rei Carlos Alberto nesta
cidade, com urna caixa de ouro, de subido valor.
S. Revma. tem recebido da augusta familia de Sa-
boya inequvocas provas de sympaihia, que muito
merece por ser ubd ecclesiastico de vida exempla-
rissima.
O conego polaco Carlos Mikoszevrski tem conti-
nuado a celebrar missa nos templos desta- cidade

-.


A

r"^~~nr
MI


^
......!
los das fregueiias suburbanas, da a parte donativos em dinheiro mais ou menas
importa atas.
Fallecen em Leca, de orna febre cerebral, or.
Antonio Adrii&da Rocha, socio da acreditada fir-
ma da pra$ Bo PortoPinto &*Rocha.
A commissao que 8coa gerindo
Mario de fernanbaco Sexta felta *ft de Setcinbro de *Sft.
-
zz
^V^^1^^^-^-1^0: w,,n}*10 ?'"": de Pnj>oco pela escolha, que Ja ote em sua. .Rosalta, Pamambuco, 6 mezes, Boa-Vista, gastro
lopanderra, Apngto Guimares, Amaro Joaquim,. generalidade. nepalie.
r-
Como obra artstica, a bandeirasde.w acabado
primoroso ; e a isto rene ura linqoso eomplto
em suas pegas componentes.
Esta bandeira ofTerta da offlcialidJ^Noi*
padre raestre Liao a major Salvador Henrique.
O Sr. secretario perpetao d coila do seguinte
expediente :
nl offlcio do Sr. secretario do governo, remet-
os negocios do tendo, de ordera do Exra. presidente da provincia, lalhao de artilharia da guarda nacional ""do atiATS
municipio do concelho da Regoa, em consequencia um compromisso da Santa Gasa da Misericordia., major o Sr. Fras Villar ora commandntR do car-
da ditsolucao da respectiva cmara que menciona- *
mos na misiva passada, comp5e=e dus Srs. Ma-
noel AntonioFrancisro Galdelra, presidente; Ma-
noel Amonio de Garvalho Senas
i oservico de
Manda-se arehlvar. po de guarda cioaaT'tfesiai
Oulro do Biesrao Sr. secretario, declarando.de guerra,
ordem do ra emo Exm. Sr., que fra oficiado ao Aote-hotUem a nolte (9 nonas) foram osgoaf-
e o cidadao pacifico I Eu fallo dessa gloria que
i stuelhante rxa saudade une a innocente dou-
perviao, Pernambuco, 5 mezes, Boa-Vista, bren- sella depSe n carnea de'sua ma orvalhada de
J L__. a n Prtos, vie triste elsolada as reglfies do es-
Jow, PtroWBbuco, 2 annos, escravo, Boa-Vista, paco,derramando seus perfumes no peito daquelles
Decaas pulmonares. ;qQe conbeeeram venravel anciSol..'. Siirt, eu
> 'alio ainda dessa gloria, modesta filha da virtude,
cuja essencia a oiaeio, esse balsamo oeasola-
0MC4 JIJMCIA8U
francisco dos
aquertela-
------Espirito Santo
8 osaDoc|o; os quaes forana presos.
Os ofenddos foram vistoriados pelos crs. Qfs.'
Carneiro MonWro e Sarmenti Filho.
Hontem o corpo de polica apresentou se em -Reg.
scrlvSo
do mesrao mez, ha de recetada da presidencia da proviocia.-Ioleirado, revista em grande uuiforme, e realmente merece
a geral, a qual continuara mandndole recolber a podra ao niuseu. j elogios o seu estado ; pflls o pessoal de que se com-
J 14 inclusive, na sala das Oulro do Exm. provedor da Santa Casa da Mise- pe o melhor possive!.
r
)
Penetra, vica- engenheiro director das obras publicas no sentido das nacionaes do ft> batalhao "J
presidente; Joaquim Ignacio Pereira Paria, fiscal; de mandar entregar aoInstituto a pedracom a tas-. Santose Manoel Fernandas Ramos ora
e Joao Jos Mantas, Henrique Pereira de Souza eripcao antiga do lempo do governador e capito dos, faridos por Elvseo Ferreira do Eso
Guedes, Anselmo Guilherme Borges Feij e rran- general dest capilania Duarle Sodr Pereira. -
cisco Xavier Guedes Piolo. Inteirado. I
No dia 1 de outubro tem logar a abertura da j Oulro do Sr. engenheiro das obras publicas ac-
universtdade de Coimera com o jorameoio dos cusando a remessa dessa lapida, conforme ordem
lentes. Nos das 2, 3 e '
se proceder a matricula
nos dus segntates al i* iuuum, u ui umm uu mm. proveuor aa rsanta uasa aa Mise- poe e o melhor poss
actos graudes. No dia 16 ter lugar a oragao de ricordia, declarando annuir a respectiva junta ad-' Nao ha nada a inveiar desses outros carpos de
sapientia e no da 17 a abertura de lodas as minorativa a verificacao qne pretende faier o pohcia alias excellentes, que de outras provincias
Instituto no carneiro que existe na igreja da Mise- tem marcha le para a guerra.
A felra de S. Bartholoraeu em Coimbra, diz o sericordia em Olinda, alim e ver se nelle estao os: Pernambuco, por destino providencial nunca fl-
lrtouno Popular, taina da localidade, esteve este restos mortaes deJooFernandes Vieira; e scienti- cara a qaem de suas irmas
anuo pouco concomda de airantes, e de crer ficando ao mesmo lempo haver nomeado urna com- Alistaram-se no 5 corpo de volanlario da
que a devocao acabe mais aneo menos anno, por- raisso de tres membros seus para representa-la patria os sesbores :
que, presentemente, ja se nao carece de feiras pa- nesse acto, para o qual entende dever proceder li- Manoel Ricardo Campello, Antonio Lucas Caropel-
ra foruecer o povo, que hoje com mais commodi- ceoga para a abertura do carneiro. lo, Agoslinno Antonio Pereira de Souza, Estaquili-
Dlversos ns. do Diario de Pernambuco, offereci- no Pereira da Silva, Arsenio Gomes de Albuquer-
dos pelo Sr. coraraendador Manoel Figueiroa.Re-! que Graneiro, Francisco dos Santos Silva, Agos-
cebido com agrado, mandase archivar. j tinho Manoel de Santiago. Antonio Cavalcante de
Um traslado de sentenca a favor do capitao-mr, Alljuquerque, Antonio Simoes da Silva e Rufino' Dr. Joao Jos pint Jnior
Joao Rarreto sobre a adminislraco da igreja e Gomes de Almeida. Frederico^es Guimares.
Hospital do Para i jo em^questao com os herdeiros Por aclo do governo da provincia de hontem
WRY do luiin:
18 DE SETEMBRO DE 1866.
Presidencia, do Sr. Dr. Joao Anowo de
Freitas Bewiaues jutz de dtretto da
vara criminal.
Promotor ^oblico o Sr. Dr. Jacinlho Pereda do 'ob formas
tico
Joaquim Francisco de Paula Esteves
pobre, essa soave msica do rico I
Alravz os seculos, se ios profundronos as re-
ligioes dos diversos povos, comiirebenderemos qne
a essencia dessas retigiocs, urna s increada e
imniutavel Deusl... mas as formas sao tantas,
raujo qnanias sao as maaeiras de sociedade I... Assim
primeira tambem alravz as geraces, devemos comprcheo-
der que a existencia humana, leudo lido principio
visiveis, deveria ler um ara iden-
t aulas.
Clemente.
Feita a chamada as 10 horas da manlian, acham-
se prsenles 38 senhores jurados, pelo que foi de-
clarada abena a sesso, e lomando o Sr. Dr. juiz
de direito conbecimento das faltas e escusas dos
jurados que deixaram de comparecer, dipensou
da presente sesso o jurado Joaquim Ribeiro de
Nascer e morrer I principio e flm I fui por
ah que se pensou na Divmdade, e que a philoso-
phia humana, guiada por unja luz divina, reconbe-
ceu a alma entre as brumas do mysiicismo, acre-
ditando-a como a essencia do Infinito, que viudo a
ierra provar a sua existencia, ha de por infallibili-
dade voltar s regioes cerleas d'onde dimana I
Eis comprehendida pois que a redempgo do
dade e por um prego rasoavel, tem a sua disposi
$o o camiaho de ferro que em poucas horas o le-
va capital ou ao Porto, onde, quereudo sortir-
se, lera mas por onde escoma, ficando-lhe ludo
muito mais econmico do que por esta forma.
O tribunal commercial da dita cidade declarou
l,ipa' oegociaute da mesma Jos de D. Joao de Souza, offerecido pelo Sr. eoramen- fol incumbido o Sr. lente-coronel Pedro Pessoa' que faltarn) por ni telen sido noticados
Joaquim Pere.ra. Esla sentenga fo. lomada a re- dador Antonio Joaquim do Mello.-Recebido com de S.que.ra Campos oe alistar voluntarios da patria H Comparece.^"o Dr PVaumco de
-s da raas;a fallida agrado, mandase archivar. as comarcas de Tacarat e Plores, afim de se or-
.0 Sr. secretario perpetuo declara, que o Sr. pre- ganisar um eorpo, que lera' a numeracao de 4o
>alen;a,_conta que sidente oficiara ao governo imperial acerca da O mesmo Sr. tenente-coronel '
concesso dos autos de devassa de revolucao de mente nomeado para o respecti
'817. rinameote.
O Sr. Dr. Wilruvio Pinto Bandeira relatando a Estamos
commissao de fundos e ornamentos, l o seguinte
Agmar Montarroyo por molvo de molestia, e mnndo na pessoa de Jess Chri.-to, era mister, para
mu tuu em mais 205000 a cada um dos jurados j distinguirmos alm d'aqui, urna vida eterna,coio
multados na sesso de honlem e mais os se- berco o tmulo 1
quiotes A segunda phase da existencia humana, por-
Iguacio Bento de Loyola. tanto a morte, a morte a vida eterna, e a vida
ormino dos santos Vieira. eterna o premio da virtude I
Rezemos pois ante a sepultura do chorado arauo
que flndou sua existencia transitoria, urna oracao,
porque s Deus quem pode preencher o vacuo
ueixando deserem mudados os de mais jurados que elle deixou nos coracoes f
querimento dos administradores
de Jos Correa d> Almeida.
A Voz do Mnho, jornal de
os carabineros da visinha cidade de" tuy, talvez
para se exercitarem em atirar ao alvo, deram
agora no innocente recreio de dispararem alta
noute tiros de bala O peior foi elles fazerem alvo
da casa do Sr. coronel SeiXas, cuja parede foi
atravessada por urna bala, com grave risco, di-
zem, da creada, que esteve em perigo de ser vic-
tima.
A autoridade administrativa de Valenca oficiou
idntica de Tuy para providenciar sobre tal caso
O Sr. Joaquim Jos Ferreira, sobrinho do Sr.
visconde de Guaraliva, remelteu do Rio de Janei
ro, onde reside, um cont de res para o hospital
da misericordia de Valenca do Miuho, e 2505000
para a confraria de Santa Mara dos Aojos, da
mesma villa, seguindo assim o nobre exemplo de
seu finado to que nunca esquecera os eslabeleci-
raentos religiosos e pios da trra da sua naturali-
dade.
Do Viriato, peridico de Vizeu tomamos a se-
guinte noticia que nao deixar de ser lida com cu
riosidade:
No povo de Sabugosa, do concelho de Tondel-
la, urna mulher deu a luz urna crianca do sexo
masculino, que, comanlo no volume geral do
corpo fosse de regulares dimensoes, apresenta-
va notaveis anomalas de conformado exterior.
Entre as espaduas notava-se urna altura de ; do que inscripeao deve
grandes voluntes de carues.que Ihe tornava o tron- lapide.
parecer :
A commissao de fundos e ornamentos, a quem
foi preseule a conta-correnle do arrecadado e des-
pendido pela thosouraria de-te lustituto no espago
decorrido de 24 de novembro de 1862 a 31 de
agosto prximo passado, de parecer que seja el-
la archivada, urna vez que s tem por Om a ma-
nifesiaco do estado do cofre, e nao apresentacao
de dados para in-tiiuirse uiu exame, cuja oppor-
tunidade no entretanto lem determinado os eslatu
los como sendo na prestagao de contas.
Sala das coramissoes do Instituto Archeologico
e Geograpliico Pemambucano, 26 de setemro de
186o. -Wilruvio Pinto Bandeira.F. de C. Soares
Brandao.
Entra em discusso, e approvado sem debate.
Entrando em discusso o parecer adiauo sobre o
assignalamento do lugar, em que existi o arco do
Bum Jess, vem mesa o sectate requerimeaio
do Sr. Dr. Aprigio Guimares :
Requeiro, que adiado o parecer, contine a
commissao o seu traballio, indicando precisamen-
te qual o lugar em que deve ser collocada a lapi-
ser gravada na mesma
que S. S. corresponder' a esta provin-
cia de con Banca do governo, empenhando a sua ta-
que se:
fluencia para realisacao das suas vistas o
casa, com os seus senlimentos patriticos.
Foi preso em Serinliem Manoel Bernardo
Muniz da Silvi, pronunciado como ladrodeca-
vallus.
Na noite de 17 do passado foi ferido com um roubo.
Araujo Barros,
juiz municipal da segunda vara preparador dos
processes do jury, e apresentou 10 processos cora-
Lampos foi igual- peleutemente preparados para serem julgados na
ivo commando inte- presente sesso, os quaes-sao os seguintes :
A.A justica.
R.Antonio Manoel Gomes dos Santos, por crime
de roubo.
A.A juslica.
R.Manoel Carlos dos Santos, por crime do ho-
micidio.
A.A ju.-tiga.
R Joao Mane el do Nascimento, por crime de
co por extremo defeituso; a" cabeca era tao ara-
nhada as formas e com tao pequea abobada
frontal, que bem pode dizer se que e?ta se confun-
da com os alinhamenlos das arcadas supra orbita-
rias.
No Jugar dos olhos apenes se nolavam duas
depressoes profundas, cobertas plenamente por ver-
dadeiros tegumentos naturaes, em ludo semelhan-
tes aos dos outros pontos da cara ; ausencia abso-
luta de qualquer forma de nariz, a nao ser urna
especie de membrana fendida e sem consistencia ;
e a bocea representada por tres furames em linha
transversal, quasi iguaes, e sem forma que denun-
ciasse o seu inisler.
Era de urna fealdade repugnante.
O certo que este monslru da especie huma-
na deu evidente sgnaos de vida, nao s pelo- mo-
vimentos proprios, que se Ihe manifestavam, mas
ainda pelos gritos roufenhos que fez ouvir e pare-
ce que, a morte, succedida algumas horas de-
pois do parto, fra em grande parte abreviada
pela Impossibilidade absoluta de reeeber alimen-
tos.
Aqui terminamos a noli :ia,que devemos ao nos-o
particular amigo, sentimlo que um exemplar des
tes nao fusse convenientemente examinado por fa-
cultativo, que podesse historiar as relacoes em que
eslavam os orgos interiores com as m'anlfestanojs
externas.
A companhia lyrica que deve representar no
thealro de S. Joao Porl na prxima poca tlieatral
compoe-se das prfmeiras damas absolutas Elvira
Demi, que vem precedida de fama de excellente
cantora e Lniza Chiararaonie, j couhecida nesta
cidade p.ir ler feilo parte da companhia passada,
que nao agradou geralmeute como prima dona, das
damas contralto e mezzo-soprauo Anndia Lasaloni
e Bianca Bellochio; dama cornprimaria e supple-
mentar Enricheita Laureiti; segunda dama e par-
tichino Carolina Alen; do primeiro teno/ahsolulo
Antonio Agresii ; lenor comprimario Ligi-Mariot-
ti ; segonoo tenores Canlarelli e Debezzi; dos pri-
meiros barytonos Giorgi Paccini, Gaetano Giotti e
Ro co Zaoghi; primeiro baixo profundo absoluto
Bruch ; baixo comprimario Luigi Tagllapielra ;
primeiro caricato Carlos Rocca, segundo dito Gio-
vaui Nltoli.
O emprezario promelle duas operas nov.is o
Fausto, do maestro Gouood e La Carmelita de Joao
Paccim.
Nao sabemos se os leilures tero conheciraenio
de alguns dos cantores cojos nomes deixamos exa-
rados.
De todo- ;es, diz
Sala do Instituto, 28 de selembro de 1865.
Aprigio Guimares.
Posto era discusso o requerimento, approva-
tiro, abaiso do peito direito, em Ierras do engeoho
Viagem, do Jab iato, Manoel Ignacio do Espirito
Sauto, por seu genro Joao Antonio Pacheco, que
logrou evadir se.
Entre os engenhos S. Jos e Camaragtbe, do
tormo de Seriuhaem, no da 19 do eerrente, foi as-
sasstnado com um tiro deelavinote o guara na-
elonal Manoel Jos de Santa Anna, afim de Ihe ser
tomado Antonio Pdssoa de Mello, que como guarda
nacional fra designado para a guerra.
O autor do crime foi o pai desle de norae Case-;
mire Pessoa de Mello, que poz-se em fuga.
Tendo-se Isvaolado o boalo de que o Sr. com-
mandador Caetano Pinto de Veras, olTereceodo-se |
para marchar para o sul, o lizera sob condi^o de
ser nomeado oficial, estamos autorisado a fazer a
declarafo de que isto inexacto ; pois aquelle
senhor em sua apresentacao patriotiea, f-la pura
e simplesmente, pondo-se a' disposto de S. Exc.
para serem aproveilados os seus servicos como o
mesmo Exm. Sr. eotendesse conveniente.
Pede-nos o Sr. Vicente Licinio da Losta Cm
por
apenas para obviar
do, sendo addicionado para mainbro da respectiva I pello para declarar que fra dada pelo Sr. Dr. Ma
commissao o Sr. major Salvador Henrique. xiraiano Ribeiro de Aguiar Mintarroyos, na quali-
O Sr. Dr. Wilruvio Piuto Baudeira em seguida dade de quarto supplente do juiz municipal do Ca-
fa a leltora do seguinto parecer, como relator da bo, a senteuja a que se referiam as razoes publi-
cimmissao de admisso de socios: .cadas nesta Diario em corresuondencia daauelle
A commissao de admisso de socios, a quem senhor, sendo esta declaraco
foram presentes as propostas firmadas pelos Srs.. reclamaces.
socios Dr. Amaro Joaquim, padre mestre Lino e No domingo prximo esleja-se na igreja dos
major Salvador Henrique, tendo atlengo s quali- Milagres em Olinda a Virgera Senhora das Dures,
dados dos Srs. nellas indicados para socios corres- sendo orador do Evangelho o Rvd. Jos Esteves
pendentes, de parecer que sejam elles approva- Viaona. A nsite havera' ladainha.
dos como taes, visto que acham-se nasxcouilin5es De Olinda remeiteram-nos o seguinte :
dos estatutos. < Com a solemnidade do estylo tem lugar do-
ivila das coramissoes do Instituto Ar, hewlogl- mingo 1" de uutebro, na igreja de S. Sebastian, a
eo e Geographico Pemambucano. 26 de ieteinbro festividade de Nossa Senhora do Rosario, padroei-
de 1863. Wilruvio Pinto Bandeira.M moel Fi- ra dos Cauoeiros, cuja bandeira sahira' no sabbado
guarda de Faria. | 30 do correte, as 6 horas da tarde, do seminario,
Seodcr approvado este parecer, sao vuladus e ap-' carregada por anjos e duas alas de meninas, ao
socios correspondente os Srs. Dis. Ma- sora da msica da respectiva guarda nacional que
de Oliveira, Joaquim Canuto de Fi-. tocara' nos intervallos de todos os actos.
A.A justica.
R.Antonio da Silveira S Bento e outros,
crime de roubo.
A.A. juslica.
R.Jos Gomes da Silva, por erime de estilio
na lo.
A.A justica.
R.Florencia Maria da Gosta Santos e ontro, por
crime de homicidio.
A.A justica.
R.Honorio Jos da Rocha, por crime de furto.
A.A justica.
R.Juao, escravo de Malhias Lopes da Cosa
Maia, por crime de homicidio.
A.A Jotica.
R.Bento Jos da Silva, por crime de roubo.
A.A justica.
R.Manoel Joaquim da Silva, por crime de feri-
menlo.
Dos quaes processos fez se a chamada dos reos
e tesiemunhas, e por se achar a hora adiantada o
Sr. Dr. juiz de direito levantou se a sesso adan-
do-a para as 10 horas da manha do dia seguinte
em que tem de ser julgado o reo Antonio Manoel
Gomes dos Santos.
ERRATA.
No extracto de hontem quando se diz que as c-
dulas extrahidas por Tnim mesrao dgase por
um menor.
*w*^c lyiji
CMMNLBS,
balo
noel Thomaz
guelredo, Henrique do Reg Barros e Jacintho Pe-
reira do Reg, tenente-coronel Manoel Antonio dos
Passos e Silva, D. abbade de S. Bento ir. Antonio
do Patrocinio Araajo e Jos Maria Freir Gameiro.
O Rvd, Sr. padre-mestre Lino lnscreve-se para Te-Drum.
fazer a leiiura da biographia do liuado marquez do E' orador do Evangelho e le-Deum o Rvd. Jo-
Recife, elaborada pelo mesmo senhor. s Esteves Viaona.
E levautase a sesso, sendo marcado o dia 12 llavera' missa na madrugada de domingo ; e
de outubro para a seguiute. a tarde daosa de curda. >
A Compania Pernambueana expede amanha Pedera nos esta publicado :
para os porios do norte al o Acarac o seu vapor i No seu Diario da honlem, em sua Revista,
ParaJiyba. j apresenta-se alguem pedtado ao diguo fiscal ou a
-\.h> leudo chegade daquelle lado os vapores Per- Illma. cmara a sua altengao sobre um deposito de
sinunga e Mamanguape, deixou por semelhaote ra- Uxo que existe entre as ras da Paz e da Palma,
zao de effeciuar->o a vi,-,gem para Fernando no dia dizendo achar-se a imraundicie quasi elevada a
Consta-nos que foi hontem apresentada ao Sr.
Dr. ctete de polica urna represenlaco escripia e
documentada contra o subdelegado do 2* districto
da freguezia de Pao d'Alho e 3" supplente do dele-
gado da comarca, coronel Luiz Candido Carneiro
da Cunha.
A representado, segundo nos informara, contera
as raais graves e importantes allegares, que sao
A bandeira percorrera' as suas Nova, Ampa- pouco mais ou menos as seguintes : que o co-
ro, Ladeira da R.beira, S. liento e Varadouro, ou-1 ronel Luiz Candido Carueiro da Cunta ja foi con-
basteada, subuido por esta occasio um detonado por crima de responsabilidade a' pena de
o que sera' reproduzido oVpois da festa e | quinze dias di priso e ura raoz de suspensao, que
cumprio, sem interpr o recurso de arpellacao;
28, como se achava designado, ficando transferido
para os pnmeiros dias de outubro prximo.
Para .Maceta consta que a companhia pretende
expedir amanha mesmo qualquer um dos dous
vapores, que se esperara a cada instante,, visto
como obrigad pelo -eu contrato a dar aluda no
presente mez tuna viagem ao sul.
Por portara de hontem S. Exc. o Sr. conse-
Iheiro presidente da provincia resolveu transferir
o tem-nteajudante do i baialhao de guardas na-
cionaes desiacados para o servico da uerra, Ca-
millo Augusto Ferreira da Silva, para urna das
compaubias do mesmo batalhao ; e por ouira por-
tara da mesma data nomear para o sub,.-liiuir o
lente reformado do
exercilo Henrique Tiborcio
o emprezario da companhia, Lapisirano.
que sao l. .. j genero, capacidades mu.-icaes. Ve-
remos, pardepots informar porque pode aconte-
cer abordarem alguns delles pelas praias pernam-
bucans quando porvenlura haja companhia de
canto no theatro de Sauta Isabel.
Dos balancetes dos bancos Commercial, Mercan-
til, nio e Alhanga desia cidade, referidos ao mez
de agosto passado, fazemos o resumo seguinie :
Existencia em dinheiro metlico.. l,349:8t(5170
Letras descontadas e a reeeber... 7,248:9925547
Emprestimo sobre peuhores...... 1,443:8595953
Notas em circulado............ 757:5685000
Diversos deponanles........... 2,418:4245164
O banco Mercantil est pagando o dividendo de
3 OjO ou 65000 por acQao, periencente ao 1 semes-
tre do anno econmico do mesmo banco.
O assucar de Pernambuco, braoco, regula entre
2^100 a 25100, o someuos 15800 a 15900 e o mas-
cavado 15100 a 15600.
O branco da Bahia 15800 a 15900 e o ma.-oava-
do 1*300 a 15400 e este ultimo do Rio, IpSOO a
I570O.
Durante a qunzena importaram-se de diversas
procedencias 4,201 saceos, 395 canas e23 barricas
de assucar.
Para consumo despacharam-se 99 calas, 106
cunbetes, 4 quarlolas, 73 barricas e 3,170 sac-
eos.
A existencia de 2,304. caixas, 458 cunhetes, 1
quartola 429 barricas e 31,850 saceos.
Na alfandega do Porto despachou-se para con
sumo, em ago.ito ullirao 563,473 kilogrammas de
assucar que pagou de direito 41:9415535.
Pela dita alfandega eiportaram-se no referido
mez 17:0005000 em moeda de oaro e 6:0005000
em moeda de prata. Aqoella pesava 47 kilos e 860
grammas e pagou de direilos 23953 e esta pe-
sava 188 kilos e 500 grammas sendo os direilos
945250.
A mencionada casa fiscal rendeu no mez de agos-
237:8015185 e 1:8785115 para as obras da pra-
5a do commereio.
Cambios sobre Londres 90 d. 53 1|8 e 90 d. v.
*>3 l|i.
Sobre Hamburgo 47 1|2 nominal.
Sobre Paris 90 d. 541 por 3 francos.
Abriram termo de carga : em 29 de agosto o pa-
tacho Xovo Lima, para o Rio Grande do Sul; em
30 a barca Aruunda para Pernambuco; em 5 do
correnta a barca AieloMe para o Para e o brigue
Adelmo para o Rio Grande do Sul; era 8 a barca
S. Joao para Pernambuco.
Eotraram : em 1 do correte o brigue Laya de
Pernambuco. e o brigue Gutlherme do Rio de Ja-
neiro ; era 10 a barca Rettauracao da Bahia : em
12 a barca /nido do Para.
Sahiram : em 31 de ogosto o brigue brasileiro
Amelia para a Babia ; em 1 do correle a barca
brasileira Brilhaate para o Rio /Je Janeiro ; em 6
a barca Claudina e as galeras Adamastor e Cam-
poneza para o Rio de Janeiro; em 9 o patacho Mon-
tara 11 para o Rio Grande do Sul.
Teve honlem lugar a benco da bandeira da
guarda nacional destinada ao servico da guerra,
na igreja da Conceicjio dos militares, sendo cele-
brado pelo respectivo capello o acto religioso, a*
que assislio numeroso concurso de pessoas de ge-
rarchia civil e miiitar.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia alii se
achoo, e teve a gloria de entregar, por entre pa
altura do muro.
Ora, uo ha nada de mais iojustj do que
isso I
O digno fiscal desta freguezia nao pode e mes-
mo nao Ihe possivel fazer tnais do que faz ; seria
preciso que a tilma, cmara que se tem mostrado
zelosa e amante do seu paiz, applicasse todos os \
seus rendimenlos a ter um numero de guardas da,
e noite as esquinas, afim de evitar que muitos mo- i
t adores espertalhoes que se vallem das trevas nao
deitem lixo nesse e em outros lugares.
O Sr. annunciante que tem tanta pena do pu-
blico presle-se tambem a soccorrer a cmara mu-
nicipal, que ella por certo nao recusara' qualquer
offereclmento que se Ihe faga em beneficio da hu-
manidade ; ou ento offerega-se a mandar limpar
esse pedaco de terreno de que falla em seu annun-
cio, ja que deseja velo sempre limpo, talvez que
para beneficiar nicamente a si ou a algum amigo
proprietario.
Ja nos constou a dias que eslava encarregado
desa e de outras limpezas das ras o Sr. Henri-
que Jorge, e portanto deve o Sr. annunciante, ja
que o cencor do lixo, ind^ar do dito Henrique
Uto justa e merecida a julgou. Com elfeilo, nao
pode haver maior desmoralisagopara urna aulor-
dade S este facto Ihe devia trazer a immediala
destituigo dos cargos do polica que exerce. Alera
disto, sao articulados e provados factos de prevari-
cacau escandalosa, e de venalidade que elle subde-
legado tem commettido no exercicio de suas func-
{es, e al como pro-presidente da cmara muni-
cipal.
E' digno de atteoco e de providencia prompta
e enrgica semeHianie objecto, que da mxima
importancia para a sociedade.
tmusam i FEDIDO
A elle o co, e sua inconsolavel familia os
nossos pezames.
Rccife, 25 de selembro de 1865.
B.S.
I
0 que um lillerato.
Oflcrecido ao meu amigo, Jas Antonio
Pereira Fillio.
Os conhecimentos de um verdadeiro lillerato
suppoa o estudol>rofundado de lodas as partes
da ai te de escrever, e de todas as obras, as quaes
esta arte ha sido appiicada. Nao se pode ser ver-
dadeiro lillerato sem que se possua a fundo o co-!
nhecimento da epopa heroica e cmica, da irage
da e da comedia, das diversas especies de satyras, I
Uos coulo das fbulas, dos romauees, dos tratados
dos moralistas, dos philosophos, das diversas es-
colas, da historia amiga e moderua, em que o
principal papel desempenhadu pelo ment Ilite-
rario.
Possuem-se todas eslas cousas de duas manei-
ras, ou gratas a memoria que as recebe e as re-
produz como um guarda seguro e fiel, ou com o
auxilio de urna segunda memoria que nos chama-
remos a do juizo, c que nos appropria o que ou-
trem releve. Pde-se saber de cor o fim, a direc-
co d'uma coniposijo, os nomes dos personageus,
suas aeces e palavras, e nao se conhecer a obra
de que assim se tem iodos os elementos a sua dis-
postco. D'aqui decorre esta consequencia, que a
scieucia do iilteralo nao urna scieucia de pala-
vras, e sim urna scieucia de cousas. Nao sera'
pois lillerato, aquelle que nao principiar por eslu-
dar a arte de pensar. Nao ha lillerato sera lgica.
Mas o hornero o grande actur do mundo, seu co-
raco o foco que agitara a trra e suppoe abalar o
mesmo cu. Deve pois o litterato antes de tudo,
estudar no seio secreto azylo, os raovimentos que
determinara as aeces do hornera, Depois do es-
tad 1 do hornera em geral, o Iliterato deve fazer in-
tervir o do hornera em particular. Mas o humera
sobreludo ura ser moral : deve pois o lillerato
esludar as leis da moral. Do que precede, v-se
sahir a critica; ella forma urna parte integrante
dos trabalhos do lillerato, que sem ella e sem oes-
ludo do coraco humano, nao passaria d'utu frivo-
lo nomenclador de palavras. Deve alm dissu a
erudico, fazer parte dos couheciraeutos do Iilte-
ralo.
O homem que cultiva as letras, diz demandam,
gozo des trabalhos do erudito; e quando auxiliado
por suas luzes, elle adquire o conhecimento dos
grandes modelos em poesa, em eioquencia, em his-
toria, em phtlosophia moral o poltica e na arte
dramtica, elle litterato. Eli; pode nao saber o
que os escoliastas nao dito de Homero; mas elle
sbelo que disse omero.
Nao confrootou elle, as diversas ligos de Aria-
tophaoes e Juvonal; mas elle sabe Juvenal e Aris-
lophanes.
Pode o erudito ser ou nao ser um bom Iliterato,
pois um disceinimento adquirido, uuia memoria
feliz e raobilhada com escolha, suppe mais que o
esludo da mesma tnaneira pode o lillerato nao ter
erudico. Mas se estas duas qualidades se reu-
ftem deltas resulta ura verdadeiro, um profundo Ili-
terato.
Pseudo Arislarcho.
Descarregam no da 29 do crranle.
Bri|uf ortjgnaz Cmutuitie //diverso* gneros
Patacho nacional Jabtatao farinha de trigo
Brarca Inglesa Ctmrad-idem.
ague hespanholCoriiMcharque.
Importado.
Vapor inglez Olinda, entrado da Europa, mani-
festou o seguinte:
6 volomes fazenda de ia; a Joao Keller & C
1 dito dita de dita; a Linden Wild & C
6 voluntes fazenda de algodao; a Joao Keller
&C.
9 ditos dita de dito; a Jos Antonio d'Aranjo.
l dito dita de dito; aos agentas da estrada de
ferro.
20 ditos dita dodho; alnesiatoChristlansen.
137 ditos dita eto; a fewewt & Matheus.
1 dito dita mixta; a Linden TVilfl S C.
1 dito chapeos de la.; a Joo Jeller & G
1 dito charutos; a A. F. de Oliveira.
2 caixas calcado; a Arantes.
1 dita ditos; a Sanios Porto.
1 volume chapeos de palha ; a ordem..
1 dito ferragens; a Johnstoo.
1 dilo livros; Phipps.
2 caixas joias; a Joao Keller & C.
1 dita ditas; a Lehmam & C.
1 dita perfumaras; a Bravro & C.
2 dilas miudezas; a Joo Keller & C
2 ditas ditas; a ordem.
1 dita ditas; a D. P. Wild.
1 dita ditas; a C. J. A. Guimares.
2 dita dilas; a Iztdoro Nelto C.
1 dita ditas; a E. A. Burle & C.
2 ditas ditas; a Mello Lobo & C.
1 dita ditas; a Vaz i Leal.
1 dita ditas; a Henriqne & Azevedo.
1 dita ditas; a ordem.
2 voluntes objectos diversos; a O. Bohre.
1 dito; a Almeida Gomes.
1 dito ditos; a G. L.
2 lijos Ji! >s; Jf, ^ Irintos.
2 ditos vinbo; a Bawraam.
336 ditos figos ; a E. R. R.
28 ditos passas: a D. A. F. Guimares.
5 caixas queijos; a Saunders.
1 barril presuntos; a Duarte & C.
I vulume sanguesuga ; a I). A. Matheus.
55 caixas queijos; Tasso Irmos.
II ditas ditos; a Vicente Ferreira da Costa &
Filhos.
1 dita ditos; a Southall Mellors & C
1 dita ditos; a Duarle & C.
5 ditas; Saunders Brothers & C
70 dilas ditos; a N. O. Bieber & C
12 ditas ditos; Brander a Brandis.
17 ditas ditos; a Corga & lfmos.
1 volume prata ; a M. R. S. & G.
6 ditos doces; a A. F.
RECEEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
.



Rendlmeoto do dia 1 a
dem do dia 28........
27...
32:4545593
9125&01
33:3675194
CONSULADO PROVINCIAL.
Kendimenlodo da 1
dem do dia 28....
27.
60:0795851
5:37650i7
65:4555898
r **-m
MUfiMEft'gO M F01T0
Navios entrados no dia 28.
Ass7 das, palhabote nacional Garibaldt, de 109
toneladas, capito Custodio Jos Vianna, equlpa-
gem 8, carga sal; a Tasso d: Irmo.
Bahia 5 dias, barca tngleza Flooatmg Clowel, de
339 toneladas, capito Freid, equipagem 13 em
lasirn de assucar: a J >hnston Pater & C.
Rio de Janeiro 12 dias, barca ingleza Jarre, de
339 toleladas, capito James A. Weech, equipa-
gem 10, em lastro -a Johnston Pater & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Penedo hiate brasileiro S. Jos Triumpkante, ca-
pito Julio Jos Thany, carga carne secca e on-
tros gneros.
Portos do sulVapor inglez Oneida, commaDdante
Woolcotl.
DE6LA1AC0ES.
lo
I H COIVO
recitado ante o t mu lo do film.
Sr. Jo fio ?ose de Carvalho .?So-
raes, offerecido sua incouso-
lavel e distinctissiuia familia.
Morrer subir aos cos toando
Ter eterno viver a"ampio horisonte I
Senhores t A existencia humana tem duas phases
nascer e morrer I
Nascer a florinha que apona era boto para
lvras ungidas de senlimentos patriticos, o sym-! se verdade ou nao, depos~ do que seria tambem
bolo sagrado da nossa nacionalidade ao comman- um especial obsequio declarar por que svstema fez
dante daquella pnrgao de bravos pernambucanos; S. S. a meligo da altura do lixo, para velo, como
o qual passando o a seu turno ao portaestandarte,' disse, quasi ao nivel do muro.
dirigi as algumas palavras aos seus commanda-1 Na verdade que nao ha epidemia maior do que
dos, em cujos coragoes am ellas achar o ocho da o ceg que nao quer ver.
harmona de senlimentos 0 amigo da justica.
Lis as palavras de S. Exc. o Sr. presidente : Hoje se extrahira a primeira parte da pri-
>r. commandante.Aqui tendes, depois de re-j meira lotera do Instituto Archeologico (33'), sendo
ceber as heneaos do ceo, a bandeira offerecida ao o maior premio 6:0005.
batalhao de guardas nacionaes desla provincia, des-! Amanha fioalisa o prazo da cobrangados
tacados para o servigo da guerra. impostas e decimas que se pagam no consulado c
E uin penhor sagrado que o amor da patria provincial ; aquelles que delxarem de pagar in- i -lita A 1 L, a nm, !.!..
B confia, e aos valentes guardas que comman- i correm na multa de 9 por cento e sujeitos i serem' A,vida.uraa '.agnma' e uma la8riraa e uma s"
ajuizados.
k '* ienn'" c?m mesmo denodo dos antlgos| O agente Olyrapio em seu grande armazera
hroes de Pernambuco; e as vossas baionetas in-' na ra da Cadea do Recife n. 36, faz letlo hoje de
venctvet.-, exaltando a gloria da bandeira nacional, trastes avulsos, pianos de armario e mesa de varios:
saoerao apressar o momeuto da victoria, que j autores, objectos de ouro e prata e muitos artigos
do uso domestico.
o co, aspirando a grandeza da uumanidade
Morrer a mesma flor, que desmaiada pela
mo do tempo, deixa cahir suas folhas na trra, e
subir para o co o seu perfume I
Entre estas duas phases, medeia um qu, que se
chama a vida I
No ultimo artigo que o Sr. conego Santos publi-
cou contra a declaraco do Rvd. Jos Antonio, sa-
hiram alguns erros lypographicos, que nos afires-
samos a corrigir:
Na pagina 1" do Diario, columna 6" no principio
do artigo, em lugar deRecetadas estas contas por
S. Exc. a' commissao, leia-se Recebidas estas con-
tas, foram entregues por S. Exc. a commissao,
etc.
No mesmo paragrapho.em lugar de 60:6655437,
leia-se 69:6655437.
Na pagina 2*, columna 1*, par2grapho3 oosso
rnappa, leia-senovo mappa.
Columna 2, paragrapho 2o, em tagar de-con-
curso a'coroa, leia-serecurso a' coroa.
Columna 2*. paragrapho 7o, em tagar deachan-
do-se um pouco Irop fort, leia-seachando-o um
pouco frop fort.
Columna 2*, paragrapho II, em lugar de-re-
preendendo os sensatos, leia-sereprehendendo os
seus actos.
Na ola 5*, em lugar de O Exm. Sr. vigario
capitular perdeu este mesrao saldo, leia-se 0
Exm. Sr. vigario capitular perdoou este mesmo
saldo.
Alguns outros que se encontram podem ser cor-
rigidos a' primeira vista, e por isso nao os especi-
ficamos.
vos
dae
Viva a reiigio calholica apostlica romana.
Viva S. M. o Imperador e a familia imperial.
Vivara os defensores da patria.
Viva a guarda nacional de Pernambuco.
Eis as do respecHvo commandante :
Guardas nacionaes I
Reparticao da polica.
Extracto das partes do dia 28 de selembro de
1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 27
do corrente :
A' ordera do Dr. delegado da capital, Martinho
rie de martyrios
Os prazeres, as alegras, as festas do mnDdo,
trazem sempre um qu de dr corasigo I
Os martyrios, as decepgoes, os soffnraentos, tra-
zem sempre um qu de esperaoga I
Oh I... e que seria da huraanidade, se essa vsa-
gem feticeira e linda que se chama esperanza
nao servisse de unitivo s nossas dores, nao colo-
risse os honsonles com que sonhamos?...
Nasce o homem, proporgo que se Ihe vai
desenvolvendo o espirita, todo eivado das crengas
bebidas n'nnsseios anglicos de mi, vai elle ufano
entranhando-se no mondo levando Dos no co-
na cabega I E esse aihleta,
>tt\7EXitti!Si a* r-.=i; 8sr. asases SFSSS
"' e" de Jesus> Pr! no coraco de todos,depois do Creador, e a so-
nme
Vacillar, pois, por um momento em partir fuido *""""" '"""'" U "*" """S' ^!no0ia?ao de lodos,-depo.s do Creador, e a so-
para e campo da guerra emquanto o despota a fren I A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Jos MSl t^mKd'^l,0l01i^~.ebe-e
e da bandeira do Paraguay invade e assola a seu de Castro Pinheiro, pafa recruta ; e Belchior *iSZE222Zl Zd,sUaT e"
ShllVnmTr0 braS!'f r'-Seria de n0Ssa Part9 cravo de Eliodoro de A"aD0 Foneca. Par corree- e Sime oai tem e e'hr amie "
trahir o flm da Itvre instiiutgao a que pertencemos, cao. *
desmentir os fettos dos nosos antepassados e dei- -A' ordem do de S. Jos, Jos Alexandre de Sou-
xar as gerages futuras um legado de vergonba e za, por ferimeatos ; e Manoel, escravo de Joo Pin-
opprobrto. to de Lemos, por disturbios.
Felizmente, porm, assim nao acontece ; acu- A'ordem do do Peres, Jos Amaro, pordlstur-
dts promplos as reclamo da patria, lamenta ido nao bios.
lerdes vosa parte nos louros j colhidos p las ar-
PERNAMBUCO."
R8TISTA DIA1U.
Fanccionou hontem em sesso ordinaria o Instiii-
tuto Archeologico e Geographico Pemambucano sob
a presidencia do Exm. monenhor Muniz Tavares
com assistencla dos Srs. Drs. Joaquim Portella,
mas hrastleiras nos campos do Sul.
< Nao importa.
Humaita e Assomj>go nos offereeen, anda
vasto campo para mostrarraos aos presentes e vin-
douros qoe em nossas veas tambem gyra sangue
daquelles que por tantos feilos heroicos merece-
rara que seus nomes flcasseni gravados cora letras
d'ooro as paginas da historia patria.
t As heneaos da igreja acabara de santificar o
nosso glorioso estandarte e ao receb-lo conflo no
vosso ferio e valor, que de volta para cossos lares, bro f
ufanos e mostraremos aos nossos irmos como um
atlestado vivo de nossos feitos e bravura.
Viva a nago braslleira.
Viva S. M. o imperador.
Viva o Exm. br. presidente da provincia, b
Concluida a soleranidade, deshilo-se o corpo em
ordem, com msica marcial a sua frente, e fluc-
tuando no centro o estandarte apriverde, cuja guar-
da foram confiada a honra d'aquelles bravos ; e
foi passar era contenencia pela frente do palacio
da residencia, recolhendo a quarteis.
O corpo apresenlon-se com garbo militar, 0
composto de gente que faz honra aguarda cidada
A' ordem do delegado de Jaboatao, Miguel Igna- reza
co de Souza, para recrota.
O chefe da 2" seego,
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Casa db detencao.Movmento do dia 27 de se-
lembro de 1865.Existiam 364, entraram 10, sa-
hiram 3, exislem 371; a saber : Nacionaes 274,
mulheres 5, estrangeiros 23, mulheres4, escravos
61, escravas 4 ; total 371.
Alimentados cnsta dos cofres pblicos 192.
Movmento da enfermara do dia 28 de setem-
melhor amigo
interposto a lagrima de
que rallo, e chegadose a segunda phase, que se
chama morrer I
Porm, senhores, passemos ura lance de vista
por sobre a religio calholica, contemplemos por
ura pouco a morte de Jess Christo, admiremos a
resignago de Maria, o symbolo das virgens, a pu-
dos anjos e ah, encontraremos menor-
mente explicada essa phase que tem por distico
morte I
Teve alta:
Manoel, escravo do major Jos Pereira.
Cemitbrio publico, obituario do da
setembro db 1865.
Manoel Ramos, frica, 50 annos, solteiro, Boa-Vis-
ta, tubrculos pulmonares.
Sil veno JaoFraocisco de Oliveira, Pernambuco,
A numanidade caminha e trabalha, respeilando
a grandeza infinita, e por isto soffrendo I...
Soffrendo, sim, porque o respeito Divindade,
nao poda deixar de ser acoropanhade cora a dor,
nina vez que foi a mesma Divindade, que consti-
tuida hornero, remio o mundo soffrendo 1
Mas eu disse que a huraanidade caminha e
trabalha, e accrescenlarei que na fronte della,
bao de posar sempre os louros, que a gloria plaa,
26 de ; e que os aojos borrlfam I
Nao quero fallar dessa gloria tomada debaixo de
um s aspecto tal como sonho de sagrados
araores phantasiado pelo poeta ; nao, a mioba idea
mais grande.
Um remedio vegetal d'uma pro-
digalidade assouibi-o.su.
Aflnal cnegou o dia em que se descobrio dentro
da concentrada essencia de um producto vegetal,
um remedio prodigioso e absoluto para a cura de
todas as molestias precursoras da phtysiea. A ar-
vore salutar da Vida, pois que assim que verda-
deramente se a devera' chamar ; da qual se ex-
trae este precioso e ioesiimavel thesouro, a ana-
cahuita do Mxico, e o Petioral de Anacahuita de
Kemp, a preparago por excellencia que obtem
com a maior facilidade a victoria sobre todas as
enferraidades pulmonares.
Jamis nouve.remedio algum, que dentro de lo
curio espaco de lempo se lornasse tao universal-
mente popular. Os testemunhos e alterados de
suas innumeraveis curas, em casos de losse, angi-
nas, rouquido, inflamraagao do peito, bronchites,
asihma, catarrhos, constipagoes, etc., se recebem
aos centenares por cada correio, enviados de todas
as partes do mundo.
Acha-se a' venda as pharmacias de Caors &
Barbosa e J. da C. Bravo & C.
sw
COMMEISIO.
, e por consequencia mais nobre .
16 annos, solteiro, Santo Antonio, tubrculos pul- Eo fallo dessa gloria adquirida nos setas das fa-
ra0Dares- milias, nao obstante o tumulluar das paixSes, e
que estabelece a verdadeira amisade; ou fallo
dessa gloria que constilue a face do universo o
cavalheiro distincto o homem probo o carcter
Caixa filial do banco do Brasil em
Periiamliuco.
A directora desta cala saca sobro o banco
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Babia.
Voto banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Novo Banco de Pornambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
videndo na raz3o de.8i5 por acglo.
Convida-se as pessoas que eslao as
condices do servico militar, a engajareni
no corpo de polica e gozarem das vanla-
gensdt lei provincial n. 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes :
i^ '*00 rs. diarios de sold, serem seos fi-
lhos menores recolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de educado e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm deslas
tem todas as mais vantagens que sSo con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
nente-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
Obras publicas.
Pela reparligo das obras publicas se faz pnbli-
aos proprielarios dos predios do largo do Corpo
Sanio, rita do Trapiche, travesa da Lingoeta,
caes de 22 de Novembro, entre a travessa do
Ouvidor e o largo do Collegio, e ra larga do
Bosario, que Ihes marcado na forma do re-
gulamento de 27 dejulho de 1861, expedida para
execugo do art. 57 da lei provincial n. 596, o pra-
so de 30 dias para a constrnego de respectivos
passeios das suas propriedades.
Se&etaria da reparligo das obras publicas 23
de selembro de 1865.No impedimento do secre-
tario,
_________Joao Joaquim de Siqueira Vartjo.
Consulado provincial.
O administrador do consulado provincial manda
publicar para conhecimento dos devedores dos im-
postas cobrados por langamento pertencentes ao
exercicio lindo em iiqoidago de 1864 a 1865 a
porlaria do Sr. inspector da thesouraria provincial
em que ordeua qne o pagamento de seos dbitos
s podero ser effectuados at o dia 30 do eorrente
ao meio dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 12
de selembro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Bios.
Portara.
O inspector da thesouraria provincial reeommen-
da ao Sr. administrador do consulado provincial
que faca annunciar uma e mais vezes, que o pa-
gamento dos impostas do exercicio prximo lindo
em liqotdaco, s ser admettido al o meio dia do
dia 30 do carrele mez, para que as duas horas,
ao mais tardar, esteja rerolhida a renda qne se
houver cobrado at essa dia.
Thesonrana provincial de Pernambuco 2 de se-
lembro de 1865.
________________Jos Pedro da Silva.
Consulado de Portugal
Nao se achaodo verificados os crditos dos se-
guintes senhores credores do finado subdito por-
toguez Gaspar Pereira da Silva, sao pelo presente
anouncio prevenidos, para virem prova-los, afim
de serem contemplados no rateio de sen espolio.
Borges & Pontes.......183^200
Jos Bernardo da Silva..... 5J00O
Joo Luiz dos Santos 4 C. ... 93J840
Joaquim Jos de Azevedo..... 37*550
Francisco de Mattos Vieira. ... 1154330
Miguel dos Anjos: Macliado. 5,5400
Vicente Ferreira da Costa. 48*000
Seixas & Azevedo (orna addico). 58*500
Manoel Fernandes da Costa (4 ditas.) 57*580
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 27......
dem do dia 28...............
369:0845984
46:77(55412
415:861^396
Ignacia Maria da Cruz, Pernambuco, 60 annos,
viuva, Recife, ataque aslhmaco.
Isabel Maria da ConcegSo, Pernambuco, 42 annos,
solteira, Recife, congesto cerebral.
honrado o amigo verdadeiro o pai extremoso
MOVMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados cora fazendas___ 263
t com gneros..... 324
Volumes sahidos cem fazendas..... 273
cora gneros..... 488
------ 587
Correio geral.
Pela adminislrago do correio desla eidade se
faz publico para flns convenientes, que em virtude
da convengo postal celebrada pelos goveos bra-
sileiro e francez, serao expedidas nialas para Eu-
ropa no dia 30 do corrente pelo vapor francez
t Gnyenne .
As carias serc recebidas al tres horss ante?
da que for marcada para a sahida do vapor, e os
jornaes at qoatro horas antes.
Adminislrago do correio de Pernambuco 23 de
setembro de 1865.
Domingos dos Passos Miranda
Administrador.
Obr*s publicas.
Pela reparligo tfs obras publicas se faz publico
aos proprielarios dos predios da roa do Aragao e
parte da do Rosario da freguezia da Boa-Vfeta, en-
de se acha calgada, qoe Ihes marcado na forma
do regulamenlo de- 27 de julho de 1864, o' praso
I de 30 dias para a construego dos respectivos paa-
7611 seios das suas propriedades.

'




\

ti. r-~
i% #i-i

Al I
Ti
a r\/"\


'
Diarlo de s> r_ian_i>u Je Htltmbro de !*&.
Secretaria da reparticao das obras publicas 28
de setembro de 1865.
______________Joo Joaqaim de S. Varejo.
No da 30 do corrate, Hada a aadieDCia do
jniz de paz do 1* districlo da Boa-Vista, tero de ser
arrematado ora cavallo ru>jo com cangalha, ava-
llado por 805, por execugao de Luiz Morara da
Silva contra Maaoei Maniva, a ultima praca.
Pe-raote cmara mnnicipadesta cidade es-
tar tro praca nos das 29 do correte, 2 e 4 de
outahro prximo futuro, para ser arrematada por
quem por meos fizer, a obra dos reparos de que '
precisa a coberta da ribeira e acougue da fregu-
Iuha do Havre Per-
nambuco.
Espera-se a barca Sphere que
sahio no dia 10 de agosto ao frete
de 23 frs. 10 V Recebe carga pa-
ra o Havre a fretes baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
uet freres.
COMPANHIA BUSUEIB1
DE
xia da Boa-Vista, oreada na quantia de 3:313200 P A OTTrPTF1^ A VA PAR
ra., aquelles que pretenderem arrematar dita obra ****JEjmj3 i irUll
devero comparecer no pac) municipal, nos Indi-
cado? dias munidos de carta de flanea de pessoa
idnea que garanta a arrematarlo. O orcamento
4a obra acha-se na secretaria da mesraa reparti-
rn, osle pode ser consultado.
Paco da cmara municipal do Recife 27 de se-
tembro de 1865.Luit Jos Perelra Sirades, pro-
presidente.Francisco Canuto da Boa-viagem, se-
cretario.
Correio
E' psperado dos portos do norte
at o dia 5 de outubro, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquina de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os portos do
sal.
Desdej recebem se passagel^ e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzTr, a qual dever
ser embarcada no dia "de sua ebegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriptorlo de
Pdla adminisirago do crrelo desta cidade se Antogio Luiz de Oliveira Azevedo C
faz publico para nos convenientes, que em virtude __________^^_
do disposto no art. 138 do regulamento geral dos g^^P^gBBH
crrelos de 21 de dezembro da 1844, e art. 9 do
decreto n. 183 de 15 de maio de 1851, se proce-
der o coosumo das cartas existentes na adminis-
iraco pertencentes ao mez de setembro de 1864,no i
dia 2 de outubro prximo, as 11 horas da manha,
ni porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se ada desde j exposta aos ioteressados.
Admnistracao do crrelo de Percambuco 23 de
setembro de 1865.-0 administrador
Domingos dos Passos Miranda.
LEILOES.
THEvruo
DE
E M PREZ A- GOIMBRA
Recita extraordinaria.
Sabbado 30 de setembro
de 1865.
Prinieira representacao do apparatoso drama
martimo, ornado de msica, de grande espect-
culo em 4 actos, pelo Sr. Aristides Abraoches
SENHOSADAB NANGA.
PF.nSO.NAGE.NS.
Jorge de Amaral, conhecido pelo
Filho das Ondas martimo.. Lisboa.
Joaquim, o vadiomarinheiro Simoes.
Espadarte, segundo commandan-
te do Terror dos Navegantes... Borges.
O To Filippe, pescador velho____ Amodo.
Placido de Meadonca, Dr. em me-
dicina....................... Porto.
Esponja, pirata................. Guimaraes.
Rajada, ideo................... Pinto.
Pao da Geba, dem.............. Teixeira.
Baealho secco, dem............ Peixoto.
lira taberoeiro.................. Santa Rosa.
Un pescador................... Peixoto.
Fragata americana, til ha do falle-
cido commandante do Terror
dos Navegantes............... D. Eugenia
Loica, filha do Dr. Placido....... D. Camilla.
Dota pescadora................. D. Leopoldina
Jn:ma, tabjrneira.............. D. Jesuina.
Pescadores, pescadoras, piratas e tripolaeo da
galera Seohora da Bonaoc
A accao passa-se em 1850.O Io e 3o actos em I
ama das ilhas do Arehipelogo dos Acores.O 2o'
e 4* a bordo do Terror dos Navegantes.
A musica composigo do maestro o Sr. Colas.
A pintura do Sr. Dornellas.
A scena do 2o 'acto represeuta o navio pirata
Terror dos Navegantes em alto mar, esta scena
completamente nova e de granJe effeito pela com- j
biuaeo do seu machioismo.
A scena do 4 acto representa a cmara do pi-1
rata Terror dos Navegantes em que a seu tempo
abantado pela galera Senhora da Bonanza, esta
scrina tambem de iim efffito raaravilhoso na ap-
parelo da galera Senhora da Bonaoca na occasio
da abordagem.
O emprezario regosija-se .ompre que possa apre
LEILAO
Da loja de faze idas da ra do Crespo
numerlo
Massa fallida de Joaqaim da Silva Boa-vista.
Martins levar novainente a leilao (pela ultima
vez) a requerimento dos curadores flseaes da mas-
sa fallida de Joaquim da Silva lija-vista e por des-
pacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio
da armaco e faendas da loja da ra do Crespo
n. 10, perteacente a mesma massa.
HOJE
As 11 horas do dia, os pr-tendeotes podeni exa-
minar o mandado em seu escriptono ra da Ca-
deia do Recife n. 9.
LOTERA
AOS 6:Q0$OO0.
Corre sabbado 9 de oimil.ro.
Acham-se venda na respectiva -thesou-
raria ra do Crespo n. la, os bilhetes,
melse quartos da 2a parte da 2a lotera
(34a) a benecio da Santa Casa de Miseri-
cordia para canalisaco d'agua e gaz no hos-
pital Pedro II, coja extraccSo ser no dia
supra mencionanado no lagar e hora do
costume.
Os premios de j6:000#000 at 100000
serao pagos urna hora depois da extraeco
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas lisias.
As encoinmeriilas s r3o guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraeco
como de costume.
O thesoureiro,
_____Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Na roa das Crutes n. 12, fomece-se comida
por commodo prego, assim como engomma-se com
perfeigao.
Aluga-sea sala do 2o aodar da casa da ra
do Imperador d. 75 : a tratar oa mesma
d..;.. a i panana da Torre, percisa-se de nm amas-
Precisa se de urna ama para casa de pouca sador que saina ler, para vender nao
a tratar na ra Augusta n. 60. -------------r, ... .-------------------------------
HOSPITAL PORTUGUEZ
DE
k.\;s icjjevrs v em i'iiitwu-
BUCO.
Approxima-se o domingo Io de outubro, da con-
sagrado a celebraco do anniversano desta pia
insliluico, e era que vai tambem ter lugar o tu-
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma seguros martimo?
&SA DA FOBTS i
Aos 6:000$000.
Bllbies garautidoi. !
A' RA WCfi'SPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassrgnadovendeuuos seos moitofeli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio da matriz de Santo Ama-
ro de Jaboato, os seguinles premios :
m quarto o. IS41 cora a sorte de 6:0005000.
Um meio o. 1764 com a sorte de 4005.
E outras muitas sortes de 100, 401, 20S e
1OJ0OO. ,
Ospossuidores podem vir receber seus respec- ___!,!* !2_?*T.carrega,,-,;n,os e C0D,ra foRO
tivos premios sernos descontos das leis'naCasa 1 ?M?ll.r?r,iS mo,"lias:, n? seu escn|,l-
da Fortuna ra de Crespo n. 23. i '^roa^QVtgrta. 4, pavimento terreo.____
Acnam-se a venda os da 1* parte da 4" lotera ~ Na ra da Florentina n. 36 prepara-se comi-
(33"J beneficio do Instituto Archeologico Per- da com aceio e pjximpiidao e por preco razoavel.
nambucano, que se extrahira sextafeira 29 do PharmaCa~e8peCarhoie^tlliCa7do
PREgo. Dr. Sabino Olteario L. Pinho.
SeihoesleS SffiSo HMJA M^A *' 43'
Ouarls iloon Vendem-se por precos commodos, os melhores
m^TJu ',,rT. jAfiflnna med'camentos horaeopalhicos em glbulos etintu-
as pessoas que eomprarem de 1000000 ra vidros tub05> g]gbalos jnerte choco|ate bo.
para cuna. meopathico, escovas elctricas, apparelbos para la-
Bilhetes..... 65500 var os olhos, etc., etc.
Meios...... 3,8730 Vende-se o Thesouro liomeopatlco, a melhor
Quartos. .... 1700 b que existe para a patrica da homeopathia.
OSPARAGUAYOS
E a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver:
fulmina-los com os encouracados armado
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em surama a espada, a
laso e a punhal d que se trata; nas
ninguem se It-mbrou anda de esmagar os
Paraguayos con as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com ellas a lacao e a penta
ps, para o que necessario encoaracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga c bra, arranca Reos,
quebra marmore e ostros que se vendem
45-RA lUITA4
Para
Manoel Martins Fiiiza.
familia
Offerece-se urna pessoa com bons atteslados
para criado de servir ; quem precisar dirjase a
ra do Aragao n. 32.
Dao-se esmolas no cemiterio publico no
dia :i0 do correte as 7 horas da manhaa,
em tencao d'alma de Joo Jos
Irtoraes.
O Dr. Sabino da' consultas todos os dias atis
desde 10 hi ras do dia at duas horas da larde.
Visitas aos domicilios sempre que as circuns-
tancias as exigirem.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
|*CASfl De1InI1s*|
Ruada Cruz n. 17 i*$
A abaixo aMiffoada, tem a honra i!i- ??<
Borseguins Bordeaux
patricios........".
para senhoras, en-
feitados.......
com laco e fivella ..
Sspates encouracados.......
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
8000
o#000
5#>C0
400
50CO
3,5uOO
2^0C0
l,500i)
1(5000
avplludado;
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras........... ,5500
com sallo de lustre.. 2,5240
Chineles do Por o.......... 1,5600
m completo sortime\o de calcado da
trra para borneas, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre,
Leilao
HOJE
Sexta-feira 29 do corrente as 11 horas
Na ra da Cadeia armazem n. 53.
PELO AGENTE El'ZEBIO.
De um sobrado n. 27 de dous andares, sito na
ra estreitado Rosario freguezia de Santo Antonio,
solo proprio, as chaves se acham junto n. 29.
i De urna casa terrea n. 43, solo proprio, rende
30 por une, sua na ra das Crloulas na Ca-
punga.
dem ditas de ns. 39 e l como cima Da mes-
ma ra das Crioulas na Capunga.
dem dita o. 2 sita oa esquina da ra de Moto-
colorab defronte da igreja de N. S. da Paz, nos
Afogados, solo foreiro.
dem dita de n. 29 sita na entrada do Mangui-
nho quasi defronte da igreja de S. Jos, solo pro-
prio.
De um sobrado de um andar de n. 9\ sito na
ra Imperial, foreiro rende por aono 3005.
Siio portaoto os Srs. preieodeotes coovidados ao
previo exameafim de que oajaelle dia e hora se
achem habilitados a se proverem de predios, cu-
jos rendimenios garantem um juro razoavel.
De trastes, objectos de ouro e prala e
escravos
ho.ii:.
Sexta-feira 29 do corrente as II horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LEILOES
DO AGENTE
OLYMPIO,
36Kim da Cadeia do Kecife -30
LEILAO
Em eootinuaco da loja de miudezas
da roa do Cabng n. 12
Hoje as 11 horas.
Jos Francisco de Souza Lima Jnior
com coosenso de seus credores e por ioterveocao
Dr. Henry Kraus mlb
dencia da ra da Imperatrlz _
sobrado grande n. 2 defronte da entrada a da caridai|e, podero ser entregues a quaiquer
Dar a Estancia nnrlp nnrlp <*pp nrm-nraAn 5 IUJ1e"lt,ros das respectivas commissoes, ou re-
,nnlh onaepoae ser protarado metiidos directamente a'secretaria do hospital at
a quaiquer hora. Chamadas para dentro, sabbado 30 do correte,
da cidade podem ser entregues na botica! Consumera as diversas commissoasos Srs. :
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na : Manoel Gomes da Cruz, tra-essa da Madre de Dos
praca da Boa-Vista na dos Srs. J, C, Bravo; Au^Muniz Machado, ra do V.gario n. 3.
& L. na ra da Madre de Dos, ou no ar- Jos da Silva Loyo, Forte do Mattos'n. 13.
mazem de viuva Baymond & C. na ra do i0i Barbosa de "Mello, ra da Cruz n. 52.
Trapiche Novo das 9 horas da manha at v NoUe7a dLSuUza.rua do Crespo o. 2.
i? 1 Ha tirHo Narciso Jos da Silva, rua do Queimado n. 42.
Manoel Hodrigues da Silva, rua do Queimado nu-
mero 61.
Jos Antonio da C.sta Valenle, pateo do Paraizo
numero 2.
Bernardo Jos da Costa Valenle, rua Direila nu-
mero 10.
Lourenco Ribeiro da Cunta Oliveira, rua da Praia
numero 49.
Vicente Alves Machado, rua nova de Santa Hita
n. 47.
Flix Pereira da Silva, rua da Imperatriz n. 60.
Joo Francisco Paredes Porto, rua da Imperatriz
o. 48.
Joao Luiz Ferreira Ribeiro, rua da Santa Cruz nu-
mero ii.
Candida Alberto Sodr da Motta. Passagem.
Maooel Ribeiro Bastos, roa do Queimado n. 18 A.
Outro si ti comamos que as pessoas a que por i
esquecimento nao tenha sido dirigida carta de pe-
dido, aceitem a que de presente transcrevemos
como se directamente Ihes fra destinada para o
lim nella descripia : aguardando a junta adminis-
trativa com igual recunhecimento, quaiquer que-
seja a olTerta que se dignaren) enviar em beneficio
desta casa de caridade.
meado do mez de outubro vindouro, os da S
casa tero a Arma da abaixo assignada, S
e serao como d'anies transmissiveis. Sfi
Tabella dos precos. ,w
1 assignatura mensal com direito
a um banho diario a 320 rs.. 9J6O0 '29
1 dita de 30 cartous transmissi- 3t?g i
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na rua do Impera- &
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seo R
gabinete de consultas medicas, logo ao tt
entrar, no primeiro.
O mesmo doulor, que se tem dado ao ^
estudo tanto das operagoes como das mo- Wm
lesnas internas, presta se a quaiquer cha- >3s:
nado, quer para dentro quer para fra
1|2 dita de 15 ditos a 400 rs.... 6000 jfe m da cidade
1 banho avulso, momo ou fri ou >j ^*w t^vww,f<
500 MMm &m&'.WM
B
Na rua larga do Rosario u. 35 sobrado, da s
bolos de vendagem a 80 rs. a pataca.
Offerecese urna ama para o servico interno
de urna casa : na rua das Trincheiras n ,,ft
m
de chovisco.................
1 dito aromalisado com agua flo-
rida........................
Os raedicinaes serio pelo prego que se H
convencionar: 0%
i50oo m
Saques.
Antonio Jos Ho 'rigues de Souza ;
IR
ua
U estabelecimento estara' aherlo nos Sj tl0 (^e-po n. 15. saca para O Hio de Janei-
dias utels das 6 da manhaa as 10 da noile g ro a 3 dias de vista.
Est fgida desde o dia 24 de Janeiro do cor-
rente anno a prela crioula de oome Elua, que foi
do finado Francisco Cavalcaoti de Mello, esta pe-
la representa ter 30 annos de idade pouco raais
ou menos, e tem os sigoaes seguintes : estatura
alta e corpulenta, denles limados e em cada braco
tem urna marca de taino de fouce, costuma passar
por forra e muito conhecida uesta cidade, julga-
se estar refugiada era casa de aIguem nena pra-
ca, pelo que prot-sta-se pelo presente haver de
quem quer que a lenha acontada todos os damnos
causados : roga-se portanto a todas as autoridades
policiaes e capiles de campo a apprehengo de
dita escrava e leva-la a sua sentnra rua dos
Martyrios n. 18,garaote-se a pessoa que a aprehen-
der 505 de gratiflcago.
fcF',iaB e nos dias santificados al 2 horas da tar-
M| de, bavendo chegada de vapor estara' l
^ aberlo por mais algum tempo.
M Mathilde G. Lessa.
SAQUES
sobre L.isboa
e Porto.
Jos da Silva Loyo & C. sacam sobre Lisboa e
Porto.
A 120 rs. a libra se pagam os jornaes para
emhrnlho : pa praca da Independencia n. 22.
Dentista de Pernambucojj
91 Kua estrella do Rosario n. 3,
ao p da igreja
^FRANCISCO PINTO OZONO
^ C'oIIoca deutes ariiflciacs !
pelos systcuias uiais mo- i
M demos g|
|J| Emprega todos os meios scientificos para M
rs conservar os naturaes. Pode ser procura- H|
Si do em .-eu gabinete das 9 horas da ma- W
00 nhaa as o da tarde.
sentar ao Ilustrado publico desta capital, especia- do agente Cordeiro Simoes, far leilao de todas
ealM embira dispendiosos, porra deieitaveis.
N. B. Os Srs. assignantes tem preferencia as
suas asignaturas at hoje sexta-feira as 4 horas
da tarde.
Comegara' as 8 horas.
as miudezas existentes.
ijffljl MARTIMOS.
Para a Bahiadeve seguir com muita brevi-
LEILAO
Vestuarios para meninos de todas as
idades. grande pechincha para os
paisde familias.
Martins vender eoi leilao ricos vestuarios de
dade o cter nacional Eqwtdr, por se achar com casemira e de lia pira m;nino; d: tolas as I la-
parte do seu carregameuio prompto, paia o resto I des, os mais ricos que tem vinlo ao mercado, na
a frete trata-se no escriplorio de Amorim Irmos j rua do Crespo loja de faadas o. 10, ao tneio'dia
rua da cruz n. 3, ou com o capitao Anselmo Pe- depois do leilao da mesma loja.
res ua praca do Commercio. ___________________________________________
^"com pLvh~pernambucaxa
DE
aaregaco costeira por vapor
Parahyba, Natal, Mico, Aracaty, Cear
e A carac.
No da 30 do corrente segu
Jos Estevo de ivrira, sua senhora i).
Joaquina Francisca de Oliveira e seus filhos
agradecem cordialmente a todas as pessoas
que se dlgnaram assistir as mequias de sua
chara Qlha e presada irma Thereza Francis-
ca de Oliveira, e igualmente o fazem a ir-
manlade que acom.ianhou o prestito fne-
bre ; outro sira convidam a lodos os seus
amigos para assistirem a missa e memento
do stimo dia, a qual ser celebrada na igre-
ja do Corpo Santo, pelas 7 horas da manha
do da 2 de outubro vin-louro, antecipando
desde ja' os seus sinceros agradeciraentos.
o publico.
Acaba de sabir do prelo nogoes do systema m-
trico decimal por Jos Antonio Gomes Jnior ; esta r
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneflcen- ibLa-S0nl?BI Precisas !al!oas em (l.ue oaes
ia em Pernambuco 23 de setembro de 1865 Zttlt \T'V "pa5ldaf cxtensao "_ acliam
O seerfitari^ couvertidas ao systema mtrico, comparado a un
Joo Pereira Hat ello Brasa dado nova a anl,ga> afim de ^ae os fa'cnlos no
commercio se executem de um modo facilimo, pre-
eraiilo

que os risos da iDoocencia, mais rica que todos os
ihesouros do universo ; de quanto mor valia nao
devera' anda ser aquella que, alm do soccorro
que presia ao necessitado, lev Itie ao leilo da dor
o Itnuivo a seus acerbos soffrimentos? I
E nao ha a duvida-lo": o contrario seria desdizer
da propria ivindade. Pois bem, Exma. Sra., os
abaixo assignados, conscios de que V. Exc. smen-
te anhela se Ihe descortine um prado, onde por
de con-
comprehendidos por
geocias : vende se a 1$ as hvra
rias acadmica e universal, rua do Imperador ;
econmica, arco de Santo Antonio; e em casa do
aotor, rua do Destino n. 3, onde es compradores
de dez oxemplares para cima terao um beneficio
na razo de dez exemplares por cento.
AVISOS DIVERSOS.
Bazar volante.
Pede-se aos senhores assignantes que recebem
o vapor Parahyba commandante fla fulha directamente do Bio de Janeiro, o faver
Martins, para os portos cima in- _f_f2 5?,,s"er a mportancia de suas as-
dicados. Recebar carga al o dia f"*,1"!? ,e aDn' em "? de KPa,,,ue'
29, encommendas, passageiros e ["* do C.rspo n" *' UDIfi0 encarregado em Prnam-
dinheiro arete at o dia da sahida as 2 horas da g* Se elregara os rec,boi' e onde se as"
tarde escriptorio no Forte do Matos n 1. JE__:________ ___________________________
Precisa-se fallar ao Sr. Fernando Gar-
zoli : na praca da Independencia n. 6 e 8.
rmandade de Santa Cicilia erecta no
convento do Carino.
Por ordem da mesa convido a todos os irmaos
para compa'recerem a mesa geral que ter lugar
no da 29 do corrente mez as 3 horas da tarde, pa-
ra tratar-se de negocio de grande interesse, a be-
neficio da mesma irmandade. Consistorio 27 de
setembro de 1865.
O secretario interino,
Benjamn do Carmo Lopes.
Conapaahiadas Mcnsagerles Im-
periales.
No dia 30 do
corrente mez es-
pera-se dus por-
tos do sul o va-
por francezGuiCTi-
I ti, commandante
Anbry de la No,
o qual depois da
demora do cos-
ame seguir para Bordeaux, tocando em S. Vi-
cente e Lisboa.
Era S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia cora Gore.
Para fretes, condiccoes el passagens trata-se na
agencia, rua do Trapiche n. 9.
PARA JO
Rio de Janeiro
pretende seguir com multa lirevidade o palhabote
nacional Piedad, tem parte do seu carregamento
encajado : para o resto que' Ihe falta e escravos a
fre.', para os quaes tem e.cellentes commodos,
-trata-se- coro os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio rua
da Cruz n. 1.____________1_____
COMPANHIA PEKNAMBUCaNA
Perdeu-se urna pulselra de ouro na noite de
20 do rorrete, desde o becco dos Ferreiros pelas
ras da Aurora, ponte de ferro at a 2" ordem do
suas delicadas maos sejam cultivadas as mais ni- 'heatro de Santa Isabel : roga-se a pessoa que
achou, querendo rostituir, fara' o favor de a levar
ao becco dus Ferreiros, csa de Domingos Antonio
da Silva Beiris, que sera' generosamente gratifica-
cente a sua arte por precos mais baratos do que l&^TSSZZJ: EEESEUffiffifr fe"?* SgaeS __ Pa'?era *' mS'rara' ""'"
L asSl-omo uXu^ra^rdeiof erarse' *"*!* M Se ^'^ ?tm? d *"&- Precsa-se saber onde para urna e.ru .oda
cunda man Um Vasl camp0 para nelle W"fl as sublimes de Macei pelo vapor Parama, em 2o de agosto
b -_ :------------------------------------______ virtudes, que constantemente brotara do benigno prximo passado, remedida pelos Srs. Birbosa &
llTHanilii.il1 de SenllUI* BoiU JeSUS dos coracao de V. Exc. : bastando para isso apenas Vasconcelos para Joa>inim de Souza Silva Cunha,
Pan* n-t Batril ilo r<.rnn anta ^ P"- aT dS ''"'i"/' V' Excfa?a ,anS Des- na rua da Cadeia n. 28 1-andar, que no correio
r^sus m,i lu-i 111/, un t, t |i o ,>,UUO. se lorrao de necessidades urna jota, um mimo, nao apparece; a dita carta continha dentro urna
urna prenda quaiquer, a qual para logo, por urna carta e urna letra de pequea quantia, de Joao
providencial transformacao. ver se-ha convertida Marques de Oliveira Guimaraes, da cidade do
em pao para malar a tome ao necessitado, e em re- Porto, para ser aqui cobrada de quem a deve, e
medio para curado tnfeliz. mais um papel de um arrejdamento de um sitio
To certos eslao os abaixo assignados do bonda- Gungur.por D. Francisca Eugenia de Mello, pro-
doso acolhimeato que V. Exc. dar' a esta humilde vincia das Alagas ; o mesmo papel vinha para os
supplica, que em forma de iniciativa Ihe dirigem,, frades passar o recibo no mesmo, como ja' ha muito
que desde ja' contara receber das mos de V. Exc.' era costume. Muito se agradecer' a pessoa que
urna primorosa offrenua, para uodia 1- de outubro entregar dita carta, pois a ninguem serve senao ao
do corrente anno, em q je se tem de solemnisar o annunciante.
10 anniversano da installago do Hospital ser all! -----------------------------------------------------
ex posta, como fragrant rosa em delicioso jardim, I SOCIEDADE
Por ordem da mesa regedora convido a todos
os irmaos a comparecer domingo Io de outubro
prximo futuro a urna hora da tarde no consisto-
rio da mesma irmandade, afim dse proceder a
eleicSo da mesa que tem de fuoceionar no segra-
te anno.
O escrivo,
____________Antonio Rafino de Andrade Luna.
Olferece-se urna ama para o servico de casa
de pouca familia : quem a pretender dirija-se a
rua do Fogo n. 20.
Aluga-se a casa terrea sita na rua Im- a mover a admiraco dos concurrentes, e a desafiar I Lnio Beneliceute Mari ti ma
perial n. 213, com 2 salas, 6 quartos. co- nel!es d.esi de a Tocarem por um premio unto j p d s nrfiSI,..nl(, s3o dp nnv Pftnvi.
sinha fora e quintal com cacimba : a tratar ^trJ1*^^
na inesina rua ir 211
n. 84.
certamen moral por sera duvida se devera' estabe-
socios a se reunirem em
erer '' assembla geral no dia 29, pelas 6 1|2 horas da
Desta sorte a religio marcara' mais um trinm-i^J&JtJ*?*?V*I***
ou na rua Direita
Exc. praticar, subir' aos cos as candidas azas
do,queno me pude conter, e porl.wl.og, ^^^^ ouVT^
trato de s>r. iho riQM, T^T,..nt. DE
Navegaeao costeira por
* Ilha de Fernando.
No dia 28
vapor.
ao meio dia segu
um .dos vapores da companhia
para'o porto cima indicado. Re-
cebe carga at o dia 27. En-
commendas, passageiros, dinhei-
-roa frete at as 10 horas da i manha do dia da
sahida : senptorio no Forte do Mattos n. 1.
GOttPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o da 30 fio corrente1 o vapor
Tocantins, command.iote o pri-
raeiro lente Pedro Hypolito
Duarte, o qual depois da demora
do otume seguir para os portos do norte.
Desde j recebera-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada so dia de sua chegada ; encom-
mendas e diabeiro a frete at o da da sahida, s
i tiora : agencia, rua da Cruz n. 1, escriptorio de
JftBtOQID' lASTX1 flcr t^nTCTTil 'AK0TOQO "Qf C
Ilha de S. Miguel
A escuoa portugueza Erna pretende sahir impre-
teriveWnente at o dia 30 do carrete mez, e para
passageiros e carga trata-se com o consignatario
Joo do Reg Lima, na rua de Apollo a- 4.
Joo Jos de Carvalho Moraes Filho, Luiz
Alfredo de Moraes, Jrs Candido de Moraes,!
bacharel Francisco Cordeiro da Rocha Cam-
pello e o raajor Belarmino do Reg Barros,
filhos e genros do fallecido Joio Jos de
Carvalho Moraes, cordialmente agradecem
a todas as pessoas que se dignaram assistir
as exequias do ;eu mui presado pai e so-
gro e cora especialidade as venerandas ir-
mandades que o acompanharam ao cemite-
terio publico, e ao Illm. Sr. Thomaz reman
des da Cunha pelos relevantes servicos que
prestou e ao mesmo tempo aproveitam o
ensejo para convidar aos seus amigos e aos
do fioado para missa e memento do stimo
dia que se tem de celebrar na capella do ce-
miterio no dia 30 do corrente as 7 horas da
manha pelo que desde j antecipam os seus
sinceros agradecimentos.
jmos a&Stft5K%%; rer: 'h,e *-?e pa.ra coKemTsero in'cessr'^s
sidente n"o pateo do Carrao! ao^ul senho^eu'/ou M\X"Z To'brados aSS"nar'Se *' V"
SSWf 4S^ffS5S HoffffroS'aitan^n^ era Pernara-
!*" !_ m.,._a? *_? ll*!**JS?*f*' buco, aos 30 de junho de 1865.
O provedor,
por isso eu faltara a um dever sagrado se deixas-
se em olvido, e o nao reconhecesse como tal, e
offerecer-lhe os meus protestos de gratidao, estima
e devida consideracao.
Martiniano Clemente do Nascimtnto.
lina ecrava.
Antonio Lopes Pereira de Helio.
O secretario,
Joao Pereira Rebcllo Braga.
Illm. Sr.As irrecusaveis provas por V. S. cons-
tantemente manifestadas de considerar o amor ao
Joao Rodrigues Bandeira
2o secretario.
Ii'avso e chrlstal, elogantes en-
friaos para senhoras.
Pelo ultimo vapor da Europa madame R. Adour
recebeu um completo so'rtimento de enfeites de
ac e christal para senhoras, consistindo em ricos
diadema?, dentes, brincos, broche pulseiras, bo-
toes e urna infinidade de enfeites de apurado gos-
to, anda nao visto n'esta cidade: as pessoas que
Mmoel Ignacio da Silva Teixeira com pua-
ria no largo da Santa Cruz n. 1, e rua uo Ro-ario
da Boa-Vista n. 53, faz scien'*- zes que iem lomado pso por va do administrador
6 trabalhador MdOOel da Silveira Fr-ilas, deixou
de ser gerente das mesmas, e por isso o pao entre-
gado nao c fabricado na mesma, e os senhores que
estao deveudo ao mesmo Freitas nao devem pagar
por eslarmos em liquidacjo._________
Precisase alugar urna casa terrea no bairro
de Santo Antonio, que tenha quintal que pos a se
fazer urna estribara para dous cavallos : a tratar
nesta typographla.
Joo da Silva Ramos, medico, me-
dico pela universida Je de Coimbra,
d consultas em sua casa das 9 as
11 horas da np^-- ."*"" -
ua laiue. visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em
quaiquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber quai-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica quaiquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3i5000 diarios.
Segunda dita----3500
I Terceira dita .20000
Este estabelecimento j bem
1; acreditado pelos bons servicos que
j tem prestado.
J O proprietario espera que elle
i continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
Fugio o anno passado, doengenho Patos, da co- BK =.' WS^SRSfe
KSL?ar_ StSfSL ,de-noTLaiza' v.ir de M so. generosa coope- SSftlSS!_L, S JT SLS
marca
crioula, idade 25 annos, olhos reiulares, bocea re-' raco'em favor" do" 6or ''r^^'qei^M* Ide L'S.f .m^'T. nlK; 1^^
guiar, cara redonda e nariz tambera redondo, ps administrativa do Hospital PoVtuguez de? Beneflceni! irff l9rL ; '
direilos, porm afoveirados por marcas de cravos, cia nesta cidade pretende expor naquelle eslabele- I-______________________________
boba e bicho, que tudo sempre gostou de possnir, cimento no dia Io de outubro do corrente anno, era Precisa-se de um criado que saiba bolear, e
com cicatrizes de chicote pelas costas, tem olhar que celebra o anniversario de sua installaco : es- QUe seja tambera copeiro : a tratar na rua da Cruz
desconfiado, julga-se andar aqui nesta cidade do perando que V. S. se dignara' concorrer para elle armazem n. 38.
Becife : quem a pegar, dirija-se a rua do Queima- com urna dadiva quaiquer; a qual servindo de
do n. 13, casa de Antonio de Souza Oliveira, ou a tornar mais apparatosa e brilhante aquella feira da
seu legitimo senhor no engenho Patos, que ser caridade, d ao mesmo tempo em resultado um bem
generosamente recompensado ; assim como o mes- significativo augmento ao celeiro dos pobres enfer-
mo abaixo assignado protesta com todo o rigor da mos, que quelle receptculo de dr e de miseria
lei contra quera o tiver acoutado. vo demandar soccorro aos males que os afiligem,
___________ Joaquim F. C. de Oliveira. e a' penuaria de quo sao victimas.
Seguros da attenco que a V. S. merecer' a es-
Escravo fngido-
Fugio do engenho Cavalleiro da freguezia dos pessoa'hneaie recebe-la, comrTenca'rrega"d"os q'ue'so-
Afogados, no da 6 de setembro corrente, um ca- mos de to piedosa colheila, a qual nao faltaro as
brmha de norae Pedro, com 13 annos de idade, jbencos do co, da mesma sorte que sero prolon-
ponco mais ou menos, com os signaes seguintes : gados os ditosos dias de V. S., como muito Ihe de
cabeilonomefioo, bem feto de bracos e pernas, sejam os de V. S. alientos veneradores e obri-
tera a voz curta quando grita, e quando cauta afi- gados.
na a voz, tem os sobrolhos um pouco empapujado, (Os membros da commissao.)
e tem urna cicatriz quecompreheDde das cadeiras ~ Recife, 30 de junho de 1865.
at as nadegas, intitula-se forro, levou vestido ca-
misa de aifwJozuihu v um chapeo de nalha j
osado : quem osapprehender leve o ao dito enge-
nho, que ser recompensado por
Pedro Jos Gomes de Ralis.
Associacao Conimercial Jie-
nefioente de Pernambuco.
Nao se tendo reunido numero sufllciente dos se-
nhores associados para a reunio extraordinaria
de assembla geral convocada para hoje f26), a
direccao pela segunda vez convida os senhores as-
mola que pedimos, em lempo opporluno Iremos | sodados a se reunirer oa sala das sessSes no dia
3 de outubro prximo vindouro ao meio dia, para
de sua sade.
A partida do Club Gommerclal no cor-
rete mez ter lugar na noile no dia 30.
O secretario,
Francisco Lucio de Castro.
Jacintho Medeiro Galvao, subdijo portuguez,
retira-se para S. Miguel.
6114
Um senlior padeiro mandn fazer urna raassel- ,an' 1ue lenna e9ias Q-alidades, para o Bm que
ra, porm por falta de fariohano precisou della, se deseja._____________________________
e assim se vende por mdico preejo : a tratar na Precisa-so de 3:000,?, bypothecaudo-se urna
Urna mulalinha de idade de 17 annos, pti-
ma costureira e modista, tendo recebido educaco
como quaiquer molher livre que a tenha tido, pre-
cisaodo da quantia de 600 para completar sua
alforria, hypolheca seos servicos pelo lempo que
se convencionar : quem quizer fazer este adianta-
mento annuncie para ser procurado : declaraodo-
se que s se faz este negocio para casa de familia
de consideracao.__________________________
Irmandade d V. S. do Rosario do
Recife
Por ordem da mesa regedora convido a todos os
irmaos a comparecerem no dia 30 do correte a 1
hora da tarde, no consistorio da mesma irmanda-
de, afim de se proceder a eleicao da mesa que lera
de fuoceionar no segointe anno.
ADtonio Jos Coimbra Guimaraes.
_________________________Escrivo.
ama"
Precisa se de urna ama para casa de pouca fa-
milia, daode-se preferencia a eserarva: a tratar
defronte ao portao do gazometro.
Samuel Poner Johnston A Companhia
Rua da Senzala Nova n. 4.
AGBNCIA DA
Fundicao de l.ow loor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios di- carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Hez mil solipas..
Contrata-se para o caminlio de ferro de
y Apipacos, 10,000 solipas de madeiras do
se de um menino de 14 a 16 auoos, que seja bom- Jugar de um guarda que foi tirado para ir, J" Precisa-se de um meoioo para caixeiro de: d d nrfltpnder forne>-e-las 'dtri-
to e gordo, se oao nver pratica se ensioar, com (]f <*m\A <\p oratxrxrtr, > tratar na-.! taberna, dos ltimos cOegados: oa rua Direita uu-, H11311 quem preienaer lornete las airi
a-se wyoe grattncacao a tratar na rua mero ^__________* ja-se ate o da 30 do corrente mez, a rua
Santa Rita n. 75. ... __....----- _-------------- 0 imperador n. 55, segundo andar, para
- Jos da Costa retira-se para Portugal a tratar r_I!?,l1l,HP,l!fS_Mr ."T assl>ado- ,Jeclaro
que nesta data detto de continuar com
o negocio
de carne secca, cando para fornecer os meus fre-
guezes o Sr. Joaquim igaacio Pessoa de Siqueira,
armazem n. 38: em poder do mesmo senhor acha-
ro os referidos meus freguezes as suas cartas de
pedido : e o mesmo Sr. Siqueira est autensado
para receber e continuar a fornecer at que eu
volte ao commercio, se Dos nao mandar o con-
trario. Goncalo Alves Tavares.
O hachare!
Francisco Angosto da Costa
ADV6GA00
Rua do Imperador numero 69.
:
o (iii j annunciado.
Associacao Comraercial Beneficente de Pernam-
buco 26 de setembro de 1865.
, O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
SOIZ < PEIX
BEIiOJOEIRO E DOVBADOB
20RUA DO HANGELiO
Participa a seus amigos e fre-
guezes que acaba de receber mag-
nficos relogios de ouro e prala
correles de ouro para relogios
do mais apurado gosto.
Coneerta relogios de quaiquer
natureaa, caitas de msica e dou
CASA
Aluga-se muito em cont o segundo e lerceiro' ra nao s relogios como quaiquer objecto.
andares do sobrado da rua da Madre de Dos o.
36 ; as chaves acham-se oa loja do mesmo.
No armazem G, rua do Imperador, precisa- A pessoa que quizer ir para 0 8l em _
Precisase de um pequeo de 44 a 16 aonos,
| que tenha pratica de taberna : a tratar Oa na do
' Brom o. 47.
rua nova de Santa Bita n. 17, defronte da ribeira propriedade no valor de 14 a 6.-0O0J : para tra
do peixe, com Jos Ferreira Coelho. tar na roa do Hospicio n. 38.
Creme*
T--------------
Roga-se aos Srs. Maooel Felemon Feroaades
e Joo Foi concluirem o que nao ignorain a' loja Sorvete de crete hoje ao meto dia : na rua do
n. 10 B da rua do Crespo. Trapiche n. 18.
tratar do ajuste.
Precisa.se de urna ama para comprar e cotj-
uar: na rua Dir|ta o, 6, taberna.


I..___.. ~.
*-i


Diario d a*eraaaueo se&U lelr ic iMfcr e *.


| DE
I ubI
DE
J. VIGNES.
f. 55. RUI DO 1HPER4DOR M. 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje asss coohecidos para que seja necessario insistir sobre a
tna saperioridade, vantugens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas iocontesta-
veis que elles tera definitivamente conquistado sobre todos os que lein apparecido nesta praca ; pos-
snindo um teclado e machinismo que obedecera todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
tranca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se faito ltimamente melhoramentos imporlan-
ssiraos para o clima deste pair ; quanto s voies, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazemse conforme as encoramendas, tanto nesta rabrica como na ao br. Blonael, de Pars, socio
correspondente de J. Vigaes, em cuja capital forara sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo esUbelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assun como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos commodos e razoavels. ________________________________________
CONSULTORIO JIEDICO-CIRURGICO
DO
DR. PEDRO DE ATT1HYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr Lobo Moscoso d consultas gralnitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
oras da mnho, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excepco dosdias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
i de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tudos grandes. 30,5000
, de 60 tubos grandes. 35*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir. ... txnn
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca l^OOO.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IIVROS.
A melhor odrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
doas grandes volumes com diccionario............. 7nAnVi
ii.j:i.l1m1Mi.sJnnr Hflrinff........... 1U0UJV.
...... 6000
" ."....... 3,5000
GRANDE DESCOBERTA
deFIGADOdeBAGALHAU
. DESINFECTADO
MEDALHA
DE
HONRA
As propiedades medicaes do oleo de figado de bacalao forjo unni-
memente reconhecidas. Has seo cheiro e seo sabor lo desagradareis
lornao o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condeseentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevrier que Ihe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propiedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeulica moderna.
O oleo de ligado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agradavel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem nem gosto netn cheiro de peixe.
Objccto de numerosos relatnos scienliicos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e 6 receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Pebres* al* niiir,
Eafairameata por exeeaaa le
trabalha au ale praaerea,
Moleatiaa do bramealaa recen-
ten a ehraalcaa,
Tai.n aerllaaaea,
Gaalrltea, (caalralgiaa,
Dore de rntanlKuo.
Molrolias eaerafulaaaa,
Racuiliaota,
Ohairnrj-o da glanaea,
Tnica |iulmanar,
Maleatlaa da selle,
Ceastltaieaa lynialiatlea,
Aneiula, debllldade, (raajurm,
Magrea
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio^le administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accSo Uto efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e n9o
provoca a constipadlo.
As pessoas as mais delicadas que n3o podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderSo com a nova descoberta do Snr. Chbvribr, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
Elle convem a todas as compleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimenlaclo das enancas fracas e doentes.
Um folleto accompanha cada vidro e conten as observares medicaes.
Deposito em Parta, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pemambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros A Barbosa.
LIQUIDACO GERAL
Aluga-se
ama casa Da ra dos Prazeres da Boa-Vistan. 1 A,
tem 2 salas, 2 qnartos, cozinha ra, quintal, ca-
cimba, nova e acabou-se de pintar, e aluga-se
por 16$ mensaes : a tratar na ra estreita do Ro-
sario n. 28.
A.'IiCilO
A
O arrematante das dividas da massa fallida de
Amoro), Fragoso, Santos & C, e do espolio do
fallecido Custodio Luiz Gomes, previne aos sonho-
res devedores para que, no praso de 30 dias, te-
nham a bondade de virem satisfazer seus dbitos
no espaco dos dias cima, do contrario seus noraes
sero publicados : a tratar na ra do Aragao nu-
mero 3. _________
Acha-se contratada a compra do predio sito
na rua dos Coelhos o. 8, no bairro da Boa-Vista,
o qoal pertence ao finado Anaeleto Jos de Men-
donga, e hoje pertence aos Srs. Antonio Carneiro
da Cunha e Americo Jos da Silva : qaem tlver
qualquer allegado a fazer sobre su i venda, quei-
ra apreseolar sua declaracao ao Sr. procarador
Albuquerque, na ra do Imperador, at qurrta-
feira 27 do correte. _______
Aluga-se a leja do sobrado da roa da Peona
n. 29 : quem pretender dirija se a ra da camboa
do Carmo n. 8. _________________________
Quem precisar de up caixeiro pata cobran-
cas ou para tomar cunta de orna taberna por ba-
lance, do que tem pratica, dirija-se a ra do Amo-
nm n. 1 A.
COMPRAS.
Compra-se efectivamente ouro e prata en
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario o. 24, loja de ourives.
Silvmo Guilherme de Barros compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os seos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilbetes.
"Medicina domestica do Dr. Hering
Repertorio do Dr. Melio Moraes .
Diccionario de termos de medicina
Os remedios deste estabelecimento s5o por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiros enrgicas e Juradores: ba tudo do melbor que se pode desejar, globos de
verdadeiro ssucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portanto a maior
energa e certeza em seus effeitos.
Cofia de saude para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lbe qualquer
operario, p rao que o annunciante julga-se suflicientemente habilitado.
' o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQfiO DE LONDRES
DE
60 Ra da Cadeia do Recife ~ 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recntenteme pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Paris, Londres, Birmingham, Mancbester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado tudo as melhores condicoes
por ser adinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ter de partir moi breve para a Euro; a.
Ha neste vasto armazem re s objeclos com brilhantes, como boles, aunis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
, ouro, como trancellins, correnioes, anneis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
O iraumento l o melhor poss.vetanto nai pa e aumeniar, ^** pieto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
^accionando a casa ha ma.s de ^troiM^ ha mu, as pe >so ^o eoncrttoM^ao J Lub L ^^ (Perfumerie du mond lganl), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
pdeduv.dar, qie podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus Ma|ly> Regener> p.Gaelaadj e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na
doentes. ; China e no Japo; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
Paga-se20 por da durante 60 das e dab em fgu. d petrleo, serpentinas, castres, enfete^ e adornos para cima de consolos e para gronde toillelte, o que se tem
As operares serao previamente ajustadas, se no se qu.zerem sujeitar aos presos ^ Fg J^ ^/^ paris> Jndpes Birmgham etc.. modernos apparelhos de metal fino inglez para cha ecaf, os quaes em
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recif,
leja de ourives no arco da ConceicSo.
Jomaes para embrulho.
Compra-se na fabrica de cigarros amiga ra dos
Quarteis de Polica n. 2i, a UOrs. a libra.______
Comprase carosso (sement) de algodo : no
armaiem de algodo de Saunders Brothers & C,
no caes de Apollo.
Compram-se moedas de ouro brasileiras de
5'5, 105, 165 e 205, com 6 por cenio de premio, e
tambem pecas portugueras de 95 e 16 rom o
por cento ; na praga do Corpo Saolo o. 4, primeiro
aodar.
Na ra do Crespo o. 16, primeiro andar,
compram-se libras sterlioas e moedas de ouro bra-
sileiras.
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
na flanea em dinheiro, depositado os cofres do estado, garante a boa da
miuislraco ta companhia.
BANQUEIROS DA COMPANHIA* DIRECgO GERAL
O Banco de Hespanha .Uadrld : Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combina^oes de supervieocia des segu-
Nella pode se tazer <> iuu.v.ir,.. *.___^.... >,^ ^... ,.^_i___ un.-mu |u< huuo.
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo diinlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
cues ecoininanJo-u com a mortali'iaJe da tabella de Dcpareieux que e adoptada pela companh-
para seus clculos e Iiquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimporsigoannua.
de 100 produz em effectivo metlico:
No flm de 5 anaos.......1:1195300
de 10 .......3:9425600
de 13 .......11:2085200
de 20 .......30:2565000
de 25........:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
ProspecDs e mais informacSes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruada Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & Irmao.
nada sao inferiores prata, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho-
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para pntar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Woll & C., realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
' theatros ou saloes, ditos de phantasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; slereocopios de nova in-
vengan e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento da brinquedos finos para riancas, e
bonecas fallando papae emamae; grande tortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortin ento de ca-xinhas, ceslinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
proprios para presentes ; grande sortimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras a ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim ; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros arligos, diversos artigos feitos de rame ; completo sortimento de
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame -, doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos
os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicles e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz po-de-lo, bolinhos, etc.;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigas, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violes finos; figuras finas ejanus de aioboctm galanlarias e nutras npcas de charo para toillelte; machinas para varrer o chao,
cAcciictoo maohinnc- pora photographa para tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos bales de papel fino transparente e lanternas
colorida^ para illuminacoes moda de Paris; salvavida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, bi*rjouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendeja barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 60. r
NO GRANDE
MAZEM.
FUMARIAS FINA
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
(Jompram-se
moedas de ouro de 55, 105, 95, ""'5 8 505 com
6 0/0 de premio \ na ra da Madre de Dos no.*
mero 24.
: omprase. papel diario pura emlirulto, pa-
ga-se bem : na padaria da ra da Imperatriz nu-
mero 66.
Compram-se dous sobrados em boas
ras : quem quizer vender dirija-se a ra
do Apollo n; 38, armazem.
Ongas hespanholas e da patria : compram-se
na praca da Independencia n. 22.
Compram-se moedas brasileiras de 205 a
215 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Comprase
urna negrinha de 8 a 9 annos de Idade : quera ti-
ver dirija-se a ra Direita n. 29, loja.
FEND1S.
;i
wx.
m\
II
m
Casa de banhos
Wk T^argo do Carino n. 26.
H* Este estabelecimenh) tao l>em montado
lr na sua origem achava-se de ha muito
jK em quasi completo abandono pelo peuco
tU ioteresse de sua admlnistragao.
Hoje que o novo proprietario empre-
*r gou todos os meios para restabeler a
^ grande utilidade desle estibelecimento, W H
> pode asse^urar ao publico que qualquer i y
que seja o numero dos concorrentes JR i E
PI acharao desde j promptido e aceio nos 3 |K
banhos trios, morm WH casa dos hanlins se. achura aliena imlnt "" S$
casa dos banhos se achara aberta todos
jai dias das 6 horas da manha .as 11 da ]
Jj; u'tt- I
fifi Pregos.
Banho de choque....... 500
5" Dito fro ou momo..... 500
Dito de farello........15000
KDito medicinal sera se-
gundo sua quahdade.
^ Assignatnra.
S< Por mez bauho fri ou momo. 105
pR 25 carloes p.ara banho fri, mor-
^ no ou de chuvlsco..........105
9 12 carioes para os mesmos... 55 j
>'* 12 ditos para banho de farello. 105
mm^mmmm Mmmmm,
KETB4TISTAS
Firmino & Lins
i\ovo estabelecimento de retra-
tos ra Sova n. 15, i "an-
dar, junto ao Sr. Gautier,
deulisla.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manhaa as 5 da tarde, quer chova ou
nSo.
Tambem se offerecem para tirai retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunclantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanten) ao publico
que nenhum trabalho sahir de sua ofici-
na,sem que nao seja perfcitamente acaba
do, e a vontade do freguez.

m
m
m
m
At
en cao.
Francisco Garrido, amigo proprietario do bote
Trovador, sito ua ra do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregu-
zes, tanto desta capital como do centro da provin-
cia, que se acha novamente eslabelecido na mesma
ra larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Traviata, onde acharao
sempre a melhor vonlade para
par de excellentes vinhos capils e boa comida,
qnr no mesmo estabelecimento, qur para fra, e
dentro da cidade aos que nao quizerem ou nao po-
derem vir a seu estabelebimento, sendo pelo prego
mais mdico qne fm oulra qualquer parle. No
mesmo estabelecimento acharao os seus freguezes
bilhares para recrearem-se, bem como sorvete to-
das as nuiles para refrescarem-se.
Graliicaco de 50$.
Ausentou|se da basa 59 da rna do Imperador
(ontr'ora Collegio) no sabbado 16 do crreme mez
de setembfode 1865, o escravo pardo denome Joa-
quim, com os signaes seguintes : estatura regular,
I idade 18 a 20 annos, sera barba, ps largos, olhos
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz grande
e bem visivel na testa, parte dos dentes da frente
arruinados, e com falta de alguns dos lados, sabio
com caiga de brira pardo e paletot curto de panno,
mas levou mais roupa branca e de cor, muito
astucioso, cosloma intitular-se forro e andar cal-
gado ; fol escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvalho, genro do tinado Sr. commendador
Manoel Gongalves da Silva : roga-se a sua captura
a todas as autoridades policiaes e a qualquer ca-
os seus freguezes [ pito de campo ou outra pessoa particular que o
abena os servir, a! apprehender se gratificar com 505, alm das des-
pezas de conduegao, entregando-o a sen senhor
Miguel Jos Al ves, na casa acim, ou no seu es-
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.
mmz* mmmmmm w
Companhia tidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEIINAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente antorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, lomara seguros de navios, mercado-
ras e predios no sen escriptorio ra da
Cruz n. 1. '
-
DEPOSITO DE CALCADO I
m FABRICADO NA CASA DE DETKXCAo j
&?> Ra \ov.i n. i.
I^i Ahi se eucontrar3o obras de di- j
ha '^ versas (lual'(,ades e Por PreO mui \
! I '*s diminutos, a retalho e em porcoes. !
jif 1 S se vende a dinheiro. j
ara completa quidagao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras mnilo finas e novas chegadas recentemente
de Pars e de Londres dos mai&afamados fabricantes seguintes: E g. Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica. Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer(> Mally, Giilet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, /agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garraftthas e vidros de dilTeren-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos, de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposicao desondres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
para si;*mm\s.
Ricos e modernos penles de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
i jLUVAS ]OVA8 jIIE JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOGRtPHIl.
No grande armazem da Exposicao de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da (mperatriz loja de Mr Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimora.
VISTAS DE PERMAIUBUCO.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convento do (armo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz cora a pyramide.
Torre d > Arsenal com a ilhiminaciio na frente.
Passeio publico, na ebegada de S. M. o Imperador.
m Ra do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio eom o palanque.
VIAUEll A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra. 1
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Bibliotkeca lusitana
histrica, critica e chrunologica, compreheudende-
a noticia dos autores poriuguezes e das obras que
compozeram, desde o lempo da promulgag.o da lej
da graga at o tempo presente, por DIUGO BAR-
BOSA MACHADO, 1741, 4 grossos volumes em fo-
d-j ; obra vanssima, cuja rdigo ha muito se acha
cxgotada. indispnsavel a todo o homem lettra-
lio ou de proissao" scientifica, de quem a historia
patria e as letras nacionacs nao podem nem devem
sor ignoradas : vende.se na livraria de Jos Xo-
guelra de Souza no arco de Santo Antonio.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do v C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Vitihos do Porto
das melhores marcas, em eaixlnbas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambero
tem aucretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5* e 10 em pipa : na ra do Vi-
gario o. 19, primeiro andar.
Famoemfolha
Vende-se mais barato do que em outra qualquer
parte : no armazem da ra da Mueda n. 43.
Laas para vestidos a 240
rs. o corado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se superiores
Ias para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
Jes que se acabem.
Vende-se algodo trancado da Baha : do
armazem de A. V. da Silva Barroca, ra da Ca-
deia n. 4.
Xa ra do Uangel n. 53, segundo andar,
vende-se urna cabrocha de boniu figura cora II
anuos de idade e sem deleito algum, sabe fazer
costura chaa e labyrintho.
loja n. 20, B, ra
PO! 60^000 I
Urna machina de costura : na
do Crespo.
Vende-se um tronco pequeo de sicupira, era
bom estado : na ra Xova u. 58, segundo andar.
Vendem-se quatro burros muito mansos, bons
de carga e de sella, por prego coraraodo : a tratar
no hotel de Franca.
4 Henead\
Vende-se urna escrava moga sem vicio1, e que-
sabe co?inhar o diario de orna casa, engoinma, la-
va de sabao, e muito carinhosa para criaocas :
quem pretender dirija-se a ra do Sebo n. 7, que
se dir quem vende.
Vende-se a casa terrea da ra de S. Jos n.
8, chaos foreiros: a tratar na praca da Indepen-
dencia n. 22
Familia tic mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
Vendem-se barato para liquidado no grande armazem da Expsito d Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-,vedo & c'nj &eu esc^etorio rua da Croz n. i.
Vende-se a armacao de urna taberna no lu-
gar dos Quatro Cantos da cidade de Olinla, em lo-
cal vantajoso para negocio, por prego commodo :
a tratar com Rufino da Silva Ramos, na rua de
Malhias Ferreira da mesma cidade.
Una prelada
Vende-se urna mulaliuha de 11 annos com pnn
cipios de habilidades : a rua do Crespo loja n. 23-
Colla da Hah i a superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu eseriptorw rua da Croi 1. .
r~
i peratriz loja de iMr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n. 54.
'".ai
Precisa se de um homem idoso e de boa con-
duca moral paraoceupar o lugar de aio de meni-
nos : quem estiver nestas circunstancias Jinja-sa
UVAS
chegadas pelo vapor Amazonas, em muito boa
estado : na rua do Vigafco n. 19, primeiro acia/.
Ama.
Para o servigo de urna casa de, urna s
pessoa, e precisa de urna ama que engom-
as primeiro andar do sobrado dTrua da Madre de mee cosinhe, paga-se bem : na rua d Crtiz
Deo-i n. 30. n 1C. segundo an lar.
Xa praca da independencia n. 33, loja de oun i Precisa se de um homem portuguez que -
ves, compra-se oro, prata, pedras preciosas ej tenda de venda a retamo; que d fiador a sua cob-
tambem se faz .qualquer obras de eteommeada e, ducta, e 4se-lhe inleresj : a ifMar na traveysa
.odo e qualquer coflnferto. (de ApsJio jl 43.
Ama
Precis-se de urna ama para cozinhar e comprar
para casa de muito pouca familia : na roa da Con-
cordia, sobrado do armazem do sol n. 34.
i
lasa *'in Sant'Aiiua.
Aluga-se urna casa eom bons comnwdos e fres-
a, por barato prego, para 06 mezes da fesla ou
por anuo : a tratar com Manoel Luiz da Veiga,
jua da Gloria o. 94.
CAIXEIRO
Precisa-se de ura caixeiro de id--.de de 14 a 16
annos, cora pratica de taberna, e que d liador a
sua comJneta : na rua da Madre de Dos n. 9 se
dir quera pretende.
GAZ, GAZ, GAU
Gaz em latas, o melhor que teifl vrado ao mer-
cado : vende se no armazem de Barros 4 Silva,
travessa da Madre de Dos o. 37\
_______________:_________
Vende-se urna carroea paracavallo, asad,
com todos os pertences: a tratar na rua do-Srti.j
Dnnww Si.
INJECGAO BttOW.
Remedio infallivel contra as agnorrheas
Para quem precisar de banhos, oflerce-se i
duas casas com commodos para familia, na iiha J^g" e recentes, nico deposito na botica
do Retiro, junto a ponte da Passagem : a tratar iranceza, rua da Cruz n. 22. e petopreeo
-ora L. M. R. Valeacj. de 341. r


Diarlo de Permantbuco Sexta eira te de Sctembro de *.
(
A molestia ou infeccSo pecu-
lial conhecida pelo nome de Es-
tcrofula ura dos males mais
'prevalecentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse um cele-
bre escriptor da medicina que
mais de urna terca parte de
todos aquelles que morrem antes
da velhice slo victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrofu*
\a :por si n5o Ufo des-
tiva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecces do cerebro :Entre os seas
numerosos syraptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fraqueza e
molleza nos msculos: disgesto fraca e
appetite irregular, falta de energa, venlre
inchado e evacuaco irregular; quando o
mal tem seu assento sobre os pulmoes. urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos:
quando ataca os orgos digestivos, os olhos
tornam-se avermelhados : o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affecces dos pulmdes, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
tecgo contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivel lagello (e s vezes heri-
ditario) esto expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phthysica, ulceracSes do ftgado, do es-
tomago e dos rins : erupces e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmoes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpcao pulmonar :
as glanulas ella produz inchacoes e tornam-
se ulceras: nos orgos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins:
na pelle produz erupces e affecces cut-
neas.
Todos estes males tendo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllha de Ayer
composta dos antdotos mais efca/.es que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta molestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
conlm virtudes verdad.iramente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaseis c bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupces cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rlteuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. Debilidade ge-
ral:Indigesto, Syphilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
res, ulceraces do tero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certides no Alma*
nack e .Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, c ha abundantes provas
das suas virtudes: posto que offerecido
ao publico sob 0 nome de Salsa parrilha,
composto de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
l'EITMAL DE CENEJA DE AVER.
Cura promptamenle a astlima, bronchite,
tosse, dclluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria,, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os ethicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmoes pdem ser curadas em pou-
co tempo pelo peitoral de cereja do dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. i.
P, MAURER & C.
Ra Aova a. 18.
Grande liquidadlo a dinheiro1
Na loja e armazem do pavo.
Riia da Imperatriz n. O de Ga-
ma ti Uva.
Os donos deste eslabelecimeulo lem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
o lim de apurar dioheiro, e previnem as pes-
de
Loja do gallo vigilan e roa do Crespo
numero 7.
Neste estabeleciment encoolrar o respeitavel
publico um grande sortimeoto de galanteras e
objectos de muito gosto que tem chegado nestes
ltimos navios e vapores de sua propria conta,
que por isso mesmo vender pelo menis preco
que lhe or possivel, como sejsm :
Lencos.
Os lindos lencos iraperiaes para senhora cousa
inteiramente nova.
Albuns.
Albuns muito finos com capa de madreperola e
de tartaruga com guarnicao de prata para SO e
100 retratos, assim como de outros mais inferiores
de 20 a 50 retratos.
Msicas.
com
seas que negociara em pequea escala com fazen-
das, que cesta loja e armazem enecntraro um
grande sorlimesto por precos qne milito Ihes bao
de agradar, Unto em pega como a relalho, a
saber :
Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pegas de cambraia branca para for-
ro a 2* : na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Moreantique branco
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 2*800 o covado, pechincha :
na loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama A Silva.
Percates com mofo.
Na loja de Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais tina? percales com lindsi-
mas cores para vestidos de senboras, tendo um
pequeo toque de mofo qne larga logo se lave e
liquida-pe pelo baratissimo prego de 360 rs. o co-
vado : isto s na loja do Pavo ra da Imperatriz
n. 60, de Gama fie Silva.
Lazinhas a 200 rs o covado.
Na loja do Pavao.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos M-ndo das cores mais modernas que tem vindo
.aomercado pelo baratissimo prego de 200 rs., ditas
com palmnhas de seda a 240 rs.: isto s para li-
quidar, assim como lazinhas mogambiques com
os mais bonitos padroes a 240 rs. : i.-to na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in-15f5,~ tou1u'nha!.
dianos tendo 7 I|2 varas capa corte sendo fazenda. .
transparente de novos gostos que servem at para I _. ,s-
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
go de 33 cada um por terse comprado urna gran-
de porgo: na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda ai
Vendem-se superiores lengos de seda para ho-
mens e senboras a 15 : na loja do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os esparlilhos do Pavao
A 40, U e 60.
Vendem-se os mais superiores esparlilhos com
as competentes fitas para apenar pelos baralissi-
mos pregos de 4*, 59 e 6* por ter chegado urna
grande porgo para a loja do Pavao: ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Tartalana branca a 6<4<> rs.
Vende-se tarlataBa branca muito fina a 640 rs. a |
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
0 bramante do Pavao.
Vndese superior bramante de linho do melhor
que tem vindo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 2*600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lenges, toalhas e seroulas 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem se meias para meninas de todos os l-
mannos a 2*500 rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, ditas inglezas para
Outros objectos.
Viudos tambem para a antiga loja
miudezas ra do Queimado n. 16.
* Sapatinhos de setim branco bordados pa-
ra baptisados.
I Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
I Meias de seda, correspondente do tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mu Unas- de o da Escossia e
brancas listrada*.
I L.uvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
pitas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meDinas.
N Pentes de Urtiruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
i Garteiras com agulhas.
; Agulbas francezas, as afamadas.
Caixinhas com alnetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linbo proprias para ditos.
1 Caixas com linhas de novellos grandes
: para crochets.
i Trancellim de borracha preto, redondo.
i Bonitas fivellas grandes de ac,
donradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
1 n. 16, receben um bonito sortlmento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac.
Caixinhas ricamente enfeitadas tocando duasjdouradas, madreperola e tartaruga, as quaes
pegas de msica propria para mimo, assim como esto sendo vendidas em dita loja por pre-
caixinhas pequeas com msica Unto de veio co-
mo de dar carda.
Vestiarios.
Riquisslmos vestuarios de seda para changas
sapatinhos e meiasinhas
Rlquissimas capellas brancas de flores para noi-
va?, assim como meias de seda brancas.
Porta boquet.
Rlquissimos porta bequet com cabo de madre-
perola para flores.
Leques.
Riquisslmos leques de madreperola e de snda-
lo assim como de osso.
Livrinhos.
Ripuissimos livrinhos com capa de tartaruga
guarnecidos de prata para missa.
Adereros pretos.
Riquissimos aderegos pretos sendo pulseira, ro-
zetas, alfinete e volta, assim como de cores fingin-
do perolas.
Brincos.
Riquisslmos brincos e rozetas de todas as qua-
lidades e gostos modernos.
Uonecas.
Riquissimas bonecas de porcelana ede massa e
de cera, assim como os que fallara chamando por i
papai e raarai.
Pentes.
Riquissimos pentes de tartaruga para senhora,
assicn como para menina e de multas outras qua-
lidades
Eufeites para cima de mesa.
Riquissimos enfeites para cima de mesa e para
toillet.
Fivdas e sintos.
Riquissimas fivelas de madreperola e de metal,
assim como bonilos sintos.
Flores.
Riquissimo sortimeoto de llores o mais fino que
homem a o# a duzia, isto na loja do Pavo na ra se podo desejar.
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. | Joyo para familia.
Corliuudos para oaraas. 1 Riquissimo jogo ae vispora em caixinhas de ma-
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba- deira envernisada e pedras unas proprias para en-
ralo prego de 115 o par. Ditos bordados muito ri- tretedimtnto de familia,
eos a 245, colchas de ftutao para cama a ooOO e
6 : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os balees do Pavo a 2&00, 3$ e 3300
Vendem-se os melhores baldes de arcos ameri-
canos, sendo com 20 arcos a 2#5O0, ditos com 2o
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500, ditos para
meninas de lodos os lmannos a 2:300 e 35, su-
periores bales de bramante e murcelina com
cauda, sendo bastante grandes a 55, Uto na loja
do I'avo, ra da Imperatriz n. 66, de Gama &
Silva.
As caniisiuuas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas ramisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, senJo as mais :
Rival sem segundo
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja t
miudezas de tres portas, est qtiei-
mando ludo hora e barato, quera qui-
zer ver e admirar veuliara loja do
Bigodiaho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranga de I a a lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas flnissimas para lirnpar dentes a 210 e
320 rs.
Pegas de fita de eos estreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores qua-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muito tino a 200 rs.
Frascos e garrafrahas com agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
15400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidade a 800 rs.
Caixas coro superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
aSOOrs.
Frascos com cheiros de lodos os precos a 160,200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gol linhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fita de la para debruro de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20- jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a G40.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500._______________________________
AGII4 B8APC4.
Ctlleiras de marroquim, com cascaveis
e sem elles.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca d. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou sem elles
proprias para caes e cutres bichinhos.
Peniias inglezas de ac c douradas.
No novo sorlimento de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de reeeber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu bem acabados, e por essas boas e ne-
Idem de gorguro de seda achamalotada.i cessarias qualidades os seus acreditados fa-
e muito encorpadas, para cinto de fivellas Dr cantes Perry & C, as recommendam a<>s
grandes. a entendedores" apreciadores do bom, valen-
Id*"!) de seda preta e de outras cores pa-. d0 mesmo a differenca que ha no preco de
ra '. ruar vestidos, colleles, palitos, etc. ;umas para outras, porque estas setornam
' :cm de 13a igualmente sortidas em cores; m^s florareis na coniinuacao de escrever;
. para os mesmos fins.
dem de algod5o brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
I dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guarniges para enfeitar
eos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoreo achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Ocultis de penetra e de nutras
analldades, para quera soffre
a vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para qnem sof-
fre da vista, assim como oatros de armacao
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tereos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
i a disposigo dos bons christos que os qui-
, zerem comprar em dita loja : na ra do
'Queimado n. 16.
Esponjas Unas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de reeeber muitos e di-
; versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
j Fitas finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
Liquidacao das pechincha8
no armazem da Arara.
O propfieiario da grande loja e armazem da
Arara tem resolvido vender suas (azendas por
menos 20 por cento do que em qualquer outra
parle por isso vendara ver as fazendas e se admi-
rem dos pregos, a saber :
Cortes de carnliraia eoin barras.
Vendem-se bomto> corles de cambraia branco
cora barra le flilerentes cores pelo baralissimo
prego de '%, Ca > iwte.
Cambraias branos.
Wnde-se rambr.-. a branca a 3$, 35500. ':5,
4>-"U0, C,5 < 05 ].tga, e de outras irais 'viali-
dades : na ra da lioirairiz n. 06.
UrcUnlia de rolo.
Vende-se breanba de rolo com 10 varas a
80, est se acabando -la pechincha : so na
loja da Arara, de Mendes Guimares.
Lazinhas.
Vendem-se as mais moderna lazinhas eroga-
das pelo ultimo vapor, leudo padroes muito b ni-
tos se vende pelo baralissimo prego de 240 :.-. o
covado, fazenda'qne em 1 utra parte se vende a
400 rs. : na loja e armazem da Arara n. 56.
Chitas.
Vende-sp ;;rande porgo de chitas sendo escuras
e claras por baratos pregis a 240, 260. 280 e 320
rs. o covado, ditas percalas lioas a 360 e 400 rs. o
covado, muitas mais de outros prego?.
Chales de merino.
Desta fazenda ha uoj grande sortimento de cha-
las de merino estampados cores muito delicadas,
e est se vendendo pt lo barato prego de 2$ cada
um, isto para acabar.
Colchas de ftislo.
Vendem-se colchas e fusiao de todas as cores
a 3&, ditas de dama.-co a 1,5, ditas de chita a
i&lV) e '900 cada una : (6 I.ourengo I'ereira
Meuae* Guimares.
Madapole.
Vende fe madapoln a 4*500, o, P5500, 7,5,
7,5000 e 8.5 a pega, entestado se vende cor.o 13
jardas a :,;to00 e -'ffiSOn : na ruada hnpera-
triz n. 36, Mendes Guiroai aes.
SoHU-mlu-rques.
Vtnde-re soulembarque a o, (i e 75, ditos
pretos de grosdenaples a 185, 195 e 205, e ca[,as
o me?mo prego.
Cambraias de cres.
Ven1fm-se cambraias de cores sendo nQ a
320, 360 e 4C0 rs. u rovade.
Ciiraimt
Vende-se casemira com listas a 25500 e 5800
o covado, e mescladas a 35 : m> Mendes Gema-
rae?.
rs**
2-S3S-
prsgp,
3 a
O 3 = n
9> o-a 2ss
o

I
a a -
E.i.S
fe?lil*
s
ira = r* ~ "g ;= '--3 a
2- ?g38 5 5 2
aiilliire
02'
3.
a
*".ii8
rtt
" 5 3 1! i
o rt o-_
co
3
Para viagem.
Riquissimos eslojos com todos os pertences fin
para hornera.
FiUs.
Hlquissimo sorlimento de filas de todas as qua-
lidades e lindos gostes.
Franja.
Klquissima franja de seda de muito linos pa-
droes umto de cores como pretos, assim como de soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
di i lis
modernas que lera vindo ao mercado a
tas com manguitos, para acabar, a 15
borlla e sem ella propria para cortinado,
iraucas.
Riquissimas trangas de seda preta e de cores as-
sim como de algodo e de la.
Perfumaras.
Grande sorlimento de perfumaras de todas as
no mim
45500, di- qualidades etfus meiiiure* aniures al o presente
ditas pre- conliecido e muilos ouiro- objectos que se tornara
tas com manguitos'para luto a 158U rs., mangui- 'enfaduiibo rorucionar, itto s no vigilante ra
los e golinhas pretas a 15, fioissimas golinbas de do Crespo n. 7.
cambraia branca bordada a 500 rs., calciohas para j
meuina a 640 rs., romtiras de lil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz o. to, de Gama & Silva.
Paletots pretos a G#
Vendem-se superiores paletots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-rasacos a j
12-5, superiores caigas de casimira de por a 75 e
85, ditas preas a '6-5, 75 e 85, paletots de meja j
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, calcas
de meia casimira a 45 e 45300, ditas de brira I
branco de linho e de coras, coletes de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por,
prego muito em conta, s com o fim de apurar di- ]
ubeiro : na loja do Pavao, ra da impera|nz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavo
Vende-se um grande sortimeuto de madapoloes,
chitas, algodozmhos das melhores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em outra
qualquer parle, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama di Silva.
Ricos chitles pretos de renda.
Chegou pelo ultimo v; por (rancez ura grande e
variado sorlimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles muitos de ponta redonda a initago de man-
teletes e muilos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lanzinhas da Escossia
assim poisquem dellas se quizer utthsar e
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
SaU'SmTdUrSUmold&erno- P^a cortinados, todas de trovos e bonitos,
desenhos, cuja comrnodidade do preco esta,
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-i
daa ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8. 1
Jogo da paciencia ou curioso cntieleni-
mento.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por pregos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
. etc., obras do muito gosto e modemissraaa.
Tranca de se
vos e mui bonitos.
j dem idem de cores tambem de bonitos
' moldes e agradaveis cores.
Botes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos tarnanlios.
g.35 8"
S- 3 &
ES I.
Lonetus de dous^idros com aro de aro, bfalo i que das diversas pinturas dellas se formam
e tartarmja.
E m VIS IMO 4
Grande liouidacao de fazen-
jdfl A A1,nft iv.:+ onin 1 A loja de miudezas, ra do Queimado
ClaS e rOUpa teita naClO- n. 16> Jrccebeu um bello sorlimento de lo-
na 1 lia l'Ua da TuiDera- nelos e oculos de vidros com armaco fina de | qual se despe ta a^iriosidade,
.' -ro 1 A n ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo telltgencia. Os apreciadores
triZ n. lOja e uUl- por pregos razoaveis: os pret mientes diri- ra do Queimado, a dita loja di
maraes &}Irmao.
Os propietarios deste estabelecimento tem re-
solvido liquidar suas fazendas por pregos baralis-
simos, s com o fim de apurar dinheiro ; aprovel-
tem as pechinchas.
Chitas largas francezas a 260, 280,300 e 370 rs.
o covado.
Percalas finas com lindos desenhos a 360, 400,
440 e 500 rs. o covado : isto na loja de Guimares
a Irmo, na ra da Impera.riz n. 72.
Lazinhas de quadrinhos e de listrinhas, sendo
de lindissimos padroes a 220, 240, 280 e 320 rs. o
covado : vendem-se assim barato pela grande por-
go que lem.
agradaveis vstase paisagens, segundos,
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento como;
e apura a in-
dirijam-se
da Aguia Uran-,
[am-'se a'esta leja na ra do Queimado n. 16. j ca n. 8, que seriio salisfeitos.
ni val ~i Bonilos enfeites uara senhoras,
A Aguia Branca acaba de reeeber um no-
CONFEITOS
DEPURATIVOS
DoD'SERVAUX, deParriz.
Pharmaceutieo de i' classe, ex-
interno dos hospilaes, premiado
com a nudalha de bronze.
SEM SEO UNIlO
Ra do ns. 4.9 e4i.
Contina a vender todas as miudezas que abaixo
declara por pregos admiravois.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras doui adas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 15o00.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Heiadas de hnna froxa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Males (IC merino estampados a 2>00O, Grozas de pennas deago, fazenda superior a 500 rs.
a ;tfiO rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas lanzinhas da Escos-
sia, sendo a fazeoda mais moderna que lem vindo
ao mercado este anno, por
>avo, ra da Imperatriz n. 60, de
de fazendas baratas de Santos
Coeiho, ra do Queimado n.
19, vende se o seuuinte :
Lenees de panno de linho a 25200.
Unos de bramante de liohode um s panno pelo! a/Hiaiem ao
baralissimo prego de 35200. Gama Silva.
Loberas de chita da India a 25400. Chales e relondas.
Pegas de cambraia de salgeos branca e de er | Vendem-se chales pretos de renda,
com 8 I|2 varas, pejo baratissimo prego de 45500.
Pegas de cambraia adamascada com 20 varas,
propria para cortinado a 115-
Baloes de arcos a 35, 35500 e 45-
Lengos de cambraia branco? pequeos, a duzia
25OOO.
Ditos ditos de dita finos, a duzia 2^600.
Bramante de linho fino com 10 palmos de larga-
ra, pelo baratissimo prego de 5400 a vara.
Atoalhado de linho a vara 25800.
Dito de algodao 2|.
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a l#200 a vara.
Pegas de breanha de rolo com 10 varas propria
para sata a 35500-
Fil de linho liso tino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a 15- "'
Cambraia de linho fina, a vara 4fio00, 6,500, J.
Plaoella branca lina a 600 rs o covado.
Dita de cores a 880 r?.
Cortes de algodozinho de lindos gostos,. com 15
covados, pelo baralissimo prego de >5-
Madapolo fino largo a 95 e 105 a pega.
Esleir da ludia de 4, 5 e 6 palmos de largura,
propria para forro de sala, por menos prego do que
em outra qualquer parle.
Neste armazem tambera se encontra um granae
gerlimento de roupa feia e por m-1ida.
serem a' imitaco das
Unos de merino liso a 35800, 40 55, ditos es
lampados a 65500, 75, 75500 e 85-
Ricos chales de renda.
Chegou pelo ultimo vapor francez um grande e
variado sorlimento de chales de renda pretos, sen-
do fazenda inteiramente boa, e vendem se por pre-
go? muito razoaveis : isto na n;a da Imperatriz n.
72, loja de Guimares A Irmo.
Cassas francezas.
Vendem-se cassas francezas. sendo fazenda mui
sedas escosseza?, com as mais lindas core, pelo 10 fina e padroes iuteiramenle novos a 280,360 e
baralissimo prego de 360 rs. o covado : na loja e 400 rs. o covado, cortes de cau.braias cora barras
" sendo de cores e brancas, pelo barato prego de35,
352OO e 300, ditos de chitas a 25, 2*500, 35 e
35500.
Ven para senhoras e meninas pelo barato prego de 320,
400 e 500 rs. cada urna ; todas estas fazendas se
vendem por pregos mais baratos que em outra
qualquer parlo : isto s na ra da Imperalrz n.
nja de Guimares & Irmo.
Coxines de laa> de todas as*cures a 45500 e 55
cada urna, sendo ao ultimo ttosto, na loja de Gui-
mares & Irmo, na ra da Imperatriz n. 72.
1 i-Ics (Je casimiras
Vendem-se corles de casimiras a 25500, 35 a
sendo de 4
ponta*, e as mais modernas retondas, per prego
baralissimo : na loja e armazem do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Sonthembarqoes de c4r.
Vendem-se southembarques de cor multo bem '
enfeitados a 55, 65 e 75000 para acabar : na loja
! e armazem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
i Gama & Silva.
Cassas fracezas a 280 rs.
Vendem-se fraissiraas cassas francezas com mo-
Grozas de botoes madreperola linos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do paz a 700 rs.
Caixas com superiores obreias d.e cola a 40 e 80 rs.
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeites de.vestidos a
i 40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
j Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Li*ros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botes para puoho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15-
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 r?.
Pares de sapatos de tranga e tapete a 15500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de la sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com .superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alfmetes francezes muito sopereres
a 20 rs.
demos padroes a 280 e 320 rs. o covado : na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperalrz n. 60, de
Gama & Silva.
Organdv mndernisMino.
Chegaram os mais modernos organdys cora os
mais modernos padroes, sendo quasi todos listra-
I dos, como se usam agora, com as mais lindas cores
I e fixas; vendendo-se pelo barato prego de 900 rs,
! a vara : na loja do Pvo, roa da Imperatriz n. 60.
de Gama & Silva.
Chitas a 240 e 280 rs.
Vendem-se superiores chitas escuras a 240, 280,
320 e 400 rs. o covado, sendo todas de cores Oxa.> ;
ditas nglezas, muito boa fazenda a 2o0 rs. o cova-
do : na loja e armazem do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
Chales de merino a 2000.
Vendem-se os mais modernos chalas de merino
45, ditas muito finas a 65, "5 e 85 : uto na loje
de Guimares & Irmo, ruada Imperatriz n. 72.
vo e lindo sortimen o de enteiles es mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu lomavel costume os est ven-i
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ruado Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias Je laa para senhoras. i
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Br?nca'n. 8.
Hala mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
0 papel' com enmposicao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeito efficaz : molba-se o papel e deixa se
fic^r n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen) e morrem. Custa cada fo-
lha 40 ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brinquedos e entreteniraento
para enancas.
A Agnia Branca na ra "do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
1 elctricos, apparelhos de metal, louga pinta-
da e porcelana darada para almo? e jan-
I tar e muitos outros brinquedos de madeira,
se vendem baratamente : na ra do
que
Desde raoito tempo o publico
abandonou o uso das prepaiagoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha compostos, etc
Cuja aegao, maior parle das vezes
nulla," e n'algumacasos perigosa
Os COSFEITOS DLPURATITO T* O ASPECTO
E O COSTO AGRADAVEIS E CONT <(1B UM
PEQUEO VOLLMB SUBSTAHCIAS ACTI-
VAS QUE O SEO MODO DE PBEP AK i V*
IKALTEIUVKIS.
Osiiccc*oqoeeileicn.
retios oltl lveruo em Fra 11
ea sob o patrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quaoto tem existido alh
boje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhum outro remedio in-
terno, das escropbulas ,
herpes, affecces syphi-
liticas hypertropbias
dos tessidos celulares
hydropisias e em gera
todas as molestias produzidas
pela alteracao do sangue; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre oblido.
Urna explicacao aecompanha cada
vidro.
DesconCar-se, das falcificacoeset imi-
tagoes.
Para a eacomeiidas dirigirse aos
Snrei. bwiesoh bt o1', 18, B'Princc
Eugne, Parit,
*
1-
Resmas de papel almaro 25100 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 1#. Uuuma.I > I .j.i M
de ferrugema Meias pretas de seda para seun.iras a
la Aguia Branca n 8.

m
SI.NB
res de engenkos.
POTASSA
m
' Vende-se grande porgo de potassa que
il tendo sido molhadada-se por prego muito
'( commodo : quem quizer dirija-se a ra
? do Imperador n. 38, botica.-
mtm
Barato para acabar.
Xa praca da Independt-ncia n. 39, vndese bor-
l?OdflO d; Baha esmVdVa25Wcadiu 45000 e 3*000,
Na loia de Andrade i riego, ra do Crespo n. 8, '.grande sortimento dos mesmos matizados que se bor7eUjns para senhora 24000, 3*000 e 4*000,
10 sapaloes de bizerro para homens 4*000. sapatos
>,, 7* e 8*000 : na loja e "'n"era d s;
Sao da Baha por menos pre?o do que em ou- Pavo, ra da Imperalrz n. 60, de Gama Silva. de traDga ,5000, sapatos aveludado i*001, bor-
Silesias a 40000. zeguins para menino, com w nta de ferro a 2*000,
Vendem-se superiores pecas de silesia, sendo borzeguin- para menino 4*000, borzeguins para
azenda muito 8na e propria para saias e eimizas crlaocaSOO.___________________
de senhora, e leudo e tendo 12 jardas cada pe^ AttenCO a pechincha
do Imperador, vende se superior vendem a
1 P
ira qualquer parte.
Vende-se o sobrado n. l sito na rita de S.
Pedro Marlyr em Oliuda, e vende-se tambara um
terreno onde se acha edificada grande parte da
ciitAe do Rio Forraoso, o qual terreno se estende
da aatriz al o trapicne: a tratar na ra da Umao
n. 37.
nelolharatissimo preco de 4*000 a pee: na loja eJ
a umea do Pavao, ra da Imperalrz n. 60, de Ga- Sapatos de tranga com sol de
ma & Silva. 1 par : na ra do Livramento n. 5.
Duzias de tesouras com toque
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 3*000.
Talheres muito fino para enanca* a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 1*280.
Frasco* com superior banha a 240 o 300 rs.
dem de superior oleo tobosa a 320 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 14' rs.
Cartas de allinetes francezes a 100 rs.
Quadernos de panel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cres, tx7*ma ?nrcrk r. n ?*0 r?.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
avariado
Francez barrica 3*000
l>ortland dem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland rdem 12*000
No armazem deTasso Irmos cies do'Apollo.
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar cora a por-
cao de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior pre<.o quelhecus-
taram e o bom estado em que ainda esto,
. comtudo est resolvida a vende-las a 5< 0
I ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo,-ag veitarem a qusdra e dirigirem- e ra do
! Oncima '". ^ da Aguia Branca n. 8. Tam-
I bem vender as brancas a i<> o par, e des- (
tas o nico defeito estarem um pouco tn-
gueiras,

K
cortiga a I* o I
"TERRENOS .V VENDA.
Vndese ara terreno proprio para edifleago,
coilocado no centro da cidade, com G8 palmos de
frente e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
iaac5es, na ra do Sol n. 37.
Vende-se doce de caja', laranja, grozella e pelea
em latas de urna e dua? libras a 700 rs. a libra :
no largo do Carmo, esquina que volta para, a ra
de Hortas, armazem n. 2.
Vendem-se
, machinas americanas de serrote para dtscarocar
i algodo : na ra da Senzala Aova n. 42.
MASSA E XAROPE
DE f
BERTHE
COM CODE1NA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Crippa e todas as Irritacoes
do peito.
AVISO
Falsificares reprehensiveis excitadas pelos
seccessos do Xarope e da Jfosw de Berlh,
nos obrigo a recordar que esses productos
lio justamente
nomeados nao se
entregan senoem
boeelas e em fras-
cos com a assign a- .t^w,
tura aqu indicada. r"""~*t~ '
I 151, Ti* Saint-Honor-4, RA PBARHACU DO
I.UVRB, e em todas as pharmacias
Venaem-se noReoife em casa de Caors 4
Barboza e JoSo da C.Bravo & C.


lAl ^^.aTm lial 1


7

Alarlo e Peroambuco Sexta lelra l de Setemhro de %*
N. 11Ra do QueimadoN. 11
A loja de fazendas de Augusto Frederico dos Santos Porto, acaba de receber um mili-
to grande e novo sortimento de cortinados bordados para cama de noivos a 365, 405, 455,
SOJOOO,6050OO e 705000. '
Lindas mantas para gravata, de variadas cores, a 15300 e 2{.
Cachinez de la de diversas e bonitas cores a 35500 e 45.
Chales de guip, fazenda a raais moderna, a 165, 205, 225 e 255.
Rotondes de guip, tambera os mais modernos a 265.
Colchas de seda de cor para cama de noivos a 555 e 605.
Alcatifa de linho para salas, tazenda larga, bonita e de muila durado, a 600 ris o
covado.
Tapetes grandes e pequeos, com ricos desenhos, para sof.
Saias bordadas para senhoras a 75, 85, 95 e 105-
Capas e soutembarques de seda preta para senhoras.
Bonets, chapeos e chapellinas para senhoras, dos gostos mais modernos.
Chapeos elegantes para senhoras, a 125-
Pecinhas de linissima bretanha de linho a 75500.
Laazinhas de quadros a 320 rs, o covado, setim de Paris a 7 braias francezas de cores a 500 e 700 rs. a vara.
Casemiras de quadros, moire antique pretos e de cores, pannos e casemiras prelas,
grosdenopole preto e decores, esguioes, silesias e cambraias ee linho, sortimento, de diver-
sas fazendas para luto,chapeos de seda para homens a 95 e 105, chapeos deso de seda,
lindos manguitos bordados, e outras muitas fazendas que se vendern por presos razoaveis,
inclusive
Esteiras da India para forrar salas
CHEGARAM A LOJA
DAS COLLl 3I\ VS
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que lera vinlo a Pernambuco de melhor gosto
em seda.
Assim como mais aigumas fazendas de bora gosto para vestido.
RA DO CRESPO N. 13
( LOJA DE
Antonio Corroa de Vasconcellos e 0.
CORTES DE SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantique de cores, eaela lavrada pa.
droes inteiramente novos.
Seda de qnadros por 1#009 o covado
5 -RA 00 CRESPO-5
Ciregorio Paes do A mural & Companhia.
ENCICLOPDICA
-V ma da Emperatriz irniazcni
da porta larga &.
(lano a padarla fradceza de
Paredes Porto.
Neste esljibeleciraento encontrar o respeilavel
un criado sortimento de fazendas france-
ii glouls, suissas e allemaes, que se vendorao
; i e$o ouamicdo.
Paredes Parto
Vende chales de renda de res que so vende-
... ;< ISs est vendendo por 65, ditos preles fa-
;. nova, 55,65, 85 a 205, m sorlinaentoicom-
pj< lo de manteletes, capas e si>utambar|uesJ45 a
- :. -.la da Imperatriz n 42, junio a padarUefran-
,i, annazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben im completo sortimento de laasinhas a
ii e 280 rs. covados, oara acabar, cambraias de
a 240 rs. n covado, riscado escossez para rou-
pa de menioo, fusto de linho a 420, 400 e 500 rs.
R:a da Imperairiz n. 52 junto a padana franceza,
araiazem da porta larga.
Paredes Porto
Receben para roninados para cama franceza a
1:". a pega cambraia lisa fina a 35 45 al 105 a
I :<, cortes de tarlatana de bonitos gostos a 35500
e r-j, cambraia com flor de seda, gostos inteira-
m-nte novos a 100 e 500 rs. o cuvado, no armazera
d ocla larga n. 52, ra da Imperatriz junto a pa-
dai u franceza.
Paredes Porto
i; cebeu rolo ultimo paquete um sortimento de
: uzea cora pedraspara opescoco. bonitos carinis
de la para pescogo de senhora. Ra da Imperatriz
n. Paredes Porto
Vende cortes de gorgurao preto para vestido com
/ 2 covados cada um 355000, grsdenaple preto a
15600, 15*00 e 25 o covado, las lizas linas a 400
rs. o covado, lias de quadrinho para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Ra da Imperatriz o. 52,
armazcm da porta larga.
Paredes Pono
Tem para vender por preco commodo, pecas de
esguio de linho cora 10 varas a 75. 85, panno de
linho para lences a 640 e 700 rs. a vara, braman-
;e de linho de 4 larguras a 25200 e 25500 a vara.
Paredes Porlo
Vende cortes de cambraia bordadas de rices
gostos a 105 e 125, ricos vestuarios para meniaa
e menino, ricos cortes de cambraia Maria Pia a
lOj e 205, tarlatana branca e de cor a 640 e 720
rs. a vara. Ra da Imperairiz armazera da porta
larga n. 52.
Roupa fcita
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete francez ricas las
granadinas com fl >res de seda a 400 e 500 rs. o
covado. estao acabando-se, cambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria franceza, a ra
da Imperatriz n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortimento de fazendas
brancas, como sejam madapolo a 45500, 55, 65
lOji, pegas de algodo por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 280. 320. 360 rs. o covado, precalias
muito finas a 360, 400 rs. o covado, chita ingleza
a 200 e 240 rs. o covado. Ra da Imperatriz .n.
52, junto a padaria franceza.
Paredes Porto
Vende gangas de cor propria para roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, riscado francez fino a
320 rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 52, junto
a padaria franceza, porta larga.
Paredes Porto
Receben pelo ultimo paquete espartilhos a pre-
guigoso por 35, sao bons, lengos de seda para se-
nhora e hornera a l?, ricos cortes de cambraia
, bordados de 18 a 7j, por ter um toque de mofo,
estao se acabando, na ra da Imperatriz n. 52, jun-
to a padaria franceza.
Colares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a dontigao d.is mangas e preserva-
las das convulsoes.
O feliz resultado oblido immen*as vezes pela
prodigiosa (brea magntica dos colares Royer, nos
casos de convuisSes, e denliciio das criangas, tem
altamente elevado o sen her merecido prestigio,
e hoje j se pote der que estao geralmente con-
ceituados, e estimados de maumeraveis pais de
famifias : de uns porque do uso dsses salutares
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
nhos, e de outros porque colheram daquelles to
proficuo exemplo para igualmeme preservar os
seus. Assim, pol=, a aguia branca, tendo em vis-
tas a utilidade e prove d^es prodigiosos cola-
res anodinos ou llover, mWm vir o novo sorti-
mento que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta aos pas de familia, os quaes ficaro
certos de os achar constantemente na ra do Quei
mado, loja d'aguia branca n. 8.
Latas com superior biscouto inglez de di-] Passas
versas marcas a i,2oo rs. a lata. j Superiores passas a l>o o qnarto e
i Bplathlnhas 5,5oo a caixa de arroba hespanbola e a 32o
Latas com bolachmhis da acreditada fa-'rs. a libra,
brica do beato Antonio, proprias para dar a
AZEVEDO FLORES
Roa da Cadeia do Kecife, esquina da Madre de Dos,
O balo vende sempre por menos que em outra qualquer parte, quem iulaar aue
islo nao e verdade e dar-se ao trabalho de vir apressar qualquer fazenda de que precise-
tambem se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam escolher. Do-sc
amostras deixando penhor.
ao$ sus. de i:\t.i mo
Superiores algodes americanos branco, azul e de listas para roupa de escravos.
?i \ troroi:*
mKamShferT m?daP,l5 frauce^ faJzenda esPecial Pa camisas e saias de senhoras :
tambem ha inglez de todas as quahdades e precos. owiuui,
bales
Superiores bales de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes para sofs,
Lindissimas gravatas e mantas para pescoco de homem.
Superiores camisas de meia e meias para homem e senhora.
Calcas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
Lindos cortes de la com riqusimas barras a matiz, os mais modernos que ha no mercado
Camisas francezas e seroulas finissimas de bramante.
Superiores editas largas, escuras e claras de todos os precos.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
bricates, como sjam rshfers & Bell" f F.L Todas as semaDas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico nova$
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs. Ifazendas e D0V0S PreCs e n5 m muUas Pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
a garrafa. Tambem ha de outras marcas zen as'
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e i,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a Coo rs:a
garrafa e a 4,6oo rs. a caada.
Massas
^ Macarro e talaerim a 360 rs. a libra e a
3,ooo rs. a caixa.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carnio u. 9, principal armazem ra do Impera-
dor i. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genbos, tavradoreseraaispessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os proprietanos dos tres grandes armazens, reunir todoj os seus estabeleci-
; atentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
i mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por .om preco, e na ocoasi5o da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
amda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tara >em servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas fexadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se vera os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
aiguma que fcer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
MAYTElUi
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l,oooa i,loo rs.a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim de primeira e superior qualida-
dea2,8oors.
dem hysssn o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,Soo rs.
a libra.
IBiscontos
.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
PELO GUIENNE
de novidade
de
doentes de 2,000 a 3,oo rs". a lata,
dem com quatro libras de bolachinha de'
soda a 2,ooo rs. a lata. j duzia e l,ooo rs. ao frasco.
OllPllO Genebra de Hollanda verdadeira a
v*u.L/ijyo irs. aftasqueirae a 56ors. ofrasco.
v.XrT5 nTT8 US?! n Ullim ldom de Hollanda em botiJa^a 400 rs. ca-
\apor a 2,uoors., tambemha dovapor pas- da ums. J
GEIEBRA
Genebra de laranja verdadeira a Io,5oo a
6,000
Ra da Imperairiz n. 52 armazem da port lar-
ga junto a padaria franceza, encontrase nesle es-
tabelt'ciraento um completo sortimento de paletos-
saceos e sebrecafacos, de todas as qualidades, cal-
cas, coletes, ceroulas, camisas, gravatas, meias,
chapeos de sol, ditos francezes para cabega, por
precos commodos, roupa para menino c outras
rauiias fazendas, por precos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo eitabelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo sortimento de
roupas fetas de lodasis qualidades, como sejam
Attencfto o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro finos
com i\ luzes, do melbor gosto e. por preco razoa-
vel: assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores differentes; ditos de por-
celana donrados e pintados e brancos; apparelhos
para janlar de porcelana branca; tamnem se ven-
dern em pegas separadas, como os freguezes qui-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, era caixo e a re-
talho; laolernas de todas as qualidades de vidro;
ditas de casquinbo inglezas muito finas ; candela-
bros de vidro e de bronze ; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa para jamar; gigos com apparelhos
para cha; e outros muitos sortiraentos de todas as
qualidades e presos commodos vontade dos com-
pradores, que se veodera na ra da Cadeia do Re-
cite junta ao arco da Conceigo n. 64, e na ra
Nova no grande armazem de louca e vidros junto
igreja da Conceicao dos Militares n. 48.
sado a 2,3oo rs.
1 CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l.ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a i,000 a garra-
fa e 9,000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra.
dem de carnauba de lo a I2,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,000 a
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,000 rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo3o Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Caatanho &
Filho e Brando e de outros nuiitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco del.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a 1,000 e
paletos de alpaca preta ede cor, ditos sobreoasa-
l-j e o>, ditos de brim pardo a 25800, 35 e
34300, ditos finos a 4, ditos meias cazemira a
iym, 43 e oi, ditos cazemira saceos a 6$, 7, 8
e !) x ditos sobreoasacos a 10 e 125, ditos de pan-
no saceos a 6J, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
e 255, ditos de merino preto a 65, 75 e 105, cal-
cas de brim de diversas qualidades a 15800 a 45
rtv.os brancos a 25J50O e 6500, ditos cazemira 55'
t; e 75, dilos pretos a 55, 65, 85 e 1Q5, ditos
mias cazeteiras a 35 e 45, coletes de diersas
qualidades, seroulai francezas de algodo, ditas de
. ditas de braman!- a 25 e 25500, carnizas de
1 o de linho francezas de 25500 e 35. Gran-
d i.echincha neste genero, gravatas de todas as
ij'Uljdades e brancas para casamento, grande sor-
I ment de meias pa)ra senhoras, ditas para homens
mperior8 a 35300 e 45.
l'ra completo soruinenlo de chapeos de sol de
ai r.i a 35, ditos d|e seda a 55, 75, 105 e 1*5,
tton francezes para cab ca, grande sortimento
a G5-
"ccbjiicha airairaveL
Grande sormento de chambres a 45600 e 5tf,
s de cambraia para homem a 25 a duzia, di-
tus de linho a '5 e ii.
Grande sor lmenlo de roupa para meninos e ou-
tra- muitas qualidades que seria enfadonho raen-
ei ui-las.
JFazendas.
Yende-se superior merino preto proprio para ca-
pa.- do seuhora e vestidos a 25. lustrim da China
a J530O o covado. Ra da imperairiz, porta larga.
Paredes Porto.
Vende em sea estabelecimento tiras e entrenaos
bardados, grande sortimento de corplnhoa rtca-
mecle bordados a 35, 45 e 35- So o Paredes Por-,
to, ra da Imperatriz no 52; port larga junio a
padaria franceza.
i ATTENCAO
I Vende-se nma taberna em muito bom local, bem
afreguezada para a trra, propria para nm princi-
plante por ter poucos fundos : na rna do Palacio
I do fiispo n. 40.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na rna do Queimado a. 63.
Tem recebido um sortimento de cruzes qne se
: estaj usando, de diversos gostos ; s quem tem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de volts
de aijoares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer outra parte.
Facas e garios.
Vende-se f.iccas e garios de cabos de bataneo de
um boio a 55200 a duzia, ditas de doos botoes a
65500, dita para doce a o5l00, dilas de eabo preto
a 35200, ditas de cabo branco, rolico e cravado a
t5$OUU.
Tem recebido variados sortimentos de baiaios
para meninos de escola, de forma de peixinhos,
patiohos e outras de diverso gosto, que so com a
vista bem se pode apreciar, e tambera serve para
, o leilo do hospital portuguez : las para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no belja-flor.
i'Jscovas para roupa.
Vende-sc eseovas para roupa muito finas com
difTerenies rosios a 640 e 15, ditas pera dentes a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e caizinhas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e eumvelopes a 640r. a ca
linba.
Charutos da Baha
a I5,a caixa : na ra da Moeda n. 43.
. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada. ",v"" w "T1 ^ F/' %us
Caixas com urna duzia de garrafas de sn- ^^ra. agarrafa ou frasco.
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
K.VRAO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
a 22o rs. a libra e de 16o a 2!o rs. sendo
emcaixSo.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frats
Frutas em calda e era latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, araeixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo is. a lata.
Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
Receberam Gregorio Paes do Amaral & C. um variado sortimento
como sejam:
NOVOS PADROES EM COSTES DE SEDA
COLCHAS BE DAMASCO
Portuguez e francez, de seda e de la e seda.
Lindo sortimento de leques de maure-perola, marfim e osso, transparente e
seda com mimosos bordados.
VELLUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
* Cor de vinho.
Carmezim.
LUVAS JE JTUYJL
Brancas e de cores para senhoras e homens.
GRAVITAS
Mantas de meia, de seda, de retroz de duas voltas largas e muito estreitas da
urna so volta.
Grosdeneples de todas as cores.
curaras
Com fivellas de tartaruga esmaltadas, madreperola e cobertas de seda, feilas Dar
as mesmas, etc. ^wip
n (II1 LES DE FIL DE CORES
Gostos inteiramente novos, ainda nao vistos neste mercado.
CASEMIRAS
De quadros miudinhos e largos.
Enfeites
O melhor e mais moderno sortimento de enfeites proprios paraKocke com hon pentes de tartaruga e sem elles.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
Cnstnmes para meninos
de gorgurao de la de diversas cores, bordados com muito gosto.
Penteadores para senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem.
Vestidos feitos para senhora.
Tudo por precos razoaveis.
n 5 RA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.


Acha-se
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
As melhores chitas francezas de cores'
escoras e fixas a 280 rs.
coyadol!
Na rna do Queimado n. i vendem-se chitas fran
cezas escuras e Anas a 280 o covado.
Vende se urna parte e nm predio no sitio dos
Arcos, perte da igreja dos Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ter eicellente barro, e as tr-
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Gon?alves Beltrao, ra do Vigarlo n. 17, es-
criptorio.
ALMANAK
DE
LEMBR INCAS
Luso-Brasileiro
PARA 18S6.
POR CASTILHO.
Vende-se na livraria econmicaJjnnto ao'arco
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cru.
Vende-ge este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 300C
ua praga da Independencia, livraria ns.
6 e8.
de Santo Antonio,
Vende-se no escriptorlo de Manoel Ignacio
de Oliveira & Pilho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porlo muito superiores em caixas de
1 duzia e Larris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de i duzia.
Palmella tinto de sxcellente qualidade em caixas
de i duzias.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera era velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreios comitentes de metal principe ;
na Ponte Velha n. 8, por preco eommedo,
venda na livraria acadmica, na ra do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na ra es-
treita do Rosario a compilaco de toda a legislacao
tendente administrado, arrecadacio e fiscah-
sa(o dos dinheiros de orphilos defuntos e ausen-
tes, lierancas jacentes, legados, etc., conlendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execn-
Qdes, como tambem todas as ordens e avisos do
governo. que a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das dbrigacoes inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de justica e fazenda, como dos dl-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro comeado mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestando-fe a ntilidade
de differentes classes, torna-se recommendavel.
Seu custo 1OJ0O9 por cada exemplar em dous
omos.
mmm mmm wm mmmmm
! Bichas deHamburgo
todos os paquetes da Europa se recebe
destas amigas do sangue humano e se
vendern a troco de pouco lucro s afim y
de ter sempre consa nova : a loja de bar- |
i* beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p
Wt da i g reja
S IKP-O ViLHR
Coa leja i rna do Crespo n. 17.
B Recebeu de Paris sedas em cortes mni-
to superiores e bellissimos padrdes e
chales de renda pretos para 10$.
Este importante estabelecimento torna-!
se recommendavel ao bello sexo pela va-
ajj riedade de fazendas superiores e bellos
ma gostos
Proteja o bello spxo ao Villar
jR e vero todos a prosperidade. fi


Vende-se
mm&mm
Rramante de linho Qno e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Manas para cavado.
Cobertores de algodlo de um e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche.___________
Algodo Para saceos e roupa de eseraros
da fabrica de FernSo Velho, e de milito snperior
qualidade : vende-se no escriptorlo de Manoel Ig-
nacio de Oliveira j FilbQ, largo do Corpo Samo sendo nma com estabelecimento : a tra
numero 19. ^ t do Terco n. 139f ti. nfl$T< w iw
Vende-se arroz com casca, prejo em conta, me-
dido em alqneire a vontade do comprador e est
no trapiche do Cunha : para tratar Ina roa do Vi-
gario n. 29.
**l3*4ftBffH
i lumo da Baha paca
charutos
Vende-se fumo superior de todas as
I qualidades, a retalho e por atacado e por
preco commodo : no Kecife, ra da Ca-
! cimba n. 1.
SSIKMII w| iiocaVMBiai
Sola.
Vende-se 450 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Queimado n. 33, lojo de ferra-
gens._________________
Vende se tres casas terreas na villa do Cabo,
,


Fu r-^Ti -


Mil
Diarle de Pe
cxa felra le setenfcro de i*

9
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 6ff
JKHH A DTU ID1 81 M'Jtmi
AO
IIKSPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento [de molhados,
qae sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto curaprimento das segaintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sineeridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezaudo-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao pc-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A' VISTA:
AO PUBLICO
Sem o menor consran-
glmento se entregar
Importe do genero qae
"* ATTENQO
precos da seguate
tabella para todos, po-
diendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contat*
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando arco da C onoelco)
PARA BEM DE TODOS,
-nhoras, oaceio qae presidio aosarranjos destenovo estabelecimento, e mais que todo a promptidao e intel-i
tratis^ convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecrao e preferencia na com- l
precisaren e ouando n5o possam vir Dodero mandar seus portadores, ainda aue estASKAiam m.Wa ; 5
E'BARATISSIMO!
brande liqaidacode iWndas e roupa
feita nacios I, na na da Imperatriz
n. 72, loja de Guiniaiaes k Irnio
Os propriertnos desie estabelecimento ter re-
solvido liquidaren) suas fazendas por oreos tara.
, lissimos s com o Dm de apurar dinheiro, aprovei-
: tem as pechinchas. **
Vende-se um grande sortimento de chitas fran-
( cezas largas a 20,280, 300 e 370 o covado : [as
; percalias muito finas a 360, 400, 4i0 e 500 rs o
vrai :,,s! s na 'Ja de Goimaries & rm'o,
na ra da Imperairiz n. 72.
| E' muito barato !
Cortes de 15a para vestido de senhora a U
Cortes de la a 3.
'a omn Cortes de laa a 3,3.
Aos 3,f00 corados de laa,
1 Vende-se iminhas de quadrose de HsMofca de
liooissimos padroes a 220, 240, 280 e 320 rs. o ce-
vado, vende se assipi l.arato por ter mima poico
e querer se acabar : isto s na loja de Guiraa;es
a irmao, roa da Imperatriz d. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merino eslanu ado a 2C0
e 2*300, ditos de merino liso a 3860, 45 e .^i
I ditos finos a 6,800, 7, 7o(0 e 8.
Grande sortimento de cor es de vestido de cr.ro-
Senhores
eza com que serao
rra dos gneros que precisaren e quando n3o possam vir podero mandar seus portadores, ainda" que estes fcjam"pouco orticos '&s9-
rots serSo tSo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de iwp nin vn em' .' P'10*de chi,a a ?& 250,3 e 3;;i0.
tra r.artP "ueque uao vao em; wVende-;=e jPfCs.'ema_dapoliio_coni 24 jardas
>,ra.!acom barra, pelo baralo prego de 3,5, i
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca raolle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
maitos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
B
BOLACHLXHAS do Beato Antonio em latas
grandes o pequeas.
idem do Principe Alberto a I,$800 a lata, e
de cinco para cima a 1-3700.
dem de soda em latas grandes a 2(5000 e
de cinco para cima a I 5800.
Bsennos inglezes de todas as quadades a
10200, 1^250 e1^300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a*2i0 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas era frascos a 320 is. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposic3o,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Goa-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as quadades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
20200, 20560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem- lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macihhos.
I
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
rvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S 8 S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 n.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as quadades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
B
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
JL
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as quadades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sepa branca e amarella a
60 j rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Mir.no painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
1
PEIXE era posta, latas granas, a 10COO, de
todas as qualidades, cohw sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguadq, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem sussos a 600 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou orinques a
K
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.
0
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23>. ,
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tlnta azul e preta para escrever.
v
VINHOSI
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velbo secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Baque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 agarrafa;
Moscatel verdadero de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordean* Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julieu a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermonth a 20, e a caixa a 180.
Bit ter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na ofBciua de ferreiro da ra do Jasmim n.
24, ba para vender ama carroga feita, com esmero
e propria para carregar urna pipa com agua, afim
de vende-la pela ra. Na mesma ofBclna ha tam-
ben) um cabriolet de duas rodas, novo e muito bem
acabado ; quem pretender estes objectos, pode di-
rigirse a mesma que achara' com quem tratar.
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Fimo, largo do
Corpo Santo n. 19;
Catangas Anos e brlnquedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos cal angas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas.
I. uvas de pellica.
Receben pelo nllimo vapor lindas luvas d pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras: so
quem receben foi o beija-flor, na roa do Queimado
numero 63.
tra psrte.
Manteiga ingleza especialmente escclluda a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra,
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezl a 64o rs.libra, serve
para temperar, panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato ? 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior s 640 rs. a lata.!
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha.pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinbo do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e.ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente auali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e losooo a caisa com duzia e9oo,
l.ooo o l,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1,3oo rs.
| Cartoes eom bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo-T$.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-; Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Tirito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. ; Ameixas francezns em frasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixaeOo e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em fraseos
grandes a l,ooo e H.ooors. a frasquejra.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28 r; a li-
bra e 8t3oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
tampa do mesmo, a I05oo.
4^00,5,5, 6J,"-7, 8*. p$ e iOj|
Sal refinado em frascos de vidro com lampa e Joo"1"1 com ,2 jardas a 3ico> i*4**
CeaaiT bSL^fm,8;,. jJ Vende:se nm 8rande MrttaM de eoiiinh3S
Verveja oranca das marcas mais acreditadas para senhora e meninas pelo barato preo de ^O
que vem ao mercado, a 5oo, 5Go e 64o 400-e 5C0 -da urna : isto t na toja de Gui-
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du- maraes & ,rro5' ra da lperatr n. 72.
zia. Roupa feila
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs. rr^a .i Roui)a feila
?P2 ,domaram,ado fabriC3n,e ^ F^*- J^VS^fff^ASSm
do de Simas, das seguintes qualidades: afllMca-M que se vende Jor menos so !'r Swo
Exposi^ao Normal de Havana, Imperiaes, do iue'm oulra Londrinos, Gnanabaras, Parisienses, Sus- a no l*j de fazcndS de Guimaes
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Malte*,excellente cha para os navegantes, a'
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinbo de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a fino rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
\ irmao.
Ra da Iniperalrlz n. 32.
"Vk^d*tUt|
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos; Azeitonas de Rivasera ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estn pas na cai-j 8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa,
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez j Champagne da melhor qualidade que' vem
mum Fircifios.
Ao aroanhecer do da 26 de aposto fupiam
do engenho Cama.-agibe dous efrrrvos crlonks,
ambos carreiros, sendo nm de rrn .. Semeo. j-
lural do serio dt. Uuricury, alio e brm feto, cfa
redonda, nao mtilo preio, e soflre de uma.he;r>ia.;
o ouiro de nome Nicolao, nascido no mesmo di-
genho, estalura ordinaria, secco do coroo e rn*M-
lo, na mesma occasio desapareca '' -urfes
do servigo do engenho. de snppor que U'uhadK
do levados por elles. (u per aipum que lliw^ei-
vio de puia e seductor, rorque ta rcile preoedW-
te a sabida dos ditos escravos foram vistos d^u;
homens em communicacno com o Smeao jtir
entrada do engenho : qiiem prender e irouter 8:
tos escravos ser recompensado.
Fugio no dia 19 deste mez de~setembro o es-
cravo Nicolao, de idade de 13 para 14 anno>, ^or
fula, falla mansa, cabellos carapinho, os das en-
tradas na cabega sao ruivos, olhos grandes, conhe-
ce-algumas leirts alphabelicas, todas as numri-
cas, e levou caiga e camisa de riscado azul, foi en-
contrado no dia 22 na ra do Aragao montado -m
nm cavallo, e em companbia de alguns maiuios
que se diripiam para fra da cidade, os quaes se
ignora d'onde sejam. Assim reci mmenda-se a to-
das as autoridades policiaes e capilaes de rampo a
apprehenso do dito escravo, bem como que o fa-
ga m conduzr a' casa de seu seohor Pedro Clysse*
Porlo, nesta cidade do Hecife.rua do Socec (am-
po Verde) n. 31, que generosamente recompnsala
e pagara todas as despezas feias a' quem o en-
tregar.

-"-
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo ai Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. i a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-, Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e i,oooa. Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o > Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-1 13 a garrafa e lf.ooo a dnzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
No dia 28 de agosto prximo passado desapare-
cern) do engenho Parary, silo na comarca do Li-
moeiro, os escraves Francisco e Alexandre, per-
lencentes ao major Claudico Corma de. Mello. O
primeiro alto, secco do corpo, nm lanto espad--
do. e de cor cabra, tem a cara bexigosa, bastante
barba, cabellos caraplnhos, res cortos e largos,
sanio vestido de caiga e camisa de algedSo azul,
chapeo de feltro, levando tarobem comsigo urna
trouxa conlendo roupa de uso, a saber : camias
de chita e caigas br?neas e pardas, levou lamber
um chapeo de couro, mu ladino. O segundo
prelo, crioulo, secco do corpo, estalura regatar,
tem falla de dentes na frente, um penco barba-
do, e tem ps finos e bem feilos, lambem meitp
ladino. Ambos sao mogos, tendo de idade32 an-
uos, pouco mais eu menos ; desconfa se que te-
nham fucido para asseular praga nesia provincia
r u em oulra qualquer : quem os apprehender pede
leva-Ios ou ao dito engenho, ou a' casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na ra da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.
DO AFAMADO J0UV1N.
Vende-se pelo prego de 2jS o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no nltimo va por
para hornera e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. 54.
cr30->ri2ra|T3H2
p-MacoOT sr*2 u S 2 2 o
3 -i _. q, a,
= a SrSTa.B
3 o. c/ c o 5
OS _

i;

O X

v a,

s? -


. a. SJ
sf!Frsli8aifssl^
sS S
g S o 63
IB *fs
5 o O en
os "a
*3g 3
S-Bl. 3
3 8
en p
V3
o
O*
a
U3
O
e-
s
c
8
o-"S T
asi o 2 o
3
2
T3 S
3 y
Tasso Irmaos
Yendem no seo armazem roa dt
Amoi'im n. 3o.
Licor fino Curago em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
i Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se paimelras imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio murado i es-
querda, depois.do becco do Espinbeiro, nos Af-
flictos
MCIHMSDEPATENT
de trafralhar nio para
escarolar algodo ^
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OI.DAM
Estas machina
podem descarocar
qualquer especk
de algodo sea
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
otrabalbo; pd<
descarogar urna
arroba de algo-
do em earoce
em 40 minutos,
ou 18 arroba'
por dia ou 5 ar-
robas de algodac
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodac
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutr?s dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-Io, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n .47.
Sannders Brothers & C.
!V. II, praea do Corpo santo
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
Irritacao dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquido
e todas as innumeravei molestias que affec-
lo aos orgos da respiracao
DESAPPARECEH
ediaote a acejio da balsmica e irresistive
ANACAHUITA
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
PEITORAL de KEMP.
a anacabuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Tampico para a cura das en-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica deBerlim. OpeitorahdeKemp
um xarope delicioso inteiramenle livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barbn
GAZ GAZ GAZ
aos capitaes de campo e a
polica
200#000 de gratificaco por cada ora
Deappareceu em principio do mez de oulubro
prximo passado, de bordo do palhabote nacional
Arroto Halo, dous escravos de nome Roberto, por
appellido Macelo, e Miguel, o 1 de idade 4o annos,
pouco mais ou menos, crioulo, cor fula, estatura
balxa barba cerrada, nm pouco torto das pernas,
e cora alguns cabellos brancos, tanto na barba co-
mo na cabega ; o 2* alto, cheio do corpo, sem bar-
ba, falla gross8, representa ter de 25 a 30 annos;
cujos escravos desconfiase andarem pelos arrabal-
des desta cidade : quem os apprebender, queira
levar a ra do Trapiche n. 4, on a bordo do dito
navio.
Ausentou-se do engenho Frecheiras, fregu-
zia da Escada, no dia segunda-feira 11 do corren-
le, o escravo de nome Cosme, crioulo, idade de 20
e tantos annos, estatura baixa, cheio do corpo, es-
padoas largas, falla um pouco manso, e levou ca-
misa e caiga de algodo riscado, chapeo de paiha;
cujo escravo foi do Sr. Jos Ferreira de Souza, la-
vrador do engenho Rainha dos Anjos da dita fre-
guezia. para cujo logar provavel que se ierra
dirigido por ter sido cria do dito seDhor, e foi ven-
dido nesta cidade ao Sr. Jos Rodrigues de Sena
Santos, em junho prximo passado pelos Srs. Motta
& Ribefro por auterisago do dito Sr. Jos Ferrei-
ra : roga-se as autoridades competentes e pessoas
particulares de o apprehenderem e diriglrem-se ao
referido engenho, ou a ra do Imperador n. 42,
terceiro andar, que se recompensar.
Atteneo
Acbam-se fgidos os escravos seguintes: Bento,
mulato, idade de 25 annos, cabellos aonelados, sem
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla nm pouco descansada ; e Luir,
crioulo, ja um pouco velbo, altura regular, muito
cabelludo, barba com alguns cabellos brancos, as-
sim como na cabega, corpo reforgado, olhos nm
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finges
rouco : pede-s as autoridades polldaes e aos ca-
pitaes de campo que os fagam apprehender e con-
duzi-los a' cas} de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompensar,
e Ibes pagar toda despeza que fizerem eom a sua
conduoco : snppoe-w que elles tero ido em se-
gnimento dos sertoes desta provincia, por serem
filhos desses lugares.
Fugio no. dia 18 do correte mez o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
. j .oo menos, alto, rosto comprido, suissa pouco feeha-
Vende-se gaz da melhor qualidade a da> ps grandes e chat0Si e costuma andar de alp9r.
4 2(5 a lata : nos armazensda ruado Im- gatas, levoo camisa de algodo, calcas velhas a
perador n.16 e ra do Trapiche Novon. 8. roas, chapeo de palba velbo, e tambera um bonet,
............. ------------------------------------ carangnejeiro. Se nao andar vagando por esta
n 1 I) }1 A cidade provavel qae tenba ido para Serlnhiem
r fk li filil cu Rio Formoso, onde j tem sido capturado por
A ... y,.nA aaa vezes.;- Roga-se aa^&toridades e capitaes de campo
de Lisboa o mais superior que ba 4*>00 e a 5*000 qne apprehenaam e o levem ao sen senhor Icio
osacco: na ra larga do Rosario n. 30, Ubenaa Cavalcaeti Lamenba Uns, residente na Estrada
da esquina, defronte da igreja._________________ Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalcantl de
Vende-se a taberna da ra dos Assoguinhos Albuquerque, qae se recompensar generosa-
o. 20; a tratar na mesma. I mente.

.

--------^_----------------------------_--------------,--------,----------------------

n ra #r-


7
Diarlo de rcraambac* Seita felra de eteaibro de 1S4&.

LTERATna.
Entao o dono da casa deu-lhe a entender mui que ama s palarra poderla conduzr ao cada-
cha e Ihaoamente, qae s com este Om o havia falso,
convidado.
Aqu, disse o ex-negociante, cada qual deve
dar ama prova da saa habilidade.
Nesse caso, retorquiu o maestro, dirigindo-se
para nm artilheiro qae fazia parte dos tonvivas,
porque nao pede a este cavalheiro para Ihe dar nm Valdailly porcorreu soccessivaraeote todos os grao-
tiro?
DI POICO DK TUDO.
Do Jornal de Lisboa transerevemos o seguate :
AVE, LABOR!
Referaos ha das que o festejado poeta e Ilus-
tre ik-puiado, o Sr. Thomaz Riheiro, coropozera, i
por pedido da administradlo geral da imprens-.i |
nacional, urna excellant? poesa, para un quadro
que a mesraa impreosa enviar, com oulros pro- Tentoa o governo francez comprar por 280:000
duc: os, para a grande testa da Industria que se vai francos a magnfica collecgo de numismtica e
uaugurar na invicta cidaJe do Porto. autiguidades do marquez de Santo Angelo.
Vemos confirmada esta noticia no Barcellense. A admioistrago rauolcipal de N'apoles naoquiz
O bem iuforraado e talentoso correspondente desla deiiar partir estas riquezas scientifleas e as ad-
Fallecea, em Pars, com oltenta e sete annos do
idade, o contra almirante Meogin de Valdailly.
Assentando prava em 1796, o Sr. Mengin de
->-<-
quina.
A collecgo sera' transportada ao museo de a-
ples. Coropese de 42:743 moedas e medalbas,
das quaes 832 s5o de oiro, 16:009 de prata e.....
29:904 de bronze.
Contem alera disso 1:311 vasos italo-gregos, 996
olba em Lisboa diz, a este respeito, o seguinte :
O Sr. deputado Thomaz Ribeiro fo convidado
pela adrainsirago da imprensa nacional para abri-
Jhaatar com urna produegao do seu admiravel en-
geuho potico um specimen lypographico, que a
mesma imprensa nacional vai enviar ao Porto,
grande festa nacional, e que ser de certo um no- <>e Darro, 8o vasos gregos e romanos, 430 de bron-
vo padro de gloria para aquella bello estabeleci- zo etc.
nieuto. 0i numismticos de Italia estao cooteotissimos
... por esta aeqosico.
O Ilustre cantor da testa e Cartdade satisfez v
ao> desejos da admiuistragao da imprensa naci- j
nai, e escreveu urna admiravel poesa a qne deu oj
ltalo de Ave, labor I e que tem sido applaudidissi-
ma por todos que bao logrado a fortuna de a ouvir.
t as inspiradas esiVophes que vo dar mmor-
ttldade, em letras de ouro, o brilhante certamen
qu o Porto offerece aos apostlos da industra e
do progresso, ha as seguiutes que me karam na
menora, quando as ouvi recitar ao sympathico
autor do D. Jayme, e que dizem respeito impren-
sa a esta assombrosa maravilha, operada pelo ge-
nio assombroso de Guttemberg.
< Ei-las: e com ellas, com este novo prodigio
da imaginado do grande poeta, concluirei a minha
canespondencia de boje :
A linpprensa vem festa; uera podia;
aestra d'exompls,- recusar o exemplo.
A hostia do sacrario-;
o apostlo, do mundo; o sol, do dia ;
c verbo da doulnna ; o altar, do templo;
do altar, o lampadario.
Dj templo do trabaUto, hostia, verbo,
sacrarie, luz, sacerdotiza, a Imprensa,
a mai da liberdade ;'
que ampaiDn genio em seu trabalbo acerbo,
e abarca as eras em sua esfera immensa,
prendendo idade idade.
Dissera Dos ao sol: surge e alumia I
a iliuminou-se o valle, o monte, o albergue,
o fructo, a flor, as palmas.
Mas do espirito a luz? I ...Chegara o dia,
o seu fat, einfim, diz Guttemberg,
e fez-se o sol das almas! > '
Entre os objectos que foram roubados ltima-
mente, no monte de piedode, em Rjma, contase
um collar de perolas que tem o valor de 4:5CO$
ris.
O celebre jeneral- confederado Lee reside agora
em Centreville, condado de Bokingham (Virginia),
na ribeira meridional do rio James, e a urnas qua-
reni'i milhas de Richmond.
*"" vida solitaria, e raramente responde s nu-
merosas cariui aue lhe escrevem.
Reside n'uma pequea e modesta casa, rodeada
de algumas geiras de tena, que ella mesmo cul-
tiva.
------------ g>> fi ii ti H
As primeiras inforniacoes recebidas acerca da
chegada dos Japonezes, diz urna carta de Marselha,
careccm de urna rectiHcac;5o.
Havia razio para se dizer, que aquelles filhos do
axirenn oriente nao eram embaixadores.
Sao apenas lidalgos escollados pelo taujoum para
ni .i Europa esludar o commercio.
Acompaoba-OS um moco engenheiro naval, o Sr.
Verny, encarregado pelo governo francez de Ihes
facilitar os estudos.
Partirn na manhaa de 29 do passado, de Mar.
selln para Toulon, onde se demoraram por algum
lempo, ii voitaram depois a' Marselha.
Iro depois a Lyon, a Pars, e seguidamente
Blgica, Allemanha e Inglaterra, com o fim de
visitarem os principaes centros commerciaes, e de
se iniciarem nos nossos usos.
Ao qae parece sao bastante inteligentes, e mos-
tram-se mnito desejosns de se instruir.
Pereceo ua Italia o Sr. Lourengo Valerio, sena-
dor e prefeito de medicina.
lornalisla, logo ao entrar na sua carrera polti-
ca, fuudou em 1847, em Tarta, o jornal intitulado
Concordia que depois tomou o nome de Diretto.
Fo elelo deputado e tomou sempre assento nn
esqaerda da cmara, para advogar os principios
democrticos que professava.
Prestou muilos servirlos liberdade e inde-
pendendia da Italia.
Em 1839 fo nomeado governador de Como.
Os japonezes que foram visitar a Franca para
estudarem os usos do grande imperio, iro tambem
a Inglaterra e a' Blgica, e, talvez, a outras nagoes
da Europa.
Urna actriz franceza deu que fallar aos curiosos,
chamando aos tribunaes uns jornalistas que a ha-
viara Injuriado de fea.
Porque aecusaes estes senhores TIhe per-
guotoaojuizQue damno vos hao'causado ?
Immenso damno.
Saibamos qul .
Actualmente, dizia a actriz, paga o publico
para admirar a belleza, e perdoa-se a urna artista
que cante mal; mas ninguera absolve quando
fea.
Estes Srs. era me charaarem fea, me fizeram
perder numerosas escripturas nenhum dos em-
presarios que leu os seus artigos me procura.
Fina mulher fea um erro da natureza, di-
zia um amigo a Monselet, que era um dos reos.
Urna actriz fea, contestou o humorstico es-
criptor, um erro dramtico, e por tanto entra no
dominio da crtica.
des da herarchia militar martima.
Fo nomeado capito de fragata em 1820, capi-
lao de nur e guerra em 1827 e contra-almirante
em 1840.
Os seus principaes fetos foram as costas de
frica, na Islandia, as Antilbas, ua Hespanba, em
Anvers e no Brasil (de 1804 a 1819). Durante a
guerra de Morea deram Ibe a commisso de blo-
quear o porto de Alexandria.
O contra-almirante Valdailly contava quarenta
nove anuo no effectlvo de servigo, dos qnaes vinte
e sete annos no mar: doze annos em tempo de
paz e quinze annos em tempo de guerra.
Governou em tempo a iiha Bourbon e da Marti-
nica.
Coota o Journal Roubatx urna historia singular,
qae se atlirma ser verdadeira, e digoa de nar-
rarse.
M. X., depois que saa mnlher havia fallecido,
entregava-se a excelso de bebidas, e na noile de
domingo 13 de agosto entrara em sua casa em com-
pleto estado de embriaguez.
No dia seguinte amanhecera, havia maito tempo-
e M. X. anda nao tinha apparecido.
Um de seus filhos foi bater-lhe a porta do quar-
to ; mas nao obleve resposta.
Alguns annos prosperou e engrandecea esta in -
dustra. Sea patrono comecou entao a recolher os
fructos dos seos trabalhos; a ventura sorrio-lhe ;
aceitn as soas offertas, mas para as dividir com
os horneas, qae, tendo sabido apreciar as soas qua-
lidades, o tinbam acompanbada na saa marcha in-
dustrial.
A sua modestia era sempre inalteravel ; em-
qoanto muitas vezes acanclava os artistas pela sua
Ibaneza, franqueza e amizade, ganhava o affecto
dos horneas superiores e com quera pelos seus nu-
merosos negocios toha convivencia pela elevago
dos seus pensaraenlos e acertados raciocinios em
assumptos econmicos e indastnaes.
As exequias de Chaix verificaram-se ao meio
da. Urna maltidlo consideravel assistio. Entre ella
notavam-se numerosos artistas, compaobeiros de
trabalbo do finado, que davam a tristeza tesiemu
nbo sincero do pezar qoe sentiam.
Doas oraches fnebres pronunciadas beira do
sepulchro de Chaix, deram a conhecer a sua vida
industrial, e revelaram todas as qualidades do ho.
mem particular, entre as quaes briihavam o sea
amor pela familia, a dedicago pelos amigos, a ge-
nerosdade paterna pelos operarios iodigentes, e
mormente a saa honradez.
O lndependente, de Donai, d conla de ama hor-
rivel oceurrencia de que foi victima a esposa de
Delebecque, advogado e amigo deputado.
Na quinta-feira, pelas quatro horas da tarde, re-
fere este peridico, a Sra. Delebecque acbava-se
defronte de om foruo na cozinha, quando urna fais-
ot7a,7Teli%Tcamae parece dormir ; casa]toa pela bocca do forno e lhe foi incendiar o
sea filho pretende desperta lo mechendo-lhe ; mas
elle nao faz o menor movimento.
Sobresaltado o mancebo, chama gente ; vai bas-
car um medico, que prodigalisa M. X. todos os
soccorros amiga veis.
Tudoera intil, declarase que est morto.
No entanto, o medico ao passar a certido hesi-
too : alguns pequeos indicios lhe faziam duvidar
da morte de M. X.
Dorante dous das nao Ibe deixa um instante o
le lo.
R acorre at aos conselbos autorisados de um col-
lega da visiohanga.
vestido.
A Sra. Delebecqoe qoiz logo com as maos ex-
tinguir o principio da corabusto, mas a fazenda
do vestido era nao leve que o fogo lavrou rpida-
mente.
Eoto a Sra. Delebecque perdendo toda a pre-
senta de espirito, corra pela casa toda dando gri.
tos hornveis.
Estes gritos chegaram aos ouvidos do Sr. Dele-
becque, que se achava n'um quarto do pnmeiro
andar, e que saho logo.
Mas quando ebegava ao meio da escada, vio urna
cbamma consideravel, no meio da qual lhe era im
Tentara todas as experiencias e usara de todos possivel reconhecer saa mulher. Deteve-se, nao
os meios para chamar vida M. X.; nenhum re-18abendo I"6 julgasse do espectculo qoe lhe apre-
soltado obtiveram, e sao obrigados a confessarem- seQlava-
se
estoo
e seis
Im horaem retirado do commercioconvidon para
jantar om compositor de mosica.
Ao levantar-se da mesa, o dono da casa se diri-
giu ao artista e lhe pedio que improvisasse ao
piano.
O joven compositor recusou-se, dizendo que se
nao achava inspirado.
F0LHE1IM.
0 DEMONIO DO JOGO
pon
HENOIQUE CONSCIENCE.
H
(Contianacao.)
Nesse momento em que seu olhar eslava crava-
do na gndola com urna expresso de clume irri-
tado, sombro fogo lhe bnlhava nos olhos, e seos
labios iraraoveis estavam encrespados por amarga
conlraccao. A cor da cicatriz tinha seguido a pro-
gresso crescente da sua agitago ntima, e chega-
ra a om vermeiho carregado que s vezes passava
de leve a roxo.
Os seus pos estavam mesmo beira da agua, pro-
vavelmente para impedir que aigoem passasse dian
te delta c podesse v-lo de frente. Dessa manera
podia entregarse, sera testemunhas, s tumultu
sas commocoes que lhe agitavam o animo.
Nioguem poderia adevinhar, mesmo pela estra-
nha expresso do seu rosto, em que pensava esse
homem e o que sentia ; mas com certeza nio era
bom o que lhe oceupava a imagioaclo, porque tu-
do nelle da va mostras de sombra desesperaco e
ardente ciume.
Por muito tempo segoio, sera mudar de posicao,
a gndola qae corra ao som da agua, at qoe vio
os remeiros poosarem os remos e suppoz qne iam
abicar a ierra.
Entao todo o seo corpo estremeceo debaixo do
esforco que fez para reprimr a saa agitaco. O ros-
to pareceu acalmar-se-lhe, os bordos da cicatriz
empallideceram, e com passos ligeiros e riso nos
Conta o Amigo das familias, semanario que
publica em Malines, a seguinte ancdota I:
Ceno fazendeiro dos arredores de Bnixelas vol-
lava um dia a cavallo de um muinho, e trazia alraz
de si na egarupa do cavallo um saco de farinha.
Ao passar por orna pequea mata, foi atacado
porura dos seus visinlus, o quil, com um varapao
erguido o ameacou exigindo-lhe o sacco de fa-
riuiia.
O fazendeiro apeou-se immediamente, deitou a
possante mo ao que o atacara, e lancou-o por tr-
ra dizendo-lhe.
Rom vs que ests na minha mao e que pos-
so dar cabo de ti.
Mala rae, responden o ladrSo, ou da-me a fa-
rinha : teuho absoluta necessidade della ;
morto de Tome, assni como minha mulher
Sinos.
Ests morto de forae exclaraou o fazendei-
ro, aso agora outro fallar... O que eu nao quero
que sejas lailrao. Pega no sacco, dou-te de pre-
sente espera... en te ajudo a po-lo s costas.
Agora vai teu caminho e nao digas nada a nin-
guem.
Entretanto o cavallo, livre da carga, deitoa a fu-
gir e nao parou senao no pateo da quinta de seu
dono.
A fazendeira nao vendo rollar o marido, assus-
tou-se, soltou repelidos queixumes, e deitou a cor-
rer na direegao do moinho.
Os moros de lavoura seguiram todos a suu pa
troa.
Tinham percorrido apenas uos cera passos quan-
do encontraran) ofazenfeiro, que voltaval tranquil-
lamente para casa, pensando no que ihe succe-
A mulher apenas o vn dirigiu lhe urna serie de
perguntas.
Calate, disse-lhe elle.
E depois de estarem a sos, contou-lhe o caso.
Entao se elles tera fome, disse a excedente
fazendeira, nao podero esperar que a farinha este-
ja amassada e o pao cosido.
E nao conlinuou : embrulhou pao de bom lama-
nho no avental, e correu para casa da desgranada
familia, que tremeu ao v-la.
A fazendeira tranqui!lisou-a apresentaado-lhes o
pao que Ihe-levava.
Era realmente grande a necessidade que tinham
delle, por quanto ja1 as creabas esfamadas se ii-
nham lanzado a' farinha coramendo-a aos punha-
dos; um pao dado a propsito salvou-lhas a
vida. '
se vencidos.
Faz-se o funeral a M. X., que era geralmente
estimado, e todas as pessoas da aldeia o acompa-
nham a p derradeira morada.
Lamentavam lodos os seas filhos que ficavam or~
phos, e em solutos continuados deploravam a sua
perda.
Era mormente o desespero da filha mais relba,
rapariga de dezoito annos, que tinha a terrivel en
A chamma sabio e passoa diante delle. Foi entao
que comprebendea a sua desgraca.
Precipilou-se logo atraz da mulher qoe, attonita
corra de orna casa para a outra, commonicando o
fogo s cortinas da cama e das janellas ; aperlou-
a nos bragos e fez esforgos inauditos para abafar
as chammas.
Conseguio arJoal, mas ja' o corpo da Sra. Delec-
qoe eslava coberto de grandes chagas, e apezar de
fermidade de ser rauda, que mais commovia todos l0li08 os au^'Hos da scieoca, prosudos por Wa-
os coragSes. 'e"e> Gely e Tesse, esta dama expirava s duas
A lgubre ceremonia era revestida da mais ge- horas da ooite, depois de ter padecido as mais
ral tristeza. crois dores.
Delebecque, que sobretodo ficon com as maos
queimadas, acba-se em estado bastante satisfa-
torio.
O incendio qoe se manifest na casa, foi promp-
lamente ealinelo, e ja nada havia quando as tor-
res deram o signal.
De repente, porm, quando desciam o caixo
sepultura ouvem bulhara... escutam.
Nao restava a menor duvida.
O ruido sahia de dentro do caixo.
Os assistentes attonitos fogem, s o medico com-
prebendeu ludo, dirigio-se para o caixo, e ajuda-
do de algumas pessoas fez arrancar-lhe a lampa, e I '.' _.________
tiraran M. X. vivo. '"' ,l" "
Havia o medico lembrado que elle tivera eabido '
em letharga ,os* Braat, fllho ooico de um abastado cerve-
A Alna experimenta tal commogo, tornando a IjjE* Yce? ba^ A?ilra' per, da
ver seu pai, que recobra o aso da falla, e o priraei
ro grito que Ibe escapa dos labios um grito de
amor filial. O consorcio, celebrado era Fahrafeld, teve um
Meo pai t disse ella, e cahe desraaiada. desfcbo iragieo:
Esta rapariga era moda desde a idade de der Ao jantar qoiz Brandl fazer urna saads-a sna
aD,'os" BOfva"; mas na occasio de-fazer o brinde qoebrou-
Tinha sido accommettda desla enfermidade, por ge-lhe o copo na mo.
causa de urna commogo violenta.
Por uo.ca reeposu, limitou-se o mancebo a pedir Consaludo, nerca deste po^o, maitos prelados
ao agente de Dolida qoe ibe proearasse ama lva algaos responderam que nao era possivel receber
qae deixara cabtr n. roa, qae lhe era indispon- 0 voto aolemne de eMUd.de, .ob,i^ndo o vinculo
savel para ,r a drainislracao do sea b.irao, ode do malriraonio> 0 ,, ^ J V1JCU _
o esperava a saa ooiva e varios convidados para S0|QVe.. a ; '. ,7 In,s
Estas e ontras palavras nao menos estravagantes a difflcnldadA uo m.
,. uimcuioaae e grave: mas. segando parece, in.
hzeram imraediataraente coraprehender qual era o ,f>rvmn Biav.Ai^i^... .
.....- ^ :_, terviaooeievadissimaspessoas,conseguir-se-ha urna
bulla que a remedeie.
Outra difflculdade :
A le hespaohola nao d valor ao testamento que
este matrimonio ootorgue. se nio depois da morte;
tambem se nao consente que se nomeie tutor aos
filhos no caso de que se Iraia.
Haver igualmente bulla para salvar Ues incon-'
venientes ?
Haver, por celo.
E por qoe nao ?
estado do infeliz.
O sargent de ville apanhou a luva e entregou ao
mancebo, o qual raanifestou por isso viva satisfagao,
depois acorapanhou o sargent, convencido de que o
cooduzia a administragao.
O desventurado mogo, por nome Adriano S....,
empregado publico, eslava a ponto de desposar urna
menina a quera araava apaisonadamente, quando
esta suecumbio quasi sbitamente a urna febre ty-
phoide.
Desde entao comegou a dar signaes de alienago
mental.
Por fim foram dadas todas as providencias ne-
cessarias para que fosse recolhido em urna casa de
alienados.
Em Belbbille succedeu o seguinte fuaesto acn
ecimento:
Por volta das quatro horas da manhaa, om mo-
teo de vate e cinco annos que se diriga a sua ca-
sa, vio um individuo estendijo no slo.
Julgando-o ferdo e, aflm de proporciooar-lhe os
auxiiios convenientes, aproximoa-se delle e corae-
cou a examina-I o cuidadosamente; mas o homem,
que pareca sem alent,ergueuse de repenteedeu
urna bofetada no caritativo mancebo.
Ao mesmo tempo como se aquella aegao fosse
um signal, quatro individuos, qoe se acbavam a
grande distancia, precipitaram-se sobre o mancebo
e laogaram-no por ierra.
Em segoida deram-lhe urna terrivel punhalada e
desappareceram.
Aos gritos da victima acudiram os agentes da
polica e conduziram o infeliz para o hospital de
S. Luiz.
O ferimento era grave.
Nao puderam, comtodo, ser captarados os auto-
res de to estranha aggresso, e ignora-36 se o seu
intento era roubar o mancebo ou exercer contra
elle intqaa vinganga.
rronteira da Styria), com a filha de u proprieta-
rio de Vienna.
Falleceu victima de urna enferraidade o Sr. Na-
poleo Chaix, proprletario da typograpbia dos ca-
rainhos de ferro de Pars.
Foi toda a vida Chaix o exemplo de qoanlo pode
o irabalho, a intelligencia e o engenho emprehen-
dedor.
Devendo ludo a si, e s suas briihantes faculda-
Este incidente foi tido por muitos dos convivas
como de raau agouro; outro s virara nelle- mo-
tivo- de riso, e o-noivofez o brinde com oalro
copo.
A's dez horas da noite, na occasio era que-os
criados serviam o punch de usOj. levaotou se Brao-
dl subilameote e declarou que se achava iucomrao
dado.
Inquieta, correu a-ooiva para-junto delle para
Els um fado que prova que anda existe en
thusiasmo em almas onde ha a luz do talento,
la nm dia Hossini acompanhado de um amigo
seu.
Passou pela frente delles um mancebo, qae ao
ver o grande raestre tirou o chapeo.
Qoem me comprimentou 7 perguotoo Rossi-
oe ao amigo.
Este dirigio-se ao amigo, que anda nao tinha
posto o chapeo e disse-lbe:
Conhece Rossioe ?
Nao, senhor.
Julgava que o tinha comprimentado.
Nao coraprmente Rossni, nem me atre-
va a isso. Descobri-me apenas ao passar o mes-
tre.
O mancebo, que assim responda, era o Sr. Do
rache, o qual escreveu depois. algumas compo-
sigoes rausicaes dignas do seu precoce enge-
nho.
Qoeizava-se om principe romano ao celebre-pin-
tor Carlos Maralta porque este dava exhortante
prego aos seas- qoadros.
Carlos Maratta responden:
Tendo sido mu lo mal pagos todos os artistas
que me antecedern), jalgo qae o mundo lhes deve
grande somraa, e por isso nasci eu para cobrar os
juros que lhes perlencem.
Na primeira represenugao do drama do Sr. Gi-
rardin, Les deux soeurs, deu-se um facto cu-
rioso.
Quando no final da pega rompeu estrondosa pa-
teada, havia um individuo magro, baiso, paludo e
dbil, que empregava as suas poucas forgas em ap-
plaudr, fazendo urna especie de voto particular en-
tre os que maiores signaes davam de reprovago.
Ao lado desta especie de homem bomceopathico
eslava a sua anlhitese, physica e moralmente con-
siderado.
Era este um homem rod, porm atbletico, capaz
de pulverisar o seu visiuho com um murro.
Que fazeis ? gritou o colosso com voz estron-
dosa, abrindo os olhos, e franzindo as sobrancelhas
e os labios.
Applaudir os que paleara, contestou logo,
inspirado pelo terror, o valetudinario amigo de Gi-
rardin.
Eolio, muiio bem, replicn o athlela.
Esta vergonhosa resposU salvou-o indubilavel-
mente de algum conflicto.
A astucia venceu a forca.
Appareceu em Veneza urna nova gazeta catbol-
ca intitulada Liberdade Catholica.
Eis como os redactores expoera a sua doutrina
sobre urna materia que exciu a atteugo de todo
os catholices e de todos os pensadores:
O que a liberdade 7
Aquelles que della fallara, pela maior parte nio
a sabera definir; livros inleiros se tem escripto
sobre a liberdade, e poucos tem sabido dizer o que
se enlende por esta palavra.
Mil vezes a confundem com
capricho.
Cicero fallando do homem livre
liberdade :
S livre aquelle, diz elle, que no escravo
de algama vergonhosa palxo.
E ura pobliclsta moderoo nao ha mailc es-
crevia :
A verdadeira liberdade consisle em nao es-
tarmos impedidos de praticar o bem, nem constraa-
gidos a pralicar o mal.
E dos accreseenlaremos qae ella consiste em
reconhecer-se os direilos de todos era harmona
cem os direitos de cada ura em harmona eom 03
direilos de todos.
Este novo orgo o5o se limita a questoes- pu-
ramente especulativas ; tambem se ocenp* de
fados.
a llcenga 00 com o
ass.'m defise
des, empregou sempre a energa, o poder da von- lhe prestar os soccorros que as circumstancias exi-
lade e a sua raaravilhosa orgaosacao para ebegar gissem ; mas j era tarde: Brandi ra atacado
elevada posigo commercial que oceupoo. 1 Pr uma apoplesia fulminante.
Nasceu Chais em Chaleauroux em 1807. A todos lembrou immediataraeae o copo que-
Desde criauca que seu pai o ensinou em uma brado ao jantar.
modesta imprensa de provincia na arte typographi-
ca. Na idade de dezenove annos perdeu mentor '
to delicado; mas nao se esquecendo daeligSes! Era om destes ltimos dias appareeea na ra de
paternas, e reveiou-se logo um cootra-mestre como i Rivoli, em Paris, e parecendo procurar, om visi-
P00S'. x Ivel D1uiela5ao> junto de ura dos passeios lateraes
Na ulade de 2d annos velo a Pars e foi erapre- da ra, algum objecto que lhe tinha cabido da mo
gado n ama typographia que dirigi por *t annos Um mancebo de 23 aooos, de chapeo novo, casaca
cora sagacidad* e zelo adrairaveis. prela raui elegan(ei graw,a de cambraja ^^
Mas a sua viva intelligencia exiga outra ooasa.lflnissimas-bous de poiimento, luva branca na mo-
Elle dil.genciavaeraprehender uma tentativa audaz lesquerda, mas sem colele, nem caigas, nem cerou-
que fosse como que a sanego e a coroaei das las.
suas lides. 1 ....
Odesenvolvimentoqueattingiam ji neste tempo Esca/Bjallsado3 rswates ohamaram nm
os cammhos de ferro Ibe proporcionaran) ensejo f ^ 'm,IUed,a|lame"la se aProX,raoa
dfi anOimar n un ^i,., poQflo em execucao as desabuado P**eantei e lhe pergunlou a raza
! porque se apresenUva cora ura vestuario, ignai ao
qoe foi outr'ora uniforme offlcial do imperador
de assignar o seu mrito,
suas ideas creadoras.
Por fim o mais caritativo Venci fazer cahir m I l, F0 T l8** q"8 ?MX fQDdU grande 6S,abe" i Soulou1^ fl" nsm aPa^ <*>
i inrn,r so nr.h kcim6Dl0 ypographico. taooonhecido em toda a
si e tornarse probo um homem que um hornera Europa.
! calor canicular nao podia
i capital civilizada.
ser aoeitavel em urna
labios, dirigio-se para o ponto do caes onda va nnp
iria abordar a gndola mag e"ga; maS D5a PromeUem0S lealmente Deus lhe d boa fortuna e presperidade no Bra-
,.; A nm ao outro que se um da nos fosse felit nao se unte 1
Gernimo que descobnra de longe o homem da quebrar
_ a por isso o Jago- da nossa amis.de tanto
cicatriz, saltou era trra antes que a gndola che- tenipo esperimenuda?
gasse a escada do desembarque, e correu a elle Maldigo, r maldigc! Deus abandonou-me I
com uma pressa singular. Aperlou-lhe a mo e d.s- murmuroa trerauJo o outro, cravandaos olhos era
se-lhe em voz baisa : fe
- Arranjaste o dinheira, Simo ? Mea lio j che-. Ahi vem meu lio com Van de Werve, disse
gou. Se descobre que me falu uma qoantia consi- \ Gerooimo. Mostra bom ar, Smo, nao deses per-
deravel, esumos ambos perdidos. Diz, arraojasie o ceber nada; finge indifferenga. Quando.en estiver
dinheiro posso conUr cora elle para heje ? s, meo mestre, aiodar-te-hei nos leus negocios.
- Tem d de mim, Gernimo, disse o antro sus-' ConUa sempre na boodade de Dos.
pirando : por fataes circuraslancias tera sido loa- 0 ^^ da ^^ por ara esfo snprem
tels todos os meas esforgos. ; comprimi aspaisoes quelhe.umultuaram noseio,
- Nao arranjaste o drahe.ro ?-murmrou Gero- e disse ao sou corapanhero, indo risonho ao encon-
n.mo cora expresso de terror. tro aa Vaa de Werve .
- Nao, s amanhaa ou talvez depois de ama- '
A minha cornmogao era muito natural; ago-
ra qoe o golpe est dado, paciencia. Soffro muilo,
Gernimo, mas dou le cordiaes parbaos. Oque ou
nha. *
Meo Deus I como poderei supportar a colera
de meo lio T Peco-te eocarecidamente, SiraSo, qoe
ponhas toda a intelligencia por arranjar aquella
quantia; nao sejas a causa da minha parda I
Oh / resraoneou o outro em voz ronca e alte-
rada, se eu tivesse de ser a causa da tua desgraga,
em mira mesmo te viugaria com o raeu sang'oe I
Nao, isso oo, disse-lhe Gernimo aperlando-
Ihe a mo condoido; longe de ti to horrvel idea I
Esperarei uma demora, esforgar-rae-hei por entre-
ter alguns dias a attengao de meu lio. Ai; meu
amigo, estoo cheio de terror e inqoietago : e isto
00 momento em que meu to acaba de consentir no
meu casamento com Mara I
O rosto de Simo contrahio-se horrorosamente,
Teu to consentio I disse eom voz abafada. E
o Sr. Van de Werve 7
Tambem. Perdoa-rae esta felicidade, Simio I
Bem sel, meu bom amigo, qoe esta noticia le cs-
Nao tenho palavras para agradecer, stgnor,
tomou. o velbo Deodati, a sympatba que dedica a
meu sobrinho. Esou certo de que, se os meas
negooios tem corrido n'este paiz como se fossem
por mim dirigidos, devo attnbur esse resaludo
sua experiencia e aos seus acertados conselhos.
Comprehendi bem pelas cartas de Gernimo que
elle profundamente grao saa bondade.
SMno Turcbi ia responder com modestas des-
culpas ao agradecimento do veiho, mas chegou 0-
carro, e Van de Werve disse-lbe :
Espero senhor, que se dignar "honrar-nos
eom uma visita esta noute. Passaremos juntos
algumas horas agradaveis com o nosso hospede
illuMre. _______
Simo murmurou algumas palavras de descul-
. pa, allegando qne tinha importantes negocios com-
quizera agora -era encontrar o dinheiro para le *.fc. ... jbw.iwi.oiii
merfcaes de que tratar ; mas como Mara e Gero-
nimo tambem Ibe pediram com insuncia que acei-
vrar de qualquer desgosto I Mas nao descansare!,
acredita que nao descansare!.
O Sr. Van de Werve linha-se approsimado, e
disse ao velho Deodali, depois de feitos os cumpri-
meotos:
Folgo de apresentar-lhe o meu amigo, o se-
nhor Simo Turchi que dirige aqui a casa de com-
mercio dos Buonvisi, e qae me faz o favor de boo-
rar-me com as suas visitas....
Ah conhego-o perfeiuraente, disse Deodati
apertando affectuoso a rao de Simo; este senhor
de Luce, e filho de um fidalgo que, quando viva,
era um excellente caraarada.
Bemvindo seja aos paizes de c das raonta-
nhas, slgnor Deodati, respondeu Simo Turchl-
Meu pal fallava-rne mollas vezes da su amizade-
-
Usse o convite, prometteu fazer tudo o que podes-
se para ter alguns instantes de qua podesse dis-
par.
O carro parti.
Simo Turchi seguio a oarruagem com olhos em
fogo, e escutou, ramovel como uma eslatua, at
que o ruido das rodas e dos passos do cavados se
perdeu ao longe. Entao crusou convulso os bra-
gos sobre o peito e deixou descabir a cabega co
mo se o esmagasse a certeza de'uma desgraga ter-
rivel.
Por algum tempo flcou abysmado em profundas
refletoos; mas da sua preocenpago o desprenden
nm carro que corr a galope e as-adveileaclas
dos cohdaclores. ~
A aristocracia k^panhola est profundamente
impressionada por ura successo singular que de-
monstra por um lado at que ponte- pode levar
phanalismo religioso, e pelo outro que o matrimo-
nio deixa de ser vinculo indissoluvei.
Trata-se de ama seobora, anda moga, cheia de
graga, de dog.ura e de virtudes. E' respeitada en-
tre as irraafr de S. Vicente de Paulo-por sua ele-
vada posicao o candara.
Seu espeso, tauoem mogo, de illustre familia,
alto funecionario, comparta o tempo eatre os de-
veres do seu- cargo, os assumptos religiosos e o ca-
nuho de sua bella raelade.
Viveram por isso durante muito tempo em per-
feita harmona,e eram, ao que pareca,. Mizes.
Sentlram arabos de sbito paixo extraordinaria,
verdadeira vocago peia> clausura, e ambos-, se pro-
puzerara dar um adeos ao mondo e viver cada qual
em um convento.
Alcangaram-se as necessarias liceBoas,.e ha al-
gumas noites, era raaguifico sarao, despedirara-se
com lagrimas nos olhos, de lodas as- pessoas de
suas relagoes, expressamenle convidadas para esse
fim.
Parece que elle vai para os estados pjnliffeios, e
ella para Franga.
Concluido o anoo do noviciado reanir-se-ho>
1 nao se sabe onde, para, pronunciar o voto solemne
de castidade, e desde aquelle momelo (icario era
clausura, sem que possara lornar-se a ver, nem se
qur escrever.
Aqui,. no entretanto, coraegarara as dif&colda-
des, diz o jornal d'onde estrahimos esta noticia, e
accrescenta:
Ha em Hespanha 1988 minas productoras, na
quaes se empregam 39 machinas a vapor e 28.55V
operarios.
Os montes pblicos ae Hespanba sobem a 30,646
e todos elles ocenpam uma superficie de hectares
40,186,044.
Aonualraenie erapregam-se na pesca 8,192 em-
barcagoes, e os tripulantes neDas- matricaladosso-
*em a 32,927.
Acaba a Grecia de perder uma das-suas Hlastra-
gpes. Fioou-se em Edine, Alexandre Maurocordato,
ura dos hroes da indepeodeacia.
O rei assistio s exequias.
Sua mageslade tambem visitou a viuva do- pres-
tante oidado finado, e decretado loto nacional por
cineo dias.
Fallecen o celebre astrnomo, oSr. Kncl^, antigo
director do observatorio de Berln, e descubridor
de um cometa, anda hoje registrado na seieneia
com o seu iraraedooro nome.
-?-
Recuou e olhou de redor como se perguutasse a
si mesmo que carainho devia seguir, para iugir aos
caes e aos trabalhadores.
A passos vagarosos carainhoa para a igreja de
Santa Walburge-e foi de redor da parede do cern-
terk). Entrou. Vagou algaos instantes no cam-
po dos morios por entre as sepulturas, ata chegar
defroute das saiiencias da parede da igreja, era
ura canto escuro, onde parou, quast escondido,
com os olhos pregados em una grande pedra tu
mular.
As primeiras cineceou represenwgoes da opera
Africana produzirara-a quantia de 350,000 franeos
calculando-se o termo medio de 1M>08 francos.
Durante estas clncoenla representagSes-, dadas
no espago de quatro mezes, nenbuai interprete da
nova obra prima de Meyerbeer foi substituido.
11 r n n
Acaba de ser collooado sobre ura. pedestal, no
meio da sala napolitana do museo- dos soberanas
do Louvre, a estatua de prata, de lamanho- natural,
de Napoleo Bonaparte, trajando de alumao da es-
cola de Brienne.
A mo direita est meltida na eava. do coleto ; a
esquerda lem pendente, segura um livro.
Eata estatua lem inscripto : Luiz Bocbnt, em
Paris, 1837.
Foi.oiTerecida ao Louvre por sua. mageslade o
imperador Napoleo III.
Levou ama mo a fronte e apertou violentamea-
te a cabega para forgar e cerebro a dar-lhe uma
lea clara da sua posigo. E assim estove mu+to
lempo, abysmado em sombros pensaraenlos ; a
graudo cicatriz mudava continuamente de cor, e
os ligeiros estreraeciraentos que Ibe eorriam as
vezes pelos membros, mosiravam que eslava domi-
nado por viva comraogao.
Emtira, como se as suas reflexes livessem to-
mado um carcter mais determinado, murmurou
em voz sarda :
A cadeira ? Elle nao v.i l t E seria j
muito larde... Um pnnbal, urna espada, uma es-
pera de noute ? Se ao menos Julio livesse boas
figados !... mas um cobarde que s tem liogoa.
Para que quereria eo ura fraoalbo para meu
criado? Nao ser capaz de dar ama punhalada,
isso nao... E' verdade que posso obriga-lo, e at
obriga lo a ser audaz. Para isso basta-me pronun-
ciar o sea verdadeiro nome... Mas assassnar um
amigo uma cousa horrvel.... e depois, posso
ser descoberto, trahidoe morrer era orna forca
como um salteador. o directo da casa dos Buon'
,tis I
Esta idea fe-lo estremecer, Fieou por om pon.
co abysmado as suas reexoes e murmurou com.
mais socego :
Vou ter com o balio Van Scboonboven. E'Jb-
foi o meu pEotector ua casa, de-Van de Werve.
Pode ser que leve em mai o terem disposto da
mo de Mana sera fazerem caso das suas argentes
recommenda*5es. Qoem sabe- se a sna influaocia
nao podar impedir o casamento ?
De repente contrahio-lbor.as leigdes um sorriso.
irnico.
Que pvarvo eu sou t E as dez mil eorOas ?
E a infamia da fallenta Que infernal pensa-
mento 1 ah, se eu podesse arrancar a um cadver
a prova da minha divida 1. Vou a.casa de Van
de Werve. E' preciso- rallar com Gernimo, e sa-
ber onde elle esta noute...
Marreram-lhe as palavras nos labio?, e sbito
terror o abalou dos. ps at cabe*.
Ouvira por detrar d'elle uma voa de nomem que
fallava baixo e pareca sahir fobocta. de uma
espa.
Teria ouvido aigoem o qoe Simio' Tarchi tinha
com unta imprudencia confiado do casto solitaria
de ora muro de cemiterio 1
Voltaodo.se para iraz com angustia, vio duas
pessoas qne, a tres oo quatro passos, olhavam pa-
ra elle com ar de escarneo.
Em outra qualquer oocasio, o sso italiano
leria de certo pedido canias aquelles desconbeoi-
o da sua iosultadora curiosidade; mas a comao*
gao tirara-lhe toda a coragem e eaergia,
Deixou* cahir a cabega sobre o peito. esconden o
rosto o mais que pode, airavessou pressa o ce-
miterio e desappareoeu por detrs do muro,
(Conmnar-se-ka.

PERNAMBUCO~ TVP. DS M. F. DE.F. FILHO









Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E24Q7MVIH_8LMJ05 INGEST_TIME 2013-08-28T01:26:44Z PACKAGE AA00011611_10780
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES