Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10777


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

I
AMO lll. MUERO 220
Por. filarte] pago dentr de 10 das de 1, mez v. : i 5JQ00
dem depois dos i. "ludias do cowecoe dentro do qaartel. 61000
Perteaoctrreieperimiiezes.......... i 780
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
^ Parahyba, o *r. Antonio A!<*xndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marque da Silva ; Araeaty
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DASUBSCRIPgAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claadino Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos .\Urtins Alves; Rio de Janeiro, s Sr. Jos
Ribefro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. ISerinhSem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
Olinda, Cabo, Escada e esiaooes da va frrea at reros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
Agua Preta, todos os dias. feiras.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.r
Santo Antio, Grvala. Bezerros, Bonito, Caruar, AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Altinho, Garanhuns, Buirjie, S. Bento, Bom|
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat
feiras.
TERCA FEIRA 26 DE SETEMBRO DE 1861
Fer auno pago dentro de 10 dias do 1. mez ,,.-.... 491009
Porte ao correio por nm auno ..,,,.....,.,, Sf 000
Pod'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio bEi, as quartas
feiras.
as tergas Tribunal do commercio : segundas e quintas.
lielaco : tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as (i horas.
Dito de orphos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira
dia.
Segunda vara do cive
hora da tarde.
PHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
5 La cheia as 11 h., 32 m. e 16 s. da rn.
12 Quario ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La nova as 8 h., 2G m. e 10 s. da t.
28 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DA SEMANA.
SS. Sesnnda S. Justina v. m.; S. Nilo mm
26. Terga. S. Cleofas; S. Firralno b.
27. Quarta. Ss. Cosme e Damio irs. mm.
28. Quiuta. S. WVoceslo duque monge
29. Sexta. S. Miguel arch.;S. Fraterno b.
30. Sabbado. S. Leopoldo m.; S. Urso m.
1. Domingo. S. Remigio b.; s. Verissimo m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 horas e 18 m. da manhaa.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alapoas a 14 e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feman-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, rao,
julho, setembro e novernbro.
ASSIGNA-S-E
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d
Faria & Filho.
P4TB 0FFGIAL
G0YEKN0 DA PRO^iS!.
Coutimiifo do espediente do dia 21 de selerabro
de 1805.
Oflleio ao marechal de campo commandante das
armas.Sirva se V. Esc. de providenciar no sen-
tilo de serem renoltiidos a enfermara miiitar os
voluntarios da patria e guardas nacionaes que fo
rem vaccioados, logo que a inoculago comece a
desenvolver-se, allm d- terem .> tratamento preciso
e que dilllcil observar uo< quarteis.
Dmo ao raesmo.Srvase V. Exc. de mandar
tran-fertr para o 6 corpo de vuluntarios o soldado
aJ.ii Id ao 3 Joo Joaqun) do Nascimento, o qual
se aji>t m cora destiuo ao 1 dos referidos corpos.
Dito ao mesmo.Inteiradu pelo seu ofllcio de
hontem daiado, sob n. 1,626, da renuncia que faz
o i> cadete do 3* orpo de voluntarios da patria
Antonio Graciudo de Gusmo Lobo, da gratificago
de 300* a que Ihe da direito o decreto n. 3,371 de
7 de Janeiro deste auno, reconiinendo Ihe que lou-
ve e agradega ao referido cadete essa prova de pa-
triotismo e desinteresse.OlBciouse neste sentido
a tliesouraria de fazenda.
Dito ao raesmo.Maade V. Exc. inspeccionar o
soldado da guarda nacional do municipio de Ipoju-
ca Manoel Faustino de Santa Rosa, depois que elle
estiver recolhidoao batalho dr guardas nacionaes
desliuados ao servigo da guerra, para o qual foi
designado.
Dito ao Dr. chefe de polica.Remello a V. S.
para os flus convenientes o ofllcio incluso por co-
pia de 2 do correntc, sob n. 352, em que o desm-
bargador provedor da Santa Casa de Misericordia
pondera a inconveniencia de ser conservado no res
peclivo hospicio o alienado criminoso de mone de
nome Ignacio, escravo de Autouio da Silva Gus-
mo.
Dito ao mesmo. Gommunicando-me o desem-
bargador provedor da Santa Casa de Misericordia,
nal do Limoeigp.De conforraidado com o que so-
licitou o desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia, em ofllcio de 16 do corrente, sob
n. 380, expega V. S. as snas ordens, afim de que o
guarda nacional do batalhao n. 22 desse municipio,
Joo Evangelista da Silva, aprsente ao meino pro-
vedor, com a possivel brevidade, a cerlido de bap-
n-dio de sua lilha, Maria Jos Pereira, que foi ad-
mittida no collegio das orphas.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Pao d'Alho. Estando designado para servir
no 1 batalhao da guarda nacional destinado
guerra, o lente do de o. 51 desse municipio, Jos
Geminiano de Araujo Pinheiro, expega V. S. as suas
ordens, alim de que elle so aprsente sem perda de
lempo nesta capital ao general commandante das
armas, allm de reunirse ao respectivo batalhao.
Dito ao teoente-coronel Mariano Xavier Carneiro
da Cunta.-Pela leitura do seu ofllcio de II deste
mez, ti n.'i inteirado do resultado que, por occasio
de passar revista ao seu batalhao obteve V. S. no
sentido de organisar o corpo com que pretende se-
guir para o sul em defeza da integridade do impe-
rio, e espero que continu a empregar os seus lou-
vaveis esforgos a bem da organisago em que est
empenhado, certo de que muito aprecio os seus
boas servigos.
Dito ao commandante do corpo de polica.Con-
cedo a autorisagao que V. S. solicilou em seu ofB-
ci n. 883 de 20 do corrente, para tirar do deposi-
to de fundos consignados para occorrer as despe-
jas extraordinarias do corpo sob seu commando, a
quanlia de 2:100$, alim de completar o pagamento
do fardamento contratado cora Joo Joaquim de
Souza Abreu Lima, para o mesmo corpo.
Dito ao mesmo.De conformidade com o que me
solicitou o desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia, em ofllcio de 16 do corrente, sob
n. 373, expega V. S. as suas ordens, afim de que o
soldado do corpo sob seu commando, Matheus Pe-
reira do Reg, aprsente ao referido provedor a
certido de baplismi de seu filho Augusto Pereira
do Reg, que foi admittido no collegio dos or-
phaos.
Dito ao director do arsenal de guerra.Faca V.
mande V. S. pagar os vencimentos relativos a 1."
quinzena desie mez das pragas do l. batalhao de
artilharia da*guarda nacional desta capital desta-
cadas no forte do Buraco. -Communicou-se ao
commandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Dito ao mesmo.Atientas as razoes aposenta-
das pelo capitao Joo Maria Petra de Billencourt
no incluso requenmento documentado, e lendo em
vista o que a esse respeito informou o marechal,
commandante das armas no ofllcio junio por copia
datado de 20 do corrente e sob n. 1,622, recom-
mendo a V. S que mande levar em conta ao sup-
plicanie a quantia de 71*340 proveniente da diffe-
renga do valor da etapa abonada as pragas do cor-
po de guarnigao por elle commandadas interina
mente e o fixado na respectiva tabella para o so
mestre corrente, sendo o d'aquella na razo de
380 rs. e o desta na de 360 rs. diarios.Commu
nicouse ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. o incluso
pret tirando vencimentos relativos ao mez de julho
ultimo para o destacamento de guardas nacionaes
da villa da Escada, afim
tnos mande pagar ao a
seu citado ofllcio, que ficaassim respondido.-OfB- imperador da Austria e em relacin
eiou-se nest sentido thesouraria provincial. para sua magestade e-rei da Pr ==|3
a todos os viganos das freguezias da
Art. 2. Os dous contratantes querem propor a
Circular
provinca.-Para dar cumprimentoao aviso circu- Dieta Federal ;
lar da reparl.gaoda agricultura,commercio eobras e designar para el "o pon. deKieS'noto
publicas, de 10 de agosto ultimo, informe Vmc. ,V,ai. At serem portasmwap??s delibra
com toda a urgencia se houve i'** -x.., .. '. vi vi" r^-.
No da 8 do"corrente deviam ler lugar em Fio-
renga as eleig5es municipaes. que sao consideradas
em ofllcio de 18 do corrente, sob n. 384, incluso s. reColher aos armazeus desse arsenal os objectos'
^J**?.'. s.^.Publ,cJ. .!,olor,^.exiloem.1m constautes da relago inclusa, os qnaes servirara
na extincla enfermara militar de Tacarat.
quartos das ribeiras das frcgueziai de S. Jos e
Boa-Vista desta cidade, pobres que, quando se ihes
aggrava a molestia, nao pdem sabir, e flcam
abandonados, recoramend i a V. 8. a expedigo d>
suas rdeos aos subdelegados daquellas freguezias,
como solicita o mesmo provedor, para que em se-
molhaotes casos se enteadam elles com o mordo-
mo que estiver de mez no hospital Pedro II, alim
Dito aos capites do 1 batalhao de artilharia da
guarda nacional do Recife, Jos Gomes Leal e Cae-
tao Cyriaco da Costa Moreira.Acensando o re-
cebimnlo da bandeira imperial que Vv. Ss. oflere-
ceram para o 1" corpo da guarda nacional que se
deslina ao servigo da guerra ; cabe-me agradecer
a Vv. Ss. e aos cidados que os auxiliaran) na ma-! nharam na commUsa a que foi as comarcas de
serem removidos para o referido hospital aquel-; ifestago dessa prova de patriotismo digno de: Tacarat e Flores para agenciar voluntarios da pa-
louvor. I tria.
Dito cmara municipal de S. Bento. Respon- Dito ao mesmo.De conformidade cora o que
dendo ao ofllcio que a cmara municipal da Villa | solicitou o chefe de polica em ofllcio de 19 do
aoSchleswg ha muiloa dea do possur uma importante parte
das margens do Danubio, especia I mente depois do
revez de Sebastopool, e nao oceultanr a impressao
que sentem em face da poltica dos aovemos de
raeucionados no incluso pedido. dades do nnria n T i r necessi- giar o resultado da luta, que deve chamar ao par-
di,o ,,,/, r._A. BK^psj^ssMKa: Tsasa-sart,- JL.
accao, que procla-
priocipios.
liberal perma-
Martinho, antigo
delegado de polica de Flores.-Constan- mUSSl' Al a?SUL2?2T "ver"aa.r a'1s P^mcias napolitanas, que conta
do de ofllcio do8 commandante das armas n. 1,632 farTimimHd^narnUftK?s T^K Jri n.fU l0mns mU! imPorlan,es. eDtre
de 21 do corrente, que se acha preso nesse termo ella co.noosta dM ?^ri. .^rte M fiW* ODlrora P^idente da cmara
Im de que estando era ler-; 4 sua ordem um do soldados do corpo de guarui- t opas rTe?nms ana, Z,m,lr LA 2 *2SP*"' Seu emfim encamiohar o partido
Iferes Jos Dias da Silva gao qne ahi estiveran. destacados, recom.neudo a ** commSQdo allerDara avao5ad.e e'nP^"os maiores esorgos para que
ib,,, n.Amm,H,i.(.tvm1...,.i-------#.-. ............. 'c juiuj ue caaa anno. ; se recuse, tanto para a raunicipalidade como para
noJ, t A.SLS nlodurar a d.v.sao prescripta representantes da nago, a todos os homens que
P?n, J2J lconveDI0' Kverno real da "nnaf" mostrado partidarios da convenco de
,mL? r,J!r d.uaf elrai,.as mi,l|ares airavez 15 de setembro, e a lodos aquellos qn manifestara
hnnr 1? Lbe<'k ^^ "f d6 HWB I m'6*S 3 faVOr dt Uma SOlu5a0 Pacilica nas W-
bourg a Rendsbourg. l8e de Roma e de Venen!
sim Amn nP?ril .Spec,a,,S relalivas <*>P as-: O presidente dos Estados-Unidos liecnciou
sin como o transpi rte e mantenga das tropas, se- 47 eenerae-
J?t2!tff&&2S'?*X: ISa^" qUaD, anU'fS Pr/ra C0DVen Part" ; ^S" a **** unificados de de-
^^^^-K^^ ----------------------------------
decreto de 7 de Janeiro ullimo, assim o communi-1 delegado do districto de Malhadinha, da fregu- Ar. 5. O governo real da Pmssia conserva a
co a V. S. para seu conhec.raento e afim de que zia do Limoe.ro, por assim convir ao servigo pu- sua dspos ello ra Bo*l^a5hieo mS^mTi
faga averbar nos assentamenlos do referido voluu-; blico.-Communicou-se ao Dr. chefe de polica. I e Rendsbourg o Sto 7E*JSL ?dua
tarto a conveniente nota nesle sentido. D.U.-0 presidente da provincia, atlendendo ao eslradas, travez d Z\Zl^ carraS "" S
Dito ao mesmo.-Cora copia do ofllcio do mare- que requereu o procurador fiscal da thesouraria ------ '
chai commandante das armas n. 1,634, datado i'
21 do corrente, remeti a V. S. o inventario dos;
medicamentos, drogas e utencillos do exlincto hos- ga que Ihe foi concedida por portara de 16 de ju-
para isso indicado em offlcio do commandante su-1 Vmc. que sem demora o faga regressar a esta ca-
perior da comarca de Santo Anto, daiado de 6 do i pital, Informando sobre o motivo da priso.
corrente somenle a parte de (aes vencimentos re-1 Portara.O presidente da provincia resol ve con-
lativa a |. quinzena d'aquelle mez, visto que a ceder Luii de Franga Mello Jnior, a exoneragao
outra parle deve ser satisfeila pela ihesouraria'
provincial.Communicou-se ao commandante su-
perior da guarda nacional de Sanio Anlo.
Dito ao mesmo.Declarndome Francisco Cor-
deiro Falco pai do voluntario do 3.' corpo Vitalia-
no Cordeiro Lins renunciar este a graiiflcago de
que pSdo do posto de lente quartel-mestre do
corpo de polica.Fizeram se as necessarias com-
municagSes.
nuormna, .,T ..... ""-. ""-v.......*, gmm, imn no iioistein, carruagens de posta
ir- qoe requereu o procurador fiscal da thesouraria prussiana com os seus orourios emureeados
eZSSSf CyPraU ';eUel0n Uf*S A1" '( Em ,,Uan' "So e'tlver" ^rX estabele-
dos alorado, revive prorogar por dous mezes a Icen- ci,ento de um caralnho de ferro directo de Lu-
lf\C I '1 lilil lili! I >1 A iri.'.uli .1" HA- i. .^v I n n i II. .1 ni I I >*
pital militar, para que V. S. mande po-los em hasta
publica como se deterraioou era aviso de 6 de
marco ultimo.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que em
visla dos inclusos documentos mande levar ora
conta ao major commandante do corpo de guarni
nho ullimo, para tratar de sua sade fra da pro
vincia.
Dita.O
que requereu
primaria d
Moraes, e lendo era visla a informago do director
beele por Kiel
feita
de 1,750,000 a' 2,OlMM'0>
de dolan, tcando compromettidas as casas llau-
canas dos Srs. Ktchum, Son & C. e Graham & C,
suppondo-se que apenas podero pagar 30 0|oaos
seus credores, dos bens que possuem.
O ouro ficava 144, e o algodo 45.
De Mobile pardo para Liverpool um navio, com
ivi carregamenlo de algodo avahado em l/ mi-
Ibo de dollars.
SS. MM. o Imperador e a Imperatriz dos
Francezes achavam-se em Biarritz, onde davian
at a fronteira do Schleswig, ser
feita a concessJo a pedido da Prussia, para o terri- receber, no dia 8 do correle, a visita de S. M. a
! _.!. ?, tl"'rei1' cunj as condigojs do costume, se rainha de Hespanha.
quanto ao ( No mercado de Liverpool eram colados : o
tos de so- assucar a 19 s. 9 d. per cwt.; o caf a' 62 s. idem;
o algodo de Macei a' 16 d., o da Parahyba a' 17
Art. b. h. intengao commum das altas partes, i|4 e o de Pernambuco a' 17 l|2 d
. >"u u riDisieiu, com as condico do eos
presdeme da provincia, altendendo ao que a Prussia disso pos=a intrir em u
eu o professor publico de iostruegao caroinho de ferro, nenhum titulo a direit
a treguczia da Luz, Joao Jos Ribeiro de | berania.
gao Fernando Machado de Souza, que assim o soli- geral da instruego publica, de 20 do correte, sob conlralantes oue o.
eitoa no ofllcio iunio por copia datado de hoje, a n. 263, resolve conceder-ll.e tres mezes de licenga | AtTsua entrad,-~2S?1 -^SSS^Stfi!!!^ i ~ -A.penas a Mmara .e!ecliva de Portugal i
quantia de 264*665 por elle despendida cora os
offlciaes e pragas d'aquelle corpo que o acompa
itrada na unio das alfandegas al
les enfermos.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Aonuindo ao que solicitou o chefe de poiicia em
ofllcio de 14 do corrente, soh n. 1,366, recommen-
do a V. S., queem visla dos inclusos documentos,
mande pagar ao capito do corpo d guarnigao
Joo Maria Petra B.ttencourt, nao s a quantia de
30*960 proveniente das raegoes por elle abonadas
aos recrutas que conduzio do termo de Tacarat
Antonio Flix Pinheiro, Joo Pereira da Silva,
Francisco Fel: s Santo3, Dionizo Ferreira da
Silva, Venceslao da Cruz e Antonio Pedro, dos
quaes os dous ltimos evadiram-se de bordo do
vapor Parahyba, fallecendo o 2o no rio S. Francis-
co e os outros foram destinados ao servigo do
i>ara miar d "Vi-------"T"v ""' """"-s-" emaes a autorisagao para o rei ir visitar, quando as cir-
^STS^^^Xk^^^m^' fin,'rqUe e",a proveDi,a d-e fustes alleriores con-,, cumstanc.as Ihe permillirem, algns soberanos da
oewtot&a^ igual dos ducados o Europa a que est mais ou menos ligado pelos
Salles, para exercer o lugar de
lo duyar o impedimento do eflec-
livo, Joo Paulo Ferreira, e para temporariamente
-r w v------------- -o---- k -" i""".^'..', v miuiciciiv un ioiuii^ 1'riL"
foi
. 'rnanta di m, r l? '"V"' l'A ,De80ciaSoes relativas entrada I concedida, acerescenlando.que : havendo j alnuns
de S. Bento dirigi a esta presidencia, em 6 de ju corrente sob n. 1,414; mande V. S. pagar a Sin,: partigo Rodr o Jacome Mitins Pere?ra^Co,n" Sdo da" aLm h Kl".' '2E5ft *S 222 ?' mnisleri0 nSo overnava, por falta de
nho uliimo, tenho a dizer-lhe que fica approvada a [ pl.cio Jos de Mello a quantia de 7*200, allantada [ municoj se ao inspector da thesouraria pro- n^J.^l^ SUtEZS&Jt .d.eieaL2.?!f!!1; i maT,a.nas.'><"<> entendett dever Pr fim a se-
arrematagao dos impostos de que trata o termo de pelo delegado do termo do Brejo ao recruta Luiz vincial:
corapanhou o seu citado Antonio Pereira, qne foi remettido para o s
contracto
ofllcio.
que por copia acomf
Dito ao Dr. juiz de direito da Tacarat.Recom-
mendo Vmc. que, vista dos prets que Ihe forem
apresentados pelo alferes do corpo de guarnigao,
Polycarpo Jorge de Campos, pague os vencimentos
dos voluntarios da patria que o mesmo alferes t-
ver alistado.
Dito ao conselho de compras navaes. Approvo
exercito, mas lambem a de 20* melade do aluguel os coutractos que o conselho de compras navaes,
da canoa que os transportou, e a varios presos de segundo o seu ofllcio de 18 do corrente celebroo
justiga do porto de Piranhas ate Pinedo. Com diversas pessoas para fornecerem vveres, die-
Dilo ao mesmo.Annumdo ao queisnheiieu o tas, anigos de fardamento e outros objectos de
chefe de polica em olfiVio* de 12 e 22 de agosto consumo, n cessanos dos navios da armada e ou-
ullimo, sob ns. I,lo4,1,212 e 1,218, recommendo a tros eslahelecimentos de marinha, e para a lava-
V. S. que em vista dos documentos que devolvo, e gem das roupas dos mestos estabelecimentos, tu
de conformidade com os pareceres da contadona d0 durante o ullimo trimestre do anno correnle.
dessa thesouraria, a que se refere a sua informa-
gao n 647, de 2 do corrente, mande pagar nao a
importancia integral dos mencionados documentos
e sim ao alferes Francisco Roberto Ferreira da
Silva, a quanlia de 154*350, provenieule dos ven-
cimentos de uma escolla de guardas nacionaes nue
veio do termo de Caruar conduzindo os recruias
aoaquim Antonio de Oliveira, Joo Evangelista
Barbosa, Manoel Teixeira dos Santos, Francisco
Tavares da Silva, Joo Valentim Rispo, Manoel Es-
toves Papa, Antonio Nunes de Azevedo Campos,
Joaquim Antonio, Sabino Jos Francisco, Vicente
Leite da Silva, Jos Rodrigues Leito, Antonio
Francisco da >ilva, Joao Ribeiro Jac e Francisco
Malhias dos Sanios, bem como os presos de justiga
Antonio Roberto e Jos Francisco dos Santos, e ao
subdelegado daquella cidade ou ao seu procurador
nesta capital a de 32*760 correspondente as dia-
rias abonadas aos 8 recrutas indicados era primeiro
lugar.
Julgo conveniente declarar a V. S. que a despe-
za relativa a conducao dos dous sentenciados vai
ser paga pela thesouraria provincial e que dos
mencionados recrutas o Io foi po-to em libeadade,
por ler provado sengo legal, o 2 renietteu-se
para a companbia de aprendizes marinheiro, o 3
para a armada e os oulros para o exercito.
Dito ao inspector da thesouraria provincial
Antorisando nesla data o commandante dj corpo
de polica a tirar do deposito de fundes consigna-
dos para despezas extraordinarias do mesmo cor-
po, a quantia de 2:100*, alim de poder completar
o pagamento dos fardamentos contratados com Joo
Joaquim de Souza Abreu Lima, assim o commum-
co a V. S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo. Declaro a V. S. que o padre
administrador do recolbimenlo de Iguarass, a
quem em virtude de men offlciode 13 do corrente,
tera de ser entregue o 1:000* votado na le do or-
gamento vigente, para os reparos daquelle recolhi-
mento, chamase Florencio Xavier Dias de Albu-
querque e nao Thomaz Xavier Dias de Albuquer-
que, como por engao escreveu no predito ofllcio.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que man-
de pagar ao alferes Francisco Roberto Ferreira da
Silva, a quantia de 2*160 proveniente de diarias
por elle abonadas aos criminosos Antonio Roberto
e Jos Francisco dos Santos, que vleram do termo
de Caruar e se acham recolhidos a casa de de-
tengo.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o
chefe de poiicia em ofllcio de 14 do correnle, sob
n. 1,366, recommendo a V. S. que mande pagar ao
capito do orpo flxo desta provincia Joo Maria
Petra Billencourt, nao s a quantia de 12* prove-
niente das raegoes por elle abonadas aos sentencia-
dos Jos Maria Xavier, Faustino Xavier Barbosa,
Isidro Gomes de Sa e Jacintho, constantes da in-
clusa relago e qne conduzio do termo de Tacara-
t para esta capital, mas lambem-a de 20*, meta-
de do aluguel da canda que transportou os mencio-
nados presos e recruus do porto de Piranhas al
Penedo.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife. Devolvo a V. S. a proposta do 1*
batalhao de artilharia da guarda nacional deste
municipio, a que allade o seo ofllcio a. 298 de 5
do correnle, afim de que na forma da lei faga con-
templar os offlciaes qne-se acham aggregados ao
mesmo batalhao, remeitendo-me com urgencia a
que se deve organisar em visla desta minha deli-
bercao.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Bonito e Caruar.Em vis'a de requisigo
do admistrador do correio, datada de 19 do cor-
rente, resolv dispensar do destacamento para que
eslava designado, o guarda nacional Manoel Gomes
da Silva, qoe oceupa o lugar deajudante do agente
daquella repartico na villa do Bonito : o que com-
munlco a V. S. afim de qoe faga vir cora urgencia
para esta capital outro guarda em lugar da-
quelle.
Dilo ao commandante superior da guarda naci-
__ 22 __
Ofllcio ao Exm. desembargador, provedor da
Sania Casa de Misericordia.Nos termos do art.
14 da lei provincial n. 611 de 2 de maio do carreo-
te anno, mande V. Etc. adraitlir nos respectivos
collegios os menores de nomes Jos Alexandre Fer-
reira da Silva, Felisbella Augusta Ferreira da Sil-
va e Laura Amalia Ferreira da Silva, filhos do l-
ente' da guarda nacional, Camillo Augusto Ferrei-
ra da Silva, que se offereceu voluntariamente para
seguir para o sul do imperio.
Dito ao marechal de campo commandante das
armas.sirva se V Exc. de mandar alistar no 5o
corpo de voluntarios da patria a Aodr Narciso da
Silva Mendes.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar, como voluntarios da patria, os cidados
constantes da inclusa relago, com eestino aos cor-
pos neila indicados:
Relago a que se relere o ofllcio supra.
No 3o corpo.
Ignacio Vieira da Silva.
No 5o corpo.
Jos Joaquim da Silveira.
Jos Francisco de Barros Aniorim.
Antonio Graciliano das Chagas.
Jos Francisco das Chagas,
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do ba-
talhao de guardas nacionaes destinados ao servigo
da guerra os guardas do 5 batalhao de infantaria
deste municipio, Francisco Antonio de Lima e
Francelino Angelo Francisco de Souza, os quaes
ficam dispensados daquelle servigo, at que se re-
corra classe que elles pertencem.
Dito ao mesmo.-Mando V. Exc. eliminar do ba-
talhao de guardas nacionees destinados ao servigo
da guerra o guarda do batalhao n. 45 de infamara
do municipio de Barreiros, Manoel Jos de Andra
que loi remettido para o servigo
: da armada.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Reslitundo a V. S. coberto cora uma copia do ofll-
ci do delegado do termo de Barreiros, a que se re-!
fere o do chefe de poiicia de lo do corrente sob n.
1,372, a conia na importancia de 53*600, relativa
as despezas feilas cora sustento dos presos po-
bres da cadeia d'aquella villa, a cootar de 2 dse- i
lembro do anno prximo passado al 20 de Janeiro
ullimo, tenho a dizer que mande pagar essa quan-
lia a Miguel Lucio de Albuquerque MHIo, como j !
se recommendou era 7 de julho prximo lindo,
pois que, segundo rae parece, (Team resolvidas
eooi a relaco junta, apresentada pelo uiesmo dele-1
gado, as duvjdas da contadura dessa thesouraria,
constantes do parecer que veo annexo ao ofllcio
de V. S. n. 279 de 21 do citado mez de julho a que
respondo.
Dito ao mesmo. Transmillo a V. S. o incluso
pret tirando vencimntos relativos ao mez de julho
ullimo, para o destacamento de guardas nacionaes
da villa da Escada, afim deque estando em termos
mande pagar ao alferes Jos Dias da Silva, para
Isso indicado em ofllcio docommandanle superior j
da comarca de Santo Antao, datado de 0 do corren-1
te, somente a parle d* taes vencimentos relativo a
segunda quinzena d'aquelle mez, visto que a outra
Ditl.O presidente da provincia, conformndose
com a proposta do commandante do corpo de poli
ulti-
potenciano qor. represente o ducado de Holstein! melhante estado.
n essas neoetoc5es. I Nosso correspondente diz-nos o segrate
Art. 7.a A Prussia tem de direito abrir aira-' ma data (7 do correte) :
vez do territorio do Holstein o canal do mar do or- i Seguramente est organisada a nova adml-
,;, > "cf J-A m-' nmear ,te ao Bltico, conforme os esludos technicos dirig-' -
para o mesmo corpo os ofDc.aes abano deca- dos pelo governo real. N'esse caso a Prussia lera
Kr?T- _.-.. ., ., ... o direito de determinar a direceo e as dimensoes
I 1 tti^S^V companh.a Leo- G0 canal, de adquirir, por expropriago e com in-
2^2?fila& n idemmsacodoseu valor, os terrenos necessanos
Tenente quariel-me,tre Manoel Joaquim do Reg para o estabelecimento do canal, de dirigir os tra-
i balho
Brrelo.
1' companhia.
Alferes o 2# sargento Basilio Luiz Coelho.
3' companhia.
Alferes o 1 sar/ento Antonio Anhur Moreira de
Mendonga.
4' companhia.
Alferes Joo Francisco Paes Brrelo.
5a companhia.
Capito o lente da raesma companhia Thomaz
Rodrigues Pereira.
Tenente o alferes da 4' companhia Carlos Jos de
Siqueira. ^
Fizeram-se as necessarias communicagoes.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
. de exercer a poiicia d'elle, de fazer os tra
I balhos de conservago e de reparago, assim como
! o direito de approvar todas as prescripgoes regu-
lamentares que Ihe forem relativas. Na > podero
impor-;e, em todo o omprimento do canal, direi-
los de transito ou taxas por navio e por carga, sal-
vo o direito de navegago uo canal que a Prussia
dever fixar de seu modo para os navios de todas
as nagdes.
Ar*.. 8. O prsenle convenio nao modifica em
cousa nenhuma as condiego-s do tratado de paz Ae
Vienna, de 29 de oulubro de 1864, no que rea-
livo s prestagoes pecuniarias impostas D08 duca-
dos, tanto a favor da Dinairaica como a favor da
| Austria e da Prussia; com tudo o ducado de
I Liuembourg ficar isenio de contribuir para as des-
* pezas de guerra. A repartico d'essas prestagSes
' entre os ducados de Holstein e de Schleswig effec-
! tuar-se-ha de modo
proporcional as suas popula-
0 vapor inglez Amaron foi portador de noticias goes.
82 rfmmnni.? P lh"ouna dt '"T de Liverpool at e de Lisboa at 7 do corrente.! Art 9 Sua magestade o imperador da Aus-
ncon-se ao commandante superior da Ei3 0 que colhemos dos jornaes e carias que lemos tria cede a sua inage-tade el-rei da Prussia os di-
vista. reilos adquiridos sobre o ducado de Lauembourg,
Continua a opposigo do partido progressista ao era virtude do j referido tratado de Vienna ; em
ministerio hespaohol, aprzar de se conservaren! re- compensago o governo real da Prussia obriga-se a
tirados os respectivos cheT-s. entregar ao governo imperial austraco a somma
S. M. a rainha foi recebida com grande enlhu- de dous milhous e quinlientos mil rixdaler de Di-
siasmo, em sua visita pelas provincias, o que de- namarca, pagaves em Berlim era moeda sonante
de prata da Prussia, qualro semanas depois da
guarda nacional.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Recife.Devolvo a V. S. o pret era du-
plicata que veio annexo ao seu ofllcio de 4 do cor-
rente,*ob n. 296, tirando vencimentos relativos a
! segunda quinzena do mez de agosto ultimo, para o
destacamento de guardas nacionaes daJMgt^jnrostra'daramete ser7so o boato da organisa
1TJLT. de Jaboatao afim de que raen- ; c5o de um forle partido com o fim de desmontar a sanego .lo presente convenio por suas magestades
cioqado pret seja reformado de conformidade com ynastia reinante.
destacado
u. 602 de 19 de selerabro de 1850.
Dilo ao mesmo.Em vista das informagoes des-
se commando superior datadas de 3 e 4 do corren-
te, e dos documentos com que os guardas do quin-
to batalhao de infantaria Francisco Antonio de Li-
ma e Francelino Augusto Francisco de S tuza, ins-
truirn) os seus requerimentos, resolv nesla dala
manda los eliminar do balalno de guardas nacio-
naes desuados ao servigo da guerra, al que se
recorra a classe a quo elles perlencem : o qab de-
de, que, segundo o seu ofllcio n. 1607"de"8 do iclar0. a v- s> alim de que faga desiguar cora ur-
correnie, foi julgado incapaz do servico em inspec-, *ec,a outros ardas em substiluigao aquelles.
gao de ade lt0 ao mesmo.Nesta data mandei eliminar do
Dilo ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do ha- batalho de guardas nacionaes destinados ao ser-
lalho de guardas nacionaes destinados ao servigo v,Cluda .Ku"ra, o guarda do primeiro batalhao de
da guerra o guarda do 2 batalho de iaaDiarla artilharia Ernesto Jos de Menezes, que fica dis-
deste municipio, Joaquim Jos Pires, que foi iul/a-! Pensado d aquelle servigo, al que se recorra a
do incapaz' desse servico em inspecgo de sade. 2lasse a 'lue elle P-rtence : o que communico a V.
Dito ao mesmo.^Fa'ga V. Exc. eliminar do bata-: %para que faga apresentar ontro guarda em subs-
ilio de guardas nacionaes, destinados ao servico, 'Riicao d aquelle.
da guerra, o guarda do batalho de artilharia Dito ao commandante superior da guarda naci-
do municipio do Recife, Ernesto Jos de Menezes. na| de Garanhuns.Mande V. S. augmentar com
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar ; 6 pragas da guarda nacional o destacamento que
alistar no 5. corpo de voluntarios da patria a Ma- exste na villa de S. Bento, communicando-me o
noel Francisco do Espirito Santo, Lauriano Anto- ia que essas pragas entraran) em servigo.
nio de Paula, Jos Cabral e Jos Vicente de Dito ao commandante do corpo de polica.
A1uino- m fc. Mande V. S. alistar no corpo sob seu commando a
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no bala-! jos Gongalves Monteiro.
Iho de guardas nacionaes destinados ao servigo
da guerra, o guarda do batalho n. 26 de infama-
ra do municipio do Bonito Joo Severioo Thom.
Dito ao mesmo.Srvase V. Exc. de agradecer
ao voluntario do 3." corpo Vilaliano Cordeiro Lins
a prova de seu patriotismo e desinteresse, renun
ciando a gratificago de 300*000 a que Ihe da di-
reito o artigo i.' do decreto n. 3,371 de 7 de Janei-
ro deste anno.
Dito ao mesmo.Autoriso V. Exc. a mandar eli-
minar do batalho de guardas nacionaes destina-
dos ao servigo da guerra, o guarda do batalbo o. da companhia de aprendizes desse arsenal
22 de infantaria do municipio do Limoero Jos' de Alcntara.
Francisco Pereira que serve de arrimo a sua mi \ Dilo ao capito do porto. Mande Vmc. alistar
viuva. na armada a Acacio Coelho Ribeiro, que para isso
Dito ao Dr. chefe de poiicia.Sciente pelo seu se rao olfereceu.
ofllcio de 20 do corrente sob n. I,4i7 da renuncia [ Dito ao ebefe darepartigo dasobras publicas. -
que fez o delegado supplente de Caruar Antonio Concedo a autorisagao que Vmc. pedio em seu offl-
Victor da Silva Vieira, do pagamento do abono de ci de hontem sob n 306, para mandar lavrar o
etapa de 3 dias fito por elle a 3 recrutas que termo de receblmento definitivo da obra da pintu-
d'alli vierais, recommendo a V. S. que agradega, ra e caiadura do sobrado da ra da Praia, onde
* PT ,CTa d0' speC,or da. lhesora- A nova lei t leiioral, decretada pelo governo, pro
na provincial, datado de 19 do corrente e sob n. dluldo grandt e|rejl0> por |ar S^erTOtaieB.
dbo, pois que os vencimentos indicados no predito i 0 direito de suflragio e aucmentar o numero de
ofllcio, sao os que competen) as pragas do exercito eleitores alera do quo se esperava. A imprensa
e por conseguiuto devera ter os guardas nacionaes | desenvolveu e explicou bem esse negocio, e para
em vista dodisposto no artigo 91 da le se comprehender claremos a alt-raCo que fez no
Dito ao director geral da instruego publica.
Era vista do que V. S. pondera em seu ofllcio de
hoje, sob n. 264, designo o professor Symphcio da
Cruz Ribeiro, proposto por V. S. para compor a
comraisso de exarae de que trata o seu citado of-
ficio.
ragao que
distrito de Lto, onde haviara 2,673 eleitores ins-
criptos, e se Ihe deu mais 7,753, elevando se o total
dos recenceados 10,426.
Corra geralmente ter sido publicado em Trieste
um manifest pelos filhos do infante D. Joo de
o Imperador de Austria e el-rei da Prussia.
Art. 10. A execugo da divisan estipulada do
condommium comegar o mais cedo possivel depois
de aeeilo este convenio por suas magestades o im-
perador de Austria e el-rei da Prussia e terminar
o mais lardar a 15 de setembro.
Logo depois da evacuagao do Holstein pelas
tropas reaes da Prussia, e do Schleswig pelas tro-
pas imperaes da Austria, o commando superior,
que al aqu existi, sera dissolvido o mais lardar
a 15 de setembro.
Art. 11. O presente convenio ser sancclona-
Bourbon, declarando-se cheles do partido carlista; do, por meio da troca de declaragoes escriptas, na
o qual se dizia ser apocripho, em vista das declara-
goes feilas em diversas, pela viuva e filhos do in-
fante, de que esto promplos a reconhecer a rainha
Isabel, logo que o governo de "Madrid a anoa
certas exigencias delles.
Acerca desta ultima parte diz um jornal de Bar-
celona :
As negociagoes para este fim comegaram quan-
do era ministro dos negocios estraugeiros o Sr.
prxima entrevista de suas magestades o impera-
dor de Austria el-rei da Prussia.
< Em fdo que os dous plenipotenciarios cima
citados asslgnaram e sellaran) hoje este convenio
em duplicado.
t Assim feito e dado em Gaslein, a 14 de agosto.
< Conde Bloome, m. p.
< De Bisraarck, m. p. >
Ao passo que este convenio desagradou na
Pacheco; o duque de Modena lambem tratou desse Austria, Prussia e do mais estados da Allemanha,
negocio; a coodessa de Molina, esposa de D. Joao, e promoveu notaveisconsideragoes da imprensa de
fallou igualmente esse respeito ao Sr. Coelho,! Londres, Pars e S. Petersburgo, os italianos resi-
quando este era ministro plenipotenciario em Tu-' denles em Munich victoriavam-o, porque contara
rin; e as difllculdades at agora tera sido por par- que, tendo a Austria vendido a Prussia o Lauem-
te do nossso governo, e nao por parte dos filhos de burg, vender lambem Veneza Italia.
D. Joo. Em quanto, porm, assim se applaude a futura
Consta mesmo que alguns antigos carlistas j! liberdade dos veneziano*, o gabinete de Vienna tra-
foram Ven-za e Trieste, para induzir o principe ta esse povo da mesma forma por que os moscovi-
D. Carlos a fazer publico o seu manifest; mas l>s tratara a infeliz Polonia.
sempre tem recebido a mais solemne negativa. Em Veneza fallou-se de prximos pronuncia-
la era declinago o cholera, em todo o reino. menios no Tyrol, e isso servio de instrumento ao
Eis o lexto do convenio de Gastein : governo austraco para novas violencias, entre as
Suas magestades o imperador da Austria e o'quaes a doalislamento no exercito de lodo o vene-
rei da Prussia convenceram-se de que o condomi- ziano, quo nao possa provar os ireios de sua sub-
nium que al agora existi nos paizes cedidos pela, sisteocia.
Dinamarca, em virtude do tratado de paz de 30 de I Este convenio provoca a Gazeta de Moscow
outubro de 1864, causa de inconveblentes taes I a dizer que a Russia em 1850 eslava prompta a de-
que podera pr em risco a boa harmona entre clarar a guerra Prussia, para obstar poltica io-
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande cados.
os seus goveroos assim como os ioteressee dos du-
V. S. apresentar ao marechal commandante das
armas, afim de assentar praga como msico do
i terceiro corpo de voluntarios da patria, o meoor
Pedro
ao mesmo delegado essa prova de patriotismo.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.
Estando em termos o pret junto em duplcala, que
veio annexo ao ofllcio do commandante superior
vai funecionar a escola normal, e nesta data re-
commendo a thesouraria provincial, que em vista
do competente certificado pague ao empreiteiro .da-
quella obra, Luiz de Franca Sonto, aquanlia de...
deste municipio, datado de hontem e sob n. 338.380*000 rs., a que tem direito, seguudo consta de
Suas magestades lomaram portanto a resolu-
vasora que hoje ali do Dina.
Em Pars, Berlim e Vienna nao se julga que as
consideragoes desse jornal lenham por futid amen-
gao de delxarem de exercer em commum os direi-1 to a verdadeira poltica do governo do czar ; e sim
tos que Ihes perlencem, em virtude do art. 3 do ci-
tado tratad::, mas de dividi-los geographicamente
at ulteriores resolugoes.
Para esse fim foram nomeados plenipotencia-
rios : por sua magestade o imperador da Austria,
o Sr. conde de Bloome ; por sua magestade el-rei
da Prussia, o Sr. conde de Bismark Schoeohausen;
os quaes, depois da troca dos plenos poderes adia-
dos em boa e devida forma, concordara nos artigo*
seguintes:
c Art. 1. O exercicio dos direitos adquiridos em
commum pelas altas partes contrtantes, em virtude
do art 3 do tratado de 30 de outubro de ISeVper-
tencer, sem prejuizo da persistencia desses direi-
tos das doas potencias a totalidade dos dous duca-
dos, em relago ao Holstein para sua magestade o
que, chamando este a aiiengo publica para o que
se passa nos principados danubianos, possa com
mais facilidade avangar no caminho da Azia e mi-
nar os alicerces do edificio que se ostenta no
oriente.
As ultimas desordens dos principados danu-
bianos forneceram aos jornaes russos occasio para
dizer que ellas se oppoe a reconsiiiuigo definitiva
dos principados, dando a entender que, por sua
proximdade e afflnidade de costumes e de reli-
gio, s a Russia pode estabelecer ali um governo
solido e bem constituido.
A Franga e a Inglaterra que tem sido at o pre-
sente quasi que indiffereotes aos manejos do norte,
comecam agora a pensar, pelos orgos da opinio pu-
blica, que o gabinete de S. Petersburgo nutre de
mslrago
Presidente do conselho de ministros e interi-
namente dos negocios do reino, o Sr. Joaquim An-
tonio de Aguiar ;
Ministros, da fazenda, AntonloMariaFontes Pe-
reira de Mello ;
Justiga, Augusto Barjona de Freitas ;
Guerra, conde de Torres Novas ;
Marinha e ultramar, visconde da Praia Grande
de Maco (Isidoro Francisco Guimares);
Estraugeiros e obras publicas, conde de Cas-
tro. >
Durou quatro das a Brise e no fim de contas
a solugo della nao agrada. Ha muilos desconten-
tes na pronria fuso.
a Houve hoje reunio do conselho de estado para
sanecionar a lei das corles, que autorisa o rei, o
Sr. D. Luiz, a sahir do reino, quando as circum-
stanci&s o aconselhera, recabindo a regencia em
seu augusto pai. Diz-se que os novos ministros
nao querem referendar a lei porque nao a propn-
zeram ; e que os demissionarios nao a referendam
porque j nao sao ministros. Se assim, tem sua
novidade.
c Quanto a cor poltica do novo ministerio, que
direi ?
O presidente do conselho, ministro pela sti-
ma vez, um liberal de rija tempera, e o raaior
vulto poltico do antigo partido regenerador. No es-
tado valetudinario em que se acha, pouca iniciati-
va pronrette.
t O Sr. Fontes, um dos homens de maior illus-
Irago do partido regenerador.
O Sr. Barjona de Freitas um mogo de pou-
cos annos. mas j eathedratico da universidade.
Milltiva nas fileiras parlamentares do partido his-
trico quando uma parle deste se aggregou ao res
generador, constiluindo a ftu&O que combaten na
urna e no parlamento o gabinete S-Avila. O Sr.
Barjona adherio fusao.
O visc-nde da Praia Grande de Maco,
perlencia maioria progressista que apoiava o ga-
binete Sa-Avila. Foi noiavel a sua administragao
em Maco.
O conde de Castro fez parte do ministerio
presidido pelo conde de Thoraar, pelo espago de
quatro annos. E' vice-presidente da cmara dos
pares.
t O presidente dessa cmara, o conde de Lavra-
dio, que portamos annos tem exercido a misso
de emba xador de Portugal na corte de Londres,
est em Lisboa, e vai presidir a cmara alta. Or-
se que a este respeitavel diplmala vai ser confe-
rido o titulo de duque, em attenco aos seus rele-
vantes servigos, e mormenie aos que prestou na
recento mediagao do soberano de Portugal para o
restabelecimento de relagoes amigaveis entre o
imperio do Baasil e o governo inglez.
c Deu hoje entrada no ministerio dos negocios
estraugeiros, segundo me dizem, uma enrgica re-
clamado do governo francez ao nosso, por causa
de um folbelo publicado pelo nosso ministro em
Bueoos-Ayres, a proposito da guerra do Paraguay
com o Brasil.
< A reclaraago foi remedida hoje mesmo para
o ministerio da justiga que logo mandn ouvir o
procurador geral da corda.
< Afflrma-se que o Sr. Aolonio Rodrigues Sara-
payo, amigo redactor da Revolucao de Setembro,
cuja candidatura foi derrotada ltimamente em
Oliveira de Frades, vai ser eleito por Arganit, ca-
jo depulado, antes de tomar posse fallecen.
t A eleigo deste circulo vago a 17 do corren-
te mez. Parece qoe este empenho de levar cma-
ra o Sr. A. R. Saropayo para se Ihe dar a pasta
do reino. Assevera-se lambem que a presidencia
do conselho de ministro sera' depois de algum
tempo dada ao duque de Loul.
E' esta a stima vez que o Sr. Joaquim Anto-
nio de Agoiar tem sido mioistro. Todo o lempo
que elle lera sido ministro (nas seis vezes em que
que exerceu esse cargo,) somma apenas dous an-
nos, quatro mezes e dezoilo djs.
A primeira vez foi ministro do reino desde 15
de ouiubro de 1833 a 23 de abril de 1834.
t A segunda vez, ministro da instiga desde 23
de abril de 1834 a 24 de setembro do mesmo anno.
t A terceira vez, ministro da justiga desde 19 de
abril de 1836 a io de setembro do mesmo anno.
i A quarta vez. presidencia e reino desde 9 de
junbo de 1841 a 7 de fevereiro de 1842.
< A quinta vez, na pasta da justiga desde 19 de
junbo de 1846 a 8 de setembro do mesmo anno.
< Sexta vez, presidencia sem pasta desde 1 da
maio de 1860 a 4 de julho do mesmo anno.
O jornal a Nacho tem acensado com certo aze-
dutne o nosso cnsul no Rio de Janeiro o Sr. Jos
"T
ttis-zrr^n


Diarlo de Pernamtraco Tfcrca fclta 86 de Sietcuibro de 18*.
Wenrique Ferreira, por nao ter signado un ma-
uif'.-t i congratulatorio que varios cnsules assig-
naram quando Sua Magesiade o Imperador do Bra-
sil parti para o theairo da guerra.
t A Optnie.folha ministerial defendea o proce-
dimento do cnsul, dizendo que nao foram todos
os cnsules que assiguiram aquelle documento,
pois tambera se abslveram de assigna-lo os constt-
es dos Estados-Unidos, Franca, llalla e Prussia.
Consta em Lisboa, por via autorisada, que lo-
rara censurados peloterem lito, pelos respectivos
ministros, os cnsules da Russia e da Sueda, en-
tre outros.
c Se a manf'Stacao liona carcter poltico, pois
discuta as causas da guerra la' eslava no Rio o
23 -*-
A* erJem do Dr. delegado da capital, Rafael, es-
crava de liarla Felicia da Conceicao Leite a re-
qaerimento de sua respectiva senhora.
A' ordem do subdelegado do Recife, Laiz e La-
caro eslavos de Antonio Luix de Siqueiaa, a' re-
querimento d'este.
A' ordem do de Santo Antonio, Julio, escravo da appellada, a cmara municipal,
viuva Carneiro Mouteiro, para correccao. Appellante, Jos Ignacio de Queiroz
__24 Manoel Ant nio do Oliveira.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma- Apoeliante, Joaquim Vicente Marques appella-
oocl Oomingues de Sani'Anna, vindo das Alagas do, Francelino Eleuterlo Ferreira Chaves,
como criminoso de morte. I Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
A appellaco civel.
Appellante, Isaas Jos Rodrigues Braga ; apptl-
lado, Manoel do Nascimento Rodrigues Braga.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. deserabar-
gador Guerra
As appellacoes civeis.
Appellante, Antonio Joaquim de Mello Pacheco ;
appellado,
A' ordem do subdelegado do Recife, Raytnundo gador Ucha Cavalcante
Jos de Lima, e Alexandre, escravo de Manoel An- i A appellaco civel.
os (e~,0. A' ordem do de Santo Antonio, Manoel Alves dos Joaquim Tavares de Oliveira
la autoridade competente, e habilitada entao a di-
rectora provisoria a aproveilar ds elementos de
vida de que o Monte-Po dispde, pois estamos bem
certos que todos os cavalheiros, que espontnea-
mente prestaran) a sua asignatura para a creacao
de urna sociedade to import?nle pela sua incon-
p, mpregaado materias nao examinadas anda
pela junta medica de saude, all encontrara quinze
botes de rap, cora o titulo de rapflordos
quaes trouxe um, bem como algumas das materias
que Maia emprega no sen fabrico, que foram en-
contrados no interior do eslabelecimento; aprsen-
la una e ontra cousa a cmara para deliberar,: lestavel utilidade, promptos e impacientes agnar-
pois que prohibido pelas posturas de 1849, art. darao o momento de mostrar que assim procede-
2 do tit. 5* estabelecimenlos desta ordem dentro rara por verdadeira dedicaco e inleresse, e que as
da. cidade, sendo que nao multou a Maia em con- involuntarias delongas havidas nao Ihes arrefece-
sequencia de Ihe nao ter declarado se all fabrica- raui o fervor.
va o mesmo rap, dizendo apytas que o fumo era Sem pretendes a indicarmos Ilustre directo-
para esse flm. ra provisoria do MonlePio o camlnlio mais con-
No segundo declara nao ter Maia anda feto veniente a seguir, digne-se ella permitlir que um
elevar o cano conductor da fumara de sua fabrica obscuro socio emitta a sua humilde opiniao.
appellado, a altura que Ihe foi marcada, coin quanto Ihe t- Temos directora, temos ou vamos em poucos
vesse dito quando Ihe inlimou o praso de 30 das das ter estatutos approvados pelo governo provin-
ALFANDEGA.
Rendimento do da i a 23......
dem do da 25...............
279:6624479
21:372*105
301:0344584
MOVIMENTO DAALFADEGA.
Volumes entrados cora fazendas.... 284
c < com gneros..... 914
. Foi sto o que resprradeu a olha ministerial, Reis, para recruta.
e quando a Nacao Ihe ob>rlou que a corveta Este- A' ordem do da Boa-Vista, Felippa Mara da
fama tinha ido ao Rio Grande aeompanhar Sua Conceicao, para correigo ; e Luiz, escravo de Fe-
Magestade Imperial e nilo tinha lido os escrpulos lieitnao Jos Gomes, por desordem.
do n era differenle essa maufestago de respeitosa cor- Chagas, para recruta.
letia para com um soberano to intimamente liga- A' nrdam do dn Pni-
do por la.;os de prximo parentesco com a familia
real portgueza Tal manifestaco de acatamento
pelo augusto soberano desse Imperio, era pereia
Do Sr desembargador Barros Vasconcellos ao para o dito lira, que, se nao comprisse icava su- eial, e perto de mil associados, ou pelo meos per-
-------U9
Volumes sahidos ccm fazendas..... 29
< < com gneros..... 27
-------236
Descarregam uo da 26 do correte.
Vapor ioglezAmazon mereadorias.
Patacho nacional Jaboatao farinha de trigo 0
ootros gneros.
Brigue portuguezConstante IIdiversos gneros
maule curial, e muilo de estranhar sena que o dig-
no commandante da corveta nao a lizesse. Quanto a
abstencSo do cnsul, aqu nao foi condemnada se-
an pi>r aquelle jornal, (oa liberal,) e queescre-
veu sobre o caso, a' vista de cartas que de la' re-
ceben e publicou. >
PERNAMRUCQ.
_. .- .. ...... -
kbvsta mmk.
O Sr. Dr. Joo Baptista do Amaral e Mello, juiz
muuicipal e de orphaos de Flores, acaba de solici-j
lar licenca para alistar-se como voluntario da pa-
tria as tileiras dos heroicos lilhos desta provincia,
que marchara a vlngar a honra do Brasil.
Nao sao patarras nossas que encarecern o pa-
triotismo do Sr. Dr. Amaral, pos esso nobre seo-
Umeoto das almas elevadas resulta do seu proprio
acto, de modo alm de toda a expresso. No entau
to, nao podemos omiltir os nossos elogios por um
acto tao iouvavel quanto howoso para i|uem o pra-
tca, dando aqu a estmpalo offlcio que dirigi a
S. Exc. o Sr. conselheiro Paranagua, ullieio c|ue re-,
trata urna bella physionomia de amor patrio :
Illm. e Enm. Sr.-A guerra selvagem, que ao: ^.
Brasil faz a repblica do Paraguay, chama as ar- ao
mas todos os cidados, que eslo as eondcoes de.
servir, quero alistarme voluntario da patria ; sou .
juiz aunicipal e de orphaos do termo de. Flores, e
interioameut'! exerijo o cargo de juiz de. direiio ;
precio obter liceoca para [.restar meus servic.os e g
por isso, com o mais profundo respeito peco iV.I 2
Esc, que se digne fazer chegar ao conliecimento|
do governo imperial niiuha dehberacao, para que! g,
me >ji concedida lirenga as condigoes com que
outros hachareis em circunstancias iguaes tero
obti.io.
Peco igualmente a V. Exc. que se di^ne am-
parar luinlia deliberacao, como manife>tacao da
vontade de servir ao meu paz e ao governo, que
feliznieute dirige.
c (leus guarde a V. ExcFlores, 12 de setemliro
de 1865.llli. e Exm. Sr. conselheiro Jto Lidio-
sa da Cuaba Paranagiia', muito digno senador e
presidente da provincia.O juiz de direito inten
do, Jou Uaplista do Amaral e Mello >
Peraue a cmara municipal foi honlem ar-
rematado por I9:(HM),J o impo>to da aferigo de
pesos e medidas, obteodo mais 3:7695 do que na
arreinalaco anterior.
Nes^a mesina oecasio arremalaram-se tambem
os taihos dos aeougues da rbeira de S. Jos por
3:001,5000, quando o foram uo aooo passado por
l:.sif5*<>.
Estavam a' carga em Lisboa, no da 6 do
corrente :
Para Pernamltuco, bri^ues Lata II, Bella Fi-
gwirense e lielmnpayo ;
Para o i>ara\ u patacho Estrella ;
Pa o Maranlio, a galera Aurora ; o
Pal,, o Para', os brigues Twneya e Viajante.
Foram oo.neados pjf portara de houle),
para o 3" eorpo de Vnluutario> da patria, aiferes
quariel-me^tre o Sr. Joo Antonio da Silva Pessoa ;
ten ule o Sr. lente da guarda nacional, Jo> Joa-
A' ordem do do Poco, Paulino Jos de Sanl'Anna,
para correicao.
O chefe da 2' sesso,
J. G. de Mesguita.
Sr. desembargador Santiago
A appellaco crime.
Appellante, Luiz Baptista; appellada, ajustica.
A' ljj hora encer>-ct-oe asdsso.
jeito a disposico do art. 3o Jo tit. 5" das citadas lo de mil assignaturas, que rasoavelmente se pode Brigue UespauholConnacharque,
posturas de 1849, aqual disposico nao fez arada suppr valero para o lonle-Pio igual numero de
I
g i 3 e 1
M <
" O
1
3 1 a
i 3
:
I!
!?!f
|:i:
3
>
ao
>
O
O
>
1 1 1 I Masculino. 01- 1 e* 1 1 z > 3
1 1 ex 1 w 1 tn 1 1 # 1 I Feminino. o 1
1 1 to 1 li - 1 Masculino. M" 1 ^J 1 3) 55 g ri
.l-.l.'l.l. Feminino.
III 1 Masculino. M 1 1 >* 1 1 CO 1 n en
1 ^ 1 m 1 Feminino. r > <
Masculino.
Feminino.
CAHAR4 Jlt.MCIi'AL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 17 DE AGOS-
TO DE 1865-
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Preseotes os Srs. Thomaz d'Aquioo. Gustavo do
LFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBUgOS DOS GENEBOS SUJE1T0S A D1RB1TOS
DE EXPORTAgiO. SEMANA DE 25 A 30 DO HEZ DK
SETEUBRO DE 1865.
Mercaduras. Unidades. Valores.
Abanos.........cento
. caada
effeciiva, porque sendo a mulia acompanhada de dedicados membro".
priso por 2i oras, vacilla a ordem de quem deve ecorridos tantos mezes depois dos prmeiros
ser preso, se do Dr. chefe de polica, ou do Dr., posos dados para a organisacao do Monte Po,
! delegado, espera que a cmara Ihe esclareya para provavel que por diversas causas appareca algum
| saber dirigir-se. decrescimento no numero dos signatarios; peque-
Nesta oecasio sao lidos dous requerimentos de : no todava po.ler elle ser, se a todos dominar ain-
Maia Brito, um declarando que da existencia de j da o nobre pensamenlo de contribuir com o seu Agurdente de cana .
; sua fabrica nao resulta inconveniente a salubnda-1 bolo, afim de se erguer nesta provincia mais nm em restilada ou do reino
! do pnblica, e que s por despeito, alguem lera re- padro de gloria para os subditos portuguezes aqu [dem caxaca
. presentad reclamaco, mas que se por ventura se residentes verdadeiro padro de gloria, na reali-
Rego, Santos, Silva do Brasil, Dr. Villas Boas e torna necessaria a "elevaco do cano ou chamin, darte, porque as*uas sympathcas l^es sao a ca-
Pinto', abre se a sesso e lida e approvada a acta neuhuma duvida lera em cumprir o qudela ca- ridade ou amor do prximo, e o benecio mutuo,
da antecedente. Iniara fr detenninado. I uois aquellas que hnje concorrerem para alliviar
L-se o seguinte Outro dizendo que com quanto esiivesse con- os males de um consocio, podem amanha vir a
expediente. vencido de que oenhuin mal resultava a salubri- oecessitar do auxilio desse mesmo, qs na vespe
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, de dade publica da existencia de sua machina a va-: ra tverem soccorndo.
9 do corrente, responderlo ao da cmara de 23 por, visto como empregava e emprega nella so- \ Parece-nos conveniente que, apenas
mente o carvo conhecido pela donomlnaco do dos os estatutos
arroba
o

05
l
O
'i
Masculino.
Feminino.
TOTAL.
o
o.
sn
sanenona-
de jullio passado sol) n. 54 tem a dizer Ihe que, mente o carvo conhecido pela donominacao uo idos os estatutos pelo Exm. presidente da provincia,
era vista da iuformacao; junta por copia, do chefe Coke, alm de que soraente trahalha essa machina com ou sera modllieaces, a directora provi>ona
da reparlico das obras publicas, providencie no duas vezes por semana, e para nao deixar que prmuova urna reiinio de todos os nossos compa-
senlido de evitar que se faca deposito de lixo e corilioumn os p.anos forjados pela calumnia, apre tnotas, que j sao considerados como apelo, e mes-
despejos nos canos de que trata o =eu citado offl- senou-se requerendo um praso para levar a effei- mo dos que o nao forera aluda, e de bom grado
co, licando a raesma cmara certa de que auton- to a obra de um cano para expedico da fumaga, quizerem adherir ao pensamento da associaco, e
sava desde j aquelle chefe a contratar algumas e sendo Ihe marcado o praso de triuta das, tratou a todos communque oque a tem impedido de pro-
poiraenas obras accessonas com a empresa do cal- logo de realisar essa obra, e se acha hoje esse ca- gredir na marcha, que liavia encelado como lo fa-
caroenlo para melhorar as aberturas ou boceas do no coin 60 palmos pouco mais ou menos em aitu- voravel xito, e de todos solicite acnadjuvacao pa-
encanamento.Interada. |rasupe"rior ao sobrado n. 16, e apreseulando di- ra se poder conseguir que v avante, que se con-
Outro do mesmo, de 11 do corrente, dizendo que! versas reflexoes acerca da quaslo de que se trata, verla em urna agradavel realidade o Monte Po
annundo ao que solieitoo o con.->ul de Franca em conclue pedindo a nomeacao de urna commissao Portuguez.
offlcio de 10 do dito mez, convida a cmara para para examinar a obra e declarar se esta ou nao Coulie a directora provisoria que o seu appello
asistir no da lo do corrente a urna hora da larde realisada de accordo cora o que foi man lado. do ser baldado ; nao e-moreca, porque, quera
ao Te-Deum que o mesmo con-ul costuma iniodar! Posta a malaria em discusso, e tendo fallad"! o
celebrar na greja de Nossa Senhora da Penha. Sr. Gustavo do Reg, Silva do Brasil, Santos e Pi'i-
' to. resolveu se por lo que a commissao a quem
fra sujeita primeiramente semelhante, qoe.iiao, se
dirigisse ao lugar onde existe a fabrica, acompan-
hada do engeuheiro cordeador, o qual deve exami-
nar se o cano tem a iiece-saria solidez, e dsse a
mesraa commissao e elle engenheio o seu pa-
canada
i
>
arroba
ADVERTENCIA.
Na totaldade dos doentcs exstem 172, sendo 109
homens e 63 raulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das
Interada.
Outro do mesmo. de igual data, communicando
a cmara iiaver providenciado no sentido solicitado
em seu offlcio de 9 do corrente sob n. 57.-Inte-
rada.
Outro do mesmo, de 12 do corrente, conceden-
do a autorisaco ppdila pela cmara em offlcio de recer.
9 deste mez sob n. 58, para despender mais al o! O Sr. Santos pede dispenca de continuar a lazer
lim do correte exercicio com as custas em que parte da commissao, e nomeado em seu lugar o
decahe a jutica publica a qnantia de V.OOOsOOO, Sr. coinmeudador Aquiuo Fonceca.
vislo achar-se e-gotada a quota designada no art-! O bote de rap e mais objeelos remedidos pelo
go 2." 3." da le municipal vigente para occorrer hs-eal, sao mauados ao Sr. Vereador Pinto, para
a sernelhaotes despezas.Interada, e que se com-, examinar e dar o seu parecer,
municasse ao contador e procurador. Uotro oOkio do bseai da fri _
Outro do mesmo, de 14 do correte, recommen-' remetiendo o conhcimeoto da quanlia de noven-
dando a cmara que designe com urgencia o em- la e quatro mil quinhentos e oitenta ris qoe en-
prejiado qoe deve rei)uerer a especialisago da hy- tregara ao thesooreiro da Santa Caa de. Misen-
p uheca legal da fazeoda manicipil, nos termos do cordia, producto liquido que resullou da arreina-
4." do artigo 159 do decreto n. 3.453, de 26 de ?o de gado suino, apreheudido na dita freguezia.
espontneamente se mscreveu como socio,||no o
fez por >impl->s condescendencia, mas por conhe-
cer perfeitamente os grandes henelicios que a so-
ciedade ha de prestar, quando regularmente orga-
nsada : nao eram vantagens de o'-casio, liavia e
anda ha hoje as mesmas a colher, visto quede en-
tao para ca nada tem occorrido que lizesse desap-
parecer a neces-idade de dar impulso cretgo do
Monle-Pw.
Verifique se o numero real de socios com que se
pode contar. A verili'-acao a cobranca : para a
Simplificar e lomar mais rpida, m-orera-se com-
missoes, ou antes, sejam convidados a enrarrrgar-
Idem geHebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente ....,-
Algodo em caroco ....
dem em rama ou em lia
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado .
Assucar rnaseavado ....
dem branco.......
dem retinado......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha o diara, propria para
embarque.......
dem lina........
Caf bom .......
dem escolha ou restolho.
dem torrado......libra
Caibros........um
Cal..........arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) .
Carneiros ......
Carvo vegetal ....
Cavernas de sicupira .
Cera de carnauba em bruto,
jdem dem em velas .
Cha ........
CliaThtos ......
Cevados (porcos) ....
Cocos (seceos).....
Colla.......
um
arroba
urna
libra
abril docorrtnte anno, e comuiuuiquc a presiden- Inieirada.
As 6 1|2, 6 i|4, 6 i|S, l|2, 6 3^, 6, 6 l|4, pelo ca e ao Dr. juiz de direiio da I.* vara o nome do
Dr. llamos.
As 9 Irl, 9 li?, 9 l|4, 9 I(, 9 3|i, 8 l[2,
8 3|4, pelo Dr. Sarment.
Fallec-ram :
Francisca Maria da Conceicao ; tubrculos pul-
monares.
Mana Jos; enterit'! chroniea.
Marianna da Conceicao ; entente chroniea gan-
grenosa.
Maria Silvana da Conceicao ; tubrculos pulmo
nares.
Mana Liza da ooeeico ; gastro enterie.
CEMITBRIO PUBLICO, OBirUAUIO DO DA 24 DE
SETRMBRO DE 1805.
Jos Joaquim Pereira Man, Pernambu-i, 33 an-
uos, casado, S. Jos ; tubrculos pnlniouares.
Mana Jos de Sanl'Anna, l'rrnambuco. 74 aunos,
viuvi, S. Jos : inieriie.
Rosa Mana de Je-u<, Pernambueo, 98 aonos, viu- rada",
va, Recife ; bexigas.
Mana Luiza la Conceicao, Aracaty, 30 annos, sol
leira, Uoa-Vista
designado.Posto em discu*sao, resolveu-se desig-
nar ao procurador, e que se offlciasse a presiden-
cia e ao Dr. juiz de dlreilo da 1." vara.
Outro da cmara municipal da cidade de Goyan-
na, de 12 do corrente, dzeudo ter recebido cora
muito prazer a cummumeacao que Ihe lizera a
desia cidade, de haver o Exm. Sr. conselheiro J >ao
Lu-toza da Cunha Paranagua lomado posse do
cargo de prndente desta provincia para o qual
fora nomeado por carta imperia
timo.Interada.
se della ospropnos cavalheiros que solicitaran! as-
! signaturas. Sao as pessoas mais competentes para Couros de boi, salgados.,. .
Outro oOkio do fiscal da freguezia de S. Jos, SS0| f estamos convencidos que a sociedade lucra- dem dem seceos espichados
r com a adopeo de tal medida, porque miguen) 'dem dem verdes .
se recusara certamenle aprestar ao Monte-Po dem-dem cabra cortidos .
mais um bom servico, que o complemento indis-. dem idem de onca .
pensavel de outro j prestado. j Doces seceos .....
Devidameule encaminhadas as cousas, de toda i dem em gelea ou massa .
a probabilidadequM renasgao fervor, o enihusias-i dem em calda .
Outro do fi.-cal da freguezia da Boa-Vista, inj r- mo que em sua fundacao acolheuo Monte-Pto Por- Espanadores grandes
mando o reque.rimento, no qual Anna Francisca do tugue ; e por isso continuaremos, j a pedir II- dem pequeos
Souza, pede Ihe seja permittido fazer um lelheiro |u.>tre directora que prosiga desassnmbrada na afa-
para guardar matenaes uo seu terreno ua Tra- D05a tarefa, que Ihe foi commelda, ja a chamar
vessa do Pombal, declara nao haver aconveniente i sobre lo importante assumpto a alteuco de lodos
em se conceder a lic.enca pedida.Concedeu-se. aquelles que d--vem interessar-se psrque elle nao
Outro do mesmo, informando o reiiuerlmento, fique em tmbryo. Dados os prmeims passos, nao
em que Guilherme Joaijunn da Silva Braga, pede| se aese mas recuar. Avante I um empenho de
iiceaga para edilicar urna pequea casa dentro do honra qoe nece-sariamente tem de ser sati-feilo ;
seu sitio j murado na estrada de Jou Fernandos' p0j? qUe despendemos tanto diuheiro (a quem nao Fumo em tolha, bom
da 7 de julho ull Vieira, diz parecer-lhe justa a preleoco do sup-1 acontece Isso ?i improductivamente, appliqoemos : dem ordinario ou restolho
pilcante.Conced-u-se. urna diminuta quantia creacao de urna socieda-! dem em rolo bom .
cento
nm
cento
libra
>
um
9
libra
um
14500
800
800
400
800
900
34650
14.V40O
14500
246d0
25000
34500
54120
24000
14600
14000
14200
34000
74000
64400
64000
440
360
280
500
34200
44000
14000
34000
300
300
14500
24300
155000
44000
600
155
240
100
350
105000
14000
320
500
45000
25000
Esteiras para forro de estivas
de navio........
Estopa nacional .....
Farinha de de mandioca .
dem de araruta ....
Feijao de qualqucr qudlidade .
Frechaes .......
cento
arroba
alqueire
arroba

nm-
arroba
Outro da cmara municipal da villa do Cabo, coi! uiro uo mesmo, informando o requerimeoto, |e( ljUe nuj ampare as vuissitudes da vida, e
12 do corrente, acensan lo o da cmara de dade, fica sciente de ler o Exm. Sr. conselhei*- que se Ihe seja concedido edificar tres casas eom I neHcios sobre as viuvas e orphaos, que ds outra
Joo Lutoza da Cunha Paranagua prestado jurp- 12 palmos da largura cada urna na estrada da Ta- forma dexariamos sem proteego.
ment e tomado posse da admiuistracao de^ta pro- caruna, declara nada ter .pie oppor a preteocao Um lusitano.
viooia, como presi lente para ella nomeado por do sappiicaolo, urna vez que obtenha elle cordea-
caria imperial de 7 da jjlho prximo findo.lotei- fo.Maudou-se coidear.
O Sr. Santos, membro da commissao encarrega-
dem ordinario ou restolho.
Galliuhas......
Gomma........arroba
t
urna
-----, ga-tro interita.
qiiiin Lopes de Almeida, a alfares o sr. Honano Maria snveria da Gmceico, Ptrnamboco, 13 an-
Jo-e de Miran la. nos, solleira, Boa-Vista ; luberiinlos polmanares.
Ali-taram-se 00 9* corpo de voluntariosios j Josepnina da Costa Carvalho, Pernambuco, 22 an-
Srs. Jos ToHinoteo da Silva Jnior e Jos Hdelis ; | nos> rj0va> Boa-Vista ; plilliv-ica pulmouar.
e 110 6o os Sis. Loureuco de Huite e_Benedicto Te-( Franeisca Anglica do Sacrameoto, PernambQCO,
60 annos, v.uva, S. J-; phthysiea pulmonar.
M.na Antouia, Afnea, 70 anuos, solleira,escrava,
Saulo Antonio ; deanha.
Aotooia, Pernambuco, 30 annos, solleira, escrava,
Sanio Antonio ; hapalile clironica.
Thereza, Pernambuco, 73 annos, solteira, escrava,
Recife ; ttano.
24
Manoel, Pernambuco, 18 mezes,'Recife; bronchite.
Outro do director da reparlico das obras pobll- da dos negocios do cemileno desta cidade, apre- Ch
cas, coinmuuicaodo que, tendo concluido a obra seutou um offlcio em que o respectivo administra-1 reme
necessaria para esgoto d.is aguas da ra do Lima, dor Ihe commumeara que a pnmeira casa aoj fazer
merimens, Pedro os, Jos Noves Brrelo da Sil
va, II -rmiuo Alves da Cruz a Francisco Ferreira
do Mello.
Por acto de honlem, S. Exc. o Sr. eooselhei-
ro presdeme da provincia, resolveu marcar o da j
28 .lo crrante para ter lugar ua igreja de N. S j
di Coneeico dos Militare.", a ben^ao da bandairaj
oir^itada ao 1 corpo de guardas naciouaes desta-1
cados par/, o servico de guerra.
o dom.'ngo as 10 horas do dia, o Exm. Sr.
presidente conselheiro Paranagua", coinpauhado de ,
su. excellenlissima familia, do ar. desembargador
provuli.r da Satita Casa de Misericordia a dos Srs.
mordomos Pmho Borges, Pues Ferreira, Antonio
Runos e Pereira deParias.a-sisliram a urna missa
do ivcoliiiineiilo de Santa Tiicreza da Olinda, a ao
casamento de urna orpliaa d'aqneile recolhimenio. 1
D p'HS disto, o Revd.u. Fr. Camillo abenQoou a
quatorze quadros destiaados a Via Sacra, '
bella.-, teilas uovamanta collueados o'a.piella igreja,
rezaudo-seeuto as oracoe do esiyllo, e ollenceo-
do s a iuleuc do fallecido moiiarcha o Sr. D.
Pedro I A oraco foi recitada a ouvida com de-
vocao e recolbimento, entoando as collegiaes nesta
oecasio sob a direceo da irmas de caridade a,
Ladainha.
Fioda a solleinnidae, S. Exc. e sua excellentis-
siim familia acoinpanbados do Exm. Sr. provedor
e mordomos, digoaram-se da percorrer o grande
editii-io, parando sm-ute para lonvar o asseio e
oid-'iu que ali observavdin qur as sala de tra-
badlo, 1 ...uparla e refeilorio.; ijur na enferinaiia,
dormitorio, sala de e-tud... cozuha dispensa etc.
Na sala denominada tirtiro, S5. Excs dirl-
giram palavras d'attaueao
que ns recebiam como a seu
E' urca confessar qua
cargo e a tarafa, qua Iba ar
ta Casa de Misericordia, a cargo de quera se acham j
os estabelecimenlos de earidade, sendo oslo devi-'
dameiite secundada pelas resneitaveis irmas de
cand-i'ie que, apar da estrela disciplina que,
observara, reuue.n hondada e affabilidade de var-'
dadeiras mes, e solicitule de coraces bem for- ,
nadas.
Gbiran hontem pela madrugada duas pe-1
qiu-m- oasas de madeira, drs.-as que existen) dan-
tro do largo da anliga
(IlliOMW JtlH'JlAKU
TRIBUNAL I V llll.Vl to-
SESSAO DE 19 DE SETEMBRO DE 1865.
PKESIE.NCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargados Gitirana, Loorenco Santiago, Al-
meida Albuquerque, Ifolta, Assis, Doria, Guerra
procurador da croa, L'eha Cavalcanti. Douiin-
gues da Silva c Barros Vasconcellos, fa.tando o
Sr. desembargador C. Santiago, abrio-se a ses-
so.
Passados os feilos, deram-se os segrales
JLCAMENTOS.
Apitctaces crimes.
Appellante, Ignacio Jos dos Santos; appellada,
a ju-iiea.A oovujury.
Appellante, o juizo ;
Mouteiro.A novo jury
s falta a abertura de um reg de dous palmos de
largura e cinco de altura pelos terrenos pertenen-
les a Jos Goncalves Ferreira da Costa, o qu,e nao
po le mandar f.ter por l-r encontrado opposieo
da parto do proprielario, paasando ser n'ns con-
veniente que a cmara mandasse o fiscal da fre-
guezia da Itoa Vista proceder a este trabatho, roga
une se digne ella tomar isto em consideraco. j
Posto em discussio resolveu-se maular ordem ao]
fiscal nesta sentido, e coramtioiear ao dito director
da reparlico das obras publicas.
Oulro da direcgo do gabinete portuguez de lei-
tura, convidando a cmara a asistir no dia 15 do
correte, as dez horas da manha, o aniversario
da iustallacao do mesmo gabinete.-Interada.
Outro do' bacharel Joo de Barros Pal CO de Al-
baqoerqae Maraohio, proprietario "la lypograpbia
republicana federativa universal, parlicioanlo ter
novameote aberto a mesma na loja do sobrado n.
35 da ra do Imperador, onde pretende fazer
qnaesqoor publicaedes, nao s de peridicos, co-
mo de obras avulsas Posto em dscusso, resol-
veu-se declarar ao dito bacharel que se dingisse a
secretaria para a-signar o lermo do responsabilida-
de exigido pela le.
Outro do contador, trazando ao conhecmento
da cmara que o actual systema de escripturaeo
da reparlico a seu cargo precisa de alguns melho-
e de melhor fisca
Ipecacuanha (raz)
: Lenha em achas
I Toros ....
Lnhas e esteios .
Mel ou melaeo .
Milho ....
Papagaios .
Pao Brasil .
dem de jangada.
Pcdras de amolar
dem de filtrar
Pastilhas -ermifusias de Kemp.
ClIAMAM 'S A ATTENQAO DE TODAS AS MAIS para 0
dio mais agradavel e til que se coiihece para
expelr as lombngas : as pastilhas vermi-
poente, onde residen) os dous coveiros, Falippe I fugas de kemp. Em vez de lodos esses Inmundos
Santiago a Manoel dos Santos, aquello sopplica a I e perigo-i.s remedios vermfugos, corapo.-tos da to-
preferencia para continuar habit i-la, pagando i da a casta de mineraes, apresenlainos um de'i'cio-
85UO0 raensaes: e quanto a segunda ao uascenle. I so confeito vegetal promplo e inrallivel na sua ope- j,,,,, de rebolo
aciia-sedasoccupada, podando des leja ser aiuga la ra^io, nao eausando nauseas nem enconiinod.is de pjassava........
excepto o gabinete que, a mesma ten) independen- qualidade algnma, produzindo sempre o seu elleilo p0U[as ou chifres de vaccas ou
te, e onde elie aaninistrador mandou guardar os d'uma maneira suave e completa, nao carerendo novlhos.......
aliares, estrados a outros objectos necessanos ao de,.ois a assislencia de qualquer oulro purgaute : | Y>,-anchoes de amarello de dous
u-o da capella em o dia de tinados servrado tara- til como ura excellente mam de fazer remover as j custados .......
bem para os empegados nelle. jautarem. i obstrucijd-'S do ventre, mesmo no caso de nao exis- (dcm de |ouro......
O Sr. Sanios em visia desle offlcio, declara ac- lirem vermes alguns, e finalmente tornam-se ellas Ra.........
mar .jue hava concordado que se allugasse a dignas por todos os respetos da confianca e appro-1 Sal)rl0.........
primeira casa de que sa trata pela quautia de 84 vacao de todos os pas de familia, os quaes acharao: Sa)
dando o ioquilino a compalenta liaoca, a quanto a estas pastilhas elegantemente acondicionadas den- gaIsa
>
cento
>
um
caada
arroba
nm
quintal
um
urna
.ino
155000
15600
14800
45000
25800
35000
145000
85000
850f.O
55 600
25500
235000
25000
115000
6|000
240
15500
34O0O
54000
55000
800
45000
15000
120
cento 35300
ura
libra
segunda, qua se acha desoecupada, se deem as
ordens convenientes para ser alagada.
Po.-to em dscusso o exposto, a cmara con-
corden com a resolucao tomada pelo Sr. Santos, e
mandou expedir ueste sentido as mcessarias
ordens.
Presura furamento o fiscal nomeado para a fre-'
guezia de Jaboatao, Jos Antonio de Albuquerque l
Pedresa.
Despacharam-se as pelces de Antonio Joaquim
Salgado, Antonio Ramos, Dr. Aulonio Pinto No
guaira Aecioli, Andr da Abreu Porto, Anna Maria
Lupas Amerco, Dmaso Antonio da Alcntara,
conselheiro Firmino Anuraio de Souza, Francisco
de Rarros Cona (2) Fraocisco da Silva llego,
tro de frasquinhos de crystal, e venda as boli
cas da Caors <5 Barbosa, e de Joo da C. Bravo
&C.
ramelos para ser mais regular .
lisaco, e radicando quaes sejam tsses melhora-i Francisco de Medeiros, Francisco de Paula Peixe,
metilos, conclue pedindo desculpa se nao merece- Francisco Igoacio Tinoco de Souza. Dr. Gerva rem approvaco.- Posto em diseusso, mandouse; G-.ncaives da Silva, Dr. Joaquim d'Aquioo Fonce-
remetier a cnmisso de polica ea, J.is Ignacio Pereira da Rocha, Jos Tiomaz
Outro do adv.igado, communicando o seguinte :; Cavalcanti Pessoa, Joaquim Jos Pereira Alhandra,
appellado Jo Custodio Io ter sido expedida a app.llaco nos autos de ac- Jos Cordeiro do Reg Pontes, Jos G.mcalves
cao de obra nova contra o c .mmendador Joo Pin- i Ferreira Costa, comm.-nlador JoAo Pinto da Le-
A jarubrba.
As virtudes therapeuticas da jurnbeba sao desde
muito condecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tralou Pisn em sua excellente obra Historia na-
turalis et medica India occulenlalis. seuo as
Antilhas, onde o sueco das folbas e fructos como
aqui, muito estimado e appbcado coulra as obs-
Iruceoes abdoininaes, principalmente do ligado e
bac; e se todos os facultativos desta provincia o
n applicam cora frequeucla, isto se nao deva a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as estacoes d.i anno os frucios dessa planta, e re-
pugnancia, que apres-niam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
Isa parrilha.....
Sebo em rama .
dem era velas .
Sola em vaqueta. .
Tahuas de amarello. .
t diversas .
Tapiocas.......
Tatajuba......
Travs.......
Unhas de boi .
Vassouras de de piassava
ilas de timb .
Ditas de carnauba .
>nagre
205OOO
105000
15OOO
, 120
alqueire 400
arroa 254000
, 55000
> 75000
urna 24000
duzia 1404000
ra da florentina Resuibra disto Bcarera grave- j App. liante, Jos Marcelino Alves da Fonseca ;
mente contusas duas pobres nonecos que ali mo-! ppallada, a fazenda.Desprezarara-se os embar-
ravain, escapando tres cnangas por lerem corrido Bs
Appellante, Joo Cleofas de Lemos Vasconcel
apenas curaecaram a estalar as madekas.
Segundo nos informaran), at a tarde, smente
tinna ali comparecido o Sr. Bruno, inspeelor do Desprezarara-se os embargos.
quarteiro; que, juntamente com o Sr. Coirabra,
embrazarlo Santa Iab> I, presiaram os soccorros
urgeutes, mandando este vir um medico para re-
ceuar as victunas do desastre.
Palo exarae a que procedemos, reeooW.emos
hav.-i em ali aieda outras casas en circumstancias
da ^baterem qualquer momento, e por isso ha*
mamo-, a attencae da autoridade compleme, para
qua providencie de forma a evitarera-se novos
desastres.
Hoje o agent tmoes far leilo de couros de
lu>tra, movis, ooro, elogios e urna escrava anda
moca e honesta ra da Cruz n. 57 as 11 horas.
Passageiros do vapor inglez Amazon, vjndos
de Liverpool por Lisboa ;Luise Wiliura, Flwe-
lyn J'.n.'S e Ildefonso Silva, Janes Thouson.
Passsge-iros do hile brasdeuo Exhalacao.
vindo do Aracaty :Vigaro Luiz Pereira Pinto de
Lese 1 escravo, Telmo Pafaira Piolo da Lemos.
Passageiros do brigue p-.rtuguaz Constante
II, ntr do de Lisboa :
D. Luduvraa Rita da Cmara a urna Ulna, Julio
Osar de Oliveira, Ballhazar Marti/iez, Manoal Ga-
lano de Alraeida, Awionio Paz, Joa^u m Fernandas
ser extreinainenle amargo.
A jurnbeba nao desi-ounecda dos botanistas :
Appellan:e, o promotor ; appellado Guilherme to de Lemos, interposta pela cmara, traz ao co-j mos, Joo M-ndebou, Joaquim Barboza de Oiive I esta plaa pertence a familia das solaneas, etem
Antonio de Siqueira.A novo iury. nhecimenlo da raesma para que, determine se deve! ra, Jos Antonio Bastos, Jos Joaquim da Costa a denommaco de solanum pamculatum, que Ihi
'' foi dada por Lyneo.
Pareeendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o raais era-
pregado, nos propozemos e couseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoollco que pode sei
applicado em pilulas, raas tambara ura vinho, um
xarope, e ura emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos qut
com isto prestamos um servico a humaoidade e a
hterapeu.ica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coeco das raices da jurnbeba, e Mral e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizeO) que as Ao'ilhas se faz uso do sueco
dos froi-tu%maduros dessa planta contra o catar-
rho vesicaP; e a autoridade dos oonies desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos lava a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nusso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputaco da jurubeba tal, e os resultado:
therapeulicos obtidos ltimamente sao lo impor
lautos, que nos parece intil dizer mais do qut
isto, que Rea escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
Appellacoes civeis.
Appellante, Andr Pires Visgueiro da Albuquer-
que ; appellado, Jos Felippe Bezerra de Menezes.
D-spiezaram-sa os embargos.
Aupellantes, Manoel Goncalves Agr e seus lia- mar para o seguimeolo da appellacjlo, e provi-
dores 5 appellada, a fazenda. Receberam-se os denciara a respailo. Posto em diseusso, resolveu*
embargos. se quanto a 1.* parte, que se conultasse ao advo-
Appellanles, Firmino Theotooio da Cmara San- gado se a cmara desistindo da appellaco acerca
tiago e outro ; appellada, a fazenda.-Desprezaram da questo do commendartnr Joo Pinto, Ihe irazia
coiaira de cavallaria, na os embargos. isto alguma respsnsabildade; quanto a segunda
vista por parte da cmara, os autos em que litiga' Carvalho, Luiz da Silva Ferreira A C, Luiz Flo-
ella com a irmandade de Sao Pedro de-aa cidade. I nano Pereira Braga, Manoel Fnrtuoso da Silva,
3.*, que Oca inteirado da haver Bazilio Alvares; D. Mana Veuancia de Abreu Lima Bastos, Manoel
de Miranda Varejo mandado citar a mesma ca- da Silva Santos, Maooel da Silva Ferreira, Manoel
Pereira Lemos, Manoel Mar.|u-s d Oliveira & C
Manoel Francisco da Souza Magalhes, Porliro An-
tonio Feroandes, viuva de Mauoel Jos de Jess
Joo Cleofas
appel ado, Simplicio Jos
de Andrade.
Habeas-corpus.
que, sendo aeeeesam ter na corte quem procuras-
se o andamento da questo com a irmandade de S.
Pedro, poda esta cmara incumbir a d'alli este go.- Mlva do Brasil.
negocioe quanto a 3.'Interada.
Outro do cdado Lourenco de Al nquarque
Mello, aecusando lar recebido o offlcio em que Ihe
mandara a caraira commonicar ter sido nomeado
Amerecico.
Levaotouse a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem secretario
a suhscrevi. Pereira SimSes, pro presidenie.
Sanios.Dr. Villas-Boas.Piolo. Fonceca.Re-
Foi comedida ordem a Francisco Lopes de Sou- fiscal supplente da freguezia do Recife, declara
za, para a sesso de 23 docorreute, as 11 horas do
dia.
Prorogacao de inventario.
Mandou se juntar d.cuiiieuios a que pedio Jos
da Silva Cysneiros Guimares.
DESIGNAgAO DE DIA.
Assigoou-se dia para julgamento
tes :
Appellacoes civeis.
nao Ihe ser possivel arceitar o dito cargo em con-
seqnencia de seus mnilos afazeres commercises,
que o mhibiro de bem serv lo.-Interada.
Oulro do fiscal do Recife, participando ter mul-
tado de conformidade com o artigo nnico da postu-
ra addicional de 21 de maio de 1835 a Bailar &
das seguio- Oliveira, por estarera edificando tres moradas de
casas terreas no caes do Apollo enm SO palmos de
largura cada urna, sendo que a licenca para sem
da Suva, Manoel Fooiavuca, Miguel Cllde e Jos larmino Gomes de Moura.
Campana y Barros.
Repartiqao pa policia.
Bttraclo das partes do dia 22, 23, 24 e 25 de se-
tembro de 1865.
K. 1.H11 recolhidos a casa de detenco no dia 21
d.' crranle :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. uhefe da polica, Pran-
isi-o da Souza Frrz, para correeeio.
A' ordem do Dr. delegado da capital. Jos Rufi-
Ou i/.nvii de lizeira, por e-paii"'amento,
A' or-Jem do ubdetagado da Capunga, Bruno
Jos de Sanl'Anna, para rorreceo.
- 22 -
A* ordem do subdelega |o do Recife, Benedicto,
e-cravu de Manoel Luiz dos Saqln, a requer meo
lo "1 ste.
A' ordem do de S Jo-. Man >"l Augnsto Nepo-
muciio, e Manoel Benedicto, por desturuios.
Appellante, Gaspar Cavalcante de Albuquerque Ihaote p.rtifie.co fora concedida a Joaquim Fran-
iclioa ; appellado, Joao da S Albuquerque. elscj Collares para duas casas terreas com 30 pal-
Appellante, D. Joanna Maria das Dores ; appel- mos cada ama, e nao aos ditos Bailar & Oliveira
lado, Dr. Augusto Carneiro Mouteiro da Silva para tres coa. vinte palmos oitoes singellos. -lo-
SaTos. teirada.
passagbns. Outro do mesmo, participando haver procedido
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr. nos dias 10 a 15 de abril, e 17 p 23 de maio ulti-
deerabargador Alraeida Albuquerque mos, com o facultativo Jos Antonio Marques, a
As appeWces civeis. quatro corridas anuarias, pede cmara qne se
Appellaote, D. Mara -ancha da Conceicao Ca- digoe mandar nagir ao referido facultativo a quan-
va lea o te ; appellado, Dr. Joo Francisco de Arru- Ha de 244000.Qa* o xootador passasse man-
ila Falco. dado.
Appellante, Antonio Alves Moniz; appellado, Bel- Outro do fiscal da fregnazia de Santo Antonio,
Informando contra a petico em qm Jos Joaqom
DoSr. desembargadiir Almeida e Albuquerque ao da Costa Maia se qnaixa de ha var nido multado
Sr desembargador Moua
A atraeiiaeo civel.
Appellante, Gaudeueio Goncalves Chaves ; ap-
pellado, Antonio Gomas da Silveira.
A appellaco enme.
Appellaote, o juizo ; appellado, Jos Moreira da
Silva.
Do Sr. desembargador Motia ao Sr. desembar-
gador Assis
A appellaco civel.
Appellantes, Jos Rabello Padilha e ootros; ap-
pellada, a fazenda.
A revista, civel.
flecorreote, Bernardo Ribelro ffnnes ; recorrido.
Joo Be.rnardino Nogneirs da Souza.
Do Sr. desembargador Assis aoSr.desemn2r8a"
dor Doria
por conservar em frente de soa casa sita r.ia do
Imperador n. 32, urna porcao de area liara a obra
que pretende fazer na mesma casa, nao tendo an-
da obiido licenca, pede que seja exonerado da
multa, e se Ihe conceda depositar na ra o mate-
rial preciso para a dita obra.
Posto em discussio, resolveu-se permittir a li-
cenca, pago o respectivo Imposto, e exonerar o sop-
piicanta da multa, commonicanio-se isto mesmo
ao fiscal.
Outros (2) do mesmo de 15 de jnlho e 9 do cr-
rante no primeiro commnnica ter se dirigido a fa-
brica de corlar fomo perteocente a Anlonl i Mais
de Brito, sita a ra larga do Rosarlo n. 21 para
verificar conforme daoancion om dos j irnaes des-
la c dade, denominado a Ordem, se era exacto que
Monte-Pio Portuguez.
Pouco antas de se retirar para o Ro de Janeiro,
o Illm. Sr. Dr. Jos Henriques Ferreira, ex cnsul
de Portugal nesta provincia,convidou ella para urna
raunio no Gabinete Portuguez da Leitura o* seus
compatriotas, e nessa oecasio ficaram laucadas as
bazes para a organisacao de urna sociedade benei-
cenie, que ti vesse por flm prestar a seus membros
o necessario auxilio, amparndoos e favoreceodo-
os contra os azares da sorle.
a dea, de si excelleute, foi fervorosamente ap-
plaudida. Elegeu-se urna directora provisoria pa-
ra confeccionar us estatutos da associag.. (que lo-
mou o oome de Monte Pto l'ortuguez), e dar-lhe o
Impulso convenanle ; e gracas aos bous esforcos
erapregados, e a inamfe-u utilidade da idea, as as-
signaturas, segundo nos consta, era brava lampo
cnegaram a oerlo de mil, numero este summamen-
te lisongeiro para o comee) de urna sociedade, se
o compararmos coin o numero OV memhros de ou-
tras ja ha muilo lempo establecidas. Organisaram-
a os estatuios que foram approvados em assem-
bla geral, e depois submeilidosasanccodo Exra.
Sr. presidente da provincia. To boa f-ico lava
vam as cousas que, sem ser optimista, se poda as-
segurar o npMo incremento da sociedade: infe-
lizmente, apenas creada, entrn em urna phase de
-spectaliva intairaro-nta contraria a vida animada,
de que coraecara a dar to auspiciosos siguaes.
A presidencia opuoz llovidas approvaco dos
e-(Hiiiios na sua integra : e, segundo somos infor-
mados .'mproflcuamento se tem desde ento passa-
do o lempo, envidaudo-se meras da conseguir a
desejada approv?o sem resinccde-, que se dizera
baseada em ama l* do paz. g.ja coran fr, pare-
ce que a directora ,Tovoria, ja desengaada de
nao poder obler o alluu.'do desidertum, abinette-^
se s exigencias lgaas, e pois, de esperar uue
COMHE&^IO.
PRACA DO RECIFE.
l'oiavts offlciaes.
25 de setembro.
Acg5es do novo banco de Pernambuco 200)000
por cada urna.
Algodo primeira sorlo 164000 por arroba.
Algodao segunda sorle14j000 por arroba.
Cambio sobre Londres 90 d/visla 24 5|8 e 24
3|4 d. por I9OOO.
Frete da algodo para Liverpool3/4 e 5 00 per
libra.
uubourcq Jnior,
Presideute.
Guimares,
Secretario.
Gaixa filial do naneo do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Bahi.
liovo banco de Pernam-
bnco.
0 banco descoma letras na presente semana a
U por cento ao anno al o prazo de seis mezes,
v#vo Bamo de Perimmbneo
O Novo Ban o paga o dcimo utiinto
ia r .1.111.-, ue11001.11a.il. a uiaem, se era exacto que se as exigeucias i"gaes, e v, \nn-, o "f. o dito Maia m4Dufaciurva na mesma fabrica ra- em breves diasflquem os p8?iutos saBccio.iied.os pe; viaenuo na razao oe* por ac^ao.
di-
, 874000
arroba 34000
quintal 24000
urna 64*10
cento 200
104000
, 84000
64000
caada 500
Ail'audega de Pernambuco, 23 de setembro 16
1865.
(Assignados):
O l. conferente, Joaquim Aurelio Wanderley.
O i." conferente, Cicero Brasueno de Mello.
Approvo. Alfandega de Pernambuco 23 de se-
tembro de 1865.A. Eulalto.
Conforme. O 3." escripturario, Godofredo
Menriques de Miranda.
IIECEBEIJORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia i a 23...... 26:053^559
dem do dia 25................ 2:6174080
29:570J639
CONSULADO PROVINCIAL.
hendimentodo da 1 a
dem do dia 25......
23......
31:8714398
13:7094251
45:5804649
MOVIMENTO DO POETO
Navios entrados no da 24.
Rio Grande do Sul por Macelo32 dias do primei-
ro e 2 do segundo, patacho nacional F, de 169
toneladas, capitao Joan Hyppolito do Canto, equi-
pagem 10, carga 8,100 arrobas de carne secca ;
a Jos Baptista da Fonseca Jnior.
Lisboa 37 dia-, 'brigue portuguez Comanle II,
de 252 teoeladas, capitn Eugenio Jos da Costa,
equipagem 12, carga vinho e outros gneros ; a
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho.
Liverpool por Lisboa 24 dias do primeiro porto a
17 do segundo, vapor inglez Amazonas, de 528
tom-lladas, capitao W Ihamson, equipagem 23,
carga fazendas; a Saunders Brothers 4 C.
Aracaty 11 dias, hiale brasileiro Exhaliaeo, de
35 toneladas, capitn T-ajano Amanes da Costa,
equipagem 5, carga algodo e outros generes :
Jos da Silva L-no Jnior.
- 25
Nao houveram entradas nam sabidas.
Obse vacao.
Suspenden do lamaro para o Rio de Janeiro o
patacho inglez Edith, capitn Ried, com a mesa
carga que irouxa de Liverpool.
DECLUAvSES.
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
A Illustrssima junta administrativa da Sania
Casa de Misericordia do Rec.fe maod fajer publi-
co, que no da 28 do crranle, pelas 4 tior da
tarde, na sala de suas sessoas, lea de ser arrema-
lado o foinai'iiiieiiio dos gneros em seguida de-
clarados, qne houver de consumir os itveraeees-
(abelecimanies pos cargo 4 mesma Saeta Casa
00 trimestre de outubro a dezeobtu roiirao te-
luro, a saber:
Estabelecimenlos de caridade.
Manteiga fraoceza, libra
Caf en grao, idem.
Cha pretil, idem.
Cha hyssen, idem.
Assucar refinada 1* sorle, iderav
Dito dito 2* sorle, ident







wmmmmmm
Diario de e rnaiubuc Terca eu* 5 Je Seieinbro de !&&.

Dito em tonio sorte, dem.
Arroz pilado do Maranliao, dem.
Toucioho de Lisboa, ideui.
Bacalhii, idem.
Tapioca, idem. -
Alejria, idem.
Carne secca, idem.
Sabo amarello, idem.
Fbws, idem.
Velas de carnauba, idem,
Ditas de espermacete, idem.
Farinhade mandioca da trra, alqueire novo.
Feijao mulatraho, idem.
Vinho tinto de Lisboa, garrafa.
Dito branco de Lisboa, idem.
wVfiagre de Lisboa, dem.
AgoMdwite branca, idem.
Aiette doce, idem.
Dito de carrapato, idem.
Ceblas, cento.
Prelo, sacca.
. Carue verde, libra.
Bolacha, idem.
Pi, idem.
Collegios de orphos.
Maulera franceza, libra.
Assucar refinado 1* sorte, idem.
Dito dito 2* sorte, idem.
Cafe ero grao, idem.
Cha hyssoo, idem.
Arroz pilado do Maranhao, idem.
Bacalhao, dem.
Batatas, idem.
Aletria, dem.
Toucinho de Lisboa, idem.
Ceblas, cento.
Paitaba de mandioca da trra, alqueire novo.
.Feijao mulatinho, idem.
Azeiteduce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal, cuia.
I. -nlia em-achas, cento.
Carne verde, libra.
Dita sei-ca, dem.
Bolacha, dem.
Pao, idem.
As proposlas devem ser especiaes j para os es- tembro de 1865.
taliel*eimenios de raridad* e j para os collegios;
sao lambem aceitas propostas soraente de carne ----------------------
verde on de pao e bolacha para consumo dos hos-
pitaes Pedro II e dos Lasaros, e para a casa dos
Aspestoa.
Bei'ommenda-se aos concurrentes que obser-
vem em anas propostas a ordem, pesos, medidas e
cualidades indicados na relajo dos gneros des-1
crintos nesteedilal.
Nesta secretaria se daro os esclarecimentos de
jue os concurrentes precisarem, e no acto da arre-
malaco devvro elles comparecer com seus fiado-
Arremaiacdo.
No dia 26 do crreme, na praca do juizo de or-
phos, depois da referida audiencia, tera de se ar-
rematar urna escravioha d idade de 7 anncs, a
requerimento de Narciso Jos da Costa Pereira,
como tutor dosrpeuores filtras do fallecido Jos
Francisco de Ma.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazeuda desta provincia se faz publico que
no dia 3U do torrente me/, as 3 horas da tarde,
perante a junta da mesma Ihesourarla, irao a pra-
ca para serem arrematados por quera mais der os
| medicamentos, drogas e utencilios do extracto hos-
I pital militar, constantes do inventario que sera'
i apresentado aos licitantes. As pessoas a quem
convie- a sobredita arremalacao. devtro compa-
recer oa referida thesouraria lio dia e hora indi-
; cada.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pemam-
! buco 23 de setembro de 1865.
Servindo de oflQclal-maior,
Manoel Jo Pinto.
Consulado provincial--
O administrador do consulado provincial mauda
publicar para conhecimento dos devedores dosim
p >stos cobrados por laocamento pertencentcs ao
exercicio rindo era liquidado de 1864 a 1865 a
portara do Sr. inspector da thesouraria provincial
em que ordena que o pagamento de seus dbitos
s podero ser elfeetuados at o dia 30 do correnle
ao meio dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 12
de seternbro de 1865.
Antonio Carm-iro Machado Ros.
Portara.
O inspector da thesouraria provincial recommen-
da ao Sr. administrador do consulado provincial
'que faca annunciar urna e mais vezes, que o pa-
1 amento dos Impostas do exercicio prximo lindo
em liquidacao, s ser admettido al o rneio dia do
dia 30 do carreute mez, para que as duas horas,
ao mais lardar, e.steja recolhida a renda que se
hmiver cobrado alesse dia.
Thesonrana nrovincial de Pernambuco 2 de se-
trala-se com os seas consigna!rios Antonio Luir,
de Oliveira Azevedo & C, no sen escriptorio ra
da Cruz n. 1.
UILOSS.
LEILAO
De 50 sacco com cale do Rio.
IIOJI .
O agente Pestaa far leilao por conta e risi
A Henead,
A redar-gao oCorreio do Recife. declara aos seas
benvolos assignanles qoe inda nao mandn re-
ceber de nenhom'felles asalgrtalura do segundo
semestre do mesmo Cofrio,' que portanto nao pa-
guem a ninguem que Ibes apreseute recibos ma-
"Cf'.J, pois que nao sao por ella autorisados.
Entretanto como a redac?5o saiba que alguos
destes recibos lem sido pagos, pede encarecida-
mente a quem os tenfia que os mande presentar
no escriptorio do dito Crrelo, ra do Imperad
o. 79, para que tejam trocados por oulros impres
sos, visto que ella atlendendo a boa f que presi
dio a estes patramentos, i5o duvida leva-Ios em
GUROS
- MARTIMOS
- CONTRA FOGO. p
SE; A Companbia Indemnisadora 5RBX~K8?
resi- establecida nesta praca, toma seguros martimos ps> .,ara 0 qUe necessario encoui
emqumamaC|oos8- terc^feira 26 do borrante dio a este* pastamenlo.*, i5o duvida leva-Ios em sobre navios e seus campamentos e contra fogo'em
pelas 10 horas "da manhaa no armazem do Sr. Aze- e?' c-mo se fo5Sei" fevidamenle autorisados. edificios, mereadorias e inoi-ilias; no seo escripto-
vedo defronte da escadinha da alfandega. No becco do Marisco o. 10, ha urna seuhora i J0>raa do Vigario n. I, pavimento Urreo. _
_ -,_ a* a ^ue 'az vestidos da ul'ima moda e cose rou^as de Na roa da Florentina n. 36 preparare coml-
Sl111.j VO alfaiate com presteza e preco commodo : quem
De 1 mobia de amarello, 1 actuario de jaca- E*** ew lem.______________
randa', 1 mesa elstica, 1 toailete, 1 commoda, 1 Perdeu-se urna pulseira de ouro na noite de
meia commoda, 1 guarda louca, 2 marquezas, 2 20 do corrente, desde o becco dos Ferreiros pelas
sofas, 12 cadeiras de faia a Luiz XV, 12 ditas de rai da Aurora, ponte de ferro at a 2' ordem do
faia, 1 guarda roupa, 2 aparadores, 1 co da com aceio e promptidao e por preco razoavel.
Pharmacia especi..l liornepalliica, do Borscg"i"s;.Dor(]eaux
Dr. Sabino Icario L huho.
E' a ordena to dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados artindos
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermma-los em summa a espada, a
a So e a punhai de que se irata; mas
uinguem se lembrou anda de esmagar os
s nos con-
a p< nta
pes, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso carpo c^m os formidaveis
rompe-ferro, esmaga c> bra, arranca U eos.
quebra marmore e o otros que fe vendem
45-RA lIREITA45
SIOOO
Jos Pedro da Silva.
Inspecro do arsenal de marinlia.
O arsenal de marrana enpaja machini.-ias e fo-
guistas para o servido dos vapores da armada.
Inspecgao do arsenal de marrana de Pernambu-
co 18 de setembro de 1^65.
O secretaria,
________ Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Correio
Pela adminisiracao do correio desta cidade se
faz publico para lios convenientes, nue em virtude
ponsaveis pelo raletro curapr.mento dos respecti- do (llspS(0lno arL m do niJ{U,a^eilU) geral d^
crrelos de 21 de dezembro d* 18U. e art. 9 do
i decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se proce-
dero consumo das cartas existentes na adminis-
trado pertencentes ao mez de setembro de 186,oo
dia 2 deoutubro prximo, as II horas da manhaa,
i na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde j exposta aos interessados.
faz publico para fls convenientes, que em virtude I Administraeao do eprrelo de Pernambuco 23 de
O convenci postal celebrada pelos governos bra-! setembro de II O ad.nra.strador
res, ou munidos de cartas destes, que flearao res-
vos ctintratos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
eife 22 de etembro de 1805.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Correio geral.
Pela administrago do correio desta cidade se
sileiro e francez, serio expedidas malas para Eu-
ropa no dia 30 do correnle pelo vapor francez
Guyeone .
As cartas serc recebidas at tres horas antes
da que for marcada para a saluda do vapor, e os
jortues at quatro horas antes.
Admiuistracao do correio de Pernambuco 23 de ;
setembro de 1865.
Domingos dos Passos Miranda
______________________Administrador.___________
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segrate :
Para proviraento do almoxanfado.
110 feixaduras para talldVs.
i 10 pares de dobradigas para caixoes.
3 arrobas de carne verde.
10,000 pre.gos de assealho.
10,000 ditos bateis pequeos.
S duzias de taboas de louro de assoalho.
:H) ditas de ditas de pinito de3|4 de grossura.
Para o 5 corpo de voluntarios.
89-10 metros panno alvadio.
t,.! 10 metros dito azul.
3.434 metros dito, dito para capotes.
63 metros casimira azul clara.
1,017 metros baeta verde.
7,700 metros brim de linho.
3,S50 metros algodozinho.
1,599 metros dito para forro.
399 metros aniagem.
baadefra imperial de sedae seas pertences.
17 cornetas.
17 cordoespara as ditas.
26 ditos para iuferiores.
27 bouets para msicos.
27 pares charlateiraspara ditos.
'700 bonels redondos.
7'M) ilitus a cavanhaque.
700 maulas de la.
.2!) bandas de la.
2 cora; para divizas
1 espadas de metal.
2 tallos de couro eovprnizado.
27 f^rragens pan cintnroes de msicos.
2 1 dita cora tres fe<-haduras.
12 liros com 200 fidhas.
15 ditos com 100 ditas.
M ditos com 50 ditas.
A* pessoas que quizerem vender ditos artigos
-apreseotera suas propostas cora as competentes
amostras, na sala do con>elho de compras, as 10
horas da manhaa do da 27 do correble.
Sata das sessoes do conselho de compras do ar-
-senal de guerra 22 de selembro de 1N65.
O encarregado da escripturacSo,
Manoel os de Azevedo Santos
Domingos dos Passos Miranda.
THEIlTHO
DE
xrsfiiiil (le guerra.
O ronsellio de compras do arsenal de guerra
precisa comprar oseguinie :
Vexk o terceiro corpo de voluntarios.
?Bautim.
I pejuima.
i elariuetas.
'-2 pistas.
-2'trompas.
Sfl"\liones.
3 baixo-.
1 fco/nbo completo.
i caixa de rufo.
i prato de metal.
2 triangule s.
1 arvore de campanhias.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos
aproseniera suas propostas na sala do conselho, as
10 Doras do dia 27 do correnle
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 2} de selembro de 1865.
O encarregado da escriptararo
Manoel Jos de Azavedo Santos.
EMPREZA--COIMBRA
Recita extraordinaria.
GRANDE ESPECTCULO VARIADO PARA RtR, DIVIDIDO
EM 5 PARTES.
Quarta-feira 27 de setembro
de 1865.
PRIMEIRA PARTE.
A comedia em l acto, origioal purtuguez
DESTES HA POUCOS
SEGUNDA PARTE.
O entre-acto cmico ornado de mu-ica
TERCE1RA PARTE.
A cangoneta comu-a ornada msica
AS BOAS RAZOES
o
o .novo k o \ 1:1.110
QL'ARTA PARTE.
Osempre applaudido vaudeviiie em 1 acto
MU SENSIVEL.
QUINTA E ULTIMA PARTE.
A linda e muito applau'ta opereta em 1 acto
0 to braz.
Comecara' as 8 horas.
1 cjbide, 1 quartnheira, 1 aparelho dourado, 1
dito azul, canlieiros a gaz, copos, clices, compo-
teiras, paliteiros, jarros, a 1-recos de ouro de lei,
cadeias, relogios, borzeguins para senhora, cha-
p) do Chlli e outros muitos rticos.
GOHDEIRO SIMES
por conta e risco de quera penencer fara' lello
dosobjectos cima meacionados.
HOJE
Terca-fcira 26 docorreute as I i horas
57No armazem a ra da Cruz57
LEILAO
De II) barricas eoiu farinha de trigo
amcricaoa
H04E.
Terga-feira ao meio dia em ponto
O agenta Pesian fara' leilao p r couta o risco
de quera p-irieucar e para f ;cbar conta de 100
barricas com farinlu amencina des-mbarcali l-
timamente, era um 0.1 mais lotes ; terga-feira 26
do crrante ao meio lia era pomo no trapiche do
baro dj Livrain-.nto no Kort-; d) Matos.
achou, querendo rostauir, fara' o favor de a levar
ao becco dos Ferreiros, casa de Domingos Antonio
da Silva Bciris, qne sera' generosamente gratifica-
do. Os signaos da pulseira se mostrara' outra
igual.
RA VO 1 \. 43.
Vendemse por precos commodos, os melhores
medicamentos bomeopalhicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubos, glbulos inertes, chocolate ho-
meoptico, escovas elctricas, apparelhos para la-
var os olhos, etc., etc.
Vende-se o Thesouro liomeopnlhico, a melhor
obra que existe para a patries da homeopalhia.
O Ur. Sabino da' consultas todos os das uteis
o;>0(X)
en-
Attencao.
O Dr. Felippe Nery Gollago nao compra em lo- desde 10 h ras do dia at duas horas da tarde,
jas, tabernas, nem armazens nada que nao seja im- Visitas aos domicilios sempre que as circums-
jas, lauernas, nem armazens naaa que nao sej
mediatamente pago, portanto faz publico que qnal- tandas as exiglrem.
quer pedido de gneros ou fazendas feilo era s^a
nome, de palavra ou por e-enpto, inieiramente
falso e como tal deve ser por lodos considerado.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
Na ra larga do Rosario n. 33 sobrado, dase
lEiiO
A "26 de setembro
Nova Euterpiua.
A actual direcca-> convida a t >dos os socios para
quo reunam se na sala da memi sociedade quiu.
ta-feira s do correnle mez, as 7 horas da noiti,
para em assembla geral exlraorpinaria traiar-se
da dlssoluco da referida sociedade.
Recifa 5 de setembro de 1865.
O 1" secretario,
______________________P^CM___________
AMA
Precisa-se de ura* ama que saiba coziohar pra
casa de hornera soltairo : m ra da Cadeia do
Recife u. 53.
bolos de vendagem a 80 rs. a pataca.
Offerece se urna ama para o servigo interno
de urna casa : na ra das Triocheiras n. 40.
Danker & Brrozo faro leilao por intervencao chegadas pelo vapor A
do agente Pinto, de diferentes fazenJas ioglezas, estado : ua ru* do Via
francezas, suissas e alternis exi-tentes em seu ar-
maznm ra da Cruz n. 62, onla esperara a con-
currencia de seus fre^uezes : terca-teira 26 do
crreme.
Principiara' as 10 h.iras em ponto.
UVAS
maznos, era mu lo boro
igario u. 19, primeiro andar.
HOSPITAL PRTGUEZ
HE
BEWEFICEWCIA EM l'DIIMH-
BUCO.
Angelo Baplista do Xascimenio e sua fa-
milia agradecera cerdialmete a todas as
pessoas quo se dignaram assislir as exequias
por alma do seu uresado rllho o guarda na-
rinha Joaquim Candi lo do Nascimento. e
aproveitam a oeeasio para agradecrrem
aos Illms. Srs. Jos Candido de Moraes, Luiz
Alfredo de Moraes, Thomaz Pe mandes da
Cunba Jnior, tsbello Ramosa da Silva, Ji5)
Francisco de Cirvalho Jnior, e Ernesto
Adolpho Vallucy Relio, o acto de candade e
benevolencia que se dignaram praticar man
dando celebrjr na igreja do Divino Espirito
Santo urna missa e neinento por alma do
seu sempre chorado filbo, pelo que se con-
fessam desdeja' eteroameote gratos.
para* senhoras,
fei lados....... 5,33(0
com lar;o e ivella .. 4^ 11 'O
Sipatoes encourngados....... 5j$OO
B irseguins para meninas tiora
elasteo................. 3-5,100
Sapatos de lona, sola elstica. 2#0C0
avtllndalo......... MSOt)
de tranca........... i(;00
econmicos para se-
nhoras........... 0500
com salto de lustre.. 2540
Chineloes do Por Ov......... l^O
Um completo sor ime to de calcado da
trra para homens. senhoras e meniniis;
assim como bezerro francez, couro de. lus-
tre, marro(|tiins, taixas de todas as qtiali-
dade<, Gtas para sapateiro, muito sortidas,
uj sola e couros que tudo visto necessariamen-
I te faz cohica aoj^omp ador pela barateza.
- Quem precisar de tira caixeiro paia cobran-
gas ou para lomar cunta de urna taberna por ba-
lance, do que tem praliea, dirjase a ra do Amo-
rim 11. i A.
n 111 -'<'
JL^IsLlO
De urna mulatinha de idade 14 aonos, recolhida
e propria para casa de familia, sem vicios e era
achaques a qual lava, engomma, e cosraha perfei-
tameute.
Cordeiro Mimes
legalmente autorisado vender' em lellao a escra-
va cima dita.
II o.l
as 11 horas no armazem da ra da Cruz n. 57.
Aiffilitt*5Mtflfe*&WW*fta5333y
Aluga-se um subrado na ra Imperial 11. 162
com muitos commod-is para familia, tendo 4 quar-
Approxima-se o domingo T de outubro, da con- tos- 2 !a,Mcozinha.ljl,in 'luiutal cora um teihei- da'cidade podem ser ct.treeu
Mgrado a celebrado do anniversano desU pia r0.; a lr?lar Qa mes,na tua 2'> ou na rua Di" Jo Sf. Joaiuim I/nacio Ribeir
Leilao
instituito, e em que vai lambem ter lugar o A- rella 8i'
zar dk prendas em favor dos enfermos e necea- cS .*$,:?
sitados. t. ""
A junta administrativa, que por si e por nter- $8
medio de coramis.-5es se. na dirigrao s Exmas.
sras. e cavalueiros por meio da cuticulares, cuja
copia abaixo reproduzimos, vera pelo presente
scientilie.ur quo os doaativos destinados a esta fei-
ra da caridade, pjdero ser entregues a qualquer
dos membros das respectivas commissoes, ou re-
raettjdos directamente a' secretaria do hospital at
sabbado 30 o crrente.
ConsMtiem as diversas comraissois os Srs. :
hachare!
**
Francisco Augusto da Costa
Ama (te leite
OITerece se ama ama de leile sera lilho : na rua
Nova de Sania Rita, n. 55, segando andar, sobra-
do no heco onde se eonsertam canoas.
Dr. Ilenry Kraus mudou sua resi-
dencia da rua da Impentilz d. 3U para o
sobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
ues na botica
pjim 1 naci Ribeiro Jnior na
-**w^' Pra,;a ^a Boa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
i & C. na rua da Madre de Dos, ou r.o ar-
mazem de viuva Raymond C. na ru,i do
Trapiche Novo das 9 horas da manhaa at
W;
De Gti peles de couro de lustre ,MZtTia*Craz'lra"essada Madre de Deos
Cordeire Siaioes Augusto Huniz Machado, rua do Vjgario o. 3.
por conta e risco de quem pertencer fara' leilao -i, da Silva Loyo. Forte do Mattos' n. 13.
de 66 peles de couro de lustre, islo
Hoje 2C do correnle as 11 horas.
No armazem a rua da (ruz n. 57
, as 4 da tarde.
ADV">GAD0 S-i i
Rua do Imperador numero 69. l|s
iHlH Aluga-se muito em conta o secundo e terceiro
andares do sobrado da rua da Madre de Dos n.
-. 36 ; a* chaves acham-se na loja do mesmo.
mih
^M
casA
CASA DA FORT0
Aos 6:
nilbetec garantidos.
A' RUA DO CRESFO N. 23 E CASAS 1)0 COSTME
Jos Bubosa de Mello, rua da Cruz u 52. O abaixo issignadovendeu nos seus muitofeli-
'Jos Mogueira de Soma, na do Crespo n. 2. ze bilhetes garantidos da loiena que se acabou
.Narciso J.)-e da Silva, rua do Queunado n. 42. de extrahir, a beneficio da matriz de Santo Ama-
, Manoel Rodrigues da Silva, rua do Qaeimado nu- ro de Jaboatao, os >eguintes premios :
| mero 6i- Um quarto n. 1541 com a sorte de 6:000000.
Jos Antonio da C.sta Valentc, pateo do Paraizo Um meio n. 1764 com a sorte de 4003-
numero 2. g outras inultas sones de I00, 403, 203 e
Bernardo Jos da Costa Valenle, rua Direila nu- iOjOOO.
^ou^oliibeiro da Cunha Oliveira, rua da Praia ZTX^t^ZVSlSiX '
I,El LIO
De urna casa terrea quisi no
vi y tendo 2 salas, 3 quar tos
cosi'iha, cacimba eum ter -j numero 49.
raga, em chaos propnos, .si-l^w.*''68M*e,,id0, rua nova deSanla R,la
ta na rua da i loria n 6',' ^ix..p',rera iSilva.r,,a da imperathz-n. 60
em fr nte do sobrado do Sr
RELO.IOK1RO i: DOIRADOR
20RUA 00 MNGELiO
Participa a' seus amigos e fre-
gueses que aV.aba de receber mag-
nficos relogios de ouro e prata e
correntes de ouro para relogios
do mais apurado gosto.
Concerta relogios de qualquer
natureza, caixas de msica e dou-
ioao Francisco Paredes l'orto, rua da Imperatriz
n. 4S.
Juao Luiz Ferreira Ribeiro, rua da Santa Cruz nu-
ur jlosC'Zo, e rende met- nwro6.
nhnonlo #fi illlli C.ndi la Alberto Sodr da Molla. Passagem.
bllimvnm 9,W". Manoel Itibeiro Basto-, rua do Queimado u. 18 A.
Cordeiro Kinies Oatro sin conflamos qne a* pessoas a que por
precedida a competente autorisaco far leilao do e>queciraento nao lenha sido dirigida caria de pe-
predio cima descripto, podeodo desde j os pre- di', ce,'a a (I"'i de presente transcravemos)
tendentes proceder o exame blenlo as chaves no c.')mJ e directamente Ibes fura destinada para o
I armazem do referido agente rua da Cruz n. 57, |i,n l"'la descripia : aguardando a junta adminis-
onde ser effectuado o leilao, islo
MISOS MlIflMOS.
COMPANIIIA
Navegacao
PERNAMBC ANA
DE
costeira por vapor.
Ilha de Fernando.
No dia 28 ao meio dia segu
um dos vapores da compauhia
para o porto cima indicado. Re-
cebe carga al o dia 27. Ea-
odmmendas, passageiros, dinbi-
ro a frete at as 10 hora* da manhaa do dia da
sabida : escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
Liiiha do Havre a Per-
nambuco.
Esperase a barca Sp/r que
sanio no dia 10 de agosto ao frete
de 25 frs. 10 *y, Recebe carga pa-
ra o Havre a fretes baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
set freres.
Quaita-fcira 27 do corrate
as 11 horas em pomo.
trava com igual reconhecimento, qualquer qne
i seja a oflbrtt que se dignaren) envhr t m beneficio
\ desta casa de candad-.
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
\c.ham-se a venda os da 1* parte da 1' lotera
(33') beneficio do Instillo Archeologico Per-
nambucano, que se extrabir sexta feira 29 do
crrente.
PRECO.
Bilhetes .... 73000
Meios......33500
Quartos.....13900
Para as pessoas que comprarem de10000t
para cima.
Bilhetes.....63500
Meios......33750
Quartos.....13700
Manokl Martins Fiuza.
Aluga-se urna grande casa terrea coro soilo
na ponte de Dchea, a boira do rio : a tratar bo ar-
mazem de Guimares iS Alcoforado, rua do Amo-
rim n. 54.
mar'
Acha-se contratada a compra da casa n. 30
da rua do Livramento desta cidade. Aquellas
Secretaria do Hospital Portuguez de Benelicen- portanto a quera e-sa negocio possa prejudicar
1 CASA DE BNHOS. g
Rua (ta Cruz n. 17 Q
m
A abaixo assignada, tem a honra de
jj participar ao publico qoe o seu estele- l&
S cimento cima mencionado, acha-se boje ^*
^ funecionando muito regularmente, pro- 9
5^ vido de todas as accommodacoesnecessa- |i
^S rias e Sobre tudo com algnma limpeza.
LEILAO
Dermbilias, objectos de ouro e prata, es-
cravos de ambos os sexos, pianos de me-
sa e armario, trastes avulsos e outros
muitos artigos.
Quarla-feira 27 do correnle as 11 horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE i LES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Ilua da Cadeia ao Recite-36
LELAl
Das miu'lezas cxis'ciues na loja da
rua do ralnii n. 12
Quinta 28 e scita-feira 29 do correnle principiara
as 11 horas em ponto.
Jos Francisco de Souza Lima
com consenso de seas credores e por iotervenco
ca em Pernambuco 21 de setembro de 1865.
U secretario
Joao Pereira Ribello Braga.
m
w
Mteli
por terem sobre a dita casa1 algn- direitos, quei-
ram reclamar por esle jornal dentro de 3 dias.
'$ffftlft$^$l%MU! I*.ssiRn.lra
1
entista de Pernambuco.!
Hua estrella do Rosario n. 3,
ao pe da igreja
FRANCISCO PINTO
Coiloca deates artiilciaes
pelos y-icmas uiais mo-
deraos
Eraprega todos os meios .cientficos para
conservar os naluraes. Pode ser prn*nr&.
- em seu gabinete das 9 'ora d'^roa-
i-l & Roa-se ao Sr. Z-fermo Botelho de An- jM
a fl ^ drade (esludant-) de dirigirse a rua do
.'iri: S Rosario da iij.i-Vita n. 43, a oegocio JiS
do
uhaa as 5 da larde.
negoc
|J que nao ignora, islo no prazo de 3 dias,
do contrario declararse ha qual o ne- s
gocio. H|{
Kill
Na padaria da Torre, percisa-sede um amas-
sador que saiba ler, para vender pao.
Associaco Commercial Be-
neficente de Pernambuco,
de-ta assoclac30 re,]Uereu
Os arioes firmados por meus auleces- M
| sores Cedrim & <'.. sero receludos al o >j
>^ meado do mi-i de i utubro vindour^ifl_da ^Q
casa tero a Orma da abaixo assignada, -5\
e serao como d'antes transmissiveis. Sfi
Tabella dos preces. ?s
mensa I com direito fx-
a um banho diario a 320 rs.. 960 71
i dila de 30 carlees transmissi-
veis a 360 rs................
1|2 dita de 15 ditos a 400 rs___
1 banho avulso, u orno ou fri ou
de chovisco.................
1 dito aromasado com agua flo-
500
Alug -se pela festii ou por aono
GOMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o da 30 do correte o vapor
Tocantins, coramandaute o pri-
meiro tenente Pedro Hypolito
Duaite, o qual depois da demora
do costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebemse passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada ; encom-
mendas e dinheiro a frete at o da da sahida, s
2 horas : agencia, rua da Cruz n. 1, escriptorio de
prietarios de estabelecimento de igual especie.
Convida-se as pessoas qne est3o as
-eonflitje do semeo militar, a engajarem
no corpe de polica e gozarem das vaota-
gens di lei provincial n. 611 de 2 de maio jAntonio LuTzTe'ohvT.raVz'evedo'& C
prximo passado, que s3o as seguintes :'
4l4(KJ rs. diarios de sold, serem seus fi-
4hos men >res recolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de edaca^ao e o tempo que
estiveremna guerra ser contado pelo duplo
par i o caso de aposetadoria, e alm destas
tem todas as mais vantagens que sao con-
Ct'iids aos voluutarhs di patria. O te-
netiUi-coronel commandante do corpo de
.polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
Obras poblicas.
Pela reparticojlas obras publicas se faz publi-
o aos proprietarios dos predios do largo do Corpo
Sanio, rua do Trapiche, travessa da Lingoeta,
caes de tt de Novembro, entre a travessa do
Onvidor e o largo do Collegio, e rua larga do
R,sano,
___AVISOS DIVERSOS.
Bazar Volante. Sorveie decreme hoje lo fneio dia : na rua do
Pede-se aos senhores assignanles que recebem
esla folha-direclamente do Rio de Janeiro, o faver
de raandarem satisfazer a importancia de suas as-
STSur d l0*e 2 ann' em M? de J"/al(lue>' ^'isa-sede urna ama forra ou captiva que
h?,L ni!P -1' UDIC0 encarr5ad0 em Peroam- 9^ cosrahar e fazer as compras da rua : a ira-
buco, onde se entregara os rec.boi, e onde se as- tar na rua da Imperatriz n. 78, loja
; A directori uc-w ***\kuu*j, re,,Uereu lo se ,
nhores "Ssociados a' convocaco extraordinaria de [
assembla geral de conformidade com o art. 17,
dos estatutos, aflm de se tratar sobre a petico di-
rigida a esta associaco pele Sr. Joaqun) Jo de
i Miranda, thesoureiro da alfandega desta provincia,
I em cumprimeoto, pois, Jo art dos estatutos j ci-
Aiuga-se oma fco casa 6ffl Aplpucos logar de- I lado, a direcco convida os senhores assoeiados a
meio dia,
de Pernam
0 secretario,
Candido G. G. Alcoforado.
105*10 3
0*000
m
i
rida........................ 15000 ^
Os medicioaes serao pelo prego que se ^
convencionar: ^K
U eslabt lecimento estara' aberto dos T=t
dias uteis das 6 da manhaa as 10 da noile (5
e nos dias saniilicados. ;,:,'; horas da i,.r- S
de, havendo chegada do vapor eslara' ^
ttl.eilo r..j. jjki. jIjtu", rlp0.
Malhilde G. Lessa.
<*ssr u^.^M^y q
S1OLES
te banho em frente da casa e divertido lempo de
fesia por ficar muito peno do engenho Dous Ir
mos : a tratar na rua do Hospicio n. 54.
Sorvele de creme hoje o meio da : na rua
Trapiche n. 18.____________- .
A ttenco
Para a Rhia deve seguir com muita brevi-
dade o cter naciooal Bquadr, por se achar cora
parte do seu carregaraento prorapto, pata o resto
a frete traia-se no escriptorio de Amonm Irmos
rua da cruz n. 3, ou com o capilao Anselmo Pe-
res na piaca do Commercio.
COMPANHIA BUS I LE IR A
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o dia 5 de outubro, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Uarbara, o qual depois da
demora do costume seguir' para os porios do
sul.
Desdej recebem se passagelrs e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
que Ihes marcado na forma do re-1 ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
Colamento de 27 de julho de 1864, expedida para mendas e dinheiro a frete al o dia da sahida as
xecucJo do art. 57 da lei provincial n. 596. o pra-
so de 30 dias para a construeco de respectivos
pas.-cio.- das suas propriedades.
Sm ciara da reparticao das obras publicas 23
de setembro de 1865.No impedimento do secre-
tario,
Joo Joaquim de Siqueira Varejo.
Pela subdelegada dos Afogados acham-se le-
galmecie depositados dons cavillos, ambos casia-
uhn sendo um castrado e de frente a berta, e ou-
tro Dteiro, os quaes foram apprehendidos como
feriados : quem se julgar cora direito aos mesmos
comprela, qne provando, Ihes sero entregues.
O subdelegado,
Manoel Pereira Camello Pessoa.
O anuuncio feito pelo Illm. Sr. delegado da
signa.
instituto Archeologico e 6eographiei Pernam- oidade de O inda no sentido de ter aprehendido 5
butano. i emllos furtados que se acham em deposito, o
Haver sesslo ordinaria quinta-feira 28 do cor- arja'* assiunado nao pode deixar de levar ao c-
rente, s 11 horas da maoba. nhecimento de S. S assim como ja' levou ao co-
0RDE1I DO DU.
Pareceres e mais trabalhos de commissSes.
Secretaria do Instituto, 25 de selembro de 1865. dado da (!ldade e Goianna para conduegao ao 1 v do corrail,B as fi r.. hnras A. ,,tAp
i. Soares de Azevedo, i a^io assignado para aquella cidade por Manoel | SecreU fa do Monte Pi Poriuei^z m Pernam
Secretario perpetu. Gomes da Cunta all, estabelacido e propr.et.no, bwo dRetmWdiW.^
A pessoa que anounciou querer comprar
urna pequea casa porto dasla praca, dirija se a
rua da Imperatriz n. 38, loja decalcado.
Antonio da Silva Medeiros retirase para
fra do imperio, julga Dada dever nesta praca ou
fora dalla, e se alguem se julgar seu credor, dir-
jale a rua Direita n. 106, no praso de tres dias.
Recife 23 de setembro de 1865.
M0,\TE FIO 'ORTl-
mi.
dados da cidade de Goianna para condueco do 1 Z ZZ 'tfS^LL ,TJ', Juartare,r> ,
sobre Lisboa e Pono.
Jos da Silva Loyo C. sacam sobre Lisboa e
I Porto.
Jos Francisco da Silva Seraphiin-acaba com
sua averna da rua do Fogo n. 32, Mgajada de-
ver : quem se julgar credjr, dinja-le~^ua do
Rangel n. 48, no praso da tres das, para ser pago.
Recife 22 de setembro de 1865.
Os Srs. Samuel Feippe de Souza LVha, Flo-
rencio Domingues da Silva e Dr. Antonio Rangel
de Torres Bandeira, teem cartas viudas di Ce;>ri,
Da rua Nova n. 4.
A 120 rs. a libra se pagam os jornas para
embrulbo : na praca da Independencia 11. 22.
o publico.
Eu abaixo assignado declaro que todos aquellas
que tiverem ohjeclos para concert na sua officioa
de nurcineiro na rua de Heras u. 20, nao os viu-
do buscar no praso de 15 das, sero vendidos para
seu pagamento. Rerifa 23 de agosto de 1865.
Vicente Moreira da Silva.
o publico.
LOTERA
i seado om alugado por um dos conductores Ma
, noel Francisco Xavier para o seu regresso por sa
achar doente. Recife 22 d-- setembro de 1865.
Justino GuimarSes Villar.
AOK f-WinMOnO P,,ra ^aem P^^r de hanhos, offerce-se
o.\jkj \j.\j\j\jfp\j\j\j, duas casas cora commodos para familia, na ilha
Corre no dia 99. do Rotirn, junto a pomada Passagem : a tratar
Acham-se venda na respeetiya thesou- com L M- R- Vale?a-
Joaquim Gerardo de Bastos
2 secretario.
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
AntogioLuizde Oliveira Azevedo & C.
ilha de S. Miguel
A escuna portugueza Etna pretende sahir impre-
leriveimente al o dia 30 do crreme mez, e para
passageiros e carga trata-se com o consignatario
Joo do Reg Lima, na rua de Apollo n- 4.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir com mulla brevidade o palhabote
nacional Piedade, tem parte do sen carregamenlo
engajado : para o resto qoe Ihe falta e escravos a
frete, para os quaes lem excellentes commodos,
raria rua do Crespo n. 15, os bilhetes,
meios e qnartos da 1* parte da Ia lotera
(33a) a beneficio do Instituto Archeologico,
coja extraccao ser no da su pra menciona-
nado no lugar e hora do costume.
Os premios de 6.0005000 at 1O0OOC
ser5o pagos urna hora depois da extracto
at as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuido das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccao
como de costume.
^ O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Jos Maria de Moura, subdito portuguez, re-
lira-se para fora do imperio.
Dominios da Silva Ramalho, PQTlojmez, M'
tira-se para o Rio.
Perdeu-se um rico lenco da cambra ia de li-
nho, com grade, cheio de labyrintho : rogase a
qualquer pessoa que o tenha aehado leva-lo a rua
Nova n. 45, primeiro andar, que sera' generosa-
mente recompensado.
Aluga-se a casa n. 8 da rua Vellia,
com 2 salas, 3 qnartos, cosinha e quintal
a tratar na rua Di-
Destilad.
Precisase de um destilador que tamban oten- gr?nd' cQom cacimbs :
da do fazer vinagre : dirjase ao hnfel Italiano n. reita n 84-
5, rua doTrapiche. ..., ., .
Ouem precisar de urna ama para coziohar e
engornmw, dirjale a raa de Aboli 34, pri-1 meoJo a Miguel ue Almeula, durante o lempo que
meiro andar. for preciso para tratar de sua saude no Hospital
Porluguei.
Anloiiio Martins Lisboa com tabrna no bec-
co do Campello, deixa entregoe o seu eslabeieci-
Aluga-se um sobrad no becco da Bomba
cora 3 qnartos, 2 salas, e muito fresco : a tratar
na rua Direit* n. 3, primeiro andar.
Precisase deum pequeo de 14a 16 annos,
que tenha pratica de taberna : a tralar na rua do
Bruin n. 47.
Orden terceira de S Francisco.
O irmo qne por engao levou um chap.) tro
oadono dia da festa a noile lenua a bondad d.
ir a rua do Livramento n. 35, sobrado de um an-
dar desfazer a iroca pelo qqe so Ihe ti&ti a&c%-
decido.
Acaba de sahir de prelo nocCes do syslema m-
trico decimal por Jo> Antonio Gomes Jnior ; esta
obra contm as precisas laboas em que as actuaes
medidas de peso, capacidad-*, extenso se achara
convertidas ao syslema mtrico, comparado a oni-
dade nova a amiga, alim de que os clculos no
commercio se ezacutem de ura modo facilimo, pre-
cedido este trabalho de claros ex'emplo de con-
versb, para que poss: todas, as intelligencias : vende se a 12 as livra-
rias acadmica e universal, rua do Imperador;
econmica, arco de Santo Antonio; e em casa do
autor, rua do Destino n. 3, onde es compradores
de dez exemplares para cima tero um beneficio
na razo de dez exemplares por cento.
Bibliotlieca Litteraria.
Para esta publicado semanal assigna-.-a na rua
do Cahuga n. 2 e na rua das Cruzes n. 33, i.'
andar.
Besappareceu no dia l desie mez, do pe do
Precisa se de urna ama de leife : na rua do l/aPicllt do algodo ura balelo de 10 a,,i2 palmos
Cabuga' n. 3, tereeiro andar.
de comprlmeoio e 3 a & da bocea, cora bucarda
. na proa e travesso, e na pona com glo gnuva
Aluga-se nina escrava parda de meia idade dura para riuza : roga-se a quem souber do mes-
para casa de familia ou homem soltairo : a ira
lar em Samo Amaro, sobrado junto ao cemiterlo
inglea.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
taaailia : ca rua da Conceicao n. 6.
Aluga-se a padaria com seus pertences na,
rualmperal n. 109 : a tratar parua de florUi,
aberna q, 2.
mo participar no caes do Ramos n. 24, que ser
recompensado. _______________________
Muga-so a sala do 2 andar da casa da rua
do Imperador o. 75 : a tratar na mesma
Precisase alugar urna casa torrea no bairro
de Santo Antonio, que tenha quintal que pos-a se
fazer nma estribarla para dous cavados : a tratar
nesta typographla. "- ........-

?.________. r


m**K 4t eraB;baeo ft^ tcif te Mitubro de i .
LIQiTDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPSITO DE LONDRES
2
4CIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabefociment as principaes fabricas
tle Paris, Londres, Birmingham, Manchester e em diversas cidades da AUemanha, e tendo comprado ludo as memores condic^es'
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por mecos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-.'
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Euroi a.
Ha neste vasto armazem ricos objectos com brilhantes, coo botoes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntoes, anneis e niuitos outros artigos, nelogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto sortimeoto de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, DeleUrez (Perfumerie du mond lgaDt), Violet, Sociel Hygienique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P.Guelaad, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanlerias em maifim, madieperola, etc.. fabricadas na
China e no Japao; ricas pecas de crystal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite^ e adornos para cima de consolos e para grande loillette, o que se tem
feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparellios de metaJ fino inglez para di e caf, os quaes em
nada sao inferiores prata, e muitas outras pecas du mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho-
ras, excellentes kvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cb ecaf, ditos para juntar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como rices vasos para flores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolfif & C, realejos modernos de Gavioli C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para sales editos com figuras em ovimento; modernos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
theatros ou sales, ditos de phantasmagoria ; lanternas magreas, cosmoramas com vistas novas, dia e noiie; stereocopios de nova in-
vencao e com bello sortimeoto de vistas das principaes cidades da Enropa ; grande sorlimento da brinquedos finos para enancas, ei^ _. ejTtnn t\t niTfifnn
bonecas fallando papae emamae ; grande sortimer.to de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem'**j UtrUolU iJij bALoAUU
merecido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico soni i ento de caixinhas, cestinhas e outras .galanteras feitas de. crina e seda, 1JSk FAIIUIGADOMA CASA DE UE1L.NC0
proprios para presentes; grande sorlimento de estampas fln s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com j$i Ra Xova 1%- ttl.
figuras e ditas com novas paysagems para cosmoramas, finos e bem graduados vidros paia cosmoramas, um bello chafariz de crystal, x Ah se encontrarao obras Je di-
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; entelara fina, como talheres com cabo de metal lino, colueres, tbesouras finas, | versas qualidades, e por preto mui
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivetts e outros artigos, diversos artigos leitos de rame ; completo sorlimento de ^ diminutos, a retalho e em porces.
mascaras de veludo, setm, c^ra, papelao e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros ; camas de ferro de todos m S se vende a dinheiro.
AUTORIS&DA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
na llanca en* "tnheiro, depositado aos corros do estado, gamite a boa da
mi Ristra cao da companhia.
BANQUElROS DA COMPANHIA* DIRECCAO GERAL
O Banco de Hespanha Madrid : Ra do Prados. 19
Esta cunpanhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de soperviencia dos segu-
sobre a vid.
Nella pode se tazer a subscripeo de raaneira que em nenbum caso n.t .-u i (ti nniiiis
gurado se perca o capital uem os juroscorrespoudentes a estes.
Sao to supreheudentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
Um sobrado
Comprase um sobrado de um andar ou urna
casa terrea com cominodos para familia grande,
nos bairros de santo Antonio ou Ba-Vista : na
ra Nova n. 37, toja, se dir quem pretende.
Na ra do Crespo n. 16, primeiro andar,
coropram-se libras sterlioas e moedas de ouro bra-
sileras.
(Jompram-^e
moedas de ouro de ', 103, 94, 164 c 204 rom
6 O/O de premio na ra da Madre de Dos nu-
mero 24.
Compra se urna escrava de habilidades e
conducta, pagase bem agradando : na travessa da
matriz de Santo Antonio u. 8.
Comprase pap<-l iiiario para embrulho, pa-
ga-se bem : na miara da ra da Imperatriz nu-
mero 66.
Couiprnm-se dotis sobrados em boas
DAL,que ainda mesmo dimlnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes Iiquidai ras : quem quizer vender dirija-se a ra
- ces ecombinaad-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh-- aq a doMc n t8 arm ?em
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 a!9 annos, urna iraporsico annua. ------!--------- o de 1004 produz em effectivo metlico:
No nm de o anaos.
de 10 .
de 15 .
de 20 t .
de 25
1:1195300
3:942A600
11:2085200
30:2560O0
80:3315000
as idade* menores de 3 anuos e maiores de 30, os productos sao mais considerareis.
Prospeet e mais informacSes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia nv 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz s^JS.eslabel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite 4 Irmao.
XEi
Kft^
"s----
***.-
1*3
os tamaitos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartees de visita e ditos grandes epequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
las, chicles e ditos paracam.s; machinas para fazer cat, ditas para baterovos, proprias para quem faz pao-de-l, bolinhos, etc.;
pannos pan cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, o outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sorlimento de
w
m
SU
JPrecisa-se
m
"*A
violes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantaras e outras Decas de charo para loillette; machinas para varrer o ch3o, n^fetor que^emenda de jardim e plamat5esj
excellentes machinas para photograpbia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos ha'es de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illtiminacoes a moda de Paris; salva-vida de borrcha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; aromas novas em caixinhas, biscouos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e lodos se vender barato e muito barato, no grande armazem da Exposiclio de Londres, Da ra da Ca-
deia do Recife n. 60.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
a tratar no Mondego, casa da viuva do commenda-
dor L. G. Fi-rreira.__________________^^
O Sr. Joo Miguel ii Oliveira Bcraido qneira
dirigir-se a ra Nova n. CO, a tratar 'de n^ucies
que Ihc dizem respeito.
mrnmmmmtm
mumm !
Firmino & Lins 3
Gialificacao de 50S*-
Aiisentim;se da basa n. 59 da ra do Imperador
, (outr'ora Coilegio) no sabbado 16 do crreme mez
i de setenibiode 1865,0 escravo jiardo denome Joa-
qiiun, com os signaes seguintes: estatura regular,
j idade 18 a 10 annos, suin barba, [es largos, olhos
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz grande
he bem visivel na testa, parte dos denles da frente
arruinada?,eeom falta de alpuns dos lados, sabio
com caiga de brim pardo e paleto! curto de panno,
mas levou mais ruupa branca e de ir, muito
astucioso, costuma intilular-se fono e andar cal-
cado ; ful escravo do Sr. Guilherrae Frederico de
Snuza Carvalbo, genro do Uuadu Sr. commendador
Manoel Goncalve da Silva : roga-se a .-na captura
a todas as autoridades policiaes .- a qualijuiir ca-
pito de campo ou oulra pessoa. particular que o
apprehender se gratiGcar com 505, alm das des-
pezas de couduceao, enlregando-o a sen senhor
Miguel Jos Al ves, na casa cima, ou no seu es-
criptorio na roa da Cruz casa n. 19.
Para completa Iqtiidacao vendem-se, por^ muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente; ||
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus & C., Lubin, Sociedade Hygienica, Pvtr,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Ptiaud & Vfgyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. ele, dos quaes ha grande sorlimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavatide, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafn.has e vidros de differen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha em pites e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros arligos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os arligos em geral existentes no grande
armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
a
PA11A E$II Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui Jar, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
MJVAS UTO VAS ME JMJVIJf.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
m
m
Novo estabeleciiueuto de retra-
tos ra Nova a. lo, Io an-
dar, junto ao Sr. Gaulier,
dentista.
*" Tiram retratos todos os dias, das 7 horas v
gp da manhSa as 5 da larde, quer chova ou $
& nao.
H Tambem se offerecem para tirar retra-
jB; tos de pessoas fallecidas, dentro ou fura
: da cidade.
Os annnncianles desejando acreditar o
seu estabeiecimento, garantem ao publico
que nenbum trabalhosahir de sua olici-
na,sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do freguez. /

GAIXIHO
lH0TOIt 1 FIIIA.
No grande armazem da Exposico de Londres, roa da Cadeia do Recife n. 60, ra da imperatriz loja de .Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Gnimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimera.
VISTAS DE PERIAIflBtiO.
Tiradas na occasi3o em que S. II. o Imperador aqu estovo em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convento do (armo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d Arsenal com a illuminago na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio eom o palanque.
VIAUE1I A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencSo cora ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposico de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-'.
pe: atriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
h
Francisco Garrido, amigo pruprietano do hote
Trovador, sito na ra do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregu-
zes, tanto de.-ta capital como do centro da provin-
cia, que se aeha novamente estabelecido na mesma
ra larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Traviata, onde acharao os seus frej;uezes
sempre a mellior vontade para bem os servir, a
par de excellentes vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo estabeiecimento, qur para lora, e
dentro da cidade aos que nao quizerem ou nao po-
derem vir a seu estabelebirnento, sendo pelo preco
mais mdico qne un oulra qualquer parte. No
mesmo estabeiecimento acharao us seus fre^uezes
buhares para recrearem-se, bem como sor vete to-
das as noites para refrescarem-se.
Precisase de um caixeiro de idade de 14 a 16
annos, com pratica de taberna, e que d fiador a
sua conducta : na ra da Madre de Dos n. 9 se
dir quem pretende.
dico pela universida le de .oimb a,
d consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doenles em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, anda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira casse. .3000 diarios.
Segunda dita-----3500
Terceira dita .2(5000
Este estabeiecimento j bem
acreditado pelos bons servaos que
! tem prestado.
O proprietario espera que elle
i continu a merecer a confianca de
[que sempre tem gozado.
Samuel Power Johnston k Companhia [f
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
FiiQdi$5u de !.o loor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho
Tatxas de ferro coado e balido para enge-
nho.
Arreios d? carro para nm e dous cavallos.
Relogios de 0!>ro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Confeitaria dos aanazes.
Ra da Cruz n. 16.
Continua haver diariamente pastis de diversas
qualidades, enpadas, bolo inglez e dores para cha',
fiambre, ha latas com caj em xaropo ht milica-
mente fechadas proprias para expottaco, caj'
tecco crystalisado, prepara-se bandejas co'm doces
linos e de ovos (gema) pode-lot, bollo e diversas
qualidades de galheas simples e decorados, cem
disticos a vontade do freguez, caixinhas proprias
para presentes com enchimento de amendoas, con
fetos, e pastilhas e bombn).
mwmm WMmmmm mmmm
Companhia fidelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAHBUCO R
Antonio Luiz de Oliveira Azevede k C, [
competentemente autorisados pela dlrec- ."je
loria da companhia de seguros Fldelida- *J*
de, tomam seguros de navios, mercado- JS
rias e predios do seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Dez mil solipas
Contrata-se para o caminho de fero de
Apipucos, 10,000 solipas de madeiras de
qualidade- quem pretender forneo-!^
ja-se at o dia 30 du correte fiigrifcrua
para
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgiO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio efficaz para combatlr estas molestias, acalmar um altaque d'asma e impedir a
volta t o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarcllo) do Dr Danet. Uescoberla inleiramente
recente, este novo producto se leni propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que lem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Ghauvenud. 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
ALCOHOLADO de GUACO
D'asso e christal, elogantes eo-
feltos para enhoras.
Pelo ultimo vapor da Europa madame R. Adour
, recebeo um completo sorlimento de enfeiles de
| ac e christal para senhoras, consistindo em ricos
, diademas, denles, brincos, broche polseiras, bo-!
; toes e urna intinidade de eufeiles de apurado gos-!
| to, ainda nao visto n'esta cidade: as pessoas que
; pretenderem comprar, dirijarn se ao sobrado de i '
pandares, ra Imperial n. 1, perto da matriz nova
de S. Jos, para escolherem a seu gosto, visto nao I
' se poder dar amostras; das 10 horas da mauba,;
I at 4 da tarde.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
| prompto restabelecimento dos seus f
doentes. ||
mmmm^mmmmmm

l Precisase de un;i ama para casa de urna s
pessoa : no becco das Rarreiras n. 3._________
Ao Sr. Block.
Na ra do Livramento n. 19. precisase fallar
ao Sr. Block, negociante de joias, que andou a
pouco no termo de Seiinbaem, bem como previ-
ne-se que ninguem faga negocio com urna letra de
1:9004000. acceita^por Ignacio de Barros Wander-
ley, para Janeiro vindouro. ao dito Sr. Block, por
que existem duvidas importantes, como consta de
documentos, acerca dessa letra.
mmwmmm
m
Largo do Canuo a. 26. J&
Este estabeiecimento tao bem montado ;.
na sua origem achava-se de ha muito ,.;*
em quasi completo abandono pelo pouco
interesse de sua admlniuracao.
Hoje que o novo proprietario empre-
gou todos os rneios para restabeler a
grande utilidade deste estabeiecimento,
pode assegurar ao publico que qualquer ^
que seja o numero dos concorrentes W
acharao desde j promptido e aceio nos i^
banhos trios, morm s ou medicinaes, a
casa dos banhos se achata abena todos j
dias das 6 horas da manhaa as 11 da ^
m
Casa de banhos
m


de N. IPASGAL
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacSo da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio venerio (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracoes primitivas e secun-
darias, ec.
3 Empregado em injecc5es, o melhor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
ridas de m natureza, chagas gangrenosas, dartrus, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Didat,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre. Gasa de expedicSo, PASCAL e C", 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
m
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Precisa-se de ama cozioheira, com preferencia
sendo escrava : na ra do Hospicio n. 36.
do Imperador n. 55, segunc
tratar do ajuste.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas Precisase de um caixeiro que tenha pratica
tambem se faz qualquer obras de etcommenda e ae taberna, e qne saiba bem 1er e escrever : na
odo e qualquer concert. I ra da Aurora n. 48.
l'ubllcaces Iliterarias.
Ama.
Roteiro dos bispados do Brasil pelo padre Garios
Augusto Peixoto de Alencar.
Cartas do solitarioEstudos sobre questoes ad-
ministrativas e econmica;, pelo Lir. A. C. lava-
res Bastos.
A Cosstitaime peraote a historia por F. L Mar-
Precisa se de orna ama que saiba cozinhar e Maques sobre Lisboa condes de Mello,
comprar bem : na ra da Cadeia do Recife o. 27, l Manoel Ignacio d Oliveira & Filho sacam sobre' Esto venda na livraria universa!, xna do lm-
prlmeiroandar. i Lisboa j>*o largo do Corpo Santo o. 19. parador a. *4.
tJKfl SR)SRgRJSi: aSS/ataKSR^J!
j^i O Dr. Carollno Francisco de Lima San- M|
Ktos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, teodo alias seu *PI
j> gabinete de consultas medicas, logo ao ^
^; entrar, no primeiro.
9 O mesmo doutor, que se tem dado ao
K estudo tanto das operacoes como das mo-
lestias internas, presla-se a qualquer cha- vs& *
mt mado, quer para dentro quer para fra i < ^
|gi da cidade.
mmmm mm&m *m
mmm mrnmmmmm
H Francisco Jos -'o Rosario
^ Barroso,
|K- antigo relojoeiro, tem a honra de
xp scieniiticar ao respeitavel publico, e
' principalmente aos seus |fregue/es.
e nmeros >s amigos, que tem mu-
fl dado a sua residencia e eslabeleci-
fl| ment da ra Relia, para a da Roda
B n. 10. onde como sempre esl
prompto para aviar todo e qualquer
_ servico pertencente ao seu officio, e
P isso j se sabe por precos commo- r
K dissimo*. ^
mmmm m mmm mmmm
itlnga-se o soto do sobrado d. 6 da roa da
Goia, com 2j.ineils de frente e mullos comino-
dos : a tratar no primeiro andar.
noite...
Precos.
Banho de choque....... 500
Dito fro ou momo..... 500
Dito de faretlo..... ... i000
Dito medicinal sera se-
gundo sua qtnlidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou morno. 10 j
25 cartSes f.arabanho fno,mor-
no ou de chuvlsco..........104
12 carines para os mesmos... 55
12 ditos para banho de (afelio. 103
&mMmm mmmmwmm
m FEITOR.
Precisase de um fetor para sitio perto da pra-
ca, eque seja pessoa capaz e tralulhador: a quem
#$ jconvier dirija sea ra Nova n. 17, loja._________
MK | Precisa se de um moleque para o servico de
5P
m

casa : na ra da Imperatriz u. 18. loja.
COMPRAS.
Ama.
Compra-se efTectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagaodo-se bem: na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino tuilherme de liarros compra e ven-
i de efTectivamente escravos de ambos os sexos : a
I ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
i em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
'< pendencia n. 22, loja de bllhetes.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
i em obras velhas : na rna da Cadeia do Recife,
leja de ourives no arco da Conceico. ^^^^^
Jornaes para embrulho.
Oncas hespanholas e da patria
na praca da Independencia n. 22.
compram-se
Compra-se.urna machina de extrahir oHos
vegetaes, quem a tiver annuncie.
Compram-se moedas brasileiras de 20#
2I : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Y N D i S.
Bibliotheea lusitana
histrica, critica e chronologica, comprehendendo-
a noticia dos autores porlnyuezes- e 'las obras que
eumpozfam, desde o lempo da pminulgai.-ae'da le
<1a graga al o lempo piesenle, por Dk'GO BAR-
BOSA MAt.HADO, 1741, 4 grossos volumes em fo-
d '; obra vaiissima, cuja edicio ha muito se .cha
exgotada. indispensavel a todo o homem letlra-
lio ou de prolissao scientilica, de quem a historia
patria e a^ letras nacionacs nao pod>m uem devem
ser ignoradas : vende se na livraria de Jos No-
gueira de Souza uo arco de Santo Antonio.
Vioho do Porto superior em caixa de duzia,.
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do i C, co seu e*rrifltnrin rna da Cruz o. 1.
DIODURITO DUPLO
.
INA

Os elementos que compoem esta preparacSo,
ferro, o iode e a quina, a colloco no primeir*
grao das preparares ferruginosas. Basta atiesta/
seus resultados obdos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prcticos mais eminente,
que conrirmrao sua poderosa eiticacidade naa
teguintes alfecvdes:
C"*iinffM *e !
KiN inlrll.
Halrallaa ccrarnl*-
Papelra.
Obstrncck* 4 !-
dalas.
Humor. irlo.
Humor- braacaa.
RarhlllKiua.
Alii-rr.-. cnrcrtiM
e Milillllli.
Felirca <;i>haldra.
Varlalea, ele, etc.
Pra|aeaa.
Anemia.
Chlaraae a Ictericia.
Menatraa.
Arfeeeea 4a atera.
Saaaresaea da re-
ajraa e deaordea aa
me nat r u i* ca.
Arierra o pulmonar c
ahlhiale.
Meleatlaa rf'< tmaK*.
Gaalralslas.
Percl rf'uppvlltr. etc.
Vejo te os bulletins de therapeulica medie*
t cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gazela
dos hospilaes de 2S dejulho 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de iodurelo duplo de ferro e d
quinina de liebillon, os Mdicos aconseMo
igualmente o Xarope d'iodure duplo de>
ierro e de quinina do mesmo author para a
pessoas que nao gosio de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao ten
como o xarope d'iottre de ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se n5o poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em cau
dos pharmaecuticos depositarios.
Para-se evilarem falsificaces, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a aa-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmaciaRebilion,
142, me du Bac, e em lodas as boas pharmaciaa
de Franca a dot puizes estrangeiros, etc.
vi*
RANULOS
BISMUTH
tti-
-ma:
IrTUJER
Os granulos au bismulli de Chevrier bem
superiores a todas a outras preparaedet da
bismulh empreadas antes com o maior successa
pelos mdicos ue lodosos paizes, para prevenir
curar ai
Dlarrhraa ebraalcaa. Ma dl|[eatoea.
U>*nentcrlaa. Gaatrtcea.
Oorea !'< i.imt Gallralelaa, ata.
Uyapepalaa.
Os primeiros sympiomas d'essas formidaveia
iffeccoes se mauifesio ordinariamente por diget-
lies laboriosas, azidumes, falta itappetite, peso*
d'estmago de\,o\s de cada comida, caimbras a-
lomacaes, e, muias vezes, por espasmos nervoso
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidlo, traz ina-
vitavelmente, que seja :
Maleallaa de lad.
A Ictericia.
Falpl lars e furar
Direa aaa rlaa.
Oparraaaea.
DArea de eabee.
Irrllarca de bralga a
da Mialrla, ate.
Os granulos Chevrier s9o ordenados pela*
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando Sio tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmaciaGheyror,
e em lodas as pharmaciaa de Franca e dos
estrangeiros.
GRAGEASoeCUBEBINA
ccmCOPABAdeLABLONYE
Estes confeitos que tem por base o prin.
cipio activo da mimeira cubeba juuio com
a atpafiyba pura, nao nausen o estomaga.
Elles fazem parar immediatamente asmis
rebeldes gonorrbas, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a cupahyba isoladamente.
Venaem-se no Recife em casa de Caor* 4
Barboza e Joao da C. Bravo G.
Vendem-se
Diarios para embrulho a 44200 a arroba, e lio a
libra : no pateo do Paraizo n. 2.
Fumo em IVha
Vende-se mais barato do que em oulra qualquer
parte : no armazem da ra da Moeda o. 43.
Charutos da Bahia
a 14 a caixa : na ra da Moeda n. 43.
Para o servico di u i rasa de i > s' Compra-se na fabrica de cigarros antiga roa dos
rara o servico ue urna casa ue urna so ;QU,rleis de Pnli(.la n 2, l40rs a ,ibra
Dessoa, fe precisa de urna ama que engom- ..
LP rncinrip naoa.

me e cosmne, paga-se oem na ra ca cruz maiem deaigodao de Saunders Brothers 4 C,1
n. ib, segundo an tar. do caes de Apollo.
Vende-se nm silio na Cponga com exilian-
te casa e muitas fructeiras: os pretendenles dri.
jam-se a ra das Choulas n. 31.
Vende-se urna escrava de 20 annos de Idade
com urna cria de 13.dias. lava, cozinba < engom-
ma : a tratar na travessa d> Pombal n. 20.
INJECCAO BROAV.
Remedio infallivel contia as agnorrheas
Aluga se urna boa casa nova, muito flesca, Compram-se moedas de onro brasileiras de
de vario commodos para familia, quintal grande 54,104, 164 e 204, cora 6 por cento deprendo, e antcas P rprpnipc nnicn Apnnn n hr.il.->
e murado, boa cacimba de agua de beber, no ose- tambem pecas poriuguezas de 94 e 164 com 3 "* rcenles, nico neposilO na DOltca
Ihor lugar da Capunga : a tratar na travessa da por cenlo; na praca do Corpo Santo o. 4, primeiro riceza, ra aa Cruz D. zz, e pelo preco
mai.riz de Santo Antonio n. 8. mAu. de 3$.



Diario do rernaotlmco terca fefra tt de etembro de
a*r.

LOJA
ENCICLOPDICA
5* Ruada Imperatrlz armazem
da porta larga fS.
lunto a padarla fradceza de
Grande liquidaco a dinheiro'
Ka toja c inRzem do pavo.
Ruada Imperatrlz n. (idclia-
iiia & Silva.
Os donos deste estabelecimenio tem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
com o Una de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociara era pequea escala com fazeo-
das, que nesla loja e armazi-m encoulraro um
grande sortime.slo por presos que muito Ihes liao
lamo tm pega como a realho, a
Paredes Porto.
Neste estabeleeimenlo encontrar o respeilavel je agradar,
publico um ariado sortimenio de fazendas trance- saber :
} Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pe$as de eambraia branca para for-
ro a 25 : na loja ao l'avao ra da Irnperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Morcantique branca
Vende-se superior inoreaniique branco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechmcha :
Irnperatriz n. CO, de
zas, inglezas, suissas e allemaes, qne
por preco commodo.
Paredes Porlo
Vende chales de renda de erres que se vende-
ram a 18$ est vendendo por 65, ditos pretos, fa-
zenda nova, 55, 65, 85 a 205, um sortimento com-
pleto de manteletes, rapas e.soutambarques 145 a
25. Ra da Irnperatriz n 42, junto a padarla fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes l'orto
Recebeu um completo sortimento de lasinhas a
240, e 280 re. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado eseossez para rtu-
pa de menino, fuslSo de linho a 420, 400 e 500 rs.
Ra da Irnperatriz n. 52 junto a padaria franceza,
armazem da porta larga.
Paredes Porlo
Recebeu para cortinados para cama franceza a
115 a pega eambraia lisa fina a 35 5 al 105 a
pega, cortes de tarlataoa.de bonitos gostos a (,5500
e 45, eambraia cora flor de seda, gostos inteira-
mente novos a 100 e 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, ra da Irnperatriz junto a pa-
daria franceza.
Paredes Porto
Recebeu pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedraspara opescogo. bonitos caxineis
na loja do Pavao na ra da
Gama & Silva."
Til I: SOI IlO DAS MAIN.
PROVIDENCIA DAS COJANCAS.
COLLARESROYER,
ELECTUO-MAGNETICOS,
Chamados collares anodinos de dentigo contra
as convulsdes e para faciiilur a dcvtirao dat
criancas, preparado e inventados por Hoijrr,
pharmaceutico da Escola superior de Pars, site-
cessor de Chereau, membro da acndttiua de me-
dicina, antiga casa dol'ili.oni.aghange, pharma-
ceutico do lmperrdor, cltefc dos Irubalhos chimi-
eos da Escola Polytechnica, director da Escuta
de Pharmacia de Parit. e membro da Academia
Imperial de Medicina. Ra Saitit-Mailin, 225,
defronte da ra Chapn, em Parts.
A hypicne a sade.
A sade a vida.
S MAIS.
Olanlas criangas nao vemos cada dia suecum-
bir s dores da primeira denligAo I ? Quanlas an-
Escossia e
brancas e
e met/inas.
cas e quaotos tormentos para as tristes mais, que
; vem se arrebatar, depois de tantos cuidados, de
Pi>rrtiti>< Oi,rn tnnfn < lamas vicias, o objecto querido de sua ternura I ? ,
f irtaiLs vom mofo. QuanUs*vezs nSo' lera Wa loja OO Pavao a bO rs. dos remedios empregados, ues como brinquinhos,!
Vendem-se as mais finas percabscom lindissi-, cbarope de dentigo, etc., cujo duro contacto dos ;
mas cores para vestidos de stnhoras, tendo um primeiros irrita as gengivas e causa inflammagao j
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e, as membranas mucosas, e cuja acgo nulla fazia
liquida-se pelo baratissimo prego de 360 rs. o co-, desesperago s mais ? Achar um raeio fcil de ap-
vado : isto s na loja do Pavao rua da Irnperatriz. plicar o Huido elctrico para alliviar os soiTrimen-
n. 60, de Gama & Silva. j tos e prevenir as convulsoes, como tambem todos
Ldazintias a 2> rs o covado. \u*i*a' . : tal o tilo qne iivemo* em vista alcangar. Ha
Na loja 00 Pavao. muitos seculos que se pouham no pescogo das
Vendem-se laazinhas transparentes para vest-, criangas collares de mbar amarello para preser-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo va-las e cura-las de convulsdes, impregavase pois
ao mercado pelo baratissimo prego de 200 rs., ditas, desde muito tempo a Hectricidade medica sem sa-
com palminhas de seda a 240 rs. : isto s para li- b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
quidar, assim como liinzinhas mocambiques com dente que este effeito saudavel repousa sobre a ac-
os mais bonitos padrn a 240 rs. : ido na loja do' gao da electricidade, que sola o mbar estregado
dejaa para pescogo de st-ul.ora. Kua d imprratru pVa0 na rua da Imperairil 6{lj Ue Gama 4 pelos raovimenlos do corpo da criauca. Esta in-
Silva. i fluencia constanle do fluido elctrico, por fraca
Ontros objectos.
Viudos tambem para a antiga loja
miudezas ron do Queimado n. 16.
Sapatibos desetim branco bordadas pa-
ra baptisados.
Ouiros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
ito dos sapatinhos.
Oulras mui tinas de o da
brancas iisttadat.
Luvas finas de fio da Escossia
de cores.
j Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras
Pentcs de lartiruga rnui fortes para
' embaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com apulhas.
Agulbas francezas, as afamada*.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
de! Rival sem segundo
Rua do Queiii>a(!o ns. 49e55, t*ja ic
miudezas tic tres portas, esl iut'i-
niantlo linio lioiu e barate, quem qni-
zer ver adirtr \cuhani hy. do
iia;oiliiilio.
Caixas de papel mizade; e .-em ella liso e paotado
a liOO rs.
Grozas de booi'S i louga pralcados fazenda mo-
dei na a IGO rs.
Du/ias de penna >'? ajo razenda boa a 40 rs.
Pegas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escoras finissimas ; ara lirupar denles a 2 i-
320 rs.
lita de cas estrellas com O varas a
r\t><. I Pecas de
m rs.
n. 52, armazem da porta larga.
Paredes l'orto.
Vende cortes de gorguro preto para vestido com
2t covados cada um 35,5000, grsdmaple preto a
1,5600,15800 e -2$ o eovado, laas lizas tinas a 400
rs. o covado, laas de quadrinbo para vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Roa da liLperatriz n. 52.
armazem da porta larga.
Paredes Porlo
Tem para vender por prego commodo, pegas de
esguio de linho crin 10 varas a 75, 85, panno de
linho para lenges a 640 e 700 rs. a vara, braman-
te de linho de i larguras a 25-200 e 25500 a vara.
Paredes Porlo
Yeude cortes de eambraia bordadas de rices
gostos a 105 e 125, ricos vestuarios para menina
e menino, ricos, cortes de eambraia Mara Pa a
105 e 205, tarlatana brauca e de cor a 640 e 720
rs. a vara. Rua da Imperairiz armazem da porta
larga n. 52.
Itoupa feila
Rua da Irnperatriz n. 52 armazem da porta lar-
ga junto a padarla franceza, encontra se neste es-
tabelocimento um completo sortimento de paletos-
saceos e se.breeasacos, de. todas a^ quaiiJades. cal-
gas, coletes, cetonia;, camisas, grvalas, nietas,
chapeos de sol, ditos francezes para cabega, por
pregos cemmodos, roopa para meuino e nutras
muitas fazeodas, por pregos commodos, armazem
da porta larga.
No mesmo e-labelecimento encontrar o respei-
tavel publico, sempre um completo *sorlnneoto de
roupas fetas de todas as qualidades, como sejam
paletos de alpaca preta ece cor, ditos sobrecasa-
cos a 45 e 55, ditos de brim par jo a 25800, 35 e
35500, ditos linos a 45, ditos meias cazemira a
-355t0, 45 e 55. ditos cazemira saceos a 65, 75, 85
e 105, ditos sobrecasacos a 10 e 125, ditos de pan-
no saceos a 65, 85 e 105, ditos sobrecasacos a 125
255, ditos de merino preto a 65, 75 >' 105, cal-
cas de brim de diversas qualidades a-15800 a 45,
ditos braneos a 25500 e 6500, ditos cazemira 55,
65 e 75, diios pretos a 55, 65, 85 e 105, ditos
meias cazemiras a 3$ t 45, coletes de diversas
qualidades, seroulas francezas de algodao, ditas de
linho, ditas de bramante a 25 8 25500, carnizas de
algodo de linho fr*tictzas Oe 25500 e 35. Gran-
de pechincha neste genero, grvalas de todas as
qualidades e brancas para casamento, grande sor
lmenlo de meias para senhoras, ditas para liomeos
a 35, superiores a 35500 e 45-
Um completo sortimento d chapeos de sol de
alpaca a 35, ditos de seda a 55, 75, H-5 e li&,
ditos francezes para cabega, grande sortimento
a 65-
l'edtincha admiravel.
Grande sortimento de chambres a 45600 e 5?,
lenges de eambraia para homem a 25 a duzia, di-
tas de linho a 45 e 55-
Grande sortimento de ronpa para menteos e ou-
tras muitas qaalidades que seria enfadow men-
ciuna-las.
Fazcndas.
Vende-se gperior meriu preto proprio para ca-
pas do senkora e vestidos a 25. lustrn da China
a 15800 o corado. Roa da Imperarn, noria larga.
Paredes Porto.
Vende em-seu estabelecimento tiras e ntremelos
bordados, g-roade sortimento de crennos rica-
mente borde.dos a 35, 45 e 55- S-e Paredes Por-
to, rua da tioperatriz no 52 ; porta padaria franoeza.
Paredes Porte
Recebeu peo uliimo paquete fra-ni^ez ricas laas
granadinas <"cm flores de seda a 300 e 500 rs. o
covado. eslo acaband^-se, eambraia preta para
luto. Porta larga junto a padaria ranceza, a rua
da Imperatrit-n. 52.
Paredes Porto
Vende um completo sortirneoto de fazendas
brancas, come sejam madarolao a 45500, 55, 65 e
IO3, pecas de algodo por barato prego, chita fran-
ceza a 240, 10. 320, 360 rs. o covado, precalias
do. Esta propriedade elctrica de mbar a que
nos temos tido a feliz idea de applicar a fabrica-
gao dos collares de denligao, augmentando a inten-
sidade dos effeitos elctricos do mbar por roeio
de los conductores qoe distribuem as correntes
d'um modo suave e continuo. Mr. Royer o in-
ventor de duas especies de collares : i' dos colla-
res anodinos de mbar electro-magnticos; 2o dos
collares compostos de differentes metaes com cor-
rente voltaica. Partindo desle principio de physi-
ca bem conhecido, que a intensidade d'uma cor-
rente galvnica tsia em razao direila da superficie
dos elementos que compoem a pilla, os collares
Royer, chamados anodinos electro-magnticos de
constanle do fluido
iveliliMi imlintona n Slfl! que fosse, produzia effeitos curativos proporciona-
1 tSUUOS tlULltl ri!> a $ Qs a d.ele(.tncidade en ,en,iraaa desie too-
vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in- ^
dianos leudo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
transparente de novos gostos que servem al para
biles e partidas, veuden.-se pelo baralissimo pre-
go do 35 cada um por terse comprado urna gran-
de, porgao : na loja do l'avao rua da Imperairiz n.
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a 1 $
Vendem-se superiores longos de sida para ho-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavao na rua
da Imperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Os isparlihos do Pavo
A 4$, o# e 6$. signados e graduados por oilo numeros'dilTerentes,
Vc-ndem-se os mais superiores e>partilhos com possuem as mesmas propriedades elctricas, cora
as competentes lilas para apenar pelos baratissi-' esta s differenca que o effeito curativo esta subor-
iios pregos de .55, 5} e 65 por ter chegadn urna dinado ao tamaito dos elemeulos que os com-
graode porgao para a loja do Pavao: rua da lui-jpoem, e por consequeocia quaulidade limidada
perairiz n. 60, de Gama & Silva.
Tartalana branca a 64 rs.
Vende-se tarlatana branca multo fina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavao na rua da Irnperatriz u. 60, de Ga-
ma & Silva.
0 bramante do l'avao.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
que tem viudo ao mercado com 10 palmos (le lar-
gura a 25600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lenges, toalhas e seroulas 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na rua da
Imperairiz n. 60, de Gama & Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vemlem-se meias para meninas de lodos os ts-
BMuttos a 25-300 rs. a duzia, ditas de se'ia pnia
para senhoras a 800 rs. o par, ditas loglczas para
homem a 55 a duzia, isto na loja do Pavao na rua convulsa, etc.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, cora superior tinta a 100 rs.
I Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
! Baralhos muito unos para voltarete a iOO e
240 rs.
' Latas com superior h?.nha a 200 rs.
Caixas"com"linhas'"de novllos" grandes >lTKea*de t'trula n,uiw 20..rs-.
,.,. .Frascos e garra trabas com agua de Lnl'-uu
para crochets. 400 rs.
Trancellim de borracha preto, redondo, j Frascos gandes
llonltas 11 vellus grandes de ac, I 640 rs.
douradas, madrcperola e tar-1 ,.a/Lc,,m
. I0IIA'.
taruga. Sabonetes pequer.es dr tolla
A loja de miudezas rua do Queimado 320 rs.
n. 16, recebeu um bonito sorltmento d Oniirde sabonetes peqnenos com cneiro a 700 rs.
fivellas grandes para cintos, sendo de ac. **
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
cuta a
eom sop rlor agua de Colonia a
12 frascos de cheiros inuilo finos a
a 240 rs. e grande- a
da Imperaniz n. 60, de Gama & Silva.
Corliuudos para oautas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato prego de 115 o par. Ditos bordados muito ri-
cos a 245, colchas de fiuto para cama a 55500 e
69 : na loja do Pavo rua da Iurperalriz u. 60, de
Gama (S; Silva.
Tiras bordadas e entrenitios.
Vendem-se Dnissimas liaa:> bordadas e ntre-
melos por prego baratissimo, na loja do Pavo rua
da Imperairiz n 60, de Gama o> Silva. *
Os bawcs do Pavo a 2&>00, 3 e 3o08
Vendem-se os melliores baloes de arcos ameri-
canos, sendo cora 20 arrns a 25500, ditos cora 25
arcos a 3$, ditos com 30 arcos a 35500, ditos pan
meninas de todos os lmannos a 2:500 e 35, su-
periores baloes de bramante e murcelina com
cauda, seudo bastante grandes a 55, i?to iva loja
do Pavao, rua da Imiieralriz n. 66, de Gama &
Silva-
As caoiisiitfeas do Pavo.
Mcadem-se as mais modernas camisinha* borda-
das oom manguitos, para senhuras, sendo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre
tas com manguitos pava lulo a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15, Dnissimas gelinhas de
cambiaia branca bordada a 500 rs., calcrotias para
meuiua a 640 rs., romeiras de fil e eambraia
branca bordada a IflSoO : na loja da Pavo, rua
da Irnperatriz o. 60, de Gama 4 Silva.
PalelcCs pretos a (i$
Vendem-se superiores palelois saceos preto, boa fazeuda, a 65 ; ditos sobre-casaros a
(25, superiores ca4caa de casimira de r a 75 e
85, ditas prelas a 64, 75e85, paletos de meia
casimira a 55 e 5, ditos de casimira a 40, caigas
de meia casimira 45 e 45500, ditas de brim
ibranco de linho -e de cores, coletes de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
; d'elecli icidade que engendrara, d'onde se segu
1 que quauta maior superficie apreseutam as perolas
' ou elementos, lana raaitr quaotia de fluido elc-
trico desprender-se-ha ; e por isso que nos acon>
! selhiinos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposlco fiexiveis e
I poriatels, podem-se por constantemente no pescogo
das criangas. Urna rede elctrica cobre sem ces-
sar as partes doridas que sao rodificad lenta-
: mente, sera sacudiuras neui comraogoe?, e pro-
\ duzein urna cura rpida impedindo as convulsoes.
Assim acha-se reunido cora o antigo preced-
I memo dos collares de mbar a efllcaci regular e
segura da electricidade medica. Os collares gal-
vano-magnticos de metal compdem-se de peque-
as perolas de dous metaes differentes, traversa-
des por lios conductores qoe formara assim pe-
quenas filas voltaicas d'urna forma elegante, port-
til e flexivel, empregados com feliz successo contra
as convuisoes, os torticolis, tosse ueivosa, tosse
pos.-uem as mesmas propriedades
indistioclamente nos mesraos ca-
e empregam-se
sos.
DA PRIMEIItA DENTIQO
E da Mtilidade dos collares Royer electro-magnclt-
eos para facilitar a erupcao dos denles do cite.
Em poucas palavras explicarei o que succmJp
na primeira dentigo, fazeudo algumas observaci" -
queserviro de guia s mis de familias, que pe
eslao sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoreo achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de pendra e de outras
qualidades, para quem soffre
da vista.
A' loja de miudezas ru8 do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de penetra
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de arraaco
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tereos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos decjrnalina, os quaes estao
a disposigao dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na rua do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas o. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Filas finas de sarja da mais estreita que
ha al a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja kvrada, de bonitos
e novos desenhos
Caixas com sopen; r [10 arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essenclas santal e outrt- a
15200.
Frascos com essenclas para tirar noduas de roopa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 160,200,
240 e 3S0.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas (ara senr.ora a
45800.
Gollinhas muito finas para senbora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fila de la para debrum de vestido, com
10 varas a 500 rs.
Ditas de bicos snrieriores, para acabar a C00 s
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botes pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de cordo de. espariilho a 20 rs.
Novllos francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500-__________________________________
m\\ BB4NC4. .
CoIIeiras de marroquin, com eascaveis
c sem elles.
i\'a rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de niairoquim,
pospontadas e com eascaveis, ou i em elles
proprias para caes e cutres btebinhos.
Peniias iii^lez.is de ac e atoradas.
No novo sortimento de pennas de a<;o que
,a Aguia Branca acaba de receber, \ieram
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa- tambem oulras de metal dourado e bicos
droes igualmente novos e bonitos. mu ein acabados, e por essas boas e ne-
Idem de gorguro de seda achamalotada, ceSsarias qualidades os seus acreditados fa-
e muito encorpadas, para cinto de fivellas biicantes Perry & C, as rtcooimendam aos
grandes. m j entendedores < apreciadores do bom, valen-
Liquida$o das pechincias
110 armazem da Arara.
O proprieiario da granee ;oja e amurra da
Arara tem resolvido vender >nas tateuJas por
menos 0 por cinto do que un qpalquvi uuim
paite por isso vinlitrn rr ..- fazenda e :. at-rai-
rem dos pregos, asaher :
Cortes de eambraia cea barias.
Vendi-m-se bonitos corles de eambraia branco
eom barran'de oifferPnleS crrs pelo baratissimo
\'U Cambraas braness.
Vende-seambra a bunca ;. ---''. '!>,
45o0O, 35 65 a peer, < iie outras ::i.- (uali-
dade.- : ua rua da Imperairiz n 56.
Bretanba de rolo.
Vende-se hrelanha de 10I0 com 10 vane a
25800, esta se.acabando esta peehincrc : so na
loja da Aiara, de MendesGuimares.
Laaziulias.
Vendem-se as mais mudernas iSazinhas ufa-
das pelo ultimo vapor, tendo padioes u 11111 b ni-
tos se vende pelo baratissimo pn\-o de 240 1. o
((vado, fazenda qne em (ulra parle se 'cade a
400 rs.: na loja e armazem da Arara 11.1',:'.
Chiiai*
Vende-se grande porgao de chitas sem! 1 curas
e elaia por btalos pregas a 240, 26c, ;;. e 3-0
rs. o covado, dil^s percalas lipas a 360 rs. (
eovau, muias mai> de outns pregos.
Chales de ivcri.'i.
Desta fazenda ba um grande surlimeoto ; ;l..-
les de merino estampados cores mono del
e .-i se rendendo pilo barato prefo Je 5 rada
um, 1M0 para acabar.
Colebas i!e fuslao.
Vendem-se colchas <.i iusiS'i de todas
a 85, ditas de damas cu a !>, ditas de ,.. a
252O e'5900 cada ou?. ; i( Loureng reieira
tenate Guimares.
Hadapelae:
Vende se madapol5o a 5900, 55,65 7f).
75500 e :;-3 a pega, enfcsiado re vende >ui .-
jardas a 35,35300 e S5S0O: ::.. la da :*eia-
triz n. 50, Mendes Guimares.
Soutrmbar^nes.
Vnd-.!-.ie .'outembar pretos de (trosdesaples a i 85, 195 e 205, apas
0 me; 1110 prego.
Caniln ;;i?.s de ceres.
Vendem-seeambraias decores sendo :'r,:;r a
320, 360 e 100 is. o covad.
Casrmias.
Ven-Jc-se casemlra com listas a 35500 SSSOO
o covado, e mescladas
raes.
35 : : llenio- ::-:ia-
: < \
jjara os mesmos lins.
dem de algodo brancas
sua lenra afeicao exageram a muido os perigos tras Cres para vestidos de chita.
da dentigo, a qual era definitiva urna operagao
d na tu reza.
A mor pane dos desarranjos que sobrevem
sade das criangas tem por causa o trabalho da
primeira denligao Quando o denle faz esforgo
para sahir, declara-st,calor as gengivas. a saliva-
gao volta-se mais abuudame, 0 soipoo agitado,
ha febre a miudo, e era feral sobrevem a fronxi-
do do ventre, e s quando este uliimo symp
toma nao toma um carcter vilenlo mais bem
favoravel que damnoso. Sendo sujeito a compli-
carle com oulras affeig5es o trabalho da dentigo,
necessario, en; (uanto durar, por a mais extre-
ma e continuada atirii-gii ira sade da ciianga ; e
desde que. se notem os ltimos >ynipiomas que aca-
bamos de indicar, ser urgente consultar um me-
dico.
Estes collares vendem-se na loja do Vi-
gilante, rua do Crespo o. 7. j___
MfA-r.** vi:(.i;iti:s
ao
DR. AYER.
Nao ba necessidade mais
Duacao
, assim pois quem dolas se qnizer ulilisar
"compra-las a dinheiro a vista : na rua do
! Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas cora borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas.
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do preco est
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
da na rua do Queimado ioja da /guia Bran-
ca n. 8.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc.
Novas e lindas guarnicoes para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonilos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agrada veis cores.
Botes para os mesmos fins, sendo pre-.
tos de seda maiores e menores, enfeitados Jogo da paciencia au curioso enti eleni-
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
Mem pretos de velludo tambem de soni-
dos tamandoa.
Lmelo-, de dous vidros com aro de age, bfalo
e tartaruga.
rrni-
rOe
ha 1>as
le 35,
. 35 <
muito tinas a:3GO, 400 rs. o covado, chila B*kuiZ2m* com fi,m de-apurar di-
a 200 e 2i0 rs. o ...vado. Rua da imperatrrz n. \Tc!ZL A <\J* fUa da lmt>erolni "'b0'
52, junto a pViaria franceza. 'ae U!imA 5s"ViL
Paredes P01 to Fazendas brancas na loja do Paria
Vende->e um grande soriimenio de raadapoloes,
Vende anges de cor propria pateroupa de me-
ninos a 320 rs. o covado, riscado ifrancez fino a
320 rs^o covado. Ilua da Imperatrie n. 52, junto
a padaria fraoMza, porta larga.
Paredes Furto
Recebeu pete .ultimo paquete espertilhos a pre-
igaicosa por 39, fio bons, leogos de -seda para se-
chitas, algodaozmlios das melhores marcas, ga-
raniindo-se vender mais barato do que -em outra
qualquer parte, sep.do a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, rua da lrnpjralriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos tle renda.
Chegou pelo ultimo v, por trance/, m grande e
tihora e homem I.-, ricos cortes-de eambraia 1 variado soriimeoto dos mais ricos chales pretos de
bordados de IHga 7j, por ler umtoifuede mofo,'-renda, tanto de lnho como de seda, lando enue
eslo se acabando, na rua da Irnperatriz n. 52. jun- -elles muits de pona redonda a imit^o de man-
to.a padaria fraoceza. -teleles e muitos caro o centro de <\>r, ende-se
DbM~im "por Dre-os mu'l0:,1 C(""a per 'erem do otanda-
.,por pregos muito-e:n coma por lerem
_. 'ios vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
Vende-se urna mulat.uha de II uw com prm O^ rua da Imp(.ralrj7 n ^ de Gama s|va v
cipios de habilidades : a rua do Crespo loja n. 23;
Superior vinho do Port", Madeira e Cherry em
caixas.de 12 garrafas a 105,125,145, 145 e 18 :
na rua.o Imperador s. 57
Armazem allianca.
LOJA 00 BEiJA FLOR
.\a rua d Queimado a. 4>&
Tem recebido oi -irtimenlo de cruces Que
-est i usando, de diversos gostos ; s quem
se
4em
I \ISEL0
o sacco: as. rua larga do Rosario n. 50, tafea
da esquioa, efronle da igreja.
Aifenco.
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de -vallas
de aljofares de diversas cores, enfeites paca se-
j-nbora de diversos gostos, e mais barato do qne
em qualquer outra parle.
Facas e gario?.
Vende-se f.-.ccas e anfos de cabos de balango de
taberna : jyj, toijo a 55200 a duzia, ditas de dous botoee a
65500, dila para doce a .100, ditas de cabo ,pFeto
a 352OO, ditas de cabo franco, rolico e cravvdo a.
Tt*n recebido variados sorimeotos de balaras
I para meninos de escola, de trma de peixiahos.,
, patinaos e outras de diverso gosto, que s eom a
Vende-se doc* de caj', iaranja, grozella e gela ; ""-** she pofe apreciar, e taoibero serve para
e dual libras.'TOO 1 i. : l^+Jgffgg* '^^^ *'
Eseovas para r*upa.
Vende-sc escovas para roupa muilo finas com
dilrrentes gostos a 610 e 15, ditas pera dentes a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e caixiohas a 680 rs.,
! dito de cor a 700 rs., e enravelopes a OiOrs. a cai
! xinha.
I ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Vihlms do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo: Lagri-
mas do Douro, Duque do Porlo eD.Luiz ; tambem
tem atirrelas de dcimo encapadas cura superior
vinho, barns de 5* e 10 em pipa : na rua do Vi-
cario o. 19, priraeiro andar.
no -largo do Carao, esquina qoe voila para a rua
de Hortas, armazeai n. 2.
Colla da Baiia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escripiono rua da Cruz n. i.
Attcncae a pechincha
Sapatos d tranga com sola de c-irr;a alio
par : na rua do Livraraefito n. o.______________
Vende-se o sobrado n. 21 sito na rua de S.
Pedro Marlyr emOlinda.e vende-se tambem um
terreno onde se aeha edificada grande parte da
cidade do Rio Pormoso, o qual terreno se estende
da matriz at o trapicne: a tratar na rua da Unio
n. 37.
TABERNA.
Vende-se a taberna da roa de Fogo n. 32, pro-
pria para qualquer principiante por ter poneos
rfundos : a talar na mesma.
Barato para acabar.
Na praga da Independencia n. 39, vende-se bor-
zeguras para homens a 3000. 45000 e 55000,
Vende-se ou permuta-se por urna negrinha borxeguins para senhora 25000,35000 e. 45000,
de idade de 8 a 10 annos, orna escrava parda de sapatSes de bizerro para homen 45000. sapatos
20 annos, bonita fignra e sadia, engomma e faz de tranga I50O0, sapatos aveludado 15000, bor-
todo o servieo de urna casa; ao pretndeme se zeguins para menino, com ponu de ferro a 2000.
dir a razo por que se faz este negocio : na rua borzeguin para menino 45000, borzegning para
do Brum n. 50. crianga 500.
ge
/5*5/ ral em lodos os paizes do que a
^/^de ttm purgante que seja a
""mesmo lempo innocente, efficax
3 digno de toda a conanca.
As pi lulas que ora olferece-
mos ao publico preenchem estas
condices ; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais tracas
sem pergo algum, nao tendo-em
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo sa-
de a-
de, mas sendo composto
gentes effictentes e activas para puriQcar os corpos
mais robustos.
Estas ptalas ex,pkram e purifieam toda
a extensa do canal alimenticio, e do vigor
a todas as partes de organismo, corrigindo
sua aoce viciada e fazendo recuperar sua
vitalklade.
Um remedio ineslimavel contra Mr de
cabera nervosa, enwaqueca, priso de ven-
tre, hemor/rkoidas, molestias do ftgadot fe-
bre gasuo-hepalica, e todas as mol-esias,
biliosaa que teem 9um origein no entorpeci-
mento do ligado que causa a escassez da
bilis na inflammace 4'este orgo que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em ura desarraojo g-eral dos orgos diges-
tivos.
A ictericia
produzida jela abeorpco da bilis no
sangue, danio pe le -e aos olhos urna cor
amarellenta; mo sraente dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-
tos.
Para cura-la toma-se de i 5 pillas to-
das as manhas, isto bastante para mover-
0 ventre smenle al que se recupere a ac-
cio saa do systema.
Mal do fifjade, febre gastro-hepatica,
diurrhen biliosa, inHigestS/), a neuralgia
ou tic doaleureux, sao todas molestias que
tem seu cometo n'um desarranjo da bilis.
A observaco dos ductos da bilis taz esta
vol er ao sangue, com que circula depois
vera todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e proiuz urna serie nnu-
meravel de males.
Todos estes incommodos s5o curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer A C, rua Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
I& lina Uireita 15
RIO DE JANEIRO.
mente.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com talas de madeira,
que das diversas pinturas deltas ^e Gorman)
agradaveis vistas e pasgens, segundo os
A loja de miudezas, rua do Queimado desenhos que acompanham. Na verdade
n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-! esse um deleitavel en retenimento (tm o
netos e oculos de vidros com atmaco fina de qual se despe ta a coriosidade, e apura a in-
aco, bfalo e tartaruga, os esta vendendo \ tetligencia. Os apreciadoies dirijam-se a
por precos razoaveis: os pret ndentes diri- i rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 16.1 ca n. 8, que seio satisfeituS,
KiviL 1 Bonitos cufeiles para senhoras,
sttV&IM (B la 1 IWlMi A ARUa Branca ac:ilja le receber U!" n0"
Rua Comina a vender todas as miudezas ijue abaixo
declara |W)r pregos admiraveis.
Massos de palitos lixados .para denles a 100 rs.
Espeinosderaoidurasdouiadasa20(t,240e320.rs. dirigir a rua do Queimado,
iionets de oliado para meninos a 15000. Branca 0. 8.
Ditos de couro superior lamida a 15500. M Frascos com superior lila Keba a 240 rs, Be,dS Ue ** M **? .f* ,
Meiadas de liona froxa para bordado a 20 e 60 Vendem-se na rua do Queimado, loja a
Caixas com 100 envelopes,fazenda fina a 600 rs. Aguia Branca II. 8.
Grozas de pennas deago, fazeuda superior a 500 rs. > fl-.l-i timki-i
Grozas de botes maoreperola tinos a 500 e .*, mutrt'
e G40 rs. Na loia da Aguia Branca acna-se a venda
Caixas com 50 novllos de tinha do gaz a 700 rs. :o papel com compoMcao para dar fin as
Cajxas com superiores brelas de cola a 10 e80 rs. | moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
Pegas de fita branca asura com 9'varas a 280 rs.
Varas de franja de lia para -enfeites de vesiidos a
40 rs.
B*ralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novllos de iinlia com 400 jardas a 80 rs.
Lnros para asseoios de roapa lavada a 100 rs.
l'ares.de bolCes para ponho, fa7enda rica a 126 rs.
vo e lindo sortinien ( de enteites < s mais
modernos e gostos inteira rente agradaveis,
e como seu louvavel costme os est ven-
dendo baralamente a quem com diuLeiro se
loja da Aguia
effeito efficaz : molha-se o papel e deixa se
ficr n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristei em e morrem. Costa cada fo-
Iha 46 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Ivsouras para costuras superiores qualdades a Diversos lirinUlietlOS C entretetlillieotO
400 e 15.
Ca-ias de pennas de caigTaphia, fazenda bes a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
Caixas com superiores afulfcas a 240 rs.
Libras de laa sorlidasde bonitas cores a 75000.
'Caixas com superiores obrejas de massa a -10 rs.
pat-H enancas.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu divetsos btinquedos para crian-
cas, sendo estiadas de ferro, barcas e patos
! elctricos, apparelhos de metal, louCa pinta-
da e porcelana donrada para almoc' e jan-
vTISIMO
Grande liquidatao do fazen-
das e' roupa teita na
nal, na rua da Iinpera-
triz n. 72, loja de Gui-
maraes & Irmao.
Os pn (irieiarios drsle eslabelecimento k-ro re-
solvido liquidar suas fazendas por pregos (lats-
simos, s com o fim de apurar diuln ;i ; .-; .'i-
lern as pechinrhas.
Cintas largas francezas a 2C-0, 280, 300 e rs.
o c- vado.
Percalas finas crin lindos desenhos 1 360 0fl
440 e 500 rs. o covado : Isto na lora de Gula araes
& Umo, na rua oa Imp ra.na-n. 7.
I.;'iazir:has de qoadiinhos e de listrinhas. -ende
de lindissimos padtdes a 220, 240, 280 320 r?. o
eovado: vendem-se assim barato p a por-
gao que lem.
lliales de merino estampados a 2--.00O,
Ditos de merino liso a 35800, 4* e 55: ,"i-
lampados a 65-3<'0, 75, "5500/e 8.
Ricos ch les de renda
Chegou pelo ultimo rnpor rancei nn ntir.de e
vanado sortimento de chales de renda pr-:.;. sen-
do fazenda mleiramenie boa, e vendem *c ;. r pre-
gos muilo razoaveis : isto na la da ln.ier;-riz n.
72, loja de Guiraaraes i Irmao
Cas&as fraiccias.
Vrndem-se rassas franceza- -. "di fazer "
to lina e padrrjes inlelramente b< < -f"
400 is. o covado, corles de can-brai-- m
sendo de cores e brancas pelo barai,
35200 e 3j00, ditos ce cimas a '1>, -
3f600.
Vende-se um erando sortunenio de gcII'Bhas
para senhoras e meninas pelo baralo pn 50 de 320,
400 e 300 rs. cada nma ; todas estas (.zenaa se
vendem por presos mais baratos uueemiuira
qoalqoer liarte : isto s na rua da Imperairiz n.
72. loja de Gotmares i irmao.
Coxines de I Jas de todas as cores Jtt 4550 >' e Sfi
cada um, sendo to nllirr.o costo, na loja_de Gai-
males & Irmao, na rua da Imperatrlz n. 72.
t i tes Vendem-se corles de casimiras a 25'00, 35 a
45, oilas muito liuas a 65, 75 e 85 : isto n: luje
de Guiraaraes \ trinito, ruada Imperairiz u. 72.
SOARhZrM
de fazendas baratas Coeilio, rua do Qucimad > n
19, vende se o segvinte :
Lenges de panno d? Imho a 25200.
Ditos de bramante de linho de um .- pnu^ pelo
baratissimo iirego de 35200.
Loberas de chita da india a 25400.
Pegas de eambraia de salpeos tranca e de rr
com 8 t|2 varas, pelo baratissimo pi 50 e 4SS0O.
Pegas de eambraia adamascada com M var;
propria para cortinado a 115-
Baloes de arcos a 35, 35300 e 43-
Lencos de eambraia blancos pequeos, a -Juia
22000.
Ditos daos de (lila linos, a duzia 2-600.
Bramante de linho fino com 10 palmes de larga-
ra, pelo baralissimo prego de 25400 a vara.
Atualhado de linho a ma 25^00.
Dito de alpodilo 25.
Algodo enfestado com 7 l2 palmos de larguia
a 15500 a vara.
Pecas de bretanba de rolo cim 10 raras propria
para sai?, a 355< 0.
Fil de linho liso lino, vara 800 rs.
Di lo com sal pno< a l.
Gambraia de linho lina, a vara 55500, 6,':
Planella branca fina a 600 rs o covado.
Dila de cores a 880 rs.
Corte* de alpodaoziuho de Irados ROSt-JS, >.'. 10
covados, pelo baralissimo pngo de J5-
Madapolo fino largo a i5 105 a pija.
E^telra da ludia d<- 4, 5 e 6-palmus de largura,
propria para furro de sala, por menos precodo que
em oulra qualquer par*.
Neste armazem tambem se encontra ao grande
sorliintnto de roupa feila e por medida.
Vende-se a taberna da
o. 20; a tratar na mesma.
rua dos Assoguinhos
Itodinhas com aliineies franceses muilo superiores tar e muitos outros brinquedosde madeira,
que se vendem baratamente : na rua do
Queimad >, lja da Aguia Branca n 8.
Helas pelas de seda |ara senhoras a
500 1 s o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
I cao de meias preas de seda para senhoras,
; e apesar do muilo maior presO que lhe cus-
taram e o bom estado em que anda esto,
! comtudo est resulvida a vende-las a^O
I ris o par, a fim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, agir pois apro-
veitarem a qu-lra e dirigirem- e rua do
! Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
bem vender as brancas a i$ o par, e des-,
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
goeiras,
aWra.
Resmas de papel almaco a 254O0 e 2800 rs.
Escniva* para roupa, faienda Juzias de tesouras com toque de ferrugero a
600 t.
Duzias ie facas e partos de cato (celo a 35000.
Talhere* mito fino para criangas a 240 rs,
Pulseina* para meninas a 320 rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 15280.
frascos com superior banha a 240 e 300 rs.
idem de soperior oleo babosa a 3-20 rs.
Caicas com lamparillas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babadn do Porto a 80 e 14( rs.
Cartas de alfineles francezes a 100 rs.
Quaderoos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
\rai
avariado
Francez barrica 35000
Poritand dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portlaod dem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do^Apoilo.
Ferros para engommar
Vendem-se caixinhas contendo o mais eompleto
sortimento de ferros para engommar, encrespar
batidos, pafos e toda a roopa de senhora : na rua
Aova n. 24.
Laas para vestidos a 240
r?. o covado!!
Na rna do Queimado n. 1 vendem-se superiores
ISas para vesiidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
ea que so ac bem.
CERVEJA1EVSS
em barril.
Vende-se a 200 r?. o ropo : na rua do Impera-
i dor n. 57.
j ARMAZEM ALLIANCA.
Veio pelo ultimo vapor ura compU-i) se: tur.ei-t.:
de livelas e sintos para senhora, e ?e acbatn a n-
da na rua da Imperairiz, nova ioja de nundetas de
Dias & C.; as.^im como se rcofeifl ricas filas i ro-
priameuie para cutos, por precos que as Ex mas.
Sras. mi dcixar.io de comprar laes otijclos an-
tes que se acabem.
Vendem se quatro aimati-ns com todos os
Cummodos para recolber ceneros, sendo (Nw9 ff
lado direito do rio salgado, porlo rarnaunihs, ir
dous do lado esqueido do mesmo lio, pnrvi. Guararapes, cima da cidade do Natal tfl" meia
legoas, para onde .fHurin ceniro dr tx;.riicao
em itraode escala, a sao embarradas |nami:a
era navies de alio bordo, que Coffl lacilidado van
iquelle porto ; disiand da cidade de S. I ;- ma-
troleoas ao sul, e da villa do Ceara-raeinm cinco
legnas so norte, tendo baos caninho- para carrus.
e bom pasto e agua para anirnaes ; o que ludo >e
vende por presos commodos : quem pretendrr di-
rija-se a Conceicjio de Goararape?, qne achara
I cjm quem tratar. <______
Os donos da laiierna sita na rua n Bemja
n. 29, esquina dos Remedios, Um rfcriidu vn-
dela em razo de um estar domip, o qual rata
Europa tratar de sua saude, cuja labefM esta
bem afreguezada para a t.rra, e propiu- principianta: quem se achar liabiliado, pide ^r
tratar na mesma a qualquer hora do da.
Vende se tres casas terreas na villa do Cabo,
sendo urna com eslabelecmienio : a tratar no 'Uo
do Terco n. 139, i. andar.
r~


Diario d Pernarabuco Ter^a itlra 96 de Htttmhro le !*
N. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabeleeimento am grande sortimonto de cortinados bordados
camas fazend> de. rauito gosto.
('.lales de guip muito Anos para 23*, 2.'3 e 30*.
Coltas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotoudes de guip enfeitados com o mellior gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
MoareaatIqaebrwM e preto, grosienapie preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de coros, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
15a pretn para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de i* a 11*.
Brins de linho de cores Unos a 18800 a vara.
Chapeo^ e chapelmas de patha de Italia para senhora, manguitos bordado?, chapeos
de seda para homein, elupos de sol de seda, esguiao de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veadera por comandos precos assira como
timbera
Esteiras da India para forrar salas
O
o
o
o
DE
J. VIGNES.
M. 55. RA DO INPER1DOR X. 55.
pianos desta amiga fabrica sao hoje as<< couhecidos para que seja necessario insistir sobre a
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de procos,
tanto deste armazem como do armazein progressivo pa-
ris tos ouvidosdos apreciadores.
Faz.'mse confoime as encommendas, tanto
correspondente de J. Vigues, em cuja capital forara sempre premiados era todas as exposices.
No mesmo esUbelecunenlo se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhori!? autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
procos commndos e razoavels.
CONSULTORIO MiTOIMUJRGIGO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO K OPEIIADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s i i
ooras Ja manlio, e das 6 e meto s 8 buras da noite, excepcao dos dias santificados.
Pharmacia especial horneopalluca
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
taos avalaos, assim como tinturas de varias dyranamisacoes e pelos precos seguintes.
Carteiras de \ tubos grandes. i000
> de 24 tubos grandes. 18-3000
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que s iredir.
Um tubo avolso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para as carteiras.
la tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
liffVROK.
A mellior odra da homeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jah'
loos grandes voluntes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Heriog........... 1000X1
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste esttbele:imento sao por demais conhecidos e dispensam por
tant! sere.n novauente recommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
veril leiro, eaargios e dura lores: In tudo do mellior que se pode desejar, globos de
ver]i leiro assucar de leite, notaveis pela sui boa conser*'ac3o, tintura dos mais acredi-
ta 1 is estabalejim jatos europeos, a mais ex teta e acurala preparacSo, e portantoa maior
energa cerea em seus effeitos.
Casa de saud pira escravos.
It :c-ibe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
pei i/i i, p ra o que o annunciante julga-sa suficientemente habilitado.
ratimeoto t o meilnr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fu mando a casa ha miis de quatro annos, ha mui.as pe-sois de cajo conceito se niio
pode duvidir, q te polera ser consultados por aquelles que desejarera mandar seus
doenles.
Paga-se 20 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10300.
AsoperacQes ser) previaminte ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
nzoavefc que costumi pelirr oannuncante.
DE
AZEVEDO a FLORES
Ra da Cadeia do hecife, esquina da Madre de Deas,
O bailo vende sempre por menos que em outra qualquer parte, quem julgar que
isto nao 6 verdade dar-se ao trabalho de vir apressar qualquer fazenda de que precise;
tambem se manda levar casa, para que as senhoras melhor possam escolher. Dao-s
amostras deixando penhor.
AOS SUS. 1*E IvV^I VBIO
Superiores algodoes americanos branco, azul e de listas para roupa de escravos.
,WYAIOLOLS
Superior madapolo fraucez, fazenda especial para camisas e saias de senhoras :
tambem ha inglez de todas as qualidades e precos.
BAIiES
Superiores balos de arcos e de panno para meninas e senhoras
Ricos tapetes pequeos e grandes para sofs,
Lindissimas gravatas e mantas para pescoco dehomem.
Superiores camisas de meia e meias para homem e senhora
beraram os propnetanos dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabeleci- F seuaora.
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-1 Calcas de casemira e superiores paletos saceos de casemira.
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto!
ainda mesmo com prejuizo noeso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que]
serao tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta'
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa'
alguma que 6zer sna despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de'
5 por cento na sua despeza diaria.
t
i
.na sa^rioridade.vanldgense garantas que offerecera aos compradores, qualidades estas incontesla- te O UO 1)9X1110 n. V, priClDal amiaZem TU.% dO Illlera-
reis que elles lera delinitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos- _T ^ uui^viu lu..* uv imywu .
tuind.) um teclado e marhioismo que obedecem todas as vontad^s e caprichos das pianistas, sem dOJ" JJ, 40.
nunca binar por serem fabricados de proposito, e ter-se feitJ ltimamente melhoramentos importan-!
raos p ni o c le paiz ; qaanto s vo:s, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada- Fazem sc,ente aQ respeita^el publico, e COm especialidade 30S Senhores de en-'
nesta fabrica como na do Sr. Biondel, de Paris, socio' ?enhos, lavradoresie mais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-'

I A LOJA
AS COILITJMNAS
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem vinio a Pernarabuco de mellior gosto
em seda.
Assim como mais algamas fazendas de bora gosto para vestido.
RIJA DO CRESPO M. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES 1*E SE HA
Cliegaram pelo paquete inglez riquissimos cortes de moreantiqoe de C9res, e seda tarrada pa-
droes inteiramente novos.
Seda de quadros por 1J000 o covado
5-RUfl DO CRESPO-5
Gregorio Paev do Amaral A Companhia.
jfllMTfilO i
Manteiga i gteza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa l,loo rs.a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra'nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 6io rs. e em
barril ter abatimento.
CHA \
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs. A
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo era porcao ter abatimen-
to, tambem hn proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
Biscontos
Latas cora superior biscouto inglez de di-j
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bola filiabas
Latas com bolachinhts da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos flaraengos chegidos no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo e!,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
marcas, comosejam: Madeira Secca,
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas' i
como seja: Victoria c Alcope a 5,ooo rs. a du-'
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Viaagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e i,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a Goo rs. a
garrafa e a 4,Coo rs. a caada.
Massas
Macarrao e taherim a 360 rs. a libra e a
,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a i,5oo o qnarto e
o,5oo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
rs. a libra.
Camisas francezas e seroulas finsimas de bramante.
Superiores chitas largas, escuras e claras de todos os precos.
Superior cambraia branca transparente para vestidos.
Chitas com ricos desenhos para cobertas.
Superiores paletos de alpaca branca.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
endas.
GUEME
tadas
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a I,ooo a gura-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
ancoretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
GE\EBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
du/.ia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Dolanla verdadeira a 6,000
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrufao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6oo rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
j preparado
de l,ooo a
Peixe em latas
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINC0
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o c 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joio Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos. os
quaes vendemos pelo mdico preco del .600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes epirtuguezes a l.ooo e
Caixas com urna duzia de garrafas de su- !'to rs" a 8\oafrasco.
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs a garrafa.
CAFE
Caf do Rio de 1.* e 2.a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
ABAO
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixSes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego. araeixa rainha Claudia, al
Farinha de mandioca.
TVm psra vender Antonio Luir de Oliveira Aze
vedo & f, no sen escriptorio rna da Cruz n. I.
COlares Royer 011 colares ano-
dinos
pa-a facilitar a dpnticSo dis enancas e preserva-
la- das convulsSes.
O feliz renliado ohtido immen^as vezes pela
prodigiosa f irra magntica do< colares Royer, nos
ras i- de cinvuisoe, e denticit) das crianzas, tem
altamente el-vado o seu bem merecil prestipio,
nhojejl se pode dizer que estao geralmente con-
eeilaada, e estimados de innumeraveis pais de
ItaalAas : de uns porque do uso disses salutares
olares viram salvos do periso seus charo* fiMii-
nlii-, e de outro? porque colheram daquelles to
proficuo exemplo para i^ualmenie preservar o-s
#eu. Assim, pols, aagoia tiranca, tendo Pin vis-
tisa utilidade eproveit' desses prodigiosos cola-
res anodinos ou ltiyer, maodou vir o novo sorli-
mttuti qae afora recetieu, c continuar a recete-
Js para que em lempo alguin a faUa delles pora
ser ftine-ta an= pais de familia, os qnaes Acarno
eertis d.; os adiar consianiemenle tfaa do Quei
malo, Ija d'aguia branca n. 8.
edi 803534
TERRENOS A' VENDA.
Vndese nm terreno proorie pata
collocad 1 no centro da cidade, com 68 palmos
Jrenlee 218 de fondo, tendo tres frent.-s, par* a
roa da Palma, da Paz c da Concordia : para infor-
macSc?, na ra do eol n. 37.
Attentfio o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se doos grandes lustres de vidro fiaos
com 24 luzes, do melhor gosto e por prejo raioa-
vel; assim como apparelhos para cha e para jan-
ear, braneos e de cores differentes ; ditos de por-
celana donrados e pintados e braneos; apparelhos
para janlar de porcelana branca; tamnem se ven-
dem em pecas separadas, como os fregoezes qui-
zerem, compoleiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em caixao e a re-
taino; lanternas de todas as qualidades de vidro;
ditas de ca>qoinho i'nglezas muito finas ; candela-
bros de vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; harneas cota appare-
llios de mesa para jamar; gigos com apparelhos
para cha; e outros muitos sortimentos de todas as
qualidades e precos comraodos vontade dos com-
pradores, que se vendem na ra da Cadeia do Re-
cife junte ao arco da Cooceicao n 64, e na rna
Nova na grande armazem de louca e vidros junto
4 igreja da Concelfao dos Militares n. 49.
Sabo maca de primeira qualidade de 18o perche e outras frutas a 7oo s. a lata,
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tamb:m ha latas grandes para l,2oo rs. a
era caixSo. lata.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
Receberam Gregorio Paes do Amaral & C. um variado sortimento denovidade
como sejam:
NOVOS PADROES EM CKTES DE SEDA
COLCHAS DE I t TI tS< O
Portuguez e francez, de seda e de la e seda.
Lindo sortimento de leques de maore-perola, marQm e osso, transparente e de
seda com mimosos bordados.
VELLUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
Cor de vinho.
Carmezim.
LUV&S SIL JtJVlJl
Brancas e de cores para senhoras e homens.
ORAVATAS
Mantas de meia, de seda, de relroz de duas voltas largas e muito estreitas de
urna s volta.
Grosdeneples de todas as cores.
CIUTOS
Com fivellas de tartaruga esmaltadas, madreperola e cobertas de seda, feilas para
as mesmas, etc.
CHALES DE FIL HE CORES
Gostos inteiramente novos, tinda nao vistos neste mercado.
CASEMIUAS
De quadros miudinhos e largos.
Enfeites
O mel':cr e mais moderno sortimento de enfeites proprios paraKocke cora bons
pentes de tartaruga e sem elles.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
Custuiue para menius
de gorgurSo de la de diversas cores, bordados com muito gosto.
Penteadores para senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem,
Vestidos feitos para senhora.
Tudo por presos razoavels.
n 5 RA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
-
Acha-se
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na ra da Senzaia ova n. 42.
As melhores chitas francezas de cores
escaras e (xas a 280 rs. o
covado!!
Na rna do Queimadon. 1 vendem-se chitas fran-
cezas escuras e finas a S80 o covado.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, perte da igreja dos Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ter excedente bario, e as tr-
ras qgasi todas .-proprias -. a mtar eom Joaquim
Jos Goncalves BeKrao.--ru* do Vigarto n. 17, es-
criptorio.
O castello de Grasville.
Traduzido do francez por 4. J. C. da Crni.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3j00C
na praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
ALMANAK
DE
LEiUBItW^AS
Lnso-Brasileiro
PARA 1866.
POR < ASTII/IIO.
na livraria economlcajjonto ao arco
Vende-se
de Santo Antonio,
Vende-se no escriptorlo de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
1 duzia e Larris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setabal da melhor marca, em caixas
de 1 duzia.
Palmella tinto de excedente qnalidade em caixas
de 3 duzias.
Vinhos de Lisboa moito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se am carro (victoria) dovo e elegan-
te, com os afreios competentes de metal principe :
na Ponte Velha n. 9, por preco commode.
venda na livraria acadmica, na roa do Impera
dor; nado Sr.Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia mparcial, na rna es-
treita do Rosario a compilacao de toda a legislacao
tendente administracao, arrecadacao e fiscali-
sacao dos dinheiros de orphaos defuntos e ausen-
tes, herancas jacenles, legados, etc., cootendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execn-
coes, como tambem (odas as ordens e avisos do
governo. qne a tudo tem explicado, tanto a respai-
lo das obrigaQdes Inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de justica e fazenda, como dos di-
reftos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressSo e bom papel, e prestando-se a utilidade
de differentes classe?, torna-se recommendavel.
Sea cnsto 10*009 por cada exemplar em doos
omos.
pf* m$m w mmmmm
m Bichas de Hamburgo
JR todos os paquetes da Europa se recebe
;4; destas amigas do sangue humano e se
vendem a troco de pouco lucro s afleo
de ter sempre cousa nova : a loja de har-
beiro roa estreita do Rosario n. 3, ao pe
2R da igreja. ]
mzmmmm mmm mimm
Vende-se
S
t^OYILLR
Com loja ra de Crespo a. 17.
Recebeu de Paris sedas era cortes mai-
to superiores e bellissimos padroes, e
chales de renda pretos para 104.
Este importante estabeleciroento torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazendas superiores e bellos
gostos
Proteja o bello s*xo ao Villar
8e verao lodos a prosperldade. M
wmnammmmwmm
Cha
Bramante de linho fino e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodao de nm e dous pellos.
Na casa de Edward Penton n. 17, ra do Tra-
piche.
i* Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Pernio Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escriptorlo de Manoel Ig-
nacio d? Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
Vende-se cha hysson, o mais superior que ha
neste genero, por 2*600 e S*800 a libra, dito pre-
to por 2*200 e 2*400 : na roa do aperador so-
mero 37,
Armazem allianea.
mmmmmmmmwmmmm
i Fumo da Baha para
charutos
Vndese fumo superior de todas as "
qualidades, a retalho e por atacado e por
| preco commodo : no Recife, ra da Ca-
S cimba n. 1.

Sola.
Vende-se 460 meios de sola de boa qnatidade :
a tratar na roa do Queimado n. 53, lojo de ferra-
gens.


Diarlo de Per samba co Terea felra te Je Secmbrode 18*.
NOVO GERENTE
AO PUBLICO
Mem o menor constran-
glmento se entregara o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENCAO
< presos da egnintc
tabella para todo, po-
dende asslm servir de bi-
se para o ajuste de coma*
com os portadores;
M*
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
KESPEIT.lVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zea da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estranguro'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic5o do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro meDsalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas parles oo po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio nteresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolbido por pessoa eutendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGC1NTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
.1 I Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e paiuco de oito libras para cima a k
i00 rs. [ KIRSCH de Wasser a U a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a ........} JL
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da < onoelcSo) 0
PARA BEM DE TODOS,
Senhore9 -r.horas, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que todo a promptido e intei-
"ezacom que ser5o tratii^ onvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me daro a proteccJo e preferencia na com-
ra dos gneros que precisaran e quando nSo possam vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
rois sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de quenovaoem
tra pfile.
Manteiga ingleza especialcente escclhida a Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
LATAS cora graixa a 80 rs. cada urna.
Letiua a 400 rs. a libra.
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-1
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a i#700.
dem de so ia em latas grandes a 2^000 e
de cinco para cima a I#800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
10200, i250e 13300.
Bolo francez em caixinrias a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 13800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Chabutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Ex posicao,
Flor do Brasil, Parsienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Missi.-sipes,
Panetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
procos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto poeta branca, etc., etc., a 20000,
202"O, 25t)0 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinbos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
bvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo dn Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos era latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadioha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas era qaarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MORINQUES a
m
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 10200 a libra.
dem francez a 20500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2J9.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes *
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs. g^
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; .o nico Iri-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posicao alguma.
Lanteme a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 8<0 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.alibra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato? 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
Na offlr.ina de ferreiro da roa do Jasmlra o.
54, ha para vender orna crnica feita, com esmero
e propria para carrejar orna pipa rom agua, aflm
de vende-la pela na. Na mesma offl'ina ha tam-
bera om cabriolet de duas rodas,novo e mailn hem
acabado ; 40001 pretender este objectos, pode d-
' rigir-se a mesma que achara' com qnem tratar.
Potassa da Russh
moito nova e superior : vende-se do escriptorio
de Maooei Ignacio de Oiiveira A Pllbo, largo do
Corpo Sauto n. 19-
Caluogas fiaos e brlnqaedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de mmdezas da roa d
QiiHiniH.il> o. 69, os mais linos e lindos caluqgas
tanto para bnaquedo de meninus como para crua
de mesa : na mesma luja se encontrar bom sor
timeuto de ujudez.s. .
Lavas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas luvas de pelli-
ca de cures e brancas nara hornera a senhnras s so
quem recheo foi o beija-flor, ua roa do Queiawdo
numero 63.
bras por2,5oors.
Ameixas francez;is em fasco de vidro com
tampa do mesmo, a 105oo.
Ameixas franc zas em ctixinhas de diversos
tamanhos com bonitas etttm pas na cai-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800,1 ,ooo e 1,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,000 a caixa e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de llollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de llollanda a 6,800' a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
e (54o rs. o frasco. Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos| o gigo com 36 libra;.
randes a 1,ooo e U.ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-, 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,800 a arroba. do mesmo, a !3o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo 1 ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. ino rs. "o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qnalidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 15 a garrafae H.ooo a duzia.
lho. : Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado era frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabrcame Jos Fua-
do de Simas, das segumtes qualidades:
Exposicao Normal de Havaoa, Jmperiaes,
Londrinos, Gnanabaras, Parisiense?, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,tfoo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000, 2,000 e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,000 a arroba.
Banha de poico refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a 1,600,2,Coo e 3,b'oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
fr o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garpafa.
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,0001 Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez | Champagne da melhor qualidade que' vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para ronpa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas ennfeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre brancoj engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Massa para sopa : estrelinba, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleDte quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a i 6,000,15,000,
l2,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
1,00o e l,5oo rs: a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartees com bolo francez muilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
1,000el,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4qo rs. a ibra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-' Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
E' BARATISSIMO11!
Grande liqudacn de fcndas e roupa
(cita n; cion 11. 72, lojar de Guimaraes a. Irma.
Os proprietirios deste eMabeitnmento tem re-
solvido liqnHarem suas fazeodas por prtcos bara-
tissimos t com o um de ai urar dintieiro,*aprovei-
tem as pechiuchas.
Vende-se um grande sorlirr.ento de chitas fran-
cezas largas a 260,280, 300 e 370 o eovado ; ditas
percalias muito Ocas a 360, 4G0, 440 e 600 rs. o
cevado : uto so na leja de Guimaries c\ Irmo,
na ra da Imperalriz n. 72.
E' muito barato t
Cortes de la | ara vestido de senhora a 30.
Cortes de la a 3$.
Cortes de la a 3.
Aos 3, 00 avades de la,
Vtnde-be laazinhas de qoadrore de iisiriuhas de
lindsimos padioes a 220, 240, 280 e 30 rs. o eo-
vado, vende se atsim barato por ter minia (.orce
e querer se acabar: isto f na loja de Guimaraes
& Irmao, roa da Imperalriz n. 72.
Aos i,000 cbales de merino.
Ver.de-Fe chales de menr ettsDu ado u 2C00
e 25C0, ditos de aerin liso a 38tO, 45 e Sf,
ditos tinos a CCO, 7, 75( O e ?$.
Grande soitui.enio de cor es de vestido de cam-
biaia rom barra, pelo barato preco de 3, 3C0
3o()0.
Ditos de chila a 2$, 25CO, 3 e 3 0.
Vende-.-e pecas ('e madaroio cm :i 'ardas a
IfSOO, ?$, 6#, 73, 84, 9 e 10*
I Pilo fraccez ecm IS jarras a 3f&QO, 4^, 4'00
e S5HC0.
i Vende-se nm grande tertimento i!e golnhas
para serbera e neninas pelo birato ireco de 320,
4C0 o 500 rs. cada urna : ato t tu loj de Gni-
maraes & lirto, ruada Inijeratrjz n. 72.
Roupa feta
Roupa fcita
Gracde soitirr.ento de rtepa fella de idas as
qualidades, que se vende por preco> baralissimos;
affiai.ea se que se vmde p(r menos O por cento
; do que i m mira qoalqner parte.
Va utj\a lja de fazentts de Guimaraes
& Irmao.
Ra da Iuperatrlz u. 99.
lgodo da BaLi
Na kja de Andrade S Hego, ra do Grt-.-po n. 8,
esquina da ra do Imperador, rndese superior
lgotlo da Bahia por menos prejo do que em ou-
Ira qoalqaer parte.
Batatas
Gigos cora superiores btalas ebegadat a
I dias, vendera-se na tr^vessa da Madre de
n. o.
dotis
Dos
ESCBAVOS mBS.
EHH9
lio dia 6 de agosto o esciavo trienio de nome
Tiberio, idade de 20 a 25 anuos, estatura l.aixa t
cem faria de um dos denles de *iir a, loi e.-travo
oo 8r. Francisro de Aibequerque Slaranbo Ca-
valcanti : quem o jiegar ou delle der nottrla qoei-
ra diiipir-.-e a rta da Caueia do lieeile n. 33, loja
de Valle Pollo fi; C, que ftra' r^rooifteBsado.
Ao ananhicer rio dia i de sco.-to fupiram
do engenho Carraragibe dous efiavoS" crioulos,
ambos raneiros, sendo um de ntme Stmeao na-
tural do -eiio da Ooricnry, aUo e Um fetc, '-ara
redonda, nao miito preto, e toffre oe urna hernia;
o outro de come Nicolao, naseido lo me>n"o eo-
ginh'1, estatura ordinaria, sorco dn curpo e robos.
to, ra mesma occasio de|iparererm 3lurros
do servido do ergenhn. de supp' r que tenhaai si-
do levados por elle, ou por a>gom que Ibes ser-
vio de guia e seductor, porque na m i:e prterdeo-
te a sabida dos ditos esrravos foram vistos dous
herr.ms cm cfmmunicacao ron o SemeSo junto a
enirada do engenho : quem prender e irtt.xer di-
tos escravos ser recompensado

DO AFAMADO JOUVIN.
Vndese pelo preco de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para homem e senhora : na ra da Imperalriz loja de miudezas o. 54.
173 n o<; o x
i S.S""
B3
03
- o. <"
'Si
t
O ce oq
a s
0.3 a
S c s-
M
CE
' -I
3
Sp,l|
o 3.
ce O" = "O O--O
o O*- SO
-,0
5
S E
o. a
o. o.

8 i
0.5
3W -
B a S ff Z ?
P<
- s?
o
'J
5-8 S|.
CD
llffl
O O
ZB i. -s-
3S 3.
o srg- 5

i
i
<
B
a
3
Is-
J- _.
al
OS -I
CK5 O
a
CJ
&
3 o
II
S.UST
tu O O
c* S "
r e. "
3 W 8
g O.
"S.*
"I < CB
a o "i
3^.3
ivi
030
a, o
" ^,T3
es aj
O -1
03 03
&- ,
O 03
"22
2.2.
-2
a ca
o ^4
etbC
S CI9 ------1

gl
a.
o

o
5
Tasso Irmaos
Veudem no sea anua zea ra d
Amorim n. S5,
Licor tino Curasao em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com roluas de
vidro e em luidos frascos.
Vinhos(Jheres.
Sanierues.
Chamberlin.
Hermitage.
Borgoohe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
I Bordeaux.
Cognac.
Od Too.
PAezei lagnlol.
- Vendem-se paimeiras imperlaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio murado i es-
inerda, depois do becco do Espinheiro, oe$ Af-
flictos
liACHII\ASUEP4TEI\I
de trahalhar k mo para
descaroear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & G.
OLDAH
Estas machina*
podemdescarocar
^qualquer especi
lide algodao sen
IJestragar o fio,
"* sendo bastanu
duas pessoas para
otrabalho; pd<
descarocar urna
arroba de algo-
do em earocc
em 40 minutos
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar
robas de algodac
limpo.
Assira como machinas para serem movidas por
animaes, que descarucam 18 arrobas de algodac
limpo, uor da; e motores para mover orna, duas,
eutrss dessas raachioas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que couvida-se aes Srs.
agricultores a virem ver e oxamina-lo, no arma-
cem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolhep&C.
N. II, praca do Corp* Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
PASTIIMS
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber uro lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetas, binculos, do ul-
timo e mais aparado gosto da Europa,
DE KEMP,
NOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVE1S
Infinitamente mais eDcazes do que todos
os mais remedios pr-rigosos enauseabundos
que existem para a expulsao daslombrigas.
Nao causam dores e produzem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e toincilantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as enancas estn
promptas a lomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstru-oes do ventre, mesmo
no caso de n3o existirem verme algum, as
PASTILHASVERMIFI'GAS DE Kf MPS Sao promp-
tas einfalliveis na sua nperacao e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
clo de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman d,
Nova ?ork.
Deposito geral em Pernambuco roa da
Cruz n.22 em casa de Caros V Barbota
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melbor qualidade a
lid a lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.lfi rna do Trapiche Nnvnn ft
Vndese um escravupeca de 15 a 16 an-
nos, muito esperto : no corredor do Bispo n. 15,
para ver a qualquer hora.
Vende-se.
Encbofre a 40 rs. a libra, e a 1,5000 arroba ;
no armazem da bola amarella, no oo da secreta-
ria de policia.

No dia 28 de agosto prximo paspado desapr-are-
ceram do engmho Parary, silo os comarca do Li-
m^elro, os escravos Fr;.n< bco e Aiexanire, per-
lenrentes ao major Clandino Crrela de Mello. O
pnrr.tiro alto, seceo do corpo, um tanto espadan-
do, e de eer cabra, tem a caa bexip. sa, ba.-ante
barba, cabellos carapiubos, (s corlea e larjtus,
>al:-.n vcinlo lie (-.a e camisa ue alpida azul,
chapeo de feltro, levando tatiibem eomsigo urna
trouia t'ODlendo re opa de uso, a saber: camisas
de chila e calQas brancas e paidas, levuu tamben
um chapeo de couro, mu ladmu. Osepoodo
preto, criuulo, secco ilo corpo, esiatura rfgular,
ttm falla de denles na frenie, um pi neo baiba-
do, e Km [s finos e bem fcitos, tan Urr 6 muito
ladino. Ambos sao meces, lendo dp idade32 an-
uos, pouco mais eu menos ; dewonOa sr que te-
uham lucido para assentar praca i,c.-ia provincia
' 11 em tuira qualquer: quem os r.pprditnder pode
leva-Ios ou ao dit tngenho, ou a'casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na rua da Cruz n. 45,
que sera bem recompensado.
l
^
aos capites de Cimpo e a
policia
200$(lOO <'e gratifcitcn por < ada un
De-appareceu em principio do mez de outubro
prximo pass^do, de bordo do palhaluie nacional
Arroio Malo, dous escravos de Mine R. berto, por
appellido Macfi, e Miguel, o Io de daoe 45 annos,
pi neo mas ou menos, cri ulo, cor fufl, estatura
baixa barba cerrada, om pouco torio das pernas,
e com alyuns cabellos branros, tanto n baiba co-
mo na cabeca ; o 2* alio, cheio do corpo. sem bar-
ba, falla prona, representa ter de 25 a 30 annos ;
enjos escravos descontiase andarem pelos arrabal-
des desia cidade : quem os appreh*-nder, queira
levar a tua do Trapiche n. 4, ou a bordo do dito
navio.
Ausentouse do engenho Frecheiras, fregue-
zia da E>cada, no diasegnnda-feira 11 do corren-
te, o escravo de nome Cosme, crionlo, idade de 20
e tantos annos, estatura baixa, cheio do rorpo, es-
padoas largas, falla um pouco manso, e levou ca-
misa e calca de algodao riscado, Japeo de jaiba;
cujo fscravo foi do Sr. Jos Ferreira de Sooza, la-
vrador do onpenho Rainha dos Aujos da dita fre-
guezia para enjo logar provavel que se tenha
dirigido por ler sido cria do dito senhor, e foi ven-
dido nesta ciaade ao Sr. Jos Rudnpoes de Sena
Santos, emjunho prximo passado pelos Srs. Mi ta
& Ribefro por autorisacao do dito Sr. Jos Ferrei-
ra : roga-se as autoridades competentes e ressoas
particulares de o apprehenderem e djrigirem-se ao
referido engenho, ou a ra do Imperador n. %X
terceiro andar, que se recompensar.______
AttencAo.
Acham-se fgidos os escravos segnlntes : Bento,
mulato, idade de 25 annos, cabel'os annelados, sea
barba, denles um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descansada ; e Luiz,
crionlo, j um penco viho, a llura regular, muito
cabelludo, btrba com algnns cabellos brarcos, as-
sim como na cabeca, corpo reforjado, olhos na
tanto pequeos, falla grossa e as v.-?es tinee-sa
roneo pede-so as autoridades poliriaes e aos ca-
pitaes de campo qoe os facam apprehender e con-
duzi-lnsa' casa de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmio, que generosamente recompensara,
e Ir es pagara toda despeza que fizerem rom a sua
condnegao : snppde-se qoe elles terSo ido em se-
gnimento dos sertoes desta provincia, por serem
filhos desses lugares.
Fugio no dia 18 do correte nez o preto cri-
onlo de nome Isidoro, de 30 annos punco mais
ou menos, alto, ros'o comprido, suissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, ecosiuma andar de alpar-
gatas, levou camisa de algodao, calcas veihas
rOtas, chapeo de palha velb", e tamhem oro bonet,
carangnejefro. Se nao andar ?agndo por esta
cidade provavel qoe tenha ido para Serinhaea*
ou Rio Furmoso, onde ja tem sido capturado por
vezes. Roga-se s autoridades e rapit>s de campe
Se apprebenrtam e o leven at seo senhor Jnie
alcaoli Lamenha Lios, residente na Estrada
Nova. sHIo de Jeronymo de Hollanda Cavalcantl de
Albuqnerque, que se recompensar generott-
mente.



piarla de reroambnco Yero letra 1 de Netembro de 18*.
X
LIXTERATRA.
M POICO DE TUDO.
Transcrevemos do Jornal das Familias :
ETA
l
Tmlu siJo creado o hornera.
1 ; tLrono de sua grande desc*ra a Tiindade
omnipotente, e formara, para maflifestacao de
sua gloria, a mais perleita Je lois as suas obras.
i ra tirado o homem Jo limo da Ierra, corrup-
tivel como ella, mas animado pelo sopro divino do
espirito que se nao corrompe, que nao morre, que
sobrevivo a aniquilado ou transmulago da ma-
leria.
Coocara-o a elle e companheira de sua vida,
tir ila di sua carne e ie sea osso, uo paraso ter-
lal.
Doce era a vida que all fruia o primeiro casal
une habitara a trra.
ra innocente a aspiraco de seus desejos, nao
sifrii o embate das paises, nao Ihe punga o co-
rado o torturar do desaleoto, as agonas da dr;
era placida e suave, como as aguas do lago que o
vent nao agita, lmpida como o azul do lirmamen-
ti que nao embacia urna so nijvem, suave como
una nanbaa de primavera perfumada pelas flores
do prado, pela brisa das campias.
E iudo o s>\ despela va, dourando a trra
com ^-.eus raios d.: oaro, por entre as folliagcos das
arvores que adornavam aquella delicioso paraizo,
ave: la mil especies, de variados cantos, de farino-
sas cores, viobam, sem temor do homem, augmen-
tar ,s galas da oalureza o en toar louvores ao ter-
no Creador de todas as cousas.
Tu o era do homem, ludo havia sido feito para
aogcaeplar-lbe a felieidade e multiplicar Ihe os
gozos.
D.o arvores pendiam saborosos fructos; morara-
rava-lhe a brisa aos ouvidos notas suavissimas de
mgica harmona, e o ros que no valle abengoado
uasciam, mitigavam o ardor viviticante do sol, uas
horas calmosas do dia.
Nao tioham a ferocidade os animaes das selvas,
e sacudindo o leao a juba crespa, vinha submisso
lambr os ps ao rei e a rainha da creaco.
Ea noile.quando scintiluva o co coko immen-
a abi'iaii de azul marcheUda de brilhantes;
quando piluda a la Uncava os raios de prata por
sobre as agnas do no e as arvores da floresta ;
qjaado o ruido do regato era mais suave, rnais
melanclico; quanJo a natureza emmudecia eo
rootiaol eotoava esses aceordes arrebatadores, es-
sa msica melodiosa como urna nota de anjos, co-
u.o um cantar de seraphios, o homem arrebatado
do pretor, ealev.ido de iiarmonias, commovido e
agralecido, entoava hossannas ao supremo archi-
tecto da natureza.
Tu lo quanto ajui esta teu, dissera-lhe o
Senhor, dou-l'o eu, que todo creei; as aves do ar,
os an mies da montonha, as flores da campia, lu-
do pertenee t^...
< Mas nao loques nos fructos formosissimos
vista daqaellas dnas arvores; nao os comas, que
morreras de morte, porq ie t'o prohibo ra.
E nao tocara nelies o homem, nao, que o Senhor
o nS quera ; nao, que m irreria de morte, trans-
grcdindo a prohlbico divina.
II
I-ora o orgullo que arrancara das glorias do
Empreo e precipitara na profondidade dos abys-
m,; a legio rebelde das arcbanjos.
Devia de ser a inrvja dos cabidos que faria cahir
o be oem tambem.
Reunira-se o infernal concilibulo nos pincaros
godos da mais alta moatanha da trra, e erguen-
do ^ voi estridente, assm fallara Lucifer, o prin-
cipe das trovas :
E' vergonba para ni, anjos que nao quize-
m-, corvara fronte radiante de luz ao aeeuo do
Too Poderoso...
E' vergonha para us. que goze de tranquilla
feicidade, que se:,a o mimoso do Sensor, aquelle
eomposto de argila vivificada pelo sopro da Triu-
dade....
E' vergonha, de c rio, quando nos, espiritos
de luz e coja perfeigao se uao iguala sua, vive-
mos em meio de torturas, esrnagados polo raio do
mnipoleute trovejador.
Nao; nlo ser assim, espiritos que obedecis
ao meu aceno, compaoheiros da minha desgrana,
rebeldes, mas orgulhosos como cu; nao ser assim;
eni emos denodados na lula, e deslruaaios a paz
suave que desfrocta o homem.
Ah I como doce nos ser, se o virmos acabru-
Bnado tambem ao peso da maldicao do co I
t Como lisoDgear nosso orgulho o destruirmos
a obra aformoseada coai desvelo pelas maos do
Etreo /
c Eia, eslipiritos, lancemos mo de lodos os ar-
dis. envidemos todos os esforcos e que o resultado
coree nossos desejos.
ie o calou-se.
E veio na sua cornpanhia? E ainda vi-
va ? pergunloo Mara.
A' rista de Italia passel-a para bordo de um
navio co"!eiro que ia para Porto-Fiero; dei-lhe
E como o ruido da ventana desencadeada, qoe
arranca as arvores seculares e soleva as ondas, as-
sm echa a voz da legiao rebelde :
Sim, lancemos mo de todos os ardis, envi-
demos todos os esforcos, e que o resultado core
nossos desejos.
Linda eniytarde;to linda como idala assm
nao podera a imaginagao do homem.
E descuidosa, desfolhanJo Jures, passeava Eva,
a casta e formosa compauheira de Adao.
Sentara-se a' sombra de urna palmeira, e all, ca-
bio !o-lhe ao eolio os loaros aunis de seus cabellos
longos, allsava as peanas cor de esmeralda de urna
ave que Ihe fra briucar enuo os dedos.
E depois, soltando um trinado, e sacudindo as
zas, rpido tomara o voo a ave e fra ponsar no
galho da palmeira.
A sos Eva fiera ; pela colima vizinha passeiava
Ado, recreando os olhos ante o espectculo impo-
nente do desapparecer do sol.
Manso e manso se foi approximando de Eva fie-
: xivel serpete.
Filara Ihe os olhos impregnados de ternura e de
suavidade... Mas quem ih'os obsorvasse com at-
tengo perceberia o lampejar da aslocia e da mal-
dade por atravs da limpidez da candura que af-
fectavam.
Era o archanjo das trevas, era Salanaz o rebelde,
quo he tomara as formas e que traigo vinha Ilu-
dir a mesquinha.
E fallou mulher, que scismava :
Em qne scismas se -nle'a a formosa rainna
da rreagao ? Porque essa nuvem ligeira que Ihe
embacia a fronte ? I
Sesmo na grandeza do Senhor, e na infinita
sabedoria que presidio a creado de todas as copas*
Ah I nao dizes ludo quanto pela alma te/vai !
em meio de tola essa felieidade de que gozas1, que
le inunda, ha urna idea que ie persegue, ha u/m va
cuo que nao podes encher !
A mim 1
Sun, a ti; persegue-te ella constantemente,
acompanba-te por toda a parte, como a sombra ao
corpo ; qoeres repelli-la, mis volta incessameroen-
te. Quando casia reclinas a fronte no seio/dn espo-
so, mirando os teus nos olhos delle, ou quando na
lympba crystalina contemplas a formosuna de teu
semblante ; ou quando, noite, te reclinas no vel-
ludo da relva, sem;.re essa idea a perse/guir-te...
sempre ella I...
Nao le comprehendo...
Bem me comprehendes tu... Nao ousas di-
ze-lo, de raedo que a briza da larde leve toas vo-
j zes presenta do Eterno. I
Dize-me, porm, s completamente feliz.de
modo a nada desejares tua felieidade ?
Sou... Deu-me o Senhor a posse de todas as
cousas creadas.
t Provo dos fructos deliciosos das arvores do pa-
nizo, tarto a sede na lympha do rio e repouso a
frouto no seio daquelle de quera fui'trada.
uos frtelos de todas as arvores provas tu ?
Bem sabes que nao ; que anda se nao pousaram
leus labios nos mais formosos que peodera daquel-
las doas arvores...
Nao ; que prohibi-roe o Senhor.
Bem t'o dizia eu, que nao eras completamen-
te feliz; que te persegua incessante urna idea, co-
mo a sombra a acompanhar o corpo. E porque t'o
prohibi elle ?
Nao sei.
Sei-o eu. Arvore da saencia, arvore da vida,
eis os seus nomes. Nao, nao ser ferido de morte
aquelle que Ihes comer os frucios ;.saber tanto
quinto o Senhor, sera' eterno como lie.
Cala-te. cala te...
De onde Ihe vem o poder infinito ?
Da sabedoria infinita que neile reside. Come e
vers... Ficars sabendo tanto quanto elle; teu
poder igualara' ao seu...
Cala-te, cala le...
Xo; ouve-me; crears como elle pela forca
nica de tua vonlade, obedecer' tudo' ao teu ace-
no, o sol que va i desappareceudo no occaso, o ven-
to das florestas, as aguas do ocano...
Come, e viveras por toda a eternldade.
.Mas se nao fr assim como dizes, balbuciou
a mulher, se cu morrer de morte 1
N'o morreras ; prohibio-te o Senhor para que
nao foss igual a elle, em vez de obdeper-lhe como
feilura sua...
Nao morrerei, dizes tu ?
Nao I
Juras-me ?
Jui o pelo sol que vai occullando, nao mor-
reras.
Desobedecerei ao Senhor que mb creon.
Nao; sers tao grande quanto pile. Eterna
spr a tua felieidade ; eterna sera' a felieidade da-
qUctle de quem foste formada.
E a misera colheu o formoso fructo que prenda
dourado da arvore da selenca ; parti o e levou-o
aos labios... Provou-o, a despeito da ordem do
Senhor.
Nesle momento oceultou-se o sol no occaso, lan-
zando um derradeiro olhar a' trra que o peccado
acabava de invadir.
Ado, Ado, gritn Eva, corre, toma ; como
en, come tambem do frocto da arvore da sciencla
e sers to grande como Aquelle qne nos creou I
Padre Francisco Bernardina di Souza.
Assim como se teai dado publlcidade i vida de
todos os homens clebres, porque nao se ha de fa-
zer o mesmo a respailo da dos seos domsticos que
desempenharam papis nSo menos importantes qne
essas proprias personagens T
E' esta lacuna que um parisiense, grande ama.
dor de curiosidades, o infatigavel investigador vai
preencher, publicando -um volume que tem por
tituloAs criadas Ilustres.
Ser urna obra muito curiosa, porque a evoca-
cao de todas essas mulberes, a quem esteve confia-
do o arranjo domestico de tantas illastracoes, co-
mo, entre outras, Scrates, Diniz de Syracusa, Ju-
lia o apostata, Luiz XIV e Moliere, um pretexto
para ancdotas curiosas.
Diz-se at que a obra lera um perfeito sabor
moderno, porque algumas das suas paginas sero
consagradas a contemporneas, ues como Joanna,
criada de Julio Janin, e Sopbia, serva do doutor
Veron.
Ouve... A voz sonorosa, delicada
Da lmpida crreme qne mormura,
Nao tem a languidez de tens accentos,
Neto da volopiaa divinal do-gura.
E' delicado, esquisito e fino
O doce aroma destas roseas tlores :
Tem mais perfumes teus alemos gratos,
Vaporoso ideal dos meas amores.
O co se veste de roupagens branca,
Candidas nuvens, symb'los da ventura ;
Nao leem as nuvens to divinas formas,
Nem de leu seio a deslembranto alvnra.
Solta os cabellos... que elles caiam bastos
Pelas esjiaduas, como lindas flores...
Que braueos dedos I Como ondula a tranca
Quero a vida beber nos teas amores.
Descanga neste leito de agucen as...
Repoasa a toa fronte aqu nos bragos...
Aos cantos dormirs das ondas fras,
E eu te embalarei nos meus branos.
Assim... la, que prata as aguas,
Esquegamos o mundo, minha irmaa *
E basta que smente nos ergamos,
Quando o sol despertar-nos amanha.
Trata-se era Vlenna de formar urna assocago
de celibalarios.
O seu fundador um erapregado que recruta
associados nos cafs, e traz constantemente com-
sigo urna lista onde figurara j numerosos mem-
bros da associagao.
O fiai desla fazer conhecer aos celibalarios um
certo numero de senhoras, que esto no caso de
contrahir matrimonio por terenfabandonado o lu-
xo das mulberes da moda, por observaren) a mais
rgida raoralldade, por serem perfeitamenle aptas
para o arranjo domestico, e finalmente por vest-
rem com simplicidade.
Para attingir este fin, o fundador tenciona crear
urna associagao de meninas dirigidas pelas mes-
mas ideas.
Lemos n'um jornal francez o seguate :
Desde o anno passado se declarou urna molestia
nos limoeiros na provincia, ou anles nos arredo-
res de Mes>ina e na costa da Calabria que faz face
ao estreito.
Os symptomas desta doeoca sao o appareclmento
de urnas manchas negras na casca das arvores ;
desde que o tronco est parcialmente cercado, a
arvore secca e morre ; se Ihe tiram estas manchas
com urna faca como fin de prevenir a exteosao,
formam-se cbagas d'onde sae ama gomma negra
e purulenta de urna natureza difirante da qne
desuda a arvore no seu estado normal.
Todos os meios empregados at hoje para re-
mediar o mal ou para o prevenir como a cal, o car-
vo vegetal ele. tem sido inefficazes.
Se nao se chega a encontrar, para combater esta
doeoca, um agente to poderoso como o enchofre
contra o odmm, ser para a Sicilia urna verdadei-
ra catastrophe.
Em vista das molestias que tem atacado urna
parte das maia valiosas plantas, perguntamos
que faz a setnela e que (em descoberto f
Aonde esto os seus progressos ?
Inclinamo-nos a crer que todos esles males que
atacam a agricultura podara muito bem ser origi-
nados por pequeos insectos que devoravam os di-
versos passaros, e que tendo diminuido o numero
desles pela aboligo das leis que prohibiam a caga
no lempo das creagSes, lenham augmentado o nu-
mero daquHIes causando males que a sciencia nao
sabe remediar.
Sua alteza real o infante D. Francisco de Paula
Antonio Maria, duque do Cadix, fallecen em Ma-
drid a 13 do corrate, contando 71 annos da idade,
pois havia nascido a 10 de margo de 1794.
Casara com a infante Luiza Carolina Maria Isa-
bel, fllha de Francisco I, rei das Duas Sicilias, e
d'ella houve, entre outros filhos, o Sr. D. Francisco
de Assis Maria Fernando, hoje casado com S. M. a
rainha de Hespanha.
.*^*<
E" do Sr. Arstides A. Milln :
AMANHAA.
Vem, meu anjo de amor e de innocencia,
Reclinar-te feliz nos bracos meas ;
Deixa que o vento que soiuga e gema,
Nossas juras de amor eleve aos cos.
Reclina-te Saudemos a belleza
Da linda noile que Ilumina a Ina :
Fita o astro da amor qu's mais ingenua,
Mais formosa, gentil, a face tua.
Aqui... bem perto da roseira branca
Cantemos nosso amor, nossa ventura...
Deixa que imprima, minha bella esposa,
rdeme beijo em tua face pura.
impossivel I
Vr-te cingida nos bragos
De outrem que nao sou en,
E nem siqur um teu riso
Responder ao riso meu,
E lr a morte na vida,
Ao inferno tombar do cu I
Ver teu olhar requebrado
Fitar-se na multido ;
E nao ter um de seus raios
P'ra aquecer-me o corago,
E' soleirar a desgraga
Na ardencia dessa palxo.
Ver-ie a cintura aperlada
No caprichoso walsar
Ver o teu seio offeganie
Junto ao d'outrem palpitar,
E os teus doces atentos
Outras faces perfumar;
E' a laga da cicuta
Das tuas mos recebe* :
Ver em pyra crepitante
A minl\a ventura arder :
E meus sonbos mais querido
Desfolhado fenecer.
...................f*~
Impossivel I Nota austera
De um canto de funeral ;
Verbo que ao mundo trouxe
Genio ou demonio do mal :
Rugir da feras sdenlas
Lufaa de um vendaval.
Impossivel I Voz do nferao
as ancias da maldicao :
Raio qne abrasa a alma,
Da vida na cerrago :
Crep eslendido no fro
Cadver do corago.
Impossivel Negro espectro,
Legenda de Balthasar :
Que os gosos da phatasia
Vem medonha pertubar,
E d'alma vividos sonhos
D'encontro s turabas quebrar.
Marco, por Deus assentado,
Que o homem nao passara'.
Suppllcioque larga palma
De atroz martyrio nos da' :
Grito de angustia sahido
Do valle de Josaphat.
Se nao ds-m um riso uncido
Com os extremos da paixo :
Se ao trovador tu nao podes
Consagrar terna affeigo,
Concede-me ao menos, anjo,
Um riso de compaixo.
..-^#,.W*
FOLHETBI
O DEONIO DO J060
HENRIQUE CONSCIENCE.
i
(Conlinuacao.)
Baria c seu pai estavara profundamente conmo-
vidos com a narrarlo de Geronymo, e cada um
delles Ihe apertava urna mo as suas.
Ah, Geronymo, disse Mara, Deas, que todo
bondade, o abengoo por a sua caridade com a pobre
escrava chnslaa.
Com effeito, muilo digna a saa -acgo, disse
o senhor Van de Werve. Agora ainda mais o esli-
mo pela sua generosidade para com a infeliz t-
ga. Como ella se daria por feliz com o sea inespe-
rado livrameolo!
E' fcil imagina-lo, respondeu o joven fidal-
go. Quando Ihe disse que a ser livre e que volta-
va comigo a patria to chorada, ajoelhava e dava
gragas ao Senhor erguendo as mos para o ceu;
abragava-me os joelhos e cobra-me de lagrimas os
ps. Nao sabendo como testemunhar-me o seu
reconhecmen(o, tirou do seio esse estranho amu-
letto e deu-m'o, pedindo-me qoe nnnea me sepa-
rasse delle. Disse-me que tinba virtude para pro-
teger e salvar quem o possuisse, quando nao hou-
vesse ou osse impotente qnalqaer soccorro huma-
no. Quanto a origera do amulelto nada sabia seno
que viera de Jerusalem por um sen antepassado
que fizera ama vlagem trra santa para expiar
am homicidio'involuntario, e que desde ento,
tinha sido transmitido a soa familia, de pais a
filhos, como preciosa reliquia. Nao duvldava da
soa virtude e contava estranhezas que davam razio
sua f. Por exemplo, dizia que so o amuletto
que Ibe lioha alcaagdo a minha prolecgo e qoe
Ibe permittia voltar a Italia por am modo tao ines-
perado.
: algum dinheiro o recommendei-a aos cuidados do
capito. A pobre Thereza MostaJ4que assim se
chamava-vive agora provelmente enji paz na sua
\ aldua natal e pede a Deus por minf I E' a nica
razo porque creio que o amulelto telo (al ou qual
; virlude; creio na sua protecgo porque foi santifi-
I cado por um acto de caridade christa e pelas ora-
goes de gratido da pobre cega marlyrisada em
nome do Christo pelos pagaos.
O velho fldalgo ficou por um pouco em silencio
e como abysmado em reflexoes. De:>ois, apertando
outra vez a mo de Geronymo, disse :
Ainda nao oconhecia bem, Geionymo. Ago-
ra desejo que me seja possivel provar-lbe quanto
para mim honrosa e nobre a generosidade do seu
' corago, mas anda que a sua f no amuletto se
basei em am sentimento louvavel, cilm tudo en no
sea lagar nao confiara muito ne| e. Bem sabe
! que se nao deve procurar o perigo.
Nao crea que eu caa em cega imprudencia
senhor; sei que o olho e a pona da espada devem
ser boas sentinellas. Quando atravesso roas em
i trevas, nunca von sem boa cornpanhia, e a minba
mo nao deixa o punho da espada. Por conse-
I guinte nao se assuste, e permitla-me que compra
o meu dever como convm para com aquella a
quem devo homenagem e respeito.
Nesse momento o son.) de um sino grande fez
tremer as vidragas pintadas da sala, (sto faz dar
outra direcgo aos pensaraentos de Maria.
J dez horas em S. Thiago I Se man pai qni.
zesse vir comigo dar ara passeio ao estaleiro, para
ver se ainda vem viudo mais algum navio,
dar-me-hia muilo prazer.
A qoe hora a raar ? perguntou o pal a Ge-
ronymo.
A mar alta ao meio dia.
Eolo que havemos de ir fazer ao estalei-
ro? perguutou o velho fidatgo. Talvez se passem
ainda mnitos das antes qne til Salvatore appare-
ga no Escalda. Nao receies, Maria, qoe o signor
Deodati possa snrprehender-nos com a saa chega-
da. D. Pessoa, feitor do rei de Portugal, deu ordem
para que eu fosse advertido logo que fosse a galera
avistada a entrar no rio ao meio dia.....
Van de Werve foi aialhado pela entrada de um
criado que Ihe annuociou que o balio, Joo Van
Schoonhi ven, desejava fallar-lhe e o esperava.
Geronymo fez um movimento para tirar-se, mas
Van de Werve disse-lhe eom aflabilidade:
Pode ficar, signor; en chamo Petronilla, a criada
grave de Maria, para Ihe fazer cornpanhia. A con-
versar com o Sr. de Schoonhoven talvez nao leva
mnito lempo. Iremos depois ao estaleiro, e gosa-
reraos ao menos este lindo tempo. Queira deixar-se
estar.
Logo que elle sahio, entrou urna mulher velha
que se assentou em urna cadeira a um canto, perto
da porta de entrada. Tirn da algibelra om rosa-
rio e pareceu que se p6z a resar baixo. Islo era
de certo um costme habitual, porque nem Mara
nem Geronymo Ihe prestaram attenglo.
Maria approximou-se do mancebo e disse-lhe
contente:
Geronymo, alegre-sel Mea pai ainda ha
pouco me prometteu que nao imporia a sea tio
coodicoes muito pesadas.
Devo muito a sua bondade, respondeu elle
com ar de tristeza.
Mas que tem? perguntou Maria inquieta com
a sua fneza. Logo qoe entrou notei que Ihe pesa
no corago algoroa tristeza ou anciedad. Tenba
esperangas; II Salvatore ainda hoje pode entrar
no rio.
Queira Deus qne no entre I disse Geronymo
suspirando.
Entio assusta-se com a rinda de seo tio?
perguntou a donzella inquieta.
Nao f*lle to alto, Maria; a sna criada
ne deve ouvir o que tenho para dizer-lhe.
verdade, assusla-me a viada de meo tio, desde
bonte noite. Tenho pedido ao cu essa rinda
como om grande bem ; e agora, Maria, faz-me tre-
mer.
Escrevem de S. S.-bastai que naquella cidade se
soltaram 500 pombas procedentes de Bruxellas, re-
gressando todas menos 5 a esta ultima capital, fa-
zendo a viagem que de alguns ceios de leguas
em 8 horas e meia.
Sobre se ebegariam ou nao fizeram se apostas de
150:000 francos.
As pombas, ainda que pareca qoe ao levantar o
vo para voltar Blgica haviam de ficar algum
tanto desorientadas, depois de darem ornas tantas
voltas pronunciaran! direcgo e em breve dessap-
pareceram de S. Sebastio, para horas depois o te-
legrapho annunciar a sua chegada a Bruxellas.
Na Semana Illustrada vera um desenho que re-
present a veneraoda D. Rosa Maria Paulina da
Fonceca cercada dos retratos dos sete filhos que tua
no exercito.
Por ventura tem mas novas de seu tio ?
Ah I quando tudo me surra, quando J em
todas as minhas oragoes agradeca a Deus a fe-
lieidade que rae tinha concedido, levantase contra
a minha vida ama tormenta ameagadora. J me
parece ouvir a voz de meu tio proouociar a crue]
sentenga que ha de condemnap-me a urna dr
eterna.
A vrgem fez-se paluda de angustia e fitou-o at-
ienta como para sendar-Ihe o intimo.
Maria, murmurou o mancebo, um segredo
que nao posso coofiar-lbe plenamente, e que por
dever talvez cumprisse oceultar-ihe. Ha quatro
semanas, ura oegociante muito estimado achou-se
por singulares circunstancias, sem dinheiro e pe-
dio-me emprestadas dez mil coroas. Se eu nao
podesse valer-llie, ficava para sempre compromet-
ida a reputago da saa casa. O sea nome pare-
cia-me segara garanta para ama qoantia dez ve-
zes maior do que aquella que rae pedia. Era todo
o casoapezar de magoar-me a idea de ir contra-
riar gravemente as ordens de meu tio nopoade
negar soccorro a quem m'o pedia. Porque ? E'
o que nao sei dtzer. Emprestei-lhe as dez mil
coroas. Deu-me um recibo em que se compromet-
a a embolgar-me em ura raez da quaotia recebi-
da. Era homem o dia do vencimenio ; o devedor
pedio-me espera at amanha. Encontrei o, ha
nma hora e meia, e disse-me que ainda nao tinha
podido arranjar o dinheiro necessario I
Mas se o sea devedor rico como me diz,
nao tem nada que recear hoje, porque talvez pa-
gue amanha, observoa Maria com mal dissimula-
da aogustia.
Nao sei se o medo que me engaa e me
cega, mas parece-me que descobrt que esto em
muito mau estado os negocios do raen devedor.
Por muito m'o pedir, ea nao tioba lancado no
diario esse emprestimo para qoe os caixeiros nao
soobessem de nada; mas o caso qoe a impor-
tancia falta na calza. Mea lio tem olho de lynce
nestas coasas de commercio ; ba de descobrir que
A nobre matrona est representada na occasio
em que abenca o mais joven de seas filhos. o pa-
rece proferir os seguintes e sentidos Tersos :
Cala-te, amor de mi I quando o inimigo
Pisa da nossa trra o chao sagrado.
Amor da patria, vivido, elevadp,
S tu na solido sers comigo I
O dever maior do-que o perigo ;
Pede-te a patria, cidado honrado ;
Vai, meu lilho, e as lides do soldado
Miuba lembraca vivera' comtigo I
E's o stimo, o ultimo Minha'alma
Vai loda ah, couvosco repartida/
E eu dou-a de olhos seceos, fria e calma.
Oh f nao te assuste o horror da marcia liJa,
Colbe no vasto campo a melhor palma ;
Ou morte honrado ou gloriosa palma.
L-se no Jornal do Amazonas :
Os joroaes da capital deram noticia resumida
dos primeros resulados obtidos pelo Dr. Agasslz,
em suas investigagos, na provincia do Para.
O rio Amazonas nao tem sido menos rico em
dados inteiramente novos para o estudo das scien-
cas ualuraes.
Em carta de 22 de agosto, o Dr. Cootloho, escre-
vendo a' presidencia diz :
O professor nao cessa de aialtar as riquezas des-
ta regio completamente absorto pelos .-cus queri-
dos peixes.
Em Gurupa' e Tagipnr colhemos dez especies
aovas. Colhemos tambirn urna nova especie de
Jacar denominadojacarhy.
Disse-me hoje que concluido o trabalho, faria-
mos oma verdadeiri revolugo no mundo scenti
fleo.
Quasi 60 especies novas em menos de 15 dias-
realmeote urna revolugo I
Os grandes preparativos que o professor fez para
suas collecgoes, ficam muito ajuera do que anatu-
roza Ihe ministra, tal a prodigalidade com que a
vida se manifest no valle do Amazonas.
Tudo superabundante, e ha um luxo de pro-
ductos tao extraordinario que excede m;smo aos
sonhos mais extravagantes que o homem da scien-
cia formava qu indo preparava sua viagem.
Nao pense o leitor que exageramos; temos
vista urna carta do Dr. Agassiz, escripta em 20 do
passado ao Sr. Dr. Couto de Magalhes, em que o
professor assim se expressa :
Le resulta! de nos recherches, surtout pour las
poissons, surpasse les rves les plus extravaganls
que j'ai jamis fait. Nonseulement je sais mainte
nanl que toules les locahls que nous avous visi-
teos nou risseut des funnes distioctes les unes des
autres, mais mema j'entrevois que les localites
intermdiaires furoiront encor des asserablages
differents d'especes distioctes, lant sont grandes les
diflerences da celles que nous avons deja' etu-
des.
Jo croyais resoudre le problema de la distribu-
tion geographique de poissoos en faisn', quatre ou
cinq collectious sepreos entre Para, el Manos :
aujourd'hui je ne sais pas daos quelles limites II
foudra nous renfermer, si bien que le mleux a'
faire est de raulliplier les collcctions autant que les
circonstances le permetiruut.
Todos pasmam-se dimite de nossas grandezas ;
s nos os paraenses somos Indifferentas a ellas.
Da justa admiragao do sabio tiramos urna lico :
nossa trra de urna riqueza natural que excede
aos sonhos da imaginacao ; pois bem, compenetre-
mo-nos dessa verdade, e tratemos de faze-la fructi-
ficar.
Do Cruzeiro do Brasil iranscrevemos o se-
gunte :
JESS CHRISTO CO.VStDBRAOO COMO FUNDADOR BA
1GREJA.
(Conclusao).
VI
Ura homem appareceu.
Seu genio e suas victorias prodigiosas o tornaram
senhor da Europa.
Em pouco tempo revezes espantosos precipito-
ramn'o do throno e o langaram prlsiooeiro sobre
um rochedo do Ocano Athlantico.
Para adocar os rigores do seu captiveiro, elle
exaroinava como pbilosopho e como homem de es-
tado os principaes acoutecimentos do seu rei-
nado.
Um dia elle dizia.
Sa eu tivesse sido bem succedido em meus
projectos, leria engrandecido os dominios da civili-
sago, e um milho de enles me teriam aben
goado.
Sem duvida este conquistador tinha vistas hem
profundas.
Suas previses parecer-lhehiao justas.
Ah 1 pareca ignorar que, se foi dado aos ho-
mens formar na imaginacao altos castellos, nao
Ihes foi entretanto permitlido realisa-los.
Alexandre, Cesar, Mahomet, tioham concebido a
idea d'uma dominago universal.
Inebriados des seus immensos snecessos, quando
julgavam tocar o termo to desejado, estava escrip
lo no grande livro que elles nao iriara longe.
O pobre menino nascido de urna judia no pres-
cepe de Belem, o Crucificado, o fundador da igreja,
sera' tambem comprehendido nesta lei lerrlvel,
que nao excepta nenhum homem ?
Sera' obrigado tambem a ella ?
Oh I nao.
Sempre uaver eoragoes que o amaro, que o
abengoaro, e vozes que repeliro o que elle e o
que fez pela nossa salvago.
ha ura dficit de dez rail coroas, ha dficit resul-
tante de um emprestimo de dinheiro, cousa que
desde a minha infancia me tem sempre desacoa-
selhado, e qua ainda ha pouco tempo me prohibi
severamente. Mea tio bom para mm como um
pai ; mas esta desobediencia bast para privarme
para sempre da sua conflanga. Recelo urna des-
graga, Maria 1
Mas porque foi to imprudente ? Porque
nao recusou um emprestimo to consideravel ?
Nopodia recusar... era impossivel.
Mas nao tem um titulo da divida e urna pro-
messa de pagamento ? Cite esse negociante pa-
rante os magistrados; em Antuerpia faz-se boa e
prompta justiga a todo o mundo.
E' impossivel t tornou o mancebo em tom
magoado ; um homem a quera devo grandes
obrigagoes. Se me queixasse, arruinava-o para
sempre. Veremos se elle ter tempo para poder
embolsar-me das dez mil coroas. Ainda esta raa-
nba rae disse que se esforcaria para pagar-m'as
em letras de cambio sobre Hespanha.
Mas ento quem elle ? to mysteriosa a
sua lingaagem...
Nao ihe direi quem Desculpe-rae, Mara;
mas entre os negociantes o segredo ama lei qoe
nao se pode violar.
Mara pareceu subraetter-se dcil a essa lei ;
abaixoo a cabega e fitou os olhos tristes no pavi-
mento.
Ou porque o trasbordar da sua magoa no cora-
go da sua bem amada tivesse dado forca ao man-
cebo, oo porque rendo a dr de Mara fosse movi-
do a fingir energa, disse em tom desembara-
zado :
Varaos ; nao se asoste, Maria. Ea esloa
provarelmeate a exagerar o perigo. O meu de-
vedor um homem coja casa poda ir de par com
qnalqaer outra pelo que toca a considerago e ri-
queza. Em alguns das, oo talvez ainda hoje
mesmo. serei pago de toda a quantia. Se mea tio
Os postlos, enviados por elle 4 conquista do
mundo, nao n'o esquecem nos o sabemos.
Declaram altamente que elles nio sao seno seus
humildes servos.
Pregam soa doutrina, sustentam sua autoridade
e seus direitos a' vista dos snpplicios que se Ibes
prepara : consideran-se mais felizes em solfrer e
morrer pelo tnompho da sua causa.
Depois dos apostlos, mlhdes de marlyres ar-
rancados d'entre todas asclassesda socledade.afflr-
mam e repetem diante dos magistrados, no meio
das torturas, que elles creem em Jesas Christo,
que elles o amam, que o adoram, e que para dar-
Ibe um solemne te-temunhb esto promptos a der-
ramar a ultima gota de sangoe.
Depois dos marlyres, mllhes do anachoretas,
de solitarios, de vlrgeos, se despojara de tollos os
seus bens e renunciara espontneamente todos
os prazeres, a' todas as honras : porque elles nao
tem outra ambigo seno a de viver por Jesns
Christo; nao querera seno urna gloria, a de se
unir a Jess Christo e abragar corajosamente todas
as austeridades da penitencia e todas as praticas da
perfeigo christa.
O que fazem os pontfices ?
O que fazem os padres e os doutores ?
Em cada momento, d'um a outro ponto do mun-
do elles orara a Jess Christo. repetem o norae de
Jess Christo ; trabalbo em desenvolver, em per-
petuar as almas a conhecimento e o amor de Je-
sas Christo, Se nossos missionarios visilo climas
os mais inhospialeiros, os lugares os mais selva-
gens, qual o sen Ora seno o de platrem abi a
cruz de Jess Christo ?
Quando urna gerago de fiis desee ao lomlo
abengoa-lo, e a' esla seguir-se-ha urna ouira que o
abengoara' com o mesmo fervor.
Em nossos diasjo agitados, em qoe tantos co-
ragoe se congelan), em que tantos caracteres se
humilhn, ha entretanto urna personagem que se
distingue das demais, a que o objecto da alten-
gao geral.
Quem esla personagem ? Vos o sabis, o
papa.
Porque privilegio elle inspira um interesse to
universal, to profundo?
E' porque elle o represenfante de Jesns Chris-
to, o vigario de Jess Christo.
Se elle nao fosse seno um simples soberano,
poderia dispertar a nossa compaixo e admira-lo
um momenlo.como lastimamos e admiramos aquel-
es que sao desgragados e que sabem supportar
corajosamente a desgraga.
Mas elle o pai da grande familia I
Elle traz em suas raaos, com a cruz de Jess
Chrlsio, os destinos e a salvago do mnndo.
Eis aqui a razio porque todos os catholicos se
inclinara para elle com estremecido amor.
E, acoutega-lha o que acontecer, elles ser-lhe-ho
sempre fiis, ainda que seja misler por elle derra-
mar sea saogue.
NECESSIDADES DA IGREJA BRASILEIRA.
Na poca em que nos acbamos, e era face do
esplendor do prsenle seclo, cujas luies se der-
ramara por toda a parle, admira que entre tantas
e to variadas reformas, que se tem feito em todos
os ramos da administrago publica, pouco ou nada
haja dellas participado a nossa igreja, de modo
que a sua acgo benelica seja proveitosa aos seus
proprios interesses, e aes da socledade civil em
geral.
Constantemente se clama por urna reforma ec-
clesia.-tica, que estando em harmona com a saa
proprii ndole e insltmgo, satisfaga tambera as
exigencias da poca; entretanto conhecendo-se
esta palpitante necessidade nao se procara, infe-
lizmente, providenciada em tempo I
Reconhecemos, que toda a reforma, que pode
provir a' igreja, no que diz respeilo smente
sua disciplina, nica capaz de soffrer modlficages,
segundo as conveniencias dos povos; e por isso
mesmo que a nossa igreja nascra da portugneza,
e data a sua existencia poltica desde os lempos
coloniaes, nao possivel ella subsistir ainda com
essa mesma-legislagao, qoe ento receben da me-
tropole, e que em sua mxima parle ainda se
aclta em vigor, e por ella se regulara todas as dio-
ceses do Brasil.
Ura dos pontos capitaes, pois, desta reforma de-
ve ser a revso das consiiiuiges, denominadas
Synodaes, e compila-las de modo que se acommo-
dem, e satisfagan) as exigencias da poca : pois
com a d>.tago a" igreja de um cdigo disciplinar
aonde leoharn sido bem consultadas as necessida-
des dos povos, e convenientemente alijados os in-
teresses de ambos os poderes, ecclesiaslico e tem-
poral, seguirse-ho todas as oulras mais vaota-
gens inmediatas.
O proprio clero, que actualmente tanto procura
inslruir-se para bem obrar, melhor comprehen-
der sua importanlissima mi.ssao no seio da so-
ciedade civil, e o estado muito gaohar tam-
bem dispondo de um grande elemento da ordem e
da forga.
Tudo o mais pois, que nao tender a' esta primei-
ra e a mais principal da todas as necessidades
ecelesiaslicas, e perder-sa um lempo precioso, e
que s servir para aggravar arada mais o mal,
que ja' muito adiantado est, seno querem qoe a
igreja materialise de lodo.
Lemos n'um jornal :
Seis Irmaas da ordem de S. Domingos acabam
de partir para a Italia ; vo inslallar-se n'uma
vast propriedade que Napoleo possae as Mar-
cas.
Levam o encargo de organisar all, por cont do
imperador, urna escola, urna sala de asylo, e oma
ofilcioa para as criaogas da localidade.
Um medico as acorapanha, e lera' a misso da
assistir gratuitamente aos pobres.
chegar anles da resiituigo, esforgar-me-hei por
demorar a entrega dos livros.
E aperlou a rao de Mana j meio tranquillada
e disse-lhe com voz cheia de alegre onlhusiasmo :
Mara, queira o cu realisar os mais ardentes
desejos de nossos coracOes I Desga obre a nossa
anio a santa bengo I Passaremos na Italia os
primeros raezes da vida mais feliz, na Italia, pa-
raizo da trra onde Deus derraraou a flux todos
os ihesouros da natureza, e o homem todos os da
arte.
Soou no vestbulo a voz do Sr. Van de Werve ;
ouvia-se distinclarneuto que dava aos criados or-
dens urgentes.
Abi vem meu pai, disse Gernimo. Peco-
Ihe que np deixe escapar diante d'elle nem ama
palavra do que Ihe disse. Guarde o meu segredo,
mesmo para elle, e lembre-se de que a mais leve
indiscripgo pode dar era resallado a ruina de am
honrado negociante.
Depressa, Gernimo I Pe o tea reo, Ma-
ra 1 grltou Van de Werve entrando na salla. Abi
vem o signor Deodati I Esto a vista c n Salva-
tore. D. Pessoa acaba de roandar-m'o dizer, e
poe a nossa disposigo a sua gndola o os seos
remeiros. Est um tempo delicioso : iremos ao
encontr de c II Salvatore .
Maria, como se essa nova inexperada Ihe fizesse
esquecer o que Gernimo acabava de dizer-lhe,
deu um grito de alegra e poz o seo reo sem espe-
rar qoe a criada a ajudasse. Gernimo tambem
pareca muito contente, e preparoa-se para ir sem
perda de tempo ao encontr de seo tio.
Em poneos instantes, todos estavam promptos ;
esperaram ainda um pouco com impaciencia at
que os cavallos fossem postos carruagem. Em-
fim abrio-se a porta central e o trem parti.
(Qontinuar-uka.)
PERNAMBUCO- Ti?. DE M. F. DE P. & FILHO

ir-


i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELHSDYMPO_KEZ1GG INGEST_TIME 2013-08-27T21:10:42Z PACKAGE AA00011611_10777
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES