Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10769


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ILJ. HOMERO 212
Ur qiarlel pag dentro de 10 das do l,'mez i i .
dem oepo/s dos 1.'ludias do comeroe dentro do qaartel. .
Parte o ctrreia r tres aezes ..".-....,,.,':
|000
61000
750
Par anuo pago dentro de 10 Ais d 1. mez
Parte ao earreia par um aona ,.,.?
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaqulm Marques Ro-
drigues ; Har, os Srs. G"raldo Antonio Alves &
Filhos Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCIUPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Oas; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Rbeiro Gasparinho.
SABBADO 16 DE SETEMBRO DE 1865.
? t
19100
IfOOO
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estag5es da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyaona as segundas e sextas eiras.
Santo Anto, Grvate, Bezerros, Bonito, Caruar,
Allintio, Garanliuns, Buiqne, S. li-nin. Bom
Conselho. Aguas Belfas e Tacaral, as tercas
fe i ras.
Pod'Alho, Nazareth, Umoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguen o e Ex, as qoartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comroercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tercas e lextas s 10 horas.
Primeen vara do civei: tergas e sextas ao meiol
da.
Segunda vara do clvel: quartas e sabbades a 1
hora la tarde.
EPlgMERlDES DO MEZ 1>E SETEMBRO.

5 LnaAeia as 11 h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Quano mng. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La ova as 8 h., 6 m. e 10 s. da t.
28 Quito cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
11. Sefanfe S. Theodora penitente.
12. Terca. S. Macrobio ra.; S. Liborio m.
13. Quarta. S. Aula v.; S. Heronides m:
14. Quiula. S. Materno b.; S. Saluslia v.
15. Sexta. Ss. Nieomedes e Meletino mm.
16. Sabbado. Ss. Cornello e Cypriano mm.
17. Domingo. S. Pedro de Arbues m; S. Justino m
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as I horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Par* o snl at AUjroas a 14 e 30; para o nortt
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernat-
do nos dias 14 dos mozes de Janeiro, marco, maic,
julho, setembro e noverobro.
ASSISNA-SE
no Recife, n livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprierartos Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE emciAL
GOYKRftO O PROYmCl.
Expediente do dia 12 de setembro de 1861.
Olllcio ao marecal de campo commaudaute das
armas.Haja V. Exc de informar sobre o que pedo
no iucluso requenmento o guarda nacional dest-
nalo para o serv 50 da guerra Jos Maria do Nas-
cim^Qto.
ito ao mesmo. -Manda V. Exc eliminar do 1
Datalho de guardas nacionaes destinado ao servigo
da guerra o guarda do 1 batalhao d infantaria
deste municipio, Eluardo Pamphilo de Parias Al-
ttaquerque MaranhSo, aceitando em seu lugar o
"paisano Manoel Jos do Nisciraento, que foi julga-
do apto para isso era iaspeccao de sa le segundo
consta do seu offlcio 11. 1,536, de 11 d> corren-
te. Communicou-se ao commandante superior da
guarda nacional de Recife.
Dito ao mesmo Resumiendo ao offlcio de V.
Exc. n. 1,523, de 9 do corrente, tenh o a decla-
rar-lhe que o guarda do 6o batalhao Felll Jos da
Trindade nao pode continuar a servir no o" corpo
de voluntarios da patria, visto que j -e achava
designada por aquelle batalhao para o servigo da
guerra quando se alistoa no 5o corpo, orno se ve-
rilicou da relagao existente na secretaria da presi-
dencia.
Dito ao mesan.-Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso otfleio o guarda da
alfandega Joao da Costa Reg Lima.
Duo ao mesmo.Qaeira V. Exc. informar sobre
o que pedo o guarda do i* batallio de infantera
dest? municipio, Francisco Jos Gahral no incluso
requerimento.
Dito ao mesmo.-Mande V. Exc. inspeccionar o
guarda do 3 hatalh > de infamara deste munici-
pio Maximiano Jos Ferreira, que se ach 1 n> qaar-
tel do 1" batalhao da mesma arma destinado ao
servigo da guerra.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Ex.;, da informar
sobre o que pede o guarda do 2o hatalho de rafan
taria deste municipio Clementino Jos de Lima, que
se acha recolhidoaoquartel do I" batalhao destina-
do ao servigo da guerra.
Dito ao mesmo. Visto ter .ido considerado inca-
paz do servigo como consta do seu olflcio n. 1,538-
de i I do corrente, o guarda do 7" batalhao de 10,
fantaria Silvestre Gomes da Bocha, autoriso V. Exc.
a mandar elimina-lo do 1 batalhao de guardas
nacionaes destinado ao servigo da guerra.
Dito ae mesmo.Sirva-se V. Exc. de permittir o
uso das insignas de cadete ao voluntario do 3" cor-
po Clarindo Pessoa Cavalcaiite d'Albuquerque, flilio
do <-a.it,o Manoel Ricardo Cavaleante d'Albu-
querque.
uno ao mesmo.Mande V. Exc. a*sentar praca
com destino a um dos corpos de voluntarios exis-
lentes no snl, a Joaquim Lopes da Costa Albuquer-
que, urna vez que seja considerado apto para isso
em inspeegao de st le.
Dito ao mesmo. Passo as mos de V. Exc. o
requerimento que me inderesou o soldado do 3o
corpo de voluntarios da patria, Emigdio de Assis
Campo Cosdem, para f,ue se serva de attender a
sua prelencao como lr direito.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no 5o corpo de voluntarios da patria a Jos
da Hora, Januario Barres dos Santos, Quintino
Lucillo Estrophiano e Peironio Nstor de Souza I
Magalhaes.
Dito aoconselheiro presiden!: da relagao.Quei-
ra V. Exc. interpr o seu parecer sobre a materia
do incluso oflicio do juiz municipal do termo de
Barreiros datado de 30 de agosto prximo
lindo.
Dito ao Dr. ehefe de polica.Hecebi o mappa
das prisoes decretadas pelas autoridades policiaes
no mez de margo, que veto junio ao seu olflcio
11. 1,311, de 3 do oriente, e recommendo a V. S.
que me enve os do-* metes antei iores e posteriores
para cumprimentode aviso.- circulares do ministe-
rio da justiga de 2 de Janeiro e 17 de abril deste
anno.
Dito ao inspector da thesouraria de fazen-
da Transmillo a V. S. para o lim conveniente, a
folha e pret junto em duplicata, que remellen o
commandinte superior deste municipio com oflicio
de lionteui sub n. 308, tirando vencimenios, relati-
vos ao mez de agosto ultimo, para os offlciaes de 1*
linha, cornetas, clarins e tambores, erapregados
nos corpos da guarda nacional desta capitalCom
rnunicou-se ao commaodaote superior da guarda
nacional do Recife.
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu-
mentos, que me reinetteu o director das obras
militares com ofDcios de 6 do correte, sob ns. 48
e 49, e nao havendo inconveniente, mande pagar a
Pedro Lino Pereira, a quautia de I658OO, prove-
niente dos conccrtjs urgentes por elle felos na
porta da prisao da forteleza do Bi um e na casa da
residencia do respectivo commandanteebem assim
a Pedro Ignacio Baptista a de 49J700, tambem
proveniente de concertos execulados com urgencia,
no telhado do quartel do commando do forte do
Buraco, e de outros reparos, como se v dos prc-
ditos documentosCommunicou-se ao director das
Obras militares.
Dito ;ao mesmo. Nao havendo inconveniente
manue V. S. pagar a Affons do Reg B iros os
vencimenlos a que se Julga com direito, relativos
ao m /. de agosto ultimo, e correspondentes ao lu-
gar de guaraa-mor da alian lega desta capital, se-
gundo conta do incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que d
as providencias necessarias para seren pagos de 1
seus vencimentos em os devidos lempos pelas col-
lectoras dos respectivos municipios os guardas
naciouaes que se achain destacados na fortaleza d
itamarac e no forte de Pao Amarello.
Dito ao mesmo.Ao sargento Henrique da Silva |
Ferreira Rabello Filho, ou ao seu procurador man-1
de V. S. pagar a quanfia de 29J640 despendida |
desde de margo 1 30 de junho ltimos com o for-
necimento de agua e luz para o quartel do desta-
camento de guardas nacionaes existente na villa do
Limo"iro, urna vez que estejam em termos os in-
clusos documenioo, que para esse flm acompanha-
ram ao oflicio do chefe de polica datado de hon-
tem e sob n. 1345.
Dito ao mesmo.Attendend 1 ao que no incluso
reqnerimento expox o soldado reformado do exer-
cito Miguel Luiz da Puriflcagao recommendo a
V. S que mande pagar soh mioha responsabilidadc
visto nao se haver anda volido crdito para esse
fim, a pensao na razo de 490 res diarios, que loe
oi concedida por decreto de 21 de junho ultimo,
em consequencia de ter perdido o braco direito
p ir occasio da salva que se deu no dia 2 de ju-
mo do anno prximo passado.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Estando em termos o pret junio em dupncata, a
que se refere o offlcio do com mandante superior
desta capital n. 296 de 4 do crreme; mande V. S.
pagar es vencimentos relativos a 2* quiozenado
mez de agosto ultimo, das pragas do 8 batalhao
de infantaria da guarda nacional de.-te municipio
que se achara destacadas em Santo Amaro de Ja-
boato.
Dito ao mesmo. Constando do olflcio do chefe
da repartigo das otras publicas datado de hon-
tem e sob n. 295 que o arrematante da ponte de
ferro de Motorolomb apresentara coohecimento
de haver embarcado na Europa toda a ferragem
correspondente aquella ponte ; assim o commu
nico a V. S. para seu conhecimemo, e aflra de que
em vista do competente certificado mande pagar
ao predito arrematante a prestagio a que elle
temdireitode conformidade com a 3'condigodoi Dita.O presidente da provincia em vista do
seu conlrato.Communicou-se ao chefe da repar- que ponderou o desembargador provedor da Santi
tigo das obras publicas.
Dito ao mesmo. De conformidad* com oque
solicitou o commandante superior interino da co-
marca do Bonito om offlcio do Io do corrente re-
commendo a V. S. que mande pagar ao 2 sargen-
to Jos Victoriano de Vasconcelos Pereira, ou ao
seu procurador^ no caso de estar em termos o
pret junto em duplcala, os vencimentos relativos
ao mez de agosto ultimo, do destacamento de
guardas nacionaes existentes naquella villa.
Cominunicou-so ao commandante superior da
guarda nacional do Bonito.
Casa de Misericordia em offlcio n. 338 de 28 de
agosto uitimo, resol ve demittir a Miguel Joaquim
Barbosa Fonseca de Carvalho do lugar de pedagogo
do colleglo dos orphaos, e nomeia para o referido
lugar a Francisco Jos Pereira Cavalcanti, escrip-
turario aposentado da thesouraria provincial do
Rio Grande do Norte.Fizeram-se as necessarias
commumeagoes.
Dita.O presidente da provincia tendo em vista
oque informou o tenente-coronel coa mandante
do corpo de polica em offlcio n. 816, de 9 do cor
rente, acerca do requerimento do capitao do mes-
Dito ao mesmo. Estando em termos os inclusos i mo corpo Jos Pereira Teixeira, que em inspec
prels em duplicata que vieram annexos ao offlcio gao de sade foi considerado inhabilitado para con-
do couimindanie superior de Oiinda e Iguar*ss, | tinuar a servir, resolve aposenta-lo com os venci-
datado de 28 de agosto ultimo, mande V. S. pagar! mentos que Ihe competirera pelo lempo de servigo
de conformidad* coa as ordens j expedidas os i que ha prestado no referido corpo, nos termos do
vencimentos relalives a primeira qulnzena daquel- art. 2o da le provincial n. 276 de 7 de abril de
le mez dos destacamentos de guardas nacionaes 1851, combinado com o art. 3 da de n. 436 de 26
existentes naquelles municipios. Communcou-se 1 de mato de 1858.Fizeram-se as necessarias com-
ao commandante superior da Olmda e Iguarass. | municagdes.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas erdens i Dita.-O Sr. gerente da campanhia Pernambu-
para que, conforme solicitou o chefe(de polica em cana mande dar urna passagem de estado a r at
olflcio de 6 do corrente, sob n. 1312, seja paga a Aracaju', no vapor Parahyba, aoesludante Joaquim
Luiz Gomes Dourado se nao hotiver inconveniente I Jos de Oliveira Mesquita.
a quanlia de 30J10O0 proveniente do alugoel, ven- j 13 -
coj nos mezas de aDnl ejunh desie anno, da 1 Offlcio ao Exm. presidente da provincia Ja Para-
casa que serve de cadeia na villa de Agua Preta n>'ba. -Com offlcio de 9 do corrente soh n. 6,55
como se v no incluso documento. Communicou-
se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Recife.Expega V. S. as suas ordens
recebi um outro dirigido por V. Exc. ao Exm. Sr.
ministro da jusliga. o qual nao seguio a seu desti-
no no vapor francez como V. Exc. desejava por ter
sido recebido depois de haver aquelle vapor passa-
Manoel Vicente da Silva.Informe o Sr. com-
I mandante do corpo de polica.
Maria Francisca dos Marlirios.Informe o Sr.
I commandante superior da guarda nacional domn-
; nicipio do Recife.
Miguel Tolentino Pires Falco.Informe o Sr.
I Dr. chefe de polica.
Manoel Antonio Gongalves.-Informe o Sr. Dr.
i chefe de polica.
Manoel Antonio de Mello.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Maximiano Jos Ferreira. Apresente-se no
quartel general do commando das armas para ser
Inspeccionado.
Manoel Vaz Panlaleaode Oliveira.Proveo sup-
plicantoo direito que tem ao que allega.
Manoel Jos de Mello,Em'vista da tofermacao
nao tem lugar o que requer o supplicanle.
Maria Francisca da Conceigo.Informe o Sr.
commandante do corpo de polica.
Papirio Alfonso Vianna. Informe o Sr. com-
mandante do corpo de polica.
Pedro Ferreira dos Sanios.Dirija-se a thesou-
: raria de fazenda.
Severino llamos de Queiroz.Informe o Sr.
commandante do corpo de polica.
Trajano Bezerra dos Santos. Informe o Sr.
commandante do corpo de polica.
Umbelina Maria da Faz.Informe o Sr. tenen-
i te-coronel commandante do corpo de polica.
dida em dnas plateas com largas coxlas e sem do-1 Os empresarios da mina de S>. Domingos, alera
nradigas. O palco Oca sufflcientemenle largo e | da collecco de amostras dos prodoetos da mina,
rancio para nelle se representaren! toda a sorte mandam quadros-eom vistas das diferentes offlei-
ae comedias e operetas cmicas, e com capacidad* as daqnelle vasto eitabelecimento, e do porto de
para se Ihe poderem armar dois sa!5es. Os cama- Romarao.
nns dos artistas offerecem grandes commodidades.' O Sr. infante D: Sebastio, diona-se tambem
u foyer (casa para palestra denominada nos nossos mandar dous pintados a oleo por sua alteza
.n ',?. K SodrK 0c;i esP?C0S0- A ** 9- M- cl-rei permittio que fosse exposta, no pa
soffreu tambem conveniente reforma. A sala fr lacio de crystal, a machina de deboThar da real
muito arejada, tendo ventiladores que a farte. A
campanhia est em grande parte escrpurada, con-
r-nJo-se enlre ella a actriz Carlota Velloso, e o
actor Alves, o actor Joaquim Bento, Emilia Eduar-
do, Sotter. ele.
A cmara municipal do Porlo, resolveu con
Dito ao mare hal commandante das armas.
Mande V. Exc. eli uinar do Io batalhao de infanta-
ra destnalo ao servigo da guerra o guarda do
batalhao n. 41 do infamara do municipio de po-
para que um dos tataibaes da guarda nacional do i Jd Para o sul: entretanto eu o farei seguir na pri
seu commando snperior preste una guarda de meira opporlunidade.
honra para tornar mais solemne a festa de S. Fran-
cisco das Chagas, a qual tora lugar domingo pro-
xiuio vindouro na igreja dos religiosos francisca-
DOS desta cidade.
Dito ao mesmo.Commanicando me o comman- Je? Francisco Marques de Salles, que foi conside-
dante das armas em offlcio n. 1,538 de 11 do cor- do incapaz do servigo em inspecgo de sade.
rente, que foi considerado incapaz do servigo em Dito ao memo.-Mande V. Exc. alistar no 3o cor-
inspecgo de saude o guarda do 7 batalhao de in- j P de voluotarios da patria o cldado Joao Leite de
fantaria, Silvestre Gimes da Rocha, destinado para i Bittencourt Sampaio, que se offereceu para tomar
o servigo da guerra ; assim o declaro a V. S. para I Prie na luta em que se acha o Imperio com a re-
que mande apresentar com urgencia outro guarda publica do Paraguay.
em subslituigo aquelle que tem de ser iluminado Dilo ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de informar
do Io batalhao destacado. ; S0Dre I"8 pede o soldado do corpo de polica
Dito ao coronel Tiburlno Pinto de Altneida. Custodio Jos da Silva no requerimento que aqu
Respondendo ao offlcio de V. S. de hontem datado, junio coberlo cora o offlcio do cjmmandante do
teuho a declarar que aceito os servigos numanita-: mesmo corpo de 12 do corrente.
ros que D. Mariana Amalia do Reg 'Jarreto, se Dito ao inspector da thesouraria provincial.A
olferece a prestar na guerra contra o Paraguay, e, Joao Carlos Augusto da Silva mande V. S. pagar,
louvo muito a sua patritica resolugao. se n:i" houver inconveniente, a quantia de......
E quanto a seus irraos os cidados Sidronio 2:1955671 despendida cora a alimentago e dietas
Joaquim do Rgo Brrelo. Jo > Francisco do Wego dos presos pobres da casa de detengo durante o
Brrelo e l'edro Joaquim do Reg Brrelo, pode V.; mei de agosto ultimo, como se v dos inclusos do-
S. alistados como voluntarios da patria na compa- comentos, que para este flm vieram annexos ao of-
nhia que ahi est organisando. Iic, do chefe de polica, datado de 24 daquelle mez
Dito ao director do arsenal de guerra.Concedo e sob -1.331.
' a autorisago que V. S. solicitou em seu offlcio n. Dito ao mesmo.-Deferindo o requerimento do
400 de II do corrente, para mandar fornecer al-: professor rem vido da cadeira de instruegao pri-
guus dosobjectos pedidos pelos corpos ns. 3 e o de mana de Ipojuca para a da Capunga Belarraino
; de voluotarios da patria, tirndoos dos que exis- Guedis Alcoforado, autoriso V. S. nos termos de
; tem no quartel do deposito e pertenceram aos cor-' sua informagao de o do corrente sob n. 345, a man-
pos que embarcaram para corte. dar abonar ao supplicanle, de conformidade com os
Dito ao commandante do corpo de polica.D arligos I e 2 da lei n. 623 de 16 de maio deste an-
I V. S. baixa ao soldado do corpo >>h seu comman- n. vencimentos iguaes aos demais professores des-
DE
do, Tilo Angosto de Albaqoerq-ie Portocarreiro,
que se acha impossibilitado de coutinuar no servi-
go, segundo consta da sua informagao n. 768 de 23
de agosto ultimo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar no corpo
sob seu commando, os paisanos constantes da rela-
go junta, visto que segundo os seus ollcio* ns.
820, 825, 829 e 834, foram julgados aptos para isso em inspecgo de sade
la capila
Dilo ao commandante superior da guarda naci
nal de Guianca.Dos guardas nacionaes que V. S.
ltimamente remetleu para esta capital com desti-
no ao servigo da guerra, mandei por em liberdade
nesta data os quatro mencionados na relago junta
por lerem sido julgados incapazes desse servigo
O que declaro a V. S. para seu conhecimenlo e
atim de que remella com urgeucia outros guardas
em subslituigo a'quelles.
Por esla occasio cabe-me recommendar-lhe que |
de urna vez faca por-se termo as designagoes abu-
sivas de guardas imposibilitados de servir como a
dos quairo a que ailudo. cujas enfermidades sao;
patentes, segundo live oceasio de presenciar, pois I
que de semelhantes abusos s resultam vexames,'
I despezas e perda de lempo que nao podera ser to-
leradas.
O decreto n. 3,506 de 4 de agosto ultimo, habi-
lita a esse commando superior para corrigir essas
falta* que alia's nao devo suppr que sejam prati-
canas cora o conhecimento dos dignos cemmandan-
tes dos corpos da guarda nacional sob seu com-
mando superior; cumpre pois que V. S. providen-
cie convenientemente a tal respeilo.
1 Expediente do secretario do gorerno do dia 13 de
setembro de 186o.
Offlcio ao Dr. Silvlno Cavalcanti de Albuquer-
que.S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. S. que pelo seu offlcio de 9 do cor- \
j rente ficou inieirado de haver V. S. reassomido
naquella data o exercicio do carzo de director ge
ral da instruegao publica.
Despachos dos dias 12 e 13 de setembro de 1865.
lie Antonio Jos Bezerra.Informe o Sr. director do
arsenal de guerra.
Adriano Jos dos Santos.Informo o Sr. com-
mandante do corpo de polica.
Tenente-cor mel Alejandre Magno Peixoto de
i Alencar.-Fica expedida a conveniente ordem pa-
ra ser passado o titulo de habililaco do supplican-
le logo que o for requerido.
Autonio Jos R ilrigues Pmheiro.O pagamento
que o supphcante requer deve s-r feito pela the-
souraria da provincia do Cear, a cujo corpo poli-
cial pertence o soldado de que se trata.
Beato Jos Beroardes.Nao ha vaga.
Dervino Jos da Cmara. Passe portara conce-
dendo 30 das de licenga com vencimentos.
2o lente Francisco Gomes de Oliveira Sobri-
1 nho.Depois de aquartellado apresente-se no qnar-
[ tel general do commando das armas para ser ins
1 pecciinaeo.
Fanstina Mara da Conceigo.Informe o Sr.
Dr. chefe de policia.
Francisco Antonio Pontual Jnior.Informe o
Sr. commandaute superior da guarda nacional do
Recife.
Flix Bibeiro de Luna.Informe o Sr. comman-
lolho ultimo, a que1 aliado o meu ?MOde de daQ|(. do de ,. mandando inspeccionar
agosto 1 roximo lindo, sobre o reo Landido Bezerra |0 0 SUp|cante r
de Salles, de que trata o documento junto ao offl- Franc5l.a Maria' da Conceigao.-Informe o Sr.
co desse juizo de II do corrente, faz-se necessano | COmmandante do corpo de policia.
que Vmc. ministre sua informagao, inslru.ndoa Prancigc0 Jos de Sant'Anna.-Em vista da in-
de conformidade com o decreto n. 2,o66, de 28 de frmaao Jo Sr_ commandante do corpo de policia
margo de 1860, e com o aviso circular de 28 de nu tem lugar o que requer o supplicanle, que ain-
junho do corrente anno, a que, ailudo o offlcio da se acna a dever ai) ,n_srao corpo
desta presidencia de 17 de julho. I Horacio Peres Galvao.-Indeferido.
Dito ao superintendente da estrada d ferro.O He|ena JoaquDa do Sacramento.
Sr. superintendente da estrada de ferro raga trans-; innoceDC0 Pedro Francsco.-Informe o Sr. Dr.
portar al a eslagao de Una o sargento da guarda cnefa de cia
i nacional Francisco de Oliveira e Silva e bem as-, Joaauin ^^ de SaofAnna.-Informe o Sr. Dr.
sim a 9 pragas que vieram escoltando 34 recrulas cnef|J dfl po|jCi^
remettidos pelo delegado de Garanliuns. Jo3 RJcardo ja Lima.Informe o Sr. comman-
Dito ao gerente da companhia Pemambncana dante do corpo de polica.
i Pode Vmc. fazer seguir para os portos do sul at Joao Baplista do Amaral.-Intorme o Sr.
Aracaj, o vapor Paragyba, no dia 14 do corren- pector da ihesourana provincial
le hora indicada em seu offlcio de II deste mez. Joao Evangelista da Silva.-Informe o Sr. desem-
patara -O presidente da provincia attendendo bargador provetor da Santa Casa de Misericordia.
1 ao oae requereu Mathias de Albuquerque Mello: Joao Jos dos Prazeres.-lodeferido.
Jnior tabello de uotas e escrivio do termo da: Capitao Jos Pereira Teixeira.-Passe portara
Escada, comarca de Santo Antao, resolve conce-: aposentando o supplicanle de conformidade coro
der-lhe 6 raezes de liceoga para tratar de sua a'"'.', L.
saiide Cap,Kao Jos Caetano de Albuquerque.-Como
DitaO presidente da provincia resolve autori- requer
em inspeecao de saule
Relago a que se refere o offlcio supra :
Amaro Alfonso Chilques de Oliveira.
Manoel Pereira da Silva.
Theodoro Gomes da Silva.
Manoel Amonio Wanderley,
Manoel Agostinho Pereira dos Santos.
Florentino Lopes da Silva.
Manoel Joaquim da Silva.
Jos Ferreira da Silva.
Manoel Antonio da Silva.
Antonto Peres de Gouva.
Francisco Jos da Luz.
Joao Jos Correa.
Paulo Antonio dos Santos.
Paulo Jos Simoes.
Jos Fidelis de Monra.
Jos It.iiiuo da Silva.
Jos Francisco dos Santos.
Jo* Deierra de Mello.
Manoel Joaquim Sampaio.
Jos Alexaodre da Silva.
Jos Francisco de Oliveira.
Lourengo Jos Correa.
Antonio Jos da Silva.
Jos Rodrigues do Nascimento.
Jos Pereira Lima.
Manoel Leonardo da Silva Rosa.
Joao Barbosa de Araujo.
Jos Joaquim do Monte.
Antonio Cardse Guedes.
Sireno Jos do Reg.
Dito ao commandante do batalhao n. 11 de infan-
taria da guarda nacional do municipio de Iguaras-
s.Em solugo ao seu offlcio de 10 do corrente,
tenho a declarar-lhe que nao pode V. S. marcar
aos offlciaes ltimamente nomeados para o bata-
lhao sob seu commando praso menor do que o li-
jado no art. 77 do decreto n. 722 de 25 de outu-
bro de 1850, para apresentarem as respectivas pa-
tentes.
Dilo ao chefe da repartigo das obras publicas.
Concedo a autorisego que Vmc. solicitou em of-
flcio de 25 de agosto ultimo, sob n. 274, para des-
pender at a quantia de 1005 cora os estudos de
nlfellameoto necessarios ao ore tinento das obras
precisas para a conclusao do eocanamento d'agua
para a cidade de Olinda.
Desta maneira respondo ao seu citado offlcio.
Communicou-s ao inspector da thesouraria pro-
vincial.
Dito ao juiz de direito da 1 vara.-Para poder
cumprir o aviso do ministerio da justiga de 28 de
-0%s:il\0 DO HIMPADO
PGRX11BUCO.
SEDE VACASTE.
NOVAS DISPENSAS MATMMONIAES.
Chegaram hontem do Bio de Janeiro as petiges
de dispensas do 1" grao igual da linha lateral, e
2o grao attingenle ao Io de consanguinidade cons-
tantes da lista abaixo publicada, e cuja concesso
foi autorisada pelo Exm. e Rvm. Sr. internuncio
apo.-tolico era data de 4 do corrente. Podem pois
ser procuradas em Olinda na secretaria do bispado,
e no Recife, em casa do Illm. Sr. cooego da ca-
pella imperial Francisco Jos Tavares da Gama,
ra da Cruz n. 56.
Olinda, 14 de setembro de 1865.
^ C mego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
Lisia das petiroes.
Jos Joaquim de Souza e Florencia Maria de
Jess.
Antonio Firmino da Costa e Maria Francisca de
Jess.
Manoel Antunes Campello e Jovita Aninnes Cr-
rela.
: Vicente Barbosa e Anna Rita da Pnrlficacao.
I Joaquim Carlos de Mello e Semeana Vieira dos
I Santos.
: Antonto Cavalcanti de Albuquerque e Maria Xa-
vier de Moraes.
; Flix Jos Bezerra e Mana Thereza da Con-
ceigo.
: Belino Jos da Silva e Maria Pastora.
Agostinho Lourengo Dias e Deltina Mara
Jess.
Jo.io Gongalves da Silva e Mara Clara da Encar-
nago.
Joao Francisco de Souza e Jose.iba Maria da Con-
ceigo.
Vieram mais as segundes petiroes concedidas na
mesma data.
; Manoel Antonio Gongalves e Isabel Maria da Con-
ceigo.
Francisco Alves de Souza e Antonia Maria de
Jess.
Joaquim Rodrigues de Mello e Putronilla Mara da
Penha.
Placido Pereira de Andrade e Antonio Gomes de
Aodrade.
Protasio Jos de Hollanda Cavalcanti e Thereza
Maria de Jess.
tapada da Ajuda.
OSr. Jeronymo Felippe Simoes tem mostrado
a rara habilidade que possue na fabrteaeao de flo-
res de cera. As suas flores imiiam perfeilamente o
natural, illudindo o mais experiente. Este seohor
vai apresentar na exposisao internacional ous
ccaer ao palacio de crystal, durante o teropo da magnficos arbustos ; sao urna japonelra e urea la-
> exposigao, dous anneis d'agua, com a clausula de rangeira. Apresentara a camelia e a Urania era to-
poaer ser retirada a que for precisa para preen- das a suas phases, sendo para assim dizer a Wo-
cner a ralla sensivel, que haja della. Neste caso, graphia da formosa flor e do precioso fructo,
quando se sinta ossa Taita, dar-se-ha s uro annel No ofeiflM p se eocontraro a rosa ainda em bo-
ae oa, correndo os dois de noite. to, a rosa em toda a sua florescencia, a rosa de-
i DSU ',ue ROVerno mandou j proceder ao cahindo, a rosa na decrepitude, a rosa j desfoKia-
estudo de urna estrada que deve ligar a villa da da e moru. O mesmo era quanto Urangeira, l
feracom a cidade de Penaflel, comegando pela esto a laraoja verde e madura,
seccao entre a Fera e Carvoeiro. Apezar da crise horrivel porque Borobaim es-
lamnem consta que o governo approvou j a t passando, nem por isto os habitantes e as auto-
ponte do lango da estrada de Vizeu a Celorico, ridades deixam de procurar ludo quanto possa en>
comprehendido entre Vizeu e a Pevoa de Sobri- belleza-la e loe-la mais aprazivel.
lamkSS'm desde J aulorisada a quanlia de Por um grande esforgo de vontade acha-se Bom-
liJOOfOJ. baim Iluminada a gaz, cuitando 7" rupias (3,360
Mandou tambem estudar urna variante, com re- fortes) cada mil ps cbicos.
lacio primeira parle. O estado sanitario da nossa India era em geral
Acha-se entre nos o Sr. Hayne, um dos plan- regular, menos em Bardez, onde tem apparecido
tadores de cafe de Goa, o qual de sociedade com com grande torga a elephantiasis, e progride suc-
os Srs. Scolt arrendaram urna parle das monta- cessivaraente.
nhas de Satary. o socego era inalteravel e o estado finaocero
hstes cavaiheiros dirigram urna carta ao Sr. pouco prospero,
conde de Torres Novas annunciando-lhe a cons- Por noticias chegadas a 22 do corrente de
truegao da primeira igreja naquellas montanhas, a Londres, consta que no dia 6 de junho sahira de
qual pozeram o nome de igreja de Torres Novas, Loanda a corveta Goa, gastando 29 dias a False
pedindo a S. Exc. se dignasse aceitar o patronato B _\ e chegaudo a Siraon'sbay no dia 7 de junho.
da mesma. ,A corveta devia partir para Timor no dia 18 de
As noticias da Ilha Madeira do a noticia do julho.
fallecimento all, do -r. conde Carlos de Lamberl, Chegou do Brasil no paquete transatlantioo,
general russiano, ajudante de campo de Sua Ma
gestade o Imperador da Russia, membro do con
selho do imperio e antigo vice-rei da Polonia.
O general succurablo a um padecimento
peito.
o Sr. Fausto de Queiroz Guedes, Io addido a lega-
gao de Portugal no Rio de Janeiro e deputado s
i cortes,
do I Falla-se era que o governo vai mandar pro-
ceder a um aterro na praia da Junqueira, onde o
de
Aggrava-se de da para dia a doenga do vis-1 rio chega quasi alameda que erla aquella praia.
conde da Luz. S. Exc. foi no da 25 do corrente i E' provavel que a obra se leve a effeito e ser um
recolhido no hospital de Rilhafolhes porque as fu-! bom servigo prestado aos melhoramenlos da ci-
as de que acommetlido vo sendo mais fre- dade.
quemes. Em maio deste anno a junta de fazenda da
O par do reino Costa lbo foi judicialmente jul- India portugueza pagou o premio estipulado pela
gado Incapaz de gerir a sua pessoa e bens por en- i raorte de quatro tigres reaes que intestavara a pro-
fermidade. Seu filho foi nomeado administrador \ vincia de Satary.
da sua casa. As noticias de Cabo Verde alcangam al 18 de
Eutrou a corveta Saorf. Tendo sahidode i julho, e conlinuam a ser desfavoraveis ao estado
Lisboa no dia 10 chegou a Gibraltar no dia 12, sanitario daquella ilhas.
com 39 horas de viagem. No dia 13 e 14 andou No mez de julho era multo grande o numero de
cruzando no estreito e no dia 14 pel manna, doentes que enchiam o hospital, as enfermaras,
voltou ao porto. All foi a falla da corveta o nosso os barracoes annexos, e o antigo hospital militar,
cnsul era Gibraltar, que declarou que naquella tinha causado augmento consideravel na mortali-
praca nao havia cholera e que o estado sanitario dade. Eram 334 doentes.
era excellente. flus ilhas de sotavento tornava se sensivel a
A corveta levantou ferro no mesmo dia ao anoi-' grande falla de raantiroentos que havia.
tecer, e no dia seguinte eslava a vista da barra do A alfandega de S. Thiago tinha rendido no pr-
Tej. i meiro semestre deste anno 9:847^230, e at julho
O conselheiro Antonio Jos Duarte Nazareth
sahio de Lisboa ahm de ir inspeccionar as alfande-,
gas da raa, comprehendidas dentro do districto a
ins-
sar o cidadao Candido Eustaquio Cesar de Mello
a promover p alistmento de voluntarios da patria,
e recommenda a todas as autoridades poltcfaes a
quem esta for apresentada, que o auxilien) no des-
empenho dessa comraissao.
Joaquim Francisco da Silva.Sendo o suppli-
canle arada solteiro quando foi designado nao Ihe
pode aproveiUr a isengo que allega.
Luii Jos Correa.Informe o Sr. r. cete, de
policia.
EXTERIOR.
COHRESPOftDElfIAS DO J.l-
BIO VE PEH.inill'C
LISBOA.
ASra. D. Joaquina Augusta Vieira de Magalhaes,
filha da Sr.a viscoudessa d'Alpendurada, foi agra-
ciada com o titulo que linha sua mi.
O Sr. Luiz Pinto Soveral, nosso ministro em Ma-
drid, conta fura agraciado com o titulo de visconde
e o visconde de F ruos d'Algodres elevado a conde
do mesmo titulo.
Diz-se que o conde de Lavradio nosso ministro
em Londres ser elevado a duque do mesmo lit-
lo. Este diplmala deve chegar amanhaa a Lisboa.
O Sr. Jos Correa Godioho da Costa foi agracia-
do com o titulo de visconde de Correia Godinho.
O general Carlos Mara da Cunha, ajudante de
ordens de el rei, foi nomeado commendador da
ordem da Torre de Espada.
Consta que o conselheiro de estado Joaquim An-
tonio d'Aguiar foi agraciado com a gr-cruz da
T01 re de Espada. S. Exc. foi ministro do impe-
rador.
O Sr. Francisco de Mello Breyner, irmo do
marque/, de Ficalbo, e commandante do batalhao
de cagadores n. 5, vai ser nomeado ajudante de
campo de S. M. el-rei I). Fernando.
Consta que foi concedida mais urna vida no titu-
lo de visconde de Lagoa para se verificar em seu
irmo.
Foi agraciado com o grao de gr-cruz da ordem
militar de S. Bento de Aviz, o general, visconde
de Tavira.
Foi concedida ao conselheiro Jos Baptisla de
Andrade a exonerago que pedio do cargo de go-
vernador geral d'augola, no desempenho do qual
mostrou consummada honra, e prestou importan-
tes servigos. Para substituir ao Sr. Andrade foi
nomeado o capitao de mar e guerra, Francisco An-
tonio Gongalves Cardoso, vogal extraordinario do
conselho ultramarino. O Sr. conselheiro Cardoso
foi governador de Macau e commandante de esta-
gao naval em frica, e exerceu por muito* annos
o cargo de inspector do arsenal de marinha em
Lisboa.
Foi suscitada pelo respectivo ministerio ao
fiscal da linha frrea do sol e sueste a observancia
de vahas leis e regulamentos tendentes a evitar
os incendios produzldos as propriedades das pro-
ximidades da linha pelas brasas das machinas e a
tornar a companhia responsavol pelos damnos
causados.
S. M. el-rei quando no dia 10 do corrente na
praga do Campo de Sani'Anna, se liravam as es-
molas para as creancinhas da escola asylo de S.
Pwlro de Alcntara lcou agradavelmente surpre-
henddo, e como s tlvesse na algibeira 29J000,
mandou-os entregar a commisso pelo marque de
Ficalho : Diga commisso que me agradou
muito esta sympathica surpresa, mas que no es-
tando previmdo Ihe envi para os pobrezinhos o
dinheiro que linha comigo e que darei tnats alguma
cousa.
Vilo muito adanladas as obras do novo thea-
tro da ra Nova da Palma, ou traostormago do
sali Meyerbeer, o qoal dever ser denominado
Theatro do principe real. A sala fica lindissima e
com todas as condig5es de ptica, acstica e com-
modidade. As galeras sao divididas em ciacoen-
te tantos camarotes de Ia e 2* ordem. Por baixo
d ellas Oca a platea mais barata e a sala devi-
cargo daquelle inspector.
Sabio tambem para idenltca inspeegao as al-
fandegas do norte o Sr. Carlos Jos Caldera.
l-rei o Sr. D. Luiz visitou no da 17 s 8 ho-
ras da manha o hospital de S. Jos. S. M. examl-
noo detidamente aquelle esiabelecimento, conside-
ravelmente melhorado pelo Sr. D. Antonio Alves
Martns, antes de ser apresentado prelado na dio-
cese de Visea, tendo continuado em t) louvaveis
esforgos, coroados com o melhor xito, o conse-
lheiro Antonio Jos Torres Pereira, que realmente
tem collocado o hospital de S. Jos em escolenles
condigoes hygienicas.
No 12 de setembro prximo realisou-se na
povoagao de Sandim, concelho de Miranda, do dis-
tricto de Braganga, o primeiro concurso de repro-
ductores bovinos.
!:-[ 1 instituigo agoura bons resultados, ao aper-
feigoamento da raca mirandeza, que pr duz os bois
de trabalbo mais* nota veis que se conhecem no
paiz.
Ha pouco lempo n'uraa excavago feita no
cemiterio de villa do Sabugal, acharam-se restos
de construcg5es romanas a bastante profundado.
Parte dallas moslravam pertencer talvez a mu-
ralba, junta qual tambem se acharara diversos
fragmentos de columnas.
Est na alfandega de Lesboa, vindo da Ame-
rica, o modelo de um transporte de vapor da Iota-
gao de 1,200 toneladas. E tados-Unidos, por conta do ministerio da marinha.
ConsU que do arsenal de marinha remedi-
da para a exposigo internacional do Porto, urna
pequea collecgo de machinas e ferramentas, que
all seiem feito ltimamente e continuama fazer-se
na respectiva offlena. Alm das machinas vjo ou-
tros objectos e entre elles acha-se um cpharolim
ou nlauterna de porto do systema lenticular de
Fresnel, que a primeira que se fabrica em Por-
tugal, tendo sido feita na nova offleina de pharoes,
onde outras idnticas se acharo em construego.
E' urna bella pega feita em chapa de cobre por um
hbil offlcial de caldereiro do arsenal. Nenhum
destes objectos foi fabricado com destino exposi-
go ; porm, ao Incansavel e zeloso inspector, vis-
conde da Praia Grande, coadjuvado pelos seus ira-
mediatos, e sobre todo pelo Sr. Carlos Augusto Pin-
to Ferreira, machioisU de 1* classe da armada, e
director das offl loas de machinas e de pharoes,
nao Ihe soffreu o animo quo estes objectos, alias
modestos, e feitos sem a menor pretengo, dei xas-
sera de ir augmentar o numero dos productos que
na exposigo devero apparecer pertencentes a in-
dustrias iguaes.
A irmaudade do Santissimo Sacramento da
S do Porto, mandou fazer nm riquissimo palito
bordado a oiro, o qual deve figurar na exposigo.
Foram remetudos pelos Srs. Santos e Martns
18 chapeos de copa baixa para a exposigo.
Os chapeos enviados para exposigo sao de di-
versas cores, qualidades, feitios e pregos, todos
pontalos a machinas e forrados de seda. Ha al-
guns de to extraordinaria finura que apenas pe-
sara urna ooga, podendo metter-se na algibeira re-
cobrando depois o feilio anterior sem Ibes ficar o
menor vicio. Tornam-se notaveis os de fellro na-
cional e os de pello de lebre.
us pnetarios da casa havaneza ero Anvers en-
viara a exposigo um riquissimo mostrador de mog-
no com as armas nacionaes, e cheio de tabacos
manufacturados, de diferentes pregos e qualida-
des, e alguns de grande valor, e ptimas quali-
dades.
Cora destino exposigo internacional do Por-
to, acharase na alfandega de Lisboa dous caixotes
cora perfumaras vindas de Pars e enviadas pelo
productor, o Sr. Antonio Domingos Taborda, que
parece ser subdito brasileiro.
O Sr. Lisboa, livreiro encadernador nesta capital,
manda exposigo encllenles especimens dos tra-
badlos feitos as suas offleinas. E' tambem este ar-
tista quera est encarregado de encadernar as ly-
Ihographias, impressos e gravaras que a imprensa
nacional manda ao Porto.
O Sr. Manoel Jos Correa, marcioeiro esiabeleci-
do na roa do Ooroem Lisboa, enva nm guarda-
facto de madeira de camphora, com lavrados e em-
butidos primorosamente trabalbados. Este guarda
facto avallado em om cont de res.
5075205.
Est em Lisboa o Sr. Aubry Lecont, offlcial
superior da marinha militar franceza, que vem,
em commisso dos ministerios da marinha e da
guerra d'aquelle imperio, representar na prxima
exposigo do Porto as colonias francezas da Al-
geria.
Dizem qu-i ura cavalheiro multo instruido,
muito conhecedor de negocios coloniaes, e que ma-
nifesta as mais enthusiasticas e elevadas ideias so-
bre as vantaiiens de se ulllmarem convengdes de
correio e de commercio entre Portugal e Franga.
Tambem est em Lisboa o Sr. Vortiro, nomea-
do por urna associago de industriaes francezes,
para representar na exposigo do Porto a fabrica-
gao de alta precisao de todos os instrumentos scien-
tilicos, viudos de Pars para figurarem na exposi-
go.
V-se por isto a consideragao que em Franga se
tem dado a essa grande festa industrial emprehen-
dida p lo Porto.
No dia 18 pelas 3 horas e 17 minutos da ma-
nha ao aproximar se o coraboyo do correio do ky-
loraetro, 220 a 221, perto de Coimbra, chocou
contra uns carros que n'aquelle ponto atravessa-
vam a linha, pondo em eminente risco a vida das
pessoas que iam n'aquelle comboyo.
As carruagens deram uro grande salto, cahindo
felizmente sobre as calhas.
Os carros ficaram feitos em estilhas.
A bordo da corveta Damao fallecen durante
a viagem, a esposa de um offlcial, quasi na mesma
altura em que tora dada a luz. Nasccu e morreu
sobre as aguas.
O Sr. D. Ceferino Soares Bravo foi nomeado
cnsul de Hespanha em Portugal, lugar que oceu-
pava em Bayone.
Foi exonerado do commando geral interino
da arma de anilharia o coronel Jos Marcelino da
Costa Mooteiro, e nomeado para a effectividade
d'aquelle cargo, o general de brigada Fortunato
Jos Barreiros, Meando exonerado da inspeegao do
arsenal do exercito.
O coronel de artilbaria Innocencio Jos de Sou-
za, foi nomeado inspector Interino d'aquelle ar-
senal.
Consta, que alm do Conde de Penha Firme,
vai ser mandado outro vaso de guerra para coad-
juvar os delegados de sade na costa de Portugal,
desde a toz do Tejo at do Guadiana.
A regata da associago naval deve verificar-
se no Tejo no dia 28 do crreme.
Sabio no dia i 7 do Porto para Lisboa, no
comboyo da tarde, o digno par do reino Rodrigo
de Castro Menezes Pita. Ao chegar ao entrooca-
roento, o Sr. Pita, apeou-se da carruagem, dirigi-
do-se para a estagao. Jonto ao caes, porm, ha-
via uraa valla de dous metros de altura sem ne-
nnum resguardo, nem luz para previnir os incau-
tos. Nesta valla cahiu o Sr. Pita com tanta infeli-
cidade, que fractorou orna perna, jonto do torno-
zello. Levaram-no em bracos para dentro da car-
ruag-mi, aonde Ihe prestaram os primeiros soc-
corros.
Procedeu-se nos ltimos dias de julho aos
exames dos alumnosmestres do 1 e 2 anno da
escola normal ero Mamila. Foram considerados
dislioctos os alumnos do 2* anno Jos Antonio Si-
moes Raposo (da Lagoaga)Luiz Pereira Leite (fie
Macu) Jos Jorge da Silva Teixeira (de Leira)
e Francisco Adriano de Faria (de Mafra). Foi
tambera approvado o alumno do 2* anno Manoel
Bernardes, (de Mafra), e assim como o precedente
antigo collegial da escola fundada por el-rei o Sr.
D. Pedro V jonto ao pago n'aquelle real sitio.
Do 1* anno foram approvados os Srs. Manoel
Maria Ricardo Correa (com distincgao) da villa de
Norae Joao Frederico Tello Mexia da mesma
villa.
Ficaram para fazer exame depois de ferias al-
guns alumnos tanto do i* como do 2* anno.
Tambem se fizerara os exames da escola anne-
xa 1 ficarvdo transferida a destriboigo dos premios
as creangas para ootobro prxima
Os examinadores desla classe de alumnos foram
os alumnosmestres, sob as vistas dos professores
da escola normal.
Nos primeiros dias deste roez houve exames de
admissao aos candidatos aos logares vagos de pen-
sionistas e porcionislas da escola normal a que as-
sistio, o coramissario de estados desle districto.
Fallecen ha tempo, victima de veneno, um



i_


-*"" 1-
-
~n.
rr
41
4k
^-^
l>larlo de fernambiaea -- Sabbado IA de Setcnibro de !*.
44
T 1
_
I
abastado lavrador do Garturo. Este hornmw
viu.o e viva em companhia de una filha maior.
Tendo recahiup a< suspeilas de envennamelo so-
bre a Hlha, foi esla presa e confessoa que Tora a
autor* oo crhne; oa* acontellwda por um aman-
te que tinha,o qual s cora essa coodijo casara
c-oni ella.
A mulher e o amante acham-se presos.
O conselheiro Palraeire'Pinto, inspector, di-
rgindo a alfandega de Lisboa, manden eoltocar
urna bomba no Lazareto para poder prestar os
soccorros precisos contra algum incendio que se
manifest.
EmBraga, de-caja -drrisao arcumulra ocortr-
mando, e onde tambem era iiuito conhecido, por-
Me antes de ir para .aquella cidade, all muitos
annos estivra comrMandando o regiment n. 9 de
infamara, sna honrad** e carcter Ihe tmhaai ad-
quirido iguaes sympathias.
O general Ferreira, sahindo da commissao que
no Porto exerrra, foi promovido a vogal effectivo
do supremo conselho de jastiga militar, cargo que
nunca chegou a ocrupar porque os seus padec-
meatos, que nos ltimos momentos da vida se Ihe
tornaran) bastante dolorosos, o impedir n dfsso.
Foi dado a sepultura, uo Prade do Hepouso, o
zi;i a seu bordo oalmirirste GoisfcoTOtWtn qne i^ antofidada somelhante procedimeato, que prova- Antonio Beato Nuoes, 62 annos, vuvo, Boa-Vis
commaadar a esquadra dos Estados-Unidas, no
Mediterrneo.
No da i i, entrara no mesmo porto la Horta a
balieira americana 'Sarah, trazend enfermos o t-1.
pito e dous ofHciaes. 'iiliilinn i n llifti^HlwJii i J
pelete e exhuberanteiueuie den lugar a ser la hepatite.
inado dito Amara! ao mximo das penas Feliciana
No dia lo de agosto, di a de grande festivida- ( cadavtr do nobre general. Em cumplimento do
de em Franca, caotou se na igreja de S. Luz re que ordenon no testamento que fez, loi o corno
Je Franca uin solemne Je-Deun, a que assistiu a conduzido ao cemilerio, sem estrondo nem pompa,
legajan frauceza nesla corte e o con Je d' Avila mi- pegando taiazas do caixao oito soldados dos corpos
nistro dos negocios entraogeiros. da guarnijao.
Sahia pan Pars o Sr. Mathias de Carvalho, No lini das cereme mas fnebres eolregaram-se
director interino da casa da moeda. Dizem qne as chaves do caixao ao tesiameuteiro do fallecido,
vai encarregndo da compra de varios instromeotos o Sr. AulonioThomaz Negreiros, director da caixa
e machinas de que neoessita o eslabelecimento que filial do banco de Portugal.
dirige. Este cavalheiro foi miuistro dos negocios Assistiram diversos offlcies dos corpos e entre
da fazenda. ests eslava o cummaudaote da guarda inuni-
No estalleiro do Sr. Hugli Parry no Ginjal cipah
est em construejao ora barco de vapor do ferro, A ponte do Moreira sobre o rio Lessa, cuja
de 110 ps de enmprimeolo e que tera machina da construccao comejou no principio de julho e que
forja de 35 cavados. Este vapor destinado, se-
gundo se diz, a navegar entre Lisboa e o Carrega-
do; e chania-se Principe D. Curios.
Falla se em que se vai proceder as repara-
rles de que necesslta a fachada da igreja da S
metropolitana de Lisboa. Arcrescenti-se mesmo
feita por conl douoverno, ja' tem um dos encon-
(rosou pegoes livre das aguas do rio.
Os trabadlos do outro encontr devem principiar
brevemente.
O vigameoto de ferro destinado para esta poete,
ja' se acha prompto ha fundicao de Massarellos.
que esta obra indispi nsavel, porque as torres do Falla apenas a pregagem necessaria.
templo nao ouererem umitas garantas de solidez. Espera-se que. se o tempo continuar bom, o en-
Publicou-se ha das em larga copia em Lis- coritro que se val principiar e que 6 do lado da
ba'um panphleio iniitulado O espectro da moral. Villa do Conde, fique brevemente livre das chelas,
E' una apostropbe enrgica e virulenta contra os para se djr aos trabalhos o maior desenvolvimenlo
jornaes mmoraes. possivel.
Deve ser tocada no pa acio de rry.-tal do Por- A corveta Dugtte de Palmellaa.' esta' no pla-
to, no da da inaugurajao da exposijao internacio- no inclinado de Cubicloun, e acham-se comejadas
nal, tima marcha composia pelo maestro portuguez as obras Internas para o assentameuto da machina
Joo Guilherme Haddi. de vapor.
O Sr. Jos de Saldanha, flliio segundo do Andaram no da Ifi em praja os vapores da
conde de lliu Maior, manduu para a exposijao do extincta companhia Untlio Mercantil Apezar de
Porto excelleutcs productos chimicos preparados se pedirem laucos sobre a avaliajo daquelles va-
por S. Exc. sos, com o abatimeoto de duas quarias partes, nao
A commissao rncarregada de formular um houve qnem bflerecesse prejo algnm.
projecto para os estabelecimentos de penitenciarias O Sr. infante D. Sebastio vai mandar fazer
entre nos ja tem o sen projecto concluido, e dizem obras importantes nos jardins do palacio que cora-
que neile se propia a creajo de tres penitencia-1 prou o que pertencia aos herdeiros do Sr. Manoel
rias, duas para homens e urna para mulheres, Pinto da Fonceca.
conservando as cadas districtaes e comarcas. O palacio esta' era boas condijoes e a nao ser a j
Como se sabe, aquellas penitenciarias sero es- eoftocaeao de papel em algumas salas pouco .ave-
tabelecidas uo edificio que em Lisboa se deve ra* a fazer.
construir para este flm. : Os lelos das salas sao magnficos, e as pinturas
Este projecto foi redigido por urna commissao sao de mullo gosto.
nomeada pela grande commissfio encarreg.ida pelo A pintura da escada fingindu'estuque em relevo,
de sorprendente effeito.
veneno que Ihes propinara o cesinhero ;o qual
foi .preso a requisa ja du respectivo cnsul.
Tem havdo algoos de-astres por causa das obras
, da docka de Pona Delgada.
O tribunal eommerci.il de Angra em 18 du julli >
sentenci iu por fraudulenta a quebra do Sr. Abra-
ham Baaras, de casual do Sr. Espinla e de cul-
posa a do Sr. Abnham lien Snbat.
O Fayaletue diz que do porto de Horta sahiram
legalmente, no primeiro semestre deste auno, 458
individuos; 23i para o Brasil e 20a para America.
A marinha mercante portugueza couta mais urna
escuna chamada Silva, que foi construida no Fayal
no eslaleiro de Porto-Pim, devendo a e.-tar em viagem para a America, para onae sahio
! no da 20 de julho.
Foi a pique no da ti do corrente, urna ga-
leota hespanhola na enseada de Cascaes.
Tinha fallecido em Pona Delgada o conse-
lheiro Francisco de Paula e Oliveira na idade de
88 annos, e que ha 18 exercia o cargo de jniz na
i relaeao dos Agi.res.
Acha-se j escrtpturada a companhia dramtica
I que tem d_- representar em S. Miguel no prximo
invern.
Os viscondes da Praia anda de luto por urna ft-
1 Iha extremosa, pranteam agora a morte de urna
! menina de 13 annos, -na neta.
itecebrram-se malas da India pelo paquete.
As noticias alcancam at 1 de julho.
O goveroador da India o couselhero Pestaa, e
do com
condemnado dito Amaral ao mximo das penas iST' Feliciana Mari da Concecao. 11
art. 301 do oodigo criminal, visto como acompa- Vista, febre perneaos.
nhou ae rime a existencia de aggravantes.
A farda e bonet, usado por Souzado Amaral s3
Iguaes aos usados pelos esludanles da escola cen-
tral, lernteiaquella castello na gola e botoes de me I
ui amarello com as iniciaos P. II. L, e a banda '
annos, Boa
89 aunos,
Rita Ufana das Mercs, Pernambuco,
vlnva, Boa-Vista, Velhice.
Esperanca Francisca, frica, 68 annos, solteira,
Boa--ista, enterile.
Francisca Mara Siqneira Cardim, Pernambuco,
querer
este
igaal de*fllcial da guarda nacional. 23 annos, casada, Recife, iuflaramacao de intes-
Trajado do tal maneira, andava Amaral por cssas unos,
rna a inculcar de 1- lenle do corpo de enge- Valentina Joaquina do Espirito Santo, Pernam-
nheiros, trazeudo galo nos pnnhos da farda, cor- buco, 30 annos, solteira, Boa Vjsla, tubrculos pul-
respondeBtes ao posto inculcado, sendo que tam- monares.
bem diz elle que lilho desta provincia, povoaco
de Baixa Verde, e nao niostra documento algum
sufBciente a tirar a iimpo o misterio em que est
elle envolvido.
No almanack militar onorae do supposto len-
le nao existe, o de crer em nenhum djs annos
anteriores.
Na quinta feira prxima o digno emprezario
do Sania Isabel deu nm espectculo de gala era
solemolsacao da victoria de Yatay, comparecendo
a elle o Exm. Sr. presidente da provincia e o Sr.
Ur. chefe de policia, os Srs. cnsules do Uruguay
e da Confederaco Argentina, bem como mnitas
outras autoridades, alm de notavel concurso de
espectadores.
edificio eslava Iluminado, e o seu terrajo de-
corovase com os pavilhSes brasileiro e oriental.
Naufragou as costas do Rio Grande do Sulo
patacho desta praja Acaso, cuja tripulajiio foi sal-
va por nm brigue inglez qae passava, c transpor
tou-a a Montevideo.
As manifestajO'S de regosijo pela victoria
das forjas alliadas nao cesso, e a porlia todos os
Anna Luiza da Conoeicao, Santa Catharina, 40
annos, solteira, Santo Antonio, enterile aguda.
Francolina, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista,
congesto do cerebro.
Um prvulo, 1 mez,S. Jos.
Maria, Pernamanco, 1 anno, S. Jos, convul-
JO'S.
Joo, Pernambnco, 3 mezes, Boa-Vista, inflam
majo innainmajo intestinal.
Maria, Pernabuco, 2 annos, Suecia, escrava, San-
to Antonio, convuljoes.
CMMdNIiiifiDS.
sua esposa, acliavam se restabelecidos da doeuja Brasiloiros procurara dar copia disto, quar collec
que sofTreram. liva, qtier singularmente.
O rendiinento das alfandegas no mez de feverei- j Assim, a socieJade dramatice Umita Pernam-
ro tinha sido 30,198:2;37 1| xeralins. bucana resolveu dar amanha um' espectculo de
Em Coa faltavam havia rauito tempo as chuvas, gala no Iheatro de Santo Antonio da Cipnnga, afim
com grande prejuizo para a agricultura. Em con- de festejai o triumpho de Iatay, rendendo ao mes
sequeucia d'isso, iam fazer-se preces.
Tinlia coraejado all a publicajo de um peri-
dico iutilulado a l.trpa do Modovi, sendo seu
redactor o Sr. H. C. de Campos.
O Sr. Jos Felippe Nauoleo Monleiro, ia pnbli
mo tempo preito ao patritico monarcha brasileiro,
por meio do hymoo nacional cantado pranle sua
augusta elllgie.
Consta-nos que esta patritica sociedade. nao d-
ra desde logo es-e espectculo pela ausencia de
car u'aquella ciJade urna Encyclopedia curiosa e di- alguns de seus representantes.
vertida, contendo escriplos seus e de outros au-
tores.
Este livro ser publicado annualmente.
Tambem o Sr. Jos C. Brrelo de Miranda esla-
va publicando um trabalho Iliterario denominado
Quadros Histricos de Goa.
O estado da praca de Bombaim, pouco lison-
geiro, pois que eram muius as quebras do casas e
Damos o resultado do concurso havdo, no
da 11 do torrente, no seminario episcopal, e pela
hora adiantada nao rodemos dar por exienso os
nomes dos senhores sacerdotes, que foram appro-1
vados.
Consta-nos, entretanto que esse acto foi feiloi
com toda a regularidade possivel, presidindo a mais
absoluta justija no julgamento dos candidatos, o
g.ivi-rno de estudar este importante assnmpto.
O eavallo que el-rei o Sr D. Lniz recebeu,
nao foi offerecido pelj Imperador de Barrocos, mas
sim pelo sr. Collaeo, cnsul de Portugal em Tn-
ger.
O imperador marroquino havia presenteado o
Sr. Collaeo com este bello eavallo, quando foi a
Mequinez em commissao do governo portuguez; e
Nao obstante o bom estado em que ludo se acha,
S. A. mandou fazer alguus arraujos afim de lomar
aquella babitacito digna de um principe, ou me-
Ihor anda digna de um homem multo rico e de
multo gosto.
Os jardins nao condizem com o palacio.
E' provavd que o Sr. Pinto da Fonceca nao ti-
bancos dos mais fortes. que honra tanto aos examinadores, como ao presi
Nao se dizia porm a que causas poderia altri- ] dente do concurso, o Exm. Sr. Dr. vigario capl-
buir-se estes sinisIcoB commerciaes. : lular.
Tinha fallecido em Gja o thesoureiro das bullas | Foram reprovados 21 sacerdotes, e approvados
da Santa Cruzada, e esenvo erra I da pasta da fa- os seguintes.:
zenda, Luiz Mana de Araujo. Vigario Jos Alexandre.
este funecionano aehou lo rico este presente que vesse lido lempo de maudar arranjar os jardins e
o offereceu a el-rei o Sr. D. Luiz, o qual se digoou por isso efles estad quasi, como no tempe em que
acceita-lo. i aquello cavalleiro comprou casa ao Sr. Patriar-
O Si. Ravmundo Celestino Collajo, irmo do cha.
cnsul, velo a Lisboa trazer o presente, e acha-se O Sr. infante D. Sebastio mandou vr de Ma- j
nesta capital, teodo sido recebido pelo ministro drid, o seu melhor jardineiro e est disposto a
dos negocios eslrangeins. aproveitar o terreno, lazendo dous grandes jardins I
O rendimenio da alfandega de Lisboa, foi no que correspondan! ao magoltlo palacio dj que sua j
mez de jodio de 33:9'J15229, tendo rendido em alteza faz acqui-ijao.
igual mez do anno passado 239:086,5833, differen- j De todo aquelle bello edificio o que muilo no- i
ja para mais i;il:90i5426. tavel o que chama a alleujao do visitante ad-
A alfandega du Poi to, rendeu no citado mez----- ranavel coustruijao das abobadas dos aposentos,
272:333,3317. ; terreos.
Havia rendido em igual mez no anno ultimo E' obra antiga e que devia ler cuitado grandes
248:2393381, difTerenja para mais ft:085$936. sommas.
A alfaudega municipal de Lisboa rendeu no : Em alguma dessas casas estao as cavallarijas e
mesmo mez 102:3745215, em igual mez do anno j cocheiras, para onde se esta fazendo o encanamen-:
pretrito tinha rendido 73:372028, differen ja para lo da agua e do gaz.
mais 29:0015617.
A sociedade protectora das Bellas-Artes con-
viden para sen vicepresidente o infante D. Sebas-
tio. Dizem qne vai estabelecer um premio de...
500,1000 que tem de ser conferido ao artista que
pr iduzir, no anuo de 1867, obra de vulto digna de
figurar na exposijao universal de Pars.
Os trabalhos de coiistrucjao da linin r-rrea
de Evora ao Crato, por Estreios, coutin ..un rom I
grande actividade, esperando-se que auto- lo prazo '
estipulado no contrato, a linha se ache em estado
de ser entregue explorajao publica.
O molde da estatua eqaestre que u Si. Cal-
mis est fazendo para o monumento <| se ha de
Todas as foias do Porto teem publicado a i exigir na cidade do Porto e.-ta concluido.
seguinie descrpjio da melalha de premio deslina-: A estatua representa o imperador a eavallo, ten-
da aos expusitores que no prximo certamen in-;
dusirial, ime se vai abrir naquella cidade, colhe-
0 Sr. Juo Miguel Rosario Gomes de Navelino,
offereceu a cape I la de cada de Margo todos os
vasos sagrados para a celebrajao do sacrificio da
missa.
No real seminario de Rachol, na India, fizerajn
exames, durante o anuo lectivo de 64 a 65 437
alumnos dos qoaes fffTam approvados 352. No
curso theologico 62, sendo approvados 37, o
prova a utilidade daqaella tnstituijo.
Segundo o balancete da receita a despeza do co-'
fre publico da repariijo do adjunto da praja e ci-
dade de Dio, exista em 31 de Janeiro a somina de
21:2915318 xerafins.
0 Si. F. Fernandes, de Bombaim, offereceu ao
monte-pio geral 10,000 rupias, para constituirem
um tundo para dolar as fillias do povo.
A destnbuijao deste fundo deve comejar em Ja-
neiro de 186C.
Eutre as casas ltimamente fallidas em uombaim
figura a da firma Byranyse Hermas Jie Cama com
mais de 330 lagues de rupias que correspondem a
dezeseis mil e oito ceios contos.
- Diz o conselheiro Kodrigo de Moaa.s Soares,
uo Archivo Rural, que ja este anno funcionara
treze dehul:ado.es mchameos movidos por vapor
a saber : dois do governo, um na quinta regioual
de Cintra, e outro na de Evora : o tercelro da casa
real, nas trras de Ajuda ; tres da sociedade Bor-
Peixoto Duarte.
Trajano.
Francisco Raphael.
Calixto.
Tito.
Avelino.
Lovolla.
rein a palma do triumpho
Con>ta que a commissao central da exposijao
internacional, encarregra o Sr. Carlos Wi. ner,
gravad,.r da casa da moeda de Lisboa, de fazer a
medallia de premio para os expositores lau-
reados.
A commissao, fetas algumas pequeas moditica-
joes, approvou o projecto do Sr. Wiener, e este
distincto artista ja' deu cornejo ao seu trabalho.
A face principal da medalha de premio aprsen-
la um grupo de cinco figuras dispostas assim : no
alto da medalha o genio do progresso, tendo na
mao direlia um facho (progresso), e na esquerda
coroas de carvalho (honra) e palmas (gloria), que
elle offereee s quairo figuras agrupadas em roda
do altar da patria, em cujo pedestal estro as armas
de Portugal e do Porto. A' direta urna figura de
mulher sentada, com o eolio descoherto, represen-
tando as bel as-artes.
Tem na mao esquerda urna palheta com pilleis;
o brajo esquerdo e.-laj sobre o altar da patria, a
seus ps estao um busto e um capitel de urna co-
lumna (estulplura e arrhilectura)
Atraz dessa figura esta' umaoutra figura de mu-
lher em p e toda vestida, representando as .cien-
cias e a lnieratura. Esta' em posjo meditativa,
tendo urna penna na mao direia e na outra um
rolo de papis.
Em roda desta figura esto livro?, em cujas car-
iadas se ho de gravar nomes dos principaes auto
res classicos de todos os paizes.
I"rna palmein no fundo da m^dilha completa o
lado direilo e allude as possess5es ultramarinas.
A' esquerda. a iodustria ea agricultura repre-
sentadas por figuras de homens.
A industria ?>(' sprjlada e forma grupo com a
figura das bellas-artes.
Tem na mao direta um martello
sobre urna bigotna, a seus ps esta' urna roda de
granagein, e atraz v se urna rhamin de urna ma-
china a vapor. Atraz da industria esta' a agricul
tura encostada a um cortijo de abelhas (activida-
de) ; tendo na mao direta urna foice. Em roda
dessa figura esto espigas de trigo (abundancia),
ovas, flores e ontros productos agrcolas. No fun-
do um navio (navegajo), completa o lado esquerdo
da medalha.
Em roda da medalha e na parte superior lem-
se as segunles palavras : gloria vicloribus.
O reverso da medalha urna cora cvica de
louro e de carvalho entrelajado de pequeas fachas
nas quies esto escriptas as mais gloriosas deseo-
bertas que Portugal fez, como porexemplo : India,
Brasil, Australia 1601 e Nilo 1617. A' roda dessa
corea l se a seguinte bella citajo do oosso Ca-
rnees:
E se mais mundo bouvra la chegra.
No alio deste lado da medalha se l :Exposijao
internacional de 1865; e em baixo. Porto.
No oeotro da corea deve ser gravado o nome do
expositor laureado.
Por sta ligeira descrpjio ja' se pode fazer idea
da medalha de premio da exposijao interna-
cional.
Parece que a medalha tera' 58 millmetros de
dimetro e que se hao de conhar tres exemplares.
Cm exemplar dourado, outro de prata, e outro de
brooze.
O par do reino Rodrigo de Castro Menezes
Pita tendo sabido do Porto para Lisboa pelo cami-
nbo de ferro, chegando ao entroocamenlo, sahio da
carruagem e ia a entrar no caes da eslajo, quando
cabio n um fosso, que aili eslava aborto, de dous
metros de altnra. Com a queda fraciurou nma
poma junto ao toraozelio. Foi levad* em brajos
ontra vez para a carruagem e ahi Ihe prestaram os
pr ni. tiro-- soccorros.
Na ludia frrea, prximo a' estaeo de Lis-
boa, houve, no dia 13, duas desgrajas. Entre os
Olivaes e Sacavem apparecea, pela maohaa, sobre
a na, nm homem morto, dizendo-se que a morte
fra devida a ler o homem adormecido fazendo dos
carns travesseiro, e sendo esmagado nesta posijo
por um comboio.
A" 8 horas e meia, na oceasio em que o era-
pregado cem pelate fechara a porta d orna das
can uagens, fraciurou o braco de urna cr anca. Foi
um acaso deploravel, mas do que nao se pode exi-
gir rsponsabilidade ao embregado; mas sim a
qnem companbava a crian ja, pela falta de cuidado
qae ron ella tere.
No dia 11 do corrente agosto fallecen o gene*
ral Francisco Xavier Ferreira, que actualmente se
achava morando no Porto para os lado; do Bom-
fim.
Este venerando militar de 75 annos de idade,
baixa a' campa, deixando de si urna meaiona hon-
rosa.
O Porto, onde elle se conservoa maitos annos,
com o coramando da sua divlsio militar, apreeia-
va-lhe muito as nobres qoalldades, que o distin-
gualo, e e unnime no seu pezar.
do na mao a carta constitucional.
A figura do imperador magostos* o nobre.
Traja farda de. coronel di) cajadores Sobre a
farda veste um casaco debruido de palles, exacta-
mente como quando deserabarco na cidade in-:
victa.
Nao tem barbas compridas como usava depois
do cerco, e como era mais conhecnlo em Lisboa,
p< rm como a estatua se destina ao Porto, o arlis
la qniz representar o imperador como o Porto o
i vio pela primeira vez.
O eavallo esta em urna posijo elegante e as for-
mas esto bem esludadas.
Tem o pescojo arqueado, e a mao dir ta levan-
tada.
A estatua um trabalho que faz a reputajao de
um arti-ta.
Os pequeos deleito nos detalhes que as pessoas
entendidas podera notar, nao diminuem a belleza
do iodo.
Qneriam alguns que o imperador estivesse de
botas de mentar, por entenderem que esse trajo |
mais {.propriado para um cavalleiro, porm o Sr.
Calmis, quiz apreseutar sua magestade como quan-
do desembarcou no Pono, e nessa oceasio uo cal-
java botas de montar.
O Sr. Calmis diz que leve grao le difficuliade
em encontrar um retrato do Imperador, que fosse
parecido com sua magestade ; cora ludo, as pessoas
qae conheceram bem o imperador, e que com elle
trataram de perlo, dizem que o retrato pelo Sr.
Calmis, est muito bom.
E'tal a p-rfeijao da estatua de ol-rei D. Pedro
IV, frita pelo esctilptor Calmis para a praca de D.
Pedro do Porto, que o duque de Saldanha, veudo-a
declarou I
E' o mais perfeito retrato do imperador que
tenho visto.
El-rei o Sr. D. femando teceu-lhe iguaes enro-
que descansa mos ; e o director da academia de bellas artes pe-
dio ao artista os moldes da estatua e do eavallo
paraservirem de estudo nas aulas da academia.
O molde esta prompto para ser transportado
para a Blgica, onde a estatua tem de ser fun-
dida.
Espera o Sr. Calmis que at ao Qm do corrente '
anno a estatua fundida e completamente prompta,
esteja no Porto, alim de ser collocada no lugar com
plente.
J se acha prompto o regulamenlo para o ser
vi jo a cargo dos inspecto'es das alfandegas.
Segundo elle o sei vijo da inspecjo constitu
do em tres divisos pertencendo.
A primeira divisao, os distnctos fiscaes das al-1
fandegas de Lisboa, e municipal de Lisboa, Olho,
Aldeia Nova, Elvas, Portalegre e Penamacor.
A segunda divisao, os districtos, scaes das al-
fandegas de Barca d'Alva, Braganja, Chaves, Va-
lenja, Viaona do Caslello, Porta Figaeira.
A terceira divisao, os dislrctos Aseaos das alfan-
degas de Pona Delgada, Aogrado Hervismo, Horta
e Funchal.
As alfandegas dirigidas por inspectores, bem
como as respectivas delegajoes, sao inspeccinalas
pelos proprios inspectores, que as dirigirem, nao
havendo ordem especial do governo que incumba
a outro esse servijo.
A designajo d* inspector que ha de servir em
cada un,a das div-0es Feita pelo ministro da fa- i
zenda, sobre proposta da direejao geral das alfan-1
degas e contribuijdes indirectas, por forma qae i
um mesmo inspector nao funecione mais de dous
anuos succe-sivos n'uma mesma divisao, em ios-
pecjo ordinaria.
A inspecjo do servijo fiscal do tabaco ser lam- j
bem exercida da maneira seguinie :
A do servijo do primeiro e segando dislrctos!
fiscaes, pelo Inspector que fuoccionar na segunda
divisao.
A do servijo nas ilhas adjacentes pelo inspector
que fuoccionar na terceira divisao-
O servijo da inspecjo ser regalado por forma
qae, alm das visitas extraordinarias, nuaca deixe
ue Padre Godoys.
Pureza.
Palmeira.
t Baracho.
t Lbano.
Andr Cursino.
Meira Lima,
c Antonio Dias.
< Antonio Rafael,
c Galinlo.
Joo Alipio.
< Barhalho.
Renovato.
< BaptMa.
i india Cavalc.anti.
o Belarmino.
Fortunato.
< Joaquim Manoel.
No dia 2i do passado, no 2o districto de Bom-
Jardim, Joo Travassos Sarioho e Salvino Gonjal-
ves do Oliveira travaram urna lula, da qual resul-
g-s de Souza e Socios, nas sua lavouras do Biba- tou ser morto o primeiro com 5 facadas, logrando
tejo ; dois da viuva Caldas e Fi I nos, tambem no evadlr-se o segundo que commeltra o crime.
Ribotejo ; dois do Dr. Vaz Monleiro, na Gollez ; Pelo delegado do Limoeiro foi preso Antonio
o dcimo priuieiro dj Sr. Manpies da Chamusca ; Gonjalves Carneiro, conhecido por 6icw/' o dcimo segundo dj Sr. Jos Ratnalho, de Evora ; couseqnencia de estar pcocessado em Goyann pe-
e o dcimo ierceiro do Sr. C irtez de Serpa. lo assassinato perpetrado na pessoa de Josa Per-
O debulbador inechanico movido por vapor nandes de Aguiar, ha 16 annos, no districto de
um dos apprelhos da alta engenharia agrcola, que Timbaba.
mais bem quadra ao nosso paiz. Nao s liberta Tendo sido preso pelo inspector do quarlei-
os homens e os fgados do improbo trabalho das rao de Mumbuca, do termo de Santo Anto, um ro
airas ; mas faciliu o processo da limpeza dos ce- rruta, e indo coudnzido para a cidade, loi tomado
reaes, que, pelos raethodos ordinarios, imper- em caminho por Florencio Jos de Lima, Jos
feitissima. Os nossos trigos uo tem rival nos Crispm, Januario Crispim e Antonio Cabocolo.
mercado^; valem, em regra geral, mais 100 ris Constando esla oceurreocia, fez o inspector de Mi-
em aiqueire do que os estraugeiros ; todava nliocas armar alguma tropa, e seguindo os delin-
Acabarnos de ler nos dous jornaes, que se pu-
blicara tiesta cidade, o brioso olfereciincnto, que
fez ao governo, o Sr. teneute-corouel Joo Valeutim
Villla, co.nmandante do 3 batalhao de reserva da
guarda uacionai para marchar para o sul, alim de
lomar parle na guerra, em que estamos empenha-
dos contra o Paraguay.
Alegramo-nos, e applauaimos samare quo um
homem de posijo elevada da o exemplo de patrio-
tismo, que acaba de dar o Sr. Vil -lia, saltando por
cima de todas as oonsidemjoas de. familia, do for-
tuna, e al da idade, em que ena loucura urna
ambijo pessoal. Ncsle caso s urna arnbijo no-
bre corito ceui'ia ns, e o allelo de servir ao seu
paiz, quando este reclama a dedicajo de todos us
seus liilios.
Com effeilo, fura muilo para desejar, que estes
exemplos ss repetissem, e que o povo visse que a
abuegajo partia do mais alto ; que o sacrificio
dos coramodos, da fortuna, da vida e do bem estar,
era repartido por todos sem distinojo. ricos a po-
bres, grandes e pequeos, protegidos da fortuna ou
desval dos.
Aioda assim nao basta que um ou outro se apr-
sente como quinhotieiro na lula ; nnster que lo-
dos se coofundam no sacrificio, e pie sejam os
pnmeiros aquelies que mais tem que perder : M
que vivera cercados de certos gosos o vautagens
ua sociedade. Ess.es rxetnplos seriam imitados por
todos qoaatos tem un pouco de pundonor.
Entreunto vejamos em que circuinstanciis Sr.
Vilella fez o seu patritico off remenlo ; com que
credenciaes se aprsenla para ollerecer os seus
sortijas ; e se esses sao presiaveis e uieis a causa,
que vamos defeuder dentro e fra do Brasil. De
certo o Sr. Vilella nao um homem novo, um des-
conhecido, nem corneja agora a servir ao paiz,
onde tem piv.-t.id i muito bons e valiosos servijos.
Desde muito mojo comejou, durante a indepen-
dencia, a servir na antiga milicia, em que era te-
uente com palete regia, quaudo fra creada a
guarda nacional em 1831; e logo fra nella eleito
capilo, e depois major por rauitos annos do bata-
llio di Boa-Vista, e ltimamente teuenle-coronel
do 3o batalhao de reserva da mosma guarda na-
cional por decreto e patente imperial; tendo de
mais a mais servido cargos de eleijo popular como
juiz de paz e eleitor de parochia por varias vezes,
deputado provincial por duas vezes, a tambem
subdelegado de polica em occisioes b-itn difflceis ;
em cujas cargos servio sempre a cooleolo B satis-
fajo dos seus patricios, sera quebra dos seus de-
veres, nem abuso da autondade.
O Sr. teueuit-coronol Joo Valentim Vilella p le
appellar para o lesleinunho do publico ; e pode
mesmo desvanecerse de, nas lulas de partios,
nuuca ler servido do instrumento de odios e da
viuganjas, nem de prestar-se a manejos de torpe-
za, quando a sanha dos mesmoi partidos jusliticava
quaiquer excesso, ou faria amortecer a justiea para
dargauho de causa ao espirito de parcialidade.
O Sr. Vilella sempre foi e conservador; mas
a sua opinio nunca foi restricta a pessoas ou a
cousas; pensou e obrou sempre livremente. Cou-
servou e conserva amizades em todos es lados-
franco e leal nunca ahandonou seus amigos, quan-
do se achavam comprometlidos, nem fugio aellas,
quaudo necessilavam do seu auxilio prestouse
sempre como cavallieiro, quando o procuravam na
oesgraja. Um homem deste quilate pode jaclar-se
de ser conhecido no seu paiz.
Abastado, como nao lem necessidade de oc-
correr a esie estratagema para obier um emp/ego
lucrativo, que ja lem, nem para merecer honras,
que ja frue ; para que nao s pela sua patente
comoofflcialaloda imperial ordem da Rosa, estaaci-
apresentam-se venda tao sujos, que dilcil daj;- quentes trocou diversos tiros com aquelies, que se : ma do que pode gauhar entrau.lo em effecttvidade
lhes a limpeza conveniente para produziram pao apresentarara em opposijo hostil; e desse liro-: do seu posto. O seu lim o portanlo outro malte
alvo e hygieuico. teio resultou a morte do guarda nacional Antonio mais nobre, servir ao seu paiz, quando precisa
Os debulhadores mechanicos, tem, pois alm de Felippe, sem que no entretanto se effectuassea (j0 concurso de lodos os seus filhos; Diar parte
muitas outras vautagens a de operarem a indis- prisp dos referidos crtminsos, nem a appreheoso no desaggravo nacional, quando um mi i igo fe-
pensavel limpeza do grao. do rer.ruta lomado por elles. I meulido ousa calcar o solo da patria.
Parece que o Dr. Bernardino Carneiro, pro- Alistaram-se no 3o corpo de voluntarios os j Somos amigos do Sr. Vilella, e quizeramos que
fessor da UniverS|dade de Coimbra, vai publicar Srs. Manoel Araancio dos Santos, Gervasio Ferrei- o seu louvavel procedimento nao lioasse smente
urna seguuda ediejo d seu compendio Elementos ra do Nascimeoto, Jos Ricardo Coelho Jnior e < archivado na secretaria do goveruo ; quizeramos
de Uireo Ecclesiastico Portuguez, cuja primeira Francisco Jos d'Almeida Pernambuco, sendo estes I qUe se realisasse oseudesejo; que suas aspira-
edicjo foi prohibida pela cougregaco do Index, dous ltimos filhos dos Srs. Jos Ricardo Coelho e | goes patriticas fossem coroadas por um exilo feliz, der" teipo "diri
Esta nova ediejo acompanhada de lodos os capilo Miguel Jos d'Almeida Pernambuco, que pur um desses rasgos da ProviJencia, que comple- -
documentos comprovativos das doutnnas nelle ex- apre entaado-os para marchar, deram urna prova
pendiJas, e das censuras impostas primeira edic- de seus senlimentos patrioti os.
jo, addiladas com os competentes commenianos. Alistaran) se os Srs. Benigno Ferreira^da
O conselho de saude tem feiio varis visitas Luz e Jacintho Jorge de Medeiros, este no S e
sanitarias alfandega de Lisboa, a flm de examiar aquelle no 6 corpo de voluntarios da patria,
o estado em que se achara as mercadonas arma Na madrugada de 13 do corrente sahio para
zenadas naquella casa fiscal. o centro da provincia o Rvm. prefeito da Penha
A crvela Uamj. chegada ha pouco da in- Fr. Seraphim de Catanra em misso apostlica,
glaterra, vai desarmar para se proceder aos ar- Numerajao dos billietes da lotera 32* offere-
raojos internos de que necessita, e que nao se po- cidos pelo thesoureiro das loterias Antonio Jos
diara fazer no estalleiro onde foi construida. Rodrigues de Souza, para auxilio das despezas da
Dizem os entendedores que nada de elegante guerra,
tem o casco deste vaso de guerra. Pode ser que uilhetes ns. 209, 1,168,1,653, 2,387.
Meios ns. 848, 1,357, 1,703, 2,189, 2 534,2,853.
Quartos ns. 132, 782, 981, 1,019, 1,260, 1,539,
1,827, 2,063, 2,213, 2,435, 2,716. 2,920.
Os bl I heles das loterias 11" a 31" produziram
5025000.
depois de Ihe ser posta nova masireajao, mas per-
feila e com menos guiuda do que a actualse apr-
sente com melhor aspecto.
S. M. el-rei em demonslrajao de sentlmento
peia mora de S. A. real o infante de Hespanha
rjo seu soinno lethargico, pareca adormecido respuujeu qut imlia. perguniei-lhe anda se ha-
jvo ; mas agora surge mais robusto e mais va muitos dias que essa declarajo eslava na ty-
i na fe do seu patriotismo para renovar as es- ,,ut!raphia, e porque nao tinha ja sahido. Ao que
tam sempre os grandes destinos humanos.
Pernambuco, que havia despertado em fevereiro
e ma
de nov
firmo
peranjas dos amigos do Brasilgrajas aos horneo
de pulso, de bro e de pundonor como o cavalheiro
Sr. tenente-coronel Joao Valeutim Vilella. Que
urna feliz estrella o acotnpanhe, e que seno mal-
grelo os votos, que fazem lodos os seus amigos
pela reatisajo do seu nobre e desinteressado offe-
recimenlo.
Um Pernambucano.
com elle vigario em raz,o de nao
fazeMbe nm favor.
Nao satisfelo rom ludo jsso escievi orna carta
ao Sr. vigario, afim de que me respondesse ao p
della qne transaejo tinha avido, e ae parte ha-
va eu lomado na sna nomeajo : carta e resposta
vo aqui transcriptas:
Illm. e Itvm vigario Camillo-de Mendonca Fur-
tade.-lteeife, 8 de agosto de 1865.Tendo o
t Rvm. Sr. Jos Amonio dosSojtos Lessa publca-
do no Diario de hoja, que deelarava da maneira
a mais solemne e explcita me nao concorrera
para a nomeajo de V. S. para visitador da pro-
vncia das Alagoas, visto ser*ella influenciada e
nicamente promovida por mim e pelo Illm. Sr.
conego da capella imperial Francisco Jo.- Tava-
res da Gama, a islo mediam certa transaejo
que mais adiante se compromette a por em pra-
tos limpos (expressio delle), rogo a V. S. que,
por amor a verda le declare se eu ou o Illm. Sr.
conego lavares da Gima tivanios parle, ou de
algum modo coucorremos para que V. S. fosse
t nomeado visitador da proviucia das Alagoas ; ou
se houve em algum lempo ejilre nos transaejo
de qualidada ou de especie alguma, quer publica
quer secreta, fosse para que lira fosse. Da sua
resposta me permillira fazer o uso que me
convier. Di V. S. muito atiento venerador a
criado. Cmego, Joaquim Ferreira dos San-
tos.
Illm. a Rvm. S1*. conego Jjaqnim Ferreira
dos Santos.Responden lo ao qne V. S. de mim
exige offerer -se me dizer-lhe que em lempo
algum houve tnn-aejao de quaiquer natnreza
entre mim e V. S., e menos com n Illm. e Rvm.
Sr. conego Gama ; e nem me consta q.ia Vv. Ss.
concorressem de quaiquer modo para minba
uomeajo de visitador da provincia das Alagoas,
oque atlirnioin^^sdCiv/o/M.
Recife. 8 de agosto de 1865.Vigario Camilla
t de Mewtonca Furtado.
Fiqoei satisfeito, por em quanto, com esta res-
posta, e disse que muilo rslimava que o Sr. vigario
eslivesse presente guando u padre Jos Antonio me
respondesse, porque o negocio ia Imige eu nao
o deixava assim, sem que a verdade fosse bem
esclarecida.
O Sr. vigario Camllo passon o dia !) de agosto
DO seminario episcopal, e ah continuou a fallar da
malquereiija do Sr. padre Jos Antonio para com
ello vigario, e, como eu ja di-se no meu ierceiro
artigo, repello cw /ii nem sempre se poden fazer
furores.o
Dias depois, na quinta-feira 17 de agosto, fo
o Sr. vigario Gamillo despedir* de mim, dizen-
do-me que parta para a l'arahyba. Manifesiei-lhe
o meu descontentameolo por elle se ausentar
naquella oceasio, em que muilo me couvinha que
elle se achasse presente : ao que o Sr. vigario
disse que o Sr. padre Jos Antonio eslava lonco, e
que na i uzease caso do que elle havia dito. Mas
eu Ihe lornel que o Sr. padre Jos Antonio havia
de explicar-s ou por bem nu por mal.
Despeilio-se de mim o Sr. vigario Camillo, dizen-
do que anda nos haviamos de tornar a ver antes
de se clle/ir embora.
Com effeito, na s-gunda-felra seguinte (21 de
agosto), indo o Sr. vigario Camillo a casa do sr.
padre Gama, onde eu me artuva, disse Ihe eu que
era convoni-nte que elle, anles de retirar-se,
Biesse alguma declarajo pelo Diario, ten-
dente ao que publicara o Sr. padre Jos Anto-
nio. O Sr. vigario Gamillo me responden que eu
ja tinha a declarajo delle, que a publieasse, que
era a mesma roasa. Ao que Ihe tornei, que a
resposta, que elle havia dado a minha carta podia
chamar-se graciosa; e que seria esta suficiente
se elle continuasse a residir u > Recife -. mas quo
urna vez que se retirava para fra da provincia,
era do seu dever declarar o que sabia a respeilo
do que afflrmava o Sr. padre Jos Antonio.
Respoudeu-me ento o Sr. vigario Camillo que
nenhuina duvida tinha em lazer a declarajo, e
qu- no dia seguinte ou no outro (22 ou 23 do
agosto) havia de sahir no Diario urna declarajo
da parto delle.
Passou-se o da 22 e o da 23 sem que appare-
cesse declarajo alguma, e no dia 21 (quinta-feira)
dirig me eu ao escriplorio do Sr. Dr. Joaquim Jos
da Fousef.a, meu advogado, e, contando Ihe o qtio
sa havia passado, isse-lhe que era necessario cha-
mar a juizo o Sr. vigario Gamillo, alim de que
antes de ir se embira fosse obrigado a declarar
peranle os tribunaes se tinha havido alguma tran-
sajo, e que parte libamos tido na sua nomeajo
para visitador das Alagoas.
0 Si. Dr. Fonseca jionderou-me que, entretendo
eu rel.icoes com o Sr. vigario Camillo, entenda que
nao devia proceder assim, sem eslar bem certo de
que o Sr. vigario Camillo era culpado; e que o Sr.
Ur. Fooseca me pedia licenja para, antes de lanjar
mao desse meio extremo, entender-se com o Sr.
vigario.
Aunuindoeu ao i|ue ponderon oSr. Dr. Fonseca,
escreveu S. S ao vigario Cimillo, pedindollie que
apparecesse no seu escriptorio a negocio de nrgen-
cia, e eu me retire!, catido de saber du resultado
no dia seguinte.
Com rueiio, na sexta-feira (23 de fevereiro) dis-
se-me o Sr. Dr. Fonseca que apenas chegara nesse
da ao escriptorio ihe apparecera o Sr. vigirio Ihe
responder que eu o culpava sem razo, que ja' ti-
nha mandado para o Diario a sua declarajo ha-
via mullos di as b qae ia saber do Sr. Figueira
qual a razio porque a nao publicava. Eu, que li-
nha anda minlias*duvidas, e nao estava para per-
i-me loja do Sr. commendador
Manoel Figueira de Faria, e ihe perguntei se elle
tinha alguma declarajo do vigario Camillo para
para inserir no /Jimio ; e o Sr. commendador me
D. Francisco de Paula, toma luto por lempo de vin- repartijao da polica.Extracto das partes dos
le das, a comejar de 16 do corrente, sendo os dias 13,14 e 15 de selerabro de 1865.
pnmeiros dez dias de lulo rigoroso ; a ordena que
a corte e os criados da casa real tornera o referido do corrente
lulo. A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, Aqui-
Na madrugada do da 13 do corrente houve lino Manoel Ferreira do Nascimento, Antonio Ma-
ncendio no palacio do conde de Lumiares ao Pas- noel, Manoel Thomz de Aquino, Manoel Francis-
eio. Em coosequencia do vento que soprava e da co da Silva, Marlioho Felippe Santiago, Francisco
antiguidade da construejo, propagou se o Incendio Jos de Souza, Vicente Ferreira dos Santos, para
com tal rapidez, que aioda antes de chegarem os recrutas, e Joo Jos Iguacio, que diz chamar se
primeiros soccorros j todo o cmmadeiramento do Luciano, escravo de Francisco Fernandes Dnarte,
telliado estava em activa combusto, e ja no pri- al que se verifique a sua verdadeira condijo.
raeiro andar pnneipiava a arder a peja contigua A' ordem do Dr. delegado da capital, Francisco
aquella ao que primeiro se havia communicado o Lopes de Souza, para averiguajoes, sobre crime de
fogo. roubo, e Manoel Pedro Alexandrino, para averi-
Tratou-se de averiguar se haveria alguem em guajoes sobre crime de furto,
perigo, soube-se que faltavam duas criadas, e que; 13
provavelmente estaara nos seus quarlos sitos nas A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, Joo
aguas furtadas e em local, a que o fumo espejo, Baptista da Cruz, como criminoso, Joo Pereira
que o encina, tornava difflcilimo o accesso. Ar- j Nepomuceno, como sentenciado, Jos Francisco,
vorou-se urna escada, foi efectivamente salva nma Joaquim Jos de Sant'Ann i, e Cassiano Pacs Ro-
deslas duas criadas, j meio suffocada pelo fumo,' drigues, para recrutas, e Lindolpho, escravo de
por dois empregados no servijo das bombas. Manoel Ferreira de Araujo, para correejao.
A outra criada que faltava liona consguidoe A' ordem do subdelegado do Recife, Joaquim
evadirse para o lelhado da capella do pala- Mariz de Abreue Amando, escravo de Luiz Puech,
ci, donde foi lirada, por outro empregado. ambos para correejao.
Pdese conseguir ao apagamento do fogo e sal- A' ordem do de santo Antonio, Simo, escravo
va cao da maior e melhor parte do edificio. de Joo dos Saotos Lima, sem declarajo do moti-
Utn desgracado acontec memo houve, quando j voe posto logo em liberdade.
se va prximo o conseguimealo da extincjo do A'ordem do da Boa-Vista, -alustiano Severioo
incendio. O segundo patro da bomba n. 3, Cus- do Espirito Santo, tambem sem declarajo de mo-
ladlo Zeferno de Brito, cabio de urna escada, com tivo e posto logo em liberdade.
a iofelicidade de partir o crneo de encontr
me respondeu o Sr. commendador que naquella
manha que Ihe tinha sido entregue. Que ha-
veria duas oras Ihe apparecera o Sr. vigario
Ca nillo, perguntando-lhe se nao linha sido en-
trege um pequeo escriplo delle para ser publi-
c cado ; e que respoudendo-lbe S. S. que nao, o
Sr. vigario mostrara-se contrariado, e sahir em
procura do portador. Pouco lempo depois voltara
a o Sr. vigario com a sua declarajo a pedido, e a
entregara, dizendo que o portador se havia des-
t cuidado de a vir entregar, e por isso houvera
aquella demora ; mas que a publieasse ja.
Isto me referi o Sr. commendador Figueira,
proprietano do Diario de Pernambuco ; e dando ea
indicios de que eslava persuadido que a declara-
de.ser inspeccionada, pelo menos urna vez por
aresla de um degrao
do (enmanto a morte
de cantara,
instantnea.
resultando-lhe
l.
FERNAMRUCO.
armo cada urna das alfandegas, suas delegajes e
mais estajSes fiscaes.
Os engenheiros do governo e os da empreza
Salamanca, que andavam estudando o caminhio ae
ferro do Porto a Braga, j conoluiram os seus tra-
balhos e vo apresenta-los ao governo.
Esto de qnarenteoa 110 bois vindes da Bar-
baria, no vapor CkaronU. Esle gado veo) para o
consumo de Portugal, eonsigoajo do Sr. Eduar-
do Price.
Pelo patacho FafH, entrado no dia li, vieram
noticia dos Acores, que aleanjam a 2 desie mez.
Na iiha Terceira projeela-se o estaelecimento
de ma colieglo em que se ieccionem tedas as disci-
plinas do lyceo, e alm disso nm corso d. lioguas
qne nao ha n'aquelle estabelecimento de instruc-
eio.
No da 4 de julho entran no porto da Harta com
13 dias de viagem a fragata americana Colorado,
da lotajo de 3,600 toneladas, e 52 pecas, Condu-
K8VIST& BUBU.
Honlem 15 do corrente, segundo acni versar o
do passamento do sempre lembrado Fre Sebastio
da Virgem, mlssionario apostlico do hospicio da
Penha, caniou-se nm memento, e disseram-se al-
gumas missas por sua alma, sendo o respectivo ja-
zigo visitado.
A memoria de vario to respeitavel, e qae tanto
quiz e bem servio a esta trra, nao ser esquecida
daquelles qae foram testemunhas das suas vir-
tudes.
Na ultima audiencia do Dr. delegado de policia
do 1 districto do termo desta cidade, a qual tere
logar no dia 14 do correle, foi processado e jal-
gado Joo Baplista de Souzado Amaral, isto por
que nsava da farda, diatinctivo e insignia que s
pdem ser asados por offlciaes dos corpos do exer-
cito oa da guarda nacional.
5ao era possivel que escapasse i vigilancia da. setembro be 1865.
A declarajo do Sr. padre Jos Aulouio dos
Santos Lessa.
IV
Tendo eu de responder a lodo o depoimento
do Sr. padre Jos Antonio, jurado espontneamente
Foramrecomidos a casa de delenjao no da 12 para merecer fe, nao me possivel seguir era ludo Qo tiuha sido escripia naquelle mesmo dia, o Sr.
a ordem que S. Rvma. seguio. Ha asseverajSes commeudador me disse que nao, que o esenpto do
que devem ser anteposias e previamente esclarec- Sr. vigario Camillo era de mais das, pois o papel
das: S. Rvma. leu na audiencia um depoimento estava suado e amarrotado, e com todos os indicios
que levou escripto de casa, (o masino que pubiicou de ter andado pelas mos.
no Diario de 9 do correule) a no tira desse escriplo, Eis aqu o que se passou a respeito do Sr. viga-
ou depoimento, que analyzare em todas as suas rio Gamillo e da sua declarajo, eestou persuadido
circunstancias, l-se o seguinte: que tanto o Sr. Dr. Fonseca como o Sr. comraenda-
Respoudeu finalmente que dous dia depois de dor Manoel Figueira de Faria nio reensaram a de-
publicada a sua declarajo, appareceu o diio clarar se verdade o que aqui digo ter-se passado
vigario Camillo oa casa da familia, onde reside com cada um delles.
elle notificado no lugar da Soledade, e depois de Passemus agora analyse do trecho do depoi-
t ouvir-lhe lr a narrajo, que acabava de expor a ment, que transcrevi no principio deste artigo :
i respeilo de sua nomeajo de visitador da provm- Pi imeiramenie diz o Sr. padre Jos Antonio que
< cia de Alagoas, respondeu peraote a mesma dous dias depois de publicada a sua dtclaracao leu
c familia o seguinte:Todas as circunstancias que S. Rvma. ao vigario Camillo a narracSo aue acaba-
acaba de referir sao a expresso da verdade, e va de expor em juizo. Ora a soa declarajo foi pu-
t referen) o caso tal qual se passou; mas se me per- bllcada uo dia 8 de agosto, e dous das depois sao-
f guoiarem bei de nega-lo sempre, porque nao o fa- 10 de agosto. Como pois, que a 10 de agosto ja
f sendo alirar comlgo na lama, e mostrar o modo o Sr. padre Jos Antonio sabia que eu havia da
c pouco indecoroso com qne fui nomeado. Esla chama-lo a juizo, e ja linha prompto o recado que
familia, cujo teslemunho elle declarante invocou havia de dar no tribunal, e o leu ao Sr. vigario Ca-
para a todo o lempo provar esta explcita con- millo T Que advinhajo foi essa I (1) S. Rvma. foi
lisso do dito vigario Cimillo, um documento notificado no dia 29 para comparecer na sesso do-
( vivo e effleaz para contrariar a declarajo que juiz municipal da 2* vara no dia seguinte : e en-
t elle vigario Camillo fez no Diario de Pernambuco tretanto ja no da 10 tinha prompto e pieparadoo
t nos das 26, 28 e 29 do correte. depoimento que havia de fazer em juizo : multo
Agora exponho o que se passou comigo, e depois adevinhar I Podera responder S. Rvma. que tiuha-
fare as observajoes que pede este lopico do depoi- o preparado como correspondencia, para ser publi-
a.lo nn llin.m raas nesS(J cas0 aQja (gy^ ^p.
14
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe
berto Gomes dos Prazeres, Feli
Jos Vicente da silva, Jos Braz
Ferreira dos Santos e Paulino
cao, vindos do termo de Ipojuca, como guardas
nacionaes designados para o servijo da guerra.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos Joa-
quim, para recrata.
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel e
Carlos, escravos, este de Luiz Puech e aquelle de
Trajano Barboza, o primeiro por suspeito de estar
(agido e o nltimo a requerimento de sea respecti-
vo senhor.
O chefe da 2" sesso,
J. G. de Mesqutta.
casa de detrmjao.Movimeoto do dia li de se-
tembro de 1865.Existan) 383, entraran) 9, sa-
hiram 13, existem 373; a saber: Nacionaes 280,
mulheres 5, es rangeiros 20, mulheres 4, escravos
65, escravas S ; total 379.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 184.
Monumento da enfermara do dia 15 de selera-
bro de 1865.
Teve baixaTheodoro Gomes da Silva, pleuriz.
Teve altaManoel Francisco Correa.
| CBMITEnlO PUBLICO, StyTUARIO 00 DIA H DB
ment do Sr. padre Jos Antonio.
Quaodo no dia 8 de agosto li no Diario a decla-
rajo do Sr. padre Lessa, e o meu nome de envolto
cado no Diario;
(1) Nas contas que o Sr. padre Jos Antonio
padre Jos Antonio se coropromeltia a por a pra- Joo e o Sr. Collares (porm smente assignado pai-
tos untpot, confesso que, a pesar do affecto e das este), pelo qual contrato o Exm. prelado ajustou
relajOes que o Sr. vigario Camillo sempre conser- por 1:500* a organisajo das contas da malriz de
vou para eomigo, eheguel a fazer um juizo ternera- S. Jos desde o Io de noverobro de 1856 al 30 de
rio a respeilo da inceridade da affeijo que me abril de 1864, da em que morreo S. Exc. Rvma.
consagra o mesmo senhor: cheguei a persuadir-me E se admira vel que o Exm. prelado adevinhas-
que havia acord entre elle e o Sr. paare Jo.- Au- se o da era que havia de morrer, e por conseguin-
tonio. Debaixo desta impresso funesta mandei te em que havlam de fechar-se as contas aioda
logo para o Diario urna provocajo ao Sr. padre mais admiravd que no dia em que elle fez o tra-
Lessa, para que declarasse sem rebujo o que pro- lo (! de fevereiro) ja' se conhecesse o numero dos
mettia declarar, e paz-me em campo procurando o offlcias e serventes que haviam de trabalhar na
Sr vigario Camillo, al que o encontrei pelas duas obra durante os tres mezas seguintes (fevereiro,
horas da tarde. Interrogado por mira sobre aquella marj e abril); se soubesse dos seus nomes, dias
publicajo, sobre a trantaeco, sobre a sua nomea- de servijo e jornaes, etc.
cao etc., respondeu-me que de nada sabia, que o E nao para aqui a adevinhaco I ao dia de fe-
br. padre Jos Antonio estava louco, e que havia j vereiro de 1864 Ja' se advinhavam os maieriaes
lempos que eslava mal cora elle vigario. Eu o que se haviam de comprar nos tres mezes segum-
convidei a que fosse comlgo a casa do Sr. conego tes, a quera se haviam de comprar, em que das, o
Ta vares da Gama; ao que elle acceden de bom porquantu. Sabia-se por exemplo qae a 30 de mar-
grado : e peranle este respeitavel sacerdote, e pe-' co seguinie se havia de pagar a Jos de Azevedo
rante mais outras pessoas afflrmou que nenhama Souza 112,8 por setenta caodas de areia. Sim : era
transaejo se tinha dado, que o Sr. padre Jos necessario qne se adeviohasse todo isto para qae
Aolonio eslava louco, e sobretudo que estava mal se fizesse o contrato oestes termos: c vista dos
\






-


Diario de I>C#oOi>4i< Hi*tHHU> i8 Je ce-ibi i 1U

besse eu ijaau aaJ-v. HujIu o afcarai.' .sentio!"
comas publteacSei qtie (era feiio algans /orna**
desta, cidade a respeil> uV,*c*o* do amenai' 3 *^
gu-*ra ; publicarse* para as rjjfoes a Sr, 8re_h,7#
naiaralmente Iludid*por algum intrgame ouW
aigam interessa lo, oslara talvez peraaadido que
ea hei concurrido.
Facam me o governo ej> publico a juslics que
Ins peco ; suspndanlo seu juizo a meu respetto
cana ju i o Rvd. vjgario Camillo se data por mu-1 emquanlo o negocio elucidado ante os tribunaes,
nao publirou esa correspondencia '? porque.
So acudi ao chamado ? porque nao fui por ludo
em pratos limpos, come prometiera 1 Pois nao va
eslar eu todos os das a aguilboa-lo para que appa-
recesse em publico e declarasse francamente qual
foi a trarrsaccao ? Acaso procedera assim o Sr. pa-
dre Jos Amonio porque se tiava por muito satis-
feto em comparecer-era juizo para fazer a decla-
racao, como S. Rvma. aflrmou na sua priineira
CONSULADO PKVli$UA. I
ften.Tim nto do da f a 14...... fr>: :*4$UT>
He'ivlp dh pt......rr,..ft
-l
RR80WAUENS.
Braz Ollio............... ..'. SfmoVs.
Lisboa.
i:i::y1i',tmo Cirios..........,.,.
-------------.! Alfliiio ile ltibamar...f'-
16:798-t8 i ferio de Rlbam*......
OTIMEHTO

n
to satisfeito em ser demittiio de vlgario geral no
tira de tres og seis mezes ? Emllm sao gustos. O
que cerjo que por mais tratros que eu d
imaginaban, nao posso romprehender orno no da
10 de agosto j o Sr. padre Jos Antonio sabia que
eu o havia de chamar a juizo ; ja' linha escripto o'
sen depoi ment, e o leu nesse mesmo da ao Sr.
* rio Camillo perante una familia que est
prompta a afOnnar o que o Sr. padre Jos Anto-
nio diz. Roo bem : pois en tambero afflrmo que
Htet vou presentar i a' urna ecrtt-adiceao flagrante.
>a correspondencia qne o Sr. padre Jos Anto-
nio puhlirou 110 Diario de 9 do crreme, cometido
Ilecifo 15 de setembro de 1865.
Francisco Jos alvao.
imimk0n a pedido
o publico.
Navios entrados no din 15.
Araeaty-18 das, hiate nacional Noto Invenctvel,
de 45 toneladas, capitn Joaqaim AntODh> da Fi-
gueiredo, equipagem 7, carga algodao aoutros
gneros; a Alves & Silva.
Navios sahi los no mesmo da.
Rio-Grande do Su I.-*-Patacho nacional ^ahipvedes,
capilo Manoel Jos Macbado. carga sal e agur-
dente.
Ouimart?.
Porto.
Teixeira.
Pinto.
D. Camilla.
). Je-uiaa.
Que um accionista do Banco Mercantil Portuen-
se lizesse publicar em um jornal do Porto a corres-
pondencia que se v transcripta no Diario de Per-
nambueo de quarta-frira 13 docorrente pJe adiar
tao somenie tima parte do que S. Itvma. disse em ,a|ve_ jUS,u,jacao no nleresse, que nisso levuu o
Julio, cornaca o Sr. padre Lessa deste modo : proprio assignatario della para flus, que mais tarde
(uando eu me pre|jarav.i para dar poolicida- s,,ro revelados; mas que alguem uesta pr.ica, aco-
de as explicares da minha declararlo publica- beriado cora a irresponsabidade, lomasse o empe-
da no Dtmiude Pernambueo n. 180, pelas quaes nho na gaa iraoseripeao. s pode .-er iraduzdopor
o Sr. conego loa pnm Ferreira dos Santos em sea deliberada disposicao de tnoie.tar me, visto como
t nome e do Sr. fionpgd Francisco JosB Tav.nes da 0U iutiibi de dar contas do meu procedimento a
dama tanto me tem provocado, fui a requer- ,,uam nao rec.onh.-eo cora direilo" da m'as pedir.
ment daque'.le Chamado perante o joizj muuici-( Se d)S factoSj aiu| qUl, (I)UI arlultera-ios na re-
t pal da -2' vara dest^ capital, etc. fericl correspondencia, vier a resultar queslo pe-
' r.i, veja o br. padre Jos Antonio em qw tica. rante os t,hQnaes do imperio, de bom grado acei-
No seu dt[.i.imento diz que Jous das depo:< da sua tiire 0 p|riit0 para 0ffdrecer ante a ractido dos jal-
pulilic.ifao p,.|0 Oiano, istoealO de agosto, leu ea(|orKS a-provas que planam.-nta dev^rao juslili-
perante o Sr. vinario Camillo a exposieao que r.-z ,.ar iqu||0 mesmo, a que a propria directora do
eiiijuizo; por coti.-eguinte ja a buha preparada e fanco Meicantti Portuense ja prestou sseob-
EDIfiES.
prometa.
Xa correspondencia de 9 do corrente diz que
quando o cliamei a juizo, isto no da 29 de agos-
to era iuando se vreparaoa para dar publicidade
as expltcacdes da sua declaraco. Ora bem : quera
jara assim tanto comoS. Rvma. nev ter inuitr bOa
memoria par nao rahir em contradiegoes deslas,
que pederfam fazer dnvidar do seu juramento.
Quanto ao .|ue S. Rvma, diz t.-r-.-e passado cora
o Sr vicario Caimito, nada sei, pois SS. Rvmas. l
se enteiuiem ; e segundo parece at creio que o
Sr. padre Jos Antonio tetn carta branca para fa-
zer o sr. vlgario Camillo representar todos os pa-
pis que Ule e oivein. Mas is*o nao eomigo : l
se avenham. liu pola miaba parte, romo o Sr. vi-
gario Camillo nao tem jurado, contino a dar mais
crejjio ao que elle diz, e a entreter as relaeoes que
cora ril mitro,conservando me todava a urna
res.iiiosa distancia de ambos.
Omlndo, jurando o Sr. padre Jos Antonio que
o vilano Camillo dissera que hacia de negar s*ni-
prre transacco ; pnniiv se o nao fizrsse, era ati-
rar coinsiijo na lama, e mostrar o modo pouro de-
corlo porque fot nomrado nao posso deixar de on-
servir que, a ser assim; laso um excesso de mo-
destia da parte do Sr. vigario Camillo, oude qoem
ment.
So entanto me dispenso de qualquer discassSo,
que ser inopportuna, e se houver occasio exhibi-
rei pelos tneios competentes ininlu defeza, que as-
senta na tranquillidade da minha couseiencia, na
ti>a f dos meas actos e na honradez de que me
przo.
Reclfe, 14 de setarabro d> 186o.
Jos Joaquim da Costa Maia.
A cmara municipal desta cidadw faz publico j
que em sessao desta data deliberou espacar para o
da 2o do correte a arremataeao d sois rendas,
anntinciada para o dia 16, devendo os coocorren-
tes a tal arrematado apresentarem as soas habi
litacoes al o da 19 para serem julgadas, sendo as
rendas de que se trata as s-egulntes :
Imposto de afferieo de pesos e medidas.
Uito de 80 rs. por carga de farinha
Aluuuel de talhos dos acoagnes das ribeira de
S. Jos e Boa-Vista.
A arrematagfio das demais rendas, antiunciarta
para o dia O, ser felta nesse mesmo .lia. Os
concorrentes a ella devoran apresentar as soas ha-
bilitacdes at o dia 18 deste.
Paco da cmara municipal do Recife em sessSo
de lo de seterabro de 1863 -Luiz Jos Perefr S\-
moes, pro presidente.Francisco
viagem, secretario.
fe
Comeeara' as 8 horas.
[\im lloriJa Est eom uiat rapidez espantosa transmittindo e
entresjando ao negro esqnecimento urna chusma da
essencias e aguas cheirosas para o tunesdor, a*
quaes bem que se diga, teem servido d'cma mi-
seravel deshonra ao gallineta da toilet, e d'um des-
prezivel desgosto todas as pes-oas de refinado
gesto. Alm da ser menos expendiosa do qoe os
extractos e esencias europeas, ella a mais pura
e delirad essencia floral exisicnte, e til j como
um exctente raeio bygienicopjssuindo superiores
qnalldades cosmticas; e Analmente j como de-
lirado e aprazivel adorno odorfero e delicioso. E'
nm mimoso e delicalo eomposio de ludo quanto
at, ao que ha de mais ajradaeel. Para os -senho
p5e oa bocea delle essa?palavras; pois rae persaa-1res q0e soffrem de irrltacao e ardencia da peile
doqiemulto mais honroso sena para elle flewcansada pela manipulagao da nivalha da barba,
asando des* balsmico e ffrigerante perfume, di-.
luido em agua, encontraran nelle a virtuda modifi-
cante, o antidoto neeessano, servalo ao mesmo
lempo, debaixo desta me excedente de dissipar o gosto e eheiro que tica na
horca deaoif da se haver fumado. (Aulas da pra desta agua, bom ser examinar examinar com
cuidado, se os nomes de Murray & Lanman, se '
acham inscriptos sob cada envoltorio, letreiro ou
garrafa, pois, claro esta, que na falta dos tnesmos,
totla a mais falsa.
Vende se as nharmacias de Caors & Barbosa, e
J. da C. Bravo & C. s
a sui rfomeago a tima transarrao feita com o Sr.
conego Tuvares da Gama t romigo, do que devela
ao qoe rralineiite se diz qna a deve, como eu pre-
tend i provar cmn toda a evidencia antes de lindar
a m nha amhjse.
Q lauto familia onde o Sr. paire Jos Antonio
resule, e cui i lestemuiiho invoca, apenas a conhe-
co por me diznrem que a familia do Sr. los de
Aiev do Sou/a, aque'le que fot porteiro do Exm.
bis i fallecido, e que Pin 30 de marco, asslgnou o
re i o ruja existencia ja' era adevinhada no dia Io
de f-vereiro, tudo do anno de 1864.
At logo.
Olinda, 12 de setembro de 1865.
Conego Joaqum ferrara dos Santos.
P S.Na data da carta do Sr. padre Jos Anto-
nio, |ue inser no lerceiro art'go, deve ler-se 1860, Entre as manitestacas patriticas que deu fe-
e nao 186o. No fim do artigo esta' a palavra /ir- liz assumplo a victoria do exercito alliado junto
mi s i, em lugar de fineza, que en bavia esenpto. Yatay, rec Conego Sanios. davel sorpreza que darramou no seio da populacho
..... ': o passeio militar do 3a corpo de voluntarios que,
I- a impar.i.lidade o primeiro carcter indis-; uniformisado e arregimentado, dirigio-se son flirec-
pen.-avel do juiz, a lal poni que mais vale ter por C ao seu digno commandante, o Sr. coronel Fran-
luiz a un ignorante do que a um parcial; e se isso ^ cisco Joaquim l'ereira Lobo ao paiacio da prest-
verdade, o que dizer-se da um juiz que, alm de i Cenca e ao qnartel general, ahm de saudar as
parcial ,- mmio escandalosamente parcial, esta- duas pr.me.ras autoridades da prov.nc.a e troca
pino littenrimente estpido ? Estpido to pouco
reservado e lio pouro malreiro, que nao tem meia
unta de lino para esconder a sua redonda estu-
pidez a.s albos do publico, pois que, uao saliendo
ao men s despachar unta simples pelicao, primeiro
a -tibmette a rnui necessaria observarn de algum
Hoir itagei ao nitrito.
(ionvida-seas pessoas que esio as
condi?es do servido militar, a engajapem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gens d i lei provincial D. 611 de 2 de maio
prximo passado, que 35o as segtiintes :
lWO rs. diarios de sold, serem seus li-
Ihos menores recolhidos aos estai.elecimen-
tos provinciaes de educaco e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm deslas
tetn todas as mais vantagens que sao con-
cedidis aos voluntarios da patria. O te-
nente-connel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe. _________________
fconsufado provlaclal.
O administrador do consulado provincial manda
publicar para conhecimento dos (levadores dos Ira-
p istos cobrados por lancamento pertenceotes ao
exercicio lindo em iiqnidaco de 1864 a 1865 a
portara do Sr. inspector da thesourana provincial
em .pie ordeua qua o pagament de seus dbitos
s podero ser effeetuados at o dia 30 do corrale
ao meio da.
Mesa do consulado provincial de Pernambueo 12
de setembro de 1865.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Portara.
O inspector da thasonrara provneial recommen-
da ao Sr. administrador do consulado provincial
que faca aoouaciar tima e mais vezes, que o pa-
garaenio dos impostes do exercicio prximo (indo
em liquidado, ser admettido at o meio dia do
dia 30 do carrete raez, para que as duas horas,
ao mais tardar, esteja recolhida a renda que se
houver cubrado atessa da.
Thesourana provincial de Pernambueo 2 de se-
tembro de 1865.
Jos Pedro da Silva.
THEATRO
N
SAUTO %.^TlWIO
(CA PUNGA.)
SocieJa-e dtamatica fh:ili;i Per-
bucaaa.
Deordem do lllm, Sr. presidente desta socieda-
de, convido aos Srs socios sem eseepcib de rlas-
ses, para no domingo 17 do correo'e pelas 10 1|2
h)ras da manbaa, reiinirem sj a sede da socieda-
de alim de em assemUR geral, tratar-se de nego-
cios urgentes a mesma sociedade.
Para a recita d'amanhaa qneiram os senhores
socios receber os seus bilhetes da mo do liel des-
ta 'uciedade.
Secretaria da sociedade dramaea Thalia Per-
iiainliucatia 13 de setembro n"c 1863.
O I' secretarlo,
Epamtnondas P. II. e A. de Vasroncellos-
4fB0!
COMPNIHA PEKN.\MBG\NA
DE
Ktvegaca* cnsteira por vapor.
liba de Fernando.
Ru dia 28 jo meio da segu
ara .dos vapores da rompanhia
para o porto acuna indicado, lte-
cebe carga al o dia 2?. Eti-
cominendas, passageiros, dinhei-
roa frel at as 10 horas da manha do diada
sabida : ei-enptorio uo Forte do Mattos n. 1.
em enthusiasticus acclaraaces os mais ardentes i
parabens pela asstgnada victoria da causa alliada. |
Quaudo apenas se sabia que um punludo de bra- i
vos se reuna ao mando d) Sr. coronel L >bo para |
compor iim 3o corpo da voluntarios, que lera ape-
nasaigwos dias de ornantsaclo, foi de effeito admi-
Perante a cmara municipal desta cidade es-
tao em prar,a publica nos dias 2, 9 e 16 do me-1
de setembro prximo viudouro para serem arre- j
matados pelo lempo de um anuo, por qoem mais;
ofTereeer, os impostos seguintes : o arrendamento |
da casa sita no ateo do Corpo Santo na cidade do \
Rerife por 8475000, dizimo do capim de, planta
GOlP^HIABUASILEai
paquetes'a vapor.
1 E' resperado dos portos do nor-
.>%?>&,\ le, at o dia 18 no correle, o va
rbula do lagar, ou mais frequenlemente ao velhol ravel que no meto dos phreueiicos applausos de
escrivo, qoe o sabe virar de norte a sul, como se
faz a urna bola de maileira I E'que tambem ha
bolas de carne, em que de balde se procurara um
ino\ ment proprio.
Nao s isso. O correlativo de estpido aire-
vi.l i, e insultante, desabrido, cobarde... e to
ousado que monta arroyos dobra o cabo de Santa i
Anna, a quera enlreanio obedece em publica ati-
dieneia com o servilismo de um pedante. E' li-
Dalmente mn aguia remetan I
lu juiz, em qualquer fiarte, e mxime em au-
diencia, deve respeitar e respettar muito distinrta-
mente as partes ; o exemplo vem do alto. Um so-
licitador tambem tem dignidade, e tanta que me-
r.. a irecia conlianca do sau constiluinte. Por-
gante i juiz maxinn inopinadamente, nao tem o di-
reito de, somenie pirque o solicitador sabe defen-
der a causa de sen constitunte, ameaca-lo com
pri-ao e processo e oulras brutalidades ilsse novo
San.li i Pansa !
To jw*. que to abertamente assim procede con-
tra i parte, ni despachando em sentido algum as
sua- peiip/i's, al as peticoes de certidao, podera'
continuar nessa causa?
Nao. Um jntz, que livesse consciencia dos seus
deveres, desde logo se averbaria de suspeito Mas
essa nao o faz ; a sua conscieneta cedeu obesi-
dad e.
Esperamos egae processo, e aqu o provocamos,
para melhor eslender em lypos agigantados o nome
que exprime una verdadeira antilhese.
Tornamos a provocar esse juiz infame e bara-
teador da justira, para que instaure esse processo,
que mnuuem po le ima?inar como sera' capitula-
do, porque ento mostraremos a verdade ; e o juiz
parcial. Ignorante, e-tupido, desabrido. Insultante I
e cobarde, fierra' conhecido, e a opiuio publica o ]
fara' de.-prezar, abominar e esquecer como cousa
to insignificante de que nao valha a pena a lem-
branea.
liecif-, 14 de agoslo de 1865.
V.C.
numerosissimoconcurso, se observasse a marcha re- (
guiar e cadeuciada a essa pequea forf.a que, pre-
cedida de urna msica patlicular e tendo a sua,
frente o seu intelllUeols commandante, fez um
garboso passeio, moveudo-se era disciplina e regu-
laridades e executaa lo evolueoes cora pericia e
destreza.
Felicitamos ao Sr. coronel Lobo, e ao distincto
cor|io qua commanda, por esta prova publica que
os recommenda adrniraco dos entendidos.
por Galgo, commandante o pri-
meiro lente Araujo, o qual de-
pois da demora do costume segui-
r' para os portos do sul.
Desde | reivhem-se. passageiros e engaja-se a
1:200*; coiueirosde pridQM&o para negocio 590, carga que o vapor poder coqduzir, a qual devera
afericao, sendo o arrematante obligado a aferir os per embarcada no dia de sua chegada ; ericom-
ineiidas e dinheiro a fret al o da da sahtda, as
2 horas : agencia, ra da Gnu n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Uliveira Azevedo & C.
s
MMEISIC.
Gaixi iilial do lia ico do Brasil em
iV cu a ni bu co.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil no Uto de Janeiro e sobre a caixa filial
me.^rao banco na Bahi.
Aforo banco de Pernam-
bueo.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno al o prazo de seis mezes,
fyovo brinco de pernambueo.
Os administradores da raassa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meitidos : no novo banco de Pernambueo ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do banco do Brasil em .
cenia ni: ni lo.
De ordem da directora se faz publico que a cai
xa desconta os saques de seu aceite, pralicados
pelo banco do Brasil, pela taixa de 7 0|0 ao anno.
O gnarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
rOBBESPONDENCIAS
Arsenal de gaerra.
Srs. redactores. -Pela publicado do expedienta
do goveroo da provincia o publico deve ja ter tido
coniiecitnento de qoe eu e mais dous companhei-
ros em pregados do arsenal de guerra foraos sus-
pensos e mandados responsibillsar pelo bxra. Sr.
presidente da provincia em virtude de actos de
malvarsacao, segundo diz a portar.a, e em face de
represenucao do Sr. director do arsenal,
Ancio.-o aguardava a orcasiao de saber quaes
os fundamentos da represenlacao do Sr. director
para ju^tilcar-me peran'e o publico e o mesmo
governu, nao tanto por amor do emprego que te-
oh i mquella reparliijo, e de que tiro os metos de
subsistencia para raim e minha familia, seoo por
amor de minha reputaco, to gravemente com -
promettida ante a injustica e desairosa imputago
que so me faz.
Boje senhor dos documentos queoSr. director do
arsenal levou ao oohectraento do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, pois que foi-me ja remettida
urna copla delles por ordem do lllm. Sr. Dr. juiz de
dire.l da 1* vara, afira de que eu responda sobre
sua inatetia, conforme manda a lei, venho rogar
ao governo e ao lespeitavel publico que suspen-
darn o seu julzo a mea respeilo emqoanto me de-
fendo perante os tribunaes, nos quaes (espero em
Deosj hei de ver reconhecida e proclamada minha
innocenci:..
Eu podtria aqui contar certas verdades e con-
fundir os que me aecusam, com documentos de
maior valia do que aqu lies que acompaniUranva
representacao do Sr. direetor do arsenal ; mas nao
o farei por OTa.Liraitar-ine-heia dilerque seria para
mim in; impreheosivel o procedimonto do Sr. di-
rector d -piris das provas de arnisade e cainfianea
com qoe me hourou constanlemenie, se nao sou-
817'/(KMinio* -consumes de contas e recibos
en..... a rBcelta e deapeza a contar d j Io de no-
i vembrode 1836 a 30 de abril de 1864 ele...
, (Veja-se o DuiWo de Pernambueo a. 164 de 20 de
julbo do corrate anno, pag. 2* columna no prin
ipio.) ilepto : este contrato nao esta assignado
pelo zm. Sr. pispo D. Joo : est assignado Uo
smeote pela ontra parte contratante, e por suas
tesiemunhas. Faco esu declaraco para qae nao
v alguem interpreUr maliciosamente o sentido
das minhas palavras. Eu s pretendo mostrar a
farilidade que tem certas pessoas para adeviobac
futuro sem serem thaaruaiorgos.
\o>o Banco de Pernambnco
O Novo Banco paga o dcimo quinto
videndo na razio de 8^ por acro.
di-
ALFANDEGA.
' (tendimento do dia 1 a 14......
' dem do dia 15...............
1.11:3814156
22:136928
173:5184084
MOVIMENTO DA ALFBEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 23
c c cora gneros..... 256
Volumes sahidos cem fazendas.
i t com gneros.
178
3)1
279
689
ecer-
Descarregam no da 16 do corrente.
Patacho hollandez kntje Havercult arroz
veja.
' Barca francezaMauncdiversos gneros.
1 Brigue inglezAlbtonraercadorias.
Barca nacionalValle-charque.
Brigue hespanholCarivaideen.
importaeo.
Hiate brasileiro Invenckel, entrado do Aracaj,
consignado a Silva dt Alves, manifestoa o se-
guinle :
24 saccas com 97 arrobase 16 libras de algo-
I do; a Francisco Gomes de Mallos Jnior.
22 saccas cora 99 arrobas e 21 libras de algodao,
750 couros de cabra curtidos; a Jos de Sa Leitu
Jnior.
7 saceos com 30 arrobas e 24 libras de gomma;
a Ferreira A Loureiro.
38 caixas com 54 arrobas e 27 libras de velas
| de carnauba, 69 meios de sola, 9 couros de garro-
! te curtidos, 30 saceos com 130 arrobas e 16 libras
de algodao, 1,100 courinbos de cabra curltdos ; a
: ordem.
Barca ingleza Mira 4 Cilta, entrada de Por-
. lland, consignada a Wilsous 4 Hetle, raanifestou o
seguinte :
224,000 ps de tabeado, 14 caita ostras, 10,000
telhas de raadetra e 7,000 estacas ; aos mismos,
HECEBEDORIA DE RE.VDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Reodimento do dia 1 a 44...... t3:4C74052
dem do di* 15...........--------- 8964463
14:OB345io
pesos e medidas pertenceules a' mesma cmara
8654, 500 rs. por cabeca de gado vacnra 48l 4,
mscales e boceteiras 344, casinhas da ribeira
I344")00, ga4o recolhido no curral 484500, repeso
do acougue 104500, cargas de farinha e legumes
154, gado suno 54620 e gado ovelhum 14636 :
os pretendentes podem comparecer nos menciona-'
dos dias com seus fiadores habilitados na forma
da le.
faco da cmara municipal de Olinda 26 de agos-
to de'1865
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque
Presidente.
Marcolino Das de Araujo
Secretario.
Sabbado a hora, na audiencia do Sr- Dr-
provedor de capellas e residuos, vai novamente
praca os pretos Francisco e Joo: quem nos mes-
mos quizer lacear, compareca no da e hora indi
cados, achando-se o escripto e edital em mo do
porteiro do juizo.___________________________^
Decreto n. 3,453 de 26 de abril de 1865.
O oficial do registro geral de hypothecas desta '
comarca ahaixo assignado, chama a aiienco da-
quelles, a quem interessar possa, para os seguintes
artigOS do decreto n. 3,453 de 26 de abril de 1865.
Art. 256. Nao opera seus effeitos a respetto dos
terceiros se nao pela transcripto, e desde a data
della, a transraisso, entre vivos por titulo oneroso
ou gratuito, dos imraoveis susceptiveis de hypo-
theca.
Art. 257. At a traoscripcao os referidos actos
sao simples contractos que s obrigara as partes
contratantes.
Art. 258. Sao snjeitos a transcripcao para que
possam valer contra os terceiros conforme os arti-
gos antecedentes.
l. A compra e venda pura ou condicional.
5 2. A permnta.
3. A doaco em pagamento.
4. A transferencia que o socio faz de ara im-
movel sociedade como fundo do contingente sa-
cial.
5. A doagao entre-vivos.
6 O dote estimado.
| 7. Toda a traiisacco da qoal resulte a doa-
co, ou transmisso do immovel.
8." Em geral, todos os demais contratos trans-
itivos de immoveis susr.eptiveis de hypotheca.
Em vista pois dos artigos citados observa o mes-
mo abaixo assignado que os contractos neUes com-
prehendidos para sua inteira validade depeudera
da formalidade essenctal da transcripcao ou regis-
tro, sob pena de acarretarera aos interessados se-
rios prejuizos, ede se tornaren) de nenhum tffeilo,
sempre que forem contestados por terceiros.
Fulgencio Infante de Albugiurque Mello.
A rrematago.
No dia 16 do correte mez, depois da audiencia
do Dr. Juiz municipal da 2* vara, val a' praga por
venda a casa terrea sita na travessa de Joo Fer-
nandos Vteira n. 26, freguezia da Boa-Vista, em
chaos propnos, coai 50 palmos de frente, 43 de
fuudos, 2 salas, gabinete, 4 quartos, 2 cozinhas,
soto dentro com janellas para os lados, quintal
grande com frucleiras, cacimba, etc. ; pela quan-
tia de 1:6004-
lrara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com milita brevidade a barca
nacional Restauraco, tem parte do sen carrega-
mento prompto: para rompleta-lo, e juntamente
para escravos e fretes, para os quaes tem exceden-
tes commodos, trata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo ti" C. no seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 1.
Linha do Havre Per-
nambueo.
Esperase a barra S/i/t tpie
sanio no dia 10 de agosto ao frete
de 25 frs. 10 v Recebe carga pa-
ra o Havre a fretes baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
et frere*.
lllia de S. Vigucl
A escuna portugueza Erna preteude sabir irapre-
teriveimenle al o dia 30 do corrente mez, e para
passageiros e carga irata-se pom o consignatario
Joo do Reg Lima, na ra de Apollo o- 4.
lelcss
LEILAO
Do deposito da ra a Seuzala Nova
numero 6.
m >B Salihailo 16 do corrente as 11 oras.
PpIo agp.r-te
OLYMPIO
LSlLl
De 1,600 lijlos de ladnlho, 1,600 ditos de tapa-
ment, 1,500 ditos de cacimba e 22 milbeiros de
alvenana.
Assim como
a renda annual do sitio Curtume na freguezia dos
Afogados.
ierca-fetra 19 do correte
as 9 1|2 horas em ponto, no primeiro andar
do sobrada da ra da Cruz n. 38.
O agente Pinto levar novamente a leilo por
despacho dq lllm. Sr. Dr. juiz espiicial do commer-
cio os otjectos cima mencionados pertencenles a
massa fallida de Manoel do Amparo Caj', servin-
do de base o raator preco obtido no leilo do da
12 do corrente, isio as 9 1|2 horas do dia terca-
feri 19 do andante, em sen oscrsplorio a' ra da
Cruz n. 38.
tik % rat^
DE
S. ISABEL
EMPEEZA-OOIMBRA
Kcclta extraordinaria.
A BENEFICIO DO ACTOB
NIUOEN.
Sabbado 16 de setembro
de 1865.
Primeira reprnseataco da comedia-drama em
3 actos, original portuguez do Sr. Cesar de Vas-
coaeellos
F\H1L141)0 to br\z
avisos PITUSOS.
CLUB rGRY4.HBl}C\'MA
Di .mingo 17 do crreme hnver reunilo
de familias.
Boaventura Rolngues de Souza, Porluguez,
retira se para o Rio
O mulatinho ijue annunciou precisar de 3Q0i>
para sua liberdade, hypothecando os seus servirlos
pelo lempo que se convencionar pode dirigir-se
ao caes do Apollo n. So, que achara com quem
tratar.
Sociedade conmeicial luio Pro-
tectora.
De ordem do lllm. Sr. presidente Vsta socieda-
de convido aos Srs. socios paja domingo 17 do
corrente pelas 7 horas da manha reumrera-se adra
de tratar-se de negocios urgentes da mesma socie-
dade. Secretiria da sociedade commeroial nio
Protectora 15 di setwabro de lfW5\
O secretario,
los Maria da Stlw Perra-
LOTERA
Miguel,
] Gira calo,
fMara..,
Momea..
1 operario-,.-................ Peixotn.
i" dito.......-.,............ Borgfs.
3o dltr..........,............ Santa Rosa.
Um offlcia de justica.......... EU
Um criado.......,............ N. N.
Operarios, officiaes de justica etc., etc.
A scena passase em Lisboa na astualidade.
Segutr-se-ha a scena cmica em que, o beneficia^
do imita dlfferenfs tvoos
0 PHOTOGRaPHO
Dar lim o espectacul i a comedia drama em 1
acto,original do Si\ Jj-c Roimuo, ornada de m-
sica
FEiO 1)0 C01SP0
BOSITO I ALMA.
I'KltSONAliBNS.
Antonio...................... Simo*-:'.
Francisco.................... Amoato.
Cnrispim..................... Porto.
Marianno........ ........... Lisboa
Guillada...,................ Teixeira.
Itamabc..................... Gira aries-
Isabel........................ D. Camilla1.
Bernarda, adela.............. D. Eugenia.
OlBciaese aprenjizes de ferreiiu.
O beneficiado pele desealpa aos Srs. assigunn-
les de dadeiras que uo vai pessoaimenie entre-
anulo di Boa Bar-,ne MS bilhetes por ignorar suas moradas, :>e
1 o qtiizerem obseiwiar \ndeitt mandar ao theatro
hoscar ii numero de suas assignaturas lioje por
>M<*'~'.x'."!-j.'z todo dia.
AOS tl'Orifr'Odn Oflferrrr-fl rima molher iortueueza para ama
xXV7>J \j>\J\j\J$VU\J, ^le casa di pouc.a familia ou homem solteiro: a
Corre ao d!;i 99. tam na fu da Canela do Recife u 1, loja.
Achara-se venda ira respectiva thesou- Os actuaes devofloMS as extinctas
rana roa do Crespo n. lo, us bilhetes, cojapanliias do Grao Para e MarohJo, Per-
mcio? e quartos da 2* parte da Ia lotera natobuco e parau-bsio pelo presente con-
(3-2*) a beneficio da matriz Je Sanio Amaro vidados a comparecer no escriptorio do
de Jaboatito, cuja extraegao sera no da abaixo assignado, ruado nipi; ador n. 42,
actna publicado e'no lugar e hora do eos- ouca-a de sua residencia ra do Destino n.
20, para ah tratareis amigavelmente do pa-
tume.
Os premios de 0:0005000 at IOjJOOO
sero pagos una hora ilepois da extraeco
at as i horas da tarde, e os outros depoii
da distriboicSodaa listas.
As encoiiiinenras s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extrscco
como de costume.
Servindo- de thesoureiro,
.los Kodrferues de Souza.
gamento integral ou amortisaciio de seus
dbitos as mesnw companhias, de accordo
porm com aquellas concessoes, que razoa-
velmente tem sejiprc estado disposta a fa-
zer a Exm.* junta de Lisboa.
Aquelles que o nao lizerem dentro da
prazo de 30 dias, cotila los da data do pre--
sent aununcio, setao nomeadamenie cha-
mados por este jornal o contra os mesmos
preceder o abaixo assignado a cobran.es
judicial, coiivi advogado da sopradHa Exm."
junta, de quem tem ji recebido as insiruc-
f5es e os poderes precisos. Kecife 12 de
letembro de r86*>.
Dr. Joaquim Antonio C. C. Miran 'a.
Muga se
FOGO* ; m in''''''i118 com ,8 annos ,ie i(,atle i13-
Aj j ra todoservico: na ra do Imperador se-
OOmpinaiH llldeiHniSaaOra r.u(fc andar do ,sbrado d. 16, prximo
estaiieleerda nesta praea, toma seguros martimos < iravessa do Ouvidor.-
sobre narios esa earregamentos e contra ftriw -m n
edificios, mereadqrrafl.e mobiliae; no seu eseplu-! '-*'"<>raem casad-. dis|msto e pratiro em
Jio, ra do Vigario d. i, pavimento terreo. i,l,do e 'l'^l'iuer servieo de agricultura, se ollerece
para administrador de engenho : quem se quizer
utilisar de seus aervifo, pode dingir-se o sobra-
do ii. 81. [ipmeiro andar da na do Imperador.
Precis-se para tnrw i-asa isPrangeira de um
bom ROHohetro ifne d lladnr do st conducta : a
tmtar na ra do Vigario o.!); 1- mular.
Quem precisar
dirija-si! a ra de Ap
do nina criada p^rtogueza.
Roga-se ao Sr. La Francisco de Barros-Re-
g mandar a loja n. O ti da riu do Crespo, con-
cluir o negocio que nao ignora.
Ausento-se de casa no dia !) do corn-nte t
preta Thereza, de na<;io, alta e seeea do corpo, j
de idade, rosto bezigo-o, o p esquerdo mais gros-'
so e com urna cicatriz em cima, levou veslidode'
chita cor de telha com pilminhas brancas, e nm
chale de algodao (botado : roa-se as autorida-
des e mais pessoas a qui'in compete, sua appreben-l
sao, e a entregar na ra dos Pires n. 18, que ser
recompensado!
Constando ao abaixo assignado que algoem ;
por parle de soa mn procura vender a casa ter-
rea sita a ru i Augusa n. 21 e otitra na ra do
Alecrim n. 2!l da freguezia de S. Jos desta cidade de Hsmael Duarte Aibeiro, ra da Cidria do Re-
o mesmo abaixo assignado roga ijue uinguem faca j clfe at a ra do Livramelo n. lo-: portanto ro-
Degocio algum com taes casas, visto que tendo el- ga-se-aoconscienciosoqno n achos e qulter resil-
la sido herdada por dita soa mil do avfl do abaixo; luir seu dono, o dirigir se a qualquer tuna das
assignado e ao n*-pois casando-se ella e normado I don* rasas cima, qoe se iinrdira quem o pre,
seu pai.sua raai nao prore bra ao inventarlo como jndieado, e sp gratilicara generosamente.
A quem. ach u
Tma pessoa digna de cimniseraco> veiho pai
da familia, perden hunt-'in a qjoantia de j805 em
duas cdulas de ,V>5. 0& e de 108, e rindas, e
dons meios bilhetes da provincia que corre boje,
todo mn um iMiibrniho do papel pardo, desde a lo)a
devia para darlhes o qainbo que p>r lei I he per-
lence^se da parle de seu pai. que lenha dneilo a
meacao do casal que devia ser devolvida ao abai-
xo assignado como scu nico lilho. Reclfe 12 de
setembro de 1865.
Antonio do (".armo Ferreira-

O primeiro lente da armada Ernesto Ig-
nacio i, irdiin, eairomamente pennorad > pa-
ra com os seus amigos que lite fizeran o
obsequio de assistir e acompanhar os re.-los
mortaes de sna muito presada esposa D.
Francisca Maria Serqueira Caraira, ao cerni-
terio publico, Ibes roga de novo o especial
obsequio de assistir a mis>a do stimo dia
que ter lugar terca-feira "as 7 horas da ma-
nhaa 19 do corrente, ua matriz do Corpo
Santo.
D'entre os muitos amibos a quem gralo
o annunciatite agfadec.e com todas as veras
do seu coracao os servieos presiadospor seus
especiaos amigos Mawraiaao Jos da Go.-ta,
Jos Kibeiro da Pbnseoa e Manuel Rodrigues
Alves.
Ji
CASA DA FORT J
Aos 0:000^000.
Bilhetes garantidos.
(Joem aniinuciuu qnerer 1:0600 a juro> com
garanta em urna propridade de subido valor, pro-
cure na ra dos Pires i>. IS, que se Ihe dir quem
quer.
ContraA-sa a venia de 50'a :ii! pipas com
exceiler.ie m> I de aro : a tratar no escriptorio de
Jos Pereira Vianna, na prag.i do C irpo Sant > nu-
mero 6.
Precisa-se de nm eaiseiro qae lenha prlica
de taberna e saiba ier e escrever bem : na-riu da
Aurora n. ai.
Aluga-se o lerceiro andar e soto oorrido da
casa n. 51 da ru^ da Caseta do ftecifi*, tendo lano
i no andar nomo no mho muitos couunudus para
numerosa familia, alem de um bello mrame de
! recreio, donde se gozi da melhor vista, aermeeado
l que lem tncanamenlo de gaz com os viriros- aom-
petentet: a fallar na loja da mesma casa>
....-.;... w*wmmmmm
-a Companbia lidelidade de segura *4$
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro-. S
ACE.1TES F.M I'Ell.NAMBL'CO >5
^ Antonia Luiz de. Oliveira Azevedo & ?, K
,^f. competeuleroeoie autorisados pela di rec- g
cS toria iia companliia de seguros Fidelido- v
" rias e prodios no seu escriptorio ra lo K.
#J Croi n. 1. &
mmmmwmtmm wm%&
m
S401ES
A* RA DO CRESPO N. 3 E CASAS DO COSTUME I *?e, IL,Scb*a e ?*5?t'ua-.
Oabaizoassignadovendeunosseus muilofel. j Jo*e da Sila Loyo & C. sacara sobre Lteboa e
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou | "orIj
deextrahir, a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia, os seguinles premios : .
O bilhete inleiro n. 2357 com a sorte de 6:000
O bilhete inteiro n. OiO-m a Borle de 1:200$.
Um meio n. 1760 com a torte de 4004.
E oulras inuitas sortes de 100, 40, 20 e
soiz nm
Itl I <.,>M IIIO
iORUA DO
IOJ000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tfvos premios sem os deseontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da 1" lotera
(32*) beneficio da matriz de Santo Amaro de
Jaboalo, que se extrahlr sexia-feira 22 do cor-
rente.
PRECO.
Bilhetes.....75W0
Meios......3A500
Quartos.....1*900
JE 1MURAI.OR
RAyCEL20
Participa a seus amigos e fre-
guezes que acaba de recebar mag-
nitieos relogios de ouro e prala e
correles de o uro para pglogios
do mais apurado gusto.
Conceita relogiet de qualquer
nalureza, calaos-de msica, e duu-
ra nao s relogios como qualquer objecto..
*: Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacan sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo o. 19.
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......3*750
Quartos.....1*700
Ma.nobl Martins Piza.
Para as pessoas qu* couiprarem de 1000000 Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da ra da Imperatrlz n. 30 para o
sobrado grande n. 2 defronie da entrada
para a Estancia, onde pode ser puocurado
! a qualquer" hora. Cnamadas para dentro
'da cidade podem ser entregues na botica
rSf^UUilttt Ido Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior Da
Perguma se se um.escrivo do civel e crime e ^praca da Boa-Vista, na dos Srs. i, C, Bravo
que tambem tabelliao de notas pode ser proposto & C. na ra da Madre de Dos, OH no ar-
para offlcia da guarda nacional. mazem de viuva Ravmond tt G. na la do
Quera estiver certo da lei fJ^eratM m \ Trapiche Novo das *9. horas da saabaa at
fara favor em nos esclarecer esta duvida, pois na K
muito ni Lre, serapre leal e mais aniiga villa da *s ad uroe. ^________________________
Sania Cruz, Santos Cosme e Damio de Iguarass i Pnooof ^a
se diz nao ser incompativel. x Ic\vl?hl~>"'
O farofa. j alugar no bairro de Santo Antonio urna casa terrea
. que lenha porto, paga-se bem : na ra do Qud-
mado n. 46, loja.
^v^
Confraria 1*1. S. do Livramento.
Convido de ordem da mesa regedora a todos os .
irmos desta confraria, a se reunirem em mesa ^ePf'KJlK '*-._
geral, domingo 17"do correte as 2 horas da tarde, ~* ItTPn^Tfli IF. C AT.H ATIO H
afim dse eleger o juiz da-confraria que tem de S UlrOl i U- UJi. bAIlbAiJU *
dirTgir os respedivoi trabalhos no anuo de 1865 a M FABIUCAW, XI CASA.DK BEfLXC.
1866. ^ lln;i \ova i. Ol. jg
Confraria de N. S. do Lwramento 13 de setem- An ^ eucontrarao. obras de di- S
tSSSs secreur,,>' 1ve,sas q"^> ^ vwU,U1 2
pama Meoeiros.____________________________ rjj diminuto, a. retalho- e em porcoes. P
ATTElCAO s se ve"dB a dmbeuo.
Nao poder azer negocio pessoa alguma com flflfHftJIjft^l flIlkflW MMWt
Manoel BenerKeto do Espirito Santo com a casa-da Na M)a da K|orenitnA. n. 36 nrppara-se comi-.
roa do Jardim n. 20, que do menor Casiriciaao, da com ace98 prompiid*) e por preco razoavel.
que o fallecido av<> fe, doarao que para fillios e _____-----------------------------------------------------
netos_eest passado no cartorio a escriptura. i \^t .ijj>/ SIll/tfS
"JooFerreira de Souza faz sciente ao res- 7
peilavel publico e cora especialidade ao aorpodo Contrabi-se para o camiiilo de fpr o ae-
coromeroio, que vendeu a sua taberna da. rna da Apipuis IG.Oft) sobpas de madenas de
t&^fto^fcX'TtSzsz ****-**:"" f'me e",:,s diri*
racada de dbitos e qualquer onus : se alguem se ja-se di.JJ"ii> O'o. ente me,'., i ra
juJar com direilo a qualquer reclamagao dirjase do Isi!))rM'ii t m. 53, se^'iindn andar, para
a mesma laberna no pra,so de tres dias. Recife 15 trataK J,, ajuste.
de setembro de 1865. _
_________________Joo Ferreira.de S<>uza. ^^
Pngio no di 4 do correte urna preja da ^eck** 4 nata ama ..ara rasa de familia der'
Costa de nome Isabel, representa, ter 40 annos de ,, M$mH m ul rna
idade, balxa, muito preta, engos, costnma em- "^ v_ -.. ,, ,..*.
bresgar se, levou vestido de tbitA encarnado, chale KSCKIPIOKIl).
azul, lem sido vista nesta cidajle oseas arrabaldes^ Alnga-se para escriptorio o aurUr do sobrad.
amia vendando Iradas i i.u-tras coosas em um la- n. 62da ra da Caleia : a Iraur uo segundo aa-
boleiro : roga-se as autoridades policiaes a sua.dar do mesmo.
apprehensao e mandem a' rna da Cajeta Vellia u.
I, que se pagar lodo irabalho. |
Domingo 17 do corrente mez est abwlo o
novo acougue da ra de Santo Amaro, e ahi eacon-
traro os consumidores boa carne, primeira. qua-1
lldade a 160 rs. a libra, sera falta alguraa._______
Aluga se ara mulatinho de 14 annos proprio
para criado, de excedente conducta : quem pre-
tender dirjase a roa da Iraperalriz n. 2.
Aluga se um sitio na rea de Joao Pernandes
Vieira n. 54, com urna grande casa assobradada,
tendo excellentes commodos paja grande familia,
estando o sitio plantado com boas arvores de fruc-
to, assim como existe tambem no sitio nm grande
te I hei r o para o joge da bola, com todos os ?x*s pre<
paros a tratar na roa luceu tv. 137.
Precisa-se de un fcitor para um engenho o*
comarca do Bonito, distante rqui tres leguas : a
tratar na ra larga do Rosario n. 27.
Preeisa-se de urna ama para cozinhar e fazer
o mais servieo interno : na ra do Imperador n.
35, segundo andar.
Precisa-se abigar urna esorava preta,
de meia idade, para o servieo de urna pe-
quena familia ; roa Direita n. 45, loja.
Ama.
precisa-se de una ama para casa de hoMiem
solieiro, e que saiba cozinhar : na ra 4o Impera-
I dor n. 87.
I#*
!T


Diario e V enuitrac* Sabbado i ie ftetefttbro d kl.
i
Oompanhia
g
eral hespanhola de seguros
sobre a vida

mutuos
\UTORISADA PELO REAL DECRETO bE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma Ranea em dinheira, depositado nos cofres do estado, garanle a boa da
ministraco da companhia.
DIRECCO GERAL
Madrid : Ra do Prado n. I
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de llespanha
Esta companhia liga pelo systema mutno todas as combinarles de snperviencia dos sfgu-
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripto de maneira que em nenhum caso moni |h diiucs
curado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL que ainda mesmo dirainuindo urna terca parte do mteresse produiido em recentes liquidai
cesecombinando-ocora a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pelacompanh--
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, uma imporsicao annua.
de 1004 produi em effectivo metlico: ..
No fim de 5 annos.......1:119*300
. de 10........3:942*600
. de 15........11:208*200
, de 20........30:256*00
. de 25 .......80:331*000
as idades menores do 3 annos e maiores de 30, os productos sao inais consideraveis.
ProspecDs e mais informacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaqaun Fiuta de Oliveira, ru da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatnz n.ll.estabel
ment dos Srs. Raymuodo.Carlos.Leite 4 Irmao.
| CASA DEBANHOS.
Ra a Cruz n. 17.
A abaixo assignada, tem a honra de
participar ao publico qne o seu estabele-
cimenlo cima mencionado, acha-se hoje *
funecionando mnito regularmente, pro- Wi
vido de todas as accomroodacesnecessa- Ai
ras e sobre ludo com alguma limpeza. ^
Os ures Cedrim i C serao recebidos :n o Bf
meado do mez decutubro vindouro, os da 5v
casa tero a lirma da abaixo assignada, w*
e sero como dtiles transmissiveis. Sj?
Tabella dos preeos.
1 assignatura mensal rom direito
a iim banho diario a 320 rs..
1 dita de 30 cartoes transmissi-
veis a 360 rs................
!|2 dita de 15 ditos a 400 rs....
1 banho avulso, momo ou fro ou
de. chovisco.................
1 dito aromatizado curo agua flo-
rida........................
Os medicinis sero pelo prego que .-e
g couvencionar:
h u estabelecimento estara' aberlo nos
2 <"as uteis das G da manha as 10 da noite
fit* de, havendo chegada de vapor estara'
;? aberto por mais algnm tempo.
mi Mathilde G. Lessa.
*>c,s^sg, va
UMA GRANDE DESCOBERTA
0#EQ
deFIGADOdeBAGALHAU
TADO
MEDALHA
OE
HONRA
O^riG^
As propiedades medicacs do oleo de figado de bacalao lo rao unni-
memente reconhecidas. Mas seo cheiro e seo sabor to desagradaveis
tornio o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos c aos mais condeseentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevribr que Ihe permettio de
desinfectar inteiramente o oleo de ligado de bacalhao sem alterar suas
prepriedades tem sido vm dos mais lelir.es problemas resolvaos pela
therapeutica moderna.
O oleo deflgado de bacalhao desinfectado de Ghevrier,
oom um clieiro agradavel e um sabor tssucarado, e o nico que nao
em nem gosto nem dteiro de peixe.
Objeclo de numerosos relatnos scientifcos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e reeeitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de ligado de bacalhao ordinario. Tcndo as mesmas
propriedades do oleo de ligado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
Maleatiaa fcrfulm.
Itarhillama,
Ohmriirro dan laara,
TlMrn |>ulmaaar,
Maleatiaa da prllr,
coiailtulro lymphallca,
Anrlilla dchllldadr, rraqurra,
Magma,
de
rekrru da i>n(ur,
1 ralfamriil* par rirrmm
trakalha oh de prazerea,
Molrnllaa das krouchlaa rreru
tea aa ehraaleaa,
Ti perilaasea,
Gaatrltea, gaatratglaa,
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado feruginoso de
Chevrier constitue o melbor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accao to efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vas digestivas, se assimila milito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipado.
As pessoas as mais delicadas que nao podom supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderao com a nova descoberta do Snr. Chevrier, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, lomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
sejado ; julgamos intil de os enumerar.
i
9*600
10*800
6*000
500
1*000
Dorea de clama*.
Elle convem a todas as compleicocs e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimen lacio das crian cas f tacas e doentes.
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observares medicaes.
Deposito em Parts, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
Deposito geral em Pemarabuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
LIQODACO GEM
OS PARA GUAYOS
E' a ordena do dia I Acabar com os Para-
gu.yos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouragados armados
' de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
1120; extermina-los em summa a espada, a
fa 8o e a ponlial de que se trata; mas
ninguem se I- mi i ou anda de esmagar os
Paraguayos con as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com elles a tac3o e a ponta-
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga abra, arranca U eos,
quebra marmore e oulros que se vendem
45 RUA i.IKKIT.I-.I5
JL
NO
rm
GRANDE ARMAZEM DA fXPOSQllO DE LONDRES
~i
Aluga-se
o sobrado o. 71 do caes de Apollo : a tratar no
secundo andar do sobrado n. 62 da ra da Cadeia.
Samuel Power Johnston & Companhia
Ruada -erzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuu Machinas a vapor de 4 e.6 cava I los.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taias de ferro coado e balido para enge-.
nho,
Arreios d carro para um e dous cavallos.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura._________________
O SrTjno Miguel de Oliveira eraido qneira i
dirigir-se a tua Nova n. 60, a tratar de negocies
que Ihe dizem respt-ito.
mmm mmSBSKm mmmm
2K O r. Can lino Francisco de Lima San-
w^ tos contina ;i morar fia ra do Impera-
aaK dor n. 17, egundo andar, lendo alias sen
| gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se lem dado ao
Uk estudo tanto das operac.5es como das mo-
f lestias internas, prestase a qualquer cha-
i mado, i|uer para dentro quer para fura
|flt da cidade.
mmmm mwmwwm mmmm
Kiauca e Brasil.
O Sr. Marcier, alfaia'le francex, precisa de bons
offlciaes e boas costureiras : a tratar no largo do
Corpo Sanio n. 7.________________________
Fabrica de chapeos de sol.
X. 22 i;ua do Qiieimado 22
meloVSS "hde"eda*?Dg 'fftneezaf !i"! dr d^"8 preleDder dirija se a rua do ,n,Pera-1 gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para ilres.figuras^ etc^ cajeado dos principaes fabricantes de Pars e ditos de pan- Mf
palka, brim e panno, ombrelas para senhora, de i
seda e chita ; tambein se acha na dila fabrica ben-1
gallas, chicotes, fumo, cachimbos e chupeta? : to-
008 estes objectOs se vendem por prego omito
commodo; robrem-se tambem chapeos, e faz-se ;
todo concert pertencente esta arle.
8000
ii-snoo
para senhoras, en-
eilados....... 5,5500
com laco e fivella .. 4^800
o^OOO
Borseguins para meninas bom
3&QQO 2i$000
Sapa tos detona, sola elstica.
1^600
1^600
econmicos para se-
nhoras........... ISOO
com salto de lustre.. 2^240
Chineloes do Poro.......... 16600
Um completo sonimei to de calcado da
trra para liomens. senhoras e meninas;

FRiS.

60 Rua da Cadeia do Recife 60.
Todos os arligos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
de Pars, Londres, Birrningliam, Mancliester e em diversas cidades da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condices
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmenie por querer inteira-
mente liquidar e ler de partir mui breve para a Euro; a.
Ha neste vasto armazem tic s objectos com brilliantes, como boles, aunis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
ouro, como trancellins, correnloes, anneis e muilos oulros artigos, relogios de otiro inglezes do afamado fabricante Bennetle; com-
Precisa-se de urna ama para comprar e co- pleto soi tmenlo de fa/.endas finas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.
linbar : a tratar na rua estreita do Rosario n. 12, t. PIVER. Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgant), Violet, Societ Hygenique, Mompelas,
primeiro an ar.-------------------------_------|Mailly, Regenier, P. Guelaad, e inglezas de Eug. Rimmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc., fabricadas na e
de Santo6Antonio'aueVnha Solntif oae msIa China e n0 Jap3' ricas pe?as de cry8tal fin0 como ainda n3 aPPareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas. \ pendencia n. 11, ioja .ie bhete*.
fazer uma estribara para dous cavallos: atratar |dltos Pari.gaz 5 para ^i60.' serpentinas^castcaes^nfete^ adornos para cima de consolos e para gr-nde toilleite, o que se tem com|)ra.5e 0uro7 praTTpe
nesta typographla.
Um menino bem educado, de 14 acnos, se
offerece para caixeiro de alguma Ioja de fazenda
h Aluga-se a padaria com seus pertences na
{roa Imper al n. 199 : a tratar na rua de lionas,
aberna o. 1.
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
Precisa se alugar uma escrava que saiba fa-
zer o servico iuterno de uma casa de familia, ex>
ceto cosiohar : na rua da Madre de Dos n. 36.
primeiro andar, ouna rua da Cadeia n. 51, ter-
ceiro andar.
Precisa-se alugar uma prea que se ja boa co-
zinheira,paga se bem : ni rui do Pilar a. 6, st-
brado encarnado.
O abaixo assiguado declara que deixon de
ser caixeiro do Sr. Galls desde o da 14 do corren-
le, assim comoiacha-se desonerado de toda e qual-
quer responsabilizarte para com o dito ;enhor.
Francisco Rodrigues Pinheiro Jnior.
Sitio.
Precisase alugar um sitio para pequea familia,
al ao Manguinho, Soledade, estrada de Jaio de
(tarros, e suas proximidades : a tratar na rua da
Cruz n. 33, Recife.
Comprase efectivamente ouro e prata em
juras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
Rosario u. li, Ioja de ourives.
Silvino (juilhei me de liarros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
BETR4TIST4S
Firmino & Lins
\o\ o e^labelecimeoto de retra-
tos ara Xo\a n. 15, Tan-
dar, junto ao Sr. Gautier,
dentista.
Tiram retratos todos os das, das 7 horas
da manh3a as 5 da tarde, quer chova ou
nao.
Tambem se offerecem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunciantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanten) ao publico
que nenhum trabalhosahir de sita offiei-
na.sem quenio seja perfeltamenle acaba
do, e a vontade do fregoez.
mmmmmmmmwMwm
mm
urna
m
AMA.
Na rua da Uniao casa n. 37, precisase -.
ama para cosinhar e comprar.
mmm mwm-mmmmm
O hacharol
Francisco Au^nst* da Costa
ADV8GAD0
Rua do Imperador numero 69.
mmtim mmm mwmm.mm
Pharmacia especial homeopalliica, do
Dr. Sabino Olegario L. Pinho.
RLM NOVA 9i. 43.
Vcndemse por presos commodos, os melhores
medicamentos homeopalhicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubo?, glbulos inertes, chocolate ho-
meopaihico, escovas elctricas, apparelhos para la-
var os olhos, etc., etc.
V'ende-se o TUesuuio homeopathico, a melhor
obra que existe para a patrii-a da homeopathia.
O Dr. Sabino da' consultas todos os das uteis
desde 10 h ras do dia at duas horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as circuns-
tancias as exiglrcm.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
Auga-se uma casa terrea com 1 sala?, 1
quartos, cozinha fra, na rua do Socego n. 47,
Campo-Verde, e outra dita com os mesmos com-
modos, na rua da Amizade, na Capooga : a tratar
na rua do Rosario n. 56 em frente a rua do Aragao.
Aluga-se muito em con'a a Ioja do sobrado
da rua Imperial n. 61, com bons commodos para
familia : a tratar no mesmo sobrado.
Preeisa-se de uma escrava para casa de duas
passsoas : na rua da Penha n. 13, I* andar.
Na rua do Imperador n. 83, segundo andar,
iirecisa-se de uma cozinheira ou cozinheiro, e que
compre.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 5
Io e andar, onde pode ser procu
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre e seguinte
1 molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos o g5os geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as i 0 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
I ?o que julgar conveniente para o
I prompto restabelecimento dos seus |
doentes.
hhmhhhMh mm mm
Ittencao.
lili* ^Hl VMl -.'O *' *.-*' WV7a VillUO W lyiJUlllUOlIKlg"! IU | lUliHIHO HIpIVU.', IViOIHUlOIIIU.' >''in 11^1,1.' Illilil.-, UIO I, llt/IH OUH-UWJ/IUJ \t\S il (1
53, I } I vcnc5o e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa ; grande sorlimento da brinquedos finos para i riancas,
cu- i bonecas fallando papae emame ; grande sorlimento de candieiros a gaz, o que se tem feilo de mais elegante e que le
v pedras preciosas,
feilo de mais elegante em Pars, Londres, Rirmingbam etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para cha e cafe, os quaes em em obras velhas: na rua da Cadeia do Recite,
I nada sao inferiores prata, e muitas outras pfcas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para trancas de senho- leja de ourives no ^rco da gogeaigo-________
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha ecaf, ditos para j nlar, e immensos arti-. Compram-se moedas brasiieiras de 10
na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff&C, realejos modernos de Gavol & C, para se tocar na | .lomaes para eiubrulli.-'
i rua, dilos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modernos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para j Compra-se na fabrica de cigarros amiga rua dos
. thealros ou sales, dltos de phantasmagoria ; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; slereocopios de nova in-;Q"- wgj*<1|> i'"i'cia n. li.a i'tQrs. a libra.
ej Comprase carosso (sement) de algodo : no-
tem! armazem de algodao de Saunders Brothers A C,
I merecido loda a aceitado na Europa, grande e magnifico sortiii ento de ca xinhas, ceslinhas e outras galanteras feitas dn. crina e seda, ino caes e po a----------------------______
I, propros para presentes ; grande sorlimento de estampas fin s coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com! g^^^8?m'^mffi!l?* our? bra5ileira.s de
m figuras e ditas com novas paysagens para cosmoram, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello c'iafariz de crystal \ bem pecas ponogootas' ue "Ve le^con'I
j^ proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim; cuidara fina, como lalheres com cabo de metal fino, colheres, thesouras linas,; por ceuto na praca do Corito Santo n. i, primeiro
m ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, canivet*s e outros arligos, diversos artigos feitos de rame ; completo sortimento de i andar. _________________________
I mascaras de veludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros ; camas de ferro de todos C(HUT)rn-S6
; os tamaitos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartees de visita e ditos grandes e pequeos para retratos; chapeos de sol, benga- nm ca(.norro ,|lie'eeja Jan.1e p;ira nm sil0 e por
las, chicotes e ditos para carros; machinas para faer caf, ditas para bater ovos, propris para qnem faz po-de-l, bolinhos, etc.;' sso querse que seja ralala': a tratar na rua Di-
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes b pequeas para viagens, e outros arligos, como cobert res, malas, etc.; sortimento de reita n. 10.
Ivioles finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras Docas de cha rao para toillelle; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retrais, grandes e pequeas; lindos baioes de papel fino transparente e lanternas
'coloridas para luminaces moda de Pars; salva-vida deborrcha, para liomens e senhoras, propros para quem toma banhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscomos inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
; los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na rua da Ca-
! deia do Recife n. 60.
NO GRANDE AR
MAZEM.
FUMARIAS FIAS
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
compram-se
Francisco Garrido, anligo proprietano do hote
Trovador, sito na rua do Rosario, de volla de sua
vingem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto desta capital como do centro da provin-
Para completa Iquidafo vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegadas recentemente
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus & G., Lubin, Sociedade Hygienca, Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud A Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes lia grande sorlimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em garranchas e vidros de difieren-
tes modelos, pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos oulros arligos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
t^MmS^SSfSSStfJSB armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n.60.
nado Travista, onde acharao os seos freguezes
PARA SEVIIOKAN.
Ricos e modernos penies de tartaruga para tranca de senhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui lar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
Compra se tima escrava sadia e sem acha-
ques : quem a liver dirjase a rua Formosa n. 10
para datar.
OnQas hespanholas e da patria
na prac da Independencia n. ti.
Compra-se ou aluga-;e dous escravos :
no armazem n 12 rua do Apollo.
Comprara-se
moedas de ouro de :&. 10,3, 9, 16 e 10 com
6 por cenlo de premio : na rua da Madre de Dos
D. 14.
VENDAS.
Offerece-se um bom ozioheiro
rua da Assumpco n. 71.
a tratar ua
Precisase pelo lempo de 4 a 6 mezes da
quanlia de l:000J> a juros de 1 0 0, dando-se por
garanta urna propriedade do subido valor quem
quizer fazer este negocio annuncie por este jornal. I
Domingos Rodrigues de Aodrade na roa da
Cruz n. 33, saca sobre a praca do Rio de Janeiro
a praso oa a' vista.
Carlos FraiciscoFerreira Rorges 4 C. deca-
ram que diMolveram amigavelmeuie a sociedade
qii" tiniiam na taberna sita oa rua do Codorniz n.
o, ficiDdu n activo e passivo do estabeleciioento a : oras da larde, na sala das respectivas si
cargo do socio Borges, desde o dia 15 de agosto
prximo pas.
os seos
sempre a melhor vonlade para bem os servir, a
par de excellentes vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo estabelecimento, qur para fra, e
dentro da cidade aos que nao quirerem ou nao po-
derem vir a seu estabelebimento, sendo pelo preco
j mais mdico que tm outra qualquer parle. No
' mesmo estabelecimento acharao os seus fregoezes
buhares para recrearem-se, bem como sorvete to-
das as noites para refrescarem-se.
Casa de banho
m Largo do (armo n. 26. M
Este estabelecimento to i>em montado fr
k na sua origern acbava-se de ha muito aa>
5 em qoasi completo abandono pelo pouco I
*i mteresse de sua administrara <.
m* Hoje que o novo proprietario empre- 2
2* gou lodos os rneios para restabeler a Jm
I grande ntilidade deste estabelecimento, ttl
pode as segurar ao publico que qualquer i
que seja o numero dos concorrentes JS
5- acharao desde j promptidao e aceio nos W?
\> banhos trios, momos ou medicinaes, a *^
.% casa dos banhos se achara abena todos iK
dias das 6 horas da manha as 11 da C<
noite.
Precos. |K
Banho de cboque....... 500
2 Dito fro ou momo..... 500
m Dito de fa re lo......... 15000 H|
Dito medicinal seri se-
gando sua qualidade.
j|g Assignatura. *'
Por mez banho fri oa momo. 10^
25 car toes -.ara banho fro, mor- R
mm no ou de chuvisco.......... I0 mi
>j/ 11 candes para os mesmos... 5 SJ
^ 11 ditos para banho de farello. 10* *$
iniiii mmmmmmm
QABIMjETE
PORTLTil'EZ B Ltiil'IU EM PER-
M I ruco.
De ordem lo lm. Sr. director scientiOca-se aos
senhores ascudos, que as sessoes ordinarias da
directora lero lugar as tercas-feiras as 6 !|2
Precisa-sed- um arnassadir: na padaria
atraz da fondico do Sr. Starr.
O abaixo assignado faz sciente ao publico
respeitavel corno do c mmercio, e a seus amigos
amigos e freguezes, que tem aberto um escriptorio
de commissdes na ruada Cruz n. 41, offerecendo
seu presumo e bous desejos no desempenho de
ludo quanto se digoarem encarrega-lo tendente
a-juelle genero da estabelecimento, promettendj-
Ibes o maior zelo e (nceridade em lodos os seus
encargos.
AnDnio Bezerra Cavalcaati de Albuquerqae.
Secretaria da directora do Gabinete Porluguez ne ajriz liMa de Mr.
de Leinira em Pernambuco 11 de selembro de,
1865. ----------------------------------------
J-x- VSSSk. ***** p^t*
IiUVAS WOVAS HE JOEYE1T.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar: no grande armazem da Exposicao de Londres, na rua fia Cadeia do Recife n. 60.
PHOTO CR % PHIA.
No grande armazem da Exposicao de Londres, rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da (mperatriz Ioja de Mr. Dubarry n. 8
e na mesma rua Ioja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadroj de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Braga.
Amarante.
Vista geral de Gnimares.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa ta ponte da Barca.
Coimbra.
VISTAS DE PERNAMBUCO.
Tiradas na occasto em que S. M. o Imperador aqui esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanbando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do (timo.
Theatro de Santa Isabel.
Rna da Cruz com a pyramide.
Torre d i Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rna do Collegio com a tropa.
Paleo do Collegio com o palanque.
VfA(;EM A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invencSo com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidagao no grande armazem da Exposicao de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im-
Dubarry n. 8, e na mesma rua Ioja de miudezas n 54.
ilgodo Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muilo superior
qualidade : vende-se no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Sanio
numero 19.
Vende se mu kora cavallo de cabriole!, boni-
to em co- e tamanho : na rua nova de Santa lina,
ribeira do peixe, armazem n. 19.
Baixo
Vende-se um baixo por 155
ralriz n. 13.
na rua da Impe-
Cosinhcira.
com o retrato de orna senhora : quem achou-a,
Precisa se de uma mulher que queira ser cos- (.uerendo enlre|!.r, Tuadas pl0- 37, sobra-
nheira em urna casa de familia : tratase na rua j g(jra ^ r?celBpeSaa. '
do Sebo n. 3o.
Criado
Perdeuse hornera a noite (13) da rua das Pie- precisa-se de nm criado forro ou escravo : tra.
res e Sol na r Nova, uma pulse.ra de cabellos u_ge dt$ 8 2 nora9 ^^ na rQa de Madrc
de Dos n. 36, primeir andar.
Aluga-se uma grande casa terrea cora soiflo Na praca4a Independencia n. 33, Ioja de oart
na ponte de Uchoa, a beiradenio: a tratar no ar- ves, compra-se euro, prata, pedras precios e
mazem de.GQimarae. A Alcofenado, roa do Amo- iambem se faz qualquer obras t^.r. nm a. o. edp.f .qualquer ceerwto.
O abaixo assignado participa ao corpo do
commercio que se acha estabelecido com prensa
de algodao na rua da Moeda n. 13, onde desoja
servir lodos os freguezescem promptidao, sinceri-
dade e agrado.
Alvaro Jos Teteeira.
Aluga-se
nm alio em Cacbang, com boa casa de vi venda,
coziaba fra, casinha para feltor, estribara e co-
cheira, com bastantes fructeiras e banho perlo,por
mdico preco : a tratar na rua de Apollo n. 38,
aranera.________________________
Precisa-se de uma ama habilitada para todo
o service domestico : qnem estiver nestas condi-
edes dlrlje-se a rua do Trapiche a. 13, ou na So-
ledade, luado Progreso o. 7.
Atteii$!o.
Vndese carne e linsuicas do -erid a 400 rs.
a libra : no pateo do ('.armo, esquina da rua de
Hortas, armazem o. 1.
Veude-se uma bonita escrava cem orna lin-
da cria de 11 mezes, um negro para sitio por
300 : na travessa do Carmo n. 1,
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na rua da Senzala .Nova n. 41.
Colla da Babia
superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo 4
C, no sen escriptorio rua da Cruz n. 1._______
Vende-se
o deposito de charutos da rua do Rosario n. 6, a
dinheiro ou a prazo : quem pretender dirija-se a>
taberna da rua Aogusia n. 1.________________
Sola.
Vndese 450 rneios de sola de boa qualidade r
a tratar na rua do Queimado n. 53, lojo de ferra-
gens.__________________________________
AUcnce a pechincha
Sapatos de tranca com sola de corlica a f e
par : na rua do Livramenio n. 5._____________
Vende-se nm sitio no lugar de Bemfica, pj-
sagem da Magdalena ; quem pretender dirija-se a.
esta lypographia.
mmm sa-s mm ksbbb
glft^AOS SEKIIO S
res de engenhos.
POTAMNA
H Veode-se grande porcao de potassa que |
| tendo sido molhada da-se por preco muito
commodo: quem quizer dirija-se a rua
Imperador n. 38, bitica.
aaaj <"
Si
Attenco.
Vendem-se os Hteucilioa da padaria da roa Di-
reita n. 80 e traspassa-e a chave : a tratar na
rua do Livramente a. 2&.
"J




-


t

)
Diario 4c i-ernauii>uc<> Mofeado ift de ck*i,ro 4e &6**.

fe
0 PUBLICO
Weui o meoor eonstran-
glineuto e entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
.
fi
ESTABELECIDO A RDA NOVA N. 60
AO
IIESPEITAVEIi PIKLKO.
\ apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
cent da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento .'de molhados,
que sendo em sua maximi parte mandados vir directamente do estrangfiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm 'ffiancar, com toda a seguranca de que
oenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
o:
Fidelidade no peso.
ATTEN^O
as presos da egulntr
tabella 6 para todo*, Ro-
deado asslm serv.tr de ht-
se para o ajuste de confa*
com os portadores:
RIJA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da ConcelcSo)
PARA REM DE TODOS.
Senhore? senhoras, o aceio qne presidio aosarranjos destenovo estabelecimento, e mais que todo a promptid3o e intel-
eza com que ser3o tratadas, onvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proleccao c preferencia na com-
pra dos gneros que precisaren e quando n5o possam vir poderSo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
<-ois serSo t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommemlacao, afim de que n5o vo em
Ira p?ite.
E' BARAT1SSIMO! I!
Grande lijiiidscan de fa/ernlas e milpa
feita u;Ciooal, na ra tlalinpfralriz
n. 7 2, hija de Caimaiaes & limito.
Os propiehnos (este eMabcleclmeto len re-
coividu liquidaren) suas fazrudas por trigos bara-
I ineimnj .-- com o fim de ai ur?.r tiuheiro, aprovei-
Irl S |Ml:llilliaS.
Vndese un Brande sortimento de hita?- trn-
celas larga* a 860, !80, 300 B :i70 o rovado ; ditas
: pi-rcalias muilo finas a 360, iCO, 440 e LOO rs. o
'cevado : isio so na, leja de Guimaraes & Iimao,
na ra da Impi-ratrtz n. 72.
E' muito barato !
Corles de 15a | ara vestido de senhora a 3#.
Cortes de laa a 3.
Curtes de iaa a 35.
! Aos 3.C0O c< .vados de laa,
Vcnde-te Iafnbas deqoadrose de liMriohaade
| liodissirr.cs | nduVs a 220, 240, 280 e 350 rs. o co-
vadu, vende fe nsiro lisrato |r ler minia roico
e querer se acabar: isio na loja de Guimaies
& lriTio, ra da Imperatriz n. 72.
Aos 2,000 cbales de merino.
Vende-fe diales de memo estanu -do a 20CO
e l#500,dilu de nciir. lifo a 38t0, 4 e 5,
dilus lines a G."C0,7, 7"(0 e f.
Grande foiiiu tuto de cor et de vfsiido de cub-
biaia fuii 1 ana, pelu ltalo (rico de "$, L'ASOU e
3*500.
. Hiles de cl.ia a :>, 25<0, 2,5 e 3,(0.
Vende-re fecas de nadaiolau n m 24 jardas a
3/ Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamenlo, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos inissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qaalquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
10 bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas parles nao po-
dem ou nao quercm vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebakles ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhor- s que compram para tornar a vender existe um sortimento i spe-
cial, escolhido por pessoa entendida que cerlamenle muito deve agr lar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA!
.4 Ghaixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALP1STA a 120 rs. a libra. urna.
dem e painco de oito libras para cima a
i 00 rs.
Ahroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas era latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em boectas de tudos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Aliios a 200 rs. o molho.
Absyntho a 25000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
Idem do Principe Alberto a IdKJOO a lata, e
de cinco para cima a I700.
dem de soda em latas grandes a 20000 e
de cinco para cima a 10800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200/10250 6 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouiucas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e en porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Co.vsgiivas em frascos a 320 is. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Chaoopc de grosella, orchata, etc., etc.
Chicabas e pires a 10800 a duzia.
Cekveja da superior marca Tenente a 500 rs.
agarrafa, eem duzia se faz grande aba-
tiioate.
dem Victoria Bas tres Xe de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejarn : Normas d'Uavaoa, Exposic3o,
Flor do Brasil, Par sienses, lehcias, Gua-
oabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetltos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Awericanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos. Iiysson, luisim, aljfar, preto, e
preto poata branca, etc., etc., a 20000,
202'0,205tiO e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
Idem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e l05OOrs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
KIRSCH de Wasseh a 20 a garrafa.
t
LATAS cora graixa a 80 rs cada urna.
Lethia a 100 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Mahmki.aa dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talhaium a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Mir.no.painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
H
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejara savel,
guras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excedente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas era qnarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada masito aova a 280 rs. a doeia.
H
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem saissos a 600 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTiNWAS OU MORINQUES a
m
RAPE' Meuron a 10 a libra.
dem Princeza do Rio a 102QG a libra.
dem francez a 20500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salamc de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Steamnas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomatk em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOSHI
Minteiga ingleza especialmente escullida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem liysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que-tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a o.ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 2lo rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
I,ooo el,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredih-
Aletria, macarro e Ulbarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a I
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excelleDte quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejarn : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e Io,oooa caixa com l.duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas
qualidades a 1,360 rs.
Cartees com bolo francez muilo proprios pa-
ra mimo a (5 4o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
de RHto no Beato Antonio, em lata de 6 li-
*n- por2,5oors.
Am .xas francezas em frasco de vidro com
campa do mesmo, a 105oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo -i. Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar-' tamanhos com bonitas estn pas na cai-
rafa. xa exterior,'a l,4oo, l,Coo, l,8ooe 2,ooo
cada nma,
Azeite doce retinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a arrafa e lo:ooo a caixa.
Genebra de Hollanda a 4$o rs. a botija de.
conta certa.
Frasqaeirarsde genebra de Hollanda a 6,800.1
e (54o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e ii,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs.-al-
bra 8,5oo rs. a arroba.
Caf de Cear muito superior a 24o rs. li-
bra -e 7,5oo rs. a arroba.
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
Principe Alberto, de 183!, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
0 ... .. j Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, i D :? {& .A500
___^...n..nnAn anian. fr.n.Mar nlc- nt/> "
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
khvadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 n.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luis a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanlerne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 24 a garrafa.
Wermoutb a 20, e a caixa a 180.
Biller Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na ofBeiaa de ferrero da roa do Jasrolm n.
21, ha para vender ama earro?a feita, com esmero
e propria har carregar ama pipa com agua, afim
de veode-la pela ra. Na meema oflfclaa ha tam-
ben) am cabriole! de duas rodas, noo e muito bem
acabado : quera pretender esles objeclos, porte di-
rigir-se a mesma que achara' com quem tratar.
Potassa da Russa
muito nova o superior : vende-se no eserJjUorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, larf.o do
Corpo Santo n. 19; '
Cal nagas finos e brloqnedos
para meninos.
Cbegaram para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 60, os mais linos e lindos calungas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja Re encontrar bono sor-
timento de miudez.
I. uvas de peliea.
Recebea pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras: s
quera reeebeo &i baja-flor, na roa ao Qaeiraado
numero 63.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassourers de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroc do Maranho de Ia qualidade a loo I Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs.a libra e 2,8o a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra o2,oo a j Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. 1 a too rs. o frasco,
dem de Java a 8i rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda francesa m potes j preparada a
roba. loo rs. fi frasco.
Painco e alpista e 1 lo rs. a libra -e 4,oooa; LerAilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Messadetomatesdesuperiorqualidadea 64o Marrasquino de Zara propramerite dito a
rs. a lata de tana libra eS6oTS. a reta- 10 a garrafae ll.ooo a duzia.
Iho. 'Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que \em ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Porta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
ExpOBiclo Normal de Ha vana, Jmperiaes,
Londrinos, Gaanabaras, parisienses, Sos-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores narcas, a 800e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,800 o cento e l,2oo sol tas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
de diversas Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinba do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,Coo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta,
Champagne da melhor qualidade que' vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gamma deengommar muito alva a 12o rs.
'.JeOO, S*. r* 7, 8, U, tc
Tilo fianccz iciii 12 jards a 3#6C0, k$, 41'0
e SfOOO.
Vende-se nm grane FGitnrnto de gcli has
para senliora e n.eiilnas pin lurato prf; de USO
400 e ol'O rs. rada nina : isto s na toja ce Gu
n.rles ^ Irmo, rnad Imptratiiz e. 72.
Koopa .'cita
Roupa feita
Grai-de sorHir.en^o tie K-iipa feita i'i qualidd>i>, qoe f iene ior pieros baiallM dps :
afiiaii(a-M> que s vinde p do que 'in tuna qi.lqntr paite.
Va nova lja le fazeuias de 6linsiaf8
a lrniao.
Rus da Iraperafrlz o. 9X.
a libra.
Figos em sextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para ronpa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a V.800 rs. a caada
640 rs. agarrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs.
I garrafa.
DO 1FAIIMD0 JOUVI.
AGUA FLORIDA
Vcoite-se.peio preco de i o.par luvas novas-de pellica de Jonvin, chegadas no arrimo va por
(13ra homem e sennora : na roa dt Imperatriz lojatie miudezasa 54.
en n n -3 ojo 99 >> jt kb h z
t3-BB3COOn ^ S o O o
SlilifFfiftiSii
O'S B5r2.cr'2 o.
=1 -
m
o. ^
as o>
co ,
a>
2f3*3
B o crsf^
2 0.^. g" S
S Z a
c;a.= ?|s.|s.f =3 _
-s-BIi|i3iit|f:s
!ilIF|i|f Ir
^O^O?0 M- ^ 6
P =^-o =, g
Es
r.
lli
ZB
o
U
< <"
- o>
3 *S


O
>
O 03
sr o. =

Cu
3
I
Q.
a>
en
.
o
3
s
a
Tasso Irmos
Vendeiu 110 seu armazem raa 1%
Anaru n. 35,
Licor flno Curacao em botijas e meias botijas.
Licores Anos sonidos em garrafa eaa rollat d
vidro e em lindos fraseos.
Vinhos(Jheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAerei lagniol.
Vendem-se palmmras imperiaes, em estado
de serem transplantadas : no sitio morado i es-
qnerda, depois. do bocea do Ecpinhelro, nos A f-
fliclcx
lie trafralhar nao par
4escaro^ar algodo
rABBKADAS
Por Pknt Broth^s & C.
Mil
Bous mach iaa*
podenn descarofar
quaiquer especia
de aJgodo sea
esraijar o fio,
sendo bastante
dua*pessoas pan
otrateilio; pd
descargar ama
arroba de aigo-
do en carocc
em 4)0 minatos,
oa arrobas
pord^u S ar
rotuu de algodc
iimpo.
kmua como raac&rus para .-erem movidas por
aniones, que desturugam i* arrobas de afeadlo
Iimpo.. i/or da; e redores para mover urna, 4uas,
eutr)6 dessas machioas.
Os mesmos tem para vender am beilissiao va-
por que pode fazer mover safe dtstas manaran
mencionadas ; para o que coavida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, ao ama-
xem da aigodo, no largo da ponte nova n .47.
fiataders BrliraiG.
M. II, Braca de Corp Manta
RECIPE.
Os aicos ageates neste paix.
Salsa pardilla de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as oo-as
provenientes deLIa
Tg!MNP$(5l2i;
todas as molctiss da
pelfc
obeijsipfllas, iiiidi'i-. aterras,
sarnas,
iiascidas, em:|'ihji 1 -.
REUMATISMO
SYFHlIilS
era todas as suas formas, assitn c ta-. toa.'
o mal qne provm do uso excessivo do .
MERCURIO
Ulcerado do flgado
orem surnma lodos os males que tem soa
e geni na
IMPUREZA DO SANGIE
um alterante poderoso para a
RENO VA CAO DO SAKGUE
e para dar nova forca e vigor ao cor,.o j
enflaquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direita ns. l' e 7o e
Hospicio n. 40.
P. MAURER i C.
Aua \ova n. 18.
Resulta pelas experiencias feitas as li"l:." r. ,j
Franca pelos mais afamados mdicos qfl 8S ftlAaL-
LAS e o x \norr. de iivnnocoTVi.A Asi \;,:: \ da
/. LrVB So o ptimo remedio contra todas as a| r-
cias de lairiGENS ou herpes e ouuas molestia* da
pelle, at as mais invetera'h'.s, assim como a LEPRA
OU M0RPHEA, a SIPIII1.IS. I* MOH'.STl is 1 s(-iu-
FULOSAS, OS RHEUMATISMOS chronicoe. ''''
Deposita geral em Part, em casa de JfOIJJ'.MS,*.,
LABLOWE, ra Bourbnri-YUlentuvefii.
Veniiem-se noRecife em casa 3e Caors
Barboza e Joo da C. Rravo & C,
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
MURtUY & LANMAN
A agua florida de Murray & Lanman
ornada como um artigo de perfume, o3o
tem podido ser igualada pelas preparacoes
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella
seappiica.
Sua eflicacia to delicada, como elegan-
tes sao seus Bauttiplicados osos, qur seja
empreada como artigo detoucador, qur
no uso do banlw', ou como suavisador da
pelle, .depois que fe ten ha feito a barba;
i para fimpar as gengivas ou aromatisar o
bato.
Da sHatidade, farilio e eiastkidade as
coopleioes, depois d>ee liaver lavado; al-
liwa a irriro de erup^es ordinarias; faz
desaopirecar o desagradavel aspecto dos
panno*, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de tbali^oes, e d vigor e freseura a
parte onde quer que se applique. Sua effi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nosea606 em que seja preciso apolica-1 edras de. ,0,'ss Para meninos a 160 rs.
la como estimulante e antisptico, noTcon- SSK2 b!ffi J^VrTran a 100 rs.
cursos e assembleas numerosas, as loca-1 Capachos comprdos, boa fazenda a 500 rs.
lidades infeccionadas, na alcova de um en-1 Gronas de botoes pequeos prelos para cal^a a,
fermo, assim como um antidoto excellen- ,, *2 7: .^.m. ..... .. t ^
te para os desmaios causados por ea^l^fr^^^
ou suffocac3o. Preparada nicamente por Pegas de tiras bordadas a 640.
Lanman & Kerap, Nova York, e a venda por uuzias de meias cruas muito forte e superiores a
Caors Barbosa. ; 3*g0-
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Peroambuco roa da
Cruz d.22 em casa de Caros Barboza
Kivalsem segundo
iua do Queuiiadc u.. 49 e 5o, loja tie
miadezss de (res portas, est que-
mando todo lior.i e barato, quero qiw-
zer ver e admirar venham U>j do
Bigodinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de bo'.5es de nnea prateado fazenda mo-.
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de laa lisas e de todas core a
10 rs.
Estovas finissimas para mpar dentes a 240 m
320 rs.
Pecas de fila de cs estreitas cora 10 varas a..
OrsT
Caixas com clcheles francezes, raperiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muilo Uno a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua de Colonia a
100 rs.
Frascos grandes com superior agua de Cclouia a
640 rs.
Caixas cora 12 frascos de cheiros mnito Cues a.
IJ400.
Saboneteg pequeos de bolla a 240 r?. e grandes a
320 rs.
Duzia de abneles pequeos cora cheiro a 700 rs..
Agua dentiGce superior qualidade a 800 is.
Calas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de uperiores essencias santal e oulrp a
11200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a5O0 rs.
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 160, 200,
Fraseos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias mnito finas para senhora a.
44800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chombo para meninos &
160 rs.
Pegas de rita de lia para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos snperiore?, para acabar a 600 o-
800 rs.
ALMANAK
DE
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
12iJ a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.lC e raa do Trapiche Novon.8.
Lusa-Brasileiro
PARA 1866.
POR CAST1XHO.
Vende-se n Hvraria econmica jnoto ao arco
de Santo Antonio,
c _-- srrzrrn


mm i
Mario de Pe
** abhado 1* de Meteuifcro de A8*

N, 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento ara grande sorlmento de cortinados bordados para
camas fazenda de raaito gosto.
Chales de guip mam tinos para 223, 2-"5 e 303.
Colia* de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de laa e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondas de guip enfeitados cora o melhor gosto.
Setiin de Pars bella fazenda o de Umitas cores para vestido a 703 rs. o covado.
Moureantique branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qnalidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
laa preta para latos.
Hatos, saceos e boleas de tapete, verniz e- coaro de 13 a 113.
Brins de linho de cores Anos a 1,8800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palfra-de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
dsela para boraem, chipis de sol de seda, esgmo de linho, cambriia de linho, breta-
Dhag, silesias e muitas outras fazendas que se voadera por cominolos precos assim como
tamban
Esteiras da India para forrar salas
DE

*&w^&
DIJABTE ALMEIMV
\
';.^ii.,.ia#r*
"S
i ht> nittiwWaan
o
c

DE
J. VIGNES.
W. 55. RUI DOIVPERtDOR N. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss condecido* para que seja necessano insistir sobre a
saa superioridade, vantugense garantas queolTerecera aos com.indores, qnalidades estas incontesta
veis que elles tera detlnitivamente conquistado sobre todos os que tem appar<>cido nesta praca ; pos
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das planistas, sem
nunca falhar, por serera fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos Importan-
nssimos para o clima deste paiz ; qnanto s vo'.es, sao melodiosas aflautadas, e por sso muito agrada-
veis aos ouvidosdos apreciadores.
Fazem-se confume as encommnndas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
orresuondente de J. Vignas, em cuj capital foram sempre premiad >s em todas as exposic5>;s.
No mesmo eslabelecitnento se achara sempre um esplendido o variado sortimento de mnsicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos conimodose razoavels.
G0\SULT0IU0 MEDICO CISUHlIGO
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
i tauto deste armazera como do armazemprogressivopa-*
;teo do Orino n. ), principal armazem ra do Impera-1
dor n. 40. j
DO
DH
PEDRO DEATTA.IIYDE LOBO HOSCOSO,p^q
MEDICO. PARTEIRO E OPERAJ50R. i -,fi[?'
3 Ra da Gloria, casa do Fuudao 3
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-'
gentos, limadores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens. reunir todo? os seos estbeTei-'
mentos em um so annuncio, pe) goal o prego de um ser de todos, promette-
naos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge.ieros j
por um prego, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-1
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto!
ainda mesrao cora prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que i
sero tam era servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor da mandar seus i
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta i
qual se ver os precos tal qnal annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
a que fizer soa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
o por cento na sua despeza diaria.
O Dr. Lobo Mostoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s H
oras a manlio, edas 6 e meia s
8 horas da noite, excepto dos dias santificados. Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
Pharmacia especial homeopatMca C SESi!lti* "' *'"
No raesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
tubos avalaos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguintes. a libra e em barril ter abalimento.
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000 BANHA
i de 24 tubos g> andes. 185000 Banha refinada superior a 64o rs. e em
de 36 tubos grandes. 24-3000 barril ter abatimento.
de 48 tudos grandes. 30^000 CH.4
de 60 tubos gran les. 334000 Cha uxim de primeira superior qualida-
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios'dea 2,8oo rs.
que ;e pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca I 5000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A inelhor odrada homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahv
lons grande* volnmes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do L)r. Bering........... 103000
Repertorio do Dr. Mel Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
dem byssen o melhor neste genero a
2,6oo rs., o sendo em porcao ter abatimen-
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a
2,4oo rs. a libra.
dem preto superior de l,8oo a S.oo rs.
a libra.
BlSCOlltOS
Latas com superior biscouto inglez de di- \
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
Po:.: Iiiii3::s
dios deste esttbele.imento sao por dermis conhecidos e dispensara por ,,H:f(fo!;r,b?la!1Dh,S da acrcditada a"
nnifnrnm nr ,l M,mui;nS UHUt UODeHlO AtllOIll
tanto de sere.n novamente recommendados as pessoas que qui/.erem usar de remedios
ven'uleiros enrgicos e duradores: ba tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verda leiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
ta los estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparaban, e portanto a maior
energa certeza em seus effeitos.
Casa de saudi para escravos.
Rx-'be-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer! Sao a 2 > rs
o;-ti-m), p ra o que o annunciante julga-sa sulcientemente habilitado.
O Iratimento 6 o raeilnr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fQCCionando a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pessois de cujo conceito se nao
pode duvidar, q e podera ser consultados por aquelles que desejarera mandar seus
doenles.
Paga-se 23 por dia durante 60 dias e d'ahi em dianh 13500.
As oiieraces ser) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
io, proprias para dar a
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata.
dem com quatro libras de bolachinha de
| soda a 2,ooo-rs a lata.
Queijos
Queijos flamengos chegados no ultimo
vapor a 2,3oors., tambem ha do vapor pas-
Snrveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers A Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria o Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
a caada.
Azeite doce
Superior azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
garrafa e a 4,6oo rs. a caada.
Massas
^ Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
0,000 rs. a caixa.
Passas
Superiores passas a l,5oo o (parto e
5,5oo a caixa de arroba hespanhula e a 52o
rs. a libra.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da C*tleia Jo Hecifc, esquina da Madre de Deas.
BALOES
Os ricos baloes de arcos com muita roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 33500.
Chapeos de sol.
Superiores chapos de sol de seda superiores com 12 asteas 93.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 103.
dem idem com 16 asteas 123.
Chitas.
Chitas largas soffnvei- a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuran finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ric^s estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas franelas de 13800 at 53 das segua-
les variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peits defustio e de cores.
Camisas de niela.
Ha grande sortimento.
Cambrala branca.
Lindos e superiores cortes de camhraia com barra a 43.
Superior cambraia branca para vestidos.
Camhraia para forro.
Calcas.
Caigas de hrim pardo superior a 25500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brira branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pescoco.
Ricas mantas para pes:oco de homem de finissima seda e de ricos padrees oue
s o Balao tem. H
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 55.,
COIiLETES.
Colletes de casemira a 44 e 53.
dem brancos a 23500 e 33.
Saceos para vlagem.
Saceos para viagem a 55 e maiores a 65.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico nova
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup; oe sempre ser as mesmas fa-
zendas.

1U111!
IIAS COIiLUJmAS
No ultimo vapor viudo da Europa
Superiores cortes de sedada cores o qaa, Mm viudo a P?rnambuco de melhor gosto
em seda.
Assim como mais algamas fazendas de bom gosto para vestido.
RIJA. DO CRESPO N. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES DE SEDA
Clipgaram pelo paquete inglez riquissimos corles de moreaniiq'e de cores, e seda larrada pa-
drifes mteiramente oovos.
Seda de quadros por 1#000 o covado
5-RUA DO CRESPO-5
Gregorio Pac? do Amaral ft: Companhla.
CHOCOLATE
Cbocolate hespanhol a l,ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, em porco
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinbo do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Marta Fia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e cutras marcas a i,ooo a garra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Vinlio Figueira e Lisboa das melhores
marcas a 4oo e 5oo rs a garrafa, e a 3.ooo,
3,5oo e 4,ooo rs. a caada.
Superior vinbo chamisso em barril a 64o
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada.
Superior vinuo de Lisboa e Figueira em
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an-!
coreta.
Superior vinlio branco proprio para mis-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-!
xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a |
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
7oo rs. agarrafa.
CAF
Caf do Bio de {.* e 2,a qualidado de |
Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollania verdadeira a 6,ooo
rs. a fiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idora de Hollanda em botija-; a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a H.oco rs. o garr..fao. Tambem j
ha garrafes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a I
6,ooo rs. cada um. '
VELAS
Velas de spermacete a 6oo rs. a libra.
dem de carnauba de io a 12,ooo rs
arroba o de 36o a 44o rs. a libra.
Osiros objectos.
Viudos tambem para a antiga loja de
miudezas ra do Queimado o. 16."
Sapatinhos desetim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mui linas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas 6nas de flo da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartiruga mui fortes para des-
embarazar.
I Tranca de seda com vidrilltos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos tamaitos,
lonetos de dous tdros com aro de ac, bfalo
c tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros com arraaco fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis : os pret -ndentes diri-
Carriteis com retroz preto e outras cores, jam-se a esta leja na ra do Queimado n 16
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Acba-se
PEIXE
Peixe em latas j preparado de l,ooo a
l,2oors. a la la
ALPISTA E PAINCO
Alpista e painco muito novo de 3,8oo a
4,ooo rs. a arroba e de 14o e 160 rs. a li-
bra.
CHABUTOS
Charutos dos mais acreditados fabrican-
tes, como sejam: Joo Furtado da Serrias,
Manuel Peixoto da Silva Netto, Castanho *
Filho e Brandao e de outros muitos, os
quaes vendemos pelo mdico preco del.oo,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 5,ooo rs. a caixa.
Licores
Licores francezes eportuguezes a l.ooo e
; l,4oo re. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
i queoos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
' a 64o rs. o caixo.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos. a venda na livrarla acadmica, na ma do Impera-
Haspas de baleia para vestidos. j^or; a do Sr- Nogueira, junto ao arco de Santo
Fitas de linhn nrnnrias nan ditns Antonio ; e na typographia imparcial, na ra es-
rl;., S rP P a P***.0*- tre.ta do Rosario a compilado de toda a legislacao
Caixas com linhas de novellos grandes tendente administraco, arrecadacao e flscali-
para crochets. j saco dos dinhdros de orphaos defuotos e ausen-
Trancellim de borracha preto, redondo, i te.s> neraDcas jaceotes, legados, etc., conteodo nao
Bonitas Avallas irraailfa o io re8imenl de cusase a le geral das execu-
"g?P?y raBOes de aV, coes, como tambem todas as ordens e avisos do
aouraoas, maoreperola e lar- ; governo, que a tudo tem explicado, tanto a respei-
(aruga. 'o das obrigacSes inherentes ao cargo dos differen-
A loja de miudezas ra do Queimado 'l(ss. e">P^gados de justica e fazenda, como dosdi-
n 16 rpfph-pn nm hnnitn nrlimenrn de !lei,os,.Dac">oaes e emolumentos que sao devidos.
u. io, receDeu um oonito sortimento ae Esle ilvro.conteodo mais de 700 paginas em ntida
fivellas grandes para Cintos, sendo de ac, (impressao e bom papel, e prestndose a utilidade
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes; de differentes classes, tornase recommendavel.
eslao sendo vendidas em dita loia por pre-'. Seu cust0 10*00e por eada exemplar em doos
eos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
o mus.
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antoni) Luiz de Oliveira A*e
vedo iSi C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
colares Royer ou colares ano-
dinos
pa^a facilitar a dentigao das enanca* e preserva-
la das convulsoes.
, O frlir. resultado obtido immenas vezes pela
prodigiosa fjrga magntica do< colares Royr, nos
ras), de CiinviilsOes, e dentica) 'las criinga*. tem
altamente elevado o seu bem merecido prestigio,
ehojejl ?e pie dizer que estn geralmentecon-
:-V ni:)-, e eslimados de innumeraveis pais de
falliras : de ons porque do uso d^sses salutares
colares viram salvos ao perigo s-'us clnros filhi-
nl!o=, e de oniro? porque colheram daquelles lo
praflr.U) "xemplo para inualmeme preservar o*
s :i- A tasa uilliladi'eproveitf desses prodigiosos cola-
res Qodinos on Royer, mandDu vir o novo sorti-
fWeitO que agora recebeu, c continuar a recbe-
los |i:.ra oub em lempo algum a falla > posa
s r funesta aos pas de familia, os qnaei fic.irao
con is de os achar constantemente na ra do Qaei
majo, lija d'aguia branca u. 8.
Terrenos S venda.
I/l VIDROS E
CHRYST4ES.
A loja de louea da roa do Crespo n. 16 tem para
vender quaotidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive Onissfmo
ehryslil, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para llores, tiguras e outros minios objectos da fi-
uissima porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, etc., guarnios de finissima por-
celana branca donradas e de cores para lavatorios
e-toaletes, tudo:do meJhnr gosto pinte* de losfaie
VMO( nara jardiin, cfmdieiros de lamparillas, parai
gaz, globos e chamineisde vidro, bocraes a todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qaalidade, e muitos outros artigas qne
seria enfadonho mencionar, tudo por precos mui-
i-sim.-s razoaveis.
Frotas
6,8oo a 8,oo rs. a arroba, e de 24o a 28o' Frutas em calda e em latas fechadas lier
rs. a libra. i mlicamente, muito bem enfeitadas, conten-
KiDiO do pera, pecego, ameixa rainha Claudia, al
Sano maga de primeira qualidade de 18o perche e outras frutas a 7oo is. a lata.
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambem ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caixSo. lata.
TERRENOS A' VENDA.
Vende-se um terreno proprie para ediicaco,
i collocado no centro da cidade, com 68 palmos d
Oculos de pendra e de ontras frente e 2I8 de fundo, tendo tres frentes, para a
qnalidades, para qnem soff re rua f* Palma.da Pa e d Concordia: para iaior-
d* vista. i macoes, na rua do Sol n. 37._________________
A' loja de miudezas rua do Queimado R*VA1,
u. 16, tambem recebeu oculos de peueira SEUJI K|| \'B>|
com vidros claroseescuros, para mam sof-Rua do Queimado as. 49 eft
fre da vista, assim como OOtros de armacao Contina a vender todas as miudezas oro afcaixo
de ac, Surtidos em graos. j- declara por precos admiraveis.
Coroas e tercos de cornalina. | Massosde palitos xados para denles a iOOrs.
A antiga loja de miudezas a' rua do Espelhos de molduras douradas a 200,240 eaao.rs.
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos de cornalina, os quaes esto
Donets de oliado para meninos a 1000.
Ditos de couro superior fazenda a lSOO.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
a disposico dos bons Christos que OS qui-; Meiadas de linha froxa para bordado a 2fre 60 rs.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
loja: na rua do
Vivh'iit do Porto
das melhores marcas, em caixinhas da ama duzia
Ven le-se um terreno proprio para edificacao, de garrafas.para casas partieolarea, sendo : Lagri-
collocado no centro da cidade, com 68 palmos de mas do Douro, Duque do Porto eD. Luiz ; tambem

As melhores chitas francezas de cores-
escuras e fixas a 280 rs. o
covado!!
Na rua do Qiwimadon. t vendem-se chitas fran-
cezas escoras e finas a 280 o covado.
Vende se urna parte e nm predio no sitio dos
Arcos, perto da igrrja dos Remedios, o qoal pro-
prio para olaria por ter excellente barro, e as ter-
ra* qaasiilodar. proprias : atraan rom Joaqiiinv
Jc Qofalve BMttSo, 3 rua do-VlgarrVn. W, es
0 castello de Grasville.
Tradiizido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissirao prego de 30OOC
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
1 _
criptortt).
frent > e 218 de fondo, tendo tres freate, para a tem ancretas de dcimo encapadas com superior
para io- vinbo, barris de 5* e 10* em pipa ; na ma do Vi-
I 8ariou. <9, pr'meiro ajjdar,
rua ia Palma, da Paz e da Coacoria
formaco-js na roa do Sol n. 37.
Vende-se carvao de pedra para ferreiro a
12f a tonelada e 300 rs. a arroba : na roa do
Brum n. 76.
Vende-se um sitio com grande sobrado de
001 andar, e todo morado, com portao do ferro,
cocheira para carros, urna sistema de pedra e t
com ura olhn d'ago permanente, e ama cacimba
de ontro lado tambem de pedra e cal, baila para
caplm, e plantacftes tanto peto invern como pele
vero, e arvoredos de fructo, muito parto dos ba-
nhos salgados: na cidade de Ollnda, defronte da
igreja do Carmo. all ach*rj com qnem tratar.
Vend-se no escriptorio de Manoei Ignacio
de Oliveira & Filho, largo d Crp Santo n. 19 ':
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Mnscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de 1 duzia.
Palmella tinto de excellente qnalidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
> Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
le. oro os arreios competentes de metal principe ;
na Ponte Velha n, 8, por preco conjnaoda,
zerem comprar em dita
Queimado n. 16.
Esponjas Onas grandes e pe-
quenas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas d. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
F.las finas de sarja da mais estreita que
ha al a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja kvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gbrgtiro de sedfaehMnalotada.
e muito encorpadas, para cinto'de fivellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, colletes, palitos, etc.
dem de 13a igualmente surtidas em cores
e para os mesmos Hns.
Caixas com 100 envelopes.faaeBda ioa a 600 rs.
Groas de peonas de ac, fazenda superior a 500 rs.
Grozas de botoes madMperoia Unos a 500 a
e tiiu rs.
Caixas com 50 novellos da linha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores brelas de coia a 40 e 80 rs.
Pecas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de laa para eneltes de vestidos a
40 rs.
Raralhos dourados superiores qualidades a 400 re.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Lros para assentos de rOBpa lavada a 100 rs.
Pares de botdes para ponho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para eosturas superiores qualidades a
400 e 1.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a.
Massos com superiores graspos a 30 rs.
Pares de sapatos de traiga e tpele a 1JB00.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sonidas de bonitas cores a 7JOOO.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com aifinelos francezes nuBTsaperiw.
a 20 rs.
Resmas d py$e\ aWaco a-2*400 e 2*800 re.
Escova* para roapa, fazenda boa a 720 e <4
Duzia de tesouras com toque de ferrasen a.
600 rs.
Duzias. da facas a garfos de cabo preto a 34000.
TaJheres muito Bno para enancas a 240 ra,
fJseiras para meninas a 320 rs.
! Ditas e voltos para senhora a 500.
dem de algod3o brancas 6 diversa OU-. Pra5COS, Agua Florida vtrdadeira a US580.
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas ^ Metas para
soutembarqu.es. vesUdos pre&M te.
Novas e Hndofi greml^c* pis^ enfeitar
^utembarques, vestid^ pretos", mantele^ ^^^^ilSSSiS;
etc., obras (i:o mmt& mp^p, e rooden^ma. ^Ppete de agaiH^f, ftflp dpurado, a
Fiascos com superior banha a 240. a.900 rs.
Idem de superior oleo babosa a 320 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs.
Varas de babado do Porto a 80 e 140 rs.
Cartas de alfinetes francezes. a 100 rs.
! Qoaderuos d papel pequsao a 20 re.
aSOOrs,
II
.
Til r-^%i% #r-l 1


OMM**
Diarlo de Pernattbtico Sabbado 16 de etcmbro de !*.
I
Grande liQuidaciSLoA-diiiIieiro'
Na loja e arrnazem 4o patio.
Ra da Imperatriz n. <0 de Cia-
ras A Silva.
Os donos deste estabelecimonto tera revolvido li-
quidar saas blendas por pregos barcitBSiroos, s
com o lira de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, qne necia loja e arrnazem encontrarao am
grande sortimesto por presos que mnito Ihes ho
de agradar, tanto em peca como a retalho, a
saber :
Cambraias de forro a 2$000.
Vendem-se pegas de cambraia branca para for-
ro a 25 : na loja do Pavo ra da Iraperatrli n.
60, de Gama & Silva.
Moreantique branco
Vende-se superior moreantique hranco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha :
na loja do Pavao na rna da Imperatriz n. 60, de
Gama A Silva.
Percates com mofo.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com llndissi-
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liqoida-se pelo baratissimo prego de 360 rs. o co-
vado : islo s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama di Silva.
Lazinhas a 20' rs o covado.
Na loja do Pavo.
Vendenrse lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratissimo nrecode 200 rs., ditas
cora palmlnhas de seda a 240 rs!: isto s para II-
quidar, asslm como lazinhas mogambiqnes rom
os mais bonitos padroes a 240 rs. : Uta na loja do
Pavao na roa da Imperatriz n 60, de Gama 4
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
transparente de novos gostos que servem at para
bailes e partidas, vendett-se pelo baralissimo pro-
co de 35 cada um por terse comprado urna gran-
de porgao : na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama t Silva.
S le tan para salas
Pechincha na loja do Pavo.
Vende-se a mais fina Mlezia de algodo fazenda
integramente nova no mercado proprias para saias,
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
perior ao madapolo francez e vende se pelo bara-
to prego de 440 rs,a vara ou a 400 rs. sando em
peca rom cincuenta e tantas varas, isto grande
pechincha : na loja do Pavo ra da Imperatriz n,
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda ai$
Vendem-se superiores lencos de seda
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavao
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos brancas a "2$.
Vendem-se duzias de llneos brancos finos a 25,
ditos rinissimosa
ras sendo urna de cordo e outra matizada fazen-
da que sempre se vendeu a o> e torra-se a 20()
TII1MH ItO DA* M.IIS.
PROVIDENCIA DAS CRIANCAS.
COLLARES ROYER,
ELECTRO-MAGNTICOS,
Chamados ^jollaris anodinos de dentiqao eenlra
convulsiit e para facilitar a dentiqao das

as
criancas, preparados e inventados por Royer,
O propietario da grande loja e arrnazem da
Arara tem resolvido vender saas fazendas por
menos 20 por cento do que em qualquer outra
33500, 4*.
mais quali-
AGU A MCA.
CoIIeiras de marrot|oim, com cascareis
e em elles.
Na ruado Queimado loja da AguiaBran-
ca n. 8, veadem-se colleiras de marroqoim, Parte por '"* venham ver as fazendas 'e se admi-
phatm cessor de Chereau, membro da academia de me- proprias para caes e OUtroS bichinhos. v^ ? camorau con as.
cina, antiga casa bouillon-laorancr, pkarma- p0.,0 ImI.... j .. hj vendem-se bonitos cortes de
ceulico do Imperrdor, chefe dos trabulhoTchimi-. "DlldS IDgleZaS (lC 3C0 e Muradas. ;com barras de dilTerentes cores
eos da Escola Polytechnica, director da Escola \ No novo SOrlimentO de pennas de ago que f,re? de 3* "'^ cor,e;
de Pharmacia de Paris, e membro da Academia a Aguia Branca acaba de receber vkiafll Cambraias brancas.
L7S2 r^J^I^^ ^ *m^ curas te metal dourado'e bicos
_ mu' bem acabados, e por essas boas e ne-
a hygiene a sade.) cessarias qualidades os seus acreditados fa-
a sade a vida. bricantes Perry 4 C, as recommendam aos
asmis. 'entendedores'apreciadores do boro, valeu-
Quantas enanas nao vemos cada da snecum- de mesmo Hjfr,>rPnra me ha no nrecr. re
bir as dores da primeira denligao I Quantas ao- uo meb"10 a aintrenga que na no preco ae
cias e quantos tormentos para as tristes mais, que umas Pa" OUtras, por que estas se tornam
vem se arrebatar, dopois de tantos cuidados, de mais duraveis na confinuacao de escrever ;
tamas vigas, o objecto querido de sua ternura i i assim pois quem dellas se quizer utilisar
Quantas vezes nao tera ellas sentido a inefficacia corni,ra-las a riinhpirn avista- na rna rin
dos remedios empreados, taes como brinquinhos, "'pra las a ainneiro a vista na ra do
charope de denticao, etc., cujo duro contacto dos Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
primeiros irrita as gengivas e causa inflammago Frailas CODl borlas e SCI ellas Hn
as membranas mucosas, e cuja acgu nulla fazia <>nilinrt \>
desesperago as mais? Achar uin roe i o fcil de ap-1 ; COrtlnallOS,
plicar o fluido elctrico para alliviar os soffrimen- A Aguia Branca recelicu lim bello sorti-
tos e prevenir as convuisoes, como tambera todos maulo de franjas com borlas e sem ellas
que resultam da primeira denticao,!
Liquidaco das pechinchas Atten$o o barateiro de ob
no arrnazem da Arara.
Fugio.
Mo dia 6 de agosto o escravo crloulo
Apf/W fVtPfr'i^AQ Ato nA-rA i?10 'a 6 de agosto o escravo crloulo de nome
jetLfe OiiegdUOb (lC nOVO Tiberio, idade de 20 a 23 annos, estatura Laixa e
OT'inflA CAifiTrin^A com farla de,4" <* d,,Iiles t cia''A- loi escravo
gidUUt? &UllllllCllL'U. oo Sr. Francisco de Albuqmtque Maranho Ca-
Vendem-se dous grandes lustres de vidro fiaos' valeanli: quem o pegar ou delte der noticia q'aei-
com 24 luzes, do melhor gosto e por prego razoa- j ra ditigir-se a ra da Cadeia do Renten. 33, loja
vel; assim como apparelhos para cha e para jan- de Valle Porto & C, que sera' rerompeu>a(io.
tar, brancos e de cores diferentes; ditos de por- Ao aroanhecer do dia 26 de ^o.-to fugiram
Vendem-se bonitos cortes de cambraia branco celana dourados o pintados e brancos; apparelhos do engenho Camaragibe dou e-cravo cricolos
pelo baratissimo para jantar de porcelana branca; tamnem se ven- ambos carrelros, sendo om de nome S.miao, na-
dem em pegas separadas, como os freguezes qui- mral do -eriao d Ouricury, alto e btm Yeito, cara
erem, compoteiras lapidadas para doce, clices redonda, nomcito prelo, e foffre de pma hernia;
para vinho ditos para champagne, copos para agua 0 oiiiro de nome Nicolao, nascido no Defino en
e para yinho irnos e ordinarios, em nixioea re- genbo, esiaiura ordinaria, serco do coreo e robus-
talho; lanternas de todas as qualidades de vidro; m, na mesma occasio desappareceram 3 turro-
de casquinho inglezas multo finas; candela- do servico do engenho, de snppor que tenham si-
do levados por elles, oo por aiguin que Ibes ser-
Vende-se cambraia branca a .'15,
4OO, ofi e Of a pega, e de outras
dades : na ra da Imperatriz n. 36.
Bretaolta de roto.
Vende-se bretanha de rolo com .
2800, est se acabando esta pechincha
loja da Arara, de Mendes Guimares.
Laziaha8.
10
varas a
s6 na
| ditas
bros de vidro e de brone : serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa para janlar ; gigos com apparelhos
, para cha; e outros muitns sortimenlos de todas as
vendem-se as mais modernas lazinhas cn?ga- qualidades e pregos comrnodos vonlade dos com-
das pelo ultimo vapor, tendo padroes muito bi.ni- pradores, que se vendem na ra da Cadeia do Ro-
tos se vende pelo baratissimo prego de 240 rs. o cite junte ao arco da Conceigao n. 64, e na ra
os accidentes
tal 6 o lito que tivemos em vista alcangar.
amitos serulos que se punham no pescogo da
jj para cortiuados, todas de novos e bonitos
]as desenhos, cuja <
criangas collares' de mbar amarello para p'ieser- ;em relagao a largura : acliam-se ellas a ven-
ri
ca n. 8.
covado, fazenda que em Mitra parte se vende _
400 rs. : na loja e arrnazem da Arara n. 56.
Chitas.
Vende-se grande porgao de chitas sendo escuras
e claras por baratos pregos a 240, 260, 280 e 320
rs. o covado, ditas percalas finas a 360 e 400 rs. o
covado, muitas mais de outros pregos.
Chales de merino.
Desta fazenda ha um grande sorlimeBto de cha-
vio de guia e seductor, porque na nolie preceden-
te a sabida dos ditos escravos foram vistos dous
homens em communicagao com o Scireo junto a
entrada do engenho : quem prender e trouxer ii-
tus escravos ser recompensado
Ausentou se de casa no dia 2-j deste meza
escrava Ignacia, crioola, cor fula, tientes limados,
beigos grossos, estatura regular, cheia do corpo,
levou vestido encarnado, chale de la preto veibo
nos hombro, e mais algitma roupa ue seu uso :
na ra da Penha n. 17 se gratificar.
va-las e cura-las de convulsoes, tmpregava-se pois j da na rna do Queimado loia da Aguia Bran-
desde muito tempo a electricidade medica sem sa-'
desenhos, cuja commodidade do preco est les de merino estampados cores muito delicadas,
e est se vendendo pelo barato prego de 25 cada
um, isto para acabar.
Colchas de fasto.
evi-
vendem-se colchas de fusiao de todas as cores
a 55, ditas de damasco a 15. ditas de chita a
25210 e '5900 cada urna : s Lourengo Pereira
Menaes Guimares.
Hadapolo.
Vende-se madapoloo a 4J500, 5,5, 6oOO, 7,
7i00 e 85 a pega, enfestado se vende com i2
ua da Impera-
para ho-
na ra
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' i
dente que este efeito saudavel reponsa sobre a ac- JOgO (la paCICCia OU CUFIOSO CntrCieni-
gao da electricidade, que solta o mbar esfregado i nii'nlii
pelos raovimentos do corpo da crianga. Esia tn-' v u,cw; ,
fluencia constante do fluido elctrico, por fraca 1>a rua dO Queimado loja da Aguia Bran-
que fosse, pmduzia efleitos curativos proporciona- ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
dos quantia d'electricidade engendrada deste mo- zoaveis, caixinbas com tabulas de madeira,
Ss S^W?ffi1K.S.ffi7,tff fe uas diversas pinturas dellas se formam ^ifStS&m '
gao dos ollares de deotigao, augmentando a inten- agradaveiS VlSlas e paisagens, segundo OS Sn.i le nl.a nii.es
sidade dos effeitos elctricos do mbar por meio desenhos que acompanbam. Na verdade Vende-e ontembarmn a S" 61 e 7& ditos
ra^^^Tto*"'"8"* m,n dele,itael enretenimentocemo JSSS3SS^%^^JS
n^T^^^^'^l:^t ?"al se desPeAta a conosidade, e apara a in- o rae^moprego,
res anodinos de mbar electro-magnticos; 2 dos telllgencia. Os apreciadores dinjam-se a Cambraias de ceres.
collares compostos de diferentes metaes cora cor- rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran- nJ;eSc1nm1n^a,nbraias da-cores sendo finas a
rente voltaica. Partindo deste orinciuio de uhvsi-! m n ft nno a.54 aut.^uL V)< 3b0 e 40 covade.
Casemiras.
casemlra com listas a 2o00 e 55800
A Aguia Branca acaba de receber um no- ocovado, e mescladas a i : s Mendes Guima-
vo e lindo sortimen.o de enteiles os mais res-
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
ca bem
rente galvnica est em razo direita da superfici
dos elementos que compem a pilla, os collares
Royer, chamados anodinos electromagnticos de-
signados e graduados por oilo nmeros diferentes,
possuem as mesmas propriedades elctricas, com
esta s dlferenca que o effeito curativo esta subor-
dinado ao tamanho dos elementos que os com-
poera, e por consequencia qnantidade limidada
d'eleclricidade que engendrara, d'onde se segae
que quanta maior superficie apreseutam as perolas
ou elementos, tanta maicr quantia de fluido elc-
trico de9preuder-se-ha; e por isso que nos acon-
sejamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposigo flexiveis e
rmnaCgTde1inhoUcom "duasVaT- 2rl5't,' ',odem:se por constantemente no pescogo
,.-H.;n nn.r, m.tiM*. f,.n. Idas fnangas. Lina rede electnga cobre sem ces-
as parles do.ridas que sao rriOdificadas lenta-
inos de mbar electro-magnticos; 2 dos leiugentia. US aprectaaores ainjam-se a ^
;ompostos de diferentes metaes cora cor- rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran- oJleS^m"!?Mf!
laica Partindo deste principio de physi- ca n. 8, que seao saltsfeUos. e W
conhecido, que a iniensidade d uuia cor- Rnnitac <> f i I
vanica est em razao direita da superficie lOHIWb CIIICilCS para S' II1101'>S. Vende-se casi
a duzia : na loja do Pavo na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
mente, sem sacudiduras nem commoges, e pro-
duzem urna cura rpida impedindo as convul>es.
f. ~ Assim acha-se reunido com o amigo procedi-
US rSpai'flllOS UO PavaO memo dos tollares de mbar a eficacia regulare
k t k ft pa segura da electricidade medica. Os collares gal-
A 4)5, 5$ e D0. tao magnticos de metal compoem-se de peque-
Vendem-se ns mais superiores espartilhos com as perolas de dous metaes diferentes, traversa-
as competentes rilas para apertar pelos baratissi- des por lius conductores que formam assim pe- Aguia Branca n 8
mos pregos de 45,5j> e 64 por ter chegadn urna quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta-'
grande porgao para a loja do Pavo: rua da Im- til e flexivel. empreados com feliz surces*. contra l)m>isus Iiliiiiiui'iliis p onli-ileiiiii'i-iiln
peratnz n. 60, de Gama & Silva. as convulsoes, os torticolis, tosse nervosa, losse ",,CIS"S m luqucuos C euirtieuiiueillll
Ltlllll-iiiaK de Salpicas a 3$. convulsa, eic; possuem as mesmas propriedades
e empregam-se indistinctainenie nos inesmos ca-
sos.
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Metas de la para sentaras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Nata mosca.
Na Iota da Aguia Branca acha-se a venda
o papel" com composicao para dar flm as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeito effir.az : molha-se o papel e deixa se
fic^r n'um prato, e nelle pousando as mos
cas, entristei em e morrem. Gusta cada fo-
Iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Vendem-se superiores cambraias francezas com
salpicos brancos e de cores*tendo 8 t|2 varas cada
peca pelo barato prego de .1,8, ditas escocezas com
salpqmnhos mindinhos loda branca a 15 : na lo
ja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Tartalana branca a 64'* rs
Vende-se larlataHa branca muito fina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara,
ta* de salpico a 1,J, dita lisa a 800 rs. a vara
loja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de G
ma t Silva.
0 bramante lo i'avo.
para enancas.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu diversos hrinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos d metal, fouca pinta-
da e porcelana donrada pata almoc< e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na rua do
DA PRIMEIRA DENTICAO
E da ulilidade dos collares Roy cos para facilitar a erupruo dos denles do leite.
Em poucas palavras explicarei o que succede
na primeira denligao, fazendo algumas observagdes
qtieservirao de guia as mais de familias, qae pela
_ sua tenra affeigo exagerara a raiudo os perigos
. da denligao, a qual em definitiva urna operago Queimad >, loja da Aguia Branca n 8.
na da naiureza. .
A mor parte dos desarranjos que sobrevem ,eias prctUS C SCd para Senhni'S 9
sade das criangas tem por causa o trabalho da i '-iijn iia a nai
primeira deatigo Quando o denle faz esforeV Jz '* '
para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva- A AQ^ Branca quer acabar COm a por-
JSf%S ZScL l^omS % irr tt rlu-5e ts abuudanie- somaoC apiti,do- ^de meias pre,as de seda para senhoras<
ha febre a raiudo, e era geral sobrevem a frouni- e apesar do muito maior pre o que lbe CUS-
dao do veotre, e so quando este ultimo symp laram n bo d ^ ,.
toma nao toma um carcter violento mais bem |ld / ,?m esiaao eni *JueJai ,aa es^'
favorave que damnnso. Sendo sujeito a compii- comtuao esta resolvida a vende-las a CO
car-so com outras afeicSes o trabalho da denligao, ris o par, afim de que ninguem mais calce
e necessario, em quanto durar, por a man extre- i meias pretas de algodo, ag< ra pois apro-
. ma e continuada aiiengao na sade da crianga ; e VParprn a nnarlraTfl
cor a 400 rs. o covado: na loja do Pavao na rua desde que se noten) os ltimos symplomas que ac- *clt,y Ci" "<-uia c i
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. bamos de indicar, ser urgente consultar um me- Queimado, loja (la Ag
Metas para meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de todos os ta-
gura a 2,8600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lenges, toalbas e seroulas 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na rua da
Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Percalas lisas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s
manlios a 250 rs. a duzia, ditas de seda prela
para senhoras a 600 rs. o par, di'as inglezas para
homem a ."i5 a duzia, islo na loja do Pavo na rua
da Imperaniz n. 60, de Gama & Silva.
Cortiuudos para oamas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato prego de 11-5 o par. Dilos bordados muito ri-
cos a 245, colchas de fusto para cama a 35300 e
6$ : na loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de
Gama Silva.
liras bordadas e ntremelos.
Vendem-se liuissimas tiaas bordadas e ntre-
melos por prego baralissimo, na loja do Pavao rna
da Imperatriz o 60, de Gama <\ Silva.
Cbales a 3500
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas
as cores e pretos, pelo baratissimo prego de 35300,:
por haver grande porgao : na loja do Pavo, rua ;
da Imperatriz n. CO, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo a 2:>00, 3-> e 3300
Vendem-se os melhores baioes de arcos ameri-,
canos, sendo com 20 arco? a 25300, ditos com 25
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500, ditos para
meninas de todos os tamanhos a 2;5(l e 35, su-
periores baldes de bramante e murcelma cora
cauda, sendo bastante grandes a 55, isto na loja
do Pavo, roa da Imperatriz n. 66, de Gama &
Silva.
As cainisiiilias do Pavo.
Mendem-se as mais modernas camisrabas borda-
das com manguitos, para senhoras, senJo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 45300, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 15800 rs., maugui-,
los e golinbas pretas a 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinitas para
menina a 640 rs., rom. iras de fil e cambraia i
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, rua I
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de percales.
Ricos cortes de percale cora barra, tendo o com-
patente casaveque a 85, ditos de la a Mara Pia a,
65, ditos de cambraia transparente com barra
bordada a la a 25 ; isto se vende na loja do Pa-
vo, rua da.Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Paletets pre los a 6
Vendem-se superiores paletots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casacos a
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 a
85, ditas pretas a 64, 75 e 85, paletots de meia
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a 45 a 45300, ditas de brim
branco de linho e de cores, coletes de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muito em conta, s com o fim de apurar di-
nheiro : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavo
Vende-se nm grande sortimenlo de madapoldes,
chitas, algodozmlius das melhores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em outra
qualquer parle^sendo a dinheiro a vista, na loia do
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Chegou pelo ultimo v variado sortimenlo dos mais neos ehales preloe de
renda, tanto de linho como da seda, temi entre
elles muitos de pona redonda a imitago de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em conta por lerera sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bortwnlsde renda loja do pavo.
Chegaram os mais ricos bornoots de renda a se
Tondom por baralissimo precos : na loja s arma-
iem do pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
veitarem a quadra e dirigirem- e rua do
uia Branca n. 8. Tam-
bem vender as brancas a 1)5 o par, e des-
collares vendem-se na loja do Vi- tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
dico.
Estes
guante rua do Crespo n. 7.
m Bichas de flamburgo
R todos os paquetes da Europa se recebe
HI destas amigas do sangue humano e se
SgS vendem a troco de pouco lucro s afim
jPi de ter sempre eonsa nova : a loja de bar-
beiro rua estreita do Rosario n. 3, ao p
SR da igreja. >
mmmmmm mmm mm3m&
LOJA DO BEIJA FLOR
Na rua do Queimado n. 63.
Tem recebido um scrtlmento de cruzes que se
est) usando, de diversos gustos ; s quem lem e
o heija-flor.
Tendo recebido variados sortiroentos de voltas
de agolares de diversas cores, enfeites para se-
nhora de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer outra parte.
Facas e garfo?.
Vende-se f.iccas e garios de cabos de balango de
um boto a 35200 a duzia, ditas de dous botes a
05500, dita para doce a 55100, ditas de cabo preto
a 35200, ditas de cabo branco, rolico e cravado a
3500.
Tem recebido variados sortimentos de batatos
para meninos de escola, de forma de peixinhos,
patluhos e outras de diverso gosto, que s com a
vista bem se pode apreciar, e tambera serve para
o leilo do hospital portuguez : las para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no beija-flor.
Escovas para ronpa.
Vndese escovas para roupa muito finas com
dilTerentes gostos a 640 e 15, ditas pera dentes a
120,240, 320 e 500 rs.
Papel e envelopes.
Vende-se paulado papel e caixinbas a 680 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640rs. a cai
liana.
ava'iado.
Francez barrica 55000
Portland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
"Portland idem 125000
No arrnazem de Tasso limaos caes dotApollo.
Nova no grande arrnazem de louca e vidros junto
igreja da Conceigao dos Militares n. 49.______
Laas para vestidos a 240
I "\ O 00\ itilU.. Ausentou-se de casa no dia 28 de igcsio pro-
Na roa do Queimado n. 1 vendem-se superiores ximo passado a escrava Ignacia, crlula, ccr fula,
las para vestidos a 240 rs. o covado ; a ebas, an
es que se acabem.
Sal c palha de carnauba.
No caes do Ramos, a bordo do
pao ; a tratar com o mestre.
beigos grossos, dentes limados, estatura regular,
cheia do corpo, idade 28 a 30 annos, leven vestido
de chita encarnada, chale de la preto velho e
mais alguma roupa de seu uso : na rua da Penha
ialhabote Sergt- n. 17 se gnificar.
Vendem-se as seis casas terreas seguintes,
reparadas ha pouco: os pretend ntes podem ir
ve las, para o que estao prevenidos os inquilinos, e
dirigir-se ao segundo andar da casa n. 42 da rua
do Imperador, das 9 as II horas da manha, para
o ajuste, ou entenda-se cm o corretor Elzebio, a
saber :
Numero 7 trave.ssa do Livramenio.
> 1 rua de Santa Thereza.
89 rua de Horlas.-
21 rua do Nogueira.
148 largo das Cinco Ponas.
3 travessa ou rus do Dique.
No fundo da casa u. 148.

ISO
Vil L li
Com loja roa do Crespo n. 17.
Recebeu de Paris sedas era cortes mui-
to superiores e bellissimos padroes, e
chales de renda pretos para 105-
Ust importante estab^lecimenlo torna-
se recommendavel ao bello sexo pela va-
riedade de fazendas superiores e bellos fi
8 gostos
Proteja o bello s'io.ao Villar
e verao todos a prosieridade.
Ferros para engommar
Vendem-se caixinhas conlendo o mais completo
sedimento de ferros para engommar, encrespar
babados, pafos e toda a roupa de senbora : na rua
\ova u. 24.
No dia 28 de agosto prximo passado desappare-
ceram do engenho Parar y, filo na comarca do-Irf-
moelro. os escravos Francisco e Alexanire, per-
teocentes ao major Claudino Coma de Mello. O
primeiro alto, secco do corpo, um tanto espadan-
do, e de cor cabra, tem a cara bexigo.-a, bstanle
barba, cabellos caraplnhos, ps curtas e largos,
sahio vestido de caiga e camisa de algodo azul,
chapeo de fellro, levando tambem enmsigo urna
irouxa contendo roupa de uso, a saber: camisas
de chita e caigas brancas e pardas, levou tambera
um chapeo de couro, mu ladino. O secundo
prelo, crionlo, secco do corpo, estatura regular,
tem falla de dentes na frente, um noneo barba-
do, e tem ps finos e bem feitos, tamben) muito
ladino. Ambos san mogos, tendo de idade 32 an-
nos, pouco mais n menos ; d"sconfiasc que te-
nham futrido para assentar praga n. -u provincia
fu em outra qualquer : quem os apprehender pode
leva-l"s oo ao dito engenho, ou a' casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na rua da Cruz n. 45.
que ser bem recompensado.
Vende se um negro pega, cora 27 annos de
idade, crioulo, e de bouita figura, proprio para
qnaiquer servigo : a iralar em r ora de Portas n.
135, taberna na rua do Pilar.
Vinbo do Porto superior era caixa de duzia,
lera para vender Antonio Lniz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptnrio rua da Cruz n. 1.
" TABERNA.-
Vende-se a taberna da rua da Fogo n. 32, pro
pria para qnaiquer principiante por ter poneos
fundos : a iralar na mesma.
Acham-se fgidos os escravos seguinles : Bento.
mulato, idade de 23 annos, cabelos anudados, sem
barba, dentes om pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla nm pouco descargada ; e Lolz,
crioulo, ja um pouco velho, altura regular, muito
cabelludo, brba com alguns cabellos brancos, as-
sim como na cabega, corpo reforgado, olhos um
tanto pequeos, falla gro^sa e as vezes finge-se
ronco : pede-se as autoridades policiaes e aos ca-
pites de campo que os fagam apprehender e con
dnzi-lnsa' ca-a de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmo, que generosamente recompensara,
e Ins pagar loda despeza qne tizerr-m com a sua
conduegao : suppoe-se que elles tero ido ero >(
gnimento dos sertes desta provincia, por seren
filhos desses lugares.
Xlllho superior
Vende-se no trapiche do baro do Livramento
no Forte do Mattos.
ESCRiGS niGUCS.
No dia Io do corrente fugio do arrnazem do
Sr. Jos Duarte das Neves, no caes de Apoilo(oude
foi para ser vendido), o rsrravo de nome Joao,com
os signaes sfguintfs: alio, gnsso, mulato claro
cabellos cacheados, olhos pretos, nariz grosso, boc
ca regular, barbado, rosto comprido, e parece ter
de 36 a 38 annos de idade ; ti m tan.bem o dedo
mnimo da mo direila cucoibido; levou chapeo
de palha, camisa e caiga de riscado azul, e por
baixo desta roupa mais urna camisa de riscadinho ou Rio Forraoso, onde j tera sido capiuradopor
encarnado e urna ceroula de algodozmho. Este vezes. Roga-se s autoridades ecapites de campo
escravo veio do Sobral no vapor Alamanguape, en
trado em 30 de agosto prximo passado : ser ge-
nerosamente recompensado qu-m quer que o ap-
prehender e leva-lo ao arrnazem de Jos de S Lei-
lo Jnior, rua da Madre de Deus, junto a igreja.
Est fujido o escravo Liberato, preb da
Costa, alto e magro, bragos e pernas finas, car;,
retalhada, spm dentes na frente, olhos grandes *
vermelhos, tem os ps e mos eneio* de cravos
boubaiicos, traz o cabello junto das orelhas raspa-
do de poueos dias, levou vestido caiga branca so-
ja, camisa de riscado, blusa de la azul desbolada.
chapeo do Chili muito velho : quem o appretvn-
der e levar a casa de seu senhor na Passagem oa
Magdalena, ser generosamente, recompensado.
Fugio no dia 18 do corrente n.ez o preto cri-
onlo de nome Isidoro, de 30 annos poneo mais
ou menos, alto, rosro comprido, suissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, e.costuma andar dealper-
gaias, levou camisa de algodo, caigas veihas <
rotas, chapeo de palha velho, e tambem um bonei,
carangoejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel que tenha ido para Serinhem
que apprehendam e o laven ao seu senhor Joo
Cavalcanii Lamenba Lins, residente na Estrada
Nova, sino de Jeronymo de Hollanda Cavalcanti de
Albuquerque, que se recompeusar generosa-
mente.
LISTA GERAL.
:>\
DOS PREA IOS DA ^M PARTE DA lotera, concedida por le provincial n. ---------------------... ----------------- ------------------------------ --------------------------------------------------- 036 A BENEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA, EXTRAHIDA EM 15 DE SETEMBRO DE 1865.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. 1 PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS.
12 65 209 105 368 65 539 65 737 65 903 65 1071 65 1229 65 1403 65 1391 8| 1766 64 1941 65 2142 65 2316 65 2495 105 2673 65 2831 65
13 10 65 72 62 42 9 77 405 30 0 95 69 105 43 48 21 99 65 76 60
14 12 77 67 44 10 90 65 33 10 96 74 6J 45 52 23 __ 2503 76 _ 62 __
21 105 13 78 70 o 18 92 r- 34 12 1005 1601 77 51 54 25 __ 4 83 69
23 65 16 . 80 80 52 20 95 36 16 65 5 80 55 57 26 _ 12 87 72 _
26 19 82 81 55 24 96 69 19 9 83 58 58 27 __ 13 90 76 mm
33 20 87 83 60 33 1101 76 42 _ 13 _ 84 60 59 28 __ 15 105 65 92 77 __
48 105 24 401 __ 85 66 35 4 77 44 16 _ 86 62 65 41 22 2701 82 _
50 405 26 3 ^_ 86 67 39 6 78 45 17 _ 90 63 205 70 43 26 4 83
52 65 28 205 10 _ 91 71 43 -8 80 48 105 20 _ 99 65 65 76 56 __ 27 7 87 _
54 30 b5 16 _ 92 73 45 10 81 51 65 29 _ 1804 74 77 57 6:0005 35 10 92 _
62 31 19 _ 97 76 47 11 1005 87 59 38 ^_ 9 76 79 62 65 41 105 13 _, 93
68 105 32 20 602 78 54 14 65 93 61 41 _ 12 - 77 205 81 68 43 65 18 *j 96
72 65 33 J" 22 205 7 85 o1/1 15 1301 62 42 __ 13 85 65 82 70 52 19 _ 99 ---
77 49 23 65 20 1:2005 87 60 20 2 63 46 405 14 91 84 78 54 21 __ 2904
78 57 29 21 65 89 105 61 21 4 67 48 65 . 18 405 92 85 82 105 62 28 . 8
80 205 60 105 31 __ 22 __ 90 65 66 22 7 68 49 21 65 95 205 86 87 65 68 105 65 31 _ 10
82 65 62 205 34 _ 28 91 68 25 14 70 62 <~ 29 99 65 87 88 76 33 M 14
83 63 b# 37 __ 31 93 205 78 28 19 76 64 __ 30 2014 M 91 89 ^ 79 36 15 ^^
86 64 38 __ 35 94 65 81 405 33 105 20 77 66 __ 34 - 25 __ 93 90 __ 80 _ 40 _ 17 ^^
89 ^ 68 105 42 pv 36 99 89 65 39 65 21 85 67 _ 45 34 __ 97 95 __ 81 _ 45 _ 18 ^^
91 69 05 44 37 ^_ 801 91 1005 40 105 26 86 70 __ 46 44 --- 2210 __ 97 _ 86 _ 46 _ 24 _
96 ~- 76 77 " 45 39 ^^ 2 98 65 42 65 30 105 88 72 51 51 --- 14 _ 2400 88 __ 48 _ 28 ^^
97 105 ^ 47 40 _ 13 99 44 31 65 89 74 58 53 16 3 90 M 52 10 32 ^
104 65 84 ^ 48 44 _ 16 1001 ^_ 46 205 32 95 75 58 60 -- 18 __ 4 91 __ 53 65 38 _
5 85 92 93 95 ^~ 53 45 205 17 4 47 65 36 97 76 61 - 61 -- 19 5 92 __ 55 39
10 mm 58 47 65 21 6 48 - 41 1501 83 65 67 20 6 97 -- 63 _ 40 ^
14 ** 60 48 22 8 55 43 2 _ 84 70 205 68 21 10 2605 65 41 _
17 -~ 62 51 _ 23 9 56 46 4 85 105 73 65 70 32 12 6 74 43 _
18 306 67 54 _ 30 13 57 49 205 5 ^^ 93 65 81 75 33 16 7 76 _ 45 ^M
20 7 _ 68 64 32 16 59 54 65 8 _ 95 86 79 38 18 405 8 77 47 _
27 10 __ 69 7 34 ^\ -^ 20 67 56 10 _ 98 89 84 39 205 25 65 11 78 48 _
32 11 __ 70 71 37 21 71 58 18 ^_ 99 98 85 40 65 29 20 80 49 fm.
37 13 74 73 ^^ 39 105 22 ^^ 74 59 26 9m 1700 _ 1902 86 41 105 31 _ 28 82 60 __
SI 18 _ 76 79 ^ 45 65 24 mm 78 61 27 g^p 12 _ 4 96 47 65 32 m. 31 _^ 97 1005 62
52 22 __ 77 82 ^_ 46 30 _ 79 66 31 ^^ 13 _ 6 2101 105 58 41 gop 32 ^^ 98 65 56
53 30 __ 83 87 ^_ 49 31 _ 81 69 32 p_ 14 _ 9 _ 4 65 61 47 HB 34 ^ 99 57 10*
61 31 ... 84 97 ^_ 50 35 ^ 82 70 34 _. 15 _ 10 J__ 7 66 48 ^_ 35 l 2800 _ 66 65
69 37 _ 85 99 ^_ 52 44 . 88 w 71 105 35 ^_ 18 __ 13 _ 8 __ 67 49 f^ 37 ^_ 1 _ 70
70 38 _ 87 700 _ 3 45 m 90 65 73 65 41 paaj 22 _ 14 _ 11 *. 77 54 __ 41 __ 4 _ 73
71 41 _ 93 3 _ 58 49 ^^ 93 75 405 46 M 24 16 205 14 _ 81 62 H| 43 H 5 .. 76
75 43 94 7 _ 72 54 M. 95 76 65 54 30 17 65 16 82 63 46 6 _ 78
77 47 506 _ 8 _ 77 205 58 . 1201 __ 77 63 34 19 19 88 65 --- 47 16 405 88
82 48 . 8 _ 10 rfH 84 65 60 M 2 79 64 42 105 20 _ 20 90 66 48 ---. 10 5 86
93 50 16 15 89 63 - 7 105 83 68 --- 43 65 21 22 92 70 49 M OT
94 83 21 10 17 90 64 ,| "* 10 65 86 69 46 23 26 105 96 79 62 --- 26 92
96 87 29 65 18 _ 96 66 / " 12 02 72 --- 60 4005 28 27 65 2301 82 59 29 105. 94
97 58 31 1 _ 98 ~ -V / 105 14 93 82 105 62 65 26 31 2 83 105 60 32 65 94
96 50 40 21 900 68-/ 65 14 105 97 83 65 63 38 33 11 88 65 62 44 96
207 62 47 29 t ' 69 - 17 65 1402 85 65 40 -1 37 16 -* 91 67 48 3009
Pern.Typ. de M. de F. Faria4FilHo.\W&.
..*


Diarlo t rerBumbaco abbado iU de Hctcmbro de !*
LTTEIATOM.
THEATRO DA GIIEIUU.
Veriflcam-se as noticias que demos da batalha
no Passo dos Livres.
Un ella lugar a 17, e nao a 13, ando em po-
der do exercilo de vaoguarda ao mando do gene-
ral Flores 1,200 prisioneros, inclusive o seu chore
Duarte, 1,700 morios, quairo bandeiras, armameu-
to, muuiges, oito carretas com os respectivos ca-
vallus, e 300 horneas feridos.
O exereito da vanguarda tevo fra de combate
250 houieus, entre morios e fondos. i
Ao fauatismo com qae combate o inimigo deve-
se aitribuir a enorme mortandad.: de sua parle.
a Eia, Blhos valentes da Gerraania, descendentes
dos hroes de Leipzig Waterloo, iuscrevei-vos
sem demora como "voluntarlos; marchai para o
campo da honra, e raostrai o valor dos Blhos da ve-
ha Allemanha, qae j em 1851 derrabaram Rosas,
o maior tyranno do Prata.
< Repilo: lembrai-vos qae maita gratidio de-
veis a esta nobre nagao brasileira; os Allemes do
por um Italiano u.na uitimacio ao genera para- i n. .. .. .. o i ..
Rio-Grande do Sul ja isso reconheceram, e cente-
nares delles ja' se acham no campo da batalha.
nlioneiras brasileira*, o general Flores passou com
sea exercilo para o territorio brasilelro; compa-
se esse exercilo de 6,000 a 7,000 horneas, pois as
cavallarias nao passaram. e tem 40 pecas de arli-
Iharia, quasi todas raladas.
' Immedialamente poz sitto Uruguayana, de
conlbinago com o general Canavarro, e mandou
guayo para que se rendesse. A nica resposta
elle foi mandar esplngardear o Italiano.
As torgas inimigas, que estao dentro da Uru-
guayana, constam de 8,000 homens, e smente
tem cinco pegas de artillara. Estao inteiramente
baldos de recursos.
No dia 23 deve lar principiado o bombardea-
Nao flqueis atraz dos nossos irmos do Rio-
Grande ; avante para o camoo da honra, que a vic-
toria coroar o vosso herosmo.
S. Pauto, 28 de agosto de 1865. Dr. Theo-
dero Reichert. .
Chegou da colonia militar do llapura o Sr. pri-
meiro tenente da armada Theotonio C. de Cerquei-
ra Carvalho, commandante do vapor Tamandu
ment com as 40 pegas de que os alliados dispem,
coad|uvatos pelas duas canhoneiras. Da Concordia ,
Mais adianle encootrarao os leitores as partici- tinha o general Mitre emedido nm vannr rari-ao i i L .--.-.
, ... .. > K^-uciai julio eupemao um \apor carrega- tehy, qae sob sua direegao tem feto diversas v a-
psgdes desse feto de armas, a cujos respetto ex- do de muniges. J,'^.,.____ nL_.> <, .i.....:
prime-se assim a Trema de Buenos Ayres : Os Paraguayos lem-se forlifleado dentro da
O exercito oriental eslava dividido em urna Uruguayaoa, e conta-se que faro urna defeza des-
bridada, composta dos tres balallioes Florida, 2t esperada ; mas, destrogados pela Infantaria, lero
de, abril e voluntarios da Uberdade, s ordens do alioal de renJer-se, lastimando-se apenas a des-
coronel Pallejas. i truigo que val sollrer a joven e tormosa cidade.
Abrigada brasileira compunha-se dos bala- Nao ha noticia de que forgaalguma paraguaya a suspeita que originou se em virtuda de cartas do
lhes o- e 1" de liaba, e o batalho de Voluntarios'. se adiante a proteger a que est encerrada na Uru-
da patria as ordens do coronel Fidelis. guayana.
1 gens e experiencias. Deve-se ao seu zelo o apri-
sionamento, como ja dissemos, dos Indios qae se
acham na cada da colonia.
Eeses Indios foram presos no Rio Paran em a
confluencia do Tiet, prximo a llha Grande da Ca-
choeira de Urubupung ; e deu cansa a esse facto
para escrever sua familia, mas o major recusou-
Ihe.
. Quando aquellos cinco melizes estavam a ponto
de serem executados, um delles, chamado Bo'tteri
que furaava o sea cigarro, foi esbofetiado pelo
major.
Pouco depois mais tres garibaldinos foram tam-
bem fusilados, apezar dos seas prantos, sopplicas
e imprecares.
Algamas horas depois, um destes ltimos anda
respirava ; tenton-se conseguir do major Vlllata
que nao o cabasse de matar.
Mas o major raandou-lhe atirar vinte tiros de fu-
sil, at que o ferido cou cadver.
Na noite seguinte, deu ordem para que os corpos
fossem queimados, e a populago de urna aldeia vi-
sinha obteve com grande dilQculdade, que elles
fossem enterrados.
Todos estes factos acabam de ser publicamente
denunciados n'um jornal de Genova, e o major Vil-
lata, hoje tenenle-coronel, foi chamado aos tribunaes
e espera a sua sentenga.
A embaixada dos Estados-Unidos, com cinco in-
dividuos, cnstou 6,5i9 libras.
As ontras missoes e legaedes custarara sommas
inferiores, at a nltima, a de Marrocos, qae figura
com 400 libras.
O algarismo total dos salarios e das pensdes di-
plomticas montoa a 171,828 libras.
A aitilbaria oriental eslava s ordens do gene-
ral jrges, secundando-o o chefe della, major Ianci.
< O exercilo argeniiuo constava de tres divisoes,
coinuundadas a P pelo coronel Rivas, a 2* palo
coronel Arredondo e a 3* pelo coronel Malinas Ri.
vero.
A 1* diviso compunha-se de duas brigadas,
ormadaa P pelo balhao P de linha e o da guar-
da nacional de S. Nicolao, as ordens do comman-
dante Roseti, e a 2' pela legio militar, balalho
3" de linha e o esquadra de artilharu do major
iia.i.i juj, primeiro que rompeu o fogo de sua ar-
ma, s ordens do commandante Charlone.
A 2' diviso constava tambem de duas briga-
das a P formada pelo 2 do linha e-o balalho cor-
renlino, s ordeas do commandante Orna, e a 2*
brigada pelo 4o de linha, o P batalho legio vo-
luntarios, e a animara de Neison, s ordens do
commandante Fraga.
A aegao iniciou-se, despregaodo em guerrilhas
todo o batalho de voluntarios do leoente-coronel
Buslamanie, que logo depois se coofundiu cora ou-
tro batainao paraguayo, que tambem eslava em
goerriltu.
Acto continuo, carregaram alguus esquadroes
de cavallara inimiga, que foram comidos pelos v-
leme* Segovia, do P de cavallaria de linha, e For-
tunato Flores, chefd do regiment Escolta, que no
meio do combate quebrou sua langa.
< A posigo que o inimigo oceupava era forte ;
combaliara com tanto denodo os paraguayos que a
ferida do corouel Fidelis de langa, o que prova
que a sua cavallaria veiu esbarrar com nossos in-
fantes.
(Quatro dias|anles da batalha, de sejando o gene-
ral Flores evitar u derrmamelo de sangue, man-
dou un cartao de visita a Duarte, ebefe da torca
paraguaya, por meio de um allemao. A resposta
que Djine deu foi mandar fuzilar o aliemo. Que
commeularios exige isto ?)
A artilharia quasi nao lomou parte alguma no
combate, tendo sido a batalha suslontada pelas in-
famaras.
No Passo dos Livres tinham os paraguyos dei-
xado todas as suas canoas com urna guarda de 100
homens. Homens e canoas foram lomados pelos
alliados.
No coraego da batalha foi Duarte lomado pri-
sionero pelo capilo Uriburu, a quem cntregou a
espada e o revolver.
Depois de se pronunciar a derrota de 300 a
400 nomens. atirarara-se a passar o arroio Iatay.
porcm os generaes Madariaga e Soares sahiram per-
seu.ndo os com urna forga de 2,000 homens de
cavallaria.
A derrota do inimigo na margem direila do Uru-
guay acoselhara a retirada de Uruguyana das tor-
gas que oceupavo.
De facto, os paraguayos liaviam tentado sabir em
direegao ao Ibicuhy ; mas, bostilisados pelo general
Ganavarro duraute o horas de vivissinn fogo, re
trocederam para Uruguayana, tendo antes quei-
mado metade de suas carretas, e alli se conserva
vam.
A nossa esquadrilha no dia 20, as 2 horas da
tarde, passara pela barra do M-rioay, quasi em
freute ao Quarahim ; Boba galgido o Salto no dia
19 e segua para Urogaiyna, oude poderia chegar
a lempo ainda de prestar bons servidos.
O Sr. vire-almirante Tamandar partir a 25 pa
ra a Concordia, donde subira sem demora a alean-
gar a esqoadrilha.
E', pois, de esperar que em poucos dias estives-
se livre a provincia do Ilio-GraoJe dos paraguayos
que a invadirn).
O general Mitre nao linha ainda avangado ; mas
era provavel que o seu exereito comegasse a mo-
verse antes de passar a desmoralisaco das forgis
paraguayas.
Estas torgas conservavam-se em urna certa rea
de terreno, e nada tinham tentado em soccorro das
que foram derrotadas no Uruguay.
O general Barrios, queja' havia tomado o com-
mando em chefe do grande exereito, saqueava vil-
las indefesas.
A nossa esquadra do Paran' descera em con-
sequeocia da baixa das aguas. Na passagera pela
barranca de Las Cuevas, no dia 12, soffrera vivo
fogo de 30 pegas e de mosqueitaria, feito acaval-
valleiro, or espago de 20 minutos.
Fora horrivel a passagera sob aquella chuveiro
de balas. O Amazonas recebera no casco 40 pro-
jectis, e soffrera algumas avarias na mastreago.
Ficaram fra do combate em toda a esquadra.
que responder vivamente a' bateiia inimiga, 41
homens, 13 dos quacs morios.
Entre estes contam-se o alferes do 14a corpo do
voluntarios da patria, da Cachoeira, Marcellino
Barbosa Leal e o aspirante de marinha Joaquina
Gandido do Nascimento, Ji I to dea provincia de
Pernambueo o qual em sen ardor patritico, soli-
citoa e obleve do governo imperial seguir para o
sul onde depois de Ilustrar seu nome, morreu
morte de hroe,
O vapor argentino Guarda Nacional, que faz par-
te da esquadra, perder doos guardas-marinha e
dons raarinbeiros, e soffrera tambem alguma
avaria.
A parle do chefe Barroso e a relagao que em se-
guida a ella adiante tambem publicamos, da' cir-
camslanciadamente noticia desla passagera e dos
que ni-.IIa licaram fra de combate.
Subir o rio Paran' urna canhonelra italiana
aQm de proteger os subditos de sua nago contra as
crueldades qae sem distinego de nacionalidades,
commettem os paraguayos.
Era Montevideo fra receblda com enthusiasmo
e muito applaudida a victoria obtida pelo general
Flores.
Escrevem-nos de Buenos-Ayres em 28 do passa-
do, ultima hora (2 da larde) :
< Chegou ba pouco o vapor Pavn, da Concor-
dia, onde tinha sido demorado pelo Sr. presidente
Mitre, para trazer as noticias qne esperava da
Uruguayana. Todava, as qae troaxe nao sao de-
cisivas.
Nos das 23 e 24, e com auxilio das duas c-
t No Pacn velo o major Duarte, commandante
em chefe da columna paraguaya, batida em Jaiay
onde elle proprio cahio prisioueiro.
O Echo do Sul narra o seguale :
No di. 13 de junhu os Paraguayos lavraram
urna acta em S. Borja, declarando nella que lia-
viam entrado all no dia 10, achando a igreja sa-
queada, tendo sido respeilado por elles as familias,
e os ioteresses daquelies que residiam na villa.
Conta Fernn Cabellero que desejando um cura
eoeote coronel Dias, ex-commandante de Nioac. | celebrar cerla festa cora solemnidades, e nao ha-
Foram-lhes dadas vestimentas pela guarnigo da- vendo na aldeia nenhum cantor, nem orgo na
quelle vapor, e pelo commandante, que brindou os igreja, perguntou o cura a um barbeiro, afamado
com presentes, etc. em descantes e mes i re de guitarra, se seria capaz
O director do Itapura, o Sr. primeiro tenente de acompanhar a rnissa com este instrumento e com
Mariano de Azevedo p los em confisso e arran- o sea canto,
cou-lhes a declarago de serem com effelto espides
dos Paraguayos.
Dous delles, enl-e os quaes o chefe, amanhece
rara em o dia seguinte entorcados.
Aos estorgos e pericia do Sr. primeiro lente
O barbeiro raafarro declarou logo, que nao ha-
via cousa mais fcil.
Ao entoar o Gloria comecou a cantar em tora de
fandango
Ai que gloria, qae gloria, qae gloria e nao
Em acto seguido o padre que os dirige eneami- : Carvalno deve P,iz aquelles fados, de que ja' parava de grilar oae g|oria e de arranjar na gui-
aba -se com um coronel e 30 laoceiros a casa dos inos h*003"10* ootr'ora e que nesta noticia melhor larra( enthasiasmando-se com o bom eftoito da voz
estrangeiros que Acarara em S. Borja e os obriga !ac,aramos- e do instrumento debaixodas abobadas do coro,
aassigoarotalpapel.onde vem a jusliQcagao do I Ha noticias de Itapura pelo Sr. commandante do irreverencia e
liso oruceder dessa hna cen.. vaPor Tamanduatehy, que vem bascar dinheiro ^aDad0 cu" com a1ue,la "reverencia,
n_ J .7,. ..-._____ querendo fazer calar o melmano, vollou-se para o
coro e exclamou:
lo, comegaram no dia 17 o saque na povoago, sa-
queando os negociantes Joo Comilha e Jos Fran-
cisco da Silva, deixanJo-os com a roupa do corpo.
E' boa a maoeira de roubar I
A cmara municipal de Braganga, em S. Paulo,
reunida em sessao extraordinaria no dia 27 do
passado, rosolveu empregar lodos os meios ao seu
alcance para o alistamento de voluntarios em gran-
de escala.
O Correw Paulistano conta o seguinte :
Consta-nos que o digno commandante superior
da guarda nacional do Rio Claro, o Sr. coronel
A localidade ficra tranquilla, e sem receio da
invaso dos Paraguayos, que se retiraran) de
Coxim.
Da provincia de Minas ha noticias at 24 do pr-
ximo passado.
Ai que besta, que besta, que besta 1
Em am dos passeios de Versailles, refere um
jornal, vla-se com frequencia urna pobre mulher
..' aue com voz triste canlava aBm de procurar es-
Consta estar defln.t.vamente designado o da 21 ^ sfl atreya dir alreclamenle.
do correle para se pdrem em marcha todas as
torgas da brigada mineira-pauliMa, hoje todas ao; N'um destes ltimos dias por causa de largarem
mando do coronel Galvao. Parece que sua marcha os jogos d'agua muita genle concorreu a Ver-
nao ser por Sant'Anna do Paranahyba, mas sim sailles.
pelo Rio-CUro. Entre os curiosos havia am individuo de apa-
Tambem me informam ler-se contralado com i cia abasuda, que com sua fllha pelo brago la
Jos Estanislao de Oliveira, alm da patritica ac- Sa|viano jos Pendes o transporte de artilharia e gozar do espectculo, quando de repente foram de-
gao de dar 200* a cada um dos guardas naclonaes oulras rauilas cargas nacionaes. tidos pela pobre mendiga, qae Ihes dizia com voz
do seu comraando que se alistarara voluntarios trmula :
para marchar ao camp) da guerra, como j notl- Anda ha algumas por contratar. fa ^. a me abanao_
ciamos ha lempos, e de ter feito um donativo pecu- ,An.,ou' V,ceD,e ^e Pala0^OD,raloa cra a com-' ueis T
niario i sociedade promotora de voluntarios da missao a cond;e5ao de 30 saccos de sal Para : Ao ouvir esta voz a a v.sla desla mulher, o ho
patria, consta-nos, dizemos, que sobre esses esfor- La^bi Pr tonU d0 Soyera- mQm e a raeaioa s0|taram Um grito, correm para a
gos de nobre e ampio amor di patria, reconhecen- Acha-se nesta cidade o Dr. Joaquim Ferreira deSgragada e a cobrem de beijos e lagrimas abra-
do quanto til a presenga da forga armada em Carneiro, suspenso do exercicio do seu cargo pela caD(lo a a(Tectuosamenle ; mas ella pareca inceo-
bem da sustentago da harmona social, acaba de
comprar cem espingardas competentemente moni-
ciadas para serem distribuidas pela torga sob seu
commando.
Ninguem desconbecer sem du vida o alcance
deste passo que deu o Sr. coronel Oliveira, muito
principalmente no estado actual de nossas cousas.
cmara da B-igagem.
L-se no Alinas-Geraes :
No da 27 do correte verificou-se a revista do
primeiro batalho da guarda nacional e da primei-
rasecgo de artilharia que deviara acuartelar se-
gundo as ultimas ordens da presidencia.
sivel a estas demonstragSes de ternura e repe-
lla :
Que vos tenho feito para que me abando-
nis ?
Como esta scena linba ailrahi io multas pessoas,
o bomem chamou urna carruagem e pegando nos
Folgamos de consignar o zele e patriotismo do ragOS a pot,re mulher a metteu dentro della su-
Assim lodos os Brasileiros dos dilTerentes pontos ~^a' .suprior, o Sr. coronel Carlos de | DDQ0 Umnem depois e sua Qiha, e lodos .res se
do impL-rio, em idnticas circunstancias, tomassem
igueirdo. Formada a torga em quadrado e aasiam daquelle sitio,
lidos os decretos as. 3,505 e 3,506 de 4 de agosto e
as inslrucgdas que para sua execugo expedio a |
presidencia, S. S, possuido de verdadelro enthu-
siasmo pela causa nacional, ja' no quartel da sec-
gao de artilharia, ja' na parada do primeiro bata-
lho, proclamou aos guardas nacionaes, ora exci-
tando-lhe os bri03 e convidando-os a apresenta-
| rem-se voluutarios, ora fazendo sobresahir as van-
. tagens que nete caso Ihes conferia o governo im-
perial.
Seas estorgos nao foram inules : 40 voluntarios,
destacaram-se das leiras da guarda nacional, e
no centro do quadrado, sobre urna mesa ah collo-
cada, assiguaram seus nemes no livro para isso
destinado.
Nesta occasiac o procediraento do tenente da
guarda nacional o Sr. Antonio Pedro toi digno de
Em casa do Dr. Reichert Uvera lugar urna reu- verdadeiros encomios. Ao terminar o Sr. com-
uiSo de estrangeiros, cujo llm fra o seguinte : maudaute superior o seu discurso, aqaelle cida-
accordar-se como os estrangeiros residentes em do, laugaodo mao da arma de urna praga, decla-
S. Paulo liaviam de collaborar com seu auxilio rou que, apezar da idade e de ser casado e cora
em bem da defeza do Brasil contra o Paraguay lilhos, eslava prompto a marchar como simples
Resolvra-se, por proposta do Dr. Belholdi, que guarda.
se nomeasse urna commissao para se dirigir ao pre-' Recolhido o primeiro batalho ao quartel, al- i
sidente da provincia, consultando se o governo ad- | gumas pragas imitaram o procedimento do brioso '
mitte urna legio de estrangeiros em todo o irape- Sr. tenente Antonio Pedro Pinto,
rio, organisando ura regulamento especial com as No dia 28 do crreme enlraram na capital e to-
mesmas garantas concedidas aos voluntarios e a rain aquarteladas 18 pragas do terceiro batalho e gsles versos foram recitados no Gabinete Portu
manntengao de sua nacionalidade, e acquiescendo ; alguns oflkiaes. I gaez de Leitura, em a noite de 13 de setembro de
o governo a esta proposta, a commissao proceder | Cousla-nos que a pedido destes marcara o Sr. {g^ pe|0 sr. Antonio de Souza Pinto.
por modelo um lo louvavel procediraento.
Osr. corouel chefe do estado maior e comman-
dante superior interino da guarda nacional de
Campias, Querubim Uriel Ribeiro de Camargo e
Ca.iro.acaba de dar Iiberdade a um pardo seu es-
cravo, para faze-lo assentar praga, alm de ja ter
dado para as despezas do estado 300, e para os
guardas nacionaes do seu interino commando su-
perior, que vieram a esla capital para o servlgo
de corpos destacados, 170* reparadamente entre
todos, e olTerecido os seus servigos pessoaes para a
guerra no caso que sejam elles reclamados.
u Sr. coronel Francisco Uarcondes Homem de
Mello off.-rece a cada guarda nacional que se Ihe
apreseutar para o servlgo da guerra a quantia de
1005000.
O mysterio da scena era este.
A pobre cantora era mulher daquelle individuo e
me da menina que o acompanuava e habitava na
provincia.
Accomraeltida de accessos de loacura a pozeram
n'uma casa de sade, um dia fugio d'allt e nao o
participaram sua familia e s por casualidade foi
toi em Versailles encontrada por sea marido e por
sua Blha.
Na creago ha dez coasas, a cada urna dellas
mais forte do que as outras :
As montanhas;
O ferro que as corta ;
O fogo que funde o ferro
A agua que extingue o fogo ;
As nuvens que abs^rvem a agua ;
O vento que dissipa as nuvens;
O hornera que arrosla o vento ;
A embriaguez que atordoa o homem ;
O somno que dissipa a embriaguez ;
O pezar que obsta ao somno.
Os chnstaos podem accrescentar ;
A esperanga era Deus que obvia os pezares.
n n i
por meios persuasivos e pecuniarios ao alislamento commandante superior urna segunda revista para j
de voluntarios entre todos os estrangeiros, resi 'este corpo, visto allegarera elles ter sido muito
denles na provincia. breve o prazo antes lixado, o que deu lagar a que
Foram eleitos para a commissao os Srs. Dr. Rei- graade numero de pragas nao fosse avisado. O ver-
chert, Dr. Botholdi e Tnoraaz Honeiro. dadeiro interesse que mostrara estes dignos, offi-
0 Sr. Theodoro Reichert dirigir aos seus con- ciaes faz-nos crer que elles nao pouparo esforgos
terraneos residentes em S. Paulo a seguinte pro- para que se aprsente na segunda revista numero
ciamago : de pragas consideravel.
Mocidade allema A honra, integridade e A revista do segundo batalho est marcada
independencia do Brasil foram ultrajadas por bar- Para o dia 10 de setembro no arraial de S. Gonga-'
baros e irahldores que calcam aos ps os sagrados 'o do Bago.
direitos e principios dos poros civilisados; chegou A verdadeira anuencia de que enlre os seus i
o momento proprio em que os Allemes que habi- corainoudados gza 0 Sr. teoente-coronei Francis-
tara este bello pa.z, o que sempre foram recebidos co T. Aruaral) chefe desle bala|ha0| e as relagSes
pelos Brasileiros, com os bragos aberlos e com a pessoaes que o prendera s pessoas raais influentes
ais franca hospitalulade, mostrem se gratos, de- d0 distrieto do corpo, fazem que todos tenham :
fendendo principios, que pela civilisagao e huma- j bem fundadas esperangas de v lo entrar na cap-
nidado devem acceilar como seus. la| com mais de cem hotnens aptos para marchar, i
Da provincia do Paran recebemos folhas qae ;
alcangam a 19 do crreme.
Tinham chegado capital, o capito Joo The-
moteo de Simas e o tenente Luiz Malhias Ferreira
i S. Exc. o Sr. presidente da provincia deca- ]
rou-me, que acceitava estrangeiros como volunta-
rios, garantindo-lhes todos os direilos e vantagens
concedidas aos nacionaes; e se segnirdes o axio-
ma antlgo ubi bene. Un patria-; se 80,000 AP de Ahreu com con'ingente da guarda nacional
lemes que habitara no Rio-Grande do Sul achara- da mar"ina Que tem de encorporar-se -
se era perigo; se salteadores e criminosos nao pou-
pam aos estrangeiros, matando-os, roubando suas
fortunas, deshonrando suas Minas e mulberes ; la-
do concorre para que tenha soado a hora de mi-
nir-vos sera perda de tempo, e acudir aos ofelizes,
que bem alio clamam vinganga e desaffronta.
t Se a velha Europa soabesse o qae a"> sabe-
mos, que meninas e mulheres brasileiras das loca-
lidades que os bandidos do Paraguay repentina"
mente loinaram e saquearam, sao conduzidos para
Assumpgo, e la, uas, sao arrematadas e vendi-
das na praga publica ; que cortara as orelhas dos
prisioueiros seccando-as ao sol, e com ellas oslen-
lam trophos de victoria-, imraolam mulheres gr-
vidas e criangas de peito, como se fossem carnei-
ros; e que finalmente os prisioneros, q-ae nao sao
marlyrisados, sao inmediatamente fusilados; se
ludo isso soubesse a Europa, de la viria nma cru-
zada santa da civilisagao contra o Paraguay.
< Mas a Europa disto nao sabe, e mesmo quan-
do la chegassem semelhantes noticias, difflcilmente
acreditar-se-hia no barbarigmo que presenciamos.
< A honra, este thesouro precioso, este diadema
adorado da nago allema, a gratido e o dever,
chamam vos ao meio das columnas brasileiras, pa-
ra soccorrerdes s familias allemas, qae babitam
o Rlo-Grande do Sul.
ao da |
mesma capital, e'que deve marchar para a fron-1
teira.
Dos 100 guardas nacionaes que devem dar os
eomroaodos superiores da Curitiba e Paranaga i
j se achavam aquartelados 90.
UM POUCO DE I IDO.
Espalharara-sa muitos boatos na imprensa italia-
na a proposito do seguinte facto :
Em 1862, per occasio dos acontecimentos de
Garibaldi em Aspromonle, urna columna garibal-
diua, que se achava prximo deCatanea, procura-
ocos louros.
Mais urna pagina d'ouro
Nos fastos desta nago I
Um triumptio immorredouro
Para o brasilio pendo I
Um tropho da nobre lata
Contra essa raga polluta,
Fogosa na sde brula
Do sangue de seu irmao !
Nos maldizemos a guerra
Mesquinba, das ambiges:
Junio luz, sombra que aterra
Persegue os Napoleoes !
Mas d'alma que pensa o sent
Damos um canto ferveote
Ao povo que vela, ingente,
Por seus Ilustres braies I
O joven- Brasil ferido
No seu bro e pundonor,
Deste duello reunido
Hade sahir vencedor.
Nao sent torpe cubiga,
Tem de seu lado a justig,
Que a para chamma Ihe atiga
Do patritico amor.
Saudemos o grande feito,
Novo brilhante laurel
Que j raoslra ao povo eleito
Da victoria o capitel I
Aqu nao ba estrangeiros ;
Portoguezes, Brasileiros
Sao irmos, ambos guerreiros :
Urna s crenga um Bel I
Sob a epigraphe de Expostco anglo-franceza,
l-se no Mormng-Post o seguinte :
As clases operaras abriram no dia 7 do cr-
reme no palacio de crystal, urna exposigo anglo-
franceza, sob a proteceo de ura ceno numero de
operarios de Londres e Paris, alim de se celebrar
o 50 aniversario da paz enlre a Franca e a In-
glaterra.
Nao s esta exposigo foi mais completa do que
todas as que team sido feitas at agora, por opera-
rios da nossa capital, mas tambem toi superior
pela qualidada e bom acabamento dos objeclos ex-
postos.
A ceremonia da inaugurago realisou-se no pa-
vilho central, sob a presidencia do Sr. Herbert
Mandslay, da casa de commercio Mandslay e Field,
mchameos raudo coohacidos, e em presenga de
grande numero de pessoas.
O reverendo J. A. Emerton D. D. proferto urna
allocugo, da qual fazem parte as seguintes linhas:
Protegei com a vossa graga especial, oh I
Soberano do Universo, a nossa soberana, rainha
Victoria. Oxala que ella nos seja conservada por
largos annos como inedelo de virtudes e de bon-
dade, e quando depois de governar o seu reinocom
justiga e benevolencia, e depois de estabelecer a
paz em todas as fronleiras, chegar a urna idade
avaugada e fr chamada a reunir-se no outro mun-
do quelle que flella tanto presou nesta ierra, e a
trocar por urna cora immortal aquella que teve
ueste mundo, permilti, oh meu Deus, que ella seja
recompensada enlo por estas pala.ras bemdita<.
Tu, boa e Bel serva, procedeste bem, foste Bel mes-
mo as menores cotisas, e a recompensa ser cem
veces maior, toma parte as alegras do teu se-
ulior 1 Abengoai igualmeuta de urna maoeira es-
pecial o imperador dos francezes, fazei com que
ella continu a mostrar que. nao s em theoria mas
tambem na pratica, o imperio a paz; que conti-
nua a proceder em todas as cousas por forma tal
uue o povo que elle governa hoje com tanta firme-
za e vigor, se record delle para o futuro como
tendo sido, depois da Deus, o bemfeilor que Ibeden
a paz, o creador da prosperidade nacional, e que faz
reviver a verdadeira liberdade e deu a relicidade a
toda a huraanidade...
O presidente proferto depois uraa allocugo, na
qual teceu merecidos encomios exposigo, e fez
notar que nao s era excellente este modo de ce-
lebrar a paz nao interrumpida que ba cincoeota
annos existe entre a Inglaterra e a Franca, mas
que a presente exposigo devia ler por cousuquen-
cia desenvolver os sentimentos de amizade e de be-
nevolencia entre os operarios das duas nagdes.
Accrescentou que assislira a umitas exposiges
organisadas pelos operarios de Londres, mas que
nenhuma fra igual a esta, e que na sua opinio
os oprenos ioglezes devem ufanar-se pelo facto
de terem os francezes aceitado de lo boa venta de o
convite que Ihes foi dirigido.
Fallou depois na magniHca estatua do principe
consorte, por Theed, que a rainha se dignou ceder
para a exposigo, e fez observar que este acto de
benevolencia da parte de Sua Magestade era urna
excellente prova do iuteresse que Ihe merece o des-
eovolvimento de prosperidade das classes opera-
ras.
o presidente concluio manifestando o desejo do
que todas as pessoas presentes cpntribuissem para
sustentar a exposigo e anima-laVira ter um re-
sultado bem merecido. \
O secretario, Sr. Comingsby, fez notar depois
que a exposigo fra comegada e orgaVisada bona
fide por operarios, e que esperava que um dos seus
primeiros resallados seria destruir as dissidencia
existentes entre as differenles classes, especial
mente na Inglaterra.
O Sr. Comingsby concluio o seu discurso, pedin-
do a todos os membros ioglezes presentes que se
reunissem, aflin de convidaren! os expositores fran-
cezes para ura graude jatitar no palacio de crystal.
E' de esperar, accrescentou elle, que no auno
prximo futuro possamos organisar urna exposigo
aoglo-frauco amt-.'ii:in:i.
Depois fallou um dos secretarlos francezes, para
dizer que o projecto da exposigo fra desde logo
bem acolhldo pelos operarios de Paris, que com-
prehendiam que os progressos da huraanidade se
ob-inham mais lacilmenle por esles do que por ou-
tros meios.
ueclarou se abena i exposigo.
Os msicos do palacio de crystal tocaram o hym-
no nacional da Inglaterra, e franquearam-se as ga
lerias ao publico.
O numero dos visitantes que pagaran) foi de
10,671.
Tomaram bilheles por todo o tempo da exposi-
go 1,699 pessoas.
O numero total das pessoas que concorreram a
exposigo toi de 12:370.
O Correio Paulistano coala o seguiste :
O da de bontem dea assigoalado entre as eras
memoraveis da provincia de S. Paulo. Pde-se di-
zer affoutamente ; j temos estrada de ferro I
A prlmeira locomotiva chegou bontem mesme a
porla desta cidade, tendo sabido do alto da Serra e
gastando em sen caminhar, desde esse ponto at a
chcara do Sr. Felicio Fagundes, um quarto de le-
gua distante da capital, pouco mais de duas hars.
Sem ser uraa inaugurago nos verdadeiros ter-
mos offlciaes, o acto da chegada da locomotiva lo-
mou quasi as proporges de uraa lesta, pela raulti-
do de povo que attrahio, no qual avultavam pes-
soas de muita distineco, e eutre ellas algumas fa-
milias.
J nao pois urna cblmera esse elemento de
prosperidade e riqueza, que vai em breve abrir as
ponas de um futuro esplendido e risonho a nossa
bella provincia que a natureza fadou para largos
destinos.
Coogratulamo-uos, em nome da civilisagao, com
todos os nossos comprovincianos por este melhora-
meuto de que vai gosar nossa ierra, de cojos bori-
sontes cahirara honteraas nuvens de incerteza que
a lenta marcha das velhas rolinas sotopunba aos
camiuhos do engrandec ment hoja arralados pelas
mil luzes do progresso.
Dentro de vinte dias, segundo se nos atlanga, o
ultimo quarto de legua receber os trilhos e ver,
mos eatio echoar pelos campos da Laz, por esse
encantador arrabalde em que assenta a eslago des-
ta cidade, echoar, dizemos, o sonido animado dos
wagons, esses pregoeiros das gjandes deas que le-
vara a vida e o raoviraento por todas as partes,
substitumdo o silencio do quebranto pela alegra
da animago, o somno glido da pobreza pelo vo-
jear continuo do trabalho.
Nao passara de mezes a conclnso de toda a via
frrea, desde Santos at Juueiahy ; pouco o ser-
vigo que resta vencer.
A experiencia feita hontem deu o melhor resal-
tado que se poda esperar.
Ultimando estas linhas, devemos declarar que a
locomotiva que chegou hontem a' chcara do Sr. F.
Fagundes viuha trazer materiaes, e que, por tanto,
a estrada que ja" esta" feita nao foi franqueada ao
publico, e s o sera' depois de Andas todas as obras
am toda a loogitude de Santos a S. Paulo.
Um documento parlamentar inglez, recentemente
publicado, d os seguintes pormenores acerca de
va um paz, onde podesse depor as armas e disso .._____Ana ^. j__. j..i___.-.. ._
r r K algamas das despezas do servigo diplomtico in-
ver-se ; foi sorprendido por um balalho do 47 de
lioha, commandado pelo major Yilata.
Por auloridade propria, o major condemnou
morte cinco macebos considerados como deser-
tores.
Ura ajudante nolificou-ihes com sentimentos esta
resolugo, na qual elles nao podiam acreditar.
Um dos cinco garibaldinos era, nao desertor,
mas aniigo vivandeiro ambulante, que acampava
o exereito regular; foram desaltendidas as suas
reclamagSes.
Um desses membros, Bianchi, pedio aatorisago
glez, durante o anuo flnanceiro Ando em 31 de
margo de 1865.
A embaixada da Franca, composta de um em-
baixador, de quatro secretarios e de dous addidos
para o exercilo e para marinha, cuslou 12,960 li-
bras das quaes o embaixador recebeu 9,123 libras.
A embaixada da Turqua, que se compon de 7
pesseas, custou 1,948 libras.
A embaixada da Russia, com 4 individuos, cus-
tou 10,910 libras.
A embaixada d'Auslria, com quatro individuos,
cuslou 10,154 libras.
L-se no Correio Mercantil o seguinte :
Ante-honlem, pelas 11 horas da manha, suspen-
deu a corveta eccouragada Brasil para fazer urna
experiencia.
Achandose a bordo os Srs.. ministros da mari-
nha, deputado Jos Caetano dos Santos, ebefe do
quarlei-general, inspector do arsenal de marinha,
lentes da escola Drs. Gabaglia, Leal e Ach, direc-
tor da oflicioa de machinas do arsenal Braconnol e
2 constructor do mesmo arsenal Bastos dos Res,
a crvela seguio at a ilha da Cotunduba, deilando
11 1/2 railhas por hora.
Ahi principiou o exercicio de artilharia, jogan
do-se primeiramente com as pegas raiadas de Wi-
thworth.
Fizeram-se olio tiros, com metralha, sendo as
cargas das pegas do systema Withwortb de 10 li-
bras de plvora, e gastando as outras 5 a 10 libras.
Todas as ponlarias foram certelras ao alvo, sen-
do artilheiros o commandante e mais offlciaes do
navio.
O exercicio terminou por urna banda de estibor-
do, nao senlindo o navio o menor abalo.
Ao fundear.de volla ao porto, pelos Srs. com-
mandante e mais offlciaes da corveta toi olTerecido
a seus visitantes um lunch, no qual se flzeram os
segnintes brindes :
Do Sr. ministro da marinha ao Sr. capilo-leneo-
te Henrique Antonio Baptista, commandante da cor-
I veta; do Sr. commandante ao Sr. ministro ; do
I Sr. Jos Caelano dos Santos ao Sr. P lenle Pila-
(da immedlato da corveta ; desle Sr. aos brasileiros
que concurren) para a sustentago da patria, ter-
minando com o brinde a Suas Magestades Impe-
riaes, proposto pelo Sr. commandante.
Alm dos Srs. commandante e immediato, fazem
parte da offlcialidade da corveta os Srs. 1M lenen-
tes Francisca Speridio Vaz, Manoel Marques Man-
cebo e Pedro Pinto de Veiga, Dr. Luiz Augusto
Pinto e commissario Colho.
A guarnigo conta 165 pragas, grande parte de
imperiaes marinhelros.
Consta-nos que a partida deste navio para o Rio
da Prata ficou transferida para segunda ou terga-
feirada semana prxima.
Consla-nos que o Rvm. D.abbade do convento
de S. Bento desla capital escrevra ao geral da or.
dem, fazendo lembrar urna acgo do maior vulto
pelo seu fira patritico e humanitario. Consiste ella
em dar a ordem liberdade a mil de seus escravos
para formaren! um batalho que marchara' para a
campanha.
Oxala' o digno geral nao seja snrdo a esla feliz
embranga, e o respectivo capitulo nao se demore
em anerionar to bello pensameolo.
Pela nossa parle nao podemos deixar de render
os maiores e mais cordiaes elogios ao Rvm. D. ab.
bade, que dest'arte, no silencio da vida espiritual,
nao esquece o que da patria e o bem de sea pr-
ximo.
Um telegramma noticiou ha poucos dias a morte
quasi repentina de Buchez, que eslava em Rodez
(Franga).onde linha ido em excurso de recreio.
Buchez tinha 69 annos de idade.
Nasceu em urna aldeola do departamento das
Ardennes.
Tomou parte activa na lula poltica contra o
governo francez da Resiaurago.
Com os seus amigos Bazard e Flollard fundou o
carbonarismo francez.
Depois de ter tido parte na fundago do sansi-
monismo, deixou-o para fundar o Europeu, que
elle instituto orgo de um systema neo-calholico,
que foi chamado Buchezlsrao, e ao qual ligou nma
philosophia completo da historia e as doutrinas da
associago.
Foi assim um dos iniciadores do socialismo.
Levado para a poltica de acgo pela revolugao
de 1830, toi ura dos fundadores da sociedade dos
Amigos do Povo.
Por lim, ligou o seu nome grande publicaco
emprehendida com Ptoux-Lavergne da Historia
Parlamentar da Revolucao, obra em 40 volumes
em oilavo.
Depois da revolugao de feverelro de 1848, fci
eleito representante do povo pelo departamento
do Sena, e veio a ser presidente da assembla
constituinte, posto que s oceupou at 15 de maio-
Desde ento volou com os membros mais raode.
rados.
Terminada essa poca, relirou-se da vida pu-
blica.
L-se no MinasGeraes o seguinle :
Como j noticiamos, o coronel Francisco Jos da
Silva Botelho foi assaltado por assassinos s 8 ho-
ras da manha do dia 18 de jolho, na serra dos
Folhados, entre os municipios da Bagagem e Pa-
trocinio, mas ainda em territorio deste.
No dia seguinle o juiz municipal, o delegado de
polica, o promotor publico e outras pessoas foram
ao logar do delicio.
Fez-se o auto e foi na mesma occasio preso co-
mo indiciado, Bernardo de Moraes Buenos, irmao
do escrivo de orphos Francisco Al ves de souza e
Oliveira, que para vergonha sna lera procurado por
todos os meios por tropego3 a' reuniao da guarda
nacional, nao s constituindo se o prolector e pro-
curador dos designados, mas ainda aconselhando-
Ihes a fuga.
A rritago dos nimos, que Ja' lavrava oeste mu-
nicipio pela dissidencia entre o juiz municipal e o
delegado de polica, qae dea em resallado a de-
missio desle, sabio de ponto cora esles alli mos
acontecimentos e eslendea-se al a Bagagem, onde
a cmara municipal mal aconselhada e inconsidera-
velmenle suspendeu o juiz de direilo Dr. Joaquim
Ferreira Carneiro, applaudlndo-a e acorapanhando-
a em to arbitrario procedimento as do Patrocinio
e Arax.
A indublla pena imposta ao Dr. Carneiro, tol mo-
tivada nicamente por nao ter elle se apresentado
no lagar do crime, e nao ter dado a respeito provi-
dencia alguma, como se fosse elle auloridade poli-
cial, como se esta nao tivesse alli comparecido e
sna raisso nao fosse smente de aconselha-la,
qaando reconheeesse que nao marchava bem.
Ao receber estas parlicipages a presidencia sus-
pendeu do exercicio os vereadores que compuobara
a cmara da Bagagem, ordenando a sua respoaia-
bilidade, e eslraohou severamente o procedimento
das do Patrocinio e Arax.
Consla-nos qne o Sr. Dr. chefe de polica, lera
de segnir para all, aflm de providenciar em or-
dem a restabelecer-se a tranqnlllldade publica, e
instaurar os processos que julgar conveniente.
ERNAMBUCO. TP. DE M. F. DE P. & FILHO

~
;


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1ZWE64TA_5VTOT4 INGEST_TIME 2013-08-28T01:04:32Z PACKAGE AA00011611_10769
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES