Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10757


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.


AMO ILl JfPMEBO 200
Por qnartel pago dentro de 10 das do i,mez : i
dem depos dos i."' 10 das do comecoe dentro do qnartel. .
e&Vite* v~>
Porte ao correio por tres Mezes
5|000
6J000
750
SEXTA FEIRA 1 DE SETEMBRO DE 1865.
ror anno pago dentro de 10 das do 1. mez 191000
Porte ae correio por uu anno.........., 3$000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex>ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques ria Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigue; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Futios ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claodino Falco Uias; Rahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacos da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as.segundas e sextasfeiras.
Sanio Anio, Gravat. Becerros,Bonito,Caruar,
Alliuhn, Garanhuns, Raique, S. Rento. Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaran!, as trras
(feiras.
Pibd'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, AgaaPreta e Pimenteiras,as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados as 10 horas.
Patead! : qointas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tarjas e sextas ao meio
lia.
Segunda vara do clvel: quar as e sabbades a 1
bora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
5 Loa cheia as -II b., 32 m. e! 16 s. da m
1! Quarto ming. as 2 h., :t7 m. e2 s. da m.
19 La nova as 8 h., 26 m. e 10 s. da t.
28 "Quarto cresc. aos 27 m. e 10 s. da m.
DAS DA SEMANA.
28. Segunda. S. Agostinho h. e dont. da egr.
29. Terca. S. Adolpho b.; S. Sabina v. m.
30. Quarta. S. Roca de Luna v. americana.
31. Qniuta. S. Raymuudo Neonato ;:ard.
1. Sexia. S. Egydio ab.; Ss. Gedeao e Josu.
2. Sabbado. S. Brocado e. ;S. Diomedes m
3. Domingo. S. Eufemia v. S. Arlslbeo b. ro.
PREAMAR DE IIOJE.
Prlmeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ni at Alagoas a 14 e 30; para o noru
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, malo,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, Da livraria da praga da independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figneiroa.de
Faria & Filbo.
que mande alista-lo na companhia de aprendizes
desse arsenal, se estiver as condigois do respec-
tivo regulaineuto.
Dito ao Dr. jota de direito da pnmeira vara des-
ta cidade.Determinando o Exm. Sr. ministro da
Mastica em aviso circular de 26 de julho prximo
Codo, que os ofQciaes encarregados do registro ge-
ral das hypothecas inJemaisem a reparligao cjm
Offlcio ao marechal de campo coramandante das ptente da Importancia do rusto dos livros para o
6GVERM 9A PROVINCIA.
Expediente do dia 2S de agosto de 1865.
armas.Para os fins convenientes, fago a presentar
a V. Exc. 6 guardas nacionaes do batalhao n. 10 do
municipio de Olinda, constantes da relagao junta,
os quaes loram designados para o servigo da
guerra. *
Dito ao raesmoRemetto a V. Exc. a inclusa
relagao dos voluntarios apresentados pelo tenente
coronel Joo Paulo Ferreira, afim de que V. Exc.
os mande inspeccionar e alistar no corpo, que
aguelle tenente coronel est eocarregado de orga-1
nisar.
Dito ao mesmo.Informe V. Exc. sobre o que
pede Antonio Cesar Marinho Falco, no incluso
requerimento.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. inspeccionar e
assentar praga com destino ao corpo de voluntarios
da patria, que se esta organizando na provincia da
Parahyba, ao acadomico do 4" anno Luiz Ferreira
Maciel Pinaeiro, que ficar al segunda ordem,
addido ao 3o corpo de voluntarios desta pro-
vincia.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. assentar praga
com destino ao batalhao de voluntarios da patria
n. 30, o cidadao Flix Pessoa da Gama, que se
offereceu para servir na guerra, podendo V. Exc.
mesmo registro foroecidos, na conformidade do ar-
tigo 18 do decreto n. 3453 de 26 de abril ultimo,
e pelo modo seguinte: pelos livros da primeira
classe por urna s vez; pelos da segunda dita em
duas nrestagdes iguaes, e finalmente em tres pelos
da terceira e ultima classe, pagamentos estes que
devem ser realizados uo decurso do actual anno fi-
! nanceiro de 1865 a 1866 : assim o communlco a
Vine, alim de que o offlcial incumbido d'aquelle
servigo nesta comarca, satisfaga a quantia de.....
444&000 constante da conta junta por copia.
Circular a todos os juizes de direito.Determi-
nando o Exm. Sr. ministro da justiga, em aviso
circular de 26 de julho prximo lindo, que os ofQ-
ciaes encarregados do registro geral das hypothe-
cas indemnisem a reparligao competente da impor-
tancia do custo dos livros, que para o mesmo re
gistro Ibes forem foroecidos, na conformidade do
artigo 18 do decreto n. 3453 de 26 de abril ulti-
mo, e pelo modo seguinte: pelos livros da pri-
meita classe por urna s vez; pelos da segunda
dita em duas prestagdes iguaes, e linalmente em
tres pelos da terceira e ultima classe, pagamentos
estes que devem ser realisados no decurso do ac-
tual auno lioanceiro de 1865 a 1866 : assim o
conceder-lbe permisso para usar da insignia de 2' commuuico a Vmc, afim de que o ollkial incum
cadete \ bido d'aquelle servigo nessa comarca, cumpra o
Dito ao mesmo.Expega V. Exc. as suas ordens dispo>to no aviso cima citado,
para que sejam logo inspeccionados os guardas uito a cmara municipal de Garanhuns.lotei-
que forem apresentados pelo major coramandante rado do que expoe a cmara municipal da villa de
do Io batalhao da guarda nacional destinado ao Garanhuns em sua informago de 13 de julho fio-
servigo da guerra. do, cun referencia a representagao do seu secre-
Dito ao mesmo.Expega V. Exc. as suas ordens tino, Je5uino Correia de Mello Brasil, e que por
para que urna guarda faga as honras do estylo ao' copia acompanhou os" offlcios desta presidencia de
Exm Dr. Antonio Borges L-ial Casiello Branco, que1 15 de maio e 2 de julho ultimo, recommendo a
segu para a Europa no paquete francez que se mesma camar?, que aitendendo ao que allega o
espera do sul. i supplicante, mande pagar o que estiver a dever-
Dito ao mesmo.-Mande V. Exc. alistar na cora Ihe dos seusordenados,
panhia de zuavos a Manoel Francisco da Silva, que Dito ao ..uperioiendeote da estrada de ferro.
se offereceu para servir na guerra contra a repu Expeca o Sr. superiuteudeule da estrada de ferro
felica do Paraguay. s convenientes ordens, para que em qualquer das
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar insoec- estagoes da mesma estrada se d passe de terceira
cionar o guarda do 3a batalhao de infamar a deste
municipio Joaquira Orestes de Albuquerque Mou-
ra.
Dito ao mesmo.-Mande V. Exc. alistar na com-
panhia de zuavos os paisanos Geraldo Moureira da
Silva, e Joao Olto de Lacerda, que se offereceram
para servir na guerra contra a repblica do Pa-
raguay
classe a pessoa que o solicitar cora guia passada,
pelo tenente-coronel da guarda nacional de Se-
rinhem, Mariano Xavier Caineiro da Cunta.
Comraunicou-so ao eogenheiro fiscal da mesma es-
trada.
Dito a commisso nomeada para dar o seu pare-
cer acerca das obras feitas na igreja matriz da fre-
guezia da Boa-Vista. Para o din conveniente re-
Dito ao mesmo.Faga V. Exc. alistar na corona- metto a commisso nomeada para dar o seu pare-
nhia de zuavos a Francisco Carlos de Mello, Firmi1 cer acerca das obras feitas na igreja matriz da fre-
no Jos Antonio, e Joo Manoel da Silva, que se guezia da Boa-Visia. o requerimento documentado !
offereceram para servir na lula contra a repblica que me ser devolvido, no qual a irmaniade do
do Paraguay. ; Saotissimo Sacramento d'aquella freguezia pedia a
Dito ao inspector da tnesouraria de fazenda.In- entrega dos productos das loteras extrahidas na
forme V. S. sobre o que proproe o general com-: corte a favor da predita matriz,
mandante das armas no trecho do seu offlcio de 2o Portara.O presidente da provincia, resolve au-
do corrente, sob n. 1,413, ansiante da copia
junta.
Dito ao mesmo.-De conformidade com oque
solicitou o chefe da polica em offlcio de 26 do
corrente, sob n. 1,249, junto por copia, recommen-
do a V. S. que mande papar ao cabo Joo Mendes
da Cosa, a quantia de 475250, em que importaram
as diarias abonadas aos rerrutas Joo de Deus
torisar o cidadao Ivo Antonio d'Araujo Larangeira
Leite, a promover o alistamento le voluntario* da
patria, e recomineuda a todas a- autoridades que .
o auxiliem no desempenho dessa commisso.
Dita.O presidente da provincia, resolve auto-j
risar a Manoel de Araujo Alves da Fonceca, a pro-
mover o alisiamento de voluntarios da patria no
termo do Bonito, e recommenda s autoridades lo
Meirelles, Mathias Jos Tavares, Antonio Bispo Fio-; caes que llie faciiitem o desempenho dessa commis
rentino, Andr Jos de Sanl'Anna, Francisco de sao.
Souza Lima, Antonio da Silva Barros, que diz cha-
marse Antonio Francisco Martins, Honorato Jos
da Silva, Francisco Martinho de Meirelles, e Jos
Dias da Cosa, os qaaes vio contemplados as duas
inclusas n lago:s, que vieram do termo de Papa-
caga e tiverara os destinos indicados no predilo
officio.
Dito ao cnsul de Portugal. Com os avisos de
28 e 30 de margo do corrente anno, expedidos pelo
ministerio da justica constante das copias juntas,
satisfago a consulta a que se refere o Sr. cnsul de
Portugal em offlcio de 22 do corrente, que assim
tica respondido.
Renov ao Sr. cnsul de Portugal as seguranzas
de minha distincta considerago.
Dito ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Queira V. S. mandar dispensar do
destacamento para que foi avisado o guarda da 2'
companhia do 1 batalhao de artilharia deste mu-
nicipio Antonio Moreira da Silva Locas, que se
acha incumbido de fazer cresrido numero de mar-
mitas para o arsenal de guerra, segundo decla-
rou-me o respectivo director em offlcio de 26 do
corrente.Coramunicou-se ao director do arsenal
de guerra.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que man-
de substituir por uniros os guardas constantes da
relago junta os quaes achaudo-se aquaMellados
as Cinco-Pontas, offereceram-se para marchar
para o sul como voluntario- da patria.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dispensar do ser-
vico da guarda nacional em quanto estiver servin-
do o lugar de inspector no quarteiro dos torroes
da freguezia da Varzea o guarda do 4 batalhao de
infamara Manoel Joaquim da Silva Rocha.
Dito ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo. -A vista da sua informago n. 33 de 7
do corrente, resolv despensar do servigo de desta-
camento para que estava designado o guarda Joa-
quim Jos de Sanl'Anna, a que allude a mesma
informago: o que declaro a V. S. para seu couhe-
cimento e expedigo das convenientes ordens.
Dito ao eommandante superior da guarda naci
nal de Oiinda e Iguarass.A vista da sua infor-
Dila.O presidente da provincia, autorisa a Joa-j
quim Correia Lima, a promover o alistamento de '
voluntarios da patria, e recommenda as autorida-
des a quera esta fr apresentada que o auxl-.
Iiem.
Dita.O presdeme da provincia, conformando-
se cora a proposta apresentada pelo tenente-coro-1
nel eommandante do batalhao de artilharia do mu-;
meipio do Recife, sobre que Informan o respectivo.
eommandante superior em offlcio n. 260 de 23 do
corrente, resolve promover a segundo tenente da
segunda companhia do mesmo batalhao, o sargen- j
to ajudante Andr Xavier Vianna.Communicou- j
se ao coramandante superior da guarda nacional .
do Recife.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vista
o que requereu o segundo escripturario da ihe-
souraria de fazenda Ulysses Pernambucano de
Mello, e bem assim o que'a'esse respeilo informou
o respectivo inspector, resolve prorogar por 30 dias,'
cora vencimenlos na forma da lei, a licenga que
ihe foi concedida para tratar de sua sade.
espaebos do dia 28 de agosto de 1863.
Requerimentos.
Antonio Americo. Informe o Sr. Dr. chefe de
polica.
Antonio dos Santos Falco. Passe portara con-
cedendo liceoga de vinte dias com venciraen-
tos.
Anna Isabel da Costa Accioli. -Seja dispensado
o fllho da supplicante.
Agostinho Ermito da Cunha. Indeferido em
vista da informago.
Eduardo Henrique James Fox. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Francisco Joo da Purificago. Informe o Sr.
capite do porto.
Geraldo Moreira da Silva. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Ignez Maria dos Anjos.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Jos Angelo do Sacrament) Pinto. Assignado
volte quereodo.
Jos Rufino da Silva. Informe o Sr. Dr. chefe
mago de 26 de julho ultimo, e dos documeutos com 00jj.ja
que Anna Isabel de Castro Accioli, instruio o seu v ^ Sal-Anna._Indeferido a vista
requerimento, resolv despensar do servigo de des- d Q?ormago do eommandante superior de 7 do
tacamento para que estava designado o guarda do orrnle
9 batalhao de infamara do municipio de Olinda,
Benedicto Augu-to Accioli Lobo, fllho da supplican-
Jos Manoel Severino.Assignado e datado volte
M (* < i> I' I '* I
,, oque comraunic/. a V. S. para seu conhecimen- ^^evandre da Silva.-Informe o Sr. capito
to e afim de que faga designar outro guarda em
substituigo aquel le.
Dito ao commaadante superior da guarda nacio-
nal de Garanhuns.Remello inclusos os requeri-
mentos em que os guardas do batalhao n. 28 de
infantaria Joo Francisco de Soma, Jost Leonardo
Pimentei, Manoel dos Santos da Silva, e do muir i
po do Bora-Conselbo, Manoel Luiz do Nasciraento
pedem ser despeosados do servigo de destacamen-
do porto.
Manoel Gomes de S >uza Beltro.Informe o Sr.
capito do porto.
Manoel Antonio do Carmo Bandeira. Depos
de ser aquartellado requeira o supplicante a isen-
go que allega.
Manoel Luiz da Conceico Albuquerque. Re-
queira o supplicante que se tiver aquartellado.
Pedro Ferreira dos Santos. informe o Sr. di-
to, para que esto des.gnados afim de que V. S. Ibes de Terra
delira como ffrr jus.o hiendo logo substitu los por "^edro Rodrtjue MoL-Inorroe o Sr. d.rec
outros guardas no caso de ser verdadeiro oque ,or do arsena|8ae gaerra.
allegara. ajor seDastio Antonio do Reg Barros.Diri-
Dito ao eommandante do corpo de Policia.-Man- Jr lhesouraria provincial,
de V.. S. alistar no corpo sob seu aromando sefor g j5o Gompes a Rocha. Aa^e,,^ pri-
lulgado apto para .sso ero inspecgao de:saude.o meirameDle 0 suppiCaDte para ser depois attendi-
paisano Havio Jos dos Santos e Silva, que seoffe- T*"* .,. d. SK-
receu para servir em dito corpo. d0 corao ror ae JUS"5_ 29 _
Dito ao mesmo.-D V. S. baixa ao 2 sargento ___
do corpo sob seu coromando Manoel Martins d'AI- Offlcio ao raarecbal de campo eommandante das
buquerque, vislo qoe segundo o seu offlcio n. 773, armas.-Remetto incluso o requerimento de Vle-
se acha impossibkltado de continuar no servigo por na Maria Baptista, afim de que V.Exc. se sirya de
sotlrer molestia incuravel. informar com o que Ihe constar ilativamente ao
Dito ao mesmo. Mande V. S. alistar no corpo embarque dos Albos da supplicante para o sul como
sob seu coromando o paisano Jos Antonio da Sil- soldados.
va, que segundo o seu offlcio n. 776, desta data foi Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
lulgado apto para isso, em inspecgo de sade. alistar na companhia de zuavos a Manoel da As-
Dito ao mesmo. Mande V. S. alistar no corpo sumpeo da Boa-Morte.
sob seu commando, o paisano Quintliano Antonio Dito ao mesmo.-Sirva-se V. Exc. de mandar
Gomes, que foi migado apto para isso em Inspec- alistar como voluntarios da patria, a Simplicio Jos
cao de sade, segundo V. S. declaroa em seu offl- de Soaza Barros, Antonio Manoel da Costa, Numa
iTo n 773 de 26 do corrente. Ferreira de Magalhaes, Jos Leandro Lardoso e
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Fago Francisco Tavares Correia, o primeirc com destino
presentar a V. S. o meoor Joo Baptista, para ao 3 corpo e os demais ao 5*.
Dito ao mesmo. Para maior facilidade do ex-
pediente lenho resolvido que o corpo do volunla-
! nos sob o commando do coronel Francisco Joaquim
Pereira Lobo tenha a numeragao de 3o, 9 do major
Jos Rodrigues de Moraes a de 4o e o do tenente-
coronel Joo Paulo Ferreira o de 5'.
O que declaro a V. Exc. para seo conhecimento
e direegao.
Dito ao mesmo Haja V.Exc de informar acer-
ca do que pede no incluso requerimenlo o 2o sar-
gento da 2" companhia de voluntarios, Jos Janua-
rlo de Farias.
Dito ao mesmo.Providencie V. Exc. para que
I sejam logo vaccinados lodos os voluotarios e guar-
| das nacionaes que ja' se acharo aquartelados, e os
, que se forem recolhendo aos quarteis.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar acer-
ca do que pede no incluso requerimento, o guarda
do batalhao n. 22 de infamara do municipio do
Limoeiro, Canuto Alves da Silva.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S., em vista do pret junio em duplcata,
e nao havendo inconveniente, pagar ao 2o sargento
j Manoel Francisco de Mendonga, coaorme sonci-
tou o eommandante superior interino da comarca
do Bonito, em offlcio de 21 do corrente, a quantia
de 50760, em que imporlam os vencimento? de
urna escolla de guardas nacionaes que veio de Be-
zerros conduzindo para esta capital os recrutas
Jos Francisco da Silva, Manoel do Saerameu'.o,
Antonio Jos" Franga e Justino Jos Cordeiro, dos
quaes os dous prlmeiios foram destinados para o
servigo do exercito e os outros dous acham-se re-
colhidos a casa de detengo para provar isengao do
recrutamento, segundo consta de informago do
chefe de polica, datado de honlem, n. 1,263.
Coramunicou-se ao coramandante superior da guar-
da nacional do Bonito.
Dito ao mesmo.-Em vista do pret junto em du-
plcata, e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar com urgencia ao cabo Joo Mendes da Costa,
conforme solicitou o chefe de polica no offlcio
tambera junto por copia, datado de 26 do correnle,
e sob n. 1,248, a quantia de 1365300, em que im-
portaram os vpncimentos de urna escolta de guar-
das nacionaes que conduzo do termo de Papacaga
para esta capilal os recrutas Mathias Jos Tavares,
Joo de Deus de Meirelles, Francisco Martinho de
Meirelles, Antonio Bispo Florentino, Andr Jos de
Santa Anna, Francisco de Souza Lima, Antonio da
Silva Barros, que diz chamarse Antonio Francisco
Martins, Honorato Jos da Silva o Jos Dias da
Costa, bem como o desertor Pedro Ferreira Lima,
os quaes tiveram os destinos indicados no predilo
offlcio. Communcou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas oulens
para que em vista do prel junto em duplcata, e
nao havendo inconveniente seja paga ao sargento
Duviao Jos de Carvalho, conforme solicitou o che?
fe de poliria em offlcio de hontem, sob n 1,262, a
quantia de 675480 rs., em que importaram os ven-
cimenlos de urna escolta de guardas nacionaes que
conduzio de Goianna para esta capilal os recrutas
Manoel da Penha de Franca, Jos Cyrillo Ribeiro de
Mello, Alexandre Manoel Loureiro, Pedro Jos Joa-
quim, Antonio Ferreira da Costa, Joao Joaquim de
Jess, Firmo Thootonin vigario, Fortunato Jos de
Mello, Jos Rodrigues de Lima, Manoel Carneirn
de Freitas e Robe to Francisco da Silva, bem co-
mo o desertor Manoel Gomes de Oliveira, ou Ma-
noel Lourengo de Oliveira, dos quaes os dous prl-
meiros foram destinados ao servigo da armada e
os de roais remedidos ao eommandante das armas
para o do exercito.
Dito ao mesmo.Respondeudo ao otlieio que V.
S. me dirigi honlem, sob n. 625, tenho a dizer,
que pode mandar pagar sob minha responsabilidad
de, visto nao liaver crdito para esse lim a quan-
tia de 215 de que trata o seu citado offlcio prove-
niente de elapes abonadas pelo delegado de Papa-
caga no exercicio de 1864 a 1863 em liqu dagao
aos quairo recrutas constantes da relago a que se
refere o offlcio da presidencia de 7 de marco des-
te anno.
Diioao mesmo.Tendo-me declarado o manda-
dor da offlcina de carpntero do arsenal de mari-
nha que se acha "lisindo no 5 corpo de volunta-
rios da patria, e que faz opgo pelo seus vencimen-
tos de empregado naquelle arsenal, como Ihe per-
mitte a lei n. 1,246 de 28 de junho deste anno no
art. 4o, assim o communico a V. S. para os fins
convenientes.Fizeram-se as necessarias commu-
nicagoes.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Constando de officio do chefe da reparligao das
obras publicas, datado de hontem e sob n. 277, que
o conductor eocarregado da estrada do norte orde-
nara ao arrematante dos reparos da ponte do Bu-
jary Manoel Magro, a collocago de mais duas va-
ras em subsiituigo das que foram encontradas ar-
ruinadas, importando esse accrescimo de despeza
em 405 ; assim o communico a V. S. para seu co-
nhecimento e fim conveniente.
Dito ao mesmo.Mediante fianga idnea, mande
V. S. entregar ao vigaro da freguezia do Cabo, pa-
dre Jos Luiz Pereira de Queiroz, o cont de ris
votado no art. 15 5o da lei do orgaraento vigen-
te para as obras da igreja matriz daquella fregue-
zia, visto nao haver inconveniente nessa entrega,
segundo consta de sua informago de 24 do corren-
te, sob n. 329.
Dito ao baro de Utinga.Accuso a recepgo do
offlcio era que V. S. coramunlcou ler reassumido o
exercicio do cargo de eommandante superior da
guarda nacional dessa comarca no dia 28 do cor-
rete.
Dilo ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Expega V. S. as suas ordens para
que o destacamento qus a guarda nacional sob seu
commando superior presta para a fortaleza do
Bruin, sseja composto de 2 offlciaes, 3 sargentos, 6
cabos de esquadra, 60 guardas e um tambor, sendo
essa torga permanente na mesma fortaleza afim de
ser instruida nss exercicios de artilharia.Cora-
municou-se ao eommandante das armas.
Dilo ao mesmo.-Mande V. S. elevar a 25 pragas
a guarda diaria destinada a casa de detengo.
Dito ao eommandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo.Em resposta ao offlcio de V. S. n.
56 de 24 do corrente, recommendo Ine que remeta-
me cora urgencia a relagao dos guardas nacionaes
designados para o servigo da guerra pelos com-
mandantes dos corpos.
Dilo ao coramandante superior interino da guar-
da nacional do Bonito. Declaro a V S. em respos-
ta ao seu offlcio de 20 do crrente que os guardas
pertencentes a arma decavallaria nao esto Uentos
do servigo de corpos destacados.
Dito ao tenente-coronel Mariano Xavier Carneiro
da Cunha.Sciente da patritica deliberago que
segundo o seu officio de 25 do corrente tomn V,
S. de marchar para o theatro da guerra a frente de
maior numero de pragas do seu batalhao qne poder
reunir, cabe-me dizer-lbe qne o governo, aceitando
lo espontanea e elevada prova de abnegagao e pa-
triotismo, digno de louvor, a lomar na devida con-
siderago os servigos que V. S. prestar as aciuaes
circomstancias, e que deve esperar do seu zelo e
dedicago a causa do paiz.
Dito ao tenente-coronel Luiz Paulino de Hol lau-
da Valenga, eommandante do batalhao n. 50 de S.
liento.Corlo de quanto me declara era seu offlcio
de 16 do corrente, tenho a dizer-lhe que muito lou-
vo os seus sentimentos patriticos, e cont com a
sua valiosa coadjuvago na acqmslgao e remessa
do maior numero possivel de voluntarios da patria
e do coDtiogeDte de guardas nacionaes que coube
dar o seu batalhao.
Dito ao director das obras militares.Recom-
mendo a V. S. que mande fazer no quartel da So-
ledade, os conciertos de que precika o ladrilho de al-
guns dos alojamenlos das companhlas, o alicoree
ou calgada da frente do mesmo quartel, e outros
pequeos reparos que veriliijuei na visita que all
fiz ltimamente, devendo V. S. apresenlar me pre-
viamente o neeessario orgamento.
Ditoao director do arsenal de guerra. Concedo
a aulorisago que V. S. solicito em seu offlcio de
hoaleni, n. 373, para mandar fazer 2,500 de cada
un.do? artigos seguales : raocbillascom correias,
caitis, marmitas e bornae% alim de poderse oc-
cqjrr as requisigoes dos differentes corpos.
Dito ao inspector do arsenal de marinha Re-
, mella V. S. para a capilal do Cear na primeira
opportuoidade a serem entreguis ao Exm. presi-
; denle daquella provincia os objcfclos que mandou
: comprar para o telegrapho da lorre da Assuropgo,
licando V. S. certo de que nesta dala, solicito pro-
, videncias para ser papa a Joaquim Alves da Silva
! Santos a Importancia dos referidos objectos.
i Fica assim respondido o seu offlcio n 951.Of-
ficiouse nesle sentido ao Exm. presidente da pro-
vincia do Ceara*.
Dilo ao eommandante do corpo de polica.Man-
de V. S. alistar no corpo sob o seu commando, o
paisano Luiz Pereira da Gesta, que segundo o seu
offlcio desia data, foi julgado apto para isso.
Dito ao chefe da reparligao das obras publicas
Pode Vmc, conforme indica em seu offlcio de 26do
correte, sob n. 275, mandar fazer por empreitada
os leparos de que precisa a bomba n. 1 do 4o lango
da estrada da ramificago do Cabo, os quaes cons-
laoi do orgamenlo, que na importancia de 3525000
veio annexo ao seu cilado offlcio que tica assim I
respondido.Communicou se a thesouraria provin-!
cial.
Dito ao mesmo.Tomando em considerago o
que Vmc. expoz em seu offlcio de hontem, sob n.'
276, o auloriso a contratar com o arrematante, dos!
reparos geraes da ponte de Goianna Jos Francisco'
do Paula Cavalcante de Albuquerque e nos termos
do mesmo offlcio a substiiuigao de diversas pegas,
daquella ponte, que se achara em mnito mao estado
nao foram comprehendidas no primitivo contrato
e constam do orgamento qoe na importancia de
800j000, veio annexo ao seu citado offlcio, a que
respondo.Curomunicou-se a thesouraria provin
eiaL
Dito ae mesmo.-Fico inteirado de quanto Vmc. |
me parlicipou em offlcio de hontem, sob n. 277, re-
laiivamente a suhstiiuigao de mais duas varas da
ponte do Bujary e em resposta lenho a dizer que
dei sciencia dessa oceurrencia a thesouraria pro-
vincial para o fim conveniente.
Dito ao mesmo.-Declaro a Vmc, para seu co-
uheciraenlo e tira conveniente, que oesla data ap-
provei a arremalago dos reparos da estrada e em-
barreamento entre o marco de 8,000 bragas e a
barreira da ponte dos Carvalhos, a qual segundo
consla do offlcio de inspector da thesouraria pro-
vincial de 24 do corrente e sob n. 330 foi effectua-
daperanle aquella thesouraria, sendo arrematante
Joo Cnj/Mosteroo de Oliveira que offereceu o abate
de 12 0|0 no prego do respectivo orgamento e deu
por fiador o proprietario .Estevao Jos Paes Bar-
reto.Communicou-se a thesouraria provincial.
Dilo ao juiz municipal de -am Anto.Man-
de! abrir assentamento de praga como voluntario
da patria ao cidadao Simplicio Jos de Souza Ra-
mos, a que se refere o seu offlcio de 27 do corren-
te, a que respondo, recommendando-lhe que conli
nue a promover a acquisigo do maior numero
poivel de voluntarios.
Dito ao cooselho de compras do arsenal de guer-;
ra.--Autonso o conselho de compras do arsenal i
de guerra a comprar para forneriment do presi-1
dio de Fernando os objectos mencionados no in-
cluso pedido. Communicou-se a" thesouraria de
fazenda.
Dilo ao superintendenle da estrada de ferro.
Recommendo ao Sr. superintendente da estrada
de ferro a expedigo das convenientes ordens,
para que se d passes de lerceira classe aos solda-
dos dos corpos da guarda nacional da Escada des-
tinados ao contingente que tem de seguir para o
sul, e que se apresentirem com guia de seus com
mandantes.Communicou-se ao engenheiro fiscal
da mesma estrada.
Dilo ao subdelegado supplente dos Afogados Ma-
noel Pereira Camello Pessoa.Dei o conveniente
destino ao voluntario da patria Rama Ferreira de
Mahalhes. a que allude Vmc. em seu offlcio des-
la dala, e cont que continuara' a promover a
acquisigo do maior numero possivel de volun-
tarios.
Portarla.O presidente da provincia resolve
autorisar o capito Gongalo Teixeira de Carvalho
a promover o alistamento de voluntarios para o
corpo de polica, e recommenda s autoridades a
quera esta fr apresentada, que o auxilien). -Igual
aulorisago foi concedida ao alferes Joo Francisco
Cavalcanti.
Dita.O presidente da provincia resolve auto-
risar a Juviniano Fernandes da Silva Manta a
promover o alistamento de voluntarios da patria, e
recommenda as autoridades a quem esta for apre-
sentada que o auxiliem nesta commisso.
- 29
ORDEM DO DA N. 104.
Havendo a presidencia em offlcio datado de hon-
tem resolvido, que os voluntarios da patria, homens
prelos, destinados a companhia denominada zuavos
liquera provisoriamente sob o commando do Sr.
tenente commandanle interino da companhia de
artifiees desia provincia Honorio Domingues do
Menezes Doria ; o marechal de campo eomman-
dante das armas assim faz publico e determina,
que o mesmo Sr. 2o tenente receba do cidadao Jus-
tiniano Manoel de Barcellos, os voluotarios zuavos
que se acham sob sua direegao, ceno de que toda
a escripiurago desta companhia ser feita a parte.
Tambera resolveu a presidencia na|referida dacu,
que o Sr. capito do 8 balalho de iufantaria da
guarda nacional desie municipio Joo Luiz Ribeiro
de Parias que se offereceu para marchar cora o i
batalhao da guarda nacional destinado ao servig
da guerra, fique addido a este batalhao em algu-
ma das companhias, cujo capito nao se tenha
apresentado, devendo ser considerado em diligen-
cia no 2o corpo da cuarda nacional, emquanto so
achar incumbido de promover voluntarios entre os
guardas do seu batalhao : nesia indiligencia o Sr.
major eommandante interino do 1 batalhao dar
cumprimento a essa deliberago superior.
O mesmo marechal declara, que approvou o en-
gajamento que a 26 do corrente contrahio para
servir por mais seis annos, nos termos da lei n.
1,220 de 20 de julho do anno preximo passado, o
cabo de esquadra da companhia de cavallaria des-
ta provincia Joo Pereira dos Sanios, conforme
parlicipou o respectivo Sr. eommandante interino
em offlcio n. 21.
(Assignado.)Francisco Sergio de Oliveira.
Est conforme. atate Francisco miarte, i'
lenente-ajudante de ordens interino eocarregado do
detalhe.
tmhonha tmham sido eucravadas cora pregos or-
dinarios, e foram com facilidade desencravadas.
Estas pecas eslo collocadas as formidaveis bate-
ras que o engenheiro Brugnes construio com mu-
ros feitos com saceos de areia e de urna grossura
_ extraordinaria.
t As bateras que se acham hoje no Paran,
espera da esquadra brasileira sao :
I t Pnmeira.-Na ponta de Mercedes, artilharia
de bronze de calibre 12 a 48, 38 pegas, sendo 8
raiadas.
; c Segunda.-No rinco de Lagrana, 12 pegas
raiadas de calibre 16 a 60.
t Terceira. Na ponta de Santa Catharina, tres
pegas raiadas de 60 a 80.
Quarta. No Riachuelo acham-se 60 pegas,
sendo grande numero raiadas; ha tambera all um
forno para caldear as balas ocas.
' Os soldad js de iufantaria sao municiados com
60 cartuchos, alm da bayoneta e punhal ; os de
cavallaria, irazem langa, espada e bolas ; ou ca-
. vinas, espada e bolas.
O Echo do Sul,
o seguate :
a Sua Mageslade o Imperador houve por per-
doar ao capito Julio Rocheforle, offlcial da genle
do general Flores, que no principio darevolugo
oriental seduzira a' desergo alguns soldados bra-
| sileiros, a pena de 4 anoos de pnso, que se acha-
, va cumprindo na cadeia da capilal.
c Este mogo linha sido conduzido para a cadeia
de Porio-Alegre, quando alguns presos tentarara
arrombar a desta cidade.
jornal do Rio Grande, publica
DIARIO DE PEMAMBUCO.
COMMANDO DS ARMAS.
Quartel general do commando das armas de Per-
nambuco na cidade do Recife, 28 de agosto de
1865.
ORDEM DO DIA N. 103.
O marechal de campo eommandante das armas
em virtude de ordens da presidencia, communica-
das em oficios de 24 e 26 do corrente datados de-
termina :
1.* Qoe a companhia de artfices desla provin-
cia seja reorganisada a contar do dia Io de setem-
bro prximo vindouro sobo commando interino do
Sr. 2o tenente Honorio Domingos de Menezes Do-
ria, que regressou da corle a disposicflo de S. Exc.
o Sr. conselheiro presidente dosta provincia, ser-
viodo de casco a mesma companhia todas as pra-
gas que deixaram de embarcar para a c&rte, in-
clusive as destacadas no presidio de Fernando. O
Sr. capito eocarregado do deposito desligando
taes pragas no referido dia, as mandar entregar
com guia de soccorrimento ao mencionado Sr. 2
tenente Doria a quem tambera entregar ura in-
ventario de todos os artigos de fardamento, arma-
mento, equipamento e mais objectos, nao s a car-
go das pragas de que se trata, como das que ficam
no auartel da Soledade, pertencentes a essa com-
panhia.
2." Que os Sr,s. lenentes reformados do exercito
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos e Francisco de
Paulo Sa Peixoto, fiquem oesta data encorporados
ao citado deposito para nelle fazerem o servigo que
Ihe competir.
3." Que na manhaa do dia 2 do vindouro mez de
setembro se pass revita de mosira nos seus res-
pectivos quarteis aos corpos seguintes :
As 6 1|2 horas a companhia de zuavos ; as 6 3,4
a de cavallaria -, as 7 ao batalhao da guarda na-
cional destacada para o servigo da guerra; as 7 1|2
ao deposito ; e as 8 ao 3 corpo de voluntarios da
patria.
O mesmo marechal declara que e Sr. tenente-
coronel da guarda nacional Joao Paulo Ferreira,
esta comeado por portara da presidencia de 23 do
corrente para organlsar e commaodar o 4 corpo
de voluntarios da patria, que lera o seu quartel as
Cinco Ponas.
(Assignado.) -Francisco Sergio de Oliveira.
Esta conforme.Antonio Francisco Duarte, 2*
tenente-ajudante d ordens interino encarregado
do detalhe.
O vapor Galijo, vindo hontem dos portes do sul,
nada adiaolou s n luas que nos trouxe o vapor
Navarre, e que hontem publicamos.
Na nova revista, que passamos aos joroaes da
curte colhemos o seguinte :
1." Directora geral.t.* secgo.Rio de Ja-
neiro.Ministerio dos negocios da guerra em 6 de
agosto de 1865.
t Illm. e Exm. Sr.Auloriso a V. Exc, a divi-
dir em dous, ou mais dir trelos militares, essa pro-
vincia, escolhendo para cada districto um offlcial
que seja eocarregado :
t. De recrutar, quando as autoridades incum-
bidas do recrulamento nao o fizerem com zelo e
aclividade. .
2. De receber e fazer marchar para a capilal
da provincia os voluntarios, e contingentes da guar
(la nacional.
t 3 o De promover o alistamento dos meamos
voluntarios de conformidade com os uliimos decre-
tos do governo.
c V. Exc. ai Mirar aos referidos offlciaes os
vencimenlos que as circunstancias aconselharem,
e permittirem as leis em vigor e dar-lhes-ba todas
as instrucgdes que lendam a desenvolver o pensa
ment cuja execugo Ihe recommendo.
Dens guarde a V. ExcJos Antonio saraiva.
Sr. presidente da provincia de___
i Expedio-se s presidencias das provincincias
do Rio de Janeiro, Minas, S. Paulo, Amazonas, Pa-
ra, Maranhao, Cear, Rio Grande do Norte, Para-
hiba, Pernambuco, Alagoas, Sergype e Bahia.
Cartas recebidas de Uberaba noticiam ter all
chegado no dia 17 do passado o Sr. coronel Drago,
e a 18 a forca que segu em sua companhia, a
quai constava de 400 e lanas pragas.
< Coutinuava acampada no Cachimbo a brigada
comrnandada pelo Sr. coronel Galvo, forte de 1,20c1
pragas.
A populaco mostrava-se satisfeta com o pro-
cedimento tanto da officialidade como da solda-
desca.
Acham-se actualmente fundeadas no nosso
porlo as seguinles embarcagoes de guerra estran-
ge i ras :
t loglezas.Nao Egmonl, fragata a vapor Nar-
assus, com o paviliio de almirante Elliot, corve
tas a vapor Scout, Muttne e Sharpshooter, vapor
Tritn e canhoneira Cleaner ;
t Francezas. Fragata a vapor Astre, com o pa-
Iho do almirante Chaigoeau, e canhoneira La Mo-
tile Piquet ;
Americanas. Vapores WaeAusse/fs e Mo-
hongo ;
t Portugueza.Corveta a vapor Bartholomeo
Das ;
a Hespanhola.Corveta Nina.
Um lamentavel desastre occorreu a bordo do
vapor Paran, quando em procura do nosso porto
passava pela altura dos Abrolhos. Dorma sobre
urna taboa por cima da machina um guarda na-
cional do Mar3nbao, e s 2 horas da madrugada,
tendo cahido, soffreu grande presso na caixa to-
raxica alm de um profundo golpe na testa, o que
tudo occasiouou-lhe a raorle 6 horas depois, apezar
dos soccorros prestados pelo Dr. Torqoato Reg,
medico da brigada do Maranhao, cojo primeiro con-
tingente hontem chegou
Foi recolhido a casa de detengo o irlandez Geor-
ge Roberts, marinheiro da barca americana Amelia
Gehring, por ter, durante a viagem de Baltimore
para o nosso porto, assassioado com tres facadas o
segundo piloto do referido navio.
Sera brevemente remettido para os Estados-Uni-
dos afim de ser julgado.
< L-se na Tribuna de Montevideo :
t O pratico correntino Bernardino, cujo nome
multo conbecido de nossos leitores por sua heroica
conducta no combate de 11 de junho e o qoe Ibe
valeu o litlo de primeiro vraltc da esquadra bra-
sileira, recebeu tambem um presente de 500 ongas
de ouro.
t Recebeu mais durante a sua vida, como pre-
mio sold de tenente coronel.
< Noticiando o saque dado pelos paraguoyos na
invaso do Itaqui, refere o seguinte o Siglio de
Montevideo :
Entre oulras casas estrangeiras as que mais
soffreram sao as de Manoel Fernandes, hespaobol ;
Jos Oliveira, portuguez : Pablo Bigal, hespanhol;
e vice-consul argentino ; Francisco Magalhaes, por-
tuguez ; Moura & C, hespanhol -, Lacroiv, fran
cez.
t Esje ultimo tivera a precaugo de embarcar-
se com a maior parte de seus baveres, porra an-
da em casa Ihe haviara lirado muitos.
< Urna correspondencia anonyma de El-Pueblo,
de Buenos-Ayres, da' a seguale noticia, do nume-
ro de baleras e de pegas que possuem os para-
guayos :
t O Standard, na parle que deu do combate na
val, enganou-se quando disse que a esquadra e ba
terias paraguayas s linham 50 pegas. A verdade
esta, bem demonstrada :
c O Taquary tinha 6 pegas, o Igurey 2 rodizlos,
o Paraguary 2 ditos, o Salto i pegas, o Ptrabebe 1
dita, o Jejuy 2, o Marqusz de Olinda 2, e as cin
co chatas urna pega cada urna, total 23. A bate-
ra do Riachuelo tinha 58, e dei tas 11 foram des
montadas.
t As pegas que os paraguayos tiraran do Jequy
Reuniram-se hontera (16) em assembla geral
i extraordinaria, os accionistas do banco do Brasil,
sob a presidencia do Sr. Dr. Vieira Bueno.
Achavam-se presentes 372 accionistas repre-
sentando 454340 aegoes.
Declarou o presidente que o fira da reunio
era discutir as propostas aposentadas na olliraa
sessao, e que nao se achando a assembla geral
constituida com o numero de acg5es equivalentes
a nm lergo do capital realisado, nao se podena
tratar das que versassem sobre a reforma dos es-
tatutos.
Dando-se urna discusso de ordem sobre a
inscripgao de accionistas, resolveu-se qoe se con-
vidassem os que anda se nao linham inscripto a
faz-le na mesa.
Inscreveram-se mais cinco accionistas repre-
sentando 682 arroes.
Foram apresentadas as propostas seguintes :
i De conformidade com o artigo 28 do regula-
menio interno, requeiro que todas as propostas
, apresentadas para a reforma dos estatutos do ban-
co, e as demais que neste sentido forera offerecidas
na presente sessao, bera como todos os trabadnos
em diversas datas iniciados sobre o mesmo objec-
to, vo a urna commisso de cinco merobros no-
! meada pela assembla geral, para a respeilo delles
ioterpor o seu parecer, e depois de um acarado
exame formular e submetter a' mesma assembla
urna proposta ou projecto de reforma, que bem
consulte a solidez do estabelecimento, a regalari-
dade de suas operagoes, as necessidades do com-
mercio e da mxima garanta na circulago fidu-
ciaria bancaria e os legfiimos nteresses dos accio-
nistas.Francisco Carlos Brando.
t Prop nho que a commisso que se nomeiar
seja tambem incumbida de examinar a marcha da
adminisiragao do banco depois da crise bancaria,
.ss'gnalando os erros que por ventura se lenham
dado, e proponho as medidas convenientes para
repara-los e evtalos no futuro. -V. J. Lisnoa.
Proponho que a commisso igualmente trate
de inquerir e publicar o passivo das casas banca-
ras fallidas em setembro de 1864, vislo que nada
se tem publicado, e bem assim as composigoes e
concordatas que se tem realisado. Alexandre
Red.
Contnuou hontem (17) a sessao da assembla
geral extraordinaria dos accionistas do Banco do
Brasil.
t Procedendo-se a apuragao dos votos para
membros da commisso encarregada de exami-
nar a marcha da adminisirago do Banco, depois
da crise bancaria, sahiram eleitos os Srs. :
Dr. Francisco Carlos Brando .... 483 votos
Conselheiro Bernardo Ribeiro de Car-
valho ..............432 ditos
Senador Jos Ildefonso de Souza Ramos 336 ditos
Conselheiro Joaquim Pereira de Faria 31C ditos
Commendador Jos Carlos Mayriok. 267 ditos
O Sr. presidente declarou que, nao se tendo
reunido casa para ser discutida a proposta ante-
riormente apresentada relativa s porcentagens,
convocar-se-hia oulra reunio, como determiDam
os estatutos, para se tratar dessa proposta.
Os Srs. Dr. Manoel de Oliveira Fausto, Ber-
nardo Casimiro de Freitas e senador Theopbio Be-
nedicto Olloni demilliram-se da commisso fiscal
-Jo Banco do Brasil.
t Coosta-oos que a resignagao desses cava-
Ibeiros teve por motivo a emenda proposta pelo
Sr. desembargador Venancio Jos Lisboa e vola-
da na assembla geral do mesmo banco em 16 do
corrente.
Est convocada ama reunio extraordinaria
dos accionistas para o dia
nova commisso fiscal.
30, afim de se eleger
PERNAMRUCO.
REVISTA DIARIA.
Funccionou hontem o Instituto Archeologico e
Geographico Pernambucano sob a presidencia do
Exm. raoosenhor Muniz Tavares, e com asslstencla
dos Srs. Drs. Joaquim Portella, Aprlgio Guimares,
Soares de Azevedo, Nascimento Feilosa, Wiiruvo
Pialo Baadeira, Seraphico e Amaro Joaquim, pa-
dre mestre Linoe major Salvador.
O Sr. secretario perpetuo da conla do seguinte :
Varios nmeros do Diario de Pernambuco, coo-
tinuago da offerta de Sr. commendador Figueiroa.
Recebidos com agrado, mandase archivar.
Varios nnmeros do peridico Semana, offerecidos
pela respectiva redaego.Recebidos com agrado
manda-se archivar.
Um volume dos Harpejos da Mocidade. off-reci-
do pelo respectivo autor o Sr. Aotooio de Souza
Piolo.Recebido com agrado, manda se archivar.
Tendo de ser recebido o socio effeclivo nova-
mente approvado, Dr. Ayres de Albuquerque Ga-
ma, o Exm. presidente nomeia para a respectiva
commisso os Srs. Dr. Soares Rrando e padre
mestre Lioo ; os quaes introduzem no recinto
aquella seuhor. O Sr. Dr. Ayres Gama dirige ama
allocucao em agradeclmeoio, a que responde o
orador, Dr. Nascimento Feitosa.
Em seguida apresentada urna lythographia en-
catxiihada do arco do Bom Jess, offerta do Sr.
Candido Alves Machado.-Recebida com agrado
raanda-se archivar. '
O Sr. Dr. Soares Brando, relatando ,m, ,,_,
* a uuia com-
misso especial, faz a leitura do sp'.un(e parecer
que mandado publicar pa;4 etrar na ordem
dos trabalbos :
* commisso rmeada ., dar parecer S0Dre
a mdicagao do 6r maot salvador Henrtque de
Albuquero'^ na qual propde o asslgnalamento do
lugar ,n qUe existi outr'ora nesta cidade o arco
ai isom Jess das Portas, considerando qoe na
reaiidade conveniente para bem f: : -ar o tbea-
v.

iM cn\/ri


- "
\.M
}
Dlarl de Pernambtico Sexta lelra i de ftcicmbr de SA*.
i-
r" ~ rt-',- i m.
tro de acooteclmentos memorareis da historia 4*
provincia, e saber-te em qualquer terapo onde
listio aquello arco, porta, e portaato (imilla que
fui da cldade pelo lado do norte, de parecer que
seja realisada a idea apresenUda pelo referido so-
cio, tanto mais porquanto nao ser de grande costo
tal assignalamento,que na oplmo da commissao
basta que seja feito por urna simples lapida.
< Sala das sesses do Instituto Arcbeologice e
Geographico de Pernambuco, em 17 de agosto de
1865.Soares Brandao.Witrucio Pinto Blinda-
ra.
O Sr. Dr. Witruvio Pinto Bandeira, relatando a
commissao da adraisso de socios, faz a leitura de
um parecer varias propostas apresentadas; a
qual entrando para ordem dos trabalhos, posto a
votago, sendo apprcvados socios correspondentes
os Srs. Dr. Francisco Machado Portella, Rvd. viga
o resto de Iho, e publicada no Jornal do Ctmmercto de Porto I Soa Magemade aceitou-os, prometiendo ao par. cidade, aonde appareceu logo coice velho era todos
que segu: Iquecompensu-ia o patriotismo e abnegago de qae I aquolies que anda nao tem papeleta da juiz do
commercio, nem precisara pintar o rosto )ara irem
vesiir-se a cusa propria, applicando
seus ganhos sua familia.
< Exig ruis dos inarciueiro?, carpinas e fer- E' verdade que~os paraguayos passaram inco-1 dava provi.
reiros, que fosse gratuito lodo o servico de conser- Inmes o passo de Ibicuhy, em Santa Maria, mas' c Como estes, consta-nos que se tem dado mu-
.vacao e reparos de que ueceasitasse o estabeleel- por estrategia de nossos geoeraes Canavarro e Cal- tos oulros actos de louvavel patriotismo e de amor
dwell, de combinacao com o general Flores, que ao nosso monarcha.
sao
ment.
Igual obrigagao tem todos os presos que
alimentados e vestidos a cusa da provincia.
f Autes os servicos e por elle prestados, ainda
mesrao os de simples acceio dasceflulas eram gra-
tificados pelos cofres pblicos.
Os bons resultados desle systema tem sido bem
patentes.
< As despeas que at 1861 se faziam com o as-
seio, conservacao, e repararos do edificio, que mon-
tavam annualmenle em contos de res, Acarara re-
duzidos a cifro.
Omesmo succedeu com s dspotas de extraor-
rio Manoel mancio das Dores Chaves, Manoel de diarlas das enfermaras, e outras miudas.
Carvalbo Paes de Andrade, Luiz da Costa Porte-
Carreiro e Manoel Carneiro de Souza Laeerda.
O Sr. Dr. Nascimento Feitosa communica qoe,
como orador, assistira a sessao anniversaria do
Gabinete Portuguez de Leitura, aoqual apreseulara
as elicitagSes do Instituto.
Nada mai3 havendo a tratar, levantase a sessao,
sendo mercado o dia 14 para a prxima reunio.
Da cidade do Ass, no Rio Grande do Norte,
escrevera-nos em data de 11 do prximo passado :
Continuamos no estado rotineiro e pessimo,
acerca da marcha dos estafetas, em relacao aos
que partem do porto e villa de Macu para esta
O custo daalimenlagao o dietas dos presos po-
bres foi diminuindo de forma, que gastando-se era
1861 37:330*360, a razo de 240 rs. por cada ra-
cao, e 500 rs. por dietas, sendo o ra vimento da
entradas de 2:468 presos, em 1864 despendeo-se
21:6175582, cusiando cada racao de 300 a 380 rs.
e dielas de 280 a 640 rs., e o movimento de entra-
das de 4:240 pessoas; o que tudo melbor explica-
do e demonstrado encontrar V. S. no meu ulti-
mo relatorio sob a epigraphetrabalho para osde-
o genera
est no Uruguayana com 5,000 infantes e em'mar- t Diante da altiva resolucab t Sua Magestads
cha para encorporar-se com Canavarro. O tai- os rio-graodenses devem praticar assiracorrer a
migo passeu em numero de 8,000 homens, mas alistar-se as band. iras que tem de expelliro ini-
inevitavel a sua completa mina. Pode dar crdito migo de nosso torr.iu querido.
a esta noticia, que transmillida de Algrele por Urna carta de Caruaru diz o segulnte: (27 de
pessoa fidedigna e auterisada. agosto):
Os nossos generaes procedem com toda a pru- Vou-lhe relatar um grande escndalo, qoe sem
dencia para que os resultados das batalhas se- duvida convencer ao digno chefe de polica acioal
jam sempre favoraveis a' cansa que sustenta o im- do estado de desmoralisacao era que se acham as
P*i"io. suas autoridades policiaes por este centro. Ha pou-
Os paraguayos seguiam para Uruguayana, co voltou dessa capital o cidado Jos Leopoldino
mas sempre perseguidos pelos nossos, de modo Pontes. munido de ama resal-a do mesmo Sr. che-
que nao podiam nem carnear, recebendo os vveres. fe de policia, em consequenci de ordens de recru-
da margem direita do Uruguay. tamento que contra o dito Pontes havu alcancado
Alm disto soffriam horrlvelmente de bexgas, do ex-cbefe de policia o lerrivel coronel Pedro
sarampoe cintras molestias. Em S. Borja deixaram Paes. Chegando Pontes a sua casa, escudado
mais de 1,000 doentos. ; naquelle imprtame documento, nada julgou que o
t A sua cavallaria nao pode operar, porque lhe podesse ncommodar mais. Sabe porra o que
faltam animaes. accouteceu ? O subdelegado Luiz Paulino, erabora
E' possivel que entrem em Uruguayana se o da comarca de Garanhuns, querendo dar urna sa-
general Flores nao conseguir bater os 4,000 para- lisfago a Pedro Paes, mandou um Inspector de
guayos da margem direita. Isso, porm, nao quarteirao de nome Antonio Ferreira, e que
*ra' mais que demorar o da de sua completa tambem subdelegado supplente, prender Jos Leo-
cidade ; e por isto insistimos as observares e
pedido que fizemos aoExm. Sr. presidente da pro-
vincia, Dr. Olynlho Jos Meira, no Diario de Per- trabalho.
nambuco n. 112 de 16 de maio ultimo. Al dezembro passado todo ocalgado fabrica-
Sustentamos, como entao, as ideas de que dessa. do, e posto no deposito, que eslabeleci nesla casa
mndanca ou alleragao, que [indicamos precisar a para mais facilidade da venda, fui consumida pelo
ten,0" ....-, derroja. poldino Pontes, b qual, por mais que Oxesse valer
Lomo all disse, das offlcinas a que mais lera c Consta que o exercito inimigo de Corrientes, a resalva do Sr. chefe de policia nao pode eviar
prosperado c a de calcado, nao s porque abun- depois de apossados da Bella-Visia, pretenda com o ser agarrado, e conduzido preso' para a povoago
dam os offlciaes de sapateiro, como por ser de mais marchas toreadas vir auxiliar o do Hio Grande, de 5. Bento, onde logo foi solt I V6 V. que a pri-
facil aprendizageni e exigir pequeo espaco para o Mas aos 16,000 paraguayos teremos 12,000 s da | sao foi s um desabafo do coronel Pedro Paescon-
regularidade das partidas dos estafetas, em nada
altera e prejudica a despeza do estado, e menos os
interesses da correspondencia ofilcial; portanto,
ainda nos convencemos que S. Exc. nao deixar
de prestar-nos altengo, e melhorar esse servigo,
que tanto utilisa populaco desta cidade.
t Esta idea aqui compartilnada por gregos e
troyannos, e por conseguido tanto mais digna de
arsenal de guerra e pelos negociantes de calcado,
que comprando em graudes porgues o revendan) a
realho.
Succedeu porm, qut montada a officina de sa-
pataria do presidio de Fernando, deixou o arsenal
de abastecerse nesta casa o aos mencionados ne-
gociantes, pjr causas que ignoro, nao procuraram
mais calcados como d'antes faziam, resultando a-
no valor
gente de Flores, Hornos e Paunero, aos quaes nao
ter escapado o plano de Lopes.
0 novo exercito movia-se da Concordia ; tudo
indicava pols urna grande balalha as proxirnida
des do Uruguay.
No Crrelo Mercantil l se o seguiote :
Fomos obsequiados com folhas de Bueuos-
Ayres at 5 e de Montevideo at 6 do cor-
rente, .""v
O, Eco-dSios i'iWST'lornal de Salto, dizque
os paraguayos, tendo forrado o rio Ibicuhy pelos
passo* de Santa Maria e Silvestre, se dirignm a
Uruguayana.
A pasagem fura vivamente disputada, solfren-
do os invasores perdas consideraveis.
t Para btelos haviam-se reunido os generaes
Canavarro. baro de Jacuhy e coronel Fernandes
merecer a ailencao de S. Exc.; pelo que lhe ser- montearse no depoiito d'e=la casa obras
mos assas gratos. de 13:0005000.
O vapor Marciho ias custou 210:000$ ao A visia desle resultado fui forjado a diminuir
governo imperial. numero de trabalhadores da otflciua de sapata-
Em coosequeneh de ser muito incommodo o; ra, e augmentar o dos racoados pelos cofres pu-
vapor Galgo, quer por jogar muito e quer por met-: blicos, quede 150 sublram a 180, elalvez cheguem as imme'diagoes da Uruguayana, perfeitamente
ter bstanle agua dinlro, Ocarara diversos passa-jazoO, se continuando, como suspeito, a falta de fortificada e defendida por orna guarnigao que se
geiros na Babia. procura fr obrigado a suspender completamente o moslra disposta a vender caro a vida.
Oflereceu-se para servir no Io corpode guar- trabalho de sapalaria. t Urna folha de Gualeguaychu, o Porvenir; deu
das nacionaes destinado a guerra o Sr. alteres do j Cabe aqu dizer que nenhum augmento houve a noticia, logo depois contestada, de que a Uru
Io batalho de artilhara deste municipio Andr no preco das obras. guayana havia sido orcupada pelas forgas para
Continuando a nutrir os mesmos desejos, que guayas, s ordens de Estigarribia
sempre nutri, de fazer prosperar este eslabeleci- < "Tanto o Porvenir como a Reforma Pacifica,
ment, confiad* a minha direcco, estou prompto a nico jornal de Montevideo que temos a vista,
fazer rnais algum sacrificio, at que a assembla pelas suas sympathas para com os inimigos do
ira a pobre victima dos seus odios, e para lasli-
ao peditorio, ou engaareis a humanidad*.
A verdade seja dita, os espertos, digo mal, os ho-
mens de bera, costumam a medir lodos os mais por
si, no que Ibes noacho asneira nenhuma ; mas os
homens la' do Recjfe que sabern quanlo Ibes cus-
tam as mercadorias as pracas estrangeiras, sabe-
rao separar melhor ojoio do trigo, seguido diz o
Dr. Doraba, que nao obstante andar sempre do mar
para as Ilhas nm rapaz de um talento i.npercep-
tivel, se nao quasi microscpico I
O propno Tames que um jornal de annuncios,
Na escriplura qoe o Sr. Sa' e Albuquerque pu-
blica sob n. 1 esta' bem clara a clausula Sr. Joao de Barros pagar-lhe-hia certas obras, de-
pois de avalladas por arbitros, loucados por ambos
os contratantes; mas nao convinha aqaelle Sr. Sa'
cumprir esta condico, alias to clara, e fez ava-
ha-las na ausenaa do Sr. Barros, e o que mais,
exhibindo urna immensa relaco de utencis e re-
paros, que foi obrigado a fazer cm substituido do
outras que se gastaran) em sea propno servico.
Deste modo, Sr. Sa' e Albnqoerque, nao haveri
meio mais fcil c menos dispendioso de possuir
engenhos, meio alias qae se lera convertido em ha-
qumto poder administrativo da Casa dos Disparates No deixare fem resno arrotra fnrad
manak vivo de quan.a pouca vergel alli ^ ^S SVmSSSST^ querelle diz .na
escriplura de arrendamento est' exprfssamente
declarado, que nao poderla o propietario vender o
pralica, lem declarado publicamente que foi este
anno, um concurso de andorinhas com]garras, fazer
vai divertir aos sero^s, ouvindo as replica! do ver-
gonhoso Demosthenes (em fralda de camisa), que
necesitando domingo passado um par do sapatos
para ir defender a gente injuriada, a' casa dos Dis-
parates, enviou por medida ao sapateiro a cara do
S; SfSS SSS fi&Ti""'"''*: zssrsn f
No da seguinte preparouse o eminenlissime, dou- f
ciso para minha indemnisagao.
Ora, mas o mesmo Sr. S e Albnquerque que-
so incumbe de destruir a sua propria argumenta-
Qo, declarando em outros pontos da mesma pu-
blica(ao, e na sua pelico por documentos n. 4,
cima cilada, de 18 de maio deste anno, que esse
lor e escarranchando sobre o nariz can^alhas no-
vas, para melhor enchergar a rstrada da parvoice,
maudou ao lllhnro sellar o Alfredo que a' quatro
Portanto, nao procede o argumento do Sr. S e
Albuquerque, assim como nunca poder arvorar
em benifeitorias o sen rol de apontamentos, avaha-
dos contra o estipulado na escriptura de arrenda-
Xavier Yanna.
O lavrador d* Escada Francisco Cordeiro
Lins, apresentou seu filho Vitalianu Cordeiro Lins
como voluntario da patria, dando assim urna bella
mar, que houvesse urna autoridade policial, que a ^Yf^rSs^^ I me!" !
isso se presiasse I E assim que se procura con- mente a casa do barbeiro da pracialia, que tambera
ciliar adhesao do povo contra a guerra estrangei- entende da pharmacia, por causa de um carbuncu-
ra *_ ._. lo que lhe nasceu na extremidade inferior i'.aespi-
Passageiros do vapor nacional Galgo, entrado nhadorcal(quando rapaz.) O dootor, porm,- que
aos portos do sal : n5o de meias medida:, nedio losrn nim Ihn raaos-
domingos Henriaue Mafra, Sabino Carlos Fer
reir da Silva, Dr. Manoel Caldas Barreto, alteres
Jos.Maria Benjamim da Silva, padre Sebaso
Fabiao de Oliveira Lima, padre Valeriano de Alle-
luia Correia, Jos de Barros Accioli, niajor Jos
Pereira Soares e 1 escravo, Josephina Martins da
Costa, Mana Alexandrina, Maria Leopoldina da
Silva, Manoel Z. Goncalves Torres, 7 ex-pracas do
exercito, Abraham Greental, sua senhora, 4 filhos
menores e 1 criado, Eduardo de Moraes, Joanna
Maria Nabuco, Julio Filgueiras.
Soguem para o norte
nlo de meias medidas, pedio logo que lhe rapas-
sem a cabeca para andar mais desafrontado I
Quando isto tmha lugar, passavam defronte da
porta alguns individuos de casaca limpa e sahindo-
Ihes ao encontr urna sucia de melcalrefes que se
acoitavam no tal ranchinho, agirram-se asabas das
casacas dos taes seohores, e comecaram a limpar
com ellas as mataduras de que se achavam cober-
Concluirei a presente por onde principiou o Sr.
S e Albuquerque S. S. principia dizendo que,
nao quer entreter polmica jornalislica comigo,
nio s porque nao est i-to nos seus hbitos, como
porque, pendendo questao judicial sobre o objecto
desta polmica, nao aeve discutir fra de julzo. >
Nao est nos hbitos do Sr. S e Albuqoerque
entreter polmica jornalislica, sei disto perfeita-
mente, porque a luz da publicidade incommoda
muito a quem tem hbitos, que n3o podem vintzar
perante ella : os hbitos do Sr. S e Albuquerque
s) outros cerlo, rnas a sociedade ganha sempre
em conhecer perfeitamente o carcter de rada um
tos, para que o publico peosasse depois que elles H'"-"o,y""!,'k',T.' -
pertenciam tambem a' sua orden. Se os homens' do- "* m^^<><, pouc^
sensatos livessem nos olhos f' gassem hontem da Lourinha, vamos; mas nesta
trra onde todos so conhecem bem, nao causou
copia do seu patriotismo, copia que o recoramenda proviucial resolva sobre o modo porque se deva Brasil, pouco crdito podem nos merecer.
gratula i da patria.
Acha-se aberta a matricula de escola pratica
annexa a Escola Normal.
Os -rs. Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, agentes da companhia de seguros Fidelidade,
esiabelecida no Rio de Jaueiro, tomaram seguros
em 1863 na importancia de 1,173.638^400 ; em
1864 na da 1,470:6695780 ; e em 1865 crrente
na de 1,706:310,5.
Destes seguros houve de premio para a compa-
nhia no 1 auno 9:897^931; no 2 10:659^862 ; e
no 3 11:8215029.
V-se, portanto, que houve nos seguros urna dif-
ieren^ de. 235:0405220 e no premio de 1:1615167
para mais comparado com o anno de 1864 ; e
igualmente de 522:3715600 na primeira especie e
de 1:9235095 na segunda comparativamente com o
anno de 1863.
Semelhante resultado o effeilo do crdito, em
queseachaa referida cumpanhia, cujo augmento
manifesta-se assim com progressao llsongeira.
Falleceu hontem o Sr, Ignacio Nunes de Oli-
veira, alteres reformado de milicias.
II je faz leilo o agente Cordeiro Simoes, de
movis, predios e mais objectos, era seu arraazem
a' ra da Cruz n, 57, as 11 horas.
Valente.
Hoje (l de setembro) ellectua o agente Pin- das, ou a supresso delias.
lo o leilao de 2 sobrados no Recife e urna casa' Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. Eluardo
terrea na povoacao do Monteiro. i Pindahyba de Mallos, chefe de policia da provin-
0 leilao da chcara do desembargador c.-t an- ca.O admioisirador, Rufino Augusto de Al-
nunciado para 5 do correte, assim como 4 casas meida. .
terreas da rna da Amizade, tambera em S. Jos do | < |. seccao.Secretaria da policia de Pernam-
Manguinho, os quaes leiioes sero elljctuados na buco, 28 de" agosto do 1865.Respondo ao seu olTi-
praga doCommercio. | ci de 10 do correte, declarando Vmc. que ten-
A
pelo Sr.
do Io corpo de guardas nacionaes que _d a pro-1 concedo-lhe a aotorisaclo que pede para abrir um
vincia era auxilio de guerra, por oceasiao de apre-: deposito previsorio fra do mesmo estabelecimento,
sentar o contingente do Io batalho de infamara. onde possam ser exposios a venda os artefactos das
da raesma guarda nacional desle municipio do Re-1 referidas officina*, nos termos do seu pedido.
fornecer os materiaes s ofiicinas, e pagar se ao Devem pois ser acolhidas com toda a reserva
trabalhador. as noiicias que acabamos de referir,
Necessilo porm para isto, que V. S. se digne au- caria que a Reforma dirigiram
torisar-me a abrir um deposito provisorio fra do do I." do torrente : da Cunna, africanas Benedicta de Castro e Amaro
estabelacimenlo, para nelle se expr a venda os ( Sabemos com certeza que os paraguayos, ten-: Joaquim da Costa, Jos Alves Barbosa e 1 criado,
artefactos das offlcliias, visto como no estabeleci- do pasado o Ibicuhy, aeham-se boje do outro lado : Manoel Vicente Rodovalho O. Monteiro Cerqueira
melo nao sao procurados, nao s pela longilude, do T rro Paso, arroio que fica a quatro leguas de -
como pela repugnancia que geralmente se lem a Urugayana.
casas desta ordem. t Canavarro escreveu em data de 23 a Goyo
t Nao desejo, e nem posso sustentar um deposito Soares, que estava enlo em Yucataj, convidan-
permanente ; porque nao tenho meios pecuniarios i do-o a tomar parle na balalha que ia dar aos para-
para sustentar oflicinas era um estabelecimento guayos, Soares respondeu-lhe que o nao poda fa-
' zer sem ordem do general Flores.
Declarou Canavarro que nao lhe era possivel
embaracar a marcha aos 'paraguayos por falta de
infamara.
A Uruguayana foi abandonada pelas familias,
manifestando os brasileiros inten^o de resistir
at que lhe chegasse o soccorro do exercito allia-
do; pode, porm, acontecer que com esta reso-
luto se d o mesmo que com a defeza do Ibi-
cuhy, cuja passagem, diziain, era defendida por
Canavarro.
A diligencia para Uruguayana suspendeu suas
viagens.
t Ante hontem sahio Moyano com 20 homens
para o Durazno.
O general Netto est nos Laorelles, a 10 leguas
do Salto, com muito poucos cavallos.
Temos fondeada neste porto, desde o dia 25,
a canhoneira Decide.
Pela margem opposta do Uruguay parece que
tambem vm avancando os paraguayos, sob o
commando do general Duarte. A' ultima hora
dizia-se que eslavam a tres leguas da Reslau-
Prudeocio Jos Botelho, Manoel Diogo Pereira, i isso atolt^/pwmw qualquer vasilha por mais
capuao^teiinte Francisco Parahybuna dos Res, | pdre que S(.ja, quer arrogar o direito de oilocar
major Anlor.io Monteiro Baina. piloto da armada
Joao Ferreira Cardoso, 2o teoente Jos Antonio Ro-
drigues, Josepha da Conceicao, Pierre Bruno Sau-
plquet, R. Dural, 22 ex-pragas do exercilo.
Passagei-os do vapor brasileiro Paralaba,
sabido para Micei e portos Intermedios :
Jos Ignacio dos Santos Agniar, Mara Magdale-
a todos os mais, junio de si
Devoras, parece que a Providencia interp3e lodo
o seu poder para oceultar por pocas dilatadas os
grandes vultos, para no Bmd'ellas botar cd para o
mundo, um Dr. Bomba, um Manoel Zarlho, um
Alfredo Pascacio cjoulros monstros de sabedoria,
, capazes de reduzir todas as sciencias a um volunte
n,P I a de V*"5' ,Joa Pf.ren.\ de. V"V' ?afluim Pe' porttil, com a mesma ligeireza com que um gata-
un lTl\t i l??a S,Wa Kunha' ?and,,d0 I d% Figueiredo, < 0 do terreiro do Paco arrancara um lenco al-
do Salto, em aaia | F. Francisco Guimaraes, Luiz Pereira Goncalves! cbeira do transente mais cauteloso da cidade de
corao este, enem para mira islo conv-nienle.
Me parece porm justo que lendo foruecido
capilaes lo avultados, e nao poJendo por ora os
cofres pblicos tomar a si este encargo, seconsinta
na venda dos productos das offlenas, que montei
com autorsacao do governo, e sem despendi da
provincia couservan.lo o deposito at que sobre o
assampto delibere a assembla provincial.
Nao pretendo alterar os pregos, marcados as
. tabellas existentes, e que devem ser de grande
| vanlageus para o consumidor comparativ.nente
, com os presos do mercado.
t Aguardo a resposta de V. S. por poner delibe-
rar, sobre a continuagao das olflcinas menciona-
U palavras que damos, forara pronunciadas, do em atteocas quanl expde no mesmo offlcio; com
r. major Frias Villar, commaodante interino relacao as olflcinas creadas nesse estabelecimento,
Ulisses
Emfim bom que eslas crealuras civi'.isadas,
apparecam para divertir a gente honesta, enquan-
lo o bom Dr. e os seus collega- nao derem para
Passageiros do vapor brasileiro Galgo, sabido a,irar pedrada vclha s vidracas dos lojista?, o que
ser o peior para urna testa, que vai caminhando
to bem I
Aviso aos leitores quo nao posso ser for hoje
mais extenso, porque vou tratar de limpar as mas-
caras que me pozeram na cinha rica vesta, e cu-
rar a pontinha do dedo mijiimo aonde me prega-
ram urna dentad i meslra I Como sei porm que, o
que se escreve n'um jornal para ser lido, abi vai
30 e 31 de agost)
no dia 29
cife.
t Briosos guardas Dacionaes do 1 batalho de
infamara !Proraptos ao appello da patria, cura-
prlndo o mais sagrado dos deveres, vindes com-
parlilhar das fadigas, mas tambem das glorias que
aguardam a dbUoeta guarda nacional d'esla pro-
vincia no campo da honra !
c Sim.
t Sacrificando vossos commodos, vindes mostrar
qae bera longe de una recusa deshonrosa, que
sement servira para offascar o brilho do nome
pernambucano, o Brasil encentra em vos, como
sempre o esperei, toda a dedicaco de urn povo
livre que se abraza no fogo do amor patrio 1
c Descendentes ds tantos hroes, nunca des
mentiris o nome adquirido-por vossos antepas-
sados na repulsa do eslraugeiro armado, vindes
tomar parte na mais honrosa missao, que j mais em caso de ataque nao podem receber auxilio.
te ve o soldado brasileirorepellr de seu slo o. Confirma o Siglo que os Paraguayos eolraram
eslrangeiro qoe com suas pegadas mancha ainda em Kaquy e saquearam at a propria igreja ; e que
o slo da nossa patria, procurando por em duvida { um Paraguayo que ha longo lempo resida naquei-
o valor do povo brasileiro. la villa, foi d'espedacado pelos seus patricios, lendo
Se a outro foi dado o iniciar a obra do casti- elles tambem degoldo o subdito portuguez Ante-
go ao selvagem que se esforca, mas dcbalde, para nio Jardim Porto.
Deus guarde a VnicCliefe de policia, Eduar-
do Pindahyba de Mallos.Sr. Dr. administrador
da casa de detenco.
O Diario do Rio Grande publica o seguinte :
De maior interesse nada consia. A nossa es-
quadra ficava em Cnimbural, e coma em Monte-
video que as forjas paraguayas que se achavam
em Missoes chegaram a 17 ao passo de Santa Ma-
ria, no Ibicuhy, tendo ji passado dous mil ho-
mens.
t Aesquadrilha organisada pelo Sr. Taraandar
nao chegou a passar o Sallo.
Sabia-se posiiivamente que as forcas para-
guayas que se acham as margeos do Uruguay
mooiam a 10,000 homens, sendo 7,500 em territo-
rio brasileiro e 2,500 em territorio argentino.
Estas forcas esio completamente corladas, e
para o Para' e portos intermedios
D. Feliciana Matliildes Googalves Caslello Brao-
co, sua irma, 1 filha mcoor e 10 escravos, Jos
da Silva Coelho e 1 escravo, Jeon U. Graf, Dr.
Francisco Cardoso Baraia, commendador Francis-
co Alves de Souza Carvalho e 1 escravo, Manoel
Marques Camacho, Estuaid Eugene, Dr. Francisco
de Paola Silva Primo, Adolpho Muller esna seoho-
ra, J. Jacques Jenuy, Braz Marcelino do Sacra-
mento.
Reparticao da polica :
Extracto das partes dos dias
de 1865.
Foram recolhidos a casa de delencao
do correnle.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de pe liria, Lu
cas Antonio Evaogelisla, Pedro Francisco Correa,
Maooel Arcalino Duarte, Manoel Nogneira da Cos-
ta, francisco Antonio de Souza e Nicolao Nunes da
Silva, para recrulas.
.# ordem do Dr. jnz especial do commercio,
Joo Miguel do Oliveira Berallo, por se achar
comprehendido na disposico do art. 275 do regu-
lamento n, 737.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Jos An-
tonio Botelho, por empriaguez.
A' ordem do subdelegado do Recife,Joaquim Go-
mes da Sijva e Manoel Itaposo dos Santos, por bri-
ga ; e Raymundo Jus de Lima, para correccao.
A' ordem do da iloa-Vista ; Hermelinda, osera-
va de D. Delphina de Tal, por fgida.
30
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Raymnn-
quando estes
i assumem a certas cathegorlas; e nao implica o
i discutirmos o nosso direito perante o juizo conten-
coso e ao mesrao lempo confrootarmos as nossas
bullas p?rante a opinio publica, que "igualmente
lucra era saber se o direito alheio nesta ierra est
a merc de liguracoes, que por ahi te emprovisam
a cusa dos homens prlncipaes.
Eu portanto continuare!. Ipojuca, 25 de agosto
de 1865.
Miguel Tolenltno Pires Falco.
FBMGASOEi Hjjjgjj
Para prevenir juizos menos favoraveis a mira e
aos Rvms. Srs. conegos Francisco Jos Tavares da
Gama e Joaquim Ferreira dos Santos, declaro que
entre num e aquelles senhore nunca houve trans-
accao de qualidade alguma, sobre a minha nomea-
fo de visitador da provincia das Alagas, e nem
me consta que livessem parte nesse acto de S. Exc.
Rima.
Recite, 21 de agosto de 1865.
Vigaro, C.deM. Furtado.
um annuocio que deve fazer grande rebolico
Ao p da pracinha, paredts metas de urna casa
: em que se vendan ceblas e batatas, no segundo an-
j dar, por cima de urna Nymplta aventurara, abri
Sarallilo urna escolla para ensinar a fallar os
: animaes ; ensina tambem o contrabando de biUulet
do Rio. As pessnas que se quizrrem applicar a este
meto de vida, procuran o annunciante.
O Asmodt'o.
eOBlESPONDENCIAS
da polica de Ipojuca, nao teve torgas
do, escravo de Joo Jos do Paiva, a requeriraento car a verdade, e antes confessa, se bem que com
0 Sr. FfaBcisco de S e Albuquerque.
Srs. redactores.O Sr. Francisco de Sa e Albu-
querque pretendeu justilicar-se, e ao seu delegado,
o Sr. Peregrino, no Diario de 17 do crreme, em
resposta minha publicaco insera no mesmo
Diario de 21 de julho desle anno, na qual fiz pa-
tente as violencias e esbulho de que me fizeram
victima acuelles dous senhores; felizmente o Sr.
S e Albuquerque, que tanto pode quando se traa
para suffo-
, deste.
racao.
Nao sei se sahidt do prximo vapor ainda
me achara por aqui.
O Sallo est transformado em um hospital. Ha
7 ou 8 estabelecimentos cheios de enfermos ra-
sileiros, rujo numern, snpponho, nao interior a
2,000, alm de 600 que Rearara na Concordia.
Nao ha noticias da nossa esquadra de opera-
rles no rio Parau, era de Caceres, Hornos e
Paunero.
O exercito de Robles avangava rpidamente
pelo territorio correntino, com o im talvez de
reunir-se a's forcas que desciam pela margem
direila do Uruguay, as quaes oceupavam Ca-
I duz Cuta, 5Jeguas aquera da fronteira de En-
ire-liios. Algnns desafiVctos polticos do Sr. coronel Pedro Albuquerque, a quem alias eu nao havia incommo-
Tinham os paraguayos no Passo da Patria ; paes ae Souza, aproveitando a occasio em que o dado, achava-se, digo, nao por torga de arreuda-
2,000 homens e abaiio da barranca do rio 8,000.' seu genro Jos Leopoldino de Pontes, levado por, ment, que havia expirado, mas por causa ( efcndiam a cidade de Corriente 3,000 pracas do estravagancias da mocidade pervertida, abandona-. do eu pensava) da planta que estava creando, se
exercito de Robles. ra a mulher e filhos, e por este motivo merecer ser bem que indevidamenie. Nesta situacao, estando
O chefe da 2' sessao,
J. G. de Mesqutta.
GOMMNIGiiiOS.
os ares habituaes de capilo-mr, que a ludo Ihes
do direito, a violencia que contra mim, contra
raeus direitos de proprietario praticaram.
Senhor, como sou, do engenho Santa Rosa, ou-
tr'ora do Sr. Joao de Barros liego Accioli, do qual
fra rendeiro o Sr. S o Albuquerque, achava-me
no dominio e posse effectiva e judicial do mesmo
engenho, onde tambem ainda se achava o Sr. S e
onde marchava Lpez tesia de urna columna.
maquinalmenle nm exame
taco de pessoa alguma, o Sr. S e Albuquerque,
t Os habitantes da Restaurarlo e Uruguayana publicados as paginas d'esle jornal, com o lira de que nao tem direito nenhum ao meu engenho, que
haviam-se refugiado em Caseros, Sania Rosa, Fe- desraoralisar a to respeitavel carcter. apenas foi
humilhar a nacionalidade a que pertenecios, era
por isso ser menos honrosa vossa missao, nem
por isso ser menos apreciado o acto que acabaes
de praticar Correado pressurosos a alUlar-vos en-
tre os bravos, que se propoem a desagradar o
Brasil; nem por Isso Qcara offuscado o brilho de
vossas armas quando o inimigo liver de recuar
ame ellas, quando o inimigo conhecer o vosso de-
nodo.
t Vinde, e marchareis breve para a conquista
de louros vrenles.
c A patria abengoar vossos actos de herosmo,
que nao sero raros.
< Viva Sua Magesiade o Imperador I
c Viva a Nago Brasileira I
c Viva o Exra. presidente da provincia I >
O Dr. administrador da casa de detengo, de-
vidaraoote utorisado, transfeno para a ra \ova
A epidemia da bexiga appareeera no exercito
paraguayo, chegando a ceifar at cincoenla pes-
soas por dia I
Do nosso vapor Jequitinhonha que fra aban-
donado pela nossa esquadra, foram tiradas pelos
paraguayos 8 pegas, que as eolucaram em trra pa-
ra prptegerem a 6 vapore que esto empregados
em deseocalhar o mesmo Jequilinhonhd.
A' ultima hora c.mmunica o licito dos Livres,
de 21 do mez fiodo, jornal do Sallo, qae os Para-
guayos que se achavam em ambas as margeos do
Uruguay se retiravam precipitadaraeote, passando
pelo passo do Itaquy os que se achavam nesta pro-
vincia, mas nos nao damos credilo a esta noticia.
Cartas do Paran, dizem que a esquadra bra-
sileira, nao tentar ataque algum, emquanlo nao
, chegarera os vapores encouragados.
O nosso correspondente adianta-nos as seguin-
n. 61, o deposito de calgado e de oulros artefactos tes noticias :
das pequeas oflicinas, que esto sendo ensaiadas Escrevo-lhe a presente para transraittir-lhe al-
naquelle estabelecimento, por ordem superior e a gumas noticias que affiango.
expensas do mesmo Sr. administrador, corao pre-1 Os paraguavos relirarara-se de Itaquy no dia
iiraioar das reformas que alli se devem operar, 14 em direegao Uruguavana, e segundo urna par-
quaadoestiverem concluidas as obras do edificio, ticipago fqoe li) do corooel Feroaodes, esperava
Para melhor esclarec ment da materia, damos elle que a 17 os paraguayos tentariam a passagem
cm seguida as pegas officiaes relativas concessao do Ibicuhy, no passo de Santa Maria.
a que cima nos referimos; e por ellas ficara o j No dia 16 o general Caldwell marchou com a
publico inteirado de tudo quanto ba : diviso Canabarro para all, atiui da ver se poda
Casa de detengo, 10 de agosto de 1863.Ulm. 5mPedira passagem do rio ; a esta hora pois, s
Sc.-A lei provincial n. 511 de 11 de junbo de Jeus sato o que por la lera hav.do I Logo depois
1861 19 autorisou a reforma do regulamento desta da relirada d?s paraguayos de Itaquy, urna partida
casa, que na execugo se mostrava inexequivel em 0,ssLque *"' enlr.ou pnsioooo um correntino, e
mullas de suas disposigoes e defficieote em outras, este declarou que o inimigo (com quera servia) depois
pnocipalmente no que diz respailo ao trabalho para % naeJ Passado Par outro Wo iniitt cavalba-
ns AaiZnim a e gado, linha passado para este lado com 2 mil
os detentes.
Tem sido, porm, demorada esta reforma, em
razao de nao estar concluido o terceiro raio, e con-
struidos os saloes para o trabalho.
Os antecessores de V. S, entenderara conve-
niente e til, que emquanlo se aeabavam as obras
necessarias ao edificio, fosse eu ensaiando o traba-
lho entre os detentes, organisaodo pequeas ofJQ-;
cias dentro das prises, e em pequeos telheiros
existentes nos pateos murados, para a vista do es-
tado pratico, que se fizesse, organisar-se o traba-
lho sob bases regulares e proveitosas, quer ao de-
tento, quer aos cofres da provincia.
< Era preciso para semelhante ensaio despender
qoaotias nm pouco avalladas. Para isto falta va au-
torisagao na lei do orcamenlo : nao podiam por-
tanto os cofres pblicos abooar-me es capilaes pre
clsos.
Desejava, porm ver reformado o systema, at
enlo seguido, de conservarera-se inactivos cente-
nares de homens, alimentados e vestidos casta
flp provincia, nada produzlndo para si e soas fa-
'niiias, e menos para o estabelecimento.
heeocri ao crdito e ao pouco qoe possuo, e
mmrtia '""^^ cooiecel 3, montar oflicinas de sa-
natTrl! "rran*" Wrcleiro e tanoaria-
P 1 Dev dam me ^^- fil <\* ^
ferrronlas precisas, alen, dMJ?narearp"a 'erraria ,e
marcinaria fornecera a the^""ria provincia],
mandei vir da Europa algumas pt.?oe" "Sa-
las para facilitar e aperfeigoar o tra^ *in as sa'
pataria, marque! salarios vanlajosos aos opt. nos,
iguaes aos que se pagam ns officinas parlicui *
res, e poz em andamento as oficinas, fornecendo
sob a minha responsabilidale a materia prima.
( impui ao operario o onas de alimeoiar-se e
homens de cavalleria, porm a p, e que se diri
giara a Uruguayna, sendo o exercito comraandado
pelo general Sigarrilha. At o dia 15 nao havia
chegado o vsconde Tamandar e nem de Flores se
sabia I
< Alguns subditos portuguezes residentes nesla
cidade esto tratando de organlsar um batalho
para coadjuvar o servigo da guarnico desta cida-
de, caso isso seja preciso.
< Al hontem j haviam para mais de quareola
Srs. inscriptos voluntariamente.
Transcreveraos do Diarto Official o seguinte:
Sobre a marcha dos paraguayos escrevem
de S. Gabriel que passaram o Ibicuhy, no pas-
so de Santa Maria. A este res peno diz urna das
folhas :
Este successo aterrou de tal modo os hablian-
< les de Algrete, qae no dia 23 estavara todas as
< familias com carretas proraptas para emigraren);
t quando felizmente no dia 24 chegou a noticia de
t ; eslar o general Flores com 5,000 no Poto dos
i Livres, era frente a Uruguayana, e que passava
t para esta filia a se encorporar com as torgas do
general Canavarro, afim de bater o ioimigo, qae
segando se c'.r, derera' ser completamente ani-
< quillado.
t Esta noticia, que 4 verdica, fez socegar com-
< pletamente o terror de quo se achavam possui-
t dos os habitantes de Algrete, e nenhuma faml-
lia at agora emigrou, confiando ioteiramente
as disposicSes acertadas que, segnodo parece,
> foram tomadas pelos generaes Caldwel, Flores e
Canavarro, esperando a cada momento, como
c inevitavel, a notlola da completa destruido dos
i barbaros invasores paraguayos.
Urna carta de S. Gabriel, 3alaa ^e ?8 de u-
derago e Constituigao.
t A Naco Argentina diz que a provincia de
Corrientes tora por Lpez declarada territorio pa-
raguayo.
Assegurava-so que Urquiza ter reunido o
exercito de Entre-Rios no da 20 do crreme.
Constava que em consequencia de haver o Sr.
chefe de diviso Barroso recasado hcenga a urna
canhoneira italiana para sol.ir o Paran at lio-
maita, o ministro italiano em Buenos-Ayres dirigi-
r urna nota ao governo imperial, protestando coa-
ira o acto do Sr. Barroso.
Diz o Standart de Buenos-Ayres que a canho- j gozando os disvellos de nm pai amoroso, e procu-
neira ia em commissao rio cima, para obter do rando esquecer a ingratido e infamia de um es-
governo paraguayo que fossem desempedidos os poso prfido.
navios italianos, que eslao tundeados em Humaita. Amigo do Sr. coronel Pedro Paes nao quiz
Lpez comprara por 6,000 libras sterlioasjo deixar completamente impane aquelles traigoeiros
rendeiro, cujo arrendamento j expirou,
O Sr. coronel Pedro Paes, j conhecido pelos! cmo elle mesmo confessa em sua dita publicaco,
habitantes desta provincia, como um fazendeiro' mandou o delegado de policia, o Sr. Peregrino, dei-
j distincto por seus costumes, e rodeado de prest- tar-me fra do meu engeoho, o que fielmente exe-
gio e Importancia na comarca, onde reside, deve cutou, e ao que obedec, porque estaraos em um
i desprezar esta Indiscrigo de seus adversarios, que eslado em que a missao da policia a violago, a
sem duvida eslavam allucinados, quando iotervie- perturbago dos mais sagrados direitos do cidado
; ram em negocios to milindrosos, quanto os de; em proveilo dos mandoes.
S. S. com sea genro ; quando encarregaram-se de I Que sou o proprietario actual do engenho Saota
i proteger a um individuo que, despresando mulher Rosa, confessa-o o Sr. S e Albuquerque ; que es-
e filhos para viver na maior devassidao, procura tava na posse nao contestada do mesrao engeoho,
[ fazer todos os males possiveis a seu sogro, anciao nao o nega; que, fiDalmente, eslava exlioclo o ar-
1 respeitavel, e em cuja casa acha-se sua mulher | rendamento que contratara com o meu antecessor,
Joo de Barros; ainda confessa o mesrao Sr. Sa
na peiigo por documento n. 4, que acompaoha a
sua dita publicago, na qual peligo requerendo a
cilagao do mesmo Barros, diz que tinha-se finan-
do o seu arrendamento no ultimo de maio prximo
d'quelle' passado > (a peligo feita a 18 de maio deste
| anno I) Isto posto, nem o Sr. S e Albuquerque
' pode allegar direito turbativo da minha posse, nem
| era competente a polica para laogar-me fra da
minha propriedade.
Que isto fosse teito onde nao houvesse leis, nem
tribuoaes, nao me causara indignago, e nem mes-
mo acredita-lo-hia, se infelizmente nao fosse eu a
propria victima dessa grosseira prepotencia ; e
para que nenhuma duvida restasse existencia
Ha dias honve neste bairro ura barulho muito desse escndalo, o Sr. S e Albuquerque vem,
rasgado, retirando-se desgostosos a maior parle affrontando ao publico, dizer que o Sr. delegado
estrago causou ao inimigo na balalha do Riachuelo, dos circunstantes, porque, dizim elles, o divert- Peregrino nada mais fez do que exercer ui di-
acha-se actualmente nesta cidade (Buenos-Ayres).' menfo durara pouco I reito, empregando urna medida, que tendia a pre-
Atrma que o Jequilinhonlia est todo debaxo d'a-1 Um socio ou cousa que o valba do gabinete dos vinir desagradaveis ronsequencias, o que o Sr. Pe-
gua e que sem o auxilio de machinismo aproprla- Disparates, mandou pdr no olho da ra urna lisia, regrino bem coraprchendeu e melhor execatou I
do nao podero os paraguayos arrecada-lo do fuo- aonde arrolou urna caterva de quebrados, cujas | Quera provocarla essas desagradaveis conse-
do do rio. O Amazonas est com o casco crivado biograpbias fariam estremecer o proprio Luiz Do- quencias, que o Sr. Peregrino quiz evitar, privan-
de balas e incapaz de entrar em aego. Um com- mingos Cartucho, hroe famoso cujo nome se tor- j do-rae do uso da minha propriedade ? Eu, por
patriota nosso, pessoa competente, informa, que os j ncu popular em Franga. cerlo, nao, que estava no que era meu. leria o
navios paraguayos nao se podem medir com a es- Por esta, como por oolras circunstancias que o Sr. S e Albuquerque iotengao de provocar essas
quadra brasileira; urna canhoneira brasileira bera publico nao dessonheee, dirigise aquella boa desagradaveis consequencias, que felizmente para
armada e com espago para manobrar mais que gente para a por.a do Manl da Lojinha, onde se S. S. pode substituir pela officiusdade do seu dele-
sufDciente para fazer frente a todos os navios pa-: pozeram todos a berrar, offerecendo cada um, os gado de policia? E' o que se deduz de suas ex-
raguayos, exceptuaudo soraeote o Taquary. > cabedaes de que poda dispor, para fazerera ura pressoes. E' verdade que o r. S e Albuquerque
Diz a mesma folha que o Sr. D. Aodrs La- {ataque aos horneas de casaca com a sua eleirao, coofessa, por honra do Sr. Peregrioo, quo o meu
mas devia partir para o Rio Grande no dia 15, afim tres dos quaes offereceram at, era peDhor mame- banimento elle o zra san apparalo muito
de conferenciar com Sua Magesladeo Imperador. res accessiveis, e bem dispostas para consecugo hostil...
vapor Elyng Fish e armara o em canhoneira.
c O governo de Santa F havia alistado 200 in-
dios para envia-los ao acampamento da Concordia.
Restabelecera-se a ordem na Riaja. O respec-
tivo governador havia batido os rebeldes nos arre-
dores da capital
c Rebeotra tambem ama sublevago, porm de
menor importancia, no forte de S. Raphael, era
Mendoza. Preso o chefe abortn o plano dos re-
voltosos, que era saquear a wlla.
L se no >tandart:
O machinista do vapor Amazonas, que tanto
Insultos, convencido de que por parte
distincto cavalleiro s haver silencio.
Caruar, 25 de agosto de 1S65.
E..
Mordedura de cao, cura-se
com o pello do mesmo cao
I ;
L-se no Correio do Sul
Est terminada a questao ingleza, segundo es-
crevem da Europa.
A Inglaterra reconheceu a sem razo do seu
procedimeoto, e manda una erabaxada ao Rio de
de tao gigantesco plano
O Dr. Bomba, embora deflohado pela tome ca-'
nioa que o consom, nao ceden os pergarainhos
ao Alfredo que anda sempre as aguas, e ah o
ceras.... rita abatxo ra acun'i, imponJo a meio
Acerca do procedimenlo do Sr. Peregrino, aguar-
do despacho da queixa que contra elle dei, au-
toridade superior, no que diz respeilo ao seu ca-
rcter de delegado de policia ; que, quanlo ao seu
procedimeoto como joiz municipal aguardo a de-
Janeiro para manifestar ao governo Imperial o seu mundo o tal rol, que excepgao feita a meia duzia ciso dos raeus artigas de snspeigo. Tornando,
pesar pelo que acontecer, declarando nao haver, de nomos vingou no todo, pela maioria gravee porra, ao Sr. S e Albuquerque, rabe-m agora
nd j nunca a inlengo de offender-nos, e menos {mrcumspecta dos homens de bem I apreciar o que elle chama seu direito de relengo
descoobecer os respeitos devidos a nossa sobe- A' noite, como era de presumir, houve ceia Iau- por bemfeitorias.
rama. u em casa do pygmeu vitalicio, laminarias etc. i Pela publicago do mesmo Sr. S e Albuquerque
< Dizem que o Sr. Tliornoo, actual mioistroio-, ele, e pozeram a' porta da casa dos Disparates, o se v que elle chama bemfeitorias, a que aliribue
glez em Bueoos-Ayres, ser o diplmala incumb-. retrato do Xttnenes com barbas de palmo e meio, a torga bastante para seus fins, a obras j pagas, a
do daqueila missao no Rio de Janeiro. > i e o do D. Clepbas com apparencias de bolelha de utencis do engenho, com as quaes subslitu o a ou-
Temos noticia de dous actos de poro patrio- graxa e eareca mostea, allumiados ambos com tras existentes no mesmo engenho, e finalmente, a
tismo, que honrara sobreraaneira os .brios desta be- j nove tigellinbas, e mais dous bonecos que para
roica trra. i fazerem contraste ficava um de cada lado, o Dr.
Aole-nontem apresentou-se a Sua Magestade o Curcunia fazia o papel de authomato, e o Manl
Imperador urna pobre velha aleijada, lev.judo oem-1 Ptaeega o de Dorminhoco I
sigo ura nico fillio que tiona e que era o sen ar-1 Os rapazes que nao acharara aquillo bonito,
rimo, e offereceu-o para o servigo das armas. apagaram as tigelliuhas, e levaram as figuras para
Sua Mageslade acolfteu benignamente o des- o caes do Ramos, onde lhe deram o destino cor-
prendimento da velbinha, e anlmandoa com pala-; respndeme ao grao que oceupavam por sua posl-
vras de benevolencia, mandn asseotar praga ao i cao e cathegoria 1 ,
Olho no corpo de permanentes da corte. O caso soffren critica de sello, e dahi comecaram
t Hontem, um oQlro velho Antonio Qoirino da' todos a tomar o freio nos denles, e a pdrem a bocea
Silva, morador na Pintada, hornera trabalhador, em Sancho, Pedro eMarllnho, e como nenhum des
apresentou-se a Sua Magestada com dous filhos, tes quizesse cqnservar jumentos tnanjedoura, se-
offerecendo-os para marchar, i (5rain Para P, <"? 'u> *r eu, na gazeia maior da
obra de luxo.
NSo sao estas as bemfeitorias por amor das
quaes se pode reter a propriedade alhela, e em to-
do o caso nao o juizo, nem o modo erapregado
por S. S. o competente para isto.
O Sr. S e Albuquerque no meio das suas sup-
Cas bemfeitorias inclue dividas do Sr. Joo de
ros, achando-se nao obstante com direitc de re-
ter a minha propriedade por essas dividas do Sr.
Barros, dividas e bemfellorias qae, como bem sabe
o Sr. Sa' C Albuquerque, nao se recusa o Sr. Joo
de Barros a p^gar, mas a pagar as qae jnsiamente
dever, e nao as ^Q8 0 Sr. Sa qaizer com o sea ha-
bitual arbitrio.
AnacahiiHa peitoral de Keaip.
Una simples tosse pode chegar a ser mortal se
oo se at.ilhar lempo ; porm evitar-se-ha com-
pletamente o perigo fazendose uso immedato da
Anacahuia peitoral de Kemp,a qual nediante
a sua benfica influencia faz ceder rpidamente a
irritacao dos polmoes e garganta e restabelece sua
acgo vigorosa, regular e saudavel.
O que dizem que a asthma incoravei muito se
engaara.
ssa fortificante [compo^igao vegetal subjuga
e.-sa ;.ffliciiva molestia, ainda mesmo quando de-
baxo das formas as mais obstinadas e agra-
vantes.
As anginas nunca terminarao em bromchites a
tosse em Ihysica, nem a rouquido em asihma, se
desde logo em seus principios forem alalhados com
este balsamo vegetal suavisador e sedativo; seus
benficos efieitos sio prompiaraente executados as
enfermidades dos pulmoes, dos vasos bronchios o
da pleura.
VenJem-se as pharraacias de Caors & Barboza
e J. C. Bravo & C.
--xasK*
Sade publica.
PuriQcago a respeilo de alguns dos medicamentos
da casa (riinnull & C.
Alguns jornaes publicaram uma ordena-
co di conselho de sade portuguez, 'que
prescreveu os medicamentos preparados pela
casa Grimnult A C. de Paris, com o pretex-
to que esses acreditados pharmaceuticos
foram enndemnados pelo tribunal do Seina
por terem vendido medicamentos secretos
e falsificados.
Essa ordenaco parecer bem extraordina-
ria quando se liver lido as seguintes cir-
cumstancias:
1. A sentenca de que se trata foi dada
sobre a denunciado de um dos concurren-
tes dos Srs. Grimault & C, e sobre as in-
formacoes inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A seotenga foi dada por nm tribunal
de primeira instancia, e nao tem valor al-
gum, logo que se appellon; foi por uma
manobra desleal e contraria a todos os usos
que os concurrentes dos Srs. Grinault < C,
zeram distribuir em grande numero os jor-
naes judiciaes e mandaram publicar em
Franga e nos paizes istrangeiros uma deci-
so que nulla, sem nenhum valor eraquan-
to o tribunal imperial nao a liver approva-
do, e depois delle o tribunal supremo.
3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por uma sentenca de 17 de maio pr-
ximo p.issado, ordenou nova vistoria, a que
linha motivado a deciso dos juizes da pri-
meira instancia lhes tendo parecido insufi-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ramente contradiclorias de um cbimico e
physiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pharmaceutico em chefe dos hospitaes, e
piofessor aggregado da faculdade de medi-
cina de Paris.
4. N'essas circumslancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informaces mais certas, a
mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
peigo medicamentos, cujas excedentes qua-
lidades e perfeita preparado tem sido, des-
de muitos annos, r conhecidas por todos os
membros mais distinclos do corpo medical,
e que tem os nicos defeitos de serem me-
lhores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de seus concur-
rentes.
LUenco.
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Bocha Prannos, estabele-
cido com botica na ra Direita n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope inconiestavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de coja composigao -
o sea maior elemento a salsa parrilba, pois que se
tem conhecido ser o veame mais enrgico para a
prompia cora das molestias, coja base essencial
depende da purifteagao do sangne ; assim pois se
tem verificado por-muitas pessoas que se achavam,
desengaadas, as quaes acham-se boje restabelecr-
das com o referido xarope alchoolico de veame;
entretanto qae algans, tendo usado do xarope de
Corinler, de Larrey, de salsa parnlha, de sapona-
ria, oleo de figado de baealhio, e outros agentes
desta ordem nada eonsegulram. E' elle de fcil
digestSo, agradavel ao paladar e ao olphato. Al-
guns mdicos desta cidade e da de Macer o teem
recommendado para a cura das
Impigens, tinha, escrophnlas,
Tumores, ulceras, escorbuto
1
-






J
-

.
?

i
l


mmm
Diario ale Peranft>uco ftexta feisra i de tetmihro de 19J
A
r^
Cancios, sama degenerada, fluxo ilvo.
*Todas estas iHeccoes provm de urna cansa in-
terna ; nao ha pois razao alguma era crer que el-
las se podem jurar coro remedios externos. Tam-
ben) se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o traiamenio das afTeccoes do systema nervo-
so e Dbroso, lies romo :
Gotla, rheumaijsmo, paralysia,
Dores, impotencia-,- esterllidade,
Marasmo, hypocondria, emmacrerimento.
O xarope alchoolico de veame sobre tudo, da
maior utilidade para curar radicalmente, e eni
pouco terapo o rbeumatisme.
Adverte-se que o verdadeiro xar?pe s se vende
-nesta cidadc na botica cima Delirada, do abaixo
assignado : e em outra qualquer pane que se tero
annunciado nao da raesma composirao, e nem o
-abaixe assiguado se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
C0MME5CI0.
EMTAM.
LFANDEGA.
Rendimento do dia i a 30......
dem do dia 31...............
472:907*459
28:434*970
501:342*419
A Jurubeba.
As virtudes therapeaticas da jurubeba sao desde
muito eonlier.idas nao s no Brasil, pois que dellas
tratou Pisn em sua exrellente obra Historia na-
iuralis el medica ndice occidenlalis, seno as
Antilhas, onde o sueco das folhas e fructos como
aqu, muito estimado e applicado contra as obs-
truccoes abdominaes, principalmente do figado e
bacj ; e se todos o facultativos desta provincia o
nao appliram cora frequencla, islo se nao deve a
nao reronhecerem elles essas virtudes, roas slm a
nao serem encontradas com faeilldade e era todas
as estacoes do anno os fructos dessa planta, e re-
pugnancia, que apresentam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos, em consequencia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas : Descarregam no dia 1 do corrente.
osla planta pertence familia das sotaneas, e tem, Barca porlugueza-Sympafc'a diversos gneros,
a denominado de solanum pamculatum, que lhe' Barga portuguezaA/exandre Herculano -vinhos.
ol dada por Lyneo. | Escuna ingleza Ann Granimercadorias e farro.
Pareeendo-nos conveniente facilitar o uso do Brigue porluguezS. Joscharque,
surco dos fructos da jurubeba, que o mais em- Barca nacionalValledem.
Caixa filial 4o banca da Brasil em
Pernambuco.
A directora deslacaixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
Novo banco de Pernambuco.
tf ministradores da roassa fallida de Joaqaim
Jos Silveira pagam o dividendo de dila mista
na razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
mettidos : no nova basco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Vovo banco de Pernam-
btice.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
O Dr. Tristao de Aleocir Araripe, offlfral da Im-
perial ordem da Rosae }uepeeal do-eonwner-
cio nesta cidade do Renfe de Pernambuco, por
S. II. Imperial, etc.
Faro saber aos que o presente edilal virem e
delle noticia tiverem, que por parte de Domingos
Jos de Paria me foi dirigida a petico do theor
segulnte :
Illra. Sr. Dr. juiz do commercio.Diz Domingos
Jos de Fana, commerciaote estabeiecido na villa
do Pilar da provincia das Maguas, que lendo com-
prado, a Joo Baptisla Goncalves Bastos, mercado-
rias na importancia de 1:462*000, compra que fu-
ra feta no estabeleciment que o suplicante co-
ntiena pertencer firma de Bastos 4 Magalhes,
nao so aos mesmos ficassem assignado* os seis das
da le, como os dez dias aos credores tocarlos, pas-
sanlo-wosedHaes do estyto.e requeren* na mes-
ra oecasiao que se passasse mandado de reraoco,
para o deposito publico e achando-se preseate o
solicitador Miguel Jos de Almoida Pernambuco
procurador dos executados, por parle desles pedio
Termos em qne houve dito juiz ambos os reqoe
rmenlos por deferidos.
Extrahi o presente do protocollo de audiencias, e
junto o mandado e termo de penhora.
Eu Faustino Jos da Fonceca, escrevente jura-
mentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalbo Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Segnindo o que assim se continha em dito re-
querimeoto de audiencias, depois do qual o mesan
MOVIMENTO DA ALFADEiiA.
Volumes entrados cora fazendas.... 74
c com gneros..... 395
Volumes sabidos cem fazendas.
< com gneros.
------469
141
417
-------328
aceilara no dia 5 de abril do cjrrente anoo urna
lelra da quantia de 1:050*000, e quereudo pagar o' solicitador Ignacio Barroso de Mello, procurador do
excesso dinheiro o indicado Baslos lhe pedio que exequenle, era audiencia do dia 19 de junho do ror-
seria grande o favor ver se lhe dava toda a quaotia ren,e an<">, rae fez o requerimeuto do theor se-
por isso que tinha naquelle mez grandes pagamen-1 1
tos, pelo que, e atteodendo ao mdico preco das
mercadorias, o supplicante lendo ottido nesse mes-
mo dia um saque de Pedro da Silva Reg contra
Jos de Vasconcellos, da quantia de 1:400*000, a
prazo de trila dias, o endossou a favor da lirraa
de Bastos & Magalhes, por persuadir-se |que o es-
Aos 19 de junho de 1865 nesta cidade do Recife
de Pernambuco, em puhlica audiencia que aos fel-
tos e as partes fazia o Dr. juiz de direiio especial
do commercio, Tristto de Alencar Aranpe, nella
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello procura-
dor do exequenle H-nrique Jos Alves Ferreira,
pregado, nos propozeraos e conseguimos preparar
om elle nao s um exlraclo aicoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tambera um vinho, um
xarope, e um emplastro que pode substituir, em
certos casos, o de Vigo ; e estamos persuadidos que
com isto prestamos um servico huraanidade e
therapeutica.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
oceo das raizes da jurubeba, e Mral e Delens,
em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
rho vesical; e a auloridade dos nomes desses m-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em
nosso estabelecknento essas raizes, para que possam
ser experimenladas.
A repulacao da jurubeba tal, e os resultados
therapeuiicos obtidos ltimamente sao tito impor
tantes, que nos parece intil dizer
isto, que fica escripto.
Deposito: pbarmacia de
Joaqutm de Almeida Pinto.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen-
tosas, ao reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobstruenles, sendo em prega-
aa com 'vantagem contra as lebres intermitentes
acompaohadas de engorgitamenlode ligado e baco.
Ella lera sido applicads cora inconleslavel proveilo
conlra a anemia ou rhlorose, e hydropesia, catar
rho da bexiga e mesmo para combater a menstrua
cao diflkil, resultante da mesraa anemia ou chlo-
rose.
Extrato aicoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id->m.
Vinho idem de idem.
Pulas de ext. idem.
Deposito, pbarmacia de Pinta, ra larga do Ro
sario n. 10.
VARIEDADES
Sciencias e medicina.
L-se na Union Medcalo de Pars:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna descoberta importante
para a therapeutica, que consista na desin-
feccJio do oleo de figado de bacalho sem
lhe tirar nenhuma das suas propriedades.
Temos o prazer de annunciar boje aos
nossos leitores, que esse resultado fui obti-
do de modo o mais completo por um hbil
pharmaceutico de Paris, o Sr. Chevrier, que
conseguio desinfectar o oleo de figado de
bacalho com o alcatro e o balsamo de
Toln. As experiencias feitas por muitos de
nnssos praticos celebres, nos hosp taes e so-
bre seus doentes particulares, as analyses e
ensaios de ebrneos competentes, nao dei-
xam nenlinma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Submetti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certiGcar que esse producto
nao.perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem cbimicos, que se
acham no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
estranhas que se poem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhum modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
tigad) de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle 6 muito be tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peias
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
ceptveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tera-s.'. tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
descobrio o meio de o tornar de um uso f-
cil para todos, prestoo um verdadeiro ser-
vico arte de curar e aos praticos.
Por isso n3o podemos concluir melbor
do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com men collega o Sr.
Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado de bacalho lhe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste em ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
de figado de bacalho ferriginoso de Che-
vrier constitue talvez o melbor meio de dar-
se o ferro. Pois e ioduro de ferro unido
deste modo com o oteo de figado de baca-
lho se. dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vas digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipado. E'- assim que
os doentes, cujo estomago nSo pode suppor-
tar nenhnma preparado marcial, lomam fa-
cilmeote o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
beber um grande sorti ment dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pbarmacia de Pedro Maurer
Iniportaco.
Brigue nacional Amelia, entrado de Marao, con-
signado a B. J. Rodrigues Piuheiro, manifestou o
seguiote :
440 alqueires de sal, 20 molhos de palba de car-
nauba ; aos mesmos.
Vapor nacional Paralaba, entrado do sul, maul-
feslou o seguinle :
De Penedo.
170 meios de sola ; a Ferreira Guimaraes & C.
7 saceos algodo; a Jos Goncalves Torres.
1 dito dito, 8 couros espichados e 12 saceos de
milbo ; a Chaves $ Vianna.
1 gigo louca, 1 barril manteiga ; a ordem.
Hiale nacional Graciosa, entrado de Maco, con-
signado a Bartholomeo Francisco de Souza, man-
feslou o seguinle :
350 alqueires de sal, 300 molhos de palba de
_ carnauba, 38 arrobas de carne secca e 2 ditas de
mais do que sebo em rama; a ordem.
Vapor nacional Mamanguape, entrado do norle,
mamfesiu o seguiote :
De Maco.
2 saceos algodo; a pama & Silva.
2 arrobas de carne secca ; a Jos Martins Fer-
reira.
2 saceos algodao; a Joaquim Jos de Souza Maia.
33 saceos algodo e 37 molhos courinhos curti-
dos ; a Bernardino Jos Monteiro & Irmo.
194 couros salgados, 24 molhos dilos curtidos, 3
saceos cera de abelha, 27 arrobas de carne secca ;
a Cunha Irmao & C.
62 arrobas o 20 libras carne secca ; a Manoel de
Souza Carneiro Pimpo.
8o saceos algodo ; a J. Torquato Filho.
4 barricas sebo e 52 arrobas de carne secca ; a
ordem.
10 couros salgados ; a Tasso Irmos.
Do Aracaly.
10 saceos algodao ; a Tasso Irmos.
12 dilos dilo; a Andrade & Reg.
6 ditas dito ; a Francisco Gomes de Mallos J-
nior.
28 ditos dito ; a Prente Vianna & C.
3 ditos ditos, 5 dilos, gomraa e 50 meios de sola;
a J. Rodolpho de M.
8 saceos algodo ; a Jos Alexandre Pereira.
Do Cear.
1 caixao livros impressos, 1 caixa um apparelho,
10 saceos caf, 113 ditos algodo ; a ordem.
Do Acarac.
16o meios de sola ; a viuva de Manoel Gongal-
ves da Silva.
12 saceos algodao, 80 meios de sola, 5 sacros
cera e 2 couros salgados; a Jos de S Leilo J-
nior.
269 meios de sola e 208 macos couros miudos ;
a Joo Jos de Carvalho Moraes.
2 caixas queijos; a Joo Ferreira dos Santos J-
nior.
Vapor nacional Galgo, entrado do Rio de Janeiro,
niauf-stou oseguinte :
1 caixao fumo picado ; a Joaquim Bernardo dos
Reis.
4 ditos chapeos ; a Ferreira & Araujo.
1 dito volumes impressos : a Joao Walfredo de
Medeiros.
1 dito dilos ditos; a Jos N. de Souza.
2 caixas machadinhas e pertences ; a Jos Joa-
quim de Lima Bairao.
1 dito chapeos ; a Adriano A. A. Jordo.
1 caixao notas ; a caixa filial.
1 caixa joias; a Ferdinand Laboneme.
2 caixas rap, 30 Jacazes toucinho, 2 jarazes
queijos, 1 caixao charutos, 5 meias barricas graxa,
1 volume chapeos, 339 rollos fumo e 1 fardo fa-
zendas ; a ordem de diversos.
tabelecimenlo anda perlenci-lhe, entregando com requerido que havendo-se desencamiohado os pri-
elle ao indicado Bastos a quantia de 62*900 em me""03 editaos, se lhe mandasse outros cora salva
sedulas, era cuja occasio exigindo a letra que pou- do prmieiro, e que laocava de prava, e requera
co antes havia aceitado a prazo de quatro mezes,. Qu<; wssem.os autos com vista afiual.
foi-lhe respondido que hgo Ih'a dara por estar O qne ouvido pelo juiz assim o deferlo.
muilo oceupado ; succedeu, porm, que poucos : Extran o presente do protocollo de audiencias,
dias depois o supplicado se ausentasse, e o aceitan- Eu Manoel Silvino de Barros Falco, escrevente
te do saque declarasse aos curadores fiscaes que ti-! juramentado o escrevi.
nha de paga-lo e no dia do vencimento recolliesse _ha M.moel de Carvalho Paes de Andrade, esen-
sua importancia a' deposito, do qual fra levantado vao subscrevi.
e recolhido a' massa, sem que o saque apparecesse : Seguindo o que assim se continha em dilo reqoe-
assira como a letra que tambera se venceu no da rimeuto de audiencia aqui transcripto, depois do
5 do crreme, mas nao saneado o supplicanie se o iual o mencionado esenvao Manoel de Carvalho
supplicado inutilisou a letra ou a transferio, e ape-: Faes de Andrade, que este subreveu e fez passar
zar de nao ter at hoje apparecido, podendo mui' presente edilal cora o prazo de tO das, pelo qual
bem succeder que mais tarde possa apparecer, vis-1 e sea theor chamo, cito e hei por citados a lodos os
lo que a falta de protesto nao desobriga ao suppli-, redores neerlos dos ditos executados, para que
canle que acceilante e teoha de repetir o paga-: dentro do referido prazo compareram ante este
menio ou sustentar um pleito judicial ; vera re- .juizo, allegando e provando que for a bem de
querer a V. S. digne-se mandar que os curadores seus direitos e justicia sob pena de se proceder as
fiscaes informem se dita letra existe na massa, no Isuas revelias.
Arremataco. r m fxvf mgL
ftifditS oV crreme mez, depois da andien-' .*_. *^K**"-1 ^*-"
cia do Sr. jWe de pt do 1" districto da Ba Vista D8**b escrwos seado uro cosiahelro e copeiro
tem de serem arremados os seguimos bens: 2 e o.<>uro'winbeiro, padeiro e imaginarlo, ambos
fiteiros para oaVa+has, i espelho, 1 guarda-roupa 8>a,os Ueis tm VKros-
em raa i estado, 1 carleta, 6 cadeira?, i relonio de HOJE
prata eom cachorro da mesnu, 1 cadeira de braco, a? 11 horas em ponto, na praca do commercio, em
cajos bens foram paohorados a' Agapito Atonio frente a Associagao Coramercial.
de Barres, por execuedo de Manoel SilreHd
Preius e Jos Joaquim Gomes Teixeira.
de -
caso afflrmativo, que lhe facam entrega delta, e no
negativo, que se lance termo deprotesio contra o
detenior della, urna vez que estando paga nenhum
valor mais tem, para o que requer a V. S. so digne
deferir-lhe, sendo o protesto intimado por meio de
edilaes; e esta junta aos autos da respectiva (atien-
da. Pede a V. S. deferimento E. R. M. Joaquim
de Albuquerque Mello.
Na qual dei o seguinte despacho :
Digam os curadores fiscaes. Recife, 11 de agos-
to de 1865.Alencar Araripe.
Depois se via e raostrava segulr-se a ioformaco
seguinte f
A letra a que se refere o supplicante, nao existe
na raassa ; o quanto temos a dizer. Recife, 12 I
de agosto de 1865.Por procurado dos curadores i
fiscaes Ribeiro.
Na qual dei o seguinte despacho :
Tome-se. o protesto e iniime-se como pede. Re-
cife, 21 de agosto de 1863. Tristao de Alencar
Araripe.
Em virtude de quai lavrou o escrivo o termo
de protesto do theor seguinte :
Termo de protesto.
Aos 22 de agosto de 1865, na cidade do Recife,
era meu carlorio appareceu o supplicante por seu
bastante procurador o solicitador Joaquim de Al-
buquerque Mello, e disse perante mim e as teste-
munhas afra assignadas
E para que chegue ao ronhecimento de todos
mandei fazer o presente edital com a prazo de 10
dias, que ser afilado nos lugares do costumee
publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 21 de junho de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito, especial
do commercio, nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-
de, etc.
Fago sahei aos que o presente edita) virem e
d'elle nolicia tiverem que no dia 18 de setembro
do corrente anno, se ha de arrematar por venda
a quem mais der em praca publica deste jaizo, o
seguinte :
A propriedade denominada Sant'\nna cita na
freguezia do Poco da Panella, na qual exi>te um
sobrado bstanle velho, duas casas terreas, em mo
estado, e urna dila cahida, urna olaria em ruinas,
avahada em 7.000,j000. A qual fra penhorada
por execugo de Amonio Jos de Castro, contra o
bacharel Joaquim Francisco de Miranda.
E nao havendo laocador que cubra o preco da
avaliaro. a arremataco sera' fela peIS prego da
rreoiatace.
No dia 2 do rorrete mez, depois da audiencia do
Dr. juiz municipal da 2* vara, vai a' praca por
venda a casa terrea n. 26 na estrada de Joo Per-
oaodes Vieira, freguezia da Bia-Vista, em chaos
proprios, com 50 palmos de freote e 43 de fundo,
2 salas, gabinete, 4 quartos, 2 cozinhas, sotao den-
tro com janellas para os lados, quintal grande com
fructeiras, cacimba, ele, avahada em 2:6000, cora
abate da 5* parte era 2:080^._______
ttmm
Pela adminisiracao do correio desta cidade se
faz publico para fis convenientes, que em virtude
do disposlo no arl. 198 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de de?embro 1811. e art. 9 do
decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se proce-
der o consumo das carias existentes na adminis
De una paite da casa terrea sita ia
roa de Santa Rita sob n. 39, era
chaos proprios.
Cordeiro Siiueea
por conta e risco de quem pertencer vender en
leilo a pane de predio cima descripta, podendo
os preteudentes procederem ao exarae e qnerendo-
informacoes pode rao entenderem se con o referi-
do geme, o leilo ser effectuado
HOIE.
as 11 horas em ponto no armazem da ra da Graz
u. 57.
JLEIIIO
DE
12 meias aguas na entrada da raa da Paima,
traco pertencentes ao mez de agosto de 1864, no dentro do prirneiro porto do I-do direilo, aind
dia i de setembro" proximo.as 11 horas da manha, novas, edificadas em terreuo de 54 palmos da
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista '
se acha desde j exposta aos interessados.
Adminisiracao do correio de Pernambuco 22 de
agosto de 1865.- O administrador
Domingos dos Passos Miranda.
ao porto, lendo-
quano e cos u ha
frente e 109 de fundo.
1 dita ern ponto maior junto
porta e janella, com 1 sala, 1
rendem todas 105 mensaes.
Cordeiro Simdes
; precedida a competente autorisacio far leilo
, das casas terreas cima mencionadas, sendo todas
de pedra e cal.
Kelacao das cartas seguras viudas do snl pelo Os pretendemos podero examina-las cujo lei-
vapor algo para os senhores abaiio deca- Io ser effectuado
mmms) m
que reduzia a proteslo o
conledo de sua pelico, a qual offereceu como i adjudicacao na forma da le.
parte do presente, que fica seudo ; e de como as-1 E Para que chegue ao coohecimenlo de lodos,
depois de lido se flrmou cora as ditas testemu- imprensa, e afTixado nos lugares do costume. Re-
nha*. cife, 21 de agosto de 180L
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es- Eu Manoel Marja Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.Joaquim de Albuquerque Mel- crivo, o subscrevi.
lo.Fortunato Auguslo Pereira de Oliveira.Au
guslo Luiz Pereira da Cunha.
Por forca do meu despacho o referido oscrivao
fez passar o presente pelo qual cito e hei por mi-
mado a pessoa que em seu poder existir a mencio-
nada letra, para que G jue sciente do expendido
neste edital.
Tristo de Alencar Araripe.
BECIA&ISEI
rados
Antonio Henoch dos Reis.
Aleixo Marinho de Figueiredo.
Alarico Jos Furtado.
Amaro Francisco de Moura.
Amorim Irmos.
Eduardo Meirelles Alves Moreira.
Francisco Lauro da Silva Costa.
Francisco Miguel da Costa.
Francisco Mendes Martins.
Francisco Eduardo Bemjamin.
Manoel Jeronymo Barros.
Hemeterio Jos Velloso da Silveira.
Joo Carlos Boages.
Joo Pedro das Neves.
Jos Rodrigues de Souza.
Luiza Annes de Andrade Lial.
Marques Barros & C.
Maooel Jos dos Santos.
Mariano Francisco Belera Cavalcanti.
Manoel do Nascimento Teixeira.
Manoel Antonio Santiago Lessa.
Viuv de Manoel Goncalves da Silva.
Vicente Jos de Brito.
HOJE.
as 11 horas em ponti, no annazern a ra da Cror
n. 57.
LEILAl!
De urna esc cava a qual lava e cosinha.
IIOJIJE
Na praca do commercio em frente a Associago
Coramercial.
Leilo
De movis c uniros artigos.
Scxla-feira 1 de selentbro as 11 horas.
57-No armazem a roa da Cruz57
Cordeiro lines
far leilo por conta e risco de quem pertencer de
diversas obras de marcineiria novas e usadas.
Teila(T
Da excellente chacra do Exm. Sr. desembarcador
Doria, no Manguinho, com as accommodacoes
que podem ser examinadas desde ja pelos pre-
tendenles, os quaas devtro concorrer ao leilo
no dia
Terra-feira 5 de setembro.
Por intervenco do agente Piulo, em frente a
Associaco Commercial.
Da elegante casa assohradada, reedificada de no-
vo, cora cocheira, estribara fora, grande ba-
nheiro de ti jlo e cal, forrado de cimento, jar-
dim, cercado e baixa de capnn, em Caxanga na
estrada real de Pao d'Alho.
Terga-feira 5 de setembro.
O agente Pinto fara leilo precedida a comp-
leme aulonsaco, da casa de campo cima men-
cionada a qual se torna recommendada por ser
drama'ein'2"actose'um"prologormartimo,"orTginal Ialm de ,nui f efCa perlada ponte penr.il e da es-
porluguez do Sr. A. Cesar de Lacerda. ,aca> dos mnibus : o leilo sera' effectuado as 11
horas do da cima dilo na praca do commercio
em frente a Associago Commercial.__________
s
IHEITRO
DE
EMPREZA-COIMBRA
4a recita da assignatnra dos 6 espcetacalgs do ar-
tista Simes.
Sabbado 2 de setembro de
1865.
Representar-se-haa muito applaudida comedia-
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
GE-
Rendimento do dia 1 a 30.
dem do dia 30...........
42:826J92i
1:7619374
44:5
RENDIMENTO DA RECEBEDORIA DR RENDAS
INTERNAS GERAES DE PEttNAMBUCO DO
MEZ DE AGOSTO A SABER :
Renda da typographia nacional. 19000
Renda dos proprios nacionaes. 2283750
Foros de terrenos de man nha.. 800
Landemios..................... 6345575
Siza dos bens de raiz............. 17:7723063
Decima addicional das corpora-
ces de mo mora............. 799479
Direitos novos e velhos e de
chancellara.................... 1:1589942
Ditos de patentes dosofflciaes da
guarda nacional................ 2169000
Diiima de chancellara........... 2:0109022
Multa por infraccoes do regula-
mento.........................
Sello do|papel fixo................
Dito do proporcional.............
Premios dos depsitos pblicos...
Emolumentos..............*..
Imposto sobre lojas e casas de
descontos...........
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, etc. fabricados em paiz es-
trangeiro............
Taxa de escravos.........
Indemnisac,es...........
Deposito de diversas origens.....
Cobranca da divida activa
909407
5:2689*40
7:5229209
2199579
3479200
7:4159615
2809000!
4509812
Convida-se as pessoas que eslao as
E para que chegue ao coahecimento de todos I condires do servico militar, a eneajarcrn
inHoi noccir r\ nro.imii, nn* coro* nnl\l(*aHi-t nal* 1 ... 7 o <
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gens di le piuvuoid u. Ol dea de maio
prximo passado, que sao as seguidles :
lSl-00 rs. diarios de sold, .serem seus i-
llios menores recolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de educacSo e o tempo que
mandei passar o presente que sera' publicado pela
imprensa e adlxado nos tusares do osturae.
ItoGiAi, 23 de agosto de 1865.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimeuto, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da Impe-
perial ordem da Rosa, e juiz especial do com-
LEILO
mercio, por Sua Magestade Imperial e Coostitu-1 estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm deslas
tem todas asmis vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
en te-coronel comtnandaute do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
que.
norial, etc.
Faco saber aos que o presente edilal virem e del
le noticia tiverem que por este juizo especial do
commercio pendem uns autos e execucao de sen-
tenrade D. Maria Venancia de Abreu Lima Bastos
conlra Jos Guilherme Guimaraes.
E leudo se feto penhora em dinheiro, pertencen-
te ao executado fra pelo solicitador Flix Fran-
cisco de Souza Magalhes, proearador da exequen-
le feito o seguinle requerimento do seguinte ter-
mo :
Aos 28 de agosto de 1865, na cidade do Recife,
em publica audiencia que aos feitos e partes dava .
o Dr. juiz esoecial do commercio Tristao de Alen-
car Araripe, Della pelo solicitador Flix Francisco
de Souza Magalhes fra aecusada a penhora feilf
em dinheiro perlencente Jos Guilherme Guima-
Perante a cmara municipal desta cidade es-
taro em praga publica nos dias 2, 9 e 16 do mez
de setembro prximo vindouro para serem arre-
matados pelo lempo de um anuo, por quera mais
offerecer, os impostos seguintes : o arrendamento
da casa sita no pateo do Corpo Santo na cidade do
Her fe por 8479000, dizimo do capira de planta
1:2009, coqueirosde pr*lucco para negocio 5909,
raes ; e requerdo que"flassera"assYgnados" seis aferlco, sendo o arremalante obrigado a aferir os
dias a penhora, e dez aos credores incertos, passan- P? e medidas pertencentes
do-sc edilaes ; o que sendo ouvido pe'.o juiz man-
dou apregoar pelo porteiro do juizo Francisco Ma-
noel de Alrreida, que o fazendo na forma do estylo
dera f de ter comparecido o solicitador Joao Cae-
tano de Abren, que raoslron ser procurador do ex-!
ecutado, e pedio vista ; o que sendo ouvido pelo
juiz, houve penhora por felta e aecusada, os seis;
e dez dias por assignados e a vista por concedida :
do que Gz o presente extrahido do protocollo das
audiencias, a que juntei a carta precatona e termo
de penhora, e procuraco bastante que seguera ;
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento es-
crivo o escrevi.
Por forra do mea despacho o referido escrivo
fez passar o presente pelo qual chamo, cito e hei
por intimados os credores incertos do dito execu-
tado, para que comparecam neste juizo dentro do
dilo prazo munidos de seus documentos aim de
allegarem o que for de justica.
E para que chegue ao eonbecimento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afinados nos Ingares do costume.
Recife, 29 de agosto de 1865.
a' mesma cmara
8659, 500 rs. por cabeca de gado vacum 48!'9,
mscales e boceleiras 3'i9, casinhas da ribeira
1349*00, gao recolhido no curral 489500, repeso
do acougue 109500, cargas de fannha e legumes
159, gado suino 59620 e gado ovelhum 19636 :
os pretendenles podem comparecer nos menciona-
dos dias com seus fiadores habilitados na forma
da le.
Paco da cmara municipal de Olinda 26 de agos-
to de 1865.
Joaquim Cavalcanli de Albuquerque
Presidente.
Marcolioo Dias de Araujo
Secretario.
COMPANHIA
DO
S5o novamente convidados os Srs. accio-
nistas a reunirem-se em assembla geral
!E.?.MaDOeJ_M,aria "odri8ues d0 Nascimento, es- extraordinaria no dia 6 de setembro pro-
44:5889298
Recebedoria de Pernambuco, 31 de agosto
de 1866.
O escrivo,
Manoel Antonio Sitnoes do Amar al.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 30.
dem do dia 30.........
MOVIMEHTO DO POETO
.Varo* entrados no dia 7.
Portos do sal7 das e 16 horas, sendo do ultimo
porto 13 horas, vapor nacional Galgo, de 500 to-
neladas, eommandame 1 lente Francisco M.
A. de Araujo, equipagem 54, carga differeoles
gneros.
Navios sabidos no mesmo dio.
Barcelona.Sumaca hespanhola Jot>i Adella, ca-
pito Loorenco Pa', carga algodo.
Rio da Prata.Escuna portugueza D, Joo, capito
Luiz Netto Braz, carga assucar.
Macei e portos intermediosvapor nacional Pa-
rahyba, commandante i. 1. Martins, carga varios
generes.
Para' e portos intermedios.Vapor nacional Galgo,
commandante 1* lente Francisco de M. A. de
Araujo.
envao o escrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direilo especial do
commercio deiia cidade do Recife de Pernambu-
co, seu termo, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional oSenhor D. PedroII, a quem Deus
guarde etc.
Faco saber pelo presente, que no dia 18 do mez
de setembro do corrente anno, se ba de arrematar
qflnno> P* venda a quem mais derem praga publica des-
l^o Vaa te juizo, depois da audiencia respectiva, a escrava
ifi*A.sir de oome Mana, crioula, de quatorze annos de ida-
' de, avaliada em 6009, a qual vai a praga por exe-
cugo de Albino Jos Ferreira da Cunba contra
Manoel Ignacio das Candeias. E na falla de licitan-
tes ser a arremataco feita pelo preco da adjudi-
cacao com o abatimento respectivo da le.
E para que ebegue ao coohecimenlo de todos,
mandei fazer o presente edital que sera' afiliado
nos lugares do costumee publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, 30 de agosto de 1865.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento es-
crivo o escrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Trsto de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direlto especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernam-
buco e seu termo, por S. M. Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deas guar-
de, etc.
Faco saber pelo presente qne por esle juizo e
carlorio do escrivo que este subscreveu e fez pas-
sar o presente, corre urna execucao de senlenca,
entre parles como exequenle Henrique Jos Alves
Ferreira e como executados os administradores da
massa fallida de Amorim, Fragoso, Sanios & C, e
proeeguindo a execucao os seas devidos termos,
prosedea-se a penhora em dinheiros pertenceotes
aos mesmos execoiados, pelo que o solicitador Ig-
nacio Barrozo de Mello, procurador do exequenle
enr audiencia do dia 14 do oovembro me fez o re-
querimento do theor seguate :
Aos 14 de oovembro de 1864 nesta cidade do Re-
cife de Pernambuco, em publica audiencia que aos
feitos e as partes fazia o Dr. juiz de direilo especial
do commercio Tristao de Alencar Ararioe, Della
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello 'procara-
dor do exequente Henriqoe Jos Alves Ferreira,
fora acensada a penhora que se segu feita em di-
67:0609350
1:0929240
68:1529990
xirno futuro ao meio dia no escriptorio da
mesma ra do Cabug n.46, afim de se de-
liberar sobre o determinado no aviso ex-
pedido pelo ministerio d'agricultura, com-
mercio e obras publicas em 21 de julho ul-
timo com referencia aos novos estatutos
desta companhia, roga-se aos senhores ac-
cionistas que nao poderem comparecer por
si a essa reuniao, mandem procuradores
especiaes para tal fim, que ser da reforma
dos ditos estatutos.
Escriptorio da Companhia do Beberibe
31 de agosto de 1865.
O secretario,
___________Dr. Joo Jas Pinto Jnior.
No dia 2 de setembro pelas 4 horas da tarde
a porta do Illm. Sr. juiz de paz do primeiro dis-
tricto da freguezia da Boa-Vista se ho de arre-
matar em ultima praca os bens seguintes : 6 ca-
deiras de amarello com assenlo de palhinha ava-
lladas por 249, 1 marquez idem idem avaliada
por 169, ama dita por 109, 1 mesa redonda de
amarello avaliada por 169. 1 me5S de looro por
59,1 hanqainha com gaveta por 59, 1 caixioha
com techadora por 49, e 1 espelho de parede por
69, cujos bens vo a praga. por execugo contra
Georgy Brainer.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguate :
Para o presidio de Fernando.
1 barril azeite doce.
K> medidas vinho branco engarrafado.
500 hostias.
8 libras insengo.
4 libras bejuim.
1 libra pasiilbas.
As pessoas que quizerem vender dilos artigos
apreseotem suas propostas na sata do conselho de
compras, as 10 horas do dia 2 de setembro vin-
deuro-
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra, 30 de agosto de 186o.
O eocarregado da esr,fiptaragao,
Manoel los de, zevedo Santos
Dar' (ira ao espectculo rom a primeira repre-
aentiifSu da oom^dmom I arto, ornada de nri-i ;.
do Exm. Sr. Duarte de Sa' lente da declamago
do real conservatorio de LisDoa
UM PAR DE MORTES
ou
vida de
A
um par.
PERSONAGKNS.
Theobaldo, litterato...... ...... Simes.
Bento Cordinha, aguadeiro...... Teixeira.
Casimira...................... D. Eugenia.
Comecara' as 8 horas.
Das 4 casas terreas da ra da Amisade ns. 23,
24, 25 e 26, sendo as 3 primeiras com 2 salas, 2
quartos, cosinha fora, cacimba, quintal murado, e
a ultima maior cora 2 salas, 4 quartos, cosinha
fra, 1 quarlo para prelos, tanque, cacimba com
bomba e grande quintal com larangeiras e diver-
sos arvoredos de fructos.
Terca-feira 5 de sstembro as 10 horas em
em frente aAssociaro Cuniuwrcial.
O agente Pinto legalmenie aulorisado far leilo
no da, hora e lugar acuna indicados, das quatro
casas terreas supra mencionadas edificadas na ra
da Amisade era frente a casa do Exm. desembar-
gador Doria, era S. Jos do Manguinho.
lualo
AVISOS MABITIMOS.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
al o dia 3 de setembro o vapor
Tocanlins, commandante o pri-
meiro tenenle Pedro Hyppolito
Duarte, o qual depois da demora
do cosame seguir pora os portos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e eogaja-se a
carga qae o vapor poder condazir, a qual dever
ser embarcada rib dia de sua ebegada, encDm-
raendas e dinheiro a frete at o da da sahida as
2 horas : agencia ra da Cruz o. 1, escriptorio de
Autogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.______
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir cora muita brevidade a barca
nacional Restauraco, lem parte do seu campa-
mento prompto: para completa-lo, e jautamente
para escravos e fretes, para os quaes tem excelen-
tes commodos, trata-se cora os seus consignatarios
Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, ra da Cruz p. 1._______________
Para o Porto por Lisboa
pretende sahir com a possivel presteza o brigue
Pernambucano : para carga e passageiros, a quem
offerece bons commodos, trata se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fooseca, ra do Vigario
n. 19, primeiro andar.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende sahlr neste; 15 dias a barca nacional
Valle ; para carga, passageiros e escravos a frete,
trata-se com David Ferreira Bailar, na raa do
Brurn n. 66, ou com o capitn da mesma barca.
COMPANHIA PERNAMBUC4NA
DE
costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Macan, Aracaly, Cear
e Acarac '
No dia 6 de setembro as 5 ho
ras da larde seguir para os por-
tos cima o vapor Mamanguape,
commandante Souza. Receher
carga al o dia 5. Passageiros,
encommendas e dinheiro a frete al as 3 horas da
tarde do dia da sabida : escriptorio no Forle do
Mallos o, 1.
Navegaco
LEILOES.
Leilo de predios.
A saber :
Um sobrado de om andar e soio da ra da Seo-
zal Nova n. 6, o qual rende annualmeate 5289-
Um dilo de um andar e sollo na ra da Seozala
Velba n. 28, o qual rende 4609.
HOJE.
O agente Pinto far leilo, precedida a compe-
tente autonsaco dos dous sobrados cima indica-
dos as 10 horas do dia 2> do. corrate, na praca do.
Commercio.___________________________
LEILO
De uioa casa do Montoire.
HOJE
O agente Pinto tara' leilo as 10 1|1 horas, do
dia cima dito da casa n. 30 da ra do Monteiro,
esquina do becco do Quiabo, edificada em chaos
proprios, com 2 salas, 4 quarlos, cosinha foras
quartos para prelos, quiotal morado e cacimba ;,a
praca do commercio em frente a Associ.^o com.
mercial,
____A7IS05 MYEaSOS.
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto-
uio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Quarta-feira 6 de setembro do corrente
anno, se extrahir a 2a parle da 4* lotera
(30*) a beneficio da igreja de Nossa Se-
nliora do Rocano de Muribeca, no consisto-
rio da igreja de Nossa Seobora do Rosario
dajfreguezia de Santo Antonio.
Os bilbetos, meios e quartos esto a -ven-
da na respectiva tbesouraria a ra do Cres-
po numero 15.
Os premios de 6:0000000 at 100000
serSo pagos una bora depois da exlraccao
at as 4 boras da tarde, e os outros depois
da distribuico das listas.
As encommendas st5o guardadas so-
monte at a noite da vespera da extracclo
como de costume.
Servind de tbesoureiro,
___________Jos Rodrigues de Soma.
Club Peraamburano.
A partida do mes de setembro ter lugar
na noite do dia 6.
Precisa-se de a:4009 a juros sobre hypoihe-
ca : quem tiver ananneii por este Diario._______
AO SR. lLOCk.
Na raa do bivrmento n. 10 precisase fallar
com o Sr. lUock, negocame de joias, que andou o
mez passado na comarca de Serinhiem, bem romo
previne que niuguem faca iransaeco com urna
Letra sacada por este senbor, e aceita por Ignacio
de Barros Wanderley da quantia de 1:9009; acer-
ca da qual alistara duvidas importantes, como
consta de documentos era poder do annunciante.
Aluga-se a casa n. |4| da ra do Principe
com 3 quarlos, 2 salas, oosiaba (ora, quintal e ca-
cimba, na nova freguezia da Boa-Vista : a tra-
tar na, roa Nova n. 3.
Ama
>
Precisa-se de ama ama para o servico interno
de urna casa de poaca familia : a tratar na praca
do Corpo Saoto n. 17.______ _
Precisa-se de urna pessoa forra oa serav*
para ama : na raa de Aguas-Verdes o. 80, segun-
do andar, que saiba engommar, oosiobar, e qae
sirva para as compras de ra ; qnera estlver ms-
as circurastancias dirjanse a mesma ca^a.
E. A, ri'immis retir-so para a Baha.______
- prederlco James Cprbett retlra-se para In-
glaterra.
Precisase alogar urna escrava:
largo 4a Boledade n- 2, taberna nova.
a tratar no







Diarlo de Fcraambaco Sexta letra 1 tfe ftetembr de 1S1.

HOSPITAL PORTUGUEZ
DE
BENEFICENCIA EMPERVAW-
BUCO.
A junta administrativa manda fazer publico qne
a (estado anniversario e o leilao de prendas em
favor deste Hospital, nue se havia tixado para o
da 24 do corrente, tica transferido para o domin-
So 1" de outubro prozimo, em razo de ser aquelle
ia,24, dia de luto nacional, anniversario do falle-
cimento de S. M. o Senhor D. Pedro I no Brasil e
IV em Portugal.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia em Pernambuco 1 de setembro de 1865.
O secretario
Joao Pereira Rabello Braga.
Joo Francisco dos Santos, cidadao brasilei-
ro, vendo quasi sempre nos jornaes que se publi- j
cam nesta cidade nomes iguaes ao seu, resolve as-
signarse de boje em dianle por Joao dos Santos |
Francisco para evitar dnvidas futuras.
Offerece-se urna pessoa de bons costumes e
capacidade para urna senhora que precise de com-
panhia : quem pretender dirjase a ra Augusta,
casa terrea n. 12, que achara com quem tratar^
9j?650
se pagam as libras sterlnas : na travessa das
cruzes n. 8.
Precisa-se de urna ama (com preferencia es-!
crava) que seja boa engommadeira, fiel e de bons
costumes, para urna casa de pouca familia : a tra-
tar na ra Nova, sobrado de um andar n. 48, ou
na Boa-Vista, ra da Soledade, casa n. 35.
Alugara-se ou vendem-se duas canoas aber- j
tas, proprias para conduccao de capim, ou para
servico de qualquer sitio ; assim como duas dita*
de carreira : a tratar na rna do Brum na saboaria
do Hecife. __________________!
ai
O abaixo assianado roga s autoridades poli- (
ciaes, empregadas as barcas de vigas e as es-,
taces da estrada de ferro e mais pessoas, de man-
da'rera prender o ineu escravo com os signaes
abaixo declarados, que fazendo-me um crimefu-.
gio de minha olaria no dia 30 de agosto de 1865.
Ernesto, crioulo, idade 22 annos, Daiio, secco,
bem preto, feicoes bonitas, njoleiro, tem mai por
nomo Felicia, miuha escrava, vestido de camisa de
aznlao, caiga de algodo cinzento, paletot velho de ,
alpaca preta, chapeo de palha preto, e talvez mude
de roupa ; protesto proceder contra quem o tiver |
asilado : quem o pegar poder leva-lo ao mea si-
tio da estrada do Arraial, ou a' minha olaria n. 13,
na ra do Mondego da freguezia da Boa-\ isla da |
cidade do Reclfe, que pagarei o trabalho e des-1
pezas. i
________Marcelino Jos Lopes.________|
Koga-se ao Sr. Maoel Joaquim Pereira Lobo
queira diriglr-se a lo;a do sobrado da ra do Cal-
deireiro n. 12, que se Ihc deseja fallar, desculpan-
do o raesmo senhor usar-se dote meio por se ig-
9\VUL4$
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VE\ IIA EM PERNAJ9IBUCO
Em casa dos Srs. Caors.e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos que compoem esta preparacao, o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta attestar
seas resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
laes, e os relatnos dos prticos mais eminentes,
qne confirmrao sua poderosa efficacia uas se
guintes affeccoes:
Mineo* no (c,
Fraqurza,
Aariula,
Chloraae ou Ictericia,
Meaatrua,
AfTeeeea do ulero,
Sappreaaoea daa re*
sjraa e denordena na
meniilruaeo,
Affocfo pulmonar e
phlhlalea,
Maleallaa i)f(rat,
GaatralKlaa,
rerda duppetlte,ete.,
Conralearencade Ion
fill* IllolCHtllIK,
Moleatlaa eacrerule-
aaa,
Papelra,
Obalrarc&e daa glaa-
dalaa,
Bumorea frin,
Tuiuorcn hraneoa,
Rachltlania,
Affceeoea caneeroaaa
e ayphllltleaa,
Febre typheldea,
Beilgas, etc., etc.
Vej&o-st os bullelins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 4860; a Gazeta
dos hospitaes de 28 dejulho 4860, etc., etc.
AlOm das pilulas de todureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo autlior para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. F.ste xarope n3o tem
como o xarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nao poder conservar.
Pega-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
4 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
Pelas comnssdei em grosio,
R
PASTLHASB
IGESTIYAS
DE PEPSINA
DI WSMAN
DlarrheaM e a ronnll-
paeo producidas
pel.in clnborarca
dcrclliioaadoaall-
III*-lili.H.
As pastillias digestivas com a pepsina de
Wasman, emprego se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicaes de
Pars, Londres, Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quaes adigestao dilficil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivcl: eis
o mclhor remedio para cural as.
faatralKla*,
niHpepMlaa,
ii i ba BtM aalrleea
A gnntrili-,
A* afr.TC.n-i* orcAnl-
caa do cnlmaicn,
Sua accao vivifica o sanguc c os rgaos de
tal sorte que, ath as pessoas que sem soffrer
as affeccoes gstricas cima mencionadas sao
nicamente fracasou d'um temperamento*um
pouco dbil, c necessito substancial alimeato
para fortificar-se, achilo no emprego das pas-
has de pepsina de Wasman,um poderoso nio
para a isso chegar.
Aviso importante.0 successo das pastillias
pepsina de Wasman deu causa a se fazerem
falsifica des eimitacocsd'csse producto que os
mulos se qiicrem dosfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacao a pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'esle
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilhas tenhao as iniciacs B. P. e saiao da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Montmartre, c em todas as boas
pharmacias de Franja c dos paizes estrangeiros.
DOENGAS
dos MENINOS
NUDAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Castra aa CLICAS DOS MENINOS antea
e durante dt-uilro
(Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
V 9. Contra a
TOSSE CONVULSA
NEnVOSA
e a tosse
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
N* 3. Can Ira aa
CONVULCES
A CUORA
DOS MENINOS
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do.
meninos cima indicadas, e verao encher um
cuo importante na therapeutica, no que toca as
aflecces da infancia, para as quaes, ath hoje,
anda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivcl.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Preco do irasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificaces, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignalura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud c em todas as boas pharmacias de Franc?
c dos paizes estrangeiros.
GRA1W
x>E BISMUTH
DE CHEVRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
riores a todas afc outras preparacoes de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de lodos os paizes, para prevenir e curar as
Mi'i dlcestdea.
(anfrllra,
Gaatralalaa.ete.,
Miili-xiliiN de libado,
A Ictericia,
Palpitar a da coraeae
narra noa rlna,
Dlnrrhi'aH rhranlcaa,
DvaHCnlerluS,
Ddrca d'ealomaga,
DyapepHlaa.
Drea ac"rabeea. Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irriiaeoea de bexica a e em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
da aaatrls, ele. estrangeiros.
dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Pars.
MAS8A e XAROPE
DE CODENA
DB
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Grcgor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Pars, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as losses rebel-
des e extremamente fatigantes da grppe (ca-
tarrho epidmico), defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchile e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
acliSo em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificarn,exigir em
cada produto o nuuie
e a firma Berlb.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Ra SU-Croix-dc-la-Brctinncrie.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SutTocecao nervosa e OppressAo
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
arnarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
OS FA RAG AYOS
E' a ordem do dia! Acabar com os Para-
gujyos a bayoneta, a miai, a revolver;
fulmina-lus com os encouraTados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
1120; extermma-los em summa a espada, a
, fai lo e a punbal de que se trata; mas
l Dnguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos con as armas que Deus dos con-
I cedeu; acabar com elles a tacSo e a ponta-
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
: rompe-ferro, esmaga c bra, arranca tocos,
quetira marmore e otros que se vendem
44-RUA l.ii;iia15
! Borseguins Bordeaux........ 85000
patricios......... ',-)00O
para senhoras, en-
teitados....... 5,5500
com laco e fivella .. 4^800
: Sapates encoura?ados....... 5iJ00O
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapa tos de lona, sola elstica.
30000
2O0O
106OO
15600
avelludados
de tranca
econmicos para se-
nhoras........... 5500
com salto de lustre.. 25240
Chineles do Por o.......... 15600>
Um completo sormento de calcado da
trra para homens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
I tare, marroquins, taixas de todas as quali-
i dades, Atas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
i te faz cebica ao comp ador pela barateza.


norar sua morada.
AMA.
Quem precisar de urna ama para cozinbar e en-
gommar, dirija-se a ra da Lapa n. 4.
Saques sobre Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacara sobre
- Precisase de urna ama que saiba coiinha^e | Lisboa Q0 |argQ do Corpo Samo n ,9
engommar para casa de pouca
Crespo n. 18, primeiro andar.
familia: na ra do!
Precisase de urna ama de lelte que seja sa-
dia e sem filho : na ra estreita do Rosario n. 10,
segundo andar.
Desencaminhouse, indo para a estacao das
Cinco Pontas. urna caixinha contendo 12 libras de
cha verde fino, e 1 libra de dito preto : roga se a
quem della der noticia, dirija-se ao pateo do Terc<)
n. 141, taberna, que ser recompensado. _
torca maior,
com seus
Claudio Dubeux, obrigado por
para decididamente de hoje em diante
omnibos, visto nao ter mais animaes suficientes
para manejar a sua empreza por causa da grande
mortandade que tem soffrido em sua cavallaria ;
e para que o prejotzo que j tem tido nao se es-
teno a mais, vai soltar no campo o resto dos ca-
vallos que ainda exislem. Fica, portanlo, sem ef-
feito o annuncio de 31 de agosto relativo a altera-
gao das partida?. Os senhores assignantes, cujas
asignaturas estiverem pagas, e nao acabadas, po-
dom vir receber o respectivo excesso._________
~~ FrederTco James Corbetl, gerente da casa
commereial de James Ryder & C, tendo de se re-
tirar para Europa, deixa encarregado da mesma
casa ao Sr. William Vaughan com ampios poderes.
Precisa-se de um bom cozinheiro, na
ra do Crespo n. 8. loja de 4 portas.
Aluga-se a alguma familia urna mulata moga,
a qual lava, engomma, cozinha, e tem mais habili-
dades : quem a pretender dirija-se a ra da Au-
rora n. 10, segundo andar.
Creme
na ra do
Sorvete de creme hoje ao meio dia
Trapiche n. 18.______________________________
Ama de leile.
Aloga-se nma ama de leite sem filho, com mui-
to bom leite : na ra do Caldeireiro n. 38 achara
com quem jrat?r.
Quem quizer botar sentido a um sitio na
Capunga, d-se dous quartos para morar de gra-
ca, senflo pouca familia : a tratar na ra da Im-
peratriz n. 62.____________________
Aluga-se o andar terreo da casa n. 59 larg >
de S. Pedro : a fallar no primeiro andar da ra
da Cadeia n. 64.
Samuel Power Johnston &Companhia
Ra da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA OA
Fandlc&o deLow Hoor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios do carro para om e dons cavallos.
Kelogios de onro patente inglez.
Arados americanos.
Ma hias para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Emilio Augusto Deiouce
50RCA NOVA50
Acaba de receber um grande sorlimento de ocu-
los e lunetas para vistas cansadas e myopes; bi-
nculos de todas as qualldades, cadeias de ac to-
teadas de ouro e inultos outros objectos; na mesma
casa faz qualquer concert de relogio muito em
conta e com brevidade.
Orna muHier honesta e de bous costumes of-
ferecese para fazer o nrVajd interno de urna casa
de familia, meaos eagcmmar : quem precisar di-
rija-se ra do Crespo n. 20 A.
Os filhos do primeiro matrimonio e
genros do tinado brigadeiro Gaspar deMe-
nezes Vasconcellos de Drummond, convi-
dam e pedem encarecidamente a todas as
pessoas que se considera rem credores do
respectivo easal se sirvam de apparecer na
ra da Aurora n. 26. dentro de 15 dias con-
tados da presente data, das 6 as \0 horas
da manha e das 4 as 6 da tarde, para ve-
ricacao dos seus crditos e ulterior a cor-
do sobre os seus pagamentos, independente
de quostes judiciaes; Recifo, 8 do ogosto
de 1865.
Offerece-se um homem j de assento e
sem familia para criado ou feitor de algum
sitio, engenho ou outro qualquer servico : a
procurar nesta officina.
A luga se o 1 andar da casa n. 7 da ra do
Burgos: a tratar na refinacao da Senzalla Nova
n. 4.
Preeisa-se de urna ama para casa de duas
passsoas : na ra da Penha n. 23, t andar.
Precisa se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar, para casa de pouca familia : na ra do
Crespo n. 18., 1 andar.
quem iflemsar poMa na provincia do Ciar.
Era nome de ineu uai o Sr. Canillo da Silveira
Borges Tavora Indigena e d minha mal D. Maria
de Satit'Anua ca Silveira, protesto contra qualquer
transacciii ou afneiacio feita pelos oerdeiros do
meu fallecido avd materno o teoente-corooel Anto-
nio Gomes da Silveira obre os bens do seu casal,
vi-i.i i-t.fiio nao se ha vendo anda procedido o res-
pectivo inventarlo e partiUia, nao so por falleci-
ineuto do dito meu av, seno tambera pela morte
de sua consorte, meus pais cooservam sobre esses
bens direitos incontestaweis de legitimas, que me
preparo uara discutir e liquidar, Igualmente pro-
testo clara e postiivamecte contra as vendas feitas
.das grandes iiropriedades pertencentes quetie ca-
6al, sob a denominadoFlor de LizLindo Assu-
4lee ou ira; bem como dos escravos Aadr, Ma-
Bsel e todos qaantos no mesmo caso se acharen!.
Jiecife 22 de agosto de 1865.
O bacharel
Joao Franklin da Silveira Tavora.
SORVKTE.
De 11 horas em diante todas
ra da Cruz n. 13.
os dias otis : na
OSr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigir-se a ra Nova n. 60, a tratar de n- gocios
fue Ihe dizeo respeito.
<3S?SX*_< 2_S_K,__& _^7
Na [iraca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambera se faz qualquer obras de e&commenda e
odo e qualquer concert.____________________
Ama
Na rna do Imperador n. 83, terceiro andar, pre-
clsa-se de urna ama para cosinhar.
Arrenda-se o engenho Catuaraa no termo do
Bonito, dista da estacao de Una menos de nma le-
gua ; tambera veude-se a safra criada e d-se 16
animaes de fabrica, d'agua : quem pretender di-
rija-se ao mesmo engenho a trata* cora Joaquim
Justino de Almeida.
Precisase de urna ama para casa de moco
solteiro (estraogeiro) para cozinhar e tratar da ca-
sa, podendo ser nacional ou estrangeira ; paga-se
bem : a tratar na ra da Cruz n. 54.
Claudio Dubeux, proprietano das linhas de
mnibus, faz sciente ao publico, qne em conse-
quencia de Ihe ter morrido grande parte dos ani-
maes de sua empreza, e raesmo pelo mo estado
era que esto as estradas, ve-se toreado a diminuir
um mnibus da carreira de Apipucos; fleando
assim de hoje 31 de agosto em diante alteradas as
respectivas partidas para as horas seguintes : Do
Recife para Apipucos as 3 t|2, 4 1|2 e 5 1|2 horas
da tarde ; de Apipucos para o Recife as 6 3|4, 7
1|2 e 8 11 i Ja manha. Todas as mais linhas con-
tinuare! as horas do costume.
ssociacao Couuuercial Beneticente de
Peina mbaco
A direceode ssociacao Commereial Beneficen-
te, convida os Srs. socios efieclivos a se reunirem
em assembla geral no dia 5 de setembro prxi-
mo viodouro as 11 horas da manha, alim de se
tratar sobre a compra de um predio para mudanca
d me>ma ssociacao, segundo o projecto que a
direccao apresentar, e reforma de alguns artigos
do estatuto, sendo esta a requenmento de alguns
Srs. associados.
Associago Commereial Beneflcente de Pernam-
buco 29 de agosto de 1865.
O secretario,
_______________Candido C. G. Alcoforado._____
Aloga-se a loja do sobrado, sito na ra das
Cinco Pontas, com armacSo propna para qnalquer
estabeleciment", e tambem com commodos para
morada : a tratar na ra do Queimado n. 20.
A Sr. Uenrique Auguro Millctt
muito se Ihe deseja fallar a negocio do seo inte-
resse no prazo de 4 dias : a ra da Madre de Dos
a. 16, faz se o presente annuncio por se ignorar a
sua residencia.
Acaba de chegar de Pars o mais bem es-
colnido s-rtimeoto de folhas artlficiaes de roseira,
arraigu** e musgo: a venda na ra Formosa
n. ?9.
CASA DA FORTlif
Aos 6:0000000.
Bilhetes garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
O anaixoassignado venden nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir, a beneficio das familias dos volunta-
rios da patria, os seguintes premios:
Um quarto n. 170 com a sorte de 1:2005000.
E outras* multas sortes de 100$. 40, 201 e
10000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 2* parte da Ia lotera
(30) beneficio da igreja de N. S. do Rosario de
Muribeca, que se extrahir quarta-feira 6 de se-
tembro.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......3*500
Quartos. .... 15900
Para as pessoas qne comprare- de lOOfJOOO
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......35750 >i .
Quartos.....15700
Manoel Martins Fiuza.
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da ra da Imperatrlz n. 30 para o
sobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade podem ser entregues na botica
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
praca da Boa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
& G. na ra da Madre de Dos, ou no ar-
mazem de viuva Raymond & G. na ra do
Trapiche Novo das 9 horas da manha at
as 4 da tarde.
HIS9A.
Tendo o abaixo assignado de mandar ce-
lebrar urna missa resada pela alma do sen
finado cunhado e amigo Dr. Jos Bandeira
de Mello ex-juiz de direito da primeira vara
da capital do Para onde fallecen no dia 2
do corrente, pelo presente convida a todos
os seus amigos que quizerera assislir a este
piedoso acto, o que ter lugar sabbado 2 de
setembro pelas 7 horas da manha no con-
vento do Carino.
Manoel Firmino Ferreira.
GHE6ARAM A LOJA
DAS COIiLlTMNAS.
No ultimo vapor vindo da Europa
Superiores cortes de seda de cores o que tem vindo a Pernambuco de mellior gosto
em seda.
Assim como mais algamas fazeodas de bom gosto para vestido.
RA DO CRESPO \. 13
LOJA DE
Antonio Correia de Vasconcellos e C.
CORTES IIJ_ SE IIA
Chegararn pelo paquete ingles riquissimos cortes de raoreantique de cores, e seda lavrada pa-
droes inleiramente novos.
Seda de quadros por 1$000 o covado
5RA DO CRESPO-5
Gregorio Pae do Amaral fc Companhia.
Joao da Silva Ramos, medico pela L'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da urde. Visita os doentes
em saas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sea casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
, ainda mesmo os alienados, para o qne
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2500 >
Terceira dita.... 2000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.

1
U
I
cao
mmmmmm mmmm
Pede-se em;ireslado ou compra-se o
Diario de Pernambuco de 1 f de maio de
1826 : quem o tiver anouncie.
7<
'endo fallecido em Lisboa no 1 do cui-
rente raez o seu presado primo Antonio Fer-
reira Lima, o abaixo assignado manda cele-
brar urna mlssa por sua alma no dia 1 de
setembro as 8 horas da manha na igreja
matriz de Santo Aotoolo, e pede aos seus
amigos e os do fallecido para assistirem a
este acto por cujo comparecimento se julga
desde ja agradecido.
Jos Fernandos Lima.
O advogado Godoy Vasconcellos, pode
ser procurado no escriptono da rna do
Uosario estreita n. 34, ou era sua resi
deoria a ma do Sol n. 9.
Perdeu se no dia 28 do corred.'* agosto, as 5
horas da raaoha, ua frente da matriz u Boa-Vis-
ta, ama caixa de tartaruga com rap : quem ai''ou,
querendo restituir, pode levar ao becco do Porto,
no Hecife, deposito dj Sr. Casco, que ser bem
recompensado.
Aluga-se.
Urna casa acabada agora cora commodos para
familia, estribara, cochelra, quartos para feitor e
escravo rom banho na porta, no lagar do Poco da
Panella, ra do Rio : a tratar com Tasso Irmao?,
na ra do Aaiarim n. 35
..-- ^v .... um. ma fu<5 IIM J.>,l c
mar, e um moleque para o servico externo :
da Caixa d'Agua n. 70.
Precisase de nma ama que saiba lavar e
engomma
na roa
Quem quizer se otllisardos prestimos c orna
pessoa para eosinar em algum engenho perto desta
praca primeiras letra?, msica, e mesmo principio
de gramraalica latina, dirija se ao collegio dos or-
phaos, na ra da Aurora, qne encootrara' o Sr.
professor Trajaoo Felippo Nery de Barcellos, o
qual informara' qual a pessoa : acrescentaodo di-
zer que dita pessoa casada e de excellente con-
duce, o qne poder dar flanea do sea estado
moral.
O solicitador Pedro Alexandrino da Costa
Machado, pode ser procurado para os misteres de
sua proQsso na roa de Santa Rita n. 25, primeiro
andar. ________________________
Jos Luiz Alves Vlllela faz publico que nesta
dala vendeu a Sr. Joaquim Antonio da Costa Fer-
reira, o seu estabelecimento de taberna sito oa.rua
do Rosario da Boa-Vista n. 53, iivre e desembara-
do de dbitos e qualquer onus. Recife, 28 de
agosto de 1865.
Jos Luiz Alves Villela. .
\ SO
aos capitaes de campo.
Ansentou-se o escravo Manoel, que j foi escra
vo do Sr. Joo Ferreira Tabosa, seohor do engenho
Vertenle da comarca de Caruar, e depois de seu
Mino Joao Ferreira Tabosa Jnior, rendeiro do
engenho Rede de Santo Anto, cujo escravo tem
os signaes seguintes : alto, pouca barba, falto de
denles na frente, e o raelbor signal ter os peitos
estofados para fra bem visivel, e levou ferro no
pesclo : quem o pegar, leve-o a ra estreita do
Rosario o. 5, que ser bem recompensado.
Francisco Garrido, amigo proprietario do hote
Trovador, sito na ra do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto desta capital como do centro da provin-
cia, que se acba novameote estubelecido na mesma
ra larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Traviata, onde acharao os sens freguezes
sempre a melbor vonlade para bem os servir, a
n/r de expelientes vinhos capils e boa comida,
qnr no mesmo estabelecimento, qur para fra, e
dentro da cidade aos que nao quizerem ou nao po-
dejem vir a seu estabelehimento, sendo pelo preco
mais mdico que em onlra qualquer parte. No
mesmo estabelecimento acharao os seus freguezes
buhares para recrearem-se, bem como sorvete to-
das as noites para refrescarem-se.
Precisase de urna ama habilitada para todo
o servico domestico : qnem estiver nestas condi-
coes dirjase a ra do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, ra do Progresso d. 7.
Aluga-se a padaria com seos pertences na
rna Impera! n. 199 : a tratar na ra de Hurlas,
taberna n. 2.
Antonio Joaquim de Mello, amigo advogado
nesta cidade, e procurador fiscal da thes'ourana de
fazenda aposentado, emprego que servio por mais
de 22 annos, contina a advogar em todos os ra-
mos do civel e crime. Ra do Imperador n. 14.
Firmino & Lins
! Novo estabelecimeitlo de retra-
tos rn Xova n. 15, Io an-
dar, jauto ao Sr. Gantier,
dentista.
Tiram retratos todos os das, das 7 horas
J da manha as 5 da tarde, quer chova ou
i nao.
Tambem se offererem para tirar reir- j
l tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra j
i da cidade. ]
s Os annonciantes desejando acreditar o ]
( seu estabelecimento, garantem ao publico \
t que nenhum trabalho sahir de sua offici-
\ na, sem que nao seja perfeitamente acaba
s do, e a vontade do fregnez.
tSR^as^ mw -tu
M O hachare.
M Francisco Angosto da Costa B
M ADVOGADO |#
jg| Ra do Imperador numero 69. 10.
mam mmm mwmwmx
Deseja-se saber da residencia e estado do Sr.
Jos Joaquim de Lemos Freitas, filho de Joao de
Lemos de Almeida, natural de Oliveira d'Azemeis :
na praca da Independencia.n. 22.
Precisa-se de um caixeiro de 10 a 12 annos,
que tenha pratica de taberna, e que d Dador de
sua conducta : ua ribelra da Boa-Vista n. 3.
Precisa-se de um menino de 12 annos de
idade, prefere-se destes ltimos ebegados, para
taberna : na rna Direita n. 35.

Luiz domes Uourado leoo de mauUar ce-
lebrar urna missa no convento de Nossa Se-
nhora do Carmo, do da 4 do corrente pelas
7 e meia horas da manha por alma do seu
muito presado irmao Joaquim Gomes Dou-
rado, fallecido em Portugal no da 8 do pr-
ximo paseado, roga aos seus amigos o aos
a'o Anudo, assistirem a to religioso acto pelo
qu sera' eternamente grato.
Precisase de uoja
Imperador o. 57.
Ama.
para cosinhar;
Dentista de Pernambuco.!
Roa estreila do Rosario n. 3, '
ao p da igreja
francisco PINTO OZORIOg
5 Colloca denles arCIflelaes !
H pelos yatena ais mo- I
demos
I Emprega todos os meios scientiGcos para I
conservar os naturaes. Pode ser procura- 5
do em seu gabinete das 9 horas da ma- a
I nhaa as 5 da tarde. K
Todas as pessoas que devem extracta firma
de Novaes A Filho facam favor demandar pagar
ra do Livrameoto o. 34.
.. mi
J/gl Companhia Odelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonia Luiz de Oliveira Atevedo k C,
competentemente autorlsados pela direc-
tora da compannii de segnros Fidelida-
de.tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escrptorio ra da
Cruz o. i.
iva*>_<_'_ W2a**a& vRrysyv,
*
PHOTOGRAPHIA
CRUZEIRO DO SORTE
11Rna estreita do Rosario11
Tira-se retratos a qualquer hora do
da a 85 a duzia e 5 meia duzia, em
candes de visita, om toda perfeicao e a
gosto dos retratantes.
es
Precisa-se alugar um moleque ou urna preta
para andar com um laboleiro de fazeodas era com-
panhia de ootra pessoa : a tratar na ra dos
Quarteis o. 13. .
Na ra da Guia n. 3 precisase fallar com o
Sr. Jos Pedro, natural da ilha de S. Miguel, fre-
guezia da Varzea, para negocio de seu nteresse.
Attenctlo.
Quem precisar comprar urnas 40 a 50 pipas de
mel por preco commodo, dirjase a ra Direita
n430.
m
i
na
Precisa-se de nma ama que saiba lavar e en-
gommar, assim como um moleque para o servico
interno de urna casa : ua ra da Caixa d'Aga
numero 70.____________________ ..
roa do I Di-se 3005 a joros com garanta de urna bv-
J polbeca : na roa da Concordia o. 11.
Joias preciosas e objectos de
ouro.
Mauricio Selbebrrg & C, Polacos, par- j
ticipam ao respeitavel publico, que ac-
baro de receber um grande sorlimento '
de joias e brilhanles, como sejam : relo- .
gios, trancelins, aderemos completos, an- i
neis, cadtias, pulceiras etc., etc. e tudo *
quauto diz respeito joalheiria, pelo pre- |
co o mais razoavel possivel, e mesmo |
troca e compra objectos de ouro, prata e I
diamantes por objectos novos : na ra i
do Queimado n. 29, entrada pelo largo l
^f< de Pedro II n. 27, de manha al as 9 }
m horas, e a tarde das 4 horas em diante.
y Os objectos vendidos pelos annuociantes "
S sao garantidos por elles, e esto promptos |
y para levar objectos as casas das pessoas s
g que desejarem comprar, urna vet que y
I nopossam vir a seu estabelecimento. f
',1M
A viuva de Leocadio Henriques da Concei-
cio, estabelecida com toja de fuoileiro na ra Di-
reita n. 77, convida pelo presente a todos os cre-
dores do seu fallecido marido para eomparecerem
na dita loja, no dia 3 de setembro, alim de serem
verificados os crditos e resolveren), de accordo
com a mesma viuva, sob a marcha do estabeleci-
menlo. Recife 31 de agosto de 1865.
Mariaona Candida da Silva.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
OS paquetes,sol,re
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
ajfjajaj
O Dr. Carollno Francisco de Lima San-
Ktos contina a morar na ra do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seu
JH gabinete de consullas medicas, logo ao
f entrar, no primeiro.
~R O mesmo dontor, que se tem dado ao
jg$ estudo tanto das operagoes como das mo- j_
mt iestias internas, prestase a qualquer cha- _5
K mado, quer para dentro quer para fra iSR
mm mm 'wmtmm mmmm
Na ra do Imperador n. 83, segundo andar,
precisase fallar com os seguintes senhores, para
negocio que Ihes diz respeito.
Antonio Nanea de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Jos Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Serafim de Deus.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
Joo Antonio Pereira Ramos.
Joao Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Mooteiro.
Sebastio Aotooio de Alboquerque (estudantel
Francisco Gomes dos Santos.
| Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebastio Jos de Barros Brrelo.
Francisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Alfonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joo Ribeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Neves.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Julia Rosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadaolt.
Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
^g-s^asKEafiSi
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-"
na a residir na ra da Cruz n. 53,
! e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
1 molestias de olbos;
2o de peito:
3 dos orgios geni-
ti urinarios.
Em seu escrptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
8Pratkar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o _
prompto restabelecimento dos seus I
doentes.
Mi&M*a3S^BKKEB
Aviso.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinbar bem,
para pouca familia, sendo so para cozinhar : a
tratar na ra nova de Santa Rita n. 17 defronte da
ribeira dopeixe.__________________
Precisa-se de um homem casado para feitor;
a tratar ua ra Imperial n. 1.
Antonio Maria Marques Ferreira com botica
na praca da Boa-Vista na esquina da ra do Ara-
gao, sabe quem tem para vender duas casas ter-
reas novas com muitos bons commodos e bons
quintaos : quem pretender dirija-se all que ser
incaminhado.
Encanamentos para
i

aguas.
per-
-d.
Fazem-se na ra Nova n. 30, com toda a
feica j. ______
No dia 11 do corrente frtaram~da~rna
Praia um burro castanho, castrado, de 10 annos da
Idade, cujo burro tem a marca J. S. L no quarto
direito, e eslava carregado com cangalha de ferro
e 8 arrobas de carne : quem ddle der noticia cer-
ta ao Sr. Antonio C Moreira Temporal a' ra da
Cruz n. 30, ou ao engenho Boa Casta da freguezia
do Cabo, ser bem recompensado._________
Precisa-se de um escravo ft>l: a tratar na
rna do Livramento n. 26.


Diarlo de pernambuco --> sexta /eir 1 Je Seteuibro de !&.
V

GQMFalS.
Comprase electivamente ouro e prata em
obras velbas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
SIvho Guilberme de Barros compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexos :
ra do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na prac.a da Inde-
pendencia n. 22, loja de bllhetes._____________
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
em obras velhas : na ra da Cadea do Recite,
leja de ourives no arco da Conceicao._________
Compram-se moedas brasileiras de fOt i
215 : na roa 4o Crespo n. 16, primeiro andar.
"^Compram-se libras steriuas : na praca da
independa n. 22.___________________
Compramsse tres casas, cada urna em valor
de 1:000*, ou raesmo hypotheca-se : a tratar na
ra Direita n. 84.
Jornaes para embiullio.
Compra-se na fabrica de cigarros antiga roa dos
Quariets de Polica e. 21, a 110 rs. a libra.
VENDAS.
Algodo Para saceos e ronpa de escravos
da fabrica de Pernao Velho, e de mutto superior
qualidade : vende-se no eseriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19.__________^_______________
0 castello de Grasville.
Tradurido do francez por A. 3. C. da Crin.
Vende-se este bello romance em qua
tomos pelo baratissimo preco de 3O0C
oa praca da Independencia, livraria ns.
6 e8.
* ou nfecgao pecu- (fraude liquidacao a dinheiro*
lial conhecida pelo nome de Es
^crofula um dos males mais
* prevalecentes e universaes que
ha em toda a extensa lista das i
enfermidades de que soffre o;
Xa loja c aiiuazcm do pavao
ilua da luiperatriz a. O de ta-
ma A Silva.
Os donos deste estabelecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratissimos, s
genero humano : disse um cela-! com o fim de apurar dinheiro, e pravineni as pes-
bre escriptor da medicina que soas que negociam em pequea escala com faien-
. mnc a nma tama nariP rlp <*as, que nesta loja e armaiem enconlrarao ora
t mais de urna teica parte dj^ sorlinieaoJpor pretos ,,ue inu ihesho
todos aquelles que morrem ames de agradar, la|0 em li;t, como a retalho, a
da velhice sao victimas, ou dir- saber:
Cambraias de forro a 2$000-
Vendem-se percas de cambraia branca para far-
ro a 2$ : na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
Moreantique branca
Veode-se superior moreantiqoe branco para
ta ou indirectamente da Escrfu-
la t:por si nao tao des-
tiva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao Ihe sao geral-
mente attribuidas.
3 III SO I ICO DAS HAIS.
PROVIDENCIA DAS CRIANgAS.
COLLARESROYER,
ELECTUO-MAG.NETICOS,
Chamados collares anodinos de dentiqao con\ra
as convulsoes e para facilitar a dentirao das
crancas, preparados e inventados por Royer,
pharmaecutico da Escola superior de Paris, site-
cessor de Chereuu, rnembro da academia de me
diana, antiga casa bocillon-lagrane, pharma-
ceutico do Imperrdor, chefe dos trabalhos chimi-
eos da Escola Polylechnica, director da Escola
de Pharmacia de Paris, e memoro da Academia
Imperial de Medicina. Ra Saint-Martn, 22o,
defronte da ra Chapn, em Parts.
*
E'uma causa directa ^P^h^ vestidos de noiva a I|M o covado, pechincha
monar, das molestias do figado, do estoma- na |oja do pav3o na roa da imperalriI 60, de; cas e quantos lormenios para
go e affecedes do cerebro : Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de appetile ; o semblante fal-
lido e s vezes inchado, s vezes de urna
alvura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fraqueza e
molleza nos msculos: disgesto fraca e
Gama de Silva.
Percates com mofo.
Xa loja do Pavo a 360 rs.
Vendem-se as mais Qnas pe reales com lindsi-
mas cores para vestidos de'senhoras, tendo um
pequeo loque de mofo que larga logo se lave e
liquida-se pelo baratissimo preco de 360 rs. o no-
vado : isto so na loja do Pavo ra da Imperatriz
Admirem o que barato, na ra da Concor-
dia n. 62, por cima da taberna por nome Goia-
beira, tem urna porcao de ttutinas para senhora
isto perfeitamente enfeitadas a 44, ditas de couro
de bezouro a 4,3300, ditas brancas da iigaa'4oOQ,
ditas ditas phantasia a 45300, corrara a ellas que
esiao se acabando e Tazenda que se vende a 6,
gago e 7.________________________
Vndese um siticem Bemfica a' ruargem do
Rio Capibaribe, boa casa, com arvoredos : quem
pretender dinja-se a ra do Imperador n. 61, se-
guDd i andar, que adiar com quem tratar.
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no sea eseriptorio rua da Cruz n. 1._______
Vende-se urna carioca e um boi : nos Qu&tro
Cantos da Boa-Vista o. 93, taberna.
Vende-se um carro (victoria) novo e elegan-
te, com os arreios competentes de metal principe :
na Ponte Velna n. 8, por preco cornmodo.
Vende-se urna casa terrea de pedra e ca,
cita na cidade de Olnda a' ra do Aljube n. 12,
em chaos proprios, quintal, a qual acha se um
pouco arruinada e por isto faz-se todo negocio : a
tratar as Cinco Pootas n. 146, padaria.
Vinbo do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, no sen escritorio ra da Cruz n. i.
Vendem-se no eagenho Meguahipo de baixe
dous animaes de reda, sendo urna testa e um
quarto castrado. ____
Vende-se um rcoleque de 16 annos de idade
bonita figura : oa ra da Imperatriz n. 42.
Vende-se
ora cabriolet de 4 roda* de dous e quatro lugares,
muito leve, para um cu dous cavallos e commodo
preco : a ver oa cocheira ra da Roda n. 60 e a
tratar a ra do Livrameuto n. 38._________
Vende-se urna percao de teludes de barro
que serve para encaar agua em cornijas de casas
ou para outra quaiquer cousa, sendo elles novos e
por prego barato : para ver e tratar na taberna
defroute da capella de S. os do Mangoinho. _
Vendem-se cigarros de estramonio para
quem padece de asilnna : na ra da -Imperatriz
n. 68.
quidar, assim como lazinhas mogambiques com
appetile irregular, falta de energa, venlre (n M<-de Gama & ,,va
inchado e evacuago irregular; quando ^\laazintias a 200 rs O COVado.
mal tem seu assento sobre os pulmoes. urna paV3n
cor azulada mostra-se em roda dos olhoj;; Vendem.se ffiSp?S! para vest-
quando ataca os orgaos digestivos, os oinos do8 send das cres majs modeinas que tem vindo
tornam-se avermelhados : O hlito ftido, ao mercado pelo baratissimo prego de 200 rs., ditas
o lingua carregada, dores de cabeca, ton- coro palminhas de seda a 240 rs.: i
teiras etc.
as pessoas de disposigo escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabera e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affecedes dos pulmes, do figa-
do, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de. pro-
teceo contra os seus estragos; todos as
quelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este terrivcl flagello (e s vezes 6 heri-
ditario) esto espostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao:
A phthysica, ulceracoes do figado, do es-
tomago e dos rins: erupces e enfermida-
des eruptivas da calis; rosa ou erysipela ;
borbullas, pstulas nascidas, tumores, rh-
cumacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
malisaw, dores nos ossos, as costas c na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulceraco interior, e en-
fermidades uterinas, hydroptsia, indiges-
tao, enfraquecimenlo e debilidade geral,
Aos pulmes a escrfula produz "tubercu-
e
pecliincha : ua loja do Pavo ra da Iropealriz n,
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a\$
Vendem-se superiores lencos de seda para ho-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavo na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos brancos a 2$.
Vendem-se duzias de llneos brancos linos a 25,
los e finalmente consumpcao pulmonar :[ ditos Qnissimos a imitacjto de linho com duas bar-
nas glanulas ella produz inchaces e tomam- ras sendo orna de cordo e mitra matizada fazen-
c. r j- .-__ da (iue semure se vendeu a 31 e torrase lIpWI
se ulceras: nos orgaos digestivos causa ^ jr^ do Pavo na rua da Impera,riz
desarranjos que produzem indigestao, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
ori-
a sa-
na pelle produz erupces e affecces cut-
neas.
Todos e6tes males tendo a mesma
gem, carecem do mesmo remedio:
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrliba de Ayer
composta dos antdotos mais effcazes que
a sciencia medica tem podido descobrir,
para esta mulestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contm virtudes verdadeiramente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
euras nolaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, erupedes cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parebas, hydrope-
sia, tosse quando causada por depsitos iu-
"^Tvendem-se 16 pranohoes de amarello com berculosos nos pulmes. Debilidade ge-
14 a 20 palmes de comprido e 1 1|2 a 2 de largo, ral:IndigestO, Si/philis constitucional e
por commodo prego : a tratar no becco da Uenha molestias mercuriaes, molestias das mulhe-
n. 2, freguezia de S. Jos.
Vende-se urna escrava crioula, de 18 a 20
annos, bonita igura : na rea da tiadeia b. 10.
Las para vestidos a 240 d0 f- yf
r ,, nack e .Manual de
rs, ocovado
Na rua do Quenado n. :1 -vendera-se supeKres
re6, ulceracoes do tero, a nevralgia e con-
vulsoes epilpticas e em summa. toda serie
de enfermidades que nascem da
as certides no Alina-
sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lagares onde
, se vendemos remedios,
las para vestidos a 210 rs. o covado ; a ellas, an- 3te remedio O frudO de longas e labo-
tesque se acabe. jriosas experiencias, e ha abundantes provas:
'das sitas virtudes: posto -que offerecidoi
A bygiene a sade.
A sade a vida.
S MAIS.
Quantas criangas nao vemos cada da snecum-
tir s dores da priraeira dentigo I ? Quantas an-
as tristes mais, que
veein se arrebatar, depois de tantos cuidados, de
tantas vigas, o objecto querido de roa ternura I ?
Quantas vezes nao tem ellas sentido a inefrkacia
dos remedios empregados, laes como brinquinhos,
champe de dentigo, etc., cujo duro contacto dos
primeiros irrita as gengivas e causa inflammagao
as membranas mucosas, e cuja acgo nulla fazia
desesperago s mais? Achar um raeio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliviar os solrimen-
tos e prevenir as convulsoes, como tambem todos
os accidentes que resultan) da primeira denticao,
tal o uto que tivemos em vista alcaogar. Ha
mu i tos seculos que se punham no pescogo das
criangas collares de mbar amarello para preser-
va-las e cora-las de convulsoes, mpregava-se pois!
desde muito tempo a electricidade medica rom sa-
b-lo,, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este efTeito saudavel repousa sobre a ac-
os mais bonitos padroes a 240 rs.: isto na loja do gao da electricidade, que solta o mbar esfregado
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama & pelos movimeotos do corpo da crianga. Esla m-
Silva. fluencia constante do Huido elctrico, por fraca
Vttetitlnv inlin'nfKi n Tifl Qae foSi prodozia effeilos curativos proporciona-
* esuaos muanos u, o dos qaanlja d.eleclric,dade engendrada deste mo-
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos n- do Es(a propredade elctrica de mbar a que
dianos tendo 7 1|2 varas capa cor:* sendo ratero > ns temos lido a fe|iz da de app|car a fabrica-
transparenle de novos gostos que servem at para o dos eo)|ares de dentico, augmentando a inten-
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre- sidade dos efrelos elctricos do mbar por meio
co de 3* cada um por ter-se comprado urna gran- de fios conduclores que distribuem as correntes
de porgo : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. d.m modo suave e f^an^ Mr. Royer o in-
60, de Gama & Silva. ^ j ventor de duas especies de collares : Io dos colla-
;/> ilM YtftVfl 9/J.1/Z9 i res aaodinos de mbar electro-magnticos; 2o dos
O-ec iwo su,/ w> om-h* : collares composlos de dillerentes meues com cor-
Pechincha na loja do Pav3o. rente voltaica. Partindo deste principio de physi-
Vende-se a mais Ana silezia de algodo fazenda ca bem conhecido, que a intensidade d'oma cor-
inteiramenle nova no mercado propriaspara saias, I rente galvnica est em razo direita da superficie
camisas e roupas para meninos seudo fazenda su- j dos elementos que compoem a pilla, os collares
perior ao madapolao francez e vende-se pelo bara- Royer, chamados anodinos electro-magnticos d-
lo prego de 440 rs, a vara ou a 400 rs. sendo em signados e graduados por oito nmeros differentes,
pega com cincoen e tantas varas, isto grande; possuem as mesmas propriedades elctricas, coro
esta s differenga que o efTeito curativo esta subor-
dinado ao tamanbo dos elementos que os com-
poem, e por consequencia quanlidade lirnidada
d'etectricidade que engendrara, d'onde se segu
que qnanta maior superficie apresentam as perolas
ou elementos, tanta maitr quantia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e porisso que ns acoro
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposigo flexiveis e
portatels, podem-se por constantemente no pescego
das criangas. Urna rede elctrica cobre sem ees-
sar as partes doridas que sao modificadas lenta-
mente, sem sacudiduras nem commogSes, e pro-
duzem urna cura rpida impedindo as convulsoes.
Assim acha-se reunido com o aotigo proced-
memo dos collares de mbar a efficacia regular e
segora da electricidade medica. Os collares gai-
cano-magnticos de metal comp5em-se de peque-
as perolas de dous metaes differentes, traversa-
des por fios conduclores que formam assim pe-
quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, port-
til e flexivel, empregados com feliz successo contra
as convulsoes, os torticolis, tosse nervosa, tosse
convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
e empregam-se indistinctamente nos mesmos ca-
sos.
HA PRIMEIRA DENTICO
E da utthdade dos collares Royer electro-magnti-
cos para facitiar a erupco dos dentes do leile.
Em poucas palavras expiicarei o que succede
na primeira dentigo, fatendo algumas observagtes
que serviro de guia s mis de familias, que pela
sua tenra affeigo exagerara a miudo os perigos
da ddntlgo, a qual em definitiva urna operago
da natureza.
A mor parte dos desarranjos que sobrevem
sade das criangas tem por causa o trabalho da
primeira dentigo. Quando o dente faz esforgo
para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva-
gao volta-se mais aboudante, o somno agitado,
ha febre a miudo, e em geral sobrevem a frouxi-
do do ventre, e s quando este ultimo syrap
toma nao toma um carcter violento mais bem
favoravel que daranoso. Sendo sojeito a compli-
car-se com outras aUeigoes o trabalho da dentigo,
necessario, em quanto durar, por a mais extre-
ma e continuada ailengo na sade da crianga ; e
desde que se notem os ltimos symptomas que aca-
bamos de indicar, ser urgente consultar um me-
dico.
Estes
MlU BRAM*.
Colleiras de marroquim, com easeavejs
e sera elles.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de mairoquim,
pospontadas e com cascaveis, ou i em elles
proprias para caes e outros bichinhos.
Pennas ioglezas de ac e donradas.
No novo sorlimeno de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieiam
tambem outras ue metal dourado e bieos
mu: bem acabados, e pi,r essas boas e ne-
cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry cv C., asrecommendam aos
entendedores'' apreciadores do bom, valen-
do mesmo a diferenca que lia no prego de
urnas para outras, por que estas se tornan
mais duraveis na coniinuaco de eso ever ; i
RIVAL
sem sfieuxno
Rua li> <|neiiuadu trn. 4S% e .
Coniina a veuder todas as mindexas que abaixo
declara por pregos admiraveis.
Mansos de palitos lliados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douiaas a 200, 210 e SOrs.
Ronets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos com supi lior Hala rocha a 2i0 rs.
Meiadas de I,tilia frua p.;a bordado a 20 e 60 rs.
Caxas com 100 eiivelQuiar.fazund* iiua a CO rs.
Crozas de peonas ,:>',;ge. azemla -ui m, r "00rs.
Crozas de botos iantKi A 300 e
e 640 rs.
f.'aixas com j'O noveilo de linha dj gaz a 700 rs.
Caixas com superiores brelas de cola a 40 e 80 rs.
l'ecas de lita tranca elstica corn 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para enfeiies de vestidos a
40 rs. '
Bara I nos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Nuvellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Litos para assento? de roupa lavada a 100 rs.
n. 60, de Cama & Silva.
Os tsparilhos do Pavao
A 40, 50 e 60.
Vendem-se os mais superiores espartilhos com
as competentes filas para apertar pilos baratissi-
mos pregos de i&, 5 e fif por ter chegado orna
grande porgao para a loja do Pavo: rua da Im-
peratriz o. 60, de Gama & Silva.
Cambraias de salpicos a 3$.
Vendem-se superiores cambraias francezas com
salpicos brancos e de cores tendo 8 1|2 varas cada
pega pelo barato prego de 35, ditas escocezas com
salpiqoinhos mindinhos toda branca a 45 : na lo-
ja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
Silva.
Tartalana branca a 64< rs.
Vende-se tarlataBa branca muito fina a 640 rs. a
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di-
tas de salpico a 15, dila lisa a 800 rs. a vara : na
loja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma A- Silva.
0 bramante do Pavo.
Vende-se superior bramante de linho do melhor
que tem vindo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 25600 a vara, panno de linho maito su-
perior para leoges, loalhas e seroulas 640 e
. 700 rs. a vara : isto a loja de Pavo na rua da
impureza ^ imperalr1 n. 60, de Gama 4 Silva.
Percales \'m& do Pavo.
Vendem-se as mais lindas percales de urna
cor a 400 rs. o covado: oa loja do Pavo
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de todos os la-
maohos a 25300 rs. a duzia, ditas de seda preta
s
na rua
O Uorsoate,
: ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
Vende-se a taberoa denorninada-o Horizonte- ^n^jo ae d versas plantas, algumas das
-e propria para fazer della ara bello esUbelecimen-: qaaes st superiores a moinor saiba parri
toa"moderna, nao s pea casa ter as proporgee Iba no seu poder alterante.
nec9ssarias, como pei* xceilencia do local em que j
PEliTOlUL DE CEREJA HE HOL
.se acha situada : quera a pretender pode dirigir- ^ nr0Kplamenle a astllffia, bronehite
ra^^ortSr.1'0" *<* ^"^l tosse, Wo, angina, coqueluche,
PAMffBA.
Veode-se farinha alva e torrada da ultima feira
de Garaeleira, por prego de 35800 a *ca, que sahe
cuia.por 190 rs., igual a ca .por 240 e 280 : na rua Direita n. M.
VVade se urna parte e um predio no sitio dos
Aros, perte da igreja dos Remedios, o qual pro-
pria pao-a elaria por ter excedente barro, e as tr-
ras quasi tdas proprias : a tratar com Joaquim CO tempo polo PB1TORAL DE CEREJA DO DR
Jos Googalves Beltro, rua do Vicario a. 17, es- AYER.
tosse, defluxo, angina
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias putaio-
nares.
Atlwia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos pulmes podem ser curadas em pou-
criptorio.
Tende-e o engenho Jnndiaiy, cinco legoas
distaele d?. eidade do Natal, provincia do Rio
Grana* do Korie, moente e correH*, eom 20 cap-
tivos, 20 bais.e 20 bestas; assim eomo diversos
lotes de terjau propria para a cultura de algodo e
raaudiofd, e m?s duas fazendas de gado no Potea-
gi e Cear-meirun, na mesma provincia, cojas ven-
das se etlwtnaro a prasos, mediante boas firmas :
.'uem pretender dirjase aquella provioela a tfa-
rtr com Fabric*o,i C._______________
_ Vede-se oua ptima escrava moga de boa
fjgora : a tratar na rua da Cadeia n. 40, loja e \
relvjoeiro.____________________________
"^-Vendem-se saecs com farinha da trra cora
2* a 24 cuias a 25S00 cada um por estar com pe-
qaeca toque de avaria '. o armazem da rua do
mperfcJor n. 83.
Terrenos S venda.
Veode-se um terreno proprio para edificago,
collocado o centro da cid* de, com 68 palmos de
frente e 5(1 de fondo, tendo res frentes, para a
roa da Palma, da Paz e da Cooeordia : para in-
/ormagoe?. na rua do Sol n. 37.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central de
Rio de Janeiro rua Direita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na
PHARMACIE FRAN(AISE
deRMAURER&C'.e
rua nova rc na'
Acha-so
__ Ven-leo-w duas vaccas.de leie moito man
sai, acostumada* a pasur na corda, a que d<
bastaote leite : a tratar na rua larga
n. 34, botica.
do Rosario
Atten^o
Veode-se a uberna da rua da Concordia n. 33,
bem afregoezada para a trra, e tem bons cora mo-
dos : a tratar na roa do Raogel n. 73, pharol do
commercio.
leai na livraria acadmica, na tua do Impera-
i dor; na do Sr. Nogoefra, junio ao arco de Santo
; Antonio; e na lypographia imparcial, na na es-
! irrita 4o Rosario' a compilago de toda a legwlaco
tendente administracao, arrecadagao e fiseali-
sagio dos dinheiros de orphaos defuotos e ausen-
tes, nerantas jareles, legados, etc., contendn nao
. s o regiment de custas e a lei geral das execu
, goes, eomo tambem todas as ordeos e avisos do
governo, qoe a ludo tem explicado, lanto a re*pei-
to das obrigages inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de jnstiga e fazenda, como dos di-
i retios nacionaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
, iropretso e bom papel, e prestndose a utilidade
i de dlfferenles elaBsee, torna-se recommeodavel.
! Seu cusi 105000 por eada exemplar em dous
, toos.
Padaria
Veode-se urna padaria nesta cidade, callocada
am boa posico, e cora excellentes commodos : a
fallar com Joao Querino de Aguilar em seu arma-
xem do caes de Apollo. __->
mmmmmmmmmmm
^(Deposito de calcado fabricado najp
M casa de dete'ico rua .\oval||
... H.
Ahi se encontrarSo obras de diversas j|
qualidades e por precjj mui diminutos, a ?5
retalho e era porgoes. S se vende a di- )
nheiro. 2ne
llllliilil
Queijos de Minas
Tem para vender na rua da Cruz n. 13.
Tasso Irmaos
Vendern no ?eu armazem rua do
Ainorim n. 35,
Uor floo Curago em botijas e melas botijas.
Licores fino sonidos em garrafas com rolhas dt
vidro e em lindos frascos.
Yinhostheres.
Santernes.
Cnambertin.
UermUage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Ton.
pAezei lagniol.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
elgodo ; na rua da Senzala nova n. 42.
para senhoras a 800 rs. o par. ditas inglexas para
horoem a o5 a duzia, isto na loja do Pavo oa rua
da imperatriz n. 60, le Gama & Silva.
Cwtiiiiulos para oamas. 9
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato prego de 115 <> Par- L)llus bordados moito ri-
cos a 245, colchas de fusto para earna a SiSOO e
ts : oa loja do Pavo rua da ImperaUiz a. GO, de
Gama & Silva.
liras bordadas e entrenaos.
Vendera-se finissimas tiaas bordadas e ntre-
melos por prego baratissimo, na loja do Pave rua
da Imperatriz o 60, de Gama & Silva.
Chale* a 45500
Vendem-se bales de raerin liso, tendo de todas
as cores e preos, pelo baratissimo prego de 35500,
por haver grande porgo : na loja do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pava a 2:W0, H t 35500
Vendem-se os melhores bates de arcos amerij
caaos, seudo com 20 arcos a 253O0, ditos com 25
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500. ditos para
meninas de lodos os tamanhos a 2?500 e 35. su-
periores baloes de bramante e murcelina com
cauda, tendo bastante grandes a Si, isto na loja
do Pavao, rua da Imperatriz n. 66, de Gama &
Si lv.
As eamisinhas do Patio.
Meodem-se as mais modernas eamisinhas borda-
das om manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que lera viudo ao mercado a 45500, di-
las com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre-
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangui-
tos e gniinhas pretas a 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 300 rs., calciohas para
menina a 640 rs., romeiras de lit e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja da Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corles de percales.
Ricos cortes de percate eom barra, tendo o com-
petente casaveque a 85, ditos de la a Mara Pia a
65. ditos de cambraia transparente com barra
bordada a la a 25 ; isto se vende na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Paletots prelos a ('>:>
Vendem-se superiores paletots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 6$ ; ditos sobre-rasaeos a
125, superiores caigas de casimira de cor a 75 o
85, ditas pretas a 03, 75 e 85, paletots de meia
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a 45 e 45500, ditas de brim
branco de linho e de cores, coleles de todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muito em eont, s com o lira de apurar di-
uheuo : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas ui loja do Patio
Vende-se um grande sorlimeno de madapoldes,
chitas, algodozinhos das melhores marcas,, ga-
rantindo-se vender mais barato do que em outra
quaiquer parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales prelos de renda.
Chegou pelo ultimo v, por francez um grande e
variado sorlimeno dos mais ricos chales prelos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles mullos de pona redonda a imitago de man-
teletes e mullos com o centro de cor, e vende-se
por precos moito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bornoulsde renda na loja do pavo.
Cbegaram os mais neos bornoots de renda e se
vendem por baratissimos pregos: na loja e arma-
zem do pavo, roa da Imperatriz n, 60, de Gama
di Silva.
35500, 45.
mais quali-
10 varas a
s na
collares vendem-se na loja do Vi-
gilante, roa do Crespo n. 7.___________
Liquidacao das pechiuchas
no armazem da Arara.
O propietario da grande loja e armazem da
Arara tem resolvido vender suas fazendas por
menos 20 por cento do qae em quaiquer outra
parte por isso venham ver as fazendas e se adm-
rem dos pregos, a saber :
Cortes de cambraia eom barras.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia branco
com barras de differentes cores pelo baratissimo
prego de 35 cada corte.
Cambraias braneas.
Vende-se cambraia branca a 35,
45500, 55 e 05 a pega, e de outras
cade? : na rua da Imperatriz n. 56.
liretanlia de rolo.
Vende-se bretanha de rolo cora
25800, est se acabando esta pechinctu
loja da Arara, de Mendes Guimares.
Lazinhas.
Vendem-se as mais modernas lazinhas etica-
das pelo ultimo vapor, tendo padroes muito boni-
tos se veade pelo baratissimo prego de 240 rs. o
covado, fazenda que em outra parte se vende a
400 rs.: na loja e armazem da Arara n. 56.
Cliitas.
Vende-se grande porgo de chitas sendo escuras
e ciaras por baratos pregos a 240, 260, 280 e 320
rs. o covado, ditas percalas finas a 360 e 400 rs. o
covado, moilas mais de outros precos.
Chales de merino.
Desta fazenda ha um grande sortimeato de cha-
les de merino estampados cores moito delicadas,
e eta se vendendo pelo barato prego de 25 cada
ora, uto para acabar.
Colchas de fusto.
Vendem-se colchas de fusto de todas as cores
a 55, ditas de damasco a 45, dita de chita a
25240 e 15900 cada urna : s Lourenct) Pereira
Mendes Guimares.
Madapolao.
Vende se madapolao a 45500, 55, 65500, 75,
75500 e 85 a pega, enfestado se vende com 12
jardas a 3*, 35500 e 15500 : na rua da Impera-
triz n. 56, Mendes Guimares.
Soalembarques.
Vende-se soutembarque a 5j, 65 e 75. ditos
pretos de grosdenaples a 185, l'J5 e 205, e capas
o mesmo prego.
Cambraias de cres.
Vendem-se cambraias de cores sendo Anas a
320, 360 e 400 rs. o covado.
Casemiras.
Vende-se casemira com listas a 25500 e 25800
o covado, e mescladas a 35 : s Mendes Cuima-
res.
ALMANAK
DK
Luso-ilrasileiro
PARA i 866.
POK CASTILHO.
Vende-se na livraria econmica junto ao arco
de Sanio Amonio,
Vende-se um guarda-louga novo de amarello
de raiz, por prego commodo : na rua estrena do
Rosario, loja n. 10.
~~~Azeite
Vende-se em porgo e a retalho, mais barato que
os matulos ne< cargas : na fabrica da travessa do
Carioca n. 2, caes do Ramos.
assim pois quem deltas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na rua do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas c sem ellas para
cortinados.
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do preco est
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
da na rua do Queimado ioja da / guia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso entreleni-
mento.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por preeo ta-
zoaveis, caixiobas com tabolas de madeira,
que das diversas pintaras dolas te formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento tem o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
teligencia. Os apreciadores dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao salisfeilos.
Bonitos enfeitcs pira sentaras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sorlimemo de enteites os mais
modernos e gostos inteiratnente agradaveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir a rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Heias de Iaa para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na losa da Aguia Branca acha-se a venda
0 papel com composic5o para dar fin as
i moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
elfeilo eflicaz : molha-se o papel e deixa se
ficar n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristeccm e morrem. Custa cada fo-
Iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Diversos brioqnedos e entretcnimenlo
para criancas.
A Aguia Branca na rua "do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-!
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos de metal, louga pinta-
da e porcelana dourada para almoc c jan-'
tar e muitos outros brinquedos de madeira,!
que se vendem baratamente : na rua do,
Queimad >, loja da Aguia Branca n 8.
Heias pretas de seda para senherasa:
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por- j
c5o de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preto que lhe cus- j
taram e o bom estado em que anda estao,'
; comtudo est resolvida a vende-las a 5; 0
1 ris o par, afim de que ninguem mais calce
meias pretas de algodo, agra pois apro-l
veitarem a quadra e dirigirem- e rua do;
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
bem vender as brancas a 15 o par, e des-
| tas o nico defeito estarem um nouco tri-i
gueiras, ^____ _____ <
Bivalsem segundo
Rua do Queimado ns. 49 e55, loja de
uiiudczas de tres portas, est quei-
manilo tudo bom ebarat, quem qui-
zer ver admirar venliam loja doj
Bigoiiinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado i
I a 600 rs.
i Grozas de bo'.oes de louga prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Pegas de tranga de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas finissimas
320 rs.
Pecas de Ota de eos
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 0 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pegas de cordo para vestidos, fazenda boa a
20 rs.
Baralhos muito linos para voliarete a 200 e
240 rs.
Latas com superior baoha a 200 rs.
Frascos de niacag perula muito lino a 200 rs.
Frascos e garrafinhas cora agua de Colonia al
400 rs.
Frascos grandes rom superior agua de Colonia a
640 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito tinos a j
15400.
Sabooetes pequeos de bolla a 240 n. e grandes a I
320 rs.
Doza de sabooetes pequeos com rheiro s 700 rs. I
Agua dentiQce superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz s 800 rs.
Frascos de superiores es6encias santal e outros a'
5200. |
Frascos com essencias para tirar nodoas de roona :
aSOOrs. J
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 1G0,203, i
240 e320. i
Frascos bonilos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias mudo finas para senhora a:
45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chombo para meninos a
160 rs.
Pegas de fila de la para dtbrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para mininos a ICO rs.
Bonecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas rom boniU's estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boloes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
varas de cordo de esparliiho a 20 rs.
Novcllos francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de liras bordadas a 640.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
30500.
mwM mmmmmmmmmm
Fumo da Bahia para II
charutos.
'V^ Vende-se fumo superior de todas osqua- 8
Q lidades, a retalho e por atacado e por Sjjl
25 preeo commodo : no Recife roa da H
W Cacimba o. 1. 32
Pares de boloes para punho, fazenda rica a 120 rs.
costuras superiores qualidades a
de calligraphia, fazenda boa a
Ti-souras para
400 e 15.
Caixas de pennas
15000.
Massos com superiores prampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranga e (apele a 15500.
Caixas rom superiores agolbas a 240 rs.
Libras de Ia sorlidas de bonitas cores a 75000.
Caixas cora superiores obreias de massa a O rs.
Rudinhas com aUmeles francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almago a 25400 e 2J800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 13.
Duzias de lesooras cora toque de ferrugem a
600 rs.
tnsiac de facas e garios de cabo preto a 35000
Talheres mnito finn para criangas a 2'0 rs.
Pulseiras para meninas a 320 rs
Ditas e vollas para senhora a 500.
Frasros de Agua Fio;ida vudaJeiis a 15280.
Frascos nun superior banha a 250 e 500 rs.
dem de sorx or oleo babosa a 3-'0 rs.
Caixas com lamparillas par 3 nu7.es a 40 rs.
Varas de babada Porto a 80 < 140 rs.
Carlas de alGoetes francezes a 100 ts.
Qnadernos de papel pequeo a 20 rs.
Grvalas de cores, fazenda superior, a 300 rs.
Papis de agulhas, fundo dourado, a 80.
.Hit
tin Hir>^i
'g'''il*f
3-PE3-3
I i?
^ A *l
p n p
o o o
o a o
8
"S
a H3 g- a 3 a,!
O I tai 9 B8 1
ll i 5 II
BJIfr
s
s
rn
para limpar dentes a 240 e
estrellas com 10 varas a
(MUITOS
DEPURATIVOS
Do Dr SERYAUX.de Parir
Pharmaceutico de l* classe, ex-
interno dos hospilaes, premiado
com a medalha de brome.
Desde muito tempo o pnblico
abandonou o uso das preparagoes
intituladas depurativas conhecidas
sob o nome do Arrobes, Xaropes
ile Salsaparrilha composlos, etc.
Cuja aegao. maior parte das vezes
nulla, e u'algums casos perigosa.
Os CflNFElTOS DF.rtPATIYOS THO ASPECTO
C O COSTO AGRADAVEIS E CONTEN SOB IM
PEQUEO VOLUME SUBSTANCIAS OITO ACTI-i
TAS QUE O SEO MODO DE PBEPARACAO TOMA
I1ULTERAVEIS.
O hu r ro*so qu0 eaten con-
feliOM obi i venid em Fran-
ca sob o palrocinio das principaes
celebridades medicas, os poe cima
de ludo quanto tem existido ath
paje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhurn outro remedio in
temo, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
todas as molestias produzidas
pela alleracao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre ubtillo.
Urna explicacao accompanlia esda
vidro.
DesconGar-se, das falcificacocset imi-
tacoes.
Para ai enccmendnt dirigirse ao
Snres. auitsoa BT c;-, 18, B' Prinee
Eugne, Parit,
GELISEC
ApprovddAA p*u Academia 4e Medioina de Ta. .,.* -
Resulu peins dous relalorios, adoptados pela dita
academia em iku e em 1858, que as GRAGEAS de
Glis e CUNTE sao o nielher e mais effica remedio
ferruginoso para curara cblorosis (alias fluor-albo), os
fluxoj brincos, a fraquna de compleixio nos dous
sesos, e tambem para ajudar a menstraacto das mo^u.
Estas Grageas nio sao vendidas sent em caixinhis
on Tidros cobertos com rotlo e fechados com orna tira
levando a firma do depositario geral : LABELON ye,
hirmaceutico, rua fiouroon-Vi>lM, 19. Pwie.
Venaem-se no Recife em casa de Caors o
Barboza e JoSo da C. Bravo 4 C.
m Bichas de Haraburgo S
3W todos os paquolps da Europa s-1 r>tt:e JR
i{i* destas aminas do sangue humano e se ^
vendem a troeo de pooco lucro s jifim ^j
jK de Ur senipre cousa no>.i : s luja de bar- jfe
>1 beirc rua estnila do Rosatiu u. 3, ao i ^
jm. da ipreja. W'
Ta*Sso Iri'os
vendem gesso em p para estuaue da casas, lijlos
Vendem-se duas estolas, sendo orna branca finos de feitlo diversos para ladrilho. aiuleijos de
e outra preta, ricamente bordadas a ouro, proprias diversos postot, lijlos vidrados para parede de co-
para pregador oa vigario : no largo do Paraiio tinha, canos de barro par* esgoto. cemento tun
numero 10. Larris de 10 arrobas.







?
*\
mmmmmm m mmm mmmm
a ^aw a fl*aa


1

Diaria ae Pernambnco Sexta Iclva 1 de Menbr* de 189*.

N. 11Ra do Queimado N. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento ura grade sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito liaos para 222, 232 e -305.
Colias de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Coisas, de la e seda para carai tambem, de bonitas cores.
Rolondes de guip eofeitados com o melbor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Miureantlquebranco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombaiinas, alpacas pretas, e
laa preta para lutos. _
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e coaro de 42 a 112.
Brins de linho de cores Anos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguiio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazenJas que se veadem por comandos pregos assira como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
C=JQ
GEN R OS BARATOS A DINHEIRO
NOS
6R4ndes mmm m midos
DE
DUARTE &
DE
J. VIGNES.
\. 55. III i D0 1HPGR1DOR X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sai superioridade, vantagense garantas queoflkrecem aos compradores, qualidades estas iocontesta-
vels que elles tera definitivamente conquistado sobre todos os que tem appar^cido nesla praca ; pos-
snindo um teclado e macbinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nanea falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feit) ltimamente raelhoraraentos imprtan-
tssimos pa-a o clima doste paiz ; quanto s voes, sao melodiosas e flautidas, e por sso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encomraendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
corresoondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as e*posic5es.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores auiores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos commodos e razoaveis.
CONSULTORIO MEDHMIRURGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO K OPERADOR.
3Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratnitas aos pobres todos osdias das 7 s 11
bofas da aianho, edas 0 c raeia s 8 horas da noite, excep;ao dos dias santificados.
Pharmacia especial horneopalInca
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dyranamisaces e pelos precos segrate.
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 24^000
de 48 tudos grandes. 30#000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onc3 15000.
Sendo para cima de 12 custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
lii vitos.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jah>
ditus grandes voluraes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 105000
Repertorio do Dr. MelK' Moraes............ 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios d.jste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de serem novainente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios
verdadeiroi, enrgicos e dttradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
verJa-leiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
ta 1is eUablecnnentos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portantoa maior
energa certeza em seus edeitos.
Casa de sauds pira escravos.
Uecbe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
o eraco, p ra o qae o annunciante julga-se sulficientemente habilitado.
'raimiento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
f. ccioaaado a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pesoas de cujo conceito se nao
pjde duvidar, qie podem ser consultados por aqualles que desejarem mandar seus
doenles.
Paga-se 25 por dia'durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operacGes ser) previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunciante.
Pateo do Carino n. 9 armazem Progressivo roa do Queimado i. 71S S
Ueio e Commercio raa do Imperador n. 40, I 71
Principal armazem de molhados. iLfM
OS PROPRIETABIAS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
senos, Iavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os proprietanos dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
tnentos em um so annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serao tam'jem servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para eritar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta i
pela qual se vera os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa '
alguma que 6zer sua despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
dem com 4 a 5 ditas a 35200.
dem vasios de todos os tamanhos a 25000,
15500,800 e 640 rs.
Queijos de 25300 a 25500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
25000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 45600 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
a libra, e em barril de 5 arrobas a
105500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
65500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashea 65000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 55 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 era caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
DE
Ranteiga ingleza perfeitamente flor chegada
ltimamente no vapor Saladim, de 15
a 15120 a libra e em barril terabati-
mento.
dem franceza muito nova a 15 a libra, e
em barril ter abatimento.
Banha de porco refinada a 640 a libra e em
barril ter abatimento.
Ca uxim de superior qualidade a 25600.
dem perula miudinho a 25700
dem hysson especial qualidade de 25500 a
25600 a libra,
dem preto muito especial a 25000 e 25400
a libra,
dem do B'to em latas de 45000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 15200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
25 e 35 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 35500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de soda e oval a 25.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Chouricos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
Gaixas com macarrao talharim muito novo a
55000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 15000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 19000 a libra
que j vendemos a 15400.
Ooce da casca de goiaba era caixes de 4 e
meia libras seguro a 15800,
dem em caixes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 640.
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas,
contendo pera, pesego, ameixa, rainha.
e outras frutas a 35000 cada urna,
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 15200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 25000 a 15200.
dem em latas de 1 lj2 libra a 15.
dem em latas.de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feijao verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 15500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
15200 a 25500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco,
dem de ceblas simples a 700 rs.
tristarinHwrffljL
sangue, crupo ou garro-
tilho, catarro, rouquidao
e todas as innumeravei molestias que affec-
jo aos orgos da respirarlo
i> ES a iia ii e c i;.ii
ediante a accao da balsmica e rresistive
de trabalhar mo
escarolar algodo
FABRICADAS
PorPlant Brothers & C.
OLDAH
ANACAHUITA
Estas machina
podem descare-car
iqualqaer especi
de algodo sen
estragar o fio,
sendo bastanu
L^ duas pessoas para
otrabalho; pdi
desearocar ama
arroba de algo-
do em earoco
em 40 minutos
ou (8 arroba
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para serem movidas or
aniones, qae descarocam 8 arrobas dealgodic
limpo, por da; e motores para mover urna duas
i eutrss dessas machinas. '
| Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
: por que pode fazer mover seis destas machioai
, mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo no arm.
a .inacahuita mexicana que d o nome es- m de algodo, no largo da ponte novan 47
pecial este incomparavel remedio, urna 8aunders Brothers k C
arvore^ cuja madeira por muito tempo se N. II, praca do corpo Santo
PEITORAL de KEMP.
ha us3do no Tampico para a cura das 0-
fermidades cima mencionadas. Foi tam-
bera ensaiada e approvada pela academia
medica de Berlina O peitoral de Kemp
um xarope delicioso inteiramente livre de
opio, acido bydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo C. e em todos os estabeleci-
niTitos pbarmaceuticosdo imperio.
jeposito geral em Pernamboco roa da
C: -z n.22 em casa de Caros & Barboza
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
^cbincha
Cassas de cores, multo lindos padroes, a 240 o
covado na roa Nova n. 47.
Veode-se urna escrava crionla, recolhida,
com 18 annos de idade, que sabe cosinhar, lavar,
enjommar e coser, habilitada para qualquer ser-
viro de casa : a tratar na ra da Alegra casa
junto ao o. 1.
LAUCAS, VIDROSE
CHR1ST4ES.
A loj de louca da raa do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de todas as qualidades
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
Ihos de porcelanas brancas dourada e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive finissimo
chrystal, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, figuras e outros muitos objoctos de fl-
nissima porcelana denominada biscuito para en-
fetes de mesas, etc., guarnieses de flnissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, todo do melhor gosto, pinbas de louca e
vasos para jardira, candieiros de lamparinas para
gaz, globos e chamineis de vidro, boccaes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qnalidade, e mullos outros artigos que
seria enfadonho mencionar, tudo por precos mui-
issimjs razoaveis.________
Saeca a 90*O4.
Fejao para gallinhas, porcos, vaccas, etc. : na
ra dos Quarteis o. 11, junto a toja de fuaiieiro. |
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolba
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco,
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 Ij2 libra a 900 rs.
Vinbos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 11 000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 45 a caada,
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35500
a caada,
dem do Porto especial qualidade a 800 rs.
a garrafa e 55500 a canada.
dem Bordeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Champanha a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 305 o gigo.
dem mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
35 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 15000 e
15500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa,
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja venladeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco,
dem de Hollanda verdadeira a 65 a fras-
queira e 600 o frasco,
dem de Hamburgo a 55500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafoes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 85, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 65.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Bio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35500 e 15300 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15S0O
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem raececipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante.
dem orientaes do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35iOO a caixa.
dem jovens de Castanho & Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 156O0 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermqte bebida para abrir a disposico de
comer a 15500 a garrafa e 145000 a'
caixa. I
Alpista muito novo a 35800 arroba e 140.
^ a libra.
'Tainco a 45000 arroba e 140 a libra.
AZEVEDO FLORES
Ra da Caea do llecife, esqnina da Madre de Deas,
. A ALOES
Os ricos baloes de arcos com milita roda para senhoras.
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 105
dem idem com 16 asteas 125.
Chitas.
Chitas largas soffnveh a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Bicos tapetes grandes e pequeos cora ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas franeczas de 15800 at 55 das segura-
tes vanadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos defustao e de cores
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 45.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Cateas.
Calcas de brm pardo superior a 25500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores.
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pesclo.
Bicas mantas para pescoco de homem de Onissima seda e de ricos padroes, qae
so o licUtio tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 55,
COIXETES.
Golletes de casemira a 45 e 55.
dem brancos a 25500 e 35.
Saceos para viageni.
Saceos para viagem a 55 e maicres a 65.
A QJEJVI NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas suppoe sempre ser as mesmas fa-
zendas.
de
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porco 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparraacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000.
Batatas em gigos de 34 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e aova a
240 a libra.
Sevadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas cora estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra. |
Alhos em canastras muito novos e maunfas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma.
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porcaoter
abatimento.
1
Outros objectos.
Vindos tambem para a antiga loja
miudezas na do Queimado n. 16.
Sapatinhos de setim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapatinhos.
Outras mui finas de fio da Escossia e
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia braceas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tart.iruga mui fortes para des-
embarazar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulhas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinhas com allinetes brancos e pretos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de borracha preto, redondo.
Boaitas ii vellas grandes de aeo,
douradas, madreperola e tar-
taruga;
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, receben um bonito sortimento de
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes
estao sendo vendidas em dita loja por pro-
cos commodos ; assim como boas e bonitas
fitas de gorgoro achamalotado, proprias pa-
ra ditas fivellas.
Oculos de penetra e de outras
qualidades, para quem soffre
laTfeta
A' loja de miudezas roa do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de peceira
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armacao
de ac, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' ra do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos deornalina, os quaes esto
a disposico dos bons christSos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na ra do
Queimado n. 16.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
Farinha.
Vende-se farinha de mandioca muito nova, sac-
eos grandes a 4 : no armazem de farinha da pon-
te nova dos Srs. Tasso Irmios, para poredes, na
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Potassa da Eussia
mnito ora e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
Diversos objectos.
A antiga loja de miudezas ra do Quei-
mado n. 16, acaba de receber muitos e di-
versos objectos que fazem completar o eu
bello sortimento, sendo:
Fitas finas de sarja da mais estreita que
ha at a mais larga, todas de vivas e agraila-
veis cores.
dem tambem de sarja Uvrada, de bonitos
e novos desenhos.
dem idem brancas, lisas e lavradas, pa-
droes igualmente novos e bonitos.
dem de gorgurao de seda achamalotada,
e muito encorpadas, para cinto de fivellas
grandes.
dem de seda preta e de outras cores pa-
ra debruar vestidos, colleles, palitos, etc.
dem de laa igualmente sortidas em cores
e para os mesmos fins.
dem de algodo brancas e diversas ou-
tras cores para vestidos de chita.
dem de borracha brancas e pretas para
soutembarques, vestidos pretos, etc,
Novas e lindas guarnieses para enfeitar
soutembarques, vestidos pretos, manteletes,
l etc., obras do muito gosto e modernissim. j
Tranca de seda com vidrilhos, moldes no-
vos e mui bonitos.
dem idem de cores tambera de bonitos
moldes e agradaveis cores.
Botos para os mesmos fins, sendo pre-
tos de seda maiores e menores, enfeitados
com vidrilhos e pendentes e outros de di-
versas cores.
dem pretos de velludo tambem de soni-
dos tamanhos.
Lonelos de dons vidros com aro de ac, bfalo
e tartaruga.
A loja de miudezas, ra do Queimado
n. 16, recebeu um bello sortimento de lo-
netas e oculos de vidros com armaco fina de
ac, bfalo e tartaruga, e os est vendendo
por precos razoaveis: os pret^ndentes diri-
jam-se a esta loja na ra do Queimado n. 16.
m mmmmmm mmmmmm
mChegaram recente
mente as seguintes :
m Aguas mineraes naturaes de Vi-
chy, dita de Seltz, dila sulphurosa
das Caldas da Bainba, dita azeda
I das Furnas da Ilha de S. Miguel,
sendo estas duas excellentes para
combter as inflammacoes de este-
mago, da garganta, azias etc.
Chocolate medicinal de musgo s-
81 landico. dito ferruginoso, dito de
baunilha, dito de familia, dito pur-
gativo etc. Pastilhas pulmonicas
I inglezas contra a tosse, pilulas de
I Alison contra sezoes, ditas da vida
de Thomaz Parr, ditas depurativas
e purgantes de Mr. Dehau, todos
I os preparados de Kemp como pi-
9 'olas assucaradas, salsa-parrilha de
SBristol, peitoral de anacauhita de
Kemp contra tosses, catharros,
asthma etc., bitter aromtico esto-
macal e copos de Quassia para tor-
I nar em poucos minutos os liqui-
I dos amargos e tnicos para o esto- ''
I mago: venda na ra da Madre de
Dos n. 1, botica de Joao da C.
S Bravo & C.
Os Srs. fabricantes de pao, bola-
cha e conserveiros encontraro car-
Sbonato de amoniaco muito branco e
forte em fiandres, potassa ingleza
refinada e secca. essencias puras
aa de limo,dita de hortelaa pimenta,
8* dita de Neroli e tintura de carmind
para corar amendoas etc.: na mes-
ma botica de J. C. Bravo & C.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
Calcas de casemira a 6 e 7500, ditas pretas i
65 e 8, calcas de ganga a 2 1,1800 e 42600,
ditas brancas a 52, brim de Ifnho a 32, 32300 e
42, paletots do alpaca branca a 42500, ditos preios
a 32 e 32500, ditos de alpaca de cordao a 42, a
de listra de seda a 42500, ditos sobrecasacos a 52
paletots de casemira a 52, 52300, 62, 82 e 92,
ditos sobrecasacos pretos a 122,15 e 162, ditos fi-
os a 252, de cores a 132, ditos fraques a 142.
paletots de ganga a 32, 22500 e 22, ditos de brim
pardo a 32, jaquetoes de brim pardo a 32. panno
preto flno a 22. 22600, 32500 5, 42300 5 e 62 o
covado, moreantiqne preto a 22600 o covado, gros-
denaple preto a 12000,12800,22,12200 e 22500
o covado ; e outras muitas mais fazendas qne se
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caitei-
ros da loja da arara casa dos prctendeates. O
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite,
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimaraes.
Ferros para engommar
Venaem-se caixiahas contendo o mais completo
sortimento de ferros para eogommar, encrespar
babados, patos e teda a roupa de senhora : na ra
Nova a.4 24.


f
>.
:

1


m
Diarlo de Pernambaco Sexta lelif 1 de Uetemhw de !.

0 NOVO GERENTE
AO PUBLICO
**em menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENC&O
os preeoa da eguinte
tabella para todon, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
eom os portadores;
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
&M A mBM IDl 31 M&IHfflQl
AO
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Coneelc&o)
PARA BEM DE TODOS,
Senhore* choras, o aceio qae presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidSo e intei-
UESPEIXAVEIi PUBLCO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
Surto1 ^^^trS^l'^'m^^itf^S^mmSi! eza com que serlo tratan envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darSo a proleccao e preferencTa" nYcom-
rra dos gneros que precisaren e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos,
" rois sero tSo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendac3o, am de que nao vo em
tra parte.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
oha branca ouamarella a 04o rs.a libra e
3,boda caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de S caadas a
35,ooo rs.
^fraho em pipa: Porto, Figneira e Lisboa a
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cutnprimento das seguintes promessas:
1.* Delicadeza no trato.
2. Eidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
As pessoas que por sua posicao social gozara de certo tratamento, acharSo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a coodicSo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
mokas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se loes vender o arroz, o caf, a man-
teiga o assuar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes on centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo sea proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
ren! do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agraciar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a: i&
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a.......
Amendoas, casca niolle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de tods ps tama-
nhos. I
dem idem em frascos de todos/os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molho.
Absy.ntho a 23000 a garrafa.
II
BOLACHINIIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a i $800 a lata, e
de cinco para cima a i$700.
dem de so Ja em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a l,-?800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
15200,10250 e 1,5300.
Bolo francez era caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco renada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 1#300 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7#000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem iuglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 1J800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam: Normas d'Havana, Exposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2$000,
22'0,2)5560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanoc* a dn-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Cauces de todos os tamanhos.
C06NAC superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
DOCES de todas as qualidades: brasileroe,
portugoezes, inglezes, francezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.

FARINHA S 9^S de 8 libras para cima a 120
rs. a "ibra.
dem de vWfca a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de cY^dse a rs. a libra.
Feuq verVvem utas a 600 rs.
Favas em latas a a)0 rs.
Fcmo do Rio a 50# rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
j KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
tu
1 LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Lutria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostakda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo i.NGi.Ez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas linas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
3)5500.
Mimo painco e alpiste, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, lates grandes,-a 10COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MORINQUES a
It
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
ti
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
X
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOSt
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velbo secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 10500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 20 a garrafa.
Duque a 10 e 10500.
Chamisso a 10, 10200 e 10500 a garrafa.
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carca velos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garraft.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e> a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 a garrafa,
Manteiga ingleza especialmente escclhida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra. I
dem hysson muito superior em atas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, erve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em lates hermticamente lacradas a 64o.'
Feijo verde muito superior a 640 rs. a l^ta.
Farmxo ha sempre em deposito de 500 a Vinho figueira em ancoreta a 200.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. l caada.
Na offlei'aa de ferr i rn da roa do Jasmim n. CalliDgas finos e brinquedos
24, ha para vender urna carrosa feita, com esmero para meninos.
e propria para carregar urna pipa eom ag, aBm I (Waram para a loja de mfudezas da ra 4o
de vende-la pela ra. Na mesma offlciua ha tam- aefmado n. 69, os mais finos e lindos catangas
bem um cabriole! de das rodas, novo e muito bam umo ara Roquedo de meninos como para cinta
jabado; quem pretender estes objectoF. pode di- ,.d m.a M mesmaloja se encontrar bom sor-
rigir-se a mesma rjoe adrara eom qoem tratar. [menl0 de miadeiai.
' 1 11 ............ 11 .i 1
ooooa.
Vende-se por 5004 urna crioula de 3o annos, tt
pta e rntrosB,
vende para o
Aor ; para tratar na roa da Cra n. 33.
jLuvas de pe I lea.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
, sabe cothibar rl var bem ; si le ca de cores e brancas para homem e senhoras : s
mato, e o motivo'se dir ac compra- quem receben oi o beija-flor, ua roa do Qaeimado
inomero 63.
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a .ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Walvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e lo.ooo a caixa com i duzia e9oo,
I.ooo o l,3oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
-a duziae ,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Caribes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Copos lapidados para agua a 0,000 e 5,8oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
I,ooo e I,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
eradas e das melhores qualidades de pe-.!
xe a 800, I.ooo e I,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredr
das que vem ao nosso mercado a 7,oo
8,000 a caixa e6io e 7oo ris 3
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a
conta certa.
Frasqueirasde.genebra de Hollanda
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira eir
grandes a i.ooo e H.ooors. a fn
Caf do Rio de I1 qualidade a 28
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Ccar muito superior a 24
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualid
rs. a libra e 2,800 a arroba,
dem da India a loo rs. a libra
arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,.
roba.
Painco e alpiste a 14o rs. a libra e4,<
arroba.
Massa de tomatesde superior qualidadetrO '<
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta
!ho.
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
k"a libra.
os de comadre a 24o rs. a libra.
iendoas de casca mole a 4oo rs. a ibra.
lio de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d!agua e sal, da fabrica de Joo
*dBrito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,5oors.
('xas francezas em fiasco de vidro com
mpa do mesmo, a 105oo.
;xas fwnc zas em caixinhas de diversos
'jihos com bonitas estn pas na cai-
-or, a 1,4oc, 1,0oo, i ,80o e 2,ooo
ido hespanhol ou portuguez
.rrafa e i 0:000 a caixa.
vasa 80 rs. a libra e2,5oo
lihrac.
izas a 75o rs. o frasco e
;ova para esfregar casa a
ovas a 160 rs. a libra,
em garrafa de vidro com rolha
, a 16o rs.
Jeza dos melhores fabricantes,
.. o frasco.
franceza em potes j preparada a
. o frasco.
francezas. excellente legume para
a 2oo rs. a libra,
oqnno de Zara propriamente dito a
a garrafae 1 l.ooo a duzia.
'Pantos de tiente a 14o rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,000 e 6,5co a du-
zia.
'.Cevadinha de Franga muito nova, a2oors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fnrta-
1 do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, S!,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de poico refinada a 60 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com frnetas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com finetas em doce secco de di-
versos (amantaos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a viste se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhasa8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego.
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2.000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 800 rs. a
garrafa.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ra do Queimado d. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mami,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
' brinquedos para meninos, sendo espadas,
! espingardas, pistolas, tambores ; ditos
! para meninas : apparelhos de al moco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-iieor
e faquinhas a 280rs. o par ; e n3o queren-
do continuar, vende mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de difieren tes
largurasa 18, e babados,collaiinhos e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 13a para bordar de diversas
qualidades e de cores claras a 7-*> a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 2#500,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixichas
para estojos de navalhas,
Colfaeres tic metal principe.
Vende-se colheres de metal principe prra
tirar soupa a 2$, ditas para en a 2)9300,
ditas para soupa a 4200 a duzia: nesta
loja fe encontrar sempre um giande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Quei-
mado n. 63, loja do beija-flor.
- 1
avariado.
Francez barrica ^OOO
Portland idem 8500
Em perfeito estado:
Francez barrica 05000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
m&mh Kr
Ao amanhecer do dia 20 de oo.-lo fugiram
do ecgenho Camaritgibe dtus esclavos crioolos,
ambos carreiri;?, sendo um de neme Stnuo, na-
tural do erlao d Ouriruiy, alio e lro h-ito, cara
redonda, nao mtilo prelo, e sofFre.oe urna hernia;
o outro de neme Nicolao, nascido i.o rr.e;n.o m-
genho, tsiatura ordiuaria, secco do corpo e robus-
to, ua mesma occasiao deeappareceram 3 Luiros
do servico do eugenho. de soppor iut teuham si-
do levados por eiles, ou por aignm vio de puia e seductor, perqu na r.iiie preceden-
te a s.hida des ditos eseravos foraaa vistos dous
homens em cowimunicafjao com o Semeio junto a
entrada do engenho : quem prendei e trouxer di-
tos escravos sera recompensado
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4jl, 4$500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
DO AFAMADO JOUVIN.
Vende-se pelo preco de 25 o par Invas novas de pellica de Jouvin, chegadas no ultimo vapor,
para homem e senbora : na ra da Imperatriz loja de miudezas n. 54.

Attenc&o o barateiro de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro finos
com 24 luzes, do %ielhor gosto e por prego razoa-
vel; assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores difierentes; ditos de por-
celana donrados e pintados e brancos; apparelhos
para jantar de porcelana branca; tamnem se ven-
der em pecas separadas, como os fregnezes qni-
zerem, compoleiras lapidadas para doce, clices
. para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em catato e a re-
talho; lantemas de todas as qualidades de vidro;
ditas de casquinho inglezas muito finas ; candela-
bros de vidro e de brinze; serpentinas, vagos de
porcelana e de vidro para flores; bilhas bambur-
guezas para resfriar agna; barricas com appare-
lhos de mesa para jantar; gigos com apparelhos
para cba; e outros muitos sortimentos de todas as
qualidades e precos commodos vontade dos com-
pradores, que se vendem na roa da Cadeia.do Re-
cife junte ao arco da Conceico n. 64, e na roa
Nova no grande armazem de tonca e vidros junto
igreja da Conceico dos Militares n. 49.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
li a lata : nos armazensda ruado Im-
perador n.I6 e roa o Trapiche Nvon. 8.
Vende-se 40 palmus de terreno na rna da
Concordia : a tratar na roa do Alecrim a. 10, das
3 horas 5 nos das otis.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de nma duzia
fe garrafas para casas particulares, sendo: Lagri-
mas do Dotro, Duqire do Porto e D. Luiz ; tambera
tem arelas de dcimo encapadas com superior
vinho, barris de 5 e lO" em pipa : na roa do VI-
gario n. 19, primeiro andar.
Attenco de todos.
Na rna da Cruz n. 13 tem para vender sempre
o segninte : doces secco e de calda, jelas, boli-
nhos, frucla*, ores naturaes e artificiaes; tambera
recebe quaesquer encommendas de todos estes ge-
eros e de janlas para embarque 00 planta cees.
- Vendem-se barris de 5o eom >meldefuro
bom; para ver e tratar na roa do Vigario n. 29.
M
na grande liqaidaco de fazendas r
roupas fcitas nacionaes na rna du
Imperatriz n. 72.
Os proprieUrios deste estabelecimento estSo re-
solvidos a liquidaren! por precos baralissimos para
apurar dinheiro, vejam :
Chitas francezas escuras e claras a 260 o covado
e 280 rs., ditas percalias 320 e 360, muito finas a
400, 440 e oOO rs. o covado : isto s na loja de
Gnimares & Irraao, ra Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cambraiao francezas. lindissimos pradoes a 280
rs. o covado e 320 e 360, organdys muito fina a
400 e 440 rs. o covado.
Est se acabando a pechincha.
Laazinhas escocezas a 240 rs. o covado.
Llazinhas escocezas a 240 rs. o covado.
Laazinhas escocezas a 240 rs. o covado.
Laazinhas muito finas a 360, 400 e 440 rs. o
covado.
Ditos de urna s cor a 480 e 500 rs. o covado:
Isto s na loja He Guimaraes & Irraao, ra da Im-
peratriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de vestidos de barra a 32O0 9 35U0,
ditos de la a Mara Pia a o000 e 52500, pegas
de bretanha de rolo com 10 varas a 3>000, dita de
madapolo francez infestado com 12 jardas a 35200,
3*500, 4*000 e 4*500. ditas sem ser infestado
com 24 jardas a 5, 5*500, 6*. 7*, 7*500, 8*000
e 10*000 : isto s na luja de Guimaraes & Irmo,
roa da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de casemira de cores escaras a 2*300 e
2*500; ditos de casemira preta a 2*800, 3*,3*610
e 4*; ditos de' brira a i*iOO, 1*600 e 2*.
E' baratissimo.
Pega de algodoslnho com 20 jardas a '5800, 4*
e 4*500; dita carne de vacca a 6* e 7*; dita
marca T a 6*500, 75500 e 8*000, afflanca-se qae
nao tem defeito algara : isto s na loja de Guima-
raes & Irmao, rna da Imperatriz n. 72.
Roupa feita
Roupa feita
Roopa feita
Grande sortimento de roupa feita que se vende
or precos baralissimos para apurar dinheiro.
a nova loja de fazendas de Gnimares
k lrmo.
Ra da Imperatvlz u. J.
AUenfo.
Fueto no dia 27 do c.rrente mez de agosto, do
etgenlio Frecheiras, frenuezia da Lscada, o escra-
vo mulato acabooolado de nome Cornado, idade 18
annos pooco mais en menos, estatura alta, secco
do corpp, falla um pouco fago, com urna Bftaia no
rosto do lado direilo, sarnas pelo corpo, ltvando
camisa branca um tanto comprid, caiga de brim
branco com pintas encarnadas, chapeo de (Oro
com aba bastante grande e um tanto velho. E-se
escrnvo foi ermprado pelo scu actual seuhor Joi-
Rodrigues de Sena Santos, r.esta c idade, no dia i'J
desie mesmo mez, ao Sr. Francisco Goncalves Li-
nbares, morador nos Milagres, 11 viocia do Ceara,
tendo viudo por trra ; e perlencta a varentes ou
pessoa deatnetade do ditoLtobares, qae Ibe en-
tregaram para vender. Bogase is aati ndades po-
liciaes, capiaes de campo e pessens |-.aineniares,
de aifnlieuJcrim dito escravo e dirigirem-se a
seu si nhor no referido engenho, ru a' ra do Im-
perador n. 42, a Antonio Gomes da Cucha e Silva,
que se recompensara' bem.
Ausentou se de casa no dia 25 deste mez a
escrava Ignaea, crioula, cor fula, denles limados,
beigos grossos, estatura regular, chela do corpo,
levou vestido encarnado, chale de la 1 preto velho
nes hombros, e mais alguma roupa de seu uso :
na ra da Penha n. 17 se gratificara.
Gratificado de 100^000.
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 de
Janeiro do crtente anno, o seu e.-cravo de
nome Jos com ossignaes seguintes: ca-
bra escuro, cabello carapinho, estatura bal-
sa, cheio do corpo, ps largos e fez um gei-
to as pemas quando anda, muito pouco
barbado, e tem una cicatriz bem vistvel em
um lado do queixo, e outra bem grande
as navegas, proveniente de surra, cujo es-
cravo compramos junto c m outro ao Sr.
capitao Silvino Guilberme de Barros, -e este
Sr. os havia comprado ao Sr. Joo Cabral,
morador em Nazareth. Consta-nos que este
escravo filho do Brejo da Madre de Deus
aonde cacado e tem filhos, tendo-lhe mor-
rido ullimamente a mulher: portanio r. ga-
mos a .'odas as autoridades policiaes a sua
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car cora a quantia de 1000 se o troucerem
seus senhores nesta praca, rna da Impera-
triz, reflnafao n. 46.
Luiz da Silva Ferreira & C:
Desappareceu ha 15 dias de casa de sen se-
nhor urna prea de nac5o Angieo, de nome Marja,
idade, pouco mais ou menos, 50 annos, altura re-
gular, tem urna dor prxima a munneca de um
dos bracos, que agarrando-se nelle, ella doe-se,
levou vestido de riscado branco com chuviscos r-
xos, saia de algodaozinho, camisa da mesma fazen-
da : ropase a pessoa ou antor idade que a pegar,
a conduza a' ra de Santa Cecilia n. 18, que ani
sera' gratificado generosamente.
AUencao
Acham-se fgidos os escravos seguintes : Benlo,
mnlato, idade de 25 annos, cabellos annelados, sem
barba, denles um pouco limados, secco do corpo,
testa larga, e falla um pouco descaucada ; e Luiz,
enrulo, a um pooco velbo, altura regular, muito
cabelludo, barba com algons cabelles brancos, as-
sim como na cabeca, corpo reforjado, olhos um
tanto pequeos, falla grossa e as vezes finge se
rouco : pede-se as autoridades policiaes e aos ca-
pitaes de campo que os facam apprehender e con-
duzi-losa' casa de seu sennor o major Antonio da
Silva Gusmao, que generosamente recompensar,
e loes pagar toda despeza que fizerem com a sua
conduccao : suppoe-se que eltes terao ido em se-
gnimento dos sertes desta provincia, por serena
filhos desses lugares.
Fugio no dia 6 de agosto o escravo"crioalo
de nome Tiberio, Idade de 20 a 25 annos, estatura
balxa e com falta de um dos denles de cima. Fot
escravo do Sr. Francisco de Albuquarqae Mara-
nhao Cavalcanti : quem o pegar ou delle der noti-
cia, qneira dirigirse a ra da Cadeia do Recife n.
33, loja de Valle Porto & C, que ser recompen-
sado.
Est fogido o escravo Liberato, preto-da
Costa, alto e magro, bracos e pemas finas, cara
retalhada, sem denles na frente, olhos grandes e
vermelhos, tem os ps e mos cheios de cravos
bouhalicos, trazo cabello junto das orelhas raspa-
do de poneos dias, levon vestido talr^a branca sa-
ja, camisa de riscado, blusa de la azul desbotada,
chapeo do Chili mallo velho : quem o apprehen-
der e levar a casa de seu senhor na Passagem da
Magdalena, ser generosamente- recompensado.
'i
.~.-^4M
i i
V
Vende-se carvo de pedra para ferreiro a
12* a tonelada e 300 rs. a arroba : na roa do
Brum n. 76. ______
Vendem-se palmelras imperiaes, 3tn estado
de serem transplantadas: no sitio murado es-
querdvdepoisido becea do Espiabeiro, nos A-
flictos. 1
rm
Fugio no dia 18 do crreme mez o preto cri-
onlo de nome Isidoro, de 30 annos --a mais
ou menos, alto, roslo comprl'iN^wa'poDco fecha-
da, pos grandes e chatos, ecostuma andar dealper-
gatas, levou camisa-de algodo, caigas veibaa o
rotas, chapeo de unha velho, e lambem um booet,
caranguejeiro. Se nao andar vagando por esta
cidade provwel qne tenha ido para SerinhSem
ou Rio Forzoso, onde j tem sido capturado por
vezes. Rga-se s autoridades e capiaes de campo
que appnfnendam e o levem ao seu senbor Joo
Cavalca/tl Lamenha Lins, residente na Estrada
Nova, Itio de Jeronymo de Hollanda Cavaicaotl de
Albuqaerqae, qae se recompensar generosa-
mente.


Diarlo de rernanbncm, lieUa llra 1 de etembro de 18ft-
UTTEftTMU.
Desapontei. Pui-me ao fresco.
Maldito progresso, que fai com que os homens
Ul POICO DE TUDO.
E' do Sr. V. P. estas
PRETRNQES A FOLHETIM.
B m dia '
Al hoje lenho-me condecido com aptidio para
todo, monos, porra, para ser folhciinista ; mas co-
co actualmente ludo tentar, deixem-me ver se
rabisca por aqu aiguma cousa, quo se possa lc-r,
e chamar-fe folheUm.
A vocagao nao existe mais : o genio de boje
tem mil faces, principalmente onlre us.
Oatr'ora os Kapheis destaoavam-se tanto dos
Tasaos, qaanlo difiere o pincel da penna, urna tela
de um livro.
Iba eis que surge o christo da geragao presen-
t.', o progresso, e tu Jo graude.
A luz da candoia do seculo desenove todos os
homens sao iguaes na forga do pulso, nos sent
rnenlos do coragao e as ideas da cabera. Bem.
Vedes aquelle homem que piola um presunto
sobre as portas de urna taverna, eucarapitad) em ,
urna escada 1
Recitou bontem no tonaira urna linda poeia
sobre a guerra do Sul, e, dizem rae que ost es-
crevendo um inters sanie livro sobre os raelhora-
mentos da agricultura.
Qne mogo aquelle que, sem chapeo, sem gra-
van, passeiando a frente de um armazem de ludo,
atropella os transentes para que comprem charo-
tos, chitas francezas, rap de Lisboa, ou outra qual
quer cousa ?
t' um dos nossos bons Iliteratos; acaba de es-
11'vt um drama de primeia forc?, que breve
deve ser publicado, representado e applaudidj :
consta tambera que vai remelter para a expsito
portugueza um primoroso trabalho de agulha.
Conheceis aquelle mancebo paludo, de cabellos
gn:aihos e olhar de condidato enforquilhado, com
u:u masso de papis debaixo do brago, e um ci-
garro mettido ua lita azul do chapeo preto ?
E'um advogado de orellia; estuda francez uo
collegio das arles, e explica philosophia em casa
su; familia,urna velha idiota e um gato que uo
cac,a. Defeode causas perdidas, e nouie para
isirabir as preoccupagoes do espirito conversa
com os mendigos ua pdnte da Boa-Vista.
Este moco urna raaravilha, nao lera poltica.
Aqui vera um hornera cora um papel na nio e
um lapis na orelha.
O Sr. faz-rae o obsequio de ler isto !
Supponho que fiquei verde; senti fro nos olhos,
e disse para o meu guarda sol, qae de doze
basteas.
Prepara te b.tldo : ahi vera urna pregada.
E' um prospecto.
Cangoes donles. y
Poesas de Ambrozio Vallentira 00 paginas
:1500o.
Leva o retrato do autor, notas e ndice.
E' o seulior mesmo o poeta que
L'm seu creado. Quero dar a luz por rainha
vez.
Euto V. S. assim dedicado s letras ?
E' verdade. Goslo rauito de fazer versos :
a minha mama.
V. S. estudante ?
Niio senhor. Ja estudei aiguma cousa ; hoje
ocenpo-me em crear pombos: urna bella distra-
jo. Depcis, a rainha mama.
.ii?.;,.como que ouvl dizer que V. S. era empre-
gade como escrevente em um cartorio e...
Isso mesmo. O foro pira mirn tudo quan-
to lia de melhor. Quan lo sinto me rodeado de
meirinhos, advogados, escrives etc. parece-me
que respiro o ambiente de um co. Depois a chi-
nana a rainha mana.
Nao aguento mais; assgoo meu nonie no tal
prospecto e la se vai o eodiabrado maniaco de mil
manas. Diabos o levem com os seus pombos;
seas aulos e suas cangoes enfermas.
Sero tambera maniacas as taes cangoes que as-
sigoci ?
Cruz I Inda bem que rae esqueci de indicar a
micha casa.
O que pretende minha seanora ?
Dou beneficio araanlia, o entao espero que
V. S. far-me ha a honra de acceitar urna cadeira.
V. Exc. ....
Urna artista dramtica. Tenho representado
em todos os tbeatros da Europa ; agora vendo ao
Brasil apresenlar os meus trabalbos.
Mas parece-me que eu j vi V. Exc.
Eu sei : foi em casa de urna modista, onde
encho as minhas horas vagas fazendo alguraas cos-
turas.
Est bem, comprehendo agora. Louvo o seo
amor pelo trabalho.
Acceita sempre o bilhete que Ihe offerego,
nao ?
Com toda a satisfago.
Obrigada. Va ; nao deixe de ir, que, se nao
agradar-lha o meu trabalho no drama, surprende-
o-ha porm a minha limpesa e mimo as sortes
prestigiosas.
J vejo que V. Exc. urna perfeita feticeira;
urna linda Cigana.
Nao senhor. Nasci as II has e nao na Ci-
gama.
Entalei I
Dea urna gargalhada e foi-se.
Entre parenthesis : a tal artista dramtica pres-
tidigitadora era gaga e nao tinha dentes.
i te jornal e peii-lhe
corram tao depressa, qae vao, sem sentir, que- marme|ada
brando as pernas pelas pedras do carainho da vi !
o titulo de folheiim, e assim com ares de phospho--
ros hmidos agarrei-me ao distincto redactor des-
que vos pespegagse com essa
i da, sem que coosigam apanhar um fructo sazona-
do na escura floresta do mundo.
S poso assegarar qae, dorante o tempo qae
escrevi isto tinha em mente dlzer que o progresso,
E triste d'a-iaelle que nao levantar a cabega no ,n5 de azeite e 'agre, ama bebedeira qne
meio da sociedade gritando que philosopho como 'az a hu""""^ correr, porm aos tromboll)5es,
Plato; que o mannoro obedece-lhe como obedeca e .ue acabara' por faze-la quebrar* cara de*n
Phidlas; que poeta como Homero, guerreiro eoait0 ao panlheonde suas glorias.^-
como Cezar, patriota como Cato, e conbecido e
amado e bemdito como o sol.
fina occasio dizia um thysico a algaem qae
duvida daforlido dos seus membros :
Se Hercules existisse anda, eu ira ao fin do
mundo, se necessaro fosse, matar-lhe a gloria
quebrando-o pelo raeio com ura suco.
Nao se admirem.
Esperem... Bitem na porta outra vez. Tenham
paciencia ; j volto. ;V
Arme I Estou raorto I
Moleque I B
Senhor T
Se chamarem por mira grita que estou dor-
mlndo.
Com effeito I Quiz massar os taes leitores da
Em casa do meu amigo, Adolpbo Generino, que lilleratura da oilava pagina e odiabo qae Um.
- pois ura distincto estu- bem sahl massado.
todos devera conbeeer.
Vou cortar o cabello.
Que do Sr. Pancracio ? Quero cortar o ca-
bello.
Sanio, diz-me um menino que lava bixas de
Hambnrgo dentro de ama bada de estanho.
Demorar se-ha multo *
Pens qae sim. Elle foi botar dentes em
urna velha que mora all para a roa do Cano.
O qae que dizes menino 1 O Sr. Pancra-
cio se n3o tira, tambem nao p5e dentes em mn-
guem.
Pois bota, sim senhor. Inda bontem veio
aqni um homem muilo zangado, e disse ao mestre
que elle nao servia nem para por cascos allrou-
lhe era cima uns pedacinhos de loaga e latao, e
sabio. .
Sabi tambem por minha vez e dirig-me a casa
do meu alfaiate.
Entao J apromptoa o mea casaco t
Tenha paciencia, men amigainbo. Veja:
estou aqni abarbado com este par de botas, que
da m neff-.'/'giiez, que se casa amanhaa com
ama linda menina. Escute : a menina pobre,
-mas muito trabajadora; encina primeiras letras a
algumas criancas da sua visiorkosa, e cosloha pa-
ra a casa de uns estudantes, qaatooram ahi para
a ra da cadeia. Sabbado pode mlfcdar bascar o
seu casaca J onvio ? Nao se zanwe comigo.
Casu-se maito a viver no tempo deSje. O Sr.
v, os homens occapam-se de todo e w fazem
cousa nenhuma.
dante de direto c poeta de forga, um ceg de as- pj,^ estao pergan,ando se Vmc. nao
cenga dtsse-nos que duvidava, qae nao era possivel V,i,.
me.-mo, que a iua fosse branca, e o sol araarello.
O mundo marcha : o geito dos sabios, o brado
da razo preconisada.
O mundo parou, e roda sobre os calcanhares,
corno ura bebado a quera taparam os olhos : o
guio dos ignorantes, v. eu grito tambera com
estes.
Um favor : levem-me em conta a exponlaneida-
de desta confisso.
Baem-me na porta do qaarto. Deixem-me ver
quem .
Ku volto j.
volta.
Demonio, nao sabes que estou dormindo ?
Calla-te. Elles que se amolem.
-&*
A afio Argentina relata o segrate :
No da 1 de abril prximo passado, em Bella-
Vista, s qaatro e meia horas da .raaqhaa, sen-
tio-se urna grande detonacao, que fez Tremer as
casas da villa.
Aos gritos que parlirara da casa de D. Barlho-
lomeu de Negri, corrern) para l algumas pessoas,
e viram em ramas o formoso edificio daquelle ca-
Ora e(a | i valheiro, um dos melhores da povoagSo, e em urna
Olhem! Conhecera! E1 nm jornal acadmico, i Par,e 1ue ainda se achava em P tres Dieninasjue
Mas, que diabo se lerabrou de me mandar trazer' Pd'am occorro. .'i
esse iornal 1 A mait0 cust0 pa" n um arrojo iiiiCi'i30>
Eu nao entendo de direito, ali J"**' *" *tgaM "H*.??**!*!?-4
poltica. Afinal... isso urna charada, e chara-
da que eu nao posso dicifrar.
Querem saber de urna cousa ? o destribuidor
enganou-se. Esta folha naturalmente dirigida
ao meu amigo, o Dr. Bastos, que mora, aqui ao
p de mira. L ir ter.
Ah 1 quem me dera ter os conhecimentos neces-
sanos para poder apreciar os esenptos deste peri-
dico I Dizem que muilo bem escripto. Ora se ,
eu nao o entendo !
ruinas que os cercavam, poderam traze-las ra.
A mi deltas com urna menina de peito ca-
bio no raeio das ruinas ; mas casu#lidade sal-
vou-as.
Narremos agora o qae dea lagar a esta catas-
tropbe. "

D. Bartholomeu de Negri tinha em sna casa
um caixeiro por nome Joo Poiesta, que alcancra
a confianza da familia, a ponto de nada decid r-s
sem o seu voto.
Entre os mdine homeopathlcos francezes e al.
leraies, mallos novos medicamentos estao em oso |
com grande provelto para os doentes, por isso nos j
continuamos a referi-los.
Kalmia-latifoa.
Combate as enfermldades do coracao, consequen-
cias do rheumatismo, especialmente a hypertrophia '
deste orglo, a gotta, as allecgoes syphiliticas.
Kreosotumo.
Este precioso medicamento cura as affeccSes es- [
crolulosas, o catarrho pulmonar, a hepatisagSo pul-
monar tuberculosa, a expirago ftida, a expecto-!
ragao purulenta e sangunea, combate as leucor-
rhas e as methrorragias.
Lactuca virosa.
Esta planta, muito condecida, hoje empregada
como um precioso medicamento para combaler as
molestias pulmores; do genero sativa extrahem os
mucos da anliga escola o seu lactucarium.
A preparago homeopatdica combate as affecgSes
do laryoge a rouquido, o pigarro, o engrossaraen-
4o das cartilagens do laringe, a mucosidade e a los-
se secca pela alteraco desse apparelho, combate
igualmente a dyspinea, a aslhma, a oppresso do
peito e todas as aflecgoes nervosas do apparelho
respiratorio,
Leium-palustre.
Combate a embriaguez, as vertigens e peso da
cabega, inflammago dos olhos, o surdez, o hlito
ftido, o escorhiiieoto de.aguadilba biliosa pela
bocea, a incontinencia das ourinas, a incbagao das
articulares e os tumores brancos.
Mancmella.
Este medicamento combate a fraqueza geral e
somnolencia, a cephalalgia e a falta de memoria, o
amargo da bocea e as aphtas, fastio, vmitos, bar-
borismo no ventre, diarrha de materias esbran-
quigadas e mucosas, ourinas leitosas, caimbras no
ulero seguidas de tristeza e melanc dia, oppressSo
no peito, dimiajii;a) da respirago e expectorago
visgosa, branca ou amarellada.
Menyanthes tnfoltata.
Este medicamento combate a tristeza, a indiffe'
renga, a loucura, o idiotismo, a febre lgida, as me-
ningitis e as enxaqnecas, e tem urna aegao espe-
cial sobre o systeraa nervoso.
Havia io das tinha chegado um joven sobrinhc
Eu ando com os meus receios de morrer aflfoga- da CiSii que vlnha de Buenos-Ayres convalescer-
do nessa raundagao de jornaes, que surgem de to- se. Era este joven bem parecido e Podesta conce-
das as ras, de todas as casas, de todos os qnar- beu logo a ida de qae elle 0 preferiria, .e que lhe
tos, de todas as... raaos. roubarla o seu sonho dourado, a tilda mais velba
Las illustram, oulros dao bolos; este tem ama de Negri, que contava 14 annos.
phis.onom.a de saca-rolha, aquelle um pertil de A sua palxao 0|caoica forjoulbe urna vinganga
estafeta, que dorme em cima da mala ; aqu um terrivel
que, raoutado em um prelo quebrado, atira-se pa-1 Mino a casa em duas parles, arraou-se a%nm
ra o futuro, acola ura outro cavalgando urna typo- revolver de cinco tiros, ura punhal bem aado-e
graphia ioteira, teiraa era voltar para o passado;' urna pistola de um tiro; preparou os i%stihoV
la val nm, que s tem de bom a lunetinha doura- para a exploso, como para dar tempo a- oonsum-.
da que morde no olho ; l vai outro, carregando mar os criraes ; sobe e da duas terrivei punha-
ladas no joven Baggio ; vai a joven e d-|h
O valor do algodo importado do Brasil nos pri-
roelros qnatro mezes de 1865, apezar da baixa do
prega, sabio relativamente a igual periodo do an
no passado de S 1,199,482 a S 1,309,782.
All, cada nm obrlgado a declarar os sec.s ren-
dimientos, e essas declaragoes sao publicadas.
V-se assim qual a enormidade dos negocios
qae fazem varios negociantes e os lacros que aa-
ferem.
Um negociante declaroa qae em 1864 fez ven-
das por um valor de mais de 42 ralh5es de daros,
estabelsceu que os seus lucros foram de 6e00,000
duros.
Depoisdeste, o algarismo mais subido de 39
milhoes de duros; porm o negociante que fez es-
sas immensas operagSes acensa apenas nm rend-
ment de 300,000 duros.
No anno precedente, havia manifestado o algaris-
mo de 1,800:000 duro3, qae o mais elevacio que
tinha sido declarado nesle genero.
Mr. Astor, que tido por um proprietario dos ;
mais ricos de Nova York, declara smente 8W,000
daros; todas as suas riquezas corapde-se di) bens j
de raz e fundos pblicos, e nunca especula.
Succede frequentes vezes qne .afirn de ganhar
endito, ou para fazer algum bnlhante casamento,
conos individuos declararam rendiraentos mui su-
periores aquellos que possuem.
Nao ha muilo que um negociante, o qual desap-
pareceu deixando mais de 500,000 dividas, havia
declarado, em 1863, um rendimento de 30,000
duros.
De feito, nao tinha rendimento algum.
Tem-se feito acola fortunas mui rpidas.
No mappa de 18b"i liara-se os nomes de indivi-
duos cora 100,000 duros q> rendimento, os juaes,
em 1863, flguravara apenas com insignificantes
quantias.
Modos vvenles I _
toda a sua gloria, toda a sua riqueza as ideias
que lhe tumultuara no crneo; l vai, l vai o ul-
timo, cujo peito um cofre de crengas.
Oque crenga?
llunei diz que a acgo de crer.
Faras e Constancio talvez digara outra cousa.
Eu supponho que crenga a acgo de roco
cinar.
Emfim, seja l o que fr vamos adianto.
Leitores, dizei-me baixinho:
Em que que se pode crer ?
Ninguem me responde, mas en descalpo o silen-
cio porque nos achamos separados por esta immen-
sa nuvem de papel e Unta.
Tenho feito esta pergunta a muita gente lirapa,
e ainda nao ouvi duas respostas, que concordas-'
sem entre si.
Outro dia conversava eu com e meu amigo...
nao, nao digo o seu nome; conversava eu pois
com um amigo meu e ouvi-o dizer.
Nao creo em cousa alguraa ; o scepticismo
vai me matando. Nao achas que esta vida cyni-
ca e muilo cynica ? Nao pensas que sobre o mun-
do, o homem que chega a comprehender, como en,
o que realmente a vida, nao pode dei xar de vi-
ver triste e aborrecidamente ?
Observo:
Esse infeliz tem vinte aunos, possue urna renda
annual de dous contos de res; vai ao baile do
.Nevos nos sabbadus noite, e nao perde nos do-
mingos a raissa aristocrtica do raeio dia na igreja
do Espirito Santo. Vesle-se na luja do Flix; cal-
ga-se no Arantes ; frisase e perfuma-so na Lecon-
te ; toma sorvete no Bouessard, caff nos arcos e
fuma os charutos do Bugard.
E nao er em cousa aiguma o tal meu amigo I
E vive triste e aborrecidamente I Coitado I
Breve passo-lhe urna nenia pelo jornal para ou
vi-lo gritar que est vivo e moito bem vivo.
E' verdade: esqueci-me de dizer nota cima,
que o mogo aposta em briga de gallos e joga o
burro com as irmzinhas de sua namorada.
Tambera s3o esses sos os seus defeitos.
no peito direito. Neste momento as mjnas reben
tam. r
Altonilo, sera saber o que fazia,- dispat^res
tiros efoge, embarcndose n'uraa canda'qae|Ma
preparado, porm, quiz a Providencia, que b^'-*.
basse, despois de 10 horas de carainho deixandn-se
: prender. *- k
Declarou que sua intengo era matar toi^'a
familia, o qne nao poje realisar, por ter-,0
cipado a exploso ; e qae tinha commettid
me, porque a joven Julia correspon
carinaos, mas que logo ebegada de '
tou frieza e distinego dos pais c
O mancebo morrea nstv
seis horas depoisdosuccess>
se muito mal, temendo-se qi
sim como a crianga de peito
O assassino incendiario an
to ufano, como se tiVesse^r
rotea.
E' do Sr. G. Autran esta pot s,
HORAS DE TRISTM
Meu pobre coragao, por que tu a.
Por que tu amas, se nao tens vento
Se em paga desse amor nao tons ua.
Se cheio tens o peito de amargara 1-
Se os dias para ti correra trlstonbos .,
Por que te embebes nesta va loucura
Se a palma do marlyrio ja' te acea
E a luz de urna esperanga nao-fulgura IT
Por que te has de nutrir deste amor diro
Que tanto te consom e te tortora
Se ja' sorves o fel da infelicidade
Se antevs no fufutro noite escura I?
Nao ames coragao se acaso queres
Nesta vida encontrar doce ventara;
E er que o amor da trra fementido,
Que a mulher mente mesmo qoando jura.
O valor do caf importado, porm, n*s mesmos
periodos baixoa de Sf 131,156 a 89,351.
O valor dos couros sabio de 3,432 a 21,580,
o de assucar de 3' qualidade de 65,000 a 126,274
e da 4' qualidade de 40,825 a 95,232.
O valor declarado das fazendas de algodo expor-
tadas para o Brasil diminuio cerca de 300,000
nos primeiros cinco mezes deste anno, mas o das
de linho aogmentou aiguma cousa.
A exportago de metaes para o Brasil neste pe-
riodo foi apenas de S6 162,030, tendo sido de S
9B3.332, e a importagaodo Brasil foi de S 172,902*?
e ontra ,endo sido de 48188
Cbegaram do Para' seis caixas cociendo farrafas
com vinho, agurdente e vinagre exlrahidos do ca-
j', que se destinam a' exposigo do Porto.
Sao productos que remelle o Sr. Joaquim Hono-
rato da Silva Ribello, estabelecido em Santarem,
na provincia do Para'.
E' para lastimar que nao seja raais fcil acbar
extractos do caj' em Lisboa, sendo to recomraen-
dados para debellar-as affergoes syphiliticas. Se
os Francezes possuissem esse efflcaz antidoto, en-
ira va se a cada canto, e era realgado pelos quo-
~s annuncios nos jornaes. .
Participo aos meus amigos que vou boje ao San-
ta izabel apreciar mais ama vez o celebre SimSes
qae, nao satisfeito com as ceras que ba conquis-
tado em Portugal, vem ao Brasil fazer urna nova
colheita de louros.
Gloria ao verdadeiro artista I
Vou conlar-vos ama anedocta, que fnteressa ao
distincto cmico portuguez.
Homero conversava eu com o Dr. W. sobre essa
notabilidade do palco, quando um cantarada, que
nos ouvia, observou:
Pois nem por isso o acho como dizem. No
amor londrino correu de forma que ninguem sabia
se elle era Inglez ou Portuguez. Um Ingles, qae
se senlava junto mira as cadeiras, jnrou ao
sora de um murro de seu punho encouragado, que
esse tal, que chamam Simos, era nm patricio
sen, que tinha vindo comsigo de Londres, que o
condeca multo bem, e que menta como a philan-
tropia britnica, aquelle que dissesse, qne o ho-
mem qae representava era Portuguez, e Portuguez
chamado Simb"as. E Qcou muito zangado, disse
elle, por ver ao qne descia a Inglaterra,fazer rir
o Brasil.
Eu dei ama boa gargalhada, o Dr. outra tam -
bem de tirar o chapeo e passamos a tratar dos
voluntarios da patria, que o qae est na ordem
do dia.
Admira 1 Nao ba gente como a nossa para sa-
ber o direito das gentes.
Desde o palacio at o telhairo do carroceiro, dis-
cuta-so sobre fioangas, vantagens e desvantagens
da guerra, obrigacao de defender a patria, lber-
dade de fugir para a malta fazendo-lhe ama li-
ga, tudo isso que diz respeilo a essa farca sangui-
nolenta de qne sao o tbeatro as nossas fronteiras
do sal.
ibem cbegaram do ultramar duas cegenhas,
adas aos jardns do palacio de crystal, e urna
cabega de leo perfeitamente embalsa-
0 Jornal de Lisboa publica o segrate :
O Albion refere a desgranada roorte de nma se-
uhora quemada viva na estago do caminho de
ferro de Liverpool. .
A Sra. Pigott, mulher de um inspectoj do- cami-
nho de ferro residente em Londres, achava-se na
estago de Liverpool cora seas filhos ao p B nm
fogo. .'
O vestido demasiadamente levantado por causa
da crlnoline incoadiou se.
A Sra. Pigott fugo para o jardira contiguo es-
tago, rodeada de cbammas e seguida por eus.
filhos.
Um inspector dos caminhos de ferro cobno-a
com um exergo, sem conseguir extinguir o
fogo.
Suas filhas tiraram os challes e com elles co-
brirara sua mi, victima dos mais horriveis soffri-
mentos.
O inspector agarrou-a pelos bragos e lutou com
ella afim de a deitar no chao, mas a infeliz senho-
ra resista vigorosamente a ponto de se lhe separar
a carne dos bragos I
O fogo era to intenso que queimou os bragos e
peito do inspector. i
Este chamara em sea amibo um policeman que
estava a porta do jardim ;,mas o* policemaq fugio
amedrontado.
O inspector conseguir apagar o fogerque lavra-
va no corpo do vestido, mas nao lograra outro Un-
to as saias, porque os arcos de ferro da crinoloe
lhe linham queimado as raaos ao pretender fa-
ze-lo.
Auxiliado por um sargento de polica que fr
attrahido pelos gritos das criancas, conseguio .ex-
tinguir o fogo completamente.
Cooduzida ao hospital a Sra. Pigott declaroa
833 desappareceram os livros e documen-
" tinelo convento da Serra do Pilar, defron
ade invicta. Por ultimo acabara de ser
amador civil de Vizeo teve denuncia de
.le em poder do padre Antonio de Sa, co-
) pela alcunha de cura velho, e residente no
de Oliveira do Douro.
/ella a diligencia foram effectivamento encontra-
os em dous palheiros do tal padre, dez caixoes
i cHBios de livros e documentos, que se estao inven,
taando na administrarlo de Sinffles, e alguns dos
quaes revelara a alienago de capitaes emprestados
a diversos individuos, que sabendo dadesappari-
gao dos papis se baviam alapado com o principal
e juros.
A maioc parte dos caixoes estavam podres ou
arrombados, e o cura velho nao explica o motivo
pelo qual reteve em si esses papis.
Segundo escrevem de Madrid a um jornal fran
cez, o banco de Hespauha suspendeu ha lempos os
seus pagamentos era numerario; esta saspenso
-luusou ao cora me re io de Madrid os mais graves
prejuizos.
Actualmente, esse estabelecimento suspenden at
mesmo a troca de notas em notas de menor valor,
o que fez augmentar consideravelmente o descon-
tentamente do publico o qual sabe que os accionis-
tas do banco lem continuado a receber magnficos
dividendos.
Hoje a stuago aggrava-se pela afoiteza de al
gaos cambistas os quaes annunciaram que em tro-
ca de moedas em ouro ou prata pagaro uai bom
prenilo em notas do banco.
Gnanle numero ae pessoa correu aos cambistas,
levando fructo das economas e reeebendo notas
de mil reales.
* Todas estas notas erara falsas, e calcula-se era
doze mlhes de reales i importancia das notas fal-
sificadas. Durante o primeiro dia os atrevidos la-
dros ja haviara passado mais de um milho de
reales, oo qnatrocentos e sessenu contos de res.
O eambista principal foi preso em flagrante de-
licio, porm os seas numerosos cumplices poderam
evadir-se. Julga-se que as notas falsas foram fabri-
cadas na Canlanba.
Assignala urna folha belga a morle de duas mu-
|heres Ilustres.
A primeira asenhora de Lacretelle, viuva de
um historiador distincto ,e mi de nm dos mais c-
lebres romancistas francezes.
Era urna d'aquellas admiraveis figuras feminipas
que a Franga de hoje inveja Franga de outr'ora.
Araava as boas ledras e as boas aegoes, era a
mais brilhanle mulher deste mundo e o raais mei-
go anjo do lar.
Lamartine, que ba muits annos lograva a sua
amisade, e que acorapanhou sua morada ultima;
costumava dizer : que ella tinha a razao religiosa
e a religio rasuavel*.
A segunda a senhora Wronsky, que acaba de
morrer em Pars com 81 anuos, respeitavel viuva
de um homem qu foi ao mesmo tempo um sabio
de primeira ordem e um profundo philosopho.
Dotada de nolavel aptido para as sciencias e let-
tras, foi, por espago de quarenla e tres anuos, o
nico secretario de seu marido, e depois da sua
viuvez s i. ve urna preoecupago, que foi a de dar
luz numerosos e importa ules manusenptos que
elle lbe deixara.
Publicou muitos d'elles, juntando-Ibes notas e
commentarios que denotam alto saber e rara saga
cidade de espirita
O general Daaraas, que da Argelia e da sonda-
de rabe tem feito o objecto dos seus estudos de
predilecgo, acaba de reunir e publicar urna serie
de Pensamentos rabes, entre os quaes se achara
os seguimos de Abd el-Kader :
O hornera livro nao raais do que um escravo,
se ambibiso.
O escravo livre se sabe contentar-se com
pouco.
Rico, tu que tens muito, d da tua fazenoa.
Pobre, tu que tens pouco, d do leu coragao.
Eu disse a minha alma, quasi a sumir-se como
ama centeiha do sol, para fugir aos homens valen
tes que a affrontavara : Nao te intimides; nao te
retires do combate. A firmeza a virlude dos
guerreiros. Ninguem pode viver sequer um dia
alm do praso que Dsue lbe marcou.
Porque que temos tanto amor vida T
Pocque temos a vista todas as commodidades que
temos grangeado ou que nos teem sido legadas
por nossos paes : as riquezas, as honras, a boa
mesa, as bellas habitagoes, os leitos macios, os jar-
dios, as mnlheres e os filhos ; e porque imagina-
mos o oulro mando destituido de todos estes gosos.
Se aespresassemos tudo o que na trra nos delei-
ta para crermos slidamente que o cu nos dar
delicias muito superiores, nn teamos raedo
morte.
perador a asslgnar esse tratado. E' de espera
que pela vigorosa espanso do poder Industrial
o da indiligencia do paiz, e por urna prudente ap-
plicago das vantagens offerecidas por esse trata-
do,, semelhante acio servir para a prosperidad* do
paiz.
Em resultado do accordo mutuo o e loovavel das
duas cmaras, maltas leis necessarias para o an-
damento da adminlstrago do estado, e principal-
mente a Ui. de fazenda para 1865, teem sido ap-
provadas.
Justos agradeciraentos vos sao devidos pelos es-
forgos que diseotindo essa le, afim de realisar no
emprego dos recursos actuaes do estado urna eco-
noma levada aos limites que nao poderlam ser ni-
trapassados sem se enfraquecer o poder interino da
monarchia e a sua posigao externamente.
A conservado da paz geral da Europa, que sem-
pre foi o Um do governo imperial, constituir tam-
bem o assumpto de sua maior sollcitude para o fu-
turo.
Acerca da questao dos ducados, o imperador tra-
tar de obler, por um accordo com o sea augusto
alliado o rei da Prussia, urna solugao que corres-
ponda aos rateresses da Allemanha e a posigao da
Austria na confederago.
Motivos poderosos que affectara os interesses ge-
raes da monarchia, e que por consequeocia encon-
traran) acolhiraento patritico e cloquete as duas
cmaras, aconselbaram que se ronvocasse quanto a
representago legal das populagSes das provincias
orientaos do imperio, e trouxeranr% necessidade de
se deixar para outra legislatura a votago do orga-
mento de 1865.
A satisfago com que registamos os resultados
dos vossos trabalbos assiduos e patriticos nao de-
ve enfraqoecer os nossos esforgos para que ama de-
liberago comraum de todos os direitos, de veres e
interesses de todas as provincias do imperio, possa
formar para o futuro um poderoso.lago de unidade
entre todos os povos que ocompSera. Estes esforz-
eos teem o seu ponto de partida ao conhecimento
das condigoes vitaes da monarchia e nos sentimen-
tos generosos de affeico e de fidelidade ao tborno e
a patria.
Quando agora s um desejo ardente e enrgico
deve bem depressa, com a ajuda de Dens, poder
ser felizmente proclamado como fado concluido.
Passa I Que gante para fallar em seo direi o, como |ne inha pegado fogo nos vestidos, e roorreu
direito qne nanea existi I Teme tanto morrer pouCo depois.
Um dos filhos qae reeebera innmeras Ijaeima-
torta, quanto o macaco afogado. Pois olha : se
tens o destino de acabar assim, tem paciencia, fi-
Iba ; enwrta-le o mais possivel; celebrisa-te ao
menos pela dlsformidade.
Agora, porm, pergunto en a mim mesmo :
Aqni veio indo isso ?
Ea sei ci T Escrevi seis tiras de papel, dei-lhes
duras foi tambem conduiido ao 1 espe-
rangas de qae se salvar.
Assis'tirnos lionlera (10) abertura do bazar a
beneficio do asylo da infancia desvalida e pobres
do Lumiar.
A conenrroncta foi numerosa, e parece qae o asy-
lo recolben boa receita.
(Tomo estava annuaciado, shbio ao ar urna gran-
de girndola na occasio da abertura.
As asyladas estavam dentro das barracas ao ac-
to de comegar a venda.
A colleegao dos premios rica, e a disposigio
delles est feita com gosto e esmero. Sobresahem
entre elles maitos premios de prata, dos quaes ja
nesta sabiram alguns. ,
A's 11 horas qoeimou-se um bonito fogo de ar-
tificio.
E' de esperar qae o asylo do Lumiar colha bom
proveito do seu bazar, e o publico correr de cerlo
em auxilio d'aquella nascenie e ntil instituigo,
comprando sones pelas quaes se habilita a receber
, alguns dos ricos objeetos que all se encontrara.
O Sr. Dr. Maximiano Marques 4/ Camino es-
creve o seguinte :

V *
fc I
Um Jornal americano publica curiosos pormeno-
res acerca de ara caso qae saceeden em Nova York.
A P\/% \
Tambera era Hespanha ha quem antipathise com
as corridas de tjiros I Sao curiosas as seguiotes
reflexoes que encontramos n'uma folha daquelle
paiz, e que traduzimos apezar de pouco conformes
com o nossojuizo acerca deste popular divertimen
to; ei-las :
Em toda a corrida de toiros apparecera tres
feras.
O toiro, o toireiro e o publico.
Os graos de fereza de cada um destes animaes
deve calcular-se pelos seguintes dados :
O toireiro vai obrigado.
O tiro vai comprado.
O publico vai expontaneamente, e ainda d di
nheiro.
Ha anda nma outra gradago que deve tambera
ser* observad?
O toiro, sendo provocado, trata de se delender.
O toireiro, comprometido pela sna obrigagao,
trata de lhe excitar a braveza.
O publico trata de se divertir.
No toiro, deve notar-se a ferocidade instinc-
tiva.
No toireiro, a coragem e a destreza.
No publico, nicamente e destramanidade.
Parece impossivel como om conjunto de seres
racionaes se transforma no maiar' monstrq qua po-
de prodnzir a natoreza, qoando se agrupa n'uma
praga de toiros I
Aos olhos do philosopbo n'uma corrida de toiros
nio sao elles os corridos, a civilisago.
O archiduque Luiz Vctor d'Aostria presidio ao
encerramenio solemne do parlamento,
O discurso do tbrono concebido :
Honrados raembrws do parlamento. Cabe-me a
honrosa raisso de encerrar a sesso no parlamen-
to, em nome do imperador: Compro um agridavel
dever ; porque lento occasio de manifestar todo o
reconheciment do imperador pelo affan patritico
e actividade ineansavel de qne destes provas as
deliberagSes de qaestoes de tanta importanc a.
Reeonbecendo plenamente a influencia qae o
impulso do commercio e da industria tem ns. pros-
peridad e geral, dedicas les urna grande paite da
vossa aclividade ao estado das qaestdes qae teem
por flm os melhoraraeatos industriaos e a activida-
de do trabalho indgena e das medidas de r>rotee-
gao necessarias e legal, pelas quaes o estado deve
proteger eficazmente as emprezas consideradas
como mais proprios para o desenvolvimento da pro-
doccao, commercio e industria.
Os motivos qae to levaran), depois de detido
exame, a adoptar o tratado de commercio com os
estado) de Zollvereio, tambem resolvern! o Ira-
No dia 15 verificou se em Brdeos a solemne
abertura da exposigo internacional franco-bespa-
nhola-portogoeza.
Urna raultido iramensa oceupava as vastas ga-
leras do palacio, situado este anno no magnifico
passeio de Quinconces.
As bandeiras de Franga, Hespanha e Portugal
adornara a fachada principal.
A's duas horas da tarde apresenlou-se Mr. Por-'
cade de la Boquette, vice-presidente do conselho de
estado e presidente do conselho geral da Giranda,
acompanhado de todas as autoridades do departa-
mento.
Tomou aesento na cadeira da presidencia e a sea
lado se sentaram o presidente da sociedade, o ge-
neral de diviso senador Daumas, o conde Brovil,
prefeito da Gironda, M. Brochn, maire de Br-
deos, o general de brigada M. Pitroqoin, o consol
de Hespanha e os presidentes da corte, tribunal do
commercio, procurador imperial, etc.
No discurso da inaugurado, ao fallar dos pro-
ductos hespaohes, expnmio-se Mr. Forcade de la
Roquette nos seguintes termos :
Dez exposicoes- precedern) a que hoje inaugura-
mos, porm pela primeira vez este anno toma o
carcter e as proporgoesde urna exposigo interna-
cional.
Os protutos de Hespanha e de Portugal figurara
dignamente a par dos Francezes.
Barcelona, Madrid e Lisboa podem rivalisar com
Leo, Paris e Brdeos.
Esta rivalidade nao nova entre duas naroes que
se achara unidas pela commanho de origem e re-
cordagoesi
Achavam-se unidas as obras do pensamento,
antes de mostrar-se, como hoje, as obras da indus-
tria.
Foi da litteratura hespanhola que Cornelle tirn
a sua obra prima. Foi a Hespanba que Lesage e
Beaumarchais foram buscar os typos immoriaes de
Gil Braz e de Fgaro. As nages que derara ao
muudo um Cervantes e um Caines receberam em
Brdeos cordeal bospitalidade e podem esperar ob-
sequioso acolhiraento n'um cidade que consta entre
os seus cidados e magistrados Montaigne e Mon-
tesquieu.
O jury desta exposigo, apesar do mrito eminen-
te dos membros que o compSem, ver-se-hia talvez
summamente embaragado se livesse qne adjudicar
o premio de urna opposigo ao autor do te> ou ao autor das Cartas persas.
A sua raisso, porm, reduz-se hoje a outras obras
mais modestas sem duvida, mas nem por isso me-
nos dignas de toda a vossa attengao.
Concluido o seu discurso, declarou-se aberta a
exposigo e as autoridades a visitaran detidaraen-
te cora os convidados, antes de dar entrada ao pu-
blico.
O santo padre oomeou professores da oniversida-
de de Roma, a M. Respigli e ao P. Chelliu, sabios
distinclos que oceupavam, nm a cadeira de astro-
noma e outro a de matbematicas, na universidade
de Bolonba quaes foram destituidlos ba alguns me-
ses por nao lerem querido prestar juramento, ao
governo italiano.
M. Respigli e P. Cbellini sao duas celebridades
italianas.
Igualmente Sna sanlidade acaba de nomear pro-
fessor de lingnas orientaos, na universidad* de Ro-
ma, ao celebre jesuta Bolleing poliglota dos tois
distioctos.
Publica o Mtmonal d'Atx, ama curiosa eslatist-
ca que prova quanto prejudicam a agricultura os
destruidores dos nlnbos de aves.
Outr'ora, quando ainda nio se tinba feito essa
guerra sfcm tragua nem misericordia aos metros
ronxinoes, tutioegras, melharacos, pioU-roxos, tin-
tilhes, pintasiigos, colovias, verdelboes, etc., con-
lavm-se, termo medio, em cadanlrnavera, 10:000
nlnhos por legua qaadrada. ( a
Ora, lodo o mundo sabe que cay Jobito contera,
termo medio, qaatro aveabj*fis, l^e Sverigoado
que a cada filho o pai e ajii danun 1% lagartas
por da, oo 60 lagartas (\(t os qnatro, e qae o
pal e a mai comiam pela s\cparte outras 60, o que
razia 120 lagartas para o consnrao quotidlano de
cada ninho.
Multiplicando 120 lagartas por 10:000 ninhos,
temos um total de 1,100:000 lagartas destruidas ea-
da dia por legua quadrda de terreno, e por conse-
grante 36 milBQes em om mee
Trnu e seis milhoesjje lagartas I
Pensse besnisto. '
Estes trinta e seis milhoes de lagartas, se nio
respeitarmos existencia de todas essas avesinfaas
qne as comem, oomerio as folbas, as flores e os
froctos das nossas arvores, todas ai nossas hortas
e tadas as nossas planas de ornato.
PR^ABB^-TVlf. 68 M. t m F. iPILHO
-
-'
1
rtns"
! ^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQTZV7W3Z_8FTJ6G INGEST_TIME 2013-08-28T00:48:27Z PACKAGE AA00011611_10757
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES