Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10766


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^^^^^^^^^^

i
AflflO IU HOMERO 209.
..... .....i
r*r qnartel pag dentro de iO das d 4, nex ...l i 5|000
dem depois dos 1.M0 dias do comecoe dentro do qnartel. 6|0
Porte it correio por tres mtita.......... : 750
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
farahyba, o 'r. Antonio Alex?ndrim> de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cetra, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; -Maranhao, o Sr. Joaquim Margues Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Oias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
QUARTA f EIRA 13 D SETEMBRO DE 1866.
Por un pagodeDro deludas do 1. mei ,,,.,., idfOd
Porte ao correio por um auno ...-,.,.,, ij

PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarass e Goyanna nas segundas e sextas feiras.
Santo AntSo, Grvala, Bezsrros, Bonito, Carnar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Coaselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pd'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Onricury, Salgueito e Ex, as quartas
feiras.
(Serinhem, Rio Formoso.Tamtodar, Usa, Bar-
relros, AgnaPreta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: ternas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel: tercas e sextas to meto
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
bora da tarde.
BPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
5 Loa cheia as 11 h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Qnarto ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da ro.
19 Loa nova as 8 h., 26 ro. e 10 s. da t.
28 Qoarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
11. Secunda. S. Theodora
12. Terca. S. Macrobio m
13. Quarta. S. Aula v.; 8
14. Quima. S. Materno b.
13. Sexta. Ss. Nicomedes
16. Sabbado. Ss. Cornello
17. Domingo. S. Pedro de
PREAMAR
Primeira as 10 horas e 54
Segunda as II horas e 18
penitente.
.; S. Liborio m.
. Heronides m.
; S. Salustia v.
e Meletino mm.
e Cypriano mm.
Arboes m; s. Justino m
DE HOJE.
m. da manhaa.
minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEmOS.
Para o sul al Alagoas a 14 e 30; para o norttf
ala a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feman-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, malo,
julno, setembro e novembro.
i
ASS1GNA-8B
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da
Faria & Filho.
m 9FFC1L
G0VEKN0 DA PROYOCIA.
Expediente do dia 9 de setembro de 1865.
Ofllcio ao Exin. dezembargador provedor da San-
ta Casa de Misericordia. -os termos do artigo 14
da le n. 611 de 2 de maio ultimo, e de conformi-
dade cum a sua informago de 2 do correnle sob
n. 333, maude V. Exc. adiniltir ao collegio das or-
plias a menor Mara Jos Pereira, fillia do.guanta
nacional do batalho n. 22. Joito Evangelista da
Silva que voluntariamente se apresentou para
roaiviiar no corpo destacado que tem de seguir
para o sul do imperio.
Dito ao Exm. Dr. vigario capitular.Em respos-
ta ao offlcio de V. Exc. datado de 3 de agosto ulti
ino, cabe-rae dizer-lhe que os guardas Guslavo
Pereira da Silva e Manoel Pedro da Silva empre-
gados na cmara eccle.iiaslica pertencem a lisia de
reserva, segundo informaraui o commandante do
9 batalho de infamara do municipio de Olinda,
e o respectivo coramandaate superior, em oOlcios
de 27 e 28 d'aquelle mez, por isso nao podem ser
chamados para o servigo activo e nem o foram pa-
ra destacar ao presidio de Fernando.
Dito ao Exm. marechal de campa commanilanle
das armas.Sirva-se V. Exc. de mandar alistar
com destino ao corpo de voluntarios da patria da
Parabyba a Autonio Joaquim Jo vera Lias, que pa
ra isso se offereceu.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar no corpo de guarnigo a Damio Pereira da
Silva e Domingos Antouio Jos que para esse liui
se me offerecerara voluntariamente.
Dito ao mesmo.Haja V. Exc. de informar so-
bre o que pede no incluso requerimento o guarda
do 7 balaihao de infamara deste municipio Ladis
I ni Jos Barbalho que se acha designado para o
servigo da guerra.
Dito ao mesmo.-Haja V. Exc. de mandar nao
so inspeccionar o guarda do balaihao n. 9 de in-
famara de Olinda Galdioo Marcelino Bezerra, mas
tambem informar acerca do que elle pede no in-
cluso requerimento.
Dito ao mesmo.Avista do que pede no incluso
requerimento Francisco Antonio Correa de Barros,
guarda nacional designado pira o servigo da guer-
ra. sirva-se V. Exc. de mandar inspeccionar o re-
ferido guarda, iuformando sobre sua prelengo.
Dito ao mesmo.Informe V. Exc. acerca do
que pede no incluso requerimento o guarda do Io
balaihao de infamara deste municipio Eduardo
Pamphilo de Farias Albuquerque Maranhlo, fa-
zeudo logo inspeccionar o paisauo .Mano -I Jos do
Nasciraeoto, offerecido pelo mesmo guarda para
substiiui-lo no servigo da guerra.
Dito ao mesmo.srvase V. Exc. de informar
sobre o que pede no incluso requeriroe.iito o cabo
de esquadra do balaihao n. 22 de infantaria do
municipio do Limoeiro Manoel Jos de Almeida,
fazendo juntar o parecer da inspeegao de sade a
que deve ser submettido o supplicante.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar sobre
o que pede Tnemotea Josepha Carneiro Macel da
Silva no incluso requerimento.
Dito ao mesmo.Remello incluso o requerimen-
to que me inderessou o soldado do 3o corpo de vo
iuntarios da patria Joo Mara de Medeiros, afim
de que V. Exc. informe sobre sua pretengao, po-
dendo conceder-lhe logo o us> das insignias de 2
cadete, se nao houver im-onvemeute.
Dilo ao mesmo.Em resposla ao offlcio de V.
Exc. n. 1,498 de 3 do correte, tenho a declarar-
Ihe, que o individuo de nome Antonio Flix Pi-
municon-se ao commandante do corpo de polica, sobrinhos de Manoel Pi da Luz, urna vez que elles.
Dilo ao mesmo.Remello inclusa em duplicata estejam as condignas legaes, e o supplicante satis-
a relago das rages de etapa abonadas pelo dele- faga as exigencias dessa directora, constante do
gado de Garanhuns a 18 recrutas apurados para o offlcio n. :ts,i da 4 do crreme,
exercito naquelle termo, afim de que estando nos I Dito ao commandante do corpo de polica.Faga
termos legaes, mande V. S pagar cora urgencia a V. S. alistar no corpo sob seu coramando, o pai-
respectiva importancia (795040). ao negociante sano Luiz Alves Lima, qne foi jolgado apto para
Joo Baptista dos Guimares Peixoto, como solici- isso em inspeccao de saude, como V. S. declarou
tou o referido delegada em offlcio de 29 de agosto em seu offlcio n. 818 desta data.
ultimo.Communicou-se ao delegado do termo de Dito ao mesmo. Mande V. S. assentar praga no
Garanhuns. corpo sob seu eommando aos paisanos menciona-! HenriqueT.ivaresdeMello.-InformeoSr.com-
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docn- dos na relago inclusa, visto que foram considera- mandante superior da guarda nacional do Li-
memos que me remetleu o commandante das ar- dos aptos para isso em inspeccao de sade, segn- moelro.
mas com offlcio de 6 do correnle. sob o. 1509 e nao, do consta dos seos offlcio9 ns. 803, 809 e 810 de 6 Jos Joaquim das Candas.Requeira depois
haveodo inconveniente, mande V. S. pagar ao bo- i e 7 do correnle.
licario civil Manoel Francisco Botelho, que contra-' Relago a que se refere o offlcio supra.
tou-se a 24 de agosto do anno prximo passado Ursino Baplista do Rosario,
para lomar coola da pharmacia da enfermara mi- Manoel Jos dos Anjos.
litar de Tacarat onde se achava o corpo de guar- Dionisio Alves dos Santos,
nlgo, a quanlia de 794 por elle despendida, com o Francisco dos Santos Neves.
sen transporte e de sua familia, de ida e volta, co- Antonio Joo de Oliveira.
mo se v de laes documento".Communicou-se ao Dilo a cmara municipal de Olinda.Delermi-
commandante das armas. nando o governo imperial em aviso de 22 de julho
Dito ao mesmo.-Recommendo a V. S. que d ultimo, que se proceda a eleigo deum deputado a
execugo ao que se deierminou no aviso junto por assembla geral pelo 2 districto oleitoral desla
n,*42 Xfvier da Cmco.Informe o Sr. i resologSo a respeito de se addiar aquella festa in-
ur. enere de polica. dustnal.
n ^aT'!*6 Soa" ,6"rM--Informe Sr. ms-j O secretario do conselho de sade, publica do
P V*J.LiTT^ fazen,da; o rPT' >ue ,ambem 'ieputado, presin a cmara
lT.i8(isco Jo.-e de Lima.-loforrae o Sr. com- todos os esclarecimentos, donde se colhe oue i se
mandante superior da guarda nacional do munici-: tem tomado um conjunto de providencias muito
p'r.}l u ; a e, n i acertadas, tanto era relago a capital, como aos
Geraldo Moreira da Silva. Declare o supplicante demals districtos administrativos do reino. Falln
i se acha preso e a autordade que o recru-1 com reserva sobre o addiamento da exposigo inter-
' nacional.
O casoque este asumpto dos mais graves. O
Porto nao deseja o addiamento e j pela imprensa
local tem protestados contra o alvitre, que dias
antes Ihe fra commuoicado de Lisboa.
O Porto, como sabido, pretende a preponde-
tou.
que estiver aqnartellado.
Joo Falque e Antonio Machado Gomes da Silva.
| Passe portara rescindindo o conlraio na forma
i da lei citada pelos supplicantes.
Jos Los da Silvera.Informe cora urgencia a
rancia e mullas vezes prepondera.
Por oulra parle, diz-se que se o governo nao
addiar a exposigo e o cholera morbos ali se desen-
volver, o ministerio o responsavel das funestas
ara.ar-a.ni.u.i.c.ipal d0 Recife' ouvindo JaiI de Paz consequenrias da sua inercia condescendenle.
copia expedido pela repartigo da goerra em 25 de
julho prximo Ando, mandando flearsem efleito na
parle em que esta* em opposigo com a ordem do
thesouro nacional n. 217, de 13 de agosto de 1864.
Dilo ao mesmo.Annuo a que se]a conservado
na secretaria da presidencia, como V. S. propoz
em seu offlcio n. 636 de 6 do crreme, o caixo de
livros para o registro especial das hypoihecas afim
de ser entregue ao respectivo empregado logo que
de que se trata.
Joo Frmciscode Barros e Silva.Passe portara
concedeodo a licenga pedida.
J-iaqnim Pedro Eloy.Aoresentese no quarlel
' general do commaudo das armas para ser inspec-
provincia, afim de ser preenchida a vaga que se cionado.
den na respectiva cmara em consecuencia de ler Miguel Archanjo Pimentel.Fica o supplicante
sido reconhecido senador do imperio o conselheiro relevado da mulla, e concedo-lhe a licenga que pe-
Amonto Coelho de S e Alboquerque, recommen-1 de para exercer os lugares de curador de orphos
do a cmara municipal de Olinda, que nos termos e de agente do correio.
do aviso n. 12 de 12 de Janeiro de 1849, expeca Mara Thereza Coutinho.-Indeferidaem vista da
com a antecedencia da lei as necessarias ordens j informago.
aos juizes de paz das freguezias desse municipio, | Manoel Francisco Monieiro.Informe o Sr.com-
para que convoque para a referida eleigo os res-1 mandante superior da guarda nacional do munici-
elle aprsente conhecimento de baver satisfeilo pectivos eleitores os quaes devem reunir-se no dia i pi do Recife.
nessa thesouraria a respectiva importancia. o de Janeiro vihdouro, que para isso designo no! Manoel Jss de Mello.Informe
Fica assira respondido o citado offlcio. raesm > edificio ja indicado em circular desla presi-1 daote do corpo de polica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.De dGncia de 19 de dezembro de 1860, convindo que
conformidade com as nrdens imperiaes, recommen- essa cmara providencie em lempo para que s-
Ido a V. S. que em vista do pret junto em duplcala, jan presentes ao collegio eleitoral os livros das
i que me remelteu o commandante superior da co- actas da assembla parochial, eonforme determina
| marca de Goiaooa com offlcio de 2 do correnle, o art. 67 da lei n. 387 de 19 de agosto de 1846.
i mande pagar a pessoa que para esse flm se apre- Iguaes as cmaras municipaes de Goyanna, Igua-
rass, Limoeiro e Nazareth.
Dito ao vigario da freguezia do Linnviro padre
Manoel Ignacio de Lima.Offlciando nesla dala ao
marechal commandante das armas para mandar
se acharem em idnticas circunstancias correrem alistar no 3 corpo de voluntarios da patria os ci-
desde 16 de julho deste anno po' coola da verba dadnos de nomes Sebaslio Correa de Mello e Joo
sentar habilitada, os vencimenlos relativos ase-
gunda quinzena do mez de agosto ultimo do desta-
camento de guardas nacionaes existentes naquella
cidade, devendo esse pagamemo e os demais que
consignada no 2 art. 17 da lei do orgameoto vi
gente por estar esse destacamento e alguns onlros
da guarda nacional empregados no servigo da po-
lica.
Dito ao mesmo.Restituo a V. S. o requeriraen
to em que Benedicto Jo'ge da Silva pede o paga-
mento da quantia de 1004, pro"eniente do aluguel
de um anno e oito mezes da casa que serve de ca-
deia no termo de Ipojuca, am de que de confor-
midade com o parecer da cooladoria dessa the>ou-
raria a que se refere a sua informago de 6 do,
correnle, sob n. 346, mande pagar ao supplicante
305 snineute, em que, importa o aluuel da mesma
casa vencido desde 3 de fevereiro ultimo at 2 de
agosto prximo lindo, visto ja ter elle recebido o
dos mezes anteriores.
Dilo ao mesmo.Em vista do pret junto em da- ,
plicata, que me remetteu o commandante superior
da comarca de Nazarelh com olli 'Jo de 30 de agos-
to ultimo, sob n. 21 i, e nao hav-a lo inconvenien-
ie, mande V. S. pagar a Jos Mana Ferreira da!
Cunha a quantia de 6^730, em que imporiam os
Jos do Nascimento, assim o declaro a Vmc. em
resposta ao seu offlcio de 4 do correte.
Diio a Antonio Lopes Rodrigues e Marcellino Jo-
s Gongalves da Fonte.Dando o conveniente des-
lino ao instrumental que Vracs. segundo o seu offl-
cio de 7 do correte oltereceram para a banda de
msica do 1* batalho da guarda nacional que se
deslina a guerra, cabe-me agradecer a Vmcs. e aos
cidados que o auxiliaran) em lao louvavel empe-
nbo essa prova de patriotismo.
Dilo ao superintendente da estrada de ferro.O
Sr. superintendente da estrada de ferro faga trans-
portar na mesma estrada para esta cidade o cida-
do Francisco Caetano de Assis e os voluntarios
que com o mesmo se apresentarem em qualquer
das esiages.
Portara O presidente da provincia, atteudendo
a que o alferes do batalho n. 23 de infantaria da
guarda nacional do municipio de Santo AntSo Jos
Ignacio de Mellse acha imposibilitado para o ser-
vigo activo como consta do termo de inspeegao de
sade datado de 31 de jnlno ultimo, resolve con-
vencimentosde urna escolta de 3 guardas naci- I ceder-lhe passagem para a lisia da reserva da mes
naes, que veio daquella cidade conduzindo 2 pre-; ma guarda nacional, ficando aggregado ao mesmo
sos de Justina. -Conununicouse ao commandante > batalho at ulterior deliberago.
superior da guarda nacional de Nazarelh. Dita.O presidenle da provincia pela presente
Dito ao commandante superior da guarda na- autorisa o cidadSo Hygino Firmo das Chairas a
cional do Recife.Respondo ao seu offlcio n. 233 promover o alistamento de voluntarios da patria
Has, Vd'e *|e ,8.,e *V>ita ultimo, declarando-lhe que segn- nos termos de Agua Preta e Ciruar, e recommeo-
0s!doa informago do commandante das armas n. da as autoridades daqnellas localidades que Ihe
1,424 de 26 daqnelle me?, constante da copia in prestem toda a coadjuvago para o bom desempe-
clusa, nao foi recrutado nem perieceu ao deposito uno desta commissao.
o soldado do Io batalho de arlilharia deste muni-1 Diia.O presidente da provincia resolve nomear
cipio, Herculano Bernardo de Sena, para quem alferes em commissao os cidados Simplicio Lins
V. S. solicilou baixa, com o fundamento de estar de Souza Fon tes e Antonio de Paula Cavaleanli de
designado pelo mesmo batalho |,ara o servigo da Almeida, para servrem na companhia de volunta
guerra. ros que se est organisando na cidade da Victo-
Dito ao mesmo.Em vista da sua informago .le |a e i-m de fazer parle do 5" corpo de voluntarios
27 de julho ultimo, e do parecer da inspeegao de da patria.Fizeram-se as necessarias communica-
saude, a que foi submettido o guarda do 6o bala- coes.
Iho de infamara deste municipio, Jos Amonio una.O presidente da provincia resolve conce-
da Cunha, resolv dispena-lo do servigo da guerra der a demisso que solicilou Manoel Soares de Al-
para que esteva designado : o que declaro a V. S. bergaria do posto de alferes do corpo de polica.
allm de que faga apresentar com urgencia oulro
guarda em substituigo daquelle.
Dilo ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarass.Declarando-me o ma-
rechal commandante das armas em offlcio n. 1,389
de 22 de agosto ultimo, que para regularidade do
servigo dos destacamentos da fortalezas e fortes
fra a capital, conveniente que os guardas na-
cionaes que actualmente fazem a sua guarnigo,
nao sejam rendidos antes do tim de cada mez, o
quando doentes antes desse prazo, qm o sejam a
requisigo dos commandanies das ditas fortalezas
e fortes : assim o cmmunico a V. S. para seu co-
nhecimento e execugo ua parte que Ihe diz res-
peito.lyuaes aos commandantes superiores do
Cabo e Ipojuca, e Rio Formoso e Serinhem.
tuuipre que V Exc. mande aprsenla-lo ao corpo
de polica alim de ser alistado alli.
Dito ao mesmoVisto que, segundo consta do
seu offlcio n. 1,314 de 6 do correte, foi conside-
rado incapaz do servigo em inspeegio de sade o
guarda do municipio da Escada Francisco Jos da
Silva, mande V. Exc. elimioa-lo do Io balaihao de
guardas nacionaes destinados ao servigo da
guerra.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar inspec-
cionar o paisano Francisco Lopes de Souza, que o
guarda do batalho n. 13 de infamara de Goyan-
na offerece para substiiui-lo no servigo da guerra
para que est designado.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar como voluntarios da patria os cidados
constantes da inclusa relago com destino aos cor-
pos nella indicados.
Relarao a que se refere o oficio supra.
No 3o corpo.
Joo Barbosa dos Reis.
Francisco dos Santos Cavalcante.
No 3" corpo. '
Anionio Nunes da Silva Nogneira.
Joaquim Jos de Sant'Anua.
Jos Antonio Cavalcanlc.
Sebaslio Correa de Mello.
Joaquim Ricardo Monleiro de Paiva.
Walfridio Moreira da Cosa.
Jos Pereira da Silva Jnior.
Joo Francisco Pinheiro.
Jos Alves do Prado.
Antonio Ignacio da Cunha.
Prxedes Jos Cavalcante.
Joo Alberto Soares.
Joo Jos da Trindade.
Antonio Ferreira de Vasconcelos.
Francisco Antonio dos Santos.
Viclor Jos de Mello.
Francisco Soares de S.
Amador Rodrigues da Costa.
Pedro Firmioo de Menezes.
Joo Mariano de Souza.
Galdino Adt-hno dos Santos.
Joaquim B.lbino de Azevedo Maranhense.
Cosme Jos Caelano.
Corbiniano Jos Ferreira.
Dito ao mesmo.-Mande V. Exc. alistar no Io
balaihao de guardas nacionaes destinados ao ser-
vigo da guerra os guardas constantes da relago
junta, vindos do municipio do Limoeiro.-Com-
municou-se ao commandante superior do Li-
moeiro.
Dito ao mesmo.-Fago apresentar a V. Exc. pa-
ra serem inspeccionados e alistados no 5* corno
de voluntarios, no caso de serem considerados ap-
tos em inspeegao de sade, os cidados menciona-
dos na relago por copia inclusa, podendo V. Exc.
conceder-lhes permissao para voltarom ao termo
de Santo Anto d'onde vieram, Meando na intelii-
gencia de que sero pagos dos respectivos venci-
menlos pela collecloria de rendas geraes d'aquelle
municipio.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no Io
corpo da guarda nacional destinado a guerra os 15
guardas do batalhio n. 26 do municipio do Bonito
mencionados na reiago jonta por copia.
uito ao Inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. adiantar ao tenente do corpo de poli-
ca Thomaz Rodrigues Pereira, que brevemente
tem de seguir para a corte com o mesmo corpo, a
importancia de um mez de sold para Ihe ser des-
contado pela 5* pape do mesmo sold.Communi-
cou-se ao commandante do corpo de polica.
Dito ao mesmo.Ao alferes do corpo de polica
Basilio Rodrigues ile Seixas, que brevemente tem
de seguir para a corte com o mesmo corpo, mande
V. S. adianiar a importancia de um mez de sold
para Ihe ser descontado pela 5* parte do mesmo
sold que elle pretende consignar nesta provincia
segundo o incluso requerimento e para ser entre-
gue a Joo Joaquim de Souza Abren Lima.Com-
o Sr. comman-
Senhorinha de Jess Albuquerque.Informe A
cmara municipal de Caruar.
Silvina Marii do Rosario.Informe o Sr. des
emoargador provedor da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Tenente Thomaz Rodrigues Pereira.-Dirija-se a
thesouraria de fazenda.
Vicente Ferreira Machado.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
COMIDO das armas.
Quarlel general do c o mina mi o das armas de Per-
nambuco na cidade do Recife, 12 de setembro
de i 86b.
ORDEM DO DIA N. 111.
O marechal de campo commandante das armas
faz publico para conhecimento da guarnigo e de-
vido rffeilo:
!. Quo a presidencia nomeou por portara de
9 do correte para o lugar de capello tenente do
primeiro batalho da guarda nacional destacado
para o servigo da guerra ao Sr. padre Manoel da
Costa Honorato.
2.* Que a mesma presidencia declarou em offl-
cio datado de hontem, que o Sr. coronel da suar-
da nacional Francisco Cavalcantl de Albuquerque
Maranhao sera o commandante do corpo luntarios que orgauisar, o qual dever ter a nu-
merago de 6." e a mesma organsago dos corpos
3." e 3 *, e que os voluntarios alistados pelo refe-
rido Sr. tenente-coronel se allogem no quarlel do
Paraizo.
3.* flnalmenjeque se agradece ao voluntario da
patria do iqrceiro corpo Mraoel Flix de Veras a
prova de patriotismo que acahou de dar, declaran
do presidencia que renuncia o premio de 3005 a
que Ihe d direito o [decreto de 7 de Janeiro do
correnle anno.
(Assignado.)Francisco Sergio de Oliveira.
E lenente-ajudanle de ordens interino encarregado do
dealhe.
EXTERIOR.
COHRJESPOIVDEIVIAS 10 BIA-
RIO IE PKRWJIKK
LISBOA.
Fizeram-se as necessarias commumeagoes. 27 de agosto.
Dita.O presidente da provincia em vista do que Est definitivamente constituida a cmara dos
que requereram Joo Falque e Antonio Machado depulados. A veriricagao dos poderes gastou 23
Gomes da Silva, resolve, de conformidade com a dias.
lei provincial n. 638 de 3 de jnnho prximo passa-: A feigo politici da cmara ple julgar-se pelas
do, rescindir o contrato celehrado com elles en 13 votages da presidencia. Nem no primeiro nem
de setembro de 1861 para eslabelecimento de car- j segundo escrutinio pode o candidato govemamen-
ros de pragas nesta cidade ; e ordena que neste tal obier maioria absoluta ; no terceiro escrutinio,
sentido se expegjm as convenientes ordens.Fue-
ram-se as necessarias communicagoes.
Dita. -O presidente da provincia resolve nomear
capellao-tenente em commissao do 1 balaihao de
guardas nacionaes destinados ao servigo da guer-
ra o padre bacharel Manoel da Cosa Honorato.
Fizeram se as necessarias coramnnicagoes.
Dita.O presidente da provincia, couformando-
Dilo ao mesmo,Para que eu possa resolver. se Com a proposta apresentada pelo commandante
acercado que pede no incluso requerimento o do balaihao n. 21 de infamara da guarda nacional
guarda do 9o batalho de infantaria do municipio do municipio do Limoeiro, sobre que informou o
de Olinda Jaciulho Mendes de Souza, faz-se neces- respectivo commandante superior em offlcio de 26
sario que V. S. declare se esse guarda foi designa- de agosto ultimo, resolve promover a tenente da
do para o servigo da guerra. 2* companhia do mesmo batalho o alferes da 1'
que era pela maioria relativa leve o governo 11
volos de maioria.
O grupo dos dissldeates, que no Io e 2o votou em
diversos hotos, no 3o escrutinio fraccionouse jun-
Undo-se alguns a lista da fuso, e outros a do
governo.
Tem portanto a cmara provado que nao para
nenhum dos_partidos militantes.
O poder nao se deve entregar a opposigo porque
esl em minora ; So grupo dos doze ou treze dis-
sidenlesou ecclecticos, tambem nao.
Quanio as_ conligdes do governo, insiste a im-
prensa que sao bem precarias tendo de collocar-se
em frente d'uraa cmara onde apenas tem urna
Dito ao commandante superior interino da guar companhia Jeronymo Cesar de Vasconcellos.; maioria de 10 ou 11 votos.
da nacional do Bonito.Mandando nesta dala alis- Communicou-se ao commandante superior da guar
lar no contingente da guarda nacional destinado da nacional do Limoeiro.
ao servigo da guerra os ,15 guardas nacionaes do; Dita.O presidente da provincia resolve avMfi-
baialho n. 26, que para isso foram designados, e sar Lut Jos de Souza Lea o a promover o alista
de que traa o offlcio de V. S. de 7 desle mez, te-1 ment0 de voluntarios da patria, e recommenda a
Eutretanto afflrma-se que nao addiar o parla-
mento sem se discutir a resposta ao discurso da
cora, devendo ser o addiameoto para 13 de se-
tembro.
Apesar disso, a Rrvoluciio e a Gazeta de Porlu-
nho a dizer-lhe em resposla, que cont com os seus, t01|as as autoridades a qUem esta for apreseniada gal, que sao os principaes nrgos da opposigo
esforgos para que quanto ames se complete o con- que o auxiliem no desempenho desta commissao. I dizem "
Dita.O presidente da provincia, atlendendo ao
I que expoz o inspector da thesouraria de fazenda
tingente que a esse coramando superior
para aquello servigo.
Dilo ao coronel Tiburtino Piolo de Almeida. m 0flic0 de 30 de agosto ultimo sob n. 630, re-
Inteiiado de quanto V. S. ponderou em seu offlcio S0|ve designar o professor Miguel Archanjj Mindel-
de 3 do correnle, tenho a dizer-lne, em resposta,: |0 Dem corao 0 contador daquella thesouraria Emi-
que nesta data noraeel alferes em commissao os [ |0 Xavier Sobreift de Mello e o chefe de secgo
cidados Simplicio Lins de Souza Fontes e Antonio, Bernardino de Sena da Silva Guimares para exa-
de Paula Cavaleanli de Almeida, para a companhia j minarem no coocurso a que se tem de proceder
que convm organsar nesta cidade, com os volun-
tarios que obtiver por meio de sua influencia e es-
forgos, e os que Ihe forem apreseolados por aquel-
les cidados, podendo V. S. alugar urna casa alim
no da It do crreme para preenchiraento dos tu-
gare vagos de praticants da mesma thesouraria,
da alfande^M, e recebedoria de rendas nesta capi-
tal, sendo o primeiro em grammalica da lingua
de servir de quartel s pragas, bem como mandar i nacional, o segundo em calculo de descontos, juros
receber no arsenal de guerra 30 fardamentos I sim,,ies e compostos, theoria de cambio e snas ap-
brancos completos. I p|jeac5es e o terceiro finalmente em arilhmelica e
Quanto, porm, aos vencimenlos das pragas, de- suas applicagoes ao commercio com especl-lidade
ve V. S. mandar apresentar os respectivos prets na a reducgSn de moedas, pesos e medidas,
collecloria de rendas geraes desse municipio, nos; Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
das 1 e 16 de cada mez, para serem satisfeitos. i de Paquetes fagam transportar para a provincia do
Neite sentido offlcion-se a thesouraria de fazenda Para', por coma do ministerio da guerra no pri-
e ao director do arsenal de guerra. meiro vapor que passar para o norte a Joo Can-
Dito ao mesmo. Chegaram hoje a esta capital, e dido Ferreira, que teve baixa do servigo do exer-
vo ser-inspeccionados e alistados no 5 corpo de j cito no deposito dssta provincia,
voluntarios, se forera considerados apios em ins-
pecgo de saude, os cidados mencionados na re-1 Despachos do da 9 de setembro de IMS.
lago annexa ao offlcio de que foi portador seu Requerimento.
Illho Antonio de Paula Cavaleanli de Almeida. Antonio de Paula Brando Pinto.Informe o Sr
Dito ao inspector do arsenal de marinha. Man- Dr. chefe de polica,
de V. s. apromptar com brevldade, como requisi- Aodr de Abreu Porlo.Volte ao Sr. engenheiro
ton o Exm. presidente das Alagoas no offlcio de 21 chefe da repartigo das obras publicas para decla-
de agosto ultimo, por copia incluso, as mangueiras
para bombas de apagar incendios, que se manda-
ram apromptar nesse arsenal com destino aquella
provincia, em virtnde do aviso d repartigo da
marinha de 12 de novembro do anno prximo pas-
sado.
Dito ao director do arsenal de guerra.Autoriso
V. S. a mandar alistar na companhia de aprendi-
zes desse arsenal os menores Manoel e Fortunato,
rar se houve ou nao o engao de que trata o peti
donarlo.
Antonio Manoel de Paria Leite. Passe pa-
tente.
Benardo Alves Pinhero.Como requer, nao ha-
vendo inconveniente.
Firmino Cavalcante de Mello.Informa o Sr.
commandante do corpo de polica, mandando ins-
peccionar o supplicante.
h je que o Sr. Julio Gomes, ministro do
reino pedir hontem a noute a sua demisso e que
el-rei a acceilara.
Accrescenta a Revolucao que este passo c nao
t urna resolugo que uascesse dos aconlecimen-
t to. E' o cumprimento da pilavra que deu
quando foi chamado ao gabinete onde lem estado
c com sacrificio da sua sade e com consirangi-
ment da sua vontade.
O deputado que foi escolhido pela cora, da lista
quintupla, para a presidencia da cmara foi o Dr.
Roque Joaquim Fernandos Thomaz, lente da un-
versidade de Coimbra.
Para vice-presidente foi nomeado o Sr. Aotonio
Cabral de S Nogueira, irmo do ministro da guer-
ra, o illnstre veterano da liberdade, raarquez de S
da Randeira.
Hontem procedeu-se a eleigo dos secretarios da
mesa, iriumphando a lista ministerial, por muito
poueos votos de maioria.
Constituida a cmara foi 'ogo o governo inler-
pellado pelo calhedratico dauniversidade Quares-
ma, sobre a* providencias que se tem dado para
prevenir a invasao da cholera-morhns, visto
achar-se nos portos do Mediterrneo e em muitos
de Hespanha; que nestas circunstancias acha-
va; inconveniente que se flzesse a exposigo inter-
nacional no praso marcado, porque a introdurgo
de muitas fazendas eslrangeiras e agglomerag
de muita gente pode ah fazer desenvolver a epide-
mia e espalda-la pelo paiz.
O governo deu expllcagoos sobre as medidas de
salubridade que se tem adoptado para attenuar,
quanto seja possivel os erTeitos da epidemia, no
caso (qne Deus nao permuta) delta se approximar
de nos.
Quanto a exposigo do Porto disse que o governo
tlnha consultado o conselho de sade, e esperava
das autoridades lodos os esclarecimentos e dados
competente em que possa fundar com acert urna
O conselho de sade publica na melindrosa qna-
dra qne alravessaraos lera tomado muitas medidas
hygienicas.
Assim que houve noticia da invasao do cholera
morbus no Egypto cora tendencia a diffundir-se por
outros portos da Europa, apressou-se o conselho
de sade a tomar medidas contra a importago
deste flagello, Impondo qnarentena as procedencias
daquelles portos, e em seguida recommendou aos
seus empregado=, e as cmaras municipaes a rigo-
rosa execugo das principaes medidas hygienicas
preventivas, pedindo a necessaria coadjuvago dos
governadores civis dos districtos.
O conselho deu logo conhecimento ao governo de
sua magestade destas providencias por elle adopta-
das, alim de que fossera expedidas ordens termi-
nantes aquellas autoridades no mesmo sentido,
comoeffectivameote foram.
Os nimos comegam pois a andar mullo preoecu-
dos com a posslbilidade da invasao do terrivel
flagello e Jal vez fosse muito mais prudente deixar
a exposigo para mais tarde pois, a monandade
sena espantosa se a molestia enlrasse no Porto
duranie a exposigo
No da 13 do correnle as 6 horas da manhaa
entrou no Tejo o vapor de guerra italiano Explora-
tore, conduzindo a seu bordo o principe Amadeo,
irmo de S. M. a rainha. S. A. est hospedado no
pago de Belra.
A corveta Sagres, sahira ao encontr do Expo-
ratore, mas lendo passado por elle de noute e j
as costas de Portugal, nao o reconheceu, vislo que
julgava que o vaso italiano eslava mais longe.
O Exploralore deita 18 milhas por hora, o que
urna grande velocidade.
S. A. tem 20 annos. Nasceu em 30 de maio de
1843. E' alto e magro.
El-rei o Sr. D.Luiz offereceu ao irmo da rainha
um jamar no pago da Ajuda no dia 14.
El-rei o Sr. D. Luiz visitou no da 16 e obser-
vario metereologico do infante D. Luiz e a irapren-
sa nacional. Acompanhavam S. M. o principe
Amadeu e o Infante D. Augusto.
El-rei deixou escriptos no livro das asslgnaturas
da imprensa nacional as seguinles palavras :
< Folgo todas as vezes que posso registrar incre-
mento e melhoramentos nos eslabelecimentos do
estado e sobre tudo nesle a que voto particular
affeigo. D. Luiz
S. A. R. o principe Amadeu, duque de Aoste,
parti as 8 horas noute do dia 17 do crreme para
o Porto n'um comboyo especial; vollou para Lisboa
no dia 18.
Sobre a visita do principe ao Porlo, escreve o
seguinte o Commercio daquella cidade :
H>je, pelas 3 horas o imia da manhaa, entrou
os muros desta cidade o principe Amadeu de Sa-
boya, augusto irmo de S. M. a rainha.
S. A., cuja vinda era apenas vagamente afflr-
mada ; chegou as 3 horas a estaco das Devezas
no trem periencenle a casa real.
Era ali esperado pelos goveroador civil, secre-
tario geral, visconde de Leria, e seus estado raaior,
primeiro commandante da guarda municipal, cn-
sul e yice cnsul de Italia.
Faziam a guarda de honra o batalho de caga-
dores n. 9 e um piquete de c^ vallara da guarda
nacional.
Entre as pessoas que fazem parte da comitiva
de sua alteza, contam se o Sr. Souza Coutlnho, aju-
dante de el-rei e o conselheiro Coba, secretario da
legago italiana.
Vieram tambem com sua alt za os engenhei-
ros Chelmicki e Couceiro, inspectores do caminho
de ferro
S. A. depois de receber os cumprimenlos das
pessoas que o esperavam, entrou no irem do conde
de Terena o aompanhado de seu sequilo e das
referidas pessoas, dingio-se para o palacio real.
Depois de ter descansado algum tempo, foi ouvir
a missa a capella de Carlos Alberto e visitar o pa-
lacio de crysial.
A missa foi dita pelo Rv. padre mestre Antonio
Peixoto salgado, capello do fallecido avo de sua
alteza.
Assistio a esle acto toda a comitiva do principe,
bem corao algumas das pesoas que o tinham ido
esperar.
Terminada a missa e percorrendo o edificio e
recinto do palacio de crysial, sua alteza voltou ao
pago, onde foi servido o almogo, e aps o qual o au-
gusto hospede lenciooa visitar o edificio da cmara,
a real capella da Lapa, a casa da associago com-
mercial, algumas fabricas e ir Foz.
A porla do pago faz a guarda de honra urna for-
gade infantaria n 5 com urna bandeira.
Consta que S. A. as 9 horas da noite regressa a
Lisboa.
Assim na rpida visita que o Ilustre viajan-
te se dignou fazer aquella cidade, onde seu au-
gusto av, o here de Novara, foi render o ulti-
mo alent, o Porto mal pude demonstrar o jubilo
com que costuraa receber os altos personagens que
dymnastia reinante do paiz se acham ligados por
qualquer lago.
O principe Amadeu na sna rpida visita trra
onde ferhon os olh is seu augusto av, o generoso
principe italiano quiz deixar perduraveis e tocan-
tes vestigios da sua passag*m, dexando 5405 para
serem destribuidos pelos estaoelecimenlos de cari-
dade mais necessitados.
Alm disto foram distribuidas, em conformidade
cim a recommendagao de s. Alteza, varias esmolas
de 25230 s pessoas que Ihe apresentarara reque-
r mentos para ser soccorridas.
No dia 22 peas seis horas da tarde embarcou
no arsenal de marinha o principe Amadeu, duque
de Aoeste, irmo de S. M. a rainha D. Mara Pa,
com deslino a Gibraltar.
S. Alteza foi acompaohado a at a bordo do Ex-
ploralore por Sua Magestade el-rei D. Luiz, por lo-
do o ministerio, e muitos dignilanos do estado.
No arsenal fazia a guarda de honra o batalho
de cagadores n. 2.
Ao Sua Magestade embarcar na galeota real, os
navios de guerra surtos no Tejo, salvaram com 21
tiros.
O principe Amadeo conta 20 annos e alguns me-
zes de idade, pois nasceu a 30 de malo de 1843.
O principe Amadeu foi por Cadix. Desembarca-
r alli, seguindo para Madrid aonde vai, da parle
de el-rei sen pai, visitar a rainha de Hespanha, vi-
sita naturalissima agora qne o reino visinho reco-
nheceu o da Italia. Veio a Lisboa o duque d'Aoeste
visitar sua irmaa e seu cunhado.
A poltica facciosa tem lirado muito partido des-
ta visita. Logo que o principe chegou disseram os
jornaes que el-rei o Sr. D. Luiz tendo convidado
el-rei Vctor Emmanuel para padrinbo de sen se-
gundo filho, o doque de Aoste vinha a Lisboa com
procoraco de sen pai. Como o baptisado do sere-
nsimo infante anda se nao realison, corren qu
o nnncio de Sua Santidade, era Lisboa, por Instruc-
go da curia romana, dirigir ao nosso ministro
dos negocios estrangeiros (conde d'Avila) orna no-
ta terminante, em que allegava que estando o rei
de Italia excommungado, nao poda ser padrinho
de ninguem. O Porluguez (jornal progressista) o
Jornal do Commercio e muitas outras folhas dlrl-
giram ao governo urna serie de perguntas para es-
clarecer o caso.
A folha offlcial do governo porluguez anda nao
disse meia palavra. Os boatos lem tomado corpo ;
foram expedidas de Lisboa para diversas folhas
hespanholas, francezas e belgas telegrammas con-
tando o caso, e dando como cousa certa qne o do-
que d'Aoste sahira de Lisboa passando pelo desai-
re de nao poder tocar por padrinho de seu sobri-
nho o principe recemnascido, pelos embaragos sus-
citados pela corte de Roma. D'aqoi procedeu, co-
mo era de esperar uro acervo de improperios con-
tra a supposta fraqueza de ministros que deixam
comprometter a dignidade da coroa etc. etc. etc.,
e negando urna folha portuense a dizer que se isto
fosse em 1833 os ministros leriam de sabir pelas
janellas da secretaria (III)
Sabidas as comas, o governo fez muito mal em
nao dar explicagoes cathegorcas na folha oficial e
se limitou a OpiniSo (folha ministerial) a dizer
que taes boatos nao tinham fundamento, sendo cor-
to que dentro em pouco o governo dara as cortes
explicagoes terminantes, logo que fosse Interpela-
do sobre esta questo.
Diz-se comtudo que nem urna nota diplomtica
se trocou acerca deste objecto;que el-rei o Sr.
D. Luiz Mnha effeciivamente convidado seu sogro,
o rei de Italia para padrinho de seu neto, mas que
por elle Ihe fra respondido nao ser prudente col-
locar se as mesmas difflcoldades que susciten em
Fraoga a questo do baptisado do filho da princeza
Cl'ilde. .
Que o doque d'Aoste viera pennsula nica-
mente para cumprimentar a rainha de Hespanha
era censequencia do reconhecimento do reino da
Italia por aquella potencia; mas que estando a cor-
te de Hespanha, de lulo pelo falleclmento do pai do
rei, o principe se demorara aqui por esse motivo
mais alsuns dias. O luto da corle de Portugal por
aquelle fallecimento prolonga-se al ao dia o de se-
tembro e tambem essa a causa de se ler demora-
do o bapiismo solemne do infante.
ltimamente acrescentou-se que vira a Lisboa o
principe iVapoleo para representar seu augusto
primo, como padrinho na ceremonia do baptisado
do real menino. Diz-se que ser hospedado no pa-
lacio de Belm e que a ceremonia lera Ingar na
capella do pago da Ajuda.
A Revolucao escreveu a respeito desta questo
cora menos leviandade que os outros orgos da
opposigo.
No baptisado (diz aquella folha) como questo
< de familia, nao nos queremos, nem de vemos in-
trometter. Fica aos reis a liberdade de escolhe-
a rem para padrinhos de seus filhos, como a que
< tem toJos os cidados. Pi IX padrinho de s.
< M. a rainha ; foi o de um de nossos infantes ou
c infantas, e nao se tirou desse facto consequencia
f favoravel ou desfavoravel reaego. >
E mais adiante:
t Nao entramos na questo cannica ; nao inda-
gamos as razoes que produziram este desenlace,
porque as nao conheceraos; nao sabemos os ter-
mos em que Roma se dirigi ao governo, ou mes-
rao se se dirigi a elle. Nem o poderemos saber.
< A questo do baptismo e de quem devem ser
c os padrinhos, nao nos compete a nos. A adver-
c tencia de Roma podia ser regular, sem ser inju-
riosa, e se faltn s boas regras, devia-selhe pe-
dir reparago. Se ella disse o que entender, se
c falln nos objectos da sua exclusiva competencia,
se expoz os seu escrpulo*, fica a' consciencia
dos deis respeita-los, mas toca ao governo repre-
i sentar se a dignidade da n.go soffreu aggravo.
c E tanto condemnamos a interferencia de Ro-
f ma as nossas temporalidades, como nos parece
t inconveniente que o poder civil queira intervir
t as espiritualidades.
t Roma procedeu do mesmo modo para com o
c filho da princeza Clotilde, e a Fraoga nao desa-
bou. Roma nao mandar aqui os seus exerci-
tos, e por isso, se ella nao tiver rasao, o nosso
f orgulho nacional oo Meara offendido; e se a ti-
t ver, devemos reconhecer, nao a supremaca
t della, mas o imperio da verdade e da jusliga.
c Erro do governo houve-o de certo porque se
i expoz a um resultado pouco feliz. As causas
de impedimento nos relea padrinhos nao sao
deshonrosas para o rei de llalla nem para seu
filho, porque as falt.is delles, tomaram-nas po-
t der commetler os mesmos que as censuram, e o
c nico desar foi para quem nao preveniu este
< desfeicho poupando a uro Ilustre principe urna
viagem em vo, e coroa poriugueza um desar
t immerecido.
Assim escreve aquella folha, mas nao Ihe che-
gou a imparcialftlade para deixar de condemnar o
ministerio, quando a verdee que nao ha ras.lo
alguma para o fazer.
Tem-se querido elevar pois este negocio a pro-
porgdes descomunaes, o a imprensa exlrangeira
aproveitaodo-se do silencio do orgo offlcial do go-
verno, faz echo aos antagonistas do ministerio e
tem convertido o facto n'um verdadeiro escndalo.
Detive-me tanto porque as folhas que deve rece-
ber por esta malla oceupam-se tambera deste as-
sumpto, e seria urna injustiga para o governo por-
luguez increpa-lo d'ootra falla seoo a da demasia-
da reserva.
Logo qne as folhas extranseiras Ihe deram taes
proporgdes j nao hava a menor desculpa para o
silencio do Diario de. Usboa.
Tem-se espalhado alguns folhetos que advogara
a idea de ser encarregado o marechal duque de
Saldanha da organisago de um novo gabinete que
represente a conciliago dos partidos liberaes.
O gruppo dos dissidentes na cmara electiva
promove a entrada do marechal para a adminis-
tragao.
Celebrou-se o terceiro aoniversario da insta-
lago do asyto dos filhos dos soldados estabelecido
em Mafra, e fez se. no dia 24 do correnle a destri-
bnigo dos premios aos alumnos. Assimiram ao
acto o Sr. Forluoato Jos Barreiros, commandante
gersl da arma de arti hara e muitos offlciaes su-
periores e outros empregados do ministerio da
guerra. O general foi recebido com urna salva de
13 tiros, do parque da arlilharia dos asyiados. O
director do asylo e deputado por Mafra, o capilo
Salgado pronuuciou urna allocugao anloga ao
acto.
Os alumnos executaram diversas manobras em
que se mostraran) muito peritos, e X noite houve
concert extentado pela banda marcial do asylo.
S. M. el-rei o Sr. D. Luiz nao poude comparecer
aquella festa, por ser dia de assignalura real.
Partiu no dia 23 para Inglaterra o Sr. Joo
Carlos de Brilo Capello, 1* lente da armada.
Vai assistir ao eongresso da associago brilaoni-
ca que se deve celebrar em Berminghan no dia 6
do prximo mez de setembro, e para o qnal havia
sido convidado.
Os constiluinles do Sr. Antonio Jos de Sei-
xas, deputado por Angola, brindaran este cava-
Iheiro pelos relevantes servigos que tem prestado
aquella provincia, com urna medalha de ouro era-
vejada de pedras preciosas.
Vai brevemente apparecer a publico, men-
salmente, urna caderneta de tres folhas intitulada
Geographta Universal, redigida pelo Sr. Alfredo
Casimiro da Silva, e ornada de gravuras pelo Sr.
Pedroso.
(Contionar-se-ba.)


4MMIMMB
. AWhharuDe4>aa-seisi|) nrditiari
I ututo Archeologico e Geographlco Pernam1
Cmmhicara-noso seguinte :
Diario de Fernambneo Qaarta felra 1S 4e Setcnibro de ISO*.
Ducaae. la
" -Ti
noVImrtilhs,
Mista mim.
:er S*. Etc.o S. 'conselheiro
presidente da provincia, os seus servigos come vo-
luntarios os innaos -idronio Joaquim do Reg Br-
relo, Jos Francisco do Reg Brrelo, Pedro Joa-
quim do Rgo Brrelo e D. Mariajma Amalia do Suma providencia em beneficio daquellejimirnimo
Reg Brrelo, filhos do Sr. Joaqnim Pedro Brreto,
amigo oIRrial da guarda nacional e ora morador na
cidade da Victoria.
D. Marianna urna joven iuteressaote de 18 an-i^,0*- ,
nos. viva e bem educada ; e uer pilo lado pater- *> entretanto notavel que melado desses des-
no, quer pelo materno, perlence s familias mais iDa1llos *J completamente incapaz de tal servio,
nonres desta provincia sendo-o alguna dell-s de modo manifest e reconne-
Nela do nado Sr. Jos Francisco do Reg Bar-!civel at l'el& simples inspecgo ocular ; ao passo
ros da casa de Conceieao de Ipojnca, de quera ti- 1Q? Ihoseupai, os elevados sentimentos que sempro' Quando oocumprimento de deveros nao entra_a
animaram a seus maiores, oio podiam deixar de conscicncia destes, quando aquelle que tem da por ,
reproduzir-se em seu corceo, do tempera varonil, ein ecugao a le, luspira-se ora motivos, que nao
ao ponto de dar a prova, qu-i cora admiracio ora s,t,aira ?s cond,3S ena> nao se Pde Ic'r se Bao
aqu temos o gosto de registrar des,es fructos.I)em pouco convenientes em todas as
E ante esta raauilestaca grandiosa em que se, JMdras, e principalmente na que corre,
espelha urna alma de D. Clara e de tantas outras! .laes contingentes antes ti |uem por la
ara qne seja dtstrah do do traba**. mume da auas ueaMida para seguirera para o Paraguay ; entre o invttntifoV PrtilH s proc<*en1>or
|0a,l^/dL^.Se,rnn. ,..- w K^tS&W* n5 "T-'0' a aiencia hi,s,5 ^''^Mnentodaprime^.mnrn^tfoinvemaTTaifo
l^-lT^^.*^^:^r,&faT^ ^Z'^'1^ SaK P03'?30"0 municipio I E brigadeiro Gaspar Drummond) e o que se deve
reeleito, e faz ^^.tmdOua elertoraes, que anda ha pouco su fio agora fazer, norquanto foram elfo mvidtdo* os

'
-"
. seguinte .
Ha aqui na passagem ura portugnei forneiro cedem.de nao serem mais reeleitos, e .
do nadarla, o qual habitnalinenle vive embriagado; ameaga era nome do povo. Respondo : se o Sr. /* /cavare a eipresso da urna com mil desatinos e
e neste esradb costrfmam os da'sua proflllo seo- parcial esta' auiorissdo a transmitr-me o-penea-' violencias oas respectivas freguezias por que nao
calo, aniarrando-o at de ps e raaos. EsW bft*- -tiento e a vontade do povo, curvar-roe-hel mwiO raarebara para o thealro da guerra, 'visto que sao
cadara ainda no domingo teve lugar; e por sso satisfeito e resignado a' sua sancho, se amo o pos*os bem aqurahoados do progresso ?'Como marcha-1 to
seria bom que o Sr. cnsul portuguez tomasse al- vo entao obrar livremente; se porm o Sr. Impar- rem, se sao privilegiados I Estes, nao s nao holvt
raa providencia em beneficio daquelle guarnipio. cial transumpto da vontade ofQcial, como me pa- de marchar para essa guerra di
lia poneo rhegaram de Gnanna 30 guardas rece pela certeza Imperiosa do futuro castigo, vol- como nao bao de marchar os seos prd jgidos,
nacionaes parte do contingente que aqnelle com- tarel a' vida particular, ceno de nao ter, como de-
mando superior foi distribuido para o servido da putado, dado direito aoinguera de fazer o inventa-
rio de meos arranjot.
Recife, 12 de seterabro de I8S5.
Jos Leandro de Godoy Vasconcellos.
ben.s entre maiores com ara orpho, e neste cas/) i
applicavel a legislarlo Hada pelo jiz recorrido,
que nella se fupdo.u; .portarlo, pegando uraviujen
to ao aggravoifiterposto, mandam que prosiga o in-
ventario pelo juiz dos feito da fazeuda, pagas pela
,ra o pata, tftravanle as cu.-tas.'
Recife, 22 de agosto de 1865.Souza, presidente.
Domingues da Silva. -Motta. Guerra, ven-
cido.
Illin. Sr. Joaqun
BtlsK-,
do certo que ba muitos progressisto% "que. ap'ro
veitando se daa tristes elrcumstanciag do lempo,
estao fazendo o pobre povo trabalkar de graga nos
seus engenhos, como raeio de nao serem designa-
i dos para o Paraguay I
j Diversos guardas nacionats designados pelos
. aeus respeciivos commandantej, tm fgido para
Cieralde de esta freguefia, e aqui se achaio bem locegedos,
como os filhos de Francisre Amaneio, alguns dos seguinte
S. vera Jiiaes foram designados pelo batalhao do Poco da; o escrivao da chancellara fa?a recolher a carta
DOCUMENTO N. 3.
Francisco dos Res Jiunes -Campetlo Jnior, escri-
vao da chancellara da relajao de Peraamljueo.
Certifico que o theor do despacho pedido por
certidao ua peticao snpra da forma e maneira
;u exemplo laoca-i v,rem daC Qma 'nanifestaeao
m H..i:andetes a, ^" d lt!l-
ate est manifes- TLm.. nav,amos nnunc
tao incongruente da
toda empeuhada em fazer-lhe ura elogio digno de
perpetuas luminarias, o que muilo natural
Sim, respeitavel senhor, creia V. S. que estou
pernambucanas Ilustres, que seu
ram mao das armas para bater os .
defender os foros da patria ; e ante esta mam fes- (',,mo. naviamos annnnciado, teve na segun-
lacao sublime de amar patrio, estreraecem em suas da r.e!ra ultlra8; gar era ura dos saloes do Sem
campas seus Ilustres avs por verem que os netos. nano Episcopal de Olinda. o concu
nao degenerarara da estirpe gloriosa. i ced,,u fsm- Y' vi^AT0 capitular
E com razao o f^zera. i somos ''i>"nados, por pessoa que kxwv a ._ soef< para ues[a vej aamirar a grac,
A vir^in que troca as doraras do lar paterno i acl0' 'IUri reiD0Q a /helhor ordem e regularidade S- enflora os seus delicados esitecimens, que para
pelo tumultuar do campo da guerra ; a donzelia "esto concurso, um dos maiores que tem navidu serera devidamente apreciadon, noera necessario
mimosa que (lepo* a agolha pelo gladio do guer-: oe3le blsPado. de certo, que V. S. Res pozesse no fecho o cunho
reiro ; a dama que cerra os ouvidos a fraqueza fe-. *">'"". examinadores os Rvras. b.rs. conego da M(U tmperceplivel do seu respeitavel nome I
minil para mwtiar-se homem em suas actoes, tem cal,llla '""ie":l1. f^ncisco Jos Tavares da Gama,, Eulretauto como aonle ha afT-ero ha tambem
de que encher de orgnlho os seos e a sua patria! (ionX? CJtn,i,,r!.d Olinda Dr. Manoel Thoraaz vouiade, direi respeto,amente V. S. que tanto o
de Oliveira e u-uardiao doconveuto de b Francis- seguni0 cuino o lerceiro capitulo da sua obra, cons-
cidade padre-mestre Fr. Antonio de taea y um pe,feito monumento, que muilo o de-
ve faz
43 freguezias, e comparece-
Respeitabilisslmo Sr. Os arligos de V. ^. .
sempte a lempo, porque sao serapre ditados por nena, aous nihos Je Joaquim Bredo, tambera que se menciona, esteja ella onde etiver, apresen-
cortezias e alTectos, e uuuca por vingancas ou des-1 designados all ; um tilho de um tal Canin e ou- taudo este meu despacho ao iuiz de oruhao< ao
affeigoes. Eu nao -
' copias to origi
8 quando our.o mu
ao sei avahar, meu graude amigo, troi que com elle veio ; um ul Clemente designado escrivo, ou a qualquer, em cujo poder Pssa eiis-
inaes do seu maravilhoso espirito, pelo oaialnao do Cabo, um tal Jacmtho, que se acha tir, sob pena de respousauihdade, visto como foi
irmurar que a bocea da fama esta era Rodisio, vmdo dos Afogados, onde consta que oblida ob e subrepticiamente, a vista do accordao
E si a historia da humanidade nos d exempla
de poder a miilner hombrear na -tloria com o ho-
mem, 0. Mananna Amalia do Reg Barreto jusii-
fica a (radica > gloriosa, e mostra que tem animo
para elevar-se pela coragein e dedicago, al onde
pode ehegar o homem.
lt. Mananna Amalia acompanhando seus tres
irmios, olf-receu os servicos sera excepcao de ir
presta-Ios entre os combatentes, ou no hospital de
sangae ; o Exm. Sr. ciinselheiro Paranag, porm,
attendendo ao seu sexo e idade aceitou-os para o
hospital, permittindo Ihe no entretautousar de uni-
forme militar i! das Insignia) de primelro cadete.
Etes disiinctos voluntarlos sao sonrinos dos
Srs coronel Fcrraz e teneite coronel Reg o Alliu-
querqne, bem como primos do Eira. Sr. Visconde
da Roa-Vista.
Consta-nos que offererera-se para marchar e
alistar voluntarios para o 3. corpo o Sr. Eduardo
Ferraua Balthar.
Este seih ir portuguez de nacionalidado, esta-
belecido aqni com negocio, casado e pai de familia,
ciicumstaucias estas que nao fo.rara capazes de
adormecer em seu peito a dedicacAo pela trra de
seus limos, a qual vai assim votar o que lera de
mais preciosa a offerecer-lhe.
Si precisassemos apresentar incentivo aos nossos
patricios, ahi estara um bem eloquente neste que
offerece um eslr.mgeiro generoso.
Agora qqe o tempo da lugar, importa milito
que se trate ile fazer os reparos que sao precisos
na u.-.irada, que d'esta cidade vai a Apipucos.
co i)a raesma
S. Gamillo de Salles.
Foram a concurso
dera urna facada. e outros muitos, que por aqui vi-1 do tribunal da reilcao.
vera bem tranquillos, por que sao protegidos pela Recile, 29 de agosto de l86o.-Souza, presi-
aualidade de S. Lourenco; entretanto os meus mo-; dente.
mais que no mesmo dia em que me foi
despacho cima certificado, intimei-o
orphaos Ernesto de Aquino Fonseca,
... audiencia, o qual mandou-o tomar no
nambuco Y Ueus grande ; a Providencia Divina se protocollo do esenvao Nuces Ferreira, depois do
ha de araerciar de nos. qe me foi entregue pelo mesmo escrivo a carta
At breve.
Quizanga, 12 de setembro de 18G3.
Jos Francisco de Barros liego.
Srs. redactores. yo dia da independencia do
seelevam, e vao encarapiiar-se no mil agradecimentos pelo bem que me flzerara, as-
r sobresahir no carcter de canfor heroico, imperio do Brasil, dia de gloria, dia de aplauso
atores, cada um dos quae em urna S2EiSS SJUSigSt &TZ SSK g J3
moral e consciencia, que Ihes foram propostos
pelos examinadores, e desenvolveu o texto que Ihe.
foi dado pelo Exm. vigario capitular, presidente do
acto.
Nada se sabe por ora sobre a sorte dos candida-
tos ; porquanto, terminando o concurso depois das
quatro o irieia hora< da tarde, manlou o Exm. vi-
concurulo dos polos quasi inacessiveis da posteri
dade I ..
Sim, senhor, fiquei completamente sorprendido
por v-lo transpon com lao-extranha habilidade o
prtico do grande templo da Parvoice, e anda
maior eniocao expenmeulei quando de joelhos, o
. vi prostrado, render all adoracoes as nas e hur-
garlo capitular que fosse todo rubricado e sellado,. |esca divindades do seu assu.nbroso intelleclo, en-
afim de se proceder no da seguintea apuracao. loandocomo victima innocente um novo canticodos
dos pontos, que fez cada um dos cao I id ajos. ___ | caniiL-0sao seu itlustrado audictorio. Ego (los cam- P Hlieil'a Cdfil'SpOUUfUf-ia SUPe OS HC-
et titium convallium I... Eu suu a flor do
sim como agradejo a maneira com que me trata-
rain os nazareraos, a quem sou e serei grato. Bre-
ve direi o motivo de minha prisao eo que soffri por
esla fidha.
9 de setembro de 1865.
Benedicto Indgena Lima.
lia lempos vive entre nos o Sr. Dr. \V. II.
Me. Gralh, medico deutista, norte-americano. Nin-
guem, qne saibamos, velo ja a esta trra, que a
elle se avantajasse em prolisciencia, esmero e de-
licadeza.
Innmeras pessoas, cujos denles hao sido opera-
dos, meihorados e substituidos pelo Dr. Gralh ahi
o altestam, nao omittindo a conllssao de sua pjli-
dez, e urbaoidade de trato.
N'um paiz, onde o mal dos denles tao com-
mum, a residencia de tao distincto medico opera-
dor um beneficio para a humanidade.
E pois, interpretes nesta occasiao do sentimento
de tantos, que tal beneficio ho experimentado,
pagamos com gosto e-te justo tributo ao Sr. Dr.
pi, et tlium convallium I... Eu =uu a
campo e a assucena dos valles I...
Eu, porm, que nao son suspello, revolvendo |
lambem o latinorio direi a' V. S. : vanilas vinita-
tum, et omnia vanilas, vaidade de vadades, e ludo;
vaidade I
Sirn, respeitabilissimo senhor, V. S. deve ja' co
DOCUMENTO NT. o.
Eu abaixo asslgnado Dr. em direito pela Facul-
0 estado em que se acha em difTereotes pontos Grall,>e ao mesmo tempo procuramos fazer ehegar
o calcamento d'essa estrada o peior possivel ; i a l"dos M MS0s leitores a noticia de to eximio
quasi qne o transito tornase impraticavel por ahi! arI|-ta, cuja habilidade faz verdadeiros milagros
para os vehculos, e mesmo nos inlormam que foi iera 'atera de deuiicao.
esta urna das causas efBcienles da suspenso da ~" Sa0 'estituidas de fundamento as noticias do
empreza dos mnibus do Sr. Claudio, com grande theatro di guerra, quehootem se espalharara nesta|
detrimento da poputacao que habita osarrabaldes da c'dadp, porquanto o palhabote Arroyo Malo nao foi
cidade; a qual nao pode "achar espaco sufDciente
nos dous ou tres mnibus de outras emprezas, que
ora fa7."m o servico do transporte, que d'aotes era
feito convenientemente com aquelles da empreza
Claudio.
As estradas entre nsestragam se por falta de con-
semeo do respectivo calcamento. Em quanto que|
ene nao Mea perfeitamente inulilisado, nao se edi-,
la d elle ; e Cbegado a este ponto, urna obra nova
que se faz com perda completa do que se empre-
gou para a factura da estrada anteriormente, de sor-
te qu-; assim Bcara inutilizados todos os esforcos
com aumento de urna despeza iiue podera ser eco-
nomisada.
O que aqui apuntamos, d-se tambem com a es-
trada da Magdalena, e provavelm-ule com outras
de que nao temos sciencia oceular.
De Pao d'Alho escrevem-nos em dala de 10
do correte :
A polica tem andado de aguas ao sul com o
negociante Manoel Alves de Souzi Cavalcanle ;
anda ante-hontem, por volta de 11 horas ou raeio
dia (pelas liaras nao perca), foi-lhe corrida a casa
lelo proprio delegado, i|ue n.cssa occasiao prendeu
para recruia a Firmino Sotter de Araujo, caixeiro
e socio de Manoel Alves em urna toja de miudezas
dirigida pelo dito Sotter, o qual, alera de exemplar
comporttmento, iem a seu cargo urna mai viuva, e
irnwag solteiras e honestas que com elle mira;
ti sem dnvi la por essas isengoes que oi honlera *
7 horas da noite posto un liherdade.
Sotter esteve a principio recolhido na casa da
cmara, mas fui aliiral passado para a cadeia.
Coniam que a busca ou varejo lera por fim
capturar um criado, ou engajado de Manoel Alves,
o qual criado, tendo sido agarrado para remita
dentro do estabelecimento daquelle por ura sogeito
a mandado do inspector de quarteiro, que se acha-
va deronte, logrou evadir-se correndo para o fun-
do da casa.
r oi condemnado a 4 mezes de prisao o sargen-
to commaudante do destacamento, Francisco Alves
Quintal, -m virtude de urna qneixa que contra
elle deu Manoel Alves por haver-lne Quintal entra-
do a noite em casa para recrutar-lhe um criado,
que supponho ser esse de que tallo. Da senienga
se interpoz appellaco para o juiz de direito.
Hoje ha revista do batalhao desta freguezia, e
dizem-rae que nessa occasiao fara o commandaute
urna falla, convidando a que dem um passo a
frente os guardas, que o qoizerem acoinpanhar
guerra, para onde esta' dispo>to a ir aquelle cora-
mandante.
Foi^ absolvido pelo juiz de direito o escrivo
de erphfios Ignacio Gomes de Souza n'um processo,
que liie in-taurou o juiz municipal.
i Foi pelo mesmo ]uiz de direito julgado impro-
cedente o processo de responsabilidade a* que res-
pondeu o juiz municipal pela denuncia que contra
elle deu a' presidencia Joao de Barros de Guima-
res.
t Tambem leva em seu favor um despacho de
nao pronuncia p/juiz municipal do Liraoeiro, em
um processo quxeomecou nos ltimos dias em que
servio. \
llontem na feira se venden por prego mais su-
bido o milho e a farinha, ou fosse pelas chnvas, ou
por causa do recrutamento, que alguma vez se
tem feito em dia de -abijado o que motiva a que
nao baja na feira umita concurrencia.
De Garanhuns escrevem-nos em dala de 5 do
crreme:
a Ainda tenho de noliciar-lne mais um assassl-
nato no termo de Papacara I
Joo Nicacio, morador no sitioPoco do Vea-
do daquelle termo, era intrigado com um genro,
e prometiera dar-lhe bordoadas, se elle tivesse o
atrevimento de passar por sua casa 1
A 2 do correle, atravessando o genro o ter-
reiro de Joao Nicacio, este, tornando effectiva a
sua promessa, foi era seu seguimonto, armado de
nm pi. Em breve aleaocou-o em urna casa visi-
nha, e a elle dirigindo-se, descarregoa Ihe tres ca
celadas que foram correspondidas por urna faca-
da. Iminediatamente cabio Joo Nicacio victima
da sna imprudencia, e al hoje nao consta que ti-
vesse sido preso o assassiuo.
Sao 'requemes os assassinatos n'esta infeliz
comarca, alera da intriga que esta' em seu auge,
principalmente n'esta infeliz villa, por causa de
um Individuo qued'ahi veio para descont dos nos-
sos peccados: insultos as autoridades, sizacia ao
povo para nao prestarse ao servico da guerra, no
que acompanhado por ontros, pasquinsaqui e no
peridico Orden, onde sao torpemente diffamados
empregrdos da justica de reconnecida honradez*
ludo tem elle empregado, porque nada ha que o
faca recuar era seus desvarios I
< Infelizmente a justica fraea na nossa trra,
sobretodo quando se trata de certa ordem de gente.
Parece que ja val cedendo o invern, depois
de ter eiasado grandes prejuizos as lavouras :
Dos qoeira que assim seja.
Convm, portanto, que semelhante systema seja
deposto, fazendo-se effectiva adsposicio legislativa
que manda appiicar a conservado o producto do
pedagio, pois este chega para urna eonserva.co
permanente e fetajem devidos termos, isto antes
que a estrada seja ama nova obra, urna vez que
isto se pode previnir com a reparado prompta de
qualquer pequea excavado, que o transito abra
no leilo do calcamento, sendo uto o que se d era
toda a parte onde lia systema regular de viacao
publica.
Confiamos que estas observares sejam tomadas
em devida coma pelo digno chefe da reparticao
das obras publicas, de quem aperamos o preciso
remedio paraos inconvenientesapontdos, que nao
podem por certo escapar a sua lluslraco
portador de nova alguma, corno hontem dissemos,
e alera disto o seu capitn nada sabe a respeito.
Por um expresso, chegado hontem de Ala-
goas, veo noticia de ter o vapor mglez Herschell J) as
seguido directamente para a Europa, no da 9.
cartas de Macei nao conim noticia alguma.
Tem hoje lugar a reumao do Instiinto
Advogados s 2 lloras da tarde no lugar do eos
turne.
do liiiiiiiu I itwdeii
Menezes Vasconcellos
mond.
Os abaixo assigoados, em respeito smente s
nhecer-me pela franqueza de mi'nhas palavr', por venerandas cinzas de seu pai e sogro o brigadelro
isso que deve tambem saber quanto sou ocioso era Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drnmmond,
render louvores aos seus nn-reciraentos, quando deixam de dar Exma. viuva D. Lanriana Rosa ; dade desta cidade e advogado neste foro, pela pre-
V. S. poe de sua parte todo o cuidado em descre- Candida Higueira Duarte a resuosta, que merece a ; ente consumo meu bastante jin curador ao Sr.
ver apologelicamenle a grandeza dos seus proprios correspondencia, que ella subscreveu, e sahio im- Macario de Luna Freir, para por mm poder as-
ocios I pressa no Jornal do Recife do Io do corrente, lini- sistir ao sequestro e apprehenso que se tem de
No entanto, se a um velho impertinente, per- taodo-se apenas a fazer publicar os seguintes do- proceder em todos os bens pertcncentes ao espolio
imttido fazer algumas ponderarles sera usar do cumentos, que restabelecem a verdade dos fados de meo finado pai o brigadeiro Gaspar de Menezes
pudre insenso da lisonja, direi a V. S. que, ou os por ella alterada, e remetter ao silencio com que Vasconcellos de Drummond, por mandado do jui-
historiadores se chamem Livlos e Salustios, os ora- deve ser punido--, os convicios de que se acha re- zo dos feitos da fazenda, e que se acham em poder
dores Ciceros ouQuintilianos, os poetas Virgilios ou eheiada a mesma correspondencia ; lembraudo-so do da Exma. Sra. D. Laureana Candida Rigueira
Ovidios, a todos excede V. S. pela supremaca do conselho de um Doutor da Igreja c" mais glorio-
seu esclarecido intelleclo, que no meu entender, so fugtr s injurias calando, do que vence-hisres-
urna perfeita maravilha ; e eu vou dar a razao. pondendo.
Aquelles, possuiara (como todos os homens) dous Mas para que o respeitavel publico possamelhor
olhos para observaren* a grandeza dos eus hroes, apreciar os mencionados documentas, os abaixo as-
V. S. tem quatro descobertos, arremedo estupendo signados vao fazer salientes os pontos que elles ten-
do que Ihe (ca escondido, pelos quaes eueherga tu- dem provar.
nvessas I Aquelles, estudavatn assumplos O Io documento prova, que a Exma. viuva nao
ecluramosmais que dcarara em poder dExma.
viuva urna cama de casal e duas camas pequeas
de meqinos.
Ba Isidoro da Cosa Rocha, offrcfa do Juizo'oes-
cravi e declare*.Joaquina- Theodoro AtvM.Anto-
nio Rodrigues Viyira. Oiflcial Nicolao Vieira da
Stfv. fc Dr. Anfonlo de vasconcellos "Menezes de
Drummond.
Certificamos mais que as duas -bandejas peque-
as cima, de por thesouras para espevitar vel-
las ; assim coma o tranceln anima, de aljfar e
nao de curo, e ura dos cande!Libras e um dos jar-
ros estao quebrados.
Certificamos linalmenle que flearam ainda era
poder da Exma. viuva urna marqoeza, urna mesa
de janlar, urna dita pequea e diversos bahs de
flandres e caixa com rotipa, e oalros pequeos ob-
jecios usales.
Recife 6 de agosto de 186a. Ooffktal do juizo-
Isidoro da Costa Rocha.OlUcial Nicolao Vieira da
Silva.Antonio RodriRes Vieifa-i-Joaqimn Theo-
doro Alves.-r. Antonio de Vascunctllos Menezes
de Drummond.
DOCUMENTO N. 7.
Joo Vicente de Torres Bandeira, escrivo vitalicio
dosfeius da fazenda provincial desta provincia
de Pernamboco, etc. '
Certifico em face dos autos de que se trata na
peligo snpra, que por occasiao de se proceder ao
primelro sequestro (que fra sustado a sua conti-
nuacao jior ura aggravointerposto pela supplicada)
consta de semelhantes autos, por dous termos la-
vradas nos me-inos, que licaram em poder da rues-
roa eupplleada-, alguns escravos, mobilia etc
Certifico finalmente que a dita supplicada D.
Lauriana Rosa Gandida Rigueira Duarte de Drum-
mond, fra quera se constituir depositara dos ob-
jectos constantes dos supra indicados termos.
O referido verdade e aos proprios autos me
reporto.
Recife 4 de setembro de 1863. Subscrevo e as-
signo. Em f de verdade. Joo Vicente de Tor-
res Bandeira.
DOCUMENTO N. 8.
film. Sr. Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes da
Drummond. Em resposla presada carta de V.
S., passo a narrar o facto que se passou em minha
presenta.
No indicado da, antes que o procurador de V.
S., o Sr. Mariano de Luna Freir ftzesse a deligen-
cia, indicou-me a casa, e me pedio que tivesse a
terca do meu commando separada della, pois so
usava de forga era caso extraordinario.
Pelas 7 horas da manha mandn postar urna
praca ao p da escada que desee do solo, para ira-
pedir a fuga de alguns escravos, qne se quizessem
evadir, pelo que se v que nao houve incommuni-
cabilidade alguma, pelo coulrario por ella suban e
desciam portadores da Exma. Sra. D. Lauriana,
com requermentos, Picando desde logo franca a
porta do corredor,?que communica a escada que
desee, estando a oulra porta da sala aberta por um
empurro, que a mesma Exma. Sra. D. Lauriana
deu.
Por todo o tempo da deligencia o procurador de
V. S. portou-.se com a maior prudencia e respeito
para com a mesma Exma. Sra., nao obstante os
contrallados iusulios, descomposiuras e sarcasmos,
dirigidos jior ella e seus irmos, ao que nada res-
pondanle, senao guardando-lhe respeito.
Por diversas vezes o mesmo procurador disse-lho
Duarte (viuva do dito meu pai) e consistem em STtJSfLSL^" mob,,i.a da -ala' ,on5a'.do"
movis e semoventes, isto trastes, prata. es- vs !,,,.* ?ara serviCi T'?1" 1?
cravos, direitos ou papis, ele, etc.; assim como L^' ?,X?efsp,ol,deaqae de V' S" Da '|U
, r I ia.Vllr ..ll'llin nnlr.o mi., 11.. ... an\ ci.o re
para receber e fazer-me entrega de todos esses
avocatoria de que trata a peticao relro, que se
acha em meu poder e cartorio.
E mais se nao continha em dito despacho aqui
fielmente copiado por cenidao do proprio original
ao qual me reporto.
Nada mais occorreu, airn do expendido na exe-
cuco do referido despacho.
Recife, 6 de settwbro de 1865. Fiz escrover e
assignei em f de verdadeFrancisco dos Reis
Nunes Campello Jnior.
DOCUMENTO N. 4.
Joao Vicente de Torres Bandeira, escrivo vitali-'
ci dos feitos da fazenda provincial desta provin-
j cia de Pernambuco, etc.
Certifico ser o theor da interlocutoria pedido por
certidao nos autos de que trata a petico supra
do theor e maneira seguinte :
Sou suspeito neste inventario e juro. O escrivo
| passe a quem competir.
Recife, 20 de Julho de 1860.-B. Doria
gOCOS forenses, relatlVOS ao CSpoliO Enadamais se continha em dita interlocutoria,
A.. ,'que en escrivo fiz copiar do proprio original, a
Uil>|MI e qual me reporto.
dt lJTIlDl- Recife, 6 de setembro de 186o. Snbscrevi e as-
signo em f de verdadeJoao Vicente de Torres
Bandeira.
objects, depois de terem sido devidamente arrola
dos pelos ofrlciaes incumbidos dessa dibgencia. Re-
commendo, porm, nraito emuito especialmente ao
dito meu procurador que haja de envidar todos os
Depofs d'amanhaa, se exnahir a
o' lotera da Santa Casa d
riemuro de
no da 11
10 de
1
o* lotera da santa Gasa de Misencordi
do o maior premio 6:OOi5.
RPABTigo oa polica :
Extracto das partes do dia 12 de s
1865.
Foram recolhidos a casa de detenco
do corrente.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Luiz, es
cravo de Antonio Fernandes de Lima, al ser re-
clamado porquera direito ao mesmo tiver.
A' ordem do subdelegado do Recife, Alejandri-
no Manoel Francisco de Souza, para recruta; e
Raymunda Mana da Annunciaco, para correccao.
A' ordem do de Santo Antonio, Antonio o Se-
miio, escravos, e-de do visconde de Caraaragibe e
aquelle de Jos Pendra C;sar, por insultos.
A' ordem do de S. los, Flix, escravo de um
Fulano Araujo, para eorrecoo.
O chefe da 2" sessao,
J. G. de Mcsqutta.
Casa de detent.ao. Mov ment do dia
setembro de 1863 .
Eiistiam :!7o ; entraram 9 ; sahiram
exist-m 333 a saber :nac maes 281 ; e>trangei-
ros 20 ; molheres 6; eslrangeiras 4 ; mulheres 6 ;
escravos (jfi ; escravas 6 ;total 38^.
Aliraeotaaos a cusa dos cofres pblicos 180.
Mov ment da eifermaria do dia 11 de setembro
de 1865.
Teve baixa:
Manoel Antonio Espudula ; colite.
Tiveram alta :
Pelrppe Santiago da Silva.
Fraucisco Ignacio de Amorim.
Francisco Jos Ignacio de Mello.
Joo Gomes dos Santos.
Guutbrio puulico. Obtuario do dia 9 de
set"inbro de 1865 :
Geraldo Pereira de Santiago, Pernambuco, 50 an-
uos, casado, Boa-Vista ; astro hepatite.
Josepha Joaquina do E
64 annos, viuva, Boa
Thereza Maria dos Prazeres, Pernambuco, soltelra,jJJJ|^"
Santo Antonio ; e.-.tupor. PfliiMa
Carolinda, Pernambuco, 10 annos, solteira, Samo
Antonio ; congeslao cerebral.
Maria, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vi.-ta ; marasmo.
Sabino, Pernambuco, 4 airaos, Boa-Vista ; convul-
>0iS.
Rosa, Pernambuco, 80 annos, solteira, Boa-Vista ;
bydropesia.
Geraldo, frica, 65 annos, escravo, Boa Vista ; hy-
pertrophia.
Maria, Pernambuco, 6 dias, escrava, S. Jos ; es-
pasmo.
- 11
Tranquilino Jos Ignacio, Parahiba, 22 annos, sol-
teiro, S. Jos ; indocardite.
Isabel Emilia Cordeiro, Pernambuco, 26 annos, ca-
As: para fallar e escrever, V. S. improvisa-os, e quan- soulie respeilar,como Ihe cumpria, as cinzas do seu exforcos possiveis, para nao haver qualquer desa-
do Ihe falta a musa inspiratoria, cscrove a respei- marido, pois que tendo elle fallecido no dia 30 de cato, desatteDcao ofl violencia contra quem quer
1 to da sua propria pessoa, o que raais alguma ; julho i'roximo passado, logo no dia 4 de agosto re- qne seja. Outro sim, autorisoao dito meu procura-
cousa Aquelles, finalmente, gozara maior renom?, queieu o inventario dos bens do casal e a citaco dor para deixar em poder da mesma Exma. Sra.
~, na posieridade do que gozaram na propria vida, i dos respectivos herdeiros contra a le, quejprohibe D. Laureana Candida Rigueira Duarte (se ella ijui-
nm i V' S' Cniea i*' a reculher elogios, e a ser faliaJo, 'aes actos dentro dos 9 dias do nojo, tempo s con- zer) toda a mobilia, louca, quaesquer objectos de
la (u j, sen-: por qHantos garolos e arrieiros eniulliam as pracas sagrado ao praolo e aos suffragios III uzo domestico, e tres escravos.tudo perteucentes ao
dito espolio, e para o servic.J della e dos seus dous
filhos, assigiiando-se para isso o respectivo termo
como disse a rnesma Exma. viuva, referindo-se a de deposito. Finalmente recommendo ao dito meu
um dos abaixo assignados. procurador que empregue ludo quanto estiver ao
O 2 documento prova, que o jnizde orphSos pe- sen alcance, i ara evitar que nesse sequestro sejam
i e cocheiras desta cidade. o que uo pequea glo- A' este acodainento justamente que se pode
ra !... | dar o nome de igana da fortuna nue vai receber
Sim, veneravel senhor, lodos esses que o conhecem
como cotlega e como sabio, o elogiara e. apidaudem,
porque indo quanto V. S. escrevu attrae e arrebata,
i uo tanto pela brevidude com que se explica, sem rante quem a Exma. viuva requeren o inventario
causara mnima indisposico ao leilor discreto, era d--mais a mais incompetente,
mas pela delicadeza, e sobre tudo pela harmona O 3o documento prova, que bavia tanto interesse
do idioma, fazendo tembrar-mo a cada instante, a em fazer-se o inventario pelo juizo de orphos, que
historia do amo com oculos, que para fugtr a urna em desobediencia formal ao accordao da relacao
por algnm equivoco comprehendidas pesi-oas, que
antes do bito de meu pai lenhara sido por elle
libertadas, ou sejam livres por outro qualquer ti-
tulo.
Recife, 25 de agosto de 1865.-Dr. Antonio de
tunda de chicote comecou a zurrar, e fez ressnsc- do districto, que j tinha firmado a competencia i!o Vasconcellos Menezes de Drummond.
lar os deuses do Olimpo, despenar os sete sabios juizo dos reitos da fazenta, a Exma. viuva roque-'
da Grecia, e encoiniiioiar a mmlos persouagens. reu, o que mais o juiz de orphaos deprecou ar-
mis ou menes illnstres. (V. S. que muilo Intel- dos teitos que suspemlesse qualquer proced-
filenle deve comprehender ptifeilamente a meta- ment a respeito do inventario, pois s elle juiz de
phora ) orpbos era o nico competente para o fazer (mira-
Rccebendo por tanto a modesta pessoa de V. S. j bile dictu I) de precala, que sorrateiramente se fez
DOCUMENTO A. o.
Termo de aprehenso e sequestro.
Aos 26 dias do mez de agosto de 1865. nesta ci-
dade do Recife, ra da (mperstfiz, em casa da vin-
va do finado brigadeiro Gaspar de Menezes Vas-
tan justas recompensas do seu admiravel talento,: passar pela chancellara; pelo que o Exm. Sr. con- concellos de Drumracnd,onde fii vindo comigoof-
que sejam mu naturaes os seus selhiro, mol digno presidente da relaco a mandn ficlal do juizo abaixo assignado, e as testemoohas
cassar, como tendo transitado ob e subrepticiamen- lambem assgnadas, era virtude do mandado retro,
le contra o que acabava de decidir aquelle tri- ahifizemos aprehencao nos objectos segrales :
Urna mobilia de madeira de Jacaranda, contando
e de presumir
progressosl
Nao sei se estas equivocas expressoes de minha
sao delirios da velhice ; mas aiiuiete-se e
eomecado os seus doze captulos, desistisse lo ce-
do da empreza, pelas consequencias e adversida-
des a que t?me expor seu primoroso trabalho ,! declarado tal paracomosmesmos abaixo assignado
mas pondere V. S. que aa adversidades sao a pe-1 os quaes por isso com o requerimento que dirigi-
dla de toque para experimentar o seu valor, e sem ram ao Exm. Sr. conselheiro presidente da relago,
que V. S. pa-;se por laes provas, ficara' duvidosa a nao tiveram era vista outra cousa seno avivar a
sua estimago. memoria deste facto de que o Sr. desembargador
bunal.
a assim que infelizmente ainda se pratica \ cadeiras sendo quatro ditas de bracos.
nesta capital. Digno exemptopara ser imitado l* Um sof. Quatro consolos. Urna mesa redonda, tu-
Patarras da Exma. viuva. : do com tampo de pedra. Urna mesa redonda de ja-
s americanas usadas Dous
peona
coosole-se V. S., que nao me mostrara' homem com
sentimentos iguaes aos seus, a quem a fortuna por
lauto lempo tenha favorecido I
Sinto recommendavel, senhor, que tendo V. S.' 0 4o documento prova. que os abaixo assignados caranda. Duas cadeira
noderam de suspeito, como se dizaoSr. desean- jarros de porcelana ourados. Cinco candelabros,
bargador Doria,mas este que.ha muito, se tinha j ; Um candieiro de gaz. unas escarradeiras de louca.
Um relogio de cima de mesa. Ura tapete. Urna rae
favor algum, entretanto licaram em sua casa, ca-
, mas, bahs, louca, e parte da mobilia mais usada,
I e outros objectos; em abono da verdade o que
i se passou, e jurarei se for preciso.
Sr. Dr., ainda mais informo que tendo eo ido na
I referida diligencia, em nome do servico publico, e
i no coramando de urna orca, soflri parle dos insul-
I los ; Dio olhando que de nada en era causador, fi-
I naluiente, auloriso V. S., a fazer da presente o
uso que bem Ihe for prrciso, e dispooha de seu
criado e obrigado Joo Lupicino de Freitas, fur-
riel.
Quartel do corpo de polica, aos 2 de setembro
de 1805.
DOCUMENTO N. 9.
O Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de Drum-
inoud, vera requerer V. S., que a bem da sua
defeca se sirva declarar se exacto ou nao o que o
supplicaote por duas vezes pedio V. S., para re-
quisar a presenca do Dr. chefe de polica, na oc
casio do sequestro que tinha de proceder-se nos
bens, movis e semoventes deixados pelo fallecido
pai do supplicante o brigadeiro Drummond, alim
de evitar qualquer violencia ou conflicto d-sagra-
davel nessa deligencia, sendo a ultima vez que o
supplicante assim pedir, quando em casa de V.
S. linha vado reclamar providencias respeito o
Ur. Maxiraiano Francisco Duarte ; assim como se
certo ou nao que V. S. recusarase a isto, sob
fuudaraento de que havia tudo providenciado para
uo haver violencia, e nao juigava que houvesse
resistencia, ou opposicu alguma mesma dili-
gencia.
Notes termos pede V. S. assim seja servido de-
ferir-lbe.-E R. Me.
Recife, 2 de setembro de 1865. Dr. A. de V.
M. de Drummond.
E' exacto o que declara o supplicaote. Recife, 2
de setembro de 1865.Freitas Henriques. (a)
Nao diga, pois, aos seus numerosos amigos, que
os Cysnes esquecidos da suavidade do seu canto,
comegam a fazer caso da vozeria dos Grous, nem
que a la suspendendo o seu curso, da' alteoco
aos latidos temerarios dos caes 1 o
Doria, bem poda j estar, como realmente eslava,
deslembrado.
O 5o documento prova, que na procuradlo dada
ao Sr. Macario de Luna Freir, se Ihe recominen-
,l, s,M?Bl,mhnn V. S. a sua obra, airadeca, e beije as mos dos mi
" '. n' '"e"S?ia- i,,-, .embora V. S. sejtenha eucom.no Jad- tanto, como'
PB1IIG1CES 1 FEDIBO
lauco llei'cantil Portueuse.
A importante questo que se d enlre o Banco
Mercantil Porluense e o seu agente em Pernambu-
co, vai sor levada aos iribunaes do imperio brasi-
leiro. Nem a gerencia do banco poderla preceder
sada, Boa-Vista ; phlysica pulmonar.
sa elstica. ons guarda-louga, sendo um de ama-
relio e outro de Jacaranda Um guarda-ronpa de
amarello. Menapparelho de cha, de louca de por-
celana. Meio dito de jaotar tambera de porcelana ;
todos estes apparelhos incompletos. Meio appare-
Iho de cha de louca branca.
Dous casticaes pequeos de prata. Oito ditos
maiores do mesmo metal. Um par de estribos. Ura
Contine! dou muilo e muito o emprego de todos os esforcos par de esporas. Trinta e tres colheres de soupa.
para se evitar qualquer desacato, desattencao oo Duas ditas de tirar arroz. Duas dita* de tirar sou- de outro modo, zelando a sua propria reputaco e
violencia na diligencia de que se Ihe encarregava, pa. Trinta e qnalro ditas para cha. Urna para os mteresses que Ihe estao confiados. Posto que
assim como que se Ihe autorisnu a deixar era poder; tirar assucar. Seis facas com cabos de prata. Seis | pequeo accionista n'este eslabelecimento de ere-
Repare V. S. que sendo, da Exma. viuva toda a mobilia, louca e quaesquer garios de dita. Ura machueador de dita. Duas d'to, procurei ehegar ao alcance das particularida-
linagera das ao{6es inimigas da herocida-, outros objectos de uso domestico, e mais tres escra- bandeijas pequeas. Duas ihesouras para corlar; des 'lue se deram eiilre a gerencia e a agencia, pa-
de, lera um lugar no co cora o titulo de estrella, e j vos. que quizesse escolher para seu servico e o de pavios. Tres salvas, duas grandes e urna menor j ra poder formar um Juizo seguro. E parece-rae
que Pallas sendo a que inspira a sciencia no valor seus filhos. ; e mais urna pequea. Urna bandeija grande, tudo ; conveniente que o publico as conheca tambera, pa-
e valor na sciencia, era lera lugar no co, era O 6o documento prova, qne em virtude desta au- de prata. ra que tambera faca o seu juizo.
explendor de estrella I... torisaco o dito jirocuracor, franqueou por diversas Um relogio com corrente e com varias emendas. Primitivamente, o agente do banco, em Pernam-
Eia, respeitavel senhor. Noinlerrompa os seus vezes Exma. viuva os referidos bens, os quaes Ura bolao pequeo com brllhanles. Urna pulseira. buco, era Joaquim da Silva Castro; mas, porque ti-
trabalhos 1 Os nos se nao peregrinassera especu- ella recusou receber, dizendo que nao queria acei- Um allinete de peilo cora pedrasde diamantes, sen
lando ierras e as entranhas dos montes, ou nao se-! lar favores: apezar do que licaram sempre em sua do estes objectos de ouro. E os escravos seguin-
riam condecidos, ou nao teriara o titulo de grandes I casa, camas, bahs, louca e parte da mobilia usa- tes :
Por esta razo far V. S. mil vezes bem se conti-' da : sendo para observar qne no primeiro seques
nuar a espalhar o seu nome para se fazer conheci- tro a que se procedeu a 9 de agosto ultimo, por j
do era lodo o orbe terrqueo I E'por tanto ne-: igual autorisaco, a Exma. viuvadeixou emseu!
Joaquina H-ria do Espirito-Santo, Pernambuco, 75 iu,es
annos, viuva, S. Jos ; diarrha.
ce>sario que V. S. acabe de perder os ltimos pin- poder, e smente sob sua assiRnalura, no respecti
guiohos de vergouba, (perraitta-me a expresso) vo depositotoda a mobilia de Jacaranda, louca a
para que todos convencidos de to rara limpeza, o outros objectos do servico domestico, bem como tres
possam depois devidameute applandir e elogiar, escravas por ella mesma escolhidas, como se evi-
cmo o primeiro controversista do seculo das dencia do documento n. 7.
O mesmo documento n. 6 prova, ainda que nao
isirn Pornamhnr-n 91: D'sPnha V. S., entretanto, de minha vontade, poderte ser relacionados por falla de tempo os pa-
tnbuco, 23, como (jaem no a(Tecl0 seu partica,ar apoi0gjSta)e peis e livros encontrados, foram todos recolhidos
-r. ->_____________ IV ._____ ___-__-__________I 1 I .. S J \ r% r-l-\ n fX K A ^ l .-^ ^**f^ .^^ __ A M ^ AhIIa^A f*A A AMA
annos, solteira. Santo Antonio ; phtysica pul
monar.
Joao, Pernambuco, S annos, Boa-Vista ; febre ma-
ligna.
Jos, Pernambuco, 4 anno?, Recife ; varilas.
Mana, Pernambuco, 1 hora, Santo Antonio ; es-
pasmo.
Joaona, Pernambuco, 4 annos, Santo Antonio : in-
flammacao.
Josepha, Pernambuco, 30 annos, Boa-Vista, escra-
va i afiecgo pulmonar.
Eduardo, Pernambuco. 1 anno, escravo, Boa-Vista;
gastro intente.
Raphael, Pernambocb, 30 annos, solteiro, escravo,
Recife ; asphixia.
Vctor, frica, 20 annos, solteiro, escravo, Boa-
Vista ; anazarca.
Joo, frica, 40 annos, solteiro, Santo Antonio; as-
phixia por submergo.
Feliciano, 50 annos, solteiro, Recife ; gangrena.
prospere Deus a veneravel efflgie d V. S. por
iuu dilatados annos. Sea respetlador e criado
Ordrage.
CORRESPONDENCIAS
< Os males pblicos sao ordinariamente
causados por homeos que se laucara oa vi-
da publica para salisfaco de seus interes-
ses privados. >
(Conselheiro Bastos.)
Maria gorda, crioula, de idade 30 annos.
t Francisca Saboya,'dita 30 annos.
Mana do Carmo, dita 50 annos.
> Maria Gama, dita 70 annos.
t Joaquim Chila, dita 60 annos.
t Malaquias, cnoulo, 40 ranos, sendo aleijado,
e sj acha no sitio do Manguinho.
t Prudencio, idade de 24 anno?, existente no si-
tio do Manguinho.
Joaquim, mulato, de idade 18 anuos.
Adriana, mulata de 10 annos.
malas e bahs, que se fecharam e sellaram para < Ignacia, dita de 15 annos, a qual se acha no
serera em faite abertos importunamente. poder do Illm. Sr. Dr. Rigueira Costa.
E' o que geralmente se pratica em circumstan- i Antonia, cabra, cora um filho de nove mezes,
cias taes, mxime no comraercioart. 811 do cod. | a qual se acha fogida com o filho.
commercial.
O 8 documento prova,a maneira regular porque
Napoleo, de 20 annos, tambera fgido.
Rufina, de idade de 9 annos.
< Eufemia, mulata, de 18 annos.
teve lugar a diligencia, nao obstante os continua-
dos insultos dirigidos s pessoas dellaencarrega-
das tanto pela Exma. viuva, como por seas ir-
mos.
O 9 documento, finalmente, confirma ainda que
a idea de violencia com que se tem feito tanta bu-
Iba para chamar o odioso sobre os abaixo assigna- comprido e palmo e meio de largura, (raneada,
Srs. redactores:Na minha pnmeira corres-1 dos, foi sempre alheia de suas inteiicoes, pois que que disse a Exma. viuva haver se perdido a chave,
pondencia queixei-me das violencias acintosas que j nao a podia nutrir quera mais de urna vez requereu e que a caixinha eslava cheia de papei6.
Eufrazia, cabra, de 20 annos.
t Eugenia, crioula, de 16 annos.
t Leopoldina, mulata de 16 annos, a qual se
acba em casa do lllm. Sr. Dr. Gaspar Drummond.
Urna caixinha de madeira, com dous palmos de
Deputado a asserabla geral por esta provincia-
corre-me a obrigaco de responder, bem que ligei'
ramenle, ao Sr. Imparcial, autor de um communi-
cado raserto no Diario de Pernambuco de boje, em
que sao censurados os deputauos geraes e os pro-
vinciaes pela inditTerenra que manifestara aos ne-
gocios da guerra com o Paraguay, nao proraoven-
do alistameoto de voluntarios etc. etc.
o tenenie-coronel Lul de Caiar tem praticado
nesta freguezia contra os moradores do mea enge-
nho, e os dos engenhos dos meus amigos ; mostrei
ento que havia a mais escandalosa desigualdade
na designaco dos guardas nacionaes, que tm de
marchar para o Paraguay, visto como s eram
designados todos iquelles, que ua eleigao de 7 de
setembro do anno passado nao votararo com os
agentes da gravulade natural, qne aticou o facho
da discordia nesta freguezia. E pois venho hoje
provar ao governo e ao publico a verdade das mi- i
a presenca da primara autoridade policial da pro-
vincia, para assistir diligencia de que se trata.
Recife, 11 de setembro de 1865.
Antonio de Vasconcellos Menezes de Drummond.
Jos Nicolao Regueira Costa.
DOCUMENTO N. 1.
Diz D. Lauriana Rosa Candida Rigueira Duarte
vesse de retirar para Portugal, indicou elle para
substitui-lo como a pessoa competente e de respei-
tabilidade, Jo.- Joaquim da Cosa Maia, estabele-
ctdo n'aquella praca. Nao sei quaes as instruc-
edei que a gerencia" deu ao seu agente, nem at
que ponto lunitou as suas autorisaces; mas em
lodo o caso, deve suppor-se que recommendou a
precisa prudencia e constante zele pelos nteresses
do banco.
Entre as diversas letras rernettidas, tomadas pe-
lo agente de coma do bauco, figurara as seguintes :
Saques de A. B. Cuervo, de Pernambuco, contra
Rizo, Son C. de Londres.
Lib. 4 78513-2 tomada em 19 de agosto com
vencimento em 21 de dezembro.
Lib. 2.791157 lomada era 5 de setembro com
vencimento em 2 de Janeiro.
Lib. 6.516-7 7 tomada em 20de seterabro com
vencimento era 20 de Janeiro.
Lib. 8.74252 tomada em 30 de outubro com
vencimento em 23 de fevereiro.
Chegando aqui a terceira remessa, qne por mui-
to importante, elevou ja eolio a semina d'estes sa-
ques a lib 14093 16 4, a gerencia observoo ao seu
agente em carta de 27 de outubro': qne nao poda
deixar de ocamente recomraendar-lhe a maior cr-
curaspeceo na escolha de letras que toraasse, evi-
tando tomar seguidamente sobre as mesmas firmas
como ijutia praiicado ltimamente, e sobretudo con-
Duas malas, urna chela de papis e outra chela tra casas pouco conhecidas, como era a de Rizo :
de livros, cujas vasilhas lacramos e nos assigna qne conliava em que a rasa de Onervo saccadora,
moa com as testemunhas. fvse de primeira ordem e mereqesse a elle agente
Ura babti de flandres, velho e chelos de livros j ioquesliooavel bom conceito : que esta ultima cir-
ambera velhos. cumstaocia a tivesse sempre em Vista, para que, se
nhas ssergoes, e por ahi se avahar a obstinacao e a supplicante quer proceder ao inventario, e por
capricho da dualtdade que por desgraca exerce que pelo testamento com que falleceu dito seu ma-
fanecoes publicas nesta freguezia. | rido seja a supplicante oomcada inventarame e
Emquaoio o tenente-coronel Luid de Caiar mao- i testamenteira, a supplicante requer a V. S., se dig-
da cercar e varejar alta noile as casas dos nossos i ne mandar que sendo esta distribuida, se mande
moradores, e designa para marchar homens casa- j proceder s citaces necessarias, e proseguir nos
Um carro de 4 rodas asado com seus competen-
teotes arreios, e com urna parelha de burros.
Declaramos que em poder da mesma Exma. viu
de Drummond, que se tendo finado seu marido o! va licaram um guarda roupa e urna papeleira de
brigadeiro Gaspar de Menezes Vasconcellos de i amarello, um candieiro da gaz pequeo, que foram
Drummond, delxando dous filhos menores orphaos, apprehendidos, mas nao couduzidos; assim como vejo que vai muito risco n'isso. Mas quando o agen-
acaso viesse alguma letra recambiada, podesse ha-
ver completa tranqoillidade a respeito do reembol-
so. A elas observacoes, respondeu o agente em
14 de novembro : tomare em considerarlo nao to-
mar letras seguidamente das uiesmas firmas, pois
algumas cadeiras bastante usadas e alguma louca
de uso.
Declaramos raais que o procurador da inventa-
rame por diversas vezes ofTereceu a mesma Exma.
viuva que podia ficar cora toda a mobilia e louca,
te responda assim, e mesmo antes de poder ter re-
cebido as observacoes que acoiheu, bavia elle to-
mado mais o saque de 30 de outubro, de libras
8.742.5 2. Quando esta remessa aqui chegou, nao
poda a gerencia queixar-se de falta de considera-
prestando ella um depositario, ao que responda que | cao as suas observacoes, porque ao tempo em que
De parte as quesles da conveniencia e oppor- nados, e bem assim filhos de mulheres viuvas, com
tunidade dessa desastrada guerra, que pretendo o Dm de aperrear os contrarios (phrase favorita),
dos, a pretexto de haverera casado depois de deeig- termos ulterioroVes; citado tambem Dr. curador s preslava depositario se ficsse'em seu' poder 'to -' oi negociada nao ba'viam ellas chegado a Perna'ra-
lin-nlA nrnln A \T O f.- r i lr\T> ne- Knni< nioiunlr.flA an *m< .-.,.', khhIb a lUll'Q lili., ltnhl r'171,1 n <\ r -i O.trunh".!* A imnTIl.
geral : pelo que a supplicante pede a V. S. defer
ment.E. R. M.D. Lauriana Rosa Candida Ri-
discutir na cmara dos senhores deputados, se o existem no engenho Caiar 31 rapazes solteiro^ j guaira Duarte de Drummond.
adiamento para mim nao for perpetuo, nutro firme era Cangac e na povoacao 58, em Moclo 19, em
conviccao de que Pernambuco, bem como outras Mozambique 8, em Macaco 16, em Roncador 5, em
provincias do norte, lera pago larga e desigual- Gurgenia 2, em Rodizio 6, em Penedo de Baixo 8,
mente o sea imposto de sangue; e de que lambem em Penedo de Cima 21, em Caja 6, em Santa Luzia
patriotismo nao concorrer para o despovoaraento 3. E por que nenhum destes rapagoes sao designa-
e maior pobreza desta provincia, muito lembrada e dos para marchar? porque sao privilegiados, pois
incensada em crises semelhantes a' presente. morara em trras de gente da situacao e esta gen-
. Nunca diseaadi nem dsuado a quem volunta- te est isenta de contribuir para a guerra, que de-
riamenle deseje ir para a guerra; actualmente, po- ve s ser vencida a castados vermellios, cujos che
uistribuida como requer.
Recife, 4 de agosto de 1865. Aquino Fon-
seca.
DOCUMENTO N. 2.
Accordao era relago.Que feito o sorteio e re-
Jalono dos autos julgam- que aggravada nao foi a
aggravante com o despacho de foi has; por qnanlo,
alora das razes expendidas pelo juiz, de quem se
rm, nem prcela, nem indirectamente cooperare fes se deseja a lodo o transe que sejam lirados de I aggravou, recoohece-se que ha toda a dapenairaci
dos os bens sequestrados, ao que noquiz annuir o buco ; mas tinha razo para eslrannar a impru-
dito procurador, o qual tambem offereceu alguns es dencia do seu agente. E cora efieito, em 26 de no-
cravos para seu servigo, com permisso do inven-; vembro disse ella : sentimos que nos fizesse re-
lariante, e respondeu que nao queria aceitar favor messa outra vez contra Rizo, Son & C, pois temos
algnm do Sr. Dr. Drummond, cujos bens assim ap-1 assim a correr hoje sobre esla firma, o risco de li-
preheniidos e seqneslrados depositamos em m3o e bras 22836 1 6; somma demasiadamente conside-
poder do Illm. Sr. Dr. Antonio de Vasconcellos^^ ravel, mesmo quando fosse sobre casa ds primeira
Menezes de Drummond, inventarame declarado oo I ordem. A isto, a urna reprovagao assim tao clara-
mandado retro. mente manifestada pela gerencia, respondeu o
E para constar mandoa o dito oficial lavrar este---------------------------------------------'
termo em que nos assignamos com as testemuobas
presenciaes Antonio Rodrigues Vieira e Joaquim
Theodoro Alves.
(a) Nesta lypographia acham-se as certidoes au-
tenticas desses documentos para serem examio%
dos por queralinteressado seja.
>

*-
i



rF
I
Diarlo dt rr**mhuc ***td tfIra 9 lie &tthr t f*%*
ente em 15 dadezembro, lacnica -flamante:
recebt a su arta de S6 de noverabro e do sea
cornudo fleo sciente II!
Ficava sciente, de que ? Oe que a gerencia esla-
va desasosegada com as repetidas remessas*!* de
mamadamente
luiportaco.
Hialebrasilejfo Arthur, entrado do Rio-Grande
do Su I, consignado a Amorim IrmSos, madlfestono
sedjjinte,:
7,500 arrobas de charque, 30 barricas com lo
ados foram jpr<
oslado
importafttes, sobra Rito, Son 4 C.; arrobas de sebo, 20 couros vaceuns; a ordem.
?ue tioha esta Orma como, pouco eonheofa.ou, Hiate nacional Arroto Mallo, entrado do Rio-
Graode do Sul, consignado a Maia dt Espinl >-
Santo, maoiftstouo segtiiote
14,770 arrobas de enarque, 119 ditos d"S sebo
,'em rama, 149 1/i ditas de graxa em bexigas, e 1
teloso pela a reputago, uao caixaainho fazendas ; aos mesmos consignata-
'. rios.
1KECEBEDORIA DR RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 11...... 10:89oS607
dem do di 12................ 6755762
de que nao Considerava esta casa como de prlmei-
ra ordem.
Depois de tudo isto, ou n'estas circumstancias,
um agente que fosse um hornera serio, respeitador
dos seus deveres
tomara mais letra alguraa, por conta do banco, a
casa de Cuervo, coutra a casa de Rizo, sem qae ti- i
vesse a certeza de se acharem pagos os saquea que
havia lomado. Mas nao acoaleceu assim : em 14
de jaueiro quando o agente poda apenas ler noticia
de havtr sido pago o saque de 19 de agosto, que se
venceu em 21 de dezembro, tomou elle a casa de A.
B. Cuervo contra a firma de Rizo, *on & C, libras
(5644 19 91 Isto tomou e reaeiteu libras 6G44
19 9 com as mesmas garantias que a gerencia do Rendimento do da 1 a t
banco desapprovara, ou com que se iuquleiava; e [clem do dia 12........
quando ainda elle ignorava a sorte de libras 18050
8 4 em que importavam os saques de 5 e 20 de se-
tembro e 30 de oulubro, que luiham veniimenlps ^^^ _
m 2 e 20 de Janeiro e 23 de fevereiroI Gusta a ....." ."' ... u_-
crer mas verdade.
Em presenca d'esta teima d'esta falta de zelo pe-
los interesses do banco e de respeito a's observa-'
coes que liavia recebido. ou antes em presenga des-1
te abuso de conlianca ou de tao proounciad'a nu'
f, a gereucia, em carta de 11 de fevereiro, disse
ao seu ageute : que a boa ou uta' cobrauga d'essa !
reraessa feila em saque de Cuervo contra Rizo, li-
-cava de conta e sob responsabilidade pessoal d'elle
agente; pois que, depois da correspondencia que
se bavia trocado, e com um risco imporlantiss-ino
anda pendente, elle nao poda considerarse aulo-
Pela SBbdeleMpia del A
hendido* como futados e aflarn-s dep_.
dous cavalloj, senda um pedrer e cascado, e out
ruco sajo, betn novj e inleiro, bepl1 assim s pe-
cas de roupa sesrorntes : asaras ^ camisas-9
senhora, 4 leoges, 4 fronh.19,2 loalhas, e 1 par de
meias, ludo de bora panno e com seus labyrinlhos:
quem se julgar com direito a laoj otyecios, cora-
pareca, que provaodo, Ibes set/io trefiles.
O subdelegad,
Manoel Pereira Camello Pessoa.
Decreto n. 3,433 de 26 de abril de 1863.
O offlclal do registro geral de Dypothecas desta
comarca abaixo asslgnado, chama a attengjo da-
quelles, a quera interessar possa, para os seguimos ,
artigos do decreto n. 3,453 de 26 de abril de 1865. ',(0"., -, agencia, ra da Cruz n. 1 escriplor de
Art. 256. Nao opera seus effeitos a respeito dos I AntonwLun de uli velra Azevcdo & C.
60MPASHIA BRASILERA
BE
PAQUETES A VAPOR.
fjfwL.i:J\ M^iesperado dos portn do nor-
^M\ le, al o dia 15 do correte, o va-
-' ''^^^ f>r Galgo, commandante o pri-
H meiro lente Araujo, n qual de
''^'^sbW pnls da demora do eostume segui-
r para os portos do sul.
Desde j recehemse.passajreiros e engaja-se a
carga ijue o vapor poder conducir, a quaf dever
ser embarcada no dia de sda ciiegada ; encom-
meadas e dinheiro a frete at o da da sabida, s
11:5715369
CONSULADO PROVINCIAL.
13:8393IG1
764,2156
14:6235317
I0HMETG UQ PORTO
Navio entrado no da 12.
Maranhao38 dia, cater nacional Equador, de 70
toneladas, capito Anselmo Peres, equipagem 6,
carga arroz e outros gneros.
Navio sahiio no mesmo da.
New-York-Brige inglez Jura, capito Da y, carga
assucar.
Observacao.
trouxe de Sumatra.
2DITAES.
Suspenderam do lamaro para Maranhao a bar-
ruado para fazer urna tal traosaegao por conta do ca Qg|eza Tickier Kavio John Brewo> cora 0 mes.
banco. mo |astro nae tr0uxe do Rio de Janeiro.
E erara bem randados os receos da gerencia; SaipeBdeu para-Marseille a galera franceza Julia
porque, falllndo a casa de Rizo Son & C.a casa de capllo Emilie Jone|ja,ei COm a mesma carga que
A. t. Cuervo declarou so igualmente fallida. E e irA11Ta h.> Bnnutra
inconlesiavvl o abuso ou ma' f do agente, porque
devera saber qui Cuervo era um aveulureiro es-
traugeiro que ha cerca de um anuo asseniara bar-
raca em Pernambuco, e que diversos saques seus
contra Rizo, foram tomados n'aquella praga sob-ga-
rantia de conhecimentos.
Explicados os factos assim fielmente, v se que I
locoDtestavel o direili que o banco tem contra o
seu agente em Pernambuco, Jos Joaquim da Cosa
.M.na, pela iniporiaocia de libras 6644 19 9, do sa '
que de 14 de Janeiro, cuja compra elle pretende
considerar como feita por conta do nr>smo banco.
1. expresso na legislaco franceza : que o manda-
uiiii responde nao s pelo dolo, mas tambem pe-
las culpas que coiumetie na sua geslo, e um
principio oe moraiidade e de alia juslifa,
uenhum paiz se descouhece al hoje.
Conde, pois, a gerencia do banco na Ilustrado
e i eciidau dos iribunaes do Brasil, aonde vai liti-
gar ; e cao serei ousado se Ine disser, que confie
tambem n* auxilio que deve prestar-lhe o seu pri-
mitivo ageute Joaquim da Silva Castro, sobre ijuem
esta' pesando a responsabilidade moral dos ados
irregulares do agente que indicou para substi-
tu lo.
Porto, 21 de agosio de 1865.
Um accioms'la.
(Do Commercio do Porto.)
Declaro que falso haver eu apresentado ao Sr.
bispo Joo os documentos tendentes a juslitica-
o do Sr. vigario Cimillo de Meudonga Furlado :
falso Igualmente que eu dissesse S. Exc. Rvra.
urna s palavra em favor da nomeago do Sr. vi-
gario Gamillo para visitador das Alagoas : nomea-
cjio, de queso tive noticia, quando o Sr. bispo me
a commanicou, depois de elfeiluada.
Kago esta declaraQo tao smente para que nao
=e prevaleca alguem do meu silencio. Recite, 9
de setembro de 1865.
Padre Francisco Jos Tavares da Gama.
Agua de Fteridn de Morray e Lan-
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlclal da Impe-
perial ordem da Rosa, e juiz especial do com
mercio, por Sua Magestade Imperial e Constitu-
cional, etc.
Pago saber que no dia 13 do corrente, pelas 11
horas da raanhaa, na sala das and encias, devero
comparecer os credores da massa fallida de Cami-
nha & FHhos, para cumprir-se as disposicoes do
artigo 842 do coaigo do commercio, para o que sao
convocados pelo presente, devendo comparecer de
que em cooformidade com o disposto na segunda parte do
mesmo artigo.
Recife, 4 de selembro de 1863.
Eu Manoel Maria Kodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tiistao de Alencar Araripe.
O cidadSo Joo Jos de Albuquerque, juiz de paz
do segundo anno em exercieio no desta fre-
Kuezia de S.Jos do Recife, na virtude da le etc.
Fago saber aos que a presente carta de editos vi-
rem. ou della Doticia tiverem, em como por parte
i de Francisco Jos Germano me foi feila por es-
j criplo a pelico do Iheor seguinle :
I Illm. Sr. juiz de paz da freguezia de S. Jos.
I Diz Francisco Jos Germano, que devendo-lhe Joao
Jos Pereira a quantia de 1:634?, proveniente de
duai lelras ja vencidas, assim como os juros as
mesmas estipuladas, quer fazer cita-Io para na
primeira audiencia deste juizo conciliar-se com o
supplicante acerca da referida quantia e seus ju-
ros, mas como esteja elle em lugar incerto, e deva
por isso ser citado por editos, requero supplicante
que procedendo-se a justificagao para a qual V. S.
designar dia e hora julgada por sent-nga, sejam
. passadas cartas de editos com o prazo da lei pena
i de revelia. Nestes termos pede a V. S. deferimento.
O supplicante protesta levar em conta qualquer
quantia recebida.E R. M.O procurador, Eliza-
: rio Gomes de Mello.
E mais se nao contralla em dita peligo na qual
dei o despacho seguinle :
Como requer.
Freguezia de S. Jos do Recife, 9 de setembro de
1863.Albuquerque.
E mais se nao conlinha em dito despacho aqu
terceiros se nao pela Iranscripcao, e desde a dala
della, a transraisso, entre vivos por titulo oneroso
ou gratuito, dos immoveis susceplivets de liypo-
theca.
Art. 2S7. Atea transCripgiio os referidos actos
sao simples contractos que s obrisara as partos
contratantes.
Arl. 238. Sao sujeilos a trauseripgao para que
possam valer contra os terceiros conforme os arti-
gos antecedentes.
1." A compra e venda pura ou condicional.
9 2. A permuta.
3." A doacao em pagamento.
g 4." A transferencia que o soiio faz de um im-
movel sociedade como fundo do contingente s->-
cial.
8 5." A doagao entre-vivos.
6 O dol estimado.
7. Toda a transaccao da qual resulto a doa-
gao, on transmissodo immovel.
8.a Em geral, todos osdemais contratos trans-
itivos de immoveis susceptiveis de hypotheca.
Em vista pois dos arligos citados observa o mes-
mo abaixo assigoado que os contractos nelles com-
prehendidos para sua inteira validado dependen)
da formalidade essencial da iranscnpgo ou regis-
tro, sob pena de acarrelarera aos inieressados se-
rios prejuizos, e de se tornsrem de uenhum effeilo,
sempro que forera contestados por terceiros.
Fulgencio Infante de Albuquerque Mello.
Pela secretaria da cmara municipal desla
cidade se faz publico que a mesma cmara princi-
piar a terceira sessao ordinaria deste anuo no dia
13 do correnie e nos que seseguirem.
Secretaria da cmara municipal do Recife 9 de
setembro de 1863.-O secretirio,
Francisco Canuto da Boavjagem.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Naves-i cao esleir por vapor.
Macei. Henedo e Aracaj
No dia 14 do correle as 5 horas
da tarde segu o vapor Paruhgba,
commandante Martins, recebe car-
ga nos das 12 e 13. Eeeomraen-
das, passageiros. e dinheiro a fre-
te at 2 horas da tarde do dia da sahida. Escripto-
rio no Forie do Malos n. 1.
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com rnuila hrevidade a barca
nacional Restauraco, tem parle do seu carrega-
mento prompto: para completa-lo, e jumamente
para escravus e fretes, para os quaes tem excelen-
tes commodos, tratase com os seus consignatarios
Antonio Lniz d'Hiveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 1.
Linha
do Havre
nambuco.
Per-
Espera se a barca Splirre que
sabio no dia 10 de agosto ao frete
de 25 frs. 10 (. Recebe carga pa-
ra o Havre a fretes baratos : a
tratar com os consignatarios Tis-
set frere?.
"llha" de S. gi
A escuna portugueza Erna preieude sabir irapre-
terive'mente at o dia 30 do corrente mez, e para
passageiros e carpa trata-se com o consignatario
Joo do Reg Luna, na ra de Apollo n 4.
A jonta adminlslratlva da Santa Casa # Mi-
sericordia do Recife, em couseqoncia de tr fal-
lecido o Sr. brigadeiro Gaspar de MedezW Vtscon
cellos de iWummond,, faz publico que O masroo
Sr. brfgadeiro e seos fllhos e genros, a saber : o
Sr. Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de Drurn-
mond o >oa mulher a Exm." Sr.* D. Lniza de Me-
nezes Vasconcellos de Dmmmond, o Sr. Lnix Fran
cisco Paes Brrelo e sua mulher a Bxm." Sr.' D
Laurianna de Menezes Vasconcellos de Druramond
Barreio, o Sr. Dr. Jos Nicolao nigueir Costa e
sua malher a Exm." Sr. D. Josepha de Menees
Vasconcellos de Dnimmoud Cosa, e o Sr. Dr.
Gaspar de Menezes Vasconcellos do Drommond,
hypotheearam ao Sr. Joo Vieira Lima, para ga-
ranta da quantia de t>2:D]o2D4 r.v, por fscrlpUl
ra lavrada as notas do abelllo Manoel Antonio
Coelho de Olveira Jnior, em 26 de outobro de
1844, o enenhode fazer assacar denominado Ja-
cir, moente e correnie, com todas ts suas trras,
matas, logradores, sito no termo de Serinhem co-1
marca do Rio Pormoso, com 50 escravos entre
mare-res e menores, 40 bois, todas as suas obras,
machinas, destilagao-e todos os nats utencilios do
mesmo engenbo, e igualmente a safra, que hoova-
se no ftmdo prazo da eseriptora, ou quanjo fos-
sem demandados pelo nradbr ou por que suas
vezes u'zesse ; com a coadiecao de quer a tao ser
paga a dif quantia, como n'o foi, no dia de seu
vencimenloraeguudo oestipalado, vencera, como
est vencencb, o premio de um e meio por cento
ao mez al real embolso. Qqe no testametHo com
que falleceu odito Sr. Joao Vieira Lima, deixou
elle como logado ao hospital Pddro II, a cargo da
mesma Santa Casa, a medade resse debito, pela
qual a annuociarMe ajuizou os hypolhceanie.-,- os
ditos Srs. brigadeiro, seu-- fllhos, genros e netos,
inclusive o Sr. Antonio Maria Ramos, por fallec-
ment de seu anteeessar o Sr. Linz Friociseo Bar-
CASA DA FORMA.
Aos 6:00^000.
Silhetes garantidos.
A' RA DO CWESPO N. f E CASAS DO COSTUMB
O abaixoassisrnadu venden nos seus muitofeli-
es bilbetes garaintidos da loterra que se acabon
I de extrahir, a bewelicio da igreja de N. S. do Ro-
sario de Muribeca, os segoiotes premios :
Dous qoartos n. f8*> com a serie de 6:0005.
Dous quarlos o. 224* com a sorte de 4005.
E outras rnitas sortea de 1005, 40, 205 e
10J000.
Os possuidores podem vir recaer seus respec-
tivos premios sernos descocos'das eiuaCasa
da Fortuna ra de Crespo,23.
Acham-se a venda os da 2' parte da B lotera
(31*) beneficio da Santa Casa de Misericordia,
que se extrahir sexiafeira 15 d> corrente.
PREgO.
Bilhetes.....7-5C00
Meios......38500
Quarlos.....1900
Para as pes-soas que compraren (ie100000
para cima.
Bilhetes.....64509
Meros......35750"
Quartos.....15700
t___________Manoel Martins Fiuza-.
Cozinheiio
Prec1sa-sc de um eozinheiro : a tratar nc- Club
Pernarabucano.
de Almeida
m
Attencao.
Manoel Barbosa Bibeiro declara ao corpo do
reto ea Exm.- mar-gneza do Recire, comoberdeir. commercio-e aos seus freguezes que de hoje em
desse fallecido. Que- sendo essa aee&o proposta 'ian.1i de,'.xetl de ser seu caix,''0 Antonio Ferreira
palo juizo municipal da segunda *ara, c*rieriodo!
Sr. escrivo Cuna, ubteve a annuucianle duas
seutengas a favor, que foram confirmadas pelo su-
perior tribunal da relago, cuja seuleuga sendo em-
bargada no trausito da uliancellaria, depois de dis-
cutidos os embargos, snhiram os respectivos aotos
a concluso, e Desse estado falleceu o ref-rido Sr.
brigadeiro, pelo que a aiinnnciante trata de habi-
litar os herdeiros do fallecido, alim de serem jul-
gados os embargos, os quaes autos correin pelo
i cartorio do Sr. escrivo Bandeira.
DEPOSITO D CALCADO *
m
m
l
Quarta-feira
NO GRANDE
man.
Atravez de toda America Hespauhola, desde o
noite do Mxico at ao E*treito de Magalhes, este
perfume tido e considerado como a agua aroma-
to a mais lina e delicada.
As senhorias l^panholas, nao s d'ella fazem copiado.
US' como o mais delicioso perfume ; mas siin tam-' Em virtude do qual produzio o justificante suas
bem habitualuienle o usam u'uma forma de dilui- lestemunhas e subindo-me os autos conclusos em
gao como um excellente meio para alvejar e con- vista das mesmas estemuuhas dei a senlenga do
servar os denles e dar um suave e agradavel goslo; theor seguale :
ao paladar. Em visia dos depoimentos de folhas a folhas.
Servmdo de modesta e agradavel advertencia, Julgu justificada a ausencia eiucerteza do domici-
recommendamos aos senhores, que a mesma usada lio do justificado: mando que se passe carias de
debaixo d'esta mesma forma, e havendo salpicado editos com o praso de 30 dias para por ella ser ci-
seu falo, isto depois de haverem gosado as delicio- lado para o lira requerido na petico fl. 2. Pague
sas fumagas d'uui bello charuto de Havana, os tor-1 o justificante as custas.
na presentaves na presenga e sociedade do bello
-sexo.
Aquellas do sexo barbudo e que tem urna pelle
delicada, acharo com o maior prazer, que esta
agua urna verdadeira luxuria usada depois de
haverem feto a barba, pois que ella faz dissipar
tola a ardencia do rosto.
VJe que os nomes de Murray e Lanman se
achem inscriptos sob cada envoltorio, letreiro e al
mcsino inipressos no vidro das proprias garrafas,
vi-i.. pois est que ua falla dos mesmos toda a
mais falsa.
Freguezia de S. Jos do Recite, 9 de setembro
de 1865.Joo Jos de Albuquerque.
E mais se nao conlinha em dita senlenga aqu
copiada, por forga da qual o escrivo que esta
escreveu, passou a presente caria de editos com o
praso de 30 das, pela qual e no theor se chama,
cita e hei por citado ao justificado Joo Jos Pe-
reira para o lio requerido na peligo aqu nesia
transcripta, alim de que comparega na primeira
audiencia deste juizo que lera lugar a immediata
depois de lindo dito praso, alim de que comparega
por si ou por seu bastante procurador, para conci-
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa e '. liar-se com o supplicante a respeito do expendido
J. C. Bravo Ot C.
CO&MZidlO.
PftACA DO RECIFE.
Cotavo es offlelaes.
12 de setembro.
Algodo de Macei 165500 por arroba posto a
bordo.
Couros salgados seceos157 l|2 rs. por libra.
Cambio sobre Londres 90 d/visla 21 1|2 d. por
1:000.
Descontos9 0|0 ao anno.
Frete de aigodao para Liverpool3/8 e 5 0|0,' por
Jibra.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
'Cai\a filial do banco do Brasil em
Pernamhuco.
a directora desta caxa saca sobro o banco
na referida petigo, sob pena Oe revelia. Pelo que
i toda e qualquer pessoa, prenles ou amigos do jus-
tificado o poderao fazer sciente do que cima fica
| declarado. E o porteiro do juizo afflxara' e publi-
cara' o presente nos lugares do costume, e sera'
publicada pela imprensa.
Dada e passsada nesia freguezia de S. Jos do
Recife, aos 9 de setembro de 1865.
Eu Jos Gongalves de Sa' escrivo de paz a es-
crevi.
Joo Jos de Albuquerque
=5=
Brasil no Rio de Janeiro
ti'e.-mo baBco na Bahi.
e sobre a caixa filial
\ivo banco de Pernam-
buco.
DCU&A(|GES.
ConviiU-teas pessoas qiiti estio as
condigoes do servido militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gensdi lei provincial n. 611 de 2 de msio
prximo passado, que s5o as segnintes:
#iO0 rs. diarios de sold, serem seus fl-
lhos menores recolados ao*} eietbeleciueti-
tos pro vi nciaes de educarlo e o tempo ' estivereoma guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadria, e altn desta
tea todas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluotarios da patria. O te-
nente-coronol eomrmmdante o corpo de
O banco descoma letras na presente semana a I po|jca Alexindre de Barros e Aftmquer-
iiir r.p.ntn ao annn ate. n nrazn de seis me.zes c *
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Novo basco de pernambuco.
Os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagara o 1* dividendo de dita massa
:i.i razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meiinlos : no novo banco de Pernambuco i ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernamhuco.
De ordem da directora se laz publico que a cai
xa descoma os saques de seu aceite, praticados
pelo banco do Brasil, pela taixa de 7 0(0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nuoes Correia.
Novo Banco de Peruambuc
O Novo Banco paga o dcimo quinto di-
videndo na razo de,8)5 por aeco.
oqe.
Perante a cmara municipal desla cidade
eslaro era praga nos dias 13, 15, 16, 18, 19 e 20
do correnie nos primeiros tres dias as seguintes
rendas muuiclpaes a saber :
Aferigo de pesos e medidas 15:231^000
Imposto de 80 rs. por carga de farinha
e legumes vendidos nos mercados
pblicos. 2:229^000
Talhos de agougues das ribeiras de S.
Jos e Boa-Vjsla. &
Nos ltimos, os alogueis das casas da praga da
Independencia, das ribeiras de S. Jos e Boa-Vis-
ta, da Soledade e das ra* da Florentina e Impe-
rial. A arrematago destes alugueis c feila por
tres annos, e daquellas rendas por um anno so-
mente. As pessoas que pretende rem arrematar
ditas rendas e alugueis devero comparecer nos
dias indicados no pago municipal, munidos para
os primeiros, de habilitago legal orno manda a
lei, e para os ltimos, com cartas de (langas de
pessoas idneas. Os que se acharem era debito
para com a cmara, nao sero admeitidos a licitar
em suas rendas.
Pago da cmara municipal do Recife em sessao
de 9 de selembro de 1865 Luiz Jos Pereira Si-
mdes, pro-presidente. Francisco Canuto da Boa-
viagem. secretario.
Perante a cmara municipal desta cidade
estar em praga nos dias 1 i, 16 e 18 do crreme
para serem arrematadas, por (juera por menos 0-
zer, as obras de que precisa a e.-trada do cemiterio
publico da mesma cidade, orgadas na quantia de
506. Aquelles que pretenderen] arrematar, po-
derao comparecer nos das indicado?, no pago mu-
nicipal, munidos de seas fiadores O orgamenlo
das mesmas obras existe na secretaria da dita c-
mara, onde pie ser consultado.
Paco da cmara municipal do Reeife 9 de se-
tembro de 1865.Luiz Jos Pereira Snnoes, pro- l)j /!
presidente.-Francisco Canato da Boaviagem, se-
cretario.
LEIL3E
32II i O
De urna molulia completa de Jacaranda com lam-
po de pHilra marmore, 1 dita de mogno tambera
com pedra marmore. pianos, mesas elsticas, apa-
radores de rno.'M e aaarllo objectos de ouro e
firala, charutos da llihia, blscoutos doces, sabooe
tes, guarda-luca, relogios de ouro e prata, mar-
quezas largas e'estreitis, caudelabrus e serpenti-
nas, loilels de Jacaranda e mitro* tnuilos artigos.
B04E
3 do correnie as H Lora*.
ARMAZEM DE LE i LOES
DO AGENTE
OLYMPIO,
36lina da Cadela do liedle36
De 14 saces com feijao fra tinta
QUINTA-PEIRA l DO CORRBNTB AO MEIO DA EU
PONTO.
O agente Pestaa tara' teilo de 14 saceos com
excellente feijo fradinho por conta e risco de
quem pertencer: qoiuta-f -ira 14 do corrente pe-
las 12 horas em poni no aromen) do Sr. Azeve-
do defronle di escadinha da alfandega.
LELAO
de pasto no
bien ii. Mi.
largo
da Assfm
Correia j&eral.
Pela adminislrago do correio desta cidade se
fat publico, que em virtude da convengao postal,
celebrada pelos goveruos brasileiro e francz, sero
expedidas malas para Europa no dia 15 do corren-
te pelo vapor inglez La Plata.
As cartas sero recebidas al tres horas antes
da une for raarcada para a saluda do vapor, e os
jornaes at quatro horas antes.
Administracao do correio de Pernambuco 12 <1
setembro de 1*865.
Domingos dos Passos Miranda.
Administrador.
Quinta-feira I i do corrente.
0 proprietario da nasa de pasto sita no largo da
Asserabla n. 16 far leilio da todos os ui-mcilios
existentes no mesmo estahelecimenio os quaes sao
vendidos para pagamento dos alugoeie vencidos
do me.-mo : qainia-feira 11 do corrente pelas 10-
horas da manha na mesma casa.
471S0S DIYERSOS.
LOTERA
' Os acluaes devedores as exmelas compa-
nltias do Grao Para e Maranlio, Pernambuco |e
Parahiba sao peU presente convidados a compare-
cer no escriplorio do abaixo assignado, ra do Ira
perador n. 42, ou casa de sua residencia ra do
Deslino n. 20, para ahi trataren) arnigavelmente
do pagamento iulecral ou amortisago de seus d-
bitos as mesmas companhias, de accordo porm
com aquellas concessoes que razoavelmente tem
sempre estado disposlo a faier a Exm.' junta de
Lisboa. Aquelles (pie o nao Ihereflo dentro do
prazo do 30 dias, coudos da d^ta do presente an-
nuncio, serao nomeadamente chamados por este
jornal, a contra os mesmos proceder o abaixo as-
signado a c.obranga judicial, como advocado da
supradita Exm." junta, de quem tm j recebido
as insirucgoese os poderes precisos. Recife 12
de setembro de 1865.
Dr. Joaquim Amonio C. C. Miranda.
Ausentou-se da casa de seu senhor o eseravo
Franciscu, cora os signaos segoiotes : idode 50 an-
nos pouco mais ou menos, altura regular, cheio
do corpo, tem um pequeo inchago no p^sc go,
vagaroso no andar, e lioge se maluco, vejo ha ali-
os do Brejo da Madre de Dos onde deixou mu-
lher e filhos, e de suppor que tenha ido para ahi :
pede-se as autoridades policiaes e capitaes da cam-
po sua apprehengao e leva lo a ra Nova n. 37,
que .-ero bem recompen ados.
Precisa-se de um menino de 10 a 14 aunos
de idade para caiseiro : na ra do Kangel n. 8,
deposito.
I WilUHO \\ I! ISA Ht HKiK\l,A0
lina Nova n. I.
Ahi se eiicontrarao obras de di-
versas qualidades, e por preco mui
diminutos, a- retalho e ew porcoes.
S6se vende a dinheiro,
Aluga-se o sobrado rjae tem dous ps de ar-
voredos na freote, passando a fuodicgo do Sr.
Starr.com bons commodos-para familia, para ver
e tratar na mesma casa ou com o Sr Domingos
Jos da (osla Guimaries, ra de Apollo.
m
*
W
sobre Lisboa
Jos da Silva Lovo & C.
Porto.
n
e Porto.
sacara "obre Lisbia e
AEi.
Na ra da Unio casa n. 'AT, precisa-se de urna
ama rara cosinhar e comprar.
.1 na
Precisa-se de urna ama para
de urna ca do Corpo Santo n. 17
o servico interno
a tratar na praga
TlIEtTRO
DE
Aluga-se
o sobrado n. 71 do caes de Apollo : a tratar no
segundo andar do sobrado n. 62 da ra da Cadea.
Precisase de urna ama que coziuhe e engom-
me para casa de pouca familia : na ra do Hospi-
cio n.62._______________________________
S. i hiispiii e S. Clnispiniano.
Responde-se ao irnio (|ue hoje. tem a honra de
publicar um artigo sobre a commisso encarrega-
da do exame de coritas do ihesoureiro interino, cue
as pessoas que deram o parecer sao dignas de to-
do o mereeimeoto, pois sfio mais justiceiras do que
o autor que puhlicou. Vos que estaes mais com-
prometido, pois nao leudes as qoalidades precisa*
para sociares com as pessoas lideditinas.
Um irmao.
Rogase ao Sr. Loa Francisco de Barros Re-
g mandar a loja n. 20 B da ra do Crespo, con-
cluir o negocio que n.lo ignora.
Ausentou-se de casa oo dia 9 do corrente a
preta Thereza. de nago, alta e secca do corpo, j I
de idade, rosto bexigj>st>, o p esquerdo mais gros- \
so e com urna cicairiz em cima, levou vestido de
chita cor de,tena oom palminhas braftas, e um
chale de algodo di-botado : roga-se as autorida-
des e mais pessoas a quem compete, sua apprehen-
sao, e a entregar na ra dos Pires n. 18, que ser
recompensado.
AOS 6:000#000.
Corre no dia l .
Corre depois d'amanlia.
Acham-se fiada na respectiva thesou-
ratia ra do Crespo n. 15, os bilhetes, AtteQO
Bieio- e quartos da 2a porte da 3:l lotera rjni mulatinho eseravo, de 14 anno?, procura
(3ia) a beneficio (la Santa Casa de Misen- achar para a sua aiorn a quantia de 3005, obri-
COrdia. cuja exlraccao ser no da SUpra gaodo-se por um contrato seguro a servir al pa
mencionados no lugar e hora do cosUime.: ar: iuera 'u,len aa,me,e por esse J0rQaL
Os premios de 0.000^000 at 10^0001 ------------~.y;------~-------------
sero pagos unta hora depois da extraccSo i Aw^Prafl
Ulliatil-teir. 14 (le SeteiHOrO at as i MW da tarle, e OS OUtros depois i a casa terrea n. 6Meom gar na ra da Concordia :
da distribuico das listas. ia tralar rorn Mr^Mno *Lope, ua ra o Moc-
, v j __ dego, olaria n. 1J-
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a' nolte da vespera da extraceao
chik) de ci>siiwne.
Servjndo de thesoureiro,
Jos-Hodrif ue de Souza.
EMPREZA-COIMBRA
recita da assignatura das 6 recitas
actor SimSes.
do
de 1865.
Repreentar-se-ha o lilerefHe drama em 3
actos, original portuguez do Sr. Vasconcellos
MEDALHA DE BROKZE
Em segoida o Sr. Simoes- representara a moito
applaudida cangoneta
AS BOAS RAZO ES
ou
o uoco i: o vhliio.
Dar' lim ao espectculo a primeira representa-
gio da exeelli-nte opereta en 1 acto, msica do i
eetettre maestro allemo OOenbak e mitaco
Sr. Meados Leal
A luga se
Aviso.
O abaixo assignado, tendo-se responsabihsado
para com os credores de Antonio los' Bitelho, mo-
rador na villa do Bonito, pelas dividas por e^-le
comrahidas, provenientes de gneros e fazeudas,
(jue llie venderam para a sua casa de negocio na
dita villa, e isto medanle una hypotheca qae ao
abaixo assignado Qz< ra o referido Botelho e sua
mulher, de lodos os seus beos, para paraoii-lo da
responsabilidade que o mesmo abnix-o assignado
assumio, como cousia da respectiva escripiura pas-
sada na mesma villa, as olas do tabellio Joo
Gomes da Silva ; por seo o abaixcas.-igaado faz o
presente anuuncio, afim de que por elle se fique sa-
liendo que negocio algum se pode contratar com o
referido Antonio Jos Boielbo, sobre oe mesmos bens.
por se acharem legalmenle obrigados pelas dividas
j deolaradas.
________ francisco Muniz Pontes.
Na roa da Florentina n. 36 prepara-se comi-
da com aceio e promptidito e por prego razoavel.
Terrivel inconimudo.
A> tres dias que os moradores da vi* nhanga do
esabeleciinento do saz, sao iccoramodados" por
grande qutntidade de gaz que se evapora ; resul-
tando dahi o mais terrivtl iocommodo, com espe-
ciahdadeas criaogas recem-nascida.
Etn virtude dt que, os moradoras-daquella loca-
lidade rogam ao lllm. St. engenlwiro, chefe da
companhia do gaz, alim de que em breve tempo
sejam remediados de tao critica ciraumsiancias.
Assim es^eram do zeloe boadade daquelle chefe.
Ura morador.
Precisa-se de onv raya?, pan eaixeiro que te-
cha boa conducta, e com pratica de taberna, nao
se olha a dar bom ordenado : a trwar na roa Im-
perial n. 49.
Os abaixo assignatlos avisac ao r>pei(avel
publico e especialmente- ao eorpo> do conioiercio
desta praga, que dissolveram ami^velmenie desde
o dia 2 do correnie a sostedade ijoe tinham sob a
firma deArmink) A Saraiva, estaoelecida cora es-
criptori j de commissoas, DeaUdo-a cargo do socio
Arminio Pessoa de Albuquenjue o activo e pasivo
e bem como sua liquidagao. Bncife 11 de seem-
; bro oe 1863.Henrique Xavier de Araujo Saraiva
de Mello.Arminio Pessoa de Albuquerque.
Foroece-se couda para lora e em casa : na
ra da Cruz n. 7.
Precisase alagar urna esrava que saba fa-
zero servigo iuterno diurna casa de familia, ex-
celo co.-inbar : na ra.da.Madre de Dos n. 36.
pnmeiro andar, ou4na ra da. Cadeia n. 32, ter-
ceiro andar.
iiistiliiio rehcoltt^ico e Geographico
l'einumbucano.
Havera' sessao ordinaria quinta-feira 14 do cor-
rente, as 11 horas da manha.
ORDEM DO DA.
Traoalttoj e pareceres de commissoes.
Secretaria, do Instillo 12 de setembro de
do
J. Soares de Atevedo,
Secretario perpetuo.
urna negrinha com 16-. annos de idade para o ser-
i vigo interno de urna casa de familia : qoem pre-
lender dinja-se arua do Kangel n 60, seguado
;andar ;_____
Aluga-se
um sitio em Cachang, com boa casa de vivenda,
cozinha fra, ca>inha para feltor, estribara e co-
! cheira, com bastantes fructeiras e banho perio.por
W65.; mdico prego : a tratar na ra de Apollo n. 38,
Ama
armazem.
0 TO BRflZ.
To Bras,.
PERSOSAfiESS.
Simoes.
ALFANDEGA.
Re.udimento do dia la 11......
.dem do dia 12...............
109:368*913
17:133293
!2C:304*08
Consulado provincial
Pela mesa do consulado provincial se ftfz publico
aos devedores dos tmnostos rreca rnento perteneentes ao exercieio lindo de 1864 a
1865, que no ultimo de setembro Bnda-se o praso
marcado para a cobranga de seu* dbitos, flcando
sujeilos os que nao paguem al aquella da, alem
da multa de 9 0|0, a seren remettidos para juizo
afim de serem executados.
Mesa do consalado provincial 31 de agosto de
1865.O administrador,
Amonio Cameiro Machado Bios.
De ordem do lllm Sr. inspector da Ihesoura-
ria de fazeoda desta provincia se declara aos Srs.
Ignacio Francisco Cabral Cantanil e Francisco
Martins dos Aojos Paula, fiadores do ex-pagador
alongado desta thesourari Manoel Jos Teixelra
Bastos, que na forma da circular do thesouro n.
36 da 25 de malo de 1860, Ihes fica marcado o pra-
so de 15 dias, contados desta data, para ultimarem
6 negocie da moratoria que Ibes foi concedida pelo
mesmo thesonro.
Secretaria da thesonraria de fazenda dePernam-
fcuco em 6 de setembro de 1863. Servlndo de of-
flcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Z Borrteo..................... Teixeira.
Joanaintia...................... D Eugenia
iiknominai;ao dos nmeros dr msica.
1" O recrutado.
2o Dueto campestre.
3o Menestral da aldeia.
4o Dueto marcial.
5 Menestrel da aldeia.
Comegara' as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS,
(JUROS
#
MARTIMOS j
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
FGADOceBACALHAU
^S/ATEtfS*
T
m
de
eo processo de C&errier, pharmacrolico
Paris, ra do Faubourg Monlasarte 21.
iraos. Este oleo de um cheiro agrdate^ e^
sobre navios e seus carregamentos-e contra fogo em I sabor assucarado e O uniSO que Bao tem
edificio*, mercaduras e mobilias: ao seu eseripto-1 nem o. goslo, nem o cheiro do peixe. Ob-
J'Q- ra do Vigario n. 4, pavimento terreo. j ject0 g numerosos relatorios SCientiGco
Manoel Jos Kodri^es Brag^ Portoguez, re- j mdicos, e6le medicameni que goza em
tiraje para o Rio de Janeiro._____________I Frantja de um successo tao raro como bem
pelot
Precisa-se de urna-ama forra-ou captiva : na i merecido, receitado iiariament
rua,Harga do Rosario- n. 35 sobrado.________ \ prititipaes Huaicos dos hospitaes d$- Paris.
Precisa-se de uai menin. portugnez de 10 a j O OLEO de figado de b^calho de^Nfecta
l annos de idade para eaixeiro de taberna : a
kMoar na roa Diris n.
M0V1MEM0 DA ALFAPE'JA.
Vulttrnet! entrados cora fazendas....
com gneros.....
Volumes sahidos ce ra.fazendas...
c.n genefds...
____ 439
42
687
------ 729
Descarregam uo dia 13 do corrente.
Patacho inglezEa^fcfarist&a de trigo.
Barca inglezaLancatimfarw.ha de trigo.
Hiate inglezSea treeze-mercioriis diversas.
Brigue inglezA/6ion mereidorias diversas.
Barca ngleza -IWioaer mefeadorias diversas.
Barca francezaIfauncfarfriha e mais gneros.
Barca nacional Valle -charque.
Patacho oliandezAntje Havercult^anlo.
AVISO
COMPANHIA BiiSILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado-dos portos do sul
at o dia Mi de correnie, o vapor
Parnni, commandante o capitao -
de fragata Antonio Joaquim do,- Joao Luiz da Gosta RAe.ro, subdito
Santa Barbarav o qaal depois da; *>*> .Earop tralar da sua saade.______
demora do cosame seguir' para os portos rtc-i Haliqua Abralian naaral do Tnger relira-sa i
norte. para o Rio de Jbaeir-o.
Desde j recebem se passageiros e engaja-so _'
carga que o vapor poder con/hr, a qoal deven' -* instando ao abaiso assgnado que alguetn.
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-1V parte de ^ua mai procura vender a casa ler-,
mendas e dinheiro-a frete ate o dia da sahioa as a ru^Augusta a. __ a oui
2 horas : agencia ra da Grtiz n. 1, escriptoeto de
Prcecisa-se de ama ama, qee saiba cosiaXar para
casa de hornera solteiro 3 aa ra da Cadeia do
Rccfie n. 53.____________________
Arrenda-se urna eai em Santa Iherexa de
Olinda, ruada SQzala,.ccm 2 salas, 4qoartos e
boa cozinha, tudo por l.} mensaes : .'. fallar na
casa immediata. _________
No dia M> do corrale furtaram da ra da
Praia um burro caslanho, castrado, de tO annos de
Idade, cujo burro tem a marca J. S. I no quarto
direito, e estava.carregado com cangalh de ferro
e 8-arrobas de carne-: quem fli-lle dur noticia cer-
ta ao Sr. Antonio C. Moreira Temporal >' rna da
Cruz n. 30, ou ao engenho Boa Casta da freguezia
do Cabo, ser bem recompensado.
"^T Precisa.se de-stma ama hau%Uada para todo
o servigo domestis : qnem estiver nestas condi-
goes dirijH-se a roa do Trapiche :. 13, ou na So-
ledade, rua.do Pvogresso n. 7.
- Na. praga da IndependeciaiB,- 3, loja d ou.-?.
ves, comppa-s ouro, prata, gadras preettas a
tambara se faa qualquer obra, da ft-foinsBosia e
odo a- qualqnwr concert.
-. ----------
.*.!'CaCt,
o. PEBBiT.iNoso emprega-se com sfnaiores
----- suceessos as molestias em que se emprega
"ooleo quando sao acompauhadas de debili-
dade atona.
GRAGEASdeCUBEBINA
comCOPABAdeLABLOKYE
ao navegantes).
0 pbarol da torre de S. Juliao da Barra de Lis-
boa ser substituido por outro lenticular, que op-
fioriuoanaenle se descrevera.
Em quaot aao se estabelecer o novo pharol,
Collocar-se-ha na torre de S. Juliao, tao dia 15 de
agosto prximo futuro, ara luz de porto cora lan-
leraa eaoparttaoleaticular na mesma altura da
amiga luz, e que se avistara' m bom tempo, a 8
"'secretaria de estaio dos negocios uo urinlta.e
^marGdejulhode^.^^ _
Antonio Rabael Rodrigues Selle
An*g10 tulrttetJrrTClra- Aaevedo 4 C.
Para Porto
Segu brenraenle com a carga que tiver a bor-
do, a barca, portugueza SympaMa, quatn quizer devij para ar.|hes 0" quinhao que por lei Ihe per-
tenoesse da parte de seu pai, que
Alecrim n. 20 da freguezia de S. Jos desla cidade
o mesmo abaixo as.sgnado roga que ninguem faga
negocio algom cora laes casas, visto que tendo el-
la sido tierdada por dita sua mfii do av do abaixo
assignado e ao depois uasando-se ella e morrendo
seu pai,sua mai nao procelera ao inventario como
carregar o ir do passagem, dinja-se a Bailar &
Olivera, sisa do Vigario o. k, para tralar.
PARA O
Rio de Janeiro
Qrelende sahlr oestes 15 das a barca nacional
fe; para carga, passageiros e escravos a frete,
Jfrvid Faareira tsalttr, aa na do
"oltao da tnescaa barca.
tenha direito a
meagao do casal qae devia ser devolvida ao abai-
xo assignado como seu nico fllho. Recife 12 de
setembro de 1866.
Antonio do Carmo Berreir-
escrTpt^ikI
Estes confeitos que tem por base o prin.
cipio activo dA vrimeira cubeba jauto com;
a cupahyba pura, nao nausen o estomaga.
El I es fazem parar immediatamente asmis
rebeldes gonorrbas, mesmo as que res-sti-
ram a cubeba o a cuoahvba isoladamente.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as agoorrheas
sokratr0 aoligas e recentes, uoico deposit fia botica
[BtuT n- 66, oWH
Alnga-se para ecriptotio o I- w*r
a. fli da roa da Cadeia : ttaiar v> ieguwlo aa- iraoceaa, ra da Cruz n. 2i, e
dar do mesmo. de 3;?,
lo pre^o
Franci-fo Garrido, aalffio proprieiarn exhote
Trovador, silo na rna riy iiUtsai io, de vo)i>4e sua
viagein i' Europa, avisa :i seo* numorosos- (n-gue-
zes, tanto desta capiiat como do centro A provin-
cia, ojn ^e acha notaaeiii.- HSlalwlwido na mesma
ra laica do Rosara, u. '(7 com um hoktl denomi-
nado Tiaviata, ixula wiiarao os >-is- lo-iiuezes
sempr^ :. melhoi ventad para l":in i-> m rvir. a
par ae i-xie'Hnv.-s vturmy rapios !'":> comida,,
qor no mesmo eslabeleciuiento, quir para fra, e
dentro da cidade ao$ que nao ipiD'eiem on nao po-
derem vir a. seueslabeleuiiiieiilo, sendo pelo prego
mais. mdico que tm oulra qualquer parte. No
mesmo eslaheleciment acharad os seus freguezes.
buhares para reorearem-se, bem como sorvtie lo-
_______das as noiies para ^e^esca^era^se
Ama.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e en-
gommar : na ra de Hortas n. 1._________
Aluga-se a casa n. 6 na ra dos Coelhos,
junio do sobrado do Anacleto, com 3 quartos, e a
chave para ver est na taberna de junto, e para
tralar, na mesma ra na ultima casa em concert
defronle do hospital Pedro II.
Comrala-seTveda"de"50~a 60 pipas con
excellente mel do furo : a tratar no esenptorio de
Jos Pereira Yanna. na praga do Corpo Saulo nu-
mero 0,
%*,
>
.
:





......
_____
-
1
"
"_>"-
r



Diarlo de t eraat-ftQM .-. 4|u_r
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOfUSADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
na Sanea era dinheiro, depositado nos cofres do estado, gara ale a boa fk
ministraco da companhia.
BANQUE1ROS DA COMPANHIA
i Banco de Hespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid: Rua do Prado a. I
LIQUIDACAO GERAL
NO
GRANDE ARMAZEM DA EXPOSIQAO DE LONDRES
_
Ra da Cadeia do Recife
60.
Todos os artigos abaixo mencionados foram comprados recentemente pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
Estacompanhia liga pelo systema mutao todas as combinares de superviene* dos s.gu de par8j ^fa^ Birmingham, Mancliester e ein diversas cidades da Alletnanha, e tendo comprado ludo as melliores condicoes
SObr* Ne!ia*p6de setazer a subscripcao de maneira que em nenbum taso netae |ci n e n. dos P<>r ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mui principalmente por querer inleira-
gwado se perca o capital era os jaroscorrespondentes a estes. mente liquidar e ler de partir mui breve para a Euro, a.
Sao to su prebndenles os resultados que prodnzem as sociedades da ndole deA NACI Ha neste vasto armazem ric s objectos com brilhanles, como botoes, atinis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
DAL,que anda
ces econibnaad
para seus calculo
de 100# prodnz em effectivo metlico:
linoiicuucuioa us icauwuuo ijuc (uuutoiu u mwcumh ui iuwii ". *.v,.v. Ild ncsio \as\u di mu/.t lll | iu S DVJOBMM HHI M IIIIUIHCS, LUIIIU IJUlUe
a mesmo dirainuindo urna terca parte do interesse produiido em recentes^iqu^dai ouro> como trancellins, correntoes, anneis e muitos oulros artigos, relogios de otiro inglezes do afamado fabricante Bennette; corti-
ios'et|,iqnuidanc5esa, emtegurtdo L idaWe I ai^a-oTo^mp^i^^^ P,et0 sortimenl de fazendas Anas e modernas; miudezas, perfumaras finas dos principaes fabricantes jnglezes e francezes, como L.
No fim de Sanaos.......l:119300
> de 10 i.......3:9425600
de 15........11:2084200
de 20........30:2564000
de 25 .......80:3314000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mas cousideraveis.
Prospectis e mas ioformacoes serao prestadas pelo sub-direclor nesta provincia.
Joaqnim Fiuza de Olivera, ruada Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperalriz D.12,esiabel
ment dos Srs. Uay mundo.Carlos,Leile & Irmao.
OS PARAGU _
E' a ordem do da Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
fado e a punnai de que se trata; mas
ninguem se Irmbrou anda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com elles a tacao e a pinta
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca t< eos.
quebra marmore e outros que se vendem
45 RH DIREITA14
Borseguins Bordeaux...... . 8*000
patricios......... bfSOOO
para senboras, en-
5,5500
com laco e fiveJla .. 4s00
5J0CQ
Bjrseguins para meninas bom
30000
Sapatos de lona, sola elstica. 2*000
avelludados......... 10600
.0600
econmicos para se-
,$500
> com salto de lustre.. 20240
Camelos do Pono.......... 1600
Um completo sonime; to de calcado da
trra para bomens, senhoras B meninas;
(.'oas
W
m
m
j_
m
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, manoquins, taixas de telas as quali-
dades, utas para sapateiro, muto sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cohica ao comp ador pela baratera.
Casa de banhoa
Largo do Carino a. 26. ."'.
Este estabelecimento lo i>ein montado $4-
na sua origem achava-se ae ha muito *m
em qnasi completo ahandouo pelo punco d3
interesse de sua arimlnstracao.
Hoje que o novo proprietario empre-
gou iodos os meios para rvttabeler a
9B grande iiiiii'i.nH desle estabelecimento,
2h? pode assegurar ao publico que qualquer
T^i que soja o numero dos concorrentes
je achara*- desde j promptidao e aceio nos
bauhos Irios, momos ou medicinaes. a
casa dos hanhos se achara aberta todos
das das 6 horas da manhaa as 11 da
noitc.
Preeos.
Bauho de choque....... 500
Dito fro oo morno..... 500
Dito de farello........14000
Dito medicinal sera se-
gundo sua qualidade.
Asignatura.
Por me;, banhn fro ou morno. 104
25 carloes parabanho fro, mor-
no ou de chuvisco..........104
12 carloes para os mesmos... 54
12 ditos para banho de (arello. 104
a*ac
m
S_R
m
w
m
m
_
m
{i
ne
preciosas e objectos
ouro.
Mauricio Selbeberg & C, Polacos, par-
tictpam ao respeilavel publico, que aca-
ban, de receber un grande sorlimculo
de Joias e brilhanles, como
gios, tranceln?, aderecos
neis, cadtias, pulceiras etc.
quanto diz respeilo a joalhei
(o o mate razoavt l possivel, e mesmo
troca e compra objectos de ouro, prala e
diamantes por objectos novos : na roa
do Queimado n. 29, entrada pelo larpo
de Pedro II n. 27, de manhaa al as 9
horas, ea larde das 4 horas cm diante.
Os objectos vendidos pelos annunctantes
sao garantidos por elles, e es lio ptoroptos
para levar objectos as casas das pessoas
que desejatem comprar, urna vez que
nao fossarii vi i ,- sen estabelecimento. yS.
m mmmmm mmm
Samuel Power Joliiislon (lompaittiia
Kua da .Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Caudillo deLow Hoor.
Machinas a vapor de i e 6 cava I los.
T. P1VER. Lubn, L. Legrand, Ed. Pinaud & Meyer, Deletlrez (Perfumere du mond lgant), Violet, lciet Hygienique, Mompelas,
Mailly, Regenier, P. Guelaad, e inglezas de Eug. Rimmel eoutros; ricas galanteras em marfim, madreperola, etc.. fabricadas na
China e no Japo; ricas pecas de crystal fino como anda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
ditos para gaz e para petrleo, serpent as, casticaes, enfete e adornos para cima de consolos e para grande loillette, o que se tem
feito de mas elegante em Pars, Londres, Birmingham etc.; modernos apparelhos de metal fino inglez para checaf^QS quaes em
nada s3o inferiores prala.. e muitas mitras petas do mesmo metal, ricos penles de tai taruga da ultima moda para triacas de senho-
ras, excellentes luvas de pellica do afamado Jouvin, apparelhos de porcelana fina para cha e caf, ditos para jantar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como ricos vasos para llores, figuras, ele; calcado ios principaes fabricantes de Pars e ditos de pan-
no com sola de borracha, pianos dos celebres fabricantes Pleyel, Wolff & C, realejos modernos de Gavioli & C, para se tocar na
ra, dilos com figuras para sales e ditos com figuras em movimento; modeuos e bonitos instrument'.-s de physica (mgica) para
theatros ou sales, ditos de phantasmagoiia ; lanlernas mgicas, cosmorainas com vistas novas, dia e tioile; stereocopios de nova in-
vencSo e com bello sortimento de vistas das priiicipaes cidades da Enropa; grande sorlimento i brnquedos finos para i riancas, e
bonecas fallando papae emame grande sortimento de candieiros a gaz, o que se tem feito de mas elegante e que tem
merecido toda a aceilacao na Europa, grande e magnifico sor i ento de ca xilinas, cestinhas e outras galanteras foitas d crina e seda,
proprios para presentes ; grande sortimento de estampas fin >s coloridas com o funda preto e de outras de todos os santos, ditas com
figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, linos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chalar de crystal
propro para meio de mesa de jantar ou para jardim; cuidara fina, como talheres com cabo de metal lino, colheres, thesouras finas,
ditas modernas para alfaates, navalhas finas, caivetes e outros arligos, diversos artigos feitos de rame ; completo sorlimento de
mascaras de ve.'udo, setim, cera, papelao e rame doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos
*3

violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras ecas de charlo para loillette; machinas para varrerocho,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, graodes e pequeas ; lindos baiesde papel fino transparente e lanlernas
coloridas para illuiuinaces moda de Pars; salva-vida de borracha, p;ira bomens e senhoras, proprios para quem toma bauhos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, bscou;os inglezes em latas, quejos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los sera um nunca acaba!, e todos se vendem barato e muto barato, no grande armazem da Exposiciio de Londres, na ra da Ca-
deia do Recife n. 60.
NO GRANDE AR
MAZEM.
EXPOSICAO DE
LONDRES.
Para completa Iquidaco vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muto finas e novas chegadas recntenteme
de Pars e de Londres dos mas afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Aialheus &C, Lubin, Sociedade Hygienica, Piver,
Violet, L. Legrand, Deletrez, Pinaud & Meyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sortimenlo d'agua de
Moendas e meas moendas para engenho. Colonia em vidros c garrafas, agua de lavando, agua para limpar dentes, oleo babosa, extractos em carraLhas e vidros de difieren-
Taixas de ferro Coado
nho.
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Ma. hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
e bando para enge tes modelos, pos para limpar denles, banha em p.des e em vidros, pomadas, ricas caixinhas ebalainlos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos outros artigos que se vendem per menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposico de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
___i
IETKATSTAS
Firmino & Lins
1
i
I
__
Ricos e modernos penles de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui Jar, no grande armazem da Exposcao de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
I-IJVAS \0% AfS SIE JOUVIN.
Vendem-se excellentes luvas de pellica, recentemente chegadas de Pars, tanto para homem como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande armazem da Expsito de Londres, na ra da Cadeia do Recife n. 60.
PHOTOCm I III fc.
No grande armazem da Exposcao de Londres, roa da Cadeia do Recife n. 60, ra da Imperalriz loja de Mr. Dubarey n. 8
seus pertence na
na ra de Horlas,
SMsns&xiiKsxHr
0 Dr. Cosme de S Pereira conti- Sf
oa a residir na ra da Cruz n. 93, B
Io e 2o andar, onde pode ser procu- a
rado para o exercicio de sua profis- "
s5o medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2* de peito:
3 > dos igaos geni-
ti urinarios.
Em sen escriptorio os doentes se-
rio examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas lodos os dias das
6 as i0 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
M cao que julgar conveniente para o
I prompto restabelecimeuto dos seus ]
8 doentes. g|
mmmmmmmmmmmmw
Aluga-se a padaria com
rualmperal u. 199 : a tratar
aberna n. 2.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinbar : a tratar na ra estreita do Rosario n. 12,
primeiro andar.________________________________
Pharmacia especial homeopathica, do
Dr. Sabino Olegario L. hnho.
RA NOVA N. 4.
Vendem-se por prejos comraodos, os mclhores
medicamentos botneopathlcs em glbulos e Unta-
ra; vidros tubo?, glbulos inertes, chocolate lio-
meopathico, escovas electrcaij, apparelhos para la-
var es olhos, ele, etc.
Vende-se o Thtsouro hopeopathico, a inelhor
obra que existo para a patrala da homeopalhia.
O Dr. Submo da' consulta todos os das uleis
desde 10 h ras do dia at dujss horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as circums-
tanclas a= exinirem.
Os pobres sito tratados gratuitamente.
Saques obre Llaboa
Manuel Ignacio de Oliveira & Filho facam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Sanio n. 19.
| loao da Silva Ramos, medico pela Unr ae
i g versidade de Coimbra, d consultas em tff
\ g sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e &
fdas 4 s 6 da tarde. Visita os doentes ?&
em suas casas regularmente as horas j*'1
para ssu designadas, salvo os casos ur- ;?"-
p gentes, que serao soccorridos em qual- i?
Jgj quer occasio. D consultas aos pobres ."s?
p| que o procuraren! no hospital Pedro II, $
$ aonde encontrado diariamente das 6 tr*
Ms 8 horas da manhaa. j*;
Tem sea casa de sade regularmente jjk
fi montada para receber qualquer doente, \*?.
:M anda mesmo os alienados, para o que &
ff tem eommodos apropriados e nella pra- H
ftica qualquer oper_jo cirurgica. *;-;;
Para a casa de sade.
Pritneira classe3^o0diarios. K
f Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bem acredi- *5
| tado pelos bons servicos qne tem pres- !?$
O proprietario espera que elle conti- R
| nne a merecer a confianca de que sem- 's-a
pre tem gozado. tos
m
m
m
m
O Sr. Joao Miguel de Oliveira Beraido quera
dingir-se a ra Nova n. 60, a tralar de negocies
que Ihe direm respeilo._________ '_________
fouho
DE
... v. i I i. I Trapiche Novo das "9 horas da manhaa at
Anda se acha fgido o escravo Agosttnho pardo, j no f At lnrAa "uaa ovc
com os signaes seguintes dade 30 annos, "Mgo
de um olho, baixo e grosso, piuca barra e
Rovo eslaliel cimeolo de
los i r_a Xova 11. 15, Io an- B
dar, junio ao Sr. Gaulier, S
icnlisla.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas ^B
da manhaa as 5 da tarde, quer chova ou g$
nao. mu
Tambem se offerecem para tirai reir-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra Jg
da cidade. 2S;
Os annnnclantesdesejando acreditar o
seu eMabelecimento, garantem ao publro
que nenhum trabalho sahir de sua ofHci-
na.sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do fregoez. wj
mmmmmmmm
_y:cisa->e de orna preta captiva para vender
na ra : na ra larga do Rosario u. 3o, sobrad^.
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da roa da Imperatrlz n. 3o para o
sobrado grande n. 2 delronie da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade podem ser entregues na botica
do Sr. Joaquim I?nacio Ribeiro Jnior na
praca da Roa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
& C. na ra da Madre de Dos, ou no ar-
mazem de viera Raymond d C. na ra do
!<* *$ e na mesma rua lJa de miudezas n. 54, vendem-se excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
is 4 da tarde.
rima,
puxa por urna perna, tendo um inrtiaco junto ao
estiiinago, levou vestido roopa branca e calca, sa-
patoes para pascar pnr forro, dando o oome troca-
do ; j foi visto em Ulinda, Pasmado e l'e-tras de
Fog", tricando inoedas de ouro, e vai com destino
ao serto Parabyba ou Campia Grande fol es-
cravo de Luir, de Albuquerque Maranho. senhor
do engenho Aldei.i da fregueiia de Pao d'Alho,
veudido pelo ag-nt-. Simoes a Francisco Men' A
pessoa que o apprebender, i|ueira conduzi lo a rua
estreita do Rosario q 43, primeiro andar, que se
gratificar generosamente.
Arrenda-se por 3 a 9 asnos o engeuho de-
nominado B'K'ca da Malla -Im to termo de Santo
Antau, a qualro leguas da cidade da Victoria, com
trras suQiciuoie.", podeudo o rendeiro plantar
tambem nos fuudos dos engento s Minhocas e
Ronda, contiguos ao dilo engenho Hueca da .Malta,
cujo proprietario tem parle nos referidos enge
nhos Minhocas e Itonda : o prelend-nle ao arreo-
damento do engenho Hocen da Malla de ver pro-
curar paraos esclareciuieios que Ine fon-m ne-
cessarios ao administrador do engenho Minhocas,
que Ihe dir com quem tratar do arrendamento e sua< condi($e8.
mm mmmrnm mmmwm
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
tos contina a morar na rna do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
0 mesmo doutor, que se tem dado ao
estado tanto das uperaeoes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, qaer para dentro quer para fra
Mk da cidade.
I
Criado
Precisa se de nm criado : na rna do Queimado
n. 12, primeiro andar.
Ausentou-se de casa no da 28 de agosto pr-
ximo passado a escrava Ignacia, crioula, cor fula,
beicos grossos, dentes limados, estatura regalar,
cheia do corpo, idade 28 a 30 annos, levou vestido
de chita encarnada, chale de la preto veiho e
rnai< algnma roupa de sen uso : na rua da Penha
n. 17 se gnilicar.
Precisase de urna ama para casa de fim:i
de duas pessoas, qne compre e eozinhe : ua iuh
da A-umpco u. 00.
Nos acungues
de Santo Amaro
Campo de Sant'Anna e Rraga.
Amarante.
Vista geral de Guimares.
Porto, rua de Santo Antonio.
Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Rarca.
Coimbra.
VISTS DE PERNAMBUl'O.
Tiradas na occasio em que S. M. o Imperador aqu esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no dia 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Theatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre d i Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua do Collego com a tropa.
Paleo do Collego com o palanque.
TItEM A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invenc3o com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como:
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc.. etc.
Vendem-se barato para lquidaco no grande armazem da Exposico de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua da Im-
peatrz loja de Mr. Dubarry n. 8, e na mesma rua loja de miudezas n 54.
Fabrica de chapeos de sol.
R. 22 Rua do Queimado 22
Nesta fabrica arha-se sempre um grande sorti-
mento de chapeos de seda, ingleza e franceza, al-
palka, brim e panno, ombrelas para senhora, de
seda e chita ; tambem se acha na dita fabrica ben -
gallas, chicotes, fumo, cachimbos e chupetas : to-
dos estes objectoi se vendem por preco mailo
commodo; cobrem-se tambero chapeos, e faz-se
todo concert perlencenie esta arte.
Aluga-se urna casa terrea com 2 salas, 2
quartos, cozinha fra, na rua do Socego o. 47,
I Campo-Verde, e oulra dita com os mesmos eom-
modos, na rua da Amiade, ua Capunga : a tratar
: na rua do Rosario n. 56 em frente a roa do Aragao.
Precisase alugar urna casa terrea no bairro
I de Santo Antonio, que lenha quintal qni> pos a se
fazer urna estribara para dous cavallos : a tratar
nesta tvpographla.
mmmmmmm
O bacharel
fexK &;_
Francisco Angusto da Cosa
ADVeCADO
Rua do Imperador numero 0*9.
j'- M-W-3
m
interno e
: na rua
D'IODURETO DUPLO
oe FERROeQUININ
Os elementos que compoem esta preparaco
ferro, o iodo e a quina, a collocte no primeiro
.grao das preparaedes ferruginosas. Basta ai testar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prticos mais eminentes,
que confirmarlo sua poderosa efficacia as se
guintes alTecces:
Mlno <> auuar,
Frailar.
Anemia,
Chloroi.r su Irl.rlrl.,
Mrmirna,
AfrcfOr la ulrra,
Snpiirror< dan re-
ffraa c alcaurdcaa aa
nmatrua^ia,
Afrccca pul man nr e
phtklalca,
Maleallaa _'ri4a*a8;a,
Gaatralslaa,
rerda d'a|>pctl(c,ete.,
Canvalencenf ade lan-
ga* naalealla,
Malenllaa caerofMlo-
aa,
Paaelra,
OliMlrurro dan gln-
dula*,
Ilufiarm ft-laa,
Taatarea aran coa,
Rnrhlllxnio.
Afcceoc caarerMM
e ayphliUlcaa,
Fbrca <;|iIii>IiI,-n.
iuilKn. etc., ele.
recentemente abeitos na rua
e na das Larangeras n 31
encontrar o publico, do dia 11 do crrente em
diante a melhor carne verde possivel, sendo cous
tautemente a de superior qaalidade de 160 rs para
baixo a libra ; garntese a fidelidade dos cariado-
re.-, assim como protnpldo em bem servir aos
compradores. __________________________
__ Precisase de ama ama que tenna bom lulo.
paga-se bem : na rua do Rangel n. II.
Vej&o-t'. os buetins de tlterapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Cazeta
doi hospaet de 38 dejulhoi&W, etc., etc.
Alm das pulas de lodureto duplo de ferro e de
quinina le febilhn, os Mdicos aconselliio
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
[essoas que n5o goslao de medicamentos sob fr-
p-i p'ln'ar c os meninos. Este xarope nao tem
... ,:. v\-dui\ied'iodurptode ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nSo nider conservar.
Peca-se o folheto qne se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitaren) falsificaces, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEMl 91 PElOTAlffBrCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, rua da Cruz d.
22.
DE vWASALAN
lUWias di
As paftilitas dUjcstivas cota a pepsina de
tfojman, emprego se com successo b j
alguns annos pelas celebridades medicaes de
Pars, l.oiidru.^ Vitalia, ele, cm todas as in-
cnniioiiladisseip as qiuesadijjestao dil'ficil,
penosa, ni|Msreim ou mismo imjiossivcl: es
o melhor remedi' |ra eural as.
Gaatratjrfn, Ularrlu-aor a ronatl-
Dlaaeuwlua, S pradnoldaa
Eiubai4r*ii'"(rlrafi palaa elanifruern
A gaitell.-, .tcfrlIvaaaMdnaall-
Aa jif.-c-ru--. arannl- .nrnltia.
raa da lamas,
Sua aceflo vivifica o sanguee os rgos de
tal sortc que, ath as pessoas que sem soffror
as ulc.cvoes gasiucas cima mencionadas sao
nicamente Iracas ou d'um tc:npcramenlo um
poueo dbil, u neccsslo substancial alimento
para fortificar-se, aclio no emprgo das posif-
has de pepsina de Watman,nm poderoso meio
para a isso ehfMc.
Aviso imprtanle.0successo das pasiillias
i pepsina ile Wasman deu causa a se faserem
falsificacocs C imitaces d'cssc producto que os
mulos se qncrem desfazer. Pois por flta
d'uma boa prcparaeao a pepsina anc n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'esle
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilkus tcnlio as iniciaes B. P. c saio da
pharmaca Chevrier.
Depsito geral cm Pars, pharmaca Chevrier,
21, Faubourg-Montmartre, e cm todas as boas
pharmacias de Franca c dos |>aizes estrangeiros.
DQENCAS
do^MENINOS
CURABAS KLOI
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Cantra aa COUGAft DOS MENINOS
r aurwlr a atMfdi
Xarope de e.jnogloss de acido mccnido)
N* .
TOttat CONVULSA
NBkVe_
C a TOSSE
(Xarope de cyueglosie e de oleo tolalil de saccino)
n- a.
Cantas aa CO.WUI.cOES
A CHOREA
DOS MENINOS
(Xaropede cynogloMe e de acido voltil de succino)
Estes-novos productos preconizados na Aca-
demia-imperial de Medicina de Pars sao cm-
pregadosoom grandissmo successo pelos mdicos
de branca para o trlamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e vierao cuclier um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
alTcccocs da infancia, pra as quaes, ath hoje,
anda se a&o pode indicar tratamento raconnal-
ncm iul'allivcl.
(Peca-sc o ajrospccto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios..i
Preco do frasco era Pars, 3 fr.
Para se evita rom as falsificares, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assgnalura Ghanteaud.
Dcpsilu geral cm Pars, pharmaca Chan-
teaud, c em todas as boas pharmacias de Frang
c dos paizes cslraugciros.
Depsito geral em Pars, pharmaca Rebillon,
4i2, rae du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes ?strangeiros, etc.
Palas commifides em grosso, dirigirss aos
GJUJNUIiOS
[DE BISMUTH
DB//CHE VRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparaedes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e corar as
Maleallaa de ligado,
AIrirrrla,
r al i I tara da caraca*
Mrea nea ria,
Ma dlReatoea,
Oautrllea,
Gatralglaa,ete.,
Dlarrhraa rbroulraa,
DyaacnlertaS,
narra anlam|a,
Byanenalaa,
Depsito geral em Pars, pharmaca Chevrier,
irritaevea le Wfign e em lodas as pharmacias ae Franca e dos paizes
a ntatria, estrangeros.
S'" WILLAEIT BERGER, comisarios em drogaria, 11, rma
Opprrnfra,
Ddrea de rabee a,
MASSA e XAROPE
DE CODENA
M
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Pars, tem
provado que a Afasia e Xarope de Berlh
0 remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrbo epidmico defluso, coqueluche ou
tosse convulsa, broncbile e tsica pulmonar.
A Maesa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificacn, exigir em<
cada produlo o noiue _
e a Arma Berth.
Deposite geral em Para, eoi rasa do MEfilER,
Rua Stt-Croix-de-ut-Bretiniri$.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SulTocccao nervosa e OppressJie
nico remedio eficaz para eombatter estas mo-
lestias, acalmar um attaqne d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello] do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, nt botica Chanveaud, 54,
rna do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de E1**** e do estrangeiro.
iij-a*re, Paria.
m
a_
*

m
m
m
-tu
m
Pricisa-se de urna ama para o servico
externo de urna casa de pequea familia
das Larangeiras n. 11, segundo andar.
mwMmmmmmm mmmmm
I CASA DE BANHOSa
Rna 4a Cruz n. 17.
*R A abaixo assinada, tem a honra ri
^ participar ao publico que o seu ealabele-
fa* cimento cima mencionado, acha se hoje
^ funecionando muito regularmente, pro-
J^ ido de todas as accuoimodaces necessa-
*?: ras e sobre ludo com algtima limp>-za.
Os -aitoes filmados i>ur meu- anteces-
sores Cedrim & C. serao recehidos at o
meado do mi z casa te rao a firma da abaixo assiguada,
e serao como d'autes (ransroissiveis.
Tabella dos preces.
* { assgnalura mensal com direito
^ a um banho diario a 320 rs.. 95G00
2S 1 dita de 3U carloes transmissi-
S veisa360rs................ 105800
m i\i dita de lodilo>a400 r-.... 000
, 1 banho avulso, morno ou f io on
^ de chovisco................. 500
Mi i dito aromatisado com agua flj-
m ''da....................... 1000 >
Vi medicinaes serao pelo preco que ;e
f% conveocionar:
H O estabelecimento estar' aberto r
|_ das uteis das 6 da manhaa as 10 da noite
| 6.dos dias santificados al i horas aa lar-
Sde, havendo cliegada de vapor estara' _
aberlo por mais algum lempo. *F<
Mathilde G. Lessa. &
wmmmmwmmmmm
-#> Um menino bem educado, de 14 acoos, se
offerece para caixeiro de algn loja de fa^nda :
a pessoa que pretender dirja-se a rua do Impera-
dor o. 38.
Precisa-se de dous meninos que lenliam pra-
. tica de fabrico de velas de carnauba a tratar na
rua da Guia o. 3.
Fogio hontem 5 de setembro, as 7 horas da
manhaa, e preto Joao, crioulo, de estatura alt i
cor bem preta, cara bexigosa. tem nm slgnal como'
de custicos, de um lado abaixo do pello, grandes
calos as mios provenieutes do servico de rfina-
co, bem conhecido pelas divers fogas que-
tem feito : quem o pegar leve-o a roa da Concor-
dia o. 8, refinaco, que ser baro gratificado.
Companhia fidelidade de" segaros i
martimos e terrestres ff
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGKNTES KM riRNAMBUCO i,
Antonio Laiz de Oliveira Azevedo k C, M
competentemente aotorisados pela dlrec- _g
toria da companhia de segaros Fidelida- W*
de, tomanr seguros de navios, mercado- ftf
rias e predios no seo escriptorio rua da Ss
Crui n. 1. |K
Ama seca
Na rua da .'opa atriz o. 15, segundo andar
precisa-sB de orna que tenha acabado a criacao
p?ra tratar de una cianea na qualidade de ama
secca.
i
t

V
*,
i
)
'^


Diario de pcraaiubuco <|uarta lelra 13 Jt ttclcmbro de isa*.
Precisa-se
gar no bairro de Santo Antonio urna casa terrea
!e leona portao, pagase bem : na rna do Quei-
mado n. 46, loja.
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro para fazer o servico Interno da casa, pre-
fere-se de idade : a tratar na roa das Cruzes nu-
mero 43.
I O Sr. Manoel Jos Rodrigues Braga antes de
se retirar para o Rio de Janeiro, queira azer o*
favor declarar sua morada, ou dirigir-se a ra da
Cruz n. 41.
Precisa-se de ama ama na roa do Vi" Grpzas de
gario a. 5 : a tratar em baixo no arma- e 640 rs.
zem. Caixas com 50 novellos de lidia do gaz a 700 r
- Precisa-se de nm, ama para .a,ar, S5- ^^^^^^^^^8^
- Aluga-se muito em conia a loja do sobrado Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
da ra Imperial u. 64, coro bons commodos para Novellos de liuha coin 400 jardas a 80 rs.
familia j a tratar no roesmo sobrado. | J|i>ros para asenlos de roupa lavada a 100rs
- FurtaFaVno daTfdo coYteTeirbadru- ""^8 EL ('"^oJaenda rica a 120 rs.
gada, do cercado do eogenho Tapera, fregaezia de I nfl e U Cosluras inferiores qualidades a
Jahoato, tres cavallos, ara rodado sujo, uovo, de i r..agrta7lon_,
altura e corpo regulares, de cimas cortadas a" faca,'
RIVAL
hem s:ci \MI
Rna do ftueiiuado ns. 41 e &&.
Coullua a vender lodas as miudezas que abano
declara por precos admiraveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelbos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs '
Booets de oliado para meninos a 15000
Ditos de couro superior fazenda a 15300. ^ (,ue nt'8uc'a'r' em pequeua escala com azeu-
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs I t'ue ne?'a '^a e aru)aIem encunlraro um
Meiadas de liona fioxa para bordado a 20 e 60 rs 8rande ^"'mei-to por precos que muilo Ibes bao
Caixas com 100envelopcs,fazeuda finaa 600 rs de gradar, Uulo em pega como a retalbo, a
Grozas de peonas de ae.>, lazeuda .supener a 500 rs. J n A i n rs u r, r> r,
unos a oo e Cambraias de forro a 2$000
Grande liquidado a diaheiro'
Ka loja e armazem do favo.
Ra da imperan iz n. SO deca-
na & Silva.
Os donos deste eslabelecimenlo lem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimus, s
com o llm de apnrar dinheiro, e previnem as pe
porm crescidas (porque ja deiiam para um e ou-
iro lado), de cauda ripada, castrado, e cum dous
ferros ; um mellada marfim, potro, castrado, galo
pador, com um ferro ; e outro rodado sujo, idoso,
castrado, com um ferro. Suppoe-se lerem seguido
para o Barro ou arrabaldes da cidade do Recife,
bem como Apipucos, etc. : rota-se, pois, as autori- ;
dades deein providencias aflu de seren apprehen
didos os racuciouados cavallos.
"LA MODA ELEGANTE '
Peridico de las familias
Na livraria de Guimares & Oliveira, na roa do
Imperador n. 54, encontraio os senhuies qu lem
procurado especimens para poilerem avaliar de lo
til publieaco, diversos aumeros completos do
mesmo peridico, que loes serio prompiamenle
franqueados.
Joo Quirino & Aguilar & C. couipraram por
ordem do Sr. Antonio Pedro dos Santos o bilhete
D. 1119 da 2a parle da 5" lotera concedida a' San-
ta Casa de Misericordia 31*.
de calligraphia, fazenda boa a
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e iapele a 1500.
Caixas com superiores agulbas a 240 rs.
Libras de la sorlidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
ldlnhas com alneles francezes muito superiores I
i a 20 rs.
Resmas de papel almarjo a 25400 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazeoda boa a 720 e 15.
w!a,s de lesouras cora t09u d rrugem a
Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para enancas a 240 rs.
Pulseiras para meninas a 32t> rs.
Ditas e volias parasenhora a 500.
Frascos de Agua Florida vudadeira a 15280.
Frascos rom superior banlia a 240 e 500 r.
dem de superior oleo babosa a 320 rs.
Caixas com lamparinas para 3 mezes a 40 rs
Varas de babado do Pono a 80 e 14- rs.
Cartas de allineles francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Preeisa-se de urna escrava para casa de duas Grvalas de cores, fazenda superior a 500 rs
passsoas : na ra da Penlia n. 23, andar. Papis de agulhas, fundo dourado, 80.
EI LULAS
COMPliS.
Compra-se eftYctivamente ouro e prata em
onras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ouri ves.
Silvino Guilherme de Rarros compra e ven-
de effectivamente cscravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, tereciro andar.
Ouro e prafa
em obras velhas : compra-se na praca
pendencia n. 22, loja de bilheles.
da Inde-
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas: na ra da Cadeia do iieeife,
leja de ourives no ;rco da Concdciio.______
Compram-se moedas brasileiras de 205
215 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Jornaes para entbrulho.
WBCrETABS
DO
DR. AYER.
N5o ha necessidade niais ge
ral em todos os paizes do que a
purgante que seja ao
Vendem-se pecas de cambraia branca para tor-
ro a 25 : na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Moreantique branca ,
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pecluncha :
na loja do Pavao na rna da Imperatriz o. 60. de
Gama & Silva.
Percates com mofo.
Na loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais Anas percales com lindsi-
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo loque de mofo que larga logo se lave e
liqulda-se pelo baratissimo preto de 360 rs. o co-
: vado : islo s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a 200 rs o
Na loja do Pavao.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
o mercado pelo baratissimo preco de 200 rs., ditas
com palmiohas de seda a 240 rs. : isto s para li-
quidar, assim como lazinhas inocambiques com
os mais bonitos padrSes a 240 rs. : i.-to na loja do
Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos corles de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda
transparente de novosgoslos que servem at para
bailes e partidas, veudeti-se pelo baralissimo pre-
co do 35 cada um por terse comprado urna gran-
de porcao: na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
THESOURO DAS .11.1 IS.
PROVIDENCIA DAS CRIANCAS.
COLLARES ROYER,
ELECTllO-MAGNETICOS,
Chamados collares anodinos de denticao contra
as convulses e para fualitur a dentudo das
atancos, preparados e inventados por' Royer,
pharmaceulico da Escola superior de Paris, suc-
cessor de Uieieau, membro da ucademia de me-
dicina, antiya cusa houillon-lagrange, pharmu-
cetico do Imperrdor, cltefe dos trabalhos chimi-
eos da Escola Polyteclmica, director da Escola
de Pharmacia de Paris, e membro da Academia
Imperial ite Medicina. Raa Suint-Mailin, 225,
defronte da ra Chapn, em Pars.
,lolleiras deujairoquiii, coui casca\eis
e seiti eilcs.
Na ra do Qudinado loja da Aguia Bnn- W*?M- '
n 8 vendem-se coileiras de ma.roquim, t7SS>^S^Z
L0J4 DO BfJJfl FLOS
V Pili tl '.f!t;:i;,:o i,l
r*nt itn-r.idu um fortn cMu cruzr.- oue se
estai iisai,Uo, de diversos goMf ; s quttn lea
ca
pospontadas e com casca veis, ou >em elles
proprias para caes e outros bicliinhos.
reaiat nglezas de ac e douradas.
No novo sortimeuto de'pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vierain
tambem outras Je utetal dourado e bicos
mu bem acabados, e pur (Msas boas e iie-
cessanas qualidades os seos acreditados fa-
bncanies Perry A C, as recommendam a >s
entendedores- apreciadores do bom, valeu-
oiiimoijls de vo'las
cotes, enfeiles para se-
e mais barato do quo
reio
eravado a
A bygiene a sade.
A sade a vida.
As MIS.
Cuantas criancas nao vemos cada da suecum- ,
bir as dores da primeira denlicao 11 Quanias an- uo mesm(J a dlllerenca que lia no preco de
cas e quautos tormentos para as instes mais, que uinas Para outras, por que estas se tornam
lan/L se arreba,ar'. di*0'* dy cuioados, de mais duraveis na wntinuacao de escrever
uinlas vigas, o objeclo querido de sua ternura ? assim nnisniPn. .I^lia. 1" e!^!ei
Guantas vezes nao ternillas sentido a inellicac.a ZnliSfAT- se.fIU,zer t,lisar e
dos remedios eropregados, ues como brinquinhos, """("' dmbeiro a vista : na ra do
charope de denlicao, etc., cujo duro contado dos ueimado luja da Aguia Branca n. 8.
-m-,r com borlas e sem ellas para
cortinados.
Branca recebeu um bello sorti-
A Aguia
ment de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos;
desenlios, cuja comoiodidade do pi'efo esl
em reiacao a largura : acliam-se ellas a ven-,
S> le
um
mesmo lempo innocente, efiicaz
gentes
uis para satas
Pecbincha na loja do Pavo.
Vende-se a mais Gua silezla de algodao fazenda
inleiramenle nova no mercado proprias para saias,
camisas e roanas para meninos seudo fazenda su-
perior ao madapolao francez e vende-se pelo bara-
to preco de 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em
peca com cincoenia e tantas varas, islo grande
pechincha : na loja do Pavo ra da Imperatriz n,
e digno de toda a confianca. i 60, de Gama & Silva.
As pitlas que ora offeiece- LenCS de S(da a *
mo i ao publico preenebem es as, Vendem.e SQ-periores, de JJ ^
condigoes ; pois podem ser tO-, mens e senhoras a 15 : na loja do Pavao na ra
madas pelas pessoas mais fracas ] da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
sem perigo aigum, nao tendo em j Lencos brancas a "2$.
sua COmposirao mercurio nemj Vendem-se duzias de llneos brancos tinos a 25,
outro ingrediente nocivo a sau- jdltos flnisslmos a mitacjio de linho com duas bar-
de, mas sendo COmiJOStO de a- "s fendo uma de cordao e outra matizada fazen-
1 I da que sempre se vendeu a 55 e lorra-se a 25400
VCgetaes mu fortes, sao bastante3 d"*a : a loja do Pavao na iua da Imperatriz
Compra-se na fabrica de cigarros antiga ra dos 1 UmiJ .- m a- ii
Quarieis de Polica n. 21, a 140 rs. a libra. i efllc|entes e activas para purificar os corpos 'n-w de l &llva-
Compra-se carosso (sement) de algodu : no
armazem de algodao de Saunders Brolhers t C,
do caes de Apollo.
Compram-se moedas de ouro hrasileiras de
55. 105, 165 e 205, com 6 por cento de premio, e
tambem pegas porluguezas de 95 e 165 com 5
por cento ; na praca do Corpo Santo n. 4, primeiro
andar. _______________
Compram-se
moedas de ouro brasileiras de 95, 105, 165 e 205,
com 6 | de premio : na ra da Madre de Dos
n. 24.
mais robustos. Os csparlMos do Pavao
fc-stas pilulas exploram e purificam toda ,, .., ,.
a extenso do canal alimenticio, e dio vigor i Vendem-se os UfSriom espanihos com
a todas as partes do organismo, COrrigmdo j as competentes filas para apenar pelos baratiss.
sua acejto viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel conira dr de
cabefa nervosa, enxaqueca, prisao do ven-
lie, hemonhoidas, molestias do figadut fe-
e causa inflammacao frailas CID borlas ft
as membranas mucosas, e cuja Malo nulla fazia J
oesesperao s mais ? Acbar um ineio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliiar os sollrimen-
tos e prevenir as couvulsoes, como tambem lodos
COVadO.' s cidenics que resuliam da primeira denlicao,
| ul o lito que ti vemos em vista alcanzar. "Ha
minios seculos que se punham no pesclo das
enancas collares de mbar amarello para p-eser-
va-las e cura-las de convulses, tmpregava se pois da na rna
desde muito lempo a electricidade medica sem a- "* aua d yu^jnadoioja da AgUiaBian-
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi- -
denle que este effeito saudavel repousa sobre, a ac- JOgO (la IiacicilCa (Itl ClirioSO Cllll etl'tii-
?ao da electricidade, que sola o mbar esfregado vwimwhwwi
pelos rnovimentos do corpo da crianga. Esia in* .. UILIUti.
fluencia constante do fluido elctrico, por iraca ^a r"a do Queimado loja da Aguia Bran-
que fosse, produzia effeitos curativos proporciona- ca n. 8. acham-se a Venda or nrerns ia-i
dos a quanlia d'electricidade engendrada deste mo- zoaves '(...xiia< 1^5 :.j \ ,
do. Esta propriedade elctrica de ambar a que ? V. r ]aS. le nia01,il:
nos temos lido a feliz idea de applicar fabrica- Wue "is duersas pintoras dellas se lormaui!
cao dos ollares de denticao, augmentando a oten- agradaveis VJSlas 6 [Jtiisagens, segundo (n
ATaL^S / ,,,os eleclri,cos d0 ""bar por meio. desenhos que acowpariliam. Na verdade
de os conductores que distnbuem as corneles esse um anlAitavA rotar,!,.
d'um modo suave e continuo. Ir. Itoyer o in- ^f, ""? aUe't<,v'-l en letennnento toim
ventor de duas especies de collares : 1- dos colla-1 ^a.fl be UesPe t a cunosulade, e apura a in-
res anodinos de mbar eleciro-magoelicos; 2 dos diligencia. Os apreciado) es diliiam-se
collares compostos de differentes meues com cor- ra do Queimado, a dita loja da \"uia Brati-
rente volUica. Panindo desle principio de physi- a a a\Q SP|3 Jylfc lr
ca bem .conhecido, que a intensidade d'un.a cor- i I?6 mAJ W81".
rente galvnica est em razao direila da superficie; OUUOS Ciil'Hi'.s yl"d SMllloi'S.
b2L?"SSi que crp5em a pilla' os .collaes A AfO'a Branca acaba de ieceber u u no- i
Royer, chamados anodinos eleciro-magnecos de- v0 e ijn,|n c,iriimn ,k .m^,, .
signados e graduados por oito nmeros differeoles,l'0nfrJ'"a0Q sorilimeni:0 e enteiles os mais
possuem as mesmas propiedades elctricas, com moaera0! e gostOSinletramente agradaveis,
esta s differenca que o effeiio curativo esia subor-,e cmo seu louvavel cuslume os est veri-
dinado ao lamanho dos elementos que os com- deodo baratamente
poem, e por consequeucia quaniidade limidada
d electricidade que engendram, d'onde se segu
que quanta maior superficie apreseulam as perolas
ou elementos, tanta maitrquaolia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e por isso que nos acn
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposigao flexiveis e
poriaieis, podem-se por consuntemente no pesclo
das criancas. Urna rede elctrica cobre sem ces-
sar as partes doridas que sao modificadas lenla-
menle, sem sacudiduras nem
duzem uma cura rpida imped
Assim acha-se reunido com o antigo proced-1 effeilo efficaz
memo '
nbota de diversos gw-ln
em ijatlquer onira pan..
I-'.-ras i garf .
VenJ.-s,. i ,v,s Karr s ,i.. ralws d- bataneo da
on!-olaoao00adu7,. ditas ,)h d,,,s r.ouVs a
o#500, dita para docn 5|100, ia- .i, rKb
a :J5200, dilas de cabo brBc<\ lekcn e
35 T. in recebido variados soitimenio dn balaios
para meninos de eseoU, de forma .Je peixiohos,
paimhos e ootras de diverso gost. qne t o m a
vistai bem se pode, apreciar, e Umbem serv para
o Lilao do hospital portuguez : laas para botar de
diversas cores a 75 a libra : > no beijs-flor
Eacovas para roupa.
\.'inie-sc es.-ovas para roupa muito finas <,.ni
&;ioTarTo7^8p,radMtesa
Papel e envelopes.
Vende-se pautado papel e eaiinhas a
dito di- ior a 700 rs., e
xinha.
C80 rs.,
eomvel.jpes a 6.v. a rai-
segura
a quemeom dinLeiro sel
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Measdela para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na lo;a da Aguia Branca aclia-se a venda
in as
eo
. molba-se o papel e deixa se
? Bff^"SHB& fJH.*e nelle f>0Uia",J -
i commoces, e pro-, PaPel com compOfifo para dar fim
lindo as convulses. moscas, sendo o modo de usar facillimo.
vano-magnticos de metal compem-se de peque- f.as' en^isteiem e morrem. Cusa cada fo-
as perolas de dous metaes differentes, traversa- '"3 *0 res : na rna do Queimado, loja da
por fios conductores que forraam assim pe- Aguia Branca n. 8.
Comprase
um cachorro que seja grande, para nm sitio, e por
isso quer-se que seja valente : a tratar na ra Di-
reila n. 10.
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
menio do ligado que causa a- escassez da
bilis na inflammace deste orgao que pro-
duz derramamento da bilis no estomago ou
em um desarranjo geral dos igaos diges-
tivos.
A ictericia
produzida pela absorpeo da bilis no
i Comprase uma balanca com braco grande ; sangue, dando pelle e aos olhos uma Cr
e^uma pequea que sejam usadas : na roa da amarellenta ; nao smenle dolorosa
Comprase tima escrava sadia e sem acha-
ques : quern a tiver dinja-se a ra Formosa n. 29
para tratar.
perainz n. 60, de Gama fi Silva.
(lambraias de salpicas a 3$
Vendem-se superiores cambraias fraucezas com
salpicos branco* e de cores tendo 8 lt2 varas cada
oiegastro-hepattca, e todas as molestas, peca pelo barato preco de 35, ditas escocezas com
salpiquinhos nnndinhos toda branca a 45 : na lo-
ja do Pavao na ma da Impeatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Tartalana branca a 64" rs.
Vende-se larlalaba brauca muito fina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavao na ruada luiperalriz u. 60, de Ga-
ma V Silva.
mn- ; .7. ...... r----' -...- pvi uus I.UUUUUUICS uub louuaiu assim pe- .-vt'Uli
mos presos de 45, o e 65 por ter chegado uma quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta-
grande porcao para a loja do Pavao: ra da lm- til e flexivel. empregados com feliz successocontra D\e
as convulses, os lorticolis, tosse nervosa, tosse
convulsa, ele.; possuem as mesmas propriedades
e erapregam-se indistinctamenle nos mesmos ca-
sos.
ersos briuquedos e enlreleniment
Cadeia do Recife n. 64.
Gneis hespanholas e da patria
na praca da Independencia n. 22.
YENfiAS.
nao e smente uoiorosa por
-------------i si, porm conduz aos mais serios soffrimen-
compram-se iqS
Para cura-la toma-se de 1 o pilulas to-
das as manhas, isto bastante para mover-
o ventre smene al que se recupere a ac-
co saa do systema.
Mal do figado, febre gastro-ltepatica,
diarrhea biliosa, iudigesto, a nevralgia
para enancas.
A Aguia Branca na ra "do Queimado u.
8, recebeu diveisos brinquedos para crian-
DA PRIMEIRA OENTigAO
E da utidade dos
eos para faciliar
Em poucas palavras explicarei oque sucode da e porcelana dourada para almoc e i til-
ia primeira denticao, fazendo algumas observajes tai'
ZZ^m^iectro-maonetM^^0 estrada,f ^ 'erro, barcas e patos
a erupcao dos denles do leite. > elctricos, apparelbos di metal, looca pinla-
Algodo Para saceos e roupa de eseraTos
da fabrica de Fernao Velho, e de muilo superior ,
qualidade : vende-se no escriplorio de Manoel Ig-OM tic doulcureux, sao todas molestias que
SSCmerdoe^<9llVe'^a,SF,lh0, *"** d0 Corpo Sam tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
' A observaco dos ductos da bilis faz esta
F' R4R ATI^mii) !!! vo1 er ao sa,)8ue com *iue circuia depois
r,t--,.r, ; vem todo o corpo e causa estragos desas-
fcrande liqmdaca(defa/,cn.las e roupa tr0sos saude e produz uma serie innu-
feila nacional, na rna dalmneralriz, meravel de males,
n. 72, loja de Guimares k rnio.', Todos estes incommodos sao curados com
Os proprietthos deste esubelecimento tem re-1 as pilulas do I >r. Ayer.
solvido liqnidarem suas fazendas por precos bara-1 Direccoes minuciosas acompanham cada
tissimos s com o fim de apurar dinheiro, aprovei- frasco
tem as pechinchas. .. ', .,
Vende-se um grande soriimento de chites fran- Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Rna Dircita 15
RIO DE JANEIRO
Das para vestidos a
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se superiores
las para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
es que se ac bem.
Vende-se no escriplorio de Manoel Ignacio
de Oliveira S Pilho, largo do Corpo Santo n. 19 :
Vinhos do Porto muito superiores em caixas de
i duzia e barris de oitavos e decimos.
Muscatel de Setubal da melhor marca, em caixas
de i duzia.
Palmella Unto de excellente qualidade em caixas
de 2 duzias.
Vinhos de Lisboa muito superiores da marca PRR
em pipas e barris.
Cera em velas.
Portadas de pedra de Lisboa.
Azulejos para frentes de casas.
Vende se uma parte e um predio no sitio dos
que serviro de guia s mis de familias, que pela
sua tenra affeicao exagerara a miudo os perigos
da deoiicao, a qual em definitiva uma operaco
da naiureza.
A mor parte dos desarranjos que sobreven)
sade das changas tem por causa o Irabalho da
primeira denticao. Quando o denle faz esforco
para sabir, declara-se calor as gengivas, a saliva-
Cao volta-se mais abuudaute, o somno apilado,
ha febre a miudo, e em geral sobrevem a frouxi-
do do venlre, e s quando esle ultimo symp
toma nao toma um carcter violento mais bem
favoravel que damnoso.
e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na ra do
Queimad t, loja da Aguia Brauca n 8.
Meias pretas de seda para senhoras a
50 res o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
Co de meias preas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preco que Ibecus-
laram e o bom estado em que anda eslo,
comtudo est resolvida
. a vende-las aoO
car-se com ou.ras alfeices StfK. dS! J *g* "KJ" ^
necessario, en. quanto durar, por i mais extre-1 n,?ldS Pretas de algodao, ag< ra pois e apro-.
S6 ma e continuada atiencao na sade da crianca ; e veitarem a qu^lra e dirigirem- e ra do
240
cezas largas a 260,280, 300 e 370 o covado ; ditas
percalias maito finas a 360, 400, 440 e 500 rs. o
covado : isto s na leja de Guimares & Irmao,
Da ra da Imperatriz n. 72.
E' muito barato !
Cortes de la para vestido de senhora a 35.
Cortes de laa a 3#.
Cortes de la a 33.
Aos 3,000 covados de laa,
Vende-se lazinlias de qu.-.drose de listrinhas de
lindsimos padroes a 220, 240, 280 e 320 rs. o co-
vado, vende se assim liarato por ter nimia porcao
e querer se acabar : isto s na loja de Guimares
& Irmao, roa da Imperatriz u. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merino estampado a 25000
e 25oOO, ilos de merino lis a 35800, 1-3 e 55,
di los finos a 65500, 75, 7550 e 85-
Grande sortimeulo de cor es de vestido de cam-
braia com barra, pelo barato preco de 35, 35200 e
35500.
Ditos de chita a 25, 25500, 35 e 35500.
Vende-se pecas de madapolao com 24 jardas a
45500, oi, 65. 75, 85, 95 e 105
Dito francez com 12 jardas a 35500, 45, 15500
6 vS-seum grande soriimento de roW tfEiffM !%&LSl!!!'
para senhora e meninas pelo barato preco de 320,: l*ff '"T "? ?"e"e,Dr,e, barro' as "
' ras qoasi todas proprias : a tralar com Juaquim
Liquidadlo das pechiuckas
no armazem da Arara.
da
por
400 e 500 rs. cada uma : islo s na loja de Gui- i
maraes & Irmao, ra da Imperatriz n. 72.
Roupa feita
Roupa feita
Grande soriimento de roupa feita de todas as
qualidades, qne se vende por precos baratissimos ;
a ruanca se que se vende por menos 20 por cento
do que em outra qualquer parte.
Na nova loja de fazendas de Guimares
i Irmao.
Rna da Imperatriz a. 99.
Jos Goncalves Bellrao, a ra do Vigario n. 17, es-
criptorio.
Vende-se canso de pedra para erreiro a
125 a tonelada e 300 rs. a arroba : na ra do
Brum n. 76.
305
tu-
0 bramante do Pa>ao.
Vende-se superior bramante de hubo do melhor
que tem viudo ao mercado cora 10 palmos de lar-
gura a 25C00 a vara, panno de linho muito su-
perior para lences, toalhas e seroulas a 640 e
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na ra da
Imperatriz n. CO, de Gama & Silva.
Percal' s lisas do Pavo.
Vendem-se as mais bodas percales de uma .
cor a 400 rs. o covado: na loja do Pavo na ra jesde 1ue notem os ltimos symptomas que ac-. Queimado, loja da Aguia Branca n 8
da Impeatriz n. 60, de Gama & Silva. oamos de indicar, ser urgente consultar um me-1 bem vender as brancas
Meias para meninas a 2,500 ,'
Vendem se meias para meninas de todos os la- ..LStes W"** vendem-se na loja do Vi-
maohos a 25500 rs. a duzia, ditas de seda preta guante, ra do Crespo n. 7.
para senhoras a 800 rs. o par, ditas in^zas para
homem a 55 a duzia, isto na loja do Pavao na ra
da Imperaniz n. CO, de Gama & Silva.
Corliiiuilos para oanias.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba- O proprielario da grande loja e armazem
ralo preco de 115 o par. Oilos bordados muito rl- Arara tem resolvido vender suas fazendas
eos a 245, colchas de rusto para cama a 55500 e menos 20 por ceuto do que em qualquer ouira
69 : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de parle por isso venham ver as fazendas e se admi-
Gama <\ Silva. rera dos precos, a saber :
Tiras bordadas e ntremelos. Curtes de cambraia cun barras.
Vendem-se linissimas tiaas bordadas e entre-1 Vendem-se bonitos corles de cambraia branco
meios por prreo baralissimo, na loja do Pavo ra com barras de aifferentes cores pelo baralissimo
da Imperatriz n 60, de Gama & Silva. preco de 35 caa corte.
Chales a 35500 Cambraias braucas.
\endem-se chales de meriu liso, leudo de todas Vende-se cambraia brauca a 35,
as cores e pretos, pelo baratissimo prego de 35500, 45500, 55 e 05 a pega, e de outras
por ha ver grande porcao : na loja do Pavo, ra dades : na ra da Imperatriz n 56.
da Imperatriz n. CO, de Gama & Silva. BreUuba de rolo
Os balees do Pavo a 25500, U e 35500 Vende-se brelanha do rolo com
Vendem-se os melbores bales de arcos ameri- 25800, est se acabando esta pechinclu :
canos, sendo com 20 arcos a 25500, ditos com 25 loja da Arara, de Mendes Guimares.
arcos a 35, dilos com 30 arcos a 35500, dilos para Lazinbas
Enll" .dVd0H l,a,,,an!,os a S22S 3*' SU"l Venderas ais modernas lazinhas chiga-
KgqjgygJ* .***** e >re.e,n c,ora das pelo ulumo vapor,leudo padres mito kX
do Palio n,afne gr"!d'8 afi'/),blrDa,0Jta os se vende pelo baratissimo preco de 240 rs. o
'avao, r i da Imperatriz n. 66>de Gama & covado, fazenda que em outra parle se vende a
400 rs.: na loja e armazem da Arara n. 56.
CONFEITOS
DEPURATIVOS
Do Dr SERVAUX.de Parir
Pharmaceutico de classe, ex-
interno dos liospilaes, premiado
com a medalha de bronze.
35500, 45,
mais quali-
10
varas a
so na
Silva.
Tam
a 15 o paji, e des-,
tas o nico defeito estaretn um uooco tri-
goeirag,______
livalsem segundo
jiua do Queimado us. A\) e 55, loja de
ildezas de tres portas, est quei-
manilo ludo bom ebarato, queni qni-,
zej- ver e admirar venham loja do
UiiiOtlillllO.
As taniisiiihas do Pavo.
Mendemse as mais modernas camisinhas borda- \
das com manguitos, para senhoras, senJo as mais
modernas que lem viudo ao mercado a 45500,-m-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangul-
tos e golinhas pretas a 15, linissimas goliulta de
m^\baln1: bordada a *5 ":;.*'>>""P les >merlp6 estampad' com mTto"deadas,
E'lr 9, r>,1 J,c,ras de, P* en C8.,nbraia e est se vendeudo pelo barato preco de 25 cada
i lo] do Pavao, ra nm> lst0 par, aca*,ar. v T.
Coletas de fustn.
Chiba.
Vende-se grande porcao de chitas sendo escuras
e claras por baratos precos a 240, 26, 280 e 320
rs. o covado, ditas percalas linas a 360 e 400 rs. o
covado, mullas mais de oulrus precos.
Chales de merm.
Desla fazenda ha um grande soriimento de cha-
Ceblas novas
Vendem-se em caixas ltimamente desembarca-1
das, por menos do que em qualquer oulra pane :
ni armazem da viuva Paula Lopes, escadinha da
alfjndega._______________________________
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de uma duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Donro, Doqoe do Porto e D. Loiz ; tambem
tem anc'-retas de dcimo encapadas com superior
vlnho, barris de 5 e 10* m pipa : na ra do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Attenco a pecli'riclia
Sapatos de tranca com sola de ewtica a 1J
par
na rna do Livramento n. 5.
Ilho superior
Vende-se no trapiche do baro do Livramento
no Forte do Mallos. ________________
; : TABERNA.
Vende-se a taberna da ra de Fogo n. 32, pro-
prla para qualquer principiante por ter poneos
fundos: a tratar Da mesma.
Vende-se superior saccas com farinha de man-
dioca da ierra pelo baralo prego de 35500 o sac-
co : no armazem da iromteta da fama commer-
cial na ra do Imperador n. 83.
Vende-se
odepo-ito de charutos d.~< roa do Rosario n. 6, a
dinheiro ou a prazo : quem pretender dirija-se a
taberna da ra Augusta n. 1.________________
Vende-se a taberna sita na ra <1e S. Miguel
dos A togados n. 68 : quem a prete.nder comprar,
dirija-se a mesma, que ahi se dir quem vende.
0 ctistelio de Grasviile.
Traduzido de francez por A. J. C. da Cruz.
" Vende-se este bello romance em quati
tomos pelo baratissimo -preco de 300(
ua praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8. _____
Vende se um estrjVo pardo com"l8 annos de
Idade, fflcial de alfaia. e ptimo para pagem :
Da. ra das Calcadas n. 6.__
' Vende-se orna taberna com r fundos
bastante areguezada, tanto para a trra coi/- .
o malo : .a tratar na ra da Seala Nova n. J.
da Imperatriz n. 60, e Gama & Silva.
Corles de percales. .
Ricos corles de percate com barra, tendo o com-
petente caaveque a 85, ditos de ia a Maria Pia a
65, ditos de cambraia trausparente com barra
bordada a la a 25 ; islo se vende na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Palelols pretos a G->
Vendem-se superiores paleiots saceos de panno
nreto, boa fazenda, a 65 ; dilos sobre-casacos a
125, superiores caigas de casimira de cor a 75 e
85, ditas preas a 63, 75 e 85, palelols de meia
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, calcas PreI0S dc grosdenaples a 185, 105 e 205, e capas
de meia casimira a 45 e 45500, dilas de briro o mesmo prego.
vendem-se colchas de fusio de todas as cores
a 55, ditas de damasco a 45, ditas de chita a
2240 e 15900 cada uma : s Lourengo Pereira
Menaes Guimares.
ladapolao.
Vende-se madapolao a 45500,
75500 e 85 a pega, entestado se,
jardas a 35,3550o e 45500 : na
triz n. 56, Meudes Guimares.
Soulcinlisrqnes.
Vende-se soutembarque a 59. (5 e 75, ditos
55,65500, 75.
vende com l
ra da Impera-
branco de linho e de cores, coleles de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muilo em conta, s com o fim de apurar di-
uheu o : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazeu las brancas na loja do Pava
Vende-se um grande soriimento de madauole?, raes,
chilas, algodozinhos das melhores marcas, ga-
raulindose vender mais barato do que em oulra
qualiuer parte, sendo a dinheiro a vista, na loia do
Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Gama d Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Chegou pelo ultimo v, por francez um grande e
vanado soriimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles minios de pona redonda a imitago de man-
teletes e mnitos com o centro de cor, e veude-se
por pregos muilo em conta por lerem sido manda-
dos vir de conla propria pelos donos da loja do pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Boroools de renda na loja do pavo.
Chcgaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendem por baralissimos pregos: na loja e arra-
*,e,ro, do pavS, roa da Imperat.iz n. 60, de Gama
Cambraias de cres.
Ven lem-se cambraias de cores sendo finas a
320, 360 e 400 rs. o covade.
Casemiras.
Vende-se casemira com lisias a 25500 e 25800
o covado, e mescladas a 35 : s Meudes Guima-
Bichas de Hamburgo
lodos os paquetes da Europa se recebe ;
destas amigas do sangue humano o se 2i
vendem a ireco de pouto lucro s afim ^p
de ter sempre cousa nova : a loja de bar- 0JR.
^ bolro ra estrella do Rosario n. 3, ao p +L,
mda 'fr"ja- m
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
algodao : na roa da Seuzala .Nova n. 42.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Aze'edo &
i C, no seu escriplorio *ua d Cruz n. 1.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
^ a 600 rs.
Grozas de bo'.es de iouga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda boa a 40 rs.
Pegas de (ranga de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas linissimas para (impar denles a 240 e
320 rs.
Pecas de fita de cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tintelros de barro, com superior tinia a 100 rs.
Pegas de cordao para vestidos, lazeuda boa a
20 rs.
Baraliios muito linos para vollarete a 200
240 rs.
Latas com superior banha a 200 is.
Frascos de macag peruia muito tino a 200 rs.
Prascos e pan abulias com agua de Cotona
4 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muilo finos
15400.
Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
uza de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua dentifice superior qualidade a 800 rs.
Caixas cora superior po de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
15200.
Frascos com essencias para lirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160,200,
240 e 320. '
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muilo linas para senhora a
45800.
Golliohas multo finas para senhora a 200 rs.
Caixas cora soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pecas de tila de la para dehruro de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para mminos a li0 rs.
U une eos de. choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
"pachos com i o idos, hoa fazenda a 500 rs.
Giusas de uoles pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordao de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bnrdaas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500.__________________________________
YO
ava Francez barrica 55000
Ponland dem 85500
Em perfeito estado:
Franeez barrica 105000
Portland dem' 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
Vmho do Porto superior em caixa de duzia.
tem para vender Antonio Loiz de Oliveira Azeve-
do i C, do seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Desde muilo lempo o publico
abandono o o uso das preparugnes
nliluladas depurativas conhecidas
ob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha compostos, ele
Cuja aegao, maior parle das vezes
nulla, e n'algumscasos peri.'osa.
OS CONFElTOS DEPURATIVOS Mi O ASM6T0
r. O COSTO AGRADAVEIS E C0.1TEM SOI UM
PEQl'EXO VOLL'ME SUBSTANCIAS UIIIO ACTI-
VAS QUE O SEO MODO DE PREPARACAO TORNA
INAI.TCRAVE1S.
O aiiccenno que eso* con
feitOM olHIvcrao cna Fran-
ca sob o patrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quanto (ern existido ath
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhtini outro remedio in-
terno, das escrophuias ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropsias e em ge/al
todas as molestias produanas
pela allerarao do sangue ; ta
o resultado que queriamos
conseguir e que temos sem
pre obtido.
Uma explicacao accompanba cada
vidro.
DesconGar-se, das falcificicoeset imi-
tacucs.
Para a encomend! dirigir-se aui
Sures. BDisson er o1, 18, Bl Prhtet
Engnt, Paris,

MfiSSA E XflROPE
R T H
i
COM CODEINA
Preconizados por todos os mdicos contra
as Defluxos, a Grippa c todas as Irritacdes
do peito.
AVISO
Falsificaces reprchensiveis excitadas pelos
successos do Xarope e da Massa de Bcrthc,
nos obrigo a recordar que esses productos
tio justamente
nomeados nao se
entrego senSo em ~ jg
bocelas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqu indicada. '", imnrM d Upiaux
151, ru Saint-Honort, na. Pharmacia
t.UvnE, e em todas as pharmaas.
no
Vendem-se no Hecile em casa ije uaor r
Barboza e Jo5o da C. Bravo A (..
Vende-se um carro (victoria) nnvo e ^gan
te, com os arreios competentes de m- til prme e :
na Pon.e Ve Iba p. 8, por prego commod.
Ca^as venda.
Vendem-se tres -xcellentes casas torreas, Modo
duis na Capulina, ruadas Crioulas ns. 39 4t, c
nma uo lrice de N. S. da Paz, esquina du M t, e..-
lombii p. 2. edicada de MM : qu>*m prelen^t-r,
podo examina-las e cntendev-ss uo jiasseio ponlieo
numero 5.
ALMANAK
PE
Luso-lira si Iiiiro
PARA 1866.
POR CASTIMIO.
vncese na livraria econmica juuto ai arco
de Santo Antonio,
Ferros para engoniniar
Veonem-se caixinhas contendo o ra is completo
sertimento de ferros para engomm r, encrespar
babadas, pa&j e toda a roupa de ge.ilvra : na roa
Kova u. 24.




-

5
in
T.. ==Z~Z1Z.



.#
*" Diario de Pcrnambuco Q ti arta Clra 13 de Metembre de |8*.
**
N. 11 Ra do ueimado--N. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estahelecimento ura grande sortimenio de cortinados bordados para
camas fazenda de, muito gosto.
Chales de guip muito liaos para 2?S, 233 e 30J.
Coltas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Collas de la e seda pira cama tambem da boaitas cores.
Rotoudes de guip eafeitadjs cono o raelhor gosto.
Setim de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Monreantique branco e preto, grosdenapie preto e de coros, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
la pret para lulos.
Malas, saceos e boleas de tapeto, verniz e couro de \& a 1IJ.
Brins de linho de cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
deseda para homem, chipos de sol de seda, esguiao di linho, carabraia de linho, breta-
nhas. silesias e militas oairas hiendas que se veaiem por commodos precos assira como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
>
1 mimes
t

GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
wmim de
DE
o
fll
Pi
u
M
MOLIDOSis
u!
DUARTE &
l*ateo do Orino n. 9 arinazpm Progressivo ra dQueinmdo n.
l'niao t Cenmereio ra do Imperador n. 40,
Principal armazem de molhados.
OS PROPRIETARIOSU
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, ^ue paramis facilitar suas compras deli-
beraran^ os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todoj os seus estabeleci-
tnentos em ura s annoncio, pelo qual o preco de um ser de lodos, proraeHe-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os geueros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabeleciraentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam'em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que 6zer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
jvanteiga ingleza perfeitamente flor chegadajfdera com 4 a 5 ditas a 3(5200.
ltimamente no vapor tSaladim, de 15dem vasios de lodosos tamaubos a25000,
O
5
o
DE
J. VIGNES.
!. 55. RA DO IMPERADOR S. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos Dar que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantu?ens e garantas que off-irecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
?eis que elles tem definitivamente conquistado sobre
a 1(5120 a libra e em barril terabati-
mento.
dem francesa muito nova a 1,5 a libra, e
em barril ter abatimento.
Banha de porco refinada a 610 a libra e em
barril ter abatimento.
Cha uxim de superior qualidade a 2^600.
todos os que tem apparecido nesta praca ; pos
suino um teclado e machinismo que obedecen tolas as vontades e caprichos das pianis'tas, sem I jem pefula BuidinllO a 20700
nunca filhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se fet) ltimamente raelhoramentos importan- ., L-sson psnmal nunlidarle de 25500 a
irnos para o clima deste paiz ; quanto s vo'.es, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito agrada-1 tuemnjsson especial quanaaae ae zpouu d
veis aos ouvidos dos apreciadores. z#oUU a llora. _.._
Fazem se conforme as encommendas, tanto nesla fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio. dem preto muito especial a 2jJ000 e 2<5*00
corr^oondr-nie de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposiges. a jj^ra
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos .. ". .^ e a oaq a
harmnicos e pianos harmnicos, sendtf tuda vendido- por! iaera ao ltl0 ein ldias ae *9"W e d ouu d
libra.
meihores autores da Europa, assim como
precos commodos e razoavels.
CONSULTORIO MEDIGO-GIRURGICO
DO
OH. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
HEIUCO. IMRTEIRO E OPER\OR.
3 Ra da Gloria, casa do Fimdao 3
O Dr. Lobo-Mostoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s li
i : as da manliio, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos das santificados.
Pharmacia especial komeopatkica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropmdo sortimento de carteiras
: :m$ iivulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguinles.
Carteiras de 12 tubos grandes. lz$000
de 2i tubos grandes. 185000
. de 36 tubos grandes. 245000
de 48 tudos grandes. 303000
> de 00 tubos gran Jes. 35-5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir. .
Um' tubo a-.ulso ou frasco de tintura de meia onca 1)5000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IB VHOS.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. fetar
dous grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 105000
Repertorio do Dr. Meh Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estmele^iraento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de. ser n novamente recommendados as pessoas que quuerem usar de remedios
verlileiros, enrgicos e dura lores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
?eriideiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
ta I is ealabeleeimeatoa europeos, a mais exacta e acurada preparaco, e portauto a maior
energa certeza em seus effeitos.
Casa de saude pwa escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
eperafao, p ra o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O ntimento o meitnr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fuaccioaando a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pe^sois de cujo conceito se nao
pdedavidar, qie polem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Pga-se 25 p)r dia durante 00 dias e d'ahi em diante 15jOO.
As^oneraces sera) previammte ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o aunnocante.
15500,800 e 640 rs.
Queijos de 25300 a 25500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
25000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 45600 a caada,
DE
AZEVEDO FLORES
Ba da frdeia do Recife, esquina da Madre de Deas.
BALOES
Os ricos baloes de arcos com muita roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 105.
dem idem com 16 asteas 125.
Chitas.
Chitas largas soffnve< a 240 rs.
dem meihores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs. -^
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas francezas de 15800 at 55 das segua-
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400; tes variadas qualidades : pregas largas, ditas mudas, peiios de fustao e de cores.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 15200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio;
(Lisboa) proprias para da; a doentes a
25 e 35> lata.
Bolaxinlw ingleza muito nova a 35500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de soda e oval a 25.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Ghouricos e paios muito dovos a 900 rs.
a libra.
Gaixas com macarro talharim muito novo a
55000 e 320 a libra.
Uetria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 15000 a libra,
dem hespanbol verdadeiro a t?W0O a libra
que j vendemos a 15400.
Ooce da casca de goiaba em caixes de 4 e
meia libras seguro a 15800,
a libra, e em barril de 5 arrobas a
105500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
65500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashea 65000
a duzia e 560 a garrafa.
Alsope e outras
duzia e 500 rs. a
dem marca H Vicloria
muitas marcas a 55 a
garrata.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa. *
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranho 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
Idem em caixes pequeos a 700 rs. de dem Delicias a 15o00.
50 para cima a 640. I dem Traviata do Rio a 55500.
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
contendo pera, pesego, ameixa, rainha. Netto a 35500 e 15S00a meia caixa.
CiMMM A10JA
DAS COIiLUMMAS
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores corles de seda de coreso que tem vindo a Pjrnambuco de melhor g
em seda.
Assim como mais algumas fazendas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO Y. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e
C.
i^
CORTES HE SEDA
Ch^garr-.m pelo paquete inglez riquissmos corles de moreantique de cores, e seda Iavrada pa-
droes iriteiramcntf novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5-RUA DO CRESPO-5
Gregorio l'.ic? do Ainaral *fc Companhla.
Farinda de mandioca.
Tem p?ra vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vdo & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. I.
COJares Royer ou colares ano-
dinos
par- Facilitar a dentiijo das crianzas e presrva-
la* das convulsoes.
O feliz resultado obtido immenas vezes pela
pro ligio>a forca MagnMeft do colaros Royer, nos
* .. di! convtedes e denti^ao das enanca. tm
.i. i mente alende o seu tem merecido prestigio,
e i >je J se pode di;er qpe estao geralmer.ie con-
eei indos, e estimado^ de innumerav-is p:iis de
firi '.* : di? un< lorque do uso dsses salutares
viram salvos do perigo seos charo* fllhi-
nho*, e di mieos pirque Mlheram daqoelles lio
pr -i i "T- opio para iimalmeme preservar <
wus. \s.iro, pols, a agoia branca, tendo sw vh
lasa nuli res anodinos on B-iycr, nwndui
q le ', m r-i-c'"'., (tlnuar a recebe-
! p-ra qn- om lempoalgum a falla dellcs posa
s?r funesta, aos pas de familia, os quacs flearo
certos de os achar constantemente na ra do Quei
. leja d'aguia branca n. 8.
L'CVS, VIBRSE
CIIRYSTAES.
A loj de loo?a da na do Crespo n. 16 lera para
vender qnantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como toncas de todas as qoalidades,
de bonils pinturas e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros ds todas as qaalidades, inclusive flnissimo
chrysial, dilicados jarros de chrysial e porcelana
para flores, figuras e oulros muitos objectos de fi-
nissima porcelana denominada bisenito para en-
feites de mesas, f te, guarnieres de flnissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, tudo do melhor gosto, pinnas de lotica e
vasos para jardim. f.indiairos de lamparloas para
polaga7-' P|obdse cba.min.eis de vidro, boefaes e tod.os
viro novo snrti *ipais s^^cplentes para os meso)os, gae liquido
de superior qualidade. e muilo* oulros artigos que
seria enfadonho mencionar, todo por precos mui-
iisunes razoaveis.
e outras frutas a 3t9O0O cada tima,
(dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, couteodo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 1$200.
Viarmelada dos meihores fabricantes, em la-
tas de 23000 a iOO.
dem em latas de 1 I 2 libra a 1$.
(dem em latas de i libra a 640 rs.
Grvilbas em latas chegadas neste ultimo va
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feijo verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 13500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
1200a 23500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco,
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolba
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
Idem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
Vtnhos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duqae do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 13 a garrafa e 93 a 123 a duzia.
(dem Pal mella a 13 a garrafa e 113000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 23800 a 33500 a caada,
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 243 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 43 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 33500
a caada,
idem do Porto especial qualidade a 800 rs.
a garrafa e 53500 a caada.
(dem Bordeaux em caixas a 73 e 700 rs. a
garrafa.
Champanba a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 303 o gigo.
(dem mais baixa de 183 a 203 e 13500 e
33 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 13000 e
13500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 13500 a
garrafa,
(dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja ver ladeira a 113 a du-
zia e 13 o frasco,
(dem de Hollanda verdadeira a 63 a fras-
quera e 600 o frasco,
(dem de Hambur^o a 53500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Idom suspiros do mesmo fabricante a 13S0
a meia caixa e 5;>200 a caixa.
dem mececipes a 13700 a meia caixa e
33000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaes do mesmo a 13800 a meia
caixa e 33400 a caixa,
dem jovens de Gastanho & Filbo a 23400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 136O0 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 13500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 13500 a garrafa e 143000 a
caixa.
Alpista muito novo a 33800 arroba e 140
a libra.
Painco a 43000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 13200 a lata
e em porcao 13000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 103000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 13800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa soja a 23500, 33000
e 43000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea 40 rs. a libra.
Gomma em paneiros a 43000 arroba e 140
a fibra'.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Savadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 43000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra. |
Alhos em canastras muito novos e maunfas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 13000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Araendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma,
dem lizo a 43000.
dem de pezo a 33000.
Mem de embrulho marca grande a 13200e
13300.
dem azul para botica a 2,3000.
Copos lapidados a 53500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120
160 cada um.
que
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 43.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
cateas.
Caigas de brim pardo superior a 25500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores.
Idem^e superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pesclo.
Ricas mantas para pescoco de homem de (inisskna seda e de ricos padrees,
s o Balo tem.
Paletos de casemira. *
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 5,5,
COLIiETES.
Golletes de casemira a 43 e 53-
dem brancos a 23500 e 33.
Saceos para viagem.
Saceos para viagem a 53 e maicres a 63.
A QUEM NOS LEU
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppe sempre ser as mesmas fa-
zendas. D
Terrenos 5 venda.
Vende-se nm terreno proprio para edieacao,
coilocado no centro da eidade, com 68 palmos de
frece e 218 de fundo, tendo tres frentes, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para in-
formacoes, na raa do Sol n. 37.
Herres
l'ende-sc superior vinho de
Herres de Londres : na rna da
Cruzn. 4U, escriptorio.________
Vende-se um sitio no logar de Bemflea, Pas-
sagem da Magdalena ; quera pretender dirija-se a
esta lypographia.
Garrafoes com genebra de Hollanda com 24 (Fumo americano de chapa, de superior
garrafas a 83, com garrafao. qualidade a 13500 a libra, em porc5o ter
dem com 14 a 15 garrafas a 63. abaliiaeoto.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 43000 a sacca.
As uelhores chitas francezas de cores
escuras e fixas a 280 rs. o
covado!!
Na ra do Queimadon. 1 vendemse chitas fran-
cezas escoras e unas a 280 o covado.
<3S*
Potassa da Eussia
mnito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo, largo do,
Corpo Santo n. 19;
Outros objectos.
Vindos tambem para a anliga loja
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinbos de setim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
ito dos sapatinhos.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartjruga mui fortes para des-
embarapar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulbas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com alinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas flvellas grandes de ac,
douradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
i'sto sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
litas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de peneira e de ontras
qualidades, para quem soffre
da vista.
A'loja de miudezas ra do Queimado
o. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armacao
de ago, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos deornalina, os quaes estao
a disposico dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objeetos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Filas finas de sarja da mais estrella que
ha at a mais larga, todas de vivas e f rada-
veis cores.
dem tambem de sarja Iavrada, de bonitos
e novosdesenhos
dem idem brancas, lisas e lawadas, pa-
dres igualmente novos e bonitos.
dem de gorgurao de seda achamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, Golletes, palKs, etc.
dem de laa igualmente sorlidas em cores
e para os mesmos ns.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha' bracas e pretas para
soutembarques, vestidas pretos, etc,
Novas e lind^tiafnices para enfeiw
aoutP^-i'itiS' vestidos pretos, manteles,
ve, obras do muito gosto e modernissima.
I Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
de vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitdos
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de sorti-
dos lmannos.
Lonetos de dous vidros com aro de ac, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rna do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros com armaco fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis: os pretndenles diri-
jam-scaesta leja na ra do Queimado n. 16.
ttencao o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous jtrandes lastres de vidro bos
com 24 loses, do melhor gosto e por prego razoa-
vel: assira como apparelhos para cha e rara jan-
lar, brancos e de cores differentes; ditos de por-
celana dourados e pintados e brancos; apparelbos
para jantar de porcelana branca; tamneni se ven-
den) em pegas separadas, como os fregueses qui-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho tinosa ordinarios, em caixao e a re-
talho ; lanternas de todas as qoalidades de vidro;
ditas de casquinho inglezas muito finas; candela-
bros de vidro e de bronze ; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambar-
nuezas para resfriar agua; barricas com appare-
Ihos de mesa para jantar; gigos com apparelbos
para cha; e outros muitos sortimentos de (odas as
qualidades e pregos commodos vontade dos com-
pradores, que se vendein na ra da Cadeia do Re-
cife junta ao arco da Cunceigo n. tii, e na ra
Nova no grande armazem de tonca e vidros junto
igreja da Conceigao dos Militares n. 49.
Grande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas nm grande deposito de
productos cbimicos utensis e os mais entregados
e usados na pharmacia, pintura, pbotograpbia, tin-
turara, pyrotecbinia((ogosde artificio) e em ontras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as prlncipaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Anvers Lisboa, pude offereceer
productos de plenaconGangae satisfazer qnalquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por pregos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas saUcfar
com promptldao qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee poreza de sens ingredien-
tes poder ser examinara pelo consumidor, o qne
nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collecoo de vidros de differentes
formatos, desde ama oilava at dezeseis ongas de
capacidade; de vidros para vidragas e dianiantes
para corta-Ios; depinceispara fingir madeira com
propriedade e ontros; de papis dourados e pra-
teados e foihas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de varias cores
para embrulho, para forro de casa, para desenho
com fundo j feito',de papel albumfnado l,e Urisu
verdadeiro saie para photograpbia e para filtrar,
e outros ;. veroizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de linbaga
clarificado, oleo de toiejo, secajivo de Harlim, aro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo-
Ihas de varias cores ; tintas vegelaes, inoflensi-
vas proprias para confeitarias ; la de cores, e
olhos de vidros para imgeos; tintas em tubos e
telas para retratos ; tinta em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspioe, paichouly, mbar,
bouquet.lHoao, alraiva, melissa, ortela pimonta,
louro, cereja, rfazema, pionero, Portugal, lima,
ans da Ru-<*rfa, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista podarn ser mostrados.
Joao Ppfco. das Neve$,
Gerente.
..
Farelo.
Vende se excellente farelo de Lisboa : na tra-
vessa da Madre de Dos n. 18, a na roa da Cruz
o. 33, primeiro andar.
\

A,
ll I .^.a* mmmmm


/
V
r
Divide rfraattbwr^^WA 5**%f3 ^wfeiNw*-******'

9
AO PUBLICO
em o menor ronsfran-
glmenfo se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
9im a JiiT Di sx J>:rji:i m
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
qne sendo em sua maxmi parte mandados vir directamente do estrangtiro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sena a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm flancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguirles promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua psito social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquel les que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor.'S que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escomido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacriflcios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGINTES PRECOS S SE VENDE
A INHEIRO A' VISTA:
ALPISTA (20 rs. .* bra. ^ W "^ muil0 0"' M "*
dem e painco de oito libras para cima a l
*0 rs. | KIRSCH de Wasser a U a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ I,
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
ATTENCO
M pre^o da segulutt
tabella para todo, po-
dendo asslin servir de ba-
se para o ajuste de conta*
com os portadores:
Acha-se
i venda na livrarla acadmica, na ra do Impera-
dor; na do sr. iNogueira, junio ao arcu de Sanio
mu?!? ;ne D*.,yP'Brapliia imparcial, na ra es-
reiia do osario a compilado de toda a leaislacao
tendente a administracao, arreradacio e'fisfli-
sacao dos dinheinos de orphsos defontos eau-.n-
tes, herancas Jacentes, legados, ele, contc ndo nao
. s o regiment de cusas e a lei geral tas ixecu-
I {oes, como tambem todas as orden* e avisos do
; governo, que a tudo tem explicado, lano a refpel-
i to das obrigacoes inherentes ao cargo dos differen-
| tes empregados de justica e azend?, como den di-
, reilos nacionaes e emolumentos que -a u.vidos.
I Este livro contendo mais de 700 paginas em nitida
j impressao e bom papel, e prestndose a utilidade
.de ditTerenu-s classes, tornase recen v,. tdavel.
Seo cusi 10,5000 por cada exemplar t m dous
omos.
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando o arco da ConcelcSo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhores sonhoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a nromntirtsn tou
ezacom que serao tranl^, -nvida a urna visita ao mesmo, certos de qne sem duvida me. dao a proleccao e nrefpr."";* nV"
ra dos gneros que precisare>a
3 quando nao possam vir poderao mandar seus portadores, a"inrlaPrne eSes^Sam^mfro rTraUrS"
rois ser5o tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco aflm 7
ta paite.
Sola.
_,Yende-s 430 meios de sola de boa qualidade
a tratar na ra do Queimado n. 53, lijo de ferra-
geOS.
uwif-w/i. tvmnr* &rv t*$
mum mmi
que novo em
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molbo.
Absy.ntho a 24000 a garrafa.
B
B0LACHINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a iasoo a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de soda em latas grandes a 2,5000 e
de cinco para cima a lSOO.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, I.J250 e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglczas.
Bamia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 1$ a libra.
dem de musgo a 13500 a libra.
Choricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7)3000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a l#S00a dtizia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposiclo,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2#000,
2^2''0, 23560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinbos.
D
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijao verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Lutria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmklada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e taliiarim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moliio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
30500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
w
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglesas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas glandes, a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excedente preparaco.
Palitos para denies a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qnarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
*
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MORINQUES a
El
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Bio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
8
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUGINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
Manteiga ingleza especialmente esedhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Ooors.
Aletria, macarro e taliiarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
oha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e ooo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
dem preto o que se pode desejar neste ge- Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Choricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 80o rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duqoedo Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
1 ,ooo e 1,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
^ a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
| 64o rs. as meias latas.
| Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
dem suisso o mais superior que tem vindo I barrica e 320 rs. a libra.
ao mercado a 64o rs. a libra. Bolachinhas de soda em latas de diversas
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas i qualidades a 1,3oo rs.
em latas hermticamente lacradas a 64o. Cartdes com bolo francezmuito proprios pa-
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata. ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs.a duzia. para mimoa3,ooors.
dem dem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.. Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a Ooo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,oopel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades depei-:
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-1
rafa
Genebra de Hollanfta a 48o rs.a hotija.ia!
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Boiacbinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezns em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a 105oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l.Sooe 2,ooo
cada urna.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 3,800, 6,000 e 6,5oo a du-
zia.
Cevadraha de Franca muito nova, a 2oo rs.
: Charutos do aflamado fabricante Jos Fiirta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, lmperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a- 4,000, 4,5oo, a.ooo,
0,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos. Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,000 a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetera vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
- a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,ooo o frasco.
Caixinhas com fructas ern doce secco de di-
versos tamaDhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada una.
Buibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Bivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas
No da Io do correle fugio do aima/em do
Sr. Jos Duarte das Neves, no caes de A| otlo (onde
loi para ser vendido), o eseravo de n.'ii.e Juao.com
os signaes segnintes: alto, grosao, mulato claro
cabellos cacheados, olhos preos, naii/. iic-so, boc-
ea regular, barbado, rosto com rido, e prete ler
de 36 a 38 annos de idade; tem la o bem o dedo
mnimo da mo direita encoibldo: letuo chapeo
de pall.a, camisa e calca de riscadu azul, e por
baixo desta roupa mais urna camisa de ii.cadinho
encarnado e urna ceroula de Igodom.bo. Este
eseravo veio do Sobral no vapor Mamnnguape, en-
tiado em :0 de agosto prximo pstiudu : sera ge-
nerosamente recompensado quem qutr que o ap-
prehender e leva-lo aoaunazem de lo> de Sa Lei-
lai. Jnior, a ra da Madre de Dos, junto a 'greja.
I ugio.
Mo dia 6 de agosto o eseravo crinilo ae nome
Tibino, idade de 20 a 25 annos, estatura laxa e
com faria de um dts dtntes de iua, loi escre
no Sr. Francisco de All.uquerque Maralo Ca-
valciiiti : qutm o pegar ou delle di i ni lii i:, quei-
ra diiigir-se a roa da Cafleia do Renfen. 38, loia
de ^;;iie rom, i (-, que >na' recompensado.
VINHOS
(11
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Na offleina de ferreiro da roa do Jasmim n.
24, ha para vender ama carroga feita, com esmero
e propria para carregar urna pipa com agua, aQm
de vende-la pela ma. Na mesma offleina ha tara-
Calangas finos e brlnqnedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da roa do
Queimado n. 69, os mais finos e (iodos catangas
bem um cabriole! de duas rodas,novo e raoilo bem nt0 brinqaBdo de meninos como para cima
acabado ; quem pretender estes objeclos, pode di- Hq ,!,. Lm, ini, ,.nt,.,4 k. .
rigir-se a mesma que achara' com quera tratar.
Vende-se
a loja de miudezas o. 70 da ra da Imperatriz : a
tratar com Joaquim Francisco Franco na alfaode-
ga das 9 112 as 3 horas da tarde.
de mesa : oa mesma loja se encontrar bom sor-
limento de miudezas._________________
Lavas de pellica.
Recebeo pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para hornero e senhoras: s
quem recebea fot O beija-flor, ua roa do Queimado querda, dtpois ido
numero 63. J flictos
a ooo rs. a garrafa o
rnnti rprta l''0 cafla uma acrela.
coma cena. Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez Chamnaenp da mplhnr nmliri-irio mu
Frasqueirasde genebra de llollanda a 6,8oo, a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. | TE Z TfS! ~T'?
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com ao libra.
grandes a Looo e II, ooo rs. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco o
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 2io rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arrozdo Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. j do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. loo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesuperiorqualidadea 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de uma libra e56o rs. a rea- (0 a garrafte 1 ,ooo a duzia.
Iho. i Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Ao amanhK-er to dia tti oe -.vo.-to rugirn
do enpenho Can'aragihe duu> rscravu crioulos,
ambos caneiros, sendo um de ni n Si ruo, na-
tural do -titac d Ouiicury.llo h'm fetto, cara
redonda, nao moito prelo,e soffie (it ttot hernia;
o outro de nome Nicolao, marido do n.t.-rro en-
gento, estatura ordinaria, serco du eorpo e roboi-
to, na mesma occasiao desappreceim 3 Inrros
do servico do engenho. de sui i or QU tenham si-
do levados por elles, ou per aipi-i qoe Ihes ser-
vio de guia e seductor, porque "na n> ila preceden-
te a sabida dos dtu-s eseravo? fui, vistus doos
himens em Cmn.unicacau com o StmeSo jutio a
entrada do engenho : quem prender e tremer di-
los escravos ser recompensado
Ausentou se de casa no dia 25 deste tr.z a
e.-erava Ignacia, crioula, cor fula, denles limados,
beicos grossos, estatura regular, chela do corpo,
levou vestido encarnado, chale de lia preto velho
nos hombros, e mais a!uma roupa de seu oso :
na ra da l'enha p. 17 se gratificar.
ISO
vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,ooo a garrafa, e
24,000 e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs
a unra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada uma e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa soja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 25 o par luvas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo va por
para homem e senhora : na roa da Imperatriz loja de miudezas o. 54.
jcrB-oo-i sr^s ST o o
w*0
si.
O." "
co^-i ti
_ a.e-2?
5 u
a. os
rn r fD i
a S X
o
=: o O -*
-. r-r
,S-3 O
3 S T3 D.C S-
g S o B =**a S*"!
w cr? 3 o 9 a
5.1 8 i 1 2.a>:.&
9*3 a'^a
S erg-a
cu
J,
-i
3
(3. e
g^3
g-s-o^B.-,*-
-.5 fS 9--ro: "
-og*g.m
2M2.oSog

ce
o o. *
(S.
3
.= 2
"2'aii
cu
O
co
<
C
3
3 2.S
p
03
"
O.
s
i
3
o_
a.
I

en
- -1
cg O 3 n
i8i
CP
g-8 8-i
fi> as
la
3s?
|l
ce
O
8
1AC1IINASDEPATENT
de trabalhar mo para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAI
AGUA FLORIDA
Estas machinat
podem descarocar
qoalqoer especi*

MURRAY & LANMAN
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem roa do
Amoi'im n. 35,
Licor fino Coraoo em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolbas do
vidro e em lindos frascos.
VinhosUheres.
Santeroes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se palmeiras lmperiaes, em estado
de seren transplantadas: no sillo morado es*
bocea do Espinheiro, dos Af-
o trabalho; pd
descarocar ama
arroba de algo-
dao em carocc
em 40 minutos.
od 18 arroba
por dia oa 5 ar-
robas de algodat
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarojam 18 arrobas de aigodk>
limpo, por dia; e motores para mover ama, duas,
eutns dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode faier mover seis dess machinai
mencionadas ; para o que convida-se aes Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
lemde algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolliers k C.
JV. II, praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os auicos agentes nesle paiz.
A agua florida de Murray & Lanman
olhada como um artigo de perfume, nao
('de a'lgodao' sem tem podido ser igualada pelas prepararles
W" fi0> i as mais custosas: conserva seu aroma, co-
duTpessoasS!010 se,frmasse parte da prenda a que ella
Framcisco Jos Germano
RA NOVA N. 22,
acaba de receber um lindo e magnifico sor-
timento de oculos, lonetos, binculos, do ul-
timo e mais apurado gesto da Europa,
se applica.
Sua efficacia to delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados usos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como sua\ysador da
pello, depois que se tenba feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilho e elasticidade as
compleicoes, depois de se haver lavado; al-
livia a irritarlo de erupcoes ordinarias ; faz
desappsrecer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e toda a
casta de ebulicoes, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua efi-
ciencia e elegancia sao igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e asseniblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto excellen-
te para os desmaios causados por cansaco
ou suffocaco. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernambuco ra da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barbota I
No dia 28 de agoto prximo passsrto desappare-
eiri'm do erpenho Parar y, sito na comarca do Li-
nui io, os (.-naves Francisco e A.< x.m.tc, i-
tonrentcs ao major Clandino Corma de Mell O
i meiro alto, sereo do corpo, om iani< esradarj-
do. e de cor cabra, ttm a eara beXfgi ss, h^." i te
barba, cabellos carapinbos, ps cortos e laigeo,
sahio vestido de caiga e camisa de algediu atol,
chapeo de fellro, levando tanibtm ccnsigo una
trooxa contindo roupa de uso, a saber: ramisas
de chita e calcas brancas e ;ai;h-. lew o Utbtem
um ettipo a couro, mm ladino. O secundo
preto, crinlo, secco do corpo, estatura ri *iiila*,
ti m f;>Ila ce dtntis na frente, nm i uc LarLa-
do, e tem ps finos e bem feitos, tan I n^ n nilo
ladino. Ambos sao mogo, tendo de idade 32 an-
nos, ponco mais "-u menos; desconfiase quele-
oham fgido para assenlar praca nesla provincia
i o em nutra qualquer : qofffl i's appn h. nil.r pode
leva-I^ nU ao (jj|0 engenho, ou rean de Biuno
Alvaro Barb.sa oa Wlva, i ru du r,Ui n Ui.
'|u>- ocre hom i ''i.iii[,er^:u!i;.
Escrava fgida.
No dia 30 do prximo passado mea fogio de Ma-
manguape a escrava Aula, de nacao, idade 38 an-
nos, punco mais ou menos, com ra ignae* seguin-
tes : altura regular, grossa do corpo, falla de den-
tes na freEte, levou ve.-tido branco, lale de meri-
no verde, desconfa se ivesse fugnio com algum
barcaceiro ilai|ueile lugar para aqQi : roga se as
utorinades policiaes e capltaes de rompo nue a
aiiprehendain e levem a eniregar a D. n.ingus Ri-
beiro da Cunta Oiiveira, ra da Piaia n. 53, que
recompensar generasamente
"Gratificacao de 100^000,
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de
Janeiro do corrente anno, o seu e-cravo de
nomo Jos com os signaes seguinles: ca-
bra escuro, cabello carapinbo, estatura bai-
xa, cheio do corpo, ps largos e faz nm gei-
to as pernas quando anda, muito pouco
barbado, e tem uma cicatriz bem visivo! em
um lado do queixo, e outra bem grande
nasnadegas, proveniente de surra, cujo es-
eravo compramos junto c m outro ao Sr.
capitao Silvino Guilberme de Barros, e este
Sr. os havia comprado ao Sr. Joao Cabral,
morador em Nazareth. Consta-nos que este
eseravo filho do Brejo da Madre de Deus
aonde casado e tem filhos, tendo-lhe mor-
rido ltimamente a mulher: portanio n ga-
mos a 'odas as autoridades policiaes a sua
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car com a quantia de i000 se o troucerem
seus senhores nesta praca, rtia da Impera-
triz, refinacao n. 46.
Luiz da Silva Ferreira & C:
1 ttenco
Achamse fogidos os escravos segointes: Bento,
mulato, idade de 25 annos, cabellos annelados, sem
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descansada -, e Luiz,
erioulo.ja um pouco velho, altura regular, muito
cabellado, barba com algnns cabellos brancos, as-
sim como na cabeca, corpa reforcado, olhos om
tanto pequeos, falla grossa e as vezes flnge-sa
rouco : pede-se as autoridades policiaes e aos ca-
pites de campo qoe os facam apprehender e con-
duzi-losa' casa de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompensar,
e Ihes pagara toda despeza qoe flzerem com a sua
condueco : suppoe-se que elles terSo ido em se-
gnimento dos sertoes desta provincia, por serem
Slhos desses lugares.
Est fgido o eseravo Liberato, preto da
Costa, alto e magro, bracos e pernas finas, cara
retalhada, sem dentes na frente, olhos graades e
vermelhos, tem os ps e ruaos cheios de cravos
boobatteos, trazo cabello junto das orelhas raspa*
do de poueos dias, levou vestid calca branca sa-
ja, camisa de riscado, blusa de la* >zul desbotada,
chapeo do f.hill multo velho : quem o apprehen-
der e levar a casa de seu senhor na Passagem da
Magdalena, ser generosamente recompensado.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
lalata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ra do Trapiche Novon. 8. mem&
Fugio no dia i8 do corrente mez o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
ou menos, alto, ros'o comprido, solssa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, e costuma andar dealper-
gatas, le'-ou camisa de algodo, calcas velhas e
rotas, chapeo de palha velho, e tambem um bonet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel qoe tenha ido para Serfnhiem
oo Rio Formoso, onde j tem sido capturado por
vezes. Roga-se s autoridades e capites de campo
qoe apprebeodam e o levem ao sea senhor Joo
Cavalcantf Lamenha Lias, residente na Estrada
Nova, sitio do Jeronymo de Hollanda Cavalcantl da
Albnqoerqne, qoe se recompensar generosa-

#r-i


Diarlo de rernamboco (guara letra IS de Netcmbro de 1S*.
i.
LlEuM.
THEVNIO DA ONU.
Da Tribuna, de Montevideo, traduzimos os se-
guimos rticos.
0 goveruador Lagrima eonUiuava a permane-
cer tin Goya. ,
. Nao ha li.lo lunar neuauma operagao, e rao
Icva a erer que as escaramocas wssarim par ''li
lagar aoe grandes Mos d'arma, de que lidiara a
perda do tatuar o a radempe*n *> poto que op-
primidopelo brbaro cacique de As-um,':"-
BMlavisla e Saladas solre am os horror
entregues pi-
d.i
Provou-se que Belsy era raais eslupida do que numero de proprielarios de taccas, oa maior parle
ma, e que a impressao do processo de Pnlchard lelteras, em Londres, estao completamente arroi-
Ihe produzira a doenoa de que se queixata. nados.
O magistrado, enteudeudo que a rapariga nao es- Um desles infelizes, possuidor de 190 taccas,
tava no completo nso das faculdades mentaes, de- perdeu era urna semana 114.
clioou a sua competencia no precesso. | *io extraordinariamente fcil.
Qualquer pessoa que tenha passado ama noite
em um curral infeccionado pode transmittir a mo-
Foi reconheeido oBcialmente herdeiro presump-, desla a rebanhos saos.
iiv da cora de Saxe-Cobonrg-Gotia o principe Al | O exemplo tem ltimamente sido rouito com-
fredo de Inglaterra, fllho segunda da rainha Vic- mam.
toria. I Nao se tem por ora conhecido meio de combater
Verilicou se a ceremonia em Cobourg, capital do efflcazmente o mal.
ducado, a 6 de agosto, dia em que <> principe com-1 jem havido necessidade de se matar e queimar
plelava trote e um anuos. os animaes atacados.
E' chamado a succoder a seu tio o duque reinan-
inva-ao, seudo ambas as povoagoes el
Ibagoin; e mi eusaiigue.uiada dos escrotos do le Ernesto 11, uascido em 1818, que nao tem lbos,
iyraniw pesou espeoiatania sobrea populacho es-
iraiigeira.
Os delataos d*te9 erimes sao espantosos, e o
hJin.m brioso nao acM palavras bastantes para
fulminar 06 autores
e de quem o principe Alberto era irmao.
4M
Um moco esludaule por nome Eduardo E...
occupava em um hotel dobairro latino, em Pari
llelphino em Bellavista foi, um .|uarlo ao rez do chao, deitaudo para um pateo. ma|fazejos.
A carne est excessivamente cara, e de espe-
rar que antes de interno esteja a 2 schillings o
arratel.
L-se no Crner, de Saygon, de 20 de jnnho :
A estago das chutas a dos tigres -, de toda a
parte nos aonunclada a presenta destes animaes
< a cusa dos Srs. .
orno se diz tulgarmonle, varrida. Era urna casa ; Vivia as proximidades um seu irinao casado e
(J4a inais respeilsveis por sua fortuna e crdito, pa de urna creanciuha.
i ando cora um capital de donatos mil pata- Eduardo tisila frequentes vezes a familia de seu
- irmo, de quera era muito eslimado.
Como esta outras muitas foram pilludas. Ha poucos das, estando sentado ao lado de sua
Em Saladas o roubo fez-so sentir lambom em euuhada, leve esta Je sabir da sala, e deixou EJu-
uit casas re-'peitaveis, todas estrangeifw, sendo ardo na cornpanhia da creancinha que eslava brin-
alm disto ejecutados golpes de langa tres visi- cando com nm porte-monnaie. Pouco tempo depois
no v partBeos, melttatae um italiano. a senhora vultou sala ; e Eduardo despedio-se pa-
Como cose lueucia deste saque, quarenta e ra ir para sua casa.
unios tarros foram earregadus com a presa, que ,\0 mesmo dia, tendo a cunhada de Eduardo de
fui enviada para a Assumpgo era 21 oatios. To- fez(jr umas (.oinpraj abri3 0 porte-monnaie, onde
da as raercadonas corapunha-se de rtejM de {a|taVit uma moe(ja de oiro de dez francos.
i,.:., m, declarados como taes pela juuta de trah- Esto descobrimenioeausou-lheextraordinaria es-
doi o*. lupefacgo. nao pela perda da quantia, mas porque,
. Tal |senda luminosa que deixao invasor e ui poje0 a crianga abrir o porte mounaie por
a civilisaeSeose tem trazer ao Ro da 1 rala, na tor a molla maito rija, se via obrignda a suspeitar
qual |.udem iospirar-sa os ministros estrangeiros, do L.anhailo> 1|Ue tin|U r-lcaj0 s com seu niho.
que deixam os subditos de suas naeSes entregues a .\-au havendo certeza, era impossitel dirigir-se
urna pilhagem raais barbara do que aquella que u(|)a a,.cusa5ao tao grave, que parecia desment-
pralieam OS hmsomm seivageus dos Pampas. Ja Ue|0 carai.ler t posigo do estudanle ; mas cou-
i As uages alladas em breve descarregario o ,ou.se 0 cas0 diante jene> Cin allustes bastante
son braco vingador sobre lies. claras para que Eduardo cjmprehendesse que as
i O general Paunero a 29 do passado tora en- SUSpej[as recahiara sobre elle.
contralto em marcha na margeui do arroio Pay- Ferj0 a honra, propoz-se elle acabar com a
t ,,,., pro.:u. ando encorporar-seao general Flores, vJa
tomara "b suas ordens o priraelro corpo do Em um destes nltimos das, de manhaa, foi tisto
.Keoio argeutiuo, come^aiido logo suas opera- 0 esludanto lirnpando um par de pistolas encosta-
do^ contra a criumna, que at-n;a pela mar- do a'janella ; parecia muito alegre, ecantarolata
gem e.querda do Uruguay ameacando a cidade do um lreCh0 de opera.
SiU Um dos visinbos iratou conversa^o cora elle e
Com os elementos de que ja di^poe o general diSJft |n .
Flores, e cora ete prmeiro carpo, que coito sabe- Me.wos bater ?
mos e a fio-- dos soldados arg-ntinos, que resisten- jfao senhor, respondeu rindo ; trata se de ou-
cw poderlo fier os barbaros, e que duvlda pode tro negocio.
hater a resp.-ito do triumpho da; armas da civili- y,nguem ligou a estas palavras sentido funesto
sacjo, mas pouco depois fechon-se a janella, e ouviu-se
Por isto temos dilo : esperemos uns das mais, em gggnjda a detonaco de um tiro.
leobamos conitaoca. Reeeou-se entao que tivpsse succedido alguma
Por seu lado o general Cacares segu o mesura desgrana.
motimento do geueral Pauner e as ultimas datas A porla d0 estudante estn fechada por dentro
esUta na eslancla Mendox acompanbado-o os cor- mas lDna (j,.a(j0 aberto um postigo que dava para
i i ui nus com urna deciso e um etitliusiasmo scm os SPUj af,osentos.
O governador de Baria entiou no dia 19 do cita-
do mez o seguinte telegramma :
Em vinle e quatro horas foram morios por um
tigre cinco annamitas. Ordene! que se artnassem
citadas e que se duplicasse a tigilancia.
Ainda Do tinhamos a referir to crueis feitos do
terrivel carnvoro.
Outros annamitas tem sido mais corajosos ou
mais felizes. Um cagador de Basire corra os bos-
ques cacando o cou-nai, em om carro puchado por
dois bfalos, e armado de bsta.
De repente, preclpia-se um tigre sobre o carro,
estrangula um dos bfalos, fere o outro, e apresta-
se para se atirar ao cagador.
Este, sem perder o animo arma a bsta.
O tigre encara o cagador ; e quando de bocea
escancarada se la precipitar sobre elle, cahlo atra-
tessado por uma flecha que o raateu Immediata-
mente.
Parece que n intrpido cagador de uma fami-
lia de Nemrods, que multas tezes tem tisto o ti-
gre de cara a cara. Eram quatro rmos; dous
foram victimas do tigre.
uxemido.
de
t O* paraguayos Bzeram alto panco abaixo
Beavwa, ao passo qoe ontrotorpo do exercit
I i nanees no posto de iioreuo, duas leguas de Sa-
ladas,
. O comniiudo das hordas paraguayas tem pas-
sai por suas vicissitdes. Robles foi destituido e
Por ah entrou um dos visinhos, e encontrou
prostrado no chao Eduardo D..., que se tinha sui-
cidado com um tiro de pistola.
A outra pistola, carregada e es"orvada, estata ao
lado de uma carta, sobre uma mesa.
A carta era dirigida a seu irmao e dizia assim :
Fizeram-me uma aecusago pungente e ridicula ;
raaettttfo preso para o Humana, asseguraudo-se n5o posso titer sem a tua estima ; ao lres estas
qj> a sua dc.-tituicao nina Mi o liarnos, o celebre general que deu os ________ _________
oescommnoaes assaltos d Goimbra e Bagellon a po-
puUclo indetea de MaUoJGrosso, Contera o jornal Progrt uma nota curiosa que
a' aproumaeSo dos paraguayos, as cidades do d dea exacta da l.berdade de imprensa em Lyon,
licar uma s no dcimo ^extoseculo.
No mez de seteinbro de 1563 publcou se uma
ordem de Carlos IX com data de 10 dannn mez.
u^ actos coini'iioo a segua uisposigo :
E' prohibido publicar ou imprimir nenhnm lvro
ou esenpto em verso ou prosa, sem licenca do se-
As branduras, e os uhor rpi, sob pena de ser enforcado ou estrangu-
como
lil i ;i do Paraos se despotoam, sem
familia ; pos icrne-se a lotaso paraguaya
lima inv.i" pi'p
Os paraguayos clao coaraMMODOO
m ferotes e brulaes, ue nenhura povo ha visto
na ca presente.
t Lopes iiiudoii de plano,
meio >ua crour ti,.i.i.lores, foram trocados pelo facto que io- Foi tambera determinado :
cendra, pelo punhal que assassina as desgragadas Que tres vezes por aono se lize.'se uma vioita s
e aderezas povoaeoes ; e o seu exercilo converleu- offlcinas e lojas dos impressores, mercadores e ven-
ae em hordas de cossacos ou bandos de corvos, que dedores de llvros em Lyon, sendo della encarrega-
eahem sobre os povos, vidos de sangue e de ra- dos dous personagens da igreja, di-pulados um pelo
pp, arcebispo e o ouiro pelo capitulo do dito lugar, e
t O inepto Robles, que foi violentamente depos com estes o senescal de Lyon.
lnosuhstiiiiid.no cumulando do exercit para- ......at
guayo plr verdugo rapace de Mallo Grosso, a uni-
, i i-a '!(! b.-z foi devastar Corrientes. Segundo o Times, o Grent Hastern era esperado
Este inepto general, cuja tctica consista em em Valencia (Irlanda), d'rade seguirla para Por-
marenas contramarchas, e que durante tres me- nand, o nnico porto da costa onde ha profundidade
t'~ nao fe mais do que >aquear a provincia subs- d'agua sufliciente para aqnelle vapor.
titnido pelo hroe de Coimbra. E' ja' sabido que nao se pode conseguir o flm da
Este d,-scetidenle de Caco e cortador de ore- 0 viagem.
Ibas humanas, que em Mallo Groso leve a vileza A (,erja causada pela quebra do cabo elctrico
de i r as soas iniciaes nos objectos roubados, vem calculada, nmeros redondos, em 200,000 libras
boje consumar obra de forto e deg< lio, que com esterlinas (900:0005000); mas sera' altenuada con-
taina cobarda pi im'ipiaram a 13 de abril. .deravelmente porque se pode levantar anda urna
Nao sero para extranhar os grandes atienta-', grande parle do cabo desde o porto de Valencia,
do, que em pouco terao lugar. Nao esto desanimados os directores nem os ac-
E-oufcia-me dizer-lhe, que em Bellavisla ar-; c0nistas da cornpanhia, e preparara se para novas
rauraram de suas casa?, por enlre as lamentagSes. experiencias.
das propp milis, a um numero crescdo de mo
gas. que levadas para o acampamenlo, ahi
foram ttoladis da maoeira mais selvagem.
\M POICO D8 TUDO.
E' bem enhendo o julgamento de Pritchard, o
m^li^o envenenador.
O processo deste grande criminoso tem sido o as-
mmpto d- "odas as .ronvarsagoes.^roduzindo gran-
de in!!su"Sio contra n mdicos, a ponto de al-
guns creados de>tes se julgarem envenenados por
secs amo*.
O drator Watson Bradshaw chamou ao tribunal
eorreeeieaal d-i Maryl.-bone urna cosnhelra qne
dizia ter sido envenenada por et'e.
Esta iii-illier abandonara repentinamente a casa
do douloj \V .ts >n, < procurara notos amos ; ataca-
da em ca o>stes de violentas clicas, dssera.
Islo fura de duvida, mas o arranjo do novu
cabo exige lies ou quatro meses de trabalho.
Escrevem de Londres ao Monileur :
O flm da estago elegante foi assignalado por
muitos casamentosillustres.
Merece especial mencao o consorcio da filha do
duque de Soraerset, prmeiro lord do almiranlado'
com o Sr. John ftemsden, um dos mais ricos ca-
talleiros de Inglaterra.
Os hateres de sir John siio principalmente na
cidade industrial de Hudderslield, que construi-
da sobre as soas propriedades. Hatla ontr'ora to
mutua conBanga entre os habitantes da cidade e a
familia Ramsden, que as primairas consirucgdes
foram eitas sem se cumprirem as formalidades re-
queridas pela lei.
Esta omissao deu, comtudo, occasiao a serias
O Sr. Bradshaw envenenou-me ; um mal- contestagoes.
vado como o Pn'cliard.
Foi chamado um medico immediatamente, epen-
sou-se at dm dar parte a' polica.
O in.do'o deflarosj que a rapariga eslata ente-
nenada. ^
tabeado o douior Brasdshaw que era victima de
tao grandes calumnias, foi procurar a sua ex-cos-
nheira, que ja' encontrou complelam-nte restabele-
cda.
Porque razo afflrraaste qoe en te tinha enve-
nenada ? perguotoo lhe o medico.
Senhor d'.ulor, foi men irmo quem me
disse.
Isso nao raziio.
Mas a verdade.
E tu estas convencida de que eu sou entene-
nador?
Ea, senh'ir dontor I
Pi.is eu te direi qnem soa.
Eifc..iv,.iii' :ib. o douior levou o cosinheira po-
rania o tribunal; depois de referir ao juiz as ca-
Inmm'as que se tinham propalado, pediu que se
Ibe fizesse ju.-tiga. Declarou qoe Belsyassim se
cbamata a eosfabjtatttere desynlberia, e que
/ ibeapplicara os medicamentos contenientes.
Sir J. Ramsden aproteitou a dssolngo do par-
lamento para se retirar dos negocios, posto ser no-
mem no vig.r dos annos.
A sua allianga cora a familia de um dos mem-
bros do gabinete faz acreditar que tornara' a en-
trar na tida publica.
i. a i
Lord Rassell tlsitou a rainha em Osboroe.
Lord Palmerston esta' actualmente em Broa-
dlands.
c..........
L-se no Salut publie :
Morreo ha pouco o to Taquet.
Era um velho explicador de malhematica, cujo
terdadeiro nome nao tem nada ao caso.
Os seus discpulos adoratam-no pela sua bonda-
de e pela sua dedicagao.
Realisra o problema de vver por pouco dinhei-
ro, por<|ue nao gaslava mais de 90 cntimos por
dia (160 rs.)
O to Taquet vesta pobremente ; mas apezar
disso iegou 200,000 francos (3:6005000) a um jo-
ven douior de 9cencias, natural de Lyon.
De onde recebeu o professor lao considerateis
hateres ? A historia digna de se contar.
Entre tarios discpulos o professor tinha cega
predilecgo por um rapaz que se destinata escola
polytechnica, mas a quem a phtysica corlou a car-
reira.
O discpulo, morreudo ha pouco tempo, instituio
o professor seu herdeiro universal.
O tio Taquet, depois de rico.dispunha-se a gozar
da sua riqueza inesperada, quando a morte lhe
impedio a realisago dos projectos.
Por le.-t tinento frito era 1863 em devida forma
Iegou a Prosper X... de Lyon, quanto possuia.
Eis a razo da disposigao testamentaria :
Em um domingo de 1863, o to Taquet, cedendo
as instancias de antigos discpulos, coosentio em
tomar parlo n'om jantar.
Depois do jamar, teio o dono da casa coma
eonta.
Lembrou se um estudanle de fazer um ratelo
por cabega para o pagamento da despeza.
Caba do wwWol a cada um.
Este costme tai desapparecendo ; porm anda O chimico Gale pedio que lhe trouxessem um
ba reuni5esem que se obserta com todo o rigor o barril de plvora.
prfido costme de se beijarem as raulheres, del-1 Vou lancar-lbe 'fogo sem hesitar, disse aos
xando em terrivel inteja os pobres (litios de Ado, clrcumstanles, que nao parlicipatam da sua con-
quando alguma lida filha de Eva de olhos ne- flanga.
grosonaruesquem distnbue com prolosio dol- e moistrou orna porgao de poltora com ama
cosos sculos. porgao maior de p, cujo segredo conserta.
Ha poucas noites, contava um jornal madrileo, Trouxeram uma bomba, e esta rebenlou no
sahiodo de uma casa daquella corle (Madrid) va- meio do barril, que se conservou intacto,
ras senhoras, comecou a laina de beijos, e a ama- Era geral a commogao : porque, quando reben-
tel dona da casa foi quem te ve quinharo maior. la um barril de plvora, sao muitos os bragos, as
Notou-se na manhaa seguinte que esta senhora cabegas e as pernas, que voam aos ares despeda-
adoecera com todos os syraptomas de envenena- cados, e mister ser mu taloroso para pre;cu-
mento.
Chamado o med-o, declarou que a enferma era
victima de uma clica tiolenta.
Atenguado o caso, resuliou que as senhoras,
que linham estado reunidas na vespera, costuma-
tam branquear-se com altaade, que prejudica
atrozmente quem o usa, e dahl proveio o envene.
namento, porque fora inoculado com os beijos.
A amavel dona da casa eslava perigosamente
enferma e receiava-se pela sua vida.
O lio Taquet nao tinha mais de seis vintn?.
Inwgme-se o desanimo do professor, envergo-1 at hoje baldadas todas as tentativas.
E' tulgar ver-se as noites calmosas do esto in-
nmeras senhoras passeiando a beira do mar.
As horas silenciosas da noite, a luz serena e
igual dos astro dos nauorados, a melopea caden-
ciada e triste dos marinheiros ainda despeos,
brando correr da onda para a praia, o raoger mo-
ntono dos cabos, impressionam as donzellas vapo-
rosas, flexlveis, obrigada, a tsica po concert da
elegancia, e al mesmo os donzeis de alhmra, no-
necos de pao de pomada, ou paozinhos de al feln.
Urna das supracitadas, apena os nacarados dedos
na muralha fra e dura do caes das Coiumuas e
pensa na felicidade intima de dar dez annos de
vida por um minuto passado a fallar com elle de
amor, sentados ambos u'uui barquinho, alm onde
se v aquella luzinha.
'V-se ouira que passea olhando para o claro,
vagarosa, lossindo de quando em quando eescon-
dendo cora o tengo uma lagrima que veioespreitar
lana tristeza durante o intervallo dos dois quan-
dos : nnguem a comprehende, ama a imagem e
percebe qttel queclioso da linguagem da la.
Nao falta um por que, brago por cima braco por
baixo, se olhe com ternura ; e diga depois de lar-
go silencio :
Tnmbem tu amas o la f
A t'isa Diva assobiada, e quebrada, variada,
sentiraenlalisada, repassada de poesa, nao falta na
beiramar.
E' um janota, que olha com mveja para um ga-
ndo que puxou dez res para pagar ora copo de
agua, o poeta admirador da opera de Bellini.
Entre as muitas donzellas, que durante o esto
passeavam na Lagea, havia muitas Figueiredos,
Silvas, Cunhas, Mirandas, Bastos, Texeras, Pin-
tos, Mellos...
E' por aqu ijue eu quero Picar.
Passeava a joven tiuva Carolina de Mello com
um cavalheiro que pareca de multa familiarldade
da dama.
Passava casualmente um vendedor de caramello
e agua, fra.
V'a esfiando a poile, conselheiro.
Se V. Exc. desejj retirar-se, espero que nao
me negar a honra de acompanha-la.
Demos mais uma tolta, que talvez que as
manas ainda se queiram demorar.
Deram ma.s uma volta, e tornaram-se a encon-
trar com o vendedor de caramello.
A dama, depois d assestar a luneta para o ven-
dedor, perguntou ao conselheiro :
O qon Toode -.te hnmem T
Cammeiio ; excellante para um coose-
Iheiro.
Trabalha-se a muito tempo no modo de obter
que a photographla aprsente na reproduegao da
magem as cores que ella tenha ; mas tem sido
nhad) dianle dos discpulos.
Todos pensavam no modo de o livrarem delica-
damente do mo passo.
O tio Taquet letantouse de repente e disse :
Que desgraga a rainha I perd uma moeda de
ouro.
Os convivas apressaram-se a procurar por toda
a parte.
Entao, Prospero X... langando sobre a mesa um
napoleao em ouro, disse cora a maior naiuralida-
de :Achei-o debaixo da mesa.
Poi este rasgo de delicadeza a cansa do legado
do tio Taquel.
A Sentinella toulonnatse corita o seguinte faci :
Um velho, que habita na aldea de Arcos, onde
vive da i aridade publica, toado, de fazer uma pe-
quena digresso, pedio a um tai Breraond, honra-
do pedreiro da tocalidade, que concertasse o telba-
do da casa.
O operario, desejando que a obra ficasse solida,
liroutodoo material arrumado, e quando exami-
nava uma t'ga, descobrio uma porgao de dioheiro
em moedas de dez francos.
Bifmond nao tardou era restituir o thesouro ao
seu legitimo proprelai io, que, reconhecdo a este
acto do prooidade, se propde, du-se, a processa-lo
pelas perdas e damnos que lhe resullam por se
ter divulgado um segredo que lhe prejudica a sua
industria de meudicanle.
O coronel Sacco, director docollegio militar de
Asti (Italia), tem experimentado com bom xito
ura processo para reproduzir napliotographia os
objectos com as suas cores naiuraes.
O coronel espera poder apereigoar mais o seu
nvenlo.
Fallase muito em Turm de um facto que se
deu ha pouco lempo naquella cidade.
Falleceu receutemente o duque de X... possui-
dor de grandes hateros. *
Antes de morrer fez testamento e deixou toda a
sna riqueza a tres indiviiuos que lhe linham cap-
lado a confiauga, desherdando sua mulher e outros
parentes prximos.
Depois da morte do duque, a esposa, vendo en-
trar na posse da beranca pessoas eslranhas, pro-
testou contra a validade do testamento.
O tribunal mandou comparecer os tres indivi-
duos, por suspeitos de caplagao de heranga.
Houve ha pouco tempo em Nova Orleans um
successo horroroso de que era os jornaes nem a
policia ttveram conhecimento.
E' um duello entre oSr. P..-e o Sr. W..., am-
bos residentes em Nova Orleans.
Era das mais lurtes a causa do duello.
P... eslava em um bolequim da cidade, quando
entraram tres jovens, um dos quaes era W..., e
vieram sentar se sua mesa.
Os recera-chegados, que pareciam ter bebido
demasiado, entabolaram conversago entre si acer-
ca das actnzes de um dos theatros.
W... coinecou a referir aventuras escandalosas
a respailo da pnraeira dausarina, da qual dizia ter
Os habitantes do paiz de Galles receberam en
ihusiastcamente o principe Arthnr ; e n'um ban-' qaDdo'se ouvio -bulla no quarlo vLioho!
A dama pedio ao cavalheiro que fosse ver o qoe
Ha poucos das, em Saint-iiloud.uma dama for-
mosa e elegantemente vestida, aodava a passos
precipitados, mostrando a maior inquetago.
Muita gente a julgava louca.
Dirigo-se a ella um mogo de maneras muito conquistado a affeigo.
cortezes e pergunton-lhe o que lhe caosava tantos' P... letantou-se entuo, e apostrophando \V...
desgostos. : era voz alta, disse-lhe :
Procoro meu (libo e nao o encontr, respon-
deu ella; disse ama que tiesse aqu ter comigo,
e ha mais de uma hora que a espero debalde.
E' possltel que a ama seja mais rnde de
que culpada -, fazei-me a honra de aceitar o meu
brago e procura-la-hemos ambos.
A dama recusou o offerecimento, mas como o
cavalheiro insistisse. acabou ella por aceitar, e de
brago dado comegaram as investigagoes.
A pouco e pouco foi a dama mostrando menos
inquietacao e o cavalheiro raais araabilidade.
e repente parou ela edisse, voltando-se para o
cavalheiro :
E" possivel qne a ama livesse j estado aqu,
e que nao rre tendo encontrado se dingisse casa
de pasto onde' deviamos ir jantar.
Dirigiram-se efectivamente para a casa de
pasto.
O cavalheiro mandou (azer o jantar, em qaanto
esperavam a ama que anda nao |tlnha chegado.
O mogo contlnuata a mostrar-se galanteador,
quete a que elle assistia fez um brinde, por ordem
da raota, ao seus leaes subditos do paiz de
Galles. >
Depois de seis semanas de calor intenso, a Ingla-
terra tem sido alagada por chutas torrenciaes na
poca das colbeitas.
Tem-se propagado a epizootia por todo o paiz,
atacando tonto a vaccas como os bois. Grande
succedera.
Quando regressoa para contrn.
A formosa ate fuulra letando-lhe a bolsa.
Os beijos que se datara s mugieres ao despe-
direm-se entre ti, 6 por ventura a imitagao diaria
do beijo de jodas.
Prote-se o contrario.
Commettels uma dupla vileza ; ments im-
prudentemente, e ihsnltaes urna mulher.
Descerara entao e ajustaran! encontrar-se no dia
seguinte.
Veriflcon-se o duello pistola, cahiodo morto
um dos adversarios e gravemente ferido o outro.
Trocaram-se doze tiros.
W... depois de ter recebido duas balas, atirou
o ultimo liro de joelhos, por nao o poder fazer de
p.
Foi dos contendores o que suecumbio.
P... ferido pelapriraeira bala do adversario no
meio do pello, atirou sempre sem que os padrlnhos
se apercebessem do ferimento.
Nao ha esperangas de ser salvo.
A Gaveta Econmica e a Revista Peninsular pu-
blicaran) urna caria do Sr. Edmundo Potonl, era
qoe se sustenta a idea da reuniao do congresso
internacional para tratar detida e profundamente
a questo relativa organisago dos exercitos per-
manentes, grate assumpto que preoecupa a atten-
go dos boraens pensadores e de muitos governos
da Europa.
ciar experieaeia lio pengosa.
O Sr. Gala lomou uma barra de ferro ndente
e metteu-a dentro da plvora cora iraperlurbavel
tranquillidade.
A plvora conimuou muda, e o chimico trium-
phanle decidio-se a deixa-la era paz.
Entao mil peitos respiraram com liberdade.
Hoder-se-ha acreditar de ora avante na inleira
eficacia do novo invento.
Mais ainda falta o mais precioso do segredo.
O chimico inglez lomou uma quantidade desta
plvora neutralisada, langou-a em uma pencira
que deixou passar o p cuja aegao impede a ex-
plosao, e a plvora recuperou a propriedade pri-
mitiva.
O invento do Sr. Gale principalmente huma-
nitario, e podem prever-se as desgragas que evi-
tara so se adoptar a sua applicagao aos depsitos
de plvora, navios e pragsde guerra.
Um homem foi arremeesado distancia de 40
toezas; vio tudo bem, mas nao p je tornar a $
zer uma palavra.
Uma rapariga de vinte annos linha fgido com a
familia para a adega da casa, mas snbindo para
fechar ama porta qne o vento abrir, quando ebe-
gon ao alto da escada, foi colhida pelo torbilho e
arrojada ao campo, onde espirou passados alguns
instantes.
O resto da familia nao soffreu nenhum mal.
Um grande carro fui levantado pelo vento e ca.
hio do outro lado da casa sem prejnizos.
Um menino de dous annos foi arreraessado a um
mlaga) e ilcou gravemente ferido.
Um forcado que fui arreraessado a um carvalho
cravou na arvore sete polegadas de ferro.
Ura reservatoro de agua ficou enchuto como
se o tivessem despejado.
Um sugeito, arrojado fra da sua casa destruida,
foicahir em orna adega; alguns minutos depois
cabio ao p delle uma menina.
Nao tinham soffrido com a queda, mas um ca-
vado que a tormenta arremessou sobre o bomem
quebrou lhe nma perna.
O cavallo debatia-se para levaatar-se, e o homem
procurava a sua faca para mata-lo e salvar a sna
vida e a da rriancnha.
De repente cahio sobre elies um carro com dous
cavallos.
O cocheiro j eslava raortalmente ferido o p de
de uma arvore, em que batera com a cabeca.
Uma foi ha dos Estados-Unidos diz qne tambem
tinham sido destruidos mullos dislrlctos de lowa.
Parece que vai ser agraciado com a commenda
de Carlos III o tenor Tamberlik.
Dirigase lia das um viajante fraucez de Len
para Hendaya.
Na occasiao era que o comboyo caminhava com
grande velocidade, o viajante saltou para lora do
wagn.
O raais extraordinario nao ter recebido a raais
leve contusio.
Foi resultado este acto de alienagao mental.
Foi conduzido o francez cidade de Burgos,
onde coulioa a dar musirs de loucura.
Falleceu em Badn, perto de Vienna, o general
austraco Civalart contando cem annos. Nascido
em 1766, entrou uo servigo em I78i, o adquiri
para logo a coolianca do archiduque Carlos, coro
nel de cavallaria em 1803, salvou era Ulra o ar-
chiduque Fernando de Este, e ganhou a grao-cruz
de Mara Thereza.
Verificou-se a semana passadi um conselho de
guerra a bordo do navio de sua magestade brilan-
nca Defarse, que causou Irisb sorpresa na opi-
nio publica.
Tinba sido preso o lente da armada Deuoy,
por se ter vestido a paisana em Cricket!, do Dor*
ebester. Accrescia na aecusago que tinha sido
visto cabido na ra sem accordo, e que esta insen-
sihilidade se aitrbuia embriaguez.
Dous coinmandantes, lord Frederik Keor e Hom-
by, que o virara cabido por Ierra, niio desdenha-
raio approximar-se delle, e contentaram-se com
mandar-lhe um tenente para o levantar.
O tenente Denny confessoa que desobedecer as
ordens do seu commandante, e que despra o uni-
forme ; mas repellio enrgicamente a aecusago
da embriaguez. Disse que havia allugado um ca-
vallo para ir a Dorchesler. e aue linha cnido ao
saltar urna barreira ; mas que, nao obsiaote ter-se
ferido oas costas, continuara o eaminho : porm,
augmentando-lhe a dr consideratelmenle, lhe (i-
zera perder os sentidos. Foi igual o depoimeni0
do tenente Charapbell, que lhe desplo a sobrecasa-
ca e lhe poz uma cinta as costas.
Algumas testemunhas depozerarn quft tinham
fallado ao aecusado tenente na estrada de Dor-
cbesler, e quu nao eslava ebrio.
Dous cirurgies que o visitaran), quando elle
eslava de cama, deelararatn que a queda do ca-
vallo poda occasonar coutuses e insensibilidade
completa, e que alm disso nao notavam nenhum
syipionia de embriaguez.
Apezar destas testemunhas, o conselho de guerra
julgouque a accu-.. ;w eslava provadaem tolos os
pontos, e seuteuciarara o tenente Denny a que fos-
se demittido.
Uma circunstancia mullo attenuaute para o reo,
que havu duas ou tres semanas, salvara, com
risco da propria vida, um marinheiro que se havia
laucado ao mar.
Accrescen'a o Internacional que esta sentenga
obteve reprovago geral em Inglaterra, e que se
esperava que a rainha lhe perdoasse.
Publica o Diario Oficial o seguinte :
Fomos obsequiados cora os dous tomos dosi-
tulos praheos sobre a admimstraqaodas provincias
no Brasilpelo Sr. conselheiro de eslado vsconde
de Uruguay.
O talento e illustragao do autor, a sua posigo
eminente no paiz, e loriga pratica na alta adminis-
tragao aconselham a que se estude cora interesse
a solu-.o, que o Sr. tisconde do Urugnay da' as
Iraporlantissimas qiiesles, que aprsenla e dis-
cute.
O ubjecto deste trabalho interessa a' lodos; e
quer se aceite, quer rejeile a opnio do autor, ba
nesses dous volumes muilo documento de talor,
muita noticia de a prego, muita opiniao de peso,
que devem convMar no estudo e a' reflexao. Pro-
cedendo-se deste modo sera' couleslada a assergao
do Sr. visconde do Uruguay, quando nota que"
se e estada se pouco entre nostatas alias, em qne
sinceramente o acnmpanhamos.
S. Exc. pretenda, e prometteu o era 1862, publi-
car um trabalho, queIo comivesse a exposigao
positiva e methodica, a mais cora?leta que lhe fosse
possivel, de toda a nossa legislago administrativa,
de modo que pudesse servir de guia aos que se oc-
cupam de adaiiniairagao: 2* coraprehendesse, se-
paradamente do texto, observages que lodicassem
e demonstrassem os di notos e lacunas daquella le-
gislago, e os mellioramentos e reformas, que lhe
parecessem mais conveniente.
Aggravando-se infelizmente o estado de saudedo
Sr. visconde do Uruguay, alm dos affazeres que
sobre S. Exc. pesam, e para uo perder os mate-
riaes que a muito rusto liuha reunido, resolteu des-
tacar algumas pegas lo seu plano, cooteodo :
t. Estuios sobre o acto addclonal.
2. Estados sobre as prest lencias da provincia.
3.* Estudos sobre as municipalidades e paroebias
de provincia.
O trabalho que terao3 a' vista, comprehende ape-
na a prirueira parte, prorueileudo o Sr. visconde
da 1'ri.fo.y .~ t,w liirro aopup*r-o das presi-
dencias de provincia, das municipalidades e paro-
chias.
Muilo desejaramos dar aos nossos leitores ainda
mesmo um simples resumo das ques!5es ventila-
das pelo autor; itas comprehendendo seu traba'
Iho o tame das a>se.ublas provineiaes em sua or-
ganijagao, func;oes e coiuiuercio com as presiden-
cias, lanas .-ao essas questes, io iraportanles to-
das ellas, que linaria paludo o resumo, seoo ntei-
raineute perdidos os nossos esforgos.
Cunieniamo-nos, pos, de recommendar a' leitura
do novo trabalho do Sr. visconde do Uruguay.
iia poucos das, na ra de Rivuli, uma dama
anda joven, (rajando lulo, e audaudo pela calcada,
ou parecia contar es passos, ou procurar alguma
cousa.
Os transentes olliavam-na, paravara um pouco,
mas depois seguiam o seu eaminho.
S um agente de policia deu maior attengo a
este modo myslerioso, seguindo-a passo a passo
airaz della, sem que se dsse por tal. O passeio foi
bastante longo; depois, de repente, a dama parou
ajoelhou c principlou a chorar.
Como era uaiural, a esta scena uma mullido de
curiosos a rodeou logo.
Que tuela ah, senhora ? lhe pergunlou o
agente de policia tocando-lhe brandamenle no
hombro.
A dama afllicia pareceu oo dar por isso; repe.
tio-lhe a interrogago com o geslo am poni mais
forie que o lizera da priraeira vez.
Levantou entao a dama a fronte chorosa para
elle, mas os olhos espantados revelavam que ella
A 29 de julho de mannaa, Kahl Dal ey, de Gru- .. ,llul,,,, 2 ,
Bao tinha coraplelaraente a consciencia daquella
scena ; entao o mesmo agente de polica, commo.
vido, ajudou a levauu-la, afastou a multido com
o gesto e a palavra, e dirigindo-se a dama, levou-a
a uma pharmacia prxima.
Ali inlerrogou-a de novo, e de novo ainda Ibe
nao respondeu senao choros.
O pharniaceutlco fez-lhe tomar ura clmame pa-
ra lhe abrandar a etcitaeao nertosa ; mas, apezar
de lodos os eslorgos, guardou sempre o mesmo sij
lencio.
a^-
Escrevem de Bale ao Courrier du Bas Rhin :
As pessoas que nao eslao habituadas a andar
pelas montanhas nao se devem arriscar a fazer
excursoes as regidos elevadas.
O Tagblatt des Grisons refere uma excursao fei-
ta recenleraente por um tourista allemao, que, ape-
zar de nao ter consequencias funestas, pode ser-
vir de ligo aos viajantes imprudentes.
biu, perto de Breslau, ernpreheudeu, s e sem
guia, apezar das advertencias do dono da hospeda-
rla do Liuii, uma excursao de Zernetz ao valle sel-
vtico de Ctuozza,cjuhecido pela genle do paiz por
valle do diabo.
Chegado a grande altura, o tourista pensou era
desuer, e pr-se em marcha ; mas perdeu o equi-
librio e cahio uo abysmo. Nao perdeu o sangue
fri, conseguindo agarrar-se a uma moita. Apenas
assenlou os ps no chao, o terreno esboracalo pe-
las repetidas avalanches,. fallou-lhe, e o tourisla
comecou a resvalr rpidamente pela eminencia.
Deparou-lhe Deus no declive-urna saiiencia dt
rochedo a que o allemao se agarrou.
Tinha-se felto noite entretanto, e o nosso aven-
turero vio-se obrlgado a permanecer na mais in-
commoda pos i gao.
Pensou se em procurar as alglbeiras para ver
se se encontrara algum papel que indicasse quem
ella era; nao obstou a isso; achou-se-lhe ama car-
ta que luoicva a sua morada.
Enio o agente da polica foi procurar ama car-
ruagera, fez subir a dama, e eonduzio-a ao sitio
Suspenso entre a vida e a morte, e sem se atre- que ndicava o sobrescripto da carta,
ver a adormecer, passou oito horas angustiadas. Vendo-a descer com o seu compaobeiro, o por.
Ao despontar do dia, tentou dar o salto que o!,eiro da casa, diaute da qual a carruagem tinha
devia salvar ou perder. parado, roinpeu em exclamagdes de sorpreza e de
Tirn as botas e atron-se contra os rochados Jvivo meresse, falos entrar arabos na sua casa, e
fronleiros. Conseguindo segurar-se, dexou-se de-!6 s 1ue elle conloo :
pois escorregar at o rio unogga, qne corre na fal-
da dos rochedos. A's 10 horas da manhaa regres-
sava a Zeroelz, muito magoado mas mlraculosa-
mente salvo.
--
Tal foi a que ha pouco tempo destruio quasi-cora
pletamente a aldeia de Virogna, no Estado de Wis-
consin, nos Estados-Unidos.
Foram 117 as pessoas moras e gravemente fe-
Esta dama era casada com um modesto empre-
gado; vivia, haviam alguns annos, n'um pequeo
quarlo desta casa com seu marido e ama linda fi-
lha que adorava, quando, ha am mez, ella foi ar-
rebatada a vida por uma febre lyphoide. Desde es-
te momento as faculdades da pobre mi foram ata-
cadas, e n2o quiz mais fallar.
Todos os das, quando >eu marido la para a re-
partigao, vistiava ella o cemterlo. Quizeram op-
por-se a qne ella conlinuasse neslas tristes visitas,
mas tornoo-se lio furiosa, qoe o medico aconse-
ridas.
Eis algumas linhas de uma carta em que con- Ihou que nao a contrariassem, e assim acontecen.
tado o successo. i Esta manhaa, porm des viou-se sem du vida.
~.._______ A tromba unha passado em dous minutos, mas ( Havia-se conhecido a chave do enigma, e efecti
Afflrmam os jornaes inglezes que o chimico uaie |evara toda a parte meridional da aldeia, e os qoe
vamente ella sabio tranquilla para saa casa e reto,
mou os seus deveres domsticos, como desempe-
descobrio o segredo de fazer com que a plvora sobre vi teraro, sabindo de rojo de entre as ruinas
deixe de ser explosiva no espago de cinco minatos de suas casas, vlram ama uten, grosea. que em ~;a~ ,7^ qVadoToto'rodo
em qnantidades consideravels. voltas fngia para esto. ^m a AieQO, S. J;. iilA.. A ._.
Fez-se a experiencia com bom etilo na escola de Essa nuvem levava am lorbilbao de vigas, pe- i ""^Vh^inl VisSa
liro de Winbledon, oa presenga do duque de Cara- dagos de telbados, pedras, corpos humanos, sebes ip. e-----------------'
bridge e outros personagens. e mores. I PERNAMBUCO.-i'n P. DE M. F. DE F. & F1LHO

-


^
i _rf
r:;___:*:
TJ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E69RURSWT_TR2MU4 INGEST_TIME 2013-08-28T02:57:11Z PACKAGE AA00011611_10766
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES