Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10767


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
\
AMO IU HOMERO 210.
?or qnariel pago dentro de 10 das do i. niez : i
* dem deaois dos i.0' 10 das do conieco e deutro do quartel. .
Porte ao eorreio por tres meies.........., ,
5J000
6|000
750
QUIHTA FEIRA 14 DE SETEMBRO D1865.
Por aune yago dentro de 10 dias do I.* aei ,,,.,. 191000
Porte ao eorreio por um aone ,..... > 3$6QQ
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filaos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves-, Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gaspariaho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas eiras.
Santo Anto, Gravat, Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Boro
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
logazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, galgueo e Ex, as qnartas
(eiras.
|Sernbaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agoa Preta e Pimenteiras, as quintas
eiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e qnlntas.
Relago: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : qnintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as i i horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Prlmeira vara do eivel: tercas sextas ao meio|
dia.
Segunda vara do eivel: quartas t aabbades a 1
hora da larde.
EPHEMEIUDS DO MEZ DE SETEMBRO.
5 Lna cheia as II h., 33 m. e 16 s. da m.
12 Qnarto ming. as 2 h., 37 m. e 82 s. 4a m.
19 La nova as 8 h., 26 m. e 10 s. da t.
28 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 g. da m.
i* ------------------------------------------------------------------------------------------------------------__________
DIAS DA SEMANA.
II. Segunda. S. Theodora peo leme.
13. Terca. S. Macrobio m.; S. Liboro m.
13. Quaria. S. Auta v. S. Heronide m.
14. Quima. S. Materno b.; S. Salustia v.
15. Sexta. Ss. Nieomedes e Meletino mra.
16. Sabbado. Ss. Cornello e Cypriano mm.
17. Domingo. S. Pedro de Arbues m; Justino m
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as II horas e 42 m. da manhaa.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 14 e 30; para o cor:
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Ferran-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, insto,
ulbo, setembro e noverobro.
AS8IGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da lodependencl*
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da
Faria & Filho.
EXTERIOR.
Buenos-Aj res, 22 de agosta de i863.
A espectativa dos successos militares do Uru-
guay, mas claro, de urna grande victoria alcanzada
pela expedigao do general Flores, durava haviam i dondo, linha tambera qoatro batalhoes e tira esqua-
quinze das, e tanto importa dizer que ella se la | dro de ar.lilharia ; a 3' commandada pelo coronel
D. Mathias1 Rivera, constava de um esquadrao de |
artilharia, o regiment de cavallaria de linha e o
nacionaes de S. Nicolao, e o 1 de guardas naci-
naes de Corrientes; tres esquadres de artilharia,
o 1 regiment de cavallaria de linha, e as milicias
de cavallaria da provincia de Corrientes s ordens
do general Madariaga, compnnham 4 divisoes. A
1', sob o comraando do coronel D. Ignacio Rivas,
constava de 4 batalhoes e um esquadrao de arti-
lharia ; a 2\ s ordens do coronel D. J. M. Arre-
tornando impaciente, quasi angustiosa, porque, a
excessiva demora ioterprelavase J como de funes-
to agouro. Havia mesmo quera assegurasse que a
falta de noticias era indicio de que, em lugar de
victoria, tinha ido aquelle general adiar urna der-
rota, quando menos urna retirada desastrosa.
Qualquer destes factos teria sido urna verdadei-
racalamidade na siluaeo queja se desenhava nen-
ies paizes, menos pela* sua importancia militar do
que pela influencia poltica que havia de ter, eque
ninguem contesta hoje.
Em primeiro lugar a nova reunio das milicias
entrerianas se tornara rauito problemtica, desde
que o exercito adiado solfresse algum contraste ; e
nem assegurarei eu que em vez della nao se des-
envolvessemem Eotre-Rios movimentos anarchicos,
e inteiramente favoraveis aos Paraguayos.
Do Estado Oriental se chegou a dizer que j ap-
pareciam raontoneiras. Os jornaes de Montevideo
t O combate, tendo principiado s 11 horas me-
nos cinco minutos, terminou s 12 )(. (sto at o
momento da disperso, ou hora em que acabou a
peleja, e o facto de baver mas de 4,000 homens
de cavallaria, seno correntinos 1,300, faz acredi-
tar que nao escapar nm s saldado inlmigo para
levar a noticia.
Taes, tao prolixos sao os detalhes que d o in-
lelligente major Uribru, ao que ha a accrescentar
que sahida desse offlcial do campo de batalha cal-
culava se em 800 ou mais o numero de inmigos
mente o fogo incessaute da 2,000 parara, a artilharia abalou a linha, ., a der- O oA... bra.ileiro que deu esta noticia aceres-
o infernal logo de 40 pecas
algumas tajadas
eongrve, final
homens de ltanla
Galhardajle respondiam os navios imperiaes
a esse iremeodo ataque, e, ajudados da crrante,
em 23 a 30 minutos transpunham o espago domina-
do pela bateras.
enhua, porm, deixou do receber no seu case-
grande numero de balas, algumas que abram rom-
bos, onlras despedaeavam a mastreaco e obras
Io batalhao de guardas nacionaes de Corrientes;
I finalmente a 4* que era commandada pelo gene-
i ral Madariaga, comprehendia todas as torgas de
'cavallaria de guardas nacionaes da provincia de
Corriente?, que ero os regimentos dos coronis
Paiva e Reguera.
Uous batalhoes do imperio compunho urna
, brigada. .
No dia 16 marchando na direccao do Passo
;dos Livres, formando a cabeca da columna o exer-
cito oriental e a brigada brazlleira, adanlaro-se
elles at o arroio de Capiquls, deixando como tres
_* ***^*lt**** l-Wo ****1 *** qoe achando-se depo.s em Monte-Caseros,
mt? i >""' avancaram a passo de: tres leguas aquem do Miriohay, oovio tiros de pe-
SBM. SS22 as "luanas inimigas a bayo-1 ea na direccao do Uruguay. Seria que os Para-
l-minfit 0Sbrej98' sobre arr010 Y'y. e sobre BQavi>s tentassem nova retirada T Impossivel.
Por* La. i ._ ,._ Seria 1ae general Canavarro os atacasse na
rJ3.q2! i* Jalgaem que a batalha esta na povoaf3o, com auxilio, oa sem elle, do general
retirada das grrimas, ou arada no retrogradar Flores ? '
Imba mimiga, a brigada brasileira nao tomou Tudo Isso pode ser ; o que pode porm conside-
tomou a argentina, rar-se tora de duvda que essa columna esta' per-
dante era chafe da torca. Toda artilharia (tres pe- estrago que no combate do Riachuelo. d'eTtroco" dTcJwrari^Sn S^nnfh- tlt*',Lm SUa, rendico> O***1'
cas), bagagem. etc. ficon em poder dos vencedores. E assim deveser, pos o Amazonas recebeu 40 bauffis flteX^mo ?w2Sh 2_JZt efSad a IDVasao de ,n Quanto a parte offlcial do general Flores nao ha i balas, o Ypiranga mais de 30, e as ootras canho-, Sianto ao?deTSSSJda natr'ia oreanisado !lt S Immens?s resu ,ados qa ?a,ra
nada mais lacnico, mais espartano. E.-la : : ueras entre 13 e 23. aiTaEEJ!lfa wT_!^^^^0II,^S I H^nJpi?.!X:,-l0-da ***** e9*e desfalque
Exra. Sr. general D. B. Mitre.Um triumpho Entretanto nenhum navio chegou
morios ou ferldos, e em mais de 1,000 o dos pri- I mortas, de modo qne o Sr. Barroso, em carta ao parte inmediata' como nao
sioneiros, inclusive muitos offlciacs, e o comman- vice-almirante, (diz ter no material soffrido maior Mas se a batalha 6 o rhnniiA da, ; _-----'-------------""", '
rtnta Qm .h.r, a. tnrn. t^, ,.iih.,;, /.,= no_ I otp-.n n nn ...,mi,.> ,i bj_.i.-.i. 3au.e a fluas iinnas, e o dida, e com sua rendicao, que era negocio de ho-
em Montevideo, foi precisamente o que com mais I as forcas inimigas
ar, denodo pelejou. sustentando o peso do iuimigo,!
, .. _* To-;er,5asl ,e, ^a_rgfjj ^WE__V~_ I JS^tSffJSSiSSi
dos preencheram o seu dever no campo de bata- offlciaei os dingiam
c Iha. : projeetb.
Yatay, agosto 17.Venancio Flores. E na* pdedeixardedescobrir-senessacircums-
Esta parte foi escripia em um pedaco de papel | tanda orna nova Ilustrado para a marinha impe-
e a lapis, pois o general estava a cavallo, e expe- j rial. iNs combates como o de Riachuelo ostenta
partido blanco eslava em ebulco, e s aguardan
do o ensejo, talvez o sigoal, para lao^ar-se as
armas.
Finalmente as provincias centraes argentinas mos-
travara-se tibias em ajudar o governo nacional, al-
gumas muilo avessas a qualquer sacrificio, e d'ah
resistencia nao ba nestes povos seno um curto
passo.
Outras circumstancias que ocioso tora ponderar.
quarlos de ieguas retaguarda o exercito que cem- dindo as ordens para a perseguiQSo do dostrocado ella um enthusiasmo e ardimento
manda o general Pauoero, j ioimigo. agora, tnvolvida era descomraunal
> O general Flores recebeu aviso da vanguarda, | Em compensaco de nao poder escrever mandn
que era formada pelas milicias de cavalaria do ge j seu filho Eduardo, que aqui trouxe a noticia e se-
era! Madariaga, de que o inimigo avancava sa-1 guio hontem mesmo leva-la a Montevideo, onde
ser anda maior e mais cone-
eeneral Mitre nao tivesse at ul- foram as perdas inmensamente menores,
lava a dar a batalha no lugar em que se achava, \ lima data outras noticias que as trazidas pelos al-
isto alera do Capiquis. Um quarto de hora,
porm, depois recebeu outro aviso de que o inimi-
go se retirava para o Passo dos Livres.
t Nessa noite tomaram-se todas as precaucoes
para evitar alguraa tentativa de sorpreza, que o
inimigo desesperadamente quizesse fazer.
t No da 17 as 7 lii di minha poz se em mar-
cha o exercito cora direccao ao Passo dos Livres,
ficiaes Flores e Uribru, eu entendo dever trans-
'crever a carta olBcial que elle dirigi ao vice-pre-
: sidente da repblica, coramanicando-lhe a victoria
! de Yatay. Diz assim :
Quartel-general, 19 do agosto de 1863.Exm.
Sr. vce-presidente da repblica Dr. Marros Paz.
Meu estimado amigo.Um trmmpho compleio
, coroou a vanguarda das armas alliadas sob o com-
I__2_,,..I_Jb^I?aia",ltf. < A columna paraguaya que invada nosso terri-
torio pela margem direita do Uruguay toi comple-
tamente destruida,
t Envo em original a V Exc. a parte escripta a
Havia-se marchado urna le?ua quando pela lapis que do campo da batalha me escreveu o ge-
vangarda to communicado que o inimigo nao esta- neral Flores. O combate principiou as onze horas
va na povoaco, mas sira no Orabusito, que fica : e acabou s doze do dia, tomando parte nelle s
esperavara as noticias do Lruguay ; e como, se de 1 era coIuranas para||e|as com distancias para desen-
ltente, zombassem della, nunca vieram cora tanta volver em |joha ,evando serapre a vanguarda a
frequencia vapores da Concordia para que os jor-: divi;jao do genera| MaJaraga reforcada com a do
naes podessem dizer cada manbaa : t Mada na, genara| Gregorio Soares.
nada se sabe do general Flores.
Ante-hontem, domingo, a prima-noile, Isto, em
dia e hora que nao se esperava vapor do Uruguay, j
ara tiro de peca no porto annunciava que ah vi-
cha um, e que irazia novas de regosijo.
Urna hora depois ellas erara coohecidas, e o po-
vo que se achava nos tres theatros desta capital,
que lodos trabalhavara nessa noite, foi logo infor-~
mado do que havia por holetins verbaes Jeitos dos
camarotes por |j analistas que ah appareceram
Desses concursos, alias bastante numerosos, as no
ticias como que irradiaram em poucos instantes a
toda a popularn da capital argentina, vindo logo
os toguetes e repiques de sinos com s.ua certifica-
cao ruidosa e charlatiia leva-las aos que por muito
aflastados as ignorassera anda.
Mas lempo de da las tambem aos leitores do
Jornal do Commercio, taes como at este momento
sao sabidas, e sem prejuizo deaccrescentar o mais
que chegar a lempo de ser communicado pelo
Hecife.
As demoras que os rios e ribeires Impuzeram
columna do general Flores, de que ja fallei na ini-
nha anterior, nao podiam menos de ser maiores
para o corpo do exercito do general Paunero, que,
vmdo do centro da provincia de Corrientes parase
lhe incorporar, trazia com sigo numerosa artilha-
ria e bagagens.
De facto a juneco s leve lugar no dia 13, no
passo chamado do Santa Anna, que demora a sete
leguas do passo dos Livres ou restauracao (I).
As torgas reunidas ah constavam dos segulutes
corpos :
Brasileiros. Dous batalhoes de infamara de li-
nha, o e 7o, e um de voluntarios da patria orga-
nisado em Montevideo pelo coronel (RioGrandense)
Fidelis Paes da Silva, com 1,200 homens.
Orientaes. Os batalhe.- Florida, Vinte c qua-
tro de abril, e um de voluntarios engajados, que
commanda o tenc-nte-coronel Bustamente. Um es-
quadrao de artilharia com oto pegas raiadas, e va
rios corpos e legloes de cavallaria, formando urna
diviso as ordens do general Gregorio Soares, alm
do regiment escolia do general. Approximada-
mente 3,600 bomens.
Argentinos. Os seis batalhoes de linha de n-
meros 1 a 6, os outros dous chamados legioes-mili-
tares, (que sao era grande parte soldados euro-
peus), tres batalhoes de guardas nacionaes, tres es-
quadres de artilharia com 2i pegas de excellente
artilharia, um regiment de cavallaria de linha, e ^
dous corpos de milicias correutinas. Com 4,300 ho- 0M
mens.
Eram, pois, mais de 9,000 soldados, porm sol-
dados como nao os ha melhores na America, por-
que dos tres exercitos achava-se ahi a flor, e do
argentino especialmente quasi tudo que lera em
torga de linha, sua excellente artilharia, e Chetos
condecidos pela sua pericia e bravura.
Nao podia por tanto haver receio de urna derro-
ta, a menos do que o inimigo se revelasse com tor-
cas inmensamente superiores.
Ao contrario todo o temor era de que elle tentas-
se escapar-s?, transpondo o Uruguay, nica forma
que lhe restava para o lazer.
Mas assim nao foi.
As cavallarias correntinas, s ordens do general
Madariaga, observam-o de perto, e de hora a hora
o general Flores era informado de seus movi-
mentos.
A columna paraguaya, que era a mesma viada
della meia legua para o norte.
Variando a direcgo um pouco esquerda,
contioou a marcha oa ordera anterior, e tendo-se
andado como vinlequadras, soube-se que o inimi-
go, sentindo-nos approximar,|preparava-se para re-
sistir. Nesse momento nossa cavallaria de van-
urna porgao de nossas torgas.
t Al essa hora em que continuava a persegul-
go, e se faziam prisioneiros, ficavam no campo de
batalha como 700 a 800 mortos do inimigo, mais da
1,000 prisioneiros, entre elles Duarte, o chefe da
! columna invasora, e toda a artilharia, podendo as-
com o brigadeiro Canavarro, era que corabinaram
o plano de operages.
Segundo as declaragoes do major Duarte e mais
oQieiaes prisioneiros, nao excede de 7,000 homens
essa torga, e considerara-a perdida.
A' ultima data constava qoe ella, abandonando
a Urogtiayana, tentava relirar-se ao Ibicuy, cami-
I nho de S. Borja, sendo bostilisada pelas torgas do
. general Canavarro.
Da sua frente o general Flores, ou passaria logo
para o terrilorio do Rio Grande Jcora seus 10,000
homens, ou seguindo pela margem correnlina do
Lruguay, ira pasear este rio em Itaquy, ou alm,
sahiudo ento pela frente a columna paraguaya.
Como eu bera suppuz e o disse em minha passa-
; oa carta, a presenca da esquadrilha brasileira na
, Lruguayana tena sido de incalculavel beneficio:
adlaniando pela margem do Paran ella descera,. nada men,s que passar o general Flores, e 24 ho-
eucontrando talvez uovas bateras at que o exer- ras depois de Yatav, bater a outra columna Para-
cito alhado avangando por trra, lhe permuta su guaya
to argentino, augmentando lhe a brigada brasilei- gue al essa cidade no vapor Buenot-Ayres, D.; bir dt**bvo, varrendo ento com auxilio dos en-j Felizmente anda a MamMtfj- rhP ra ; e que na mesma forraigao era que esuva en-1 Eduardo Flores, filho do general, que tem ordera couracados essas improvisadas, se bera que terri-' lemD0 de Dres_r^_5T_Sfc^ TVnVsSbMn n
trasse na linha de batalha, que elle a estabelecer de seguir al Montevideo, levando esta fausta no- veis defezas, que os Paraguayos tem levantado so-!'
com a nantaria e artilharia oriental. ticia. bre os rios.
Com essas tropas adiantoa-se elle anda duas j Segundo o general Flores e o general Paune-; &; A'ao devo passar em silencio urna circums-
quadras at descobrir a linha inimiga ; para o con- ro, lodos preencheram gloriosamente o seu dever, tancia que se deu ao chegar a noticia da passagem
seguir dispersou em guerrilhas as companhias de 1 tendo-o a seu turno cumprido dignamente o seu os | de Cuevas.
cagadores dos seus quairo batalhoes, as quaes re-1 dous geoeraes. a quem bavia eu encommendado a Todos os jornaes desta cidade deram supplemen-
chagaram as do inimigo que se achavam no pri 1 parte mais dimVil desia operago, vencendo toda a j ios levantando as nuvens a bravura do pequeo
meiro^ vallo. elasse de obsiaculos, com especialidade o general'
Nesle momento,' e ao cstabelecer a linha de I). Venancio Flores, que a dirigi como general em
batalha as torgas inimigas que a executavam indi- : chefe, levando debaixo de suas ordens as tres baa-
naram-se para nossa direita, o que obrigou as tro- 1 deiras das nages alliadas.O Estado Oriental, o
guarda veio oceuparfa nossa esquerda. I segurar-se que todo o resto ter cahido prisiooeiro,
a O inimigo, oceulto alm da canltada (2) do pois nesse sentido obrava cora actividade e iotel-
Ombusito, tomou suas posigoes, entrando era urnas' ligencia o general Flores.
chcaras com arvoredo, e cercadas de vallos corn 1 j t Igualmente junto a V. Exc. copla da parte do
1)3 de largura e 2 de profundidade, pondo seus J general Pannero, escripta do campo de batalha,
cagadores nos primeiros vallos e estendendo sua trazida pelo capito D. Napoleao Uribru, que me
linha no fundo da canhada, tendo frente e nos pedio para regressar inmediatamente a seu campo,
flancos os cercados de vallos. aura de tomar parte as novas glorias que aguar-
1 O general Flores em pessoa deu or lem ao ge-' dara a seus corapanheiros.
neral Paunero para tomar o coramando do exerci-
e muilo certo que sobreviva aos ferimentos.
Reeonhecamos tambem o que de justiga : tan-
to as tropas orienlaes como argentinas combateram
inexcediyeis; com urna bravura superior a todo elogio, e se em
e inevitavel pe- lugar de 3,000 houvesse all 13,000 Inmigos te-
r.go rnastra-se serena, estoicamente brava, imper- riam de igual sorte suecumbido ao denodo dos sol-
1 11 dados das lres naSes-
c? Slti. Li. 1 Mas... suum cuiquel tambem os Paraguayos
nJLfttli. % f- s,lag0 S&P* m br,arani co"i denodo. Seu chefe, o major Duarte,
pessoal, gracas as prev.soes do Sr. chefe Barroso, acuda aos pomos de maior perigo, proclamando
.. jores. as tropas, e quando se vio cortado com urna parte
-r$?K0_ par,.des^ chefe houve ao todo me- da sua infamara, entregou cora toda a calma e dig-
alfertt OT- l? f ^r^ Sea0 T'08,0 Sidade sua esPada e *"** Dous tercos dos of-
util1S1 -5UrJS Uch0e";an0S Ma,rel" 0ciaes Pafae^ys morreram brgando, e dos sol-
lino Barbosa Leal, o guarda-mannha Joaquim Can- dados... ha 1 TOOsohre 1 leiva
maldiU1 ft > coroDel J'del,s' aa,co chefe das I se rendesse ao general Canavarro, e que "ainda o
idas que sabio gravemente ferldo. Nem fra daoa resposta alguma. A presenga da esqua-
drilha lera' sido, em todo caso, um bom consdho
dido do Nascimento, e mais 17 pragas de marinha
gera e Iropa. Feridos houve 29, nao contando-se
nenhum offlcial.
Essa perda assim delalhada a' vista das partes
ofllciaes dos commandantes de navio:
Canhooeira Bebertbe, 5 mortos e 9 feridos.
dem Iktjahy, 3 mortos e 8 feridos.
dem g, 4 morios o i feridos.
dem ente, 2 mortos e 2 feridos.
dem &ranffo, 1 morto e 7 feridos.
dem Jppim, 1 morto.
Transarle Apa, 1 morto.
dem Pepert-guan, 1 morto e um ferido.
Barca Qnaruhim, 1 morto.
Tolal 19 mortos e 29 feridos.
Na joahy houve urn ofHcial e i pragas contusas.
Completando estas noticias junto urna carta-dia-
rio receida da esquadra, e escripia por pessoa
competante. Pareceu-me o melhor meio de satisfa-
zer a avidez dos detalhes, que um feito semelhante
deve ahi produzir. ,
Resia-me acrescentar que a esquadra chegando
completa, se bem que estropeada, ao Riacao de So-
to, ahi se conservara' por emquanto, fazendo os
reparos que lhe sao indispensaveis e urgentes.
Depois, e a medida que os Paraguayos se forem
Tal fo a batalha de Yaiay, a primeira que as
armas alliadas deram e ganharam contra o com
mum inimigo, e outras nao de vir logo.
De faelo a derrota da columna paraguaya da
margem direila do Uruguay envolveem si a da co-
lumna que tem dominado a margem esjuerda, ter-
ritorio do Rio Grande.
ao teimoso chefe.
O coronel Fidelis esUva com orna perna frac-
turada. A perda de nossts batalhoes no combate
de Yatay de pouca importancia.
Agora... at o alcance do Merseu, em que
espero comraunicar a noticia de que 7,000 Para-
guayos sao nossos prisioneiros de guerra, e que o
territorio rio-gradense esta' livre desses vn-
dalos.
28 de agosto
Ultima hora.Nao vieram ainda do Uruguay as
Importantes noticias que se aguardavam ; todava
prometterp-as para muilo breve as que o Patn aca-
ba de trazer.
Nos dias 23 e 24 o general Flores effectoou a
passagem de sua artilnaria e infamara para a mar-
gem esquerda, territorio brasileiro : a torga que
pasaoo excede de 6,000 homens com 40 pegas de
ar til-aria.
de aecrdo.
A torga inimiga que se encerrou na lruguayana
consta de 8,000 homens, e apenas tem cinco pegas
L.ogo depois da batalha o general Flores poz-se de pequeo calibre. Todava tem-se fortificado, e
iarece mesmo que leve conferencia | conia-se que se defender' com tenacidade, anda
que sem a menor esperanga de snecesso, pois sera
recursos de alimentago, e fulminada por urna ar-
tilharia numerosa, lera' logo de render-se, visto
que nao possivel vir torga alguma em sea au-
xilio.
O geoeral Flores mandou um Italiano ao gene-
ral paraguayo, intimando-me a rendigao. A res-
posta foi mandar fucilar o infeliz parlamentario.
O general Mitre expedio da fronteira munigoes
em grande abundancia para as torgas alliadas, que
no dia 23 devem ter principiado o bombardeamen-
to. Elle devia durar dous dias, depois do qual a
praga sena assaltada por trra e pelo rio, pois all
eslavam as duas canhoneiras idas do Salto.
Conseguintemente, hontem ou o mais tarde hoje
a columna paraguaya estara' rendida, e terminada
a invaso do Rio-Grande do Sul.
Nao se sabe onde se achava o Imperador, nem
as torgas de infamara que de Porto-Alegre e Rio-
Grande haviam marchado para a fronteira.
No enianto presmese que tero chegado a tem-
po de tomar parte no ataque da Urugoayana, o
aluda que o Imperador podera' assistir a rendigo
da praga.
No Pavn veio o major Duarle, chefe prisioneiro
da torga paraguaya aniquilada im Yaiay.
pas que deviam formar nossa linha a oblicar para
a esquerda. Este movimenlo lizeram-o a marche-
marcha, fazendo despregar grrimas as compa-
nhias de cagadores de lodos os balalhoas; os cor-
pos lizerara alto para enirar na linha de combate,
emquanlo os cagadoresjae tnham avancado at o
imperio do Brasil e a Repblica Argentina felici.
lam-se por este glorioso triumpho de suas armas-
Eu felicito a V. por lio brilhante |resultado,
que prepara o termo feliz da guerra a que tomos
provocados.
Opportunamentc transmitlirei offlcialmente ao
segundo vallo tjroleavm ao inimigo, que responda governo os detalhes que alcaugar sobre esse impor-
cora ura nutrido fogo de batalhoes. | lante triumpho, esperando que, entretanto, bao de
t U esquadrao de arlilharia s ordens do gene- ser apreciados dignamente por elle os nobres pe-
ral Borges vio-se embaragado de avangar pelo pri- rigos e os generosos esforgos dos valentes chees,
raeiro vallo, e demorava entrar na linha no mo-; olliciaes e soldados que o alcaogaram.
ment preciso. Conhecondo isto o general Paune- i t Esperando ter brevemenio a satisfagao de an-
ro mandou o esquadrao di artilharia da primeira nunciar a V. a derrota completa da columna pa-
divifo, commaudado pelo major Macdon, avangar raguaya, qua marcha pela esquerda do Uruguay,
pela direila do esquadrao detido, evitando os vallos, > em cojo sentido tem-se combinado o que convm,
c entrar na linha j ento formada. despego-me de V., dando-lhe um forte abrago de
vapor argentino Guarda Nacional, que se achajun
to esquadra brasileira ; desta, porm, nao dizia
urna palavra, urna s I
era parou aqui o estranho proceder : as cor-
respondencias escriptis daquelle vapor aos jornaes
inclusive pelo cheto Muratore, havia um silencio
calculado e da insinuago contra nossos navios.
Dahi o povo deduzioas maiores extravagancias :
a esquadra brasileira tinha fgido, abandonara o
Guarda Nacional, este brigra ssinho contra a ba-
tera, desmontando-a em grande parto
Sallo a 19, no dia 22 tera' chegado a Lruguayana,
e se fr necessario subir' at o Ibicuy.
As canhoneiras que subiram sao a Taquary, a
Maracan, e talvez alguma outra, alm de dous pe-
queninos vapores, lanchas, etc.
A esquadrilha vai commandada pelo capitao de
fragata o Sr. Lomba, bravo e inlelligenle offlcial ;
mas ainda assim seguio hontem para o Uruguay o
Sr. visconde de Tamandare, que preteode ir alcau-
ga-la.
Como nao esperar um resultado completo de
operacoes combinadas com tantos elementos, e di-
rigida por homens tao abalisados?
Para mim fra de dnvida que antes de 13 dias
tera' cessado a invaso do territorio 1 io-grandense
por torgas paraguayas; as que nao torero aniqui-
ladas tero fgido espavoridas Uruguay a:m.
Olvidava dizer que momentos depois da bata-
Facil comprehender a indignagoque esta par- na de Yatay o general Flores enviou seu secreta
i'iali i i'\: devia cau-ar, sobretuJo aos que tnham
as raaos as partes olliciaes mostrando as perdas
da nossa esquadra, seu numero de mortos, etc.
Felizmente a reaegonao lardou a pronunciar-se
e sahindo nessa tarde o Nacional, um dos melho-
res joroaes de Bueaos-Ayres, suas corresponden-
cias mais imparciaes e completas rectificaran] as
de seus collegas. No da seguinto estes mesmos
P
fez
o esquadrao de artilharia da 2" diviso, s ordens I poudecia, encerra-la-hei aqui sem esperar novos
do coramandante Nelsoo, apenas entrou em linha detalhes, ou partes da batalha de Yaiay.
fez fogo sobre o inimigo mesma distancia que o Nao creo mesmo que as dos generaes em chefe
anterior, de modo que o fez por em retirada, mas sejam mais circunstanciadas do que a narragao
ao querer effeciua-la sua torraago de batalhao con- do intelligente capitao Uribru que ahi deixei trans-
verteu-se em urna massa informe, sem regularida- cripta; e pd; ser que o sejam menos,
de alguma para se lb dar o norne de columna ;! Em commentarios apenas farei o do que pare-
nessa massa eslava envolla sua cavallaria, ariiiha-; cem ter sido quasi exclusivamente as tropas orien-
ra, etc. taes que combateram no primeiro momento, che-
Mais alguns tiros de pega tornarara decisiva : gando as argentinas e brasileiras s para tornar
retirada do inimigo, porm nao toi sem que per-) decisiva a derrota ; e ainda s s primeiras coube
Jessein o terreno palmo a palmo, e combatendo : a felicdadn de fazer prisioneiros.
heroicamente. .Nossas companhias de cagadores Va dilo sem malicia : nao sao (elizes as nossas
chegaram a toca-tos cora suas baionetas ; todos os torgasnos resultados quando bngam juntas com
batalhoes em columna avaugaram, reforgando os cora as outras.E' cansa de preferirmos sempre
cagadores at transpor os vallos, que obsiavam andar sos.
xageragao mexicana de seus felosa inexpene
cia era causas de guerra naval nos corresponden-
tes que.tnham a seu bordo varios jornaes.
Chegaram as parles olliciaes dos generaes
Flores e Paunero sobre a batalha de Yatay, mas
nao coutm ainda ellas os dolalhes que se espera-
vam, e sao promettidos para depois.
Todava dizem o esseacial sobre o resultado dessa
jomada, que nao toi outro do que o aniquilamento
rio a presenga do Imperador, onde quer que elle
; seachasse, para comraunicar-lhea victoria e felici-
tar a Sua Magestade. lsse secretario o Dr. Her-
rera, mogo Iliterato e muilo dslincto.
Espera-se hoje vapor do Uruguay; mas, nao
tendo chegado al esta hora, as noticias que trou-
xer s podero ir pelo Alersey.
Quanlo a factos, alm das operagoes milita-
res, nenhum de maior importancia tem aqui occor-
rido. Ainda que houvesse, talvez passaria desa-
percebido por estar a attengo publica concentrada
naquelles outros.
I Seguio para o Paran' a canhoneira de guer-
ra italiana Veloce, levando comsigo duas ou tres
' escunas para recolner os subditos e familias dessa
nacionalidade as povoages oceupadas pelos Pa-
raguayos.
A proposito dessa viagem da Veloce tem havido
ESQUADn.V BRASILEIRA NO PARAN.
Carta diario sobre o facto de Cuevas. Dia 9 de
agosto.
Chegou hontem a' noiie o vapor Esmeralda, e
regressou esta tarde. Correu a noticia de que o
almirante mandara ordem para a esquadra descer
para baixo de Cuevas. Os commandantes recebe-
rara-a de nnnha para o dia seguinte.
Dia 10.
A's 8 horas da manhaa suspendeu toda a esqua-
dra seguindo na frente a Ivahy, depois a Itajahy,
logo atraz o Bebertbe, em seguida o Amazonas, e
assim os mais navios al o Ypiranja, que cerrava
a linha. O Guarda Nacional (vapor argentino) vi-
nha as aguas do Amazonas. O Apa trazia aos
cosiados o bngue transporte, e a barca Quaraliim,
e a Meanm a chala de gado.
A' 1 hora passamos por Pella-Vista. Adiante
como duas ou tres leguas avistou-se sobre a costa
do Chaco urna palhoga com alguma gente, e urna
bandeirinha branca : d'ah parti urna pequea
canoa com dous homens, que atracou ao Amazonas.
Pouco depois fazia esse navio signal para fundear,
o qual foi em seguida execulado. As escunas que
estavam comnosco no iimboril acompanbaram
vela a esquadra, e com ella fundearam, excepto
urna que seguio sempre aguas abaixo.
Dia 11.
A gente que se vira sobre o Chaco havia fgido
de Bella Vista aterrorisada pela barbaridade e ca-
nibalismo exercidos pelos inmigos quando ahi en-
traran! a segunda vez. As scenas horriveis que a
polmica sobre ter ella, ou nao solicitado salvo- decencia faz calar, de que loi victima a populagao
conducto do governo argentino e do almirante bra- Ja mesma provincia de Mato-Grosso, vao-se repro-
sileiro para Iranspr a linha do bloqueio. A Nacin i duzindo agora em Corrientes. Barrios, que man-
marcha regular das tropas.
Nossa esquerda, que era a 2* diviso, nao tendo
de S. Borja pela margem dirta do'Uruguay, occu- |ni na gua ; fa conversao a direita, lo
paya o povo Passo dos Livres em torga do 000 a inanao es(e muvi d fl
3,o00 homens, quasi lodos de infanuna, e com tres
ou quairo pegas de artilharia.
No dia 16 pareceu que essa torga lentou sahlr ao
encontr das do general Flores, mas nao passou de
urna arrumacao.
F-lo no eniantocora loovavel d nodo.se melhor
fosse a causa, na manha do da 17.
Como al urna legua do Passo dos Livres adian-
tou-se formando sua lioba de combate por traz de
alguns vallos, e amparando-se de arvores o tudo o
mais que e terreno oOerecia.
O general Flores, dividindo seu exercito em tres
<;ornos, que ormavam as alas e o centro, com dis
tancias para desenvolver em linha, l lo adiantar
em columnas parallelas, segurado so logo a bata-
lha, qoe toi rpida e decisiva.
Em lugar, porm, de en continuar fazendo his-
toria propria sobre a batalha, julgo mais acertado
transcrever aqui os detalhes tornecidos a Nacin
Argentina pelo seu correspondente da Concordia,
que declara serem eseriptos- pelo major Uribro,
ajudante de ordens do general Paunero, qne levou
3 noticia ao general Mitre.
Diz, pois, o Sr. Uribro :
< O exercito compunha-se da segninte forma :
t Os batalhoes orientaes, que sao o Florida e o
Vinte e quatro de Abril, a legio de voluntarios de
Bustamente e os voluntarios do coronel Fidelis, for-
mando os quatro batalhoes duas brigadas s ordens
do coronel D. Leo de Palleja. O esquadrao de ar-
tilharia do exercito oriental, com 8 pegas, sob o
commando do general D. Nicasio Borges. A caval-
laria do mesmo exercito (com excepgo do regi-
ment escolta do general, do commandante D. For-
tunato Flores) commandada pelo general D. Gre-
gorio Soares.
c O exercito argentino com os batalhoes Io, 2o,
3o, 4, 3 e 6, as Tegies militares 1* e 21, o bata-
lhao 1* de goardas nacionaes, o Io de guardas na-
(1) Pela ultima vez dire que por estes dous no-
mes desgnalo o povo correntioo qne Oca vis-a-
vis da Urogaayana.
ni-
mgo, e corlando-Ule de 300 a 600 prisioneiros,
entre elles o commandante era cheto das tropas
inimigas major Duarte.
A artilharia nao tez mais fogo, porque nossa
infantaria, circulando quasi o inimigo fazia so-
bre elle, um fogo vvssimo, que alias era contes-
tado por elle com igual vigor apezar de ir perden-
do terreno.
t Neste momento o 1 regiment de cavallaria
de linha deu Ihes urna carga soberba, porm nao
conseguio senao diminuir o numero de inmigos,
tendo de retirarse nao s pelo fogo dalles, mas
tambem pelo de nossas infamaras. O regiment es-
colla do general Flores lambem deu algumas car-
gas, mas com igual resultado que o 1 de linha.
O inimigo inclinou-se para nossa esquerda,
afira de passar o arroio Yatay, pelo nico passo
pralcavel, mas achou-se llludido em seu intento,
porque as columnas de cavallaria dos generaes Ma-
dariaga e Soares lh'o impedirn), trancando Ibes a
passagem.
< Entrando nos banhados (brejos) Acarara aper-
lados em nm rioco que forma a confluencia do
arroio Yatay com o no Uruguay, e ento o esqua-
drao de artilharia da 3* diviso, s ordens do ma-
jor Viejo-Bueno, adianlando-se at poder fazer fogo
sem ferir nossos infantes, disparou-lhes alguns tiros
de metralha, que os obrigaram a atirar-se a nado,
mis ao arroio Yatay e outros no Urugay. Tambem
muito nfluiram para isto os batalhoes orienlaes
Florida e Vinte e quatro de Abril, pois, ponetraram
nos brejos al onde poderam fazer p.
D'ah em diante a disperso do ininigo foi
completa. Do lado opposlo do Yatay viam-se sabir
completamente us os que se linbam atirado nesse
arroio, e ordenava se a cavallaria da esquerda, a
mesma que Ibes trancara o passo, toma-Ios prisio-
neiros, de modo qne fra de dnvida que nenhum
escapar. A cavallaria da direita persegua aos
U|ue tinham tomado a margem do Uruguay.
(2) Canhada, valle fundo.
Ao menos ha um ponto que convm seja escla-
recido : por que formando a brigada brasileira a
cabega da columna com os batalhoes orientaes, foi
depois, nojnomenio do combate mandada reunir- raguayos em nao se quererem render, preferindo
proprio general Flores.
Mas o general Paunero contossou urna verdade
bem tristea de que bouve urna carnigariane-
vitavel, diz elle.
Npm precsava que elle o dissesse : de nma tor-
ga de 3,000 licarera mortos quasi duas lergas par-
tes facto eloquentssimo por si s.
Diz-se que a isso deu causa a tenacidade dos Pa
se a diviso argentina, que ficava para formar,
mais longe, a linha de batalha ?
Se os baialhSes orientaes tinham que avangar,
por que desacompanhar-se dos brasileiros no cahir
sobre o inimigo?
Foi no general Flores ambigo de gloria exclu-
siva para seus Orienlaes ? Foi para poupar o san -
gue brasileiro?
Seria bom sab-lo em tempo.
26
Se urna importante noticia communicava en ha
quatro dias aos leitores do Jornal do Commercio,
outra tenho hoje a transmttlir-lhes, qoe sendo de
menor vanlagem pjsitiva e immediata, mais glo-
riosa, como mais exclusiva das armas brasileiras.
Pertence esse feilo esquadra.
Longos dias tinha-se ella mantido fnndeada na
volta do Chimboral, algumas leguas cima de Bol-
la-Vista, apezar desse ponto ter cahido em poder
dos inmigos.
Talvez se na esquadra eslivesse o bravo viceal-
mirante, ou o Sr. chefe Barroso tivesse facoldades
bastantes para operar como emenda melhor, a es-
quadra tivesse descido antes, e a tempo de nao sof-
frer o minimo contraste.
E' o certo, porm, qne ella no dia 9 recebeu do
Sr. vicealmirante ordera para se vir collorar abai-
xo da passagem de Cuevas, que era possivel forli-
ficassera os inmigos por existirem ahi grandes bar-
rancas e ser estreito e tortuoso o canal do rio.
No dia 10 sahio a esqaadra do Chimboral, e a
12, indo passar aquelle ponto, veriflcou que nelle
haviam os iniraigos construido fortes bateras e
reunido tres a quatro mil homens de infantaria, de
modo que a passagem apresentava os maiores pe-
rigos.
Nem assim hesiloa o digno cheto o Sr. Barroso
em cumprr a ordem que recebera do Sr. vice-al-
mirante, e investlo a passagem com um denodo,
que sens oficiaos, marinbagem e tropa coraprehen-
deram e secundaran).
Ao enfrentar a batera receberam as canhoneiras
a morte certa. E possivel a rano, mas nao pos-
sivel, sabendo-se que essa tropa s escapou do cara
lempo de que acabem nestes paizes.
Do exercito vieram a esta capital o Dr. Pon-
tes c seu secretario para solicitarem de nosso mi-
nistro algumas providencias sobre o strviga medi-
co, de que o primeiro actual chefe.
Diz se que na Concordia foram presos nos
padeiros por dizer-se qoe foroeclam as tropas bra-
sileiras pao envenenado com vidro moldo. Parece-
me o facto inverosmil, mas dou-o como circula.
Espera-se boje do Paran' o.vapor Apa, que traz
a seu bordo alguns feridos da esquadra, e prisio
po de batalha para cahir nos brejos. ou atirar-se a neiros paraguayos. Ha noticia deque a seu bor-
nado no arroio, sahindo us e sera armas, ao me-: do morreu o chefe paraguayo Alcaraz, que cahio
nos sera munigoes na margem opposta ? prisioneiro e gravemente ferido no combale de 11
Resiste anda a render-se o soldado em tal sita-. de junho.
gao, por mais fanalisado que se ache I Terminarei com urna noticia para os dilettanli.
Eis o que os generaes do exercito alliado devem No Mersey segu para o Ro de Janeiro, levada
inquerir, alim de que a causa da bumamdadee ci-; pei0 Sr. Pestalardo, a companhia lyrica que aqui
vihsago, qne se detonde no Paraguay, nao appare- trabalhava, coraposta de Briol, de Celestino, Wal-
ga banhando-se era sangue de vencidos. | ter, etc. Ho de notar os extraordinarios progres-
Era todo caso, se e corto que houve carnificina sos que a Bri0| tera feil0i rae|norando mesmo con-
ociosa, e por isso mesmo iodisculpavel no Yatay, slderavelraente no seu physco. Amanha tera' por
fique consignado que nella nao tomaram parte despedida urna grande ovago, pois aqui rauito a
torgas brasileiras, e nem talvez argentinas de pro- estimam e apreciara.
vincias mais cultas, como Buenos-Ayres. Tendo 1 uiiima hora.-Noticias importantes e com carac-
sido a perseguigao dos fugitivos realisada pelas ter offlcial acabam de chegar do Uruguay, pois sao
milicias correntinas de cavallaria e a torga orien- communicadas, segundo rae consta, pelo sr. mare-
tal da mesma arma, sao ellas que necessariaraente chal Osorlo em oficio de 23 do crreme,
ho de ler feito a maior malanga. n0 dia 19 as torgas paraguayas que oceupavam
De resto eu sei bem que os Correntinos, vendo a Uruguayana abandonaran) esta cidade, pondo-se
sua provincia assolada pelos soldados paraguayos, em retirada para o Ibicuhv : sahio-lhe, porm a
tera motivo para serem implacaveis cora ura ini- frente o bngadeiro Canavarro com as torgas que
migo, que os veio aggredir sem razo e Iraigoeira
mente.
Juntando a esta carta as partes ofllciaes a que
cima me refer, bem como a que o general em
cheto, o Sr. Mitre, dirige ao governo argentino,
julgo que devo ainda accrescentar algumas consi-
deracoes.
Nao esl bera definida nesses documentos a par-
te que conbe na jornada de Yatay a brigada bra-
sileira (5* e 7o batalhoes), qoe nella se achou. L-
se mesmo em orna folha de Montevideo : < a briga-
da brasileira chegou tarde, ou nao chegou. >
O que ha, segundo dedazo de varias pagas ofi-
ciaos, e innmeras correspondencias dos jornaes,
qne tud > lenho lido com altengio, o segninte :
A brigada brasileira foi reunida s torgas ar-
gentinas para formar a linha de batalha, emquanto
os lres batalhoes orientaes e o de voluntarios, or-
gamsado pelo coronel Fidelis com dinheiro dado
commanda, e depois ee um vivlssmo fogo de 3 ho
ras, pz o ioimigo em lo grande apeno, qne elle,
qoeimando metade das carretas, refugiou-se de
novo na Uruguayana, o qne importa a conflsso de
que nao tem mais retirada, e talvez de estar dis-
posto a capitular.
De facto naquella povoaco acha-se o inimigo
baldo de todos os recursos, cercado por perto de
12,000 homens, alm do outros tantos qne eslavam
com o general Flores no Passo dos livres, isto ,
defronle Uruguay por meio.
O general Flores apenas rbegasse a esquadrilha
passaria sen exercito e poderosa artilharia, fican-
do os Paraguayos rodeados por 20,000 homens de
tropas superiores I
Ora, segundo participa o mesmo general Osorio,
no dia 20, a esquadrilha passou pela barra do Mi-
riohay, defronle do Quarahim, que demora a 12
leguas da Urugnayana. Erara 2 horas da tarde,
ter na noile anterior o ioimigo accumulado sobre
Coevas tropas, e 30 a 40 pegas de artilharia, algu-
mas de grosso calibre, para nos impedir a des-
oda. Houve ordem para descerraos no dia se-
guinte.
Dia 12.
A's 9 horas suspendeu toda a esquadra irazendo
ada vapor urna escuna ao costado de E. B. A ca-
nhoneira Ivahy, qoe servia de testa da columna, em
quanto alguns navios faziam a volta, e entravam na
linha, aproximou-se a' barranca e rompen o fogo.
O inimigo nao querendo sem duvida dar a conhe-
cer a sua torga, responden lentamente. A esqua-
dra ento, que ja' se achava toda em linha, apro-
ximou-se, e ao signal do Amazonas, navio almi-
rante, a Ivahy e Itajahy investirn! a barranca, se-
guidas de toda a esquadra.
Ento rompen do inimigo um fogo de artilharia
violentissimo e destruidor, que assemelhava-se
grandes descargas de fuzilaria, tal era a vivacidade
e o estampido dos canhoes. Nossa artilharia con-
lestava enrgicamente esse fogo ternvel, quasi a
queima-roupa. e a nossa offlclalidade e bravos ar-
tilheiros a prsenla vara essa presenca de espirito,
essa coragem heroica, de qne ja' teem dado tantas
provas.
O ioimigo escolhra urna posigao magnifica. Ti-
nha realmente 36 ou 40 boceas de fogo, algumas
de grosso calibre e ontras raiadas, alm de 8 oa
10 estalivas de fognetes a' coogreve e fuzilaria, in-
do convenientemente disposto, e de forma tal que
batiam os navios nm por um, de proa, de travz e
pela popa.
De 20 a 30 mnalos toi o tempo qne estove cada
navio debaixo desse fogo terrivel; entretanto ha
navios que receberam 20 e 30 balas ; isto quer di-
zer que levaram urna bala por minuto I
Comtudo a esqoadra toi muilo feliz ; o dedo de
Deas parece que nos tem sempre guiado as mais
criticas circumstancias 1
O Ypiranga, que cerrava a linba, teve, por sua
pouca marcha,- qoe receber quasi qne solado o fo-
go da barranca. Mais oa menos todos os navios
liveram avarias; muitas balas vararam-lhes o cos-
tado e os maslros, e espatifaram as amuradas, trin-
cheras e escaleres. Os qne, porm, mais soffre-
ram foram o Ypiranga, qoe lem balas ao lame
d'agua, a raaslreago varada, e a amarada muilo
arruinada, devendo-se a' sua excellente constrac-
gao nao ter fleado totalmente armiado; o Amazo-
nas, que soffren tambem na mastreagSo, e no eos-

-






1
Diario de Fernafltbnco

i=
i.,,. ira 14 de Miembro de 1886.
se ser de 23 homens par dia
C^rro Leon, e ver-se-ha que
no acampamento da
o Paraguay ja lora
Ni,, podo o infrascripto fater mencio especial
tado indo urna hala a' machina ; o Itajahy, que de-1 entra os quaes se corita o lente Altar*, com
baixo Ja barranca l perdendo o governo, "por Wr] mandante do Salto.
rerebido uma bala de 36 na caneca do leme que j erJornapseBuenos-Ayresfarem niuitos elogios perdido perlo de 20,000 homens. ouom" terco aa enVu
esfaxeoo-a, alm de outra no costado que o vara- aoaju*** mdicos pe.os_servigos prestados aosfe- forga que os seus amigos Ihe empres.avam ^ a?coeTeofflri es 'r la lisa van
* Agora sim que se pode vaticioar qua e* faw- tbusiasrao, como V. Exc leve occasio de observar
ras ; e o Guarda Nwana\ que leva dous rombos I ". O. exerdt"para^y7 e^.'vl era S. Roque, a grande^em^apde marcha? UnZ^peS ^?SB^ne^a,Z0 ,mmtat1- .
ao. lume d'agua. tanto mais pengosos, por ser um I raarchava em snrr.nrrnd (nr^ Hormiga nWrnr- nmvinch, a. rJran,c --------" M m Und, a v- E*c- Pr este novo tnumpho das
ram, sorendo lambem na mastreagao : o Mage, r\os no vapor Guarda NacionaL. recommenda
que lera bajas ao lume d'agua, alm de nutras ava- ( gratido publica o do Amazonas.
le neuhun dis corpos, que lomaram parte nesia
eja,
tanto mais perigosos, por ser um I raarchava em soccorro da forca derrotada as mar
navio de ferro, e mui franzinas as chapas.
A bordo dos navios cahiram halas e bombas de
calibres 9, 12,18, 24, 32 ou 36, e raiadas de 12 e
24, meiralha de lanleroela feita de cobre e balas
de fuzl esphericas o ogivaes. Urna bomba rebe.n-
tando junto ao lema do Guarda Sacional pez fra
de acgo os quairo homens do leme, lomando ento
cont i deste o chefe Muratore.
Felizmente o prejnizo do pessoal filo esta emre-
provincla de Corrientes, emquanlo o corpo de van- armas a
gens do Uruguay. A causa da civlisacao vai tendo guarda, conimandado pelo general Flores, que se recer
da patrrfCfc
__________________
._
tirios da patrtt fCfchoeranos), a o aspirante de
mannha Joaquira Candido do Nascimeoio. H-i
porque, assim como [jjue notar que urna boa parle dos feridos ,e morios
o oram lando de'cdbertas abaixo.
Consta me que na vper da guerra argentino
buarda Nacional, onde se achava o chele Mralo-
re, ti ne rara moffleial' e'dcras -gurds-marinHas
______
novos. martyres, como se v, mas o sangue dos
campeoes desta bella cruzada vai fecundando o ter-
reno onde se esparge, e ha de produzir as mais
frondosas lavras.
20 de agosto.
A demorado Recife que deveria ter partido no
dia 23 com a noticia do combate de Yalav, d me
ugar a accresceo ar algumas lionas a carta que
coinpde di
npoe de 12,000 homens, avanza sobre ltapera deracao
uuTanquerade Loreto, ameagaudo cortar a-rati-
s all*H a V f e.?.rf h ,ofascr",, a r?r*^ ""s quaes estes morreram depois; da ma-
ao wL/Jn*ran5ad8suaniaiurcusi- r.ohagem dous morios e qualro,*er.dos. Soffreu
ao.- Weuceslao Paunero. tambera avaha n e. n,,.!^ o,*,, c
rada ao inimigo, que tein de procurar o Passo dos
Libres, fazendo urna longa viagem, na qual ser
raenramodado sem cessar.
Se os nossos encouragados aqai se achare al
15 de setembro, e o Paran que est baixo agora,
lacio com o que liouve no material. Dos offieiaes esefevi naquella data.
conta-se um do 14 de voluntarios, morto a bordo Acaba de chegar o vapor Tevere do Uruguay,
do Siag, um aspirante mono a bordo da Ueartm, trayendo as soguintes noticias :
um oraVial contuso a bordo da kalnj, um guarda- No da 20 o general Flores comecon a passar-se
marinha ferido a bordo da liuj ihy, dous guardas- para a margem esquerda do Uruguay com o flm
tnarinlu morios a bordo do Guarda Nacional e um de operar sobre o exercito paraguayo que se acha <>
offl<:ial ferido. Calcala-se fra de combate em toda sitiado na Uruguaynna pelos generaes Caldwel, Ca- que lera feito explorar cautelosamente dolado do
a esquita entre monos e tendea mais de etncoea-, navarro e Jccuhy. Esse exercitocon=idera-se com- Chaco um caminho para a Bolivia.'
ta;horaens. pletamente perdido, contndose que se render A esqnadra, depois do combate do dia 18 com as
Nao posso deixar de mencionar urna circumstan- logo que se reunir todas as fondas alijadas.
rnoci.AMACXo.
O govarnador provisorio da Repblica Orlenul
do Uruguay, general do exercito alliado, em van-
guarda.
Soldados argentinos, brasilelros e orieniaes.
Atravez de marchas forcadas e de Incomroodos de
J.L& ? ?.d! 0l,.'r0' f0^"'"08 "'8r q: lodo o genero, vencendo o ri^r dos elecno^os, ten-
a'r? LLo V2a W d9 ,heS SiK[ e^nde mal des che^do at as forcas do ale.voso inv^or que
o>feX*e JP, nryrHan0, f'^- redo,ld ?.Rtemi,VJ' s le,SdS t deva?^ lerriWde
aeienoer-se em seu proprio territorio cmn um Corrientes I
fSSLJSSSSS^tSSSSS!^!: Tln frga$r J*-1b>WMMI*I ** urna tremenda U-
J tT^t n e pn,huM smd"- ,E PareM 'l"8 Coaos tyrnnos. Vossos enfoceos acham-se re-
tcula com a eventual.dade da fuga, por-. compensados, wt coragem e deuodo ludo vence-
que a mais completa victoria bafeja
bateras, nada soffreu. Ninguem calcula o servico
ca que oecorrea qoando fta;ay eve acalieca; Porduas teses tentou ja elle sahir da cidade, importante que ella tein feito causa durante o
O imperial manr.heiro mas accommeitido pelas tropas brasileiras, teve de '
do leme despedacada.
Francisco Pereira Barbosa,
ida
mperial '''->'"' mas accommeitido pelas tropas brasileiras, teve de lempo ,|ue do o poder inimigo a opprinia.
de 18 a 19 aones de retroceder eninrcheirando-se dentro da povoarM I q;,eria a todo o transe faze-la descer at
canhoucira coin a maior onde -
rain; asim
vossas frontes com gloria inmortal.
A div^A) paraguaya em forca de mais de 3,000
homens desappareceu diante da vossa preseoo, li-
candp pnsioneiros mais de 1,000 soldados cora sea
chefe o major Duarte, e o resto morto, ou ferido
Lpez
lor onde a sua sorte cada da mais precaria, tanto Santa F para" aUrar'um'a cohn a "de 4 ooVo-- "*-1"--0--"1"00 da b;ia'lha p,'la fer presenca de e.-pinlo, ani dem.ii.tronajiiais leve pela concentracao das forjas que O ameacam, co- rnens nesla provincia e ronvulciona-la, bm como
a Cordova. Mas o ebefe Barroso cdeu o terreno
palmo a palmo, combatiendo sempre as bateras
que encoiitrava na deseid, e manteado o blorjneio
estabelecido, sem conceder que serealisasse aquel-
l plaoo.
Algumas pessoas, porm, qne se acosturaaram wrcU,\u mb^^h^thL c t^
bem avaria no casco e apparelho. Passou es
le vapor cora toda a bizarra, sem cessar de fazer
fogo com a sua ariilharia, correspondido por esta
forma ao que Ihe faziam, com o que me deixou
muilo satisfeito. j
O nossos navios lodos olles passram, contestan-
do ao fogo que dafcaterias Ihes faziam, cumprin-
do por esta forma com o seu dever.
Com as parles dadas pelos commaodantes, in-
cluo a que se dignon envar-me o Sr. r.befe Mura-
tore a respeito do navio em que tero o seu pa-
vilhao.
E" quanto lenho a dizer a V. Exc, recommen-
uando a supplica que faz o commandante da ra-
nhoneira Araguary a respeito do Sentenciado Jo*
Mana Ferreira, do corpo de imperiaes marinhei-
ros que esta cumprindo um anno de prisao.
Deus guarde a V: Exc-trancisco Manad Bar-
roso, commandante da i' diviso.
fendo segando o calclo, durado nma hora, o que
e verdaderamente assombroso.
Todas as forcas que lomaram parte na luta por-
taram-se heroicamente, mostrando os fas_>s da
ninorfa com fetos de bravura.
Nossas perdas foram considwaveintente inferio-
res as qua ofrrerara nossos inmigos ; lendo nos
gmenle a lamentar os ferurpenios que receberara
evemente us cotoaeis Pidelis. Reguo, o major So-
lano, eo capitao de infantera Lopes.
Eis um brilhante triumpho, obtido denodada-
mente pelas uacrJes alliadas.
Pensamos sernpre que o arrojo dos Paraguavos
mes sena curiado, quanto titesemos reencontr
seno e travas?emoS lufa formal.
Atacar populffje? indefesas, talar os campos,
roubar, saquear proriredades aihclas, violar a hon-
ra das familias eram os tropho's em o,ue se as-
sentavam as lorias des>a borda de vaHates, que
tornuu-se execravel aos olbo da civiltstoao do se-
clo.
iiupressan qoando a bala chocou o leme, e nem
vendo cahir junto de si tres de seus companheiros.
Placido e (lene no seo posto dir se-'.ia que era a es-
tatua do tkvi-i; animada pelo fulgor da verdadeira
-coragem. Temos realmente luarinhoiros e solda-
dos mulle bravos.
Tainbem foi muilo louvavel o procedimento do
mo pela escassez de vveres que experimentan!.
Esperase a todo o momento noticias importan-
tes rtesse ponto.
A1 ultima data entrava em buenos-Ayres o va-
por Aya rebocando a barca Qnaraim, e conluzin-
do 120 doentes e feridos.
A bordo desse vapor fallecer o roramandanle
por minios annos a' i.a deque em urna guerra de dos povos'l
digno commaudante da Ic(i/,;/adiani;.ndo-se eludo do Salto, Alcaraz, que viaba prisioneiro para Bue-1 com o Pa ragua v o bloqueio devi; sr as Tres
provocar o fogo do immigo. W tendo tido ate nos-Ajres. I Boceas, persuadidas de me ssa repblica nao sa-
entao caslSo de trocar balas com os soldados do Segundo consta, os Paraguayos fortiriravain a i hisse da defensiva, nao roflectem boje que isto nao
tyranno do Paraguay-, o commandante da kahv P0ia de Cuevas, onde ja seathavam todos os seos; poderla mais ter lugar desde qua um excrcta d^s-
eslava anco-o por Mitrar que em nada despere- vapores. > cera pela co ca do-; seus dignos e bravos enmarada" do fita- De Mntevideo apenas temos de notavei a noli-: de communicac-So franca bloa-iaad
chuela e Mercedes. Digno e louvavel empenho q te ciar a deslruicao da typograpliia da Reforma Paci-
caraclensa o senlinjenlj dosta oidade arrojada, qe /fea, orgo do partido blanco ou paraguayo. Foi
ja" i-oiita tantos fictos gloriosos. um acto popular, execuiado na mesan noite em
Passar barrancas f.Ttilicadas co-no a esqnadra que aqu chegou a noticia da derrotadas hordas
acaba de fazer, eoattsUndo o fogo com eueiga, e de Lpez, o ijuando aquelle peridico se preparava
0 triumpho de
E FEKIBOS NA PASSAGEM DA
ESQUADUA BltASILEIHA PELA BATERA E MOSQUETA-
HIA PAllAGL'AVA COLI.OCAA NA DABIUNCA CUEVAS,
NO DIA 12 DE AGOSTO DE 1863.
Vapor Amazona : soldado do Io balalbao de in-
prntarla Anli-nio Joaquira de Sant'Anna, contuso
levemente.
Vapor Parnahyba : nada houve.
Vapor Ivahy : f teueote Fernando Xavier de
Ustro, contuso levemente ; imperial marinheiro
i atay apenas o precursor de Manoel Francisco das Cliasas, dem ; furriel do 1
e ignorante que os domina.
Em nosso poder deixaram como irophos de
guerra quatro, bandeiras. toda sua bagagem, aruia-
ment e peirechos, e vos deveis ostente los comor-
gulho, pois o leudes ommistado com vossa bravu-
ra e herosmo..
Soldados! Os lyraynos vo dasapparecer diaale
cada um oceupando seu posto, feito de herosmo
e abnegaeSo, que muitos nao sabara ou nao quere-
rao apreciar... Aqaelles, poim, que nestes mo-
melos crticos s teem dado ouvidos o seniimen-
to do bro e ao cumprimenio do dever, esto con-
tentes de si, porque leera conscencia do que lem
feilo pelo paiz. y
A esquadra acha-se fundeada ponra abaixo
do Rincn de Solo, e repara as avarias soffridas.
Montevideo, 23 de agosto de 183.
O vapor de guerra Recife, veiohoutem mui cedo
dispertar nos com a gran le uoticia, anciosameBle
esperada, da derrota do exercito paraguayo que
operava na margem direita do Uruguay. A bata-
Iha teve lugir na margem do Yatay, no dia i7 do |
crreme, e leudo romecado s 11 horas a 3 mnu-1
los da mauhaa, terminou ao mem-dia pouco mais ominoso dominio em Buenos-Ayres e em Mootevi-
ou menos, demando o inimigo 1,300 mortbs, 1,600 d"* peAa duas melropoles platinas tao bellas o
prisioneiros, entre os quaes se coota o major Duar-!laa ricas.
te, que os commandava, e todo o seu eslado-maior. Seria um verdadeiro castigo de Deus se estes
i-
para Inverter a verdade dos acontecimentos, ani-
mando os elementos adversos a situacao, e ca-
lumniando tudo quauto ha aqu de nobre e ele-
vado.
Nada mais.
29 de agost).
E' preciso estar no Rio da Prata para se calcu-
lar a immensa imprtasela poltica e militar do
triumpho de Yatay. Nao sao 3,500 a 4,000 escra-
vos menos com que rente o tyranno para prose-
guir em seu arrojado plano que elle signilica s.
Yatay hoje symbolisa a raliBcacao da eampanha
Oriental, que tanto sangue nos ruslou, a ronsoli-
dacao do systema liberal nesta parle da America,
o desalent dos reactores blancos e federaes que,
coniandocera o apno das formidavets legioes do
dspota, ja pensavam no restabf lecimenlo de seu
bloqu-'and i i esqua-
dra se para all fosse.era vez da ser bloqefida.
Os jornaes argentinos quizeram fuer erar qne
na desoda da esquadra sobresahlo o vapor Guardia
Nacional aos nossos; mas a v-^ta de accnfacSes
que se conveam ao chefe Muratore de ter exp'osto
infriiclno-amenie sua guarnleno, cantarain a pali-
nodia, e ja a Nacin Argentina se apre*sou a con-
fessar que elle fez tanto como us outros ; o qae a
verdade.
ouiros raaiores, que vos abrirao as porlas da As-
sumpQno para remir esse povo irmao, daudo-llie
patria, nstituicoes e lberdade.
Sauda-vos, vosso general e amigo. Venancio
Flores
Campo de balalha, 17 de agosto de 183.
batalho Joo Ernesto de S;.lles, ideni ; soldado do
9 batalnap Pe !n. Bernardo Ferreira de Araujo,
dem ; dito Pedro Malaqoias dos Santos, idera,
\apor Aya : grumete imperial marinheiro Ale-
! xandre dos Prazeres, morto por bala.
Brigue Piyiri-ass: mper;al marinheiro Ale-
! xandre Jos da Silva ( do May), fiactuiou ambas
Uimniaudo em chefe da Torga naval do Brasil no as pernas, as quaes f.ram amputadas. Etava
Rio da Piala, bordo da oorveta Nilherohl em Bue-, doenle de bexigas. Soldado do 0" baUlhao llanoei
nos-Ayres, 2J de agosto de 1863 -illra. e Exin.j Alexandre da Fonseca (do Parnaliyba), morto.
Sr.Felicito a V. Exc. e ao goveino imperial pela E-tava doente do bexiga.
brilhante victoria que as armas alliadas acabara; Barca Qnaraim: marinheiro Jos Joaqum
de obter na margem direila do Uruguay sobre a 'Coi obra, morto ; o verdadeiro nome deste inari-
columna inimiga que operava por esse'lado. O:"'"''1'" lho do bravo general Flores que j Vapor Mag : alteres do 14 baialho (volunta-
rus Caehoeirauos), Marcelino Barbosa Leal, mor-
to pir uma bala noc racao; 2o srento, dito,
Todas as bagagens, municoes e {rmamento do
migo flearam em poder dos aliados.
O commandante da aceao foi o invicto general
Flores, e salla lomaram parte os nossos batalhoes
5o e 7" de liaba, 3o de voluntarios, e u~ voluntarios
auxiliares brasileiros, organizados em Montevideo
pelo bravo coronel Fidelis, que infelizmente se acha
ferido gravemente.
As tropas orientaes e argentinas, ao lado das
no-sas porfavam em valor e actividade, e nao ful
possivel i-uire tantos soldados bravos fazer uma
disMiiccao qualquur. O inimigo lambeta combateu
com denodo.
Ao mesmo lempo que lelo succedia, a nossa es-
quadnlha de vapores que se achava prompta desde
o principio do me/ passado, aprovcitando o cresc-
mente das agoas, traospoz o Salto, e tiesia hora ja'
eslo os rapares Taquarq e Tramandalalni, nos
quaes se aebam embarcados os zuavos bahianos,
prestando os mais impoitanles servicos no Alto
urogaay.
As coosequencias desla victoria siio imniensas.
Primeiro que tudo, o exercito inimigo, que esta'
na l ruguayana, forte de ele mil homens, pdese
consideiar perdido ; porque esla' com a retirada
cortada, e vsl ser esmagado pelas numerosas for-
cas que rao cahir sobre elle.
Os vapores mencionados, com o auxilio das 10
chalanas tomadas agora ao inimigo, transportar)
em om momento o exercito victorioso do general
Flores a ostro lado.
Por ostra parle, os blancos e federaes, que ron-
te vam ci.iM um trtompbo para coovolsionarem
estes palze.s, eslo de crista cabida, e nao ousaro
levar a enalto seus plan -s.
Liyre agora o grande exercito, que esta' na Con-
cordia, dos receios que o conliaham na margem do
Uruguay, pode e naiiiralmpnte senuira' sua marcha
sobre o Paran, a expellir o inimigo da provincia
de Corrientes. Ja' nao ha que temer da provincia
de Eotre-Rios, que s esperava um revez nosso
para levantar completamente a mascara.
Eis hoje comprebendida a sabia
ueral Mitre, que bao quera deixar na espalda um
pi ligo sirio. Tambera a conservaban da esquadra
no Paran, na posicio que lem oceupado al boj'.
tem sido a mais bem pensada possivel, e impedio
que o inimigo passasse para o outro lado uma for-
ca de 3 a 4 mil homens, com osqaaes poderia con-
vulsionar as provincias de Santa F e Cordova,
onde os elementos da reaccao federal sao mais po-
derosos.
Agora o horisonte esla' mais claro. O auxilio
da Providencia lio directo que at as aguas nos
ajudam.
Destruido o atrevido exercito inimigo que ousou
manchar as margena do Uruguay com roas pisadas
e que ein cada pouso onde descansou deixou um
marco de deslruicao e d horror, resta atactr e
destruir o forte exercito que domina em Cor-
rientes.
Peusam muilos que Lpez, ao saber destes de-
sastres, expedir ordem para a concentracSo de
suas tropas em seu territorio, o que seria mu
acertado ; mas ha quem presuma tambera que na
paizes, por um desses suceessos tao frequentes as
baialhas, lornassem ao terapo da dictadura dos Ro-
sas, sob o jugo do novo Auila
Felizmente assjm nao asneadas, e os barbaros
tiveram com uma lieo terrivel, um desengao que
Ihe* ha de ser mu duro.
Os traidores argennos e orientaes, que nao sa-
bem, ou nao querem, por um espirito mesquiuho
departido, elevar a questao ao ponto verdadeiro,
perderam a umeu esperanza em que baseavam
seus negros e Infames projectos. E a auioridade
que se masteve sempre cora calma e justiga, no
muio das provoeaedes- acntosas da imprensa blan-
ca, hoje appiaude com o povo nao ter loma i me
didas enrgicas, necessanas, mas que dartem ao
adversario as honras do marlyrio.
E' por isso que a alegra e o enthusiasmo nesta
capital lem chegado ao dilino, e que o nome do
j general Flores, e de seus invictos sida ; < unen-
; laes, hrasileiros e argentinos, compaBDeiros nesta
jornada gloriosa, se pronuncia com respeito, com
amor, com dedicaco.
Pde-se condemnar o povo, porque no momento
em qne se entregava com loucura ao leste o da vic-
loria que Ihe dava paz ao interior e gloria no ex-
terior, foi castigar a onsadia daquella anda neste
mesmo dia, corno na vespera, como sempre o Tro-
voeara, conspirando abertameule contra a voStede
uacional, lio brilhanlemeuie manifestada pelo
Irinropbo da revolucao ?
!/ de lastimar qne esta vngaoc tenha sido exer-
cda ; que a Reforma Pacifica leha sido justiciada
pelo povo, quando de va se-lo pelo Carrasco, se do-
mnassem os homens cojas doulnnas ella apresa ;
mas respeitemos a sestaooa. A provocago linha
sio lose, dolorosa, infame. Era a revolii coulra
a ordem de cousas eslabelecidas que se apregoava
com urna audacia e impudencia pasmosa, o des-
crediio da alliauca e dos alijados, a perlurbacao da
iranquilidade, e indo s>o para que 1 Para substi-
tuir no paiz a um ge verso qne lolera va todas estas
lloerdades, o goverso de Lpez, que manda violar
maccao do ge- mulberes, deflorar donzellas publicamente ao lado
de seus pas, uoindo ao acto ja por si bru'.al, o cy-
nismo mais cruel. Era esta a regeneracao que'a
Reforma quera, e nenhum oriental de pejo poda
ouvir lodos os das fazer o panegyrico de seme-
jantes ideas sem arder nobreuienle nos desejos.
de vingssea. E quand i o da chegon nao houve po-
der humano, nem eousideracoes generosas que a
pudessem suspender.
Pode este fado deslustrar o povo orienial ? Ha
alguma sociedae humana que, em condigoes ideu-
licas, tenha procedido diversamente ?
Deixemo- agora M. Beel fazer sua reclamago.
Elle negociante, e com a existencia ou suppres-
sao do jornal o que. Ihe importa fazer negocio.
aornndo a esia idea est contente, e tal vez lucre
mais agora do que antes.
Pela parle offlcial do general Flores se v que a
nossa brigada, composla dos batalhoes de linha 3o,
7o c 3o de voluntarios, e dos voiunlarios do coro-
nel Pidelis, commandado pelo valenle coronel Kel-
ly, secobrio de gloria.
Todas as perdasdos alijados coosistiram em 230
Tinha chegado Buenos-Ayres o vapor Api com maj0r F|0res, ti
'TEZSSFSBiu, o-o vapor Salto nm\^&SjS ttSSJS Z
n^Parana, e .... foi enterrado PCom toda a de-i^S^^ rS quHSgoq'S^
occasio do desembarque desla M*+~\tttVjS&.aZ!XZ-
le numero conta se o chefe inimigo, que era o co-
Dtml da Silva Naves, ferido gravemente, morreu
0 horas depois; soldado, dito, Pedro Jos M .rtins,
endo gravemente, morreu 7 horas depois; fur
ne>, dito. Rento Gomes dos Res, ferido em ambas
as pernas. Foram ambas amputadas. Cadete, di-
to, remando do Sooza Luna, contuso levemente;
grumete da arma-la, Maiuei Antonio Beraldo, con
tuso no peno; grumete criado, Jos da Costa e
Silva, contuso na perua direita soldado dj 14
batalbao (voluntarios C-ichoeiranos) Clemente Pe-
reir Lima, morto.
Vapor llajihy : Imperial de 31 classe Francisco
das Chagas Rulino, morto; dilo dito Albino Jos
da Costa Vidal, ferido gravemente; dito de clas-
se Antonio Francisco, contuso gravemente; dito
da 3' classe Joaqum Antonio da Silva, contuso
ravemente; guarda-marnna Rodrigo Jos da Ro-
do desembarque desta pobre genie
era Hrmesso o povo agglomerado no molhe.
Nao pode ser mais risonha a perspectiva dos rn
.'."_, O general na sua lacnica parte ao general em
"altes OiUCiaes. [chefe,expedida no momento em que va segura a
DO COMBATE DE YATAY (MARGEM DIREITA DO URCGGAY) Victoria, diz 0 SegDte :
no da 17 de agosto. | Um triumpho completo acabara de obter os al-
0 presidente da Repblica general em ch-fe do liados. Todos ho cumplido com o seu dever.
exercito alliado.Ao Exm. Sr. vice-presdeote da Campo de balalha. Yatay. Agosto 17.
Repblica, coronel I). Marcos Paz. -Qnarlel-gene- A areo leve lugar nesse da as 1 i'horas e o mi-
ral na Concordia, 21 de agosto de 18o. Tenho a nulos na manba. Todo o armamento, ariilharia, ;chi, ferido levemente no rosio:l r
honra de juntar a esta a parle original que me di- inunices e bagagens ficou em nosso poder. Manoel Soares, ferido levemente,
rigi o Exm. Sr. .governador do Estado Orient! e O teuente coronel Fidelis fleos gravemente leri- Vapor Araguary ; Nada houve
general em chefe de vanguarda do exercito aIJa- do por um golpe de langa atirado por um soldado Vapor Imatemy : Nada bonve.
do, brigadeiro general Venancio Flores, e. o an- de cavallaria, a por nma bala na coxa. | Vapor Beberibe : grumete imperial, Pedro Seve-
nexo gene'al I). Wenceslao Paunero, commandan- Ao mesmo lempo que nos chega esta graude no- riD,') <" Oliveira : C nliiso levemente,
te em ebef do pnmeiro corpo do exercito argenii- lica que esta sendo aqu festejada-cora intenso en- Vapor Belmonle : soldado do balalbao naval Jo-
o, pelos quaes o govorno ficara sciente do comple- IbssUsmo pelo extraordinario alcance poltico que 5<; Pereira de Azevedo Terra, m ,rtj; soldado do
i triumpho Mangado sobre a columna parazuaya, tem, recebo a nao menos importante de que dous de ,0 halalhao de ariilharia Jos Hara morto; dito
que invada nosso territorio pela margem direita nossos vapores da Flotilha do Uruguay, Taqnarij e Jos6 Francisco da Paixo, ferido gravemente na
do Lruguay, a qual,foi completamente aouiquillada Tramandatahu, passarsiu o Sallo. Desla forma se perna direita; 1 tenenl Francisca Guillarte Rol-
ncando ioda_ella no campo, mora i.u prisionera, pode contar tambera como prisi.-.neira loda a colura- ''t costoso levemente no p esquerdo: imperial
com excepcao epenas de dez homens para ir levar na paraguaya que opera en nosso territorio, que marinheiro Claodino Apolinano, contuso levemon-
noticia de sua derrota. orga por 7,000 homens. te na cabega.
Remeti igualmente a V. Exc. duas dasquatro Agora o geiieral Flores provavelmenle passara a ***POr Ipyranga ; 2 marinheiro Lucio Antonio
uudeiras lomadas ao inimigo no campo da bata- outra margem cem a infatitana qae lera, e, de. ac- d-i Silva, morto por bala na cabega: imperial da
ma, tropbo s gloriosos desta joroada, licando neste cordo com o baro de Jacuhy, que ja estove em seu ^asse Antonio Moreira Sarapaio, ferido gi a e-
qoartei-geseral O chef- supeior da columna ininii- acampnenlo, o mais cheks nossos apenara o ini- me,1'e "' fronte; grumele da marinhagem Manoel
ga, lomadoprlsioneiro no meio do fogo pelas tropas mizo de modo a obriga-lo a capitular.- Antonio, ferido gravemente ; sol lado do 12 de vo-
argentinas, a quera iendeu sua espada. esembaracados destes iatmigos, nossas vistes luntarlos, Manoel Victorino de Oliveira Guiua-
reiiciiaudo o povo oriental pela parle disliocta se volvero todas para o Paran, e aguardo o pa- raes, ferido gravemente; dilo Diniz de Paula M .u-
que nessa victoria coube a seu illustre chele o Exm. quete que sabe (deve chegar depois d'amanha) ra avi.io, ferido levemente; escrevente Manuel
sr. general Flores, assun como as suas valentes para saber o que lem occorrido, o seguir logo para Cesar de S, costoso levemente; guardin Zephe
tropas, e pela sua vez ao imperio do Brasil c a Re- a Concordia, alien de combinar com o general Mi- noo Jos Ferreira, contuso levemente ; classe su-
puniica Aigentina, cujq* bizarros Cberes, ofuciaes o \ tre sobre o plano de Operacoes a empreheuder da- ponvr, Frederco Burel, contuso leveraonte ; un-
t presentes no caupo, ctimpriram gloriosa- queile. lado, para em execugo do qoal muilo ne-1 perial da 3" classe Foi rao Jos
m-nie com seu dever, felicito em geral ao poviLar-. cessarios sero os navios eneouracadosd
g-nlito, por esta victoria commum asnagSeial suimos, e quedevem ser expedidor para
liadas, e em particular ao goveno argentino pela loantes.
PARTE OFt'ICIAL DO CUSPE DA ESQUADRA RRASILEIRA
SOBRE A PASSAGEM OE CUEVAS.
Commando da 1" diviso da esquadra do Brasil
no Rio da Prala, bordo do vapor Am'izonis no Rm-
cao de Solo, 13 de agosto de 1863.Illm e Exm.
plaoiee de Corrientes se dar' a segunda balalha, I homens fra do combate, ao terapo que o inimigo
espeando-nos all o inimigo, e que o resultado
della ser decisivo para a queslo em que estaraos
empenhados.
O general Flores com a actividade que Ihe re-
conhei ida, ao mesmo lempo que mandava Goyo
Suarez perseguir o resto dos iumigos dispersos
com a cavallaria, diriga as forgas de iofantaria
para a Re.-tanrago, afitn de passar cota ellas para
a Uruguayanna.
O barao de Jacuhy ja savia estado com elle, e
naturalmente combinou uo plano de operacoes.
O enthusiasmo dispertado por esta victoria, ten-
t nos acampamentos, como em Buenos-Ayres, e
nesla capital indiscreptvel. Ella tirou-nos de ci-
ma um pesadelo que nos esteva incommodando
muilo.
A guerra actual, tanto aqui como na repblica
vizinha nao encarada como nma guerra nacio-
nal, cuino sucrede no Brasil. Apenas a conside-
rara uma queslo poltica ; e os blancos e federaes
dzera que assim como licit aos calorados e uni-
tarios apoiar-se no elemento brasileiro, assim tam-
bera nao se Ihes pode coodemoar por associar-se
no elemento paraguayo com o qual vivem na mais
intima harmona.
E' preciso, pois, que o Brasil conle com mete-
de do apoio que esi~s paizes Ihe poderiam prster,
e que continu a fazer novos sacrilicios para ele-
var seu exercito, pelo menos, a 80^000 homens.
Parti para Con lentes uma canhon^ira italiana
afim de reclamar de Lpez uma sati*fago por cau-
sa das violencias que tem praiicado contra inoifen-
sivos subditos do re de Halla. Conste que o com-
mandaDte pedio e obleve um salvo conducto do al-
mirante brasileiro para que a esquadra nao embar-
gasse a sua sobida.
Temos agora no'icias da esquadra at o dia 18
No dia 12, ao deecer ella para Goya, soffreu um
vivo fugo da balera das Coevas, que linham 30
pegas de ariilharia e 4,000 soldados de infantaria.
Tivemos 41 homens fora de combate, sendo ofifi-
ciaes o alteres do 14 batelhao de voluntarlos da
Cachoeira Marcelino Barbosa Leal, e o aspirante
Joaqum Candido do Naso ment.
Os 1M lenles Fernando Xavier de Castro e
Francisco Goolart Rolim, e o guarda marinha Ro-
drigo Jos da Bocha forara contusos levemente.
O fogo dirigido sobre os navios dorante 25 a 30
minutos que durou a passagem foi intenso e teDaz.
So o Amazonas, recebeu 41 balas de ariilharia no
costado, e os mais navios proporconalmenle.
C50 vapor argentino Guarda Nacional tambera re-
cebeu 21 tiros, e perdeu 9 pragas, entre ellas dous
jovens ufflciaes. Esto era Buenos-Ayres incora-
modados por esle sacrificio Intil de vida, devido
cstentagao do chefe Mnratori, segundo corre.
A barca Quaraim perdeu um marinheiro de sua
gnarngao.
O vapor Apa, qne sabio no dia 18, conduz 119
doentes e feridos e alguos prisiooeiros paraguayos,
deixava no campo da balalha 1,700 cadveres
1,200 prisiooeiros, quatro bandeiras, armamento,
mnnigoes, oito carretas e mais de trezcnlos fe-
ridos.
O chefe desla forga, que o major uarte, ja
chegou honiem a Buenos-Ayres, e foi remedido pa-
ra o quarlel do Beliro.
Os Paraguayos que esto na UruguayaDa se
acham reduzidos ao ultimo apuro, e de momento
a memento se espera a noticia de que se reflde-
ram. Tentaras! sahir da villa no dia 19, mas de-
pois de um vivissimo fogo com as forgas do gene-
ral Canavarro, foram obrigados novamente a en-
trar nella, queimando as carretas para as nao d6i-
xarem em nosso poder. Bem dizla eu que havia-
mos de ler boas noticias daquelle chefe.
No dia 21 passou o general Flores com 4,000 ho-
mens de infantera, entre os quaes se acha a nos-
sa brigada, e por um dos offieiaes pnsioneiros
mandou intimar a Estgarribia que se rendesse,
marcando-ihe doze horas deprazo. Este respondeu
negativamente ; mas o que ha a fazer, cercado por
perto de 15,000 homens, era uma villa inteiramen-
le desprovjda de maolimentos, com a retirada e
communicago cortadas por lodos os lados, inclu-
sive pela via fluvial, onde se ostente ja garbosa a
nossa flolilha ? Consta que ja tinham passado um
da sem comer, e prolongndose o sitio por mais
dous ou lies, serao todos apanhados mo, sera
se precisar dar um liro. Entre elles ha muilos of-
fieiaes blancos, como o coronel Laguna, lente
Saivanache e outros, que naturalmente lero o
mesmo destino que ja sofrerara os traidores en-
contrados em Yatay
Ora, se o exercito decantado de Lpez, que in-
vadi o Uruguay, se computava em 23,000 homens,
e na reaiidade s appareceu 10 a 11,000 homens,
o que devemos presumir destes fantsticas enume-
ragOes de forgas com qne 6e nos tem querido met-
ter medo at hoje t Logo veremos que devemos
tomar ludo por meiade.
Assim mesmo na presente gnerra ja elle tem
perdido mais de 15,000 homens, como se conheee
do seguintc calculo feito por alto :
Em Coirabra-.................. 700 homens
Em Dourados, Miranda e mais
pontos da provincia de Matto-
Grosso.....................
Em Corneles no dia 23 de mao.
No combate cora a esquadra....
Em diversos enconlros com Ca-
cerns.......................
Em Yatay....................
Era Iiaquy.
parte notavei, qne coube as tropas nacionaes e a
s' 11 general li. Wenceslao Paunero, recommeedao-
do todos, seno exeepgo alguma, a' sua considera-
gao, pois todos igualmente sao dignos della, segun-
do as partes que me tem sido dirigidas.Deus guar-
de a V. ExcBartholomeu Mitre.
Ao Exm. Sr. presidente D. Bartholomeu Mitre,
general em chefe dos'exercilos aliados. Quarlel-
gesaral no Passo dos Livres, 18 de agosto de 186.
Homero s 10 l|2 horas da manhaa, depois de!
marchas penosssimas para nossos benemritos sol-
dados de infamara, pelas copiosas chuvas, de moJoj
que os campos estavam alagados, chegaraos a fren-
le do exernto inimigo, que nao bailara de 3,000
homens, antes mais do que menos.
Ficaram em poder do exercitode vanguarda 1,200: Sr.Em cumprimento das ordriis de V. Exc. rece-
pnsioneiros, e seu chefe Duarte. com 1,700 cada- j biela s pelo vapor que chegou a equadra na noite
veres de iuimigos, quairo banJeiras, armamento, de 8 do crreme, tratei no outro da de dispor tudo
munigoes, 8 carros com seus cavallos magros e! para descer no segrale (10), indo na incerteza de
mais de 300 feridos. se ainda adiara agua no passo da Bella-Vista. Fe-
O exercito de vanguarda ter 250 homens fra hzmente tinha, devido condigo de ler melbora-
de combate entre morios e feridos. j do, 00 emtanto que os outros sendo melhores esla-
No tem sido possivel, Exm. Sr., evitar o derra- vam com menos agua que aquelle.
mmenlo de saogue : os inimgos tem combatido Depois de ter transposto estes pasaos, encontra-
corno barbaros. mos familias emigradas da Bella-Visia e obreiros
lal o fanatismo e brutalidade que Ihes lem in- do lado do Chac\ os quaes com instancia me pe-
cutido o despola Lpez, e os tyrnnos seus anteces- diram para que deraorasse um dia, afim de pode-
Sv-S' k i reno emD:,rcar as familias, e retirar boi> e cavallos
.Nao ha forgas humanas que os fagara render, e com que trabalhavam na eonduccao de madeiras
preferera a morte certa a rendigo. ; do interior margem do rio, evitando deste modo
O lu corpo do exerciio argentino s ordeos do sollrerera tropelas dos Paraguayos, que necessa-
geocral Paunero: abrigada 12' do exercito bra-j riamenle os iriam perseguir. Adiando rasoavel
sileiro, as ordens do seu commandante o Sr. Joa- esta supplica, fundeei para me demorar to smen-
ijuun lt. Coelho Kelly; os Orientaes, e a diviso te o dia II, e seguirmos no dia 12.
correntina commandada pelo general D. JooMa-j As informagdes que Uve desta gente foram de
danaga, todos os chefes, offieiaes e soldados leem que os Paraguayos estavam em Bella-Vista, carre-
prehenchido o seu dever, combatendo como bravos gando em carretas o que saqueavam das lojas, e
1 do non s lhH nniHa riairp/imn levando tudo para o Empedrado ou Corrientes; e
que s tinham quatro a cinco pegas de campanha ;
mas um outro que nesse dia veio de Bella Vista
300
600
2,000
500
3,500
700
Na Uruguayana............... 7,000
15,300
Aggregue-se a esle numero as baixas por falle-
ciment, que um prisioner* de considerado dis-
disiincgo para os que combatem jiela patria, eu os
recumraendo considerago de V. Exc.
Estes sao, Exm. Sr., os pequeos trophos que'
vos offerece o exercito de vauguarda que haveis
confiado as minhas ordens inmediatas, e que me
coube a honra de cotnmaodar era um dia de gloria
para a Datria e para os governos aliados.
Preencho o ultimo dever como general do exer-
cito de vanguarda, felicitando a V. Exc e a todos
os que compoem esse grande exercito, pela victoria
de 17 do crreme nos campos de Yatay, a qual,
de esperar, ser logo seguida de outras maiores.
Deus guarde a V. Exc. muilos annos.Venancio
Flores.
Commando em chefe do 1* corpo do exercito na-
cional.Campo da balalha na costa do Yatay, 17
de agosto de 1865.Ao Exm. Sr. governador pro-
visorio do Estado Oriental do Uruguay, brigadero
general D. Venancio Flores.
O infrascripto vai ter a honra de dar a V. Exc.
conta da parle que nj combale deste dia tiveram a
infamara e a ariilharia do exercito alliado, que ao
approxiraar-se o inimigo, V. Exc. mandou por as
ordens imraediatas do infraoscripto.
Tendo todas as forgas coraraandadas pelo Infras-
cripto formndose em columna de ataque, para ve-
rificar sobre o grosso do inimigo, marchei para el-
le nessa ordem, quando sciente V. Exc. de que
erara exactas as noticias que se Ihe tinham dado
de nao excederem de 3,000 homens as forgas para-
guayas, foi servido dispor que avangasse mais r-
pidamente a brigada de infantaria oriental protegi-
da por uma batera, a qual relsando-o assim ao
subir ao cume da cochina que occultava o inimigo
fot recebida por todos/ os seus fogos que soffreu e
eontestou com o maibr vigor atf o fazer retro-
ceder. >
Em laes momentos clWaram a marche-raarche
a diviso argentina e a brigada brasileira, cahindo
: era massa sobre a forga contraria, que retrocedeu
em desordem, porm fazendo fogo vivo e dando
cargas de cavallana, sem se querer render, nem
mesmo quando foi comprimida sobre o arroio Ya-
tay, era consequencia do qual tiveram lugar as la-
menta veis perdas de que o infrascripto dar conhe-
cimenlo a V. Exc. na parle elrcumstanclada.
Do seu lado e loimigo, comqoanlo ueste momen-
to nao possa o iofrascripto dar os dealbes necee
sarios, tem sido completamente aniquilado, ficando
no campo mais de 1,000 morios, todas suas armas
e mais petrechos ; e com 1,500 prisioneros in-
clusive o chefe de loda a forca, o de um batalbao e
qoairo bandeiras, que se acham em poder das for-
gas alliadas.
Felizmente nos, vencedores, cullores da civili-
sagao e do progresso, temos provado a esees selva-
gens, que, nao obstante haverem degolado homens
mulheres e cnangas, nao os imitamos 110 horror
do enrue, porque nosso lira grandioso e nobre
como e o daquelles que empenhara-se na cruzada
do dtreit contra a violencia, da lberdade contra
o despotismo, da civlisago contra a barbaria.
joa J"'rdi"lt da FrillJCa tu"l,lU o **W d(!
diiu.wu victimas, mas ella Iriumphou e atravessou
sea triumpho a gorago moderna. O BrasH, Bue-
nos-Ayres o o Estado-Oriental ho de levar por
trga a lberdade ao Paraguay, e nos o eremos bre-
ve a aurora desse da
Sempre que temos entrado em luta regularmen-
te ?. soi te das armas se lera inclinado em nosso
tavor : e ignal que o Deus dos exercilos protege
a nossa causa, que a causa de justiga.
Temos bastante forga; mis entendemos que o
govuruo tem precisao de augmenta-ia ; porque
uunca encontramos na historia exemplo de censu-
ra as nagoos guerreiras de oullr'oia por supera-
bundancia de exercilo.
De mais um exercilo que opera era regioes es-
trannas, em cima diverso, deve contar com gran-
de numero de enterraos, convalescentes, e. inutiii-
sados por enermidadds, gente, que, por sera du-
vida, augmenta a bagagem, e duninue as forgas
vities da guerra.
Semelhante.moute, o numero dos mdicos que se-
guem o oxercito em QperacSes, e que, ora, acha-se
acampado na provincia de Entre Ros, nao este em
relacao com as forgas do exercito.
Dez sao os mdicos que cuidara dos enfermos
110 hospital ambulante.
Cnla um cura diariamente de 150, 160 e 170
repartidanieute, conforme o mo vi ment do mesmo
hospital, sendo que este trabaltu por dentis pe-
sado por ser feilo em barracas no campo pela ma-
nhaa, exposto sempre o fauultaiivo s ventanas e
gradas do da.
Ao numero dos dez ficam incluidos os cirur-
gios-inores de brigada de coraraissao Dr. Prxe-
desPmiaiiga o r. Malheus de Andrade.
Nao obstante a aspereza do irabalho, seus esfor-
COSe dedicago tem sido lanos que a humauidade
enferma conta sempre com seguro lenitivo em cada
medico.
Mais larde, quando a evidencia das cifras vier
resolver o problema da verdade, o corpo de saude
ha de oceupsr o lugar que Ihe compete, por seus
bous sei vicos prestados na campanha.
O que digo nao tem por flm comprimentar a
mdicos, mas esclarecer ao governo para o flm de
providenciar a respeilo. Era um paiz em que
euslem duas acaaeinias' e onde to graude j
o numero de facultativos, por demais lamenta-
vel que o governo se ache em serios embaragos
pela acquisigo de mdicos em circunstancias to
extraordinarias, como estas que determinaran) o
levauamento espontaneo do paiz para vmgar urna
injuria nacional.
E, se isto lamentavel no medico civil, com mui-
to maior somata de razo nos mdicos militares,
cujas obriffiigoes previas ImpSem-lhes o dever do
sacrificio de seus cramelos em favor da garanta
e salvaguarda doexerrto.
Temos visto o grito da vioganga da patria ultra-
iad 1, levado pela imprensa a's mais remotas re-
gioes do paiz, a cmtar as legies aldeas, que,
abrasadas do sanio patriotismo, voara aos campos
da guerra a offerecer no altar da patria o sacrificio
do seu sangue.
E se estes horaeos, qua nao comprehendem a
magnitode do dever, oflerecem a' historia contem-
pornea exemplos de tanta sublimidade, como
que homens, em cujos coragoes deve anmhar-se o
sentimento de humauidade, recosam-se obstinada-
mente aos justos reclamos da patria?
Nao comprehendemos, e admiramos.
as fceiigas, que tantos estragos causaram ao
exercito, vo desapparecendo conMderavelmenie.
Apezar, porm, da in|en-idade com que es-a mal
r-s-ou, sempre fatal em todas as cidades eem lo-
dos os paizes, e em hospilaes convenientemente
moudos, as perdas de vidas nao esliveram na al-
tura presumivel em vista de um tratamenlo eito
no campo, em pequea barraca que nao offerece
garanta de cura por ficarem os enfermos alojados
sobre o slo, uns forrados apenas com um cober-
tor de la, oiilros sobre leitos de-capira.
E' sobre este ponte- que chamo toda atlengo
do governo, de quem ludo confio pelo zelo e soiici-
tndo que lem desenvolvido oa presente guerra.
Os pampeiros lm estragado grande numero de
barracas, pelo que o hospital tem preeisao de jre-
ve remessa de objectos desse genero, para que os
doentes u3o flquem exposlos ao lempo.
Ha tambera grande falla de cobertores de la
para osmesmos; assim como de meias da mesma
qoalidade.
Ests informagoes sao ministradas por pessoas
fidedignas.
Em nossa humilde opinio entendemos que os
hosptaes creados em Montevideo e na villa do Sal-
lo, apezar das economas feias por seus dignos en-
carregados, sao por demais dispendiosos ao esiado,
aiem de que nao acarrelaro as vantegens que po-
deriam produzir, se por Ventura fossem mentados
no paiz, por venlura ua provincia de Santa Catha-
rina, onde o clima patrio muito cncorrena por si
mesmo para restahelecer os enfermos.
E' sabido que enfermldades ha que somente a
accao benfica do clima opera uma cura miracu-
losa, ao passo que coa-orne annos em climas es-
tranho. sem vantagem para o doenle.
Segundo lemos ouvdo aos mdicos, o rheumatis-
mo offerece uma rebelda ao iratamento extraor-
dinaria, e a razo ao hornera que pensa, favorece-
Ihe pravas deduzidas da forma do leito em que sao
enfermados.
Ao governo nao deve ser estraoho que a Franca
durante a guerra da Crimea linha seus transpones
de evacuago dos doentes.
por den-1 a'noite'deste dia~reeebe1f's""x"r-" aUMm n ">i;l0 Iem'lS 'ocomolivas, verdade, mas temos
LT a"'0 q"e Va' sahir,ab*,xo >as bateras, exercito de todas a "K,, 0 vimlam feinuar Vapore'' ^ convenientemente preparados podiara
onde fiz seguir o vapor Igureg a observar 0 enlgow das passarara^e asios em felicuSes' fuma VeZ,"r ,nez vir reCt,,er s doestes, cuja cura
-iudo todo corpo de.sede do exercito, unido e cora- pela inspecga.. prolongada; e conduzi-los.
aqui quan- memo,
; morto.
_ Tendo elles paiol de plvora, e de balas Ocas es-
to proraptos, lodas as mais divisos interiores se;
podetu fazer provisoriamente cora sarrats c lona1
sera se perder un terapo que na conjuctura actual
vale muito.
Deus guarde a V. ExcIllra. Sr. cooselheiio
Francisco de Paula da Silvelra Lobo, ministro e
secretario de estado dos negocios da marraba. -
Visconde de Tamuudai.
ermo Jos Antonio, contuso
pie ja (ios- levemente; aspirante Joaquira Candido do Xasci-
raorlo
grumete Eustaqui Gougalves,
RF.U.AP1TUI.ACA0.
Morios.................. 13
Feridos gravemente....... 7
Ditos levemente.......... 3
Con tus js................. 18
Sendo
Pracas da marraba.......
Ditas do exercito.........
Manuha mercante........
41
25
15
i
41
Commando da l diviso da esquadra di Brasi
nn Itio ta Prala, bordo do vapor Amazonas, uo
R'ncSo do Soto, 13 de agosto de l865.-FraRCi#co
Manoel Barroso, commandante da 1* diviso.
Acampamento no Ayuy, 22 de agosto de 1865.
sao lautas: e to repetidas, tantas e to desen-
cjitradas as no icias da guerra, que o correspon-
deule sincero e consciencioso escrupubsa torsar-
se eclu dellas, paca que nao tenha o desprazer de
repercutir iiiexacldes.
Assim, justifico meu silencio ou morosldade na
remessa de meas ascriptoa: mas nao quer isso
dizer que o que Ihe refiro a verdade indestructi-
vel, porque nos acampamentos onde mais fcil-
mente asciMa o espirito neniar das inexactidoes.
.No da la de julbo levantemos o acamparaenlo !
do lugar denominado Juqneri, e viemos acampar'
a duas leguas, no Ayuy.
Esta raudanca tein sua jusliiicagSo na falla de
past para aninaes, e no estado de insalubridade
era que se achavain aquelles campos pela decora-
posigao de varios animaes pesleados e restos dos;
consumidos era carneagoes.
A noticia do haver sido elevado ao posto de ma-1
rechai du campo o Exra. Sr. geueral Osorio produ
por
I que havia.
o vapor Igureg a
Begressando, disse-me ler visto as pe-
verdade o qoe a mulher me fizera saber. I mZ fllrtf m, ^ ""T*. Df d,gS
Tudo disposto como convluha, no dia 12 s 9 3/i! ^JLSSfJ^fl^ l0^ as f"r?as do
horas suspendemos com alguras escunas mercan- ^ 'SU^Jh W??? "t
tes a reboque, por ser o vent do lado do sul e se- inKS e^ d msma arma volun,arW8' 5*
cando por sso os da vanguarda levados Dla cor- i, d
rente -uguaiud levauos pea uor j l-ehzraente un acontec ment glorioso viera re-
A'S 10 horas rompes fogo a nhoneira *^rjS 1^*2^^KS4.
rancenairngUarda' l !*** n,-mlg0/ e b?av ^."J h0".fc d*
alcance de sua grossa ariilharia. Approximando- fr(,n,H riH llmj J"
>do, fiz o signa, de navegar aTo la forga. ^ ?B 5& *gg &&
voluntarios orientaes, uma ao manjo do coronel
Approxiraando-
navegar a lote forga.
Comegou o fogo de parte a parte emquanlo a posi-
gao ao navio permuia, oceultando a gente para I ii.IhIi -'^-.~'1~ j~J'.T!?"-~ \"T" "" -"<"'=
evitar desgracas aue necessaramente solTreriam a eouIraAO du coronel Busiamenle, entran
cora a meta'S eQ raosoueteria Ka cava' ei o! P0UT jnmen,S depo,s' Da lula os ba,a,h5tS
por espago de i,\ RBS $?*>$?* S?tt&SUSB* ^ **
navio m naacnr m>l o Imh. h n...:.. _.ii... '6 7. pegas ae ariuiiaria.
Alera das forgas cima mencionadas, carrega-
ram com sua conhecida bizarra as forgas com-
mandadas por Bivas,- Arredondo e Bivero ; como
tambera o batalbao correntioo cora oito pegas de
ariilharia, a brilhante brigada brasileira, e o n. 1
de cavallaria.
navio em passar toda a linha das bateras, colloca-,
das de distancia era disiancia. Julgo que seriara
como de 23 a 30 boceas de fogo e a fusilara para
mais de 2,000.
Pelas balas aptnhadas a bordo deste vapor, on-
de me achava, que s no casco receben mais de
40, havam de calibre 6, 9, 12 e 32, e tembem
raiadas, de que nao se pode coohecer o calibre por tuosa foi disoutada de'parle a parte, desesoerada
apparecereqi em fragmentes. Parece incrivel que pela forga de nossos inimigos
os Paraguayos tenhara transportado at estes aliu- O resultado deste glorioso feilo d'arraas at o
ras pegas maiores que 9 e 12, nao s pelo peso momento era que retlraram-se do campo d bata-
dallas como das munigoes que sao precisas. Iba ( 12 l|2do da) os generaos Flores e Untara
sustentaran) um fogo nulndo e tenaz, o qoal era era o segrate :
s de se chegar altura de o O commandante Duarle, chefe da columna para-
T, a vado o combale, urna lula arrojada e impe-
bera observado
soffrer, pelo que praticavam com os que iam na
frente.
Felizmente nao houve desgraga alguma a lamen-
tar a bordo desle vapor; apenas um soldado que
esteva na enfermara soffreu uma pequea con-
tuso.
O mastro grande foi varado do lado a lado com
bala creio que de 9; o do iraquele tambera sof-
freu guasi o mesmo. As parles dadas pelos com-
maodantes dos ooiros navios explicaro a V. Exc.
as avarias por elles reeebidas.
Ha em toda a esquadra fra de combate 41 pra-
gas, inclusive 13 morios, eolraudo uestes o alferes
Marcelina Barbosa Leal, do 14 ataMo de volun-
guaya, ficou pnsioneiro com todo seu estado maior
acompanhados de um medico, pharraaceullco e bo-
tica, ate a provincia de Saota Camarina, onde rece-
beram no hospital os soccorros necessarios.
Um s vapor mensal poderia realisar esse iraba-
lho.
Vimos urna factura de medicamentos comprados
no Sallo por um prego exorbiante.
Os alugueis das casas, apezar da economa qne
procurou-se fazer, sao Inconcebiveis.
Os fornecimentos dos gneros para consumo dos
doentes sao fabulosos.
E, como se tudo isso nao fosse bastante, a mu-
nicipalidade da villa do Sallo prohibi o tratamen-
lo dos doenies de Bexigas dentro da mesraa, quan-
do essa epidemia anteriormente ao asseotamento
de hospUaes brasilelros all ja' lavrava n'aquella
populago, como mui bem provon um distiocto me-
dico brasileiro, oa imprensa.
Desta prohibigo resultou que os doentes que
mais precisavam de ser tratados em um hospital
regularmente montado, como os bexigosos, sao os.
que sao tratados no campo sem condiges hygieni-
cas, resultando de semelhante medida maior mor-
tandade de individuos dessa enfermidade.
Assim, o favor do governo vera aproveilar aos
menos necessilados.
Uma outra razo ainda vem em soccorro desta
nossa idea, e vem a ser que seria ao governo do
paiz mais fcil contratar mdicos para servirem
era Sania Catharina que na campanha, onde se nao
contam com as coramodidades da vida.
Conseguidos mdicos para servirem all, os que
servein em Montevideo e no Sallo viriam auxiliar
o servigo da campanha, resultando que um medico
eniregaudo suas armas ao mesmo capito Uriburu. I nao seria sobrecarregado com o irabalho de visitar
A coincidencia notavei desse bnlhaole feilo foi diariamente cento e sesseola doentes, nem outro
que o es ado-mator dos inimigos foi prisioneiro sena toreado a visitar por dia ama brigada com-
pelo eslado-maior do exercito alliado. I posta de varios batalhoes,
>o campo em que passou-sea luta ficaram 1200
Paraguayos morios, sendo 1000 o numero de pri-
siooeiros.
Forara tomadas 30 carretas, parque, bagagens,
e grande quanndade de armas; embm, tudo que
tinham, ludo que traziam.
Temos certea de que dessa forga inimiga nao
escapou um s homem
. acampados uns mui
equidistantes dos oulros.
Assim o governo solvera os ombaracos em que
se v pela obteogo de mdicos.
Ha das oceupou a aitengo do Exm. Sr. maro-
chai Osorio, e de todo o exercito, boatos de que o
pao vesdido para consumo do mesmo acbava-se
preparado com vidro rallado para produxir o eave-
i
1
-.



'

I
O,., i o t I K*-t""v ,(UI" iMiu laumuu ((flirt LMlMiUtU U P|VC-
combate foi porfiado, renhido e sanguinolento, | sesament; assim como que so cha achava-se fu-
-----r-r


.
Diarlo de MTMfebM '<
* l-S de HHemro de lsai.
i
-.
mi e alguem acrreseentou que no cafe notara al-
guma mistura de pos prelos que foram de-coohe
cidos.
O exm. Sr. .general Osorio prohibi instante-
mente a compra de taes gneros, era quanto toma-
va providencias serlas a respeito. ignoro quaes fo-
ram ellas, mas o que sei que a deseonliaoga des-
appareceu com ura offlcio que dous dias depois fez
S. Etc., determinando que se podiara comprar os
ditos gneros. Felizmente todos lera comido taes
gneros, e ninguem se lera queixado de envenena-
mento ; Ofler isso dzer que a providencia fui boa e
termname.
Ouvi que alguns especuladores Imiara sido pre-
sos e remeitidos ao Exm. Sr. general Mitre, em seu
acampamento : tambero nao asseguro, e por falla
de fundo da verdade nao quero dizer os boatos que
correram por occasio desse faci.
Sabemos por urna correspondencia que agora
do 3 balalhoes de guardas nacionaes, vem na reta- panhia de voluntarios, os quas ffosafao das v'aflla- j a filias do Rio Grande'a saiistaclona dolida da
guarda. Na Urngnayanna nos espera o corpo do getls tnarcadas'no decreto n, 3,371 de 7 de Janeiro; derroca das torcas paraguayas na margem ir?1ta
Bento Martis e o 4o batalho, 1,000 homens; ao do correte anno. doUrugu.'-y pelo corpo do exercito alliadocomman
total teremos 9,000. O Sr. coronel Alexandre Gomes de Arralo Fer*- dado pelo gflueral Flores, so qual se tioham unido
Estamos desiguaes em armas. rao, commandante do 1 regiment de artilharia a tffeneral Pao/tero, e os chefcs Goyo Soares e Fi-
0 nosso vapor Uruguay com dous lanches cavado, deve apresenlar-se ao Exm. Sr. tenento ge- -delfs.
armados lomou urna chalana ao inimigo, e os fez neral baro de PorH-Alegre, afim de ser empresa., Nc baria anda parlicipacoes offleiaes desle
recolner a ierra todas as suas canoas, do convenientemente nj exercito em operaresj importante feito d*arma-, prelu>iio do breve e corn-
il Tem, pois, o Inimigo um grande obstculo para nesta provincia. pelo anuiqiilimorrto de lodo o exercito inimigo
fazer juncgo com os 1,400 qae veem pelo outro Os Sr*. offlciaes e praga?, quer eftortivas, quer que invadi a provincia de c". Pedro do uf, mas
lado do Uruguay. addldas, do mesmo regiment, que ainda existem
Hontem a noute chegou do exercito o tencnte em S. Gabriel, seguiro a encorporar-se brigada
Cypnaoo da G. Ferreira, e affirma que o geueral sob o commando do Sr. coronel Joaqufm Jos Gon-
Flres com 6000 horaeos, na raaior parte infanta- calves Fontes,afim de serem addidas ao 4.' Data-
ria, hoje ter passado o Merlnham (4 leguas da Uru- Ibodeartilnara a p. a exeepco do Sr. tenente
guayanoa) e depois de amanhaa estar na Resuu- coronel Gabriel Alves Fernandes, que marchar
raco. Ja vs que sao importantes as noticias que com toda a brevidade para a corte, afim de seguir
tona a imprcnsa do Rio Grande dava o carcter de
aulhenticidade s noticias recebids, provavelmon-
le pelo crdito que Ihes merecem' os iuformanles.
Bis como relatar o facto as diversas folhas da-
quella cidade.
Diz o Diario do Rio Grande de 25 :
Derrota dos paraguayos.Vw,\ S. M. o Impe-
em^^OoleOfflCiO',,U0Qi,O ^ MC,areCer ^oDseierelfoaertfr*:.1
"m. Sr.-Apresso-rae emctfrtaoiilcar a V. S. ^Ti^lmloZ^11' "
qMtffimomento recebi offlcios do Exm. Sr. ge- de cava llar Se So cas t
neral CMweH com dala de 15, em que me diz que
dentro dos tiras- prximos dia
irauscrevo e que devemr-s esperar at o dia 2 ou 4 para a provincia de Mattn-Grosso, onde vai ser con- rador IViva a naci brasileira IViva o exer-
de agosto que se d batalha aos Paraguayos.
Pens assistir a ella, contando estar depois de
mesmo temos as nios, publicada no Republicano,
jornal da Concordia, que as forras unidas dos ge- amanhaa no exercito. ten, ele
neraes Pannero e Flores enmpoemse de 10,000 Ciuco leguas qnem de Uruguayana, 7 de
homens, e 32 pecas de artilharia : ja v, pois, que agosto de 1865.Meu Chico.-Marchei hoje do
temos nesta margem do Uruguay urna forte colum- exercito, que deixei acampad.' no Tapitocay a divi-
n i em operagdes, que muilo concorrera para auxi- sao Jacuhy, e Imbac a do Canavarro. Desejava
venientemente empregado.
O archivo do mencionado regiment que nao
for necessano devera Picar no deposito de S. Ga-
briel.
Tendo S. Exc. nos exercicios de infantina a
que tem assistido observado grande confusilo em
consequencia da falta de uniforme na respectiva
cito alhado IViva o exercito braslleiro I -Os Pa-
raguayos que estavam ni Resianragiio, n) outro
lado ao Uruguay, foram completamente balidos no
da 17 do Corrente, com grande perda de gente,
pelos dignos generaes ainados oriental Flores e
argentino paunero, e pelo coronel brasileiro Fide-
lis e ou tros.
Um hunah a esses bravos I
To faustosa uova nos f >i dirigida de Santa
Esto os Paraguayos na Umgnayana, onde e em quanlo as circunstancias actuaes nao permlt- Anna do Livramento por um proprio especial,
entraram no dia 5, ao meio-dia, sem soffrerem o tirem regular este ramo do servido, S. Exc. o Sr. a falta de lempo de nosso correspondente nao
menor incommodo do nosso exercito, que Ihes fazia ministro recommenda o disposto no decreto n. Ihe permittio narradnos minuciosamente todas as
a honra de os aconpanhar marchando no seu flan- 2,978 de 2 de outubro de 1862, que mandou adop- peripecias do ataque e mesmo pon|ue nao tinha
co esquerdo. lar no nosso exercito o regulamento e ordenanca anda sido puhlicada a ordem do dia do general
flores nao vem sem pnmeiro bater a torga que seguidos no exercito portuguez. commandante das torgas victoriosas.
Nomeagoes.Os Srs. : brigadeiro honorari) A forjado inimigo era de quatro mulanlos
Jos Gomes Portinho, para organizar urna diviso homens, e destes poneos lograram escapar I
com as forcas da guarda nacional que reunir, tan- j t Os valentes generaes Flores e Paunero ticavam
to no districto de sua jurisdiceo, como nos munl-; a passar para csin lado, a reuoirem-se com o nosso
cipios de Santa Maria da Boca' do Moni.', Cruz-Alta exercito, ao mando do Exm. Sr. teuente-general
e Paso-Fundo, ecom ella marchar, com > seu com-j baro de Porto-Alegre, que a esta hora tambera j
mandante, para o exercito em operares nesta pro- Itera derrotado o resto do inimigo junto Uru-
vincia.Em 22 de julho. guayan. Temos f robusta que esta nossa pre-
c Coronel honorario, cirurgiao-mr reformado, sumprao ser infallvel.
Ghri-tovo Jos Vieira, para dirigir os hospitaes < O Uruguay continua va a crescer, e no mnsmo
existentes eos que se estabelecerem era S. Gabriel, memoravel dia 17 de presumir tivesse passado
accumulando as fnnecoes de chefe da repartigo | o Salto nossa esquadrilha.
liar o nosso exercito que opera em S. Pedio doSul. dizer-le minuciosamente as vergonhas que presen- instrueco, por isso que cada batalho segu urna
Mrevpmeule teremos de llie communicar de que ciei, mas. falla-me o lempo, ordenanca, para evitar senielhante inconveniente,
os Paraguayos foram derrotados em Uruguayana, e
que o nosso exercito reunido aos exereitos alliados
acba-se s portas da cidade de Corrientes.
A nossa esquadrilha, que eslava ha mais de mez
ancorada no porto do Salto, sera poder seguir rio
cima, por haverem as aguas baixado considera-
velmente, subi ha oilo dias pouco mais ou menos,
foi de proteeco Urognayan, tendo ja imped-
dldo a passagera do rio s torgas paraguyas que vi-
nhaoi de soceorro a's que foram batidas* pelo nosso
exercito alliado.
est do ouiro lado, 2,500 homens.
t Vi todo o exercito paraguayo de perto e afflr-
mo-le que s lem 6.000 homeus incoraj-letos. Mar-
chan na meihor ordem, e com lodos os preceitos
da arte. Perderam-nos de todo o medo. Entraram
O que me parece que em tudo isso v-se a mao jna Uruguayana debaixo de toque de corneta.
da Providencia pesando sobre a cabeca do tyranno Bag, 15 de agosto de 1865.-Os Paraguayos
do Paraguay, e que nao longe esta* odia era que, 'entraram na Uruguayana, sem darem um tiro, no
desesperado da sorte das armas, ponha-se em fuga,: dia 5 do corrente, constando aqui que (ora abando-
como sem fuer aquellos que, nao lendo conscien- nada por ordem do Canavarro.
ca da s:inii;lale da cau uam-a, ponidos de vergonha e horrorisados dos Por aqui estamos bastante alllictos, nao s pela
crimes que. corametteram. entrada dos Paraguayos na Uruguayana, como de saude do exercito de reserva, quando esie se or
A Dos perteoce o resolver breve o problema tambem pelas grandes reunioes que ha : est esta ganlsar : seBdo dispensado do lugar de director da
desia guerra a' que tomos arrastados pelos desva- cidade deserta. Marcha tambem a guarda naci- enfermara militar desta cidade, que exerce com
no* e caprichos de Lpez, enjo sangue nella verti- "al de infamara que aqui existe e poroto de volun- zelo e dedicacao, pelo que o governo imperial o
do fructo de suas ambicSes indomaveis e rema- 'arios que se teem apresenlado.
. perjva que se-
riara derrotadas as torcas paraguayas d'aquc-m e
il'alm do Uruguay.
Outro sim, me diz o proprio que no raorne:ito
da sahlda o Exm. general Caldwell me mandou
dizer que no dia 13 tinfu brilhado o general Fio
res, derrotando completamente a torca paraguya
d'alra do Uruguay.
< Deus guarde "a V. S. Sant3 Anna, 17 de agos-
to de 1865.Illm. Sr. major Antero Rodrigues
Soares. Sezffreilo da Costa Torres.
O Echo do Sul de 26 diz :
Completando as noticias importantes que hon-
tem denus da derrota dos Paraguayos alem do
Uruguay, damos hoja pnhlicidade a" carta de pes
soa antorisada junto ao nosso exercito quem do
mesmo Uruguay, a qual s hotem recebemos, e que
minuciosamente relata os aconteclmentos havldos
antes desse novo feito d'annas, bein como do que
devena segolr-se-lhes.
O leitor que aprecie essa ntrraco como en-
tender mais judicioso, por -punto nos deixamos por
agora de commentir os factos, o que fareraos em
occasio opportuna e conveniente.
to um do outro es-
exercito allia-
, e 3,000
de mfafl|far>
- togo.
U exercito paraguayo se compunha de f,0f>-'-
homens de inftaria e 800 de cavallaria ; roropeo
o togo dos alliados Cun artilharia e tosilari } os
Paraguaya responderam com viveza e lenacidade,
e mamiveran-se Orines pur espago de hora e raeia;
ao Um des e lempo seu Naneo esquerdo cornecou a
flanquear liorriwimente incummodado pela metra-
liia alliada, que ihes abra grandes brechas ; euto
os Paraguayos comegarara a ceder le: reno, e pouco
depois batiam-se em retirada ; mas, perseguidos de
peno, depressa a onfusao se intro:1uzio era suas
bleinis e se extraviaran] em completa derrota,
acossdos pelos vencedores, nao querendo Tender-
se quasi lodos. Nao dou cont dos morios porque
narro tmente o que vi de;ie lado do rio ; mas a
mortandade do exercito inimigo devo ter sido im-
mensa e espantosa, porque com um oculo vimos
daqui o campo todo es ti vado de cadveres, e a mor-
laudade anda defera ter sido mais contra o fundo
de um riuc.o que forma o Uruguay, que est cam-
po fon, e para onde con eu de preferencia o iui-
migo : essa nodo formado pelo Uruguay com o
arroio Chico. Agora vao passar as infamaras do
general Flores com a :-ua artilharia por esle lado
da provincia para darmos cabo dos Paraguayos que
t Lumpre-nos acresceniar que a pessoa que es- eslao na Uruguayana. Espero em Deus poder-lhe
titilaf .'as 1UBKaii;ir"e vao transcriptas as- noticiar tambem em pou.s dias a derrota de mais
sas msospeita e acha-se no theatro dos acoutec
ments.
Eis a carta
.1
!ada loucura.
TERIOM
A mesma fidha citando dalas de S.Gabriel extrahe
1 do Echo Gabrielense o seguinte :
urna praga I -Os Paraguayos sao urna pra-
i ga; por onde passam deixam vestigio de sua
i passagem, estragando tudo quanlo acham no seu
; caminho.
Deitaram togo na igreja de S. Borja, e o incen-
dio nao coucluio a amiga igreja porque a rao da
Providencia o extingui.
Algumas casas foram presas da chamma.
Em Raqui rapinaram tudo quanto Ihes convi-
nha, tendo incendiado todas as estancias que encon-
traran) no seu malfico caminho.
manda louvar; devendo marchar para h seu des-
tino logo que Ihe fr ordenado e lizer entrega da
mesma enfermara ao seu substituto.-Em 2 do
correle.
Capito do 2. batalnao de infamara Joao An-
tonio Cantoso para servir no 9." da mesma arma
at segunda ordem.
c Capito da guarda nacional Francisco Roque
de Souza, para major de commisso, afim de orga-
nisar um corpo ou esquadro de voluntarios com a
torga que tem da reunir nos difTeremes pontos da
provincia.Em 30 de julho.
Tenente do 13 batalho de infantaraJos Lo-
pes de Barros, para capito de commisso do 19
Ainda que tarde, esses vndalos ho de pagar corpo de voluntarios..\psta data,
bem caro as atrocidades que teem comrnettido na c Tennle da guarda nacional Joao Francisco de
nossa provincia. Moraes, para servir ds agente na enfermara mili-
Seria por corto muilo de lamentar que ticas=e lar da cidade do Rio-Pardo, coadjnvando ao mesmo
impune to nefando procedimento. temno o commandante da guarnieo dessa cidade
Reunido. Teve lugar qumla-feira 4, a noute, em todo o servigo de que este se, acha incumbido,
no edificio do theatro, urna crescida reunio de es- Em 30 de junho.
trangeiros de diversas nacionalidades, para o lim t Segundos cirurgioes Francisco Mendes de
de utlerecerem-se ao nosso goveruo para auxilia- Amorim, Augusto Pedro de Alcntara. Manoel Ene-
dio do llego Valeega, Joaquira de Mallos Telles
de Menezes, Manoel Lopes de Oliveira Ramo':, An-
tonio de Souza Dantas, Manoel Cardoso da Costa
Lobo, Jayme de Almeida Como e Manoel Mariins
dos Santos Pena, para pnmeiros cirurgioes de
commisso.Em 4 do corrente.
e Alferes do corpo policial desta provincia Lmz
Antonio Machado da Rosa e Antonio Jos Dias da
serem
rem a guarnicio desta cidade no servigo d-<
mesma.
Poucos foram aquellos que se negaram a
comparecer a tal reunio.
E' urna bella acgo que pralicara os estrangei-
ros residentes oeste lugar, offerecendo-se a aju-
era occasio to critica para a pro-
vincia.
RIO DE Jt\i;it
23 de agoslo.
Entro hoiilera do Rio da Prala o vapor nglez
JL-rschell cj.ii dalas de Montevideo at 21 do cor-
rente.
As nicas noticias que all havia do exercito al-
liado euntani da seguinte carta escripia a Tri-
buna :
Concordia, 13 de agoslo.
Principia a esgotar-se-me a paciencia.
Isto iusuppurtavel. Esperamos, esperamos,
e serapre em vo.
t A grande uoticia nao ebega.
Ja que temos de esperar, direi o que ha.
O presidente Mitre recebeu um olcio do ge-
neral Plores datado da 10 do Passo dos Livres, de-
fronte da Uruaguayana.
A nica uova que da' que no dia seguinte se
Ihe incorporarla o geueral Paunero, eque a 12 es-
tara elle incorporado ao general Madariaga em S.
Jo.iquiiu.
Depois destas inr.orporagoes que succedera' ? i ;ar"
O general Osorio recebeu ura proprio do gene-' '
ral Canavarro com communicaces de 10 datadas I Supershcan. As nossas torgas ao mando do Silva, para lenles de commisso, ahm de
do mbaja'. leueutecorouel Sezefredo lizerain prisioneiros um empregados nos corpos que fazem parle da divisao
! tenente e ura cabo perlencentes ao exercito para-: sob o mando dn Sr. brigadeiro Portinho, ficando
guayo. al segunda ordem 0 primeiro empregado no^ pi-
Referemnos que por essa occasio deu-se um qnete de sua magestade o Imperador.Em 2-3 de
facto que poe bem patente a superstigo desses julho.
barbaros. c Exoneragoes.Do Exm. Sr. marechal de cam-
< Es-e tenente vinha com dous sargentes, um pe Francisco de Arruda Cmara do commando das
cabo e dous soldados encorporar-se ao exercito armas do Para, por have-la pedidc^ecrelo de 4
delles, mas sai-lhes ao encontr um corpo dos do corrente.
nossos. Elles ao principio suppuseram que erara < Do Sr. tenente do corpo de guarda nacional
compaiiheiros, porque o fardamenio dos nossos do Amazonas Antonio Rubim, da commisso era
guardas nacionaes se confunde cora o dos Para- que se achava como capito do 19 corpo de volun-
guayos. taos da patria, devendo ficar addido ao 4.a de ar-
Vendo, porm, que estavam diante do inimigo e ulharia a p, onde passa a servir at nova ordem.
que eram toreados a eDlregarem-se ou morrerem, -Err 4 do corrente.
formaran) con Iho. Licenga concedida.Ao Sr. alferes de commis-
O lenle opinava que deviam render-se por sao do 19 corpo de voluntarlos Jos Nobrega de.
que a resistencia, alera de impossivel, trazia-lhes Ayrosa, dous metes para tratar de sua saude nesta
inevitavelmente a morle; o sargento, porm, e um cidade.Nesta data.
soldado declararais que nao se entregavam e que < Perdo.Por decreto de 4 do corrente houve
iam carregar, porque se morressera iriara resusci- por bem sua magestade o Imperador perdoar ao
tar en Attumpcda, como Ihes liuha asseverado o
bispo.
Animado, pois, com a esperanga de voltar a
.Mellas participa que na noite anterior os Pa- |
raguayoa que esli na Urguayaoa tiuhara alirado i
tog incs, [azeodoao udsmo tem,io Irabalhosdecar-
piolara e torrara, o que deixava suppor que o ;
luiuiigoquizesse passar todo para urna das margeos.
' O vapor que os Brasileiros lm na Uruguaya-
n lomou urna laucha aos Paraguayos, mas a tri-
polacao esr.apou.
Os Eiitre-Rianos-priucipiaraareunir-se, e falla-
uraa-mamfesucao dossens cheles a fav^r de
Urquiza. t-creveu esle ao presidente que tinha
convocado o seu exercito para 28.
Esperemos, pois.
i tfoje temos andado muito oceupados buscando
1 pai i o general Gelly y Obes, o que nao
sera1 diffleil conseguir, mas onde metiremos o
tremebundo estado maior que elle irouxe ? i
Oulia carta accresceuta:
' llouve um pequeo encentro de vanguardas, e
;i gente do geueral Madariaga pode diminuir o exer-
cito inimigo de viole Paraguayos.
Os Paraguayos que passaram oPa/.so dos Li-
vres repassaram-o com a costumada prudencia a'
noticia da approxiraago do exercito oriental.
Julgam alguna que podera elles querer passar
todas as suas torgas para a margem oriental do
Uruguay e marchar at ao Sallo, seu primitivo
P i miento, mas duvido que o facam.
O general Gelly y Obes, ministro da guerra, oi
iomeado chefe do esiado-maior do exercito argen-
Uno era carapanha, que ltimamente liuha recebi-
do mais alguos reforens. As provincias porm pou-
co faziam e na Rioja aiuda as goerrilbas uo tinham
sido de todo suffocadas.
Do Paran' poocas noticias havia. A esqudra
eslava anda no Chimboral, mas urna carta d'alli
eseripia a 9 diz :
lia ordem de apromplar para largar aguas abai-
xo araanbaa as 6 horas. Diz-se que sera' at Rin-
von de Soto para salvar alguns mos passos om
que se podem levantar bateras, mas como toda a
iniigem do Paran' tem altas ribanceiras para as-
tr canhes, bem podemos ir at Martin Gar-
ca.
Por trra os Paraguayos marchavara sobre Goya,
donde distavam Irete leguas, tendo ua manhaa de
11, oo lugar de Cuevas, balido urna partida cor-
reniina que apanliaram d aprevenida. O governa-
d ir Lagranaainda eslava na cidade, mas a popula-
coja' pnncpiava a emigrar, aterrada pelas cruel-
dades que os Paraguayos tinham praticado em Bel-
la* vista, onde nada tinham respeitado, nem mes-
nio a propriodade e vidas dos esiraugeiros, inultos
dos quaes haviara fgido e protestado contra estes
actos.
O exercito correnlino dizia-se que eslava na La-
ja Avalos, 14 leguas de Goya, e em frente delle
um corpo do exercito invasor.
No da 11 lnha-se ouvido das banhas de Bella-
Vista urna viva canhonada, que se suppunha ser a
es pudra que passava.
Assumpgo depois de morto, caminha a frente cora
intento de atirar-se aos nossos, mas o leme des-
fecha-lhe a pistola, prosta-o por trra sem vida e
vai em acto continuo entregar-se.
Consta-nos que esse offlcial tem sido b-m tra-
tado na diviso do Sr. general Canavarro, onde
est guardado.
Por esse mesmo offlcial se soube que as torgas
paraguayas que esto na provincia
compostas.
8 balalhoes de infamara de 701) pragas.
4 regiraenlos de cavallaria de 50J pragas.
o bocas de togo 100 pragas............
lente do corpo de estado-maior de primeira clas-
se Antonio Villela de Castro Tavares e alferes do
de segunda classe Clemente Francilio Tavares o
tempo que Ihes falla para cumprirem a pena de
um anno de pnso, a que foram rondemnados por
senienga do const-lho supremo militar de juslica de
28 de junho do corrente anno.
t Demissoes. Aos Srs. lente do 20 corpo de
voluntarios Thomaz Pinheiro de Souza, por have-la
pedido.Em 31 de julho.
- Tenente do 19" corpo Antonio Luir. Alexan-
eram assira dre Ribeiro, tambem por nave-la pedido visto o seu
mo estado de saude.Em 2 do corrente.
A reunio da assembla legislativa da provincia
fra por acto de 10 adiada para n dia 1" de novem-
bro prximo futuro.
No dia 10 partir da capital para Rio-Pardo o
30 corpo de voluntarios da patria ( 2 de pernam-
buco), e urna companhia addidade suavos pernam-
bucanos, e a 13 embarcara com o mesmo destino
Principian) as consas a desandar para o inimi-
go : e, se temos tambem, como presumimos, aca-
bado com o exercito paraguayo que invadi a pro-
vincia.a guerra ser mais curta do que se nos anto-
Ihaya, e em breve tremularo em Assumpgo eHu-
raaita os paviitiOS brasileiros, argentiuo e orien-
tal. E' quesio prompta a resolver-se.
Eis a carta que recebemos :
t^Em frente a liruguayani. era 17 de agosto de
1863.Foojos observadores da completa derrota
da torga paraguaya que eslava na Restanraco, o
que Ihe comtnunico as pressas e o felicito "romo
Bra-ileiros que somos.
A's 10 ,horas do da formaram-se as linhas
paraguayas, que seriam de mms de 4,000 homens,
e ma.or a do general Flore-, alm das torcas de
reserva. Rompeu o togo de ariilharia, e logo o
de futilaria, que foi cerrado, at a 1 1/2 da tarde,
em qae Hodou com retirada dos Paraguayos, que
bem depressa se extraviaran) em completa derro-
ta, perseguidos pelos vencedores.
t Cont s o que foi oh ervalo deste lado, por
isso nao dou conia dos morios, quedevia ser gran-
de, contra o fundo do rinco que forma o Uruguay
com o arroto Coico; porque o Uruguay est campo
fra.
estes 7,000 vndalos, uns continuar a proteger,
sem duvida. a boa causa.
Teuho ainda mais urai boa noticia a dar-lhe :
1865 8 [,nbaha' 8 de aeo?to No dia 21 do passado ehegamos s proximi-
dades do rio loicuhy junto ao pa-so de Santa Ma-
ria ; para logo souliomos que metade da forca ini-
miga ainda eslava na margem direila. E como
atacar os que eslavam desle lad"?
< Os Paraguayos fi'.era n muilo cima do pa*so
real urna picada e se craservavam dentro do malo,
lendo alem disso em sua frente urna forte restinga
bordada de sarandys.
Concluida que foi a passagem de todo o exer-
cito, mudaram-se do mato para o campo, esienden-
do urna linha de tres balalhoes, apoiados por pou-
ca cavallaria, para rebanhargado.
_ A torca que eslava na freule do inimigo fez
to rigorosa opposicao que o gado assuslou-se por
tal forma dos tiros que poneos levaram.
No dia seguinte os mesims tres balalhoes, j
susientados por artilharia, faziam a vanguarda do
exercito, que veio pernoilar no Japej, e nos em
Chinchurun.a menos de urna legoa de distancia.
No seguinte dia vierara para Tou'O Passo, a
una legoa de distancia do Uruguay ; quizeram
commnnicar se com a torga do lado opposto desta
rio, o que Ihes foi obstado pelo vapor e os lanch js
que o general Canavarro havia mndalo armar
em guerra.
Tres dias se conservaram os Paraguayo' nesse
lugar esperando que o rio haixasse, o que conse-
guido emprehenderain de novo a marcha no dia 4
deste mez; ao meio dia tranpozeram o arroto
donde escrevo, na presencade iodos os nossos che-
fes, que, com eccepeo do bario de Jacuhy e Joio
Matioel Meiina B rrelo, computaran! a torea inioil-
ga em 7,000 combtanles.
No da 5 o general Cauavarro, em vista dos
0 1 tenente de marinha Mattos, que vem desejos que manifestava o commando das armas
"onniand ir a nossa 'esquadrilha, diz que os quatro de atacar-se o exercito paraguayo, desojo nascido
vapores nossos, quando elle sanio d) Salto, s es
5,600
2,0(10
500
8,100
Programma.A commisso encarregada de
regulansar a entrada de S. M. o Imperador nesta
cidade, por occasio de sua chegada, deseja e pede o 31 batalho ( 1 de Porto-Alegre ,
ijue se observe o seguinte : Ficava a marchar a compaohia de voluntarios
1." A' noticia da approximago de S. M. o Im- artilheiros alemaes. o 25 de voluntarios de Santa
perador quedever srannunciada por duasgyran Calharina, o 8. de Sergipe, o 28 do Rio Grande
dolas de. logeles, as autoridades civis e militares do Norte eo 3. do Para.
e mais cidados quequizerem se reuniro na praga O corpo de cavallaria da guarda nacional de S.
da nova matriz para irem encontrar S. M. o trape- Leopoldo e de Sania Anna do Rio dos Sinos j es-
rad'or na distancia em que se achar, que nao ser lavara organisados, o primeiro com 4Q0 e o segun-
longe. jo com mais de 200 pragas.
2. Chegando S. M. o Imperador ao Rio deVac- Fra creado mais um corpo provisorio, com o n.
cahy, tora lugar urna salva de 21 tiros, que ser 3o, da guarda nacional de Pelotas, cora 400 pra-
dado no quartel de ariilharia. gas.
3. Na entrada da cidade a Illma. cmara mu- No dia 17 installra-se era Porto-Alegre, sob a
nicipal apreseutara a S. M. o Imperador sua tolici- presidencia do Sr. visconde da Boa-Vista, a juma
tago. ^ de jusliga militar.
4. Urna guarda de honra ser postada no lugar Aceito pela presidencia o offerecimento feito pe-
competente, que fara ao Ilustre viajante as contl- los indgenas do cacique Foug, foi chamada a des-
nencias devidas a sua alta jerarchia. [acmenlo urna corapauhia de voluntarios com a
5 Chegando S. M. o Imperador ao adro da torga de 200 pragas, que ficar addida ao 43 corpo
igreja sustenlarao as pessoas gradas do logar, e depois O coronel Joo Daniel Hilldebrand enviara de
Jarrios no commando do exercito paraguayo ti- encaminhando se para a porta da igreja ah estaro mimo a sua magestado o Imperador 40 bonitos e
nha-se mostrado muito mais cruel do que Robles.
Este ultimo dizia se ter sido passado pelas armas
por uo haver saqueado Corrientes. Lpez lem
mostrado ser capaz de ludo, mas tambem muilo se
lem inventado para diverliuenio dos leitores das
tuinas do Rio da Prala, que ainda accrescentam
que o mesmo Lpez mandou deitar ao rio o almi-
rante da esqudra batida pela nos.-a, e que os pu-
ro s dos navios paraguayos viuham Chetos de gen-
te para substituir a que fosse morrendo no couvs,
o que fez que nos cinco barcos mettidos a pique
pereceasen) 4,000 homens.
Relativamente as repblicas do Pacifico encon- raa frma porque foi recebido.
o parocho, sacerdotes e irmandades, e togo que o possantes cavallos com a marca P. II.
parocho der a S. M. o Imperador a imagera do I -se no Mercantil de Porto-Alegre de 19 :
Santo Christo a beijar, como determina o ritual O exemplo que deram os Allemes desta cap-
romano, Ihe ottorecera o aspersorio com agua benta, tal, offerecendo os seus servigos a sua magestade
e que lindo seguir o prestito at o altar-mr, o Imperador, loi seguido pelos cidados da mesma
onde S. M. o Imperador, como cosiuma far sua nacionalidade que habilam S. Leopoldo,
orago. Scientes da ordem de marcha que recebeu a
Nesta occasio o parocho subir ao lado da infamara da guarda nacional daquella cidade, reu-
eplslola, onde cantar os versos e oragoes apona- niram-se por duas vezes e resolvern) formar urna
dos no ritual romano. reserva armada para o servigo de guarnigo ; na
6." Concluido esse acto, ser S. M. o Imperador segunda reunio toi approvado o regulamento do
acompanhado, qu tramos o seguinte as folha que temos a' vista :
So E juador o general Franco eslava em S. Bo-
rondon com 500 homens. Echeandia com outros
tantos homens de Piuza marchava sobre Tru-
jillo.
Da Bolivia noticam que perto de Potos o pres-
deme Melgarejo co;n 7U0 homens derroton o gene-
rae> Velajsane Tlur e Avila que traziara 1,200.
Na cidade da Paz faziain-se barricadas para re-
sidir a Melgarejo.
-30 -
Pe' vapor Juparan, entrado hontem dos portos
do sul, recebemos datas, de Porto-Alegre at 19, Rio
Grande 22 e Santa Cathariua 26 do corrente.
S. M. o imperador e S. A. o Sr. duque de Saxtf
tinham chegado a Cacnpava. Apesar dos iucommo-
dos da jornada, S. M. es. A gosavam de perfeita
sade.
As dalas recebids da carapanha da capital da
aleaneivam apenas a 1. No Rio-Grande havia da-
tas mais modernas, mas nada se sabia alm da
entrada de urna torga paraguaya no Uruguayaona,
segundo j noticiamos.
Eis as cartas que a tal respeito.publica o Echo
iLi $m de 22 :
K tanciadoFreiliubas,31dejulhodel865Meu
C O tea compadre F. escreveu a prima U. a 28 do
correte, a urna legua de Tojiro-Passo e 4 da Uru-
guayana, e dizia o seguinte :
() inimigo em numero de 7,000 homens incom-
pletos, ac.impou no dia 27 na margem direila do
passo, e faz picada para se dirigir a villa.
Do passo de Santa Maria s teem o dominio do
terreno era que piso, sustentado pelas armas com
as no-sas grrimas junto de si, sobre as quaes
tozem grandes descargas sera nos lenrera.
Queimarara as casas que encontraran).
A nossa torga de 5,100 horneas, era marcha
nt fente do inimigo, era quanlo a 1' e 4" brigadas,
qu eslavam em Mitotes em numero de 3,000, sea-
qual a estas horas j deve estar sujeito approva-
7.a Logo que S. M. o imperador se retire da gao do governo imperial,
igreja ser acompaohado pela lllraa. cmara muni- Ao Rio Grande linhara chegado de Santa Catha-
cipal, autoridades civis e militares e povo, ate a ria com tropa os vapores Falco e Jaguaribe.
casa do Illm. Sr. coronel Tristo Jos Pinto, que Ihe O Echo do .Sul de 20 diz :
est preparada pela mesma cmara. O Falcao em sua viagera de Santa Catharina
< S. Gabriel, 1 de agosto de \8&5.Emiliano para esta provincia encontrn ura navio totalmente
Antonio Garca, Andr Margues Oestreich, Fran- arrazade.
cico Ernesto da Silva Chaves, vigario Joo Peixo- O Falcao nao toi falla, por isso nao sabe di-
to de Miranda Veraz. zer que navio seja.
Pelo gabinete do Sr. ministro da guerra fra Snppde-se que sej a pohra barca Lujeira, ca-
expedida na Cachoeira, a 5 do corrente, urna ordem i piao Hermogenes, que ha 60 e tantos dias sahio
do dia fob n. 3, da qual consta o segninle :
Promocoes.Por decreto de 4 do corrente
forara promovidos no corpo de sade do exercito a
Io* cirurgioes capites os 2' cirurgioes teneotes
Antonio Jos Pinheiro Tupinamb, Joo Jos de
Carvalho Filho, Fortunato Augusto da Silva,
Augusto Jos Ferrari e Jos Augusto de Souza
Pilanga.
Attendendo as difflculdades do fornecimento
de vveres, S. Exc. determinou, por aviso de 31 de
julho, que as etapas para as pragas em marcha
fossera elevadas a 400 rs. diarios.
^ Por aviso de 1 do correnle toi approvada a
r?eago de ama enfermarla militar na cidade da
Cachoeira.
Por aviso de 2 do corrente determinou-sc que
os cirurgl5es do corpo de saude destinados ao
exercito de reserva passem a servir no de opera-
pecaram mais -eis palmos (Tagua, e ha quatro dias
a muito mais lem subido, por con segu ote aqui le-
remos >s vapore,, o augmento de infamara.
0general Flores em Sama Auna Velln. d i ou-
tro lado, a 13 do corrente, tozjuueuo com o ge-
nera Paunero, que "inha com 3,000 infantes e 32
bocas de fogo raladas.
ionio a Flores licam 14 balalhoes cora 7,000
infames, total 12,000 homens.
Agora deven) passar na esquadrilha as -nfan-
lirias para esle lado, que reunidas aos nissos 9,509
homsns b artilharia, formarlo urna forca respeia-
ve| para atacar e derrotar os 9,000 Paraguayos na
Urufuayana.
P. I).A's 9 horas da noute. Noticia o Ma-
dariaga, que falln com o general Canavarro.
O inimigo tinha de infamara 3,200 homens,
que cun a cavallaria fazia ao lodo 4,000.
A linha delles sosten ton vivo togo por I 1/2
hora, sua esquerda fraqoeou pela metnlha ; sa*
tenazas, nao se rendein, o que fez com que esca-
nassjjn vivos o majar uarte, commandan'e d,a
torga, 40 prisioneiros flidos, 7 canoas de fgidos
para a itoa, e alguns de cavallaria a nado no ar-
roto ; lodos os mais morreram : deste lado via-se
rom o ocnlo de alcance o campo eslivad i de cada-
vares. >
Le-se no Commeraal da mesma data :
A confianca que at hoje temos depositado nos
che/es das nossas torcas, nos fazia crer que se at
agora nao haviam batido os barbaros invasores
desta bella provincia, raides haveriam para um tal
procedimento.
O vap.r que honlem chegou de Pellas veio
conlirmar esso nosso molo- de pensar, porquanlo
foi | mador de urna boa e importante nova, que.
se todava nao toi ainda urna victoria completa pa-
ra nossas armas, comttido desse feito d'armas so
seguir' sera duvida o anniquillamento dos invaso-
res, que breve recebero o justo castigo de sua
ou.-ailia.
Xas noticias que transmiltimos aos nossos lei-
tores no nosso jornal de 23, viudas peto vapor Im-
perador de Montevideo, distemos achar se o gene-
ral Flores com as torgas alliadas sob seu mando
no passo dos Livres, povuagao esta que fica em
frente a Uruguayana, e qae espera vara se em Mon-
tevideo al o dia 2i resultados importantes de um
grande feito d'armas. Nao nos engaamos quando
sto noticiamos, porquanto, como cima dissemos.
o vapor de Pelotas, hontem chegado, nos trouxe a
communicago desse desejado feito, que apezar de
nao ser ella offiVial, entendemos da-la aos nossos
leitores, porque a julgamos digna de f.
lieferem as cartas recebids da campanha em
Pellas que, depois ua junego das torgas de Pau-
nero is do geueral Flores, marchou esle sobre as
torgas paraguayas que se aehavam do outro lado
do Uruguay em numero de 4,000 homens, e que
no dia 13 do covenle as derrotaran) completa-
mente, llcando no campo da batalha ura numero
extraordinario de morios e feridos, pois que o fa-
ualismo desses barbaros levava-os a tal extremo,
que preferan) deixar-se morrer do que se entre-
garen) ao inimigo, o que toi confirmado por um
lente paraguayo que ficou prisioneiro, que de-
clarou, que Lpez ao saber que elle eslava preso
tratara de prender sua familia e que Ihe comisca-
ra seus hens.
Esta victoria alcangada pelas torgas alliadas
do ootro lado do Uruguay, trara conmigo a com-
pleta derrota das torga- paraguayas que se acham
desle lado da provincia assim o entendemos e es-
peramos. >
Um respeitavel negociante desta praga rece-
beu urna carta escripia a ultima hora, que dava a
boa noticia de ter a nossa esquadrilha trausposlo
o sallo grande do rio Uruguay ; fazemos votos pa-
ra que desia vez se confirme urna to agradavel
nova.
A mesma folha de 26 accrescenta :
Em additamento s noticias que hontem de-
mos sobre os ltimos successos que livt-ram lugar
do outro lado do Uruguay, aprsenla hoje a integra
de una carta que um respeitavel negociante desta
da opinio dos dous ehefes cima mencionados,
nicos que davam ao inimigo piuco mais de 4,000
soldados, p6z as nossas forcas em altitude d" ata-
car, formando as brigadas : e, dingiudo-seao com-
mandante das armas, Ihe fez ver que, nao podeodo
responder pelo resultado da acgo, s ataoaria o
coiumar. lar a nossa esquadrilha : diz elle que quan-
do sabio do Sallo o- iio.vOi quatro vapores com
tropa s espera vam mais seis palmos d'agua no rio
para viren); o Uruguayana tem agora subido mais
do que isso, e por euosegninte aqu teremos tam-
bem os vapores e augmento de infautaria, para
o deixar escapar iims Paraguayo.
A's 9 horas da noite o chefe Madariaga acaba
de vir -I i outro lado fallar com o general Canavar-
ro ; conta elle que pela lenacidade e obstmago
dos Paraguayos em nao render-se s escaparam
vivos 0 major Duarte, seu commandante, e 40 pri-
sioneiros leridos, os que poderara fugir em 7 ca-
noas para una ilha defroute, e alguns que a ca-
vallo se atiraram a nado no arroto, e que todos os
mais foram morios.
De seu patricio e amigo, Manoel Fernandes da
Silva.
Viva a naci brasileira I Viva o exercitoc ar-
da uai-ional I Viva a guarda nacional da provin-
cia I Vivara os nossos liis alliados I
O Diario de 27, em algumas linhas de polmica
com as unirs folhas, iusisle em que a batalha foi'
dada a 17 e nao a 13.
U Echo da mesma dala diz que no da 17 eslava
o i,vii ral Flores passando o Uruguay, e que Dessa
data ainda se aehavam os Paraguayos na Uru-
guayana.
C m.-iava no Rio Grande ter chegado a S. Gabriel
no da 6, e seguido para oexerciio a 8, o general
bardo de Porto Alegre.
A' mesma cidade linha
dous soldados paraguayos,
ronel Sezefredo.
Eslava ja na provincia,
para o seu destino, toda a tropa levada d>--te por-
to e de Santa Cillianoa petos vapores S. Pauto,
Presidente, Imperatriz e l'rinceza.
Em S. Jos do Norte eslava promplo para mar-
char um esquadro de cavallaria de300 pragas, or-
ganisado pelo coronel commandante superior da
guarda nacional Tnomaz J..> de Campos.
L-se no Commercial de 27 :
Chegou honii-m o vapor Guarany ; recebemos
chegado um tenente e
presos pelo tenente co-
e.n breve marchara
inimigo com urna ordem por esenpto, e, quando jornaej 2i ,, cnrren{e e da Aaaia do Sal de
s. Exc. o Sr. general nao quizesse carregar com jq exirabiitoos o
essa responsabilidale, exiga um conselo i dos cora-
mandantes de brigadas.
Esle se elfectuou, sendo tidos unnimes em
que as nxssas da nossa cavallaria teriara de suc-
curabir ame a infamara inimiga.
Seis commandantes de brigadas e o general
Canavarro assim o entendern), ainda contra o voto
do baro de Jacuhy e Joo Manoel Meuna Brrelo.
O vleme coronel Fernandes toi um dos
seiuinte :
Os seguidos leraporaes que tem desabado so-
ore esta cidade, bao causado gravsimos pre-
j alzos.
Esses fortes temporacs teem deitado abaixo
innmeros m iros, alguns dos quaes tinham sido
construidos por mais de urna vez.
A casa que o Sr. Mauuel Barroso eslava edifi-
cando na ra das Pombas, em frente ao Sr. Esia-
.'lue; ci Belrnondy, eque ja eslava emmadeirada, se
era conselho susteutou, cora experiencia propria, a Ullllo no3 ,.,,., M desmoronada.
impossibilidade de se atacar a torca ininnga. ,. 0 rlu jaguar0) ,.uja seCl.a CaoSou tantos pre-
B na verdade as nossas infamaras, sem a ne- ju7s ao 0Ss0 coinin,ircf0/ a,,ora ae urna maneira
eessaria instrnecao. o mesmo que snecede as nos-; es|)ail!l|;, sa se acha fora uaj barrancas, pan-cen-
cavallanas, lenam de ser sacrificadas por un do tmeacar a villa frooteira, que ao amanhecer para
hontem chava-se ja cercada pela nundagio, o que
exercito onde tudo infante e ariilheiro.
Assim me expresso porque a intitulada caval-
laria do inimigo trabalhi cora ambas as armas.
Nestas circumstancias urna batalha, com ar-
mas tao desiguaes, traria a completa desgraga da
provincia do Rio Grande, a par de um granJe
comproraettimenlo para*causa da alliauga. i
Estam>s a 10. Vendo os paraguayos que nao desligadas da 3* companhia ~avulsa as 17 pragas
os atacavamos. pnzeram-e s 11 horas em marcha que Sl3 aC|iavam eilli,regadas na artilharia, as quaes
para Lruguayanna, onde lizeram asna entrada a ; vao smir de casc0 a cm|);imia provisoria de ar-
uma da larde, passando 12-quadras longe de nos, i m>m q|W ir orilem 0 ovemo esi organista-
que, contristados, passamos o resto do da 5 lamen- do neta caade 0 Sr. Anuibal Antones Maciel.
Ihe dava o aspecto de urna nova Veoeza.
Praza a Deus que nao coutinueni as cliuvas a
visitar-nos com tanta frequenca, porque assim
desie modo teremos que ver os habitantes de Arti-
gas seriamente prejudicados.
Por ordem do commando da guarnigo toram
a vista desse espectculo sem podermos
resistencia proveitosa, posto termos 8,000
lando
oppr
homens.
Ainda ninguem vio, no Rio Grande, marchar
um exercito em mais ordem do que marchavara os
nossjs contrarios.
S. S. j coma ura crescido numero de pragas
para formar a mesma companhia, sendo a raaior
parle dellas voluntarias, e todas as lardes era pes-
soa as nisirue nos pnmeiros rudimentos do sol-
dado.
Os trabalhos da tortiocagao desta cidade live-
O baro de Jacuhy, logo que chegoa aqui com rara rtriBCjpib"no da 15 do 'corrente, sol. a duve-
duas ordenangas e u;n ajudante de ordens, fillou [ ,.-10 do Sr Jeneute Amonio Mascan-nhas de Frei-
em tantas sorprezas que o commandante das armas tas ,
mandou dar-lhe torcas para elfectua-las ; at hoje I De p.jrto-Ali-gre tinham embarcado para o Rio
nada fez. Elle ainda ignorava que os paraguayos \ Parilo 0 23o halajno de voluntarios da patria e o
marchara unidos, e pernoitam rodeados de urna li- 2 provisorio de liuha.
nha de sentinellas de infantes e'fortes promptides L-ge na Ordem de 20 :
impossivel de serem accommettidos. Qs Srs. Oliveira "Ramos, Leonel Bandeira e
Hoje ludo esta' convencido que sem numero oulros cd-,dos offereeeram-se a Sua Magestade
igual ou quasi igual de infantaria impossivel der
rota los.
As esperangas esto no Flores e Paunero, que
por psles dias devem atacar a torga que esta' alm '
do Urugnay, para depois nos virem ajudar.
As torgas que estao chegando ou que se pre-
sumen) chegar do Interior de pouco serviro, pela
falta de instrueco.
O commandante da torca paraguaya chamase
Estigarribia.
Traz um padre, que o dirige, e que era ludo
consultado, segundo as ordeus de Lpez.
O descalabro de ver os paraguayos entraren)
na nossa villa de Uruguayaona rae poz raudo por
mais de duas horas e quasi perd de todo o orgu-
llio de BrasiUiro.
Estamos a 14. Acaba de chegar ura proprio,
que da' a faustosa noticia de terem Flores e Pau-
nero batido honlem e derrotado completamente as
torgas paraguayas em numero de mais de 3,000
homens do outro lado do Uruguay.
Poucos foram os que escaparam com vida :
Paunero nao deu quartel, e, alm dos poucos qne
com a fnga poderam salvar-se, ludo o mais ficou
no campo da batalha.
Depois dessa esplendida victoria, accrescent-
o proprio, fleava Flores em preparativos de passar
a este lado, afim de, como mandou prevenir, dar
batalha decisiva no dia 17 e acabar com os invaso-
res da provincia.
O mesmo proprio alflrma que a nossa esqua-
drilha transpoz o Sa!to Graude, e a esta hora deve
achar-se era frente a' Uruguayanna effectuando a
passagem de toda a torga do general Flores, que
se acha do outro lado.
P. S.Poucos prisioneiros se lizeram, porque
o inimigo prefera a todo o transe a morle a ren-
para organisar um parque de artilharia, com ho-
mens de cor.
Esle offerecimento, benignamente acolliido pelo
imperador, foi recomuieudado ao Sr. viseon da
Boa-Vista, que o aceitou, mandando orgaui>ar, nao
um parque, raas urna companhia de infamara, que
far parte de um dos corpos de voluntarios.
De Santa Cathariua nao ha noticia de maior in-
leresse.
era 25 um bo-
praga nos conliou, e que recebeu de Pellas; por! der-se.
ella vero os nossos leitores que se vai confirman- i O Nottctador de Pelotas publicou
do a derrota que solTreram no dia 13 do corrente lelim> no as forcas paraguayas alera do Uruguay, bem como Hoje pela manhaa chegou um proprio, que
que as" hordas mvasoras nao entraram tao franca-! trouxe-nos a fausta confirmagao da noticia que
mente na Uruguayana, e que a ultima hora ticavam demos anie-hontem a respeito das torgas dos ge-
essas torgas nimigas completamente sitiadas pelas: ">eraej Flores e Paunero contra as torgas do Para-
nossas torgas ao mando dos generaes Canavarro e guay
roes nesla provincia, devendo, quanlo antes, os que | que chegaram depois deS. S procedern) a arre
- cadago dos objectos do apparelho, que sero con-
duzidos para esta cidade a entregar alfandega. >
Pelo vapor Falcan entrado ant3-hontem a nonte
dos portos do sol, recebemos datas de Porto-Ale-
da Baha com carregamento de assucar para sla
praga.
Ueos permita que alguma grande desgraca
nao lenhamos que registrar, por que a lAgeira, se-
gundo consta, traiia diversos passageiros a bordo.i
L-se no Diario do Rio Grande de 17 :
O navio naufragado cinco leguas distante do
sul da barra, de que ame honlem demos noticia,
a escuna hanoveriaoa Vfuhelmus, procedente de
Montevideo, em lastro, donde san no dia 1 do cor-
rele mrz, e deu cosa pelas 5 horas da maoba
do da 12. O piloto, buscando salvar-se, alirou se
ao mar e morreu ; o capito, sua mulhtr e mais
tnpolago salvaram-se.
O Sr. Dr. juiz do commercio Cauarim, que da-
qui sahio na madrugada do dia 15, com policiaes, contingente do nossn exercito central reunirn)
etc., de combinago cora os Srs. inspectores da -13,0ii0 e tantos homens no dia 12, e no dia 13 der-
barra e ajudante da guarda mona da alfandega, rotaran) completamente a ala direila da diviso
bariiode. Jacuhy, d'onde nao podero dar mais um
passo, sendo muito de suppor que a esta hora j
lenham sido completamente derrotadas : eis o
conteudo da carta a que nos referimos, e que nos
merece inleira coofiauga :
Pelotas, 21 de agoslo de 1865.Um proprio
chegade honlem, saludo do acampamento da Ia di-
viso ligeira do brigadeiro Canavarro a Fernandes
e Garca, da' a sepnlnle noticia :
i E' facto verdico que os Paraguayos entraran)
na Uruguayana uo dia o 1 hora da tarde, de-
baixo de continuas guerrilhas. As torgas de Ca-
navarro nao os poderara atacar por ser tudo caval-
laria.
Fio-es, Goyo Soares, Paunero, Fidels e um
j se achara em marcha seguir a apresenlar-se ao
Exm. Sr. tenente general baro de Porto-Alegre,
commandante em chefe do mesmo exercito, que
tambem, por outro aviso da mesma data, licou au-
torizado a contratar mdicos civis que lenham as
habilliagoe? legaes para servirem no referido exer-
cito.
Por aviso de 3 do corrente foi autorisado o
baro de Kalden a organisar, para o servigo do
exercil e icSes nesla provincia, ama com-
esquerda paraguaya, composta de 4,000 homens
mais ou menos, isto om pouco cima do passo dos'
Livres, na margem do Uruguay.
< Os Paraguayos que licaram na Uruguayana
acham-se sitiados pelos Canavarro e baro de Ja-
cuhy. O mesmo proprio que trouxe a noticia en-
gretl 22, Rio Grande 27 e Sania Catharina 29 do trou as guerrilhas e Irouxe urna barretina para-
passado. guaya. >
Confirmando pelo modo porque as temos noticia- Como se tenham offerecido algumas duvidas
do todas as ocenrrencias que de 1 al 10 se de- sobre o dia em que leve lugar o ataque dos gene-
ran! na ronteira da Uruguayana, trazem-nos agora raes Flores e Paunero com os Paraguayos, publica-
Eis como a carta com que tomos obsequiados
refere esses acontecimentos :
Bag, 21 de agosto, s 10 horas da noite.O
nosso estafeta chegou mais depressa do que era
esperado ; tendo sahido da Uruguayanua na ma-
drugada de 18, chegou a Santa Anna na ma-
nhaa de 20, tendo d'alli sahido hontem : fez 70
leguas em 4 dias, mas tambem trouxe importantes
noticias.
O general Flores reunido ao general Paunero
e commandando um exercito de 7,000 homens de
infamarla a 5,000 de cavallaria om 32 bocas de
fogo deu no da 17 batalha aos paraguayos, que se
aehavam na Restauraoao em frente a Uruguayao-
na, comegaudo o combate as 10 horas da manhaa ;
a' urna hora da tarde estavam completamente der-
rotados os paraguayos e o campo liiieralmenle juu-
cado de cadveres.
Eis a carta do nosso correspondente da diviso
Canavarro em frente de Uruguayana, 17 de agosto
de 1865 :
Fui obsequiado com a soa carta ero que me
pedo noticias dos successos que por aqni se deram,
e com maito gosto o vou saiisfazer especialmente
agora qoe tomos observadores da completa derrota
da torga paraguaya que estava na Restaorago.
v O general Flores, tendo no da 13 toito june-
ge cora o general Paunero era Sant'Anoa Velba
do outro lado, adianlou-se sobre a Restaurago era
procura do inimigo ; boje, pelas 10 horas da ma-
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Temos vista jornaes do Rio e Baha, trazidos
pelo vapor.'inglez La Plata, alcangando do primeiro
a 7 e da segunda a 10 do crreme.
Alm do que|damos sobre as rubricas Exterior e
Interior, eis o que dolhemos mais dos jornaes :
Rio k Janeuio. Resolveu o governo imperial,
em attengo as ci.-cuinstancias do paz, suspender
os irabalhos e despezas da commisso de reviso
do cdigo civil; deveodo os membros della, que
tem empregos as provincia?, voltar aos seus ex-
ercicios. y
Nos corregi.* condecidos, do 1 districto da
provincia de Miuas, obleve 230 Votos o Exm. con-
selheiro Silveira Lobo.
Foram nomeados :
Luiz da Cunta Amaral, ajudante da agencia do
Correio de Iguarassn', em Pernambuco:
Manoel Joaquira de Amida, agente do dito de
Goyanuinha, no Rio Grande do Norte, por demis-
sao de Francisco Xavier da Rocha ;
Jos Julio Tavares, dito de Mae.ipa, no Para',
por morte de Jos Marianuo Ferreira de Aimeida ;
O capito teueote Jos daCista Azevedo, cora-
mandanie do vapor ile guerra Pnajd, que vai ser
empregado na deniarcago dos limites do Brasil e
Per' ;
O Dr. Capanema, para promover o estabeleci-
mento de urna linha lelegraphica entre a corle e
Porto Alegre ;
Us l" tenenles Joo Bipli-ta do Oliveira Mon-
laury e Antonio Luiz Teixeira, commandantes dos
vapores leopoldina e Isabel;
O 1 lenle .loan Mende-Salgado, commandante
da Canli-iiieira ll*nriqne Marlms ;
Foi exonerado dn comuiand.i da flotilhi de Mat-
lO-Grt-sfO, o capu/io de mar e guerra Fiancisco
Candido de Castro Menezes.
Chegaram da Europa os transport-s .le guer-
ra Isabi-I e LeopoUina.all comprados pelo almiran-
te Greenfel pata o u >so gevi-rno.
O Isabel bou de comprido 249 is ingle/es, 3 bocea, cala 9 1|2; o casco de ferro, da torga .
260 cavallos, sua marcha 16 milhas por hora, e po-
de conduzr 1,000 pragas.
O Leopoldina, que tambem sahio daquelle porto
horas antes do s ro do que este, e sahio a 14 do correnle de larde.
O Leopoldina pouco raaior, e ambos sao novos de
primeira viagem.
A crvela encouragada Brasil sahio para
Montevideo, no dia 26, voliando no segrate, por
causa de murto mar que encontrou.
O Exm. Sr. senador Jos de Araujo Ribeiro
offereceu ao governo, para ajudar o alislamento de
voluntarios para a armada, l0:000 rs.
Kalleceu, s 7 1|2 horas da noite de 28 do
passada o visconde de Cabo Fro, almirante refor-
mado e conselheiro de guerra. Era gra-Cruz da
da ordem de Aviz e digoitaro da do Cruzeiro, e
condecorado com a da Torre e Espada de Portu-
gal, e com a roedaltu de Cayena e outras de ca
f-*L* I
II
iwtri
T
r \.


Diario de ernanbuc- Quinta flr* 14 _.e Setembro de &<
<"'
panha, Foi ministro d>. marlnh*
dependencia e ser^|0 [C,ii ... ua
da mesa rn" ,.; _.*
coniribui
poca da io-; ff* E quem podera' voltar as costas a
os cargos importantes cao patritica qu* o Bazar imp5e?
yo. i Por amor do que grande e generoso, por
., .igem de experiencia at 1 ilha Rasa. Tendo a sorte dos invlidos brasiieiros J de esperar utoa
1 ainda tra urna guarida, de que carece ser ex^*]_
lida. v
A' guerra t
Se o dever nos ensin a este caraip'uo, a victoria
nos trar' por elje aoi bracos do? nossos afectos
86U bordo varias pcssoas para este Qm convidadas
sahio barra Tora, deitando no espaco da fortaleza
de Santa Gru Rasa, com vento pela proa e raui-
lo Vagalhao, 10 milhas por hora, e na volta, na
mesma singradura, 12 milhas.
Os corpos da guarda nacional do Maranhao,
que seguiram para a corte, lem os ns. 35 e 36 de
Voluntarios da patria.
Os accionistas do Banco do Brasil elegeram,
no dia 30, a nova commissao, que ficou composta
dos Srs.: Bernardo Casimiro de Frfcitas, Dr. Ma-
noel de Oliveira Fausto e T. Ottoni.
O conselho supremo militar conflrmou a
sentenca absolvitoria do capitao de fragata Anto-
nio Rodrigues da Costa, ex commandante da cr-
vela Impeiial Manaharo.
O governo comprou roais o pequeo vapor
de reboques Leao.
No dia 9 do correte devia seguir, para San-
ta Catharina, o transporte Isabel, com material de
guerra e 700 Bracas.
Elevase 94 4975380 rs. a subscripcao para
o Asylo de Invlidos.
Tendo apparecido alsuraas duvidas acerca da
parte que do combate de Yatahy tomaram os no-
sos balalhoes encorporados s forjas do general
Flores, para esclarecnneoto do publico damos em
seguida a carta que ao general Mitre dirigi Pao-
ero no dia seguinte ao do combate :
Quartel general no Yatahy, Passo dos Livrcs
18 de agosto de 1865.
t Sr. presdeme da repblica general em chele
Bartholomeo Mitre.
D.t Meu querido amigo.
Hontem escrevi-lhe do campo de batalna qua-
tro liuhas para servirem de credencial ao capitao
Napoleao L'ribur, a quem encarreguei de reerir-
Ihe o quanto fosse necessario para dar-lhe urna
idea approximada do importante suceessode armas
de houtem, visto que naquelle momento nao se po-
da fazer outra cousa por nos cncontrarmos no
meio de um banhado e envolvidos na perseguico
do Inimigo.
t O combate de hontem foi urna verdadeira car
nilicina, que nem o general Flores nem eu pude
mos evitar, [mis o inimigo nao se quiz render, fa-
zendo sobre nos um fogo desesperado, do que re-
sultaran! perdas sensiveis, que lalvez nao Seriamos
experimentado em combate com urna torca supe-
rior em numero.
E' urna cousa que nao posso comprehender,
como urna forca de 3;000 homens, .-em artilharia,
ousasse fazer face a nossa, resignando-fe a um sa
crilicio estril, dando por unir razo que nao li-
nham ordem para reuder-se. Isto disse o chefe su-
perior Duarte, que foi aprisionado peio G. balalho
de liaba.
f O inimigo, que nos esperou em urna bailada,
foi logo envolvido por lodos os lados e derrotado.
Ao principio resisti ao ataque da brigada de infao-
taria oriental mandada pelo coronel Palleja, que
com um arrojo digno de iodo o elogio se princlpitou
sobre o inimigo, que i receheu com lodos os seus
fog'S. Nesse momento mandei precipitar nossaa
columnas e os tres batalhoes brasiieiros a toda a
carga, e essa foi a occasio inais tremenda, pois os
paraguayos se iam retirando de vagar e fazcndo fo
gi, ao mesmo lempo que a sua cavallaria os prote-
ga em desordeni, dando carga e fizendo frente
do ejercito alliado em pelotoe?, e segundo llie per-
mtia aquella miscellanea. Eutao determine! que
carregasse o nosso regiment n. I, de cavallaria de
linha, o qual, apezar de ser recebido balas e
bayoneta por todos 03 lados, fez a carnificina que
V. Ese. devfi presumir, e foi o signal do completo
exterminio da Torga iuuniga, que castava muito a
fazer Drisioneira por sua obstinada e estpida re-
sistencia.
Alguma cousa nos custou esla refrega, pois
alum dos coronis orientaes Fidelis e Regules feri-
dos, nos, os argentinos, perdemos o major Cabral,
correntmo, soldado de mrito, e temos feridos leve-
mente o commandante Segovia com dous golpes,
de bayoneta, tambera o major Solano com um bra-
co quebrado, o capilo Meres, de S. Nicolao, com
_uas laucadas, e dous ou tres subalternos morios e
outros tantos ftridis, assiin como um numero de
soldados morios e feridos que em minfia opiuio
nao baixa de 50, sendo poneos os morios.
i Poacaa monicSes de. canno consumimos, creio
que nao alcanzam a 30 tiro?, pois nao liouve ter-
reuo nem lempo para mais ; poucos foram tambem
os tiros de fuzlaria.
Vamos pastar Crugnayana, sobre a qual se
prepara urna operajo.
t Pelo coronel Gregorio Castro enviolhe dous
trophus tomados ao inimigo por nossos batalhoes,
a saber '.
A bandeira do balalho n. 16 de linha para-
guaso, e o estandarte do regiment n. 24 de ca-
vallaria de linha, idem.
Nao Unho lempo se nao para felicita-lo pelo
triiimpho de hontem e repetir-me seu affim amigo
que Ihe deseja toda a felkidade.W. Paunero.
Pelo ministerio da agricultura ol dirigido
aviso ao cnsul geral no Stnna, remetiendo-llie o
Impresso de que conslam os favores oulorgados
aos emigrantes.
Em outro aviso ?o cnsul geral na Prussia e Sa-
xonia declarou o mesmo ministerio que pura-
meule gratuita a concesso feita aos emigrantes
que vierem para o Brasil de preferencia dos Esta-
dos-Unidos, da differtnca no prego da passagem
para um c outro paiz.
Ltse no Jornal do Commercio :
O governo imperial resolveu estabelecer urna
linha telegraphica communicando esta capital com
acidade dePoito-Alegre. Ja" foi para a Europa,
pelo ultimo paquete, a encommenda do material, e
brevemente segu o director geral dos telegraphos
para o Sul atim de marcar a linha e distribuir o
serrieo de collocacao dos postos.
E' obvia a grande vantagem que resolta para
a administracao do paiz deste grande melhorameu-
to, e tambera o commercio lucra tendo todas as ci-
dades e villas do litloral ligadas entre si deste mo-
do. A brevidade cora que se podera' concluir o
trahalho depender' do auxilio que os fazndeiros
doliitoral quizerem prestar; acreditamos, porm,
no seu patriotismo, e estamos certos que nelles
achara' o governo valioso recurso.
t Effectuou-se hontem (26) as 3 horas da tarde,
no arsenal de marinha para bordo do transporte
de guerra Marsilto Das, o embarque do Io e 2o
corpos da guarda nacional do Maranhao e corpo
policial de Pernambuco que aqu se achava ; total
setecenias e lanas pracas.
i A's 5 1|2 heras largou o Marsilio Dias, que,
como noticiamos, vai ao Rio Grande do Sul com
escala por sania Ciharina, tendo sabido antes o
encouracado brasil.
Assistiram ao embarque da tropa os Sr?, mi
nistro interino da guerra, inspector do arsenal de
marinha e quartel mestre general do exercito. >
f Hontem (">) na Praga do Commercio, apenas se
espalhou a noticia da derrota dos Paraguayos pelo
exercito alliado sob ocomraando do general Flores
um correlor tomando a iniciativa para festejar esla
victoria reunio-se a varios negociantes e alguns
membros da commissao da praca, e mandaram bus
car urna Landa de msica, que principiando pelo
hymno nacional, tocou em seguida muitas e varia-
das pecas, submdo ao ar muitas gyrandolas de lo-
geles."
c A praca eslava repleta do povo, e ornada com
as bandeiras nacional, argentina, e oriental. All
levantaram-se vivas a naco brasileira, a S. M. o
Imperador, a familia imperial, ao exercito, ar-
mada, trplice al Manca e aos eslraogejros amigo
do paiz, vivas que lodos foram correspondidos com
enthnsia-raio pelo povo que eslava presente.
t Concluiose esla demonstrado de patritico
regosijo indo negociantes e correlores e mnilo po-
vo, com a bandeira nacional e msica na trente,
compnmentar o Sr. ministro da marinha, que se
achava no arsenal, e os recebeu com enthusiasmo.
repelrado se os mesmos vivas anteriores.
L-se no Diario Oficial:
Em favor do Asiflo dos Invlidos da Patria,
lera' comeco no da 7 de selembro em urna sala
da escola central, largo de S. Francisco de Paula,
a exposico e venda de diversos objectos manu-
facturados por sentioras nacionaes e eslrangeiras,
cojo pro lucio sera' destinado a auxiliar a funda-
ijo do Asi/lo de Invlidos da Pal na,
t o pensamenlo evanglico dessas damas, ani-
madas pelo espirito religioso e philantropico da
nobre viscondessa de Tamandar, conquistou, co-
mo era de suppr, o acolhimento rervoroso de
quanlos, sera estrepito, trataram de adopta-lo, in-
do depr sua oferenda modesta e pura no balco
expressivo da caridade.
O Bazar, pois, que recommendamns cora io-
teresse a* visita das filustres familias fluminenses
e do povo desta cidade, a sublime expresso da
um trabalho parificado na mais sania das ideas.
f Concorram todos com a sua humilde espor-
tola para que vingue um dia a instiluigao nacio-
nal, que urna divida sagrada e a mais espendida
recompensa que o Brasil pode prestar aos seus
bravos Sitios escapos do campo de batalha.
affluencia notavel e significativa de homeoagem cora a consc'.ncia de termos da jo a* palrta o que
idea, e de aprego as suas dignas execdloras.
O cambio r'egulava: sobre Londres 23 i \i
d., sobre Pris de 412 i 4!6 rs., sobre Hamburgq
772 rs.-, e Sobre Portugal de 129 135 0(0.
- Chegaram, de Pernambuco : 29, o patacho
Regulo, com 15 dias ; a 2, o brigue Pa, com 20;
e 5, o patacho Cardia, cora 12.
baha.Causarara muito enthusiasmo, na capi-
tal, as noticias de que foi portador o vapor La
Piala. As ropartigdes foram fechadas e algumas
casas coramerciaes, percorrendo bandas de msi-
ca as ras.
Os acadmicos de medicina, que baviam se-
guido para o Rio de Janeiro, foram mandados uns
para Montevideo e outros para o Rio Grande.
A' bordo da galera franceza Pisco, vinda do
Havre, foi aprehendido um impoitante contraban-
do de sedas e outras raercadorias de valor, pele
respectivo guarda-mr.
Varias pessoas da provincia enviaran), aos
offlciaes e pragas da es juadra imperial do Rio da
Prata, mil o quinhentas caixinhas de charutos de
S. Flix.
A tjeleicao para deputados provinciaes, foi
marcada para 19 de novembro prximo.
Trabara ebegado de Sergipe 74 pragas para
o exercito e armada.
Chegara, a 1 do corrente, da corte, o trans-
pone Oyapock, para conduzir tropa. Devia vollar
no dia 13.
Alm dooffereciraento e entrega que fez do
panno necessario para mil fardamentos, o rico
proprielario Autonio Pedroso de Albuquerque poz
disposicao do governo, para as despezas da guer-
ra, 20:000,6000.
O Exm. metropolita dirigi urna circular aos
parochos, recommendando que aconselhera aos
seus parochianos que forera aptos para a guerra,
a alistarein se como voluntarios da patria.
Achava-se no porto a canhoneira franceza de
guerra La Alollie Piquet,
Foi muito apreciada e victoriada a herona
piauhyense, a qual foiclnismada por S. Exc. Rvma.
o Sr. arcebispo.
Excede j a 30;0005 a subscripgo para aju-
dar as despezas de guerra.
U cambio regulara : sobre Londres 2i 1/8 ;
sobre Paris 385 rs.; sobre Hamburgo 730 rs.; e
sobre Portugal 110 115 O/o-
Eslava carga, para Pernambuco, o patacho
. Luis.
Com 4 dias, chegara de Pernambuco, o hiate
Amelia.
Lc-se no Jornal :
A d rectora do banco do Brasil remelteu pelo
paquete Galgo as caixas filiaes da Bahia e Pernam-
buco 44,000 olas para serem emiltidas em circu-
lacio, depois de legalizadas, na importancia de
1.530:000$, a saber : 30,000 para aprimeira pro-
vincia, uo valor de 350:000$, sendo 3,000 de 30$,
3,500 de 20$ e 20,000 de 10$, e para a segunda
de 1,000:000$ ou 14,000 notas, sendo 2,300 de
200$, 9,000 de 50$ e 2,300 de 20$.
t Consta-nos que, alm dos dous encouragados
feitos no Rio de Janeiro e do que ja segulo para o
Rio da Praia, ha roais sete encommendados em di-
versos portos da Europa, e que devem todos che-
gar ao Brasil at lins de outubro prximo futuro.
SEnGiPE.O resudado dos collegios de S. Chris
tovo, Itaporanga, Itabaiana, Itabaininlia, S. Luza,
Estancia e Lrgalo, que formam o 2 dislricto da
provincia, deu os seguintes deputados : Drs. Jos
Lourengo, Conrado, Brando, Amaral, Freir e Joa-
quim Oiiveira, vigarios Barros e Resende, Antonio
ias, Fraga, Calasans, Manoel Marques, Araujo
Barros, Ribeiro Campos e Costa Carvalho.
PERNS
DECL11A5BES.
revista mmk.
Deus protege a cansa a civiiisaco I
O triumpho mais brbaote coroou os que com-
balem por ella, e a esla hora o p invasor do br-
baro paraguayo ja nao profana as vastas campias
do lli,-Grande do Sul.
A boa nova foi hontem irazida pelo La Plata,
que tundeando, embandeirou para logo.
E esla cidade ao recebe-la estremeceu de jubilo.
Manifestagoes mu expressivas levanlaram-se
espontaneas e de improviso d'entre a massa da
nossa populacao, acordada para exultagoe-s tao pa-
triticas pelo'som festivo dos sinos acompanhado
do estalar de fogueles, que subiam ao ar como a
voz da trra a gradecer ao cu o dom recebido.
Os commercianlcs deram ordem prompta aos
navios de sua consignagao, surtos neste porto, pa
ra embandeirar ; e sem se poder marcar o lempo,
apresenlava em pouco o nosso ancoradouro a vista
mais imponente que dar-se pode, espectculo que
presenciou extasiada a nossa populagao al 6 oras
da lade.
Eram as nagoes civilisadas honrando urna con-
quista da civilisagao por urna forma tao eloquenle.
As repartigoes publicas fecharara-se.
O movimento popular cresceu era ondas e as
ras tornararase os ponlos de attracgao, porm
ellas volleando em todos os sentidos urna popula-
gao patritica com as cores nacionaes postas ao
peiio, e a alegra impressa nos semolantes.
A banda de masica marcial dos menores do ar-
senal de marinha* acompanbada de crescido nume-
ro de negociantes e de pessoas do povo, com duas
bandeiras nacionaes a frente, dirigio-se ao palacio
do governo em cumprimento ao Exm. Sr. conse-
Iheiro Paranagu. Irocando-se ahi muilos vivas
entusisticos entre o povo e S. Exc.
Enlao, como que inspirado o respeilavel Sr. Ber-
nardino Marti ns Pereira.algou a voz em um anima-
do discurso, em que fez sentir a dedicagode que
susccpiivel o povo Pernambucano; acrescentando
que sempre vido de gloria, nao lardara a correr
em vinganga dos bros nacionaes essa outra porcao
valida que ainda existe na provincia.
O irmo de orna das victimas preparadoras da
nossa redempgao poltica, nao poda fallar d'outra
sorte.
E' pernambucano, e como talconhece oq n-
pressa este nome.
Igualmente dirigio-se ao mesmo ponto com idn-
tico tira a banda de mu-ica do Io batalhao da guar-
da nacional, companhada dos erapregados da alfan-
dega e de muilos ouiros cidados. fluctuando entre
si o pendo sagrado da nossa nacionalidade, cujas
cores mais brilnavam ao sol do meio dia, que dar-
dejara ratos de complacencia para um espectculo
to grandioso.
Era seguida a esta felicitagao ao delegado do in-
clyto mooarcba, percorreram ambas as msicas
separadamente e com o seu sequilo toda a cidade,
por entre o som de pegas animadas e o estalar de
festivos fogueles, e dando-se vivas entbusiasticos,
que eram correspondidos com phrenetica aniraago
pelas lucirs que formavam o respectivo acompa-
nharaento
E como a manha, foi a tarde ; e como estas
mosirou-se a noile, bella o festiva como o motivo
que creara taes efTusoes.
Porque no desdobrar ella o seu manto estellife-
ro, foi logo saudada pelas harmonas das bandas
de msica marcial das sociedades de curio-os
Unio Permanente e Euterpe Pernambucana que
desQllaram pelas ras, seguidas de immenso con-
curso de povo ; e em seguida appareceram em
passeio o corpo acadmico, o 3 e 3 de volunta-
rios e guarda nacional destacada cora destino a
guerra, e outros muilos grupos com msicas a
frente.
As ras da cidade, pois, Iluminadas e cheias de
urna populagao frvida d'araor patrio, apresenta-
vam o aspecto de ara festim, ao som das msicas
e ao brado dos vivas e as ondulagoes do povo.
Pernambuco nao dorme para o que grande.
Eis ahia a prova.
Pernambuco esta' sempre acordado para tudo
quanto elevado.
Araanha o veris.
Sim, araanha veris urna mocidade enthnsiasta
da gloria, urna mocidade rica de sentimenlo gene-
rosos, correr a alislar-se para vingar os brios na-
cionaes.
Amanha veris os descendentes de anligos h-
roes, deixando essas effusSes, empunharem as ar-
mas para se irem acercar do monarcha brasileiro
e dos principes. sobrando-Ibes o pesar de nao te-
re m podido compartilhar comelles as fadigas e as
glorias na accao contra Uruguayana, a que devem
esses augustos senhores assislir.
O que nobre nuoca delxa de revelarse tal.
fana-le, Pernambuco I
Nao estas aqu'ra de las irmas, nao Ihes s so-
menos era brios 1
Por entre as effusdes da alegra da victoria, ne
entretanto, lembra-te que ainda o inimigo nao esta
subjugado no todo.
E' forra que nesse mesmo abandono do prazer
se recordera teus filhos que a horda violadroa de
nossas irmas e profanadora do nosso territorio
Ihe era devido.
O governo imperial loto-na e agradecen o of-
fereciraeoto do corpo acadmico na nossa pro-
vincia.
O vapor Paran jevia partir da corte, no da
9 do corrente.
Come-aram, no dia 6, a soffrer o descont de
10 / meusaes, as notas de 100$ da 3* estampa.
O nosso vapor Jaguaribe, fleava em Porto-
Alegre no dia 23 do passado.
A' bordo do vapor inglez La Plata passaram
para a Europa oscaadilhos orientaes Carreras,
Aguirre e Eustaquio Tbom.
Assisiimos ante-honiem ao concert do nosso
jovem patricio Hermenegildo Liguori, e foi mais
urna occasio que tivemos de apreciar o genio que
fulgura naqnella fronle predestinada.
Hermenegildo, nesla segunda prova publica, lo-.
cando outras pegas difflcels, offerecen aos seus ad-
miradores urna execugo que encantava, e Ine ar-
rancava como devidos os applausos que irrompiara
da platea e dos camarotes, e essas manifestagoes.
de aprego traduzidas na linguagem das masas.
Por agora encerrou elle o seu pas>ar artstico
por esla parle do paiz, em que vio a luz do dia;
vai partir era breve para a Europa, alim de Ilus-
trar seu espirito juvenil ; e la, que consiga o seu
Dobre intento, o que Ihe desejamos, para gloria
sua e da ierra que Ihe deu o bergo.
O Sr. Joo Leite de Bittencourl Sampaio alis-
tou-se no 3 corpo de voluntarios.
Para o 5o corpo de voluntarios foram noraea-
dos tenente-quartel-mestre o tenenie' cirargiao do
balalho o. 49 da quarda nacional Thomaz Pereira
Pinto, alferes ajudante o 2o cadete furriel com-
panhia de cavallaria Ernesto Alves i'aehece e al-
teres o Sr. Felippe Borges Leal.
Hoje funeciona o Instituto Archeolagico e |
Geograpliico Pernambucano.
Amanha se extrahira a 2* parle da 5* lote-
ra da Santa Casa da Misericordia (31a), sendo o
maior premio 6:000$.
A nomenclatura abaixo dos seminaristas,
que pregara durante o setenario das Dores; acto,
que principia sabbado no seminario de Olinda, onde
erecta a contraria daquelle titulo.
Como de costurae, aquelle acto priicipia a
tarde as 5 horas, sendo precedido de missz canta-
da e levantaineulo de bandeira as 6 horas da ma-
nha com aquella solemnldade e edificago religio-
sa, qne soe presidir qualquer acto all exercido;
para o que muo concorre a boa nlelligvncia e
satisfago reciprocas existentes entre os Rvds. di-
rectores, e a mocidade confiada aos seus coidados.
i* dr.
Jos do Couto do Amaral.
2' dr.
Antonio Ayres de Mello Jnior.
3* dr.
Jos Francisco da Silva Borges.
4* dr.
Marcolino Pacheco do Amaral.
5* dr.
Constantino Gomes de Matios.
6- dr.
Francisco Aniano de Souza Araujo.
7* dr.
Manoel Joo Gomes.
Pedem-nos para que lembremos a ra do
Nascente, na freguezia de S. Jos, atim de ser con-
templada na dislribuigao que se deve fazer do aug-
mento de rombustores da illuminago publica,
visU) alli nao haver nenhum, e por consegrante
existir aquella ra em completa obscuridaoe. ape-
zar de ficar ella dentro da cidade.
Parecendo-nos razoavel semelhante pedio, sub-
metlerao-lo ao aprego da repartigo competente
para isto ; urna vez que ama necessidad a illu-
minago era tal ra.
No dia II, pelas 8 horas da noite, foi assal-
tada a casa consular de Portugal por larapios, que
arrorabaodo urna porta, nella penetraran. Ahi
entrados, forgaram urna gaveta e um bahu, d'onde
tiraram e condnziram comsigo 405$ em notas de
20$, 10$, 5$ e 2$, um relogio galvanisado com
correte d'ago, um alfinete de ouro, e dous pares
de argolas, lambem de ouro, sendo um esmaltado,
e outro iiii.il>r com dous diamantes no centro.
E' notavel a ousadia de taes sceleratos 1
Nem o domicilio de urna autoridade esla' a co
bro de suas excursoes I P
Informam-nos que a sua colheita seria maior, se
o Sr. cnsul nao tivesse por prevideule costume
nunca deixar no consulado valores crescidos; vis-
to como se deposita-los sempre no banco ioglez,
onde conserva todos os dinheiros perlenientes a
espoliosde subditos portuguezes fallecidos nesta
provincia.
Convida-se as pessoas que estao as
coDdiges do servido militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem da3 vania-
gens di le provincial n. 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes:
lilOO rs. diarios de sold, serem seus fi-
Inos menores recolhidos aosj estabelecimen-
tos proyinciaes de educacao eo tempo que
estiveremna guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm destas
tem todas as mais vantagens que s5o con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
nente-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
uqe^_____________________________
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
aos devedores dos iropostos arrecadados por langa-
mento perlencentes ao exercicio Ando de 1864 a
1865, que no ultimo de setembro fioda-se o praso
marcado para acobranga de seus dbitos, Ocandol
sujeitos os que nao paguem at aquelle da, alera
da multa de 9 0|0, a serem remeitidos para juizo'
aflm de serem executados.
Mesa do consulado provincial 31 de agosto de
1865.O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
de, convido aos Srs socios sem exeepgao de clas-
ses, para no domingo 17 do corrente pelas 10 l|2
hjras da manhaa, reunirem se a sede da socieda-
de aflm de em assembla geral, tratarse de nego-
cios argentes a mesma sociedade.
Secretaria da sociedade dramtica Thalia Per-
nambucana 13 de setembro de 1865.
O f secretarlo,
Epaminondas P. B. e A. de Vasconcellos-
AVISO
aos navegantes.
Opliarol da torre de S. Julio da Barra de Lis-
boa ser substituido por outro lenticular, que op- j
poriunaraenle se descrevera.
Em quanto nao e estabelecer o-novo pharol,
collocar-se-ha na torre de S. Julio, no dia 15 de
agosto prximo futuro, ama luz de porto cora lan- i
terna e apparelholenticular na mesma airara da;
antiga luz, e que se avistara' em bom lempo, a 8
milhas.
Secretaria de estado dos negocios de marinha e
ultramar 26 de julho de 1865.
O director
Antonio Rahael Rodrigues Selle.
Pela subdelegada dos Afogadps foram appre-
hendidos como furtados e acham-se depositados
dous cavallos, sendo um pedrez e castrado, e oulro
ruco sujo, bera novo e inteiro, e bem assim as pe-
gas de roupa seguutes : 3 saias e 4 camisas de
senhora, 4 lences, 4 fronhas, i. toalhas, e 1 par do
meias, tudo de" bom panno e com seus labyrinthos:
quera se julgar cora direito a taes objecios, cora-
parega, que provando, Ihes sero entregues.
O subdelegado,
Manoel Pereira Camello Pessoa.
Peranle a cmara municipal desta cidade.
estaroem praga nos dias 13, 13, 16, 18, 19 o 20
do corrente nos priraeiros tres das as seguintes
rendas muuicipaes a saber :
Afengo de pesos e medidas 15:231$000
Imposto de 80 rs. por carga de farinha
e legumes vendidos nos mercados
pblicos. 2:229$000
Talhos de agougues das ribeiras de S.
Jos e Boa-Vista. $
Nos ltimos, os alugueis das casas da praca da
Independencia, das ribeiras de S. Jos e Boa-Vis-
ta, da Soledade o das ras da Florentina e Impe-
rial. A arrematagao desles alaguis feita por
tres annos, e daquellas rendas por um anuo so-
mente. As pessoas que pretend rem arrematar
ditas rendas e alugueis deverao comparecer nos
dias indicados no pago municipal, munidos para
os priineiros, de habilitago legal como manda a
lei, e para os ltimos, com cartas de flaneas de
pessoas idneas. Os que se acharem em debito
para com a cmara, no sero adraetlidos a licitar
em suas rendas.
fago da cmara municipal do Recife em sessao
def de setembro de 1865 Luiz Jos Pereira Si-
moes,.pro-presidente.Francisco Canuto da Boa-
viagem. secretario.
ATOOS MAMTIMOS.
Para o Porto
Segu brevemente com a carga que liver a bor-
do, a barca portugueza Sympathia, quem quizer
carregar ou ir de passagem, dirija-se a Bailar & '
Oliveira, ra do Vigano n. 10, para tratar.______
PARA O
Rio de Janeiro
pretende 'sabir uestes 15 dias a barca nacional
Valle; para carga, passageiros e escravos a frete,
tratase cora David Ferreira Baltar, na ra do
Brura d. 66, ou com o capitao da mesma barca.
GOMPANHI BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do nor-
te, at o dia 18 do corrente, o va-
por Galgo, commandante o pri-
meiro tenente Araujo, o qual de-
pois da demora do costume segui-
r' para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua cliegada ; encom-
mendas e dioheiro a frete al o da da sahida, s
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de oliveira Azevedo C.________
COMPAlA PERNAMBUCANA
Xavej;acao cosleira por vapor.
Macei, I'enedo e Aracaj
No dia 14 do corrente as 5 horas i
da tarde segu o vapor Paraliyba, \
commandante Mariins, recebe car-
ga nos dias 12 e 13. Eocommen-
das, passageiros. e dinheiro a fre-
te al 2 horas da tarde do dia da sahida. Escripto-
rio no Forte do Matos n. 1.
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com muita brevidade a barca
nacional Restaiirarao, tem parle do seu carrega-
meoto prompto: para corapleta-lo, e juntamente
para escravos e fretes, para os quaes tem excellen-
tes comraodos, tratase com os seus consignatarios
Antouio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 1.________________
Linha do Havre Per-
nambuco.
Esperase a barca Sphere que
sahio no dia 10 de agosto ao frete
de 25 frs. 10 |0. Recebe carga pa-
ra o Havre a fretes baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
set freres.__________________
Ilha de S. Miguel
A escuna portugueza Erna preleude sahr impre-
terivelmenle al o dia 30 do corrente mez, e para
passageiros e carga trata-se com o consignatario
Joo do Reg Lima, na ra de Apollo n 4.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Corre no dia I*.
Corre amanha.
Achara-se venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhetes,
meio? e quartos da 2a parte da 5a lotera
(31a) a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia, cuja extracco ser no dia supra
mencionados e no lugar e hora do costume.
Os premios de 6:0000000 at 10000
sero pagos urna hora depois da extraccao
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuico das listas.
As encommendas s ro guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraccao
como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
LEILES.
LEILAO
G0MHE1CI0.
Gai\a filial do banco do Brasil em
Peroambaco.
A directora desta calza saca sobro o banco
Brasil uo Rio de Janeiro e sobre a caiza filial
mesmo banco na Bahi.
Vovo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno ate o prazo de seis mezes,
tyovo banco de pernambuco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagara o 1* dividendo de dita missa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
metiidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
De ordem da directora se raz publico que a cai
xa desconta os saques de seu aceite, praticados
pelo banco do Brasil, pela taixa de 7 0|0ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correit.
Novo Banco de Pernambuco
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
videndo na razo de,8# por acc3o.
Perante a cmara municipal desta cidade
estar em praca nos dias 14,16 e 18 do correle
para serem arrematadas, por quem por menos -
zer, as obras de que precisa a estrada do cemilerio
publico da mesma cidade, oreadas na quantia de
3065. Aquelles que pretenderen! arrematar, po-
dero comparecer nos dias indicados; no pago mu-
nicipal, munidos de seus fiadores O orcaraento
i das mesmas obras existe na secretaria da dita c-
mara, onde pode ser consultado.
Paco da cmara municipal do Reeife 9 de se-
tembro de 1863.Luiz Jos Pereira Simoes, pro-
presidente.-Francisco Canuto da Boavagera, se-
cretario.
Sabbado a 1 hora, na audiencia do Sr- Dr-
provedor de capellas e residuos, vai novamenlc
praga os pretos Francisco e Joo : quem nos mes-
mos quizer laucar, coraparega no dia e hora indi-
cados, achando-se o escripto e edttal era mo do
porteiro do juizo.
COFtREIQ GERAL ~
Relaco das cartas segaras viudas do snl pelo
vapor inglez La Plata> para os senhores abai-
xo declarados :
Augusto Alvares Guimares.
Bento Jos de AlmeiJa.
Desembargaaor Caetano Jos da Silva Santiago.
Feliopeda Silva Uourado.
Padre Felippe de S. Luiz Penna.
Herculano Maidart Franco.
Joaquim da Costa Ribeiro.
Conego Joaquim Pinto de Campos.
j Joo de Freitas Barboaa.
Joao Ignacio Teixeira.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.
Jos Pedro de Paiva Baracho.
Ludgero de, Salles e Oliveira.
D. Mara da Paixo e Mallos.
Miguel Ferreira Dias dos Santos.
Manoel Teixeira Bastos.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 12......
dem do dia 13...............
126:3048208
1:663*156
128:167*363
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volantes entrados com fazendas----- *VI
< < cora gneros..
Voluntes sahidos ce ni fazendas.
t f com gneros.
------ 433
1
6
Descarregam no dl 14 do corrate.
Brigue inglezCleveragh carvo.
Brigue inglezA/dhmmercadorias.
Barca francezaMauncediversas gneros.
Patacho hollandez Antje Uavercultcarvao.
Barca nacionalVallecharque.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEIINAMBCO.
Rendimento do dia 1 a
dem do dia 13........
12.
11:371*369
1:166*211
s
TlIEVritO
DE
12:737*380
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 12.
dem do dia 13.........
14:638*020
144*861
14:782*881
I -J
M0?IMERT0 BO POETO
Navios sahidos no dia 13.
Rio de Janeiro e Baha3 dias vapor inglez La
Plata, de 1,730 toneladas, commandante Robert
Woolward, equipagem 137, carga differentes g-
neros.
Rio Grande do Sul20 dias, barca nacional The-
reza, de 286 toneladas, capitao Joo Ignacio de
Mello Jnior, equipagem 13, carga 13,112 arro-
bas de carne ; a Baltar & Oliveira.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sul Brigue nacional Mensageiro,
capilo Firmioo Maria Torelly, carga dilTareutes
gneros.
Soulbarapton e portos intermediosVapor inglez
La Plata, commadante Woolward.
EMPREZA-COIMERA
Recita extraordinaria.
EM grano! gala para solemmsar o dribhantb
FRITO DAS ARMAS BRASILEIRAS CONTRA AS DO
EXERCITO PARAGUAY, NO GLORIOSO DIA 17 DE AGOS-
TO, JUNTO AO ARROIO YATAY.
Quiuta-feira 14 de setembro
de 1865.
Logo que S. Exc. o Sr. conselheiro presidente
da provincia se dignar comparecer na tribuna, a
compaDliia dramtica cantara' perante o estandar-
te brasileiro um HYMNO de victoria, anlogo a
esse esplendido triumpho, compos o pelo Sr. Dr.
Frankllo Tavora, msica do Sr. F. L. Colas.
Era seguida a companhia representara' o lindo
drama em 3 actos
MEDLHiV DE BROME
Fiado o drama o Sr. Simcs execulara' a muito
linda cangonela cmica
AS BOAS RAZOES
ou
O oc, o : O VELHO.
Dar' Dm ao espectculo o entre-acto cmico
0 descasca milho.
O emprezano reservou-se para dar este espec-
tculo no dia do hoje, era consequencia de, por
terera de percorrer no dia de honlem as ras da
cidade as differentes bandas de msica e des-
trahir-se para o palacio de S. Exc. o concurso das
pessoas gradas, e nao poder ser esse espectculo
abrilhantado com a pompa e realce que exige um
to brilhante feilo d'armas.
Comegara' as 8 horas.
De 14 saceos cora feijo IVa 'iuho.
HOJE
QUINTA-FEIRA 14 DO CORRENTE AO MEIO DIA EM
PONTO.
O agente Pestaa fara' jeilo de 14 saceos com
excellente feijo fradinho por conla e risco de
quem perteneer: qurata-feira 14 do correnle pe-
las 12 horas era poni no armazem do Sr. Azeve-
do defronte da escadinha da alfandega.
LEILAO
Da casa de pasto no largo da Assom-
liU' I D. 16.
HOJE.
O proprielario da casa de pasto sila no largo da
Assembla n. 16 far leilo de todos os utencllios
existentes no mesmo estabeleciraento os quaes sao
vendidos para pagamento dos alugueis vencidos
do mesmo : quinta-feiral4 do corrente pelas
horas da manha na mesma casa.
LEILAO
De 5 ca vas cora cha da india.
10
HOJE
O agente Pestaa fara' leilo por conta e risco
de quem perteneer de 3 caixas com ch\' da India
em lotes a vontade dos compradores: hoje pelas
12 horas da manha era ponto no armazera do Sr.
Azevedo defronte da escadinha da alfandega.
LEILAO
De 8
pipas cora vinagre de Lisboa
marca TP& Filhos.
Cordeiro Khues
far leilo por conta e risco de quem perlencer de
8 pipas cora vinagre de Lisboa existentes no ar-
mazera da Companhia Pernambucana largo da As-
sembla, isto
Sexta feira 15 do corrate
as 10 horas em ponto, no armazem cima referido.
THEATRO
DE
SAMTO AtfTOITO.
(CAPUNGA.)
Sociedade dramtica Thalia Pemam-
bucaiia.
De ordem do lllm, Sr. presidente desta socieda-
AGRANDE FEIRA
De mobllias completas de Jacaranda', mogno e
amarello, guarda roupa, guarda louca, mesas els-
ticas, aparadores de mogno e amarello, tlleles de
Jacaranda' o amarello, cabriolis, carrocas para
cavallo e boi, camas francezas, marquezas largas e
e^reitas, aparelhos de louca para jantar e almoco,
jarros para flores, espelhos, cadeiras de balaogos
do differentes feilios, relogios para algibeira de
ouro e prata, pianos de armario e mesa, objectos
de ouro e prata, 1 burra de ferro (prova de fogo).
candelabros, pares de laoternas, duzias de cadei-
ras avulsas para sala de jantar, coramodas, meias
commodas, secretarias, (apeles, charutos e imraen-
sos objectos que se loma enfadouho mencionar.
Se \ la-feira io do corrale as 11 horas.
NO GRANDE ARMAZKM DE LEiLOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Una da Cadela do ltecieJ6
LEILAO
De movis e escravos,
Cordeiro wlmdes
fara' leilo por conta e risco de quera perteneer
de mobilias, guardas roupa?, commodas, marque-
zas e outros artigo?. Na mesma occasio vender'
duas escravas com habilidades.
Sexta-fsira 13 do torrente as 11 horas.
57No armazera a ra da Cruz57
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Archeologico e Geographico
Pernambucano.
llavera' sessao ordinaria qurata-feira 14 do cor-
rente, as 11 horas da manha.
0IIDK.M DO DIA.
Trabalhoj e pareceres de commissSes.
Secretaria do Instituto 12 de setembro de 1865.
i. Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Precisa se de urna ama forra ou captiva : na
ra Larga do Rosario n. 35 sobrado.
Joo Luiz da Cosa Ribeiro, subdito portu-
guez, vai a Europa tratar de sua saude.
GUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
1 Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma seguros martimos
sobre navios eseus carrogamentos e contra fogo em
edificios, raercadorias e mobilias: no seu escripto-
jio,_rua do Vigario n. 4, pavimento terreix____
Haliqua Abrahan natural de Tnger retira-se
para o ltio de Janeiro.
Constando ao abaixo assignado que alguem
por parte de sua mi procura vender a casa ter-
rea sita ra Augusta n. 24 e outra na ra do
Alecrim n. 29 da freguezia de S. Jos desta cidade
o mesmo abaixo assignado roga que ninguem faca
negocio algura com taes casas, visto que tendo el-
la sido herdada por dita sua mi do av do abaixo
assignado e ao depois casando-se ella e morrendo
seu pai.sua mui nao proceder ao inventario como
devia para dar-lhes o qumho que por lei Ihe per-
leneesse da parte de seu pai. que tenha direito a
meaejio do casal que devia ser devolvida ao abai-
xo assignado como seu nico Olho. Recife 12 de
setembro de 1863.
______________Antonio do Carmo Ferreira-
ESCRIPTORIO.
Aluga-se para escriptorio o 1* andar do sobrado
o. 62 da ra da Cadeia : a tratar no segundo an-
dar do mesmo.
Precisa-se de urna ama que cozinhe e engom-
me para casa de pouca familia : na ra do Hospi-
cio n. 62.___________________________
Attencao
Um mulatinho escravo, de 14 annos, procura
achar para a sua alforra a quantia de 500$, obri-
gando-se por um contrato seguro a servir al pa-
gar : quera quizer annuncie por esse jornal.
Rogase ao Sr. Luiz Francisco de Barros Re-
g mandar a loja n. 20 B da ra do Crespo, con-
cluir o negocio que nao ignora. _____________
Ausentou-se de casa no dia 9 do corrente a
preta Thereza, de najo, alta e secca do corpo, j
de Idade, rosto bexigoso, o p esquerdo mais gros-
so e cora urna cicatriz em cima, levou vestido de
chita cor de telha com palrainhas brancas, e ura
chale de algodo disbotada : roga-se as autorida-
des e mais pessoas a quem compete, sua apprehen-
so, e a entregar na ra dos Pires n. 18, que ser
recompensado.________________________
A junta administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia do Recife, em consequencia de ler fal-
lecido o Sr. brigadeiro Gaspar de Medezes Vascon-
cellos de urumraond, faz publico que o mesmo
Sr. brigadeiro e seus filhos e genros, a saber : o
Sr. Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de Drum-
mond e sua mulher a Exm.* Sr.* D. Luiza de Me-
nezes Vasconcellos de Dmmmond, o Sr. Luiz Fran-
cisco faes Brrelo e sua mulher a Exm.1 Sr.* D.
Laurianna de Menezes Vasconcellos de Drummond
Barrera, o Sr. Dr. Jos Nicolao Rigueira Costa e
sua mulher a Exm." Sr.a D. Josepha de Menezes
Vasconcellos do Drummond Costa, e o Sr. Dr.
Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drummond,.
hypothecaram ao Sr. Joao Vieira Lima, para ga-
ranta da quantia de 62:01.^294 rs., por escriplu-
ra lavrada as notas do tabellio Manoel Antonio
Coelho de Oliveira Jnior, era 26 de outubro de
1844, o enrenhode fazer assucar denominado Ja-
cir, moente e correnle, cora todas is suas ierras,
matas, logradores, sito no termo de Serinhem co-
marca do Rio Formoso, com 50 escravos entre
maiores e menores, 40 bois, todas as suas obras,
machinas, destilado e todos os mais ulencilios do
mesmo eogenho, e igualmente a safra, que hooves-
se no flm do prazo da escriptura, ou quanto fos-
sem demandados pelo credor ou por que n suas
vezes flzesse ; com a condieco de que, a cao ser
paga a dita quantia, como nao foi, no dia de seu
vencimento, segundo o estipulado, vencera, como
est vencendo, o premio de um e meio por cento
ao mez at real embolso. Que no testamento com
que falleceu o dito Sr. Joo Vieira Lima, deixou
elle como legado ao hospital Pedro II, a cargo da
mesma Sania Casa, a medade desse debito, pela
qual a aununcianie ajuizou os hvpothecantes, os
ditos Srs brigadeiro, seus Glhos, genros e netos,
inclusive o Sr. Antouio Maria Ramos, por falleci-
mento de seu antecessar o Sr. Luiz Francisco Bar-
reto e a Exm.a marqueza do Recife, como herdeira
desse fallecido. Que sendo essa ac_o proposla
pelo juizo municipal da segunda vara, cartorio do
Sr. escrivo Cunha, obteve a aununcianie duas
sentencas a favor, que foram confirmadas pelo su-
perior tribunal da relaco,cuja sentenca sendo em-
bargada no transito da chancellara, depois de dis-
cutidos os embargos, subiram os respectivos autos
a concluso, e nesse estado falleceu o referido Sr.
brigadeiro, pelo que a annunciante trata de habi-
litar os herdeiros do fallecido, alim de serem Jal*
gados os embargos, os quaes autos correm pelo
cartorio do Sr. escrivo Bandeira._____________
Os actuaes devedores as extractas compa-
nhias do Grao Para e Maranhao, Pernambuco |e
Parahiba sao pelo presente convidados a compare-
cer no escriptorio do abaixo assigoado, ra do Im-
perador a. 42, ou casa de sua residencia ra do
Deslino n. 20, para ahi tratarem amigavclnicnte
do pagamento integral ou amortisago de seus d-
bitos as mesmas companhias, de accordo porm
com aquellas coocessoes que razoavelmenle tem
sempre estado disposto a fazer a Exm.* junta de
Lisboa. Aquelles que o nao fuerera dentro do
prazo de 30 dias, cootados da data do presente an-
nuncio, sero nomeadamente chamados por este
jornal, e contra os mesmos proceder o abaixo as-
signado a cobranca judicial, como advogado da
supradita Exm.* junta, de quem tem j recebido
as instruccoes e os poderes precisos. Recife 12
de setembro de 1865.
_________Dr. Joaquim Antonio C. C. Miranda.
Precisa-se de uo feitor para um eogenho na
comarca do Bonito, distante daqui tres legoas : a
tratar na ra larga do Rosario o. 27._________
Desappareceu era dias de julho do corrente
anno, do engenho Fragoso, urna vacca grande, de
cara branca e de raca tourina, tendo os qaalro
peitos grandes e hrossos, com o ferro M A P reu-
nidos era urna so letra, e tambara urna garrota la-
vrada com o mesmo ferro : quem acha las ou dl-
las der noticias, dlrija-se a casa do tenente coro-
nel Passos, em Olinda, na ra di Paco C.stelhaao,
que ser generosamente recompensado..
Precisa-se de urna ama para cozinhar e fazer
o mais servico interno : na ra do Imperador n.
33, segundo andar.
. VIII VETE
PORT.GIEZ B LKlTUKl _5t PER-
. rUHBUCO.
De ordem do lllm. Sr. director scientiflea-se aos
senhores associados, que as sessoes ordinarias da
directora tero lugar as tercas-feiras as 6 1|2
horas da tarde, na sala das respectivas sessoes.
Secretaria da directora do Gabinete Portoguez
de Leiiura em Pernambuco 12 de setembro de
1865.
J. X. Vieira Ligo
1* secretario.
Criado
Precisase de nm criado forro ou escravo : tra-
ta-se das 8 as 2 horas da larde, na roa de Madre
de Dos o. 36, prlmeir andar.
. 11 rrr_.i\/iri
/
i



1 .
-
Diario de jPer_ambuco Quinta ielra 14 de Setentbro de _&
5.
r

Precisa-se
alngar no bairro de Santo Antonio urna casa terrea
que leona porto, paga-se bem : na ra do Quei-
mado o. 46, loja._______
Precisase de urna ama para caa de horaem
solteiro para fazer o servico interno da casa, pre-
ere-se de idade : a tratar na rna das Cruzes nu-
mero 42.___________^___________________
M O Sr. Manoei Jos Rodrigues Braga antes de
se retirar para o Rio de Janeiro, queira fazer o
favor declarar sua morada, ou dirigir-se a ra da
Crux_n. 41.__________________;______________
Precisa-se de urna ama na ra do"Vr
gario n. 5 : a tratar em baixo no arma-
zem.________________ '_______.
Precisa-se de urna ama para lavar, engom-
mar e cozinhar: quem quizer dirija-se a ra es-
treita do Rosario n._17, seguido andar._________
"^"Aluga-se muito em coma a loja do sobrado
da ra Imperial n. 64, com bons commodos para
familia : a tratar no mesmo sobrado.__________p
"^ Furtaram no da li do correte pela madru-
gada, do cercado do eogenho Tapera, freguezia de
Jahoato, tres cavallos, um rodado sujo, novo de
altura e corpo regulares, de cimas cortadas a taca,
porra crescidas (porque ja deitam para um e ou-
tro lado), de cauda rlpada, castrado, e cora dous
ferros ; um mellada marflm, potro, castrado, gaio-
pador, com um ferro; e outro rodado sujo, idoso,
castrado, cora um ferro. Supp5e-se terem seguido
para o Barro ou arrabaldes da cldade do necite, Sj|vmo Guilherme de Barros compra e ven-
bem como Apipucos, etc.: roga-se, pois, as autori- d(j efrectvaraente escravos de ambos os sexos :
dades deem providencias afim de serem apprenen-, rua do impera(jor D. 79, terceiro andar.________
didos os mencionados cavallos. ____________i ---------------uro e Drata
LA MODA ELEGANTE ___ |_ K, _,Ih ZZmmJm na Trae* da Inde-
Samuel Power Johii&lon k Companhia
Ruada Senzala Nova n..4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e batido para enge-
nho,
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.________________
g_ o abaixo assignado vem pelo presente an-
nuncio avisar ao publico que em poder de seu fl-
lho Ilrosmido Correia de Castro existe om escra-
vo crioulo, offlcial de carapina, de 33 annos de ida-
de, cujo escravo Ihe pertence, e que nao o autori-
sou a vende-lo. ___i
^Alexandre Correia de Castro.}^
COMPRAS.
__Compra-se effeclivamente ouro e prata em
ooras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.________________
| em obras velhas : compra-se na praga
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Peridico de las familias
taSrlSSf ^^Io&osD'sennore%ue "le e ouro^rata e pedras pre,
^rffi^inSM^remtwUtrdet5o n obras iba: na ros da Cadea do Recite,
KmIT diversos nmeros completos do : leja de ourives no arco da Concmcao.
mesmo peridico, que
franqueados.
Ibes serao promptamentc
Compram-se moedas brasileiras de 200
15 : na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
Preeisa-se de urna escra va para casa de duas
passsoas : na rua da Penha n. 23, t andar.
Aos 6:000$000.
Bilhetes garantidos.
_- ..,..,,,, i rriL'iC fifi CC
Jornaes para embrulho.
Compra-se na fabrica de cigarros antiga rua dos
\ Quarteis de Polica n. 21, a 140 rs. a libra.
Comprase carusso (sement) de aliodo : no
! armazem de algodao de Saunders Brothers & (I,
' no caes de Apollo.______________________
Grande liquida$oa dinheiro*
Na loja e armazem do pavo.
Rna da Emperatriz n. O defa-
ma A Silva.
Os donos deste estabelecimeoto tem resolvido li-
quidar suas tazendas por pregos baratissimos, so
com o lira de apurar dinheiro, e previnera as pes-
soas que negociara em pequea escala cora fazen-
das, que nesta loja e armazem encontiaro ura
grande sortimesto por presos que rauito Ihes bao
de agradar. Unto em pega como a retalbo, a
saber :
Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pecas de cambraia branca para for-
ro a U : na loja do Pavao rua da Imperatrlz n.
60, de Gama & Silva.
Moreantique branco
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pecbincha :
na loja do Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates com mofo.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais Dnas percales com lindissi-
I mas cores para vestidos de senboras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liqoida-se pelo baratissimo prego de 360 rs. o co-
vado : Isto so na loja do Pavo rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazintias a 200 rs o covado.
Na loja do Pavao.
Vendem-se laazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratissimo prego de 200 rs., ditas
com palminhas de seda a 240 rs. : isto s para li-
quidar, assim como laazinhas mogambiques com
os mais bonitos padroes a 240 rs. : i.-lo na loja do
Pavao na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
transparente de novos gostos que servem at para
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
go de 35 cada um por terse comprado urna gran-
de porgo : na loja do Pavao rua da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Si le ias para satas
Pecbincha na loja do Pavo.
Vende-se a mais Goa silezia de algodao fazenda
1IIINOI IIO DAS MAIS.
PROVIDENCIA DAS CRIANCAS.
COLLARES ROYER,
GII4 BRANCA, i
LOJA 00 BEIJA FLOB
Na fin do Qucirtia Colleiras de marroqnim, com cascareis. Tm recebid0 om sorlimenlo de cruze, que 60
ELECTRO-MAGNTICOS, e SCDl elIfS. [ esta > usando, de diversos gostos ; s qutm tem
C^rS3B? raXSrTaiSto Na ^ d Qaemad l0J3 d" Ag"a ^ j Tefioreccbido variados sor.imen.os d voltas
%^^^J^^aL^l. ca ...8, vendem-se COlle.ras de marroqo.m, de aji-ares de diversas cores, enfeites para se-
enancas, preparados e inventados por Royer,
pharmaceutico da Escola superior de Pars, suc-
cessor de Chereau, membro da academia de me-
dicina, antiga casa boillon-lagrasge, pharma-
ceutico do Irnpeirdor, chefe dos trubalhos chimi-
eos da Escola Polytechnica, director da Escola
de Pharmacia de Paris, e membro da Academia
Imperial de Medicina. Rua Saint-Martn, 22o,
defronte da rua Chapn, em Pars.
AS
A ftysiene a sade.'
A sade a vida.
M1S.
para
ohor de diversos gostos, e mais barato do que
em qualquer ouira parte.
Facas egarfo--.
Vende-se betas e farfoa de cabos de balaneo de
um fcotaoa 55200 a duzia, ditas de dous botoes a
Quantas enancas nao vemos cada da succum-:,j0 mesmo a difl'erenca que lia no preco
bir as dores da priraeira dentigo I 7 Quantas an-1 m,tra or nnp o^las qp torn
cias e-quautos tormentos para as tristes mais, que i urnas para otitras, por que_ Catas se toin
veem p. arrphmar dpnni* de tantos cuidados, de mais duraveis na coniinuacao de escrevt
Com[iram-se moedas de ouro brasileras de
A' RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME g^ 105, 165 e 205, com 6 por cento de premio, e
Oalaixoissignadovendeuoosseus muitofeli- tambem pegas porlugue7as de 95 e Ib* com o
zes bilhetes earantidos da lotera que se acabou p0r cento ; na praga do Corpo Santo n. 4, primeiro nteiramenle nova no mercado propnas para saias,
de extrahir. a benelicio da groja de N. S. do Ro- andar.____________________________ | camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
---------------------T,-----------------~~ perior ao madapolao francez e vende-se pelo bara-
tOYnpra-Se i to prego de 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em
um cachorro que seja grande, para nm sitio, e por i pega com cincoenla e tantas varas, isto grande
a tratar na rua Di-
isso quer-se que seja valente
reita n. 10.__________________________________
Compra se urna eseran sadia e sera acha-
ques : quera a tiver dirija-se a rua Formosa n. 29
para tratar.
Compra-se una balanga com braco
e] urna pequea que sejam usadas : na
Cadeia do Recife n. 64.
grande
rua da
Ongas hespanholas e da patria
na praga da Independencia n. 22.
compram-se
sano de Muribeca, os seguales premiosi:
Dous quartos n. 1830 com a sorte de 6.0005-
Dous quartos n. 22 com a sorte de WO*.
E outras muitas sortes de 1005, 405, -v e
103000.
Ospossuidores podem virreceber seos respec-
tivos premios sem os descontos das leisnaCasa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Achara-se a venda os da 2" parle da 51 lotera
(3I'J benecio da Santa Casa de Misericordia,
que se extrahir sexta-feira lo do correte.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......35i>00
Quartos.....1#900
Para as pessoas que comprarem de 1005000
para cima.
Bilhetes.....6#>00
ileios......o5"50
Quartos.....15700
Manoel Martins FiUZA.
*"b Sr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigir-se a rua Nova n. 60, a tratar de negocies I
que Ihe dizem respeiio.________ ;
Arrenda-"se"pr 3 a 9 annos o engeulio de-'
nominado Bocea da Malta silo no termo de Santo
Anto, a qualro leguas da cidade da Victoria, com i
trras sufflcientes, podendo o rendeiro plantar:
tambem nos fundos dos engenhos Minliocas e;
Ronda, contiguos ao dito eogenho Bocea da Matla, r,,ini,OP ., nariP
cujo proprietario tem parte nos referidos enge-1 das, por menos do que em qualquer ontra paro .
nhes Minhocas e Ronda : o pretendenle ao arreo
Compra-se ou aluga-.e dous escravos :
no armazem n 12 rua do Apollo.
Algodo Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muilo superior
QUJlidade : vende-se no escritorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo -do Corpo Santo
numero 19.
pechincha : na loja do Pavo rua da Imperatriz n,
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a\$
Vendem-se superiores lengos de seda para ho-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavao na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lengos brancas a "2$.
Vendem-se dnzias de tlengos brancos Anos a 25,
ditos nmssimosa iraltagao de linbo com duas bar-
ras sendo urna de cordo e outra matizada fazen-
da que seropre se vendeu a 35 e lorra-se a 2500
a duzia : na loja do Pavo na rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
eyjuautos
vem se arrebatar, _
tantas vigas, o objecto querido de sua terDura ? > assim pois quem dellas se qoizer utilisar c
Quantas vezes nao tem ellas sentido a ineflicacia | COmpra-las a dinheiro a vista: na rua do
dos remedios empregados, taes como brinquranos,' ft R o
cbarope de denfccao, etc., cujo duro contacto dos yueiniduo toj-i daAguia uranca n. .
primeiros irritaos gengivas e causa inQammago { ri!) ;IS C 0III ttorh-S C st'lll flloS [Kira
as membranas mucosas, e cuja acgo nulla fazia i poHinadn*!
desesperago s mais ? A-har um meio fcil de ap-1 UFiuuuwua.
plicar o fluido elctrico para alliviar os solfrimen- [ A Aguia Branca recebeu um bello solu-
tos e prevenir as convulsoes, como tambem todos ment de franjas com borlas e sem ellas
os accidentes que resultam da priraeira denticno, para cortinados, todas de U0V0S e bonitos
tal o tito que tivemos em vista alcangar. Ha '. rnmmn1li muitos seculos que se punbam no pescogo das uesennos, cuja commoiuaue o i re^o esta
criangas collares de mbar amarello para pieser- em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
va-las e cura-las de convulsoes, empregava-se pois da na rua do Queimado ioja da A guia Bran-
desde muito tempo a ileclricidade medica sera sa- ca n> g^
b-lo, -pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
pospontadas e com cascaveis, ou >em elles
proprias para caes e cutres bicliinhos.
Pcuuas in&lezas de ac e doaradas.
No novo sortimento de pennas de ac qae
a Aguia Branca acaba de receber, vieram 165500, dita para doce a o5l00, iias de cabo preto
a 3&20O, ditas de cabo 11 anco, ro;go e cravado a
3fuOQ.
Tem recebido variados soitimentoi de balaios
para meninos de escola, de lrma de pcixinl-os,
paliuhos e outras de diverjo gosto, que .- com a
vista bem se pode apreciar, e tambem serve para
o leilo do hospital portuguez : las para botar de
diversas cores a 75 a libra : s no bnja-flur.
i:*cov;vs para ronpa.
Wnde-sc escovas para roupa muno Onas com
diffi-rentes gostos a 640 c 15, ditas pera denles a
120,240, 320 e oOO rs.
Papel e envelopes.
Vende-se paulado papel e camenas a f-80 rs.,
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a MOrn a cai-
x ir. lia.
tambem outras de metal dourado e bicns
mu bem acabados, e por essas boas e ne-
cessariasqualidades os seus acreditados fa-
bricantes l'erry C, as recommendam aos
entendedores < apreciadores do bom, valen-
de
nam
mais duraveis na continuaco de escrever
taS esTeltalo saudaveTrepousa sobrl aVc- JogO da paciencia OU CUr.OSO CttlClcni- '
Salsa i^KlLii de aER.
a Transcueteuos aqui alguna
dos muitos attestados que teinuh,
^recetado das virtudes da salsa
- -'*-mrrlli!i rln lr AAT
r'.
gao 4a electricidade, que sola o mbar esfregado
pelos-*ovimentos do corpo da crianga. Esla in-
fluencia constante do fluido elctrico, por Iraca
mcnlo.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-!
quetosse, produzia efleitos curativos proporciona- \ ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-j
dos quantia d'eleotricidade engendrada deste mo- zoaveis, caixinlias com tabolas de madeita,'
"^parrilha do Dr. Ayer.
Khcciuiatlsitio.
^DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
en rctenimento cora o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a m-
u'ol, telligencia. Os apreciadores dirijam-se
d'um modo suave e continu. Mr. Royer o in
ventar de dnas especies de collares : 1 dos colla
res aaodinos de mbar electro-magnticos; 2' _
collares compostos de differentes raelaes com cor- rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
re o te voltaica. Partindo deste principio de physi- ca n. 8, que serao satisfeitos.
ca bem conhecido, que a inlens.dade d'uma cor- JODltOS CfifCtCS paia SCUllOfaS.
rente galvnica est em razo direita da superficie
dos elementos que compoem a pilla, os collares
A Aguia Branca acaba de receber om no-
Royer, chamados anodinos eleciro-magnelicos de- vo e lindo sortimenlo de enteites os mais
signados e graduados poroito nmeros differentes, m0fjernos e gostos inteiraaaente agradaveis,
possuem as mesmaspropriedadeseleclricas.com innvav| ..n..linlp 0c osta VC.
esta differenga que o efleito curativo esla subor-, e Como e seu 10Uva\ei totume Ob csu_ ^tu
dinaco ao tamanho dos elementos que os com- dendo baratamente a quem com dinbeiro se
poem, e por consequencia quanlidade limidada dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
d'eledricidade que engeodram, d'onde se segu Brajjca n. 8. '
que cuanta maior superficie apresentam as perolas
ou elementos, tanta maicr quaotia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e por isso que nos acn
selhainos de preferencia os nmeros fortes.
Es:es collares, pela sua disposlgo flexiveis e
portatels, podem-se por constantemente no pescogo
das criangas. Urna rede eleclriga cobre sem ces-
Meias de la para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na lo;a da Aguia Branca acha-se a venda
raen.e, sem sacudiduras nem commogoer, e pro-! ^ fl l fac;iim0 c ,,
duzem urna cura rpida impedindo as convulsoes. moscas, seiMW o mocto Ut ^r lauuimo, o i
Assim acha-se reunido com o amigo proced- effeilo efcaz : molba-se o papel e deixa se
fo oon/YWi lltfQ fin Pfifi raeao dos collares de mbar a ellcacia regular e ficar n'um pralo, e nelle pousando as mos
U VSjJUI liutuduu m. ttvwu seg(ira da eIec,rcdade medica.^ Os collares gal- entristetcm e morrem. Custa cada fo-
k h H S.< a (O iium mnnnfirni i/o m,'lnl Rnmiuiom-SR ae UedUC- ...... i. i -. .1-
A 45. o^ e 6?. vam-magneticos de metal compoem-se de peque- .. ._ .. Onftimado Iota da
Vendem-se os raais superiores espar.ilhos cora as perolas te MMkM;d.ffereotes, irav-er- ^^T Que'mda'
as compeienles filas para apertar pelos baralissi- des por fios conductores que formara asMtn pe- Aguia Branca n. 8.
! mos |ji
1 grande
nelenles filas para apertar pelos baratas!- ues por nos conouciores que ronaaiu sim i- 8
egos de 45, o e 65 por ter ebegado urna quas Das voltaicas d'uraa forma elegante, porta- hrinniiwloa c Pntrptrilmonto
porcao para a loja do Pavao: rua da Ira- til e flexivel. empregados com feliz successo contra Diversos DriuqUCUOS t LUlieiliiiiutiw
i n. 60, de Gama & Silva. as tonvulsoes, os torticolis, tosse nervosa losse papa Cr-i;,ncas,
Ceblas novas ^to^ww*
-se cm ca.xas ltimamente desembarca.: ^,vp|-qHu|nhos nunSinos ,0lia branc
n3 armazem da viuva Paula Lopes, escadinha da
damen'tTdo engenho Bocea da Malta deyer pro- alfandega.
curar paraos esclareclmenios que
Ine forem ne
cessaros ao adminisirador do 'engenho Minhocas,
que Ihe dir com quem dever entender-se para
tratar do arrendaraento e snas condicoes.
} O Dr. Carolino Francisco de Lima San- |H
^ tos contina a morar na rua do Impera- sgg
flS dor n. 17, segundo andar, leudo alias seu g|
jf gahiaele de consullas medicas, logo ao gfg
*M* entrar, no (inmeiro. jt
Sk O mesmo doutor, que se tem dado ao *
ttjf esludo tanto das operagSes como das mo- ^
S lesiias internas, prestase a qualquer cha- S
R5 mado, quer para dentro quer para tora ^
da cidade. 9vS
HBVAL
Rua do Queimado as. 49 e &*
Contina a vender lodas as miudezas que abaixo
declara por pregos admiraveis.
Massos de palitos usados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 30.rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos com superior tima rocha a 2i0 rs.
lleiadas de Imiia fruxa para bordado a 20 e 60 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas deago, fazenda superior aSOOrs.
Grozas de botoes madreperola linos a 500 e
peralnz _.
Cambraias de salpicas a 3$.
Vendem-se superiores cambraias franczas com
salpicos brancos e de cores tendo 8 1|2 varas cada
escocezas com
nca a 45 : na lo-
ja do'Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Tartalana branca a 64^ rs.
Vende-se tarlataaa branca rauito fina a 610 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
las de salpico a 15, dita Usa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na ruada Imperatriz n. 60, do Ga-
ma i\ Silva.
0 bramante do Pavao.
ende-s
que
gura
perio .
700 rs. a vara : isto na loja do Pavao
Imperatriz n. 60, do Gama & Silva.
Percales lisas do i'avao.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s
cor a 400 rs. o covado: na loja do Pavo na rua
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
18, recebeu diversos brinquedos para crian-
I cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
i elctricos, apparelhos de metal, louga pinta-
convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
o empregam-se indistinctamente nos mesmos ca-
sos.
DA I'ItlMEtnA DENTigO
E Ja '."' lude dos collares Royer eleciro-magnelt
TV pouc?s1raS Pa'a, "f* ***
.iimeira denligao, fazendo algumas observagoes, tar e muitos outros brtnquedosde madetra,
.(ueserviro de guia s mis de familias, qae pela gUe se yendem bnratamenle : na ruado
sua tenra afleigo exagerara a miudo os pengos : 0 lua da \cuia Branca n 8.
da f-dotlco, a qual em definitiva urna operagao yuetmau ., wi ua aguia mu **
da natnr'ez. Meas pretas de seda para seiboras a
i mor pane dos desarranjos que sobreven) y^rj rs q pap
SmeiraVm!gaS $?,%*?Z '^esforo A Aguia Branca quer acabar com a por-
para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva- ^0 de mcis prclas de seda para senhoras
rua da
e 610 rs.
? Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs. da irnperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Caixas com superiores obreias de cola a iOe 80 rs.. vrioninne rt ) ^Oft
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs. | TieULS pal a meilinaS ft ,DVV
de vestidos a
Na rua do Imperador n. 83, segundo andar,
precisa-se de una cozinheira ou cozinheiro, c que
Franca c Brasil.
O Sr. Marcier, alfaiate francez, precisa de bons Varas de frauja de la para enleites
offlciaes e boas costureiras : a tratar no largo do 40 rs.
Corpo Santo n. 27. Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
________ Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
O septenario do Senhor dos Passos no altar Livros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
da ordem terceira de N. S. do Carmo comega a 17 Pares de botoes para punho, fazenda rica a 120 rs. |
do corrente mez Tesouras para costuras superiores qualidades a
100 e 15.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a !
, 15OOO.
coml"'('-__________________-------------------: Massos com superiores grampos a 30 rs.
a| Precisa-se alugar urna escrava preta, pares de sapatos de tranga e tapete a 15300.
de meu idade, para o servico de urna pe- P^"^SKff!CS2Lf3!L,^
.i- r\;^;a n I.K inii Libras de aa sortidas de bonitas cores a 7#oou.
quena familia ; a rua Direita n. 4o, loja. Caxas com soperiores obreias de raassa a 40 rs.
_-------------------------------------------------------------; Rjdinhas com alfinetes francezes muito superiores
ser cos- BeaiSs'de papel almago a 25400 e 25800 rs.
raa Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
1 Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
- 600 rs.
Precisase pelo tempo de 4 a 6 mezes da Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
quantia de 1:000ja juros de 2 0.0, dando-se por Talheres muito fino para criangas a 240 rs.
garanta urna propriedade do subido valor quera pui?eiras para meninas a 320 rs.
qnizer fazer este negocio anonncie por este jornal. Dtas e voltas para senhora a 500.
--------------------fninlioii Frascos de Agua Florida vtrdadeira a 15280.
liOZllineilV Frascos com superior banha a 240 e 500 rs.
Precisa-sc de ura cozraneiro : a tratar no Club ,dem de SUperioroleo babosa a 320 rs.
Pernambucano. caixas com lamparinss para 3 mezes a 40 rS.
m________.^------------------------------------------ i Varas de babado do Porto a 80 e 14f> rs.
A ff PiiftlO 1 Cartas de alfinetes francezes a 100 rs.
ZlLt^uyuv. Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Manoel Barbosa Rbeiro declara ao corpo do Gravatas de core frtZPnda superior, a 500 rs.
commercio e aos seus freguezes que de hoje cm p 5 de agu|na! fundo dourado, a 80.
Vendcm:se meias para meninas de todos os ta- 1 .... .... r,.penf
manhos a 25500 rs. a duzia, duas de seda preta gHanle. rua do uespo n. /
fjvoravel que damnoso. Sendo sujeito a compli- ris o par, afim de que ninguem mais calce
ctr-se com outras alfeigoes o irabalho da denligao,' nieas prelas de algodao. ag ra pois apro-
necessario, em quanio durar, por a mas lre;' velarem a qaadra e dirigirem- e rna do
roa e con inuada aitengao na saude da crianga ; e !?,~"" f~. 8n..on.. o iim
d^sde que se nolem os ltimos symptomas que ac-. Queimado, loja da Agina Branca n. b. lam-
bamos de indicar, ser urgente consultar um me-, bem vender as brancas a lp o par, c
dico.
Estes
Soffri rbcumatismo por mul-
tas vezes, e vendo annnnciado
em um jornal d'esta cidade a
jpt^ salsa parriUia de Dr. Ayer, re-
me a comprar um frasco e faz. r oso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fias-
co, achei-me forte e sem sentir a m-s leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que cs-
tava affectada d'esse terrivel encouimodo
que rnubou-me tantas noitcs de semino.
Emp^es, licihicllins HJaciri,
ulceras, e todas as Molestias
da pcEIe.
DO SU. JOO PAULA TjE ABREH E SOIZA.
Rua de S. Pedro. Uto de Janeiro.
So'fria mais de dous annos di ama
erupcao sypliiliiica em todo o corpo> nwss
Irando-se sempre com mais violencia na cu-
ra, prove muitos medicamentos e ro sullci
muitos mdicos, e eslava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros das a civ.pedo aggravon-so,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente q
todo o corpo.
DocTon Don Josk Valoes Rebrera, itoi-w.-
SOIl DE MEDICINA Y CUILUJIA, BV8I)ELE6/X0
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SUSTO D13-
tricto.Habana.
Certifico qae be osado bxarzaporril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo Uc ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-
tor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser cegara, basido inny
eficaz en el iratamento de las enfermidades
que exsigeu el uso de ios porganU-s, y 11
vacilo en recomendar eslas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de stlenliro ile
18(50.
Dr. ios V. I!n: tra.
Escropkiila.
ATTESTADO DO U.I.M. SR, FRANGS' 'TRRAZ
dos santos. Ouro Preto.
t Me acho ba quasi dows annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto qua al-
gumas vezes quasi que diego a des.' aunar
da vida c maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mediros d'es-
ta cidade, e nenlium pode vencer 1 tenaci-
dade de minha molestia, eslava m:ih e>pe-
collares vendem-se na loja do Vi-' gueiras,
las o nico defeito cstarern um peuco tri-raneas de recobrar a minha saude ; quando
BRTlftftTiffWSSStffil^ das pechiuchas
damt^j^mmm. i n0 armazem da Arara.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba- O propietario da grande loja e IMM da
rato prego de 115 o par. Ditos bordados muito ri- Arara tem resolv.do vender suas tazendas por
eos a 245, colchfsderustao para cama a 55500 e nenos 20 por cento ^.MVf>Wfi
68 : Balla do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de parte por isso venham ver as fazenda, e se admi-
Gama & Silva rem dos Pre50?' a saber :
Tiras bordadas e enlremeios. Cortes de cambraia com barras,
bordadas e entre- Vendem-se bonitos cortes de cambraia
pelo
Vendem-se Onissimas
e
liaas
branco
baratissimo
Precisa se de urna mulher que queira
nheira em urna casa de familia : tratase
do Sebo n. 35.__________
na
35300, 45,
mais quali-
diante deixou de ser seu caixeiro Antonio Ferreira
de Almeida,
DEPOSITO DE CALCADO
FABRICADO XA CASA DE DETEXC0
Rua \ova a. Gl.
Ahi se eucontrarao obras de di-
versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a retalbo e em porces.
S se vende a dinheiro.
Vende-se urna taberna com poucos fundos
bastante afreguezada, tanto para a trra como para
o mato : a tratar na rua da Senzala Nova n. 39.
m
ALMANAK
meios por prego baralissimo, na loja do Pavao rua cm barras de differentes cores
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva. f eco de i^ ca-ia corte.
Chales alM800 Cambraias brancas
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas, Vende-se cambraia branca a 35,
as cores e pretos, pelo baratissimo prego de 35600, 45oO0, o5 e 05 a pega, e de outras
por haver grande porgo : na loja do Pavo, rua dades : na rua da imperatriz n. 06.
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. I BreUna de rolo.
Os bales do Pavo a 2S500, H e 3fl800 Vende-se bretanha de rolo com
Vendem-se os melhores bales de arcos ameri- 2*800, est se acabando esta pechincha
canos, sendo com 20 arcos a 25500, ditos com 2o loja da Arara, de Mendes Guimaraes.
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500, ditos para Laazinhas.
meninas de todos os tamanhos a 2-;500 e 35, su- Vendem-se as mais modernas laazinhas chga-
periores baloes de bramante e murcelina com das pelo ultimo vapor, tendo padroes muito boni-
cauda, sendo bastante grandes a 35, islo na loja tes se vende pelo baratissimo prego de 240 rs. o
do Pavo, rua da Imperatriz n. 66, de Gama & covado, fazenda que em outra parte_se^ vende a
10
varas a
s na
Silva.
As cainisiiihas do Pavo.
Mendem-se as raais modernas camisinhas borda-;
400 rs.: na loja e armazem da Arara n. 06.
Cuitas.
DE
Aluga-se o sobrado que tem dous ps de ar-
voredos na freule, passando a fundiego do Sr.
Siarr, com bons commodos para familia, para ver
e tratar na mesma casa ou cora o Sr Domingos
Jos da Costa Guimaraes, rua de Apollo.
Na rua da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com aceio e promptidflo e por prego razoavel.
Loso-Biasileiro
PARA 1866..
POR CASTILHO.
Vende-se na livraria econmica junto ao arco
de Santo Antonio,___________________________
Ferros para engommar
Vendem-se camuas conlendo o mais completo
sertimento de ferros para engommar, encrespar
babados, pafos e toda a roupa de senhora
Nova n. 24.
Vende-se grande porgo de chitas sendo escoras
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais, e claras por ***** J* Sfr_n "J
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di- rs. o covado, ditas percalas fina a, MO e 400 rs. o
tas cora manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre- covado, muitas raais de outros pregos.
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-| Chales de merino.
tos e golinhas prelas a 15, flnissimas golinhas de [ Desta fazenda ha um grande sortimento de cna-
cambraia branca bordada a 300 rs., calcinhas para les de merino eslampados cores muito delicadas,
meuina a 640 rs., romeiras de tilo e cambraia i^t se vendendo ptlo baralo prego de 25 cada
branca bordada a 15600 : na loj< do Pavo, rua am lsl0 para acabar.
Colchas de fuslo.
vendem-se colchas de fusio de todas as cores
a &. ditas de chita a
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corles de percales
Ricos cortes de percale com barra, tendo o cora- a 35, ditas de damasco
ptente casaveque a 85, ditos de la a Mara Pia a 25240 e 15900 cada urna : s Lourengo Pereira
65, ditos de cambraia transparente rom barra, Mandes Guimaraes.
na rua
- Precisa-se de um rapaz para caiieiro que te-; f Vende-se um negro pega
,a boPaccnduc.adeeQcom S_i_j "o MMu J Jf
ordenado : a tratar na rua Im
aba
se olha a dar bom
perial n. 49. ________________________
" Auseulou-se da casa de seu senhor o escravo
Francisco, com os signaos siguinies: idode 50 an-
nos pouco mais ou menos, aliura regular, cheio
do corpo, tem um pequeo achaca no posd igo,
vagaroso no andar, e lioge se maluco, veie ha an-
nos do Brejo da Madre de Dos ondi deixou mu-
lher e filhos. de suppor que tenha ido para ahi :
pede-sc as autoridades pohciaes e rapies d cam-
po sua apprehengo e leva lo a rua Nova n. 37,
que serao bem recoropen ados.
" Precisa-se de um menino de 10 a 14 annos
de iJade para caixeiro : na rua do Rangei n. 8,
deposito.
com 27 annos de
ura, proprio para
qnalquer servigo : a tratar em era de Portas n.
135, taberna na rna do Pilar. _______________
Vendem-se as seis casas terreas seguintes,
reparadas ha pouco : os prelendentes podem i
Alaga-
t-se
o sobrado n. 71 do caes de Apollo : a tratar no
segundo andar dosobrado n. 62 da rua da Gadea.
Contratase a venda de 50 a 60 pipas com
excellente mel do furo : a tratar no escriptono de
Jos Pereira Vlanna. na praga do Corpo Santo nu-
mero 6.
ve las, para o que esto prevenidos os inquilinos, e
dirigirse ao segundo andar da casa n. 42 da rua
do Imperador, das 9 as II horas da manha, para
o ajuste, ou entenda-se cora o corretor Euzebio, a
saber :
Numero 7 travessa do Livrameoto.
> 1 rua de Santa Thereza.
> 89 rua de Hortas.
> 21 rua do Nogueira.
148 largo das Cinco Pontas.
> 3 travessa ou rua do Dique.
No fundo da casa n. 148.
Vende-se uro sitio com grande sobrado ao
um andar, e todo murado, com poriao de ferr?,
cocheira para carros, urna sistema de pedra e cal
com ura olho d'agoa permanente, e urna cacimba
de outro lado tambera de pedra e cal, baixa para
capim, e planlagdes tanto pelo invern como pelo
vero, e arvoredos de fructo, rauito perlo dos ba-
nhos salgados: na cidade de Ulinda, defrente da
igreja do Carmo, alli achara com quem tratar.
bordada a laa a 25 ; isto se vende na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Palelots pretos a 6$
Vendem-se superiores palelots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casaros a
125, superiores calcas de casimira de cor a 75 e
85, ditas prelas a 65, 75 e 85, paletots de raea
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a 45 e 45500, ditas de brira
branco de linho e de cores, coleles de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muito era conta, s cora o fim de apurar di-
uheiro : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavo
Vende-se nm grande sortimento de madapoloes,
chitas, algodaozinhos das melhores marcas, ga-
rantndo-se vender mais barato do que em outra
quahjurr parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Cbegou pelo ultimo vipor francez um grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles muitos de ponta redonda a imitago de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muilo em coma por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
liatlauolo.
Vende-se madapolao a 45500, 35, 65500, 75,
75500 e 5 a pega, enfestado se vende com 13
jardas a 35,35500 e 15500 : na rua da Impera-
trii n. 56, Mendes Guimaraes.
Soulcmbarques.
Vende-se soutembarque a US, 65 e 7-3, ditos
preos de grosdenaples a 185, 195 e 205, e capas
o mesmo prego.
Cambraias de ceros.
Vendem-se cambraias de cores sendo finas a
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casemiras.
Vende-se casemira com lisias a 25500 e 25800
o covado, e mescladas a 35 s Mendes Guima-
raes.
*( 1 Bichaste Hamburgo
j todos os paquetes da Europa se recebe
B destas amigas do sangue humano e se
2S vendem a iroco de pouco lucro so afim
3r de ter sempre cousa nova : a loja de bar-
v'v bfro rua estreta do Rosario n. 3, ao pe
Jg da ipreja.

Kivalsem segundo
Roa do Queimado ns. 49 e 5o, ioja de
miudezas de tres portas, est quei-
mando tudo bora ebarat, quein qni-
zer ver e admirar venham teje do
Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Peeas de tranga de laa lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas finssmas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pegas de fita de cs estreilas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com colchetes francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a ICO rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para voltarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muito fino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas com agua do Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muilo finos a
15100.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua denliflee superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros do todos os pregos a 160,200,
240 o 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muilo linas para
45800.
Gollinhas muito finas para senhora n 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para
160 rs.
Pegas de fita de laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs. CAn
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de luusa para meninos a 160 rs.
Bunecos da choro e panno a 160 rs.
Caixas cora bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos comprados, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para caiga a
varas de cordo de espariilho a 20 rs.
Novellos francezes cora 20; jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
33500. ____________________
senhora a
meninos a
ltimamente resolv fazer uso da \salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n->e hoje
trinla e sele das que comecei com eslo
santo remedio, e tantas melludas tenlio
sentido que tenho conviegao de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
tempo.
Syphilis e molestias mert neiaes.
Do Illm. Sn. Da. Jackso*.
Medico muito conhecido as provincias do
sul do Brasil.
t Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveu rados de
Sypkilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o melhoi alteran-
te que conheco.
jLeucorrha e flores braceas.
Temos cartas em que nos contajm casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous foscos d'esta Salsa par-
rilha.
0 espaco nao nos permut trauscrever
todos os attestados que possuimos Jas vir-
tudes d'esle extracto composto ce Salsa
parrilha do Dr. Ayer. P.asta decarar ao
publico que tem sido empregadn ha mil
de vinte annos pela profissao med a lano
das Americas como da Europa, seJ) nunca
desmentir a sua alia reputaco.
Para a cura radical de escrfulas e ifleccSes
escrofulos, syphilis e molestia- >yphi-
liticas, ulceras, feridas, chana,
crupcOes cutneas a todo e
qualquer incomir.odo que
provea d'um estado
impuro de sangue,
rOHEH A
SALSA P1RH1LIIADE AVER.
A' venda na rua Direita, ns. 12 2t e 7fi;
rua da Quitanda n. l ; praga da Consti-
tu cao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E M-
principaes pharmacias e drogaras do im-
perio.
GRAGEA
GtlSECON
ApprovjdM pi AMdsml Mcdici
aa (ii rail.
, .u
Bornouls de renda na loja do pavo.
Chegaram os mais ricos bornouls de renda e se
vendem por baratissimos pregos : aa loja e arma-
zem do pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
algodo : na rua da Senzala ova n. 42.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no sea escriptono rua da Croz n. i.
avanado.
Francez barrica 55000
Fortland idem 85500
Em perfeto estado : ,nAAn
Francez barrica 105000
Portlaad idem 125000
No armazem de Tasso irmos caos doIApollo.
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vendar Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
ResuiU petos dous relatnos, adoptados pela
Academia em 1840 e em 1858, que ai ghai.i.AS de
Gxis e CONT sao o melhor e majs effiu J
ferrugiDOSo para curar chlorosis (alias fluor-alboi, m
o brancos. a flaqueza de compleuao no, don
sexos, e tambem para ajudar a uienstraacao das moras.
Eslks Grageas nio sao vendidas senao em caninha
ou vidros cobertos com roalo fechado com urna ura
levando a firma do depositario gerai : a.ABELO.\iii
Lharmaceutico. rua B^rbo^VUtur,,. 19 Parts-
Venaem-se no Recife em casa de Caors &
Barboza e Jo5o da C. Bravo & C.
Vndese um carro (victoria) novo e .' (ra-
le, com os arreios competentes de mtll principe :
na Pon;e Velha n. 8, por prego commoco.
TABERNA.
ndese a taberna da rua do Fogo B. 32, pro-
a para qualquer principiante por le pi ueM
na mesma.
pria para qoalqu
fundos: a iratar
'






(linrw-'wri I


'

w
Diarfo de Pernambnco r de sS*
N. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos
Chegou a este estabeleciraento ura grande sortimenio de cortinados
camas fazenda da muito gosto.
Chales de guip muito linos para 22J, 23J e 303.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
, Coisas de lfu e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondas de guipii enfeitados como raelhor gosto.
Setim d Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenapie preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Gasemira preta o de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas e
la prei para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e conro de tf a li.
Brins de linho de cores finos a 1J800 a vara.
Chapos e chapeliaas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapos de sol de seda, esguio d- linho, cambraia de linho, breta-
nhas. silesias a muitas oatras fazendas que se vendem por commodos precos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
DE
Vi!
DE
J. VIGNES.
\. oo. RA DO 1HPGRIDOR
W. 55.
AO RESPEITAVEL PUBLICO
A tabella abaixo publicada serve de base de presos,
conhecidos para que seja necessario insistir sobre a | "8,1110 deStG armaZem C0I11O do armazeill pi'OgreSSVO pa-
Os pianos desta antiga fabrica sao hoja asss cooheeidos para que seja necessario insistir sobre a wulu UOSl ai'IlltlZtHl CUU10 (10 amiazeill DrOfiTGSSVO Dft-
saasuperiondade, vantugense garantas queofferecem aos compradores, qualidades ests incontesta-fnA \f\ Pmtntn -n O n-^nAlVn1 i t F
veis que elles tem detinitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca pos- LCU uu VJTIIIO II. V, UTufipi aiIlltIZeill TUi flO nWfirfl-
saindo uin teclado e machinismo que obadecem tolas as vontades e caprichos das pianls'tas sem/AT* n A(\ ^^^vn*
nunca falhar, por serera fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente raelhoraraentos Impo'rtan- '*'** **' *"
tissimos para o clima deste paiz; quanto s vos, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito ageada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. Fazem setente ao respeitavd- publico, e cora especialidade aos senhorps de en
Fazem.se.conforma u; encomiendas tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio genhos, I ivradores e mais pessoas do centro, que paramis facilitar sim pimnra* rt-l~
correspondenie dd J Vigne*, era cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiefas. hpranm n nmnritirin.. Hn. nn JZTnin. 4 wuiuar suas compras del-
No mesmo estabelecimento se achara sempre um expen l>do e variado sortimenio de muecas dos Dera,ram S Planetarios dos tres grandes armazens, reunir todo* OS seus estabeleci-
annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
melhores autores da Europa, assim
precos conimodose razoavels.
.....- ~r~> --r >ai.'n, wi inoeum ue msicas aos
como harmnicos e pianos. harmnicos, sendo tudo vendido por
CONSULTORIO JIEDlMIilUI
DO
Ei PEDRO DE1TTAHYDE LOBO MOSGOSO,
HUIMCO, PARTEIHO E t>32l \?>im.
'3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s H JWEAMTEICr.%.
s da ruanhao, edas 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados I Manteiga i gleza perfeitamente flor che-
P liar macla especial homeopatilica SSSttiS^T a 1"
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras1 Manteiga franceza da safra nova a 86o rs
ibos avulsos, assim como tinturas de varias dymnaraisaces e pelos presos segrales, a libra e era barril ter abatimento
12J000
185000
24,3000
30 mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar'os gneros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro. como socede constante-
mente era outras muitas casas, porem nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, jualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam era servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
; pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pea qual se vera os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sna despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
o por cento na sua despeza diaria.
Carteiras de 12 lubos grandes.
de 24 tubos grandes.
de 36 tubos grandes.
de 48 tudos grandes.
de 60 tubos grandes. 35000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo auilso ou frasco de tintura de meia onca 15000.
Sendo para cima de \ custaro os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IjI vitos.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeoptico do Dr. Jahr
: grandes volumes com diccionario............ 20-5000 i
Medicina domestica do Dr. Her'mg...........* 100000
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina

Serveja
Superior serveja Bass dos melhores fa-
bricantes, como sejam: Shlers & Bell. T. F.
Ashe a 7,5oo e 7,ooo rs. a luzia e a 7oo rs.
a garrafa. Tambem ha de outras marcas
como seja: Victoria e Alcope a 5,ooo rs. a du-
"AiNHA zia e a 5oo rs. a garrafa.
Banha refinada superior a 64o rs. e era i Tioa^re
barril ter abatiraenta | Superior vinagre delisboa a 2,ooo rs. a
_. CHA caada e 280 rs. agarrafa. Tambem ha
Cha uxim de primeira e superior qualida- [ mais baixo para 2oo rs. a garrafa e I 4oo rs
de a 2,8qo rs. I a caada.
dem hyssen o melhor neste genero a I A* pite flnno
2,6oo rs., e sendo em porcao ter aba timen-; *C*C UULL
to, tambem ha proprio para negocio te 2 a i Superior azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a
2,4oo rs. a libra. j garrafa 6 a 4,6oo rs. a caada.
dem preto superior de l,8oo a 2,oo rs.' Massas
a libra. Macarro e talaerim a 360 rs. a libra e a
Biscomos i 3,ooo rs. a caixa.
Latas com superior biscouto inglez de di- Passas
versas marcas a l,2oo rs. a lata.
.
, lata- Superiores passas a l,5oo o quarlo .
ioiuebinhag s,boo a caixa de arroba hespanhola e a 3->o
Os remed is deste estbele'-.'ment sao por deraais conhecidos e dispensara por L com Do|achmhis da acreditada fa- J rs. a libra.
un novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios Dr'ca d heato Antn
Lideiras, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
te ro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservac3o, tintura dos mais acredi-
. is estab leetmeat is europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e portantoa maior
eaergia certeza em seus eifeitos.
Casa de saude para escravos.
35000
deste estbelo-ment sito Dor demais conhecidos e" di'snens.im r.-;. Latas com bolachinhis da acreditada fa-!rs. a
brica do beato Antonio, proprias para dar a I
doentes de 2,ooo a 3,ooo rs. a lata. ) GE^EBRA
Idetn^com qualro libras de bolachinha de I Genebra de laranja verdadeira a lo,5oo a
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Kecife, espina da Madre de Dens,
BAIjGES
Os ricos baloes de arcos com muita roda para senhoras.
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500..
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 105
dem idem com 16 asteas 125.
Chitas.
Cmtas largas soffriveN a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Bicos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
. Ha um completo sortimenio de camisas francezas de 15800 at 55 das seanin.
tes vanadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos detallo e de cores
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de camhraia com barra a 45.
Superior cambraia branca para vestidos.
CamDraia para forro.
Calcas.
Calcas de brim pardo superior a 2500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores.
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades,
Mantas para pesclo.
s o BaSoCatem.ailti,S ^ PeSCC ^ hmem de finSS"na seda e de ric08 padr5es' 1ne
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos plelos de alpaka branca a 55,
r|li A COLIiETES.
Golletes de casemira a 45 e 55.
dem brancos a 25500 e 35.
Maceos para viagem.
Saceos para viagem a 55 e maiores a 65.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
nd e DV0S preCS G "a Cm mU'laS peSSOaS Supi'5e sempre ser ^s mesmas fa"
soda a 2.
2,ooo rs. a lata.
Queijos
Queijos flamengos cheg^dos no ultimo
R ibe-seescraros para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer vaVor o*800rs tamDemha do vapor pas-
3 '. p ra o que o annun:iante julga-se sulcientemente habilitado. a ,m rs*
O ratamento c o meilnr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e OLATI
uando a casi ha mais de qualro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
duvidar. qie poJera ser consultados por aquellas que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25 pw dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
AsooeracSes ser53 previamaote ajustadas, se nao se qui^ere
veis que costuma pedirr o annunc ante.
' SftKJ
quizerem sujeitar aos precos
du/.ia e l.ooo rs. ao frasco.
Genebra de Hollanda verdadeira a 6,ooo
rs. aftasqueira e a 56o rs. o frasco.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da ums.
Garrafoes com 24 garrafas de genebra de
Hollanda a 8,ooo rs. o garr.fao. Tambem
ha garrafoes com 5 e 14 garrafas de 3,2o a
6,ooo rs. cada um.
VELAS
Velas de sperraacete a 6oo rs. a libra.
dem de carnauba de lo a 12,ooo rs a
arroba e de 36o a 44o rs. a libra.
^5ff5 loia de;^osTeraSt^COraVidrilhOS'ffi0ldeSn0
Sgaassa &. Pa. jar tz&&r+de bontos
Outrosde-merin6tarabera bordados eU^^STTt'SStffi
DAS OIiLUll^A.
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores rortes de seda de cores o que tem fiado a PrDarabuco de melhor
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RIJA 0 CRESPO :V. 13
LOJA DE
Antonio Gorreia de Vasconcellos e 0.
gosto
Chocolate hespanhol a l.ooo el,2oo rs.
a libra, francez e suisso a l.ooo rs. a libra
e portuguez a 800 rs. a libra, era porcao
ter abatimento.
VINHOS
Superior vinho do Porto das mais acredi-
tadas marcas, como sejam: Madeira Secca,! PEIXE
OnTr ri!% Vn' i SeCuH UT?a9 d.' Peixe em ,atas Ja P^Prado de l,ooo a
Douro, Mana Fia, D. Luiz, Pedro V, Lagr- l,2oo rs. a lata
mas Doces e outras marcas a 1,00o a garra-! ,IDICT, ,,,.,,.
fa e 9.000 a 12 000 rs. a duzia. | .... ALPISTA E PAINCO
Vinho Figueira e Lisboa das melhores' Z e pa,!,co T?, no7.e 3,8o a
marcas a 4oo e 5oo rs. a garrafa, e a 3.oco, '000 "' a arroLa e de Uo e ,6 rs- a 1"
3,5oo e 4,000 rs. a caada. | ra-
Superior vinho chamisso em barril a 64o] rhr. ,, CHARUTOS
rs. agarrafa ea 4,5oo rs. a caada. I, Um^os aos mais acreditados fabrican-
Superior vinho de Lisboa e Figueira m??' cc?.seJam:1 **> Furlado da Serrias,
anceretas de 8 e 9 caadas a 24,00o rs. a an- Sf' Pe'xot -da Sl va Nelt0' Castanho &
crela. Ihlln0 e Brandao e de outros muitos, os
9>M
)%&*
Chegaram pelo paquete
drSes uitciramente novos.
CORTES E SEDA
Dglez riquissimos cortes de moreanti([ae de cores, e seda larrada
Superior vinho branco proprio para rais-
sa a 640 rs. a garrafa, tambem ha mais bai-
1 xo para 4oo, 5oo rs. a garrafa e 3,2oo a
3,5oo a caada.
Caixas com urna duzia de garrafas de su-
r: perior vinho Bordeaux a 7,ooo rs. a caixa e
s ;7oors. agarrafa.
CAF
e Brandao e
quaes vendemos pelo mdico preco de 1.600,
2, 2,8oo, 3,5oo, 4,5oo, e 0,000 rs. a caixa.
Licores
Licores francezes e portuguezes a l.ooo e
l,4oo rs. a garrafa ou frasco.
Doces
Doce da casca da goiaba e caixes pe-
queos a 7oo rs. e de 5o caixes para cima
a 64o rs. o caixo.
pa-
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Pac* do Amaral ISregorio
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade de' Frotas
6,800 a 8,2oo rs. a arroba, e de 24o a 80 Frutas em calda e em latas fechadas her-
re- a i'bra, mlicamente, muito bem enfeitadas, conten-
M.lHAO do pera,pecego, ameixa rainha Claudia, al
Sabao maca de primeira qualidade de 18o perche e outras frutas a 7oo is. a lata.
a22ors. a libra e de 16o a 21o rs. sendo Tambem ha lilas grandes para I,2oo rs. a
em caixao. Jala.
igualmenle bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
ito dos sapatinhos.
Outras mui finas de fio da Escossia
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartiruga mui fortes para des-
embarcar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas cora allinetes brancos e pretos.
. Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novel los grandes
para crochets.
Trancellim de borracha prelo, redondo.
Bonitas flvellas grandes de ao,
donradas, madreperola e lar-
taruga.
A loja de raiudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
flvellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
estao sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalolado, proprias pa-
ra ditas flvellas.
Ocnlos de penetra e de ontras
qualidades, para quera soffre
d vista-
A' loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, tambem recebeu oculos de penetra
com vidros claros e oscuros, para quem sof-
fre da vista, assim como ootros de armaco
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos deornalraa, os quaes estilo
a disposifao dos bons christaos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
com vidrilhos e pendeutes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
e.'dos tamanhos.
Lonelos de dous vidros com aro de ajo, bafalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, a ra do Queimado
n. 16. recebeu um bello sortimento de lo-
netas e oculos de vidros com armacao fina de
ac. bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis: os pretmdentes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
ttencio o baratero de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
J "6ZT 1US ?.randes ,ustres de vidr fiws
com 24 lotea, do melhor oslo e por prego razoa-
vel;ass.ra como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores differentes; ditos de bor-
celana dourados o pintados e brancos; apparelhos
para jantar de porcelana branca; tamnem se ven-
dem em pegas separadas, como os freguezes qai-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho ditos para champagne, copos para aeua
e para yinho finos e ordinarios, em caixao e re-
tamo ; lanternas de todas as qualidades de vidro-
ditas de casquinho inglezas muito finas ; candela-
bros de vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agna; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para cha; e outros muitossortimentos de todas as
qualidades e pregos commodos vontade dos com-
pradores, que se veadem na ra da Cadeia do Re-
cire junte ao arco da Conceigao a. 64, e na ra
Nova no grande armazem de louca e vidros junto
a igreja da Conceigao dos Militares n. 49.
Acha-se
F-trinha de mandioca.
T :m para vender Antonio Loii de Oliveira At.p-
v :\ i'... no seu e>criptorio ra da Onz n. 1.
'iares Rnyrr on colares ano-
dies
facilitar a dentigSo das crianzas e preserva-
las das convulso??.'
O feliz resallado obtido immen^as vezes pela
pn ijiosi tarea magneti.-a do colares Rovr, nos
cas de convisoos, e ifentieio das crianga, lem
aU aente Invado o seu bem mereci.10 preslipio,
1 j se pflp dizer que estao geralmente con-
uto?, e estimado? d* innumuraveis pais .lo
: de uns porque do uso d^sses salittarcs
1 yir.iT. salvos 00 perigo seus charos fiihi-
de ..'.jiros porqu* colheram daquelles tao
1 1 se uplo para icualumnie preservar o<
Jim, iwl?, aaguia branca, leudo em !*
. atlIidadA epnvritp rips.:es prodigiosos cola-
modioos on Rov^r, mandin vir o novo soni-
i' lo que ;ig..ra receben, e continuar a 'recebe-
que em lempo a.'gum a Talla folies pon
r rune&ia ao* pais de familia, os qoaes* flearao
- le '? achar constantemente na ra do Quei-
maoo, I ja d'aguia branca n. 8.
LUAS, VIDROS E
CHRYSTAES.
looca da ra do Crespo n. 16 tem para
A loj d
vender quantidde de azulejos'de^indas'e wlad
cores, assim como loneas de todas as qualidades
de honnas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
lhos de porcelanas brancas donradas e de cores
vidros de todas as qualidades, inclusive finissimo
chrystal, dilicados jarros de chrystal 3 porcelana
para llores, figuras e outros muitos objectos de fl-
I nissima porcelana denomnala biscuito para en-
I relies de mesa?. He, guarnicoes de fini?sima por-
celana branca donradas e de cores para lavatorios
e toaletes, ludo do melhor gosto, pinhas de louca e mn,
vasos para jardim, candieiros de lamoarinas nara ,1 ,. T. e super,or : veode.-se no escriptorfo
gaz, globos e chamineis de vidro, boccaes e todos r o0el ,gn4cin Oliveira & Fllbo. largo do
os mais sobrecelentes para os mesmo?, gaz liquido ** San' n" i9- ___________________
de superior qualiJade, e muitos outros artigos que Vende se urna parle e um 'predio no sitio d
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
As melliores chilas francezas de cores
escaras e flxas a 280 rs. o
covado!!
Na ra do Qiwimadon. i vendem-se chitas fran-
cezas escuras e. finas a 280 o covado.
seria enfadonho mencionar,
Isswias razoaveis.
tudo por pregos mui-
Terrenos venda.
Vende-se om terreno proprio para edifleagao,
eollocado no centro da cidsde, com 68 palmos de
nenie e 2ia de fundo, fendo tres frente?, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para in
rormacSes, na ra do S?! n. 37.
Herres
! Vendc-sc superior vinho
fllerres de Londres ; na ra
Cruzo. 4Q, escrlptorlo._______
! Vende-se um sitio no lugar de Bemfica, Pas-
sagem da Magdalena ; quem pretender dlrija-se a
esta typographia. '
de
da
Potassa da Russa
Arcos, perte da igreja dos Remedios, o qual pr.
prio para olaria por ter excellente barro, as tert
ras quasi todas proprias : a tratar com Joaquim
Jos Gongalves Beltrao, ra do Vigario n. 17, es-
criptorio.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratsimo preco de 300(
ua praca da Independencia, livraria ns.
e8.
a venda na livraria acadmica, na roa do Impera-
dor; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Sanio
T!? na typographia imparcial, na roa es-
trella do Rosario a corapilagao de toda a legislacao
tendente a administragao, arrecadagao e fiscali-
sagao dos dmheiros de orphaos deluntos e ausen-
tes, herangas Jaceoles, legado?, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execn-
goes, como tambem todas as ordens e avisos do
governo, que a ludo lem explicado, lanto a respei-
to das obrigagoes inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de jostiga e fazenda, como dosdi-
reitos oacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este l.vro contendo mais de 700 paginas em ntida
iropressao e bom papel, e prestando-se a utilidade
de differentes classes, lorna-se recommendavel.
Sea custo 10#00e por cada exemplar em dous
OfflOS.
Las para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na roa do Queimado n. 1 vendem-se superiores
laas para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
es que se acabem.
Vende-se carvao de pedra para lerreiro a
124 a tonelada e 300 rs. a arroba : na roa do
Brumn. 76.
Vende-se a taberna sita na roa de S. Miguel
dos Afogadesn. 68 : quem a pretender comprar,
dinja-se a mesma, que anl se dir qaem vende.
fl-
Vende-se no escriptorlo de Manoel Ignacio
de Oliveira 4 Filho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhns do Porto muito superiores em caixas de
4 duzia e barris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de i duzia.
Palmella tinto de excellente qualidade em caixas
de t duzia?.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Ksponjtfs finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja d raiudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
F.las finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis core*.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorgurao de-seda achamalotada.
e muilo encorpadas, para cinto de flvellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, Golletes, palitos, etc. o deposito de charutos da ra do Rosario i
dem de laa igualmente sortidas em cores : dinheiro ou a prazo : quem .pretender dirija-se a
e para OS mesmos fins. I taberna da ra Augusta n. 1.
'. II
SJ5'
Vende-se superior saccas com rarioha de man-
dioca da trra pelo barato prego de 35O0 o sac-
co : no armazem da iromteta da fama coramer-
cial na ra do Imperador n. 83.
Vende-se
Vende-se um escravo pardo com 18 annos de
idade, efflcial de alfaiate, e ptimo para pagem :
na ra das Calgadas n. 6.
dem de algodao brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc.
Novas e lindas guarnicoes para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto B modernsima.
Sola.
Vendes* 450 meios de sola de boa qualidade :
a tratar na ra do Queimado n. 53, lojo de erra-
gens.
A t lenca o a pecliincha
Sapatos de tranca com sola de cortiga iljo
par : na ra do Livramento n. 5.
1
,.^
V
I
I


~
Diario de Peraam&ueo Quinta clra 14 de Hceuxho de **.
I -
V

a
j AO PUBLICO
ftem o menor constran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENCO
M presos da egulntt-
tabella para todos, po-
dendo assiin servir de na-
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
23UI M ID1 81 BTJi'i B'Jia
AO
RESPEITAVEL PUBLICO.
A apreciafao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
lem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 un magnifico sortimento [e molhados,
que sendo em sua maxim-i parte maudados vir directamente do estrangeiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ifQangar, com toda a seguranca de que
nenhum oulro o exceder no restricto cumprimeoto das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharao nesta
casa os raelhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquellos que sao pouco favorecidos da sorte fara"o mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os seuhores de fra da cidade, dos arrebaldes oo centro, que comprara para ne-
gociar, devem vir, celo sea proprio interesse, a este estabelecimento ,para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido *por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhore-
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
i Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
E' BARATISSIMO111
Grande liquidacode toradas r.opa
feita nacional, na ra daImperalriz
n. 72, loja de Guimaies frroao.
P* Pfppriehros deste estaoe.'erimenio tem re-
solvido liquidaren suas fazeodas per prego bara-
tissimos s rom o flm de apurar diobeiro, aprovei-
tem as pechiochas.
Vende-se uro grande sorlirnentn de chitas fran-
e para O ajUSte de CODia* ceras largas a 260,280, 300 e 370 o e vario duas
percalias muito finas a 360, 400, 440
eom os portadores;
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
re'' -- nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-
ro tntift^ 'envida a urna visita ao mesmo, certos de qne sem dnvida me daro a protcccao e preferencia na com-
e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco orticos
pessoalmente, havendo para com estes toda recoraraendacao, afim de que nao vo em
Senhore
j eza com que sero
| rra dos gneros que prec sare
i rois serao t3o bem servidos como se viessem
ta paite.
Manteiga ingleza especialmente escclhida a Aletria, macarrao e talliarim a 4oo rs. a li
bra e G.ooo a caixa.
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
rs. a libra.
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca raolle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os l-
mannos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de lodos os lama-
nbos.
dem dem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molao.
Absyntho a 2)5000 a garrafa.
II
BOLACHIiXHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de soda em latas grandes a 2#000 e
de cinco para cima a l;?SOO.
Biscoitos inglazes de todas as qualidades a
15200, 13230e i300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Bamba de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 000
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Ciiouuicas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 210 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimenti.
dem de primeira qualidade a 75OO0 a ar-
roba.
Conservas em f. ascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Ccihtja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposic5o,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, buxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252"0, 25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35300, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macnhos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, ele. etc.
urna,
para cima a. k
I KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
t.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Mahmki.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macarrao c taliiamm a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6U0 rs. a lata.
Mostahda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho i.NGi.Ez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas cum 9 libras a
35500.
Mustio painco e alpsta, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
IV
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos cm latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescad i iha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartiniias ou morinques a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
f,iz abatimento.
Sal reliiiado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Saroinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha-hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perpla o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 45
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a 1,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Viuho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,oOo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente auali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo i Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs.a duzia. para mimoa3,ooors.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. -Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoao
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei-'
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
Sal refinado em frascos de vidrocom tampa
ao mesmo, a ooo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,800,6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a2oors.
I Charutos do aTamado fabricante Jos Furta-1
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de pavana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em n Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
i,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muilo grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grasa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Bauha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com finetas em doce secco de di-
versos- tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas porluguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancoreta.
e 500 rs. o
novado : i.-io s na leja de Guimark-s & li
na roa da Imperalriz n. 72.
E' muito barato 1
Cortes de la 1 ara vestido de senhora a 3>.
Cortes de laa a 35.
Cortes de iaa a 35
Aos 3.:00 covados de la,
Vende->e lazinlias dequadrrsn de -ula? te
lincsimos padrees a 220, 240, 280! 3^0 rs. o eu-
vado, vende fe assim barato |or ter milita f orco
e querer se acabar : isto s na loja de Guimaraes
& Irmao, ra da Imperalriz 0. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de mrito eMami; dw a 2CG0
e 25500, ditos de merino liso a 38M), j e 0$,
di ios finos a 65500, 75, 70800 e 85.
Grande soriimenio de cor es de vestido de cam-
braia com barra, pelo barato preco e ,i, 300 e
35300. '
Ditos de chita a 25, 25500, 35 e 35500.
Vende-se pecas de madapolao cum 24 jardas a
45500, 55, 65,' 75, 85, 95 e 105
Dilo francez com 12 jardas a 35500, 45, 500
6 55000.
Vende-se um grande sortimento de gollinhas
para senhora e meninas pelo barato preco de 320,
400 e 500 rs. cada una : isto s na lo)a de Gui-
maraes & Irmao, ra da imperalriz n. 72.
Roupa feila
Roupa feila
Grande sortimento de roupa f. i a*.
! cualidades, que se vende por prjs baratissimos :
affianca se que se vende por. meros poi nto
do que > m ouira qualquer parte.
Na nova loja de fazcnas de Giiiuiaies
k i i'man.
Rita da Imperalriz u. 9 9.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caninha5 de ama duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lacri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. I.uiz ; (arniem
lem anccrelas de dcimo encapad; s com superior
viulio, barris de 5 e 10 em pipa : na ra do Vi,
ario n. 19, primeiro andar.
riiMMar i m nts-- ..-**it
fiscbivos
V
VINHOS
11
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
brvadocb a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 13.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 1# e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Selubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posicao alguma.
| Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermoulh a 20, a a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na offleina de ferreiro da ra do Jasmim n.
24, ha para vender nma carroca feita, com esmero
e propria para carregar urna pipa com agua, afim
de vende-la-pela ra. Na mesma ofBclna ha tam-
ben) um cabriolet de duas rodas, novo e muito bem
acabado ; qaem pretender estes objertos, pode di-
rigir-se a mesma que achara' com quem tratar.
('alungas finos e brinqnedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
tanto para brinqaedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudeiis.
Vende-se
Lavas de pelllea.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
a loja de miudezas n. 70 da rna da Imperalriz : a ca de cores e brancas para homem e senhoras : s.
tratar eom Joaquim Francisco Franco na alfande-' qnem recebeu foi o beija-flor, ua ra do Queimado
ga das 9 1)2 as 3 horas da tarde. > numero 63.
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a 105oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
8,ooo acaixaeOio e 7oo ris agar-j tamanhos com bonitas estn pas na cai-
rafa. xa exterior, a l,4oa, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
Geuebra de Ilollanda a 48o rs. a botija de! cada urna.
conla certa. Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez j Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasile genebra de Ilollanda a 6,8oo a o rs. a garrafa e lo:ooO a caixa. i ao mercado, a 2,ooo e 3,ooo a garrafa, e
e 04o rs. o frasco. Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo j 24,ooo e 26,ono o gigo.
Genebra de laranja verdadeira em frascos; o gigo com 36 libra-. Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
grandes a 1,ooo e 11,ooo rs. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e a libra.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muilo superior a 24o rs. a li- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de 1* qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-, Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas 'rancezas. excellente legme para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesdesuperior qnadade a 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, 10 a garrafae H.ooo a dozia.
lho. i Palitos de tiente a 14o rs. o maco.
Figosemsextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: ^era, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 2 o par luvas novas de pellica de Jonvin, chegadas no nltimo va por
para homem e senhora : na ra da Imperalriz loja de miudezas n. 54.

03
en
o

!/
ja 2 3 as tu
g L "
a g g-o d-S Sg .* -
gQ.2?ct't=s8o<"'32S~=.3
-0 3 m* "" 2 3 O
^_.O0ClQ.?3oaC
o -, g _2 S s;
03
s||ff
3 o S a,
3 ^S
og.
n a.
5" -i B tt
^Bi'g-g.g,
c 2. ST w
- rr m _
v>
2 2 3
3
o
g O) _
ITB =
S1 5-CJ-
-
en
"O
03

-I
B
o
B
.. .2. a
Orf S "^
aq o
cu
O
s

o"S
o .
su
a a>
as -I
m
O
u
" o
a
cu
o
Tasso Irmaos
Vende ni do seu armazem roa do
Amoi-iiu n. 35,
Licor fino Caracho em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
VinhosCheres.
Santernes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
W
4CU1NASDEP4TEN
de trabalhar ni a o pars
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OUMi
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio mnrado es-
qnerda, depoisido becco do Espinbeiro, nos Af-
iliaos
Estas machina.
podemdescaro$at
;qualquer especi
, de algodao sea
estragar o fio,
sendo bastan!
duas pessoas para
o trabalho; pude
descarocar urna
arroba de algo-
dao em carocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodt
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodc
limpo, uor dia; e motores para mover urna, duas,
eutns dessas machiuas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-Io, no arma-
tem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brothers &C.
N. II, praca do Corno Santo
. RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
A LEGITIMA
No dia Io do crreme fugio do armazem do
Sr. Jos Duarle das N'eves, no cae.-, de Apodo (wide
foi |iara ser vendido), o eseravo de neme Joo, eom
os signaes Hguinits: alio, groes*, mulato claro
cabellos cacheados, cilios preos, nariz grosso, boc-
ea regular, barbado, roslo comprido, i- parece ler
de 36 a 38 annos de idade ; tem lamben o dedo
mnimo da mao direita encolbido: levou chapeo
de palha, camisa c caira de risrado azul, e por
baixo desla roupa mais urna cami.-a de riscadinho
encarnado o urna eeroala de algmiao/u.ho. Este
eseravo veio do Sobral no vapor MoniQngvape, en-
Irado em 30 de agosto prximo passado : sera ge-
nerosamente n compensado qiit-in nucr que o ap-
prthender e leva-lo aoaimazem de Jos de Sa Lei-
lo Jnior, A ra da Madre de Deus, juulo a igreja.
Ausenlou-se de casa no dia 28 lo agosto pr-
ximo passado a escrava fgnacia, ni. ni ( i rali,
beicos grossos, drntes limados, estatora reg li r.
cheia do corpo, ida/le 28 a 30 annos, levon vestido
de chila encarnada, chale de laa preto velho e
mai- alguma roupa de seu uso : na ma da Pi nha
n. 17 se grliiicar.
Fwgib.
Mi. dia 6 de rgostu o eseravo criinln de "i .
Tiberio,idade de 20 a 25 annos, estatura 1;.:\. i
eom faia de um u> denles de tin.a, loi t->cia\
do Sr.Francisco de Albuqderque M.mI.;.,. (J.-.-
valcinti : qutn o pegar ou debe di i Ui i
ra diiigir-s-e a rna da Cadeia do Rerife i 33, li \i
de Valle Puru ^ C, que .-ua" nu n |. n.-ade.
Ao ainanheeer do dia 26 de au'-l i fugiraiD
do eogenbo Caenaragibe dons esrravos rriooios,
ambos carieiros, sendo um de iiume S:n iao, na-
lural do ,-erlo d Opricury, a'io pItm luto, rara
redonda, niio miilo preto, e foflre de pn a bernia;
o oulro de Dome Nicolao, nascido re mesnio en-
genho, e^lalura urdiuaria, sei ro do roipo e robus-
to, na mesma occasiao desapp, inn.-n 3 urros
do servido do engenho. de supper qut lenhsm si-
do levados por eiles, ou por aiprrr (|ie- Ihes ser-
vio de guia e seductor, porquera otile preceden-
te a sabida dos ditos escravos foian vistos dous
homens en. commnnlcagao com o Stmeflo junte a
enirada do engenho : tm [ireuder e irtuxer di-
los escravos -era recompensado
Anseniou se de casa no dia 25 d^.-le mez a
eserava Ignacia, croala, cor fula, denla* limados,
beicos grossos, estatura regular, elieia do corpo,
lev. u vestido encarnado, chale de laa preio velho
nos hombros, e m?ls alguma roupa de seu uso :
na ra da Penha n. 17 se gratificar.
SO
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de omlos, lmelos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gosto da Europa,
No dia 28 de agosto prximo passado desappare-
ceram do engenho Parary, silo na comarca do Li-
moelro, os escravos Francisco e Alexi.ncre, per-
tencente> ao rr.ajor Claudino Correa de Mello. O
primeiro alio, secco do corpo, um taulo espadan-
do, e de cor cabra, urna cara bexig' sa, bastante
barba, cabellos caraplnhos, pee curtos e largos,
sanio vestido de caiga e camisa oe alpodSo arol,
chapeo de feliro, levando tambem consigo urna
irouxa coniendo roupa de uso, a saber: camisas
de chita e caigas branras e pardas, levou tambem
um chapeo de'couro, mu ladino. O secundo
preto, crioulo, secco do corpo, estatura regular,
tem falla de dentes na frente, um pouco barba-
do, e lem ps finos e bem feitos, tambem muilo
ladino. Ambos sao mocos, tendo de idade32 an-
nos, pouco mais mi menos; desconfiase qne te-
nham fueido para assentar praca nesia provincia
< u em outra qualquer : quem os apprehender pode
leva-lis ou ao dito engenho, ou a' casa de Bruno
Alvaro Barbosa da Silva, Da ra da Cruz n. 45,
que ser bem recompensado.
A iieneim
Acham-sc fgidos os escravos segninies: Bento,
mulato, idade de 25 annos, cabellos annelados, sem
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
(esta larga, e falla um pouco descansada ; e Luiz,
crioulo.j um pouco velho, altura regular, muito
cabelludo, b^rba com alguns cabellos bra neos, as-
sim como na cabeca, corpo reforjado, olhos um
lanto pequeos, falla grossa e as vezes finge-se
rouco : pede-se as autoridades poliriaes e aus ca-
pitaes de campo que os faeam apprphender e con-
duzi-losa' ca-a de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmao. que generosamente recompensar,
e Ins pagar toda despeza que fizerem rom a sua
conduegao : suppoe-se que elle.- terso ido em se-
gnimento dos sertoes desta provincia, por serem
lilln s desses lugares.
PEEP1RADA NICABIENTE POE
LANIAN & KEJIP,
NOVA YORK.
Composla de substancias, gozando de
propriedades eminentemente depurativas,
approvada pelas juntase academias de me-
dicina ; usada.'nos principaes hospitaes, ci-
vis militares e da marinba nasAntilhase
no continente americano ; receitada pelos
facultativosos mais distinctos do imperio do
Brasil e da America hespanhol
CURA RADICALMENTE
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes, chagas
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientesd'um estado vicioso do sangue.
Emquanto existem varias imitaces e
falsificacoos. preciso a maior cautela para
evitar os engaaos,
A legitima salsa de Bristol vende-se por
CAORS & BARBOZA
JOO DA C. BRAVO & C.
Joo da C. Bravo & C.
DeDOSito uftral Am pArnamhnrn rna da oo ""p""5. a"o, rosio comprido, suissa pouco fetha-
rrn, a K a ,erDan'Dc0,raa aa da, ps grandes chalos, ecosiuraa andar de alper-
UTiz n.tl em casa de Caros & Rarboza gatas, levou camisa de algodao, caigas vethas o
_. g~. rm -, rm rotas, chapeo de palha velbo, e tambem um bonet,
(j/l i. (A/ n\7i j caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
v*nAa / n. a\ Z^iu^f i-a j cidade provavel que tenba ido pura Serinhem
Vende-se gaz da melhor qualidade a oa Rio Formoso, onde i tem sido capturado por
i-? a lata : DOS armazetisda ruado Im- vezes. Roga-se s autoridades e capites de campo
perador U.i6 e ruado Trapiche NOVO.8. qne apprebeodam e o levem ao seu senhor Joao
--------------Hiib--------------a-----------------Cavalcaoli Lamenha Lins, residente na Estrada
"O snperlor Nova/sitio de Jerooymo de Hollanda Cavalranii de
Vende-se no trapiche do baro do Livramento Albuquerque, que se recompeusar generosa-
no Forte do Mattos. mente.
Est fgido o eseravo Libralo, preto da
Costa, alto e magro, bragos e peroas Unas, cara
retalhada, sem dentes na frente, olhos grandes e
vermelhos, tem os ps e raaos cheio< de cravos
bonhaticos, traz o cabello junto das orelhas raspa-
do de poueos dias, levon veslidu caiga branca su-
ja, camisa de nscado, blusa de la azul desbolada,
chapeo do Cbili multo velbo : quem o apprehen-
der e levar a casa de sen senhor na Passagem da
Magdalena, ser generosamente recompensado.
Fugio no dia 18 do correnle mez o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais





-^



'
Diario de rernanbnco Quinta letra 14 de Hetcmhro de i **
LITTEEiTRi.
OH POICO DE TODO.
Dos jornaes da Europa colhenios o que segu
com relagao aos festejos navaes entre a Franca e a
Inglaterra:
Antes dedarmos conta dos festejos que uo da lo
do correute liveram lugar era Cherburgo, por oc-
callao do anmversario de Nspoleo III, e nos qnaei
tomarain parte as esquadras da Franca e da Ingla-
terra, '-iremos alguraas palavras acerca dos navios
couragido?.
(J imperador Napoleao III, apoz aturados estudos
MM sobre as experiencias tentadas ha mais de
scalo e meio, para couragar os vasos de guerra,
mandou construir, durante a campanha da Crimea,
tres bateras fluctuantes, destinadas a operar no
mar Negro. O xito pratico d'esta experiencia ro
coptalo.
u imperador, partlndo entao do conhecido para
cliegar ao incgnito, concebeu a idea de revestir
com chapas de ferro o costado dos navios de guer-
ra que, em vez de serem vasos especiaes como as
hateras fluctuantes, que navegara rom difflculdade
e combaten) ancoradas, fossera navios proprios
para navegarem no alto mar, a exemplo dos anti-
gs navios, e podessem substituidos as esquadras
de combate.
Este systema, se vingasse, devia transformar
completamente a marinha militar, a tctica naval
o a guerra martima. Devia ser extremamente
proveiloso a Franca, por ser n'aquelle momento a
sua esquadra numricamente inferior de Ingla-
terra, e por deverem ambos os paizes partir de
um novo ponto, indo portanto conquista futura
Je probabilidades iguaes.
O imperador, depots de ter amadurecido o sen
plano, obrando com a pcrseveranga que o distin-
gue, mandou execatar em |I850, em Vincennes,
segn lo un programma feilo por elle, urna serie
de expirencias, para se averiguar a resistencia e
as qualidades das chapas de ferro. Estas experien-
cias, as quaps elle assistio frequentes vezes, foram
tambera succedidas, que, por sua ordem, nos rae
ios de maio e junho de 1838, se procedeu a' cons-
truccao de tres fragatas couragadas, Gloire, Invin-
cre r JVori/iande.
Os nglezes, que, a principio, tinham acolbido o
plano do imperador cora amis profunda incredu-
lidad*, nao tardaran) em modificar as suas ideas;
rcjonlirceram logo que o futuro da marinha de-
peudia dos navios couragados, e no mez de ju-
nho de 1859, assentaram no eslaleiro a quilha
do Wairior, que a sua pnmeira fragata cou-
tacada.
D'alli era diante, nao teem cessado de cons-
truir, e hoje, segundo informacoes fidedignas,
possucm 27 navios couragados, dos quaes 17 es-
to armados, e mais 6 que se esto construindo.
K'este numero nao eslo incluidas as bateras fluc-
tuantes.
Am de caminharem mais depressa, transforma-
ram um certo numero dos seus navios de madeira,
e produziraui urna grande variedade de typos, que
se podem resumir assira :
l. O typo com base de ferro, nao sendo a bate-
ra protegida as extremidades. E a este typo
que pertence a Black-Prince, que faz parle da es-
quad-a que foi a Cherburgo.
2. O typo com base de ferro e a batera com.
plettmente protegida, que o das grandes fra-
gaias Minotaur, Agmcourt, Northumberland e
Acltillfs.
3. O tvpo da grande fragata Bellenophon, com
base de ferro. Toda a sua ariilheria est armada
dentro de um reducto central, inteiramente pro-
tegido.
." O typo das pequeas fragatas com base de
niail ira u protecgo completa taes como a Valiant,
Baakmu, Hedor e Defence.
5." O tyiio das fragatas com base de madeira,
couragadas de popa a proa, taes com o Roy al-
O'ih, Catatona, Ocean, Lord Warden e Prince
Consort.
G. O typo da Zealous, fragata com base de ma-
deMa, tendo no centro, para a ariilheria, um redoc
to a iirova de bala.
7. O typo da Pallas, da Favourite e da Research,
tendo no centro um reducto nao passando a sua
cou. ac la .inha d'agua.
8. O io com torrinhas moviveis, tal como o
Prince Alberl e o Roy al Sovereign.
E-it-- ultimo foi em Cherburgo alvo da curiosida-
de |ral, e mereceu toda a attengao dos homens
0-|nriarS.
Far cuj .-(.n-iiucco envolve quesloe<; mui graves e
intfr es.
Em 15 do corrente, os offlciaes e o? vasos de
gueira da --.-quadra britannica unirara-se para ce
leirar o anmversario de Napoleao III.
O- navios inglezes embandeiraram, Imitagao
do- fianet-zes, e deram as salvas de honra, ao as-
cer e ao por do sol.
G" tris doalmirantado, os offlciaes generaes e
os fflr.ae.- superiores da marinha britannica assis-
jir.,,1. >m o marquez de Chasseloup Laubat, ra-
ni no la marraba e das colonias, o vice-almirante
ba. -lo L. Ronciere Le Nourry, commandante da
diviso naval couragada, o contra-almirante Po-
thu-u s "fHriaes superiores da esquadra fran-
cez .. < iii a militar celebrada na grejada Santis-
smia Trtiniade.
Eilos:
Aoamanheoer do da U de agosto, achavase
ancorado na vasta enseada de Cherburgo um nu-
mero consideravel de yachts recentemente chega-
dos e de barcos de vapor vindos durante a n -ite de
todos os portes da Franca e da Inglaterra.
Eslavam cheios de passageiros. Ao nascer do
sol, os tonristas inglezes, que formavam a grande
maiora dos passageiros, conduzidos por essas em-
barcaede?, treparam pelas enxarcias.e flzersra ou-
vr os gritos mil vezes repetidos de vivam os fran-
ceies 1
Infelizmente o co estava coberto, e o vento as-
soprava rijo.
As sete horas da manha a nao almirante Alo-
genta mudou de ancoradouro ; aproximou-se do
molhe, para deixar maior espago aos navios in-
glezes. A estibordo da Magenta Tica a fragata cou-
ragada Flandre e a Heroine a bombordo.
O principe Murat chegou com a sua familia, s
dez horas e um quarto, de Trouville, pelo cami-
nho de ferro, e embarcou no vapor Cuvter, posto
a sua disposicao pelo imperador durante os fes-
tejos.
As dez horas e meia, o marquez de Chasseloup
Laubat, ministro da marinha e das colonias, che-
gou de Pars, sendo receb lo na estagao da via fr-
rea pelas autoridades martimas, militares e civis-
D'alli dirigio-se ao palacio da prefeitura martima.
Pouco depois, a chuva comecou a afugentar os
curiosos, e durou at as onzo horas. N'esle mo-
mento, avistou se a esquadra ingleza na direcgo
de leste. Sele navios d'essa esquadra, formados
era linha, bordejavam vela.
Soubese que a esquadra britannica linha sido
organizada em duas divisSes, das quaes urna par-
lio ae Portsraoath e a outra de Portland, e que a
divisao que primeiro chegasse esperava a se.
eunda.
O ministro da marinha foi a bordo do seu yacht
e a urna hora e um quarto o seu pavilhao foi ica-
do a bordo da Reine Hortense ; recebando as sal-
val do estylo.
A chuva cessou, porm o vento assoprava com
a mesma forga. A divisao naval couragada tomn
as suas disposigoes para receber a esquadra, que
dentro em pouco vinha fazer urna visita a Franga.
Na vespera, tinha sido lida as tripulagoes dos
navios que a compunham, a seguinte ordem do
da :
Offlciaes e marlnheros.
i Amanha cargara a Cherburgo a esquadra
ingleza. Vem celebrar coranosco o anniversario
de S- M. Esta horneo agera prestada popular ida-
de do nosso glorioso soberano, urna prova dos
sentimento* de cordial sympathia que unem os
dois povos, assim como as duas mariohas.
Faremos tudo quanto em nos couber para for
talecer, pela cortezia hospilaleira do nosso ac-
Hmenlo, a solidez de una allianga to fecunda
para a prosperidade das nagoes, e que o dia de
amanhaa vira cimentar aos gritos deviva o im-
perador I
A bordo da Magenta, porto de Cherburgo, 13
de agosto de 1865.
f O contra almirante commandante em chefe da
divisao couragada.
De La Ronciere Le Noufy.
Esta ordem do da causou as duas esquadras
franceza e ingleza, e a populagao da cidade, a me-
Inor e a mais favoravel impressao.
As quatro horas, urna quantidade innumeravel
de yachts, e barcos a vapor, navegavara na direc
gao dos inglezes, apesar de um rijo vento de S. O.
m cter de guerra francez, Gazelle, foi manda-
do reconhecer, e veio pouco dopois informar que
a esquadra ingleza acaba va de operar a sua june,
gao, que |se estava formando em linha, e que os
yachts a vapor Exchantress e Osborne j haviam
lomado a frente da linha.
Nesse momento a nao almirante Edgard, que
anda navegava fra do raolhe, arvoron a bandei-
ra franceza no maslro de raesena, e salvou ao mi-
nistro da marinha franceza com desenove tiros de
pega, inmediatamente retribuidos pela Magenta.
Estes dois navios passaram vagarosamente por
dianle da divisao couragada. Os lords do almi-
rantado form victoriados pelos gritos das tripula-
goes francezas, formadas sobre as vergas.
No momento em que appareceram os dois pri-
meiros navios de guerra da esquadra ingleza, o
novo que oceupava o molhe e o caes rompeu em
phreueticas acclamagoes.
O espectculo era de arrebatar.
Em seguida aos navios Enchantresse e Osborne
vinha a nao a vapor Edgard, a qual traz o pavi-
lbao do contra almirante Dacres.
Doran!'' o Te Deum, as bateras da marinha, os
navios aucezes e inglezes derara urna salva de
SI Uros.
l) ..- ou missa, os offlciaes das duas marinhas
assktiram graadfi revista das tropas de ierra e
m;.i na pr ya Napoleao.
Foi esplendido o banquete dado no palacio do
mu' pio pelo ministro da marinha. As nobres
pal. rras proieridas pelo marquez Chasseloup Lau-
bai por ii Somerset, pelo vice-almirante Dupouy
e pelo conti a-almirante Dacres, bao de echoar mui
longt.
Drp i lo banquete, a chuva, que cahira duran-
te o la. aua e permittio que se dsse comegoao
og di i'iicio, armado sobre barcas no centro do
po 10.
A i lado, como por encanto, appareceu Ilumi-
nada. u .vulago assistio com o mais vivo prazer
a c.-s- helio -pectaculo.
N" da 10, o duque de Somerset, acompanhado
floaontroa irds do almirantado e dos offlciaes in-
glMes, "-ni o arsenal e os estabelecimentos da
inai io a j u honras Ihe fez o ministro da mari-
nua na < impaabla das autoridades martimas.
A' nnite houve um grande jantar a bordo da
Magenta.
No oa 14 do corrente, os vasos de guerra da
Frang d Inglaterra estavam ancorados lado a
lado lj i uto de Cherburgo. Devia ter lugar no
du. oguijtt tina grande revista naval, para so-
lemni* 0etes, eimt a cua escrupulosa cortesa, haviam of-
feri'C.u i o i ugar de honra marinha ingleza.
Podemos desde j fornecer aos nonos leitores
alaros in'cn -ntes pormenores acerca da enc-
ada a c.iei i uj-o da esquadra ingleza.
Quando a Enchantress se aproximou da Reine
Hu tense para ancorar ao lado deste navio algu-
raas bragas mais adiante, a Magenta tendo a ban-
deira ingleza igada no raastro de mesena, deu
urna salva de desenove tiros, que Ihe foi immedia-
tamente retribuida pela Edgard.
A bordo da Enchantress achava-se : o duque de
Sorerset, primeiro lord do almirantado ; o almi-
rante sir Frederic Willam Grey, e H. Childes, da
cmara dos communs, membros, um e outro do
almirantado ; e a bordo do Osborne : o vice al-
mirante lord Clarence Paget, primeiro secretario
do almirantado : o contra almirante Farshawe>
membro do almirantado, e o contra almirante Ro-
binson conselheiro do almirantado, admittido a
tomar parte as suas deliberagoes era todo que
diz respeito ?. construegoes navaes.
Segujam-se a Edgard os navios conragados :
Royal-Sovereign, Achules, Blaek Prince, Defense,
Hctor, Prince Consort e Research. Este ultimo
nao deia fazer parte da esquadra. Foi a ella
addido para substituir urna fragata a vapor que
nao tioha podido continuar a viagem por causa de
avarias recebMas n'uma abalroagao.
A passagem em continencia dos navios couraca-
dos foi mui longa. Darou quasi urna hora. A cau-
sa desta demora deve-se attribuir nicamente a'
natureza desses vasos de guerra.
A velocidade multiplicada pelo volume desses
formidaveis collossos, Ibes imprime urna tamanha
forga de impulsao, que muito tempo antes de che-
garem ao ancoradouro, deve-se fazer parar a sua
machina a~vapor.
Os navios couragados inglezes executaram esta
manobra a urna distancia de 1,500 metros do ponto
onde deviam langar ferro.
A esquadra ingleza fez a sua entrada no porto s
cinco horas e um quarto, e s as seis horas e mela
tioha acabado de fundear.
As autoridades martimas de Cherburgo haviam
tomado todas as medidas com tanto acert, que
tudo corren s rail maravllbas.
Eslava indicado o ancoradouro para cada navio,
e, por excesso de precaugo, urna embarcagao fran-
ceza estava amarrada a cada nma das boias que
iodlcavam o sitio era que os navios inglezes deviam
fondear.
Os commaudaotes inglezes raostraram-se extre-
mamente gratos por estas medidas das autoridades
francezas.
O ministro da marinha, acompanhado pelo vice-
almirante Dopooy, prefelto martimo, e do contra-
almirante baro de La Ronciere Le Noury, dirigi-1
se a bordo da Enehantrass, para visitar o duque I
de Somerset e os lords do almirantado. Esla visl-1
ta foi paga a bordo do Reine Hortense, pelos lords
do almirantado, acompanbados pelo contra-almiran-
te Dacres.
O contra-almirante Dacres, e o contra-almirante
La Ronciere, trocaram em seguida visitas pessoaes
sendo cada um delles salvado com treze tiros.
O contra-almirante Dacres dirlgiu-se depois a
trra para visitar o vlce-almiranle, perfeito mariti-
me, o qual o receben no palacio da prefeitura.
De Cherburgo escrevem o seguinte, em 18 de
agosto:
Hontem 17, leve logar o magnifico banquete da-
do pelo vice-almiranto Dupony, prefeito maritimo.
Depois do banquete, comegou as salas do edificio
da cmara municipal o graode baile offerecido pe-
los vereadores, pelas autoridades martimas e mi-
litares, aos lords do almirantado e aos offlciaes da
esquadra ingleza.
Este baile foi, na realidade, deslumbrante. As i
dangas duraram al as cinco horas da madrugada.
O baile comecou com orna grande quadrilba, da
qual faziam parte lady Clarence Paget, a qual dan-
gou com o ministro da marinha, e a baronesa de
La Ronciere Le Noury,aqual dangou com lord Grey
ministro da guerra de sua magestade britan-
nica.
Hoje, 18, a nu couragada floya-Sot;eion, a
fragata couragada Research e as fragatas a hlice
Octavia e Constancia, as quaes nao devem ir a
Brest, accenderam as caldeiras s 4 horas da ma-
drugada.
A's 6 horas, estes navios apparelbaram ; ponco
tempo depois passavam junto da extremidade oes-
te do molhe. dlrigindo-se para o alto-mar. A's oito
horas ja' se haviam perdido de vista no horsonte.
Partirn) directamente para Portsmouto.
A's nove horas da manha, soubemos que o pro-
gramma primitivo fura alterado.
A esquadra ingleza partir' hoje, a' urna ho-
ra depois do meio-dia ; navegara' ao longo da cos-
ta, a vista de trra, e devera' chegar a Brest em
21 de agosto.
A's onze horas, o contra-almirante Dacres subi
a bordo para all fazer a sna despedida.
Receberam-no com a maior cordealidade. Re-
gressou a bordo da Edgard e fez signal a' esqua-
dra ingleza que accendesse as caldeiras para
partir.
A esquadra ingleza obedeceu ao signal. A' urna
hora e trinta e cinco minutos, a fragata couragada
Achules pz-se em movimeno, seguida pela Prmce
Consort e pela Edgard, a qual, nessa occaslao sal-
vou com dezenove tiros. A Magenta retribuiu es-
ta salva.
A Edgard era seguida pela Defence cuja banda
marcial executava o bymno da Reine Hortense. A
Defence era seguida pela Hctor e pelo BlaekPrtn.
ce. Estes navios navegavara lentamete.
No momento de atravessarem o passe, formaran)
sobre duas alas na ordem seguinte:
Ala direita :
Edgard au almirante.
Defence.
Hedor.
Ala esquerda:
Achules,
Prmce Consort.
Black-Prince.
Tendo a esquadra ingleza dobrado a extremida-
de oeste do molhe, o Osborne que tioha a seu bor-
do os lords do almirantado, pz-se em movimento
e passou na frente da Magenta a qual Ihe deu urna
salva de dezenove tiros aos gritos deViva o impe-
rador IO Osborne e seguido pelo Enchantress,
que hoje leva a seu bordo as familias dos membros
do almirantado, e que reboca um magnifico yacht
pertencente a M. Milner Gibson, ministro do com-
merco de sna magestape tritannica.
A esquadra ingleza ao chegar ao alto-mar, (ez-se
de vela, e vagarosamente vae-se suraindo no'bori-
sonte. O tempo magnifico, a mollido innume-
ravel e o golpe de vista indescriplivel.
As duas horas da tarde o ministro da marinha
parliu a bordo da Reme Hortense.
Em Brest fazem-se grandes preparativos para a
recepgao da esquadra ingleza. Alguns jornaes
qtferem dizer, que a nemonstragao anglo-franceza
de Cherburgo tem por fim responder s ameagas
que mais de urna vez tem partido dos E,tados-Uni-
dos em direcgo a arabas as nagoes.
A Franga e a Inglaterra, affirmam elles, d'ora
avante bao' de conservar armada nma esquadra
combinada de vinle e quatro navios couragados,
sempre prestes a responder ao menor ataque da
America.
Nao damos crdito a estas assergoes; porm
nao podemos deixar de registra-las, esperando que
a paz continu a reinar entre a Europa e a Ame-
rica.
N5o vistes como percorro
O teclado t3o veloz?
Escotastes a harmona... ?
N5o sentistes a magia... t
Nao vistes tanta poesa... ?
E' genio ?Dizei-o vos.
Vai pois, crianca, caminha !
Tens de marchar e soffrer!
Vai no estudo, pela patria
Croas de louros colher.
Volta um dia praseoteiro ;
Nao voltars Brasileiro
Porque eoto o mundo inteiro
Ha de a tua patria ser !
HERMENEGILDO LIGUORI.
Sao teus os seculos, tua patria o mundo
E ternas o porvir prepara
Honras ao Genio I
(Lamartine.)
Eu te sado, artista magestoso !
Na tua fronte bella e juvenil
Deixou impresso um sculo mimoso,
Grande e sublimeo Genio do Brasil!
Quando se sent, como tu, na fronte
A charama crepitar da nspirac5o ;
Fita-se o mundo e v-se um horisonte,
Fitam-se os povosv-se urna nacao I
Tu s crianca anda, e tens talento !
Avante I segu I nao trepides, nao;
Artista eleva Deus leu pensamento
S do Brasil, o Arthur Napoleao 1
Mas urna vez, eu te sado, genio !
Mas urna vez, eu te admiro, artista !
Tens um piano ah sobre o proscenio,
E' elle o throno teu, louros conquista I
No musen de Vienna acaba de ser exposto um
artigo de industria inteiramente novo.
Consiste em um tapete cojo desenho representa
um mappa geographico.
Este tapete sabio da fabrica de Sicburger, em
Praga.
O mappa reproduz com a maior exactido a re
de de lodos os caminnos de ferro da Europa cen-
tral.
Um dos ltimos relatorios da commisso militar
da dieta germnica da' a seguinte estatistica dos
diversos contingentes fornecidos em tempo de paz
pelos estados da confederago, contingentes cuja
somma conslitue o exercito federal.
Austria 228,107 bomens e 30,740 cavallos ;
Prussia 238,706 homens e 54,089 cavallos ;
Baviera b7,012 homens e 8,388 cavallos;
Wurtemberg 30,343 bomens e 3,193 cavallos ;
Bade 19,767 homens e 2,344 cavallos ;
Hess Gra-Ducal 12,944 homens e 1,260 caval-
los ;
Saxonia 28,574 homens e 3,507 cavallos ;
Nassau, Limburgo e Luxemburgo 22,157 homens
e 2,135 cavallos;
Hanover 27,541 homens e 3,699 cavallos ;
Brunswich, Mecklemburg Schwenn, Mecklem-
burgo Strelitz, Oldemburgo, Lubeck, Bremen e
Hambnrgo 23,054 homens e 1,897 cavallos.
Os outros 14 estados, que formam a> divisoes de
infamara de reserva, armain 19,845 homens e 92
cavallos.
A forga total do exercito federal em 1865 por
consegrante, de 712,346 homens e 111,400 ca-
vallos.
Estas poe>ias foram produzidas no ultimo
concert a favor do nosso joven patricio
Hermenegildo Liguori, sendo a pnmeira
pelo Sr. J. A. d'Almeida Caoba e a segunda
pelo Sr. C. A. Mchalo.
HERMENEGILDO LIGUORI.
Como Andr Chenier no crneo augusto
Alguma cousa tens.
G. de Abreu. Primaveras.
Deascreado o paraso,
Depois de formar Ad5o,
Contemplou a sua obra
E vio tudosolidao.
As brisas nao murmuravam.
As aves nao gorgeiavam,
Os astros nao scintillavam....
Era triste a creacao.
Immerge em somno profundo
O homem primeiro, e tirou
Urna costella das delle
Que na mulber transformou.
Ado, depois, de improviso
V a mulner, slta um riso
E tudo no paraso
De prazer se illuminou!
Senhores I tudo o que bello
Dimana das maos de Deus;
Os esmaltes das campias,
As franjas de ouro dos cos,
Arvofes, fructos e flores.
Brisas, perfumes, amores,
Luz e sombra, fro, ardores,
Vulcoes, raios, escarceos t
Mas nao s isso 1 O genio
E' obra de Deus tambem;
Bafeja-lhe a fronte um anjo,
E os louros Ihe querem bem.
Sorva embora da desgrana,
Do infortunio a horrenda taca,
Depois que va e que passa
O mundo inteiro o contm I
Acaba de se adiar na Italia um quadro origina'
de Rapbael que se considerava perdido bavia mui-
to tempo.
Conhece-se com o norae de Madona di Loreto
e pertence a' melhor poca do eminente artista.
m habitante de Verona, Mr. Tortella, o com-
prou a um dourador de Mantua.
O quadro estava coberto de urna espessa carnada
de porcana que se Ihe tirou apparecendo perfeita-
menle conservado.
Tem 3 ps de largo e 4 de altura.
Foi observado ha poucos dias no Havre um phe-
noraeno muito raro, s 8 horas e 4 minutos da
rnanhaa.
Trata-se de urna tromba maritima.
O vento soprava fresco de noroeste ; o mar es-
tava apenas agitado.
Dirigia-se lentamente para a embocadura de
Senna um monto de nuvens pouco elevado.
Era 6ncaslellado e esbranquigado do lado de
leste em quanto do oeste, um pouco mais prximo
do mar, apresentava aspecto pardo-escuro do qual
se destacava um astello negro.
Este monto tendo-se estendido em forma de co-
ne invertido, desceu at a' altura de 80 metros
cima do nivel do mar.
Immediatamente, diz o Jornal do Havre, a super-
ficie de agua que se achava mais prxima da ex-
tremidade do cone, redemoinhou e elevou-se em
forma de montculo branco ; o espago entre esta
montculo e o cono pareca oceupado por urna co-
lumna branca e daphana, apenas visivel.
Durou perto de dous minutos ; a agua em re-
demoinho passou a perto de 100 metros pela fren-
te de dous barcos de pesca de Trouville, que en-
contravam do largo, e collocados entre a exlremi-
midade do boulevard Imperial e os estaleiros or-
mand.
Eis como lerminou este phenoraeno.
Dissipou-se priraeiraraenie a columna branca
diaphana.
A materia da tromba, que pareca semelbante
s nuveas e que formava a base do cone invertido,
tornou se mais aguda ; emfira a superficie da agua
deixou de se agitar.
Todo pareca terminado, quando a perto de 200
metros, na direcgo de noroeste, se elevou um
novo turbilhao que veio rpidamente passar pela
frente dos dous barcos; depois, mudando repenti-
namente de direcgo, passou por entre os barcos
para o lado do norte e desappareceu quasi imme-
diatamente.
Era mu partidario do systema hydroterasplco,
que empregava voluntarla mu nio exclusiva-
mente.
Urna manha foi chantado ao campo para vizitar
urna senhora que padeca havia alguns das urna
nevralgia facial mnito dolorosa.
O doutor a examina, aproxima se della, e Ihe da
no lado doente, junto ao nariz, nra soco tao forte
que delerminou urna abundante hemorrhagia.
Sera dizer palavra, abre a porta, sobe a" sua car-
ruagem e parte a galope.
O marido da enferma corre furioso atraz delle e
oalcanga em Limoges, querendo fazer-lhe pagar
caro o atrevimento.
Que me queris ? pergunta o doutor. Nao
me tendes chamado para curar vossa mulber ?
De ceno, mas.....
Pois bera, esta" curada, voltai para casa ; se
vos tivesse dito que Ibe la dar urna pancada nem
vos nem ella o terieis consentido. Ja vdes que tive
razao. Adeus.
Disse e fechou a portinhola da carruagem, e
mandou continuar o seu caminho.
O marido volton e chegando a casa achou a en-
ferma curada da nevralgia, gragas a abundaheia
de sangue que tinha deitado pelo nariz.
Somos informados que reappareceram agora na
s cathedral desta cidade, muitos e riquissimos pa-
ramentos e alfaias do uso do culto divino, que nao
vlam a luz do dia desde a poca da nvaso dos
Francezes; e que haviam sido escondidas, para
nao levarem o descamioho que soffreara muitos ob-
jeclos tambera de grande valor, que entao se acha-
vam ao servigo da Igreja, e foram ronbados.
Ignoramos os motivos ou flus porque at hoje es-
tiveram oceultas essas preciosidades, cujo reappa-
reciraentonos consta ser devido a alguns dos Srs.
conegos, ltimamente nomeados para esla s, que
pelas suas diligencias sao dignos de louvor; pois
era possivel que, fallecidos os que sabiam da exis-
tencia desse thesouro, se perdessem esses ricos
trastes, ou por se ignorar o local onde se achavam
escondidos, ou porque um dia, encontrados por
pessoa de consciencia menos escrupulosa, Ibes
fosse dada applicago albea aos fins a que sao des-
tinados.
No canal de Willebrock na Blgica, fez-se ha
pouco urna experiencia em cujo bom xito interes-
sara muito o commercio e a industria. Trata-se
de urna tentativa de sirga ou reboque por vapor
nes canaes.
Todos sabem que, se at aqui o vapor nao subs-
lituio as sirgas por homens ou cavallos para rebo-
car as embarcagoes nos canaes, porque os vapo-
res de hlice ou de rodas exercem acgo destrui-
dora sobre as margens dos canaes, e porque o peso
do rebocador e ao combustivel dirainue a carga
til dos barcos, cujas dimensoes sao limitadas pela
'argura das represas.
Para obviar a este inconveniente fundamental,
um engenheiro francez construio um apparelho de
sirga, coraposto de urna arvore transversal em
cuja extremidade esta' collocada urna roda denta-
da em que se enrola urna cadeia mergulhada no
canal.
Na outra extremidade a arvore tem duas rodas
por meio das quaes recebe movimento da machina,
transmitido por correias.
Urna combinago de roldanas verticaes e horison-
taes esta' collocada a' popa e a' proa das embar-
cagoes para nellas girar a cadeia, e finalmente ou-
tra roldana Oxa na extremidade de urna mani-
vella que passa por dentro do eixo da grande roda
dentada, permute ajustar a cadeia na circunferen-
cia desta ou solta-a.
As experiencias ltimamente feitas;_furam mui
satisfactorias.
Urna pequea machina rebocou em 10 minutos,
a distancia consideravel, um comboio] de barcos,
entre os quaes havia um com 300 toneladas de
carga.
O denominadoImperial Afbnsino esta' por
assim dizer, dissolvido, restando nelle apenas 32
indios. 9
Iooteis tem sido os esforcos que se tem empre-
gado para que, os que o abandonaran, voltem ao
seio da sociedade.
No municipio de Itapemerim vivem 40 Puris sob
a direcgo de Joao Pereira, e 30 sob a de outro
cidado.
Paran.
Mandou-se dar differentes objectos aos coroados
que se apgroximaram do aldefamento de S. Jero-
nymo, e despender a quantia de 2:000 com o far-
damento e armamento dos indgenas de Gnarapn-
va, alim de poderem repellir as aggressSes dos sel-
vagens.
Mallo-Grosso.
O misionario Fre Angelo de Carramanio, en-
caramado de dirigir urna aldea de indios da Irib
dos Cayus, junto a* colonia dos Dourados, encon-
trouse com algomas tribus que se mostram incli-
nadas a abragar a vida civilisada.
Acompanhado de dons caciques, expoz ao presi-
dente da provincia o que occorrra, pronuncin-
dole pela tundagao de urna aldea na margeno di-
reita do Ivinheyma, no logar de sua continencia
com o rio Santa Mara.
Na falla de fundos indispensaveis a' creago de
semelhante estabelecimento, a presidencia da pro-
vincia solicitou do governo o necessarlo auxilio,
tomando esto a resolugo de autonsa-la a despen-
der at a quantia de 3:0005 reconnecida que fosse
a conveniencia de soa fundago.
Do relator i o do ministerio da agricultura, com-
mercio e obras publicas extrahimos o seguinte so-
bre a catechese :
Contina o governo a envidar os esforgos neces.
sarios para a vinda de missionarios reclamados pe-
los Presidentes das provincias, onde o servigo da
catechese tem assumido alguma importancia.
Acabam de chegar quatro.
Amazonas.
Contam-se 38 directoras parciaes de indios, em
que se calcula exislirem 18,000 pessoas.
Este numero, nao guardando |a necessaria pro-
porgao com o de indios selvagens, deixa ver o
atrazo era que esta' este servigo nesta provincia
que possue muius tribus de indios industriosos,
sendo certo que, alera da colheita de productos na-
turaes, dedicara-se a lavoura de gneros que elles
proprios Vendem a troco de objectos de que ca-
recem.
Os empregados dessas directoras, alm de te-
rera falta de recursos, |no se prestam cora boa
vontade ao servigo.
Nao existe missionaro alguno na provincia, e
nossos sacerdotes, nao ddicando-se as missoes
como o barbadinho, nada fazem em beneficio dos
primitivos fiihos do Brasil.
Os Purs-tintins que, como as araras, passara
por anlropophagos, appareceram as proximida-
des da freguezia do Crato, no rio Madeira, e raata-
ram diversas pessoas de urna familia, deixando
ontras feridas.
Foram elles que, desceodo o Paran' pixuna, af-
fluente do Puns, accommelteram urna maloca de
Murs, fazendo grande mortandade e retirndose
a salvo.
Os Mariniris, que estanciam a' margem do Ja-
napery, atldente ao rio Negro, causaram em di-
versas correras nao pequeoo damno aos morado-
res e fazendeiros daquella localidade.
Os Hyammiris, que arrancharan) as margeos
do rio Uanapeby, tambem affluente do mesmo rio,
descerara at a bocea do lago Curinan, aprisiona-
ram e assassinaram um morador daquellas para-
gens.
L-se no Messager du Midi :
A cholera, que rebentou no Egypto no regresso
dos peregrinos de Meca, parece quero poupar o
Occidente.
Um nico ponto, Ancona, paga neste momento
o seu tributo ao cruel flagello. Malla, posto avan-
gado poupado, e nao se aponta um syraptoma fu-
nesto nem em Messma, nem em aples, nem em
Leorne, que Ihe tenham servido de pontos de para-
gem por occasiao da priraeira invasao.
Dissemos que a epidemia se manifestara no mo-
mento em que os miniares de peregrinos musul-
raanos, que todos os annos fazem a peregrinago
de Meca, atravessavam o territorio, egypcio.
O fado parece fra de toda a dnvida.
D'ahi a concluir que a terrivel enfermidade se
originou nos ranchos de pereginos, qoe nasceu da
sua insalubre agglomerago, nao na grande distan-
cia.
E com effeito essa a opinio mais geralmente
espalhada no Levante.
Urna carta de Alexandria, que lemos estes dias
passados n'nma folba que nao tem costnme de se
entregar a apreciagoes muito arriscadas, exprima-
se assim:
Repelidas vezes se tem indagado a causa destas
pestes, por assim dizer intermitientes entre nos, e
a razao das suas investidas bastante regulares.
Comparando os momentos da sua manifestagio,
o seu ponto ordinario de partida, com o das morta-
lidades das mais numerosas caravanas musulma-
nas em Meca, offerece-se urna coincidencia notavel.
Ja' nao resta duvida de que estas peregrinagdes
a' Arabia sejam a ongem destas desgragas e que
os peregrinos, se realmente as pestes nao sao con-
tagiosas a cerlos respeilos, nao sejam os semeado-
res de germens pestilenciaes que se desenvolvea
aqu e alii, aiacando paizes e individuos de urna
maneira to estranba. >
A mesma carta, dando nos conta dos costnmes
seguidos pelos peregrinos mnsulmanos, da-nos os
seguintes pormenores a custo criveis:
Este anno a caravana mahometana exceden a ci-
fra de 300,000 peregrinos.
E' mistcr ter viajado ou vivido com estes mise-
raveis para fazer urna idea delles, e sobretudo ter
visto todas as suas infames desordens. E' mister
ter percorrido essa Arabia maldita para corapre-
hender um pouco a miseria e os soffrimentos do
maior numero delles.
Vedes entao um povo inteiro agglomerado n'um
ponto e viodo de mil lugares, perdendo toda a ra-
zao.
Cada peregrino deve degollar um carneiro; es-
te anno houve, pois, urna carnificina de 300 mil
carneiros; ninguem-deve era pode tocar nestes
animaes inmolados.
Sera duvida os restos desses beduinos, qne Ma-^
homet tanto perseguio, observan) escrupulosa-
mente esta lei da peregrinago, porque se esfor-
gam por furtar alguns carneiros morios no dia da
festa.
Como qner que seja, este anno ficaram mais de
300 mil carneiros com os intestinos a' vista. Jul-
gai, por este conjuneto de carne, de sangue e de
lixo, que infecgo, que putrefaegio, que de gazes
deleterios, que myrlades de insectos pestilentos t
Ern sumrna que peste nao se desenvolvera, ca-
paz de devastar o universo I
Nos annos em que os peregrinos sao pouco nu-
merosos comparativamente a este, em que os be-
duinos podem mais fcilmente ataca los e ronbar
os carneiros, em que as iofluencias atraosphericas
sao mais favoraveis, em que o mez de Moharrem
cahe no invern, entao a moralidade dos peregri-
nos nao augmenta consideravelmenle o numero
dos carneiros sacrificados e a peste tem menos
probabilidade de se desenvolver
Porm este anno, antes da colera, j se fallava
de 30,000 peregrinos morios; mister, pois, aeres-
centar aos carneiros morios 30,000 cadveres hu-
manos.
Com a cholera ficaram somonte com vida al-
guns infelizes peregrinos, quando se affirma que
em 5 dias, desde 15 a 20 de junho, o flagetlo matou
11,000, e que a raorlalidade contina, posto que
menos Intensa 1
Trezentos rail cadveres de carneiros degola-
dos, 40,000 p regrinos morios, cujos corpos per-
manecen) amonfoadus debaixo de um sol arden-
lissimo, n'um pais desgragado, onde se nao pratica
nenhuma das prescripgoes hygienicas mais indis-
pensaveis, eis os fados; admitamos que sejam
exageradas tres quarias partes, nem por isso dei-
xaram do apresentar um dos mais horrorosos
quadros que a imaginago pode coneeber, nma
dessas monstruosidades que depravan) a huma-
nida de e que con vem extirpar a todo o custo.
Dnrante este tempo, a massa de nuvens chega-
ra ao zenitb do molbe noroeste do Havre.
Alguma chuva aseignalou a passagem deste sin-
gular phenomeno.
Ali vedes um menino
Que nos prende a todos nos.
Consta tambem que os Mangeronas assolaram a
aldea do Capacete, pertencente a' directora de Ta-
batinga.
A presidencia da provincia providenciou no sen-
tido de se nao repetirem fados idnticos.
Para.
Possue esta provincia 9 aldeiamentos com 3,000
pessoas, e mais dous, cuja populagao nao contie-
nda.
Secundando os louvaveis esforgos do bispo dio-
cesano e presidente da provincia pela civihsagao
dos indgenas, acaba o governo de proporcionar-
Diz um jornal estrangeiro :
Ha alguns annos existia em Limoges um medico lhes a",io que reclimiram-
que goiava de urna certa celebridade/para uns era Espirito Santoi
um excellente facultativo, para outros era simples- Nesta provincia nio ha estabelecimento que me-
menteum homem originaL reSao come de aldeiamento.
Pelo Sr. Florindo Jos do Nascimento val ser
apresentado ao governo urna nova machadmha de
abordagem que difiere das communs e leva vanta-
gera sobre as mesmas.
Consiste esta arma, a que seu autor chamaar-
madaem um machado terminado na parte poste-
rior do gume em curvatura para que era seu re-
cuo nao encontr obstculo algum, tendo na mes-
ma pega e na parte superior um punhal saliente
de 7 polegadas continuando na sua parte posterior
por urna especie de (elha.
A pega assim disposta encavada em urna baste
de madeira quarab, de 18 polegadas, talhadas de
modo a ser commodamente empuuhada. A telha
que pode ter 5 poiegadas de compriraento defende
perfcitamente o punho, de modo a poder-se aparar
om golpe de cabega.
Na parte posterior da haste existe urna chapa
que termina era ollial onde se pode Qxar um fiador
attendendo que esse olhal terminado extenormjnte
em gume, mais nm elemento offensivo.
A arma toda bem equilibrada e o seu peso total
de 2 libras e 3/4.
i'Deve abrirse no dia 24 de setembro, em Bru-
xellas, o grande concurso internacional de msica
qoe a sociedade real da Grande-Harmona organisa
para os oroximos festejos aniversarios da inde-
pendencia belga.
)
I


-


O celebre aerstata Nadar passou por Bruxel-
las. Dirigere a Amsterdam, onde deve fazer urna
excursao no Gigante a 10 de setembro.
PERNAMBUCO.-vnP. DE.M. F. DE F. & FILHO
r *.
III aT ^aik.a mmmm a


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIH4ZXNKO_TD925I INGEST_TIME 2013-08-28T01:35:27Z PACKAGE AA00011611_10767
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES