Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10758


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IL. HOMERO 201
Por quartel pago dentro de i O das do i.0 mez : :
* dem depois dos i.0( 10 das do caneco e dentro do quartel. .
Porte o cerreie por tres nezes ,* ,......, ,
SABBAO 2 DE SETEMBRO DE 1865.
|000
6$000
750
9f000
*|000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natar, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; MaranhSo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronyino da Cosa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO BOL
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacdes da via frrea at
Agoa Preta, lodos OS dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anteo, Gravar, Rezsrros, Bonito, Caruar,
Allinhn, Garanhnns, Rniqup, S. Rento, Rom
Conselho. Aguas Bellas e Taearat, as tergas
feiras.
Piod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quarias
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e qaintas.
Relago: tercas e sbados as 10 horas.
Fazeoda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: trras e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: qaartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPIIEMERIDES D MEZ DE SETEMBRO.
5 La cbeia as 11 h., 32 m. e 16 s. da ra.
12 Quario ming. as 2 h., 37 m. e 52 s. da m.
19 La nova as 8 b., 26 m. e 10 s. da t.
28 Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DFAS DA SEMANA.
28. Segunda. S. Agoslinho b. e dont. da egr.
29. Terga. S. Adolpho b.; S. Sabina v. m.
30. Quarta. S. Ron de Lima v. americana.
31. Quima. S. Raymundo Nonnato r:ard.
1. Sexia. S. Egydio ah.; ss. Gedeo e Josu.
2. Sabbado. S. Brocado c. ;S. Diomedes m.
3. Domingo. S. Eufemia v. S. Arlslheo b. m.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as 2 horas e 6 m. da larde
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at AVigoas a IV e 30; para o DorU
ala a Granja a 7 e 22 de cada racz; para Fernan-
do nos dias 14 dos metes de Janeiro, marro, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da
Faria & Filho.
PARTE
9FFIGIAL
Uum u vwmm.
Continniro do expediente do dia 29 de agosto
de 1865.
Circular a todos os commanrtantes superiores
da guarda nacional. Findo o prazo de 10 das
marcado em circular de 16 do crreme, para len-
tro deiles marcharen! para esta capital, os contin-
gentes da guarda nacional destinados a' guerra,
me informe V. S. e com urgencia, sobre o proce-
dimento dos commandantesde cornos sobseu com-
mando superior, relativamente designago e
marcha dos mesmos cooliogenies, e relacoes dos
guardas que deixareni de apresentar-se, bem como
as providencias que tem dado para cumprimento
dessas ordens, como por vezes reiteradas esta pre-
sidencia na recoromendado.
Portara.O presidente da provincia tendo era
vista a representaco documentada qoe o director
do arsenal de guprra Ihe dirigi em 28 do crreme
contra os empregados do mesmo arsenal, a saber,
o escrvo Francisco Jos Galvao, tiel do almoxa-
nfado Olympio Jos Galvao, e porteiro Jos Anto-
nio Cesar de Lima, por actos de prevaricago e
de.-idia'nos exerciclos dos seus empregos, resol ve
suspender os referidos empregados, e determina
que se expecan) as ordens necessarias para seren
responsabilisados na forma da lei, pelo que se
acharem em culpa.Fizeram-se as necessarias
communicagoes.
DKa.O presidente da provincia resolve nomear
a Lourengo Nunes Campello e Joo Paulo de Souza
Bandeira, para interinamente exercerem o prtmei-
ro o lugar de escrivo, e o segundo o de porteiro
do arsenal de guerra, devendo o de fiel do almo-
xarifado ser preeochido nos termos do regulamen-
to de 21 de fevereiro de 1832.-Fizeram-se as ne-
cessarias communicagoes.
-30-
Offlcio ao marechal de campo commandante das
armas.Mande V. Kxc. por em liberdade. dando-
Ihe Baixa, se j estiver com praga, o recrnta An-
tonio Ribeiro, que estafeta do correio, o que con-
stilue isenco legal.Communicou-se ao abininis-
trador do correio.
Dito ao mesmo,Mande V. Exc. eliminar do
contingente de guardas nacionaes destioados ao
servigo da guerra, o guarda do 6o balalho de in-
famara deste municipio, Galdino Apolinario Per
eito de Metetes, visto ter sido considerado inca-
paz do servigo em inspecgao de saude, segundo
consta do termo annexe ao sen offlcio n. 1,434 de
28 do correte.-Officiou-se ao coronel comman-
dante superior do Recife, para designar outro guar-
da em subsiituigo aquelle.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. eliminar do
contingente de guardas nacionaes destinados ao
servitjo da guerra o guarda do 3o batalno de in-
famara deste municipio, Domingos Joo Antonio
Martins, que foi designado para esse servigo por
engao, segundo declarou-me o respectivo com-
mandante superior no offlcio de 26 do corrente.
Dito ao mesmo.Expega V. Exc. as suas ordens
para que o corpo de guaroigo esleja prompto pa-
ra embarcar cora destino corte no vapor Tocan-
itns, que se espera do norte, (cando V. fcxc. na
intelligeocia de que nesla data offlcio ao inspector
da thesouraria de fazenda para mandar ajustar
contas e passar guias de soccorriment aos offlciaes
e pragas do mesmo corpo.ufflciou-se neste senti-
do ao inspector da tlvesourana de fazenda.
Dito ao mesmo.Remeti inclusos, por copia,
o offlcio do Dr. chefe de polica datado de 28 do
corrente, e os do subdelegado da freguezia da Boa-
Vista a que elle allude, para que V. Exc. licando
inteirado de quinto uonuVrou aquello magistrado
acerca do sentenciado militar Max i miao Joaquim
da Rosa, se sirva de provUenci ir de modo a evi-
tar que se reproduzara fados semelhantes aos de
que tratam os citados offlcios.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. dar baixa, se
j estiver com praga, ao recrnta Manoei dos San-
tos Estevac Papa, que foi reroeltido a esse quartel
general por parte do chefe de polica em 7 do mez
corrente, fazendo-e alistar no coutingente de guar-
das destinados ao servigo da guerr, visto que pa-
ra isso foi designado, como suarda do batalhao n.
36 de infamara do municipio do Brejo, segundo
eclarou o respectivo commandante superior era
ofhVio de 21 de julho ultimo.
Dito ao mesmo. -r Mande V. Exc. inspeccionar o
guarda do 7o batalhao de infanlaria do municipio
do Recife Joao Antonio da Luz, que esta designado
para o servigo da guerra.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar o guarda do 4o batalhao de infantera
deste municipio Francisco Jos Cabral, que se
acha alistado no contingente de guardas nacionaes
destioados ao servigo da guerra.
Dito ao mesm*.Queira V. Exc. informar acer-
ca do que pede uo incluso requmenlo o guarda
do 5 batalhao de infamara de>t;; municipio, Filip-
pe Nery da Silva, juntando o termo da inspecgao a
que deve ser sujeilo o supplicante.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar so-
bre o que pede no incluso requerimento o guarda
Jubo Alves da Silva, juntando o parecer da ins-
pecgao a que deve ser sujeilo o supplicante.
Dito ao mesmo.Remelto inclusas a V. Exc,
para os ns convenientes, duas relagoes comeado
os nomes dao pragas e recrutas viudos da provin-
cia do Rio Grande do Norte no vapor Mamanguape,
e a qoe allude o meu offlcio deste data.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Ao sargento Joao Francisco Pereira munde V. S.
pagar, nao havendo inconveniente, a quantia de
235040, em que importaram as diarlas abonadas
aos recrutas vindos do districto de Grvala, e con-
stantes dos dous inclusos prets que me forara re-
meltido pelo chefe de polica, com offlcios datados
de hontem, sob ns. 1,271 e 1.272, sendo que o de
nome Manoel Jos Joaquim de Santa Anna se acha
recolhido a casa de deleogao, para privar isengo
legal do rccrutameoto, e os outros foram remeti-
dos ao general commandante das armas era 27 de
julho ultimo e 28 do crreme, alira de lerera desti-
no para o exercilo.
Dito ao mesmo.Em vista do pret junto em du-
plcate que me foi reraettilo pelo chefe de polica,
com offlelo de hontem, sob n. 1,275, mande V. S.
pagar cora urgencia e nao havendo inconveniente,
ao sargento Uuvino Jos de Carvalho, a quantia de
675480 era que importan) os vencimentos de urna
escolte de guardas nacionaes que veio do termo de
Goianna era l do corrente, conduzrado 10 recru-
tas e um desertor, sendo que ura destes recrutas
oi recolhido a casa de detengo para provar isen-
go legal do recrutamento e os demais, bem como
o desertor remettidos ao general commandante das
armas para terera o conveniente destino. Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. nos termos do
seu offlcio de 28 do corrente, sob n. 624, a mandar
credltar sob mraha responsabili lade ao collector
de Nazarelh, visto nao haver crdito para esse (im,
a quantia de 155720 por elle despendida ns exer-
cicio de 1864 a 1863 em liquidago cora o abono
de diarias a dous desertores e um recruta que vie-
ran) daquella comarca segundo consta do seu ci-
tado offlcio que tica assim respondido.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.An-
mundo ao que solicitou o chefe da repartigo das
obras publicas em offlcio de houtem, sob n. 280,
recomraeodo a V. S. que mande entregar ae agen-
11 fiel pagador daquella repartigo a quantia de
. 15500 despendida com os estudos graphicos da
strada de Nazarelh, providenciando ao mesmo
lempo para que seja ella levada em conta a em-
presa Mamede como determina o art. 55 da lei n.
634 de 16 de maio ultimo.Communicou-se ao che-
fe da repartigo das obras publicas.
Dito ao com candante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Tendo sido desligado do contingen-
te de guardas nacionaes destinados ao servigo da
guerra no dia 24 do corrente, o guarda do Io bata-
lhao de artilharia desie municipio Jo da Costa
Arantes, que foi considerado incapaz do servigo em
inspecgao de saude segundo declarou-me o com-
mandante das armas em offlcio de 26 deste mee ;
assim o communico a V. S. para que mande desig-
nar outro guarda em substituigao aquelle.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Nazareth. -A vista das informacoes desse
commando superior e do commandante do batalhao
u. 18 de infantera desse municipio datadas de 17
e 19 do corrente, resolv dispensar do serrgo da
guerra para que eslava designado, o guarda do
mesmo batalhao Antonio Ribeiro da Cruz, que pro-1
vou ser casado. O que declaro a V. S. afim de
qoe mande designar com urgencia outro guarda
para substituir aquelle.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de jarreiros e Agua Preta.A vista da sua in-
formago datada de 22 do corrente, resolv dispen-
sar do servigo para que eslava designado, o'guarda
do batalhao n. 46 de infamara do municipio de
Agua Prea Amaro Nery dos Santos ; o que decla-
ro a V. S. para que faga com urgencia designar
OOlTO guarda para substituir aquelle.
Dito ao rommandame do corpo de polica.D
V. S. baixa do corpo sob seu commaudo a Cypria-
no Jos de Sant'Anna, que pela junta de saude foi.
julgado incapaz do servigo segundo constou-me de '
offlcio do commandante das armas de 28 do cr-
reme.
Dito ao director do arsenal de guerra.Remeti
incluso o pedido de arligos para o 3* corpo de vo-
luntarlos da patria, alim de que V. S. mande for-
necer com urgencia, como solicitou o commandante
das armas as frdelas, caigas de brim, gravatas,
bonels e cornetas de toque, mencionados no mes-
mo pedido.
Dito ao mesmo. Mande V. S. recolher aos arma-
zens desse arsenal, logo que Ihe forem aprsenla-
dos por parte do commandante das armas, os arli-
gos de armamento e crreteme, tordamente, equi-
paraento e mais objectos mencionados no termo por
copia incluso, os quaes foram encontrados no quar-1
tel do Hospicio depois de seguir para o sul o 2*'
corpo de voluntarios da patria, devendo V. S. man-
dar pagar a despeza de conducgo que ser levada
em conta pela thesouraria de fazenda.Offlciou se
neste sentido a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.j Remella V. S. para a capital
do Rio Grande do Norle na primeira opportunida-
de, 47 mamas de la que segundo me declaron o
Exm. presidente daquella provincia em offlcio de,
26 do correle, faltam para o completo do forneci-
mento que se mandou fazer em conformidade das
ordens do ministerio da guerra.Communicou-se 1
ao Exm. presidente da provincia do Rio Grande do
Norte.
Dito ao chefe da repartigo das obras publicas.
Informe Vmc, se ja esto concluidos os traba-
Ihos de que Vmc. e o engenheiro da cmara mu-
nicipal foram incumbidos de fawr na plante desta
cidade, no caso negativo o estado i :) que se achara.
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra. Recomraeodo ao conselho de compras do ar-
senal de guerra que promova a compra dos objec-
tos mencionados no incluso pedido, os quaes sao
necessanos para a enfermara da companhia de
aprendizes do ineamo arsenal.Communicou se a
thesouraria de fazenda.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Providencie o Sr. superiulen Jeme da estrada de
ferro para que sejam conduzidos pela mesma es-
Irada at es a cidade os voluntarios da patria que
forem remetlidos com guias por Manoel de Araujo
da Fonseca que se acha incumbido de alistar vo-
luntarios.Communicou-se a i engenqeiro fiscal da
mesma estrada.
Portara.O Sr. gerente da compaohia Pernam-
bucana, mande dar urna passagera de estado a)
proa no vapor Parahyba ate Macei, a Maria Mag-
dalena de Jess.
Dita.O Sr. gerenle da compaohia Pernarabu-1
cana, faca desembarcar do vapor Mamanguape,'.
afim de serem recolhidos ao deposito, os recrutas e
pragas da guarda nacional viudas do Rio Grande
do Norte no mesmo vapor.
Despachos do dia 30 de agosto de iSGo.
Requeiimentos.
Antonio Jovino da Fonceca.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do Re-
cite.
Antonio Luiz Nunes Cavalcanli.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Alexandrino Christiano de oliveira.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Bento Jos Bernardes. Informe o Sr. director
geral da iustrucgo publica.
Francisco Antonio de Lima.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacmnal do munici-
pio do Recife o
Francisco J o da Purificago. Indeferido em
vista da informago.
Felippa Mara das Dores. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica, podendo ouvir a autoridade po-
lica do domicilio da supplicante se julgar con-
veniente.
Francisco Jos Cabral.Apresente-se no quartel
general do commando das armas para ser inspec-
cionado.
Flix Manoel Henrique.Informe oSr. Inspecjor
da thesouraria de fazenda.
Capito Joo da Cunha Ferreira.Informe o Sr.
commandante superior da gnarda nacional de Na-
zarelh.
Joo Bezerra de Mello.Nao tendo sido designa-
do o supplicante, nada ha que deferir.
Jos Martiniano de Souza.Informe o Sr. direc-
tor geral da mstrucgo publica.
Joaona Mana do osario. Concedid*.
Loureogo Antonio de Lima. Aprsente seu fi-
lho no quartel general do commando das armas
para ser inspeccionado.
Lucas Antonio Evangelista. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Maximiano Jos Ferreira.Indeferido.
Mauoel Gomes das Neves. Informe o Sr. Dr.
chefe de pulira.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Plnho.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Umbelina Maria do Paraizo Carvalho Lessa.
Em vista da informagSo nao lem lugar.
(OVHBIXO DO HISPIDO DE
l'KIUlHIirCO.
SEDE VACANTE.
Expedieite do dia 18 de agosto de 486S.
Offlcio ao Io secretario da assembla provincial
da Parahyba. Accuso recebido o offlcio de 9 do
corrente, em que V. S. me communica haver sido
reeleita a mesa que no anno prximo passado diri-
gir os trabalhos dessa assembla.
Dito ao vigario de Barreiros.Quaodo ordenei
ao Rvm. cura da calhedral que nao proyesse de
oleo sagrado os vasos de vidro, raandei to se-
ment executar as consliiuigoes diocesanas que as-
sim o determinara. Com tudo, tendo urna malriz
vasos de vidro, pode mandar fazer urna caixa de
madeira ou mesmo de folha, com tres repartiraen-
tos para os tres vasos, os quaes all estarlo segu-
ros, e sem risco de se quebraren). O que as citadas
constituyes quizeram previoir foi a quebra dos
vasos, e o derramamenlo do oleo sagrado : uraa
vez (jue os vasos estejam seguros e bem acondicio-
nados, em caixa ajustada e expressamente feita pa-
ra el les, cessa o perigo, e por consegrante pode to-
lerarse a alterago desse modo.
- 19 ,-
Offlcio ao vigario de Paje de Flores.Tomando
em consideragao o que V. Rvma. me expSe no seu
offlcio de 26 do prximo passado, eu o autoriso pa-
ra assignar os assentos que esto langados nos li-
vros competentes sem a assignatura do seu ante-
cessor. Esses assentos assim exharados nos livros
dessa malriz, o furam por ordem do respectivo vi-
gario, e so por um descuido que deixaram de ser
(vi.lamente assignados.
Atiendendo, pois, a estes razoes e ao damno que
soffreriam as partes se ttvessera de proceder a to-
das essas justificagOes, reformo a resolugo que V.
Rvma. me apresentou exharada no seu offlcio de 7
de maio de 1863, o qual Ihe devolvo incluso.
- 22
Offlcio ao vigario de Buique.Logo que este re-
eeber eovie V. Rvraa. o offlcio incluso ao Rvd. vi-
gario de Alagoa de Baixo, Flix Jos Marques Ba-
calho, allra de receber delle todos os papis ten-
dentes ao casamento de Manoel Ignacio da Silva
Azevedo com Candida Felicia dos Santos, ao qual
casamento autoriso V. Rvma. para assistir, sendo-
llie previamente apresentado o consentimento do
pai da nubente; nao servindo de impedimento oem
o lapso do lempo dos proclamas, nem a falta da
certido de baplismo por mim dispensada.
E logo que se houver effectuado dito casamento
me parlicipar V. Rvma. nao s o da em que elle
teve lugar, como o dia em que recebeu este offlcio.
Dito ao vigario de Alagoa de Baixo.Estando V.
Rvma. em desiotelligencia cora Manotl Ignacio da
Silva Azevedo, por ter este apresentado urna de-
nuncia em forma contra V. Rvma., e para cujo co-
nhecimenlo del commisso ao Rvd. parocho de Pa-
je de Flores, convindo evitar que V. Rvma. con-
tinuo a por estorvos e embaragos ao casamento do
mesmo Manoel Ignacio, nesta date autoriso o Rvd.
vigario de Buique, Jos Teixeira de Mello para que
proceda ao referido casamento. Ordeno pois a V.
Rvraa. que logo que este receber entregue iinrae-
diatameute ao mesmo vigario o mandado de casa-
mento, dispensa, proclamas e mais papis tenden-
tes ao mesmo objeclo.
- 23
Offlcio ao vigario da Bahia da Traigo.Em res-
posta ao seu offlcio de 24 do prximo passado te-
nho dizer-lhe que o nao desculpa a razo allegada
de nao ter achado archivo nessa matriz. V. Rvma.
deve confeccionar a estatistica dessa freguezia com
os dados que tiver, e creio que o tempe em que V.
Rvma. a rege muito sufflrente para me dar as
informagoes que pego na circular de 22 de abril.
Se quando V. Rvma. toraou possu dessa freguezia
na qualidade de vigario encommendado nao achou
archivo, por que m'o nao disse?
Diz V. Rvma. que depois de muito trabalho pode
achar alguraas folhas em branco onde langa os ter-
mos de casamentes e bitos. Que folhas sao essas ?
Os langamentos se fazem em livros,sellados, nume-
rados e rubricados e nao em folhas soltas. Diz mais
V. Rvma. que os assentos de baptisados ainda se
acham por langar. E porque nao eslo elles langa-
dos? Nao sabe V. Rvma. que um dos primeiros
deveres dos parochos por era ordem o archivo da
sua matriz, e trazer os langamentos em da?
Sendo, pois, o procedimeato de V. Rvraa. digno
de sensura, eu Ihe ordeno que provea a sua ma-
triz de livros competentes para nelles fazer lodos
os langamentos que se acharem dispersos, o que
deve exer-utar com a maior brevidade, a fim de ter
o archivo em dia quando entregar a freguezia ao
seu successor. E para que nao haja mais demora,
neste data autoriso o Rvd. coadjutor pro-parocho
de Mamanguape para numerar e rubricar os livros
que V. Rvm. Ihe apresentar para uso dessa malriz.
Cumpre ouiro sim, que V. Rvma. me envi a
estatistica dessa freguezia, or^anisada como poder
e com os dados que tiver : esperando eu que seja
um trabalho que de algum modo possa supprir o
lim para queenviei a circular.
Dito ao codjutor pro-parocho de Mamanguape.
Autoriso a V. Rvma. pira por esta vez numerar e
rubricar os livros que Ihe forem apresenlados pelo
Rvd. vigario da Bahia da Traigo para uso da res-
pectiva matriz.
- 24 -
Offlcio ao vigario de Bananeira.Tendo eu ne-
cessidade de conhecer o estado em que se acha o
patrimonio de Nossa Seohora do Livramenlo, pa-
droeira dessa matriz, haja V. Rvma. de informar-
me exacta e minuciosamente acerca do referido pa-
trimonio, ou por si, ou ouvindo ao respectivo ad-
ministrador.
- 26 -
Offlcio ao Exm. presidente da provincia das Ala-
goas.Agradecendo a V. Exc. a promptido com
que se dignou fazer chegar as mos dos Rvds. vi-
garios dessa provincia a circular de 26 de julho,
ordenando preces publicas pela conservago do nos-
so Augusto Monarcha, de novo me dirijo a V. Exc.
pedindo-lne o especial obsequio de fazer chegar ao
seo destino os offlcios inclusos, contendo a pastoral
com que mando publicar o Jubileo que o Santissi-
rao papa Pi IX concedeu a lodos os fiis no cor-
rente anno.
Sendo a publicagao desse jubileo, de inleresse
publico, de interes-e transcendente, estou certo de
que V. Exc. se dignar dar as necessarias provi-
dencias, afim de que todos os Rvd. parochos dessa
provincia recebam a inclusa pastoral, e a possara
publicar era lempo aos seus parochianos.
Igual aos Exms. presidentes das provincias da
Parahyba e Rio-Grande do Norte.
- 28-
Offlclo ao vigario collado de Aguas-Bellas. J
em 2 do corrente offlciei a V. Rvma. communi-
cando-lhe que o governo de Sua Magestade havia
aceitado o seu offerecimento de marchar para o
sul na qualidade de capello voluntario, deixando
no seu lugar sacerdote idneo para o substituir,
como inauda o decreto de 22 de julho ; e nesse
offlcio por consegu ole Ihe Loncedia eu a autorl-
si'gao que V. Rvma. pede no seu offlcio de 16 do
crreme, a que respondo. Agora pois approvo
que Oque regendo essa freguezia o Rvd. Manoel
Ferreira da Assumpgo, por V. Rvma. proposlo
para o substituir durante a sua ausencia.
Dito ao vigario da Nova Cruz.Accuso recebida
a estatistica dessa freguezia coordenada com cui-
dado, e adaptada ao fim que tive em vista quando
a exig.
Dito ao vigario de Paje de Flores.Tenho pre-
sente a estatistica desse freguezia que est elabo-
rada com cuidado,e em ludo adaptada ao fim para
que a exig.
Relatando porm V. Rvma. o numero de ceml-
lerios que nella existem, alguns dos quaes me diz
que eslo por benzer sem que eu saiba a causa
desta omissao, eu o autoriso para benzer solemne-
mente aquelles cemiterios que ainda o nao foram,
e que se acharem decentes e convenientemente
resguardados de aoimaes e de quaesquer profana-
goes.
Expediente do secretario do bispado,
DISPENSAS MATR1M0NIAES.
Chegaram do Rio de Janeiro as peligdes de dis-
pensas do 1 grao Igual da liuha lateral, e 2 grao
attingeote ao 1 de consanguinidade constantes da
liste ahaixo publicada, e cuja conc sso foi auto-
risada pelo Exm. e Rvm. Sr. Internuncio apost-
lico em date de 19 do corrente. Podem pois ser
procuradas em Olinda na secretaria do bispado e
oo Recife, em casa do Illm. Sr. conego da capella
imperial Francisco Jos Tavares da Gama ra da
Cruz n. 56. Olinda, 30 de agosto de 1865 Cone-
go Joaqnira Ferreira dos Santos, secretario do bis-
pado. "*
Lista das pttif&es.
Manoel Vicente Ferreira e Joaquina fliaria da Con-
ceigo.
! Joo L mgino de Oliveira e Petrolioa Patrocioia de
Oliveira.
Jo3o Francisco da Silva e Auna Francisca da
Silva.
Manoel Alves de Siqueira e Honorina Marte de
Jess.
Antonio Joaquim Bezerra e Joauna Francisca da
Conceigo.
Manoel Leite e Rosa Maria.
Manoel Jos de Albuquerque e Senhorinha Mana
dos Prazeres.
Vieram mais as seguales elicoes concedidas na
mesma data.
Jos Carlos de Freitas e Anna Maria.
Siiu.io Justino Gondin e Thereza Francisca da
Conceigo.
Manoel Justino Goudin e Isabel Francisca da Con-
ceigo
Manoel Baptista de Aguiar e Isabel Nogueira da
Coste
DIARIO BE PEHNAMBUCO.
Recebemos cartas e jornaes do norle do imperio,
pelo vapor Tocantins. com dalas do Para at 23,
do Maranho at 26, do Piauhy al 6, do Ceara
at 27, do Rio Grande at 29 e da ra rali y ba al
31 do passado.
amazonas.Continuava a fanoclonar a assem-
bla provincial, de perfeila harmona Com a pres-
aencla da provincia.
No dia 30 de julho teve lugar um jamar offe-
recido, pelo vice-cousol portuguez Amorira, aos
depuiados provinciaes, em testemunho de agrade-
ciraento s providencias por elle dadas em benefi-
cio da provincia.
para.Eis quanto occorreu durante a quinzena,
segundo nosso correspondente :
t Nao sei o que Ihe diga d'esta trra do Para,
pois esta isto de tal nnneira e modo que j nin-
gnem se emende quanto poltica.
i Ainda nao ha um mez que quasi todos os jor-
naes d'esta capitel publicavam artigos contra a
actual ordem de cousas da provincia, fazendo viva
opposigo ao progressismo ; em menos de um raez
nao pequeas iransformages se operaram, pois
que o Jornal do Para nada diz sobre poltica, e o
proprio Diario do Gram Para que se Hnha atirado
com unhas e dentes situago, duas semanas
que rara vez lampeja I
t O que certo que mais ou menos ha movi-
mento as altas regies que dominara e influera
na provincia, e o futuro no-lo dir !
f A junta de Justiga que tinha de conhecer da
distituigo dos teuentes coronis da guarda nacio-
nal do 'municipio desta capitel, acaba de confirmar
a seDtenga contra o Dr. Joaquim Pedro Correa de
Freitas e Antonio Pimenta de Magalhes, sendo
revogada a senlenga a favor do Dr. Joo Lourengo
Paes de Souza, que ticou no commando de seu ba-
talhao como consta da especiiva ordem do dia.
t Isto significa per aqui o que levo cima refe-
rido que ha transformagoes as regioes politicas.
t Tambera j se apresentou e se acha em liber-
dade o proprietario do Diario do Gram Para Fre-
derico Carlos Thossard, que andava omiziado nao
s por causa de guarda nacional como de questSes
em que se inetteu relativas a poltica.
lintreanto acaba de ser deportado Jos Joa-
qun) Mondes Cavalleiro, portuguez que era em-
preado na mesma lypographia, tendo sahido para
Lisboa no dia 20 do corrente, cumprindo por este
modo as ordens superiores que seguudo corre vie-
ram do governo imperial.
< Quanto ao commercio nada ha de importante,
poucos navios no porlo e mesmo pouca animago
no mercado.
t A Atsoitacao Commercial, por questoes que
leve com um dos membros da directora, teve de
se reunir em assembla geral para eleger novos
directores para os seus irabalhos, sahindo eleitos
presidente Joao Augusto Correa, vice-presidente
Francisco Gaudendo da Cosa, Io secretarlo Luiz
de La Rocque, thesoureiro Joao Caetano Ribeiro
da Silva, directores Francisco Moraes, Agoslinho
Joo de Almeida, Gregorio Pereira de Sa Souto-
Maior.
t O naturalista Agassis aqui estove entre nos al-
guns dias, e tendo feito algumas excursSes e ex-
periencias reconheceu smente em peixes para
mais de vinte especies, para elle desconhecidas.
Seguio ha dias para Manos em um dos vapo-
res da compaohia do amazonas, posto a sua dispo-
sigao pelo respectivo gerente.
t Tambem seguio a 17 do corrente para o mes-
mo destn) o presidente da provincia do Amazonas
o Dr. Antonio Epaminodas de Mello e seu secre-
tario.
< Chegou a esle porto no dia 21 acanhoneira de
gnerra americana Niack que monta oito pegas e
um rodizio de grosso calibre ; velo de S. Thomaz
e anda de passeio.
t Os navios neste porto sao os segrales :
< liaban Here, patacho inglez.
c Jarl, patacho sueco.
t Patriota, patacho nacional.
Emilia, lugre nacional.
Belm, lugre portuguez.
c Suzan, hiate americano.
t Occden, barca franceza.
Maranho. Foi marcada para o 2* domingo de
novembro a eleigao de um deputado asembla
geral, pelo Io dislricto para preencher a vaga do
Dr. Nunes Gongalves, escolbido senador.
O negociante Boaventura J. Coimbra de Sam-
payo oftereceo um fardamento completo sargen-
ta do corpo de voluntarios de Piauhy.
Offereceu-se presidencia da provincia, pa-
ra capello do corpo de voluntarios do Piauhy, o
Rvm. Domingos Elias da Costa Moraes. Tendo si-
do acceito o offerecimento, segu elle no Tocan-
ttns.
- Fallecer o tenenle-coronel commandante do
3 batalhao da guarda nacional di capitel, Antonio
Raymundo Ferreira.
Lseno l'axz :
* No da 19 o corpo de commercio, convocado
pela commisso da praga, em virtude de um pedi-
do de duas casas estraogeiras, reunio-se na casa
da praga. Estiveram presentes oitenta e quatro ne-
gociantes, e presidio a reunio o Sr. Serra Pint',
presidente da commisso da praga.
t Os negociantes que solicitaran) a convocago
declara: ara em seu offlcio, que desejavaio que o
commercio desta praga adoptasse, poraccordo un-
nime, o uso dos compradores passarem letras pelo
que coraparassem, vlndo neste caso as letras subs-
tituir as contas assignadas, e que lodo o negocio
fosse feito assim de Janeiro prximo futuro em
dianle.
O Sr. presidente apresentou esta questao
consideragao dos negociantes e pedio que emitts-
sem a sua opinio.
t A idea foi geralmente reconhecida boa, porque
desse modo se evitara de alguma sorle o abuso do
crdito, que to prejudicial tem sido nossa pra-
ga ; masa occasio para p la em pralica que
nao foi julgada opportuna pela materia.
< Comegando o debate fallaran) a favor da pro-
posta os Srs. Serra Pinto, Joo Pedro, Hocart e ou-
tros, e contra os Srs. Manoel Nina, M. A. dos San-
tos, M. A. Pioho, Vmhaes e alguns mais, de cujos
nomes nao nos recordamos. Posta finalmente a vo-
tos cahio por grande materia, nao sendo portento
alterados os usos ato agora estahelecidos as tran-
sacgoes da nossa praga.
E' evidente que a demasiada confianga, que o
crdito Ilimitado que se v as nossas transac-
goes commerciaes, lera levado a praga situago
pouca lisongeira ero qoe se acha. Mas de quem
a culpa ? Ser do comprador qu- pede que se Ihe
fie, ou do vendedor que fia sem aitender as cir-
curastancias de quem Ihe compra ?
Quando escrevemos pedindo ao commercio
mais prudencia no negocio do algodo, de passa-
gem notamos que, tomando por base a alta desse
genero, era igual imprudencia fornecer grandes
remessas aquelles que s nessa alta fundavam a
esperanga de solver os grandes dbitos que con-
trahiam. Foram palavra perdidas, nada aprovei-
taram.
Agora v-se a praga na posigo de reconhecer
a utilidade de urna medida, excedente nos tempos
normaes, e nao adptala para nao levantar maio-
res difflculdades. Mas esta posigo mesmo indicar
as princlpaes casas o meio de levar o commercio a
melhor situago.
t O termo medio da renda arrecadada pela al-
fandega do Maranho era de 1,200:0005000 an-
nuaes. Com a alta do prego do algodo, attingio nos
dous ltimos aunos iuanceiros aos segrales alga-
rismos :
t 18631864................ 2,154:8435961
1861-1865............... 2,112:2685382
t O I- semestre do ultimo anno 1,052:1495305
O 2 dito dito_____........ 1,060:1195077
Piauhy.Falleced, na villa de S. Gongalo, o Sr.
Lourengo Antonio Marreiros Castello Branco, im-
portante cidado daquella localidade
O Exm. Dr. Doria dra um baile aos seus
amigos.
A assembla provincial votou urna felicitago
S. M. o Imperador, pelo consorcio das princezas
imperiaes.
O tenente-coronel Jos Lusloza da Cunha,
commandante do 2* corpo de voluntarios, dirigi a
seguinte proclamago, por occasio de deixar a
provincia :
t Senhores voluntarios da patria.Momentos ha
na vida, em que o brado da razo. por mais que
se alto e rijo, nao pode deixar de ferir as ultimas
fibras do coraco.
t A occasio solemne para nos que partimos
para os que nos sao pane pela familia e pelos la-
gos mais doces e sagrados, para os amigos emfim
ao deixarmos os nossos lares : nao menos solem-
ne para todos esses que flcam ou ainda mais para
elles, se possivel; mas nobre e sublime o mo-
tivo que assim nos obriga a partir, a separar do
que temos de mais charo.
Como brasileiros, como filhos da ter*a de San-
ta Cruz, nao deveraos por momentos desprezar os
reclamos, os brados da mi eomraum, o dever que
temos de defende-la e tornarmos-nos dignos irraos
de nossos compatriotas e contemporneos qne ja
to bellos cxemplos nos ho dado ^utr'ora em Mon-
tecaseros e Toneleros as mesmas repblicas que
oppugnaraos e ltimamente em Paysand e Monte-
video.
t Compatriotas I Sirva-nos de devisa o patrio-
tismo, que devemos legar a nossos (linos como me-
lhor heranga e seja nossa guia a Providencia Di-
vina, que nos ha de restituir brevemente aos pa-
trios lares.Seja esta a nossa esperanga, confie-
mos na feliz estrella que nos guia.
t Eu serei vosso fiel companheiro, vosso irmao
nos trabaihos e oas glorias da nossa chara patria,
que sao tambem nossas.
Ura abrago saudozo aos nossos amigos e com-
panheiros que ficam.
Jos Lusloza da Cunha.
Ceab, eio Gn.\MDE do NoniF. e parahyba.Na-
da occorreu, aps a sahida do Mamanguape, che-
gado ha dous dias.
K8VISTA mm.
No Tocantins qu hontem aqui tocou, proceden-
tes dos portes do norte, veio em transito para o sul
o 2* corpo de voluntarios da patria, que manda a
provincia do Piauhy em defenso da inlegridade
ejda honra do impt-rio.
Este corpo commandado pelo distincto Sr. te-
nente-coronel coronel Jos Lusloza da Cunha, ir-
mao do Exm. Sr. conselheiro Paraoagu; e foi or-
ganisado pelo mesmo Sr., na villa de Santa Philo-
mena, que demora cerca de duzentas leguas dis-
tante do litioral e urnas cem da capital da provin-
cia.
Sem embargo de ser urna villa de recente funda-
go, e por conseguinle ainda pouco populosa, con-
tribuio esta localidade para o desforgo da patria ul-
trajada com 234 voluntarios, que ah seguera reu-
nidos a oulros da comarca de Paraoagu em nu-
mero de 404, que formara o effectivo deste brioso
corpo, coraposto era seu todo de urna raocidide v-
lida e de porte marcial.
A forraago deste corpo devida ao prestigio da
familia do respectivo commandante, e a influencia
real que esle exerce naquelle ponto, e nao menos
ao patriotismo que nelle domina sobretudo e era
tal grao que sendo agricultor abastado, com fami-
lia crescida, teve tudo em menos perante as neces-
sidades do palz ; e ahi veio com dous filhos, tres
sobrinhos, filhos do commandante superior da guar-
da nacional de Paraoagu, e um outro, filho de
urna ora viuva, demonstrando cora tees provas de
aboegago real que a defeza da patria doca era-
preza a que uinguera se deve furter na presente
conjuuctura, como elle o fez correndo s armas
cercado de membros de sua familia e de am-gos
dedicados, que nelle reconhecera ura modelo, que
imitara em coro de dedicago patritica.
Desses quatro sobrinhos, que acompanham ao
Sr. lenle coronel Luslosa, um conta apenas 14
annos de idade; e jase inicia assim para urna car-
reira rica de civismo.
E' capello do corpo o Rvm. padre Domingos
Elias da Coste Moraes, o qual ante tees manifesta-
goes de patriotismo olfereceu-se para fazer parte
do mesmo corpo como tel.
A este batalbo vem encorporada a herona bra-
sileira, segundo a consagrago popular, Jovita Al-
ves Feitoza, de 18 anuos, natural de inhamuns,
provincia do Cear, e ba um anno residente em
Jaics, provincia do Piauhy, onde deixa dous ir-
mos menores e o pai, que com difflculdade ac-
quiesceu aos desejos patriticos de sua heroira fi-
Iha.
Dominada de grande patriotismo que se Ihe des-
envolveu com as infamias dos Paraguayos s do
seu sexo, foi Jovita a capital do Piauhy, e ahi alis-
tou-se no 2* corpo de voluntarios dessa provincia,
declarando logo que nao quera ser enfermeira e
sim militante. O presidente da provincia, depois
de se convencer de que a sua resolugo nao era fi-
Iba de urna loucura nem pretexto para encobrir
um Ilcito amor, a mandou alistar com a gradua-
go de 2 sargento em cujo posto com facilidade se
eiercltou, e dizem ser o eargento do corpo que es-
te mais pratico nos manejos das armas.
Traja caiga e saiole, frdela e bonete do corpo e
tem o cabello cortado a escc-vlnha.
Os raaranbenses lizeram a este patrila que mais
tarde sera urna herona, as maiores ovagoes.
Na sua chegada all, ia ser h .spedada em casa
do Dr. juiz de direilo da 2* vara Antonio Francisco
de Salles, onde se hospedou o commandante, porm
o ajudante de ordens da presidencia tenente Cam-
pos, que primeiro foi a bordo, a levou para o seio
de sua Exma. familia, onde recebeu a heroica me-
nina distincto agasalho, e foi comprimentada por
innmeras pessoas.
O emprezario do S. Luiz, Vicente Pontes de Oli-
veira, mal fundeou o vapor, annunciou para o
mesmo dia, ura espectculo em honra della ; e ta-
manlio foi o enthusiasmo que em pauco menos de
tres horas foram vendidos t^dos os camarotes e ca-
deiras, sendo a concorrencia ao espectculo espan- .
tosa. A elle assistio Jovita em (rajos militares e
de um camarote adornado com a bandeira na-
cional.
A dislincta artista D. Manoela, vestida de guer-
reira e empunhando o estandarte nacional recilou
a patritica poesa do Sr. Moniz Barrete, e era se-
guida cantou ella, acorapanhada pela orcheslra,
com todos os artistas da compaohia fardados a vo-
luntarios, o hymno da composigao do maestro
Francisco Libante Colas e letras do poeta Juvenal
Galeno.
Por ossa occasio o povo pedio o compareciraen-
io em scena da herona, o que ella satisfez. Vivas,
bravos e flores partirn) de todos os ngulos do
theatro.
D. Manoela |abragando-a e dando-lhe nm sculo,
tira-lhe o bonet, colloca-lhe na cabega urna cora
de louros, e langa-lhe ao pescoco um cordo e um
crucifixo de ouro ; e findo que'foi o espectculo,
ella conduzida a' casa pelo povo ao som de vivas e
msica.
O negociante portuguez Boaventura Coimbra de
Sampaio mandou-lhe preparar e offertar um com-
pleto fardamento de panno fino. O Maranho sou-
be distinguir a to patritica joven ; e o Sr. Dr.
Salles deu-lhe ura jamar a que assistio teda a offl-
cialidade do seu corpo e innmeras pessoas.
Ao passar pela Parahyba, recebeu ella ainda
urna nova prova de aprego, que merece a seus
concidados.
Urna commisso foi a bordo do vapor, e ahi fez-
lh> offerta de um cusioso annel de brilhantes, co-
mo recordag i de seos patricios parahibanos, que
sabera como todos os brasileiros honrar as virtu-
des cvicas.
Atlendendo o Exm. Sr. conselheiro presiden-
te a que na mor parte nao sao vaccinados os vo-
luntarios do Piauhy, obteve do digno Sr. Dr. Syra-
phronio a acquiescencia de acompanha-los al a
corte, afim de vacciona-los no decurso da via-
gem.
E' urna excellente providencia da parte de S.
Exc, cujos benficos resultados sao de primeira
inluigo.
Seguem no Tocantins para a corteas 87 ora-
gas do corpo fixo desta provincia, e cerca de cem
recrutas.
Consta-nos que, em commisso do governo,
vai a comarca de Flores o Sr. Dr. Adelino Anto-
nio de Luna Freir.
Prudente e Ilustrado como S. S., de esperar
que obtenha os Tras de sua misso, fazendo restabe-
lecer all a ordem alterada.
Copiamos o seguinte trecho de uraa carta do
Maranr.o :
A Coalirao 'ix muito cavaco com 03 justos e
merecidos elogios do Diario de Pernambueo ao Dr.
Brrelo, coronel commandante da brigada da guar-
da nacional desia provincia.
A Coaliciio falla com despeno e torturando a
verdade dos fados. Negar extraordinarios servi-
gos causa publica prestados neste occasio pelo
Dr. Brrelo querer cahir no ridiculo.
Mais larde a Coalicao se ha de arrepender de
havor negado esses servigos, e no entretanto o qne
avangou, teve resposta no Poiz.
A municipalidade da capital do Maranho
publirou o seguinte edital :
A cmara municipal da cidade de S. Luiz do S
Maranho, etc.
Faz saber que em sesso de boje recolveu por
unanimidade de votos que seiam d'ora em diante
denominadas : a ra de Santa Anna ra Gon-
galves Dias; a ra de Sao Joo, em toda a sua ex-
tenso de norte a snl ra Odorico Mendes ; a
ra das Violas ra Gomes de Souza ; a ra do
Egypto roa Joao Lisboa; a ra das Hurtas
ra Brgadeiro Falco ; a na da Cscala e parte
da Inveja ra do Riachuelo ; a rna da Manga
ra Taraandar ; a rna Nova do Cano roa Bar-
rozo.
t Pago da cmara municipal da cidade de Sao
Luiz do Maranho, 25 de agosto de 1865.Manoel
G. Ferreira Nina, presidente.ur. Antonio Henri-
ques Leal.Felippe Joaquim G. de Macedo.Ray-
mundo J. Pereira de Castro.Luiz da Rocha San-
tos.
A solicitago do Exm. Sr. presidente, dea
hontem o emprezario do Santa Isabel, o Sr. Duarte
Coimbra, um espectculo em honra do brioso cor-
po de voluntarios da patria do Piauhy; e a nossa
populago tamanha importancia lign a esta como
saudago felta aquella porgo de irraos que par-
tera para o campo da baulha, que o theatro en-
cheu se como nos melhores dias de concorrencia
do Santa Isabel.
Seudo um espectculo determinado de improvi-
so, sera terem precedidos os avisos do costme, em
poucas horas ja nao havla bilhetes.
Com mais espago descreveremos o que se pas-
sou n'esse bello sero.
Hoja vai de novo scena a Probidade, cujo
desempenho foi na quinta feira perfeitamente bem,
mxime nos papis principaes commettidos a Sra.
D. Eugenia, e aos Srs. Araoedo e Simes.
Este no Afano?/ Escola emhusiasraoa ao nume-
roso concurso de espectadores, que enchiam o San-
la Isabel desde a platea al a ultima ordem de ca-
marotes.
Em deixar de ver o Sr. Simdes trabalbar vai por
certo urna verdadeira perda.
Nao de hoje que temos por assentado, que
a administrago do correio da corte pouca impor-
tancia liga a' expedigo de malas de corresponden-
cias para as provincias pelos navios, que d'alli par-
tera com destino s mesmas. Isto para nos uraa
velha creoga; e para lastimar semelbante proce-
der, que, alm do mais, descoobece a reciprocida-
de, quando as provincias pralicam diversamente,
de sorte que raro o navio que deixa de conduzir
mala para all.
Mas convem cessar tal negligencia.
Se a transraisso de noticias em qualquer outra
conjunctura serapre de utilidade publica, na pre-
sente crise o em dobro ; ao passo que a conti-
nuar a pratica que argimos, pessimo resultado
pode ter, urna vez que affectando a guerra a todos
os Brasileiros, ha Inleresse geral de haverem no-
ticias rpidas.
A ascengo do actual ministerio ao poder e a ida
de S. M o Imperador ao sul, tem feito despensar
fundadas esperangas da breve exlincgo da gnerra
que nos assola ; mas concebe-se que todos que fl-
cam ao norte do Rio carecen) e aociara por saber
do que occorre no mesmo iheatro da guerra. E,
portante, a decepgo nao pode ser maior quando
navios procedentes d'alli cerrespoodem a expecta-
go publica vivamente excitada com a ausencia de
toda e qualquer noticia, abrindo margena aos no-
vidadeiros de mo gosto a propalaren) as creagoes
de suas phantasias peta populago, que ficam por
tai forma sob a pressao mais horrivel.
E, pois, appellamos para o respectivo Sr. minis-
tro, afim de que expega as necessarias providen-
cias no sentido de iodos os navios vindos da corle
serem portadores de malas para o porto de suas
viagens; e extendendo as nossas solicilagoes, cha-
mamos a sua providente aitengo para as muitas
lacunas, de que se reseote a le dos correios, dig-
nndose de dar as provideucias precisas.
Tendo o Galgo chegado na qui"">-feira, pou-
cas horas depois seguio para o norte.



4MMMMBN
___________
=52*:
... litPt:
_
-_
=7
blSftd rrnaiMbuco Sabbadd 9 de eteifebr f. ISA.
I
A presten de sua a*Md alropetton tre-*lg-m*4flna, Rofine Jos de Sonu, Sementino B do Lago,
sorte a quera contava ^^ elle guardasse no porto
as horas do caslmw, mas no eotanto eremos, que
tendo ehegade antes o vapor francez do siil, a's cor-
respondencias .ttartam jai adiamadts. -
Sera embargo, importa que se nao reproduza
isto, porque pode nao darse idntica circu instan-
cia, eentao o atropello ser completo para o futuro
principalmente.
E' aseguinie distribuicao dos recralas pelas
provinc4as no anuo de 1865 a 1866.
Baha.................. 120
Pernambuco............ 120
Rio de Janeiro........... 100
S.Paulo................ 100
Para................... 80
Maranhao............... 80
Mraas-Geraes............ 80
Rio Grande do Sul....... 80
Santa Cantarna......... SO
Alagoas................ 50
Ceara...........'....... 40
Parahiba.......,...... 40
Sergipe................. 40
Piauby................. 30
Rio Grande do Norte..... 30
Espirito Sanio........... 30
Paran................. 30
Amazonas............... 20
Em vi-ta da ubservacao que flzemos nesta
Hrmino Maguo.
Passageiro do brigua nacional Adiilylto, sabi-
do para 6 Rio Grande do Sul: Sfanoet Antonle
rGoDcalvs. .
Pa.-sageiro do palhabote brasileiro Gartbaldi,
sabido para o Cear : Antonio Sabino da Costa.
Ckiuterjo publico. btuario do dia 31 de
agosto :
Emilia Candida de Mello Carioca, Pernambuco, 24
annos, solteira, Santo Antonio; Dhtysica.
Vicente, Pernambuco, 7 mezos, Recife; conval-
eces.
Lenidas, Pernambuco, 43 mezes, Boa-Vista ; ab-
cesso.
I meen ii
CIIROMCA JUBIGURIA
TKint-v ij no corarriRKCio
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 31 DE
AGOsTO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARfiADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
depuiados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, o Eira Sr. presidente declarou abena a ses-
I sao.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
1 dente.
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario do tribunal do commer-
Anlomo Peretra do Monte.
fater, no mesmo lugar, com o mesla aHahtmen- qoe recebi d um agente do poder publico, que linientos mais nobres para com aqnelles que o jul
'.tj e 'nivellamento. Concedeuse. desconheeeue violn os meus direilos e proprie- gam verme n'arte.
Outro do admiuistr2dor do cemiterio da freguezia dade : cierno e hei de clamar, porque a minhacon-, 30 de agosto de 1865.
'do Toco da Panella, remeltendo o ma'ppa dosenter- dlcSo de estrangeiro e de portuguez, nao pode ex-
ramentos ali eitos desde o 1 at o uitoo de raaio cluiMoe da protec;ao das leis, e delxar-me sujeilo j
passado.Ao procurador. prepotencias e cruezas.
Oulro do Qscal da freguezia de Jaboato, nfor- Desse procedimento arbitrario e violento de que
mando nao haver inconveniente em concederse a foi victima dei nma queixa peralte o integerrimo
Michaella Maria da Conceicao licenca, para edificar Sr Dr. juiz de direito da vara-, contra o Sr. de-
Agua de Florida de Hurray
e Lanman.
Em consequencia da sua grande e vasla popula-
urna casa naquella Ireguezia, urna vez que Ihe seja legado ; e, ao comecar o processo que contra mim ridade e justa celebridade em todos os mercades da
dada a competente cordiaco.Mandn -se cor- foi instaurado, posteriormente, por esta mesma au- America do Sul e das Antilhas, para o uso de cu-
diar. toridade, poz-lhe suspeicao, que nao foi acceita, e jos paize?, ella foi exclusivamente manufacturada,
I Outro do administrador do cemiterio publicada offereci ento os competentes artigos de recusagao ha mais de vinte annos; a mesma tem sido exten-
freguezia de S. Lourenco da Matta, expondo que para os provar, como prove, perante aquelle ma- ivamenle imitada e conlrafeita ueste paiz. Porm
desde que se acha encarregado da administraco gistrado a qaem foi affectoo negocio. presentemente o artigo original foi introduzido, e
daquelle estabellecimento leni despendido a qun-, Urna autoridade que pralica o actos de violencia em virtude do raesmo apresentar a dislinctiva mar-
ta de 27i80, com a compra de ferramenta e mais que acabo de referir, e que chega a prender-rae
utencilios para o servico do dito estabeleeimento, por crime de desobediencia contra lei expressa,
conforme consta da conta que aprsenla, sendo nao pode ser o meu juiz. Bastara o fado da des-
que dessa ferramenta ja se achara inunlisadas 4 obediencia que a lei considera motivo de snspeic'o
enchapas, e urna pa, bera como um ferro de cova, ;'ters et jure quanto ao processo desse crime, para,
ca commercial dos proprielorios, pode fcilmente
ser distinguida pela sua apparencia exterior dessas
outras simuladas e fraudulentas composicoes. Os
signaes internos de perfeita genuidade sao muito
menos fcil de engao, por quanto a Agua de Fio-
e as demais sao novas, pede a cmara o mande por igualdade de razao, o Sr. delegado ser suspeito' nda de Slurruy e Lanman, tem e desenvolve o aro-
indemnisar da referida importancia.
Achando-se devidamente rubricada
a conta pelo
respectivo Sr. vereador encarregado das obras
daquelle cemiterio, mandou-se pagar.
Oulro, (i) do mesmo remeltendo os mappas dos
em outro qualquer procedimento criminal, que
contra mim movesse, principalmente ao mesmo
tempo que eu responda, ou devia responder pela
desobediencia. Mas o Sr. Martins Pereira nao
larga com duas razCes a boa presa que faz, e o
Avisto de .10 do passado era re lacao a enriffMlQ
polaca o nosso amigo Sr. Dr. >abmo Olegario Lud-1 m da a|lj de g dQ correnl accusando a re.
gero Pinho nos deu a leralgumas cartas do sr. aQ do M d a ? d m
conde Jasienski, encarrejrado pela Associacao Pro- ArFt:nive.5e
motora da Colonisacao Polaca no Brasil, de solici- 0(Jlro d Jos An[onio Gomes Jun remelten.
tar do governoimi.ei.ai a approvaCao dos "8uecU-|do um exemp|ar das NoSes do systema metnc0
vos.estatuios, que ja la esto na corta na pa>ujdo ^ organisou.-Accusese a recepeo.
ministerio da agricultura, remettidos por interme- '
dio do Exm. Sr. Castello Brauco, quando presdeme
d'esta iirovnca.
O Sr. Jasienski enviou alguraas notas das modi
ticaQoesque Ihe consta va serem exigidas pelo Exm.
ministro da agriculiura ; nas o conselho director
entendeu, eem nossa opinio enteudeu muilobem,'
que taes modilicacoes nao deviam ser fetas sem
que ofliciaJineuie indicadas pelo governo imperial;
e neste sentido o Sr. Dr. Sabino, na qualidade de
1." secretario da associagao escreveu ao Sr. Ja-
sienski as duas cartas offlcixes, que abjixo se
lem, das quaes anda nao recebeu resposla al esta
dala.
O governo imperial nao deu ainda nenhuma so-
Incao ae.sse importante negocio; e,em quanto nao
o lizer, nao pode a associacao funecionar, pois que
o decreto que regula a materia nao Ihe permute
isso.
E' de lamentar que em negocio de tanta gravi-
dade, de tanto interesse para o paiz nao tenha o
governo prestado a atlencao que era de dosejar.
As duluogas e contrariedades em casos semelhm-
tes faiem sempre arreecer o ardor com que se de-
seja traballiar.
Asstiago Promotora da Colonisacao Polaca
no Brasil.llira. Sr. Jasienski.Recite 13 de maio
de lst;.
Fico de posse de suas cartas," as quajs me
comraunica e a associacao quaes s alteracoes que
o ministro da agricultura indica para serem feitas
nos estatutos, e nos pede que tacamos essas altera-
coes e Ih'as remellamos.
Curapre d"r|arar-lhe que o conseibo director
entende que nao deve mandar alteracao alguma
sem que sejam ellas indicadas cfflcialrnente pelo
governo imperial, sendo igualmente d'esta opinio
o presidente d'esla provincia, a qui'Ui con?uliei.
Entretanto so isso for absolutamente necessano,
far-serha com o fiin.de zio demorar a organisacio
da associacao. Pelas alteracoes, que V. S. part-
cipa serem indicadas pelo Exm. Sr. ministro da
agricultura deduz-se que se quer dar a asssociacao
um carcter verdaderamente commercial, o que
nao tivemos era visia como se comprehende da let-
tra e do espirito dos estatutos. A nossa associacao
antes de ludo, humanitaria e patritica ; e so mui
remolameiMe podera dar proveilo pecuniario aos
subscriptores. Por tanto nao sabemos pur que ra-
zao se deve fallar em fundo de reserva, dividen-
dos, etc., ele ,omo se se tratasse deorganisar urna
associacao commercial. Nos estatutos eslao previ-
nidas as hypotheses de lucros, de dissoluco etc. ;
e, se ahi uiio temos fallado a> tempo de duraciio da
assoriaco, por que o nosso fin : fazer bem em
quanto nouverem recursos. Todava, repilo, esta-
remos promptos a fazer nos estatutos quaesquer
modifinaces, urna vez que nao desvirten o pen-
samenlo capital da associacao ; isio : beneficiar
os polacos e aproveila-la m utiliilade do Brasil,
estabelecendo os em colonias agrcolas e indus-
tries. Feitas estas consideracoes desejo que me
diga o que tiver occorrid" para so tomar aqu a
deliberaco, que for mais conveniente.
t Desejo-lhe saude e felicidade por ser com es-
tima de V. S. amigo venerador obrigado.Dr. Sa-
iioo Olegario Ludgero Pinho.
Associacao Promotora da Colonisacao Polaca
no Brasil.Illm. Sr. Jasienski.
t Estamos em lo de junho de 1863.
t Foi apresentada pelo Exm. Sr. l)r. Autran ao
conreino de direccu sna carta ofiicial de 22 de
maio, na qual repele V. S. suas solicitacoes para
que remellamos as modiucaces dos estatutos. O
conselho nao julga curial o que se pede pelas ra-
zoes expendidas em minba carta de 13 de maio, de
que V. s. deve estar de posse. Se os estatutos fo-
ram remettidos oilicialmenle ao governo imperial,
nenhuma modificaco pode fazer a associacao sem
que sejam indicados officlalmente. Logo que o go-
verno imperial nos indique essas modilicacoes, nao
teremos duvida em satisfaze-lo, na certesa de que
taes modificaces nao devero impr associacao
um caratb-r mercantil. Devo dizer que as moditi-
cacoes de que nos falla V. S. nos tem em geral des-
agradado ; tanto por que de modo algum queremos
fazer da no mercio, como por que a eliminaco dos artigos 12,
do capitulo 3, e 54 e 55 do capitulo 8 contrariara
bastante as vistas da associacao' Deseamos rece-
ber alguns esclareciraentos a respeito, antes de lo-
marinos qualquer resoluto. Todava devo com-
municar-lhe que nos parece ulil commetter aos
nossos socios depulados, a commisso de tratar
d'isso do melhor modo possivel segundo a bases
que a associacao eslabelecer. Quanto a organisa-
cao da associacao n'essa curte independenle da de
Pernambuco, podem faze-la quaudo quizerem, na
certeza du que ser mais urna falta de lealdade que
a corle faz a Pernambuco. Agora mesmo escrevo
ao Dr. Godoy este respeito.
Desejolhe saude e felicidade por ser de V. S.
amigo venerador obrigado.Dr. Sabino Olegario
Ludgero Pinho.
De urna carta escripia de Algrete para esta
cidade, em data do 1 de junho, pelo Dr. Pedro de
de Barros Cavalcanti de Aibuquerque Lacerda, juiz
municipal d'aquelle lermo, e actualmente auditor
de guerra interino do exercito brasileiro acampa-
do no Rio-Grande do Sul, copiamos o seguinle tre-
cho, que deimente inteirarnente o que publicou a
iraprensa do paiz, com relaco ao 1 corpo de vo-
luntarios da corte :
DESPACHOS.
No requenmento de Autonio Valenlim da Silva
Barroca, apresentando para ser registrada a oo-
meaeao de Tito Antonio da Rocha, caixeiro de Ma-
noel Antonio da Rocha Jnior & Irmo, do Cear.
Registre-??, nao havendo inconvenieute.
No de Trajano Carneiro Leal, pedindo o registro
da sua nomeacao de caixeiro de Joo da Silva Pa-
rla.Regstrese.
No de Flix Sauvage & C, pedindo o registro da
nonieacao de seu caixeiro Antonio da Silva Neves.
Registre-se.
No de Manoel da Costa Cordeiro Lima, portu-
guez, de 39 annos de idado, estabelecido nesta ci-
dade com negocio de carne de charque, pedindo
ser admitlido matricula.Vista aoSr. desembar-
gador fiscal.
No de Antonio Muniz Machado, pedindo cerlido
do lermo de fiel depositario que assignou. Como
requer.
No de Tiburcio Alves de Carvalho, pedindo o re-
gistro da nomeacao de seu caixeiro lienjarrin Lopes
de KaMas. Registre-se, nao havendo inconve-
niente.
No de Joaquim de Azevedo Maia, de Macei, pe-
dindo por ce. tidao : primeiro, se naquella praca e
em todo o seu dislricto admetlida a tabella das
porceotagens marcadas par este tribunal era 12 de
setembro de 1853, aos administradores e deposita-
rios de massas fallidas ; segundo, qual o uso e eos-
turne sobre a porceutagera devda aos depositarios
judiciaes requeridos pelas partes, quando estas nao
contralam dila porcenlagem, e se devda porcen-
tagem das dividas e papis, ou smente das quan-
tias que receberem.Como requer.
No de Claudio Dubeux, pedindo que Ihe seja
transf-rido o livro que comprou ja sellado e rubri-
cado, e que lem de servir de Diario de sna casa.
Como requer, devendo servir para a liquidacao de
sua casa.
No de Manoel Vieira Bernardes, portuguez, de
47 annos de idade, residente e eslabelecido na ci-
dade de Goianna desla provincia, com casa de com-
mercio era grosso e a retalho, pedindo ser adrait-
tido matricula. Vista ao Sr. deserabargador
fiscal.
Cora informaciio do Sr. desembargador fiscal :
No de Cliristiano Jos Tavares e Joaquim da Cos-
ta Ramos, pedindo o registro do seu contrato de
sociedade, sob a firma de Jos da Costa Maia & C.
Na forma do parecer fiscal.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao s II horas o meia da
manha.
enterramentos que no dito estabeleeimento se Qze- que quer tirar de mira seu desabafo.
rain desde o dia 1* de maio al 10 do correle.Ao I Comparecen a audiencia do juiz de direito para
procurador. { assistir a inquiricao das tesiemuohas da suspeicao
Tendo o ex-araanuense Jorge Vctor Ferrelra e ahi esteve, de p quedo, corno o mais interessa-
Lopes Jnior, requerido para que se Ihe pagasse os do litigante, impondo com a sua presenca as teste
vencimentos que deixou de reeeber, provando com munhas, que viam nclle a autoridade que aminha
I attestado medico ter faltado a reparti por in-' as perseguira, como hoje persegue a mim. Qual o
commodos de sa-le. o juiz que tranquillo era sua consciencia, nao pie-
Posto em discussao resolve-se que fosse pago tendera com sua ausencia, um tal caso, dar
smente o ordeuade, e nao a gratiflcaco. | parte mais urna prova de sua paz de espirito, de
0_ Sr. Santos votou contra semelhante delibe- sua dignidade, franqueando-lhe livre espaco para
raca. deduzir e provar o seu direito ? Qual a autoridade
espacharain-se as peticoes de Anna Francisca que, para proceder contra qualquer individuo, por
de Souza, Antonio Ricardo do Reg, Bernardino crime de ter escriptorio de emprestimos sobre pe-
Ferreira da Cruz, Eduardo Gada, Francisco da' nhores, apprehenderia os qbjeclos de ouro eprata
Silva Reg, irmandade do Santissimo Sacramento' que o Sr. Martins Pereira julgoo acertado appre-
do Corpo Santo, Jo> Gomes & Mayor, Joaquim hender, conservando-os em seu poder ha mais de
Barbosa de Oliveira, Jos Pires da Cruz, Jos Goo-| oito mezes ? Se sou eu o criminoso, que culpa
Calves Ferreira C"s(a, Manoel Medeiros de Souza, tem aquelles que me confiaran) seus penhores,
Michaella Mana da Conceicao, Guilherme Joaquim para ficarem privados d'elles, e do seu uso ?
da Silva Braga, Guilhermina Celestina do Carmo,; Urna auloridade prudente, conscia do seu de-
Urbano Vicente Ferreira, Wenceslao Machado ; ver, e respeltadora da lei contentar-sehla em man-
Freire Pereira da Silva, e levautouse a sessao. ] dar lavrar um termo circumstanciado da achada
Eu Francisco Coouto da Boa viagem, secretario ( dos penhores para servir de priva ao objecto de
a subscrevi.-Pereira Simoes pro presidente.-San- procedimento ulterior, e nao os levara para a
ma prepno das frescas e florescentes Dores e plan
tas do trpico, das quaes ella deriva a sua bella e
exquisita composicao, e a exposiQo ao ar, em lu-
gar de diminuir, augmenta a delicadeza de seu fi-
no aroma, em lugar de produzir urna emanaco
acre ou urna certa efuvia desagradavel, como
acontece, com esses perfumes e aguas de creiro,
as qaaes sao preparadas e compostas com leos ba-
ratos e fortissimos de essencias.
Tenha-se pois todo o cuidado de examinar e ver,
que os nomes de Murray e Lanman, se achem ins-
criptos e gravados sob cada envoltorio, letreiro e
garrafa, e na falta dos mesmo, fcil suspeitar da
sua falsidade.
Vende-se as pharmacias de Caors & Barbosa e
. C. Bravo 4 C.
Agradcc intento.
Nos abaixo assignados olll -laes do 2o corpo de
voluntarios do Piaphy e mais Srs. passageiros do
vapor Tocanlms at ja este porto nao podemos
deixar de vir por este meio agradecer cordial-
mente o bom tralaraenlo que nos tem dado os
Illms. Srs. commandante e inmediato a bordo do
vapor do qual sao mu dignos commandante e
imraediato.
E reconhe endo nos que antes da nossa chega-
da ao porto para que vamos o digno commandan-
te e immediato ja deviam merecer estas linhas
e Dr. Miranda,
mero.
Eu Francisco Canuto da Bja-viagem, secretario
a subscrevi.Pereira Simoes pro presidente.Re-
g.Santos.Dr. Mirauda.
nao houve sessao por falta de nu-1 ca aqnelle que toma o emprestimo e offerece o pe-
nhor. Entretanto l foram afferrados pelo Sr.
Martins Pereira varios objectos de ouro meus, e
alheos, que 'estavam em mea poder, e j sao pas-
sados oito mezes, que os conserva na secretaria de
polica, sem depositario, e sem m'os querer res-
tituir I Isto nao tem explicaco : nm escnda-
lo da polica, urna espoliaco inqualificavel e inau-
dita t
Recife, 1 de setembro de 1865.
Bernardo Alves Pmheuo.
5.' SESsAO ORDINARIA AOS 27 DE JUNHO
DE 1863
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Prsenles os Srs. Dr. Miranda, Gustavo do Reg,
; Aquino Fonseca, Santos, e Villas-Boas, abre-se a
sessao e foi lida e approvada a acta da antece-
dente.
I L-se o seguinle
EXPEDIENTE.
Um officio do Exm, presidente da provincia de 2
do correte, dizendo, que convindo fazer algons
meltioramentos da planta desla cidade, recommen-
da cmara que, para esse fim determine ao seu
engenheiro im chefe da reparticao das obras
publicas.
Posto em discussao, resolveu-se officiar neste
sentido ac engenheiro cordlador, e responder a S.
Exc. ter-se expedido a conveniente ordem.
Uutro do mesmo, de honlem datado, comrauni-
cando em resposla ao que Ihe dirigi a cmara era
14 do corrente, declara que em data de 21 deste
mez, participou-lhe o enuenheiro chefe da reparli-
Cao das obras publicas, lerem sido fetas as obras
reclamadas em dte ofcio.IntWrada.
Outro do contador, coinrnunicando achar-se quasi
exmela a verba de 3:00, marcada na lei do or-
Observatorlo.
Hontem non ve grande ztioi zum no ranchinho da
praea, nao houve taful arrebentado que nao fosse
all tratar da apparico do Asmodeu, que segundo
se diz promelte ser til e proveitoso aos homens
precatados e sinceros!
Esle ruge ruge, (em dado motivo a allnrago na
potinca do Z quadrado, para Ihe nao chamar re-
dondo, que de chapeo- Zabirnba na cabeca, cha-
ruto no queixo, e ccete na rao, laia de escravo
que ao domingo se vesle cora urna (alila melhor,
para assistir aos rendezvous do seu impagavel
maracat, jurou dar paulada de cajo em quem
ousar tomar-lhe o lugar no Barco dos Patoleirosl
O Doutor Urub' que ha sele annos fugio de
Rilliafoltes apresentou-se de ocolos no ranchinho,
e reunindo um congresso de volateis reptis e qua-
drupedes, abri o bico, e taltou quasi a ponto de
Cameoto vigente, fallando apenas para preenche la estourar como urna cigarra I Dizera que elle as-
SES5AO
Fico sb a presso dos maiores receios pela
invaso das forcas Paraguyas, que tendo penetrado
no dia 10 do corrente na villa de S. Borje, acham-
se all esta hora occopando urna rea de terreno
correspondente 3 legnas aquem d'aquella villa,
a qual, como a de Itaquy, foram completamente
evacuadas petas familias qoe, ou desceram o Uro
guay em direcao a' Uruguayanna, ou procuraran!
0 4o districto de Itaqoy, prximo a Srra. Calcula-
se em 10:000 o numero dos Paraguayos, que veri-
ficaram a passagem, quasi que sem emharaco. O
Io balalho de voluutarios e um asquadro de ca-
vallaria de guerdas nacionaes, opposeram Ihes hon-
rosissima resistencia ; mas, fram coagldos a ce-
derein-lhes o terreno, retirando se dorante a noite
em proteccio das familias, e indorennlr-se ao coro-
nel Fernandez commandante d'aquella fronteira,
que com 2:300 homens se aehava no Passo das Pe-
oras 8 leguas de S. Borja e entre esta villa e
llaqni
O 1 balalho perdo alguma gente, mas bateo-se
eem urna coragem superior a lodo elogio. Nobres
e.esforcados bravos que sao e las I...
Passageiros do vapor brasUero TocandS,
vndo do Para e porlos intermedios:
Jos Mana Ferreira, D. Auna Joaquina Gitirana
Nogoeira e 1 lilha, Manoel de Almeida G. Lopes,
Jos Bernardo Teixeira, Domingos Henrique d'Oli-
veira, Joaquim Francisco das Santos Maia e 2 os-
era vos, Bernardo de Stqueira Monteiro, Jos Fran-
cisco Moreira, Pakenbam William Bealhy, sua se-
nhora, 1 eunhada e 1 criada, 1 escravo de Fran-
cisco B. de B. Moraes, lenente-corooel Ildefonso
Ayres Albuquerque Cavalcante, D. Joan Basson e
1 criado, Domiciano Nones Soares, Antonio da
Silva Lessa, Dr. Pedro Camello Pessoa e 2 criados,
Antonio Palari, Prospero Passalco, Jacome Antonio,
2 escravas do tenente-coronei Jos Lustosa da
Canha.
Seguem para o sol:
1.a corpo de voluntarios do Piauhy composto de
400 praca?, 89 pracas para o exercito, 8 ditas para
marinha, 10 escravos, Dr. Silveira N'arbal Paplo-
oa, Dr. Alexandre Bally, Francisco Hyginio Nu-
iles do Res. Jos Bodrigues de Azevedo, Jos Cus-
todio GrenfTe d Almeida, Maria Francisca Cani-
JUDICIARiA EM 31 DE AGOSTO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PEIIKTTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As 11,> horas da manha o Exm. Sr. presidente
declarou aborta a sessao, estando r?undos os Srs.
desembargadores Silva Guimaraes, Ueis e Silva e
Acciol, e os Srs. depulados liosa, Caudido Alcofo-
rado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
sao.
Assignaram-se os acordaos proferidos na ultima
sessao nos felos entre partes :
Appcilantes, A. Schafter & C.; appellados, An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo Appellantes, o presidente e directores da caixa
filial do lianco do Brasil nesta cidade ; appellados,
Jos Antouio Moreira Dias.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Rostron Ruuker & C. ; ayyellado, Manoel Dias
da Silva Santos.
JU/.GAMENTOS.
Appellante, Bernardino Jos de Carvalho ; ap-
pellados, Seixas & Azevedo. Adiado na ultima
sessao.Mandou-se curaprir o accordo de fl. 59 ;
depois do que subiro os autos concluso para
iralar-se da multa.
Appellantes, Guimares & Alcoforado ; appel-
lados, Man1 el Moreira da Costa Passos e oulro.
Appellantes, Jos Goncalves Malveira, hoje seus
herdeiros: appellados, James Crabtree & C.
Adiados a pedido dos Srs. depulados.
Entrando o julgamento adiado as sessoes de SI
e 28 do corrente, euire partes : appellante, Manoel
Joaquim Baptisla, appellado Joo de Almeida Li-
ma, retiraudo se da sala das sessoes o Exm. Sr.
presidente, por ter jurado suspeicao, assumio a
presidencia o Sr. deserabargador Reis c Silva
Foi reformada a sontencaappellada.
PASSACEM.
Do Sr. desembargador Acciol ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares :
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appel-
lado, Alexandre Jos da Rosa.
ACCRA VOS I.NTERPOSTOS DO JL1ZO MUNICIPAL
E DO C0MMERCI0 DA VILLA DO CABO.
Aggravante, Joaquim Coelho de Almeida; ag-
gravado, Sebastio Antonio do Reg Barros.
Aggravante, Joaquini Manoel do Reg Brrelo ;
aggravado, o coramendador Manoel Jos da Costa-
Aggravante, Joaquim Manoel do Reg Barreta ;
aggravado, o cemmeodador Mauoel Jos da Costa.
0 Exm. Sr. desembargador presidente negou
pro vi ment.
ACCRA VOS INTERPOSTOS DO JUIZO ESPECIAL
DO C0MMERCIO.
Aggravante, o commendador Francisco Antonio
Pereira da Silva ; aggravado, o Dr. Jos Joaquim
de Souza.
Aggravante, Joao Pinto de Lemos Jnior ;
gravado, Manoel Alves Ferreira.
O Exm. Sr. desembargador presidente negou pro-
vi ment.
Nada mais havendo a tratar-se o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sessao nma hora da
tarde.
a quantia de 54$ 130, e como tenha ainda tres me-
zes para o acabamento do servico, sirva se a cma-
ra de providenciar.
Posto em discussao, resolveu-se officiar a S. Exc,
pedindo autorisago para despender pela mesma
verba al o fim do ejercicio a quantia de 1:00.
severou que resurga qualquer da debaixo do
nome de Espectro, visto que ja apparecera como
sombra, e que iria mudando de senlia conforme as
conveniencias polticas.
Mas, o que vira dizer o grande Doutor ? Pu-
blicar um tratado sobre as bebedeiras de Avipu-
Oulro do engenheiro cordiador, communicando eos f Fallara de urna vtagera ao Cear ? Narra
em cumprimento do que Ihe ( i ordenado em oflkio ra os amores de tima criadinha appetilosa ? Des-
de 7 do corrente, que dingindo-se a estrada que! crever os segredos de ceno envenenamento e dos
partindo da le Lniz do Reg, vai ter ao cemitrio f respectivos bilhetinlws i Nao, nao, o hornera ha de
publico, examinou os reparos de que ella precisa, vir com historias do Arco da Velha apanhadas nos
sao aterras era alguraas partes, e urna calcada no- j fundilhos do Manoel miis! Se duvidain leiara-
va junto ao paredo da bomba, que flca do lado do n'o, e vero como a tolice ss propaga I..
sul, visto que tendo fgido o aterro em que ella Consta que o Alfredo Pascado, quzera virara
assenlava, abalen. Alm disto parecc-lhe tambera : mao na irma de um corotnha; agora anda elle a
conveniente fazer-se um lanco de muro de um e de ver bota, porque quiz desengaar urna pipa pela
outro lado dosparedoes da mesma bomba, para torneira, do mesmo modo que apanhou urna tetra
evitar que por ah caa o aterro levado pelas chu- de um pobre rapaz, que ainda hontem andava a
vas, e pelos ps dos cavalios que ahi vo, la-; procurar estrellas ao meio dia I
var. Para esle fim j mandou a cmara fazer urna j O Saralhto que eslava alporcado no ranchinho,
esirada, mas o povo tudo arraocou. sanio tarnbem a luz a dar com as peinas, montado
Posto em discussao resolveu-se ordenar ao enge- n'um bnrrlnho, e iam ambos muito contentes, o
nheiro para orear os conrertos que entender serem primeiro levava as maos um telescopio para
precisos para a conservaco da mesma estrada. observar o reino da la, e o segundo alirava bata-
Outro do fiscal da freguezia do Poco, informando tas sohre os collegas de seu amo I...
j a peticao na qual Manoel Jacmlho Ribeiro, pede Emfim, o Diabo nao to feto como o pintam, e
licenca para fazer nma casa de laipa no lugar da entre mortos e feridos alguem ha de escapar.
nosso reconhecimento.
Tenenle-coronel Jos Costosa da Cunha.
Capiles Gil da Cunha Lustosa.
Beluario Jos da Silva dorado.
Snnphronio Olyrapio de Moraes.
Dassiano Jos Pereira.
Felisberto Jos Pereira.
Tenentes Mauricio Aoiunes de Carvalho.
Manoel da dsia Vello.
Maximino Jo.-de Souza.
Alcides Cesar Brando.
Fabio da Cunha Lustosa.
Rayraundo Torres Cesta.
Alferes Cirio Lustosa da Cunha.
Jos de Souza Garaenho.
Jos Fernandes dos Santos.
Ricardo Restiluto de Souza Legal.
Antonio Mauricio Lustosa.
Aulouio Nogueira Paranagu.
Antonio Rodrigues Nogueira
Domingos Damasceno Nogueira.
Jos do Reg Barros.
Luiz Correia Lima de Negreiros.
Joaquim Correia de Lemos Piauhy.
0 capello padre Domingos Elias Costa Moraes.
Bsruardo de Cerqueira Castro Monteiro.
Iclirerico Narbal Pamplona.
Alexaudre von Bally.
Joaqoim Francisco dos Sautos Maia.
Jos Francisco Moreira.
D. Juan Buson.
Dr. Pedro Camello Pessoa.
Jos Bernardo Teixeira.
Francisco Hvgino Nunes de Souza.
Domingos Hennque de Miranda.
Antonio Polari.
Antonio da Silva Lessa.
Ildefonso Aguiar de Albuquerque.
P. W. Bealty.
'' ^aa i
Para prevenir juizos menos favoraveis a mim e
aos Rvms. Srs. conegos Francisco Jos Tavares da
Cama e Joaquim Ferreira dos Santos, declaro que
entre mim e aquelles senhore nunca houve traus-
accao de qualidade alguma, sobre a minha nomea-
Co do visitador da provincia das Alagoas, e nem
me consta que tivessem parte nesse acto de S. Exc.
Rvma.
Recife, 21 de agosto de 1865.
Viga rio, C.deM. Furtado.
nossos pratioselcc obres, nos hosp't^es e so-
bre seus doentes particulares, as arjaly*es e ,
ensaios de chimicos competentes, n5o trei
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras da
um juiz muilo eminente e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professerde Chimica.
Submelti a analyse, diz este distincto
prufessor, o oleo de ligado d bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
, achato no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A iraca proj)orc5o das substancias
estranhas que .-e pern no oleo natural para
. dissimular o clieiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propiedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
\lho desinfectado pelo processo Chevrier
'. goza de propiedades idnticas ao oleo de >
i figado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito bem tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peias
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
cept.veis.
Hnje que o oleo de ligado de bacalho
tem-s! tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
' descobijo o meio de < tornar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadeiro ser-
j vifo arle de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
1 rica e til descoberta que merece de ser
! propagada, e dizer com meu collega o Sr.
: Dr. Kichelat os trahalhos que condu/.em as
I descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de bacalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo-
de figado de bacalho ferriginoso de Che-
rrier constitue lalvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o ioouro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vas digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipaco. E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-
tar nenhrma preparaco marcial, lomam f-
cilmente o oleo de figado de bacallio ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabara de re-
eeber um grande sortimenlo dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
& C, ra Nova n. 18.
Dom Basilio.
CORRESPONDENCIAS
Cisa-Forte, declara ter ida examinar qual era a Kesignem'o nos.
editicaco que o supplicaote pretende fazer verifi-,
cou ser urna pequea casa de taipacoberta cora __________
telhas, no correr de outra; pelo que Ihe parece' '
estar no caso de obter licenca.-Concedeuse.
Outro do mesmo, informando a peticao de Anto-
Rio Camillo da Costa, que pede dispenca do paga-
ment da multa que Ihe fora imposta por ter edifl-, Srs. redactores, Por parte de meu amigo Sr.
cado nos fundos do seu silio no becco do Quiabo Jos Leopoldino Pontes protesto contra os insultos
daquella freguezia, duas casas de tapa que se grosseiros, que no Diario de hoje Ihe dirige o de-
achara cobertas a mais de seis mezes; declara ser fensor de Pedro Paes de Sooza, assim como pro-
verdade ter multado ao supplicante pela falta da, testo que o mais breve possivel o dito meu amigo
respectiva licenca, em vista do que dispoe o art. 2o j (que nunca foi georo de Pedro Paes) exibir ao
das posturas de 13 de junho de 185'5, nao devendo publico a chronica desse cidado modelo e ento se
servir de pretexto ao supplente a allegaco dessa \ (cara sabendo ainda urna vez de quanto sao ca-
edilicaco ser feita nos fundos do seu sitio. j pazes loteresses eleitoraes, porque s interesses
Posto era discussao resolveu-se dispensar o sup- i eleitoraes podera levar alguem a defender ho-
plicante do pagamento da multa, oCDciando-se neste \ mens, como Pedro Paes, aecusado, entre outros as-
sentido ao (iscal, sendo porra obrigado o suppli- sassioatos, de haver mandado para outra vi la o
cante ao pagamento do imposto das edicacoes que
fez, vi.-to estar reconhecida a boa f do dono dessas
edicacoes.
infeliz major Joo Guilherme, como se queixam
seus irmos, e lhos, cujo testeraunho ha de ser
invocado com muita vantagem em occasio op-
Mandou-se officiar ao mesmo fiscal do Poqo, ter: portuna...
a cmara attendido ao que Ihe exuz em peticao j Felizmente o meu amigo Jos Leopoldino esteve
Francisco Hermogenes Correa d'Albuquerque, re- nesta cidade ; por mais de urna vez procurou e
lativameote a obra de uraa casa de taipa que sem | c nversou com o Illm. Sr. chefe de polica ; S. S.
licenca havia principiado em seu silio na estrada pois dir se Jos Leopoldino esse inexperienle
da Casa-Forte, sendo o supplicante obrigado ao pa-; moco, seduzido pelos inimigos de Pedro Paes de
gamenlo do imposto da editicacao que fez. i Souza I Jos Leopoldino devasso I E que diremos
Foi lido e mandou-se archivar, ura requerimento do devasso mor de toda aquella redondeza, como
era que Manoel J. Dantas, por seu procurador exp5e: publico e notorio, e que at por essa causa levou
diversas consideracoes em sentido contrario a re- um liro, de que ficou aleijado de um braco ? Em-
preseniaco feita por diversos proprieiarios e mora- i fim, o publico que suspenda seu juizo.e ver quem
dores do largo do Forte do Matto, com referencia j o devasso, se o moco perseguido, ou o velho seu
g-
CAMARA MUNICIPAL.
a edificago de ura armazem que no mesmo largo
est f izando o supplicante.
Despacha ram-se as petc5es de Francisco Hermo-
genes Correa d'Albuquerque, Innocencio Gama
Chaves, Joao Deodato Boman, Jo- Mereira Lopes,
Manoel Ignacio das Candeias, Manoel Pereira Le-
mos, Manoel Joaquim Francisco de Moura, e levan-
lou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a subscrevi.Pereira Simoes pro presidente.Dr.
Miranda.Reg.Dr. Villas-Boas.Santos.
I
4.'
SESSAO ORDINARIA AOS 23 DE JUNHO
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simoes.
Presentes os Srs. Dr. Miranda, Gustavo de Reg,
Santos, e Dr. Villas-Boas, abre-se a sessao, e e lida
e approvada a acta da antecedente, com a declara-
cao do Sr. presidente do que, o allegado pelo Sr.
Dr. Miranda relativamente a votaco n% pode pro-
duzir efleilo a vista do art. 34 da le orgnica que
mui claramente determina que, o presidonte dar'
o seu vol por ultimo, e por izso nao pode proco-
der o expendido de ter ficado sentado; quando
sempre proceden da mesma forma, declarando seu !
voto por ultimo e verbalmenle.
L-se o seguinle
EXPEDIENTE.
Um officio do fiscal da freguezia de Santo Anto-'
uio, informando contra a peticao de Manoel de Me-
deiros de Sooza, rendeiro da loja do sobrado o. 22
do caes do Ramos, em que pede para ser dispensa-
do dopagamento do imposto que se ada a mesma
loja.Indefeho-se.
Outro do fiscal da freguezia da Boa-Vista, infor-
mando o requerimento que devolve, de Wenceslao'
Machado Freir Pereira da Silva, declara que nao
pode ser faroravelmente deferida o pretencao do
sopplicante, por quanto a ella se oppoe a dispost-
Co do art. 1* das postoras addicionaes de 21 de
feverero de 1802.Indeferio-se.
Outro do fiscal da fregoezia da Varzea, infor-
mando o requerimento de Jesuino Augusto dos
Santos Fragoso: declara acbar Justa a pretencao
do supplicante por quanto, tendo felto o mesmo a
casa de que trata em dito requerimento; com a !
respectiva cordiaco, o accrescimo q'oe agora quer;
~~
COMMUNIOADOS.
Attetatado da polica.
Estou sendo processado, pela segunda ver, pe-
rante o Sr. delegado Martins Pereira, por nma sup-
posta infraeco da le de 14 de novembro de 1860,
perseguidor.
Recife, i." de setembro de 1865.
Um amigo.
i8'
Senhores redactores. No Diario de hoje, Io de
setembro, I uraa correspondencia do Sr. Miguel
Tolentno Pires Falco contra o Sr. Francisco de
S e Albuquerque. Como seja advogado do Sr.
Miguel Pires e se possa entender ser eu o autor da
dita correspondencia, declaro que nao lenho parte
nella.
Cabo, 1* de setembro de 186o.
Jos Paulo do Reg Barreto.
PUBLICARES A PEDIDO
O abaixo asslgnado, artista pedreiro desta ci-
qoal prohibi e consideron ora crime policial dade, chama a attenco do respeitavel publico para
um grande archilecto vndo da Parahyba chamado
Antonio do Sacramento, examinado l no Vara-
douro da mesma cidade, um genio e nao deve ser
desprezado a ponto de seu faror artstico lvalo a
depr dos conhecimentos praticos de homens que
em risco e em execucao mandara este celebrrimo
limpar a colher.
E' peona que o charlatanismo seja a medida da
moda que todos ajustam as suas monstruosidades;
porque elle de felo todo pertence s e s ao Asna-
vero das constmecoes.
Pernambuco presentemente deve augmentar em
belleza por contar em seu seio com este eximio ar-
tista parahybano indubaavelmenie o primeiro era
faci de eslabelecer escriptorio de empreslimos so-
bre penhores e fazer dsso proflsso habitual.
No dia 24 de dezembro do anno passado diri-
gio-se o Sr. delegado ao meu estabeleeimento de
fabrica de cigarros acompanhado de duas ordenan-
Cas, den busca era todos os meus aposentos, busca
minuciosa e aturada, varejo insoflfrldo em todos os
meus trastes, bahs e gavetas; apprehendeo-me o
livro de lerabrancas, ludo sem as formalidades que
a lei prescreve ; sem mandado nem offlciaes de
justica ; sem aviso previo ao cnsul de minha na-
Co ; e, ajuniando com tudo, e mais nma grande
porciio de joias de ouro e prata que eu traba do
valor de mais de cinco cootos de ris, rebocou-me
para a secretaria de polica ; prendeu-me por cri-
me de desobediencia, e l foi para a casa de de-
tenco, d'onde sabi por ordem do muito integro
Sr. Dr. Serfico, na qualidade de supplente do re-
ferido delegado, a coja disposico fui posto, para
ser processado pela desobediencia.
E' cora effeito extraordinario que, nesta cidade,
onde se acham autoridades superiores encarrega-
das de execntar e de fazer executar as leis, um
abuso desta ordem passe desapercebido e fique
impune. Clamo e hei de clamar por Justina, e es-
pero que terej devida reparado a grave offeosa
A Jurtibeba.
As virtudes therapeulicas da jurubeba sao desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que deltas
tratou Pisn em sua excellente obra Historia na-
turalis et medica Indio; ocadentalis, seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fruclos como
aqui, muito estimado e apphcado contra as obs-
\ troeges abdominaes, principalmente do ligado e
j bacj; e se todos os facultativos desla provincia o
! nao applicam cora, frequencla, isto se nao deve a
nao reconliecerein elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas rom facilidade e em todas
as estaedes do anno os fruclos dessa planta, e re-
pugnancia, que apresentam os deentes era l'azer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das sotaneas, e tem
a denominaeao de solanum panteulattm, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parecendo-nos conveniente facilitar o neo do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozeinos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado era pilulas, mas tarnbem um vinho, nm
xarope, e um emplastro que pode substituir, era
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servico humanidade e
therapeutica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coeco das raizes da jurubeba, e Mrat e Doleos,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as Amilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a autoridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabeleeimento essas raizes, para que possam
ser experimentadas.
A reputaco da jurubeba tal, e os resultados
therapeulicos obtidos ltimamente sao to impor-
tantes, que nos parece intil dizer mais do que
isto, que fica escrpto.
Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
Sade publica.
Pnriflcaco a respeito de alguns dos medicamentos
da casa Grimault k G.
Alguns jornaes publicaram urna ordena-
cao d> conseibo de sade portuguez, ;que
prescreveu os meiieamentos preparados pela
casa Grimault & C. de Pars, com o pretex-
to que esses acreditados pharmaceuticos
foram condemnados pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenacao parecer bem extraordina-
ria quando se tiver lido as seguintes cir-
cumstancias:
1. A sentenca de que se trata foi dada
sobre a dennnciarao de um dos concurren-
tes dos Srs. Grimault d- C., e sobre as in-
formaces inteiramenle erradas que foram
'dadas ao tribunal
2. A sentenca foi dada por nm tribunal
de primeira instancia, e nao tem valor al-
gum, logo que se appellou ; foi por urna
manobra desleal e contraria a lodos os usos
[que os concurrentes dos Srs. Grinault- C.,
Bzeram distribuir em grande numero os jor-
naes judiciaes e mandaram publicar em
Franca e nos paizes i strangeiros urna deci-
so que nulla, sem nenhum valor emquan-
ito o tribunal imperial nao a trwr approva-
1 do, e depois delle o tribunal supremo.
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por urna sentenga de 17 de maio pr-
ximo pissado, ordenou nova vistori?, a que
tinlia motivado a decisao dos juizes da pri-
i meira instancia Ibes tendo parecido insufi-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ramenle contradiclorias de um cbimico e
physiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pharmaceutico em chefe dos hospitaes, e
' professor aggregado da faculdade de medi-
cia de Paris.
.4. N'essas circumstancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
'decidido sem informacoes mais certas, a
\ mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
I peico medicamentos, cujas excellentes qua-
lidades e perfeita preparaco tem sido, des-
1 de muitos annos, r. conhecidas por todos os
I membros mais distinclos do corpo medical,
| e que tem os nicos defeitos de serem me-
lhores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de seus concur-
rentes.
1
3*
JURUBEBA.
A jurubeba nma das substancias medicamen-
tosas, o reino vegetal, e pertence classe
dos tnicos e desobstroentes, sendo em prega-
oa com fvantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de eogorgitamenlode figado e taco.
Ella lem sido applicad? com incontestavel proveilo
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar-
reo da bexiga e mesmo para combater a menstrua-
co difflcil, resultante da mesma anemia ou chlo-
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de dem.
Xarope dem.
Vinbo idem de idem.
Pilulas de ext. idem.
Deposito, pharmida de Pialo, ra larga do Ro-
sario n. 10.
M M lg) I COMMEIGIO.
VARIEDADES
Setnelas e medicina.
L-se na Union Medicle de Paris:
Os jornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
construir"taperas a moda'p'lacete, plantar "marcos Para a therapeutica, que cousistia na desin-
de estradas, etc. fecgao do oleo de figado de bacalho sem
O abaixo assignado convida pois a este genio pa ]he tirar nenhuma das suas propriedades.
ra Ihe ensinar o modernismo e aprender a deitar o ramne n ,.,., a* nr,n.,n;. k_t- .
prumo, em construccoes, era qualquer tempo e lu- TeS. Prazer de annu?Ciar boje aos
gar que juigar conveniente. nossos leitores, que esse resultado fot obli-
Espeeialmente rogamos a este talento artstico a do de modo o mais completo por um hbil
bondade de declarar por este jornal qual a edifica- pharmaceutico de Paris, O Sr. Chevrier, (rae
cao que o abaivo assignado fez por 800#000, estn- ^nfi(Wnm dflsinfprlar n nlpn rlA ficado rl
do justa coairalada por 1:200*000 com sua pes- ~MS" "especiar O Oleo (t ligado de
soa. bacalho com o alcatrSo e o balsamo de
Outro sira, roamos a Vine, que r nuiriado sen- Tolo. As experiencias feitas por muitos de
- 377
voluraes sabidos cera fazendas..... 69
< < com gneros..... 437
------ 506
Descarregam uo dia 3 do correle.
Barca portugueza Sympatkia -diversos gneros.
Barga portuguezaAeawdrtf Herculano vinhos
Escuna ingleta -Ann Grani -ferro.
Barca inglezaLancastriafarioha de trigo.
Brigue portuguezS. Josenarque.
Barca nacional Valle-iiem.








i
Caiia filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Vovo banco de Pernam-
buco.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por ceoto ao anno at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambuco.
De ordem da directora se faz poblco que a ca
xa desconta os saques de seu aceite, praticados
pelo banco do Brasil, pela taixa de 7 0)0 ao anno.
O guarda-li vros
Ignacio Nunes Correia.
LFANDBGA.
Rendimemo do dia 1......... 33:096^170'
MOVIMEiNTO DA ALPADEGA.
Volumes entrados com fazendas.... 4
com gneros..... 373
,
r
-W-w


TABELLA DO REXDIMENTO HA ALFANDECA BE MfiRNAHBl' W MttdM-ti
^HJK^RWESTB ANKO FlKAM30-eOMPAKA0 COM OS DE IGl'AES MEZES DOS DOU
LTIMOS. _^ ,-.. i i.. _
*
/mporlaro.
Direitos de consumo.
Ditos add donaos de 2 /o
Ditos da baldeage e reoxportagao
Ditos de ditos e reexportacao para a Costa.
d'Africa............
Expediente dos gneros estrangeiros nave-
gados por cabotagem ........
Ditos dos gneros do paiz.......
Ditos dos gneros livres........
Arniazeuagens.......... .
Premio dos assignados ..-..',..
Despach martimo.
Ancoragcra............
Direitos de 15 % das ernbarcaeoes estrangei-
ras que passam a nacionaes.....
Ditos de 5 % na compra e venda das embar-
cares .............
Exportaco.
Direitos de lo % do pito Brasil.....
Direitos de 7 % de exportacao.....
Ditos de 2 r/8 % idem.
Ditos do i % de ouro em barra
Ditos de !/i dos diamantes. .
Expediente das capatazias. .
Interior.
Multas.........
Sello do pa|>el tlxo ....
Dito do papel proporcional. .
Emolumentos......
Imposto dos despachantes .
Extraordinaria.
Receita eventual.....
Dizimos da provincia das Alagos.....
Ditos da provincia da Parahyba.....
Moa da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuidlo de candada........
1861 K66
3i9:22o569:t
43:987*196
147*116
108*713
mu
1:142*301
703*050
3:164*911
1864 a 1S65
2:005*fiS0
523*000
*
94:756*613
1:671*660
583*860
40S*rioo
127*140
44*000
18*750
501:342*429
838*7il
6:6163830
395069
397*30-2
509:534*341
l8G3al86i
590:216*813
81:167*91.1
133*483
397*24
J ^ r7*2#3
84^*525
242*850
960*426
4 -
1:1I7|30>
197*530
331*500
*
63:019*391
[
*
1:518*640
746*885
3505940
63*800
60*400
12*500
743:538*672
265*775
9:141*055
469*943
4165205
753:831*650
342:319*501
45:084*409
139*559
554*941
551**8
l:05S*t8O
20tfllK>
7:897*3021
861*810
1:206*000
300*000
1
22:949*079
704*340
601*990
427*800
81*020
521000
I
17*437
mandei passar o presente, que ser publicado pela
BBatos e afiliada noa tHjjes wojHP**'
neeire.SfaegsJftofal&til.
Eu ManoeJ Marta lladrtguaa do JKa_im_to, es-
crivao, o subscrevi.
Trsio de Alencar Araripe.
0 Dp. Trisito de Alencar Araripe, oCBnial da im-
perial ordem da R,osa, jniz de dlreilo especial do
commarcio desta eidade do Jlaetfo de Parnarabu
co, seo termo, por Ba Magestade Rnperial e
Constitucional o Senhor D.Pedro II, a guem
Trsna gaaTOe, etc.
Cafo saber pelo presente qne no dia 4 do mez
fe seUoabro do crrante anno.se ha de arrematar
parveada,-a quera mais der ero praga publica, de-
Sois da audiencia respectiva : ama parte da coso
s ibrado de um an lar e sotao n. 32, sito na ra
do Livramenlo, conv taranda de pao, duas sala,
Mi
de 1865.
Su
1 ^THPr4 "liante <**r* A-Exm. Sr. d
maMtdr^oimkts a\s Xnjos. Doria, no Manguin!, eom
\mtthl -e guerra.
0 conselho de compras do arsenal 'de guerra
paecisa comprar o seguinte :
Para o presidio de Fernando^
1 barril azeite Jote.
10 neilMas 'nmo-branco engarrafado.
200 hostias.__ '"
iitors iB6etMjo.
4 lunas bfjuiin
1 Mbra pBstrt&as.
Aa peasoas qtre quizerera vender ditos artigos
apreonlem snas- propotas na sala do conselho de
compra*, as 10 horas do dia 2 de setembro vin
danro-
mbargadT
m nodacoes
pelos pre-
er ao ieilo
as a
que podem ser examinadas desde .
tendentes, os quaes arsro cooco:
aodja
Terca-f^ira 5 d sejlmbiD.
lar intervengas, do agente Pinte, em frente a
Asaociacao Commercial.
LMLAO
i
dvqgado na corte.
-se de quajqnv ?"V?._***'. corm\,
quatto quartos e cozinbo no sotao e quintal, ^^J^^l^^J9,^^.^^ d ar
liada toda a casa em 7:000*. sendo o saldo da dita ,s8Dal de guerra, 30> de> agostlo JS63
parte 4:853*380 rs., segando a conla feta pelo
Contador do juizo, a qual va a praga por execugao
de Francisco Amaro da Silva Passos contra Fran-
1 cisco do Prado. E na falta de licitantes sera' feita
j por venda a quera mais der ere praga pelo prego
O encarregado da escriptaragSo,
Manoel Jos de Azevtdo Santos
425:011*072
1615341
7955128
50*300
2515692
426:272*734
Alfandega de Pernambuco, 31 de agosto de 1863.
O 3 escriturario,
Jofh Bernardo Diniz Pessoa.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1........... 1:0215300
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dial........ 1:0645801
10?IMENTG M POETO
yavius entrados no da Io.
Para e portos intermedios 7 1|2 dias, sendo 8 ho-
ras do ultimo porto, vapor brasileiro Tocanttns,
de 750 toneladas, commandante 1." lente Pe-
dro H. Dtiarte, equipagem 5.
Baha4 das, barca in^leza Lancastrta, de 339
toneladas, capito J. Edmnndson, equipagem 12,
carga 7481 saceoscom farinha de trigo; a Johns-
ton Paler & C.
Aracaiy-20 d as, hiate brasileiro Sania Rita, de
55 toneladas, capito Manoel Luiz dos Santos,
equipagem 8, carga differentes gneros; a Tasso
& irmao.
Nanos sahidos no tnesmo dia.
Rio Grande do SulBrigue nacional Adolphn, ca-
pito Manoel Antonio Alachado Filho, carga va-
nos gneros.
CearaPalhabole brasileiro Ganbaldi, capitao Cus-
todio Jos Vi aun a, oarga differentes gneros.
Liverpool pela Parahyba Brigue inglez Zone,
capitao I. li. Cobely, era lastro.
Lisb'iaBrigue portugnez Constante, capitao Sili-
vestre Manuel dos Res Jnior, carga assucar e
sola.
O Dr. Trislaode Alencar Araripe, offldal da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commerew desta eidade do Recie de Pernambu-
ro, sea termo, por 5ua Magestade Imperial e,
ConNtilucional o Senhor Pedro II, a quera Deus
iraarde etc.
Fago saber pelo presente, que no dia 18 do mez,
oor venda a quem mais derem praga publica des-1
e jnizo, depois da audiencia respectiva, a escrava
de nciine llana, crioula, de quatorze anuos de ida-
de. avaliada era 6005, a qnal val a praga por ese-,
cacao de Albino Jos Ferreira da Cunha contra
Manoel Igaaeio das Caodeias. E aa falta de lidian-
tes ser a arrematadlo folla pelo prego da adjudi-
cacao cora oabaiiment-i respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei fazero presente edital que sera' afflsado
no< logares do costuraee publicados pela imprensa.
Di do e passado nesta eidade do Recife de Per-
namboco, 30 de ago?to de i865.
Eu Manoel Mana Rodrigues do Nasciraenlo es-
crivo o eserevi.
TrvtO de Alencar Araripe.
O Dr. Trslao de Alencar Araripe, official di impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
corr.mereio desta eidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. M. Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quera Deus guar-
de, etc.
Fago saber pelo presente que por este juizo e
cartorio do escrivao que este subscreveu e fez pas-
sar o presente, corre urna execugao de sentenga,
entre partes como exequente Henrique Jos Alves
Ferreira e como executados os administradores da
ma-sa fallida de Araorim, Fragoso, Santos 4 C, e
proseguindo a execocao os seus devidos termos,
proc;dfU-se a penhora em dioheiros pertencentes
aos me>mos executados, pelo que o solicitador Ig-
nacio Barrozo de Mello, procurador do exequente
em audiencia do dia 14 de. novembro me fez-o re-
qiierimenlo do theor seguinte :
Aiis i i de novembro de 1864 nesta eidade do Re-
cife de Pernambuco, em publica audiencia que aos
eitns e as parles fazia o Dr. juiz de direito especial
do commercio Tristao de Alencar Ararioe, uella
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor do exequente Henrique Jos Alves Ferreira,
ora aecusada a penhora qne so segu feita em di-
nbeirn perlencente aos executados, requerendo que
nao s aos meamos flcassem assignados os seis dias
da lei, como os dez dias aos credores lacertos, pas-
sando-seoseditaes do estyloi, e requerendo na mes-
ma occasiao que se passasse mandado de remogo,
para o deposito publico e achando-se presente o
solicitador Miguel Jos de Almcida Pernambuco
procurador dos executados, por parte destes pedio
vi>ia.
Termos em que houve dito jaiz ambos os reqne-
rimeotos por deferidos.
Extrahi o presente do protocollo de audiencias, e
junio o mandado e termo de penhora.
Eu Faustino Jos da Fonceca, escrevente jura-
mentado o eserevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi.
Segurado o que assim se conlinha em dito re-
querimento de audiencias, depois do qual o mesmo
solicitador Ignacio Barroso de, Mello, procurador do
exequente, em audiencia do dia 19 de junho do cor-
rete, anuo, me fez o requeriraento do theor se-
grate :
Aos 19 de junho de 1863 nesta eidade do Recife
de lvi nambuco, em publica audiencia que aos Cel-
los c as partes fazia o Dr. juiz de direito especial
do onriiercio, TrisISo de Alencar Araripe, nella
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor o exequente, H-nrique Jos Alves Ferreira,
requerido que havendo-se desencaminhado os pri-
meinis editaos, se Ihe mandasse outros com salva
do primeiro, e que langava de prava, e requeria
que fossen os autos com vista afinal.
O qne ouvido pelo juiz assim o deferio.
Extrahi o presente do protocollo de audiencias.
Ei Manoel Silvino de Barros Falco, escrevente
juramentado o eserevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o suhscrevi.
S guindo o que assim se contiuha em dito reqae-
riment.1 de audiencia aqui_ transcripto, depois do
qual a mencionado escrivao Manoel de Carvalho
Paes de Andrade, que este subreveu e fez passar
o presente edital com o prazo de 10 dias, pelo qual
e sen tiieor chamo, cito e hei por citados a todos os
credores incertos dos ditos executados, paro que
dentro do referido prazo comparegam ante este
jaizo, allegando e provaodo que for a bem de
seus direitos e justica sob pena de se proceder as
suas revelias.
E para que chegue ao conhecimento de todos
maudei fazer o presente edital cara o prazo de 10
dias, que ser afflsado oos lugares do costuraee.
trabucados pela imprensa.
Dado e passodo nesta eidade do Recife de Per-
nambuco aos 21 de junho de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi.
Tristoo de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Aletear Araripe, ofDcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito, especial
do commercio, nesta eidade do Recife de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a quera Deus guar-
de, etc.
Faco saber aos qoe o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem que no dia 18 de setembro
do correte anno, se ha de arrematar por yenda
a qtiem mais der em praga publica deste juizo, o
seguinte :
A propriedade denominada Sanl'4nna cita na
fregnezia do Pogo da Panella, na qual existe um
sobrado bastante velbo, duas casas terreas, em mo
estado, e ama dita cahida, urna olaria em ruinas,
avahada em 7.000*000. A qual fra penhorodo
por execugao de Antonio Jos de Castro, contra o
bacharel Joaquim Francisco de Miranda.
E nao havendo langador que cubra o prego do
avaliagao, a arrematadlo sera' feita pelo prego da
adjudicagao na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa, e afflxado nos lagares do costume. Re-
cife, 21 de agosto de.1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivao, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio, por S. M. Imperial e Constitucional o
Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 18 de setembro
do corrente anno se ha de arrematar por venda a
quem mais der em praga publica deste juizo o se-
guinte :
Um sitio sito na estrada de Joao de Barros, tendo
um portao na frente com pedacos de muros as lado'
urna casa com um sotao dentro do sitio, tendo a
casa trinla e quatro palmos de frente e oitenta e seis
de fundo, tendo em roda da raesma casa urna cal
cada com pilares, duas salas, quatro quartos, cosi-
ha (ora, e no soto tres quartos e urna sala, com
cacimba, tanque, casa para pretos, e um telbeiro
core apetrechos de moer e fazer farinha em mo
estado, tendo nm terreno com largura para ambos
os lados, para plantagoes, alguraas fructeiras, sen-
do a largura do dito sitio de 375 palmos e 500 de
fundo, avahado em 10:000*.
O qual fra penhorado por execugao de Jos Pan-
to do Reg Brrelo, coulra o bacharel Diodoro Ul-
piano Coelho Catanho.
E nao havendo langador que cubra o prego da
avaliagao a arrematago ser feita pelo prego da
adjudicagao na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente, que ser publicado pela
imprensa e afflxado nos lugares do cosiuroe.
Cidade do Recife de Pernambuco 18 de agosto
de 1865.
Eu, Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem do Roso e juiz de direits especial
do commercio nesto cidode do Recife de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que Lino de Faria me diri-
gi a petigo do theor segninte :
Illm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio.Lino
de Faria, como liquidalarlo da firma Faria & C,
sendo Pedro Buarque de Macedo devedor da quan-
lia de 320*940 rs., Antonio Germano Alves da Sil-
va de 1:432*990 rs., Antonio Ferreira da Cunha
166*640 rs., Manoel Hollanda Cavalcanti de Aibu
querque 300*, Felippe Sim5es dos Santos de 130*,
e Francisco Antonio de Oliveira e Silva 2:097*420
rs., sendo todas essas dividas provenientes de le-
tras, que ja se achara vencidas, e querendo inter-
roraper a prescripgSo da forma do art. 453 3."
do cdigo, requer a V. S. se digne do mondar to-
mar por termo o seu protesto, afim de em qual-
quer tempo poder haver de cada un do* supplica-
dos o importe de suas respectivas letras, sendo o
mesmo protesto intimado aos supplicados, passan-
do-se para isso carta precatoria para o termo de
Barreiros, onde mora Antonio Germano Aives da
Silva, sendo os mais por editos, visto estarem em
lugar incerto, adraitlindo-o V. S. o justificar essa
incerteza.
Pede V. S. se digne assim o deferir.E R. M.
Lino de Faria.
E mais se nao conlinha em dita petigao aqui co-
piada, na qual dei o despacho do tbeor seguinte :
Sim, devendojnstificar a ausencia no dia 4 do
corrente mez as 11 horas da manha.
Recife, 2 de agosto de 1865.Alencar Araripe.
E mais se ne conlinha em dito despacho a iu
copiado, em virtude do qual fra a mesma peti-
gao distribuido ao escrivao que ante mira serve
Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, o qual
fez lavror o lermo de protesto do theor seguinte :
Termo de protesto.
Aos 2 de ogosto de 1865, em mea cartorio com-
parecen o supplicante, e disse pp.rante mim e as
testemunhas infra assgnodas, que reduzia a pro-
testo o contedo de soa petigao retro, a qual offe-
receu como parte do presente que fica sendo, no
qual depois de lido se assignou com as ditas teste-
munhas.
Eu Adolpho Literato Pereira de Oliveira, escre-
vente juramentado o eserevi.
, Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
! crivo, o subscrevi.Lino de Faria.Jos da Cos-
ta Reg Lima.Secundino Eliodoro da Cunha.
E mais se nao continba em dito termo de pro-
testo aqui copiado.
E tendo o supplicante produzido suas fstemu-
nhas* sellados e preparados os autos suhiram
minba conclusao, e nelles dei a sentenga do theor
segmnte :
Hei por justificada a ausencia dos supplicados,
que se mostrou acharem-se em lugar incerto : e
mando que sejam elles citados por editos de 30
das para o fim requdrido a ful has 2, pagas as cus-
tas ex causa.
Recife, 5 de agosto de 1865.Tristoo de Alencar
Araripe.
E mais se nao conlinha em dita sentenga aqni
copiada, por forga da qual o referido escrivao fez
passar o presente edital, pelo qual chamo e intimo
os supplicados para que comparegam neste juizo
, dentro do indicado prazoJ afim de allegaren) o que
fr de justiga.
rrematacao.
No dia 2 do corrente mez, depois da audien-
da adjudicagao com o abalimentorespeclivo da lei. I i!tt t^tll t^lJl a'ViS
ucares do cosime nublieados nela im- era ma' estado- l cartera, 6 cadeiras, 1 relogio de
prata com cachorro da mesma, 1 cadeira de brago,
cujos bens foram penhorados a' Agapito Antonio ]
de Barros, por execugao de Manoel Silveiea de
, Freitas e Jos Joa mim Gomes Teixeira.
Das 4 casas terreas da ra da Amisade ns. 23,
24, 23 e 26, sendo as 3 primeiras com 2 .'alas, 2
quartos, cosinba fora, cacimba, quintal murado, e
a ultima maior coro 2 salm, 4 quartos, cosioha
fra, 1 qoarto para pretos, aantme, cacimba com
bomba e grande quintal com laraugeiras e diver-
sos arvoredos de fructos.
Terca-feira a de setembro as 10 limas em ponto
em frente a Associarao Cammertial.
O agente Pinto kgalinente autorisado far leil&o
, no dia, bora e lugar acuna indicados, das quatro
casas terreas supra mencionadas edirleadas na raa
da Amisade em frente a casa do Exra. desembar-
gador Doria, em S. Jos do Maoguioho.
eocarre-
eccle-
siastica e criraioal, ln.",M"r0S. appellagoes, revi,
use negocios pelas repai"."C?^- O negocios fra
da corte, alem das procuracov.'" devem vir acora-
pannados das competentes otoW?*. Pde ser Pro-
cundo no seu escriptorio na ra o Alfandega n.
27, priraairo aodar. Para alguna ec!3r.,ciraenls
podem entender-se aqai com o bacharel Lui R"
drigues Villares.
Contrata se a venda d 50~ a~60~pipas cor
excellente mel do furo : a tratar no escriptorio de
Jos Pereira Vianna. na praga do Corpo Santo pu-
mero 6.
Cosioha-se para fora rom muita perfeigo :
na roa de, S. Boro Ir-sus daT-rioula n. 17, e na
mesma precisas alugar uHa preta.
Per
uus
prensa.
Dado e passode nesta eidade do Recife de
nnmbuco, aos 11 de agosto de 1865.
Eu Maooel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e sea termo, por Sua Magestade Imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, a qaem Dos
guarde etc.
Fago saber pelo presente que no dia 4 do mez
de setembro do corrente armo, se ha de arrematar
por venda a quera mais der em praga publica, de-
pois da audiencia respjctiva, urna casa terrea sita
na cidade de Olinda, a raa do Amparo n. 14, com
31 1/2 palmos de largura e 88 de compnmento,
quintal em aberto, sala na frente com gabinete,
quatro quartos, sala a traz com cozinha dentro, sen-
do essa sala assoalhada, avaliada era 8005, a qual
vai a praga por execugao de Joao Manoel Rodri-
gues, contra Marcelino Rodrigues da Silva e sua
roulher. E na falla de licitantes ser o arremata-
go feita pelo prego da adjudicagao com o aboti-
mento respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital, que ser afflxado
nos Ibgares do costume e publicodo pelo imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 9 de agosto de 1865.Eu Manoel
de Carvalho Paes de Andrade, escrivao o subs-
crevi.
Tristao de Alenear Araripe.
AVISOS BI7E1S0S.
Convida-se as pessoas que esio as
condicoes do servido militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanla-
gensdi lei provincial n. 611 de 2 de miio
prximo passado, que sao as seguidles: i
1-jiOO rs. diarios de sold, seren seus t-
Ihos menores recolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de educado e o tempo pe-I
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadoria, e alm destas
tem todas as mais vantagens que s5o con-
cedida aos voluntarios da patria. O te-
neute-coronel commandante do corpo de
polica, lexandre de Barros e
que.
Arrenialaco.
No dia 2 do corrente mez, depois da audiencia do
Dr. jaiz municipal da 2* vara, vai a' praga por
venda a casa terrea n. 26 na estrada de Joao Fer-
nandes Vieira, freguezia da B )a-Vista, em chaos
proprios, com 50 palmos de frente e 43 de fundo,
2 salas, gabinete, i quartos, 2 coziohas, sotao den-
tro com janellas para os lados, quintal grande com
fructeiras, cacimba, etc., avahada em 2:600*, com
abate da 5* parte em 2:080*.
Correio geral
Pela administrago do correio desta cidade se
faz publico que noje (2) a 1 hora da tarde fe-
char-se-ho as malas que o vapor Tocantins tem
de conduzir para as provincias do sul.
As cartas serlo adraeitidas a seguro ate o meio
dia, e os joroaes recebidos al as 11 horas.
CORREIO GEftiL
Relago das cartas seguras viudas do norte pelo
vapor Tocantins para os senhores abaho decla-
rados :
Dr. Antonio Alves de Sonza Carvalho.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Bnto-
Dr. Fernando Alfonso de Mello.
Fabio Nanas Leal.
Ildefonso Henoch de Barredo.
Julio Cesar Gomes de Castro.
Joao de Freitas Goi maraes.
| Joao Pedro Collares Moreira.
j Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado.
Jos de Vasconcellos.
i Dr. Luiz Felippe de Souza Leo.
. Vicente Jos da Silva.
MARTIMOS
Grande arnutzem il> tintas.
RA DO IMPERADOR N. 22.
O armozera de tratas um grande deposito de
, productos chimicos ateosis e os mais enipregados
, e usados napharmacia, pintura, photoiiraphia,tin-
turara, pyrotechinia(fogos de artificio) e em outraa
! industrias.
Montado em grande escala, e snpprmdo-se di-
lectamente as principaes drogaras de Paris, Lon-
dres, Hamburgo, Attvers e Lisboa, pode offereceer
productos de plena conllanga e sallsfazr qnalquer
' encommenda a grosso trato fe a retalho, por pregos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com prnmptido qualqu^r pedido ie tintas moidas
a oleo, cuja qnalidadee pnreaa e seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o qoe
nao fcil fazer com aquellas qne sao importadas,
CONTRA FOGO.
(jOmpailllia IndemillSaaOra e iue se ucontram no mercado em laias fechadas,
estabelecida nesla praga, toma seguros martimos' Teni gr?nd-9 colleceao rte v,dros e "frentes
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, raercadorias e molulias: no seu escripto-
jio, roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
LOTERA
AOS 6:000#000.
Quarta-feira 6 de setembro do corrente
anno, se extraliir a 2a parte da Ia lotera
('30a) a beneficio da greja de Nossa Se-
nhora do Rocano de Muribeca, no consisto-
rio da igreja de Nossa Senhota do Rosario
dafreguezia de Santo Antonio.
Os bilhetos, meios e quartos esto a ven-
da na respecliva ihesouraria a ra do Cres-1 ra aquareiia;
; formatos, desde urna oltava al dezeseis oncas de
' capacidade ; de vidros para vidraras e diamantes
I para corta-Ios; de pinceispara fingir madeira com
propriedade e outros; dp papis doorados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento: de
papel grande e pequeo formato de vanas cores
para embrnlho, para forro de casa, para desenbo
cora fundo ja feito ;de papel albuminndo l,e Rrsu>
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vemizes de cssencia para quadros, de
espirito para madeira, copal para o interior e ex-
teiior ; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de tinhaga
clarificado, oleo de tolde, secativo de Harlim, onro
verdadeiro em p ; prata, eoro, e estanho em fo-
Ihas de varias cores ; tintas vegetos-, inoffensi-
vas proprias paro confeitarios ; laa de cores, e
olhos de vidros para imagens ; tintas em tubos e
telas para retratos tintas em pastis e em p6 pa-
essencia de rosa superfina, de ne-
po numero 15.
i roly.jasmim, bergamota, aspice, paichouly, mbar,
ro
jectos que s com a vista podero ser mos-irados.
Joao Pedro das Neves,
Gerente.
Preciso-se de 1:400* a juros sobre hypothe-
co : quem ti ver auaund por este Diario.
COMPANHtA
DO
EMPREZA-OOIMBRA
recita da assignatura dos 6 espectacalgs do ar-
tista Simes.
i i ,-v i i t E. A. Tirnmis retira-se para a Baha.
\ibuquer- gibado 2 de setembro de --v&m^z
1865.
Representar-se-ha a muito applaudida comedia-
drama em 2 actos e um prologo maritimo, original
portuguez do Sr. A. Cesar de Lacerda.
fk nrpmin Ip ROf at lO-SOl bouquol,limao,alearaiva,melissa,ortelaa pimenta,
US premios O O.UUU^UUU ate lOdUUU |OUro,cereja, alfazema, juinpero. Portugal, lima,
ser5o pagos urna hora depois da extraccao \ anis da Russia, caneiia, cravo e iraitoe outros ot-
ate as 4 horas da tarde, e os outros depois
da distribuirlo das listas.
As encommendas s rao guardadas so-
mente at a noite da vespera da extracto
como de costume.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Club Pernambucano.
A partida do mez de setembro ter lugar
na noite do dia 6.
Carbetl retirase para ln
glaterra.
Preci>a se alugar tima escrava : a tratar no
jargo da Soledade n. 2, taberna nova.
fl'ODRETO DUPLO
nfiERROE QUININA
i
Sao novamente convidados os Srs. accio-
nistas a reunirem-FC em assembla geral
extraordinaria no dia 6 de setembro pr-
ximo futuro ao meio dia no escriptorio da
mesma ra do Cabug n.10, alim de se de-
liberar sobre o determinado no aviso ex-
pedido pelo ministerio d'agricultura, com-
mercio c obras publicas em 21 de julho ul-
timo com referencia aos novos estatutos
desta companhia, roga-se aos senhores ac-
cionistas que nao poderem comparecer por
si a essa reunio, mandem procuradores
especiaes para tal Dm, Hue s r da reforma
dos ditos estatutos.
Escriptorio da Companhia do Beberibe
31 de agosto de 1865.
O secretario,
Dr. Jo) Jos Pinto Jnior.
Dar' fim ao espectculo com a primeira repre-
sentago da convdia era 1 acto, ornada de msica,
do Exm. Sr. Dnarte de Sa' lente de
do real conservatorio de Lisooa
IJM PAR DE MORTES
ou
A vida de um
PEI1SONAGENS.
Theobaldo, litteralo............ Simoes.
Bento Cordinha, aguadeiro...... Teixeira.
Casimira...................... D. Eugenia.
Coroegara' as 8 horas.
D. Guilhermlna das uores Mello Riteiro re-
tra-se para Lisboa a tratar de sua saude, levando
em sua companhia urna ulna menor.
O aballo assignado achando-se fora da pro-
vincia, no seu resres=o em 30 do correte, leudo
o jornal o > da 26 de^arei com a lista de alguna
Srs. escolhidos para compor o conselho delioera-
tivo doGibiueie Portuguez Ue Ldtura, onde figu-
rava tambem seu nome, a ser essa lembranga fi-
declaraago |na de sinceras iniengoes de rneu dever agrade-
|cer cordialmente a prova de con>ideragao que me
tribataram esses Srs. socios, se porm s asim
fizeram com o intento de me redicularisar dir-
lhe-hei que perderam seu tempo, pois que tenho a
precisa energa de repetir e^sas almas pe'/ueuinas
que para absterem seus (ios e-lao prompta's a pra
ticarem toda a qualidale de indignidades, sendo
assim soraente dignas do maior desprezo. Recife
31 de agosto de 1865.
Antonio Jos Moreira Ponte?.
par.
Tribunal di) commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesta data fica
registrado o contrato de sociedade de Luiz Moreira
da Silva e Domingos Gomes da Silva, Portuguezes,
estabelecido* oesia eidade sob a firma de Moreira
& Gnmes; devendo dita sceiedade durar por espa-
go de quatro anuos, contados de 3 de, junho do
correle, com o capital de 6.878*410, para o qaal
entra o socio M>reira com 5:703$330 existentes
nos fundos d> estabelecimento social, e o socio Go-
mes com 1:175*080, sendo 1:000* era dinheiro e
175*000 tambera nos fundos do estabelecimento.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco 30 de agosfo de 1865
O official-maior,
Julio Guimaraes.
Cmara Municipal do Recife.
Mntadouro publico da cidade do Recife.
Mataram-se paro o consumo desta cidade no
mez de agosto do corrente anno 2,883 rezes, a
saber :
Libanio Candido Ribeiro & C........ 752
Virgilio Horacio de Freitas..... 398
Joao Chrisostorao de Albuquerque. 300
Jos Luco Lins.................... 271
Manoel Francisco de Souzo Lima.. 194
Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva............ .i'9
Francisco Condido da Poz..... 174
Bellarmino Alves de Archo .... 173
Mauoel Joaquim de Souia Tavares... 160
Manoel Paulo de Albuquerque ... 116
Geminiano Jos de Albuquerque 69
Manoel de Souza Tavares........... 58
Ernesto Celestino de Mendonea ... 39
MISOS MA&mMOj.
COPAWHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 3 de setembro o vapor
Tocantins, commandante, o
Fuao.
meiro tenente Pedro Hyppolilo
DuartP, o qual depois do demoro
do costume Sgmr pora os oortos do sul.
Desde ja recebenise passageiros e engajo-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dio do sonido os
2 horos : ogencia ru da Cruz n. 1, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C._________
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com muita brevidade a barca
nacional Restaurado, tem parte do seu carrega-
i ment proropto : para completado, e juntamente
para escravos e fretes, para os quaes tem excelen-
tes commodos, tratase com os seus consignatarios
'' Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, roa da Crnz n. 1.___________________
Para* Porto por Lisboa
pretende sahir rom a possivel presteza o brigue
Pernambucano : para carga e passageiros, a quem
: offereee bons commodos, trata se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fonseca, ra do Vigario
n. 19, primeiro andar. _____________^^^^^^
To dia 6 de agosto o escravo crioulo de nome
Tiberio, idade de 20 a 25 annos, estatura baixa e
com farta de um dos denles de cima, loi escravo
do Sr. Franciseo de Albuquerque Maraoho Ca-
valcanti : quem o pegar ou delie der noticia quei-
ra dirigir-se a ra da Cadeia do Recife n. 33, loja
de Valle Porto & C, que sera' recompensado.
O abaixo assignado agradece a lodosos ami-
gos do fallecido Leocadio Heoriques da Craceigo,
prt" !queto promptamente e co generosidade contri-
Cmara
1865.
municipal do Recife, 1* de
2,883
setembro
Caetano
O contador,
Silverio da Sil Da.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
aos devedores dos irapostos arrecadados por langa-
mento pe.rtencenles ao exerdeio findo de 1864 a
1865, que no ultimo de setembro Hadase o praso
marcado para a cobranga de seus dbitos, ficando
i sujeitos os que nao paguem ataquelle da, alem
da multa de 9 0|0, a serem remettidos para juizo
afim de serem executados.
Mesa do consulado provincial 31 de agosto de
1863.O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
Conselho de compras navaes.
Contrata o conselho no dia o de setarabro proxl
mo vradouro, sob as condigoes do eslyio, o foroe-'
cimento de vveres, dietas e outros objectos de
consumo para os navios da armada, e estabeleci-
mentosde marinha no trimestre de outubro a de-
zembro do correte anno.
Sao objectos do forneeimento os segrales : ar-
roz do Maranhao, assucar braoco grosso, aguarden-
te de 20 graos,azeite doce de Lisboa, dito infe-
rior, assucar branco refinado, aletria, araruta, ba-;
calho, bolacha, bolachinha americana, caf em
grao, carnauba em velas, cevadinha, cha', carne
verde, dita secca do Rio Graade do Sul,. feijao,
farinha de raaudioca da torro, galinhas, lenha,
manteiga ingleza, dita franeeza, malte, pao, sbo,
PARA O
Rio de Janeiro
pretende sabir uestes 15 dias a barca nacional
Valle; para carga, passageiros e escravos a frete,
tratase com David Ferreira Baltar, na ra do
Brurn n. 66, ou cora o capito da mesma barca.
COMPANHIA PERNAMBG ANA ~
DE
Navegaco costeira por vapor.
Parahyba", Natal, Macau, Aracaty, Gear
e Acarac
No dia 6 de setembro as 5 ho
ras da tarde seguir para os por-
tos cima o vapor ttamag*ape,
commandante Souza. Recebar
carga al o dia 5. Passageiros,
encommendas e dinheiro a frete at as 3 horas da
tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte do
: Mallos o. 1._________________________________
Liona di Havre Pernanilmco.
Esperase o barca Sphere que sohio no 'dia 10
' de agosto ao frete de 25 frs. 10 |. Rcebe cargo
para o Havre afretes baratos : a trotar cora os
coasignatarios Tissel freres.
DESLOES.
LEILAO
buiram para ser feito o enterro do raeu charo ami-
go cora toda decencia (para elle assim o mereca)
visto a viuva dispor de poucos meios para tantas
despezas e juntamente a viuva agradece a todos
os pessoas que se prestaran) tanlo na molestia co-
mo no fatal acooteeimento e ltimamente no en-
terro, lano os amigos como os companheiros
d'arle e os collegas inspectores e a Ilustre socie-
dade Monte Po Popular Pornambubano deram
bastantes provas do quanto estiraavara ao raeu fal-
lecido amie_e como eu fosse ura dos encarrega-
dos de agerllh_a subscripgo e encontrasse mui-
to boa voatMM algum espontneamente e por
isso agradecemos eternamente a todos nao fican- .
do no esquecimento o Sr Francisco Teixeira Bar-
bosa, credor do fallecido que sempre se ten por-
tado como omoior amigo tanto na v.da como de-
pois da morle.
Manoel Antonio da Purificagao.
Os elementos que compoem esla preparacSo,
ferro, o iode e a ^utno, a colloco no primeiro
grao das prei>arac6cs ferruginosas. Basta allestar
seus resultados otHidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prcticos mais eminentes,
que confirmrio sua poderosa efficacidade as
seguintes affeccoes:
MIiixau mo migue.
Fraques*.
Anemia.
r.iiiorow Ictericia.
Mentttrno.
Affceeea da uter*.
5uppM < or d_> re- |
gra e dexoraea na
meiwtrunro.
Airee rao pulmonar e ,
plilhlxlc.
Moleatlend'esl*lag. |
Gafftral^ltia.
rerda ri'M|ipetIte. etc.
Vejao se os bulletim
e cirurgica ds 30 de novembre 1860; a Gazeta
dos hospilaes de 2^ de julho 1860, ele., etc.
Alem das pihuas de iodureto duplo de ferro e de
quinina de Itebillon, os Mdicos aconselhao
gualmenie o Xarope d'iodure duplo de
farro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosiao de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope Viodure de ferro, o nconvenieM*
de alterar-se e de se n5o poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em cas
dos pharmaceinicos depositarios.
Para-se evitarem falsificagoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pillas ou Xarope a as-
signatura do inventor. _
Depsito geral em Paris, pharmam ReblUoo,
H2, ru du Bac, e em todas as boas pharmaaas
de Franca a d* puizes estrangeiros, etc.
C*a valeaeenea de !-
KM moleailaa.
Molemlaa eaerafala-
aaa.
Papelra.
Ohirucea das glaa-
d u laa.
Humorea frlea.
Humorea hraneea.
Bachlllam*.
Alfeccoea eanceraaaa
e ayphllltleaa.
Pehrea lypholdea.
Varlolea, etc., etc.
de therapeutica medica
Precisa-se de urna ama para cosioha r e tra-
tar dos arranjos de urna casa de pouca familia-:
no Caes do Hamos n. i.
Attenco.
O agente Euzebki esla' autorisado para ~^
3 fazer venda de duas casas terreas ac- ^
rjM( badas de novo com boas accommoda^us J8
" para familia, com sabida para traz, ven- ag
_* dem-se por 4:000^1 e rendem 420 por _5
anno.
a
Pede-se ao Sr. Antonio de Albuquenque S
Barreto que apparec n j pateo do Terco n. 2, so-
brado, qne muito se deseja fallar, pois gaora-se
onde reside.
Of granulos au bismuth de Chevrier bem
superiores a todas as outras preparacSes de
bismuth embregadas antes com o maior successo
pelos nwdieos de lodos os paizes, para prevenir
curar as
lilm-rlu-aa cUranleaa. Mil a itlaeatea.
|i>aiteuterln. Uaatrliea.
Darea d'ealamaita. GaUralslaa, ele.
Dyapepataa.
Os primekros symptomas d'essas formidavei.
a/feeedes se manifesto ordinariamente por diges-
USes laboriosas, azidumes, falta iTappetite, peso*
d~estmago depois de cada eomida, eaimbras es-
temacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervoso*
cam vmitos.
Este estado mrbido, sa o descuidan, traz ina-
vitavelmente, que seja:
Maleatlaa de Oado
A Ictericia.
ralpiiai-ao de caraca*
rea aa rlna.
Oparrinoei.
Barra de eakecav
lrrliaee de Bxaif a a>
da malrlm, cae.
>a elegante casa assobradada, reeiificada de no-
vo, com cocheira, estribara fora, grande ba-
nheiro de lijlo e cal, forrado de cimento, jar-
dim, 'arcado e baixa de capim, em Caxang na
estrada real de Pao d'Alho.
Terga-feira 5 de setembro.
O agente Pinto fara leilo precedida a compe-
tente autonsago, da casa de
campo cima men-
saT"oucHiho de Lisboa, velas slearinas e vinho d eioaada a qual* se torna recommendada por ser
Lisboa. I alm de mu fesco pertojla ponte pencil e da es-
Efecta o conselho o coal#ato avisa de propos- tago des mnibus: o leilo sera' effectiiado as 11
tas em cartas featadas, recebidas eu entregueMt'j horas do dia cima dito na praga do commercio
refferido dia 5 al as 11 horas di manha. i em frente a Associag3o Commcrcial..
Precisa-se de 200 a premio. por espago d
dez mezes, pagando-se os juros de 2 1|2 com hy-
potnecaem ura escravo : quera quizar annuoei
por este jornal para ser procurado.____________
O abaixo assignado declara ao publico e ao
corpj do comraercie desto praga, bem como a lo-
dos os seus cradores e devedores, qne tem amlga-
velmente dlssolvido a sociedade que gyrava debai-
xo da firma de Dovym & Cavalcanti, de quem o
mesmo abaixo assienado era socio, sendo o mes-
mo o nico competente poro o liquidacao daquella
extincto firma, e o nico responsivel por qualquer
transaego a que dita firma esteja sujeita ; e por
assim taro&em o terem concordado sens credores ;
ficando por esta forma desonerado completamente
o socio Davym de toda a responsabilidade, e sera
effeito o contrato social entre os in&smos havido.
Recife Ia de setembro de 1863J
Antonio Bezerra Cavalcanti de Albuquerque I
Archivo Iliterario.
Revista scientifica, Iliteraria e artstica, publica-
da em S. Paulo por urna reunio de litteratos.
Sahe mensalmonte ora numero de quarenta pa-
ginas d-i texto, em prosa e em verso ; fortaando
no llm de um anno um bonito volurae.
Prego.
Trimestre........ 3t00.
Assignase na roa do Cresp> n. 9.__________
Precisase de om preto de meta idade que
saiba trabalhar em servigos de campo : quem li-
ver para alugar, dirija se a ra (le Santa Isabel n.
8, que se dir qu precisa. |
Os granulos Chevrier sao ordenados pela
somandades medcaos para prevenir essas diver-
sas molestias e coral as quando sSo tomados
tempo.
O preco de cada, frasco de 4 francos.____
Depsito geral em Pars, pharmaci Chvriar,
e em todas as piar a acias de Franta* dos f '
estrangeiros.
GRAGEAS
GLISE CONT
App,o*Ji pl AaacaUa Meioaia da Prii.
Sesult pelos dous relitorio, adoptados pela dita
Academia em 1840 e em 1SSS, que as GRAGEAS da
Gelis e CONT sao o melhor e mais effica remedio
ferruginoso par curara eklorosis (alias fluor-albo), o*
fluxos brancos, a fraqneza de eompleixio nos doua
sexos, e tambem para ajudar a menstruaclo das mocas.
Estas Grageas nao sao vendidas senlo em eaixinhu
en vidros cobertos coa rotnlo (echados com urna ura
levando a firma do depositario geral : labelonyk,
sharmaceuco, ras Bouraos-filUnruM, 19. Psri.
Fogo d ai*
ruf armazem da bolla amarella no oit5o da
secretaria da polica, recebem-se encom-
mendas de fogo do ar para dentro e fora da
provincia.




TI~SaI


------------ "


abLuute te e.ej_Lbro de 1 S&.
HOSPITAL POilTUGUEZ ,
DE
BENEFICENCIA E9I PBB1AH-
BUCO. f
A junta administrativa manda fazer publico que
a festa do anniversarlo e o leilo de prendas era
favor deste Hospital, que se havia flxado para o
dia 24 do correnH, tica transferido para o domin-!
go 1 de outubro prximo, em razo de ser aquella
dia 24, dia de luto nacional, anniversario do falle-:
cimento de S. M. o Senbor O. Pedro I no Brasil e;
IV em Portugal.
Secretaria do Hospital Porluguez de Beneficen-
cia era Pernambuco i de setembro de 1865.
O secretario
Joo Pereira Babello Braga.
OtTerece-se una pessoa de bons costumes e
capacidade para urna senhora que precise de cura-
panbia : quem pretender dirjase a ra Augusta,
casa terrea n. 12, que achara com qnem tratar.
9^630
se pagam as
tiruzes n. 8.
libras sterlinas : na travessa das
Precisa-se de urna ama (com preferencia es-
crava) qne seja boa engommadeira, fiel e de bons
costumes, para ama casa de pouca familia : a tra-
tar na ra Nova, sobrado de um andar n. 48, on
na Boa-Vista, ra da Soledade, casa n. 35.
Alagam se ou vendem-se duas canoas abor-
tas, propnas para couduccao de capim, ou para
servico de qualquer sitio ; assim como duas ditas
de carreira : a tratar na roa do Brum na saboaria
do Recife.__________________________________
Bogase ao Sr. Hanoel Joaquim Pereira Lobo
queira dirigir-se a loja do sobrado da ra do Cal-
deireiro n. 12, que se Ibo deseja fallar, desculpan-
do o mesmo senbor usar-se deste meio por se ig-
norar sua morada. ______^^
Precisa-se de urna ama de leite que seja sa-
dia e sem flitio : na ra estreita do Rosario n. 10,
segnndo andar.
Claudio Dubeux, obrigado por forca maior,l
para decididamente de boje em diante com seus
mnibus, visto nao ter mais animaos suficientes '
para manejar a sna empreza por causa da grande
mortandade que tem soffrido em sua cavailaria ;
e para que o prejoizo que j tem tido nao se es-'
tenda a mais, vai soltar no campo o resto dos ca-
vados que ainda existem. Fica, portanto, sem ef-
feito o annuncio de 31 de agosto relativo a altera-'
cao das partidas. Os senhores assignantes, cujas
assignaluras estiverem pagas, e nao acabadas, po-
dem vir receber o respectivo excesso.
Frederico james Corbelt, gerente da casa
commercial de James Ryder & C, tendo de se re-
tirar para Europa, deixa encarregado da mesma
casa ao Sr. William Vaughan com ampios poderes.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- j
Ama uc leite.
Alaga-se urna ama de leite sem fllho, com mili-
to bom leite : na ra do Caldeireiro n. 38 achara
com qnem tratar.____________________________
Aluga-seo andar terreo da casa n. 59 largo
de S. Pedro : a fallar no primeiro andar da ra
da Cadeia n. 64.
TT
?\V.UL4,s
DIODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VENDA EM PERHAUBUCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n.
r
kl^
Os elementos que compoem esta preparaco, o
ferro, o iodo c a quina, a colloco no primeiro
grao das preparaces ferruginosas. Basta attestar
seas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e os relatnos dos prticos mais eminentes,
que confirmarlo sua poderosa efticacia as se
guintcs affecedes:
Mlngaa no aniiiir,
Praqu.-ra.
Anemia,
Chlaroac u Ictericia,
MraMniit,
AfTcef ora 4a tero,
Snaarraaoca daa re-
_raae -eaordcaa na
mca-truaraa,
Affeccao pulmonar e
phlhialra,
Mole M la* (lclniSo,
Gaatralglas,
Perda d'appetlte.ete.,
Coiivalenceiiradelon-
g>< niolmtlaa,
Maleatlaa eaeraf-la-
aaa,
Paprlra,
Ohxlrurro daa lan-
dulax,
Haiuarea ft-loa,
Tumarea braaeoa,
ItacllllUuio,
AfTvcrea caneeraaaa
c ayphllltlcaa,
Fetaren t j pholdea,
Beilgaa, etc., ele.
ir
PASTILHAS fo
lll
5ESTIVAS
DE PEPSINA
DE WASMAN
Dlarrheaa e a coaatl-
paeaa pradualdaa
pclia elanorneea
derelluaaaaduaall-
ucntfiM.
VejSo-tt os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre ^ 860; a azeta
dos hospitaes de 28 dejulhot&M, etc., etc.
Alfim das pilulas de ipdureto duplo de ferro e de
quinina de Rebitlon', os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosio de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como oxaroped'i'odttreofg ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para se evilarem falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
4 42. ru du Bac, e em todas .as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
As pastiUuu digestiva^coma^psmade
Wasman, emprego se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicaes de
Paris, Londres, Vienna, ele., em todas as in-
comraodidades em as quaesadgesto difficil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivel: eis
o melhor remedio para cural as.
Gastralgia*,
Maprpalaa,
EiubHnico gaatrleoa
A saati-ll)-,
Ai uffecruea orcunl-
eaa do i-alo-taga,
Sua aeco vivifica o sangue e os rgos de
tal sorte que, ath as pessoas que sem soffrur
as affecedes gstricas cima mencionadas sao
nicamente fracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, e necessito substancial alimento
para forlificar-se, achSo no emprgo das pastil-
has de pepsina de Wasman, um poderoao meio
l>ara a sso chegar.
Aviso importante.0successo das pastilhas
pepsina de Wasinun deu causa a se fazerem
falsificaces e mitaces J'essc producto que os
mulos se querem tlcsfazcr. l'ois por falta
d'uma boa preparac/io a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilhas tenhao as iniciaes B. P. e saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montmartre, e on todas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes estrangeiros.
DOENCAS
dos MENINOS
CURADAS FELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
K* 1- Canra aa CLICAS DOS MENINOS astea
e durante a denllraa
(Xarope de cynoglosse e de acido suceinido)
N* S. Contra a TOSSE CONVULSA e a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cynoglotse e de leo voltil de succino)
N* 8. Centra aa COXVl I.9OES DOS MENINOS
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de auecino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e vierao encher um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
ajeccoes da infancia, para as quaes, ath lioje.
ainda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-se o prospecto em casa dos pliarmaceu,
ticos depositarios.;
Prego do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificac5es, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Franc?
e dos paizes estrangeiros.
GRANULOS
BISMUTHJ
D CHEVRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas as outras preparaces de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Diurrhi-iiM rhronlcaa,
Dyaaenlcrlul,
Muii-f.Uu de Ugadu,
A Ictericia,
PalpItaeAa da earaeaa
Dore uta ria,
O|iprt-!co-,
Doren Mu a dlseatoea,
Gaatrllea,
GaatralKlaa, etc.,
Odrca d'catomdgo,
Dyapepalaa,
Depsito geral em Pars, pharmacia Chevrier,
irritaeoea de hedga e e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
da matriz, ele. estrangeiros.
22.
MASSA e XAROPE
DE CODENA
N
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Pars, tem
provado que a Massa e Xarope de Berlh i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e leudo a propriedade de
calmar com ad miravel rapidez as losses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico), defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
aculo em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificado,exigir em
cada produto o nonie
e a firma llerlh.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Ra Ste-Croix-de-la-Brelinnerie.
OS PARAGUAYOS
E a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver:
fulmina-los com os encouracados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em summa a espada, a
foj-io e a putibal de que se trata; mas
nmguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deus nos con-
! cedeu; acabar com elles a tacao e a pontea
i ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga c< bra, arrancatreos,
j quebra marmore e outros que se vendem
I 45 161 A ilIREITA45
! Borseguins Bordeaux........ 8000
patricios......... 3,5000
para senhoras, en-
feitados....... 5JBOO
com laco e fivella .. 4)J800
Sapatoes encouracados....... 5(5000-
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.'
Pelas commigsgei em grosso, dirigirle aoi S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paria.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
Suffoeceo nervosa e Oppresso
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Li escobe na inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grencllc, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
30000
2)>0CO
15600
15600
5500
25240
15600
AMA.
Quem precisar de urna ama para cozlnhar e en-
gommar, dirija-se a ra da Lapa n. 4.
Saques sobre Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
Precisa-se de um bom cozinheiro, na
ra do Crespo n. 8. loja de 4 portas. '
Samuel Power Jolinstou k Companhia
Ra da Vnzala Nova n. 4.
agencia da Aluga-se a algutna familia urna mulata moca,
Fliudicao de LOW Hoor. a I|UJ| lava> eDl)"ima, cozinha, e tem mais habi'li-
Marhnas n vannr o 4 o a avallna datieS : Aiacnioas a vapor ae 4 e b cavalios. rra n. 10, segundo andar.
Moendas e meias moendas para engenho. i 3
Taixas de ferro coado e bal ido para enge-
nho,
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- S
tos contina a morar na ra do Impera- j*
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu SR
gabinete de consultas medicas, logo ao M
entrar, no primeiro.
0 mesmo doutor, qne se tem dado ao 9
esludo tanto das operacSes como das mo-
lesas internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
MM*
Na ra do Imperador n. 83, segando andar,
precisase fallar com os seguintes senhores, para
negocio que Ihes diz respeito.
Offerecc-se um homem j de assento e
sem familia para criado ou fetor de algum Antonio Nunes de Aievedo Campos.
I Sitio, engenho ou outro qualquer servico : a | Manoel Correa da Silva Lobato.
Arreios d<; carro para um e dous cavalios.|P^curar nesta officina.________________|{J j**-
Preeisa-se de urna ama para casa de duas Jos Francisco Rodrigues
passsoas : na ra da Penha n. 23, Io andar.
Precisa se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar, para ca.^a de pouca familia : na ra do
Crespn. 18., Io andar.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
, ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
: tamhem se faz qualquer obras de eccommenda e
; odo e qualquer concert.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarofar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura. -
Emilio Augusto Deloucke
SO-RL'A NOVA-30
Acaba de receber um grande sortimento de oca-1 SSOCaco (]()IUIlKTCal BeneCentft de
los e lunetas para vistas cansadas e myopes; bi- v uc re uc
noculos de todas as qualldades, cadeias de ac fo- W nanillUCO
leadas de ouro e muitos outros objectos ; na mesma A direccio de assoeiagao Commercial Beneficen-
casa faz qualquer cenceo de relogio muito em te, convida os Srs. sonos effectivos a se reunirem
coma e com brevidade. ,em assembla geral no dia 5 do setembro proxi- a(| 11ra. rancisr-0*1a S"va.
' --.......-----------------rrr~_------------------ mo vindonro as II boras da mauha, afim de se | oa? ^,be,r. de,Last,ro-
queiu inleressar possa n* provincia do Ceara.: tratar sobre a compra de um predio para mudanca ?se FraDclC0 d* Silva.
Em nome de meu pai o Sr. Camillo da Silveira da mesma associaco, segundo o projecto que a .'8Uirl AfcanJ? rerreira.
Borges Tavora Indgena e de minha mai D. Mara i direccao apresentar, e reforma de alguns artigos Viceufe rerreira Neves.
de Sant'Anna ra Silveira, protesto contra qualquer; do estatuto. seoJo esta a requer.mento de alguns oa transaccao ou alheiaQio feita pelos herd^iros do! Srs. associados. francisco de Aguiar Jnior.
Associaco Commercial Bcnelicente de Pernam-,, lia ,?saJ,8J Al,mei(la PlDt0-
buco 29 de agosto de 1865. Leopoldo Gadault.
0 secretario Ja(JU|m de Oliveira Maia Jnior.
Candido C G. Alcofo'rado.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio .SeraBm de Dos.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
Joo Antonio Pereira Ramos.
Joao Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
Sebastiao Antonio de Albuquerque (esludante).
Francisco Gomes dos Santos.
Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebastiao Jos de Barros Barreto.
Francisco Amonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Alfonso Alves.
Joaquim Francisco da Sil\
A NACIONAL
Companhia geral liespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma taiga em diolieiro, depositado nos cofres do estado, gnete a lioa da
mioistraco da companhia.
avelludados
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lustre..
Chineloes do Por lo..........
Um completo sortimento de calcado da
trra para bomens. senhoras e meninas ;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobiga ao comp ador pela barateza.
Joao da Silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 as 6 da Urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para sse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
I quer occasio. D consaltas aos pobres
1 que o procurarem no hospital Pedro II,
faonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o qne
tem commodes apropriados e nella pra-
II tica qualquer operacao cirurgica.
Jgj Para a casa de sade.
Primeira classe 3000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Tercera dita.... 2J0OO
Este estabelecimento j bem acredi-
?^p tado pelos bons servicos que tem pres-
j& tado.
m O proprietario espera qne elle conti-
m nue a merecer a c'onianca de que sem-
S pre tem gozado.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECCAO GERAL
Madrid : Una do Prado n. 19
mcu fallecido'avO materno o lente-corone I Ania-
nio Gomes da Silveiri sobre os bens do seu casal,
vbiocomo nao se havendo ainda procedido o res-
pectivo inventarlo e partilha, nao s por fallec-
ment do dilo meu av, senao tambem pela morte 1 A ga.se silo na
de sua consone, mens pas conservam sobre esses Ginco^nt coi ariac^ proj ''
dr!!en0rSaHn<,^erlarS-,de ^"V' qae mees.abelecimct., e tambm com commX Jara
preparo para discutir e liquidar, Igualmente pro- morada a lra['ar na rua do Qaeim;t(0 n. 20. (dra
testo clara e posltivamecte contra as vendas feitas
das grandes profiriedades pertencentes quelle ra-
sal, sob a denominacaoFlor de LizLindo Assu-
dee outras ; bem como dos escravos Andr, Ma-
noel e todos quantos no mesmo caso se acharen)
Recife 22 de agosto de 186o.
O barharel
Joo Franklin da Silveira Tavora
SORVKTE.
De 11 horas em diante todos os dias otis
roa da Cruz n. 13.
na
O Sr. Joao Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigir-se a rua Nova n. 60, a tratar de negocies
que Ihe dizem respeito.
advogado Godoy Vasconcellos, pode"
ser procurado no escriptorio da rua do
Rosario estreita n. 34, ou em sua resi-
dencia a rua do Sol n. 9.
Acaba de chegar de Pars o mais bem es-
coltado sortimento de follias artiQciaes de roseira,
arraignes e musgo: a venda na rua Forraosa
n. ?9.
Preci menino
O*8
de 12 annos
Aluga-se.
Urna casa acabada agora com commodos para 'M
familia, estribara, cochelra, quarios para fetor e.
escravo com baoho na porta, no lugar do Poco da i
Panilla, rua do Rio : a tratar com Tasso Irmaos,;
na rua do Amorim n. 35
--------------------------------------_____L____
Quem quizerse utilisar dos prestimos de urna
pessoa para eosinar em algum engenho perto desta
praca primeiras letras, msica, e mesmo principio'
de grammalica latina, dirija-se ao collegio dos or-
' phaos, na rua da Aurora, que encontrara' o Sr.
profes=or Trajino Felippe Xery de Barcellos, o
qual informara' qual a pessoa : acresceniando di-
zer que dita pessoa casada e de excellente con-
duela, o que poder dar liauca do seu estado
moral.
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
| sao medica, e com especialidade
I sobre q seguinte
j Io molestias de olhos;
2o de peito:
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de snperviencia dos sur
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripeo de maneira que em nenhum caso mesmo tci nuitdcs
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL, que ainda mesmo diralnuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
coes ecombinando-o com a mortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela companh--
para seus clculos e liquidacoes, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsico annua.
de 100J produz em effectivo metlico: .
No fira de 5 ani?os.......1:1195300
de 10........3:9425600
de 15........11:2085200
de 20 .......30:256*000
de 25........80:3345000
as idades menores de 3 annos e maiorcs de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospecta e mais informacSes serao presladas pelo sub-rtirector nesta provincia.
Joaquim Fiu?a de Oliveira, rua da Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
ment dos Srs. (Itymu ndo.Carlos.Leite & Irraao.
idade, prefere-se desies ltimos chegados, para dencia da rua da Imperatriz n. 30 para 0
taberna : na rua Dimia n. A* | sobrado grande n. 2 defronte da entrada
AO SR. BIOCK.
para a Estancia, onde pode ser' procurado
i a qualquer hora. Chamadas para dentro
Na rua do Livramenio n. 19 precisase fallar i **a cidade podem ser entregues na botica
com o Sr. Biock, negociante de joias, que andou o do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
mez passado na comarca de Serinhaem, bem como praga da Boa-Vista, na dos Srs. J C, Bravo
previne que nmguem faca transaeco com una a, r na nw da Ihlr H IW- ,', .-
letra sacada por e^te senhor, e aceia por Ignacio L na,ruS! da 7,aclre de, Dce0> no ar-
de Barros Wanderley da quantia de 1:900*; acer- f"32^ ue vinva Raymond & C. na rua do
ca da qual exister duvidas importantes, como Trapiche Novo das 9 horas da manhaa at
cousta de documentos em poder do annunciante. as 4 da tarde
tar na rua Nova n. 3.
sua proflsso na rua de Sania Rita n. 25, primeiro
_______________________________________'andar.
Ama "Ama.
Precisa-se de urna ama para o servico interno Precisa-se de urna para cosinhar : na rua do
de urna casa de pouca familia : a iratar na praca Imperador n. 57.
do Corpo Santo n. 17 i ----- -----.-----------------------_______________
Prerna-se alugar nm moleque ou urna preta
para andar com um laboleiro de fazendas em com-
panhia de outra pessoa : a tratar na rua dos
Quarteis n. 13.
Aloga-se a padaria com seus pertences na
rualmperal n. 199 : a tratar na rua de Hortas
3o dos org5os geni- eg
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se- fi
r5o examinados na ordem de suas I
entradas comecando o trabalho pe- Si
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das m
6 as 10 da manhaa, menos nos do- S
mingos.
Praticar toda e qualquer opera- M
Cao que julgar conveniente para o fifl
prompto restabelecimento dos seus |
doentes. sm
CASA DA FORTi
Aos 6:000S000.
nilhetes garantidos.
A' RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadovendeu nos seus muito feli-
es bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a benelicio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguintes premios :
Um quarto u. 170 com a sorte de 1:2005000.
E outras muitas sones de 1005, 404, 205 e
108000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 21 parte da 1* lotera
(30J beneticio da igreia de N. S. do Rosario de
Muribeca, que se extrahir quarta-feira 6 de se-
tembro.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pessoas que comprarem de 100-5000
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......35750
Quartos.....15700
Manoel Martins Fiuza.
H
O hachare! 1
Francisco Augusto da Costa i
C JORAS.
Compra-se efTec;ivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem: na rua larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Si I vino Guilherme de Barros compra e ven-
de effectivamente escravos de ambos os sexos :
rua do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras vdhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilhetes.
Compra-se ouro," prata~e pedras preciosas,
em obras velhas: na rua da Cadeia do Recife,
lejajie ourives no arco da Conceico.
Compram-se mnedas hrasileiras de MJT
215 : na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
Compram-se libras sterlinas :
Independa n. 22.
na praca da
m
&
3k
m
fitias

m
Aviso.
Precisa-se de ama ama que saiba cozinhar bem,
para pouca familia, sendo s para coziuhar : a
tratar na rua nova de Saota Ra n. 17 defronte da
ribeira do peixe.
Precisa-se de um hornera casado para fetor:
a tratar na rua Imperial n. 1.
Antonio Mara Marques Ferreira com botica
na praca da B,a-Vista na esquiua da rua do Ara-
gao, sabe quem tem para veder duas casas ter-
reas novas com muitos bons commodos e bons
quintaes : quem pretender dirija-se all que ser
incaminhado.
m
m
advogado
Rua do Imperador numero 69.
Deseja-se saber da residencia e estado do Sr.
Jos Joaquim de Lemos Freitas, filho de Joao de
Lemos de Almeida, natural de Oliveira d'Azemeis :
na praca da Independencia n. 22.
Ce fa
preciosas c objectos de-^|
ouro. m1
Mauricio Selbeberg & C, Polacos, par- Hj
ticipam ao respi Itavel publico, que ac- 2j
bam de receber um grande sortimento *S de joias e brilliantes, como sejam : rulo- -
gios, tranceln?, aderecos completos, an- ^
neis, cadmas, pulciras ele, ce. e tudo
quanto diz respeo a j.allieiria, pelo pre- tt
50 o mais razoav<'l piissivei, e mesmo
troca e compra objectos de ouro, prala e
diamantes por objectos novos : na rua
do Queimado o. 29, entrada pelo largo
de Pedro II n. 27, de manhaa al as 9
boras, e a Urde das 4 horas em diante.
Os objectos vendidos pelos annunciaries
*S> sao garanlidos por elle-, e eslo promptos
MS para levar objectos as caas das pessoas sj
H que desejareni comprar, urna vez que ,
H nao possam vir a seu esiabelerimeuto. H
mmmmwm wmm mm
_ A vio va de Leocadio Henriques da Concei-
co, estabelecida com loja de fuoileiro na rua Di-
rcita n. 77, convida pelo presente a lodos os ere-
dores do seu fallecido marido para comparecerem
na dita loja, no dia 3 de setembro, afim ds seren
verificados os crditos e resolverem, de accordo
com a mesma viuva, sob a marcha do estabeleci-
mento. Recife 31 de agosto de 1865.
Mariauna Candida da Silva.
Compramsse tres casas, cada urna em valo
de 1:0005, ou mesmo hvpotheca-se : a tratar n
rua Direita n. 54.
Jornaes para embrllioT-
Compra-se na fabrica de cigarrosantiga rua dos
Opinis .le Polica n. 21, a 140 rs. a libra.
ile
C'iinpia-se ou aluga-se
que seja de meia idade : no
Sanio Amonio n. 8.
urna escrava aiaJa
paleo da matriz de
A 95700
Compram-se libras sterlinas a 95760 : na pra-
ca do Corno Santo n. i, orj:oeiro aular.
Compra-sci um carro amerieauj de quatro
assentos: trata-se na rua do Vigario n. 2, escrip-
torio. *
ONDAS.
%
Precisa-se de urna pessoa forra on escrava
para ama : na rua de Aguas-Verdes n. 50, segun-
do andar, que saiba engommar, cozinhar, e que
sirva para as compras de rua : quem estlver nes-
as circunstancias dirija-se a mesma casa.
- O ofllrial do registro geral
. de hypotheca?, -aberna n '
Fulgencio Infante d'Albuquerque Mello, chama a '-----s:'-----------------------------------------___
alinelo daquelles quem possa inleressar, para o "" Precisa-se de um caixeiro oe 10 a 12 annos,
decreto n. 3,453 de 26 de abril do rorrete anno, e 1ue lenna pratica de taberna, e que d fiador de
principalmente para o art. 259 I, 2, 3, 4, 5, 6,
7 8 do referido decret >, qne obriga, para que pos-
na
sua conducta : na ribeira da Boa-Vista n. 3.
Quem quizer botar seolido a" um"sitio 1
san valer contra terceiro, a tran^cripcSo (registra) Capunpa, d-se dous quartos para morar de gra-
tlos .; quaesquer contratos, relativos a compra e ca. sendo pouca familia : a tralar na rua da Im-
venda pura, ou condicional; permula, a doacao peratrz n. 62.
ftf pagamento, a tiansfentncia que o socio faz'ile
um iruniovel a sociedado, oorno coniingente do
fondo social; a doacao entre vivos, o dote estima-
do, toda a transarco da qoal iusnite a doa;o ou
tranmisso do immovci, em geral lodos os de
mais contratos translativos de immovels soscepti-
veis de hypotheca. Observa o mesmo offlcial a lo-
da s pessoas, qne fazem partee em semelhanles
c notos, qudem a transcrLicA (registro) fleam
elles snjeit.is a craves inconveiiienies, sempre que
fnieni colitestadee por qualquer terceiro, oque le-
ra lie aearretar prejaiz e damnos incalculaveis
as meamos partes.
Precisa se de urna ama de leite forra ou es-
crava, que seja sadia, e nao tenha filho : Da rua
dos Gaararapes n. 267
Encanamentos para
aguas.
Fazem-se Da rua Nova n. 30, com toda a per-
feic j.
No dia II do correte furiaram da rua da
Prala um burro castanho, castrado, de 10 annos de
Idade, cujo burro tem a marca J. S. L no quarto
direito, e eslava carregado com cangalha de ferro
e 8 arrobas de carne : quem delle der noticia cer-
ta ao Sr. Antonio C. Moreira Temporal a' rua da
Cruz n. 30, ou ao eDgenho Boa Casta da freguezia
do Cabo, ser bem recompensado.
Precisa-se de um escravo
rua do Livramenlo n. 26.
fiel
a iratar
5
Lu
u Loudon & Brazillan Bank, saca por doos
os raqu(tes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Aluga-se, o segundo andar da rna do Livra
ment n. 22, lado d;i sombra : a tralar na rua es-
treita do Rosario n. 34, tom los da Silva Oliveira.
Q Prei-a se de nm fHor : irata-se oa roa do
liz Gomes Uourado leodo de uaooar ce-
lebrar urna missa no convento de Ivosa Se-
nhora do Caimo, no da 4d corrente pelai
7 e meia horas da manha por alma do seu
muito presado Irrnao Joaqnim Gomes Dou-
rado, falleenlo en P.rttugal no da 8 do pr-
ximo paseado, roga aos seus amigos e aos
do tinado, assstirero a lao religioso acto pelo
que sera' eternamente grat.
entista de Pernambuco.^
Rua estreita do Rosario u. 3,
ao p da igi eja
^FRANCISCO PINTO OZGRIOg
Colloea (lentes artlflclaes 5
pelos ystemas uiais un- I
demos |Sg
Emprega todos os meios scienlificos para Stt
conservar os naluiaes. Pode ser procura- f
do em sen gabinete das 9 horas da ma- S
nhaa as 5 da tarde. jes
Todas as pessoas que devem extracta firma
de Novaes & Filho facam favor de mandar pagar
rua do Livramenlo n. 34.
$ mmmm wmm
Companhia fidelidade de seguros 'M
martimos e terrestres B
estabelecida no Rio de Jaueiro. ^
AGENTES EM PEUNAMBUCO
Autouio Luiz de Oliveira Aievedo 4 C,
competentemente autorisados peladlrec- \
loria da companhia de seguros Fidelida- '
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1.
tETRATSTAS
Rrmino & Lins
tosa rna Nova n. i5, Ioan- !
dar, junto ao Sr. Gaotier, g
dentista g&
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas ||j
da manhSa as 5 da tarde, quer chova ou jSS
Dio.
Tambem se offerecem para tirai retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra *
da cidade.
Os anounciantes desejando acreditar o H
seu estabelecimento, garaniem ao publico fu
que nenhum trabalho .-ahira de. sua offlei- |H
na, sem que nao seja perfeitamenle acaba ra
do, e a vontade do fregaet, 3fe
fm m&&& Mfmmi
t
w
cao
Francisco Garrido, antigo proprietario do hole
Trovador, sito ua rua do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos regue-
zes, tanto desta capial como do centro da provin-
Algodo Para saceos e roopa de escravos
da fabrica de Fernao Velho, e de muito superior
qualidade : vende-se no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Olivtira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.
0 castello de GrasvflleT
Traduzido do francez por A. J. C. da Cruz.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3j500C
na praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
Vende-se um sitio em Bemfica a' margerrTdo
Rio Capibaribe, boa casa, com arvoredos : quem
pretender dinja-se a rua do Imperador n. 61, se-
gundo andar, que achara com quem tratar.
Colla da itahia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vende-se um carro (victoria) dovo e elegan-
te, com os ai reos competentes de metal principe :
na Ponte Velha n. 8, por preco commodo.
Viuho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do A- C. no sen escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vendem-se no engenho Meguahipe de. baixo
1 dous anirnaes de roda, sendo orna kesia e um
jquarto castrado.
Vende-se um moleque de 16 annos""de idade
bonita figura : na rua da Imperatriz n. 42.
Vende-se
um cabriole! de 4 rodas de dous e quatro lugares,
muito leve, para um oa dous cavalios e commodo
preco : a ver na cocheira a rua da Roda o. 60 e a
trataba rua do Livramenlo n. 38.
Vendem se cigarros de eslFamonio para
quem padece de asinina : na rua da Imperatriz
n. 68.
Vende-se urna escrava crioula, de 18 a 20
annos, bonita figura : na rua da uadeia n. 10.
Tattso Irmos
vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos
finos de feitto diversos para ladrilho, azulei/os de
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
harris de JO arrobas.
Vigario n. 2, escriptorio.
Precisase de urna ama habilitada para todo
o servico domestico : qnem estlver nestas condi-
coes dlrija-sea rua do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, rua do Progresso n. 7.
Antonio Joaquim de Mello, antigo~advogado
Naeca a "#00.
Feijao para galhnhas, porcos, vaccas, etc. : na
ca, que se acha Djvanienle eslabelecido na mesma rua dos Quarteis n. 22, junio a loja de funileiro
rua larga do Rosario n. 37 com um hutel d>n<>mi- -------v .a__-----i-------------1------------:-------------
nado Traviata, onde acharo os seus freaezes-aT, u hTSC d,Ci'S!,,,,rr?M *" fira-
sempre a melhor vontade para bem os servir, a ^dna.M;'K'':,l^\"-" e 74 ^otiguas ao s.brado
? par de excedentes vinhos capils e Ih comida raDdo,oSr. J-mo Joaquim da Cunha Reg Bar-
m qur no mesmo estabelecimento, qur para forre" I ros : a r no^ Remedios com F. A. Mend.nga
dentro da cidade aos que nao qnirerem on raopo- Sfln
derem vrr a seu eslabelenimento, sendo pelo preco ,, ,- .
mais mdico que em ontra qualquer parte. No vende-se 4.j meios de sola de boa qualidade :
mesmo estabeleeimenio acharo os seus freguezes a, lratar na ru'' do Que'"i:do n. 53, lojo de erra-
reciearem-se, bem como sorvete lo- ^~____________________________
Precisa-se de urna ama que saiba lavar e en-
gommar, assim como um moleque para o servico
interno de urna casa: ua rua Ja Caixa d'Agua
-eD7se 3^alu"rorcomgaran.iadeum7hv. I ^ Ti______L^Sa" AS &*** *** ***** fe
1 cidade, e procurador fllc^rtt^.nVd.' g_y' a ^a da CoBeordl. _.H. : Cinlo Ponrom^ca.x'.n^^rtendo ute eSCUraS e fixaS 0 TS
fazenda aposentado, emprego que servio por i.nais Na rua da Guia n. 3 precisa-se fallar com o,' cha verde fino, e 1 libra de di'o prelo -"roga se a COYedo'!
Sr. Jos Pedro, if tural d* Iba de S. Miguel, re-: quem della der noticia, dirija-se ao paleo do Terco
bilhares para
das as noiies para refrescarem-se.
de 2. anuos, contina a advegar ero todos os .'a
rao do civej e crime Ba do Imperador n. 14.
guezia da Varzea, para negocio de seu iDlerasse.In. 141, taberna, quesera recompensado.
Na roa do Queimado n. 1 vendem-se chitas fran-
cezas escaras e finas a 280 o covado.
fran-


--------_J-
Diarto de pei-nambu* *? abba4 t le etea.br* tle !&.
plelas catharticas de a\ir.
Estas pilula* wgAtaes. s*o >-
daptadas a todos os usos de um
tpurgante Das familias, pois sae
'perfeitamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessam com gratidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que naja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
altestados que temos de curas
notaveis fetas ltimamente.
Um caso notavel de
Affecc chrenica do ligado.
Lllh. Sr
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de 1864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze aturas en-
fermedades do figado e baco, con o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois tendo desapparecido um grande
engorgitamento que soffria, militas dores
sobre a regia do figado e costas, dores de
cabera, inchacao do ventre, nao podendo
deitar-me seno do lado direito, isso mes-
roo procurando posicao para tcr socego, bo-
je me acho livre d'esse padedmento ; come
por aqui anda as nao baja, eu como tenbo
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o custo elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do chacope de
cereja, que Uve ccasfao de experimentar;
m um ataque de gualas que teve urna
preta que com He cnrei, taco U90 d'elles
cas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguas frasquinhos, e mesmo-as pi-
lula pode montar a doze, porque tenhe
feito uso d'etlas para uso da familia e al-
gumas pessoas, ia d >i;ndege
resultado; sou 'bldoorojeandeoda
De V. s. attensgPs.ar
Francisco FEBREArwAit
llheulMtismo e ataques uetiinrrhei'iaes.
Il.l.M. Sil.
Oim-Preto, 40 de marco de 18G4.
Posso eertifrcar-lhe que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffpendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rlieumatismo, (molestia esta
que j havia solfrido ha annosVe soffrendo
tambem de ataques hemorrhoidaes, e de
um ouvido, pois que al j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
suliei a um dos nossos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm
lendo eu o almanack do raeemo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pirulas e por minha conta principiei a
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo ; e sem sentir, sarei do
ouvido, e raesme dos ataques hemorrhoi-
daes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as atemores que tenho experimentado;
isto em abono da -verdade. Sou
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
O brigadeiro
JOO ROKUGUES FEU BT. CARVALHO.
Gaslrilc.
Owr3-Preto,.9 de marco de 1864.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas de Dr. Ayer,
iiquei perfeitamente bom de urna gastrite
que soffria e que privava-me de andar aper-
tado, boje.felizmente nada sinlo.
.Augusto Gollatino.de Mello.
Vende iu
Tasso Irmos '] Grande liquidatfao a dinlieiro*
rna do
no sen aruiazein
Aiiiorim n. 85,
Licor floo Coracao em botijas e meias botijas.
Licores fiaos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhoseneres.
Santernes.
Chamberlin.
Hermitage.
BorKonhe. -
Champagne.
Museatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
PAezei lagniol.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
algodao : na ra da Seotala Mov n. 42._______
kMASDEPATENI
de trabalhar mo para
descarocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
Estas mahmai
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 24 de.fevereiro dr 18G4.
Sendo eu affectado do figado'.ha muitos
annos, e ltimamente soffri falta de apetite,
boje dou grabas a Deus por achar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antono Bento Yieira.
Ka toja eanaatendo pao.
Rua da luiperatriz n. OO de Ga-
ma & IIva.
Os donos deste estabeltcimenlo tem resolvido li-
quidar suas faiendas por precos baratissimos, s
com o flm de auurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negocian) era pequea escala com fazen-
das, qne nesla loja e armazem eueontrarao um
grande sortimef.io por presos que inuito Ihes ho
de agradar, tanto em peca cerno a retalho, a
saber :
Cambraias de forro a 2$000
Vendem-se pe$s de cambraia branca para for-
ro a 2,5 : na loja do Pavao ra da Imperatrlz n.
60, de Gama 4 Silva.
Moreantique branca
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 2J500 o covado, pecbincha :
na loja do Pavo na rna da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates com mofo.
Na leja de Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais finas percales com liudsi-
mas cures para vestidos de senboras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e
liquida-se pelo baralissimo preco de 360 rs. o co-
vado i isto s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinhas a'200 rs o covado.
Na loja do Pava"o.
Vendem-se lazinnas transparentes para vest-
, i dos sendo das cores mais modernas que tem viudo
KuerTsESI "* mercad0 Pel baralissimo precode 200 rs., ditas
SftESlaTS *" Patonas de seda a 240 rs. : isto s para II-
irofr n I J0'"1""* assim como laazmhas mocambiqnes com
f'f h<,ti. os mais bonitos padroes a 240 rs. : i.-to na loja do
desca-osar mu Vestidos indianos a 3$
arroba de algo- j Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos m-
do em earoeo dianos tendo 7 12 varas capa corte sendo fazenda
em 40 minutos.! transparente de bovos gostos que servem at para
biiles e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
co de 3 cada um por terse comprado urna #i in-
fle porco : na loja do Pavao ra da Imperalric n.
60, de Gama & Silva.
Tui:soi RO DtS SlilS.
PROVIDENCIA DAS CRIANC.AS.
M.UI4 BANfl*.
COLLARES ROYER, r#Heir8 de marrot^wn, con caseaYis
ELECTRO-MAGNTICOS, e SCIU tUcS.
Chamadai collares anodinos de dbnticao contra Na rua j0 Queimado loja da Aguia Bran-
"7SiJV^7!tt. < ? 8- jeodea-se colleira.de manoqum,,
enancas,
pharmaceutico da Escola superior de Pars, suc-
eessor de Glmreiiu, membro da academia de me-
dicina, antiga casa bocillon-lacbange, pharma-
ceutico do fmperrdor, chrfe dos trabaikos chimi-
cos da Escola Polylechnica, director da Escola
de Pharmacia de Pars, e mrtnhro da'Academia
Imperial de Mediana. Rua Saiiil-iiarlin, 2o,
defronte da rua Chapn, em Parts.
A hygiene a f ae.
A sade a vida.
S MAIS.
Quantas criancas nao vemos cada dia snecum-
bir s dores da primeira denlicAo I ? Quantas an-
das e quantos tormentos para as tristes mais, que
vern se arrebatar, dcyois de tantos cuidados, de
pospontadas e cora cascareis, bu .-em elles
proprias para caes e outros bichinhos.
Pennas'inglezas de ac edonradas.
No novo iortimenlo de*pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieran
tambem outras de metal dourado e bicns
mu: bem acabados, e por essas boas e ne-
cesarias qualidades os seus acreditados fa-
bi cantes Perry & C, as recommendura aos
entendedores'- apreciadores do bom, valen-
do mesmo a differenca que ha no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na coniinuacao de escrever ;
tantas vigas, o objecto querido de sua ternura 11' assim pois quem dellas se quizer ulilisar
Quantas vezes nao tem ellas sentido a inefflcacia
dos remedio empreados, taes como brinquinhos,
charope de deodcao, ele, cujo duro contacto dos
primeiros irrita as gengivas e causa inflammacao
as membranas mucosas, e cuja accao nulla fazia
desesperaco s m? Achar um meio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliviar os solTrimen
compra-las a dinheiro a vista : na rua do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sera ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
tos e prevenir a? convnlsdes, como tambem todos. ruento de franjas com borlas e sem ellas
os accidentes que resultan, da primeira denticao.. cortinados, todas de nOVOS e bonitos
tal o filo eme tivemos em vista alcancar. Ha 5 ,7r* '". ,
muitos seeulos que se punham no pescoco das | deseuhos, cuja commodidade do preco c*t
criancas collares de mbar amarello para presar- em relacao a largura : acliam-se ellas a ven-
va-las e cura-las de convulsoes, troprtgavase pois' a na rua (j0 Queimado loja da Aguia Bran-
desde muito lempo a electricidade medica sem sa
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este effeito saudavcl repoosa sobre a at-
Co da electricidade, que solta o mbar esfregado
pelos inovimenios do corpo da crian?. Esta in-
fluencia constante do fluido elctrico, por traca
que fosse, produzia effeilos curativos proporciona
ca n. 8.
Jogo da [laciencia ou curioso cot eleni-
mento.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, achara-se a venda por precos ia-
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodc
limpo.
dos quantia d'electricidade engendrada deste mo- zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
do Esta propriedade elctrica de mbar a que e das diversas pinturas dellas se formara
nos temos tido a feliz idea de applicar a fabrica- 1__ ,.
cao dos ollares de dentico, augmentando a inten- agradaveis visias e patsagens, segundo os
Si le. ios para satas
Pechmcha na loja do Pavao.
Vende-se a mais fina silesia Assim como machinas para s-srem movidas por
animan, que descaro^am 18 arrobas de algodac
limptCpor dia^ e motores para mover urna, duas,
to pre?o de 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em
sidade dos effeitos elctricos do mbar por meio
' de fios conductores que distribuem as correntes
d'um modo suave e continuo. Mr. Mover o in-
ventor de duas especies de coliares : t* dos colla-
res anodinos de mbar eleclro-magneiicos; 2 dos
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleilavel en retenimento cem o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
telltgencia. Os apreciadores dirijam-se
RIVAL
SFM SjEGtltflIft
Rua Cunllna a veader todas as miudezas que abano
declara por precos adnJiraveis.
Massos de palitos lirados pir denles a 100 r.
Espelhos de molduras dosradas a 200,240 e 0 rs.
Bonets de oliado para meninos a 1,5000.
Ditos.de couro superior fazenda a 1,5500.
Frascos com superior tinta ro lia a 2i0 rs.
Meiadas d<- I nli* froxa'para bordado a 20 e 60 rs.
Canas Groz'as de pennas dea(, fazenda superior a OOrs.
Grojas de botoe (.aoreperoia linos a '500 e
e 040 rs.
(aizas com oO novrlius de linha do gaz a 790 rs.
Caixas com superiores obreias de rola a 40 e P>0 rs. .
Pecas de fila branca elaslica com 9 varas a z80 rs.
Varas de franja de laa para enleites de vesiidos a
40 rs.
Bsralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
UVras para assenlos de ronpa lavada a 100 rs.
Pares de hotdes para punho, farenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e ,3.
Caixas de pennas de caigraphia, fazenda boa a
1000.
Magras com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca taprie a 1500.
Caixns rom superiores njilhas a 240 rs.
Libras >ie laa surtidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 10 rs.
Rjdinhas com ilfinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 2,5400 e 25800 rs.
Estovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Duzias de tesouras com toque de fcirugem a
600 1 s.
Duzias d' facas e garfos de cabo preto a 350..0.
Talh'-rps muito no para mancas a 2'i0 rs.
Pulseiras para meninas a 32o rs.
Ditas e voltas para senho'ra a oOO.
Fraseos de Agua Florida vudadeira a 1,8280.
Fraseo^ rom superior banha a 20 c 500 rs.
dem de superior oleo babosa a 3i0 rs.
Calas com Ismparlnas para 3 metes a 40 rs.
Varas d^ habadn ri.i Porto a SO e 14' rs.
Carlas dd alHiieles francezes a 100 rs.
Quadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvala* de rres, fazenda superior, a oOO rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
mencionadas ; para o que cenvida-se aos Srs.
agrtcultores a virem ver e eiamina-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saiuder& Brotbrers&C.
X. II, pra^a do Carpo acto
RECIPE.
Os aicos agentes neste pah.
peca com-cincoenla e tantas varas, isto grande
pechinclia : na loja do Pavo rua da Imperatriz n,
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a
Vendem-se superiores lencos de seda para no-
mens e senhoras a 1,5 : na loja do Pavao na rua
da Imperatriz n. SO, de Gama & Silva.
Lencos brancas a "2$.
ISlIUiiZStEtttS To ^ifSSl Venden,* Jnzias de .lencos, brancos finos a 2*.
Acha-s<3
Antonio ; e na typographia imparcial, na rua es-
treita do:Rosario a compila^ao de toda a legislaeao
tendente. administra^ao, arrecadacao e fiscali-
9zqo dos dinheiros de orphaos defuotos e ausen-
tes, herancas jacentes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a lei geral das execu-
^es, cumo tambem todas as-ordens e avisos do
governo, que a tudo tem explicado, tanto a respei-
to das obripacoes inherentesao cargo dos differen-
les empregados de justicia e azenda, como dosdi-
feitos oacionaes e emolumentos que sao devidos.
' ditos finissimos a imta^au de linho com duas bar
j ras-sendo orna ^e cordo e outra matizada fazen-
!da que sempre se veodeua 'i e torrase a 2>l00
a duzia : na luja do Pavao na rua da Imperatriz
n.60,-de Gama 4 Silva.
Os tfspartilhos do Pavao
Vendem-se os mais superiores espartilhos com
as competentes filas para apertar pelos baratissi-
mos pregos de 4,-o$ e 65 por tcr chegado urna
collares compostos de differentes meiaes com cor-1 rua do Queimado, a dita loja da Aguia ran-
rente voluica. Partindo deste principio de physl- ca n. 8, que serao satisfeitos.
| ca bem conhecido, que a intensidade d'uma cor-
rente galvnica est em razo direita da superficie
dos elementos que compSem a pilla, os collares
: Royer, chamados anodinos electro-magnticos de-
signados e graduados por oito nmeros differentes,
possuem as mesmas propriedades elctricas, com
esta s differenca que o elTeito curativo esta sabor-
dinado ao tamanho dos elementos que os com-
p5em, e por consequencia quantidade midada
d'electricidade que engendrara, d'onde se segu
que quanta niaior superficie apresentam as perolas
ou elementos, tanla maicr quaotia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e por isso que nos acn*
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposico Qexiveis e
portalels, podem-se por constantemente no pescoco
das criancas. Urna rede elctrica cobre sem ces-
sar as parles doridas que sao modificadas lenta
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida grande porciio para a loja do Pavao: rua da Im-
iropresso e bom papel, e prestndose a utilidade peratriz n. 60, de Gama & Silva.
de differentes classes, torna-se recommendavel.! CamuraiftS de SalpiCOS 8 3$.
Vendem-se superiores cambraias francezas com
Seu enste- 105000 por cada
temos.
AGUA FLORIDA
irSrWjt
I3E3
MURRAY & LANMAN
1 salpicos brancos e de cores tendo 8 12 varas cada
pega pelo barato preco de 32, ditas escocezas com
1 salpiquinhos mindinhos toda branca a 45 : na lo-
ja do Pavo na rua da Imperatriz .n.^O, de Gama
! & Silva.
Tartalana branca a %fl rs.
Vecde-se tarlataea branca muito fina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
i tas de salpico a 15, dita lisa a 800 rs. a vara : na
Moja do Pavio na rua-da Imperairii o. CQ, -de G.
1 ma A Silva.
0 bramante do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
I que tem vindo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 25600 a vara, panno de linho muito su-
! perior para letiQes, toalhas e seroulas 640 e
! 700 rs.a vara.: isto na loja do Pavo na rua da
Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Percalts lisas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s
cor a 400 rs. o covado. na loja do Pavo ua rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem-se mi-ias para meninas de todos os l-
mannos a 2.J500 r.s. a duria, ditas de seda prata
A agua florida de Muir y & Lanman
olliada como um artigo de perfume, nan
tem podido ser igualada pelas preparaces
as mais custosas: conserva seu anima, co-
mo se formasse parte da prenda a que ella fara senhoJas a,800 rs-, (,ar; d.us agiezas para
,. ^ liomem a Si a duzia, i.-lo na loja do Pavao na CU
se appiica. da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Sua efficacia to delicada, como elegan-, Cortiuudos para oamas.
tes SO seus multiplicados USOS, qur seja i Vendem-se ricas cortinados para camas pelo ba-
empregada como artigo de toocador, qur rao preco de llji o par. Ditos bordados muito ri-
>. u .. .--j.7. i. I ene a UJt nnli>hac Aa hielan nara Pimi a 5500 e
60, de
que
CcRstifAfo, dores c caliefa.
Oitro-Preo, 28 de marco de 1804.
.Atiesto que jt{inndo-me aiacado de tima
forte constiparlo que trouKe-me dores por i no'uso do banlio ou como suavisador da'cosa24^' colchas de rusto para cama
todo o corpo e m cabera, soffri horrivel-pelle# depoig m9 se tenha feito a
Bonitos enfeiles |iara senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber qi no-
vo e lindo sortimenio de enteitos os mais
modernos e gostos inteiramente agradareis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinLe'no se
dirigir rua do Queituado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meas de laa para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mala mosca.
Na loja da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com composicSo para dar fim as
mente, sem sacudiduras nem commocoes, e pro- i v w" v* 'i t -:n:. n ,
duzem urna cura rpida impedindo as convulsoes., mOiCas, sendo O modo de usar facillltOO, e 0
Assim acha-se reunido com o amigo proced- [ efitlo efficaz : molba-se 0 papel e dcixa se
memo dos collares de mbar a efficacia regular e ficar n'urn prato, e nelle pousando as mos-
segura da electricidade medica. Os collares gal- .. pnrstp,-pm p mnrrpm fusta rada fo
vanomagnetteos de metal compoem-se de peque- S, entlisteiem 6 morrem. LUMa CdU3 10
as perolas de dous meUes differentes, traversa- j Iba 40 res: na rua do Queimado, loja da
des por fios conductores que formam assim pe- Aguia Branca n. 8.
quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta- |)versos brinqucdos e eiltrcteninientO
til e flexivel, empregados com feliz successo contra ; '
as convulsoes, os torticolis, tosse nervosa, tosse
iffTOi1
SI
convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
e empregam-se indistinctameole nos mesraos ca-
sos.
DA PRIMEIRA DENTICO
E da utilidade dos collares Royer electromagnti-
cos para faciltar a erupcao dos dentes do leite.
Em poucas palavras explicarei oque succide
na primeira dentico, fazendo algumas observares
qoeserviro de guia s mais de familias, que pela
para enancas.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.'
8, recebeu diveisos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelbos de metal, louca pinta-
da e porcelana dourada para almoc e jau-
ta? e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na rua do
sua tenra affeifo exagerara a miudo os perigos Queimad), loja da Aguia Branca n 8.
! t?S' a qual em deQnitiva uma operaao Meias pretas de seda para seuhiras a
uan iiinza. : ...
A mor parte dos desarranjos que sobrevem OUU I'CIS 0 par.
S^J-. SES?8 A"'" i'0r "*T* llPi,a,,; da A Aguia Branca quer acabar com a por-
pr.meira dentico Quando o dente faz esforco dpsmpa<, nrpIa, ,1- ,i- nara cpnlinras
para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva- Cdt) ue m^ias preas oe seua para sennoras,
qSo volta-se mais abuudante, o somno agitado, e apesar do muito maior preco que lhe eos-
ha febre a miudo, e em geral sobrevem a frouxi- laram e O bom estado em que anda estao,
do do ventre, e s quando este ultimo symp COmtudo est resolvida a vende-las a o 0
toma nao loma um carcter vio ento e mais bem ; n. Rm ,. _. .________ .
favorave que damnoso. Sendo sujeto a compii- re|s o par, aflm de que ninguem majs calce
car-se com outras affeicoes o trabalho da dentico, meias pretas de algodao, agora pois apro-
necessario, err. quanto durar, por a mais extre- veitarem a quadra e dil igirem- e rua do
UicH<;C0DtinQa(la alIenca?. na fau,le da crianca; e Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam-
de=ae que se notem os ltimos symptomas que ac- f\_ .' B ,
bamos de indicar, ser urgente consultar um me- bem vender as brancas a 1 o par, o des-
dico. tas o nico deleito estarem um jjouco tri-
Estes collares vendem-se na loja do Vi- gueiras,____________
gilante^rjw do Crespo n. 7;___________I Rival Sem SegUD(0
Liquidatfto das pechmchaSRoa do Queimado lis. 49 eS3, loja de
no armazem da Arara.
mente por ^paco de_5_ua^_ |j.fP5 i nara liraFr as gengivas ou aromatisar o
balito.
D suavidade, brilbo e elasticidade as
compleicoes, depois de se liaver lavado; al-
livia a irritacao de empees ordinarias ; fai
desapp^recer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, do rosto, rugas e loda.a
ti? : na loja do Pavo rua da Imperatriz n.
barba;' Gima & Silva.
um tmigo avonseiliou-me que tomasse pi-
lulas catharticas do Dr. Ayer com ellas fi-
quei cao e completamente restabelecido em
tres flias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselbar o uso das ditas piluias
a todas as pessoas que forem afectadas -de
constipaees.
Vgostinho Jos da Silva, negociante de fa-
zendas. _________ __
liTilaro do e,slcinago.
Q-uro-Preto, 29 de marco de 1864.
Aitesto e juro, se necessano fr, que. sof-
frendo ha muito teinpo excessiva irrilaeo
de estomago, pouco apetite e dillcil dtges-
to, dola tenho experimentado sensbeis
melbofas depois que tenho feio uso das pi-
luJas catliarticas do Dr Ayer.
Antonio IIermogenes Pkbejba Bosa,
Lorabrigas.
Ouro-Prelo, 28 demarco de 4864.
,As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas cgbi grande vantagem jxtr
mii em urna menina de dez annos que
soffria de vermes inUislinaes, notando-se
que os symptomas que ento apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymcndo Nonato de S. Tiiiago, pliarma-
ceutieo.
Jievrilgia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
Tiras bordadas e ntremelos.
Vendem-se flnissimas tiaa.s bordadas eeotre-
meios por preco baratissimo, na loja do Pavo rua
da Imperatriz n 60, de Gama & SUva.
Chales a 3500
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas
as cores e prelos, pelo baralissimo preco de 3500,
por haver grande porco : na loja do Pavo, rua
a Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os balw do Pavo a 2#i00< U e 35o00
Vendem-se os meihores bales de arcos ameri-
canos, sendo com 20 arcos a 2$oQ0, ditos com 2o
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 3500, ditos para
miudezas de tres portas, esta juei-
m.-titilo tudo Iiiii ebarato, quem qui-
zer ver e admirar venlian loja do
Bigoilioho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
Vendem-se bonitos corles de cambraia branco Grozas de bo'.oes de louca prateados fazenda rao-
0 proprietario da gr.in le loja e armazem da
j Arara tem resolvido vender suas fazendas por
| menos 20 por cento do que em qualquer outra
parte por isso venham ver as fazendas e se admi-
rem dos precos, a saber :
Cortes de camlu-aia com barras.
casta de ebulicoes, e d v,igor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua ef-
encia e elegancia sao igualmente infalli-
reis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-1 meninas de todos os tamanhos a 2S00 e 3i5, su
cursos e assetnblas aumerosas, as loea- penores baloes de bramante e murcelina com
lidades infeccionadas, na alcova de um en-^a-fnd0 ba"anl.e rd.M a ,'slor!,l%a
, ,. i .i do Pavao, rua da Imperatriz n. 66, de Gama &
termo, assim como e hu antidoto excellen- -
te pata os destruios cansados por cansaco
ou sujfocaclo. Preparada tnicamente por
do Pavao,
Silva.
As oainitiihas do Pavo.
ilendem-se as mais modernas camisinhas bord Lanma* >& Kemp, Nova York, e a venda por : dageom manguitos, para senhoras, sendo as mais
Gaors & Barbosa. i modernas que lem vindo ao mercado a 4,5300, di-
\c\~tn Ha P Rravn Ai C ,as com manguitos, para acabar, a l& ; ditas pre-
judu ud u. Dia\u a. o. | Us com maDgU|tos para ,ut0 a ,5800 rs#> mangul-
Deposit geral em PernanUJUCO rua da | tos e gonhas pretas a 15, finissimas golinhas de
baralissimo I derna a 160 rs.
Duzias de penna de ac fazenda Loa a 40 rs.
Pe^as de tranca de la lisas e de todas cores a
35500 45 ^ rS-
' Estovas finissimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pegas de fita de cs estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-'
dades a 20 rs.
Tin tetros de barro, com superior lima a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Grns n.22 em casa de Caros Va dara
Vende-se urna padaria nesta cidade, eallocada
am boa posicao, e eom excellentes commodos : a
fallar com Joo Querioo de Aguilar em seu arma-
zem no caes de Apollo.
^Deposito de calcado fabricado ua<|
f casa de deteacao rua i\ova|
I n- 6- fe
' Ahi se encontrarao obras de diversas -,
9 qualidades e por preens mui diminutos, a *?
retalho e em porgoes. S se vende a di- Wk
m
cambraia branca bordada a SUQ rs., calcinitas para
menina a 640 rs., romeiras e fil e cambraia
branca bordada a I5GO0 ; na loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva,
('orles de percales.
Ricos corles de percale com barra, lendo o com-
pleme casaveque a 65, ditos de la a Uan Pia a
65, ditos de cambraia transparente i.om barra
bordada a laa a 25 ; isto se vende na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
com barras de aifferenies cr^s pelo
preco de 35 caa corte.
Cambruias brancas.
Vende-se cambraia branea a 35,
45&00, >5 e 05 a peca, e de outras mais quali-
dades .: na rua da imperatriz n 56.
Bretanua de ralo.
Vende-se brelanha de rolo com 10 varas a
25800, est e acabando esta pecbinch.-. : s na I
loja da A^ara, de Alendes Goimares.
Lazinhas.
Vendem-se as mais modernas lazinhas chiga-
das peio ultimo vapor, tendo padroes muito buni- Baralhos muito finos para
tos se vende pelo baralissimo prego de 240 rs. o 240 rs.
JC*** fa^nda que em outra parte se vende a Latas com superior banha a 200 rs.
400 rs. : na loja e armazem da Arara n. 56.. j Frascos de macaca perula muito fino a 200 rs.
Chitas. Frascos e garrafinhas com agua de Culwuia a
Vende-se grande porco de chitas sendo escuras SOO rs.
e claras por baratos procos a 240, 260, 280 e 320 Frascos grandes com superior agua de Colonia a
rs. o covado, ditas percalas linas a 360 e 400 rs. o 640 rs.
eovado, muitas mais de outros precos. I Caizas com 12 frascos de cheiros muito finos a
Chales de merino. I 1**00.
Dea fazenda ha um grande sortimealo de cha-! Sa!{eles PeQ.uet)os e bolla a 240 rs. e grandes a
les de merino estampados cores muito delicadas,! 32 "
eesl se vendende pelo barato prego de 25 cada! Vuzia ?e sonetes pequeos com ebeiro a 700 rs.
DoD'SERVAX.dePariz.
Pharmaceutico de i' classe, ex-
interno dos hospitaes, premiado]
com a medalha de bronze.
vultarete a 200 e
nheiro.
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, tomei urna infini-'
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito das, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Cetas minias aHiAm-si' .i venda as Drin- mandioca, e mais duas fazendas de gado no Pot^n-
fcStas Pilcas acna^^ ,i ..";.ori/, 1 R Cear-meinm, na mesma provincia, cujas vec-
i, mediante boas firm.is :
aquella provincia a ira-
Queijos de Minas
Tem para vender na rua da Cruz n. 13.
Vende-se o engenho Jundjahy, cinco legoas
difiaote da cidade do Natal, provincia dn Rio
Grande do Norte, moente e corrente, com 20 cap-
tivos, 20 bois e 20 bestas ; assim como diversos
lotes de ierra, propria para a cultura de algodao e
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no das w effec,Uflra01 prasoSi
Rio de Janeiro, lUaDiroitan. lo |quem pretender dirija-se
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARIVIACIE FRANQAISE
deRMAURER&C!
RUA NOVA(N? Ha
lar rom Fabririo & C.
Terrenos
veuda.
Palclots prelos a G-)
Vendem-se superiores palctots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casacos a
125, superiores calcas de casimira de edr a 75 e
85, ditas pretas a 65, 75 e s-5, paletots de meia
: casimira a 55 e 65, ditos de. casimira a 10, caigas
de meia casimira a 15 e 45500, ditas de brim
1 branco de linho e de cores, coletes de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
preco muito em conta, s eom o fim de apurar di-
uheiro : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas ni loja do Pavo
Vende-se um grande sortimento de raadapoldes,
chitas, algodozinbos das meihores marcas, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em outra
quabiuT parle, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, rua da Imperatri'n. 60, de Gama d Silva.
Ricos chales pretos de ron la.
Chegon pelo ultimo v; por (rancez um grande e
variado soriimento dos mais ricos chales prelos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles muitos de ponta redonda a imit-ico de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e vende-se
Vende-se um terreno proprio para edificacao, por precos muito em conla por terem sido mauda-
collocado no centro da cidsde, com 68 palmos de
frente e 318 de fundo, tendo tres frentes, para a
rua da Palma, da Paz e da Concordia : para in-
formacSe, na ma do Sol n. 37.
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
BoroouU de renda na ioja do pavo.
Vendem-se duas vaccas de leite muito man Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
sas, acostumadas a pastar na corda, e que do vendem por baratissimos precos: na loja e arma-
bastaute leite : a tratar na rua larga do Rosario j zem do pavo, rua da Imperatriz o. 60, de Gama
d. 34, botica, a Silva.
am, isto para acabar.
Colchas de fuslo.
Veodem-se colchas de fusio de todas as cores
a 55, ditas de damasco a 45, ditas de chita a
5240 e 15%0 cada urna : s Loureoco Pereira
lleudes Guimares,
Madapolo.
Vende se raadapcio a 45500, 55, 65500, 75,
75500 e 85 a peca, enfeslado se vende com 12
jardas a 35,35500 e 15500: na rua da Impera-
triz n. 56, Mendes Guimares.
Soutemharqaes.
Vndese soutembarque a 5-J, f>5 e 75, ditos
prelos de grosdenaples a 185, 195 e 205, e capas
o mesmo preco.
Cambraias de reres.
Veniem-se cambraias de cores sendo finas a
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casemiras.
Vende-se casemira com listas a 25500 e 25800
o covado, e mescladas a 35 : s Mendes Guima-
res.
ALMANAK
DE
LE311Iit4!VAS
Laso-Drasileiro
PARA 1866.
POR CASTILIIOn
Vende-so na livraria econmica juuto ao arco
de Santo Antonio,
Vende-se um gaarda-louca novo de amarello
de raz, por preco comraodo : na rua estrena do
Rosario, loja n. 10.
,1 teite.
Vende-se em porc/10 e a retalho, mais barato que
os matulos nzs cargas : ua fabrica da travessa do
Carioca n. 2, caes do Ramos.
Agua denlifice superior qualidadea 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a ;
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de rouoa'
aSOOrs.
Fraseos cora cheiros de todos os precos a 1(50, 200,
340 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Pegas de fila do la para debrum de vestido, com
10 vsras*a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedias de lousa para meninos a ICO rs.
Bunecos de horo e panno a 160 rs.
Caixas cem bonit?s estampas para rap a 10") rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boies pequeos prelos para calca a
100 rs.
varas de cordo de espartho a 20 rs.
Desde muito lempo o publico
abandonou o uso das preparaces
intituladas depurativas conhecidas
ob o nome do Arrobes, Xaropes
de Salsaparrilha compostos, etc.
Cuja arrao. maior parle das vezes
nulla, e n algums casos perigosa.
Os Co.VFEIIOS DEPl'BATIVOSTEII O ASPECTO
E O COSTO AGBADAVEU E CONTESI SOI im
Pl q: : Mi VOLUHB SUEStAKCIAS ICl'ITO ACTI-
VAS Ql'E 0 SEO MODO DE PBKPARACAO IORMA
IHALTEBAVEIS.
O sncccftso que cutos con -
fciios obtivorao m Fran-
ca sob o patrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
de tudo quaulo tem existido alh
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenlium outro remedio in-
terno, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
lticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em gera'
todas as molestias produzidas
pela alteraran do sangue ; tal
o resollado que queramos
conseguir e que temos sem
pre oblido.
Urna cxpHcDcao ccooipanha cada
vidro.
Desconfiar-se, das falcificacoeset imi
lu^ocs.
Para ai curcmciidat dii gir-M aos
Snrcs. BUISEO et C1', 1S, D'Piincc
Eune, Parit,
Euipregado com invarinel successo Ucsd su anno
pelos Mdicos de todos os pavzes contra as molestia*
rgauicas ou nao orgnicas do corace, as diversas bv-
dropisias e a manir parle das molestias do peito e d'ot
bronchios (pneur.om'a, catarrhoi pulmonare, athmat.
in/lammatoes nervoiat dos'bronchios, catarrheiru, etc.)
0 XARerE de LABKLONVE nao se vende seno em
garrafas com rotulas de cor e fechadas com urna cbap*
telando a 6nna d mrentor.
Km PARI8. rna B.urh.n vlllr.rli.f. 19.
Venaem-se noRecile em cas;, de Cais .
Barlin?a e Joao da C. Bravo & C.
Novell is francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
Duzins de meias cruas muito fortes e supriores a ^' tT. -. .. -'"- -*
**m- Biclias de Hamburgo f,
^5 lodos 's pague!.. da Europa se rtCtLe _
&| Jestas amipas do sanfiie, humano e fi "'
* v. nd.'Pi a irnco de pouco lucro s afi/r; ,.
$S, de i<-r sempre eous nova : a loja de bar- .f^
>Jv brim rua eslreita do R

Fumo da Bahia para
charutos.


Vende-se fumo superior de todas itsqua-
lidades, a retalho e por atacado e por
preco commodo : no Recife rua da
Carimba n. 1.
Vendem-se 16 pranchoes de amarello com
Ja Hit-ja.
Lnaf para vestidos a 240
v. o covado!!
14 a 20 palmos de comprido e I 1|2 a 2 de largo, Na rua do (Jueimado d. 1 vrndem-se soperiore;
por commodo prego : a tratar j beccj Ja enha laa* para vestaio* a 40 r.-. o covado ; a elias, an-
u. 2, fregueiia de S. Jos. t tes que se acabeui.'
*___


-"
p
Diarto e Pernamboco --. sabfeado le lMbi de N*.
Sn^Mg")
N. 11Roa do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENOAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Cbegou a este estabelecimanto um grande sortimento de cortinados bordados
camas fazenda demuito goslo.
Chales de guip muito Gaos para 223, 255 e 305.
Cotias de seda superiores de diversas cores para camas.de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondas de guip eafeitados com o melhor gosto.
Setira de Paris bella fazenda e de benitas cores para vestido a 700 rs. o corado.
M mroaatique branco e preto, grosdeaaple preto e ds cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombaziaas, alpacas pretas, e
la preU para lulos.
Malas, saceos e boleas de tapete, vemiz e coaro de 45 a 115.
Brio de linbo de cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de dalia para senhora, mangaiDs bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio da linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e umitas outras fazendas qas se voadem p >r coaitnjlos presos assim como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
131 31
MOLIliDOSlp
DE
J. VIGNES.
X. 55. Rl'.l DO 1HPER1DOR \. 55.
0> pianos deslaantiga fabrica sao boje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sua soperioridade, vantugense garantas que offrrecera aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem deliaitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
sumi um teclado e machinismj que obdecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca f.ilhar, por serem fabricados da proposito, e ter-se feit-j ltimamente raelhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas e flautadas, e por sso muito agrada-
reis aos onvidos dos apreciadores.
Fazun se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposic5es.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores amores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoavels.
m
GENR OS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GIUNDES ARMAZENS DE
DE
DUARTE&C. .
Pateo do Garmo n. 9 arinazera Progressivo roa do Qneiraado n. 7 I
Uaio e Comoiercio ra do Imperador n. 40, BfB
Principal armazem de moldados. ^S
OS PROPRIETARIOS.
Fazem sciente ao respeilavel publico, e cora especiadade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran! os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeled-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annuncrar os gneros
por um preco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porra nos nossos estabelecimentos n5o se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam'iem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualqoer engaos, remettendo nos urna conta'
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fuer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
dem com 4 a 5 ditas a 3$200.
3
o
o
CONSULTORIO SEBIGO-CIRURGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSC9SO,
JUSUIl'O. PARTEIRO E OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fimdao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
horas da manhao, edas G e meia s 8 horas da noite, excepQo dos dias santifleados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avubsos, assim como tintaras de varias dymnamisaeoes e pelos precos seguintes.
Carteiras de l tubos grandes. 12^000
de 24 tubos grandes. 185000
de 30 tubos grandes. 24,5000
i de 48 tudos grandes. 30-5000
de'GO tubos grandes. 33)5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se flzer, e com os remedios
pie se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 10000.
Sendo para cima de 12 cuslarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
lia tubos-mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A. melhor odra da horaeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jah:
.......... 20^000
doos grandes volumes com diccionario
llering
Medicina domestica do Dr.
Repertorio do Dr. Meh Moraes..........
Diccionario de termos de medicina.........
Os remedios deste estbele amento siio por demais conhecidos
tanto dii sereno mvamente reGommeadados as pessoas que qu'uerem
. 1000)11
. 65O0O
. 35000
e dispensam por
usar de remedios
v.i'i leiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
ver-lideiro assocar de leite, notaveis pela sui boa conservacao, tintura dos mais acredi-
ta los eslablestra ratos europeos, a mais exacta e acurada, preparago, e portaotoa maior
eaergia a certeza em seus eifeitos.
Casa de saud pira escravos.
Recdbe-se escravos pira tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
oi'.a.l), p rao que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
O nt enlo o meihir possivel, tanto na parte aumentar, como na medica, e
f i -.ornado a C3sa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
pode davidar, qie podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
(lenles.
P.iga-se 2^ pir dia durante GO dias e d'ahi era diante 1#500.
Asoueraces ser) previamiute ajustadas, sanio se quizerem sujeitar aos precos
raz veis que costuma pedirr o annunc ante.
DAS COIiLUMNAS.
No ultimo.vapor viudo da Europa
Superiores corles de seda de cores o que lem vindo a Pernambuco de meluor trosto
em seda. "
Assim como mais algutnas fazendas de bom gosto para vestido.
RIJA DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES DE SEDA
Cbegaram pelo paquete inglez riqusimos corles de moreaatique de cores, e seda lavrada na-
dro-mleiramente novos. v
Seda de quadros por 1^000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pac* do Amoral <& Companhia.
j\antoiga nglcza perfeliamenie flor chegada
nltimamente no vapor Saladim, de 10
a ll-20 a libra e em barril terabati-
mento.
dem francesa muito nova a IjJ a libra, e
em barril ter abatimento.
Banha de porco reQnada a 640 a libra e em
barril ter abatimento.
Cha uxim de superior qualidade a 20600.
dem perula miudinho a 25700
(dem hysson especial qualidade de 20500 a
20600 a libra,
dem preto muito especial a 20000 e 20100
a libra.
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10200.
dem da croditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doeotes a
20 e 30 a lata.
Bolaxinba ingleza muito nova a 3#500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinba de soda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado
ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Chouricos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
Gaixas com macarrSo talharim muito novo a
50000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 10000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 19000 a libra
que j vendemos a 10400.
Doce da casca de goiaba em caixes de 4 e
meia libras seguro a 10800,
dem em caixes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 640.
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas,
contendo pera, pesego, ameixa, rainlia.
e outras frutas a 30000 cada urna,
(dem em calda em latas feixadas hermetica-
mento mupo bom enfoitadao, COMenO,
pera, pesego, ameixas e outras fruas a
640 e 700 a lata, tambem temos lata
grandes a 10200.
Vlarmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 20000 a 10200.
dem em latas de 1 1|2 libra a 10.
dem em latas de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Keijao verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
1200 a 20500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolha
do vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
Vinhos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duqne Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
dem vasios de todos os tamanhos a 20000,
10500,800 e 640 rs.
Queijos do 20300 a 20500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
20000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 40600 a caada,
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Catleia do Kecife, esquina da Madre de Deas,
RALdES
Os ricos baloes de arcos com muita roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 20 e 20500.
dem de panno para meninas 30 e 30500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 90.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 100.
dem idem com 16 asteas 120. '
Cbitas.
Chitas largas soffnveh a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Reos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sorlmento de camisas francezas de 10800 at 50 das segura-
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400 les variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos defusto e de cores.
a libra, e em barril de 5 arrobas a
100500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Asnea 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
no Sabo inglez superior a 180 rs. a fibra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranho 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasenses a 40500,
dem Delicias a 10500.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 30500 e 10300 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10SOO
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mececipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesrao a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanho Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 106OO a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa. |
Alpisla muito novo a 30800 arroba e 140;
a libra.
Painco a 10000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porcSo 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000.
Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 40.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Caigas de brim pardo superior a 20500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades,
Mantas para pesclo.
Ricas maatas para pescogo de homem de finissima seda e de ricos padrSes uue
so o Balao tem.. *
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 50,
COIXETES.
Cohetes de casemira a 40 e 50.
dem brancos a 205UO e 30.
Saceos para vlagem.
Saceos para viagem a 50 e maiores a 60.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
zendas.
de
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar- Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
V
avaado
Francez barrica 55000
Poitland idem 8^500
i' perfeito estado:
Francez barrica 10,5000
Pi-rilaid idem 125000
No aromen) deTasso Irmaos caes do Apollo.
I/ICAS, VIDROSE
CHRYST4ES.
Wod-fe urna escrava crioula, recolhila,
com 8 annos de idade, que sabe cosinhar, lavar,
rngoim ir e coser, habilitada para qualquer ser-
v,,o de casa : a tratar na ra da Alegra casa
unto ao n. 1.
FARINHA.
Venda-se farinha alva e torrarla da ulma feira
d.. li.ii ilei
a coia ii
ra por 2i0 e 280 :
prio para olaria por ter excedente barro, e as ter-
n quasi tolas proprias : a tratar com Joaquim
'..-<; Ujncalves Beltro, ra do Vigario n. 17, es-
criplorto..
ViiiJ-se urna porcao de teihoes de barro
oae serve para encaar agoa em cornijas de casas
ou para oulra qualquer cousa, sendo elies novos e
pj: pw i barato : para ver e tratar na taberna
dcfroiite da capella de S. Jos do Mangoinho.
A loja de looca da ra do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive flaissimo
chrystal, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, figuras e outros muitos objectos de fi-
nissima porcelana denominada'biscuito para en-
feites de mesas, etc., gnarnicfrs de finissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, tudo do melhor gosto, pinbas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para
leira. por preco de 3^800 a saca, que sabe gaz, globos e chamineis de v.dro, boccaes e todos
11 rs., igual a que se vende na nbei-! os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
na ra uireila n. 88.________| de superior qualidade, e muilos outros artigos que
- Ven le se urna parle c um predio no sitio dos' feria enfaano mencionar, tudo por .precos mui-
Areos, perte da igreja dos Remedios, o qual pro- bsim:>5 razo*veis.____________________
O llorisonte,
Vende-se a taberna denominadao Horisonte
no largo da -anta Cruz n. 16, muito afregnezada
e propria para fazer della um bello estabelecimen-
to a' moderna, nao s pe a casa ter as proporcoes
necessarias, como pela exceilencia do local em que
se acha situada : quem a pret*nder pode dirigir-
se a mesma, a qualquer hora do dia, que acbara
sempre com quem tratar.
rafa e 20800 a 30500 a caada,
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
(dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial qualidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
Id'm Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Champanha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 10000 e
10500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa,
dem mais abarxo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja ver.ladeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco,
dem de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
quera e 600 o frasco,
dem de Hamburgo a 50500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafo.
dem com 14 a 15 garrafas a 60.
a libra.
Farinda do MaranhSo muito alva e nova a
240 a lihra.
Sevadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra. |
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce i dem a 400.
Alfazema flor a 240.
Araendoas a 400 a libra.
Nozes mnito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma.
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados a 50500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, macos grandes a 120 'e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 10500 a libra, em porcjSo ter
abatimento.
Outros objectos.
Vindos tambem para a antiga loja
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setira branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de lartiruga mui fortes para des-
embaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Bonitas ivellas grandes de aeo,
donradas, madreperola e tar-
taruga.
A loja de miudezas a ra do Queimado
n. 16, receben um bonito sortimento de
flvellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes
ostao sendo vendidas em dita loja por pre-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas flvellas.
Ocnlos de penetra e de ontras
qualidades, para qnem soffre
da vista.
A' laja de miudezas ra do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de peneira
com vidro3 claros e oscuros, para qr.em sof-
fre da vista, assim como outros de artaacSo
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos deornalina, os quaes esto
a disposico dos bons christaos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambem de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botoes para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores c menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de surti-
dos tamanhos.
Lonelos de dous idros com aro de ac, Imfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netos e oculos de vidros com armacao fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis : os pretmdentes diri-
jam-se a esta leja na ra do Queimado n. 16.
IfflHlffl I i l
Saccas grandes cora 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
Farinha.
Vndese farinha de mandioca muito nova, sac-
eos grandes a 4 : no armazem de farinha da pon
te nova dos Srs. Tasso Irmaos, para porcCes, na
roa da Madjre de Dos ns. 5 e 9.
Potassa da Russia
muito nova e snperior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19
Esponjas finas grandes c pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba dereceber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o seu
bello sortimento, sendo:
F.las finas de sarja da mais eslreita que
ha al a mais larga, todas de vivas e agrada-
veis cores.
dem tambem de sarja Uvrada, de bonitos
e novos desenhos
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorgurao de seda acharaalotada.
e muito encorpadas, para cinto de flvellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, colletes, palitos, etc.
dem de la igualmente sorlidas em cores
e para os mesmos fins.
dem de algod5o brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques. vestidos pretos, etc.
Novas e Jindas guarnieses para eneitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
etc., obras do muito gosto e modernsima.
tnegaram recente
mente as seguintes :
Aguas mineraes naturaes de Vi-
chy, dita de Seltz, dila sulphurosa
das Caldas da Rainha, dita azeda
das Furnas da Ilha de S. Miguel,
sendo estas duas excellentes para
combter as inflammagoes de este-
mago, da garganta, azias etc.
Chocolate medicinal de musgo is-
lndico, dito ferruginoso, dito de
bauoilha, dito de familia, dito pur-
gativo etc. Pastilhas pulmonicas
inglezas contra a tosse, pilulas de
Alison cintra sezoes, ditas da vida
de Thomaz Parr, ditas depurativas
e purgantes de Mr. Dehaut, todos
os preparados de Kemp como pi-
llas assucaradas, salsa-parrilha de
Brislol, peitoral de anacaubita de
Kemp contra tosses, catharros,
asthmaetc, bitter aromtico esto-
macal e copos de Quassia para tor-
nar em poucos minutos os liqui- ;
dos amargos e tnicos para o esto- j
mago: venda na ra- da Madre de
Dos n. 1, botica de Jo3i da C. \
Bravo AC i
Os Srs. fabricantes de pao, bola-
cha e conserveiros encontraro car- I
bonato de amoniaco muito branco e j
forte em fiandres, potassa ingleza
refinada e secca. essencias puras
de limao.dila de bortelaa pimenta,
dita de Neroli e tintura de carmind
para corar amendoas etc.: na mes-
ma botica de J. C. Bravo & C.
s
s
Grande sortimento de roapas feilas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 6,8 e 7,5500, ditas pretas
65 e 8, caifas de ganga a i$ 1$800 e JGOO,
ditas brancas a 25, brim de linho a 3$, 300 e
44, paletots do alpaca branca a4o00, ditos pretos
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordao a 45. e
de listra de seda a 45500, dnos sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95,
ditos sobrecasacos pretos a 1J5, 15 e 165, ditos fi-
nos a 255, de cores a 135. ditos fraques a 145
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno
preto fino a 25. 25600, 35500 8, 45">00 5 e 65 o
covado, moreantiqoe preto a 25600 o covado, gros-
denaple preto a 15500, 15800, 25, 25200 e 25500
o covado ; e ontras muius mis fazendas que se
deixa de annonciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O
e tabetecimento est aherto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatrii n. 56, Menes Gulnares.
Ferros para engommar
Vendemse caixin'ias contendo o mais completo
sortimento de ferros para engommar, encrespar
babados, paros e toda a roapa de seahora : na ra
Nora 24.


MBBMHHBI
Diarlo de Peraaittfeaco abbado de eternbr* de !*
0

DO
DA
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
vira & airan a>i si Dumajuim
AO
ATTENCAO
os precot da egulnte
tabella 6 para todo, po-
tiendo assim servir de ba-
se para o rJuste de contal !
com os portadores;
UESPEflVEL PUBLICO.
A apreciarlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
em da Liga estabelecido ra Nova n. 60 ara magnifico sortimento .'de molbados,
que sendo em sua maxim-i parte mandados vil directamente do estrangtiro"'podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e intercssante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;ifliancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posi?3o social gozara de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mni-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelopreco que em algumas partes nao po-
den ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compran para ne-
gociar, devem vir, pelo seo proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que comprara para tornar a vender existe um sortimento espe--
cial, escolhido por pessoa entendida que certamen te muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nSo agradar.
ARMAZE
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Conceleo)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidSo e intei-
ezacom que sero traUd8*gconvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a protecco e preferencia na com-
pra dos seeros que prec'sara.o e quando nao possam vir poderSo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
rois ser3o to bem servidos como se viessem pessoalraente, havendo para com estes toda recommendac5o, afim de que naovaoem
tra psrfe.
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas era latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de iodos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azote doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Almos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 25000 a garrafa.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a &7Q0.
dem de so-!a em latas grandes a 2^000 e
de cinco para cima a 1>S00.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
I5200, 15250 e 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15300 a libra.
Choricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiarope de grosella, orchala, etc., etc.
Chicaras e pires, a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'Havana, Exposic5o,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
fos. Americanos, Fluminenses.
ChA de todas as qualidades e de todos os
precos, bysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252<>0,25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac saperior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
B
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portaguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVIL.HAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas em 'atas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.300
Farello ha sempre em deposito de 500 a
Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
urna.
1
KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marvelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarho e talhariu a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella
60 ; rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Mii.hu painco e alpisla, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
n
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 1*5400.
dem muito novas a 400 rs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
m
QEJJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
SABO massa a 160 rs. a libra, era caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2#.
Sardi.nhs de Nantes de todos os fabricantes.
dem do Setubal em latas muito grandes a
720 r i.
Stearin lS a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos vemos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Donro a 15800 a garrafa.
Duque do Porto verdadero a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.*-
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Loiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaox Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinbo figueira em ancoreta a 205.
Manteiga ingleza especialmente escclluda a
I,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha bysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior en latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,oo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Choricas e paios a 8oo rs, a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella on para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portoguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640'rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,oo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Alelria, macarro e talbarim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,ooo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoreas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa.: Porto, Figueira e Lisboa a
32o, ioo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,*Joo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vemao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,ooo e i o,ooo a caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo c l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garra.
Sardinhas de Nantes a 40o rs. os qnartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a5,oooa
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1.3oors.
Cartes com bolo francezmuito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinha^ enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos d comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
Espermacete superior a 6oo e64o rs. ali-;Milo de amendoas a 5oors.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
Peixe em posta- em latas hermticamente la- de Brlto no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das melhores qualidades de pei- bras por 2,5oo rs.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em frasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-1 tampa do mesmo, a !55oo.
das que ven ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zasem csixintas de diversos
8,ooo a caixa e64o e 7oo ris agar-
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos.
caada.
Na ofllcina de ferreiro da roa do Jasmim n.
24, ha para vender ama carroca feita, com esmero
e propria para carregar ama pipa com agua, afim
de vende-la pela ra. Na mesroa offleina ha tam-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,ooo e H,OQors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que ven ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oors.
Charutos do affamado fabricante Jos Furta-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Norma! de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5o'o, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: FI6r do Norte, Ma-
rtinas de Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha paraos navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8ooo cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa..
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diverses
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
LOJA DO BE!JA FLOR
Na roa do Qucimad n. 63.
Tendo receido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mamai,
com cabeeira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas : apparelhos de alrnoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-eor
e faquinhas a 280 rs. o par ; e nao queren-
do continuar, vende mais barato do que em
outra qualquer parle.
Vende-se tiras bordadas de differentes
larguras a 15, e baados, collai nhos e pu-
nhos para senhora, bordados e aberlos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 13a para bordar de diversas
qualidades e de cores claras a 75 a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 25500,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhas
para estojos de navalhas,
Colbcres de metal principe.
Vende-se colheres de metal prncipe para
tirar soupa a 25, ditas para cha a 2300,
ditas para soupa a 45200 a duza : Desta
loja te encontrar sempre um grande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Quei-
mado n. 63, loja do beija-flor.__________
Vende-se urna ptima e*crava mea de boa
figura : a tratar na ra da Cadeia n. ':'), toja de
relojoeiro.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo; Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpisa a 14o rs. a libra e i,ooo a' Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesnperiorqnalidadea64o!Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-i 15 a garrafae 1 l.ooo a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
tamanhos com bonitas estn pas na ca-[ 8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, 1,8oo e 2,ooo I Azeitonas portugnezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez | Champagne da melhor qualidade que vero
a 9oo rs. a garrafa e Io:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
o gigo com 36 libra-. | Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oors. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
TE DOCE
da Lk
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
Saceos de 80,100 e 120 libras a 45,45500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo prego de 55 o par lavas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo vapor,
para hornera e senbera : na ra da Imperatria loja de miudezas n. 54.
2? Q Q < cj S? 3? > > S S 5 35 g M
-^ ? fQ
r ti 2
, ; a d
PS cu
8 S.^.5. Sf.g.8 5 S
B w. mm "S EB
en
01^ Ja b
--- w. -.- x -
^ u 3
do : "m .0
tmnba
ts 9 S
ssisi-fras^
3 "" s
23.3
gsS

1 CD
-
2-,
CIO
BffH**MM*fio
o
a>
?25So
n B 5i w sr B "^
?S oSro.S'.ag ^
ca, p o 3 o S W
S sr S g o p. "S8*
s 3 O S c o... O O .
o B -.2 S &<5 -g. n
IHI c?l33
09 -a 09 o s
>
o
~ B 2.
8
Calungas Anos e brinquedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos caloagas
bem um cabriole de duas rodas,novo e muito bem ^DM>para br,nqaedo de meninos como para cima
acabado ; quem pretender estes objectos, pode di- d ^ esmaloja se encontrar bom sor-
rigir-se a mesma que achara" com quem tratar. : 5^ de mlndeai.
o.
B
o.
>
S.
S"
OQ
3 ?
C"
l
i-i
>
>
O
>
500*000.
Vende-se por 5005 urna crioula de 33 asaos, sa-
pia rnbasia, sabe eoziobar e lavar bem ; se
vende para o mato, e o motivo se dir, ao compra-
dor : pan tratar na roa da Cruz n. 3.1.
I.uvas de pellica.
Recebea pelo ultimo vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras: so
qnem recebea foi o beija-flor, ai roa de Queimado
numero 63.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melbor qualidade a
15 a lata: nos armazonsda ruado Im-
perador n.46 e rna do Trapiche Novon. 8.
Vende-se 40 palmos de terreno na ra da
Coacordla : a tratar 0a roa do Aleorim n. 10, das
3 horas s 5 nos diae atis.
Atten$to o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendera-se dous grandes lustres de vidro finos
com 24 luzes, do melhor gosto e por pre(o razoa-
vel; assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, branees e de cores differentes; ditos de por-
celana donrados e pintados e brancos 1 apparelhos
' para jantar de porcelana branca; tamnem se ven-
I dem em nejas separadas, como os freguetes qnl-
Izerem, eompotelras lapidadas para doce, clices
! para vinho, ditos para champagne, copos para agua
1 e para vinho finos e ordinarios, em caixo e a re-
talho ; laoternas de todas as qualidades de vidro;
ditas de ca$quinbo inglezas muito finas ; candela-
bros de vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro paradores; buhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para cha; e outros mnitos ortimentos de todas as
qualidades e precos commodos a vontade dos com-
pradores, que se vendem na roa da Cadeia do Re-
cife junte ao arco da Conceico n. 64, e na rna
Nova no grande armazem de looca e vidros junto
igreja da Conceico dos Militares n. 40.______
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de ama duzia
de garrafas para casas particulares, sendo: Lagri-
mas do Oouro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancoretas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5' e 10* era pipa : na ra do Vi-
8arlo n. 19, primeiro andar.
A t tenca o de todos.
Na roa da Cruz n. 13 tem para vender sempre
o seguinte : doces secco e de calda, jaleas, boli-
nbos, fructas, flores nataraes e artificiaos; tambem
recebe qoaesquer encommendas de todos estes ge-
eros e de plantas para embarque ou plantagoes.
Veodem-se barris de S com imel de furo
bom: para ver o tratar na roa do Vigario n. 29.
AtlHK&M!
na grande liqaidacao de fazendas c
ronpas feitas n cionaes na rna da
Imperatriz n. 72.
Os propriehrios deste estabelecimento estao re-
solvidos a liquidaren) por precos baratissimos para
apurar dinheiro, vejam :
Chitas francezas escurase claras a 260 ocovada
e 280 rs., ditas percahas 320 e 360, muito finas a
400, 440 e 500 rs. o covado: isto so na loja de
Guimaraes & rmao, ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cambraiao francezas, lindissimos pradoes a 280
rs. o covado e 320 e 360, organdys muito fina a
400 e 440 rs. o covado.
Est se acabando a pecbincba.
Laazinbas escocezas a 340 rs. o covado.
Lazinbas escocezas a 240 rs. o covado.
Lnazinhas escocezas a 240 rs. o covado.
Laazinhas muito finas a 360, 400 e 440 rs. o
covado.
Ditos de urna s cor a 480 e 500 rs. o covado :
teto s na loja de Guimaraes de Irmo, ra da Im-
peratriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de vestidos de barra a 35200 e 35500,
ditos de lia a Mara Pa a 55600 e 54500, peca
de breanha de rolo coro 10 varas a 35000, dita do
madapolSo francez infestado com 12 jardas a 35200,
3550O, 45000 e 4*500, ditas sem ser infesiado
com 24 jardas a 5, 55500, 65. 75, 75500, 8500(1
e IO50OO : isto s na loja de Guimaraes & Irmo,
roa da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de casemira de cores escuras a 25300 e
255OO; ditos de casemira preta a 25800, 35,35500
e 45; ditos de brim a 15*00, (5600 e 25.
E' baratissimo.
Peca de algodoslnho com 20 jardas a 35800,45
e 455OO; dita carne de vacca a 65 e 75; dita
marca T a 65500, 75500 e 8*000, affianca-se que
sao tem defeito algura : isto s na loja de Guima-
raes & Irmo, roa da Imperatriz n. 72.
Roupa feita
Roupa feita
Roupa feita
Grande sortimento de roupa feita que se vende ]
por pregos baratissimos para apurar dinheiro.
Xa nova loja de fazendas de Guimaraes
k Irmo.
Rna da Imperatriz n. 99,
ESHEAYOS PG'IcS.
ISO
aos capit&es de.campo.
Ausentou-se o escravo Manoel, que j foi escra-
vo do Sr. Joo Ferreira Tabosa, sensor do engenho
Vertente da comarca de Carnar, e deeota de seu
Gibo Joao Fe reir Tabosa Jnior, reudeiro do
engenho Rede de Santo Aoto, cujp escravo tem
os signaes seguintes : alto, pouca bafha, falto de
denles na frente, e o melhor signal ler os peitos
estufados para fra bem visir. I, e Ixvou ferro no
pescoc.0 : quem o pt'gar, leve-o a la estreita do
Rosario n. 5, que ser bem recompeusado.
Ao amanhecer do dia 26 de agosto fugiram
do engeOho Camaragit.e dous en;.vos rrioulos,
ambos carreiros, sendo um de ntmr Serr.eao, na-
tural do serlo d Ouiicury, alio e Lmi feiti>, cara
redonda, nao mbilo preto, e .'offie de urna hernia;
oouiro de come Nicolao, nascido co ruerno en-
genho, estatura ordinaria, ser co do corpo e robus-
to, na mesma occasifio desapparecersm 3 torres
do servido do eugeuho. de suppor que teDham si-
do levados por elles, on por aigun> que lhes ser-
vio de guia e seductor, porque Da ni le precedrn-
te a sahida des ditos fscravos foram titos dfus
homens em connnunlcacao rom o Perr.eao junto a
entrada do engenho : quem prendtr e trouxer di-
tos escravos ser recompensado
AUencao.
Fugto no dia 27 do corrnte mez de agosto, do
engeoho Frecheiras, fregufzia da Escada, o escra-
vo mualo acabocolado de nome G mado, idade 18
annos pouco mais ou menos, estatura alta, secco
do corpo, falla um pouco gago, arn una fistola no
rosto do lado direito, sarnas peln coipi>, levando
camisa branca um tanto compnda, cai^a de brim
branco com pintas encarnadas, cl.ajo de coro
com iba bastante grande e um tanto velho. Esse
escravo foi comprado pelo seu actual senhor Jos
Rodrigues de Sena Santos, nesta cidade. no dia 19
oVste mesmo mez, ao Sr. Francisco Gongalvts Li-
nhares, morador nos Milagres, provincia do Cear,
teodo vindo por trra ; e pertenria a prenles ou
pessoa de ametade do dito Linhares, qn' Ihe en-
iregaram para vender. Rogase s autoridades po-
liciaes, capiles de campo e petMM imiiiculares,
de apprehenderem dito escravo e diripirem se a
seu senhor no refi rido erigenlio, ou a' rna do Im-
perador n. 42, a Amonio Gomes da Cunha e Silva,
que se recompensara' bem.
Auseoiou se de casa no dia 23 deste moz a
escrava Ignacia, crioula, cor fula, denles lii: ados,
beicos grossos, estatura regular, cheia do corpo,
levou vestido encarnado, chale de laa preto velho
nos hombros, e mais alguma roupa de seu uso :
na ra da Penha n. 17 se gratificar.
Gratifico'de KWOOO."
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de
Janeiro do corrente anno, o seu e.-cravo de
nome Jos com os signaes segtiinies: ea-
bra escuro, cabello carapinlio, estatura bai-
xa, ebeio do corpo, ps largos e faz um gei-
to as pernas quando anda, muito pouco
barbado, e tem urna cicatriz bem vhdvel em
um lado do queixo, e outra bem grande
nasnadegas, proveniente de surta, cujo es-
cravo compramos junto c m outro ao Sr.
capitao Silvino Guilherme de Barros, e este
Sr. os bavia comprado ao Sr. Joo Cabral,
morador em Nazareth. Consta-ncs que este
escravo filho do Brejo da Madre de Deus
aonde casado e tem filhos, tendo-lbe mor-
rido ltimamente a mulher: prtanlo n ga-
mos a lodas as autoridades policiaes a sua
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car com a quantia de 100$ se o troucerem
seus senhores nesta praga, rna da Impera-
triz, refinac5o n. 46.
Luiz da Silva Ferreira C:
Desappareceu ha 15 dias de casa de sea se-
nhor urna preta de nagao Aogico, de nome Maria,
idade, pooco mais ou menos, 50 annos, altura re-
gular, tem urna dor prxima a munreca de um
dos bracos, que agarrando-se nelle, ella doe-se,
levou vestido de riscado branco com chuviscos re-
os, saia de algodaozinho, camisa da mesma fazen-
da : rogase a pessoa ou aotoridade que a pegar,
aconduzaa'ruade Santa Cecilia n. 18, que ahi
sera' gratificado generosamente. ___________
Aenco
1
Acham-se fgidos os escravos seguintes: Bento,
mulato, idade de 25 annos, cabellos annelados, sem
barba, denles um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descansada ; e Luiz,
crioulo.j nm pouco velho, altura regolar, muito
cabelludo, barba com algnns cabellos brancos, as-
sim cerno na cabeca, corpo reforcado, olhos un
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finrre se
ronco : pede-se as autoridades policiues e aos ca-
pules de campo qne os facam reprehender e con-
duzi-losa' casa de seu senhor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompensar,
e lhes pagar toda despeza que fizerem com a sua
condcelo : supp5e-se que elle? tero ido em se-
Snimento dos sertdes desta provincia, por seren
Ihos desses logares.
Est fgido o escravo Liberato, preto da
Costa, alto e magro, bracos e pernas Boas, cara
retalhada, sem denles na frente, olhos grandes e
vermelhos, tem os ps e mos cheios de cravos
boubaticos, traz o cabello junto das orelhas raspa-
do de poueos das, levou vestido calca branca sa-
ja, camisa de riscado, blusa de laa azal desbotada,
chapeo do Chili multo velho : quem o apprehea-
der e levar a casa de seu senhor na Passagem da
Magdalena, ser generosamente recompensado.
Vende-se carvao de pedra para ferreiro a.
125 a tonelada e 300 rs. a arroba : na ra do
Brum n. 76._____________________________
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplanudas: no sitio murado es-
querda, depois do beco do Espinbeiro, aos Ai-.
nietos.
Fugio no dia 18 do correle mea o preto cri-
oulo de nome Isidoro, de 30 annos pouco mais
ou menos, alto, rosto comprldo, suissa pouco fecha-
da, ps grandes e chatos, e costana andar de alpar-
gatas, levou camisa de algodo, calcas veihas a
rotas, cbapo de palba velho, e tambem um bonet,
carangoejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provavel que tenha ido para Serlnbem
ou Rio Formoso, onde j tem sido capturado por
vezes. Roga-se s autoridades e capitaes de campo
que apprebendam e o levem ao seu seuhor Joo
Cavalcanll Lamenha Lins, residente na Estrada
Nova,sitio de Jeronymo de Hollanda Cavaicanti de
Albuquerque, que se recompensar generesa-
mente.







Diarlo de Fernanbnco Safobado t de Hrtcmhro de ISO*.
_LJTIERA_TRA._
THEATKO DA GUERRA.
Doolrodeste titulo vainas comprender d'agora
por diaote Uiv, as uat cas que d* mais espago
A' esta hora de ve a Uraguayana estar em poder menos lembrarem-se que o general Canabarro o
dos Paraguayos!... mais empenhado era estorvar a marcha dos inva-
Os Paraguayos inendiaram a Estancia Velha de! Mre*' V,it0 como ser estancla teatro do
; Japej, que foi do finado Manoel Jas de Garvalho. j raba,e c*> Conforme digo, estas noticias nos sao dada? por i *"
! essas duas pessoas : nao podemos duvidar, porque! Alnda 1uando Inlmi nao aceeite o combate,
5 bell- hoJ" tud'' (levem ,s esperar. Canabarro, em sua
o estabelecimento do Ilustre general ser prova-
po>vi iftta Ugir con relafla as operaos uem- i "~~ "V"" -'""" """"" *T"~" velmente saqueado, se a passagem dos invasores
. ,. i,, .- L,M 0t, mni^ria Canabarro estivcsse em harmona com o Card-
a justa cunosiJade dos n>ssjs leiio.es em materia .
j unmeutosa, daoJo-lhe assim o qae*acha-se
da que se aproximara. Dizem que o Flores esta a
chegar depois de amanha a' Reslaurago com 5,000
homeus. Goyo Soares eslava passando em Pai-pas-
so cora 800. Sao noticias do camlnbo. Segando
parece lomara o carainho da Uruguayana ; iremos
ua sua frente.Teu irmo e amigo. -David Cana-
barro.
lpane, a i leguas do passo de Santa Maria, 20
de julbo de 1865.
Mea querido compadre. A ultima parte de boje
torio em letra mudada ao coronel Fernandes, que
acredita offlcialmente e declara ser noticia que Ibe
parece mais certa por conferir com oulra que ja'
leve. Eis o resumo do relatorio :
A diviso paraguaya ao mando de Schebarlb, le-
nente-coroael, que marchou ao passo de Santa Ma-
ra, compe-se :
Cavallaria........... 1,500
Infamara............ 3,200 (4 batalbes)
Ariilharia............ 400
Cavallaria bespanhola. 200
5,300
Em Gorpientes na margem do Uruguay
Infamara............ 1,600
Ariilharia........... 100
Cavallaria........... 600
Cavalhada e enfermos. 200
2,500
Total... 7,800
assim
esparso por muito? jumaos.
No Diario do Rio Grande vwii publicadas duas
cartas de Santa Auna do Livrame.ito, as quaes,
apezar de sere-ui de data airazada, vamos r-mrodu-
zir aqu, porque na actualidaJe tecm inlcresse
quaesquer pormenores relativos a' marcha dos in-
vasores.
Santa Auna do Livraraento 1." de agosto de
' ISo. No dia 18 de jullio passou a forga para-
naya o Ibieuhy para este lado, dividindo-se em
dOas divises : a primeira passou cima de Santa
iie Santa Maria, lateado urna pcala no malo, e a
outra no mesmo passo de Santa Mara, e l se va1
com direcgo a Uruguayana, tendo chegado a 28
na barra do arroio Touro-passo.
Foram prisioneiros um lenle e dous soldados
paraguayos qne viuham da forga que est do ou-
lro lado do Uruguay, mas que nu sendo vaquea
nos se foram espetar nie.-mo em nossas forga?,
sujpondo que eram as invasoras.
Diz o tal lenle que a for<;a paraguaya que es-
la nesta provincia de 5700 horneas, e que a do
otio lado do Uruguay regula 2,500 pergunlo eu
agora, ser ist) verdade TI...
Acaba de chegar o estafeta de Algrela notician-
do ter-se encorporado Goyo Soares ao Canabarro
rom 1,000 homens, e que era esperado do exercito
todos os das o general Flores.
Santa Anna, 3 de agosto de 186o. Hontem aqu
chegoa do exercito alliado o maj>r Molla, do cor-
po de Cogapava.
No dia 18 hava sahdo do exercito em direitura
a Uraguayana o general Flores com 4,000 a 5,000
bneos. Isio raesmo nos conrmam carias da di-
viso Ganuabarro, a quem Flores offlciou dizeodo
que vnha em marcha toreada, fazendo 5 e mais
leguas por dia, que -ua cavallaria marchan na
frente afim de carnear e fazer a comida para in-
diitiria, que quando chegava ja se achava promp-
ta. Cartas da diviso, por segunda via, courmam
ainJa a mesma noticia, accrescentando que o l-
ente Cyprano Ferreira, tendo chegado do exer-
cito alliado dava noticia de estar j Flores em Meri-
nhan, que no dia 30 a 31 devia estar na Restaura-
gao, e que (razia infamara hrasileira.
&>m elle ven o Fidelis comoiandando um hata-
iho de voluntarios italianos.
Os Paraguayos no dia 28 estavam passando no
Touro passo suas artiiharias. Canabarro na frente
a iros guarios de legua em sorcessivas e fortes
' guer ninas, as quaes apenas ha vamos perdido
um horuem.
Uruguayana est bem forlificada e prompla a
resistir, a gente que esi denlro acha-se muito
moi alisada.
Emfim resolveu-seo Canabarro a combinar com
o Caldwel : se os paraguayos lentarem sobre Uru-
guayana, este dever entrar all cora toda a ufan
laria, ficanlo o Canabarro com a cavallaria fra,
alim de os prem em dous fogos e tirarem-lhe
os recursos, isto no caso de anda all nao se
achar o general Flores, porque entao virao atca-
los fra.
Nada de desacorociarmns; hoje essa forga esla
infa'.livelmente p^rdia ; a qoefSo de tempn,
mais dias menos dias.
rur esles poucos das devemo; ter aqui iropor-
'antes noticias da Uruguayana, e pdp, como eu
von faxer, preparar fognetes para soltar ao annun-
-io que I he fizer da completa derrota dos bandi-
dos qoe nasarara pisar a briosa provincia do Rio-
Grande.
A 26 do passado um vaporzinho nosso qne cruza
em frente a Uruguayana, ao mando de um cunha-
do do Dr. Themoteo, rnetteo a pique dous lanchos
que desclam, nao sabemos se com gente ou vve-
res, a desembarcar deste lado. Esta noticia porm
vaga e carece de confii maguo.
Confirmara as folhas riograndenses a noticia de
terem os Paraguayos jasado no dia 20 o Ibieuhy,
em Sauta Maria, era numero de 7,000 homens, di-
zem uns, de 9,000 dizem oulros.
ADrroa o Echo Gabrielease que as proximida-
dades do mesmo passo exista urna forga nossa
forte de 7,000homens, lendo 4 batalhhoes de Infan
taria e 8 boceas de fogo, forga mais que sufDciente
para aniquilar os barbaros em sua passagem, at-
tendendo-se a qne do lado esquerdj do rio ha um:
intensa picada, onde se poderia com facilidade em-
boscar a nossa gente.
Este suecesso, accrescenta a referida folha, alle-
rou de tal raaneira os habitantes desta cidade
(Algrele), que hontem estavam todas as familias
com carretas promptas para emigrarem, quando
buje chegou nolicia que o general Flores com
5,000 homens se achava no Passo dos Lvres em
frente a Uruguayana, e que passava para essa vil-
la a encorporar-se s forga? do general Canabarro,
am de bater o Bimigo que, segundo se er, de-
ver ser completamente aniquilado. Esla noticia,
que verdica, fez socegar o terror de que se
apossou esta cidade, e nenhuraa familia al agora
emigrou.
O Diario do Rio Grande, basealo na seguinte
caria qne Ihe dirigiram de Santa Anna do Livra-
SMBto, aitribue divergencia que se nota existir
entre os generaes Caldwell e Canabarro, a passa-
gem impune do inimigo no Sania Mara :
Santa Anna do Livraraeoto, 29 de julho de 18C5
as ll horas da noite.
Ped ao... para em minha ausencia lhe reraet-
ter quakjuer noticia quo apparecesse, e elle disse-
me que assim o fez, mandando-lhe as que consta-
vam de cartas de Canabarro e seu secretario Ma-
noel Fernandes.
Agora a noite nos chegaram duas pessoas da di-
Tisao, a primeira havia deixado esla no dia 24 na
estancia do Japeju. e a segunda ja' em Touropasso
no dia 26, a tres ou qnatro leguas da Uruguayana,
em cujo lugar se davam fortes guerrilhas. A divi-
so marchava na frente.
Como ter visto das copias das cartas que o___
mandn, Canabarro e seu secretario dao os Para-
guayos em numero mu limitado, porm as doas
pessoas a que cima me reflro allirmam nao ser a
forga delles de menos de 9,000 homens. Essas mes-
mas pessoas explicara a razao da nao resistencia na
passagem : Caldwell acbava-se na frente de Cana- Deus 8aarae a V. Etc.JoSo Frederico Cal-
barro, conhecendo que o inimgo tentara a passa-1 ^V)t> tenente general graduado.Illm. e Etm. Sr.
gem mandn ao Canabarro por primeira, segunda brigadeiro Manoel Luiz Osorio, comraandante em
e tercelra vez que se approximasse para obsta-la \cnefe ao e"rcito em operag6es contra o Para-
pois nao linha gente para isso. E o que fez Cana- [ 6"av- '
barro? nao s nada responden como mesmo quando I ^mo sempre, as noticias da campanha sao con-
la se apresentou j o inimigo havia passado de to- tradictorias, quaodo se trata das nossas operagSes
do f e qaaolo la chegou raaudou sea ajudante de militares.
ordens dizer ao Caldwell que all eslava sua dis- j Ha urna vontade bem notavel de censurar o ge-
posigo, ao quo este responden que nao sendo pre- Beral Canabarro, a quem nao se perdda a mencr
eiso, poda retirar-se e fater o ooe Lhe parecesse. demora em atacar os Paraguayos.
O negocio esta' explicado ; Canabarro parece se fosse possivel duvidar da eoragem e do pa-
na querer cooperar para a gloria do oatro cnefe I! triotismo deste brasileiro, deveriam os censores a J
Com data de 12 de julho, o general Canabairo
offlciava presidencia :
Na minha divisao tenho um pessoal de 9,000 ho- renovou o governo o contrato desta companhia, pe-
COHPANHIA^BAHIANA.
Con permissao do governo e em raz5o de motivos
ponderosos que allegou, deixou esta companhia de
realisar do anno passado ama das viagens ao
sol.
No ultimo semestre do mesmo anno conduzlram
os vapores da linha do norle 828 passageiros de r
e 328 de convs, oblendo a receita de 51:806*517;
e os do sul 160 passageiros de r e 173 de convs,
perfazendo urna receila de 14:5425990.
Autorisado pela le de 10 de seterabro ultimo
raens sendo 5,000 homens neste ponto (Ibirocaby),
800 na Uruguayana, e o resto na frente do ini-
lo decreto n. 3,435 de 8 de abril do correte anno
nos mesraos termos em que o havia feto com a
Pn-nambucana.
Permitiio-se-lhe lambem substituir na linha do
sul a escala em Camam pelo porto da villa de
Coalas, e bem assim deixar de fazer por espago de
Eis as duas carias a que allude o corresponden-
te de Sania Anna do Livramento :
Junto Estancia Velha de Japej, 22 de julho de migo.
1865. Corlar-lhe a retirada era cerlamente o prlraeiro
Meu irraao e amigo Joo Martins. Von dar-ie o vantajoso passo.
as noiicias al agora recebidas. Agora chegoa am Dea-se.
tenente e dous soldados prisioneiros que vinham Falta agora que o inimigo, desconhecendo sua raas um anno urna viagem raeosal na mesma li-
do outro lado com coramuocag5e?,que s queriam perigosa posigao, nao reparasse o Uruguay. nha, com obrigagao, porm, de elevar a tres por
saber os do ouiro Udo do Uruguay dos que esta- A 1* brigada da 2' diviso eutrou neste campo mez as viagens ao porto de Aracaj no lempo da
vam passando em Santa Mara. O teneute pnsio- no dia 7 do crreme ; no dia 9, o Io e 5o de volun- safra,
oeru confirma nao haver aqui mais de 6,600 ho- tarios com o 23 de cavallaria.
meus e 2,100 do outro lado. Agora que se vai' O 3* corpo provisorio de cavallaria flea nesta
saliendo quautos sao os homeus que al agora lera diviso.
passado por 9,000, e que vera diminuindo a'med- ,,.,, .,,. A 1U
As carias de Bag com data de 31 de julho di-
zem que o batalho de voluntarios, que organisam
naquella cidade os Srs. capilo Tranquillj.no e l-
ente Nogueira, licava naquella dala com mais de
200 homens, e o corpo que o Sr. major Joo da
Silva Tavares eslava croando contava 250 volunta--
ros, que no dia 9 do correte deviara fazer sua
primeira reumo em Pirahy, e logo se pro em
marcha.
Por urna carta racebida dos Canudo?, datada de
10, consiava que a forga iuvasora fra derrotada
COMPANHIA DO PARNAHVBA.
E?leve suspeusa por algum lempo a navegagao,
em consecuencia do concert que teve de soffrer o
vapor que faz o servigo.
Acaba de ser encomraendado um novo vapor, no
valor de 45:000*.
Pende da approvago do poder legislativo o pro
Ljeclo que eleva ao dobro a subvengo de 24:000*,
que a companhia percebe.
COMPANHIA DO ALTO PARAGUAY.
Era dezembro do anno passado liadaram os pri-
melro cinco anuos do contrato celebrado com o go-
verno.
Era occasiio de fazer-se a revsao das respecli-
da o mirado deste lado de Santa Maria com 4,000 00 m 3 havedo de IorUDaaae. Mas 0 Dia. vas clausulas e a reduego da subvengo de 25:000*
homens hoje Oca junto no passo o general Cald-1 ri0 ^ Rio.Grande .oae ex.rabimos esta noticia, i que percebia Pr v,a8em-
well cora a 1 brigada da 2- divisao, e a 2- do co- I accreScenla que por ora nada mais pode d.zer para I AM**>. Prm, solicitago da companhia,
ronel Joao Antonio, 2,000 de cavallaria. Tem pas- no errar rescindi o governo o respeclivo contrato, por de-
sado at agora o exercito paraguayo invasor de S. 0 r. ,eaeQle Me0 va0Qa eacontrara s. M. 0 \ "eto de 12 daquelle mez, sob condigao de serem
Borja por 9, 10, 11,000 Homens; com sua estada Imperador e sua comitiva alora da Gachoeira, tres i real,sadas as 'l v'aes dl> quint anno. Dava-se,
emliaquy, descobr.c. um anonymo, e da' um rea- l8guas mais ou menos_ S. M. marenava a cavallo, ""*", a seli,na' quaodo' ^ overao do Ja-
guay foi aprisionado traigoeiramenle o vapor Mar-
com chapeo a voluntario da patria, e s acampava
no campo, em barraca.
Tambera encontrara o Sr.
Mello Vianna, o Sr. |
baro de Porto Alegre alora de S. Gabriel. S. Exc.
quez de Olinda, e assira flcou interrompida a nave-
gagao.
COMPANHIA BRASILEIRA
ia marchas forgadas reanir-se ao exercito que
deve commandar.
Os subditos allemes residentes na
Rio-Grande estavam organisando urna companhia
de artilheirosvoluntarios allemespara a qual
ja havia side nomeado, pela presidencia da pro-
vincia, capuo comraandante o Sr. Fernando
Schaeidar.
Esta companhia tem continuado a cumprlr sa-
tisfactoriamente as condiges do seu contrato, ape-
j sar de haverem sido alguns de seus paquetes des-
capital do viados das viagens ordinarias para transportaren!
A visita que S. M. I. fez colonia de S. Leopoldo
causou tanta sensago, que asseveram que um cor*
po de voluntarlos mais numeroso do que o da cap-
tal se forma naquella villa, sendo as suas (Reirs
! compostas de mogos guapos e bem dispostos.
O Sr. baro de Jacuhy achavase em Itaqui
frente de sua brigada qual se havia reunido mui-
Nao temos grande certeza, que com a vista ago- geDte da Cruz Alta, sendo toda bem armada e
ra se pode obter, mas ha probabilida de nao serem cneia de enthusiasmo e boa vontade.
14,000, como tinham irapingdo mesmo aos deseo-1 Urna correspondencia de Sania Mara diz qoe em
S. Borja morreram muitos Paraguayos fra de
Se assim for, temos, independente de auxilio, combate, por terem bebido Le-roy por vinho, e co-
que lamo custa vir, com que sovalos no atrvessar mido mercurio por assucar I
de Santa Mana a Uruguayanna. No da 4 do correnle chegou de Montevideo o
Nao preciza arriscar, hoje j carnearo s um vapor Presidente trazendo offlclos da ralssao espe-
gado manso que havia pela Costa, e o Trindade to- cial para a presidencia,
mou parte delle. A pa|avra urgencia, repelida na capa, fez com
O qne sera para diante ? qUt um vapor especial seguisse logo para a cap-
Vamos ver. Se porm houvor geito de .bate-Ios, tal levando os oflkios.
hao de se-lo : lal a disposigao do general nao ar- Nada tem transpirado a tal respeito ; suppoe-se
riscar. geralmenle que sao relativos conferencia que ha
Diziac expositor que elles iam contando-seem pouco os chefes do exercito alliado ti veram na Con-
perigo no alravessar, e soienie salvos quando ene- cordia.
garem a' Uruguayana, porque all esperam o exer- i
cito grande, que vem do Paran' fazer janego. Mas
o tal exercito grande paraguayo anda esla' no Em-
pedrado, e se vie-.-e achava a tranca do exercito
dos alliados que esta' no caminho. O plano falhou,
-i--*.
e esles aqu estao soznhor-, e ho de pagar as fa-
vns. Nao tenham em Sant'Anna o menor receio,
que elles nao se despregam da Uraguayana.
O Sr. tenente do 1 batalho de voluntarios da
UM POUCO DE TODO.
Do relatorio do ministerio da agricultura, rom-
mercio e obras publicas fazemos os segrales ex-
tractos com relagao a navegagao subveccionada:
COMPANHIA DO AMAZONAS.
O servigo incumbido a esta companhia custa...
patria Nuno de Mello Vianna, chegado ao Rio-Gran- 60:000jjO09 mentalmente, e feto cora regulan-
de do exercito em operagao, ministrara ao Echo do dade.
Sul algumas noticias do theatro da guerra. No segundo semestre do. anno passado, os vapo-
, .... res da primeira linha importaram cargas no valor
Us Paraguayos ficavara a ultima dala a 6 leguas j.mt.mmu _________j. tm;.n(iiiin .
....... de 8i7:775olz, e exportaram no de 19t>:993933 ;
de distancia de Uruguayana ; na frente tinham os 024.070a6i4
invasores o general Caldwell e sua gente que havia ,.' '
seguido para aquella povoagao alim de reunirse ao. J ^^-ZS^ ^^ T
genera. Flores, na retaguarda o coronel Fernn- ha ^ "*^^ T.L^" ^ ........
des com dous mil e tantos homens; e no flanco es- 76:,5G36. ltal 220:718240.
querdo as torgas de Canabarro em numero de 5,000; O valor total dos objectos transportados pelos,
homens, inclusive a brigada do coronel Valenga e seus vapores foi naquelle periodo de.........
o Io e 5o de voluntarios qna se Ihes havia incorpo- 1,244:788)884.
rado. O numero de passageiros que durante o anno
O Sr. baro de Jacuby com sua divisao seguia a passado' viaiaram Da pr,raelra linha fo de 868 e
reunir-se ao Sr. general Caldwell na Urngaayana.: Da segunda de 893't0,al 1'76L
tropa.
No intuito de fazer este servigo mais econmica-
mente resol veu o governo comprar os vapores
yapok, Princeza e Apa
Nao tendo, porm, chegado a um accordo com o
gerente da companhia sobre o prego da venda, re-
correu ao arbitramento, na forma da condigo 29*
do contrato de 2 de Janeiro de 1855, sendo filado
pelos arbitros o valor dos tres navios na quantia de
840:000*.
Tendo cessado os motivos que haviam interrom-
pido as. viagens que os vapores da linha do sul fa-
ziam at Montevideo, reslabeleceu-se este servigo
como era d'antes.
Altendendo a representagao desta companhia
concedeu-lhe o governo, por decreto de 9 de junho
do anno prximo passado, um novo praso de seis
mezes para comegar a realisar o pagamento da di-
vida de 252:000*000 que contrahio com o thesou-
ro em virtude da le n. 1,159 de 22 de agosto de
1802.
O reembolso desta divida j principioa em Ja-
neiro.
Km Ja no ultimo dia do anno de 1866 o praso do
contrato desta companhia.
Convm, pois, que seja o governo desde j auto-
risado a por em concurrencia este servigo. Pens
que deste modo se conseguir melhora-lo sensivel-
mente com menor oou para o thesouro.
COMPANHIA' DE NAVEGAQAO INTERMEDIARIA.
O contracto de 14 de maio do 1856 obrigou esta
companhia a fazer duas viagens raensaes Santa
Gathanna, tocando em Ubaluba, S. Sebaslio, San-
ios Iguape, Paranagu e S. Francisco.
Em 1863 requeren ella ao governo dividir a li-
nha em duas secges, e fazer quatro viagens por
mez, sendo duas al Paranagu com escala pelos
portos intermedios, e duas directamente quelle
porto, segurado oepois o vapor para S. Francisco e
Sania Gatharina. Este pedido foi deferido por avi-
so de 24 de novembro do referido anno.
causa da independencia do Brasil, sendo as letras *
praso de 4 mezes.
O conde insista pelo pagamento de jaros.
"!'
O Correio Mercantil publica o segnlnte :
Corre ba tres das o boato de ter desapparecido
o guarda-lvros da casa bancaria dos Srs. A. J. A.
Sonto e Comp., Benjamn Sara Diedirick
A' falta de informages exactas, que s com
lempo nos poderiam chegar ao coohecmento, abs-
tivemo-nos de noticiar semelhante aconteciraento.
Tendo agora presente um documento que explica
o facto, apressarao-nos em publica-lo :
Illm. e Exra. Sr.Participando a
mente em casa do cambista denunciado, onde, se.
gundo se diz 'publicamente, encontrn orna grande
somma de meul a notas. 0
Posteriormente foi eocarregado das diligencias o
jul do districto o Sr. Rosalera, o qnal ordenoa que
o dlobeiro e notas encontrados em casa do oorives
de prata fossera transferidos para a caixa do Ihe-
souro na qualidade de deposito.
Muitas pessoas das que se dedicam ao cambio
apresentaram.se cora soramas mais ou menos con-
sideraveis de notas falsas, e pelo.que dizem varias
pessoas, as notas procediam todas da casa do cam-
bista Estejo.
Ignoramos a verdades de algumas particularida-
V. Exc. que e3 que sobra 0 ,nesmo assumpto se tem referido
esta commissao nao pode, dentro ao lempo em que poicamente, porm o que parece certo que se
o tem fe.lo anteriormente, cumprir o dever legal de encontraram uns quarenta e Untos ou cincoenta
mil duros em notas falsas de mil reales.
Nao obstante, as que foram apresentadas as
ca xas do banco para a cobranga, e qae foram
selladas como falsas, sobem apenas ao numero de
trnla e ama.
Ouvimos tambera dizer que estas notas nao cir-
cularan! ha mais lempo do que desde ante-hontem
a ultima hora, e que na noute de hontem mesmo
se apresentou um individuo em casa do cambista
passar s suas mos o batanete relativo ao mez de
julho ultimo, para deraonstrago do estado da liqui-
dago a seu cargo, tera igualmente a levar ao co-
nhecunentodc V. Exc. que a causa de semelhante
falta, e do pezar hoje sentido pela commissao, o
inesperado desapparecimento e provada fuga do
guarda-lvros ao seu servigo Benjamn Sara (Mofle-
rick, e perda dos livros Diario e Borrador, que ser-
viam esenpturagao especial da liquidagao. os
quaes aquelle empregado deve ter subirhido, como da rua de Carreta, Sr. Casas, com 7:000 duros na
Ao Salto havia chegado a diligencia de Uru-
guayana.
As forgas paraguayas, que assolam a provincia
do Rio Grande, dirigiara-se para Uruguayana hos-
tilizadas fortemente pelo coronel Fernandes Lima e
o baro de Jacuhy, os quaes as immediagoes do
no Toro-Passos conseguiram lomar-lhes parle das
boladas que levavaro.
A' ultima data, 4, ficavara os Paraguayos a duas
leguas da povoagao e a guarnicao desta incorpo-
rada ao general Canabarro disputando-ihes o ter-
reno.
O vapor Uruguay, armado na Uruguayana com
duas pegas de 8 e guarnecido por urna tripolago
escolhida, havia trocado j alguns tiros com a forga
que os invasores tinham do outro lado do rio, no
Passo dos Llvres.
No Stglo encontramos a seguinte parte offlcial:
< Qoartel-general do commandanle interino de
armas na provincia de S. Pedro do Sol.Toaro-
Passos, 28 de jalho.Illm. e Exm. Sr.Accusando
recebidos os offlcios de V. Exc. de 22 do crreme.
COMPANHIA DO MARANIIAO.
Cora a chegada do vapor Gurupy ficou restabe-
lecida a navegagao da linha do norte, que fra in-
terrompida era razao da perda do Uajara.
Durante o primeiro semestre do anno passado,
esta erapreza leve oreudiracuto bruto dei88:4029284
e despendeu 128:355#557 restando-lhe o saldo de
60:0i6?717.
O dividendo que distribuio pelos accionistas foi
de 6* por aego.
; Autonsada pelo contrato celebrado com o gover-
no, pretendeu realisar duas viagens raensaes para
o sul, mas deixou de o fazer em virtude do aviso
de 6 de fevereiro do anno lindo, qae deelaroa nao
haver na lei do orgamenlo vigente fundos para o
pagamento da subvengo correspondente a segunda
viagem.
No decurso do anno passado,condoziram os vapo-
res da linha do sul 771 passageiros, os de Alcnta-
ra 1,510, os de .Mearan 563, os de Pindar 495 e os
de Itapicur 4,060.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
Espera esla empreza receber brevemente de In-
cumpre-me agradecer as importantes noticias que g|aierra 0 novo vapor lp0jUCa,
me transmute e comrauncar a V. Exc. ao mesmo j Subio a 4,377:182*021 o valor das cargas trans-
tempo que o inimigo acampon hontem na margem portadas nos seus vapores, alm de 1,131:019*472
d.reita do Touro-Passos, que supponho .linha in- de aiheir0 de particulares e I63:395j376 do go-
tengo de atravessar para dingir-se Uruguayana, verno
o que nao efifectuon em consequencia da chegada da I A rmila fo de 13S;035*295, alm das subven-
id divisao ligeira, que se achava na margem es- Qges gera| e provincial,
querda, e alm disso porque a esquadrilha que se 0 numero de passageiros foi de 4,105.
organisou na Uraguayana cortou-lhe a communi- Pela ,e de 10 de setemtro do anno passado fo.
cagao com as forgas que estao do outro lado do Uru- aut0rlsado o governo a innovar o contrato celebra-
guay, loraaodo-lhe um lancho e interceptando a j do cora esta companhia, dando-lhe a subvengo de
passagem de ootros. 84:000*000 annuaes, a contar da dala da approva-
Segundo hei podido observar, a forga inimiga 0O dos seQS u|tiraos e5tatutos (3 de setembro de
que aqu se acba nao pode exceder de 6,000 ho-!, S63 >
O decreto n. 3,324 de 23 de oulubro de 1864,
innovou o contrato de accordo com as disposigdes
daquella lei, reservndose o governo o direito de
marcar escalas, que devem fazer os vapores.
ASSOCIAQO SE 1101 PENSE.
A assembla legislativa da provincia reduzio a
6:000*000 a subvengo com qae dotara a compa-
nhia.
Em 1863 foi a sua receila de 80:906*253, ten-
do dado reboque a 149 navios com 25,206 tonel-
ladas.
Deve-lbe a provincia a quantla de 55:500* que
recusou pagar-lhe cora as acctfes que havia lomado
da mesma erapreza.
mens.
atis tarde, porm, vio-se a companhia na impos-
sibilidade de continuar a cumprir esta nova obri-
gagao sem augmento de subvengo, e solicitou fazer
o servigo na forma estipulada no seu contracto pri-
mitivo, isto duas viagens redondas por mez at
o porto de Santa Calharina.
Os motivos apresentados eram altendives. E
nao desejando o governo a ruina da companhia,
nem querendo tambera privar-so "de ter communi-
cagoes directas com a provincia do Paran, a qual
servida smenle por esta linha de paquetes, jal-
goa conveniente supprirair provisoriamente urna
das viagens mensaes a Paranagu cora escala pe'
los pontos intermedios. Deste modo attendeu-se s
conveniencias do servigo do estado, aos rateresses
do publico e s circunstancias da erapreza.
Reduzia-se tarabem na raesma eccasiao a tarifa
de passagens o fretes, e esTabeleceu-se abatimento
de 50 o/ no prego das passagens por conta do go-
verno, supprimindo as de estado. Esta deduego
de alguma importancia, porque os vapores desta
companhia fazera escalas pelos portos das provin-
cias para onde ha maior raoviraento de colonos por
conla do governo.
Ha vendo falla de transportes para a conduego
de tropa, fre;ou o governo a esta companhia os va-
pores Imperador e Imperatriz, pela quantia mensal
de 10:00O# cada ura, correado por coala do estado
as despezas do seu custeio.
COMPANHIA MACAHK E CAMPOS.
O servigo de que se-incumbio, e que consta de
urna vigem mensal enlre o porto desta cldaje e o
de Caravellas com escala pelos da Victoria e de S.
Jos de Porto-Alegre, e mais de urna linba fluvial
deste ultimo porto ao de Santa Clara no Mucury,
tem sido feto regularmente, mediante a subvengo
raeusal estipulada de 4:000* pela navegagao cos-
teira e 500* pela fluvial.
A receila, no decurso -do anno passado, foi de
35:293*098; e dentro desse periodo transportou
267 pessoas livres, 73 escravos, alm de 46 passa-
geiros do eslado.
Esta companhia acaba de encorporar-se do Es-
pirito Santo, o que garantir raelhor a regularida-
de do servigo contralado.
COMPANHIA DO ESPIRITO SANTO.
Segundo o uilirao balango, fechado em junho do
anno passado, a receila desta companhia foi de
148:816*590, incluida neste algarismo a subvengo
que recebe do Ibesouro nacional. Sua despeza or-
gou por 68:875*631; realisou, portanto, ura saldo
liquido de 79:940*957.
O decreto n. 3,463 de 29 de abril ultimo, appro-
vou os novos estatutos que devem reger esta com-
panhia depois da sua junego com a de Macah e
Campos.
deixa fra de duvida amulilidada dos esforgos em
pregados cora o fim de os descobrir.
A commissao era presenga do aconlecimeotojlo
momenloso nao tardou em dar delle noticia ao
Exm. Sr. chefe de polica desta corte, que zeloso
como sempre nos objectos do servigo poblico, en-
viou a esta casao seu Io delegado, e ento na nos-
sa presenga, depois de lomadas as declarages que
teve por conveniente,procodou abertura de um co-
fre e carteira, de qae se servia o guarda-lvros, com
o intuito tanto de procurar os livros, sumidos,como
qualquer indicio que porventura esclarecesse to
desagradavel acontecimento, porm todas essas
buscas foram sera resultad?, como S. Exc. ver, das
copias inclusas.
Nao lera, pois, a comrafcso ao presente dados
alguns por onde possa devidamenie apreciar o fac-
to exposto, era assigaar-lhe coosequencias ; mas
reca que o futuro deixe conhecer que sao de ca-
rcter grave, porque, e ocioso seria occulia-lo, o
empregado de que se trata mereca ao chefe da ea
sa em liquidagao confianga em subido grao, e a
commissao quaodo se installou, conservando-lhe o
lugar por elle oceupado, nao lhe retirou essa con-
fianza, que assim veio a ser tradicional; por con-
seguate, se elle delapidou e se comraetleu fraude,
porque a sua posico lhe dava raargem para tan-
to, como succede aos servidores a quera se cl f,
e V. Exc. bstanle esclarecido para avaliar que
sem auxiliares depositarios da confianga, nao pode
a commissao seguir no deserapeugo do seu en-
cargo.
Procurar definir todo o alcance deste malfadado
suecesso ser o incessante cuidado da commissao,
e para isso vai desde j promover a organisagode
novo, Diario, baseando-o no que constar do Livro-
Caixa que existe em poder do respectivo emprega-
do, procedendo-se ao mesmo tempo a confrontago
daquelle livro cora os balancetes remettids para o
juizo, na esperanga de colber qualquer esclarec
ment que apenas for obtido ser levado ao co-
nhecimento de V. Exc. e das autoridades poli
ciaes.
Deus guarde a V. Exc. muitos anuos. Escrip-
tono da commissao liquidante da massa fallida de
A. J. A. Souto e Comp., era 8 de agosto de 1865.
Illm. e Exm. Sr. conselheiro Dr. Fraucisco Jos
Furlado, dignissimo juiz da 1' vara commercial.
Os membrs da commissao, Guilherme Pinto de
Magalhes.Joo Nepomuceno de Sa'.Jos Pei-
xoto de Faria Azevedo.
O imperio de Austria oceupa urna superficie de
11:232 militas quadrados austracas, e segundo o
recenseamento de 1857, possue, sera contar o exer-
cito, urna populago de 34 milhes e raeio de habi-
tantes.
Actualmente avala-sea populago em 35,795:000
almas.
Afora a Suissa, a Austria o paz ma s acciden-
tado da Europa, porque tres quartas partes do seu
territorio sooccupadas com regioes montanbosas'
Tem 878 cidade 6:378 aldeiais.
Vienna tem mais de 500:000 habitantes, Pesth
mais de 200:000, Praga 150:000 e Veneza...
120:000.
Ha dez cidades que teera mais de 50:000 habi.
untes cada urna, e quioze com mais de 25:000.
Urna correspondencia de Aoste publicada pelo
Diritto, de Tunm, falla de um novo apparelho le-
legraphico inventado pelo Sr. Monsettl.
Por meo d'este apparelho, o sora transrailtido
disiinctaraente a (odas as distancias iraaginaveis.
Dous negociantes estabelecido?, um em Calcuta,
oatro em Londres, podera tratar um negocio do vi-
va voz como se estivessem defronte am outro do
mesmo gabinete.
mesma especie de papel, e que o cambista se reca-
sara a troca-las em coosequendas e de lhe nao
parecerem boas.
A autoridade contina procedendo a averigaa-
g5es, e o ourives de prata da roa do Atbocha foj
conduzido 'cadeia.
Mr. Laoglais, conselheiro de estado do impera-
dor Napoleo, foi como sabido, escripturado pelo
imperador do Mxico para organisar a fazenda da-
quelle imperio, pois bem o dito conselheiro vai ga-
nhar o seguinte :
Para despezas de viagem, francos 50,000.
Por 3 annos que ha de exercer as suas elevadas
funegoes, ditos 100,000.
Pelo seu regresso a Franca, ditos 200,000.
Alm disto con=ervar o sea encargo e ordenado
de conselheiro de eslado em Fraoga.
Mr. Laoglais foi escripturado para ministro das
Guangas do Mxico.
Isto um progresso liberal, quando ser imitado
por Portugal 7
A ilha da Liberdade, era frente a Montevideo,
que eslava oceupada pela estago naval italiana em
virtude de um contrato celebrado pela administra-
do do partido blanco fra devolvida ao governo
oriental pelo italiano.
Occupara-a a capitana do porto de Montevideo
no dia 10.
Em Franga publicou-se ltimamente ura realo,
no das despezas e perdas occasionadas pela guerra
da Crimea.
Nos viole e dous mezes que darou morreram
93:613 francezes, 22:812 inglezes, 2:194 piemeute-
zes, aproximadamente 35:000 turcos e 630.006
russos.
Total 784:991 soldados.
A guerra custou mais de tres milhes de milhes
dej cruzados.
No Diario da Sicilia, folha de Palermo, l-s-e o
seguinte :
Na praga de Sant'Anna, onde se estao fazendo-
trabalhos de lerraplenamento, acaba de descobrir
se urna enorme quantidade de ossos humanos.
Essas ossadas eslo exactamente entre o quariel
da guarda nacional e a esquina do palacio Valgua-
ruela.
Nao estavam fechados em sepulcros, mas juntos
como em um caroeiro.
Esta circurastancia confirma a tradigao que de-
signa este mesmo sitio como valla mortuaria de to-
dos os francezes qne suecumbirara em Palermo na
famosa revolugo das Vesperas.
Esta tradigao ser de hoje em diaote urna certe-
za, porque junio s ossadas estava a columna com
urna cruz, que a historia diz que foi levantada so-
bre o tmulo dos francezes nessa poca das Vee-
peras.
A respeito das notas falsas do banco de Hespa-
nha, que lem apparecido em Madrid, a Correspon-
dencia de Hespantia, de 23 de julho, diz o se-
grate :
Hontem foram apresentadas, para serem troca-
das, as caixas do banco de Hespanha, algumas
notas de rail reales, que depreasa se cooheceu se-
ren falsas.
Retidos os portadores das notas, declararam qae
as liohaui recebido em troca de moeda em casa do
cambista que ha na rua do Atbocha, era frente do
ministerio do fomento, na luja de prata do Sr. L-
pez Es tejo.
Tendo-se dado ceohecimeoto do facto ao juiz de
primeira iusiaucia, este apreseniou-se ioamediala-
menle era casa do cambista denunciado, onde, se-
gundo se diz publicamente, eocontrou urna grande
somma de metal e notas.
Posteriormente foi encarregado das diligencias
o juiz do districto o Sr. Rosalera, o qual ordenou
que o draheiro e notas encontrados em casa do ou-
rives de prata fossein transferidos para a caixa do
thesouro na qualidade de depotito.
alunas pessoas das que se dedicara ao cambio
apresentarara-se com sommas raas ou menos con-
sideraves de notas falsas, e pelo que dizem varias
pessoas, as notas procediam lodas de casa do cam-
bista Estejo.
Ignoramos a verdade de algumas particularida-
des que sobre o mesmo assumpto se tem referido
publicamente, porm o que parece certo que se
encontraran) uns quarenta e lautos ou cincoenta
mil duros em notas falsas de rail reales.
Nao obstante, as que foram apresentadas as
caixas do banco para a cobranga, e que foram sel-
ladas como falsas, sobem apenas ao numero de
trinta e urna.
Ouvimos lambem dizer que estas notas nao cir-
cularam ha mais tempo do que desde ante hontem
ultima hora, e que na noite de hontem mesmo se
apresentou ura individu era casa do cambista da
rua de Carreta, Sr. Casas, com 7:000 daros na
mesma especie de papel, e que o cambista se re-
cusara a troca-las era consequencia de Ibe nao pa-
recerem boas.
A autoridade contina procedendo a averigua-
ges, e o ourives de prata da rua do Atbocha fot
conduzido a cadeia.
O European Times publica:
O governo brasileiro pagou ao conde Dundonald
importancia de sua reclamagao pelos servigos
prestados por seu pai o marquez de Maranhao
A respeito das notas falsas do banco de Hespa
nha, qne tem apparecido em Madrid, a Correspon-
dencia de Hespanha, diz o seguinte :
Hontem foram apresentadas, para serem troca-
das, as caixas do banco de Hespanha, algumas
notas de mil reales, que depressa se cooheceu se"
rem falsas.
Retidos os portadores das notas, declararam qae
as tinham recebido em troca de moeda em casa do
cambista que ha na rua do Athoeha, em frente do
ministerio do fomento, na loja de prata do Sr. Lo-
pez Estejo.
Tendo-se dado conhecimenlo do (acto ao juiz de
primeira instancia, este apresentou-se immedi na-
O Ecco del Commercio escreve :
Segundo referem algnes passageiros chegados
de Santa F, o dictador Lpez fez no dia 16 um
passeio pelas ras de Corrientes, frente das for-
ras que lera nos arredores dessa cidade.
E' curiosa a descripgao que faz ama testemuntia
ocular do trajo que levava o Oso Solano, que era o
seguinte :
Grande casaca bordada, igual qoe usa as
feslas a corte de Napoleo III; caiga de casemira
branca com franja de ouro, botas a granadeiro,
com borlas de seda e esporas de ouro muito cur-
tas, trazeado no peito a gra-cruz da ordem do
mrito, condecoragio que s tinham os offlciaes e
ministros da guerra e relagoes exteriores, que
lambem acompaohavara o grande raarechal.
Como o chapeo elstico o incommodasse alguma
coosa, o raarechal Lpez o Uroo, movimento este
que sendo notado pelo seu estado-maior o repeti-
rn!, julgando que tal era a vontade de seu se-
nhor.
Apezar de pooco acostumados que estao os geno
raes e chefes paraguayos a carregar esses unifor-
mes, nao Ihes faziam muito mo effeto, porm
era muito ridiculo ver um exercito cujo chefe e
offlciaes superiores vestiram-se como as nagoes
mais cultas, emquaoto que os soldados estavam
descalgos.
O Courrier de ristre, conta o seguinte :
Um rapaz de doze annos, querendo chegar a
um ninbo de passaros que estava no fondo de um
buraco de arvore, sentiu quebrar o ramo em que
se tinha firmado, e de repente flcou dependurado
pela mo.
Nao podendo desprender o brago e nio estando
em sitio d'onde podesse alguem ouvir-lhe os gri-
tos, teve a raracoragera de tirar do bolso com a
outra mito a sua poda e de cortar a mao pelo pa-
nno.
Cahiu ao p da arvore e ainda teve forga para
ir al casa de seo pai, onde lhe foram dados os
primeiros soccorros.
De casa foi transportado o infeliz ao hospicio de
Grenoble.
PERNAMBUCb.- T>JP. DE M. F. DE F. 4FIUIO
'





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETL0LI3HS_BLXPYD INGEST_TIME 2013-08-27T20:21:20Z PACKAGE AA00011611_10758
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES