Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10770


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f
!

A
k
AllilO XU HOMERO 213

Fr qnartel pago dentro de iO das do 1, mez ; : t 51000
t dem deoois dos l." 10 das do comegoe dentro do qnartel. 61000
Porte ao correio por tres Bezes..........., 75Q
DIARIO
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o 8r. Antonio Alexpndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; l>ar, os Srs. Geraldo Antonio Alves -
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Oas; Baha, o
Sr. Jos Marlins Aire*; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho. |
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEx, as quartas
feiras.
SEGUNDA FEIRA 18 DE SETEMBRO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10dias do l.8 mez y 191000
Porte ao eorreio j>er um aaio ..,,,,,.,.,. SgOOO
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIDUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : qnintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas. *
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
5 La cbeia as 11 h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Quarto ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La nova as 8 h., 26 m. e 10 s. da t.
28 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Jos de Cnpertina f.
19. Terca. S. Januario b. m..; S Ni lo b. m.
20. Quarta. S. Eustaquio m.; S. Prisco m.
21. Quinta. S. Matheus ap.; S. Joas pro.
-2. sexta. S. Mauricio m.; S. Santino b.
23. Sabbado. S. Lino p. m.; S. Tecla v. m.
24. Domingo. S. Tyrso m.; S. Geraldo b. m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 54 m. da tarde.
'Segunda as 3 horas e 18 minutos da manhaa.
PARTE QFFICIAL
fiOVEHHO DA PROYlPUtl.
pelo chefe de polica em 4 do corrente, e sob
n. 1,303, a duvida constante do parecer da contadu-
ra dessa thesouraria, a que se refere o seo citado
offlcio.
Dito ao mesmo. Remello por copia a V. S. am
de que sejam feitos os devidss asseotamentos de
Conlinnifio do expediente do dia 13 de setembro B?J* JJiacao.dos J*n*orM Anton,. Francisco
a jar- dAssurapgao, e Loii de Franca, engaiados no 1
ae, ,B"3- d) corrente mez, para servirera as 6" e 7* compa-
Offlcio ao marechal de campo commandante nhias do 2 batalho da guarda nacional deste
das armas. Mande V. Exc. alistar no 5. corpo municipio.
de voluntarios da patria, se for considerado apto Dito ao mesmo.Atientas as razoes apresentadas
para isso, o paisano Antonio Francisco das Chagas,' pe|0 commandante das armas em offlcio n 1 527
que se olereceu para servir em dito corpo. de 9 do corrente, que por copia vai cobrindo o do
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. coronel-commandanie do 3 corpo de voluntarios
Autoriso V. S. nos termos de sua informago de dHSta provincia recommendo a V. S. que mande
31 de agosto ultimo, sob n. 632, dada com referen- pagar com urgencia ao mencionado coronel os
ca a da contadoria dessa thesmraria a mandar i vencimontos constantes de seu citado offlcio a con-
abonar ao guarda da companhia de aprendices j tar do da em que foi empossado aaquelle com-
menores do arsenal de guerra, Pedro Ferreira dos mando em virtude de ordem do dia
Santos, a 5.' parte dos vencimentos do lugar que Dito ao mesmo.-Para evitar os inconvenientes
exerce interinamente de professor de primeiras qne reSultam da regeicao felta por essa thesouraria
lettras da predita companhia, visto achar-se elle do$ prets dos vencimentos da guarda nacional des-
como empregado d'aquelle arsenal, compreheodido | tacada no interior da provincia, por tfao estarem
na hypothese prevista 1 rt 3." do decreto n. 1995 j regularmente organisados, recommendo a V. S. que
me remeta um modelo dos referidos prets, alim
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o norte
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, maic,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d
Faria & Filho.
de 14 de ou'ubro de 1857.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Flores.Em resposta ao offlcio de V. S.
de 19 de agosto prximo fiodo, tenho a dizer-lbe,
que com a miuha circular de 16 d'aquelle mez,
acoropanhada do exemplar impresso do decreto
n. 3506 de 4 do mesmo, mandando fazer a desig-
nacao dos guardas para o servigo da guerra pelos
coinmandanles de corpas, ficou removido o obsta-
culo que embaracava a designago do contingente
de serem enviados aos cheles da guarda nacional
das localidades, onde a mesma guarda est pres-
tando servicos de destacamento.
Dito ao iospector da thesouraria provincial.In-
eirado do contedlo do offlcio de 24 de agoslo ulti-
mo, sob n. 328 com que V. S. irapugnou o paga-
mento na importancia de 50J200, despendida, como
se v da conta que devolvo, com o sustento dos
presos pobres da cadeia da cidade de Nazareth,
instruccSo do batalho sob seu commando.Expe-
d ram-se as necessarias ordens.
Diloao commandante superior di guarda nacio-
nal de Garantan?.Respondendo ao seu offlcio n.
60 de 13 de agoslo ultimo, tenho a dizer-lhe que
deve V. S. reraetler sem demora para esta capital
o guarda do batalho n. 28 de infaniaria do muni-
cipio de Garanhuns, Severiano Honorio da Costa,
Rio de Janeiro.-Pelo ministerio da guerra foram tai com todos
publicados o seguinte aviso e circular :
Ao visconde do Tamandar, declarando, em
resposta ao seu offlcio de 16 de maio ultimo, no
qual expoe a conveniencia de distribuir pelos di-
versos corpos do exercito 800 ou 1,000 recrutas ou
voluntarios que para all forem : que quanto aos
s ja essa faculiade Ihe permetllda : po-
os preparos para nelle estabelecer-se
urna enfermara militar.
Tinha fallecido o coronel reformado Julio Hen-
nqoe Knorr.
Da Cachoeira escreveram o segrale :
A enchente tem sido granae, as aguas do Ja-
cuhy tem transbordado, e est ludo isso por ahi
alagadssimo.
Urna grande porclo de tropa que estava acam-
pada em S. Lourenco, leve de fugir a inundaco, e
com grande cusi puderam levantar o seu abarra-
camento, atravessando lagas com agua al os
peitos.
A entrada de urna forca
pressao ntida
brilhante.
de que trata o citado offlcio e bem assira as demais | dendo, quanto aos voluntarios i lar servir m
pracas da guarda nacional sob seu commando su- ditos corpos os que o desejar'em ou nao tiverem
perior que foram como aquello guarda designados repugnancia em sabir daquelles m que se alina-
para o servico da guerra I ram.
Dito ao director do arsenal de guerra-Mande Circular declarando que devera reunir-se ao
V. is. recolher aos arraazens desse arsenal, os arti- exercito era operares cootra a repblica do Para-
gos de armamento, equipamento, manicicoes e guay, os offlclaes do corpo de saude existentes na
utensilios constanles da relago por copia inclusa, crie e as provincias, exceptundose os
que tem de dexar nesta provincia o corpo de virem na 2* directora geral e as fortalezas
guarnigo, secundo declarou me o commandante cipaes, no presidio de femando de Noronha.
das armas em offlcio n. 1,556 de 12 do correle, provincias de Matto-GrossoMinasGeres Gova" o' Pr, Tpr0V,?dfl,c,a
devendo V.S. mandar pagar >s despeas de con- Rio Grande do Sul, as torgas queT?ffi2S?f ^ "^ P0^e'n
duccao dos referidos objectos, cerlo de que serao operacoes de guerra, e bem assira os deleeados do I rv ,,
rurgWmrdo exercoL asPrUuc1as"J, Per-1,0 paSlnvalao/da *pSS Eba?eneto d- "*
e regular, e a sua tinta Una e
A tinta da estampa falsa grossa e
sem bnlho, o que d aos caractersticos da mesma
estampa mais escuro e confuso.
O emblema da eslampa verdera, producto de
um trabalho esmerado, e de primeira ordem, e mani-
lesia-se bem pronunciadamente era todas as suas
panes componentes Ahi se v com a nitidez de
impressao correspondente do geral da eslampa,
o nonsonte, os morros, o templo, os edificios e lodos
os demais objectos que o artista quiz representar,
tudo bem pronunciado.Na estampa falsa nao ha
! Pal um'f TC n"m mrT' erablenia asela sobre
i fundo escuro, e de lra$os confusos, e os demais
nao se confir
que a esse commando superior coube dar, aflm de durante o raez de junho prximo passado, recom-
que V. S. o faga quanto antes seguir para esta ca- mendo-lhe que mande pagar ao negociante Elias
pilal como hei determinado. de Alraeida Lima, smente a quantia de 37$800,
Designo o promotor publico dessa eomarca para por ter de abater-se da predila conta a de MtOO
rubricar os livros de que trata o seu citado offlcio, correspondentes as presos Marcellino Jos Gomes,
e recommende V. S. aos commaadanies de corpos joao Baplista dos Santos, e Vicencia, os 2 pnmeiros
que apresentera sus propostas para completa or-: por nao se acnarem contemplados na respectiva
ganisago dos mesmos. relacao ministrada pela delegacia daquells termo
Dito ao lente coronel Mariano Xavier barnei- e a ultima por ser escrava, segundo consta do pa-
ro da Cunha.-Recebi o seu offlcio de 11 do cor- recer dessa contadoria a que se refere o seu citado
renie e fleando inleirado de quanto me communica, offleo.
tenho a dizor-lhe em resposta que pode ir aquar- dho ao mesmo.Transmiti a V. S, aflm de que
tellando os offlciaes do batalho sob seu comman- i
do, que se offerecem para servir na gaerra e forem
necessarios para comraandar as pracas que se
tenha a devida execuco, a Inclusa caria precato-
ra qus do juizo dos feitos da fazenda obteve Joa-
quina Manoel Ferreira de Souza, com o fim de
indemnisadas pela thesouraria de fazenda, em vis-
ta de sua conta.
Dito ao mesmo. -De conformidade com a sua in
formaco de 2 do corrente, sob n. 388, mande V. S.
admiltir na companhia de aprendizes desse arsenal,
depois de satisfeitos os requisiios que exige o res
peclivo regulamento o menor Eluardo Francisco
da Silva, lilho de Mana Luiza da Conceigo.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. a comprar cora
urgencia para o 1 batalho de guardas nacionaes
destinados ao servico da guerra, os instruicentos
de msica mencionados no incluso pedido, assigna-
do pelo commandante do mesmo batalho.
Dito ao commandante do corpo de polica D
V. S. baixa do servico aos soldados do corpo sob
seu commando, Francisco Jos de Medeiros, que foi
julgado incapaz em inspeccao de saude, e Joo Jos
deira.
Finalmente as assignaturas e a rubrica sao
grosseiramente imitadas. Para se distinguir im-
diatamente ola falsa da verdadeira me pare-
duas salas do ce sufflciente : 1
narabuco, da Bahia e de Santa Catharina.
s do_ Sul, recebemos datas de Porto Ale- EffSL KSL2?2SS *L"H SJ.0.**"! Dera morros e Iosmenle ura
tfStf aSSSatES I S? SSSSS BBSP*
ras que tomou a si esta caridosa tarefa, e a maior
dos porto
ora ai6 Vi o nin iv,h > 7. ~~~~2Z ldSJ.. "" " Krinaat 3 do corran,/ paSMd0 6 d8 S n' parle dosquaes jeune a perfeico do trabalho ao
S M ETl n ^ ,., d a. ni^ccimento de terem sido especialmente feitos pa
o. m. o imperador e b. A. o Sr. duque de Sa- ri n ntwmi<. nn> .. a^Z:~ -i_____
19 reunio-se-lhes naqaella villa S. A. o Sr. conde eros em jardineiras, cestas e quadros ; toda a sor-
te de bordados, crochets, e irabalhos de agulha pri-
morosos : obras de esculptura, pintura, desenho,
Sua Magestade e Suas Altezas gozavam de per-
feta saude, e, tendo recebido no da 22 a noticia
do triumpho das armas adiadas em Yatay, deviam,
segundo o Jornal do Commercio de Porto Alegre,
seguir no dia 23 para s. Gabriel.
As dalas da fronteira da Uruguayana citadas
'nlhia l-.nl.. A, ..-T..I_____. ,.V'n____j. .= .
eliveira, que flnalisou o seu engajamento, se- as folhas tanto da capital romo do Rio Grande sao'i-. 5.
gundo consta dos offlcios de V. S. ns. 827 o 828 anteriores as que recamos pet Rio da Pra.a! C'aSSeS da D0SSa S0C,edade' offereftian
oe i do corrente. ,-., porlanto nada podemos ainda noticiar sobro as no-
unoao mesmo. Mande V. S. alistar no corpo vas op^-ragoes do exercito alnado naquelle ponto
sod seu commando os 10 paisanos mencionados na da provincia.
fi.lQI.yA ii.nl* mimn i i ^Hn..nJ nH>. r 1*1 ,1 ^ I r. <
relago junta, visto que segundo o seu offlcio n
844 de 14 do corrente foram considerados aptos
para isso em inspecgo de sade.
Relacao a que se refere o oficio supra.
Manoel da Paixo Oliveira.
Severino Soares Martvr.
Trajano Jos Gongaive's.
a Pelo gabinete do Sr. ministro da guerra fra
etc., nao se esquecendo a bella boneca Leonida de
nos todas, com o seu completo enxoval, que exci-
tou em alto grao interesss e curiosidade, pela ori-
gera desta singela offeria.
numero de senboras das primeiras
venda os
arligos a seu cargo, e algumas, sobretudo das mais
jovens, mostraram tanto geito e boa disposigo, que
esgolarara muitas bolsas, cujos donos nao pensa-
vam talveztocar-lhes.
Ura magnifico bufete, servido tambem por se-
, ---------------~ "*w.w^ *, luucviui/UlD UIU
lUDdo escuro e de tragos confusos, sobre que esto
reproduzdos tosca e superficialmente, os demais
oiijecios que compoe o mesmo emblema; 3, o
aspecto da estampa mais escuro, fazendo com
que mal se lam os dizeres do centro da nota.
O mosteiro de S. Bento offerece a" todos os
seus arrendatarios, que uuizerem apresentar-se
voluntarios para seguirera a incorporar-se volunta-
rios para seguirem a incorporar-se ao exercito bra-
sileiro no sul do imperio, o perdo das rendas que
esliverem a dever, o goso de seus arrendamentos
gratuitamente por espago de 5 annos, e mais a
quanlia de I00J no acto de jurar bandelra. Ou-
trosim faz as despezas de conducao at esta corte
t Lntrou arribada em nosso porto, em viagem
d New-Port para Valparaso, a barca ingleza W.
Junes. Vera concertar o leme.
Continuase a trabalhar para suspender o va-
expedida eraCagapavaTemie dopas^adVa'segin"- i^iaSffiJEE KS LltuU'-m! f.orao noticiamos, encalhou na
te ordem do dia so n. 4: h,rnil- elados, refrescos, licores, pastis (praia do Menino de eus em Santa Catharina.
alisiarem, e espero dos seus esforgos e patriotismo | haver dessa thesouraria a quanlia de 134430,1 Antonio Pedro Barbosa.
- proveniente de cusas a que foi ella condemnada Joao Dornellas Cmara.
na acgo que movia contra o supplicante relativa- Felippe Santiago.
mente a cobranga do imposta de 20 porcento sobre Feliciano Ferreira da Silva.
o consumo de agua-ardente. Manoel Pedro Moreno.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. de conformida- Pedro Alves.
de com a sua inforraagSo n. 350 de 9 do corrente, Francisco Solano da Silva Brandao.
delegado de polica do termo do Brejo, e para suns- a mandar eniregar desde j ao vigaro da fregu- i Dito ao superintendenle da eslrada de ferro.O
Muir o referido Mergulhao no lugar de suoue- za d0 Limoeiro, padre Menoel Ignacio de Lima Sr. superintendente da estrada de ferro mande dar
legado do 1. distncto da freguezia do mesmo mediante lianga edonea um cont de res por conta transpone de segunda classe or conta do ministe
que em breve tempo esteja completo o seu bala-
iho.
Portara.O presidente da provincia conforman-
do-so com a proposta do Dr. ebefe de polica n.
1357 de 12 do correle, resolve nomear Rogerio
Lucio da Silva Mergulhao para o lugar vago de
o cidado
come, nomea
Souza.
14 -
Offlcio ao Exm. Sr. Dr. Adolpho de Barros Ca-
valcanle de Albuquerque Lacerda, presidente da
provincia de Santa Calharina. Pelo offlcio de
V.Exc. de 16 de agosto ultimo, iquei inteirado
de haver V. Exc. nessa data, prestado juramento
e iomado posse da administrago dessa provin-
cia
Dito ao marechal de campo commandante das
armas. Faga V. Exc. inspeccionar o sMdado do
corpo de polica Francisco dos Santos Neves, que
assim o sollicitou.
Dito ao mesmo.Haja V. Exc. de informar so-
bre o que p'de o guarda nacional do batalho n.
2'i de inlaniaria do municipio do Bonito, Jos Go
mes da Silva no incluo requerimenio.
Dito ao mesmo Fago apresentar V. Exc. o
gaarda do batalho de infantaria n. 26 do munici-
pio do Bjnito Antonio Rodopiano Pereira, alim de
ser alistado no i. batalho de guardas nacionaes
destinados ao servico da guerra, se fr considera-
do apto em inspecgo de sade
Afim d que cheguem ao conhecraento do
exercito, publicam-se as seguiotes disposg5es :
S. Exc. o Sr. ministro da guerra manda fazer
publico que recebeu recommendagao terminante de
Sua Magestade o Imperador, para reiterar e excitar
a religiosa e stricla observancia das ordens expe-
didas em data de 10 do corrente sobre o bom ira-
tamento e direegao dos prisioneiros de guerra.
Esta rocommendago, alias desnecessaria, at-
lentos os senlimenlos que devera animar os offl-
ciaes e pragas do exercito, bem como as autorida-
des civis e militares de>te imperio, lorna-se, toda-
va, iodispensavel, afim de que nao se limitem
estas a prestar somenle o tralamento que se costu-
ma dar aos prisioneiros, mas anda se esforcem por
e charutos.
A' entrada, no sago, duas bandas de msica
locaram constantemente escolhidas pegas.
A concurrencia foi grande e as salas nao dei-
xaram de estar cheias de concurrente?.
t Hoje das 4 horas da tarde em liante e ama-
nhaa, das 10 1|2 horas da manhaa al as 3 da tar-
de, coniiua a exposigo. Se ainda assim nao fo-
rem esgotadjs os objectos reunidos, domingo 17 do
corrente se convertera' o bazar em leilo, sendo o
que restar vendido a quem mais der.
< As vendas e entradas de hontem renderam
5:647,5, e o bom principio agoura um magnifico
producto total. >
c Hoje (8) as 10 horas da manhaa embarcam no
arsenal de marinha para bordo do transporte Isa-
da freguezia oo mesmo mediante lianga edonea um cont de ris por conta | transpone de segunda classe por
Joaqun JOS6 lavare oe dos dous, que foram consignados pelo arl. 15 5 rio da guerra, das Cinco Ponas at Una, ao ios
da le do orgamento viente, para as obras da igre-, pector de quarleiro Sebaslio Fernandes do Mello, i suavisar-lhe a sorte disnpiisando-lhes n melhnr len- ,.r----------
jamairiz daquella freguezia. i Lauriano Jos de souza e Marcolioo Jos de Lyra! i Ihmiento nos^ive dlspe"sand0 ihes m8lhor aco : bel 700 pragas de diversos batalhoes.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solictou o' que vieram a esta capital conduzmdo recrutas. A oar de samelua^ifl ------'- P nara torna In O Jw vat para o Rio Grande com escala
chefe de polica em offlcio de 6 doWrente, sob. Communicou-se ao engenheiro fiscal da mesma es- tfkct^MtS^Z^m Sr uue se oro ranla Ca,nar'5a- A
n. 1,318, recommendo a V. S. que se nao houver trada. ,Sdoibo^mIs rta^ 2!rif*tS fJI\t', RDto-*j nodia *^ crreme,em urna dassa-
inconveniente mande pagar a Joo Baplista dos Dito ao mesmo.-O Sr. superin.endente da estra- SSlffiToKS^aS?Sr ventu?a "s laS, da S0C'edad,e Ailiadora da In,lus.,ria Naci-
Gaimaraes Peixoto, a quanlia de 204J200, despen- da de ferro mande dar transpone, por conta dos aueeido da nrroria d^n^dade e das le s da eiierra' ml' a comra,ss? directora da Exposigo Nacional,
dida com o sustento dos presos pobres da cadeia cofres provinciaes, das Coco Ponas at Ariplb, I J 1rSiS iS&Mnt manche o un- fV Pres,denc,a ""nna do Sr Dr Souza Reg,
do termo de Flores, a contar do dia 29 de Janeiro a Manoel de Barros Embira o BertO da Silva, qu formePque wSrSmSS^ZSSSS. exSo" I ".1 comP%ec,i iSrs- "W'SS*" Mahado'
at II junho deste anno, como se v da inclusa vieram a esta capital escoltando dous presos.- ao oude xand'o *TSJ?BS2&^ Ste^-^ 1*to,l ?alva0/,,hoi baC,ha"
conta.-Coromnnicou-se ao Dr. chefe de polica. Communicou-se ao engenheiro fiscal da mesma es- j villa dos seus priioneiros 'n'enc.oaoe e a; re, Pereira Reg0 Commendadores Azevedo e La-
Dito ao commandante superior d guarda nacional' trada. O mpsmo Kim Sr VMmmunili fi..l oypcii.
tSStJSSAa3 mais ^lmmaHD,e^orde?s'' iwfiaS. subd l ,ZJ nP,ll ^"J" .Alb,.D0 de Gusm,af.! 22^2ateT2 licammandaiUe <* cor.P dd P"- peilo do modo porque os offlciaes e mais pragas do Knnr
o lente Hermino Egydio de Figueiredo e os alfe- ca em odleio de 12 do corrate, que nao se apre exercito devem tatr rpnrpspntai-fP<; p nii^iias s
, res Francisco Gomes de Oliveira Sobrnhoe Manoel senou o paisano Pedro Pereira de Lima por Vine. l
' Romao Correa de Araujo Jnior, que se achara remeltido com o seu offlcio da 4 diste mes, e que
designados para servir no Io corpo da guarda na- eu havia designado para servir em dilo corpo, as-
i ciooal destinado guerra, se apresentem sern per- j sim o declaro a Vine, alim de que providencie con-
da de tempo ao general coinmsn laote das armas e ; venientemeuie sobre essa falla.
recolham-se ao referido corpo.Igual aos com- Portara. O presidente da provincia tendo em
I gos. Faltaram a reunio os Srs. conselheiro mar-
quez de branles e Dr. Frederico Leopoldo Cesar
da sesso de 16 de
mandantes superiores do Cabo para fazer seguir o
, alteres Manoel Mathias Cavalcaoti e lente Tho-1
autoridades, quaesquer que estas sejam.
Nomegoes.Dos Srs. :
i Capia da companhia de artfices de Pernam-
buco Trajano Alipio de Carvalho Mendonga, para
j major de commissio e commandante da guarnigo
1 i da villa de Cacapava, nesta provincia.
o approvada a acta
agosto.
Expediente.Offlcio do Sr. conselheiro mar-
quez de branles, communicando nao poder com
parecer por ter de presidir a mesa conjuncta da
Santa Casa da Misericordia.Inleirado.
Passando-se a' ordem do dia, entrou em dis
cussiio o orcamenlo apresentado pelos Srs. Lagos
vista o offlcio do commandante superior da guarda Capitfio cirurgio ror do estado maior doom-1 ,.v,.va nar, t-rminarfo bns
---------.........- v~...~~.. ..vU......., nacional dos municipios do Rio Formoso e Seri-; mando suDerior da inrda n.rional dos muiicimos 1 i P 5
Dilo ao mesmo.- Sirva se V. Esc. de mandar ,naZ Jos da Silva Gusmo, de Nazareth o alfores Es- nhetn, datado de 9 do correte, resolve n5* TfZzSB^JE* nAc,0Dal!uUB.,c,P1.?! moeda.
alistar como voluntarios da patria os cidadaos cons- j meralJo Pereira de Mell Civalcanti, do Rio For-
nao so j da cachoeira e Cagapava, Dr. Agostinho Jos da
privar do posto o alferes da primeira companhia I costa Figueiredo. para encarregado da enfermara
Rodrigues da Silva e os do batalho n. 42 de infantariaidfl segunlo dos re- mj|lur da cidade da Cachoeira, em subslitugo do
alfere I-elippeNery de Barros NVanderley eLuiz flidos municipios Joaquim Martiniaoo dos Res, Sr. coronel honorario, crurgio-mr reformado
Belcinor Pessoa de Siqueira, do Limoeiro o alferes i qua tendo sido nomeado por portara de 12 de Chri-tovo Jos Vieira
Jos Mauricio de Alraeida Bastos, do Pao d'Alho o malo de 1856 nao se apresentou fardado nem pres- capitao da guarda nacional uonsianlino Jos
atieres Conrado Ferreira da Costa, de Cabrobo o : tou servigo algum, mas tambara promover ao re
capito Francisco Antonio de S.i Padilha, de Gara- ferido posto de coofornidade com
nhuns o alferes Jos Tavares de Lyra, da Boa-Vis-' respectivo commandante, datada de
la o alferes Andr Nunes de Barros, de Santo Ao- guarda Jos Cavalcanti de Albuquerq
lo o lente Manoel Ferreira d* Silva Lins, do Bo- Coramuniou se ao commandante superior da guar- e 0 movimento vericaco arrecadacio e deposi-
nito o capitao Rufino Baplista Maranhao, o lente [ da nacional do Rio Formoso. to de todo o malWial do exercito que dirigr-se ou
Manoel Thoma; le Azevedo, de Hores o capitao; Dita. O presidente da provincia, para preen- Uver de trausiiar nelo municipio da Cachoeira.
Jos Comes de Mello eos alferes Marcolioo Curado c.lier os poslos vagos no prmeiro cor^o da guarda
da Cmara, Vasco Pereira de Moraes e lago Roiri- nacional destinado ao servigo da guerra, resolve
designar os offlciaes seguintes :
1* companhia.
Tenente o lenle do batalho n. 43 Marlinho Ro-1 pertencpm
drigues da Silva, em lugar do tenente Evaristo Alfere*s da guarda nacional Pedro Pereira For-
Vieira Lins Cavalcante de Albuquerque, que est ,Mi para capilao de commiSao anra de servir no
destacado em Fernando. | piguete imperial
onsiderada em di Alferes o alferes do batalho n. 43 Felippe Nery de A,feres da gMrda naciona| Ismae| Bebiano dos
pertencer. Barros Wanderley, em lugar do alferes los Ig-' Santos, para servir no piquete imperial.
nano nn Uplln ano Ibuh Muinom nin a isla. .__.-_. .. .,. ,r ^ r
tantes da relago inclusa, com destino aos corpos ( moso o lente Marlinho
iiMU mencionados.
Para o 3." corpo.
Podra Barbosa de Araujo.
Joaquim Rogerio de Oliveira.
Jos Hygino Duarte Pereira.
Para o 5.' corpo.
Francisco das Chagas Paes Barreto.
Para o 6. corpo.
Miguel dos Anjns Martins.
J"o Pedro Dias de Sant'Anna.
Manoel Jos do Na-cimento.
Dito ao mesmo. Queira V. Exc. designar um
dos offlciaes elfeciivo ou reformado, para ir ns- gues |j0Si e e uarreiros e Agua Prea o tenente
truir o batalho n. 42 de infantaria da guarda na- j Austricliano Scrates de M .ura Poggi.
conal do municipio de Serinhem, c qual devera Dito ao mesmo.Manda V. S. com urgencia de-
seguir para all com a possivel brevidade. signar um corneta dos corpis da guarda nacional
Dito ao mesmo.Em vista do que representou- S0D seu commando superior, para ir servir no ba-
rre o tenente-coronel commandante do 5. corpo de talho n. 42 de infaniaria do municipio de Seri-
volnntarios da patria, no offlcio annexo por copia nhaem, devendo essa praga ser c
ao de V. Exc. n. 1454 de 30 de agosto ultimo, te-1 ngeocia no batalho a que perter
nho resolvido que sejam restituidos ao mesmo cor-1 Dito ao mesmo.Ordene V. S. ao commandante i naci de Mello, que leve" passagem para a lista
po os guardas do 4." batalho deste municipio, a do jo batalho aquartelado, que f.iga apresentar ao; de reserva em 9 do corrente.
que allude o referido tecente-coronel, visto j ha- capto do porto, amanha, s 7 horas do dia, 18. 4* companhia.
verem elles se alistado como voluntarios da patria, praca3 do mesmo batalho para escoltarem os re-1 Capito o capito do terceiro balalhj Joaquim Al-
antes que a esta presidencia fosse remettida a re crutas de marinha, que teem de ser inspeccio- bino de Gusmo, em lugar do capitao Henrique
lagao dos guarda* designados para o servigo da nados. Marques da Silveira Lins, que foi dispensado no
guerra, levndose todava era conta do ontingen-; Dito ao commandante superior da guarda naci-' 1 de agosto prximo lindo,
te que coube dar aquella batalho. nal do Limoeiro.Dos guardas nacionaes que tem 5" companhia.
O que communico V. Exc. para seu conhe- vpdo ltimamente desse municipio com destino Capito o capilao do oitavo batalho Joao Luiz Ri-
imenio e direegao.Offlciou se nesle sentido ao ao servigo da guerra, mandei dispensar nesta data belro de Faria, em lugar do capito Joo Carlos
commandante superior do Recife. os tres mencionados na relago junta, por terem' Bezerra Cavalcanti, que foi dispensado em 5 do
Dito ao mesmo. Mande V. Exc. alistar no 3." sido julgados incapazes desse servigo em inspecgo corrente.
corpo de voluntarios da patria ao cidado iseraphun de saude ; o que declaro a V. S. para seu conhe-1 7* companhia.
Jos Vieira, que para ter esse destino me foi apre- cimento e afim de que remeta com urgencia ou- Alferes o alferes do batalho n. 41 Manoel Matheus
sentado pelo subdelegado do 1* districto da freguezia tros guardas em subslituigo iquelles. Cavalcanti por 1er fallecido o alferes Manoel Con-
de Santo Anto. Por esta occasio cabe-me recommendar-lho que j radino Cavalcanti de Albuquerque.
Dilo ao mesmoInforme V. Exc. sobre o que de Uma vez faga pr-se termo as desigoago:s aira-1 Fizeram-se as necessarias commuuicac5es.
pede no incluso requerimento o soldado sentencia-1 sivas de guardas irapossibiluados da servir, como | Dita.U presidente da provincia, atleodendo a
do do corpo de guarnigo Joo Jos dos Santos. los tres aqoealludo, cujas enfermidadi's sao pa- que o professor publico de inslrucgo primaria da
Dito ao mesmoHaja V. Exc. de informar sobre, tentes, segundo live de presenciar ; p s que de freguezia de Santo Amaro de Jaboato Flix Ma-
o que pede Lourengo Antonio de Lima, no requer- sementantes abusos s resultam vexames, despezas noel do Nascimenlo Valois j completou 25 annos
m?nlo que aqoi junto. e perda de lempo, que na i podern ser toleradas. de magisterio e contina a servir na mesma cadei-
Dito ao mesmo.Faga V. Exc. eliminar do bata- q decreto n. 3,506 de 4 de agoslo ultimo, habi- ra, seguudo consia da informago do director geral
Ihao de guardas nacionaes destinado ao servigo da jjla a ese commando superior para corrigir essas; da Inslrucgo publica de 8 de agosto ultimo, sob n.
guerra, o guarda do batalho n. 36 de infantaria faltas, que, alias, nao devo suppor que sejam pra- 233, resolve, de conformidade com o artigo 24 da
do muoicipio de Brejo, Luciano Bazerra dos Santos, tcadas com conheciraento dos dignos comraandan- le u. 598 de 13 de maio do anno passado, e em
que segundo o offlcio desse commando (tas armas te dos corpos da guarda nacional sob seu comman- vista da informago da thesouraria provincial n.
n. 1,314 de 4 de agosto ultima, foi julgado incapaz ao superor; cumpre, pois, que V. S. providencie 336 de 29 do predito mez de agosto, conceder ao
do servigo em inspecgo de sade. convenientemente a tal respeito.Igual ao com- mencionad professor a gralificago corresponden-
Dilo ao mesmo.Srvase V. Exc. de informar raandante superior da guarda naciooal dos muoici-1 le a metade de seus vencimentos, a contar do dia
sobre o que pede na Inclusa peligo Mana Fel- pios d0 pinito e Caruar.
ca da Conceigo Leite. Dito ao commandante superior da guarda naci
Dito ao mesmo.Expega V. Exc. suas ordens Da| dos municipios de Sanio Antao e Escada.De-
afim de que me seja diariamente remetlio ora ferndo 0 requerimento que me eoderegou o teen-
mappa numrico das pragas da guarda nacional te Aolonio Manoel Xavier Bittencourl, recomraen-
deslinada ao servigo da guerra, que se acham no do a y g qae fai.a recolher a guia inclusa que se
deposito, vindos dos dilTerentes municipios, com passou a esse official quando pretenda mudar-se
declaragao destes. | para a provincia do Cear, mandando dar Ihe ou
Dito ao inspector da thesouraria de fazendaEm tra cora a qUaj posa apresentar-se ao comraandan-
vista da conta que apresentar o director do arsenal tR snperjor da guarda nacional da comarca de Fio-
de guerra, mande V. S. pagar a despeza qae se re5> onde pretende o referido tenente flxar a sua
residencia.
Tenente Luiz Antonio Machado da Rosa e al-
feres Theodoro Francisco de Alraeida, o prmeiro
para qnarte
am
Foi approvado, depois de algumas observagoes
apresentadas pelos Srs. Lagos, tendentes a mostrar
as uxcellenles condigoes quo possue o edificio para
palacio da exposigo.
O mesmo senhor formulou a seguinte propos-
ta, que, submettda a' deciso da commisso, foi
o que se offlce ao ministerio da agri-
offlciar ao ministerio da fazenda, fa-
zendo ver a necessidade de terminarem-se as obras
da casa da moeda, que a commisso directora da
exposigo julga necessarias para poder-se nella
funccionar.S. R. Lagos.
t Achando-se a hora muito adiantada, encerra-
se a sesso, fleando adiada para a prxima rennio
a quanel-mestre, e o segundo para secretario, a propnVu obrc a maneira de classificarem-se as
bos interinamente, do piquete imperial, a que substancias.
Por_ aviso de 12 do corrente foi approvada a
nomeago feita pela presidencia desta provincia,
dos Srs. Fernando Schneider para capito, Guilher-
me von Reissurlz para Io tenente, Ernesto Mutzell
para 2 tenente, Leopoldo Bier para 2 tenente se-
cretario, e do cirurgio Henrique Grave para me-
dico, cora a graduago de lente, todos de com-
misso, afim de servirem na companhia de anilhei-
ros voluntarios alleraes orgamsada na capital da
provincia.
f Alferes de commisso Ignacio Leopoldo de Al-
buquerque Maranhao, addido ao 30 corpo de vo-
luntarios, para servir como elfectivo no mesmo
corpo.
i Ex-alferes do exercito Vasco Mara de Arundo
Freilas, para capito de commisso. Picando a dis-
posigo do Sr. brigadeiro Gomes Porlinho.
t Exonerago.Do Sr. coronel do corno de es-
tadomaior de classe Pedro Maria Xavier de Cas-
tro, do lugar de depuiado do ajudante general do
exercito era operagdes contra a repblica do Para-
guay, fleando no mesmo exercito afim de ser con-
venientemente empregado.
t Licenga concedida.Por aviso de 12 do cor-
rente foi approvada a licenga de tres mezes conce-
dida pela presidencia desta provincia ao Sr. alferes
do 2 batalho de infantaria Antonio Leopoldo coniinuava
Pereira da Cunba, para tratar de sua saude.
Reforma.Do Sr. cirurgio-mr de brigada do
Sob o titulo Estatistca cariosa publica o
Jornal do Commercio de Porto Alegre o seguinte :
t Calculo das forgas da guarda nacional que se
pode mobilisar em relago a' guarda nacional da
provincia de S. Pedro do Sul em armas, e baseado
sobre o numero dos representantes da nago que
da' cada provincia
Rio-Grande do Sul 6 depatados e 3 se
nadores deu...................... 15,000
Santa Catharina 1 senador deve dar.. 5,000
Paran' 1 dito.................... 5,000
Goyaz 1 dilo...................... 5,000
Mato-Grosso i dito................. 5,000
6 S. Paulo 4 ditos................... 20,000
50,000
30,000
5,000
35,000
10,000
30,000
5,000
fizar cora a condogo de arligos de armamento,
equipamento, munlgo e ntencilios pertencentes ao
corpo de guarnigo e que lera de ser recolhldos
aos armazens do mesmo arsenal.
Dito ao mesmo.Restituindo a V. S. os papis
que vieram annexos ao seu offlcio n. 638 de 31 de
agosto ultimo, relativos ao pagamento da quantia
de 67J480, proveniente dos vencimentos de uma
Dito ao tenente-coronel Mariano Xavier Carneiro
da Cunha.-Recebi o seu offlcio de 11 do corrente
e tenho a dizer-lhe era resposta que fieam expedi-
das as convenientes ordens, nao s para que Ihe
sejam fornecidos os arligos de fardamento corra-
me e munigoes, constantes da relago junta, os
escolta de guardas nacionaes que veio do termo de quaes deve V. S. mandar receber no arsenal de
Goyanna conduzindo 10 recrutas e um desertor, guerra, autonsando a pessoa incumbida da con-
tenho a dizer em resposta que mande effectuar esse duego a passar o competente recibo, mas tambem
pagamento, conforme se recommendon em seu offl- para que ahi se apresentem um offlcial efectivo ou
co de 30 daquelle mez, visto estar resolvido, como reformado do exercito e am corneta da guarda na-
se v da inlormago junta por copia ministrada cional deste municipio, para serem empregados na
> corpo de saode do exercito Dr. Ignacio Manoel Do-
lo de fevere.ro do corrente anno era d.aole. i mingues, por se achar comprehendido as disposi-
Dita.-0 Sr. gerente da companhia Pemarabu-1 g6es d0 ,o do art 9. da lel n. 6i8de 18 de agoglo
cana mande dar uma passagera de estado aro ate Je 1852, visto soffrer molestia incuravel, que o
Penedo, no vapor Parahiba, a Manoel Francisco torna incapaz do servico.
Boielho. *
Expediente do secretario do joverno do dia 13 de Falleciraento.Do Sr. alferes de commisso do
setembro de 1863 > 30 CrP do voluntarios, Joaquim Theotooio Gon-
Offlcio ao inspector da ihesourar'ia de fazenda.-; a,enditi,*a' Z TVS&n. 4 ... .
O Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-' \^l^T^rK3'a^0J0n?r9? a61
mittirav.S as 14 inclusas ordens, sendo 10 do de do"erc,to ^'f d,enc?Zedroso Barre,odel
tbesouro nacional sob ns 104 a 113, e 4 era dupli- AlbT f^ Yra ^JB 00rai n .
cata expedidas pela repartigo do ajudante-general ^?T^\^? ~
nc i7n, *7i ham LnLniiiLj,[.L.,i, ronel Antonio Pedro de Aleracastro.
preparar-se para
de Fra, a Sra. baroneza
ns. 470 a 473, bem
do ministerio da fazenda,
ultimo.
como um offlcio da secretaria T|nlu ?om g. de
3' voluntarios fmineiros), e ficava a seguir para o Rio
Pardo.
t Do Rio Grande partir para aquella cidade o
7* corpo, paulista.
Nao tendo o corpo do Plauhy numero suffl-
ciente de pragas para formar am batalho, orde-
non o presidente da provincia que elle passasse a
fazer parte do batalho 33 do Para.
f Ao mesmo presidente offerecra gratuitamente
a sociede Portugueza de Beneficencia o sea hospi-
DIARIO DE PEBNAMBCO.
O vapor Paran, chegado sabbado do snl do im-
perio, trouxe datas do Rio de Janeiro al 9, da Ba-
bia at 13 e da Alaga at 15 do corrente.
Sao de pouca importancia as noticias, de qae foi
portador, como verao os leitores do que segoe.
7 Minas-Geraes 10 ditos..............
8 Rio de Janeiro 6 ditos..............
9 Espirito Sanio 1 dito...............
10 Bahia 7 ditos......................
11 Sergipe 2 ditos....................
12 Pernambuco 6 ditos................
13 Rio-Grande do Norte 1 dito.........
14 Alagoas 2 ditos................... 10,000
15 Parahiba 2 ditos.................. 10,000
16 Ceara'4ditos..................... 20.000
17 Piauhy 1 dito..................... 5,000
18 Maranhao 3 ditos................. 13,000
19 Para' 1 dito...................... 5,000
20 Amazonas 1 dito................... 5,000
20 provincias, 58 senadores......... 290,000
L-se no Correio Mercantil :
Temos noticias de Mato-Grosso at 14 de ju-
nho. Nenhuma novidade occorrra. A provincia
a armar-se e oreDarar-se para a
guerra.
1 Falleceu, no Juiz
de Piabanha.
L-se no Diario do Iio:
Tendo sido apprehendida uma nota falsa de
3U-5 cor de rosa do banco do Brasil, procedeu-se
aos necessarios exames, do que sesullou o se-
guinte :
f A nota em si olhada sem prevengao, contera
elementos capazes de engaar, por quanto a crimi-
nosa Industria pode prodnzi-la superficialmente
semelbante a verdadeira. Olhada, porm, com o
espirito prevenido e examinada com attengo, fcil-
mente se reconhece a differenga que ha de uma
para outra.
O papel das notas verdadelras de nma con-
sistencia regular, e contera irabalhos de agua que o
tornara bem distinelos, como sejamuma ramagera
que o circunda, e legendaBanco do Brasilno
sitia em qne assentam as assignatnras. O papel
da nota falsa nenhum trabalho de agua teem,
menos consistente e mais transparente.
c a estampa das notas verdadeiras tem todos os
tragos artsticos bem pronunciados e descrimina-
dos. Na estampa falsa ba um simulacro desses
traces, tudo multo superficial, e de certo modo
confuso. A estampa verdadeira de uma im-
Baha.No da 16 do correte devia seguir para
a corte, a bordo do transporte Oyapock, a brigada
da guarda nacional, composta dos batalhoes do
commando dos lenentes-coroneis Salvador Mendes
e Faria Rocha, ao mando do coronel Dr. Evaristo
Ladislao e Silva, proprietario abastado.
Honve um grande incendio na capital, que re-
auzio a' cinzas o predio da Sra. viuva Paranhos, no
largo de S. Francisco. Tudo se perdeu, menos as
vidas dos moradores, que se poderan safar com
grande difficuldade.
~ Chegara, com destina a guerra, o batalho n.
zl da guarda nacional, de Jaguaripe, ao mando do
tenante-coronei Pedro Jos Honorato da Silva.
Foi entusisticamente festejada a victoria de
Yalay, fechaodo-se todas as repartieses e precor-
rendo diversas bandas de msica as' rnas da cida-
de, que se achavam todas Iluminadas, como me-
ihor se vera' da seguinle descripgao do Jornnl :
Apenas fechadas as reparliges, os emprega-
dos da alfandega, dirigidos pelo Sr. commendador
F. M. G. da Cunha, ajudante do Inspector, foram
em corporagao ao palacio do governo congratular-
se com S. Exc. pelo triumpho das armas alliadas
no Uruguay sobre as forgas invasoras do Para-
guay.
Foram tambem ao palacio altos funeelonarios
e cidadaos disiinctos de todas as classes.
Depois disso foi que sahio o povo, precedido
por nolaveis cidadaos e algumas autoridades a p
e a cavallo, a percorrer as ras com bandeiras e
msicas al ao quartel do forte de S, Pedro, onde
llzeram grande ovagao ao 3o batalho de volunta-
rios da guarda nacional,e at a praga do Commer-
cio, onde saudaram essa classe, que tanto se tem
distinguido por seus laaces generosos as acluaes
circumslancias do paiz.
Toda a cidade estava festiva ; o sentimenlo foi
nm s e geral.
Recolhendo-se os passeantes, foram dirigidas
varias feliticitages ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia como representante do governo imperial, o
qual respondeu manifestando a gratido do gover-
no aos nossos comprovincianos, que tem contri-
buido paraos triumphos alcangados no theatro da
guerra.
A' noule a cidade illuminou-se toda, distin-
guindo-se a illuminagao a giorno feita pela com-
panhia do gaz na va randa do edificio da cmara
municipal.
A praga de palacio conservou-se sempre cheia
de povo, e rauilos membros das mais graduadas
corporagoes do commercio, da magistratura, do
clero, e diversas associagas, como a do3 caixeiros
nacionaes presidida pelo Sr. tenente-coronel Jos
Lopes P. de Carvalho, foram ainda felicitar o go-
verno, nao faltndoos collegiaes do Gymnasio Ba-
hiano, que, em numero superior a 200 o precedi-
dos pelo sen director, foram manifestar sua ale-
gra cantando no mais harmonioso cor ara hymno
de regosijo, acompanhado de vivas.
S. Exc. em algumas palavras dirigidas mais
s classes iltustradas do que ao auditorio das
changas, agradeceu o sentimenlo de patriotismo
nascente e procurou fortalcelo tanto naquelles
corages infantis, como no daquelles que o possam
revellar por actos semelhantes aos que deram cau-
sa a lo grande regosijo.
c A socedade Philarmonica Euterpe, composta
de mogos do commercio, e algumas outras associa-
goes, foram igualmente palacio, tocando aquella
o hymno nacional na sua interessante orchestra.
Ao mt sino lempo o povo dividido era diversas
secges.e precedido de msicas earchotes, percor-
ria as ras da cidade, dando vivas enthusiasticos
e frenticos a S. M. o Imperador, nago brasi-
lera, aos exercitos alliados, aos bravos defensores
e voluntarios da patria, a armada nacional, s cor-
poragoes scientificas, magistratura, as nagoes
amigas, ao governo imperial e ao seu delegado
nesta provincia : por toda a parte subiam ao ar
girndolas de foguetes, e a populago nos brados
de sen enlhuslasmo fazia coro com os sinos das
igrejas e conventos, cujos clausurados nao se mos-
travam indiferentes ao regosijo commum.
< Uma dessas secces, dirigida pelo Sr. Dr. che-
fe de policia e pelo Sr. commandante das armas,
foi em seu transito ao pago arcbiepiscopal fazer
urna ovagao a S. Exc. Rvm., que deseen, e agra-
decen aquellas expressoes do seu rebanho, langan-
do-lbe a sua bengao.
Assim esleve a cidade em uma festa improvi-
sada, mas patritica e enlhusiaslica ate a meia
noute.
< Na Caigada do Bomfim tambem manifestou-se
deslumbrante o enthusiasmo.
c A companhia do Queimado mandn hontem
soltar as aguas do chafariz do Ter re ro, que jorra-
va graciosamente por suas multplices trombetas.
Le-se anda no Jornal:
O brigue brasilelro Darque, sahido do Rio de
Janeiro a 13 de agosto com destino Babia, foi
pique no dia 15, na altura de Paranagua', acossado
por um grande temporal.
t A tripoiago composta de dez pessoas, embar-
cou em dous botes, contendo um oit > pessoas in-
clusive o capito, e levando o outro s dous mari-
nheiros. Entregues assira a' sorte, procuravam es-
tes homens a costa. Logo no prmeiro dia perde-
ram-se os dons botes de vista. Assim navegou o
prmeiro bote quatro dias at que chegou a' 19 a
barra do Rio Verde, prximo ao morro da Jureia,
districto de Iguape. Sendo, porm, alli a arreben-
tacao do mar muilo forte, sobre o banco, virou-se
o bote, perecendo o capito, dons marinbeiros a





-.-


^HHBHMBBBnMw
PMI
---------
fetarlo de ffernaiabneo Seguda lelra 18 de cimbro de S8*.
contra-mesire, dous
nra escravo, salvndole o
marinheiros e outro escravo.
i Do outro Lola nao havia mais noticia.
Entrn boje (lf) com 13 dias a fragata italia-
na Magenta, commandanto 0. Porsichetti, proce
dente de Teneriffe.
Salvoue foi correspondida pelo forte do mar.t
Seugipb.Offereceram-se presidencia da pro-
vincia, para marcharen) para o theatro da guerra,
com os voluntarios qne obtiverem, os Drs. Manoel
Mara do Amaral e Jos Torqnato de Araojo Bar-
ros, juizes de direiio e municipal de Propri.
Assnmira as funccoes de inspector da alfan-
dega o Sr. Pedro Lopes Rodrigues.
O Exm. presidente da provine Tez urna
reuniao-n:. seu palacio, para tratarse dos
te Baltbazar da Costa fljewa-Cavalcanti, urna pre-
sa escollada por ura policial, Dr. Antonio da Cruz
Cordeiro, su* mulher e 4 ttibos. me Ja decidi este tribunal era pceteocao igual de
Passagefros sahido para o Aracaty :Jos Aleonare Pereira, cidos neste despacho os do Exm. Sr. presidente e
accorlo com o disposto nos artigo*,4l&. -o 419 do: nhota qaepodwa5 ter 11 palmos de altura, que sa
regulamento do cdigo commercial o; 737", confor- ach palmo e meto retirada do alinhamenlo da ra,
e esta' mais de dous palmos abaixo do nivellamen
Antonio Gomes da Silva, Philomeno de Paiva e Vas
concellos, Militan* das Neves e l criada, Francisco
deputado Miranda Leal.
No de Jos Joaquim de Oliveira, cidadao brasi-
Raymundo de Camino, Joaquim Gomes de Maltos leiro, de 44 annos de Idade, establecido na cidade
e 1 criado.
Casa db drtshcao.Movlmento do dia 15 de se-
tembro da 1868.Existia m 379, entraram 17, sa-
hiram 20, existem 376; a saber : Nacionaes 289,
mulheres 5, estrangeiros 20, mulheres 4, escravos
64, escravas 3 ; total 376.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 182.
Movimento da enfermara de dia 16 de setem-
de fazer seguir o conlingente da guarda nacional, bro de 1865.
que se deve enmpor de 664 pravas. I Tiveram baixa :
aljkwas.No dia 7 do corrento t?ve lugar a Joao Sevenno Tavares, diarrWa.
fcenco da bandeira do Io balalbftj da. guarda na- Liberalizo Jos Pereira, dero.
-cional, destinado a' guerra, com as solemnidades Frrmino Jos de Santa Anea, defluxo.
devi(aS ItEPARTigAO DA POLICA.
No dia 5 do corante Joiffl Vicente de Lima, Exiracto das partes do dia 16 de setembro de
morador n'um sitio prximo Macera, deflorou sua 1865.
propia Blbade 12 annos, cV-ixando a em estado Foram recolhidos a casa de detengo no da 15
Dr. chefe de polica, Ma-
de Macei, capital das Aiagoas, cora casa de com-
mercio de commissSes e coma propria, de grosso
trato, pedindo por seo procurador Luit Antonio de
Siqueira, ser admettido matricula, para o que
junta como prova de sua rapacidade commercial
um attestado assignado pelos commerciantes ma-
triculados, Francisco Joao de Barros, Luiz Antonio
de Siqueira, Antonio Bernardo Vaz de Cirvalho e
to das casas novaeoente construidas junio della.
Indeferio-se.
Outro do mesmo, informando a petir.no. na qual
Jos AnXunes Pereira Braga, pede para que Ihe so-
ja concedido abrir urna porta no oitao da casa d. 2
cmara mnnicipal.--Feliciano Joaquim dos Santos,
Tbomaz do Aquino Fouceca. >
Despachar'am-se as peligoes de Anastacio Ale-
xandrino.de Salles Duira, Antonio Machado Gomes
da Silva, Antonio Jos Monleiro, Antonio Jos de
Carvalho, Antonio Machado Gomes da Silva (2), An
dr Gomes, Antonio Valentim da Silva Barroca,
Antonio Dias Caoossa, Antonio Alves da Costa, Ba
da ra do Livramento.oqual fica em frente da roa rao do Livramento, Bernardino Frncisco de Aze-
vedo Campos, Bernardo Jos da Silva, Bemardino
de Souza Pinto, Dionizio Das Moreira, Francisco
de Paula Cabral, Francisco Joao Honorato Serra
Celestiuo do Carino, Ignacio Clemente Pereira. Pe-
dro Sibalpo, Jos Aniones Pereira Braga, Joao
Dannely, Joao Jos de Sant'Aona, Jos Duarte'das
Neves, Joaquim Jos da Cunha, Jos Marcelino da
Rosa, Joao Baptina Vieira Rlbeiro, Jos BenloJ da
deploravel. Foi preso e esta' sendo processado.
O commandairte superior da comarca da Im-
peralrir,
ce
seu commando superior.
Foi preso o assassino e autor do renbo do
Sr. Bloik, que se clirma Joaquim e poiluguez,
do crreme :
A' ordem do Illm. Sr.
U coiiiinaiiua-iHe supeiiui u> ivmaivc v. ...- -- .....,, "" ^i! '
ralriz coronel Manoel -do Farlas Cabral, olere- noel Joaquim de Santa Anna, Malaqiiias do Bsp
>u- buquerque, Francisco de Paula Mendonca, Manoe1
do Queimado; faz diversas poderac,5es acerca da
cencessao pedida, e conclue submeilendo-a a con-
sideraco da cmara, accrescenlando anda que pe-
lo que diz respeito a prelenco do peticionario em
si mesraa, nada tem que oppor. Nao tem lu-
gar.
.Outro do contador, dizendo que indo qoella re-
Vae & Leal.Foi concedida a matricula, depois particio os oonlribuloles de impostos sobre estabe-
de ouvido o Sr. desembargador fiscal. lecimeotos tirar os cotihecimentos para salisfaze-
No de fedro Claudiaoo uarte e Adelino Clau- rem o do correute exercicio, tem sempre o cuidado Costa, Jos Rocha da Silva, Jos Marllos dos San-
dino Duaiie, pedindo o registro do seu contrato de de examinar se devem annos anteriores para me-! tos, Jo^ Gabriel da Silva, Januaro Goncalves Fer-
sociedade.Na forma do parecer fiscal. Ihor arrecadafio, e ne>ia verih'cagao acontece que nandes Pcixotc, Jos Vieira da Silva, Jos Bento de
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi- se alguns que esto em dbitos atrazados, exige Souza, Joaquim Fernandes da Rosa, Jorge Fraa-
a sessao s 11 horas e meia da que tirem os coohecimentos e paguem, os quaes cisco do Amaral Oliveira, Justino Jos dos Santos,
declarara que jamis o farao segunda vez, porque : Jacintho Rapozo, Lidio de Souza e Silva, Luiz An-
j o fizeram a primeira, e apresentam os conbeci-; tonio Annes Jacome, Miguel Vieira Jorge, Manoel
F.MBRO mentos, avista do que consulta se deve tirar os co- Francisco Pereira, Manoel Francisco de Souza Ma-
nbecimentos de todos aquelles que apresentam qui-galhes, Manoel Coelho Netto, Manoel Coelho Pi-
j lago dos exercicios lindes e remelle 12 cooheci-' nheiro, Manoel Jos Pinto, Miguel Marques de Le-
mentos dos que cima falla qne Ibes foram eonfla mos, Manoel Martins Vianna. Manoel Rapozo dos
dos pelas partes, e que bem examinados nos livros santos; Manoel das Neves, Jos da Silva Ferreira,
ensaios de ehimicos competentes, cao dei
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavrasele
um jaiz muito eminente competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professorde Chimica.
Submelti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
Grande, Francisco Manoel Chalaca, Guilhermlno, vier' e poSSO certificar que esse producto
denle encerron
manha.
SESSAO
JUDUaARlA EM 14
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Scrttario, Julio Gutmaraes.
Nunes da Costa Baracbo, Lnirenco Severiaoo, Joa-' As ii> horas da manhaa o Exm. Sr. presidente de collecta, e nos de receita, era nenhnm delles se Antonio do Medeiros Pedro da Rocha e Silva, Ray-
quim Ferreira da Cruz, Joaquim Jos de Santa An- declarou aborta a sessao, estando reunidos os Srs. acham laucados as quantias de que tralam os dito mundo Jos Celestino de Barros (2), Fortunato de
invista mmk.
No sabbado realisou-se adestribuico dapnmei- ,. *"'
ra forma da emprrza Bibliotiieca Litteraria,
queeslreou aquella inleressaule publicacao com o
romance original do Sr. Dr. Tavora, sob o titulo -
A Casa de Palito. ,
Se bem que pelo acanhado da materia, dada a
estampa, se nao possa formar uin jjzo seguro a
respeito do mereciinenlo o'esse traialho do nosse
conhecido poeto, feliciainos todava pe:o que lemos,
aos respectivos directores 'aquella emineza, em
favor da qual solicitamos a coadjuvacao do publico,
que receber, com essa leitura fcil, impressos de
agradavel distraccao e variada instruceao, me-
diante o mdico prego da asignatura; e Uto desde
o n.gociante at ao artista, e especialmente o sexo
mimoso.
Fomos obsequia Jo* com a remessa do Oiaiio
na, Joo Jos Coriva e Antonio Francisco Alves de
Almeida, para recrutas.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
Gongalves do Espirito S-nto e Firraino Jos de
Santa Anna, tambera para remita.
A' ordem do subdelegado do Reclfe, Raimundo
Jos de Lima, para correccilo, e Antonio, escravo
de Antonio das Chagas Mendonga, a requeriraento
desembargadores Silva Guimarae-, Reis e Silva e
Accioli, e os Srs. deputados Rosa, Candido Atcofo-
rado. Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acia da precedente ses-
sao.
Assignaram-se os acordaos proferidos na ultima
sessSo nos feitos em que sao :
Appellaote, Joaquim Salvador Pessoa de Siquei-
conhecimeulos. Souza Dias e Urbano Francisco de Paula, e
Nesta occasiao lido mais outro ofDcio do conta-! tou-se a sessao.
dor, remeltendo mais tres conhecimenlos as mes-j
mas condigoes daquelles.
. l'o.-tos em discussao, resolveu-se o segulnte: Io
que se nfflciasse ao contador para lirar copias,
aulhenlicas dos conhecimentos, e se eniregasse aos
seus respectivos donos, para garanta oeste?, dei-!
levan-
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secrelario a
subscrevi.Pereira Simoes pro-presidente, Santos,
L)r. Villas-Boas, Reg, Silva do Brasil.
O chefe da 2* sessao,
/ G. de esquita.
CliOMC.i JUICIAKI4
THIflIU.VtL .\ RRIiA^lO.
SESSAO DE 12 DE SETEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SU. C0.NSELHE1R0
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadures Gitirana, Lourengo Santiago, Al-
meida Albuquerque, Assis, Doria, Molla, Guerra
procurador da cora, e Domingues da Silva, fal-
tando os Srs. desembargadores Santiago,
ra Cavalcaoli; appellados, o proideote e directo- xando os originacs no archivo; 2o que se autori-
res da caixa filial do banco do Brasil nesla ci- ; sasse ao procarador para mandar extrahir publica
dade. forma dos mesmos conhecimentos para ser remet-
Appellanie, Belarmlno Alves de Arcba ; appel- tido ao advogado para proceder como fosse de di-
lado, Manoel Pereira Monteiro. reito; 3o que se determinasse ao contador para
julgamkntos. i certificar em quamo imporlavam os coahecimentos i
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appella- se as quantias mencionadas nos mesmos se acha- ;
do, Alexandre Jos da Rosa. Adiado a i e II do vara langadas nos respectivos livros de receita eda.
| correte.Foi confirmada a senlenga appellada. I collecta, afim de que se remellesse esses papis com j
Appellante, Augusto Frederico de Oliveira ; ap- elcio a presidencia,
pellada, a directora da caixa filial do banco do utro ofllcio do fiscal do Heeife, infirmando con-!
Brasil nesla cidade.Adiado a 4 e 11 do correte, tra o que requeren Miguel Vieira Jorge, .acerca de ;
| D?sprezaram-se os embargos. ser dispeuso da multa que o mesmo fiscal Ihe im-
Appellanles, Flix Sauvae & C.; appellados, o pozera por infraego do art. 3o da postura addicio-
Dr. Angelo Henrques da Silva, como testamentei- nal de 13 de junho de 1855.Indefirio-se.
OIGOES k PEDIDO
HUMA VIDA SALVA!
dos Srs Drs. Delphino Pinheiro de choa Cintra -
Jnior e Pedro Jaques d? Almeida Alvim, que sao
igualmente propnetarios com o Sr. Henrique
Schroeder.
O Diario de S. Paulo faz honra provincia cu-
ro de Victorino Teixeira Leite e Jos Teixeira
Leile.Adiado na ullima sessao Foi confirmada
a sentenca appellada em parte e era parte refor-
mada.
PASSAGEM.
Outros {i) do fiscal da freguezia de Santo Anto-
nio, ambos do 3 de juiho ultimo, em um represen-
ta acerca dos lugares em que se deve fazer os des-
pejos de aguas ptridas e materias feecaes, e bem
assim que o numero de guardas a sua disposlgao
Passados os feitos, deram-se os segrales
julambntos. Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desemuar- nao sulcienle para vigiaren) os pontos onde nao
Recursos crimes. gador Silva Guimares : permitlido o desprjo; em outro reclama ainda pa-
Recorrcnte, o juizo ; recorrido, Manoel de Car-' Appellanles, os administradores da massa fall ra ser lomada a providencia lembrada na ultima
,; valho Paes de AndradeRelator o Sr. desembar- da de Amorim, Fragoso, Santos & Corapanhia ; parte do prlmeiro ofllcio, isto de nao chegar o
jo nome tem, e o J0*11""0.^*^'^ rt""' gador Gilirana.-Sorteados os Srs. desembargado- appellado, Samuel Halliday. numero de guardas que tem para os lugares em
um .Ilustrado membro. que Ihe sabe suskntar os, fes ^ DorJa g Domingues da Si|va._Ia*pro_ DiSTiimuigAO.
cedente. Ao Sr. desembargador Silva Guimares :
Rpcorrcnle, o juizo ; recorrido, Joaquim Jos de Appellanles, os administradores da massa fall-
Miranda.lielaior o Sr. desembargador Lourengo da de Amorim, Fragoso, Santos & C.
Santiago.Sorteados os Srs. desembargadores Al- J'-'S Rodrigues-de Souza.
meida Albuquerque, Assis e Guirana.Improce- agcravo interposto do juizo especial do
* nte. commercio.
Recorrenle, o juizo; recorrido, Jos Bernardo' Aggravante=, Saunders Brothers & C.; aggra-
que
foros.
Gralo diferencia da remessa, o Diario de Per- j
nambuco agradecelh'a, e salida ao distincto con-1
temporneo com a cordialidade do colleguismo.
Ouvimos fallar iiue nao recebem, ou ba mui-
ta morusidade era recebimenio de sold da parle gg^"
da guarda nacional com deslino a guerra, a ponto j
, Silva,
dos soldados andarem a pedincbar a qualquer s; TeixeiraRelator n Sr defin inr
vintens pata salisfagao de suas necesidades. c!'^, "eLa"r S
At (jue poni seja exacta essa falla de paga- '
ment, nio o sabemos; ignoramos mesmo os tur-
nos que islo pode ter, trazeodo delonga maior ou
menor no processo dos respectivos prets. Mas o
que nao padece duvida que os soldados eato
reduzidos aquella pedinlurta ; e autorizando a na
falla referida, im
que d-se, para liv
Mulla.__ vdo. Miguel Jos de Abreu.
desembargadores" Domingues da O Exm. Sr. desembargador presidente r.egou
Assis e Doria.Improcedente, responsabili- provimeuto.
sando-se o delegado.
Recurso commercial.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Irineu Januario
de Oliveira.Relator o Sr. desembargador Molla.
-Sorteados os Srs. desembargadores Domingues
c... ,a n, ,i d^ m,n,n rt! Afgravo de petteao.
Ch>-garam abitado passdo do municipio de
Agua Preta differentes guardas nacionaes, parte
do conlingente distribuido aquella localidade; e
aluda ahi vimos reproduzido o abuso que ha pouco
increpamos a designago goyauense.
Eutre os designados reconheceu se existir um
dond.i, outro aleijado de una perna, e um outro
suffrer em grao elevado de asthina I
E na. v-se a inconveniencia que nisio vai para ^""da aiva.-Den
0 servigo T
E' preciso abrir de mo de semelhante modo de
Aggravanle, a innandad de S. Jos de Riba-
Mar; aggravado, o juizo.Relator o Sr. desembar-
gador L urengo Santiago.Sorteados os Srs. des-
embargadores Guirana e Motla. Deram pavi-
mento.
Aggravanle, a parda Generosa ; aggravado, o
juizo.Relator o Sr. desembargador Mulla.Sor-
teados os Srs. desembargadores Doria e Dorain-
CARTA TESTEMUNItAVEL VIXDA DO MESMO JUIZO
DO COMMERCIO.
Aggravanle, a direcgo da rompanhia Vigilan-
te ; aggravado?, Wilson e Ietie.
O Exm. Sr. desembargador presidente deu pro-
vimenlo.
Nada mais havendo a Iralar, o Exm. Sr. pre-
sidente vncerrou a sessao utna hora da larde.
CMARA MUNICIPAL.
Appellaro cicel.
Appellante, Joao Ferreira da Costa Imbuzeiro ;
des.gnagao, que repugna Cora todos senl.mentos, app0aUos j'oilo Ju da Si|va 0ulro.-De"ureza-
ao passo que da urna copia bem pouco lisongeira ram.se os embareo* ua'J"acuu"u- ""P""1
do zelo peo servigj publico, que assim se subordi-
na a nutras consideraroes, <|ue nao qualiicareraos.
Sabbado ultimo cliegou de TrombeU.s o Sr.
Tbomaz Bassich com 6 voluntarios da patria, re-
mettidos pelo Sr. Hygino Firmo das Chagas, para
seren apresenladus ao Exm. Sr. presidente da pro
vjncia, ari n de que sejam alistados.
Informa-nos o mesmo Sr. Tbomaz que alli j es-
ta vam certos para mais de 30 vrlunlarios, que dei
xaram de vir lugo por nao terem chegado a hora
do embarque, sendo d;> esperar que venham nesta
semana em rompanhia do Sr. Hygino, cuja influen-
cia enlre aquelle povo tem-se manifestado benigna,
a ponto e mdoobler sera violencia, nem vexagSes,
nao obstante os bices que i-m casos taes o< malig-
nos sempre procurara ciear as boas inlengoes.
Ficavra carga para Peruambuco : no Rio
de Janeiro, o brigue ehsario ; e na Babia, o pa-
paiaeho D. Luiz.
Para o Maranhao sahio, no dia 7 do correle,
do Rio de Janeiro, a galera porlugueza Europa.
O ajenie Olympio, em seu armazem silo a
ra da Cadeia do Itecife u. 36, faz hnje leilao de
objectos de ouro e prata, raobilias, trastes avulsos
e outros muitos artigo>.
Consla-nos que o transporte de guerra S.
Francisco licava a parlir da corle para a nossa
provincia, rrceber a iropa que est.ver prompta.
Foram autorisados a promover o alistamenlo
de voluntarios da patria os cadeles segundos sar-
gentos Joao Quintino de Menezes Galhardo e Fran-
cisco Carnelro da Silva, e Juo Gomes de Souza.
F i njmeado alferes secrelario do 5o corpo
de voluntarios, por portara de 16, o particular t
sargento da compaohia de cavallaria Henrique F-
lix de I liria.
Alistaram-se sabbado, no o" corpo de volun-
tarios : ex cadete doexercilo Joao Quiuimo de Me-
nezes Galhardo, Io sargento do batalhao n. Ifi da
guarda nacional Jos de Barros Lima, Iziloro Go-
mes de Freus, Caetano Jos de Paiva Campello,
Joao Marques Corre da Cosa, Joao Paulo dos San-
tos, Joaquim Pereira do Nasclmento, Tlioraaz Villa-
Verde, Juo Confessor dos Santos.
Fez boolem um passeio militar o Io corpo de
guarda nacional destinado guerra, mostrando
adianiamenio no exercicio, e perfeito arreganUo
militar.
Cora a costuraada pompa, celebraram hontem
os terceiros franciscanos, a Testa do seu padroeiro.
Tanto durante o da, como durante a noite foram
muito concurridos o templo e o respectivo hos-
pital.
Remettemnoso seguinte pedido :
< Pede-se encarecidamente ao Sr. fiscal e mesmo
a Exina cmara municipal, que baja de dar as
providencias necessanas afim de fazer cessar os
despejos immundos e ptridos que tanto de dia co-
mo de noite se fazera entre a ra da Palma e ra
do Cano, e em proloagagao do muro da primeira
casa a' esquerda da ra da Concordia. As auto-
ridades que prezarem a salubridade publica, nao
de ceriamenle allendef a lao justo pedido, se tor-
naren) taes inmundicias n'uraa prfeila epidemia,
logo que osolcomece a ser mais inlen-o. Um
assgnaoie.
Passageiros da escena nacional Graciosa, viu-
da do Para pelo As- d :
Jos Antonio de Albuquerque, Miguel Barbosa
Vital de Souza Holin e Carlos V. de Sania Anna.
Pas.-ageiros do vapor fcrasileiro Paran, vio-
do dos portos do sul :
Padre Salvador Antonio de Oliveira, Jos Joao
Mart|ns de Araujo, Carolina Francisca do Nascl-
mento e orna filha, um escravo de Manoel Pinto
AI -ireira, Jayme E. Gomes da Silva e >ua mulher,
D. Francisco de Luna Freir, Dr. Braz Florentino
II :.rn;n.-.~ de Souza, sua mulher, 7 lhos c 6 es-
bravos, Estevo Jus Pinto Brrelo, um ex-sargen-
to e .7 ex-pragas, padre Antonio Francisco Ar*,
urna esciava.de D. Maria E. Cavalca>-ie, u. Henri-
^ueu da Silva Slepple, Augusto Frankira Mornra
4a Mi va. Malino Fernandes de Souza, Pedro Bar-i
Ibluoieu, um .escravo de Francisco P. Ribeirot
visconde de Paul Galnac, Joao Auguslo Vasconcel-
ios Leitao, Jos Leocadio Ferreira Soam, Joao Ma-
laquia Leal, Jos Duarie Rioeiro, Francisco Kibei-
ro Pinto Guimares, ua mulher e 2 escravos, Ma-
noel Cabral Borges, Antonio Jos Cerqueira Praze-
res, Domingos Jos Gongalves, Antonio Teixeira
Peixoto de Abren Lima, Manoel Jos da Concei-
{o, Williara avis, Joao Borstelmao, Romo Go-
mes de Araujo e Silva, D.-ilina Josepha da Mil.va e
um irmo menor. Antonio Jos Ribeiro Braga, Mar-
colino de Frenas Martins, e Jos de Jess Mo-
reira.
Seguem para o norte :
Dr. Aureliano Tavares Bastos, Dr. Torquaio Au-
gusto Pereira ao Reg, leen te-coronel Joao Bap-
tista da Silva e um escravo, Dr. Manoel Antonio da
Fonseca Moral a um criado, capi lao Jco Bernardo
da Silva Guimares, >r, Joaquim Machado, len-
les
embargos.
DESIGNACAO DE DA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
que sao prohibidos os despejos.
Postos era discussao, resolveu-se quanto a pri-
meira parte do primeiro ofllcio, que se respoodesse
appellado, j ter-se-lhe declarado em sessao de 19 do mesmo!
mez de juiho, quaes os lugares em que deviam ser j
feitos os despejos; quanto a segunda parle que nao
pode ser augmentado o numero ae guardas; e fos-
se fazendo o servigo cora os que luha.
Oulro do mesmo, pedindo autorisagao para man-
dar conduzir em carrocas o lixo e monluros tira-
dos das ras.Addiad a requermenlo do Sr. Gus-
tavo do Reg.
Ouiro do mesmo, communicando haver multado
por infraegao das posturas a Manoel Alves Ferrei-
ra, visto ter ja collocado urna lerga em sua casa n.
8 da ra do Imperador, e pretender collocar ainda
na raesma casa una coraieira, sera ter licenga pa-;
ra isso, deixando de embargar a coutinua ao das
obras que se eslao fazendo em toda a ca^a por ir
de encontr ao quanlo foi resolvido em sessao de
-'- de margo passado.
Que se respoodesse ao fiscal que bem fez elle
inapto a multa, por sso que nao existia a licenga,
e que quanto ao embargo nao tinha lugar, pols que
nao havia Mauoel Alves blido na frente, e nem le-
vantado o lelhado.
Nesla occasiao requereu o Sr. Gustavo do Reg,
e foi approvado que se offlciasse aos liscaes, que
antece- Quando impozessem qualqcer multa aos donos das
obras que as e tivessem fazendo contra as postu-
ras, e nao obstante conliuua^sem elles na execu-
gao das mesmas, avizasse ao procurador para este,
gador Lourengo Santiago
As appellagoes civeis.
Appellante, Antonio Curreia Pessoa de Mello ;
appellado, Slanoel Francisco de Amorim.
Appellante, Antonio Jos Pires ; appellados, os
herdeiros de Heurv Gibson.
ESSAO EXTRAORDINARIA AOS 2 DE AGOSTO
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simdes.
Prsenles os Srs. Tbomaz de Aquino, Gustavo do
Reg, Silva do Brasil, e Dr. Villas Boas, abre-se a
sessao e lida e approvada a acia da
dente.
Leu-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um aviso expedido pela secretaria de c.stado dos entendendo-se com o advogado, promover o compe-
negocios do imperio, em 11 de juiho ultimo, com- i lenle embargo.
Appellacao civel. municando a cmara, para seu conhecimenio que Outro do fiscal da Boa-Vista, communicando que
Appellanle, Francisco Hibnro de Andrade ; ap- s. M. o Imperador, pflfdecreto de 7 do mesmo mez! pequea ponte, que da' passagem da ra da Au-
penado, Joao Lobo de Macedo. houve por bem couceder ao Exm bacharel Anto- i rora para a do Hospicio, desaboo, e lendo felo a-1
Appellacao crime. | nio Borges Leal Castello Branco, a exoneragao que Probar as madeiras qne Ihe foi possivel, com ellas
Appellante, e promotor ; appellado, Manoel de pedio do cargo de presidente desta provincia, o por' mandou fazer um concert, que Ihe parecen melhor
Krelas Nogueira. : car,a imperial da mesma dat nomear o Exm. Sr. licando todava a mesma necessilando de ser con-
passagens. j conselheiro Joao Luslosa da Cunha Paranagua': certada de sorte que garanta o transito publico.
uo ^r. desembargador Gilirana ao Sr. desembar- para o sustituir naquelle cargo.Inteirada. Po>lo em discussao, mandou-se ordem ao enge-
L'in ofllcio do Exm. presidente da provincia de nneiro para orgar o concert preciso, dando mais
28 de juiho prximo passado, transmiilindo por r-' altura de forma a nao dar ella passagera senao a
pia a cmara para seu conbeci ment, e fim conve- pessoas a p.
Diente, a sdugo dada pelo Exm. Sr. ministro da I Outro do fiscal de Jaboato, informando o reque-
fazendaera aviso de 27 de junho ullimo, acerca de rmenlo; no qual o Sr. Antonio Pues Ferreira pe-
um requermenlo do fallecido Dr. gnacio Nerv da de licenga para concertar a estribara de sua ca*a
Appellante, Antonio Alves Muniz; appellado, Bel- Fonseca, relativamente ao alagado e mangues" en- sita a povoago da dita freguezia ; diz nao haver
armio oine de Moura. tre a ponte do Molocolomo c as extremas do silio inconveniente na concessao una vez que seja so-
uo br. desembargador Lourengo Santiago ao Sr. deuom uado das Imblnbeira. I mente concert.Coucedeu-se.
desembargador Almeida Albuquerque pSi0 em discussao, resolveu-se oflkiar ao advo- Outro do administrador do cemiterio da fregue-
A appellagao crime. gado para aconselhar oquedevo a cmara fazer, zia do Poco da Panella, remeltendo o mappa dos
,,e' AQ >"va ; ap- era vista do que se acha exposlo nos ciiados avisos enierramentos que se fizeram em lodo o moz de ju-
que Ihe devem ser remettidos para esse fim. i Iho naquelle estabelecimento.Ao procurador.
Outro do mesmo, de 31 de juiho, declarando que A commissio encarregada de se entender com
tendo de prestar juramento e tomar posse da ad-, Bazilio Alveres de Miranda Varej.lo, acerca da ac-
ministrago desta provincia no dia 2 de agosto pro coinmodago por elle proposta sobre a questao da
ximo vindooro as 10 horas da mauha perante a
cmara desta cidade, o prosidente para ella no-
meado o Exm. Sr. conselheiro Joo Luslosa da Cu-
nha Paranagua'; assim o communica a mesma c-
mara, afim de que para Isto esteja reunida no dia e
hora indicados. Inteirada.
Oulro ao Exm. Dr. vigario capitular, de 25 de
juiho passado, aecusando ter recebido o da cmara
de 19 do mesmo mez, remeltendolhe a quantia de dem ao administrador do Matadouro Publico, para :
4905000, importancia que produzirara as 50 libras nao consentir que Manuel de Souza Tavares me-
uo sr. desembargador Assis aoSr. desembarga- esterlinas deixadas por S. A. Real o Sr. conde d'Eu lasse gado algum sera que titease o descango de ;
aor uona ; na sua passagem para 0 ,! a(jm ,je ser distribu- quarenla e oilo horas, recomraendado pelas postu- >
Ar>r.ni s appellagoes civeib. da cora as pessoas mais necessiladas, declara que < ras.
Appi nanie, Manoe Latisio do Nascimento ; ap- accedendo aos desejos da mesma cmara, havia na-1 Tendo sido a cmara citada por Bnilio para ver
penados luiz Gongalves Ramos e outros. quella data se dirigido aos Rvds. vigarios das qua-' subir ao tribunal da relagilo os autos de appella-
Appellanle, lias Lmibano Ramos; appellado, iro freguezias desia cidade, remeltendo a cada ura : gao, visto nao ter chegado a um aecrdo cora a
jse i^etano da itocha. a qU!,niia de 1224500, para serem distribuidas as coramissao nomeada para ess fim, deterrainou ao
uo sr. aesembargador Guerra ao Sr. desembar-, respectivas freguezias.-lnteirada. procurador que desse parte ao advogado. A' com-
gad. r Uomingues da Silva oulro do juiz de paz 2o votado do 2 dislrcto da miso encarregada dos negocios do cem'Uerio, a-
a ii A appellagao civel. freguezia de Jaboato Joaquim Maximino Pereira presentou o segrale parecer que foi approvado,
i App.ellaDle> Lino rerreira dn Silva ; appellados,: Vianna, respondendo ao que Ihe dirigi a cmara, e maudouse expedir as convenientes ordens.
Jos Meudes Rodrigues Campello e outros. | declara nao ter vindo jurameotar-se por encommo- Hlms. Srs. -A' commissio do matadouro e ce-
uo sr. aeseuiDargador Uomingues da Silva ao dos de sade, e nem sabia se o poderia fazer com miterio publico, em cumprimenlo de seu dever, di-
irros Vasconcellos brevidade.-Inteirada. j rigio-se ao mesmo cemtterio na manha do dia 21
Nesla occasiao pondera o secrelario que nenhum, do correte, a examinar a respeilo do que repre-
dos juizes de paz daquelie dislricto tem vindo jura-1 sentou o administrador do cemilerio em seo ofllcio
mentar-se, nao obstante terem sido convidados por de 5 do crreme, no qual diz que por causa das
pellado, o juizo.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr desembargador Motta
A appellagao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Bernar
do de Brito.
A appellagao civel.
Appellante, Damiao Gongalves Rodrigues; ap-
pellados, Francisco Jos Vianna e sua mulher.
Do Sr. desembargador Motla ao Sr. desembar-
gador Assis
A appellagao civel.
Appellanles, Auguslo Carneiro Monteiro c ou-
tros ; appellado, Jesuino Ferreira da Silva.
Rlbeira da freguezia da Boa-Visla, declarou nao ter
podido chegar a um accordo em cunsequencia do
excssivo prego quo o mesmo exigir.
A cmara approvou o procedimento da mesma
coramissfio, e mandou neste sentido informar ao
Exm. presidente da provincia, a petigo de Bazi-
lio.
A' requermenlo do Sr. Santos, mandou-se or-
NSo temos conheeime-nto algum de ncnbum
caso quo tSo perfeitamente mostr d'uma m-
npira a mais clara e persuasiva o poder da
Sriencia Medica sobre a molestia; qual seja o
do Antonio Joacjuim Pekeiua, da Babia.
Este uomein infeliz havia mais d'um anno qno
soffria as dores ns mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Tenivcis Chagas Abc-rtas
cspalhailas por sobre differentes partes de sen
corpo, sendo una das quaes sobre o peito do p
urna funda c maligna cbaga, a qual o privava
de andar, cauzamlo-lbe as dores as mais agoni-
santes quer de dia qaer de noute; continuada-
mente atormentado por taes afflicyes e dores,
e qnasi que aborrecido da contmuayo de sim-
illinnte vida, tendo posto de parto toda a fe e
counnr.a emincdccinas, o na realidade pareca
qu para elle nao Ihe restava mnis esperanea
alguma ; assim ]mis resignado esperava com-
paeirncia o termo final de seus mutiplicadoa
Foffrimentos, eis que inila^rogamcnte por for-
tuna sua llie reccitoifio o grande purificado
do sanguo
A Saisaparrilha
DE ORISTOL
e mediante r. sua grande efficacia c cxcellcncia
elle se acbou dentro do pouco tempo, livro do
seu irremediavel estado de desespero, caduco
e risonlia esperanea tornou di novo reviver
em seu coradlo; sob a poderosa ebenvola in-
fluencia desj ailmiravcl medicamento, '.s suas
chagas em breve principjacao assumir um ca-
ractei 'avoravel (iiminnindo o aspecto do sna
malignidado A massa do sangue e mais
humores do BVfitema tornou adquirir urna
ap]iarincia clara e saudavel, as dores ator-
m'nuuloras d'oulro ora o deixarao, o urna doce
e SUBVO tranquillidaJe piteciplou precorrer
to paz e socego d'espirito; as chagas urna urna
se forao fechando aM que finalmente so cica-
trizarao d'um todo, e boje aclia-se perfeita-
meate sao, picando d'um peifelto estado de
s:mde, depois de so ter visto privado d'este
grande gozo durante mais d'um auno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
>c('s garrafas da Gonuiua Saisaparrilha
de Brisiol, preparada exclusivamente por
LAMAN & KEMP,
De XOVA OUK.
Ilecommemla-s<; mu particularmente aos
Duentcs d'ambos os sexos, que empreguem
toda a cautella na cscolha d'este admiravel
remedio, afim quo nao obtenhio outra com-
posicao qualquer, que nao seja a Saisaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
mais preparaees e imi taces d'esta natureza
sao falsas nao possuindo virtude alguma.
Vende-se as boticas de Caors & Barbosa
e C. Bravo & C.
nao perdeu nenhara dos seus principios
medicamentosos- nem ehimicos, que.se
acham no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporcao das substancias
estranhas que se poem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propiedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e lomado peias
pessoas cu jo gosto e olfato sao dos mais sos-
ce; ti veis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-si tornado um dos agentes os mais im-
poriantes e preciosos da therapeutica, quem
descobijo o meio de o tornar de um uso f-
cil para todos, preslou um verdadero ser-
vigo arle de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelal os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de I acalho ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalho. 0 oleo-
de figado de bacal/ido feruginoso de Che'
vrier constitue lalvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iod;ro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos dasvias digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do que sb a
forma de pillas ou xarope. Etnim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipaco. E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-
tar nenhima preparaco marcial, lomam f-
cilmente o oleo d figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sorttmento dos celebres-
azeites desinftclado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-sc na pharmacia de Pedro Maurer
& C, ra Nova n. 18.
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tratou Pisn em sua excellente obra Historia na-
turalis et medica India occidentahs, seno as.
Anlilhas, onde o sueco das folhas e Crudos como
aqui, muito estimado e applicado contra as obs-
trueges abdominaes, principalmente do ligado e
bacj; e se lodos os facultativos desla provincia o
nao applicam cora frequencla, isto se nao deve a
nao reconbecerem elles essas virtudes, mas stm a-
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as eslaces do anno os Iructos dessa planta, e re-
pugnancia, que apresentam os deentes em faier
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esla planta pertence a familia das sotaneas, e lem
a denominado de solanum paniculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos proponemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambera ura vinho, nm
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servlco bumanidade e
hterapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
cocgo das raizes da jurubeba, e Mrat e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizeU) que as An'illias se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rlio vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas paiavras, e por islo cuidaremos de ler em
nosso estabelecimento essas raizes, para que possam
ser experimentadas.
A repulaeao da jurubeba tal, e os resultados
therapeulicos oblidos ltimamente sao lao impor
laucs, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pmto.
--
JURUBEBA.
As appella{5es crims.
Appellante, o promotor ; appellado, Guilberme
Antonio de Siqueira.
Appellante, Estevao Jos da Motta ; appellada,
D. Anna de Jess Arruda.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellacao civel.
Appellanle, Gaspar Gavalcante de Albuquerque
Deba ; appellado, Joao de Sa Albuquerque.
A' 2 horas encer'cu-oe a sessao.
mais de urna vez.
Em vista do exposto, deliberou-se consultar ao
advogado como deve a cmara proceder a respeito
| desses juizes de paz que nao tem vindo prestar ju-
ramento.
Sendo annunciada a chegada do Exm. Sr. presi-
: dente noraeado para esta provincia, conselheiro Joo
-r>armra -^^"m*mtm^^^.MM. iLastosa da Cunha Paranagua' quevinbaprestar ju-
ni ni VY l. uo COT HERCIO ramento, e lomar pose o Sr. presidente da cmara
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 11 DE nomea urna cemmlsso composta dos Srs. mejor
.-CT KM lili o DE 1865. I Gustavo do Reg e tenente-coronel Feliciano Joa-
pubsidencia do exm. sr. desembabcador | qoim dos Sanios, para receberem S. Exc. e enca-
anseuio francisco PERETTi. i minhalo a sala das sessSes, e assim procedendo a
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs. commissao apresentou se S. Exc. com o Exm. Sr.
aguas pluviaes se tornara as inhnmacoas mai ira-
balhosas, por se eocherem as covas d'agoa, e que
para poder dar venciraento ao trabalho, Ine e ue-
cessano empregar mais tres serventes para ajuda-
rem aos coveiros; e pede que, se augmente mais
cem ris diarios a cada um dos tres serventes du-
rante a estaco invernosa, attendeodo essa illus-
trissima cmara que a assemblea provincial, raar-
cou 160 ris para cada coveiro, e qne estes esto
ganhando mil e quinhentos ris, que Ihe marcou
esta cmara; quer era summa o administrador,
que cem ris diarios que a assemblea provincial
marcou mais para os coveiros, alm da que Ihe ti-
nha marcado esta llustri.-sima cmara, sejam ap-
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda) baro do Rio Formoso, e tendo aquelle lomado as- plicados em beneficio dos tres serventes que aja-
Lea i, o Exm. Sr. presidente declarou aberla a ses- sent a direita do Sr. presidente da cmara, e esle dam aos coveiros.
sao. a esquerda, apresentou o Exm. Sr. conselheiro Pa | A' commissao entende que sem o menor fun-
Lida, foi approvada a acta da sessao antece- ranagna' a carta imperial de sua nomeaco, a! daraenlo a representarn da administrado do re-
dente, i qual sendo lida, presin depois o juramento e to-, miterio, cujas razoes deixa a commissao de expen-
exi'edie.nte. | mou posse da adminisiracao da provincia e lendo; der, porque nao podem escapar a penetraco e
Um offico do secretario do tribunal do commer-1 assignado o respectivo termo, retirou-se com as
co da curte, datado de 20 do mez prximo passado,! mesmas formalidade.
cubrindo urna relaco dos commerciantes matri-1 Continuou o expediente.
ct lados naquelle tribunal no decurso dos mezes de Um offico do engenheiro cordeador, informando
maio a junho ltimos.Accuse- se e archive se. o requeriraento no qual o baro do Livramento pe-
Distnbuiram-se aos senhores depotados os livros de para que Ihe seja concedido fazer duas casas no
Diario e Copiad** de Tbomaz de Aquino Fonseca i terreno que comprara na ra do Brum, com qua-
& C. i renta e cinco palmos de frente; diz que sendo per-
despachos. i mittido pelas ultimas posturas a edifleago de casas
No requeriraento de Bernardino Jos Monteiro cora 22 palmos de largura nos tenenos devolutos,
& irmo, pi-dindo o registro da nomeaco de sea nada ba que oppor a pretendi do peticionario se
caijteiro Gratulianodos Santos Vital. Como re- se entender que nos 22 palmos de que fallara as
perspicacia de V. S.
Avista do expendido, entende a commissao que
nao pode ser satisfeito o pedido do administrador
do cem i teo.
A' commissao aproveita o en?ejo para ponderar
a V. S. que exut*m, como V. S. sabem, junto ao
cemiterio ires edificios, que foram feitos, para os
empregados do mesmo cemiterio, dous dos quaes
se acham ocenpados, nao por empregados do ce-
miterio, mais siin por serventes e coveiros, o pri-
meiro a casa que fica a direita do edificio central,
o segando a esquerda desse edificio,
querem.
No de Jos da Silva Marroquim, pedindo certi-
do de ser uu nao matriculado o cummerciante
Joo Licio Marques.Como reuuer.
N'outro do mesmo, pedindo o registro da sua no
meacu de caixeiro
gistre-se.
No de Amorim Irmos, pedindo o registro da
precuraco de Babia Irmos G, que ajuotam.
*KUire-s.
a replica de Jos Gomes dos Santos Crrela,
Jou Manoel Puntual Jnior e Bernardo Crrela de
Reztade Begu, satisfeito o despacho de il do cor
rente.Os upplicantes redijam o artigo 19 do seu
contrato wcial, e o idiamenio ao mesmo artigo, de
a casa que
ditas posturas esto incluidos as paredes lateraes I foi feila para a residencia do administrador, ani-
das casas que se constrnera ; se porm se entender! bas essa casas eslao oceupadas por serventes e
que na largnra de 22 palmos nao esto incluidas coveiros.
as paredes lateraes, que podem ser singellas ou do-1 A' commissao lembra a esta illustrissima cama-
bradas, ento os 45 palmos de terreno que o peli-' ra que estas duas casas, visto nao eslarem habita-
de Joo Licio Marques.He- cionario tem nao su bstanles para
das duas casas que pretende fazer.
Posto em discussao, mandn-se cordear.
Outro do mesmo, informando o requeriraento em
que Guilhermino Celestino do Carino, proprietario
da casa terrea sila a' ra Imperial n. 109, pede pa
ra qne loe seja permiltdo substituir o oito da
mesma casa, o qual felo de madeira e barro,
vulgo laipa, e se acha armiado, por outro feo
de tijo.'io; diz que a casa de que (rata 6 ama casi-
a ediflcafo das por empregados do cemileri, podem ser alu-
nadas a particulares, que as queiraui habitar, e
nao obstante estarem um pouco arredadas aacida-
l' :: Trombeta, iiiiian dos montes.
Merece de ser escripto com letras de ouro, no
livro da historia, o nome deste povuado e dos seue
habitantes. Deste povoado sabiram por quatro ve-
zes numero de voluutanos da patria. N'esie po-
voado ainda diariamente se estilo alistando volun-
tarios, de cujOi alistamenlo esta' encarregado o ci-
dadao Hygino Firmo das Chagas, mogo distincto e
de grande influencia, sendo ahi morador desde que
se pnncipiou a edificar esle povoado. Mais de 30
voluutanos tem se alisudo na sua lista, e offereci-
do, mas no dia do embarque para esla capital s
se acbou com seis voluntarios, devido isto a alguns
maligaos que entendern) de desanimar o nobre
procediraenlo dos outros. O nosso amio ficou pa-
ra juntar os vuluntarios de sua lista, o que pela
sua influencia de esperar, e mandou apresentar
os seis vuluntarios a' S Exc. o mui digno Sr. pre-
sidente da provincia.
N'este povoado ha Rrande enthusiasmo pela can-
sa nacional com a noticia da victoria obtida em
Uroguayana. Este povoado esteve por tres dias
Iluminado, e lizerara-se festejos e muitos brindes
em urna casa para isso destinada, temi coocorri-
do, alera d is pessoas (graduadas e disiinctas do lu-
gar, os negociantes e al os pobres, e todos foram
bem acceitos. Note-se que entre os habitantes ha
um digno eslranueiro, qne se interessa pela causa
nacional tanto quanlo um Braslleiro. O nome des-
te es tra ogeiro, que ha quatro annos nosso habi-
tante, em outra pubiicaco eu raencionare; assim
como os nomes das pessoas que concorreram com
suas quoUs para ser raeihor festejado o dia, quao-
do recebamos a consoladora noticia aa heroica vic-
toria alcanzada em Uruguayana.
Um voluntario da patria de Irombeta.
VARIEDADES
*icleuci.-s e medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therapeutica, qua consista na desin-
A jurubeba urna das substancias medicamen-
tosas, ao reino vegetal, e pertence classe
dos tnicos o desobstruentes, sendo em prega
oa com ;vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de engorgilamentode figado e baco.
Ella tem sido applicada com inconteslavel proveiic
contra a anemia ou rblorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para corabaler a menstrua-
cao difijcil, resultaute da mesma anemia ou chic
rose.
Exirato alcoolico de jurubeba.
Frapla'tro idem.
Oleo idem.
Tintura idm de idem.
Xarope idjm.
Vinho idem de id-m.
Puilas de ext. idem.
Deposito, pharnncia de Pinto, ra larga do R
sano n. 10.
CUMME1CI0.
Caixa filial do banco de Brasil em
Pernamboco.
A directora desta cafxa saca sobro o banco
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial
mesmo banco na Babia.
\ovo banco de Pernam-
biico.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
tyovo banco de pernambnco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita nnssa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mettidos : no novo banco de Pernambaco ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do banco do Brasil en
Fernambiico.
De ordem da directora se faz publico que a car
xa descoma os saques de sea aceite, pratlcados
Ihe iar nenhuma dassuas propriedades.
Temos o prazer de annunciar hoje aos
nossos leitores, que esse resultado foi obti-
do de modo o mais completo por um babil
dTtm'cT^odV^^ faris, oSr. Chevrier, que
saes, rendendo a que foi feila para o administrador conseguio desinfectar o oleo de figado de
limo e a outra 8ooo. bacalho com o alcatrao e o balsamo de
feceo do oleo de ligado de bacalho sem Pel banco do Brasil> Pe'a tl" de 7 l i0 >nno-
q&Z^^*&*JSZ V- S- iTolD- As ^riene* feitas por muitos de
Deus guarde a V. s. Reeifu 24 de juiho de nossos pranoselcc ebres, nos hosp t^es e so-
18bo.Illms. Srs. presidente e mais merabros da bre seus doentes particulares, as analy.-es e
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Novo Banco de Pernambnco
O Novo Banco paga o dcimo quinto
videndo na raz5 de 80 por accSo.
di-
ALFANDEGA.
Rendimento db dia 1 a 15......
Idem do dia 16...............
173:518,1084
18:295*085
191:813*169


:







Diario d Fdrttdttibucd >- &egniid> Itita 18 Je scemhro de !&.
MOVIME.NTO DA ALPADEiJA.
Volnmes euirados com fazendas.... 74
c com gneros..... 323
t 379
Yol ornes sabidos ccm fazendas____ 9o
coa geoeros..... 235
------ 330
Descarregam co da 18 do correle.
Brigae inglez.4/6io mercadorias.
Barca inglezaLanca-tna farioha de trigo.
Barca ingleza Mira A Celia -madeira.
Barca (rancczaMaunce diversos gneros.
Patacho hollaodez-An/;.; tacercuidiversos g-
neros.
Barca nacionalFaite-charque.
Brigoe liespanholCaritaidem.
I ni porta cao.
Vapor brasileiro Paran, entrado do Rio de Ja"
neiro, maoife-tou o segulnte :
1 caiza folliinhas; a J. N. de Souza.
1 diti ditas ; a J. Waifredo de Medeiros.
1 dita ditas e livros; a Jos Barbosa de Mello.
2 caixoes volumes impressos ; a Garraux de L.
& C.
1 dito charutos e fumo; a Jos Leopoldo Bour-
gard.
1 caixa msicas impressas ; a Joo Vignes.
1 caixo xarope, 112 jacars toucinho, 46o rolos
fumo; a ordem.
Gneros cstrangeiros.
1 caixo folhetos impressos; a Jos Nogueira de
Souza.
1 dito chapos; a Ferreira & Araojo.
1 dito diversas mercadorias; a Antonio Joaquim
Pan asco.
2 ditos confeitos e alfenins; a Coelho Frei-
tas.
1 embrulho diversos objectos, 100 barris banha,
1 caixoto diversas mercadorias, 1 erabrulho amos-
tras de azendas; a ordem de diversos.
LFANDEGA DE PERNAMBUGO.
PAUTA DOS PBECOS DOS GNEROS SUEIT0S A DIREITOS
DI BXPOBTAQO. SEMANA DE 18 A 23 DO MEZ DE
SETEMBBO DE 1805.
Mercadorias. uidades. Valores.
1:>00
800
800
400
800
900
Farmha do lrio. IUUIIiu-o de 20*000 a 225 a
barrica da de New-York, de I8
aaift a de Trieste e franceza, e
6J800 por sacco de "100 libras a
do Chile ; Dcando em deposito Antonio da Silva Carapeba 1:09l*073, Antonio Pe-
4,800 barricas da primeira, reir Leite da Cruz 2385:128, Antonio Ribeiro Cam-
8,300 da segunda, 4,300 da ter- pos 1405960, Antonio Alves da Silva 1505380, An-
ceira e 7,500 saceos da qoarta tuio Ignacio da Silva 1705, Antonio Jos Coelho
Louca.......... A ingleza ordinaria vendeu-se de Lima 375'70, Alexandre Jos de Barros 19,3883,
com 300 por cento de premio so Andr Ferreira da Coftha 685128, dilo do mesmo
bre a factura. 7055, Andr Acioli Adelam 6995890, Arsenio Pao-
Manteiga.......Venden se a ingleza a 900 rs. a taleo Cardaval 305760, Amia Joaquina de S. J*
libra, e a franceza de 700 a 750 1875390, Bernardo Jos de Barros Correa 795664,
rs. a dita. Christovo da Bocha Wanderley 105600, Cosme
Maisis......... Venderam-se a55500 a caixa. de Andr Florencio 4315832, Caetano Jos da Sil-
Oleo de liohaca.. Vendeu-se a 15700 o galo. va Lobo 955890, Caelano Jos Pereira u 1645660,
Passas.........dem a 65000 a caixa. \ Desiderio de Carvalho 282 rs., Domingos Cavalean-
Presuntos.......Venderam-se a 165000 por ar
roba.
Qtieijos........Os flamengos venderam-se a
25000 cada um. Protomartyr Figueiredo Wauderley
Sabio.......... O inglez vendeu-se a 140 rs. a mesmo 6O5, Francisco Jos de Maealhps [tastos
ra lanto-OStitS, Aotonio Leiteda-Silva m*Wi, i o pteanfr dual pelo otoemo, cito e hei por
AfloBioFefflandefl Angelo !505956f-AntoBio da Sil- mimados ao0 ditos devedores t^ra que compare-
va Paixae 3825980, Antonio imite de Azevedo' cara nesle iatio v? indicada praso afim de allega-
605, Antonio alarOe a-Silta Murta 2865549, rem o que for de dirijo e jusH$f,
E para qoe cfjcfoe ao coti.hetfmesjto de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afflxado nos Jugare.' do costun-??.
Recife U de setembro Jo 1863.
En Manoel Msri Rodrigne3 do Naseimento, es
crivao o sobscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Secretaria, 15 de s-tembro de 1863.
O secretario,
Julio Guimaraes.
mmms) mu
DSKLllA?fiS.
RelarSo das carias seguras lindas do
vapor brasileiro I'arau para os
abaixo declarados:
ApTjgio Tavora Neves (Porto).
Alexsnilrino Thomaz de Aquino Coelho.
Dr. Antonio Borges da Fonseca Jnior.
! Antonio de Castro Alves (2).
I Antonio Joarjom de Pontes Marinho.
: Felippe Lopes Nelto.
sul pelo
senhores
de mobilias completas, guarda vestido, aparadores,
^ctos de ouro e prata, relogios de algibeira e
f'hj'- cabriolis, pian >s, grande quantidade de
pare de, 'sos, charutos da Ifavana e Bahia, ras-
traste sfu.. oalos para uma binda de msica,
trunientos com,. d correal as II befas.
DO AGta
Ti
OLYMPI
Ababos......... cento
/ Agurdente de cana .... caada
^_Jdiart3stilada ou do reino
Idimicirxara....... *
dem geacrrra......
dem alcool ou espirito de agua-
rdante ....,.-
Algodo em caroco .... arroba
dem em rama ou em lia
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado t
Assucar mascavado .... t
dem branco........
dem retinado......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........ casada
dem de coco......
dem de mamona ....
fia tatas alimenticias .... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem lina........
Caf bom .......
dem escolha ou restolho.
dem torrado...... libra
Caibros........ um
Cal.......... arroba
dem branca ....
Carne secca (xarque) ...
arneiros ....... um
Carvo vegetal ..... arroba
Cavernas de sicupira uma
Cera de carnauba em bruto. libra
dem dem em velas
Cha .........
Charutos ....... cento
Cevados (porcos)..... um
Cucos (seceos)...... cento
Colla........ libra
Couros de boi, salgadosj. *
dem idem seceos espichados
dem idem verdes ....
dem idem cabra cortidos um
dem dem de onca ....
Doees seceos ...... libra
dem em gela ou massa
dem em calda......
Espanadores grandes um
dem pequeos.......
Esleirs para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional ..... arroba
alqueire
arroba
c
um
arroba
urna
Farinha de de mandioca
dem de araruta ....
Feijao de qualquer qudlidade
Frechaes ......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom ....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinlias .......
Gomma........ arroba
Ipecacuanha (raiz).....
Lenha em adas..... cento
Toros .........
Linhas e csteios...... um
Hel ou nielaco...... caada
Milho......... arroba
Papagaios....... um
Pao Brasil....... quintal
dem de jangada...... um
Pedias de amolar .... urna
dem de filtrar ..... t
dem de rebolo ......
Piassava........ molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilbos....... cento
Pranchoes de amarello de dous
costados....... um
dem de louro......
Rap......... libra
Sabio ..........
Sal........... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama...... >
dem em velas .......
Sola em vaqueta...... uma
35<>*i0
145600
15500
25600
25000
35500
55120
25000
15600
15000
15200
35000
75000
65400
65000
440
360
280
500
35200
45000:
15000
35000
300
300
15500
25500
155000
45OOO
000
155
240
100
350
105000
15000
320
500
45000
25000
155000
15600
15800
45000
25800
55000
145000
85000
850M
55000
600
25500
255000
25000
115000
65000
240
15500
35000
55000
55OOO
800
45000
15000
120
35500
libra, e o do Mediterrneo a 240
rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa a 115200
a arroba, e o do Rio-Grande do
Sul de 95500 a 105000 a dita.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 905
a 1005 a pipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa de
1705a 1905 a pipa, e os de ou-
tros paizes a 1705000 a dita.
Velas..........As de composicao venderam-se
a 560 rs. por pacote de seis ve
las.
Descontos.......O rebata de letras regulou de
9 a 10 por cento ao anno.
Fretes.......... Para Liverpool, pelo lastro para
assucar \{ chgs, e pelo algodo
Vi d. por libra 5 %.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiropatacho inglez Eaglet, capitao J.
L. Dichenson, em lastro.
Rio de Jsseiro e Bahacorveta nacional D. Ja-
muira, commandanie o capilo de fragala Joo
Gomes de Aguiar.
bservarao.
Suspenden do lamarao para Londres a galera
ingleza Alberl Edward, capilo Breford, com a
mesma carga que trouxe de Lonceston ( na Aus-
tralia. )
Navios sahidos no da 17.
AracatyPalhabote nacional Sania Cruz, capitao
Jos Victorino das Neves, carga differentes g-
neros.
Porto* do norteVapor brasileiro Paran, com-
mandanie o capitao de fragata Santa Barbara.
Observarao.
Nao houveram entradas. '
3:1845784, Francisco Jos da Paz 855210, Fran-
cisco Flix de Lemos 115571, Krancisco Antonio
Vieira 1225571, Francisco Antonio de Mello 134:210,
Franco Jos de Paulo 1125032, Francisco de llol-
landa Chacn 2:0005, Francisco Gouveia de Castro
Albiiiiuerque 305, Francisco Marques de Carvalho
2005, Francisco Pereira da Silva 1715207, Fran-
cisco Xavier da Silveira 705880, Fabricio Jos da
Cunha 2515460, Goncalo Gomes Duarte 1305, 611
de Freitas Cosa 8005, Herculano Alves Lima
1075740, Jo.- de Medeiros Arruda 1215360, Joao
Lopes Baudeira 295800, Joao Chrysestomo Gusmo
e Mello 2505, dito do mesmo 2505, Joao Marques
da Costa 2275700, Joao Evangelista Taboca 405,
Joao Alves Pereira 505, Joao BotelhoNeiio 2845345,
prximo passado, que sao as seguintes : 1 Pedro Marinho Falcaa
13100 rs. diarios de sold, serem seus SabD0 Jo- de **"
Ihos menores recolhidos aos estahelecimen- j .____l/'-l-ii
tos provinciaes de educacao e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo i
para o caso de aposentadoria, e alm destas'
tem lodas as mais vantagens que sao con-1
cedidis aos voluntarios da patria. O te-
nente-coronel commandante do corpo de |
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe.
Consulado provincial.
O administrador do consulado provincial manda
3G Ruu da Cadela do liecilV'36
LEILAO
De um boi e carraca.
Terca-fera 19 de setembro.
O agente Pinto fara' leilo a' requerimento de
Antonio Constantino Monteiro e por despacho do
IIIid. Sr. Dr.jnz municipal da primeira vara de
uma carroca com boi, as 10 1(2 horas do dia ci-
ma dito em seu esenptorio roa da Graz n. 38, po-
dendo os pretndenos examinarmn ditos olij-cUte
na ra da C: uz em frente ao mesmo escriptono.
EMPREZA-COIMBRA
3 recita da assiynalura dos G espectculos do
ador Sinioes.
iSSSO? Sai* i;f^,,0.Joa1"im Fra!,,i.s,r?,1e Publicar para coohecimeato dos devedores dos im-, .
postos cobrados por langamenlo pertencent-s ao Quarta-feira 20 de SOtOUlbrO
de 1865.
Bjpresenlar-se-ha a comedia drama em 3 actos
original portuguez do Sr. Cesar de Vasconcellos
! n.?l,? rT,rSm?J^40, Joaq'm J*ede.-eereco Ando e.n liquidago de 1864 a 1865 a
u-i &33,6^660- l0*Wm AaT 1 Pr,aria ,l Sr- 'n*pector da thesouraria provincial
5.S526*m' oa1'm doN,f 7menl0---^:vV 'em 'l'ie ordeua qne o pagamento de seus dbiles
1.1975769, Joaquim Antonio Rodrigues 89520J, s poderao ser elfectuados at o dia 30 do corrente
I Do deposito da rail la Scnztla Elffi nu-
mero G.
: Terca-feira 19 do correle as 10 i\-2 horas.
Pelo agente
___OLYtJOT.___
WaLJLA
De ercravos e ambos os svvos
Navios sahidos no dia 16.
Para pelo Ass30 dias do primeiro porto e 6 do
Jos Alves Cordeiro 265420, Jase Francisco Xa-
vier 2565090, Jos Antonio Alvf s 4645730, Jos
Pedro Alexandrino 1005, Jos Antonio de Barris
1:0005, dito do Sesmo 895, Jos Barbosa Pilgnei-
ras 685045, Jos Lene Chaves e Mello 4005. Jos
Rodrigues Torres 195, Jos da Costa Jess 6325167,
Jos VirisMmo de Souza Lima 365167, Jos llar-
tms Bollas 3505, Jos Severino de Moura 445020,
Jos Antonio Goncalves Sanhoso 105880, Jos de
Souza Vieira S M'ello Pesoa 865*805, Jos Baptis-
la Gomes 295228, gnacio Teixeira da Fonseca
245220, Ignacio Joaquim Braga 4105643, Ignacio
Gomes de Sa 695300, Lucas Evangelista dos San-
tos 62,-3620, Lourenco Monteiro da Silva 2685167,
Manoel Francisco Muniz 1355152, Manoel Jos
Pinto 265720, Manuel Jos da Silva 522 ris, Ma-
noel Joaquim Vinhas 165230, Manoel Teixeira
Pacheco 153527, Manoel Leite de Azevedo
2015720, Manoel Cavalcanle de Alhnquerque
Lacerda Beltro 4285245, Manoel Fernandes de
Oliveira 475910, dito 1205000, Manoel Joaquim da
Cuuha Padre 1:1915320, Manoel Teixeira de Vas-
concellos 5005, Manoel Rodrigues Sobral 1065556,
segundo, brigue escuna nacional Graciosa, de I Manoel francisco de Araujo Carnauba 200,3, Ma-
218 toneladas, capitao Jacintho Nunes da Costa, 1 noel Jos de^Mello 2185232, Manoel Beruardino da
equlpagem II, carga sale nulros gneros; a 1 Silva 5^05673, Manoel Bernardino Sa Silva 345660,
Antonio de Almeida"Gomes. I Manoel Gomes di Sa Jnior 2938. Manoel Pinto
Trieste58 dias, patacho austriaeo Gratudine, de'Lima 235640, Manoel Pinto Lima (81595, Manoel
280 toneladas, cr.pitao Gasparo Perizza, equipa-' Jj/ de Souza 425010, Manoel Jos da Silva Cear
gem II, carga 2,180 barricas com farinha de tri- '9255:10, Manoel Alexandre de Sarnpaio 6135920,
go : a N. O. Bieber & C. j Manoel Bapiista Ribeiro de Farias 755. Malaqiuas
Magasiki ( no Japo ) 132 das, barca ingleza pos 85060, Miguel Francisco Rapoza 725192, Ml-
Swanley, de 335 toneladas, eapilae John Mel- ,,el Narciso Nobre 1475505, Marcelhno Soares
dran, equipagem 10, carga cha, e outros gene. I Godinho 1825, Marlinho Gomes da Silveira 1693700,
ros; a ordem. Recebeu ordens e seguio para' Pe(,ro Tenorio de Araujo 2465762, dita do mesmo
Newvork. j 1005, Paulo Nunes Serra 3555213, Patricio Jos
Rio Grande do Sul30 dias, brigue hanoveriano de Almeida 93, Patricio Jo' do Reg 695, Rogerio
Amelia, de 236 toneladas, capitao J. Witt, equi- da Silva Correa Nunes 1985080, Seraphim Alves
pagem 9, carga 14,500 arrobas de carne ; a Maia i Pereira 543900, Trajano de Alencar Benevid. s
& Espirito Santo. 495*60, Thomaz Fern-ndes Vieira 2025190, Vi-
llha da Assumption-9 dias, barca ingleza 2Vc6/i, cente Ferreira Padilha 1825, Felippe Rodrigues
de 250 toneladas, capitao J. Feshwck. equipa-
geni 10, em lastro ; a Sawuders Brothers & C.
Rio de Janeiro e Bahia6 dias e 18 horas, e do
ultimo porto 13 horas, vapor nacional Paran,
de 750 toneladas, commanlante o capitao de fra-
gata Santa Barbara, ejuipagem 25.
Duro 2335, dito do mesmo 2345. dito do mesme
2335, Luiz Jos Fernandes 7513680, dito do mes-
mo 4305, dito do mesmo 725800, Amonio Bilin-
ges Pono 1635600, Antonn Jos Vieira 1985210,
Jos Francisco Vieira 115. Ignacio Fernandes Ca-
sado 2155640, Lciz Qneiroz Coutinho 4015780.
Florenlino Velloso Cavalcanle 3715858, Joao
quim Goncalves de S 1845043, dito do mesmo
7003000, Francisco Marques de S 5495456, Joo
Marinho Falcao 5304753, Jos Fidrlis dos Santos
Cazadinho 4016731. Luiz Jos Corre 1 de Sa
A cmara municipal desti cidadefaz publico H05920, Joaquim Jos Bandeira de Moura......
queem sesso desta data deliberou espaear para o '2035720, dito do mesmo 2805765, dito do mesmo
ia 25 do crreme a arrematacao de su'as rendas,' 585980, Sebastiao Jo- de Moura 4783780, Jos
annunciada para o dia 16, devendo os concorren-! Francisco de Lac-rrta 2446438,-bilneles-Antonio
les a tal arrematacao apresentarem as suas hab-' loJ d;1 Fonseca 695100, Antonio Moreira da Costa
T
a ES.
litagoes at o da 19 para serem julgadas, sendo as
rendas de que se trata as seguintes:
Imposto de affericao de pesos e medidas.
Lino de 80 rs. por carga de farinha
Aluguel de talhos dos acougues das ribeiras de
S. Jos e Boa- Vista.
A arrematacao das demais rendas, anuunciada
para o dia 20, ser feita nesse mesmo dia. Os
435000, Joao Leito Sampayo 306400, Venceslao
Ignacio da Conceicao 145760, Jos da Costa Croa
355480, Antonio Januario Paes Brrelo 495720,
dito do mesmo 495720, Antonio Januar o Paes
Birreto 495720, Antonio Jos da Fonseca 184-5950,
Antonio do Reg Pacheco 255600, Antonio Jos da
Cruz 85800, Antonio Ribeiro de tirito 4835983,
Antonio Lepes Pereira de Carvalho 356920, Anto-
ao meio dia.
Mesa do consolado provincia! de Pernambuco 12
de setembro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Porlaria.
O inspector da thesouraria provincial recommen-
da ao Sr. administrador do consulado provincial
que faca annunciar uma e mais vezes, que o pa-
gamento dos imposto* do exercicio ^foxrrr" lindo
em liquidaco, s ser adinetiido at o meio dia do
dia 30 do carrete mez, para que as duas horas,
ao mais tardar, estej recolhida a renda que se
houver cobrado atenea dia.
Thesouraria orovincial de Pernambuco 2 de se-
tembro de 1865.
Jos Pedro da Silva.
concorrentes a ella deveroapresentar as suas ha-!nln Cahral Rodrigues 33440, Antonio Jos de Oli-
bilitacSes at o dia 18 desle. veira 2:8005000, Antonio SimSes Cordeiro 195250,
Paco da cmara municipal do Recite em sessao ; Aesto Romano Bayano de Souza Castilho........
de 15 de setembro de 1865-Luiz Jos Pereira S- 2976329, BelUrmino Firmino Bezerra de Mello
moes, pro presidente.Francisco Canuto da Boa- 175360. Dr. Bernardo Jos Fernandes da Silva
viagem. secretario. j 405198, Estevao Jos Paes Brrelo 855570, Esta-
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-1 "i!:|au Pereira de Oliveira 205000, Francisco An-
penal ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio, por S. M. Imperial e Constitucional o
Sr. I). Pedro II, a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 18 de setembro
do correte anno se ha de arrematar por venda a
quem mais der em praca publica deste juizo o se-
guinte :
Um sitio sito na estrada de Joao de Barros, tendo ] d niesmo 1:7135075, Joao do Reg Barros........
um porto na frente com pedacos de muros as lado, 815950, Joao Jos de Moura 755645, Joao Correa
uma casa com um sotao dentro do sitio, tendo a
tomo de Sa Brrelo 515700, Francisco Jos dos
Prazeres Camboim 596310, Flix Pereira de Lira
165340, Flix Aueusto Scolar 6005000, Freiierico
da Cosa Rios 2045000, dito do mesmo 2035889,
Guilherme Patricio Bezerra 1303000, Henrique
Manoel Malheiros de Mello 366500, Joao Stuart
Borborema 645230, dito do mesmo 8783000, dito
do mesmo 8785000, dito do mesmo 8783000, dilo
Taboas de amarello..... duzia
t diversas ......
Tapiocas......... arroba
Tatajuba........ quintal
Travs......... uma
L'nhas de boi ...... cento
Vassouras de de piassava
Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
Vinagre......... caada
205000
105000 casa trinta e quatro palmos de frente eoitenta e seis
15000 de fundo, tendo em roda da mesma casa uma cal
120 cada com pilares, duas salas, quatro quartos, cos
400 oha fora, e no soto tres quartos e uma sala, com
255000 cacimba, tanque, casa para pretos, e um telheiro
56000 com apetrechos de moer e fazer farinha em mo
75000 estado, t-mo um terreno com largura para ambos
26000 os lados, para plantacoes, algumas fructeiras, sen-
1405000 do a largura do dito sitio de 375 palmos e.5)0 de
8760001 fundo, avahado em 40:0005. ?
350001 O qual fora penhorado por execuco de Jos Pan-
25OOO 1 do Bego Brrelo, contra o bacharel Diodoro Ul-
6601)0 piano Coelho Catanho.
200! E Dao ha vendo lancador que cobra o preco da
106000! avaliacao a arrematacao ser feita pelo prego da
85000 adjudicado na forma da lei.
850OO' E para que chegue ao conheciraento de todos
mandei passar o presente, que ser publicado pela
500
Alfandega de Pernanibuco, 9 de setembro 16' imprensa e afflxado nos lugares do costme.
g(53# Cidade do Recite de Pernambuco 18 de agosto
Assi^nados): **e '863.
l.cconferente, Antonio Carlos dePinho Borges Eu> Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
O i.' conferente, Jos Baptista de Castro e Silva. cnvao subscrevi.
Approvo. -Alfandega de Pernambuco 16 de se-
tembro de 1865.A. Eulalw:
Conforme. O 4." escriturario, J. d"Avila Bi-
ienconrt Neivas.
BECEDEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Bendimento do dia la 15...... 14:0836515
.dem do dia 16................ 9366526
15:0396041
CONSULADO PROVINCIAL.
Bendimento do dial a 15...... 10:7586087
dem do dia 16.............. 1:0785232
17:8366319
PRAQADORECIFE
16 E SETEMBRO BE 165.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........Saccoo-se sobre Londres a 24
yi d. por 16000 a 90 d. v.
Algodo......... O de Macei. posto a borbo, ven-
deo-se a 166300 por arroba.
_A.rroz..........Venden-se opilado da India a
25700 a arroba, e o do Maranho
a 25800 a dita.
Azeite doce...... Vndense o de Lisboa de 25">00
a 25600 o galo, e o do E>treito
a 25400.
Bacalho.......Retalhou-se de 185 a 206000 por
barrica.
Batatas.........Venderam se a 35000 a arroba.
Bolachmhas.....Vendeo-se a 26300 a barr-
Carne secca.....Ado Rio-Grande do Sul vendeo-1 to o conteodo de sua plico retro, a qual offereceo
se de 26600 a 36500 a arroba, como parle da presente, que tica sende : e de como
ficando em deposito 120,000 ar- i assim o disse e protestoo, lavrei este termo no qual
robas: e a do Rio da Prata de i se flrmaram com ditas testemonhas.
26400 a 25800, ficando em de-! Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
posito 12 000 arrobas. crivao o escrevl, Jos Coelho da Silva AraujoMel-
Caf........... Vendea-s de 6600 a 76000 a quiades Antunes de AlmeidaAntonio Carlos Pe-
arroba.
Cha............ dem de 16800 a 26200 a libra.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seo termo, por S. M. I. e constitucional o
Sr. D. Pedro II a quem Deus guarde, ele.
Faco saber aos que o presente ediial virem e del-
le noticia tiverem, que Joo Antonio Marlins No-
vaes e Anua David Martins Novaes me dirigiram
a peticao do theor seguinte:
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.Joo Antonio
Martins Novaes e Anna David Martins Novaes vern
respetosamente requerer a V. S. qoe se digne
mandar tomar por termo o protesto que ora fazem
para interromper a pre.scripco das dividas pertea-
centes aos sopplicanles por heranca paterna, e
constantes da relaco jonta ; e por que os devedo-
res estejam aoseotes em logares oo sabidos pelos
supplicanles, requeren) estes igualmente que V. S.
haja por bem admilli-los a justificar a ausencia da-
queiles devedores atina de que sejam elles intima-
dos do protesto por carta de ediios : pelo que pe-
dera a V. S. favoravel despacho.E. R. M.Joao
Amonio Martins Novaes. Anna David Martins
Novaes. Na qual dei o despacho ao theor sscuinte:
Justifiquen) no da 1 do mez prximo futuro as
11 horas da maoha.
Recife, 30 de agosto de 1865.Alencar Araripe.
Em vii lude do qual fura a mesma peticao des
tribuida ao e drigues do Nascimento, o qual lavrou o termo de
protesto do theor segointe.
Termo de protesto.Ao Io de setembro de 1865,
na cidade do Recife, em meu cartorio, appareceram
os supphcantes por seo bastante procurador Jos
Coelho da Silva Araujo, e disse peraote mim e as
! testemonhas infra assignadas qoe redozia a protes-
reira de Burgos Ponce de Len.
Depois se via e mostrava seguir-se a re a cao dos
Cerveia........ Vendea-se de 46000 a 65000 a devedores de theor segointe :
' j.. ,i n....ro HelaeTin dos devedores :&
duzia de garrafas.
Relaco dos devedores :Antonio Gomes da Sil-
Gomes 95320, Joo Luiz Teixeira 585500, Joo
Leite de Souza Braga 1005000, dito do mesmo-
1355244, Joao Policarpo do Reg Barros 2475128,
Joo Francisco dos Santos 126060, Joo Marinho
Cavalcante de Albuquerqne 545480, Joaquim de
Albnquerque Fernandes Gama 305750, Joaquim
Francisco de Mello Cavalcante 1106782, Joaquim
dos Santos 545000, Jos Beroardino dos Res Lima
1305500, Jos Archaojo de Figoeirdo Mello......
666770, Jos Fernandes Jorge 396540, Jos Go-
mes de Oliveira 135000, Jos Joaquim de S.mt'An-
na No 706605, Jeronymo Jos BustorfT 776532,
Innoceocio Gomes Pinto 1086000, Luiz Francisco
Paes Barreto 876550, Luiz dp; Moura Accloli......
175989, dito do mesmo 775976, Luiz de Qaeirs
Coutinho 2OO5OOG, dito do mesmo 206720, Luiz
Antonio Goocalves 2835730, Lourenco Cavalcante
de Aiboqoerque 1795291, Loo rengo do Bego......
196640, Lercadio Aquino Cavalcante 585068, M a
noel Lucas dos Santos Oliveira 146920, Manoel
Baptista Ribeiro de Farias 155000, Manoel Caela-
no Cavalcante de Albuquerque 336040, Manoel do
Reg Barros 1255690, Manoel Esleves de Ahreu
3i>6423, Maooel Macelo Campos Pessoa 305000,
Manoel Joaquim Dures 125145, Manoel Jos Cea-
r 2005000, dito do mesmo 305600, Manoel Joa-
quim d- Mello 255510, Pedro Jos dos Santos
515535, Ra y mundo Nonato dos Santos 66800,
Marlinho Joaquim de Mello 96540, Samuel Valla-
ce Mac Doir 46040, Theodoro Jos dos Santo
105900, Theotomo Joaquim da Costa 33#160, dito
do mesmo 1356332, dito do mesmo 1305000, dito
do mesmo 486000, Themoteo Antonio de Araujo
Reg 185900, Vicente Ferreira Tavares 275360,
Joao Francisco Duarte 45650. Flix Bezerra de
Mello Leito 186600, Antonio Francisco da Cunha
806000, Joo Dias Leite 136000, Estevo Proto-
martyr Figueira Wanderley 1O252O, Joaquim Jo
s Bandeira de Moura 426900,LetrasJos Cae
tao da Croz 585333, Francisco Borges Boarque
(em orna publica forma) 4146*20, Manoel da Cu-
nha Goedelha 335633, Loiz Antonio Goncalves
3^05000, Manoel Rodrigues Dias 2856000, Jos
Joaquim da Silva Braga 1:2106183, Jos Vicente
Leo 636040, Jos Vicente Leo 823785. Jos lg
naci Xavier (em uma publica forma) 2965000,
Antonio Jos da Fonseca 1835260, Francisco An-
tonio da Silva 2:1556811, Jos Joaquim Teixeira
Palha 5:4406238, Jos Vieira Rodrigues de Car-
valho e Silva ISOjOOO, Joao dos antes Ferreira
206175, Antonio Baptista de Auuiar 3776870, V-
vente Vaz Ferreira 516845, Joo Baptista da Sil-
bara 856705, Gil de Freitas Costa 206334, dezem-
rargador Aotonio Baptista Gitirana 2255180, Joa
qoim Francisco de Panla Eteves 2646712, Diogo
Baptista Fernandes 486480, Estevao Jos da Fon-
seca 576937, Jos Antonio Biuncourt 495630,
Antonio Borges Leal 876900, Jos Cicilio Carneiro
Monteiro 96J840, Luiz Bispo Bezerra l:391O00,
Jos Luiz Salgado 8355000, Jos Victorino da San-
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
aos devedores dos impostos arrecadados por lanca-
mento perlencentes ao exercicio findo de 1864 a
1863, que no ultimo de setembro fioda-se o praso
marcado para acobranca de seus dbitos, llcando
sujeitos os que nao paguem at aquello da, alem
da multa de 9 0|0, a serem remettidos para juizo
alim do serem execulados.
Mesa do consulado provincial 31 de agosto de
1863.O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
Tribunal lo commercio.
Relaco dos feitos parados na secretaria do tribu-
nal do commercio, por falta do respectivo pre-
paro.
A. Madame Rosa Mour, RB. os curadores lis-
caes da massa fallida de Aolonio da Silva Ferreira
Santos.
A. Joaquim Anaro da Silva Passos, R. Francis-
cisco do Piado.
Exeqnente Jos Alves da Silva Guimaraes, exe-
cutado Elisario Gomes de Mello; embargante 3."
D. Maria Margarida de Mello.
AA. Manoel Jooquim Ramos e Silva & Genros,
RR. Henrique Luiz de Barros Wanderley Lino e
Caetano Francisco de Barros Wanderley.
A A. Joo Jaymes Martins Chaves, Isidoro Fer-
reira Botelho, Jos Joaquim de Sanl'Anna e Jos
Cirneiro da Costa, R. Manoel Antonio Ribeiro.
A. Jo- Marques dos Santos Aguiar, liquidata-
rio das firmas de Jos Goncalves Malveira e Jos !
Marques dos Santos Aguiar fi C, RR. Domingos'
Francisco Ramalho e Pedro Jos de Mello.
AA. Moreira & Duarte, R. Jos Virissimo dos
Anjos.
A. Jos Hygino de Miranda, R. liento Jos da
Gosl*.
Exeqoente Octaviano de Souza Franca, execula-
do Jos Francisco do Rege Barros.
A. Antonio Jos C indi 'o de Souza, RR. os admi-
nistradores da massa fallida de Amorim, Fragoso,
Santos t C.
A. Joaquim Luiz Vires, RR. D. Francisca de
Salles Candida da Rocha e outros.
A. Luiz Jo- da Silva Guimaraes, RR Jos An-
to de Souza Magalhes e outros.
A. Agosiinlio Rodrigues dos Santos, R. Manoel
Paulo d'Albuquerque.
A. Joaquim Paulino Jacome, R. Joao Tavares
Cordeiro, hoje seus herdeiros e o director geral.
A. Ernesto Goncalves Pereira Lima, RR. os ad
ministra -ores da massa fallida de Amorim, Frago-
so. Santos & C.
Exequentes os administradores da massa fallida
de Amorim, Fragoso, Sautos 4 C, executado Pedro
Paulo do* Santos, embargante 3 Pedro Paulo dos
Santos como administrador de sua filha Janua-
ria.
A. Antonia Ferreira Leal, R. Jos de Faria Fer-
reira Jnior, curador de Antonio Casemiro de
Gouveia.
A. Jos Martins Alves da Cruz, R. Jos Antonio
Goncalves Pires.
A. Antonio Jos Conrado, successor de Julio
& Conrado, RR. Antonio Francisco das Neves, Lou-
renco Luiz das Neves e Benedicto Jos Duarte Ce-
dnm.
A. Felippe da Silva Pimentel, RR. os curadores
flseaes da massa fallida de Paria & C.
A. O bacharel Joo Francisco Teixeira. RR. os
administradores da massa fallida de Guimaraes &
Irmo.
AA. Malheus Austio & C, RR. Bnto Qoeiroz
4c &
A. Manoel Pereira Magalhes, R. D. Paulina
Caelana Soares Carneiro Monteiro.
A. O tenenle-coronel Joo de S Cavalcante de
Albuquerriue, R Antonio Nunes Jacome Pires.
A. wavidWilliam Bowman, RR. Manoel Alves
Guerra, Francisco Antonio de Brito e Francisco de
Paula Qoeiroz Fonseca socios da Arma Brito &
Queiroz.
A. Octaviano de Sonza Franca, R. Jos Francis-
co de Barros Reg.
A. Francisco Antonio das Chagas, caixa e pro-
curador da sociedade arrematante do imposto de
235OO sobre cabeca de gado morto no municipio
do Recife, R Claudio Dubeux.
A. Joo Nicolao de Lira Cavalcante, R. Manoel
Jos da Silva Grillo.
A. Joaquim Elviro Alves da Silva, R. Theotonio
da Silva Vieira.
A Antonio Joaquim de Vasconcellos, R. Jos
Joaquim Lopes de Almeida.
A. Francisco Ferreira Borges. RR. os adminis-
tradores da massa fallida de Martinho d'Oliveira
Borges e Berilo Jos Ramos d'Oliveira.
A. Miguel Jos d'Abren, R. Horacio Tiburcio da
Croz Moniz.
A. Antonio Fernandes d'Oliveira Ramos, R. Ma-
noel Theotonio Bezerra.
A. Galdino Themistocles Cabral de Vasconcellos,
RR. Manoel Alves Guerra, Francisco Antonio de
Brito e outros.
A. Antonio Jos de Castro, RR. Francisco ABto-
nio de Brito e ootro.
A. Bernardo Antonio de Miranda, R. o padre
Jos dos Santos Fragoso.
A. Manoel Alves Ferreira, R. Pedro Cavalcante
d'Albuquerque Ucha.
A. Jos Narciso Camello, RR. os administrado-
res da massa fallida de Se ve Filhos & C.
A. Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, R. Ma-
noel Ferreira Garido.
A. Domingos da Costa Maia, R. Silverio Joaqun)
Martins dos Santos.
AA. O presidente e directores da caixa filial do
banco do Brasil, RR. Manoel Alves Guerra e Brito
Qoeiroz & C.
A. Jos Rodrigues da Silva Rocha, R. Maooel
Rodrigues Costa Magalhes.
A. Manoel Jos Martins da Corredoora, R. An-
FAflILU 1)0 TSO BMZ
MtBSONAGBNS.
'Braz Coelho................... SiroSes.
' Joo Carlos.................. Lisboa.
I Alfredo de Ribamar........... Guimaraes.
Baro de Ribamar............ Porto.
Miguel...................... Teixeira.
Goncalo..................... Pinto.
Maria....................... D. Camilla.
,Monica...................... D. Jesuina.
I Io operario................... Peixoto.
2o dito...................... Borges.
3o dito...................... Santa Rosa.
Um offlcial de juslica.......... N. N.
Um criado................... N. N.
1 Operarios, offlciaes de juslica etc., etc.
A scena passa-se em Lisboa na aslualidade.
Dar*' flm ao espectculo a primeira representa-
cao da excedente operla em 1 acto, msica do
celebre maestro allemo Offenbak imilaco do Sr.
M miles Leal
o to braz. !
I'EBSOXAOENS.
I To Braz...................... Si moes.
Z Burrigo.................. Teixeira.
Joanninha.................... D. Eugenia.
DENOMINAC.AO DOS NMEROS I E MSICA.
Qiurli-fcira 29 do correle as 11 hora?.
\o oranile nrm7>Mo rio SffpfltA
OLYMPIO..
36Ba da Cudeia uo Recite -3G
Y.12II.16
De DIB instrumental completo para
Hffla msica.
Quarta-feira 20 do corrente as 11 horas.
No Brande arnwm do agente
OLYMPiO,
36
Runda Cadela do Recife 36
Leilao
De movis e outros artigas
Cordeiro Kimes
fara' leilao por coala e risco de quem perlncer
de diverso-; movis novos e usados.
Qaarta feira 20 do corrente as 11 horas.
b7--.\o arnazem a ra da Cnz-57
AYISOS BIYEiSS.
1 O reerntado.
2o Duelo campestre.
3 Menestrel da aldeia
4 Duelo marcial.
5o Meneslrel da aldeia.
Comecara' as 8 horas.
17IS0S Muraos.
COMPANHIA PERNAMBUC \NA
DE
Navegaco costeira por vapor.
*Ilha de Femando.
No dia 28 ao meio dia segu
om .dos vapores da companhia
para* o porto cima
Boavetura Rodrigues de Souza, Portuguez,
retirase para o Rio.
O mulatinho que annuncinu precisar de 300J>
para su i liberdade, hyoolliecando os seus servicos
pelo tempo que se convencional- pode dirigir-se
ao caes do Apollo n. 55, que achara com quem
tratar.
LOTERA
AOS 6:000;5OOO.
Corre no dia 99.
Acharn-se venda na respectiva thesou-
raria ruado Crespo n. 15, os bilhetes,
Ddieado7**Re meio'c quartos da 2a pnrte da I1 lotera
cebe carga al o dia 27. En-
commendas, passageiros, dinhei-
ro a fret at as 10 horas da imnha do dia da
sabida : esenptorio no Forte do Mattoe n. 1._____
"MBfflBi BMSILER1
DE
321) n beneficio da matriz de Santo Amaro
de Jaboato,. cuja extraccao ser no da
aciaia publicado e no lugar e hora do cos-
tme.
I Os premios de G:00000 at 10^000
sero pagos una hora depois da extraccao
Di 1 17TI7C A 17 4T>riiP at as i horas da tarde, e os outros depois
Jr.yUl!ilC43 %. \ l\.l UJtte da distribuifaodas listas.
^i7ffsto!?Z;.< As eacommendas s rao guardadas so-
por Galgo, commandante o pri- mente ate a noite da vespera da extraccao
meiro tenente Araujo, o qual de- como de COSlume.
pois da demora do costume segui- Servindo de thesoureiro,
ra para os portes do sul. ,0,A nnr]rp..ip(! -jp Snil7.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada ; encom-
mendas e dinheiro a frete al o da da sahida, s
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro
MARTIMOS
Pretende seguir com muita brevidade a barca
nacional Bestaitracao, tem parte do seu carrega-
mento prompto: para compteta-lo, e juntamente
para escravos e fretes, para os qnaes tem exceden-
tes commodos, tratase com os seus consignatarios ^ Coipailhia IdeiIllliSadOra
CONTRA FOGO.
Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seo
criptorio, roa da Cruz n. 1.
Linha
do Havre a Per-
nambuco.
estabelecida nesta pra^a, toma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escriplo-
jio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Ruga se ao Sr. Luiz Francisco de Barros Re-
Espera se a barca Sphere que go mandar a loja n. 20 B da ra do Crespo, con-
sahio no dia 10 de agosto ao frete cloir o negocio que uo ignora. _______________
de 25 frs. 10 |. Recebe carga pa- n .
ra o Havre afretes baratos : a / ('!'(/HrllCl
'ei,frlerem C0DSgnatar0S TS" Pergunta-se se um es^rivao do clvel e crime e-
que tambem labellio de notas pode ser propost->
para ofOcial da guarda nacional.
Quem estiver ceno da lei a este respeito nos-
fara favor em nos esclarecer esta duvida, pois na
muito nebre, sempre leal e mais amiga villa da
Santa Cruz, Santos Cosme e Damio de Iguarass.
i se diz nao ser iocompativel.
1 O farofa.
Miguel
Illia de S.
A escuna portugneza Erna preteode sahir impre
terivelmente at o dia 30 do crreme mez, e para
passageiros e carga trata-se com o consignatario
Joo do Reg Lima, na ra de Apollo n 4.
Vende-se o brigue escuna austraco Grati-
tudine, construido ha tres mezes em Trieste, cas-,
siQcado 3[3 I. 1. A 14 annos. de lote 280 toneda: Domingo 17 do corrente mez est aberto o
das austracas acerca de 240 tonelladas inglezas novo aeougue da ra de Sanio Amaro, e ah encon-
a tratar na roa da Cruz n. 4, em casa de N. O. Bie- {rao os consumidores boa carne, primeira qua-
ber & C. soccessores. Hdade a 160 rs. a libra, sem falta alguma._______
I Alaga se om molatinho de 14 annos proprio
para criado, de excellente conducta : quem pre-
tender dirija-so a ra da Imperatrz n. 2.
LE IL OES.
Leilao
fazendas.
corrente.
ae
Iloje IN do
A. C. de Abreu fara' leilao por intervonco do
agente Pestaa, de fazendas inglezas e francezas :
hoje 18 do corrente em seu armazem ra da Ca-
deia. Comecara' as 11 horas da manha.
Precisa-se
LEIUII
De 1,600 lijlos de ladnlho, 1,600 ditos de tapa-
ment, 1,500 ditos de cacimba e 22 milheiros de
alveoana.
Assim como
renda annoal do sitio Cortume na fregoezia dos
Afogados.
Terca-feira 19 do correBte
as 9 i\i horas em ponto, no primeiro andar
da Cruz n. 38.
alugar no bairro de Santo Antonio orna casa terrea
que teoha porto, paga-se bem : na roa do Quei-
mado d. 46, loja.
mwmmmmm
m DEPOSITO DE CALCADO M
0. FABRICADO XA CASA DE DEBNCAO SR
itn; Nova n. i. m.
Ah se encontrarao obras de di- S
| versas qualidades, e por preco mui *
diminutos, a retalho e em porcSes. 8R
S se vende a dinheiro. $$.
Dez mil so lipas.
Contrata-se para o caminho de ferio de
O^SMt&ktSSSrrOL por Apipucos, 40.000 solipas demadeins.de
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commer- quahdade" quem pretender forne.'e-las diri-
cio os otjectos cima mencionados pertencenles a ja-se at o dia 30 do corrente mez, ra
massa fallida de Manoel do Amparo Caju\ servin- 0 imperador n. 53, segundo andar, para
do de base o maior preco obtido no leilao do da tratarr(jft ,,,at
12 docorrenle, istoas 9 1|2 horas do dia terga- irdldl uo *Jsio.
feiri 19 do andante, em seu escriptorio a' roa da A 111:1
Cruz n. 38. .UIO.
LEILAO
2
touio Pacifico Simo do Amaral.
la Cruz 122,5660, Joaquim Claudio Monteiro...... A. Francisco ferreira Borges, RR. os curadores
300000, Jos Alves de Moraes e Mello 2:500000. flseaes da massa fallida de Martinho d Oliveira
E tendo os suppiicantes produsido.as suas teste- Borges e Rento Jos Ramos d'Oliveira.
munhas, sellados e preparados os aotos subiram Eaequeote Manoel Jos Leite, executado Jos
a mioha concloso e nelles del e profer a semen- Francisco do Reg Barros Jonior. I_J -impir. d. p.ravn lBrin
ca do theor seeuinte : AA. Miguel Ferreira de Mello ersola Maria das municipal da primeira vara do escravo bleuleno
5 Hei por justfficada a ausencia dos suppllcan.es Virgeoe pSr si, e como totora do seos filhos meno- crenlo, Gerlrodes, molau, e_RoOni parda, per
aos qoaes mando citar por editos de 30 dias para res, R. Francisco Ferreira de Mello. .
o lira requerido a folhas 2. Maooel Aotonio Sopardo, R. Joo Augusto de Conceicao, as 10 horas do da cima
Recife, 2 de setembro de 1865.Trtsfio de Vasconcellos Leito. ,
Alencar Araripe. A. Chrisaelo Dario Nobre de Almeida, R. Joaft
Por torca da qual o referido escrivo. tez passar Hypolito de Metra Lima.
De I escravo e 2 eseravas.
Terca feira 19 de setembro.
O agente Pinto fara' leilao a requerimento da
'inventarame e herdeiros de D. Loorenca Maria
; da Conceicao e por despacho do Illm. Sr J)r. juiz
"o escra
RoQoi
teoceebes aos bens da finada D. Lourenca Mara da
Conceicao, as 10 horas do dia cima dito em seo
escriptorio roa da Croz n. 38.
<=*" Feira semanal
i
Precisa-se de uma ama para casa de homem
solietro, e qoe saiba cozmhar : na roa do Impera-
dor n. 57. _____________________________
Aloga-se uma casa terrea com 2 salas, 2
quartos, cozinha fora, na ra do Socego n. 47,
Campo-Verde, e oulra dita com os mesmos cora-
modos, na roa da Amizade, na Capnnga: a tratar
na roa do Rosario n. 56 em frente a roa do Arago.
| Quem aononcioo querer 1:000* a juros com
garanta em uma propriedade de subido valor, pro-
core na roa dos Pires o. 18, que se Ibe dir quem
quer._______________--
O Sr. Antonio Dia: Fernanaes rogado de
! comparecer a loja o, 80 B da roa do Crespo.


w -------------
II F-J*
II


Diario de r cambur o steguda (e ra 18 ie Sefembro de ****.

Bazar volante.
Pedc-se aos senhores asignantes gr'
esta folha directamente Jo Rio de i> "cebera
de mandarem satisfazer a ira por* *a**fHi o favor
signaturas do i e 2 armo. 'ncia de Sl,as as-
ra do Crspo n. i nico em ra,Ja de s- Falque,
buco, onde se enlrtf eiicarregado em Prniam-
signa. j-r os recibui, e onde se as-
| CASA DE BANKOS. i
Ruada Cruz n. 17.
A abaixo asignada, tem a honra do
Aaser'-------------------------------------. .
liad*" ..iou-se do engenho r-recbeiras, fregu
jp scada.no diasegunda-feira 11 do corren'
- o escravo de nome Cosme, crioulo, idade de 20
'.-. tantos annos, estatura baixa, cheio do corpo, es-
padoas largas, falla um pouco manso, e levou ca-
misa e caiga de algodao riscado, chapeo de palha;
cujo escravo foi do Sr. Jos Ferreira de Souza, la-
vradpr do engenho Rainha dos Rasaos da dita.fre-
(tueiia, para cujo lugar provavel que se tenha
dirigido por ler sido cria do dito senhor, e foi ven-
dido nesta cidade ao Sr. Jos Rodrigues de Sena
Sanios, em junho prximo passado pelos Srs. Motta
A Ribefro por autorisacao do dtto Sr. Jos Ferrei-
ra : roga-se as autoridades competentes e pessoas
particulares de o appreheoderem e dirigrem-se ao
referido engenho, ou a ra do Imperador n. i,
lerceiro andar, que se recompensar.______^^
Precisa-se fallar rom o Sr. Jos de Aguiar
Pacheco, nilurat da ilha de S. Miguel, e chegado
esta provincia a 8 para 9 anuo*, a negocio de
seu interesse : na ra das iuco Ponas n. 78
Quem precisar de urna ama de leite, duija-se
a Camoda do Carino, passando o segundo boceo,
casa n. 4, quem vier do pateo do Carino o primet-
ro becco.________________________________________
Jote Mara da Pattaj previne as pessoas que
he promeleram esniolas para a fusta do Senhor
dus Passos da ordeni terceiru do Carino, que nao
entreguera ditas esmolas se nao a elle pessoalmen-
te, visto que algue.ni se tem apresentado a recetar '
em seu nome sera que para isso fossem autori-
sado.________________________________________;
Antonio est fgido.
No da 12 do corrente mez fugio de.-ta praca o
escravo de nome Antonio, de Nacao, idade 30 a
35 ann. s punco mais ou menos, levou calca da al-
godao arul e camisa de algodao de listra, chapeo;
de battae um sacco do estopa com albos que se
Ihe tinha entregado para os vender, tendo o mes-
n>o escravo a barriga um tanto grande, pernas pe-
quenas e linas, isto em proporcao a sua estatura
que pequea, o qual foi visto no dta li do cor-
Tente no chafarizda Boa-Vista, provavel que te-,
ola lomado essa direoco, cujo escravo foi com-!
prado em leilo publico do agente Simos no da 2 ;
de junho do corrente anuo pertencenie a Antonio j
Joaquim de Mello, tendo este o comprado ao Sr.
do engenho Pintos, provave que o dito escravo j
tenha mudado o nome para Luir, prole.-tando-sel
desde j contra quem o tiver oculto : roga-se as i
autoridades e capitaes de campo noe o apprehen-
dam e levem a seu senhor Antonio Feroaudes vel- j
loza, ra da Madre da Dos n. 16, que ser ge-1
ocrosamente recompensado.
Aluga-se um moleque moco, fiel e sem vicio i
algum, para tolo o servido de urna casa, sendo ,
que entende de cozmha cha : na ra do Hospicio
n.22.___________________________________________
Aluga-se
o sobrado n. 71 do raes de Apollo : a tratar no
segundo andar do sobrado n. 62 da ra da Cadeia.
OSr. Joo Miguel de Oliveira Beraido qoeira'
dirigir-se a ra Nova o. 60, a tratar de negocios
que Ibe dizem respeito.
m
te
i
m
i
.. ....... v .. ..Ru....... ...... .........
parlicipar ao publico qoe o seu estabele- r*^
cimento cima mencionado, acha-se hoje ES
fuuccionando muilo regularmente, pro-
vido de todas as accommodacoes necessa- ras e sobre tudo com algoma limpeza. S
Os c artoes firmados por meus anleces- X
sores Cedrim & C. serao recebidos at o jtf
meado do mez ele oulubro vindouro, os da 8
casa tero a firma da abaixo assignada, W
e sero como d'anles transmissiveis. .*f
Tabella dos precos.
I assignatura mensal com direito
a um banho diario a 320 rs... 9,5600 W
1 dita de 30 cartoes iransmissi- *
veis a 360 rs................ 10,5800 **
1|2 dita de 15 ditos a 400 rs.... ti5000 jjg
1 banho avulso, momo ou fri oa ytf
de chovisco................. 500
1 dito aromatisado com agua flo-
rida........................
Os medicinaes serio pelo prego que se
coovencionar:
U estabelecimento estara' aberlo nos
das uteis das 6 da manha as 10 da noite
e nos dias santificados al 2 horas da lar-
de, havendo chegada de vapor estara' -
aberlo por mais algum lempo.
Mathilde G. Lessa.
paol
seus perlenres na
na ra de Hurtas,
looo X
nn se r*S
imi
MJW
Aluga-se a padaria com
ra Imper al n. 199 : a tratar
aberna n. 2.
Precisa-se de una ama para comprar e co- j
ziohar : a tratar na ra estreita do Rosario n. 12, i
primeiro audar.
Precisa-se alugar urna casa terrea no bairro '
de Santo Antonio, que tenha quintal que pos a se
fazer urna estribara para dous cavallos : a tratar
nesta typographla.
Um menino bem educado, de 14 acnos, se I
oferecc para caixeiro de alguma loja de fazenda : i
a pessoa que pretender dirija se a ra do Impera-!
Oor n. 38.
MA GRANDE BESCOBERTA
OTL.EO
deFIGADOdeBAGALHAU
DESINFECTADO
MEDALHA
OE
HONRA
As propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao foro unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor tao dcsagradaveis
tornio o uso d'elle muilas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condeseen tes.
Por isso a descoberla do Snr. Chbvrier que lhe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
propriedades tem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
tberapeutica moderna.
O oleo de figado de bacalhao desinfectado de Chevrier.
com um clieiro agradavel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem ncm gosto nem clieiro de peixe.
Objecto de numerosos relatnos scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, c receilado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tndo as mesmas
propriedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Moli>lln -crofnlomi,
IInrliiliHii.il.
(HiHiriircao dan glande*,
rinira |iuliuunr,
Muli-stlHH d prlle,
l oimlltiiifao Ijiuplintra,
Anemia, dcbllldude, (mqucin,
Magrean,
Pobreza do tiangue,
Efalfanienlo por ezeeaia de
Iraballio on de praxeref,
MoleMtiaM don brouchia* recen-
tes ou ehronlcas,
Tomn pertinacea,
Gaati itr.H, gaatral^laa,
0 Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accSo tSo efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipado.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparacoes ferruginosas ordinarias, asquaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
Dar* de eataiuaga.
Elle convem a todas as compleicoes e a todas as idades, e lomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaco das enancas hacas e docntes.
Um folleto accompaxxha cada vidro e contera as observares medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pernambco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
GASA DA FORTlt
Aos 6:000$00(X
Ullheteg garantido*.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTME
O abaixoassignadovendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de extrahir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os seguinies premios:
O bilhete inteiro n. 2357 com a sorte da 6:000#
O bilhete inteiro n. 6;0 m a sorte de 1:2005.
m meio n. 1760 com a sorte de 4005.
E outras muitas sorles de 1005, 40*, 205 e
lOlWOO. m
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2' parte da | lotera
(32'J beneficio da matriz de Santo Amaro do
Jaboalo, que se exlrahira sexta ftira 22 do cor-
rente.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......35300
Quartos.....I 900
Para as pessoas qne eomprarem de 100^000
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......35750
Quartos.....15700
Manoel Martiks Fiiza.
I O Dr. Cosme de S Pereira conti-
| na a residir na ra da Cruz n. 53,
i 1" e 2o andar, onde pode ser procu-
| rado para o exercicio de sua profis-
g sao medica, e com especialidade
I sobre seguiute
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos igaosgeni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentesse-
I rao examinados na ordem de suas
I entradas comecando o trabalho pe-
| los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
LIOUIDAC
GRANDE ARMAZEM DA
GERAL
NO
m Fi rinino & Lins S
W i\ovo cslalielpciaiculo de retra- ^
S tos rn Nova n. io, Io an- B
rfar, junte ao Sr. (antier, ^
*?3 Tiram retratos todos os (lia?, das 7 horas S
jfa da mauha as 5 da tarde, quer chova ou P
g Tambem se olferecem para tirai retra- *
jft t'is de pessoas fallecida?, dentro ou fra JR
^ da cidade. ^
5 Os annuuclantes desejando acreditar o *?J
^ seu estabeleeiaienta, garantem an publico ^J
jf que nenhum tralialhosahir de sua offlci- $
Q5 na, sem que nao seja perfeitamente acaba ^)
jf% do, e a voniade do reguez. ^
Wi&m&m mmm wmmmm
AMA*
Xa ra da L'niao casa n. 37, precisase ^ urna
ama para cosinhar e comprar.
O bacharel
EXPMCW DE LONDRES
DE \
60 Ra da Cadeia do Recife 60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentempnle pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Pars, Londres, Birmingliam, M.mcliester e em diversas ck-lades da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condices
por ser a dinlieiro, por isso vende tudo e qualquer artigo baralo, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer inteira-
mente liquidar e ler de partir mui breve para a Euroi a.
Ha neste vasto armazem i ic s objectos com brillianlcs, como botoes, aunis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de Precisa se aiugar uma eserava i 7a-
ouro, como trancellins, correntoes, anneis e inuitos oulros artigos, relogios de ouro inglezes do afamado fabricante Bennetle; com- ^r o semeo iuteruo de uma casa de familia, ex-
pleto soi tmenlo de fazendas finase modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricanles inglezcs e francezes, como L.! (el c?s'"'>ar : na mu da .Madre de Dos n. 30.
T. PIVER, Lubn, L. Legrand, Ed. Ptnaud & Meyer, Deletlrez (Peifumerie du mond lgaut), Violet, Societ Hygenique, Mompelas,!SnSia' [ai rua Cade,a D- 52, ,er"
Mailly, Regenier, P.Gueland, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na i
China e no Japo; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas, lioMrapswsVbem: dT ro do Ka 6 5?.
ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, casticaes, enfetes e adornos para cima de consolos e para grande loillette, o que se tem brado encarnado.
Um moleque com 18 annos de idade pa- feto de rnais elegante em Pars, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha ecaf, os quaes em '
ra todo servico : na rua do Imperador se- nada sao inferiores prata, e muitas outras pegas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para truncas de senho-
gundo andar do sobrado n. 1G, prximo a ras, excellentes lavas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha ecaf, ditos para juntar, e immensos arti-
'uvidor. gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, ele; calcado dos principaes fabricantes de Pars e ditos de pan-
Angelo Baptista do Nascimento e sua fa-
milia pedem encarecidamente aos seos ami-
gos, e tolas as pessoas que os queirara
honrar, o especial favor de assistirem, no
da 19 do corrente, pelas 7 1|2 horas do dia.
na igreja do convento de S. Francisco desta
cidade aos suffragios que tem de celebrarse
por alma de seu mni presado filho o guarda
marinha Joaquim Candido do Nascimento.
que morreu gloriosamente em defeza da sua
patria, no dia 12 de agosto, quando a esqua-
brasileira passava em frente de Cuevas
ATTE1(3AO
Prerisa-se de ura bom offlciai de cigarreiro, nao
se quer meninos : na (naga da Boa Vista n. 15.
No da 3 de seterabro desle correte auno de
1865, fugio do lugar de Malhadinha, comarca de
Limoeiro, o escravo Sivirino, crioulo, pertencenie
ao abaixo assigoado.'com os signaes seguintes:
idade 30 annos ou mais, prelo, altura regular, bem
fornido de todo corpo, pouca barba, tem em cima
de um olliourn carocinho sobre as costas, tem al-
guma marca de chicote que mal se diferenja :
qoera pegar dito escravo leve era eisa de seu se-
nhor, que tem a gratificarn de 1005.
Domingos Guies de Arruda.
Aluga-se
SaV/E?
m
m
Francisco augusto da Costa
AOV&GADO
Rua do Imperador numero 69.
Pharmacia especial homeopatilica, do
Dr. Sabino Olegario L Pinito.
RUA XOVA \. 43.
Vendera-se por precos commodos, os melhores
medicamentos homeopalhicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubos, glbulos inertes, chocolate no
meopaihico, escotas elctricas, apparelhos para la-
var os olhos, etc., ele.
Vende-se o Tkesouro homeopalhico, a melhor
obra que existe para a patrica da homeopalhia.
O Dr. Sabino da' consultas todos os das uteis
desde 10 hi ras do dia at duas horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as circuns-
tancias as exigirem.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
Contrata-sa a venda de SO a 60"pipas com
excellente mel de furo : a tratar no escriptorio de
Jos Pereira Vianna, na praga do Corpo Santo nu-
mero 6.
Aluga-se muito em conta a loja do sobrado
da rua Imperial o. 64, com bons commodos para
familia : a tratar no mesmo sobrado.
O prmeiro lenle da armada Ernesto Ig-
nacio Uardim, extremamente pennorado pa-
ra cora os seus amigos que lhe fieram o
obsequio de assistir e acompanhar os restos
morlaes de sua muilo presada esposa D.
Francisca Maria Serqueira Cardim, ao cemi-
terio publico, Ihes roga de novo o especial
obsequio de assi.-tir a mssa do seiimo dia
que ter lugar terca-feira as 7 horas da ma-
nhaa 19 do corrente, na matriz do Corpo
Santo.
D'entre os mullos amigos a quem grato
o annunciante agradece com todas as veras
do seu coraco os servicos prestados por seus
esi>eciaes amigos Maximiauo Jos da Co.-la,
Jos Ribeiro da Fouseca e Manoel Rodrigues
Alves.
M
Offerece-se uma mulher portueueza para ama
de casa de pouca familia ou homem solteiro: a
da
- --------------. ....., .vuuv tanto
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa; grande sortimento da brnquedos finos para i naneas, e no andar c.-mo uo sotao muitos commodos para
bonecas fallando papae e mame ; grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feto de mais elegante e que tem l lia' alem de um bell mirante de
merecido toda a aceitaco na Europa, grande e magnifico sonin ento de ca xinhas, cestinhas e outras galanteras feitas de crina e seda,
proprios para presentes; grande sortimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysageos para cosmoramas, linos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafarte de crystal
proprio para meio de mesa de jantar ou para jardira; cuidara fina, como talheres com cabo de metal lino, collieres, tliesouras linas,
ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivet s e outros artigos, diversos artigos feitos de rame; completo sortimento de
mascaras de veludo, setm, cera, papeiao e rame j doces confeitados e chocolate em caixinbas e em vidros; camas de ferro de todos
os tamaitos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartes de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapos de sol, benga-
las, chicotes e ditos para carros; machinas para fazer caf, ditas para haterovos, proprias para quem faz pito-de-l, bolinlios, etc.;
pannos para cobrr mesas, bolsas grandes e pequeas para vagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas dechario para loillette; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photograpbia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baioesde papel fino transparente e lanternas
coli ridas para illuminacoes moda de Pars; salva-vida de borracha, para bomens e senhoras, proprios para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caxinhas, biscouos inglezes em latas, queijos, etc., e muilos outros artigle que para ennumera-
los sera um nunca acabar,, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Ca-
dea do Recite n. CO.
recreio, donde se goz* da melhor vista, acrescendo
que tem tncaiiaraenlo de gaz com os vidros com-
petentes : a fali.ir na loja da mesma casa.
M^mm mimmim mmm
gg Companhia fidelidade de seguros iS
y martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro. S
^R ACF.NTKS ESI PRRNAMBICO 9K
"<(l Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo A C, j^
ttj competentemente autorisados pela direc- Xi
S loria da corniianhia de seguros Fidelida- S
jf de, toniam seguros de navios, mercado- f/p
?_" rias e predios no .-eu escriptorio rua da "S
M Crai n. i. $
m
a tratar ua
Offerece-se ura bom cozinbeiro
rua da Assumpr^o n. 72.
Domingos Rodrigues de Audrade na rua da
Cruz n. 33, saca sobre a praca do Rio de Janeiro
a praso ou a' vita.
O abaixo assignado faz sciente ao publico,
respeitavel corpo do c mmercio, e a seus amigos
amigse freguezes, que trm aberto um escriptorio
de commissoes na rua da Cruz n. 41, otferecendo
seu presumo e bons desejos no desempenho de
tudo quanto se dignarem encarrega-lo tendele
aquelie genero da estabelecimeuto, promettenaV
Ihes o maior zelo e sinceridade em todos os seus
eneargos.
Antmio Bezerra Cavalcanti de Albuquerque.
\tr
4
Francisco Garrido, amigo proprietano do hote
Trovador, silo na rua do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto desta capital como do centro da provin-
cia, ipie se acha novamente estabelecido na mesma
rua lar:a ilo Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Traviala, onde acbarao os seus freguezes
sempre a melhor vontade para bem os servir, a
par de exeellentes vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo estabelpcimento, qur para fra, e
dentrt da cidade aos que nao quirerem ou nao po-
derem vir a seu estabeletiimento, sendo pelo preco
mais mdico que tm outra qualquer parte. No
rnesmo estabelecimento acharao os seus freguezes
bilhares para recrearem-se, bem como sorvele to-
das as noites para refrescarem-se.
ksbwkk fe mmmmmm
m Casa de banhos
m: Largo do 1 anuo a. 6.
M ^--'e estabelecimento (ao hem montado
Kna sua origem achava-se de ha muito
em quasi completo abandono pelo pouco
Ji interesse de sua administracao.
^ Hoje que o novo proprietario empre-
2 goo lodos os meios para restabeler a
I grande nlilidade deste estabelecimento,
gy pode assegurar ao publico que qualquer
Mk que seja o numero dos concorrentes
JK acharao desde j promptidao e aceio nos
k banhos frios, momos ou medicinaes, a
^ casa dos banhos se achara aberta todos
Mg dias das 6 horas da manha as 11 da 5
noite. M
m Precs- M
2 Dito fro ou morno..... 500
4% Dito de farello......... 15000 fifi
m|< Dito medicinal sera se- raj
gundo sua quahdade. &.
..&< Assignatura. W
vx. Por mez banho fri ou morno. l'. ffi
>?* 25 cartoes tara banho fro, mor- flR
m no ou de chuvisco.......... 105 vt
^B 12 cartoes para os mesmos... 55 S
^ 12 ditos para banho de farello. 105 K
MMMMmm mmmmmmm
i osinheiro.
Precisa se de uma mulher que queira ser cosi-
nheira em uma casa de familia : tratase na rua
do Sebo n. 35.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
FUMARI
DA EXPOSICO DE
LONDRES.
' a n a comP,ela Iquidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo tinas e novas chegada $ recentemente
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricanles seguintes: E-g. Rimmel, R. Matheus &C, Lubin, Sociedade Ilygienica, Piver,
j Jl Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, eter etc., dos quaes ha grande sortimento d'agua de
-Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garranchas e vidros de differen-
[|tes modelos, pos para limpar dentes, banhaem potes e em vidros, pomadas, ricas caixinbas ebalainhos com perfumaras para fazer
; presentes, e muitos oulros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em gerat existentes no grande
armazem da Exposifao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PARA SEYIIOUAK.
Ricos e modernos penies de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante al o presente: vende-se
pOr menos de seu valor para se liquiJar, no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Stffia
sobre Lisboa e Porto.
Jos da Silva Loyo & C. sacam sobre Lisboa e
Porto.
SOW, PEIXE
HE l.O.IOi:! 1(4
20RUA DO
Aluga-se uma grande casa terrea com solio
na ponte de Uchoa, a beira do rio : a tratar no ar-
mazem de Guimares Alcoforado, rua do Amo-
nra n. 54.
Precisa-se de um caixeiro qoe tenha pratica
de taberna e saiba ler e escrever bem : na rua da
Aurora n. 54.
mmmm mmmmmmmmm
A quem ach u
Francisco Jos uo {osario
Barroso,
^ antgo relojoeiro, tem a honra de
l scientificar ao respeitavel publico, e
principalmente aos seus (fregueses.
V e nmeros >s amigos, que tem mu-
j& dado a sua residencia e eslaheleci-
j ment da rua Bella, para a da Roda
mt d. 10. onde como sempre esl
prompto para aviar todo e qualquer
. servico pertencenie ao seu ofcio, e
sB: isso j se sabe por precos commo-
JK dissimos.
m
m
m
m
m
mmmwmm m mam mmmm
Gonfeitaria dos Ananazes.
Roa da Cruz n. 16.
Continua haver .luriaueuie pastis de diversas
Uma pessoa digna de commiseraQuo, velho pai, qualldades, enpadas, bolo inglez e doces para cha",
' ""l,perd.n hontem a quautia de 1805 em j fiambre, ha latas com caj em xaropa htrraetica-
duas cdulas de ."0,5. 205 e Ue 105, e miudas, e
dous meios bilheies da provincia que corre hoje,
ludo om um embru'ho de papel pardo, desde a loja
de E^mael Duarle Ribeiro, rua da Cadeia do Re-
rlffl ai a rua do Livraineuto 11. 15 : porlanto ro-
ga-se ao eonseieaetOM que o achou e quizer resti-
tuir a seu dono, o dirigir se a qualquer uma das
duas casas cima, que se llie dir quem o pre,
jndb'ado, e se graiillcara generosamente.
Na ma da Fioreotina n. .'Ib' prepara-se comi-
da com aceio e promptidao e por prejo razoavel.
mente fechadas proprias para expoita^ao, caj'
seccocrystalisado, prepara-se bandejas com doces
finos e deovos (gema) pode-lot, bollo e diversas
qualidades de gatheas simples e decorados, com
dsticos a vontade do freguez, caixinha* proprias
para presentes com enchimento de amen-oas, con
feitos, e pa>iilhas e bom bom._____________________
Precisa-se pelo lempo de 4 a 6 mezes da
quaotia de 1:0005 a juros de 20|0, dndose para
garanta urna propriedade de subido v.l.r : quem
quizer fazer este negocio, annuncie por este jornal.
IUVAW \OViS 1E JO I Vl\.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Exposico de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
ru fiot.it pin*.
No grande armazem da Exposico de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 00, rua da (mperatriz loja de .Mr. Dubarry n. 8
e na mesma rua loja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Guim?raes.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimera.
VISTAS III-: PERNAJMBLX'O.
Tiradas na occaMao em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deura no convenio do Carmo.
Tlieatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre d i Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
YIAC.EM A' El ROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Fraoco.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidaco no grande armazem da Exposic5o de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im-
pe atiiz hija, de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n 54.
E IMIUHADOR
RASGEL20
Participa a seus amigos e fre-
guezes que acaba de receber mag-
nficos relogios de ouro e prala e
correntes de ouro para relogios
do mais apurado gosto.
Concerta relogios de qualquer
nalureza, caixas de msica e dou-
ra nao s relogios como qualquer objecto.
Maques sobre Llftboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da rua da Imperatrlz d. 30 para o
sobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade podem ser entregues na botica
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
praca da Boa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
& C. na rua da Madre de Dos, ou no ar-
mazem de viuva Raymond & C. na rua do
Trapiche Novo das 9 horas da manhq at
is 4 da tarde.
Um homem casado, disposto e pratico era
todo e qualquer servico de agricultura, se olfere< e
para administrador de engenho : quera se quiztr
utilisar de seus servicos, pode dirigir-se ao sobra-
do n. 81, pnmeiro andar da rua do imperador.
Precisa se para uma casa estrangeira de um
bom co2inheiro que d dador de sua conducta : a
tratar na rua do Vigario n. 9, Io andar.
Quem precisar de uma criada p^riugueza
dirija-se a rua de Apollo o. 4.
Ama
Precisa-se de uma ama para casa de familia d&
duas pessoas : na rua do .Nogueira n. 9, taberna
escriptorio;
Alusa-se para escriptorio o 1 aodar do sobrado-
n. 62 da rua da Cadeia : a tratar no seguudo an-
dar do mesmo.
Pulseira perdida*
Perdeuse hontem a noite (13) da na das Flo-
res e Sol na rua Nova, uma pulseira de cabellos
com o retrato de urna senhora : quem achou-a,
querenrto entregar ni rua das Floje- n. 37, obra-
do, sera nem recompensado.
Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de escommenda e
odo e qualquer concert.
Criado
Precisa se de um criado forro ou escravo : ira.
ta-se das 8 as 2 horas da tarde, na rua de Madre
de Dos n. 36, primeir andar.
O abaixo assignado participa ao corpo do
commercio que se acha estabeleci lo com prensa
de algodao na rua da Mocda o. 23, onde deseja
servir todos os freguezes com promptidao, sinceri-
dade e agrado.
Alvaro Jos Teixeira.
Aluga-se
um sitio era Cachang, com boa casa de vivenda,
cozmha fra, casinha para feltor, estribara e co-
cheira, com bastantes fructeiras e banho perio.por
mdico pre?o : a tratar na rua de Apollo n. 38,
armazem.
Precisase de uma ama habilitada para todo
o servico domestico : quem estiver nestas condi-
c5es dirjase a rua do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, rua do Progresso n. 7.
Precisa-se de uai feitor para um engenho na
comarca do Ronito, disunte ilaqol tres legoas : a
tratar na rua larga do Rosario n. 27.
Precisa-se de uma ama para cozinhar e fazer
o mais >ervco interno : na rua do Imperador 0.
'!">, segundo audar.
Precisa-s.; alugar uma eserava preta,
de meu idade, para o servico de uma pe-
quena fmil|a ; a rua Direita n. 45, loja.
Aluga se um sitio na rtja de Joao Fernaudes
Vieira n 3i, com uma grande casa assobradada,
tendo excellentes commodos cara grande familia,
estando o sitio plantado Cv.m boas arvores de fruc-
Ij, assim como existe tambem no sitio um grande
telheiro para o jogo da bola, cun lodos os seus pre-
paros : a iralar na roa Direlta n. 137.
Aluga-se o sotao do sobrado n. 62 da rua da
Guia, cora 2 janeilas de frente e muitos commo-
dos : a tratar no primeiro aodar.
Offerece-se uma senhora para engommar e
cozer : na rua das Trincbeiras n. SO.




T


Diario te rernaoxbuc -- Seguuda letra 1S e sccuihiu de .*>.
Sitio.
Prense singar um sitio para pequea famlli a,
at ao Maoguinho, Soledade, estrada da Jjao de
Barros, e suas proximidades : a tratar na ra da
Cruz n. 33, Recite.
CASA
Aluga-se muito em conta o segundo e terceiro
andares do sobrado da ra da Madre de Dos n.
36 ; as chavas acham-se na loja do mesmo.
Precisa-se de ura homem jardineiro que seja
solteiro, para tratar de um sino perto da ridade, e
que ienh.1 boa conducta : a tratar na ra do Quei-
mado n. 13, 1 andar, das 9 horas da manhaa as 3
da tarde.
wm
COMPRAS.
Compra-se efTectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de onrives.
Silvino Guilherme de Barros compra e ven-
de efTectivamente escravos de ambos os sexos :
ruado Imperadorn. 79, terceiro andar.
PILCLAS CATHARTICAS DE AVER.
Estas pilulas vegetaes sao a-
daptadas a todos os usos de um
VVv purgante as familias, pois sao
^perfei I ament innocentes, e em
quanlo milhares de pessoas con-
fessam com gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que ha ja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feltas ltimamente.
Um caso notavel de
THESOIRO MiAH Al i.
PROVIDENCIA DAS CRIANCAS.
COLLARESROYER,
ELECTRO-MAGNTICOS,
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes._____________
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
era obras velhas : na ra da Cadeia do Recite,
leja de ourives no 2reo da Conceicao.
Compram-se moedas brasileiras de 05
215 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
AITeccao rhronica do ligado.
Illm. Sn.
Miz de Fura, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do ligado e baco, com o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um grande
engorg i lamento que soffria, muitas dores
sobre a regiao do ligado e costas, dores de
cabeca, inchaco do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posicao para ter socego, bo-
je me acho livre d'esse padecimento; como"
por aqui ainda as nao baja, eu como tenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle llie sa-
- Compram-se moedas de ouro brasielras de tisTar, assim bem como do cliarope de
35,105,165 e 205, com 6 por cento de premio, e cereja, que Uve occasiao de experimentar;
tambem pecas portugueras de 95 e 165 com 3 em um ataque de gucllas que teve urna
portento na praca do Corpo Santo n. i, prune.ro prela qe ^ ee ^. Jf^ .^
-----------------p------------------------------ as tosses em mmha familia sempre em
Compra-se bom resultado, e por isso que peco para
um cachorro que seja grande, para nm sitio, e por mandar alguns fr.'ismiinhos c mesmo as ni-
^'taer.e que seja valente : a tratar na ra Di-; lulas p(le montar a doze', porque tenho
- Oncas hespanholas e da patria : compram-se ^f0 d'e"aS Para US0 (,a f,milia C al"
na praca da Independencia n. 22.
I Grande liquidadlo a dinheiro*
Na loja e arraszcm do pavo.
Boa da Imperatriz n. o de da-
ma & Uva.
Os donos deste e.-tabelecimeoto tem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratsimos, f
com o tlm de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que. negocia m em pequea escala com faen-
is, que ne.-ia loja e armazem enconlrarao um
grande S(.riijr;e.-.to por presos que muito Ihes Iio
de agradar, tanlo tm eca como a realho, a
saber :
Cambraas de forro a 2$000
Vendem-se pecas de cambraia branca para for-
ro a 25 : na luja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama i Silva.
Moreantique branco
Vende-se superior moreaniique branco para
vestidos de noiva a 25300 o covado, pech.ncha : Ufi% dores da primeira de"nli7o
Gam&Si!5a,:a0narUada Im"eratrZ D" 6' ** *!?!!?
Liquidadlo das pechichas. LJ O BfciJA FLUS
no armazem da Arara. E r do Qucimatto B. a.
O propietario da grande loja e armazttn da j Trrnr.eebido um oiiiinmiu de cruzas
. e armazira .
Chamados collares anod,nos~dk~ dentro roir STnifSS0 1^25" T*. "?""** T hi! T,'r ",VcrOJ!os",i s
as convulsoes e para fimlitur a dentudo dasZn^^T.ZIrn-T Va q!",,,utr Ulra
criabas, preparados e inventados por'Roytr, ^ "dSs n e'o/ "i? r '^"^ '* aJ"""
pharmaceutieo da Esrola supe, wr de Pars, suc- ?S' S'-rr : .
cessor de Cheieau, mimbro da academia de me- .. Urta> de caiuLraia com Larras.
eterna, unliga tasa bolillon-laguancf., ahorma-\ Vl'nwm-se bonitos cortes de cambraia branc-i
ceutico do Jmperrdcr, rhefe dos trubalhos rhimi- cor" l,arrasde iiiflereotes cJrts pelo baratsimo
eos da Escola l'olyieclinica, director da Escola j preS de >* <*' orle.
de Pharmacia de Paris, e membro da Academia i Camliioins brancas.
Imperial de Mediana. Rua Saint-Martn. -J.ii.' Vende-se cambra
Rui Saint-Martn, US,' veode-se cambraia inauca a 35,
de/ronte da rua Chapn, m Parts. 15500, H& e 05 a pera, .: de outras
_ ,dade? : na rua da Imperatriz u 36.
A hyflene a sade. Brctanba de rolo.
A sade a vida. Vende se breanha d; rolo com 10
s mis. 258O1), e.-ii s.- acabando e.-ta pechinclu
Quantas criangas nao vemos cada dia snecum- loja da Arara, de Mendes GnimarSes.
? Quanias an- Laziiilias.
as instes mis, que ; Vendem-se as mais modernas
vera se arrebatar, depois de tantos cuidadus, d
lanas vigias, o objcclo querido ile sua ternura I f
Quantas vezes nao lera ellas sentido a inefflcacia
dos remedios empregados, taes como brinquinhos,
SKSTAS1. <-. charopo de denticaoTelc, cujo duro contacto dos
2J!i2VS5?-*M*? .l.en?...U,n Pnmeiros irrit as geneivas e causa Inflara
Percates com mofo.
Ia loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas
mas
. azinhas ch-ga-,
das pelo ullimo vapor, tendo padroes muito i-
que te
qutm ;m
Teiid lecebido vMdoi lenimeotos de voius
df a jifai.s de divtrs,., core*, eofeKes para -
nnora de rfivi-rsOs gfl .-, e mais barato do :_e
fio qua.'>}uer oii a par*.
facas e grfo .
'" :. I : parf k ..- 1 abo- i al 1' 'e
1 nm kuioa >.,'' u. iiuas de duns i-r- ,1
3*300, U, ^;'"J ;' : MIOO-, dltar d cal to
mais iiu di- S ti*F* cl,us "" l'1- '--. r": ; eri I a
Ti m rerebido variados soi timento de I 1
para mtmimis de vmla, deforma de peii
palluhos u outras de diver.-o goslo, que so C091 a
vistbem se pode ajircciar, r umbem serve para
o ieilao do r.o.-piul ,.oi-iigupz : laas para boUr de
diversas n res .1 7 a libra : .- oo beija-A r.
EseovM para roapa.
Vt-nde-sc seovaa para roopa muno fina- ei-ra
dentts a
varas a
: s' na
Ho
maeo
Jornaes para embralho.
Compra-se na fabrica de cigarros antiga rua dos
Quarteis de Polica n. 21, a 140 rs. a libra.
Comprase carusso (sement) de algodo : no
armazem de algodo de Saunders Brothers A C,
no caes de Apollo. (
ouro brasileiras de t'sfar, assim bem como
d^ILIvirJSTrn56 'ave e ""membranas mucosas, e cuja accao nulla fazia
vado M n lni?Ka5?aC?fef r S ,"" 1 dfSMPra* nia.s ? A,'har um meio fcil de a,,
iunto Gama" A.v PaVa da '^^ SfTjS **5!LJSS F ". fft?
Lazinhaa a 200 rs o covado.
tos se vende pelo barato-imo pr,co de 240 rs. o d.ff rmu-l 'm 640 e iTluTw*
covado, e fazenda que t-m i ulra parte >e vende a 1-.1 ;',-, ^50 e 3C0 rs *' pwa
400 rs. : na loja e armazem da Arara n. 86. p,p|, e|lveIop,s_
i a
Compr,
ram-se
moedas de ouro de 35, 105,95, 165 e 205 cora
6 por cenio de premio : na rua da Madre de Dos
n. 24._______________________________
Compra-se urna pequea casa com bom quin-
tal, ou mesmo um terreno nis suburbios desla cl-
dade, sendo terreno proprio : quero, quizer anuun-
ci sua morada.
i ,mt eg e
I
***i)**l L0ttM
IKiUS.
Alyodao Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
Veude-se um bom cavallo de cabriolel, boni-
to em co- e tamanho : na rua uova de Santa Hila,
ribeira do peixe, armazem n. 19.
Baixo
Vende-se um baixo por 255 :
ratriz n. 23.
na rua da Impe-
Na loja do Pav3o.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das c&res mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratissimo precode 200 rs., ditas
com palmlnhas de seda a 240 rs. : islo para li-
quidar, assim como lazinhas mocamblques eom
os mais bou i los padroes a 240 rs. : i.-io na loja do
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corle sendo fazenda
transparente de novos gostos que servera at para I "5
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
co de 35 cada um por ter-se comprado urna gran-
iie poreao : na loja do Pavao rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
S le ios para satas
Ptchincha na loja do Pavo.
Vende-se a mais fina silezla de algodo fazenda
tos e prevenir as convulsoes, como tambem lodos
os accidentes que resultam da primeira dentieo,
tal o lito que tivemos em vjsla alcangar. "lia
muitos serulos que se punham no pescoco das.
enancas collares de mbar amarello para preser- e esla M "ennendo p*lo barato prego
va-las e cura-las de convul.-oes, 1 mpregava se pois \ UID' ,l I'ara *abar.
Chitai.
Vende-se grande porcio de chitas sendo escoras' di"o
e claias por baratos | reci s a 240, 26<<, 280 e 320 xjnh 1
rs. o covado, ditas percalas li:as a 360 e 400 rs. o
covado, muitas mai de .uir. s precos.
diales ic merino.
Desla fazenda na nm grande sortimento de cha-
les de iiitijii e.-taupados coics n.uilo delicada*
\Vnd"-sp papiado panel e eaisinhas a 680 rs.,
700 rs., e enmvelopes a 640rs.'a ca
de a
fc> Ctfia
desde muito lempo a < lectricidade medica sem s>-
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este effeito saodavel reponsa sobre a ac-
fo da elettri.idade, qne solt o mbar esfregado
pelos raovimentos do corpo da crianca. Esla in-
fluencia constante do fluido elctrico, por fraca
que fosse, produzia effeitos curativos proporciona-.
(los qoantia d*electricidade engendrada desie ino- 75500 t 85 a peca, enastado
do. Esu propriedade elctrica de mbar a que' jardas a :t5, .'{oo'e i5500
nos temos tido a feliz idea de applicar fabrica- iriz n.56, teudes Gulmara
gao dos rollares de dentieo, augmentando a inten-
sidade dos effeitos elctricos do mbar por rr.eio
de fios conductores que distribuein as correales
d um modo suave e continuo. Mr. Royer o in-
ventor de duas especies de collares : i dos colla-
res anodinos de mbar electro-magnticos; 2o dos
collares compostos de differentes metaes com cor-
rente voltaica. Partindo deste principio de physi-
ca bem conhecido. que a intensidade d'uma cor-
Colchas de fitsto.
Vendem-se colchas de fusio d todas as cores
a 55, dita." de rfamascu a 15, ditas do cinta a
2*240 o 5900 cada orna : Loureru-o Pere;
Mciia.6 Guimaries.
Madapolie.
Vende se madapolioa 1*500, 55,6*300,
se vende com
na rua da imp
Os granulos, au bismuth de Ghevrier bem
superiores a lodas as outras prepar^ces de
bismuth emprendas antes com o maior suecesN
pelos mdicos de todos os paizes, para prevec^r -
curr as
12
iu-
Dln-rhrH. rlircrli .
Djn- t-nlt-rlaa.
Barca --iiumko
Dyapeaalaa.
Ifkm l|(-alor>
liaxlrllra.
6altral(taal, ca.
inteiramente nova no mercado propriaspara saias, > rente galvnica est em razo direila da superficie
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su- dos elementos que compoem a pilla, os collares
perior ao madapolo francez e vende-se pelo bara
to prego de. 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em
peca cora cmcoenia e tantas varas, islo grande
Royer, chamados anodinos electromagnticos de-
signados e graduados por oito nmeros differentes,
possuem as mesmas propiedades elctricas, com
pechincha : na loja do Pavo rua da Imperatriz n, esta s differenca que o effeito curativo esta subor-
oO, de Gama & Silva. diado ao tamanho dos elemeutos que os com-
p5em, e por consequencia quanlidade liraidada
d electricidade que engendran), d'onde se segu
que quanta maior superficie apresetitsm as perolas
ou elementos, tanta maicrquautia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e por isso que nos acn*
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposico flexiveis e
portatels, podem-se por constantemente no pese, co !
Lencos de seda a 1 $
Vendem-se superiores lengos de seda para ho-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavo na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos tiranas a 2$.
Vendem-se duzias de lencos brancos linos a 25,
i'tos finissimosa Imitadlo de linlio com duas bar-
Souirnibarojues.
Vende-se FOterabarqne a o?, f e 7-5,' ditos
pretos de grosdenaples a 135, 19-5 e 205, e cajas
o mesmo prego.
Cambraas de eres.
Vendem-se cambraas de cores sendo Boas a
320, 360 e 400 rs. o covaJo.
Caseiuiras.
Vende-se casemlra eom lisias a -25-jCO e ^s-xj
o covado, e raescladas a 35 : alendes Guima-
ries.
bU.....o pessoas,
resultado; son Lldooroir-andeoiia
De V. S. attensgPs.ar
FbANCISCO FERREArERAlt
RUeumatisuio e ataques liemonltoidaes.
Illm. Su.
Ouro-Preto, 30 de marco de 186i.
Posso certificar-lbe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excedentes, pois
que soirrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunlia ser rheumatismo, (molestia esta
que j bavia soffrido ha annosl e soffrendo
tambem de ataques hemorrlioidaes. e de '
OD envido nois nii alA i nAnmmmfa ras sendo urna de cordo e nutra matizada fazen-1 PS c/0iaD"- L'"a./ede elctrica cobre sem ces-
am^K'SL%7 POULOOUMO, 6 da que sempre se venden a/-5e torrase a 2**00'!?! *s parles dar}d*s Que sao modificadas lenta-
acompanliadO de uma dor no queixo, con-, a duzia : na loja do Pavo na iua da Imoeratriz eDl' sera faRudiduras nem commogoes. e pro-
sullet a um dos nossos mdicos, e este me D- -|)>a Gama & Silva,
disse que devia fazer uso da salsa ; poim ()
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
compret em sua casa um vidrinho das mes-' ,r "^' & "' vano-magnticos de metal comp5em-se de peque- bricantes Perrv (vi" arAj~nmi^ndam~aos
mas Diluas e or minha mh ,,,;,;;: Vendem-se os mais superiores espartllhos com as perolas de dous metaes differeiites traversa- 1 1 3 as recll'l"eiiu'ira a"s
_piiuias_ e por minlia conta prinupiei a as competentes Blas nara anertar pitos baraiissi-, des por fios conductora f ue formara assim o* entendedores apreciadores do bom, valen-
duzem
4(lh BRANCA.
Colleiras deuiarroifUim, com cascaveis
e sem clli-s.
Na rua do Queimado luja da Agoia Bran-
ca n. 8, vendem-se coiieirasde inairoquim,
pospontadas e com cascaveis, ou >em elles
I proprias para caes e outros bicliinlios.
Peniias injlezasdcaco etlouradas.
No novo sortimento de pennas de ago que
a A-uia Branca acaba de receber, vieram
uma_ cura rap.da impedindo as convoyes. | tambem oulras (Je ^^ durad()
O.-e primeiros symptomai d'eaaaa forndaveti
affececes se manifcsUo ordinariamente por
toes laboriosas, azidumes, alta d'appetite, pros
d'esLmago depois de cada comida, caimbras es-
tomaeae.*, e, muitas vezes, por espasmos nervosa
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuido, iraz :ne-
vilavelmente, que s> ja :
leatlaa de ri;-.-.,lo. Opprcaara.
A latericia. Uora de tuheem
Pal|>liar.adecorc& IrrltAcea de bealCB a
rea noa rlna. da niali-ls, ec.
Os granulos Chevrier s3o ordenados pella
sommidailcs medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando s5o tomados a
tempo.
0 preco de cada frasco de i francos.
Depsito geral em Paris, pharmaciaChevrlt,
e em todas as pharrnacias de franca e dos n&izoi
eatrangeiroa.
,-de metal dourado e bicos 1
t,S/)Ct'ftUtOS (10 PavaO memo os col,ares dt bu aemeam regular e!mu; "em acabados, e pr essas boas e ne-,
iiki.oii l segura da electricidade medica. O collares gal- cessarias qualidsdes os seus acreditados fa-
Atteucao.
Vende-se carne e linguicas do -erid a 400 rs.
a libra : no pateo do Carmo, esquina da rua de
lionas, armazem n. 2.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na rua da Senzala Aova n. 42.
las as melhores que tenho experimentado '' vn(1em-,-e superiores cambraas francezas com
isto em abono da iwrtmlo n sa|l,IC0S ''-"ancos e de cores tendo 8 Ij2 varas cada
pega pelo barato preco de J: "<" --
Coila da llalli a superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no sea escriptorio rua da Cruz n. 1._______
Sola.
Vende-se 430 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na rua do Queimado n. 33, fojo de ferra-
gens._________________________________
Attencao a pcchiiich
Sapatos de (ranea com sola de cnica a 15 o
par : na rua do Livramento n. o.
Vende-se um sitio no lunar de Bonifica, Pas-'
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O bi igadeiro
Joo RopRict'ES Feu de Cauvalho.
tiaslrile.
Ouro-Preto, 29 de mano de 1864.
Atteslo que tendo feito us, aconselliado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer, l
liquei perfeitamenle bom de urna gastrite
que sollria e que pi
lado, hoje felizmente nada sinto.
dilas escocezas com
salpiquinhos mindinhos toda branca a 45 : na lo-
ja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
i Silva.
Tartalana branca a 6i" rs
Vende-se larlatana branca muito fina a 60 rs. a
vara, dilas de todas as cores a 800 rs. vara, di-
tas de salpico a 15, dita li.-a a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na ruada Imperatriz n. 00, de Ga-
na iV Silva.
0 i'.iliante do i'avao.
E
PA PRIMEIRA DENTICO
' >:tdade dos collares Royer electro-magneti-
< pura facilitar a erupco dos dentes do leite.
1 poucas palavras explicarei o que succtde
3
compra-las a dinheiro a vista1: na rua do
Queimado loja daAguia Branca n. 8.
Franjas cora borlas c sera ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorli-
Os elementos que compoem esta preparado,
ferro, o oife e a r.iina, a coUocso no primeira
grao das preparaedes ferruginosas Basta alterar
'..4 primeira dentieo, fazendo algumas observares
'"guia s mis de familias, qae pela
icao exageram a muido os perigos
qual em definitiva uma operago Para cortinados, todas de novos e bonitos que confirmro sua poderosa efficacidade aaa
idesenhos, cuja commodidade do p-eco est *eguiatea affeeobea;
queservirao de guia s mis de familias, qae pela mpnin ,i0 e ,; .m 1, ri,c a cnm -lio., seus res"lla sua lenra ffeicao exageram a muido os perigos u. "dnjas com Lionas e sem enas ues, e os relaiorio.ios prcticos maiseminen.es,
da dentieo, a
da naturza.
A mor pane dos desarranjos
sade das criancas tem por can
primeira dentieo. Quando o de
que sobrevem, em relacao a largura : acbam-se ellas a ven-
ente faz esforco!da na rua do Queimado loja da / guia Bran-1
e.de anda aper-' J^ZKtSo'com^'S^ |5SS^ ^ PaCeBCa U ^^ "**^
imperan.zn. 00, de Gama Se S.lv,. car-se com oulras affeicSes o irabalho da dentieo,
i eicail S lisas UO i aVtlO. | e neressario, err. quanto durar, por a mais extre-
Vendem-se as mais lindas percal- s de uma s ma e continuada attencao na sade da crianca ; e que das diversas pinturas deltas ^C formam
.cor a 400 1 s. o covado: ua loja do Pavo na rua esde que seuotem os ltimos sympiomas que ac-1 agrad.tveiS vistas 6 paiagens, *C Falla de apetite.
Ouro-Preto, 2i de fevereiro de i8(H.
Sendo eu afectado do figado ha muitos
cuuc-oo u.m aiuu uu cuk-i uc ucuimd, ra3-annn ll|i;m...mr.to ., ilfij. ... .curawuis. 0 Covado : 11a Hja 10 l'
sagem da Magdalena ; quera pretender dirija-se a n?0S<,e ultin'"mente Sffi l falta de apetite,' dr, Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
etta typographia.
m mmmmmm
tt&aKiaK?Siaa: i*Wra nvnirw a 2,500
ment.
Na rua do Queimado toja da Aguia Bran-!
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com taboJas de madeira, | MaieaTua'd>at*tna(t:
Ga.Cralulaa.
Trrda -i :i[.prClle, rlr.
Vejao se os buli/lin*
Klni;aa ao ang-.ie.
Kl. .. 1:. :..
Anrml'i.
Cli'.orni- au Ictericia.
Mcu-itt-cia.
Affeeeo.-a A% nt-ra
Supprr-rdca H.-\ rr-
ajraa o deaortf na
nt<-aniriine;io.
Atteecitit |u1uicinar e
l.cliUie.
!^^
AOS SEM10
de eogenhos.
Vende-se grande poreao de pot.issa que
lendo sido molhada da-se por preco muilo
commodo : quem quizer dirija-se' a ru*
do Imperador n. 38, botica.
Attencrio.
Vendem-se os utencilios da padaria da rua Di-
reita n. 80 e traspassase a chave : a tratar na
rua do Livrament-a n. ;18.
Vendem-se as seis casas terreas segulntes,
reparadas lia pouco : os prelendentes podera ir
ve las, tiara o que esli prevenidos os inquilinos, e
dirigirse ao segando andar da casa n. 42 da rua
do Imperador, das 9as ti horas da raanha, para
o ajuste, ou entenda-su com o corretor Enzebio, a
saber :
Numero 7 iravessa do Livramento.
1 rua de Santa Thereza.
89 rua de Hurtas.
21 rua do Nogueira.
148 largo das Cinco Pur.tas.
3 Iravessa ou rua do Dique.
No fundo da casa n. 148.________________
Vinbo do Porlo superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do di C, no seu escriptorio rua da Grnz n. I.
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vikiiia.
FABELO
de Lisboa o mais superior que ha a 53000 o sac-
co: na rua larga do Rosario n. 50, t iberna da es-
quina, defronte da igreja. ._________
Vende-se a loja de eslgado da rua Direita n.
54 : a tratar na mesma casa.________________
Vende .-e um braco grande de balanca com
conchas, por preco commodo : a tratar ua rua da
Mondego, olaria n. 13.______________________
Vende-se uma armaco toda de amarello,
com balaustres e porta para divisao de escriptorio,
obra muito boa e por preco commodo : a tratar na
rua do Mondego, olaria n. 13.
\
Vende-se um moleque, excellente peca, crl-
ou o, de idade de lo annos : qu-m o pretender,
iiinja-se ao Corredor do Bispo, casa n. 18 C, que
achara com quem tratar.
CERVEJ ItVSS
em barril.
Vende-se a 200 rs. o copo : na rua do Impera-
dor n. 37.
ARMAZEM ALUAXCA.______
' Vende-se ura escravo pardo de 23 annos, of-
Dc al de alfaiate, ptimo para pagem ou boleeiro :
trata-se na rua do Hasseio, loja 11. 8.__________
Attencao.
Vende-se doce de caj', laranjj. grozfelia e gela
em latas de uma e duas libras a 700 rs. a libra :
no largo do Carmo, esquina que volti para a rua
de Moras, armazem n. 1__ __________
Taberna.
- Vende-se a taberna da rua larga do Rosario n.
18 junto a padaria, bem afregoezada : quem a
pretemler dirija-se a rasraa ou ni Passeio Publico
a. 3, foja de fazendas.
Consnaco, dores de caliera.
Ouro-Preto, 28 de marro de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de uma
forte constiparlo que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabera, soffri horrivel-
mente por espado de quatro dias; ento
um amigo aconselhou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
quei sao e completamente restabelecido em
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affecladas de
constipacoes.
Agostiniio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
Irritaran do estomago.
Ouro-Preto, 29 de marro de 186i.
Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite e difllcil diges-
tao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das*pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio IIeisiogi:nf.s Peheiiu Rosa.
Lombriga8.
Ouro-Preto, 28 demarco de 1804.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagem por
mim em uma menina de dez annos que
soffria de vermes intestinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymundo Nonato de S. Thiago, pharma-
ceutieo.
Nevralgia.
Uma carta do Htm. Sr. Francisco A Iva-
renga de Azevedo.
Vendem-se meias para meninas de tod<-s os t:-
maohos a 2$5O0 rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, ditas lindezas [.ara
homm a 55 a duzia, isto ua loja do Pavo na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corliuudos para oamas.
Vondem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato preco de ilj o par. Ditos bordados muito ri-
cos a 21$, colchas de BKtio para cama a 55500 e
63 : na loja do Pavao rua da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
Tiras bordadas e eutremeios.
Vendem-se Onissimas tiaas bordadas e ntre-
melos por preco baratissimo, na loja do Pavo rua
da Imperalriz n 60, de Gama & Silva.
Chales a 30500
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas
as cores e pretos, pelo baratissimo prego de 3t'00,
por haver grande poreao : na loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de G.ama & Silva.
Os bales do Pavo a 2;>i00, .-> e 3o00
Vendem-se os melhores balos de arcos ameri-
smos de indicar, sera urgente consultar um me- j uVscnhos qUB acompariLam. Na verdade e
; esse um deleitavel
Ci>. -leatlaa.
Males... eacrai.i-a.
aaa.
Paprlra.
ohxCrnrraa i -jlaa-
dulaa.
fidiitorea (r'.j-.
Hiitnurea Ir i-c;..
l'.a-lilClr.-.-io.
Affc-ci-oe rcneertiu
e ;phlllllra.
Fe.lirt-a t)iiholdca.
Varialea, ec, ele.
de. iherapeulica medie
Estes collares vendem-se na loja do Vi-|"~ ,u^'"vei en reten
gilante, rua do Crespo n. 7. I?"?1 se d,s^ 'a a canosidade
_____.________L____;_____________i telligencia. Os apreciador es
Rival seiir seguudo
Rua do Queimado n<. 49 o. 55, loja de
miudezas de les portas, est quei-
maiido ludo uom e barato, quem qui-
zer ver e admirar venham loja do
Bigodiuho.
Calzas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de boioes de louca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranga de laa lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas flnissimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pe?as de fita de eos estreitas com 10 varas a
320 rs.
canos, sendo com 20 arcos a 2,5300, ditos com 25 Caixas com colchetes francezes, superiores quali-
arcos a 3,5, ditos com 30 arcos a 3,5300, ditos para da0>s a 20 rs.
meninas de iodos os tamanhos a 2;50 e 3, su-, Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
penores baldes de bramante e murcelina com i PeCs de cordo para vestidos, fazenda boa a
rauda, sendo bstanle grandes a 5&, islo na loja' 0rs-
e
do Pavo, rua da Imperatriz n. 66, de Gama &
Silva.
As cainisinhas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas eamisinhas borda-
das com manguilos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a IjUSOO, di-
las com manguitos, para acabar, a 13 ; ditas pre
Baralhos muito linos para voltarele a 200
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca nerula multo lino a 200 rs.
Frascos e garrauhas cora agua de Colonia a
400 rs.
Fra.-cos grandes cora superior agua de Colonia a
640 rs.
las com manguitos para luto a 1,5800 rs., mangui-icaias cora 13 frascos de cheiros muito finos
tos e goiinhas pretas a l, finissimas golinhas de 14400 cneiros muilo nnos
Ha mais de sete annos que soffria dores
ao hombro e as costas, tomei uma inini-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
SSf/Bft b^ *T^!^,^ i &! ***** de boii, a 240 rs. e grandes a
menina a 640 rs., romeiras de lit e cambraia
branca bordada a 13600 : na loja do Pavao, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Corles de percales.
Ricos cortes de percale com barra, tendo o com-
petente casaveque a 85, ditos de laa a Mara Pia a
65, ditos de cambraia transparente bordada a laa a 25 ; isto se vende ua loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice sopeiior qualidade a 800 rs.
Calzas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias sanial e outros a
I52OO.
Frascos cora essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodcs os precos a 160,200,
240 e 320.
Fraseos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
meias muito finas para senhora a
e eiruratca de30 de novembre 1860; a Ggicm
dos hospuaes di 2S de julho IS60, efe, etc.
AI6m -/dj putas d iodureto duplo de (erro e dt
quinina de febillon. os Mdicos aennsetblo
igualmente o Xaropo d'iodure duplo da
/erro e ce quinina !o mesmo antfiOr para as
pessoas que. nao l. -siao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao :em
como o xaroj.e d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se mo poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceaticos depositarios.
Para-se evitaron fa!slcac.6es, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmaciaRebillozz,
442, re du Bac, e em todas as boas pharm acial
de Franca a dos paizes esirangciros, etc.
*f
&
ss.
OV.EO 07
FIGADO ce BACALHAU
um deleitavel en reteninuiito iom >>
e apura a in-
preeiadotes dtrijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Ui an-
ca n. <, que sein satisfeitos.
Bonitos enfetles para grabaras,
A Agaia Branca acaba de receber u-.1 no-
vo e lindo s<.riimen o de enteites os mais
modernos e gostos irneiramenle agradaves,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de laa para seuhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na loia da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com componigao para dar fim as
moscas, sendo o modo de u$ar facillimo, e o
effeito eflicaz : molba-se o papel edeisa se
ficr n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen! e morrem. Custa cada fo-
tha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brinquedos e entreteiiimento'nei o gom, nem
para criancas. jecto de numerosos rotatorios scientficos e
A Aguia Branca na rua *do Queimado n. mdicos, este meicntnente que goza ero
8, recebeu diveisos brinquedos para crian- i Franca de um sticcesso tao raro como beta
fas, sendo estiadas de ferro, barcas e patos merecido, receitado diariamente prios-
elctricos, apparelhosd metal, louca pinta- \jnitt$ipaes mdicos dos hospitaes de Pars.
da e porcelana dourada paia almocti e jan-, O oLF-o de figado de uacaliio desinfecta-
tar e muitos outros brinquedos de madeira, do ferruginoso emprega-se com os autores
que se vendem baratamente : na rua dojsuccessos as molestias em que se emprega
Queimad loja da Aguia Branca n 8. o oteo quando sao acompanhadas de debili-
Meias pretas de seda para senhoras a
era
P co processo de Citerritr, paarmaceulico
Paris, rua do Fauhrarf Uontiiurlc 21.
Este oleo de um cheiro agradacel, e dt
um sabor assucarado e o nico inte nao tem
cheiro do peixe. Ob-
Palelots pretos a t'.->
Vendem-se superiores paletots saceos de panno I Duzia de
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casaeos a i 45800.
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 e Gollinhas muito linas para senhora a 200 rs.
85, ditas pretas a 65, 75 e 85, paletots de meia Caixas rom soldados de chumbo para meninos a
casimira a 55 e 65, dil.s de casimira a 10, calcas j 160 rs.
de meia casimira a 45 e 45o00, ditas de briro ; Pecas de fila d laa para debrura de vestido, com
branco de linho e de cores, coletes de lodas as 10 varas a 600 rs.
qualidades. Todas estas obras se vendem por: Dilas de bicos superiores, para acabar a 600 e
dade de remedios sem achar alivio algum. | prego muito em conta, s com o fim de apurar di-1 800 rs:
r, angustia, tormento sao palavras for-! uheiro : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60, Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
tes, porm nao e.xprimem o que tenho sof- de Gam* ^"Ta: 2u.necos de tWT0e panno 60 rs.
lazendas brancas na toja do Pavita Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Vende-se nm grande sortimento de madapolSes, lapachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
chitas, algodaozinhos das melhores marcas, ga-1 ^r'?ls de botoes peujienog pretos para ealga a
tOU completamente restabelecido; ha tres'rantindo-se vender mais barato do que em uutra
dias que nao sinto a mais leve dr no hom- qualjiu.r parte.^emlo a dinhejro a v^ta, oa^loja do
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Diroita n. i5
P. MAURER & C.
Rua .\ovii 11. 18.
Das para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na rua do Queimado n. 1 vendem-se superiores
Pavo, rua da Imperalriz n. 60, de Gami A Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Chegou pelo ultimo v, por francez um grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
renda, lanto de linho como de seda, lendo entre
elles muitos de pouta redunda a imitacao de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por precos muito em conla por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperalriz o. 60, de Gama 4 Silva.
100 rs.
varas de cordo de espariilho a 20 rs.
NwreUot francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500.
Veude-se
o deposito de charutos da rua do Rosario n. 6, a
dinheiro ou a prazo : quem pretender dirija-se a
lab-rna da rua Augusta n. 1.
dade e aloma.
Venoem-se no Recite em casa de Ls
500 res o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por- BaroozaeJoao da C.Bravo AC.
cao de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preto que lhe cus-
taram e o bom estado em que anda est5o,
comtudo est resolva a vende-las a 5C0
ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, agir pois apro-
veitarem a qua jra e dirigirem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
bem vender as brancas a 1 5 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
rs a
Bornouls de renda na loja do pavo.
Chegaram os mais ricos bornouls de renda e se
vendem por baralissimos precos : na loja e arma-
las para veslidus a 240 rs. o covadj ; a ellas, an- Izem do pavo, roa da Irrperatriz o. 60, de Gama prla para qualquer prncir.iaote
es que se acabem. Ji Silva. rfundos : a talar na mesma.
TABERNA.
Veude-se a taberna da rua d Fogo n. 32, -pro-
por ter poucos
0 M L K
Com loja na do Cre*po n. 17. Ig
Recebeu de Paris sedas em corles rnui- nat
lo superiores e bellissimus padioes, e *B
| chales de renda pretos para 105.
Este importante e>tabflecimenti toma- me
se ree.immendavel ao bello sexo pela va-
gj ri-dade de fazendas superiores e bellos dH
ra gostos **
Proleja o bello s^xo ao Villar
S e vero todos a pras.endade.
mnmmmT m mmm-mMm
Sal c pallia de carnauba.
Xo caes do Ramos, a bordo do palhabote Sergi-
pano ; a tratar com o mestre.
Attfncao o barateiio de ob-
jectos chegados de novo ;
grande sortimento.
Vendem-se dotis grandes lustres de vidr-- fiis(-s
com 24 luzes, do meih-jr gut-to e por prego rhzoa-
vi'l; assim como pi-arelhos para cha e para an-
ta r, brancos e de cores diferentes; ditos de por-
celana domados e pintados e brancos; apparelhcs
para jantar de poreelana branca; tair.nem se ven-
dem em ppcas separadas, como os freguezes qul-
zerem, nompoteira* lapidadas para doce, ca'ires
para vinbn, ditos para champagne, copos para sgua-
e para violio linos c ordinario!", em caixo e a re-
alho; laiiteinas de lodas as qualidades de vidro;
dilas de casquinho inglezas muito linas ; candela-
bros Je vidro e de t.ronze ; serpentinas, vasos de
poreelana e de vidro paia llores; bilhas hambur-
metas para resfiar agua; barricas com appare-
Ihos de nt-sa para jamar; gigos rom apparelhos
para c.li.-i; h outros muius soilimintos de todas as
qualidades precos eommodos vontade dos com-
pradores, que .- vi udem na rua da Cadeia do Re-
cife jum* o arco da Coii''eic5n n. 64, e na roa
Nova no grande armazem de luuca e vidros junto
igreja da Q.nmVa'o dos Militares n. 49.
Ferros para engoinmar
Vennemsrt caixin'ias roolendo o mais completo
senimento de ferro para engommar, encrespar
batado*! pafos e toda a roupa de swih-.ia : na roa
Xova ii. 21.
V

r7.^-p7


Diario de Pernambuco Segunda letra 18 de etembro de 18*.
Augusto Preterido dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimenio de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de gaip muito Bnos para 22(, 2ofl e JU(.
Colias de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Col xas de laa e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondas de gaip. enfeitados coni o melhor gosto.
Stira de Paris bella faienda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o corado.
Moureantiqae branco e preto, grosdenapie preto e de cdres, pannos pretos de todas
" qa*CaSad!! "ido cores, merino preto, silistrina, bombaiinas, alpacas pretas, e
laa ureta para lutos. .... ...
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 4$ a U(.
Rrini da linho de cores finos a 1(800 a vara. .... ,
Chapeos e chapelmas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados chapeos
deda oir hotnetn, chapeos de sol de seda, esgu.ao de linho, cambraia de linho, breta-
has, silesias emuits oatras fazendas que se veudem por coraraoJos precos ass.m como
Esteiras da India para forrar salas
SJATITE iVMEID?
DE
J. VIGNES.
55, ra DO IMPER4DOR M. 55.
n- nianosdestaantisa fabrica sao hoja asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a :
na awforidade vaatugense garantas que offarecera aos compradores, qnalidades estas *****]
^XM^m^^w^tmqeM>i*n todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
XrnmtfiTmfSo que obedecen todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
rnnffihJim m^rtcadoste proposito, e ter-se feito ltimamente raelhoramentosimportan-
S' para oP clima deste paiz; quanto s voies, sao melodiosas e botadas, e por isso muito agrada-
VeSF?T'^ ne3U fabricacom oa do Sr.Blondel.de Parla, socio
,nr nnnl.ntfl de J Vine em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mo e'tabe cimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
^or^mreTzEarop^issm como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por|
presos commodose razoaveis.__________________^___-
CONSULTORIO MEDICO-CmURGrCO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MQSGOSO,
Uti r^%JiDIC07PARTEIR0 E OPERADOR.
' 3 Ra da Gloria, casa do Fundao
O Dr Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos os das das 7 s 11
oras da manhao, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excepgao dos#d.as santtflcados.
Pharmacia especial liomeopattiica
No raesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoese pelos precos seguales.
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
, de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 2iS000
de 48 tudos grandes. 30S0OO
, de 60 tubos grandes. 355O00
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
li s8Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1,-5000.
Sendo para cima de 12 cusUro os preces establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
11V ROS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do D^Jahr
dons grandes volnmes com diccionario............ iSSSSi
Medicina domestica do r. Henng........... f
Repertorio do Dr. Mel-- Moraes............ <"""
Diccionario de termos de medicina MJ"**Z
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem nuvamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdaderos enrgicos e duradores: ha ludo do melhor que se pode desojar, globos de
ve-dadeiro 'assucar de leite, nolaveis pela sua boa conservaC5o, tintura dos mais acredi-
t ios estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portaoto a maior
energa u certeza era seus effeitos.
Casa de saude para escravos.
Reeebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
m irado, p ra o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
Q "nUmento o meihjr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fmecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cojo concedo se nao
pode .luvidar. qic podera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
pa-se U por dia durante 60 das e d'ahi em diante 10500.
Aso>erace3 ser) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante
CHEGARAM A LOJA
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de precos,
tanto deste armazeni como do armazem progressivo pa-
teo do C*rmo n. 9, principal armazem ra do Impera-
dor n. 40.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especiadade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todoj os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um sera de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tambem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
DAS COIiLITIllVAS.
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o qae tem vindo a Pernamboco de melhor gosto
em imm como mais algomas fazendas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO N. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e 0.
CORTES E SEDA
Chegaram pelo paquete inglez riqaissimos eortes de moreaatlque de cores, e seda tarrada pa-
droes intelramente novos. HAAA ,
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Paes do Amura! fc Companhla.
HVYTEIC.\
Manteiga ingleza perfeitamente flor che-
gada ltimamente de 4,oooa l.ioo rs. a li-
bra, e em barril ter abatimento.
Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
a libra e em barril ter abatimento.
BANHA
Banha refinada superior a 64o rs. e em
barril ter abatimento.
CHA
Cha rato de primeira e superior qualida-
de a 2,8oo rs.
dem hysson o melhor neste genero a
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a 2,oo rs.
a libra.
BiSCOIltOS
Latas com superior biscouto inglez de di-
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Bolaehinhas
Latas com bolachinhis da acreditada fa-
brica do beato Antonio, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
soda a 2,ooo rs. alata.^
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor a 2,5oors., tambem ha do vapor pas-
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a 1,000 el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
: Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
! Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a ,ooo a garra-
; fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia.
Vinho Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3,ooo,
3,5oo e 4,000 rs. a caada.
Superior vinho chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinho de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,ooo rs. a an-
coreta.
Superior vinho branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oors. agarrafa. m
CAFE .
Caf do Rio de 1.a e 2,a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
N.1B.IO
Sabo maca de primeira qualidade de 18o
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luii de Ollveira Aze-
vedo & C, no seo escriptorio ra da Crm n. 1.__
celares Royer ou colares ano-
dinos
para facilitar a dentigo das criangas e preserva-
las das convulsdes.
O feliz resultado obtido iromenas vezas pela
prodigiosa forca magntica dos colares Royer, nos
eaaoa de convuls5es, e dentiQo das crianja?, tem
altamente elevado o seu bero merecido prestipio,
e hoje j se pode dizer qae esto geralmente con-
coilnados, e estimados de innuraeraveis pais de
familias : de uns porque do uso desses salntares
colares viram salvos do peripo seos charos filhi-
nho=, e de outros porque colheram daqnelles to
proficuo exemplo para Rualmenie preservar os |
eos. Assim, pols, a agnia branca, tendoemvi*-,
tas a ulllidade e proveito desses prodigiosos cola-(
res anodinos on Royer, mandou vir o novo sorti-
ment qne agora recebeu, o continuar a recebe- \
los para que em lempo algum a falta delles possa
ser funesta ao pas de familia, os qnaes flearao
certos df> os achar constantemente ca ra do Qnei
mado, loja d'agaia branca n. 8.
I/'ICVS, VIDROS E
CHRYSTAES.
A loj de louQa da ra do Crespo n. 16 tem para
vender qnantidadn de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como lougas de todas as qualidades,
de bonitas pintoras e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas donradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclnsive flnissimo
chrysial, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, figuras e ontros muitos objectos de fl-
nissima porcelana denominada biscoito para en-
feites de mesas, Etc., guarnirles de nissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, todo do melhor gosto, piabas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparioas para
gaz, globos e chamicis de vidro, boccaes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qualidade, e moilos outros artigos qne
seria enfadonho mencionar, todo por pregos mni-
issimos razoaveis.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
garrafa e a 4,6oo rs. a caada.
Massas
Macarro e talaerim a 360 rs. a libra e a
5,ooo rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a l,5oo o quarto e
o.Soo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
rs. a libra.
CiEMEBRA
Genebra de laranja verdadeira a Io,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garrafo. Tambem
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de spermacete a 6oo rs. a libra.
dem de carnauba de lo a I2,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
PEIXE
Peixe em latas j preparado de I.ooo a
I,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHARUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Jo5o Furtado da Serrias,
Manoel Peixoto da Silva Netto, Castanho &
Filho e Brando e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.6oo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
IJcores
Licores francezes e portuguezes a l,ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
Frutas
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conten-
do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
perche e outras frutas a 7oo is. a lata.
DE
AZEVEDO & FLORES
Ra da Cadeia do Recife, esquina da Madre de Deus,
BALdES
Os ricos balos de arcos com muita roda para senhoras.
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos 24 e 20500.
dem de panno para meninas 35 e 30500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 90.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 100.
dem idem com 16 asteas 120.
Chitas.
Chitas largas sofflrtveU a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas francezas de 10800 at 50 das segua-
tes variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peiios defustao e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 40.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Cateas.
Calcas de brim pardo superior a 20500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores.
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pescoco.
Ricas mantas para pescoco de homem de finissma seda e de ricos padres, qne
s o Balo tem.
PjTetos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 50,
COLIiETES.
Cohetes de casemira a 45 e 50.
dem brancos a 20500 e 30.
Saceos para vlagem.
Saceos para viagem a 50 e maiores a 60.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppe sempre ser as mesmas fa-
zendas.
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambem ha latas grandes para l,2oo rs
em caixo. lata-
.ncanoosiiaiii
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
Terreos 5 venda.
Vende-se nm terreno proprio para edifleacao,
enllocado no centro da cidide, com 68 palmos de
frente e 218 de fando, tendo tres frentos, para a
roa da Palma, da Paz a da Concordia : para in-
formajdes, na roa do Sol n. 37.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de ama dazia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Dooro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior
vlnbo, barris de 5 e 10* em pipa : na roa do Vi-
Sarlo n. 19, prlmeiro andar.
As melhores chitas francezas de cores
escaras e fias a 280 rs. t
covado!!
Na roa do Qaeimadon. 1 vendem-se chitas fran-
cezas escaras e Anas a 280 o covado.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, perto da (trfja dos Remedios, o qoal pro-
prio para olaria por ter eicellente barro, e as tr-
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Goncalves Beltro, roa do Vigario n. 17, es-
criptorio.
ALMANAK
LEMBll^i
Lnso-Brasileiro
PARA 1866.
POR ASTlXHO.
Vende-se na livraria econmica jnnto ao arco
de Santo Antonio,
O castello de Grasville.
Tradazido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em qati
tomos pelo baratissimo preco de 30OOC
oa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Veflde-se no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Pilho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto mnito superiores em caixas de
1 dazia e barris de oilavos e decimos.
Moscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de 1 dazia.
Palmella tinto de excellenle qualidade era caixas
de 2 duzia?.
Vinhos de Lisboa mnito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com oe arelos competentes de metal priacipe :
oa Ponte Velha n. 8, por prego comraodo.
Ontros objectos.
Vindos tambem para a amiga loja de
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartaruga mui fortes para des-
embarazar. .
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas flvelias grandes de aeo.
donradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
esto sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra e de ontras
qualidades, para qnem soffre
da vista
A' loja de mindezas ra do Qoeimado
a. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como ontros de armagSo
de ac, sortidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
a disposico dos bons christos qoe os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Fitas finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis core*.
dem tambem de sarja Ltvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
dres igualmente novos e bonitos.
dem de gorguro de seda achamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, cohetes, palitos, etc.
dem de la igualmente sortidas em cores
e para os mesmos fins.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guarnieses para enfeitar
soutembarqoes, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos tamanhos.
Lonetos de dons vidros com aro de ac, bfalo
t tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros com armaco fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis: os pret^ndentes diri-
jam-se a esta loja na ra do Queimado n. 16.
Acha-se
venda na livraria acadmica, na roa do Impera-
dor; na do Sr.Nogaeira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na roa es-
treita do Rosario a compilacao de toda a legislacao
tendente administrado, arrecadacao e fiscali-
saco dos dinheiros de orphaos defnntos e ausen-
tes, heranjas Jacenles, legados, etc., contendo nao
s o regiment de custas e a lei peral das execu-
goes, como tambem todas as ordens e avisos do
governo, qne a todo tem explicado, tanto a respei-
to das obrigacBes inherentes ao cargo dos difieren-
tes empregados de jnstica e fazenda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
iropresso e bom papel, e prestando-se a atilidade
de differentes classes, torna-se recommendavel.
Sea casto 105000 por cada exemplar em dous
omos. _____________^_____^___
TERRENOS A' VENDA.
Vende-se nm terreno proprie para edifleacao,
collocado no centro da cldade, com 68 palmos de
frente e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
roa da Palma, da Paz e da Concordia : para infor-
ma;oes, na ra do Sol n. 37._________________
RIVAL
SE9I SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 4 e a*.
Contina a vender todas as miudezas qae abaixo
declara por precos admiraveis.
Hassos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320.rs.
Ronets de oliado para meninos a liOOO.
Ditos de couro superior faienda a i500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60
Caixas com 100 envelopes, faienda fina a 600 rs.
Grozas de peonas de ac, fazenda superior a'OOrs.
Grozas de botes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 30 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores brelas de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de laa para enfeltes de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botdes para panno, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e l.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
1(000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapa tos de tranca e tapete a 1(500.
Caixas com superiores agulhas 240 rs.
Libras de laa sortidas de benitas cores a 7(000.
Caixas com superiores obrejas de raassa a 40 rs.
Rodinhas com allinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 2(400 e 2(800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 1(.
Duzias de tesouras com toque de ferrogem a
600 rs.
Duzias de tacas e garfos de cabo preto a 3(000.
Talheres muito fino para criancas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs.
Ditas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 1(280.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 330 rs.
Caixas com lamparioas para 3 mexea a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 140 ra.
Cartas de alfinetes francezes a 100 rs.
Qoadernos de papel peqneno a 20 rs. _.-
Grvalas de cdres, ftzenda superior, a 500 rs.
Papis de agoJuus fwd Aourado, a 80.
.


Diario de Pcrumhnto Cognada reir 1 de etembre de 19*.

0
GERENTE
AO PUBLICO
Scm o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nSo agradar.
ATTENCO
o precos da segulnte
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de cenias
com os portadores;
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
unu & aiwiau dh sx Dama ra
AO
UESPEIT ITEIi PUBLICO*
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
xem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangeiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sena a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ulfiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
i; Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os memores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mai-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
mnitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os sentares que compram para tornar a vender existe uro. sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que cortamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, era se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ARMAZBM UNIAO
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelc&o)
PARA BEM DE TODOS,
Senhores rnhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptid5o e intet-
ezacom que serao trata!**envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida rae dar3o a proteccao e preferencia na com-,
rra dos gneros que precisare! e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, '<
rois serao to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao v5o em
tra parte.
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca mol le, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potqf de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Abstntho a 25000 a garrafa.
B
BOLACMNFIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a l 9800 a lata, e
de cinco para cima a 1^700.
dem de soda em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 1;>oOO.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
I 5200,15230 e i 5300.
Bolo francez era caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra,
dem suisso a 15 a libra,
dem de musgo a 15300 a libra.
Choricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se ar abatimento.
liem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
Ilem Victoria Bas tres X e deoutras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252"0, 25560 e 25800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35300, 45 e 55.
Cauces de lodos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portugueses, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILIIAS seccas a 120 rs. a libra.
krvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SSSde 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
urna.
K
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
Ii
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
H
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macahro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Mn.no painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
W
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo," salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas era qnarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.

QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra.
Idgm londrinos a 800 rs. a libra.
Quartiniias ou morinques a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
9
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado era frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a C00 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
Manteiga ingleza especialmente escollada a
l,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Choricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs.libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vinho em pipa : Porto. Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e emeanada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
I BolacMnha u"agua e sal, da fabrica de Joo
tampa
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades depei- bras por2,5oors.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezns em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a !55oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franC' zas em caixinhas de diversos
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a 1,4o?, l,6oo, l,8oo e 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libran
grandes a 1,oooell,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,."no a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-1 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a-16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomates de superior qualidade a 64o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
Iho.
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, 3 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
15 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
1 Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas!
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fnrta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes, I
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
2 l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a fioo rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5co o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamaDhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,3oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 3oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
Champagne da melhor qualidade que' vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
m E' BARATISSIMO11!
Graode liquidacao de faen(ias e roopa
feita naciaial, na roa ta Imperatriz
d. 72, loja de Guimaraes & Irmas.
Os proprielirios deste estabelecimento tem re-
solvido liquidarem suas fazendas por precos bara-
tissimos s com o fim de aparar dinheiro, aprove-
tem as pechinchas.
Vende-se um grande sortimento de chitas fran-
cezas largas a 260,280, 300 e 370 o covado ;,ditas
percalias muito finas a 360, 400, 440 e 500 rs. o
covado : isto so na loja de Guimaraes & Irmao,
na ra da Imperatriz n. 72.
E' muito barato I
Cortes de la para vestido de senhora a 35-
Cortes de la a 35-
Cortes de iaa a 35.
Aos 3,( 00 covados de la,
Vende-se laazinhas de qu.idrese ce i.-lriuias de
lindissimos padroes a 220, 240, 280 e 320 rs. o co-
vado, vende-se asstm barato ror ttr minia porcao
e querer se acabar : isto s na loja de Guimaraes
& Irmo, roa da Imperatriz n. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de mene eslamiadu a 2C0O
e 25500, ditos de merino liso a 38t0, 45 e o,
ditos finos a 65500, 75, 75510 e 8.
Grande sortimento de cor es de vestido de cam-
braia com barra, pelo barato preco de U5, 3J2O e
35300.
Ditos de chita a 25, 25500, 35 e 3J500.
Vende-se pecas de madapolo ce ni 24 jardas a
45300, si, 65, '$, 85, 95 e 105
Dito francez com 12 jardas a 3500, 45,45300
e 35000.
Vende-se nm grande sortirr.fnto de gellichas
para senhora e meninas pelo barato preco de 320,
400 e 360 rs. cada urna : isto s na loja de Gui-
maraes & Irmao, ruada Imperatriz n. 72.
Roupa dita
Roupa feita
Grande sortimento de oupa feila de todas as
qualidades, que se vende por preco? I aratitsimos ;
afllaiii;a-se que se vende per menos 20 por cento
do que tm outra qualquer paite.
Ka nova loja de fazemlas de Guimaraes
& Irma.
llua da Emperatriz v. 33.
BgppiMHi mwMmm
S Bichas de Hamburgo 1
SR todos os paquetes da Europa se recebe $|
j destas amigas do sangue humano e se jj
jH vendematroco de pouco lucro s afim ^5
2R de ler sempre cousa nova : a lo;a de Lar- jR
jJ, beiro ra estreita do Rosario n. 3, ao p J^
fl da igreja. $
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para hornera e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. 34.
03
8 [TU = ooi <-< os O o o; o
!i|liprl||is|
3*0.8 Sg o-'2Sa,3"
0?3S-
a -
X3
S M
O CD w
o
* a
o es,
>< 15
3.-
S-o
VINH0S1
Principe Alberto, de 1831, a 5J0OO a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2> a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Car cvelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absymho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10*a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
o

a. 3
o yi a. -
"" 3 '
855 5:-M gB
P
os B o*
v ara
os p. a
^32.3*2
3fiM
M-3 o o
CT5 O
u
B3 -s-
05
o 5?
2
o.
o
os
"2*2
I?
n
O
Na ofifleina de ferreiro da roa do Jasmlm n. Catangas finos e brlnquedos
'4, ba para vender urna carroca feita, com esmero para meninos.
e propria para carregar urna pipa com agua, aflra Lhegaram para a loja de miudezas da ro do
de vende-la pela ra. Na mesrna nrHcIna ha tam- Qnelmado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tem um cabriolet de duas rodas, novo e muito beoo l3JjU) para bnnqaedo de meninos como para eima
acabado ; quera pretender estes objectos, pode di- de me3i na raflsrDa [0ja se encontrar bom sor-
rigir-se a mema que achara' com quera tratar. tinento de raiaeus._________________
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
le Manoel Ignacio de Oliraira & Filho, largo do
oorpo Santo n. 19;
Lavas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas pora homem e senhoras : s
quem recebeu fui o beya-fior, ua ra do Queimado
numero 63.
g
o.
o
Tasso Irmos
Venden n sea artaazera roa do
Amorim n. 3o.
Licor fino Carabao em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas d
vidro e em lindos frascos.
VinhosCberes.
Santernes.
Cbambertin.
- Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendm-se palmelra imperiaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio murado es-
qoerda, depois do becco do Espinbeiro, nos A(-
flictos
A LEGITIMA
SALSAPAMILHA
MACHINAS DEPATENT
de trafealhar nao para
descaroear algodo
FABRICADAS
PorPlant Brothers & C.
OLDAl
Estas machinas
podem descaroear
qualquer especi
de algodo sem
estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
otrabalho; pd*
descaroear ama
arroba de algo-
do em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia oo 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Assirn como machinas para serem movidas por
animaes, que desearo^am 18 arrobas de algodo
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrss dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aes Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n. 17.
Sauaders Brothers &C.
IV. II, praea do Corpo santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
DE BRJSTOL
PREPARADA NICAMENTE POR
LAMAN & KEHP,
NOVA YORK.
Composta de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas.
approvada pelas juntase academias de me-
dicina; usadajnos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinha as Antilhas e
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
Cusa radicalmente
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, eD-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existera varias i mi taces e
falsificacos. preciso a maior cautela para
evitar os engaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CA0RS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO C.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cro n.22 em casa do Caros A Barbo
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade
iMlaU: nos armazensda ruado Im-
perador d.16 e ra do Trapiche Novon. 8.
carvao de pedra para ferreiro a
avariado.
Francez barrica 55000
Porlland idem 8,5500
Em parfeito estado:
Francez barrica 105000
Portiand idem 125000
No armazem de Tasso Irmao? caes ro'Apolk .
Milho superior
Vende-se no trapiche do barao do Livramento
no Forte do Mattos.
ESGBAYOS FGIDOS.
Foglo no dia 4 do crreme una preta da
Costa de nome Isabel, reprsenla ler 40annisde
idade, baixa, muito prela, bexigosa, roslurua em-
bresgar se, levou vestido de chita enramado, rhale
azul, tem sido vista nesta cidade est-ns airabaldes,
anda vendendo fructas e outras cousas em um ta-
loleiro : roga-se as autoridades pnliciaes a sua
apprehenso e mandem a' ra da Cadeta Velha e.
I, que se pagar todo trnbalho.
Fugio.
Mo dia 6 de agosto o escravo crioulo de nome
Tiberio, idade de SO a 2o annos, estilara baixa e
com farla de um dos dentes de cia, loi escravo
eio Sr. Francisco de Albuquerque Maranho Ca-
valcanii : quem o pegar cu delie de r noticia quei-
ra duigir-se a ra da Caaeia do Recifen. 33, loja
de Valle Porto & C, que sera' recempen.-ado.__
Ao amanbeeer do dia 26 de a^o.-to futrara
do engenho Camaragibe dous escravos crroalos,
ambos carreiros, sendo nm de neimf Simeao, na-
tural do serlao dt* Ouricury, alto e bem fetr, cara
redonda, nao mulo preto, e soTre de urna hernia;
o ouiro de nome Nicolao, nascido no momo en-
genho, estatura ordinaria, secco do corpo e robus-
to, na mesma occasio desapparereinn 3 turres
do servico do engenho. de suppor que tenham sj-
do levados por elles, ou por algum que lhes ser-
vio de guia e seductor, porque na neile preceden-
te a sabida dos ditos escravos foram vistos dous
homens em communicacao cem o SemeSo junto a
entrada do engenho : quem prender e trouxer di-
tos escravos sera recompensado.
Ausenlou se de casa no dia 2o deste mez a
escrava Ignacia, crioula, cor fula, denles limados,
beicos grossos, estatura regular, cheia do corpo,
levou vestido encarnado, chale de Iaa preto velho
nos hombros, e mais alguma roupa de seu uso :
na ra da Ponha n. 17 se gratificar.
Aufentou-se de casa no dia 28 de agesto pr-
ximo passado a escrava Ignacia, crioula, cor fula,
belfos grossos, dentes limados, estatura regular,
cheia do corpo, idade 28 a 30 annos, leven vestido
de chita encarnada, chale de la preto velbo e
mais alguma roupa de seu uso : na ra da Penha
n. 17 se gnificar.________________________
Amso
No dia 28 de agosto prximo passado desappare-
ceram do engenho Parary, silo na comarca do L-
moelro, os escravos Francisco e Alexanire, per-
lenrentes ao major Claudino Correia de Mello. O
primeiro alto, secco do corpo, nm tanto espada-
do, e de cor cabra, tem a cara bexigosa, bastante
barba, cabellos carapinhos, ps curtos e largos,
sahio vestido de calera e camisa de algodSo aznl,
chapeo de feltro, levando tambem omsigo urna
trouxa contendo roupa de uso, a saber: camisas
de chita e caigas brancas e pardas, levou tambem
um chapeo de couro, mu ladino. O segundo
preto, crionlo, secco do corpo, estatura regalar,
tem falta de dentes na frente, um penco barba-
do, e tem ps finos e bem feitos, tambero muito
ladino. Ambos sao mogos, tendo de idajje 32 an-
nos, pouco mais eu menos ; desconfa se que te-
nham fueido para assentar praca nesta provincia
ru em outra qualquer : quem os apprebender pode
leva-Ios ou ao dito engenho, on a' casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na ra da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.________________
AUencao
Acbam-se fgidos os escravos segolntes: Bente,
mulato, idade de 23 annos, cabellos annelados, sem
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla nm porjeo descansada ; e Luiz,
crionlo, ja nm pouco velho, altura regular, maito
cabelludo, barba com algons cabellos brancos, as-
sirn como na cabeca, corpo reforcado, olhos um
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finges*
ronco pede-se as antoridades policiaes e aos ca-
p taes de campo qw os facatn apprebender e con-
dozi-los a' casa de sea seahor o major Antonio da-
Silva Gusmao, que generosamente recompensara,
e loes pagar toda despeza qne fizen-m com a sua
conducco : supp5e-se que elles terao ido em se-
gnimento dos sertSes desta provincia, por serem
Albos dessesjugares.
Vend-se
12i a tonelada e 300 rs.
Brum n. 76.
a arroba : na ra do
Fugio no dia 18 do corrente mez o preto cri-
onlo de nome Isidoro, de 30 annos ponco mais
ou menos, alto, rosto comprldo, suissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, ecostoma andar dealper-
gatas, levou camisa de algodio, calcas velhas o
roas, chapeo de palha velho, e tambem nm bonet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel qne tenha ido para Serinhem
oo Rio Formoso, onde j tero sido capturado por
vezes. Roga-se s antoridades epitaes Je campo
qne apprehendam e o levem ar sea senbor Joo
Cavalcanti Lamenha Lins, residente na Estrada
Nova, sitio de Jeronymo deHoHanda Cavalcanti de
Albnquerqne, qne se recompensar generosa-
mente.


DUrio de Pernambaco ttegunda fe ira Id de Setembro de 18S.
L1TIE8ATR
THEAIRO DA GUERRA.
A communicages recebidas pelo governo im
peral sao, porm, satisfatorias.
O geueral Galdwell informa, qae procede de
completa harraonii com o general Ciuabarro, e
que attendendo pericia e experiencia desie gene-
ra resolved nao dar baialha aos paraguayos na
p i agem do Ibicuhy, alm de oulros motivos pon-
d. -os, porque iofalllvelmente os derrotarla &-
pol ojm menores perdas para o exercito braai-
lero.
O nosso vapor Uruguay oppunha embaragos s
communicages das forgas Paraguayas, separadas
pelo L'ruguay.
lias participages offlciaes consta que as orgas
em eimpanha occupavam as seguintes posiges :
A d i centro, on le eslava o general Mitre, com
mats de 20,000 e 40 pegis de artilharia, encami-
nhm-se para a(ronteira de Entre-Rios a fim de
operar de maneira a acudir ao Paran ou ao
Uruguay.
O g"neral Flores, com a sua vanguarda de mais
di 8,000 homens de tropas escolhidas e 10 pegas
* de artilharia, deve estar em frente dos Para-
guayos.
O general Paunero com 3,000 homens de infan-
taria e cavallaria argentinas, tropas escolhidas e
disciplinadas,fiordo exercito da confederago, esla-
va sobre o rio Corrientes, sendo-lhe fcil e do cur-
to k-mpo encorporar-se ao goneral Flores.
Em frente do exercito de Barrios, e demorandfl-
le a marcha, o exercito correntino de (i a 7,000
com os generaos Caceres e Hornos.
As divisos Jacuhy e Canabarro, sob o mando
do geneial Galdwell, perseguiam e apertavam os
Tai aguayos, que eslivessem ou nao em Uruguaya-
na, nao podem resistir, to certa a victoria das
armas brasileiras e alliadas.
E evidente que, esperando-se a todo o momento
ana grande batalha, resta apenas verificar a sua
dar., se no i ou 4 deste mez, como afrmam as
lollis da provincia do Rio Grande do Sul, se pos-
teriormente ao dia 10, como se deduz das noticias
de Rio da Prata.
Communicara o general Mitre ao general Cal-
dwell, que brevemente esl.iria reunido o exercito
do general Urquiza com 5 a 6,000 homens.
Referem de S. Gabriel, que o barao de Porlo
Alegre partir no dia 6 daquella cidade, com des-
tine ao exercito, que pelas participages all rece-
bas eslava reunido perto de Uruguayana, si-
tiando o inimigo por todos os lados.
De Sant'Anna do Livramento escrevem ao Echo
do Sul :
Agora talo est aclralo sobre o grande
exercito Paraguayo, pois que aim de cartas ano-
nyaias vlndas de Itaquy em que davam urna rela-
cSo total das forgas que nao excediam estas de
S.O00 homens, sendo 5,800 deste lado e 2,100 do
outro lado sobre a barranca do Uruguay, acaba de
ir confirmada esta noticia da seguinte forma.
Qaando os Paraguayos estavam a passar o
Ibtcaby veio do outro laJo um tenente, um sar-
gento e tros soldados todos Paraguayos, cornea-
c para favorecer as passogens dos Paraguayos
para Cite lado do Ibicuhy, porm ou de proposito
ou por descuido desembircaram ura .pouco cima
dos eompanheiros, e to pcompto puzeram p cm
trra, logo foram sorprendidos por urna forca do
Fernandas que de longe Ihes intimaram que se
re^Jessem : o teuente vendo-se perdido disse aos
eompanheiros que nao tinlia outro remedio, enlao
o sargento disse :
' Tenente, se Vm. se entrega eu o mato.
O tenente, porm, nao esperou segunda
ambara, tira do urna pistola, d un tiro no sar-
geat', e o manda para o oulro mundo : nesta mes
ma occasio acabava de cliegar a tal forga do
Fernaades, ficando prisioneiros o lente c os tres
sol Lados, os quaes foram remctlidos para o Cana-
borro.
mais tem de 2,000 de infantaria, quasi nenhuma A presidencia havia dado organisagao ao corpo que a esquadra brasileira passe pelas aguas do seu
artimaa possue, e seus 10,000 cavalleiros nao p- da guarda nacional que daquella provincia deve territorio.
dem esbarrar-se contra as massas de infantaria e destacar, nos termos do decreto n. 3,383 de 21 de
os canhoes inimigos. Janeiro passado.
A passagem de alguns batalhSes dos 15 ou 20 Os commandantes superiores ja1 baviam remol-
que o general Flores tem comsigo, era difficil por tido diversos contingeotes para o dito corpo.
falla de transportes fluviaes, e esse general dispu-1 O corpo deve constar de 490 pragas.
nha-se para acompanhar pela margem direita com. Constava que a forga expedicionaria marchava
seu exercito a retirada que pela esquerda fizessem na melhor ordem para o seu destino,
os Paraguayos. a presidencia bavia tomado as medidas conve-
A sua vez o general Canalarro picara a colum-' nientes para que no lugar denominado Bahus se-
na paraguiya com suas cavallarias. jara convenientemente suppridas as forgas de S.
Nao eia Infallivel o resultado desie plano, por-' Paulo o Minas, quando por alli passarem. i
)ue do exercito do Paran, ou da Candelaria po-' A cmara municipal de Santa Luzia publicara a iaaae ae Uorr"
dem aecudir outras forgas paraguayas, se Ihes de- i seguinte proclamagao : I barbara> lervou que a provocagjo pareca tao
rem lempo ; mas para fortuna dos alliados o Uru- Cidados.-Publcando 0 decreto n. 3,371 de exlraordina'"'a Qie se acreditava que devia Lpez
guay, crescendo, permittio.que entrasse em acgo,' 7 de Janeiro do crreme anno, creando co'rpos do C0Dlar cora a C00Peraa<> e auxilio do chamado par-
uo Uruguay, um novo e importanlissimo elemento voluntarios da patria, chamando as armas todo o lido ederal na RePblica Argentina, mas que sen-
- esquadrilha. cidado brasileiro, em prol da honra nacional vil-'do assim havia dd achar-se engaado. Contina o
No dia 19 conseguio subir o Salto, e nao impos- mente ultrajada pelo despota do Paraguay, nosso Sr"Tllorn,on :
sivel que chegue a terapo de seus servigos serem inimigo, sem pretexto nem motivo, sem lei nem \ Suppunha eu que mal aqui^chegasse o Sr.
roveitados, mesrao na Uruguayana. Nao sendo! humanidade, appd'lei para o vosso patriotismo e Octaviano, ministro hrasileiro, que a convite do
Lord Russel communicou esta declsao aos Srs.
Thoroton e Leltson para sen governo.
Em abril transmittio o Sr. Lettson ao conde Rus-
sell a falla em que o Sr. Octaviano annunciou ao
presidente Flores a sua missSo especial em prova
do que o governo bras leiro nao tem designios am-
biciosos sobre o Prata.
A 24 de abril o Sr. Thornton no correr de urna
longa nota em que descreva a lord Russell o ata-
que do Paraguay centra os vapores argentinos e a
cidade de Corrientes, proeza que qualificou como
assim, e posto que al Raqui podem subir as pe-
quenas canhoneiras, lanchas, etc., ainda seu auxi-
lio pode ser decisivo.
Reconbecendo-o Sr. vice-almirante parti hon-
tem para a Concordia, de onde sem demora subir
para alcangar a esquadrilha.
Anda outra circunstancia pode dar-se, e que
cheguem a lempo as forgas de infantaria, que cons-
ta marchavam do Interior do Rio Grande para o
Uruguay.
Por emquanto nenhuma noticia ha a respeito,
seno a passagem de alguns batalhoes por Baj,
em fias de julho. Devagar iriam elles se a 20 de
agosto ifco estivessem no Uruguay I
Hoje mesmo possivel que sobre esse ponto se
recebara noticias, bem como das operagoes que
com as forgas do grande exercito iniciar o Sr. Mi-
tre, para nao esterillsar o eTeito moral da victoria
de Jatay.
O principal motivo com que se explicava a sua
imraobilidade era esperar pela reuniodas milicias
entre-rianas, nao tanto para contrastar a superio-
ridade de numero, que apresentavam os inimigos,
sommados os ejrcitos do Paran e do Uruguay!
como para tirar da provincia de Ealre-Rios todos
os elementos de discordia, levando-lhe a gente de
a rmas-tomar.
Mas o feito de Jatay (muito mais se fr seguido
da derrota da columna a asquerda do Urug uay)
raudou a siluago.
Quasi esto equilibradas as forgas dos dous ex-
ercitos, mesmo nao contando com as tropas de En
tre-Ittos, e ha evideute superioridade na classe das'
forgas alliadas sobre as do Paraguay.
E', pois, de suppor que o general Mitre se po-
nha breve em marcha, o v levar ao grande exer-
cito invasor do Paran a mesma ligo que o gene
ral Flores deu ao do Uruguay.
Quaes sao, entretanto, as operagoes do exercito
paraguayo ? Ninguem as sabe : avanga, ou retro-
cedem suas columnas em certa rea de terreno e
nada tentram para salvar as forgas do Uruguay,
que deviara saber, ameagadas de infallivel der-
rota I
Mal iniciou o geral Barrios sea commando em
chefe, posto que, em lugar de vir sobre o general
Paunero, e obstar sua reunio com as forgas sabi-
das da Concordia, eulreteve-se em saquear villas
indefezas, comprometiendo a sorte da campanha
no t-rritorio correntino com a estrondosa derrota
de Jatahv.
dedicaglo. I mesmo geverno argentino veio mais depressa do
Como era de esperar, acudi este municipio que tencionava, comeganara logo as negociagoes
ao reclamo da patria ; aos ultrajes e insultos feitos para urna allianga formal com o Brasil sobre a
ao paiz nao ficou indiferente ; 30 bravos alista-! guerra cora o Paraguay ; mas ao principio houve
ram-se voluntarios da patria, correrara s armas e manifest frieza entre o Sr. Octaviano e o governo
ja' se acham na capital da provincia promptos a argentino.
marchar para qualquer parte onde tenhar de pe- Nao posso attribuir islo senao exigencia do
lejar, dispostos a morrer antes que deixar Ilesas primeiro para que ambas as partes deelarassem
as ofTensas fetas. que respeitariam a independencia da Repblica do
Cidados I Nao basta, porm, esse numero, paguay. Tanto o presidente Mitre como o Sr-
elle assaz pequeo em vista do que mlster fa- Elisalde me disseram repetidas vezes que por ago-
zer para desaffrontar urna a urna todas as offensas ra desejavam que o Paraguay se conservasse i a-
feilas ; mais voluntarios, muilos voluntarios da pa- dependente, que nao Ibes conviria annexa-lo, aio-
tria, preciso, indispensavel I da I"6 os Paraguayos qnizessem, mas que Ihes
f E se em 1842, para urna gaerra civil, foram \ rePu8nava entrar a este respeito em qualquer com.
d'aqui 120 cidados em apoio das instituig5es ju- Promisso C0ID Brasil P<>s nao me oceultaram que
radas, hoje que se acha compromeltida a honra na- f ',,Ai,, an-
cional, que os barbaros devastara e assolam o nosso
territorio, pisam o estandarte, cobre-nos de insul
tos, nao possivel que este municipio concorra
para essa guerra, em que temos por nos o direito e
a justiga, em numero inferior.
A's armas, cidados, compre mostrar que
nascestes na trra da Santa Cruz, que sois dignos
Dlhos de Santa Luzia de Goyaz ; correi s armas,
aproveitai a prorogaglo dos prazos do art. 14 do
decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro; ide alistar-vos
voluntarlos da patria em numero que honre as cra-
zas dos nossos raalores, e com a promptido, boa
vootade, e affan a eteroisar os foros e brios deste
municipio.
Eia, cidados, s armas. Que Deus nos pro-
teger, porque ama a justiga ; e com zelo, dedica-
gao e patriotismo, ha vemos vencer. A victoria
nossa. Sim, ide; marchai quanto antes, e ao pi-
sar no Paraguay, ao entrar na Assumpgao entu-
sisticamente bradai:Viva S. M. o Imperador.
Viva nossa santa rellgio.Viva a nago brasilei-
ra.Viva o povo de Santa Luzia de Goyaz.Vi-
vam os voluntarios da patria.
Sala das sessoes da cmara municipal da villa
de Santa Luzia, 1 de julho de 1855.Pedro Paulo
de Araujo.-Fidencio Machado de Araujo.Jos
Elias dos Reis.Braz Pereira de Vasconcellos.-
Manoel Joaquim Moreira e Souza.Moyss Jos da
Silva.Moyss de Souza e Silva.Conferida por
ralm secretario, Antonio Machado de Araujo.
As partes offlciaes da batalha de Jatay, chegan-
do como chegaram ha dois dias, pouco adiantarara
ao i:ue sa sabia desse feito de armas. E' mesrao
sobre-modo incompleta a io geueral Flores, que
alias devla ser mais detalha !a, por t?r sido esse
general quero dirigi directamente as forgas orien-
taos, alm de estarem todas sob suas ordens de
g-meral em chefe.
Noentanto, tem todo a desculpa, por serem essas
psrles riJigidas no propiio dia do combate, e
quaudo tantas oceupacoos pesavara sobre o activo
general. Accresce que elle prometi para mais
devagar outra parte circunstanciada.
Afora do itfler'esse que esse feito d'armas, como
todos os da presente gucr.M, tora para o leitor bra-
sileiro, elle deve sentir o muito especial de saber
a parte que as tropas irapenaes lomaram na bala
llu de Jatay.
i forgas brasileiras que ahi figuravam erara o
5" e 7" batalhoes de linia o um de voluntarios da
I itria, organisado em Montevideo com homens de
div isas nacionalidades, mas engajados e pagos
custa do Imperio, com seu comraandante brasileiro
e enifim sob a tandeira imperial. O commandan-
te, crio have-lo j dilo, o coronel Fidelis Pae
da Silva, do Rio Grande do Sul.
Que este batalho enlrou era combate e foi mes-
mo o que o sustentou na sua maior forga, nao se
contesta, e se se conlestasse o numero de homens
que perdeu, varios ofllciaes e o proprio comman-
dante gravemente feridos, responderan! a todas
as duvidas.
Quanto aos dous batalhoes de linha, lem-se espa-
Ihado e um Jornal de Montevideo chegou a publi-
car que nao tinham chegado a tempo de entrar em
fogo, por ficarem com as tropas argentinas for-
mando a linha principal da batalha.
Por fortuna a parte do general Paunero, ah est
para tirar todas as duvidas; a diviso argentina e
a brigada brasileira vierara a passa de carretraa-
hir em massa sobre o inimigo, que s ento reti-
roa-se em desordem, mas brigando tenazmente,
mesmo depols de erapuxado aos brejos e ao arroio
Jatay.
Fique, pois, devidaraente estabelecido que nossos
dous valentes batalhoes tomaram pane muito prin-
cipal no combale de Jatahy, ostentando ainda urna
vez as tropas brasileiras sua bravura e entusias-
mo. No mais ahi est a proclamagao do general
Flores, como documento histrico, e mais explcita
anda a ola do general Mitre ao seu governo.
Como consequencia infallivel da derrota da co-
lumna paraguaya, que vinba pela margem direita
do Uruguay, a que na margem esquerda calcava o
territorio do Rio Grande, consdera-se perdida.
As ultimas noticias do-a j em retirada da Uru-
guayana, era oirecgoao Ibicuhy, para sem duvia
voltar a S. Borja.
Porm o primeiro cuidado do general Flores, de-
pois da victoria de Jatay, foi combinar com o gene-
ral Canabarro, em conferencia que parece tiveram
as operagoes para que aquella columna nao po-
desse escapar.
Por si s o general Canabarro nao iho pode dar
loatalha. Comquaoto tenha comsigo 10 a 12,000
boraens, e os paraguayos nao excedam muito de
7,000, segando as declarages dos prisioneiros, a
batalha impossivel: general Canabarro pouco I vincial.
De urna ou outra maneira, aqu ou alera, o que
pode dar-se como exacto que a seria de aconte-
cmentos militares nao ser mais interrompida, e que
nao mais se fatigar, forga de esperar, a attengo
do povo brasileiro, por saber o que se adianla.
Acabara de chegar a ultima hora noticias d >
Uruguay, que sao de bastante importancia, e muito
mais promettem.
A columna paraguaya que invade o territorio do
Rio-Grande tinha ch.-gado a sahir da Uruguayana
no dia 19, mas, hostllsada pelo general Canabarro
em o horas do vivssimo fogo, queiraou metade das
suas carretas, e voltou pora aquella villa, onde p
de consderar-se sitiada pelas forgas rio-gran-
denses.
O general Flores, que se mantinha com seu ex-
ercito no Passo dos Livres, islo defronte da Uru-
guayana rio por meio, mandou intimar ao chefe
paraguayo que devia render-se, mas elle ainda nao
dera resposta.
Os Paraguayos conhecendo a oua falsa posigo
parara irresolutos, sem esperancas de repassar o
L ruguay.
Canabarro aperta-os em um circulo de ferro,
cortando-lhes todas as outras retiradas.
Fiores passando o Uruguay, e a esijuadrilha bra-
silera transpon Jo o Solt e ebegando Uruguaya-
na, pem os raiseraveis escravos de Lpez entre
tres fogos forraidaveis, de cujo centro nao podem
escapar.
O dia 17 era marcado para a grande batalha, na
qual ser sobejamente vingada a honra da provin-
cia do Rio-Grande, que esses barbaros pretenderam
em sua insania conquistar.
Esperemos; brevemente chegar-nos-ha a noticia
de mais urna victoria para as nossas armas; no
entanto entoemos um viva aos victoriosos soldados
do combate de 13 de agosto.
A esquadrilha brasileira que subir ao Salto, pas-
sou no dia 20 s 2 horas da tarde pela barra de
Mirinhay, quasi em frente fz do Quarahim, por
tanto nesse mesmo dia deve ter chegado a' Uru-
guayana, pois o Quarahim dista della como 10 le-
guas. O offlcial brasileiro que d essas noticias ao
Sr. Osorio, accrescenta que mais tarde ouvio tiros
de pega em direcgo a Uruguayana.
De ludo isto resulta que infallivelmente a' esta
data a columna paraguaya se tera' rendido ou por
capilalago, ou seria aniquillada, cessando assim
de todo a invaso de nosso territorio.
Nao humanamente possivel que 7,000 homens
resistam a 20,000, superiores em qualidade eapoia-
dos por urna esquadrilha.
Ainda bem : Deus justo com os que nello teem
direito a confiar.
As forgas paraguayas que se acham nesta pro-
vincia, esto reduzidas a maior penuaria, quanio a
almentago, por quanto as forgas de Canabarro
tem-lhes tirado os ltimos recursos; a peste e a
fome os tem dizimado soffrivelmente.
As carretas dos emigrados de S. Borja, erara a
mor parte tocadas por soldados paraguayos, que
desertaran) do exercito que invadi Misses e se
offereceram para servir de pies.
E" o caso de dizer-se, fazer do ladrao fiel.
Conta-nos urna pessoa, que veio de Missoes, que
haviam desertado muilos soldados paraguayos, e
que se espalharam de dous em dous para nao s-
sustarem com seu muito numero as familias, que
emigra vam; apresentando-se solados, e pediodo-
Ihes a proteego.
E' pena que tantos milhares de infelizes nao se
possam descaptivar de seu frreo governo, e que
se vejam impellidos a ter urna morte ingloria, ar-
rastados ao matadouro pela vontade desptica de
seu lyranno.
DM POICO DE TIDO.
Do Jornal do Commercio, da corte, transcreve-
mos o seguinte :
Antes de encerrar-se o parlamento apresentou-
se a ulterior correspondencia sobre as hostilidades
no Rio da Prata.
Esta terceira parte da correspondencia, agora ja
publicada, principia por urna nota do Sr. Barreiro
ao conde Russell, datada de Pars, 26 de abril de
1865, e em que se fazem largas reflexoes sobre o
procedimenlo do governo argentino, permittndo
esquadra brasileira subir o Paran e se pede a in-
tervengao da Inglaterra para impedir o que se pin-
ta cono abnso de navegagao. Diz o homem :
t Como os tratados que definitivamente regem
esta materia sao os de 1853, em que o governo de
S. M. Britannica foi parte contratante, nao se p
de recusar Inglaterra o direito de /azer-se onvir
do Brasil e de um governo argentino que conti-
nuamente est recordando que nao foi elle que as-
signouos tratados fluviaes de 1853,ioipugnados por
Buenos-Ayres e pelo Brasil.
Ha alguma cousa digna da vossa attengo, Sr.
ministro, na contradiegao entre a condescendencia
que o governo argentino tem cora o Brasil e a lei
de 18 de outubro de 1852, pela qual o estado de
Buenos-Ayres prohibi aos navios de guerra a en-
trada do Paran, lei que o plenipotenciario argen-
tino era Londres acaba de reconhecer como em vi-
gor n'uma carta dirigida a urna folha de Pars, de
que tenho a honra de incluir aqui um exemplar.
No intengo do Paraguay buscar em qual-
quer interpretago dos tratados, urna evasiva con-
tra as armas do Brasil; mas nao pode elle conser-
var-so indifferente a douirinas que envolvem na
maior incerteza a sorte da lvre navegagao, que foi
estabelecida por tratados de accordo com ideas a
civilisago e engrandecimento do comraercio e po-
pulago.
E se o governo de S. M. Brilannlca por occa-
sio dos actuaes conflictos no Prata chamou nao
ha muito a attengo do seu almiranlado para me
didas reclamadas pelo estado das cousas a bem da
rigorosa observancia dos mencionados tratados, nao
sera conveniente railord, incluir neste inquertose
a livre navegagao dos affluentes do Prata foi ou
nao estabelecida e interpretada de modo difireme
que se interpreta a do Rheno, Elba, Danubio e ou-
tros ros navegaveis da Europa era tempo de guer-
ra para exercerem urna vigilancia de seguranga a
favor do commercio, importa tambem perroisso
para oceupar cora numerosas esquadras esses rios
interiores, e estabelecer nelles a base do grandes
bloqueios, sera iofracgo da neutralidade dos pai-
zes a que essas aguas pertencem ? E se esses nos
que mais devem ser considerados como exiensos
portos ou aguas territoriaes, do que como mar al-
to, podem ser convertidos em campo de batalha ou
quartel-general de urna terceira potencia bellige-
rante, que talvez nem seja signataria dos tratados
que regulara a liberdade desta navegagao 7 >
A este respeito consultou o conde Russel os ju-
risconsultos da cora ; gastou tres semanas a exa
minar a queslo, e respondeu assim a 15 de mao :
O governo de Sua Magostado de parecer que
o tratado de 10 de julho de 1853, entre Sua Ma-
gestade e a Confederago Argentina, Ihe d o di
reito de insistir na livre navegagao dos rios Paran
e Uruguay, por navios mercantes de todas as na-
ges, mesmo em tempo de guerra, excepto pelo que
toca a munigoes de guerra, como armas de todas
as especies, plvora, chumbo o balas de artilharia;
julga, porm, que nem as clasulas expressas de
qualquer tratado, nem os principios geraes do di-
reito das gentes o aotorisam a Impedir que urna
esquadra brasileira suba o rio Paran para ejer-
cer hostilidades contra o Paraguay, n'uma gaerra
em que Sua Magestade strictamente neutra, ou
fossem quaes fossem actualmente as suas Ideas so
bre este ponto, poderiam mudar com as circuns-
tancias, e o Sr. Elisalde, que tem cerca de 40 an-
nos, dsse-me um dia,.erabora em mera conversa-
go, que esperava chegar ainda ver a Boliva, o
Paraguay, o Uruguay e a Repblica Argentina uni-
das n'uma confederago formarem urna poderosa
repblica na America do Sul. Parece comtudo q ue
a approxiraago do perigo raotfificou as ideas do go-
verno argentino, pois consta-me que esta manha
chegara o presidente Mitre e o Sr. Octaviano a um
accordo confidencial relativamente proposta al-
lianga. Esta larde parti para Montevideo um raen-
sagero que vai convidar o general Flores a vir
a Buenos-Ayres concertar urna trplice allianga, e
creio que sua chegada se lavrarura tratado for-
mal. Esta e outras materias importantes sero
submetlidas ao congresso que se deve abrir a 1 de
maio.
Se mais prova tivesse ainda sido necessario de
que a poltica do governo imperial extremo de
designios territoriaes, aqui a teria fornecido ao go-
verno inglez a sua proprla diplomacia.
Apenas o governo argentino promulgou o seu
decreto de 17 de abril, declarando bloqueados to-
dos os portos do Paraguay, ponderou o Sr. Thorn-
ton ao Sr. Elisalde que este bloqueo nao poda con-
sderar-se existente emquanto os portos nao fossem
guardados por urna forga effectiva. A esta objec
gao respondeu o Sr. Elisalde que o bloqueio torna
ra a ser notificado apenas |uraa forga Isufflciente
se achasse presente para executa lo, e que entre-
tanto, poderiam os navios mercantes ir aos portos
em queslo.
Mal, porra, o Sr. Leal annunciou que a esqua-
dra brasileira passava a bloqueiar efectivamenle
os portos, o Sr. Thornton respondeu a 21 de abril
que linha tomado medidas para fizer constar isto
aos mestres de navios mercantes inglezes. Apro-
veitou-se o Sr.|Thornton tambem da ocasio para um
navio de guerra inglez, a Z>oere/,acompanbar a es-
quadra brasileira, reconhecendo plenamente que
este barco nao teria direito de passar a forga blo-
queladora, e limitando qualquer visita que se Ihe
permittlsse fazer Assumpgao ao tempo mdispen-
savel para quaesquer subditos inglezes alli residen-
tes poderem embarcar.
A 24 de abril escreveu tambem o Sr. Thornton
ao conde Russell que nenhum dos beligerantes fa-
zia tengo de mtervir na livre navegagao dos rios
Paran e Uruguay. Pelo contrario, devendo as
principaes operagoes fazer-se provavelmente as
partes superiores daquelles ros, seria do interesse
delles acorogoar os navios neutros a levar forneci-
menlos de toda a especie.
Transmittindo ao conde Russell urna copia da
declaragao de guerra feila por Lpez ao governo
argenlino. o Sr. Thornton a 6 de maio observou re-
lativamente s razoes invocadas:
A respeito do primeiro argumento creio que
poucos negaro que tinha esta Repblica direito
perfeito de recusar passagem pelo seu territorio
anto aosBrasileiros como aos Paraguayos.
O governo argentino recusou sempre reconhe-
cer o direito do Paraguay ao territorio das Missoes
mas, nao obstante isto, nenliumas medidas activas
tomou para impedir a constante passagem daquelle
territorio por elle.
Q tanto ao alistamento de gente em Buenos-
Ayres para o servigo do Brasil contra o Paraguay,
s posso dizer que nunca me foi possivel descobrir
cousa alguma desta natureza.
Nao existe neste paiz imprensa propriamente
offlcial.
< Esta diviso passon a ilba de Martin Garca a
12 de abril, subindo o Paran, e at esta data nao
ha noticia della se approximar da cidade de Cor-
r entes. >
Nestes papis nao se encontra prova alguma de
haver o Sr. Barreiro tldo communicaces com o
conde Russell quando esteve em Londres. Mas a
10 de junho dirigi elle de Pars ao nosso ministro
de estrangoiros urna nota em que dizia :
As imputages feitas pelo governo argentino
ao Paraguayo arguindo-o de nao ter respeitado os
usos e os tratados, come gando a guerra sem decla-
ragao previa, e a circurnstancia de nao haver eu
mesmo recebido da Assumpgao as minhas commu-
ncages offlciaes, levarame a presumir que o go-
verno de V. Exc. estar na mesma persuasao o que
me obriga a dirigir-me a V. Exc. pedindo-lbe se
digne suspender a este respeito todo o juizo por es-
tas coosideragoes naturaes.
E passou a justificar extensamente o sea go-
verno.
A esta commnnicagao respondeu lord Russell
seccamente :
i Sr. ministro, tenho a honra de declarar recebi-
da a vossa nota de 10 do corrente sobre a atlitude
do Paraguay no actual conflicto com o Brasil.Sou
etc.Russell.
J se v, pois, desta ulterior correspondencia que
nem o governo inglez, nem os seus representantes
diplomticos no Prata, teem dado o menor acoro-
goaraento ao Paraguay, que as reclamagoes deste
ao nosso governo foram rejeitadas, sem se respon-
der as suas explcagoes, que o Sr. Thornton censu-
roa a poltica paraguay qualificando-acomo barba-
ra, e quo tanto elle como o Sr. Lettson informaran!
muito favoravelmente sobre o carcter moderado e
strictamente abstinente da poltica do Brasil no
Prata.
O rapaz, que nao emende nada de francez, pare-
ceu doudo de contentamente quando nm compa-
triota Ihe deu boa nova, e s disse :
Ma la mia sorella ? (E mioha irma ?)
Tua irma oontlna a vlver na toa compa-
nbia, respondeulhe o improvisado pai de familia
K-&-+~
E' do Sr. J. S. Reg Jnior esta poesa, dedica-
da O..... :
ESCUTA.
I
Escuta to longe... solugo de amores,
Teo paludo vulto nos sonhos me vem
Existo n'um triste deserto sem flores,
Murmuro teu nome nos valles alem...
Quem sabe da vida o voluvel destino ?
Se ainda te posso raeu anjo abracar.
Quem sabe do rumo, ao baixel peregrino,
Vagando sem remos as ondas do mar ?
Quem sabe do lyrio.que murcha esquerldo,
No centro dos valles aos raios do sol ?
Talvez inda erga seu tronco pendido,
A's brisas geladas do loiro arrebol.
As vezes na esteira do co denegrida,
Estrella nenhuma se myra no mar,
Mas abrem-se as nuvens, e a la esquecida,
Na trra que dorme vem terna brilnar.
Assim pode um dia rainh'alraa, que chora,
Aos sopros da quadra de amor reviver I
P'ra nossa existencia raiar outra aurora,
Uo mundo que amava, deixar de descrer.
Mas hoje tao longe de ti, oh querida,
As noites sao tongas de tristes visoes
As flores no prado p'ra mira nao teem vida,
E a vida despio-se tambem de illusoes 1
Mas quero que ainda na ausencia saudosa,
Ue mim nao le esquegas, que sempre te amei
Bem pode a esperanga cumprir-se ditosa,
Gozando, o que louco, as scismas scismei I
II
as horas da tarde, se tu recordares,
Os dias formosos, e as noites de amor...
Ah I deixa teu pranto correr, se chorares,
O pranto mitiga lembrangas de dr I
Eu soffro ; que o tempo nao pode apagar-rae
Aquella, que outr'ora to crente beijei I
!\as raudas vigilias quizera finar rae,
Mas una esperanga me alenta, bem sei I
Esconde teus olhos de prantos banhados,
Do mundo que zomba do amor crominos
Talvez no futuro n'um lago estre itados,
Passemes os dias de enlevoe de gosio I
Quera sabe ? se ainda me adoras, espera I
A vida se volve, e eu amo-te tanto I
Bem pode florir-se gentil primavera,
E os campos da vida trajarem de encanto I
Se a sorle foi triste... zombemos da sorte,
Que importa a saudade ? potica dr !
Os seios se gelara as horas da morte,
Se ainda vivemos... vivamos de amor I
A ausencia que affasta dos meus os teus beijos,
Nao pode apagar-nos os sonhos primeiros,
Vivamos saudosos de loncos desejos,
Vem breve o futuro com dias fagueiros.
III
Tambem nos momentos de amor e da scisma,
Se a la desponta nos seios do mar...
O mundo se veste de fnebre prisma,
t soffro, meu anjo... por tanto te amar I
Mas vem a esperanga tao bella sorrir-se,
Em ti meditando, consolo-me ento I
De risos, de gosos, de enlevos Lrir-se,
Vem breve, esta vida, p'ra mea corago I
Escuta I se ainda me lembras, espera 1...
Se volvem os dias e eu amo-te tanto...
Nao tarda, que veja p'ra nos primavera,
E os campos da vida trajarem de encanto I
O governo pode to pouco sobre ella, que a sua
liberdade degenera muitas vezes em iicenga. Pode
haver esta ou aquella folha cujo e-Jilor esteja em
relages de amisade com os membros do governo,
e escreva de accordo com elles; mas o cerlo que
nunca estes podem estar seguros de que a mes-
ma folba Ihes nao censure com vehemencia os
actos.
Principia com tudo a tornar-se cada vez mais
evidente que o presidente Lpez contaVa cora des-
affeigoes na Repblica Argentina, e jmuca duvida
resta que antes da entrega de Montevideo tinha el-
le boas razoes para acariciar semelhante espe-
ranga.
Hoje, porm, os que ento erara desaffectos
mostram-se dispostos a deixar-se guiar no sentido
que os seus proprios interesses Ihes apontam, e
creio que o general Mitre pode contar com a coope-
rago delles.
A 8 de maio remetteu elle ao conde Russell copia
do discurso que, como decano do corpo diplomti-
co, proferir no jantar dado pelo Sr. Octaviano a 2
de maio.
Respondeulhe lord Russell a 24 de junho que; martre.
approvava a lingaagem naquella occasio empre- Um joven offlcial eslava a tomar um sorvete.
,, _L !qaando um rapaz de uns doze annos, vestido ita-i
Era Idemaio oSr. Thornton mformou lord i.ana, e arranhando borrivelmen.e nma rebeca fo
Russell da conclusao da trplice allianga assignada pedir-lbe esmola. *
no Io do mesmo mez,-mas se mandou coola do tra.1 7*n~.,i___..
lado nao foi incluida nesta correspond i J^l ,71 .2 ,mp0r,Qna5eS' d9,0U-'be
ma mao a um hombro e esmurrou-o; mas que
Lemos no Mercantil, do Rio-Grande do Sul o se-
gura te :
Chegou anle-hontera a esta cidade o Sr. tenente
Felippe Herser, commerciante do municipio de S.
Leopoldo, que veio apresentar a' 5. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia um presente de 40 cavallos,
feito por ura grande numero de individuos mora-
dores as colonias do Bom-Jardim, Caf, Quarenta
e Oilo, Cipivara, S. Miguel, Piedade, e arrabaldes
de S. Leopoldo, Sua Magestade Imperial o Sr. l).
Pedro II.
Esses cavallos foram comprados cora o producto
de urna snbscripge promovida entre aquelles in-
dividuos, sendo de notar que alguns delles, alm
de sua quota para a subscnpgo, deram por sua
parle um cavallo cada um.
Consta-nos mais que, alm destes, ainda vierara
outros reraetlidos pelo Sr. coronel Hildebrand, que
est agenciado na cidade de S. Leopoldo urna sub-
scripgo para esse fim.
Um Inglez mai conhecido em Paris, Sir Edward
K. e um sportman nao menos conhecido, o baro
R., travaram-se de razoes por qu?lquer insignifi-
cancia.
As testemanhas procuram em vo reconcilia-los-
Sendo os dous adversarios muito habis a pistola
e espada, resol verara os padrinhos que se bates-
sem a charuto.
Em urna bandeja estavam dous charutos iguaes.
A sorte indicou o charuto que cada um devia fu-
mar.
Accenderamos.
Um dos charutos eslava carregado; havia de ar-
rebentar e a exploso seria mortal.
Verificou-se a exploso : Sir Edward cabio de
costas. Porm logo se levantou, acercaram-se delle
os padrinhos e o adversario abracou-o.
Senhores, disse urna das t^stemunhas, ambos
deram provas de coragem; o charuto fatal s con-
tinha um bocado de algodao plvora. Vamos jan-
lar.
Recommcndaraos esta especie de duelos.
Sao to inoffensivos como moitos que por ahi te-
mos visto com armas mais perigosas.
i e fi
Havera um mez que se lia o seguinte annuncio
em urna folha iogleza :
Urna viuva ingleza, ainda nova, com suas razoes
para se julgar mais bonita do que fra, senbora das
suas aeges e da sua fortuna, que nao pequea,
deseja passar o vero na Suissa. Atreve se a es-
perar que um cavalleiro, com dotes de espirito e
de boa familia, nao se recusar a acompanha-la.
Nunca amou, porque casou por conveniencias de
familia. Espera que o seu futuro companheiro de
viagem ser to livre como ella, e havendo mutua
conveniencia pode ser que a expedico a Suissa
acabe por um casamento.
O annuncio moveu a cariosidade de um conde
siciano, bello rapaz de 26 annos, que estava a pas-
sar a estago em Londres.
Quiz elle mesmo averiguar se a tal viuva bonita
era urna raulher de boa educago ou urna aventu-
rera, porque, como hornera que conbece bem o
mundo e as suas illuses, a segunda suppsigo pa-
recia-lhe a mais provavel
Comegou por mandar ao escriptorio do peridico
urna carta minio delicada, era que pedia urna en-
trevista a pessoa que tinha as iniciaos M. D.
Dous dias depois, recebeu um bilhete escripto
com urna simplicidade de bom gosto, em que se
Ihe pedia que apparecesse, quando qulzesse, em
urna casa situada em um dos melhores bairros de
Londres.
A assgnatura do bilhete e o bairro indicado j
eram garantas de urna boa posigo social, e o sici-
liano comegou a suspeitar qa> a sua aventura se-
ra mais seria do que pensara.
No dia seguinte apresentou-se na casa indicada,
que estava raobilada suraptuosaraente, e vo-se na
presenga de urna mulher loura, de feiges encan-
tadoras, maneiras francas e ao mesmo tempo dis-
tinctas.
Travou-se a conversago e em poucas palavras
expoz ella ao conde que a sua familia desejava fa-
zer-ihe contrahir segundo casamento de convenien-
cia, que resolver fugir s impertinencias de seas
prenles, e que tinha muita vontade de viajar,
mas que s cora os seus criados, e na sua idade
pouco prazer acharia as viagens.
A respeito do fim possivel da viagem, indicado
no peridico, nao disse urna palavra.
O conde comprehendeu com o seu tacto habi-
tual.
Pouco a pouco prenderam-no os encantos da jo-
ven viuva, e disse elle cora os seus botoes que a
estago em Londres estava a acabar, que era deli-
ciosa aquella distraegao de novo genero, e que por
fim de coolas nao se prenda a nenham compro"
misso por fazer urna viagem com urna mulher do-
nita.
Ha tres semanas que os nossos jovens viajantes
se dirigiram para a Suljsa, acompanhados pelos
seus criados.
Antes de sahir de Lradre3, o siciliano mandou
colher informages a respeito da viuva, e soube que
inha urna reputagao purissima, e urna bella for-
tuna, e que viva anda retirada da sociedade por
causa de tres lutos successivos, o que nao impe-
da que dous pretendentes a mortificassera com
propostas de casamento.
Pela sua parte, tambem a joven Ingleza pedir
nformagoes embaixada italiana, e ficou sjtisfei-
ia com o que Ihe disseram,.
Durante a viagem estabeleceu-se completa syra-
pathia entre os dous viajantes, e ambos acharara
que tinham nascido ura para o outro.
Para concluir diga-se que sao excedentes msi-
cos, e que ha poucos das, entre dous dos de Ros-
sini, a linda ingleza consentio em vir a ser breve-
mente condessa siciliana.
..........\tm i
E' do Sr. Firmioo Candido
poeia :
de Figueiredo esta
-x*s>
Passou-se no dia 15 do corrente urna scena pa-
tbetica em um caf parisiense, no passeio Moot-
Kecebemos cartas e jornaes da capital de Goyaz, a por em duvida o direito do governo brasileiro, a
qoe alcancam a 26 de julho. estabelecer e fazer respeitar nm legitimo bloqueio
Conlinuava funecionando a assembla
Era toda a parte ingleza desta correspondencia
encontram-se aqui e alli reflexSes sobre os vagares
e demoras da esquadra brasileira; por exemplo
n'um nota de 11 de maio diz o Thornton :
t O movimento das forgas navaes brasileiras
extremamente lento, e o Sr. Elisalde disse-me ha
dous dias que lbe constava que o ebefe Gomensoro
commandante da 1* diviso de oito canhoneiras, ia
privado do commando e medido em conselho de
pro-dos portos paraguayos; ac governo argentino guerra por causa da extrema lentido de seus movi-
que compele considerar se deve on nao perm*Ittir j mentos.
admirago nao foi a sua reconhecendo no pequeo
mendigo um rapaz Italiano que o encontrara quasi
mono em um campo, ao p de Solferino, e tivera
forgas para o levar at a sua casa I
No momento em que o offlcial reconhecia o seu
salvador, aproximase um agente da polica para
prender o rapaz, colhido era flagrante delicio de
mendieldade.
Tomo conta deste crianga, disse o offlcial
francez ao agente; desde este momento deixa de
ser um vadio ou um mendigo.
Ai quantas vezes procure fugir-le
Feliz eu era se podesse ento,
Ai qaantas vezes procurei fallar-te
E um bejo ao menos te imprimir na mi
Contar-te tudo, recordar-te ura terapo
Trahir eu proprio raeu segredo a ti,
Desejo inerte d'um mancebo louco
Espr'anga murcha que esolhar-se eu vi.
Sorria vrgem e de teu mego riso,
Minh'alma cheia de illuses senti
Doce veneno que de rubra taca,
Ceg de amores com prazer sorvi.
Olhayas meiga e nesse olbar sublime
De uns olhos negros de fatal poder,
Trazia o brilbo que cegou-me a idea,
Cootinha o fogo que me fez morrer.
Mataste a vida desSe amor oceulto,
Que se alentava nos mysterios sens l
Rasgaste as folhas dessa flor tao pora,
Nascida aos echos dos suspiros teus.
Acabamos de ver um verdadeiro phenomeno.
Sabe que deste lugar Silveira avistse urna par-
te da serra da Manliqueira.
No dia 20 do passado a tarde principlou aqui a
cahir urna chuva fina e que trouxe muito fri, do-
rando at 22.
Quando romperam-se as nuvens e clareen o ar,
vimos o alto da referida serra coberlo de nev, que
durou at o dia 25.
Este fado nunca foi presenciado e de corto nao
est elle em harmona com o bello clima do nosso
paiz.
ERNAMBUCO. TYP. DE M. F. DE F. & FILHO



'
<.
.

}


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2FB4YU3F_P701EK INGEST_TIME 2013-08-28T00:19:28Z PACKAGE AA00011611_10770
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES