Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10771


This item is only available as the following downloads:


Full Text
?
amo ni romo m
Hr qurfel pago deitro de 10 das do 1, mez : i 51000
dem (lepis dos l.os 10 das do contcoe dentro do quartel. ] 61000
Porte ao correio or tres mttes '......... ..' 750
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO NORTE
Parahyb, o *r. Antonio Alejandrino de Lima;
Na ni, o Sr. Antonio Marque* da Silra ; Araeaty, o
Sr. A. de Pernos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Har, os Srs. Geraldo Antonio Aires &
Pililos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCIUPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudioo Falco Uias; Babia, o
Sr. Jos Martin Al ves; Rio de Janeiro, Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
________________________________________________1---------------------
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
TERCA FEIRA 9 DE SEEHBR0 DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,,,. 19f 008
Porte ao correio por un anuo ..*.., Sf00 (i
Serinhiem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna nasseguadas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caroar,
Altinho, Garanhons, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaralii, as tergaslrrbunal do commercio : segundas e quintas.
_. e'r,af' IRelaco: tercas e sbados is 10 horas.
Paod Alho, Nazareth, Limoeiro, Bre}o, Pesqoeira d 10 h
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis- quintas." 1U no"s-
la, Ouricury, Salgueiio e Ei, as quartas Juizo do commercio: segundas as II horas,
feiras. IDito de orphlos : tercas e sextas s 10 horas.
ter;as e sextas ao meio
quartas 6 sabbades a i
Primeira rara do civel:
a.
Segunda vara do civel:
bora da tarde.
EPHEMEKIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
S La cheia as II h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Quarto ming. as 2 h., 37 m. e Si s. da m.
19 La nova as 8 h., 26 m. e 10 s. da t.
28 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
18. Segnnda. S. Jos de Cuperlin" f.
19. Terca. S. Januario b. m..; S Nilo b. m
20. Quarta. S. EuMaquio m.; S. Prisco m.
21. Quinta. S. Matheus ap.; s. Joas prof.
22. Sexta. S. Mauricio m.; S. Saniioo b.
23. Sabbado. S. Lino p. m.; S. Tecla v. m.
24. Domingo. S. Tyrso m.; S. Geraldo b. m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 horas e 42 m. da tarde.
ISegunda as i horas e 6 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSFEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; pan o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos roezes de Janeiro, marg., malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na vraria da praga da Independe!*
ns. ft e 8, dos proprietarios Manoel Figneiroa ta
Faria A Filho.
PARTE QFFICIAL
GOVSRN0 DA ritmiUM.
Relatarlo coiu que o Eim. Sr.
r. Antonio Borges Leal Cas
i ello Branco passon a adminis-
tradlo desta provincia ao sex-
to viee-presidente i:\iu. Sr. ba-
rio do Rio Formoso.
(Continuar So.)
DIVISXO JUDIUARIA.
Por portara de 19 de julho estabeleci foro civil
no termo de Bezerros, creado pela lei provincial
n. 61B de 19 de maio deste anno, por se haver
apurado o numero de 186 jurados as duas fre-
guesas de que se compoem, e nomeei para sup-
plentes do joiz municipal os cidaditos seguintes :
1." Manoel Francisco de Azevdo Lira.
2. Manoel Antonio Ferreira.
3" Joo Braz de Vasconcellos.
I." Joo Francisco Cavalcante.
5. Jos Clemente da Silva.
6." Manoel Vieira das Nev?.
A lei provincial n. 628 creou um 3. disincto de
paz na freguezia de Santa Maris da Boa-Vista;
um na Serra Talhada ; dous na de Sao Bom Jess
da Igreja Nova, denominados Cachoeira oo Rober-
to, e Petrollna.
ADMIMSTUACAO DA JL'STIQA.
Nesla capital tem havido tres sessoes do jury ;
ao4
Amorim por denuncia de Manoel Alves Pereira,
por excessos praticados contra Jos dos Santos Sil-
va e o professor Jos Izidoro d03 Santos. Sobre
essa representado ouvi o mencionado bacharel Dito ao mesmo.-Hija V. Exc. de informar acer-
em 27 de abril, e tanto della, como de sua respos-! ca do incluso requerimento de D. Themotea Jos- providencia necessarias no sent seren
ta, do sumario a que se procedeu pelos atentados pha Carneiro Maciel da Silva. viados para esta capital quanto antes os guarda
commeltidos por algnns mascarados em casa do | Dito ao inesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar que faliam para completar os contingentes dos cor-
guarda nacional sob seu commando su-
alislar a Manoel Amancio dos Santo e Benigno nio Vital, sobre que versa a sua informaco de 31
rreira da Luz, aquelle com destino ao 3o e et> de julno ultimo, assim o declaro a V S para que
corpo de voluntarios da patria. mande designar outro em substituido d'aquelle.
Por esta occasio recommendo a V. S. que d as
bacharel Lourengo Machado Dias, e de oulros do-! alistar no Io batalho de guardas naclonaes desti-
cumentos que me forain presentes, vi que com ef-
feito, leudo sido ultimado aquelle summario em
18 de novembro de 1851 com seoteoga denlo pro-
nuncia do sub-delegado de Panellas, nao tinha esta
sido ainda confirmada ou revogada pelo juiz muni-
cipal, que s se lembrou de tal processo no dia
9 de novembro do anno passado para mandar j Manoel Joaquim Bezerra.
prender Jos dos Santos Silva (que no da seguin-, Js Joaquim da Silva
le devia funccionar como juiz n'uma justilicagao Severino da Cunha Barbosa.
nados ao servigo da guerra, ficaudo recolhidos ao
deposito dos recrutasjat ulterior deliberado, os 6
guardas do batalho n. 26 de infamara do mu
cipio do Bonito, mencionados na relago in-
clusa.
Relacao a que se refere o oficio suppra.
de abusos do mesmo juiz municipal), a pretexto de
se achar indiciado em crime de tentativa de mor-
te, quando no processo nao ha prova alguma de
tal tentativa, nem de qualquer criminalidade de
Sanios Silva, sendo que os ditos vagos das teste-
munhas nao sao maU contrarios elles do que a
oulros, e no entretanto s a Santo Silva mandou
o juiz municipal prender. Concedendo o juiz de
direito soltura por habeas-corpus Santo Silva,
depois de estar elle preso sem culpa formada por
lo dias, e instaurando um processo de responsabe
lidade aj juiz municipal, mandou este por porta-
ras de o ft 7 de dezembro autoar Santos Silva por
6 crmes de mories o roubos, que diz perpetrados
era pocas remotas, e dos quaes s leve conheci-
mento, ou s se lembrou depois de cas, estando alias no termo desde 26 de maio de
63. Pronunciado o bacharel Amorim pelo juiz
Jos Godorfo da Silva.
Francisco Ferreira da Motta.
Manoel Ignacio de Brillo.
Dito ao mesmo.Faga V. Exc alistar no 5
pos da
perior.
Dito ao tenenle-coronel Mariano Xavier Carnei-
ro da Cunha.Determinando nesla data aos com-
mandaoles superiores da guarda nacional do Rio
Formozo, Palmares e Cabo, que raandem reunir ao
balalho que V. S. commanda os contingentes dos
balalh-s .las comarcas d'aquelles nome-, destina-
dos ao servigo da guerra, e que se acharem mais
Prximo* do referido batalho, sob o commando de
Protasio Jos de Hollanda
Mara de Jess.
Cavalcanti eThereza
Thomaz Bosslck e Hygino Firmo das Chagas ; e no
b Jos Joaquim da Silva.
------ j.o ne- ---------, Sabbado prximo da o Reereio Familiar a
CMIMD0 DAS ARIAS. JyBff SSVire%Ttamos Pqne
Qu,r.e. general do colando das arma, 4e Per- ^!&^S%^JS,&.
narabueo na eidade do Recife, 16 de setembro g> S Cwybantiha, acha-se era iotas as conoi-
de 186o. i Coas de luxopara laes funcges recreativa
Ordem dia n. 113. 'Ho pelas 7 1/2 horas da manhta manda
O marechal de campo commandante das armas, ^mSo "k lgri'^ do cooveo"> <** S. Prancisco, a
iz publico para conbecimento da guarnicao e de-1S, !a Dravo Kuarda raarinha Joaquim Candido
ido elTeito, a portara em seguida transcripta que ^sciraento, morto gloriosamente na passagem
por copia Ihe foi remettida pela presidencia com Jm* actOS reli8'osos em suffragio de sua
offlcio datado de 14 do correte, designando nao s : ,pjr,.
s. otBciaes que teem de prehencher os postos I fernambuco cumprc ir depor all a sua co-
fa z
vi
V. s., anm de com esie seguirem para esta capital:! vagos que existem no 1 batalho da guarda naci- d,? saudades ante o catafalco do filho que mor-
cor-
, assioi Ufo communico para sua intelligencia recom-! nal destacada para o servigo da guerra, como tam- : u ll.lusllraQ'fo-lhe o nome, e deixando aps essa
merulaodo que me participe o dia em que os fo" *
recebendo com declarago do numero de pragas
6 urna nos termos de-Olinda. Cabo, Ipojuca, Po de direilo. recorreu para relaco, uto, "anul
do Alho, Escada, Santo Aniao, Nazareln, (oyan- ian.in n ^.-n..h. a._______:. "_.'_..... .:.:...
lando o despacho de pronuncia, mandou satisfazer
na. Rio Formozo, Barre.ros, Agua Preta, Limoei- certa< formalidades para enlo ser decidido o pro-
ro, Bonito^Brejo, Cimbres, Garanhuns, Flores, i ceSso como fr de justiga, do que hia cuidar o juiz
de direito, conforme me commuoicou em seu i ffl-
cio de 29 de abril, por cuja occasio Ihe recom-
meinlei lomasse conliecimento da representago,
po de voluntarios da patria o paisano Jos Ignacio cada um e do batalho a que pertencerem.Ofl-
de Muza, que se offereceu para isso ao delegado -
do disincto deste termo.
Dito ao mesmo.Em defermento ao incluso re-
querimeuto do cabo de esquadra do corpo de guar-
pigo Jos Paulo de Souza, sobre que versa a sua
inforraago n.'loo de 2 do mez corrente, autoriso
V. Exc. a mandar dar-lhe baixa do servigo, acei-
tando era seu lugar o fJaisano Daraio Pereira da
Silva, que segundo se ttfffge de sua citada infor-
inago, est uas condigesoVregulamento de 28 de
setembro de 1859. x-
Dito ao mesmo. Informe V. Exc. acerca do in
cluso requerimento do guarda do 7o batalho de in-
fautaria deste municipio Luiz Francisco Br-
relo.
ciou-se neste seutido aos respectivos coramandao-
les superiores.
Dito ao director do arsenal de guerra.Tendo a
Lompanhia Pernambncana de mandar um dos seus
vapores ao presidio de Fernando no dia 28 do cor-
rente, assim o declaro a V. s. para que faga em-
barcar at o dia 27 o objectos qoe livor deremet-
ter para o mesmo presidio.
Dilo ao director da obras militare. Recom-
mendo a V. S. que, eiileodend>i com o Dr. Ale-
xandre de Souza Pereira do Carao, director da en-
fermara militar permanente, inJique com urgen-
cia o reparos de qus necessita aquelle estabeleci-
mento.
decises contrarias lei: remetti-as ambas, assim
como a resposta d'aquelle juiz, ao tribunal da rela-
go para proceder como for de direito,
Juizes municipaes.
Para o termo do Brejo fui por decreto de 23 de
margo removido o dos termos de Castro e Pona-
Grossa, no Paran, bacharel Jus Antonio Coelho
Ramalho, que ainda nao havia entrado em exer-
clcio.
Os termos de Ouricury na comarca de Boa-Vista,
e do Ex na de Cabrob onde por decreto n. 33o8
de 10 de dezembro de 186'* foi creado um lugar
de juiz municipal, continuara vago.
O juiz municipal do termo da Escada bacharel
Luiz Antonio Pires entrou a 27 de abril no goso
de 3 inezes de licenca ; e o do Cabo bacharH Joo
Gonzaga Bacellar n de 6 mezes era 21 de julho :
ambas concedidas pelo governo imperial.
Aos juizes municipaes do Rio Formozo e de
Cimbres, hachareis Itufino Coelho da Silva, e Joa
qo
de
Dito ao director gral da instrucgo publica.
uno ao mesmo.Remetto incluso o requenmeTiio Communjco a V. S. para seu conhecimento, que
que me iuderegou Candida Maria ta Conceigo, aitendendo ao que requereu o bacharel Jaclnlho
alira de que V. Exc. informe sobre sua prelen- Pereira do Reg, e lando era vista a informacio
Sao- ta** directora de 31 de agosto ultimo, sob n. 253,
, Dito ao mesmo. Para V. Exc. atlender como resolv nesta data releva-lo da multa de MfOOO
resposta e documeulos cima mencionados, que fr de justiga, remelj-lhe o Incluso requerimento que Ihe foi imposta pela mesma directora, pela fal-
Ihe remetli. j em que o soldado do 3* corpo de voluntarios da ta de apresentago dos mappas dos dous trimestres
Contra o juiz municipal da 2.* vara desta cda- patria desla provincia, Jos Gongalves da Silva do anno prximo passado.
de, bacharel Francisco de Araujo Barros repre-i Jnior, pede que se Ihe permita o usar das insig- Dito ao commandante da corveta D. Mnuana. -
entou o tenenle-coronel Justino Pereira de Paras nas de 2o cadete at sua final juslificago. Mande V. S. entregar ao Dr. chefe de polica, allra
por nao dar conta de uns autos de execugo, que! Dito ao mesmo Queira V. Exc. informar acerca de terem o conveniente destiuo, os dous sent'neia-
1 Ihe foram conclusos desde fins de 1863, juntando do que pede no incluso requerimento documenta- dos que a seu bordo vierara do presidio de Fernn-
sua representago urna certldo, em que declara do Sancho Ferreira Gomes. do, segundo conta do nuppa aunexo ao seu ollklo
o respectivo escrivo que, tendo, por ordem do Dito ao conselheiro presidente da relagao.Para u. 2 de 14 do corrente.
juiz municipal supplente. cobrado os autos do juiz cumprimento do aviso circular do ministerio da Dilo ao Dr. juiz de direito da primeira vara.
Barros, este Ihe responder que de fado os rece- ju-tiga de 31 de agosto prximo Ando, queira V. Para cumprimento de aviso circular do ministerio
bera, mas que nao tinha podido achar etc. Depois Exc. informar se os embargos oppostos pelos jura- da instiga, de 31 de agosto prximo lindo, informe
de ouvir o dito juiz municipal, que nega o recebi- dos na execugao civil das mollas, sao remettido Vmc. com brevidade, se os embargos opposlos pelos
rato do autos, e junta cerlidiio do mesmo escr- aos juizes de direito para dicidi-los, ou decididos jurados na execugao civil das multa?, sao remetti-
e no protocolo carregado por pelos juizes das mesmas execugoes. dos aos juizes de direito para decid los, ou decidi-
Dito ao Dr. chefe de polica.Mande V. S. rece- dos pelos juizes das mesmas execugoes.
ber a bordo da curveta D. Jamara, para terem o Dilo ao r. juiz de direito da segunda vara.
conveniente destino, 2 sentenciados que regressa- Remello por copia a Vmc. o offlcio da cmara mu-
ram do presidio de Fernando. nicipal desla cidaie.de 23 de agosto ultimo, sob o.
Dilo ao mesmo.Dei o conveniente destino aos 60, e em origin.es os documentos a que elle se re-
guardas nacionaes dos batalhoes ns. 40 e 41 do fere, aiioi de que na forma da lei faga effecva a
respotis.ibilidade dos empregados de que trata o ci-
tado oflicio.
iog.izeira, Tacaran!, Ex, e Villa Bella, onde hou
ve mais urna extraordinaria.
MAGISTRATURA.
Tribunaes da relaco e do commercio.
Funccionara regularmente, e o seu pessoal nao
solfreu alterago. .
JJ5zes de direito.
Para a enmarca de Tacarat foi removido por
decreto de 13 de margo o juiz de direito Marcos
Correa da Cmara Tamarindo, qu6 entrou
exercicio a 24 de maio.
O da comarca de Cabrob Leocadio de Andrada
P^ssoa, que se achava de licenga, reassumio o
ex"rcicio em 18 de ferereiro.
O da comarca de Flores bacharel Joao Rodri-
gues Chaves entrn em 6 de junho prximo lindo
no goso da licenca de tres mezes, que Ihe conced,
para tratar de sua sade. : vo de ro e*tar
Os domis, a excepgSo do chamado para chefe I ta, recebimento, enviei indo em 18 de julho ao juiz
de polica interino, estavam no exereicio de seus de direito da V vara desta capital para que pro-
ca?os; .. ., n ,.. ninlceJa Da ,orma da le pelo desapparecmento dos
Conira o juiz de direito do Pao do Alho Delfino i aU|0
Augusto Cavalcante de Albuiuerqiio me forara di- j P;r' deDuncia par,icular pronunciou o juiz de
rgidos por Cario Jos Gomes de Ohve.ra.e Jos dire,0 de GarannuQS ao j,izFmunicipal, bacharel ,
Januario Alvares Ferreira duas representagoes por Francisco Antonio Cosario de Atevdio pela partid- municipio de Ipoiuca que me foram apresentados
decisnns con Iranai a pi reme i-as ambas, assim ,.>,.-. ^... ._____..___.. j____ .. K .... .____T.i_t_ a! .V !_:._. .. _.,. \*m*
----------,. ,,,., J31 (nena cunta iaiii- 1r.^- ------, ->^ k"j
bemos que tendo sido anteriormente designados i AA,[. rf^e uma cordagao indelevel no peilo
anda nao se apresentaram ao referido batalho. !'
1 alacio do governo de l'ernambuco, em 14 de se-
tembro de 1865. O presidente da provincia para
do
prehencher os postos vagos no Io corpo da guarda
nacional destinado ao servigo da guerra, resolve
desigoar os offlciaes seguintes:
I.* Companhia
Tenente, o tenente do batalho n. 43 Martinho Ro-
drigues de Silva, em lugar do tenente Evaristo
de seus patricios.
Um carta da freguezia de lpojuca, de 16
crreme, exprime-se assim :
Isto por aqu tem andado um pmico baralhado.
u tenenle-coronel Joo de S e Albuquerque ge-
ramente aecusado de parcial na desgnago da
guardas nacionaes. Tendo a freguezia mais de 60
engenhos, e devendo dar 54 soldados, s do enge-
nho do capitao Manoel Leonardo de Siqueira Ca-
Vieira Lios Cavalcanti de Albuquerque, que est I ,01am trancados mais de vnie I Ha oslo
destacado em Fernando. afl,ur()Porgao clamorosa, que s se explica por
Alferes, o alferes do batalho n. 43 Felpje Nery m0llV05> e rivalidades polticas, que deviam des-
de Barros Wanderlev, em lugar do alferes Jos IWP* n"sia quadra.
Ignacio de Mello, que leve passagem para a lista!.. pouco ,0' toado do poder de nraa escolta
do mesmo tenenle-coronel um preso, e tomado por
urna so pessoa I Isto d a medida do mo estado
da reserva em 9 do corrente.
4. Companhia.
Capitao, o capilao do batalho n. 3o Joaquim Albino
de Gusmo, em lugar do capitao Henrique Mar-
ques da Silveira Lin-, que ro dispensado no 1
de agosto prximo lindo.
5.* Companhia.
Capitao. o capitao do batalho n 8 Joo Luiz Bi-
beiro de Faria. em lugar do capitao Joao Carlos
paci que leve no rapto de uma menor, enai falta
de cumprimento de seus deveres: reconimendei-
l lie a ullimago desse processo.
O juiz de direito da Boa-Vista communcou a
presidencia ter instaurado ilgun* processos de
responsabilidade ao ex juiz mu ..c.ipal de Ouricu-
ry, bacharel Pedro de Alcntara Peixolo Miranda
Veras, contra quera foi remettida ao mesmo juiz
de direito era 21 de novembro de 1864 uma quei-
xa do professor Joo Jos Rodrigues, de cujo re-
sultado pedi informaedes.
Ao juiz municipal de Serinhaem. b charel Gui-
Iherme Cordeiro Coelho Cintra mandei por offlcio
de 23 de junho responder sobre as aecusage que
Ihe forara follas por Fructuoso Aires da Silva no
Diario de Pemmnbuco n. 142 de 22 de junho; e ao
juiz de direito do Rio Formoso pedi diversas infor-
magoe e pegas do processo do roo Manoel Carlos
Leilo de Albuquerque, com referencia ao qual e
com o oflicio de V. S. desta data, sob n. 1375.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. a exped-1 Dilo ao Dr. juiz municipal da primeira vara des-
gao de suas ordens para que o delegado do termo u eidade. Remello inclusas a Vmc. para terem o
de lpojuca, remella as relagao dos presos pobres conveniente destino, s guias dos sentenciado
recolhidos a respectiva cadeia, durante os mezes de Francisco Pereira de Lima e Vicente Ferreira da
fevereiro a maio deste anno, afim de que a thesou- Costa Veneno, que regressara do presidio de Fer-
rara provincial possa examinar as coritas das des- nando na crvela D. Januaria
pezas pagas peia collecloria d'aquelle termo e rea-! Dito ao chefe da repartgo das obras publicas,
tivas ao su>leuto de taes presos n"a juelles mezes, Remello a Vmc. os inclusos papis, que me de-
segundo consta de ofBco do inspector da mencio- volver sobre a proposta feita pelo major Alexan-
nada thesouraria daiado de hontem, sob n. 354. ; dre Gomes de S, de uma casa para cadeia na villa
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda. de Salgueiro, recommendo Ihe que, em vista da
Constando de oflicio do delegado supplente em planta e mais informaces a ella aunexas, me de-
Bezerra Cavalcanti, que foi dispensado em 5 do I
corrente.
7." Companhia.
Alferes, o alferes do batalho n. 41 Manoel Mathias
Cavalcanti, por ter fallecidj o alferes Manoel
Conradino Cavalcanti de Albuquerque.
(Assignado:) Joao Lustosa da Cunha Paran-
gu.
(Assinado.) Francisco Sernto de Olveira.
Esl conforme. Antonio Francisco Uuarte, 2*
lenente-ajudante de ordens interino encarregado
do delalhe.
18 -
Ordem do dta n. 114.
O marechal de campo comraandante das armas,
faz cerlo para conhecimento da guarnigo e dev-
do effeito. que a presidencia nomeou era portara
---------------------- mao
i das cousas, .
i Nos passageiros do vapor Paran sahido an-
i ten nuera para o Amazonas, deixou de ser deca-
i rado o nome do juiz mnnicipal, o Sr. Ur. Francis-
co Leonardo do Souza Miranda Coulo e seu criado.
I.EPARTigAODA POLICA.
E,I'"ct0 apartes dos dias 17 e 18 de setembro
de 1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 16
do corrente :
A' ordem do r. delegado da capital da capital,
Franelsco de Paula, para recruta.
A' ordem do sutidelegedo do Recife, Francisco
Josei Fernandes Marques, por disturbios.
A' ordem do de Sania Antonio, Jos Antonio de
Olveira, por desobediencia.
A' ordem do de S. Jo, Joaquim dos Santos e
Anna Mara de Lima, por disturbios.
No dia 17 :
A' ordem do Illm.Sr. Dr. chefe de polica, Agos-
tinho da Conceigo Saraiva, por offensas physicas.
A' ordem do r, delegado da capital, Amonio
Candido Ferreira, para recruta.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Joa-
de 16 do corrente, para servir como alferes secre- j nim> escravo de Manoel Jos de Azevedo Santos,
tario em commisso no 5o corpo de voluntarios da Para correcgao.
patria que se est organisando nesta provincia, ao
Sr. particular i* sargento da companhia de e-aval-
lara desta provincia Henrique Flix de Dacia.
(Assignado.) Francisco Sergio de Olivara.
Esl conforme.Antonio Francisco Ornarte, 2
i tenente ajudante de ordens interino encarregado do
detalhe.
exercico no termo do Brejo de 17 de agosto ul-
timo, qii:! a respectiva collecloria s tem ordem
para pagar os vencimenlos do destacamento de
guardas nacionaes all existente al o ultimo de ju-
nho prximo lindo, recommendo a V. S. que provi-
dencie para que taes vencimentos sejam pagos at
clare se a referida casa pode prestarse ao Ora para
quo otTerecida, devendo neste caso apresentar-rae
as molilicagoes que julgar conveniente fazer-se na
mesma planta, e as condiges com que pode ser
acceta a referida proposta.
Dito ao juiz de paz presidente da junta de qua-
!.Declaro a Vmc.
jullio prximo
junho ulli-
a lisia dos
freguezia no
que trata o
PERNAMRUCO.
HBIISi DU21A.
Em solemnisagao do triumpho de Yatay obtido
pelas forgas alliadas deu no domingo a 27* nambucana um espectculo de gala em seu theatro
de Santo Antonio da Capuoga, a que concorreu
um grande Dumcro de espectadores de ambos os
sexos, enchendo a casa lateralmente.
A fachada do edificio eslava ornada de arcos de
verdura, que eram rematados por bandeiras brasi-
leras ; e alm disto achavase toda Iluminada.
Perante a efllgie de Sua Magestade o Imperador
foi cantado o hymoo nacional, entoando o Sr. Dr.
chefe de polica da tribuna de honra, vivas entu-
sisticamente correspondidos; e a isto seguo-se a
A ordem do da Boa-Vista, Eugenio, escravo do
desembargador Jos Pereira da Costa Molla, a re-
querimento deste. -
A' orden do dos Afogados, Manoel do Espirito
Snio; para recrula.
O chefe ta 2* sessao,
J. G. de Alesguita.
! !.,!i 'P.> p J aprsente em uizo u.na acgo civel, sobre o que.
^^_^?!^.rw.^_*y.*oq:, em resposta, declarou-me aquelle juiz'de direito qu
Cetario
que.
pannando o recurso que interpoz da pronuncia em i |ne fora apresenta
p-roc^50r,Lns1taurad. Pr Juncia de Manoel Jos conheeendo : sobre i gao di i de-
? ali Pr greS5Sr legad0 dt l0azeira "^"ano de Vasooncellos
, Collago Brito, arguindo-o de consentir que o reo
| de crime iuafllmgavel Severino Rodrigues Ferrei
de deixar de dar au- para a orgauisago de corpo de voluntarios da relagoas sao as dos cidado;s incluidos e excluidos
pslra. I da referida qualificigo, as quaes deixarara de
Dito ao mesmo.P Je V. S., conforme indica em acompanhar aquella copia, que foi remettida a es-
Nfil rnias s,a>l,ca,u'-u"s u icspuuuiuos ; e u isio seguio-se a
' AT^nian- irecilacaodesla poesia pelo Sr. Francisco de Freitas
Gamboa.
ra, cujo julgamento pelo jury pende de appella-
gao, ande solt, e seja at erapregado em servigo
do mesmo juiz.
(Conlinuarse-ha.)
O O <=!-
Expediente do dia lo de setembro de 1S65.
O de Ingaseira, bacharel Joaquim Ferreira Cha-
ves entrou no 1.a de julho no goso da licenga de
3 mezes, que Ihe conced.
Ao de Tacarat, bacharel Vicente Ferreira Li-
ma, conced dous mezes; ao de Boa Vista, bacha-
rel Jo- do Patrocinio Pereira da Silva, ti es; e ao
de Cabrob, bacharel Agnello Jos Gonzaga, aca-
ba o governo imperial de conceder 10 mezes para
marchar como voluntario da patria para a campa-
nha do sul.
Ao de Santo Anto, bacharel Vrgino Carneiro
da Cunha e Albuquerque havia mandado que me
declarasse se j havia reassumido o exercico, e
porque rasao eslava fra delle e do termo, como
fui informado pelo juiz de direito; porm, tendo-o; mido a admnistragodessa provincia naqualidade
feito por molestia, comprovada com atlestado me-1 de seu presidente.
dico, a qual o obrigou a retirar-se para o seu en-1 Dito ao Exm. presidente da provincia da Para-
genho nos limites do mesmo termo, coocedi-lhe, a ; hyba. Estando nessa provincia com licenga o ba-
requerimento seu 15 das de licenca para restabe-1 charel Joo Rodrigue Chives, juiz de direito d
lecer-se. comarca da Flores, rogo V. Exc. que se digne
Declarago semelhante, e por intermedio do juiz expedir suas ordens para que elle em vista da no-
de direito da comarca, exig, e ainda nao obtive |a junta por copia, recolha estago competente a
do juiz municipal de Ingazeira, bacharel Joaquim [ importancia da despeza que tem a fazer para ob
Ferreira Chaves. ter do governo imperial a portara de 4 mezes de
Conced aos hachareis Luiz Felippe de Souza licenga, sendo 3 cora ordenado e nm cora m-io er-
aqellejuiz de direito qu seu oflicio de hontem, sob d. 673, mandar pagar
uma queixa, da qual ficava sob minha responsabilidade os vencimentos a que
tem direito o ajudante interino do guarda-mr da
alfandega desla capital Alfonso do Reg Barros, por
haver substituido o mesmo guarda-mr durante o
mez de agosto ultimo, visto nao haver crdito para
esse pagamento, sagundo consta de seu citado oT
co. que fica assim respondido.
ta presidencia em 3 de mio pelo secretario da
junta, Antonio Gomes da Silva.
Dito ao commissario raccioador provincial.Re-
mello a Vmc. duas caixinhas conl-nlo tubo com
puz vaccinieo.
Portara.O presidente da provincia, altenden-
, do ao que requereu Belarmino Rodrigues de Oli-
j vera Cmara, resolve conceder-lhe licjng para
Dito ao mesmo.Nesla data me dirijo ao juizes remetter para o presidio de Fernando de oronha,
municipaes da provincia no sentido por V. S. indi- j no priraeiro vapor da Companhia Pernambucana,
cado era seu olliio de 4 do crreme,sob n. 653, que para all seguir os gneros constantes da rela-
que tica assim respondido. gao junta, assignada pelo secretario do governo, nao
Dilo ao mesmo.Constando de oflicio do com- podendo porm elfectuar o desembarque dos mes-
mandante do balalho n. *6 de infamara, annexo nos gneros, sem que por parte do coramaiidaute
ao do commandante superior da comarca de Pal-j do mencionado presidio se proceda a exame, afim
mares daiado de 10 do corrente, que ainda eslao de se verificar se ha agurdente ou oulra qualquer
por ser pagos os vencimentos, a contar de 13 de' bebida espirituosa.
OfDcio ao Exm. Sr. Ur. Andr Augusto de Padua
Fleury, presidente da provincia do Para. Accuso
recebido o oflicio de 18 de agosto ol^^{JStoi ^'taVuhotaV^^no'd^d^acaraemo del
guardas nacionaes. da villa de Agua-Preta, recom-
mendo a V. S. a expedigao de suas ordens para
n-
V. Exc me coramunica haver nessa dala reassu-
Leo e Ignacio Joaquim de Souza Lean a exonera-
gao que pediram; este do cargo de 1." supplente
do juiz municipal da 1.' vara desta eidade, e aquel-
le do de 1.* supplente do juiz municipal do tormo
do Cabo.
Enviei ao tribunal da relagao, para dar-lhe
cumprimento, copia do aviso do ministerio da jus-
tiga de 5 de jaoeiro do corrente anno, mandando
responsabilisar o ex juiz municipal do termo do
Limoeiro, bacharel Mareo Tulio dos Reis Lima
denado, que Ihe foi concedida.
Dilo ao marechal de campo commandante das !
armas.Queira V. Exc. informar sobre oque soli-
ata o coronel Tiburtino Pinto de Almeiaa na pri-
j ni .'ira parle do incluso oflicio que me sera desolv-
vido com urgencia.
Dito ao mesmo. Mande V. Exc. alistar no 1
batalho de guardas nacionaes destinados ao ser-
vigo da guerra o guarda do balalho n. 26 de in-
famara do municipio do Bonito Jos Hilario de
por acto praticado como juiz de direilo interino, Souza, apreseotado pelo de nome Augusto de Mello
^.^.!J.ni .la *._-*__ I i n ', *'i ii i i V, i i i : i i >
que a collecloria a'aquelle termo etectua esse
gamento em vsia do competente pret.
Dto ao mesmo.Em vista da nota junta por co-
pia da directora geral da secretaria de estado do
negocios da JQSlica, faga V. S. arrecadar o que es-
tiver adever o jai! de direito bacharel Marcos Cor-
rea da Cmara Tamarindo para obter a portara de
prorogagao para mais 2 mezes de licenga com or-
; denado que Ibe foi concedida pelo governo impe-
rial.Offlciouse neste sentido ao predito bacharel.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Transmiti a V. S. as inclusas comas e relaces
queme remelteu o delegado do termo de Gara-
nhuns com'oflicio do 1* do corrente, sob n. 14, re-
lativas as despezas, na importancia de 487000,
feita com o suslento dos presos pobres da cadeia
da villa de Garanhuns, durante os mezes de junho
a agosto deste anno, afim de que nao havendo in-
conveniente, mande exonerar o mencionado dele-
gado da responsabilidade da quanlia de 4O0J0O0,
que para laes despezas, Ihe foi adianiada por inter-
medio do thesoureiro da repartgo da polica, e
bem assim pagar a Joo Baptisia dos Guimares
Pelxoto o saldo de 87,5800 rs, que e nota as
mencionadas coolas.
Dito ao mesmo.Anouindo ao que solicitou o
inspector da thesouraria de fazenda em oflicio de
12 do correle, sob n. 663, recommendo a V. S.
que mande indemnisar aquella repartgo da quan-
tia de 142^950 rs., que indevidamenle foi paga
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no bala i pela collectoria do municipio do Pao d'Alho e :
Ihlo de guardas nacionaes destinados ao servigo da j proveniente dos vencimentos relativos a primeira
Era i0 de maio. conira o juiz municipal de Cim-: guerra, ficando recolhidos ao deposito at ulterior qunzcaa do m-z de agosto ultimo, do destacamen-
bres Joaquim Theotonio Soares de Avellar por de- deliberago, os guardas nacionaes constantes da j lo de guardas nacionaes existente n'aquella villa,
inclusa relagao, os quaes Ihe serio remedidos por! como se v do incluso pret.Cemmunicou se a
parle do Dr. chefe de polica. thesouraria de fazenda. i
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar Dito ao commandante superior da guarda naci-
sobre o que pede no incluso requerimento o guar- \ nal dos municipios de Olinda e Iguarass.Ponde-
da do 7* batalho de infamara deste municipio. raudo o commandante das armas que para regula-
Jos Joaqaim das Candeias. ridade do ser vico convm que os guardas naca-'
Dilo ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar naes destacados as forllficages s sejam rauda-
mandado assassinar seu marido. Na mesma data i alistar a Jos Ricardo Coelho Jnior, Francisco, dos no priraeiro dia do mez ; assim o declaro a V.
pedi ao juiz de direito inforraagoe sobre essa re- Jos de Almeida Peroambuco e Jacintho Jorge de S. para que neste sentido expega suas ordens acer-
presenlago, para poder da-las ao governo, como! Medeiros, este no 5* e aquelles no 3 corpo de vo- ca dos que fazem a guarnigo da fortaleza de Ha-
luntarios da patria, perraittindo V. Exc. ao priraei-
ro delles o aso das insignia de cadete a que tlver
direito, em vista dos inclusos documentos.
Dilo ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
DE
presidente do jury.
Mandei que os respectivos juizes de direito pro-
cedessem na forma da lei:
Em 10 de junho, contra o juiz municipal de
Pao do Alio, bacharel Maximano Francisco Duar-
te por denuncia de Joo de Alburuerque Barros
Guimares, que o aecusa de ter recebido quantias
para nao tomar contas um tutor, e para facilitar
a cobranga de divida em um inventaro. Este juiz
j havia sido pronunciado por excessos, que a re-:
lago considerou nao provados, dando provmento |
ao seu recurso.
nuneia da cmara municipal d'aquella villa, diri-
gida ao go/erno imperial, na qual elle encrepa-
do de faltar ao cumprimento dos seus deveres,
maltratar as partes, collocar-se na dependencia de
potentados, e di ler recebido dioheiro para no
appellar, como presidente do jury, da absolvigo
de D. Joaquina Leite de Siqueira, aecusada de ter
Un, para o substituir.
Dito ao mesmo. Slrva-se V. Exc. de informar
sobre o incluso requerimento do guarda oacional
destinado para o servigo da guerra, Manoel do
Prazeres Uias de Moraes, juntando o termo de ins-
pecgo a que deve ser submeuido o supplicante.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no 3* corpo de voluntarios da patria a Ger-
vasio Ferreira de Nascimenlo, que para isso se of-
fereceu.
exigi em aviso de 20 de abril, e ainda nao as ha-
via recebido.
Em 10, e 11 de maio, contra o joiz municipal
de Caroar, bacharel Miguel Bernardo Vieira de
marac e do forte do Pao Amarello.
Dilo ao mesmo.Dispensando do servigo do des-
tacamento nesta data o guarda do 9 batalho de
infamara do municipio de Olinda Gravino Aoto-
I.OVJIVO DO Kl*S'ADO
PJEKX.VUHUCO.
SEDE VACANTE.
NOVAS DISPENSAS MATRIMONIAES.
Chegaram hontem do Ro de Janeiro as petgoes
de dispensas do 1 grao igual da linha lateral, e
2o grao attiogente ao Io de consanguinidade cons-
tantes da lista abaixo publicada, e cuja concesso
foi autorisada pelo Exm. e Rvm. Sr. internuncio
apostlico em data de 4 do corrente. Podem pois
ser procuradas em Olinda na secretaria do bispado,
e no Recife, em casa do Illm. Sr. cooego da ca-
pella imperial Francisco Jos Tavares da Gama,
ra da Cruz n. 56.
Olinda, 14 de setembro de 1865.
C mego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Usta das peticoes.
Jos Joaquim de Souza e Florencia Mara de
Jess.
Amonio Firmino da Cosa e Maria Francisca de
Jess.
Manoel Antunes Campello e Jovita Antunes Cor-
ris.
Vicente Barbosa e Anna Rita da Porlficaco.
Joaquim Carlos de Mello e Semeana Vieira dos
Santos.
Antonio Cavalcanti de Albuquerque] e Mara Xa-
vier de Moraes.
Flix Jos Bezerra e Maria Thereza da Con-
ceigo.
Belino Jos da Silva e Maria Pastora.
Agosimho Lourengo Dias e Deltina Maria de
Jess.
Joo Gongalves da Silva e Mara Clara da Encar-
nadlo.
Joo Fraucisco de Souza e Josepha Maria da Con-
ceigo.
Vieram mais as seguintes peticoes concedidas na
mesma data'.
Manoel Antonio Gongalves e Isabel Maria da Con-
ceigo.
Francisco Alves de Souza e Antonia Maria de
Jess.
Joaquim Rodrigues de Mello e Petronilla Maria da
Penba.
Placido Pereira de Andrade e Antonio Gomes de
Andrade.
Salve, da patria cidado primeiro,
Immortal defensor da liberdade
Voluntario que marchas sobranceiro
A testa da brasilia mocidade !
Paysand, Montevideo, Riachuelo
E agora latay fulmina o raio
Do valor do Brasil, que poz o sello
Na fronte do feroz Paraguayo.
Avante, mocidade brasleira I
E' voluntario o leu Pedro segundo I
Respeitada ser tua bandeira
Por todas as nagoes do vasto mundo I
Tocn a convite da sociedade a banda de msi-
ca de curiosos Euterpe Pernambucana, e todo o es-
pectculo correu regularmente, correspondendo lu-
do no motivo grandioso, que assim era festejado
por uma mocidade cheia de patriotismo.
Comegou hontem o concurso a que se proce-
de na thesouraria de fazenda para praticantes da
mesma repartgo, da alfandega e da recebedoria de
rentas desta provincia.
Sao tres os candidatos.
Foi produzida a prova de grammatica, era que
examina o Sr. professor Miguel Arcbanjo Min-
delo.
A pessoa que bouve por emprestimo do Sr.
corainendador Joo Baptlsla de Castro e Silva a
collecgo das disposigoes que regulara o monte po
geral dos servidores do estado, far favor devol-
ve la ao mesmo senhor que nos solicita a consig-
nadlo deste pedido.
Sobre o que hontem foi
com relagao a guardas nacionaes, escreve-nos o Sr.
raajor Fras Villar, que o pagamento do sold
feito cada praga, logo que o competente pret
recebido pelo quartel-mestre na tbesouraria, que
nao lera sido demorado na expedg) respectiva ;
que alm disto a gente sob seu commando acha-se
arranchada, e por conseguinte fra de soffrer fo
me ; e que tinalnenie nao por laes faltas que al-
gura guarda chegue a mendigar vinlens, podendo
acontecer todava que um ou outro isto praliqoe
por haver extraviado o seu sold com applicago a
superfluidades.
A isto nada temos a accresceotar.
Cbegou hontem procedente de New York pe-
lo Maranho, irazendo 41 dias de viagem do 1* por-
to e 5 do 2*, o vapor americano movido a rodas
La Poterna.
Este vapor desuase ao servico postal entre
Buenos-Ayres e Montevideo ; de 701 toneladas, e
pode comportar cerca de trezentos passageiros.
Construido ha tres mezes em Boston, todo de
madeira ; tem 190 pos de comprmeme e 27 1|2
de largura ; e seu calado de 8 ps.
Nc portador de noticia alguma dos Estados
Unidos, enja ultima data alcanga a 5 do prximo
passado, isto sete dias anteriores as
M 2 C/3 H 1 n O
X o B a 1 M
B 5 3 -1 -1 WWT ft ft9 1 i i i i : i >
3 : o e
* : 1 : t > -> '
" - . i 5 3
1 i i
1 i Masculino. > 9
01 i o i o 9
" 1 CJ! c^ 1 1 X 1 o
1 i i 33
ea i I I J ,* Feminino. I > 1 1 o
X iP* u 1 0 i l
1 i
-* 1 1 Masculino. 1 95 *9
-j - *e GJ 1 35 1 I 5 -i
i i l o
1 1 Feminino. 1 o =
- - 1 * 1 - '
i ^ =-
Masculino. u
ic - m - 1 col o *
1 Feminino. o a
MB * te en -4
X - * i 1 s Masculino. 1 *
T>
I Feminino. i o | > 3
o - m - \ i 0 e
s . 1 A * i g 1 Masculino. oc 1 ca O > l
r5
.. Feminino. > 4*
cr;
~ A 4 M i* 1
im 1 w, | TOTAL.
35 *-* 1
o; ^i 1
ift 10,
|4,
pelo
Na totalidade dos doentes exislem 168, sendo 99
homens e 69 raulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias
As 6 1|4, 6 l|2, 6 1,2, 6 1,2, 6 1,4, 6
pelo Dr. Ramos.
As 9, 9 1|2, 9 1|2, 9 1|2, 9 1,4, 9
Dr. Sarment.
Fallec-ram :
Maria do Cirmo ; turbercnlos pulmonares.
Cosme Jos Pereira de Lima ; liepatite e ascite.
Manoel Alves Pereira de Vascoocellos; amoleci-
mento cerebral.
, Esperanga Francisca ; gastrile epatite.
i Antonio Bento Nuoes; gaslrite epatite.
I Antonio Joaquim Simoes; tubrculos pulmonares,
dilo nesta Revista, Jaciotha Maria da Conceigo ; tubrculos pulmo-
nares.
Luiza Maria da Silva ; tubrculos pulmonares.
Manoel Joo de Santa Rosa ; tubrculos pulmo-
nares.
CHKO.MCA JUDICIAIUA
Tllllll \AL DA HELADIO.
SESSAO DE 16 DE SETEMBBO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Gitirana, Lourengo Santiago, Al-
meida Albuquerque, Motta, Assis, Doria, Domin-
gues da Silva e Barros Vasconcellos, fallando os
Srs. desembargadores Santiago, Ucba Cavalcanti,
e Guerra procurador da cora, abrio-se a ses-
sao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JULGAHRNTOS.
Recursos crmes.
Recrreme, o jnizo; recorrido, Manoel de Car-
noticias ja' valho Paes de Andrade.Relator o Sr. deserabar-
recebidas por via da Europa ; e o mesmo d-se gador Almeida Albuquerque. Sorteados os Srs.
para com o Maranho, visto ter d'alli sahido a 13, desembargadores Lourengo Santiago, Vasconcellos
dia em que segua tambera d'alli para aqni o Gal- e Molla.Improcedente.
go, que deve hoje chegar a este porto. Aegravode peticao.
Alstaram-se no 3* corpo de voluntarios o Sr.' Aggravante, o consol porloguez ; aggrarado, o
Jos Martins de Olveira ; no 5 os Srs. Manoel juizo.Relator o Sr. desembargador Almeida Al-
Joao da Chin, Jos Alexandre da Silva, Manoel. buquerque. Sorteados os Srs. desembargadores
Albino, Manoel Viaana, Alexandre Carlos Mai,! Motta e Guirana.Negou-se provmento.






Otarlo ae reraambtic* w Ter^a rer 15 fte^efcmhr de 188*
I
Appellacoes civris.
Appellante, Francisco Ribeiro de Andrade ; ap-
pellado, Joo Lubo de Macedo. Desprezarara oa
Appellante, Francisco Barbosa de Mello; appel-l
lado, Antonio Lourenco de Soma. Desprezarara
os embargos.
Appellarijes crimes.
Appellanle, o promotor; appellado, Francisco Jo-
s da Stlva.-A novo jury.
Appellanle, e promotor ; appellado, Manoel e
Freitas Nogueira.-A novo Jury.
Appellanle, o juizo ; appellado, Uonalo Jos Pe-
reira dos Sautos.A novo jury.
Appellanle, o juizo > appellado, Francisco Alves
de Souzj.A novo jury. ,Bnbnco, nao" posso consentir que ouze alguem
Jo? de Azevedo *er. .ae aclual estada de F,ores de,ido aos
Uftife, 16 c selcmbro de 1S65.
Na Revista do hontem publicaram Vbcs. urna
carta de Flores co.m data de 6 deste, na qual se d
como garante da ordem a forca ali chegada ao
mando do capltao Vires, ordem, que diz-se altera-
da pelos desatinos da autoridade.
A chroaica de Paje protesta contra esta asser-
sao. Nao de hoje que em Paje* se luta contra a
acgo da autoridade; e ninguem dir que desde tao | |,?ro"aa historia, o nome destopovoado e dos seue
longa data todas as autoridades tenham alterado a habitantes. Deste povoado sahiram por quatro ve-
ordem por seus desalios.
Gonhecendo perfeilameate esta provincia de Per-
alguraaquo se respeite, tem feiti o qndn>de para
auxiliar a accao da administraci publica. Goro
este intuito ta escriplo a todos os seus amigos d*
interior, de alguns dos qaaes j tm obtido as
mais lisonjetras promessas.
(Trecho obrigado de lodas as correspondencias
progressistas daqai para o Jornal do Commercio
da corte).
(Una) Trombetn, povoado dos montes.
Merece de ser esoripto com letras de ouro, no
Deposito: farmacia de
Joaqum de Almeida Pmto.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen
losas, o reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
aa com ^vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorgitameniode flgado e baco.
Ella tem sido applicada com incontestavel proveilc
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar
2,186 barricas farinba de trigo; aos mesmos.
Coacederam soltura a Thom
Santos.
Prorogaco de inventario.
Foi negada a Manuel de Azevedo Belmont.
IIESIGNACMI DK DA.
Assiguou-^e da para" julgamento das segua-
les :
Appellacoes-primes.
Appellsnte, o juizo ; appellado, Jos Anaiacio
de Albuquerque.
AppciUuie, o promotor; appellado, Umrnerme
Antonio de Sfqneira.
Appellante. Esleve Jos da Motta ; -{mellada,
D. Anua de Jess Airada.
Appsllaijes civeis.
Appeilante, Domneos Jos Marques ; appellado,
Tfeeotoni.) Flix de Mello.
Appellanle, Lino Ferreira d Silva ; appellados,
Jos Meudes Rodrigues Campello eoutros.
PASSAOENS.
rho da bexlga e mesmo para combater a menstrua-
zes numero de voluntarios da patria. N'este po- 0 difficil, resultante da mesina anemia ou chic
voado ainda diariamente se estn alistando volun- rose-
Exlrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
tarios, de cujo alislamenlo esta' encarregado o c-1
dado Hygino Firmo das hagas, moco disiincto e
desalios da autoridade. i de grande influencia, sendo ahi morador desde que
O Dr. Joao Baptista do Amaral e Mello eonhe- se prmeipiou a edificar este povoado. Mais de 30
cido, sua autoridade nao antorisa a accusajio de volunlarios tem se alisudo na sua lista, e offereci-
desatino em seus actos. Moco de seoliinentos no-. d0i mas no idL d0 embarque para esta capital s
bres e elevados, de mconlesiavel probidade, nao se acnoa com ses voluntarios, devido isto a alguns
talhado para servir os lempos de hoje, em que se; malignos que entenderam de desanimar o nobre
quer constituir a relaxaco e a fraquexa em procediraeuto dos outros. O nosso amigo ficou pa-
dever. ira juntar os voluntarios de sua lista, o que pela
Nunca se pro-var o ordinno dos malfeitores, dos sua influencia de esperar, e mandou apreseniar
assassinos, e dos arrogantes, que se atrevem ajos seis voluntarios a' S Exc o mui digno Sr. pre-
raanter predominio tscorados com o terror do ba-1 sideote da provincia.
camarte, nulliticando assim a accao da aulori-, fj'este povoado ha grande enlhusiasmo pela cau-1
dade. !sa nacional com a noticia da victoria obtida em |
E se a ordem est no punhal e no bacamarte urUgUayana. Este povoado estove por tres dias
dos sicarios, entregese Paje a esses ordeiros, | i HuiTunad^o, e fizeram-se festejos e muilos brindes
retirem d'ali os agentes olliciaes para nao com- |em uma easa para jsso destinada, tend.i concorri-!
prometterem mocos, que aspirara um futuro digno do a|n)lils pessoas graduadas e dstincias do lu-'
delles. : gar, os negociantes e al os pobres, e todos foram
Contieno os que lutam ali contra a accao da justi- Den, accetos. Nole-se que entre os habitantes ha
pa, e prelendem fazer de sua vontade lei; estes um jg0Q etrangeiro, qne se interessa pela causa
DoSr. deserai^rgadorGitiranaaoSr.deserabar- nao pdem accusar com verdade o procedimenlo nacioua| iaato quanlo um Brasileiro. O nome des-
gador Lourenco Santiago do juiz municipal, par cuja honeslidade res- ,e eftrangeiro, que ha quatro annos nosso hab-
As appellacoes civeis. pondo. la Me, em outra publicaco eu mencionare!; assim |
Appellante, D. Mara Sancha da Conceicao Ca- Deslinhem os fados, e elles signilicarao o mais como 0s nomes das pessoas que eoncorreram com :
valcante ; a.i!i da Falda Entrados outra vez em vias de faci aquella do reCc.bemos a consoladora noticia oa heroica vic-
Appellante, Manoel Lobo de Miranda Henriques desgranada trra, es|>ero que os ordeiros de Flores loria ^^a^i em Uruguayana.
appellado. Manoel i-.lias de Maura. consideraro dever seu o re.-peiiarem a pessoa do jm vouniario da patri
Do Sr. tJesembargadorLoureti4-o Santiago ao br. jUiz municipal, limitndole a accusa-lo pelaim-:
desembar%-ador Almeida Albuiuerquo prensa e ante os tribunaes, e espero-o confiado as
A appellacao crime. anligas alleigoes, que nao desejo perder.
Appellante, o juizo ; a'ppdlado, Jos Moreira da Lonje dos negocios, ja os nao comprthendo, reti-
S|va. rado da iniprensa a multo, j nao sei escrever; para
Appellacao civel. o que fira exposlo entretanto solicito de Vmcs o
Anotante, Antonio Jo's Pires ; appellados, o'Mitigo favor esperando a publicaco no seu Diario
de segundafeira; vislo como sabe, que me corre i
o dever de defender meu geiiro; sentiudo nao ter
Tintura idem de idem.
Xarope id-m.
Vinho idem de idem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharnncia de Pinto, ra larga doR
sario n. 10.
HUMA VIDA SALVA!
LFAJDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBEQOS BOS OBNBROS SJEITOS A DIRBITOS
DB EXPORTAgAO. SEMANA DE 18 A 23 DO MEZ DE
SETBMBRO DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
caada
>
>
>
arroba
caaada
dar-lhe condigna rcsposta.
Dr. Antonio Borges da tonseca
f-.P-
wfcyvj
Ao IIIih. e Exm. Sr. Dr. Jos Tbomaz \abuco de
Araujo, do conselho de S I. Iiujierial, senador
do Imperio, ministro e secretario de estado dos
negocios da justica etc. etc. ele
Triwi iic{-fu Ilvre.
ODE.
Eu canto a gloria do va rao Ilustre
No brasilico ou astro fulcente.
Do templo da justica
Golumna prestimosa :
Que da justica, unto do Monarcha
herdeitos de llenry Gibson.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellacao civel.
Appellanle, Antonio Gorreia Pessoa de Mello;
appellado, Manoel Francisco de Amorim.
Do Sr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr desembargador Molla
As appellagises civeis.
Appellantes, Jos llabllo Padilha o oraros; ap-
pellada, a fazenda.
Appellante, M.raoel Francisco de Lima ; appel-
lado, Alexandre de Sooza Itulira.
Ao Sr. desembargador As>is
As appellacoes civeis.
Appellanles Manuel Luiz da Veiga e outros;
appellada, a fazenda.
Appellante, Moniea Ignez da Silva ; appellada,
Thereza Camarina da Gonceijio.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Assis
A appellacao crime.
Appellante, o juizo-; appellado, Antonio Bernar
do de Uriio.
As appellacoes civeis.
Appellantes, a viuva e lilhos de Luiz Gomes Fer- Os conselhos preside, a senda marca.
reir ; appellada, a fazenda. Di,no de Alhenas, grao jurisconsulto,
Appellante, Minoel Palrao do Nasciraento, ap- Pt,0 no ,irasil&tK,je fe ufanam
pellada, Macand Mara da Paixao En) daMhe hunras de ,lho
Appell nte, DamiaoGoncalves Rodrigues Franca, Pernarnbuco, e Babia !
appellados, Francisco Jo> V.anaa e sua mu ner. Q Monarcha aprecia seu crilerio
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga- s da vtz 0 cnama ao ministerio I
dor Doria
A appellacao civel. S'eu humilde eslrangeiro a voz levanto,
Appellante, Antonio Luiz Alves Pequeo Jnior; g' voz sincera, que nao pede o ouro :
appellado, Antonio Ferreira y linio. Reno os meus applausos
Ao Sr. desembargador Guerra Aos chos brasileiros:
A appellacao civel. Em segullos, um erro nao deploro,
Appellante, i.onrenco l-zerra de. Siquejra Ca- Vejo o mrito, tal, como eu o adoro,
valcante; appellado, Dr. Amaro Joaqaim Fonseca
de Ailuquerque.
Ao Sr. desembargador Vasconcellos
A appellago civel.
App-'llanies, Jo.- Rabello Padilha e outro ; ap-
pellada, a fazenda.
Appellacao crime.
gador Guerra
A appellacao ctvel.
Annellante a irmandade do Santissimn Sacra-
SSfe"-1*' ""*'"" UU P<" ETnCS tSSXwmmtm.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao! Mls ?..... a Lyra que pu[s0) aebi)> rQd6i
Sr. desembargador Santiago Nao tem sons que preencham teus encommios
As appellacoes civeis. De la magnude
Appellanle, Joao dos Santos Coelho ; appeilada.l Devedor a li mesmo,
a irmandade de S. Jos d'Agouia. x0 teu m>me lens louros se contm ;
Appellanle, Franci.-co da Guoha Araujo Pinhei- 5lJ pdes ser ma|or fazeniio 0 Dem<
ro ; appellado, Manoel Francisco de Souza Leao.
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Jerouy-
mo de Menezes.
A'1 hora encer-ru-oe asessao.
tria de Irombeta.
VARIEDADES
Setnelas e medicina.
L-se na Union Medcale de Parts:
Osjornacs de medicina fallaram por va-
rias vezes de uma descoberta importante
estado aqui, quando o aecusou em seu raiatorio o para a therapeuca, que cosistia na desin-
Exm.Dr. Antonio Borges Leal CasklloBranco para! fecfo do oleo de ligado de bacalho sem
Dos meus passados proseguindo a marcha
Honra, e virtudescomo avaliaram,
Inda hoje nao enchergo
Outras formas mais gradas.
A' campa levare meus preconceitos,
Mas sem dar lisonja meus respeitos.....
Oecupei me de mim, foi para honrar-te I
A nuvem perpassando
Deixa o sol mais hrilhante
GOMMUNIGtfGS.
Dedica, ollerece e consagra
Joseph Fachtnetti.
Porto Alegre.
Em seguida vero os nossos leitores a publica-
gao da ordem do dia ssignada pelo Sr. major
i Palmeiro, actual commandante desta guarnigao,
devida attenr;5o a resposta scientificando a entrega que fez da referida guar-
Go- n'5ao :
Quarlel do commando interino da guarnicao da
lite tiiar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annunciar hoje aos
nossos leitores. que esse resultado fui obti-
do de modo o mais completo por um hbil
pharmaceutico de Pars, o Sr. Chevrier, que
conseguio desinfectar o oleo de flgado de
bacalho com o alcatro e o balsamo de
Toin. As experiencias feitas por muitos de
i nossos pratioselec ebres, nos hosp ties e so-
bre seus doentes particulares, as analyses e
| ensaios de chimicos competentes, nao dei-
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submetti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de flgado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acharo no oleo de ligado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
estranhas que >e poem no oleo natural para
dissimular o clieiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um j
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figaio de baca-
llin desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
flgado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle c muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peas
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ceptiveis.
Hoje que o oleo de flgado de bacalho
tem-si' tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
descobrio o meio de n tornar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadero ser-
\ifo arle de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
.Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de flgado de I acalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
Lemos com a
que nos deu o Sr. Dr. Jos Leandro
doy Vacuncellos em seu commumeado, que cjQaJe de Jaguarao ,0 de agoslo d., 186g
fez publicar no Diario do 13 do corrente, ORDEM DO DIA a. 6.
na qualiuade de deputado a assembla ge- Em virtode-do di.-posio n> aviso do ministerio "ferro ao oleo de flgado de bacalho.
ral.
Nunca nos persuadimos de que o Sr. Dr. m.,jr de co,nmssa-0 jos Mana da Fonto'ura Pal
Codoy offerecesse ao publico tal resposta, meiro, nomeado commandante da mesraa guarn- se o ferro.
portante, o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de flgado de bacalho. O oleo
de 21 de julho ultimo, faco entrega hoje de fl!jai(0 de bacalho ferriginoso de Che-
^Ji!rA^.c^n?&. me/constitue lolvez o melhor meio de dar-
Pois o iodro de ferro unido
deste modo com o oleo de flgado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos liqui-
ira dos Srs. depntados ^^b^^^Tm\mSr^ dos das 3 digestivas e por consequencia
em que longo de defenderse, mais se com- su comida no mencionado aviso,
prometteu. por annunciar o desejo que tem Ao dt d. c
de discutir ta cama
a conveniencia ea opporlttnidade desnudes- vasfunegoes, coucorrendo assim para a boa marcha se assimila muito mais bem do que sb a
astrada guerra.... do servigo, s -rs. capitao Joao Antonio de Moura forma de pilulas OU xarope. Emfim elle
Nao se trata presentemente de averiguar i^"^3'^ flferes Manoel Anselmo^ Pereira Gui- perfje assm suas propriedades irritan'es, e
qual das provincias e a que mais tem con- encarregado do deposito de arugos bellicos. na0 provoca a constipagao. E assim que
tribuido para a sustentago da ho: ra nac o- Gumpreme tambem aqui manifestar a valiosa os doentes, cujo estomago nao pdesuppor-
nal, e no estado em que se acha o imperio cooperado que me prestaram os Srs. ofBciaes e lar nenhnma prepararlo marcial, lomam fa-
dever de todo Brasileiro nao suscitar a im* n'aish P"as do corpo provisorio de cavaiiara n. cj|mente o oleo de figado de bacalho ferru-
% .-i j *, bem como ao seu digno chefe o I'lm. Sr. teen- -, 'J
prudente questao de que as provincias do le curone| Domingos dos Anjos, que solicito sem- 9in0S0 de Chevrier.
norte teem pago largo e desigualmente o pro se mostrou era acudir com promptido aos meus Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
o seu imposto di sangne. reclamos, quando por ventura as emergencias do ceber um grande sortimento dos celebres
Estas ideas sao mais proprias daquelles ^"JS vigiara o concurso das pracas de sou azejles desinftetado de Chevrier e ferrugi-
em quem nao pulsa ao coracao o sentimen- Igual manifestagao recebara tambera os Srs. te- noso de Chevrier.
to patritico; e longe de nos fazermos a neme Agostinho Bar boza de Alencasiro e alferes Vende-sena pharmacia de Pedro Maurer
applicac) do que acabamos de dizerao Sr., Folisberio dos Sautos Araujo, ambos docontingen- a C. ra Nova n. 18.
rr Tnrlr.v 'te do corP de cavallaria n. 80 da guarda nacional _______
lr. ooaoy. | desie municipio. l ---------
Se O Sr. Dr. Godoy nunca dissuadio- 0s P^siimosos e humanitarios servicos presta- A jurnbeba.
nem dissuade a quem voluntariamente de-: SiZ tatSKSSim-m!mmS As virludes '""apeo'icas da jurubeba sao desde
seja ir para a guerra; actualmente, porm, [ memo solemne, era que'deixo esta guarnicao, eiles muil (iouhec'das na Brasil, pois que dellas
tem provado a sua indifferenca n'actuabda-
de, porque todo cidadlo que tem amor a
seu paiz, deve contribuir por quaesquer
meios, para sustentafo de sua inlegridade,
eD3o deve ser indirTerente; tanto mais ven-
do o Sr. Dr. Godoy que de todas as classes
da soci dade tem-se apresentado cidados
respeitaveis, para tomarem parte oa guerra
actual, e en:ie elles cidadaos cobertos de
caes.
Se assim elles praticam sem ouvirem a
voz patritica de alguos de sens represen-
tantes ; a que maiores resultados n'este sen-
tido n5o teriamos chegado j, >e todos elles
cidado prestante e honrado funecionano, como
o illastrado Sr. Dr. Jos Maria de Azevedo.
Finalmente louvo aos Srs. olSciaes e pracas da
companhia avulsa pelo modo digno com que se
condnziram no servico, o que prova respeito as
leis e Del cumprimenlo de seus deveres.
Emigdio Jos de Sant'Auna.
Capito.
(Da Atalaia do Sul.)
HPM
truccoes abdominaes, principalmente do figado e
baco i e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencla, isto se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slra
nao serein encontradas com facilidade e em todas
as estacoes do anno os fructos dessa plasta, e re-
pugnancia, qne ipresenlam os doentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e tem
a denominacao de solanum paniculatum, que lhe
fol dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar* o oso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
quatro motivos; ellas nao contem mineraesnao
tivessem congregado seu poto em seus res- precisara depois de purgantes- eflectoam o que
pectivos districtos eleitoraes. Ise deseJa sem causar d6r~ ascrlangas estopromp-
J (iue O Sr Dr Godnv nao nnpr wo-nn- Ias a lomar mais do I06 marca a receila Nenbu-
a/hj t } q i raa mai do d a entender em seu commumeado, lo-1 quer outro vermfugo na sua casa.
mar o incommodo de reunir o povo em seu I Vende-se na pbarmacia de Caors & Barboza e
districto eleitoral, ao menos faga com que J- da c-Bravo & c-
os seus collegas reunam-no, ou ento exhi-
bam perante o publico a razao porque nao
o fazem.
Pedimos ao Sr. Dr. Godoy que nos dis-
culpe de ha mais tempo oio haver-mo-lhe
respondido, e isto devido os nossos afze-
res.
Jmparcial.
Pastilhas Vermifnga de Kemp.
Criancas atormentadas por vermes podem ser
aliviadas com orna s dos de Pastilhas Vermfu-
gas de Kemp, que sao incitantes em apparencia e
deliciosas demais no seu gosto para serem reiteita-
tadas. Estas pastilhas sao muito procuradas por """.""? '"," '".."y *".''qtw pwww
nnatrn motivos: ellas nn contem mn.rT_^ PPHcdo em plalas, mas tambera um vinho, nm
Molina
Atlencao I Vede e admirai I
O Sr. comraendador Domingos de Souza Leo
ainda se acha nesta cidade, onde procurado dia-
riamente for um concurso immetuo de amigos.
Esle cavalleiro, enjos elevados senlimentos e vis-
tas largas nao sao boje eseoabetios por pessoa
xarope, e nm emplastro que pode substituir, em
cerlos casos, o de Vigo; e estamos persuadidos que
cora isto prestamos um servico humanidade e
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coc$o das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em sen Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, dos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
aosso estabeleciment essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repuiacao da jurubeba tal, e os .resultados
therapeuUcos obtidos ltimamente sao to impor
tantes, qne aos parece intil dizer majs do que
isto, que fia eserjpto.
Nito temos conhecimento algum do ncnlium
caso que tao perfuitanientu mostr d'uma mt>
ncira a mais clara o persuasiva o poder da
Scieneia Medica sobre a molestia; qual seja o
de Antonio Joaqun Peeeira, da Babia.
Este Uomem infeliz havia mais d'um anno que
solivia as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Trez
Terriveis Chagas Abertas
espalhadas por sobre differentee partes de sen
corpo, sendo uma das quaes sobre o peito do p
uma fuuda e maligna chaga, a qual o privava
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agoni-
santes quer de dia quer de noute; continuada-
mente atormentado por taes amiesoes e dores,
e quasi que aborrecido da coutinuai So de sim-
ilhante vida, tendo posto do parte toda a fe e
confianca emmedecinas, c na realidade pareca
qu para elle nao lhe restava mais esperanca
alguma ; assim pois resignado esperava com-
pacicncia o termo final de seus mutiplicados
soffrimentos, cis que milagrosamente i>or for-
tuna sua llie receitariio o grande purificado/
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRSSTOL
e mediante ?. sua grande eficacia e escellencia
elle so achou dentro do pnuco tempo, livre do
seu irremediavel estado de desespero, e a doce
e rimaba e. em seu concSo; sob a poderoza e benvola in-
fluencia deste aduravel medicamento, as suas
chacas em breve principiarlo assumir um ca-
raeter favoravcl diminuiudo o aspecto de sua
malignidnde A massa do sangue e mais
humores do systema tornou adquirir uma
apparencia clara o saudavcl, as dores ator-
mentadoras d'out ro ora o deixarao, e uma doce
e suave tranquillidade principiou precorrer
todo o seu systema, restaurando-lhe a desejada
[.az e socego d'eniirito; as chagas urna urna
se forilo fechando at que finalmente su cica-
trizarao d'um todo, e hoje aclia-sc perfeita-
mente sao, gosando d'um perfeito estado de
saude, depois de 80 ter visto privado deste
grande gozo durante mais d'um aano. Ello
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Denaeeis garrafas da Genuina Salsaparrilha
de Brisiol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-so mui particularmente aos
Doentes d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na escolha d'este admiravel
remedio, afim que nao obtenhao outra com-
posi'.ao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol. pois que todas as
mais preparaces e imitacoes d'esta natureza
sao falsas nao possuindo virtude alguma.
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo G.
Abanos.........eento
Agurdente de cana ....
dem restilada ou do reino .
dem caxaca.......
dem genebra......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente ....,
Algodao em caroco ....
dem em rama ou em laa
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado .
Assucar mascavado ....
dem branco.......
dem refinado......
Azeitc de amendoim ou mendo-
bim ........
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias ....
Bolacha oidinaria, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom .......
dem escolha ou restolho.
dem torrado......libra
Caibros........um
Cal..........arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ...
Carneiros .......um
Carvo vegetal .....arroba
Cavernas de sicupira uma
Cera de carnauba em bruto. libra
]dem idem em velas ...
Cha .........
Charutos .......cento
Cevados (porcos).....um
Cocos (seceos)......cento
Colla........libra
Couros de boi, salgados 4.
dem idem seceos espichados
dem idem verdes ....
dem idem cabra eortidos um
dem idem de onca ....
Doces seceos ......libra
dem em gcla ou massa
dem em calda .....
Espanadores grandes um
Idom pequeos......
Esteiras para forro de estivas
de navio........cento
1*500
800
800
400
800
900
arroba 1*200
, 35000
, 750OO
, MWO
Coelho da Silva Araujo, e disse peracte mim e as
lestemunhas infra assignadas quo reduzia a protes-
to o cooteudo de sua penco retro, a qual offereceu
come parte da presente, que flea sende : e de como
assim o disse e proteslou, lavrei esle termo no qual
se firmaram com ditas lestemunhas.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento. es-
crivo o escrevi, Jos Coelho da Silva AraujoMel-
quades Anluoes de AlmeidaAntonio Carlos Pe-
reira de Burdos Ponce de Len.
Depon se va e mostrava seguirse a relaee dos
devedores de theor segulnte :
Helaco dos devedores:Antonio Gomes da Sil-
I va Jnior 9alo5, Antonio l.eile da Silva 5225148,
3-5^0 Antonio Fernandos Angelo 505986, Antonio da Sil-
15600 va Paixao 3825580, Antonio Leite de Azevedo
15500 8605, Antonio Martins da Silva Wurta 2065549,
25600 Antonio da Silva Garapeba 1:0915073, Antonio Pe-
2500 reir Leile da Cruz 2385328, Antonio Uibeiro Cara-
35500 : pos 1465960, Antonio Alves da Silva 1505380, Ao-
55120 touio Ignacio da Silva 1705, Antonio Jos Coelho
I de Lima 375570, Alexandre Jos de Barros 195883,
25000 Andr Ferreira da Cunlia 685^8, dito do mesmo
15600 7055, Andr A. ioli Adelam 699*890, Arsenio Pan-
15O00 taleo Gardaval 30*760, Anna Joaquina de S. Jos
1875390, Bernardo Jos de Barros Correa 795664,
Christovo da Bocha Wanderley 10*600, Cosme
de Andr Florencio 431*832, Caetano Jos da Sil-
va Lobo 955890, Caetano Jo> Pereira 1:164*680,
Desiderio de Camino 282 rs., Domingos Cavalcan-
ti de Albuquerque 370*, Dionizio Jos dos Santos
90*, Eugenio da Silva Lacerda 231*193, EstevSo
Protomartyr Figueiredo Wanderley 600*, Estevao
Protuiuarlyr Figueiredo Wanderley 600*, dito do
500 I mesmo 60(J*, Francisco Jos de MaRalh^s Bastos
35200 3:185734, Francisco Jos da Paz 855210, Fran-
45000! cisco Flix de Lemos 11*571, l'rancisco Antonio
1*000 Vieira Ia2j7i,Francisco Antonio de Mello 134j2I0,
440
360;
280
35000
300
Franco Jos de Paulo U2*032, Francisco de Hol-
landa Chacn 2:0005, Francisco Gouveia de Castre-
300 Albuquerque 30*, Francisco Marques de Oarvalho-
15500
25300
155000
4*000
600
155
240
100
350
105000
15000
320
500
4*000
nansiEiGio.
Caixa filial do Banco do Brasil em
Pernambnco.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil 00 iiio de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Bahi.
\ovo banco de Pernam-
bnco.
0 banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Novo basco ile peraambuco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mettidos : no novo banco de Pernarnbuco ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do banco do Brasil em
t ornaiiihiito.
De ordem da directora se Taz publico que a ca
xa desconta os saques de
pelo banco do Brasil, pela
Ognarda-livros
Ignacio Nunes Crrela.
Estopa nacional ..... arroba
Farinha de de mandioca alqueire
dem de araruta .... arroba
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes ....... um
Fumo em lolha, bom arroba
dem ordinario ou reslolho
dem em rolo bom..... >
dem ordinario ou restolho.
Gallinhas ....... uma
Gomma........ arroba
Ipecacuanlia (raz)..... >
Lenha em achas..... cento
Toros.........
Linhas e esteios...... um
Mei ou nielaco...... caada
Milho......... arroba
Papagaios ....... um
Pao Brasil....... quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar .... uma
dem de filtrar .....
dem de rebolo .....
Piassava ........ molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos....... cento
Pranchoes de amarello de dous
costados....... um
dem de louro.......
Bap......... libra
Sabo.........
Sal........... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama......
dem em velas......
Sola em vaqueta...... uma
Taboas de amarello..... duzia
diversas ......
Tapiocas......... arroba
Taiajuba......... quintal
Travs......... uma
Unhas de boi ...... cento
Vassouras de de piassava
Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
>nagre......... caada
2005, Fraucisco Pereira da Silva 171*207, Fran-
cisco Xavier da Silveira 70880, Fabncio Jos da
Cunha 251*460, Goncalo Gomes Duarle 1305, Gil
de Freitas Costa 8005, Herculano Alves Lima
1075740, Jo de Medeiros Arruda 1215360, Joao
Lopes Handeira 29*800, Joao Ghrysostomo Gusmo
e Mello 2505, dito do mesmo 2505, Jua" Marques
da Costa 227*700, Joao Evangelista Taboca 40*,
J0S0 Alves Pereira 505, Joao Botelho NettO 2845345,
Joaquim Jos Alvim 135200, Joaquim Francisco da
Oliveira 1385012, Joaquim Jote Esleves 1865>27,
Joaquim Pereira Lima 200*340, Joaqoim Jos de
Oliveira Calaca 336*GC0, Joaquim AtLnso Chaves
e Mello 796*194, Joaquim do Nascirr.ento.........
K) 1 1:197*769, Joaquim Antonio Bodrigoes 89*203,
#*" Jot A|Vps Cordeiro 26*420, Jos Francisco Xa-
15*000 Vltr 256*090, Jos Anunio Alves 464*750, Jos
15600
1*800
jooo
Pedro Alexaudrino 100*, Jote Antonio de Barns
1:000*. dito do Ee.mo 89*, Jos Barbosa Filguei-
ras 58*043, Jos Leile Chaves e Mello 400*. Jos
llodrinues Torres 19*, Jos da Cosa Jess 632*167,
r. Jote Virissimo de Souza Lima 36*167, Jos Mar-
.'/tnao UDi Bollas 330<5-1,)s6 Severino de Moura 44*020,
U Jos Antonio Goncalves Sanhoso 16*880, Jos de
; Souza V'ieira S Mello Pesca 865J805, Jos Baptis-
ta Gomes 29*228, 'gnacio Teixeira da Fonseca
24*220, Ignacio Joaquim Braga 410*643, Ignacio
Gomes de Sa 69*3(10, Lucas Evangelista dos San-
tos 62*620, Lourengo Monteiro da silva 268*167,
Manoel Francisco Muniz 135**52, Manoel Jos
Piulo 26*720, Manoel Jos da Silva 522 reto, Ma-
noel Joaquim Viudas 16*230, Manoel Teixeira
Pachec. I5527, Manoel Leile de Azevedo-
2015720, Manoel Gavalcanle de Albuquerque
Lacerda Beltro 4285245, Manoel Fernandes de
Oliveira 475910, dilo 1205000, Manoel Joaquim da
Cunha Padre 1:1915320, Mancel Teixeira de Vas-
concellos 5005, Manoel Rodrigues Sobral 1065556,
Manoel francisco de Araujo Carnauba 2005, Ma-
noel Jos de Mello 2185232, Manoel Bernardino da
Silva 5205673, Manoel Bernardino S Silva 345660,
Manoel Gomes de S Jnior 2935. Manoel Pinto
Lima 235610, Manoel Pinto Lima (815913, Manoel
Jos de Sonza 425010, Manoel Jos da Silva Cear
925530, Manoel Alexandre de Saropao 613*920,
Manoel Baptista Ribeiro de Faras 73*. Malaquias
n Jos 850G0, Miguel Francisco Rapoza 72*492, Mi-
15000 1 gnei ^rciso Nobre 147*503, Marcellino Soares
J20 Godinho 182*, Marlinho Gomes da Silveira 1695700,
WJB Pedro Tenorio de Araujo 2465762, dita do mesmo
55000' 1005, Paulo Nunes Serra 335*213, Patricio Jos
550001 de Almeida 95, Patricio Jo- do Reg 69*, Rogerio
75000 da Silva Cerna Nunes 198*080, Seraprom Alves
85000
85030
5*000
600
25300
255000
25000
113000
6*000
240
13300
33000
55000
5*000
800
4*000
15000
120
35500
205000
103000
25000
1405000
875000
35000
25000
6*000
200
10*000
85000
6*000
500
Allandega de Pernarnbuco, 9 de selembro Ib
1865.
(Assignados):
O 1." conferenle, Antonio Carlos dePinho Borges
O 2. conferente, Jos Baptista de Castro e Si Os
Approvo.-Alfandega de Pernarnbuco t6 tv i',a
tembro de 1865.A. Eulalia.
Conforme. 0 4. escripturario, J. a"Avila Bi
tencourt Neivas.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS Gh-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendlmento do dia 1 a 16...... 18:038*941
dem do dia 18................ 3:957*194
18:9965135
CONSL'LAOO PROVINCIAL.
hendimeutodo da la 16..
dem do dia 18..........
17:837*152
7:574*549
25:4115701
M0?IMENT6 jjg POSTO
Navios entrados no da 18.
New-York por S. Vicente e Maranhao-35 dias,
sendo do ultimo porto 5, vapor americano Por-
tenha, de 700 tonelladas, capitao Henry Taribe-
soo, equipagem 27, em lastro; a Saunders Bro-
thers & C.
Observacao.
Nao bouveram sabidas.
SDIT1ES.
Novo Banco de Pernarnbuco
0 Novo Banco paga o dcimo quinto
videndo na razao de 80 por accSo.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 16......
dem do dia 18...............
di-
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 75
c c com gneros..... 294
Volumes sahidos cem fazendas..... 92
t i com gneros..... 389
A cmara municipal desta cidade faz publico
que em sesso desta data deliberou espacar para o
dia 25 do corrente a arrematado de suas rendas,
annunciada para o dia 16, deveodo os concorren-
seu aceite, praticados ies a U| arrematacao apresentarem as suas habi-
|0 ao anno. i(aCoes al o dia i9 para serem julgadas, sendo as
rendas de que se trata as segufntes :
Imposto de affericao de pesos e medidas.
Dito de 80 rs. por carga de farinha
Aluguel de tainos dos acougues das nucirs de
S. Jos e Boa-Vista.
A arrematacao das demais rendas, annunciada
para o dia 20, ser feita nesse mesmo dia. Os
concurrentes a ella devero apresentar as suas ha-
bilitaces al o dia 18 deste.
191:813*169; Pai;o da cmara municipal do Recife em sesso
16:17*086jde 15de selembro de 1868-Luiz Jos Pereira Si-
--------- mes, pro presidente.Francisco Canuto da Boa-
208:330*2551 viagem, secretario.
O Dr. Trisio deAlencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direlto especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernarn-
buco e seu termo, por S. M. I. e constitucional o
Sr. D. Pedro II a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edilal vircm e del-
le noticia tiverem, que Joao Antonio Marlins No-
vaes e Anna David Martins Novaes me dirigirn)
a peticao do theor seguinte:
Illui. Sr. Dr. juii do commercio.Joo Antonio
Martins Novaes e Anna David Martins Novaes vem
respetosamente requerer a V. S. que se digne
mandar tomar por termo o protesto que ora fazem
para interromper a prescripgo das dividas perten-
centes aos supplicantes por heranca paterna, e
constantes da relaco junta ; e por que os devedo-
res estejam ausentes em lugares nao sabidos pelos
supplicanles, requerem estes igualmente que V. S.
-------369
------- 481
Descarregam no da 19 do corrente.
Brigue toglezA/Otnmercadorias.
Barca francezaHauncvinho e mais gneros.
Brigue austracoGratitudine farinba de trigo.
Patacho hollandezknlje Havercultdiversos g-
neros.
Barca nacionalVallecharque.
Brigue hespanhol Caritaidem.
Importaco.
Briguc-escuna brasileiro Graciosa, entrado de
Maco, consignado a Antonio de Almeida Gomes, I haja por bem admitti-los a justificar a ausencia da
manifestou o seguinte : quelles devedores afim de que sejam elles iotnna-
123 saceos 526 arrobas e 15 libras de algodao ; dos do protesto por carta de edites \_ pelo que pe-
a Vital de Souza Rohm. 1 dem a V. S. favoravel
87 ditos dito, com 328 arrobas e 13 libras; a Antonio Martins Novaes.Anna David Martins
Jos Antonio de Albuquerque. Novaes. Na qual dei o despacho ao theor seguinte:
720 alqueires de sal o 100 rxolhos de palha; a Justifiquen! no da 1 do mez prximo futuro as
Jacintho Nuces da Cosa. i 11 horas da maoha.
Brigue hannveriano Amelia, entrado do Rio Gran-! Recife, 30 de agosto de 1865.Alencar Araripe.
de do sol, consignado a Maia & Espirito Sanio,' Em virtude do qual fura a mesma peticao des
manifeston o seguinte : tribuida ao ecrvo deste juizo Manoel Maria Ro-
14,510 arrobas de charque, 80 couros vaceuns; a drigues do Nascimento, o qual lavrou o termo de
ordem do mesmo consignatario. protesto do theor seguinte.
Brigue-escuna austraco Uratiludine, entrado de Termo de protesto.Ao 1* de seterabro de 1865,
Trieste, consignado a N. 0. Bieber & C., manifes- na cidade do Recife, em meu cartorio, appareceram
loa o seguinte: os upplicantes por seu bstanle procurador Jos
Pereira 545900, Trajano de Alencar Benevides
19*460, Thomaz Fern ndes Vieira 202*190, Vi-
cente Ferreira Padilha 182*, Felippe Rodrigues
Duro 233*, dito do mesmo 234*, dito do mesmo
233*, Luiz Jo.- Fernandes 751*680, dilo do mes-
mo 4305, dito do mesmo 72*800, Antonio Rodri-
gues Porto 163*600, Antonio Jos Vieira 198*210,
Jos Franci>co Vieira 115, Ignacio Fernandes Ca-
sado 2155640, Loz Queiroz Coutinho 40'*780,
Florenlino Velloso Cavalcante 371*858, Joao
quim Gooc-alves de S 184*043, dito do mesmo
700*000, Francisco Marques de S 549*436, Joao
Marinho Falcao 550*753, Jos Fid-lis dos Santos
Caxadfnho 4015731. Luiz Jos Corroa de Sa
1105920, Joaquim Jos Bandeira de Moura.......
2033720, dito do mesmo 2803765, dito do mesmo
3851180, Sebaslio Jo> de Moura 4785780, Jos
l'rancisco de Lacerda 244*438, -billietes-Anlonio
Jos da Fonseca 69*100, Antouio Moreira da Costa
43*000, Joio Leito Sampayo 30*100, Venceslao
Ignacio da Conceico 14*760, Jos da Costa Cruz
33*480, Antonio Januaiio Paes Brrelo 49*720,
dilo do mesmo 49*720, Anlonio Januar o Paes
Brrelo 495720, Antonio Jos da Fonseca 184*950,
Antonio do Reg Pacheco 25*600, Aulonio Jos da
Cruz 8*800, Anlonio Ribeiro de unto 483*983,
Antonio Lapes Pereira de Carvalho 35*920, Anto-
nio Cabral Rodrigues 3*440, Anlonio Jos de Oli-
veira 2:800*000, Antonio Sim5es Cordeiro 19*250,
Augusto Romano Rayano de Souza Caslilho........
2973329, Bell-rmino Firmino Bezerra de Mello
175360, Dr. Bernardo Jos Fernandes da Silva
405198, Eslevo Jos Paes Barreto 855570, Esla-
nislu Pereira de Oliveira 205000, Francisco An-
tonio de Sa Barreto 515700, Francisco Jos dos
Prazeres Caroboira 595310, Flix Pereira de Lira
163340, Flix Augusto Scolar 6005000, Frederco
da Costa Rios 20451)00, dito do mesmo 203*889,
Guilherme Patricio Bezerra 130*000, Henriquo
Manoel Malheiros de Mello 38*500, loao Stuart
Borborema 645230, dito do mesmo 878*000, dito
do mesmo 8785000, dilo do mesmo 878*000, dito
do mesmo 1:713*075, Joao do Reg Barros........
81*950, Joo Jos de Moura 75*645, Joo Correa
Gomes 9*320, Joao Luiz Teixeira 58*500, Joao
Leile de Souza Braga 100*000, dito do mesmo
1335244, Joao Policarpo do R-'go Barros 2175128,
Joo Francisco do< Santos 125060, Joo Marinho
Cavalcante de Albuquerque 345480, Joaquim de
Albuquerque Fernandes Gama 305750, Joaquim
Francisco de Mello Cavalcante 1105782, Joaquim
dos Santos 545000, Jos Bernardino dos Res Lima
130*500; Jos Archaojo de Figueirdo Mello......
66*770, Jos Fernandes Jorge 39*540, Jos Go-
mes de Oliveira 15*000, Jos Joaquim de Sant'An-
na N 70*605, Jeronvmo Jos Bustorff 77*552,
Ionocencio Gomes Pinto 108*000, Luiz Francisco
Paes Barreto 87*550, Luiz de Moura Accloli......
17*989, dito do mesmo 77*976, Luiz de Queirs
Coutinho 2005000, dito do roesmo 20*720, Luiz
Antonio Gongalves 283*730, Lourenco Cavalcante
de Albuquerque 179*291, Lourenco do Reg......
19*640, Lercadio Aquino Cavalcante 58*068, M a
noel Lucas dos Santos Oliveira 14*920, Manoel
Baptista Ribeiro de Faras 15*000, Manoel Caeta-
no Cavalcante de Albuquerque 33*040, Manoel do
Reg Barros 125*690, Manoel Estoves de A brea
3i'*423, Manoel Macedo Campos Pessea 30*000,
Manoel Joaquim Dures 12*145, Manoel Jos Cea-
ra 200*000, dilo do mesmo 30*600, Manoel Joa-
quim da Mello 25*510, Pedro Jos dos Santos
31*535, Hay mundo Nonato dos Sanios 6*800,
Marlinho Joaquim de Mello 9*540, Samuel Valla-
ce Mac fior 4*040, Tneodoro Jos dos Santos
10*900, Tbeotooio Joaquim da Costa 33*160, dito
do mesmo 135*332, dito do mesmo 130*000, dito-
do mesmo 48*000, Themoteo Antonio de Araujo
Reg 18*900, Vicente Ferreira Tavares 27*360,
Joao Francisco Duarte 4*630, Flix Bezerra de
Mello Leito 18*600, Antonio Francisco da Cunha
80*000, Joo Dias Lene 13*000, Estevao Proto-
martyr Figueira Wanderley i02*20, Joaquim Jo-
s Bandeira de Moura 42*900,LetrasJos Cae-
tano da Cruz 58*533, Francisco Borges Buarque
(em uma publica forma) 414*420, Manoel da Cu-
nha Guedelha 35*633, Luiz Antonio Gongalves
3-20*000, Manoel Rodrigues Dias 288*000, Jos
Joaquim da Silva Braga 1:210*183, Jos Vicenle-
Leo 63*040, Jos Vicente Leo 82*785. Sot Ig-
nacio Xavier (em uma publica forma) 396*000,
despacho.E. R. M.Joao] Antonio Jos da Fonseca 183*260, Francisco An-
tonio da Silva 2:155*811, Jos Joaquim Teixeira
Palha 5:440*238, Jos Vieira Rodrigues de Car-
valho e Silva ISOjOOO, Joo dos Sautos Ferreira
20*173, Antonio Baptista de Agoiar 377*870. V-
vente Vaz Ferreira 51*845, Joo Baptista da Sil-
ceira 85*705, Gil de Frell.s Costa 205334. dezem-
bargador Antonio Baptista Gilirana 225*180, Joa-
quim Francisco de Paula Esteves 264*712, Diogo
Baptista Fernandes 48*480, EstevSo Jos da Fon-
seca 37*937, Jos Antonio Bitinconrt 49*830,
Antonio Borges Leal 87*900, Jos Cicilio Carneiro
Monteiro 969840, Luiz Bispo Bexerra 1:3911000,
-




**1
<"

- -
i
-..-i-! I
HATA IM/V'arM-i



,. *
Otario d le*Bil>o -" Nerea fctra 18 Je fteiembro de t.
in
Jos Luiz Saleado 8335000, Joc Victorino da Sa
o uim, Joaquinj Claudio Monteiro......
Jojooo, Jos Alves de Moraes e Mello 2:5005000
E tendo os supplicantes prodosido as suas teste-
munhas, sellados e preparados os autos subiram
a rainha conclusao e nelles dei e profer a senten-
5a do theor sejtuinte :
Hei por justificada a ausencia dos supplicantes
aos quaes mando citar por editas de 30 das para
O fim requerido a folhas .
Recite, 2 de seterabro de I86o.-Trislao de
Ai en car Araripe.
Por torga da qual o referido escrivao fez passar
VISOS MASITIMOS.
COMPANHfA PERNAMBG tfA
DE
vapor
Naregaco cosleira
por
Ilha de Fernando.
No dia 28 ao meio dia segu
um _dos vapores da corapanhia
para o porto cima indicado. Re-
cebe carga al o dia 27. Eo-
LEILAO OS PARAGIJ AYOS
t*. \-!?r. ,e- *efell"'.a* .. E'a ordeoi do dia Acabar com os Par*-
Linden Wild & C fara o leilao por HMervencao imivos a havnnela a mini -. Li,l.
do agente Pinto, de um completo, fiad.) c varalo EJSTa-los com
j sortimento de fazendas iogie'zas, 'francezas, suissas 'u,IO'na-|OS com os encouracados armados
(e allemaas, as mais proprias do mercado. "e espor&es, armstrongs e raiadas de 80 I ,rua do CrtP n- '"""o encarregado em Pernam-
Bazar volante.
Pede-se aos senhores assignantes que recebem
esta tolha directamente do Rio de Janeiro, o faver
de mandaren) satisfa/er a importaDria de suas as-
signaturas do 1 e 2" anno, em ca?a de J. Falque,
Quiuta-feira 20 do correule
as 10 horas da raaahaa em sea armazem praca
do C>rpo Santo n. 13.
commendas, passageiros, din hui-
ro a irete ate as
e", sahida : escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
as a^stvSefs s sk 23555=??.
tara o Rio de Janeiro
cam nte jnizo no iDdicado praso am de allega-
rem o que tor de direito e justica.
E para que chage ao conliecimento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela Pretende seguir com muila brevidade a barca
iroprensa e afflxado nos lugares do costume. nacional Restaurando, tem parte do seu carrega-
Recife, H de setembro de 1865. ment prompto : para completa-lo, e juntamente
MISOS 9I?IBS0S.
cedeu; acabar com elles a tacao e a ponta
ps, para o que necessario encouracar esta
O mulatinho que annunciou precisar de 500 Par'e do nosso COrpo cora OS formiilaveis
para sua liberdade, hypotbecando os seus servigjs rompe-ferro, esmaga cobra, arranca ti eos
Kf.T>*t|ae.iSe c"T,fncionarupode dirifi'r-se quebra marmore e ootros que se vendem
ao caes do Apollo n. 5>, que achara com quera ._*
tratar.
120; extermina-los em stimma a espada, a fe0*0Dde se eDlrr8ar os Tecil*>, e onde se as-
fVSo e a punbal de que se trata: mas j -;-------,---------------------------
ninguem se lembrou ainda de esmagar os ~ A"seDf.0U se I"? eogenh- !**% n*m
Paraguayos coa as armas que Deus nos con-
A ma
BUA HlllliTt-45
Borseguins'^Bordeaux........
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es- Para ""aves e fretes, para os qnaes tem exrellen- mT J^\ f M t ~X J"~l I
crivao o subscrev. tes commodos, trala-se com os seus consignatarios ffjSM M B^. m-4T g ZM "------
Antonio Luii d'Oliveira Azevedo & C, no seu es- -m ^~^ -*- -" -JL. m^ _JL ULJt
i criptorio, ra da Cruz n. 1.
Tristao de Alencar Araripe.
en-
22CU&1C0ES.
Convda-se as pessoas que esto as
condices do servido militar, a engajarem i
no corpo de polica e gozarem das vanla-
gensdi iei provincial n 611 de 2 de maio
prximo passado, que s5') as seguintes :
15100 rs. diarios de sold, serem seus f-
Ihos menires recolbidos aos estabelecimen-
Linha do Havre Per-
nambuco.
|,p^i?iSS'^j^
para senhoras,
i aos ftoowooo. | JBKia::
Cerr no dia 29. Sapatoes encouracados.......
, Acham-se venda na respectiva tuesou- B)rseguins para meninas bora
-arta ra do Crespo n. 15, os bilhetes,! elast co..........
2* parte da Ia lotera Sapatos de lona,' sola" elstica."
sahio no dia u
de 25 frs. to |. Recebe carga pa- (-" ) D Dnebcio da matriz de Santo Amaro
ra o Havre a fretes baratos : a de Jaboato, cuja extracto ser no da
tratar com os consignatarios Tis- aciua publicado e no lugar e hora do cos-
llli de S. Nigyel
IB Etna preteude
30 do corrente mez,
. ata-se com o consig
para o caso de aposentadora, e alm destas lo* a ,Je8 L|"a> na ra de Apollo n 4.
turne.
Os premios
de 0.000/5000 at 10,5000
avelludados.
de tranca..
econmicos
n doras..,
com salto de
85000
o000
5,5500
i.>s< o
5^000
35000
25000
150O'i
15600
Piecisa-e de urna ama qne cozinhe para ama
pequea fatfilia |_na_rna da Sama Cruz n. 52.
Precisa>, de urna ama f.>rr para casa de
pouca familia : a tratar na roa tf.r Rangrl n. 10.
Precisa-se de urna ama de pouca Nmilia : na mu da Cruza n. 37.
PraciSa s di urna mi paia casa dd ponta
familia na roa Me Hitrta n. il.
Prerisa-M" di' uiim ;iiii.i, mi mh.iim tuna ne-
grinha, pjira tratar e andar com meninos : aa ra
da (Jruze n. 29.
ATTENCA.
uslre..
tosprovineiaesd* educare o tempo que tertvISe^ og^30^oTo^!!mr.mlK SLWp.T/0? **** d? exacC* Chh,eIes do p
ost.vetem na guerra ser contado pelo duplo | P^ageiros e carga trata-se cor t consignatario y* S*.' or.a* d,a tarde> e os outros depois
tem todas as mais vantagens que sao con-
ccliilis aos voluntarios da patria. O te-
nente-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
Consulado provincial.
O administrador do consulado provincial manda
pubhear para conliecimento dos devedores dos ira-
postos cobrados por lancameulo pertencentis ao
exercicio findo em iiquidac.io de 186i a 1863 a
portara do Sr. inspector da thesouraria provincial
em que ordeua que o pagamento de seus dbitos
s poderao ser efectuados at o dia 30 do corrente
ao meio dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 12
de setembro de 18C5*.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Portara.
Vende-se o brgue escuna austraco Gratt-
indme, construido ha tres mezes em Trieste, das- nisn^e ale a noile da vespera da extracQo
sificado 3|3 I. 1. A 14 annos, de lote 280 tone la: como de COStume.
das austracas acerca do 240 tonelladas nglezas -
a tratar na ra da Cruz n. 4, em casa de N. 0. Bie-
ber & C. successores.
para se-
5500
25240
15600
Um completo sor amento de calcado da
da distribuyo da, listas._ trra para bomens. senhoras e meninas;
i s rao guardadas so- assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
LBILO
De 1,600 lijlos de ladrilho, 1,600 ditos de tapa-
mento, 1,500 ditos de cacimba e 22 milhuiros de
alvenana.
Assim como
CONTRA FOGO.
Astnin como *rt i T i i
a renda aunuai do sitio Curtume na freguezia dos A Omplllia ldeillUlSadOra
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamea-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
af r. Carolino Francisco de Lima San-
^ tos continua a morar na ra do Impera-
M oor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
fg gabinete de consultas medicas, logo ao
gjK entrar, no primeiro.
O niesmo doulor, que se tem dado ao
jg estado tanto das operacoes como das mo- j
nc lesiias internas, presta se a qualquer cha M
W mado, quer. para dentro quer para fra S8
ffe da cidade. |"
zia da Escada, no da segunda-feira H do corren-
te, o escravo de nome Cosme, crioulo, idade de 20
e tantos annos, estatura baixa, cheio do eorpo, es-
padoas largas, falla um pouco manso, e levou ca-
misa e calca de algodao riscado, chap de palha;
cujo escravo fui do Sr. Jos Ferreira de Souza, la-
vrador do engenho Rainha dos Kussos da dita fre-
guezia. para cujo lugar provavel que se tenha
dirigido por ter sido cria do dito senhor, e foi ven-
dido nesta cidade ao Sr. Jos Rodrigues de Sena Henry Forsler cr C, ra do Trapiche n. 8
Santos, em junho prximo passado petos Srs. Molla tem para vender :
4 Ribefro por autorisac.io do dito Sr. Jos Ferrei- Prendas i.ara cnfirdnr *\in\AZn
ra : roga-se as autoridades competentes e pessoas Z'dfJ a U,dr.aar a'godao.
particulares de o apprehenderem e dirgirem-se ao Matlnna de descarocar algodao, de 30 a-
referido engenho, ou a ra do Imperador n. 42, 0 serrotes, com motores, assim como moto-
tereciro andar, que se recompensar._________ r s que servirn para qualquer serviro, e urna
Precisase fallar com o Sr. Jos de Aguiar machina do 120 serrot'.s com urna machina a
Pacheco, natural da ilha de S. Miguel, e ebegado mor propiia para a moma.
a esta provincia a 8 para 9 anuos, a negocio de
seu interesso : na ra das Cinco Ponas n. 78.
Quem preci.-ar de urna ama de leiej dirija-se
a Camba do Carino, passando o segundo beceo,
casa n. 4, quem vier do pateo do Carino o primei-
ro becco.
Jos Mara da PaixK-j previne as pessoas que
he prorneleram esmolafl para a fesla do Senhor
dosPassos da ordem lerceira do Carmo, que nao
entreguen) ditas esmolas se nao a elle pessoalmen-
te, vislo que alguem se tem apresentado a receber
em seu nome sem que para isso fossein autori-
sado-.
Aluga-se um inoleque moco, liel e sem vicio
algum, para todo o servico de una casa, sendo
que emende de cozuha cha : na ra do Hospicio
n. 22.

Alura-se
o sobrado n. 71 do caes de Apollo : a tratar no
secundo andar do sobrado n. 62 da ra da Cadea.
O Sr. Joao Miguel de Oliveira Beraido quena
dirigir-se a ra Nova n. 60, a tratar de negocies
que Ihe dizem respeilo.
W
win, ww estabelecida nesta praca, toma seguros maritimos
HllJ Jci* sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
u inspectir da thesouraria provincial recommen- as 9 1 [2 horas em ponto, no primero andar educios, mercadorias e mobilias: no seu escripto- Para cobrangas nesti praca : quem precisar din-
r do consulado provincial | lln gnhr9(ln ,^ rna ,,, r'r, n qq Jio. ra do Vigario n. 4, pavimento terreo. J_V.se a ra do Q leimaio "n. 12, loja. A habilita-
mmrnmmm
Urna pessoa bistante habilitada
do sobrado da ra da Cruz n. 38.
qu faca annunciar urna e mais veies, que o pa-
gamento dos impjstos doexercicio prximo flodo!, U a8/r" ? ,?l oVara novamenle a |pi|ao por
em liquidaco, s ser admeitido al o meio dia do afsliacnp.do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
da 30 do carrente mez, para que as duas horas c, os .^"ctos cima mencionados pertencentes a
m
ao mais tardar, estej recolhida a renda que se
houvar cobrado atessa dia.
Thesouraria nrovincial de Pernambuco 2 de se-
tembro de 186o.
Jos Pedro da Silva.
massa fallida de Manoel do Amparo Caj', servin-
do de base o raaior preeo obtido no leilao do da
12 do corrente, istoas y 1|2 horas do dia terca-
jeiri 19 do ndame, era seu escriploro a' ra da
Cru; n. 38.______________________
LEILAO
e 1 escravo e 2 eseraras.
HOJE
O agente Pinto fara' leilao a requermento da
inveniariante e herdeiros de D. Lourenca
Por esta subdelegara de Grvala, se faz pu-
blico quepela mesma subdelegara, foram appre-
hendidos em poder de Thomas de Aquino dos San-
tos e se achara em deposito os seguintes objec.tos de
Pru.na'corOa pequea e urna bandeira da magem aT^n Lourenca Maria
do Crucificado e urna pequea cora cora sete d- da Conce Ca. e por despacho ? ,l,,n- Sr Dr" ui
iras, da imagem da Sra das Dores municipal da pr.me.ra vara do escravo Eleulerio
Assim, poi<, quem se julgar com direito a taes frioulo, Gertrodes, mu ata, eRaflni parda, per-,
Objectos, compaega nesta subdelegada? que me- fZSEL'Z Jijte asc-mpetemes provas to seJ entre- I gSSSrf gj Tc^n. t 'C'a^ d" eB> ""
Sublelegacia de Gravat, 2i> de agosto de 1865.
Jos Clemente da Silva, subdelegado 1 supplente j
era exercicio. Fin
LEILAO
um boi e car roca,
HOtSE.
O agente Pinto fara* leilao a' requermento de
Antonio Constantino Monteiro e por despacho do
lllra. Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara de
urna carrosa com boi, as 10 1|2 oras do dia ci-
ma dito era seu esenptorio roa da Cruz n. 38. po-
dendo.os preteodentes examinaren] ditos objectos
na ra da &uz em frente ao mesma escriptono.
M-JliiAo
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia se faz publico pa-
ra conliecimento dos interessados, que o tribunal
do thesouro autorisou o pagamento de dividas de
ezercicios nudos, eojos credores sao os seguintes:
Antonio Carlos de Pinbo Bordes.
Bacharel Pedro Aff.mso de Mello.
Manoel Pereira Camello Pe-soa.
Leonardo Antonio Alves da Silva.
Cantillo Jos da Silva.
Januario Francisco Xavier das Chagas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-1 Do deposito da Pila (la SeilZila Nova IIU-
nambuco 18 de setembro de 1861 e .,
Servindo de offlcal-raaior '" u "
Manoel Jos Piulo HOJE.
Terca-feira 19 do corrente as 10 1[2 horas.
Pelo agente
__ OLYfJPIO.___
Leilao de fizendas
A. C. de Abren continuar o seu leilao de fazen-
das inglezas e francezas por intervengo do ageo-
te Pe.-tana, boje 19 d; corrente, s 11 oras da ma-
: nnaa, em seu armazem ra da Cadeia.
lospecrao do arsenal de marinua.
O arsenal de marrana eupaja machinistas e fo-
guistas para o servico dos vapores da armada.
nspeccao do arsenal de marmita de Pernambu-
co 18 de seterabrj de 1^63.
O secretaris,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
fielario das cartas seguras existentes na adiui-
g^~ Feira semanal

Hospital Portuguez de Beni-
flcencia.
A junta adminMrativa, lendo em conside-
racaoos benetlcios pce.-lados a favor dos po
br^s deste hospital por seu berafeitor o Sr.
Augu-to Ferreira Pinto e sua familia, aluda
na sua recente passagem por esta cidade
quando regressou a Pars, onde falleceu no
dia 21 de agosto prximo passado, e queren-
do a junta administrativa de alguraa sorte
satisfazer em nome dos oobres a divida de
graiidao por elles ontrahida a sua memoria
manda celebrar na capeila do mesmo hospi
tal no dia 21 dt corrente pelas 7 horas da
manha urna missa de Requiera por alma
d'aquelle bemfeitor, para cujo acto religioso
espera-se a assisteneia dos Srs. socios, bem
como dos amigos do fallecido.
O secretario,
Joao IVreira Rebollo Itraga.
ifJ* erjanla
Pergnnta se se um eserivao do nivel e c
cao e actividado de qu^ dispo:' lia de agradar a
qualquer pe - DdSpDitroeeu do coosistorio dn ordem ter-
ceira de S. Francisco um copinho dourado de por-
ta-licor, pede-se a quem o levou, ou delle der no-
ticia, o obsequio de fazer scienle ao syndico da
mesma ordem, que gratificar, alm de agrade-
cido.
A o Sr. fiscal respectivo
cumpre que d um paselo pela ra do Imperador
o vera o pecirao estado de porcaria, principalmen-
te desde a iravessa do Ouvidor :di a porta do Clu-
be. A ra do Crespo lambem precisa de ser lisc i-
lisada. Lerabrem-se os moradores dessas ras
principaes, que muito bonito apar da rica illu-
minacat apparecer oaceio, nao cu-ta islo muito
drahero, uina vez que todos concorram para a
limpeza ; a elles, Sr. ti-cal.
Na roa das Cruces d. 12 forneee-se comida
por commodo prego,garantindose ao mesmo tem
po todo o aceio e pronipiidao.
Precisa-se alugar urna preta que seja boa co-
zinheira, paga se bem : na ra do Pilar n. 6, ss-
brado encarnado.
Precisa-se de urna ama para todo o servico
interno de urna casa de tres pessoas: na ra do
Hospicio n. 62.
Na ra do Qjeimado n. 27 deseja-se fallar
com o reverendo Jj- Bsteves Vianna.
RETRATISTAS
Firmino & Lins
Novo eslabelt'cioieulo de reta-
los rnM Xova n. 15, i an-
dar, juuto ao Sr. Gaulier, \
(I enlista.
Tiram retratos todos os das, das 7 horas ^
da manha as 5 da tarde, quer chova ou jft
nao.
Tambem se offerecem para tirar reir
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra jft.
da cidade. Jg
Os annunclantes desejando acreditar o p5
seu estabelecimento, garantan ao publico i
que nenhum Irabalhosahir de sua offici-
na.sem que nao seja perfeitamente acaba y
do, e a vontade do freguez. jH
AHA.
Na ra da Unio casa n. 37, precisa-se
ama para cosnhar e comprar.
urna
AfTonso Jos de Oliveira avisa aos pais de
.seos alumnos que seacha moraudo na ra estreita
que e tambem labelliao de notas pode ser proposto do Rosario n. 31 3 andar
para cflicial da guarda nacional. a, M
Quem estiver ceno da Iei a e.-te respeito nos
far favor em nos esclarecer esta duvida, pois na
muito n. fcre, sempre leal e mais antiga villa da
Santa Cruz, Santos Cosme e Damiao de Iguarass
se diz nao ser incompativel.
____________________________O farofa.
Aluga-se um mulatinho de 14 annos proprio
para criado, de excedente conducta : quera pre-
tender dirlja-so a roa da Imperatriz n. 2.
Precisa-se
alugar no bairro de Santo Antonio urna casa terrea
que tenha porio, paga-se bem : ua ra do Quei-, j
mado n. 46, loja.
OfFerece-se um bnm coziubeiro : a tratar ua
ra da Assumpcao n. 72.
Aluga-se urna casa terrea com 2 salas, 3
jDentista de Pernambuco.!
j Hua estrella do Rosario n. o,
ao p da igreja
[francisco pinto
I Colloca tientes artlficiacs
pelos systeicas inafs imo-
I deruos
Emprega todos os meios .cientficos para
i conservar os naluraes. Pode ser procura-
I do em seu gabinete das 9 horas da ma-
( nhaa as da tarde.
O bacharel
Francisco Angosto da Costa
iS ADVOCA 00 &'
yjfc Ra do Imperador numero 69. g^
wm mwm mmmm
Contrata-sa a venda de 50 a 60 pipas com
excellenie m.d de furo : a tratar no escriptorio de
Jos Pereira Vianna, na praca do Corpo Santo nu
mero 6.
Aluga-se muito em conia a loja do sobrado
da ra Imperial n. 64, cora bons commodos para
familia : a tratar no mesmo sobrado.
Domingos Rodrigues de Audrade na ra da
!Cruz n 33, saca sobre a praca do Rio de Janeiro
! a praso ou a' vbta.
O abaixo assignado faz sciente ao publico,
respeitavel corpo do cimmercio, e a seus antigo>
amigse freguezes, que u-m aberto um escriptorio
de commissocs na ra da Cruz n. 44, offerecendo
seu presumo e bons desejos no desempenho de
tudo quanlo se dignarem encarrega-lo tendente
aquelle genero da estabelecimento, proraellendo-
Ihes o maior zelo e sinceridade em todos os seu*
encargos.
Antonio Bezerra Cavalcanli de Albuquerque.
nistrae^do crrelo dcsla cidade, para s se- ttZrZTSXttXSSP. C!M*5i na rua_do__Socego n._ 47,
nhores abaixo declarados
Alexandrino Tltomaz de Aquino Coelho.
Con-elheiro Antonio Coelho de S Albuquerque.
Dr. Antonio Horges da Fonseca.
Rento Jos de Almei la.
Desembargador Caetano Jos da Silva Santiago.
Candido Vieira da Cunba.
D. Mmilia Fortnala de Gusmao.
Dr. Felippe Lopes Netto.
Francisco de Mello Brrelo.
Francisco Miguel da Costa.
Joao Alves Halueus.
Joao de Freitas Gu maraes.
Jos Ignacio Ribeiro Roma.
Laurenlioo.
.Sabino Jos de Almeida.
THE tTKO
DE
EMPREZA--COIMBRA
objectos de ouro e prata, relogios de algibeira e
parede, cabriolets, pianjs, grande quantidade de
trastes avulsos, charutos da Ha vana e Baha, ins
trunientos completos para urna binda de msica.
Quarta-f ira 20 do correle as 11 horas
NO GRANDE ARMAZEM DE LE LOES
DO AGENTE
OLYMPIO*
30Una da Uatleta do Mecateti
iji:i %ft
De ef era vos de ambos os sevos
Quarla-feira 20 do corcenle as 11 horas.
I\I arando armai-rn *n an..n|.>
OLYWIPIO
36*Rna da Cadeia ao Reeife -36
jLKIL iO
De um inst omeutal completo para
oiiDi mosica.
Campo-Verde, e outra dita com os mesmos rom
mo los, na ra da Amizade, na Capunga : a tratar
na ra do Rosario n. 5'6em frente a ra do Aragac
ATTGNCAO
cao
Francisco Garrido, amigo proprielano do hote
Manoel da Silva Ferreira agradece cordial-
mente aos seus prenles e amigos que ex-
pontaneamente a>sistiram ao funeral de sua
prezada rali D. Serafina da Costa Reg e
Silva, na matriz de Santo Antonio e roga aos
mesmos o obsequio dn assisilrem p-l is 7
horas da manha do da 22 do co'rente as
mi-sas do stimo da na ordem lerceira do
r.armo.
Precisa-se de um bom offlcial de cigarreiro, nao Trovador, silo na ra do Rosario,
se quer meninos : na praca da BoaVi-ta n. lo. j viagem a' Europa, avisa a seus nu
V recila da asignatura dos 6 espectculos do QBrl-*tfl 20 do xirrente as 11 horas,
actor Sinises "'''t[ran'"'' apmazm do airante
Quarta-feira 20 de setembro
de 1865.
(iralilir n;;io (te dOS.
Ausentoo'se da basa 59 da ra do Imperador
(outr'ora Collegio) no sabbado 16 do corrente mez
oe setembro de 1865, o eseravo pardo de nome Joa-
qun), com os signaes seguintes : estatura regular,
idade 18 a O annos, sem barba, ps largos, olhos
grandes, cabello corrido, com urna cicatriz grande
e bem visivel aa testa, parte dos dentes da frente
arruinados, e co,m falta de alguos dos lados, sahio
com calca dj brira pardo e paletot curto de panno,
oRna da Cadeia do Reeife36 mas levou mais roupa branca e de cor, muilo
de volta de sua
umerosos fregu-
No da 3 de setembro deste corrente anno de 2es> ,an' desla capital como do centro da provin-
1865, fugio do lugar de Malbadinba, comarca de c'a> Que se acha novamenle eslabelecido na mesma
Luneeiro, o escravo Sivirino, crioulo, perlencenie rua 'ar*Ia a0 Rosario n. '37 com um hotel denomi-
ao abaixo assignado, com os signaes seguintes : nado Traviata, onde acharao os seus freguezes
id fornido de lodo corpo, pouca barba, tem em cima
d^ um olho um carocinho sobre as costas, tem al-
guma marca de chicote que mal se diferenca :
quera pegar dito escravo leve em casa de seu se-
ubor, que tem a gratificaco de 100$.
________________Domingos Gomes de Arruda.
(iraoile armazem de tintas.
RUA DO IMPERADOR N. 22.
sempre a melhor vontade para bem os servir, a
par de excellenles vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo estabelecimento, qur para fra, e
dentro da cidade aos que nao qnizerem ou nao po-
derem vir a seu estabelebiraento, sendo pelo preco
mis mdico que em outra" qualquer parte. No
mesmo estabelecimento acharao os seus freguezes
buhares para recrearem-se, bem como sorvete to-
das as noites para refrescarera-se.
Aluga-se a padaria com seus pertences na
O armazem de tintas eum grande deposito de rua Imper al n. 199 : a tratar na rua de Hortas,
produelo chimicos utensise os mais entpregados aberna n 2
e usados na pharraacia,pintura, pltotographia. tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdroganasdePars, Lon
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar : a tratar na rua estreita do Rosario n. 12,
primero andar.
OLYMPIO
astucioso, costuma intitular-se forro e andar cal-
Sdo ; foi escravo do Sr. Guilherme Frederico de
uza Carvaiho, genro do finado Sr commendador
Manoel Gongalves da Silva : rogase a sua captura
Cordelro SimCS lodas as autoriua,le3 poUciaes e a qualquer ca-
leilao por coma e risco de quem pertencer pitio ?e c/mpo ou .tra pessoaKnp.art,?lar aoe
l.versos movis novos e osados! apprehenJer se gratifleara com 50*, alm das des-
pezas de conduegao, entregando-o a seu senhor
Miguel Jos Alves, na casa cima, ou no seu es-
Leilao
De movis v outros artigos.
Cord(
fara
de diversos
Qaarta feira 20 do correte as 11 horas.
O/1\0 arraaZfll] a loa da COZ57 criptorio na ru da Cruz ca^a n. 19.
Representar-se-ha a comedia drama em 3 actos
ongiual portuguez do Sr. Cesar do Vasconcelos
FAMILIA M TO BR4Z
PERSONAGENS.
Braz Coelho................... Simoes.
Joao Carlos.................. Lisboa.
Alfredo de Kibam ir........... Guimares.
Bario de Ribamar............ Porto.
Miguel...................... Teixeira.
Goucalo..................... Pinto.
Mana...................... D. Camilla.
Monica...................... D. Jesuina.
! operario................... Peixoto.
2* dito...................... Borges.
3* dito...................... Santa Rosa.
Um offlcial de justica.......... N. N.
Um criado................... N. N.
Operarios, offlciaes de justica etc., etc.
A scena passa-se em Lisboa na aslualidade. quaes se tornam recommendaveis aos comprado- ,
Dar'lim ao espectculo a primeira representa-j res por se acharem bem gordos ao servigo e Arreos d'carro, pafa um e dous cavallos.
celebre maestro allemao Offenbak imtagao do Sr. 1|2 horas da raanhaa era ponto no largo da alfan- Arados americanos.
I MI ifc Samuel Power ioliostou i Companliia
n o aT- Ruada >enzala Novan. 4.
De l carros rom 2 hois os qoaes sao agencia da
bem coohecidos* Fnodleo de i,ow Hoor.
Quarta-feira as 101|2 em ponto no largo da Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos,
alfandega. Moendas e meias moendas para engenho.
O agente Pesua iegaimnte autorisado fara' Taixas de ferro coado e batido para enge-
leilo por contae risco de quem periencer de 2 nho,
carros de carguejar e 2 bois para os mesmos, os
Precisa-se alogar urna casa terrea no bairro
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer de Santo Antonio, que tenha quintal que posa se
productos de plena conianca e satisfazer qualquer fazer urna estribara para dous cavallos : a tratar
encommenda a grosso tralo e a retalho, por precos' nesta typographla.
razoaveis. .------13a,, ;
Prvidos de machinas annrnnriartas saeWari Um meD1D0 bem educado, de 14 aonos, se
c9ra poraplldao qualque ffdo'de inta u7o S f?recea para cai,xe? V^ 'j* d5 T ''
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien- adoPreSDSVUe P *"J*'" rUa **"'
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que i ____-__'
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,! Precisa-se alugar urna escrava preta,
M -11 Leal
0 to braz.
PERSONAGENS.
To Draz...................... Sirodes.
Z Burrigo.................. Teixeira.
Joanninha.................... D. Eugenia.
DENOMWACAO DOS NMEROS OE MDSICA.
Io O recrutado.
2 Dueto campestre.
3 Menestrel da aldeia.
4o Duelo marcial.
5 Menestrel da aldeia.
Comecara' as 8 horas.
dega.
LEILAO
Da taberoa sita oa roa do Fog Quinta-feira 21 do corrente.
O agente Pestaa fara' leilao por conta e risco
de quem pertencer e com a compleme autorisa-
c3o d armacao, gneros e mais utencilios exis-
tentes na taberna sita na rua do Fogo n. 32, multo
proprla para qualquer principiante, por ter poneos
fundos e achar-se bem afrpguezada : quinta feira
21 do correte pelas 10 horas em ponto na mesma
(aberna.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Aluga se o sobrado de ura andar sito roa
Imperial n. 162 : a tratar na rua Direita n 84.
de urna ama : na rua Direita n.
Precisa-se
100 sobrado.
Precisa-se lomar a premio sobre hypotheca
em bens de raz nesta cidade a quantia de 8:0005,
pouco mais ou menos, sobre praso e premio se
e que se encontrara no mercado em latas fechadas.
Tem grande colleccao de vidros de diferentes
formatos, desde urna oitava at dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de pinceis para fingir madeira com
propriedade e outros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embruiho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feilo; de papel albuminado i.e Brisu
verdadeno saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linhaca
clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlira, ouro
verdadetro em p ; prata, uro, e estanho em fo-
lhas de varias cores ; tintas vegetaes, noffensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmiin, bergamota, aspice, palchouly, mbar,
bouquet.limo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
ans da Russia, canella, cravo e muilo? outros ob-
jectos que s com a vista poderao ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Ouem precisar de urna ama para dar de ma-
mar a algum menino dirija- e a rua de Santa Rita
n. 11. __^____________________________________
Ama de leite.
Quem precisar de urna ama de leite dirija se a
rua da Santa Cruz n. 52.
Deseja-se fallar com o Sr. rapilao Braz An-
Ionio da Cunha Albuquerque : no largo do Carmo ,
o. 18, segundo andar.
de mii idade, para o servido de urna pe-
quena familia ; rua Direita n. 45, loja.
Sitio.
Precisa-se alugar um sitio para pequea familia,
al ao Manguind, Soledade, estrada de Jo de
Barros, e suas proximidades : a tratar na rua da
Cruz n. 33, Reeife.
Precisase de um hornera jardineiro que seja
solteiro, para tratar de um sitio perto da cidade, e
que tenha boa conducta : a tratar na rua do Quei-
mado n. 13,1 andar, das 9 horas da manha as 3
da tarde.
mmmm^mmmm wm
g DEPOSITO DE CALCADO
* FABRICADO NACAS.* DE DETENgO f
XI Rna Xova n. i. **
ih Ahi se eucuntrarSo obras de di- 2
versas qualidades, e por preco moi *
diminutos, a retalho e em porrees, wk
S se vende a dinheiro.
m
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as agnorrheas
Quem annunciou precisar de 1:000$ sobre Precisa-se de urna ama para casa de homem antias e recentes, nico deposito na botica
conveocionara : na rua do Queiraado n. 23 e di- hypotheca pode dingir-se ao pateo do Terco n. 38,' solteiro, e que saiba coztohar ; na rua do Impera- franceza, rua da Cruz n. 1%, e pelo preco
r quem precisa. I padaria. 'dorn.57. de U.
akm
De? mil so lipas
Contrata-se para o caminho de ferro de
Apipucos, lO.OOi) solipas de madeiras de
qualidade quem pretender foroe.:e-las diri-
ja-se at o dia 30 do corrente mez, rua
do Imperador n. 55, segundo andar, para
tratar do ajuste. _______
Ama.
S-5 3 o
flll
Pan gHoo
o
-~ y B
a
al
SB 5 a. B s o*
S2og,
2 I Qs'SZ -g-3 I 2
e P d b a.-a
i s I! sillll
, 3 g 2.2. S
S 5 5L
2.ftlJ
? S*B
o* 5*5
'MI
9 K 2-2
a
2

p ra
t
c
S? 9
s ?! f I
-|.|3|S
S3.g-S.-S '
ra -. O o Cfi
S-S;X 22 2
S-2 5 S 9 I n
S^ 9 S I "
ri s-i tTe-l
kif f11 s
m 3 T3 !- IT- T. m .
b s r^ p-2 o.
a e. 9
lili1
e
9
-;
B 2 ti
~ *
S** gS
ra 2.
SI!
d -i o a.
n
S0?

DEPURATIVOS
Do DrSERVAX, deParix.
Pharmaeeutieo de 1* classe, *x-
inierno dot hotpitatt, premiado
com a medalha de brome.
Desde muilo tempo o puMieo
abandonou o uso das prepara$oes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha composlos, te.
Cuja arcao, & maior parlo das vcaes
nulla, e D'algums casos perigosa.
OS CllXFEIIllS DEPL- BiTlVOS TEM O SPCTO
E O COSTO UUDtltlS B CONT vil VU
PEQUEO VOLUME 5UISTANCI S 4CTI-
VAS QIE O SEO MODO-DI PEKPAi.
III<EBAVEU.
O ii rtfsso qn eateaco.--
f-i im. oit i vituo ca Fra n-
* sob o patrocinio das principa >-!
celebridades medicas, os poe cima
do ludo cauto tem existido alh
boj*.
Cura rpida sem socorro
de nenhum entro cerned i o in-
terno, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisiaa e em geral
todas as molestias produzid.is
pela alteracao do sungue ; lal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Data explicacao accompanba cada
vidro.
DesconGar-se, das falcificatoeset imi
tacoes.
Para ai encomend dirigirse aos
Smes. bisson et c,a, 18, B< Primee
Eugne, Pon.

Ik\
*f*


Diario de teraanbueo rer^a fc:?a 18 e etembvo de !*>
N
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORiSADA PELO REAL DECRETO E 21 DE DEZEMBRO DE 1859
mafianca era diaheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
ministrar da companhia.
BANQUE1ROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIHECgAO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. IS
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combina^oes de superviencia dos segu-
Nella pode se lazer a subscripcao de raaneira que em nenhum caso usno i o n cuides
curado se perca o capital nem os juruscorrespondentes a estes. .nn
Saoto *uprehendentes os resultados DAL -que anda mesmo diralnuindo urna terca parte do interesse produzido era recentes liquida
edes ecomb.oaado-0 com a mortal.iade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh--
JS wmScuIos liquidaos, era segurados de idade de 3 a!9 anuos, una .apompo anona.
de 100$ produz em effectivo metlico: .,nolA
No flm de 5 anuos....... l:li9,BJOO
. de 10........ 3:9425600
. de 13........ 11:2085200
, de 20........ 30:256*000
de 25 ....... 80:3315000
tabel
Joaq_..
ment dos Srs. Raymundo,Carlos,Leite & Irmao.
f'osinhcir Precisase de uina mulher que queira ser cosi-
nheira em urna casa de familia : traase na ra
do Sebo n. 33._________________________
Aluga-se urna grande casa terrea cora soi.lo
na ponte de Oche, a beira do rio : a tratar no ar-
mazem de Guimares & Alcoforado. ra do Amo-
rim n. 54.
mmmm mwsm^mmwmm
Francisco Jos o Rosario tfj
Barroso, f
m antigo relojoeir., tein a honra de $
j2 scienlificarao respeilavel publico, e ffi |
S principalmenie aos seus (Ircguces "m
P e nmeros >s amigos, que tem mu-
$ dado a sua residencia e estabeleci-
m ment da ra Bella, para a da Ruda
Sn. 10. onde como sempre esl
* prompto para sviar todo o ualquer
H servico pertencente ao seu olcio, e
m isso ja se sabe por precos cornmo-
Wt dissimos.
souz, nm
RF.LOJOEIItO
iOIU'A DO
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre y seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manna'a, menos nos do- '
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
S5!i3i
UMA GRANDE DESCOBERTA
QliEo
deFIGADOdeBACALHAU
DESINFECTADO .
MEDALHA
DE
HONRA

$
jvU-***?
DfllECTADO I RRtlGINEO i

As propiedades medicacs do oleo de /gado de bacalao forao unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor to dcsagradaveis
lornSo o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevrier que lhe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tcm sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
therapeutica moderna.
O oleo defigado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agraduvel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem ncm goslo nem clteiro de peixe.
Obji-cto de numerosos relatorios scicntificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por lodos os mdicos em
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Pobres* m i angui-,
Enralfanirnto |>or firmo dr
traballto ou de prazere*,
Mulcatlaa <<>n lii-ourliloa rcen-
le ou ehronieas.
Toase* perliiirt7.es.
Gaatrites, Baatralglaa,
Dores de entornado.
Elle convem a todas as compleices e a todas as idades, e tomada
Molentiaa eaerofaloana,
RaeliillHtiio,
Ubairureo daa glandes,
Tsica pulmonar.
Molestias da selle,
ConslKuleao Ijmpliatlea,
Anemia, debllldade, traquean,
Magrcu
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a aeco tao efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que nao podera supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quemes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderSo com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a almentaciSo das criancas ftacas e doentes
Um folleto accompanha cada vidro e conten as observacoes medcaos.
Deposito em Parta, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros Rarbosa.

LIOUID
'V
t
E WOURADOK
RANGELZO
Participa a seus amigos e fre-
gueses que acaba de receber mag-
nficos relogos de ouro e prata e
crrenles de ouro para relogius
do mais apurado goslo.
Conceaa relogos de qualquer
5 nalnreza, eaixas de msica e dou-
ra nao so relogos como qualqucr objecto.
| CASA DE
S Ra i Cruz o. 17.
** A abaixo assignada, tem a hunra
S^ participar ao publico que o seu estabele- K
* cimentu cima mencionado, achase boje S
m



W537V
a'

m
I
m
i
m
i
i
iSEL
m
funeciunando muilo regularmenie, pro- *j
vido de todas as accr.mmodaco 's necessa- ^
ras e stirc ludo com alguma limpeza. gg
Oa-anoes fumados por meas anteces- ^
sures Cedrm c< '- seiTw iccebidos at o
meado do mei de (utubro vindouro, os da
esa ler.io a lirma da abaixo asignada, y7
e teraocinod'antes transmissiveis. ^' JP^
Tabella dos prrcs. y k
1 assignatura mensal com direito ^
a um banho diario a 320 rs.. 9603 mi
1 dita de 30 cartoes transmissi- jf
veis a 360 rs................ 10,5800 S
l|2 dita de lo ditos a 400 rs.... 6*000
2*. i banho avulso, morno ou fri ou ^
^ decbov-sco................. 500 S
S i dito aromatizado com agua fio- fln
ft." rida................. ...... 1*000 S
^ s medcinaes serao pelo preco que :e ^
H convencionar: S?
M U esUbelecimento estar' iberio nos &t
dias uleis das 6 da manbaa as 10 da noite ^
ftt e nos dias santificados al 2 horas da tar- jR
Wt de, havendo chegada de vapor esfara' %,|Jf.
S; aberlo por mais algum lempo. ^
Wl Mathilde G. Lessa. m
*s?'^ir^s'na iiSSAii KWytTei
m
m
i
60 Ra da Cadeia do Eecife 60.
Todos os arlipos abaixo mencionados foram comprados recnteme tile pelo dono do estabelecimenlo as principis fabricas
de Paris, Londres, Birmingham, Mancbester e em diversas cidades da Allemanba, e tendo comprado ludo as melliores condices
por ser a dinlieiro, por isso vende iodo e quabpter artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer ioleira-
meute liquidar e ler de partir mui bieve para a Euro; a.
lia nesle vasto armaz-m tic s objeelos com brilbanles, como bolees, aiuieis, rosetas etc., e bem a^sim diversas obras de
ouro, como trancellins, correnloes, anneis e mullos oulros artigos, relogos de ouro inglezes do afamado fabricante Bennette; com-
pleto soitimenlo de fazendas finas e modernas; iniudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Ptnaud & Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygienique, Moinpelas,
Mailly, Regenier, P. Guelaod, e inglezas de Eug. Rimmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na
China e no Japo; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castigues, enfeite- e adornos para cima de consolos e para greode loillelle, o que se tem
feito de rnais elegante em Paris, Londres, Rirmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino ingle/, para checaf, os quaes em
nada so inferiores a prata, e muitas outras pegas do mesrno metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senlio-
ras, excellenles luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para juntar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Woll & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na
ra, ditos com figuras para saldes .e ditos com figuras em movimento; mode.nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
thealros ou salees, ditos de phantasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas com vistas novas, da e noile; stereocopos de nova in-
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sorlimento da brnquedos finos para criancas, e
bonecas fallando papae e mamae ; grande sorlimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que tem
merecido toda a aceitacao na Europa, grande e magnifico sortin ento de ca xinbas, ceslinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
proprios para presentes ; grande sorlimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; culelaria fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaiates, navallias finas, canivet-s e outros artigos, diversos artigos eitos de rame; completo sortimento de
mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos
os tamaitos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartoes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga-
, las. chicles e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para baterovos, proprias para quem faz pao-de-lo, bolnhos, etc.;
BodDdaU''lldar ao^DWiMaue^auaique'r S pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
que6seja 8o numero dos concorrentes W. voloes linos ; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras De^as de charao para loillelle; machinas para varrerocho,
acharao desde j prompiidao e aceio nos ^ excellenles machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baloes de papel fino transparente e lanlernas
banhos irios, momos ou medicinaes, a coloridas para illuminages moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
'%. lugares fundos; ameixas novas em caixinlus, biscouios inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
^ los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposiciio de Londres, na ra da Ca-
0 pnmeiro lente da armada Ernesto Ig-
nacio Cardim, extremamente penhorado pa-
ra com os seus amigos que lhe fizeram o
obseijuio de assislir e aconipanhar os ro>tos
morlaes de sua muilo presada esposa D.
Francisca Mara Scrqneira Cardim, ao cemi-
lerio publico, Ihes roga de novo o especial
obsequio de assi.-tir a mlssa do setirao da
que ter lugar terga-feira as 7 horas da ma-
nliaa 19 do correte, na matriz do Corpo
Santo.
'entre os muitos amigos a quem grato
o auunciante agradece com todas as veras
do seu coracao os servidos prestados por seus
especiaes amigos Maximiano Jos da Coila,
Jo Ribeiro da Fonseca e Manoel Rodrigues
Alves.
iii i i ni iiinamiiiii n i ii ii i ii
mmm mwmmmm
Casa de baulios
Largo do Carmo o. 26.
Esle estabelecimenlo tao l>em montado
na sua origem achava-se de ha muito
em quasi complelo abandonopelo pouco
ioteresse de sua admirii-tracao.
Hoje que o novo proprietario empre-
gou lodos os meios para restabekr a
CASA DA FORTOR
Aos W
Ullhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUMR
O abaixoassignadovendcu nos seus muito feli-
zes bilbetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os >egtiioies premios:
O bllhete ioletro n. 2357 com a sorte de 6:000
O ludirte inteiro o. 6.0 m a sorte de 1:200.
Um meio n. 1760 com a sorte de 400,5.
E ouiras muitas sones de I00, 40, 205 e
10O00.
Ospossuidores podera vir receber seus respec-
tivos premios sernos descontosdas leisnaCasa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2" parte da I' lotera
(32a) beneficio da matriz de Santo Amaro de
Jaboato, que se extrahir sexta feira 22 do cor-
rente.
PRECO.
Blhetes .... 75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pessoas que compraren, de 100(3000
para cima.
Blhetes.....65500
Meios......35750
Quartos.....15700
______________Manoel Mabtins Ficza.____
Precisase alugar urna escrava que saiha fa-
itr o servico iuterno de nma casa de familia, ex-
ceto cosinhar : na ra da Madre de Dros n. 36,
pnmeiro andar, ouina ra da Cadeia n. 52, ter-
ceii andar.
aannaana <^^^iaWMaaaiaaaaaaaaat^a"naaaaMaaiaa^aaaaaaj
"Tipias.
Compra-se elTectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem: na ra larga do
Rosario n. 2't, loja de ourives._________________
Si I vino Guilherme de Barros compra e ven-
| de eleclivameiite eseravoa de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 7'J, terceiro andar.
Ouro c prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de blhetes.________^^__
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
| em obras velhas: na ra da Cadeia do Recife,
leja de ourives no : reo da ConceigSo.
Comprarn-se moedas brasileiras de 205
215 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Joniaes para embrullio.
Compra-se na fabrica de cigarros amiga ra dos
Qu--.rleis de Polica n. 21.a ItOrs. a libra.________
Comprase carosso (sement) de algodo : no
armazem de algodao de Saunders Brothers & C,
no caes de Apollo.
Compram-se moedas de ouro brasileiras de
35, 105, 105 e 205, com 6 por cento de premio, e
tambera pecas porlugueras de 95 e 105 com o
por cenlo ; na praca do Corpo Sauto n. 4, primeiro
andar.__________________________________________
Comprase
um cachorro que seja granle, para nm sitio, e por
isso quer-se que soja va lente
reila u. 10.
a tratar na ra Di-
Oocas bespaobulas e da patria : comi^rarn-se
na praca da Independencia u. 22.
Conipi
S:
ram-se
moedas de ouro de 35, 105, 95, 105 e 205 eora
6 por cenlo de premio : na ra da Madre de Dos
n. 24._____________________
Compra-se urna pequea casa cora bom quin-
tal, ou mesmo um terreno nos suburbios desta el-
dade, sendo terreno proprio : quern quizer annun-
ci'1 s;ia mora a.
sy Compra-se
urna negrinlia com idade de 10 annos poaco mais
ou menos : quem ti ver dirija-.-e a ra D.reita o.
136, loja de empalhador.
Um obrado
Comprase um sobrado di um an lar ou urna
casa terrea com comiu los para familia grande,
nos bairros d^ Sanio Antonio ou Boa-Vista : na
ra Nova n. 30, loja, se dir quera pretende.
m
Saques &ofore Lhboa
Manoel Ignacio de Cliveira & Filho sacara sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
r. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da ra da Imper<-trlz n. 3o para o
sobrado grande n. 2 defronle .da entrada
para a Estancia, onde pode rer procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro I?
da cidade podem ser ei.tregues na botica!
do Sr. Joaquim Ignacio Hibeiro Jnior na
praca da Boa-Vista, na dus Srs. J, C, Bravo j
& C. na ra da Madre de Oeo?, ou no ar-1
mazem de viuva Bajmond & C. ra la do|
Trapiche Novo das 9 horas da manha at i
is 4 da tarde.
nal

Vi.'
momos ou
casa dos banhos se achara abetla lodos
dias das 6 horas da manha as 11 da
DOlC.
Precos. &
Banho de choque....... 500
Dito fro ou morno..... 500 JK
Diio de farello......... 15000 ^
Dito medicinal ser se- ^
gundo sua qualidade. ,Y*.
Assignatura. \y,
Por mez banho fri ou morno. 105 S
25 candes para banho fri, mor- SR
no ou de cbuvisco..........105 >
12 cartoes para os mesmos... 55
12 dilos para banho de farello. 105
deia do Becife n. CO.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
FUMARIAS FIAS
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
loao da Silva Ramos, medico pela L'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para iss designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o prorurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualqner doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 34000diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 2J000
Este estabelecimenlo j bem acredi-
tado pelos bons ser vicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de qne sem-
|pre temliozado.
Pliarmacia especial homcopalhiea, do
Di. Sabino Olegario L fin lio.
1UA nova x. 4.
Vendem-se por precos commodos, os melhores
medicamentos homeopathicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tobos, glbulos inertes, chocolate ho
meopalhico, escovas elctricas, apparelhos para la-
var < s olhos, ele, ele.
Vende-se o Ttiesouro homeopathico, a melhor
obra que existe para a patrica da homeopathia.
O Dr Sabino da' consultas todos os dias uleis
desde 10 hitas do dia at duas horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as circums-
tanclas as exiglrem.
Os pobres sao tratados grituilnnienle.
VJm homem casado, di.-posio e praiieo em
todo e qualquer servico de agricultura, se otTerece
para administrador de engenho : quem se quizer
ntili-ar de seus servicos, pode dirigir-se ao sobra-
do n. 81, primeiro andar da ra do Imperador.
"escriptorio;
Alnga-se para escriptorio o 1 andar do sobrado
n. 62 da ra da Cadeia : a tratar no segundo an-
dar do mesmo.
Na ra da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com aceio e prompiidao e por prego razoavel.
Angelo Baplista do Nascimenlo e sua fa-
milia pedem encarecidamente aos sens ami-
gos, e a todas as pessoas que os queirarn
honrar, o especial favor de assistirem, no
dia 19 do correle, pelas 7 l|2 horas do dia.
na igreja do convenio de S. Francisco desta
cidade aos sulTragios que lem de celebrar se
por alma de seu mui presado filho o guarda
marinha Joaquim Candido do Nascimenlo.
que raorreu gloriosamente em defeza da sua
patria, no dia 12 de agosto, quando a e$qua
brasileira passava em frente de Cueva*,
Para completa Tquidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo linas e novas chegadas recntenteme
g de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g. Rimmel, B. Matheus &C., Lubin, Sociedade Mygienica, Piver,
,. Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Begnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de
** i Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garrafi. has e vidros de diferen-
tes modelos, pos para limpar dentes, banda em potes e em vidros, pomadas, ricas caixindas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos oulros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposieao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
( IMKA SKYIlOlt.tN.
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liquiiar, no grande armazem da Exposiciio de Londres, na ra da Cadeia do Becife n. 60.
eiUvas mmwAm i&e jocvin.
Vendem-se excellenles luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposieao de Londres, na ra da Cadeia do Becife n. 60.
PHOTOGBtPHIil.
No grande armazem da Exposiciio de Londres, ra da Cadeia do Becife n. 60, ra da (mperatriz loja de .Mr. Dubarry n. 8
e na mesma ra loja de miadezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio. '
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimera.
VISTAN DE PERMAMBIJCO.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmj.
Theatro de Santa Isabel.
v Ba da Cruz com a pyramide.
Torre d > Arsenal com a illuminago na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Ba do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio com o palanque.
| VIAUEAI A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invenco com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franc*.
Inglaterra.
Italia.
, Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposieao de Londres na ra da Cadeia do Becife n. 60, ra da Im-
pe atriz loja de .Mr. Dubarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n o i.
V l K b L S.
Alyodo Para saceos t roupa de estratos
da fabrica de Fcrnao Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escrij-torio de Manoel Ig-
uacio de Olivrira & Filho, largo do Corpo Sanio
numero 19.
Atteiicfio.
Vende se carne e liocuicas do -erid a 400 rs.
a libra : no ateo do Carino, esquina da ra de
llorta*, armazem n. 2.
Sola.
Vende-se 100 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Queimado o. 'i, lojo de ferra-
gens.
Atteiicao.
Coiifeilaria dos AHanazes.
Ba da Cruz n. 16.
Continua haver diariamente pastis de diversas
qualldades, enpadas, bolo ingle! e doces para cha',
I fiambre, ha latas com caj em xaropa hermtica-
mente fechadas proprias para expoliarlo, caj'
iseccocrystalisado, prepara-se bandejas com doces
tinos e de ovos (gema) pode-lot, bollo e diversas
qualidades de galheas simples e decorados, cora
I disticos voolade do freguez, caixhihas proprias
para presentes com enchimeuto de amendoas, con-
fetos, e pastilhas e bombom.
Precisa-se pelo lempo de i a 6 rnezes da
quantia de 1:000* a juros de 0(0, daodo-se para
garanta urna propriedade de subido valor : quem
quizer fazer esle negocio, annuncie por esle jornal.
;?:** **&:*:** *****
Companhia fidelidade de seguros "M
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo i C, j^
compelentemenie autorisados pela direc- -^
loria da companhia de seguros Fidelida- ^
de, tomam seguros de navios, mercado-]
rias e predios no seu escriptorio ra da ^
inn?.3n SAOIES
sobre Lisboa c Porto.
Jos da Silva Loyo & C. sacam sobre Lisboa e
Por lo.
CASA
Na praca da Independencia n. 33, loja de oun firfldft
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e vllaliv
tambem se faz qualquer obras de escommenda e Precisa se de um criado forro ou escravo : ira.
odo e qualqner concert. ta-se das 8 as 2 horas da larde, na ra de Madre
Aluga-se
Aluga-ss muito em conta o segando e terceiro
andares do sobrado da ra da Madre de Oeos o.
35 ; a> chaves acham-se na loja do mesmo.
- Alugase un sitio na ra d Jofu Fernandos jde De0S 36. Primeir. audar.
Vieira n. o4, com urna grande casa assobradada.
tendo excellenles commodos para grande familia,
estando o sitio plantado com boas arvores de trac-
to, assim como existe tambem no sitio um grande
leheiro para o joge da bola, com todos os seus pre-
pares : a tratar na ra Direlta n. 137.
Offerece-se urna senhora para engomo* re
cozer : na ra das Trincheiras n. 50.
Aluga-se o solao do sobrado d. 62 da ra da
Guia, com 2 janeilas de frente e mnilos commo-
dos : a tratar no primeiro andar.
um sitio em Cachang, com boa casa de vivenda,
cozinha fra, casinha para feltor, estribara e co-
cheira, com bastantes frucleiras e banho perlo.por
mdico preco : a tratar na ra de Apollo n. 38,
armazem.
Precisa-se de ama ama habilitada para lodo
o servico domestico : qnera estiver nestas coodi-
goes dirjase a ra do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, ra do Progresso o. 7.
Vendem-se os ulencilios da padaria da ra l)i-
reia n. 80 e traspassa-se a chave : a tratar aa
ra do Livrameuto n. 38.
Vende-se uina armaeao toda de amarello,
com balaustres e porta para aivisao de escriptorio,
obra muito boa e por preco cotumodo : a Halar na
ra do Mondego, olaria n. 13.
Vende-se u:n inolcque, excellenle pega, cr-
oulo, de idade de 15 annos : quem o pretender,
dirija-se ao Corredor do Hispo, casa n. 18 C, que
achara cora quera tratar.
CGRVEJ ItVSS
em barril.
Vende-se a 200 rs. o copo : na ra do Impera-
dor n. 57.
____________ARMAZEM ALLIA.VgA.____________
l\ AKIhZtM
de fazendas baratas de Santos
Coeiho, ra do Queimad n.
19, vende se o seguinte:
Leoces de panno de linho a 2J200.
Ditos de bramante de linho de um > panno a
3200.
Loberas de chita da India a 24O0.
Pecas de cambra ia de sal picos banca e de cor
com 8 1|2 varas, pelo baratissimo preco de 4J500.
Pecas de cambraia adamascada com 20 varas,
propria para cortinado a 11J.
Baloes de arco a 34, 3OO e 4.
Lencos de cambraia brancos proprios para algi-
beira a duzia 2.
Bramante de linho com 10 palmos de largara a
vara 2iOO.
Atoalhado de linho a vra 2800.
Dito de algodao t&.
Algodo entestado cora 7 li2 palmos de largura
a 15200 a vara.
Pecas de breiauba de rolo com 10 varas propria
para .>aia a 35(K).
Fil de linho liso lino, vara 800 rs.
Dito com salpicos a l.
Esleir da india de 4, 5 e 6 palmos de largura,
propria para forro de sala, por menos preco do que
em oulra qualquer parle.
Neste armazem tambem se encorara um grande
sortinifiiti de roupa lena e por medida.__________
Veude-se ou permuta-se por uina negrinba
de idade de 8 a 10 annos, urna escrava parda de
20 annos, bonita figura e sadia, engomla e faz
todo o servico de urna casa ; ao pretende-ole se
dir a razo por que se faz este negocio : na ra
du Brum o. 56.
Barato para acabar
Vende-se na praca da Independencia n. 39 bor-
zeguins para homem a 3, 4 e 5, boneguins-
para senhora a ii, ;i e 4, sapaides de bez^rro-
para homem a 4, sapalos de tranca avelluJado a
I #000.______________________________
Propriedades venda em Afoj tilos.
Vende-se um sobrado de um audar e orna casa
terrea era Afogados, na ra Direila ns. 7 e 9 : *
tratar com Laurino de Moraes Pinheiro na ra do
Apollo n. 47, primeiro andar.
/

V
1^1


Diarlo de rernambuct Tcr<;a felca 18 de Seteiubra de 19*.
I'ILDUS CATUARTICAS DE AVER.
Estas pilulas vegetaes sSo a-
daptadas a todos os usos de um
purgante as familias, pois sao
'perfeilamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessam com gralido que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;n5o ha
um so caso em que baja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
AflWvao chronica do ligado.
Illm. Sr.
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de i864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ba mais de doze annos en-
fermidades do figado e baco, coaa o uso
das pilulas posso lbe assegurar que estou
bom, pois tenio desapparecido un randa
engorgitamento que sofiia, militas dores
sobre a regio do (gado e costas, dores de
Outros 5 jocos.
Vindos tambem para a anliga loja de
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos desetim braceo bordados pa-
ra baptisados..
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitas.
Meias de seda, correspondente no tama-
nbo dos sapatinnos.
Outras "mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas flnas de lio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas d6 seila para senhoras.
Ligas de dita paia senhoras e meninas.
Pentes de tarliruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Garteiras com apulbas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinbas com allinetes brancos e prelos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linbas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de bonacha preto, redondo.
Ilouiltas flvellas grandes de aeo,
deliradas, usadrepcrola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
cabeca. inchaciio do ventre, nao podendo!
deitar-me senio do lado di eito, isso mes- j J> r<*ebeu ut ** sortimento de
mo procurando posicao para ter socego, l,o* Svella* grandes para cutos sendo de ce-
je me acho livre d'esse padecimento; como "* madreperon e artaruga, as quaes
7+***"JETTmZmi S K ^.do vendidas em dita loja por pre-
eos commodos ; assim como boas e bonitas
filas de gorgorito achamalotado, proprias pa-
ra dilas fivellas.
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle Ihe sa-
tisfar, assim bem como do charape de
cereja, que tive occasiio de experimentar;
em um ataque de guellus que leve urna
preta que com elle curci, faco uso d'elles
Das tosses em minha familia sempre em
Oculos de pcueira e de outras
cualidades, para cjueiu sof f re
da vista.
A'loja de miudezas ra do Queimado
u. id, tambem recebeu oculos de peneira
bom resultado, e por isso que peco para, yd iem sof.
mandar alguns frasqu.nhos, e mesmo asp.- frc n vista, assim como ou-s dearmagao
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d i ,mt e g e
resultado; son bldooroi&andeoda
De V. S. attensgPs.ar
FRANCISCO FEBBE&TERAlt
llheuinalisnio e ataques henionlioidacs.
Illm. Sr.
Ouro-Prelo, 30 de marco de 1864.
Posso cerliicar-lbe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpa, e que
suppunba ser rheumatismo, (molestia esta
que j havia soffrido ha aiinosl e soffrendo
tambem de ataques hemorrlioidaes, e de
um' ouvido. pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sullei a um dps dossos mdicos, e este me
disse que de\ja fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinbo das mes-
mas pilulas e por minha conta principie"! a
toma-las, e sem as inalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrlioi-
daes : portanto sao para inim as taes pilu-
las as melhores que tenho ex|*erimeiitado;
islo em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obligado,
O brigadeiro
Joo Rodrigues Feo de Carvaliio.
Gaslrile.
Ouro-Prelo, 29 de marco de 1864.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiquei perfeitamente bom de urna gastrite
que solria e que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sinto.
Augusto Gollatino de Mello.
Falta de apetite.
Curo-Preto, 24 de fcccrciro de 1861.
Sendo eu affectado do figado ha muitos
annos, e ltimamente solfri falta de apetite, ye-"sas "cOre's^
hoje dou gracas a Deus por achar-me sao i j(lem pret'os de velludo tambem de sorti-
vista,
de ac, sonidos em graos.
torcas c tercos de cornalina.
A anliga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui hondas co-
roas e tercos decjrnalina, os quaes e.-to
a disposicSo dos bons enlistaos que os qui-
zerem comprar em dita loja : na ra do
Queimado n. 16
Esponjas flnas grandes c pe-
quenas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas a. 16.
Uivci'sos Jectos,
A anliga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, icaba de receber muitos e di-,
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Fias fin^s de sarja da mais eslreita que
ha al a mais larga, todas de vivas e agrada-
reis cores.
dem tambem de sarja kvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem dem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorguro de seda acb-amalotada,
e muito encorpadas, para cinto de flvellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, cohetes, palitos, etc.
dem de la igualmente sortidas em cores
e para os mesmos ins.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutemlarques vestidos pretos, etc.
Novas e lindas guarnieses para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernsima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos c mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Boloes para os mesmos ins, sendo pre-,
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-,
i Grande liquidacaoa dinkeiro*
Va loja e aroinzein Rita da Imperatrlz n. OO de Ga-
ma A Silva.
Os donos desle estaeecimeulo tem resolvido li-
quidar suas fazendas por presos barmissimos, *
com o lim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala eom fazeu-
das, que nesla loja e armazem eniouiraro uro
grande striimelo por preces (|uc muilo lites bao
de agradar, tanto em pega como a retalho, a
saber :
Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pegas de carabraia branca para for-
ro a 2 : na loja do I'avao ra da Imperatrlz n.
60, de Gama & Silva.
Mureantique branca
Vende-se superior moreanlique branco para
vesiidos de noiva a 2{500 o covado, >' pechincba :
na loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates cum mofa.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as rnais finas percalas com llndissi-
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-Fe pelo baralissimo prego de 360 rs. o co-
vado : isto so na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Laazinhas a 200 rs o covado.
Na loja do Pavao.
Vendem-se laazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao marcado pelo baratsimo prego de 200 rs., dilas
com palminbas de seda a 240 rs. : islo s para li
quidar. assim como laazinhas mocambiques com
os mais bonitos padroes a 240 rs. : i lo na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
trauspareule de novos gostos que servem al para
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
go de 3& cada um por ter-se comprado urna gran-
de porgo : na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
S le ios para satas
Pechincba na loja do Pavo.
Vende-se a mais Oua silezia d algodo fazenda
inteiramenle nova no mercado proprias para saias,
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
perior ao raadapolao francez e vndese pelo bara-
to prego de 410 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em
peca com cincoenta e tantas varas, isto grande
pecbiuclia : na loja do Pavo ra da Imperatriz n,
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda ai$
Vendem-se superiores lencos de seda para ho-
rneas e senhoras a 1 : na loja do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos brancas a 1$.
Vendem-se duzias de (lencos brancos finos a 25,
ditos Qmssimosa imltagau de liuhocom duas bar-
ras sendo urna de cordo e oulra matizada fazen-
da que sempre se vendeu a Sfi e torra-se a 25'<00
a dutia : na loja do Pavo na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Os esparUhos do Pumo
A 4, 5 e 65.
I IIIHOI llO MN HAIN.
PHOVIDENCIA DAS
CRIANZAS.
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Amonio Bento Vieika.
Constiparan, dores de caliera.
Ouro-Prelo, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipago que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabeca, soffri horrivel-
mente por espago de quatro das; eolio
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente reslabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affecladas de
constipagoes.
Agostimio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
dos tamaitos.
Louelos de dnus vidros cum aro de aro, bfalo
e tartariKja.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros cun armagao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por pregos razoaveis: os pret ndentes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 46. j
RIVAL.
SEM SEGUXltO
Ra do Queluiado as. 4B e &*.
Contina a vender todas as miudezas que abano
declara por pregos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 100O.
Ditos de couro superior fazenda a t500.
Frascos com suptrior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de buha froxa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Groza de pennas deago, fazenda superior aSOOrs.
Grozas de botes uiadreperola finos a 500
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores obrejas de cola a 40 e 80 rs.
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
de vestidos a
Irrilarao do estomago.
Ouro-Prelo, 29 de marco de I86i.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito lempo excessiva irritago
de estomago, pouco apetite e diflicil diges-
to, d'ella tenho experimentado sensiveis ,
melhoras depois que tenho feito uso das pi-1 VaJsr raJa de ,aa "ara en,e,,es
lulas catharticas do Dr Ayer. j Baralbos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Antonio Heumogenes Pereiba Rosa. Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
-------------------- i Litros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Lombrioas. | ^"** de boloes para punho, fazenda rica a 120 rs.
n n .. jo ,/..', i.taot Tesouras para costuras superiores qualidades a
Ouro-Prelo, 28 demoreo de 1864. 400 e U.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo- Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
ram empregadas com grande vantagem por 1*00-
mim em Ulna menina de dez annos Que Massos com superiores grampos a 30 rs.
' ,M Pares de snalos de tranca e lapele a 15500.
soffria de vermes mtestmaes, notando-se Caixas comVupehores agulhas a 240 rs.
que OS symplomas que entO apresentava Libras de 15a sortidas de bonitas cores a 7*000.
eram de molestia bastante perigosa. Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs,
Baymindo Nonato de S.Thiago, pliarma-.nf2n0harsscomalUnnes franc"es munm***
ceut'lCO. i Resmas de papel almago a 2*400 e 2*800 rs.
Nmalyia. Esrovas para roupa, fazenda boa a 720 e 1*.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Alva- Duas de tesouras com toque de fenugem a
renga de Azevedo. Duiias d; facas e garfos de cabo prel0 a 3)5000
____ ^alheres muito fino para criangas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 32o rs.
Ha mais de sete annos que soffria dores ilas e ui parasenhora a 500.
i u ., : m. nB; Frascos de Agua Fonda vtrdadeira a 1*280.
no hombro e as costas, tomei urna nfini- Fragcos fom|uperior banna a m eSOO r*.
dade de remedios sem achar alivio algum. dem de superior oleo babosa a 3-20 rs. -
Dr, angustia, tormento sao palavras for- Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
tes porm. nio exprimen, o qd e tenho sof- S~J XtiSe! Sw l' *
frido: ltimamente tomei as pilulas ca- QuaderD0S dt papei pequeo a 20 rs.
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es- Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
tou completamente reslabelecido ; ha tres Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
dias que n5o sinto a mais leve dr no bom-1 Vendem-se as seis casas terreas sepuintes,
hrn npm na rnstas i reparadas ha pouco : os prelendentes podem ir
oro nem lias tusws.. preven(,05 os D(,nilinos, e
Estas pilulas acham-se a venda as pnn-, dfrR;.Pe ao 5und0 anJar da casa 42 da ra
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no 1 o ajuste, ou entenda-se cm o corretor Enzehio, a
saber :
humero 7 travessa do Livramento.
i 1 ra de Sania Thereza.
> 89 ra de Hortas.
> 21 ra do Nogueira.
148 largo das Cinco P. ntas.
> 3 traves.-a ou ra do Dique.
No fundo da casa n. 118.
Rio de Janeiro, ra Diroila n. 15
P. MAURER & C.
Ra Aova u. 18.
Las para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se superiores
las para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
es que se acabem.
Atienen a pecliinclia
Sapatos de tranca com sola de cortiga a 1* o
i par : na ra do Livramento n. 5.
Vendem-se os mais superiores e.-parlilhos com [
as competentes lilas para apenar polos baralissi-;
idos pregos de 4>, os e 6* por ter clie^adi urna
grande porgao para a loja do Pavao: ra da Im-
peratriz n. 50, de Gama & Silva.
Cambraias de salpicos a 3$
Vendem-se superiores cambraias francezas com
salpicos brancos e de cores tendo 8 1|2 varas cada
pega pelo barato prego de 3*, dilas escocezas com
salpiquinhos mindinhos 10 la branca a 4* : na lo-
ja do Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
di Silva.
Tartalana branca a 64" rs.
Vende-se larlataBa branca muilo fina a C40 rs. a !
vara, dilas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de, salpico a I*, dita lisa a 800 rs. a vara : na |
loja do Pavo na ra da Imperatriz n. 00, de Ga-
ma A Silva.
0 lii'aruautc do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
que tem viudo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 2*600 a vara, panuo de linho muito su-
perior para lenges, toalhas e seroulas 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. 60, de Gama c Silva.
Percales lisas do I'avao.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s I
cor a 400 rs. o cavado: na loja do Pavo na ra |
da Imperatrlz n. 60, de Gama & Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de todos os la-
manhos a 2>500 rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, dilas inglezas para
liomeni a 5* a duzia, isto na loja do Pavo na ra
da Imperan iz n. 60, de Gama & Silva.
Corliuudos para amas.
Veudem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato preco de 11* o par. Ditos bordados muito ri-
cos a 84*, colchas de fusto para cama a 5*500 e
65 : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Tiras bordadas e ntremelos.
Vendem-se finissimas tiaas bordadas e ntre-
melos por prego baralissimo, na loja do Pavo ra
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Chales a 30500
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas
as cores e pretos, pelo baralissimo prego de 3*500,
por haver grande porgo : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Os bales do Pavo a 2:0, te t 3*500
Vendem-se os melhores baldes de arcos ameri-
canos, sendo com 20 arcos a 2*500, ditos com 25
i arcos a 3*, ditos com 30 arcos a 3*500, ditos para
, meninas de todos os lmannos a 2c500 e 3*, su-
t pi 1 lu es baldes de bramante e murcelina com
cauda, sendo bastante grandes a 5*, islo na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 66, de Gama &
! Silva.
As camisiiibas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas caraisinhas borda-
' das com roaoguitos, para senhoras, sen lo as mais
modernas que Iem vindo ao mercado a 4*500, di-
! las com manguitos, para acabar, a 1* ; dilas pre-
tas com manguitos para Into a 1*800 rs., mangul-
! ios e golinhas pretas a I*, finissimas goliuhas de
i cambraia branca bordada a 500 rs., calciohas para
: menina a 640 rs., romeiras de fil e rambraia
I branca bordada a 1*600 : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corles de percales.
Ricos corles de percale com barra, tendo o com-
1 ptenle casaveque a 8*, ditos de la a Maria Pia a
! 6*, ditos de cambraia irauspamitc toin barra
bordada a la a 2* ; isto se vende na lja do Pa-
j vo, ra da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Paletots pretos a 6
Vendem-se supe lores paletots saceos de panno
I preto, tina fazenda, a 6* ; ditos sobre-casacos a
112*, superiores calcas de casimira de cor a 7* e
8*, ditas preas a 6j, 7* e &*, paletots de roeia
casimira a 5* e 6*, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a^4* e 4*500, ditas de brim
branco de linho e cores, coleles de lodas as
qualidades. Todas estas "obras se vendem por
prego limito em conta, s cora o fim de apurar di-
uheiro': na loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60,
de Gama { Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavio
Vende-se nm grande sortlmenlo de roadapoles,
chitas, algodozinhos das melhores marcas, ga-
rantiudo-se vender mais barato do que em outra
qnalqurr parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales (netos de renda.
Chcgou pelo ultimo v. por Irancez um grande e
variado soriimento dos mais ricos chales prelos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles muitos de pona redonda a imitagao de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bornoulsde renda na loja do pavo.
Chegarara os raais ricos bornouls de renda e se
vendem por baratissimos pregos : na loja e arma-
zem do pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Ed-
r 1
1: .1
COLLARESROYER,
ELECTRO-MAGNTICOS,
Chamados collaues anodinos de denti^ao conlra
as cuuvulsOes e para facilitar a drntirao das
a ancas, preparados e inventados por' Royrr,
pliunnaceiilico da Escola superior de l'aris, suc-
cessor de Uuncau, vieihbro da acadiiaia de me-
diclna, anliija Castl HMNfaLON-LAQnANGE, pharina-
cetico do Imperrdor, chefe dos trabamos chimi-
cos da Escola Polytechnicu, director da Escita
de Pliarmucia de Paris. e memoro da Acadnniu
Imperial de Mediana. Ra Saint-Malln, 225,
defronte da ra Clianon, em Parts.
__ /
A hyciene. a sade.
A sade a vida.
S MAIS.
Quanlas criangas nao vemos cada dia suecurn-
bir s dores da primeira denligo I ? Quanias an-
cias e quanios tormentos para as tristes mal*, que
: vem se arrebaiar, depois de lanos cuidado*, de
lanas vigas, o objtcto querido de sua ternura 11
I Quanlas vezes nao Iem ellas senlido a inelficacia
, dos remedios empregados, laes como briuquinhos,
', charope de denligo, etc., cujo duro contacto dos
i primeiros irrita as gengivas e rau>a inllammacao
j as membranas mucosas, e cuja acgo nulla fazia
I desesperagao s mis ? Achar um meio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliviar os solTrimen-
I tos e prevenir as eonvolsfies, como lambem lodos
os accidenles que resullam da primeira deiitico,
tal o tilo que tivemos em visla alcangar. fia
muitos suculos que se punham no pescoco d;i-
criangas collares de mbar air.arello para piestr-
va-las e cura-las de convulsoes, trapregava se [mis
desde muito lempo a electricidade medica sem sa-
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que esle cffeito saudavel repousa sobro a ai-
gao da electricidade, que# sola o mbar esfregado
lelos reovimctos do corpo da crlanga. Esla in-
fluencia constante do fluido elctrico, por fraca
que fosse, produzia effeitos curativos proporciona-
dos quaotia d'electricidade engendrada desle mo-
do. Es!a propriedade elctrica de mbar a que
nos temos lido a feliz idea de applicar fabrica-
gao dos collares de dentigao, augmentando a inlen-
sidade dos effeitos elctricos do mbar por meio
de fios conductores que distribuem as correnies
d'um modo suave e continuo. Mr. llover o in-
ventor de duas especies de collares : Io dos colla-
res anodinos de mbar eleclro-magneiicos; 2o dos
collares compostos de differentes metaes com cor-
rele voltaica. Partindo deste principio de physi-
ca bem conbecido, que a iniensidade. d'uma cor-
rente galvnica esla em razo direita da superficie
dos elemeotos que compem a pilla, os collares
Royer, chamados anodinos eleclro-magnelicos de-
signados e graduados por oito nmeros differentes,
possuem as mesmas propriedades elctricas, com
esta s dilferenga que o efeilo curativo esla subor-
dinado ao tamanho dos elementos que os com-
pem, e por conseqoencia quaniidade llmidada
d'electricidade que engendram, d'onde se segu
que quanta maior superficie apreseulam as |.erlas
ou elementos, tanla maicr quautia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e por isso que nos acon-
sejamos de preferencia os nmeros forles.
Estes collares, pela sua disposigo Oexivels e
ponatels, podem-se por constantemente no pesceco
das criangas. Urna rede electriga cobre sem ces-
sar as parles doridas que sao modificadas lenta-
mente, sem sacudiduras nem commoges, e pro-
duzem urna cura rpida impedindo as convulroes.
Assim acha-se reunido com o antigo procedi-
menio dos collares de mbar a elcacia regular e
segura da electricidade medica. Os collares gal-
vano-magneticos de metal compoem-se de peque-
as perolas de dous metaes differentes, traversa-
des por fios conductores que formam assim pe-
quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta
til e flexivel. empregados com feliz soccesso conlra
as convulsoes, os torticolis, tosse nervosa, tosse
convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
e empregam-se indistinctaraente nos mesmos ca-
sos.
DA PRIMEIRA DENTigAO
"lade dos collares Royer eleciro-magneti-
na facilitara erupcao dos denles doleile.
poucas palavras explicarei o que succede
.1 primeira denligo, fazendo algumas observagdes
,!! -rvinio de guia s mis de familias, que pela
sua tenra affeigo exageram a miudo os perigos
da denligo, a qual em definitiva urna operago
da natureza.
A mor pane dos desarranjos que sobreven)
sade das criangas tem por causa o Irabalho da
primeira denligo. Quaodo o denle faz esforgo
para sahir, declarase calor as gengivas, a saliva-
go volta-se mais abuudante, u somoo c agitado,
ha febre a miudo, e era geral sobrevem a frouxi-
do do ventre, e s quando esle uliimo symp
toma nao toma um carcter violento mais bem
favoravel que damnoso. Sendo sujeilo a compli-
carse com outras afleigdes o trabalho da denligo,
necessario, em quanto durar, por a mais extre-
ma e coutinuada aiiengo na sade da ruanca ; e
desde que se notem os ltimos symplomas que aca-
bamos de indicar, ser urgente consultar um me-
dia'.
Estes collares vendem-se na loja do Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Rival sem segundo
Roa do Queimado ns. 49 e 55, loja de
miudezas de lies {tortas, csi quei-
mando ludo hora ebaral, quem qui-
zer ver e admirar venham loja do
Bigodinho.
i Caixas de papel amizade, e sem ella liso e paulado
a 600 rs.
i Grozas de botes de louga pi aleados fazenda mo-
derna a ICO rs.
| Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs._
Pegas de tranca de la lisas e de todas cores a
10 rs.
Escovas finissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pegas de tita de cs estreitas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muilo Unos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
100 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caitas com 12 frascos de cheiros muito finos a
1*400.
Saboneles pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de saboneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifire superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
1*200.
Frascos com essencias para tirar nodoas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
! Duzia de meias muito finas para senhora a
1 4*800.
: Gollinhas mnito finas para senhora a 200 rs.
' Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
' Pegas de fila de la para debrum de vestido, com
I 10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para acabar a 600 e
j. 800 rs.
' Pedras de lonsa para meninos a 160 rs.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
; Caixas com bonil?s eslampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grusas de boloes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
! varas de cordo de espartilho a 20 rs.
! Novellos francezes com 2O0 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 610.
Duzias de meias cruas muilo fortes e superiores a
3*500_______ _______________
TABERNA.
Vende-se a taberna da ra da Fogo n. 32, pro-
pria para qualquer principiante por ter poneos
rfundos : a tatar na mesma.
Liquidagao das pechinchas
no armazein da Arara.
O proprieai io da grande loja e armaztm da
[ Arara iem n.solvido vender .-uas fazendas por
i menos 20 porcenlo do que em qualquer outra
parle por isso vunham ver as faztndas e se admi-
rem dos pregos, a saber :
Cortes de camliraia com barras.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia brancu
com barras de iiiier-i es cores pelo baralissimo
pavo de a* ca ia corle.
Cambraias bravas.
Vende-se cambraia branca a 3*, 3*500,4*.
14*500, 5* c o,; a ;;!. e de outras mais quali-
dades : na ra da Imperatriz n 56.
lirclaiilia de rulo.
Vende-se bretanha de rolo com 10 varas a
2*800, esia sr acabando esta pechiuch : s'' na
loja da Arara, de .Mendos Guimares.
Liaaiikas.
Vendem se as mais modernas laazinhas clisa-
das pelo ni timo vapor, leudo padies minio b.ui-
tosse rende pe|j baralissimo prego de 24o rs. o
covado, fazenda uira parle se vende a
400 rs. : na loja e armatem da Arara n. 56.
Cirilas.
Vende-se grande porgo de cilas sendo escuras
e ciaras por baratos pregos a 210, 26o, 280 e 320
rs. o covado, ditas percalas Unas a 300 e 400 rs. o
covado, muilas mai* de uniros pregos.
Chales de merina.
De.-ia fazenda ia un grande sortimento Acha-
les de merino e.-lampados (ores muilo delicadas,
ti esi se rendendu to barato prego de 2* rada
um, is-to para acabar.
Colchas de fuslao.
Vendem-se colchas de lusio de todas as cores
a 5*, dilas de arnascu a 4>, dilas de chita a
2*2'i0 o '*9O0 Cada urna : > Luurengo Pereira
Mendt-s Guimares.
Ma:lapolo.
Vende se madapoln a 4*900, 5*, 6*300, 7*
7*500 e 8 a pega, enfestado se vende com 12
jardas a 3*, 3*3UU e 4*500: na ruada Impera-
triz i!.56, tiendes Guimares.
Soutembarques.
Vndese sooiembarqae a 5?. f* e 7*, dilos
pretos de grosdenaples a 18*. l'J-3 8 20*, e capas
o mesmo prego.
Cambraias de cores.
Vendem-se cambraias de cores sendo finas a
320, 360 e 400 is. o covado.
Case mi ras.
Vende-se casemira com lisias a -1*500 e 2*800
o covado, e mescladas a 3* : s. alendes Guima*
raes.
LOJA DO BE i JA FLOR
Na ra do Queimado n. (i3.
Tem recebido um lorilmeoto de eroze* qne se
estai usando, de diversos gosios ; s quero 'iem
o heija-flor.
Tendo recebido variados sorlimentos de rollas
de ajotares de diversas cores, enfetes para s--
nbora de diversos gostos, e mais barato iu que
em qualquer oulra parir.
Facas e gario .
Vendc->c <-:> :' gai( s de iabo^ do bataneo de
un kitoa 9*200 a lo/.a. dilas de dous I ndea a
6*500, dita para di i a 5*100, ditas de -a io
3*200, tinas i!'.1 cal i bu neo, lobgo o era vado a
i
T.iu recebido varia, s corlimeoUn de ba a os
paia minims de escola, >} forma de p< licnos,
paulinos e unirs de divc^s go>io, que s com a
visla Jieni se pode apreciar, e lmbelo serve para
o Iril do bospial porluguez : lai para botar '.:
diversas cores a 7* a libra : s no beij-H r.
B*co\ai iara roii^a.
Vende-sc escovas para roupa nimio flnas com
difiVrentes gostos a io u i*, ditas pera denles .v
12 Papel c envelopes.
Vende-se paulado papel e caixiohas a 680 '..
dilo d* cor a 700 r-., e enmvelops a 640rs. ca
linha.
^i
Taberna.
Vende-se a taberna da ra larga do Rosario n.
18 junto a padaria, bem afreguezada : quera a
pretender dirija-se a mesma ou no Passeio Publico
n. 5, loja de fazendas._____________________
Vende-se nm sitio no lugar de Bemfica, Pas-
sagera da Magdalena ; quem pretender dirija-se a
i esla typograpbia.
AGILMIH.
Colleiras demai-i-oquim, com eascaveis
e sen el I es.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-,
ca n. 8, veodem-se colleiras de mairoqum,
pospontadas e com cascaveis, ou sem elles
proprias para caes e outros biehinlios.
Pennas inglezasdeaeoe douradas.
N i novo sortimento de pennas de ago que
a Agnia Branca acaba de receber, vi^ram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu bem acabados, e por essas boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry & C, as recommendam a is
entendedores apreciadores do bom, valen-,
do mesmo a dilerenca que ba no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais obrareis na cominuago de escrever ; \
assim pois quem dolas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
corlinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
de?enhos, cuja commodidade do prego est
em relago a largura : acbam-se elias a ven-
da na ra do Queimado ioja da .Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso eitretefii*
meato.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por pregos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que das diversas pinturas deltas se formam
agradaveis vstase paisagens, segundos
desenos que acompanbam. Na verdade l
esse um deleitavel en reteoinaento com <<:
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
lelligencia. Os apreciadores dirijam-sel
ra do Queimado, a dila oja da Aguia Bran- j
ca n. 8, que seao salisfeites.
Bornes enfeiles para senhoras,
A Aguia Branca acaba de receber u no-
vo e lindo soriimen'o de enteiies os mais:
modernos e goslosinteiramenle agradaveis,.
e como seu louvavel costme os est ven-
deudo bara lamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, luja da Aguia |
Branca n. 8
Meias de laa para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
51ala mosca.
Na loa da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com cornposicSo para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, c o
effeito efficaz : molba-se o papel e deixa se
Bear n'um prato, e nelle pousamlo as mus
cas, entristecem e morrem. Custa cada fa-
lla 40 ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Blanca n 8.
Diversos brinpedos e enlretenimenlo
para enancas.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos di metal,louca pinta-
da e porcelana domada para almo?- e jan-
lar e muitos outros brinquedos de madeira,
que fe vendem baratamenie : na rua do
Queimad >, leja da Aguia Branca n 8.
Meias prelas de seda para senhoras a
iOO ris o par.
A Aguia Branca quer a-eabar com a por-
cSo de meias preas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior pre^o que lbe cus-
laraiD e o bom estado em que anda esto,
comtudo esl revolvida a vende-las a 5' 0
ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, ag-ra pois apro-
veitarein a qmdra e diiigirera- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca, n 8. Tam
bem vender as brancas a \6 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
&*** mmmm mmmmm
ffr>E KISMIT
Os granulos uu bismuth de Cbevrier bem
superiores a tolas as outras preparaedea dt
bismuth empregadas antea eom o maior sueceaaa
peios mdicos de iodos os pases, para prevenir
curar as
Dlitrrh'-H rhronlcaa. rihn rtltoIOe
Djn-l-nlrrlu. I'.ii.dllr*
Drt'b d i-Htiiitm^o GiritrabldM, CI0.
Dyapcpla.
Os primeiros symplomas d'cssas formidaveM
affeccoesse nunfesto ordinariamente por iig
toes Laboriosas, azidumes, fulla d'uvpetitf. pcsot
'estmago depois de cada comida, catmbrai cj-
tomafaes, e, muilas vezes, por espasmos nervoso
eom vmitos.
Este estado mrbido, se o detCttidSo, iraz nn-
vitavelmentc, que seja:
Mo!c*lli- de Ovilla. I Oppri'**r*.
Dlirca iir -libera
Irrlla.-i-. .le hoilga a
da inui: Ir, ele.
Os granulos Clietvrier sao ordenados pela
sommidades medicaes para prevenir essas h er-
sas molestias e cural as quando sSo lomados a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos paizw
estrangeiros.
A '. -ii'i-i.
Palpl taco ale corar&
Drf. noa rlna.
Ca \ al "ar <- a ra de
tu. i leatliw.
Malean croi.
aaa.
Papelr*.
Ohnlriieri '*-
dulM"
lliimuri-" fro.
lTimorca hranco
Itachltlaiuo.
Afd-ccoca eoBceroa
e ayphllltlcaa.
Feltrea tjpholdei.
Varlalea, ele., ele.
a^-0 VILL II
s
Com loja rna da Crespo n. 17.
Receheu de, Paris sodas em curies mu
lo suneriore r beihajimot padiSea, e J
B chales de renda prel para 105.
Kle importante r>ub>lrfiaM>to torna- wm
a se recommendavel ao bello si-xi pela va- S
H liedade de fateudas superiores e bellos Wt
xm goslos
\m proleja o bello s<-\o ao Villar *
SB e veraotodos a pros.eridade.
fUfiHHHKlll
. Vinho do Porto superior era caixa de duna,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do i C, no seu escripterio rua da Cruz n. 1.
Os elementos que rompoemesta preparado,
ferro, o icit e a quina, a coocao no pr'.melr
grao das preparacocs ferruginosas. Bast attestar
seus resultados oblidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatorios dos prcticos maiseminenie,
que confirmrSo sua poderosa cfficacidade naa
seguintes affeccoes:
Minea* no nngit.
Fraquex*.
Anemia.
Chlnroae *u lelerteia.
Menatrua.
Affeecoea do utera.
Sappreitaea daa re-
|;raa e deaard-a na
lIlfllK'. lliHCa-l
Affeceao pulmonar
phlhUlc.
Xolealla d>ai6n*i:*. f
Usalrnlsla*. >___I
lerda d'appellle, eie.
Veja* se os bulle'.ins de therapeuticafaeiicm
t cirurgica de 30 de novembre 1S60; ji Gex-eta
dos hospitues de 2S dejullio 1SG0, etc., etc.
Alm das pilulas de iodureto duplo ie ferro e t
quinina de Rebilion, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
forro e de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nio gostla de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope A'iodure de ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nio poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaeculicos depositarios.
Para-se evitarcm falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
ignatura do inventor. _._
Depsito geral em Pars, pharmacia ReDlUon,
IM, ru duTBac,e em lodas as boas pharmacuu
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
GRAGEAS de CUBEBINA
comCOPABAdeLABLONYI
Estes confeitos que tem por base o prin.
cipio activo da v metra cubebu junto com
acupalii/ba pura, nao nansen o estoni: ca.
Elles fazem parar immediatamente ,; mais
rebeldes gonorrbas, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a cuiiahyba isoladamerte.
\entiem-se no Recite em casa de Cae rs Barboza e Joo da C. Bravo A C. __
tf-nco o barateiro de oh-
jectos ciegados de novo:
grande sortimento.
Yeiulem-se dous grandes liisircs de ridr MO
nm i't lunes, do melhor co-to e por \>nco rama-
rol: as>Hi con.o apparelho para cha e faa pu-
tar, brancos e de cores ffferonlrs: ditos de por-
celana dourados e pintados e branco.-; apparibos
para Jania/ de porcelana I.ranea; lamr.em se ven-
dem em pecas separadas, como os fregnezes qui-
zerem, compoleiras lapidadas para doce, faitees
para vinhn, dilos para rhampagne, copos para agua
e para vinho tinos e .irdinarios, em caixao e a re-
talho ; linternas de todas as qualidades de vtdro":
dilas de casquinho inglezas muilo liuas ; caudtla-
bros e vidro e de broiwe ; serpennris. v-;>! (te
porcelana e de vidro para flores; bilbas hamtwr--
guez.i-* para resfriar agua; barricas com apotre*
mos de mesa pata jamar; gigo< com apparelhos
para cha; e outros mnitos sorlimentos de lodas as
qualidades e precos commodos a voniade des com-
pradores, que se vendem na rua da Cadeia u Ke-
cife junto ao arco da Conceicao n 6, e na rua
Nova no grande armazem de louca e vidrus juato
igreja da Conceicao dos Mililares n. 49.
Vender a loja de calcado da rua DirtiU d.
Si : a tratar na mesma casa.
Ferros para etfgommar
Vendem-se caixin'ias contendo o mais completa
scriiimnio de ferro- para engommar, enires,,.i-
babaJjs, pata e toda a roupa de senhora : na ru.'
Nova n. 24.
H*M-S!iBH&SKi*<
aS^AOS SEiMIO i
S res de engenkos. %
VOTAHHX
3B Vende-se grande>orjao de poussa que fl[
tendo sido molhada da-se por proco muno sg
commodo: quem quizer dirija-se a rua
do Imperador n. 38, lotc,a,.__________jfS


laVI
----1- I
ft^a..\ .^. 1


Diario de Pernambnco rerca elia 18 de Meenibro de s*.
9SX.
2
N. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento ura grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda dn muito gosto.
Chales de guip nimio tinos para 223, 23fi e 30J.
Cotias de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Sstim de Pars bella fazenda e de b mitas cores para vestido a 700 re. o covado.
M'Hireaotique branco e preto, grosdenaple preto e de c&res, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
la pret para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 1J a I1JL
Bros de linho de cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapalinas de palha do Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
le seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, brota-
uhas. silesias e muitas outras fazendas que se veadem por commodos precos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
DE
CS
\
fc
Penaa^0

DAUTE ALMEIDAV
i
-
.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada^ serve de base de precos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
ma suioeriorida.le, vanlugense garantias'qneoll^recera aos comoradores/quadades estas incontesta-jfda (\(\ CiTTt\0 TI f) nriTlrtnil ATOiaiZAm ma fin Tmnaun
veis que elles tem denitivamente conqnistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca; pos-1tcu uu V0LU1V 11. O, pimuprtl dlIIldZeill YU.iL O UlJlVYa-
..: i nm tnrtUrlA a ntanKinlonMi nnu nhaH*Pm fn.iii ac vnnfaHac o rinrtohnc /loo r\orletoo eam >4am w* (\
Fazem seienle ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
DE
J. VIGNES.
\. 55. Rui DO IMPERADOR X. 55.'
O pianos desla amiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
solado um teclado e maohiuismo que obedecem tolas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nanea falliar, por serem fabricados dd proposito, e ter-se feilo ltimamente melhoramentos Importan-
tissknos para o clima deste paiz ; quanto s votes, sao melodiosas e flautadas, e por isso muito agrada-
veis aos ouvidosdos apreciadores.
precos commodos e razoavels.
CONSULTORIO MEMCO-CIRURGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO BOSCOSO.
MEDICO, PARTEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fimdio 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s i!
toras da manhao, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos das santificados.
Pharmacia especial liomeopathica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
ut>os avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes, l#000
> de 24 tubos grandes. 185000
de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 30000
i de 60 tubos grandes. 355000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IIVROS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopalhico do Dr. Jahr
dous grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 1050X)
Repertorio do Dr. Meh i Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estibelectmento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto dr sere.n ttovaiuenle recommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
tarda tetros, en2rgios e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verh'leiro assncar de leite, notaveis pela sua boa conservacao, tintura dus mais acred-
131 is eatabelectmentos europeos, a mais e.ucta e acurada preparag3o, e portaoto a maior
energa certeza em seus effeitos.
Casa de saud'i pira escravos.
Rcebe-soescravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
aperae'i, p ra o qne o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O .ratimeato o metrur possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funcionando a casa ha mais de quatro annos, hamuias pessons de cujo conceito se nao
poda duvidar, qie podera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
P>iga-se25 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As oneracfjes ser) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costumi pedirr o annunc ante.
TESKTSr
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores nortes de seda de cores o que tem vindo a Pernambnco de melhor gosto
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os gneros
por om prego, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam':em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga i^gleza perfeitamente flor ebe-
gada ltimamente de i,oooa l.loo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs,
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha uxim deprimeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hyssen o mellior neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porcao ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,5oo rs.
a bra.
Biscoutos
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolafhiuhas
Latas com bolachinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanliol a I.ooo e l,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
^5 tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Vellio Secco, Lagrimas do
j Douro, Mara Pia, D Ltiiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a I.ooo a g*rra-
jfa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das meihores
marcas a 4oo e 5oo rs a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4.000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a aada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
| coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Serveja
Superior serveja Bass dos meihores fa-
bricantes, como sejam: Shlers A Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooors. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oo rs.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a Ooo rs. a
garrafa e a 4,6oo rs. a caada.
Massas
Macarro e talaerim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a l,5oo o quarto e
5,5oo a caixa de arroba hespanhoia e a 32o
rs. a libra.
<-! ^1 ICIC %
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanta verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6oo rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
DE
AZEVEDO FLORES
Roa da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Dos.
ralOes
Os ricos bales de arcos com muita roda para senhoras.
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 105.
dem idem com 16 asteas 125.
Chitas.
Chitas largas soffnvei a 240 rs.
dem meihores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas franelas de 15800 at 55 das segua-
les variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peilos defusto e de cores.
Camisas de meta.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 45.
Superior cambraia bran:a para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Caigas de brim pardo superior a 25500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores.
dem de superior brim branco, ha de diversis precos e qualidades.
Mantas para pescoco.
Ricas mantas para pescoco de homem de finissima seda e de ricos padres ane
s o Balito tem. '
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos pajetos de alpaka branca a 55,
COIjIjETES*
Golletes de casemira a 43 e 55-
dem brancos a 2^500 e 35.
* ceos para vfageni.
Saceos para viagem a 55 e maicres a 65.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas supoe sempre ser as mesmas fa-
zendas.
GUEME
seda
PE1XE
Peixe em latas j preparado de l.ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo3o Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico prego de 1.6oo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes ep^rtuguezes a l.ooo e
Caixas com urna duzia de garrafas de su- Mo rs' a arrafam frasco-
CORTES DE NEI1 %
Chefraram pelo paquete inglez riquissimos corles de moreantique de cores, e seda lavrada pa-
dres luteiraraeote novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio lae. do Amaral A Compaahla.
Farinha de mandioca.
T-m para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze
vedo & C, no seu escriptorio raa da Cruz n. 1.
COlares Royer on colares ano-
dinos
para facilitar a dentico d las das convulsdes.
O ffhz resultado obtido immen-as vezes pela
prodigiosa Torca magntica do< colares Royer, nos
ass de convulsdes, e dentico das enancas, tem
allamenli elevado o seu bem merecilo prestigio,
* hoje j se porte dizer que estSo geralmenle con-
erituados, e estimados de innumeraveis pais de
familias : de uns porque do uso disses salutares-
colares viram salvos do perigo seus charos fllhi-
nlios e de oulrn? porque eolheram daquelles tao
proficuo exetnplo para igualmente preservar os
eos. Assim, poN, a agaia branca, tendo em vis-
tis a ulili larte eproveite desses prodigiosos cola-
res anodinos ou Royer, maftdio vir o novo sorti-
rosi.l; que agora receben, o continuar a recbe-
los para que em lempo algom a falta delles posa
ser funesta aoe pas de familia, os qoaes ficarao
certos de os achar,constantemente na ra do Qaei
mado, I ja d'aguia branca n. 8.
I/ICAS, VIDROSE
CHRYSTAES.
A toja de iooca da ra do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejas de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive finissimo
chrystal, dilicados jarros de chrysial e porcelana
para flores, figuras e oolros muitos objectos de fi-
nissima porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, etc., gnarnic5es de finissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e loaleles, tudo do melbor gosto, pinna t louc e
vasos para jardim, eandieiros de lamparfnas para
gaz, globoso chamineisde vid'O, boeraes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qnalidade, e muitos oolros artigos qne
seria enfadonho mencionar, tudo por precos mui-
iisim js razoaveis.
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6.800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
NAB40
Sabo mora de primeira qualidade de 18o
a22ors. a libra e de 16o
em caixao.
Doces
Doce da casca da ffoiaba e caixoes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo s. a lata.
a 21o rs. sendo Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
'lata.
Receberam Gregorio Paes do Amaral i C. um variado sortimento denovidades
orno sejam: "'
NOVOS PADROSS EM ClTES DE SEDA
COLCHAS DE DAMASCO
Portuguez e francez, de seda e de la e seda.
JLEtfUES
Lindo sortimento de leques de maure-perola, marfim e osso, transparente c de
com mimosos bordados. *^
VELLUDOS
Verde-salsa.
Azuleno.
Cor de vinho.
Carmezim.
IiUVAS DE J4JVIA
Brancas e de cores para senhoras e homens.
GRAYATAS
Mantas de meia, de seda, de retroz de duas voltas largas e muito eslreitas de
urna so volta.
Grosdeneples de todas as cores.
CIATO*
Com fivellas de tartaruga esmaltados, madreperola e cobertas de seda, feilasDara
as mesmas, etc. K
CHALES HE FULO HE CORES
Gostos nleiramente novos, anda n5o vistos neste mercado.
n A CASEMIKAS
De quadros miudinhos e largos.
Enfeites
O melior emais moderno sortimento de enfeitesproprios paraKocke com bons
penles de tartaruga e sem ellas.
Chapeos de castor branco muito finos da ultima moda,
Ciistiimes para meninos
de gorguro de la de diversas cores, bordados com muito gosto.
Penteadores para senhora.
Camisas para senhora.
Ditas para homem.
Vestidos feitos para senhora.
Tudo por preeos razoaveis.
5 RA DO CRESPO 5
Gregorio Paes do Amaral & Uompanhia.

ramean 311
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
m
Aeha-se
TERffBKOS A' VENDA.
Ven'lese um terreno proprio para edificaco,
collocado no centro da.cldade, com 68 palmos de
frente e 218 de fufldo, tendo tres frentes, para a
rna di Palma, da Paz e da Concordia : para nfor-
macOes, ua ra do ol n. 37.
Yin /ios do Porto
das meihores marcas, em caixinhas de nma dnria
de garrafas para casa? particulares, sendo: Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem anceretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barn de 51 e 10 em pipa : na roa do Vi-
Bario n. 19, primeiro andar.
As meihores chitas fraacezas de cores
escuras e (has a 280 rs.
covado!!
Na rna do Queimadon. 1 veodem-se chitas fran-
ceza? escoras e Boas a 280 o covado.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, perte da igreja dos lUmedios, o qoal pro-1
prlo para olaria por ler etcellente bario, a tr-
ras qoasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Goncalves Beltro, ra do Vigario n. 17, es-
criptorio.
O castello de Grasville.
Tradnzido do francrz por i. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 34O0C
na praca da Independencia, livraria ns.
6e8.
ALMANAK
DE
Lnso-Brasileiro
PARA 1866.
POR CAST1XHO.
Veode-se na livraria econmica junto ao arco
de Santo Antonio,
Vender no escriptorio de Manoel Igoacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
1 duzia e Larris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de i duzia.
Palmella tinto de excellente qualidade em caixas
de 2 duzia?.
Vinhos d.e Lisboa motto superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Gera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vndese um carro (victoria) novo e elegan
te, com os arreios competentes de metal principe :
na Ponte Velha n. 8, por preco commodo.
venda na livraria acadmica, na roa do Impera-
dor ; na do Sr. Nogneira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na ra es-
trena do Rosario a compilacao de toda a legislacao
tendente administracao, arrecadacao e Bscali-
saco dos dioheirs de orphSos defuntos e ausen-
tes, herancas Jacentes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execn
edes, como tambem todas as ordens e avisos do
goveroo, que a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigaedes inherentes ao cargo dos difieren-
tes empregados de justica e fazenda, como dosdl-
reltos naciooaes e emolumentos que sio devidos.
Este iivro contendo mais d 700 paginas em ntida
impressSo e bom papel, e prestando-** a ntilidade
de dlfferentes classes, tornase recommendavel.
Seu custo 104000 por cada exemplar em dous
ODOS.
.menas de Hamburgo
todos os paquetes da Europa se recebe
|H destas amigas do sangue humano e se
B vendem a troco de pouco lucro s aQm
m de ler sempre cousa nova : a loja de bar-
^ beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p ^i,
3R da igreja. B
i
FAISELO
avanado.
Francez barrica 5^000
Portland idem 8500
Em perfeito estado:
Francez barrica 104000
Portland idem 124000
No armazem de Tasso Irruios caes do.'Apollo.
Vende-se um escravo pardo de 25 annos, of-
ficial de alfaiate, ptimo paratpagem ou boleeiro :
trala-se na ra do Passeio, loja n. 8.
d Lisboa o mais superior que ha 4*500 e a 5*000
o sacco: na ra larga do Rosario n. 30, taberna
da esquina, defronte da igwjtv
" i i mi
AHeneo.
A
Vende-se doce de caj', laranja, grozella gela
em latas de urna e duas libras a 700 rs. a libra :
no largo do Carmo, esquina que volt para a roa,
de Hurtas, armazem o. 2.
Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz da Aze*edo &
C, no seu escriptorio ra da Crn n. I.
Vende-se on braco grande de balaca com
conchas, por preco commodo : a tratar na roa do
Mondego, olaria n. 13.
T riATA "iiVii^ririCi



\
Diarlo de Peraaatbnco Tcre felra 18 Je Setembro de 194*.
0 NOVO GERENTE
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
*m mmn idi si d'hftaa
AO
RESPEITAVEIi PCBLICO.
A. apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
em da Liga estabelecido rua Nova n. 60 um magnifico sortimento 'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangf iro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
V Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicjSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
lo bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assucir, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio nteresse, a esle estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Giuixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a' i*
iOOrs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de lodos os tamanhos.
dem dem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem Ldem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molbo.
Absyntho a 2#000 a garrafa.
D
BOLACHINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1(5800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de so-Ja em latas grandes a 2#000 e
de cinco para cima a I&800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
13200,1250 e 1)5300.
Bolo francez em caixinlias a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a (300 rs. a libra.
dem suisso a 13 a libra.
dem de musgo a 13500 a libra.
Ciiouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porgao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 73000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 13800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das raais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 23000,
232"0, 235(50 e 23800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 23500, 33500, 43 e 53.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 e 13500 rs. a garrafa.
Cigarros do Ro, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
1>
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
rvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeijAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 13.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
KIRSCH de Wasser a 23 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
11
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 13, a libra.
Mah.mei.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
33500.
Mii.uo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
El
N0ZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a.10100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargr, salmao, pescado e
pescadiuha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 13400.
dem muilo novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
a
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a
m
RAPE' Meuron a 13 a libra.
dem Princeza do Rio a 13200 a libra.
dem francez a 23500 a libra.

SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o mago.
Sag muito novo a 400 rs.
X
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 53000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 23 a garrafa.
Lagrimas do Do uro a 13500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 23 a garrafa.
Duque a 13 e 13500.
Chamisso a 13, 13200 e 13500 a garrafa.
D. Luiz a 13 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 23 a gar-
rafa.
Carcavelos a 13-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por.nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 13 a garrafa.
Absyntho a 23 a garrafa.
Kirsch a 23 a garrafa.
Wermouth a 23, e a caixa a 183-
Bitter Maurer a 13 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 203.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 23500 a
caada.
Na officina de ferreiro da roa do Jasmim n.
24, ha para vender ama carrosa feita, com esmero
e propria para carregar ama pipa com agua, aflm
de vende-la pela rua. Na mesma offlclna ha tam-
bem um cabriole! de duas rodas, novo e muito bem
acabado ; quero pretender estes objectos, pode d-
rigir-se a mesma que achara' com quera tratar.
Potassa da Russia
inoito nova e superior : veade-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo, largo do
Carpo Santo a. 19
Catangas finos e brlnqnedos
para meninos.
Lhegarara para a loja de miudezas da rna do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezss._____
Lavas de pelllea.
Receben pelo ultimo vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras : s
quem recebes fot o beija-flor, ua rua do Queimado
numero 63.
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENQmO
<* preeos da seguate
tabella 6 para todos, po-
deado asslm servir de ba-
se para o ajuste de conta
com os portadores;
RUA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passaudo o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore9 senhoras, o aceio qne
ezacom que serao tratiiiVj' mvida a urna
rra dos gneros que precisar-? o e quando
rois sero to bem servidos como se viessem
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente esedhida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de i5
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a I,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouri^as e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prao a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 3,ooo c 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem an nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo ell.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,Soo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomatesdesuperiorqualidadea 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
Iho.
presidio aosarranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e ntei-
visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a protecc3o e preferencia na com-
nao possam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
pessoalmente, havendo para com estes toda recommendafaa, afim de quenaovoem
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho era pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, loo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,ooo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente Quali-
dade a loo e ion rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duquedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo o 1,5*00 rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a I,3oors.
Cartees com boio francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por 2,5oo rs.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a l5oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oc, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,ooo
o gigo com 36 libra.
'Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
i Vassouras de escora para esfregar casa a
j 4oo rs.
; Nozes muito novas a 16o rs. a libra,
i Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
i a Soo rs. o frasco.
I Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
l5f a garrafa e 11,000 a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o mago.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a Soo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 50o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franga muito nova, a 2oors.
Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposigao Noimal de Havana, Impeiiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em iveias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Malte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandes e novas
a l,8ooo cerdo e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porro refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,Soo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a visla se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a Soo rs. a garrafa e
l.Soo cada urna ancoreta.
Champagne da mclhor qualidade que' vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos pregos.
Amendoas confeitadas a 6lo rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
p E' RARATISSIMO! I!
Grande liqaidacode fazemlas e roupa
feita nacional, na rua da Imperatriz
. 72, loja de Guimares k irino.
Os propriehrios deste estabelecimento tem re-
solvido liquidarem suas fazendas por prfeos bara-
tissimos com o fim de ai urar dinheiro, aprovet-
tem as pechinchas.
Vende-se um grande sorlimento de rhias fran-
cezas largas a 260,280, 300 e 370 o o vado ditas
percahas muito Moas a 3C0, 400, 440 300 rs. o
cevado : isto s na loja de Guimares Irmo,
na rua da Imperatriz n. 72.
E' muito barato t 4
Cortes de laa rara vestido de senhora a 3&.
Cortes de la a 3(3.
Cortes de ia a 30. v
Aos 3,f 00 covados de la,
Vmde->e liatinhas dequ.-idrr.se de .-lriLhasde
lindisinics padriJHs a 220, 240, 280 e 3S0 rs. o co-
vado, vende se aisim barato por le mniia poreo
e querer se acabar: isto s na loja de Guimares
& Ir man, rua da Imperatriz n. 72.
Aos ,000 chales de rretir..
Vende-se chales de ment estami ido a 2J''0O
e 2,8500, ditos de merino ti.-o a 38O, 4 e 5$,
ditos finos a 6,8500,1$, 7,85(0 e 8,8.
Grande soriiiento de cor es de elido de cam-
Lraia con barra, pelo tralo prrr;o Ce ', li200 e
3 500.
Ditos de chita a 2$, 2,8500, ?$> e 31500.
Vende-.;e ff qs de madapoln rom 24 i ardas a
SCO, 5,8, P*. U, 85, 9 e 105
Dilo francez com 12 jar.-.s a "VC0, 45.45C0
e 55000.
Vende-se um grande sortirrenlo de golliihas
para senhora e meninas pelo btrlo pre$o de 320,
400 e 500 rs. cada una : isto s ta luja de Gui-
mares & lrmao, rna da Imperatriz n. 72.
Roupa feita
Roupa feita
Grande sortirrmto de roopa fii'a de'idas as
qualidade?, que se vende por piecos huralissiOMB ;
aQian(a-se que se vende per menos SO rer etnto
d,i que c m euira qualquer pane.
Ka nova Uja de fazencas de buiuiriies
& limo.
Rua da Imperairiz n. 99.
llllho superior
Vende-se no trapiche do baro do !.vramento
no F01 te do Mallos.
'.e*Q?,ea*K:.'.. cr*: ...>. >7wrvx-
DO AFAMADO JOUViN.
Vende-se pelo prego de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no nltimo va por
para hornera e senhora : na rua da Imperatriz loja de miudezas n. 5i.
c/3 -j u a ->
i t- = ai -i
21f|.|
ss*s-
^3 IB.
IrStl:
i-Fifs
r SE
o a,
53>>Ogffl,q
O O "-I u O O
. g S- o. 5- S?
a> 2
C co
? o 5 3
.ai
en
Q9 '
es a
O "I
5.3
O. 1
a>
es
O
co _.
co c*3 o. s a
" 3a5 *S Sw-o.,
3 S P & 3 55 '
|S3S.5'5:'
ffco'-'cosoTo
p B CD -
CB CU;
&
T3 S
o.'
co
5-B.g:
e
2."2 %
3.322
.Cu.
CO
&
d co'
co
3
03
s <
5*1 I.
3 SS
-o
-I
co _
o. co
ocj o 2 o
I
u
o.

CU
s
8>
" -i
2 3
M
"O ce
a> t
3
2.5.
W
s
o
s
Tasso rmeos
Vcndem no sea armazem rna da
Aoiorini n. 35,
Licor fino Caracho em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas da
vidro e em lindos frascos.
VinhosUheres.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Musca tel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sillo murado es-
qaerda, depois, do becca do Espinbeiro, nos Af-
Qictos
MCH1!\ASI)EPATEINT
de trabalhar mo para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAH
^4
Estas machina*
podem descarocar
qualqner especit
,.de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
otrabalho; pdt
descarocar ama
arroba de algo-
do em caroco
em 40 minutos,
on 18 arroba.-
por dia ou 8 ar-
robas de algodae
limpo.
| PaSTILHAS
VERMFUGAS
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descirooam 18 arrobas de algodae
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sannders Brothers AC.
X. II, praca do Corpo Saoto
RECIPE.
Os aicos agentes neste paiz.
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de ocuk, lelos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
DE KEMP,
NOVA YORK.
DE COR CIIEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais efiieazes do que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expulsao daslombrigas.
Nao causam dores e produzem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e taoincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as crianzas estao
promptasa tomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrueces do ventre, mesmo
no caso de n5o existirem verme algum, as
PASTILHASVERMIFLGAS DE KEMPS SO promp-
tas einfalliveis na sua operado e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
C5o de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pernambnco rua da
Cruz n.22 em casa de Caros i Barboza
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lila lata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e rua do Trapiche Novon. 8.
Vende-se carvao de pedra "para-ferreiro a
12 a tonelada e 300 rs. a arroba : na roa do
Brnm n. 76._____________________________
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
algodao : na rua da Senzala ova n. 42.
Fugio no dia 4 do crranle urna prtla da
Costa de nome Isabel, reprsenla ler 40aoncsde
idsde, baixa, muilo preta, btxigota, cosiumaem-
bresgar se, levou vestido de chita encarnado, chale
azul, tem sido vi.-ta nesta cidade emis arrabatde;,
anda vendendo fructas e ontras ciusas em um ta-
boleiro : roga-se as autoridades policiaes a sua
apprehemo e mandem a' rua ta Cadea Velba n.
i, que se pagar lodo traballio.
Antonio est fgido.
No da 12 do correrte mez fugio desta praca o
escravo de nome Antonio, de Naca, idade 30 a
3o ann s pouco mais ou menos, levou caiga de al-
godao azul eeamisa de algodao de llslra, chapeo
de baela e um sae-co do estopa com ilhos que se
Ihe linha entregado para os vender, leudo o mes-
mo escnV a barriga um lano grande, pernas pe-
queas e Unas, isto em proporcao a sua estatura
que pequea, o qual fui vi.-to no dia li do cr-
reme no rhafarizda Boa-Vista, provavel que le-
nha tomado essa direccao, cujo e-rravo foi corn-
pradoem leilo public do agente Simoe3 no da 2
dejunho do corronte anno pertencenle a Antonio
Juaquim de Millo, tendo este o comprado ao Sr.
do engenho Pintos, provavel que o dito e.-cravo
lenha mudado o nome pars Luiz, prole?tando-se
desde j conlra quem o tiver oceulio : roga-se as
autoridades e capitaes de campo que o appreiieu-
datn o levem aseusenhor Antonio Femaudts Vel-
lozo, rua da Madre de eos n. 16, que sera ge-
nerosamente recompensado.
Fugio.
lo dia 6 de agosto o escravo erkulo de neme
Tiberio, idade de SO a 25 annos, c-.-Iaiura la.xae
erm faila de um dos denles de cia, loi e.-crave
ao Sr. Francisco de Albujiurque Maranhao Ca-
valcinii: quim o pegar ou delie der noticia quei-
ra diiieir-se a rua da Caoeia do IWcife n. 33, loja
de Valle Porto & C, qLe seta' reccrrptLfado.
Ao amannecer do dia 26 de agosto fugiram
do ergenho Camar^pile dous estratos criiulos,
ambos carreiros, sendo um de nerre Sirr.rao, na-
tural do eertio d Ouii"uiy, alto e b(m felo, cara
redonda, nao imito prelo, e tcffce de un.a heinia;
o outro de romc Nicolao, nascido no me>n.o en-
genho, estatura ordinaria, ser co do corpo e robus-
to, na mesma occasiSo desappareceiam -3 turros
do servico do engenho. de suppor que leuham si-
do levados por elles, ou por aigum qne Ihes ser-
vio de guia e seductor, porque na neile preceden-
te a sabida des ditos escravos foram vistos doos
hemens em Oirr.municacao rom o SemeSo junto a
entrada do engenho : qtm prender e tiouxer di-
tos escravos ser recompensado
Ausenlou se de casa no dia 25 deste meza
escrava Ignacia, crioula, cor fula, dentes limados,
beicos grossos, estatura regular, cheia do corpo,
levou vestido encarnado, dale de laa preto velno
nos hombros, e mais alguma roupa de seu uso :
na rua da Penha n. 17 se gratificar.
Ausenlou-se de casa no dia 28 de agcslo pr-
ximo passado a escrava Ignacia, crioola, eer fula,
beicos grossos, dentes limados, estatura regular,
cheia do corpo, idade 28 a 30 annos, levtu vestido
de chita encarnada, chale de la preto velho e
mais alguma roupa de seu uso : na rua da Penba
n. 17 se gnificar.
No dia :8 de agosto prximo passado desappare-
ceram do engenho Paran', sito na comarca do Li-
moelro, os escravos Francisco e Alejandre, per-
lenrentes ao major Claudino Correia de Mello. O
primeiro alto, secco do corpo, um tanto espadad-
do, e de cor cabra, tem a cara bexigosa, bastante
barba, cabellos caraplnhos, ps curios e largos,
sabio vestido de caiga e camisa de algodao azul,
chapeo de feilro, levando tamben) comsigo urna
irouxa conlendo roupa de uso, a saber : camisas
de chita e caigas brancas e pardas, levou tambem
um chapeo de couro, mu ladino. O segundo
prelo, crioulo, secco do corpo, estatura regular,
tem falla de dentes na Trente, um peuco barba-
do, e tem ps finos e bem feitos, tambem muito
ladino. Ambos sao mogos, tendo de idade32 an-
nos, pouco mais u menos ; desconfia se que te-
nham fgido para assentar praga nesta provincia
cu em outra qualquer : quem os apprebender pode
lvalos ou ao dito engenho, on a' casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na rua da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.
AUencao
Achara se fgidos os escravos seguintes : Benio,
mulato, idade de 25 annos, cabellos annelados, sea
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
tesla larga, e falla um pouco descargada ; e Luiz,
crioulo, j um pouco velbo, altura regnlar, muito
cabelludo, bula com alguns cabellos brancos, as-
sim como na cabega, corpo reforgado, olbos ua
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finges
ronco : pede-se as antoridades policiaes e aos ea-
pites de campo que os fagam apprehender e con-
duzi-los a' casa de seu senhor o major Antonio da
Silva Gasmao, que generosamente recompensar,
e Ibes pagar toda despeza que flzerem com a son
conduegao : soppoe-se que elles tero ido em se-
gnimento dos serios desta provincia, por serena
filhos desses_ lugares.____
Fugio no dia 18 do correte mez o treto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
ou menos, alto, rosto comprido, soissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, ecostuma andar dealper-
gatas, levou camisa de algodo, caigas velhas
totas, chapeo de palha velbo, e tambem um bonet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel qne lenha ido pira Seriohem
ou Rio Formoso, onde j tem sido capturado por
vezes. Roga-se as autoridades e capitaes de campo
Sae apprehendam e o levem ao seu seobor Joo
avalcanti Lamenba Lins, residente na Estrada
Nova, sitio de Jerooymo de Hollanda Cavalcanti 4a
Alboquerqne, que se recompensar generosa-
mente.
3TTRT
ni


Diarlo f Peraamhncn Torca lera jj de Selenibrn de > *&
TTERTE1
THEATIIO DA GUEIUM.
Racebeu nossa esquadra a 8 pela noute ordem
do Sr. viee-almirante para desear al abaixo
das barrancas de Coevas passo estreno, e que
RoJ ser fortificado pelos Paraguayos; e no da
19 : mantilla levou ferro*, vi.ido aguas abaixo
j.n lo sobre a mugein direita do Paran (serto
ti, ; iicj), descubriaiguius palhucas co-n fami-
lia | Acerca de Matlo-Grosso l-se
S. Paulo de 19 do corrate :
em tima folh de
HMtMl cliegou daquella provincia, d'onde sabio
a 21 de junho passado, o Sr Joao Mooteiro de Vas-
concelos Maraa, que trouxe communicacjes sobre
o eslado daquella parte do imperio.
onde j trmula ameacador o estandarte aun-ver-
de, pendo e symbolo da glora e soberana do
Brasil.
Neste movimento portentoso, s proprio de po-
vos livres, os partidos polticos do paiz consumma-
ro a obra de patriotismo. Ao troar dos clarins
de gnerra com o inimlgo estrangeiro, nao ha dissi-
Ao maofo do corone Camisao eslava acampada ,
am i,,,* .,,.. i ., v ,. j dencia possivel na familia naciona : as lo as e as
em Anca uma forga de 3,iU0 numen* da linhae da .*.^ZL^T-n........177
guarda nacional, i
Haviam marcliado para S. Lonrengo 300 ho-
mens commaudalos
Coelhn.
pelo capltao Aotooio Mara
V.. ,. a entrada dos Paraguayos. A /isla disto o sr. Os Paraguayos estarn com 4,000 homens no
ea ifa Barroso demorou-so um da para promptili- Apa.
car condoe$3es e fazer seguir aguas abaixo alga- o Exm. bario de Melgaco estar anda na capital
mas. canoas conduziudo esses mseros emigrados, da provincia, mas nao havia tomado a vice-presi-
e a. seguinle, l, conlinuou sua descida com toda dencia, como se suppoz.
a esquadra. Sobre a expedido de Matlo-Grosso encontramos
TiQha sido, porm, preveoido de que os Para-
gnyos se achavain ja sobre as barraacas de Cuev
co:u graude aumero do pegas de artilharia, e 2,000 Chegando a este ponto s 6 1|2 horas da tarde, e
ea 3,000 horneas de iufantaria trazidos estes da co- d'onde devo partir esta madrugada, tenho a dizer-
Inania que tinhara era S. Roque. de que estou arreoentadissimo dotrabalho bruto em
Feito o recouheciment da posigo e Coceas do que me tenho empreado ; obrigado a islo pela fal-
loiffligo, vericou o Sr. Barroso que ludo era exac- la de camarada de tropa que a cada ponto que Che-
to e para logo comprehendeu que a esquadra ia gam rao desanimando e desertando, atterrados pe-
passar por um desses transes perigosos cujo nico 'as noticias inexactas que recebem, e tambem pela
paixes adormecen ento para dar espago a con
fraternisago de todos na cruzada comuinra.
E' por este motivo que os abaixo assigoados,
membros das duas parcialidades polticas da pro-
vincia, em commisso dos seus correligionarios, e
manifeslagao do apolo invocado, e sinceramente
prometiido ao governo, eocontram-se naturalmente
em seu caminho.para o flm de solicitar da provincia
inteira, e com especielidade dos seus amigos, o
mais decidido auxilio aos esforgos, que o Exm.
ra- asegulnte carta do raajor Lio; dirigida loCalar I""S?8 *"""* deSpeDde aclualmenle no
ras, a 12 do passado : empenh e serv, da *uerra'
resultado sahr delles com o menor daino pos-
sivel.
Segundo depois se vericou, as bateras, pois \
eraoi tres, forana Jas sobre as barrancas de Cuevas,
O recrutaraento para o exercito 6 o meio mais
directo, de que dispeo governo para o levanta-
mento de forgas militares entre nos. Mas quem di-
r que na provincia, em que se proclamou a inde-
pendencia do imperio, nao vergonhoso que os
descendentes dos patriotas de 1822 deponham as
armas de soldado voluntario, para travar dellas
coaego, em defeza e desaggravo deste paiz, que
seus pas proclamaram independente, e onde re-
pousam para sempre os ossos venerandos de nos-
sos a vos.
O governo espera, e esperara todos os Paulistas,
uatureza das cargas que nao sao facis de trans-
ortar.
Apezar de ludo e anda mesno ficando s com I
os officiaes e as cargas no meio da estrada, nao ti ve '
a cuta distaucia nina das ouiras, contavam de 30 a occasio de desanimar, ou seja como for, pretendo
> ,u riuMiap mu r,- i*k...,v,. i Que a provincia de S. Paulo oceupara o ugar que
*0 pecas de artilharia de varios calibres, ate 36 ciiegar com as cargas a Lberaba. 7. si
. v .- ; Ihe compete, entre suas irmaas, na gran ie uta
lUCUsive. haveudo algumas raladas, varios mor- Tudonuesecomnrip atan nna.inminnn Q.. -...,,, ,
... uuoi|ucsBOiupiae peio quaurupiono seu ver-do paiz, chamando boje em malor numero seus fi-
terosestafvas de foguetes a congrve En. sum-. dadeiro valor.e o faci saberem que sao officiaes e' |03 s armas, para que maior parte Ihe caiba no
n ludo que pod.a accumular-se para fulm.nar a principalmente se trazem cargas reunas. lriurapno pleodido de amaoha.
esquadra. Em um pouso chamado Alegra comprei a um
0 rio fazia varias vallas, e o canal era estrello,' fazendeiro de nome Diogo urna arroba de charque A or8anisac5 de corP0S destacados da guarda
de trm que os navios linhain de passar um a um, I por 11^320, mllho a 23 e 33. I DacioDal' e engajamento de voluntarios, com os
recebando todos o successivaraente logo pela proa, i favores que Ihes concede o decreto de 7 de janei-
".".W farDec,ment0 da fjr?a 1"e i em I ro, abrem larga raargem ao patriotismo dos Pau-
11 listas que secundado pela merecida influencia e
tos o ehefo Borroso tem coiuprovado, deu elle as | prestigio de V. S., nao ha de por certo desdlzer do
crieos, o a esquadra avaagou denodada para for-
gar passigem.
velam os nossos contemporneos em todas as pro-
vincias do imperio.
costa e popa.
... / liberaba posso asseverar-te que elle excellente o
Comaexper.encu eserenidade quetantosfe.-|abundat;ssQio
A carne to abundante que sempre que a for- ique mostraran) nossos antepassados, e do que re-
ea levanta abarracamento deixa no campo muita
i carne e farinha ; todos os outros genero?, como ca-
D.-via ser solemne o espectculo desses 10 ou 11 | f, acucar, feljlo, fumo, etc., sao distribuidos quan-
pequeos navios araocanlo, impvidos a Iraospor to chegue fartamente ; einlim a espedigao pode or-
gulhar-se de que lem tido um fornecimento digno
de todo o elogio pela fartura e boa qualidade.
O fornecedor um liomem honrado; a principio
pela inexperiencia, quera interpretar diversamen-
te alguns ponto do contrato, porm ero logo cha
mado ao cumprimento de seus deveres ; deve po-
rm a esta hora ter rescindido o contrato. Dlos .
peleja.
querer compartir do titulo, e da gloria do soberano
do estado ?
Mais do que nunca persuade-se a commisso,
uoi passo era que cora arte Infernal se tinham dis- guihar-se deque lem tido um fornecimento digno de qae seus araigos Poderam merecer os applau-
poto todos os elementos para sua total destruigo de todo o elogio pela fartura e boa qualidade SS 6 consideraao do 0, e tornarem-se
C, mais bravos marinheiros do mundo nao se O fornecedor um hornera honrado: a principio beneraeri,os da.Pa,ria> erapregando actualmente o
.. u ., K p seu nome e valiraento, para o engaiameoto de vo-
arn .nriam sem certa hesiiagao a tao desigual pe- pela inexperiencia, quena interpretar diversamen- i ,
i.. i ..i.... ='= luntano?, e prompta organisacae dos coros des-
lea I te alguns ponto do contrato, porm ero logo cha ... n .
Entretanto nossa pequea esquadra nao hesitou. mado ao cumprimento de seus deveres : deve po- tcados da 8uanla nac,onaI- raa8n'' ftxemP'^ esta
Viiiham na frente as caohooairas Ivahy e taja- rm a esta hora ter rescindido o contrato pe,os idad" Ja-O tensor perpetuo do Bras.l la corren
h>j, cajos bravos comraandautes tinbam solicitado preju.zos que deve ter tido, e mesmo porque du- i de.feDde-10 n Prlme'r. camP > peleja. Quem,
rom instancia essa honra, faudanJo-se no direlD a | raute o fornecimento eslava a cada momento rao- f
ella juo ihes dar o facto de nao terem assislido : leslando-se physica e raoralmeute.
o combate de Biachuelo. o fornecedor de Minas conlratou por menor pre-
Xobradlreito, sublimada exigencia essa de aior- Co o fornecimento da forga daijuella provincia ; po-' A commisso e o governo tudo conliam da
rer pela sua patria e pela honra da marlnha impe-1 rra s forneciacarne e farinha. j nobreza e patriotismo de V. S., e de todos os fl-
ria!, 6 que ura cliefe como o Sr. Barroso nao poda I ,, ihos da provincia. A posteridade dir que tao
de^iiend-la. i G"^a e o gr.to que repercute por lodosos briosos sentimeotos nao oram intilmente invo-
L,go atraz di llajakg riada a Bebere, depois 0 I agUlS d0 "Dperi' e Cui? ech0 chea ,amDem a, eados..
Am iznos, navio chafe, o pequeo vapor argentino ,U': embura quiS1 SuralJo' pjr',ue era S' Paul a; Somos com a malor conslderagao e estima.
| voz do patriotismo emmudeceu a l.nguagem do en- 0 recrutamenlo ja comecou, e os officiaes no-
thusiasmo morreu nos labios dos seus fllhos, e o raeados pe|0 presidente para esta incumbencia per-
amor pela patria esf. i de urna vez; ouve-se.sl.il, tencem ao partido liberal e conservador, e, pois,
; o Unir do ouro as oaos do propietario ou capita- no apparecer mais a descalda de que a indiffe-
! lista que stratam dos seus interesses, escuta se a renga provm da exclusao completa dos amigos da
! declamarao do poltico despeitado, e o coragao pal- suago para o servigo da guerra.
i pita, mas palpita de medo ; por isso que o gem
do da naci, sentindo o contacto pestilento de Acha-ae organisado um 2 corpo de voluntarios,
de tanta cobarda, e taa degredago moral, mal se sob cainmando do Sr. major Braga,
distingue I Os pnmelros que se alistaram foram os dlstinc-
Efio c declaraagaoos fados fallam eloquente- 's estudantes do 4o anno da faculdade de direito
mente, e ante elles nao ha de triumphar a ment- Antunes Ribas e Joo Vicente ; e os Srs. Pinto La-
ra, nem a pareialidade dos que defendem esta pro- ra> Simes Pires e Pinheiro Machado de prepara-
vincia torios.
Por mais de urna vez a familia acadmica tem
DI POLCO DI Tl'DO.
O Diarto do Rio publica o seguinte acerca do
MSRCABO MONETARIO :
Honlem foi publicado o balancete do Banco do
Brasil, correspondente ao mez de agosto indo :
Comparados os algarismos desse balancete cora
os do mez anterior, conhece-se que a misso que
em 31 de julho era de 46:870:8703 desceu em 31
de agosto a 42:186:990, havendo portanlo urna re-
docgo de 4:683:8805, o que importante para tao
breve lapso de lempo.
A certeza que em 31 de julho, comprehondendo
as letras descontada
7o,846:491533 de
*e assim a dilferenga de 2,930:083,5815.
leudo baixado a emisso 4,683^830 e a cartelra
2,950:0385815, no pode a differenga desse3 alga-
rismos ser explicada somonte pela cobranga de ti- typos de amoladores.
Tenho que escrever, al o flm do anno.
E, nio pensem que mea flm inglorio.
Esto engaados.
Gomo foi que se acabou a Inquisigao T
Referindo seos horrores, suas fogueiras.
Pois ei tenho tambem esperangas de acabar com
a raga maldita dos inquisidores, referindo toda a
casta de amolagSes qno elles condemnam os pec-
cadores do inundo intelro.
Da vira, Deus grande, em qae, bem conheci-
dos, os amoladores, ao sahir a ra, nao achara i
urna luja aberta para azer perguntas; urna ?squi-
is7c7udoadare7a7e7.7Z "J C0BWWir me,a hora com 1em tem jae
isceu a 72,890:402:5723, dando- -
., ... oXAa,0T, i As PrPria '""cas se fecharan.
Eis a' apresentada a minha credencial.
Ja' o leitor do Diario sabe que venho com um
grande pincel, borrar a' torio e a' direito, todos os
sem debate e votaram-se qnasi por proclamago
urna forga de trra de 60,000 homens e outra na-
vel de 6,000. Foi faroravelmente aceito um projec-
to de lei para levantar os fundos necessarios. O
Imperador D. Pedro II pz-se testa deste mori-
mente nacional, cuja forga de cerlo se no consu-
mir' na occasio que o excitou, mas se tornara'
base de maior ac.tividade geral tambem nos nego-
cios internos.
O procedimeoto justo e imparciai do governo in-
glez nestas occorrencias e o mode prudente e con-
cialidor por que se tem, havido, o seu representan-
te Thorntoo, coucorreram tambem certamente pa-
ra, por termo ao rompimento que, para o interes-
se de ambos, ja' tem durado demais entre os dous
governos.
lulos de carteira.
Os depsitos no banco provenientes de letras e I das classes.
comas correntes a juros importaran! em julho em |
9,638:1805031, elevando-se em agosto a.........
10.099:0505424; notndose por isso o accresclmo
Deus queira que o leitor no entre em alguma
um utilissimo
no Rio da Prata em
Acaba de apparecer era Londres
de 460:8645393, que, reunidos a 2.950:0335815, .... .. JT
^s ...! a I i ruv>.a j ; folheto explicativo da Gue
dao o folal de 3.410:9035^08, differenga que so po-; a.K v .
. i, 1865, com um mappa dos respectivos paizes. segn-
de ser explicada pela Importancia dos saques que: do |.g9 Q0 Jorml dQ Cow J^, dj JJ
o banco fez sobre suas caixas fihaes ou por qual- _,__.
, Lontem um resumo dos successos que produz-
qaer outra circunstancia de que nao podemos aiui-! .. ,.,:. .,___ .
1 v .ram a trplice allianga, raosira quao absurdas e ra-
zar ao cene. ..
. .. ...______... fundadas erara as impulagoes que o Paraguay as-
A reduegao na carfeira, o augmento nos deposi- l -.,...
... v sacou para fazer a guerra ; quao leal foi o Brasi
tos, e os saques concorreram para a baixadaemis- _JZL. ,* n
. r em manler a independencia do Lruguayecomo
sao na caixa matriz. '
..,,..,. cura mesmo da do Paraguay, repe indo o ataque
O balancete nao nos indica quaes as transaegoes ". v '
.,^ ..... j- de Lpez: como a trplice alhanca apenas se pro-
que concorreram para diminuir a carteira, mas sa- Z._, v K .
poe estabelecer um equilibrio permanente de po
quao profundamente interessada
bemos que o governo relirou do Banco bllhetes do
thesouro durante o mez de agosto na importancia ,no ,,*
de 2:100 conlos. Portanlo, foi o governo quera jMU a Eur0pa no tr,um,,h0 desta alliaDca-
mais concorreu para o resulfado que observamos. | O principio fundamental da allianga, diz-se ahi, a
E sendo certo que a superabundancia de papel ja continuago da independencia do Paraguay como
alm de outras causas, concorre para a baixa do estado separado e distincto. cora limites bem defi-
cambio, devemos concluir que o governo no se
tem descuidado deste importante assumpto.
Os saques do banco sobre as suas caixas flliaes
nidos, mas subordinado aos interesses communs
de paz externa e desenvolvimento interno, de ac-
cordo com a sua posigo geographica intermedia-
no importara urna reduegao no meio circulante do r'a> com a relago que a sui importancia tem com
Suarda Nacional, e em igual ordem os outros na-
vios, fechando a linlia o Ypiranga.
0 Apa tarzia aos costados o brigue Pfpertgitat-
',u } a barca Qaarahun. A Mearim puchaava urna
chala com o gado do manicio.
A esquadra trazia em seus postos todos o; offi-
ciaes, os artilheiros e a mannhagem indispensavel
as nnnobras ; tuilo o mais mindou-so reservar es-
peciaimeate do fo-,ro de (ozilaria e da metraiba que
deveriam fazer estragos horrivels.
O inimigo que pareca querer Iludir, fazia fogo
MnitQ lento a principio, mis apenas vio bastante
perto a Ivaluj. a ttajahy e logo as outras canhonei-
ras, deseorolvea u'ii como diluvio de fogo.
No erara tiros, eram descargas que faziam os
seu- 40 canhoes; balas de todos os calibres. Bom-
ba-, granadas, Ibgaetes congrve, e urna como
san i va de balas de infantina, tudo isso caba en-
rol vendo as canhooeiras em urna atmospbera por
mil Formas mortifera.
E las responllam com igual furor, ao mesmo
te.n^-j qae Implsalas pelo vapor e pela correte,
des isaram-se rpidas iguas-abaixo.
O trajelo ao alcanse do fogo das bateras no
ex:;deu para neahum navio de 30 minutos.
Se esse lempo fosse o dobro, todos tenam all l-
cado.
So emtinto os que mais .-offrer.im foram o Ama
ZOROt, contra quem se encarnicarim os Paraguayos,
lembrados lalvez do estrago que fez na sua esqua-
dra do Riachneln.
U Amazonas recebeu como 40 balas no costado
e mastreagao.
Os outros receberam 10, 15 e 20.
0 Ypiranga que pela sua ponca marcha atrazou-
se. soffreu consideraveis estragos.
No Amazonas urna bala alcangou a machina, na
It'ijiliy foi partida a cabeca do leme chegando a
desL'.vernar precisamente quando eslava debaixo
da barrancas.
Para a salvar talvez rauito concorreu a seren-
dade deum rapaz de 18 annos, o imperiol mari-
n'n.-iro Francisco Pereira Barbosa/'que sentindo
urna bala despedacar-lhe o leme, por assim dizer,
as mos, e vendo cahir a seu lado tres compa-
nheiros, conlinuou com. toda a serenidade a fazer
o gnverao do navio.
-. >s mastreag.lo, obras moras tudo solfreu
terr ..:.nente em todas as canhoelras ; ainda assim
naahuraa dellas perigou, sahindo magoadas mas
ioteiras da tremenda passagem.
As perdas no pessoal-uo se pronunciam as do
material, pelas acertadas providencias do digno
chefe, pois a esquadra s- tevo como 50 homens f-
ra do combate.
Entre os mortis s houve na classe de offlcial o
alteres Marcelino Barbosa Leal, do 14 batalhao de
voluntarios (di Gachoeiraj, e o aspirante de marl-
nha Joaquim Candido do Nascimento; e de solda-
dos 19, sendo feridos 29 e contusos 4.
Esle o prego do sangue na nova gloria que no
dia 12 de agosto conquistou a raarinha brasiieira
no Paran.
E' grande essa gloria, porque Tonelero, e talvez
Obligado, foram feitos menos brllhantes do que
Cuevas, onde s a pericia e sangue fri dos chefes,
offi.iaes e soldados podiam salvar a esquadra no
apurado lance era que se vio collocada.
Cabe aqui render jastiga aos bravos, que outra
handeira cobria.
As glorias passadas, verdade, sao quas sem-
pre urna garanta no presente, louros colhidos um seD"do a falla deirraaos seus 1ae dt'"ra a scieu"
dia recommoooao s por si o conquistador e c,a pela esPada- as 8|orias da '"buna e da impren-
ju.-b>, porque o valor poucas vezes merilo de'mo- sa' pelos louros do carapo da ba,a,ha ; por mais
raent0 : de urna vez os estudantes de S. Paulo mostram que
sabem tomar parte, Ja as alegras de seu paiz, ja
tambem nos tristes momentos em que elle exige
sacrificios e privagdes.
A provincia de S. Paulo, porm, heroica tantas
vezes to pairiolica em outros lempos, ella a hero-
na de 1822, o bergo da liberdade, hoje desmeote to
brilhante passado, e com toda a indifferenga os
nossos triumphos ou as nossas desgragas, recebe
com um riso de mofa as circulares do governo,
feixa os olhos a tanto sangue derramado de nossos
irmaos e cruza os bracos.
E' um desmentido solemne s vozes mentirosas
e despeitadas dos que procurara,a todo custo, mas
em balde, desmerecer os estudantes desta parte do
imperio, calumniando-os infamemente.
Mirabett dicto I os tres mil guardas nacionaes '
que tinham rigorosa obrigacio de partir, segundo
espressas ordens do ministerio, esses ainda aqni
est;io ; quanto a voluntarios depois de rauitos me-
zes de espera, e de marchas e contra marchas l
parllram no Princeza 540, tendo jurado bandeira
para mais de ral I
Elles esto cima destas miserias, e olham com
desprezo os seus detractores.
Honra a to briosa e patritica mocidade I
No Otario de S. Paulo l-se o seguinte :
A idea honlem proposta pelo Sr. Dr. Beloldi, de
crear-se una legio de estrangelros em todo o im-
perio, e para esle lira consultar o Exm. presidente
sobre a adimsso desta legio por lado do gover-
no, sem duvida grandiosa, mostrando, que sabio
O homem que tem um pouco de patriotismo, que de um coragao chelo de vontade de concorrer com
sabe quacs os seus deveres, segundo a constitulgo esle tributo de gratidao, que devemos todos para
mi pocas anormaes como a que attravessamos,! cora um paiz to hospitalero, como sempre tem s-
esse nao precisa de promessas, muito menos de \ do para comnosco o Brasil. Mas, segundo meu fra-
imposigoes. val livreraente allstar-se as llleiras co entender, ha de lular com tantas difflculdades
dos bravos, e dar assim um exemplo nobre e pro-' que duvido que se possa reallsar.
ve,loso- Esta legio projectada pelo meu Ilustre amigo,
Qual I os paulistas entendem quemelhor o soce- Para ser aPla de enlrar era camP de a'a|ha,
go de suas casas, os passatempos do theatro ede devt ser comPos'a e gente de vinte a vnle e cin-
outros divertimentos do que o sacrificio de urna co al lrinla annos de ,dade- Aonde se ha de achar
moxillaas costas e urna arma ao hombro; slm uma le8'aodes,as ?
sso mais agradavel; porm quando soar o clarini! Muilos da'Juella idade (de vnte annos) nascidos
da ultima victoria, quando a giorla der passagem aqui'ja eslao alislados na 8uarda oaclonal e ser
Imperio, porque a soraraa retirada da caixa matriz
val ser emiltida as provincias. Mas, sendo certo
que aqui o Baaco nao pode emitllr a somma que
por este meio retira da circulago, porquanto islo
Ihe foi expressamente vedado pelo governo, a di-
minuigo proveniente dessa operago iolluir favo-
ramente sobre o cambio, e, diminuindo a necessi-
dade da remessa das notas do governo, conservar
na circulago desta praga moeda de pequeos valo-
res, cuja escassez se lera feito sentir, dando lugar
a justas queixas.
Sabemos tambem que os pagamentos aos credo-
res do eslado esto sendo feitos, parte em netas de
pequeos valores, e parte em prata miuda.
Isto concorre timbera para diminuir o inconve-
niente da falla de trocos.
Consta-nos mais que o governo determinon lti-
mamente Casa da Moel que cunhasse de prefe-
rencia moedas de 500 a 200 rs., e que estas fossem
dadas em pagamento propordonalmente aos ere-
dores do eslado, logo que entrassera para o the-
souro.
Em nossa opioio oslas medidas, e no restabe
ledein o eslado normal da uossa Draga, concorrero
para atienuar os males que se observara.
Acreditamos que o governo no deixar de to-
mar medidas mais positivas, logo que di^ponha dos
lodispensaveis recursos.
A acquisigo destes habilitar o governo a facili-
tar, pelo thesouro, o saque sobre as provincias, o
qoe reputamos de grande vantagera as condiges
em que nos acharaos.
aos vencedores laureados, e a patria agradecida
vem ahi e ho de sahir, quando ella for ; os ou-
recebe-los de bracos abertos ao grito de"mil ova- tr08' eu) Pa-T[e chegados de novo, esto emprega-
goes, ento os degenerados senliro no tomar par- dos m casas alhe,as' nao sao douos do Sea temP>
te nessas alegras, e se envergonharo do triste e e ,aiDem D0 ^iem ler ainda este amor ao Pa,z-
revoltante papel que fizeram. corao nos' ''ue escolheraos para patria adoptiva,
b~. e com avenlureiros nem o paiz tica servido, ser-
nrlr-?amahn "" a,eS,td?dmm5,ra?a0davndo elles smente para envergonhara propria
provincia ura homem em que todos confiara muito,j lerra nalal.
e que necessanamente ha de fazer curaprir as de
O pequeo vapor Guarda Nacional da raariuba
argentina, estando juuto nossa esquadra, soffreu
como ella, batendose cora deoodo contra o poder
das bateras.
Teve 2 guarda-mariohas e 2 soldados morios, e
1 offlcial e 3 marinheiros feridos.
Os corposdos dous guardas marranas foram tra-
zidos a esta cidade, e aqu solemnemente sepulta-
dos.
O chefe Muratore foi o hroe no vapor argentino.
Creio deixar demonstrado que tinha razo dizendo
-serem em mais de um sentido importantes as noti-
cias que o Recife leva. Urna victoria era trra, no
Uruguay, um combate naval no Paran, e era am-
bos as armas paraguayas vencidas ou rechagadas.
E' que Deus no pode deixar de proteger a causa
^a justlga e da civilisago, como a que os alliados
mamen) conira o Paraguay.
terminagoes do governo, embora lutando com mi
difficuldades.
A honra do Brasil tem sido desfeiteada, o seu
territorio est invadido, cabe pois aos seus fllhos
Para a reuniao que ha poucos das teve lugar em em primevo lugar reparar este ultraje, e devemos
palacio, o Sr. Dr. CarrSoconvIdou as Influencias de nos esperar, para sermos convidados pelo governo
ambos os credos polticos, e sempre conseguio al- tomar parte effectva nesta lata.
guma cousa. ....
Mas de um lado; para facilitar o governo de
Foram nomeadas duas coramissoes compostas de mandar toda a gente disponivel para o campo da
tres membros eada uma, cora o flm de escreverem honra, e do oolao para mostrar, que nos no so-
circulares para diversos poatos da provincia, pe-
dlndo as influencias locaes que mandem o maior
numero possivel de voluntarios, e que fagam ver
aos cidados as garantas de que eslo cercados
pelo decreto do governo ; e ellas j dirlgiram a se-
guinte circular:
Illm. Sr.as graves emergencias em que se
acha o paiz, quando o inimigo insolonte e audaz
profana com a sua preseuga o territorio do imperio
e o governo do estado sent a neeessidade de re-
pelllr prompta e enrgicamente, por no flear des-
merecida a victoria, a affronta irrogada a dignida-
de da nago inteira, no crlvel que em circuns-
tancias taes hajabrasiielro algum.que no se associe
aos esforgos do governo, vingado, como propria que
, a honra nacional ultrajada.
mos esquecidos das obrigagoes, que devemos a
nossa patria adoptiva prepunhaque vamos for-
mar, no smente aqui na capital, como em todas
as cidades da provincia, um corpo, ura batalhao.
uma guarda cvica, ou corao quizerem, que se cha-
roe, fardemos nos nossa custa, abramos uma
subscnpgo, para fardar aquelles, cujas circums-
tancias nao admittlrcm este despeza,.e para outras
custas, nomeemos nos mesmos, estando o corpo or-
ganisado os nossos officiaes, e offeregamos o nosso
prestimo ao governo, para manler a seguranga da
cidade e dos beos, em quanto os bravos fllhos do
paiz rechagara os invasores da ierra natal.
Abra-se o alislamento, e estou cerlo, que logo
ho de concorrer todos os eslrangeiros, sejam ve-
nios, sejam pais de familias, ou sejam mogos, reas
cujas circunstancias no admittam assentar praga
laspirada por to nobres sentimentos, os nossos 'como voluntarios todos ho deapressar-se a pagar
concidados tem cumprido o sec dever. Pora da este tributo sagrado.
uo Diario de S. Piu/otranscre vemos o seguinte :
TYPOS DE AMOLADORES.
Dzem que, anda em 1865, ha vivente que no
sabe o que um amolador.
Meu Dos I que homem feliz I
Eu trocarla a minha sorte com a desse sugeito
ainda que fosse guarda do servigo activo da nossa
guarda nacional.
Sim, mil vezes carregar a patroua cheia de car-
tuxos, e ser engolido pelo Paraguayo, do que sof-
frer o torniquete desse bicho horrivel, que chama-
ran] amolador.
Bem pregado nome, senhor, o peior nome que
eu conhego, abommavel.
Traz idea de rebolo.
O amolador um calo debaixo de botins inver-
nisados com sol de meio dia.
Digo mal; peior que este callo.
O callo extrahe-se, o amolador, no.
Sahe quando bem Ihe parece, depois de nossa pa-
ciencia ter fallecido.
O amolador o mal maior deste degredo do
mundo.
Para evita-lo preflro qualquer outro : ir parar
na cadeia, comer cangica na Penitenciarla, ser meu
nome langado no rol dos culpados, pagas as custas
pelo cofre da minha munielpatidade, que a mi-
nha algibeira.
Sim, porque sere absolvido pelos meus pares.
E' irapossivel que elles nao respondan] : Sim,
por 12 votos, e at por mais; o reo pratlcou o de-
licio para evitar o mal maior de supportar um amo-
lador de chapa.
O cdigo criminal brasileiro j previa o caso da
futura existencia dos amoladores.
Tinha a experiencia apoditica e pora da praga
dos gafanhotos que comerara os Egypcios.
Eu sou um Egypclo, e os meus amoladores sao
gafanhotos.
Por isso que o cdigo penal brasileiro elogia-
do pelos expositores fraocezes.
Tanto sao gafanhotos estes amoladores, qae, co-
mo os gafanhotos, sallara aqu e all, sobre qual-
quer infeliz.
Amolara a lodo o mundo; no escolhem.
Por isso que todo o muulo qneixa se dos amo-
ladores.
E vejara se no somos mesmo infelizes.
Para todos os delicios ha penas, para qualquer
eouimAa ha posturas.
a de outras potencias, com a livre e Ilimitada na-
vegagao dos ros qoe descem pelo seu territorio e
sem possibilidade de repetir essas sorprezas e ata-
ques que permitiem os grandes fortes as margeos,
e um grande systema militar no interior. Podem
estas restriegues da poltica do Paraguay ser in-
compaiiveis com a continuago do despotismo de
Lpez, pois a sua prnneira garanta mesmo a h-
bertago daquelle estado, mas com ellas deixara' o
Paraguay de ser um perigo e um flagello para o
Prata, e entrando na communidade das outras na-
cues a nova poltica se tornara' fonte de prosperi-
dade.
Longe, pois, de ser um passo para traz, esta
allianga um passo para diaole dado no Prata, indi-
cando o deseuvuivimcnto de melhores principios
uaquelles estados, o desapparecimento de parvos
ciumes entre a populago hespaohola, e tambera
desses odios nacionaes que por espago de seculos
entre Hespanhes e Portuguezes tem sido causa
primaria da anarchia chronica.
E contiua :
Desde que o Paraguay foi reconhecido como na-
gao, o presidente Lpez lem tido quesloes mais ou
menos serias com os governos da Franga, Estados-
Unidos, Inglaterra e Brasil, recusando renovar
esses tratados de navegaco e commercio com a
Inglaterra, que na realidade tinhara sido a razo do
reconhecimento do seu governo. N'um caso tratou
cruel e oppressivameute os subditos de ura estado
euiopeu, a Frauga, que a ;eu convite se tinham es-
tabelecido no Paraguay, era outros foi s cora diffl
cuidado que pessous por elle eraprega'las era defe-
rentes obras poderam voltar a' patria depois de
acabado o lempo estipulado para os seus ser-
vigos.
A's reclaraagoes de governos estrangelros a favor
de seus subditos maltratados fechan sempre os ou-
vidos. E porque ? Porque a' entrada do seu terri-
torio tinha erguido sobre o rio o forte de Humait,
que, dominando completa nente a navegago, tem
de ser demolido antes que navios de guerra eslran-
geiros possam ir a Assumpgo pedir sa'isfagoes. A'
sombra das pegas desse forte tem elle maltratado
cjustautemente os eslrangeiros no Paraguay, sem
que os seus respectivos governos possam protge-
los. Confiado nossa lorie tem elle recusado reno-
var tratados entre as partes contrtanies, que ha-
viam uecessariamente de querer estabelecer ga-
rantas contra essa obstruegao da navegago
livre.
E gragas a esse fone, tem elle tido a' sua mare
o direito que por tratado compele ao Brasil de pas-
sar para as suas provincias superares, e vendo
estas despidas de forgas militares, invadio-as, qoei-
mou as povoagoes e passou os habitantes a' espada.
At onde, pois, a trplice allianga tem por fim a
demoligo do Humaita' e do outro forte, igualmente
formidavel, mais cima, no mesmo rio Paraguay,
propoe-se ella objectos de importancia, tanto local
como europea. Arrasada Humaita', deixara' o go-
verno do Paraguay de ser naccessivel s qu-ixas
de estados eslrangeiros. Sujeila as consequencias
da recusa de reparages de aggravos feitos a sub-
ditos europeas, podera' a repblica do Paraguay
ser com seguranga visitada e habitada por estes.
trra natal nos campos da batalha, Paysand e
Riachuelo foram o estadio glorioso, em qoe cele-
brisaram-se, hroes, nunca excedidos, e poucas
rezes igualados at hoje. Dentro do paiz, os ir-
maos de tantos bravos no Ibes desmentiro a es
tirpe, e acudid e acodem em multido, era dis-
pala de quem primeiro podesse chegar as regioes,
Esta proposigo, originada da vontade de con-
correr com meu fraco prestimo a favor da minha
patria adoptiva, temos a liberdade de depositar as
roaos da Ilustre commisso.
Dr. Boryhoff.
Aberta assim a colonisago e civilisago euro-
peas, licito esperar que desapparecero esses
systemas de coaego de industria nacional, de mo-
nopolio da produego agrcola e emprezas com-
merciaes que teera caractensado o despotismo do
Paraguay desde os romnticos das de Francia at
a dominag.io vulgar de Lpez o mogo. Longe,
pois, desta allianga ser hostil a' independencia, au-
tonoma, governo livre ou prosperdade do Para-
guay, deve ella promover-lhe e assegurar-lhe todos
estes beneficios. O ponto de partida para a futura
historia do Paraguay a demoligo do Humaita' e
o seu arrasamento uma das primeiras condiges da
trplice allianga.
E concille :
A guerra sem duvida um grande mal, mal ne-
cessario, porm, quando a causa justa, e no ac-
tual estado da natureza humana a conservago de
um espirito marcial para flos defensivos, tem van-
Para os Srs. amoladores no ha era posturas, tagens obvias e de graude alcance. Antes deste
era penas, nem multas. ataque o imperio do Brasil, pelo qae toca a este
Estes seohores sao soberanos. ; espirito, dorma profundamente. Os vizinhos o
Sao como o cholera que entra por orna cidade, olhavam como um estado destituido de ardor mili-
rai celfaodo ridas, e tudo soTre calado. ur, mais propenso as tricas diplomticas do qoe a
No ha direito de punir o cholera, nem a febre uma varonil manifeslagao da saperioridade da sua
amarella, nem a bexiga; ha obrigago pelo contra- forga. O seu exercito pouco mais era do que nm
ro de ir soflrendo caladinho. supplemento ou sucursal da policia, derramado era
O amolador arranjou tambera ecte direito; por pequeos destacamentos por um territorio immen-
isso val amolando iraperlurbavelmenle. so e praticamente intil para flns externos.
O amolador julga estar sempre como vilo em ReUtivaroete ao Prata, a sua aatoridade e os
casa de seu sogro. meios de manter a sua poslgSo dependiam Inteira-
E' homem que no faz ceremonia; vai amollan- mente das suas forgas navaes; mas apezar de con
E' do Sr. Sena Jnior este poesia :
A 'iiorte.
Paluda estrella da morle I
Nao brilhes sobre minh'alraa.
Antes que o dedo da sorto
Me iramorchega a verde palma
Da aurora da minha vida.
Deixa me cm-paz na morada.
D'essa vida acrysolada,
Por negras urses rasgada,
Por fros ventos cortada,
Qual mendigo sem guarida.
Deixa-me noiva do nada
Sosinho levar a cruz.
Ao calvario, na levada
D'esse mundo n de luz
De esperangas e de amor I
Deixa me s no tormento.
No desejo um s lamento,
Nem mesmo do proprio vento
O som triste de um memento,
Que revele a minha dor.
Deixa-me s no martyrio
D'esse mundo engaador,
iNo venhas cora teu delirio
Esmagar a pobre flor
De meus annos, em boto I
A que te ser vem meus das,
To cheios de melodas,
To repletos de harmonas,
Bafejados de poesias,
De esperanca e de illuso T
Deixa-me pois no meu fado
Padecer meu coragao ;
S me serve o leo noivado
No navendo uma illusao,
Que me arrede ao teu amor ;
Mas se o da for chegado
Se eu for aqu desgragado
Va, corre bem amado I
Que teu beijo apalxonado
Ceife e corte a minha dor.
Era Hespanha acaba de publicarse am livro
que trata largamente das tres grandes cidades
Paris, Londres e New-York, dessas capitaes onde
de momento para momento se oppero as mais
sorprendentes irauiformacges, e onde a nossa era
com todas as aspiragoes, cora todos os seos vicios
e virludes, se acha peifellamente representada.
ais em resumo a descripgo das tres grandes
cidades, feta pelo autor do curioso livro hespanhol
que temos presente -
A scencia das grandes theorias soclaes, grande
idea abstracta da solidariedade das nages ; o ar-
dor pelo gosos maieriaes, a sensualidade levada ao
ultimo ponto, como no ha exemplo se no na apo-
cada decadencia romana e do baixo imperio, a de-
monstrago patente do que rebaixa o espirito de
um povo, a vassallagen que impe a dictadura, o
apuraraenio das artes, que tende a familiarsar o
gosto do bello e a fundi-lo cora os objectos mais vul -
gares, ao mesmo lempo que com os monumentos
mais grandiosos; a scencia do direito moderno,
quando esle cons-guio ingerir-se as leis polticas
de urna nago especulativa ; e o exemplo do que
estas liberdades podera pela prosperdade de um
povo e o grande traballio da fuso dos principios
que fizeram marchar a socedade de hontem com
os que do impulso a sociedade da hoje, tal o
que representa o coujuncto, com os seus mil acci-
dentes, dessa Alhenas de nossos lempos que se
chama Pars.
As grandes deas pratcas, a applicago dos prin-
cipios ecouomcos a' iftio dos povs e das ragas
pelos meios maieriaes, os mais rpidos nos seus
resultados, a uaiversahdade Ua industria, a distri-
buigo e o sabio emprego das graudes forgas ioi.
ciadoras, o ouro, a associagao, o vapor, a elecirici-
dade, gaz, a livre troca euiro as uages, a larga base
aodameuial da toleraaciH.odireit de asylo, o res-
pelo a' le e a' autondade coociliado cora o respei-
Ij individual, era uma patarra, a pratica de todos
os principios que caraierisao este periodo da civi-
iisago contempornea, isto a signilicago desse
emporio moderno que se chama Londres.
A applicago das theorias mais arrojadas na
constituigo de uma sociedade nova, a experiencia
de todas as audacias polticas e raoraes, das expe-
culages mais avangadas, a pratica sincera da fra-
ternidade universal demonstrando o communismo
das ragas, a glorifi :ago e a prova da pralicabeli-
dade social da democracia e de suas fecundas con-
sequencias para a felicdade humana, tal o que
representa esse povo exuberante de seiva, o mais
joven, o mais iufeliz do mundo, esse povo que lem
por cidade capital New-York.
do, a' torto e a' direito.
Pois, senbores, o typo desta raga qoe me acho
encarregado de descrever, para conheclmento do
publico de toda a provincia, aflm de que todo o
mundo fuja della, como dos anligos jodeus.
Fujam, fujam e era olhem para traz.
E o cholera da vossa paciencia.
Sao moitos os amoladores, escalas Infinitas.
Cada amolador tem o seu geito de amolar a nos-
sa desgragada paciencia.
Vou percorrer as differentes escolas histricas.
Ha mil escolas.
sideraveis eram estas Insufflcientes n'um caso da-
do para elle sustentar os seus direltos e fazer res-
peitar a sua bandeira. Esta caprichosa aggresso
de Lpez excitou de forma tal o enihusiasrao, pa-
triotismo e espirito marcial do imperio, que fez
surgir uma forga voluntaria capaz de arrostrar e
resolver a sitnaego. Ao reunirem-se as cmaras
em maio passado formou-se novo gabinete mais vi-
goroso do que o anterior. A sua declarago de
proseguir na guerra a todo o transe tornoa desne-
cessaria toda a dscussao sobre as causas desta. A
resologao do gabinete foi aceita pela legislatura
O Internacional conta a seguale aoedocta sobre
Haendel, cujo arrebalamenlo era notavel; como ce-
lebre o seu talento :
m dia a signora Cuzzonl, cantora de grande
(ama, rauito formosa, mas em extremo caprichosa,
exigente e cheia de. amor proprio como poucas, ou-
sou dizer a Haendel que achava raa' urna aria do
Oilwn Falsa imagine, escripia para ella.
O maestro pergunta-lhe affavelmente qual a
aria, executa-a no piano e prova-lhe que podia cau-
ta la.
Disse que no a quera cantar, e no a can-
tarei.
Esla foi a nica resposla que o compositor de
msica poude arrancar cantora.
Islo passava-se em ura terceiro andar de ama
villa encantadora que a signora Cuzzoni hab-
lava.
Fazia muito calor.
A sacada que deiiava para um precipicio estava
aberta.
Haendel possuia uma forga herclea e uma vi-
vacidade extrema.
Levantou-se de repente, pegn na cantora pela
cioiura e sospendeu-a sobre o abysmo qae se de-
senrolava por baixo da jaoella.
Cantas a minha aria ou nao ? dix-lhe elle
com voz sufforada.
Misericordia 1 Soccorro, soccorro I
Cantas ou no canta ?
Canto tudo quhio quizer ; a sua aria en-
cantadora ; mas compadeca-se de mim ; no me
mate, meu bom Sr. Haendel I
Desde entilo a signora Cuizoni nio tere mais ca-
prichos.
Como se resistira a um homem com taes meios
de persuaso I
Um dia o Dr. Morell n -tou ao Ilustre. maestro
que uma passagem de ama msica sua no dava o
verdadeiro sentido s patarras.
Haendel, fulo de colera, exclama praguejando :
Ento Vmc. quer ensinar-me a mim o mea
offlcio, sea blltre ? Digo-lbe a msica est boa,
que est excellente ; as suas palavras qae nao
va lem nada.
E assentando-se diante do cravo e tocando com
todas as suas forgas, disse :
Aqui esta' a minha msica : que lem que Ibe
dizer T Bem v, perfeita I Va' reformar o sen
trabalho ; as suas palavras qae nao exprimem o
sentido de minha msica.
ERNAMBCO. TYP. DE M. F. DE F. & FILHO
1

"
7


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6ZCAQLCO_RK32WO INGEST_TIME 2013-08-28T01:43:02Z PACKAGE AA00011611_10771
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES