Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10775


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IL1, HOMERO W.
Fr qnartel pago dentro de i O das do 1." mei i{,
dem depois dos 1.' 10 das do comecoe dentro do qnartel. .
Porte ao eorreio por tres aezes.........., :
81000
6|000
750
DE
SABBADO 23 DE SETEMBRO DE 1865.
fer aiM pago dentro deludas do i. mez ; t i i9f{H)t
forte ao eorreio poriui anuo........,...,, S|000
RHAMBUCQ.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alax?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Aniouio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. deLemns Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhn, o Sr. Jnaqnim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves A
FHhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSGIUPQAO DO SUL.
Alagons, o Sr. Claudino Falco ias; Bahia, o
Sr. Jos Mrtins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Allinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Lirooeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgneiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
[Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 boras.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeara vara do civel: tercas sextas ao mel
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
non da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ* DE SETEMBRO.
5 LO cbeia as 11 h., 33 m. e 16 s. da m.
12 Quarto ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La. nova as 8 b., -26 m. e 10 s. da I.
28 Quarto cresc. aos 27 m..e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Jos de Cuperfino f.
19. Terca. S. Januario b. m..; S Nito h. m.
20. Quarta. S. Eustaquio m.; S. Prisco m.
21. Quinta. S. Matheus ap.; >. Joas prof.
22. Sexta. S. Mauricio m.; S. Santino o.
23. Sabbado. S. Lino p. m.; S. Tecla v. m.
24. Domingo. S. Tyrso m.; S. Geraldo b. m,
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as 7 boras e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COST1IROS.
Para o su! at Alagoas a 14 e 30; pan o nort#
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mete de Janeiro, maree, malo,
julho, setemhro e novembr.
ASIGNASE
no Recife, na livraria da praga a Independen?!*
ns. 6 e 8, dos propietarios Manorf Figaeiroa d
Faria & Filho.
PAUTE 9FF1C1AL
SOiMflO DA PROWMI.
Relatarlo com qne o Exm. Sr.
Br. Autalo Borgcs I-ea! Cas-
tello Ufaneo pasoii a adminis-
trado tiesta provincia ao sex-
to rlceprcaldenteExm.Sr. ba-
rio do Rio Formoso.
(Continuaco.)
Noticiando o Dituto de Pernambuco n. 146 que
Joao Bento de Vasconcelos, recoihido a casa de
deteogo por ordem do juiz municipal desde 8 de
marco de 1864 por nao ter dado coma dos alague-
res da casa em que habilava, e dos quaes se cons-
lituio depositario, indigente e se acba em estado
de loucura, ped sobre isso normagdes ao nvsmo
juiz. as quaes transmit! ao dez-mbargador procu-
rador da corda para dar o seu parecer; e ao ca-
rador geral dos orphaos, a quein o remetti, recom-
menJei que promovesse pelos meios mais apro-
priados o melhoramento da sorte d'aquelle infeliz. |
Mandei que o juiz municipal do Bonito proce-
desse contra Francisco de Letnos Vasconcellos,
Antonio Lemos de Vasconcellos, e Joaquim Manoel
de Oliveira e Silva por haverem lirado Jos Igna-
cio de Portes da priso em que se achava. Aquel-
les procuraram jusiihVar-se em urna representa-
cao, sobre a qual ouvi o juiz de direito, que intor-
mou favoravelmente, referindo-?e igualmente s
instruccao publica dorante a ausencia na curte do
zeloso e Ilustrado director Dr. Silvino Cavalcante
de Albuquerque ao Dr. Jos Soares de Azevedo,
que j de outras vezes tem oceupado esse lugar.
Nomeei para membros do conselho director em
substitulco do Dr. Braz Florentino Heoriqnes de
Souza, que foi exonerado por se achar empregado
na corte, o Dr. Joflo Capistrano Bandeira de Mello
Filho ; e em lugar do Dr. Aprigio Jusiiniano da
Silva Guimaraes, que pe io escusa, o Dr. Tarqui-
nio Braulio de Souza Amarante.
Fiz ainda as nomeagSes seguimos:
De Porfirio de Albuquerque Magalhaes para o
lugar vago de porteiro do Gymnasio Pernambu-
cano.
De Manoel do Reg Cavalcanti de Albuquerque,
do coronel Francisco de Medeiros Cabral, e do ba-
charel Emygdio Marques Santiago para delegados
litterarios de S. Vicente, de Panellas, e do Limoei-
ro, por proposta do director; e demliti de igual
cargo, na capital, o bacharel Cicero Odom Peri-
grino da Silva, por assim o haver pedido; e em
Caraar o bacharel Miguel Bernardo Vieira de
Amorira, em vista de representado de Manoel
Alves Pereira, e informacao do director.
(Continuar-se-ha.)
Expediente do dia 19 de setembro de 1865.
Offlcio ao Exm. marechal de campo commao-
danle das armas.Recommendo V. Exc. que ex-
peca as mais terminantes ordens para que se reco
lliam immediatamente a esta capital, todas as (ira-
cas e offlciaes do corpo de guamigo, que existi-
SfonncOM'qe remtte'do jrtz municlpa do I rem no centro da provincia, em todo e qualquer
' "%"1"" rrvn' m nna delegado.
Nada constando da secretaria obre o resultado
do prjeesso que em 25 de agosto de 1863 mandou
a presidencia fazer Francisco Barbosa dos San-
tos pelo furto de orna escrava de Antonio Rosa
das Virgens, pedi em 30 de junho inforniacoes
aos juizes de direito da Boa Vista e de Cabrob.
Alim de activar a marcha dos processos e o jul-
gamento dos reos, que ficam frequentemente de-
morados por longos annos, pedi a 10 de junho iu
f.irmacoes a lodos os jaizes de direilo sobre os pro-
cessos criminaes que por ventura estivessem por
qualquer forma demorados ou esquecidos em suas
comarcas.
Oficios de justica.
servigo, em que se achem, como j foi determina
do por esta presidencia em officio de 15 de julho
ultimo, fazendo saber que nao serao attendidas
quaesquer ponderacoes, que por ventura apresen-
tem para nao seguirem quarto antes para esta ca-
pital.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no 5. corpo de voluntarios da patria a An-
tonio Jos da Cuuha e Francisco Ignacio da Ro-
cha.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar na companhiade cavallaria a Manoel Igna-
cio da Silva, que para isso se offereceu voluntaria-
mente.
Dito ao mesmo.Faga V. Exc. eliminar do bata
Por aviso do misterio da justica de 22 de raaio jbfo de guardas oacionaes desUn.dos ao servigo de
ultimo foi declarado que o serventuario Jos or- Kuerra o guarna 00 3- oaiainao oe inianuna
Serio Casado Lima deve'occupar os offlcios de l. Olympio Camello de Albuquerque Galvao, que ser-
tabellio e escrivo de orphaos, residuos e capel-
las do termo de Agua-Preta, e que o 2 o tabelliona-
to deve ser posto em concurso de conformidade
com o decrelo de 30 de Janeiro de 1834, assim co-
mo o de escrivo privativo do juiz do mesmo
termo.
Por avisos de 29 do mesm) mez de maio e 16
de junho foi igualmente declarado que os offlcios
de tabellio e escrivo dos termos de Cimbres e
Cabrob devem ser posto* a concurso na forma do
referido decreto e da resolugo d-. consulta de 17
de Janeiro de 1857.
Acha-se aberto o cooeurso para provimerto do
officio de partidor do juizo civel desta comarca.
Por decrelo de 8 de julho houve S. M. o I. por
bem fazer mered a Antonio Jos Alves de Brito da
ve de arrimo a sua roi viuva.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pede no incluso requenmento o guarda do
batalho de infartara Marceliino Jos da Silveira,
jamando o termo da raspecga a que deve ser sub-
meitido o supplicarte.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. inspeccionar o
paisano Alexaodre Jos da Silva, que o guarda do
8. batalho de infanlaria Canuto Sergio de Faria,
offerece para substitui-lo no servigo de destacamen-
to, informando V. Exc. sobre a prelenco do mes-
mo guarda.
Dito ao mesmo.Remeti incluso o requenmen-
to que me dirigi o soldado do 3 corpo de volun-
tarios da patria, Jos Hygino Du ra Pereira, para
que V. Exc. se sirva de conceder ilie o uso da in-
dens para qae sejam transportados pela via frrea
de qualquer estacao para esta capital os volunta-
rios, que forem apresentados por Joo Gomes de
Seixas.
Portara.Os Srs. agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes, mandem dar urna passagem de
estado a r al o Rio de Janeiro no vapor Galgo, a
Fabio de Salles Cardoso Lins.
DitaO presidente da provincia resolve au-
torisar Manoel Joo Rio de Jordo Chaves, a pro
mover o alistamento de voluntarios da patria, e re-
commenda a todas as autoridades a quem esla for
apresentada, que o auxiliem no desempenho desta
commisso.
- 20
Officio ao marechal commandante das armas.
Imforme V. Exc. sobre o que pede Joo Pinto dos
Santos no incluso requerimento.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Era vista do pret junio em duplicata que me re-
menea o commandante superior desie municipio
com officio de hontem sob n. 334, e nao havendo
inconveniente, mande V. S. pagar os vencimenlos
relativos a 1." quinzena desle mez, da torca do 2.
batalho de infanlaria da guarda nacional desta ca-
pital, qae se aeha aqoartellada para o servigo da
guarnigo da praga.Communicouse atreoraman-
dante superior da guarda nacional do Recife.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Mande V. S. apresentar ao capilo do porto hoje
as 2 horas da tarde 18 pragas do corpo sob seu
commando, para escoltarem al o embarque os re-
crutas de marinha destinados a corte.
Dito ao capito do porto.Dos recrutas destina-
dos a armada de que trata o sea offlcio n. 182 des-
ta data, s pode seguir para a corte no vapor Gal-
go, os de que irata a relago junla; o que declaro
a Vmc para ter execugo.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de
paquetes a vapor.Podem Vracs. fazer seguir ho-
je as 6 horas da tarde, para os portos do sul o va-
por Galgo. Fica as=im respondido o seu offlcio
desta data.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao qoe requeren Manoel Baptista Barbosa, resolve
conceder-lhe licenga para ir ao presidio de Fer-
nando tratar de negocio de seu particular no 1."
vapor on navio de veila que para all seguir.
Dita.-Os Srs. agentes da companhia Brasileira s0 d,amj raartin)0> coniposigo do Sr. Cesar de
de paquetes, fagam transportar no vapor Galgo por Lacerdai a probidade: ao qual seguir-se-ha a bella
corta do ministerio da marinha e com destino a 0pereia q ji0 raz
corte, os recrutas, engajados e voluntarios mencio- Escusamos encarecer o mrito destas duas com-
nados na relacao junla. nosigoes, bem conhecidas do nosso publico, que
Dita. Os Srs. agentes da companhia Brasileira |hes lem presta(Jo 0 sea aprego, quando tem ido
de paquetes, fagam transportar para a corte por scena pe|0 bom desempenho, que hao tido s pri-
conla do ministerio da guerra no vapor Galgo, os; raeros carecieres,
offlciaes e pragas mencionadas no mappa incluso
por copia.
que polo do lugar de tunele qnartel-mestre do
corpo de polica, e por outra portara da mesm da-
ta noneou para o mesmo corpo os offlciaes se-
guirte* :
Tenertq ajudante o atieres da 3* companhia Leo-
degario Libralo Pereira Caldas.
Tenerte qnartel-mestre Manoel Joaquim do Reg
Bar reto.
1' companhia
Alferes o 2* sargento Basilio Luiz Coelho,
3' companhia.
Alferes o Io sargento Amonio Arthur Mareira de
Mendooga.
4* companhia.
Alferes Joo Francisco Pus Birreto.
5* companhia,
Capito o tenente da mesma com panhia Romao
Rodrigues Pereira.
Tenente o alferes da 4" companhia Carlos Jos de
Siqueira.
Por portarla de hontem foi nomeado para
exercer merinamente o lugar de langador do consu-
lado provincial emquanio durar o impedimento do
elTectivo Joo Paulo Ferreira, o 3" escripturario do
mesmo consulado Abdias Bebiaoo da Cunha Sales,
para icraporariaineule substituir a este foi pela
mesma portara nomeado o guarda da mesma re-
parligao Rodrigo Jacome Martin.- Pereira-
Alistaram-se hontem no 5 corpo de volunta
rio da patria os seguales :
Manoel Francisco do Espirito Santo.
Lauriano Antonio de Paola
Jos Cabral.
Jos Vicente de Aquino.
JOs Joaquim da Silveira.
Jos Francisco de Barros Araurim.
Antonio Graciliano das Chagas.
Jos Francisco das Chagas,
Andr Narciso da Silva Mendes.
Alistou-se no 3* corpo o cidadSo jlgnacio Vieira
da Silva.
Hontem continuando o exame que se proce-
da perarte a thesouraria de fazenda para prati-
cantes, terminon-se a prova de calculo de descon-
tos, juros simples ecompostos, theorias de cambio
e suas applicagoes, em que examinou o Sr. Di.
A. Wilruvlo Pinto Bandeira e Accioli de Vascon-
cellos.
Hoje vai scena no Santa Isabel o apparato-
servenlia vitalicia do offlcio de escrivo de appel- slgoia de cadete, at que possa prestar a justfica-
lages, aggravos e protestos de letras do tribunal gao exigida por le.
do commercio desla provincia. Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do 1."
A le provincial n. 637 deste anno creou mais batalho de guardas nacionaes destinados ao ser-
escrivo do crime no termo desta capital para ser- vigo da guerra o guarda do batalho n 31, de in-
\rr exclusivamente perarte o chele de polica e fantaria do municipio do Cabo Paulino Joo Manoel
delegado do 1. districto. Falco, que rica despensado desse servigo al que se
9 n ap v" reuni ao cOlcio de escrivo po ju- recorra a classe a que elle pertence.
ry do termo de Ohuda > de escrivo do crime do Dito ao mesmo.-Fago apresentar a V. Exc. para
> 'ini alistados uo baialho de guardas nacionaes
destinados ao servigo da guerra os guardas do ba-
mesmo termo; -dividi em 2 os de escrivo e ta
bellio do termo de Cimbres, e supprimio o de 1.
tabellio de notas do termo do Brejo.
Mandei proceder criminalmente contra o escri-
talho n. 11 de infartara do municipio de Igua
rass Joo Mathias Thomaz, Agoslinho Simeo Cor-
vo do jury do lermo do Buique por aecusacoes ra e xnom Cardoso Monteiro.
Regtslro de hypothecas. passar para o batalho de guardas nacionaes desti-
Expedi as ordens neeessarias para a inslallagao na(los ao servjg0 da guerra, o guarda do batalho
do registro geral das hypoinecas em todas as co-
marcas da provincia de conformidade com o de-
creto n. 3,453 de 26 de abril do correrte anno, co-
mo determinou o aviso circular do ministerio da
justiga de 22 de maio; e se o nao liz antes foi
porque Uve necessidade de solicitar do governo
imperial exemplares do referido decreto para se-
ren destribudos pelas autoridades competentes, e
ainda assim i o foram pelos juizes de direilo, por
seren os encarregados do acto da installagilo, e
nao ler recebido-exemplares para mais.
Cmaras municipaes.
n. 37 de infanlaria do municipio de Cimbres Ma-
noel dos Santos Esleves, para que em 7 de agosto
ultimo, foi remetiido a V. Exc. como recruta pela
reparligo da polica.
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc. de informar
sobre oque pede Aniouio Francisco Martios, no in-
cluso requerimento coberto com o offlcio do Dr.
chele de polica de 9 do crreme.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pede o pai do guarda do 4." batalho de in-
fanlaria Elias Jos Rodrigues, juntando o resaltado
da inspecgo a que deve ser submeltido o paisano
Acham-se insudadas a da villa da Floresta na offerecldo pelo supplicante para substituir o sou fi-
comarca de Tacarat, restaurada pela lei provin- j Rio no aquartellarnen'.o.
cial n. 579 do anno passado, e a do Salgueiro, po-1 Dito ao mesmo.Mande V. Exc. por a dsposi-
voago elevada a villa pela lei n. 580 do mesmo | gao do Dr. chefe de polica, alim de que elle possa
anno. proceder as neeessarias averiguagoes, o voluntario
A' da cidade de Olinda conced autorisagao para do 3. corpo Joaquim Ribeiro da Silva, deque ira-
despender mensalmenle a quantia de 4J300 com o jta a sua informago n. 1591, de 18 do correte, o
fornecimento de agua e luz s pri<5es da respecti- |qaal reclamado como escravo por Sancho Ferrei-
va cadeia alm da quota p.ira isso marcada na lei 'ra Gomes, procurador de Joaquim Ricardo Ribeiro
do seu orgamenlo, e a desla capital para despeo- da Silva residente na provincia doCeara.
Duo ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. abmar em os devidos lempos o sold,
que, segundo os inclusos requerimenlos prelendem
consignar nesta provincia o tenente coronel com-
mandaute do corpo de polica Alexandre de Barros
Albuquerque, e o lenle do mesmo corpo Aolonio
Muniz Tavares, que brevemente tem de embarcar
der mais a de um corto de reis com o servigo do
aceio das ras por so restar-lhe no respectivo or-
camerto a de 54430.
Aposentadorias.
Aposentei o offlcial-maior da secretaria da as-
serobla provincial Fraucisco Duarle Coellio, ao
teneole-ajudanle do corpo de polica Jos Cuoe-
juii'le da Silva, e a 10 pragas do mes mu por as-
sim o haverem pelido.
Eleicoes.
Determioei a
que expedisse as ordeos neeessarias, para que no
dia 4 do crreme se procedesse na freguezia de em
Una a eleigo de ele
pnado annullado as du.s que all se lizeram ulti-,
mmente. se engajou como pnmeiro
A presenga do governo imperial levei: em 13 v5
Hoje a inslallagao da sociedade Recreto far
miliar, dando a mesma urna partida, que dizem-nos
sera' magnifica.
Dislribue-se hoje a segunda forma da Ribtio-
theca Luterana.
Nao sera' posslvel tomar-se qualquer provi-
dencia que faga cessar as exhalagoes pestilenciaes,
; que partein do raro do cano, que tica n encruzi-
naniliuru di eidade do Recife, 22 de setembr. |ha(Ja\ [orma(ja pela ra do Rosario, Cabuga' c
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartel general do commando das armas de Per
de 1865. praga da Independencia ?
Ordem dia n. 117. J ahiqoasi que se nao pode residir pelo ftido
i ... horrivel que de vez em quando se levanta. E" um
O marechal de campo commandante das armas, fc ae nfeecao qae assim se eotretem.
faz publico-para coohecimeuto da guarnicao e Bus Kolrou\, ejercicio de ihesoureiro das lote-
ne.cess/anos- rias o Sr. Amonio Jos Rodrigues de Souza, que se
i." Que a presidencia em portara de 19 do cor- achava com licenca
rente nomeou o Sr. 2 cirurgio reformado da ar-1 Numeraao 'dj bi,noles offerecides pelo tne-
mada Francisco Marciano de Araujo Lima para o soureIO das ,*,erJas Anlonio Jos Rodrigues de
lugar de facultativo da colonia militar de P.men- SouM> para aus||0 daj deS|)t>zas da gaerra :
Bilheies ns. 678, 1,491, 1,689,2,368.
teiras.
i." Que na data de 20 do correrte, dispensoa do
servigo do Io batalho da guarda nacional destaca-
da para o servigo da guerra, por ler sido em ins-
pecgo de saude julgado incapaz o Sr. alferes cs-
meraldo Pereira de Mello Cavalcanti, e designon
para o substituir o Sr. alferes francisco Balduino
de Albuquerque Maranho.
3." Que por portara datada de hortera, noraeou
para servir em commisso no posto de alferes no
5 corpo de voluntarios da patria ao Sr. Vicente da
Silva.
O mesmo Sr. marechal de campo, determina aos
Srs. commaodanles dos corpos de linha das fortale-
zas, ou estabelecimentos militares, que nao con-
siniam que pessoa alguma enire nesses estabeleci-
mentos sera sciencia de seos chefes, e na ausencia
ile.-ies dos seus immediatos e offlciaes de estado, e
que as pessoas que nao forem conliecidas ou que
se tornarem suspeiias, as faro acompanhar por
alguem que para esse fim nomearem para ouvir o
de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellado,
Samuel Halliday.
JULCAMBNTOS.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos 4 C.; appellado,
Jos Rodrigues de Souza.Foi confirmada a sen-
tenga appellada.
Appellantes, os adminslradores da predita massa
fallida ; appellado, Jos Januario Piolo de Azeve-
do.Ordeoou-se urna diligencia.
DBS1GNAQA0 DE DIA.
Appellantes, os administradores da massa fallida
da de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellada,
Joaquim Jos de Abreu Jnior.
Designou-se o dia de hoje, e nao pode ser pro-
posto por nao estar presente o Sr. depulado Rosa,
juiz cerlp.
Appellantes, os administradores d massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos di C.; appellado,
Pinlo Barbosa & Companhia.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorira, Fragoso, Santos & Companhia ;
appellado, Joo Guilherme Romer.
Appellantes, Sampaio, Silva Ce outros ; ap-
pellados, os administradores da massa fallida de
Manoel de Azevedo Portes e -utros.
Primeiro da til.
Appeilanle, Candido Moreira da Costa ; appel-
lados, Antonio Guedes Goodim e oulros.
Assgnou-se o primeiro dia til, o (ordenou o
Exm. Sr. presidente que se convidasse o Sr. Anlo-
nio Loiz dos Santos, juiz corlo, para tomar parte
no julgamenlo dos embargos.
PASSAGBNS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr*
desembargador Res e Silva:
Appeilanle, Manoel Joaquim Rodrigues de Sou-
za ; appellado, Jos Gomes da Silveira.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. des-
embargador Accioli :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
D. Berna Maria de Jess.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
desembargador Reis e Silva :
Appeilanle. Basiliano de Magalhaes Castro ;
appellado?, Ges, Bastos & C
AGGBAVO INTERPOSTO DO JUIZO ESPECIAL DO
COMMERCIO.
Aggravante, L mrenco Puggi; aggravados, Scha-
feitlio & C.
O Exm. Sr. presidente jurou suspeigo e foi o
feito aprsenla do ao Sr. desembargador Silva Gui-
maraes.
Nada mais havendo a tratar-seo Exm. Sr. presi-
sidenle encerrou a sesso a meia hora depois do
meio-dia.
. cabidade, tendo sciencia *ess-e desalio as Srs.
chefe de polica e delegado.
Nao era possivel que urna atrocidad desta or-
dem ficasse desconhecida e sera reme* no cen-
tro de urna capital : o paciente requeren ordem
de habeas Corpus, que Ihe fui concedida pelo su-
perior tribunal da relago, e, depois de onvido,
foi mandado por em liberdade, decretando o
mesmo tribunal a responsabilidadedo arrojado
delegado que effectuara a prisio.
Esse faci que d a medida do que fazia o po-
lica em Ipojuca, para aplaioar o caratoho e que-
brar os obstculos legaes que se opounli-am s
preteogoes eleitoraes do Sr. baro de Guarara-
pes e de seus adherenies, leve um inmenso eho,
porque, alm de prender todas as attengSes, em
razao da escandalosa e criminosa prepotencia,
exerada to framente sobre a liberdade de un
cidado, foi publicado e commentado pelos jor-
naes, e foi admirado pelos que assistiram con-
ferencia do tribunal e ah presenciaram a un-
nime reprovago de lodos os magistrados, lan-
cada sobre o ousado autor de semelbante alten-
lado, sendo que, por isso, nao era possivei que
deixasse de chegar ao conhecimeoto do presi-
dente da provincia.
O verdadetro patriota.
GOMMNICADOS.
-iue ellas tiyerem de dizer as pessoas com quera te- Benedjcl perDarabuco, 25 annos, solteira,
nham de fallar, terminando o que as farao sahir.
E' prohibido que os estrangeiro? andera em der-
redor das balaras das fortalezas, e que as portas
das prisoes se reunam mulheres, quilanderas, ele
(Assinado.)Francisco Sergio de Oliveira.
Est conforme. Antonio Francisco Uarte, 2o
lenente-ajudame de ordens interino encarregado
do detalhe.
Meios ns. 347, 827, 1,302, 1,903. 1,726, 2,847.
Quartos ns. 143. 488, 786, 975, 1,083, 1.248,
1,567, 2,079, .273, 2,429, 2,765 2,988.
Os bilhetes das loteras 11" a 32' produziram rs.
523^000
Hoje, 23 do crreme, ao meio dia em ponto
effectua o agente Pinlo o leilo de UO saccas de al-
. godo, de 1* e 2* sirte, vinda? de Mamanguape, e
1 existentes no arroazem alfandegado do major Be-
larmino, no forte do Mallo.
Cemiteuio publico, obituario do da 21 DE
SETEMURO DE 1865.
Thereza de Jess Mara, Pernamboco, 46 annos,
viuva, Boa-Vista; phlysica pulmonar.
Maria Jos, Pernambuco, 76 annos, solteira, Boa-
Vista ; inlerite-chronica.
Isabel, liberta, frica, 74 annos, solleira, Recife;
apoplexia.
Phlomena, Pernambuco, 3 mezes, S. Jos ; con-
vulsoes.
escra-
va, S. Jos ; tubrculos pulmonares. -
Maria da Conceigao, Pernambuco, 40 annos, soltei-
ra, escrava, S. Jos, pneumona.
Francisco, frica, 64 aonos, solteiro, escravo, S.
Jos ; apoplexia.
PERNAMBUCO.
CORRESPONDENCIAS
Srs. redactores :Lemos hoje em seu eooceitua-
do Diario, urna publicago era forma de correspon-
dencia, do Sr. Dr. Joaquim Jos de Campos, qae re-
ferindo-se a urnas razoes de appellagao suas, pu-
blicadas pelo Sr. Vicente Licioo da Costa Cara-
pello, oolava algumas erratas, e as emeodou, 8-
caodo desi'arte bem ntidas ; nao obstaote serem
ellas iinpercejuiveis e em nada alterarem f
O nteresse inmediato que manlfeslbu o Sr. Dr.
Campos nes;a emenda, da qual competa ao Sr.
Campello, nos faz convencer, em haver o Sr. Dr.
Campos indirectamente dado a sua acquiessencia
para a publicago de suas razoes, tanto mais quan-
, do foram trazidas em urna queslo que neohuma
relago tem entre sisao de especies differentes.
E de feito, essa correspondencia do Sr. Dr. Cam-
pos causou-nos instantneamente assombro, por
que ainda nao faz muito lempo, que o Sr. Dr. Cam-
pos, moslrando-se irritado contra urna publicago
feita em favor de seu cooslitunte o Sr. Joaquim
da Silva Boa-Vista, em a qual se injurian aos ere-
dores deste, e remetlia-se grande dse de insultos
ao digno juiz da causa, com quarto nao devemos
acreditar que elle houvesse lido e retido o seu au-
tographo antes de ser levado ao prelo e por sua
approvagoproiestou altamente contra semelban-
te modo de defesa, por que inconveniente era ira-
zer-se questoes que se agitavam nos tribonaes,
para os jornaes I
Mas este manifest do Sr. Dr. Campos s appa-
receu depois de rima publicago feita em defesa
dos credores do Sr. Boa-Vista, e quando por ahise
propala va, haver os negociantes de grosso trato,
resentidos do modo por que eram de publico in-
dignamente tratados, protestavam nio confiar dos
logistas que tivessem por advogado, o Sr. Dr.
Campos.
Era de absoluta necessidade pois que desappa-
reiv.-.-c to injusta prevengo o Sr. Dr. Campos
enlo declarou que, em coosequencia daquella pu-
blicago olTensiva aos senhores credores de Boa-
Vista, e da qual nao havia tomado nenhuma parte,
deixava de ser mais patrono daquelle pobre fal-
lido I
Assim, tudo devia ficar sanado I
Entretanto o Sr. Dr. Campos, pensa agora diver-
samente ; em vez de sustentar aquelle principio
to judicioso que havia estabelecido, ao contrario,
nao esligmaiisa o procediraerto do Sr. Campello
seu amgo, em levar a publicidade as suas razoes,
em que lambem conlm insultos a um juiz, com a
nica diflereaga porm, em nao figurar nellas al-
gum negociante de grosso tratoe deixa de mani-
festarse irritado contra seu constituinte o Sr. com-
mendador Amonio de Siqueira Cavalcanti, antes se
apressa em corregir alguns erros de impresso I
Quera quizer que commenle este procedimento.
Os ulirages arremessados contra os julgadores
pelos vencidos que baldos de direito e de justiga se
exasperam como um possesso, por certo nao os
A opioio publica at este momento acredita, qae
actualmente regera os deslios da provincia de
Pernambuco um presidente honesto, Ilustrado e
independeote, e un chele de polica nao menos ho-
nesto, independeote e Ilustrado. Quando funecio-
narios de to alta cathegoria seacham assim eolio-
cados no cooceilo publico, seus encargos se tor
nam mais onerosos, seus deveres mais urgenles, e
sua responsabilidad mais grave.
Nenhuma considerago de ordem social, e poli-
tica, por mais excepcionaes que possam ser as cir-
cunstancias do paiz, jamis justificar a conserva
gao de autoridades feridas de suspeigoes, e macu-
ladas de desaires, que as enfraquecem, e injuriara
ao mesmo lempo a dignidade moral do governo.
Quando o Imperio braceja com as difficuldades
de urna guerra exlerna, toda a coheso, unidade, e
torga no espirito nacional se fazem absolutamente
neeessarias. Esta forga, esla unidade, esta coheso
s podem nascer da boa administrago da justiga
por parte de quem governa. A jusiiga concilia o
respeiio, o respeilo a confianga, a conlianga a obe-
diencia, a qual se forgada, e imp>sta pelos rigo-
res de ausleridade insensala, nao pode produzir
effeilos convenientes, e saluiares.
Fossem investidas das insignias da autoridade
pubiica pessoas bemquistas, prudentes, e presti-
giosas as suas freguezias ; fossem empellidos das
posiges offlciaes a mxima parte dos esbirros, que traosviaro da senda de seu sagrado devernio
na fatal inaugurago desta actual ordem de cousas os amedrontaro ; e el les, portanlo, inahalaveis,
foram armados do poder da forga para subjugar os proseguiro sempre em ministrar jusiiga rea e
impulsos da cooseiencia publica nos commissios imparcial todos sem distraego.
eleitoraes, que nos asseveramos, sem medo de er- J se v, pois, que impotente para certos fins
rar, que a correte de voluntarios da patria teria o meio de ultrajar aoi Srs. julgadores, sobre tudo
REVISTA DIAIIA.
Hontem pelas 6 e meia horas da manhaa visitou
S. Exc. o quarlel do corpo de polica, que receoeu
S. Exc. todo formado cora as Iu tiras que Ihe sao
devidas.
O Exm. Sr. conselheiro presidente nessa visita
para o sul.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente e,
em vista da bina junta em duplcala, mande V. S.: proesdeu a exame minucioso de praga por praga
camaa" mmciual do Rio Formoso' entregar ao prime.ro tenente Erne lo Ignacio Car- i no armamento e equ.pamento ; e passando a se-
diro para esse lira indicado pelo capito do porto cretar.a ah observou a respect.va escr.pturagao,
offlcio de hontem, sob n. 180, a quantia de jo estado regular muit Ihe satisfez, como tam-
itoreTnaTa^enldor ortr"o 11201000, para pagamento do premio a qoe tem di- bem aquelle das companhias.
! ^to oWralheiro Henrique Saturnino Clow, que! Em verdade jusiiga essa sat.sfagao de S Exc.,
marinheiro para o ser-1 P'* >rP0 pelo p em que se ada, escolha do
da armada, bem cmoda gratfflnago que ; seu pessoal iasseio icredor disto.
Da villa de Canguaretama, Rio Grande do
%& ^."!nen,e^0??] \ "KTL? E22*r da'CoSria provincia..- Norte, temos noticias, de !5_do corrente
Jos Joaquim Bezerra de Mello contra a apuraco
geral, a que procedeu a cmara rauoicipal do Bo-1
nito da eleigo para juizes de paz e vereadores;
em 24 do mesmo mez todas as acias da eleigo era
duplicata all feita em setembro do anno passado
para aquelle tira ; em 17 de maio todas as actas
da que se ez na freguezia do Poco; e em 19 de
julho todas as actas da que em duplicata se fez oo
Exu- u
Instruccao publica.
Pelas consderages que consignei em portarla
do I de abril, revoguel o artigo 28 do regulamen-
to de 12 de novembro de 1864, e doterminei que
os pontos para os exames de habelitago e para os
__a_^. --------*-----* Has (ifoAlia ra
Dito ao inspector
Constando do offlcio n. 303, junio por copia, que
hontem me dirigi o chele da repartigao das obras
publicas haver o empreiteiro do calgamenlo desla
cidade execulado no mez de agosto ultimo, servigo
correspondente a quanlia de 8.893j750, recom
A cheia do rio Crumata deslruio todas as la-
vouras, plantadas s suas margens, causando um
grande prejuizo.
O recrutamento feito em escala e modo op-
pressivo do povo, que por isso nao lem lempo para .
mendo a V. S. que, em vista do competente certifl- nada mais seno esconder-se, de rraa que se nao
h m,n,: ,Lr Ba nnamia ao mencionado trabalha e a miseria cresce.
cado, mande pagar essa quantia ao mencionado
empreiteiro.
Dito ao mesmo.- Recommendo V. S., que, em
vista das duas cortas e relagdes juntas, e nao ha-
vendo inconvenienle, mande pagar ao negociante
Elias de Almeida Lima, conforme solicllou o chefe
de polica era offlcio de hontem, ob n. 1395, a
Nao ha milho, nem fejo, e menos arroz. A
farioba esta' de 560 a 640 rs. por cuia, e ha falla
della.
As nossas esperances estao no algodo, visto
prometter urna boa colbeita ; porm esta mesma
corre o risco de perder-se por nao haver quem
concursos tendeles aoprovimento das escolas deiquaotia de 629200, despendida cora o sustento dos
msirucgio primaria sejam orgaoisados pelo conse- presos pobres da cade.a do termo de Nazareth du-
Iho director da nstrucgo publica pela forma esta-
beieclda no artigo 5. do regulamento de 11 de ju
nho de 1859 nao podendo delle fazer parte para
apreciacao das provas dos mesmos concursos, os
profesores da escola normal que nelles servirem
de examinadores.
Approvei os pareceres da maioria do conselho
director sobre os exames de habelitago para o
O commercio acha-se paralysado. Nao ha di-
djs cuide da plaotago.
riii. i O commercio a
^oTS^Mbo e"a'gosm ulU^%. nheiro.e assim tudo difflcil, ea miseria se oslen-
nZSaoacoLaodaente Serrar da guarda oacio-! tEV usado aqui dizer aos conservadores,
nal de Olinda e Iguarass. -Nesta data exped or-1 que se que.xam de venino*, que peguera agen-
ominara serem alistados no batalho de guardas dos beraes ; e a estes que fagam o mesmo
Smto desuados ao servigo da guerra, os guar-' com aquelles. Assim n.nguem se pode entender,
Sasdob tallon"ll de infartara do municipio sendo todo urna anarch.a de modo que ja tem-se
de Ifuanus Joo Mathias Thomaz, Agoslinho Si-, dado casos de lomada de presos e eonfictos por
proWato dos sexo, masculino e lemiino a que I meao Corre.. Thora Cardoso Monle.ro que V. f*\is%scom ,er,nieD,0S e U,m em
l Srocedeu ltimamente, e mandei passar lulos S. mandou apresentar-rae com o sea offlcio de hon- ^g'^^0 J, vyo descoDhego ludo qe
-de capacdade s 5 caodidalas proposlas pelo mes- lem. d ia _Man.; vejo. A Providencia nos queira soccorrer cora a
.rr^^nselbo, assim como ao cand.dalo Joao Jos I J^^^SS^S^iSS Sm^ao^rtSs! s l misericord. pondo t^rmo.a la
O quadro annexo demonstra quaes as nomea-
{5es, demissoes e remogoes de proessores durante
mlnna administrago, bem como quaes os qae ob-
tiverara gralificagoes.
Nomeei para o lugar de director interino de
ClIKONICAailMUARU
TltlHUWI, IIO COMMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 21 DE
SETEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERBTTI.
s 10 hqras da manhaa, estando reunidos os Srs.
depulados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Exm. Sr. presidente declarou aberta a ses-
so.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
DESPACHOS.
No requerimento de Joaquim de S Leito, pe-
dindo cerlido de ter leito registrar sua nomeago
de caixeiro de Jos de S Leito Jnior.Como re-
quer.
No de Jos Euzebio Alves da Silva, apresentando
o conhecimento do pagamento do imposto do seu
offlcio de agente de leildes.Registre-se.
No do gerente da caixa filial do London and Bra-
silian Bank, pedmdo o registro de urna escriptura
de ractifleago de outra de cesso e traspasso feita
por Maia 4 Espirito Santo, Antonio Joaquim de
Vasconcellos e sua mulher, e Manoel Vctor de Je-
ss da Molta 4 mesma caixa.Registre-se.
No de Jos Gomes dos Santos Correia e Joo
Manoel Pontual Jnior, triplicando do despacho de
14 do corrente, alim de ter lugar o registro do seu
contrato de sociedade.Ficou adiado.
No do Jos Joaquim da Costa Leite e.Manoel Jo-
s Gongalves, pedindo o registro do distrato de sua
sociedade.Visla ao Sr. desembargador fiscal.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso s 10 horas e 3A da
manhaa.
SESSO JUDICIARIA EM 21
DE 1865.
DE SETEMBRO
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERBTTI.
Secretario, Julio GuunarOes. I
s 11 h' oras da manhaa o Exm. Sr. presidente \
declarou aberta a sesso, estando reunidos os Srs. j t
desembargadores Silva Guimaraes, Reis e Silva e
Accioli, e os Srs. deputados Candido Alcofo- t
rado, Basto e Miranda Leal.
r o conveniente destino o paisano; dos homens, desvarios que reduodam eraperdaj Lida, foi approvada a acta da precedente ses-.
^SS^m^MT10 MUe a"Ude l^-ftxlWcLe'lhelro presidente da pro- ^Assignou-se o accordo proferido na ultima s- .
niio an snnerintendente da estrada de ferro.-u vincia resulveu por portara de hontem conceder sao no feito entre partes :
St?^rlS^?^SiSit^i!o^S or- ao Sr. Luiz de Franga Mello Jnior, a exouerafie, Appellantes, os administradores da massa fallida I.
sido espontanea, copiosa, e rresislivel.
Quando o distribuidor da justiga local, amado, e
respeilado pelos seus conterrneos, fizesse sentir
aos seus amigos, e subordinados, que o paiz preci-
sava de seus servgos, tudo se levantarla, como um
s homem, voz do prestigioso mandatario da
lei t
Mas, por desgraga, uestes dias to crticos para
o Brasil, coja honra ultrajada reclama esforco, ar-
dor, e vinganga contra o sanguinario tigre do Pa-
raguay, a actividade de urna grande parte dos
agentes do poder publico esvae-se em vindictas
mesquiohas contra adversarlos, que estariam to-
dos com as armas as mos, marchando para os
campos da guerra eslrangeira, se nao houvessem
sido machucados em seus brio?, exautorados de
todas as regalas de cidados, impossibililados mes-
mo de invocar suas torgas fugitivas, em bem da
patria commum; porque estas torgas cada dia sao
mais rarefeilas pelo sopro impesiado da persigui-
go, o da picarda de autoridades soses, cegas e
apaixonadas I
E sera viajarmos por outros municipios, onde o
acinte as desigoages dos guardas nacionaes riva-
lsa com a dureza do recrutamento, baste-nos urna
ligeira vista d'olhos sobre a infeliz freguezia de
Ipojuca, e alli veremos um commandante de guar-
da nacional comraeltendo as maiores injusligas na
designago das pragas, sem levar em conia a igoal-
dade, a proporgo dos eogenhos, e do numero de
seus moradores, e levando por deaote o odio pol-
tico, como se aepocha nao fura s de esquecimento,
de tolerancia, de fratermdade entre patricios, que
mais que nunca precisavam estar unidos, compac-
tos, e unammes no grande pensamento de debelar
a soberba paraguaya I
E.que diremos do homem, qoe alli oceupa ain-
da, apezar de legalmente responsabilisado por abu-
zo de antondade, o logar de delegado de polica ?
Que diremos ?:.. Nada mais, e nada menos, do
que disse o respeilavel Sr. coronel Manoel Jos da
Costa no sea irrespondivel manifest de 29 de agos-
to de 1863, a pagioa 8a.
Que se dignem os Exms. Srs. presidente e chefe
de polica de lr o que se segu, e que ser o fe-
cho deste artigo :
c Ainda est na lembranga de todos a estrondo-
t sa oceurrencia que se deo entre o delegado de
Ipojuca e o escrivo Jos Francisco da Costa
o Feij. No empenho de prepararse alguma trica,
quando sabera perfeiiaraenle desempenhar com iu-
legrldade a sua nobre misso.
Justus.
a sombra da qual tosse possivel por em duvida
a legilimidade daquaiiQcagao, que nao poda ser-
vir os seos fins, mandou o delegado Theotonio
da Silva Vieira, a requerimento do Sr. Joo de
S]Albuqnerque,irmo do Sr. Quararapes, chamar
sna presenga aquelle escrivfto, e o quiz forgar
a depr que a referida qualifi'cagao fra feita em
lugar difierenle daquelle em qae na realidade
se flzera ; e porque o consciencioso (unecionario
nao quizesse concorrer para tal infamia, o mes
mo delegado prendea-o por desobediente, remet-
teu i p4, para esla cMsdfi,. e aqu foi recoihido
a casa de detencao, com ordem de iCCmmi-
Srs. redactores.X imprensa nos paizes llvres
o grande recurso dos que soffrem perseguigdes e
violencias das autoridades, que nao respeltam seus
deveres, nem os direitos do cidado. Na desgra-
nada situago que vamos atravessando, nenhuma
autoridade se tem excedido tanto na pralica dos ar-
bitrios, como o tenente-coronel Luiz Francisco de
Barros Reg. Alm dos desatinos, que tem sido
palenteados por seu digno irmao o Sr. capito Jos
Francisco de Barros Reg, e que sao incontesta-
veis, venho lambem por minba vez queixar-me ao
publico, e ao governo da dureza, com que o Sr.
tenente coronel tem procedido com alguns desvali-
dos do povo, que se nao quizeram a elle sujailar
as ultimas eleigoes municipaes.
Entre estes de-validos figura Francisco Antonio
de Lima, casado, filho uoico vario de urna familia
pauprrima, composta de dous velbos seus pas, de
urna irraa viuva com filbos, dos q laes todos o
nico abrigo, sendo lambem sua mulher orpha de
pai e mi, assim como figura Francisco Jos de
Lima, nico estelo de sna mil septuagenaria, e de
cinco irmos orphaos ; sendo para notar e admirar
que este ultimo no momento de ser designado na
forma, por occasio da revista, perguniou ao te-
nente-coronel se S. S. nao conhecia suas tristes
circunstancias e de sua familia, e se estas clr-
cumstancias nao pesavam no seu animo ; respon-
deu : onde mora voc 1 Moro no engenbe General,
Ihe disse o guarda. Pois bem, Ihe tornou o tenen-
te-coronel, por isto mesmo que ha de ir para o
Paraguay.
Ora, eis-aqul como procede o Sr. tenente-coronel
Luii Francisco de Barros I S porque estes dous
pobres homens moram no engenho General, de
que sou proprielario, sao caprichosamente desig-
nados, bavendo no Caiar e n'outros eogenhos dos
intitulados progressistas tartos rapaxes solteiros,
livres e desembargados, como ja' expenden o Sr.
capito Jos Francisco I
E sera' possivel que o Sr. tenente-coronel nao en-
contr um correctivo aos seus desatinos ? I Espe-
remos.
Engenho General, 22 de setembro de 1865.
Manoel Joaquim Mauricio Wanderley.
PU1LIC1Q0ES 1 PEDIDO
Protesto,
O abaixo assignado desde ja' protesta contra a
resposta queden o Sr. Francisco Xavier Caval-
canti Lhh, a carta firmada pelo Sr. L..., publica-
da no Diiino de Pernambuco de 20 do corrate,
porque nunca disse o Sr. Lins que bavte m*j1(j0


I
^
--!-*.
^*_
>.-;
'
ttlarlo de Pernambneo Sabbado 13 de Setembro de }S*
directora do arsenal urna pTOposta m branco
de commum accordo com o Sr. director do mesmo,
para que este u o Sr. lente Capistrano Ihe po-
tes panno verde, un to pouco disse cousa alguma ao
Sr. Sacramento Pinto, e nem efeio que esse senhor
seja capaz de afirmar tal cousa, aperar de ser
crealura do Sr. Ls, e seo socio uas arrematacoes.
E declaro peraute o publico eoKsm. Sr. presi-
dente da provincia, que o acto a que se refere o
Sr. Lins, teve lugar pela maneira seguinle :
Enviando eu a sala da directora nma proposta,
que por esquecimenlo foi sera prego declarado, ou
este tm branco, fui roe ella devolvida pelo aju-
dante do arsenal que, era presenga dos emprea-
do? me disse que propostas sem prego nao erara
aceitas 5 a' vista disso recebi a proposta, declarei
nelia o preco, e posto que ento fosse acceita pelo
Sr. director, aiada assim nao me foi entregue o
lauco, por ha ver quera por inenus quizesse costu-
rar as blusas.
O que acabo de referir, estou promplo a susten-
tar e jurar era quaiquer irilmnil.
Recife, 21 de seiembro de 186o.
Francisco Pinto da Cosa Lima.
' Sr- Or~ "f*" mitmclpnl e s voltou depon de
t passados os cinco dias par* a intreposico dos
recursos.
Por agora basta, breva remetiere! mator
porcao.
Recife, 21 de setemoro de 1865.
Antonio Joaquim Salgaio.
?O
O abaixo assignado informado de que, no Diario
de Pernambuco n. 213, de 20 do crreme mez,
satura publicada urna carta do Sr. Cava canti
Lin<, era que invoca o sou tostemuuho relativa-
mente a urna proposta em branco que o Illm. Sr.
director do arsenal de guerra recebera do Sr.
Costa Lima ; devo sinceramente declarar ao res-
peiiaval publico, que semelhante cousa nao vi, e
nem lo pouco ouvi fallar, era fra e nem dentro
do arsenal : o quejuro, se necessario fr ; devendo
prevenir ao Sr. Lins, que, ate esta data, o abaixo
signado aiada se nao preslou a' falsidade
Recife, 22 de setembro de 1865.
A n o de meu pai Jos Angelo do Sacramento
Pinto,
Miguel Marlios do Sacramento.
Anacahiitta peitoral de Hemp.
As curas producidas pela coiuposico da aua-
cahuiia peitoral de Kemp, sao realmente mila-
grosas.
Don Clemente Silva, que reside na ra do Es
tado. Sautiago de Chile, escreve a nossos agentes-
em dita cidade, que havendo solfrido atrozmente
de asthma, pelo espago de mais de sete annos, sem
que medico algum jamis Ihe houvesse proporcio-
nado o menor allivio ; decidio-se finalmente em
lonur a compo.-igo anacahuita p-iloral de Kemp,
o depois da haver apenas lomado dous fra>cosds-
cobrio, coto sorpresa, que a grande oppiess> do
peno turna quasi completamente desapparecido.
No eniauto foi coulinuaudo a fazer uso deile, e no
fim de tres mezes se acliou peritamente curado,
cora grande assombro e saiisfacao de lodos os seus
prenles e amigos, os quaes ja haviam perdido as
esperanzas de ve-le bom. Disse tambem que desde
enio a esta parte o lera recommendado a um
grande numero de seus cooliecidos que solriam
de d.ffeieutes affecgoes pulmonares, lo frequen-
tes as costas do mar pacifico, na America do Sul,
e que seus bons resultados tem sido universaes.
VenJe-se uas casa de J. C. & C.
O Sr. r. Hermogenes S. T. de Vasconcelos ,
com mmta justtga, tido e hm-lo, por um magistra-
do, austero, recto e unpaicial......, e como traba
participado fiiara ondeofrade volta o capello) dessa
rectiduo e imparcialidade......., do meu dever
canvgar mtnlu pedra para o edificio dessa eren-
ca: para nao incorrer na pecha deingratoe
como possua poican, ir remetiendo as carradas,
confunne as preasoes da obra ; esperando doSt-
tendidos, nao reparen nu lavratlio brusco delta por
nao ser o canteo, pr ora perito na arte,-s a
primara e segunda remata, attendei e vede.
Vistos estes auto-, aiieiideudo que. o primeiro
querellado cora o arrendamenio e trapas) que fije,
ra ao ,e,{unJo querellado da padana arrendada ao
queisoso, nao commetteu acto algum crimino-
so ; au.mdendo, que o segundo querellado da nie^-
ma son, nao commetteu acto algum criminoso
coin a cessacao das rendas da padaria ao queixoso!
pui* orno se v das le.-iemuiuias de f. e f. haviam
litigios e daudas sobre o verdadeiro dono da casa
n. J8 das Cinco Pontos, e ulmsis da podara, atten-
deiioo, que os actos que se arguem de criminosos,
nao cabem na esphera do iireUO penal porque de-
viw ser regulados pelo direilo civil como j o reco-
nhectu o queixoso intentando acedo commercial de
f. 4* a M.ju/gu improcedente a queix.t a cond-urao
o gueixoso as telas.
Recife, 2o dejulho de 186o.-Hermogenrs S. T.
do vasconrellos.
A queixa versava sobre ter, Moura arrendado
a padaria, de parceria com Macedo, por tres
anuoa e coraprindo o contrato por espasso de
dous anuos, conluiundo-se depois, para cora ella
ncar, indo Macedo, as Aia-Oas, arrendar a elogi-
tuno propietario a casa em <|iie se acha rooBta-
da----------, e requer na cmara municipal a
tn.ca da collecta de meu nome para o d-.dle, sem
ter comprado o eslabeleciuicnto.............0
mu cuino para iiludir a justiga e a rom, reque-
rido simuladamente deposito de parte dos uleuei-
los da padana que nada valein ficaudo se era
os mell.ores, e coulinuaudo a servirse cora os
iu. sinos que fingi depositar, como verincou se
' iiraito depois do simulado depusito, por urna vis
tona i rocedida na presenga do proprio Sr. jwz
municipal pela qual >e encontrn a padarta
funccwnando e da mesma forma que foi entre
Que de que Se juntou aos autos as respectivas
cerlidoesl r
Su entretanto a sentenga deixando de apreciar
atk faetus criminosos, provados nos autos
lad.ou para -trupassus, c cessacao de r. n-
tas, e incompetencias de espheras; "lacios estes
que quaiquer prolocolista sabe nao sao crimi-
UU-OS IM
E receando-se do resultado do recurso o que
era ineviiavel pniiito do here .Macedo, iior
estes innocentss manejos, arranjou-se a cousa da
segrale maneira:
Vibtoa estes autos nao tomo conhecimenlo do
peseme recurso, por nao poder verificar dos mes-
mus autos se o referido recurso foi intreposto no
termo legal; o art. 72 da le de 3 de dezembro de
18*1, prescreve etc. (seue-se a peligo da legisla-
cao respectiva a questu)................. ...
Illm. Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.Recebi o
seo. livro c Nogoes do systema mtrico decimal e
ihe agradego essa offem a qual dou inteiro valor
nao ha falta de livros que vulgarlsem e difondam
o conheclmento do systema de pesos e medidas da
Franca, systema ja adaptado por outras nacoes, e
que brevemente o sera pelo Brasil ^ mas esse livro
de V. S. suppre a falte que se notaa, de um ele-
mente que se adaplasse coraprebensao de todas
as Intelligeocias.
Dos livros que se achara publicados, talvez que
neuhura satisfaga ao seu lim, uos por que pre-
suppoe nos leitores conliecimentos mathemaUcos,
que excedem os limites dos do commercio, outros
que foram redlgidos por pessoas talvez pouco habi-
tuadas aos estylos mercantis, e que extrahiram os
seos compendios de livros estraogeiros, omitas
vezes improprios para todas as intelligencias.
Examlnei escrupulosa nente nao s as reducgSes
das medidas do novo systema, como a comparago
dellas com o anligo, e parece-me que com o seu li-
vro fez V. S. um importante servigo ao commercie,
nao s por que lac-lita com as taboas nra exame a
quera souber o inechaoismo do systema moderno,
como por que facilita a comprehensao d'elle, se
nao iheorica ao menos praticamente, as pessoas
que o ignoram e precisarem de fazer quaiquer cal-
culo, ou reduego.
! A adopgo do systema mtrico um meio a que
se soccorrem o* goveroos para estabelecerein a
igualdade dos pesos e medidas era suas possessSes
com outras, e por isso de esperar que o nosso go-
verno nao admita outros padiSes que nao sejam 03
admittidos at aqu. Sou com toda a consideragao
e respailo. De V. S. muito aliento venerador e
criado.Joao Marlins de Andrad.-Recife 6 de se
tembro de 1865'.
Pago da cmara municipal do Recife 9 de setem-
bro de 1865.
Illm. Sr.A cmara municipal desta cidade re-
cebeu com agrado o oficio de V. S. de 6 do corren-
le, acompanhado de um txemplar da obra que fez
publicar, deoominada 1 NogSes do systema mtri-
co decimal cujo exem.lar muito agradece a V.
S. Ueos guarde a V. 9.film. Sr. Jos Ant nio
bornes Jnior. Luiz Jos Hereira Simoes, pro pre-
sidente.Francisco Canuto da Boaviagem, secre-
tario "
Illm. Sr.Accusando a recepgao do oficio de V.
S. que acompanhou um exmplar das NogSes do
systema mtrico decimal por V. S. organisado, e
o qual se dignou offerecer a este tribunal, C3be-rae
agradecer era nome do tribunal a sua ofTerta, e
dizer-lhe que o mesmo de oplnio que o seu tra-
balho facilita a todos a comprehensao do systema
mtrico fraocez, que tem de ser admittido no paiz;
que traz vatageus ao commercio, e til ao publico
em geral; nao s por que poupa a uns o traballio,
e a outros facilita as operagovs com as taboas de
comparago que nelle se encontram, e cujos calcu-
los esli exactos -Dos guarde a V. S.Secreta- >
, na do tribunal do commercio de Pernambuco 14'
,de setembro de 1865.-Illm. Sr. Jos Antonio Go-'
mes Jnior. -O secretario, Jos Marcellino da Rosa.
( Estavaa sellados e reconhecidos ).
oitmente o oleo de figado de bacalhio ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senbores Maurrer & C. acabara de ra*
ceber um grande sortimento dos celebres
azeiles desinfectado de Chevrier 0 fetrvi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Manrer
C. ra Nova n. 18.
------
A Jarubeba.
As- virtudes therapeutlcas da jurubeba sao desde
muito conhecldas nao s no Brasil, pois que dellas.
tratou Pisn em sua excellente obra Historia na-
turatit et mediea India occtdenlalu, seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e frocios como
aqu, muito eslimado e apphcado contra as obs-
Iruegoes abdomlnaes, principalmente do figado e
I tagj; e se todos os facultativos desta pruvincia o
nao applicam cora frequencia, isto se nio deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilldade e em todas
as estagdes do anno os" fructos dessa planta, e re-
pugnancia, que apresentam os deentes em fazer
I uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nio descoohecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e tem
adenoroinagio de solanum panicalatum, que Ihe
' foi dada por Lyneo.
Pareeendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
\ com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
i applicado era pilulas, mas tambera ura vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servigo human idade e
; hterapeutica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coegao das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
I em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
] tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
j dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses rae-
j dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
1 nosso estabelecimento essas raizes, para que possam
\ ser experimentadas.
A reputacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos obtidos ltimamente sao tao impor
tantos, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripio.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
bandoira lenperial de seda e seus pertences.
IffeorneU.
IV eorddespara as ditas.
IB ditos para inferiores.
17 bonete para msicos.
pares ctiarlateiraspara ditos.
700 bonets redondos.
700 ditos a cavaohaque. *
700 mantas de lia.
29 bandas de lia.
2 coras para divizas
2 espadas de metal.
2 tallas de couro envernizado.
27 ferrageos para cinturoes de msicos.
20 malas ferradas de sola.
1 dita com ires fechaduras.
12 livros com 200 folhas.
15 ditos com 100 diia.
10 ditos com 50 ditas.
As pessoas que quizerera vender ditos artigos
apreseotem sua proponas com as competentes
amostras, na sala do conselho de compras, as 10
horas da manhaa do da 27 do correte.
Sala das sesses do conselho de compras do ar-
senal de guerra 22 de setembro de 1H65.
O encarregado da escripluragao,
JfaO! Jo de Azevedo Santos
__
COMMEICI.
Gaixa filial do oanco do Brasil em
Pernambaco.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Bahi.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
tosas, ao reino vegetal, e penence classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
oa com vantagem contra as febres intermitente
a-ompanhadas de engorgiiameniode figado e bago,
alia lera sido applicada cora incontestavel proveilc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
rbo da1 bexiga e mesmo para combater a menstrua-
cao difflcil, resultante da mesma anemia oa chic
Ex trato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idem.
Tiutura idera de idem.
Xarope id-m.
Vinho idem de id'm.
Punas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Piulo, ra larga do
sano n. 10.
Moto banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno al o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil em
1 emamhuco.
De ordena da directora se faz publico que a cai
xa desconta os saques de seu aceite, praticados
pelo banco do Brasil, pela taixa de 7 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Vovo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
videndo na razio de85 poracc5o.
VARIEDADES
i\a presente hypothese era aioda muilo necessa-
ria a mfurmagao, ou c rtidiu do esentao de ler
sido o recurso intreposto era temno, por quanto
sendo o despaeho de que o mesmo recorro foi m-
trr.pusto datado de 25 de julho ultimo, seguodo se
v al. Jl verso,-o termo de recurso datado
de -2 de agosto prximo lindoem quanto n des-
pacho que o concedeu- datado de 2 de iulho
como se lfls. 2 dos autos lllll..........ZSm
ver.flca-se do que Oca dito, que o termo de re-
mes-a ro assignado oilo dias depois que o processo
01 j.iigado improcedente ........, em quanto re-
cur-n, Ul,i mez antes ja eslava concedido, sem qua
o pruce-'M) houvesse sido julgado improcedeo-
'- "..... "e to extraordinario, que
nao possj deixar de considerai como resultado de
engaos, os quaes nao podem ser por mm soffii-
. '"' V'.'.......:..... por tanto nao tomando,
n 2" Am cDhc,,nei110 d0 Prsenle recur.-o
Sn.iP*. mi .Mbred,ta<' e ""nendando aos
esenvaes que lomera todo cuidado, era prevenir
fallas semelhantes era processos iguaes; v era
al* ffi aqU afim de ',ue s'ara Peni aos
}; !mS..P>^' as C^,s,,s pel "ecoVrente
(^josse pelo esento nao appareciam enga-
Recife, 2 de setembro de 1864.
. JoioA.de A. F. H.
. ?.,m?, m ,emp0 estava Pm andamento o
summano instaurado contra os mesmos Macedo
mTLE*. Crinle de "erjUro'< i8to P* ler
L da, Q?a ("ie,xa bisa eontra mira
lutado nella o hore Macedo, e outros. 'aal
vivera desse modo de vida, os quaes niu'.n.-lui
no processo a pedido 00 ro u dvogadl", para
^fl^la^aaSa0d''<',',' CJ amarlo nao
teve andamento, em qoauto nao desceu o rerur-
< so, e o resultado fo. idntico; e por este gosto
punco mais ou menos. '
. rn2-U..Da eoB*'*"'n> o enme de periu-
ros por estar seus juramente de acorde com as
demais tesUmunkas II111II| uui "^
l>correndo ramio para este resultado a
importante coarctada do D,. C, lio prul
,r........... Ei-la em resumo,-que mo
ol.si,nte Dio ter o queixoso, Mo,ra conseguido
provar o, fados imputados na queixa-nZ
Ztnftmt. lH qu! "^ f0lsem verdad"-
juriiprudenc''''.............. qU M *j
. n ?.mi'" Precedfte< Qualqoer bandalho pode1
a seu M prazsr denunciar hfeamente efn julzo
e depoi o mjurwdo tome em pagamento, como '
"'' vrecedmte~\ I
' 'eparacaor...,
: .% P00* "">"" JM* jurdico d*$M'\
* cho-por r**T P* A** da cidade o Sm I
Wcienci'iw e medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
O.sjornaes de medicina fallaram por va-
nas vezes de urna descoberta iraporUnte
para a tlierapeulica, que consista na desin-
feccao do oleo de ligado de baolho sem
Ihe tu ar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annunciar boje aos
nossns leitores. que esse resultado foi obti-
d.) de modo o mais completo por um hbil
pliarmaceutico de Pars, o Sr. Chevrier, que
conseguio desinfectar o oleo de figado de
bacalho com o alcatrao e o balsamo de
Toln. As experiencias feitas por amitos de
nossos pratiosulcc obres, nos hosp taes e so-
bre seus doeotes particulares, as analy>es e
ensaios de chimics competentes, nao dei-
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
r. E. Hurabert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submetti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
, acliam no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporc^o das substancias
estranhas que e poem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
n5o pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
ligad o de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito bea tolerado pelos doentes,
os quaes elle n5o anoja e lomado peas
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ce t veis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes os mais i m-
poriantes e preciosos da therapeutica, quera
descobrio o meip de tornar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadei-o ser-
ico arte de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Kichelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de bacalho Ihe fi-
zeram obter um resultado n5o menos im-
portante, o qtfal consiste em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalho. 0 oleo
de figado de bacalho ferriginoso de Che-
vrier constitue talvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iod ro de ferro unido
este modo iom o oleo de fijado de baca-
! Iho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vas digestivas e por consequencia
se assimila muito raa.l? bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Eudim elle
perde assim suas propriedades i. r.^Q'es, ;
naO Drovn/>< ,. o
. :__. a constipacao. E' asstf que
os doentes, cujo estomago nao pode suppcr-
tar nenhuma preparaco marcial, lomam fa-
ALFANfcEGA.
Reudimento do dia la 21......
Idem do dia 22...............
22:903136
12:920^062
265:823,5218
MOVIMEiNTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados cora fazendas___ 83
com gneros..... 474
537
Voluntes sabidos cem fazendas..... 64
com gneros..... 1,759
------. It83
Descarregam uo dia 22 do corrate.
Brigue austracoGralttudine farinha de trigo.
Barca franceza-lo Grandediversos gneros.
Barca uacional Fa//e -charque.
Brigue hespaoholCorinaidem.
aECEBEDOItlA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Reudimenio do dia 1 a 21...... 25:8485366
Idem do da 22................ 5345108
26:3825474
CONSULADO PROVINCIAL.
Iteudimentodo da 1 a 20...... 28:9o5276
dem do dia 21.............. 1:165441
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
A Illustrissima junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Recife manda fazer publi-
co, que no dia 28 do correte, pelas 4 horas da
tarde, na sala de suas sessoes, tem de ser arrema-
lado o furueciinenlo dos gneros em seguida de-
clarados, que houver de consumir os diversos es-
tabeleeimeutos pios a cargo da mesma Sania Casa
no trimestre de outubro a dezembro prximo fu-
turo, a saber :
Estabelecimentos de caridade.
Manleiga franceza, libra.
Caf era grao, idem.
Cha pretu, idera.
Cha byssen, idera :
Assucar refinado 1* sorte, idem.
Dito dito 2' sorte, dem.
Dito era torro 1" sorte, idem.
Arroz pilado do Maranho, idem.
Toucinho de Lisboa, idem'.
Bacalho, idem.
Tapioca, idem.
Alelria, idem.
Carne secca, idem.
Sabo amarello, idem.
Fumo, dem.
Velas de carnauba, idem,
Ditas de esperraacete, idem.
Farinha de maudioca da ierra, alqoeire novo.
Feijo mulatinho, idem.
Vinho tinto de Lisboa, garrafa.
Dito branco de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, dem.
Agurdente branca, Idera.
Azeite doce, idem.
Dito de carrapato, idem.
Ceblas, cento.
Farelo, sacra.
Carne verde, libra.
Bolacha, idem.
Pao, idem.
Collegios de orphos.
Manteiga franceza, libra.
Assnear reflnado sorte, idem.
Dito dito 2* sorte, idem.
Cafe em grao, dem.
Cha hysson, idem.
Arroz pilado do Maraohao, idem.
Bacalho, dem.
Batatas, idem.
Aletria, idem.
Tourinho de Lisboa, idem.
Ceblas, cento.
Farinha de mandioca da Ierra, alqueire novo.
Feijau mulalinho, idem.
Azeite doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal, ruia.
Leoha em achas, cento.
Carne verde, libra.
Dita secca, idem.
Bolacha, idem.
Pao, idera.
As proposlas devem ser especiaes j para os es-
tabelecimentos de caridade e j para os collegios ;
sao tambem aceitas propostas soroente de carne
verde 011 de pao e bolacha para consumo dos hos-
pitaes Pedro II e dos Lasaros, e para a casa dos
expostos.
Recommenda-se aos concurrentes que obser-
ven! em suas propostis a ordera, pesos, medidas e
qu.ilida-les indicados na relaco dos gneros des-
crilos nesle edital.
Ne.-.ta secretaria se darao os esclarecimentos de
que os concorremes precisarem, e no acto da arre-
matado devero elles comparecer com seus fiado-
res, ou munidos de cartas destes, que Ac rao res-
ponsaveis pelo intetra cumprimento dos respecti-
vos contratos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife 22 de setembro de 1865.
O escrivio,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Convida-se as pessoas que estSo as
condicoes do servico .militar, a ngajarem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gensdi lei provincial n 611 de 2 de mao
prximo passado, que s5o as seguidles:
liSiOO rs. diarios de sold, serem seus -|
Ihos menores recolhidos aos estatielecimen- j
los provinciaes de educacao e o tempo que
estiveremna guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadoria, e alm destas
tem todas as mais vantagens que slo con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
nente-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
Consulado provincial.
O administrador do con.-ulado provincial manda
publicar para cuohccimenio dos devedores dosim
P"Stos cobrados por laucamente pertencentes ao
exercicio lindo era liquidacao de 1864 a 1865 a
portara do Sr. inspector da thesouraria provincial
em que ordeua que o pagamento de seus dbitos
so poderlo ser eifectuados at o dia 30 do corrente
ao meio dia. .
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 12
de setembro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Portara.
O inspector da thesouraria provincial recommen-
da ao Sr. administrador do consulado provincial
que faca annunciar urna e mais vezts, que o pa-
gamento dos impostes do exercicio prximo lindo
em liquidarn, s ser admeitido at o meio dia do
da 30 do carrete mez, para que as duas horas,
ao mais tardar, esteja recolhida a renda que se
houver cobrado at essa dia.
Thesouraria provincial de Pernambuco 2 de se-
tembro de 1865.
Jos Pedro da Silva.
Inspecco do arsenal de raarinha.
O arsenal de marrana eopaja machiui.-tas e fo-
guistas para o servico dos vapores da armada.
Inspecco do arsenal de marrana de Pernambu-
co 18 de setembn de 1>65.
O secretaria,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende seguir com mnfta brevidade o palbabote-
nacional Piedade, iem parte do seu ctiregamento
engajado : para o resto qne Ihe falla e escravos a
frete, para os quaes tem excellentes commodos,
tratase com os seas consignan ros Antonio Lolz
de Oliveira Azevedo A C, no sea escriptorlo ra
da Crnz o. i.
GOMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portes do sul esperado
at o da 30 do correte o vapor
Tocanii'fM, command.rate o pri-
meiro lente Pedro Hypolip)
. Duarte, o qual depois da demora,
"o costume seguir para os portes do norte.
Uesde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada ; encom-
mendas e dmheiro a frete al o da da sahida, as
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio da
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
totKl
COMPANHIA BIASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E psperado dos portes do nono
at o dia 5 de outubro, o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
. Sania Barbara, o qual depois da
demora do cortume seguir' para os portos do
Desde j recobem se passagelrs e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dmheiro a rete at o dia da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz o. 1, escriptorlo de
AntogioLuizde Oliveira Azevedo & C.
Lnsellu>decoipn>s navaes
O consplho promove no dia 3 do crreme mez
sob as rondiccoes do estylo e a visia de propostas
em cartas fechadas recebidas at as 11 horas da
manhaa a compra dos seguintes objectos: 20 ar-
robas de ac, 26,000 azulejos, 172 barrinhas de
ferro de 8|8 de largo e -2|8 de grossura, 6M) folhas
de cobre de 28|, 10 arrobas de estanto em verga,
8 lengoes de ferro de l|4 de grossura, 420 tonela-
das mglezas de ferro broto, 100 forquetas de ferro,
10 duzas de Upes, 10 arrobas de mealhar branco,
bO libras de pregadura de cobre, 3 arrobas de
pregos ripaes de cobre, 2 grozas de parafusos de
metal, 4 arrobas de pr.-gos ripares de ferro, 2 pe
cas de tapete, 6 duzas de taboas de costadraho de
amarello, 16 duzas de taboas de assoalho de louro,
3 duzas de taboas de assoalho de amarello de 3
palmos de largura, 20 duzas de taboas de assoa-
lho de amarello, e 40 duzias de taboas de louro
para forro.
Tambem o conselho continua a promover em to-
das suas sessoes vista igualmente de propostas
em cartas fechadas a compra de madeiras decons-
trurcao para um transporte de guerra.
Sala do conselho de compras navaes 19 de se-
tembro de 1865.
O secretario,
_______ Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o Presidio de Fernando.
Correles de ferro proprias para calcetas, bra-
cas 50.
Brim branco, metros 632,30.
Algodo-ziiiho, dito* 632,50.
Esleirs de palha de carnauba, 230.
^As pessoas que quizerera vender ditos artigos
apresentem.suas proposta* e as respectivas amos-
tras na sala do conselho as 10 horas do dia 23 do
corrente
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 20 de setembro de 1865.
O i1 o .ai 1 >vul 1 da escripturacao
Manuel Ju.- de Azvedo Santos.
Una de S. tignel
A escuna portugueza Erna preteude sahir impre-
tenvelmente at o dia 30 do corrente mez, e para
passageiros e carga trata-se com o consignatario
Joao do Reg Lima, na ra de Apollo n- 4.
LEI15ES.
LKILAO
De 1i0sar,C9S(lealgodo de Manan^
guape de primeira e segunda sorte
Iloje 23 de setembro
ao meio da em pomo no armazem alfandegado
do major Beiarmrao no Forte do Mallo.
O agente Puto fara leili a requenmenlo de
francisco Jos de Campos Pamplona, por seus pro-
curadores bastantes e por despache do Illm. Sr,
r. ju,z especial do commercio, de 110 saceos de
algodao de primeira e segunda sortes, viudas de
Mamanguape a existentes no armazem alfandega-
do do major Belarmino no Forte do Mallo onde
se elfectuara o leilao no dia e hora acuna mencio-
LEILAO
De farinha de trigo.
Hoje as H horas em ponto.
O agente Pestaa fara leilao por conta e risco
de quera penencer de porgo de barricas corrf fa-
rinha de trigo avariada d'agua salgada a bordo d
hiate inglezSea Breeze, em sua recente viagem de
ISew-York para este porto : tendo lugar o leilo-
hoie as 11 horas em ponto nos armazens dos Srs.
Jos Duarte das Neves e Joao Quirino de Aquillar.
LEILAO
Sabbado, na audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz
provedor de capellas e residuos, vo a' prac os
pretos Joao, d; 18 annos de idade, e Francisco de
40 aunos, bom trabalhador de enxada e trepador
de coijueiro : qu-111 uo me-inos quizer tancar,
compareca no lugar docostume, a 1 hora da larde,
podendo ver o escripto edital era mo do porteiro
du juizo.
MOTIMENT 30 PORTO
Pela subdelegacia dos Afogados acham se le-
galmente depositados dous cavallos, arabos casta-
nho sendo um castrado e de frente a berta, e ou-
iro inteiro, os quaes foram apprehendidos como
30:141^717 fuados : quem se julgar com direito aos mesroos
compareca, que provando, Ihes sero ectregues.
0 subdelegado,
Manoel Pereira Camello Pessoa.
Navio saludo no dia 22.
ParahibaBrigue ioglez Clevenag, capillo Haun-
gan era lasiro.
O&scrrafao.
Suspendern do lamaro para Swansa a barca
ragleza Jessica, capito W. Williams, com a mes-
ma carga que irouxe de Wallarao, na Australia.
Para e portes do sul a barca ingleza Sprmgbok,
capito Larson, com a mesma carga que trouxe de
Boston.
Nao houverara entradas.
EDITIES.
O Dr. TristSo de Alencar Ararlpe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito especial
do commercio desta cidade. do Recife de Per-
nambuco, etc.
Faco saber aos que o presente edital vlrem, e
delle noticia tiverem, que 00 dia 27 do correle,
s 11 horas da manhaa, na sala das audieocls,
lera lugar a reuniao dos credores da massa Taluda
de Caminha & Fhos, afim de se cumprir o dispos-
to no art. 842 do cdigo commercial; advertiodo,
porm, que nenhum credor ser admittido por pro-
curador, se este nao tiver poderes especiaes para o
auto, e que a procuracao nao poder ser dada
pessoa que seja devedora ao fallido, nem um mes-
mo procurador representar por dous diversos ere-
dores ; outroslm que serio unidos os votos da
maiona dos credores presentes os dos credores
que deixarem de comparecer. Sendo esta convo-
cado feita, viste os credores nao comparecerem
00 dia 20 do corrente, marcado para a continuacao
das diligencias determinadas pelo citado artigo.
E para que chegue ao conbecimento de todos, o
presente ser publicado pela lmprensa, e afiliado
nos logares do costume.
Recife, 21 de setembro de 1868. Eu Manoel Ma-
ria Rodrigues do Nascimento, escrivo, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
Pela adminislracao do correio desta cidade
se faz publico que existem na mesma as cartas
abaixo mencionadas, viudas do exercito em opera-
cSes nos corpos do sul :
I Anna Espinula Cavalcanti.
Augusto de Sa e Albuquerque.
Antonio Fausto de Abreu C.
Antonio Precito dos Santos.
Antonio Policarpo R idngues de Salles (2).
Dmaso Antonio de Alcntara,
i Eugenio Francisco das Chagas.
i Felippe de Sa e Albuquerque.
Francisco dos Santos Neves.
I Gustavo L. Furtado de Mendonca.
! Honorio Doramgues de Menezes Doria.
! Joaquim Manoel Mendes da Silva.
I Joao Augusto do Reg Brrelo.
Jos Prancisco Ramos.
Jos Ignacio de Andrade L.
Jos Joaquim Umbelmo de Miranda.
Mara da Penha F. Castro.
Mara Zeferraa Ponas Lima.
Marcolrao da Costa.
Manoel Malaquias Camargo.
Pedro de S Barrete.
Salustiano Bartholomeu da Rocha.
Mara Luiza da Cooceicao.
Arrematando.
No dia 26 do corrente, na praca do juizo de or-
phos, depois da referida audiencia, tem de se ar-
rematar urna escravioha de idade de 7 annrs, a
requenmenlo de Narciso Jos da Cosa Pereira,
como tutor dos menores ilhos do tallecido Jos
Francisco de Lima.
Perante a cmara municipal desta cidade es-
ta rao novamente em praca publica nos das 23 e
30 do corrente, para serem arrematados pelo tem-
po de um anno por quem mais olferecer os impos-
tes seguintes:
O arrendamento da casa sita no pateo do Corpo
Santo na cidade do Recife, onde se acha a Associa-
5S0 Commercial. por 807,8000.
Dizimo do capim de planta, 1:2005000.
Coqueiros de producao para negocio, 590000.
Afferico de pezos e medidas, sendo o arrema-
tante obrig^do a aferir os da mesma cmara sem
indemnisacao alguma, 8654000.
500 ris por cabeca dega 10 vaceum, 480J000.
Mscales e boceleiras, 343000.
Casinhas da Ribeira, 1344500.
100 ris por cabeca de gado recolhidolno curral,
ftopvOO.
Repeso do acougu", 104509.
80 ris por carga de farinba e legumes, 154000.
Gado ovelhum 14636.
Os pretendenles podem comparecer nos mencio-
nados dias com seus fiadores habilitados na forma
da le.
Paco da cmara municipal de Olinda em sessao
de 16 de setembro de I8b3.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque,
PrelOenle.
Marculino Dias de Araujo,
Secretario.
De oO saceos cora cif do Rio.
Terfa-lfeira 26 do corrente.
O agente Pestaa fara leilao por conta e risco
de quem perlencer de 50 saceos com caf do Rio
em um ou mais loies: terca fera 26 do corrente
pelas 10 h >ras da manhaa no armazem do Sr Aze-
vedodefroute da e Leilao
T11K rito
DE
BECMliyuES.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de raerra
precisa comprar o seguinte :
/ .?,r? ProWa''rto do almoianfado.
lio eixaduras para ealxdes.
110 pares de dobradicas para caixSes.
5 arrobas de carne verde.
MS2 pre*os de asssalbo.
10000 ditos bels pequeos.
it" 'aboas de 'uro de assoalho
30 ditas de duas de pmbo de 3,4 de groW
89 10 llil corpo ,de untarlos
89-10 metros panno airadlo.
z,w metros dito azul
wmmrus caaf mn c|araj
.017 metros baeta verde^
7,700 metros brim de Imho.
3,850 metros algodaoxinbo.
1,599 metros dito para forro.
399 metros anjagem.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data foi
inscripto no livro da matricula des commerciantes
o Sr. Manoel Vielra Bernardos, cidadao porlugoez,
de 47 annos de idade, eslabelecido na cidade de
Goianna desta provincia com casa de commercio
de propria e albela conta em arana e a retalho.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
baco 31 de setembro de 1863
O offlcial-maior,
Julio Guimaries.
Pela subdelegacia do 2 districto do curato
da cidade de Olinda se faz publico qne no dia 16
do corrente foram appreheadidos em poder de Ma-
noel Francisco Xavier, e Francisco Honorio da Sil-
va, cinco cava tos futlados, os quaes se achara em
deposito : quem for seu dono, jusiiflcando, Ihe ser
entregue.-O subdelegado,
Manoel Dionizio Gomes do Reg.
Santa Casa da Misericordia
do Recife
Comprase para o muro que se tem de fazer na
imite do hospital dos lazaros, 25 milbelros de ti-
Je-kw de alvenarla grossa e 1,200 alqueires de cal
prela : os ioleressadns eniendsmse com o Sr.
mordorao Antonio Jos Gomes do Correio, em San-
to Amaro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife H de setembro de 1865.
O escrivio,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
S. ISABEL
EMPREZA-COIMBKA
6o recita da asignatura dos 6 espectculos do
ador Simes.
Sabbado 23 de setembro
de 1865.
Representar-se-ha pela ultima vez o drama em
2 actos e 1 prologo martimo, original portoguez
do Sr. Cesar de Lcenla
A PROBIIIADE.
Em consequencia de se mutilisar a jangadj* da
Probidade para dar-lhe urna nova forma para o
aparatoso drann martimoA Senhora da Bonan-
caque se acha em ensaios, a empreza resolveu
dar arada pela ultima vez a Probidade, para sa-
tisfazer a muitos pedidos.
Dar lim o espectculo a opereta em 1 acto
0 TO braz.
Comecara' as 8 horas.
iTISOS MAllTMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
Da loja de miuilezas da raa do Cabu-
la n. 12
Jos Francisco de Souza Lima
com consenso de seus credores e por iotervencao
do agente Cordeiro SlmSes far leilao de grande
sortimento de miudezas, armadlo, gaz e mai- per-
tences da referida luja, em um ou mais lotes a
vootade dos licitantes, cujo balanco se acha era
poder do dito agente, para quera queira exami-
na-lo.
Segunda-feira 25 do corrente
s U horas em punto na mesma loja.
IaEIaA
De urna casa terrea qu>si no-
va, tendo 2 salas, quartost
cosinha, cacimba e um ter-
rogo, em chaos proprias, si-
ta na ra da Gloria n 61,
em frnte do sobrado do Sr.
Dr Moscvzo, e rende men-
salmenie 25,00o.
Cordeiro Simes
precedida a competente aulonsacao far leilao d
predio cima descripto, podendo desde j os pre-
tendenles proceder o exame obtendo as chaves no
armazem do referido agento ra da Cruz n. 57
onde ser effectuado o ieilo, ielo
Qnarta-feira 27 do corrente
as 11 horas ero ponto.
leilAo
DE
Navegaco costeira por vapor.
liba de Fernando.
No da 28 ao meio dia segu
um .dos vapores da compaohia
para o porto cima indicado. Re-
cebe carga at o dia 27. En-
--------------w commendas, passsgeiros, dmhei-
ro a frele at as 10 horas da manhaa do dia da
sabida : escriptorio no Forte do Mallos n. 1.

Linha do Havre Per-
nambuco.
ltx
KS.1C
Espera se a barca Sphere que
sabio no dia 10 de agosto ao frete
de 25 frs. 10 v Recebe carga pa-
ra o Havre a fieles baratos : a
tratar com os consignatarios Tls-
il freres.
De 1 escravo e 2 escravas.
HOJE.
O agente Pinto fara' leilao a requerimento dr
inventariante e herdeiros de D. Loureoca Mara
da Conceicao e por despaeho do Illm. Sr. Dr. juiz
municipal da primeira vara, do escravo Eleuterio
crioulo, Gertrudes, muala, e Rufina parda, per-'
tencentes aos bens da finada D. Lourenca Maria
da Conceicao,as 10 horas de dia cima dito em
seu escriptorio ra da Cruz n. 38.
LEILAO
De nm bol e carroca.
HOJE.
O agente Pinto fara leilao a requerimento de*
Antoni i Constantino Monteiro e por despacho do
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara, de-
nma carrogacom boi, as 10 1|2 horas do dia ci-
ma dito em seu escriptorio ra da Cruz n. 38, po-
denuo os pretendenles examinaren ditos objectos
na rna da Cruz em frente ao mesme escriptorio.
IMMIM
De ama taberna sita na Rosario n. 18
Segunda-feir* 23 do corrente.
0 ageste Pestaa totalmente aulorisado far
leilao por coala e risco de quem perlencer da
todos os geoeros, armacao o mais utencilios exis-
tentes na taberna sita na ra larga do Rosario n.
18, a qual sera veodida em um oa mais lotes, -
propria para principiante por ter poneos fondos
e achar se bem afraguezad, o bataneo acha-se ero.
mao do agente oode pode ser examinado com an-
tecedencia, tendo lugar o leilao segunda-feira Vt
do corrente pelas 10 horas da manhaa na
ta tierna.
LEILAO
De in b* con rapa.
Martins fcra leao por ordn do Illm. 8r. D-.
Claudino de Araujo Guimares consol de Portugal
de um bad com ronpa osada, perteneenie ao es-
polio do subdito portugnez Joaqaim fos Moreira
Le i tao.
Segonda-feira 15 do correte.
Bm seo escriptorio, rna da Cadete do Recife
n. 9 ao meio dia, onde baver tambem leilao da
dividas.
-fj
l
-

-
i
l.l



Diarto e t fnaualme J .fctado II Je ietembro de !.
Leilao
Da lija de fazendas da ra 4o Crespo
no mero 10
Massa fallida de Joaiuimda Silva Boa-vista.
requeriraeuto dos curado
Marlls fara' leilao a
res flscaes da massa fallida de Joaquina da Silva
Boa-vista epir mandado io Illm. Sr. Dr. juiz es-
fiecial do commercio da armario e fazendas da
oja da ra do Crespo n. 10, pertencente a
massa.
Segundafeira 23 do correte.
As 11 horas do dia, os pretendeotes podem exa-
minar o mandado em seu esoriptorio ra da Ca-
deia do Recite n. 9.
Na padaria da Torre, percisa-sede um amas-
sador que salba ler, para vender pi.
Festa da
Senhora
cada.
da Es-
O abanto assignado lein a honra de commanicar
a todos os devotos da Excelsa Senhura da Escada,
erecta na igreja de Nossa Senhora da Conceico
dos Militares, que a festa da mesraa Senhora tera
mesma lugar no dia 24 do eorrent, pelo programma se-
guinte :
.\a vespera ao meio dia estar aberta a igreja
para todos os devotos orarem a' mesma senhora,
tocando nessa occasio diversas e escolhidas pecas
pela msica do 2 bal ilh> de guardas naciooaes ;
ao amanbecer do domingo sera' collocado era fren-
te a igreja o estandarte da miraculosa imagera,
que peroorrera' a ra Nova, acompanhado de um
coro de vlrgens, que ao som de caoligos maviosos
pedirao Soberana Senhora e.m favor daquelles
que se acham as froolclras do sul, defendendo a
GUROS A.NACIOJNAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOKISaDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
A Companhia Indemnisadora ma flanea em dinheir, depositado nos cofres 4o estado, garante a boa da
ministraco da companhia.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
LEILAO
Da armaco. balea, balanca, gneros,
Iuca mais objectos da taberna
da riiu do Sebo n. 47
Segunda-fiira 25 de setembro.
O agente Piulo fara leilao a requerimento de
Antonio Jos da Costa e Silva herdeiro e invenla-
rianie dos bens do Bnado Joao Jos da Costa e
Silva e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de or-
phaos da taberna da ra do Sebo n. 47,.isto as 10
horas do dia cima dito na referida taberna, pu-
dendo os pretendentes entenderem-se desde j
com o mesmo agente, afim de examinaren! o ba-
lando e eoncurrerem ao leilao._______________
LEILAO
De 3espelhos dourados, 12 cadeiras de amarel-
lo, 2 consolos de dito, 2 cadeiras da brago de dito,
2 ban.piinhas de dito, 1 nteiru de dito, 1 lavatorio
de dito, 2 ditos de ferro, 2 cabidos, I quadro, 2
machinas de ventosas, i aparelho de ferros para
denles, I lustre do gaz, navalhas, tesouras, esco-
vas, toalhas, jarros bacas, ventosas, perneadores
e ootros otjeetM propriamente para ofQcina de
barbeiro, i-to
ieguaila-feira 23 do correute
as 10 toras em ponto no primeiro andar do so-
brado da ra da Cruz n. 51.
f3s l;i:iy!iu de onza Coii-
calvc* Coelo
querendoacabar a sua olfl-ina de barb iro, far
leilao no da, Hura e logar cima designado e lo-
dosos objectos** esudeaies e por ratervencao
do agente Cordeiro S.imes.__________________
LS^ILAO
Oe dividas.
Mtrtins far leilao -por ordem da Illm. Sr. Dr. A director de-la associaeo requereu 15" se-
Claudmo de Aranjo Gatmares cnsul de Portugal, nhores associados a' convocarn extraordinaria de
das dividas activas dos espolios dos subditos por- assembla geral de eonformidade com o ari. 17
tuguezes Custodio Luiz Gomes e Gaspar Pereira dos estatutos, alini de se tratar sobre a pelicao di-
da Silva na importancia de rs. 13:150^330, sendo rgida a esta associaoao pida Sr. Joaquim Jo de
3:1613090 pertencente aaespolio destee9:li89i&2'i0 Miranda, thesoureiro da alfandega de-ta provincia,
ao d'aquelle. em curaprio-ento, pote, do art dos estatutos j c-
Segunda-feira 2o do corrente. i tado, a direccao convida os senhores associados a
Em seu escriplorio, ra da Cadela do Recife se reumrem uo da 25 do correte ao meio da,
estabelecida nesla praga, toma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto-
jo, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Precisase alugar urna escrava que saiba fa-
zero servico iuterno de urna casa de familia, ex-
celo cosiohar : na ra da Madre de D--os n. 36,
primeiro andar, ou.na ra da Cadeia n. 52, ter-
ceiro andar.
*m
r bmmmm
e bankos M
'*8
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. 19
Esta companhia liga pelo systema rautno todas as combinares de superviencia dos segu-
sobre a vida.
Nella pdese lazer a subscripgao de maneira que em nenhum caso n.i>no]u nonos,
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Saotao supreliendentes os resultados que prodazem as sociedades da ndole de A NACI i
DAL,que ainda mesmo diminuiudo urna terca parle do inieresse prodozido em reeentesliquidai
edes ecpinbinaado-o com a mortalidade da tabella de Depareeux que e adoptada pela compauh--
inteandade do imperio depois do que subirao ao ^-luga-se a casa n. 17 da ra do Mondego,
* hg'rf h a* "e 'T arl',1"'al- r*,. rom 3 quartos, com cano para despejo, e junto do
a sonze oras no mesmo uia principiara a resia. nortao da alaria n. 13. que se d licenca para ba- para seus clculos o lquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, umaimporsicaoannua.
sendo a orchesta dirigida pelo hbil professor Ma- '_". .
noel Augusto, pregando no Evaugelho o rauito dig-
no e illustrado padre mestre Mello, cujo talento
por mais de urna vez tem sido apreciado ; depois Aluea-se o s
da festa sero distribuidas diversas esmolas
a tratar na dita olaria
iih'i- e mais despejo, ele.
n. 13. na mesma ra. _
Aluga-se o sobrado de um dar cito ra
por Imperial n. 162; a tratar na ra Direita n. 84.
um devoto, que amando de roraco a padroeira do Precsa-se de urna ama para casa de pouca
imperio, offereceu-se para repartir com os pobres fam|ja na ra da Couceicao n. 6.
o que a sua bem contienda generosidade permit- -
sse. Aluga-se urna casa terrea com 2 quartos, t
A' noute havera' Te-Dnua, do qual sera' orador salas, coiiuha, quintal, cacimba, por 125, urna dila I
o esperanzoso e intelligenie Ur. padre mestre M*
noel da Costa Honorato, cujo talento, dedicaQitO e
amor a' nossa santa religio, por todos que de per-
to sabem apreciar as bo is qualidades do mesmo,
sao conhecidas e admiradas.
Havera' fogo de vista.
Pede, portanto, o mesmo abaixo assignado, aos
moradores d les de suas casas nesse (lia, aflm d-4 dar maior
brilhantismo ao acto, e a todos em geral, que se
dignem comparecer durante os actos, interceden-
do ne>sa occasio com suas preces a mesraa Ex-
celsa Senhora, para qne termine os soffrimenlos
' daquelles. que deixando us commodos da vida e de
suas familias, seguiram 'presurosos a esmagar a
lyi annia e perversidaOe que coulra o nosso paiz
est exerceudo o despola Lipes.
Jos Firmino de Olioeira Regs,
Procurador geral.
Associagilo Commercial Be-
neficente de Pernambuco.
de 100# produz era effectivo metlico:
No m de Sanaos.......1:1195300
> de 10 .......3:9425600
de 15........11:2085200
i de 20........30:256000
de 25 .......80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacoes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Piuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n.12,estabel
ment dos Srs. Raymnndo.Carlos.Leile & Irmao.
m Largo do Carino a. 6.
#& Este estabelacimento tao hem montado
na sua origem"arhava-se de ha mnito
**; em quasi completo abandono pelo penco
?J? ioteresse de sua admini-tra^ao.
Iloje qae o novo proprielario empre-
goO todos os meios para restabeler a
Si grande utilidade desie estabeleriment.i,
'," iide assr>;urar ao juLlico que qualque/
*^ que pja o numero dos concurrentes
(P' acharan dpsde JA prnmptid banh'js trios, morB< s ou luedirioaes, a
0% casa dos hanhn= se achara aberta todos
das das 6 huras da manha as 11 da
_ noite.
Trico?.
Rinho de choque....... 500
Dito fro oo morno..... 500
Dito de farello........15000
Dito inediciuaf ser se-
w gundo sua qaalidade.
f Assignaloi'H.
H Por iriez banho fiio un morno. 105
H 23 carines para hanliofrm.mor- ^
ij^ no ou de chuvisco..........105 A
S 12 candes para os mesmus... 55 mm
S?< 12 ditos para b.niho de farello. 10-3 $
Na ra da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com aceio e proinpndao e por preco razcavel.
"
com melhor commodo, com agua de beber : ambas
a tratar no sobrado ao norte e junto a fabrica ------.-------------------------------------------
d^-----A^^---------\& PARAGUAYOS
* ***!r*l'Wm E' a ordena do dia Acabar com os Para-
Da se inieresse em urna taberna bem afregue- .,,.. havi.npta a mmiA a rcvnlvpr
zada a urna pessoa que entre com alguraa quaoiia,'^08 ,a ba)"neta- a mimt,, are\ol\er,
e tenha pratica do mesmo negocio : quem quizer .fulmioa-los com os encuuragados armados
annuncie para ser procurado. de esporoes, armstrongs e rajadas de 80 a
Precisa-se de urna preta que saiba cozinhar,
lavar e engommar: a tratar na ra do Livramento
n. 2, loja.________________________
' Na ra do Imperador n. 83, seguod andar, paraguayos COB as armas que Deus I10S COn-
precisa-se de um coziuheiro ou cozinheira, para
casa de homem solleiro, preere-se quem saiba
comprar
n. 9 ao meio dia.
mm mmm.
na sala das sesses, para o liai indicado.
Associago Commercial Beiielicente de Pernam-
buco 23 de setembro de 865.
O secretario,
Candido ;. G. Alcoforado.
Aluga-se um sobrado na ra Imperial n. 162
com rnuitos commod-s para familia, tendo 4 quar-
tos, 2 salas, coznha, bom quintal, com um leihei-
ro : a tratar na mesma ra n. 21, ou na ra Di-
reita n. 84.
FEITOR.
Precisa-se de um bter para sino perlo da pra-
onde se as- va> eque seja pessoa capaz e trabilhidor: a quem
convier dirija se a ra Nova n. 17, loja.
____________, Aluga-se a sala do 2 andar da casa da ra
retirase para do Imperador n. 75 : a tratar na mesma.
Antonio da Silva Medeiros retira se para
! f-a do imperio, julga uada dever nesla pra^a ou
] fura della, e se alguem se julgar seo credor, diri-
,ja-se ama Direita n. 106, no praso de tres dias.
Recife 23 de setembro de 1865.
Precisase de un a ama para casa de urna
pessoa : no bgfgg das Barreiras o. 3.
Ao Sr. Block.
Na ra do Livramento n. 19. precisase fallar
ao Sr. Block, negociante de joias, que andou a
pouco no termo de Seriuhaem, hem como previ-
ne-se. que ninguem faga negocio com urna leira de
1:9005000, acceita por Ignacio de Barros Wander-
ley, para Janeiro vindouro. ao dito Sr. Block, por-
que existem duvidas importaules, como consta de
documentos, acerca dessa letra. _________
mmmwm mmm mm
DEPOSITO D CALCADO
m FABRICADO NA CASA DE DKIE.MJAO
K Bita .\vi u. 1.
=^ Ahi se eucontrarao obris de di-
~* versas qualidades, e por prego mui
diminutos, a retal lio e em porces.
Wk S se vende a dinheiro.
cede; acabar com elles a tacao e a ponU mm~ "^ *? ^.*^
ps, para o que necessario encouracar esta 11'eClStl-S6
parte do nosso corpo com OS formidaveis de um feitor que emenda de jardim e plantagoes :
rompe-ferro, esmaga Cobra, arranca ticos, a tratar no Mondego, casa da viuva do comroenda-
quebra marmore e o otros que se vendem dor '' G- Frrreira.
120; extermina-los em summa a espada, a
la So e a puobal de que se trata; mas
ninguem se lembrou anda de esmagar os
4 RA OIREITA45
A O pul) I iro.
Bazar volaiile.
Pede-se aos senhores assignantes que recebem
>SU folha iiirectamentedo Rio de Janeiro, o favor
Ule mandarem satisfazer a importancia de suas as-
I signaturas do Io e 2o amio, em casa de J. Falque,
ra do Crspo n. 4. nico encarregado em Pi-rnam
liueo, oude se entregar os recibos, e
ligna.
M. A. de Araujo, Portuguez,
o Rio._______
LOTERA
AOS 6:000|000.
Corre no dia O.
Acham-se venda na respectiva thesou-
raria ruado Crespo n. 15, os billietes,!-
meiose quartos da Ia parte da Ia lotera
(33*) a b Instituto Archenlogico,
cuja extracto ser no da supra menciona-
nado no lugar e hora do costume.
s premios de .OUO0OUU at lOOO
_ i -- J _4__,s- 'lena o uu lu irme, as o uuiaa \
sero pagos unta uora dei>ois da extraccSo, a)ma do S0cj0 Mhi,,1cI dos Santos prreira,
at as i horas da tarde, e OS OUtros depois i determina o art. 126 do regiment interno
da distribuicaodas listas. Secretaria da gociedadedos Artistas Mechanicos
As eiicominep'Ias
Acaba de sahir do prelo noeoes do systema m-
trico decimal por Jos Antonio Gomes Jnior ; esta
obra contm as precisas taboas em que as aoluaes
medidas de peso,.eapacidad-% extensao se acham
convertidas ao systema mtrico, comparado a uni
dade nova a antiga, afim de que os clculos no
commercio se executem de um modo facilimo, pre-
cedido este trabalho de claros exemplo* de con-
Borseguins.Bordeaux........
patricios.........
para senboras, en-
lejiados .......
com laco e flvella ..
Sipates encouracadns.......
B rseguins para meninas bom
elast co .................
Sapatos delona, sola elstica.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nboras...........
com salto de lustre-.
Chineles do Poro..........
Um completo soriime to de
trra para bomens. senboras
85000
5,5000
5IOO
Ausentou se do engenho Frecheiras, fregu
zia da Escada, no diasegundafeira 11 do corren-
te, o eseravo de nome Cosmn, crioulo, idade de 20
e lantos annos, estatura baixa, rheio do corpo, es-
padoas largas, falla um pooco mauso, e levou ca-
misa e caifa de algo'lo riscado, chapeo de palha;
44h00 CUJ escravo foi rto Sr- Jos Ferreira de Souza, la-
*~ a vra,lor (* agenho Rainha do liussos da dila fre-
"Di'U gnezia. para cujo lo.sar 6 proael que se tenha
dirigido por ter sido cria do dito senltor, e loi ven-
3^000 J'llu nesla ciaarte ao Sr. Jj- Rudngues^de Sena
9/10 O Santos, em jnnhn prximo passado pelos Srs. Meta
t ion ibefro por autorisac.i do dito Sr. Jos Ferrei-
1 ra : roga-se as autoridades competentes e pessoas
particulares de n apprehenderem e dirigircni-se ao
referido engenho, ou a ra do Imperador n. 42,
terceiro andar, que se recompensara. ______
ItJ 1 O.MM lit E 1IOIRADOB
20RA DO RANGEL2
Participa a seus amigos p fre-
gueses que acalia de ree^ber mag-
niiii'us rrioglOs de o uro e prata e
carentes de ouro para r^fOgioa
Ou litis i'purao.j gu.sto.
Cunee la "elogios de. qualquer
natnreza, caitas oe rrin>ica e dou-
ra nao s Telogios como imalquer objecto.
Aluga-se urna grande casa terrea cora suiSo-
na ponte de Uctios, a beira do rio : a tratar bu ar-
mazem de Guimares i Alcoforado, ra do Amo-
rim n. 54._______________________________
Saque nobre i.i.~(o;i
Marmei Ignaeode (.livnra & Filliu .-acara sobre
Lisboa : no largo do Corpo Sauto u. 19.
hae5isrl
i'i-iirix-o Aui>to da Cosa
i 5600
5500
2#240
15600
calgado da
e meninas:
- O Sr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigir-se a ra Nova n. 60, a tratar de negocios
que Ihe dizem respailo.
mmmm &m mmmmmmm
Jan
H ADVnUADO
S, Ra do Imperador numero 69.
O abaixo assignado faz sciente ao pahliro,
resppitavel corpo do c mmercio, e a seus anligos
amigse freguezes, que tem aberto um escriplorlo
de commissoes na ra da Cruz n. 44, olferecendo
seu presumo e bous desejos no de-empenhn de
ludo quanio se dignaren! encarrega-lo ler>dente
aquelle genero da e.-tabelecimento, promeltend^-
Ihes o maior zelo e sinceridade em todos os seus
encargos.
Ant mi Bezerra Cavalcanti de Albuqurrque.
SOCIEDiDE
nos
ARTISr;SlKCihMi:OSELIilER\ES
DE
PERNAMBUCO.
De ordem do Illm. Sr. director interino sao con-
vidados todos os socios para assisiirem na igreja
do Senhor Bom Jess dos Martyrios a missa de
rquiem que manda celebrar a suciedade segunda-
fera 25 do corrente, as 8 horas da manha, por
como
verso, para que possam ser comprehendidos por assim como bezerro francez, couro de lus-1
tre, marroquins, taixas de todas as quali-1
dades, Atas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que ludo visto necessariamen-1
te faz cobica ao comp ador pela baratera.
Penltimo recurso
Roga-se ao Sr. Joao Baplisia Pinbeiro
j Corle-Real, estudante do 5o anno da Facnl-
dade de Direito, o obsequio de dirigir-se
todas as inteligencias : vndese a 15 as bvra
ras acadmica e universal, ra do Imperador;
econmica, arco de Sanio Antonio; e era casa do
'autor, ra do Deslino o. 3, onde es compradores
de dez exemplares para cima tero um beneficio
na razo de dez exemplares por ceoto.
M

w
i
iiETRATiSTAS
Firmino & Lins
Kovo cslabclecimeito de reta-
los rju Soya n. 15,1an-
m
Tendo os Srs. Block & Irmao apparecido em ,, ; "nn^lh a nfrncin iup
:neu enhenho Pirauhira, com recomraenda^es, e i ao COlleglO UO Bom LonseltlO, a ntgutiO que
nao ignora.
s rao guardadas so- J8g-beraes
mente at a noije da vespera da extracto
como de costum/e.
de Pernambuco em 22 de setembro de
O thesoureiro,
Antonio/Jos Rodrigues de Souza.
n
Basilio Barros
Secretario interino.
com
do modo por que sabido por quanlos teera sido
victimas das suas impertinentes instancias, haven-
do conseguido que en Ihes comprasse alguinas
joias no valor de 1:920?, para rujo pagamento pas-
sei-lhes urna letra desla quanlia, a vencer-se em
Janeiro vindouro, acontece ter se reconhecido que
o valor das ditas joias muitissirao inferior ao
que elles eslipularara ; sendo por conseguinte sum-
mamenle lesiva semelhanie venda. E portanto
sendo requerido deposito judicial das mesmasjoias
afim de intentar aeco de resciso de tal negocio,
venho pelo presente declarar que oinguem fa?a
transaccao com a mencionada letra, contra cujo
pagamento desde j protesto.
Roque Ferreira da Costa.
CASA DA FORT
Aofs 6:000^000.
lllhetes garantidos.
A' Rl'A DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixo isslgnado vendeu nos seus muilofeli-
Bes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de exirabir. a beneficio da matriz de Santo Ama-
ro de JaboatoL os seguntes premios :
m quarlo n. 1541 com a sorte de 6:000^000.
m meio n.f 1746 com a sorte de 400$.
E nutras militas sortes de 100, 40$, 20$ e
10*000.
Ospossuid^ires podera virreceber seus respec-
livos premite sem os descontos das leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-sela venda os da 2* parte da 1* lotera
t'32"j a beneqcio da matriz de Santo Amaro de
Jaboato, que se extrahir sextafeira 22 do cor-
rete.
PRF.gO.
Billetes .... 74000
Meios......3*500
QuTartos.....1*900
Para as pessoas que compraren de 100000
para cima.
Uikhetes.....6*500
Mpios......3*750
Quartos.....1*700
Manobl Martins Fiuza.
Achai-se contratada a compra da casa n. 30
Ja ra do Livramento desla cidade. Aquelles
portento al quem esse negocio possa prejudicar
jpor terera,sobre a dila casa algn- direltos, que-
ram reclamar por este jornal dentro de 3 dias.
yt Roga-se ao Sr. Zeferino Bolelho de Ao-
JS drade (estudante) de dirigir se a ra do
jP, Rosario da Boa-Vi.-ta o. 43, a negocio
que nao ignora, isto no prazo de 3 dias,
m do contrario declarar-se ha qual o ne-
Wt socio.
A 120 rs. a libra se pagara os jomaos para
erabrulho : na iraca da Independencia n. 21
Pllblicaces Iliterarias.
Roteiro dos bispado- do Brasil pelo padre Carlos
Augusto Peixoto de Alencar.
Cartas do solitario-E-tudos sobre quesloes ad-
ministrativas e econmicas, pelo Dr. A. C. Tava-
res Bastos.
A Conslituinte perante a historia por F. J. Mar-
condes de Mello.
Esto venda na livraria universal, ra do Im-
parador n. 54.
O abaixo assignado segu para Paje de Flo-
res at o dia 4 de outubro, encarrega-se de algo-
Bibliotheca Litteraria.
Para esta publicago semanal assigoa se na ra
do Cabuga n. 2 e na ra das Cruzes n. 33, 1."
andar._____________________________________
Casas para alHgar-se
No primeiro becco da camboa do Carmo, vindo
pela ra Nova, existe urna casa terrea para alu-
gar-se pela quanlia de 10* mensaes : laibem se
aluga a loja do sobrado da ra do C.aldeireiro (em
armazem) n. II, pela quanlia de 12* mensaes : os
pretendentes podem entender se na ra do Impe-
rador n. 75, loja. __________________^^^^
Ama
Gratilicaco ile bOfl.
Ausentuujse da basa n. 59 da ra do Imperador
(outr'ora Colegio) no sabbado 16 do corrente mez
de setembro de 1865, o eseravo pardo de nome Joa-
quim, com os Mgnaes seguntes: estatura regular, I
idade. 18 a 20 anuos, sem barba, ps largos, olhos'
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz grande
e bem vi-rvel na testa, parte dos dentes da frente
arruinados, e rom falta de alguns dos lados, sahio
com calca de hriin pardo e paleto! curto de panno,'
mas levou mais roupa branca e de cor, muito j
astucioso, cosloma intilular-se forro e andar cal-
gado ; f i eseravo do Sr. Gulherrae Frederico de i
Souza Carvalho, genro do finado Sr. commendador I
Mauoel Gongalves da Silva : roga-se a sua captura:
a todas as autoridades polieiaes e a qualquer ca-
pito de campo ou outra pessoa particular que o |
apprehenler se gratificar com 50*, alm das des-'
peras de coodoccao, entregando-o a seu senhor
Miguel Jos Alves. na casa cima, ou no sen es-1
criptorio na ra da Cruz casa n. 19.
Fraucisco Jos no ftosariw
Bar oso, |
antigo relojoeim, tem a honra de v4?
scientificar ao respeitavel publico, e
principalmente a^s seus (fregu es
e nmeros is au igos, que tem mu- ?
.. dado a sua residencia e eslabeleci- Wk
dar, jllte ao Sr. Gaotier, ^ ^ ment da ra Bella, para a da Ruda *0.
Jkmmtatm p. |0. onde como st-mpre est &
prompto para aviar todo e qualquer >*
*J servigo pertencente ao seu officio, e S
% issoj se sabe por preces ccmuio- H
g issimos. H
Aluga-se o solo do sobrado n. 62 da ra da
Guia, com 2 janeilas rie frente e rnuitos comino-
dos: a tratar no primeiro andar.
3$
m
*
ti
cao.
Francisco Garrido, amigo proprietano do bote
Trovador, silo ua ra do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto de.-ta capital como do centro da provin-
cia, que se acha novamente estabelecido na mesma I
ra larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Travata, onde acharo os seus freguezes
seu trabalho, podem procurar na ra de Apollo n. A P"22 'SSl^TSST'^S^ZL seD,t're a melhor Von,ade para bem 0S servirJ a
37 nrimeiro andar rente urna pulseira pequea de ouro, no claustro par de excellenles vinhos capils e boa comida,
' Mignel Rezerra de Abreu. da ordem terce.ra de S. Francisco, procure no se- ^ur Q0 mesmo eslabe|ec.mento, qur para fra, e :
gundo andar do sobrado n. 7 da ra do CabuOa, den(ro da Cldade aos que no qimerem ou nopo-
que dando os signaes lhe sera entregue.______ derem V|r a seu estabelebimento, sendo pelo preco
Antonio Francisco de Menezes faz publico mais mdico qne em outra qualquer parte. No
que resolveu ca.-sar a procuraco que deu ao Sr. mesmo estabeleciraento acharo os seus freguezes
liento Caetano Muniz Vieira, para nao poder mais bilhaies para recreareui-se, bem como sorvete to-
tratar desta data em diante de seus negocios._ das as noies para refrescarem-se. ____
Aluga-se a padaria cora seas perteoces
mas cobrangas, para o que esl habilitado : os se- Quem precisar de urna ama para lodo o servico
nhores negociantes desta praga que tiverem dvi- de uaja casli a qua| engomma bem, emuito fiel,
das por aquelles lugares, e quizeremse utillsar do dnja-se a rua Imperial n. 84.
Presido do annunciante, ^M.JJMJ do A pessoa^e perdeu Da Doile de .7 do cor-
n
ignel
Ao publico.
Eu abaixo assignado declaro que todos aquelles
que tiverem objectos para concert na sua offlcioa
de marcneiro na rua de Hortas n. 20, nao os vin-
do buscar no prso de 15 das, sero vendidos para
seu pagamento. Recife 23 de agosto de 1865.
Vicente Moreira da Silva.
Aluga-se um mnleque de 14 a 15 annos para
casa de pasto por j ter uso, ou para casa de ho-
mem solleiro : quem precisar, dinja-se a camboa
do Carmo, casa n. 23.
Besappareceu no dia > desie mez, do p do
trapiche do algodao, um batelo de 10 a 12 palmos
de comprimento e 3 a 4 de bocea, com bucarda
na proa e travesso, e na popa com gio e gouva-
dura para rlnza : roga-se a quem souber do mes-
, mo participar no caes do Ramos n. 24, que ser
recompensado.
SiOIJES
sobre Lisboa
Jos da Silva Loyo &
Porto.
e Porto.
rua Iraper al n. 199
aberna n. 2.
a tratar na rua de
Da
Hortas,
Precisa-se alugar urna casa terrea no bairro
C sacam sobre Lisboa e je Santo Antonio, qne tenha quintal qoe pos-a se
fazer urna estribara para dous cavallos : a tratar
nesta typograpbla. ^^____^__
Criado
Precisa se de om criado forro oa eseravo : tra
ta-se das 8 as 2 horas da tarde, na rua de Madre
de Dos n. 36, pnraeir andar.
Aluga-se um eseravo moco, sadio e sem vi-
Jos Francisco da Silva Seraphim acaba com ci algum, para todo servigo de urna casa, para
soa taberna da rua do Fogo n. 32, julga nada de- criado e eutende algama cousa de cosinha : a
.
ver : quem se julgar credor, dinja-se a rua do
Rangel n. 48, ne praso de tres dias, para ser pago.
Recife 52 de setembro de 1863^_____________
Os Srs. Samuel Felippe de Souza Uchda, Flo-
rencio Domingues da Silva e Dr. Antonio Rangel
de Torres Bandeira, teem cartas vindas d Ceari,
na rua Nova n. 4
Na ma larga do Rosario n. 35 sobrado, dase
bolos de vendagem a 80 rs. a pataca.
Tlecreio familiar
A partida de insfallaco ter lugar na noi-
te de 23 do corronle.__________________
Aluga-se a casa terrea da na do Pi-
lar n. 10, com commodos para familia, a
sala da frente .assoalna-ia : a tratar na rua
da Cruz d. 35, segundo andar ou na rua
do Vigario n. 12, onde est a cbave.______
De<-laraco.
Acha-se contratada a compra do predio cito
------- y- rua dos Coelhos n. 8, no bairro da Boa-Vista, o
- O annuncio fe.to pelo Illm. Sr. delegado da u ao flMdo Anac,et() Jos dft MeQdon.
idade de indino sentido de ter apjmhendido 5 ^ eHhoje ,,PrteDce aos Srs Antonio Carneiro da
Gunh- e Ainerico Jos da Silva.
traUr na rua do Hospicio n, 22.
i
dentista.
Tiram retratos todos os das, das 7 horas
da manha as 5 da tarde, quer chova ou
nao.
Tambem se offerecem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annnnclantes desejando acreditar o
seu estabelecimenio, garantem ao publico
que nenhum trabalho sahira de sua offlei-
na.sem que nao seja perfeitamente acaba BS
do, e a vontade do fregoez. H
Joao da Silva Bamos, medico, me- W
dico pela universida le de <.oimbra, ^
d consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manha, e das 4 as 0
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
i gentes, que sero soccorridos em
qualquer occasio. D consultas aos
pobres que o procurarem no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8 horas da
manha,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que tem commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .3i500U diarios.
Segunda dita... U'OO *
Terceira dita .20000
Este esiabelecimento j bem
acreditado pelos bons servicos que |
tem prestado.
O proprielario espera que elle
continu a merecer a conanca de
que sempre tem gozado.
U
CAIXMIIO
s
D'asso e christal, elogantes cn-
f el tos para senboras.
Pelo ultimo vapor da Europa madarae R. Adour
rerebeu um completo sortimento de nfeites de
Ama.
Para o servico de urna casa de urna s
pessoa, se precisa de urna ama que engom-
me e cosinhe, paga-se bem : na rua da Cruz
n. 16, segundo an lar.
mm ** m
M Fumo da Baha
charutos
para
Veode-se fumo superior de todas as
qualidades, a retalho e por atacado e por
prego commodo : no necife, rua da Ca-
cimba n. I.
s
811I11I11IIjI
cidade
cavallos fuados, que se acham em deposito, o
abaixo assignado nao pode deixar de levar ao co-
nheoiinento de S. S, assim como ja levou ao co-
nhecimenlo do Illm. Sr. Dr. chele de polica, que
os cavallos referidos quatro nao sao fuados e sm
mandados da cidade de Goianna para condnco pa-
ra aquella cidade por Manoel Gomes da Guoha, ali
estabelecido e proprielario ; endo um alugado por
um dos conductores Manoel Francisco Xavier para
o seu regresso por se achar doente.
Recite, 22 de setembro de 1865.
Faustino Gomes Villar.
Que-n tiver qual-
quer allegago a fazer sobre sua venda, queira
apresentar soa deelarago ao Sr. procarador Al-
buquerque, na ma do Imperador al quaru-feira
47 do crreme.
Anda precisa-se de urna ama de leile sem
iho; oa raa do Rosario estrena n. 10, segundo
andar. __________
Ama de leite
Ao publico.
O padre F.AdeiinodeBrito Dantas.residente em
Olinda.no Mosteirode 3. Bento, offerece se para
eosinar a lingua latina no mesmo mosteiro, onde
Offerece-se urna ama de leite sem filho : na ma tem urna aula freguentada por alguns alumnos.
Nova de Saola Rila, n. 55, segundo andar, sobra-,Se alguem qnizer atilisar-se deste ofleracimeato
do ao beeo onde se consertam canoas. i dirija-se ao lagar de soa residencia.
| CASA DE BANHOS.
Ruada Cruz o. 17.
WL A abaixo assigoada, tem a honra de
H| participar ao publico qoe o sea estabele-
S cimento cima mencionado, acha-se hoje
SR funecionando muito regularmente, pro-
Ufe vido de todas as accommodaces necessa-
g rias e sobre ludo com alguina limpeza.
Os andes Urmados por meas anteces-
sores Cedrim & r- sero recebidos at o
meado do mqz de outubro vindouro, os da
casa tero a firma da abano assignada,
e sero como d'anles transmissiveis.
Tabella dos precos.
I assignatura mensal com direito
a um banbo diario a320 rs.. 9600
1 dila de 30 carlSes transmissi-
velsa360rs................ 10*800
i|2 dita de lo ditos a 400 rs.... 6*000
1 banbo avulso, morno ou fri ou
de chovisco................. 500
1 dito aromatizado com agua flo-
rida........................ 1*000
Os medicinaes sero pelo prego que se
convencionar:
O esiabelecimento estar' aberto nos
dias atis das 6 da manha as 10 da noite
e nos dias santitlcados at i horas da tar-
de, bavendo chegada de vapor estara'
aberto por mais algum lempo.
Mathilde G. Lessa.

Dr. Henry Kxaus mudou sua resi-
dencia da rua da imperatriz-n. 30 para o
sobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado; ago e christal,para seuhoras, consistindo em ricos
o nnaliiiAr hnra fhamAlas nara dflntrn i diademas, denles, brincos, broche polseiras, bo-
a qualquer ora, utamaius para aeoiro ^ e ama inftnidade de enfeites de apDradogos-
da cidade podem ser entregues na botica I tof ainda Dao visio n'esu cidade: as pessoas que
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na pretenderem comprar, dirijam se ao sobrado de 2
praca da Boa-Vista, na dos Srs. J, C.Bravo andares, roa Imperial n. l.perto da matriz nova
flt C na rua da Madre de Dos, ou no ar- < """. seu R0Sl0'v,st0 n0
mazem de viuva Raymond 4C. na rua do
Trapiche Novo das 9 horas da manha at
as 4 da tarde.
CASA
Aluga-se
om sitio em Cachaog, com boa casa d vi venda,
coznha tora, casinha para feitor, estribara e co-
cbeira, com bastantes fructeiras & aaoho perto,por
mdico prego : a tratar na raa te Apollo, a. $x*
armaiem.
Aluga-se muito em conta o segundo e terceiro
andares do sobrado da rua da Madre de Dos n.
36 ; as chaves acham-se na loja do mesmo.______
mm
aos capites de campo e a
polica
2001000 oe gratilicaco por cada um
Desapparecen em principio do mez de outubro
prximo passado, d bordo do palhabote nacional
Arroio Malo, dous escravos de nome Ri^wrto, por
appellido Macei, e Miguel, o Io de idade 45 auno,
poncomais ou menos, crioulo, cor fula, estatura
baixa barba cerrada, nm pouco torio das pernas,
e com alguns cabellos brancos, tanto na barba co-
mo na caneca ; .o alto, oheio do carpo, ma bar-
ba, falla grossa, representa ter de 25 a 30 annos :
cojos escravos desconfa se andarem pelos arrabal-
des desla cidade : quem os apprehender, queira
levar a rua do Trapiche n. 4, ou a bordo do dito
navio.
Aluga-se
urna casa terrea em bom estado, com coMnodos
para familia, na ma da Alegra n. 2.8 : a miar na
roa da Matriz da Boa-Vista o. 54.
Precisa-se de om menino V 13 a t5 annos
para caixeiro de taberna, cq, aJ&uma. pratica : ai
ma da Guia n. 59.
se poder dar amostras;
al 4 da urde.
das 10 horas da manha,
Rg. &0OOO.
Gratiflca-se com a quantia cima a quem vier
achado urna cochorrinha branca e felpuda, a qual.
deseueaminhou-se do banco (la Boa-Vista ao de
Santo Antonio, e quizer entregar a rua do Trapi-
che n. 38.

O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na rua do Impera-
_ dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
(M| gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro. ^
O mesmo doutor, que se tem dado ao H
estudo tanto das operaefles como das mo- jjg$ '
lestias internas, presta se a qualquer cha- >aj
roadn, quer para dentro quer para fra
da cidade. |fcj
mmMMmmmmmv
Aluga-^e urna boa casa nova, maito fresca,
de varios,commodos para familia, quintal grande
e murado, boa cacimba de agpa de beber, no me-
lhor lugar da Capunga : a tratar na travessa da
matriz de Santo Antonio n. 8._________________
Offerece se urna ama para o servico interno
de urna casa : na rua das Trinrheiras n. 40.
Precisase de um caixeiro de id.-.de de 14 a 16
annos, com pratica de taberna, e que d fiador a
sua conducta : na rua da Madre de Dos n. 9 se
dir quem pretende._______________
Pharmacia especial homcopatliira, do
l)r. Sabino <-Icario 1.. IMnho.
RUA XOVA W. 43.
Vendemse por precos commodos, os melhores
medicamentos homeo|>athcos im glbulo etintu-
' ra ; vidros tubos, glubulos inertes, chocolate ho-
i meopalhiro, escovas elctricas, apparehos para la-
I var os olhos, ele, etc.
Vende-se o Thesnuro hnmeopathico, a melhor
obra qufrrxiste para a patrica da homeiipaihia.
| O l)r. Sabioo da' consullas todos os das uteis
! desde 10 h ras do dia al duas horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as crcums-
tanclas a3 exglrem.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
U| iiua a residir oa rua da Cruz n. 53,
i Io e 2o andar, onde pode ser procu-
_* rado para o exercicio de sua protis-
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
$o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus i^
doentes. (f
ANACAHUITA
l
DIl^
_PEIT0RAL de KEMP.
a anacahuita mexicana que d o nome
pecial este incomparavel remedio, urna
arvure, cuja madeira por muito lempo se
ha usado no Tampico para a cura das n-
fermidades atima mencionadas. Foi tam-
bem ensatada e approvada pela academia
medica de Berlim O peiloral de Kemp
um xarnpe delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e otros ingre-
dientes nocivos.
A' venda oas drogaras de Caors & Bar-
umannel de brlhante-em a noite de 20 do corren-
te, no theatro de Sania Isabel, oa em algama das
ras adjacenles: quem e vor achado e quizer ter
a coosciencia de o retujF, dirijp-se a rua do Im- R (
perador n. W primeiro aadar, qne ser gratifica-, boza Brav0 4 L- ? em tOtWS OS esiaeieci
do geaojgonatneaie com a. oaeade do seu valor. mentos pharmaceuticos do imperio.



m
.< BlftrU A k ernmbn* Sabbado ti i Sieintbro de i A
LIQUIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
DE
*J
60 ^ua da Cadeia do Recife 60.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,
leja de ourives no arco da Conceicao.
Todos os artigos abaixo meocionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas ^(mpranvsenmM"das~brasiieras~le"20
CCMPliS.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
Obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilbenne de Barros compra e ven-
de effectlvamente escravos de ambos os sexos : i
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, lo|a de tillhetes.
de Paris, Londres, Biraiingham, Mancbester e em diversas cidades da Altemanha, e tendo comprado tudo as melbores condices iij na ra do Crespo n. 16, primeiro andar,
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos mente liquidar e ter de partir mu breve para a Europa. ___f "des para embmlho.
Compra-se^ na fa',r'ca. de cigarros amiga ra dos
"" rs. a libra.
liquidar e ter de partir mu breve para a Europ
Ha neste tosi armazem rics objectos com brilbantes, como bolees, aoneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras deQaTrier8,rporicia"n'.'2iUali,iO
ouro, como trancerlms, correnlSes, anneis e muitos outros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Benoette; com- j' Compra se carosso (sement! de ale
pleto sortimento de fazendas finas e modernas; raidezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L. arroaiem deagodo de Saunders Brothers & c.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Ptnaud & Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond fgant), Violet, Societ Hygienique, Mompelas, no caes de Apollo.___________________'
Mailly, ftegenier, P. Gueland, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na i Compram-se moedas de ouro brasileras de
Chraa e no JapSo; ricas pecas de crystal fino como anda nSo appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas, s*> ,0*, ,6* e a'. com 6 por cento de premio, e
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite- e adornos para cima de consolos e para gr-mde toillette, o que se toa' % "L ^utatm^S^ % 9i 'a* 7m S
feito de mais etegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e caf, os quaes em andar. 5 'orpo&anl n- *> i,r,meiro
nada sao inferiores prata, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho- i oncas hespanholas e da natra ',-----Z
ras, excedentes luvas de pellica do afamado Jouvn, apparelhos de porcelana fina para cha ecaf, ditos para juntar, e immensos arli-! na praga da independencia n. 22. M
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para flores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Parts e ditos de pan-
VIMIO.
Superior vlnho do Porlo, Marteira e Cherry em
canas de 12 garrafas a 10*. 1*5, 145, 16* e 18 :
na ra do Imperador n. 57
Armazem allianca.
Cha
Liquidarlo das petduisjp^^i
no armazem da Arara. \^A%!Sl*^J&j^
O proprietano da grande loja e armazem da da matrii al o trapicne: a tratar na ra da Unio
Arara tem resolvido vender suas fazendas por n. 37.
menos 20 por cenlo do que em qualquer outra_____________________________________
parte por isso venham ver as fazendas e se admi- _
rem dos presos, a saber :
Corles de eaubraia com barras.
Vendem-se bonitos corles de cambraia branco
com barras de differentes cores pelo baratissimo
prego de 3* cada corte.
Cambraias brancas.
Vndese cambraia branca a 35, 3*500, 4*,
4*500, 5* e 0* a peca, e de outras mais quali-
dades : na ra da tmperatriz n 56.
Brrlaulia de'rolo.
Vndese bretanha de rolo com 10 varas a
25800, est se acabando esta pechincha : so na
loja da Arara, de Mendes Guimares..
Uazinhas.
Vendem-se as mais modernas lazinhas chga-
das pelo ulnmo vapor, leudo padroes muito b> Di-
tos se vende pelo baratissimo prego de 240 rs. o
covado, fazenda que em utra parte se vende a
400 rs.: na loja e armazem da Arara n. 56.
Chita.
Vende-se grande porcao de chitas sendo escuras
e claras por baratos preces a 240, 260, 280 e 320
rs. o covado, ditas percalas linas a 360 e 400 rs. o
covado, muitas mais de outros pregos.
Chales de merino.
Vende-se cha byssou, o mais superior que ha
neste genero, por 2*600 e 2*800 a libra, dito pre-
to por 2*200 e 2*400 : na ra do mperador nu-
mero 57,
Armazem allianga.
Algodo da Bahi
Na loja de Andrade & Reg, roa do Crespo n. 8,
esquina da ra do Imperador, vende-se superior
X
GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICO DE
LONDRES.
EIi) S.
Para completa I quidaelo yendein-se, por muilo menos do seu valor, perfumaras muito Gnas e novas chegadas recentemente
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & veyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garranchas e vidros de differen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes eem vidros, pomadas, ricas caixiohas ebalainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PARA SEXHORAS.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
_or menos de seu valor para se liquidar, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
IiUVAS AOVAS BE JOC'YIX.
Vendem-se excellenles luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto paraJiomem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposigo de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PIIOTISCilt PUIt.
No grande armazem da Exposico de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da mperatrz loja de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadro de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponle pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimtira.
VISTAS de ieknaj?iiii;<;o.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqu esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convento do Carne.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d > Arsenal com a illuminagao na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIAttElI A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invenc5o com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franco.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposico de Londres na ra da Cadeia do Recife n 60 ra da m-
peratrz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
Bibliotheca lusitana
histrica, critica e chronologica, comprrheudendo
a noticia dos autores portuguezes e das ot'ras que
compozeram, desde o tempo da promulgaco da lei
da graca al o tempo presente, por DIuGO BAR-
BOSA MACHADO, 1741, 4 grossos volumes em io-
do ; obra varissima, cuja edicao ha muilo se acha
exgolada. L indispensavel a tudo o homem leltra-
lio ou de prolisso scientiflea, de quern a historia
patria e as letras naciooacs nao podein nem devem
ser ignoradas : vende-se na livraria de Jos No-
gueira de Souza no arco de Santo Antonio.
lina prenda
Vende-se urna mulatinha de 11 annos com prin
cipios de habilidades : a ra do Crespo loja n. 23
Algodo Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Pernao Velbo, e de muito superior
qoalidade : vende-se no escritorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
Vende-se um escravo peca de 15 a 16 an-
nos, muito esperto : no corredor do Bispo n. 15,
para jrer a qualquer hora.
Iadaria.
Vende-se um selindro em muito bom uso.promp-
lo a trabalhar; na ra do Rosario estreita n. 5.
ttencao.
Vendem-se os utencilios da padaria da ra lu-
mia n. 80 e traspassa-se a chave : a. tratar na
ra do Livramente n. 38.
Vende-se um braco grande de batanea com
conchas, por preco commodo : na ra do Monde
go, olaria n. 13.
Vende-se o machinismo de torga de 10 a 12
cavallos, em perfeito estado : para ver no sitio de-
nominado Buritis, na estrada do Arraial, e para
tratar na ra do Rangel n. 4, armazem de louca.
Barato para acabar.
Na praca da independencia n. 39, vende-se bor-
zeguins para homens a 3J000, 4#000 e 5000,
borzeguins para senhora 2000, 3*000 e 4000,
sapatdes de bizerro para homens 4*000. ?apatos
de tranca 1*000, sapalos avelodado '*000, bor-
zeguins para menino, com punta de ferro a 2*000,
borzeguins para menino 4*000. borzeguins para
crianca 500.
um, isto para acabar.
Colchas de fuste.
Vnndem-se colchas de fnsi3o de todas as cores
a 5, ditas de damasco a 4*, ditas de chita a
2*240 e i*900 cada urna : so Lourenco Pereira
Mr ii a t Guimaraes.
Mariapole.
Vende se madapolo a 4*500, 5*. 6*500, 7*.
7*500 e 8* a prca, entestado se vende com 12
jardas a 3*, 3*500 e 4*300 : na ra da mpera-
trz n. 56, Mendes Guimaraes.
Soulembarques.
Vende-se soutembarque a 55, f* e 7*, ditos
pretos de grosdenaples a 18*, 19* e 20*. e capas
o mesmo preco.
Cambraias de cres.
Vendem-se cambraias de cores sendo finas a
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casemiras.
Vende-se casemira com listas a 2*500 e 2*800
o covado, e mescladas a 3* : m Mendes Guima-
raes.
Gigos com superiores btalas chega las a
dias, vendem-se na travessa da Madre de
n. 5.
dous
Dos
- Compra-se urna pequea casa cc^T bom quin- Desta fazenda ha um grande sortimento de cha- StS^M meDS preC d qe em U
O0 QOm 90la de borr3Cha, pianos dos celebres fabricantes Pleyet, Wolff&C, realejos modernos de Gavioll & C, para se tocar na tal. ou mesmo um terreno nos suburbios desta cl-^es de merm eslampados cores muito delicadas, ra qualquer parte,
ra, ditos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para d.:l<,,'send0 '"reno proprio : quern quizer aunun- !6 es|a se vendendoprio baraio preco de 2* cada JoatataS
theatros ou salees, ditos de phaotasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com-vistas novas, dia e noite; stereocopios de nova in- Cle "ff*;______________________'
venejio e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento de brinqoedos finos para < naneas, e Um sobrado
bonpeas fallando papae e mam5e ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem Comprase um sobrado de um andar ou urna
merecido toda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortiu ento de caixinbas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda, ca>a terrea com commodos para familia grande,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fins coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com oos 'airros *&a} Ant-.nio ou Boa-Vista: na
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal rn* Nov* 7> 'oja. se dir quem pretende.
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelaria fina, como talheres com cabo de mejal fino, colheres, thesouras finas, j Libras slerliiiiis
ditafe modernas para alfaiates, navalhas finas, caivetes e outros artigos, diversos artigos eitos de rame ; completo sortimento de Compram-se na praca do Corpo Santo n. i, pri-
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinbas e em vidros; camas de ferro de todos me.aDdar-__________________
os tjamanhos. lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-' Na rna d0 Crespo n. 16, primeiro andar,
las.Chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para qnem faz po-de lo, bolinhos, etc.; E?"" ** ase rno<'das de ouro bra*
pannos par.i cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc., sortimento dei-----------------^----------------'------------------
viojoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galanlarias e outras Decas de charo para toillette; machinas para varrer o chao, j 0mpranj>S6
exdellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baioes de papel fino transparente e lanternas moedas de ouro de 5*, io*. o*, io* e so* rom
coloridas para illuminacoes moila de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em 6 / dl! premio; na ra da Madre de Dos nu-
htgares fundos; ameixns novas etncaixinhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera- c
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 60.
se
tem
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Qucimado n 63.
Tem recebido um soriimento de cruzes que
estj usando, de diversos gostos ; so quem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortimentos de voltas
de aljofares de diversas cores, eofeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
era qualquer outra parte.
Facas e garro.'.
Vende-se faccas e garfos de cabos de balanco de
um boio a 5*200 a duzia, ditas de dous botdes a
6*500, dita para doce a 5*100, ditas de cabo preto
a 3*200, ditas de cabo branco, rolico e cravado a
3*1.00.
Tem recebido variados sortimentos de balaios
para meninos de escola, de forma de peizinhos,
patlnhos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bem se pode apreciar, e tambera serve para
o leilo do hospital portuguez : Ias para botar de
diversas cores a 7* a libra : s no beija-flor.
Escovas para roupa.
Vende-sc escovas para roupa muilo finas cora
differentes gostos a 640 o I*, ditas pera dentes a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e caixiohas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640rs. a ca
liaba.
Ferros para engommar
Vendem-se caixinbas contendo o reais completo
sertimento de ferros para engommar, encrespar
babados, pafos e toda a roupa de senhora : na ra
Nova o. 24.
Vinhus do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-' guarnecidos de prata para missa.
Loja do gallo vigilante ra 'o Crespo
numero 7.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico um grande soriimento de galanteras e
objectos de muito gosio que tem ehegado nestes
ltimos navios e vapores de ?na pmpria conta, que
por isso mesmo vender pelo menos preco que
Ihe for possivel, como sejara :
Lencos.
Os lindos lengosimpeiiaes para senhora cousa
inteiramente nova.
Alhims.
Albuns muito finos com capa de madreperola e
de tartaruga cura guarnico de prata para 50 e
100 retratos, assim como de outros mais inferiores
de 20 a 50 n tratos.
Msicas.
Uixinhas ricamente enfiladas tocando dnas
pecas de msica propria para mimo, assim como
caixinhas pequeas cem mu.-ica tanto de veio co-
mo de dar corda, .
Vestuarios.
Riquissimos vestuarios de seda para enancas as-
sim como touquinhas, sapatinhos e melasionas de
seda.
'apellan.
fliqnissimas capellas branca* de flores para noi-
vai, assim como meias de seda brancas.
Porta boquet.
Riquissimos porta boquet com cabo de madre-
perola para lores.
Loques.
Riquissimos lequesde uudreperola e de snda-
lo assim como de osso.
Livrluhos.
Riquissimos livrinhos com capa de tartrea
Samuel. Power Johnston &.Gompanhia
Ra da .Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fundlcao de l.ow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e (i cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para nm e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarogar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Coiifeilaria dos nauazes.
Rua da Cruz n. I (i.
Continua haver diariamente pastis de diversas
qualldades, enpadas, bolo inglez e doces para cha',
hambre, ha latas com caj em xaropa hermtica-
mente fechadas proprias para expoitato, caj'
secco crystalisado, prepara-se bandejas com doces
unos e de ovos (gema) pao de-lot, bollo e diversas
qualidades de gatheas simples e decorados, com
dsticos a vontade do freguez, eaixitihas proprias
para presentes com enchimento de araendoa? con
fetos, e pastilhas e bombom.
mmmt mmummm. mwm
gg Compaiihia fidelidade de seguros
martimos e terrestres w
?3 estabelecida no Rio de Jaueiro. 9
R AGENTES EM PERNAMBUCO Sfe
fj Antonio Luiz de Oliveira A teredo & C, ji$g
j competentemente autorlsados pela direc- S
^S toria da companhia de seguros Fidelida- &
f de, tomam seguros de navios, mercado- j
?j5 rias e predios no seu escriptdrio rua da
73R Cruz n. 1.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCgAO NERVOSA E OPPRESSO
Umco remedio cfticaz para combattir estas molestias, acalmar umattaque d'asma e impedir a
Volia o Xarope aromtico de Succino (mbar amarcllo) do Dr Danet. Oescoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Ocposito geral, na botica Chauveaud, 54, rua do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas u
boticas ue rran\ e do estrangeiro.
ALCOHOLADO de GUACO
DE N.


De: mil a o lipas
Contrata-se para o caminho de ferro de
Apipocos, 10,000 solipas de madeiras de
qualMade- quem pretender forne:e-las diri-
ja-se at o dia 30 do correte mez, rua
do imperador n. 55, segundo andar, para
tratir do ajuste.
Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prala, peoras preciosas e
tambera se faz qualquer obras de ecommenda e
olo e qualquer concert.______________'
Precisa se de urna ama que sai tu cozinhar e
comprar bem : na rua da Cadeia do Recife n. 27,
jrimeiro andar.
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova prepararlo da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio venerio (vei
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel par;i
as molestias syphititicas de toda a especie, ulceraces primitivas e secun-
dinas, ec.
3o Em pregado em injeccoes, o melhor tratamento dos corrimenlos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
riaos de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Badcret, A. Richard, Calvo, Diday.
Melchior Robert, Gostilhes, Beremger, ec.
Deposito geral em Pari, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedicSo, PASCAL e C', 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
Deposito geral em Pernambaco rua da Cruz n. ~ii em casa de Caros 4 Barbosa.
ATTESCAO
Precisase fretar um navio para o Acaract, da
couco da seis aoito mil arribas, calando oito a
dez palmos o'agua : quem liver algum nestas con-
dices, queira dirittir-se a rua da Cadeia do Recife
ti. 39, onde achara com quem tratar.
Aluca-se a casa da rua Augusta n. 92 com 6
quartos, 2 salas, quintal e porto para a rua do
Alecrim : a tratar na rua do Vigario n. O.
Cosinheird.
Precisa-se de um bom consinueiro, para casa
de pouca familia e esirangeifa; a tratar na rua
do Trapiche n. 33.
Um mogo hrasilsiri) que deseja dedicar-se ao
commercio, oirerccc-se. para caixeiro de alguma
loja de fazendas, e da fiador a fu conducta : para
informacoes, em casa do padre Flix Brrelo de
Vascoacellos, na rua do Imperador n. 35, segando
i andar.
Azeite de Garrapato.
a 34840 a caada e 560 rs. a garrafa, dito doce
a 600 rs manteiga inleza muita boa a 1000,
dita franceza a 880 rs. a libra, cha 2,5560, caf
a 260 e 280, toucioho 360, arroz 100 rs, vinho do
Porto a 800 rs. a garrafa, Lisbo a 360, Figueira a
i 440, branco a 500 rs., no armazem da Estrella,
largo do Paraizo n. 14.
novaTota
ENCICLOPDICA
59 Rua da Imperalrlz ariuazem
da porta larga &.
Junio a padaria fradeeza de
I"aredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico um ariado sortimento de fazendas france-
zas, Inglezas, suissas e allemes, que se venderSo
por prego commodo.
Paredes Porto
Vende chales de renda de cores que se vende-
r m a 18 esta vendendo por fi, ditos pretos, fa-
zenda nova, 5,5,6#, 8a 201, um sortimpnto com-
pleto de manteletes, capas e.souiarabarqucs 145 a
255. Rua da mperatrz n 42, junto a padaria fran-
ceza, armazem da porta larga.
Paredes Porlo
Recebeu um completo sortimento de aasinhas a
240, e 280 rs. covados, para acabar, cambraias de
cor a 240 rs. o covado, riscado escossez para rou-
pa de menino, fu>tao de linho a 420, 400 e 500 rs.
Hua da mperatrz n. 52 junto a padaria franceza,
armazem da porta larga.
Paredes Porto
Recebeu para cortinados para cama franceza a
115 a peca cambraia lisa fina a 35 45 at 105 a
peca; fortes de tarlatanade buiitw gostos a 35500
e 45 cambraia corn flor de >eda, gostos inteira-
mente iovos a 100 n 500 rs. o covado, no armazem
da porta larga n. 52, rua da Imperalriz juuto a pa-
daria franceza.
Paredes Porlo
Recebeu pelo ultimo paquete um sortimento de
cruzes com pedraspara opescoco, bonitos caxineis
dejaa para pescoco de senhora. Rua da mperatrz
n. 52, armazem d* pona larga.
Paredes Porlo
Vende cottes de gorguro preto para vestido com
21 covados carta nm 355000, grsdenaple preto a'
15600, 15800 e 25 o covado, las lizas Anas a 400
rs. o cuvado, laasde quadrinhopara vestido, entes-
tada, a 320 rs. o covado. Rua da In.peratriz 0. 52.
armazem da porta lrg*.
Paredes Porlo
Tem para vender por preco commodo, pegas de
esguio de lioho com 10 varas a 75, 85, panno de
linho para leoces a 640 e 700 rs. a vara, braman-
te de I111I10 de 4 larguras a 25200 e 25500 a vara.
Paredes Porto
Vende cortes de cambraia bordadas de ricos
goslus a 105 e 125, rico vestuarios para menina
el2eD''n0 ricos cor,es de ""'braia Maria Pa a
105 e 205, tarlataoa branca e de cor a 640 e 720
rs. a vara. Rua da Iraperairiz armazem da porta
larga n. 52.
Roupa feita
Rua da Imperatriz n. 52 armazem da porla lar-
ga junto a padaria fraocezn, encontra se oeste es-
mas do Douro, Duque do Porto e D- Luiz ; tambem
tem ancr-retas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5 e 10 em pipa : na rua do Vi-
dario n. 19, primeiro andar.
Vende-se um sitio no lugar de emGca, Pas-
sagera da Magdalena ; quem pretender dirija-se a
esta lypographia. ________
Sola.
Vende-se 450 meios de sola
a tratar na rua do Queimado n. 53,
gens.
M) AlMIAZtH
de fazendas baratas de Sontos
Coelko, rua d Queimadin
19, vende se o seguinte :
Lenges de panno de linho a 25200.
Ditos de bramante de linho de um s panno a
352OO.
Loberas de chita da India a 25400.
Pegas de cambraia de salpicos branca e de rdr
cora 8 l|2 varas, pelo baratissimo prego de 45500.
Pegas de cambraia adamascada rom 20 varas,
propria para cortinado a 115
Baioes e arcos a 35, 35500 e 45.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira a duzia 25
Bramante de linho com 10 palmos de largura a
vara 25400.
Atoalhado do linho a vara 25800.
Dito de algodo 25.
Algodo enfeslado com 7 Ii2 palmos de largura
a I52OO a vara.
Pegas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para saia a 3,5500.
Fil de linho liso lino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a 15-
Esleir da India de 4, o e 6 palmos de largura,
Aderecos pretos.
Riquissimos aderegos pretos sendo pu seira, ro-
zetas, alfinete e volta, assim como de cores fiugin-
do perolas.
Brincos.
R'quissimos brincos e rozetas de todas as quali-
dades e gostos modernos.
Ronceas.
Riquissimas nonecas de porcelana e de massa e
de boa qoalidade : de cera, assim como os que fallara chamando por
lojo de ierra- papai e mami.
_______ Pentes.
Mqui.-simos pentes de tartaruga para senhoras
assim como para menina e de muitas outras quao
lidades.
Eafeites para cima de mesa.
Riquissimos eufeites para cima de mesa e para
toillet.
Flvelas e sintos.
Riquissimas Arelas de madreperola e de metal*
assim como bonitos sintos.
Flores.
Riquissimo sortimento de llores o mais fino que
se pode desejar.
logo para familia.
Riquissimo jugo de vispora em aunabas de ma-
deira envernisada e pedras Anas pruprias para en-
tretenimento de familia.
Para Tiagcm.
Riquissimos estojos com todos os pertences finos
para homem.
Fitas,
Riquissimo sortimento de Alas de todas as qua-
lidades e lindos gostos.
Franja.
Riquissima franja de >eda de muito lindos pa-
I droes Unto de cores como pretos, as-im como de
borlla e sera ella propria para cortinad).
Trancas.
Riquissimas trancas de seda prcta e de cores as-
sim como de aigo-ISo e d la.i.
l'crfn marias.
Grande sortimento de pe fumarias de todas as
I qualidades e dos melhores aulores al o presente
conheciJo
propria para fi.rro de sala, por menos prego do que
em outra qualquer parte.
.Veste armazem tambem se encontra um grande
soriimento de roupa feita e por medida.
Vende-se ou alga-s"para"passar a fasta," e CDnec,'! e muitos outros ..tijectos que se tornara
mesmo por auno, um sitij com arvoredos de fruc- "'^'ouno mencionar, isto s no \igilante rua
los, com urna graude casa, e outra pequea junto ^ D- '
ao mesmo, perto da powagao da' Varzea e do rio
Capibaribc : a tratar na rua de Hurtas n. 2, pri-
meiro andar.
Vende-se urna excellente escrava de Idarte
20 annos, com urna cria muito linda de Idade II
mezes. um escravo bom criado, um escravo para
todo o ser vico, um dito para sitio por 3005 na
traves-a do Carino n. I.
Vende-sc ama bonita escrava crioula de ida-
de de 15 a 16 anuos, lava, tem principio de engom-
mado, coiiuha, cose e vende laboleiro na rna :
quem a pretender dirija-se a rua da Cruz n. 7, 3*
andar.
ta donus da taberna sita ca rua do Berafica
n. 29, m-uu! do Remedios, tem rcsolvido ven-
de-la em razo de um estar .lente, o qual vai a
Europa tratar de sua laude, cuja taberna est
bem afreguezada para a b rra, e proprta para
principiante : quera se achar habilitado, pode ir
tratar na mesma a qualquer tora do da.
Vende se tres casas terreas na villa do Cabo,
sendo urna com estabelecimento ; a tratar no pateo
do Terco n. 139, |. andar.
FUi\I>IlO
DO
Vende-se.
Enchofre a 40 rs. a libra, e a 15000 arroba ;
no armazem da bola amarella, no ollo da secreta-
ria de polica.
Vende-se urna armacao para divisan de es-
criptorio, tem porta, toda de amarello e balaustre,
obra muito boa e por prego commodo : na rua do
Moudego n. 13, olaria.
1 es. 7 Vende-se ou permuta-se por urna negrinha
labelecimentoum.completo sortimento de paletos- "e idade de 8 a 10 annos, urna escrava parda de
saceos e se.brecasacos, de todas as qualidades, cal- 20 annos, bonita figura e sadia, engomma e faz
gas, coletes, ceroulas, camisas, gravata?, meias l01*0 rvicjb de ama easa; ao pretndeme se
chapeos de sol, ditos francezes para cabega, por dlfa a raio Dor 1ue 8e f" *-"'e negocio : na rui
pregos cemmodo?, roopa para menino c outras do Brin c- 5t>- ______________
muitas fazendas, por pregos commodos, armazem Vende-se a taberna da
da porta larga. n. 2o; a tratir na mesma.
rua dos Assoguinhos
Rna da Rrun numero 38.
Neste estabelecimento acham-se a venda os se-
I guinles objectos, todos da primeira qualidarte s
construidos especialmenle para esta casa, peoe
mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 lt2 a 8 cavallos, com
moendas, jumas e sem ellas :e tambem proprias
para descarogamento de afgodo, afamadas pda
fortidao, simplicidade e economia em cnmbusHvel,
e por nao precisar de obra qualquer para sea as-
esntaraeuto.
Rodas d'agua de ferro, sysiema mu proveitnso
da forga d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e de esquadrilha
para amniaes.
Moendas e meia-moondas.
Taixas de ferro batido e fundido, e de cobre.
Machinas para desearocar algodSo, systema
Platt, cam o> ltimos melnoramentos.
Boceas e envos de patente para fornalhas, dimi-
nuindo muito o gasto do eomhustivel.
Machloas c machmisiuos para moer mandioca,
movidas a vapor, agua 011 cavado.
Fornos e dupas de ferro batido para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fondos.
Guindastes, fuos e poriatils.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engeuho com eiaos e man-
gas de patente.
Formas de ferro batido galvanizado para purgar
Serras de ago e armagSes de serrarla.
Arados de ferro singelos e dobrad *, grades para
cubrir caana, enxadas a cavallo, e outros Instru-
mentos de agricultura.
k


Diarlo 4c I-eraanbuec abludo 13 de ctembr* de 1S*.
--------
?
NOVO GERENTE
A PUBLICO
en o menor constran
glmento se entregar o
Importe do genero que
na agradar.
ATftNC&O
m precoa da eguint<
tabella para todo, p*-
dendo aaslaa servir de bi-
se para o ajuste de conmt
eom os portadores;
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
KESPEITAVEL ri m M O.
a apreciaco dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma
cen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua max m-i parte mandados vir directamente do estrang. iro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
pnmeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
V. Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade uos precos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primera qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao poaco favorecidos da son farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que eoi algumas parles nao po-
dem ou nao querem vender.
Os sennores de fra da cidade, do$ arrebaldag ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse a este esiabeleciruento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os seuhor. s que compram para tornar a vender existe Jim sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que crtamete muito deve agr iar aos sentaores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se djeixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINIIEIRO A VISTA:
A Gkaixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a u
100 rs. i KIRSCH de Wasser a U a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ l
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com giaixa a 80 rs cada urna.
ARMAZiiM UNA
RIJA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passaudo o areo da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
Avellas a 210 rs. a libra.
Amebas francezas em latas de todos os ta-
maitos.
dem dem em potes de lodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primera qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Amos a 200 rs. o molbo.
Absyntho a 20000 a garrafa.
II
BOLACHINHAS do Beato Antonio era latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de so la em latas grandes a 20000 e
de cinco para cima a 10800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, 10250 e10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primera qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicabas e pires a 10800 a duzia.
Cerneja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'Havana, Exposico,
Flor do Brasil, Par'sienses Delicias, Gua-
oabaras, Trovadores, kegalia, Mississipes,
Panetellos. xprazivcis. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, iiysson. huxim, aljfar, preto, e
prelo pona branca, etc., etc., a 20000,
252-0. i0SJOe 20800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinuos.
I
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
kvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas cm latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Fahello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Letkia a 400 rs. a
libra
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primera
qualidade a 10, a libra.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e TALiiARiM a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Miio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
V
PEIXE em posta, latas grandes, a 10100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MORINQUES a
B.
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
H
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
fiz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2J>.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a (00 rs. o maro.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate era la las a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
V
V1NHOS1
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhus.
Yeiho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Donro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
CUamsso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posigao alguma.
i Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 20$.
dem Figuera e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na offleina de ferreirn da ra do Jasmim n.
24, ha para vender urna carrosa feita, com esmero
e pmpria para carregar ama pipa com agua, aflm
de vende-la pela ra. Na mesma offleina ha tara-
bea! um eabriolel de duas rodas, novo e. muilo bem
acabado ; quera pretender estes objectos, pode di-
rigirse a mesraa que achara* com quera tratar.
Potassa da fussia
mosto nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo 4e
Carpo -Santo n. 19;
Caluogas unos e brlnquedos
para meninos.
lyhetfaran para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos 6 lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
. de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
i timeoto de miudezss.
I,nvas de pellica.
Reoebeu pelo ultimo vapor lindas lava* de pelli
ea de cores e brancas para homem e senhoras : so
quen recebeu foi o beija-flor, na ra do Queiaudo
somero 63.
Senhore sfnhoras, o aceio qne
eza com que serlo Irati3) -# .lvida a urna
Ta dos gneros que preciaren e quando
"Os serlo t5o bem servidos como se viessem
Ira rarte.
Manteiga ingleza especialmente escclinda a
1,000 e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha iiysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem liysson muito superior em latas de 45
libras muilo proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e i li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato? 8oo rs. a libra, e nleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
a o mercado a 64o rs. a libra.
ErvHhas e favas portuguezas j preparadas
em tatas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 4o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez itespanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredit?
das que vem ao nosso mercado a 7,oov. c
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda 6,8oo
e 04o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira era frascos
grandes a l,oooell,ooors. a frasqueira.
Caf do Ro de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de I* qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arrGba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomatesde superior qnalidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
!ho.
presidio aosarranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intel-
visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me dario a proteceo e preferencia na com-
nSopossam vir poder3o mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vao en
Aletria, macarru e ulliariiu a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 04o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoreas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleDte quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,oooa caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior.qualidadea 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as metas latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muilo proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
de Tirito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
\ .... por2,5oors.
\ .-.xas francezns em frasco de vidro com
lampa do mesmo, a 105oo.
Ameixas franc' zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o ggo com 36 libran
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
s.ooo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
i Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a Ron rs o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
\ Lentilhas francezas. excellente legume para
sopa, a 2nn rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
10 a garrafae If.ooo a duzia.
Palitos de dente a lio rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tainr-a
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, .ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muilo nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fnrta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Ha vana, lmperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
n ibas de Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinfia de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Mtte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banba de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farnbado Maranh5o muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanbos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o pigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel asol para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes p peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
! E' BARATISSIMO! I!
Grande liquidar-ao de laiendas e ropa
feila n;-eiontl, na ra da Imperatriz
n. 72, Hija de Guimares & Ir nao.
Os proprietinos deste e>iaMenraenio lera re-
somdu liijuidmn ^uas fazendas por pncus bara-
tissimos s com o fim de a urar dinheiro, aprovei-
teu x peehirirhas.
Vende-se um Grande i-oriimento de chitas fran-
cezas larga.. '.id, i80. 306 370 u eovdo ; dilas
pn calas liuilu Iim* 360, 410, 440 OO rs. o
ce vado : itio > im lija di- Guimares & Irmao,
na la da loipertwtiz o. 72.
E' muito barato !
Cortes de laa | ara vestido de senhora a 30.
Cortes de laa a 30.
Coi tes de aa a 30,
Aos 3,(00 ci.vados de la,
Yt-mle-se iKMinbas de qoadrrse de li>:nobas de
1 lindsimos pidioes a 220, 240, 280 ( 320 if. n to-
! vado, vrndc M a.-siui buriHo \vr trr rnt!-. |criar
i e ijuerer se acabar : isio > na loja de Goimaraes
& Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Aos 2,000 chales de meiin.
Vende-se chales ce merm eslamisd.' r 2(00
e 25(>0, iio> de nerin lifo a S&ftti, lf> e 6'#,
dilos linos a (".;00, "!{, 743(0 e 8.
Grande foilifl enio de ror e.- de vestido de rara-
biaia culi/ i ,u i., to taraiu preco ce ; 'Wi e
3*800.
Unos de chita a i$, ?:CO, ?| e ?t.t'.
Vnde-e r'cas r!f irad;-|oiii rtm 24 arda- a
i 600. b$, r, 7#, 8#. !' e Ifl
Hilo francez rom 12 jardas a :;n>. ,,'. i,;.." mi
e SOOO.
ViTidt-fPum (rri')e ffrtfireitto c* (oIm has
rara .-erilf ra i neua! n !o la mu \ i i '. 380,
40o e 5(0 rs. cada nn |- : isio pa ii ce tiui-
UihiSrs t\ limad, ii.a c^ ln i>r.-:ii>z n. 72.
boupa leila
Houpa leila
Giai.de sol tintillo ue itb|-a fula .t das as
ljl^:i(!adi.-, (|Ut m '. ([.< i- i (i pte^OS tiiai::>li>
flai'ca si'ijue e vtnde p'i tutees SO n nun
dt ^a ova li'ja de fazendas de Gbi rscfs
k Irma.
Rua da Emperatriz 11. i .
%m^Jk
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvio, chegadas no ultimo va por
para liim.ru e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudt-zas o. 54.
en
CK3
"- -1
- as
1 I
s a-
c
as
O
r.
s.
."3 ~ <
-x,v. se
lis-
o M S"
o B g
o33 >>n2
S O O ~i rr"-* os
S. a. o. ^ _. g
3 os ai s. a S3 zr
o. v co o cr a. g"
-Q cz>
o o
88
B
o
3


S.S..-S5
O CO-OQ O. ~>
V -i S
9
SJ
CP
_-. M
- -^
a*
"3
as
r-* -
v>

aa
-.-, as ~3
O "
^3
^ o 2
BSrS
3 3 c?gca.=
^ v> = c. a f>
s a ?
2. s-5-=?
v,
fe
T O ti
"
O t
< 3
O c.
I I
3
S
te
H
.
<6
a*
3
S a P
5=^
as o S o
Pili.
03
< a>
o
pT
-1 Q.
3 P
_ ~c
o as
C -
03 03
3- '
o 5r'.
"O
03 -1
n
ir
ai
o
1S
o
&

pe
Tasso Irm&os
Veodeiu no sea rmazem roa 4o
imoi-im a. 35.
Licor tino Curado em !>otijas e meias botijas.
Licores fiuus sortides ca grrabs com rolfeas dt
vidro e em lindos irasco.
Vinhos 'Jheres.
Santernes.
Chamberiin.
Uermilage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Dld Ton.
PAeiei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de seren transplantadas: no sitio murado es-
querda, depols do becca do Espioheiro, nos Af-
flictos
f ACHINAS DEPATfiNT.
de trahalhar nao par
deacarocar algod&o
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
ODAS
Estas machina.
podera descarocar
qdalqner specii
|'de algodao sea
estragar o fki.
sendo; bastant
duas pessoas para
o traba no; pd*
descarocar um
arroba de algo-
dao em earoct
ern 40 minutos
ou 18 arrobas
por dia ou o ar
robas de algodi'
iimpo.
Asira cumo machinas para serem movidas poi
aciaiaes, que descarocam 18 arrobas de algoda
lirajK), uor dia; e mulares para mover urna, duas,
eutris dessas machinas.
Os mestnus tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinaj
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e exaraina-lo, no arm-
lem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saaaders iirothers&C.
X. II, pra^a do Curpo santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
AGUA FLORIDA


Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receker um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray A Lanmao
olhaa como um artigo de perfume, nao
i tem podido ser igualada pelas preparares
as mais custosas: conseiva seu aroma, co-
j mo se formasse parte da prenda a que ella
se applica.
Sua efllcacia Uto delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toncador, qur
no uso do bnlio, ou como suavizador da
pelle, depois que se tenha feito a barba;
j para I impar as gingivas ou aroi: atisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleicoe-, deos dse haver lavado; al-
livia a irriUifTto de ?nipces ordinarias; faz
desapp-recer o desagiadavei aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casia de rbulices, e d vigor e frescura a
parle onde quer que se applique. Sua eflB-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
ves nos casos em que seja preciso applica-
la como esiimulanie e antisptico, nos con-
cuisos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocacao. Preparada tnicamente por
Lanman & Kemp, Nova-York, e a venda por
Caors 4 Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernambuco roa da
Cruz n.it em casa de Caros & Barbosa
GAZ GAZ GAZ
Vende-se g li-5 a lata : nos armazensda ruado Im-
perador d.16 e ra do Trapiche Novon. 8.
aisa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
S ESCROFLIjA
e odas as molestias
proreuientrs delira
(odas as moles! las da
pelle
ehrrjsippllas, Inmorfs, Diteras,
sarnas,
nascidas, cni|iD(|ens,
REUMATISMO
SVrilililN
em todas as suas formas, assim i o mal queprou'm do uso excessivo do
MERCURIO
I Icer.-t^o do flgado
erem summa lodos os males que tem sua
e geni na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACAO DO SANGUE
e para dar nova forga e vigor ao curpo j
enflaquecido pela doenr/a.
Vende-se na ra Direila ns. 12 c 70 e
Hospicio n. 40.
P. MAURER i C.
Ra ftova a. 18.:
XAR
deLABELO

niuregado com inTariaiel successo uesuc .,, anuo
pelos Mdicos de todos os paues coma as mole^iiu
orgnicas ou nlo orgnicas do coraca, es diversas lij-
dropisias e a maior parte das molestias do peito e dos
brenchios (pneumonas, catarrhotpulmonaret, :. iw,
in^ammacSet nervosas dos'bronchios, catarrheiras 'le.)
0 XARePB deLABELONYB nao se rende sent ea
Krrafas com rotulas de cor e fechadas com urna cliap
rando a firma da inventor.
Km PARS, rtia Borbn-VIIIii.ur. 19.
Vendem-se no Recite em casa de Caors -v
Barboza e Jo3o da C. Bravo & C.
Rl % AL
Ra do <(uetui?do ns. 8O e^,
Contina a vetider todas as miudezas ':.c- alaiic
declara por presos adminvei.*.
Masaos de palitos usados para denles a 100 rs.
E-|iHIk .- de molduras uouradas a 300, 240 t SlO.ts.
Bonets de oliado para meninos a 1000.
Ditos de couru tuperiur fnzenda a lG0.
Frascos com superioi iDla rocha a i'M rs.
Meiadas de linlia froia rara bordado a 20 60
Caixas com 100 eDvelupes, Fazenda lina a 610 rs.
Grozas de peanas dea^'i, fazenda superior ,i 00 rs.
Grozns de botoes maareperola tinos a 500 e
e 640 rs.
Caixas eom 50 ncellos de linlia do paz a 700 iv
Caixas com superiores obreias de rola a i" b 80 i ..
Pecas de lita branca elstica com 9 varas a S80
Varas de franja de la para enteites de veti4os a
40 rs.
Baralhos dotirados superiores qualidades < 40U i
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs
Litros para assenlos de roupa lavarta a liK' r.
Pares de botdcs para paobo, fazenda tu a i ISO rs.
Tesouras psra cosuras superiores qual.'datj
400 e l.
Caixas de peonas de calligraphia. fazenda tkH
1*000.
Massos com superiores (ranipo* ^ ".o rs.
Pare- de sapatos de tranca l| o \$(n.
Caixas com superiores agu! a -i'' rs.
Libras de la sorlidas de u.";..- itrg i ; i C::ixas com sopefiores nb'reias de massa a I
Rodinhas com alflnele franr-zes muitii sope:i re
a 30 rs. '
Hesmas de papel almaco a Si'1 e r!00 r.
Escovas para roopa, fazcnela Moa a 720 e $.
Duzias dTe itsoura rom togue de ferrupen- a
600 rs.
Duzias fii-iis e parios de rabo pelo a :',&QQV..
Talheres muito fino i ara chanca? a 240 ?.
Pulseiras para meninas a 32 es
Dilas e voTtas pira s< nhora a 300.
Frascos de A^ua Fim ida virdadeira a I52P0.-
Frascos com superior banha a 210 e 5QP r.-.
dem de superior oleo bahWs a MOrs.
Caixas com Ismparinns para 3 niezts a 40 r*.
Varas de babad" do Porto a 80 14; rs.
Cartas de Iflneles francezes a 100 r?.
Qoaderuos do pipe' p*qiifno a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de, apolh is, fuudo deurado, a 80.
mmm mmmm mmmmm
I3HI
n
Com loja ra do Cropa n. i-7.
Recebeu de Parisiena etc C.-lle.- Bt-
lo superiores e beisMii.s padroes^ e
chales de renda prelos para 105.
Esle importante istabeiVoMMsjts ton-
se reconuiieiidavel aoli*-!lo sex i pela va-
riedade de fazend..s superiures e bellos
goslos
Proteja o bello sao ao Villar
P? e verSo todos a prosPendade.
mm^^mmm mm-mm&
Vinho do Porto superior cu. .;.:a
tem para veader Antonio Luiz de Oliveira Azi>^^
do 4- C, no seu escrij'1 ra roa da Cruz b. 1.

3,S5
0
Vendem-se saceos muilo grandes com farirba de
mnribeca de superior qualidade a 34500 cada
urna : no armazem trombeia da fama commereh
roa do Imperador n. 83.
1



Diario *e Pernamlmeo Sabbado 3 de etembro de iS*
&<
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico- dos Santos Porto.
Chegou a este estabeleci melo ara grande sortimenio de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip mano tinos para 2i$, iof e 305.
Colxasde seda superiores de diversas cores para camss da novas.
Collas de lia e seda para cama tambera de bonitas cores.
Rotondas de guipii enfeitados com o melhor gosto.
S.'tim de Pars bella fazeuda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moareaotique branco e preto, grosdenaple preto e de cores, panaos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
(Remira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazina?, alpacas pretas, e
lia pret para lulos.
Untan, saceos e boleas de tapete, veroiz e couro de 't$ a 115.
Ltrins de lint de cores Anos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para >enhora, manguitos bordado*, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esgmo de linho, cambraia de linho, breta-
nh.-is, silesias e muitas outras fazendas que se veadein por comandos precos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
ss

DE
DE
J. VIGIVES.
M. 55. RA DO 1 }li*i:ilA>R X. 55.
O pianos desla amiga fabrica sao hoje as>s coalieeidos para que seja neceasario Insistir sobre a
S
\
&
4o
Peim^0
DUAKTE ALMEIDAv
./
>
<
s^svsfr^g^r^
O
o
o
'
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de ba>:e de pregos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
iaasu^erioridade, vaotu^ense garantas que offerecera aos compradores qualilades estas inconlesta-1 fan (\() flaiTilft TI 9 irvnrtnll lT'm't'7HTi iim Ar* mmim
veis >ul> cll-s tera deoltivamente conquistado sobre todos os que tem ^parecido nesta praga ; pos-', ,U UU V0LIWJ JJ, V, )ILWj1])iU til lliciZt5IIl lUi lmyGld"
soinlo um teclado e machinismo que obedecein todas as vontades e caprichos das pianistas, sem (Yl* n 40
nanea fallir.., por seren fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente moihoramentos importan-' Vl
tosimos pv 1 o clima de eia aos 00- idos dos apreciadores. | Fazem sciente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-
Fazem -. conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio jennos, lavradores e roais pessoas do centro, que paramis facilitar suas compras deli-
corresuonji me de J. Vignes, era euja capital foram semure premiados em todas as expones. | beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus esabeleci-
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e varia lo sortimento de msicas dos
raeiores aurores da Europa, assira
ursqos comraodos e razoavels.
como harmnicos o pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
CONSULTORIO MEDIMUUIKGIGO
D
Bl\. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO BOSCOSO,
MEDICO, IMRTEIRO E OPGRIOOR.
3 Ru da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos os das- das 7 s 11
:. ras da manho, edas 6 e meia s 8 horas da noite, 8xcep;o dos dias santificado*.
Pharmacia especial homeopahica
No mcsuio consultorio lia sempre o mais approprindo sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacaes e pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos g andes. 18$000
de 36 tubos grandes. 24^000
> de 48 tudos grandes. 305000
i de 60 tubos gran les. 35,5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se-fizer, e com os remedios
que sa pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1#000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
la tubos mais pequeos cada um a 5f0 ris.
LIVROS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Horaeopathieo do Dr. Jah'
l )us grandes volumes com diccionario............ 20000
.Medicina domestica do Dr. Hering........... 161000
Repertorio do Dr. Mel Moraes............ 6O0O
Diccionario de termos de medicina........... 30000
Os remedios deste estibele;inento sao por demais conhecidos e dispensara por
tanto de sern novamente recommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
vm-.1i leiro, energios e duraJores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
rerJietro assucar de leite, nolaveis pela sua boa conservacuo, tintura dos mais acredi-
tis 83tabe!ecuB8ntOS europeos, a mais cxicta e acurada preparacao, e portantoa maior
energa e cortn em seus effeitos.
Casa de saud para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
ri\ p rao que o annunciante julga-sj suCQcientemente habilitado.
O raimiento o mihjr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fuiccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qio podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15300.
As oi.eracoes ser) previaminte ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoa\ :is que costumi pedirr o annunc ante.
mentos em um s anrrancro, pelo qual o preeo de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos, a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, eomo socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos n5o se dar isto
ainda mesmo cora prejuizc nosso, qualquer pessoa- poder mandar seus fmulos que
Mrao tara em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em- cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna coata
pela qual se- ver os precos tal qual annunciarmos, o que sen5o arrepender pessoa
alguma que- 6zer sna despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais cte
5 por cento na sua despeza diaria.
31 %VTEiC^
Manteiga i gleza perfettamente flor che-
gada ultimamene de l.oooa l,loo rs.a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova- a 86o r,
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banba refinada superior a 640'rs, e em
barril ter abatimento.
ni\
Cha uxim de primeira e superior qualida-
de-a2,8oo rs.
Sfirveja
Superior serveja Bass- dos melhores fa-
bricantes, comosejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e-7,ooo rs. a iuzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcopea 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagro de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
DA COliLUMNAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortos de seda de cores o que lera vindo a Pernambaco de melhor gosto
em seda.
Assim como mais algomas fazendas de bom gosto para vestido.
RIJA DO CRESPO N. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcelles e C.
CORTES DE SEDA
Cheearam pelo paquete ioglez riquissimos cortes de moreaotique de cores, e seda lavrada pa-
droes inteirameote oovos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pae? do Amaral A Companhla.
Farinha de naantlioca.
Tem para vender Antonio Laiz de Oliveira Aze-
vedo & C., no seo escriptorio ra da Croz n. I.
COIares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a dentelo das crianzas e preserva-
las das eonvulsdes.
O feliz resoltado obtido immen prodijriosa forca magntica do* colares Royer, nos
casis rte convnlsoes, e dentico das crianfas. tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hije j4 fe pode dizer qoe esli geralmente con-
ceitoados, e eslimados de innomeraveis pais de
faTiiTiis : de uns porque do uso d^sses saluUres
colares vram salvos do perigo seus charos filhi-
nho-, e da oniro? porqae colheram daqnelles tao
proBeaO exemplo para ignalmenio preservar os
eos. Assim, poU, aagoia branca, tendo em vi*-
lis a Dlilinade e nroveit^ desses prodigiosos rola-
res anodinos ou R>yer, mandjo vir o novo sorli-
bkiA) que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum, a falta delles possa
s-r funesta ao* pas de familia, os quaes flcarao
cerl is de os adiar constantemente na ra do Quei
mado, I ja d'aguia branca n. 8.
TERRENOS A' VENDA.
Vende se om terreno propno para edlflcacao,
eollocado no centro da cidade, com 68 palmos de
frente e 218 de fondo, tendo tres frentes, para a
roa da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
marles, na ra do sol a. 37.
AttenQao o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortiraento.
Vendera-se dous grandes lustres de vidro finos
com i'i luzes, do melhor gosto e por preco razoa-
vel; assim como apparelhos para cb e para jan-
lar, brancos e de cores difTerentes; ditos de por-
celana dourados e pintados e brancos; apparelhos
para jantar de porcelana branca; tamnem se ven-
aera em pecas separadas, eomo os fregoezes qui-
zerem, compoleiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em caixao e a re-
bino ; lanternas de todas as qualidades de vidro;
ditas de casquioho ingieras muito finas ; candela-
bros de vidro e de brome; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
goezas para resfriar agua; barricas cora appare-
lhos de mesa para jarciar; gigos rom apparelhos
para cha; e outros muitos sorlimentos de todas as
qualidades e precos comraodos vontade dos com-
pradores, que se vendem na ra da Cadeia do Re-
cife junta ao arco da Conceicio n. 64, e na rna
_ | Nova ne grande armazem de louca e vidros junto
igreja da Conceicao dos Militares n. 49.
dem hysson o melhor neste genero ai
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-|
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a I Superior azeite doce de Lisboa a Goo rs. a
2,4oo rs. a libra. j garrafa e a 4,Goo rs-. a caada.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.' Massas
a 1bra. MacarrSo e talierira a 360 rsv a libra e a
Biscontos 15^)oo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- ( Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata. Superiores passas a l,5oo o quarto e
Bolaebinhas
Latas com holachinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a S.ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolacbinba.de
soda a 2,ooo rs. a lata.
ueijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Clwcolate hespanhol a I.ooo e l,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a f,ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duza.
Vinho Figuera e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figuera em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-
co reta.
Superior ?mho branco proprio par mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ba mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,oo a caada.
'aixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caxa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Itecife, esquina da Madre de Deas,
balOes
Os ricos bales de arcos com muita roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 2$ e 2^500.
dem de panno para meninas 35 e 3)5500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 90.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 104.
dem idem com 16 asteas 12.
Chitas.
Chitas largas soffrives a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos cora ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha nm completo sortimenio de camisas francpzas de 1#800 at 5# das segnin-
, tes variadas qualidades: pregas larg-is, ditas miudas, peitos defusto e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 40.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Caigas de brim pardo superior a 25503.
dem de bonilas e superiores- casemiras de cores,
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pescoco.
Ricas mantas para pescoco de bomem de nissiraa seda e de ricos padrees, ana
s o Balo tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssimos paletos de alpaka branca a 55,
(OLLETES.
Golletes de casemira a 43 e 5$.
dem brancos a 25500 e 35.
ceos para- vlagem.
Saceos para vagem a 5$ e maicres a 65.
A UUEM NOS LER
Todas as semanas reformemos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
farcndas e novos precos e nao como muitas pessoas sup e sempre ser as mesraas h-
ze**
}
.
' 5,5oo a caixa de arroba hespanbola" e a 32o
rs. a libra.
GEIEBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Molanla verdadeira a 6,ooo
rs. a fi asquera e a 560 rs. o frasco.
Idom de Hollanda em- botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garr ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo aj
,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6oo rs. a libra.
dem de carnauba tte lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a i lo rs. a libra.
PEIXE
ja preparado de I,ooo a
Caf do Rio de 1.a e 2," qualidade de
6,8oo a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
NABAO
Sab3o maca de primeira qualidade de 18o
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo
em caixao.
Peixe em latas
l,2oo rs. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpsta e painco muito novo de 3,8oo a
4,oo rs. a arroba e de lio e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Nelto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos. os
quaes vendemos pelo mdico preco de i.oo.
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Boces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 6io rs. o caix5o.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo s. a lata.
Tambem ba latas grandes para l,2oo rs. a
lata.
______Bgeberam Gpegorio Paes de Amaral & C. um variado sortimento- denovidade
cotjQ'sejam:
NOVOS P4DR0ES EM C?TES DE SEDA
C'o IX HiS IIE II t JM % SI O
Porluguez e franGez, de seda e de la e seda.
seda ^tX'Lt.'615 mare-pCr13' "^ < SS0- '"^'^ te
VELLUDO
Verde-salsa.
Azuleno;
Dir de vinho.
Carmezim.
IiUVAS BE J t VI\
Brancas e de cores- para senhoras e homens.
M CRAYATAS
s de meia, de seda, de retroz de duas voltas largas e muito estretas de
urna s volla.
(jrosdeneples de todas as cores.
CIUTOS
0:
Com fivellas de tartaruga esmaltadas, madreperola # cobertas de seda^feitas oara
as mesmas, etc. ^
IIAXES DE FULO BE CORES
Gostos inteiraraente novos, ainda nao vistos neste mercado.
CASEMIRAS
De quadros miudinhos e largos.
Enfeites
O mellicr e mais moderno sortimento de enfeites proprios para Kocke- com bons
peo tes de tartaruga e sem elles.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
Custuuies para menas
de gorgurSo de 13a de diversas cores, bordados cem muito gosto.
Penteadores par* senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem.
Vestidos fetos para senhora.
Tudo por precos razoavels.
n 5 RA DO CRESPO 5
(jregono Paes do Amaral & Companhia.

ipifflaiffl^ a a a
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
mmmmmtmmm
O castello de Grasville.
TradHiid 4 (rttti por A. J. G. da Croi.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo prego de 3 na praca da Independencia, livraria ns.
6e8.
As nelheres chitas franeczas de cores1
escoras e ixas a 280 rs. o
covado!!
Na roa do Queimado n. l vendem-se chitas fran-
cezas escaras e finas a 80 o covado.
Vendem-se
machinas americanas de serrote'para descaroear
algodo: na ra da Senzala Mova n. 41
Vende se urna parle e nm predio no sitio dos
Arcos, porte da igreja dos Remedios o qual pro-
prio para olaria por ter encllente barro, e as tr-
ras qnasi todas proprias : a tratar com Jfaqjitm
Jos Gongalves Beltrao, rna do Vigario u,. 17, es-
criptorio.
ALMANAK
DI
LEMBKI\^AN
Luso-Brasilciro
PARA 1866.
POR CASTIIilIO.
Vende-se no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpa Santo n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em calas de
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caizas
de 1 duzia.
Palmella tioto de excedente qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se ara carro (victoria) novo e elegan-
Vende-se na livraria econmicaJjunto ao arco I te, com os arreios competentes de racial principe :
de Santo Antonio, na Poote Velha n, 8, por preco commodo,
Acha-se
venda na livraria acadmica, na roa do Impera-
dor ; pa do Sr. Nogueira, junto ao arco de Sanio
Antonio ; e na typographia imparcial, na roa es-
trena do Rosario a compilacao de toda a legislagao
tendente administrado, arrecadaco e fiseali-
safo dos dinheiros de orphaos defuntos e ausen-
tes, herancas Jacenles, legados, etc., conteodo nao
s o regiment de costas e a lei geral das execu
$5es, como tambem todas as ordens e avisos do
governo, que a todo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigaedes inherentes ao cargo dos diferen-
tes empregados de justica e fazenda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestando-fe a otilidade
de dlfferentes classes, torna-se recommendavel.
Seu cusi 104000 por cada exemplar em doas
oraos.
m ijichas de Hamburgo
I todos os paquetes da Earopa se recebe
gil destas amigas do sangoe humano e se
* vendem a troco de poueo lacro s aflm
X de ter sempre cousa nova : a loja de bar-
S beiro roa estreita do Rosario n. 3, ao p ^
SR da igreja. jB
m&maam ** **&**
Attencllo.
Vndese carne e llnguicas do ^erid a 400 rs.
a libra : no pateo do Carrao, esquina da rna de
Hortas, armazem n. 2.
Vende-se
Bramante de linho Bno e largo para lences.
Brim lona encorpado e Bno para montana.
Mantas para cavallo.
Cobertores de algodao de ara e doas pellos.
Na casa de Edward Fenlon n. 17, na do Tra-
piche,
de Lisboa o mais superior que ba 4500>a 3*000
o sacco : na ra larga do Rosario n. 34>, taberna
da esquina, defronte da igreja.
/%Henco.
Vende-se doe de caja', laranja, grozella gU*
em latas de orna e duas libras a 700 rs. a libra :
no largo do Carmo, esquina q/te volt para a roa
de Hortas, armazem n. 2.
Calla da Baita superitr
Tona para vender Antonio Luiz de Aievedo &
C, no seo escriptorio ra da Crnx n. 1.
AKeicia a pecaiaeha
Sapatos de tranca com sola de cortina a 11 q
par: na ra do Lirratnento n. 5,





*m
I I II *' 1 llll i W'll I II '!
Diarlo de Pernambuco Sabbado 13 de Siembro de S8S*.
*
Grande liquidado a dinheiro*
I*a loja e armazem do pavo.
Roa da ImperatrIz a. O de Gi-
ma fc Silva.
Os donos deste estabelecimenio tem resolvido li-
quidar suas fazendas por presos baratissimos, s
coo o m de aparar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam en pequea escala rom fazen-
das, que uesta toja e armazem enroolraro um
grande sortimeeto por precos que multo Ihes ho
de agradar, tanto em pega como a retalho, a
saber : ?
Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pecas de carabraia branca para for-
ro a i : na luja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
para
TIIKSOl O DAS HAI9.
PROVIDENCIA DAS CRIANZAS.
COLLARESROYER,
EtECTBO-MA GNET1COS,
Chamados collares anodinos db dinticao contra
as convulsoes e para facilitar a denttcao das
criancas, preparados e inventados por Royer,
pharmaceutico da Escola superior de Paris, suc-''
cessor de Chereau, membro da academia de me- j
dicina, antiga casa bouillon-lagrange, pharma-
ceutico do hnperrdor, che fe dos trabahos chimi-
cot da Escola Polytechnica, director da Escola
ava.ria.do.
Prancez barrica 51000
Portlaad dem 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
No armazem de Tasso Irraos caes doUpollo.
TABERNA.
Vndese a taberna da ra de Fogo n. 32,
pro-
de Pharmacia de Paris, e membro da Academia {""'* "ra Imperial dt Mediana. Ra Saint-Martn, 225, "
defronte da ra Chapn, em Parts.
A bygiene a sade."
A sade a vida.
As mis.
Quantas criancas nao vemos rada dia succum-
Moreantique branco
Vende-se superior moreantique branco
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha : bir~s dores da primeira dentiyo I Quantas an
na loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de j cas e qnantos tormentos para as tristes mis, que,
Gama 4 Silva. vem se arrebatar, depois de tantos cuidados, de
Percates COm mofo. I ?D,as VIRia!!' 0hiecl querido de sua ternura I ?
wr ii a .. tan QuaDlas vezes nao tem ellas sentido a ineficacia
wa lOja OO Pavao a Jou rs. dos remedios empregados, laes como brinquinbos,
Vendem-se as mais finas percales com llndlssi- cbarope de dentico, etc., cujo duro contacto dos
1 primeiros irrita as gen^ivas e causa inflammacao
as membranas mucosas, e cuja acco nulla fazia
mas cores para vestidos de ?enhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liqoida-se pelo baratsimo preco de 360 rs. o co-
vado : Isto s na loja do Pavao'rua da Imperatriz
n. 60, de Gama 4 Silva.
Lazinhas a 200 rs o covado.
Na loja do Pavao.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratsimo preco.de 200 rs., ditas
com palmlnhas de seda a 240 rs.': isto s para li
quietar, a.-sim como lazinhas niocarobiques com
os mais bonitos padres a 240 rs. : i.-to na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in-
dianos tendo 7 i|2 varas capa corte sendo fazenda l
desesperaco as mis? Achar um meio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para allviar os soffrimen-
tos e prevenir as convulsoes, como tambem todos
os accidentes que resultara da primeira dentico,
tari o lito que Uvemos em vista aloucar. Ha
muitos seculos que se punbam no pecoco das
criancas collares de mbar amarello para preser-
va-las e cura-las de convulsoes, tmpregava-se pois
desde muito lempo a electricidade medica sera sa-
b-Io, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este effeito saudavcl repousa sobre a ac-
co da electricidade, que solta o mbar esfregado
pelos raovimentos do corpo da crianca. Esta in-
fluencia constante do fluido elctrico, por fraca
que fosse, produzia effeitos curativos proporciona-
dos quaotia d'electricidade engendrada deste mo-
do. Esta propriedade elctrica de mbar a que
lido
Ontros objectos.
Vindos tambem para a anliga loja
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setim branco bordados pa-
ra baptisados.
Oulros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mui unas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Traeca da seda com vidrilhos, moldes no-
ves e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
Mem pretos de velludo tambem de soni-
dos tamaitos.
Lonetas t> dons ridros con aro de ac, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
-V
AGIH BkANGi
ESCB1Y0S FTJGffiGS.
CoIleiraS de marroqoilll, COm CascaVCis Do engenho Penderaca da fregnezia do Bo-
e sem eltes.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
nito ausentou-se um escravo mulato de nome Mar-
tinlano, deidadede 22 annos, com os signaes se-
gulntes : tem altura regular, secco do curpo, ca-
Ligas de dita para senoras e meoinas. a 6oo rs.
netos e oculos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os'est vendendn
por precos razoaveis : os pret-ndentes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
Rival sem segundo
Roa do Queimado ns. 49 e 53, loja de
miudezas de lies portas, estaquei-
mando tu!o hom e harat-, quem qni-
zer ver e admirar venham loja do
Bigoriinho.
Caizas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
ca n. 8, vendem-se colleirasde marroquim, bellos solios, porm russos; 'testa pequen;
pospontadas e com cascaveis, ou sem elles alilad. sem barba, rosto comprido, mus grossas
proprias para caes e outros bichinhos. ie ,r\m nm das perDas torla '""a deu,ro-
n...' ;i, ,u a i Desconfia se que esse escravo tomasse eaminho
PeBDSinglezasdeaCOedOUradaS. jdeta cidade a' vir talvez aiistar-se voluntario,
No novo sortimento de penna's de ac que P'' ^ ladino e pdese intitular forro : pnrtanto
a Aguia Brinca acaba de receber, vieram "SE i0\seDnorps poiieiaea e pitaes de campo
tamba ootra..de metal dourado e bicos ^-K t^%rZtl, ffi2SS
Pereira Caldas,
de In-,16, recebeu um bello sortimento de lo-1 mu bem acabados, e por essas boas e ne- nho a entregar a Sebastio Vex
cessanas qualidades OS seus acreditados fa- 1,,e p"' qualqner das partes ser com generosida
bricantes Perry d C, as recommendam aos dt re,"mPPDSi,do.
entendedores" apreciadores do bom, valen-
de mesmo a difiereuca que ha no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na cominuacao de escrever ;
assim pois quem deltas se quizer utilisar
comura-las a dinheiro a vista : na ra do
No da 3 de setembrodeste cpeme auno do
186o, fugio do lugar dt Malliadinlia, con arca de
Linn eiro, o escravo Sivirino, ciioulo, |m i leiifi me
ao abaixo assignado, com os sigoaes si guintes:
dade 30annos ou mai?, prelo. altura regular, bem
fornido de lodo corpo, pouca barba, lera em cima
d; um olho um carocinho sobre as coMas, tem al-
guma marca de chicote que mal se diferenga :
quem pegar dito escravo leve em casa de seu se-
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sera ellas para Dhor' iue ,em a graoncacao de 1005.
cortinados, 1 u -, R-d- ^0",w" Gon,ea de ,Arrda-
Ai. n u u 11 1 Mo da b de agesto o escravo cri'iilo de nome
Aguia Branca recebeu um bello sort- Tiberio, dade de 20 a 23 lanas, estatua taua l
ment de franjas com borlas e sem ellas fom farta de um dos dfnie.s de cima, tc ejcravo
n I -fi A <-i------- v """"' "^ iiaujao wui uui w." c cciii cnao "jiu tana un uui uw ui-iiir.N ie riiif, li P.-craVI
r/entes e tartaruga mu lories para des- Grozas de botoes de louja prateados fazenda mo- para cortinados, todas de novos e bonitos ou Sr. Francisco de Albuqunqne Maranblo Ca
transparente de novos gostos que servem at para *ZJn Z1 a f,,,,.,d-e* de PP1" fa^r,ica-
bailes'e partidas, vendem-se pelo baralissimo pr- -J '3^J^ df?iiS *u5m^" *'l*?,:
50 de U cada ur por ter-se comprado urna gran- S-'dade dos -effeitos electr.cos do mbar por roco
de porfo : na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
S le uis para saias
Pechincha na loja do Pavao.
sidade dos effeitos elctricos
de lios conductores que distnbuem as correles
d'um modo suave e continuo. Mr. Royer o in-
ventor de duas especies de collares : 1 dos colla-
embaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com apulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Gaixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Traocellim de bortacha preto, redondo.
Bonitas fivella grandes de ac.
donradas, madre pe rol a e lar-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranca de lia lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas finissimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pecas de fita de eos estreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com colchetes francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para vollarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado E"2 d macac Peruia muito fino a 200 rs.
r, t> i,______u .. a frascos e earraflnhas com aoua de Cnlum
n. i t, recebeu um bonito sortimento de jqo r9_
randes com superior agua de Colonia a
rente voltaica. Partindo deste principio de pbysi- douradas, madreperoia e lartaruga, asquaes
Vndese a mais Ona silezia de algodo fazenda ca bem conhecido, que a iniensidade d'uma cor- estao sendo vendidas em dila loja por pre-
inteiramente nova no mercado proprias para saias, rente galvnica est em razo direita da superficie ^os commodos assim como boas e bonitas
fitas de gorgoro athamalotado, proprias pa-
I oilaTes emmS^wSSSS^!t- 5* grandes para cintos, sendo de ac, Francos grandes c
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su- dos elementos que compoem a pilla, os collares
perior ao madapoio francez e vndese pelo bara- Royer, chamados anodinos electro-magnticos d-
lo prego de 440 rs,a vara ou a 400 rs. sendo em signados e graduados por oito nmeros dierunles,
peca com cincoenla e tantas varas, isto grande possuem as mesmas propriedades elctricas, com
pechincha : na luja do Pavao ra da Imperatriz n, esta s dlfferenca que o effeito curativo esta subor-
60, de Gama & Silva. j dinado ao tamanho dos elementos que os com-
I enrn wnjittiactwtnjfl d'electricidade que engendrara, d'onde se segu
\endem-se superiores lencos de seda para ho- que quaota maior superficie apreseutam as perolas
mens e senhoras a 1J. : na loja do Pavao na ra -
ra ditas fuellas.
Omlos de penetra e de outras
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lengos brancos a 2$.
ou elementos, tanla maicr quaotia de fluido elc-
trico desprender-se-ha ; e por isso que nos acn
selhsinos de preferencia os nmeros tortes.
Esws collares, pela sua disposicao flexiveis e de ac, Surtidos em graos.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito Anos a
1,1400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duza de sabonetes pequeos cora cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidadea 800 rs.
lies ari iip snfffrr Sa'Xas C0,m soPerior P* *e a 800 rs.
qiiauaaues, para quem SOIlre Frascos de superiores essencias santal e outros a
da vista. 1*200.
A' loja de miudezas ra do Queimado Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
u. 16, tambem recebeu oculos de peneira!
com vid ros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armac20 Frascos bonitos com chfiros finos a 500 rs.
penetra:
_. Frascos com cheiros de todos os pregos a 160, 200,
Vendem-se duzias de llneos brancos finos a25, .SVSS-H ,P0SI?a nes,Teis e
ditos fin.ssimosa imltacL de linho com duas ba 5"ra ^T-', ,P"r.cons,la1,e'Denleh D0 pesc5
ras sendo urna de cordo e ontra matizada fazen- ?-*? rri'incas- Lm_ rede elctrica cobre sem ees-
da que sempre se vendeu a .i' e torra-se a 2>00
a dnzia : na loja do Pavao na ra da Imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
Os rspartilhos do Pamo
A 45, 5 e 60.
Vendem-se os mais superiores espartilhos com
as competentes filas para apertar pelos baratissi
partes doridas que sao modificadas lenta-
sem sacudiduras nem commocoes, e pro
Duzia de
Coroas e tercos de cornalina. r},^'
A antio-a Iaa Z rtitiutimjn a' r,,a Hn 9o l,Dhas rao" Bnas Para senhora a 200 rs.
a amiga toja ae miuaezas a ra do Caixas com soldados *> !.>..... =-
. Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-' 160 rs.
meias muito finas para senhora a
de chumbo para meninos a
sar as
mente,
duz
A
memo aos couares ue mbar a eincaea regular e rnmnrar pm t na- m m tn
segura da electricidade medica. Os collares gal- n!S.olT j\ J i S00 "
vano-magnticos de metal compoemse de peque- I Wueiuidue n. 10. 1 Fedras de lousa para meninos a 160 rs.
as perolas de dous metaes differentes, traversa-. Esponjas Unas grandes e pe- IBunecosde. choro e panno a 160 rs.
era urna cura rpida impedindo as convulsoes. ,roas e tercos deornalma, OS quaes estao recas de tita de la para debrura devestido.com
isslm arha-se reunido conr'o amigo proced- a disposicao dos bons christaos que OS qili-' ^-.l va,ras a 60 rs-
lio dos collares de mbar efflcacia regular e j-erem comnrar em dita Inia na na rio L de blC0S superiores, para acabar a 600 e
dos por lios conductores que formam assim pe-
rnos presos de 4, 05 e 6 por ter chegado ums quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta-
grande porcao para a loja do Pavao: ra da Im- ti I e Hesita!, empregados cora feliz SBceesao contra
peratriz n. 60, de Gama ^ Silva. as conVulsSes, os torticolis, tosse nervosa, toss'e
Cambraias de salpiCOS a 3S. convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
Vendem-se superiores cambraias rancezas com oempresam-se ind.st.nctamente nos mesmos ca-
salpicos brancos e de cores tendo 8 1|2 varas cada '
peca pelo barato preco de 3,5, ditas escocezas com
salpiquiohos mindinhos toda branca a 45 : na lo-
ja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Tartalana branca a 64 rs
Vende-se larlatana branca muito lina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de salpico a 1, dila lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na ruada Imperatriz o. 60, de Ga-
ma A Silva.
0 bramante do l'avao.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
que tem vindo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 2,8600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lences, toalbas e seroulas a 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. CO, de Gama & Silva.
Percales lisas do l'avao.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s
cor a 4U0 rs. o covado: na loja do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de todos os ta-
manhos a 2500 rs. a duzia, ditas de seda prela
para senhoras a 800 rs. o par, di'as inplezas para
nomem ;i j a duzia, i.-iu na loja do Pavo na ra
da Imperan iz n. 60, de Gama & Silva.
Cortinudos para oamas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato preco de 115 o par. Duos bordados muito ri-
cos a 24$, colchas de fu.-to para cama a 300 e
9 : na luja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
liras bordadas o ntremelos.
Vendem-se finissimas liaa& bordadas e ntre-
melos por prego baralissimo, na loja do Pavo roa
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Ctales a ::ou
Vendem-se chales, de merino liso, tendo de todas
as cores e pretos, pelo baralissimo prego de 35300,
por haver graude porgo : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, Je Gama & Silva.--
Os bales do Pavo a 2500, # t 30500
Veodem-se os melhores baloes de arcos ameri-
canos, sendo com 20 arcos a 25500, ditos com 25
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500, ditos para
meninas de todos os tamanbos a coOO e 35, su-
periores baloes de bramante e rourcelina com
cauda, sendo bstanle grandes a 55, islo na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 66, de Gama &
Silva-
As eamisinhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas eamisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, senio as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45000, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15; ditas pre-
tas com manguitos para lato a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15. lipssimas golinbas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corles de percales.
Ricos cortes de percale com barra, tendo o com-
petente casaveque a 85, ditos de 15a a Maria Piaa
65, ditos de cambraia transparente com barra
bordada a la a 25 ; isto se vende na l"ja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Paletols pretos a ?>
Vendem-se supe lores palelots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casaros a
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 e
85, ditas pretas a 65, 75 e 85, paletols de roela
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de raeia casimira a 45 e 45500, ditas de brim.
branco de linho e de cores, coleles de todas as
qualidades. Todas estas obras se veadem por
prego muito em eonta, s com o (im de aparar di-
nheiro : na loja do Pavao, rna da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavio
Vende-se nm grande sortimento de madapoldes,
chitas, algodozinhos das melhores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em ouira
ualqaer parte, sendo a dinheiro a vista, na lua do
avo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos de reda.
Chegou pelo ultimo v, por francez ao grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linbo como de seda, tendo entre
elles mmtos de poma redonda a ituitago de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por precos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bornouts de renda na loja do pavo.
Chegaram os mai ricos boroouts de renda e m
Tendera por baratissimos pregos: na loja e arma-
zem do pavao, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
DA PRIMEIRA DENTIQAO
E da utilidade dos collares Royer electro-magnti-
cos para facilitar a erupcao dos dentes do leite.
Em poucas palavras explicarei o que succtde
na primeira denligo, fazendo alpumas observagoes
questrviro de guia s mis de familias, que pela
sua lenra affeigao exageram a miudo os perigos
da dentigao, a#qu.il era definitiva urna operago
da natureza.
A mor parte dos desarranjos que sobrevem
sade das criaogas tem por causa o trabalho da
primeira denligo Quando o dente faz esforgo
para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva-
go volta-se mais abuudante, o somno agitado,
na febre a miudo, e em geral sobrevem a frouxi-
dao do ventre, e s quando este ultimo symp
toma nao loma um caracler violento mais bem
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Vpnrlp- venae-se na ra do Queimado, loja de Grosas de botSes pequeos pretos para caiga
miudezas n. 16. 100 rs.
Diversos Ohjeetos. varas de cordo de esparlilho a 20 rs.
A antiga loja de miudezas ra do Quei- oyff [rancfescora 20. jardas a 40 rs.
mado n. t6, .caba de receber muitos e di- ^^T^SH^Z^
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
F las finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
35500.
e superiores a
.desenltos, cuja commodidade do prego est l^^eZX^Z't^T^%
em relacao a largura : acham-se ellas a ven- de Valle Pono & C, que seta' recompensado!
daa na do Queimado loja da Aguia Bran- Ao a"rn7heFerdo_dia"26"de aco.to fugiam
*J n* ^ do engenho Camaragihe dous esclavos crioulos.
JogO da paciencia OO CUrioSO entreleili- a,TIU"s carreiros, sendo nm de nene S.n eao, ufc-
m. lural do ,-erio d Outicury, alm e brm feto, cara
u,cul"' redonda, nao mtilo preio, "e >offre de ima bernia;
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran- o ouiro de nome Nicolao, dmcMo ro n e-no en-
ea n. 8, acham-se a venda por precos ra- ^nho, estatura ordinaria, ser codo corpo e rclus-
ZOaveis caixinhas rom tahnlas rlp marloira '". ^a mesma occasiao desaparec :n. 3 nrros
udve!., tdixinnas com tao as ae maaeira, do P,rv,co do eDpPCho, de suppor qu. tenham si-
quedas diversas pinturas dolas se formam do levados por elles, ou por alfiim que Ibes ser-
agradaveis vistas e paisagens, segundo OS o de guia e seductor, porque ca nciie preceden-
desenhos que acompanham. Na verdade !e.a >ahida dos dl,os e-rravos f"ra,n vistP8 dnnf
esse um deleitavpj' pn rplenirapntn cf.m n npDS em communlcagan rom o Sirr-ao juntoa
"3 "j oe|eiia*ei en retenimento tom n ,.nirada do engenho : quem prender e trouxer *
qual se despe ta a cunosidade, e apura a in- tos escravos ser recompensado
telligencia. Os apreciadores d'tijam-se : ------------
ra do Queimado, a dila loja da Aguia Bran- ^ -t,A
ca n. 8, qoe seao salisfeitcs. t i c^ff
Bonitos enfeiles yara senboras.
A Aguia Branca acaba de receber un no- No da 28 de agosto prximo passado desappare-
vo e lindo sortimen o de enteites es mais ceram do engenho Parary, sito na eemarea do Li-
Hftdln0? ^r]nrl( agra,daVeS' ^*^0rt"X^%
e como e seu louvavel co^tume os esta ven- pmeiro alio, secco do corpo. um tama espadau-
dendo baratamente a quem com dinheiro se do e de cor cabra, tem a cara bexigosa, bastante
dirigir ra do Queimado. loja da Aguia barba- "bellos carapinhos, ps curtos e largos.
Branca n 8 pamo ve-''d0 de ca'a e cam'f,a ,ie algodo asoi,
H '. .. chapeo de feliro, levando tambem comsigo urna
HCias de laa para Senhoras. trouxa contendo roupa de uso, a saber: camisas
Vendem-se na ra do Queimado, loja da de chila e calCas brancas e pardas, Itvou tambem
Aeuia Branca n 8 um CP* 8 u l ,ret0' crioDl' sec<' do rorPO, estatura regular.
tlalil niOSCa, tem falla de dentes na frenie, um p. uco barba-
Na loia da Aguia Branca acha-se a venda d-('tem Pes DDs e bem feitos, tambem muito
o papel com compo>icao para dar fim as 'and'un0;n AL0S/*LT*' le".d0 de'dade32at)-
. 1 1 1 f -ii- nos, ponco mais en menos ; descorfa-se aue te-
moscas, sendo O modo de usar facillimo, e U iiani wUo para assenur praga nesta provincia
effeito eCGeaz : molha-se 0 papel edeixa se u"em ontra qualqner : quem os apprehender pode
ficar n'um prato, e nelle pousando as mos leva-es ou ao dito engenho, od a' casa de Brnnc
Alvaro Barbosa da Silva, na ra da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.
Mtenco
cas, entristeeem e morrem. Custa cada fo-
Iha 40 ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brioquedos e entretenimento
para criancas,
A Aguia Branca na ra do Queimado n. Aebam-se fgidos os escravos egaMHp : Bento.
8, recebeu dive sos brinquedos para crian- mulato, idade de 2o anuos, cabellos annelados, sen;
barba, denles um pouco limados, seco do corpo.
lesta larga, e falla um pouco descargada ; e Luiz.
cnoulo,ja um ponco velho, altura regular, muito
cabelludo, barba com alguus cabellos, brancos, as-
sim como na cabega, corpo refoigado, olbos um
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finge-se
dem tambem de sarja kvrada, de bonitos I. *L fiaSStt l' VCnd?'Se SUi,?eroreS! 2ueimad'' loja.da Aguia BranCa n 8" K de'SS wTt&lVawSSer TeS
e novos desenhos | 'es Se % aabenf 24 "' CVad e"aS' a" **** P^taS de Seda para seno?ras a duzi-los a' ca-a de sea senhor o major Antonio da
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa- ( .-,... -...-------- 5tl0 ris 0 par. R^^XJ5SaTS!rSRS
Lilas para vestidos a 240
rs. o covado!!
n. I vendem-se superiores' Queimad
C-as, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos d i metal, louga pinta-
da e porcelana donrada para almoc e jan-
tar e muitos oulros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na ra do
loja da Aguia Branca n 8.
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorguro de seda acbamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas \
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-1
CE1UEJUIVSS
em barril.
Aguia iiranca quer acabar com a por- conduccao: sopp5e-se que elles terso Nto em
Cao de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preio que Ihe cus
Vende-se a 200 rs. o copo : na ra do Impera- laram e 0 bom esiadoiii que anda estao,
gnimenlo dos sertoes desta
filhos desses lugares.
se-
provincia, por serem
dor n. 57.
favoravel que damnnso. Sendo sujeito a compli- ra debruar vestidos, colletes, palitos, etc.
car-se com outras affeigSes o trabalho da denligo, I dem de 15a igualmente SOrtidas em Cres
e^necessar.o, em quanto durar, por a mais extre-1 e para os mesmOS fins.
ARMAZEM ALLIANCA.
ma e continuada ailengo na sade da enanca ; e
desde que se ootem os ltimos symptomas que aca-
bamos de indicar, ser urgente consultar um me-
dico.
Estes collares vendem-se na loja do Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
No paleo do Carmo n. 13, vende-se superiores
queijos do Serid.
dem de algod5o brancas e diversas ou- \
tras cores para vestidos de chila.
dem de borracha brancas e pretas para
soutemharques. vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guarnicoes para enfeitar;
soutembarques, vestidos pretos, manteletes, i
etc., obras do muito gosto e modernsima.
Vendem-se 5 escravos sendo 2
mulatas e um mulato, de boas figu-
ras e sadhs, ida le de 24 annos, e 2
pretos moleques sendo de 12 annos
e o outro de 8, todos sadios e de
bons eos turnes : na ra da Cadeia
do Recife n. 3$, primeiro audar.
comtudo esl resoltada a vende-las a 5 0
ris o par, aflu de que ninguem mais calce
'meias pretas de algodo, ag. ra pois apro-
veitarem a quadra e diri^irem- e ra do
! Queimado, loja da Aizuia Branca n. 8. Tam
bem vender as brancas a 1 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
Hllho superior
Vende-se no trapiche do baro do Livramento
no Forte do Manos.
Pogk) no dia 18 do correte roez o preto cri-
onlo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
ou menos, alto, ros'o comprido, snissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, ecostnma andar dealper-
gatas, levou camisa de algodo, caigas veihas i>
iotas, chapeo de palba velho, e tambera um bonet,
caranpuejeiro. Se nao andar vaf&ftdo por esta
eidade provavel que tenha ido para Serinhaem
ou Bio Forraoso, onde j tem sido capturado por
vezes. Roga-se as autoridades e capules de campo
que apprebendam e o leven) ao seu leftbof joao
Cavalcanti Lan.enha Lins, residente na Estrada
Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalcanti de
Albuquerque, que se recompensar generosa-
mente.
.
\
LISTA GERAL
l.
DOS PREMIOS DA U. PARTE DA 1. LOTERA, CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. 370, A BENEFICIO DA MATRIZ DE SANTO AMARO DE JABOATO, EXTRAHIDA EM 22 DE SETEMBRO DE 1865.
NS. PREMS.
2
3
8
11
13
14
17
18
28
29
40
47
50
54
73
80
81
82
83
84
85
90
96
99
!W
3
6
7
9
14
16
20
22
25
32
35
38
39
46
49
50
52
53
55
56
57
60
61
62
66
U
k.
205
65
105
65
NS. PREMS.
168
69
83
84
85
87
89
90
96
204
6
9
14
15
20
21
22
24
27
29
45
46
48
49
53
55
57
61
62
65
66
67
69
79
82
87
90
97
98
303
8
9
12
13
14
19
ao
24
31
38
65
NS. PREMS.
340
205
651
105
65
105
65
45
48
* 52
54
56
57
59
65
67
68
69
75
79
81
83
86
87
90
94
97
409
10
11
13
15
17
21
28
30
33
40
42
43
46
50
55
56
57
58
63
67
69
70
77
7
81
98
901
3
NS. PREMS.
105
65
504
d
10
12
15
16
17
23
31
34
36
46
52
56
59
64
74
78
79
81
86
91
97
601
3
6
9
13
17
18
19
22
28
30
31
32
34
35
36
42
46
48
51
53
1
65
68
71
71
77
65
405
65
205
105
105
65
NS. PREMS.
105
65
105
S05
6$
679
86
94
96
97
99
706
12
14
15
16
19
37
38
39
40
41
44
45
51
57
58
63
70
77
81
83
84
800
1
2
8
18
20
24
23
24
33
34
42
46
50
51
54
59
60
66
73
75
78
65
65
105
65
NS. PREMS.
879
91
96
902
8
9
11
23
26
27
35
40
47
48
54
56
65
68
69
70
72
81
86
87
91
92
94
95
1001
3
8
9
12
17
18
20
25
27
41
42
52
53
56
63
67
70
78
80
82
1:2005
105
105
65
NS. PREMS.
1085 65
98 -
1102
3 -
7 -
10
12
14
17
21
23
24
20
32
34
36
37
39
40
43
50
51
53
57
63
65
67
70
73
76
78
86
89
93
94
95
97
1200
4
5
6
9
18
22
23
M
31
32
N
48
105
65
205
65
405
65
405
65
105
6*
NS. PREMS.
1249 6
52
53
57 -
62
64
66
69
71
72
74
75
76
82
83
87
89
94
95
1300
9
11
14
15
17
23
25
31
38
39
40
42
47
50
52
54
57
68
60
63
64
66
70-
77
78
81
84
89
91
NS. PREMS.
205
65
105
105
65
1392
94
95
96
97
98
1401
7
12
14
25
27
30
36
37
38
47
48
52
53
57
58
60
63
69
77
78
79
81
88
92
1502
11
12
13
15
16
19
20
23
26
28
31
34
41
46
55
57
63
67
65
NS. PREMS. |NS. PREMS.
1005
65
6:0005
65
105
105
1570
73
78
83
85
92
95
96
97
99
1601
6
7
10
13
16
19
22
23
28
47
49
52
54
56
58
63
64
65
66
71
73
74
75
77
82
89
90
92
94
98
99
1700
7
9
13
14
10
21
22
105
65
205
105
65
1728
33
35
36
37
42
43
44
47
49
52
57
58
59
61
64
66
67
72
74
76
80
84
97
1813
16
22
24
6
29
31
31
33
38
39
41
45
46
47
40
51
52
53
57
58
60
62
64
66
7
65
NS. PREMS.
4005
65
205
65
105
651
405
65
1870 6J 090
76 2102
77 3
83 4
86 9
88 13
97 22
1900 - 24
1 26
3 27
6 - 31
10 37
11 41
13 - 44
19 50
21 51
22 52
28 es-
34 es
36 66
37 67
48 74
49 77
55 82
62 85
76 86
82 91
83 97
85 2202
89 3
96 9
2004 . 13
9 14
15 19
22 27
29 35
30 37
33 41
38 42
39 51
52 57
53 . 59
56 64
64 105 70
65 05 71
75 77
80 78
83 84
86 105 89
87 65 91
NS. PREMS.
65
205
65
105
65
105
65
405
65
105
65
205
65
NS. PREMS.
2292 65
94
98 -
99 -
2307 _
11
14 -
17
20
25
29
30
32
35
37
40
57
62
63
69
71
76
84
86
87
90
94
95
96
2400
I
6
13
15
29
38
43
45
46
47
54
57*
60
64
69
70
71
72
74
76
NS. PREMS.
2479
83
85
93
94
2501
2
205
65
1005
205
65
3
4
7
9
14
15
18
20
24.
28
34
35
36
37
39
40
45
47
48
51
59
66
7*
80
84
86
87
88
97
26t0
3
4
5
9
21
22
23
28
W
33
36
39
41
105
65
405
65
405
65
------------*
NS. PREMS.
1005
65
405
65
105
65i
105
65
2642
44
45
51
58
62
65
66
71
74
78
82
91
l 90
2701
4
9
10
14
16
17
24
34
37
44
42
49
50
51
52
55
61
62
69
71
75
79
82
83
91
96
2804
6
10
14
15
17
22
25
26
65
NS. PREMS.
1005
65
205
65
105
65
105
65
105
2827 65
28
33
36
37
38
43
49 .
51 _
55
58
63
67
70
77
79
as _
85 ^h
86 _
93
94 M
98 105
2902 65
11 _
13
16 a
21 _
24 _
29
34 v
37 _
38 _
42
45
48 205
52 6#
54 .
57 405
69 6#!
66
68
71
75
77
80
90
91
94
97 _

r


rtraaaabnco wabbado 13 de etembro de !*
LITTE.URA.
por baver quebrado ama das rodas, e o dse m~ A originalidade de saas respostas forna-se re-
barque da tropa qua elle condnzia e ffactaou-se no coramendavel aos coleccionadores de variedades,
da 14. > e por isso vamos consigna-las ao aprego dos nossos
Picou este batalbo (4) aquartellado, durante leitores :
urna tarde e ama noite em urna loja, em frente Jali. qae entende por pbislologla?
do palacio da presidencia. S. M. nao se dignoa
saltar >m trra.
Pelas 7 horas da manhaa deste da 14 ernbarcou
de novo o batalho, conjunclamenle cora o corpo
de pe.rmauentes (;)l)-uo vapor Falcan cora destino
a cidade de S. Pedro do Rio Grande do Sol, tendo
Ja -. M. antes de nos seguido cora o mesmo desti-
no, ainda no mesmo vapor Santa Mario. No por- o que estudou.
lo desta cidade chegaram ambos estes vapores no Interrogado.E' isto raesmo.
dia 16 pela manhaa : o desembarque da tropa foi
se i ii demora.
S. Magestade saltou a trra, e fui occupar a casa
destinada para sua residencia.
Na cidade de S. Pedro do Rio Grande nao teve
THBiTRO DA GUERRA.
Urna carta do coronel Oneti escripta depois da
batalha de Yatay, dizn seguiote :
Morreu o trahidor Orrego.
Segundo dizem o< puta neiro--, Aparicio pas-
soa no da 16 para Uru*.ayua;'nesta cidade
exlstem cerca de 6 7 n.i Paraguayos sitiaJos
por Chico Pedro (WO de Jacuhy) e creio que
amatha passaremos a lomar a cidade.
t .Nao se imagina a pobreza desies hornea?, sao
o inesrao que os indios bravios; nao parecem
oldados, mas gente foragiia.
c incrivel o valor e a disciplina desses in-
dios, pois que pelejavam como leoes e nao se reo-
diam por modo algum, porra emflra, vendo o
choque incessante das nnssas bayonetas, nao tive-
rao outro remedio senao irem-se entregando pou-
po a pouco, lendo-se salvado como quarenta ho-
mens, raorrendo cerca de 1,508 a 2,000, e Meando pJra bordo dQ va[)0r de saerra Av ,jae ^M na
prisioneiros em nosso poder cerca de 1,300 a j ma(jragada dia 17 para a capital, cidade de Porto
1,800 ; assim, querido pai, estamos coberlos de
gloria, nao teodo de nossa parte, pelo que se sa-
be, mais que 230 homens entre morios e fondos.
t Naquelle numero contase somente Ferreira e
entre us feridos os coronis Regulo, Fidelis e al-
guas outros offlciaes, cujos nomes ignoro.
Communicam-nos este iieaerano do nosso 4o ba-
alhio de arlilharia a pe, em viagem para a pro-
vincia do Rio Grande do Sul.
Kubarcou o 4- batalho de arlilharia na capital
da provincia de Pernambuco na larde de 22 de ju-
nho do corrente anno no vapor Cruzeiro do Sul
com o 2o corpo de voluuarios da patria da dita
prov.ucia, que tomou o n. 30, a compaubia do ca-
pitn Maoiva, que se acha aggregada ao raesmo
corpo e a de cavallana e artillcis.
Simo o vapor na madrugada do dia seguinte
{t) o ancorou no porto da cidade de Macei no
uiesuio da pelas 4 horas da tarde.
A.ii receben seu bordo urna outra companhia
de voluntarios era u.de 68 pracas.e mais 3 senho-
ras. com o ui de servirem no hospital de san
uue.
Interrogado.E* o que onslna a conhecer as co-
res e as pinturas.
Jui.O que geographia 7
Interrogado.E' o qae faz conhecer o mappa
geographico.
Juiz.D urna delinico "pela qual mostr saber
Juiz.Em quanias'parles divlde-se a geographia!
e quaes sao ellas 1
Interrogado.Em quatro. Urna que faz conhecer
as provincias; outra que faz levantar plantas; ou-
tra que ensina o desenbo; e outra qae ensina a
o batalho quartel, e o campo esteve nossa dis- navegacao.
posigao. do qual laocou-se mo para fazer acam-1 Juiz.Qual foi o seu compendio de geogra-
pamento provisorio, que apenas durou um dia. phia *
A's 9 horas da noite foi o batalho transportado | Interrogado.O de Alexandre de Moraes.
Juiz.O qae entende por geometra T
Interrogado.Urna ciencia que serve para se
Alegre, era cujo porto ancorou no dia seguinte poder fallar e escrever.
(18): tanto os offlciaes, como as oracas de pret | Juiz.O que entende por ltiro?
nao tiveram commedorias por bordo.
Deus, porque sobre a fronte
D'essa infeliz geranio,
Cahir flzesle incendldos
Taris ralos de maldiga > 7
Suspende... Dos pobres lhos
Oh I tende, Pai, compaixo I
Antes cadver... Ao menos
Nao sentira amargores :'
Talvez que mo piedosa
De que seffresse essas dures,
No meu sepulchro espalbasse
Pugillo de lindas flores.
lei by patbecaria, que felizmente vimos sancio-
nada.
Tambem o vimos promover o estabeleciroenio de
Institutos agrcolas, nao s na corte como as pro-
vincias da Baha o Pernambuco, quando ultima
mente por all viajou, animndoos com subvengdes
de sen bolsinho.
Nos lhe pediremos, pois, que se esforcasse ainda
por este melboramenio, promovendo o esiabeleci-
mento dos Bancos Ruraes e Hypothecarios, urna
das necessidades mais urgentes e palpitantes da
Ce, emflra aiguma cousa qae esteja d'narmoaia com
ki alternativas que vio em sua alma.
A correspondencia contina; as cartas de don
amantes ( aps a primeira) sao sampre vlgarlssi-
mas no fundo e na forma.
Os motivo* dellas sio (de parte i parle): pro-
messas de fldelidade, recommendacSes de constan-
cia, ciumes, saudades por ausencia, descrencas, re-
latorio de dores, e quaod o rapaz pobre e ella
rica, Ulna de aristcratas, aquelle tero sempre pen-
dentes dos bicos da sja pluma agadisslmas quei-
I xas para os poderoso.;, para os enfatuados que ne-
1
actualidade, principalmente depois da promulga-
cao da lei hypothecaria que, acabando com os pou- g-ameiUI)e|Cr .
eos privilegios que amia tinlia a lavoura, collocou-
a em peiores cneurusiaucias do que eslava, os
quaes como sabido tem por flm fornecer a lavou-
ra captaes a longos prazos, juros mdicos e amor-
tisacao lenta, de que tanto precisa para a sua fu-
tura prosperidade.
O batalho aquartellou em quatro pequeas co-
xias, perto do porto.
No dia 19 chegou o Imperador a mesma cidade,
e depois de visitar ao batalho foi residir ao pa-
lacio da presidencia.
No dia 21 pelo meio dia ernbarcou aiad o ba-
talho no vapor Tupy para a cidade do Rio cardo
fazendo a sua derrota pelo rio Jacuhy em enja ci-
dade desembarcou a 22, tendo sido aquartellado
no edificio da Caridade : tambem nao fomos soc-
corridos de comedorias por bordo, pagando cada
offlcial e cadete um peso por dia.
Tendo chegado S. M. o Imperadur cidade do
Hio Pardo no dia 29, foi in (ontinenli visitar o
quartel; depois do que fonnou o batalbo para ir
missa, que teve lugar s 8 horas do dia.
A 1 hora depois do meio dia estava o batalho
em marcha para a cidade da Cachoeira, tendo acam-
pado depois de urna marcha de 4 das, percorrendo
la passou lamben, a pertencer ao 110 leguas, no lugar denominado-Pastos dWeia-
iuMcionado corpo de voluntarios n. 30. | > 'egua pouco mais ou meno- distante da clda-
N ] da 24 pelas 4 horas da tarde continuou o <** 5 "ndo pertencendo a brigada do coronel Fon-
. ,,.,i.i h. nmvin.-ia ita Uesi Que ?e acnava j* ani acampado, cuja brisada
vr.uur o seu rumo para a capital aa provincia ua ..... ,
, jw i., a,,nlo se compoe do 4 bata hao de ar i hara a p (com-
lal.ia. em cujo porto deu fundo no da segrale v *
mandante o major Abreu) do 19 (comraandante o
(45) referida hora. '
Ai perraaneceu o batalho
por 3 das, al que
tenente-coronel Domingos da Costa Pereira) do 24
(coramandante o teuente-coronel Mundim Pestaa)
na effectuasse o embarque do 2 de guardas na- Ido 31 (commandanle o coronel Machado da Costa)
. uuaes da freguezia de S.io Pedro (n. 29) que te- do contingente do 3 de iufantaria, e do 29 (com-
v; lugar pela mauhaa do Jia 28, sahiodo logo de-
pois o vapor, que chegou ao Rio de Janeiro a meia
noite de 1 para 2de julho.
S. Exc. o Sr. ministro da guerra foi pela ma-
nhaa bordo, e deu as precisas orden5, para que
os oalalhes deserabarcassem, marcando-Ibes s
respectivos quarteis : locou a este o da Ilha das
(obras, o mesmo em que se acha aqurtellado o ba-
lalno naval.
mandante o tenente-coronel Freir.)
Esta brigada assim composta fez a sua marcha
para o exercito no dia o pelas 2 horas da tarde.
O coronel Hygino Jos Coelho foi nomeado neste
dia commandanle de urna outra brigada, que tem
de so formar nesta cidade com os corpos que exis-
ten) em viagem para aju, o qual tirou para seu
ajudante de ordens o tenenle Pacheco.
Segundo as ordens do Exra. Sr. ministro esta
Depois de urna demora de oito das uoRio de I brigada se compoe dos seguintes corpos de volun-
Jaae.ru, era quauto se preparava para ajustes de lariS : ns- 8. 23- 23, 28, 30 e 1." de guardas na-
conias e fard.meato das pracas, pois que esias conaes deseados, que o da provincia da Para
.-.hegaraa com todo elle estragado, devido a esta- ")', coniingente de arlilharia de voluntarios de
rera exposias a cnuva, emoarcou de novo o bata- Purto-Alegre, e 22 corpo provisorio de lioha, nao
Iban no dia 10, com destino a Santa Camarina. t Cumpre aqu notar ana S. M. o Imperador dias destes, constando porra, ja existlrem em mar-
antes havia ido ao quartel pas.-ar revista ao bata- cna-
Ibi, e bem como passado urna ouira geral, no O corouel Hygino e seu ajudante de ordens dei-
arsenai de marinha, aos batallioes, que ahi se xaram o acampamento no da 6 e vieram esperar
acbavam cou\ enieuiemente preparados para o na cidade pelos corpos, aflm de Ihes marcar um ou-
embarque, que leve luga no referido dia 10 pela tro novo.
maneira seguinte : No dia 7 seguio S. M. para o passo de S. Lou-
Este batalho (4 de arlilharia a p), o corpo da ruigo.
Peruambuco (30) e o policial perman-ntes da cor- Nos dias 8, 9 e 10 desembarcou se a arlilharia e
te (a.31,i embarcaram nj vapor Cruzeiro do Sul; municoes de guerra, vindas do Rio Pardo, cuja ar-
o corpo da Baha (29) e o de voluuarios do Rio lunaria se compoe de seis obuzes e tres pegas raa-
de Janeiro embarcaram no Oyapock ; e S. M. o das.
Imperador com o sea euado-raalor no vapor San o coronel Fontal levoa em sua brigada tres pe-
la lana. cas tambem raiadas guarnecidas pelo 4 batalbo
Estes tres vapores assim carregados largaram- de arlilharia a p.
se do porto do Rio de Janeiro ao meio da. No da 10 pelas 5 horas da tarde chegou a esta
us vasos surtos no porto, lano uaciooaes, como cidade S. A. o conde d'Eu, e no da 12 itere seguir
esirangeiros, achavam-se lodos embanderados, a encontrar S. M. o Imperador,
salvando os de guerra, aa oerasio de passar o em Como se falla e se exagera, diz 7 Pueblo,o ex,
que ia i. M. bem como as fortalezas. cellente armamento que tem o exercito paraguayo"
Os vapores da companhia Ferry e outros mui- tratamos de averiguar a qualidade das armas,
tos que servem "para transporta* da cidade de Ni- que tioha a columna par?guaya derrotada em
theroy, Bota fogo ele raziara cortejo, crusando se Ytay.
na bahia, lodos aplnbado* Je pavo, que dava fre- Tolas ellas eram de pessitna qualidade, e de pe-
netieos eenthusiasticos vivas ao Imperador. derneiras as espingardas.
A corveta vapor P^rtugueza Estephauia aeom-
panhoa os tres vapores al o porto de Sania Ca-
thariua.
Ao porto desta cidade chegamos no da 12 ; e
CODO nao era possivel effectuar-se o desembarque
da tropa, por seren os >is primeiros vapores de
grande lote, e deraandim rauita agua, por isso
J vamos vendo melhor as cousas.
Depois que desceu a nossa esquadra, a paraguaya
passou a occupar o porto de Bella-Vista, em nume-
ro de 20 navios a vapor e a vela, grande numero de
chatas e candas capazes de transportar cincoenta
iiuiiiiiM
Os paraguayos continuavam a fortificar a bar-
que fiearam ancorados bem distantes da cidade, ranea de Cuevas, e neste lugar tinham 200 carre-
foram os batalhoes que se achavam a bordo do 'as puxadas a bois e cavallos.
C'i -as'ro do Su/transporiados para o Santa Mara, Segundo um paraguayo que cabio prisioneiro
em cujo bordo anda se achava S. M. e este com dos alliados, sabe-se que o general Robles voltou a
a ua presenca dirigi o desembarque para as occupar o mando do exercito paraguayo, que de-
falas, na manhaa do dia 13, que foi assim mais Sla a provincia de Corrientes pelo Paran,
pronipto, do que devena S. Mageslade digoou-ie convidar a offlcialidade TJH POUCO DE il'HO.
uesie baUiho para bnedo do Santa Mara almo- Em um dos nossos tribunaes correccionaes foi
gar com o mesmo augusto senhor. ha dias interrogado um individuo, que nao passan
Os offlciaes do 30 e 31 licaram reservados para, do de urna ora//ia, se intitulava no entretanto de
a segunda mesa. pncoo, ostentando cores variadas e mil castellos
O vapor Oyapock c a-ervm-ie em distancia, dourados.
Interrogado.Urna sciencia que serve para o
grego.
Juiz.Onde estudou engenharia?
nlerregado.Na Praia Vermelha e na Escola
Central.
Juiz.O que estudou ahi ?
Interrogado.Latim, francez, arithmetica, geo-
metra, geoeraphia, historia e pbysiologia.
Juiz.O que entende por francez ?
Interrogado.Urna sciencia que ensina a escre-
ver e fallar francez.
Juiz.O que entende por arithmetica?
Interrogado.Urna sciencia que serve para se
formar qualquer conta.
A pessoa que nos fornece este specimen addiciO-
na, que nao se diga serem asneiras estas resposlas
do homem formado na Praia Vermelha, sem duvi-
da no palacio feito pelo Jos Clemente cusa da
misericordia.
na manos que nao tem melhores ttulos e gosam
melhores vantagens I
As referidas respostas fazem-me lembrar a de
um estudante de geographia, a quero pergu atando
o professor quaes eram as prodceles da Italia,
respondeu elle que, entre outras muitas cousas,
que enumerou, os chapeos de palhiolia e os bons
cantores.
E diga se que o mundo nao marcha 1
Pelletan tem razo.
A ESCRAVA.
Eu sou leprosa estendida
as lageas de fro chao :
Ninguem que passa-esse corpo
Levanta me dando a mo :
E antes me cravam todos
Espinhos no corarjao.
Choro... .Mas minhas lagrimas
Caiem geladas no chao :
Ellasmalditasnao fazem
Pulsar nenhum roracao,
Nem tristes se quer despertara
Sorrisos de compaixo I
Nos cardos d'um mundo egoista
Meus lindos ps eu sangrei :
Co' as bagas d'um pranlo intenso
O p da trra eu banhei;
Aos talegos do agro supplicio
Eu quasi... quasi expirei I
E foi assim... Certo dia
Ao trunco d'arv're me ataram...
Nao sei o mais; sOdespena
Vi que meus filhos choravaro,
Qae minhas formas esbeltas
Os ventos livres beijavam...
E sou mulber... E consagro
Intimo culto ao pudor :
E' o meu talismn divino,
E o meu thesouro de amor :
E' o astro da minha vida,
Da minha existencia a flor.
Entanto, cus, que sonhoras
Sem alma, e sem coracao,
Sacerdotisas infames
Da vil prostituicao,
Queimam incensos constante
as aras da corrupQo.
E ellas lancam-me um riso
Irnico sempreao revez :
Ellas que ao ouro, e ao goso
Dobram a cerviz tanta vez...
E o mundo todo se curva
P'ra assim lhe beijar os ps I
Tu s escrava... Alta noute
Diz-me-o a mesma solido,
E diz-me-o mocho em seu canto
Que enluta-me o coraco ;
E' voz do inferno que eu ouco
Dos ares na alta amplido.
E sou bella... E' minha alma
Sacrario s deaffeices...
S com o olhar eu domino
As turbas e as muliiddes;
Ellescaptivam-me o corpo,
E eucapiivo os coraces
Transcrevemos do Pai'z o seguinte :
A POLTICA, A LAVOURA, K OS BANCOS HYPOTHE-
CARIOS.
Quando nos lembraraos, que as nossas notabili-
dades polticas, sao levadas quasi sempre ao fasti-
gio do poder pelo auxilio e sacrificios mmediatos
dos Srs. lavradores, e que a nossa lavoura jaz em
perfeito estado de decadencia, e que nenhum fa-
vor um recebido dos poderes do estado, irritamo-
nos com um tal estado de cousas.
Entretanto, coohecemos lavradores carregalos
de familia a quem os joros excessivos tero levado
a pobresa.
E o que se tem feito a bem da lavoura ?
Creio que cousa nenhuma
E' do Sr. Santos Carvalho este escripto.
PHASBS DA LIA DE MEL.
Um homem v ama mulher, a mulher perce-
be-o.
Ha um choque elctrico no moral dos dous, e na
imaginaeao d'um tica desde logo o outro retrata-
do com mais perfeico que pelo systema de Da-
guetre.
O homem adormece naquella noile pensando na
mulher: a mulher adormece pensando no hornera
e acordara, pensando um no outro.
No dia seguinte o hornera levantase, esmera-se
o mais possivel no vestuario, olha-se repelidas ve-
Tomamos nota, e tica-nos bem em memoria-o j f ^ao esPel0 e "H conUando ao feliz acaso a re-
facidas assemblas pruvinciaes, que, podando
prestar um bom servido a lavoura, recusaran, ou
FDLHETIM
0 DEMONIO DO JOGO
POR
HENftlftE CONSCIENCE.
I
(Contlnuaco.)
Nesse momento appareceu a' porta da sala om
homem entrado em annos. Espessos bigodes som-
breavam-llie os labios e desc a-lhe at ao peito |
comprida barba ponteaguda. Havia nao sei o que
grave, severo, na sua respeitavel physionoraia e
mesmo no seu trajar ; porque, ainda que se enxer-
gava sobre o peito o ouro do seu perpom, todo o
seu corpo eslava envolto em ampia vestidura cuja
cor escura era/ealoada por forros brancos como a
nev.
Bons dias, Mara, disse dirigindo-se para a
donzella.
A beoo de Deus o acompanhe, meu querido
pai; venha ver como esta' azul o co e como lado
brilha aos raios do soi.
Bonito tempo; parece qae estamos no meio
do mez de maio.
H je vespera de maio, meu pai.
E Clin jovial sorriso puchou seu pai para a ja-
nella, e apootaodo para o co :
1 0 vento virou, disse ella ; esta' do lado de
Inglaterra. _______
' E' verdade, desde hontem esta' do sudeste.
Melhor I os navios qae nao tem podido sabir
do mar podero entrar no Escalda com a mar de
boje on manhaa. i
E esperas, murmurou Van de Werve, aba-
nando a cabeca, que a galera 11 Sakulore, que traz
d3 Lucca o velho signor Deodati, sera' um desses
navios ?
Tenso pedido mnilo a Deus este vento favo-
ravel. Dou gracas ao Senhor pela sua misericor-
dia; a minha suppilca foi ouvida I
Van de Werve fitou os oinos no pavimento com
ares de rouito preorcupado, como se as palavras
de sua filha houvessera produzido nelle ama im-
presso desagradavel.
Mana com gesto carinhoso deitou-lhe uro braco
sobre o hombro e disse :
Meu querido pai, outra vez triste I OJhe que
me tinha promettido esperar sereno e tranquillo a
ebegada do signor Deodati.
E' verdade, filha, mas agora que vem che-
gando o momento de urna deciso, sinto o animo
em extremo inquieto. Somos de Ilustre sangue,
Mara, e devemos pela pompa exterior e por eran
de desenvolvimento de fausto ir de concert com o
esplendor e gloria da nossa raga. O signor Ger-
nimo que pareces amar mais do que a qualquer ou-
tro, vive aqu muito econmicamente ; veste com
extremada simplicidade, e furta se a todas as des-
pezas que, como provas de riqueza e de generosi-
dade cavalheirosa, realcam um homem aos olhos d
mundo, (sto faz-rae recear que seu to seja de
poucos teres ou grande avarento.
Mas, perdo, mea pai, o signor Deodati de
Lucca em extremo rico e de alta nobreza, disse
Maria com tristeza. O banqueiro Marco Rieeardi
nio lhe deu ja' sobre isso satisfactorias informa-
$5es 7
E se. for avarento, Mara, acceiiara' as con-
dicoes qae quero impor-lhe ? O qae devo pedir-lhe
antes quizeram maior a nica medida protectora,
e de grande alcanceproposta pelo Sr. Dr. Mar-
ques Rodrigues ha annos, a ltimamente, era urna
das sessoes passadas pelo Sr. Sergio Vieira, tendo
por lim fazer um emprestimo a lavoura.
Jalgamos conven ente, que os Srs. lavradores
agradecam aos membros de taes assemblas, a fi-
neza que lhe Qzeram, negando este pequeo favor
a lavoura de sua provincia, qae apenas lhe pedia
um abono ou garanta, nico onus que exiga.
Mas, recorrei aos ornamentos da provincia, e
veris quanto dinheiro gasto em pura perda, para
satisfazer a cebica, muitas vezes de especuladores
polticos I...
Nutrimos os melhores desejos pela prosperidade
de nossa lavoura, porque reconhecemos ser a ni-
ca fonie de nossa futura riqueza ; por Isso mesmo
vamos mostrar, que seria fcil a execugao de tal
medidaque era fazer a provincia um emprestimo
de 400:0004000, garanlindo-lhe a lavoura, segun-
do o projecto, aquelle capital ; acrescendo malsi
que esta lhe pagana com usura esta favor, pelo
augmento immediato de sua produego.
Dizemos mais, que quando a asserabla hesitava
ou negava seroelhaute emprestimo sobre hypothe-
ca, qaalquercasa commercial desta praca, faz adi-
aniamentos, de quantias nao pequeas aos seas
comraitlenles, apenas por urna simples carta de
ordew, cujas importancias vo os lavradores pa-
gando com o producto de suas colbeitas.
E que sao essas casas seno especies de bancos
hypothecarios ; mas que convem sejam substitui-
dos, poresses bancos, porque estes estabeleci mea-
tos estaro sempre collocados em posgo de poder,
sem prejaizo, favorecer a' lavoura exigindo meooj
premio do que os particulares.
Mas, os lavradores sao em parte os colpados das
njustigas, que se Ihes tem feito, porque, formando
urna classe to importante a distincta na provincia,
anda se nao compenetraran) da disposfcao, qae
justamente devera occupar na sociedade.
Voltemos a qaesto do emprestimo.
Suppomos nao exagerar, se avaliarmos o capital
empregado em nossa lavoura na provinciaem es
cravos, trras e accessorios, na importancia de ris
4,000.000$. Entretanto a assembla provincial ne-
gou-lhe um emprestimo oe 400:0005, offerecendo-
Ihe ella garantas mais que sufflcientes, pela forma
porque era concebido o projecto de que cima fal-
lamos.
Pois bem, Srs. lavradores, acho justo que conti
nueis a sacrificar as vossas fortunas a favor de se-
melhanle poltica ; indnzl mesmo o pequeo pro-
pietario, e pobres lavradores a deixarem as vezes
os seus servicos para rem a urna eleigo, com pre
juizo de sua roga, e arriscando-se a ficar sem fari-
appanco da mulher, que lhe preodeu a altengo.
A mulher por sua parte faz o mesmo, e dirgese
janella confiando ao acaso tambem a opporluo
dade de ver o homem que a impressionou.
Vem-se I
O embale forte, rapidissimo como o raio.
A mulher cora e baixa um poucu o olhar; o ho-
mem faz o mesmo e continua o caminho a passos
lentos.
Passado o momento supremo a mulher olha-o pe-
las costas, e escarnece a si propria, por nao ter
lido sangue fro para encarar o homem que a mag-
netisa.
O homem volla a cara (como que naturalmente)
para de longe observa-la, e sent por si o mesmo
que ella, islo : rancor de si mesmo por nao ter
fizado o sol que lhe brilhou.
Ambos no seu pensamento juram ter mais cora-
gera para i segunda occasio.
A mulher procura niciar-se nos mysterlos da
vida do homem da mulher, islo : se rica, se
nao ama outro homem, se filha de boa familia'
etc., etc.
Se ella tem on nao inteligencia e virtudes, isso
tica para secundarias investlgagoes.
Raa o ouiro dia.
Est a mulher na janella, expondo aos raios de
um sol vivificanle a sua pura e clara epyderme, o
hornera j vai passando, encontrara se os olhares,
este levaa mo altura da testa e consegueapaoljar
a aba do chapeo para cumprimentarurna mulher
com quera nunca leve a menor relago.
Se o cumpnmeoto ou nao correspondido nao
o sabe elle porque nao se atraveu mais a olhar a
iiisa, erabaragado pela teirivei conjeclura :
Quera sabe se ella nao faz caso de mim 7
A mulher pelo contrario, desde esse momento,
gaoha a couvieg^o de que amada, pode sem sus
lo jurar sobre Urnas Horas que aquelle senhor lhe
arrasta a aza.
O hoinom trava conhecimento com*o rooleque ou
mucama, criada ou coznbeira da mulher adorada,
e, por inlerveugo d'um Oestes demonios familia-
res, flea ao facto do genio d'ella, isto se ella se
zanga ou nao com a reeepcao d'uraa carta.
As nogoes colindas do um bom e favoravel re-
sultado.
Vai niii'ii a carta. ,
Do seu contedo j se pode fazer urna idea :
o romance de lodosos dias, sempre as mesmas nibi-
lidades apresentadas por cores diversas por versos
ovidlanos, ou por prosa ma, rasteira refractaria
mais insignificante iei da grammatica e da oriho-
graphia I
A mulher receh caria e se o novo pars leve
a felicidade de ler muito romances, se os seus es-
criptos se resentem dessas continuas leturasa
mulher tica captiva por esse homem, julgando-o
ludagam mutuamente o lugar onde se podero
ver mais vuutade; a menina responde que vai
ao thealro, e o homem, a despeito do seu estado
de flnancas (s vezes) tem da gastar o dinheiro que
se da em troca d'um hilhete de platea e fazer da
arte dramtica o sea pao de cabellara, como se diz
em giria de namorados.
No theatro ja se sabe quaes as scenas que sa
do.
Se a protogonista do drama ama mulher qae
ama muito, a menina olha para o amante e para a
actriz, e aqueile olhar vale urna carta bem extensa.
Se o prologonista um Raphael de DitUer ou um
Andre Rosnen, o hornera olha para o actor e para
a menina do camarote, e na sua tacita linguagem
diz-lbe :
E' assim o amor que te consagro I
No fira do espectculo o homem corre porta
do theatro e espera que a menina saia com a fa-
milia ; ali os dous olham filamente, trocara um
olhar temo acompanhado com um clandestino
apena de mo e murmaram um fervoroso, mas
breveaicus -que o papai nao pode escatar.
Ambos n'aquefla noite beijtm as proprias mos
pensando com sigo :
Esta mo apertou a sua linda mSu I
E dormero naquella noite mais contentezinhos
do qae um desempregado publico, quando recebe a
noticia de ter obtido um emprego na secretaria do
estado.
nha oara comer: exerce o vosso poder sobre esses ... .
un !>" "*""" =**' "' eolao um Tasso cahido das nuvens por descuido.
simples trabalhadores de nosso paz, que a poltica1
lem tornado ociosos e vadlos, e calculai os sacrifi"
cios que com isso tendes feito.
Levado por verdadelro patriotismo desejava, cur.
vando os joelhos perante o nosso monartha, a quem
adoramos, por ver nelle o primeiro brasileiro, com0
j o tem provado, mostrando os desejos pelo futuro
engrandecimento e bem estar do paz, pondo se a
testa de lodos os melhoramentos materiaes.
Foi elle quem inaogurou a primeira estrada de
ferro do Brasil, animando o seu emprezario, e dan-
do-lhe immediatamente o titulo deBaro de Mau i
e posteriormente, a de Unio e Industria e outras,
e ltimamente visitando por vezes-''os trabalhos da
estrada de ferro Pedro II, descendo a seus tunis,
talvez com perigo de vida.
Dizemos, portaoto, que o nosso rnonarcha qua|
Frederico da Prussia, que tanto fez a beneficio da
agricultura, nanea deixou de lhe prestar a sua al-
tengo, recomraecdando ha muitos annos, em te-
das as suas fallas a assembla geral, a reforma da
A mulher l as cartas do amante, tica abrasada
porque (como todas as mulheres) gosla dos elogios
que se fazera merecida i>u inmerecidamente, dos
seus dotes pliysicos e moraes, e uina primeira car-
ta amorosa nao mais que urna relago de bmi-
tos predicados que o homem v ou julga ver na
mulher que ama.
A vaidade feminlna alentada por meia duza
de palavras lisongeiras, e responde n'uma primeira
caria :
Eu te amo !
O homem recebe a carta e bate palmas.
Julga-se um rei pequeo, fica to cheio do no
me, dos affectos e das ragas de sua amada, que se
descuida muitas vezes das necessidades materiaes
e aborrece a vida.
A mulher por sua vez tambem muda completa*
mente; esquece-se do seu crochet era principio, es-
quece-se do cachenez, que esta fazendo para ver se
ha semelhanga entre si, e um retrato de Miss Laun
de lord Byron, e se folheia o Jornal das familias
s cora o filo de ver aiguma poesa, algum romn-
que renuncie a urna parte consideravel da sua
fortuna em favor da seu sobrinho Gernimo. Se a
tua mo fosse regeilada por urna questo de di-
nheiro, nao Picana aggravada a tua dignidade, Ma-
ra, e leus irmos nao fariam por vingar-te 7 De-
me que consagrasses to irrevogavelmente os teus
affectos ao signor Gernimo, podendo escolber en-
tre muitos outros mais ricos e de mais eonsidera-
co. O cabega da poderosa casa dos Buonvisi
tinha muito mais direito a' minha sympatbia e a'
tua...
Sirao Turch t disse a donzella suspirando,
e descabindo-lhe com desanimo a cabega sobre o
peito.
Esse pobre signor Turchl, tomou o pai, o que
qua nao tem feito, ha tres aunos, para provar-te
o seu o seu amor cavalheiroso 7 Festas, banquetes,
concertos, passeios em gndola sobre o Escalda,
nada lhe lem esquecido, e para agradar-te tem sa-
crificado montes de ouro. Houve tempo em que o
vias com bons olhos, Mara. Mas desde qae foi
accommeltido de noite na ra por assassinos des-
conhecldos, e lhe fizeram no rosto aquella frula
fatal, mudou muito para ti. Era lugar de grata,
mostraste to mal disposta contra esse bom
mogo qae esloa quasi a acreditar que lhe teas
odio.
Odio ao signor Turchi I exclamou a donzella
como aterrada por essa aecusago; nao crea em
tal, meu querido pai.
E' um cavalleiro de boa presenca e respeita-
vel, minha filha.
E' verdade, roen pai; ha muito tempo que
amigo intimo do signor Gernimo.
Van de Werve pegou na mao de soa Olha e dis-
se com meiguice:
Gernimo talvez mais bello para as mu-
lheres ; mas a sua sorte depende da bondade de
seu lio; mogo, inexperiente, e nao tem nada que
seu seja. O signor Turchi pela contrario rico e
estimado de todos, como socio e administrador da
celebre casa de commercio dos Buonvisi. Medita
mais a tua escolba, Mara, satisfaz os desejos de
teus irmos e os meus: ainda tempo.
Brilharam lagrimas nos olhos da virgem : com-
ludo respondeu com doce resignago :
Meu pai, sou sua humilde serva. Ordene :
obedecerei sem murmurar, e humilde beijarei a
mo veneranda qua me impe um doloroso sacrifi-
cio... Mas Geronymo, o pobre Geronymo.
A estas palavras sentio suecumbir a sua ener-
ga ; levou as moos aos olhos solugando, e no pa-
vimento de marmore cabiram lagrimas como pero-
las fulgentes.
Por alguns instantes o senhor Van de Werve
con emplou sua filha com d crescente; depois,
vencido pela vista da sua dor, apertou-lhe com ter-
nura a mo, dizendo:
V, minha boa Mara, nao chores mais. Ve-
remos qual ser a resposta do signor Deodati quan-
do eu formular as minhas coodiges. Geronymo
de alto na sei ment ; se seu tio consentir ero dola-
o com urna fortuna sufficienle, faga-se a tua von-
'ade.
Meu pai bem amado, disse a virgem sem dar
tregoas s lagrimas, isso depende da sua maior ou
menor condescendencia. Se pedir ao signor Deodati
cousas impossiveis...
. Nao, filha, descansa, aialbou-a o senhor Van
de Werve ; farei por comprir o mea dever como
pai, e ao mesmo lempo por alcangar tudo o que fr
possivel para le por a salvo de novas magoas. Ago-
ra ticas satisfeita ?
Maria abragoa em silencio seu pai, e havia em
seu olhar to ardenta reconhec ment que o senhor
Van de Werne sentio-se comraovido e murmurou
sorrindo.
Lisonge;ra I quem poderla negar-te aiguma
cousa? A vida, a experiencia, a prudencia, tudo
deve curvar-se a um olhar teu. Disfarga a tua
commogao, ouco alguera no vestbulo.
Um criado abri a porta e disse, introdazindo
am homem:
O signor Gernimo.
O joven fidalgo que appareceu na sala fazia-se
notavel pela sua estatura esbelta, e pela graciosa
elegancia das suas maneiras e gestos. as faces e
na fronte transluzia-lhe a leve e transparente gra-
dago de trigueo que tanto realga a belleza viril
do rosto ero certas nagoes do sul. A barba de an-
nos verdes, os cabellos de azeviche que lhe desca-
biam das fonles, e o fogo que sciotillava nos olhos
pretos, davam-lhe ao rosto nma gravidade singular,
ao passo que um sorriso sereno e nSo sei o qae de
meditativo em todas as feiges testemunbavam alta
bondade de alma.
Posto que logo que entrou na sala procurasse dar
ao rosto a serenidade da alegra, nao pode evitar
urna expresso de tristeza que nao escapou i ob-
servago de Maria.
O trajar de Gernimo era simples, comparado
com o rico vestuario dos outros nobres Italianos,
seus compatriotas. Tinha nm chapeo de feltro coro
urna pluma pendente, urna capa a hespanhola, nm
perpom de panno ingles forrado de preto, calges
de setim roxo e botas pardas. S a espada que
sobresahia no trajo modesto pelo puoho brilbante,
Se a mulher nunca len, l agora Paulo t Virgi-
nia, de Bernardin de Saint Pierre, D. Branca, de
Garret, as Meditares e o D. Juan, de lord Byron.
O hornera v na mulher amada urna LoMro, urna
Ignez de Castro, nma Heloise e em cada arroio
urna Fonte Voclouse, urna tonte de Lagrimas; a
mulher v no hornero querido um Petrarca, um
Pedro, um Aballar, um Tasso I
A correspondencia vai adianUda, tem-se repeti-
do sempre os mesmos protestos de felicidade, os
mesmos juramentos de constancia no mundo, e at
mesmoa/n da campa fra 1
Falla se finalmente no casamenio I
O hornera v a sua posgo (ou a da mulher),
calcula se pode amar (ou deixa de calcular) e pe-
de a menina a sua mo d'esposa, e a menina res-
ponde :
Pega a papai.
Isto o que mais difflcil.
Principia o hornero a tomar conbecimento com o
futuro sogro.
Se elle negociante, compra-lhe algumas fazen-
das, e d-lhe mais trella do que qualquer freguez
vulgar; se elle artistaencommenda-lhe aiguma
obra, mostra-se enihusiasta por elle e pela sua ar-
te, offerece-ihe a sua amizade, e a' forga de muitas
delicadezas e atieogdes, o bom velho abraga um
hornero, que tem mais larde de lhe empoigar a
filha.
Cresce a intimidade : o pai de familia abre-se
com o pretend*nle, patenteia-lhe os segredos de
sua vida, e este ultimo fa-lo entrar tambem nos
mysterios da sua existencia ( menos o que diz res-
pe no as suas privagoes).
O velho convida o moco para jantar e apresen-
-a-lhe sua filha, este ultimo acceita o convite com
alvorogo, e na sua apresentago trata a menina,
como vulgarmente se trata a urna senhora que ve-
mos pela primeira vez.
Succedem-se visitas aps visitas.
O mogo ja' vai ao theatro e ao passeio com a fa-
milia, ja' fica com a menina a sos na sala das visi-
tas; emfim ja' e t'atado como amigo velho.
Principia a moga a afectar tristeza.
O pai interroga a tilha, esta oceulta o mysterio e
chora de continuo; o velho scsma com a Mindan-
ga, porque v o seu amigo andar triste tambem ;
pede lhe a conta dos seus cuidados, e o moco inci-
tado pelos conselhos e ola enffoatre pelo da deusa
faz ver ao pai d'ella a paixo qae os dev r...
Ultima phase.
Se o pai nao consenle, aitento a' posgo do mo-
go ou a qualquer outro prejuizo, principiam as
scenas trgicas, as inspiragoes suicidas; principia
emfim o tneina dos milhares de dramas e roman-
ces, e ento o desidertum de tudo isto fica ao cui-
dado dos annos 1
Se os pais consentem na unio conjugal, os
amantes do parabens a' sua fortuna, e por fin,
n'um bello dia, o ministro de Dos, voslido de so-
brepelliz e estola, pde um termo s alternativas da
la de mel, isto com as sacramentaes palavras:
Ego te conjungo in nomine Patris el Filii el Spi-
rtus Sanctt, quo traduzido phlosophicamente quer
dizer :
A sociedade d-vos o pleno direito de chorar ou
rir a vonlade I
e attestava, pelas armas que nelle havia gravadas,
que elle perleucia a urna familia nobre.
A paz seja nesta casa I disse elle ao entrar.
Inclinou-se profundamente diante de Van de
Werve, e murmurou urna respeilosa saudago;
mas os sigoaes de dor qae dlvisou no rosto de Ma-
na fizerara-lhe tal impresso que deu treguas s
ceremonias para litar na donzella olhos investiga-
dores. Nos olhos de Maria lagrimas, e comtudo el-
la sorria se alegre fora.
Mara singularmente impressionavel por
sua natureza, signor Gernimo, disse Van Werve.
Eslava a fallar-me em sua boa mai de saudosa me-
moria, e chorou. Agora que o senhor apparece, ve-
ja como sorri. Parece que nenhuma magoa ajaf-
flige.
fc.na nSo espern o lim da explicacao; antes qae
sea pai dissesse mais aiguma cousa, levou o sea
bem amado janella e disse lhe, apootado para
urna grimpa:
Olbe, Gernimo, o vento est do oeste.
J o sei desde a noute passada, Maria, res-
pondeu o mancebo com uro suspiro involuntario.
Mas alegre-se; seu lio pode ebegar ainda bo-
je vista da cidade.
Nao o creio; comlndo possivel, disse elle
com tom triste.
Com que frieza diz isso, Gernimo I disse Ma-
na admirada; que nuvera essa que lhe escarece
a alma 7
E' verdade, signor, observon o pal; eston a
notar lhe nao sei o que extraordinario. Parece-me
muo triste. Porventara receberia mas novas de
sen to7 (Conttnuar-seha.)
PERNAMBCO-.'nP. DE M. F. DE F. d FILHO
.#

I ^b. m
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESYYO6ATK_XFN07Z INGEST_TIME 2013-08-27T20:59:42Z PACKAGE AA00011611_10775
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES