Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10760


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
I -

AJtifO ILI, BPMERO 203
Por qaartel pag* dentro de 10 das do 1. mez : t .
Iem depois dos 1." 10 das do comecoe dentro do qoartel. .
Porte ao eerrei per tres nezes .*....., ,

TERCA FEIRA 5 DE SETEMBRO HE 1865.
5|000
6|000
780
19$000
t|00
BNCARREGAOOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Icemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Re
drigues; Par, os Sr. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Ctandlao Falcao Uias; Babia, o
Sr. Jos Martins Alves;
Ribeiro Gasparinho.
Rio de Janeiro, Sr. Jos
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. liento, liom
Consellio. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras. .
Pod'Alho, Nazareth, Lrooeiro, Brejo, Pesqnelra
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEx, as quartas
feiras.
Serinbaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta a Pimentelras.nas quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAKS DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relapso: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Jlzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira var do civel: tersas e sextas o meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO HEZ DE SETEMBRO.
8 La cheia as 11 h., 32 m. e 16 s. da m.
12 Quarto ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La nova as 8 h., 6 m. e 10 s. da t.
|28 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
4. Segunda. S. Rosa de Viterbo v. f.
8, Terga. S. Ilercnlano m..; S Arsencio.
0. Quarta. S. Libania v.; S. Zacharus prof.
7. Quinta. S. Uegina v. m.; S. Parnphilo b.
8. Sexta, cfc A Natividad de N. Senhora.
9. Sabbado. S. Sergio b.; S. Rufino m.
10. Domingo. S. Nicolao Tolentiuo; S. Salvio m.
PRF.AMAR DE HOJE.
Primeira as 4 horas e 30 m. da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagoas a 14 e 30; para o noru
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Feman-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, maio,
ulho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa d
Faria & Filho.
PARTE 9FFIIAL
(OVEREO U PRVIDA.
Ilt'laorlo coiu que o Hvm. Sr.
Or. Antonio Borges Leal Cas-
ello raneo passon a adminis-
trado desta provincia ao sex-
to vice presidente Exm. Sr. ba-
rio do Rio Formoso.
Illm. e Exm Sr.Recebendo a 20 de julno pas-
sado o decreto de 7 do mesmo mez, pelo qual hou-
ve S. M. o Imperarador por bem exonerar-me da
administrago desta provincia, em que me achava
desde 25 de Janeiro deste anno, passei-a 25 do
referido mez dejulho, por se terem declarado im-
gdidos os outros dous nicos vice presidentes,
xms. Srs. desembargador Anselmo Francisco Pe-
retli e Dr. Domingos de Souza Lefio, ao Exm. Sr.
desobediencia obstinada em que se acha a guarda
nacional, principalmente da comarca, nao haver
duvida at de romper em excessos e desatinos, co-
, mo ameagam 6 revelam, se nao forera empregadas
medidas coercitivas e repressivas.
Commandante superior de Buique : faz-me
saber em 8 de junho que bem poneos dos desig-
nados se apresenlaram, visto como j mullos
se achara agrupados em lugares ermns, armados
e dlsposlos a resislirem, sendo que por isso muito
receta da paz e socego publico, mormente em
Aguas-Bellas, onde existe urna aldeia de Indios des-
inoralisados. e um coito de criminosos capitaneados
por Francisco Alves Machado.
Commandante superior de Palmares :expSe
; em 11 de junho que so se apresentaram tres guar-
como tao espontneamente deu 1,300 voluntarios, i Renov ao Sr. Osmim Laport as segurancas de
daria 2,400 guardas nacionaes, se nao foram causas mipba distincta considerago e estima,
espeeiaes. Dito ao caplio do porto.Mande Vmc. por em
Trinta e nove guardas nacionaes designados re- liberdade os recroUs de inarinha Manoel Paulo do
qnereram e obtiveram dispensa definitiva, ou em Fr*nca e Joo de Deus Meirelles, que foram consi-
quanto se nao recorrer a' classe respectiva. j durados incapazes do servigo em inspeccao de
i sade, como consta do termo que acompanhou o
seu ollicio n. 163 de 31 de agosto ultimo.
(Continuar-se-ha.)
Expediente do dia 1" de setembro de 1863.
Offlco ao Exm. Sr. Dr. Joao da Silva Carro,
presidente da provincia de S. Paulo.Pelo offlVio
de V. Exc. de 3 de agosto prximo lindo, ttquei
inteirado de haver V. Exc. nessa data, prestado
juramento e tomado posse da administrago dessa
das, tendo-se auseudoc ootros, a^ws foramo- i p-r tiuVados. | ml de de Julno ultimo.
Commandante superior do Limoeiro: nrrien-j Di- anmarechal decampo commandante das
do conseguido a apreseutacao no dia 15 de maio, ar<*--Mande V. Exc. recolner a eafermaria
marcou o 25 do junho ; ms, est ceno de que o n"l"ar>aflm de serera -ratia05> I)S voluntarios da
na dura necessidade de recorrer pa!na .da Prov"icia do Piauhy, Antonio Jos de Oli-
veira, Laix Mues de Souza, Thomaz Jos de Souza,
Antonio Itodrigues, e Germano de Souza Salgado,
Dito-so superintendente, da estrada de ferro.O
Sr. sufie 4nta da estrada de ferro mande dar
irinsprfrre para esta capital a um desertor e recra-
tas, assim como s pragas que os vierem escoltan-
do e na mesma estrada so apresentarem
do delegado do termo de Agua Preta.Commuoi-
cou-se- ao engenheiro fiscal d estrada de ferro.
governo se vera
aos meios coercitivos.
Commandante superior.de. Olinda e Iguarass
6" vico-presidente baro do Rio Formoso, que, por j __em g de oho que tres guardas se"'apresen- que com esle ,ne serSo apresentados.
morar nove leguas distante desta cidade, >o a 2i ,araiI)) apezar dB'ee ler empr^gadt todos os meios I _.?_"?_ao.n,Smo--5>5<\ aprsenla*
comparecen. m pacilicos para reuni-los; em 18: que em novo dia
Agora venho, em cumprimento do meu dever,; man.ado nenltuns outros se apresentaram, nao
apresentaraV.Exc.orelatorioquenaopudeapre-lj,,,^,,,,,,,^;,^., l)iUe0C3 auxilio do com-
sentar ao Exm. Sr. barao nem com mais promptidao i (nan ja,lles d0S curpS
a V. Exc, por incommodos de sado de minha fa- Commaudante superior do Pao U'Alho : em 9
railia, e pela difflculdade de colligir e coordenar
todas as infortnages que desejava submetter es-j
clarecida Intelligencia de V. Exc, que supprir as |
muitas omtnissoes que ha de nelle encontrar. E
como a magna qnesto do dia a guerra, comega-
rei pelo que Ihe diz respelto.
Devo, porm, antes de tudo, communicar V.
Exc que Suas Altezas a serenissima princeza im-
perial a Senhora D. Isabel e seu augusto esposo o
Senbor conde d'Eu, voltando da Europa no vapor
rancez do mez de julho, honraram ainda urna vez
esta cidade, saltando trra e pernoitando em pa
comparecern! os guardas.
O mesmo mais ou menos tem acontecido nos ou-
tros lugares, e succedeu nesta capital, cujo contin-
gente detenninei ltimamente que se reunisse no
da 25 dejulho.
E, pois, sinlo muito profundamente declarar a V.
Exc. que quasi neuhuma forga da guard t nacional
deixei aquartelada para o servigo da guerra.
Quaes as causas deste iusuccesso em urna pro-
vincia to belli.cosa e briosa como esta?
Alm das causas geraos : amor ao commodo, re-
laclo, onde foram comprimentados por muiios ci-1 pUgnancia para deix"ar a trra, os ioteresses, a fa-
dadaos e senhoras distinctas. A manifestagao do re-
gosijo publico por to agradavel e preciosa visita
fGi tanto mais espontanea e significativa, que.
se-
gundo communicagao feita presidencia pelo mi-
nisterio de estrangeiros Soa-; Altezas so eram es-
peradas no seguinte vapor inglez.
1.1 .MIDA NACIONAL DESTINADA GUERUA.
Apenas mechegons maos o aviso do ministerio
da justica de 3 de fevereiro com o decreto n. 3,383
de 21 de Janeiro ultimo, chamando servico de
guerra e defeza do imperio 2,424 guardas nacio-
naes desta provincia, fiz baixar a portara de20
do mesmo mez de fevereiro, designando o numero |
de pragas que a cada um dos mutile
em proporgo da sua forga, e exped aos comman-
dantes superiores a circular da mesma data, re-
commendando : que reunissem inmediatamente o*
conselhos dequalificago para designago dos guar-
das com observancia do disposto no capitulo 2o do
titulo 6* da lei de 19 de setembro de 1850, como
determina art. 3* do decreto cima citado : que,
designados, os fizessem sera demora marchar para
esta capital ; e que me enviassem listas dos offl-
ciaes com as precisas declaragoes sobre o estado,
idade e mais circumstancias, que, de conforraida
de com a lei citada, devem ser tomadas em consi-
derago para a sua designago.
De novo instei pela prompta vinda dos contin-
gentes em circulares de 24 de abril, 3, 8 e 30 de
maio, determinando que pelas colleclorias Ibes fos-
sem feitos os adiantamentos precisos para a via-
gem, e que os commandantes superiores me remel-
tessem os nomes, signaes caractersticos e mais In-
formagSes daquelles guardas que se negassem a
marchar, afim de contra elles mandar proceder na
forma da lei.
Por portara de 10 de junho organisei os diversos
contingentes em tros corpos, e nomeei os oficiaes
para o priroeiro, do qual commandante interino
o major Alexandre Augusto de Fi ias Villar.
Nao tendo com taes providencias conseguido re-
sultado algum, e sendo summameoie desagradavel,
e talvez impoltico, pelas circumstancias especiaes
da provincia, recorrer desde logo medidas extre-
mas, nao contra alguns refractarios e um ou outro
lar a V. Exc o
recruta Lourengo Esiuliario Ribeiro, que me foi
remettido pelo subdelegado suppleote do termo da
Escada, para que V. Exc Ihe d .o conveniente
destino depois de inspeccionado.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. dar baixa ao
de inlno nformotHne "que" uo"dia*desg'uado"iiao.recrula Joaquim Ferreira Borges de Sant'Anna, que
segundo o seu offlcio n. 1,465 de 31 de agosto ulti-
mo, foi julgado incapaz do servigo em inspecgo
de sade, por soffrer de paralisia no brago d-
reito.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. por em liberda-
de, dando-lhe baixa se j esilver com praga, o re-
cruta Domingos
gao legal.
Dito ao mesmo. Queira V
o que pede no incluso requenraento,
cional Herculano dos Santos, designado para o
servigo da guerra.
Dito ao mesmo.Expega V. Exc. as suas ordens
para que o corpo de guarnigio e os recrutas vac-
donados, sigam para a corte no vapor Tocantins,
que amanhia larga para o sul: doixando de ir
nessa occasiao os guardas nacionaes e recrutas
vndos do Rio-Grande do Norte, por nao haver
mais espago naquelle vapor, segundo me commu-
nicou o respectivo commandante.
Nesla data oflcii ao inspector dj arsenal de ma-
rinha, para que presto as erabarcagSes que forem
precisas e a hora que V. Exc. julgar conve
niente.
Outro sim, rmetta-me V. Exc. com
urna relagao de todos os cadetes que liverem de
embarcar no Tocantins.Oliciou-se neste sentido
ao inspector do arsenal de marinha.
Dito ao mesmo.Se por falta de tempo nao po-
der seguir amanhaa para a corte o corpo de guar-
ngao desta provincia, neste caso faga V. Exc. em-
barcar a forga que aqu existe, vinda do Rio-Gran-
de do Norte.
Dito ao mesmo.Declarando me o commandante
E podem-n'o.
Eia I
O que falta r
Passar da resignagao a acolo.
Faga seo j, sem detenga.
Onvidos cerradas a quaes quer interesses, olhos
techados a obstculos, f robusta da mocidade, e
avante I
E si para sacudir qoalquer retrahimento fosse
preciso nm eiemplo, que melhor poder-se-hia dess-
jar que esse dado pelo monxrcha ?
Elle, o primeiro cidadao, deixando a familia e
com guia os commodos domsticos, nao se prendeu aos gozos
' da realeza ; soltou-se a todos os lagos de affeiges e
con>iderag5es pessoaes, para voar ao centro da:
nn5K a Z-Zrn,enl<'0'Tnh,af Brasilfira.d Pa"' ^>oes que sustentara o's foros do Brasil nos cara
qaetes a vapor.-Podem Vmcs. fazer seguir para pos da guerra
os porlos do sul o vapor Tocantins, amanha, a
hora indicada em seu cfflcio de hoje.
PorUria.O presidente da provincia, attendendo
ao qne requereu o professor publico de instrucgo
primaria da povoagao de Ponas de Pedias, Auto-
n[o dos Santos Falcao, o tendo em vi la a informa-
gao do director geral interino da instrurgo publica
de 25 do crrente, resolve conceder lhe'20 das de
licenga com venrimenlos.
Diu.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
pos
E a sua presenga alli o appello solemne da pa-
tria a todos os seus tlhos ; o nenhum que esteja
em condigoes de poder marchar, dever recusar-se
essa convoeagao patritica.
Fugir quando a mi insultada, infamia.
Recusar-se quando a patria reclama, urna des-
honra, nm crime.
A honra da nagao a honra de todos e de cada
um dos membros que compoem essa nago.
E pois, nem um s momento de indecisao, quan-
fVweS v*po' ma,ndem dar lransPor'e para do o'patriotismo brasileiro est em')'rovc'o, e"a*o
. a cone, no vapor Tocunlms, por conta do miraste- pode ulhar sacrificios
no da marinha, ao mariuheiro Roberto Fernn- O patriotismo tambera faz milagres, e o iriumpho
des e aos f uraetes Leandro Pereira de Lima, que | contra o Paraguay sera' um delles.
do Brasil I
que a victoria, por tarda, nao
interpretago
representa va
milia, temor dos azares e perigos de urna looga ex
pedigo e da guerra, outros ha particulares que
neulralisam todo o impul-o do patriotismo.
A bella icstituigao da guarda nacional, destina-
da a orgaoisar uma forga cidada, dando as diver-
sas secges da populagao disseminada chefe natu-1
raes, com os quaes, sera largarem suas industrias j
e trabalhos, estejam em contacto mmediato, rece-1
bendo a disciplina ndispensavel e adiiuinndo os
necesarios hbitos de subordinagao, ainda nao te-
ve entre nos applicagao regular s carnadas inferi-
res da sociedade, e se conserva gerairaente as
nao o iiulucro gugjjj superiores para eitreter sua vaidade, e ser-
ipios cama uar vjr d(J engoj0 as am(,C(5es> (;orao na reago de
um batalhao visa-se nicamente a destribuigo dos
postos, frita esta, tudo o mais se despreza, nenhum
servigo se faz, nem procuram os officiaes saber se
tem soldados, e menos conhec-Ios e instrui-los.
Muitos seriam capazes de bem desempernar
sua tarefa ; mas, salvas as poucas excepgoes, falla-
Ihes dedlcago, e era regra nao comprehenderam a
importancia dessa tarefa.
Alera disso, difBcaldade de acha-los as con-
venientes condig5es em certas localidades, vem
reunir-se as conveniencias eleitoraes, que muitas
vezes fazem preferir homeus ,.-estigiosos, intel-
ligenles e dedicados, outros sem e^sas babilitagoes,
os quaes, em vez de conspiraren) para um fira til,
esquecem-se de que sao officiaes, ou s se lembram
disso as quesloes partidarias, e as lutas de in-
fluencias.
Assim, embora exisla numerosa ollcialidade,
continuara as populagoes sem chefes, sem nenh1.)-
ma organisagao, subordinagao e disciplina ; e com-
pletamente desnatnralisada, e estenlisada a insti-:
tuicao da guarda nacional, que tao proficua pode-
ra "ser, alo como auxiliar da polica, sendo aiuda
de deplorar que a con verlam cora frequencia era
instrumento de oppresso e persfguigo.
Eis a causa mais geral da recusa da guarda na
cional. D'ahi dimanan) outras difilculdades.
A primeira foi a reuoio dos conselhos.
Ordenada com urgencia a 20 de fevereiro, s
dos districto-,
se engajaram nesta provincia para o servigo da ar
mada.-Commonicou-se ao capitaodo porto.
I Diu.Os Srs. agentes da eompanhia Brasileira
de paquetes, manden) dar umapassagem de estado
a r at o Rio de Janeiro, no vapor Tocantins, ao
padre Caetaoo Jos Pereira Pinto de Lemos.
Dita. -Os Srs. agentes da companhia brasileira
Kerroin V.llela, que provou .sen-; ,j0 pai,lieIe,, raandcni dar uma pUsagom de estado
cv r ,mn. ,.,h.n i a '(' al "io de Janeiro, no vapor Tocantins, ao
. .XC inrormar sobre escripturario da alf,udrga desta provincia. Joo
iraento, o guarda na- Duarle carneiro Monteiro.
Dita.-Os Srs. agentes da compaDhia Brasileira,
mandem dar transporte por conta do ministerio da
guerra at a corte, ao Dr. Symphronio Cesar Cou-
; tinho, que vai encarregado de prestar seus serviros
mdicos forga que segu no v.ipor Tocantins.'
Dita.-Us Srs. agentes da companhia Bratileira
, de paquetes, fagam transportar para a rrte, por
conta do ministerio da marinha, no vapor Tocan-
tins, os sute recrutas para a armada, constantes da
j relagao junta.
Dita.Os Srs. asentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem transportaren) lugar de proa
', destinado a passageiro de estado, at a Bahia, no
____.. vapor Tocantins, a ex-praga do exercito, Damasio
rgencia Antonio da Silva.
Expediente do secretario do governo do dia t de
selembro de 18li3.
Offlcio ao marechal de campo commandante das
armas.De ordem de S. Exc o Sr. presidente da
provincia, coinmunicj a V. Exc. que, por despacho
desta data, autorisou-se o director do arsenal de
guecra a satisfazer os dous pedidos da companhia
dezoavos, a que se refere o ofllc.o de V. Exc, n.
do vapor Tocantins, que nao pode conduzir desta M&4, de 29 de agosto prximo rindo.
provincia senao 150 pragas, assim o comraunico a Do ao mesmo.Por despacho desta data foi au
V. Exc. para que faga embarcar a forga do Rio torisjdo director do arsena
A' guerra, lilto
Seja-o ja', para
eqtiivalha a uma derrota.
Seja-o ja', para quea victoria, por tarda, nao seja
antes attribuida ao tempo e aos recursos do impe-
rio como governo, do que ao patriotismo dos Brasi-
leros como nago livre.
Comegamos hoje a publicacao do relatono,
com que o Exm Sr. Dr. Castello Branco passou a
administrago desta provincia ao Exra. Sr. vice-pre-
sidente baro do Rio Formoso.
t'ega importante pela exposigao variada que faz
dos factos occorridos, bera como pela elucidago
que d a esfs, recommenda se merecidamente a
attengo publica.
Isto posto, convidamos o publico para a sua ld-
tura.
O espectculo do prestidgitago annunciado
para hoje deixa de ler lugar, (cando para occasiao
opporlona, que sera' communicada ao publico.
Sob a presidencia do Sr. senador Zacharias
de Ges Vascoocellos, reuniram-se no consistorio
da Candelaria, na corte, no dia 21 do passado mez,
afim de tratarem da colooisagao polaca os Srs. Dr.
Sebaslio Jos de Carvalho, mensenhor Antonio l'e-
droso Res, Rev. Fr. Pinto daTrindade Cortez, Dr.
Carlos Honorio de Ficueiredo, Francisco Jos Pa-
checo Jnior e Militao Mximo de Souza Jnior,
nao comparecendo por molestia o Rvm. Sr. vigario I
da Candelaria.
Pelo Sr. conde Antmio Ladislao Jasieoski foram
representando a Sael, a herona da antiga allianga,
que, cravando um instrumento mortfero as fon-
es a Pizaro, general dos ioiraigos do povo de Bens,
que acabava de derrotar um numeroso exercito, e
livraya assim seu povo do mais cruel e terrivel
inimigo.
No alto do painel apparecia sentada graciosamen-
te sobre urna nuvem radiante a imagen) de Nossa
Senhora, cuja forga e poder em favor- do povo de
ueus era figurado ( conforme a
dos santos padres) na herona, que
dito painel.
Grande foi o concurso de pessoas igreja em
todas as horas do dia, mas com especialidade foi
brilhante na occasiao da fesla do Te Deum. Com a
soa modestia, acatamento e silencio, mo.-lrou o
nosso povo os nobfes e picosos sentimentos, que
o animara quando frequentara a sobredita igreja.
Houve grande numere de raissas, muitas confis-
soes e coinmunhoes.
Assistiram fes o hxm. Sr. presideote da provincia, os Sr. Dr.
chefe de polica e commandante das armas e ou-
tras muitas pessoas gradas desta cidade.
A msica composta pelo professor Ricci, foi sa-
tisfactoriamente executada pelo hbil mestre Jos
Miguel Pereira. Funcclonou na festa o Rvmd. pa-
dre prefeito fr. Seraphim da Catania. No Evange-
lio pregou o Rvd. missionario fr. Fideliz Mara de
Fonhano com muito agrado e salisfago dos que o
ouvirara.
A' noile
frente da igreja e hospicio como no interior da
igreja, em cufo altarmr eslava elegantemente
collocada a imagem de Nossa Senhora.
No edital publicado hontem, era lugar de
Franga & Silva, la-se Fonseca A Silva.
Amanhaa se extrahir a 2' parte da 1* loteria
da igreja de Nossa Senhora do Rosario de Muribe-
ca, (3o*) send ) o maor premio 6.000S.
- TeDdo-se reunido hontem o conselho delibe-
rativo do Gabinete Portoguez de Leitura, para
eleger a nova directoria, que tem de funecionar no
corrento anno administrativo, ficou ella composta
dos seguintes senhores :
Director
Jos da Silva Loyo.
Vice-director
Jos Alves Lima.
Io secretario
Joaquim Xavier Viejra Ligo.
2* secretario
Francisco de Medeiros Raposo.
Thesouieiro
Manoel Gomes da Cruz.
Substitutos
Do vice-director Joaquim Ignacio Ribeiro
Jnior.
Do 2 secretario Erasmo Jos de Mello.
Do thesoureiro Joaquim Jos Rodrigues da
Costa.
EITecluase hoje o leilo da chcara do de-
houve illumraagao brilhante tamo na
bmeftMo que offerecia a colonisagao polaca, desig- ] praga d> Commercio e por intervnco do agente
Grande do Norte, vinda no Mamanguape, e mais os *er o poJldo de fardamento
recrutas desta provincia, que forem precisos para a."de o seu offlcio n. 1,473
completar se o referido numero de 150 pragas.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no 5o
corpo de voluntarios da patria, ao esludante de
preparatorios Clarindo Pessoa Cavalcinte de Albu-
querque, assim como a Geraldo Valenlim dos Sn-
tos, eom destino a companhia de zuavos, os quaes
ollereceram-se para marenar para a guerra.
de guerra a satisfa-
para recrutas, a que
o que comraunico a
Exc. o Sr presidente da
V. Exc, de ordem de S.
provincia.
Dito ao inspector da ihesourana de fazenda.
Participando o Dr. juiz de direilo da comarca do
Itio-Forraoso, que o juiz municipal do termo do
mesmo nome, Dr. Rufino Cuelho da Silva, reassu-
i mo o oxercicio db seu cargo em 9 de agosto pro-
com demora se effectuou em alguns
wo contra aiguns reirac.ar.os e u... j*uu e em 0(Jtros ^ ^ Dao ou fj|u
batalhao da guarda nacional, mas, contra todos el- de ordens e provijencias dos commandantes,
les e 2,400 "guardas, que em grande parte ja me
constava andarem foragidos, de animo revoltoso, e
dispostos a resistencia, julguei acertado insistir
ainda nos meios brandos, e nesse intuito expedi aos
commandantes superiores as circulares de 21 e 23
de junho, as quaes, instando pelos contingentes,
recommendel-lhes, e aos mais officiaes que, dando
aos soldados cenhecimento daquella circular, em
pregassem lodo o seu prestigio e Influencia para
convence-los de que se devem prestar ao sacrificio
que delles exige a patria, afim de pouparem ao go-
verno a dolorosa necessidade de forga-los a servi-
rem no exercito o dobro do tempo que dorar o des-
tacamento, ou a recrutar aquellos que nao liverem
isengo legal, como determina o arl. 133 da lei de
19 de setembro de 1850.
Procure lambem por uma proclamarlo de 26 de
junho, remeltida para ter a maior publcidade aos
juizes de direilo, municipaes e de paz, e aos dele-
gados e subdelegados de polica, excitar os bros da
guarda nacional e da populacao em geral, convi-
dando os cidados, em neme "da patria, a honrarem
a memoria dos seus roaiores, apresenlando-se es-
pontneamente, j para o servigo exigido da guar-
da nacional, e ja para o exercito e armada.
Estou, porm, convencido, em vista de communi-
cagSes officiaes e de informacoes particulares, de
qae, se o exeraplo raro de almegago e de patrio-
tismo que acaba de dar S. M. o Imperador, partn-
do para o theatro da guerra nao produzir algum
effeito, os meios brandos qne exgotei para susten-
tar e elevar o renome Pernambucano pela espon-
taneidade do sacrificio em bem da patria, meios
que alias prodnziram felizes resultados para a for-
mago de corpos de voluntarios, pouco cooseguiro
qnanto guarda nacioual, o que V. Exc. melhor
o realisara pela exposigao que passo a fazer.
Commandante superior da Boa Vista :diz em
16 de abril qoe a guarda nacional nao tem disci-
plina alguraa ; que parle dos officiaes nao merece
conflanca, sendo por isso de suppor que por insi-
nuagoes delles tratem os designados de evadir-se.
Commandante superior do Brejo :-communica
em 2 de maio que at para a formagao dos conse-
lhos de qualificago tinha encontrado difilculdades
em diversos officiaes e em alguns commandantes
de corpos ; e qoe os designados e os que sabem o
serao, fogem para a provincia da Parahyba.
Commandante superior do Bonito :partecipa
em 15 de maio haver passado pela triste decepgo
de se apresentarem somente cinco guardas oacio-
naes, sendo nm casado com filhos e ouiro gotoso,
constando-lhe que alguns se retiraran) antes mes-
mo de serera designados.
Commandante superior do Rio Formoso:trou-
xe ao raen conhecimento em 21 de maio que o con-
selho de revista annullara os trabalhos de designa-
gao feitos pelo conseibo de qualificago.
Commandante superior de Giyanna : refere
que dos quatro balalhdes do seu commando apenas
se apresentaram oito guardas, commnnicando-lhes
o commandante que foram inuteis todos os esforgos
que eropregaram, sendo que parle dos guardas for-
mal e positivamente desobedecem, declarando que
preferem a morte, e a maioria se ausentou para as
comarcas e provincia vizinhas e at para os sertdes.
O delegado de polica tem a mesma llnguagem em
officio de 10 de junho, acresceolando que essa
gente s ir gnerra amarrada.
Commandante superior de Garanhuns :scen-
tilica-me em 21 de junho que nao se apresentou
uma s praga, e que em vista da seduegio e da
ou
por descanso, ineptido e reluctaucia de alguns
ofHciaes, de que se quexam aquelles commandan-
tes, e entre outros o d* Brejo, era offlcio de 2 de
maio.
Segunda: m designago.
Para que ella fosse boa, duas cousas eram pre-
cisas : boa qualificago e zelo dos conselhos e seus
auxiliares.
A qualificago, ou faltava absolutamente em al-
guns batalhoes, ou s existia de annos anteriores e
ate remolos, ou tinha sido geralmente feita de uma
maneira conjectural, e sera as informagoes preci-
sas sobre os nomes, estados, moradas, e mais cir-
cumstancias dos guard s.
Semejhante qualificago nao podia exprimir a
Dito ao mesmo.Mande V. Exc alistar no Io coi xiino Dndo : assim o communico a V. S., de ordem
po de guardas nacionaes destacado ao servigo d\' de S. Exc. o Sr. presidente da provincia.,
guerra, o paisano Cosme Hermino dos Santos) que i D.lo ao mesmo.Participando o Or. Francisco
o guarda do batalhao n. 20 de infatuara do mum- Branda Civaicanti de Albuipierque, qu em 21 de
cipio de Nazaretti, Jos de Barros da Molla, offere-: ago.-ao prximo fiado, e por se aehar anojado, dei-
ceu para substitu lo naquelle servigo. *ou o exercicio do cargo de juiz municip! e de or-
Dito ao Dr. chefe de polica.Para dar cumpri- phos do termo de Ipojuca, e reassumio era 25 do
ment ao aviso da repartigao do imperio de 2 de mesmo mez : assim o communico a V. S., de ordem
agosto prximo lindo, preste V. S. as segrales!de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
informacjs: Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidenta da pro-
1. Qual o numero de pelourinhos qne anda se vincia, manda transmittir a V. S. as quatro inclu-
conservara no imperio, e as cidades ou villas era '*> 9f.dens' s"do duas do thesouro nacional, sob
que esto collocados;
2. Qual o uso que
edificages.
Dito ao inspector da thesouraria de fazen-
da.Mande V. S. entregar sob minha responsabi-
lidade, por conta do ministerio da guerra, ao Dr.
ns. 99 e 10J, e as outras em duplcala expedidas
actualmente tem estas PH" repamgao do ajudante geueral, sob ns. 468 e
Dao ao Dr. juiz de direito de Santo Anto.De
ordem de S. Exc. o Sr. presjdenle da provincia,
aecuso recebido o offlcio de. V. S n. 32, de 25 do
Symphronio Cesar Coutinho, a quantia de 6003000, i correnle, panicipaudo ler-se ustallado no da an-
que Ihe arbitro como gratificagao pelo3 servlgos lecedente, o registro geral'da hypotheca dessa co-
medeos que vai prestar a torca que segu no vapor; marca.
Tocantins, desla capital at a corte. Dito ao Dr. juiz de direito do Cabo.De ordem
Dito ao mesmo. -A' vista das folhas juntas em i de S. Exc o sr. presidente da provincia, aecuso
duplcala, que me foram apreseutadas pelo eapilo | recebido o oftVio de II do mez prximo fiado, com
do pono, com offlcio desta data, sob n. 166, mande o auto da installago do registro geral das hypothe-
V. S. entregar ao 1 lente ajudante da capitana 'cas dess comarca do dia anterior,
a quantia de 2003000, importancia de premios e, Despachos do dia Io de setembro de 1863.
reahdadeactual, visto como muitos dos nomes gralilicagoes, a que tem direito os individuos que.
inscriptos nao corresponden) pessoas com as qua-
lificagoes que Mies sao attrihuidas, ou porque ellas
nunca existirn), ou porque houve erro nos nomes
e mais indicages, ou porque ja fallecern), muda-
ram-se ou variaran) suas circumstancias pessoaes.
Novas qualificagoes poderiam corrigir esses vi-
cios; mas, sendo permanentes as causas, certo se-
riam tambera os efTeitos: nao ob-tante, sempre que
Requerimentos.
Ti ao raesrao.-A vista do que pondera o alferes i l^*^*^,*^^
* y _*J"SI h *fr* l*'"I**?0 i Flix Jos Filgueira de Menezes.-A'visla das
informagoes nao tera lugar o que requer o suppli-
canle.
junto do general commandante das arm agosto prximo lindo, u coastanle da ropia junta,
raande V. S. pagar ao referido alferes o .jue se Ihe
chegou ao meu conhecimento a falta e a antiguada-1 estiver a dever, em vista das coalas que inclusas
de da qualificago, determinei que se procedesse devolvo, esobre as quaesversou a sua itiformagao
previamente a outra. i(le 29 de lulno f|limo s" n. 540, mandando pro-
O zelo dos conselhos, dos commandantes e mais, cessar na forma da lei as quaniias que j perteo-
offlciaes, que podia neulralisar os defeitos daqua|cein ao exercicio lindo,alira de serera pagas oppor-
lilicago, e contribuir para o acert da designago,; tuuaraente.Comraunicou se ao general comman-
oo podia, pelas razoes j expostas, ser ger.l; ejdaute das armas.
aquelles que o moslrarara foram contrariados e' Dlt0 ao inspector da thesouraria provincial.
nada poderam conseguir. O patriotismo e o dever, Constando de offlcio do chefe da reprtgo das
nao presidiram pois, em regra, s deliberacoes dos ?"ris publicas .datado de houtera, e sob n. 283,
conselhos, que sao aecusados de parcialidade poli-' naver sldo recebida provisoriamente a obra do
tica, ou de an;mnsidade para uns, e de favor para ; atierro da ra do Lima por j estar concluida, de
outros, parecendo que nao poucas vezes o empenho conformidade com o respectivo coniralo; assim o
de isentar o correligionario ou protegido, e o de fa-! communico a V. *. para seu conhecimento e afim
zer um mal aa adversario ou desaffecto, triumphou
dos preceitos da lei e dos reclamos da patria.
Feita a designago, com base tao phantastica, e
com espirito to prejudicial, necessariamenle indi-
cara individuos qoe nao tem a idade legal, o vigor
preciso, a residencio do di trelo do batalhao, o no-
me, estado e outras condigoes com que foram desig-
nados, e al talvez alguns que nuuca existirn), ou
que j fallecern).
A tudo isto deve-se accrescentar uma terceira
causa nao menos poderosa da repugnancia
guarda nacional.
Os officiaes nao Ihe deram o cxemplo da dedica-
gao e patriotismo: nao influirn) ou nao tiveram
forga para influir de uma maneira efflcaz sobre o
subordinados, que, pelo contrario,
de que, era vista do competente certificado, mande
pagar ao arrematante daquella obra, An ir d'Abreu
Porto, a quantia de 1:535,5497, a qne lera direi-
to.Coraraunicou-se ao chefe da repartigao das
obras publicas.
Dito ao mesmo.Devolvo a V. S. as contas da
despeza feita com o sustento dos presos pobres da
cadeia do termo de Cimbres, nos mezes decorridos
de outubro do anno passado al margo deste anno,
_ e a que allude o seu officio de 20 de maio ultimo,
j'a i n. 200, para que mande effectuar o respectivo pa-
; gamento nos termos dos offlcios da presidencia de
II e 19 do ci'ado mez de maio, e em vista das
relag5es remeltidas a essa repartigao com despa-
cho de 26 de julho subsequente.
Dito ao cnsul de Franga.Respondendo ao offl-
Commendador Jos Francisco Pereira da Silva.
A' vista da informago nada ha que deferir.
Ladislao Jos Barbalho.Requeira o supplcanta
depois que estiver aquartelado.
Mari Nazareth do Nasciraento.Iforme o Sr.
Dr. chefe de polica.
Manoel dos Santos Costa. Requeira por interme-
dio do seu commandante.
Manoel Francisco da Cunha. Aprsente o subs-
tituto no quartel-genera! do commajnao das armas
para ser iuspeccionado.
Marta Luiza da t;onceigo.Informe o Sr. direc-
tor do arsenal de guerra.
-1___J.-'.JH.-'JJS"-".' ._JJJ._. .!____J-J____I_______LJ-il'i
PERNAMRUCO.
REVISTA mili.
porque a vontade o bo-
chega a cousecugo das
animo dos seus
encontraran) muito quem os dissuadisse de qual- ci que com fecho de hoje dirigime o Sr. Osmim
quer sacrificio, e al os irritasse, inspirando-lhes! Laport, cnsul de Franga ncsia provincia, pedin-
resentiraenlos, odios e ms disposiges.
Bem consideradas todas estas causas, parece-me
que se censuravel o procedimento da guarda na-
cional, mais condemnavel deve ser o dos seus su-
periores, e o das influencias locaes que nao ero-
pregaram todo o seu prestigio e forga moral para
traz-la raelhores sentimentos, sendo, porm, que
todos acharan) alguma attenuago na desorganisa-
gao, rivalidade e discordancia que nesta provincia
renam por toda a parte.
Pede, pois, a justiga que declare qne, era geral,
lodos obraran) conforme as circumstancias Ihes per-
mtliam, e alguns raanifestarain sinceros desejos, e
se esforcaram por auxiliar a administrago, sendo
sobretudo agradavel erer que a populagao, assim
dome para ser desembarcado e demorado nesta
provincia, por ser subdito francez, o recruta vindo
do Rio Grande do Norte no vapor Mamanguape,
com deslino corto, Eduardo Leo Gosset Bimont,
que o Sr. cnsul declara ler nascido no Brasil, le-
nho a dizer ao Sr. cnsul que, attendendo a sua
requisgao, acabo de expedir as necessarias ordens
nao s para o desembarque do referido recruta,
mas tamben) para ser elle posto em liberdade.
Devolvendo o offlcio do Sr. SI George, ministro
de Fraoga no Rio de Janeiro, que veio annexo ao
do Sr. cnsul, eake-me accrescentar que nesta dala
snbmetto a requisigo do mesmo Sr. cnsul ao co-
nhecimento do governo imperial, a quem compete
exclusivamente a sua decise.
Poder querer.
Pode-se querendo,
mera.
E o homem que quer,
aspiragoes volitivas.
E porque, quando o Brasil vilipendiado era sua
honra, quando a sua .soberana ti Ja em menos-
prezo, nao ho de querer os Brasileiros lavar a
alfronta que assim se cospe no braso de sua pa-
tria ?
Querem-n'o, sim .: querera-n'o I
E a honra nacional nao pode estar comraettida i
melhores defensores.
Do crisol da mais nobre vnganga, ella sahir
mais depurada, pois trar at a redempgo de um
povo.
Da affronta da insania, ella resurgir emfim em
todo o esplendor da glorificag do que grande,
do que nobre, do que sublime.
E o Brasil assim mostrar que nao uma agre-
co de individuos nulla, e menos um povo im-
belle, a quem nem inflamma o sentimento da inju
ra Irrogada a si.
Sim, os Brasileiros qnerem lavar a affronta, qne
ao Brasil fez o Paraguay.
Sim, os Brasileiros qnerem vencer ao poder qne
tyrannisa aquello povo, e 'pollas a civilisago sal
americana.
nou o dia 26 para umi nova reunan, afim de se
tratar das bases sobre as quaes ter de se dirigir
a commisso, assim como tambem de quaesquer
outras medidas que a favor da emigrago suggerir
o exame dos ditos documentos.
O Diario das Alagoas, sob a den)minago de
Pharmacia Imperial, publica o seguinte :
O Sr. Claudioo Fa'cao Dhs, nosso prestimoo
patricio e distincto pharmaceutico estabelecido com
botica o casa de tragas nesta cidade, acaba de ser
distinguido por S. M. o Imperador, que Ihe conce-
deu porjeraga imperial de 28 ie junho passado a
devida permissao para usar em sua pharraaca do
titulo de Pharmacia Imperial, usando das armas
imperiaes na frente do estabeleciment.
Congratulara.) nos com o Sr. Falcao Dias por
esse notavel melhoraraento qua teve a sua pharma
ca inconte>tavelmeme a primeira de nossa capital
a lodos os respeitos.
Sua pharmacia mereca cora justiga o titulo
que teve nao s pelo avaatajado crdito de que go-
za entre n, como polos servigos que o Sr. Claudi-
no presta a' humanldade afilela e ao pniz.
Ainda ha pouco, por exemplo, era dias do mu
de margo do correte anno o governo provincial
aceitara o patritico olferecimento que elle fuera a
thesouraria de fazenda, para, sem a menor retri
buigo pecuniaria; manipular os medicamentos ne-
cessanos enfernuria militar desta cidade, em-
quanto existirem na botina da mesma enfermara
drogas sufiicientes para tal l'nn, visto que as urgen-
cias do estado obrigarara a reurar-se d'entre nos
toda a repartigao do corpo de sade do exercito.
E desde entao al hoje elle se ha empregado
com desvello era executar sua commisso esponta-
nea, iodo diariamente referid! enfermajia mani-
pular os medicamentos.
Folgamos de registrar factos laes.
De coinmunicagoes do Banco Caixa Filial
consta-nos que ha fundamento para crer-se que as
notas de iV-5 falsas pertencentei ao raesrai Banco,
nao foram lancadas na circulacao.
Recommndamos a leilura de um artigo que
vale era oulra parle, acerca da polmica, que se agi-
ta nesta cidade eutre os Revs. cooegos Sanios e Ga-
ma e o padre Santos Lessa.
Este artigo abrindo uma serie de consdaragoes
a respeilo, coraega tambem a levantar a ponta de
um veo, com que se especulava. A insinuago de
um mysierio cuja existencia foi deixada a perce-
ber-se, cahio nerante explicago dada era juizo ; e.
d'ahi deve resultar desnudar-se a verdade com
condemnago > verdadeiro culpado.
E' sempre um bem para a sociedade quando isto
so da.
Consla-nos que o Sr. comraendador Caetano
Pinto de Veras, empregado publico aposentado, e
actual fiscal desta fregu-zia de Santo Antonio,
pondo de parte os seus commodos, sem embargo
de sua idade, e de ter raulher e seis filhos meno-
res, se olferecera hontem ao Exm. Sr. conselheiro
presidente da proviocia para marchar como volun-
tario da patria contra o Paraguay.
Consignando esle procediraento glorioso, felicita-
mos ao Sr. commendador Veras por elle.
Para promover o ahstaraento de voluntario
da patria, afim de formar uma companhia, que far
parte do 5" corpo, foi autorisado o Sr. Joaquim Ri-
cardo Monteiro de Palva.
Offereceram-so para a companhia de zuavos
os Srs. Amaro Jos dos Saatos e Aatonio Jos da
Costa.
Alistaram-se no 5 corpo de voluntarios os
Srs. Jovim Machado Mallieiros Braga, Manoel
Crispiniano de Jess, Guilherrae de Azevedo lira
ga, Joao Carlos dos Santos. Bernardino de Souza
Machado, Joaquim Jos de Lyra e Flix Jos da
Trodade.
Sabbado 2 do correte foi snbmettido apre-
cisgo do superior tribunal da relagao um conflicto
de jurisdiego entre os juizes de orphaos desta ca-
pital e dos feitos da fazenda, deixando de dislruir-
se por ser oflerecido lora da hora opportuna.
E' de suppor que hoje o seja ; e como a materia
importante era si, e de resultadas praticos, ter o
devido aprego.
iNo domingo passado na igreja do hospicio da
Penha dos misionarios capuchnhos italianos se
Pinto.
Numeragao dos bilhetes da loteria 30.* offe-
recldos pelo thesoureiro das loteras Antonio Jos
Rodrigues de Souza p.ra auxilio das despezas da
guerra.
Bilhetes ns. 245, 1474,1623. 2400.
Meios ns. 335, 505,879, 1322, 1953, 2817.
Quartos ns. 46, 184, 494. 780, 1096, 1294, 1583,
2076, 2278, 2463, 2780; 298 i.
Os bilhetes das 1.1;ras II.* a 29.* produzram
470*600.
Movimento do Inspital de alinalos na Mise-
ricordia i Olinda do l." a 31 de ago-to de 1866.
Existiain 39 raulheres, 20 homens ; eutrarara 1
mulher, 1 homem ; sahirara 2 mulhere*, 2 hoinens;
morreram 2 nomenens ; existera 38 raulheres, 17
homens.Total 55.
Exi'lera 8 erapregalos neste estabelecimento 6
homens e 2 mulheres; sendo : medico, capello,
porteiro, -achristfio, enferraeiro. barbeiro, enfer
raeira o cosinheira, 3 serventes^ 1 homem e 2 rau-
lheres. Foi visitado o mesmo estabelecimento pelo
resoectivo mlico nos das 10, 14, 18, 22, 25 e 29
as 12 horas da manhaa, as 12 1|2 e a 1 e 1 1|2 da
tarde.
Movimento do hospital de Nossa Senhora da
Conceigo dos L-zaros do Io a 31 de agosto de
1865.
Existan) 15 muflieres, 9 horneas; entrou 1 mu-
lher ; santo 1 mulher.Total 24.
A enfermiira Mina Clemencia do Rosario teve
alia por nao sotTrer da molestia de elephaniiasi e
das gregos em virlude do attestado do respectivo
medico do estaSelecimento o Sr. Dr. Ignacio Firmo
Xavier.
Erapregados do estabelecimento 8, a saber : ca-
pello, medico, regente, dita, barbeiro, cosinhero,2
serventes, foram visitadas as enfermaras pelo Sr.
Dr. Firmo nos dias 10, 14, 18, 22, 25, 29 : dexou
de comparecer at o dia 9 por se achar empedido
como juiz de facto o modormo de mez.
Repartiqao da polica :
Extracto das partes dos dias 3 e 4 de setembro
de 1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 2 do
correnle :
A' ordem do Dr. juiz municipal da 1' vara,
Francisco Augusto da costa Guimares, al que
pague a quantia a que est obrigado era virtude de
deposito.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Joao Bap-
tista, por furto ; Antonio Francisco dos Santos, por
suspeto ; e Manoel Jos Martins, como indiciado
no art. 205 do cdigo criminal.
A' ordem do da Boa-Vista, Maria Vlcencia dos
Santos, Maria Carolina da Conceigo e Thereza de
Jess, por briga, e Manoel Francisco do Nasci-
ment, para correcgSo.
- 3
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Ber-
nardino Jos de Sant'Anna. para correego.
A' ordem.do de S. Jos, Mara Rosa e Coostan-
cia, africana, por briga.
A' ordem do da Boa-Visla, Maria Felicia da Con-
ceigo, Genoveva Maria da Conceigo e Jos do
Carmo Feliciano, para correego.
A' ordem do dos A fugados, Bernardo Joaquim
Eleuierio, para averiguagoes sobre chine de
furto.
O chefe da 2* secgo,
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Passageiros do vapor brasileiro Parahiba,
entrado de Macei e portos intermedios :
Henry C. Paes, Dr. Barnab Elias Rodrigues Ca-
Iheiros, Domingos Alves de Miranda, Deostino
Basto de Carvalho, Dr. Jos Rufino Pessca de Mel-
lo, 3 filhos e 3 criados.
Casa ob detenqao. Movimento do dia 1 de
selembro de 1865 :
Existan) 355 ; entraran) 11 ; saturan) 13 ;
extslem 353 a saber :nacionaes 262 ; raulheres
7; estrangeiros 23 ; moflieres 2 ; escravos 53 ;
escravas 6 ;total 353.
Alimentados a casta dos cofres pnbllcos 169.
Movimento da enfermara do da 2 de setembro
de 1865.
Teve baixa
elTecluou cora muta pompa a festa do orago desta', Francisco Jos Ignacio de Mello, ulcera na bocea.
igreja e hospicio.
Era bello de ver-se a frente da igreja e hospicio,
ornada com mnito gosto e toda erabandeirada, es-
tando-o tambem o largo.
A igreja eslava ricamente ornada. Sobresahia
no cirao do arco do ruzeiro um magnifico painel
Teve alta
Manoel, escravo de Joao Paes Brrelo.
Cbhiterio publico. Obtuario do dia i* de
setembro de 1865 :
Ignacio Manes de Oliveira, Portugal, 60 anuos, ca-
sado, Santo Antonio ; congesto cerebral.
i mTtI nnl


M
Diario l"ernainl>neo Terca fcfetft 5 de Setembro de i8*.
Porfirio Jeremas da SHv*, Pernanrbtieo, 3;*-aaees,
solteiro, Recife ; tubrculos pulmonares.
Jos Ferreira Peoha, Pernambuco, 41 annos, Yiura,
Boa-Vista; phthysic pulmonar.'
Benedicta, frica, 35 anuos, eserava, Recife ; he-
morrhagia.
Mara Theodora da Conceigo, Pernambuco, 100
annos, viuva, Boa-Vista ; velhice.
Adelaida, Pernambuco, 2 annose cieio, Boa-Vis*,
anemia.
Maooel, 4 mezes, Pernambnco, S. Jos ; convul-
soes.
paciSes- e os nmltipHeador-encargos que hoja pe-
znm sobre mim nao me permiitem occupar-me do
Sr. padre Jos Antonio tanto lempo quanlo en de-
sojara; mas procararei concluir com a possicl
brevidade, e sobretudo nao canear a paciencia dos
leUores com artigos demasiado longos. Isto posto,
ntremos na analyse.
Deferido o juramento a pedido do respndante,
logo no principio do depoimeoto, qae trazia es-
cnpto de casa, e que ali faz Inserir no interrogato-
rio, alm das perguntas que Ihe feram feltas, o
Damio, Pernambuco, urna hora, Boa-Vista ; igno-1 8r. padre Lessa, referindo-se aos aasos de 1839 a
ra-se a aiolestia 18b0> dtI 1ae Por esse lemp> caja data precisa
Gemitfrio publico Obituario do dia 2 de se- nao tem na memoria, me escrevea ama carta para
tembro de 1865 Loiz de Souza zevedo, Pernambuco. 46 annos, t re* da Gama, aflm de desvanecer ama ventada
cacado Boa-Vista; hepatite chronico. que este votava ao vigario Camillo, de quem era
Agostraho Ferreira Campos, Portugal, 38 annos, na Soledade constante accasador. > (laiavras
soltelro, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares. do deppimento.)
Brasilina Maria de souza Lima, rernambueo, 23 Longe de mim cootrad.zer o juramento que den
annos, solteiro, Boa-Vista ; gastro hepatite. o reverendsimo responden te : somente o co I
Anna, Pernambuco, 1 mez, Uoa-Vista ; gastro he- cenca para apreseniar ao publico ;a carta '1 e|-
le se refere, e desle modo fazer que o Sr. padre
Boa-Vista ; coa- Jos Antonio responda ao mcsmo Sr. padre Jos
Antonio.
A causa par\ que vos congrego, atteoui oem, por isso nao podemos concluir melhor
tamo mlnha como vossa-, toda nacional, do 0eusnaohaadeprmUtir que en voa tenha fal*rica e *& descoberta que merece de ser
lado em vo -,Deus nao ha de permito qae a vossa propagada, e dtzer com meu COTlega 0 Sr.
dedicado cvica fique quem da espectainra- dn Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
paiz. Ai da Naci Brasileira,, se radiffereate aos descobertas d'esta especie devem ser pro-
ullrages fettos a sua honra e digmdade fr surda .. .. *
voz do seu augusto Imperador ; ai della, se con- agaos P^IOS meaiCOS.
sentir que auri-vorde estandarte seja impunemente Os importantes trabamos do Sr. Clievrier
; insultado, que suas frontelras, que seu territorio sobre o oleo de figado de lacalbo Ihe fi-
(continaem a ser calcados pelo feroz Paraguayo ; zeranf obler um reSultado n3o menos im-
^^e.Hi'^rmi.d"/!!K4^i^& portante, o qual consiste em ter associado o
irraos do Rio Grande e Malto-Grosso -, que a vio- ferro ao oleo de figado de bacalbo. O oleo
lacio de suas fllhas, de suas mulheres, fique sera de figado de bacalho ferriginoso de Che-
1 SrdaTdTPiVrecuArsodsae J^'SltterS ^ mslltue talvez.o melhor meio de dar-
! impassivel ao aviltamento do sua autonomia, a de- se ferr0- l 0IS lodiiro de ferr0 unldo
gradacao de sua historia, tornando se por propria deste modo com O oleo de figado de baca-
; culpa cumplir de sua deshonra. lho se dissolve Tiais fcilmente nos liqui-
F?'J?^.3 a^,'.,porS!?He_=a iimf!I^gemJ.f!u_! dos das vas digestivas e por consequencia
palite.
Hermtna, Pernambuco, 4 mezes,
vulsoes.
Manoel, Pernambuco, 2 mezes, Boa-\ isla ; aslhma.
Eis a carta, que transcrovo ipsis verbis et Hite-
Cario* escrava, frica,40anaos,Boa-Vista; tuber- sem commeotarlo nem observacao aguma eo-
culos Dulmonares. xertada nella, e com os mesmos pareo! nenia que
cuios ijuiiuuudic. 3 | esl0 D0 original, cscripto todo pelo propno punho
Angelo Custodio dos Santos, Pernambuco, 64 anido Sr. padre Lessa: _________,-
nos, solteiro, S. Jos ; fcbre perniciosa. DI e Revm. ir. padre meslro conego Joaqu.m
45 auno?, | Ferreira dos Sanios.Bem lembrado estar V. >.
pois o caso bem recente) da cruzada que pelo
Jos Joaquim de Ol'veira, Pernambuco,
solteirJ, Moa-Vista; ataques ep.leclicos. (po.s o caso e oem recente; aa cruzaua que j,
Maooel Jo.- do Nasciraento, Pernambuco, 44 an- iario ^Pfrnanibuco_se levanmu^contra o^prela-
Caixa:
Em moeda corrento.....954:1625270
3,983:1415630
PASSIVO.
Capital fornecido pela caixa ma-
triz ........
Depsitos.......
Crditos diversos, outros ban-
cos e caixas liliacs.
Recife, 4 de setembro de 1863.
888:8885890
1,815:3035640
l,278:7'i 95100
3,983:1415630
Caixa filial do banco do Brasil em Per-
oambuco
BALANCETE EM 31 DE AGOSTO DE 1865.
ACTIVO. (*)
Letras descontadas.
Com duas assigna-
turas residentes
no lugar do des-
cont....... 33:8315287
Com urna s dita
dito....... 4:4235065 38:2565332
Letras cauciona/las.
Por ouro, prata e
ttulos couimcr-
ciaes.......
Por outros ttulos.
15:4715060
5
! viuvo. Boa-Vista ; dilatacao da hoita. do de.-ta dioceze, contra os parochos e sacerdotes
Benedicta, Iberia, frica, 76 annos, solteira, Boa-, em geral, e mu.to principalmente contra a deoo-
ViMa coDBe-lo cerebral. ; minada cuna episcopal, as-acando-se-lhes as mai*
Jos PernaiLbuco, 8 dias, Santo Antonio ; ttano, vilenlas aecusaces e as maiores calumnias. Foi
' __1__=_J_ porrn ueus servido que no meio de um choveiro
" """ i / i ^8 lanlos improperios apparecesse um homem de-
liOndon m. Brasil tan Bank (_ IjI- dicado, que lancando mi da penna, sem temer
Ulited). compromellimento algum, tomando a peito a def-
Capital do banco 13,000 accoes : 'eza d-s ccojados, lanou por trra toda essa ur-
jqq ... 13,333:33.!5:)30: didura, e deffcudeu coui calor e energa aquelles
Accoes emittid'as 13,000 a 100 H,o55:355553n conira os quaes eram dirigidas taes accusaQes.
Capital pa-o a & 40 poracco. tfiHiillilO Esta deffeza que em bom portuguez significa (no
BALANCO DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO, meu humilde pensar) um importante servico pres-
EM 31 DE ACOST DE 1865. lailo causa da religio, porque nao se trata va
xctivo i menos ao que f',zer comprehender ao paiz e ao
Letras descontadas .... 1,760:8715400. monarcha que o prelado desta dioceze eslava por
Crditos diverso* outros ban- seu deleixo e incuria comprometiendo a moralida-
cos e caixas lilia'es. 1,267:8075960; de publica, permitlindo que os seus domsticos
! distribuissem grabas por avultauas sommas, e
plantando a desharmonia entre a Igreja e o estado,
nepaudo-se sanecao dos imperiaes decretos; e>la
delTeza, digo eo, tanto mate nobre e apreciavel
quanto dosinteressada, e somnnto lilha de um co-
raQio recto e jusiiceiro, que movido somente pela
dedicacao e lealdade que consagra aos aecusados,
sem qae algum delles Ihe lembrasse se quer urna
palavra, se poz em campo do modo porque V. S.
sabe e con-la dos authographos que tenho em rei-
nita mao. Creio que V. S. sabe perfeitamente que
Ihe fallo do padre Gamillo de Mendonca Furtado.
Este sacerdote que em ditferentes pocas da sua
vida se distingui na maldita poltica, da qual so-
mente adquiri, em compensado das suas fad gas,
muitos encommodo?, despezas e mui graves indis-
poeicSes, est hoje inteinimente apartado da polti-
ca, e da louvores a Deus por se achar desembara-
cado desse movimento infernal. Como indepen-
dcnie e possuidor de urna boa fortnna esse sacer-
dote hoje somente trata de viver tranquiHamente
no seio de sua familia, constante de aiguns escra-
vos e poucos domsticos ; sempre porm desejoso
de prestar aiguns servidos ifrreja e ao estado; o
que pode fazer com toda a independencia pela po-
Sicao em que se acha e pela rigidez dos seus prin-
cipios. Drfsde que reside nesia cidade a sua con-
duela tem silo exemplar, e em sua vida quer pu
blira quer particular uo se nota a menor (alia.
Ora como S. Exc. Hevma. se acha um pouco mal
satisfeito (tem rasao de sobajo) cora o actual viga-
rio geral, pela accumulaco dos tres empregos,
(vigario geral por urna grande fatalidade; Unte
por grande miseria do seminario ; e capello mili-
tar por desgraca), e pelas repetidas queixas de
falla de curaprimento nos propnos de veres que
tem chegado ao seu connecimenlo, e |>or mais de
ama vez tenha S. lixe. manifestado nes< i 's de no-
mear oulro para o substituir no emprcg i de viga-
rio geral, queixando-se porm ao mesmo lempo
que nao tem um sacerdote a quem possa nomear;
eu quizera merecer de V. S. o favor de lembrar ao
conego provizor, para este offerecendo-selhe op-
portunidade, lembrar igualmente ao Sr. bispo o
padre Gamillo para esse emprego. Tenho convic-
io que elle desempenhar cabalmente, a muito
melhor do que o aclual as funegoe* des*e emprego.
Tem bastante intelligenca, tem habilidade e a pra-
tica de advocada; condices eslas que o nabili-
tam para fazer muito melhor lugar do que lizeram
os conegos [tabello e Rosario. Ainda mais. Se S.
Exc. Hevma. o: o Sr. conego provizor vacillarem
sobre a capacidade delle para exercer o emprego,
pode o Sr. hipo nomea-l interinamente por tres
oo seis_mezes, e se no flm deste lempo virem que
elle na desenipenha o lugar, pode deraitli-lo com
a maior franqueza, no que elle se d por muito
satisfeito. Espero puis que V. S. se interesse com
o Sr. provizor sobre o que venho de cxpor-lhe, e
pode dizer-lbe que eu em seu lugar (como provi-
zor) desejaria sempre com preferencia para viga-
rio geral um sacerdote (liavendo-o) que nao fosse
bacharel, porque estes, feralmente fallando, ainda
que bastante ignorantes (como infelizmente ha
muios) lendo urna caria, julgam-se sempre supe-
riores aos que a nao lein. Queira desculpar-mc
por quem esla massada, e acreditar na verda-
deira estima e considerado com que sou de V. S.
amigo muito iffecluoso e obriga^issimo.
Soledade, 24 de maio de 1860.
Padre Jos Antonio dos Santos Lessa.
Talvez que algumts pessoas paraca invonve-
nlente a pulicagao desia carta por ser reservada
e escripia em intimidado : e tanlo eu conheco a
a delicadeza que deve haver em materias desta or-
dein, que no espaco de cinco annos em que a con-
servo era meu poder s a mostre a ires pessoas ;
e jamis delta me serviria se o Sr. padre Jos An-
tonio nae lizesse mencao della no seu depoimento
ou declarago, c nao jurasse que m'a havia escop-
lo para que eu desvanecesse a m vontade que o
Sr. padre Gama votara ao !hd. vigario Cantillo.
Xestas circurnstantias que havia eu de fazer ? eu
nao quero jurar por qualqucr bagatella, e por isso
vi-me na necessidade de a publicar, a lim de ver
se ha ah alguem que leia nella o que o Sr. padre
Jos Antonio jura nella ter escripto. Eu p-da mi-
nha parte leio injurias e calumnias assacadas in-
justamente conira o Itvrn. Sr. Dr. ex-vigario geral,
carcter probo e honrado que nao era do peito do
Sr. padre Jos Antonie. O Sr. Dr. Figueiredo es-
leve sempre de iolelligencia e viveu na maior har-
mona com o Itvm. ex-provisor conego Tatava-
res Gama : o Sr. Dr. Figueiredo merecen sem-
pre a confianza e a eslima do Exm. prelado at a
mora desle ; o que me comprometi a provar se
me for ministrado um documento que ja ped, e
se me promeiteu.
Continuando a analysar a dita carta... porm
liquemos aqui por hoje : este artigo j vai longo, e
eu promelli nao massar os leilores.
Recife, 2 de setembro de 1865.
Conego Joaquim Ferreira dos Santos.
me bradou o coraco, ndicando-me como dever
marchar ao campo do combate par dos bravos se asstmtla multo mais bem do que sob a
que comigo para all partirera. forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
Tudo agora depende de nos. Escutai a voz dos perde assim suas propriedades irritantes, e
nossos corajes, e tenho f, de que maniremos n3o pr0V0(Ja a ^,,^^530. E- assim que
tao alto e glorioso o renoma que nos legaran) os
nossos antepassados que a historia nos julgara dig-
nos das nossas tradQ<5es heroicas.
Eogenho Jardim, 3 de setembro de 1865.
Mariano Xavier Carneiro da Cunta.
?BLIC1CG2S A PEDIDO
(Una) poToado dos JIoutes.
No dia 26 do mez passado tora feta neste po-
voado, e em casa do -r. capitao Jos Antonio Se-
rapluco de Asss Garvalho, digno julz de paz desle
disiricto, urna reuniao patritica, ali.iaiid.>.so para
mais de cineoenta pessoas para a g>- '3 civjca
nocturna, medida muito nocessaria, eni' acluaes
circumstaacias, visto que um pov.oado como este,
oude tem muito negocio nao pode iicar sem ter
um destacamento. Para semelhanie reunio, que
na verdade, loda de gente boa e escolhid, lou
os doentes, cujo estomago nao pdc suppor-
tar rienbuma preparaco marcial, lo mam f-
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Clievrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sortimento dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
A C, rua Nova n. 18.
Barca inglezaLancaslna farinha de trigo.
Barca porluguezaSympatliia pedrrs.
Brgue portuguez^S. Joscharque.
Barca nacionalValledem.
Importar.
Patacho inglez Sea Breeze, entrado de New-York,
consignado a Johnslon Palor, manifestou o se-
guinie :
1335 barricas farinha de trigo, 100 barris breo,
800 resmas papel de embrulho, 100 caixas salsa,
18 ditas drogas, 40 ditas agua florida.
Barca ingleza Emily Aynts, entrada de 1ver-
pool, consignado a Phipps Brothers & C., manifes-
tou o seguiute :
323 toneladas de carvao.; aos mesmos.
Vapor nacional Paraluba, entrado dg Maneo, ma-
nifestou o segrate :
62 lardos com 622 p*cas de pao de algodiio liso
e trancado, 1 sacco com 4 arrobas de o de di lo ; a
Manoel Ignacio de Uliveira.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PBEQOS DOS CENBBOS SUJEITOS A D11EITOS
DE EXPOHTAQO.SEMANA DE 4 A 9 DO MEZ DE SE-
TEMURO DE 1865.
Mercadorias. Unidades. Valores.
JURUBEBA.
Letras a receber.
Saldo desta cunta.
Conlas correales.
Saldo desta conla.
Diversos.
Saldo de varias con
tas........
Ottxa.
Pelos seguimos va-
lores:
Em moeda de ou-
ro de 22 quila-
tes ........
Em notas do the-
souro dos valo-
res de 105000 e
superiores. .
Em notas menores
de 105000.....
Em moeda de tro-
co ........
Em notas do ban-
co do Brasil e
das caixas filiaes
do mesmo......
Em notas da pro-
pria caixa....
15:1715060
7,044:3635146
752:7075666
3,855:2695637
2,258:0505000
9:4805000
10:0115000
5581
160:0005000
714:3105000 3,152:6315381
15,458:7815462
Passivo.
Banco do Brasil conta do capital.
Volar fornecido pe-
la caixa matriz.
E mis sao.
Valor em circula-
cao. :......
letras a pagar.
Por dinheiro loma-
do a premio. 5
Por saques..... 479:6615353
2,000:0005000
9,504:0905000
479:6615553
Diversos.
Saldo de variascon
tas........
Lucros e peritas.
Lucros sujeilos a
liquidacao. ,
3,138:291-5095
36:7385814
A jurubeba urna das substancias medicamen-
tosas, ao reino vegetal, e perience a classe
dos tnicos e desobslruenles, sendo em prega-
aa cora fvantagem contra as febres intermitentes
vores damos ao Sr. subdelegado Jos Gowni ; acompanhadas de engorgitameoio de figado e bago.
Paes Barreto e o Sr. capiao Jos Antonio Sera- Ella lem sldo applicada com inconteslavel proveito
piuco de Assis Garvalno, e ao lenente-coronel Joa- con,ra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar-
quim Lucio Mouteiro da Franca, e ao Sr. Hygino i rho dabexiga e mesmo para comba ter a menstrua-
Firmo das Ghagas, que em todas as vetes que te- :i d'IBcil, resultante da mesma anemia ou chlo-
i mos tido noticias dos nossos do Paraguay, estes | ro??-
quatro senhores influirn) muito no povo, soltan-
do-se fogos, e mais outras provas de amor patrio- j
1 tico. Esperamos que S. Exc. o muito digno Sr.
presdeme da provincia recebera o offerecimenio
que esle povoado tem dado.
O Imparcial.
Pasllias vermiagas ce Kemp.
Chamamos a altengo de todas as mais, para o
\ remedio mais agradavel, e uiil que se conhece para
fazer expellir as lorabrigas: as pastilhas veumi-
PDOA8 de kemp. Em vez de todos esses i m mundos
o pengosos remedios vermifugos coinpostos de to-
da a casta de mineraes apr sentamos um delicio-
so coofeilo vegetal prompio e infallivel na sua ope-
r i;.i.'. nao causando nauseas nem incommodos de
' qualidade algum, prrduzindo sempre o seu cITeilo
i de urna maoeira suave e completa, nao carecendo
| depois a assistencia de qualquer um outro purgan-
I te : til como um excelleute meio de fazer remo-
i ver as obstrueges do veulre, mesmo no caso de
nao exisiirera vermes aiguns e finalmente tornam-
se ellas dignas por todos os respailes da confianca
1 e approvacao de todos os pais de familias, os quaes
| acharao eslas pastilhas elegantemente acondiciona-
dos deulro de frasquiuhos de crystal.
A venda as bouas de Gaors di Barbosa c de J.
da C. Bravo G.
Extrato alcoolco de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo dem.
Tintura idem de dem.
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharnucia de Pinto, ra larga do Ro-
sario n. 10.
Sade publica.
PurifieaiSo a respeilo de aiguns dos medicamentos
da casa Grimault k C.
Aiguns jornaes publicaram urna ordena-
co d conselho de sade portuguez, |que
prescreveu ns mecnmentos preparados pe'a
casa Grimault 4 C. de Paris, com o pretex-
to que esses acreditados pharmaceuticos
foram condemnados pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenacao parecer bem extraordina-
ria qnando se tiver lido as seguimos cir-
cumstancias:
1. A sentenca de que se trata foi dada
sobre a denunciarlo de um dos concurren-
tes dos Srs. Grimault 4 C., e sobre as in-
formaces inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A sentenca foi dada por um tribunal
de pnmeira instancia, e nao tem valor al-
lqgo que se appellou ; foi por urna
bac e se todos os facultativos desta provincia o'manobra desleal e contraria a todos os usos
nao applicam com freqnencla, isto se nao deve a! que os concurrentes dos Srs. Grinault & C,
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a _._. rtatrihnir pm ffrandp niimpro ns inr-
uo serem encontradas cora facilidade e ra todas nz^a UisiliDUir em granue numero os jor
naes judiciaes e mandaram publicar em
Franca e nos paizes estrangeiros urna deci-
so que nulla, sem nenhum valor cmquan-
to o tribunal imperial nao a tiver approva-,
do, B depois delle o tribunal supremo.
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
.i Mm ii.i
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tralu Pisn em sua excellenle obraHistoria na-
luralis et medica India! occidentalis, senao as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
'aqui, muito estimado e applicado contra as obs-
iruccoes abdominaes, principalmente do figado e gum,
Abanos.........eento
Agurdente de cana .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca........
dem genebra...... *
dem alcool ou espirito de agua-
ardente ....,.
Algodao em caroco __. arroba
dem em rama ou cm lia
Arroz com casca.....
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado.....
dem branco.......
Idem refinado.......
Azeite de ainendoim ou mendo-
bim ........caada
dem de coco......
dem de mamona ....
Batatas alimenticias .... arroba
Bolacha o diara, propria para
embarque.......
dem lina.........
Caf bom .......
dem escolha ou restolho. .
dem torrado.....
Caibros .......
Cal.........
dem branca ....
Carne secca (xarque) .
Garneiros ......
Carvao vegetal ....
Cavernas de sicupira .
Cera de carnauba em bruto.
|dem idem em velas .
Cha ........
Charutos ......
Cevados (porcos) ....
Cocos (seceos).....
Colla.......
Couros de boi, salgados. .
dem idem seceos espichados
dem idem verdes .
dem idem cabra cortidos .
dem idem de onga .
, Doces seceos.....
dem em gela ou massa .
! dem em calda ......
Espanadorcs grandes um
I dem pequeos......
Esleirs para forro de estivas
de navio........eento
i Estopa nacional .....arroba
1550o
800
800
400
800
900
zo
145300
15300
25600
5000
35500
libra
um
arroba
>
i
um
arroba
urna
libra
eento
um
eento
libra

um
i
libra
>
25000
15600
15000
15200
35000
75000
65400
5000
440
360
280
500
35200
45000
15000
35000
300
300
15300
25500
155000
45000
600
155
240
100
350
105000
15000
320
500
45000
25000
155000
15600
alqueire 1*800
arroba
c
um
arroba
urna
arroba

eento
1>,458:7815462
O guarda livros,
lanado Nunes Correa.

C0MMNIC130S.
A declaracao do Sr. padre Jos Antonio dos
Saulos Lessa.
Consegu finalmente fazer sahir o Sr. padre Jos
Antonio dos Santos Lessa do silencio a que se ha-
via recolhido depois da declaracao que fez no Oa
no de 8 de agosto prximo passado. Com effeito,
tendo eu esgotado todos os meios alim de que S.
Rcvma., cumprindo o que prometiera na referida
publcacao, declarasse que paite tive eu e o Illm.
Sr. conego Tavares da Gama em a nomeagao do
vigario Camillo de MendooQa Furtado para visita
dor da provincia das Alagoas, c sobretudo que
transaccao foi essa de que falla ; tendo-o eu pro
vocado pelo Diarto, e da maoeira a mais solemne,
para que sem demora puzesse ludo em pratos lim-
pos; e havendo-se passado tres semauas sem que
S. Revma. apparecesse em publico, e desse copia
de si, determmei finalmente chama-lo responsa
bilidade, afim de obriga-lo a fazer em juizo a de-
claracao que com tanto afn prometiera, mas que
se nao resolva a apreseniar em publico.
Preenchidas todas as formalidades legaes, com-
pareceu emm o Sr. padre Jo. Antonio dos San-
tos Lessa, no da 30 do prximo passado, na au
diencia do Sr. Dr. juiz municipal da 2' vara ; 1
antes do interrogatorio, anles de fazer qualquer
declarago, pediu ao juiz que Ihe fosse tomado o
juramento dos Santos Evangelhos, pois tudo quan-
lo hia dizer quera que fosse proferido debaixo da
sacerdotal, e que tivesse o cunho incontraslavel
da verdade.
Attendido pois o seu requerimento, foi-Ihe defe-
rido o juramento, e elle comecou a sua decla-
racao.
Von acompanhar o Sr. padre Jos Antonio no
seu depoimento, e, respetando o seu juramento
espontaneo, procurarei verificar se desta vez elle
mais valioso do que o juramento dos tres eontos de
reis entregues por S. Revma. ao Sr. Antonio Ra-
mos. Procurarei fazer quo as respostas que cu
der aos diversos tpicos da sua declaracao sejam
bem explcitas, bem claras, e quanto possivel for
confirmadas com documentos, nomeando eu pelos
seos nornes aquellas pessoas que tiverem lido par-
le nos fados em que eu honver de fallar.
Nao prometi concluir eom muita brevidade a
minha analise e resposta, porque as minhae oceu-
() De novo publicamos o presente balancete par
se naverera dado doos engaos na contablidade.
(Da Redaccao.)
Aos proprletarios de Serlnhacm
Pelo Diario de l'ernambuco de 28 de agosto
prximo passado, reclamei o vosso poderoso auxi-
lio para a consecucao de um grande fim a reu-
nio da guarJa nacional para o servigao volunta-
rio da guerra do Paraguay.
O juramento prestado pela guarda nacional Ihe
impoe esse dever; a defeza do paiz, provocado por
injusta aggresso, exige hoje o seu cumprimento.
Do prestigio de vossa palavra autorisada depen-
de pressuroso concurso da populacho que a primei-
ra vista parece fazer letargo.
Os soldados da guarda nacional vos consideram
como seus chefes naturaes; fallai Ihe3 pois a lin-
guagem do patriotismo, que assoberba vossos pei-
tos. Como vos, sao elles Braseiros, demonstrai-
Ibes de modo o mais patente que hoje a guerra
urna cousa santa ; desperlai-lhes os bros varonis;
reclama! a cooperacao dos seus valentes bracos
para a desafrouta do slo sagrado da patria ; tra-
zei-lhes a lembranga o glorioso exemplo do impe-
rador que, esqueceodo as fadigas, as privacoes e
es perigos, marchou para o campo do combate ;
avivai-lhes as imaginares entusisticas, recor-
dando-lhes as seguntes palavrs que, ao pizar as
praias do Rio Grande proferio o inclylo defensor
perpetuo do Brasil :
< Fallo-vos como pai que zela a honra da fami-
lia brasileira ; eslou eerto de que procederis
< como irmaos que se arcara, a ainda mais quan-
t do qualquer delles solfre.
Os Rio Grandenses, os Matto-Grosenses sao nos-
sos jrmos; somos todos membros da mesma fa-
milia, que forma a grande Nacao Brasileira. Con-
vencei-vos de que, fallando-Ibes esta Iragoagem,
qua far vibrar todo coraco brasileiro, vossoa sol-
dados se levantaro acodadamente para acudir ios
vossos Lrados : os antigos bros dos Serinbaensen
fesurgiro de prompto.
as eslacoes do auno os frucios dessa planta, e a re-
pugnancia, que apresentam os daentes Tn fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao deseonhecida dos bolafcistis :
esta planta perlence familia das sotaneas, e tem
a denominacao e solanum paniculalum, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolieo que pode ser
applicado em pilulas, mas tamhetn um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos.casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com islo prestamos um servlco humanidade e
therapentlca.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
crelo das raizes da jurubeba, e Mural *e Delens,
. em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
' tica, atiero que as An'ilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta conira o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses me-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
I suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
ser experimentadas.
A reputacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeulicos ontidos ltimamente sao to impor-
tantes, que nos parece inulil dizer mais do que
isto, que fica escripto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
m > 11 Ig) X i
VARIEDADES
Sclencfns e mediciua.
L-se na Union Medcale de Paris:
Os jomaos de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therapeulica, que cousistia na desin-
fecto do oleo de ligado de bacalho sem
Ihe tirar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annunciar boje aos
nossos leitores, que esse resultado foi obti-
do do modo o mais completo por um hbil
pliarmaceutico de Paris, o Sr. Chevrier, que
conseguto desinfectar o oleo de frgado de
bacalho com o alcatro e o balsamo de
Toln. As experiencias feitas por muitos de
nossos pratioselec obres, nos hosp'ties e so-
bre seus doentes particulares, as analy. I cnsaios de chimicos competentes, nao dei-
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras Jfj
um juiz muito eminente e competente o Sr.
; Dr. E. Humbert, laureado da academia im-:
' perial de medicina, e professor de Chimica.
Submelti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
1 acham no oleo de ligado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
estranhas que >e pem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacalho ordinario, jue elle repre-
senta exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peias
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
eeptiveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-si tornado um dos agentes os mais im-
portantes '.' preciosos da therapeulica, quem
descobrio oioeio de o tornar de um uso f-
cil para todos, preston um verdadero sar-
vico arle de curar e aos praticos.
sim, por urna sentenca de 17 de maio pr-
ximo p.ssado, ordenou nova vistoria, a que
linha motivado a deciso dos juizes da pri-
meira instancia lhes tendo parecido insuffi-
ciente, depeis das novas experiencias intei-
ramente contradiclorias de um chimico e
physiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pharmaceutico em chefe dos hospitaes, e
professor aggregado da faculdade de medi-
cina de Paris.
4." N'essas circumslancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informacoes mais certas, a
mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
peicao medicamentos, cujas excellentes qua-
lidades e perfeita preparaco tem sido, des-
de muitos annos, r- conhecidas por todos os
membros mais distinclos do corpo medical,
e que tem os nicos defeitos de serem mc-
lhores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de seus concur-
rentes.
COMMEBCIO.
PRAgA DO RECIFE.
Cotacdes ofQciaes.
4 de setembro.
Algodao primeira sorlo 16,5500 por arroba.
Cambio sobre Londres90 d/vsta 24 3/4 d. por
t000.
Cambio sobre Babia392 rs. por fr,
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
\ovo banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por eento ao anno ate o prazo de seis mezes,
Novo banco de pernambnco.
dministradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o i dividendo de dita massa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mellidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Caixa filial do banco do Brasil cm
Pernambuco.
De ordem da directora se taz publico que a ca
xa desconta os saques de seu aceite, praticados
pelo banco do Brasil, pela taixa de 7 0|0 ao anno.
Oguarda-livros
Ignacio Nunes Correia.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 2...... 31:9055267
dem do dia 4............... 12:83327G
44:7985543
MOVIMENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 87
c c com gneros..... 231
------ 318
Volumes sahidos can fazendas..... C2
f com gneros..... 504
-------566
Descarregam no dia 5 do corrente.
Patacho inglezEagletfarinha de trigo.
Barca inleza l'll. Patache ibamborguezHelene-iem.
lliate Dglez Sea B/wze-farinba de trigo. i
Farinha de de mandioca
dem de araruta ....
Fcijao de qualqucr qudlidade
Frcchaes ......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom ....
dem ordinario ou restolho. .
Gallinhas ......
jGomma.......
; Ipecacuanha (raiz) ....
Lcnha em achas ....
, Toros..........
'; Linhas e esteios......um
' Mcl ou melayo......caada
I Milbo.........arroba
i Papagaios .......um
Pao Brasil.......quintal
dem de jangada......um
Pedias de amolar .... urna
dem de filtrar .....
dem de rebolo .....
Piassava....... molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos.......cento
Pranchoes de amarello de dous
costados.......um
i dem de iouro......
i Bap.........libra
Saino.........
Sal...........alqueire
! Salsa parrilha.......arroua
Sebo em rama ......
dem em velas......
Sola em vaqueta......urna
43000
23800
53000
145000
83000
85040
53000
600
23500
253000
25000
113000
65000
240
13500
35000
55000
55000
800
45000
1300U
120
355OO
duzia
arroba
quintal
urna
cento
caada
','03000
105000
15000
120
400
255000
53000
75000
23000
1403000
873000
;3i)Oii
25000
G50f'0
200
103000
85"O0
65000
500
2 de setembro de
Taboas de amarello.
t diversas .....
Tapiocas........
Talajuba.......
Travs........
Unhas de boi .....
Vassouras de de piassava .
Dlas de timb.....
Ditas de carnauba ....
Vinagre........
Alfandega de Pernambuco,
1865.
(Assignados):
O 1. conferente, Francisco de Paula Gonralves
da Silva.
O 2. conferenteJoaquim Ignacio de Cnamo
Alendonea.
Approvo.- Alfandega de Pernambuco, 2 de se-
tembro de 18G5.A. Eulalto:
Conforme. O 4. escripiurario, J. d'Aiila Bt-
tencourt Neivas.
RECEI3EDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 2...... 1:667506}
ldemdodia4................ KimaM
3:8^65365
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 2 ...... 8:653*310
dem do da 4.............. ^4:246*708
6:9005016
EfOYIMENTO BO POSTO
Navios entrados no da 4.
Maceio e portos intermedios22 horas, vapor bra-
sileiro Parahiba, de 104 toneladas, commaodan-
te J. J. Martins, equipagem 21.
Marseille35 dias, barca franceza Mauricio, de
282 toneladas, capilaoVarlet, equipagem 12, car-
ga vinho ; a F. Sowage.
Observacao.
Nao houveram sahidas.
EDITAES.
O Dr. Tristiio de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio, por S. M. Imperial e Constitucional o
Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde, ele.
Fago saber aos que o presente edilal virem e
delle noticia tiverem, que no dia 18 de seiembro
do corrente anno se ha de arrematar por venda a
quem mais der cm pra;a publica deste juizo o se-
grate :
Um sitio sito na estrada de Joao de Barros, tendo
um porlao na frente com pedagos de muros as lado'
urna casa cora um soto dentro do sitio, t?odo a
casa trinla e.quatro palmos de frente e oilenta e seis
de fundo, lendo em roda da mesma casa urna cal
cada com pilares, duas salas, quatro quartos, cosi-
nha fora, e no soio tres quartos e urna sala, com
cacimba, lanque, casa para pretos, e ura l.lheiro
com apetrechos do moer e fazer farinha em mo
estado, tendo um terreno com largura para ambos
os lados, para plantacoes, algumas fructeiras, sen-
do a largura do dito sitio de 375 palmos e 500 de
fundo, avahado em 10:0005.
O qual fora penhorado por execugao de Jos Pau-
lo do Reg Barreto, contra o bacbarel Diodoro Ul-
piano Coelho Gatanho.
E nao havendo lancador que cubra o prego da
avaliagao a arrematagao ser feita pelo prego da
adjudieagao na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei pastar o prsenle, que ser publicado pela
imprensa e afiliado nos lugares do cosame.
Cidade do Recife de Pernambuco 49 de a*sto
de 1865. ^
Ea, Manoel Mara Rodrigues do Nasclmento, es-
crivo o subscrevi.
Tristiio de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao do Alencar Araripe, oITlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito, esperial
do commercio, nesta cidaff do Recife de Per-
nambnco, por Sua Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-
de, etc.
Fago sabei aos que o presenta edital virem a
d'elle noticia tiverem que no dia 18 de setembro
do corrente anno, se ha de arrematar por venda
a qnem mais der em praga publica desle juizo, 0-
seguinte :
A propriedade denominada Sani'Anna cita na
freguezia do I'ogo da Panella, na qual existe um
sobrado bastante velho, duas casas terreas, em mo
estado, e Hma dita cahida, urna olaria em ruinas,
avahada em 7.0003000. A qual fura penhorada
por execugao de Antonio Jos de Castro, contra o
bacharel Joaquim Francisco de Miranda.
E nao havendo langador que cubra o prego da
avaliago, a arremataco sera' feita pelo prego da
adjudicago na forma" da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa, e affixado nos logares do costume. Re-
cife, 21 de agosto de 1865.
Eu Mnocl Maria Rodrigues do Nasciraento, es-
crivao, o subscrevi.
Tristao de Alencar Artripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio de-ta cidade do Recife de Pernambu-
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II, a quem
Deus guarde, etc.
Fago saber pelo presente que, por esle juizo e
cartoriodoescrivao que este subscreveu, corre urna
execugao de sentenga, ordenada entre partes, a
saber, romo exequente Joaquim Manoel do Reg
Barreo, e como executado Joaquim ietor Pereira
Falcfto, e correndo a execugao seus termos, pro-
cedea-se a pendura em dinheiro na quantia de
3575728, existente no deposito publico, e perlen-
cente ao dito ex<>rulado, em vista do que em au-
diencia publica do dia 21 do c&rrente, pelo solici-
tador Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce da
Len, procurador do exequente, fora feto o re-
querimento do iheor seguinte :
Aos 21 de agosto de 1865, nesta cidade do Reci-
fe. em audiencia put.lca do Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio Tnsiao de Alencar Araripe,
pelo solieilador Aoionio Carlos Pereira de Burgos
ranea de Len, procurador do exeqnente. fora ac-
cusada a penhora feita em dinheiro, perteucente ao
executado, requerendo que nao s licassem assig-
nados os seis dias a penhora, como os dez dias ac s
credores iocerlos, para que se Ihe dessa os edilaes
do estyk) : o que ouvido pelo juiz assim o deferio.
Exlrahi o presente do protocollo de audiencias,
e junio a caria precatoria e proenragao bastante.
Eu Mauoel Silvino de Barros Falco, escrevenlo
luramenlado, o escrevi.En Manoel de Carvalho
Paes de Andrade, escrivo, o subscrevi,
Seguindo o que assim se continha em dito re-
querimento de audiencia, por forga do qual o res-
pectivo escrivo que este subscreveu, fez passar o
presente, pelo qua! e seu theor, chamo cilo e hei
por cilado a todos os credores incertos, para que
dentro do prazo de dez das comparegam ante juizo
por si ou por seus procuradores, allegando e pro-
vaudo o que (6r a bem de seus direitos e justiga,
sob pena dse proceder sua revela.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei fazer o presente edital que sera' affixado
nos lugares do costume e publicados pela im-
prensd.
Dado e passads nesta cidade do Becife de Per-
nambuco, aos 24 de agosto de 1865.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo osobserevi.
Tristao Je Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da Impe-
perial ordem da liosa, e juiz especial do com-
mercio, por Sua Magestade Imperial e Constitu-
cional, eic.
Fago saber que no dia 13 do corrente, pelas 11
horas da raanha, na sala das and encas, devero
comparecer os credores da massa fallida de ^Cami-
nha & Filhos, para rumprir-se as disposigoes do
artigo 842 do coaigodo commercio, para o que s&o
convocados pelo presente, devendo comparecer de
conformidade com o disposto na segunda parta do
mesmo artigo.
Recife, 4 de setembro de 1865.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nasciraento, es-
crivo o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe.
O Dr. Trislode Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio detta cidade do Recife de Pernambu-
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional o Senhor D. Pedro II, a quera Deus
guarde etc.
Fago saber pelo presente, que no dia 18 do mez
de selombro do corrente anno, se ha de arrematar
por venda a quem mais der em-praga publica des-
le jnizo, depuis da audiencia respectiva, a escrava
de nome Mana, crioula, de qualorze "annos de ida-
de, avahada em 6003, a qual vai a praga por exe-
cugao de Albino Jos Ferreira da Cunha contra
Manoel Ignacio das Gaudeias. E na falta de licitan-
tes ser a arrematagao feita pelo prego da adjudi-
cago com oabaiimnto respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei fazer o presente edital que sera' affixado
nos lugares do costume epublicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, 30 de agosto de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasciraento es-
crivo o escrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Trsto de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direiio especial do
commercio desla cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. M. Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quera Deus guar-
de, etc.
Fago saber pelo presente que por este juizo o
carlorio do escrivo que esla subscreveu e fez pas-
sar o presente, corre urna execugao de sentenga,
entre paites como exequente Henrique Jos Alves
Ferreira e como exeenlados os administradores da
massa fallida de Aiuorim, Fragoso, Santos & C, e
prosegumdo a execugao os seus devidos termos,
procedeu-se a penhora em dinheiros pertenceotes
aos mesmos exeeulados, pelo que o solicitador Ig-
nacio arrozo de Mello, procurador do exequenia
em audiencia do dia 14 de novembro me fez.o re-
querimento do theor seguidle :
Aos 14 de novembro de 1864 nesta cidade do Re-
cife de Pernambuco, em publica audiencia que aos
felos e as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio Trisito de Alencar Araripe, nella
pelo solieilador Ignacio ilarroso de Mello procura-
dor do exequente Henrique Jos Alves Ferreira,
fora aecusada a penhora que se segu feita em di-
nheiro pertcncenle aos executados, requerendo que
nao s aos mesmos licassem assignados os seis dias.
da lei, como os dez dias aos credores incertos, pas-
sando-.-e os editaes do e.-^lylo, e requerendo na mes-
ma occasio que se passasse mandado de reraogo,
para o deposito publico e achando-se presente o
solicitador Miguel Jos de Almeida Pernambuco
procurador dos executados, por parte desles pedio
vista.
Termos em que houve dito juiz ambos os reque-
rimenlos por deferidos.
Extrahi o presente do protocollo de audiencias, e
junto o mandado e termo de penhora.
Eu Faustino Jos da Fouceca, escrevente jura-
mentado o escrevi.
J2u Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que assim se continha era dito re-
querimenlo de audiencias, depois do qual o mesmo
solieilador Ignacio Barroso de Mello, procurador do
exequenie, em audiencia do dia 19 de junho do cor-
rente anuo, rae fez o requerimento do theor se-
grate :
Aos 19 de junho de 1865 nesta cidade do Recife
de Pernambuco, em publica audiencia que aos fe-
los e as parles fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio, Tristao do Alencar Araripe, nella
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor do exequenie Henrique Jos Alves Ferreira,
requerido que havendo-se desencaminhado os pri-
meiros editaes, se Ihe mandasse oulros com salva
do primeiro, e que langa va de prava, e requera
que fossem os autos com vista aflnal.
O que ouvido pelo julz assim o deferio.
Extrahi o presente do protocollo de audiencias.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco, escrevente
juramentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Seguindo o que assim se continha em dito reqne-
rimento de audiencia aqu transcripto, depois dr>
qual o mencionado escrivo Manoel de Carvalho
Paes de Andrade, que este subreveu e fez passar
o presente edilal cora o prazo de 10 dias, pelo qual
e seu theor chamo, cito e hei por citados a lodos os
i-



V
I
J
mu tu Anm


Marte4e*>orlv*>*M Tef a lelra a de etemfero de 19*.
credores norrios dos dilos execulados, para que
denico do referido prazo ceiaparecam ante este
JC izo, allegando e provando que for a bem de
seus direiios e Justina sob pena de se proceder as
su as revelias.
E para que chegue ao ccnhecimento de todos
raandei faier o presente ediu.l com o prazo de 10
das, que ser afiliado dos lugares do costume e
publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 21 de junho de 1864.
Bu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi.
Trisio de Alencar Araripc.
Loeiaoo....... ..<,.,,>.,,....
Vellasco....................... Borges.
Affjuiia.....,*.....^.rs..... D. Camilla.
Leonido....................... D. Joanua.
Setheres,cavalheiros e pvo.
A acco se passa no da lo de setembro de 1822.
N. B. Os bilhetes sao vendidos para o dia 7 e
O, sendo o espectculo do da 9 a primeira repre-
sentado do drama era 3 actos, original portuguez
lo Sr. Antonio Cesar da Vasee-ncellos A meda-
Na de Bronze. Os Srs. assignatfles lem a prefe-
tencia as suas assUnaluras mandando-as bascar
at o dia 6 as 10 turas da maha.
Comecara' as 8 horas.
De orna cas#lfrr*a *i .&*, n*S*te#rtft
a roa M Coffctfof do ispo,
chaos fiireiros.
Cordelro Niuies
por conta e risco de quem pertencer fara' Jeilao
da casa terrea cima descripta, i.-io
Quarta-feira" 6 docorrenle as 41 horas jem
ponto.
57 A BU.\ DA CRUZ 57
HMA
Convida-se as pessoas que estao as
condicoes do servido militar, a' engajaretn
no corpo de polica e gozaren! das vanta-
geas di lei provincial n. Gl 1 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguidles :
4#10 rs. diarios de sold, seren seus fa-
inos menores recolliidos aos estabelecimen-
tos provineiaes de cducacao e o tempo que
estiverem ta guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm destas
tem todas as mais vantagens que sao
cedidis aos voluntarios da patria. O te-
en te-coronel commandante do corpo de
polica, Alejandre de Barros e Albuquer-
que.
COMPANHIA
ATOOg jMJBjngj.
tara o Rio de Janeiro
Pretende guir com multa brevidade a barca
nacional Hestauracao, tem parle do seu carrega-
mento prompto : para compltalo, e jumamente
para escravos e fretes, para os qnaes tem excelen-
tes comroodos, tratase com os seus consignatarios
Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 1._________________
Para o Porio por Lisboa
pretende sahir com a possivel presteza o bngue
Pernambucano : para carga e passageiros, a quem
con- offerece bons commodos, trata se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fonseca, ra do Vigario
n. 19, primeiro andar.
Sao novamente convidados os Srs.
nistas a reunirem-se em assembla
extraordinaria no dia G de setembro
o
accio-
geral
pr-
ximo futuro ao meio dia no escriptorio da
mesma rita do Cabug n.16, aftm de se de-
liberar sobre o determinado no aviso ex-
pedido pelo ministerio 'agricultura, com-
mercio e obras publicas em 21 de julbo ul-
timo com referencia aos novos estatutos
desta companhia, roga-se aos scnhores ac-
cionista que nao poderem comparecer por
si a essa reunio, mandem procuradores
especaes para tal im, que s r da reforma
dos ditos estatutos.
Escriptorio da Companhia do Beberibe
31 de agosto de 1865.
O secretario,
Dr. Joai Jos Pinto Jnior.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende sahir nestes 15 das a barca nacional
Valle; para carga, passageiros e escravos a frete,
tratase cora David Ferreira Baltar, na ra do
Brum n. 6G, ou cora o capiao da mesma barca.
" COMPANHIA PEBNAMBUC ANA
DE
Navcgacao coslciru por vapor.
Parabyba", Natal Macan, Aracaly, Cear
e Acarac
No dia 6 de setembro as 3 ho
ras da tarde seguir para os por-
tes cima o vapor Slamanguape,
commandante Souza. Receber
carga al o dia 5. Passageiros,
encommendas e dinheiro a frete al as 3 horas da
tarde do dia da .-aluda : escriptorio no Forte do
Mallos n. i._____________________________
Linlia iii Havre Pernamlmco.
Espera se a barca phcrc que sahio no dia 10
de agosto ao frete de 2o frs. 10 "i,. Rccbe carga
para o Havre afretes baratos : a tratar cora os
consignatarios Tisset freres.
Leilao
D ama parte da casa terrea sita na
rna de Saota Rila n. 59, em chaos
proprios
Cordelro Siiues
porconla e risco de quem pertencer vender' em
leilo a parte do predio cima descripto podendo
os pretendemos procederem ao exame e querendo
informacSs podero entender-se cora o referid j
agente, o leilo sera' effeetuado
Quarta-feira 6 do corrcnte as 11 horas em
ponto.
57A ra da Cruz57
Preeisa-se
Na ra doLivraraeoto n. 14 loja de fazondas,
de um alfaiate que saiba corlar tanto para casa
como obras de encommendas : a iraiar na mesma.
< OParaguayoj iiivadimm pda\se|unda veza
asa (,e morada do naaa a noiie da sal harto para domingo 27ldomez
ojo ; a porta do oiio do lado da cozinlia/ e car-
resaram mui tranquilamente o resto da mobiiia da j
aia, constando de mesa redonda, 2 bancas e jogo,'
- Cadeiras de bracos e 5 cadeiras de palhinha, lu- |
*M^S?^radSaarrtjS,e a'teMe'aeri" ma fiiea eai dinlieira, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
i?0?!'..!.e9p,n*arda carwna de don* ranos, pesa- ministradlo da companhia.
DIRECCO GERAL
Compaiiia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
y
De movis e ontros artigos
Quaria-feira G do torrente as 11 iiiras.
57No armazem a ra da Cru57
Cordelro Si nades
far leilao por conta e risco de quem pertencer
diversas obras demarcineiria novos e usados.
VISOS DITESSOS.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
aos (levadores dos irapostos arrecadados por lanca-
menlo pertencentes ao eiercicio findo de 186i a
1865, que no ultimo do setembro finda-se o praso
marcado para a cobranca de seus dbitos, licando
siijeitos os que nao paguem al aquelle da, alera
da multa de 'j 0|0, a seren remellidos para juizo
alim de serem execulados.
Mesa do consulado provincial 31 de agosto de
1863.-0 administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
Arremalaco.
Terca-feira 5 do correte, depois da audiencia
do Dr. juiz de orphaos, val praca de venda a casa
terrea o. 41 da ra do Forie das* Cinco Ponas, a \
rei|u^rimenio do inventarame dos bens da finada
Mara Rita dos Prazeres, pela quantia de 960J,
tendo soTrido o abale da lei na avaliacao de.....!
l:(JO.___________________________________________ j
Acharase legalmente depositados dous bur-:
ros ca.stauhos que foram encontrados alta noite va-
gando pelas ras desla freguezia sem conductor :
quem pois se julgar com direito aos mesmos bur-
ros, provando, ser-lhes-ha entregues.
Subdelegada de polica da freguezia da Boa-Vis-
ta de setembro de 1863.
Pecio de Aijuino Fonseca.
Wu ilia 6 do crreme, linda a audiencia do
juiz de paz do 1 districto da freguezia da Boa-
Vi.-!:!, tem de serem arrematados os objectos se-
guioies: 1 par de malas de sola, 1 estante, 1 ca-
\). I mesa de meio de sala, t marqueza, I ban-
ca. 1 par de boto deouro, penhorados a Renedic-
to Marques da Silva Aguna Jnior, por execugo
de Maximino Marlins da Silva orges; a ultima
praca.
- No dia 6 do corrate, lida a audiencia do
juizo de paz do Io districlo da freguezia da Boa-
Vi-; i. tem de serem arrematados os bens seguin-
tes : 2 cadeiras de balango, 1 mesa redonda, 1
sof e 6 cadeiras, penhorados a Ernesto Botelho de
Andrade, por execuco de Domingos da Cunta
Miranda ; c a ullima prar;a.
Arremalaco.
Xo dia 6 do corrente, depois da audiencia do
Sr. juiz de paz do Io districto da Boa-Vista, lem de
serem arrematados os seguintes bens : 1 duzla de
cadeiras, 1 sof, 2 consolos, 1 cadeira de balance,
2 cadeiras de brago, 2 castigaos de vidro com man-
gas, 1 par de jarros; cujos bens foram penhorados
a Pirmina Alexrcdrina de Aguiar por execuco de
Candido da C >sta Dourado e oulros.___________
N> da (5 do crreme me?, tem de serem ar-
rematados, depois da audiencia do Sr. juiz de paz
do i" districto da Boa-Vista, os seguintes bens :
6 cadeiras, 1 commoda com cartelra, 1 relogio de
praia com cachorro para enfeile, 1 espelho, 1
guarda-roupa ; cuj' s bens foram penhorados a
Agapito Antonio de Barros por execuco de Manoel
Silveira de Freilas e outro.
CQRREIO GE-FUL
ItrLi.-ai) das cartas seguras existentes na admi-
nislratio do corrcio desta cidade, para os se-
uliores aliaivo declarados :
Consellieiro Antonio Coelbo de S Albuquerque.
Commendador Antonio de Souza Leo.
Candido Vielra da Cnnha.
D. Emilia Fortunata deGusmo.
Francelino C. Ferreira Chaves.
Prancisco|de Mello Barreto.
Francisco Miguel da Costa.
Coronel Hemeterio Jos V'elloso da Silveira.
Joo Alves Matheus.
Joo de Freitas Guimaraes.
Joan Francisco de Moura.
D. Luna Annes de Andrade Leal.
Latirentino.
Dr. Luiz Felippe de Souza Leo.
51 i i i.v Joaquina da Eucarna;o.
TfllL-i SKO
DE
Tisset freres previnera os car-
regadores dos navios da linha do
Havre e Pernambuco, que o frete
do Guilleume Telt, esperado a ca-
da memento lem sido abaixado a
'3o fs. e 10 por |0, o do Sphere
a car^a no Havre a 25 fs. eio por |0. e que
talvez o dos navios segrales sera' anida mais em
conta, o que Ihes sera' avisad) por via deste jornal.
Os navios eslo a disposicao dos carregadores
para as voltas a um frete abaixo de ij fs. e 10
por |0 conforme se ajustar com os annunciantes,
ra do Trapicbe n. 9.
LEILQES.
LEILAO
Da elegante casa assobradada, reedificada de no-
vo, com cocheira, estribara fora, grande ba-
nheiro de lijlo e cal, forrado de cimento, jar-
dim, cercado e baixa de capim, em Caxanga na
estrada real de Pao d'Alho.
iioji:.
O agente Pinto fara leilo precedida a compe-
tente autonsaco, da casa de campo cima men-
cionada a qua se torna recommendada por ser
alm de mu f esca perlo da ponte pemil e da es-
tago dos mnibus: o leilo sera' effectuado as 11
horas do da cima dito na praga do commercio
em frente a AssociatSo Commercial.___________
"LEILAO
Da excellenle chacra do Exm. Sr. desembargador
Doria, no Manguinho, com as accommodacoes
que podem ser examinadas desde ja pelos pre
tendentes, os quaes devero concorrer ao leilo
no dia
HOJE
Por intervengao do agente Pinto, em frente
Associacao Commercial. _______
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
i Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta praga, toma sefuros martimos
sobre navios eseus carfegamentos e contra fogo em
edificios, mercaduras e mobilias: no seu escripto-
jo, ra do Vigario n. pavimento terreo.
LOTERJ
AOS 6:000*000.
Corre amanha.
Quarta-feira C de setembro do correte
anno, se extrahr a 2a parle da Ia lotera1
f30a) a beneficio da igreja de Nossa Se-
nhora do Rocario de Muribeca, no consisto-
ro da igreja de Nossa Senhora do Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetos, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria a ra do Cres-
po numero 15.
Os premios de 6:0000000 at 103000
serao pagos urna hora depois da extraccSo
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicodas listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extraerlo
como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
da, leudo uro "dos canos raido, e com dous para
fusos oa delgada da coronha, alguma moca de oso
e de craoha, e ranas pecas de menor valor. C ,mo
na primeira firmSo linham roobado o sof e C ca-
deiras, aconteceu trar anda urna cadeira para
completar a duzia, a qual estava m empalhador.
Nao sao os visinhos, que sao exceHentos pessoas.
lambem nao foram o concertadores ou coaserva-
dores da estrada que por all andaram, porque sao
pessoas abonadas por qnem as conhece por fra.
Tambem nao tlveram parre nesla con (aisla as pes-
soas de igual capacidad^, que o meu amigo o ins-
pector Jos Marques, garante ; mas sim, e nica-
mente o meu feitor que inora ha muitu mais de
um anno em casa propria, e no mesmo sitio, o
qual fcil ser espreitado, quando sahe ou quan-
do dorme. Isio mais natural, e por isso rogo s
autoridades respectivas que nao se incommodem
como fkerarn pela primeira vez que os avisei, tan-
to mais que, em quan'.o se nao orgamsarem as for-
ras necessarias para premiar os invasores, eslao
estes Paraguayos no exerccio de seu pleno direito.
E por isso agradeeendo Ihes pelo presente o favor
de naverera rflcciuado o despejo daquelles objectos
da minha casa, e contra a minha vontade, espero
ijue continuem com a mesma impunidade, arran-
cando as portas, o telhado, portao, e ludo o mais
i]oe.quizeremc Ihes for agradavel; c em quantn
nao apparecer alguma viva alma que Ihes fa^a qual-
qner opo,jsicao ao menos por parle da dormuole
polica. Entreant, prompto est o annunciante
a recompensar com a quantia de 1005000 a quem
denunciar Ihe os Industriosos, e o lugar do seu
acampamento, ou apprehender qualquer dos ob-
jectos furtados, para o que dirija-se a praca do
Paraizj n. 2't.
___________Salustiano A. P. de Souza Peres.
Jos Francisco Pedroso de Carvalbo avisa ao
respeilavel publico e aos seus freguezes que deixa
de continuar com a firma Pedroso & Carvalho, e
contina rom a firma de Jos Francisco Pedroso
de Carvalho.
irmanddc do SS, Sacramento da ma-
triz de S. Fre Pedro Goncalvcs.
Nao tendo aceitado o cargo de juiz, escrivo e
thescureiro para que foram eleitos os nossos ir-
lU&Ofi Francisco Xavier de Oliveira, Manoel da Sil-
va iNogueira e Domingos Jos da Cunha Lage, de
ordem do Illm. Sr'. juiz convido novamente lodos
os irmaos de nossa irmandade para se retmirem
domingo 10 do correnie as 11 horas alim de ele-
zerem-se oulros para aquelles cargos.
O OFcnvo,
A. G. de Miranda Leal.
BAWjUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
Madrid
Rna do Prado n. i
Esta companhia liga pelo systema mutuo lodasas combinacSes de snpervifricia dos siea
sobre a vida.
Nella^ide se tazer a snbscripcao de maneira que em nenhnm caso nesnojci nrrudrs
gurado se perca o capital nemos juroscorrespondentes a estes.
Sao tao suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
f>AL,que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse proozido em recentes liqnidai
cues eeombtaendo-oeom ". mortsUiade do tabella de Dopareieux que s adoptada pela coropanh--
para seus eaieatos e liquidagies, em seg arados de idade de 3 al9 anno, urna imporsigao auoua."
oe OOJ produz em effectivo metafieo:
No fim de 5 aoHos.......1:1195300
de lf> .......3:9425800
? de 15 .......11:2085200
' de 20........30:2565060
de 25 .......80:3315000
as idades menores do 3 annos e matares de 30, os productos sao mais constaeraveis.
Prospecta e mais mformacoes sero prestadas pelo sob-director nesta provinra.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ru da Caeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz D.12,estaber
ment dos Srs. Raymnndo,Carlos,Leite & Irmao.
Cosinha-se para fora com muita perfeifo :
na ra de S. Bom Jess das Crioulas n. 17, e na
mesma precisase alugar urna prela.
Contraa se a venda de 50 a 60 pipas eoro
excedente mel do furo : a tratar no escriptorio de
Jos Pereira Vianna. na praca do Corpo Santo nu-
mero 6.
Precisa-se de urna ama para coslahar e tra-1
lar dos arranjos de urna casa de pouca familia :
no Caes do Hamos n. i.
e com-
da Con-
1
Precisa-ss de nina ama para cozinhar
prar para casa de pouca fi ilia : na ra
cordian. 34, sobrad) A layase
segundo andar do sobrado da ra de Aguas-Ver-
des, rouilo fresco, com bastaota commodo, como
bem o pavimento lerreo, proprio para taberna ou
outro qual |uer negocio por ser de esquina, com 4
portes de frente e I para o becco, assim como um
grande soio no mesmo sobrado, proprio para aula
de meninos, por preco commodo, achando-se as
chaves nnterceiro andar Jo mesmo sobrado.
AMA.
Quem precisar de urna ama para cozinhar e en-
gommar, dirija-se a ra da Lapa n. 4.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prala, pedras preciosas e
tamhem se faz qualquer obras de escomraenda e
odo e qualquer concert.
Ama
m
Sorvete de ceme boje
Trapiche n. 18.
Creme
ao meio dia, na ra do
Club- Pennimbucaiio.
A partida do mez de setembro ter lugar
na noite do dia 6.
LEILAO
l ISABEL
EMPREZA--COIMBRA
Recita extraordinaria.
Quinta-feira 7 de setembro
de 1865.
R4IDE GAIiA.
Aniversario da feliz independencia do Brasil.
Lo/o que S. Exe. o Sr. cooselheiro presidente
da proviocla se dignar comparecer na tribuna, a
orcheslra locar um pequeo
qn-il a companhia dramtica
elllgie de S. M. o Imperador
0 HIMNO DA INDEPENDENCIA
De os do que a joven Emilia Infante da Cma-
ra r citar urna poesa anloga.
Segnir-se-ba pea companhia a representado
do muilo applaadido drama em 3 actos
HUB4LH0 E HONRA.
Das 4 casas terreas da ra da Amisade ns. 23,
24, 25 e 26, sendo as 3 primeiras cora 2 salas, 2
quartos, costana fora, cacimba, quintal murado, e
a ullima maior com 2 salas, 4 quartos, costaha
fra, 1 quarto para pretos, tanque, cacimba com
bomba e grande quintal com larangeiras e diver-
sos arvoredos de fructos.
HOJE
Terca-feira a de setembro as i 0 horas em poni
em frente a Associacao Commercial.
O agente Pinto legalmente autorisado far leilo
no da, hora e lugar cima indicados, das quatro
casas terreas supra mencionadas edificadas na ra
da Amisade em frente a casa do Exm. desembar-
gador Doria, em S. Jos do Manguinho.
1UMIE
feira semanal
de mobilias completas de Jacaranda' e amarello,
guarda lougas de amarello e-Jacaranda', aparado-
res de mogno e amarello, mesa elstica, cande-
labros e serpentinas, qnadros com finas gravuras,
marquezas largas e estrellas, guarda vestidos de
mogno amarello, camas francezas de Jacaranda'
e amarello, secretarias de amarello, estante com
commoda, cadeiras de balango, cabides, quarli-
nheiras, duzias de cadeiras avulsas, cnarulos da
Bahia, objectos de ouro e prala, toiletes de Jaca-
randa e amarello, pares de lanternas, relogos de
ouroe prata para algibeira, ditos para prele e
cima de mesa, 1 presepe, balaios com utencilios
para viagem, bandeijas de charo e oulros amitos
artigos
Quarta-feira 6 do correle as i 1 horas.
NO GRANDE ARMAZEM DE LEiLOES
DO AGENTE
OLYMPIO
36Ra da Cadela do iteeil'e:if>
D. Guilhermloa das uores Mello Ribeiro re-
tra-se para Lisboa a tratar de sua saude, levando
em sua companhia urna Giba menor.
Nicola Polled, subdito Habano, relira-.se para
Europa.
Abrabam Greenlhal, sua senhora, 4 filhas e
1 criado, Hermn Harris, americanos, Meier Pincus
Mamlok, prussiano, retiram-se para os Estados-
Unidos.
Os credores de Jos de Castro Redondo, que
atada nao entrenaram as respectivas cootas na ra
do Amorim n. 41, queiram faze-lo al o dia 30 do
corrente, sendo que linda essa data se proceder
ao rateio da massa liquidada, e isio somente pelas
comas at ento entregues.
I
Luiz Gomes Dourado agralece cordial-
mente a todas as pessoas que se dignaran)
assislir a missa que raandou celebrar no
convenio de Nossa Senhora do Cirmo pelo
repouso eterno de seu presado irmao Joa-
qulm Gomes Dourado fallecido em Portu-
gal, a 8 de agosto prximo passado, juma-
mente agradece ao Illm. Sr. provedor e mais
mesarios da irmandade do patriarcha S. Jo-
s da Agona por ter assistido encorporado
a dita missa.
Preeisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar : a tratar na ra cstreila do Rosario n. 12,
primeiro andar.
Paraguay.
Ausentou-se o es;ravo de neme Vicent; no dia
2 docorrenle mea, natural de sobral, evou vestido
e*isa de aljiodfio riSCado c C'atga atul, hapjde
feltro pardo, baizo, gordo, e tem urna cicatriz uo
beico, e bocea torta : quem delle liver noticia le-
Ve-o a casa de s.ua senhora ni ra do Amorim n.
8, ou no trapiche do Cudha, quesera generosa-
menie recompensado. Desconfia-se que elle em-
barcou no vapor Tocanlins para o sul: pede-se
as autoridades todo o soccorro possivel.
Quem liver para vender um bom cavallo
manso, para cabriole!, dirija-se a ra da Cruz nu-
mero 4.
A^iso
Suraio-se das 9 horas do dia 4 do corrente, um
cavallo com urna carga de espira, do lugar da Ma-
tanneira, de cor russo pedrez.com um casco brae-
co no p esquerdo, e 8 no queixo no lado direito:
quem oachar leve-o ao lugar do Chacn no sitio
de Joo Venancio Machado, que receber a paga.
Aluga-se a casa terrea da ra de Santa Rita
n. 69 junto a igreja reedificada de novo, com
urna porta e duas jaoellas e bms commodos, quin-
tal e cacimba : a tratar ua ra do Imperador nu-
mero 81.
intervallo, findo
cantar perante
patritica comedia-
msica, proiucco
Un
Dar fim ao espectculo a
drama em 1 acto, ornada de
brasileira do Sr. Dr. Macedo
AMOR E PATRIA.
PERSONAGEHS.
Placido ....................... SimSes.
Prudencio.................... Teixeir.
LEILAO
Da taberna sita ua roa da Concordia
n. 33.
Por nomo a Estrella.
Quarta-feira 6 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado far
leilo da armaco, gaz, gneros e mais utencilios
da taberna cima mencionada em 1 ou mais lo-
tes, propria para qualquer principiante por ter
poucos fundos e os gneros serem lodos de pri-
meira qualidade e de prompta venda : o balance
acha-se em mo do agente para ser examinado e
o leilo lera'lugar quarta-feira 6 do correntona
o mesma taberna as 10 horas da manha.
a' Na mesma occasiao e lugar vender o mesmo
! agente porcao do cavername para barcadas, etc.
IiGILAd
De orna armdco e
tenles na taberna sita no
ssembla n' 44.
Quarta-feira G do corrente as 9 1|2 horas
em ponto.
O agente Pestaa vender por estar legalmente
autorisado em leilo por conta e risco de quem
pertencer a armacao, gneros e utencilios existen-
tes na taberna cima em um s lote no dia e ho-
ra cima mencionados na mesma taberna.
O leilao lera efectivamente lugar na hora men-
cionada em ponto por causa de outro leilo que o
mesmo agente tem.
A viuva do Frederico G. Butzmann pede a
todas as pessoas que ,o deveJoras a seu tinado
marido de ter a boodade de virera saldar suas
contas na travessa da ra dos Pires n. 5, a mes-
ma igualmente avisa a todos os seos freguezes que
a sua officioa de ferreiro continua a trabilhar
j
i
Pharmacia especial homeopatilica, do
Dr. Sabino Olegario L. Pinho.
RA :WUV.% M. 43.
Vendem-se por precos commodos, os melhores
medicamentos homeopathicos em glbulos e tintu-
ra ; vidros tubos, glbulos inertes, chocolate ho
meopalhioo, estovas elctricas, apparelhos para la-
s-ar os olhos.etc, etc.
Vende-se o Thesouro homeopathico, a melhor
obra que existe para a patrica da homeopathia.
O l)r. Sabino da' consultas todos os das uteis
desde 10 horas io dia at duas horas da tarde.
Visitas aos domicilios sempre que as circuras-
lancidl as exiirirem.
Os pobres sao tratados gratuitamente.
Por ordem doSr. presdeme convido os so-
cios desta sroiedade a reunirem-se em ssembla
geral no dia 8 M andante, pelas 11 horas da ma-
nha, alim de se eleger um vice-presidente e dous
directores de mez, visto as pessoas eleilas para
estes cargos terem pedido sua demisso.
Sala das sess5es da sociedade Recreio Juventude
4 de setembro de 1863.
Eduardo Luiz Cerqueira,
1 secretario.
Attengao*
Perdeu-se na noite de 2 para 3 de setembro duas
chaves de burra, sendo urna dellas maior que ou-
tra, e unidas com um cordo : roga-se a quem as
achou de leva-las ao o. 27 da ra do Queimado,
que ser recompensado._______________
Alagase a rasa n. 17 na ra do Mondego,
com 3 quarios, quintal cora cano de despejo, junto
o portao da olaria n. 13, que se da ILenca para
baolio, etc. : a tratar na dita olaria na mesma
ra, ou na ultima casa em concert, na ra dos
Coelhos, defroote do hospital Pedro II._________
O abaixo as-igoado pelo presente declarar
que tendo em 2 J julho do correte anno, com-
prado aos Srs. Block & Irmao alguma* joias, para
da cujo pagamento passou-lhes ama letra na impor-
mesma forma. _____________ / j toncia de 1:600g000, a vencer-se no lim de Janei-
Nan >ir-, ror n.^.n ni.m ,n,i.l, ,r ; pVoiimo futur >, veio poucos dias depois a reco-
MmJS^^e!^&^XSX I nh*cer P" Ht* "esta capital, que taes Jolas nao
ra do Jardira n. 26, qae do menor Caetriciano
que o fallecido ave fez doaco que para filos e
mais gneros
largo
exis-
da
netos e est passado no cartorio a escriptura.
" Precisa-se de 8005 dando-re por hypotheca
urna parte no eogenho Titiri, sito na freguezia do
cabo: na travessa da Concordia n. 61.______
Precisa se alugar urna escrava que saiba fa-
zero servico iuterno deuraa casa de familia, ex-
celo costahar : na ra da Madre de Dos n. 36,
primeiro andar, oujna ra da Cadeia n. 52, ter-
ceiro andar.
Aviso aos capitaes de
campo
Ausentou-se o escravo Manoel que j i foi escravo
do Sr. Joo Ferreira Taboza senhor do engenho
Vrteme da comarca de Caruar, e depois de seu
lilho Joo Ferreira Taboza Jnior renfleiro do en-
genho Rede de Santo Auto, cojo escravo lem os
signaes seguintes : alto, pouca barba, falto de den-
tes na frente e o melhor signa: ter os peitos es-
tufados para fora bem vislvel e levou ferro ne pes-
coco : quem o pegar leve-o a ra estrella do Ro-
sario n. o, que ser bem recompensado.________
Precisa se de urna ama forra ou captiva : na
ra Larga do Rosario n. 35 sobrado.
Negrinha fgida
Ponciana, escrava, de 18 annos, cora os dedos
dos ps torios, intitula-se forra, muito regrita e
caotadeira, suppoe se acoutada, pois ja ha S dias
nao apparece : quem a levar ou della der noticia
na ruado Vigarion. 21, primeiro andar, se re-
compensar.
tem o valor que suppunha, e sim pouco mais ou
menos a decima parte do valor por quanto as com-
pren, o que nao poude iramediatamente verificar,
ni) s, por se achar ento no seu engenho, como
por ter sido feita a venda a noite, e assim tendo
por tezes procurado ditos senhores para desfazer
tal compra, e nao conseguiodo encontra-los, pelo
prsenle annuneio protesta contra a falla de boa
f, quj houve da parla ios mesmos senhores, bem
! como previne que ninguem faca negocio cora essa
letra.
Recife, 1 de setembro de 1863.
Jos Rodrigues de Sena Santos.
Os Srs. Biock & Irmao, podem dirgr-se a
respeito deste negocio a ra Nova n. 67, segundo
andar.
Veude-se umt laoerna ua eidade de Uiinda
sita no Varadouro; quera pretender dirija-se a mes-
ma que achara coin quera tratar, com pouco fun-
dos.
Ama.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e en-
gommar : ua ra de Horlas n. 1.
Aluga-se urna casa terrea com 2 salas, 2
quartos, cozlnha fra, na ra do Socego n. 47,
Campo-Verde, e ontra dita com os mesmos com-
moJos, na ruada Amizade, na Capuoga : a tratar
na ra do Rosario n. 56 em frente a ra do Arago.
Precisa-sede um trabalbador que emenda
dacapim; na ra Imperial n. i.
Precisa-se de una ama para o servigo interno
de urna casa de pouca familia : a tratar na praea
do Corpo Santo n. 17.
Precisa se de urna ama do leile forra ou es-
crava, que seja sadia, e nao lenha filho : na ra
dos Guararapes n. 26.
mfmmomtmg^m m >^>^ mggpg
Gasa de banhoa m
Largo do Carino n. 26. M
Este estahelecimenlo tao l>em montado M
na sua origem achava-se de ha muito g
em quasi completo abandono pelo pouco S
interesse de sua admini-traco. 3$
Hoje que o novo proprietario empre- >
gou todos os meios para restabeler a
grande ulilidade deste estabelecimento, J^
pode assegurar ao publico que qualquer yg*
que seja o numero dos concorrentes 19*
achara i desde j promptido e aceio nos 3K
banhos trios, momos ou mediciuaes, a
casa dos banhos se achara aberta todos SS
dias das 6 horas da manha as 11 da C^
noite. "-*-.
Precos. >M
Banho de choque....... 500
Dito fro ou momo..... 500
Dito de farello......... 1,5000
Dito medicinal ser se- ^
gundo sua qualidade.
Assigoatura.
Por mez bauho fri ou morno.
25 canoas para banho fri, mor-
no ou de chuvisco..........
12 carines para os mesmos...
12 ditos para banho de farello.
mmmm ***fl
m
*
I0f
103
53
IOS
Professora.
Precisa-se de urna senhora, que sendo solteira ou
viuva, tem habilitaces necessarias para ensinar
primeiras letras era um engenho da provincia de
Alagoas : a tratar no pateo do Livraraento n. 23,
terceiro andar.
Antonio Jacinlho Pacheco declara que haven-
do um de igual nome assigoar-se-ha de boje em
diante Antonio de Carvalhal Pacheco._________
O Sr. Antonio Dias Fernandes rogado de
comparecer i loja n. 20 I! da ra do Crespo.____
fu-ande armazem de tintas.
RA DO IMPERADOR l. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensise os mais empregados
e usados na pharmacia,pintura, photoraphia. tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outra
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdrogariasdeParis,Lon-
dres, Hamburgo, Anvers e Lisboa, pod offereceer
productos de plena confianza e satisfazer qvalqner
encommenda a grosso trato e a retalho, per precos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptido qualquer pedido de tintas moldas
a oleo,cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
nao fcil fazer rom aquellas que sao importadas,
e que se encontram no mercado em latas fechadas.
Tem grande collecco de vidros de dlfierentes
formatos, desde urna oitava al dezeseis oncas de
capacidade ; de vidros para vidracas e diamantes
para corta-Ios; de praceis para fingir madeiracom
propriedade e oulros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grande e pequeo formato de vanas eres
para embrulho, para forro de casa, para desatibo
com fundo j feito; de papel albnminado l.e BHnu
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de Itahaca
clarificado, oleo de toiele, secalivo de Hartan, ouro
verdadeiro em p ; prata, euro, e estanto em fo-
Ihas de varias cores; timas vegeiaes, inoffensi-
vas proprias para confeitarias; la de cores, e
olhos de vidros para imagens; limas em tubos a
telas para retratos; tintas em pastis e em p pa-
ra aquarella ; essencia de rosa superfina, de ne-
roly, jasmim, bergamota, aspice, patchouly, mbar,
bouquet.mo, alcaraiva, melissa, ortela pimenta,
louro, cereja, alfazema, juinpero, Portugal, lima,
anis da Russia, canella, cravo e muitos outros ob-
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Joo Pedro das Neves,
Gerente.
por espado de
2 1|2 com hy-
Aluga-se um siiio com boa casa de vivenda,
no tasar do Manguinho, perto da praca, era que
morou o brigadeiro Menezes : quem pretender,
procure Manoel Francisco Duarte, no Caminho
Novo, sitio n. 6i, ou na ra do Crespo, loja de Jos
de Azevedo Andrade, que dir o prego.______
Precisase de urna ama que engomme e cozi-
nhe, para casa de duas pessoas : na ra do Sebo
nmero 29.
Para alugar,
Um bom armazem na ra da Senzala velha n.
60, muito proprio para recolher fazendas por ser
multo enchuto : a tratar na ra da Lingoeta n. 3.
Ao commercio
Tendo em 31 do mez passado expirado o prase
do contrato social da firma de Pinto Barbosa & C,
vai ser liquidada pelos socios responsaveis; o que
se faz publico em cumprimentojia lei.
Recife i. de setembro de 1865.
Jos Baptisla da Fonseca Jnior.
Francisco Moreira Pinto Barb oza.
^Fugio na noite de 19 para 20 do corrente
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto F. de Oliveira, na
ponte de Ueha, o seu escravo de nome Luiz, qua-
si que branco, tendo no roslo marcas de beigas
bem visiveis, cabello annelado, baixo, reforjado,
bem fallante, e de cerca de 28 annos de idade, le-
vou camisa de bata encarnada e ctnpo de oalha
novo, suppoe-se que vagueia nesta cidade do Reci-
fe ou pelas sua? circumvislnhancas : quem o ap-
prehender e levar ao sobredito sitio, ou ao escrip-
torio da praca do Corpo Santo n. 17, primeiro an-
dar, ser generosamente recompensado.________
Precisa-se alugar urna casa terrea no bairro
de Santo Antonio, que lenha quintal que pos-a se
fazer urna estribara para dous cavallos: atialar
nesta typographla.___________________
^"O Bazar Volante, publicado na Corte, assig-
na se na ra do Crespo n. 4, a 103 por 6 mezes, e
183 por um anno ; ainda tem algumas colleccoes
do 1 de julho em diante.
A abaixo assignada declara a todos, a quem
interessar possa, que a nica proprielaria, desta
data em diante, da casa de banhos pblicos sita
I roa da Cruz n. 17, e outro sim que tem auterisa-
do a seu mano, o Sr. Calulino Goncalves Lessa,
para por si effecluar as transaces da mencionada
casa de banhos, sendo que a abaixo assignada ne-
| nhuma responsabilidade tem cora as que foram
; feitas pelos seus antecessores Cedrira & C.
Recife, 1 de setembro de 1863.
Matbilde Gongalves Lessa.
Cozinha-se para fra com muita perbi)ao :
na ra de s. Bora Jess das diouias n. 17. Na
mesma precisa-se alugar urna prela.
Ollerece-se urna ama de lelte de boa conduc-
! ta e com muito bom leite : na ra do Rosario n.
110, segundo audar.
Precisase de urna ama habilitada para todo
o servico domestico : qnem esliver neslas cundi-
eres dirija se a ra do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, ra do Progresso n. 7.
Fogo do ar
no armazem da bolla amarella no oito da
secretaria da polica, recebem-se encom-
oT %?^f faTlo"? lo? JS535 Nadas de fogo do ar para dentro e fora da
andar. i provincia.
'$, Attcncao.
j O agente Euzebio es'ta' autorisado para
^5 fazer venda de duas casas lerreas ac-
fll badas de novo com boas accommodacoes
'"<: oara familia, com sabida para Iraz, ven-
H dem-se por 4:0003 e rendem 4203 por
SR anno.
Precisa-se de 2003 a premio
dez mezes, pagando-se os juros de
pothc.a em um escravo -. quem quiter annuneio
por este jornal para ser procurado.
O abaixo assignado declara ao publico e ao
corpo do commercie desta pra^a, bem como a to-
dos os seus credores e devedores, que tem amlga-
velmente dlssolvido a sociedade que gyrava debai-
xo da firma de Davym & Cavalcanti, de quem o
mesmo abaixo assignado era socio, sendo o mes-
mo o nico competente para a liquidado daquella
extincla firma, e o nico responsavel por qualquer
transaeco a que dita firma esteja sujeita e por
assim tambem o terem concordado sens credores ;
licando por esta forma desonerado completamente
o socio Davym de toda a responsabilidade, e sera
effeito o contrato social entre os mesmos havido.
Recife 1" de setembro de 1865]
Antonio Bezerra Cavalcanli de Albuquerque
Archivo Iliterario.
Revista scienlifica, Iliteraria e artstica, publica-
da era S. Paulo por urna reunio de lilleratos.
Sahe mensalmeole um numero de quarenta pa-
ginas do texto, em prosa e em verso ; formando
no fim de um anno um bonito volunte.
Prego.
Trimestre........ 33300.
Assigna-se na ra do Crespo n. 9.
HOSPITAL PORTGEZ
DE
BENEFICENCIA EM PERXA9I-
BLCO.
A junta administrativa manda fazer publico que
a festa do anniversario e o leilo de prendas em
favor deste Hospital, que se havia fixado para o
dia 24 do corrente, flea transferido para o domin-
go Io de outubro prximo, em razao de ser aqnelle
dia 24. dia de luto nacional, anniversario do falle-
cimenlo de S. M. o Senhor D. Pedro I no Brasil e
IV em Portugal.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em l'ernambuco 1 de setembro de 1865.
O secretario
Joo Pereira Rabello Braga.
Claudio Dubeux, obrigado por forca maior,
para decididamente de boje em dame com seus
mnibus, visto nao ter mais animaes sufTicienies
para manejar a sua empreza por causa da grande
mortandade que tem soiTrido em sua ravallara ;
e para que o prejuito que j tem tido nao se es-
tenda a mais, vai soltar no campo o resto dos ca-
vallos que ainda existem. Fica, portanto, sem ef-
feito o annuneio de 31 de agosto relativo a altera-
cao das partidas. Os senbores assignantes, cujas
assignaturas estiverem pagas, e nao acabadas, po-
dem vir receber o respectivo excesso.
Advogado na corte
O Dr. Arlstides de Paula Dias Mantas, enearre-
ga-se de qualquer causa clvel, commercial, eccle-
siastica e criminal, inventarios, appella{8es, revis-
tas e negocios pelas repanicoes. Os negocios fra
da corle, alem das procuraces, deven vir acora-
panhados das competentes ordens. Pode ser pro-
curado no seu escriptorio na ra da Alfandega n.
27, primeiro andar. Para alguns esclarecimenlos
podem entender-se aqui com o hachare! Luiz Ro-
drigues Villares.
Prerisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar : na ra do Livraraenlu n. 25, segundo
andar.
Luiz Pereira de Mello, querendo mudar a
sua residencia da povoaco de Santo Amaro de
Jaboalo, pretende vender ou alugar o seu esta-
belecimento de venda e padaria.sito em casa pro-
pria no lugar mais vantajoso, com todos os seus
perlences o utencilios, e que desmancha seis ar-
robas de pao, e duas lomadas de bolacha, compre-
hendendo tambem tras cavallos do mesmo trafico
de pauaria, casa do residencia com mnilos com-
modos e quintjl al o rio, espacia cavallarica
que pode accommodar doze cavallos. A' qut-m
convier este negocio pode dirigirse ao proprieta-
rio do mesmo estabelecimento em Jaboalo.
Fabrica de chapeas de sol.
N. 22 Rna do Queimado 22
Nesta fabrica acha-se sempre om grande sorti-
mento de chapeos de seda, iogleza e franceza, al-
palka, brim e panno, ombrelas para senhora, de
seda e chita ; tambem se acha na dita fabrica ben-
gallas, chicles, fumo, cachimbos e chupetas : to-
dos estes objecto) so vendera por preco muilo
commodo; cobrera-se tambem chapeos, e faz-se
todo conoerto pertencente esta arte.


'
.
.


Diario de ferambueo Tere clift & e Metenibro de 1S&.
.
CASA DA FORTORi
Aos 6:000$000.
Bilhetes garantidos.
A" RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
0 abanoissiguado vencieu dos seus muilo (li-
tes bilhetes garantidos da lotera qoe se ac bou
de extrahir, a beneficio das familias dos volunta- i
rios da patria, os seguintes premios :
Um qoarto n. 170 com a forte de 1:200,5000.
E outras muitas surtes de 100$, 40, Z0 t.
10*000- i
Os possuidores podem vir receber seas respec-!
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra de Crespo n. 23. |
Acham-sc a venda os da 2* parte da 1' lotera '
(30*) beneficio da igrej* de N. S. do Rosario de |
Murib-ca, que se extrahir quartafeira 6 de se-1
lembro.
PRECO.
Bilhetes.....7*000
Meios......35300
Quartos.....I900
Para as pessoas que compraren) de IOOO0I
para cima.
Bilhetes.....6*300
Meios......3*730
Quartos.....1*700
MANOEL MABTINS FiUZA.
|g O bacharel
Francisco Augusto da Costa S^
J| ADVt'GADO '&
$fc Ra do Imperador numero 69. ^
Deseja-se saber da residencia e estado do Sr.
Jos Joaquim de Lemos Freitas, filho de Joao de
Lemos de Almeida, natural de Oliveira d'Azemeis :
na jirafa da Independencia n. 22.
entista de Pernambuco.j
I Ra estrella do Rosario n. 3,
ao pe da igrej
[francisco pinto ozorio;
i Colioca deates artificiaos |
pelos systcmas jais mu- -
demos j
i Em'prega todos os meios scienlificos para j
I conservar os naturaes. Pode ser procura- !
I do em >eu gabinete das 9 horas da ma- I
i nhaa as 3 da tarde.
kxi
I9H iai S ufci cu a;.lAfclBU
Aluga-se.
Urna casa acabad:; apura com commodos para
familia, estribara, cochelra, quartos para felor e
escravo com bauho na porta, no lugar do Poco da
Panella, ra do llio : a iratar com Tasso Irmao.%
na ra do Amoriin c. 33
0W-UL43
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A TEIDA EM PERWAMBIJCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, rua da Cruz n. 22.
Os elementos que oompoem esta preparacSo,
ferro, o iodo e a quina, a colloco no primeiro
grao das preparacSes ferruginosas. Basta altestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prticos mais eminentes
que contirmrao sua poderosa eflicacia as se
guintes affcccSes:
MlnuOK no nanteur,
Fraque,
Anemia,
Chlorose Ictericia,
Menslmo,
Afrcceea do ulero,
Siipprraaoea 4aa re-
ra> e deMOnlen na
nicnHtruarao,
Affecrao pnlnionar e
phlhUlca,
Mu I es 11 M il t 6 na KO,
GaatralRlaa,
Perda dappellle,e Convalcecnea le lon-
iun iiiolcHtlita,
Mole*ttaa ecrofulo-
Mt,
Papclra,
olisirnrrao daa gln-
dulas,
Ilumorc frloH,
Turnares brancoa,
Kuclilllxiuo.
AITeeeiies cuneeroaas
c ftyphilItleM*,
FPttrcH Ijpholalea,
Resigo, ele, etc.
Vej&o-ti os bulletins de /teraputica medica
e cirurgica de 30 de novembre t8G0; a Gaieta
dos hospitaes de 28 de julho 1860, etc., etc.
Alm das pilulas de todureto duplo de ferro e de-
quinina de tebillon, os Mdicos aconsclhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do niesmo author para as
pessoas que nao gostSo de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. Este xarope nao tcm
comooxaroped''oi/urfoe ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se n3o poder conservar.
Pcca-se o folheto que se d de graca cm casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificacdcs, exija o com-
prador cm cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
I 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
IPASTILHASI
ESTIVAS
DEPEPSINA
DE. WASMAN
Diurrliea e u con-.ll-
liaeo |irii-iir..iiaii
[m-i.is ctnl>tiritr dt-fc I (imimuh ti all-
nieitloH.
As pastillias digestivas com a pepsina de
Wasman, empregflo se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicaes de
Paris. Londres. Vienna, etc., cm todas as in-
commodidades em as quaesadigesto dil'ficil,
penosa, imperfcia ou mesmo impossivel: cis
o melhor remedio para cural as.
GaatrnlfilM,
llls[M-|i-ia-,
Lflitllll*a<'f*(;i>lrleOfl
A asrtl.-,
Ai. nrr-eee urgilnl-
ras lio esdllll.itfli,
Sua accao vivifica o sanguc e os rgitos de
lal sorle que, alb as pessoas que sem soffrer
as affeccoes gstricas cima mencionadas sao
nicamente Iracas ou d'uiii temperamento um
pouco dbil, c necessilo substancial alimento
para forlificar-se, ach/to no emprgo das pastil-
las de pepsina de Wasman, um poderoso meie
para a isso chegnr.
Aviso importante.-0 successo das pastitluis
pepsina de Wasman k-\i causa a se fa/eiein
l'alsilicacocs c imilaedes J'csse produelo que os
mulos se querem ifosfazer. I'ois' por falla'
d'uma boa prcparaeao a pepsina que dVIJb
entra, ja/, alterada. Seremos ao abrigo d'cae
inconveniente, rxigindo os compraaorequeas
paslilhns tenhao as iniciaes B. P. e aio da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourir-Monlmartre, c em todas as boas
pharmacias (c Franca c dos paizes estrangeiros.
DOENGAS
dos MENINOS
CURADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Centra CLICAS DOS MENINOS antea
e durante a drnilrao
(Xarope de ejnoglosse e de acido succinido)
N" 2. Contra a
TOS8E CONVULSA
NERVOSA
e a TOSSE
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
H* 3\ Contri
aa COWULCES
A CHOREA
DOS MENINOS
(Xarope de eynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sSo em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de ianca para o tratamento das molestias do-
nieninos cima indicadas, e vierSo cncher um
vacuo imporuiitc na therapeutica, no que toca as
altccccs da infancia, para as quaes, alli boje,
anda se nao pode indicar trataincnlo racionnal-
ncm infaltivcl.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmaccu,
ticos depositarios.)
Prego do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificac5es, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assigbaliira Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chan-
teaud c cm todas as boas pharmacias de Franc?
e dos paizes cslrangeiros.
B1SMI0TH
DI GHEVRIR
Moicallaa de liudo,
A Ictericia,
Palpltaf o do coracao
Dore noa rlna,
Pelas commisides em
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparares de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
DIurrcnM ehroulcaa,
II^SHeiiferlaS,
nrea d'ealoniaKe,
Dyapc|iMlaa,
De'rea ti^eabecn, Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irrita;Oca de bez'iga e c em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
da matriE, etc. estrangeiros.
Mas dlgeatoea,
CnsIrKcH,
Gaatralglaa, etc.,
IA8SA e XAROPE
DE CODENA
DB
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe ca-
tarrho epidmico!, defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achSo em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificado,exigir em
cada produlo o nonie
e a firma Bcrthi!.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
luu Slt-Croix-de-la-BretinnerU'
grosso, dirigirse aos S'" WILLAERV e BERGER, comisarios em drogara, 11, roa Saint-Lazare, Paris.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SulFocccao nervosa e Oppresso
nico remedio cfficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta 6 o Xarpe aromtico de Succino (mbar
amarcllo) do Dr Danet. Dcscoberla inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
rua do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
m&mmmmmmi
^ O Dr. Cosme de S Pereira cODti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da rua da Imperatrlz d. 30 para o
sobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade podem ser entregues na botica
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
praca da Boa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
& C. na rua da Madre de Dos, ou no ar-l
rnazem de viuva Raymond C. na la do
Trapiche Novo das 9 horas da manhaa at |
ts i da tarde.
& Companhia fidelidade de seguros jg'
maritimos e terrestres
8 estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEIINAMBLC0
** Aiouio l.iii de Oliveira Azevedo & C,
t competentemente autorisados pela dlrec- %jjj
^fe loria rta companhia de seguros Fidelida-
|B de, tuniam seguros de navios, mercado-
* rjas e predios no seu escriptorio rua da *
andar, onde pode ser procu- i
ra o exercicio de sua prois- S
com especialidade g|{ i
o seguinte
Crut n. I.
<*fc< A< ',/ "M*%,
Precisa-se de urna ama que saiba lavar e en-
gommar, assim como um moleque para o Fervico
interno de urna casa : na rua da Caixa d'Agu'a
numero 70.
Emilio Augusto Delouche
30-HA XOVA-50
Acaba de receber um grande sortimento de ocu-
los e lunetas para vistas cansadas e myopes; bi-
nculos de todas as qualldade?, cadeias de ac fo-
leadas de ouro e mu tos oulros objeetos ; namesina
casa Ui qualquer concert de relogio muito em
conta e com brevidade.
queiu inleressar possa ua proviBcia do Cear.
Em nome de meu pai o Sr. Gamillo da Silveira
Bordes Tavora" Indgena e de minha mai D. Maria
de Sant'Anna ("a Silveira, protesto contra qualquer
transarco ou alheiagao feita pelos herdeiros do
meu fallecido avO materno o lenente-coronel Anto-
nio Gomes da Silveira sobre os bens do seu casal,
vijtocomo nao se havendo ainda procedido o res-
pectivo inventarlo e parlilha, nao ? por fallec-
ment do dito meo av, senao lambem pela morte
de sua consorte, meus pas conservam sobre esses
Ijens direilos inconleftaveis de legitimas, que me
preparo para discutir e liquidar, igualmente pro-
testo clara e positiva:; eae contra as vendas [citas
das. grandes propiedades perteuoentes aquello ca-
sal, sub a denominagaoFlor de LizLindo Assu-
dee outras : bem como dos escravos Andr, Ma- E
noel e todos quantos no mesmo caso se acharen. Sehastiao Antonio de AILuquerque (esludanle).
Kec.fe H d agosto de 18Co. \\r}ncl*'' Goznes dos Sanios.
O bacharel
Joao Franklin da Silveira Tavora.
SOHVISTR.
!)e 11 horas em diante todos
rua da Cruz n. 13.
rado para
sao medica,
sobre
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgSos geni-
ti urinarios.
Era seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer pera-
cito que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
S lii* >i iii- i;i C-U jk. ll-.-U & 6 tsil WK-
LIQUIDACAO GI
NO
GRANDE ARIYIAZEM DA f XPOSQO DE LONDRES
PARAGUAYOS
E' a ordem do da Acabar com os Sfcra-
gu yos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
fa 8o e a pur.bal de que se trata; mas
ninguem se iVmbrou ainda de esmagar os
Paraguayos coa as armas que Deus nos con-
ceden ; acabar com elles a tacao e a ponta-
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do noeso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga a bra, arranca tr eos,
quehra marmore e ootros que se vendem
46 RV\ lltll I t45
| Borseguins Rordeaux........ 85000
patricios......... 50000
para senhoras, en-
telados ....... 50500
! com laco e fivella .. 4^800
S.ipatoes encouracados....... 5^000
Borseguins para meninas bom
I elast co................. 300O
Sapatos de lona, sola elstica. 20000
avelludados......... 10600
de tranca........... 10600
econmicos para se-
nhoras........... 0500
com salto de lustre.. 20240
Chineles do Por'o.......... 10600
Um completo sor timen to de calcado da
! trra para borneas, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de los-
i lie, manoquins, tahas de todas as quali-
j dades, Otas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
I te faz cobica ao comp ador pela barateza.
_ mpwaU
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
j i versidade de Coimbra, d consultas em
| sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
ij&j em suas casas regularmente as horas
9 para isso designadas, salvo os casos ur-
H gentes, que serio soccorridos em qual-
^* 1uer occasiao. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
,W; aonde encontrado diariamente das 6
& s 8 horas da manhaa.
jgj Tcm sua casa de satide regularmente
montadapara receber qualquer doente,
Jfc ainda mesmo os alienados, para o que
^J tem commodos apropriados e nella pra-
i tica qualquer operaco cirurgica.
B Para a casa de satide.
Primeira classe 3a000diarios.
Segunda dita.... 2oOO >
Terceira dita.... 2000
Este estabelecimento j bem acredi-
s tado pelos bons servicos que tem pres-
I tado.
R O proprietario espera que elle conti-
| nue a merecer a conflanca de que sem-
. pre tem gozado.
GO Rua da Cadeia do Recife 60.
Todos os arligos abaixo mencionados foram comprados recentemenle pelo dono do estabelecimento as principaes fabricas
\ de Paris, Londres, Birrningham, Msnchester e em diversas cidades da Allemanha, e leudo comprado tudo as melhores condices
por ser a dinheiro, por isso vende todo e qualquer artigo barato, por menos do seu valor, e mai principalmente por querer inleira-
mente liquidar e ter de partir mui breve para a Euro; a.
Ha neste vasto armaztm re-.I objeclos com brilliantes, como botes, anneis, rosetas etc., e bem assim diversas obras de
com-
como L.
. Mompelas,
jMailly, Regenier, P.Guelaud, e inglezas de Eug. Rimmel e outros ; ricas galanteras em marftin, madrepcrolal "etc..' fabricadas na
'. China e no Japao: ricas pecas de crystal fino como ainda nao appareceram nesta cidade, e bem assim modernos lustres para velas,
!ditos para gaz e para petrleo, serpentinas, castieaes, enfeite- e adornos para cima deconsol-.s e para gr.nde loillette, o que se tem
imu^'^W\l'1!e?m**0Vmm*: feit0 e mais elegante em Paris, Londres-, rminghain etc.; modernos a'pparelhos de metal fino inglez" para cha ecaf, os quaes em
nada s3o inferiores prata, e muias outras pecas do mesmo metal, ricos pentes de tartaruga da ultima mo la para tr..ncas de senho-
ras, excellentes luvasde pellica do afamado Jouvin, apparclhos de porcelana fina para cha ecaf, tutos para j miar, e immensos arti-
gos de porcelana fina dourada, como rico* vasos para tlores. figuras, ftte; calcado dos principaes fabricantes de Paris e ditos de pan-
no com sola de borracha, planos dos celebres fabricantes Pleyel, Wollfcv C, realejos modernos de Gavioli C, para se tocar na
rua, ditos cotn figt.ras para sales e ditos com figuras em movimento; mode-nos e bonitos instrumentos de physica (mgica) para
thealros ou saloes, ditos de phantasmagoria; lanternas mgicas, cosmoramas com vistas novas, dia e noite; slereocopios de nova in-
vencao e com bello sortimento de vistas das principaes cidades da Enropa ; grande sorlimento da brinquemos finos para (ranlas, e
bonecas fallando papae emame ; grande sortimer.to de candieiros a gaz, o que se tem feito de mais elegante e que lem
fm merecido toda a aceitaco na Europa, grande e magnifico sorti n ento de caxinhas, cesiinhas e outras galanteras feitas d -. crina e seda,
3 proprios para presentes ; grande sorlimento de estampas fin is coloridas com o fundo preto e de outras de todos os santos, ditas com
^; figuras e ditas com novas paysagens para cosmoramas, finos e bem graduados vidros para cosmoramas, um bello chafar de crystal
Xgi; proprio para meio de mesa de jantar ou para jardim ; entelara fina, como lalheres com cabo de metal fino, colheres, thesonras finas,
' 'ditas modernas para alfaiates, navalhas finas, Cmivetes e outros arligos, diversos artigos feitos de rame ; completo sorlimento de
mascaras de yeludo, setim, cera, papelo e rame ; doces confeitados e chocolate em caixinhas e em vidros; camas de ferro de todos
os de sol, licnga-
. bolinlios, etc.;
pannos para cobrir mesas, bolsas grandes e pequeas para viagens, e outros artigos, como cobert res, malas, etc., sorlimento de
violoes finos; figuras finas e jarros de alabastro ; galantarias e outras pecas decharo para loillette; machinas para varrer o chao,
excellentes machinas para photographia para tirar retratos, grandes e pequeas; lindos baJoes de papel fino transparente e lanternas
coloridas para iiluminaces moda de Paris; salva-vida de borracha, para homens e senhoras, proprios para qm m toma bachos em
lugares fundos; ameixas novas em caixinhas, biscou'os inglezes em latas, queijos, etc., e muitos outros artigos que para ennumera-
los seria um nunca acabar, e todos se vendem barato e muito barato, no grande armazem da Exposicao de Londres, na rua da Ca-
deia do Recife n. 00.
Aluga-se o segundo andar da rua do l,ivra-
mento n. 2, lado da sombra : a tratar na rua es-
treita do Hosario n. 34, com Jo.- da Silva 0iveira_
Precisa-so de um feilor : trata-se na rua do
Vigario n. 2, escriptorio.
^ O Dr. Garolino Francisco de Lima San- jH
i; los contina a morar na rua do Impera- ^<
PJB dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu ^H
^ gabinete de consullas medicas, logo ao |@|
K entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, que se tem dado ao
=j^i esludo tanto das operares como das mo-
<( leslias internas, presta se a qualquer cha-
< inado, quer para dentro quer para fra
^ da cidade.
mam mmmm mi
Na rua do Imperador n. 83, segundo andar,
precisase fallar com os seguales seahores, para
negocio que Ibes diz re>peiio.
Amonio noces de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Juo Pereira da Silva.
Jo-^ Lopes lavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Gustodio Jos de Camino.
Antonio Serafim de Deus.
Manoel Francisco Goelho Juuior.
Joao Antonio Pereir.t liamos.
Joao Mariano Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Monleiro.
S-? ni,..-. ... ,,., v ".iuii", um, vea, papoiuu c .ii.niiu uui-es CUIliCIWUUO C i une ni.iu; Ulll dlAIMUdd e eill VIUrOS Calilas Ul
j os tamaitos, lavatorios, etc.; ricos quadros para cartoes de visita e djtos grandes epequeos para retratos; chapeos
jkjlas, chicotes e ditos para carros; machinas para ner caf, ditas para baterovos, proprias para qtiem faz po-de-l,
os dias nteis: na
Joao Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebaslio Jos de Barros Brrelo.
Francisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Alfonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joo Hibeiio de Castro.
cao.
Francisco Garrido, amigo proprietario do hote
Trovador, sito na rua do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto desla capital como do centro da provin-
cia, que se ac.ha novamente estabelecido na mesraa
rua larga do Hosario n. 37 com um hotel decomi-
sado Traviala, onde acharao os seas freguezes
sempre a melhor vontade para bem os servir, a
par de excedentes vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo eslabelecimeuto, qur para fra, e
dentro da cidade aos que nao quizerem ou nao po-
derem vir a seu estabelenimento, sendo pelo preco
mais mdico que (m ouira qualquer parte. No
mesmo estabelecimento acharao os seas freguezes
bilhares para recrearem-se, bem como sorvele to-
das as noiies para refrescarem-se.
NO GRANDE AR-
MAZEM.
DA EXPOSICAO DE
LONDRES.
O Sr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
diripir-se a rua Nova n. 60, a iratar de negocies ,Jost! Francisco da Silva,
qu* Ihe dizem respeilo. j M'gud Arcanjo herrara.
tfSPS*. S2"Sy^S yssysfvag *syvt i Vicente Ferreira Neves.
Am.^Wi^fSWiWSmR'M^l Joaquim Francisco Moreira.
O artvogado Godoy vasconceilos, pode Sj Francisco de Aguiar Jnior,
ser (procurado no escriptorio da rua do ^3 | Julia Rosa de Almeida Piulo.
Rosario estrella n. 34, ou em sua
tg dencia a rua do Sol n. 9.
O solicitador Pedro Alexaudrino da Costa
Machado, pode ser procurado para os misteres de
sua prolisso na rua de Santa Rita n. 25, primeiro
andar.
Aluga-se a padaria com
rua Imper al n. 199 : a tratar
aberoa n. 2.
resi- j^ ; Leopuldu Gadaull.
jy-r Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
2B!
Encanamenos para
seus pertences na
na rua de Moras,
aguas.
Fazem-se na rua Nova o. 30, com toda
1 feic).
a per-
Aluga-se a loja do sobrado, sito na rua das
Cinco Pontas, com armacao propna para qualquer
eslabrlecimentn, e tambem com commodos para
inorada : a iraiar na rua doQueimado n. 20.
Andr Luiz Delpuche participa ao respeita-
vel puhlicoque vendeu o Ma estabelecimento de
relojoeiro da rua Nova n. 50 *a seu irmo Emilo
Augusto Delouche.
No dia II do corrate tartana) da rua da
Praia um burro caslanho, castrado, de 10 annos de
Idade, cujo burro lem a marca J. S. L no quarto
direito, e eslava carregado com cangalha de ferro
e 8 arrobas de carne : quem delle der noticia cer-
ta ao Sr. Amonio C. Moreira Temporal a' rua da
Cruz n. 30, ou ao eogenho Boa Casia da freguezia
do Cabo, ser bem recompensado.
Associaco Comniercial Benelicente de
Peinambuco
mlata moca, A "'reccao.'de associaco Commercial Beneficen-
a qual lava, engomma, cozinha, e tem mais hbil.-1 ,e>conv,d?,?s Srs" fonos eifecl.vos a se reunirem
dades: quem a pretender dirjase a rua da Au- em asamblea geral no da 5 de Miembro proxi-
rora d. 10, segundo andar. mo vinJl)uuro as hras da manhaa, afim de se
----------------------------------------------------: tratar sobre a compra de um predio para mudauca
O abaixo assignado faz publico que no dia 28 da mema associaco, segundo o projecto que a
do correnle, vindo da Gamella para Porto Calvo, idtreccao apresenlar, e reforma de alguos arligos
tendo pernoitado 00 eogeoho Areia, mandou o seu do estatuto, sendo esta a requenmento de alguns
Para completa quidaco vendem-se, por muito menos do seu valor, perfumaras muito finas e novas chegada* recentemenle
de Paris e de Londres dos mais afamados fabricantes seguintes: E g Rimmel, R. Matheus &C Lubin, Sociedade Flygienica, Piver,
Violet, L Legrand, Deletrez, Pinaud& Weyer, Regnrer, Mailly, Gillet frre, etc. etc., dos quaes ha grande sorlimento d'agua de
Colonia em vidros e garrafas, agua de lavande, agua para limpar dentes,- oleo babosa, extractos em garrafiJias e vidros de difieren-
tes modelos, pos para limpar denles, banha em potes e em vidros, pomadas, ricas caixinhas e balainhos com perfumaras para fazer
presentes, e muitos ouiros artigos que se vendem por menos de seu valor, bem como todos os artigos em geral existentes no grande
armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
PAR E\HORI,
Ricos e modernos pentes de tartaruga para tranca desenhora, o que se tem feito de mais elegante at o presente: vende-se
por menos de seu valor para se liqui-laiHno-grande armazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
IiUVAS HOYAS E JOUVIN.
Vendem-se excellentes I uvas de pellica, recentemente chegadas de Paris, tanto para hornera como para senhora por menos de
seu valor, para se liquidar : no grande arjoazem da Exposicao de Londres, na rua da Cadeia do Recife n. 60.
j PHOTOGRAPHIA.
No grande armazem da Exposicao de Londres, rua da Cadeia do Recife n.-60, rua da (mperatriz loja de Mr Dubarryn. 8
e na mesma rua loja de miudezas n. 54, tendem-s* excellentes vistas para quadros de sala e para albuns, como:
Porto.
Campo de Sant'Anna e'Braga.
Amarante.'.
Vista eral de Cuimaraes.
Porto, rua de Santo Antonio.
. Ponte pensil sobre o Douro no Porto.
Villa da ponte da Barca.
Coimera.
I RETRATISTAS
Firmino & Lins
w M
yg Xovo cslalielecimento dewlra- l
5 tosa rus Xova n. i5, ian- g
ilar, junio ao Sr. Gantier, B
$0 dentista.
^J Tiram retratos lodos os dias, das 7 horas &*
,vfv' da manhaa s 5 da larde, quer chova ou >
g? nao. H g
^ Tambem se ufiVrerem para tirar reir-
Jft los ile pessoas fallecidas, dentro ou fra W
m .la cidade.
CdJ Os aonuncianles desejando acreditar o ^
J% seu eslahelecimenlo, garantem ao publico JR
^g que nenhum trabalho sahir de sua offlei-
S na, sem que nao seja perfeilamenle acaba
j^ do, e a vonlade do Iregnez.

fcli
-'oias
&
t*neao i
preciosas e objeetos de-
ouro.
Mauricio Selbeberg 4 C, Polacos, ;wr- )
licipam ao respcilavel publico, que ac-
bam de receber um grande sortimento '
de joias e brilhanles, como sejam : relo- J
gios, traocelins, aderemos completos, an-
neis, cadtias, pulceiras etc., etc. e tudo
quanlo diz respeilo a joalheiria, pelo pre-
(o o mais rzoavel possivel, e jnesmo
troca e compra objeclos de ouro.prau e
diamantes por objeclos novos : na rua
do Queimado n. 29, entrada pelo largo
gj de Pedio 11 n. 27, de manhaa al as 9
-w horas, e a tarde das 4 horas em diante.
Cj$ Os objeclos vendidos pelos annuneiantes
.V? sao garantidos por files, e esio promplos
^jg para levar objeclos as casas das pessoas
que lesejarem comprar, urna vez que
nao possain vir a seu eslabelerimento.
m
criado Joaquim, Porluguez, brauco, seguir as 9
horas do dia seguinie para o engenho Mouro, em
companhia de um preto do Sr. J )So Puls, o refe-
riJo criado assasslnara aquella preto e desappare-
ceu, levando urna mala que elles conduziam sobre
um cavallo, a mala levava jias e brilhanles ; e
como se hjaora o destino qneellc lomou, roga se a
qualquer pessoa que di-lle der noticia, dirija-se ao
bitel Europa a fallar com o abaixo assignado,
que dar boa gratificacao. O referido lem os sig-
naes seguintes: alto, cheio do corpo, barba eres-
cida e preta, um pouco falt-j de cabellos na frente,
pestaas e subraucelhas pretas, olhos preos, nao
costuma fazer barba porque lem ella toda fechada,
nlade de :>0 para 40 an os, ja piola na barba e na
caneca, falla muito atrapalhado de tramontano e
ainda pouco afleito; foi encoolrado no lugar do
engenho de Canabraba do Porto Calvo perguntan-
do o caminho do engenho Samba.
lilack Irmo.
Srs. associados.
Associaco Commercial Beneficente de Pernam-
buco20de agosto de 1865.
O secreurio,
____ Candido C. G. Alcoforado.
Saques sobre i.i lina
Manoel Ignacio da Oliveira A Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.__________
Aluga se a casa n. 6 na rua dos Coellios,
junio di sobrado do Aoacleto, com 3 quarlos, e a
chave para ver est na tai*ra de junto, e para
tratar, na me>ma rua na ultima cata em concert
defronle do hospital Pedro fl.
Prteisa-se de urna escrava para casa de duas
passsoas : na ma da Penha n. 83, fangar.
Precisase de urna ama que saiba eczinhar
e engommar, para casa de pooca famika- ma rua
do Crespo n. 18., 1 andar.
VIST1N 1K PERMAJHBUCO.
Tiradas na occasiao em que S. M. o Imperador aqu esteve em 1859 :
Palacio da presidencia, a cavallaria acompanhando S. M. o Imperador no da 2 de dezembro,
indo para o Te-Deum no convento do Carmo.
Tbeatro de Santa Isabel.
Rua da Cruz com a pyramide.
Torre d Arsenal com a illuminaco na frente.
Passeio publico, na chegada de S. M. o Imperador.
Rua doCollegio com a tropa.
Pateo do Collegio com o palanque.
TI/IOEM A9 EUROPA.
Stereoscopios de nova invenco com ricas vistas das principaes cidades da Europa, como :
Franca.
Inglaterra.
Italia.
Lisboa, etc., ele.
Vendem-se barato para liqtridacao no grande armazem da ExposicSo de Londres na rua da Cadeia do Recife n. 60, rua di lm-
peratr'rz lojae.Wr. Dubarry n. 8. .e naaesma ma loja 4emiudezas n 54.
Samuel Power Johiiston t Companhia
Rua da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fnadleio de Low tloor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cava I los.
Moendas e meias moerrdas para engenho.
Taixas de feno coado e batido para enge-
nho,
Arreios d<' carro para nm e dous avallo.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias par.1 desarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Coqueluche e astluim.
O xarope de iMihaye, modifleado pelo r. L. V.
de Almeida Valle, e preparado por Joo Antonio
de Souza, pharmaceuiico pela faculdade de medi-
cina do Kio du Janeiro, para toces, coqueluche, as-
thma, etc., etc. Nos vidros vem enrolado um pros-
pecto indicando a maneira de se lomar, com altes-
lados de habis mdicos, que o tem usado as sua;
clnicas com minio aproveitamraio, c firmado pelo
seu preparador. Vende-s nicamente na corle
do Rio de Janeiro, rua de S. Pedro n. 99. Droga-
ra, e em S. Domingos, rua de Cima n. 3.
Claudio Dnbeiu avisa a todas as pessoas quo
eompraram bilhetes para entrada em seus mni-
bus, em cujo poder anda exi.'tam algn, que ve-
nham receber no seu escriptorio a respectiva Im-
portancia, vilo que ditos bilhetes nao tem mis
vigor. ____________________
OfTereoe-se una ama para o servico interno,
excepto engommar : aa xua do Brum n. 23.
'
II
iwi-i
T


Diarto de peruambueo Terca fe Ira 5 Je Seembvo de 1&6&.
i
COMPRAS.
Compra-se efectivamente oaro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. S4, loja de ourlves.
Silvino Guilberme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
roa do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Inde-
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadeia do Kecifc,
leja de ourives no arco da Conceigo.
Compram-se moedas brasileiras de 20* i
21_^ na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Compram-se libras slerlinas a 9*600 : na
praca da Independa n. 22.____________^^
Jornaes para embrullio.
Compra-se na fabrica de cigarros antiga ra dos
Quarleis de Polica n. 21, a liOrs. a libra.
Compia-se ou aluga-se urna escrava anda
que seja de meia idade : no paleo da inatrii de
Santo Antonio n. 8.
Compra-se um carro americano de qualro
assentos: trata-se na ra do Vigarlo o. 2, escrip-
torio.
Comprase carosso (sement) de algodao : uo
armazem de algodao de Saunders Brothers & C,
no caes de Apollo.
com
0,4.
Compra-se
premio de 5 OpO :
primeiro andar.
ouro nacional araoedado
na praca do eomraercio
piulas catuarticas de aver. Grande liquidaco a dinheiro'
Estas pillas vegetaes sao a- pja |0ja e mmn do nave. .
daptadas a todos os usos de um Rua d| m|)ei.all.u *. eo de Ca-
purgante as familias, pois sao ^ ^ g||vm<
perfeitamente innocentes, e em r* donog des[e estabeiec'meoto'tem revolvido h-
quanlO milliares de pessoas COO- qoidar snas fazeodas por preces baratsimos, s
fessam com gralidlo que foram cata lir de apurar dinheiro, e previnem as pes*
f liradas nnr ellas de molestias soas 1Ufi ''-'i era pequea escala com fazeo-
curauas por euas ue inoiesuas ds> gne nela ,0ja e armazem enconiraro um
severas e perigOSas ;nao lia fraude sortime-lo por pregos que muilo Iheshao
um s caso em que haja SUSpei- j de agradar, tamo em pega corno a retalho, a
tas do mais leve resultado inju- saDer: .
rioso por seu uso. i Cambraias de forro a 2#000-
Publicamos aqui alglins dos Vendem-se pegas de cambraia branca para for-
attestados que temos de curas ro a 2* : na luja do Pavo rua da Imperalriz n
notaveis feitas ullimamentc.
Um caso notavel de
ATfeco chrouica do (gado.
Illm. Sr*
Juiz de Fura, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
60, de Gama A Silva.
Moreanlique branco
Vende-se superior moreanlique. branco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha :
na loja do Pavo na rua da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates era mofo.
Xa loja de Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com lindsi-
mas cures para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo loque de mofo que larga logo se lave e
iquida-se pelo baralissimo prego de 360 rs. o co-
THESOURO DAS MAIS.
* J-ROVIDENCIA DAS CRiANCAS.
COLLARESROYER,
ELKCTRO-MAt.NETICOS,
Chamados collarbs anodinos de dbntiqao conlra
as convulses e para facilitar a denticao das
atancos, preparados e inventados por Royer,
pharmaceutico da Escola supertor de Paris, sue-
celsor de Chereiiu. inembru da acttdiima de me-
dicina, antitja casa doiixon-lagrangb, pharma-
cent ico dolmperrdor, che fe dos Ira bullios chimi-
eos da Escola Polyteclmica, director da Escola
de Pharmacia Ae Pars, e membro da Academia
Imperial de Medicina. Rua Suiut-Murtia, 223)
1 defronte da rua Chapn, em Parts.
A hygiene a sade.
A sade a vida.
)h.
rll. SEM SKtfUXDO
(olteirus de iear-roquiHi,- com cascareis i Rua co 4fcisc.aado u. 4 e a.
c sem elles.
Na rua do Queimado loja da Agoia Brai-
tuniia a veadi-r lodas as mudeza>
declara \mr primos i.dmiiaveis.
Massos de palitos litados para dei
100 r?.
ca n. 8, vendem-se coileiras de marroqici, Km>-Hiodemoidoras doarada*a200,240 eSaOrs.
posponladas e com casca veis, ou >em ellos w>neis de oitad* para meninos a i*ooo.
proprias para caes e cutios bichiukos.
Peanas raglezsaeo e. donradas.
Nm novo
foriimento de ponnas de ac (ui) 15^;-N
: *800.
Irascos rcni sui nor i.ma rocha a 210 rs.
Meiadas d I ta froxa para bordad" a 20 e 60 rs.
O 1'liVeC;<;, a.- tilia I ;..; ;. 600 ti
Grozas de peonas de; .
fermidades do fgado e baco, coao o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou vado : sto's na loja do Pavo'rua da Imperalriz
bom, pois tendo desapparecido um granda n-60.de Gama ASiiva.
engorg i lamento que soffria, muitas dores Laazinkas a 2U0 rs O COVado.
sobre a regiae do figado e costas, dores de
cabeca, incbacao do ventre, nao podendo
VENDAS.
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
mo procurando posicao para ter socego, lio-
: je me acho livre d'esse padecimento ; como
!por aqui ainda as niio baja, cu com/) tenho
j este proprio que de casa, lhe rogo man- ga,^(
! dar-me alguns vidros, e o cnsto elle lhe sa-
assim bem como do charape de
Na loja do Pav3o.
Vendem-se lazinhas transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratsimo preco de 200 rs., ditas
AS MAIS.
Quantas crianzas nao vemos cada dia succuin-
l'ir as dores da primeira denlico I ? Quanlas an-
cias e quanios tormentos para as trisles mi?, que
viio se arrebatar, dopois de lautos cuidados, de
lanas vigas, o ohjeclo querido de Ma ternura I fjassim pois quem dellas
'Quanlas vezes nao tem ellas seniido a inefllcacia rfirr,nraja. ,|jnripirn a
idos remedios empreados, laes como brinquinhos,!C
cbarope de denliyo, ele, cujo duro conlacio dos
primeirus irrita as gengivas e causa inflammafao
nal membranas mucosas, e cuja aeco nulla fazia j
desesperagao s mais? Achar um meio fcil de ap-
plicar o Huido elctrico para alliviar os solfrimen-
tos e prevenir as convulses, como lambem lodos I
os accidetiies que resultam da primeira dentieo, I
tal o lito que tivemos em vista alcanzar, lia I
oauitos seculos que se punham bo pescofo das'
criancas collares de mbar amarello para preser-
va-las e cura-las de convulsoes, mpregava-se pois
desde muilo lempo a eleclricidade medica sem sa
Algodao Para saceos e rouaa de escravos
da fabrica de Feruao Velho, e de muilo superior i [\&c:u-
qualidade : vende-se no escribtorio de Mnoel h'- ''' ,
nac,, d? Oiiveira & FUho, largo do Corpo Sanio cereja, que Uve occasiao de experimentar; ^,,0"Tndo7i v
numero 19. em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, faro uso d'elles
i as tosses em minha familia sempre em
I bom resultado, e por isso que peco para
com palminhas de seda a 240 rs. : Islo so para II- b-lo, pol<|ue o mbar iodo elctrico. E' evi-
quidar, assim como lazinhas mocambiques cont dent.cm este effeito saudavel repoosa sobre, a ar-
os mais bouitos padr5es a 240 rs. : i.-lo na loja do.^So da eiectrieidade, que sola o mbar esfregado
Pavo na rua da Imperalriz n 60, de Gama & pelos rnovimenlos do corpo da crianca. Esla in-
I fluencia constante do fluido elctrico, por fraca
Vestidos indimiOS a 3$ i1ue .fosse> Prodozia effeitos curalivos proporciona-
,. i- j j \-j ; "os a quanlia d'eledricidade engendrada desle mo-
Veodem-se os mais lindos cortes de vestidos in- ^- "--
|2 varas capa corle sendo fazenda
do.
nos
tomos pelo baratissimo prego de 3?00C
ua praca da Independencia, livraria ns.
8.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em qua i mandar alguns frnsquinhos, e mesm as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
iimas pessoas, ia d i ,mt e g e
resollado ; sou bldoorojfandeoda
De V. S. allensgPs.ar
Francisco FERREATERAlt
Uliciiuialisiuo e ataques uemorrlioidars.
Illm. Su.
Ouro-Vretu, 30 de marco de 186i. "
Posso certificar-lhe que as pilulas ca-
, tharticas do l)r. Ayer sao excedentes, pois
j que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunlia ser rheumatismo, (molestia esta
acaba de receber um lindo e magnifico sor- que j bavia soffrido ha annos) e soffrendo
tinento de oculos, lunetos, binculos, do ul- tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
timo-eaais apurado gosto da Europa, : um ouvd0j pois que al j [)0UC0 ouva> e
I Jft nl RP1IA Fl 1R acompanhado de urna dr no queixo, con-
LUdH UU DCIdH iLUn sullei a um dos nossos mdicos, e este me
Na rua do (Jueimaiio q. (J3, disse que devia fazer uso da salsa ; porm
Tem recebido um soriimento de cruzes que se'lendo eu o almanack do mesmo doutor,
rneijXf0' de d,vers0SS8S,<,s; s qu'm Km | comprei em sua casa um vidrinho das mes-
Teado recebido variades sortimentos ds voltas mas PiluIas 6 por minha COnta principiei a
de aijo'ares de diversas cores, enfeites p\ra se- \ toma-las, e sem as finaltsar acho-me sem as
nhora de diversos gost.is, e mais tralo do que dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
Framcisco Jos Germano
RUA NOVA N. 22,
Esta propriedade elctrica" de mbar a que
temos lijo a feliz idea de applicar fabrica-
biicanles Perry & C, as recommendam ao9
entendedores- apreciadores do bom, valen-
do mesmo a Differenca que lia no preco de
urnas para outras, porque estas setonnn
mais duraveis na coiuinuaciio de escrever ;
se quizer utilisar 6
vista : na rua rio
Queimado loja da Agoia Branca n. 8.
Franjas com borlas c sem ellas para
coi-tinados,
A Agoia Branca receben um bello sorii-
mento de franjas cot! borlas e sem ellas
para cortinados, lorias de r.ovos e bonitos
desenhns, cuja commodidade do prego Ct
em relacSo a largura : aclam-se ellas a ven-
da na rua do Queimado toja da .* guia Bran-
ca n. 8.
Jogo da pacieicia u i-urioso entrelciii-
neato.
Na rua do Queimado loja da Agoia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ta-
zoavt'is, caixinbas com tauolss de madeira,
'I
.....
|| i v. ;;..;
r
sea rs.
5 e
a Aguia Branca acaba de recebe^ v|eramiGroJ;.
tambera ou-as (!e metal riourado e bicosl e40rs.
mu tem acabados, e p- r essas boas e ne-! laixas rum 30 uoveilos de liaba -.. pax a 700 rs.
cessarias qualidades os seos acreditados fa-! Cxm com siinenVre brelas de ola ". ii c 80 rs.
" '(M de lila branca bitira rom '. varas.. S80 rs.
transparente.de novosgoslos que servem at para "JdoVfr0||Jrei d"e deii'cTo" agmeta'ndo 'Tnlen- agradareis
bailes e partidas, venden-se pelo baralissimo pre- i
que das diversas pintoras dellas se ormam
vis'as e paisa^cns, segundo os
sidade dos effeitos elctricos do mbar por rneio; desenhos qu-j acdiniianham. Na verdade e
?o de U cada un. por terse comprado urna gran- de Bos tonduclores que dis,rjbein as correles esse um (leleinvH pn .plpnirapnlo riii
de porcao : na loja do Pavao rua da Imperalriz n. d-um m0(lo continuo Mr Rover o in- Utleilasel en ictenimenio como
60, de Gama & Silva. veDlur7 duasespeciesT^lares:^dos colla- ?uf' se desPenla a cunosiriaJe, e apara a 10-
A IP flUt llfiVf ft.t&$ res anodinos de mbar eleclro-magneticos; 2o dos telligencia. Os apreciadoies dirijam-;- a
kj ti> (m.o jvii \a, ounfo I collares romposlos de dillerenies melaes coto cor- rua do Queimado, a ilila loja da Aguia Uran-
Pechincha na loja do Pavo. rente voltaica. Parlindo desle principio de physi-
Vendese a mais fina silezia de algodao fazenda ; ca bem condecido, que a intensidade d'uma cor-
inteiramcnle nova no mercado proprias para saias,' rente galvnica esl em razao dire'la da superficie
camisas e rotipas para meninos sendo fazenda su- dos elementos que compoem a pilla, os collares
perior ao madapolo francez e vende-se pelo bara-' Royer, ctamados anodiuos eleclro-magneticos d-
lo preco de 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em signados e graduados por oito nmeros diferentes, modernos e misto"!hftirafllMltfl affradaveis
;a rom cincoenta e tantas varas, isto grande possaem as mesmas propriedades elctricas, com "'^erno e gosios HKUl.iai
hincha : na loja do Pavo rua da Imperalriz n, esta s differenca que o elfeilo curativo esla sabor- e como e seu louvavel CO?
Varas de franja de lia (tara rnfeiles de vestidos a
4o rs.
Itaralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linda com 400 jardas a 80 rs.
Litros para assentos de ronpa lavada a 100 rs.
Pares de boloes para ponho, fazenda rira a 120 rs.
Tesooras para costuras superiores qoiidade.; a
4(XI e l.
Calxasde peonas de callgrapliia, fazenJa o a
Mas><> ton. superiores graropos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca upfie a ioOO.
Caix.!-: com superiores .''iillias a 240 rs.
I Libras de !:' surtidas de bonilas eren IflOC.
I r.ai\-..- com superiores i-brcias ii<: toassa 9 t.
(S idiubas com aillneies francezes utuitu foperinres
a 20 rs.
';-' d ; .pe ahiiae.) a 25400 e 22800 rj.
E I'uzia d( escuras mm toque de kirugeso
('. 1 r.-.
Dhzixs de fteas e garfot ,:, cabo pri lo a U:.
T:i!here- tm 11 finn para criancas a 240 ':.
Pulseiras para iienitia a :i2'i rs
Hita- e vi lias para si nhora a 5X10.
Prasri de Agua Florida vndadeira a IfliFO.
Pra* r :. superior banha a -J'iO o 300 r-.
dem il : r Dle i ihoa .i JiOrs.
Oa\ t ni inpariiin.- para 3 inezrs a 40rs
vari.s de l dad do Porto a 80 r \'i r^.
(]art::.-.: .,..,.. : > ftaocezes a 00 rs.
Q.nd'ri! i'' p:i| .-l pequeo a 20 rs.
Grvalas de i-res, fazenda superior, a 500 rs.
Papi:- de agulhas, fundo dourao, a 80.
ca n. 8, que sera) sattsfeils.
Bornes enfeitos para s nlior^s.
A Aguia Branca acaba de receber u < no-
vo e lindo sorlimen'o de enteiles os m:>is
pega
pee
60, de Gama & Silva.
Lengn de seda l$
Vendem-se superiores lencos de seda
mens e senderas a l : na loja do Pavao
da Imperalriz n. 60, de Gama & 9flva.
Lencos brancos a '2$.
em qnalquer ouira parte.
Facas garfo'.
Vende-se faceas e garios de cabos de balanco de
um boioa oflOO a d:ia, ditas de dous botoes a
4J5500, dita para doce a;5IO0, ditas de cabo preto
a -'(200, ditas de cabe branco, rolico e cravado a
Ten rebebido variados sortimentes de balaios
para uteninos de escola, deforma de peiitiohos,
palurdos e outras de diverso gosto, que s com a
visiabem se pode preciar, e lambem serve para
o leilo do hospital porluguez : las para botar e
diversas cores a H a libra : s no beija-flor.
i:sci>vai para roupa.
Vende-sc escovas para roupa muilo finas osm
differentes goslos a 640 e i&, ditas pera dentes a
20; 240, a*0 e 303 rs.
Papel e envelopes.
Veii'le-se pautado papel e caixinlias a 680
dito de cor a 700 rs., e enmvelopes a 640rs. a-cai-
xinha.
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-
daes : por tanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo corlo, venerador obrigado,
0 bi igadeiro
Joao BopnictEs Fu dk Caiwalho.
(aslrilc.
Oure-f>ieto, 29 de marco de 1804.
Atiesto que tendo feito uso, aconaelliado.
', por um amigo, das ptalas do Dr. Ayer,'
liquei perfeitamente bom de urna gastte
j que soffnta e (jue privava-me de andar aper-
, | lado, hoje felizmente nada sinlo.
Augusto Gollatino de Mello.
Colla da Baha superior
Tem para vender Aulonio Luiz de Aze'sdo &
C, no seu escriplono rua da Cruz n. 1.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
oa P-onle Velha n. 8, por pre^o commodo.
Vende se
reos, perte da igreja dos-Remedios, o qual pro-
prio para olaria por ler eicellente barro, e as tr-
ras quasi todas proprias: a tratar com Joaquim
Jos- critorio.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fecereiro de 8C4.
Sendo eu affectado do figado hi mu los
annos, e ltimamente soffrifalta de apetite,
te, com os arreios competentes de metal principe : i hoje dou gracas^eus por achar-me sao **, nnvn m*Mnn* n 9^(1
e perfeito com o uso das j.ilulas catharticas '^ Para iMUinaS a 2,0
ima parle e un predio no itio dos ^o Dr. Vyer.
Aktonio Bknto Vieiha.
diado ao lamauho dos elementos que os com-
poepi, e por consequencia quanlidade liraidada
d'elextricidade que engendram, d'onde se segu
para ho- que quanla maior superlioie apreseutam as perolas
' .oueleinenios, lana makrquaolia de fluido elec-
j trico despreuder-se-da; e por isso que nos acn
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
ras sendo urna de cordo e oulra matizada fazen- fj" "*v U** !cede elec-lna SfiBTS!'
n. 60, de Gama & Silva.
Os csparltlhos do Pavao
A4&8#e6&
Vendem-se os mais superiores esparlilhos com
as competentes titas para apertar pelos baratissi-
aies pregos de 45, o e 65 por ter chegado urna
grande porcao para a loja do Pavao: rua da Im-
peralriz n. 60, de Gama Silva.
Cambraias de salpicos a 3$.
Vendem-se superiores cambraias francezas com
salpicos brancas e de cores tendo 8 1|2 varas cada
pega pelo barato prego de 3$, ditas escocers com
salpiquindos mindinbos (oda branca a i>; na lo-
ja do Pavao na rua da Imperalriz n. 60, de Gama
i Silva.
Tarta lana branca a 64" xs.
Vende-se tarlataBa branca muilo fioa a 40 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
las de salpico a 13, dita lisa a 806 rs. a vara : na
loja do Pavo na ra da Imperatrit o. 00, de Ga-
ma 0 Irradiante do Pava.
Vende-se superior bramante de lindo >do'melhor
que tem wndo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 23600 a vara, panno de lindo muri su-
perior para lenges, loaldas e seroulas 040 e
700 i s. a vara : isto na loja do Pavao na rua da
Imperalriz.60, de Gama 4 Silva.
Percales lisas lo Pavo.
Vendem-se as mais lindas percales de ma s
cor a 106 rs. o errado: na loja do Pavo na rua
da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
turne os esla veu-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir a rua do Queimado, loja a Aguia
Branca n. 8.
Meias de lita para sentaras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8,
Mala mosca.
Na loia da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com compoicao para dar fim as
duzem urna cura rpida impedindo as 'convulsbes. morcas, sendo 0 modo de Usar faciimo, C o
Assim aelw-se reunido com o amigo proced- j eeilo eDcaz : molba-se 0 papel e deisa se
memo dos collares de mbar a efficacia regular e ficar n'um prato, e nelle nousando as mos
segura da electricidade medica. Os collares gal- pnti-ktp.-Pm p mn.ir-m fnsa ra.Pi fn-
vano magnticos de metal compoem-se de peque- cas, enu istei em e moiiein. Lusta caa lo-
nas perolas de dous metaes differentes, traversa- "ia 40 res : na rua do Queimado, loja da
des por fios conductores que formam assim pe- Aguia B'anca n 8.
filas voltaicas d'uma forma elegante, porta- |)VCPS0S briliqaftdos e eutlfteitRientO
til e flexivel. empregados com feliz successo conlra
as convulSes, os torticolls, tosse nervosa, lo.-se
convulsa, etc.; possaem as mesmas propriedades
e em^regam-se indistinctamenle nos mesmos ca-
sos.
Os elementos que compoem esla prepara-ao, -
ferro, o iode e a quina, a coocao no primeira
grito das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
seas resultados obiidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmro sna poderosa efficacidade na
teguintcs afTeccSes:
Co uvalrarenca de la"
sn molrailaa.
para enancas.
A Aguia Branca na rua rio Queimado n.
8, recebeu diversos brioqaedos para crian-
da primeira DKNTigo Cas, sendo estradas de ferro, barras e patos
Em uttlulade dos collares Royer electro-magneti- elctricos, apparelhos di metal, louca pinla-
cospara facihar a empeo dos dentes do leite aa e porcelana dourada para almoc e jan-
Ji\^LSS^^atLZJS^ lar e uitos ouiros brinqoedosde madeira,
quswvirao de guia s mais de amilias, qtie pela que se vendem baratamenle : na rua do
sua tenra afleico ezageram a miudo os perigos Queimad >, loja da Aguia Branca n 8.
da Sia.a qual em definiliva uma opera55 Meias preta de seda para seuhoras a
pane dos desarranjos que sobrevem \ I>*)0 1'S O par.
rianaa u,m (.or causa o trabaiho da A Aguia Branca quor acabar com a por-
Mlnicoa no aanga*.
Fr. ";"
Anemia.
Clilorour aalctcrlrla. ,
Mcnalrtio.
AiTri-ri do ulero.
Sappremioea ta re-
grao e desordea na !
Dicnatrnaeao.
Aftei-rao pulmonar e \
phlhlHle.
Moieatla-i d'calotfiago. '
GKlljl;.lii.
Perda d'appetlle, etc.
Yejo se os bulletins de
MotraUaa eacrofuia-
>.
Pnpctra.
Ohalruer&o daa glna-
dulaa.
Ilumere. (rlaa
Hiiiuorra braneoa.
Rachltlamo.
Arrcec. -aneerca
e ayphlllilcni.
Febrea (ypUoldca.
Varile, eie., ce.
therapeutica medica
;as
primeira deniicao.
Sola.
Constiparo, dores de calleja.
Ottro-l'reto, 28 de marco de 1864.
Atiesto que achando-me atacado de urna
Ve/de-se4Se a traur.na rua-do Queimado o. 53, lojo de ferra- todo O corpo e na cabeca, seffn hornvel-
gfns._______________________________| mente por espaco de quatro das; ento
um amigo' aconskhou-me que temasse pi-
lulas 'catharticas do Dr. Ayer: com ellas fi-
Vende-se
123 a tonelada
Brura O. 76.
carvAo de^edra para ferreiro a
e 300 rs. a arroba : na rua do
Vendem-se
mchicas americanas de serrote para
algodao : na rua da Seozala Aova n. 42.
quei sao e completamente reslabelecido em
\ tres das, de sor te que estou no .firme pro-
! psito de aconselhar o uso das ditas pilulas
descalcar | J ,/wUo mB ,,, tnnm .^__j.
par
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipaooes.
V*ndem-se dos e preto*. e aleuoui esoravas com habilidades: | Agostimw Josk ca Silva, negociaste de fa-
na rua dasOur.ec n. 18.
Ventaem-se & rudas novas para carro amerl-
.cano, b'in construidas; a tratar ua rua da Impe-
ralriz n. fl, jeja.____________ _
V.'iilrt-e ri'n siti ni lug*c d- Bemfica, Pas-
^agem da afagdaJeiu ; quem pretender dirija-se a
esta lypugraQfcia. ___________-.'______
Veuin.se um kO'i escravj d
zendae.
Irrilace "o estomago.
Ouro-Prcto, 29 de marco de 1864.
Attesto e juro, se necessario fr, frendo ha muito tempo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite difficil diges-
ai annos de I t5o, d'ella tenho experimentado sensiveis
idade, proprio para*>J'o servieg tamo para en- me||)oras depoJS que tenho feito uso genho com) para / praga. (em Uabihtagoes pare |. iar.^as (\a iw vpr F
agricsliura e para padeiro ; quera precisar pode ''
dirigir-se
dogar.
a rua da Covcordia n. 61, paitara
Antonio HSRMMCNes Fereira Rosa.
.Vende-se uma casa de Uipa na estrada nova
ao pe dti Cacliadga, propra para morada ou nego-
cio -, quem pretender comprar, dirija-se ao mesmo
u^'ar, a u-atar eom Lcfz de Fxaoga Itodrigues
fiema.______________________________
Aviso aes annntes de bem e barato.
> no pas liodorio Kangel se esta veadendo por todo prego
alkn someoce de apurar diiilieiro, e com um bo-
cadiaho, intuir os fregueses de uiuita fazenda.
A after.
Peje de madapolo largo fino 3J5O0.
Cniiaa trancetas cures lixas, covado 260. ,.
Ditas francezas escuras muito finas 280
Duzias deiencos Irnos de cambraia I600.
Duzas de ditos muilo Gnos 15800.
Leogos de cambraia de lioho do eores, um 500.
Ditos de seda com franja 820.
Grvalas preta de seda 500.
Ditas de caga 200.
Pegas do emorai branco com 8
45000.
Ditas de dita transpiren'.-' lina 55000.
Cobertores de pipo a 1500, 15600 o 15800.
Ditos de algodao muii> grandes 15200.
sguio lio j de luiiio liVMi.
Cuales de merino de cores 35-jo
Ditos do la 500.
Mussulinas branca finas, corado 280.
Laas de quadriuhos imitando seda, covado 280.
Camisas 0c meias finas 6'tO.
Palilores de alpak* llecos 35300.
Ditos de fusio sobrecasacos 25M0.
E outras muitas fazendas que por insignificancia
pregos dagamos de mencionar.
Vende-se o nachlnismo quefoi da lavagem de
roupa em perfeiio estado : n i rua do Raogel n. i .
armazem de I oca,______________________j i
Vende-te caanos de barro para sgalo de te-!
litados o melhor que ha: ua rua do Kangel arma- jI
zem de louga n. 4. 5B&
Vende-se um rnoleque de bonita figura, com ^S
16 annos de idade, e um molatinho copelro e mal S
to proprio para pagem com 18 annos de idade : ^
tratar-se oa roa de Aguas Verdes n. 27. ,
leaMpM.
Ouro-Preto, S de marco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
rM empregadas com grande vantagem por
mn em uma menina dedez annos que
soSria de vermes inteslinaes, notando-se
que os sympiomas que ento apresenta^,a
erajt: de molestia bstanle perigosa.
Kaymujido Nonato de S. Thiago, pliarma-
cc utico.
Nevralgia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
la mais de sete annos que soffria dores
i no hombro e as costas, tomei uma infini-
1,2 varas i dade de. remedios sem achar alivio algum.
; Dr, angustia, tormento sao palavras for-
i tes, porm nao exprimen* o que tenho sof-
frido : ltimamente tomei as pilulas ca-
tbarticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restablecido; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, ruaDiroilan. 15
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRANQAISE
deP.MAURER&C'
i<
para e.uoas de todos oa ta-
mantios a 2."00 rs. a duzia, Jilas de seda prela
para seahoras a 800 rs. u par, di'as inglezas para
homem -a o5 a duzia, isto na loja do Pavo na rua
da Imperalii/. n. (iO, detama & Silva.
Corumlos para nanas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato prego de 115 o par. Di los bordados muito ri-
cos a 245) colchas defustao' para cama a 55300 e
6a : na loja do Pavao rua da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
liras bardadas eulrcuieks.
Vendem-se linissimas tiaa>, bordadas e ntre-
melos por prego baralissimo, na loja do Pavo rua
da Imperalriz n 60, de Gama & Silva.
Guales a :i$u
Vendem-se chales de merino liso, lendo de todas
as cores e pretos, pelo baratissimo prego de 35500,
por ha ver grande porgao : na loja do Pavo, rua
da Imperalriz n.OO.de Gama Silva.
Os balees 4o Pava* a 2&W0, U e 3o00
Vendem-se os melhores baldes de arcos ameri-
canos, ,-endo con 20 arcos a 25500, ditos com 25
arcos a -1-5, ditos com 30 arcos a 35500, ditos nnra
meninas de todos os lmannos a 2c5O0 e 35, su-
periores baldes de bramante e murcelina com
canda, sendo bastante grandes a -55, islo na loja
do Pavo, rua da Imperalriz n. 66, de Gama &
Silva.
As camisiikas do Pave.
Mendem-se as mais modernas camisinbas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem viudo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15; ditas pre
las com manguitos para lulo a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15, linissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., caleiohas para
menina a 640 rs., romeiras de lit e eambraia
branca bordada a 15000 : na loj i do Pavao, rua
da Imperalriz o. 60, de Gama & Silva.
Corles de percales.
Ricos corles de percale eom barra, tendo o com-
petente casaveque a 85, dilos delaa a Mara Pa a
65, ditos de cambraia transparente tom barra
bordada a la a 25 ; isto se vende na loja do Pa-
vo, rua da Imperalriz n, 60, de Gama & Silva.
Palelets pides a 6$
Vendem-se superiores paleols saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casacos a
125, superiores caigas de casimira de cor a 75 e
85, ditas pretas a 63, 75 e 85, paletots de mela
casimira a 35 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a 45 e 45500, ditas de brim
branco de linho e de cores, coleles de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muilo em conla, s com o fim de apurar di-
uheiro : na loja do Pavao, rua da Imperalriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazeodas brancas na loja do PavSo
Vende-se um grande soriimento de raadapoloes,
chitas, algodozinbos das melhores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em oulra
qnalquer parle, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavao, rua da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pelos de renda.
Chegou pelo ultimo v.por francez um grande e
variado soriimento dos ina.s neos chales pretos de
renda, unto de linho como de seda, lendo entre
elles muilos de pona redunda a imitagao de man-
teletes e rtiuitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos muito em coma por terem sido manda-
dos vir de conla propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Bornouls de renda na loja do pavo.
Chegaram os mais ricos bornouls de renda e se
vendem por baralissimos pregos: na loja e arma-
zem do pavo, roa da Imperalriz n. 60, de Gama
A Silva.
r, deciara-seQcXdnasgengivasf"aesa!iv- c5 de meia& P^lasde seda para senkiras,
gao volta-se mais ahuudante, o somno agitado, e apesar do muko maior pre-,0 que lhe CUS-
ha febre a miudo, e em gerai sobrevem a frouxi- taram e o bom estado em que anida eslao,
i?m,d0/eD.re' e s quan, es* nll!mo .*y?p comtudo est resolvida a vende-las a 5 0
toma nao loma um carcter vilenlo e mais bem ___- .___ ____. ,
favoravel que damnoso. Sendo suje.to a compli- reis Par- aDm de QM ninguem mais Calce
carse com outras affeigoes o trabalho da deniigo, meias pretas de algndo, agua pois apro-
necessario, err. quanto durar, por a mais exlre- veitarem a qui-ira C diriyirem- e a rua do
Sp^m-^/m^h- "a **!.?! crian?a 1.a Queimado, loja da Aguia Branca n 8. Tam
desde que se notera os ltimos sympiomas que ,-,ca- "_______i i .. i
bamos de indicar, sera urgeuie consultar um me- bem vender as brancas a 16 0 par, e des-
dicn. tas o nico defeilo estarem um pouco tri-
Estes collares vendem-se na loja do Vi- gueiras,
guante, rua do Crespo n. 7.
t cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gaceta
dos hospitaes de 2S de juina 1860, etc., etc.
Alm tfaj pilulas de iodureto duplo de ferro e d
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselho
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ferro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao goslao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de altera*r-se e de se nao poder conservar.
Pcga-se o fo'.hclo que se d de graga em casa
dos pharmaeculicos depositarios.
Para-se evitaren. falsif.cagSes, exija 0 com-
prador em cada Irasco de Pilulas ou Xarope a as-
signaiura do Inventor.
Depsito gcral em Paris, pharmacia Rebillon,
142, ru du Bac, e em todas as boas pharmacuu
de Franca a dos puizes estrangeiros, etc.
Liquidadlo das pecliiuclias
no armazem da Arara.
O proprietario da gran le loja e armazem da
Arara tem resolvido vender suas fazendas por
menos 20 por cenlo do que em qualquer oulra
parte por isso venham ver as fazendas e se adrai-
rein dos pregos, a saber : Caixasde papel amizade, e sem elia
Corles de cambraia com barras. a 600 rs.
Vendem-se bonitos corles de cambraia branco Grozas de bo'.oes de louga praieados fazenda mo-
com barras de differentes cores pelo baralissimo derna a 160 rs.
prego do -13 cada corle. : Duzias de peona de ago fazenda boa a 40 rs.
Rival sem segundo
Rua do Queimado ns. 49 e oo, loja de
miudezas u>, tres portas, est qtei-
roanilo ludo lioiu e barato, quem qui-
zer ver c admirar leiihan loj lo
Bigodtnlio.
iso e paulado
o
WttM
LOS
ISMVTH

Catiibriiias brancas.
Vende-se cambraia brauca a 3$,
45500, US e f>: a pega, e de outras
dades : na rua da Imperalriz n 56.
Brttauha de rolo.
Vende-se brelanha de rolo com 10
2J800, est se acabando esta pechinch* :
loja da Arara, de alendes Guimares.
Lazinhas.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
35-500, 45,
mais quali-
varas a
sO na
de i fia lisas e ae todas cores a
pata In par d-ntes a 240 e
eos estrellas c.m 10 varas a
Pegas de iranga
40 rs.
Escovas linissimas
320 rs.
Pecas de fita de
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, nperiores quali-
dades a 20 rs.
j Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
ch^ga-l 20 rs.
muilo linos para voltarete a 200 e
das pelo ultimo vapor, tendo padroes muito bohi-: Baralhos
tos se vende pelo baratissimo prego de 240 rs. o I 240 rs.
covado, fazenda que em outra parle se vende a Latas com superior banha a 2u0 r*.
400 rs. : na loja e armazem da Arara n. 56. | Frascos de macaca perula muito lino a 200 rs.
Chitas. Frascos e garra'linhas com agua de Colonia a
Vende-se grande porgao de chitas sendo escuras! OO rs.
e claras por baratos pregos a 240, 260, 280 e 320. Frascos grandes rom superior agua de Colonia a
rs. o covado, ditas percalas linas a 360 e 400 rs. o 640 rs.
covado, muitas mais de oulros pregos.
Chales de merina.
Caitas cora
1*100.
12 frascos de chelros muilo finos a
Desla fazenda ha um grande soriimento de cha- Sa5""e,es pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
les de merino estampados cores muilo delicadas, i 3-" rs-
e al;se vendendo pelo barato prego de 2* cada i Uuzia de saboneles pequeos cora cheiro a 700 rs.
um, isto -para acabar. 8" denliflee superior qualidade a 800 rs.
Calchas de fustn.
vendem-se colchas de ustao de todas as cores
a 5Sfdtas de damasco a 4*, ditas de chita a
2*2*0 e i*900 cada orna : s Lourengo Pereira
Mendts Guimares.
Madapolo.
Vende se madapolo a 4*500, 5*. 6*500, 7*
7*QQ e 8* a pega, enfeslado se vende com 15
jardas a 3*, 3*500 e i*500: na rua da Impera-
lriz n. oh, Meodes Guimares.
Soulmibarques.
Vende-se soutembarque a 5, 6* e 7*. ditos
prelos de prosdeuaples a 18*, 10* e 20*, e capas
o mesmo prego.
Cambraias de ocres.
Vendem-se cambraias de cores sendo linas a
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casrmiras.
Vende-se casemira com listas a 2*500 e 2*800
o covado, e mescladas a 3* : > Mendes Guima-
res.
j Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
superiores essencias santal e oulros a
Frascos de
1*200.
Frascos cora essencias para tirar noduas de ronpa
a 500 rs. v
Frascos com cheiro* de lodos os preces a 160. 200,
240 e 320. v *,
Frascos bouilos com cheiros finos a 500 rs.
; Duria de meias muito linas para seuhora a
I 4*800.
Golliahas muilo finas para seuhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
Os grnulas ,i?< bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacoes de
bismulh empregadas antes com o maior successo
pelos mdicos de lodos os paizes, para prevenir
curar as
Dlarrhraa rhronlcaa. H dlgestos.
Dy*nl<-i-laa. CafttrltcM.
Doren ilYtouia|;o Galtrala;l, ci.
D)i>cpalaa.
Os primeiros sympiomas d'essas formidaveis
afTeccSes se manjfestao ordinariamente por diges-
tdes laboriosas, audumes, falta d'appetite, pesos
d'estmago depois de cada comida, caimbras es-
tomacaes, e, muitas vezes. por espasmos nervosoi
com vmitos.
Este eslado mrbido, se o dcscuido, traz ine-
vilavelmente, que seja:
Moleatlaa de flicad. Oppreaaca.
A Ictericia. Ddrea ito marra
ralpllara dr rorara Irrllarora ilr bcrl(a a
Birra no rlna. m niatrla, ete.
Os granulos Chevrier s3o ordenados pelaa
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando s8o tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco de 4 francos.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmaciaa de Franca e dos
estrangeiros.
GRAGEAS de CUBEBINA
omCOPABAdeLABLONYI
de vestido, com
acabar a 600 e
ALMANAK
DK
Laso-Krasileiro
PARA 1866.
m POK < %S I I?HO.
Vende-se na livraria econmica junio ao arco
de Sanio Antonio,
Ferros para eagommar
Vendem-se caixin*ias coniendo o mais completo
soriimento de ferros para engommar, encrespar
baados, patos e toda a roupa de sen hora : na rua
Aova 11. 24.
Vende-se uma machina
do Crespo, loja o. 20 B.
de costura : na rua
160 rs.
Pegas de Tila de laa para debrum
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para
800 rs.
Pedras de loesi para meninos a 160 rs.
Muecos le choro e panno a ICO rs.
Caixas com bonitrs estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenih a 300 rs.
Grosas de butes pequeos prelos para calca a
100 rs.
varas de cordo de esparlilho a 0 rj.
Novelb'S framezes com 20 jardas a 40 rs.
Pi gas de liras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muilo fo:!'? superiores a
3*500.
mmjfm mmmmmmmmmm
*umo da Baha para
ch ti rutes.
Vende-se fumo superior de lodas aaqoa- I
lidades, a relalho e por atacado e por M
prego commodo : no Recite tua da 2
Cacimba n. 1.
s
m
i
Vendem-se duas casas terreas sitas a estra-
da da Magdalena n. 72 e 71 contiguas ao sobrado
grande do Sr. ioo Joaqun) da C'unha Reg Bar-
ros : a tratar nos Remedios com F. A. Mondonga
Estes confeitos que tem por liase o prin.
cipio activo da vrimeira cubeba juuio com
lcupa/iifba pura, naonausen nestomaga.
Elles l'a/.em parar iinmedialnmentc asmis-
rebeldes gonorrhas, mesmo as que res sti-
ram a cubeba o a cunahyba isoladamente.
VenJem-se no Rccile em casa Barboza e Joo da C. Bravo C.
*$ '-*#*!
m Bichas de Hamburgo M
A'todos os paquetes da Europa se reCbo jB
ZSL deslas rnicas do saogue humano c se *
^ vendem a troco de pouco lucro s aflm *^
Mi de ler sempre cousa nova : a loja de hr > beiro rua eslreila do Rosario n. 3, ao [1 *.
5MS da igreja. ^
mmafm mmm mmm
Acba-se
venda na livraria acadmica, na rea do Impera-
1 dor; na do Sr. Nogueira, junio ao arco de ant.o
Anloi.io ; e na lypographia impaicial, p."< rna l^-
ireila do Rosario a compilagao de lid a kishgan
tendente administrago, arrecadaro e isi ali-
sago dos dicheiros de orpbSos delunlos e susen-
tes, herancas jareles, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a le peral das exec
ges, cuino lambem lodas asi.iOu.s c avisos do
governo, que a ludo lem explicado, tanto a resiei-
lo das brigaefes Inherrnlf ac cargo des dilTeren-
tes empregados de jusliga e fazenda, como desdi*
reilos uacionaos e emolnitienios que-sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
, impresso e bom papel, e preslando-se a nlilidade
de dlferenles classes, lorna-se recoramendavel.
Seu cusi 10*009 por cada exem lar em dous
omos.

I
fu i-*-*


Dlarlt de Pernaiubuco rerea leira 5 de etemlwo de 8ft.
N. 11Ra do Queimado-N. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimenio de cortinados bordados para
camas fazeuda de rauito gosto.
Chales de guip muito tinos para 225, 2'S e 305.
CMxa< d-3 seda superiores de diversas cores para camss de noivas.
CoUas de la e seda para cara tambera de bonitas cores.
Rotondas de guip enfeitados cora o raelhor gosto.
Setim de Paris bella [uzeada e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantliuo branco e preto, grosiehaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Cnemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombaiiuas, alpacis pretas, e
laa pret,. para lulos.
Matas, saceos e bolgas de tapete, verniz e couro de 10 a llj.
Brins de linho de cores liaos a 1,5800 a vara.
Chapeo* e chipelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para hornera, chapeos de sol de seda, es^uiao do linho, cambraia de liaho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazenias qu; se vealera por coraimlos presos assim como
tambem
Esteiras da India para torrar salas

1
p
ira
tas
GNEROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
mmm de
DE
GRVNDES
a
MOLHiDOSsSs
sea
DUARTE & C.
Pateo do Carino n. 9 arinazciu Progressivo rua do Queimado d. 7
Uaio e Commercio rua do Imperador n. 40,
Principal armazem de molhados.
OS PROPIETARIOS.
Sfcv& '
Fazem sciente ao respeilavel publicle cora especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e raais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os proprietarios dos tres grandes armazens, reuoir todos os seus estabeleci-
tneatos em um s anauncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
tnos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
'anda mesrao com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam' em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para aritar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta \
pela qual se ver os presos (d qual annuaciarraos, o que senao arrepender pessoa
alguma que Gzer saa depenca $m aossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cenlo na sua despeza diaria.
J. VIGNES.
W. 55. RUA DD IMPERADOR !. 55.
Os pianos desta anliga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necesario insistir sobre a
sua superioridad';, vantuense garantas que offerecera aos compradores qualidades estas incontesta-
veis que elles tera delictivamente conquistado sobre todos os que tcm apparecido nesta praca ; pos-
sninJo um teclado e mochinismo que obedecem tolas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados do proposito, e ter-se feito ltimamente raelhoramentos Importan-
tissimos para o clima desle paiz ; quanto s vo;es, sao melodiosas e flautadas, e por tsso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. ., *.... n
Fazera se conforma as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de i. Vigaes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposigdes.
o mesrao estabeleciraento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos commodos e razoaveis.
CONSULTORIO MEDICO-CIiUJItGICO
DO
DR. PEDRO DE 1TT1HYDE LOBO MOSCOSO,
.U12U1C. PARTGIRO E OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 11
oras da manhao, e das G e meia s 8 horas da noite, excepeo dos^ dias santificados.
Pharmacia especial komeopathica
No mesmo co isultorio ba sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
t.ihos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos pregos seguintes.
Carteiras de 12 tubos grandes. l^OOO
> de 24 tubos grandes. 18,5000
de 36 tubos grandes. 213000
de 48 tudos grandes. 30000
> de 60 tubos grandes. 335000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1/5000.
Sendo para cima de 12 custarao os pregos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
flil vitos.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
d tus grandes Voluntes com diccionario............ 20#000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 10^000
Repertorio do Dr. Mein Moraes............ GjOOO
Diccionario de termos de medicina........... 3#000
Os remedios deste estbele raento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto da serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
v.:rJi letro-i, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
vrjrl i leiro assucar de leite, notaveis pela sui boa conservado, tintura dos mais acredi-
ta los esta!) jle3im3ntos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portantoa maior
eaergia certeza em seus effeilos.
Casa de saude pira escravos.
Rcebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
.1
O
O
S

Ranteiga ingleza perfeitamente flr chegada
ltimamente no vapor Saladim, de 15
a 1)9120 a libra e em barril terabati-
mento.
dem francesa rauito nova a 1$ a libra, e
em barril tora abatimeato.
Banha de porco refinada a 640 a libra e em
barril ter abatimenlo.
Cha uxim de superior qualidade a 2#600.
dem perula miudinho a 2700
dem hysson especial qualidade de 25500 a
25600 a libra,
tdem preto muito especial a 25000 e 25iOO
a libra.
dem do Rio em latas de 45000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 15200.
dem da creditada fabrica de Bialo Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doeutes a
25 e 35 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 35500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de soda e oval a 25..
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Ghouricos e paios muito dovos a 900 rs.
a libra.
Gaixas com macarro talharim muito novo a
55000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 15000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 19000 a libra
que j vendemos a 15400.
Doce da casca de goiaba em caixes de 4 e
meia libras seguro a 15800,
dem em caixes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 640.
dem secco em bocelas ricamente enfoitadas.
dem com 4 a 5 ditas a 35200.
dem vasios de todos os tamauhos a 25000,
15500,800 e 640 rs.
Queijos de 25300 a 25500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
25000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 45GOO a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
a libra, e em barril de 5 arrobas a
105500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
65500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Asnea 65000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. era caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 35200 a arroba e 100
rs. a libra..
o^iirv-o, p ra o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O rat mento o raeilnr possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fuiccionando a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pessois de cujo conceito se nao
pode duvidar, qie polera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 25 p)r dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
Asoperacoes ser) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
contando pera, pesego, ameixa, ralnha.
e outras frutas a 35000 cada urna.
(dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfetadas,,'ctfritendr>,
pera, pesego, ameixas e outras'frutas
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 15200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 25000 a 15200.
dem em latas de 1 1[2 libra a 15.
(dem em latas de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas oeste ultimo va
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
em latas j pre-
DAS COLL1T11XAK.
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o qne tem vindo a Prnambuco de mellior gosto
em sei.
Assim como mais algumas fazeadas de bom gosto para vestido.
RIJA DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES HE SEDA
Cliegaram pelo paquete inglez riquissiraos cortes de moreantique de cores, e seda larrada pa-
droes luteiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o cavado
5RUA DD CRESPO-5
Gregorio lae? do Amaral A Companhla.
avaHado.
Francez barrica 5O0O
fortland idera 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Porlland dem 12,5000
No armazem deTasso Irmaos caes do'ApoMo.
Veode-36 urna escrava crioula, reeoihida,
cam 18 annos de idadp, que sabe cosinhar, lavar,
-'-!!nr.recoser, habilitada para qualquer ser-
Ota >!e casa : a tratar na rua da Alegra casa
i into ao n 1. _____________________
Vinhns do Porto
' -- melhores marcas, em caixinlias de una duzia
da jrrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Duuro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
Ufan anc retas d dcimo encapadas com superior
indo, barris de a9 e 10 em pipa : na rua do Vi-
Sario n. 19, primeiro andar.
I/l'CVS, VIDROSE
CHRYSTAES.
A loj de louc-a da rua do Crespo n. 16 tem para
vender qaantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como lou;as de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as qaalidades, inclusive Gnissimo
chrystal, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, figuras e oulros muitos objectos de -
nissima porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, te, guarnigoes de finissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, tudo do melhor gosto, pinbas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para
gaz, globos e chamineis de vidro, boccaes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qualidade, c muitos outros artigos que
seria enfadonho rnenciouar, tudo por prejos mui-
issimos razoaveis.
Feijo verde ou carrapato
parado a 640 rs.
\meixas em frascos de vidro a 15500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
15200 a 25500.
Conservas Maride muito novas a 700 rs. o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco,
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em lalas de 1 \\2 libra a 900 rs.
Vinhos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pa, D. Luiz, Pe-
dro Y, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 14 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Pal mella a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com sn-
penor vinlio Lisboa e Figueira a 2 5 a
ancoreta.
dem branca expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 45 a caada,
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35500
a caada,
dem do Porto especial qualidade a 890 rs.
a garrafa e 55500 a canad-
Idom Bordeaux em caixas stt5 e 70 rs. a
garrafa.
Champanha a melhor do mercado viada de
nossa encommenda a 305 o gtgo.
dem mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
35 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 15000 e
15500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa,
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja ver ladeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco,
dem de Hollanda verdadeira a 65 a fras-
quera e 600 o frasco,
dem de Hamburo a 55500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafoes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 85, com garrafo.
dem com 14 a 15 garrafas a 65.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500,
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Rio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
*Netto a 35500 e 15300 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 1500
a/meia caixa e 55200 a caixa.
Hem mececipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaes do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35400 a caixa.
dem jovens de Castanho & Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 156O0 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
* comer a 15500 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpista muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porco 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Yellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeionas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25300, 30000
e 45000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
Sevadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrellaba, rodinha e pevide a
400 a libra. |
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma,
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 je
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porco lera
abatimento.
DE
AZEVEDO a FLORES
Rua da Caileia do Recife, esquina da Madre de Deus.
BALOES
Os ricos bales de arcos com muita roda para senhoras.
Balies de arcos para meninas de 2 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500.
Chapeos de sol.
. Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 105.
dem idem com 16 asteas 125-
Chitas.
Chitas largas soffriveU a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas francezas de 15800 at 55 das seguin-
tes variadas qualidades: pregas largas, ditas miadas, peitos de fusto e de cores.
Caiinisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 45.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Calcas de brim pardo superior a 25500.
dem de bonitas e superiores caserairas de cores.
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pescoeo.
Ricas mantas para pescoeo de homem de finissima seda e de ricos padres, que
s o Balo tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 55,
COIIETES.
Golletes de casemira a 45 e 55-
dem brancos a 25500 e 5.
Saceos para viagem.
Saceos para viagem a 55 e maiores a 65.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppe sempre ser as mesmas fa-
zendas.
i



Outros objectos.
Vindos tambem para a antiga loja de
miudezas rua do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setim branco bordados pa-
ra baptisados. v
Outrus de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mui linas de o da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para sentaras.
Ligas de dita para senhoras e meDinas.
Pentes de tartjruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas lellas grandes de aeo,
donradas, madreperofa e tar-
taruga.
A loja de miudezas rua do Queimado
n. i 6, recebea um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
esta o sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoreo achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oeuios de penetra e de outrus
qualidades, para quem soffre
da vista
A'loja de miudezas rua do Queimado
o. i6, tambem recebeu oculos de penetra
com vidro3 claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armac3o
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos deoroalina, os quaes esto
a disposico dos bons christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na rua do
Queimado o. 16.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos tamaitos.
Loaelos de dous videos com aro de aeo, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, rua do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netas e oculos de vidros com armaco fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis: os pret^ndentes diri-
jam-seaestaloja na rua do Queimado o. 16.
Vinbo do Porto superior em caixa de duzia,
uro para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
d> A C. no sea escriptoriorua da Cruz p. 1.
Azeite.
Veudc-se em porco e a retalho, mais barato que
os matute de cargas : na fabrica da travessa do
Carioca d. 2, caes do Ramos-
Veudc-se
um rabriolet de 4 rodas de don- e quatro lugares,
I muito leve, para um ou dous cavallos e commodo
I prego : a ver na cocheira rua da Roda n. 60 e a
tratar a rua do Livramenlo p. 38._____________
Farinha de mandioca.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
I vedo & C, no seu escriptorio roa da Craz n. 1.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
mmmmmsgm
Potassa da Kussia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n, 19
Padaria.
Vende-se urna padaria nesta cidade, callocada
am boa posico, e com excedentes commodos : a
fallar com Joo Querino de Aguilar em sea arma-
zem no caes de Apollo.
Esponjas linas grandes c pe-
queas.
Veode-se oa rua do Queimado, loja de
miudezas o. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas rua do Quei-
mado n. 16, acaba dereceber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
Fitas finas de sarja da mais eslreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agrada-
reis cores.
dem tambem de sarja lavrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
drres igualmente novos e bonitos.
dem de gorgur5o de seda achamalotada.
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, colletes, palitos, etc.
dem de la igualmente sortidas era cores
e para os mesmos fins.
dem de algodao brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques, rostidos pretos, etc,
Novas e lindos guarnieses para enfeitar
soutembarques, vestidos pretor, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernissima.
iChegaram recente
mente as seguintes:
Aguas mineraes naturaes de Vi-
S chy, dita de Seltz, dila sulphurosa
m das Caldas da Raioba, dita azeda
I das Furnas da Ilha de S. Miguel,
| sendo estas duas excelentes para
jg combler as raflammacies de este-
Mi mago, da garganta, azias etc.
S Chocolate medicinal de musgo is-
I Iandico, dito ferruginoso, dito de
B bauoha, dito de familia, dito pur-
R gativo etc. Pastilhas pulmonicas
m inglezas contra a tosse, pifulac de
Alison contra sezoes. ditas da vida
5 de Thomaz Parr, ditas depurativas
I e purgantes de Mr. Debaut, todos
I os preparados de Kemp como pi-
_ lulas assucaradas, salsa-parrilha de
m Bristol, peitoral de anacaubita de
- Kemp contra tosses, calharros,
asthmaetc, bitter aromtico esto-
macal e copos de Quassia para tor-
nar em poucos mioutos os lqui-
dos amargos e tnicos para o esto-
mago : venda na rua da Madre de
Dos n. 1, botica de io) da C.
Bravo C.
Os Srs. fabricantes de po, bola-
cha e cooserveiros encontraro car-
bonato de amonaco muito branco e
forte em liandres, potassa ingleza
refinada e secca. essencias puras
de limo.dita de hortela pimeola,
dita de Neroli e tintura de carmind
para corar amendoas etc.: na mes- I
ma botica de J. C. Bravo 4 C.
mm
l
i
Attenco o barateiro de ob-
jectos chegados de novo;
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro Anos
com i\ luzes, do melhor gosto e por preco razoa-
vcl; assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores diferentes; ditos de por-
celana dourados e pintados e braacos; apparelhos
para jantar de porcelana branca; tamnem se ven-
dem em pegas separadas, como os frepuezes qui-
zerem, compoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho litios e ordinarios, em caixao e a re-
talho; linternas de lodas as qualidades de vidro;
ditas de casquinno inglezas muilo finas ; candela-
bros de vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para eh; e outros muitos sortimentos de todas as
qualidades e precos commodos vontade dos com-
pradores, que se vendem na rua da Cadeia do Re-
cife junte o arco da Conceico n. 64, e na rua
Nova no. grande armazem de louca e vidros justo
igrej da Coaceic^a do Militares a. &
i>
I
a rt itj 9
ti
i


Diario de Peroamboco Ter^a clra & de Sctembro de 18*.
tes
f
*
o
LIGA.
ESTABELEGIDO A RA NOVA N. 60
3212 "JlDUiM D2 81 MIRH m
AO
RESPEIXAVEli PUBLICO.
A apreciacio dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortment [de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangeinTpodem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
- 1." Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posicao social gozam de ccrto tralamenlo, acnarao nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos Gnissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic5o do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de
nanitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara, para ne-
gociar, deven vir, pelo seu proprio interesse, a esle estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os seahores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DIMIEIRO A VISTA:
ATTENC&O
OS precoa da seguate
tabella para todo, pu-
dendo aasini servir de ba-
se para o ajuste de contas
com o portadores;
AO PUBLICO
Sem o menor eonstran-
glmento se entregar o
Importe do genero qne
nao agradar.
ARMAZE
RA DA CADEIA DO RECIPE N. 53
(Logo passando are da t oneelco)
PARA BEM DE TODOS,
Senhore? choras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimeEto, e mais que tudo a promptidao e intei-
ezacom que ser5o tratados lonvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a protecc5o e preferencia na com-
pra dos gneros que precisare n e quando n5o possam vir poderlo mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
roissero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendagSo, afim de quenovoom
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente escclhida a, Atetria, macarro e talliarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
l,ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 960
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
P.h hyeson do ouporior quolidado 2,0UU
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l.Coors.
Massftpara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
* oha branca ouamarella a G4o rs.a libra e
J3,5o'a c*tsa com 8 libras.
vino ao"Punu luuuu uno propnu para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,000 rs.
Vioho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, loo e Soo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,800.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
dem preto o que se pode desejar neste ge- Vinho branca para missa em caixas de i du-
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas era latas de todos os l-
mannos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. 0 molho.
Absyxtho a 25000 a garrafa.
B
BOLACHLN'IIAS do Beato Antonio era latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a I700.
dem de seda em latas grandes a 23000 e
de cinco para cima a 1^800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
1-5200,1(5250 e 1<5300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 14 a libra.
dem de musgo a 13500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 13800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kcgalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2000,
22<>0, 25560 e 23800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
3J0 rs.
Mem lapidados de todos os tamanhos a du-
. 7a a 23500, 33500, 43 e 53-
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 c 13500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. 0 maco
^.de cinco macinhos.
o
Graixa era latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
K
1 KIRSCH de Wasser a 23 a garrafa.
<
' LATAS cora graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 13, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6CO rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. 0 frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 1 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
33500.
MiLiio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
PE1XE em posta, latas grandes, a 13C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargr, salmao, pescado e
pcscadinlia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparado.
Palitos para denles a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em quarto a 13400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
4
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
Mem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinqes a
II
RAPE' Meuron a 13 a libra,
dem Princeza do Rio a 13200 a libra,
dem francez a 23500 a libra.
*
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29;
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco,
-500 rs.
Sag muito novo a
T
ero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato a 800 rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas |
em latas hermticamente lacradas a 64o.
FeijSo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,000 e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e I,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,000 rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li;; Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta em latas hermticamente la-! de Brito no Reato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por2,5oo rs.
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francez;'.s em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-! tampa do mesmo, a !35oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,oop e Ameixas franca zasem caixinhas de diversos
8,000 a caixa.e64o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueras>le genebra do Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e ll,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
tatMnhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8coe 2,ooo
cada urna.
Aza^docrefinado hespanholouportuguez
\ M0 rs. a garrafa e lo:000 a caixa.
Batatas muito novasa 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-.
Conservas inglezas a 7
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
rs. o frasco e
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a Leotilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o: Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-1 13 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a ooo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5.800. 6.000 e 6.000 a do-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,000 a caixa ou em nieias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,000 a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2co a grosa.
Toucinlio de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito propiias para
mimo, a i.Goo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
faro preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 000 rs. a garrafa c
1.5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,000 e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a cariada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
E' BARATISSIMO111
Grande liqoidact fcit nacional, na ra da Imperalriz
n. 72, loja de Guioiures A Innao,
Os proprietarios deste estabelecimento tem re-
solvido liquidaren suas fazendas por precos bara-
tsimos s com o flm de aparar diuheirn, aprove-
tem as pechinchas.
Veode-se um grande sortimento de chitas fran-
cezas largas a 260,280, 300 e 370 ocovado ; ditas
percahas muito finas a 360, 400, 440 e 300 rs. o
covado : islo s na leja de Guimares & Irmao,
na ra d. Imperalriz n. 72.
E' muito barato !
Cortes de la cara vestido de senhora a 3(5.
Cortes de laa a 3#.
Cortes de la a 3(5.
Aos 3,000 covados de 15a,
Yende-se laazinhas dequadrese de Itetrinbu de
lindissimos padro*'? a 220, 240, 280 e 320 rs. o eo-
vado, vende se assun barat por ter mmta porcao
e querer se acabar : isto s na loja de Guimares
& Irmao, ra da Imperalriz n. 72.
Aos 2,000 chales de merino.
Vende-se chales de merino estampado a 2{OOO
e 2>o00, ditos de merino liso a &WO. 4 e b$,
ditos finos a 6#500, 7, 750 e 8.
Grande sortimeuto de cor es de vestido de cam-
braia com barra, pelo barato prego e ."i, 3z00 e
3 500.
Ditos de chita a 25, 2,8500, 3^e 35500.
Vende-se pecas de madapolao com i jardas a
-"|)0. 55, 65, 75, 85, 95 e 105
Dito francez com 12 jardas a 35500, 45,45500
e 5500.
Yende-se um grande sortimento de gollinlias
para senhora e meninas pelo barato preco de 320,
400 o oOO rs. cada urna : isto s na luja de Gui-
mares & Irmao, ra da Imperalriz u. 72.
itoupa lena
Grande sortimento de roupa feila de leda as
qualidades, que se vende por presos baratsimos:
afflanca-se que se vende por mem s O (or cento
do que tm oulra qualquer parte.,
Ka nova loja de fazeuilas de Gniuares
k Irmao.
Una da Imperatrlz n. 92.
Terrenos venda.
Yende-se um terreno proprio para edificado,
collocado no centro da cidide, com 68 palmos de
frente e 218 de fundo, tendo tres fronte?, para a
ra da Palma, da Paz e da Concordia : para in-
formaeoe?, na ra do Soi n. 37.
DO AFAMADO JOUVIN.
Yende-se pelo prego de 25 o par luyas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo vapor,
para homem e senhora : na ra da Imperatriz loja de raindezas n. 54._____________________
Cfiran-<03353>>-02=3>,1^2

TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
v
VINHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 5000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 1#500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 24 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, DuqUe a 10 e 10SOO.
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. Chamisso a ^ ^OO e 1,5500 a garrafa.
D. Luiz a 1(8 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2)5 a gar-
rafa.
Carmelos a 1$.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n3o ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e i& a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 2? a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
rvaooce a 400 rs. a libra.
FARINHA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a i Vinho figueira em ancoreta a 200.
800 saceos, de todas as qualidades, de to-' dem Figueira e Lisboa era pipa a 20500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. l caada.
Na otBcina de ferreiro da ra do Jasmlm d. Catangas Anos e brlnqacdos
24, ha para vender urna carroga feita, com esmero para meninos.
e propria para carregar urna pipa com agua, afim (j,earam nara a ]0ja de miudezas da ra do
de vende-la pela ra. Na mesma offleina ha taro- QaPmado n. 69, os mais finos e lindos calungas
bem um cabriolet de duas rodas, novo e muito bem tan(0 _ara hnnqaedo de meninos como para cima
acabado quera pretender estes objectos, pode di- d na mesma |0a se encontrar bom sor-
rigir-se a mesma qae achara' com quem tratar.
timento de miudezss.
5005000.
Yende-se por 5005 urna crioula de 35 annos, sa-
nia e robusta, sabe cozinbar e lavar bem ; s se -
vende para o malo, e o motivo se dir ao compra- quem receben fot o beija-flor, na roa do Queimado
l.uvas de pellica.
Recebeu pelo ultimo vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras: s
I numero 63.
B
S O. w
Is-Si.
.^
M
~. O

3 E.g.a3 =
g o as 5 0.3 a a
STK o._ "s 3 os
^ SJO -St3^ 3
^ C/J O aj m ^
o o
Ti -J
en g
ce
o
8 3

O, a> co
a.

es
tn(>9 D-p
1/1

o-? a o % g>
ce
o a
S.B KS-8 .;&
*lll tSM
rflPl S3
-1
3.1
2">B W
c* 5 O a
f _, a a.
llil
i
o
o
a
' 09
B2. -5
5?&
o,
O 09
09

Cu
BFi
09
B
o

oq
09
3
09
O
2
O
>
o
Tasso Irmaos
Vendciu no sea armazem ra do
Amorim 11. 35,
Licor fino Curago em botijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhoscheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se paimeiras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio murado es-
querda, depols 1 do becca do Espinheiro, nos Af-
flictos.
MCHIN\SEP4TEOT
de trabalhar mo para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDA
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especi*
de algodo sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
otrabalho; pd*
descarocar urna
arroba de algo-
dio em earoco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarocam 18 arrobas de algodo
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
eutrss dessas machinas.
Os mesmos tem para vender nm bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-lo, no arma-
xem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Saunders Brolhers&C.
IV. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
31
Deposito de cateado fabricado na
M casa de deteoco rna Nova
1 n. 61.
m Ahi se encontrarao obras de diversas
g5 qualidades e por precos mui diminutos, a
jj| retalho e em porgues. S se vende a
v nheiro.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qnalidade a
120 a lata : nos armazensda ruado Im-
DE KEMP,
NOVA YORK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGRADAVEIS
Infinitamente mais eflicazes do que todos
os mais remedios perigosos enauseabundos
que existem para a expulso daslombrigas.
Nao causam dores e produzem seu effeito
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e toincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que ascriangas esto
promptasa lomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de fazer
remover as obstrueces do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algum, as
PASTIXHASVERMIFtGAS DE KEMPS SlO promp-
tas einfalliveis na sua operaco e por todos
os respeitos dignas deconfianca e approva-
clo de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
Nova York.
Deposito geral em Pernambuco roa da
Cruz n.22 em casa de Caros & Barboz
Ias para vestidos a 240
rs. o covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se superiores
las para vestidos a 240 rs. o covado ; a ellas, an-
es que se acabem.
E5CBATOS gPOS. v
Fugio.
To dia 6 de agosto o escravo crenlo de nome
Tiberio, idade de 20 a i'< anuos, estatura baixa c
com farla de um dos denles de cima, toi eteravo
flo Sr. Francisco de Albuquerque Maranho Ca-
valcfnti: quem o pegar ou delie der noticia quei-
ra dirigir-se a ra da Cadeia do Recife n. 33, loja
de Valle Turto & C, que sera' recompensado.
Ao amaiihecer do dia 26 de aposto fugiram
do cegenho Camaragibe dous esclavos crioulos,
ambos carreiro?, sendo r.m de cene Stnro, na-
tural do sertao A Outicuiy, alio e b(m feto, cara
redonda, nao muito preto, e soITre de urna hernia;
o outro de come Nicolao, uasiido no mesmo en-
genho, tslalura ordinaria, secco do eorpo e robus-
to, ca mesma occasiao dfsappareceran 3 turros
do servico do engenho. de snppor f;t'c teclum si-
do levados por eles, ou r,pr a'pom (:ce lhes ser-
vio de guia e seductor, porque i>a Otile preeeeo-
te a sabida dos ditos fscravos foram vistos dius
hemens em nnrru nica cao com o SrnHo junto .i
cmrada do engenho : quem prender e tronrer di-
tos rscravos ser rerempensado
ltense.
Fugto no dia 27 do correle rcez de agosto, do
engenho Frerlieiras, freguezia da F.srada, o esrra-
vo'muiato araborolado de nume Ci>iu anuos punco mais cu menos, csi:.j-u
do curpo, (alia um pouco gago, ce ff> |^p'ilsu;la no
roslo do lado direito, sarnas pe!o4KPp, levando
camisa branca um tanto comonda^cAlca de .brim
tranco cem pintas encarnadas, cl.apo decoro
com iba bastante grande e um isnio vello. Esse
escravo foi comprado pelo seu actual senher Jos
Rodrigues de Sena Sanios, nesta cidade, no dia 10
deste mesmo mez, ao Sr. Fracasen Goncalm Li-
nliares, morador nos Milagres, provincia do Ceara,
leudo vindo por Ierra ; e pertencia a [.renles ou
pessoa de ametade do diluLiuharr.-, t;u? he en-
tregaran para vender. Roga-se as ; uiondades po-
liciaes, capiles de campo e pessoas ^aniculares,
de apprehendcrem dito escravo e dirigirtm-se a
seu stnhor no referido eugenho, cu a' ra do Im-
perador n. 42, a Antonio Ge mes ta Cunta e Silva,
qnp se recompensara' hem.
Ausenlou se de casa no dia 2o deste mez a
escrava Ignacia, crioula, cor fula, denles lindados,
beifos grossos, estatura regular, cheia do corpo,
levt'U vestido encarnado, chale de la preto velho
nos hombros, e mais alguma roupa de seu uso :
na ra da Penha n. 17 se gratificar.
Gratificado de 100$000.
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de
Janeiro do corrente auno, o seu escravo de
nomo Jos com os signaes seguintes: ca-
bra escuro, cabello carapinlio, estatura bai-
xa, cheio do corpo, ps largos e faz um gei-
to as peinas quando anda, muito pouco
barbado, e tem urna cicatriz hem visiyel em
um lado do queixo, e oulra bem grande
nasnadegas, proveniente de surta, cujo es-
cravo compramos junto c m outro ao Sr.
capillo Silvino Guilbetme de Barros, e este
Sr. os havia comprado ao Sr. Joao Cabral,
morador em Nazareth. Consta-nos que este
escravo ilho do Brejo da Madre de Deus
aonde casado e tem filhos, tendo-lhe mor-
rido ltimamente amulher: portanto rega-
mos a lodas as autoridades policiaes a sua
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car com a quantia de 100# se o troucerem
seus senhores nesta praca, rna da Impera-
triz, refraaclo n. 46.
Luiz da Silva Ferreira & C:
ttenco
Acham-se fogidos os escravos seguintes: Bento,
mulato, idade de 2o annos, cabellos aunelados, sem
barba, dentes um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descansada ; e Luiz,
criouloj i m pouco veiho, altura regular, muito
cabelludo, tarba com algnns cabellos brancos, as-
sim como >a cabeca, corpo reforcado, olhos um
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finge se
rouco : pee e-se as autoridades policiaes e aos ca-
pites de campo que os facam apprehender e con-
duzi-iosa' qas de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompensar,
e Ibes pagaf toda despeza que Gzerem com a sua
conduegao: suppoe-se que elles lero ido em se-
gnimento dos sertoes desta provincia, por serem
Qlhos desses lugares.
Est fgido o escravo Liberato, preto da
Cosa, alto e magro, bracos e percas linas, cara
retalhada, sem dentes na frente, olhos grandes e
vermelhos, lem os ps e maos chelos de cravos
boubaticos, traz o cabello junto das orelhas raspa-
do de poueos das, levou vestido calca branca su-
ja, camisa de riscado, blusa de laa azul desbotada,
chapeo do (.hili muito velho : quem o apprehen-
der e levar a casa de seu senhor na Passagem da
Magdalena, ser generosamente recompensado.
As melhores chitas francezas de cores
escoras e fixas a 280 rs. o
covado!!
Na ra do Queimado n. 1 vendem-se chitas l'ran-
perador n.16 e roa do Trapiche Novon. 8.1 cezas escuras e finas a 280 o covado.
Fugio no dia 18 do corrente mez o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
ou menos, alto, rosio comprido, soissa pouco fecha^
da, ps grandes e chatos, e cosluma andar de alper-
gatas, levou camisa de algodo, calca* velhas a
rotas, chapeo de palha velho, e tamben um bonet,
carangnejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel que tenha Ido para Serinhiem
ou Rio Formoso, onde j tem sido capiurado por
vezes. Roga-se s autoridades e capitaes de campo
que apprehendam e o levem ao seu senhor Jop
Cavalcanti Laroenha Lins, residente na Estraa
Nova,sitio de Jeronymo de Hollanda Cavalcanti de
Albuquerque, que se recompensar generosa-
mente.
li
-

\


Diario de rernaaabnto Terca lelra 5 de Set cimbro de !*
TBEATUO DA GUERRA.
Suprema a siluaco em que ficam os negocios
da guerra a' sabida do vapor que conduz esta cor-
respondencia, (o Carmel com dalas de 15 de agos-
to.) Tudo leva a crer que no momento lalvoz em
em faier seguir esses individuos para Buen>s-Ay- Hlra. e Exm. Sr.Accaso o recebimento do offl-
res, onde sero melhor vigiados. co datado de 21 de junho ultimo, em que V. Bxc-
De Buenos Ayrs tinham marchado para a Con- solicita urna pencao para a desenturosa mai do
cordia mais ura batalhao da guarda nacional, sob capito leneote Bonifacio Joaqulm de Santa Anna,
o commando do coronel Mateo Martnez e o de vo-'morto gloriosamente em combate a bordo do vapor
I un tartos italianos do commandante Suilni, que f-' Beberibe, que commandava. Apreciando como de-
ra ltimamente organisado. i vo procedimento de V. Exc, apre3some em res-
m. I ponder-lhe que certamente divida de honra para
nana tambero partido para o mesmo deslino o i ., ,_
a naeao, aquella que tem por flm remunerar os
servigos prestados na guerra actual, e que conven-
para o mesmo destino o
I ministro lia guerra general Gelly y Obes, que val
qir escreva estas linbas um grande ac-ntecimento. occapar 0 earg0 de c|wfe do estodo.,naior do exer.
se lenta verificado no alto Uruguay. !C|I0 em 0perago=s.
as alunas noticias que temes deste ponto nos Durante a sua ausencia, o coronel Julin. Marii-
annunciam a proximidad-? de urna batalha entre as aet o snbstitaira' na pasta dos negocios da guerra
duas columnas Invaso-as e as divfeSes dos gene- As ^.^ ^ p ^^ ^ a s ^ ^^
raes Caldwell, Canavarro e Flores. ,., ,
O successo mais importante all occorrido, foi o
No dia 8 do correte (ultima data) fleava a co- d) deSiituig5o do general Robles do commando do
lomni paraguaya que iuvadio o territorio riogran- exercito paraguayo que opera por aquelle lado,
acuse as visinbangas da cidade de l'ruguayana, eaao substiluido pelo geoeral Barrios, o chefe que
que, segundo annunciam aqui as ninas, foi pre- llVadio Malto-Grosso, o que ltimamente era o rai-
viamente. abandonada por nossas forras, por ter-se D|Siro da guerra.
rceonhecido a impossibilidade da defeza, em virtu- Rutiles foi preso e conduzido a' Humaita'. O seu
de desna p-sieao lopographica, dominada como crm?) diz.se> f0i ter-se mostrado mais humano do
por urna coxilha. d'onde o immigo pode.ia var-. que deSt.java 0 cacjlJue do Paraguay.
rer com sua artilharia todas as ras da cidade. A cnegada do novo general foi seguida de um
Abandonando a povoago, as nossas torcas, as. novo raovimenlo.
quaes ja' se haviain reunido as divides do coronel | As tropaSj qae se acnavam acampadas entre Cor-
Fanaudes e do torio da Jacuhy, se concentraran rieules e 0 E(Upedrad0) dividiram-se ere duas co"
> u dislancia de duas leguas, e d'abi marcha- ,U(onaSi e a 31 do passado pozeram-se em marcha,
vam sobre o immigo, que, a estar (.ela, correspon- meroindo se urna 'em direccao a' Curuzd euati,
deudas das folhas argentiuas, evaeuavam ]a' a U- com 0 projecto provavel de apoiar o exercilo do
rogaayaoa, eunheceudo a falsa posico em que se Uruguay e a outra seguindo para o sul, ia em
ada varo. caminho de Goya, achandose no dia 3 em Cuevas,
Esla uoticia, porro, que (az suppor a oceupa- a' tres legoas a quem da Bella Vi>la, cuja popula-
i i i uomulauea daquella importante cidade pelo gao, assustada, se passara loda para a outra mar-
depois de deitado para a operaclo, a arteria tibial
posterior eslava laqueada no ponto escolhido, isto
, 1 polegadas cima da ferida; entilo, pedindo eu
ao collega, que com tios fazia a compresso so-
bre a ferida, que a suspendesse, vimos todos que o
sangue jorrava anda, porem mais fracamente, co-
mo se a arteria anda nao tivesse sido laqueada
completamente. Eu eslava certo de que a arteria
tibial estava laqueada, porm, nao sabendo se
igual certeza exista tambem no animo dos colle-
iniiiiigo carece aiuda de conlirmag.io.
i*ur umiu iauu a expeaigao as ordens do gene-
ral Flores, retorgado com mais 1,000 liomens da
divisao de Goyo Suares que com aquella izera jone*
gao era Monte-Caseros, e com as dos coronis Re-
qu.-ra e Paiva, se achavaja' passando o rio Miri-
nhay, pelo Passo de Rarairez, a 23 leguas du Passo
dos Livrvs, onde se encontrava a coiamna para-
guaya, que desee pelo lado argentino.
A' mesma expedigo devia ter se reunido o ge-
neral Pauuero, que no dia 8 se aeliava sobre o fio
asipjue, a pouca distancia do Miriuhay.
Asaiin e que, reunidos todos esles contingentes,
contara o general Flores com urna forca de cerca
do i.OO horneas de tropas escollada, e com 30
(tecas de artilharia, torga mais do que suQicieale
ura auiquiiar a columna quo se acha no territorio
argeatiuo. e poder coadjuvar a operago que con-
u a d ouira columna devem ter emprel.eudido os
generaos Caldwell e Canavarro.
Para apressar as suas operares, o general Fi-
les deixaudo a sua infautaiia e arlilharia na Pas-
so Jo lUmirez, se bavia adiantado com a cavalla-
ria, forte de 6,800 homens, a descubrir o inimigu.
Se, como corre, afoiga paraguaya nao excede
Jo 3,000 iiounns, muito provavel que aquelle in-
trpido geueral nao se teuha coulenlado com um
simples reconhecimenlo. e mu que ja' a haja bali-
do, sem esperar a iufaniaria.
Em ludo o caso o que cerlo que o exercito
paraguayo do Uruguay se acha eueurralado en;re
torcas muito superiores, e sera que possa esperar
apoio do outro exercito do Paran' do qual esta'
corlado.
Este parece ler sido o objecto da txpedieao cou-
liada a pericia do infaligavel general Flores, e, a
ju!gar-se pelos dados que temo.-, nao poda ler sido
mclior e mais promptamenie realisado.
As torgas brasileiras no alto Uruguay, com
quaulo na maior parte de cavallaria, >o numero-
sas, e nao baixaude de 10,000 homens, e por cerlo
ni.) deixario de seguir o iiilmigo jue leera a vista,
se este mlentar vir em soccorro da columna que se
acha uii%..^itd por fiCro.,.i Mstoa eamctro toremos
a va;tagem do numero, e talvez mesmo de armas,
se lor exacta a cifra que se attribue o corpo do ex-
ercito do geoeral Paunero, composii^ da llor da in-
notarla argentina.
Essa cifra, dizem as noticias do ieairo da guer
ra, elevase a' cerca de ',000 homens, con 26 pe-
gas, multas das quaes raiadas.
ueve-se lambera levar em linha d-_- cenia que no
alio Uruguay temos um vapor armado com duas
pegas e dous lanchojs tambera armados, que dilli-
ouium a comoi unicaco do ininlgo entre as duas
inargens.
Ja' aquelle vapor (Uruguay) conseguio capturar
um tanehio e intercepiar varias chalanas para-
guayas.
Nessa siluagio Qcavam as cousas a' ultima data
(8 dt- corrate) que temos do alio l'ruguay.
' muio possivel, pois, que o raesmo paquete
qae conduz esta carta, leve tambem a noticia do
resultado das operagoes que se execulavam no
healro da guerra.
O vapor que deve trazer a mala supplementar de
Buenos Ayres, talvez traga essa noticia que era all
esperada a todo o momento.
l>a Concordia as noticias alcancam a 10 do cor.
rente.
U exercito argentino prepara va-se para acampar
lima legua alm do oosso. Suppunha-se que esse
movimenlo era precursor da marcha geral do ex-
ercito alliado.
Deste acampamento tiraba ja' partido a incorpo-
rar-so a expedicao do general Flores urna brigada
as ordens do coronel Nicacio Borges, e composta
da legiao de voluntarios orientaes do commandan-
te liustar.iante edo terceiro batalhao de voluntarios
brasileiro-, commandado pelo teneote coronel Ro-
cha Galvao. .Esta brigada deve ja' estar reunida a
vanguarda.
Tiuha tambem chegado a Concordia a divisao
do general N'etto em numero de cerca de 1,000
pracas.
Nesta divisao se encontra o valente coronel
Illa.
O estado sanitario do nosso exercito a melho-
raodo progressivamente.
Failava-se muilo em urna entrevla que deve-
na haver no Itio Grande entre o imperador e o ge-
neral Flores, a que se seguira provavelmente urna
outra mais tarde de sua magestade con o pres-
deme Mitre.
Esperava-se com impaciencia o comego da reor-
gamsagao das torgas entrerianas, pensando muitos
que a demora da marcha do exercito alliado era
combinada para dar lempo a' rtuniao daquellas e
alii de assegurar a conflanea dos que receiam
da falla de cumprimeuto da promessa de Urquiza-
Contara, porro, que os raajores Espindola e
Dolores e outros 20 offlciaes das divisoes dissolvi-
das linham convidado o coronel Navarro para col-
lectivamente solicitaren! de Urquiza indulto, pro-
metteiido Ihe acompanha-lo nacampanha com o Pa-
raguay.
No da 23 do passado fallecer de urna lesao do
coragao o bravo coronel Luiz Antonio Ferrar, cora-
mandante de urna das brigadas do nosso exercito
O seu enterro, que effectuou-se na Concordia, foi
jodeado de todas as honras militares.
O governo argentino ordenara a internago dos
chefes blancos emigrados era Entre-Ros, cujas en-
tregas em favor do Paraguay, suppoe se lerem pro-
duzdo o successo de Basulado.
Diz-se, porm, que Urquiza tomara sob sua pro-
teegao esses emigrados, garantndo ao governo a
sua completa abstengio as questoes actuaes.
Parece, nao obstante, que o governo obstina-se
m ;i. do I'jIu.1 .
A nossa esquadra permanecer no Chimboral,
ja a ella haviam chegado os capiles de nar
guerra Rodrigues e Alvim.
Os paraguayos iam assolando as povoagoes Inde-
fezas por onde passavam.
A' maneira das hordas dos pampas roubara, vio
Iam e degollam os pobres que Ihes cahem enlre as
garras, arrebatando, para os seus acampamentos
as infelizes mulheres.
Em Corrientes levaram como prisoneiros para
Humaita' os princpaes habitantes, entre os quaes
ura irmiio do general argentino Virasoro.
Varias familias tiveram a raesma sorle.
Cou(irmara-se a noticia da norte do capillo de
fragata Mesa, em consequencia dos ferimentos do
combate do Riachuelo.
A iniilulada junta governaliva de Corrientes cha-
mara s armas todos os correniinos, declarando
por um decreto annexada ao Paraguay aquella pro-
vincia.
Houvera ura pequeo choque entre as torgas de
Caceres e as paraguayas ao passarein estas o rio
Ambrosio.
As primeiras, compostas smente de cavallaria,
carregaram toda a vanguarda inimiga, matando-lbe
20 homens.
O exercito de Barrios avaliado em 14,000 ho
meas, dos quaes 1,000 com 5 pegas de artilharia
se achara era i=ila-Vi.-ia, e 2,500 na cidade de Cor-
rientes, onde coustruem blerias.
Urna carta transcripta no Jornal doCommeicio
de houlem. 9 do Crrente, conim ura trecho que
eumpro nao deixar passar sera a precisa impug-
nacao ou protesto.
Diz o seguate, referiodo ura encontr da torga
imperial com a des paraguayos em Algrete :
t Apenas escaparam uns cenlo e tantos que en"
Iranharain-se por ura banhado profundo, onde mui-
tos desies raesnios ferio morrido ; os outros toram
bJ'.'S agarrados e iacrificados, foi urna malanga
liorrivel, mas o que fazer 7 e como evita-la ? os
nossos soldados e-la vam furiosos, etc., etc.
Ninguera ao ler Semelhante noticia, estamos cer-
tos, prestara' f ao que nella se conten por parte
dos nossos soldados.
E' preciso desconhecer os sentimentos do nosso
povo, os principios de humanidade que o dislin.
guein, e a generosidade e rasgos magnnimos de
que constantemente do exemplos os nossos sida
dos para se acolher por um instante una tal in-
formago.
O Brasil repelie-a.
Os Brasileiros fazem a guerra dilTerenlemente
dos paraguayos.
O estandarte da cruz nao comporta senao victo-
rias, que exprimam a verdadeira lula da clvilisa-
go contra a barbaria, o triumpho brilhante da li-
berdade contra os horrores da tyrannia.
E' o empenho nacional vencer, pelas armas sin,
mas nunca ver convertido o brioso exercito brasi-
'eiro em carrascos de homens, que sao infelizmen-
te arrastados peio phanalismo e pela mais lamenta*
vel cegueira.
E' por isso que protestamos em nome do exer
ci moeriai contra o que se 16 no trecho da carta
a' ijue acuna alludiraos.
i.* secgo.Ministerio dos negocios da marinha.
Rio de Janeiro, 5 de julho de 1865.
lllra. e Exm. Sr. Tenho presente o offlcio de
V. Exc. datado de 21 de juniu ultimo, e as parti-
cipagoes dos chefes e coraraaodantes dos navios,
que venceram o combate naval do Riachuelo.
Em nome do governo imperial, felicito V.
Exc. e aquelles bravos por ura acontecimento,
que honra a nago e immortalisa os seus defen-
sores.
cido desla verdade por ninguera contestada no gas, dllatei para cima a ferida feita para a laquea-
paiz, o governo ha de salisfazer o pedido de V. gao, descobri urna boa pollegada da arteria, e to"
Exc, nao s em relago senhora de quera se dos podemos ver claramente que ella estava bem
trata, como em g-tral a tJas aquellas que infeliz laqueada. Fazendo eu novas observagoe-, isto ,
mente se acharem em condfgdes anlogas pela comprimiodo ora a planta do p, ora os arredores
perda de seus naturaes protectores. da ferida accidental, e nao consegulndo suspender
Dos guarde a V. Exc.-Francisco de Paula da !de ,ado a h"">hahia, toraei logo a deliberagao
Sllueira Lobo. -Sr. vice almirante visconde de Ta- de pral,ca,r. a '^eagao da arteria tomora no seu
mandar lerG me<"i e me,a nor* depois estava ella con-
A ste< omeias den o Sr virrt.almirntB cixm claida' e a hemorrhagia comp elamente suspensa.
A estes omcios aeu o M, vice-aimirante viscon- 0 ,0 fo curado em suas [res ferjdaS( e levado
de de Tamandar a seguinte resposta : ao seu |ejl0 No undecirao dia cahio a M|?adura
,CoJmaa.d0?,n .cba/a da fr?a "*.?' da BrasI' >a arteria femjral; no vigsimo estavam as duas
toridas cirurgicas completamente cicatrisadas;
e aos 36 dava-seo raesmo na tonda accidental, e
o doente completamente restabelecido.
Passemos agora a fazer algumas reflex5es sobre
o caso que acabamos de expor.
as toridas das arterias a sahida do sangae por
ambos os extremos cortados nao n^vidade, isto
se v sempre nos lugares era que sao frequentes as
anastomoses; por tanto nenhura reparo merece
ver-se continuar a hemorrhagia nao obsiante a la-
queago de tibial posterior, pois que em seu extre-
mo Inferior sao rauitas as suas unies com as
suas rtainlm
Sedillot no t. 1. p. 290 do seu tratado de medi-
cina operatoria diz ordinariamente nao se des-
cobre a arteria tibial posterior se nao nos casos
de lesoes directas, ese deve collocar duas ligadu-
ras, urna abaixo, e outra cima da ferida ; a raza i
a mesma que cima demos : ora nos nao podia*
mos no caso verterte collocar a ligadura em nen-
bura dos extremos cortados accidentalmente, o jor-
ro do sangue, a profundidade da arteria dividida,
a ed era acia da parle, e erafira as al lera coes dos teci-
dos visinhos a isto se oppunhara ; eis por que a la-
queamos duas polegadas cima da ferida acciden-
tal ; e sendo ella improQcua, deviaraos nos ir faze.
la no seu terceiro medio, ou no tergo superior ?
O Sr. Sedillot responde que sira, por que tem vis-
Rio da Prala, bordo da crvela Sitluroy em Bue-
aos-Ayros 29 de julho de 1863.
lllra. e Exn. Sr. Tenho a honra de acensar a
recepgo do offlcio que V. Exc. servio-se dirigir-
me, dalado de 6 do correte mez, communicando-
me que Sua Magestade o Imperador, desejando re-
munerar os servigos que os offlciaes c pracas da
torga naval sob o meu commando lera prestado na
guerra actual, determname que remetta ao go-
verno urna proposia, em que sejam meocionados
os servigos de cada offlcial e praga, como tamben,
a natureza dos premios que me parecerem corres-
nnndentaS ao mpriln An anln nral ir.Aili*
Desvanecido por to elevada prova de confianga
que me conf re a magnanimidade nperial, pro-
curo con o uuior escrpulo organisar a proposta,
como me fon ordenado ; e para que a equidade
mais rigorosa corresponda a' honra que me resul-
la de seraelbanle incumbencia, investigarei com a
possivel minuciosidade, a conducta de cada ura
dos raeus subordinados, que tonarara parte no
brilhante combate naval do dia 11 de junho, e as
outrs aegoes em que se lera empenhade os na-
vios da esqoadra, que opera as aguas do Paran'.
O mesmo farei, como me cumpre, a respeito das
pessoas das pessoas das familias dos mortos na-
quelle encontr memoravel, que porventura teohara
sobrevivencia da pengo pecuniaria, que deveria
competir aos seus chefes ou protectores.
Esles dous fados por nim citados, unidos ao de
Guthric, podem ser de extrema utilidade para a
praiica ; flm con que fago esta publieagSo : e es-
tabelego o seguinte principio dado um /m'mmto
da parte mfenior da perna, nao te podtinio ahi
mesmo laquear o vaso rolo, deve se logo proceder a
lagueatfio da femoral, se permanecer a ktntor
rhagia.
Dn. Sa Pereibx
( Continuarse ha )
>ex
DH POUCO DE TUDO.
O Sr. Thoophilo Braga publica sol) o titulo de
Conos do Norte, do allemao de Andersen o se
guinle:
o ELF.
Havia ao meio de ura jardim urna roseira cober-
ta das rosas mais liadas, e em urna dallas, a mais
bella de todas, morava um pequeoino En', lira pe-
quenino, lo pequenino, que olhos mortaei. nao po-
dala descobri-lo; era lo (lasado e engrapado,
como o aojo mais encantador.
Tinha urnas azitas, que lhe desciara dos hombros
alo rogaren o chao.
Oh que perfumes nao liaba a sua habitagao I e
como as paredes erara liaas e transparentes, por
que erara toitas s de folhas de ro.-a I
Distrabia-su durante o dia aos ralos tepidos do
sol, voejava de flor em flor, volteava as azas in-
quietas borboletas, e conlava quaaios passus devia
dar para traaspor todos os caminhos, todas as ve-
redas que ha a'uraa folha de tilia ; o que elle to-
ma va por veredas e caminhos era ao que nos cha-
mamos as nervuras da tolda; oh sim 1 nao tinham
flm para ello, c aotc; do os perisorrer todos, ja o
sol se luida posio ; se tinha sahido lio tarde I
la ento comegando o fri, o orvalho cahia, o
vento soprava desabrido, era melhor regressar
voltar ao lar; corria, corra quanto poda, mas
achou j a rosa lechada, nao pode entrar.
E nenhuma rosa estava aberta.
O pobresinho do Elf amedrontou se horrivel-
mente.
Nunca tinha passado urna noite ao relalo ; ha-
via sempre dormido plcidamente delraz das folhas
tepidasda rosa.
Oh, isto devia ser a sua raorle.
to a ligadura da arlena popliiea, ou da femoral acar-
..Ve'.. *0!!.Uudad9. Para- .re"erar a V- relar 8raves accidentes sera dar a certeza de que
a hemorrhagia llque suspensa ; e com quanio, coa-
linua ella, grandes mestres afsim o aconselhem,
com tudo s se os deve imitar nos casos de absoluta
necessidade. No cadver pde-se descobnr com
, grande facilidade a arteria tibial posterior em todo
sen trajelo.
Eu pego venia ao respeitavel professor da facul-
Tra.balb.OS medlcoi 'aade de nie(*'c'na de Strasbourg para nao aceitar o
seu parecer ; e seguir em iguaes casos o d'aque1.
les que mandam laquear a femoral. Era lodos os
meus esludos pralicos sobre o cadver a iaqueagao
d'artena tibial posterior s-me pareceu fcil no
lergo inferior ; d'ahi para cima cada vez se lor
Exc. os protestos do rainha mais subida considera-
gao e respeito.A S. Exc. o Sr. conselheiro Fran-
cisco de Paula da Silveira Lobo, ministro e secre-
tario de estado dos negocios da marinha.Viscon-
de Tamandar.
m i'i a CLNICA MEDICA CIBUBGICA DO OH. COSME DE S PK-
BEIHA NA CAPITAL DA PROVINCIA DE PEBNAMBUC,
Ferida de arteria tibial posterior direita; hemor-
rhagia rebelde compresso, cautensago e
outros meios: laqueacao de dita arteria em
seu lergo inferior, duas polegadas cima da fe- na ella mais difflcil; esta difflculdade augmenta
rida, sem resultado; laqneago do femoral no anda consideravelmeute se o cadver gordo. Se
tergo medio; suspensao inmediata da hemor- no cadver ja se encontra lautas difflculdades, no
) hagia, e cura completa em 36 dios. ,
r vivo maiores anda devem ellas ser.
Observagao n. 527 do anno de 1863.-Continuago 0 yasaraenlo sanguneo as arteras pelos dous
do Diario n. 168 do correle anno. extremos cortados devido as grossas anastomoses
Nenhura ramo de medicina operatoria exige da ( communicagao de urna arteria com outra pelas
parte do medico mais conhecimento da anatoma suas collaieraes ); ora sendo a tibial anierior, e a
topographica, do que as lesoes das arterias; infeliz tibial posterior, os que mais se communicam enlre
do medico que, se nao adiando devidamenle pru- si na parle inferior da perna, est claro que qual-
parado, liver de prestar seos servigos a nnt4Mnte> quer operago para suspender a hemorrhagia em
que se esteja esvaindo em sangue, pois que, atra- alguma d'ellas deve ser feita em ura ponto que
palhado, confeuso, e ensanguentado mais que nin- comprehenda a ambas; isto da popltea para
gnem, e lanto como o proprio doente, Qjw*^oor- cima. Era o nosso caso de que servira a laquea-
rer, sera poder presiar-lhe os devidos soccorros. gao da arteria nniai posierior no tergo superior
O sangue que se esvae de urna arteria suja a to- ou medio, tendo-se ji a certeza de que nao aprovei
dos, afugenta a muilos, nao poucos cahem em deli- tara dita laqueacao no lergo inferior, o que dara a
quio, e s alguns lera a coragem de aproximar-se entender que o sangne provinlia de suas visinhas ;
do doente para prestar-lhe soccorros, e estes se a preferencia pois de um outro lugar para a ope-
vem logo manchados srdidamente era suas maos, ragao era iutuiliva.
em seu roslo e em suas vestes. A cor desla man- -"l,a ninha clinica foi este o priraeiro caso que
cha daquellas que mais locara a vista, verme- *'ve de proceder a Iaqueagao de arteria tibial, con-
Iha rutilante, seu aroma uauseoso ; ambos difflceis servando a perna.
de apagar mesmo com o lempo, e com boas e odori- A cessidade da Iaqueagao das arterias poste
toras lavagens. Finalmente todos, e os mdicos riores da Perna sa0 raras> eu s conhe5 um aso
sobretudo, eslo cerlos de que a sahida do sangue de la1<*gao da peroneal feita por Guthrie, citado
guando ne ten paradeiro, indicio certo de mor.' Pr Malgaigne em um soldado baleado na perna
eproma, na ra.ao directa da perda sanguinea. "KddoWS?F.rdendo mailo sangue por
Sao pnanlo be.n justos os rece.os que se tem, uma fenda d.arraa de f que lhe navia varado
quando se ve uma pessoa perdendo sangue. peraa) em consequencia de que Gulhrie lev que
Alm da norte, outros padeciraenlos podem iam- proceder a Iaqueagao da peroneal ; e para conse-
bera provir de uma arteria rota, como aneurismas gnir chegar a artera leve necessidade de fazer
intiliragoes sanguneas grandes abscessos, ele, uma incisao de sele pollegadas de comprimenlo, o
ele, etc. : sempre graves encoramodos. que foi ainda pouco, pois que fizera outra transver
Nos nada temos que ajuntar a esta grave queslao mente interessando quasi todos os msculos; e ain-
de medicina operatoria, da qual mui elevadas cap" da assim nao conseguio suspender a hemorrhagia
cidades medicas se tem oceupado; apenas varaos, ligando a arteria isoladamente, mas sim passando
narrar um fado que pode ser proveitoso para a | uma ligadura sobre a arteria, fibras, musculares,
ervos e veias etc., etc., ligando ludo em massa>
o que mo.
pratica, ei-lo:
Um preto africano livre, adJido ao servigo do ar'
seal de marraba, chamado Amaro, corlou casual-
mente o p cora ura vidro pela parte de dentro en-
tre o calcanhar e o lornozelo (malelo). Este preto
prestava eotao seus servigos ao seminario episco-
s pensamos que nada disto se dara com a
Iaqueagao da femoral, como procedemos com o
nosso doente.
Como quer que seja o nosso doente se restabele-
ceu com promptidn, sem quasi nada ter soffrido
pal de liuda, oade p*r dous mezes levou curando; com a operago que lhe praticaraos.
o golpe de seu p cora amarradellas a ingredien-! Um outro caso nao menos importante tivemos
tes, que all lhe aconselhavam; al que por flm o mezes depois. Voltava eu da Boa-Vista pelas duas
.Sr. Rvd. reitor, vendo que nao ia bem n'aquelle horas da tarde, em um domingo, e ao chegar a
O governo concede as dev.das remuneragdes aos estado 0 re8nvjoa para 0 arseQa, 0Qde foi ,0 0 vi. raa Nova, em frente da casa do oosso collega e
to pelos Srs. Dr. Rocha Baslos e o cirurgio Alves,anigo, o Dr. Ramos, encontramos ura grupo de
que lhe fizeram raethodicas corapresses locaes,! pessoas accuraulado tora e no corredor de sua es-
cauterisagoes com o nitrato de prala, e coagulagoes cada : urna destas pessoas chegou-se a mim, e pe-
com o per chlorureto de torro era solugo normal dio-me para ir ver um doente, na falla do collega
porm ludo foi baldado. a quem procurava ; aproximei-me do doente, que
' estava deitado no chao, coberlo de suor, lodo en-
sanguentado, tendo a perna esquerda amarrada,
um palno abaixo do joelho, com um cabo de linho,
offlciaes e pragas mencionadas por V. Exc.
Curapre-rae, porm,| declarar a V. Exc. que,
aproveilando desde j as informages do seu offl-
cio, todava necessito, e com urgencia, das que
compromelteu-se a enviar-me, afl-n de completar
o seu priraeiro irabalho, visto que os actos remu-
nerativos do governo devem ter por fuodamento a
verdade palenteada as participagoes offlciaes.
Espero, pois, que V. Exc. haja colhido os escla-
No dia 16 de dezembro fui chaman para nma
consulla, e em resposta, ou vidas todas estas infor-
mages, fui de parecer que se procedesse imjnedia-
lamente, Iaqueagao da arteria tibial posterior;
mas, como nada eslivesse prevenido, foi esta adia-
reciraeotos de que nao poda rescindir, e pelo pr-
ximo paquete habilite o governo a fazer justiga to da~para7dia7eg"uinteT
completa, quanto for humanamente possivel. Observagao presencial e operago. '
Dos guarde a V. Exc.-Francisco de Paula da Amaro tem na parte do p j indicada nma fe-
Silveira Lobo. Sr. vice almirante visconde de rida quasi redonda, de uma polegada de dimetro.
Tamandar. o meu dedo indicador, por entre um jorro de saul
i .^r,^,.------ gue, pode entrar por eila fcilmente, e ir tocar o
calcneo e o aslragalo, que eslo apenas coberlos
l. secgao. Ministerio dos negocios da mari-' por um lecido raolle, mas sem apresentarem alte-
nha.-Riod Janeiro, 6 de julho de 1865. raca0 alguma em seu volume, relages, dureza,
Mu. e Exm. Sr.Sua Magestade o Imperador- ele.: ao retirar o dedo de dentro da ferida, jor
torcido por nm pao, lo forleraente que tornara a
perna fria e insensivel ; mas sem suspender o san-
gue ; o caso era graue, e exigia urgente tratamen-
lo ; dirige me para a cocheira do Sr. Adolpho, que
flea em frente da casa do Dr. Ramos, e pedi ao
seu patro um canto, e uma quelquer cousa em
que podesse collocar e deitar o doente por alguns
instantes, e tudo rae foi concedido com a melhor
boa voutade : sobre um banco deilei o doente, cor-
No outro lado do jardim, lembrou-se que bavia
ura caramanchao de madre-silva, cujas flores tem
a apparencia de pequeas trorabeas malisadas de
dilerenies cores; em uma destas flores quera elle
iutroduzir-se, para all dormir al ao alvorecer.
Voou para l.
Pst I
O que havia all?
Duas pessoas estavam debaixo do earamaocho;
nm mancebo gentil e uma menina admiravedraente
bella; estavam assentados ao p um do outro, e
desejavam nao se separarera auaca, por que se
amavam lano, lanto, com mais candura do que
uma criancinha meiga pode amar seu pai e sua
mal.
E' torgoso separarmo-nos, dizia o mancebo ;
teu irmao Do cousente o bossj amor; por isso
que elle rae manda cora una mensagem muilo
louge, travs de montauhas e de lagos. Adeus,
noiva de minha alma, mnha doce noiva, minha,
toda muida, adeus t
E abragaram-se.
A donzella chorou e lhe deu uraa rosa ; mas an-
tes de lhe entregar a rosa Iba imprimi um beijo
tao vehainente e lo fogoso, que a flor se abri
immediatameote ; o pequeo Elf se inlroduzo, e
'ncliaou a cabeciuha s paredes uas e embalsa-
madas.
Se nao p rceberia o que os dous amantes di-
ziara.
Adeus, adeus, adeus !
E elle conheceu que o mancebo collocira a rosa
sobre o peilo.
Oh, como o coragao lhe bata !
O pequeo Elf nao podia adormecer, tal era a
torga, o ardor com que pulsa va.
A rosa nao permaneceu muito lempo juieta so-
bre o peilo ; o mancebo a tomou, a arrebatou, e
eraquanlo iranspunha a floresta obscura, beijava a
flor tantas vezes, to ardenteraente, que o pequeo
Elf esleve a ponto de ser esmagado ; seatia aira-
vs das folhas como os labios do uiaucebo escalda-
vara como a rosa linha desabrochado por si, com
as mais vivas calinas do meio da.
Nisso appareceu um outro hornera, de uraa cala-
dura sinislra e incolerisada.
Saccou de um grande punhal, e emquanlo o ou-
tro beijava a rosa, u malvado ferio-o raortalmente,
corlou-lne a cabera e a enlerrou com o corpo na
ierra molle, d baixo da tilia.
Agora est morto e esquecido, disse para si o
perverso irrao. Nao ha de voltar mais. Devia
fazer uraa grande viagem por montes e lagos -. por
l perde-se fcilmente a vida ; eo que ho de
suppor-lhe lera succedido. Elle nao voltar mais;
e iniuba iruia ao ousar pedir-rae novas suas.
Assim ajunlou cora o p algumas folhas seccas
para eucobrir a ierra fresca, e vollou para a casa,
pela escurido cerrada da noile, mas nao ia lo
s como imaginava ; o pequeo Elf foi alraz
delle ; estava assentado era uma folba da tilia
murcha, que tinha cabido entre os cabellos do as-
sassiao. emquaaio e?livera cavando a sepultura.
Tinha posto o chapeo ; dentro, tudo esCurisimo
e o pequeo Elf tremia do horror e raiva pelo cr-
nie abominavel.
Pela aute-manha, o mo irmao chegou a casa,
tirn o chapeo e entrou no quarlo de sua irma.
Eslava deitada a linda e engragada donzella, so-
nhando com aquelle que amava era exlrerao, e que
ella julgava que irla a essa hora passando as flo-
restas e transpondo as montaabas I
O perverso irmo se inclinou um pouco sobre
ella, e rio-se lo horrivelmeole, como s um de-
monio sabe nr deste modo ; ento a folha seca
se desprendeu dos seus cabellos e cahio sobre a
colcha da cama ; mas nao deu por isso, e lornou a
sabir para repousar alguns momentos antes dos
primeiros alvores da madrugada.
E o pequeo Elf sahio da folha secc entrou no
ouvido da bella adormecida, e lhe contou, como
n'um sonho, o assassinio terrivel, dascreveu-lhe o
silio onde o irmo o comraeltera, e onde eslava o
lei o cabo que lhe garroteava a perna, e o sangue cadver ; fallou-lhe da tilia florida mais prxima,
orrou sobre alguns dos espectadores, que se po- e disse :
zeram logo a distancia en Uve o rosto e o collete i Para ^ le no Pareca um sonhe l0llc0 9ue
desejando remunerar os servigos que os oficiaes e rou, como sempre, uma columna de sangaeYuli- ,odo SUJ0> Era easo de ura f9rimeDt0 feil n0 i. je|(0 virBna|
pragas da torga naval sob o commando de V Exc, laale, sotreada, que se esleadeu a tres panno, de mesmo luar em 1ue ora fendo prel Amar.
tem prestado na guerra actual, determina que V. distancia. Uraa compresso feita logo acuna do na0 com vidro' mas sim com uma eQl5 cora 1ue
Por sua vontade teria transportado o cadver
para casa, mas nao era possivel isto ; por isso pe-
gou na cabega (mcala e pillida, con os olhos
cerrados, beijou a noca fra, e sacudi a lerri dos
seus flnUsiraos cabellos.
Quero ao menos guarda-la I
E depois de tornar a cobrir o cadver de trra
e folhas, pegou na cabega e n'una hastesinha do
jsraineiro, que florescia no lugar em que estava a
sepultura, e as levou para casa.
Logo que entrou no seu quarlo, escolheu o maior
vaso que pdde encontrar, onde metleu a cabega do
amante assassmado e a cubriu com trra fresca, em
que plaotou o jasmineiro.
Adeus! adeus I segredava o pequeo Elf',
que nao podia observar iosensivelmente tanta dor >
e voou para o jardn, para a sua rosa ; mas en-
controu-a lambera j murcha, restavan no ramo,
anda verde, aigumas folhas smente.
Ai! como o quo bora dura tao pouco, sus-
plrava o Elf.
Por flm sempre descobrio nma rosa, de que fez a
sua habitagao, delraz de cujas folhas se abrigon.
Cada manba voava para a janella da pobre me-
nina.
Ella all estava sempre ao p d'aquelle vaso e
chora va.
Lagrimas fervenies caiam sobre o jasmineiro e
de dia para dia se ia tornando cada vez mais pal-
uda, mas o arbusto cada vez mais lindo e rece-
jante.
Ura ramo rebentava apoz outro, e pequeos go-
mos desabotoavam-se em dores ; e ella as beijava;
raas o mau do irrao a reprehenda e lhe pergun-
tava se ella eslava iouca.
Nao podia comprebender o motivo porque assim
chorava sobre aquelle vaso.
Mal sabia elle que uns olhos all estavam fecha-
dos, e labios purpreos se tinbam tornado p.
A pobre irma deixava pender a cabega sobre
o vaso, e assim adormecida, o pequeo Elf pene-
trou ao seu ouvido, e veio da sua rosa recordar-
lhe as confidencias no caramanchao; fallava do
perfume das rosas e do amor dos Elfs.
Ella soiitiava lo docemente, e em quanto sonha-
va a vida se lhe esvaio; raorreu de nma norte
placida, e agora est na glora com aquelle, que
tanto amava.
As flores do jasmineiro abriram suas grandes
corollas brancas, e rescendiam suavissimamente :
esta a nica maneira de chorar a norte.
Mas o malvado irmo contemplou a bella planta
florida, lomou-a como recordago e a collocou em
seu quarlo, perto do seu leito ; a planta era dig-
na de ver-se, e seu perfume era brando e imper-
ceptivel.
O pequeo Elf toi tambem, e voava de uma para
outra flor, porque em cada uraa deltas habitiva um
pequeo genio ; e fallou a cada un delles do aman-
te assassinado, cuja cabega reverter ao p, debai-
xo da trra: fallou-lhe da nalvado irmo e da
infeliz menina.
Nos o sabemos bem I respondern! os genios
das flores, us o sabemos bem. Nao rebenlamos I
nos dos labios e dos olhos do morto ? Nos o sa]
bemos nos o sabemos I
E abaoavam singularmente as cabegas.
O Elf nao comprehendia como os genios podiam
estar assim ia~o tranquillos, e toi ter-se com as abe-
idas que audavam fazendo seu niel, contou-lhes a
historia do impio irmo, e as abelhas a repetiram
diestra, que ordeuou logo que ellas todas no dia
segrate fo>sem matar o assassino.
Mas n'essa mesma noite (era a pnmeira _noite
depois do passamenlo da irma), quando o irmo
dorma em seu leito, junto do jasmineiro, cada ca-
lyce de flor se abnu ; invisiveis, mas com ferro
envenenado, os genios das flores sairara e se intro-
duziram primeramente no seu ouvido e lhe inspi-
raranvsonhos tenebrosos, voejaram depois por so-
bre seus labios, e lhe picaram a lingua com o tet-
rao mortfero.
Agora vingamos o morto, disseram ellos, e se
tornaran) a recolher as corollas dos jasmins
brancos.
Alto da. quando a janella do quarlo se abri, o
pequeo Elf, e a abeiha rae-tra com todo o seu en-
xame entraran) para matar o assassino.
Mas de ha muito que elle eslava morto; em vol-
ta d'elle eslava muila gente, que dizia.
O cheiro do jasmim o matou.
Enlo o pequeo Elf coraprehendeu a vinganga
das flores, e conlou-a abeiha mestra, que zumbia
com todo o seu enxame ao redor do vaso.
Nao se podia enchotar as abelhas.
L'm homem pegn no vaso, mas nma das abelhas
lhe picou a mo de tal forma, que o vaso lhe caio
ese quebrou.
Foi quando todos viram o crneo esbranquigado,
e descobriram que o que acabava de expirar fra
ura assassino.
E a belha mestra andava zumbindo, apregoando
a vinganga das flores, do pequeo Elf da roseira ;
dando a entender que delraz da mais pequenina
folha ha sempre algoera, que poder descobnr um
dia o enme e puni-lo.
~i a mi i
A correspondencia do Para para o Diario Ofi-
cial contou o seguinte :
Nossas rendas lanto geraescomo proviociaes vo
crranlo ptimamente. A renda provincial deve
ter este anno um excesso de 80:0003000 sobre o
exercicio anterior .
A' cerca aa torga publica, els o resumo que ex-
tracto dos jornaes diarios.
O 2o corpo paraense de voluntarios da patria es-
t j promoto para marchar com 4 companhias de
gente escolhida, mui igual na cor, altura edade.
Domingo i docorrente fez exercicio de fogo no lar-
go do palacio, era completa ordem de marcha, pro"
duziodo magnifico efleito nao s a belleza da gente,
como a novidade dos uniformes,
Uma ordem do dia do presidente da provincia,
publicada no jornal do Amazonas de 6 do correte
aitribue o luzimenio do corpo ao commandante te-
nente-coronel Jos Luiz da Gama e Silva, a cujo
zelo e incessanle actividade, diz a ordem do dia, se
deve seu prospero estado. Creio que nao segu j
por causa do sarampo.
O Para tem enviado em tropas:
3 batalhao de artilharia. 400
11 dito de infamara...... 400
1 corpo de voluntarios...... 330
2o dito dito promplo a marchar 300
Corpo de guarnigo organisado para ser-
vigo da provincia....... 6fj0
Polieia........... 200
Destacamento da guarda nacional. 100
malelo interno,entre o tendo de Achules e o osso- eslava rabalhando. A Iaqueagao da arteria tibial
posterior foi feita nos dous extremos cortados; po-
rm, no inferior s pode passar a ligadura era
Exc. remella ao governo uma proposla em que
sejam mencionados, nao s os servigos de cada libia, fez diminuir, e eucuriar o jorro de sangue,
offlcial e priga, oa de cada guarnigo, quando nao mas o nao suspendeu completameute, o que se al-
seja possivel iodivldualisar, com a natureza dos tribuio a falta de compresso exacta da dila arle- roassa.
premios que julgar correspondentes ao mrito do ra. O p e a articulago libio-tarciana estavam i SusPensa imraediatamente a hemorrhagia, e pas-
ado praticado, devendo ainda V. Exc. informar ao um pouco indiadas junto a ferida havia alguma 'sada meia hora sem l'lue reapparecesse, o
governo com a minuciosidade possivel sobre as dureza, raas a junta do p podia fazer seus movr foi 'evado para sua casa, onde tarde o
pessoas das familias dos mortos em combale, que menlos, sera causar dr viva. O estado geral do mo visitara' e aohi
porventura teohara direito sobrevivencia da pen- doente indicava anemia extrema,
gao pecuniaria, que deveria competir aos seus che- Estando ludo preparado, e concordes os collega:
fes ou protectores.
Dos guarde a V. ExcFrancisco de Paula da Rocha Bastos pratlca-la este collega porm, po1
Silveira LoboSr. vice almirante visconde de Ta-
mandar.
Mezes depois encontrei o doente na ponte do
i Recito, e me informou que o sangue deixara da
'' correr com o meu curativo, e que se reslabelecera
na operacao, e no lugar escolhido, devia o Sr. Dr-1 ,,
r rpidamente.
Se a hemorrhagia nao tosse suspendida pelas li-
i.* secgo.Ministerio dos negocios da marinha.
Rio de Janeiro, 6 de julho de 186S.
uma deferencia a
quiz e exigi que eu a pralicasse; e, nao sendo
acceita a minha eecusa, torgoso foi satlsfazer o de-
sojo do eslimavel collega.
O doente nao toi chloroformisado; cinco minutos
.m,l'h*.d:a.,!eLSUper0-r 8adras aPPcadas no lugar da ferida accidental,
eu teria procedido (inmediatamente Iaqueagao
da femoral, como flz ao preto Amaro. -
Tal ser sempre o meu modo de proceder em
Idnticos casos.
E com efleito ella a encontrou logo ao despertar.
Oh, que lagrimas amargas nao chorou entAo.
Mas ninguem Uevia saber a causa de sua tris-
teza.
A janella estava sempre aberta durante o dia.
O pequeo Elf pretoria fcilmente voltf.r para o
doen(e jardim, por meio das rosas, e deraais flores; mas
Dr Ra- ^'f ao tinha alma para deixa-la assim afflicta I
A' janella havia uma roseira coberla de rosas,
onde genio se refugio, e d'onde conlemplava mu-
do a desolada menina.
Seu irmao entrava muitas vezes no qaarto, an-
dava tao alegre o perverso ; ella nao dev a desco-
bnr o seudesgosto.
Ao cabir da noile, sahio Ifurtivamentn de casa,
foi floresta, ao silio onde estava a tilia, varreu
asfolbas do chao, cavou e deu com o assassinado.
Oh I como ella eboraria, e rogava a Deus lhe
desse tambem a norte.
Total.
5:330
Em dinheiro envlou para despezas da guerra...
109:000*000.
A' vista disso creio que nenbuma provincia tem
feto tanto em proporga de seus recursos.
E' necessario que l se convengam da energa e
civismo das provincias do norte.
O commandante superior da capital mandou sub-
metter a conselho de disciplina tres tenentes coro-
neis que nao cumpriram com as ordens, delxando
de apresentar para o destacamento o numero de
guardas sen isengo legal que ibes toi marcado.
A presidencia expedir nslrucgdes e ordens pa-
ra seren capturados os guardas que se tivessen
recusado ao destacamento, aflm de fazerem o ser-
vigo por tenpo dobrado, ou seren recrutados se
nao tivessen seugao, cono manda a le.
'-








-
\
.

1
i
PERNAMBUCO.- TVP. DE M. F. W F. &FILHQ
til r-' aTi #


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIAMKEWHQ_8C7TAZ INGEST_TIME 2013-08-28T01:19:08Z PACKAGE AA00011611_10760
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES