Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10768


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO lll. MMflO 211
Pr f oartel pago dentro de 10 das do i. mez '.-.. t i
dem depois dos i.M 10 dias do coaiecoe dentro do qoartel. .
Porte ao cerreie por tres neses .*....., ,
5|()0Q
6J000
750
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrinn de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaiy, o
Sr. A. de fiemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os SrR. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EN'CARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO 8UL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
SEXTA FEIRA 15 DE SETEHBR0 DE 1865.
Per anno pago dentro de 10 dias do 1. mez
Porte ao correio por una anne.......

191001
sfooo
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olioda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
fgaarass e Uoyann as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala. Bezrros, Bonito, Cartiar,
Aliraho, Garantaos, Bnique, S. Beato, Bom
Consellio. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pud'Alho, Nazarelh, Lirooeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salguciio eEx, as quarlas
feiras.
Serinbem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Prinjeira Tara do civei: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda V3ra do civel: quartas e sabbadas a 1
hora da larde.
EPHEMER1UES DO MEZ DE SETEMBRO.
DIAS DA SA
A.
5 Lna cheia as II h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Quarto ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La nova as 8 h., 26 m. e 10 s. da t.
128 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
11. Sepnnda S. Theodora penitente.
12. Terca. S. Macrobio m.; S. Liborib m'
13. Quarta. S. Aula v.; S. Heronides m:
14. Quiula. S. Materno b.; S. Salustia v.
15. Sexta. Ss. Nicomedes e Meletiuo mm.
16. Sabbado. Ss. Cornelio e Cypriauo mm.
17. Domingo. S. Pedro de Arboes m; S. Justino rn
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as O horas e 30 m. da tarde
Segunda asO horas e 54 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIJAOS.
Para o snl at Alagoas a 11 e 30; para o noru
" a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fercac-
do no? ai..
14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
"ovembro.
Jfflno, setembro -. ..
ASSIGNA-SK
no Reeife, oa livraria da praca da lmlepfldeaeia
ns. 6 e S, dos proprietarlos Manoel Figoeiroa da
Faria & Filho.
OFFIGIAL
1IIMMHIIO DO IMPERIO
Presidencia do conselho de ministros em 6 de
setembro de 1865.
lllm. e Exm. Sr.Consta ao governo imperial,
por communcacoes qoe Ihe tem felo alguns presi-
dentes de provincia, que na designacao dos guar-
das naciooaes, que devem formar corpos destaca-
dos para auxiliarem a tropa de linha que se acha
em servico de guerra contra a repblica do Para-
guay, na conforraidade do decreto o. 3,381 de 21
de Janeiro do rorrente aono, lem deixado de ser
observada a leglslacao em vigor, pralicaodo-se ir-
regularidades e abusos, que muito lem difficuliadu
a organisaco de taes corpos, e dado lugar a cla-
mores.
O servico de corpos deslacados, que e o mais pe-
sado imposto a' guarda nacional, deve ser distri-
bu lo com a maior justiea possivel, para que se nao
torne odioso, e antes seja abracado com patriotismo
c boa vontade.
A lei n. 602 de 19 de setembro de 1830 mu po-
sitiva e claramente determina nos ara. 121, 122 e
123 comu ho de ser classificados os guardas na-
ciooaes do servico activo para a desiguacao dos
que devem compor aquelles corpos, quando os que
voluntariamente se offerecerem nao forem em nu-
mero sufflcienle.
.NVssa classificaco que principalmente se tem
dado abusos, que cumpre reprimir, e para os quaes
o governo imperial chama toda a atlenco de V.
Exc.
Aerediia o mesmo governo que isto se conse-
guir, ou pelo menos muito dimiouiro os abusos,
se V. Exc. compilando as disposicoes da citada lei,
e ilus decretos expedidos para sua boa execuco,
ns. 722 de 23 de outubro de 1830, 1,130 de 12 de
marco de 1833, e 1,334 de 6 de abril de 183i, na
ai i concernente aos trabadlos que compelem aos
conselhos de qnaliOcaco e de revista, organisar
insirucces que regulm os mesmos trabalhos, e se
as decisoes dos recursos, que Ihe eompetem, for
s 'vero em corrigir os erros e irregularidades que
conimettereni os ditos conselhos.
Nao sirvam de embarazo para a expedico das
nsiruccoes os trabalhos que estlverem feios. Se
elles forem defeituosos, V. Exc, os faga reformar,
P"is uara islo Ihe da' faculdade o art. 51 do decre-
to n. 1,334 de 6 de abril de 1854.
A lei n. 602 de 19 de setembro de 1830 declara
nu art 125 que nao sao proprlos para os corpos
desiacados os guardas nacionaes que, com quanto
pertencam ao servico activo, se acharem comtudo
inhabilitados por mbleslia, e os que nao tiverem a
altura do eslalo que for estabelecido ; e nos arts.
12 e 127 permute que os guardas, designados para
os mesmos corpos, dem c.itros por si.
Nao da competencia dos conselhos de quali-
cacao e de revista o condecmenlo e deciso destas
circunstancias ; mas sim do governo na curte e
dos presidentes as provincias. V. Exc. assim o
deve declarar expressamenle as nstrorces que
expedir, pois que materia essa, em que muito se
pode abusar.
O governo imperial espera que V. Exc. observar
fielmente o que fica determinado ; dando por este
modo mais urna prova do seu zelo pelo servico pu-
blico.
Deus guarde, a V. ExcMrquez de Olinda.
Sr. presidente da provincia de...
--a
MINISTERIO VA JUSTINA
2* secriio.Ministerio dos negocios da justiea.
Rio de Janeiro, 29 de agosto de 1863. -Sendo pre- i
sent a S. M. o Imperador o offlc.io do presidente
da provincia d .Minas-Geracs datado de 30 de no-
vembro de 1861, consultando sobre o lempo em
que deve se fazer as nomea^oes geraes dos substi-
tutos dos juizes monicipaes, o mesmo augusto se-
nhor, visto o parecer da scelo de justiea do con-
selho de estado de 9 do correte nirz, houve por
bein mandar declarar que a nomeacao dossupplen-
les dos juizes Oinnieipkes s lera' lugar quando.
Cridar o qualriennio, como preceita o decreto n. j
6i de 2 de noventn* de 1849 no art. Io 2o e no
art. 3o, cujas disposieoes estad em vigor, conforme i
decidi a Imperial resoluco de consulta de 3 de (
juoho de 1863, i que se retaren! os avisos de 10 >
daquelle mez e anuo, e de 18 de julho ultimo.
Deus guarde a V. Etc.Jos Thomaz Xabuco de
Araujo.Sr. presidente da provincia de...
i i naa
i' sereno.Ministerio dos negocios da juslifa.
Rio de Janeiro, 30 de agosto de 1865.
Illm. e Exm. Sr.Fui presente a S. M. o Impe-
rador o offirio dessa presidencia, datado de 13 de
julho de 1864, sob o qual veio remettido o do di-
rector da aldea dos Indios de Cimbres, propondo a i
duvida segrate : se podom sel solios por babeas-1
corpus os Indio* aldados, que por correceo forem |
reeolhidos a' prisao ainda que esta exceda a mais
de 6 dias, e o mesmo augusto senhor, visto o pare-
eer do conselheiro consultor, visto o parecer da \
secc.ao de justiea doconselliode estado, ha por bem :
declarar, que nao podendo a pena correccional do
Indio, conforme o art. 2o 10 do regulamento n.
426 de 24 de julho de 1845 exceder o prazo de 6
das, o excesso deste prazo importa um constran-
gimeoto Ilegal susceplivel de habeos corpus, por-
quanto a instituicao de habtas-corpus, que a maior
garanta da bberdade individual, nao pode deixar
de ter a amplitude, que Ihe da' o art. 340 do cdigo
do processo, sendo por conseqoenc.ia applicavel a
todo e qualquer constrangimento illegal, uu prove-
nha elle de autoridade administrativa, ou de aulo-
ridade judiciaria, com a uuica excepcao da prUo
militar, na qual se comprehende u recrutaniento,
porque esta excepcao se funda na esperialidade
necessaria a' for^a militar, especialldade reconhe- |
cida pela conslituico do imperio.
Deus goarde a V. ExcJos Thomaz Nabuco de
Araujo. -Sr. presidente da provincia de Peroam-
buco.
----------------- GOVBKKO ftAiPAtWIACI.
CoDlinuafo do expediente do dia 9 de setembro
de 186o.
Offlcio ao inspector da lliesouraria de fazenda.
Altendendo ao que expoz o commandanle superior
da comarca do Brejo, no oflli-io, junto por copia,
datado de 13 de agosto uliimo, rtcommendo a V. S.
que em isla dos 2 inclusos prets em duplcala e
nao havendo inconveniente, mando pagar de con-
ormidade com as ordens em vigor a Amonio de
Albuquerque Hollanda Cavalcanti a importancia
dos vencimentos do destacamento de guardas na-
ciooaes da villa de Cimbres, a contar de 3 a 27
de abril e de 21 de Junho a 21 de julho ludo deste
anno, como se v dos mencionados prels. Cora-
municou-se ao coinraandame superior da guarda
nacional do Brejo.
Dito ao mesmo. Se nao houver inconveniente
mande V. S. pagar a Joaquim Jos Ferreira Pe-
nha, conforme aolicilnu o director das obras mi-
litares, em offieio de 6 do corrente, sob n. 51, a
quantia de 101*760, a que tem direito o mencio-
nado Penha, por haver executado os concertos que
mandei fazer com urgencia no quartel da Soleda-
de, onde se acha a guarda nacional destinada ao
servico da guerra, os quaes foraui oreados n'aquel-
la quantia, segundo consta do predito officio.
Communlcouse ao director das obras militares.
Dito ao mesmo.Mande V. S. indemnisar o co-
ronel director das obras militares, que assim o so-
llcilou em offlcio de 4 do corrente, sob n. 46, a
quantia de 1 IJS'liu, proveniente das despezas miu-
das feilas pela reparticiio a seu cargo, desde Ja-
neiro at agosto deste anno, como se v dos inclu-
sos documentos Commumcou-se ao director das
obras mi litares.
Dito ao mesmo.Estando em termos os inclusos
prets, e uo havendo inconveniente, mande V. S.
pagar com urgencia ao Inferior Francisco de Oli-
veira da Silva, couforme sollcituu o commandante
superior da comarca de Garanhuns em offlcio de
31 de agosto ultimo, sob n. 69, a importancia dos
veucimenios de urna escolta de guardas nacionaes,
que veio d'aquolle termo conduzindo os recrujas
para o exercilo, a que se refere o meu offlcio des-
la dala. Cominuincou-so ao commandante supe-
rior da guarda nacioual de Garanhuns.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S., que nos
teTmos dos avisos expedidos pelo ministerio da
guerra em 13 de junho e 10 de setentn do anno
prximo passado, mande pagar a Claudio Dubeux,
que assim o solicita no iucluso requerimento do-
cumentado, a quantia de tOiSODO, proveniente do
aluguel da casa que seivio de quartel do destaca-
mento oe guardas naeionaes existente na villa do
Pao d'Allio a c ntar de Janeiro a junho deste anno,
a qual perteoce a Alexandre Mara Barboza da
Silva de quem procurador o predito Claudio.
Dito ao mesmo. Restituiudo a V. S. o uret em
duplcala, que veio annexo ao seu officio de hoje,
sob n. 658, lenho a dizer em resposta que mande
pagar os vencimentos constantes do mencionado
pret, pois que a escolla a que elle se refere veio
conduzindo presos os guardas nacionaes da co-
marca de Goianna, que lendo sido designados para
a guerra nao quizeram preslar-se a aso, e mesmo
porque nao sendo ella composta de pracas da guar-
da nacional all destacadas, nao pode or isso ser
paga pelos cofres provmciaes como V. S. indica
em seu citado officio.
Dito ao mesmo. Nao obstante as ponderacoes
feilas pela contadona dessa tbesouraria, no parecer
que por copia veio anuexo ao officio de 4 do cr-
renle, sob n. 651, mande V. S. pagar inlegralmenfe
conforme se reeommemiou em 16 de agosto ulti-
mo, a quantia de 464800, proveniente de etapes
abonadas a diversos recrujas viudos do termo de
Barreiros, visto nao estar provado que houve ma
f da parte da autoridade que recrutou alguns
desses individuos que por terem prvido isenco
legal foram nesla capital poslos em liberdade.
Dito ao rommaudanie superior da guarda na-
cional do Recite. Teodo presenciado o garbo,
aceio e boa ordem com que a guarda nacional sob
seu coinmando superior se apresenlou na pardi
do da 7 do coi rente, recommendo a V. S. que sig-
nifique a mesma guarda nacional a minba saiisfa-
co por semelhante motivo.
Portara. O presideute da provincia, resol ve
autoi isar o inajor Chnstano Daro Nobre de Alinei-
da a promover o aiisiamento de voluntarios da pa-
tria, e recommenda as autoridades a quem esta
(orapresentada que prestem ao referido major o
auxilio de que precisar para o desempenho de sua
cummisso.
11
I
Offlcio ao marechal de campo command;te das
armas.Sirva se V. Exc. de mandar alistar no 3
corpo de voluntarios da patria, a 'raocisco Anto-
nio dos Santos, qoe se offereceu para servir na-
quelle corpo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no o" corpo de voluntarios da patria, a Pe
dro de Alcntara Pereira, Francisco de Magalhes
Bastos e Joao Ferreira do Moule.
Dito aomesmo.-Declarando-me o 2o cadete do
3o corpo do voluntarios da patria Manoel Flix de
Veras que renuncia o i>remio de 3dO, a que Ihe
da direito o decreto de 7 de Janeiro de-le anno; as-
sim o rommuuieo a V. Exc, que se servir de agra-
decer ao predito cadete essa prova de patriotismo.
Dito ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra em aviso de 16 de agosto ultimo,
que o alferes Je> Lucas Soares Raposo da Cma-
ra, siga para a corte logo que se reslabeleca da
molestia que soffre, aflu de Ir reunirse ao corpo a
que perteuce ; assim o communico a Y. Exc. para
seu conhecimeulo e execuco.
Dno ao mesmo.Declaro a V. Exc. que o guar-
da do 4 batalho de infamara que por olfi
ci de o do corrente mandei eliminar do Io ba-
talho de guardas nacionaes destinados ao servico
da guerra, denominase Julio Alves da Silva e nao
Julio afondes da Silva, como por equivoco esla de-
clarado em dito offlcio.
Ditoao mesmo.Commnico a V. Exc para seu
conhecimento, que em aviso de 8 de agosio ultimo
declarou-me o Exm. Sr. miuislro da guerra have
cx|*dido ordem para ser enviado a esta provincia
0 ex-soldado da companhia de artfices da Baha
Miguel Ribeiro dos Anios, afim de ir cumprir no
presidio de Fernando a pena de 12 annos de pri
sao com trabalhos a que foi sentenciado.
Dito ao mesmo.Remello incluso o requerlmen-
lo que me dirigi o guarda do 7o batalho de nfau-
taria deste municipio, Jos Joaquim da Silva Bar-
ros, para que V. Exc. se sirva de informar acerca
desua prelenco, juntando o lermo da inspecQao de
sade a que deve o supplicante ser submetlido.
Dito ao mesmo.Declaro a V. Exc, para os lias
convenientes, que o tenentecoronel Francisco Ca-
valcanti de Albuquerque Maranhao ser o com-
mandante do corpo de voluntarios que organisar, o
qual dever ter a numeracao de 6o e a mesma or-
ganisaco dos corpos ns. 3 e 5.
Os voluntarios que o referido tenentecoronel
alistar, devem recolher-se ao quartel do corpo de
polica.
Dno ao mesmo.Tendo resolvdo que os volun-
tarios que se alistaren com destino ao 6o corpo de
voluntarios da patria, do commando do tenenie-co-
ronel Francisca de Albuquerque Cavalcante Mara-
nhao, sejara recolhidos ao quartel do corpo de po-
lica, (cando delles interamenie encarregado o
alferes reformado Jos Mara Benjamim de Assis ;
assim o declaro a V. Exc para seu conhecimento
e expedico de suas ordens neste sentido.Com-
municonse ao commandante do corpo de polica.
Dito ao mesmo.-Mande V. Exc. vaccinar os vo-
luntarios do Piauhy, que mandei addir ao 3o corpo
de voluntarios desta provincia e os que se acham
na enfermara militar, logo que o poderem.
Dito ao inspector da lliesouraria de fazenda.
Annuindo ao que solieltou o commandante supe-
rior da comarca de Oiinda, em offlcio de 8 do cor-
rente, transmiti a Y. S. para o Om conveniente, s
2" vas em duplcala das relacoes e prets tirando
vencimentos, a contar de 16 de junho at 15 de ju-
lho deste anno, para os guardas naciooaes destina-
dos ao servico da guerra Idalino Flix de Barros,
Andr Vctor Ribeiro e Benedicto Augusto Accili
Lobo, visto nao terem sido anda pagos taes venci-
mentos, segundo consta do predito offlcio.Commu-
nicou-se ao commandante snpe.-ior de Olinda e
Iguarass.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
commandante superior in; lino da comarca do Bo-
nito em offlcio de 3 do corrente, recommendo a V.
S. que.se nao houver inconveniente, mande pagar
ao sargento Jos Avelino Torres Carapeba os ven-
cimentos, constantes do pret junto em duplicata,
de urna escolta de guardas nacionaes que veio da-
quelle termo conduzindo varios recrutas que se
destinaram ao servio do exercito.Communcou-
se ao commandante superior do Bonito.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar mais ao
tenente commandante da companhia de cavallaria
Manoel Joaquim Machado, como requisitou o cora-
mandante das armas em offlcio n. 1324, de 9 do
corrente, 4:800,8 para comprar 30 cavallos de que
necessita a referida companhia.Communicou-se
ao commandante das armas.
Dito ao mesmo. -Transmiti a V. S. para os fias
convenientes, a relacao que rae apresenlou o com-
mandante das armas com offlcio de 9 do corrente,
contendo os presos dos cavallos ltimamente, com-
prados para a companhia de cavallaria.
Diio ao mesmo.Informe V. S. com a possivel
brevidade, se ha crdito para occorrer as despezas
que se lem de fazer deconfomidade com aviso da
reparticao da marinha de II de novembrode 1864,
constante da copia inclusa com o fechamento da
abertura prodnzida ltimamente no isthmode Olin-
da pelo mar.
Dito ao mesmo.Participando-roo ocoaimandan-
le superior da guarda nacional da comarca do Cabo
em offlcio n. 79 de 9 do corrente, que no da 27 de
agosto uliimo, principiaram a servir as 2 pravas do
batalho n. 31 de infanlaria que mandei destacar
nos fortes de Nazareth e Gaib ; assim o declaro a
V. S. para que expega as convenientes ordens no
sentido de serem ellas pagas de seus vencimentos
pela collectoria do Cabo em os devidos lempos.
Communicou-se ao commandante superior da guar-
da nacional de Olinda e Iguarass.
Dito ao mesmo.-Transmuto a V. S. o pret jun-
to em duplcala, que me remetleu o commandante
superior da comarca de Olinda, com offlcio de 8
do corrente, afim de que estando em termos, man-
de pagar os vencimentos relativos ao mez de
agosto ultimo, dos cornetas empregados no bata-
in.'i > n. 9 de infamara da guarda nacional daquel-
la cldade.
Dito ao mesmo.Reverto inclusa a conta da des-
peza fuila com o sustento dos presos pobres da ca-
deia do termo de Cimbres, nos mezes de abril e
maio do aono corrente, para que V. S. mande
effectuar o pagamento da respectiva importancia na
forma da antorisagao concedida por offlcio de 30
de juuno ultimo, urna vez que esteja a referida
coma organisada de conforraidade com a relacao
que se Ihe remetleu com despacho de 2 do cr-
reme.
Dito ao mesmo.Para que eu possa satisfazer a
requisito do commandante do presidio de Fernan-
do, constante do offlcio de 10 de agosto ultimo, faz-
se necessario que V. S. ministre com a possivel
brevidade urna tabella em vista da qual possam
ser pagos com a necessaria regularidade os venci-
mentos dos officues e pravas do 9 baialhao de in-
fanlaria da guarda nacional do municipio de Ulin
da, que se acham destacadas no raesrao presidio.
Dilo ao mesmo. Recommendo a V. S. que.estan-
do em termos a folha e pret junto em duplicata,
que me remeden o chefe de polica com offlcio de
hoje, sob n. 1,334, e relativos aos vencimentos de
urna escolta de guardas naci iaes que veio do ter-
mo do Limoeiro, conduzindo dez sentenciados e ou-
ze recrutas, maude pagar com urgencia ao alferes
commandanie da mesma escolla Jos dos Sanios
Silva Medeiros Jnior, smente a melado de taes
vencimentos, visto que o restante deve ser satisfei-
ta pela tbesouraria provincial.
Junto achara a relacao dos mencionados recrutas
os quaes foram destinados ao servido do exercilo
com excepcao somenle do Io que regressou para
aquelle lermo a requisico do respectivo delegado,
segundo consta do predito officio.Offlciou-se nes-
le senlido a thesouraria provincial.
Ditoao inesino.Trausmitto a V. S. os inclusos
prets, que me rtmelleu o commandante superior
interino da comarca do Bonito com offlcio de 28 de
agosto uliimo, tirando vencimentos para o corneta
do batalho de infanlaria n. 26 Ja guarda nacional
daquellc municipio Joo Jos amasceno, a contar
de fevereiro de 1863 al junho deste anno, afim de
que, nao havendo inconveniente, mande pagar o
que perlencer ac exerciclo corrente e ao de 1864
a 1865 em liquidadlo, fazeado procesar o que
disser respeilo a exercicios ja encerrados para ser
satisfeito quando houver crdito.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao pharma-
ceuiico Joaquim de Almeida Pinto a quantia de
31,^280 rs. em que, segundo a conta juma Importa-
ran) os medicamentos por elle fornecidos para os
voluntarios do Piauhy que seguiram ltimamente
para a corle.
Dito ao mesmo.Autorlso V. S. nos termos do
parecer da contadura dessa lliosourara, a que se
refere a sui informado de 2 do corrente, sob n.
617, a mandar pagar a Francisco Lefio da Silvei-
ra, ou ao seu procurador conforme solicilou o de-
legado supplenie, cm exerccio no termo do Bouilo
em officio de 22 de marco ultimo, a quantia de
80280 rs., despendida, como se v da conta junta
em duplcala com o fornecimento foito em Janeiro
deste anuo pelo- mencionado Silveira a oito recru-
tas e quatro disertores que vieram daquelle termo
e tiverara o conveniente destino.
Para esse lim poder-se ha despender sob ininha
responsauilidade a somma de 64^440 rs., visto
achar-se esgoiado o crdito da verba gratifkacoes
diversas do ministerio da guerrano exerccio de
1864 1865, segundo consta do mencionado pa-
recer.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.De-
volvendo a V. S. as propostas que vieram annexas
ao seu officio de 9 do corrente, sob n. 349, relati-
vas ao fornecimento de medicamento? para a en-
fermara da casa de delem;ao, tenho a dizer em
resposta que deve aceitar a do pharmaceulico Jos
da Cruz Santos, por ser mais vantajosa a lazenda
provincial, visto que offerece elle o abale de 31 por
cenio no valor dos respectivos formularios.
Dilo ao mesmo.Em visla do pret junio em du-
plicata, e n) havendo inconveniente, mande V. S.
pagar os vencimentos relativos ao mez de agosto
ultimo, do destacamento de guardas nacionaes exis-
tentes na cidade da Victoria, segundo consla de
offlcio do respectivo commandante superior datado
do 2 do corrente.
Dito ao mesmo.Expeca V. S. as suas ordens
para que o corpo de polica seja iodemnisado da
quanlia de 137^920 rs., despendida cora o aluguel
de carroeas que conduziram do arsenal de guerra
o armamento, faldamento e equipameuto para as
pracas daquelle corpo, e bem assim a bagagem das
duas companhias que embarcaram para a core
com deslino a guerra como se v da inclusa cen-
ia queme remetleu o respectivo commandante com
offlcio de 7 do corrente, sob o. 811.Communicou-
se ao commandanie do corpo de polica.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Cabo e Ipojuca.Chegaram a esta cap
tal e tiverara o conveniente destine, os guardas do
batalho n. 40 de infanlaria do municipio de Ipoju-
ca Jos Martiuiano Leandro, Belsario de Araujo
Lima e Raymundo Jos Luiz da Silva, a que alinde
o seu officio n. 80 de 10 do corrente, em vista do
qual exped nesta dati as convenientes ordens para
serem transportados pela va frrea, os presos e
pravas que osescoltarem, remetlldos por V. S. com
guias para as estafes do Cabo, Ipojuca e Timb-
Ass.
Fica assim respondido o seu citado offlcio.Ex-
pediram-se as ordens de que se traa.
Dito ao commandante do curpo de polica.Man-
de V. S. alistar no corpo do seu commando a Jos
Joaquim do Monte.
Dilo ao mesmo.Em visla do que ponderou o
promotor publico desta capital, auditor do corpo
sob o commando de V. S., recommendo Ihe que
mande por em liberdade o soldado Joaquim Jos
dos Prazeres, visto estar compiehendido as 'spo-
sicoes dos decretos de 31 de maio e 6 de junho des-
te anno, licando lodavia sujeitoa iternolsaco de
que trata o ultimo dos decretos citados.
Dito ao director das obra.' militares.Aprsente
me V. S. com urgencia o orcamento da despeza a
fazer se com a obra de que necessita o quartel da
companhia de arlilices segundo declara o com-
de 9 do crreme,
mandante das armas era offlcio
constante da copia junta.
Dito ao mesmo.Para cumprlmenio do disposto
no aviso da reparlicao da guerra de 14 de agoslo
uliimo, aprseme V. S.com a possivel brevidade os
orgarnentos das despezas a fazer-se com os reparos
de que Bcessitam a fortaleza do Brum e o forte do
Buraco.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. entregar ao teuente-coronel Joo Paulo Fer-
reira, 24 fardamentos de brlm completos para vo-
luntarios da patria do 5 corpo.
Dito directora do Novo Banco de Peraarabuco.
-Convmdo que sejam recolhidos ao Novo Banco
desia provincia a disposicao da commisso da praca
do commercio da corle, as quauas cora que con-
correrero os habitantes desla provincia para a crea-
cao de um asylo de Invalido da Patria, solicito de
Vv. Ss. a expedico das convenientes ordens no
sentido de serem aiii recebidas as quanlias que
apresentarem os agentes incumbidos de promover
subscripgoes para tao justo lim.
Dito ao conselho de compras do arsenal do guer-
ra.Autoruo o conselho de compras do arsenal de
guerra a comprar para fornecimento do resbectivo
almoxarifado os objectos mencionados no pedido
incluso.
Dito o Dr. juiz de direito do Limooiro.Ao offl-
cio que Vmc. me dirigi em 7 de agosto uliimo,
respondo declarando-lhe que as quanlias com que
concorrem os habitantes dessa comarca para o Asy-
lo de Invlidos da Patria deve ser recolhida ao No-
vo Banco de Peruamliuco, para o que, licam expe-
didas as convenientes ordens a respecliva directo-
ra, convindo que Vmc. me aprsente a relacao das
pessoas que subscreverem para o referido Asylo,
alim de ter a conveniente publicidade.
Dilo ao Dr. juiz de direito da comarca da B>a
Vista.Respondo ao offlcio que Vmc. dirigi a esta
presidencia em 31 de julho deste anno, remetiendo-
Ihe por copia o que exped a lliesouraria de fazenda
em 11 de agosto ultimo, do qual ver que se mandou
exonerar a Vmc nao s da quanlia de,30J que lo-
mou or emprestimo ao negociante Joo Pereirade
Magalhe, mas tambem dos 303000 que Ihe foram
entregues pelo aiferes do exercilo Francisco de
Frenas Moreno.
Dito ao chefe da reparlicao das obras publicas.
Recommendo a Vmc. que mande examinar e orear
os concertos e obras que coovm fazer-se na ver-
lenle de aguaferaeano Caxang, alim.de poder
ser aprovaicada e sao llc.ar inutilsada como se acha
segundo sou informado.
Portara. O presidente da provincia resolve au-
torisar ao cidadao Jos Urcicio Paes Brrelo, a pro
mover o alislamenlo de voluntarios da patria, e re-
commendi as autoridades a quem esta fOr apre-
sentada que o auxiliem no desemp.'nho desta cora-
misso.
Dita.-O presidente da provincia resolve autori-
sar o alferes Manoel Jordo de Vasconcelos a pro-
movi alislamenlo de voluntarios da patria, e re-
commenda a todas as autoridades a quem esta for
apresentada, que o auxiliem no desempenho desla
commisso.
Dia.O presidente da provincia, atlendendo ao
que reqoereu Francisca Candida de Jess, mulher
do sentenciado Joo da Costa Cardoso, resolve con
ceder-lhe licenca para ir ao presidio de Fernando
de Noronha, no primero vapor que para all par-
tir, levando comsigo os gneros constantes da rela-
cao junta, assignada pelo secretario do governo,
oo podendo, porin, effectuar o desembarque dos
ditos gneros, sera que por parte do commandante
do mesmo presidio se proceda a exame, afim de
verificar se ha agurdente ou outra qualquer bebi-
da espirituosa.
Dita D presidente da provincia, conformando
se com a proposta apresentada pelo commandante
do batalho u. 28 de infanlaria da guarda nacional
do municipio de Garanhuns, sobre que infonnou o
respectivo commandante superior em offlcio n. 52
de 20 de julho uliimo, resolve promover a tenente-
quarlel-raeslre do mesmo batalho o alferes da 5*
companhia, Manoel Lopes Lima.Communicou-se
ao commandanie superior da guarda naciooal de
Garanhuns.
Dita. Para completar o conselho de julgamento
a que foi submetlido o soldado da 1' companhia do
corpo de polica, Felippe Alves de Oliveira, e era
substituico do presidente e vogaes do mesmo con-
selho, que marrharam para a campanha do sul,
Manuel Germano de Miranda, Joo Francisco da
Cunta e Francisco Xavier de Miranda, nomeo :
Presidente.
O Sr. capito Jos Pereira Teixeira.
Vogaes.
Os Srs. lente Joao Pereira Lagos.
Alferes Joaquim Herculano Pereira Caldas.
Cominuiiicuu-se ao commandante do corpo de
polica.
Despachos do dia 11 de setembro de 1865.
Requerimentos.
Alferes Antonio Jos de Andrade.Concedo ao
supplicante licenca para o fim que requer, deven-
do estar recolhido ao corpo quando o vapor que se
espera do norte tocar nesta capital.
Antonia Maria da Annunciago.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Alferes Antonio Jos de Souza e Silva.Dirja-
se a thesouraria de fazenda.
Antonio Pereira Lagos.Informe o Sr. comman-
dante superior da guarda nacional do Reeife.
Anna Francisca Gom?s da Cruz.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do Re-
eife.
Bartholomen Tavares de Souza.Nao sendo in-
curavel a molestia do supplicante. pelo que se acha
era traiamento na enfermara militar, nao pode ter
lugar o que requer.
Candida Maria Joaquina.Aprsente o guarda
seu filho no quartel general do commando das ar-
mas para ser inspeccionado.
Clara Joanna da Fonseca Gama. Informe o Sr.
desembargador provedor da Sania Casa da Miseri-
cordia.
Francisco Pedro, da Cruz.Informe o Sr. com-
mandante do corpo de polica.
Gabriel Luiz.Remettido ao Sr. Dr. chefe de,
polica.
Genoveva Maria da ConceicaoInforme o Sr.
capilao do porto.
Jos Francisoo do Carmo.Informe o Sr. cora-
mandante suporior da guarda nacional deste mu-
nicipio, declarando se o supplicante foi designado
para o servico da guerra, e se est aqaa.rielado.
Jos da Annunciagao CarvalhoInforme o Sr.
inspector da thesouraria da fazenda..
Dr. Jacinlho Pereira do Rego,_Eocarainhe-se.
Jos Braz de Lima.Informe o Sr. commandan-
te superior da guarda racional do Bonito.
Joao Paulo d03 Santos. -Indeferido por nao cons-
tituir isoncao logal o que o supplicante allega.
Jos Francisco da Silva.Informe o Sr. com-
mandanie superior da guarda nacional do Li-
raoeiro.
Joo Biplsla de Souza Nogneira.Informe o Sr.
i coinmandante do corpo de polica.
Manoel Anacleto da Silva.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Pedro Ferreira dos Santos.Indeferido.
Paula Maria da Conceicao.Tendo sido posto
em liberdade o filho da supplicante nada ha que
deferir.
un
GeVERXO UO UlttPADO
II.lt\ IH1II ( O.
SEDE VACANTE.
K\].e,]ieiiie do dia 1 de setembro de 186o.
Offlcio ao Io secretario da assembla provincial da
Parahyba. -Em resposta ao offlcio de 26 do prximo
passado em que V. S., como secretario da assem-
bla dessa provincia, pede a resposta do offlcio que
por parte da mesma assembla me dirigiu em da-
ta de 14 de novembro do anno prximo passado,
sollicitando o meu beneplcito a respeito do projec-
i to n 47 do mesmo anno, que crea a freguezia de
i Caissara, em terreno pertencente a' freguezia da
Independencia e de outras. tenho a dizer-lhe, para
i que o communiqoe a Ilustre assembla provincial,
que tendo eu procedido maduramente as oecessa-
rias averigamelas, tendo me informa to nao s dos
llvms. vigarios respectivos, como de pessoas parti-
culares, nao poseo preslar o meu coosentimento a'
creaco dessa freguezia por nao haver no lugar de
Caissara urna igreja qu possa servir -> matriz
sendo a igreja de Nossa Senhora do Ro.- "", que
se quer erigir em matriz, inteiramenle impropria,
visto ler tao somenle a capella mor nova, faltando
todo o corpo da greja, e lendo's os paramentos
ndispensaveis para a celebracao da mlssa.
Dito ao vigario de Alagoa Grande.Sendo para
lamentar (pie o vigarioencoramendado dessa fregue-
zia, antecessor de V. Rvraa. fosse taodesleixadono
que diz respeilo ao archivo dessa malriz, lanzando
os assentos em um qoaderno, e donando outros era
papis avulsos, autoriso a V. Rvraa. para depois de
proceder a um minucioso exame, e verificar a au-
thenticidade de-ses assentamentos, lanca-los nos li-
vros competentes, dando-me parte, logo'que o hou-
ver feito.
Fica assim respondido o seu ofnVo de 26 do
pruxlmo passado.
Dito ao vigario de Serinhaem.Recommendo ao
seu zelo e solicitude pastoral o que de inim se exi-
ge na caria que por copia Ihe remello inclusa. A
religo, o temor de Deus, tudo pode conseguir,
principalmente havendo prudencia di parte de
de quem falla, e candado para com aquellas ove-
Ihas tresmalbadas, que s inda persuaso e pela
brandura poderlo ser reconduzidas aocaminho da
reclido e do dever. En Indo espeio do zelo e pru-
dencia de V. Ilvma., que me participara'o resulla-
do dos seus estorbos.
Offlcio ao Leonardo Joo Grego.Firmado nojui-
zo de pessoa mu competente, a quem subraetli o
exame critico da nova edico do seu opsculo
EXI'MCACAO DOS CASOS IIESEUVtDOS UO BISPAOO DE
PRRNAMUUCO, nao t-nh i llovida em dar-llie a llll-
approvaco como V. Rvma. soliicita no seu offlcio
de 14 do prximo passado, que acompanhou nm
exemplar do dilo opsculo.
5
Offlcio ao Exm. vicepresidente da provincia da
Parahyba.Tenho a honra de aecusar recebidosos
jloos exemplares da falla, que V. Exc dirigi a'
assembla dessa provincia, por occasiao de sua
abertura no corrente anno.
Dito ao vigario de buique.Accuso recebido o
seu offlcio de 20 de julho, e tendo em consideraco
o que V. Rvma. me expoe sobre a obra da capella
de Nossa Senhora da Penha, julgo conveniente que
V. Rvma. conserve a imagem da mesma Senhora
na capella do Olho d'Agua dos Bredos, al a con-
cluso da outra capella, em que lem de collocarse
definitivamente a mesma imagem.
Espero do seu zelo pelo culto divino e pelo bem
espiritual dos seus parochianos.que no s por si,
como tambem em meu oome, se dirija aos fiis
encarregados da obra da capella, afim de que,
coma possivel brevidade, concluam dita obra, para
assim gozrem do feliz prazer de reoderem nos-
sa mi coinmiim o culto que llie devido em sua
propria,casa.
6 -
Offlcio ao vigario de Cimbres. Accuso recebida
a estatislica da freguezia da Imperatriz na provin
cia das Alagoas, coordenada com cuidado, e adap-
I tada ao lim, que Uve em vistas, quando a exig.
Quaolo s. obras da nova malriz, tao felizmente
comecadas pelo Rvm. missinnario Fr Sebastin, e
! que se acham paralisadas, mister que V. Rvma.
tomando em consideraco a urgente necessidade
de concluirse dita igreja, o esplendor do culto di
vino e o bem espiritual dos liis, me indique o
meio mais prompto e adequado para conseguir-se
esse desidertum, afim de que eu tome neste senti-
do as necessarias providencias.
Dito ao vigario da Misericordia.No offlcio que
Ihe dirig em 8 do prximo passado e que por co-
pia agora Ihe en/io, encontrara' V. Rvma. a auto-
: risaco para casar os ciganos, como solicita era seu
\ officio de 22 do prximo passado, que fica assim
respondido.
Dilo ao vigario de Ipojuca.Accuso recebida a
estatislica dessa freguezia coordenada com cuidado
e adaptada ao Om que uve em vistas quando a
exig.Igual aos vigarios de Natuba, Cabaceiras,
Angicos e Piassaboss.
11
Offlcio ao Io secretario da assembla provincial
da Parahiba. -Tendo sido solicitado no anno pr-
ximo passado o meu parecer acerca da creaco freguezia da Conceicao, desmembrada da fregi'.ezia
da Misericordia, cabe-me dizer a V. S., par?, que o
communique nobre assembla dessa provincia,
que, reconhecendo em vista das informaces que
solicite de pessoas insuspeitas que. a freguezia da
Misericordia nao pode ser dividida em duas, sera
que fiquem ambas demasiado pequeas e incapa-
zes de fornecer aos Rvds. p'jrochos melos de de-
cente subsistencia, reconhecendo alin disso que a
capella da povoaco da '.'.oncelcao, que se quer eri-
gir em matriz, nao es'.a' actualmente em circuns-
tancias de o poder .r, nao s pelo estado incom-
pleto do edificio, como pela falta de paramentos,
alfaias e otencilios que exige urna igreja malriz
para a deceote administrado dos Sacramentos, e
a regulari'jade e esplendor das ceremonias do
culto ca.holico ; nao posso preslar a minha an-
nuenc.a a' divisad projeciada.
P^o a V. S. que se digne desculpar-me para
co;n a nobre assembla dessa provincia, e sigmO-
rar-ihi! o pezar que rae assiste de nao poder secun-
dar neste caso as vistas da nobre assembla, que
estou cerlo fara' justiea as nimbas inleocdes, e
aquilatara' as valiosas razes em que me fundo
para assim proceder.
(Assignado.jFrancisco Sergio de Oliveira.
Est conforme. Antonio Francisco miarte, 2
tenenie-ajudaote de orden interino encarregado
do detalhe.
PERNAMRUCO.
COMANDO DAS ARMAS.
Quartel general do comtnandn das armas de Per-
nainliuro na cidade do Reeife, i i de setembro
de 1863.
ORDEM D9 DIA N. 112. .
O marechal de campJ commandante das armas,
faz publico para conhecimento da guarnicao e Ons
necessarios, que a presidencia nomeou por porlaria
de 12 deste mez, para servirem como offlciaes em
commisso no 3 corpo de voluntarios da patria,
que se est organisando sob o commando do Sr.
tenente-coronel Joo Paulo Ferreira, aos seohores
abaixc mencionados:
Para tenente-quartel-meslre, o tenente cirurgio do
batalho n. 49 da guarda nacional desta provin-
cia, Thomaz Pereira Pinto.
Para alferes-ajudaote, o 2 cadete furriel da com-
panhia de cavallaria do exercito pertencente a
esta guarnico, Ernesto Alves Pacheco.
Para alferes, Felippe Borges Leal,
dem o alferes da guarda nacional desta provincia,
l GasiQdio Floro d* Silva Fragoso.
REVISTA OUIIA.
as maoifestaces qne se deram em regozijo dfc
victoria de Yalay, e das quaes lizemos hontem a
respectiva desenpeo, alguns pormenores nao fo-
ram especialmente consignados ; e cumpnndo que
o sejam, vamos faze-lo, bem como adantar aos
nossos leitores a noticia de iguaes festejos em ou-
tros pontos, cuja communicago acaba de ser-nos
transmiltida.
m dos grupos de que fizemos mencao como
apreseulando-se logo em passeio pela ra, compos-
lo de negociantes, e mais pessoas gradas, era sua
passagem por palacio, demorou-se ante a casa da
polica, d'onde o digno Sr. Dr. chefe de polica Pin-
dahyba de Matlos alcou differentes vivas patriti-
cas que foram correspondidos com enlhusismo.
Este magestosi espectculo reproduiio-se em
frente do palacio da presidencia, subindo em se-
guida os membros da direceo da associacao cora-
raercial, cujo presidente, o honrado Sr. H. F.Hitcb,
em nome do commercio nacional e estrangeiro, fe-
licitou ao Exm Sr. conselheiro Paranagua'pela
victoria obtida pelas armas alhajas ; ao que se
mosirou S. Exc reconhecido tanto mais quanto em
lal expressao sendo compartes muitos eslrangei-
ros, era isto muito lisongeiro para a causa do
Brasil.
A' noite, alm dos outros muitos grupos, de que
fizemos mencao, dous houve que se fizeram nota-
veis, por compor-se uin dos empregados e pessoal
da polica, teodo a sua frente o Sr. Dr. Pindahyba;
e oulro por fgimar-se de depolados geraes, mem-
bros da assembla provincial, e outras muitas pes-
soas de graduarn social.
A sociedade do Cabinele Portuguez de Leitura
nesla cidade, representada pela soa direceo, da
qual faz parte o Sr. Jos da Silva Loyo. (como di-
rector), convidou a sociedade musica'l Bella Uniao,
para que ota se Ihe unisso e lomasse parte no re-
gozijo publico ; e tendo acqoiescencia esta sua so-
licitaco da parle daquella sociedade, apresentou-
se esta s 7 horas da noite em frente do Gabinete,
onde tocou variadas pecas, por entre phreneticos
vivas e fogueies que se soltavam de lodas as ja-
nellas iluminadas do estabelerimento.
Por essa mesma occasiao o Sr. Antonio de Souza
Pinto, eropregado do mesmo Gahinele recitou dma
enihusiastica poesa.
Em seguida a direceo, acompanhada de grande
numero de socios, levando i sua frente a respecti-
va msica, dirigio-se ao palacio da presidencia, e
ah novamente foi saudado o grande feito d'armas;
e depois, desfilan i. ;i pas.-eata, percorreu as prin-
clpaes rua> u n ro de Santo Antonio e do Reei-
fe, parando em inule das casas das principaes au-
toridades.
Na ra da Imperatriz o acadmico Augusto Gur-
gel pronunciou esta discurso, que foi recebido com
enthusiasmo.
Senhores.Quando um povo festeja a gloria
de sua patria, no dia era que ella Irlumphando do
despotismo se abraca com a liberdade de seus fl-
Ihos, o enlhusiasmo um canto sublime que se
desprende de todos os peilos para traduzir as ale-
gras do peusamento : os hyninos sao doces cbos
que errebatam os encantos d'alma : na trra os
homens se abracam, as ideas se harmoDisam, os
senlimentos se casara, s ha um prologonista de
todas eslas scenas felizes a victoria : no co,
os anjos abenyoam esla exaltago sympathica de
cada um, applaudem o drama de nossas altencoes,
e batem palmas ao triumpho.
as diversas operacoes da vida, ha momentos
em que o homem se engrandece lanto, que o espa-
co parece pequeo e estrello para abriga-lo em seu
seio : ha fetos tao magnficos e importantes, que a
historia orgulhosa corre ligeira a imprimi-los em
suas paginas, e de parelha com a natureza, como
que se enca regam de iransmilti-los as geracoes
futuras.
A vida'sem essas sccastoes.o mundo sem esses
acontecimentos, a natureza sem essa faculdade, o
que seriara ? Um espaco montono, habitado por
estatuas, sem que ao menos ellas tivessem urna
slgnifieaco que justihcasse sua existencia.
E porque nao somos volados a insensibilidade e
a mudez das estatuas, que os nossos peilos estre-
mecen! no meio das saudacoes, e os horisonles
surrem alegres a victoria de nosa causa.
Folgai, senhores, que eu por minha vez, cumpro
orgulhoso o dever de brasileiro, e acompanho con-
tente as pompas de vossa festa.
Conlribuisies com o vosso contingente, conOastes
no valor de fossos irmos, sonhaste* cora a palma
da victoria, e ei-la que brilhante sahe do meio das
lulas, rompe o veo da incerteza, atravessa a longi-
ludp. dos mares, e como um orvalho celeste, ella
V'im dar vida a vossos coracoes, e trocar as illuses
do sonho pelos gozos da realidade.
Honra, pois, a esses bravos, que inspirados na
justiea de nos-a causa, se aiiraram com denodo no
phrenesi dos-combales, calcara aos ps a tyranma e
o despotismo, e por lim do vivas patria pelo seu
triumpho, e Deus pela proteceo.
O dia de hoje nao um desses dias communs,
em que as horas sao contadas pela indifferenca do
lempo ; oo. perpetuando se em nossa memoria,
elle sera sempre a photographia fiel desses aconte-
cimentos, o espelho dessas glorias e o echo desses
festejos.
Paysandn', Riachoello e Yalay parece que foram
pontos destinados pela Providencia, para experi-
mentar a intrepidez e a coragem dos Brasileiros,
oonhecer o seu patriotismo, e celebrisar o seu no-
roe a par de suas accSes.
Aqu nao se chorara os morios, porque elles vi-
vera no nosso ponsamenlo, participara de nossas
glorias e applaudem os nossos festejes ; tacamos,
pois, um brinde ao valor de suas armas, e os re-
comraenderaos Divindade.
Emquanto a estes bravos, cajos feitos d'armas
sao o motivo de nossa reunio, demos um aperto de
mo em cada um delles, e seja o neme de todos
urna tradiceo gloriosa legada posteridade.
Saudemos o Brasil e com elle a todos os seus
ti I nos.
Viva S. M. o Imperador I
Viva o exercito brasileiro 1
Vivara os bravos de Yalay I
De olinda nos diz-m que foi recebida no semi-
nario episcopal s 10 horas do dia de quarta-feira,
rom verdadeiro enlhusiasmo a noticia feliz que nos
trouxe o vapor do sal.
Foguetes e repiques de sinos para logo foram a
demonstrado espontanea, cora que mostraram os
seminaristas, que nao sao indfferenles a felicidade
da sua patria ; e que se all recebe-se educago
para bom sacerdote, tambem recebe-se educagao
para bom cidadao que sem duvdaalguma aquel-
le que lem como dogma imprescriplivel o am"'.
da sua patria. "
As aulas foram suspensas, o o Rvmd Z. n,Qr
nao s dispensou o silencio, estatu'* 0 Dei0'reiru!a
.nenio, como mandou, que ~ um,apasse geral-
?T^LfTmW,,^o ; o que leve lugar as
7 horas da noite daa"' el|e ^' \ '
5?.me??d0 P*oa n^,.a .-q al1' manifestou-se, ao receber da
hahv a,n en,nasia-iri10 fr* do commum e dos
naD".js apalhicos em que vive-ee all continua-
dle.



J
-t




i
Diarlo de rcmstabneo :.. sexta teten 1S de Setembro de !*.
A' coito os habitantes do povoado, precedidos ele
ciaco a seis msicos arranjados especialmente e
coro alguus foguet% percorreram as ras de todo
o povoado, elevando eaihusiasticos vivas a S. M. o
Imperador familia imperial, ao exeroitoe arma-
da impenal, ntegridade do imperio, aos bravos
he Riachuelo e Yaiay, aos heroicos voluntarios da
patria, aos heroicos guardas nacionaes destacados
para a guerra, e tiualmeate ao sempre bnlhaate
triumpho das armas bra-ileira> na inta actual como
prenuncio do completo triumpho da causa santa da
vilsacao contra a harbaria; e ootros que difflcil
ra enumerar.
Renuio-se honlem o Instituto ArcheolJ.'ico e
Geographico Perosuibucano sob presideocia do
Exm. nionsenhor Mutnz Tavares, com assistencia
dos Srs. Drs. NasciiMntn Fetozo, Soares de Aieve-
do, Joaquim Portella, Wilruvio Pinto Baudeira,
Gusmao Lobo, Gervasio C&mpello e Amaro Joa-
quini, padre Lino e major Salvador Henriques.
Achatii-se sobre a mesa as stguiutes ofTerlas :
Varias nmeros do Diario de Pernambuco, pelo
Sr. commendador Figueirda.
Varios nmeros da Crema, pela respectiva di-
rteco.
Um exempiar do historiador Brito Freir e ura
medalho do varios bravos que tomaram parte no
combate de Riachuelo, pelo Sr. Dr. Amaro Joa
quim.
DilTerentes fulhetos das descoberlas e aventuras
dos mares e regioes polares, pelo Sr. Mauoel Josj
Soares "Avallar Jnior.
Memorias para a historia de el-rei Qdelissima o
Sr. D. Pedro V o seus augustos irmos, pelo Sr. Dr.
Witruvio Pinto Bandera.
Todas eMas ofeilas sao receidas com agrade, e
mandam se archivar.
O Sr. secreterlo Perpetuo faz a leilura de nm of-
flcio do Ibesonreiro, que cobre o quadro detnons-
Ilativo da despezado Instituto desde a sua installa-
cao at o ulllBBO.de agosto prximo passado. A'
eommisso de fundos a orcameulos.
Viu a mesa e faz-se a Icitura da seguale fio-
posta :
c Sendo conveniente verificar, se com elfeito,
o carneiro descocerlo na igreja da Misericordia le
Oiiuda en o qual, uo relatoiio de 29 da Miembro
do anuo passado a respectiva cummisso opp&
com boas fundamentos ter
daver de Joo Femandes
Amonio Jcs Teixetra do Mendonca Belra, socios
da sociedade Auxiliadora da Industria Nacional es-
tabelecida qo Rio de Janeiro, lendo recebido da
directora daquella sociedade autorfsaco para pro
Lida,
dente.
fo approvada a acia da swsao antees-
EXPEDIENTE.
llm offlcio da juma dos corretores, acoaipanha-
nioverera a organisaeao de urna sociedade fllial da- do da cotacao dos procos correles da prac na se-
quella, pelo presente convidam a todos os socios mana prxima Ancla.Arclilve-se.
residentes em Peroambuco a comparecerem uoj Distribuiram-se aos senhores deputados os livros
esenptorio a ra do Imperador n. 69, em o dia 21 Diario e Copiador de Ladislao Jos Ferreira.
do correle s ti horas da manha, para setratar
da organisaeao da dit.i sociedade : devendo cada
DESPACHOS.
. o equerlmeoto de Joaqoira de Azevedo Villa-
socio comparecer munido do titulo respectivo. ronco, do Maceio, pedmdo por sea procurador que i posices que
Da Femando de Noronha chegou hontem ; ta registrada a nomeacio de seu caixeiro Jlo i aviso expodn
noutinha a crvela nacional D. anuaria. Segundo:Elias dos Passos Franca Ramos.Como requer.
um oflteial da mesraa ludo fkava em paz na No de Andr de Abreu Porto, pedlndo certidSo
lla- do theor dos Mulos de transferencia que em 1860
Hoje se extrahira' a 2" parle da 3* lotera da
Sanu Casa de Misericordia, (31') sendo o maior
premio 6:000,5.
O agente de leloes Cordeiro SimSes, faz hoje
leilao de movis e duas escravas boas cozinheiras,
no armazem a ra da Cruz u. 37, as 11 horas, e
vender' tambero 8 pipas de vinagre de Lisboa, na
fez a Joaquim Ferreira Valeote e Joo Baplista
rragozo, das accSes que subscrevora como com-
maudittno da sociedade de Amorim, Fragoso, San-
tos & C-Passe.
No de William Vauglan, pediodo o registro de
urna procuraco que ajuma Registre se.
mar nomea urna eommisso comp'osta dos Srs..
major Gustavo do Reg e lenente-coronei Felicia
no Joaquim dos Santos, para receberem S. Exc. e
dar-lbe ingreaso na sala das sessdes, onde tomou
assenlo ao lado direito do mesmo -r. presidente-,
e leudo apresentado a carta de sua nomeaco,
presta em seguida o juramento, depois do qual
ihe conferida pela cmara a posse da administra
cao da provincia, conforme recommenda o artigo
33 da lei do l* de oulub.o de 1818, e ontras dis-
a esta se referem, e bem as-im o
do pela secretaria de estado dos nego-
cios do taftierio em 14 de marco do crreme auno.
Prestado o juramento e dada a posse como ci-
ma se trata, S. Exc. retira-se com as insma< for-
malidades.
Contina o expediente.
Um offlcio do Dr. chefe de polica interino, Ma-
noel Clementino Carneiro da Cunha, remetiendo
por copla, oulro do Dr. administrador da casa de
deleneo, de 19 do corrente, declara que eui vista
No de Luiz Araavel Dubourcq Jnior, apresen- das razos pelo mesmo expendidas, deiXa de dar
companhia Peruambucana, as 10 horas em pomo, laudo o couhecitneaio do imposto de sea offlcio de as providencias que Ihe forara requisiladas pela
Passageiros do vapor ingle' La Plata, vindos
do Rio de Janeiro :
Amaro Carneiro B. Cavalcanli, Antonio Francis-
co Monteiro, Antonio Jos Rodrigues de Souza, Joan
Charles Emilio Kohler, Henry Broad, Jos Manoel
Baplista e Louis Randell Fish.
Seguem para a Europa :
Bentn de Modeiros Corbtt, Raymundo Jos de
Lima W.lliam Ratilenson, sua seuhora e duas me-
ninas, e Amlrosio Papcho.
Passageiros do vapor Parahyba, sahidos para
o Aracaty :
Jos Joaquim de Oliveira llarros, Jos Alexandre
da Silva, F. Jos Pires, William \V. Rohelliard, sua
senbora e sua sogra, Duraul ieoran Baplista, D.
Raphael, Joseph Ltlraela, Vitorale Carmine, Anto-
nio Pereira Baracho, Henrique da Cunha Rodri-
SESSO
gues, Joaquim Maia, Jos da Costa Mattos, Luiz Pe- roanhaa.
r ira de Carvalho, Diogenes Vaseoncellos Cabral,
Malhias Vespasiano Brando, Pedro Claudino Duar-
le e Adelina Claudina Duarte.
CliMITERI.I PUBLICO, OBITUARIO DO DA 13 DE
SBTEMURO DE 1863.
Paataieao, Peruaiubuco, 2 mezes, S. Jos ; tubr-
culos pulmonares,
sido depositad o o ca- i Domingos Ferreira de Souza Vasconcellos, Porlu-
Vieira ; e pudendo se j gal, 36 anoos, casado, Recife ; gastro intente.
corretor Registre-se.
Com inlormacao do Sr. desembargador fiscal:
No de Manoel da Costa Cordeiro Lima, pedindo
ser admettldo a matricula.Nao tem lugar.
No de Jos Gomes dos Santos Correia e Joo
Manoel Pontual Junior, replicando do despacho
deste tribunal de 17 do mez prximo passado.O
Sr. official maior annexea' pelic.io de Manoel Fer-
nandos da Costa i C, requerendo o registro do
seu contrato de sociedade.
No de Luiz Rlbeiro da Cunha A Sobrlnhos, pe-
dindo que seja a mesnia firma admeiiida matri-
cula.Como requer.
No dos me>mos, pedindo o registro do seu con-
trato de sociedade Registre-se.
Nada mais ha vendo a iratar,
dent encerrou a sesso s II
oExm. Sr. presi-
horas e meia da
por meio do alga|acMeiO ou objeclo encontrado
dentro do mesmo oaraeiro, ehgar-se ao conheci-
meoto desta verdad, nao obstante a sua presumi-
da violaco, por i>>o que nao est ella anda bem
averiguada, >egundo as pesqui/.as que a respeito
tenho continuado a fazer; proponlio que, olitida
a aecessaria liceuija da junta admini.-traliva da
Santa Casa da Misericordia desu cidade, proce-
da-se a abertura daquelle carneiro, e perante a
cemmissSo respectiva, empregou-se as necessarias
diligencias para o descobrimento da verdade que
lauto nos interessa.
Sala das sesades do Instituto Archeologico e
Geographico Pernambucano, li do sete'mbro de
t8<8Salvador Henrique de Albuquerque.
Entrando em discusso a sua materia, o respec-
tivo autor faz sganlas consideracSes, s-'iido aunal
&t raasRwraS s | atswwsJ'SaJsatt:
mingues da Silva, e Barros Vasconcellos, faltando
os Srs. desembargadores Almeida Albuquerque, e
Cosmo Ferreira de Lima. Perua:iibueo, 30 anuos,
soltein., Boa-Vista ; bpatMe.
Manoel Alvos Pereira, Peruambuco, 56 annos, sol-
teiro. Boa-Visia ; ainolecimento cerebral.
Mana do uarmo, Pernambuco, 20 aunos, solteira,
Boa-Visia; tubrculos pulmonares.
Jnauta Guilliermina Ramos, Peruambuco, 33 an-
nos, casada, Recife ; tubrculos pulmonares.
ClMftiCA JUUIUKI4
TRIHUiVAl, DA aKli.l^lO.
SESSAO DE 9 DE SETEMBRO DE 1863.
PRESIDENCIA DO BXJf. SR. C0NSELIIEIR0
SOUZA.
As 10 horas da mauha, presentes os Srs. des-
Misericordia a competente permissao.
De parte do Sr. major Gustavu Jos do Reg,
aprsenla o S;'. Dr. Joaquim Portella urna lapida
que achava-se na fachada do palacio dos amigos
oveinadores era Olinda, e que lendo sido d'alli
lirada quamlo foi reedificado o mesmo palacio em
1847, fora embregada na calcada d'oma casa fron-
teira, onde sendo encoutrada pelo Sr. Warnnghen,
em u-ita as antiguidades d'aquella cidade, li/.era
conduzi la para esta o mesmo senhor, entregando-a
aos cuidados do referido major.. Recebida com
agrado, mandase para o museo.
Vm a mesa u.na proposta do Sr. Dr. Amaro Joa-
quim, para socios.A commisto da admfcso de
socios.
Leventa-.-e a sesso, sendo marcado o dia 28
a prxima rcuniao.
O Sr. coronel Francisco Joaquim Pereira Lo-
bo apreseoton bontem ao Exm. Sr. conselheiro
presidente da provincia o seu lilho di; nome An-
tonio Graciado de Gusmao Lobo, que expontan>-a-
meate se offerecera pura alistarse nu 3. corpo de
Voluntarios da Patria.
S. Exc. louvon e agradecen, este rasgo de abne-
crac.io patritica que honra a' um lempo o pai e o
lilho.
O Sr. Graciado Lobogosa por especial merc de
S. M. o Imperador do foro de fidalgo cavalheiro da
casa imperial.
Ali>taram-se no 3. corpo de voluntarlos os
Srs. Pedro Barbosa de Araujo, Joaquim Rogeno
de Oliveira. Jos Uygloo Duarte Poreira e Sera-
pli'm Jos Vieira.
No 5." o Sr. Francisco das Chagas Paes Bar-
reto.
No ti." finalmente os Srs. Miguel dos Anjos Mar-
lins, Joo Pedro Dias de Sant'Anna e Manoel Jos
do Na.-cimenlo.
Reunida em mesa geral, elegeu acoufraria
seminarista de Nossa Sennora das Dores a mesa
regedora, que tem de gerir os negucios da mesma
coufrana de 63 a 66, licando assim composta a
mesma mesa :
Juiz.Rvm. chantre reilor, Jos Joaquim Gamil-
lo de Andrade.
Procurador-gera!.Rvd. padre mestre Jus Ray-
mundo Baplista.
Tdesoureiro.Constantino Aureliauo Gomes de
Mallos.
Secretarios.JosSilvino de Andrade Moura e
Cbristovo do Reg Barros.
Procuradores. Frederlco A-gusto Raposo da
Cmara, Jos do Cont do Amaral e Silva, Daro
Nunes da Silva e Francisco Domingues da Silva.
Mordomos. Marcolino Pacheco do Amaral, Pe-
dro Pacifico de Barros Bezerra, Miguel Americo de
Souza Lisboa, Serviliano de Parias Castro, Joa-
quim Alves da C sta Machado, Serapio da Silva
Pino, Tertuliano Jos dos Sanios Patnry, Virissimo
da Silva Praheiro, Jos Esdras Lins Flalho, Jos
Vicente de Gouva Acioli, Salviano Piolo Brando
e Flonano de Queiroz Coulinho.
Uffla carta escripia de Flores, em data de 6
do corrente, diz o seguinte :
Aq ui chegou em boa hora o capito Vires
com o seu destacamento de guarda nacional. To-
da a pnpuiaco pacifica tern recibido com prazer
a chegada desla forca, que de certa vira' ser a a-
rantia da ordem, lao alterada pelos desatinos das
autoridades.
Todos os cidados honestos do termo km pro-
curado o Sr. capito Viraes, e Ihe afflancado J* sua
leal cooperago em ludo o que fr concerneute a
manulen^o da tranquillidade.
Ueus traga o novo delegado, o qual em poucos
dias conhecera' a origem dos males pblicos deste
lugar, e sabera' o que valora os agentes do poder
por aqu.
Deus permitta que se nao illuda.
O agente Olympio, em seu armazem a ra
da Cadeia do Recife n. 36, faz hoje grande Lilao
de objeclos de ouro e prala, mubilias completas,
escravos de ambos os sexos, apparelhos de louca,
relogios. charutos, cabriolis, carrosas para bois e
cavallos, e oulros muitos artigos ; e principia as
10 boras, visto ler muitos objeclos a vender.
At o da 30 deve-se pagar os impostes e de-
cimas que sao cobrados pelo consulado provincial,
seguindo para juizo a rela^o daquelles que deixa-
rtin de pagar, pagando anda mais a mulla de 9
por cepto.
-- o dia JO do corrente, pelas 5 horas da tar-
de, leve lugar na igreja da Santa Cruz da freguezia
da Boa-Vista nesia cidade, a benco da imagem do
Senhor Bom Jess da Via Sacra -, acto este que se
fez com assistencia da respectiva rmandade e de
grande numero de pessoas, nada fallando para a
pompa e regosijo proprios de urna tal solemniJade.
Durante todo acto tocaran) as duas msicas mur-
cia-.- que nesta cidade existem sob direcco parti-
cular, conhecidas pelos nomes de Bella Unio e
Euleroe nacional.
Dando esta noticia vem a proposito recordar os
estorbos do ex-provedor da irmaodade do Senhor
Bom Jess da Via Sacra, o Qoado Thom Carlos
Perclti, aos quaes devida a transformaco por
que passou a igreja da Santa Crnz, eonseguiodo
dar-lhe o asseio e decencia que hoje se observa
nella, com geral saiisfac,o.
Quando falleceu o mencionado ex-provedor, j
funcciooavam os altares pequeos da igreja, mas o
altar-mr nao, por que a imagem de cuja beocao
agora tratamos, eslava sendo encarnada de novo,
e somente agora foi concluido este trabalho, pela
-a mesa.
nu' pois a igreja da Santa Cruz est comple-
A-siu. --..gue a devoco dos fiis,
lamente eui. -. 4q corr(,Dle) no |agar do costa le,
Hontem' -.(S Advogados desta cidade,
reamse o Ia*i.tuto, u JQrament0 em ses.'
e na forma do es|ylo pre. DJr? Joa Ad
sao e tomaram assenlo os Sr. ?,,{.,. i M.
nio Carne.ro da Cunta Miranda e -^'^Sodo
poldioo de Gusmao Lobo, como dignos .^moros oo
mesmo Instituto, a que flearam Perlenc,]ao;_.1 ns.
Guerra, procurador da corda, abrio-se a sesso.
Passados os feilos, deram-se os seguales
JULGAURNTOS.
Recurso crime.
Recorrente, o juizo: recorrido, Francisco de
Albuquerque Pereira de G6es.Relator o Sr. des-
embargado!- Santiago. Sorteados os Srs. desem
bargadores Domingues da Silva, Assis e Gilirana.
Mandou-se proceder urna diligencia.
Habcas-corpus.
Concedeu-se ordem a Thom Jos de Andrade
Santos para a sesso de 12 do corrente, s 10 ho-
ras da manha.
Negaran) soltura a Jos Francisco da Silva.
Mandaran) soltar a J aquim de Santa Anna Li-
JUDICIARIA EM II DE SETEMBRO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DKSESIBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Gutmaraes.
As 11,'j horas da manba o Exm. Sr. presidnnte
declarou aborta a sesso, estando nuuidos os Srs.
desembargadores Silva Guimaies, Reis e Silva e
Accioli, e os Srs. depulados Rosa,
rado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente- ses-
so.
Foi aprosentada ao Exm. Sr. presidente urna re-
preseniaco do escrivo interino deste tribunal
Faria Turres, na qual expoe que leudo feito com
vista ao Sr. Dr. A. J. d M. Silva os autos que peo-
dem de embargos de re.stituico entre parles, ap-
pellantes D. Jusppha Justina de Jess GooQalves e
oulros, appellados Isaac Curio ^ C., foram-lhe di-
tos autos devolvidos com algumas fulhas sujas de
lima, e com urna qaota do punho do Dr. Antera
Manoel de Medeiros Furtado na qualidade de ad-
vogado incumbido do patrocinio da causa para de-:
dueco dos embargos de resliluico por parte de
menores, em cuja quota declara mesmo advoga-
do que um accidente imprevisto dera causa a taes
borroes. E o mesmo E\m. Sr. presidente, depois
de examinar os autos, ordenou ao escrivo que
desse o competente audamento a esses embargos,
visto que os borroes nao prejudieam o proces-
sado.
_ Assignou-se o accordo proferido na ultima ses-
so no feito entre partes :
Appellantes, Guimares & Alcoforado ; appella-
dos, Manoel Morura da Costa Pasis e oulro.
JULGAMENTOS.
Appellanie, Belarmino Alves de Arorhi ; appel-
lado, Manuel Pereira Mouteiro.Foi confirmada a
senlcnca appellada.
Appellantes, os administradores
da de Amorim, Fragoso,
appellad i, Francisco Jos
ram-se os embargos.
cmara em doze do presente mez.Inteirada.
Oulro do administrador do cemiterio publico da
da freguezia de S. LouoeoQo da Malla, participan-
do que por ter estado doenle de um pe, que pri-
va calcar-se, tem deixado de comparecer a prestar
juramento do mesmo cargo, em que fura recon-
duzido, e para que o.lo haja mais demora de sua
parte no cumpriinenlo de semelhante dever, havia
dado- procurago a Caelano Quinliuo Calhardi
para em seu lugar prestar dito juramenm : pede
a cmara que ae digne adrnilh-!o a esse fim. In-
lelrada.
E apresentando-se o referido Gaihaido, munido
da respectiva proi uraco, Ihe foi lomado pelo Sr.
presidente u juramento.
A' requerinitulo do Sr. Gustavo do Reg, man-
dou-se olllciar ao Exm. presidente da provincia
pedindo que expedisse as suus ordens a repartico
das obras publicas afim do que fizesse substituir
por chapas de ferro as grades que se ucham col-
locadas as aberturas dos canos de esgoto, que se
tem feito na ra desta cidade, visto que exaW de
taes aberturas, quando a maro esta vazia, um
cheiro ftido e ptrido, que na s encominoda ao
publico, como pode mesmo ser prejudicial a saude.
Q Sr. presidente leudo de uomear n vas com
missoes, declarou que continuaran] e.-ias a ser
Candido Alcofo- desempenliadas pedos Srs. vereadores que as occu
pavam, pascando smente o Sr. Santos a servir na
de polica.
Despacharara-se as pelicoes de Antonio Jos
Pereira, Antonio do Reg Ventura, e Joaquim Jor-
ga de Souza, D. Emilia Carolina Madeira Ferreira,
Francisco Franco da Costa, Fortunato de Souza
Das, Joo Pinches, Jos Soares Pinto Correia Ju
nior, Joo Jos Rodrigues Meodes (2), Joaquim Jos
Ferreira de Abreu, Jos Joaquim da Gusta Maia,
Jo. Antouo Pereira Braga, Joaquim Pereira de
Azevedo Ramos, Joaquim Oas de Brito, Fre Joo
Biplista do Espirito Sanio, Luiz Goncalves da
Costa, Mano-I Coelho, Manoel da Exaliaco Malhias
dos Santos, Simo de Souza Santos, Victorino An-
tonio Chaves, e levaotou-se a *esso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario a
sub.-crevi.Pereira Simoes, pro-presidente, Reg,
Silva Brasil, Fonceca, Santos, Dr. Villas-boas.
-.-. wBTWowMaaBn

Subscripto patritica.
Continuar!) das |iesso;s que tcem subscripto para
a Associaro Protectora das Familias dos Volun-
t: i i is da Palria.
Donativos,
da massa fall- Capilo Goncah Teixeira de Carva-
Santos & Companhia ; Iho...........................
yrlUo Leal.Daspieza- Ignacio Correa de Mello............
Manoel da Foriseca Maciel..........
Appellantes, os herdeiros de Jos Goncalvos Mal- Just no da Moita Silveira...........
veira e oulros; appellados, James Crabtree & C Theotomo Jos de Freitas...........
Jos Antuino Pereira de Moraes.....
Me au tomaram conhecimento quaaio ao _ir- Ad,ado a 31 dmz prximo passado e a 4 do cor
do Ignacio, por estar recolindo a casa d ..- aliena-! renteDe*i)rezaram--e
dos e nao preso.
Assignou-se
les
DBSIGNA.CA.0 DE DA.
dia para" julgamento
das seguin-
Appellacoes civeis.
Appellanie, Joo Cleofas de Lemos Vasconcel
los ; appel alo, Simplicio Jos de Andrade.
Appellado, Jos Victoriauo de Carvalho Caval-
canle ; appellante, Amonio Marques de Araujo
Cavalcante.
Revista civel.
Recorrentes, Antouo Mootioho Esleves e sua;
niulher; recocridos, Jos Pereira dos Santos esua.
malber.
PASSAOENS.
. os embargos com o voto do
Exm. Sr. presidente.
Appell mies, os administradores da massa fallida
de Seve Filhos & C. ; appe:lado, Francisco Xivier
de Oliveira.
Assignado o dia de hoje; adiou-se o julgamento
para se convidar o Sr. Antonio Luiz dos Santos,
juiz certo, alim de lomar parle na deeiso desta
causa na prxima sesso de I i do corrento.
Feliciano Joaquim de Aguiar.......
Joo Gomes de Arruda.............
Padre Jos Francisco de Souza Bar-
bosa..........................
Manoel Gomes de Araujo..........
Gervasio Pires de Andrade.........
Manoel Rodiigues dos Santos......
Jorge Caetano Pereira de Moraes___
Padre Tito de Rarros Correa.......
Appellante, Joaquim Salvador Pessoa de Sjquei- Antonio M-noel Marlin...........
ra Cavalcanli
res da caixa
d.tde.
Mandou-se
appellados, o presidente e directo-
filial do banco do Brasil nesta ci-
descer os au'os ao respectivo carto-
: ro, afim de se dar vista ao advogado do appellante
r> c i r. i l'ara sustentar oa embarcos de lis. i73 e impugnar
gadJr ;",argaJr SanUa* a ^ desembar- fe 470 ; depois do" que voltario os ams ao
Gilirana
As appellacoes civeis.
Appellante, Hara Magdalena da Conceico;
appellada, Cypriana Mara de Mallos.
Appellaue, Antonio Jos Muoiz ; appellado, Bel- ;
larmino Gomes de Moura.
Ao Sr. desembargad r Assis
A appeila(o civel.
Appellanie, D. Joanna Maria das Dores; appel- i
lado, Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva
Santos.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Antouio Bernar
do de Brito.
Do Sr. desembargador Loureuco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque
A appellaco crime.
Appellante, Antonio Francisco de Mello Baca-
marte ; appellada, a justica.
As appellaQoes civeis.
Appellante, Guilberme Augusto de Miranda; ap-
pellada, D. Anna Foruaudes Vieira.
Appellante, Francisco Leite de Azevedo; appel-
lado, Manoel da Paixao Recis.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Assis
A appellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Luiz Alves Bar-
reto.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
A appellaco civel.
Appellante, Gaspar Cavalcante de Albuquerque
Ucha ; appellado, Joao de S Albuquerque.
Do Sr. desembargador Assis ao Sr. desembarga-
dor Doria
A appellaco civel.
Appellante, Jos Ignacio de Queiroz ; appellado,
jj'vjoel Ant nio de Oliveira.
Do" ^r- desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador i' 'c',"a Cavalcante
A appellaco crime.
Appellanie fl prooiotor ; appellado, Jos Porfirio
de Araujo. ,.,,.,
Do Sr. desemba'rador Ucha Cavalcanli aoSr.
desembargador Dah^f1* da s,lva
A appc^S30 crime
Appellante, o proraoti,>r ai'Pe'
Antonio de Siqueira. ,
re.
uiz relator.
Appellantes, Flix Sauvape & C.; appellados, o
Dr. Angelo Henriques da Silva e outros.
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appella-
do, Alexandre Jos da Rosa.
Appellante, Augusto l-'ro lerico de Oliveira ap-
pellada, a directuna da caixa filial do banco do
Brasil nesla cidade.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador ilva Guimares ao Sr.
desembargador Res e Silva :
Appellantes, os administradores da massa fall
! da de Amorim, Fragoso, Santos & Companhia ;
. appellados, Raymundo Carlos Leile & Irmos.
Appellante, D. Candida de. Mello Lins ; appella-
i da, D. Zeferina Mai a de J -sus.
D1STRIRUIQAO.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellado,
Joo Januario pmt i de Azevedo.
AGGRAVO INTERPOSTO DO JUIZO ESPECIAL DO
COMMERCIO.
! Acgravanle, Manoel Clemente de Almeida Cata-
: nho ; aggravada, u. Anna
Santos.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais houve, e encerrou se a sesso a urna
hora da larde.
Capito Josino Rezerra Torres.......
Major Joo bezerra Vasconcellos Tor-
res...........................
Manoel Lourenco do Nascimento
Alferes Manoel Baplista das Neves..
Antonio Soares de Oliveira.........
Candido Martins de Almeida.......
Dr. Jos Baplista Gilirana..........
Manoel da Motta Silveira Cavalcante.
Dr. Antoni) Columbano Seraphico de
Assis Carvalho..................
Antonio Jos Pereir........."......
Sergio Ciemcntmo Soulo-Maior de Al-
buquerque .....................
Jos Ribeiro Ribas........ ......
Manoel Autonio5oares da Fonscca..
Jo.- Soares de Oliveira Grande.....
Alexandre Manoel Bezerra..........
Antonio Soare de Oliveira Coulo....
Belirmioo Soares de Oliveira Sizudo.
Manoel Soares de Oliveira.........
Jos Piauhilino Gomes de Mello.....
Sidriano Gumes de Oliveira.........
Antonio Francisco Passos Junior___
Antonio de Lemos Vasconcellos.....
Antonio andeira Gomes de Mello...
Francisco de Paula e Silva.........
Jos Azevedo de Andrade..........
Emilia Anglica de Andrade.......
Martinho Jos de Souza Reg.......
Tenente Jos Clemente da Silva.....
CMARA MOICIPAL.
Padre Manoel Guies de Brito.
Josepha Pereira dos Fraucisco Onofre de Araujo.........
Joaquim Lins de Araujo............
Francisco Jos Tenorio............
Jos Christiauo da Silva............
Manoel Barbosa Camello...........
Joo Baplista de Mello.............
Francisco Vaz Salgado.............
Jos de Souza....................
Francisco Gomes Barbosa..........
Christovo de Hollanda Cavalcante...
Paulo Antonio de Mello............
Antonio ca Molla Silveira Cavalcante
Junior.........................
Jos da C-sla Lyra...............
Autonio Bernardo de Moura........
D. Mana dos Prazeres.............
appellado, Guilherme
Appellante. SSSflSto'**** W^ I
D. Anna de Jess Arruda.
Do Sr. desembargador Domingues ** '"'va ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
Appellagoes crimes.
Appellanie, o juizo ; appellado, Manoel *fDy-
rao de Menezes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Anasi'*510
de Albuquerque.
As appellagoes civeis.
Appellaote, Francisco da Cunha Araujo Pinhei-
ro ; appellado, Manoel Francisco de Souza Leo.
Appeilaate, Domingos Jos Marques ; appellado,
Theotonio Flix de Mello.
Appeliaule, Manoel de Barros Accioli; appella-
da, a preta Cypriana.
Appellaote, Jo dos Santos Coelho ; app.'.'ada,
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 23 DE JL'LIIO
DE 1863.
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Presentes os Srs. Gustavo do Reg, Santos, Silva
do Brasil, e Dr. Villas Boas, abre se a sesso e
lida e approvada a acta da antecedente, com a re-
clamaco do Sr. Silva do Brasil do ter votado con-
tra a licenca pedida por Jos Moreira Lopes, para. Firmino Casado da Fonseca.........
abrir urna porta com nove palmos de largura no' Pedro Alexandrino da Costa Lins...
oilao da casa da ra do Crespo, n. 9, lirmaudo-se
para sso Da informacao do engenheiro Cordeador.
O Sr. presidente declarou a cmara que a ra-
zo de te-la convocado para hoje, foi em conse-
quencia de haver recebido uro offlcio do Exm.
presidente da provincia de 24 do corrente ; re-
commendando-lhe que a reunisse para tomar o
da presi-
dencia ao Exm. Sr. Baro do Rio Formoso, sexto Joo Jos Pereira de Moraes
vicepresidente da mesma provincia. Francisco de Paula Pereira de Mo-
Leu-se o seguinle raes...........................
expediente. Joo Luiz da Fonseca.............
Um offlcio do Exm. presidente da provincia di- Manoel Firmino da Costa Lyra......
rgido ao da cmara commuakando have-lo exone- Manoel Francisco de Andrade Mello..
rado o governo imperial do dito cargo por decre- D. Anna Joaquina de Mello.........
to de 7 do correnje, que receben no dia 20 pelo Antonio Gomes de Mendonca........
Professor pubho Martinho da Silva
Costa___......................
Manoel Thomaz de Villa Nova......
Joo Manoel Soares..............
Cyriaco Jos Velloso Lyra..........
Francisco de Lemos Vasconcellos....
Calisto Cordeiro Soares de Mello___
Antonio Bernardo de Araujo Pereira.
1005000
305000
505000
.05000
405000
305000
305000
305000
305000
205000
205000
O!l0()
204000
205000
205000
051100
-2050OO
oaooo
205000
205000
205000
205000
125000
105000
105000
105000
1050U
105000
105000
105'O 1
105006
105000
105000
105000
105000
I04000
105000
105000
105000
105000
IO5OOO
100000
105MO
105000
105000
105000
105000
105000
105000
105000
105000
105000
105000
105000
i05000
105000
105000
105000
105000
85000
65000
55000
35000
35000
55000
550OO
5501 0
55000
55000
Jos Francisco Soares..............
Francisco Jos do O'..,...........
Antonio Hibeiro Ribas.............
Maooel Ribeiro Ribas..............
Jos Barbosa......................
Thomaz Jos de Aquino Pereira.....
Francisco de Barros Silva..........
Manoel Vctor da Fonseca Marques..
Francisco Munis PoDtes............
Manoel Joaquim de Vasconcellos....
Joo Barbosa da Silva..............
Alexandre Francisco dos Sanios.....
Manoel Rezerra de Siqueira Ramos ..
Joaquim Jos Rezerra..............
Francisco Duarte..................
Clementino Francisco do ttego.......
Belarmino Bezerra de Mello........
L. B. Jorge........................
Joaquim Militao..................
Jos Victoriano de Vasconcellos Paes.
Francisco das Chagas..............
Vicente Ferreira de Castro..........
Jo.- Antonio Bertholdo.............
Recife 12 de setembro de 1865.
O thesoureiro,
Luiz Jos Pereira Simes.
armS a05 Peitoraes e xaropes fabricados de frnctas e
25000 d'outros ingredientes mai, na sua elaborada e de-
rf0"-, i hcada composico, nao ec.ra nenhuma partcula
250OO de acido prussico, e como Igualmente se'icha li-
25000 vre (je antimonio, ingrediente este qae abundante-
25000 mente se encontra na composico d'aquelles oulros
-500J, Qo pr'oduz pois nauseas de qaalidade algnmn.
25OOO
25000
25000
25000
25000
2*000
25000
25000
25000
25000
25000
Acha-se venda as boticas
sa e J. C. Bravo & C.
de Caors & Barbo-
VARIEDADES
Wc i encas e anc .':I, i ,
L-se na Union Medcale de Parts:
Os jornaes de meuicina fallaran por va-
rias vezes de taa, descoberla importante
25000 para a therapeutica, que cousislia na desin-
fectar) do oleo de ligado de b;,calrio sem
llie tiiar nenhuma dassuas propiedades.
Temos o prazer de annonciar hoje aos
nossos leitores, que esse resultado foi obti-
do de modo o mais completo por um babil
pbarmaceutico de l'aris, o Sr. Chevricr, que
conseguio desiofectar o oleo de flgado de
bacalho com o alcatran e o balsamo de
Toln. As experiencias feitas por muitos de
nossos pratioselec ebres, nos husp taes e so-
15000
15000
15000
15000
Proclamarlo que dirigi o lenle coronel com-
mandanle do batalho n. !ii de guardas nacio-
naes da freguezia de Pao do Albo ao mesmo lia-
lahao d os de ser-lhe Uta as rantigens, bre seus doentos particulares, as anaces e
que sao-lhe oi.Urga.Iss pelo governo ..penal, ensaios de chimCos corapetentes n3o dei_
em formalura de qnadrado, no d.a 10 de se- xam nenl.nma duvida a este respeito.
embro, entre m concurso de quatroeeotas e delatamos aqni as proprias palavras de
tantas papas, alem de mu.los exportadores, e m jlliz m,lil0 eminenl'e e c0nipete.,te o Sr.
stea particular, que de qnanio cu. ve Dr> E_ Huinberti laurea,lo da academia im.
perial de medicina, e professor de Chimica.
denava eclioar sens melodiosos, dirigida pelo
Sr. liMiirisi-i imericode Arago Kabrllo.
Briosos guardas nacionaes IlTm devr bem al-
to e sagrado vos chama ao campo da honra. O
Brasil, noa cara patria, foi ultrajada em seus f
ros de nae-ao livre e elvilisada. O Paraguay, nu
antes o gnverno monstra e selvagero, qae dirige
os seas destinos, fra de indos os clculos > prr-
venco-s, declarou ganrra de surprsa ao Brasil,
invadindo traiconiramente o nosso territorio, talan
do os nosns campos, assassinando os nossos pa-
tricios e irmos, roobaodo e profanando a honra
de Innmeras familias nossis I Vle o quadro j)d-
pro de Mallo Gross I I I... E ser cnv-l, que
ueste momento supremo, quando o nosso monar-
elta fi o prmeirh a dar o exemp'o do dev^r que propriedades
corre a todo o Brasileiro. se varille na obrigapao ygy fa^|
Submelli a analyse, diz ste distincto
professor, o oleo de ligado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse produelo
nao peideu nenlium dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acltam no oleo de ligado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
eslranhas que e poem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradareis,
nao pode de nenlium modo alterar suas
medicaes e s a torna de um
il e mesmo agradavel.
de baca-
impenosa, que cumpre ao militar, ao ^idadao as
circunstancias apropiadas ? !Mn resumo. 0 oleo de figudo
Nao. Os Pernambucanos hSo de mostrar em to- linio desinfectado pelo processo Chevrier
dos os lempos, que jamis manchar 1 o~- tmulos goza de propriedades identieas ao oleo de
!Ltu?L!SSSSf? ,,ne, s"u"eram cm,^T, Bgado de bacalho ordinario, que elle repre-
glnnas immorredouras e louros immarcessiveis 1 .,.,,,,,., F
A Historia patria o atiesta, e ali estao-Tab,.- senid cxatiam^nie.
Elle o muito beaa tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peias
cas, Gnararapes e tamos ontros lugares to cele-
brados, onde o nosso valor e patriotismo consegui-
rn) aniquilar os mais regimentado eierctos da
Hollanda, nina das inaiores nacoes de entio !
Aqnelle, a quem Ihe corre as veias o sangoe per-
namburano, nunca devera reeuar diante dos mino-
res sacriHcios, quando se tratar de salvar a honra
nacional.
Cidados guardas nacionaes I Quando a patria
opprimida, oo ultrajad:
e nao anoja e e
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ce tiveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tetn-s tornado um dos agentes os mais im-
portantes c preciosos da therapeutica, quem
I descobrio o meio de n tornar de um uso fa-
.,,-. _..,-----....., estende seus bracos, e pe-
de soccor.o aos seus filhos, lera direito a esperar: Cll para lodos, prestoa um verdadei'O ser-
iu lo deiies i I ico arte de curar e aos praticos.
be o renome, que a noa patria tem adquendo, p0_ 5 n0(jpmos concluir melhnr
fosse se qaer momentneamente nffuscado, fleana- ,.' ,' .',"-,, l,nueos |-onciu" meinor
mos aniquilados perante as nacoes cultas. d. ue ''hcttando o Sr. Chevrier por sua
Canraradasl Aitendei para'as aas vantagens rica e til descobrta que merece de ser
que outorgajo governo imperial, o voluntario 6 o propagada, o dizer com meu collega o Sr.
w2a?.LM! m"rn itanM nr"ase p-e '"' r. R.clielat os trabalhos que condnzein as
zer daquelle que para ciimprir o seu dever eoa j ,_,. ,., H .
gido. Nao hesitis nm s momento i dai uma pro- descobertas d esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importante* trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de ligado de I acallio Ihe fl-
zeram obler um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ler associado o
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
de figado de bacalho ferruginoso de Che-
vrier cotislitue lalvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iod ro de ferro unido
desle modo com o oleo de figado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vias digestivas e por consequencia
se assimila muilo mais bem do que sob a
forma de .'titilas ou sarope. Emlim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a CODStipa^k). E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode snppor-
lar nenh ma preparaco marcial, lomam f-
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sortimento dos celebres
azeitcs desinfectado de Chevrier e ferrugi-
,Jnoso dt1 Chevrier.
charcomo sorriso nos labios, a patria exige vn-| vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
ganca do estrangeiro audaz, que a ultrajou e veli- C., TU3 Nova n. 18.
pendion. Nao desmintamos os nossos floroes :
va mconcnssa de que os filhos de Pao do Alho nao
sao somenos ao de oniras comarcas e provincias.
A causa de todos o< Brasileiros! Alta e nobre
CODsideraciO de orpulho nacional! As nacoes civi-
listas leem ns olhos litos em nos, e recrdam as
injurias que snffremos.
O Paraguay, intitulada repblica, nacao infeliz
e opprimida, jamis peder medir-se enm o Brasii,
se hem cnmprehei.dermos ns nossos deveres.
O mundo civilisado conhece que a energa e de
dicacSo d'um povo, que se estima como o Brasi-
lero, podem vencer em pouco t?mpo todos os ohs-
Lenlos.
Uma nacao nao pode ser verdaderamente livre
sem mnstrar-se dipna de o ser, e nem merecer
instituicSeSj que a engrandessa seno souber
camprir os deveres, que ellas Ihe impSem.
O guarda nacional 6 o sentin lia da patria, e de-
fensor ;Jo seu paz e portanto do* seus foros, das
suas proprias garantas, do throno do seu raenar-
cha e do sen lar domestico. Ciiegou o dia de cha-
mar-se a guarda nacional a cumprir o mais nobre
e glorioso dos preceitos, que Ihe presare ve a sua
lei. O puarda nacional, chamado paro o servicn
do seu paiz em crise l' grave, nao deve recu ir
em hora to solemne. O ronlrar.o seria mostrar-
e pouco digno da farda, que veste e da patria que
tem. Pernambuco em todos ns lempos tem mo-;
irado o que e o que vale. Bncham-se os nossos
pellos de nobre orgnlho,
a oceaaiao dos sacrificios. Un-vos ao vi sso com
mindunie, que ora vos dirige a palavra, e que es-
t prompto a desemh^nhar a sua espada em defesa
da patria, e por ella derramar o seu sangue.
Se for auxiliado pelo voseo coneurso voluntario,
de quaesqner outros cidadlos, a reunir forca
conveniente, licai certos de que marcharei na vos-
sa vanguarda ; comparlilharei comvosco todas as
adversidades, e todas as glorias; lereis sempre em
mim um amigo dedicado e fiel, empenhado
promover o vosso bem estar ; quantn digo fica sel-
lado com a mioha palavra e mmha honra, e de
bracos abertos receberei a'todos, por que lodos
sao Brasileiros.
Altivos guardas nacionae=. Louvando as nossas
fardas mostreo nos dignos deltas, como Albos dos
hroes e immortaes Vieira, Camaro, Vidal e Htm
A jurubeha.
pie Dias.
Maldico a aquel e que assim nao pensar.
Viva a naco brasileira I
Viva S. M. o Iraper dor 1
Viva a religio ralholica apostlica romana I
Viva a briosa guarda nacional de Pao do Alho!
Viva o exercito e marinha brasileira 1
Pao do Alho, 10 de setembro de 18(55.
Cltrislorao de Hullanda Cavalcnnti de Albuquer-
que, tenente coronel commandante do batalho.
Houve hontem em Olinda orna reuniao em casa
do Sr. Candido Eustaquio Cesar de Mello, tendo
por Oa: estudar os meios de alcancar voluntarios,
para a defeza dos bros da nago.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muilo conhecidas nao s no Brasil, pois que deltas
ratou Pisn em sua excellenle obra Historia na-
liunlis et medica Indio? occidentahs. seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqu, muito estimado e applicado contra as obs-
, iroecdes abdomloaes, principalmente do figado e*
er' 1 bac; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencla, isto se nao deve a
nao recouhecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e <-ni todas
as estacos do anuo os fructos dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresenlam os doentes em fazer
uso do sueco desees fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao dcscouhecida dos botanistas :
esta planta pertence a familia das sotaneas, e tem
a denominaco de solanum pamculatum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parucendo-ns conveuiente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos proponemos e conseguimos preparar
com elle uo s um extracto acoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas lambem um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servico humanidade e a
therapeutica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coccao das raizes da jurubeba, e Moral e Oelens,
Esperava-se ali o Sr. tenente coronel Joo Paulo jem seu Diccionario de materia medica e therapeu
Ferreira, e a sua presenca causou o mais vivo en : tica, dizem que ms AuMIbas se faz uso do sueco
thu.-iasmo. | dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
0 Sr. tenente-coronel Joo Paulo foi recebido no rho vesical; e a autoridade dos nomes desses me-
meio de animados vivas, fogo do ar ele, e a apre- i dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
^ vapor Paran, e leudo i inmediata intuito convidado Vicente Lopes Barbosa...
fiara lomar coula da administraco os 1 e 4 vi- Manoel Francis
c tf-presideoles, que se escusaram por motivos
qUe llegaran), recommenda que convoque a mos-
co de Amorim.......
Eduardo Daniel Cavalcante Velloz de
Guvara.......................
Joo Auspirio Chaves..............
Jos Honorato Chaves.............
Continuamos a fazer votos para que lao utit
tituico prospere e produza em lempos, os eneilos
que se desejam.
ObiCharel.FraacIsco Augusto da Costa e
a irmandade de S. Benedicto.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
Sr. desembargador Santiago
A appellaco crime.
Appellante, o juizo appellado, Francisco Flix
da Cunba.
A appellaco civel.
Appellante, Joaquim Ribeiro da Silva ; appella-
do, o juizo.
Ao Sr. desembargador Gilirana
A appellaco civel.
Appellanie, Francisco Bibeiro de Andrade ; ap-
pellado, Joo Lobo de Macedo.
A' 1 \% horas encecet^e a sesso.
TIl BlWIi DO COMIEKCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 11 DE
.sETEMBRO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EX1I. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
s 10 horas da manha, estando reunidos os Srs*
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
ai, q Exm. Sr. presidente declarou aberla ases-
sao.
ma c- vsara para deferir o juramento doestylo, e
dar po'1** da administraco amanha ao meio dia
ao 6o vic.,,'Preii'dente o Exm. Sr. baro do Rio For- Odilom Aus'rlchiliano Brayoer.....
mozo.Ini>iraaa. Antonio Jos Pereira Jnior........
Um offlcio do engenheiro director da repar- Antonio Francisco Maciel...........
,. sa (jas obras puttUeas. coa despacho da presi- Cyrelino Cbristiano da Silva........
; L" -aniJ!*n,-'<0 IB^TlDsrt Q floal exp5e o mes- Jos Alves de Lima................
1 no rt V '.eriodo-se ao requenmenio dosem- Bernardino de Palva Cavalcante.....
: "l. lr,'!,ws rbanos, que a nova ru. pro- Antonio Manoel Pereira Vianna.....
iV.,a^ L,rtl.'; s,l' da viuva do senador Francisca Carolina Azevedo de An-
Jin r,nP. S em ^a'">ento a ra Formo- drade.........................
za corta uma parte de refer.. ,ue'ni^haeganu jos Azevedo de Andrade Jnior....
indicado as plantas ^cidade e^, E ........
mfudaS Com '" D0 M'Gabrie
acha no
cilmente
mentos de precisao.
Posto em discnsso, resolveu se informar a S.
Exc. que nao sendo preciso alterar a planta para
que a nova ra projectada em seguimento a ra
Formoza, leve a direcco que deve levar, sem of-
fender a casa indicada, como se deprehende do
offlcio do chefe da repartico das sbras publicas,
1 por isso nada se Ihe offerece accrescentar em
relacao ao requerimeoto dos empreiteiros.
Sendo annunclada a chegada do Exm. Sr. Barao
do Rio Formozo, quo vinha prestar juramento do
I cargo de 6 vicepresidente, o Sr. presidente da ca-
Azevedo de Andrade.
0,8000
'SOOO
35000
05OOO
55000
35000
55000
35OOO
35000
tpooo
55000
35000
35000
55'K)0
35000
5KM0
55000
35000
55000
55000
55000
55000
55000
ciavel. roica da s-ciedade oliudense nao
de tocar bellas e variadas pe^as.
Satisfeito o lim da reuniao, e quando crescia a
animaco, declarou o ;Sr. tenente-coronel a neces
sidade de retirar-se, e sahindo, foi ac< mpanhado
pela msica e grande concurso de pessoas, pelas
ras da cidade, at o Varadouro.
Esse trajelo foi sempre acompanhado de vivas
nago brasileira, Sua Magestade Imperial, aos
bravos Pernambucanos, e ao nclito commandante
do 5o corpo de voluntarios da patria, j telo povo,
e j por pessoas distinctas, que o proferan) de
suas residencias.
Consta que diversos cidados d'aquella cidade se
apromplam para seguir ao Sf. tenente-coronel Icio
Paulo, no em'penho de defender a patria; e por
tanto nao deixou aquella reuniao de sortir um ef
feito proveitoso.
Deus queira que estes fados se reproduzam,
que o patriotismo rada vez mais se desenvolva.
Setembro 9 de 1863.

..., ..._,_.. .5 $;( gao se uaDnei Azeveao ue Andrade........ 55000
Jaa opiniao de qu 00ilM^da c." J AD[nlode Me0.............. 3^
prolon^amento da ra Ho. f Manoe, ,soac0 Corfa............. 4S011O
1 se pode^ver.ficarsem auxilio Maaoe| Corra da Costa Lvra....... iJOOO
1 francisco Benicio das Chagas.......
-i Paulino Pereira da Co-ta.......
iZ... "-mandes de Araujo Santos...
oa uim D,.: -f'^;.........
Roque Marinhoo. Aze;ed......K-
Manoel Aleixo Martin "'^.........
Francisco Leo da Silveira.....
Joo Accioli Marques..............
Manoel Rodrigues da Silva Neves... <
Aleixo Jos da Luz Juuior..........
Joo Alves da Silva Guimares......
IJOOO
45000
35000
35000
25000
25000
250110
25000
25000
25000
?5(XI0
iooq
Urna palavra relativameote s moles-
tias dos pulm s e da garganta.
Toda a vez que os pulmoes se acl.em enfermos,
pdese com toda a certeza dizer, que o doenle
acha-se a borda d'uma enfermidade incuravel, e o
prmeiro passo para lao perigosa sitnaco a' tos-
se. Torna-se pois da maior importancia, o ata
lhar-se para desde logo. Se peiguolardes tomo
isso se possa realisar ou conseguir, responder
mos, com > peitoral de anacahuita de Kemp, o
qual extrahido e preparado do surco balsmico
d'uma arvore do Mxico, conhecida desde manos
seclos pelos naturaes o'aquelle paz, como reme-
dio poderoso e saolo para todas as enfermidades
dos igaos da respiraco. Esta admiravel prepa-
raco, curara a |ose dentro em poucos dias, e at
mesmo s vezes onl poucas horas, alliviara a as
thma, curar a inflamnj'cc muensa do larynx e
brouchios, e impedir a tbysica Em contrario
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabeleciniento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A repulaco da jurubeba tal, e os resultados
therapeuticos oblidos ltimamente sao to impor
tantos, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
JoiaMim de Almeida Pinto.
------------ nu tt !!
JURUBEBA.
A jurubeba uma das substancias medicamen
tosas, o reino vegetal, e penence classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega
aa com ^vantagem contra as febres intermitentes
ac.ompauhadas deengorgitameniode flgado e baco.
Ella tem sido applicada com incontestavel proveitc
contra a anemia ou colorse, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrua-
go difflcil, resultante da mesma anemia oa *chlt
rose.
Exlrato acoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id ni.
Vinho Idem de dem.
Plalas de ext. idem.
Deposito, pharmicia de Pinto, ras larga doR
sano o. 10.
0MME1CI0.
Caixa filial do banco do Brasil em
Peruamboco.
A directora desta caixa saca sobro o banco
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa fllial
mesmo banco na Babia.
/
.




.

;
/
. ^
---------------


f^MVBMMVHMMH

Diarla d4 ,TBt()Ut Hexta felra 15 Jo selemUro le 1&.
-%'> banco de Peruam-
bnco.
0 banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno al o prazo de seis mezes,
\ovo Itanco de pernambuc*.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagara o i dividendo da dita massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mellidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 31.
Caixa filial do l>iBro do Brasil em
Pernamtwco.
De orden da directora se faz publico que a ca
xa descoota os saques de seu aceite, pratieados
pelo-banco do Brasil, pela lana de 7 0(0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
Novo Banco de P^uiamhuro
O Novo Banco paga o OTimo quinto
videndo na razao de 8$ por acc3o.
di-
ALFANDEGA.
fieudimento do da t a 13......
'dem do di.-, ti...............
iJ8:lo76i
23:2135792
Francisco Augusto d Oreira Barros.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Manoel Goucalves da Silva.
Dr. Antero Manoel de Medeiros Portado.
Afano) Antonio Goncalves.
Tijnmaz de Carvalho Soires Brandiio.
Francisco Antonio da Silva Cavalcante
Dr. Francisco de Paula Cavalcante d'A buquerque
Hernardino de Senna da Silva Guimaraes.
Dr. Henrique do Reg Barros.
Freguezia do Poco.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Jt)o Francisco da Rtg Maia.
! Joaquim Pires Carneiro Monteiro.
Dr. Joaquim Francisco de Miranda.
Joaquim Francisco de Alttiquerquo Santiago.
Freguezia da Varzea.
Firmino dos Santos Viira.
Dr. Manoel Arlhur d'Hollaoda Cavalcante d'Albu-
querque.
Freguezia de Mufibeca.
Jos Mendes de Camino.
Joaquim Riheiro de Aguiar Montarroyos.
Manoel Nqb~s Corroa.
Frega^i de Jaboato.
Miguel Ffllippe de Souza Leao.
Joao Manoel Carneiro de Lacerda.
Fregoezfa de S. Loureo^o.
JooFrancisco do Reg Maricela.
A todos os quaes e a cada um de per si, bem
como a todos os interessados em geral, se convida
0 administrador do consulado provincial manda
publicar para eonhe^imento dos dovedoras dou im-
paitos cobrados por laaeameni) perienceirt-r ao
ejercicio Ando em liqetdaco de 1894 a 18i a
portarla do Sr. inspector da thesouraria provincial
em que ordaua que o pagimenlo de seus dbitos
s pjler.io ser efectuados at o dia 30 do correte
ao meio dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 12
de setembro de 1863.
Antonio Carneiro Machadj Ros.
Portaria.
O inspector da thesouraria provincial recoramen-
da ao Sr. administrador do consulado provincial
que faca aonunciar urna e mais vezeg, que o pa-
gamento dos impostos do exercicio prximo finio
em liquidaco, s ser admettido at o meio dia do
dia 30 do carrete raer., para que as du^s horas,
ao ni ii- tardar, esteja recolhida a renda que se
hou ver cobrado atessadia.
Thesouraria provincial d^ Pernambuco 2 de se-
tembro de 1865.
Jos Pelro da Silva.
No dia lo, depois da audiencia ao Sr. Dr. |
juiz municipal da I* vara, vai a' praca por venda
as partes da casa terrea sem numero, na estrada
de Lniz do Reg, em Santo Amaro, freguezia da
Boa-Vista, chao foreiro, avallado em 2j'0j ; vai a
Soare.s de Moura !
MOVIME.NTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com (azoadas----- 82
cora genero..... 431
j praca por execugSo de Manoel Sjares de
131:38131.06 P^a comparecerem no primeiro andar da casa que I contra Sehastiiio Antonio Marinlio e potros.
fui cadola, na sala rio jury, tanto no referido dia e Peranle a cainara municipal desta cidade es-
Omnriof, t/Beiae* de justioaete., etc.
A scena passa se em Lisboa na astualidade.
Seguir-sa-lu a scena cmica em que o beneficia-
'(toimiiidWfenl* tvnos
i Dar Qm o espectculo a comedia drama em 1
i acto, anginal do Sr. Jjs6 Romano, ornada de mu-
sica
ttU DO COHI'O
114 YTO VALU1,
PERSONACENS.
Antonio...................... Slra5es.
Francisco.................... Amoedo.
Chrispim..................... Porto.
Marianno..................... Lisboa.
Guillada...... ............. Teixeira.
Barnab..................... Guimaraes
Isabel........................ D. Camilla.
Bernarda, adela.............. D. Eugenia.
Offlciaese aprendizes de ferreiro.
O beneficiado pelo desculpa aos Srs. assignan
tes de cadeiras que nao vai pessoalmenle entre-{
gar-lhe seus bilhetes por ignorar s-uas moradas, se i
o quizenm obsequiar podera mandar ao theatro
buscar o namero de suas assignaturas hojo por
todo dia.
Comecara' as 8 horas.
LOTERA SOlZi PE1XE
REIiOJOEIRO E 1HMR1DOK
-20RUA DO RA(RL-%0
Participa a seus amigos e fre-
puezes que acaba de receber mag-
nifica relogios de ouro e prata e
crrente* de ouro para relogios
do mais apurado gosto.
Ornee; la relogios de quslquer
natureza, caixas do msica e dou-
ranSo s retofios como ipnlquer objerto.
AOS 6:000^000.
Corre no da $.
AchaTfl-'Se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n.' 15, os billetes,
meios e qaartos da 21 parta da 1* lotera
(32a) a beneficio da matriz de Santo Amaro
de Jaboato, caja extraerlo ser no da
acitna publicado e no lugar e hora do cos-
I5e' Mn-. ,nifw\n! O abaixo asslgnado participa ao corpo do
Os premios de G:OOOK)00 at IO-)000!commercioquese seta Mlabetoerdo com prensa
serio pagos uma hora depois da extracto ide a'odo na ra da Monda n. 23, oode deseja
: at as 4 horas da tarde, e os outros depois "r/lr ,udos f fregatascoi promptido, sinceri-
..,...,. r flanp fl ;oratlrt
da distribuirlo das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
; mete at a noite da vospera da extracto
. como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Sania.
dade c agrado.
Alvaro Jos Teixeira.
htra, como nos demais das segaiotes era quanto
durar a sesso, sob as penas da lei, ss faltarem.
Volumos sabidos cem fazendas.
co u geueros.
80
487
------ 567
Descarregam no da 15 do corrente.
Patacho hollandez-AnfyV Harwe//-carvao.
Barca inglezaLanc tria farinha de trigo
Bngue inglcz .4/fcwn diversos generes.
Barca franeeza Mouruvinbos e alais gneros.
BrigiH inglez Clroemgh carvo.
Barca ingleja Mira Celia raadeira.
Barca nacional Vjflle -charque.
Brigue hespanho| Caricaidem.
Importaco.
Cter brasileiro Equndor, entrado do Maranhao,
consignado a ordem. manifestou o segrate :
6 (unhetes machados, I dito espoletas, 369 saceos
arroz grado ; a ordem de diversos.
RECEBEDIUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rcndimento do dia la 13...... 12:73755*0
e 16 do rae-
. serem arre-
E para qne cheque a noticia a todos, mandei pa- inalaJos p,.|0 [emp0 ae um ann0) por qaem mais
1G sar o presente edital, que ser lido e afJUado nos, offjreeeri os mposlos seguintes : o arrendamento
lugares mais pubbaos e publicado pela imprensa, e: da casa g|U no pal(,0 ilo Cor((0 Sanl0 na ,.,ia(jt 0
e tambem remetter rguaes aos respectivossubdele-,Re(,jfe pr 87ijq00j jjzm0 do capim de planta
gados, para os publicarem e mandarem tazer as i i:2oo5i coqueirosde prjducgao para negocio 5905,
noliflcacoes necessarias aos jurados, aos culpado aferica0) send0 0 arrematante obrigado a aferir os
taro em pra^a publica nos dias 2, 9
de setembro prximo vindouro para
THE&TRO
dem do da li..
7VJ
1472
13:487503:
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimentodo da la i3.. 14:7825881 5995634 15:3825313
10TIMEHTC m mm o
e s testeraunhas, que se acharem em seus dis
trictos.
Cidade do Recite, 12 de setembro de 1865. Eu,
Joaquim Francisco de Paula Esteve? Cemente, es-
crivo, o subserevi.
Francisco de Araujo Barros.
O Dr. Tristfto de Alencar Araripe, olficial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
cominercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu tormo, por S. M. e constitucional o
Sr. D. Pedro II a quem Deus guarde, etc.
Faga saber pelo presente, que peranle este juizo
e cartorio do escrivao que e urna execoco de sentenea entre partes a saber,
como etequ*nte Franm-co Jos da Silva Guima-
raes, e como executados os administradores da
raassa fallida de Amorirt Fragoso Santos 4 C, e
corren lo a execo^ao os ?eusdevld)S termos, pro-
cedeu-se a peniiora em dintieiro pertenceotes aos
exeoulados, e que se acha recolhido ao deposito pu-
blico, pelo qoe, pelo solicitador Flix Francisca "Je
Souza Magalhes, procurador do exequente, fOra
eito o requerimentodo iheor seguinle : ,; da multa de 9 0,0, a seren remedidos para
Aos 11 de setembro de 18bo, nesla cidade do,
Recife, em publica audiencia que aos feitose par-
te
pesos e medidas perlencentes a' mesma cmara
8635, 500 rs. por cabeca de gado vacum 48C5,
mscales e boceteiras 3'5, casmhas da ribeira
1345500, ga>lo recolhido no curral 485500, repeso
do acougue IO55OO, cargas de farmna e legumes
155, gado suino 55620 e gad'o ovelhum 15*336 :
os pretendentes podem comparecer nos menciona-
dos dias com seus dadores habilitados na forma
da le.
Paco da cmara municipal doOlinda 26 de agos-
to de 1863
Joaquim Cavalcanli de Albuquerque
Presidente.
Marcolino Dias de Araujo
Secretario.__________
Consoado provincial
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
aos devedores dos impostos arrecadados por langa-
mente perlencentes o exereicio Rudo de 1864 a
, 1865, que 00 ultimo de setembro lioda-se o praso
' marcado para a cobranca de seus dbitos, (cando
, sujeitos os que nao paguem al aquelle da, alem
1 alim de serem execntadns.
DE
SAVTO %iVTMIOo
(C\ PUNGA.)
Socieda-le dramtica Tiralia Peroam-
... bucana.
De ordem do ?llm. Sr. presidente desta socieda-
de, convido aos Srs socios sem excepeo de clas-
ses, para no domingo 17 do corrente pelas 10 1|2
hjras da raanhaa, reunirem se a sede da socieda-
de afim de em assemhli geral, tratar-se de nego-
cios urgentes a mesma sociedade.
Secretaria da sociedade dramtica Thalia Per-
nambucana 13 de setembro de 1865.
O i' secretarlo,
Epaminondas P. B. e A. de Vasesncellos-
4s
i
Mesa do consulado provincial 31 de agosto de
S5 ?J .,.UIZ-dt *^m^JZ2X. I865.-0 adminis.rador,
jVinos entrados no da 14.
ci Tristao d3 Alencar Araripe, pelo solicitador F-
lix Francisco de Souza Magallies, procuradordo
exequenie Francisco Jos da Silva Guimaraes, fr
aecsada a penhora feila em dinheiro naquantia de
5:8295930, pertencenis aos executados os adml-
Asaii dias, hiate nacional Sergipano, de 54 to- Distradores da roassa fallida de Amorim, Fragozo,
Heladas, capillo Pedro Jos Francisco, equipagem Saulos & Companhia, requerendo que nao s fieas-
7, carga sal e palhi ; a Jos Luiz de Souza. sem assignados os seis dias a penhora, como os dez
liba de Fernando9 dias, corveta nacional D. la- das aos ere ores inceitos, sob pela de lancamenln.
ii'i'iri'i, rommandante o capito de fragata Joao
Gomes de Agciar.
Navio sahi'lo no mesmo dta.
CearaPatacho hamburguez llelene, capito C, D.
Fenkler, carga parte de qae trouxe de Ham-
biirgo.
Rio de Janeiro Canhoneira americana N$ack, com-
mandaote o capilo tenente Newanann.
Aracaj e portos intermedios.Vapor brasileiro
Parahyba, commandantu J. J. Martins.
para o que se Ihe dVe os editaos do esiylo. E
achaudo-se presente o solicitador Miguel Jos de
Almeida Pernambuco, procurador dos executados,
por parles destes pedio vista ; termos em que bou-
ve o dito juiz arabos os requenineutos por defe-
ridos.
Extrahi a presente do protocolo das audiencias.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco, escrevente
jurameulado o escrevi. Eu Manoel de Carvalho
Paes de Andrade, escrivao o subserevi.
Segundo o que assim e continha em dilo reque-
rirnento de audiencia, depois do qual, o respectivo
escrivao era observancia ao dito meu defriraenlo,
fez passar o presente, pelo theor do qual, chamo,
cito, e hei por cilados a lodos os credores Incertos
O eidadio Antonio Augusto da Fonseca, cavalleiro I dos referidos executados, para que dentro do pra-
da imperial ordem da Rosa e juiz de paz do se- zo de dez da- comparegam ante este juizo, allegan-
guudo anno com exereicio no primeiro da fre-: do e provando o que fr a bern dos seus direitos e
eufzia do Saolissnuo Sacramento do bairro de juslica, sob pena de revelia.
Samo Antonio da cidude do Recife, em virtude E para que cliegue ao conhecimeuto de lodos,
da ..'i. 1 IC. m-imlu taiar O oiescule. i|ue icr offlsadfrnS lu-
Fa.o saber aos que a presente carta de editos gares do costume, e publicados pela impieosa
Virem, que por parte de Jos Francisco Xavier de Dado e passado nesta cidade
Mello me foi feita a peticao do theor seguinle : nansbuco, aos 12 de setemtirode
IMlAl.
de Carvalho
crevi.
Paes
o Recife de Per-
1865. Eu Manoel
de Audrade, escrivao o subs-
Tristao de Alencar Araripe.
tiim. Sr. uiz de paz.Jos Francisco Xavier de
M lio qner fazer citar a Jos de Almeida Ferreira,
para por meos conciliatorios ihe pagar a quanlie
de 2:1505000, proveniente de'letras de seu aceite,
pena de revelia ; e como o suiplicado se acha au-1
sent Bm lugar nao sabido, requer o supplicante a
V. S. se digu.s o admita a justificar a ausencia, o,
que feilo qoanto baste, jnlgado por sentenea se'
passe carta de editos por 30 dias, alim de ser ci-
tad" o supplicado para o fim requerido. Pelo que
pede a V. S. deferimento.E. R. M.Carlos Fran- .
,;. SoaresdeBrito. gio a peticao segu.me .
N pial peticao dei o despacho que se segu : '"m 0i curadores liseaes ou ,
Como reqner. Fregnetfi de Santo Antonio, 12 de
setembro de 1863.Augusto Ja Fonseca.
Em virtade do qual despacho se procedeu a in-
quincao de estemunlias, que depozeram sob o ju-
ramenlo dos Sanios Evangelios a respeito da au
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direilo especial
do cominercio, ne.ta cidade do Recife de Per-
nambuco, por S. M. Imperial etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que os curadores tiscaes da
raasa fallida de Miguel Gomes da Silva me diri-
Anlonio (Carneiro Machado Ros.
Perante a cmara municipal desta cidade
estaroera praca nos dias 13, 15, 16, 18, 19 e 20
do corrente nos primeiros tres das as seguintes
rendas muuicipaes a saber :
Afericao de pesos e medidas 15:2315000
Impos'lo de 80 rs. por carga de f.irinha
e legumes vendidos nos mercados
pblicos. 2:2295000
Talos de acougues das ribeiras de S.
Jos e Boa-Vista. 5
Nos ltimos, os alugueis das casas da praca da
Independencia, das riheiras de S. Jos e Roa-Vis-
ta, da Soledade e das ras da Florentina e Impe-
rial. A arrematadlo destes alugueis feita por
tres annos, e dsquellas rendas por um annn se-
ment. As pessuas que pretend- rein arrematar
(tilas rendas e alugueis deverao comparecer nos
dias indicados no pago municipal, munidos para
os pii.neiros, de habilitacao legal cimo manda a
lei, e para os ltimos com cartas de angas de
pessoas idneas. Os que se acharem em debito!
para com acamara, nao sero admettidos a licitar
em suas rendas.
Fago da cmara municipal do fleeifj em sesso
de 9 do setembro de 1865 Luiz Jos Pereira Si-
res, pro-presidenle.Francisco Canuto da Boa-
viagem. secretario.
Perante a cmara municipal desta cidade
estar em praga nos mas 11, 10 a 18 do corrente
para serem arrematadas, por quem por Denos -
zer, as obras de que precisa a elrada do cemiterio
publico da mesraa cidade, orgadas na quaniia de
5065. Aquelles que pretenderein arrematar, po-
dero comparecer nos dias indicados, no pago mu-
nicipal, munidos de seus fiadores O orgamento
das mesmas obras existe na secretaria da dila ca
ta^f uide ple ser consultado.
I Ja cmara municipal do Reeife 9 de se-
ternro de 1863.Luiz Jos Pereira Simoes, pro-
presidenta.-Francisco Canuto da lioaviagem, se-
cretario.
Para o Porto
Segu brevemente com a carga que tiver a bor-
do, a barca porfugueza Sympukiu, quem quizer
carregar ou ir de passagem, dirija-se a Bailar &
Oliveira, ra do Vicario n. 10, para tratar.____
GOMPAIHA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOft.
_i J, E'; esperado dos portos do nor-
'**!?.!ry^ If. al o dia 18 do corrente, o va-
i^^- por Gallan, cominandanle o pri-
meiro tenente Araujo, o qual de-
pois da demora do costume segui-
r' para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e enzaja-se a
carga que o vapor poder condnzir, a qual devera
ser embarcada no dh de na chegada ; encom-
mendas e dinheiro a frete at o dta da sabida, as
2 horas : agencia, roa da Cruz n. I, escriptorio de
Antonio Lniz de tHiveira Azevedo (^ C
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com muia brevidade a barca
nacional Hestaurarao, lem parte do seu carrega-
ment proinplo: para completa-lo, e juntamente
para escravos e fretes, para os quaes tem excelen-
tes commolos, trata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo <& C, no seu es-
criplorio, ra da Cruz 11.1.______________
Liiilia do Havre Per-
nambuco.
Espera se a barca Sphere que
sahio no dia 10 de agesto ao frele
de 23 frs. 10 V Recebe carga pa-
ra o Havre a freles baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
set freres.__________________
Hilo 4 &. ai^U'l
A escuna portugueza Erna pretende sahlr Impre-
lerivelmente at o dia 30 do correaje mez, e para
passageiros e earga trata-se com o consignatario
Joo do Reg Lima, na ra de Apollo n- 4.
MARTIMOS
5&L
Offerece-se urna mnlher portueiwza para ama
de casa de pouca familia ou hornera solleiro: a
tratar na ra da Cadeia do Recife n. 1, toja.
Os actuaes dewdores as extinctas
i companliias do Grao Para e Maranhao, Per-
i naiubuco e parahiba sao pelo presente con-
Ividados a comparecer no escriptorio do
i abm assignad >, ra do Impe ador n. 42,
ou ca de -ua resideacia ra do Destino n.
20, para ah tratarem amigavelinenle do pa-
filVTRA VC\ g^mentn integral ou amortijaco de seus
m>\#Al 1Xt\ 1 IJU*J. ; dbitos as inesmas companhtas. de accordo
A. UOmpanllia InderaniSadOra porm p im aquellas coneeeies, jue razoa-
estabelccida nesta praca, toma seguros maritimos i velraenle lem SCaipre estado disposta a fa-
sobre navios eseos earreganjentos e contra otto eir. zor a Exo).a junta de Lisboa,
edificios, mercadoria e mol.ilias : no seu escr.pto- Aquelles que 0 nao fizetv dentro do
jio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo. ,. .,n^,. 11.1
------------- ---------------------------; prazo de .JO das, contados da data do pre-
AttenCJlO .sent aatancio, serio nonea-Ltmente cha-
m mulatinho escravo, de 14 annos, procura mados por este jornal e contra os mesmos
achar para a sua alforria a qnantia de SO$-, obri- prnceder o abaixo assig ad a cubranca
gando-se por um contrato seguro a servir al pa- judicial, com advogadb da supiadta Exm.a
gar : quem qmwr annuyte por eswjornai^ jaDU| fl(} qwm Um ^^-^ >g -ns|ruc.
- Rogase aoSr. Lniz Francisco de Barres Re- 55^ e os pe(Jeres precisos. Itecifo M de
go mandar a loja n. 20 l da ra do Crespo, con- .__. ,0(...'
cluir o negocio que nao ignora. setembro de 186;,.
-JtaMMMhse deeaee m d 9 do correle":. Dr. Jogqarm Antonio C. C. Miran a.
preta Thereza, de naco, alta e secca do corpo, j- hinn <(*.
de idade, rosto bexigoso, o p esquerdo mais gros-; J "*
so e com urna cicatriz em cima, levou vestido de- Um moleque KOm 18 annos de idade- pa-
chila cor de telha com palminhas brancas, e um \ ra lodo servico : na ra do Imperador se-
chaie de aigodo di-bet.d.: roga-se as aMorida- goado andar do sobrado O. tO, prximo
des e mais pessoas a quem compete, sua apprelien-(jj, I\,,..,^M, '
uanio
aos dous ttulos' perdidos, isto divida iucooravel
por nada possuir o Jevedor Fernandes, e quanto
as outras ser inconveniente I Ora, cortamente que
os ttulos incobraveis ninguera dar cousa alguma
oor elles, e apenas poderao ser vendidos conjunta-
mente com os outros, e quaoto a estes, se os deve-
dores tives-em de pagar iudependente d"accQao ja
o leriam feilo a dous anuos ou mais, que acharase
sene,;, incerleza do lugar da residencia do justi- aforado que julgam conveniente a venda q
Be 1 Jos de Almeida Ferreira ; e sendo tudo au-
; a loe preparado me subiram os autos conclusos,
e por raim lido nelles profer a sentenea do theor
seguate :
Visto provar-se pelo depoimento das testemu-
Dhas de folhas que osupplicad) Jos de Almeida
Ferreira acha se ausente em parte incerta, hei por
jostillcada a sua ausencia e passe se carta de edi-
tos com o termo da lei. Pagas as cusas,
zia de Santo Antonio da cidade do Recife
de seiembro de 186o. Antonio Augusto da Fon
seca.
E nada mais se contendo em dita sentenea dada
nos autos, por bem da qual se passoo ao justilicau-1 j
te o presente edital com o prazo de 30 dias, pulo
qual se chama e cita o referido Jos de Almeida
Ferreira para que dentro dos mesmos trinta dias ,,
eompareea por si ou por seu hastantc procurador i banlos C> e ,at0^ue aM ^ ^allA^\Z'
par., se proceder aos termos da concillado na for- ite ara l8ar c,red,or ,f ev!'T Vi n,
ge Guerra. Por tanto, fra de duvida a conveni-
encia da venda requerida, o que mais do inters-
se a massa. Assim esperara que V. S. dignar-se-
Sabbado a 1 hora, na audiencia do Sr- Dr-
provedor de capellas e residuos, vai novamenle
nistradores da massa fallida de Miguel Gomes da praga os pretos Francisco e Joao : quem nos mes-
Silva, que leudo V. S. mandado ouvir os credores mus quizer lancar, eompareea no da e hora mili
sobre a conveniencia da venda em leilo dos ttulos cados, achando-se o escripto e edital em mao do
inclusos ou antes referidos na peticao junta, ape- porteiro dojuizo.__________________________
as delles respoodeu os credores Guimaraes 1 Al
II
nz.
Lisiiua
* Freeue-'ein l,uder da admimstraco, e nada ter ella podido
sife aos 13 co"se8uir amigavelmenle : para juizar ter a mas
.~'a~ c-.. sa de tazer nao pequeas despezas com ires accoes
ordinarias, o que nao compensar curtamente a
differenca do que pde-se achar em leilo, j quanto
1 ao lempo a consumirse, e j quaulo s despezas,
achando se alias a massa j muito esgotada com a
perda que soffreu do valor liquido recolhido a cai-
xa commandia da sociedade Amorim, Fragozo,
ma di pflicao, e a qualquer outra pessoa para que
Ihe faca saber desta mesma cita'cao, afim de qoe
elle nao lique indefezo.
O porteiro desle juizo publicara' este nos lugares
mais pblicos desta freguezia, e o aflixara' passan-
do r.-rtido em forma.
Dada e passada nesta freguezia de Santo Anto-
nio da cidade do Recife, aos 14 dias do mez de se-
tembro de 186o.
ha deferir-lhes, chamando-se por edital aos de raais
1 credores, para que no termo de 8 dias declare era
juizo se julgam ou nao conveniente a venda das
cinco dividas activas da massa constante da respes-
ta dos supplicantes na peticao de dito credorpre-
vilegiado Autonio Jorge Guerra, e quando o nao la-
cr
Subscrevo
escrivao,
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivao que o es-, ?ain P^ceder-se a venda, avendo-se seu Mlenc o
evi.-Aotooio Augusto da hnseca. i,;mo anouencia. Pede ao Illrn.Sr Dr. juiz de di-
asigno. Em f de verdade.-O rue,l si)l!Cial cora.nerc.o deferiraento E R.
! Me.Ferreira & Martins, credores nscaes.
Na qual dei o despacho do theor seguinle :
Passe edilaes, ceuio pedera. Recife 4 de setem-
bro de 186.Alencar Araripe.
Por forca do meu despacho o referido escrivao
Manoel Maria Rodrigues do Naseimeato fez passar
o prsenle pelo qual chamo, cito e hel por intima-
dos os credores da massa fallida de Miguel Gomes
da Silva, para que comparecam neste juizo dentro
do prazo de oito das, a contar da publicayo des-
te edital, alim de allegaren) o que tiverera a favor
de seus direiios, sendo que flodo este prazo, sem
Joaquim da Silva Reg.
O Dr. Francisco de Araujo Barros, cavalleiro da
imperial ordem da Rosa, juiz municipal da 2'
vara e preparador dos processos do jury desta
coman-a do Recife, por S. M. o Imperador, que
Do. guarde, etc.
Fie 1 saber que pelo Dr. Joo Antonio de Araujo
Freias Hi-nriques, juiz de direito da 1* vara crimi-
nal da comarca, me foi communicado ter designa-
do o dia 27 do corrente, pelas 10 horas da manha,
Decreto n. 3,433 de 26 de abril de 1865.
O offlcial do registro geral de. hypotiieeas desta
comarca ahaixo assigoado, chama a altencao da-
quelles, a quera interessar possa, para os seguintes
artigos do decreto n. 3,433 de 26 de abril de 1863.
Art. 236. Nao opera seus effeitos a respeito dos
terceiros se nao pela transcripcao, e desde a dala
delta, a transmisso, entre vivos por titulo oneroso
ou gratuito, dos immoveis suscepliveis de hypo-
theca.
Art. 237. At a transcripcao os referidos artes
sao simples contractos que s obrigam as parles
contratantes.
Art. 258. Sao sujeitos a transcripcao para que
possam valer contra os terceiros conforme os arti-
gos antecedentes.
1. A compra e venda pura ou condicional.
9 2." A permuta.
3." A doaco em pagamento.
4. A transferencia que o socio faz de um im-
movel sociedade como fundo do contingente se-
cial.
5. A doacao entre-vivos.
6o O dote estimado.
1.a Toda a transaccao da qual resolte a doa-
cao, ou transmisso do immovel.
8. Em geral, todos osdemais contratos trans-
itivos de immoveis susceptiveis de hypotheca.
Em vista pois dos artigos cilados observa o mes-
mo abaixo assigoado que os contractos nelles com-
prehendidos para sua inteira validado dependem
da formalidade essencial da transcripcao ou regis-
tro, sob pena de acarretarem aos ioteressados se-
rios prejuizos, ede se lornurem de nenhum elleilo,
sempre que forem contestados por terceiros.
Fulgencio Infante de Albuquerque Mello.
HILAO
Pe 8 pipas oiii vinagre de
n.utaTP&Filhos.
Cordeiro Siraes
far leilo por COOta e risco de quem perlencer de
8 pipas com vinagro de Lisboa existentes no ar-
mazom da Companhia Pernambucana largo da As-
Berabla, isto
3io.ii:,
as 10 horas em pomo, no arma tem cima referido.
sao, e a entregar na ra dos Pires 18, que ser *>T^8Sa do OuviJor.
recompensado. I'm homem easao, disposto e pratico em
A juma administrativa da Santa Casi de Mi-:?3d e 'iul'uer servio de agricultura, se offerece
sericordia do Recife, em consequeccia de ter fal- Par administrador de eagenho : qoem se qnizer
lecido o Sr. brigadeiro Gaspar de Medezes Vasron-' n""l!t* de seus servico, pode dirigir-se :,0 sobra-
cellos de urumrnond, faz publico que o mesmo dQ r- |S|' Pri"eim andar da ma do imperador.
Sr. hrigadeiro e seus filhos e eenros, a saber : o Precisa se para orna casa estraogeira de um
Sr. Dr. Amonio de Vaseoneellos Mearses de Drum- boro cozinbeiro que ib5 ii: l>r o- mond e sua mulher a Exin." Sr.3 D. Luiza de Me-' tratar na ra do Vigario 11. '.). I* an 1 ir
nezes Vaseoneellos de Urumrnond, o Sr. Luiz Fran-1 Uaerr> prpfilsar lle ,.!1H cri:i,:, 1(,,1(
rija-se a ra de Ap 1'
Aluga-se urna grande casa lerrea cora sOiXO
na ponte de l'choa, a beira iii> rio : a tratar no ar-
aezes Vaseoneellos de Drummeod, o Sr. Luii.Fran-! uem preRi>ar ,,,. ,.!1M cr,.,
casco Paes Brrelo e sua mulher a Exm/ Sr. D. djrljll^ ra de A _
Laurianna do Menezes Vaseoneellos de Urumrnond
Brrelo, o Sr. Ur. Jos Nicolao Rigueira Gosta e
sua mulher a Exm.1 Sr.'" D. Joseplia do Menezes
Vaseoneellos de Drummoud Costa, e o Sr. Dr. niazern de Guimaraes j Aleoforado, rua do Amo
Gaspar de Menezes Vaseoneellos de Drummond,
hypothec.aram ao Sr. Joo Vieira Lima, para ga-
ranta da quanlia de 62:0135294 r., por escripia-
ra lavrada as notas do tabellio Manoel Antoni 1
Coelho de Oliveira Jnior, em 26 de oulubro de
1844, o engenho de fazer assucar denominado Ja-
rim 11. o:-.
^4 qw.m acli u
cirii, moente e corrente, com todas as suas trras.
Gma pessoa digna de commtseracao, velho pai
de familia, perdea hont-m a qcMOtia de 1805 era
duas eedalae de 305, 203 a de 105, e miudas e
' dous meios bilh-tes da provina qae corre hoje,
" i tiidonm um embruHio de papel pardo, desde a loja
matas, logradores, sito no termo de Sennhem co
marcado Rio Formo cora 50 escravos entre 13^____," _^"ibei ro, rua
maiores e menores, 40 bois, todas as suas obras, .. _. a
machinas, dcsiilago e todos os mais oteneilos do 1
da
Cadeia do Re-
ua do Liviament) n. 13 : portanto ro-
> que o ach-iu e
paga a dita quanlia, como nao foi, no dia de seu Qaem amiunciou querer 1:0005 a juros com
vencimenio, segundo o estipulado, venrena, como garanta em urna propriedade de sabido valor, pro-
est vencendo, o premio de um e meio por eenlo : core na rua dos Pires n. 18, que se Ihe dir quem
ao mez at real embolso. Qm' no testamento com : quer.
que falleceu o dito Sr. Joo Vieira Lima, deixou' Contrataos'a venda de 30 a 60 pipas com
elle como legado ao hospital Pedro II, a cargo da 1 excellenie mel de furo : a tratar no escriptorie de
mesma Santa Gasa, a medade desse debito, pela jos6 prfrt.ra Vianna, na praca do Brpo Santo nu-
qual a annunciaute ajuizou os hypolhecanles, os* mero 6.
di los Srs brigadeiro, seus lilhos, genros e netos.' -----^------------------------:------------, -
inclusive o Sr. Antonio Maria Hamos por fallec-, ~ Pcisa-se de um caiieiro que tenha pratica
ment de seu antecessar o Sr. Luiz KrtBCiseo Bar- \ ', taberna a saiba tor e serevw bom :ua rua da
reto e a Exm." marqueza do Recife, comoherdeira Aurora n. ot.___________________________
desse fallecido. Que sendo essa acco propostaj Aluga-se o terceiro andar e solio corrido da
lelo juizo municipal da segunda vara, cartorio do | casa n. 31 da rua da Cadeia do Rucife, tendo tanto
Sr. escrivao Gunha, obteve a annunciante duas no andar como no solo muilos coiomodos para
sentencas a favor, que foram confirmadas pelo su-1 numerosa familia, alem de um bello mirante de
perior tribunal da relacao.cuja sentenea sendo em- recreio, donde se gozi da melhor vista, acie-cendo
bargada no transito da chancellaria, depois de dis-! que tem encanameoto de giz com os vidros com-
cutidos os embargos, subiram os respectivos autos ptenles: a fallar na loja da mesma casa.
gados os embargos, os quaes autos correm pelolvjg
(illWDE FEIRi
De molillias completas de Jacaranda', mogno e
amarello, guarda roupa, guarda louca, mesas els-
ticas, aparadores de mogno e amarello, toiletes de
Jacaranda' e amirello, cabriolet*, carrocas para
cavallo e boi, camas frwcezas, marquezas largas e
e.streitas, apareios de louca para jantar e almoco,
jarros para flores, espelhos, cadeiras de balaocos
de differentes feitios, relogios para algibeira de
; nuro e prata, pianos de armario e mesa, objectos
de ouro e prata, 1 burra de ferro (prova de fogo).
candelabros, pares de lanternas, du/.ias de cadei-
ras avulsas para sala de jantar, commodas, meias
commodas, secretarias, tpeles, charutos e inmen-
sos objectos que se torna enfadouho mencionar.
MME
Sexta-fcira lo do corrente as II horas.
NO GKANDE ARMAZEM DE LEtLES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Una da Cadeia do Hecii'e.(i
-L1- -' '
para iiirir a quinta sesso do jury, que trabalhara l qUe tenliam comparecido para esse fim, sero os
' mulos vendidos na forma da peticao e dito meu
em das consecutivos: e havendo hoje procedido
ao >rteio dos 48 jurados, que tem de servir na
mesma sesso, em eonformidade do art. 328 do re-
pjoli'iiento 11. 1?0 de 31 de |aueiro de 1842, foram
sorteados e designados os cidados seguintes :
Freguezia de S. Frei Pedro Gonjalves.
Antonio Henriques de Miranda.
AnioniJ Gomes de Miranda Leal.
Freguezia de Santo Antonio.
Jos da Fonseca e Silva.
Emilio Xavier Sobreira de Mello.
Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva Sanios.
Manoel Joaquim da Silva Ribeiro.
Francisco Maniede d'Almeida.
Miguel da Purificacao Gomes.
Dr. Joaquim Jos de Campos.
Dr. Manoel Buarque de Macedo.
Salusliano Caelano dos Saulos.
Justino Pereira de Faria.
Freguezia de S.Jos.
Tenente Jo.- Pedro da Silva.
Fianci-co de Oliveira Mello e Silva,
felix Paes da Silva Pereira.
Jos Amonio Pereira da Silva.
Joo Joaquim de Siqueira Varejo.
Freguezia da Boa-Visla.
Marcelino Jos Lopes.
Jos Maria Freir Gameiro.
Dr. Manoel Ferreira da Silva.
Henrique Stepple.
Horacio de Gusrao Coelho.
Jos Pires Ferreira.
Francisco Accioly de Gouveia Lios.
Tbomaz Garreth.
s
tie .vrno
DE
despacho uella exarado.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente, que sera publicado pela
imprensa e afxado nos lugares do costume.
Recife,! de setembro de 1863. Eu, Manuel Ma-
ria Rodrigues do Nasciu>euto. escrivao o subs-
erevi.
Tristao de Alencar Araripe.
MCIAlCOES.
EMPREZA-COIMBRA
Recita extraordinaria.
A BENEFICIO DO ACTOR
Sabbado 16 de setembro
de 1865.
Primeira represeniacao da comedia-drama em
3 actos, original porluguez do Sr. Cesar de Vas-
concellos
De movis e escravos.
Cordelro timos
fara' leilo por conta e risco de quem pertencer
de mobilias, guardas roupas, commodas, marque-
zas e outros artigos. Na mesma occasio vender'
duas escravas com habilidades.
Sexta-feira lo de corrente as 11 horas.
57--No armazem a rua uros
maritimos e terrestres
estabelecida no Hio de Jaueiro.
ACBNTES ESI l'EllKAMBS'JO
Autonio Lniz de liliveira Azevedo & C,
competentemente autonsados pela direc-
tora da companhia de segures Fidelida-
de,tomam seguros de navio:-, merendo-
nas e predios no seu escripiurio rua da
Crui n. 1.
m-mmmmwm mm

a
NtQlES
cartorio do Sr. escrivao Uandeira.
Uonslanrlo ao abaixo assignado que alguem
por parte de sua mi procura vender a casa ler-
rea sita rua Augusta n. 24 e outra na rua do
Alecrim n. 29 da freguezia de S. Jos desta cidade
o mesmo abaixo asignado roga que m-nguem faca
negocio alguna com taes casas, visto que tendo el- j
la sido herdada por dita sua mi do avo do abaixo; ^
assignado e ao depois casando-se ella e rnorrendo
seu pai,sua mai nao procelera ao inventario como'
devia para dar Ihes o quinho que por lei Ihe per-
tencesse da parte de seu pai. que tenha direito a
raeaco do casal que devia ser devolvida ao abai-
xo assignado como seu nico filho. Recife 12 de sobre' Liishoa e IPorto.
setembro de 1863. j05e ai Silva Loyo & C. sacara sobre Lisboa e
Antonio do Carmo Ferreira- porto.
~Z "B82lfi?^*..*. chr,an ablacte PortMgneJTlc l.'eitiira
Aluga-se para escriplono o Io andar do sobrado | HrrniaibtlCO
Ouvimos dizer a' pessoas de algum conecito que
o cooselho deliberativo do Gabinete Porluguez de
Leilura intenta reunir-se a' capucha, tiara julgar
em segunda iusiancia, o processo do Iltm. Sr. Joa-
| quim Gerardo de Bastos I...
Precisa-se de um feitor para um engenho na i Pelosim, pelo nao, pedimos ao cooselho o favor
comarca do Bonito, distante daqui tres legoas : a de annunciar o dia e hora era que dve ter lugar
tratar na rua larga do Rosario o. 27. Isemelhanie reunio para Irraos apreciar a sabia
Desappareceu em dias de julho do corrente sDlenca ^e^^^^{%j!
anno, do engenho Fragoso, urna vacca grande, de jdlS5mos ***totons da miueria. e iMHUgentis-
a tratar no segundo an-
n. 62 da rua da Cadeia
dar do mesmo.
Precisa se de urna ama que cozinhe e engom-
me para casa de pouca familia : na rua do Hospi-
cio 11. lil
cara branca e de raga tourina, tendo os quatro
peitos grandes e hrossos, cora o ferro M A P reu-
nidos em urna s letra, e tambem urna garrota la-
vrada cora o mesmo ferro : quera acha las ou dol-
as der noticias, dlrija-.e a casa do tenente coro-
nel Pasaos, em Oiinda, na rua do Paco Castethaoo,
que ser generosamente recompensado..
\simos distribuidores da... u^ica !..
Algons socios.
I'iilsfira ^rlitla*
Perdeu-se honiem a n me (l.'j da rua das Flo-
res e Sol ni rua tova* ana poisela ^le cabellos
cora o retrato de urna seno ora : quem acliou-a,.
,------7z querendo eutregar 111 risa das Flo3u- n. 37, sobra-
Preeisa-se de urna ama para co'.mliar e fazer 3" .^ ham PM,.,imOIlia,in
o mais servico interno
33, segundo andar.
na rua do Imperador n.
do, sera nem recompensado.
LEILO
Do deposito da rua ti Seuzala
numen 6.
Sabbado 1 fi do corrente as li horas.
Pelo acert
OLYMPIO
Precisa-se alugar urna escrava preta,
de meia idade, para o servico de urna pe-
quena familia ; rua Direita n. 45, loja.
O septenario do Senhor dos Passos no altar
da ordem terceira de N. S. do Carmo corneja a 17
do corrente mez._________________________
Precisase pelo tempo de 4 a 6 mezes da
quanlia de 1:060 a juros de 2 0|0, dando-se por
1 garanta urna propriedade do subido valor quem
[ quizer fazer este negocio annuncie por este jornal.
Vova" ** .j*-k*i -*** safase
Crerae
Sorvetede reme hoje
Trapiche n. 18.
ni do di i : na nu do.
FIGADOdeBACALHAU
^i
y
ea
P co processo de Ciien icr, pbarmaeeuiicn
Paris, na iln Fauhnnrfl Uonlinartc 21.
Estf oleo de um charo cujiadme!, e d
um sabor tisstiairatli) i>> nico que naotenn
neiH o fiostn, nnn o titeiro do pce. Ob-
jecto de numerosos i elatorios scientilicos e
Convida-se as pessoas que estao as
; condices do servico militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanla-
gensdi lei provincial d. 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes :
1^400 rs. diarios de sold, serem seus li-
Ibos menires recolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de educado e o tempo que
; estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadoria, e alm destas
tem todas as mais vantagens que s5o con-
cedidas aos voluntarios da patria.. 0 te-
nente-coronel commandante do corpo d
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
aqe.
II
FAMUDOTIO BR\ZCLl)B w PF.RSONAGENS.
Rraz Coelho................... Simoes.
Joo Carlos.................. Lisboa.
Alfredo de Ribamar........... Guimaraes.
Baro de Ribamar............ Porto.
Miguel...................... Teixeira.
Goocalo..................... Pinto.
Maria....................... D. Camilla.
Monica...................... Jesuina.
Io operario................... Peixoto.
Ia dito...................... Borges.
3 dito...................... Santa Rosa.
m offlcial de justica.......... N. N.
Um criado...............- N. N.
Domingo 17 do corrente haver reunio
de familias.
! DEPOSITO DE CALCADO
; m FABRICADO NA CASA DE DETE.NCAO M
^ Roa \ova n. i. --
vgj Ahi so encuntrarao obras ilc di- .iS
H versas qualidades, e por preco mu
R diminutos, a retallio e em porcOes.
mm^Jt^^^mm *tJm medicos' esle mdicamente .
^Is^JR"*:* :SaSPR Iti-mSR Franca de um successo to rano enmo-bem
Pa rua da Florentina n. 36 prepara-se corai- merecido, reci'itado diariamente palos
da com aceio e promptido e por preco razoavel. prncjpaes mdicos dos hospitaes de Paris.
IP r TYtl tittUitK 0 OLEO DE riGADO DE BACALHO DESINFECTA-
J1& 1111% SUlljJUd. do fekrl'ginoso emprega-se com os maiores
Contrata-se para o caminho de ferro de successos as molestias em que se emprega
Apipucos, 10,000 solipas de madeiras de 0 oleo quando s3o acompanhadas de debili-
qualidade quem pretender forne :e-las diri- ] dade e atonta.
ja-se at o dia 30 do corrente mez, rua ________________-------------------------
Haliqua Abraban natural de Tnger retira-se
para o Rio de Janeiro.
SZ?~ j' S"' ""^fefcyta segund. aadar, para, INJECCAO BUOW.
O mulatinho que annunciou precisar de 50041 r alSte- Remedio infallivel contra as agnorrheas
para sua liberdade, hypothecando os sc^is seryigos \ j anticas e recentes, nico deposito na botica
pelo tempo que se convenciouar pode dirigirle : '"'u' (rtncoTt ma da Prn7 n %2 p rieln nrprri
ao caes dq Apollo n. 55, que achira cota qaera Precisa-se de urna ama para casa de familia de ranceza, rua da Cruz, n. 2, 6 pelo prego
tratar. duas pessoas; na rna do Nogueira n, 29, taberna, do <>.

l



DiftflO Saques sobre f h__
Manoel Ignacio da OIvp' L .
Lisboa : no largo do Filho 1Qacara 5obre
------ oorpo Saoio o. 19. __
lo~ r* .tmry Kraus mudou sua resi-
...ta da ra da Imperatrlz d. 30 para o j
tobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade podem ser entregues na botica:
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
praca da Boa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
& C. na ra da Madre de Dos, ou no ar-
mazem de viuva Haymond & C. na ra do
Trapiche Novo das 9 horas da manhaa at
is *j)a_ tarde._________________
Aluga-se urna casa terrea com 2 salas, 2
quartos, cozinha fra, na ra do Socego o. 47, j
Campo-Verde, e onlra dita com os mesmos corn-1
moiio, na roa da Amizade, na Capooga: a tratar
na ra do Rosario n. 56 cm frente a ra do Aragao.
Pharniacia especial homeopalhica, do
Dr. Sabino oirgario L. i -.olio.
RA MOV A X. 43.
Vendem-se por precos commodos, os melhores,
medicamentos homeopalh'cos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubos, glbulos inertes, chocolate lio-
meopathico, escoras elctricas, apparcihos para la-';
var os olhos, etc., etc.
Vende-se o Tliesouro homeopalhico, a melhor
obra que existe para a patrica da homeopathta.
O Dr. Sabino da' consultas todos os das uteis
desde 10 horas do dia at duas horas da tarde. ,
Visitas aos domicilios sempre que as circums-
tancias as exigirem.
Os pobres sao tratados gratuitamente.

O hachare!
Francisco Augusto da Casta
ADV'iGADO
Ra do Imperador numero C9.
Ifi *-.. m mmmmwm
Fabrica de chapeos de sol.
M. 22 Ra do Queimado 22
Nesta fabrica adiase sempre um grande sorti-
mento de chapeos de seda, ingleza e fraoceza, al- '
palka, brim e panuo, ombrelas para senhora, de j
seda e chita ; tambero se acha na dita fabrica ben-
gallas, chicotes, fumo, cachimbos e chapetas: to-
dos estes objeeis se veodem por proco muilo
comniodo; cobrem-se tambem chapos, e faz-se
todo concert pertenecnte esta arte.
Precisa-se de dous meninos que lenham pra-
tica de fabrico de velas de carnauba : a tratar na
ra da Guia n. 3.
D'IODURETO DUPLO.
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEMDA 55M PERMAMBITCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos que compocm esta preparaba, o
ferro, o todo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparares ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos bospi-
taes, c os relatnos dos prticos mais eminentes,
que confirmro sua poderosa efficacia as se
guinles affeccoes:
Mlngaa no mor,
Fraque* n.
Aiirnln,
Cliloraae Ictericia,
Menstruo,
Affeccoes d tero,
Supprcasaea tas re-
graa c rmnlrn na
menstmaco,
Affeecao pulmonar e
phttalalca,
Molestias d'eatdniago,
Gastralaias,
Perda d'appctltc,ete.,
Convaleseencade Ion
K iimleNlIna,
Molestias escrofulo
as,
Pnpclra,
Obstruceao das gln-
dulas.
Humores fros,
Tuiuorea brancoa,
RacUItlrtino,
Affeccoes i-unccrosas
e s\|ihllillcas,
Febrcs typliotdcs,
Bcxigas, etc., etc.
Vejaos", os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1s60; a Gazeta
dos kospilaes de 28 dejutho 1860, etc., etc.
Alm o'us pilulas de todureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconsolhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo aullior para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. F.ste xarope nao tcm
como o xarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pcta-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evilarem falsificares, exija o com-
prador cm cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
I 42, ru du Bac, e em todas as boas pliarmacias
de Franca e as dos paizes ?strangeiros, etc.
As pastilltas digestivas com a pepsina de
Wasnian, empregao se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicacs de
Paris, Londres. Vienna, etc., em todas as in-
fommodidades em as qnaesadigcstao 6 ditiicil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivel: eis
o melhor remedio para cural as.
(i.-tsd-i.lKlus, I Olai-rlieas e a constl-
DlK|>t-('.iit*, pueao pro'lur.lilas
Liitbii-.'.*os^asirlos pcl'is rtiibortifcs
A ast.iti-, defcftuoaaadoaali-
As nff.aceoea orsanl- ) iiiriitos.
cas In e^IrtiiiiiKo, I
Sua aoySo vivifica o sangue e os rgSos de
tal sorte que, athe, as pessoas que sem aoffror
as alec^ocs gstricas cima mencionadas sao
nicamente fracas ou il'um temperamento um
pouco dbil, e necessilo substancial alimento
para forlificar-sc, achSo no emprgo das paslil-
hus de pepsina de Wasman, un podero.>o mcio
para a isso chocar.
Aviso imprtanle.0 successo das pastilhas
pepsina de Watmandeu causa a se fazerem
falsiicac5es e imitav-esil'essc producto que <^s
mulos se qnerem desfase*. puu j.or falta
d'uma boa preparaclo a pcpsim que u'clla
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'cste
inconveniente, exigindo os compradores que as
pastilltas tenbo as iniciaos B. P. e sawo la
pharmaei Chevrier.
Deposito geral ''in Pars, pharmacia Chevrier,
211 Faulioiiig-.Monlmartre, e em teclas as boas
pharmacias .!e Franca <: 'los paizes cstrangeiros.
DOENCAS
dos MENINOS
CI-RADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra aa CLICAS DOS MENINOS antea
e durante a dcntlcao
(Xarope de ntnoglosse e de acido succioido)
V X. Contra a TOSSE CONVULSA e a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cjrnnplosse e de oleo voltil de succino',
N* 3. Contra as CONVULCES DOS MENINOS
A cuonA.
(Xarope de cvnoglosse e de acido voltil de succino)
F.stcs novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do-
meninos cima indicadas, e vierao cncher um
Vacuo importante na therapeutica, no que toca as
affeccoes da infancia, para as quaes, alh hoje.
anida se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-sc o prospecto cm casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Proco do frasco cm Paris. 3 fr.
Para se evilarem as falsificacSes. exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatnra Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud c em todas as boas pharmacias de Fram;?
e dos paizes estrangeiros.
MASSA e XAROPE
DE CODElNA
DB
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e temi a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
larrho epidmico., defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
acho em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificarSo,exigir em
cada produlo o nome
e i firiitu liertli.
Deposito geral em Caris, ein casa de MENIER,
Itua Ste-Croix-de-la-Bretinnerie.
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras picparacoes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Molesllus le l^adu,
A Ictericia,
ralpi tucn do corae&o
Dfires noa rlna,
Dlarrheas clironlc<
DyssenlerlaS,
Ddres d'eslomaKO,
Dispepsias,
Depsito geral em Paris, jiharmacia Chevrier,
Mas dliceatocs,
Gastrlles,
Gaslralglaa, etc.,
Op|l''S.'0|-S,
Ddres irritacues de ber.iga e e em todas as pharmacias ae Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros
Pelas commissSes em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Nutl'oi'ooao nervosa e Opprenao
nico remedio efticaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
ainarello) do Dr Danet. Descoberia inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em tedas as
bcas de Franca e do estrangeiro.
'"?:
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOHISaDA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma lianc't ein dinheiro, 'lepositado nos cafres do eslalo, garante a boa da
raiuisti'aca da companhia.
BANQUEIROS OA COMPANHIA
O Baac (Be Blespanha
DIUECCAO GEHAL
fSarid : Kna lo Prado o. 19
LIOl
GRANDE
puv senhoras,
m
NO
IAZEM DA
' jossi:
3i
XPOSPO DE LONDRES
MTm
mA
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de snperviencia dos segu-
sobre a vida.
Jieila pode se lazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso meso C (i n 11< tc s
garado se perca o capital nem o,- jaroscorrespondentes a estes.
Sao tao supreheodeotes os resultados ijue produzem as sociedades da ndole fle A NACI
DAL,que ain-Ja mesmo liminumdo tima terca parte do interesse pruduzido em recentes liquida]
rese .nh i ta I )-o cora mortali-iade da tabella de Denareieos qne e adoptada Bala com paoh-
para *eus :t.!ubse liqaidacoes, em segurados de idade de i) al9aDaos, urna imporsiciio annua.
de lUi>5 produz era effectLvo metlico:
No fim de 5 aonos.......1:1195300
de 10 .......:l:!ti25600
de 15 .......11:208*200
> de 20 .......30:2;6000
de 25 >.......80:331*000
as idades menores de 3 annos e mai* <- ao, os producio.* ?Ao mais consideraveis.
Prospeot e mais informales serSo prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ra da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da imperatriz n.!2.estahel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & Irmao.
ioao da Silva lamus, medico pela Uni
versidade de Coimhra, d consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para issw designadas, salvo os casos ur-
gentes, que si-rao soccorridos em, qual- $-
quer occasio. D consultas aos pobres f
que o procurarem no hospital Pedro II, ![&'
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tcm sr.a casa de sade regularmente
1 montada para receber qualquer doente, P
| ainda mesmo os alienados, para o que &
tem commodos apropriados e nella pra- $!&
tica qualquer operaco cirurgica. ^
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios. ii*.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2*000 > JB
Este estabelecimento j bem acredi- 1
tado pelos bons servidos que tem pres- 1
tado.
O proprietario espera que elle conti- A*
nue a merecer a con Banca de que sem- MV
pre tem gozado.
I
.388
GO Ra da Cadeia do Eecife 60.
Todos os arligos abaixo raencionades foram comprados recntenteme pelo dono do estabelecimenlo as principaes fabricas
| de Paris. Londres, Birmingbam, Manchesler e em diversas cic-!ades da Allemanha, e tendo comprado ludo as melhores condicoes
por ser a dinhetro, por isso vende lodo c qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mu principalmente por querer inteira-
; mente liquidar e ler de partir mui breve para a Euro; a. I W<
Ha neste vasto armaz-m lie s objeclos com brilhanles, como boloes, atinis, rosetas etc., e bem a.-sim diversas obras de
otiro, como irancellins, correntoes, atinis e niuitos oulros artigos, relogios de miro inglezes do afumado fabricante Beimellc; con yM
pelo sotlintenlo de fazenda? linas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes inglezes e francezes, como L.' jm
T. PIVER, Lubin, L. Legrand, Ed. Pinaud i\ Meyer, Delettrez (Perfumerie du mond lgaot), Violet, Societ Hygieoique, Mompelas, *
aad, e inglezas de Eug. Rimmel e outros; ricas galanteras em marfim, madrepetola, etc.. fabricadas na
Mailly, Regenicr, P. Gtiel
; China e no Japao; ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram ncsia cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpenteas, caslicaes, enfeite- e adornos para cima de consoles c para grande loilleile, o que se tem
jfeilo tie mais elegante otn Paris, Londres, Birmingbam etc.: modernos apparelhoa de rriet^l fino ingicz pura chaceare, os quaes em
i nada sao inferiores piala, o muitas outras peon do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima moda para llancas de seu'io-
I ma, exceiientes lvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para j otar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, etc; calcado dos principaes fabricantes de Pans e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & ^-, para se tocar na
ra, ditos com figuras para saldes e ditos com figuras em movimento; mode-nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
tbealros ou sales, dllos e phanlasmagoria ; lanlernas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia enoile; slereocopios de nova in-
-ito de vistas das priicipaes cidades da Enropa : graf^soriimenlo da btinqueuos finos para naneas, e
emamac ; grande soriimer.to de candieiros a t,**'0 Europa, grande e magnifico sorii ento de ca unhas, cestinhas e outras galanlerias feitas d- crina e sida,
ande sorlimento de estampas fin s coloridas com o futido preto e de outras de todos os santos, ditas com
ysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafariz de crystal
de jantar ou para jardim; cuidara fina, como taiberes com cabod^melal lino, colheres, tliesooras finas,
OS PAIliGlJilOS
E' a ordem do dia I Acabar com os Para-
|guiyos a bayoneta, a mini, a revolver;
Ifulmina-los com os encourafados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em suroina a espada, a
jifa io e a punbal de qoe s trata; mas
j ninguem se lembrou ainda de esmagar os
'. Paraguayos con as armas que Deus nos con-
: oedeu; acabar com elles a tac5o e a penta-
ps, para o que necessaro encouracar esta
| parte do nosso corpo com os formidaveis
I rompe-ferro, esmaga c bra, arranca t( eos
quebra marmore e oulros que se vendem
15 !\ tfIREITA4ft
Borseguins'Bordeaux........ 8^000
patricios......... l000
en-
riados ....... 5,5500
com laco e fivella .. 4|$800
Stpatoes encouracados....... 5500O
I B'irseguins para meninas bom
elast co................. 3#000
. Sapatos de lona, sola elstica. 2*000
avelludados......... t|800
!* de tranca........... 1*600
econmicos para se-
nhoras........... #500
com salto de lustre.. 2*240
Chineles do Por;o.......... 1*600
Um completo sonimento de calcado da
trra para bomens, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tro, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
' sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
s. hiispira c S. Chis|iiauo.
Re?ponde-se au irmao que hoje tem a honra de
publicar um artigo ubre a commisso encarrega-
da do examede contas dnthesoureiro interino, que
as pessoas que deram o parecer sao dignas de to-
do o merec ment, pois siu mais justiceiras do que
i o aul-jrque publicou. Vos qiv estaes mais com-
: prumettido, pois nao tendes as quahdades precisas
| para sociares com as pessoas Bdedipnas.
^^^^^^^^^_________Um Irmao.________
Ama.
Precisa-se de urna ama quesaiba cozinhar e en-
gommar : m na de Hirtas n. 1.
- Alusa se a casa u. 6 na ra dos Coelhus,
unto do sobrado do Anarleto, com 3 quartos, e a
, chave para ver est na laLerna de junte, e |>ara
tratar, na mesma ra na ultima casa em concert
defrunte do hospital Pedro II.
Lasa de banho U
'$'. Largo do f armo u. 26. '\\
jjj E"te estabelecimento tao bem montado '-,:.
v;;- na sua origem achava-sc de ha muito om
:l^ em quasi completo abandono pelo pouco 98
^ interesse de sua administrac>. 'ja'
Boje que o novo proprietario em|ire- *-^
"^ gou lodos o- meios para reMahehr a >".
^jg grande utilidade desle eslabeleciinenlo, ^
B pude assegurar ao publico que. qnalquer h
R que neja o numero dos concorrentes ^5;
m achara desde ja pi .inptido c aceio nos f*i
> banhos Irios, momos ou medicinaos, a
jjlg casa dos banhos se achara abena todos 3
trt das das 6 horas da manhaa as 11 da
W noile.

PreQos.
Banho de choque....... 800
Dito fro oo momo..... 00
Dito de farello......... 15000
Dito medicinal sera se-
gundo sua qualidade.
Assigualura.
Por mez banho fri ou morno.
2o candes [-.ara banho fro, mor-
no ou de chuvisc.o..........
m
>'**
&
105
105
55
105
Precisase alugar urna e.scrava que saiba fa-
zero servic interno de urna casa de familia, ex-
celo eosinhar : na ra da Madre, de Dos n. 36.
primeiro andar, oujna ra da Cadeia o. 52, ter-
ceiro andar.
CASA DE BANKOS.
Ra da Cruz n. \7.
A abaixo assignada, tcm a honra de
participar ao publico qoe o seu estele-
B cimento cima mencionado, acha-se hoje ,,
K func ionando muilo regularmente, pro- Wr mascaras (,e veiudo, settm, cera, papelao e rame ; doces confeitados e chocolate cm caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos casa immediata.
bonecas fallando -- pa
merecido toda a aceitac
proprios para presentes
l figuras e ditas com nova,
proprio para meio de me.
Ama
Prcecisa-se de urna ama, que saiba eosinhar para
casa de homem solteiro : na ra da Cadeia do
Recfie n. 53.
Arienda-se una rasa em Santa Tnereza do
s modernas paraalfaiafes, navalhas finas, meado do m
casa tero
Precisa-se

alugar no bairro de Santo Antonio urna casa terrea
que tenha p.no, pagase bem : na ra do Quei-
mado n. 46. loja.
Aluga-se muito em con'a a loja do sobrado
da ra Imperial n. 6i, com bons commodos para
familia : a iralar no mesmo sobrado.
Furtaram no dia II do correntel/daTiiadru-
gada, do cercado do engenho Tapera, freguezia de
Jahoatao, tres cavallos, um rodado sujo, novo, de
aliura e corpo regulare?, de dinas corladas a' faca,
portn crescidas (porque ja deilam para nm eou-
iro lado), de cauda ripada, castrado, e com dous
ferros ; um mellad* marfim, potro, castrado, galo
pador, com um ferro ; e nutro rodado sujo, Idoso,
castrado, com um ferro. Suppoe-se lerem seguido
para o Barro ou arrabaldes da cidade do Hecie,
bem como Apipucos, etc. : roga-se, pois, as autori-
dades deeni providencias alim de serem apprehen-
didos os m'-ncionad cavallos.
LA"MODA"ELEGANTE
Peridico de las familias
Xa livraria de Guiraares & Oliveira, na ra do
Imperador n. ai, encontraro os senbores que tem
procurado especimens para poderem avahar de tao
'ti! publicacao, diversos uumeros completos do
mesmo peridico, que loes sero promptamente
franqueados.
Preeisa-se de urna escrava para casa de duas
passsoas : na ra da Penha n. 23, Io andar.
GABJTE~
FOKTUGUliZ iK Lliillti EM PER-
NIII BUCO.
De ordem do lllm. Sr. director scientilica-se aos
senbores associados, que as sessoes ordinarias da
directora tero lugar as terjas-feiras as 6 I|2
Doras da tarde, na sala das respectivas sessoes.
Secretaria da direnoria do Gabinete Portugnpz
de Lsitara em Pernambuco 12 de setembro de
1863.
J. X. Vieira Ligo
Io secretario.
Precisa-se de um menioo^e 10 "a !i"annos
K mez deiutubro vmdouro, os da t
o a rma da abaixo assignada, m
e serio como d"antes transmissiveis. S|
Tabella dos preces.
I assignalura mensal com di.-eito
a um banho diario a320rs.. 95G00 |||
1 dita de 30 candes transmis.-i-
velsa360 rs................ 105800
1|2 dita de 15 ditos a 400 rs___ 65000 5p
1 banho avulso, morno ou Trio ou
de chovisco................. 500 ^"
1 dito aromatisado com sua fio- W;
ri*....................... 15000^
Us metlicinaes sero pelo preyo que se SS
convencionar: 9H
O estabelecimento estar' aberto nos
das uteis das 6 da manhaa as 10 da noile
e nos dias sautifi.-ados a t 2 horas aa lai-
jj de, havendo ebegada de vapor estar'
S aberto por mais algum lempo.
fg ilalhilde G. Lessa. K
mtmm mm mmm
Aluga-se a padaria com stus pertenco na
ra Imper al n. 199 : a tratar na ra de Hurtas,
aberna n. 2. '
Aluga-se
m sitio em Cachang, com boa easa de vlvenda,
. _uoicozinlia lora, casinba para feitor, estribarla e co-
toillette; machinas nata varrer o cbio hem, com bastantes fructeiras c banho perto,por
de papel fino transparente e lanlernas j mdico preso : a tratar na ra de Apollo n. 38,
, proprios para quem toma banhos em armazera^____________________________
ugares fundos ; ameixas novas em caixinhas, biscou os inglezes em latas, queijos, etc., e mu i tos oulros artigos que para ennnmera- Precisa se de urna ama" habilitada para todo
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Ca- o servio domestico: qnem estiver nesus coodi-
deia do Recife n. (50 coes dirija se a ra do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, ra do Progresso n. 7.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas
m dtbaouiIa nojfabeinse faz *lalijuer obras de er-commenda e
UA hXlUMUU Vii 0()0 e qualquer concert.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
LONDRES.
Para completa bquidacao vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muilo finas e novas chegadas recentemente
de Pars e de Londres dos mais afamados fabricantes seguinles: E g Rimmel, R.Matheus &C, Lubin, Sociedade Hygienica. Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Weyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes lia grande sorlimento d'agua de
Col.nia em vidros e garrafas, agua de lavando, apua para limpar (lentes, oleo babosa, extractos em gairaILhas e vidros de difieren-
tes modelos, pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainhos com perfumaras para fazer
prsenles, e muitos o.tros artigos que se vendem p'r menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
cao.
Precisa-se de urna ama para ooprar e co-
zinhar : a tralar na ra estreita do Rosario n. 12
primeiro andar.
Precisase alugar urna casa lerFea no IJ'irro:
de Santo Antonio, que tenha quintal que [ios a se :
azer urna estribara para dous cavallos : a tratar
nesta lypograpMa.
por menos
PARA SEXHOlltS.
Ricos e modernos penies de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presen
os de seu valor para se liqui Jar, no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n.
MJVAS HWWAS I1E JOUVI1V.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para hornera como para senhora por menos d
Um menino bem .ducado, de 14 amos, se seu valor, para se liquidar no grande armazem da Exposicao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. t.
offerece para caixeiro de alguma loja de fazenda
a pessoa que pretender dirija se a ra do Impera-
dor n. 38.
Francisco Garrido, amigo proprietario do hote
Trovador, silo na ra do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto dota capital como do centro da provin-
cia, que se acha novamenle estabelecido na mesma
ra larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Traviata, onde arharao os sens freguezes
sempre a melhor volitado para bem os servir, a
par Je excellentes vinhos capils e boa comida,
qnr no mesmo eslabelecimento, qur para fora. e
ente: vende-se dentro da cidade aos que nao quuerem ou nopo-
QO derem vir a seu eslabelebimento, sendo pelo preco
miiis mdico que tm onlra qualquer parte. No
mesmo estabelecimento acharao os seus freguezes
hilhares para iccrearem-se, bem como sorvete to-
das as noiies para refrescarem-se.
de i Jade para caixeiro : na ra
deposito.
do llangel n. 8,
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 33,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
| sao medica, e com especialidade
sobre o seguinte
i "molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas coniecando o trabalho pe- j
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os das das ]
6 as 10 da manhSa, menos nos do-
mingos.
Pralica toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o ]
prorapto restabelecimenlo dos seus j
doentes.
('osinhcir.i.
Prefija se de urna mulher que queira ser cosi-
nheiranm urna casa de familia : tratase na ra
do Sebo a. .33.
Na r&a-do Imperador n. 83, segundo andar, I
precisa-se de urna coznheira ou cozinueiro, eque
compre, I

Criado
Precisa se de nm criado forro ou escravo : ira
t-se das 8 as 2 horas da tarde, na ra de Madre
de Dos n. 36, prirocir andar.
Precisase de urna arm forra ou captiva : na
ra Larga do Rosario o. 3 sobrado.
S*]|OT4!fK*liUI.l.
No grande armazem e na mesma ra 1. ja de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e Rraga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, ra de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coi m tira.
VISTAS DE PERNAMLDUCO.
Tiradas na occasi5o em que S. M. o Imperador aqu esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanbando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Ra da Cruz com a pyramide.
Torre d Arsenal com a illnminaco na frente.
Passeio publico, na ebegada de S. M. o Imperador.
Kua do Collegio com a tropa.
Palco do Collegio com o palanque.
YI.MaKM A' EUROPA.
Stereoscopios de nova invencao com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
' Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., etc.
Vendem-se barato para liquidacib no grande armazem da ExposicSo de Londres na ra da Cadeia do Recife n. 60, ra da Im-
peratriz loja de Mr. Dnbarry n. 8, e na mesma ra loja de miudezas n 54.
ibiiifiiiairi
Firmino & Lins
i\ovo estabelociiucnlo de rela-
los roa Xova n. 15, Can-
dar, junte ao Sr. Gaulicr,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manhaa s S da tarde, quer chova ou
nSo.
Tambem se offererem para tirai retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunciantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanten) ao publico
que nenhum trabalho sahir de sua offici-
na,sem que nao seja perfeitamente araba
do, e a vonlade do fregoez.
xmmm mmmm mu
Os abaixo assignados avisare ao respeilavel
publico e especialmente ao corno do commercio
desta praca, que dissolveram amigavelmenie desde
o dia 2 do corrente a sociedade que tinbam sob a
firma deArminio & Saraiva, estabelecida com es
criptori i de commissSes, ficando a cargo do socio
Arminio Pessoa de Alttuqncrque o activo e passivo
c bem como sua liquida^ao. Recife H de setem-
bro ae 1865'.Ilenrique Xavier de Aranjo Saraiva
de Mello.Arminio Pessoa de Albnqnerque.
AMA.
Na ra da Unio casa n. 37, precisase de urna
ma para eosinhar e comprar.
Precisa-se de orna preta captiva para-vender
na ra : na roa larga do Rosarlo n. 35, sobrado.
i 1 ~TrT
t^t

fu JJxrzzz


Diario 4e ^eroambnco Se_a 'cir* 15 de Seiembro de 4SI*>
CASA DA F0RTfl4
Aos 6:000^000.
Bilhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUMt
O abaixoassignado vendeu nos seus muito ten
es bilbetes garantidos da lotera que se acaboc
de extrahir, a beneficio da igreja de N. S. do Ro-
sario de Mnribeca, os feguintes premios :
Dous quartos n. 1830 com a sorte de 6.000$.
Dons quartos n. 244 com a sorui de.4*.
E outras muitas sortes de 100*, 40*, 20* e
10JOO0.
R l Grande liquidado a dinheiro* I
SEM ^Em1J5MI Na loja eaHU_e_do pava. ]
Htia do 4|Eseiusado sis. 49 e _*. Ra da Impei-airiz n. ttO de Ca-.
Conllua a Vf.-!(|i-i Luda as auudezas que abano m^ ._ *ilva.
declara por precos admiraveis. 0s doDOS ,jeste estabelccimento tem resolvido h-1
Msaos de palitos usados pan denle? a I no rs. yuidar suas fazenda? por precos baraissimos, s I
Espelhos deiiH.lduias dourada. a aoo, 240 e 320.rs. com 0 (im de a|,urar dinheiro, e previnem as pes-!
soas que negociaiu em pequea escala rom fazeu- '
I das, que nesia loja e arrimen)
encuotrarao am
ue mu tu Ihes bao i
Ospo'ssuidores podem virreceber seus respec-
tos premios sem os descontos d-
da Fortuna ra de Crespo n. ti.
livos p
'SC^SSE** Pfe das- lotjru
(31) beneficio da Santa Casa de Misericordia,
que se extrahir sextafeira 15 do corrente.
PRECO.
.... 75000
. .#. 3a00
. 1900
que coniprarem de 100(5000
para cima.
... 6500
. 3*760
.... 1*700
Manobl Martins Fiuza.
Para
Bilbetes.
Meios. .
Quartos.
as pessoas
mihetes.
Meios. .
Quartos.
, Caixas com superiores agulhas a
O Sr Joao Miguel de Oliveira Beraido queira Libras de laa sortidas de bonitas cores a 7*000.
irieir-^e a ra Nova n. 60, a tratar de ntgocies | Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Boets de oliadu para meninos a 1*000.
Ditos de couru superior fazenda a r|S00.
Frascos com loptriur lima rocha a 240 rs. i ue sorlie.,lo ,,or preCOS
Meiadas de l.nna frnxa para bardado a 20 e W) r>. d0 agra_ar lani0 em i. como a .retamo, a
Caixas com 100 qnvelopes, fazenda lina a 000 rs.
Grozas de peonas deac, fajeuda snerior aiOOrs.
Grozas de boles madreperola linos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de liona do g^z a 700 r>.
Caixas com superiores obreias de cola a 10 e 80 rs.
Pecas de fila branca elstica com 9 vara? a 280 rs.
Varas de franja de la para cu le es de vesdus a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidartes a 400 rs.
Novellos de lioha com 400 jardas a 80 rs.
Liros para asseulos de roupa lavada ?. 100 rs.
Pares de boioes para punbo, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1*.
Caixas de pennas de calligraphia, fazcuda boa a
1*000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca o tapete a 1*500.
240 rs.
TIIEKOl HO .* SI AI*.
PROVIDENCIA DAS CRIANgAS.
COLURES ROYE
ELKCTBO-MAGN-TICOS,
Chamados collares anodinos de dbntico contra
as convulsoes e para facilitar a denttra das
criancas, preparados e inventados por Itoyer,
pharmaceutico dn Escola superior de Paris, suc
__Uh Um
LOJA Dfl BtiH Flr
dirig
que Ihe dizem respeito.
>_?__ __?:? _pS
O Dr Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na ra do Impera-
dor n 17, segundo andar, tendo alias seu sg
_ gabiuete de consultas medicas, logo ao m
__j entrar, no primeiro. Mj
9R O mesmo doulor, que se tem dado ao *W
9i e=tudo tanto das operarles como das mo- f
S lestias internas, presta se a qnalquer cha gg
m raado, quer para dentro quer para fora m
da cidade. 38*
mwmmmmwmmmm
Franca e Brasil.
O Sr. Marcier, alfaiate francez, precisa de bons
ofBciaes e boas costureiras : a tratar no largo oo
Corpo Santo n. 27._________________t________
Aluga-se
o sobrado o. 71 do caes de Apollo : a tratar no
segundo andar do sobrado o. 02 da ra da Crina.
Samuel Power Johnslon & Compaohia
Ruada Senzala Novan. 4.
AGENCIA DA
Fundleao de Low Moor.
Machinas a vapor ile 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moendas pata engenno.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nto O,
Arreios d<' carro para um e dous cavados.
Relogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Bodinhas com alfineies francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 2*400 e 2*800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 1*.
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de faca e garfos de cabo prelo a 3*000.
Talheres muito fino para enancas a 240 rs.
Pulseiras paVa meninas a 32o rs
Dilas e voltas para senhora a 500.
Frascos de Agua Florida wrdarteira a 1*280.
Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 3-20 rs.
Caixas com lamparillas para 3 mez.es a 40 rs
Varas de. habado do Porl) a 80 e 14' rs.
Carlas do alflnetes francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 500 rs.
Papis de agulbas, fundo dourado, a 80.________
Ferros para engommar
Vendein-se caminas conlendo o mais completo
saber :
ambraias de forro a 2000
Vendem-se prc,as de cambraia branca para for-
ro a 2* : naloja'do l'avao ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Moreunlique branco
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 2*500 o covado, pecbincha :
na loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates com mofo.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com lindissi-
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-se pelo baratissimo prego de 360 rs. o co
vado : isto s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 2U0 rs o covado.
Na loja do Pavo.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratissimo precode 200 rs., ditas
com palminhas de seda a 240 rs. : islo s para li
quidar. assim como lazinhas mocambiqies com
os mais bouitos padrSes a 240 rs. : uto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos corles de vestidos in-
dianos lendo 7 1|2 varas capa corle sendo fazenda
transparente de novosgoslos que servem at para
biiles e partidas, vendeir-se pelo baralissimo pre-
co de 3* cada um por ter-se comprado urna gran-
de porcao : na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
S fe i as para satas
Pechincha na loja do Pavo.
Vende-se a mais fina silezia de algodao fazenda
cessor de Cliertau, manbn di academia de v:e- propiias para caes e OUtruS biebioboS.
dicina, antiga casa B!tUO-LAOBA(iOE, phonwi- pena! ngCZs lie Ut'O ft ilotir.'tllas.
* olleiiis demaii'oquini, com caseaveis
,e sftiu ellfs.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca ii. 8, vcndewi-se coileirasde laairuquim, j de a'^iais d, unorsas cores,"ofciM para
pospontadase.com cascaveis, ou >em elle.1 nhra de divers,.~-.,i e mais barato de
N;t vw' i!o jHoirsui" r> i'.';.
'!' m receiiido um toftin eot> de cruzed qjti M
est usando, de diversos gusios ; s queii. lem
o heija-fior.
Tendo rcebido variad).- sorlinentos m vollas
se-
que
cettfico do mperrdor, rhefe dos Irabalhos chimi-
eos da Escola Polytechnica, director da Escola
de Pharmacia de Paris. e membro da Academia
N) novo sorlimento de penuas de ago que
a Acuia Branca acaba de receber, vieram
Impertal de Medicina. Rao Shinlilaritn, tili, ta|liue)ii oulias i!e metal dourado e blcns
lanas vezes nao tem ellas sentido a ineflicacia compra-las a dinheiro a vista : na ra d(
s remedios emprecados, laes como brmquinhos, rt.,.-.-.!. i.. ,i ,,:., nr,nn ,, u
rope de deotitao, etc., cajo duro contacto. d,.s UuCimadO luja la Agu,, branca h .
imeiros irrita as encivas e cau-a inflaiTmacao Frailas l'OIU borlas C Sd! ellas Bdl
sertimento de ferros p:\ra engommar. encrespar
babados, patos e lona a roupa d.' senhora : na ra iuieiramente nova no mercado propnas para saias
\ova ii. "24.
Vende se um negro peca, com S7 annosde
idade, crloblo, e de bonita figura, proprio para
qnalquerservico : a tratar em rra de Portas n.
135. taberna m ra do Pilar.
| 2.6 3
o. g o o
* s A i ,r"
m n u ,
-313 a
'|Jr*'|t!
cuta
tf I,
Compra-se elTectivamente ouro e praia em
onras veibas, pagaudo-se bem : na ra larga do
Bosario n. 24, loja de ourives
Silvino Guilhcrme de Barros compra e ven-
de elTectivamente escravos de ambos os sexos : a
roa do Imperador n. 79, terceiro andar.________
Onro c prata
em obras velhas : compra-se na praca
pendencia n. 22, loja de Mihetes.
Comprase ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadete do Becife,
leja de ourives no ^rco da Conceic&o.____________
Compram-se moedas brasileiras de 20*
21* : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
.loinaes para embrullio.
Compra-se na fabrica de cigarros anliga ra dos
Qoarteis de Polica n 21, a IVOrs. a libra.________
lioiiipra-se carosso (sement) de altodo: no
armazem de algodo de Sauuders Brjtbers & C,
no caes de Apollo._______________________________
Compram-se moedas de ouro brasileiras de
3*. 105, 163 c 20*. com 6 por rento de premio, e
tambem pecas poriuguezas de 9* e 16* com o
por cento ; ua praca do Corpo Santo n. 4, primeiro
andar.__________________________
Comprase
um cachorro que seja grande, para nm sitio, e por
isso quer-se que seja valente : a tratar na ra Di-
reita n. 10.______________________________
Comprase urna escrava sadia e sera acha-
ques : quem a tiver dirija-se a na Formosa n. 29
para tratar. _____
Oncas hespanholas e da patria : compram-se
na praca da Independencia n. 22. ____________
Compia-se ou aluga-e dous escravos :
no armazem n 12 ra do Apollo.
tsr Compra-se
urna negrinha com idade de 10 auno; poucj mais
ou meaos : quem tiver dirija-se a ra Direita n.
36, loja de euipalhador.___________________
>ram~se
moedas de ouro de o*, 10*, 9*, 16* e 20* com
6 por cento de premio : ua ra da Madre de Dos
n. 24.
Comp
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
perior ao madapolao francez e vndese pelo bara-
to preco de 440 rs.a vara ou a 400 rs. sendo em
peca com cincoenta e tantas varas, islo grande
pecbincha : na loja do Pavo ra da Imperatriz n,
60, de Gama Silva.
Lencos de seda a\$
Vendem-se superiores lencos de seda para ho-
uiens e senhoras a 1* : na loja do Pavo na ra
da Imperatriz. n. 60, de Gama & Silva.
Lencos broncos a 2$.
Vendem-se duzias de llneos brancos linos a 2*,
diios flnissimos a imitaco de linho com duas bar-
de/ronte da ra Chapn, em 'urts.
A hygiene a saiide.
A sade a vida.
S M1S.
Quanlas criancas nao vemos cada dia snccum-
bir s dores da priiueira denlico I ? Quanlas an-
clas e quantos tormentos para as tristes mais, que
vem se arrebatar, depois de tantos cuidados, de
lanas vigas, o objeclo querido de sua ternura I'
Qua
do
charope
primeiros irrita as gengi
as membranas mucosas, e cuja acc,ao nulla fazia
desesperaco s mais? Achar um meio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliviar os soffrimen-
tos e prevenir as convulsoes, como tambem todos
os accidentes que resultam da primeira denlico,
tal o filo que Ovemos enJ*vista alcancar. Ha
muitos seculos que se puubam no pescoco da^
criancas collares de mbar amarello para preser-
va-las e cura-las de convulsoes, tmpregava-se pois
desde muito lempo a electricidad medica sem sa
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi
dente que este effeito saudavel repousa sobre a ac-
f.o da elwtricidade, que sola o mbar esfregado
pelos movimentos do corpo da criauca. Usa in-
fluencia constante do fluido elctrico, por iraca
mu bem acabados, e dor essas bas e ne-
cessarias qualidadL'S osiseus acredilados fa-
brcantes Perry cv (;., asreconiinendam aos
entendedores apreciadores do bom, valen-
do mesmo a diHerenca que lia no prec de
urnas para outras, por que estas se tornara
mais durareis na coniinuacSo de escrever ;
assim pois quem dellas se quizer ulilisar
do
ijas com borlas c sen enas para
c.ortinaflos,
A Aguia Branca receben um bello, sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas \
para cortinados", lodas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do prego est
em lelaco a largura: acham-se ellas a ven-;
daa na do Qneimado loja da .Aguia lira ri-
ca n. 8.
Jogo da laciencia ou curioso culi clcui-
nicitto.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
do qoaiquer oii'i:: parle.
Palas e grfo .
Wnd -se garfsd l : 11 aneo de
um kniaoa 3*z00 a duzla, dil s de dous t->:l?a a
l>*300. dita para dor a < de. cab'o-preto
a 3*200, ditas de cabo i lauro, mlicu e ira vado a
T'-iu recebido varia:! s sorliiiiento de ii;laios
para meninos de esrul di forma fle peiinos,
patlnbus e outras de diversa pdsto, qo s com a
v.-ia bem se pode api.ciar, ; i.n.bem serve para
0 kilao do hospital portoguez : li'S para Indar de
diversas cores a 7* a libra : s no beja-fl...-.
Kcovas pura roupa.
Vende.sc escovas para runpa roni'o lina-, com
i'.iIT-ii-iiit.-s gustos a 640 e i*, dilas pera dinles a
120,24o, 320e500rs.
Papel e envelopes.
Vi'u l--se paulado papel e caixmhas a 680 r:-.,
lulo de lr a 700 rs., e enmvelopat a 60:-. ;. a>
linlia.
Si\\ PABRiLll DE AYET
Transcreveuos aqu algons
.---./ dos muitos atteslados que temos
., rcebido das virtudes da salsa
,'xiparrilliu do Dr. Ayer.
que fosie,"prodaia Vffeitos"curativos proporciona- ca n. 8, acham-se a venda por precos la-
dos quanlia d'eleclncidade engendrada desie mo- zoaveis, caixinhas com taliolas de rnadeira, I
do. Esta propriedade elctrica de mbar a que que das diversas pinturas dolas se formara
nos lemos tido a feliz idea de applicar a fabrica- ^ naisaffens, segundo os
cao dos ollares de denlico, augmentando a inleu-; a0i-iid\tis visi^ c l""'*^ u' "r,,a(lo
sidade dos effeiios elctricos do mbar por meio desenhos que acompanuasn. Naveidade e
de fios conductores que distribuem as correles; esse ura deleitavel en reten intento como
d'um modo suave e continu. Mr. Boyer o in- qa| se dcSpe ta a curj0sidade. e apura a in-
ventor de duas especies de collares : Io dos eolia- ,0i|lir_n(, n. nroftadnrA diriinm- :'i
res anodinos de mbar eleciro-rcagnecos *i. lellwencia.

BlhciciuaCtsui.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Otuo Prelo.
res auouinos oe amnar eieciiu-iiid(sucm.us, ^ f
collares compostos de dillerentes melaes com cor-. ra do (JueimadO, a dlla loja a Agina i.ran-
renie voltaica. Pariindo deste principio de physl- ca n. 8, que seao satisfeilos.
ca bem conhecido, que a intensidade d'uma cor- l___it__.aM_ail.ua nnni MnhAMft
rente galvnica est em razo direiia da superficie "OnUOS euiCIltsy t 8 Ntl H.
dos elementos que compoem a pilla, os collares, A Aguia Branca acaba de receber u n no-
Boyer, chamados anodinos electromagnticos de- yo e lindo SOl'limen o de enteites OS mais
signados e graduados por oito nmeros differentes, moder_os e costos inleirarnente agradaveis,
possuem as mesmas propriedades eleciricas, com iniivsv.,i istrune os est ven-
esta s differenca que o effeito curativo esta sabor- como e seu uwei losiunie oh c"- "
dinado ao lamanho dos elementos ciue os com- dendo baratamenle a quem com dinliCliO se
loja da Aguia
r^
dinado ao lamanho dos elementos que os com- aenao oaratamenie a quem
poem, e por cousequencia quanlidade limidada dirigir ra do (Jueiiuado
ilVIni'lrinidifl.i .ni., ofiiiiinilrilfl iVnll.i" Se SeUQO n-._._ O
d'electricidade que engendrara, d'onde se segu
que quanta maior superficie apresentam as perolas
ou elementos, tanta maiirquaotia de fluido elc-
trico desprender-se-ba; e por isso que nos acn i
selhamos de preferencia os nmeros fortes. AffQa Branca n 8
Estes collares, pela sua disposico flexiveis e 8 -f
portatels, podem-se por constantemente no peseoco >.
das criancas. Urna rede elctrica cobre sem ees-
Branca n. 8.
Meias de laa para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Na loia da Aguia Branca acba-se a venda
as
Vendem-se os mais superiores esparlilhos com as perolas de dous melaes difireme, *- "T
as competentes tilas para apenar pelos baralissi- des por fios conductores que formara assim pe- Aguid B anca n
mos nreeos de 45. 5 e 64 uor ter checado urna quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta-1 ... .
8.
mos procos de 4*, 5 e6* por ter chegado urna quenas mas volta.cas d'uma lorma eiepame po.,^ ,... hpinilllpdos P PlUrelCumiCIlto
grande porcao para a loja do Pavo: ra da Im- til e flexivel. empregados com feliz smcesso contra I
perairiz n. 60, de Cama & Silva. as convulsoes, os lorlicolis, tosse nervosa, losse
'umlu-iias iIp alni-flS a l convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
MIDDIdld. ue bdipii>os a oq- e empregam-se indistinclaraeute nos mesmos ca-
Vendem-se superiores cambraias francezas com sos
salpicos brancos e de cores tendo 8 1[2 varas cada. DA PR1ME,BA DENTigXo
peca pelo barato prego de 3*, duas escopetas com E dn ...,, :ade dos coiares noyer electro-magneli-
.-alpiquinhos mmdinhos toda branca a 4* : na lo-; ,. a ^ac__ara erupcao dos dentes doleile.
; ja rio Pavo na ra da Imperatriz n. 60, de (jama t ^^^ pa|avras expbcarei o que succede
& Silva. primeira denlico, fazendo algumas observagoes
4ueserviro,de guia s mis de familias, qae pela
sua
da nltarate. Hua' ".....""" "....."'"*"
A mor pane dos desarranjos que scdjrevem
sade das criangas tem por causa o irabalho da
primeira dentigo Quaodo o dente faz esforco
para sabir, declarase calor as gengivas, a saliva-
Tartalana branca a 640 rs.
Vende-se tarlalaaa branca muito lina a 640 rs. a
vara, dilas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
ta.-. de salpico a 1*. dita lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na ruada imperatriz n. 60, de Ga-
ma 0 bramante do l'avao.
para enancas.
A.Aguia Branca na ra "do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquemos para crian-
Cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelbos dj metal, louca pinta-
da e porcelana dourada paia almoct e jan-
tar e muitos oulros brinquedos de rnadeira,
que se vendem baratamente : na ra do
tenra alTeico exagerara a m!i^sJ^sn i Queimad i, loja da Aguia Branca n 8.
SS.a qual em deDmt,va" P ? feto pretas de seda para seih.r.s i
Vende-se superior bramante de linho do melhor ao volla-se mais abuudanle, o somno agitado,
500 res o par.
A Aguia Branca quer acabar cora a por-
cao de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muilo maior pretu que liie cns-
Pharmaceulico de 1* cfiie, ex-
interno dos hospilaes, premiado
com a mtdalha de bronze.
N .
Algodo Para saceos t roupa de escravos
da fabrica de Ferno Velho, e de muilo superior
qualidade : vende-se no escriptorio de Manuel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Sanio
numero 19.
Vende-se um bom cavaiio d< cabriole!, bjui-
to em co- e lamanho : na ra nova de Santa Bita,
ribeira do peixe, armazem n. 19. __________
lieralriz n. 60, de Gama ic Silva.
Percales lisas do l'avao.
Veudem-se as mais lindas percales de urna s
cor a 400 rs. o covado: na loja do Pavo na ra
i da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
! vicias para meninas a 2,5Ult
Vendem se meias para menina* de lodos os ta-
manhos a 2*500 rs. a duzia, ditas de seda prela
Jeicdes o irabalho da deniicao, niCas pretas de algodo, ag> ta pois r.pro
lamo durar, por a maisexlr'" i veitarem a qmdn e dirigirem- c ra do
Soffri rlieumatismo por mul-
las vezes, c vendo annnnciado
em um jornal d'psta cidade a
Salm parrilha de Dr. Ayer, re-
sol vi-mc a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; carnes de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
'. dr nos joelhos; a parte do corpo que es-
lava affectada d'esse terrivel encomraodo
que roubou-me lautas noiles de somuo.
li'tfiVes, lutri. irr-af* pustnls,
leers, c t da pellc.
DO Sil. JOAO PAILA DE ABRKi; E S0CJ,_.
Ruado S. Pedro.Rinde Ja aro.
' Snffria a i:.:.:, di dous annus .. l
erupeo sypbilitrca em todo o corpo, moss
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muilos mdicos, e_3Slava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer : comceei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erup0o aggrav u-se,
porm antes de acabar o segundo fras n :.-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Hkrueiia, proi i s-
SOlt DE MEDICINA Y CIIUKJIA, Sl'BDELEG/JDO
EM A.MI1AS AS KACll.TADES DEL SESTO IHS-
tricto.Habana-.
Certifico que he usado la zarza parril-
la del Dr. Ayei, y como depurativo be ob-
tenido de ella li s mas felices resollad en
es casos de ulcera crnica, asi mismo au-
jor y las considero como um portarte cuya
accin ademas de ser segura, ha sido moj
eficaz en el trajnenlo de las enfermidades
que exsit;eu el uso de ios porgantes, j oo
' vacilo en recomendar esias preparaci oes.
Y para los lines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
1860.
Dr. ios V. '' i'.eba.
IJscr[hul.
ATTKSTADO DO II.IM. SRj FRANL.: PERIAZ
nos santos. Ouro Prelo.
Me acbo ha qnasi done anuos aheOadf
de escrfulas, e lendo soffrido tanto q.e a-
gornas \p-/.?$ quasi qne diego a destramar
eoco na sadu da crianca ; e; ..:">_n c Tan
os ltimos syroptomas que ac-1 Queimado, loja da Aguia Branca n b. im
car-se cum outi
necessario, e
ma e continua^
desde que se n. u? uunmu ,-jui|,iu.i.< i. | .
bamos de indio;, ser urgente consultar ura me- bem vender as brancas a lo 0 par, e ues-
dico. i i tas o nico defeilo c cstarem um pouco tri
Estes collares vendem-se na loja do Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7. ______
s- dade de minha molestia, eslava sorfi espe-
"i-1 rangas de recobrara minba sauds#qnandc
goeiras,
Baixo
Vende se um baixo por 23* : na ra da trape- .
ratriz n. 23.________________________________
Atteucao.
Vende-se carne e liniiuicas do -erid a 400 rs.
a libra : no pateo do Carmo, esquina da ra de
Hortas armazem n. 2.___________________
Veude-se urna bonila escrava cem urna Ira
da cria de 11 inezes, um negro para silio por
300* : na travessa do Carmo n. i,
Sal c palha de carnauba.
No caes do Bamos, a bordo do palhabote Str^i-
pano ; a tratar com o mestre^__________________
Vedem-leas seis casas terreas seguintes,
reparadas ha pouco : os pretendentes podem ir
ve las, para o que esto prevenidos os inquilinos, e
dirigirse ao segundo andar da casa n. 42 da ra
do Imperador, das 9 as II horas da manba, para
o ajusle, ou entenda-se cora o corretor Enzebio, a
saber :
Numero 7 iravc-sa do Livramenio.
1 ra de Santa Th^rcza.
89 rna de lionas.
21 ra do Nogueira.
148 largo das 'inco Puntas.
3 iravessa ou ra do Dique.
No fundo da casa u. 1 iN.
Desde muito lempo o publico
abandonou o uso das prepnracoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha compostos, etc.
Cuja accao, maior parle das vetes
| nulla, e if algunas casos perigosa.
Os O.ONFEITOS DEPUATIOS TEMO ASPECTO
E O COSTO AGBADAVEIS I CONT -IB OM|
PEQUEO VOLUKE SUBSTAKCIAS CTI-j
VAS QBE O SEO MODO DE IHUI'i A
INAI.TEI1AVEIS.
O sitcicMi que eates *' >
fidlo!, obllvemo em Fr :
t sob o patrocinio das principa es
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quaulo lem existido alh
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhum oulro remedio in
lento, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geial
todas as molestias produzidas
pela alleracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre oblido.
Urna explicafao accompanha cada
vidro.
Deseonfiar-*e, das alcificacoeset mi-
tacoes.
Para ai eiicomeiida* dirigir-te aot
Sn,et. boissom *T c', 18, B'Prince
Eugine, Part.
3*300, 43,
mais qnli-
ti_tarW.aaw_rs^ das pechiiiclias
da ^XrZl^^ \ no armazem da Arara.
Vendem-se neos cortinados para camas pelo ba- O proprielariu da grande luja c nmeiB d*
ralo preco de 11* o par. Unos bordados muito ri- Arara te.n resolvido vender suas fends por
eos a 24*, 0-} : na kija do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de par* Pr isso venbam ver a fazenda, e se admi-
Gama Silva. W dos Pre^os- saher
Tiras bordadas e entremeios. Corles de cambraia com barras.
Vendem-se nissimas Illas bordadas e entre-, Vendem-se bonitos corles de cambra^ branco
meios por preco baralissimo, na loja do Pavo ra com barras de diferentes, cores pelo baratiss.mo
la Imperatriz n 60, d Gama & Silva. preco de o ca ta corle.
Chales a 30500 Cambalas [.raucas.
Vendem-se chales de merino liso, tendo de lodas Vende-se cambraia branca a 3*,
as cores e pretos, pelo baratissimo preco de 3*300, 4*oOO, o* e 0* a peca, e de. ouiras
' por haver grande porcao : na loja do Pavo, ra dades : na ra da Imperatriz n. 3o.
da Imperatriz n. 60, de Gama ,_ Silva. Brelauha de rolo.
Os lialcs do Pavo a 2^500, 3# e 3$b00 Vende-se brelanha de rolo com 10 varas a
Vejidem-se os melhores baldes de arcos ameri-; 2*800, est st acabando esta pechincha : so na
canos, sendo com 20 arcos a 2*500, ditos com 25 loja da Arara, de Mendes Guimaraes.
I arcos a 3*, ditos cora 30 arcos a 3*500, ditos para Lazinhas.
' meninas de todos os tamanhos a 2;500 e 3*, su- Vendem-se as mais modernas lazinhas cluga-
; permres baldes de bramante e murcelina com das pelo ultimo vapor, lendo padres muito b >ni-
cauda, *endo bastante grandes a 5*, islo na loja j tos se vende pelo baralissimo preco de 240 rs. o
do Pavo, ra da Imperatriz n. 66, de Gama & covado, fazenda que em outra parte se vende a
Silva. 400 rs.: na loja e armazem da Arara n. 56.
As eainisinkas do Pava*. Chitas.
MetHkm-se as mais modernas camisinhas borda-! Vende-se grande porcao rt<* chitas sendo escuras
1 das com manguitos, para senhoras, sendo as mais e claras por baratos precos a 240, 200, Ko
, nwdernas que lem vindo ao mercado a 4*500, di- rs. o covado, ditas percalas boas a 300 e 400
i las cora manguitos, para acabar, a 1* ; dilas pre- covado, mudas mais de outrus precos.
i tas cora manguitos para lulo a 1*800 rs., mangul- Chales de mermo.
! los e goiinhas preas a I*, finissimas golinhas de; Desla fazenda ha um grande sorlimcBto de cba-
i cambiara branca bordada a 500 rs., calciohas para ; les de raeriii eslampados cores muilo delicadas,
i menina a 640 rs., romeiras de lil e cambraia e est se vendendo pelo barato preco de 2* cada
' branca bordada a 1*600 : na loj* do Pavo, ra um, islo para acabar.
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corles de percales.
Ricos corles de percale com barra, tendo o com-
Colchas de fuslao.
Vendem-se colchas de fusio de lodas as cores
a 5*, ditas de damasco a 4*, ditas de chita a
; ptenle casaveque a 8*, ditos de la a Mara Pia a 2*240 e i*900cada urna : s Lourenco Pereira
16*, ditos de cambraia transparente tom barra Menes Guimares.
I bordada a la a 2* ; isto se vende na loja do Pa- Madapolao.
' vo, ra da imperatriz n, 60, de Gama Silva. Vende-se madapolao a 4*500, 5*, 6*500, 7*,
nl< 17*500 e 8* a peca, entestado se vende com 12
Paletots pieles a t>0 Jardas a :iiy &^w e 4*500: na ra da Impera-
Vendera-se supeiiores paletots saceos de panno ,rjz n Sgi Mendes Guimares.
j prem, boa fazenda, a 6* : ditos sobre-casacns a i Sontembarques.
12* superiores calcas dei casimira de w7Jej 50Utembarque a S, 6* e 7*. ditos
8*, ditas pretas a 6|, 7* i S* P>ef de pretos de grosdenaples a 18*, 19* e 20*. e capas
casimira a 3* e 6*, ditos de casimira a lu, caicas \ v___mn __,
de meia casimira a 4* e 4*500, ditas de brira
i branco de linho e de cores, coletes de lodas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
itival sem segundo
Itu do Queimado ns. 49 e oii, oja de
niiudczas de lies portas, est _oci-
uianilo ludo liom ebaial', quero ui-
_r ver e admirar veiiliam !ojn do
Bi^odiuSio.
Caixas de papel amlzade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de boles de louca praleados fazenda mo-
derna a 100 rs.
Duzias i. peina de ac fazenda boa a 40 rs._
Pecas de tranca de laa lisas e de todas cures a
40 rs.
Escovas finissimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pe^as de fila de cs estrt-itas com 10 varas a
320 rs.
Caias com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior lima a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito finos para vullarele a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muilo lino a 200 rs.
Frascos e garralinhas com agua de Cotema a
400 rs.
e 320; Frascos grandes com superior agua de Colonia a
rs. o I 640 rs.
1 Caixas cora 12 frascos de cheiros muito Dnos a
1*400.
Saboneles pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duza de saboneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 81X1 rs.
Frascos de superiores essencias sanlal e outros a
1*200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 300 rs.
Frascos com cheiros de lodos os precos a 100, 200.
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Du?ia de meias -muilo finas para senhera
XAROPE
aelABELONYE
!3_P~0 VILL R I
Com loja ra do Crespo n. 17. jj|
Uecebeu d P.iris sedas em cortes mui gg
lo superiore-i e bellissimus pidroes, e
chales de renda pretos pira |i>*. jgj
Kste importante e.-tibelecimenlo torna- im
se recommendavel ao b lio sexo pela va- 1
riedade de azeudas superiores e bellos M
Sgostos
Proteja o bello s^\o ao Villar I
e vero todos a prosperidade.
m_iMaaiui*
preco muito era conta, s com o fim de apurar di-
nheiro : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60,
de. Gama & Silva.
Fazemlas brancas na loja do Patio
Vende-se um grande soriimenio de madapoloes, j raes
chitas, algodozinhos das melhores marcas, ga-
Empregado com hmriMcl uccesso desde 30 anaoi raniindo-se vender mais barato do que em ouira
pelos Mdicos de todos os palies contra as molestias qUa|,,UPr parte, sendo a dinheiro a vista, na loia do
orgnicas ou oto orgnicas do eoracie, as diversa b,- j Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
dropisias e a maior parte das molestias do jeito e dos >
bronchios{pneumaniat, eatarrhotpulmoMret,aithmu, n\ec phalps nri'llK lie I*_l4l
inlUmtMcounertoatdoibronchioi,catarrheirat,ete...) HICOS tUdir pretOS UC ICUua.
O iarope de_ABELONVB no so ende sent em Chegou pelo ultimo v.por francez um grande e
arralas com rotulas de cor e fechadas com urna chapa vara_0 sorlimeuto dos mais ricos chales pretos de
levando a firma de ventor. renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
bu pars, ma Bo_r_-viiie_e_ve, x. e|lgs muUos de ponla re_unda a imitaco de man-
Venem-se DO Recife em casa de Caors & teleles e muitos com o centro de cor, e venderse
D.Z..7in3ft Ha r Rrarn P por precos muito em conta por terem sido manda-
Barboza & Joao da avo u_______ jos Kr Je conU propria pelos donos da |0ja d0 pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
o mesmo prego
Cambraias de cres.
Ven1em-se cambraias de cores sendo
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casciniras.
Vende-se casemira com listas a 2*500 e 2*800
o covado, e mescladas a 3* : s Vendes Gniraa-
Gnas
TABERNA.
Vende-se a la.berna da ra de Fogo n. 32, pro-
pria para qualque." principiante por ter pencos
fundos : a tratar na raesma.
lilil superior
Vende-se no trapiche do' baro do Livramento
no Forte do Mallos.
Bornoals de renda na loja do pavo.
Chcgaram os mais ricos bornonts de renda e se
vendem por baratlssimos precos : na loja e arma-
zem do pavo, ra da Imperalrii D. 60, de Gama
_ Silva.
Bichas de
amburgo m
Europa se recebe I
_IK iodos os paquetes da
S destas amigas do sangue humano e se SK
S vendem a troco de pouco lucro s afim t
XH de ler sempre cousa nova : a loja de bar- SR
_C beiro ra eslreita do Rosario n. 3, ao p ^
_fe da igreja.
nnHiiiim
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodo : na ra da Senala ova n. 42.
Golliohas milito finas para senhora a 200 rs.
Caixas rom soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de fila dn laa para debrnm de vestido, com
40 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Buutos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosns de boies pequeos pretos para calca a
100 rs.
varas de rordiio de esparlilho a 20 rs. /
Novellis fr-ucezes com 20: jardas a 40 rs.
Pecas de liras bordadas a 640.
Duzias de meias urnas muito fortes e superiores a
3*809. ^^_______
da vida e maldizcr ila minlia infeliz sorte;
tenlio sitio tratado por muitdS medir os ('es-
ta cidade, o. nenluun pode vencer ^teuaci-
mic
ltimamente resolv fazer uso da 38fc_ par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se lioje
tiinta c sete dias que comecei com este
santo remedio, e tantas mellaras tenho
sentido que teulio conviccao de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
lempo.
yphilis e uioleslas uietTiirlaes.
Do Ii.lm. Sr. Db. Jackso!'.
Medico muito conhecido as provinc'nn do
sul do Ui asil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais iuveu _dos de
Sypkilis constitucional e sem|ire com o
mais felizesresultados; o mellio. alteran-
te que conlieco.
i.eiii'oi'iiica c flores brancas.
Temos cartas em que nos coiram caso;
inveterados que foram radicalmente corados
com um ou dous fiascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permute transcrever
lodosos aitestados que possuimos Jas vir-
tudes d'este extracto composto Ge Salsa
parrilha do Dr. Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem "sido empregado ha mais
de vinte annos pela protissao med ,a tanto
das Americas como da Europa, s&ji nunca
desmentir a sua alta reputarlo.
Para a cura radical de escrfulas e iffeccoes
escrofulos, sypbilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erupces cutneas e lodo e
qualquer incomitodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOUEH A
WAI.MA P.tRlUMIA DE AYER.
A' venda na ra Direita, ns. 1_ 2C e 76;
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consfi-
tuicn, n. 30 e Hospicio, ti. 40. Ena--
principaes pharmacias c drogaras do im-
perio.
P, MAURER & C,
Ku:i Xova a. 18.
ALMANAK
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azeedo &
C, 00 seu escrlptorio ra da Cruz n. 1.
?
avaHado.
Francez barrica 5000
Portland idera 8500
Em perfeito estado: ^^
Francez barrica 105000
Portland dem 12000
No armazem de Tasso Irraaos caes do|Apollo. _
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
'.xa para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
o C, no seu escriptorio roa da Croz n. I.
t*m
do
Luso-Brasileiro
PARA 1806.
POR CASTILIIO.
Vende-se na livraria econmica junto ao arco
Je Santo Antonio,
TERRENOS A' VENDA.
Vende-se nm terreno proprio pira ediflcaeao,
collocado no centro da cidade, com 68 palmos, de
ireulee -18 de fundo, tendo tres frentes, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para >""
macoes, na rna do Sol n. 37.___________________
Vendem-se algnns quartos magros, ma3 to-
vos, bons para engordaren), por preco commodl :)
ijaem pretender, dirjase para ver e tratar na ru-
da Florentina u. 12.
;
^rrr
rr-

~rr


^il
Diarlo de Pernambnco Sexta lelra la de eicmbro de 18S.
Chegou a este etablecimento ara grande sortlnaenlo de cortinados
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito tinos para 1&, i: e 30,5.
Colia- de seda superiores de diversas cores para caims de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondas de guip enfeiudos com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bmitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantiijue branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qmlidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
aa preU para lutos.
Milas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de i.3 a 11|.
Brins de linho de cores Unos a 15800 a vara.
Chapos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para hornera, chpeos de sol de seda, esqua.) de linbo, carabraia de linho, breta-
ntias, silesias e muitas ontras fazendas que se vendem por coramodos precos assim
tambem
Esteiras da India para forrar salas
DTIABTE ALMEIDA,
DE
J. VIGNES.
\. 55. RIl DO inPERlDOR V.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss couhecidos para que seja necessario ins stir sobre a
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
tanto deste armazem como do armazem progressivo pa-
sm superioridade, vantngense garantas queofTerecera aos compradores, qnalidades estas incontesU-'foa rln n.irniO TI Q lYTlTlPinql lrm'i7Pm tiio ^a Tmnnnn i
veis que elies lera delinltivaraente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos! tuw uu V-^lUiU U. O, Ll 1LLW]J(U di lllilZtJlll IUil (10 impera-
suindo um teclado e machinismo que obedecera todas as vontades e caprichos das pianistas, sem A(\r> r\ A()
nunca falhar, por serera fabricados de proposito, e ter-se feit) ltimamente melhoramentos importan- u"1 Ut *"
lima deste paiz ; quanto s votes, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito agrada-' r, -.,,,.
dos apreciadores. Fazem seteate ao respeilavel publico, e com especialidade aos senbores de en-
nfotra" as encommondas, tanto nesta abrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio genhos, lavradores e mais pessoas do ceotro, que paramis facilitar suas compras deli-
e J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicSes. i beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir- todos os seus estahelpri- i
tabelecimento se achara sempre um explenlido o vanado sortimento de msicas dos mnntAa om m oA ,nnnmrt i ,} V c""' 'cuuii-iouu> os beu e&ianeieu-
No raesmo e
melhores autores da Europa, assim
precos commodos e razoaveis.
como harmnicos e pianos harmoniros, sendo ludo vendido por
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de ura ser de todos, promette-
naos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geaeros
C0\SILTO!UO MEDISO-CRURGId
DO
PEDHO^DEATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIBtO E OPEillOOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundio 3
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
, mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
, ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
gero tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que Bzer sna despenca em oossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos osdias das 7 s 111 lvmA.MI J_ fallar 4
horas da manho, edas 6 e meia s 8 horas da nnite, excepeo dos dias santificados. Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
Pharmacia especial homeopathica t fif ,V2%tZK rs'a""
No mesmo co :sultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras Manteiga franceza da safra nova a 86o rs.
tobos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precos seguintes. a libra e em barril ter abatimento.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12^000 BAXIIA
Banha refinada superior
barril ter abatimento.
114
a 64o rs. e em

.
de 24 tubos g. andes. 180000
de 36 tubos grandes. 215000
i de 48 tudos grandes. 305000
i de 60 tubos gran les. 35#000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios de a 2,8oo rs.
que se pedir. dem hvssen
Um tubo atulso ou frasco de tintura de meia onc3 15000.
Sendo para cima de 12 cuslarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IIVBCOS.
A melhor odrada homeopaihia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jaftr
iis grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 105000
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 65O0O
Oicciooari i Os remedios deste estbele :imento sito por demais conhecidos e dispensam por i
da seroso novamente recouMneodados as pessoas que qui/.erem usar de remediosJnif.i0i'fi0i"o:JI!'pr!:!s..Para dar a
verdaJeiros, eoergicis e doradores: ba tudo do melhor que se pode desejar, globos de '
v-"! i leiro assucar Je leite, notaveis pela sui boa con^ervaco, tintura des mais acredi-
ta lis estabeleeimaotos europeos, a mais exacta e acurada preparago, e portante a maior
energa certeza em seus effeitos.
Casa de saudj, para escravos.
Rcebe-SQ escravos pira tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
;1 p ra Q qne o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O Iratimento c o meilnr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e.
fu ccionando a casa lia miis de quatro annos, ha muitas pessois de cujo conceito se nao
pode duvidar, qto podem ser consultados por aquellas que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25 pr da durante 60 dias e d'ahi em diante 1 -5300.
Asoperac5es ser) previamente ajustadas, senose quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costotna pedirr o annunc:ante.
Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a duzia e a 7oors.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria c Alcope a 5,ooo rs. a du-
zia e a 5oo rs. a garrafa.
Vinagre
Superior vinagre de Lisboa a 2,ooo rs. a
caada e 280 rs. a garrafa. Tambem ha
zeite
doce
Cha uxim de primeira e superior qualida-'mais baixo para 2oo rs. a garrafa e l,4oors.
| a caada,
o melhor neste genero a!
2,6oo rs., e sendo em porco ter abatimen-!
to, tambem ha proprio para negocio de 2 a I Superior azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
2,4oo rs. a libra. garrafa e a 4,6oo rs. a caada,
dem preto superior de l,8oo a 2,3oo rs. I Massas
a ,il}ra- f Macarrao e talaerim a 360 rs. a libra e a
Biscoutos 15,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di-! Passas
versas marcas a t,2oo rs a lata. Superiores passas a l,5oo o quarto e
Bnl.it-hinlsas 5,5oo a caixa de arroba hespanhola e a 32o
Latas com bolachinhis da acreditada fa- rs. a libra.
AZEVEDO & FLORES
Ra da Cadeia ,j0 RePjfej esqoina da Madre de Dos.
K UOiS
Os ricos baloes de arcos com muita roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 105.
dem idem cora 16 asteas 125.
Chitas.
Chitas largas soffnvei- a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha nm completo sortimento de camisas franelas de 15800 at 55 das seraio-
tes vanadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos defusto e de cores
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branea.
Lindos e superiores corles de cambraia com barra a 45.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Calcas de brim pardo superior a 26500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qnalidades,
Mantas para pesclo.
Ricas mantas para pescoco de homem de finissima seda e de ricos padroes aae
s o Balao tem. F H
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Fins6imos paletos de alpaka branca a 55,
COLIiETES.
Golletes de casemira a 43 e 55.
dem brancos a 25500 e 35-
Saceos para viagem.
Saceos para viagem a 55 e maicres a 65.
A OEM NOS LE
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
faaendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup e sempre ser as memas fa-
zenda.
Oatros objectos.
a lata,
bolaehinha de
os no ultimo
i do vapor pas-
GBEGARAM A LOJA
No ultmo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem vindo a Prnambuco de melhor
em seda.
Assim como mais algamas fazendas de bora gosto para vestido.
doentes de 2,ooo a 3,ooo i
dem com quatro libra;
soda a 2,ooo rs a lata.
Queijo
Queijos flamengos che
vapor a 2,5oors., lambem
sado a 2,3oo rs.
CHOCOLATE
Chocolate hespanhol a l,ooo e l,2oo rs.
a libra, francez e suisso a 1,ooo rs. a libra
e portugtfez a 800 rs. a libra, em porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,
Duque do Porto, Velho Secco, Lagrimas do
Douro, Mara Pia, D. Luiz, Pedro V, Lagri-
mas Doces e outras marcas a l.ooo a gjrra-
fa e 9,ooo a 12 ooo rs. a duzia.
Io,5oo a
a 6,ooo
Genebra de laranja verdadeira a
duzia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollante verdadeira a 6^000
rs. afiasqueira e a 56o rs. o frasco.
Idom de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra del
Hollanda a 8,000 rs. o garr..fao. Tambem j
, i TraDfa de seda com vidrillios. moldes no-
Vmdes tambem para a antiga loja de vos e mui bonitos
122 S? a com vidnlhos e pendentes e outros de di-
Meias de seda, correspOHdente do lama- versas cores
DhOn Outrasmu finas do fio da Escossia e dos tamanhos.
ltrada8< toneles de dous vidros com aro de ac, bfalo
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2oo a|
6,000 rs. cada um.
VELAS
Vetos de spermacete a 600 rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs
arroba e de 36o a iio rs. a libra.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartiruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
gosto

RITA 00 CRESPO N. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES HE SE4
dro?-
OlipRaram pelo paquete inglez. riqois*imo> cortes de raoreaotirjue de cores, e seda lavrada
inteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Ciregorlo Paes- do Aumral & Companhla.
PEIXE
Peixe em latas ja preparado de 1 ,ooo a
l,2oors. a lata
ALPISTA E PAINCO
Vinho F.gueira e Lisboa das melhores k fT iT\T\, oioJ* 3'8oo,a
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.ooo,! i00 re> a ^rrob, e de '4o e 160 rs- a li"
3,5ooei.ooors. a caada. 1 rn\Ri-Tnc
Superior vinho chamisso em barril a 64o' rhnlv fiAO j-, fu-
rs. a garrafa e a 4,5oo rs. a caada. locCharut0S dos raa,s. acreditados fabrican-
Superior vinho de Lisboa e Figueira emSJ: 'T-^i J)a, FuJlado d.a Se?s
anceretas de 8 e 9 caadas a 2i,ooo rs. a an- ST' Pe'xoto da Sl va Nflt0' Cas ann0 *
crela jl'ilbo e Brandao e de outros minios, os
Superior vinho branco proprio para mis- TTlT? ^? Prece ,-Go0'
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-!2' 2'8o' 3'5oo> *?! ^ a C"Xa"
. xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a! ., f1*11."
3 5ooacanada ; L,cores francezes e portogaezes a l.ooo e
' Caixas com ma duzia de garrafas de su-: '4o r8" a ^arrafa ou frasco-
perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
^ 7oors. agarrafa.
CAF
Caf do Rio de 4.a e 2,a qualidade de
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 28o
rs. a libra.
*%I*40
SU
pa-
Doees
Doce da casca da goiaba e caixoes pe-
jqueoos a 7oo rs. e de 5o caixoes para cima
a 64o rs. o caixao.
Frats
Frutas em calda e em latas fechadas her-
mticamente, muito bem enfeitadas, conlen-
do pera.pecego, ameixa rainha Claudia, al
Sabo mata de primeira qualidade de 18o perche e outras frutas a 7oo is. a lata,
a 22o rs. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tamb?m ha latas grandes para l,2oo rs. a
em caixao. lata.
Farinha de mandioca.
T-'m para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze
vedo A (l, nn seu es^riptorio na da Onz n. 1.
Colares Rover ou colares ano-
dinos
pan facilitara deoti^aa dis rrianess e preserva-
la* das convnlsoes.
O feliz resultado obtido immenas vezes pela
prodigiosa forca mapnetia io* colares R^iyer, nos
as:-de convnlsoes, e dentic) das crianca*. tm
altamente elevado o sea bem mereciio prestigio,
e boje j se pode dizer que esto gcralmente con-
cpi' ido-, e estimado* de innunieravcis pais d>
famifias : de uns porque do uso tases
coi:\r,'< viram salvos do perijto spus charos fllhi-
Dho3, e de oatros porque colheram daquelles to
pralksao exemplo p3ra iznalnienm preservar o<
si'iis Assim, poJ*, a agota brisca, tendo em vU
tas 1 uillilade e proveitr d^sses prodigiosis cola-
ras anodinos ou Riv.t, mandan vir o novo sorti-
ir 1 que agora receben, e continuar ,1 receb-
is para que em lempo algnm a falta talles possa
S'r funesta ao pais de familia, os qnae? Sea rao
cen s de os arhar constantemente na roa do Qnei
ando, tja d'aguia branca n. 8.
L UC4S, VIDROS E
CIIUYSTAES.
A loj d lonca da ra do Crespo n. 16 tem para
vender quaotidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qualidades,
de bonitas pintura* e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as qnalidades, inclusive finwsimo
chrystal, dilicado* jarros de chrystal e porcelana
para flores, figuras e outros muilos objectos de fi-
lares nissima porcelana denominada biscuito para eD-
feites de mesas, etc., guarnicSPs de finissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, tudo do melhor gosto, pinhas de lonca e
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para
gaz, globos e chnminei* de vidro, bocraes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qualidade, e muilos oulros artigos que
seria enfadonho mencionar, tudo por prejos mui-
ijsiinaa razoaveis.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior
Carteiras com agulhas.
Aguihas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com lindas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas flvellas grandes de ac,
douradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
estn sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
litas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra e de outras
qualidades, para quem soffre
da Tlsta
A' loja de miudezas ra do Queimado
a. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vklro3 claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como ootros de armacao
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos deornalina, os quaes estao
a disposiejo dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
e tartarnga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
nelos e oculos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis: os pret ndentes dir-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
Attmcio obarateirodeob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro 6nos
com 24 lozas, do melhor gosto e por prego razoa-
vel: assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores difforentes; ditos de por-
celana dourados e pintados e brancos; apparelbos
para janlar de porcelana branca; tamnem se ven-
dem em pecas separadas, como os freguezes qni-
zerem, cumpoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em caixao e a re-
lalho; lanternas de todas as qualidades de vidro;
ditas de casquinbo ingleza* muito finas candela-
bros Je vidro e de bronze ; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para cha; e outros mnitos soriimentos de todas as
qnalidades e precos commodos vontade dos com-
pradores, que se vendem na ra da Cadeia do Re- "
cifi) junte ao arco da Conceicao n. 64, e na roa
Nova no grande armazem de louca e vidros junto
igreja da Conceicao dos Militares n. 49.
Acha-se
venda na livraria acadmica, na ra do Impera-
dor ; na do Sr. Noguein, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na roa es-
treita do Rosario a compilaco de toda a legislacao
tendente administrarlo, arrecadacao e fiscali-
sacao dos dinbeiros de orphaos defuntos e ausen-
tes, herancas jacentes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execn-
c5es, como tambem todas as ordens e avisos do
goveroo. que a tudo tem explicado, tanto a respei-
10 das obrigacoes inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de jostica e fazenda, como dos di-
reitos oaciooaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressSo e bom papel, e prestando-se a utilidade
de dlfferentes classes, tornase recommendavel.
Sea custo 10^008 por cada exemplar em dous
oraos.
Laas
As nel llores chitas francezas de cores
escuras e fixas a 280 rs. o
ovado!!
Na ma do Qneimadart. 1 vendem-se chitas fran-
cezas escuras e finas a 280 o covado.
Vende se urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, pertrt da igreja dos Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ter excellente barro, e as tr-
ras quasi lodas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, ra do Vigario n. 17, es-
criptorio.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Crnz.
Vende-se este bello romance em quatt
tomos pelo baratissime prego de 3)$0(
na praca da Independencia, livrarians.
6 e8.
Vende-se carvao de pedra para ferreiro a
12,5 a tonelada e 300 rs. a arroba : na ra do
Brum n. 76.
Herres
Terrenos venda.
Vende-se um terreno proprio para edifieacao,'
enllocado no centro da cidade, com 68 palmos de ^'uzn. *Q, escrlptorlo._________
/rente e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a j Vende-se um sitio no lugar de Bemfica, Pas-
rua da Palma, da Paz e da Concordia : para lo- 'sagena da Magdalena : quem pretender dirija-se a
formaeSes, na ra do Sol n. 37. ^ esta typographia.
Vende-se um sitio com grande sobrado de
um andar, e todo murado, com portUo de ferro,
tende-se superior vinho de cocheira para carros, urna sistema de pedra e cal
Herres de Londres ; na ra da com ura omo d-'so* permanente, e nma cacimba
de outro lado tambem de pedra e cal, baixa para
caplm, e plantacoes tanto pelo invern como pelo
verjio, e arvoredos de fructo, muito perto dos ba-
chos salgados: na cidade de Olinda, defronte da
igreja do Carao, all achara cora quem tratar.
Vende-se no escriplorlo de Manoei Ignacio
de Oliveira 4 Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
1 duzia e barris de oitavos e decimos.
Moscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de t duzia.
Palraella tinto de encllente qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa moito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreios competentes de metal principe :
na Ponte Velha n, 8, por preco cotnraodo.
Esponjas tinas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. t6, acaba de recebar muilos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Fitas finas de sarja da mais estreita que
ba at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis core?.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e Iavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorgur5o de seda achamalotada.
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, colletes, palitos, etc. o deposito de charutos da roa do Rosario n. 6, a
dem de la igualmente sorlidas em eres i draheiro ou a praio: quero pretender dirija-* a
e para os mesmos fins. !laberna da rua Augusta n. i.
dem de algodao brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc..
Novas e lindas guarnieres para enfeitar
soutembarques, vestido?, pretos, manteletes,
Allence a pichincha
Sapatos de tranca com sola de corlica
etc., obras do muito gosto e modernissima. > par : na rua do Livraeoio a. 5.
para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na roa do Qoeimado n. i vendem-se superiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
os que se acabem.
Vende-se superior saccas eora farinha de man-
dioca da trra pelo barato prego de 34300 o sac-
co : no armazem da tromteta da fama comraer-
cial na roa do Imperador n. 83.
Vende-se
Sola.
Vende-se 450 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na rua do Queimado n. 33, lojo de ferra-
gens.

-
a l| o



-
1 i i7
Tli
T


-*W




Mario de Peraambiico -- delta eir 15 de Setenfcro de !*.
i
N
0 NOVO GERENTE
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
mw y iids!M m s i)jja' ai'ji
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciaco dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen! da Liga establecido ra Nova n. UO um magnifico sortimento )de no I hades,
que sendo era. sua maxim parte maudados vir directamente do estrangt iro'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum oulro o exceder no restricto cuniprimento das seguintes projnessas:
1.' Delicadeza no trato. .:
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicjo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao meDsalmente urna economa de
moitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lb.es vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, .devena vir, ielo seu proprio inleresse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhon s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escull ido por pessoa entendida que certamente muito deve agr lar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMIIEIRO A VISTA:
A GnAixA em latas, muilo nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. j urna.
AO PUBLICO
Nem o menor constran-
g tinento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ARMAZE
ATTEHC&O
M preeoa da segulnte
tabella 6 para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajunte de contad
com os portadores.
E'BARATISSIMO! I!
Grande liquidacw de fazendas t roopa
feita nacional, na ma da Imperatriz
n. 72, loja de Gniuiares & nuo.
Os propriehrios des te eslaoelteimento lem rc-
. solvido liquidaren) suas fazendas por prfgos bara-
tissimos s com o flra de ai orar dmheiro, aprove-
| tem as pechinchas.
Veode-se um grande sortimento de chitas fran-
, cezas largas a 260,280, 300 e 370 o cavado ; ditas
' percahas muito Unas a 360, 400, 440 e 500 rs. o
CGvado : isto s na leja de Goknares & Irmfio,
na ra d E' muito barato I
! Cortes de la | ara vestido de senhora a 30.
Cortes de la a 3.
Cortes de la a 30?
j Aos 3,(00 covados de la,
Vende-se laazinhas de quadrrse de listriohas de
lindissimos padroe? a 220, 240, 280 e 320 rs. o co-
1 vado, vende se assim barato por ter mmta porfo
e querer se acabar: isto s na loja de Guimaraes
de Innao, ra da Imperatriz n. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merii estanu ade a 2C0O
1 e 2,5500, ditos de merino liso a 38t:0, 4 e i>',
Senhore 'horas, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a prompiidSo e intel- dCr.Seio7f; c?i ev.*ido de cam-
ezacom que serSo rratvry^ ovira a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvtda me daro a prolecco e preferencia na com- braia Cura ^'". Pel ba'a,o f>"fo teM, :<*s00 e
*ra dos gneros que precisara fl e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco orticos 3^59'
RA DA CADEIA BO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da ConceleSo)
PARA BEM DE TODOS.
s, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidSo e intet-
'i vida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a prolecco e preferencia na rnm-
Idetn e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca mulle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2iO rs. a libra.
Ameixas franeczas em latas de todos os ta-
maitos.
dem idera em potes de todos os tamanhos.
dem iiem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Aliios a 200 rs. o molho.
Absyntho a 25000 a garrafa.
O
BOLACHIXIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
idem do Principe Alberto a I800 a lata, e
de cinco para cima a I 700.
dem de so la em latas gran.les a 2#0O0 e
de cinco para c'ma a 1-5800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
15200, 10250 e 15300.
Bolo francez cm caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 13500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a*2i0 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7$000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frseos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Chabope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Teuente a 500 r.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e deoutras marcasv.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'IIavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parsienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, ftegalia, Mississipes,
Panetellos, .\prazivnis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252-0,25560e25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
11
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
-Macarho e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 610 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo inolez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
M.vssas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miuio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15(00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadi.'iha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTI.NHAS OU MORINQCES a
II
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
i
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 28.
Sardlnhas de afitee de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
I Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 16 e 15500.
portuguezes, mglezes, francezes, etc. etc. Chjfmss0 a {^ im) e 15500 a garrafa.
E i D. Luiz a 15 a garrafa.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra. Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rvadoce a 400 rs. a libra. rafa.
_ Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa,
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fomo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15-500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Na offleina de erreiro da roa do Jasmiro n.
24, ba para vender urna carrosa fea, cora esmero
e propria para carregar urna pipa com agua, aflra
de vende-la pela ra. Na mesma oficina ha tam-
bera um cabriole! de dnas rodas, novo e muito bem
acabado ; quem pretender estes objectos, poda d-
rigir-se a mesma que achara' com quem tratar,
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio (Je OIvira & Fillio, largo do
Corpo Santo d. 19-
Calnugas finos e brlnqnedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais linos e lindos calnngas
tanto para bnnquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudetaa.
I, uvas de pellica.
Recebeu pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brapcas para humen) e senhoras: s
quem receben ol 0 heija-flor, ua ra *) Queimado ,
numero 63, i
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
UraS muttO prOpl lU para negocio a 9,nna
rs. a libra,
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
nha branca ou amarella a 04o rs.a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5uo rs. a garrafa, e em caada
a 2,*oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco o uisbuA do cnooiiona rmat.
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
400 e oOO rs. cada urna : isto na loja de Gui-
maraes & Irmao, roa da Imniratnz n. 72.
Boupa feita
Boupa feita
Grande sortimento de ronpa Belfa de !< das as
dem preto o que se pode desejar neste ge-' Vinho branco para missa em caixas de 1 da-
ero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra. zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em Vinho do Porto das melhores marcas que
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Bomba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e lo,ooo a caisa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e 1,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
, Bolachinhas de soda em latas de diversas
Charutos do affamado fabricante Jos Furta- qualidades, que se vende por presos baralissimw ;
do de Simas, das seguintes qualidades: atliausa se que se vende per meuos SO pw Molo
Exposico Normal de Havana, Imperiaes, i f"13'ra oul.ra (>uaiiiuer Parle-
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-"a nova '"J8 e fazctlas de Guimaries
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas| qualidades a l,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartoes com bolo francez muito propriospa-
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata. ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.'. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,! Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,oooel,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Boiachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs. Ameixas francez is em Tasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- tampa do mesmo, a I55oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em csixinLas de diversos!
8,ooo a caixa e 64o e Too ris agar- tamanhos com bonitas estai pas na ca-
rafa, xa exterior, a !,4oo, 1,6oo, 1,8oo e 2,ooo
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de | cada urna.
corita certa. ,\zeite doce refinado hespanbolou portuguez
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 04o rs. o frasco. Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos | o gigo com 3<> libra-.
grandes a l.oooe H.ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Bio de Ia qualidade a 28o rs. a li- 8.5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o fs. a li-; 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhlo de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a !6o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8ooa Musanla ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,loo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. | 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e l,oooa Lentilhas france/as. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massade tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- 15 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 1 lo rs. o mago.
piros Delicias, a .4.ooo. 4.5oo. 5,ooo,
b,ooo e 7,ooo a caixa ou em n.eias.
Charutos finos de diversas marcas e'lanri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores maltas, a Sooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muilo novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arrobo.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Boiachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muilo alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a gjfoo e 4,5oo o frasco.
Caixinhas com^n'ctas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Buibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Bisas em ancoretas grandes de
8 garrafas por Ouo e 8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l.-Soo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que ven.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos pregos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cerja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a 1 ,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vndese pelo prego de 2 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para humera e senhora : na ra da Imperatriz loja de miudezas d. o.
2nrasas = oo-s --; m o o
o. S| 5 pg
re
C/a CD

Q> T <
T S) O
01
o ai I 8 gT5
5 g.0,
2 -i .
2oit
o cr
v C
3.3
Oj CD i
3.53= p'S.lBS'.rtSS
=; = S.S ^ o Sr o- =p ~ o. 5 2
>
O

S.S.&
co -, o a-*
o
CD O
* eo <
- 09
-7 re ??
O
09
?B3 -S-
-7 ^. oa -I
a.
3
s
09
B.
O
O -J
09
>
O 03
M
a re
OJ .
ce
S-&- EB
M 2 -,
P 5 CD
3 5"
o
09
w
aj
H _.
09
s
o
El
a>
re
09
O
re
as
O
s
>
g
o
9
3
Tasso Irmos
Yeudcni do sea armazem ra do
Araorim n. 3o,
Licor tino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores Anos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
Vinnosheres.
Sanlernes.
Ghambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Musca le.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
pAezei lagniol.
Vendem-se palmeras imperiaes, em estado
de serem transplantadas : no sitio murao'c es-
qnerda, depois, do becca do Espinbeiro, nos Af-
flictos
I4GHIMS DEPATENT
de trafralhar uio para
descaro?aralgodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C,
OLOAI
Estas machinai
podem descarocar
g^^qualqner especit
li'de algodao sea
l \. estragar o fio.
'" sendo bastanti
duas pessoas para
o trabalho; pdt-
descarc^ar orna
arroba de algo-
dao em earocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba."
por dia ou 5 ar
robas de algodat
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarofam 18 arrobas de algodo
limpo. oor dia; e motores para mover urna, duas,
eums dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machina
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricuitore a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
SauuiJei's Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Imtacfto dos pulmer. angi-
nas, tosse, escarros de
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affec-
}3o aos orgos da respiracao
DESAPPARECEH
ediante a aeco da balsmica e irresistive
ANAGAHUITA
& Inuao.
Hua da Imperatriz n. 99.
ESCUVGS FBI
Ausentou-se da casa de seu ? uhor o eseravo
Francisca, com ossignaes seguinle: idode 50 an-
uos pouco mais ou menos, altura n-golar, rheio
do corpo, tem um pequeo achaco no p>-t co,
vagaroso no andar, e hngese maluco, veis ha an-
nos do Brt-jo da Madre de Dos oml- deix^u mu-
llier e filbos,c de suppor que lenha ido ptra abi :
pede-se as autoridades polieiaes b ca [fies ii- cam-
po sua a|iprehen(ao e lvalo a ma Nova o. 37,
que sero bem ri-compen ados,
No dia 1 do correrle fugio do arma,-di do
Sr. Jos Duarte das Noves, no caes de Abollo (onde
foi para ser vendido), o tscravo de n os signaes srgninKs: ao, grosso, mulato claro
cabellos cacheados, rlho preos, nariz gmsso, boe-
ca regular, barbado, resto comprido, e parece ler
de 36 a 38 annos de idade ; tem tan bem o dedo
mnimo da mo direila eneolhido: levou chapeo
de palha, camisa e ralea de viseado azul, e por
baixo desia r encarnado e urna ccruula de algodo?inho. Este
escravo veio do Sobral no vapor Alamanguape, en-
trado em 30 de agosto prximo passado : ser ge-
niTosamenti- rtcompensado qum quer que o ap-
(iri hender e leva-lo ao armazem de Jos de Sa Lei-
to Jnior, a ra da Madre de Deus, junio a igreja.
Aiiseniou-se de casa no dia 28 rte ?gcsl x'ino passaiiu a escrava Ignacia, erlcnli", eer fbta,
beicos grossos, dentes limados, estatnn regalar,
ebeia do corpo, idatfe 28 a 30 anuo-, evon venido
de chita encarnada, chale de la preto velho e
mais algnma roupa de seu uso : ua na da Penba
n. 17 se gniliear.
Fiifiio.
Mo dia 6 d agoste o escravo crioolo ce cene
Tibtrio, idade d<- SO a 2o aanos, estator* l:.x> e
com faria de um rius d-nits d(-i in a. K i pterave
00 Sr. Francisco de Albcquerque Mai nbi ',^-
va!c;.iui : qntm o pegar ou delie der notii i? aof>-
ra dirigir-se a rna ta Cadeia do RecKe n. 33, loja
de Valle Torio & C, que ii' itn nipensadc.
Ao au.auhicci do dia iti de lgotO fugiram
do eogcnbo CamaragiLe dous esrravos crioolos,
ambos carreiros, sendo um de nonne Stmeao, na-
tural do .-eno d Ouritury, alto e h redonda, nao mtiio preio, e >offre de urna hernia;
o outro de come Nicolao, nasrido lo mesmo en-
grnho, estatura ordinaria, secco do corpo e robus-
to, na mesma occasiao dMappareceran 3 turros
do servico do engenho. de suppor que tenham si-
do levados por elles, ou por aigum que Ihes ser-
vio de guia e seductor, porque na ticiie preceden-
te a sahiria dos ditos escraves foram vistus dous
homens em communicacao com o Semeflo junto a
entrada do engenho : quem prender e trouxer di-
tos escravos ser recompensado
Ausenioa-se de casa no dia 2o dotas mez a
escritva I(iDacia, crioula, cor fula, dentes limados,
beicos grossos, estatura regular, choia do corno,
levou vestido encarnado, chale de la preto vefho
nos hombro, e mal? alsuma roupa de seu uso :
na ra da Penna n. 17 se gratificara.
ISO
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lunetos, binculos, do ul-
timo 'e mais apurado gesto da Europa,
No dia 28 de agosto prximo passado desappare-
ceram do engenho I'arary, silo na comarca do Li-
m.ielro, os escraves Francisco e Alexandre, per-
lenrentes ao major Claudioo Correia de Mello. O
primeiro alto, secco do corpo, um tanto espadan-
do, e de cor cabra, tem a cara bexigosa, bastante
barba, cabellos caraplnhos, ps curtes e largos,
sahio vestido de calca e camisa de algodo azul,
chapeo de felire, levando tambero comsigo orna
tronxa conlendo roupa de uso, a saber: rameas
de chita e caigas brancas e pardas, levou tambera
um chapeo de couro, mu ladino. O segundo
pTeto, crioulo, secco do corpo, estatura rpgular,
tem falta de dentes na frente, um piuco barba-
do, e tem ps finos e bem feitos, tambera muito
ladino. Ambos sao mogos, tendo de idade 32 an-
nos, pouco mais eu menos; desconfiase que te-
nham futrido para assentar praea nesla provincia
'u em ontra qualquer : quem os apprehender pode
leva-Ios ou ao dito engenho, oo a' casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, na ra da Cruz o. 45,
que ser bem recompensado.
/
i tlenco
PEITORAL be KEMP.
a anacaliuita mexicana que d o nome es-
pecial este incomparavel remedio, urna
arvore, cuja madeira por muito tempo se
ha usado no Tampico para a cura das fia-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bem ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlim O peitoral de Kemp
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors A Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os estabeleci-
mentos pharmaceuticos do imperio.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboza
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a | da, ps grandes e chatos, e cost'nma andar de alper-
140 a lata : nos armazensda ruado n- gatas, levou camisa de algodo, caigas veibas a
riflraiinr n 4 fi a rna fin Tranirrm Nnvnn 8 r6lis> ehalio de Palna veln". e lambem um bonet,
perauor P.IO e ma UO irapiCDe novOD. o. i caranguejeiro. Se nfio andar vagando por esta
Vi'*i h rnnuib UO rUTlU ou r0 Formoso, onde j tem sido capturado por
das melhores marcas, em caixinhas de tima duzia vezes. Roga-se s autoridades ecapites de campo
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri- qne apprehendam e o levem ao seu senhor Joo
mas do Douro. Duque do Porto e D. Lniz ; tambem Cavalcanti Lamenha Lins, residente na Estiada
tem anorretas de dcimo encapadas com superior i Nova, sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalcanti da
vinho, barris de 5 e 10 em pipa : na rna do Vi-1 Albuquerque, que se recompensar generosa-
Sarjo q. )9, primeiro andar. I mente.
Acham-se fgidos os escravos seguintes: Bento,
mulato, idade de 2o annos, cabellos annelados, sem
barba, denles um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descansada ; e Luiz,
crioolo, j um pouco velho, altura regular, muito
cabelludo, br.rba com algons cabellos brancos, as-
sim como na cabeca, corpo reforcado, olhos mn
tanto pequeos, falla gro^sa e as vezes finge-sa
rooco : pede-se as autoridades puliciaes e aos ca-
pitaes de campo qne os facam apprehender e con-
duzi-losa' casi de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmo, que generosamente recompensar,
e Ibes pagara toda despeza que flzerem com a sua
condueco : suppoe-se que elles lero ido em se-
gnimento dos serios desta provincia, por serem
Olhos desses lugares.
Est fgido o escravo Liberato, preto da
Cosa, alto e magro, bracos e pernas finas, cara
retalhada, sem dentes na frente, olhos grandes e
vermelhos, tem os ps e maos cheios de era vos
bonbaticos, traz o cabello junto das orcinas raspa-
do de poueos das, levou vestido caiga branca so-
ja, camisa de nscado, blusa de la azul desbotada,
chapeo do ( hili multo velho : qoem o apprehen-
der e levar a casa de sea senhor na Passagem da
Magdalena, ser generosamente recompensado.
Fugio no dia 18 do correle mez o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco miis
ou menos, alto, roso comprido, snissa pouco fecha-



i
{
v._.
-T
.11 Mi
T

VHHBBB


Diario de reraaoibuco fteiia fe ra l.ide ftetembro de **:
LITESATORl
AoRio-Grande haviam chegado os vapores /"I A presidencia lomara todas as providencias para
veratriz e Prtnceza, conduiindo o primeiro 210 que no lugar denominado Bals sejaro convenien-
pragas de diversos carpos que tinham flcado em
Sania Calharioa, e o segunda o 7 corpo de volun-
tarios da patria de S. Paulo.
Para o Rio Pardo tinham seguid j o 2!" batalhao
provisorio e o 23 de voluntarios da patria, ao todo
No dia 10 embarcoa para o Rio-Pardo o 30 cor-
po de voluntarios (2 de Pemarabujoj, commanda-
do pelo leueute-eorouel, Apollonio Campello.
E' um bonito corpoo tem exeellente offlclalidade:
aJJida a elle fui urna compauhia de zuavos per
nambucanos, comiiiandada pelo c-.pitao de commis-
so Jos Libanio de Souza, que fui ;>judante de or
dens do Dr. Gonzaga e que um offlcial activo,
iulelligenle e bravo. O capilo Mauiva quo a orga-
nisou, foi dispensado do commaodo e dizemme
TBE4TR0 DA GUERRA.
S.n Importantes e lisongeiras as noticias dolhea-
iro da guerra.
A- folias ao coinioaudo do general Flores, s 824 pragas.
qji'S se naviam roamdo as de Piunero, Fidells e
t> vi Su;-res,eoais um continute Jo nosso exer-
cito ounvioslo do 3 e 7 baialhes de iofantaria, ao
iodo cerca de 13,000 lomeas, linhaniuo dia 13 ro-
tiiisidj bayoneta a ata direiiu d ditiso es
qaerda dos paraguayos, fortes de 4,000 lemeos.
Aaego uvera lugar pouco distante do Povo dos
Livres, a margem direita do Uruguay.
Rcerera as fainas do Rio Grande que un mensa
f. I a mortaudade.
Venncara-sa a entrada do iniraigo era Uruguaya- que com mu|0 boa$ m5es
na no da o, a 1 hora da tarde, seinpre debaixo de
vivotirmeio das guerrilhas do general Canavarro, A nfarmit. mH^r deto cidade foi elevada a
e cha0> sit.ados naquella cidade pelas forgas j^^gT.!* san,a / da Rencor-
de ,,,;general e pelas do baro deJacuhy. "' J*j""*1ue'cona **
Estas noneias trabara sido trazidas ao Rio Gran- ftSfcjS' J^n T" .**"", 22 D
dop.rum vapor alli chegado de ^~ZSSZtttX^'~
nao livossem o cunho offlcial, erara all aceitas como; x AirpPp5n n ear,, -omcio.
I A direcgo do servieo medico esta entregue ao
taes e geralmente acreditadas. n- p,,.... ._., *
.... .. ur. flores e encarregados do tratamento dos en-
l'ara conbecimento do eitor, transcrevemos em ,..,. cl- Ac n .7 .. ""ai'""e"lu "* eu
ferinos eslao os Drs. Fariiiha taar n Xaviar Pa.
seguida o que a este respeito publicou o Commer- ,rnp- (Umum gnac'' Aav'*r'
a do ara Grande. e Petr"i ^ ^T*
Oizessa folha em seu numero de 25 do pas Segundo tenho ouvido dizer, ha perto de 500
"' u ; ,_ ___ doeutes, sendo 60 a 80 de bexigas : os mais sof-
A confiaoga que ate hoje temos depositado nos .. ,.
... v ,. fremde bronquite ou de diarrba, alem de outras
cheles de nossas forgas nos fazia crer que, se ale molestia
temento soppridas as forcas de S. Paulo e Minas
qnndo atravessarem pela provincia.
Da provincia de Mato-Grosso ha datas at 14 de
julho.
A provincia contiouava a armar-se e a prepa-
rarle para a guerra.
I '.II l.i I----r-n
i nao liaviara balido os barbaros invasores
desta bella proviucia, razoes haveriam para um lal
procedtmente.
O vapor que houlem chegou de Pelotas veio
mil. mar esse nosso modo de pensar, porquaoio foi
portador lo urna boa e importante nova, que, se
todava nao foi anda urna victoria completa para
nossas armas, comtudo detse felto de armas se se-
guua sera duvida o aoiquillamenlo dos iovaaoies.
___ ..ii.li.tl. 1111 .111 l\ll.
adia.
,...--*- i-* castigo ue sua ou-
.\ is noticias que transmiitimos aos nossoslei-
toros uo ujsso jornal de 23, vindas pelo vapor Im-
perador de Montevideo, dissemos acbar-se o gene-
ra! Flores uom M forjas aliiadas sob seu mando
uo paoso dos Livres, povoajo esta que fica em
frente a Uruguayana, e que esperavam-se em Mon-
levido, aleo dia 21, resultados importantes de um
grande leiio de armas.
< Nao nos engaamos quando isso noticiamos
purquauto, acim dissemos, o vapor de Pelotas hon-
tera chegado nos trouxe a commuoicagao desse de-
sojado feto, que apezar de uo ser ella offlcial, en-
todera i5 da-la aos uossos leilorjs, porquo a julga-
mos digna de f.
t Ueferem as carias recobidas da campanha em
Pelotas |ue, depois da junejo das forjas de Pau-
n to as do general Flores, marchoa este sobre as
forcas paraguayas que se achavam do outro lado
do Urugnay era numero de 4,000 homens, e que
u.. dia l-> oo uorrenle a> derrotaiam completamen-
te, flcamlo no campo da baialha ura numero exira-
ordiOano de morios e leridos, pois que o phaoalis-
modi.s.. s barbaros levava-os a tal exlremo, ijue
preferan] deisar-se aiorr^r do que se enlregarora
ao iramigo, u que foi confirmado por um tenente
paraguayo que flcou prisioueiro, quo declarou que
L ipes, ao saber que elle eslava preso, tratara dr
prender sua f.mia e que llie confiscara seos
bons.
c Esta victorb, alcangada pelas forcas aliiadas
do oatro lado do Uruguay, trar comsigo a com-
pletj denota das forcas paraguayas que se achara
d si lado ui provincia ; assim o entendemos e es-
peramos.
A 2r. publica a mesma folha :
Em additamento s noticias quo honlem de-
mos sobre os ltimos successos que liveram lugar
(1 11o lado do Aruguay, apresentamos hoje a in-
legra de uina caria que ura respeitavel negociante
desti praea nos coniiou, e que recebeu de Pelotas;
poi ella vario os nossos leitores qae se vai confie-
mando a derrota que solTreram no dia 13 do cr-
lenla as forcas paraguayas alm do Uruguay, bem
como que as nordas invasoras nao enlraram to
francamente na U-uguayaona, e que ultima hora
ficavain essas forcas iniraigas corapletaraente sitia-
das pelas nossas forjas ao mando dos generaes Ca-
oabarro e baro de Jacuhy, doude nao poderao dar
m-is um passo, sendo moite de suppor que a esta
Lj'.i ja uutaam sido completamente derrotadas ;
eis o conteudo da caria a que oos referimos e que
no merece inteira coufi inga :
Pololas, 2 de agosto de 186o.-Um proprio
chegado hi.utem, sahio do acampamento d_a l di-
fiso geira do brigadeiro Ginabarro a Fernandes
e Qae a, '* a .-eguinte nciicia:
fac;o, e verdico, que os Paraguayos entra-
ran! ua Urugoayana, no dia 5, a 1 hora da tarde,
debaixo ...otiouas guerrilhas. As forcas de Ga-
naba! ro atacar por ser ludo cavallana.
Floras, Goyo Soares, Pauoero, Fidelis e um
coniiuf-ulo do nosso exercito central reuniram
treze rail homens no dia 12, e uo dia*13 derrota-
ra -o cumpleumeate a ala direila da divisaoesquer-
da paragu ya, composta de 4,000 homens, mais
oo i.iciio.-, isio um pouco cima do Povo dos Li-
Wes, h margem do Uruguay.
t Js i'hi..guayos que licaram na Uruguayana
achaui-se sitiados pelo Cauabarro e baro de Jac-
hy. Omesmoproprloqne trouxe a noticia eotrou
na= guerr .lias e irouxe urna barretina paraguaya.
Como se teoham olferecido algumas duvidas
Nao de eslranhar o apparecimento de taes mo-
lestias : homens acostumados a climas qnentes e a
alimentacao muito diversa, chegando aqui, e no
rigor do invern, eslranham, e dahi as molestias .
no eotanto a mortalidade tem regulado de tres a'
quatro por cenlo, o que nao admira, sobretudo ha-
vendo bexigas.
Refor".ouso uo posio ue cirurgiomr de divi-
n o oirurgiSo mor de brigada Ignacio Manoel Do-
mingnes que contava 43 annos de servicos, e que
foi aqui muito lempo delegado do cirurgieo-mr
do exercito.
O coronel honorario cirurgiao-mr reformado
Christovao Jos Vieira foi nomeado chefe do corpo
de saude do exercito de reserva que aqui se val
organisar, e o tenente-coronel Jos Sergio Ferreira,
que oceupava esse lugar passou no mesmo para o
exercilo em operacoes, na provincia.
No dia 13 embarcou para o Rio Pardo o 33- ba-
talhao de voluntarios, organisado nesta cidade pelo
Sr. general Luiz Manoel de Lima e Silva, por de-
lermnaeao do Sr. Dr. Gonzaga.
Com quaoto pouco lempo tivesse o Sr. general
Lima, gracas aos seus exforcos e solicitude, o cor-
po sahio manobrando muito regularmente; e, a
nao serem as ordens urgenies para a marcha, 'te-
na sabido perfeito, porque o illuslre general foi
incansavel, indo era pessoa instroi-lo todos os
dias.
Uina companhia de voluntarios anilheiros alie
maes, tambera mandada organisar pelo Sr. Dr.
Gonzaga, esta' quasi prompta e breve seguir' ao
mando do capito de art.lharia Fernando Schnei-
der, que foi o oiganisador.
Os indgenas da tribu do cacique Fong oirere-
ceram-se para marchar como voluntarios,'e a pre-
sidencia da provincia aceitando o offerecimento
mandou organisar urna companhia de duzentas
prar-as. para tonal nomeou os offlciaes, addin-
do-a a ura dos corpos de cavallaria da guarda na-
cional.
Os corpos de cavallaria da guarda nacional do
& Leopoldo e de Santa Anna do Itio dos Sinos
chamados a servieo de campanha pelo Sr. Dr. Gon'
zaga, ja esio reunidos, o primeiro com miis de
400 praeas e o segundo com mais de 300, e dentro
em poucos dias devem marchar.
Acnam-se nesla cidade lodosos memoresoaiun-
j militar dejwtlca, que sao os Srs, roarechaes
Lima e silva e Lopo, brigadeiro Paula Raogel e
>ecco, Dias da Motta e Paiva de Andrade :
Na Imprenta de Cuyaba desta data l-se :
As ultimas noticias que tivemos do Coxim sao de
que fra oceupado aquello ponto por urna for?a
paraguaya de 400 e lautos borneas com duas bocas
de logo, e nao ti a 8,000 horaeos e 24 bocas de
fogo, como se espalhou nesla capital no mez passa.
do; que esta forca abandonara o ponto oceupado
poucos das depois, deixando reduzidos a crazas os
arrnchamenos e casas, depois de urna pilhagem
extraordinaria de gados e cavallos, e completa
destruico dos sitios* e fazendas das circumvizi-
nhancaj.
Acharase entre nos mais dous Paraguayos vindos
de Nioac pelo Goxim. nsses individuos erara pra-
5as da artilharia expedicionaria do coronel Rasqui-
no, uo fallara nem entendem hespanhol, expri-
mem-se s em guarany.
Como os outros que hao procurado a nossa som-
bra e protecjo, teom sido bem tratados, porque
preciso que nos mostremos taes quaes somos, civi-
lisados e humanos, e nao barbaros e selvagens
como os mandatarios de Lpez.
estamento seu successor no caso demorrer doran*
te o prazo da sua presidencia.
E' o que de vos exige qoem fica elevando snas EsU meujn fl|b jokowleff acaba
. ------- |" -gmiuaua por uKase
Tinha elle sido eleito por 10 annos em 1844, de- f raonrcha8, e pela exiinccao da guerra com d-esU immat foftQna
pois por mais 3, e outra vez por mais 7 em oda a nonra e dignadade para o imperio brasilei-
1857. ro-~ Sera ostentaco me assigno.A esposa de um
Por morte delle, em setembro de 1862, vio-se ^ociante tambem mecido na corte.- Rio de Ja-
que eslava nomeado para sacceder-lbe sea fllho nelro em 23 de a8"t0 de 865-
Francisco Solano Lpez. i------------j i .
Este, a tero talento do pai, pU tornar da mas-
do C
O conde Soltikolf, que tem dous irmaos, ter um
dia de seu 20 ou 25 milhes de renda; seu pai re-
side em Paris onde tem magnficos palacetes.
ointnercio da corte, o se-
L se no Jornal
raa sorte permanente a sua autoridade ; mas esta gUQte .
mostrando um desassocego e ambieo, que sao. 1(UCrador N Mo emeeiia s. 4L e,.re
qual.dades novas, e talves perigosas n um despota D. Lol (ntdala ^^ m ^^ ^ flsfor.
eos empregados para o desenvolv) nto da selen-
Dos seus iostloclos monarchicos mal se pode du- ca balstica.
dar, depois que elle creou urna ordera de caval- E- 5a|)iJo e|.re ^^ ha mm ^ dfl
lana de mu exc us.va natureza cora grande iadlg ap,rftVar 0 empr da arlh;iria Q0 ma e
nacao dos republicanos dos estados vis.nhos. iuventl)a jecU| ob| servif coffl
Imprudencia raais sena foi a invasao dos terri- i,.i .,..,___ ,.
,. ... igual vaulagein uas pecas raladas, as pecas lisas
torios argentino e bras.le.ro, com a qual bem pode ou de antl sv .lfima
elle deitar abaixo todo quanto seu pai e o Dr. Fran-
cia to hbilmente haviam sustentado.
Os recursos do paiz teolarara-no a fazer o uso
delles.
Debaixo dos anteriores governos adiantou-se o
Paraguay notaveimenie na sua civilisago mo-
rosa.
O nosso correspondente falla do systema leie-
As experiencias follas, como tambem se sa-
be, no Aliene reproduziram-se em Franca pe-
raule urna commisso de offlciaes de artilharia,
qual os estudos de el-aei mereceram o raaior
louvor.
Uina das folbas de Paris, a Patrie, que se oceupa
do assumpto, diz:
graphico que foi introduzdo e na guerra actual os rei de WP'. 1ue ,em exudado com rauia
oquipamenlos militares passam por excellentes. PP|"-aCi> e perseveranca lodas as quesloes rela-
tivas a artilharia naval, acaba de
oquipamenlos militares passam por excellentes
Na aeco peiejada no Paran os oito vapores pa-
i raguayos estavam armados de canhoes de 68 e 80
Sobre a forga existente na proviocia e sua distri-'e a ba,eria de lerra era reservada Por P''5as raii--
buico, communica-nos pessoa conce.luada e que \daS daS nWi moderaas e meihores.
recebeu cartas o segrate: A Repblica Argentina depois de dilacerada tan
...,- tos annos por paixoes polticas priuciplt agora a
No Arica eslao acampados 2,000 homens com-__..... i^. J ... .....
prosperar debaixo da presidencia do general Milre,
- homem mais respeitavel do que a generalidade dos
commandanle das armas interino norane se n* .-.- ,. ,
mwi iiio, porque se os poimcos sul americanos, e dolado de grandes ta-
raimigos marchassom por Coxira teriara de passar : |enlos
por este ponto antes de entrar na c*!. Ha ires annos lapenas qae aqe||a republica foi
na passagem do rio S. Lourenco eslao 300 ho-'. definitivamente constituida pela victoria dos Perte-
mens, coramandados pelo capito Antonio Maria; nhos em Pavn o coosequente aceitaco da autori-
Coelho; estes serao os primeiros a encontrar se dade de Mure por todos os estados.
inventar um
projeetil oblongo, reunindo lodas as qualidades
dos projecUs destinados s pegas raiadas, e po-
dendo servir para carregar urna peca lisa ordi-
naria.
O imperador dos Francezes nomeou urna com-
misso para examinar o projeetil de que se trata.
.j.j. i .' .------------ prosperar ueoaixo oa presidencia ao general Mitri, ,. .
mandados pelo tenente-coronel Camisao. aue o i___ ... Depois de numerosas experiencias, os membros
.,,,..-i-,.. a. homem mais respeitavel do que a genera idade dos i
commandanle das armas miar no nAr,..,.. <...... r ^
com os inimigos.
Em Villa-Maria exislera....... 400 homens
EmPoc<>n.................. 200ditos.
Na capital.................. OOditos.
Na amiga capital (Matto-Grosso) 100 ditos.
Em Melgaco................. go ditos.
Esto por coosequencia em armas 3,350 homens,
entrando neste numero 800 de tropa de linha.
Coosiava como certo que o coronel Resquno e
major Vicente appy estavam no Apa com cerca
de 5,000 homens, que haviam felto um cerco aos
indios Gadineos, fazendo nelles um estrago horri-
vel, e que ltimamente se oceupavam no planto
da mandioca.
Comegava se a sentir falta de vveres, tanto que
o fornecedor Antonio de Cerqueira Caldas i lulava
com muita dlfflculdade.
da commisso declararam que esse projeetil possuia
qualidades incontestavefs; mas que essas qualida-
des uo erara anda Koillcrentes para que pudesse
ser admitiido na artilharia trenenta, e aconselhas
rain ao raes-no lempo a el-rei D. Luiz que con-
tinuasse os seus trabalhos, observando que o-
estudos por elle feitos offereeiam summo inte-
resse.
Drs.
consia que por estes dia. sera' (^tallada a raes-
ma juma, e prazo aos cos que ella nada tenha a
IaZ6r.
O luparan, q,Ie sahe hoje annuncia que leva
mala, e emo nada de chegar o vapor da carreira
adianto esta.
A populagao da capital tem estado nestes ulti-
mos das suspensa, esperando noticia importante
dolheairo da guerra, d'onde ha at o i do cor-
rente.
Diz-se que as forgas paraguayas que se dirigiam
para ruguayanna, sabendo da janeco das forgas
de Plores e Goyo Soares com as nossas, mudaram
de direccao e dir.giram-se para o paco da Cruz n)
Quarahim, talvez co,n intento do passar ao estado
oriental; no emtanto, alm das forgas de Flores e
G iy\ ja temos la a divisao Canavarro e a do baro
de Jacuhy, e o nos>0 exercilo sobe a mais de 12,000
homens das ires armas.
A esta hora deve ter havido algum saccesso im
portante.
As nossas cavallarias eslao em constantes guer-
rilhas com as forgas paraguayas, a quera nao tem
de.xado carnear, obrigando a passar mais de 4 dias
a comer mandioca.
azada a occasio de fazer reviver antigs preten-
g5es sobre territorio argentino e sustenta-las a
mo armada.
Ha mezes que a guerra comecou, e al agora
tem sido feila com singular energa pelos Para-
guayos.
Em maio passado apo-leraram-se de Corrientes
na confluencia do Paraguay e Paran, e um exer-
eltj de 12 a 14,000 homens penetrou no abaixo
al Goya.
a allianga entre o governo do Brazil e a repu-
| blica Argentina trouxe a esquadra brazleira aquel
n nroaiHam .(.j. .- .- ; le rio, e as tropas aliiadas ao mando do general
u&ZZZ&Z'""" ",*' ,dmlis- >'"> i 5L.
la n)!, h > c n u te a cidade. mais abandonando-a 26 horas depois
ua provincia de S. Paulo ha datas al i n .
co uaw!> aie ao para tornarera a descer o rio.
Aioda a ultima dala nao linho ellas podido re-
Proseguia a organsago do 2o corpo de volunta- \ Pe"''' a invasao paraguaya, pois que a 15 de Junho
rios da patria e do contingente da guarda nacional 1 general Paunero as visinhangas da Es-
cora que a provincia tem de concorrer para a quina, urnas 150 railhas abaixo de Corrientes. Mas
Baerra- a completa victoria da esquadra brazleira ser
No dia 1 aquartelara na capital o batalhao sem duvida de g^ude peso para dicdir da guerra,
para fazer o servigo da guarnigo. Tnh.> no nrn..o.,c :.. .-~. j.- -----
O movimeoto patritico de voluntarios
diminua na provincia de S. Paulo.
Este desastre quasi irreparavel; e sejara quaes
forera a enegia e recursos do Estado, sentir elle
los iocovenienies do isolaraenlo quando se vir im-
possibilitado de refazer-se das perdas que liver so-
E' exactamenie quando o paiz pnacipia a resta-
belecer-se das longas couvulsoes por que passou e
a colher as vanlagens que pode dar urna capital, k~..........-......-- -
comraercial como o Buenos-Ayres que Lpez filho: satisfacam confeno a este principe a medalha mi-
vem perturbar-lhe a tranquillidade, parecendo-lhe
O imperador em testemunho de sua estima e
litar.
Diz-se que pouco depois o re de Por.ugal ap-
filicou ao.seu invento nma modiflragio essencial,
da qual os especialistas do seu paiz esperam opli
mos resultados.
O Jornal des Debuts publica um artigo assigoa-
do por M X. Raymond elogiando os trabalhos do
rei de Portugal pira aperfeicoar a bala da sua in-
vengio.
L se em urna correspondencia do Daily Neica :
Acabo de ver as novas carabinas que se carre-
gam pela culaira e que bao de servir agora para
a infamara frauceza.
E' urna arma adrairavel ; o calibre quasi o das
nossas carabinas E o lie Id a culaira brese e fe-
cba-se por um systema extremamente simples.
Com urna d'estas carabinas do-se 31 a 33 por
minuto.
A baioneta a baionea punhal ja usada pelos
zuavos e pelos cagadores a p.
Foi dada a infantarta urna nova barretina, que
se assemelha que traz lord Ranelagh e os volun-
tarios do Hiddlessex do Sul, com a d'ifferenca da
ser escarale a barretina franceza.
Era elegancia e commodidade nao deixa nada a
desejar.
Pode se dizer que cora essa barretina, a caiga lar-
ga de cor escarate, as polainas de couro, a com-
moda tnica, de cor azul, o imperador achou o
mel de ler a infamara de linha mais bem fardada
de toJa a Europa, e com estas novas carabinas
ser cora certeza a mais bem armada.
Vi bontera uina companhia cora o uniforme no-
vo ; tinha urna apparencia magnifica.
Tinho os paraguayos oito vapores, dos quaes
n5o perdero quatro, e seis canhonelras, das quaes Ihe
nao licou urna.
A guarda nacional aecudia com enihusiasmo ao
appello do governo geral e da presidencia.
DM POUCO DE TUDO.
O Times era data do 1 de agosto publica o se-
grate :
0 BRASIL E O PARAGUAY.
Muitos dos nossos leitores talvez nem reparassem
que annunciamos hontem urna grande victoria na-
val e a lomada do urna cidade consideravel.
Por amor desses diremos mais especilicadamente
que a esquadra brasileira no rio Paran' destruio
quasi totalmente a paraguaya n'um combate de 9
fndo.
Nao podemos imaginar que gente que nao sahe
de seu paiz e mal permite que la v alguem de f
ra possa ser rauila perita na conslrucgao das ma-
chinas e armas necessarias para a guerra moder-
na.
Nao ha duvida que os paraguayos so bateram
era S.Dorja com intrepidez e crueza sul america-
na, e que o successo se reputa de importancia bas-
tante para persuadir o imparador do Brasil a ir
em pessoa para o exercito.
Prolongando-se porm a lula, impossivel que
Obre J em que leve lugar o ataque dos gene-
raes Plores ti Paunero cora os Paraguayos, publica-
mos o eguinte ufficio, que muitu deve esclarecer
esle ; hito. Sr.Appresso-rae em comraunicar a V.
S. que ueste momento receb offlcios do Exm. Sr.
general Cudwell, com data de 15, em que rae diz
qn; dent, o uos dous prximos dias esperava que
s.. an derrotadas as forgas paraguayas de quem
0 de alm uo Uruguay.
O Uro sira, me diz o proprio que no momento
da sa' ida o Exm. general Caldwel me mandou di-
*ei una .,o ui 13 tinha bnlhado o general Flores,
dcrrotauuo compleameute a forga paraguaya de
alen Jo Uruguay.
De'.s guarde a V. S.-Sant'Anna, 17 de agos-
to t J8t>5. -liim. Sr. major Autero Rodrigues Soa-
ses. Se-r/iedo da Costa Torres.
A uil na folha noiicia que a um negociante res-
pe-la : paella praga escreviam a ultima hora
1 i t uo-sa souadrilha transposto o salto grande
p;'> riu ti^guay.
Esta luadnlha comp5e se das canhoneiras Ma-
rae u. Uqmry e Ivalty, do vapor Tramandahy
(-uu- ii nuiado Era e que foi tomado aos Para-
guayos uo Riachuelo), e mais ires chatas condu-
ti..uo :a. va o e vveres.
"ziase ,ae estava marcado o dia 17 para a
grrudt .ultia ntreos dous exercitos.
Da mwiiumbmo de Ayuy, onde se achava o
txen lo aliado, communicavam para Porto Ale-
gn ,ue a 1. fallecer no Salto.o coronel de ani-
Ihai i.i Fiancisco Jos de Carvalho.
Fura uomeado commandanle geral dos poslos
militan e-iabelecidos de Cachoeira a 8. Gabriel e
Uscap'tva, o capilo Constantino Jos de Barcellos.
No Urugoay um vapor nosso e dous lanenoes
bateram seis chalanas paraguayas qje queriam
passar 2,000 homens para reforgar o exercito
que elles lem na provincia : commandava a nossa
improvisada esquadrilha o primeiro tenente de ar-
tilharia a civalio Floriano Vieira Peiiolo
Dos jornaes que sera duvida hade receber co"
Ihera lodos os pormenores das nolicias que era re-
sumo dei, noticias que, se nao sao completamente
satisfactorias, do ao menos lodas as esperanga de
victoria.
Sua magestade e os augustos principes devem
estar a esta hora em S. Gabriel, onde consta se de-
mora rao algum lempo.
A viagem do augusto chefe da nago tem corrido
sem novidade.
Hoje devem seguir para o Rio-Pardo, se o temDo
permittir, pois ha dous das chove muito, o bata-
lhao provisorio 22 e o 25 de volunterios de San-
Ia Cathanna : anda aqui fleam o 8 de Sergipe, o
28 do Rio Grande do Norte e urna ala do 33 do
Para, causando j serios cuidados a demora da
outra ala, que'saho de Sania Calharina no Jagua-
rtbe, tres dias antes do Juparan que aqui est ha
dias e qne trouxe o 28.
Nodial7installou-se soba presidencia do Sr
v.sconde da Boa-Vista, e estando presentes todos'
os membros, a junta de jusliga militar creada nes-
ta proviocia.
O brigadeiro Antonio.Manoel de Mello, que ti-
nha seguido para o Rio-Pardo, vollou e va para o
Rio da Prala, atim de ser convenientemente empre
gado no nosso exercito alli existente.
horas, com a perda de 1,700 a 2,000 I '1~
emanaran or ontrn i, i> n. n nomen,, paragUay com milhao e meio apenas de habitantes
eiiii)uaino por ouiro lado os Para'iiavos tun.iian. ,- r. >
- y-itatL, oiaraoUayos nvadiam se possa medir com o Brasil.
o territorio brasileiro, tomando a cidade de S. Bor-
ja sobre a margem oriental do Uruguay, depois de Lopez e seu povo hao dt acabar por ser bati"
cinco dias de peleja. dos, e haver lodas as razoes para cora isto nos
Os conflictos dos caudilhos sul-araericauos tem- alerarmo<> Puls re'ul'ado provavel sera" a
se lomado estribilho no mundo poltico argumen- aberlura do Para8Qay e Paran' a' navegagao livre
to sempre prompto contra a soberana popular e a e eslaDelecl,nen,0 de am rgimen mais hospi-
llberdade prematura. taleiro.
Conhecer as cousas e razoes destas contendas Urna poltica como a que tantos annos foi segui-
tem sido privilegio dos familiares do foreign office da Pe'os dominadores daquelle paiz, nao pode dei-
e de uns poucos de quidnmes que se do ares de xar de ser derribada peto progresso da civilisagao,
diplomacia. Mas a luta actualmente travada na e> se a *l ><*! desempenhar esta raisso,
America do Sul e cujo desfecho a victoria da es- lanl meltlor-
quadra brasileira pode precipitar, asss mpor- _____________________________
taaie para merecer a aiteago da Europa.
Basia dizer que os teminos onde ella arde sao' ^ *****, CommercM seuinte :
dos mais bellos do mundo e ^e 0v ve que ^" ""1 adm:rar dUS be"SSmS
triumpho do Brasil Ihes d paz e prosperidade 'S de/ecamaduira- confeccionados por duas
abrindo-osiuteiramealeaocoinmercoe industria "L^ 1 r f 'rmaaS D' E'"Ia *
das outras nagoes """" d. Amelia Augusta Curvello, e por ellas olereci-
0 mysterioso Paraguay tem excitado sempre a dS a asy' d0S in?alidjs da cr,e-
curiosidade dos instruidos. uifflcil dizer-se o que mais se deve apreciar,
Aquelle Japo cbnslo, que primeiro sob o dora- se 80Sl da execugo, se a perfeigio do trabaIho
nio dos jesutas, e depois sob o do seu desptico des,a PrimoruSa offerla, inspirada pelo amor da pa-
successor o Dr. Francia, por taato lempo se con- ,ria e pe' noore sentimento de contribuir para o
servou isolado e fechado ao mundo, tem sido cons- lenilivo dos soffrimentos da humanidade desva-
tanteraonie urna das tuaravil.us e enigmas daci- lida-
vilisagao moderna. .
Ura paiz cuja entrada era vedada at aos pro- Diario Offlcial publica o seguinte :
prios Hespanes, raesrao sor, o dominio delles ; um Ao overo imperial
povo separado da huraaidade, e que entretanto
Da provincia de Goyaz ha datas de 19 do prxi-
mo passado.
No da 12 partir em direcgo ao Coxira o es-
quadrao de cavallaria de linha da capital.
Sob a direcgo do capito Manoel Pinheiro de
Lemos organisava-se a 2.' companhia do corpo da
guarda nacional que tem de destacar.
Conslava na capital que a forga expedicionaria
continuava a sua marcha na melhor ordem.
foi dirigido o seguinle
r.....r. ua ii mre[0 Q donativo destinado ao exercito, constante da carta
possue luxo e artes, cidades heme Rucadas tem- abaixo transcripta, cuja autora, guardando o in-
plos esplendidos, mosteiros opulentos e uina mdus- C0Bnil0> Pr'you ao mesmo goveruo da satisfago de
tria suffieieute para todas as suas necessidades, aKradriCer a sua offrenda patritica,
quasi que Sdui relagoes mercarais cora o mundo'' Eis a carta :
externo ; um governo theocratieo. que apezar dis- > 1"m' e Exm- Sr, Brasileira decorago, amiga
so administra bem o paiz, tuJo isto lrma urna na- inti,Da da patria que me doou to seguro bergo,
gao que nao eacontra outra igual na histo mo- or8uItlosa u'ana raesmo, por ler nascido nesta
derna. corte, de contemplar como patricio o sabio monar-
E'este oslado que abandonado asuapolilica ira- ChaPtdKr0l,,/0dT-,,u VeQera53 dS PVS'
dictona. de manter com os visinhos ura spe e 6U T "*"** *" '"T gr,Ud ffereCer
de paz anti-social, ataca hoje a priraeira po ene a T* ^T*" T 1T homeDagem COm-
daAraer-ca doSa.no intuito, ao qu parecT de T 1 forS" d ^u sexo. Depo-
alargar os seas dominios cust'a delle da '.ra ?3Tl !"r """ Cm l"
confinan les. Vlsa 0//er'a patriottca; aos bravos guerreiros :
Aambicainlo faii01..inrH.., i contm ella quatro compartimentos, onde encon-
reucTelt Plnamr" ,raraono Primeiro> 2i a,adaras de P de l"ho
bui ,n.,olil H... de diversas larguras, cada urna com 6 varas de
m.ZZ P0UC0maiid0---di- eomprimemo 24 crlvados leltos a agu.ba, 12
r,__ compressas, 6 pedagos de panno de linho cora pal-
bovernou cora o mesrao rigor e a mnsma fnrm-' ,
na a a rinn,i a n mesma tortu- mo emeio de largura e 2 varas de comprimento,
na, e a principal difierouca cutre elle e n< mim
nrndnnumn.n LnZ Para ser corlado como exiir curativo; no 2. se
preaecessores leigose ecc esiaslicos foi mostrarse u =
nm ...... m,it ..-J. mosirar se acharao paunos de monm que nao desfit por ter
ura pouco mais condescendeute em nermitr ns .
estranffir,-.saimoa,,u a permiuir aos conviegao que serao assim mais aproveitados, e
esirangeirus algumas relagoes cora 0 seu novo .,
Pemienos f,m -, "^ acabo de completar esse compartimento com uns
roqueos Ijram comtudo os pnvi eeos nue pmps a .- u B,^, L ^ .
aicancaran, n,c ; / flos l,rados Por rainha 'hinba de 4 annos I O 3.
aicancaram nos vinle annos de overno dannMla < >.. ^
h.imom am .h Boer.,o oaqoeiie e 4 nomem, e nem chegara mesmo ao direito de AsiahA.' ,, ...
o/..r co n, .- ",o;"uu au "eito ae estae-, sos para app|cados serem a' qualidade do trabalbo
cter-se no paiz. ..
a que se desttnem.
Por oulro lado excitou elle constantemente as Sejam to abengoados esses lenitivos, miliguem
suspeitas dos polticos argentinos. I elles tanto os enfermos, como puro o sentiraento
Rei ja'em ludo, excepto no norae, julgou conve- que os acompanha. Acolhei benvolo essa mi-
As nliraas noticias recebidas do Brasil, dando
conta do glorioso combate naval de II de junho, e
da partida de S. VI. o Imperador o Sr. D. Pedro II
para a provincia do Rio-Grande, insertas em todos
os peridicos da capital e das provincias, produzi-
rara mu:ta sensago.
O triumpho das armas brasileiras ufam os Por-
lugueies, seus irmaos, prometiendo ao imperio a
supremaca as aguas do Prata e do Paran.
Attendendo ao grande numero dos inimigos, ao
encarnicamenlo da peleja, ao valor desenvolvido
pelos Paraguayos, a victoria dos Brasileiros adqui-
re novo realce.
O denodo de Barroso, de Garcindo, de Segundi-
no e de tantos outros offlciaes, accommetiidos por
forgas superiores, alvo dos encomios, e das con-
gratulacoes da imprensa deste paiz.
Cmfia-se que a esquadra brasileira far dcsap-
parecer dos confluentes do Rio da Prata todos os
barcos de guerra armados pelo presidente Lopez;
que toreara a pa,sagem do Humait, o Sebastopol
do Paraguay e que subir al a cidade aa As-
surapgao, para dar urna ligo raestra aos selvagens
aggressores.
O arbitrio de S. M. o imperador de marchar pa-
ra o theatro da guerra maaifesta a sua magnani-
raidade, e quanto so empenha era remover as difll
culdades para segurar os elementos de successo.
Sem duvida a sua presenga pora termo as hesl-
tages, e s dissidencias que no Rio-Grande lffl
demorado a marcha de tropas safflcientes para re-
pellir a invasao do raimigo.
Os applausos qne a deciso de Sua Magestade
provocou no imperto repercuten! neste paiz. Faz-se
jusliga ao nobre patriotismo, a exemplar abnega-
go do monarcha, que se sujeita aos maiares sacri-
ficios afira de estimular o ardor e a boa vontade
das populagSes do sul, habilitando-as a afugentar
para longo as hordas de barbaros que pisam o seu
territorio.
Infelizmente a extenso do paiz serio inconve-
niente para a rapidez dos- movimentos. Ser mis-
ter agiardar ainda semanas, talvez mezes, para
que cheguera os pormenores do golpe decisivo que
as tropas do Brasil, de Buenos-Ayres e de Monte-
video nao deixaro de descarregar sobre o despota
que domiua o Paraguay.
Muitos offlciaes porluguezes de torra e mar ma-
nifestara desejo de se mcorporarein aos Brasileiros
que pelejam contra os Paraguayos.
Tem chegado a perguutar se a legagao brasileira
tira ioslrucgoes para aceitar quaesquer propostas
de servigo; e lison>eam-se de quo no caso atflr
mativo obleriara licenga do governo portuguez para
se dingirem ao Brasil, conservando aqui os seus
postos.
Estaraos certos de que se o Brasil earecesse dos
nossos offlciaes, e envlasse as clausulas com as
quaes seriam aceitos, urna raultido delles acudira
ao reclamo, e se apressaria a partir para a Ame-
rica.
Ha poucas semanas foi langada ao mar dos esla-
leiros de W. H. Webb de Nova-York a grande fra-
gata Dunderberg ( Montanha do trovo ).
E' urna immensa fragata ariete encouragada, de
5,000 toaeladas de registo e da forga de 5,0O0ca-
vallos.
O armamento deve constar de 4 pegas de 15 po-
legadas, Rodman, e de 11 ou 14 polegadas Dael-
gren. *
Tem 380 ps de comprimento e quasi 73 de lar-
gura.
A couraga pesa 1,000 toneladas.
O contrato garante-lhe como velocidade normal
andamento de 15 milhas por hora.
Tambem fui ha pouco lancado ao mar, do esta-
leiro de Sarauda Brothers, Milluwall, Poplar ( In-
glaterra ) o yacnt de estado Mahourrsse construido
para o vice-rei do Egyplo, debaixo das suas ordens
especiaes.
Este navio de rodas, o raaior da sua classe que
al aqui se lera construido ; tem 400 ps de com-
prido, 42 de largo, 29 de altura, e mede 3,200 to-
neladas.
Pouco depois, foi igualmente posla a nado, de
orna ouira carreira do mesmo eslaleiro, a fragata
encouragada Independencia, construida pela mesma
forma para o governo peruviano.
A eslaiislica offlcial, al ao 1. de agosto corren-
le, mostra que a esta feira do mundo, tem concor"
rido 300.000 pessoas.
O edificio, os objectos expostos e os jardins, es-
lao agora nao s completos, como em toda a sua
fre.-cura e belleza.
Os visitantes sao gratificados diariamente, cora
msica da melhor escolha, nao s pelas bandas dos
diferentes regiraeutos estacionados na cidade, como
igualmente por alguns dos mais distractos organis-
tas presentes, lano das calhedraes ioglezas, como
do continente.
Os terrenos pertencenles exposigao, esto lin-
damente adorn idas de vistosas planlagdes e embel.
lesados com liadas fontes e cscalas. A collecgo
de esculpiuras modernas foi, a semana passada
ainda mais enrequecida pela addicagio de algumas'
obras muito valiosas e attractivas.
O prego geral da eotrada a mdica quanlla de
ura schiliing ( 440 reis).
Esta exposigao no palacio de Crystal, em Lon-
dres, roi abena em 7 do corrente, comegando pelo
Curo da Alleluia tocado no grande orgao, e se-
guindo-se depois alguns discursos.
A exposigao, que contera muitos objectos e arli-
gos de consideravel interesse e alguns de grande
belleza, destinada a commeraorar o jubilo da paz
entre a loglaterra e a Kranga, que allingio 50 an-
uos sem iulerrupgo.
Os objectos expostos constara da usual miscel-
nea, indurado artigos de todo o genero, desde pia-
nos, pinturas, esculpluras de madeira, pedra e
marlirn at as cousas mais uleis.
A collecgo de esculpluras de madeira extraor-
dinariamente boa, e algumas de marfim tambem
sao muito dignas de altengad'7 mas a verdadeira
perola da exposigao ,ai figura natural de urna
aguia dourada, executada em cobre.
Tambem coutm modelos muito bem ejecuta-
dos, de diversas machinas, sobresahindo especial-
mente urna copia em miniatura, lindamente aca-
bada, da machina da fragata ingleza Minotaur, ex-
posia por Penn, um dos constructores. -v.
Sem duvida urr. tal reforgo seria preferivel ao de
qualquer outra nago.
Os nossos offlciaes, fallando a mesma lingua, ten-
do os mesmos hbitos, e idetica educago militar,
achar-se-hiara em familia no meio das tropas im-
periaes, e poderiam ser aproveitados com vantagem
no da em que ah chegassem.
Boro que exisla to boa disposico.
Pode de um a outro momento ser utllisada pelo
Brasil.
mente tornar hereditario o sen ofilcio.
Segundo a coost.taigao paraguaya, por elle mes-
j mo decretida, assislla-lhe o direito de nomear por
nha prova de gratido e enviaio ao. tbeatro dos
aeonlecimentos o mais depressa que vos for pos-
sivel.
Em um julgamenlo diz o jaiz a urna testemu-
nha :
E' preciso que voc se vista mais convenien-
temente quando vier a um tribunal ; esse modo de
apresentar-se nao decente.
V. Exc. nao tem direito de me fazer essa cen.
sura publicamente. Parece-me que estou to bem
vestido como V. Exc.
Que quer isso dizer ?
Quer dizer que sou um operario e que fago
como V. Exc. ; venho para aqui com o meu falo
do trabalho.
Acaba de ser absolvida em Washington ( merl-
ca ) depois de ura processo que darou muitos das
e eocheu duzias de columnas dos jornaes, urna jo-
ven chamada Harris, que sendo cortejada por ura
lal Burroughs, o malou, quando este, sem a infor-
mar da sua iniengo, esposou outra.
O assassinato foi commettido no edificio do Ihe-
souro, era presenga de numerosas testemunhas, e
a culpada nao fez a menor tentativa para fugir.
Quando o jury annunciou o seu veredictum de
nao culpada > orna immensa acclamagao e es-
trondosos applausos romperam do numeroso audi-
torio, associaodo-se a esta exploso do geral senti-
raento o paiz, o jury, os advogados e as testemu-
nhas.
A joven desmaiou nos bragos de um dos seus
defensores, que a beijon enihusiasticamente, e de-
pois de ter feito toroar a si, acorapanhou-a para
forado tribunal.
Na passagem foram-lbe deitados ramalhetes Ibe
flores, apertando-se homens e mulheres para de
tocar a mo ou beija-la.
*-;
de
L-se em um jornal francez :
Nos sales de Paris e Londres falla-se muito
nm dos mais ricos casamentes da Europa.
Um mancebo, o conde Soltikoff, addido embai-
xada russa de Londres, vai casar no prximo mez
com a filha natural de um habitante de Moscou
que possne as mais ricas minas de ouro e de co-
bre da Russia ; a fortuna d'esle homem calcula-
da em 400 milhes de francos ( 141:000 conlos de
reis).
Acaba de morrer de um mal desconMecido aquelle
honrado sapo, de mais de seis mil annos de idade,
cuja descoberta foi festejada ha poucos mezes pela
imprensa.
Muitos entendidos em molestias de sapos foram
cabeceira do seu leito de morte, mas debalde ; o
respeitavel velho soltou o ultimo suspir, com
grande magoa de lodos os naturalistas da Gra-
Breanha, a quem se mandava lodos os dias, pelo
telegrapbo, um bolelim especial, ioforraando-os do
estado do interessante enfermo.
Compromettemo-nos a dar brevemente a soa
orago fnebre, feita por ura membep de multas
sociedades sabias.
Ora, rei morto, rei posto.
O Court Journal de 29 de julho diz que ontro
batracio vivo acaba de ser descoberto em um pe-
dago de carvo das minas de Sherborn, que per-
tencem ao conde de Durhara.
Foi levado em triumpho casa do sherif de Du-
rham, onde nm constable chamado Wiliiam Hun-
ler esta especialmente encarregado de o guardar.
O que ha mais extraordinario nesta segunda edi-
gao do sapo 4 que o novo phenomeno nao tem
bocea I >
E' nma consa desconsoladora, porque nao pode
dizer quantos annos lem, nem contar a sna vida.
ERNAMBUCO.4nP. DE..M. F. DE F. 4 FILHO

v
-
---*--------


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAX7T113W_TX8E3D INGEST_TIME 2013-08-27T22:00:23Z PACKAGE AA00011611_10768
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES