Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10774


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
.
AJfiyo m mimo m
P*r qwrtel pago dentro de 10 di d l,8 mez ; i jm/joo
dem depeis dos l.M 10 das do coioeco e dentro do qnartel. finno
Porte o corre/e per tres ees ,.......,..' i ". 750
SEXTA FEIRA 22 DE SETEMBRO D
Por anuo |>ago dentro de 10 dias do l.8 mez ,,,.,. 491009
Porte ao correio porom auno. f ,......'. S00Q
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alezandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqoim Marques Ro-
drigues; Har, os Srs. Gualdo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos Marlins Alvesj Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e esracoes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altioho, Garanbuns, Buique, 8. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaratti, as tercas
feiras.
Serinhem, Rio Pormoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
quartas e sabbadas a 1
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Tribunal do eommercio: segundas e quinta.
Hebro : tercas e sbados as 10 horas.
FazeDda : quintas s 10 horas.
Juizo do eommercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do ciyel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
S La ebeia as 11 h., 32 m. e 1 a. da ni.
|12 Quarlo roing. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
119 La nova as 8 h., 26 m. e 10 s. da t.
128 Qnarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Jos de Cupertin f.
19. Terga. S. Jawjario b. m..; S Ni lo b. m.
20. Quarta. S. Eoslaquio m.; S. Prisco ni.
21. Quinta. S. Mathetis ap.; s. Joas prof.
22. Sexta. S. Mauricio m.; S. Santioo b.
23. Saobado. S. Lino p. m.; S. Tecla v m
24. Domingo. S. Tyrso ro.; S. Geraldo h. id.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira a 6 horas e 5 m. da manha.
Segunda as 6 horas e 30 inmotos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTOSOS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o noria
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo,.malo,
julho, setembro c novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livrarfe da praca da lndependeata
ns. 6 e 8, dos proprielarios Manoel Figneiroa d*
Faria & Filho. *
PiRTS OFFICIAL
COMANDO DAS ARMAS.
Qnartel general do coinraaudo das armas de Per-
iiambuco na citlade do Itecife, 20 de setembro
de 1863.
Ordem dia n. Ho.
O meiechai de campo commandante das armas,
tem > em considerago o que Ihe expoz em offlcio
de 16 do correte, sob o n. 11, o Sr. teaente-coro-
nel commandante do 3 corpo de voluntarios da pa-
tria, determina que a forga do mesrao corpo ora
existente, seja dividida emqualrocompanhias, para
que o servigoda escriplurago e mesmooda fiscali-
sago do corpo, se torneen regularos, devendo o
referido Sr. tenentecoronel dividir pelas ditas com-
panliias os Srs. offlciaes que presentemente ser-
vem em commissao noraeados pela presidencia.
O mesmo marechal de campa declara para os
fins convenientes, que nesla data, nos termos da
imperial proviso de 11 de Janeiro de 1863, con-
tri! m para servir na qualidade de meslre da mu-
sica do 3* corpo de voluntarlos da patria, o msico
paisano Manoel Evangelista Correa, o qual servir
emquanto durar a guerra contra a repblica de
Paraguay, e p:>rcebera por sobre as vautageos que
Ihe competirem segundo as disposicoes vigentes,
aquellas que Ihe confere o decreto n. 3,371 de 7 de
Janeiro do correte anno.
(Assinado.)Frannsco Sergio de Oliveira.
Est conforme.Antonio Francisco Uuarte, 2*
teuente-aiudaote de ordens interino encarregado
do detalhe.
21 -
Ordem do da n. 116.
O marechal de campos commandante das armas,
lendo em vista cessar os abusos e mesmo crimes
que tem apparecido, pela falla de seguranga dos
presos militares, determina aos Srs. comiuandau-
tes dos corpos e fortalezas em qualqoer estabeleci-
meoto de deleocao militar, a estricta observancia
das segu ntes disposicao.
1. Que nenhum preso ou sentenciado saia de
suas prisoes, se nao por ordem da autondade com-
petente, sob cujas ordens elles estiverem, ou ento
para os servigos que Ihe forem designados em con-
sequencia de ordem superior.
2. Qoe quando algum tiver de sahir da priso,
seja escoltado pordous guardas, sendo previamente
nomeado um, como responsavel. nao conseotindo
que elle se embriague; e nem to pouco sob pre-
texto algum Ihe permita entrar em lojas tabernas
e casas particulares.
3. Que a distancia dos guardas ao preso nao se-
ja maior de dous passos, para qualquer lugar que
4iver de ir.
4." Que os sentenciados ferropeados sejam revis-
tados examinando se as chavetas e correntes sem-
pre em presenta da escolta, pelo commandante da
guarda, tanto na occasio de sahirem, como na de
se recolberem.
3." Que lodos os dias se revistam as pris5es e
caixas ah existentes, urna ou mais vezes, toman-
do-se todos os instrumentos perforantes eontuden-
tes e corlantes, que sob qualquer prelexlo se en-
contrar.
6.* Finalmente, que se conservem as prisoes no
melhor estade de asseio, nao se consentindo que
se faga comida dentro dellas, ainda mesmo em fo-
gareiros. Que ellas sejam caiadas de 6 em 6 me-
zes ; as camas lavadas, preferiodo-se para isso a
agua salgada, que os vasos de limpeza se lavem a
E vos, caros patricios, a quem adornam as i te, 24 anuos, solleira, Boa-Vista, tubrculos pul
vestes de hornero, deixareis de acompanhar, como' monares.
voluntarios da patria, a vossa joven patricia que Luiza Francisca do Nascimento, Pernambuco, 30 stente
varonilmente vos vero convidar como voluntaria annos, solteira, Boa- vista, diarrha. %
da patria ? Nao cortamente : nao devo suppr em i Anna Joaquina da Cooceigo, Pernambuco, 4a au-
vos tanto desanimo, tanta falta de patriotismo t nos, viuva, Santo Antonio, febre perniciosa.
Eia I varaos, vamos para o Paraguay ; vamos: Antonio, Pernambuco, 5 mezes, Recife, dentro.!
unir-nos aosnossos compatriotas que ali nos espe- Amelia, Pernambuco, 5 dias, Boa-Vista, espasmo,
vamos unir as nossas s suas vozes, e com | Pedro, Pernambuco, 4 mezes, Santo Antonio, es-
0 Exm. Sr. presidente deu provimenlo.
mais podendo tratar-se o Exm. Sr. presi
eacerrou a sesso a meta hora depois do
meto-dia. ^
elles cantar os hynioos em louvor da victeria, que i
acabara de alcancar contra estes selvagens, que
tantos insultos e roobos tem praticado, que tanto
tem injuriado a patria coramum I
O nosso excelso monarcha o Sr. D. Pedro II,
despregando-se das delicias da corte, seguindo pa-1
ra o campo da honra, nao fez um appello a todos
os Brasileiros T
< Cortamente que >m.
Elle disse : Eu ca' vou e vos deveis se-
guirme.
E o que fazemos, raeus charos patricios r
Reuni-vos, vinde alistar-vos; marchemos I
< O amor da patria esta' cima de tudo ;
exige de nos esse dever.
A oossa honra esta' erapenhada, preciso que
a resgatemos !
Mocidade briosa, herdeira de hroes Pernam- denle '
bucados, segui o exemplo desta joven, vossa patri-!
cia, que ora vos falla ; nao hesitis um so mo-
mento. Segui-me, vamos acabor para sempre o
poder do brbaro despota do Paraguay, inimigo da
pasmo.
Juvencio, Pernambuco,
tigo.
2 annos, Boa-Vista, den-
- CIIKOMCA JUDICIAitl.l
SESttO EXTRAORDINARIA AOS 9 DE AGOSTO
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
a V***^5 os srs- Gustavo do Reg, Santos, Silva
do Brasil, e Dr. Villas Boas, abre se a sesso e lida
e approvada a acta da antecedente.
.. Jfropareceu o Sr. vereador supplente Joaquim
JAlniolM Pinto,que fra chamada na sesso de
19 de julho passado, prestou juramento, e tomou
assento. .
Leu-se
ella
TRIBUNAL 1>0 COJMEBCIO i^u-se o egu
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 18 DE i expediente.
SETEMBRO DE 1865. | m oBcio do Dr. cnefe de polica, Eduardo Pin-
presidencia do exm. sit. desemiurgadoh dahyba de Mattos, communicando ter em Io do
.r> l ANSKLM0 francisco pbrbtti. | correme,,as:,umido o exerclcio do mesmo cargo,
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs. para o qual fra removido por decreto de 30 de
aepmados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda junho ultimo, e que no desempenbo das fuocges
\ Leal, o Exm. Sr. presidente declarou aberta a ses- do dito cargo seria prompto em salisfazer a todas
ias reclainagoes da cmara, a quem apresentava a
foi approvada a acta da sessao antece- seguranfa da mais perfeita estima e disiincta con-
> sideraco.
.. expediente. Que se respondesse aecusan lo o recebimento do
m onlcio da direcgo da Associago Coromer-; dito oflqio.
cial Ben^licente desta cidade, de 16 do correte, Outro da cmara municipal da villa do Cabo
aftrafifsssssSi i mfi^jzsgzzssx esta md ""e
Ouiro d raesmo, Informando contra o requeri-
mento no qual Eduardo Gadaoth, propoe a cmara
a aesapropnagao do terreno V seu sitio na esquina
aa estrada do- Manguinho para a ra das Crioulas.
na Upuogayqoanto baste para dar a esta a largara
marcada n planta approvada, cedendo elle dito
erreno a raao de dez mil ris ao palmo.-No
tem lugar.
*JLZ. Q"S teDh0 ettcom *- Mguel, pesso
E2S ,nteiramee-'ndiirereuie-que nunca
me otfendeu, e a quero ounca olTeodi t
i.JL ~. nca tive> nao-ienho, ero desejo ter re-
lacaoaiguma com seraelhante hornero.......>
Isio diz-Almeida Guimares-e muilo bem o
diz, porque confirma do modo o mais positivo e so-
Ou^esmo.dizendoqoedirigindo-searua um m SL^JL' J .poMi bar
1m de faer os exames, e me-
organisacaodeorcamentada nhas (Mercantil l de agosto) ero
do Hospicio, para o Hm de fa1^ o ex me;; e re beiro-o erarSd* **'-****? Jos Ri"
d.?Ses neceseanas a organisaco de orcameolo da L, wCTf.? H,c,a'?to ,esl8m.u-
pontisioha que- da mesma ra d passagem para a Almeida Gu nar5 n^Z^Z^' CT" M,UI
da Aurora, vio-que s urna peqoena parle desta tivenemi careo! ?q^'J8? Bi0-,,v? nunM
poot.s.nha, a que flea no meio por onde passaro as coromisSrm --"' Uo-Miportante
em consequencia de eneon-
1 sao.
un. baro do Rio-Formoso prestado jora-
merguinado n\s ^vaf do" STAlSS I 5" c^^-Co.-Mandou-se acensar a recepcao memo e tomado pos se da adm,o=ao^uJpro.
tismo I T I' X dia io de Julh ulUmo.Ioteirada.
Cumprido, pois, este dever, dever sagrado e h.i. ^*J?I!^M.!I!^r^ .?^,.en*) nesta a.r'EL* Dr;.eDgeni,.e,roJ direc,or^-da rePa"5o
na oas obras publicas, dizendo ser muito prejudicial
ao calgaraenio da cidade o systema usado em mul-
tas casas de despejaiem as aguas das chuvas que
cahem nos tellados, por meio de canos abertos
junto a cornija, nao sendo possivel conservar em
perfeilo eatado o calcamento no lugar onde cahem
as aguas, pede a cmara tome aiguma providencia
sobre isto, visto nao ter aquella repanicao meio
Victorienses, avante, nao vos demoris ; eslou
a' vossa frente, marchemos I
Viva a religiao calholica romana I
t Viva o Sr. D.Pedro II I
Viva a constituicao do imperio !
t Viva o Exm. presidente da provincia !
Vivam os voluntarios da patria I
Marianna Amalia do Reg Brrelo.
Diversas cartas do termo de Cimbres, que
temos sob os olhos, nos pintara as cousas por ali
em grandes vexames sobre a populacho, a propo-
sito de recrutameoto, e de designado na guarda
nacional. As maiores iojustigas vo sendo prati-
cadas; as levas, e designares sement sao feilas
as leiras do partido adverso ao das autoridades e
contra essa desigualdade que nao cessaremos de
reclamar.
_ tres
piadore? de cartas, dous da casa commer-
cial de Joaquim Jos Gonjalves Beltro, e um da
viuva de Manoel Gooc;alva da Silva.
DESPACHOS. .-
No requerimenlo de Arminio Pessoa deAlbu-
e
canoas, havia cahido
tres por ella dados.
Nestas circurostancias parece-me que, em vez de
fazer-se urna nova com maior altura, do que a
actual, ser roals econmico concertar a exigente,
no que nao se poder gastar roais de cem mil
res.
E" esta a saa opinio, que sobroelte a conidera-
cao da cmara, reservando-se para apresentar Da
segrale sesso o ornamento.
Posto em discusso mandou se ordem ao enge-
nheiro para lazer o concert, como indica, dndose
parte ao procurador e contador.
Outro do fiscal dafreguezia de San/o Antonio,
Soares_,......"*'"' -" com o Sr. Miguel
Ora, sendo a jostiflcac> produzida por Almeida
Ouimaraes, sendo testemuoha oBeretlda Miguel
soares com quem Almeida Guimaraesnunca
teve relacao alguraa. quera tena convidado Mi-
guel quera o tena levado a joizotl
Ninguera. Porque Duarle Guiraareso bem c-
nhecido -declara sob sua-hourada palavra-que
elle nao.
Alexandre Josa Ribeiro, esse nao alliciador
de testemunhas. E depeis -tudo- quanlo se pas-
soo entre este e Miguel foi relativo cobranca que
a este fez de orna quanlia, quando Ihe disse apenas
que era dever do homem honradodepor a ver-
sociedade que tinham sob a firma de Armi'oio A
Saraiva.Visla ao Sr. desembargador fiscal.
No de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C,
pedindo que a junta dos correlores attete qual o
cambio desta praca sobre a de Lradres em 27 de
junho do anno prximo passado, e nos dias que
decorreram de 31 de agosto a la de setembro do
crreme.Como requerem.
Cora inforraacao do Sr. desembargador fiscal:
No
constru- achar-se em exercicio do mesrao cargo, em conse- adenc^an Aar,.im.
.......ImmMta h- uu.^. j a.L .__"::. aavoado deGuimaraes nao foi participado
mopodenam saber delle os estranhos III
Continuemos.
Quem teria convidado Miguel Soares
H'e Henrique Xavier de Araujo Saraiva e algum para obrigar aos propnelarios a .
~l2 P,euinao .re8'stro oo papel de dissoluco da rem os canos das aguas de cnuva em toda a altura quencia de ter dado parte de doente o respectivo
dos edificios pur dentro ou por fra das paredes, e i subdelegado.-lnteirado.
abertos .-rnenle ua altura das ras. Outro do fiscal da Boa-Vista, dizendo ter proce-
Posto ero, discusso, resolveu-se responder que dido a um exame na coberla da ribeira da mesma
com quauto a postura de 14 de julho de 1858 s freguezia nos dias 7 e 12 de junho ultimo, com os
obrigu a faz'.-r canos internados as paredes para
dispejo dac aguas pluviaes aquelles que edificaren!
ou reedificaren!, todava a cmara vai tomar em
considerado o pedido do referido director.
Outro do juz de paz, 2o volado, do districto da
communicando que o cano do aqueducto do paleo dde"m"fVvr"ii '"".ZZ7""'"<","-ueifr a vr"
do Carmo arrombou no locar da ra da Pa? devi- TZaZ. "l1 ~lnQocencia perseguida ;Ala-
do lo s aguas fjWSTSiri c" mar c'ue p d dt SSJ2LVVnSl ^S-
v.dencie o seu concert, antes qu, aconteca algum da Silva, m* e8'.Dr M "T, *2?"2
desastre aquelles que por ali. transiiam.-Mandou- SoarJoar^iurar !"^ j^tt^Jte
se ordem ao fiscal para, de aecrdo com o enge- m!uto^^r^lJrj%S?' P T*"
sjusKssse que se communi Jse gS^a^i&Bte^'.ae
Outro do mesmo, pedindo a' cmara que roan-
dasse pagar ao Dr. Joo Nepomuceno Das Fernan-
des a quantia de 6,1000, imporlancia de urna cor-
rida sanitaria a que proceder lio dia 4 do corren-
te.Que se passasse mandado.
Outro do subdelegado 1 supplente da fregnezia
de S. Jos, Joo Pacheco Alves, communicando
justificagao com a testemunha Miguel Soares que
acabava de jurar----que apenas contava com o
depoimenio do negociante Carregal, e de Alexan-
rnumv 'beir-n' qae Bi0~"8,Na mesmo a QUE
CUMBIANAC \0 poda attribuir aquelle depoimen-
Quanto segredo, e mysterio se aguardava noste
depuiraento de Miguel Soares, que at o proprio
Co-
de Manoel Vieira Bernardes, pedindo ser freguezia do Poco da Panella, coronel Joo Baptis-
em
admettido a matricula, e juntando'ein provade la Pereira Lobo, communicando ter entrado
matriz de Samo'Amaro de JaboatoV2')0seerndo o Mta'Sl^1"'"!'- um aitestado' firmado exercicio do cargo no impe'diineto'do mais" votado,
petos comraerciantcs matriculados Joao Pereina e servido ate lo de julho ultimo, em que passou o
Mouunho, Matheus Austin 4 C, Henry Forsler & exercicio ao 3 votado, acontece ler este por adoe-
U, e Phipps Brothers & CCorao requer.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dento encerrou a sessao s 10 horas e */, da
uiaoluia.
maior premio de 6:0005.
Escrevemnos de Garanhuns, em lo do
correte :
Aqui chegou no dia 6, inesperadamente o Rvra.
missionario frei Egydio, que seguio no dia inme-
diato para Papacara, onde vai restabelcer-se dos
seus incommodos, os quaes, com quanto nao sejam
graves, reclamam descanco para seu completo
desapparecimento.
Deus permita que to virtuoso e Ilustrado
ministro do aliar alcance o fim desojado, para que,
de todo fortalecido, continu a culher fructos sazo-
nados da sua misso apostlica, que to proficua
tem sido a este municipio.
A' II, um agente de polica de nome Manoe-.
Cordeiro, districto do crreme, ao sahir de casa
para suas rocas, de manha, recebeu um tiro que
se Ihe empregou oa cabega. Suppoase que fra
peritos Francisco Meodes Marlins e Macario Jos
de Santa Auna, pede cmara se digne mandar
pagar-lhe a quaota de 12*000, sendo 105 para os
M^nSad Para dS serveD,e-Que se Passas" Permitti que o fagaino
para jurar
quem o tena levado a juizo ?! I Tenebroso myste-
rio III
Hornera de luzaclarai estemysterioder-
ramai sobre este negocio essa luz, que prezais em
todos os vossos negocios. Nao o fazeis ?! Emo
SESSAO
SETEMBRO
JUDIO ARIA EM 18 DE
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As UX horas da raauhaa o Exm. Sr. presidente
cer passado a vara ao 4" votado, que por nao ter
prestado ainda o juramento; nem o poder fazer
por se fazer doente, nao pode eutrar em exercicio
como acaba de participar-lhe, e como a causa por
que deisuu o mesmo exercicio continu, sirva-se a
cmara de providenciar, chamando os supplentes
para juramentar, alim de que nao fique acephalo o
districto.Que se chamasse o Io supplente.
Outro do advogado, respondendo a consulta que
Ihe fra feila em 28 de junho prximo passado, se
a cmara pode mandar demolr a obra que fez Ma-
freguezi
SESEES ssirtt-siaattst
quaotia de 4:0005000,-Man- lor do mmora|-aJlic.amento da leslemu'nha Miguel
Soares, nao poder jamis justificar-se ejustifi-
de S"* a sessao eslandp reuuidos os Srs. noe Joaquim Ramos e Silva, alera da licenga con- peu,c a aiav,a, iui posio a voios o requenmenio E,se V0-Sll .,..-..,
iE3SiX??a SllvaJGu'maraes, Reis e Silva e cedida, cabe-lhe ponderar que verificada a infrac-. e approvado.-O mesmo Sr. propoe para substituir Jz ,!a.,f na%A
Acc oh, e os Srs. depulados Rosa. Candido Akofo- gao, se deve proseguir nos termos judiciaes, para ; ao fiscal dispenso o cidado Jos Amonio d'AIbu- ^LTtnuS A desta cidade, poren
olHcar ao
autorisago
cusas criminaes,
dou-se offlciar ao Sr." vereador, Dr. os Joaquim
de Miranda, pedindo que remettesse todos os pa- car-vos
peis qoe existissem ero seu poder, e pertencessera q affoeo com me elle em nresnnca dn Sr rir
pedase a palavra, foi posto a votos o requerimento Ei3e VO/0 AlamIri, ftBto corpo j moldou-se
CUJO
nao exhalar mao cheiro. O exacto curaprimento I autor desta tentativa de morte, vist'haver speran-
destas disposigoes sera o* parte diana mencionado gas de salvar-seo paciente, um individuo conhecido
e tambem o que liouver occorrido.
Determina mais o mesmo marechal de campo
que os Srs. lenles reformados Jeronymo Ii>nac
dos Sanios e Francisco de Paula S Peixoto, ambos j zer, por nao l-lo adiado,
empregados no deposito, coadjuveiu ao'Sr. encarregado do mesmo, Maihias Vieira de Aguiar, negociante dessa capital cora
rado. Basto, Miranda Leal o supplente Antonio Luiz que esse proeesso regular seja decretada a demoli- querque Pedroza, foi
oos Santos. ge, que o nao pode ser adminislrativamenle pelo O Sr. presidente
'provada a acta da precedente ses- simples termo de infraegr, e sem audiencia da da freguezia de
e para supplente d
devendo o Io ajuda-lo no servigo da escripturaco,
e o 2o no arranjo e instrucgo dos recrulas, servi-
gos estes corapativeis com o de estado maior.
(Assignado.) -Francisco Sergio de Oliveira.
Esta conforme.Antonio Francisco Duarle, 9
lente ajudanle de ordens interino encarregado do
delalhe.
aw
u V" ue .-aivar-se o paciente, um individuo connecido Rninr.,!. ..r o m -"'''
por Manoel Chico, em cala de quem anda a polica da m S^SSS^gL f K,x,n- Sr" Pres,l3enl o offlcio Outro do pi
), I daquelle districto que, uo obstante o empenlio que Sneilin! L.Jl"t serven.tuano vicialicio de receiia e dis
o j lera mostrado em capiura-lo, anda nao o pode a-, SSBff& SFSSliX, m** de lrtras *!** mr\~A ,COmn
v triDunai Antonio Jos Alves de Brilo, aecusando o Outro do me*.,,
nma caria de nm recfl)|mfnt do ofBcio que S. Exc. nderegou-ihe a approvar, e mandar que
data de" crreme <* referido mez, e affiniiando que tendo solci- a quantia de 6W00, i,n
rrespond'ente delta VZ^!&2* ,i,al dt T nom^ feudo 8Adilj~ dc
aSYISTA DIARIA.
Foi nomeado promotor publico da comarca de
Bananeiras o nosso comprovinciano Dr. Manoel
Rodrigues de Arruda Cmara.
Na quartafeira foi a' scena no Sania Isabel
a comedia-drama A Familia do Tio Braz, seguida
da opereta O Tio Braz, cuje desempenho foi satis-
factorio, agradando muito a oprela principalmen-
te pela msica.
Hontem elegeram os terceiros franciscanos
a mesa administrativa para o anno de 186o a 1866
a qual assim se compoe :
Ministro, Adriano Xavier Pereira de Brilo.
Vice-ministro, Manoel Jos da Silva Guimares.
Secrelario, Jerooymo Emiliano de Miranda Castro
Syndico, Jos de Mello Costa Oliveira.
Vigario, Joo Chrysostomo Fernandes Vianna.
Mestre. Francisco Jos da Silva Guimares.
Vizitador do Recife, Vicente Cardoso A y res.
Dito de Sanio Amonio, Manoel Jos de Azevedo
sanios.
Dilo de S. Tose, Manoel Nascimento dos Santos.
Dito da Boa Vista, Manoel Pereira Lemos.
Procurador do Recife, Jos Joaquim Alves.
uito do.Hospital, Galdino Antonio Alves Tei-
xeira.
na qual diz elle a uiu seu corres
lugar que ahi se espaihara a noticia de ter sido aJ "S f ,e ?-o dno cargo.
assassinado o muilo digno juiz de d.reito desta co- to n i?i. on.?, f proferido na ultima ses-
marca, r. Carlos de Cerqueira Pinto, e de achar-se ,bi0. KSI ^T : t r
este termo agitado. n, ^' lu' *?l,x SauvW & C. appellados.o
Felizmente gozamos de paz, e tudo isso fal- r,,r l?ffSfc5Sfl1K ^ S'JVa' C0m1 telameQlei-
ro de VicioriQo Teixeira Leite e Jos Teixeira
me bem infamante, do qual sabe DEL'S o como sa-
aporovauo. __ f:u-se, mas que pode de momento reviver pelas
propoz para supplente do fiscal provas existentes no cartorio, e por nao ter sido
Icagoes. | poSro degradante de perjuro, da qual
Foram noraeados pelo Sr. presidente membros, ramvos dicbUine8 de
da commissao de polica os Srs. Santos e Pinto, e ijin
para edilieacojs os Srs. Itego e Pinto.
drigucs de Souza, Antonio Valentini da Silva Bar-
roca, Antonio Eloy Rodrigues da Silva, Antonio
so. O Dr. juiz de direito esl de rigorosa sade, e, Yt?
cercado do prestigio da sua autoridade e de amigos
dedicados, nada teme conlra a sua existencia, pelo
contrario, desassombradaraenle, esl dando impulso
acquisigo de voluntarios, e de soldados para o
nosso exercito. Taes boatos nao parten s-rao de
certos novelleiros que querem inculcar grandes
barulhos aqui, para melhor chegarem a seus
fios. Na verdade, a nao ser a prudencia das au-
toridades deste termo onde esses noveileiros, que
nao passam de meia duzia, procurara indispr o
povo contra as actuaes exigencias do paiz, j ha
forga.
- No communicado que se publicou hontem
assignado pelo Boavistano, leia-se seis mezes em
lugar de dous.
_0 agente Olympio faz hoje leilao de grande
porgo de objectos de ouro, raobihas, escravos e
muitos objectos do uso domestico, em seu arma-
zera, a ra da Cadeh do Recife n. 36.
Reparthjaoda polica.
I Extracto das partes do dia 21 de setembro
' de 1865.
Foram recolhidos a casa de detengao no dia 10
j do crreme :
Dito de SaBto Antonio, Joo Bernardo do Reg Cos- A ordem do Ulm. Sr. Dr. ebefe de polica, Joo
ta Monteiro. por suspeito de ser escravo de Joaquim Ricardo
Dilo de S. Jos, Jos Maria Gongalves Vieira Gui- Bibeiro.
maraes. A ordem do subdelegado do Recife, Luiz, escravo
Dilo da Boa-Visia, Pedro Jos da Costa Castello de Augusto Frederico de Oliveira, a requoriraento
11 ranee, deste.
Procurador geral, Antonio Jos Silva do Brasil. A ordem do de S. Jos, Jos Flix de Mello, por
Os Srs. Dr. Francisco Augusto da Costa, An- crime de furto.
gamenlo. E
se chamasse outro Sr. supj'leme".
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorlm, Fragoso, Santos & Companhia ;
muito tena havido algum desaguisado ;'porm i Klfc0!0 ?rlo< tlf, ,lo- "
! antes conlra elles, do que contra taes autoridades TSLSHfi"? se.nt!,a PPellada.
que, a prudencia reunera prestigio e energa, corao da de Anmrim os admmslrail|"es da massa falli-
aioda ha pouco mostraran, mandando unfa grande iL2ud2s2LSf ??30' SaD,0S ^ Lon,Panl"a '
forga com recrulas para o excreto, nao obstante S^a iuS?
osmeos reprovadissimos e s proprios de tvi-dii- W rl*i^ a u i-
denos paraguayos, de que lancaram raao,para que! da I) 7elr,,U w^ Hd ,dC Me,, LlQS; appelia"
nao seguisse tai forca. a., nna r,a de JSUS-
parte no caso de que se irata.
procurador, remetiendo o balancete da
peta municipal no mez de julho ulti-
m--;io de polica.
uro do mesmo, pedindo houvesse a cmara de
Ihe fosse levada em cunta
mporlancia que dispendeu,
chancellara, eorresponden-
te a qaantia de 2:6005, valor da causa entre partes
a dita cmara e os herdeiros de Manoel Luiz da
Veiga, como ludo consta do mandado junl), e
125O0 de guias, sellos, etc.
Approvou-se a dispeza feita, e mandou-se ordem Soares Nunes, Amonio loal Pereira Pre* Antonio
ao contador para langa-la no respectivo livro. Soares Neves, baro do Livramento, Beoto Jos
Oulro do mesmo, communicando ter verificado Bernardo, Eduardo Gadouth, Franci.-co Jos Cirillo
as dispezas dos cemilenos pblicos, e conhecido Leal, Francisco Senhorinho da Costa, Jos Joaquim
que imporiam al o ultimo de julho passado, na da Cosa Mala, Joo Nepomuceno Acciolv, Joo Sa-
* L. ; appellado, Francisco Xivier quantia de 13.3005566. que comparada com a re- raiva d'Araujo Galvo, Joo Joaquim Serra, Ur.
oeuiiveira.Pende de embargos \ ceila que de 11:5075800 tem j um dficit de Joo Amonio de Araujo Fretas Henriques, Pedro
u.Jf 5 .- dos Samos ave>"boa-se de 1:7925766, o qual foi suprido Lela receitada ca- de Alcntara d'Arruda e Mello, Vicente Ferreira
;"i.. P0^'"olivos supervenientes ao ultimo jul- niara municipal, e comparando era geral com a que da Costa, e levantou-se a sesso.
'.presdeme ordenou que est marcada para os cemiterios no vigente exerci-; Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secrelario,
co, importara na quantia de 12:7705, v-se que ha j a subscrevi.Pereira Simoes, pro-presidente. -Re-
um rxcessO de dispeza na importancia de 5305566, l go. Dr. Villas-Boas. Santos. Fonceca.11-Sil va
mas que comparando cada uina verba de per si, j do Brasil.Pinto.
v-se que existe ainda sobra suIDciente para o
presente exercicio nos dos cemiterios desta cida-
de ; e o do Pogo da Panella, e que pelos langamen-
. los no de S. Lourengo, ja excedeu a quantia de
Halliday. Foi confirmada a | 9175810, por ter o seu antecessor langado nella a
quantia de 1:0145 das
S ,Vaai T' Raptista, ju|gad0 af|na| era ojns,rnmento mais adequado
da freguezia do Recife a Louren- nara-ai-m-.ricr m wm.m m i>:...
a minan.... P*1* alemorisar um pobre homem cora cobraoca
Srn,2 -1,^- ,.-Hram apPTd-' 6Se ded'vdas suas e de Uros, para assim leva-lo'
em-se as devidas communlcagoe *. de perjuro, da qual o arranca-
sua cousciencia!
ndividuo destes nunca nos innocentaria.
Vosso conhado o bem coDhecdo Manoel Joa-
t lJZZ JHU"iie Pr 2Avlad0 d0 quira Duarte Guimares-cuja honrada palavra-
f2 Re de S Sri\o Se-rVe de bandeira coni 1ue s sa|v" a cara.
ZZL\l!fe\T^s de Antomo Jos Ro- na pode ler mais ^ prba"va do ^ depoi"
JULGAMENTOS.
Appellantes, os administradores da massa fallida
deSeve Filhos
Adiado o julgamento a pedido de um dos Srs.
depulados.
passagbns.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Res e Silva:
Appellanles, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Jos Rodrigues de Souza.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellautes, Sampaio, Silva & C. e outros : ap-
pellados, os administradores da massa fallida de
Manoel de Azevedo Ponles e .utros.
Appellaute, Candido Moreira da Costa ; appel-
lados, Antonio Guedes Gondiro e outros.
Appellantes, o presidente e directores da caixa
tomo Jos Teixeira de Mendonga Belm e Amonio
Jos Ribeiro de Moraes, socios da sociedade Auxi-
liadora da Industria Nacional, esiabelecida no Ro
de Janeiro, de novo convidara os socios residente"
oesta provincia para que comparegara no dia 28 do
crreme no escriptorio a' ra do Imperador n. 69,
afim de se tratar da organisago de urna socieda-
de filial a aquella, conforme ibes foi determinado
pela circular aos socios dirigida pela directora da-
quella sociedade, visto nao se ter reunido numero
sutUeieui'! de socois para tal Um no dia para que
foram convocados ; e esperara que os socios aqui
exisleotes concorram para que (enha lugar a ins-
ta I lago de dita sociedade, to til ao paiz.
A reunio sera' ao meio-dia.
E' esta a allocugo a que hontem nos refe-
rimos na noticia que nos foi transraettida da Vic-
toria ; a qual alloeugo foi recitada pela joven he-
rona Pernambucana D. Marianna Amalia do Reg
Brrelo, no dia 16 de setembro ao povo daqoella
cidade :
c Charos patricios I briosa mocidade victo-
xiense I
c Aqui tendestes a'vossa frente a vossa patri-
cia, em cojo coracao predorainou tanto o amor da
patria ultrajada, que a obrigou a preferir aos gosos
de urna vida tranquilla, ao amor paterno, s cari-
cias dos prenles, 'os rigores, os trabalhos o as f-
digas da batalha, oa persegaindo o iniraigo com as
armas empunbadas, ou cuidando dos feridos nos
bospitass de sangue.
O chee da 2* sesso,
J. G. de Mesquita.
Passageiros do vapor Galgo sabido para os
portos do sul :padre Francisco Antonio da Cos-
ta Palmeira e I escravo, padre Vicente Ferreira
de Meira Lima, padre Antonio Jos da Costa, pa
dre Joo Francisco de Godoy, padre Manoel Perei-
ra Baracho, padre Antonio dos Santos Aranda e 1
escravo, escravo Eugeqio do desembargador Jo-
s Pereira da Costa Mota, Candido Jos Alves da
Silva e 1 criado, Antonio Jos de Cerqueira Pra-
jzeres, Domingos Jos Gongalves, Francisco Fer-
! reir da Silva, commendador Manoel S. Piolo, sua
senhora e 2 filhos, Filipina Faustina M. do Rosa-
rio, Felicio Jos Vaz de Oliveira, Boaventura A.
de Andrade, Amonio Pereira Peixoto Alves Lima,
13 recrulas, os voluntarios do Piauhy, Luiz de S.
Nunes, ChristianoTavares de Lyra, Antonio R. de
Brilo, Antonio Jos de Oliveira, 2 engajados, 1 vo-
luntario, o recruta Jos Domingos de Sant'Anna,
Jos Martin?, 7 offlciaes, 2 cadetes, 2 sargentos e
200 pracas de diferentes corpos.
" CE.MITER10 PUBLICO, OBITUARIO DO DIA 19 DE
SETEMBRO DE 1865.
Manoel dos Santos Ferreira, Pernambuco, 35 an-
nos, solleiro, Boa-Visla, byperlrophia no cora-
gao.
[ Joo Francisco Olava, Pernambuco, 26 annos, sol-
tetro. Sanio Antonio, tubrculos pulmonares.
I Francisca, Maria da Conceigo, Rio Grande do or-
obras das catacumbas,
quando nao houve verba marcada para essa dispe-
za, e sera para os empregados.
Observa que no livro de dispeza acha-se aberta
urna verba de 6:0005, da qual segastou 1:7555156,
porm no orgamento vigente nao foi marcada tal
verba, como v-se do 6 da lei vigente para o
cemiteno,_e sim no 5o evenluaes e dividas passi-
j vas, que sao da cmara municipal, e se acha aberta
I essa verba nos livros da contadoria, c della se tem
i j gasto at o m de julho 2:76i59i0.
Trazendo o exposto ao coohecimento da cmara,
pede se digne ella providenciar.
Posto em discusso, resolveu-se offlciar ao procu-
rador e contador, que considerem a verba de
, 6:0005, marcada na loi para eventuaes, como urna
so para essas dispezas, tanto da cmara como dos
cemiterios.
Outro doengenheiro cordeador, dizendo ter pedi-
CQMMNICADQS.
filial do Banco do Brasil nesta cidade ; appellados, do a cmara em o mez de maio passado, ou prin-
" | A yes Guerra eos curador es fiscaes de sua cipio de junho, a nomeacao de urna commissao de
massa rallida. ; pessoas iniendidas para com a sua assistencia,
uo br. desembargador Res e Silva ao Sr. des- verificarem o alinhamento do muro feto pelo Sr.
erabargador Accioli : major Gustavo Jos do Reg, em seu terreno ao
Appellantes, os administradores da massa fallida longo do canal que da ra d'Aurora vai a do Hos-
de Amorim, Fragoso, Sanios & C.; appellado, picio, visto que o director interino da repanicao
Joaouuilnerme Romer. das obras publicas que ento era, afflrmara ao
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar- : Exm. Sr. presidente da provincia, haver verificado
gador Silva Guimares : ; estar o dilo muro cinco palmos fra do alrahamen-
Appellantes, os administradores da massa fallida i to marcado na plaula approvada, e nao tendo a
de Amorim, Fragoso, Santos 4 C.; appellado,; cmara se dignado deferir o pedido que Ihe fizera,
I rato Barbosa & Companhia. pede-lbe permisso para de novo Insistir na no-
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar- meago de urna tal commissao.
desembargador Reis e Silva : Posto em discusso, resolveu-se offlciar ao Exm.
Apnellante, Maooel Ignacio de Siqueira Caval- presidente da provincia, pedindo que se servisse
cante ; appellado, Joaquim Salvador Pessoa de Si-, noraear dons engenheiros da repartigo das obras
queira Cavalcaote.
Appellantes, os administradores da massa fallida
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellada,
Joaquim Jos de Abreu Jnior.
D1STRIBU1CAO.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellant-*, a directora da caixa filial do banco
do Brasil nesla cidade ; appellados, Joo Luiz Fer-
reira Ribeiro e onlros.
AGGRAVOS 1NTERPOSTOS DO JUIZO ESPECIAL
DO COMMERCIO.
Aggravantes, Kilson Tritn & C. e outros ; ag-
gravados, os administradores da massa fallida de
Seve.Filbos & C.
O Exm. Sr. presidente negou provlmento.
Aggravante, exequente Joaquim da Silva Castro;
aggravada, execntada D. Josepha Francisca Pinto
Rigueira Ramos. Embargante 3* D. Lauriana Ma-
ra da Silva Ramos.
Sobre o roubo e assasslnato do
negociante infeliz Antonio de
Azevedo Mata, a mais cathego-
riea resposta ao reo Jos Anto-
nio de Almeida Ciulmares, ao
seu ennhado Manoel Joaquim
Uuarte Guimares e ao seu sel
leiro Alejandre Jos Ribeiro
Tero visto os leilores as publicagoes que no Dia-
rio das Alagoas n. 206 de srgunda-feira 11 do cor-
rente, fizeram o reo Almeida Guimares, seu cu-
nhado Manoel Duarte e Alexandre Ribeiro, relati-
vas a um depoimento de Miguel Soares Moreira de
Araujo, em urna celebrrima justficgo que no
Juizo municipal tem pretendido dar aquelle primei-
ro, em comonada devia ao finado Maia.
E para que o arrojo e cyoismo do criminoso, e
de seus panegeristas nao passe impune, disfarcado
com as vestes da innocencia, e com a mascara da
bypocrisia, rigor que a imprensa Ihe embargue
os pasos com a mais cathegorica resposta, firme
como se acha ella no licito e louvavel proposito de
coadjuvar a justiga publica na punigo do assassi-
nato e roubo do infeliz Antonio Maia.
Almeida Guimares laxa deinexacta e infiel
a narrago de ura communicado do Mercantil, sob
o titnlo decaso immoral o horrorosopublicado
no o. 132desie jornal; entretanto nao indica quaes
foram as inexactidoes, e infidelidades do comrau-
cantel
Quer embagar os leitores, como se suas emba-
gadelas nao possam ser de momento desmascara-
das.
Veja agora o publico a certido abaixo publica-
; publicas para com o eogenhelro cordeador verifl- da, e ajuize se tivemos ou nao fundamento de qua-
1 carem o que o mesmo exige. i linear de-caso inmoral e horroroso-aquelle a
Outro do mesmo, Informando contra a pretengo i que nos referimos, e se houve de oossa parle infi-
do Francisco Jos Cyrillo Leal, de rasgar a porta delidade enexactido alguma no sobredito corarau-
e janella de sua propriedade sita roa de Hortas nicado.
n. 79, elevando-as a altura da porta da casa visi
nha, pols que a casa em questo, muito baixa, e
que Ihe lica visinha nao tem as dimenges mar-
cadas as posturas, erabora seja um pouco mais
alta.
Concedeu-se, votando contra os Srs. presidente,
e Gustavo uo Reg.
Outro do mesmo, informando contra a pretengo
da viuva e herdeiros do Dr. Pedro Ignacio da Cu-
nta, que pedem a alterago da planta da cidade,
relativamente a ra que deve ser aberta jnoto a
igreja dos Martynos.
Qoe se iDformas.se oeste sentido ao governo da
provincia.
Diz mais Almeida Guimares-tque trata de ad-
quirir documentos para demonstrar evidentemente
que o caso immoral e horroroso nao passava de
mais urna trainoia (de que to feriis ao seos ini-
migos) etc. E que logo que obtiver esses documen-
tos, palomear todo o occorrido para que se conbe-
ca at que ponto chega a perversidade e infanjia de
seus inimigos.
nh-nto de urna testemunha jaramentda, que vos
com tal mysterio exhibisles, que nem o vosso pro-
prio advogado della teve noticia pessoa que nuuca
vos offendeu e a quem nunca offendestes !
E quando nem vos, Almeida Guimares, que
i presente estaveis, nem vosso advogado, siquer,
contestou essa testemunha, verdade que seu de-
poimento permanece puro, intacto e valioso.
E seu valor jurdico nao pode ser destruido por
publicagoes vossas, de vosso bem conhecido
concunhado, nem de um Alexandre, cujo appelli-
doi vulgar aitesla o desarraojo de seus costu-
raes!...
Permanece esse depoimento, quanto certo que
cada acto juridico conten: um effeito tambem jur-
dico ; a prova por publicagos de prejudcados, de
afflns e de t selleiros nos desconhecida.
Toma outro caminho, Almeida Guimares.
Ide caixa commercial desta praga saber qual
sera o negociante, director della, cojas cootas fo-
ram lomadas por urna commissao, em que figura-
va um caxeiro do mesuio director : l sabereis de
que tramoias infames se tem valido esso trafi-
cante para realisar seus planos de perversidade e
infamia contra capilaes albeios : ide ao centro
desta provincia, all acharis alguns proprietarios
de boa l, e sinceros que a bem pouco tempo pos-
suiam muitos escravos livres e desembargados,
bem corao o capito Mello conhecido por Mellinho
da Serrarla, e que hoje vem esses raesmos escra-
vos hypothecados por dbitos fabulosos, proveoien-
tes de juros de juros a certo negociante bem co-
nhecido, raillionario do dia para a noite f I.....
Sr. c Jos Antonio de Almeida Guiraares >, di-
ga-nos S. S., que o homem da luz que deseja
derramar um raio de luzn.sobre todos os seusne-
gocios -porque machinacao infernal tem sido ac-
ensados, nesta cidade os escravos de sua nobre
familia (por alliaoga) pelos crimes de furto, rou-
bo e, agora, de morte ?
Porque combinago ficou, at o presente, ronba-
do em mais de doos contos de ris o capito Can-
dido Francisco Soares; em ura relogio chronome-
tro o excapito do porto Rodrigo; em urna por-
go de dioheiro o Dr. Flix de Moraes, etc.. etc.
etc.?!! I..............................' '
Porquetramla eu argao escravo, que se in-
nocentoo no roubo desse relogio, foi depois embar-
cado como ratoneiro ?
Porque motivo innocentam a S. S da aecusago
a qne est respondendo pela justiga publica, ape-
nas seus afflns; conslituindo se quasi todos os mais
habitantes desta cidade seos-flgadaes inimigos ?!!
Derrame um -raio de luz sobre estes mysie-
nos...
Quer que o derramemos nos T Os comraunican-
tes do Mercantil pro-zara e prezam muito a vida
privada do individuo.
Neste poni guardado, e ser sempre, o mais
religioso respeito a quem quer que seja.
Mas nos fados que inleressam justiga publica,
naquelles em que o horror de um crime tem sa-
crificado urna victima, nao ha apasiguago prova-
vel; comprehendemos os de res da imprensa,
nunca sobre elles transigiremos.
Otica-nos, que Ihe responderemos :
E* porqoe a justiga dos homens nem sempre se
eleva altura, d'oode os seus luminosos raios po-
Quera nao enxerga nesta promessa de Almeida deriara ir devassar perfeltisslmamenie atramoia
(juimaraes urna dessas ridiculas escapatorias do dos reos, aperversidade e infamia-dos crimi-
dehoqueme, que, tomado em flagrante, promette nosos e de seus cmplices,
mundos e fundos era abono de sua innocen- Se assim fosse, o inexoravel e firme braco da
cia?" justiga faria vir de Santo Antio,-ou da dade do
Raciocinemos. Recife, onde qaer qne presentemente existisse, o





t nin
Q
Diario de fernambUd Stexi felrt de etcttibro de f Sft.
* s
----
-~
honrado negociante Antonio da Cunh's asares Gui- j
mar.'es, e os herdriros de se(r"TS1tTrctTTnr~CtnilraTI'\
Joi- Joaquim de Freilas Guiraares, abrira os cu-
fres do-latirlo-que os roabou, w P""*' tti dermos contribuir o achr oin novo e delicado
quanlia de tres roofos de res, e ao segundo na ae
dous eontes, e f.uia esse fufamc bancarrotero -
restituir integralmente o priucipal e juros das
\U2 de JKIo*4fln de Murray
e ILaatiaau.
Na verdada cousa. mais que agradavel o pe-
que dolosamente roubou
Nao teriam sido esses dbitos tu
comprados pelo propriobancarroteiro.-a saber,
o primeiro de tres mos, por 3O0J000 III e o de
dousron'.os, por 2005000 !l! E isto em virmdo
do achar-se a luja du ditobancarroleiro -apenas
com ans cetto e tantos m ris em gneros I 11
Migalhas ou despojos lansquioet.-hoje substi-
tuido pelo amavel vollarete.
Se assim fosse o honrado negoclaota do Recite,
o Sr. Manuel Jo> Goncalves, al hoje se Do lem-
braria daqoelles 9005000, que Ihe tarara remetti-
dos de Santo Antao por JuoBaplista Alves ,1a Pon-
seca, all eolabelendo, as-im como outras quanas
por diversos, todas entregues em contianca ao
ni -i i de delaitavel prazer para o gentil e bello se-
xo. hanman e Keinp por sem duvida alguma, con-
seguiram esse desojado fim, iotroduzindo a agua!
demuisadosou do Florida de Afurraj/ c Lantnan, (cujo artigo ha
mais de vate anuos tem sido o constante favorito
para o toucador em toda a America Hspaubola)
ao coohecimento das seobpras deste paiz.' Nao sao
pols as senhoras que se sentein reconhecidas e
obrigadas para com aquella firma emprehended-
ra, pois que, se o artigo em quesillo o ou torga e d
ao lenco de lina cambraia nma fragancia deliciosa]
e summamente refrigerante, e as Faces urna alvu-
ra doce e juvenil, ella igualmente posse a rara
efllcacia e vjriude de fazer retniver a ardencia
causada depois do fazer da barba, assim como dis-
sipa o mao gosto depois de ae haver gozado as bel-
las fomagas Je um chareto. Desolvida ern agua,
serve ella de grande proveito para a conservado
ai i i 111\
mesmo -bancarroieiro ladrao- (que ja naque o ^ deotes e g <, do ao |adar um gos|0
lempo jaciava se de nuilo honrado-, de roiU suav(J e ^..^^ ^ K
probidade -) e esto osou do unatramoia adre-
de preparada para produzir bom efeito no es-
pirKu dos donosdo dinheiro, asseverando com toda
perversidade e infamia, qise 'ora roubado em ca-
urnho-III
15 mostrava com aqnelle imposaot e desfa-
r^am-mio, que me so proprios um rastran oo ps-
Alim pois de se poder conseguir o disfrude de
todas estas vaolageiK, indispensavel se torna o pos-
suir-se a real e preciosa Agua 4e Florida de iur-
ray t. Lanman, e aenhuma outra mais.
(Haja o cuidado de se examinar na occasio da
compra d'esU agua, que os nomes de Murray e
Laminan, so acfcem inscriptos sob cada envoltorio,
tcm^.1 tornado um dos agobies os niaisim- luiportaeao.
portantes e preciosos da tharaueilticJi',.quem ..Ur.guo uacifual lnfelis. entrado da Baha, con
descobrio o meio de tornar de.'um uso fa- JfcgJ. a Amorim Irralos, mamfestou o se-
cil para todos, prestou um verdadeiro.^r- ^is fardos fumoemfolha 67 $; a Jos Vicente'
^ico arte de curar e aos praticps. jie-J^ma.^
Por SSO nao podemos concluir melhor 73 rolos de Jacaranda, 23 barris azelte de peixe.
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua "los fardos fura. A..-P*** C,n 6'2j0
,-i i i_ j ._ charutos; a urdem.
rica e til descoberta que merece de ser w fardos fumt>j 32 peQas ae movis, Seaixas
propagada, e dizer COm meu collega O Sr. |cninitV,'a l^ Joaquim Goncalves Bellro.
Dr. Uichelat OStraballlOS que conduzem as 36 loros de Jacaranda; a Joaquim da Silva
rlpvpm spr nro- PatafhobrasileiroKwmo.eBlradodoRio-Gra%(Je
uescouerias a esw especie aevem ser pro do Su7000sjgnad0 a MlgUdi jos Alves, maoifesfou
tegtdos petos mdicos. 0 SPKUi0le :
Os importantes irabalhos duSr. ClievriW 1^,480 <| de charque, 80 sobre .o oleo de figado de liacalbio Ihe fi- e 80 cooros voccuns seceos; a ijem dos mes-
uran obter Htn resultado nao menos im- e a Maja & E ril0 Sanl0.
portante, o qual consiste em.ter tssociado o ___
ferro ao oleo de figado de bacalliao. O oleo LKANDEfiAJpE PEKNAMiujCQ.
de figado de bacolho (erriginoso de Che- pauta dos niEgos dos gneros sujeios_a dikeitos
vrier constitue talvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iod ro de ferro unido
DB EXPORTAQAO. SEMANA DE 18 A 23 DO MEZ DE
SETEMBRO DE 18G5.
Mercadorias. Unidades. Valores.
^^to^ accresceotando qet felizmeute nao feo li- ietrelro e al mmo sravados no proprj0 v,dro
ha ferido a pell .1....._______. das garrafas e ua auseucia dos mesmos, toda a
mais falsa:}
Ac'-.a-se a venda as boticas de Gaors & Barbo-
Eutretinto que o cynico ladrao a bancarroiei-
ro, antes de panir de Santo Antao, antes de re
ceber aqueMe deporto de huora, que um hoinem za e } Ja ^. jjrav0 ^ c.
de bem respeitaria, como um diubnro sagrado, se,
ttaha ajustado com algunas outras peasoal para ;
virera em compaihi.; mas, eiiibjHsada i"m"> \Hm. Sr. Jos Antonio Gomes Junior.-Recebi o
parti so para mentor incutir a infm a '"; seu l.vro Nocoes do systema marico decimal e
Sim,Sr. Almeidabuiiuaraes, ^ >*;* |be agradece e,sa olfe.ru a qual dou mteiro valor
horneas se elevas-e, eomo tica Silo, a sltuia, aan- _.. .... ..= ,.._...._.
nao ha Falta de livros que vulgarisem e difuodam
o coulteeimento do sysiema de pesos e medidas da
Fraaca, sysiema ja adaptado por. outras nacoes, e
(JUvj brareoieate o sera pelo llrasil; mas esse livro
de V. S. .-.uppre a falla que so nutava, de um ele-
mente que se adaplasse comprehensao de todas
a- inteligeucias.
Des livros que se achara publicados, talvez que
neahuin sausfaca ao seu lim, eses por que. pre-
sui^oe nos leitores conhxiinentos mathematicos,
que excedem os limites dos do cuminereio, outros
que foram reoigidOS por pessoas talvez |ioueo habi-
tuadas aos estjMoa raeroaatw, e que extrahiram os
. ... seus compendios de livrus esnaogeiros, muitas
"" vezes improprios para todas as intelligtmcias.
d s'eus doos na Esaminei escrupulosa nenie nao 80 as reduccoes
das medidas do novo systema, comu a comparacao
dellas coa o amigo, e parece-me que com o seu li-
vro fez V. S. um importante servido ao coramercifi,
nao s por que facilita com as taboas um ename a
quem souber o mec.haoismo do systema moderno,
como por que facilita a compreensao d'elle, se
nao tiieorica au meaos pr&ticamente, as pessoas
. que o ignoram e precisarem de fazer qualquer cal-
de verbo ad vt-rbum o theor de um juramenio q.e rm,....ril:
hontem prestou o M.p...|icate, como lestemunha A" ,,in.^, Z .,
offerecida por Jos Antonio de Almeida (iuimaraes,
tambem morador nesta cidadc, peraute V. S. :
sendo escrivo Manuel Esteves Alves, e advogados
do justilicante os rs. Jos Alexandriuo Das de
Moura, e inspector Mariano Joaquim da Silva : e
bem assim o theor formal de um apontamento ma-
nosrripio que m-s.-e actu apresentou o supplcenle.
Pede deferim'-nlo ua forma requerida.E. R. M.
Macei, 6 de selembro de 1863.
Miguel Sowes Moreira de Araujo.
D-se. Macei, 6 de agosto de 1865.
A. Sampaio.
(Bo Mercantil Jas Alagte)
de os seus kltttnosos raios poiessem ir descobrir
perfetisMniamente e.-sas t traniaias esses epi-
sodios ou farcas de pessimo goslO', cujo prutugu-
nista deveria trazer ao psseoco a gnllieta do
forcadiJ, o as eostas um barril, cujo peso nao es-
trauhaiia, acoslumado a traze-lo em sua trra,
cerno jauma vt-z o disse o proprio Diario des Ala-
geos, certameiile nao hacerla necossidado de per-
juros e as palavra* do honra e probidade se-
riam devidamente empreadas em quem le.gitiua-
meute as Merece, mas nunca n'um saltiuibanco,
Aauccrroteiru, ladrao, assa>sino 1 II.............
As publicas formas em mo
nossa origioaes.........
Macei, l de setembro de 186o.
Solcm.
Eis a cerlido a que nes referimos:
-lllm. Sr. r. juiz muinoipal e comim-rcial.-Mi-
.guel Soares Moreira de Araujo, morador ocsta ct-
dade, carece que V. S. Ihe mande dar por cerlido
Oeste modo com o oleo de filiado de baca- Abanos......... eento
Iho se dissolve mais fcilmente nos liqui- Agurdente de cana .... caada
dos das vas digestivas e por consequencia jem restilada ou do reino
se assimila muito mais bem do que sb a J* {$r '...''.'. \
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle idumalcoolou espirito de agua-
perde assim suas propriedades irritantes, e ardente........
nao f rovoca a conslipaco. E' assim que; Algodao em caroco arroba
os doentes, cujo estomago nao pode suppor- 4ree"'^a"'ia0u em laa '
lar nenm,ma preparacao marcial, loraam fa- Idem descascad0 ou pilado .
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru- Assucar mascavado .... t
gitioso de Chevrier. dem branco.......
Os senhores Maurrer & C. acabam de re- "TJl^n^im aA '
, .___, ik-~. Azeite de amenuoim ou mendo-
ceber um grande sortiraento dos celebres bim ........ caada
azeiles desinfectado de Checrier e ferrugi- \ dem de e6co' '.
nuso de Chevrier. dem de mamona
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer *
& C. ra Nova n. 18.
arroba
Bolacha o dinaria, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom
A jurtibeba.
As virtudes therapeutlcas da juntbeba sao desde [dem escolha ou restolho.
muilo condecidas nao s no Brasil, pois que dellas. Joem torrado......libra
tratou Pisn em sua excedente obra Historia na- \ Caibros........um
15300
800
800
400
800
900
3630
145600
15500
25600
25000
35300
55120 j
25000
15600
15000
15200
35000
75000
C5'*00
turalu et medica Indio; occtdentalu. seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fruclos como
aqu, muito estimado e applicado contra as obs-
truceoes abdomlnaes, principalmente do ligado e
baca ; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencia, isto se n5o deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao seren encontradas com facilidade e em todas
as estacSes do anno os fructos dessa planta, e re-
pugnancia, que apresentam os doentes em fazer
uso do sueco desses fructos,
ser extremamente amargo.
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ...
Carneiros ....... um
Carvao vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba em bruto. libra
I dem idem em velas ...
Cha .........
Charutos ....... cento
em consequenca de Cevados (porcos)..... um
Cocos (seceos)...... cento
adopcao do systema mtrico um meio a que
se soecurrem os governos para esiabelecerem a
igualdade dos pe:>os e medidas em suas possess5es
com outras, e por isso de esperar que o nosso go-
vernu uao admita outros padroes que nao sejam os
adrninitios al aqui. Son com toda a consideraco
e respeito. De V. S. muito atiento venerador e
criado.Joao Martins de Andrade. Recite 6 de se
tembro de IS60.
Paco da cmara municipal do Recife 9 de setem-
bro de 186o.
lllm. Sr.A cmara municipal desta cidade re-
i cebeu com agrado o ohleio de V. 8. de 6 do corren-
. te, acompanhado de um exemplar da obra que fez
publicar, denominada NocSes do systema mtri-
co decimal cu|o esu-mplar muito agradece a V.
S. [)eos guarde a V. h.lllm. Sr. Jos Anf-nio
A jtirubeba nao desroohecida dos botanistas : Colla
esta planta perteoce familia das solaneas, e tem Couros de boi, salgados^. .
a denominacao de solanum pantculutum, que Ihe dem idem seceos espichados
fol dada por Lyneo. dem idem verdes .
Parecendo-nos convenieute facilitar o uso do dem idem cabra cortidos .
sueco dos fruclos da jurubeba, que o mais em- dem idetrude onca .
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar Doces socos _, .
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser dem em gela ou massa .
applicado em pilulas, mas tambera um violto, um dem em calda ....
que pode substituir,
Causa verdadeira estranliezn o modo porque
Sr. solicitador Vicente- Licinio da Costa Carapello, Gomes Jun.r.Luiz Jos' Pereira Simoes, pcA pre-
stada bem novel no foro de Pernamhuco, quer ja
celebrisar-sf, principiando por deprimir a reputa-
{5o de um juiz, cujo elevado e disliocto carcter,
por lodos recontado, digno de alia considera-
ndo e Justos encomio-.
l'ara o objecto desta facanha grutesca, foi esco-
Ihido o Sr. Dr. Mar.imino Ribeiro d^ Aguiar Mon-
tarroyos, integro juiz mun'cipal suppleute da villa
do Cabo, que no exerefcio de tito nobre cargo, com
os nidos em Detis e a maoe.m sua consciencia, tem
sabido desempenhar rellgiosameota o seu dever,
sem nuoca delxar-se influir por essas cousidera-
{es pessoaes, quasi sempre perniciosas, pudendo,
portante, conservar sua fronte erguida, sem tre
mer, em presenta desses zangues, que ijuando nao |o5 e>I;io oxacios
conseguem levar s. afeito qualquer manejo igno- ra do tiju(inal do
bit, oosam buscar ferir atrozmente a mais solida
reputaco I
Ma.- felizmente, qu>'in assim intentn o Sr. Vi-
cente Licinio da Costa Campellouo o pode pre-
judicar peranle o bom senso.
O Sr. Vicente Campello, suppoz escrever em al
guma aldeia, s puvoada por ignorantes que f cil-
mente se deiiariam illndir, era razao de nao sa-
berem dislinguir o verdadeiro do falso, e o justo
do mjusto, e por isio que, acreditando elle, que
s espiritas superficiaes e manos esclarecidos le-
riam o seu bem elaborado artigo, nao vacilou em
fazer publicaras falsas
sidente.Francisco Canuto da Boaviage.n, secre-
tario
lllm. Sr.Accusando a recepco do officio de V.
S. que acompanhou um exemplar das Nocoes do
systema mtrico decimal por V. S. org.iiiWado, e
o qual se dignou ufferecer a este tribunal, cabe-me
agradecer em nome do tribunal a sua olferta, e
dizer-ltie que o mesmo de oplnio que o ^eu ira-
balho facilita a lodos a comprehensao do systema
mtrico francez, que tem de ser admittido no paiz;
que traz valageus ao commercio, e mil ao publico
em gcral; nao s por que p^upa a uns o trabalho,
e a ouiros facilita as operayoes com as taboas de
coraparacu que nelle se encontrara, e cujos calcu-
Deos guarde a V. S.Secreta-
commi'reio de Peruambuco 14
de setembro de 1863. lllm. Sr. Jus Antonio Go-
mes Jnior. -O >ecretano, Jo> Marcellino da Rosa.
( Eslavaur. sellados e reconhecidos ).
xarope, e um emplastro que pode, substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
', com isto prestamos um servico a humanidade e
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
cocgo das raizes da jurubeba, e Mrat e Dteos,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as Au'ilhas. se faz uso do sueco
dos-fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputaco da jurubeba tal, e os resultados
iherapeuticos obtidos ltimamente sao lao impor
tantos, que nos parece intil dizer mais do qu<
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
libra

um

libra


um
. >
Espanadores grandes .
dem pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de avio........cento
440
360
280
500
35200
45000
i 5000
35OOO
300
300
15S00
25500
155000
450O0
600
155
240
100
350
105000
15000
320
500
45OOO
25000
praca publica deste" juizo, o seguinte :
Marcplino, cajira,. com idade 37 30tws,
avahado por 1;$IHj#QQO ; o qual fora pe-
nhorado por execuco de Francisco Antonio
Alves Masearenhas -contra Joaquim Garalcan-
t de Albuquerquc.
E nao havendo lancador que cubra o pre-
co da avaliaco, a arremaiaco sera' feita
pelo preco da adjwcaco na forma da le.
E para que cnerue ao conhecimento de
todos, man le pgssar o presente, que sera'
publicado pela impreasa e affixado nos luga
res do costume.
Cidade do Recife de Pernambuco, 21 de
setembro de 1865.
Eu, Manoel Mara Rodrigues do Nasci-
mento, escrivo o subscrevi.
Tristao de Menear Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da
imperial ordem da Rosa, e juiz de direi-
to especial do commercio nesta cidade do
Recife de Pernambuco por S. M. I, etc.
Fago saber aos que o presente edital vi-
ren) e delle noticia tiverem, que no dia 25
d setembro do corrente anno se ha de ar-
rematar por venda a quem mais der em pra-1
ca publica deste juizo o seguinte:
Urna casa terrea sita na ra de Santa Ci-
cilia n. 7, com urna porta ejanella na fren-
te com rotulas, duas salas, dous quartos e
pequeo quintal, cacimba meeira, avaliada
por 800; a metade da casa terrea sita na
ra de S. Jos n. 32, com urna paita eja-
nella na frente e rotulas, duas salas c dous
quartos, cozinha fra, cacimba meeira, ava-
liada por 400l. As quaes foram penhoradas
por execuco do Dr. Jts Joaquim de Sou-i
za contra Manoel Renedicto do Espirito San- i
to. E nao havendo lancador que cubra o
prego da aval ac:o, a arremataco ser feita
pelo da adjudicaco na forma da lei. E para
que chegue ao conhecimenlo de todo? man-
dei passar o presente, que ser publicado
pela impreusa e afQxados nos lugares do
costume. Recife 29 de agosto de 18G5. Eu
Manoel Maria Rodrigues do Nascimento es
crivao o sffbscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Perante a cmara municipal desta cidade es-
tario novameote um prica poolica dos dias 23 e
30 do corrente, para seren arrematados pelo tera-
po de nm anno por qnem mais offerecer os impos-
tas seguinles:
O arrendamento da casa sita 00 pateo do Corpo
Santo na cidade do Recife, onde se acba a Associa-
cao Commercial, por 8075000.
Dizimo do capim de planta, 1:200500".
Coqaeiros de producao para, oegucio, 5905000.
Afferigao de pezos e medidas, sendo o arrema-
tante obrigado a a ferir os da" mesma cmara sem
indemnisacao algn.a, 86550Q().
500 ris por cabeca decadpjvaccum, 4803000.
Mscales e boceteiras, 3 -000.
Casinhas da Ribeira, i3'i500.
100 ris por cabeca de'i2orecolhido;no corral,
4S53O0.
Repeso do agougue, 105509.
80 ris por cargarte farinha e legnmes, 155000.
Gado ovclhum 15G36.
Os pretendenles podem comparecer dos mencio-
nados dias com seus fiadores habilitados na forma
da lei.
Paco da cmara municipal de Olinda em sesso
de 16 de setembro de 18bo.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerqtie,
Presideote.
Marcuhno Dias de Araujo,
Secretario.
Rrlaro das cartas seguras disientes na admi-
Distraco do correio desta cidade, para os ge-
nitores abao declarados :
Dr. Antonio Boiges Leal Caslello Braoco.
Conselheiro Antonio Coelno de S Albuqaerque.
Bento Jos de Almeida.
De^embargador Caelano Jos da Silva Santiago-
Candido Vieira da Cunha.
D. Emilia Fortunata de Gusmaj.
Elias Francisco .Windello.
Francisco de Mello Brrelo.
Francisco Miguel da Costa.
Hewique da Suva Ferreira Rabello.
Ignacio Nery a Konseca.
Ignacio Vieira de Mello Fillio.
Joo Alves Malbeus.
Joo de Freilas Guimaraes.
Jo- Cecilio Carneiro Munleiro.
Jos Ignacio Ribeiro Roma.
Laureolino,
Lourenco Julio de Almeida.
Lenidas Ferreira Barbosa.
Dr. M. de S Brrelo Sampaio.
Manoel Pioheiro de Miranda Ozorio.
Sabino Jos de Almeida.
155000
15600
15800
por seu advogado o r. Joaquim Jo:- de Campos,
n'umacau*a suscitada enire os Sis. commendador
Antonio de Siqueira Cavalcanti e J._ F-lix Pe-
reir de Burgos, porque nellas conlra insultos di-
rigidos ao juiz que nao sabe curvar-se prepoten-
cia de ninguem, romo se de semelhanie publica-
cao nao resultasse grande dezar ao seu antor I
Mas o Sr. Campello, publicando esta insigne peca
Ao publico
Preparase urna analy-e critico grammatical do
officio que dirigi o Sr. Domingos de Souza Leo,
na qnalidade de presidente da Associaco Protec-
tora das Familias dos Voluntarios da Patria, ao
antor de um volume de poesas. Ser destribuida
ahea;os prodiuldas I gratuitamente.
->--
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicaraen
tosas, ao reino vegetal, e perience elasse
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
aa com vantagem contra as ebres intermitentes
de architeclura, nao achou conveniente "publicar j acompanhadas de engorgitameotode ligado e baco.
as razes conliarias, porque certamente viriam Ella tem sido applicada com incontestavel proveitc
de>truir pela raiz lodo esse artefacto de mentiras, contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
falsidades e calumnias com tanta prufuso e esme-
ro feilo I
Entretanto, todo o mundo sabe, que ordinaria-
mente, s quando se tem carencia de dirrito e
de justica, que a parto vencida, sem res-
peto ao tribunal, em seu furor, ahocinada, dei-
xaudo as armas da raza., atmvida e criminosa-
mente tanca mo das da compostura, que o des-
peno Ih'as ministra com facilidade.
E pois, que peso podero ter, ou que explicaro
taes razoes publicadas por Vicente Com effeito,
nada mais eslravaganle I
Concluindo, devemos dizer com o Ilustrado Sr.
conselheiro Bastos :
As pessoas mais honestas sao muitas vezes
aquellas cuja reputaco est mais eifiosta aos tiros
da calumnia.
< A maledicencia urna pequenhez no espirito,
ou urna negrura no curasao. aldizer sem deslg-
oo, estupidez ; maldizer com reQexo, infamia.
O maldizenle escolha, elle um insensato ou um
perverso.
Justus.
rho da bexiga e mesmo para comba ter a menstrua-
cao difflcil, resultante da mesma anemia ou chic
rose.
Exirato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id-m.
Vinho idem de idm.
Pulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, roa larga doR
sano n. 10.
.^g.--awl Jjliw 1 --------*"
VARIEDADES
Arsenal de guerra
U Sr. director desta repartigo aflido pelas pu-
blicaces que alguns jornaes d-sla cidade tem fei-
to a seu re^oeito, da factos ojue ahi se te^i dado,
dirigi ao Exm. Sr. presdeme da provincia urna
representacao contra alguns empregados da mes-
ma r-parti^ao, a quem ailrihue lies publicacoes,
entre os quaes fui comprehendido, gracas aos ma-
nejis de alguns intrigantes e aduiadore-, que cer-
cam o mesmo Sr. direclor.
Mandado responsabilisar (nerr o Exm. Sr. pre-
sidente da provincia podia mandar outra cousa),
trato do defender-me ; e emquanto o faco, apunas
prote-tei pelo Diario de Pernambuco n. 212 de 16
do corrente pi-la minha ionocencia, rogando ao
respeitavel publico e ao governo que bao me con-
demnera aotes do resultado do processo a que res-
pondo.
O Sr director do arsenal de sua parte fez redi-
gir um abaixo assignado, que hontem foi publicado
por este Diario. Ilrmado por quasi todos os empre-
gados seus subalternos, cuja frente apparece
aquelle que boje oceupa o meu emprego, s fallan-
do assignar o mesmo abaixo assignado e os meno- j
res da companhia de aprendizes, documento esse j
que nao passa de um panegeryeo honradez do j
Sr. dii-ctur, e de um tecido de injurias (de meras
injurias e nao de allegaeocs precisas e romprova-
das) contra mim que anda sou companheiro des-
' ses embregados e subalterno do Sr. director I I
Deixaodo ao publico a quahllcaQo desse proce-
, dimento, direi ao Sr. director qu* pode continuar
; a mandar lojoriar-me como Ihe aprouver : de pu-
: blicag5es como aquella, nem os elogios podem jus-
' lilicar S. S., se se fulga comprometiido pelas pu-
blicacoes que tem feto os jornaes, nem as injurias
prevenir contra mim os meus juizes.
Acredito que se este o fim que miram perdem
o seu lempo.
Por ora trato de defender-mo, depois, se me con-
vier, farei com que ajuslem tambera suas contas
rom a justica, outros que tal vez sintam mais diffl-
culdade em justificarse do que eu,
Recife, 22 de setembro de 1865.
Francisco Jos Galvao.
Sciencias e medieloa.
L-se na Union Medcale de Parts:
Os jornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
i para a ttierapeulica, que cousistia na desin-
feceo do oleo de figado de bacalho sem
Ihe tii ar nenbuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annonciar boje aos
I nossos leitores, que esse resultado foi obti-
Srs. RedactoresSi publicaco quehoje se fez;do de modo o mais completo por um babil
no sea importante Diarto, de urnas razoes de ap- pharmaceutico de Pars, 0 Sr. Chevrier, que
iveiiaco minhas, notam-se os segrales erros, que consegu desinfectar o oleo de ficado de
Ibes rogo o obsequio de corrigirem, no Diario de iu-_ i.- ui
^manhaa. bacalbao com o alcatrao e o balsamo de
No segundo periodo das razoes onde se dizleis Tolo. As experiencias feitas por muitOS de
Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de maodioca alqueire
dem de araruta .... arroba 45000
Feijao de qualquer qudlidade 2-3HOO
Frcchaes ....... um 55000
Fumo em tolha, bom arroba 145000
dem ordinario ou reslolho > 85000
dem em rolo bom..... 8o 1(1
dem ordinario ou restolho. 55o00
Gallinhas '...... urna 600
Gomma........ arroba 25500
Ipecacuanha (raiz)..... 255000
Lenha em achas ..... ceoto 25000
Toros......... 115000
Linlias e estelos...... um G5000
Wel ou melaco...... caada 240
i.Milho......... arroba 15500
Papagaios....... um 35000
Pao Brasil....... quintal 55000
Idem de jangada...... um 55000
Pedras de amolar .... urna 800
dem de filtrar ..... t 45000
dem de rebolo ..... 15000
Piassava........ molho 120
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos....... ceoto 35500
Praucliocs de amarello de dous
costados ....... um 205000
idem de louro...... 105000
Rap......... libra 15000
Sabo......... 120
Sal........... alqueire 400
Salsa parrilha....... arroDa 255000
Sebo em rama...... 55000
dem em velas...... 75000
Sola em vaqueta...... urna 25000
Taboas de amarello..... duzia 1405000
t diversas...... 875000
Tapiocas.....' arroba 35000
Tatajuba........ quintal 25000
Travs......... urna 650H0
Unhas de boi ...... cento 200
Vassouras de de piassava 105000
Ditas de timb...... 85000
Ditas de carnauba..... 65000
>nagre......... cacada 500
Alfaodega de Peroambuco, 9 de setembro 16
1865.
(Assigoados):
O 1." conferente, Antonio Carlos dePinho Borges
O 2." conferente, Jos Uaptista de Castro e Si Os
Approvo. Alfaodega de Pernambuco 16 lv Ija
lembro de 1865.A. Eulalto.
Confoi me. O 4." escriplurario, J. d'Avila Bi-
tencourt Neivas.
RECEBEURIA DE REXDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Reodimeoto do dia i a 20...... 24:8925711
Idem dodia21................ 9555655
aECLiEigon.
DE
Convida-se as pessoas que eslao as
condices do servido militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gens da lei provincial n 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes :
1)9400 rs. diarios de sold, serem seus fi-
Ihos menores recolhidos aos estabelecimen-
los provinciaes de eJucacao e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm destas
tem todas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
nente-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
^lfiElIO.
CORRESPONDENCIAS
reguladoras, Oeve ler-se leis reguladoras.
nossos pratioselec ebres, nos hosp taes e so-
No mesmo periodo, onde se du-o precesso de bre seus doentes parliCu|ares as analyses 6
Uquidacao, deve ler-se- o processo de liaudacao. ,- "" j w>_
No terceiro periodo, onde se diz-ort., deve ier- ensaios de clumicns competentes, nao dei-
oartt.;-e onde se diz-declaracao probatoria, xam nenlinma duvida a este respeitO.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submelti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
n5o perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem cbimicos, que se
acham no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporcSo das substancias
estranhas que -e poem no oleo natural para
dissimular o clieiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
deve ler-sedilacao probatoria.
No sexio periodo, onde se dizse tractam de
urna questao, deve ler-se se tractasse de tima
mutuo;e onde se di'06 tenorum seutenlia -
deve ler-se06 temaren sententia.
Sou de Vv. Ss. amigo colaborador e amigo.
I) 11. ioAQiiM Jos'De Campos.
Recife., 21 de setembro de 1865.
?UBLICi$0E i PEDIDO
Caixa filial do banco do Brasil em
Peniaoiboco.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil no Rio de Jaoeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Bahi.
Voto banco de Pernam-
bnco.
O banco descootaletras na presente semana a
9 por cento ao aoo at o praio de seis mezes,
Novo basco de pernamboco.
Os administradores da massa fallida de Joaqoim
Jos Silveira pagara o 1* divideodo de dita massa
na razao de 9 0/0 sobre o valor des titolos ad-
mettidos : no novo banco de Pernambuco & ra
do Trapiche o. 34.
Caia filial do banco do Brasil em
rernanibuce.
De ordem da directora se faz pnblico qoe a cai
xa descoota os saques de sen aceite, pratieados
pelo banco do Brasil, pela tana de 7 0|0 ao anno.
Ogoarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
25:8485366
CONSULADO PROVINCIAL.
Reodimeoto do da 1 a
dem do dia 21......
20.
28:9255276
1:2165441
30:1415717
lllm. e Rvm. Sr.Aoezar dos fracos recursos
de que disponho por ter voltado d'uma emigraeao
forcada de micha provincia vou offerecer a V.
Rvm. aqueiles que posso, visto como consta me
que V. Rvroa. acha se emigrado para esta minha
jirovincia, como eu uur'ora estive oa de V. Rvma.
desecando eu hospitalizar bem a qualquer, que pi- propriedades medicaes e s a torna de um
za o meu lorro natal, imitando assim as naedes USO fcil e mesmo agradavel.
avisadas; offereco a V. Rvma. qualquer auxilio Ert resumo oleo de faado
qoe Me possa pre-iar aqui em mioha provincia, at- t /
tendeado a que muito me cende a sorte dos per
Kovo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto
videndo na raz5o de 84 por acclo.
di-
ALFANDEGA.
Reodimeoto do dia la 20......
Idem do dia 21...............
seguidos, principalmente pelo ahsoluiiamo.
Acredite V. Rvma. que sao filhos Les offereci-
menlos de um coracao eooduido da sorte infausta
de seu prximo.
Dispooha de quem de V. Rvma. irmo e vene-
rador.
Padre Galinio Firmo da SUveira Cavalcanti.
Recife, i de setembro de 18W.

de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de-baealho ordinario, que elle repre-
seota exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle 5o anoja e tomado peias
pessoas cujo gesto e olfato sao doi mais sos-
ce. t veis,
Hoje que o oleo de ligado de bacalho
240:9035456
11.9995700
252:9035156
MOVIMENTO DO P01T0
Navio sahtdo no da 20.
Rio de Janeiro e portos intermediosVapor brasi-
leiro Galgo, commandante o primeiro teoeote
Alves Araujo, carga differentes gneros.
Navio sahtdo no dia 21.
Rio de Janeiro Vapor americano La Portena,
capitao Henry Forttesoo, em lastro.
Observaco.
Nao bouveram entradas.
Consulado provincial.
O administrador do cousulado provincial manda
publicar para conhecimenlo dos devedores dos im
postas cobrados por lancamento pertencentes ao
exercicio lindo em liquiilaco de 1864 a 1865 a
portara do Sr. inspector da thesouraria provincial
em que ordeua que o pagamento de seus dbitos
s podero ser effectuados at o dia 30 do correle
ao meio dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 12
de setembro de 1865.
Autonio Carneiro Machado Rios.
Portara.
O inspector da thesouraria provincial recommen-
da ao Sr. admnisirador do consulado provincial
que. fjca annunciar urna e mais vezes, que o pa-
gamento dos Impostas do exeicicio prximo lindo
em liquidaco, s ser admettido al o meio dia do
dia 30 do carreute mez, para que as duas horas,
ao mais tardar, esteja recolliida a renda que se
houver cobrado alessa dia.
* Thesouraria oroviocial de Pernambuco 2 de se-
tembro de 1865.
Jos Pedro da Silva,
lospccco do arsenal de niarinba.
O arsenal de marinna engaja macliinislas e fo-
guistas para o servico dos vapores da armada.
Iospeccao do arsenal de mariuha de Pernambu-
co 18 de setembrj de 1S65.
O secretaria,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Onsellm de compros navaes
O conselho promove no dia 3 do correle mez
sob as rondiccoes do estylo e a visia de propostas
em cartas fechadas receidas al as 11 horas da
manha a compra dos seguintes objectos : 20 ar-
robas de ac, 26,000 azulejos, 172 barrinhas de
ferro de 8|8 de largo e 2(8 de grossura, 6DO folhas
de cobre de 28|o, 10 arrobas de estanho em verga,
8 lencoes de ferro de 1|4 de grossura, 420 tonela-
das mglezas de ferro bruto, 100 forqnetas de ferro,
10 duzas de lapes, 10 arrobas de mealhar branco,
600 libras de pregadura de cobre, 3 arrobas de
pregos ripaes de cobre, 2 grozas de parafusos de
metal, 4 arrobas de pregos ripares de ferro, 2 pe
cas de tapete, 6 duzas de tainas de cosladinho de
amarello, 16 duzias de taboas de assoalho de louro,
3 duzias de taboas de assoalho de amarello de 3
palmos de largura, 20 duzias de taboas de assoa-
lho de amarello, e 40 duzias de taboas de louro
para forro.
Tambera o conselho continua a promover em to-
das suas sessdes vista igualmente de propostas
em cartas fechadas a compra de madeira1- de coos-
truc^ao para um transporte de guerra.
Sala do conselho de compras navaes 19 de se-
tembro de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
EMPREZA--COIMBRA
6 recita da assiynatura dos 6 espectculos do
ador Simoes.
Sabbado 23 de setembro
de 1865.
Representar-se-lia pela ultima vez o drama em
2 actos e I prologo martimo, origioal portugus
do Sr. Cesar de Lacerda
A PROBIDADE.
Em coosequencia de se inulilisar a jangada da
Probidade para dar Ihe urna nova forma para o
aparatoso drann martimoA Senhora da Ronan-
gaque se acha em oosaus, a empreza resolveu
dar anda pela ultima vez a Probidade, para sa-
tisfazer a muitas pedidos.
Dar fim o espectculo a opereta em i acta
0 TO braz.
Comecara' as 8 horas.
AVISOS MiBITIMOS.
COMPANHIA
Navcgaco
PERNAMBCANA
DE
costeira pop vapor.
lina de Fernando.
No dia 28 ao meio dia segu
om _dos vapores da companhia
para o porto cima indicado. Re-
cebe carga at o dia 27. En-
commendas, passageiros, dinhei-
ro a frele at as 10 horas da raaoha do da da
sahida : esenptorio no Forte do Maltas o. 1.
Linha do Havre Per-
nambuco.
Esperase a barca Sphere que
sahio no dia 10 de agosto ao frea
de 25 frs. 10 V Recebe carga pa-
ra o Havre a fretes baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
set freres.
llha de 8. Miguel
A escuna porlugueza Erna preteude sahir impre-
terive'menie at o dia 30 do correte mez, e para
passageiros e carga irata-se com o consignatario
Joo do Reg Luna, na ra de Apollo u 4.
LEIL0ES.
LIILO
EOIflES.
549
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
I" Volamos entrados com fazendas.... 84
c com geoeros..... 463
Voluntes saludos cem fazendas..... 58
com gneros..... 619
------- 677
Descarregam no da i2 do corrente.
Brigue austracoGratitudine farinha de trigo.
Barca franceza Rio Grande -di versos genero*,
Barca naciooalVallecharque.
Brigue bespanbolCaritaidem.
A cmara municipal desta cidade faz publico
que em sesso desta data deliberou espacar para o
dia 25 do correte a arremataco de suas rendas,
aoounciada para o dia 16, devendo os coocorreo-
les a tal arremataco apreseoiarem as snas habi-
litacdes aio dia i9 para serem julgadas, sendo as
rendas de que se trata as seguintes :
Imposto de affericao de pesos e medidas.
Dito de 80 rs. por carga de farinha.
Aluguel de tainos dos acougues das ribeiras de
S. Jos e Boa-Vista.
A arremataco das demais rendas, annuociada
para o dia 20, ser feita oesse mesmo dia. Os
concrdenles a ella devero apresentar as soas h-
bil uacos at o dia 18 deste.
Pagoda cmara municipal do Recite em sesso
de 15 de setembro de 1865 Luiz Jos Pereira Si-
moes, pro presidente.Francisco Caoulo da Boa-
viagem, secretario.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da
imperial ordem da Rosa, juiz de direito
especial do commercio desta cidade do i
Recife de Pernambuco e seu termo, por j
Sua Magestade Imperial e Constitucional!
o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde
etc.
Faco saber aos que o presente edital
virem e delle noticia tiverem, que no dia
2 de outubro do corrente anno se ba de ar-
rematar por venda, a quem mais der, em
. Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o Presidio de Fernando.
Correntes de ferro proprias para calcetas, bra-
gas 50.
Brim branco, metros 632,50.
Algodo-zinho, dilo> 632,50.
Esteiras de palha de carnauba, 230.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos I
apresentemsuasproposta.se as respectivas amos-!
tras na sala do conselho as 10 horas do dia 23 do
corrente
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 20 de setembro de 1865.
O encarregado da escripturaejio
Manoel Jos de Azevedo Santos.
De mohilias, objectos de ouro e prata, sendo
correntes para relogios, aderegos, meios aderegos,
relogios do ouro e praia, trastes avulsos, cryslaes,
piaoos o outros mmios artigos.
HOVE.
Sexta-feira ii do corrente as II horas.
\o grande arioazem do agente
OAiYMPIO
36Ra da Cadeia do Recife:j<
LEILAO
De ama es rav i cora ama cria
Sexta-feira 22 d> corrente as i i horas.
OLYtIPIO
requerimento de Augusto Xavier de Souza Fon-
seca e mandado do lllm. Sr. Dr juiz municipal
da primeira vara, vender em leflo publico a es-
crava Rufina cern ama cria avaliada em 550. Se-
r effi ctuado o leilo no dia e hora cima no gran-
de arroazem do referido agente na ra da Cadeia
do Recife n. 36.
LEILAO
Sabbado, na audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz
provedor de capellas e residuos, vo a' praca os
prelos Joo, de 18 annos de idade, a Francisco de
40 annos, bom trabalbador de enzada e trepador
de coqueiro : quem nos meamos quizer laogar,
comparega uo lugar do costme, a i hora da tarde,
podeodo ver o escripto edital em mo do porleiro
do juizo.
Pela subdelegada do 2o districtodocorato
da cidade de Olinda se faz publico que do dia 16
do corrente foram apprehendidos em poder de Ma-
ooel Francisco Xavier, e Francisco Honorio da Sil-
va, cinco cvalos furtados, os quaes se achara em
deposita: quem for seu dono, josiidcaodo, Ihe ser
entregue. O subdelegado,
Manoel Dionizio Gomes do Reg.
Santa Casa da Misericordia
do Recire
Comprase para o muro que se tem de fazer na
frente do hospital dos lazaros, 25 milheiros de li-
jlos de alvenaria grossa e 1,200 alqueires de cal
preta : os interesados entendam se cora o Sr.,
mordomn Antonio Jos Gomes do Correio, em San-
to Amaro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-!
cife 21 de selembro de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
De movis, obras de ouro, relogio c
apparelbo de loaca
Cordeiro *Iiaeg
por conta e risco de quem perlencer fara' leilao
dos objectos cima mencionados
BIOJE.
as 11 horas em seu armazem a roa da Cruz bo-
mero 57. _____
Leilao
de fazendas eia contlanaeio
Hoje sexta-fdra 22 do corrente.
Linden Wild & C. continuaran boje a expor em
leilao por iolervengo do agente Pinto, um lindo
sortimento de fazendas francezas, ingieras, suis-
sas e ademaos muito proprias do mercado, e para
que Qoalise hoje o mesmo leilo espera a concur-
rencia de sens freguezes as 10 horas em ponto.
em seu armazem praga do Corpo Santo o. 13.
i i:is ao
De 1 escravo e 2 escrava,s,
Sabbado 23 de selembro.
O agente Pinto fara' leilo a requerimento da
inventariante e herdeiros de D. Loureoga Maria
da Couceigao e por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz
muoicipal da primeira vara, do escravo Eleuterio,
crioolo, Gertrodes, mulata, e Rufina parda, per-
teocentes aos heos da Onada D. Loureoga Mara
daConceigo.as 10 horas do dia cima dito em
seo escriptorio rna da Cruz o. 38.

'
1



T
Marlo 4c p raambiieo exta fefra 8 Je
fcro de fe.
LfilLAO
De am bol e carrooa.
Sabbado 23 de setembro.
0 agente Pinto far leilo a requerimente1. de
AntoniJ Cra-tantiuo Monteiro a por despacho do
lilra. Sr. D\ juiz municipal da primeira vara, de
urna carrocacom b>i, as 10 l|2 horas do da ci-
ma ditoem sea escriptorio ra da Cruz o. 38, po-
denao os pretenderes examnarem ditos objectos
na rna da Cruz em frente ao mesme escriptorio.
liElIitO
De urna taberna sita na na larga" do
Rusario ii. 18
Segunda-feira 25 do corrente.
O ageate Pestaa le,ralmente autorisado far
leilo por conta e risco de quera perieoeer de
lodos os gieros, anuario o mus uteneilios exis-
tentes na taberna sita oa ra larga do Rosario n.
18, a qual ser vendida em um ou mais lotes,
propria para onnciplante pjr ter pouco* fundos
e acbar se bem afregnezada, o bataneo acha-se em
mo do agente onde pode ser examinado com an-
tecedencia, tendo lugar o leilo segunda-feira 2o
do corrente palas 10 horas da rnaoha na mesma
taberna.
Leiliio
Da loja de fazendas da rna do Cr&po
numero 10
Massa fallida de Joa uim da Silva Boa-vista.
Martlns fara' leilo a requer meato dos curado-
res tiscaes da massa fallid* de Joaquini da Sil.-a
Boa-vista epir inundado do lilm. Sr. Dr. juiz es-
pecial do commereio da armacao e fazendas da
loja da ra do Crespo n. 10, pertencente a mesma
massa.
Segunda-feira 23 do corrente.
As II horas do dia, os pretndanles podem exa-
minar o mandado em seu escriptorio ra da Ca-
deia do Reme n. 9.
LEILIO
Da armaca).balea, batanea, gneros,
t-'iii;:t e mais objectos la taberna
da rea do Sebo n. 47
Segunda-fira 25 de setembro.
O agente Pinto fara leilo a requenmento de
Antonio Jos da Costa e Suva herdeiro e inventa-
rame dos bens do finado Joo los da Costa e
Silva e por mandado do lilm. Sr. Dr. uiz de or-
pbos d taberna da ra do Sebo d. 47, isto as 10
horas do dia cima dito na referida taberna, po-
dendo os pretenderes enteodererase desde j
com o mesmo agente, allm de examinarem o ba-
lango e concorrerem ao leilo.
De 3espelhos dourados, 12 eadeiras de amarel-
lo, 2 eoosolos de dito, 2 cadeiras de braco de dilo,
1 banquinhas de dito, 1 fiteiro de dito, 1 lavatorio
de dito, 2 ditos de ferro, 2 cabides, 1 qoadro, 2
machinas de ventosas, 1 aparelho de ferros para
denie>, 1 lastra de -n, navalbas, tesooras, esco-
vas, tollha*, jarros, badas, ventosas, penteadores
e outros ohjecios propriararate para olHcina de
barbeiro, isto
Seguada-feira 2o da corrente
as 10 turas'-m poni no primeiro anlar do so-
brado da roa da Cruz n. 31.
i;s *toaquliu de Souza Gon-
calves Coelho
qnereado acabar a sua offlim de barb-iro, far
leda ni da, hora e laxar cima designado e lo-
dosos objectos alli existentes e por interveocao
do agente Cordeiro Simoes.
LEILO
De um ba cuiu oupa.
Martms fara leiio por ordem do lilm. Sr. D".
Claudini de Araujo Guimarescnsul de Portugal,
de um ba com roupa usada, pertencente ao es-
polio do subdito porluguez Joaqun) Jos Moreira
Leito.
Segunda-feira 23 do corrente.
Em seu escriptorio, rna da Cadeia do Recite
n. 9 ao mi) da, onde haver tambem leilo de
dividas.
LEILAl
De dividas.
Hartins far leilo por urdem do Illra. Sr. Dr.
Glaudiae de A'aujo Cuimaraes cnsul de Portugal,
das dividas activas dos espolio* dos subditos por-
tognezes Custodio Luiz Gomes e Gaspar Pereira
da Silva na importancia de rs. 13:1304330, sendo
3:I610M pertencente aaespolio destee9:6892i0
ao d'aquelle.
Segunda-feira 23 do corrente.
Em seu escriptorio, ra da Cadeia do Recife
n. 9 ao meio dia.
tt-.CV*J~.**
ilISOS DIYESSOS.
Jos dos Santos Sira5es, sua mnlher e dous
filbos menores retirara se para o Rio de Janeiro.
Bazar volante.
Pede-se aos senbores assignantes que recebem
esta folha directamente do Rio de Janeiro, o faver
de mandarem sati.-fazer a importancia de suas as-
signaturas do Io e 2o anno, em casa de J. Falque,
ra do Crspo n. 4, uuico encarregado em Pernam-
buco, onde se entregar os recibo*, e onde se as-
s'E"a-______________________________________
M. A. de Araujo, Purtuguez, retirase para
o Rio.
o publico.
Precisa-se de una ama para casa de urna s
pessoa : no herco das Barreiras n. 3.
Ao Sr. Block.
Na ra do Livrameoto n. 19. precisa-se fallar
ao Sr. Rlock, negociante de joias, que andou a
pouco no termo de Serinhem, bem como prev-
ne-se que uinguem faga negocio com ama letra de
1:900000, acceita por Ignacio de Barros Wander-
ley, para Janeiro vindouro. ao dito Sr. Rlock, por-
que existem duvidas importantes, como consta de
documeotos, acerca dessa letra.
O padre F. AdelinodeBrito Dantas.residente em
Olinda, no Misteiro de S. Bento, offerecese para i
encinar a lingua latina no mesmo mosteiro, onde '
tem urna aula freguentada por alguos alumnos.
Se algmm quizer utilisar-se leste offerecimento
dtrija-se ao lugar de sua residencia. !
Aluga-se um escravo moco, sadio e sem vi-;
-co algum, para todo servico de urna casa, para j
cralo e entende alguma cousa de cosinha : a
tratar na ra do Hospicio n, 22.
Xa ra larga do Rosario n. 33 sobrado, dase
bolos de vendagem a 80 rs. a pataca.
Eecreio familiar
A partida de installagao ter lugar na noi-1
te de 23 do corronte.
A o publico.
Acaba de sahir de prelo nocoes do systema m-
trico decimal por Jos Antonio Gomes Jnior ; esta
obra contera as precisas taboas em que as actuaes
medidas de peso, capacidad-*, extenso se acham
convertidas ao systema mtrico, comparado a nnl-
dade nova a aoliga, alim de que os clculos no
commercio se execulem de um modo facilimo, pre-
cedido este trabalho de claros exemplo* de con-
verso, para que possmii ser comprehendidos por i
todas as iotelligencias : vende-se a \& as livra-
rias acadmica e universal, ra do Imperador ;
econmica, arco de Sanio Antonio; e em casa do
autor, ra do Destino n. 3, onde es compradores
de dez exemplares para cima tero um benecio'
na razo de dez exemplares por rento.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FO(50. 3t
A Companliia Indemnisadora
establecida nesta praca, toma seguros martimos
sobre navios esens cargamentos e contra fogo em
edificios, mercaduras e mobilias: no seu escfipto-
j jo, ra do Vigano n. pavimento terreo.
Precisase alugar urna e.scrava que saiba fa-
zer o servico interno de tuna casa de familia, ex-
ceto cosinhar : na ra da Madre de Dos n. 36,
primeiro andar, ou na ra da Cadeia n. 32, ter-
ceiro andar. ________
CASA M KRIMi
Aos 6:000^000.
Billietes garantidos.
, A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O abaixoassignado venden nos sens muitofeii
I tes bilheles garantidos da lotera que se acaboo
de extrahir, a beuellcio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os seguiotes premios :
I O bilhete iuteiro n. 2357 com a sorte de 6:000
O bilhete inleiro n. 60 m a sorte de 1:201$.
Um meio n. 1760 com a sorte de 4005.
E outras muitas sortes de 100, 40J, 20 e
109000.
Ospossuidores podem virreceber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2' parte da 1* lotera
(32*) bullendo da matriz de Santo Amaro de
Jaboalo, que se extrahir sexta fdra 22 do cor-
rente.
PRECO.
Bilheles .... 7*000
Meios......3300
Quartos.....1,3900
Para as pessoas que couiprarem de 1005000
para cima.
Bilhetes. ... 65500
Meios......35750
Quartos.....15700
,________________Manobl Martins Fiuza.
Precisa-se de urna preta que saiba cozinbar, I
lavar e eogommar: a tratar na ra do Livramento
n. 2, loja._______________________
Aluga se um inoleque de li anuos com prin-1
cipio de cozinha moli Del e sadio, proprio para
qoalqaer casa de familia pela conducta e edtica-
gao a tratar na cambia do Carmo n. 16.
[fo Hospital Portogoez precsale de serven-
les, qur sejam livres qur snjeitos : os que qui- i
zcrem dirijam--e ao mesmo Hispital, no Cajueiro.
Empresta se por lempo de um anno e com i
hypotheca em casa nesta cidade, a quantia de
3:0005 ao jura de i 0|0, pago mensalmente : na
loja da rna larga do Rosario n. 20 se indicar a
pessoa que faz este negocio.
.\o mez de abril do corrente anno fugio do
engenho Iodia de cima um escravo crioulo de no-
me Sehastiao, de idade de 30 3nnos, pouca barba,
altura regular, cheio do corpo, cor alguma cousa
vermelba ; o qual partencia a Luiz Augusto No-
gueira, e hoje lie perlence por compra que fu ao j
mesmo : quem o aporehender leve-o a ra da Ma-
triz da Boa-Vista n. 13, que ser bem recompen-
sado.Jos Joaquina de Aguiar.
Cozinhiro.
O Hospital Portuguez precisa de um cozinheiro :
quem se julgar habilitado e quizer contratar-se,
entenda-se com o regente no mesmo e>tabelecimen- !
to, ou com o Sr. provedor na ra da Cruz, arraa-
zem n..... ________
Na ra do Imperador n. 83, segundo andar,
precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira, para
casa de hornera solteiro, preferc-se quem saiba
comprar.
Precisa-se saberse viva, morta, ou qual o
fim que ha levado urna senhora por nome El iza
Carolina de Albuquerque Maranho, lllha legilima
do finado major Lopo Jos de Albuquerque Mara-
nho, do Rio de Jaueiro, lera nina irma casada
como capilai Francisco Henriques de Noronha, e
outra com um Dr. morador la para a Parahyha do
Sul, para onde consta ter seguido essa senhora.
Ella foi criada na Bahia, .onde casou-se cora Joa-
qnim Antonio Crrela Negro : quem souber, se
digne responder pelo mesmo jornal, pois a bem
da referida senhora. ____
Na ra do Crespo n. 16, primeiro andar, I
compram-se libras sterlinas e moedas de ouro bra-
sileiras.
__-------------------------------------------
Precisase de urna ama que tenha born leile,
paga-se bem : na ra da Praia n. 53, tereeiro
andar.
Precisa-se de-um menino para caixeiro de
taberna : a tratar nos Coelhos defronte do Hospi-
tal Pedro II, taberna n. 17.
DlODUJaETO DUPLO
de FERROeQUININA

MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEHIIA KM PJERJAlffIIU0
Era casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz d. 22.
Os elementos que compoem esta preparaco, o
ferro, o iodo e a guia, a colloco no primeiro
grao das preparaces ferruginosas. Hasta alfeslar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes. e os relatnos dos prlicos mais omnenles,
que confirmro sua poderosa efcacia as se
guintes affeccoes:
Mlnjo no aangae,
FraqueBa,
Anemia,
Chloraae ou Ictericia,
MriiHlruo,
Affi'i-riirs do tero,
Snppreasoen dan re-
Kr^a e desordena na
menatruucao,
Affecrao pulmonar e
~^ ptiibUIra,
MoleailaHd'ealdniugo,
Gaatralftla,
Pcrda d'appetlte.etc,
ConTalencencadeloa
ftaa molestias,
Noif.stlUH CSCIOfulO
aa,
Papelra,
Obnirncrao da glan-
iIiiImn,
Humorea frloa,
Tiiniori-H Itruncos,
nnrhltlrtiuo,
Affeerea cancerosa
c sy|ilillitlcns,
Felire typUoldes,
Bcxlsas, etc., etc.
VejSo-S'. os bullelins de therapeutica medica
e cinirgica de 30 de novembre 1860; o Gazeta
dos hospitaes de 28 dejuiko 486'>, etc., etc.
Alm das pilulas de xodureto duplo de ferro e df.
quinina de Rebillon, os Mdicos acousclhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Fste xarope nao tem
comooxaioped'ioi/r/oi ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nSo poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca cm casa
dos pbarmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificacScs, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
* 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes 'strangeiros, etc.
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S
PASTIUiASI
IGESTIYAS
DcPEP^IHAI
1
=fe:WlMAf
DOENCAS
dos MENINOS
Dlurrbcas e a connll-
puro 'proiluff.ldas
pelan elabnracoes
alereiluoMUdosall-
mentus.
'As pasiilhas dim'stivs cmn a pepsina de
WdSTwn, oinprego se com successo h j,1
Mg)U)s annos. pelas celebridades medicaes"de
I'j:s. Londres. Vienna, etc., cm todas as.in-
commodidades cm as qitCsadiccsUio 6 dilficil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivel: cis
o melhor remedio para cural as.
(antralwlt.*,
Dlspenslas,
EuiltiirixoM gstricos
A gaNt-il4-,
Aa aifcccocs orsiinl-
r:iM ilo *Mlnmfi:;fi, I
Sua ac^-ao vivifica o sangue c -os chaos de
tal sorte que, atli as pessoas quefiaj^ sofrvr
as alTccgoes gstricas cima iiiRnftapadas sao
nicamente iracas ou .d'tnn taflpWicnto um
pouco dbil, o n**PSsiiao~3gjttilil alimento
para foriificar-sc, aetiao^'aJMpijp das pasil-
lias dtpepsina de Ii'ttsmfit^Spi.'poderoso meio
para a isso ebegar.
Aviso importante. flrliccossodas pastilhas
pepsina de Wasmaniicu causa a se fazerem
falsiiicafes e imita(|0esd!es$Q producio que os
mulos se qucrimi csiazei'. Pois por ialia
d lima boa preparacjSo a pepsiyu que n"ella
mura, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'csle
incoiiveniciite, cxigiudo os compradores que as
pastilhas tenliao as imciaes B. P. e saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
211 l'aubourg-Montmartro, e em todas as boas
pharmacias de Franca e dos pai/.es estrangoiros.
CURADAS rLOS
XAROPES DO DOTOR DANET
V 1. Contra aa CLICAS DOS MENINOS antes
e dnrante a dentleao
(Xarope de crnoglosse e de acido succinido)
N* 2. Conlra a TOSSE C0NVUL9A e a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de snccinn
N* 3. Contra as CONVL'LCOES DOS MENINOS
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Pars s5o em-
pregados com grandissime- successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e vicrao cncher um
.cuo importante na therapcatica, no que toca as
affeccoes da infancia, para as quaes, alh boje,
ainda se nao pode indicar tratamento raconnal-
nenj infallivcl.
(Peca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preco do frasco em Paris. 3 ff.
Para se evitarem as faisificavocs. exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Pramjt
e dos paizes eslrangeiros.
Os granulos de bismulh de Chevrier em supe-
riores a todas as outras prepararles de bismulh
empreadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
DE CHEVRIER
MotcMlus de ligado,
A Ictericia,
Pr.lpltneo do corac&o
Odres nos ras,
Mas dlgcstoes,
GastrKes,
Gastralgias, ce,
Dlarrheas chronlcas,
DysscntcrlaS,
Dores d'eslosilKO,
Dispepsia,
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
irritacoes de ucziga e e em lodas as pharmacias de Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros.
OpprcSCOei,
Dores de cabrea,
MASSA e XAROPE
DB CODENA
M
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris. tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro conlra todas as
dores nervosas e tenao a propriedade de
calmar com admirare 1 rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico defluxo, coqueluche OU
losse convulsa, bronchitc e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar quulquor
falsicacao, exigir em
cada produto o nome
t a firma Bcrtb.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
/iua Stc-Croix-de-la-Bretinneric.
WILLART e BERGER, comisarios em drogara, 11, rna Saint-Lazare, Paris.
BmmsmmmmmmMmmmm
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SulToccco nervosa e Oppresso
Unieo remedio cfficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar om attaqne d'asma e impedir a
volla o Xarope aromtico de Succino (mbar
arnarello) do Dr Danet. Descobcrta interamenie
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admirareis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grcneile, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
MA GRANDE DESCOBERTA
MEDALHX
DE
HONRA
As propiedades medicaes do oleo de figado de bacalao foro unni-
memente reconhecdas. Mas seo chero e seo sabor tao desagradaveis
tornio o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos c aos mais cendescentes.
Por isso a descobcrta do Snr. Chbvrier que Ihe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido nm dos mais felizes problemas resolvdos pela
therapeutica moderna.
O oleo de gado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agraduvel c um sabor as'sucarado, o nico que nao
tem nem gosto ncm cheiro de peixe.
Objecto de numerosos rclatorios scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos cm
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
m
** fjR'
- /;
m
m
^

Molestias escrofulosaa,
narhitistuo,
Obsirurco das glandes,
Tsica pulmonar,
Molestias da pelle,
Conatltaico lymphatlca,
Anemia, debllldade, fraqiieza,
Maicrrma,
Tobreza do sangue,
Esralfamenta por excess* de
traltalho ou de prazeres,
Molestias dos lironclilos recen-
tea ou ebronlraa,
Tosses pertlaasea,
Gaatrites, gastralgias,
Dores de estomago.
Elle convem a todas as compleices e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaco das criancas ftacas e doentes
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observacoes medicaes.
Deposito em Pari%, na pharmacia de ChevTier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a ac?o to efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparaees ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quemes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com aova descoberta do Snr. Chbvribr, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeueos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
1 DEPOSITO D CALCADO fe
FAHHiC.lDD KA CS DE DETENCAO &$
Hia .Aova c. 4..
Ah se euconIranio obrs Je di-
versas qualidades, e por preco mu
diminutos, a retalho e em purgues.
S se rende a dmheiro.
wmmks :mm&
Precisa-se
de um felor que emenda d jardim e plantacoes :
a tratar no Mondego", casa da vitiva do commeuda-
dor L. G. Fi-rreira.
Ansentouse du engenho Frecheiras, fregu
zia da E-c.ida, no riiaegundafeira 11 do frren-
te, o esrrsivo de n^me Cosme, crioulo, idade ile 20-
e tantos aste, e.Maiura baua, ebeio do corpo, es-
paduas largas, falla um pouco manso, e levuu ca-
misa e rai^a de algodao riscado, chapi) de paiba;
rujo escravo foi 'lo Sr. Jos Fereira de Souza, la-
vrador do en|ienho Itainlia dos itussos da dita fre-
grzia. para rujo logar provavel que se tenha
dirigido por ler sido cria do dilo seobor, e foi ven-
dido Beata eioade ao Sr. io< Rodrgaos dr Sena
Santi).-, em jiinho prximo passado pelos Srs. Mutta
i litn fru por autorisacio do dilo Sr. Jos Ferrei-
ra : roga-se as autoridades competenU-.s e pessoas
particulares de o aiipreheuderem e dirigirem-Sfl ao
referido engenho, ou a ra i!.i Iir ptrador n i?,
lerceiro andar, que se recompensar.
OSr. Joau Miguel de Ohvc.ira eraido queira
dirigir->e a ra Nova n. 60, a tratar de nt-oeit-s
que Ihe dizem respi ito.
1 RETBiTISTAS

Firmiiio & Lins
m
II?
^3 a m
o 2
v BE 3? S
0 a \ cb
=3 g.^ i
1 s- S 2 3
?revo estabelciiue"io le retifl-
los n \ova n 15, Tan-
dar, joule ao Si', (antier,
dentista
m
d
nao.
Tiram retratos todos os das, das 7 horas
inanha as S da larde, quer chova cu A
en tn
oa
r o. -i
to o
O
CD
P 2 "^
= a 2 ^ *
. =3 3 S 5?
3 2 b oj "'ocj
u
B."2
O
5' B
'- B
09
tr. a,
05 Sil
O
"
C tul
i-
o,
3 a
I*
i as
Tambera se offerecem para trai reir- ,
9| tos de pessoas (alii cidas, dentro ou fora Jfg
da cidade. >jj
Os annnnciantes desejando acreditar o g
seu estabelecimento, garantem ao publico ;flg
que nenhum trabalho sahira de suaoffici- jg
na, sem que nao seja perfeitamenle acaba *-*
do, e a vontade do freguez. H
Ama
00
lotera kiimm
AOS 6:000#000.
Corre no dia 99.
Acham-se venda na respetiya thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meio (33a) a beneficio d-i Instituto Archeologico, j
cuja extrac?ao ser no dia supra menciona-
nadi no lugar e hora do coslume.
Os premios de 6:000i$00 at 105000 i
serao pagos urna hora depois da extracelo
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicSodas listas.
As encommeadas sro guardadas so-
mente at a noi te da vespera da extraerlo
-como de coslume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Aluga-se a casa terrea da ra do Pi-
lar n. 10, com commodos para familia, a
sala da frente asso^lha la : a tratar na ra
da Cruz u. 35, segundo andar ou na ra
do Vi gario n. 12, onde est a chave.______
De rlara ca).
Acha-se contratada a compra do predio cito
raa dos Coelbos n. 8, no hairro da Boa-Vista, o
qual pe'teceu ao linado Anacleto Jos de Meodon-
ca, e hoje oertence aus Srs. Antonio Carneiro da
Cunha e Amerieo Jos da Silva. Quen tiver qail-
quer allegacio a fazer sobre sua venda, queira
apresenlar sua declaracao ao Sr. procurador Al-
baqu-rque, na raa do Imperador al qaaru-feira
47 do corrente.
Anda precisase de urna ama de leite sem
fllho ; na roa do Rosario estreita n. 10, segundo
andar.
S0UE1UUE
DOS
ARTISTAS MECHAMOS EL1REK4ES
OH
PERNAMBUCO.
De ordem do film. Sr. director interino, o secre-
tario desta corporaco convida todos os senbores
; socios para asslslirem a urna sessao extraordina-
ria no dia 22 do corrente, na praca da Boa-Vista
' n. 16, as 7 horas da tarde, visto como nao pode
ter lugar naquelle j conhecido.
Tendo os Srs. Block A Irmao apparecdo era' Secretaria da sociedadedos Artistas Mechanicos
mea enbenho Pirauhira, com recoramendacoes, e e Liberaes de Pernambuco em 21 de selembro de
do modo por que sabido por quanlos teem sido 1865.
victimas das suas impertinentes instancias, havea-1
do conseguido que eu Ihes comprasse algumas j
joias no valor de l:920j>, para cujo pagamento pas-: ------
sei-lhes ama letra desta quantia, a veocer-se em
Janeiro vindouro, acontece terse reconhecido que
o valor das ditas joias muitissimo inferior ao
Basilio Barros
Secretario interino.
BH1
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do irapera-
K dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
;' _. gabinete de consultas medicas, logo ao
< ^ O mesmo doutor, que se tem dado ao
j estudo tanto das operaces como das mo-
-gg leslias internas, prestase a qualqiier cha-
?^ mado, quer para dentro quer para fra
j| da cidade.
Alfonso Jos de Olivera avisa aos pais de
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia Acabar com os Para-1
guayos a bayoneta, a mini, a revolver; i
fulmina-los com os encouragados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
l'-io e a punhal de que se trata; mas
nioguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos coa as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com elles a tacSo e a pona
ps, para o que necessario encouragar esta
seus alumnos que se acha morando oa ra estreila parle do nosso corpo com os formidaveis
do Rosario n. 31, 3* andar. rompe-ferro, esmaga o.bra, arranca ti eos,
quebra marmore e outros que se veodem
que elles estipularam; sendo por consegrante sura- q^q />Qnif'1ao fia oarvinr a a'
mmente lesiva semelhante venda. E portanlo aUS liA\)lUWb Ut! Ullltp J *".1^
sendo reqoerido deposito judicial das mesmas joias Iiolit'i'l
afim de intentar acgSo de rescisio de tai negocio, puilvla
venho pelo presente declarar que ninguem faga 200s000 transaccao com a mencionada letra, conlra cujo
pagamento desde j protesto.
Roque Ferreira d Costa.
Bibliotheca Litteraria.
Fara esta pubticacao semanal assigoa-se na roa
do Caboga o. 2 e na roa das Crozes o. 33, i.s
andar.
Casas para alu^ar-se
Aluga se urna boa casa nova, muito fresca,
de varios commodos para familia, quintal grande
enturado, boa cacimba de agua de beber, no me-
lhor lunar da Capuoga : a traiar na travessa da
matriz de Santo Antonio n. 8._______________^^
rece se urna ama para o servico interno
de urna casa : na ra das Trincheira Di!-s
No primeiro neceo da cambo do Carmo, viudo
pela raa Nova, existe urna casa terrea para alu-
gar-se ftela quantia de 105 mensaes : tambem se
aluga a loja do sobrado da ra do Caldeirelro (em
armazero) n. II, pela quantia de 12 mensaes : os
De-appareceu era principio do me de oulubro
prximo passado, de bordo do pilbabote nacioual 'j _j ^ j \m^ ,*>
Arroto Malo, dous escravos de. nome R-6wlo, por I (f anne| de bri|nanle em a noile de 20 docorreo-
appellido Macera, e Miguel, o l'de idade annos, no ,nealro de San(a ,Mbii| ou em a) fc,
pouco mais ou menos, crioulo, cor fula, e.-ntura rQas ajawnles quem e liver a(.,)itao e quizer ter
balsa barba cerrada, nm pouco torio das pernas, aconsciencia ue 0 reilj,airj dirij? M a raa do lm.
e com aleaos cabellos brancos, Unto n. barba o- |or 9 prinviro andar, que sera gratifica-
mo na caneca ; o 2- alio, afecta do corpo, sem bar- J geerosameie com a metade do seu valor.
ha, falla grossa, representa ler de 2o a JO anno;;, c-------------------------------------------------
cojos escravos desconfla-se andarem pelos arrabal-1 Precisa-se de urna ama para casa de pooca
des desta cidade : quem os apprehender, queira | familia : ca ra da Concti^ao n. 6.____
a bordo di dito
levar a ra do Trapiche n. i.
navio.
ou
Aluga-se
pretndeme? podem entenderse na ra do Irape- \ Uma casa terrea em bom estado, com commodos
Convidam-se a todos os irmos da confraria
de N. S. do Livram Tito a compareccrem no dia 2a
I do corrente no consistorio da mesma, para a elei-
4 111 A U1II1TA-45
BorseguinsJ;Bordeaux........ 850iT0
patricios......... 5^000
para senhoras, en-
eitados....... 5500
com laco e flvella .. 4#>i()0
Sapatoes encouracados....... 5^0J0
B irseguins para meninas bom
elasteo.................
Sapatos de lona, sola elstica.
3,-S000
2iJ0ii0
1560"
10600
avelludados
de tranca
econmicos para se-
nhoras........... i500
com salto de lustre.. 2:$240
Chineles do Por o.......... 10600
Um completo sortime: lo de calcado da
trra para horneas, senhoras e meninas;
assim como bezerro francs, couro de lus-
rador n. 73, loja.
Ama
Quem precisar de cma ama para todo o servico
de uma casa, a qual engomma bem, e muito fiel,
dirija-se a raa Imperial n. 84._________________
A pessoa que perdea na noile de 17 do cor-
rete uma pulseira pequea de ouro, no claustro
da ordem terceira de S. Francisco, procure no se-
gundo andar do sobrado n. 7 da ra do CabuO,
que dando os signaes Ibe sera eniregue.
para familia, na ra da Alegra n. 28
ra da Matriz da Boa-Vista o. 5i.
a tratar na
Aluga-se ama casa terrea com 2 quartos, 2
salas, cozuiha, quintal, cacimba, por 124 nina dita socio,
com melhor comraodo, com agua de beber : ambas
a tratar no sobrado ao norte e junto a fabrica
do gaz.
Precisa-se de um menino de 13 a 15 anaos rada a uma pessoa que entre com alguma quantia,
para caixeiro de taberna, com alguma pratfca i oa e tenha pratica do mesmo negocio : quem quuw
raa da Guia n. 59. 1 anuncie para ser procura Jo.
cao de. outro juix, vist i nao quererem alguos mem-,. marrnnnin bros das arles mechancas que o eleiio e impossa- 're' marroquins, tanas e loaas as quaii
do no dia 17 do corrento continu, nao obstante o dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
que ja obraram com a mesa de S. Jos de Riba- sola e ODuros que tudo visto necessariamen-
mar, querem fazer o mesmo no Livramenlo, como te faz cebica ao comp ador pela barateza.
preseacioa toda a visinhanea, nao obstante ser elle___________________\______ r
A tenca
Da se interesse em uma taberna ben alregue-
Aluga-se a casa n. 17 da ra do Mondego,
com 3 quartos, com cano para despejo, e junto do
portao. da olaria n. 13, que se d licenca para ba-
nho. e mais. despejo, ole.: a tratar na dita olaria
o. 13. na mesma roa. ____________
Aluga-se o sol rado de um dar cito a roa
Imperial p, 162 & miar na. toa. Direita a. 84.
Piecisa-se de uma ama que cozinhe para uma
pequea familia : na ra da Santa Cruz n. 5*2.
Joo daSilva Ramos, medico, me-
dico pela universida le de oimbra,
d consultas em sua casa das 9 as
11 horas da manhaa, e das 4 as 6
da tarde. Visita os doentes em suas
casas regularmente as horas para
isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em
qualquer occasi5o. D consultas aos
pobres que o procurarem. no hos-
pital Pedro II, aonde encontrado
diariamente das 6 s 8. horas da
manba,
Tem sua casa de sade regular-
mente montada para receber qual-
quer doente, ainda mesmo os alie-
nados, para o que teta commodos
apropriados e nella pratica qualquer
opperago cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe. .30OOU diarios.
Segunda dita... 30500
Terceira dita .20000
Este eslabelecimento j bem
acreditado pelos bons servifos que
tem prestado.
fO proprietar espera que elle
continu a merecer a confiar ira de
1
[que sempre tem gozado.
'
D'asso e chiistal. etogaates en-
feitos para senhoras.
Pelo ultimo vapor da Europa inadame R. Adour
receben om completo sortmvnto de enfeiies de
ac e chrisial para senhoras, consislmdo em ricos
diademas, denles, brincos, broche pulseiras, bo-
t<5es e urna inflnidade de enfeiies de apurado gos-
to, anda nao visto n'esla cidade: as ue.soas que
pretenderem comprar, dirijam se ao sobrado de %
andares, ra Imperial n. I, peno da matrii nova
de S. Jos, para escolherem a seu gosto, visto uo
se poder dar amostras-, das 10 horas da manhaa,
al 4 da tarde.
R. bffQOOT
Gratflca-se com a quantia cima a quem vier
echado uma coohoriinha branca e felpuda, a qoal
desencaminbou-se do banco oa Boa-Vista ao de
Santo Antonio, e quizer eniregar a ra do Trapi-
che n. 38.
Mi
111 I* a#ll II-


Mtrl 4 Jr'rafe.tbaa e**a lera II4 *ete_abro 4e !.
ANACIOM
Companhia geral hespanhola# de seg^fOS
sobre a vida
T
1j
mutuos

\UtOWS\DAPELO REAL DECRETO DE A DE DEZEMBRO DE 1859
ma Sanca em dioheiro, depositada ao* cafr " companhia.
WRECgO GERAL
Madrid : Ra do Prado I
ft\wlrtao da
BANQUEIROS DA COMPANHIA"
O Banco de Hespanha
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinares de superviene! dos stgo-
sobre a vida.
Nella pode se taier a snbscripco de naneira o,ae en nenhum caso mejoro icr n c i u dos
gurado se perca o capital nem os jui-oscoiTespoadentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados qoe protfn-im as sociedades da ndole de A NACI
DAL, ces e combinando-o cora a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh--
para seus clculos e liquidares, em segurados de idade de 3 a!9 annos, un imporsiclo annua.
de 100* produz em eftectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:119*300
. de 10 .......3:941*600
. de 15 .......11:208*200
. de 20........30:256*000
de 23 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
ProspecDs e mais iuormaeoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaqom Fiuza de Oliveira, ra daCadeia o. 52, ou a Boa-Vista rna da Intperatriz n.!2,estabet
ment dos Srs. Raymundo,Cark>s,Leiie & Innao.
LIQUIDADO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
Creme
Sorvete de creme hoje ao meio dia : na ra do
Trapiche n. 18.
Aluga-se a casa confronte a S. Jos do Man-
coioho : a tratar na roa Angosta n. 26._______
Antonio Francisco de Meneies faz publico-
que resolveu cansar a procurarlo qne deu ao Sr.
Benlo Caetano Muniz Vieira, para nao poder mais-
tratar desla dan em dlante de seus negocios. ,
I !
entista de Pernambuco.
S
a mmmm s mmm mm
O Dr. Cosme de S Pererra oonti-
na a residir na roa da Cruz n. 53,
Io e 2" andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
. 2o de peio,:
3o dos igaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordena de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olbos.
Dar consultas todos os dias das m
6 as 10 da manha, menos nos do- o
mingos.
Pratiear toda e qualquer opera-1
flj Cao que juigar conveniente para o I
3H prompto restabelecimento dos seus gg
doentes. $g
Pharmacia especial Irameopathica, do
Dr. Sabino Olegario !.. Pinho.
RA KOI* A. 43.
Vendem-se por precos commodos, os melhores
medicamentos homeopathicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubos, glbulos inertes, chocolate ho-
meopatbico, escovas elctricas, apparelhos para la-
var os olhos, etc., etc.
Vende-se o Thesouro homeopathico, a melhor
obra que existe para a patrica da humeopalhia.
O Dr. Sabino da' consultas todos os dias uteis
desde 10 h ras do dia at duas horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as circuns-
tancias a; exiglrem.
Os pobres -ao tratados gratuitamente.
mm wwm
Casa de banhos -
Largo do C'aruio n. 26.
Este estabelecimento tao )>em montado
na sua origem achava-s de ba muito
em quasi completo abandono pelo pouco
SALES
sobre Lisboa
Jos da Silva Loyo & C.
Porto.
e Porto. .
sacam sobre Lt&oa e
Rna estre'Ha do Rosario n. 3,
ao p da igreja
"francisco PINTO OZOHIOi
5 Colloca denles arfifleiaes 5
pelos sj h(ciuas mais nio- I
m aeraos
Emprega iodos os meios scienlificos para
cooservar os naturaes. Pode ser procura-
do em seu gabioete das 9 horas da roa-
nhaa as o da tarde.
iiaangaita
" coMTisr "
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Pars, Londres, Birmingham, Manchester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condices
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inteira-
meate liquidar e ler de partir mui breve para a Europa.
Ha neste vasto armatem ric s objectos com brilbantes, como botoes, aopeis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correntoes, anneis e muitos otilros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
; pksto sortimento de fazendas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfumerie du mond lgaut), Violet, Societ Hygienique, Mompelas,
; Mailly, Regenier, P. Gaeland, e inglezas de Eug. Rimmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na
China e no Jap3o; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfeite- e adornos para cima de consolos e para grande loillette, o que se tem
feito de mais elegante em Paris, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha ecaf, os quaes em
nada sao inferiores prala, e muitasoutras peas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senbo-
' ras, excellentes luvasde pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf- ditos para juntar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
; no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavoli & C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para salees e ditos com figuras em movimento; mode-nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
; theatros ou salees, ditos de phantasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; stereocopios de nova in-
vengo e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sorlimento da brinquedos finos para enancas, e
bonecas fallando papae e mamae; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
merecido toda a aoeitacao na Europa, grande e magnifico soriin ento de ca'xinhas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fins coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
, figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, Gnos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
Ama. proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cutelaria fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas.
Precisa-sede uma ama para cozinhar m casa ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivet-s e outros arligos, diversos artigos feitos de rame; completo sorlimento de Compra-se ouro, rata ejodras preciosas,
de pouca familia : o pateo da ribeira de S. Jos mascaras de velado, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos ^
numero2o. os tamanhos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
Aluga-se urna grande casa terrea cara soiao las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para bater ovos, proprias para quem faz po-de-l, bolinhos, etc.;
na ponte de Uchoa, a beira do rio : a tratar no ar- pannos pari, cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violos finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galaniarias e outras uecas de cha rao para toillette; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas ; lindos baloes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para illominaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 60.
ma
nm d. i.
m
m
m
m
m
interese de sua admini-tracao.
jj- Hoje que o novo proprietario empre-
* gou todos os meios para restabeler a
jpS grandr utilidade deste estabelecimento, "M
< pode assegurar ao publico que qualquer >
SW que seja o numero dos concurrentes R
S acharao desde j promptido e aceio nos 9g
baiihos trios, momos ou medicinaes, a "
jff casa dos banhos se achata aberta todos ^
mm dias das 6 horas da mauhaa as 11 da
ci* noite.
i Precos.
Banho de choque....... 500
** Dito fro ou momo..... 500
m Dito de farello......... 15000
Dito medicinal ser se-
*W gundo sua quahdade.
,^; Assignatura.
^B Por mez banho fri ou momo. 105
SR 25 cartoes f.ara banho fri,mor-
%jm no ou de chuvisco..........10
^,' 12 carioes para os mesmos... $&
* 12 ditos para banho de farello. 105
mM$:mm wmmm
Na ra da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com aceio e promplidao e por prego raioavel.
MU PE1XE
RELOJOEIRO !: VOIRADOR
20RA DO RAyGEL'iO
Participa a seus amigos e fre-
guezes queacaba de receber mag-
niticos relogios de ouro e prata e
correles de ouro para relogios
do mais apurado gosto.
Concerta relogios de qualquer
Fraacrseo Jos do Rosario
Barroso,
antigo relojoeiro, tem a honra de
scientificarao respeitavel pubnco, e
principalmente aos seus |freguees.
e nmeros is amigos, que tem mu-
dado a sua residencia e estabeleci-
mento da ra Bella, para a da Roda
d. iO. onde como sempre esl
prompto para aviar todo e qualquer
servico perteneente ao seu officio, e
isso j se sabe por precos commo-
dissimos.
IR
NO GRANDE AR-
MAZEM.
PERFUMA
EXPOSICO DE
LONDRES.
m
Para completa I'quidacio vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes segointes: E' g. Rimmel, R. Matheus & C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafiuhas e vidros de differen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer
Aluga-se o soto do sobrado n. 62 da roa da presentes, e muitos outros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
Guia, com 2 janeiias de frente e muitos comino- armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
dos : a tratar no pnaieiro andar.
Jos Candido de Moraes, Thomaz Fer-
nandes da Cunta Jnior, Joao Francisco
de Carvalho Jnior, Ilisbello Barbosa da
Silva, Luiz Alfredo de Moraes e Ernesto
Adolpho Valluccy Rolio, collegas e amigos
do bravo guarda marinha loaquim Candido
do Nascimento, que to glorios mente suc-
cumbio a bordo da caoboneira Yptranga na
passagem de Cuevas, sentidos da mais pro-
funda dr convidam a sua familia, collegas
e amigos para assistirem a urna mlssa e
memento que teem de mandar celebrar na
igreja do Espirito Santo, sabbado 23 do cor-
rele pelas 7 l|2 horas da rrunhaa pelo
eterno repouso de to caro amigo que he-
roica e generosamente soube ceder a vida
a sua patria. E desde j agradecem cor-
dialmente a todas as pessoas que compare-
cer* m a este acto de religiao e amlzade.
Ricos e modernos pentes de tarlaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente:. vende-se !i!ipu,u "la capa te"ea com.as commodidades
nc Aa con naln* niri oa 11, >,, I qV nn nronHa irmiiam ta Ptnnicn t. I nnHroc no mi fio PiHa! An Vanitn n ftA precisas para uma grande ramilla,
Penltimo recurso
Roga-se ao Sr. Joao Baplista Pinheiro
Corle-Real, estudaute do 5o anno da Facnl-
dade de Direito, o obsequio de dirigir-se
aocollegio do Rom Conseiho, a negocio que
nao ignora.______
m
m
Claudino da Silva Ferreira, seus irmos,
ennhados e sobrinhos, summamente penho-
rados pela espontaoeidade com que se dig-
naran) seus amigos e prenles assistir ao
sahimento de sua sempre. chorada mi, so-
gra e av D. Serafina da Costa Reg e Sil-
va, vem Ihes respetosamente agradecer e
rogar Ibes da mesma sorte sju comparec-
ment as missas que por sua alma se ce
lebrarao na matriz de Santo Antonio a 22
do crrente as 5 horas da manha.
\i

cao.
Francisco Garrido, antigo proprietario do hote
Trovador, silo oa ra do Rosario, de volla de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
ies, tanto desta capital como
PARA SE*HORAS,
iruga para tranca de senhora, o que se tem feito d
or menos de seu valor para se liquiia\no grande armazem da Exposico de Londres, na rm da Cadeia do Recife n. 60.
f IiUVAS IOVAS RE JOIVI\.
! Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOCR I IMII.t.
No grande armazem da Exposico de Londres, ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da fmperatriz loja de .Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de- Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Gnimaraes.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAS RE PERNA11RUCO.
Tiradas na occaso em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1659 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre do Arsenal com a illuminac5o na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ra do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
VIACiEII A9 EUROPA,
Stereoscopios de nova invencSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidacSo no grande armazem da Exposico de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
Compra-se efectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem: na roa larga do
Rosario o. 24, loja de ourives.
Silvino Guilherme de Barros compra e vei-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terreiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praga da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
ta~
s: na ra da Cadeia do Recife,
leja de ourives no arco da Conceicao.
Compram-se moedas brasileiras de 20 i
21$ : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Joi-iiaes para embruiho.
Compra-se na fabrica de cigarros antiga ma dos
Quinis de Pulicia n. 21. a 140 rs. a libra.
Comprase carosso (sement) de algodo : no
armazem de algodo de Saunders Brothers A C,
no caes de Apollo.
Compram-se moedas de ouro biasileirasde
50, 10JI, 160 e 200, com 6 por cento de premio, e
tambem pegas portoguezas de 90 e 160 com 5
por cenlo ; na praca do Corpo Santo n. 4, primeiro
andar. ________
Oncas hespanholas e da patria : compram-se
na pra?a da Independencia n. 22.
Compra-se nma pequea casa com bora quin-
tal, ou mesmo um terreno nos suburbios desla ci-
dade, sendo terreno proprio : quem qoiter annun-
ciesua morada.
Um sobrado
Comprase um sobrado de um andar ou urna
casa terrea com commodos para familia grande,
nos bairros de Santo Antonio ou Boa-Vista : na
ra Nova n. 37, loja, se dir quem pretende.
Comprase um sobrado de um andar na fre-
guezia da Boa-Vista desta cidade, ou no seu arra-
. que tenha sitio
ou quintal com arvoredos : a tratar oa ra da
Imperatriz n. 7, segundo andar.
Libras sterlioas
Compram se na praga do Corpo Saoto n. 4, pri-
meiro andar.
YEBDAS.
do centro da provin- ------------------------------------------------------
^fS&& natureza, caixas~de msica e don-1 o, que se acha novamente estabelecido na mesma B r r ,.
ao s relogios como qualquerobjecto. :-S | roa larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi- 58011161 rOwCr JOIIIISIOU a. LOIlipaillllH
Ra da Senzala Nova n. 4.
nado Traviaia, onde acharao os seus freguezes
S sempre a melhor vonlade para bem os servir, a
M' par de excellentes vinhos capils e boa comida,
S qor no mesmo estabelecimento, qur para fra, e ,, ~ ~ x ,~~ ~~ ~
H dentro da cidade aos que nao quizerem ou nao po- 'acninas a vapor (le 4 e o cava I IOS.
*0 i derem vir a sea eslabelebimento, sendo pelo preco Moendas e meias moendas para engenho.
El mis mdico que im outra qualquer parte. NoTaixas de ferro coado e batido para enee-
me.-mo eslabelecimento acharao us seus freguezes i r-k/j
bilhares para recrearem-se, bem como sorvele to-
da- as noites para refrescarem-se.
ra nao
*CASA DE BANHOS.
Ra''a Cruz q. 17.
^R A abaixo assignada, lem a honra de
participar ao publico qne o m-u eslabele-
cimenlo cima mencionado, achase hoje
funecionando mullo regularmente, pr-
vido de todas as accommodacoe necessa-
rias e sobre ludo com alguma limpeza.
Os andes firmados por meus anteces-
sores Cedrim & C.sero receidos al o
meado do in.-z deculubro vindouro, os da
casa tero a firma da abaixo assignada,
e serao como d'antes transmissiveis.
Tabella dos precos.
1 assignatura mensal com direito
a nm banho diario a 320 rs... 9060) Ws
1 dita de 30 carioes transmissi- j*.
veis a 360 rs................ 100800
91 indita de 15 ditos a 400 rs.... 60000
m 1 banho avulso, momo oa fri ou
S de chovisco................. 500"
JW 1 dito aromatisado com agua fio-
m 'ida........................ 10000
S Os medicinaes serao pelo prego que se
'jj5 convencionar:
'i' U estabelecimento estar' aberto nos a
^ dias uteis das 6 da manha as 10 da noite S&
91 nos dias santificados al 2 horas da lar- f
MK de. havendo chegada de vapor estara' 2
S aberto por mais algum lempo.
Mathilde G. Les;a.
mmmmm mmm wmmm
Hstqnea obre Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
mmm mmm-ummmwm
O bacharel
* Francisco Augusto da Costa 9
ADVeGADO 3*
Wt Ra do Imperador numero 69. |
mmm mmm Mmmmmmm
O abaixo assignado faz scienle ao publico,
respeitavel corpo do c mmercio, e a seus amigos
amigse freguezes, qoe tem aberto um escriptorio
de comraissoes na ra da Cruz n. 44, offerecendo
seu presumo e bons desejos no de;eropenho de
ludo quanlo se dignarem encarrega-lo tendente
aquelle genero da estabelecimento, prometiendo-
Ins o maior zelo e sinceridade em todos os seus
encargos.
Antonio Bezerra Cavalcaoti de Albuguerque.
Quero precisar de uma ama para dar de ma-
mar a algum menino dirija-se a ra de Santa Rita
D. 91.
AGBNCIA OA
FundlcSo de i.ow lloor.
- Aluga-se a padaria com srus pertences" narreios *' carr0 Para nm e dous cavallos.
^g' ma Imper al n. 199 : a tratar na roa de lionas, Relogios de ouro patente inglez.
tgr. I aberna n. 2._____________ __________ I Arados americanos.
gi I Precisase alugar uma casa terrea no bairro; Machinas para descarocar aigodo.
de Sanio Antonio, que tenha quintal que pos a se-, Motores para ditos.
m fazer uma estribarla para dous cavallos : a tratar '
: nesta typographla.
Precisa-se alugar uma escrava preta,
de meia idade, para o servico de uma pe-
' quena familia ; ra Direita n. 45, loja.
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
Machinas de costura.
Confeitaria dos ARanazes.
Ra da Cruz n. 16.
Continua haver diariamente pastis de diversas
qualldades, enpadas, bolo inglez e doces para cha',
fiambre, ha latas cum caj em xarops hermtica-
dencia da ra da Imperatriz n. 30 para o men,e fechadas proprias para expoitacao, caj'
sohrado orande n 2 defrnnte da entrada i seccocrystalisado, prepara-se bandejas com doces
soorauo granee n. z aeironte aa entrarja | finos e deovos ( j Paode-lot .bollo e diversas
para a Estancia, Onde pode ser procurado qoadades de galheas simples e decorados, com
a qualquer hora. Chamadas para dentro disticos a vonude do freguez, caixiohas proprias
da cidade podem ser entregues na botica
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
praga da Roa-Vista, na dos Srs. J, C, Rravo
& C. na ra da Madre de Dos, ou no ar-
mazem de viuva Raymond & C. na ra do
Trapiche Novo das 9 horas da manha at
is 4 da tarde.
CASA
Aluga-se muito em conta o segundo e terreiro
andares do sobrado da rna da Madre de Dos n.
36 ; as chaves acbam-se na loja do mesmo.
Aluga-se
um sitio em Cachaiig, com boa casa de vivenda,
cozinha fra, casinha para feltor, estribara e co-
ebeira, com bastantes fructeiras e banho perto,por
mdico preco : a tratar na ra de Apollo n. 38,
armazem.
para presentes com enchimento de amendoas, con
feitos-, e paslilhas e bombom.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SFFOCgO NERVOSA E OPPRESSlO
nico remedio efficaz para combatiir estas molestias, acalmar nm attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino mbar amarelloj do D' Danet UecoberU inleiramenle
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez grabas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenclle, em todas as
boticas de Franva o do eslrangoiro.
m Companhia fidelidade de seguros ff
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C, ft
competentemente autorisados peladlrec- X
loria da companhia de seguros Pidelida- g
de, tomam seguros de navios, mercado- J^
rias e predios no sea escriptorio roa da Rg
Crui o. 1. M
Criado
Precisase de um criado forro ou escravo
ta-se das 8 as 2 horas da tarde, na rna de Madre; tratar do ajuste.
de Dos n. 36, primeir andar.
Dez mil solipas.
Contrata-se para o caminho de ferro de
! Apipucos, iO.OOO solipas de madeiras de
qualidade' quem pretender forne:e-las diri-
ja-se at o dia 30 do corrente mez, ra
tra- do Imperador n. 55, segundo andar, para
CAIXIIRO
Precisa-se de um caixeiro de idade de 14 a 16
annos, com pratica de taberna, e que d liador a
sua conduela : na ra da Madre da Dos o. 9 so
dir quem pretende.
Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
iamhem se faz qualquer obras de escommenda 6
odo e qualquer concert.___________________
Precisa se de uma ama que saiba cozfouar e
comprar bem : na ra da Cadeia do Recife n. 27,
irimairo andar.
ALCOHOLADO de GUACO
DEN. "
Vende-se
a obraColion's, general atlas, contenaing
one hundred and seventy steel, pate maps
and plans, on one hundred imperial folio
sheets. by J. H. Colln and Company, ac-
'companied by descriplions, geographical,
stattstical and historical, by Richard S.
i Ftsher; em bella e rica encadernacao ; por
preco commodo ; na ra do Crespo n. 4,
loja.
Bibliotheca lusitana
histrica, critica e chronologica, comprehendendo
a noticia dos autores poriuguezes e ilas obras que
compozeram, desde o lempo da promulgado da graca al o tempo presente, por DIuGO BAR-
BOSA MA( HADO, 1741, 4 grossos volumes em fo-
lio ; obra varissima, cuja edieo ha muilo se acha
exgolada. indispensavel a todo o homem lettra-
do ou de protisso scieotifica, de quem a historia
patria e as letras nacionacs nao podem nem devero
ser ignoradas : vende-se na iivraria de Jos o-
gueira de Souza no arco de Santo Anlonio.
Uma prenda
Vende-se uma mulatinha de 11 annos com prin
cipios de habilidades : a ra do Crespo loja n. 23
Algodo Para saceos e reupa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
Attencao.
Di-
na
Vendem-se os utencilios da padaria da ra
reita n. 80 e traspassa-se a chave : a tratar
ra do Livramento n. 38.
Vende-se ou permuta-se por uma negrinha
de idade de 8 a 10 annos, uma escrava parda de
20 annos, bonita figura e sadia, engomma e faz
todo o servir,! de uma casa ; ao pretndeme se
dir a razo por que se faz ene negocio : na ra
do Brum n. 56.
Padaria.
Vende-se nm selindro em muito bom uso, promp-
to a trabaltiar; na ra <1o Rosario eslreita n. 5.
Vende-se por prego commodo uma moblia
de amarello ; a ver e tratar no pateo do.Terco n. t,
sobrado.
O Alcoholado de Guaco de Pascal uma nova preparacao da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2 Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulceracfles primitivas e secun-
darias, ce.
3" Empregado em injeccoes, o melhor tratameuto dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e f-
tidas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou &IenAorra<7ca, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a accao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bachet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedicito, PASCAL e C\ 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
Deposito geral em Pernambaco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros 4 Barbosa.
imJL jEli^l^imO Precisa-se de um bom consinheiro, para casa
Precisase fretar nm navio para o Acarac, da e ponca familia e estrangeira; a tratar na rna
colacao de seis a oito mil arrobas, calando oito a 0 Trapiche n. 38. _____^^
dez palmos d'agua : quem tiver algum nestas con-
dicoes, queira dirigir-se a nm da Cadeia do Recife
h. 39, onde achara com quem tratan
Aluga-se a casa da ra Augusta n. D2 com 6
quartos, silas, quintal e porto para a tu* do
Alecrtm 4 a iratw na ra do Vigarlo n. 26.
Um mogo brasileiro que deseja dedicar-se ao
commercio, offerece-se para caixeiro de alguma
loja de fazendas, 44 fiador a s na conducta : para
informacSes, em casa do padre Flix Brrelo de
Vasconcellos, aa ra 4o Imperador n. 35, segando
i andar.
Vende-se urna casa construida de novo, nos
Afogado1 ra do Motocol.mb n. 2 ; a tratar na
Passeio Publico n. 5.
No paleo do Carmo n. 13, vende-se superiores
queijes do Serid.
Vende-se um escravo peca de 15 a 16 an-
nos, muito esperto : no corredor do Bispo n. 15,
para ver a qualqcer hora._______________
Vende-se a taberna da ra dos Assoguinhos
n. 20; a tratar na mesma.
Vende-se nm bra?o grande de balanc* com
conchas, por preco commodo : na ra do Monde-
go, olaria n. 13.
Vende se uma armacao pira divisao de es-
criptorio, lem porta, toda de amarello e balaustre,
obra muito boa e por preco commodo : na ra do
Mondego n. 13, olaria.
Vende-se o machimsmo de forca de 10 a It
cavallos, em perfeito estado : para ver no silio de-
nominado Buritis, na estrada do Arraial, e para
tratar na rna do Rangel n. 4, armaeem de lou^a.
Barato para acabar.
Na praca da Independencia n. 39, vende se hor-
zeguins para homens a 3JO00. 4J000 e 54000,
borzeguins para senhora JOOO, 3*000 e 44000,
sapaldfs de bizerro para homens 4*000. >a|iaks
de tranca 1*000, sapatos avelndado 1*000, bor-
zeguins para menino, com ponta de ferro a 2*0(M>,
borzegnin para menino 4*000. borzeguins para
criapga 500._____________
Azeite de carrapato.
a 3*840 a ranada e 560 rs. a garrafa, dito doce
a 600 rs, maoteiga maleza muita boa a 1*000,
dita franceza a 880 rs. a libra, cha 2*560, cal
a 260 e 280, tuucinho 360, arroz tOO rs., violio do
Porto a 800 rs. a garrafa, Lisbo a 360. Figueira a
440, branco a 500 rs., no armaiero da Estrella,
largo do Paraizo n. 14.____________________
Vende-se o sobrado n. 21 sito na rna de S.
Pedro Marlyr emOlinda.e vende-se tambem um
terreno onde se acha edificada grande parte da
cidade do Rio Formse, o qual terreno se estende
da matriz at o trapicie: a tratar na ra da Uniao
U 37.
* H
!


_ n_



Diarle 4c >ernasbuco sexta leira S de ttetetwbro de AS se.




PILLAS VEliETlES
DO
DR. AYER.
Nao ba necessidade mais ge
ral em todos os paizes do que a
tde um purgante que seja ao
'mesmo tempo innocente, eficaz
e digno de toda a confianca.
As pi lulas que ora offerece-
mos ao publico preenchem estas
condicoes; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais iracas
sem perigo algum, nao tendo em
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo sau-
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes mui fortes, sao bastante
eficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas plalas exploram e purificara toda
a extensao do canal alimenticio, e d5o vigor
a todas as partes do organismo, corrigindo
sua accao viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel contra dr de
cabeca nervosa, enxagueca, priso do vert-
ir, hemorrhoidas, molestias do figadot fe-
bre gastro-hepattca, e todas as molestas,
biliosas que leem sua origem no entorpeci-
do ligado
Outros objeetos.
Yindos tambem para a anliga loja de
miudezas ra do Queimado n. i6.
Sapatinbos desetim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no lama-
nbo dos sapatinbos.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas linas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meDinas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar. / '
Carriteis com retr,'z preto outras cores.
Carteiras com agulhas."
Agulbas francezas, as afamadas.
Caixinbas com alfinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linbo proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bonacba preto, redondo.
Bonitas flvcllas grandes de aeo,
douradas, madreperola tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. i 6, receben um bonito sortimento de
Grande liquidadlo a dinheiro'
Na loja e annazem do pavo.
Roa da Imperatrlz n. O de Ga-
ma L Uva.
Os donos desle estabelepimeolo tero resolvido li-
quidar soas fazeudas por presos baraiissimos, s
com o lim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que oegociam em pequea escala com fajea-
das, que oesta loja e armazem encontrarao um
grande sorlimes.io por precos que muito Ihes lio
I de agradar, lano em peca como a retalbo, a
I saber :
Cambraias de forro a,2$000
Vendem-se pecas de cambraia branca para for-
ro a 5> : na loja do Pavo roa da Imperatrlz n.
60, de Gama & Silva.
Moreantique branco
Vende-se superior moreantique branco para
THESOUHO DAS HilN.
PROVIDENCIA DAS CRIAN'CAS.
COLLARES ROYER, 0 d iW
FiFrTHn.uir\irTim Liquidacao das pechinchas; LOJA DO BE I JA FLOR
noarmazem da Arara.
as convulses e para facilitar a denttcao. das
crianras, preparados e inventados por Royer,
phurmaceutico da Escola superior de Paris, inc-
ensor de Chereau, membro da academia de me-
dicina, antiga casa bouillon-laghahge, pharma-
ceulico do Imperrdor, chefe dos trabalhos chun-
cos da Escola Polytechnica, director da Escola
de Pharmacia de Paris. e membro da Academia
Imperial de Medicina. Ra Saint Martin, 225,
defronte da ra Chapn, em Pars.
A hjfiiene a sade.
A sade a vida.
As MAIS.
Quintas enanca* nao vemos cada dia snecum-
S^tttWr!KSB&^i2J^
ment do ligado que causa a escassez da ,
bilis na nflammacie d'este orgo que pro- g" g~g5* J*"* *!g
duz derramamento da bilis no estomago ou l ?a> a
em um desarranjo geral dos orgaos diges-
estao sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bomias
fitas de gorgorito achamalolado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oeulos de penetra e de ontras
qualidades, para qnem soffre
da vista.
A' loja de miudezas ra do Queimado
o. 16, tambem recebeu oeulos de peneira
tivos.
A Ictericia
produzida pela absorpeo da bilis no
sangue, dando pelle e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao smente dolorosa por
si, pormeonduz aos mais serios soffrimen-:
tos. '
o verurt someme ate que se recupere a ac- de sortdos em .
Cao/aa do systema. Coroas e tercos de cornalina.
m do figado, febre gastro-hepauca A J" |
dianher, biliosa, uuhgstao, a ncvralgta (JooiiMoVii. 16, recoboo mui bonitas co-
douleureux sao todas molestia ;que roas e tercos de cornalina, os quaes estao
COmeC SbEXIL S a *"* d0S b0nS *** 5? os qui-
vo, er no sangue! !^Stt SSSTll ^ '
vem todo o corpq e causa estragos desas-
ou tic
tem seu
A obserraco
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes incommodos sao curados com
as pilulas'do Dr. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 lina Direita 15
RIO DE .1 t\i:i HO.
MAURER
Rua \ova n.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber mui los e di-
versos objeetos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
F.ias finas de sarja da mais estreita que
ha at
Gama & Silva.
Percates com mofo.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com llndlssi
mas cores para vestidos de senboras, lendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-se pelo baratissimo preco de 360 rs. o co-
vado : isto s na loja do Pavo rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 200 rs o covado.
Na loja do Pavao.
Vendem'se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratissimo preco de 200 rs., ditas
com palminhas de seda a 2&0 rs.: isto s para li-
quidar, assim como lazintias mocamblques com
os mais bonitos padroes a 240 rs. : i.-to na loja do
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos corles de vestidos in-
dianos lendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
transparente de novos gostos que servem at para
b&iles e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
co de 3 cada um por ter-se comprado urna gran-
de porco: na loja do Pavo rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
S'le i as para salas
Pecbmcha na loja do l'avao.
Vende-se a mais fina silezia de algodao fazenda
inteiramente nova no mercado proprias para saias,
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
perior ao madapolo francez e vende-se pelo bara-
to preco de 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em
peca com cincoenta e tantas varas, isto grande
pechincha : na loja do Pavo rua da Imperatriz n,
60, de Gama & Silva.
Lengos de seda al$
Vendem-se superiores lencos de seda para ho-
mens e senhoras al : na loja do Pavo na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lengos brancos a 2$.
Vendem-se duzias de llneos brancos finos a 25,
ditos fins -.irnos a Imltacao de linho com duas bar-
ras sendo orna de cordo e outra matizada fazen-
da que sempre se vendeu a bfi e torrase a 25400
a duzia : na loja do Pavo na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
quantos tormentos para as instes mais, que
parte por isso vcnliam ver as fazenda "e se admi
rem dos precos, a saber :
Cortes de cambraia com barias.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia branc.
com barras de differeiKes cores pelo baratissimo
preco de :i cao a corte.
Cambraias brancas.
Vende-se cambraia branca a $, 35500, 4.
se
tem
l#600, 5 e 05 a peca, e de outras mais quali
dades : na rua ta liapentru n 56.
lirelanlta de rolo.
Vende-se bretanha de rolo com 10
25800, esta se acabando esta pechincha
loja da Arara, de Mondes Guimares.
Laziubas.
Na roa do Queimado n. 03,
Tem recebido um sonirr.ento de cruze> une
esta-) usando, de diversos gostos s qu-m t
o heija-flor.
Teodo recebido variados sorlimentos de voltas
de a'jolares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos go.-to-, e mais barato do que
em qualquer ouira parte.
F;cas e gatfy-.
Vende-se, forras e jjaif.s de rabo? de balanco de
um koioa 55200 a duzia. ditas de dous lines a
05500, dita para dore a 55100, dilas de cabo preto
> 3200, ditas de cabo (Manto, lolico e era vado a
iIm' (1(1.
veem se arrebatar, depois de tantos cuidados, de ; das pelo ultimo vapor, tendo padroes muito b. ni-
35'_00.
Ttiu recebido variados soriimento de halaios
I para meBious d esiula, deforma de peinnos.
varas a patinhos e outras de diversa goslo, que s /.oro a
so na, vista bem se podo apreciar, e lambem serve para
jo leilao do hospital portugurz: las para hclf.r de
; diversas cores a 75 a libra : .- no benvflor.
Vendem-se as mais modernas lazinhas chga-i Escovas
pas-a i'oupa.
antas vigas, o objec.o querido de sua ternura I oVT.n7e^lo"^ttolo^'^d.^O ^ o ^ d,!'ren^S'1 o'ioVS'd^s'iera""^ ^
Quaolas vezes nao tem ellas sentido a inefflcacia covado, fazenda uue em outra parte se vende a : '-" -..'---' l*'a<
dos remedios empregados, taes como brinquinhos, 400 rs.: na loja e armazem da Arara n. 56.
charope de denticao, etc., cujo duro contacto dos
1 primeiros irrita as geogivas e causa inflammacao
as membranas mucosas, e cuja aeco nulla fazia
desesperaco s mais? Acbar um meio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliviar os solTrimen-
tos e prevenir as convulses, como tambem lodos
os accidentes que resullaro da primeira denticao,
tal o lito que tivemos em vista alcancar. "fia
s seclos que se puoham no pescoco das
I, HO, 320 e 300 rs. """ ^'^
Papel e envelopes.
Veodr.se pautado papel e eaiiinhas a OPO
Vende-se grande port-ao de chitas sendo escuras dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640
e 320 xinha.
Cuitas.
e claras por baratos preces a 240, 260, 280
rs. o covado, ditas percalas fioas a 360 e 400 rs. o!
covado, muitas mais d*oiitros precos.
Ctales de merino.
Desla fazenda M um grande sortimento de cha-
les de merino eslampados cores raoito delicadas,
da
a ca
IJP77!
!a
enancas collares de mbar amarello para preser- !e ei,a s veodendo pelo barato preco de 25 cada
va-las e cura-las de convulses, rnpregava-se pois am> l, Para cabar.
desde muito lempo a tleclricidade medica sem sa- Colchas ile fuslao.
blo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-: Vendem-se colchas de fosiio de todas as cores
deote qoe este effeilo saudavel repousa sobre a K a 55, ditas de damasco a 45, ditas de chita a
cao da electricidade, qoe solta o mbar esfregado 25240 e '5000 cada urna : s Lourenco Pereira
pelos movimeotos do corpo da criaoca. Esta in-1 Mendes Guimares.
g-S B
-Ss
1M
1 o 3 3 _
I" SI
o n
ll.
3 w ~ ? S"" ;
fl'Sfi5-5'0?a.g3g
lll'silill
p.
& c.
i 8."
jamis larga, todas de vivas e agrada- Qs esparlUllOS do PaiO
veis cores
dem tambem de sarja Uvrada, de bonitos
1e novos desenhos
AW,WeW.
Vendem-se os mais superiores esparlilhos com
dem hranras \iw p lavrarl na as comPeteo,es filas Pa P"^r pflos baratissi-
iuemiuem di ancas, usas e lavraoas, pa- mos precos de 45,5 e 6* por ter chegado urna
droes igualmente novos e bonitos. grande porco para a loja do Pavo: rua da Im-
Idem de gorgurao de seda acbamalotada, peratni n. eo, de Gama & Silva.
de fazendasbaratas NO ARMAZtM
CbeihOy rua do Queimad > n
19, vende se o seauinte :
Leuces de panno de linho a 25200.
Unos de bramante de linho de um > nanno a
35200.
loberas de chita da India a 25400.
Pegas de cambraia de salpicos branca e de cor
oom 8 1|2 varas, pelo baratissimo preco de 45500.
Pecas de cambraia adamascada com 20 varas,
propria para cortinado a 115. .
Baloes de arcos a 35, 35500 e 45.
Lencos de cambraia brancos proprios para algt-
beira a duzia 25.
Bramante de linho com iO palmos de largara a
vara 25400.
Atoalhado de linho a vara 25800.
Dito de acodan 25.
Algodo entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pecas de bretanha de rolo com 10 varas propria
para saia a 35500-
Fil de linho liso lino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a 15.
Esleir da india de 4, a e 6 palmos de largara,
grandes.
veodem-se superiores cambraias francezas com
propria para f-rro de sala, por menos preco do que dos tamanliOS.
em ouira qualquer parte. Louelos de doBS vidros tm ar0 de Lufa,0
Nesle armazem tambem se eocootra um grande
dem de seda preta e de outras cores pa- sa|P'C0S, brancos e de cores tendo 8 1|2 varas cada
ra dphniar vpstidn caIIpIps nnlii or pe?a pelo barato preco de 35, ditas escocezas com
ra aeoraar \estiaos, COIietes, palitos, etc. salpiquinhos mindinhos toda branca a 45 : na lo-
Idem de laa igualmente sorhdas em cores ja do Pavo Da rua da Imperatriz n. 60, de Gama
e para os mesmos lins. & Silva.
dem de algodao brancas e diversas ou- Tartalana branca tt 64" rs.
tras cores para vestidos de chita. Vende-se larlaiaaa branca muito fina a 640 rs. a
dem de borracha brancas e pretas para vara>,l!lS de todas as cores a 800 rs. a vara, d-
soutembarques. veslidos pretos, etc. Ia? d "* {*< dj,a,"$a a 80 rs- va" = na
*,.. i-.a e loia do Pavao oa rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
Novas e lindas guarmeoes para enfeitar ma a Silva. ^ '
soutembarques, vestidos pretos, manteletes, (j bramante d Pavo
etc., Obras do muito gOStO e modernissima. Veode-se superior bramante de linho'do melhor
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-1 que tem vindo ao mercado com 10 palmos de lar-
vos e mui bonitos. j ora a 256OO a vara, panno de linho moito sa-
lden) idem de cores tambem de bonitos K.ior para ""*" toal,has srou.las a 64 ,e
moldes p apradavpis crct ,700 rs- a vara : ,st0 na loja do Pavao na rua da
m)iaes e agraaavets cores. Imperatriz n.60, de Gama A Silva.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre- Perca I -s lisas do Pavo.
tOS de seda maiores e menores, enfetUdoS Veodem-se as mais lindas percales de urna s
com vidrilhos e pendentes e outros de di-. cor a 400 rs. o covado : na loja do Pavo na roa
versas Cores. da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
dem pretos de velludo tambem desorti-' Meias para meninas a 2,500
fluencia constante do {Luido elctrico, por fraca
que fose, prodozia effeiros curativos proporciona-
dos i qoanlia d'electricidade engendrada desle mo-
do. Esla propriedade elctrica de mbar a que
dos temos tido a feliz idea de applicar fabrica-
cao dos collares de denlico, augmentando a inten-
sidade dos effeitos elctricos do mbar por meio
de fios conductores que distribuem as correntes
d'um modo suave e continuo. Mr. Royer o in-
ventor de duas especies de collares: Io dos colla-
res anodinos de mbar electro-magnticos; 2o.dos
collares compostos de differentes metaes com cor-
rete voltaica. Partindo desle principio de physi-
ca bem coobecido, que a inlensidade d'oma cor-
rete galvnica est em razo direita da superficie
dos elementos que compdem a pilla, os collares
Royer, chamados anodinos electro-magnticos de-
signados e graduados por oito nmeros differentes,
possuem as mesmas propriedades elctricas, com
esta s dlfferenca que o effeito corativo esta subor-
dinado ao tamanho dos elementos qoe os com-
poem, e por coosequeocia quantidade limidada
d electricidade que engendram, d'onde se segoe
que quanta maior superficie apresentam as perolas
ou elementos, tanta makr quaotia de fluido elc-
trico despreoder-se-ha; e por isso qoe nos acoD>
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposlco Oexiveis e
portatels, podem-se por constantemente no pesceco
das mancas. Urna rede elctrica cobre sem ces-
sar as parles doridas qoe sao modificadas lenta-
mente, sem sacudiduras nem commoces, e pro-
duzero urna cura rpida impedindo as convulses.
Assim acha-se reunido com o antigo proced-
ment dos collares de mbar a efficacia regular e
segura da electricidade medica. Os collares gal-
vano-magneticos de metal compem-se de peque-
as perolas de dons metaes differentes, traversa-
des por fios conductores qoe formam assim pe-
quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta
lil e flexivel, empregados com feliz soccesso contra
as convulses, os torticolis, losse nervosa, los se
convulsa, etc.; possoem as mesmas propriedades
e empregam-se indistinctamenie dos mesmos ca
sos.
Madapolo.
Vende se madapolo a 45300. 55, 65300, 75
75500 e 85 a peca, enfestado se vende com 12
jardas a 35,35500 e 5500: na ruada Impera-;
triz n. 56, Meudes Guimares.
Soiilembaniiifs.
Vende-se soulembarque a o?, P5 e 75, ditos
pretos de grosdenaples a 185, 195 e 205, e capas
o mesmo preco.
Cambraias de cres.
Veodem-se cambraias de cores sendo finas a I
320, 360 e 400 is. o covado.
Casimiras.
Vende-se casemira com listas a 25500 e 2800;
o covado, e mescladas a 35 : s Mendes Guima-
res.
sortimento de roupa feila e por medida.
CERVEJVB4SS
em barril.
Vende-se a 200 rs. o copo : sa rua do Impera-
dor n. 37.
ARMAZEM Al.UAXCA.
latas de 4 libras : na
Vende-se doce fino em
rua das Cinco Ponas n. 82.
fiilho superior
Vende-se no trapiche do baro do Livramento
00 Forte do Mallos.
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
Vende-se a taberna da rua d Fogo n. 32. pro- n- 16- "ecebeu um bello sortimento de lo-
pna para qualquer priocioianle por ler poucos netos eOCL'los de vidros COin aimaco fina de
rfunaos: a utar na mesma. ac, bfalo e tartaruga, e os esta vendendo
por precosrazoaveis: os pret-ndentes diri-
jam-se a esta leja na rua do Queimado n. 16.
RIVAL
SEM SEttl \l0
Rua do Queimado ns. 49 e &t.
Contina a vender todas as miudezas qoe abano
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Eapelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha roxa para bordado a 20 e 60
Caixas cero 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de peonas de ac, fazenda superior a'OOrs.
Grozas de botoes madreperola tinos a 500 e
e 640 rs.
Caixas oom 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Caixas rom superiores obreas de ola a 40 e 80 rs.
Pecas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de fraDja de la para eoteltee de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
LirroG para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pare de botoes para punho, fa7enda rica a 120 rs.
Tesuras para costuras superiores qualidades a
400 e 15.
Caixas de peonas de calligraphia, fazenda boa a
Vesde-se cha hysson, o mais superior que ha 15000.
oeste genero, por -25600 e 25800 a libra, dito pre- Massos com superiores grampos a 30 rs.
m
mmfflmmmwmmm
\ etnlcm-sc o esi.ravos sendo t Wk
mualas e um mulato, de boas figu-
ras e sadi >s, ida-le de 21 annos, e 2 !
pretos moleques sendo de 12 annos g
e o outro de 8, todos sadios e de I
feons co.- turnes : na rua da Cadeia J|
do Kecife n. 3s, primeiro audar. Wk
Cha
to por 252OO e -25400 : na roa do aperador nu-
mero 7,
Armazem allianca.
Veade-se ou aluga-se para passar a esla, e
mesmo por anno, um silio com arvoredes de fruc-
los, com urna grande casa, e ouira pequea junto
ao mesma, peno da povoaco da Varzea e do rio Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Pares de sapatos de tranca e tapete a 15500.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de raassa a 40 rs.
R idinhas com alfinetes francezes muito soperieres
a 20 rs. ^
Resmas de papel almaco a 25400 e 25800 rs.
Capibaribe : a traiar na rua
meiro andar.
de Hortas o. 2, pri-
tesouras com toque de ferrugem a
Vende-se urna casa terrea, nova, cato gran-
de terreno no fundo, que regula de 900 a 1,000
palmos, na rua Imperial com frente para o nas-
ceote : a tratar na rua do Queimado o. 52.
Vende-se urna excelleote escrava de Idade
20 annos, com ama cria muito linda de idade 11
mezes. um escravo bom criado, um escravo para
todo o servico, um dito para sitio por 3005 : na
travs-a do Carmo n. I._____________________
Vende-se urna bouila escrava crioula de ida-
de de 15 a 16 anuos, lava, tem priucipio de engom-
mado, cozioha, cose e vende laboleiro Da rua :
quem a pretender dirija-se a rua da Cruz o. 7, 3
andar._______________________________
Os donos da taberna sita na rua do Bemfica
n. 29, esquioa dos Remedios, tem resolvido veo-
de-Ja em razo de um estar doente, o qual vai a
Europa tratar de sua saude, cuja taberna esta
bem afreguezada para a Ierra, > proprta para
principiante : quem se aciiar habilitado, p jde ir
tratar na mesma a qualquer hora do da.
Duzias de
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para enancas a 240 rs.
Pulseiras para nwninas a 320 rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agna Florida wrdadeira a 15280.
Frascos com superior baoha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 3/20 rs.
Caixas com lamparioas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 140 rs.
Cartas de alfinetes francezes a 100 rs.
Quaderoos de papel pequeoo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a SO.
f-
avariado.
Francez barrica 55000
Portland idem 85500
Eto perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmos caes do^Apollo.
Vendem-se meias para meninas de todos os ta-
manhos a 25500 rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, di'.as inglezas para
homem a 55 a duzia, isto na loja do Pavo oa rus
da Imperaniz o. 60, de Gama & Silva.
Cortinudos paraoamas.
Veodem-se ricos cortioados para camas pelo ba-
rato preco de 115 o par. Ditos bordados muito ri-
cos a 245, colchas de fuslo para cama a 55500 e
65 : oa loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Tiras bordadas e enlreraeios.
Vendem-se linissimas tiaas bordadas e ntre-
melos por preco baralissimo, oa loja do Pavo rua
da Imperatriz o 60, de Gama & Silva.
Chales a 3$500
Veodem-se chales de merino liso, tendo de todas
as cores e pretos, pelo baratissimo preco de 35500,
por haver grande porco : na loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama Os bales do Pavo a 2aU0, Ai> t 3o00
Vendem-se os melhores baloes de arcos ameri-
canos, sendo com 20 arcos a 25500, ditos com 25
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35300, ditos para
meoinas de todos os tamaohos a 2.;500 e 35. su-
periores bales de bramante e murcelioa com
cauda, sendo bastante grandes a 55, isto na loja
do Pavo, rua da Imperatriz n. 66, de Gama &
Silva.
As camisiohas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisiohas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; dita.- pre-
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-
los e goliuhas pretas a 15, linissimas gulinlia> de
cambraia branca bordada a 00 rs., calciohas para
menina a 640 rs., roraeiras de lil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Caries de percales.
Ricos cortes de percate com barra, tendo o com-
petente casaveque a 85, ditos de la a Mara Pia a
65, ditos de cambraia transparente tom barra
bordada a la a 25 ; isto se vende na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
DA l'Rl.MEIHA DENTIQO
E d" ii'Hidat dos collares Royer electro-magneti-
t pura facilitara erupcao dos denles doleile.
Lu poucas palavras explicarei o que socctde
1 primeira denlico, fazendo algumas observacoes
que ser vi rao de guia s mis de familias, qoe pela
sua lenra affeico exageram a miudo os perigos
da denlico, a qual em definitiva urna operaco
da oatureza.
A mor parte dos desarranjos qoe sobrevem
sade das enancas tem por causa o trabalho da
primeira denlico Quando o dente faz esforco
para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva-
gao volta-se mais abuudanle, o somno agitado,
ha febre a miudo, e em geral sobrevem a frouxi-
do do ventre, e s quaodo este ultimo symp
toma nao toma um carcter vilenlo mais bem
favoravel que daranoso. Sendo sujeito a compli-
carse com outras affeiges o trabalho da denlico,
necessario, em quanto durar, por a mais extre-
ma e continuada attengo na sade da enanca -, e
desde que se notem os ltimos symptoinas que aca-
bamos de indicar, ser urgente consultar om me-
dico.
Estes collares vendem-se na loja do Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Rival sem segundo
Roa do Queimado ns. 49 e 55, loja de
miudezas de tres portas, est quei-
mando ludo bom e barato, quem qui-
zer ver e admirar venliam loja do
Bigodinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botos de looca prateados fazenda mo-
deroa a ICO rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranga de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas Dnissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fita de cs eslreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazeoda boa a
Baralhos muito tinos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perola muito tino a 200 rs.
Frascos e garrafiuhas com agua de Colonia a
100 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas coro 12 frascos de cheiros muito finos a
15400.
Sabooeles pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de saboneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qoalidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores esseocias santal e outros a
15200.
Frascos com esseocias para tirar ooduas de roopa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os precos a 160, 200,
240 e 320.
Palrtets pretos a G# Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Vendem-se superiores paletots saceos de panno Duzia de meias moilo fioas para senhora a
preto, boa fazeoda, a 65 : ditos sobre-casacos a J 45800.
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 e Golliohas moito finas para senhora a 200 rs.
85, ditas pretas a 65, 75 e *5. paletots de roela Caixas com soldados de chombo para meninos a
Vende-se tres easas terreas na villa do Cabo,
sendo orna com estabelecimento ; a tratar no pateo
do Terco n. 139,1." aodar.
Vende-se. i|
Eochofre a 40 rs. a libra, e a 15000 arroba ;
no armazem da bola amarella, no oito da secreta-, urna : no armazem trombeta da faina
ria de polica. roa do Imperador n. 83.
3^500
Vendem-fe saceos multo grandes com farinha de
moribeea de superior qoalidade a 35500 cada
commercial
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a 45 e 45500, ditas de briro
branco de linho e de cores, coleles de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muito em conta, s com o lim de apurar di-
uheiro : oa loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Faicinlas brancas na leja do Pavo
Vende-.-e um grande sortimento de madapoles,
chitas, algodozinhos das melhores marcas, ga-
ramindo-se vender mais barato do que em outra
qualquer parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Chegou pelo ultimo v. por francez um grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles muiios de poma redonda a imitago de man-
teletes e nimios com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, roa da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
160 rs.
I Pegas de fita de laa para debrom de vestido, com
I 10 varas a 600 rs.
> Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
I Pedras de lousa para meoinos a 160 rs.
i Bunecos de choro e panno a 160 rs.
I Caixas com boDitrs estampas para rap a 100 rs.
i Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de ooies pequeos pretos para caiga a
100 r?.
i varas de cordo de esparlilho a 20 rs.
; Novellos francezes corn 20' jardas a 40 ra.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas multo fortes e superiores a
35300.
Idas para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na rua do Queimado n. 1 vendem-se superiores
las para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
es que se acabem.
Bornouls de renda na loja do pavo. Propriedades venda em togados.
Chegaram os mais ricos boroools de renda e se j Vende-se um sobrado de om aodar e ama casa
vendem por aratissimos pregos: na loja e arma-; terrea em Afosados, na rua Direita ns. 7 e 9 : e
zem do pio, rua da Imperatriz n. 60, de Gama! traiar com Laurino de Moraes Pinheiro na rua do
i Silva. 1 Apollo n. 47, primeiro andar.
AGlh RUANCA. !
Colleiras demarroqnim, com cascaveis
e sem elles.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-:
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou em elles,
proprias para caes e outros bichinhos.
l'emias inglezasdeaco e domadas.
No novo sorlimento de pennas de ac que,
a Aguia Branca acaba de receber, vieran
tambem outra? de metal dourado e bicos;
mui bem acabados, e por essas boas e ne-1
cessarias qualidades os seus acreditados fa-;
bricantes Perry & C, as recommendam aos
entendedores'' apreciadores do bom, valen-
do mesmo a differenca que lia no preco de,
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na coniinuacao de escrever ;,
assim pois quem dellas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na rua do,
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados.
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos!
desenhos, cuja commodidade do preco est!
em relaco a largura : acham-se ellas a ven-
da na rua do Queimado ioja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso cntreleni-
mento.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinbas com tabolas de madeira,
quedas diversas pinturas dellas se formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento cem o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
teligencia. Os apreciadores dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que sent satisfeitos.
BoiIos eufeites para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber un no-
vo e lindo sortimen'o de enteiles os mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de lita para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Br?nca n. 8,
Mala mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com eomposicao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar faciliiino, e (
effeito eficaz : molba-se o papel e deixa se
ficar n'nm prato, e nelle ponsando as mos
cas, entristecen) e morrem. Costa cada fo-
Iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brinquedos e entretenimenlo
para ciiancas.
A Aguia Branca na rua do Queimado n. j
8, recebeu diversos brinquedos para crian-'
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patosj
elctricos, apparelhos d* metal, louca pinta- j
da e porcelana dourada para almoc-> e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira, I
que se vendem baratamente : na rua do
Queimad >, loja da Aguia Branca n 8.
Meias pretas de seda para senhoras a
oflO ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a per-
cao de meias prlas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior pre<,o que lne cus-
laram e o bom estado etu que anda estao,
comtudo esl resolvida a vende-las a o' 0
ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodao, ag< ra pois apro-
veitarem a qna-lra e dirigirem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8. Tam
bem vender as brancas a 1$ o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueas,
mmmm mmm mmmmm
Pharmaceutico de t classe. ex-
interno dos hospitaes, premiado
com a medallta de bronze.
Desde muito lempo o publico
abnndonou o uso das preparacoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha compostos, etc.
Cuja accao, maior parle das vezes
nulla, e n'algums casos perigosa.
Os Cn.NFEITOS DEPURATIVOS TSH O ASPECTO
t O COSTO ACBADAVEI3 B ov -i Itf
PEQUEO NUn SUBSTANCIA- 'CTI-
VAS QUE O SEO MODO DE PBEPA1 1A
INALTEBAVEIS.
Oauccemsoqueestece .
r.-ito* oi>if vento cm Frao-,
ea sob o patrocinio das principa esj j!
celebridades medirs, os poe cima
de ludo quanto tem existido aih
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhum outro remedio in-
terno, das escrophulas
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisiaa e em geral
todas as molestias produzidas
pela alteracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Urna explicacao accompanba cada
vidro.
DescooGar-se, das falciGcacoeset mi
tacos.
Para at eneomenitas dirigir-te aot
Snrcs. buiesoh T o'\ 18, B'Princc
Eugtne, Paris,

~
s
s
VILL R
Approv.daa pU AcidcillU de Medio:., P.il.
BesulU pelos iluus relalorios, adoptados pea dilt-
Academia em 1840 e em 1858, que as grageas d
GF.I.is e covr sao o melhor e mais effica lemedio
ferruginoso pare curara chlorosis (alias fluor-albo), ai
luios brancos, a fraqueza de compleixao nos dous
seos, t tambem pare ajudar a menstraacio das motas.
Estas Grageas nao seo rendidas senio.em caixinbas
ou vidros cobertos com rotlo fechados com urna tira
tetando a firma do depositario geral : labelowb.
harmaceutico, rua Bourbo*-Villtwtt, 19. Parit.
Vendem-se no Recife em casa de aon
| Barboza e Jo3o da C. Bravo A C.
Ferros para engommar
Venovm se cm'xin'ias conleDdo o mais compit-to
sortimento de ferros para engommar, eneres; ar-
babados, patos e toda a roupa de senhora : na rua,
Nova u. 21.
mmm-mm mm mmm-
SCP^AOS SIMIO 1
res de engeiilios, w
Vende-se grande porco de potsssa que $|
[j lendo sido mohada da-se por preco muito ;-v
commodo : qnem qoizer dirija-se"
do Impnador n. 38, botica.
m
a rua
Com loja rua do Crc-po n. 17.
Recebeu de Paris sedas em cortes mui-
8 to superiores e bellissirnos padrSes, e
I chales de renda pretos para 10.
Kste importante estabelecim''nto torna-
se reeommendavt.'! ao bello sexo pela va-
I riedade de fazendas superiores e bellos
^ gostos
Proteja o bello sf xo ao Villar
j|| e vero todos a prosperidade.
mxm&mmm m mmmmm
Vinho do Porto superior era caixa de doria,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escritorio rua da Cruz n. i.
i
Vitihos do Porto
das melhores marcas, em eaiiinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto eD.Luiz ; tambern
tem ancreas de dcimo encapadas com superior
vinho, barns de 5 e 10 em pipa : na roa do Vi-
8ario o. 19, primeiro andar.
VINHO.
Superior vinho do Port". Madeira e Cherry cni
caixas de 12 garrafas a 103,12J, 144, i6| e 18} :
Da rua do Imperador n. 57
Armazem allianga.


Mario *e fitartiw *e*ta Jlr tt d> IXwfcr te t
Augusto Frederico
Chegou a este estabelecimento um grande sortimento de cortinados bordados
camas fazenda de rauito gosto.
Chales de guip muito tinos para 215, 2o e 30$.
Cotias de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Gotas de la e seda para cama larauem de bonitas cores.
\\ non.i'js de guipa eofeilados com o melhor gosto.
Seiim de Paris bella fazenda e de b mitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
tfoureaolique branco e preto, grosienaple preto e du cores, pannos pretos de todas
as quainli'ies, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas prelas, e
laa pret para lulos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 4 a lij.
Itrios de lioho de cores finos a l80 a vara.
Chapos e chapehoas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, ctiapos
deeeda para homem, chipis de sol de seda, esguio de linho, caiabraia de linho, breta-
olas, silesias e muitas oulras fazenda* qu se veudein por cominodos pnc,os assim como
tarabem ni
Esteiras da India para forrar salas
DlJAftTE ALMEIDA?
*
ki/ i.n.i
1-9
O
n3
o
o
'
DE
VIGNES.
X. 5o. RA D IIPEH.4DOR X. 55.
Os pianos desla antiga fabrica sao hoja as-js conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sna superiorilade, vantugense garantas qneofferecera aos compradores, qualidades estas incontesta-
vei* iiue elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praga ; pos-
snindo um teclado e machinismo que obedeeem tolas as vontades e caprichos das pianistas, sem
ncaca falhar por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importau-
tssimos para'o clima deste paiz ; quaoto s voies, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. ., n
Fazem- corresuondfute de J. Vigo.es, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposices.
o mesrao estabelecimento se achara snior* um esplendido o variado sortimento de msicas dos
dclhoies autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
prego? commodos e razoavels.
CONSIMOBH) aEDICO-CIitURGIGO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO BOSCOSO,
MEDICO, PARTOIR E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fimdao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
oras da manbao, edas G e meia s 8 horas da noite, excepto dos^dias santificados.
Pharmacia especial komeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
uoos avuisos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
> de 24 tubos grandes. 180000
> de 36 tubos grandes. 24,5000
> de 48 tudos grandes. 305000
i de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia on^a 15000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para as carteiras.
lia tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jalr
doos grandes voluntes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do r. Hering........... 105010
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estibele;imento slo por demais conhecidos e dispensam por
tanto de sere.n novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verda luiros energios e miradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
ver li leiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acredi-
ta I )s estabelecimentos europeos, a mais exteta e acurada preparado, e portantoa maior
energa certeza em seus effeitos.
Casa de saudt pira escravos.
W :cebe-sc escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
eperaeJo, p rao que o annunciante julga-sn sufficientemente habilitado.
O raimiento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funcionando a casa Ua mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, qie podem ser consultados por aquellas que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As oueracoes serio previamiole ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
teo do Carmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geaeros
por um preco, e na occasiSo da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
anda mesmo com preiuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer soa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
DAS COIiLUMNAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem vindo a Peroambaco de melbor gosto
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO N. 13
LOJA DE
& Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES E SED.i
Chegaram peto paquete ioglez riquissimos corles de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
dres mteiramente novos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Paet do Amaral A Coapaahla.
Fnrinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. i.
colares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a denticio das crianzas e preserva-
las das convulsoes.
O Miz resoltado obtido immen*as vezes pela
prodigiosa fjrca magntica dos colares Royer, nos
oas>s de convulsSes, e dentigo das criangas, tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
e hoje. ji se ix'ile dizer que estao geralmente con-
ceituailo-!, e estimados de innumeraveis pais'de
faogifias : de uns porque do uso desees salubres
colares viram salvos do perigo seus charos filhi-
irtios e de oatros porque colheram daquelles tao
proficuo pxemplo para igualmenie preservar os
s?us. A*im, poU, aaguia branca, tendo em vis-
tas a utilizado e proveil" desses prodigiosos cola-
res anodinos ou R-iyer, mand >u vir o novo sorti-
tnibl > que agora recebeu, e continuar a recbe-
los para que em lempo algum a falla delles possa
ser funesta ww pas de familia, os qnaes Ocaro
certos de os achar constantemente na ra do Quei
nado, I ja d'aguia branca n. 8.
TERRENOS A' VENDA.
Vndese um terreno propno para edifleacao,
collorado no centro da cldade, com 68 palmos de
frente e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para iufor-
imcDes, na ra do foI n. 37.
Attencao o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dons grandes lastres de vidro finos
com 24 luzes, do melhor gosto e por prego raxoa-
vel; assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores differentes; ditos de por-
celana donrados e pintados e brancos; apparelhos
para jantar de porcelana branca; latonero se ven-
den) em pegas separadas, como os fregnezes qni-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em caixao e a re-
taino; lanternas de todas as qualidades de vidro;
ditas de casquioho ingtezas muito Anas ; candela-
bros Je vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guesas para resfriar agna; barricas com appare-
lhoa.de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para cha; e oatros muitos sortimentos de todas as
qualidades e precos commodos vontade dos com-
pradores, que se vendem na ra da Cadeia do Re-
ctfo"iuota ao arco da Conceign n. 64, e na roa
Nova n*-grandrt armazem de louca e vidros junto
'igreja da Conceigao dos Militares n. 49.
MAXTEIttt
Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de l.oooa l.loo rs.a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 8Co rs.
a libra e ern barril ter abatimento.
BANH.\
Banba refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxira de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porc3o ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de i. a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de I,8oo a 2,5oo rs.
a libra.
BlCOlltOS
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
II >I;trhlnhas
Latas com bolachinhts da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ono rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a I.ooo el,2oo rs.
libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
portuguez a 8u0 rs. a libra, em porgao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
Douro, Maria Pia, D Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a garra-
fa e 9.000 a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira o Lisboa das melhores
marcas a 4oo o 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e i.ooo rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
(aixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,oo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.* e 2," qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
K.tB.'iO
Sab5o maca de primeira qualidade de *8o
a 22o rs. a libra
em caixao.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers A Bell. T. F.
Ashe a 7,000 e 7,000 1 s. a -luzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tarabem ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 600 rs. a
garrafa e a 4,600 rs. a caada.
Massas
Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a I,5oo o quarto e
' 0,000 a caixa de arroba hespanhola e a 32o
rs. a libra.
GE^EBRA
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e 1,00o rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,000
rs. aftasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,000 rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do liedle, esquina da Madre de Deas,
Os ricos bales de arcos com muita roda para senhoras.
aloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 2 e 20500.
dem de panno para meninas 35 e 30500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 90.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 100.
dem idem com 16 asteas 12.->.
Chitas.
Chitas largas soffrtveis a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras Anas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo soriimenio de camisas francezas de 10800 at 50 das seguin-
tes variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos defusUo e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambrala branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 40.
Superior cambraia bran:a para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Caigas de britn pardo superior a 26509.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pescoco.
Ricas mantas para pesclo de homem de finissiraa seda e de ricos padrSes, qae
s o Balo tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssmos paletos de alpaka branca a 55,
COLIiETES.
Colletes de casemira a 46 e 50.
dem brancos a 20500 e 30.
Maceos para viagem.
Saceos para viagem a 50 e maiores a 60.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
zendas.

GUEME

6,000 rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 600 rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooors
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PE1XE
j preparado
de l.ooo a
Peixe em latas
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINQO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furlado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Neito, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico prego de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e portngnezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frats
Frotas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo is. a lata.
edYieoVslors. sendo Tambem hlalas grandes para l,2oo rs. a
'lata.
Receberam Gregorio Paos do Amaral & C. um variado sortimento denovidade
como sejam:
NOVOS PADROES EM COSTES DE SEDA
COLCHAS BE DAMASCO
Portuguez e francez, de seda e de la e seda.
LEGUES
Lindo sortimento de leques de maure-perola, marfira e osso, transparente e de
seda com mimosos bordados.
VELLUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
Cor de vinho.
Carmezim.
IiUVAS DE Jl VI*
Brancas e de cores para senhoras e homens.
ttRlVVTAS
Mantas de meia, de seda, de retroz de duas voltas largas e muito eslreitas de
urna s volla.
Grosdeneples de todas as cores.
cetros
Com fivellas de tartaruga esmaltadas, madreperola e cobertas de seda, feilas para
as mesmas, etc.
n CHALES DE Fili DE CORES
Costos intetramente novos, anda nao vistos neste mercado.
CASEMIRAS
De quadros miudinhos e largos. t
Enfeites
O melhor e mais moderno sortimento de enfeites proprio.s paraKocke com bons
peales de tartaruga e sem ellos.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
asimiles para meninos
de gorgur5o de 15a de diversas cores, bordados com muito gosto.
Penteadores para senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem.
Vestidos feitos para senhora.
Tndo por precos razoaveis.
n 5 RA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
i

.
pssimira^iii
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
Acha-se
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descare-car
algodao : na ra da Senzala nova n. 42.
As melheres chitas francezas de cores
escoras e fias a 280 rs. o
covado!!
Na ra do Queimadon. 1 veodem-se chitas fran-
cezas escaras e Boas a 280 o covado.
Vende se urna parle e um predio no sitio dos
Arcos, perte di igrpja dos Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ter excedente barro, e as tr-
ras qaasi todas proprias : a tratar com Joaqnim
Joi Gonealves Bellro, ra do Vigario n. 17, es-
cripiorio.
O castello de Grasville.
Tradnzido do frraeei por A. J. C. 4a Crui.
Vende-se este bello romance em qnatr
tomos pelo baratissimo preco de 3O0C
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
ALMANAK
DE
Loso-Brasileiro
PARA 1866.
POR CASTII.nO.
Vende-se na livraria economicaQjunio ao arco
de Santo Antonio,
Vende-se no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira Se Pilho, largo do Corpo Saoto n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
i duiia e barris de oitavos e decimos.
Mnscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de 1 duzia.
Palraella tinto de expeliente qualidade em caixas
de 2 datias.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com 08 arreios competentes de metal principa :
na Ponte Velha n. 8, por preco commodo.
venda na livraria acadmica, na ra do Impera-
dor; na do Sr.Nogaeira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na roa es-
trena do Rosario a compilago de toda a legislacao
tendente adrainistraejio, arrecadacio e flscali-
sacao dos dinhriros de orpbaos defantos e ausen-
tes, herancas jarete?, legados, etc., contendo nao
s o regiment de castas e a lei geral das execn-
eSes, como tambem todas as ordens e avisos do
governo. qne a tndo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigac5es inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de justiga e fazenda, como dos dl-
reilos nacionaes e emolumentos que s3u devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papel, e prestando-se a utilidade
de differentes classes, torna-se recommendavet.
Sea casto 10*009 por cada exemplar em dous
omos.
KlfllSftJWffl**!
I Bichas de Hamburgo
* todos os paquetes da Europa se recebe
\ destas amigas do sangne humano e se
i vendem a troco de poaco lacro s aflm s
! de ter sempre coasa nova : a loja de bar- ]
beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao pe
da igreja.
;*s
Attencao.
Vndese carne e lineabas do ^erid a 400 rs.
a libra : no oateo do Carmo, esquina da roa de
Hortas, armazem n. 2.
Vende-se
Bramante de linho fino e largo para lences.
Brim lona encorpado e fino para montara.
Mantas para cavado.
Cobertores de algodao de am e dous pellos.
Na casa de Edward Fenton n. 17, ra do Tra-
piche.
*mmmm* mmm mm&
F4REL0
de Lisboa o mais superior qae ha 4*900 e a 54000
o sacco : na ra larga do Rosarlo n. 50, taberna
da esquina, defronte da igreja.
%itenco.
A
Vende-se dore de caja', laranja, grozella e gela
em latas de nma e dnas libras a 700 rs. a libra :
no largo do Carmo, esquina qae volta para a roa,
de Hortas, armazem n. 2.
Colla da Babia superior
Tea para vender Antonio Luiz de Axevedo &
C, no seu escriptorio roa da Croa n. 1.
Atlencr a teehincha
Sapatos de tranca cora sota de cortica al|
' par : na ra do Livramewo a. 5.



Alario e Peraanbieo -.- Sexta letra 18 de Seembro ie *-
0
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
vm A\ KBOttft H>1 81 MUMi
AO
RESPEITAVIX PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
xem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 ura magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua manan parte mandados vir directamente do estranguro'podem ser
vendidos por procos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelcimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiangar; com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre da
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao ponco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, oDde se lb.es vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, pelo seo proprio interesse, a esle estabelcimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA!
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada


AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENC&O
preeoa da seguiste
tabella para todo, po-
dendo assim serrlr de ba-
se para o ajuste de coala*
com os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando o arco da Concelcao)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores $< rhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelcimento, e mais que todo a promptida'o e intel-
ezacom que serao tratid!>?# envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me danto a protecgo e preferencia na com-
pra dos eneros que precisaraJO e quando nao possam vir poder3o mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
rois serao t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendagao, afim de que nao vo em
tra pite.
e talharim a 4oo rs. a li-
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Aveuas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem dem era potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 23000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 14700.
dem de soJa em latas grandes a 2$000 e
de cinco para cima a l #300.
Biscoitos inglezes de todas as qualdades a
15200, i #250 el 5300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 1$ a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Teoente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Par sienses. Delicias, Gna-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Aprazivuis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202"O, 20560 e20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 3^500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
brvadoce a 400 rs. a libra.
P
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
urna.

KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
i LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letiua a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
CO rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparac5o.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
m
QUEIJOS fiamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MORINQUES a
11
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra,

SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
Mmteiga ingleza especialmente escclhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
Aletna, macarro
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
uha branca ou amarella a 04o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente auali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com I duzia e 9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs.. a garrafa.
Vinho Chercxde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente- lacradas a 64o. i Cartes com bolo francez muito proprios pa-
Feijao verde muito superior s 640 rs. a lata.! ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., c2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-'. Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la-1 de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 105oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc- zas em caixinhas de diversos
8,000 a caixa e 64o e Too ris agar- tamanhos com bonitas estn pas na cai-
rafa. xa exterior, a 1,4oo, 1,6oo, 1,8oo e 2,ooo
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de cada urna.
con ta certa. Azeite doce refinado h espanhol ou portuguez
Frasqueirasde enebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e <>4o rs. o frasco. I Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos I o gigo com 36 libra-.
grandes a l.oooell.ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. i Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo r. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo! Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a [ Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs a libra e 2,4oo a ar-' Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4no rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qnalidade a 6 4o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-; 10 a garrafae H.ooo a dnzia.
Iho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 04o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do alfamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Hilvana, Imperiaes,
Londrinos, Gnanaharas, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,oooa caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
de soda em latas de diversasToucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolacbinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,ooo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasera ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da mellior qualidade que' vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos preces.
Amendoas coDfeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
E' BARATISSIMOI!!
Grande liquitaco de fa/redas p reupa
feita nacional, na ruadaimperalriz
n. 72, loja de Guimares A li-mao.
Os proprietinos desle estabelecimenio lem re-
solWdo liquidaren) as azendas por pr. pos bara-
tisslmos s cora o flm de ai urr afoheiro, aprove-
1- ni as pechinehas.
Vende-se um grande sortimento de chitas fran-
cezas largas a 260,280, 300 e 70 o ovario ; ditas
percahas muito finas a 360, 4C, W e "OO rs. o
covado : isio s na leja de Guimares Irmao,
ua ra da Imperatriz n. 72.
E' muito barato I
Corles de laa | ara vestido de senl:ora a 3.
Cortes de laa a 3.
Cortes de laa a 3$.
Acs 3, 00 covados de laa,
Vme-te liazinhas dequadu.se Ce li.-irinh&sde
lindissimos padfOes a 220, 240, 280 e 3iO is. o co-
vado, vende se ttSMi barato por I i mu la porcao
I querer se acabar: imo s na loja de Guimares
& lrmao, ra da Imperatriz d. 72.
Aos *,000 chales de mei n.
Vende-se diales de merino eMami do a 2CC0
e 2^500, ditos de merino Iho a ;'>HQ. 4$ e Si,
ditos linos a 650O. U, 7,S5t O e 8.
Grande sortimento de cor es de vestido l)iaia com barra, pulo barato irtco w 3$, 200 e
35500.
Ditos de chita a ?& ?5C0, ?3 c 3J5CO.
Yende-.-e pegas ne madapolao con -4 jardas a
4^500, 55, C5, 75, 85, P5 e 105
Dito fiancezccm 12 jan'as a 2G0, 45, ifSOO
e 55000.
Veude-se um grande sortimento de gollinhas
para senliora e meninas pelo barato puco de 320,
400 e 500 rs. cada urna : isto s na loja de Gui-
marats & Irmo, ruada Impirati.-z n. 72.
Roupa feila
Itoupa feila
Grande sortimento de rcopa f< '' ondas as
qualidades, que se vende por pieoos .ratisMmcs;
afliaiica se que se vnde per menos 20 por Dio
o que m cutra qualquer parte.
Ka nova l*|a de nzeiiis de Guimares
A i-mao.
Ra da Imperatriz u. 33.
ISCBAYOS miLCS.
GraliGcCo de aO4*.
Ausentou^se da basa n. 59 da roa to Imperador
(outr'cra Coilegio) no sabbado l do correle mez
de setembrode 1865, o escravo pardo denome Joa-
quim, com os signaes sepilite* : estatura regular,
idade 18 a 20 anuos, sem barba, pea largos, olhos
grandes, cabello corrido, com uui. cicatriz grande
e bem isivel na testa, parte dos de:,tes da frente
arrumados, e rom falta de alguns dos lados, sanio
com calca n brim pardo e paletot curto de panno,
mas levu mais roupa branca e de cor, mnilo
astucioso, costonu intilular-se forr> p andar cal-
cado ; f-i escravo do Sr. Guilherme Frederico de
Souza Carvaiho, genio do tinado Sr commeudador
Manoel Gonealves da Silva : roga-se a sua captura
a todas as autoridades policiaes e a (ualquer ca-
pito de campo ou nutra pessoa particular que o
apprebender se gratilicai com 505, alm das des-
pezas de ci nduceao, entregandu-o a stu snior
Miguel Jos Alves, na casa cima, oo no seu es-
cripiorio na ru da Cruz casa n. 19.
Do engeabs Penderaca da fregnezia do Bo-
nito ausenlou-se um escravo Utalalo de Borne Mar-
tinlanu, de idade de 22 anoos, eom 08 signars se-
guinies : tem altura regular, seceo do corpo, ca-
bellos sollos, porm rnssos, le.--ta |ie--nena. nariz
alilado, >em barba, rosto comprido, mloa gror-sas
e tem una das peroas torta para dentro.
Desconlia se que esse escravo lomasae caminho
desla cidade a' vir talvez alirtar-sn voluntario,
pois ladino e pode-se intitular forro : prrhnto
roga-se aos senhores policiaes e eafiitaes de campo
a captura do mesmo, podendo quem o capturar
leva-lo ao largo do Carmo o. 1, ou naquelle enge-
nlio a entregar a Sebastio Flix l'.-ieira Caldas,
que em qualquer das partes sera eom generosida-
de recompensado. ______
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no nltimo va por
para homem e senhera : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. 54.
(o ff u c o = "1 <-= "o c b
i u g -
09
V
VINHOS
!l
Principe Alberto, de 1831, a 5^000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velbo secco a 2)5 a garrafa.
Lagrimas do Doaro a 1)5500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2# a garrafa.
Duque a U e 1*500.
Chamisso a Id, 15200 e 1*500 a garrafa.
D. Luiz a 1* a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2* a gar-
rafa..
Carca-velos al*.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico t-
nho que se pode beber por nao ter com-
posiejio alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1* agarrafa.
Absyntho a 2* a garrafa.
Kirsch a 2* a garrafa.
Wermouth a 2*, e a caixa a 18*.
Bitter Maurer a 1* a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 20*.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 2*500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
Na otBcinade ferreiro daruado Jasmlm n. Calangas Anos e firlnqiiedos
24, ha para vender urna earroca feita, com esmero ^ para atenaos.
e propria para carregar urna pipa com agua, afim i_,heKaram para a loja de miudezas da roa do
de venie-la pela ra. Na mesma oficina ha tam- Quemado n. 69, os mais finos e lindos calungas
bem um cabriole! de doas rodas,novo e muito bem tant0 para brinquedo de meninos como para cima
acabado-, quem prelender estes objectos, pode di-, de ^g, na mesma loja m.encontrar bom sor-
rigir-se a mesma que achara om quem tratar. meato de mindezag.___________
PotiSSa dft RllSSia Receban pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
muito nova e superior : wadt^e o eseriptork ca de cores a brancas para homem e senhoras : s
de Manoel Ignacio de 0,'rwiira 4 PIMjo, largo do qnem rer-ihea fpt o beij--flox, ua roa do Qoeimado
orpo Santo n. 19 'OfWq 63.
2^ = |-g-S.3:S-||S
r fia JZm O r" r" ^- f^ v
S o.
O- 03 U3 O
x 2 S w-o q S1

Si n
lK!l!mlS
s.^3
gg-^
o
Oi
" =

B
07
o a-
.3
m Sk a. Q. 8 Q
W
1
09
ce
S.B3
g
S, a'r^. o r
M g a flp
*~Z -n -? *-
-^ 2
-
c
fct
co ZS
B
B 2.
ce
u La
o srg-
oo
09
-I
a,
3
B
_
a.
CD
CO
ce
CD*
en
5
^*
ce
**3
o ~
ir>
O.
O
3/3-
o
o
2
>
g
O
Tasso Innaos
Venden n sea annazen roa do
morni n. 35,
Licor fino Cnra$ao em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhas dt
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Snternes.
Chambflrlia.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac. -
Od Ton.
PAecei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
MACHIN4SDEPATENT
de trabalhar mSo para
descarocar algodo
FABRICADAS
PorPlant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinai
podem descarocar
qualquer especi
i,de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
o trabalho; pdi
descarocar urna
arroba de algo-
do em earoco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou 8 ar-
robas da algodac
limpo.
Assim como machinas para seren movidas por
animaos, que descarocam 18 arrobas de algodao
limpo, por da; e motores para mover urna, dnas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um beliissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas; para o que convida-se aes Srs.
agricultores a virem vr e examma-lo, no arma,
xem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sauaders Brothers C.
N. II, praca do Corpa Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Irrita#o dos pulmoer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affec-
lao aos orgos da respirado
MSAPPARECKH
ediante a accjSo da balsmica e irresistive
ANAGAHUITA
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
do serem traosplantadas: no ttlo murado i u t de oculos jrjnetos, binculos, do ul-
querda, depoi do becco do Etpiabaro, no Af-1; ___,______\____Zzl vZ.Z.
flictoa
I limo e mais apurado gosto da Europa,
PEITORAL de KEMP.
a anacalniita mexicana que d o nomo es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Tampico para a cara das in-
formidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensatada e approvada pela academia
medica de Berlim O pei toral de Kemp
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda Das drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo A C. e em todos os estabeleci-
mentos pbarmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernamnuco ra da
Gru a.22 em casa de Caros Barboza
. GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lit? alata: nos armazensda ruado im-
perador n.i6 e ra do Trapiche JJovon. 8.
Vende-se um sitio no lugar de Bemfica, Pa*-
sagem da Magdalena ; quem pretender dirija-se a
esta typographia._________
Sola.
Vende-se 450 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Qaeimado n. 53, lojo de ferra-
gens.
No Ou 3 de seiemliro desle coi rente anno de
1865, fuj;lodo Inpar de Malhadipha, roznare* de
l.imieiro, o escravo Sivirino, criollo, pertenrenie
ao abaixo assignado, com os signaes sfguintes:
id^de 30 annos ou mais, preto. altura icguiar, hem
fomidn de todo corpo, poura barba, lt-in em cima
i- um olho ura carociuho sobie as costas, tem al-
guma marca de chirote que mal ne tiferenca :
quem pegar dito escravo leve em cata de seu se-
nhor, que lem a gratificado de 1C05-
Uomingos Gomeb ar Arruda.
Fugio.
Mo dia 6 de agosto o escravo crioulo de norne
Tiberio, idade de 20 a 2o anuos, estatura Laixa e
com faria de um dos denles de cima, loi e>erave
uo Sr. Francisco de Alnoquerque Maranho Ca-
valcanii : quem o pegar ou delie der DOtlrla quei-
ra dirigirle a ra da Cafleia do Berife n. 33, loja
de Valle Porto & C, que i-ea' m-, piptn.-ado.
Ao anlanh^ce^ do dia 26 oe agolo fugiram
do enpenho Camaragilie drus escravos crioulos,
ambos carreiros, sendo um de Dome Si n-t-ao, na-
tural do ,-eriao d Outicury, alto e I in felo, cara
redonda, nao miito preto, e >offie de urna hernia;
o ouiro de nome Nicolao, nascido no me.-nio en-
genho, estatura ordinaria, secco do corno e robus-
to, na mesma occasio desapparereim 3 turros
do servico do engenho. de snppor que tenham si-
do levados por elles, ou por algn que llies ser-
vio de guia e seductor, porque na miie preceden-
te a saluda dos ditos escravos foram vistos doos
homens em n n.iminicacao com o Sen.(3o junto a
entrada do engenho : quem prender e trouxer di-
tos escravos ser recompensado
A > iso
No dia 28 de agosto prximo passado desappare-
ceram do engenho Parary, silo na comarca do Li-
moelro, os escravos Francisco e Alexanire, per-
tencentes ao major Claudino Correa de Mello. O
primeiro alto, secco do corpo, om tam espadan-
do, e de cor cabra, tem a rara bexigi>sa, bastante
barba, cahellos carapinhos, ps curtos e largos,
sahio vestido de calca e camisa de aipidao aznl,
chapeo de feltro, levando lambem r> msign urna
trooxa contendo roopa de uso, a saber: camisas
de chita e caigas brancas e pardas, lev. u lambem
um chapeo de conro, mu ladino. O secundo
preto, crioulo, secco do corpo, estatura regular,
tem falta de denles na.frente, um i ooo harta-
do, e tem ps finos e bem fellos, tanrnem muito
ladino. Ambos sao mogos, leudo de idade 32 an-
nos, ponro mais a menos ; desconfia se que te-
nham foeido para assentar praca nesta provincia
tu em outra qualquer : qnem os apprehender pode
leva-Ios oo ao dito engenho, ou a' ca^a de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na ra da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.________________
AUeneo
Achamse fogidos os escravos seguintes : Bento,
mulato, idade de 25 annos, cabellos annelados, sem
barba, denles um pouco limados,' secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco deseanvada ; e Luix,
crioulo,j um pouco velho, altura regular, muito
cabelludo, brba com algnns cabellos branros, as-
sim como na caneca, corpo reforjado, olhos um
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finge-se
rouco : pede-se as autoridades policiaes e aos ca-
pitaes de campo que os facam apprehender e con-
duzi-los a' r.i-a de sen senhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompensar,
e lnes pagara toda despeza que fixerem com a sua
conduecao : suppe-se que elles tero ido ero se-
gnimento dos sertoes desla provincia, por serem
filtras desses.lugares.
Fugio no dia 18 do corrente mez o oreto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 airaos ponco mais
ou menos, alto, ros' eomprido, suissa ponco fecha-
da, ps grandes e chatos, ecostoma andar dealper-
gaias, levou camisa de algodo, caigas veihas
rotas, chapeo de palha velbo, e lambem um bonet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel que tenha ido para Serlnhem
ou Rio Formoso, oade ja tem sido capiuraoo por
vezes. Roga-se s autoridades e capites de ramnp
que apprehendam e o levem ar seu senhor Joao
Cavalcanti Lamenha Lins, residente na Estrada
Nova.siUo de Jeronymo de Hollanda Cavalcanti de
Albuquerane, aoo se recompensar generosa-
mente.



l
5
1.,.



Diarlo de reraaMhme SieUu leif 99 fctetnhro de f 9i.
i
LIT7E8ATPM.
THEATRO DA GUERRA.
torcas Paragaayas em numero de mai3 de 3:000
homen8 do outro lado do Uruguay.
Poocos toram os que escaparara com vida ; Pau-
nero nao deu quartel e alm dos poucos que com
* u vu vvu w^ >iuv "r raf
Acampamento junio ao Imbaha, 8 de aporto de a uga Parara salvarse, ludo o mais flcou no
sproxi-!CaraPodabala-
Depois dessa esplendida victoria, accrescenla o
proprio, fictva Flores em preparativos de passar
1861 No dia 21 do passado chegamos
raidades do rio Ibiculiy junto ao pauso de Santa
Mara, para logo soubemos que metade da forra
Inim.ga anda eslava na margem direita. E como
atacar os que estjvam deste la Jo ?
u.- Paraguayos fizerara multo cima do passo
rea! urna picada e se conservan) dentro do mato,
te.: alera disso era sua fretite urna forte restinga Iha, transpoz o Salto Grande, e a essa hora deve
bordada de sarandys. acbar-se em Trente a Uruguayaua tftectuando a
Concluida que foi a pasiagom de lodo o exerci- passagem de toda a torga do general Flores que
tu, uiuaram-se do mato para o campo, estenden- se aclia no outro lado.
dj tina liuba de tres batalhes, apuiados por pou-! P. S. Poucos prisioneros se fizeram, porque o
ca avallara para rebauhar gado. nimigo pretoria todo o transe a morte ren'-
der-se.
processo intentado contra o pretndeme a heranca Shara no Brasil com esses methodos o lucro tira-
do marquez de Fontanellas, publicamos a segalnte do por eada trabalhador ser augmentado rento
noticia, que encontramos emum jornal de Franca, por cenlo, como pode se-lo, e a exportado deste
Ningnemse tera esquecido do processo Pontt- genero crescer de 100000 a 200000 toneladas
nellas, julgado era Barcellona e que Unto preoccu- valor 80,000:000*, sem fazer conta do augmento de'
pon o publico no asno passado. valor na quaildade do assucar.
Este processo chelo de incertezas e mysierios le- nm.,. A
r vo ao tribunal um individuo, pretndeme ao tito- ,on f aa 8lmP'es iQtroduccSo di melhores sys-
a este lado a fl 10 x^TktiZSZ ,lo e hern* d m"^1 de ^UneU,S, de quem ""* e mac,b'Das "" oecessariameole im-
taWha ^..vadun el rZ ,'uva d-'a-a ser fl.bo. Este individu foi condemm T2TU para ** nada raais
sores da provincia.
O mesmo proprio afflrma que a nossa esquadri
Depois deslas noticias o Echo do Sul accrescen-
i la a 27- que havia recebido urna extensa corres-
pondencia da campanha, relativamente aos ltimos
acontec raemos da guerra ; e que no dia 17 o ge-
neral Flores eslava passaodo o Uruguay.
Os Srs. Oliveira Ramos, Leonel Bandeira e ou-
dos, nicos que Javam ao inimigo pouco mais da
i im. soldados, poz asnossas torcas era attilude de
atacar, formando as brigadas ; e dirigindo-se ao
comuiaoJaBle das armas, Ihe fez ver, que, nao
podendo responier pelo resultado da acgo, so
alm tria o inimigo cora urna ordem por escripto, e
quaodo 3. Exc. o Sr. general, nao quizesse carre-
jar con essa responsabilidad, exiga um conse-
iho ae comraandants de brigadas.
E-te se effectuou sendo lodos unnimes emque
as massas da nossa cavallaria teriam de succuin-
tiir 3uie a infamara immiga.
declarava ser fllho. Este individuo foi condemnado
por usar de nmnomee querer usurpar urna tor- PPno Para f"f adoptar essas novas ideas do
juna, que nao Ihe pertenclam. J ? P M9 fazeadeiros do Bras". nos
Esiuevem-nos de Barcellona : I ^7^.? P'Mtod,r Perlmanudo.
Agora que o falso Fon.anelhs est cumprindo a d. '*' ho ai! '' f S^JT J"'
sentenca a que foi conderanado, fez-se uraa deseo- seTd taTh nrZ fam,l,ar,sados com es'
berta que pode produzir urna luz borrive. e Inespe-1 ^olados *" S m ""*"
rada sobre lodo este negocio. D, .'
O velho marquez de Fontanel.as deixou em no- JllZJl^u T "" ***** ^
der de um tabelio um documento fechado e .acia-| P *"" ^^ ^
fe o qual devia ser aberlo treze annos depois de
sua morte perante testemunhas por elle indicadas, j A cos,a septentrional e oriental do Brasil, em
o que agora se fez. i I"33'lodi a so extensao, assemelhase em clima
Nesle documento declara o marquez que seu fl- e caPac'dade de produeco a seu paz natal ; e em-
Iho desappareceu da casa paterna ; que, de accordo,Dora nas resides mais altas do interior dealgumas
cora seus dous companbeiros de deverlimento M. J., Prov|ucias do norte, onde as seccas sao frequentes
uuei oauueira e ou- S.eo sobrinbo deste M. C, Ihe pedir 30,000 pias- e destruidoras, o algodo seja escasso e incerto, a
iros cidadus, oftereceram-se a Sua Magestade pa- tras e nao leudo podido obter do marquez esta 'oura desla planta coroada do mais feliz exilo
n.iharia iw Kfc.. quantu, era pelas supplicas nem pelas ameagas, a' os limites meridionaes do Rio Grande do Sul.
desapparecra sera que jamis seu pai podesse sa-1 Porm o grande valle do Amazonas basla so por
ber o Um que leve. si a tornecer trra para algodao, assucar, arroz e
Cpnvem notar que M. J. S. e M. C sao pessoas tabaco para um povo immenso, sem fallar na gom-
01 rouito coubecidas era Barcelona onde ocenpam po- ma-elastica, cacao e mil outros productos natu
Cees elevadas. raes, segundo observa o Sr. Araaral em seu rea-
Quando a polica teve conheciraento da declara- torio quaodo presidente do Para ; e os poucos ha-
Os subditos allemes residentes em S Leopoldo ^ mDarqT' lembroa-se 1^ demolindo-se urna hitantes do valle, indolentes, por isso mesmo que
"" noucia da marcha da infantaria da guarda nano- "" Z TS 1,Uehper,enCera a,M- h S" afCha- ^ao po"cas "" "^essidades e a natureza Ibes
"3 nal daquella cidade. reuniram-se e resolveramr "T T 5. ^ *" qUaS desconheciJos-
^8 m.r urna reserva amada para so a gu "'T a'gUma T*" T ^T" veS,abelecimenl da Mnha de vapores entre N,
nico ; sendo organi.-ado um regulamenlo deV IZV va-York e o Rio de Janeiro com oscal.as pelo Pa-
vi5o que foi sujeito approvaco da presidencia da Nao se .avocar o testemunho das duas pessoas huraT.m^l! T prtoC0l"B,B"5aM faci"
indicadas para se obter algum esclarec.menlo so- SjEilTSf Estados-Unidos, eo
. .. governo Imperial deve tomar promptas medidas
breo rapaz desapparecdo Prevenindo os varios consulados da America do
Fcil e adevmhar que este novo incidente pro- Norte que nao smente devem fazer conhecer aos
duzio grande emocao entre as pessoas que esto a 30,s,as que vantagens n|t 0 so|o
A torca que eslava na frente do iuimlgo fez tao
rigorosa opposicao que o gado as>ustou-sc por tal
forma dos tiros, que poucos levaram.
No dia seguinte os mesmos tres batalhSes j
snsleutados por arlilharia aziara a vanguarda do
tx;rc que veio pernoitar uo Ja>eju e nos era
Cinr.-'-urim, a menos de urna legua de dislancia ;
no asrate dia vienm para Tottro-pusso, a urna
legua de distancia do Uruguay ; quizeram commu- ra organisar um parque de arlilharia, cora bomeus
Dicar-se com a torca do lado opposto deste rio, o ; de cor.
que i,es foi obstado pelo vapor e os lanchOes oue i p-.,.,;,. i .. ,
-.i i.._ t l klo oitrecimento benignamente ac h do neo
o geueral Unabarro havia mandado armar era: lm..prail(.r f, ronnrnmo "w^
_.._, imperaoor, ro recornmeudado ao ar. viscoode da
I oa-visia, que o acceitou, maudando organ sar, nao
Tres das se conservaram os Paraguayos nesse' s um parque, mas uraa corapaoha de infantaria! si5es elevadas
lugar, esperando que o rio baixasse, o que conse-1 que far parle de um dos corpos de voluntarios.
guido erapreheoderara de novo a marcha no dia 4
deste mez ; ao mel dia iranspuzeram o arroio
d'onde escrevo, na preseuca de todos os noss
ebefes, qae, com excepcao do baro de Jacuhy e
Joao Maeoel Meuna Brrelo, compotaram a torca
juimiga em 7,000 corabatentes.
N: oa o, o geueral Ganabarro era visla dos de-
sejes iue inanifesiava o comraandaue das armas
dd deslacar-se o exercito Paraguayo, Jesejo nasci-
do da opiuio dos dous Chetos cima menciona- P provisorio de guardas uacionaes do munipio de
,.__ ___-..____ ... i) ,. ____. im .. i
provincia.
Por acto de 16 do correte foi creado o 35* cor-
Pelotas cora 401 pracas, chamadas para servigo de
campanha.
Desde antes de hontem de larde que (em chovido
copiosamente, e sem cessar at a ultima hora que
escrevemos estas linhas. A tropa que exista a bor-
do era consequencia deste mao lempo, deixou de
seguir para Porto Alegre e parle della desembarcou
para se recolher a quarteis, devido falta de com-
modidades que tinham nos vapores.
Tambera deixou de vir da villa de S. Jos do
Norte o lindo esquadro de cavallaria do munici-
pio do or e composto de 300 pracas, as quaes tem
par desta questo.
Talvez tenbamos de presenciar a segunda parte
do processo Fontanellas, bascado em toctos retros-
pectivos, muito mais mysteriosa, muito mais dra-
mtica do que a primeira.
Teremos o cuidado de publicar ludo quanlo
acontecer, para que os nossos leilores se conser-
vera ao crreme desta questo.
do Brasil, mas tambem dar-lhes as informagOes ne-
cessarias para a sua vinda, animando-os a vir co
lonisar esta bella trra.
Transcrevemos do Anglo Brasilian Times o se-
Seis commandames de n. igada e o general Ca- i de seguir para a campanha; cuja prometa e rapi- \gUile sobre *
nabarro assim o entenderam, aind. contra o vo.o \ da organisagao se deve ao prestigio do mui digno "gfr"'. ,.
do bario de Jacuhy e Joo Mauoel Menna Bar- rommandanle suoerior da *Lta1 LdJd n \r A quem estudarcom aUenSo s effeltos iS aa' "a """"^ ,urara corraos, e alugou-se urna de
! coronel Thomaz Jos de Campos I 2!?!y!I!^*S f^TfL? 'L ,,ciosa casa de ca,nP, que foi mobilada cora ex
Georgina encomraendou a
1 "ro"ria>a l!S^^l^t|Ifc25*i, Para que o aaisfraco voluntaria ou involuntaria
,;., proviucia urna caria, en lana se \ n soiiini- .
Havia algura lempo que um inglez requestava
assiduaraente urna encantadora fiha de Liver-
pool.
A loura raiss tlnha-se dignado receber as home-
nageos que Ihe erara apresentadas, e um bello dia,
ou urna bella noute, consentiu em vir a ser esposa
de John de tal.
Os banhos foram corridos, e alugou-se urna de-
conselo, sujieutou com
impossibilidade de se atacar a torca inimiga.
E na verdad.', as nossas infamaras sera a ne-
cessaria instrucco, o mesmo que succede s nos
proviucia urna carta, em que se l o seguinte:
Felicito-te pelo nosso triumpho.
A columna invasora do Itio Grande est toda
perdida. Destruida a ala direita pelo Flores, e a es
i mente abandonasse a trra da luta.
Este aban lino muitas vezes tem
sas challaras, leriam de ser sacrificada; or um T ^T J^ p8, r,reS' e a es"
vjr... ,, sdCriiiuaaa- por ura querda rednzida capitular em Uruguayana, temos
oxeru, onde ludo e infante e ar.ilhe.ro. Iora 0 ^ ara mai de ^
tZSXS^VT^T!^^! M ""WO, sera .erraos grande perda.
ra do loimigo traballia com amoas as armas.
Nestas circumstaocias urna bataliia, com armas
.tao desiguaes, .rana a competa desgraga da pro
vinria do Rio Grande-, a par de ura grande com-
promeUiffleotO para a causa da alliauga.
E.laraos a l Vendo os Paraguayos que os
nSo atacavamos, pozeram-se s ll horas era mar-
cha para L'ruguayana, on^le lizeram a sua entrada
a urna da tarde, passaudo 12 qodru louge de
no;, ue cotiiristadus pascamos o resto do dia o
lauiiiiaudo avista desse espectculo, sem poder-
0103 oppor resis:enna proveiiusa, posto termos
8,01)0 homens.
Anda ninguem vio, do !',io Grande, marchar
um exercito em mais ordem, do que marchavam
03 nossos contrarios.
O baro de Jacuhy logo que chegou aqni com
A campauha comega brillianlemante, e muito
de senlir nao ter o Rio Grande exercito invasor.
As noticias do theairo da guerra, sao muilo im-
portanles.
As armas brasileiras ob.iveram mais ura trium
influido pode ,
rosamt-nte sobre a conducta edesenvolvimento dos ,es de Londres
povos em todos os lempos, e um facto frequente- j Cl0na'
mente observado pelos autores, que tm tratado da
historia econmica das nacoes, que entre outras a
Inglaterra deve muito de sua supremaca em agri-
cultura e fabricas do estimulo e melhoramentos ef<
costureira os mais
graciosos vestuarios.
John pagou urna aotiga coma que hamuitos an-
nos flgurava nos livros de ura dos grandes alfaia-
e maudou tozer a casaca tra-
De repente urna noticia da mais alta impor-
tancia obrigou John a partir inmediatamente para
Cork.
Dous das, disse elle a' futura esposa, s dous
_-... .., ,M, u wun.uiu o iik mu ..incid.- u- ------------------ovuiioa iuiur.1 i;>posa, SU OUS
toctuados pelos flamengos, huguenotes, francezes e i das para por era andamento certo negocio e vol-
to logo.
Aqol esta* ara fellow qae nio tem eara de
multo satlsfelto, disse o capillo, chegando-se para
o pobre rapaz.
John, como todos os enamorados presentes, pas-
sados e futuros, contou-lhe os lances da sua na'
ventura tira tim por tim tim.
O capito, que parees ter grande experiencia do
coraco humano, concolou-o e demonstrou-lhe, cla-
ro como agua, que urna mulner que nao pode es-
perar vinle e quadro horas para casar, devia natu-
ralmente perteacer a' mais pengosa especie ; que
isso indicava nella disposigdes tyrannicas que,
mais tarde ou mais cedo, meagariam a paz domes-
tica. Mas John abanava a cabega.
Elle ama va tanto a linda Georgina I..
Mas eu nao posso deixa-lo nesse estado e te-
nbo agora obrigag5es que preciso cumprir.- Per-
mi.lame que o aprsente a uraa encantadora lady
que lomou s para ella um camanm.
John seguio machinalmente o capitao.
Ah, como ella era linda, aquella lady X.. I
Al ja', disse o capuo com certo rir enigma-
tico.
Os dons conversaram muito lempo, muilo lem-
po ; conflaram um oulro os seus segredos.
Ella conlou que fugia de um rapaz que a linha
trahido, e disse que via a felicidade em cada bra-
ga de mar que a affastava delle.
John fallou um pouco de Georgina, e muito
de si.
LadyX... mostrou compadecer-se delle, e con-
fessou qub nao Ihe parecia que elle merecesse ta-
maito rigor.
Depois, os ollios de um encontraram os do
oulro.
Stop I grilou de repente a voz do capito.
O vapor chegara ao seu destino.
John e a lady estreraeeerara, porque estavam a
fallar baixo, muito baixo.
E' fcil adivinbar o que elle diziam.
Ao desembarcar vio se John cercado pelos seus
amigos, que Ihe diziam :
Va veslir a casaca e por a grvala braca
Miss Georgina perdua-le... Anda depressa.
Mas John respondeu, sorrindo :
Miss Georgina peccou pela bocea. Apresen-
to-lhes a que brevemente sera' minha esposa.
Todos olharam uns para os outros como quem
perguntasse se John tena perdido ojnizo.
Mas por fim foi preciso acceitar a evidencia.
Ao cabo de vinte e quatro horas eslavam alean-
gadas as dispensas e corridos os novos banhos.
Miss Georgina queimou todas as carias que John
Ihe escrevera.
Lady X... e Johncasaram, e os convidados na-
da perderam com a trastormago, porque as tosas
nupciaes foram esplendidas.
Georgina jura agora, mas j tarde, qoe nao
tornara' a cahir em outra.
" i un i i
outros refugiados, que toram encontrar um asylo
, no solo inglez contra as perseguigoes e resolugoes
pho sobre as do Paraguay. Os hroes de Paysaudii da Pa,na-
e Riachuelo bateram-se com a bravuja que lera fei- Para 3 que l,n observad sem prevengo nem
to a adrairagao geral. preconceto as diferentes peripecias da desastrosa
ac th.c .i, D....L a.__. ., .... guerra civil que lerminou de tocio com a evaca-
As roin-j de Uuenos-Ayres esta.Mara-se fa ando 5 A u i j- .,
de duwd ^ ,,, i ,, cao de Richemoud e o rendimenlo do genera Ro-
do deuodo e coragein dos nossos sollados. K...I I J *
berto Lee, e anda evidente que grande parle dos
A Nacin Argentina diz as seguintes palavras hamiantes dos e;tados do sul na America do Norte;,,u' leailoo cuidado de assentar sobre o coragio a
que reproduzimos cheios do mais vivo enlhusiasmo: deixaro a patria em procura de outros paizes ; e PnotSraPha de miss Georgina.
resulla necessariamente de
O que preciso que nao se esquega do ter-
ceiro da, respondeu a forraosa Ge .rgina, que
acrescentoa, abaixando os olhos : porque o do
nosso casamento.
John respondeu :
Sois um aojo I (phrase sacramental) e par-
/ A bravura e pericia dos soldados brasileiros esta emigrago que .
est sobradamente provada. Elles s desejam sa- tantos causas polticas, sociaes, terriloriaes e pes-
ber onde esta o inimigo para btelo. j JOaes de crer que nao seja parcial e de pouca
Ante sua audacia nao ha resistencia possivel. durago, porm sim que tome em breve proporgoes
No combate de 12 tornaran) a demonstrar que extraordinarias.
ui
.._- ,----v..^,.-,aj are u ar narroso e aicno ai e OfflOS e sua enthn- .
toje nada fe, Ee amda ,,uorava que os Para- Uiastica ofliei.lid.de .Irepa capazo 'de embar r ^ """ ""T ^T
guayo, marchara u.,,ios, e perooitam rojeados de cora os melhores soldados do mundo 2 S *? PV' a Afr"* d
ama lintaa ue sentineilas de infantes e fortes I i- menlt |,ara l3rasl1- CUJclliua.solt
ama iiniu ue =eniieilas de infantes e fortes
promptidSes, impossivd de serem accomraetiidos.
Hjitudo est convencido que sem numero
igual ou quasi igual deintoniaria impossivel der-
roialos.
Asesperancas esto no Flores.e Pauner.-, que
j or estes dias deveiu alaar a torga que eta aira
do Uruguay, para depois. nos virem ajudar.
As torgas, que estao ch 'gando, ou que se presu-
msm chegar d Interior te pouco serviro, pela
falla de instrucco.
0 coramau.tante da torga Paraguaya, charaa-se
Bsugarribia.
Traz ura padre ijue os dirige, e que era ludo
consolado, segundo as ordens de Lpez.
O descalabro de ver os Paraguayos entrarem na
no- a villa de Uruguayaua, me puz mudo por mais
de duas horas e quasi perd de todo o orgulho
de brasileiro.
Estamos a 14 Acaba de chegar um proprio
que d a faustosa noticia de terem Flores e Pau-
nsro batido hontem e derrotado completamente as
O terceiro dia raiou resplandecente.
Para preparar a John urna agradavel surpreza.
Gergica coraegou logo de raaoha a veslir-se de
noiva.
Vo chegando as meninas do seu conheciraento.
convidadas para a festa.
Do onze horas.
a va-
-- ----------o i wiu iiui.uiiiudic u.; i i.ji u:ii:i, a uemoiisirar que
uu.-ordenangas e un ajudaole de ordens, fallou' a causa que defendera tao santa, como heroico o
em unas sorpresas, que o corauaudaaie das ar- I seu valor uo perigo AI|!UDS sei eraiKraaos procuraro de preto-
uiaudou dar-.heforca< para eltoctoa-las aiA I ne. o..Jai- a < t rencia o Mxico e Cuba com mais vizinhos, outros
i-ioa ias ate u br. Barroso e digno di e ogios. e sua ealhu- i.. .. i -. r '._ .
lalvez as colonias mglezas, muitos, porera, hao de A bengao nupcial devia verilicar-se s onze e
Sul, e especial- meia, e nada John
a, solo e organisagao i Um convidado apresenta-se espantado em c*sa
um um no.sos ainauos i socia) apreSenta tanta semelhanga cora os daquel-1 da noiva e annuncia que John nao as. em v.t
A seguinte irapor.ante noticia a respeilo da Uru- ,es eslados, e olferece as maiores vantagens para a pool.
guayan to.-nos communicada por pessoa muito CU|lura do a|go,llio> assucar e labaC0) que ibes sao
competente : j |3 connecidos e faraj|iares.
t A columna paraguaya, corajtosta de 4,000 ho-1 n ,,, ,
m ..____u t" x, .. Lom essas ideas nesso nico desejo e despenar
mens, que marchava sobre Montevideo, to encon- ^ T ,
ir,H, nLi, i ,m i pi ,L a aen5ao do governo brasileiro para as grandes
irada pela columna de Flores, onde en ravam 1.400 .. ... ....,
hraciirn- a m. iaim, ^ i .i *aniageM qne Ibes poden trazer lavradorea tobi-
brasileiros, e complelameote desbaratada, morren- .. A ,
,,,,.,, ./ litados,como sao os dos estados do sul, para o
do quasi todos os Paraguayos que se nao quizeram ....
rrtQ .....,,..- i 1TTT. grande estimulo de produegao "e vastos me hora-
render, puis que Lpez tinha-os ameagado de des- A .. ;
i,ir.i,-,f ,. a mentos de cultura e fabricas, vis o como o me ho-
tn.ir todas as familias dos que se entreeassem. L ,, L ,
, / do empregado por aquellos lavradores ereconheci-
A columna eomposta de 9,000 Paraguayos que do C0111 0 meihor
se achava dentro de Cruguayna eslava cercada pe-: E-indubuavel queos systemasde cultora dessa
la gente de Ganavarro e pela de Flores, que os ti- grande fnle de rendiraenio e riqueza do Brasil es-
nha v.ndo encontrar, de manera que nao havia ,5 Carecendo de inultos melhoramentos, o que se
esperangadesalvar.se a gente alliada consta de manifesta mais especialmente no caso do assucar,
' .. pela pequea importancia deste genero brasileiro
Pode-se, portante, dizer que 13,000 Paragyos n0s mercados da Europa e do tocto conhecdo-
los- que cada trabalhador do Brasil nao produz mais
que terga parte do que costuma produzir qualquer
trabalhador nos eslados do sul, e mesmo em Cu-
ba, onde os systemas americanos tm sido inlro-
Era add.taraento ao que temos publicado sobre o duzid0s,-desorle que, uiilisaudo os bragos que se
DM POICO DE TLBO.
FOLHETIM
o demohhTdo jogo
pon
HENRIQUE CONSCIENCE.

At aos lias do seclo XV nao soffrM o com-
merclo europeu noiavel perturbago na direegao
que tomara. A America ainda nao estava deseo-
berta, o caininho para as Indias s era sabido por
trra.
Veneza, de assento, como rainha do commercio,
no ponto central desse camlnho, forgava os povos
da Europa e da Asia a Irera permutar uo seu re-
gago todas as riquezas do mundo conhecido.
Bruges, a flamenga, era a cidade nica qae, at
certo ponto, como emporio internacional dos povos
do sul e norte, comparta a prosperidade commer-
cial de Veneza; mas insurreigoes populares e con-
tinuadas guerras cvis ja' tinham toilo que grande
numero de negociantes estrangeiros trocassem Flan-
dres por Brabante, e a prosperidade de Bruges,
pelo menos em parte, tinha passado para An-
tuerpia.
Surgiram ento de repente dous grandes acon-
lecimenios que desviaran os povos da amiga di-
reegao das suas relages commerciaes : Colombo
-descobno a America, o mundo novo; Vasco da
Cama, debrando o cabo da Boa-Esperanga, achou
va nova para as Indias.
A segunda descobena, deslocando o grande ca-
minho do mundo, privou a cidade de Veneza das
vantagens da sua silaagao, e forgon o commercio a
procurar novo centro.
Portugal e Hespanha erara as nagoes mais pode-
rosas por mar; suas armadas partiam para as duas
Indias, e vollavam com as especiaras, perolas e
metaes preciosos que haviam de chegar a lodos os
pontos do amigo mundo. Para essa dislribuigo,
era raister um emporio que Ucasse a meio carainho
do sul e do norte da Europa, e onde Uespanhes.
Portuguezes e Italianos, assira como Francezes, In-
glezes, Allemes, Suecos e Russo?, podessem che-
gar com igual facilidade, como a um perpetuo roer-
eado de ludo o que podia permutar o commercio
do mundo novo e do antigo.
Poucos annos antes do comego das guerras de
religio, que tinham de arremessar o nosso paizem
um abysmo de desgragas seculares, o movimento
commercial havia ebegado em Antuerpia a urna la-
tilude espantosa.
Milhares de navios de todos os toitios e de varia-
das diraens5es cobriram o seu vasto no, como urna
floresta de masiros cujas bandeiras de todas as c
res annunciavam a presenga de todos os povos
comraerciantes do mundo. Os galees portngue-
zes levavam-lbe especiaras e pedras Anas do
| Oriente; os hespanhes ouro e prata da America ;
. os navios Italianos delicados (nietos e ricos es.dfos
' dos paizes meridionaes ; os allemes sementes e
j metaes a farla. E todos volv.am depois s suas
patrias, carregados com outras mercadorias, para
i darem campo aos que vinham chegando de conti-
nuo, e aignns dos quaes, como lestemunham as
chronicas, tinham muitas vezes de esperar seis
; semanas pelo espago preciso para abiearem ao
caes.
Barcos mais pequeos, como hers e ontros de
' menor tonelagem, iam Escalda cima ou aventu-
ravam-se ao mar para que os povos das costas v-
zinbas parlicipassem do commercio geral do mun-
do. Quanto ao transporte pelo interior do paiz
operava-se por meio de solidos carros que de An-
tuerpia partiam todos os dias aos centos para todas
as regiSes. As pesadas carrocas que transporta-
vam as mercadorias pela grande estrada de Colo-
nia para o corago da Allemanha, tinham o nome
de Hasstnwagens.
A extraordinaria actividade que se disferia sobre
esse vasto mercado do mundo tinha, de muito lem-
po, convidado os raercadores estrangeiros a irem
fazer assento em urna cidade onde grandes quanti-
dades de ouro em circulago a lodos promelliam
lucros e fortuna.
Nessa poca era Antuerpia habitada por perto
de mil negociantes de outros paizes que todos ti-
nham seus empregados, e ha uraa chronica que diz,
i lalvez com alguma exagerago, que houve tempo
de cinco mil estrangeiros que se oceupavam no
i commercio.
Era na bolsa que esses estrangeiros se reuniam
I duas vezes por dia, nao s para tratarem da com-
pra de mercadorias e seguros de navios, mas prin-
cipalmente para operagOes bancarias.
Para dar urna idea dos thesouros de que enlo
dispunham as casas de Antuerpia, basta dizer qae
o rei de Portugal pedio um da a' bolsa desta cida-
de tres milhes de coras de ouro, e que a rainha
Mara de Inglaterra contrahlo com ella um em-
presiono no valor de setenta milhes de francos.
S um negociante chamado o rico Fugger, dei-
xou por sua raorle urna heraoca de perto de seis
milhes de coras de ouro, quantia que, para essa
poca, parecera fabulosa se nao constasse de do-
cumentos que nao podem soffrer impugnago.
Essa riqueza e a presenga de tantas nagoes qoe
rivalisavam para escurecerem urnas a outras, ti-
nbam levado a tal ponto o luxo em Antuerpia qoe
multas vezes se virara os magistrados na necessi
dade de pnblicar regulamentos e ordenagdes para
se por peas s tosas e ao dlsperdicio de dinheiro,
nao tanto por causa dos estrangeiros como por in-
teresse das familias nobres e da burguezia que se
deixavam levar do exemplo dos negociantes no era-
Exclaraagoes, admiragoes, etc.
Vem oulro convidado, que chegou o barco
por e que John nao eslava a bordo.
Shocking I shocking dizera e repetera todos,
desde oav at ao primo mais pequeo.
Por flm, chega um telegramma.
Miss Georgina l estas palavras.
E' impossivel estar hoje era Liverpool. Casa-
remos manha Desculpe-me.
Furiosa, linda Georgina amarrotou entre os m
mosos dedos o despacho telegraphico, e mandou
responder, tambera por telegramma :
Casaremos hoje ou nuuca.
Imagine-se a dr, a magoa, a desesperago de
John.
Chama em seu auxilio todos os genios tutelares,
todas as todas, todos os deiises da antiguidade ; De uraa biographia do general americano Hal-
mas, ai I a sua voz nao acba ecco. *fci publicada por um jornal extrahimos o se-
A' noute enlra no vapor, assenla-se triste me- \ guile :
lancolico, e olha com ar sombro para as vagas que j Henrique Wagor Halek nasceu Westernv.lle,
murmurara. es,ado de Nova-York, em 1816.
As excavagoes em Pompeia continuara com urna
actividade e urna coragem, que sao ainda instiga-
das pelas importantes descobertas que se tozem a
cada passo, e a prodigiosa quantidade de moedas
de ouro e de prata que se encontrara, e que pa-
gara bem as despezas d'esses Irabalbos.
Ao p do templo de Juno, de que ha pouco de-
mos noticia, acaba-se de descobrir uraa casa que
certamente perlenceu a algura railliooario d'aquel-
les lempos, porque os movis sao de marfim, de
brooz e de marraore.
Os leitos do triclinio sao de extrema riqueza ; o
pavimento um inmenso mosaico muito bem con-
servado em partes e no meto tera urna meza que
parece preparada para um grande jantar.
Nocenlro da mesa, sobre urna bandeja, v se
um gobern pavo, com a cauda abena, costas
com costas com oulra ave tambem coberta de bel-
lissima plumagem.
De redor d'eslas aves ha lagostas dispostas com
symetria, uraa das quaes tera nas suas immensas
garras um ovo azul ; a segunda urna ostra que
parece guzada, porque esl aberta e coberta cora
hervas finas; a terceira um rato recheado; a
quarta um vaso pequeo cheio de gafanhotos gre-
I hados.
Depois ha urna tileira de pratos com peixes en-
treraeados com pratos de perdizes, lebres e esqui-
tes, ludo com a cabega mettida entre as maos.
Depois um circu, de salchichdes em formas
vanadas, dentro de outro circulo de ovos, ostras e
azeitonas.
Por tora d'este corre um circulo de pecegos, ce-
rejas e meles pequeos, e fecha-os a lodos outro
circulo de legantes e diversos fructos.
As paredes do trtclinio estao cobertas com plu-
turas a fresco, representando aves, fructos, flores,
caga, peixes de murtas qualidades. tudo entremea-
do de desenhos, que Ihe dao urna apparencia ex-
quisita e um encanto que nao se descreve.
Sobre a mesa, que de madelra rarissma, la-
vrada e coberta com embutidos de ouro, de mar-
more, de agatha, de lapis-lazuli, eslavam ampho-
ras que ainda tinham vlnho e alguraas lagas de
ooyx.
Denoto to primeiro. esludos, e de nma pequea
residencia no w/Jegio da Unio em Nova-York en-
trou na academia militar, onde completou os seus
estados .t 1830, fuoodo os exames para a sahida
obleve a dlsliocgao, mas conservon-se na academia
como lente com a graduago de altores.
Desde 1841 a 1814, Hallek estove empregado nas
torticages do porto de Nova-York ; em 1845 per-
corrou uraa grande parte da Europa, para estudar
as insutuiges militares nas diversas nagoes do
continente, e no invern de 1845 a 1846 deu no
instituto de Boston urna serie de conferencias so-
brea sc.encia da guerra, as quaes toram publica-
3. gaerra" ^ mroducSa0 sobre a I***
Em 1846 foi maniado California, e na Costa
do Pacifico desempenhou comraulativaraente as
funeges cvis e militares.
Tenente desde 1845, foi promovido a capito po'
occasiio dos acontecimentos de Pala Prietas y Urias
( 18 e 19 de novembro de 1847 ), e um dos seus
tollos d'armas, d'aquella poca, foi o de Santo An-
tonio, era que com alguns soldados de cavallaria
voluntarios, e Jevidoa urna marcha forgada de 193
kilmetros em vinte e quatro Uoras, sorprebendeu
uraa guarnigo mexicana de alguns centenares de
homens.
Como ajudante de campo do commodoro Scba.
bruck, toraou parte nas operages navaes e milita-
res da corte do Pacifico ( 1847 e 1848 ), e na to-
mada do Mazailan, para onde to nomeado tenente
governador.
Foi secretario de estado da provincia da Califor.
na, durante o governo militar dos generaes Mazon
e Riley.e desde 1850 desempenhou differentes car.
gos de importancia, at que era 1854 deu a sua
demisso, dedicando-se ao negocio, e reunindo por
espago de alguns annos s funeges de principal
associado de differentes casas de California, as de
director geral das minas de Novo Almadn.
Pouco depois do rompi ment das hostilidades na
ultima guerra. Hallek foi nomeado major gene-
ral do exercito regular dos Estados-Unidos com a
antiguidade de 17 de agosto de 1861, e em novem-
bro seguinte succedeu ao general Fremont no com-
mando do exercito d'Oest, cujo quartel general era
em S. Luiz.
A sua pericia se devem os resultados que se al-
cangaram em tovereiro de 1862.
Pouco depois, e durante as operages, fez sentir
ao governo de Lincoln a necessidade de ter em
Washington um hornera de experiencia consum-
mada, capaz de dirigir com acert os movimentos
e combinages dos diversos corpos do exercito e
effeclivamenie a escolha do presidente recahio em
Hallek, o qual em 11 de julho de 1872 toi nomea.
do governador era cheto do exercito da Unio.
N'este alto cargo inaugurou as suas funcg5e3
derrotando no Rapidan o corpo dj exercito do ge-
neral Pope, e chegaodo sem dlflculdade a lork-
towu ; podendo dizer-se que lanto a infelicdade de
Mac-Clellao, como a elevaco rpida de Grant ao
grao de tenente geueral, a mais elevada gerarchia
militar do norte, o devidas ioiciativa do gene-
ral Hallek, que, devemos contossar fez sempre boa
escolba.
Depois da torasda de Richraond, e da capitula-
gao de Lee, Hallek foi collocado testa do exerci-
to do Potoraac, e eacarregado do commando do de-
partamento militar da Virginia.
Pouco depois, e quando o territorio dos Estados-
Unidos toi dividido era cinco grandes commandos
militares, o general Hallek, foi encarregado do com-
mando do Pacifico.
Esta nomeago para um porto de (anta impor-
'ancia, nao pode de ceno ser considerada como um
sigual de desgraga, mas esta circumstancia e a de-
sintelligencia manifestada entre Hallek e Sherraan
nao sao seguramente estranhas ao affastamento do
primeiro d'aquelle3 generaes da esphera do go-
verno.
O general Hallek, tambem um escriptor dis-
lincto ; entre as suas obras, conta-se nma traduc-
gao das leis mineiras de Hespanha e do Mxico, e
um tratado sobre o direilo das gentes e o direito da
guerra.
penho de um fausto que podia coraprometter as
suas fortunas.
A maior parto dos negociantes italianos de La-
ca, de Genova, de Florehca e das outras cidades
trans-alpinas, eram fidalgos, e por essa razo es-
lavam em ntimo trato com as familias nobres de
Antuerpia, cujos merobros, mesmo as mulberes,
tinham conhecimenlo de tres ou quatro lioguas, e
se applicavam com especialidade a fallar correcto
e elegante o snave idioma da Italia.
No Kipdorp, nao longe da igreja de S. Tbiago>
havia urna boa casa, requentada cora preferencia
pelos mais distinclos negociantes italianos, ura a
morada de Gutlherme Van de Werve, senbor de
Scbilde.
Este dalgo nao se dava ao commercio porque
as familias aristocrticas de Brabante nao tinham
o negocio por oceupago digna de um nobre, mas
moslrava-se em extremo affavel e bospitaieiro com i
todos os estrangeiros cujo nasciraento Ihe permiltia '
trata-Ios familiarmente. De mais, era um bornum
opulento, franco e generoso em seu modo de viver,
e fallava tres ou quatro liuguas com a facilidade
precisa para poder entrar, em qualquer dellas, em
una conversago agradavel ou mil.
Mas ainda havia outra razo para affluirem es-
tranbos a casa de Van de Werve. Tinha urna fl-
Iba, por nome Mara, de rara belleza, tao amave
e ao mesmo tempo to modesta e recatada no meio
de todos que porfa prestavam bomenagem s
suas gragas, que, na torga de enlhusiasmo da sua
natnreza meridional, os fidalgos estrangeiros cba-
mavam-lhe bionda maraviglia, o lolro portento.
Em ama manha de 1550 estava a tormosa Ma-
ra Van de Werve, era casa de sen pai, assentada
em nma cadeira de ricos lavores. Teria chegado
de ba pouco tempo da igreja, porque ainda tinha
tus mos o seu rozara de pedras preciosas, e ao
sea lado em outra cadeira, o seu capilote de que
penda o veo.
Sem duvida a oceupava nesse momento um pen-
samenlo alegre, que Ihe enchia o corago de doces
esperangas; um sorriso quasi mperceptivel, mas
eloquente como um reflexo da alma, brincava-lhe
nos labios, emquanlo que os olhos erguidorpira o
cto, pareciam implorar urna graga a Deus.
Por detraz della, na parede, havia um quadro
i em que o grande raeslre Joo Van Dyck represen-
tara a Yirgem orando na solidao quando anda ig-
nora o sublime destino que a espera.
O artista tinha dispendido larga nesta obra
prima as mais ardenles aspiragoes do sea engenho
po e potico, porque a imagem parecia viver e
; pensar. Encantava pela dogura das toiges, pela
magestosa serenidade da expresso, pela ternura
do sorriso, pelo olhar rico.de amor e de quietago
; que ergua da trra ao co.
Havia urna espantosa semelhanga entre a crea-
gao do pintor e a virgem que estova assentada
quasi na mesraa postura.
Com efteito, a joven Mara Van de Werve era
lo tormosa como a potica representado da sua
advogada. Tambem tinha rasgados olhos azues,
cujo olhar, ainda que tranquillo e sclsmador, ao-
nunciava profunda senslbilidade e urna alma terna
e affectuosa ; sobre a sua fronte de brancura de
' y r i o tambem brilbavam anneis de loiro doirado, e
as suas faces de leve rosadas formavam o mais
bello oval que pode desenhar e pintar a mao de
um artista; em todo o seu ser tambem havia
aquella serenidade, aquelle recolbimento, aquella
gravidade sorprendente, verdadeira poesa da al-
ma immaterial, que s tem sido comprebendida
pelos artistas renles do norte antes de Ibes vir do
sol a inspirajo material da arte paga.
Mara Van de Werve eslava vestida coa extra*
Urna boa velha, vestida a moda antiga, vestido
cor de pulga, chapeo de fitas extravagantes, man-
telete de seda amarello-r.anario, coberto de arabes-
cos de velludo preto, em caprichosos contornos, sa-
paios de robusta construegao, e na mo um d'a-
qoelles grandes ihdispensavefe, cuja moda passou
ha mais de meio scalo, irnha tomado o seu higar
em um mnibus.
carro estava iiuasi todo oceupado por damas
elegantes.
Logo que se assentou, a nossa respeilavel marro-
oa cahio'em profundo somno.
De repente -um grito agudo, seguido de mais
uns vinte, poz em sobresaltos a boa velha adorme-
cida.
Que tinha acontecido T
Dous reptis, de sessenta centmetros de eompr-
menlos, davam dentro do carro saltos perigosos pa-
ra as bellas passageiras, que, cheias de terror, se
chegavam amas para as outras, e se preparavam
para sallar tora do mnibus.
S a velna se mostrou impassivel e procurava a
causa do tumulto, quando vio as duas serpenles.
Pequeninas I gritou ella logo, que andis a
fazer, minhas louquinhas ?
E levaoiando-se o mais depressa que m'o per-
mittio a idade, agarrou as duas fugitivas e met-
teu-as no ampio mdispensavel.
Depois pedio rail descuipas s boas senhoras,
que ainda eslavam paludas e cheias de susto.
Depois conou que tioha a mana das serpeles,
como outras teem a dos cas, dos gatos ou dos pas-
saros; mana to innocente, como as duas cobras,
que provavelmenle era aquella a primeira vez que
andavam era mnibus.
ma riqueza; mas havia no seu trajar tal sobrieda-
de de ornatos, nessa poca de luao exagerado,
que poderia at ser estraoha. Um rae corpo de
velludo azul-celeste abragava-lhe a airosa cintura,
e urna saa de damasco com grandes flores calna-
Ihe al aos ps em pregas angulosas.
S nas mangas golpeadas havia alguns bordados
de fio de oiro, e na algbera de pelle de camurga
que Ihe penda da cinta brilhavam grandes movis
incrustados de pedras preciosas.
Tudo o que a cercava testemunhava a op*ulen-
ca de seu pai; altas vidracas pintadas, cobertas
com os brazes de seus avs, derramavara mgi-
cos reflexos no pavimenta de marmore; mesas d
carvalho, cadelras, caixas cobertas de admiraveis
esculpturas lavradas por artistas celebres, eslavam
dispostas ao compndo das paredes; ora cruciflxo
de marfim precioso tevantava-se no fundo e oBcre-
cia agua benta em urna taga de prata lavrada. At
os gigantescos caes de chamin, postos na. cinza
dcbaixo do panno da vasto chamin, etam em
parte dolrados e ornados de brazoes.
Ou porque as suas orages estvessem conclui-
das ou porque seus pensamentos tomassem oulra
direegao, ergueu-se e dirlgio-se vagarosa para a
ampia janella que dava para o j&rdim.
Atravez dos vidros levantoo os olhos para o co,
como para perguntar ao sea profuodo azul se esto!
ra mnilo tempo assim paro. A expresso de doce
esperanga veio illumiaar-lbe o tortuoso rosto,
assomoa-lbe s faces o encarnado do alvorogo in.
limo.
(Continuar-u-ka.)

.

3
PSRNAMBlfi-tfYP. BR i. F. DE F. & FILHQ.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC6XZV438_Z39572 INGEST_TIME 2013-08-28T03:13:30Z PACKAGE AA00011611_10774
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES