Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10752


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,1
i
111110 ID. HOMERO 196
Por quartel pago dentro de 10 das de 1, mez ...Vi
dem depoisdos i." 10 das do comecoe dentro do quartel.
Porte ao correio por tres mezes
SABBADO 26 DE AGOSTO DE 1865.

ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques Sr. A. de liemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fillios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGAD03 DA SUR3CRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Riheiro Gaspannho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estaces da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Aoto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Beuto, fiom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tergas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
lugazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eExu, as quartas
feiras.
Serinhaem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados as 10 horas.
Pateada: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as li horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tergas e sextas ao melo|
dia.
DIAS DA SEMANA.
Segunda vara do clvel: quartas e sabbades
hora da tarde.
EPHEMER1DES DO MEZ DE AGOSTO.
a I
7 La cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m.
13 Quarto ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
|29 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
21. Segunda. 8. Joanna Francisca Romana v
ti- Tr5- S. Fahriciano m.; S Antliuza m.
M. Quarta. S. FHippe Benlcio; S. Davina
21. Quinta. S. liarthulomeo ap.; S urea v m
25. Sexta S. Luiz re de Franga S. Patricia v.'
26. Sabbado. S Zefenno m.; S. Adriana m.
27. Domingo. S. Jos de Calazans fundador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 84 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para n sol at Ahswir a 14 e 30; para o aorta
ata a Granja a 7 e ti de c->da mK; para Parn-
do nos dias 1 i dos metes d Janeiro, margo, mato,
julho, setembro e novembru.
ASSIGNASE
no Recife, na livraria da praga da Indep-adeaeia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Pigoeiroa da
Paria & Filho.
craso da rioiincu.
Eipeditnlc do dia 23 de agosto de 1863.
lamb-Mi pelos commandantes dos corpos, de con
Offlcioao Exm.desembargador pnovedor da san- formidade com as minhas circulares de 3 e 16 do
ta Casa de Misericordia.Qucira V. hxc. expedir corrpnte.
suas ordens para que ja recebido no hospital dos 0fficio ao commandanlo superior da guarda na-
alienados quando all for apre-enlado por parte cioatl do Keiefe.Defenndo o requenmento do
do Dr. chefe de polica, o pardo Ignacio, escravo de negociante matriculado Manoel Antonio da Silva
Antonio da Silva Uusmao, correodo as despezas Moreira, sobre que versa a sua informacao n. 249
por coma desle.-Commuoicou-so ao r. chee de de 17 do forreolei auloriso V. S. a mandar dispen-
polica, sar do servigo at a primeira reunio do conselho
Dito ao marechal de campo commandaute das de qUa|j|ieaco, o guarda do 2 batalho de infan-
armas.-Expega V. Exc. as suas ordens para que iana deste municipio Joo de Mello Trlndade Ju-
ao boticario Jos Maria Freir Garaeiro, se minis-
tre como for conveniente, os meios de que carecer,.
atim de poder desempeiiliar a comraissao de que
est encarregado.Communicouse ao boticario.
gados, subdelegados, aos presidentes das cmaras Jos Joaquim de Souza.-InJeferido.
municipaes e aos juizes de direilo. Jos Gomes das Neves.A' vista da informagao
Dita aos mesmos commandantes superiores. nao tem lugar.
Recommendo a V. S. que me remeta com toda a Joaquim Jos do Espirito Santo.A isengao al-
urgencia a lista dos guardas nacionaes do sen mo- legada nao procede em vista da lei.
nicipin que foram designados para o servigo da Joao Baptista de Souza.Quando findar-se o
guerra, nao so pelos conselhos de qualificago, mas praso do seu engajamento ser attendido.
Jo^ Mana Freir Gameiro.
Dito ao mesmo.-Queira V. Exc. mandar inspec-
cionar pela junta de sade o paisano Francisco Da-
niel Secundido, que o recrula Joao Theophilo da
Costa oflerece para servir no exercito em seu
lugar.
Dito ao mesmo. -Queira V. Exc. mandar elimi-
nar do contingente de guardas nacionaes destaca-
dos o guarda do Io balalnao de artilharii deste mu-
nior, caixeiro do supplicante, o qual deve reque
rer o seu direito ao mesmo conselho.
Dito ao commandante superior da guarda naci- a fin de ser inspeccionado,
nal do Bonito e Caruar.Em vista da sua infor- Tenente Luiz Ignacio Jeronymo
migo datada de 9 do corrente, resolv dispensar D se.
do servigo de destacamento para que eslava desig- Luiza Maria Ferreira.Informe o
nado o guarda do batalho n. 26 de infamara do dante superior da gnarda nacional
municipio do Bonito Manoel Alves da Silva, que do Recife.
provou ser casado ; o que Ihe declaro para expe-
digao das convenientes ordens, cumprindo que V.
S. remella pa-a esta capital, quanto antes os con-
tingentes que deven dar para o servigo da guer-
Joaquim Vctor Pereira de Carvalho.Nao tem
lugar por nao estar completo o praso de engaja-
mento do supplicante.
Capito Jos Thomaz Cavalcanti Pessoa.Nao
tem lugar por hora.
Joao Duarte Carneiro Monteiro.Informe o Sr.
insppctor da thesourarla de fazenda.
D. Joaquina Candida de Gusmao.Nao tem lu-
gar.
Jos Peixoto Silva.Passe portara na forma re-
querida.
Joao Theophilo da Costa.Aprsente o substitu- I silico carecen) d ser
to no quartel general do commando das armas, que nos campos do sul os v;
cao de todos os principios da humanidade e civili-
sago.
Em'presenga de taesjihenomenos, nao cumpre
ir estudar as causas, que Ins derara occasio.
Sao estas, sem duvida, muitas e accumuladas;
partem por ceno de longa data, e nellas tem parte
muita gente. Mas, agora que se manifestam os
dos
progressos que muilos dos seus
tem nella feiln, como da-se
leve a habilidade de t .rnar
! audilorio a illuso ou a confuso do ador na per-
sonagem representada.
Ao drama cojo desempenlio fi) satisfactorio as ras
siMK^Btiis^y^ enire-act-' am
gr-* m. ----^sSs:=^=* ^sasavasrarsu.
exhibi o Sr. SimSes una iu
artstico, dndonos o lypo
,, i'nu........ninv-----
mSf lsl-0ca^ brasileiro nm medico, e cada, do em lodos os seus movimentos.
um delles nao porte, nao deve poupar os seus esfor-
gos em tal emergencia para provcar urna crise de
que resultara o restabelecimento de um estado,
secrtanos precedida de varios cidados veioao innaiimrai
com o Sr S.moes, que comprimentar o Sr. chef, da etprticio co7*Hte.>
completa para o seu os ofBc.aes expedicionarios a lomaren) aaTrnaa*
cerveja. ^*^
Junho 25.-Seguio de Mogy-mirin pelas ho-
Ja manhaa, a expedig"-
Grosso, e foi aeainpar pela
da manhaa, a expedigo de-iinada a Ma**>-
2 horas da Urde a
... .i,,, uu seu uienio artstico, dndonos o lypo 26 -Seauin d- Hur ,,
Nao desmenta um s instante a serledade do "^ "??*i J t^0^ Jornada.
papel,
muito
e traduegao deste foi tao perfeita que
nao vemos no Santa Isabel tamanhos
que importa a toda a communhao, "quera abriga 5^""^" "" 'saDel ,amannos ^
nRPpllu.da.Pa,rl.a- a"es,a''f0,"s^r''ls d0 Pvo bra- typica que dera-se na caracterisago ; a cabelleira
acompaohados por outros | de um bello fulvo o de um penteado irrepiehensi-
ajudar na cruzada vel -
dos Santos.
Sr. comman-
do municipio
.,uc ,,us cmpoS uo sui os vao ajuaar na cruzada vel; o andar compaseado a nronuocia com o
V nh'alf Sa' "Dra 6 "berdade 6ra qUe eSl Pm-1 S0^onete ^>- o paftnismSTJalav'a?; o
P'pca.?".. canto; o solo que dan^ou; em "
Essas levas glonosas sao anda insofflcienles ; e cheiro insular que delle forma
si as phalanges dos nossos bravos, que se tem il- deiro de Albon
. ra os corpos da guarda nacional sob seu com-
iii.ipio, Jos da Costa Arantes, que foi cousiderado mando superior,
incapaz do servigo em inspecgo de sade. i d1o ao commandante superior da guarda naci-
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar como, na| do Lmrer0.-Teudo-se alistado no corpo de
voluntario da patria, para servir no corpo que esla | polica o guarda nacional Daniel Mauricio da Sil-
organisando o major Jos Rodrigues de Moraes,: va> que eslava deS(acado nesta vi||a) e veio a esla
o 3" escripturario da thesourana de fazenda Joa- capilai lmer presos assm Q communico a v. s.
quim Jos de Oliveira Tavares, o qual deve por para seu conhecimento, e afim de que providencie
eraquanlo flear addido an 3o corpo. j o sentido do ser o referido guarda substituido por !
Dito ao mesmo.-Queira V Exc. informar acer- out.0 no servico daquelle destacamento,
cado que solicita o commandante superior da Dilo ao director das obras militares.-Ficam ap i
guarda nacional do municipio do Recife, no inclu-
so offlcio.
Dito ao mesme.Mande V. Exc. eliminar do
contingente de guardas nacionaes destacados o
guarda do Io batalho de artilharia do municipio
do Recife, Albino Antonio do Valle, que foi consi-
derado incapaz do servigo, segundo consta do ter-
mo de inspecgo, annexo ao offlcio de V. Exc, n.
1,303, de 2 do corrente.
provados os ajustes que V. S. fez segundo o seu
offlcio de 22 do corrente, cora Joao Pedro Baptisla,
Rufino Manoel da Cruz Cousseiro e Jos Pereira de
Alcntara do O', para execularem, o Io os coocer-
tos de que necessiia o quartel das Cinco Ponas
pela quantia de 3265160 rs., o 2 os do quartel da
companhia de eavallaria por 5465300 rs., e o 3o
os do quartel da Soledade que serve de deposito
dos recrutas mediante a quantia de 3"3S ; cun-
Dito ao mesmo.Tendo concedido ao alteres do prndo que V. S. faga apressar a execuco dessas
contingente da guarda nacional destacado Jernimo obras.Communicouse a ihesouraria de fazenda.
Dilo ao commandante do corpo de polica.Man-
de V. S. alistar no corpo sob seu commando o pai-
sano Jos Antonio dos Prazeres que foi julgado ap-
to era inspecgo de sade, segundo V. S. declarou
em seu offlcio desla dala n. 737.
Dito ao mesmo.Visto que, segundo os seus of-
flcios n. 734 e 733 desta data, foram jnlgados ca-
pazei para o servigo em inspecgo de sade, os
treze paisanos mencionados na relago juma, auto-
riso V. S. a mandar assenlarlhes praga no corpo
sob seu commando.
Dito a cmara municipal do Recife.Remetto por
copia a cmara municipal do Recife, para seu co-
nuecim9nlo o aviso de 3t de julho ultimo, em que
Cesar de Vasconcellos, lo das de licenca de favor
para ir a comarca do Limoeiro alistar voluntarios
para o servigo da guerra, assim o declaro a V.
Exc. para seu conhecimenio e expedigo das con-
venientes ordens.
Dito ao mesmo.Haja V. Exc. de mandar alis-
tar no corpo de voluntarios da patria, o cidado
Jesnino Sedonio de Souza Navarro, que se offere-
ceu para servir na guerra contra a repuolica do
Paraguay, permllindo V. Exc. o uso das insignias
de cadete, visto ser filho do 2 lente reformado
do exercilo, Joaquim Francisco de Souza Navarro.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no con-
tingente de guardas nacionaes destacados, o guar-
da Joaquim Jos da Silva Ferreira, qne se offere- o Exm. Sr. ministro da reparico da agricultura,
ceu expontaneamente para servir na guerra, e no commercio e obras publicas, declarou que estando
corpo de voluntarios da patria, o cidadao Jos Uon-
calves da Silva Jnior, permilUndo a este o us
das insignias de 2o cadete, visto ser seu pat capi
tao da guarda nacional.
Dilo ao mesmo.Expega V. Exc as suas ordens
para que o soldado da ci mpanhia de arlifices Ga-
briel Archanjo Pacheco da Costa v servir na com-
Manoel do Nasciraento Teixeira.Informe o Sr.
capito do porto.
Maximiano Jos Ferreira.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do Recife.
Mara Thereza Leite.Informe o Sr. Dr. chefe
i de policia.
Manoel dos Santos Estevo Papa.Informe com
> urgencia o Sr. commandante superior da guarda
nacional do Brejo e Cimbres, se o supplicante foi
designado e quando, para servir nos corpos desta-
cados.
Manoel Joaquim Pereira Lobo.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional de Olin-
da e Iguarass.
D. Maria Felicia de Castro e Silva.Passe porta-
ra na forma requerida.
Mara Christina Cavalcanti Pessoa Cesar.Nao
tem lugar vista da lei.
Manoel Alves da Silva.Attendido.
Pedro Ferreira dos Santos.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Patricio Henrique de Messias.lodeferido.
Pedro Ferreira dos Santos.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Roque Nogueira de Souza. -Os documentos apre-
sentadas nao provam isengao legal.
Tito Augusto de Albuquerque Porto Carreiro.
Apresente-se no quartel general do commando das
armas para ser inspeccionado.
Virgilio Vieira da Costa Pinto.Passe portara
removendo o supplicante para a cadera de Nossa
Senliora do O' de Goyanna.
Valeria Maria Baptisla.Informe o Sr. comman-
dante do corpo de policia.
em lim todo aquello
va um limo verda-
ttl^Wn Montevideo, Corrientes, | A ludo isto tambera corresponden o nosso pubii-
Rtechuelo, Mercedes, S. Borja e Raqui, nao desan.- co com a raais solemne v.ctoriacao ao mista, que
mam nem se acobardara, forga confessar tambera obteve nessa noute um navel
que, mesmo de sua impavidez e sobranceria to vendo
do o sacrificio pessoal, alongara suas vistas em pro-
cura dos irmos aue ticaram,
triumpho, de-
muito agravel a
rmaos que ticaram, cujo concurso pe
dem em prol da honra da patria comprometida
aos olhos do mundo.
_E suas vistas se nao perdero em um horisonte
vo... nao se perdero!
O Brasil urna nago livre, e seus filhos nao con-
sentiro que um" povo escravo o insulte sem cor-
rerem a intligir-lhe o castigo.
A gerago actual nSo degradouse das gloriosas
tradiedes de seus raaiores ao ponto de quedarse
to vilmente peranie tamanha alfronta.
Esta degenepgo do prstino esforgo, esla apos-
por conseguinte ser-lhe
recepeo, que leve.
Deve de novo apreseutar-se ao publico no espec-
tculo, de hoje; o qual sendo o mesmo quanto ao
drama, foi alterado com a addgo de urna cango-
neta cmica e a mudanga do entreacto por outro,
em que o seu trabalho nao inferior em belle-
za ; pois telo-hemos de ver no typo do saloio.
as proximidades da eleigo de vereadores e
juizes de paz, o anno passado.Jfoi assassinado a ca-
detadas, na freguezia da Varzea, Ignacio Manoel de
Santa Anna Res, por alcuriho Jaracat; tea-
do sido accommettido por mais de orna pessoa, as
quaes, segundo se diz desde enlo, eram escravos.
da
2T/LZK da hnra. esteJdo,r Para ia Jaracalla7ra u"m"hornera nseravX'vivhTpacT
quenobre, sena o sudario de eterna vergonha Acmente cora sua familia n"
para o orasil. .,>. ..- .:_?_ >
Mas o Brasil respira pelos pulmoes livres de mi-
niares de filhos, que tem em menos a vida que a
honra ; e o Brasil neslas condigoes alga a fronte
imperiosa cingda do diadema bnlhante do valor e
da dedicaco de todos os Brasileiros.
Q'mporta, porianlo, que o Paraguay invista a
trra da Santa Cruz em sua insania f
Que importa, quando seus filhos comprehenden-
do o sacrificio que Ihes ella pede, sabero corres-
iio se pode crer por
tanto que a inimlsidade ou o desejo de se apoderar
do alheio, levasse os autores de to brbaro crlme
a pratica-lo.
Coma se que no dia anterior ao do assassinato, a
victima conversarifio de publico sobre influencias'
polticas da localidade, sustentara que o Exm. Sr.''
baro de Muribeca, o era como nenhura outro, por
que em todas as suas propriedades, os seus mora-1
dores nao pagavam renda ou foro, e o que
Raqui, fazendj
t 7. Segoio de Ilaqui pelas 8 horas fe _
nhaa e foi acampar pelas dnas da Urde em tm-
peba azendo 2 1/2 leguas d^ jornada. '
28. Seguio de liup tu p*ias 1 hora* da Ma-
nhaa e foi acampar pelas 2 1/2 boras da ttr** n
AUgoa dos Olhos d'Agoa, lazeodo 3 raras de tor-
nada. *^
i 29.-Segoio da Alagoa dos Olhoi d Aaa pe-
u. S horas da manhaa, e foi acampar petoa dras
horas da tarde era Casa Branca, Uzeado 31 letras
de jornada. ^
,\ 5 T*. pa,,,a P*ra Proporcionar tena* ras
soldados de lavarem i roupa.
Julho !.Cootioa a paosa afina de ser re-
cebiaos o sold e raais vencimento*.
2.Segoio de Casa branca pelas 8 horra
m anhaa e vai em marera.
< Cbegaram de Campias, onde raviani
por motivos de orga maior, o coronel de
sao Lima e Silva e o alferes Quera.
O capito Pereira do Befo contina grav
te doeote de ensipella, e certaaente rollara a
a corte.
O fomecimento
dade.
< O hospital comprehende cerra de 30 dorara*,
e entre est-s um em p.-ngo de vida.
O Dr. Jesns. chefe da repartiera Medica fu
quanto pode afim de que u servico do hospital
lieencha ; lim a que destinado.
O capello Aodrade e Silva trata e socorre ra
doenles cora caridade e soiicitode. Unto ao araat-
tal como em manda.
a Alm destes outros procurara deserapeafeer
seus deveres.
< O ajndante de ordens do commandante era ar-
mas, alferes Macedo, foi julgado incapaz de se-
guir, e volla para a corte.
Seqnentiu do tana da exfedtfoo ntimim
a Mato-Grosso e em marcha pela arenara t S
Paulo.Julho 2.Seguio de Casa Branca, peto !
abundante e de ba faeaV
Quarlel do commando do batalho n. 'rl da guar-
da nacional de Seriahem, 2.'j de agosto de
1865.
Illm. e Exm. Sr.Considerando do meu rigoroso
dever, como cidadao brasileiro, e chefe do bata- da uerra levantar-so
planta
poider a expectago da patha.correndo presurosos ^^ZZT^L^r^S^JS, I lraraafra2ft e^ *** + ***9+
^SlLitoiinoort.queesteraovimemode?-^^^
J^daDaSapra!,^trpdreejudic,al. =S ^^" ^^ =^ ^l^f^^ > ^ ^^
economa de vidas, de dinheiro e de futuro do paiz, nao se justifica o dele x q5 le" lo! aSrid ; r* ^^ *E!"r de irM**-
cuio desenvolvimento assim retardado des pol ciaes da fre- uezia ITlnSn Z\T egu.'0 do Uua*ae pHas 9 horra a
a com a armada vinganca era punho, porque tor do delicio, e fosse elle punido devidamente. .^Zra^ EaiVEft ah a
cumpre desassombrar o nosso territorio das hordas E tanto raais d- admirar isto nuanto nao tem m k- gw Re.,,rflLd' U'e '>c,** to
E oeverdetodoo cidadao apto para o servigo pobre viuva da victima, recru.ando-lhe Vmlai.n.'S^SmmZnmm^mtSLTL ,,
rpido, porque convem raos arabos iucapazes para o servigo, por doentes, como ^JaSTLLm mfSSJLmSft ?-
panhia de Zuavos al ulterior deliberago.
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. as inclusas contas em duplica-
ta, afim de que, uo havendo inconveniente, man-
do pagar a empreza da illuminago desta capital,
conforme solicitou o inspector do arsenal de man-
nha, em olficio de honlera, sob n. 937, a quantia de
73z040, proveniente do gaz consumido, durante
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer
ra.Anioriso o conselho de compras do arsenal de
guerra a comprar para o presidio de Fernando os
objectos mencionados no incluso pedido.
qual, alera de alguns pa
i !.a?.serv'5 a guerra, em defeza da honra e in-! sisirara o Exm. Sr. general, commandante das ar-
tegridade do imperio, offerecendo-me para acom-
panha-los nesse glorioso saarificio.
Trazendo ao conhecimento de V. Exc. esla minlia
Dilo ao Dr. juiz de direilo do Bonito.Em res- j deliberago, confio que V. Exc. se diguar de ap-
posta ao seu ollicio de 14 de junho ullimo, tenho a | prova-la, e asseguro a V. Exc. que erapregarei to-
dos os esforgos a meu alcance para que com a ma
dizer-lhe que approvo a deciso que Vmc. deu ao
juiz municipal Je Caruar, declirando ter cessado
os mezes de Janeiro a juuho desle anno, com a : a sai jurlsdicco na freguezia de Qupap, depois
illuminago daquelle arsenal, e da casa da inspec- da desmembrago desta para o lermo do Bonito,
gao, sendo 606)660 com a do 1" e 375b00 com a pe|0 artigo 2 da lei provincial n. 616 do corrente
da 2", como se v das preditas contas.t,ommuni- anno.
cou-se ao predto inspector. Dito ao delegado de policia de Garanhuns.Res-
Dito ao mesmo.Tomando em consideragao o pondendo ao offlcio que Vmc. me dirigi em 29
que no incluso requerimentoexpoz o 1 tenente de dt julho ullimo sob n. 10, tenho a dizer que as
engenheiro e ajudante da directora das obrasjni- contas das despezas com o sustento dos presos po-
mas e os poucos offlciaes de 1* linha e reformados,
que anda exislem nesta cidade.
A prornptdo e a espontaneidade cora que esses
senliores honraran) a memoria do seu finado ca-
lima possivel brevidade rena pelo menos numero
de pragas sufflciente para compor urna secgo de
batalho, com a qual me apresentarei a V. Exc.
para seguir quelle destino. Se, porm, nao me
litares nesta provincia, bacharel Chrysoiito Fer-
reira de Castro Chaves, declaro a V. S. que o pa-
gamento que, por offlcio de 19 do corrente, man-
dei fazer ao supplicante, de vencimentos de com-
bres da cada dessa villa, relativas aos mezes de
Janeiro a abril deste anno, exislem no archivo da
secretaria desta presidencia, e nao sero pagas sem
que essa delegada remetta as relagoes dos presos
misso activa, deve ter lugar desde o dia em que que esiiveram recolhidos a mencionada cada, du-
enlrou elle no exercicio daquelle emprego
Dito ao mesmo.l'de V. S., conforme indica
em sen offlcio de hontem, sob n. 614, a que res-
pondo, expedir as suas ordens para que, sob mi-
nha responsablidade nos termos do 4o do art. 5o
do decreto n. 2,884 do Io de fevereiro de 1862,
seja levada em coola ao collector de Nazareth,
visto nao haver crdito para esse Um, a quantia de
80,5976 por elle despendida nos mezes de fevereiro
a abril deste anno com o pagamento de vencimen-
tos de escollas que conduziram recrutas para esta
capital com destino ao exercito.
Dito ao mesmo.Remetto a V. S. para os con
venientes exames as inclusas contas por duplcala
da receita e despeza da enfermara militar perma-
nente no mez de julho ultimo.
Bito ao mesmo A' vista de sua informagao n.
613 de 22 do corrente, autorise o commandante do
ranie aquelles mezes, as quaes nao podem ser sup
pridas pelas duplcalas de taes contas, como Vmc.
suppoe.
Portarla.-O presidente da provincia resolve
aulorisar o tenante-coronel Joo Paulo Ferreira, a
promover o alistameoto de voluntarios da patria,
para a organisago de ura corpo, de que ser o
commandante, e recommenda a todas as autorida-
des, a quem esta for apresentada, que o auxilien)
nesta rommisso.
DitaO presidente da provincia aulorisa a
Francisco Xavier Cavalcan Lins, a promover o
alistawento de voluntarios da patria, e recommen-
da s autoridades a quera esta fr apresentada,
que Ihe facilite o desempenho de sua comraissao.
Dita. O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o tenente reformado do Io esquadrao
de eavallaria da guarda nacional deste municipio,
presidio de Fernando a mandar pagar pelo respec-: Joaquim Felippe da Costa, resolve concoder-lhe
ivoalmoxarifado a consignagoque deixou do seu
saldo nesta provincia o alferes do exercito Emigdio
Vieira de Lemos, para ser entregue a sua mulher
Frmina Filonila de Oliveira Lemos : o que de-
claro a V. S. para seu conhecimento.Olflciou-se
neste sentido ao commandante do presidio de Fer-
nando.
Dilo ao mesmo.Nao obstante o que V. S. pon-
derou em sua informagao de 28 de julho ultimo,
sob n. 339, recommendo-lhe que mande pagar sob
minha responsablidade, a quantia de 7H5688 rs.,
que se est a dever a Domingos Jos da Cunha La-
ges, proveniente de gneros, que de conformidade
com o seu contrato, forneceu como se v do inclu-
so requenmento, para e hospital militar desde 6
de abril at 6 de maio de.-le anno, visto estar esta
despeza comprehendida no 7a do art. 5 do decre-
to n. 2,884 do i" de fevereiro de 1862, por ter si-
do o fomecimento feto para dietas dos doentes do
mesmo hospital.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Restitoindo a V. S. as contas que vieram annexas
ao sen oflelo de 13 de junho ultimo, sob n. 232, e
a que se refere o de hontem n. 323, relativas ao
sustento dos presos pobres da cadeia de Caruar
durante os mezes de janeiro a abril deste anno, sa-
tisfago a sua requisigao comida no 2 de taes odi-
aos, que Oca assim respondido.
Dito ao mesmo.Se nao bouver inconveniente e
estando em termos os prets juntos em duplicata,
mande V. S. pagar a Jos Mara Ferreira da Cu-
nha, conforme solicitou o commandante superior da
comarca de Nazareth em offlcio de 10 do corrente,
sob n. 212 a quantia de 16J740 rs. em que im-
portan) os vencimentos de duas escoltas de guar-
das nacionaes que conduziram presos de jusliga
d'illi para Goianna e para esta capital, como se
v do offlcio tambem junto por copia.Communl-
cou-se ao commandante superior de Nazareth.
Circular aos commandantes superiores.Para
regalaridade da expedigo e prompta entrega dos
oficios que esta presidencia houver de dirigir a
V. S., recommendo-lhe que rae declare com ur-
gencia o logar de sua residencia e a distancia em
que fica da cidade, villa ou povoagao raais prxi-
ma, no caso de nao residir V. S. na sede dessa co-
marca.Igual mulata mutandis a todos os dele-
mais 6 mezes de licenga para tratar de sua sade
na Europa.
Dita O presidente da provincia aulorisa ao ca-
pito do 8 batalho da guarda nacional deste mu-
nicipio, Joo Los Ribeiro de Faria, a promover o
alistamento de guardas nacionaes do seu batalho,
que se offerecerara para marchar para a cam
panha.
Dita.O presidente da provincia usando da at-
tnbuigo que Ihe coofere o artigo 2 da lei n. 622
de 16 de maio do corrente anno, resolve, a pedido
do professor publico de instruccao primaria da vil-
la do Granito, Jos Peixoto r Silva, conceder-lhe 6
mezes de licenca com ordenado para tratar de sua
sade, deveodo o referido professor deixar em sua
cadeira pessoa idnea que o substitua, nos termos
da citada lei e de conformidade com o parecer do
director geral interino da instruccao publica de 17
do corrente sob n. 241.
Despachos dos dias 22 e 23 de agosto de 186o.
Requerimentot.
Antonio Joaquim dos Santos. Tendo o suppli-
cante abandonado sua mulher ha mais de 6 annos,
nao Ihe pode aproveitar a isengao allegada.
Athanazia Maria da Conceigo.Nao tem lugar
em vista da informagao.
Antonio Claudino de Oliveira.Indeferido.
Alferes Aodr Cordeiro Cintra.Como requer.
Benedicto Jorge da Sil va.-Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Bernarda Maria da Conceigo.Nao tem lugar.
Estanislao Carlos dos Santos.-Seja dispensado,
visto ter sido julgado incapaz do servigo em ins-
pecgo de sade.
Padre Francisco Verissimo Bandeira.D-se.
Francisco Jos Cabral.Tenho deferido.
Francisco Antonio da Silva.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Francisca Folgencia de Lorto.Nao tem lugar.
Innocencio Peregrino Xavier Ramos.Nao lera
lugar em vista da informagao.
Irmandade do Santissirao Sacramento da matriz
do Rio Formoso.Dirija se thesouraria provin-
cial.
Joao Theophilo da Costa.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
fr possivel, nao ob-tante as diligencias que em-1 betas at la 3 dias de viagem.
pregar, fazer persuadir guarda nacional sob meu | Contava o digno missionaro partir a 13 em di-
commando da obrigago, era que se aclu da tomar: recgo de Caruar, apezar de ir bastante incora-
voluniariamente as armas, em pro da causa na- modado era sua preciosa saude; e d'ahi seguira
cionat; com toda a firmeza e dedicaco rae offe- ao Brojo da Madre de Deus, onde se nao melhoras-
reg para ser empregado em qualquer commisso! se, tena de seguir para Garanhuns ou Papacaga
relativa s operagoes de guerra, para a qual V. pra tratar-se.
Exc. julgar conveniente designar-me, na minha O digno ministro apezar do seu
que curnpridora dos seus deveres.
A Revista < ommevcial. de Santos em S. Paulo
escreve o seguinte:
A mocidade acadmica prepara-se para offe-
recer ao contingente que marcha para defender as
ironleias da provincia de S. Paulo, ao mando do
matada, e digna dos maiores elegios e revela o ;Sr. major Machado, um rico instrumento para una
bono cooceito em que era l.do o fioado \asconcel- banda de msica em cujo instrumental sero gra
-p m a n a a ,r 'vaa5 eslas Palavras :- Offerecldo veto Corpo Ac-
- Temos cartas do Bonito com data de 14, em demico memoria do Combate de Riachuelo
que se nos diz ter all chegado a 10 o Rvd. Fr. j
Egidlo, que por causa das chuvas gastara de Trora-
Esla corporago digna dos maiores encomios;
quando alguns figures procuravam arrefecer o
eulhusiasmo pela causa da nagao, os estudantes es-
ereveram jornaes, applaudiram nossos tnumphos.
e mtiitos abandonando seus commodos e a carrei-
ra brilhame que seguiain empunharam as armas e
l vo honrar o nome Brasileiro.
A mesma folha diz o seguinte sebre a expe-
estado nao Ihe : dca0 fde S' ?aul para Matlo-Grosso.
qualidade de offlcal, se me considerar merecedor I permiuir que fagaafgumas prYticas, pelos lugares rt' ^L"1"""0' deJunho de tf 63.Tmhamos
nnr nnAo ha hieiIi> ,.,,ii,,.i.> nr. Aalvn A* .m. "c mari.nar
da honra que solicito.
por onde ha passado, comtudo nao del xa de acn
no dia 17, mas urna contra ordein
" i addiou para 20, da em que sahimos de Campias,
Entretanto, logo que me forem transmitidas: selhar aos povos que a patria tem direito aos sa- ,
pelo Sr. commandante superior as ordens no sen- cnlicios de seus filhos as quadras solemnes, como \ '?' a de l8 >M*ao>> 1u.e prefenndo s glorias
tido de ser feita a desgnago do contingente, que | a que corre. da batalna a.Pena de en-xov,a imPsla aos *eser-
deve fornecer o batalho que commando, tratarei'
de dar a ellas inteiro cumprimento.
Por esla occasio aprsenlo a V. Exc. a seg-
ranga do meu profundo respeito e alta conside-
rago.
Deus guarde a V. Exc.-I||ra. e Exm. Sr. con-
selheirro Joo Lustosa da Cunha Paranagu, digno O Exm. Sr. conselhero presidente autorisou
presidente da provincia.Mariano Xavier Carneiro'. a promover o alistamento de voluntarios da patria! **'
inha. tenente-coronel commandante do bata- [ ao Sr. coronel Tiburtino Pinto de Almeida, que pa '
infamara da guarda nacional de
Iho n. 42 de
Serinhaem.
Valenies guardas nacionaes do batalho n. 42 :
O Paraguay invadi o solo do Brasil: duas das
nossas provincias esto sendo devastadas pelo ini-
migo. A's armas I Corramos ao campo da guerra I
A honra nacional reclama o nosso auxilio : o im-
perador que presentemente se acha a frente do
exercito nos convida e espera. Vos, que em 1839
- Alistaram-se hontem no corpo de voluntarios ('ue cobardemeotejabandonaram seus cama-
da patria os Srs. Paulino Manoel de Castro e Joo v- ,% _.
Baptista dos Santos. *' '' ma pm "S ds.era0- PQ"
- Foi incumbido do alistamemo de voluntarios'^a1deP^ur.osa ,sua 'ande!ra e. ".sangoe
para o corpo de policia o Sr. Antonio Rodrigues' bras,leir0 nao foram breados pela miseria ; pois
Lins "i umuuUMisut que, se a tabella apresentada aos conselhos eco-
nmicos no mez passado era mesquinha, a que te-
ve vigor do dia 16 do correle em diante abun-
e satisfactoria.
Foram cobardes que se esqueceram de seu
dever ; militares sem dignidade que em quanto
seus irmos Jbatem-se nos campos de Sul, aqu
traigoeiramente deixam o posto de honracon-
ra isto se offerecera; ao Sr. Joo Hypoiito de
Mera Lima, e finalmente ao Sr. Francisco de Car-
valho da Silva Queiroz, sendo este na comarca de I
Garanhuns.
Em additamento a noticia que hontem demos,! liado.a !2? fl T"00 d'!? ffi
cumpre dizer que o Sr. major reformado Chrisan- ].. A: pedigao dei S. Paulo__pa Malto-Gros
tro Dario Nobre de Almeida, alora dos filhos, offe-'
receu-se tambem para sejfuir para a cempanha.
Comegamo, hoje na dente.
A que devenios attrlbuir esse vergonhoso com-
rosso
tem sido infeliz, desaniraadora. Pelas mis-ivas
anteriores tem os leilores de seu peridico visto
que numero excessivo de desergoes faz rarear
corrieis em multido a tributar ao maganimo"rao"-1 a pastera! do Exm. Rev? Sr. "vtearo" capitular, Dr; ssas fllejrafs; 1uanl ss contribue para an
narcha as homenagens de vossa dedicago, por oc-1 Joaquim Francisco de Faria, relativamente ao Jffar moral d exerc". '
casio de sua augusta visita muito leal villa for-: jubileo concedido por S. S. Pi IX.
mosa de Serinhaem, nao vos tornis surdos a sua
voz, quando do iheatro da guerra em nome da na-
go era perigo, appella para os vossos bros e vos-
sa lealdade. E' chegada a occasio de mostrar que
gocios da igreja.no amor e dedicago paternal pelo manha> formMdo ^ | for?a de arli|haria e
infamara um s corpo sob o commando do Sr.
major Luiz Soares Viegas, e fazendo guarda avan-
Esta pastoral recommenda-se, alm disto, pelos !da cmpa"hia >"", effectooo-se a
nhecimenio, rfa< orart i,r'a santas serio-1 n,"cha P6'3 estrada de Mogy-m.rim e as 3 e 1|2
da tarde acampou-se no lugar denominadoPonto
Convidando a ttengo dos nossos leitores para
esta pastoral do Ilustrado chefe da igreja pernam-
bucana,podemos garantir que ah^o espirito achara I JT" "ef ,"w' e "
agradavel repouso no zelo do digno pastor pelos ne I acha2,nos(io0 0,2 ll!n"ar'3 $ML\
gocios da igreja, no amor ededicago paternal pelo | ^JS"SLi? 8?" T.Xi0J*' '
rebaoho confiado a sua providente guarda e final
mente no fiel cumprimento de um dever sagrado
para com o supremo chefe do calholicismo.
conhecimentos das sagradas lellras e santas escrip-
em vossos peitos anda nao se arrefeceu o amor
pela patria que vos deu o bergo. Eu seguirei com-
vosco, eu vos acompanharei ao campo da gloria :
o vosso valor tornar infallivel a victoria. Se ha-
veis de sujeitar-vos a ser compellidos pelo recru-
tamento, e por urna designago forgada, a tomar
parte ingloria na causa da nago, camnheraos vo-
lumariamenie cobertos das bengos de Deus e da
patria agradecida. Briosos Serinhenses, s ar- penetrara nos coragoes lo sympathicamente quan
mas, s armas 11 Viva S. M. o Imperador I Viva lo nellas tem os mesmos coragoes o molde do Crea-
a nago brasileira I Viva a briosa guarda nacional dor, em que se elles reveem como o mximo des-
de Serinhaem I tino do bomem espiritual.
Quartel do commando do batalho n. 42 da A expresso de nossa gratido, pois, offerecemos
guarda nacional do municipio de Serinhaem, 23 ao Ilustre prelado,
de agosto de 1853. Reune-se hoje em sesso o Instituto dos Advo-
(Assignado). Marianno Xavier Carneiro da gados na sala da Bibliotheca Provincial.
Cunha. Amanha deve ter lugar a eleigo do novo I
Est conforme.O secretario do batalho, Joo conselho deliberativo e da comraissao de contas do
Ovidio Rigueira Pinto de Souza- | Gabinete Pot-tuguez de Leitura.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia aceitn o Na quinta-feira ultima estreou no Santo Isa-
olTerecimnto patritico do tenente-coronel Maria-' bel o Sr. Simoes, actor do theatro normal de
no Xavier Carneiro da Cnnha e o louvou pelo seu i Lisboa, abrindo a serie de espectculos que con-
porlamento do* soldados da columna?
No 7 de Setembro e no Jornal do Commercio
da
procedimento.
PERNAMRUCO,
REVISTA DlilU.
A quadra que corre para o Brasil repugna com
troca de recrminag5es entre seus filhos.
A realdade que ah se ostenta, a guerra ; e a
guerra ja traz a consequencia da i n vasa o do nosso
slo por esirangeiro?, que nelle se derramam as-
signalando sua passagera selvtica por actos de in-
sulto e vilipendio nago Brasileira, e por viola-
turas em que abunda: e n'uma linguagem pura e i T. 1" Vi ,ri.,T ST
em estylo fac expoe verdades que calam, que Alt0 c. 2 *l2 le de fgjfe,.
A bagagem lulou cora dfflculdades e s che-
gou parle dola.
t 21 de junho. Fallou-se por nao ter chegado
toda a bagagem.
22 de junho. A's 8 horas e 45 minutos da
manhaa raarchou a forga na mesma orden), des-
cangando 45 minutos, 1|2 legoa quem do rio Ja-
guary.
Ficou doente no pouso ora official da repart-
gao ecclesiastica. Desertaran) 4 soldados.
c Acampou-se na niargem esquerda do rio Ca-
manducaia 1 hora da tarde cora duas leguas de
marcha.
23 de junho.A's 8 1/2 horas da manhaa,
precedidas as formalidades do estylo, efiectuoo-se
a marcha (cando doente um offlcal de infanta-
ra.
t Ao meio dia acampou-se era Pirapitingui com
urna legua e tres quarios de marcha por achar-se
a ponte em mo estado e nao poderem-se passar as
bagageus.
< 24 de junho.A's 8 horas da manhaa achan-
do-se concertada a ponte, marcltou a forga e ao
ni-10 da passou inteiramenle desapercebida por
Mogy rairlm. Notou-se apenas a delicada sansib-
lidade de algumas
tratara com a empreza.
Verdadeiro filho da escola moderna, e to intelii-
gente quanto habilidoso, apresenton-se em nossa
scena no papel diflkil do barqaeiro, no drama de
Cesar de Lacerda Trabalho e Honra ; e esse papel,
que se notabilisa por orna sensbilidade exquisita,
grande variacao de gestos e diversas inflexao
expressivas dos encontrados sentiraentos que nelle
ha, foi compre hendido em toda a sua extenso com
vantagem do actor, ruja indiligencia e estudo
aprimorado da scena Dcaram bem patentes.
1 lidade de algumas senhoras, que derramaram la-
Com elTeito, a pronuncia, a gesticnlago, a mo-! grimas ao ver passar a tropa.
dulago vocal, o andar, em fim tudo nelle era de j < Esta acampou um quarto de hora depois na
orna natut alidada inexcedivel, dando copia dos estrada.
efTeitos brilhantes da escola dramtica moderna, e A's 6 horas da tarde nma banda de msica
mtfttt ioaao e
dispunha--i a
auzeacia depois
_ das (oreas tai
Lberaba trazendo correspondencia do cor nei G*l-
vo para o coronel Drago. As noticias indas dahi
foram mu agradaveis a lodos.
A estago excel lente e as marchas laxeaa se
sera incoinmodos graves.
< O fornecimeoto bem e abundante, cateado
mencionar com louvor assim o nome do coronH
Luna e Silva ctmo o do major Lias.
< O estado sanitario nao tem peiorado. >
Refahtiqao da polica :
Extracto das partes do dial'! de acost de 1863.
Foram recolhidos a casa de detenro ao da 22 do
corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. cnefe de policia. Joa
Antonio Barbosa, Fraoclsco Gomes dos Santos, D>
miugos Vilellada Silva, para reeruta*.
A' ordem do subdelegado de Santo fl amaa,
Francisco Nuoes Pires, para recnua; Aatoato J-os
da Silva Guimaraes, para correceo i e Aaaslaew,
e>cravo do Dr. Jos Vicente Soares Braadao, a re-
quenmento do procurador deste.
A' ordem do de S. Jos, Joao, escravo de Lean-
dro de Souza Costa, por lugido.
A'ordem do da Boa-vista, Antonio Ribeiro da
Silva, para recrula.
O chefe da 1* seeera.
J. G. de Mesnrau.
Passageiros da barca portof neta Sywarari,
vioda do Porto :
Paulo Baptisla Moreira. Luzia Chaves Moreira,
Joao Cypnaoo Tavares CaUlo, J. D* da Silva,
Jos Mara de Souza, Luiz da Silva, Jos Martina
Hibeiro. Luiz Marlins Zelerino, Joao dos Sank.
Bernardo Jos Correa, Vicente Jos Loan, Jara
Joaquim Pereira, Jos Joao de Carvalho, Pnarca
Joaquim Ribeiro, Dent Jos Ribeiro, Alfonso Aa-
tonio da F. Salgado, Avelino Viega M Gaianraea
e Firmino Viegas M. Guimaraes.
Ce.mitf.hio publico. Obtuario do dia 24 de
agosto :
Joo de Barros Brandan, Pernanabaeo, W aaaos,
casado, S. Jos; eoogesto cerebral.
Antonio Souza Castello, Hespanna, 90 annos, Hed-
a ; apopleja cerebral.
Joanna Thereza dos Santos, Peraaaaaaeo, 48 n-
nos, viuva, S. Jos ; hydropesia.
Francelina, Pernambuco, 13 annos, soiteira, Boa-
Visla; lubercnlos pulmonares.
Domingos, Bahia, 6 annos, Santo Antonio ; nathy-
sica.
CHKO.MCA JUMCIARIi
TIUHlViL IIO COHMERClt
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 24 j
AGOSTO DE 1865.
PRKSIDKXCIA DO EXM. SR. DESEMBAMiADOn
ANSELMO FRA5QSC0 PKRITTI.
As 10 horas da manhaa, estando rearados w Srs.
deputados Rosa, C Alcoorado, Basto e Minara
Leal, o Exm. Sr. presidente declamo abena a ses-
so.
Lida, foi approvada a acta da sesso
denle.
EXPIDIKXTK.
Um offlcio do Exm. Sr. eooselbeiro
da provincia, de 18 do corrate, re
exemplares de tres relatnos : o priamre,
que o Exm. Sr. Dr. Domingos de Souza Lera
s.ni ao Exm. Sr. desembargador Anseia Francis-
co Peretli, na qualidade de priraeiro -irr pruldw
te, a admmistraco desla provincia ; jennnli,
com que o Exm. Sr. desembargador Peretli traas-
mttio ao Exm. Sr. Dr. Antonio Borges Leal Cas-
tello Braneo a mesma adraioisiracao ; o a MaaaV
ro, por este ultimo apresentado i assearatn legis-
lativa provincial em soa sesso desta aaaa de
cusada a recepeo, arrhive-se.
Foram distribuidos aos sentares dtaataw a* B-
vros Diario e Copiador de Taora Lopes de!
e o Diario de Feliciano Jos Ganan.
DfSPACBOi.
No requerimento de Augusto Cesar i
Kdlndo o registro da nooaeaco de aaa i
ao Cancio Firmino Monteiro.Registro-so.
1


^
..~l,y .--

Diario de Pernambaco Sabbado lo de Agosto de iSw.
:
Tootro do mesmo, pedindo-Ctrdio de ser ou
nao matriculado commerciatiro.Como requer.
o de Narciso Jos Moclero, pedindo o regis-
tro da sua nom'eagao de caixeiro- de Sauthall Mel-
lors Si CRagistre-se........
"No de Luiz Moreira da Silva e Domingos Gomes
la Silva, pedindo o registro do sea contrato de so-
ciedade.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Olympio Connives Rosa, pedindo o re-
gistro de urna escriptura, na qual Juo do Prado
Marlins Bibeiro Jnior Ihe hypotneca urna casa
terrea, sita ra do Livrameuto desta cidade.
Regstrese.
No de Manoel Marques Camacluw pedindo que
se declare sem effeito o registro d~nomeacao de
Joaquim Marques Gamacho, que deixou de ser sea
caixeiro, e que se registre a de Francisco Xavier
Vidal.Cuino requer.
No de Autonio Jos dos Sant js e Manoel Gomes"
de Freitas, pedindo o registre da seu contrato de
sociedade.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Benjamn Antunes de Otiveira, pedindo o
registro da sua nomeagio da caixeiro de Antunes
& Irmo.Reglstre-se.
No de Jos Caelano de Carvalho, Bartholomeu
Torquato de Souza e Silva e Jos Pedro de Souza
e Silva, pedindo o registro da procuracao de seU
constituinte Bartholomeu Francisco do Souza.
Regstrese.
No de Jos Gomes dos Santo? Correia e Joao Ma-
noel Pontual Jnior, replicando do despacho do 17
do correte, para sur registrado o seu contrato da
sociedade.Vista aoSr. desembargador fiscal.
No de Jos de Azevedo Silva, pedindo o registro
da nomeagiio de seu caixeiro Antonio Jeronyn.0
Monteiro.Regisire-se.
Duvidando o Sr. ofnral-maior da secretaria fa-
zer as notas requeridas por Candido Alberto Sodr
da Motta, por nao ser legal o meio pelo qual, qur
o supplicante autonsar o seu caixeiro a adminis-
trar a sua casa de commcrcio U tribunal consi-
derou procedente a duvida.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerruu a sesso s 11 horas e meia da
mauhaa.
SESSAO JUDICIARIA EM 2i DE AGOSTO
DE 1SG5.
PRESIDENCIA DO EXM. Sfi. DF.SEMIUUGADOIl
A. F. PE11ETT1.
Secretario, Julio Guimares.
s US horas da manhaa o Exm. Sr. presidente
declarou aberta a sesso, estando reunidos os Srs.
desembargadores Gitirana, Silva G., Reis e Silva e
Accioli, e os Srs. deputados Rosa, Caudido Alcofo-
rado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
so.
JIXGAME.VTOS.
Appellantes, Sampaio, Silva & Compaohia ; ap-
pellado, Amonio Jos de Castro.Adiado na ulti-
ma sesso.D?spiezaram-so os embargos.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Restron Rooker & C. ; appellado, Manoel ias
da Silva Santos.
Appellante, Manoel Joaquim Baptista ; appella-
do, Joo de Almeida Lima.
Adiados na ultima sesso. Continuam adiados
a pedido de oulros senbores reputados.
Appellantes, o Dr. Joo Pedro Maduro da Fon-
seca e outro ; appellada, D. Maria Rita da Cruz
Neves.
Appellantes, A. Schafter 4 C.; appellados, An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo Appellante, I). Mai ia Magdalena de Almeida Ca-
tanho ; appellada, D. Anua Josepba Pereira dos
Santos.
Appellantes, o presidente e directores da caixa
filial do Banco do Brasil nesta cidade ; appellados,
Jos Antonio Moreira Dias.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
Appellantes, D. Josepha Justina de J-sus Con-
nives e oulros ; appellados, Isaac Curio & C.
Tendo os appellantes pedido vista para embargos
de restituico, oppozeram-se os appellados con-
cessao de dita vista, sob o fundamento de serem
seg'imlos embargos que aquellos que apresentar ;
e por isso entendeu o Sr. desembargador Accioli
que devia consol lar a mesa a este respeito. E
seudo proferido o voto de cada um dos stnhores
juizes, concedeu-se a vista pedida.
PASSAUENS.
O Exm. Sr. presidente oDlciou ao Sr. desembar-
gador Doria, juiz certo, convidando-o a vir rece-
ber o feito entro partes :
Appellante, Salvador Leite Vidigal; appellado,
H. Georse Denio.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli :
Appellautes, os administradores da massa fal-
lida de Joaquim Jos Silve.ra ; appellado, .Gald no
Thenristocles Cabral de Vseoncellos.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
dor Gilirana
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Ara irim, Fragoso, Santos & C.; appellados'
Costa & Fi I nos-
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
desembargador Iteis e Silva :
Appellante, Bernardino ;Jos de Carvalho ; ap-
pellados, Sellas & Azevedo.
Appellantes, Guimares & Alcoforado -, appel-
lados, Man el Moreira da Costa Passos e outro.
DISTRIMMQES.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; appe!-
lado, Alexandre Jo.- da Rosa.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva :
Appellantes, Flix Sauvage & C.; appellados, o
Dr. Angelo Henriques da Silva, como testaraentri-
ro de Victorino Teixeira Leite e Jos Teixeira
Leite.
Nada mais havendo a tratar-se o Kxm. Sr. pre-
sidente encerrou a sesso urna hora da
tarde.
quando. se considere contraria ao que dispSa ?. le zeas, roga por isso cmara qae. providencie co-
do Io de ou'ubro, parecuado Ihe que o nao urna mo fr conveniente.Que se levasse ao conhecl-
vez que nos negocios relativos a coutadoria deu ao ment da presidencia para ordenar que a reparti-
contador a attribalco qae cabra ao secretario, sem tigao das obras publicas mandasse reparar,
rjue d'ahi resalte detrimento s partes, ou altera- Nesta occasio dellberouse tambera officiar a
raeaoda referida lei. E' manifest, diz ainda o ad- S. Exc. acerca do estado do calcamento do princi-
vogado, que nao pode ser considerado simples re- pi da ra da Aurora, que tem abatido, e necessita
gularaento o que foi approvado por uina lei, ao que de ser reparado.
cortamente se nao attendeu; e que por tanto sea Outro do fiscal da freguezia do Poco, informando
parecer que a cmara bera fez em mandar passar contra a petico na qual Hermogenes Correia de
a cerlido para evitar um conflicto desagradavel, e Albuquerque, requer se- ab-otvido da multa que
que deve representar para que se proceda de futu- Ihe foi imposta por estar edificando urna casa sem
ro na confortnidade do que dispe o regulamento licenga no lugar do Arraial.Indeferio-se.
por modo que sejam as certides pedidas a quena j Outro do fiscal de S. Lourenco, pedindo houves-
de direito for, ou ao secretario ou ao contador, se- se a cmara de Ihe mandar pagar a quautia de
guado for a materia.Posto em discusso, resol-' 1IJ qae despender crin o alimpameotodos mallos
veu-se offlciar ao Exm. presidento da provincia, re-1 existentes no lugar da matriz.Mandou-se pagar e
flexionando no sentido do parecer cima. advertir ao fiscal que por outra vez nao flzesse
Nesta occasio declarou a cmara autorisar ao despeza, sem que antes exigisse autorisagao.
contador passar, independente de aespacho delta, i Foi approvado o seguinie parecer apresentado
as eertidSea que Ihe forero pedidas de papis a seu : pela commissao de edificacoes :
A commissao de edificacoes, tendo examinado o
terreno em que D. Maria Venancia de Abren Li-
ma Bastos, quer edificar urna casa com 33 palmos
de frente na ra Augusta, freguezia de S. Jos, de
que trata o engenheiro cordeador, no seu oficio de
6 do frrenle, de parecer que a referida casa
tenha o nivellamento mais alto das duas casas, en-
tre as quaes ella fica sitiada, e que assim se res-
ponda ao engenheiro cordeador, acrescentando-se
cargo.
Outro do engenheiro cordeador, informando o
requerimento no qual Andr de Abreu Porto, pro-
pietario do sobrado n. 6 sito ra da Cacimba,
pede para fazer concertar a coberta, substituindo
as madeiras que se acham arruinadas, asim como
abrir mais uinajanella na frente do segundo andar;
declara que a easa em questo deve ser cortada
para por a ra da Cacimba em communicaco di-
recta com a do vigario, e fazendo outras pondera-! que em casos laes preflra sempre o nivellamento
coe*, conclue seudo de opiuio que se concederse mais alto.
Pago da cmara municipal do Recite, 11 de ju-
nho de 186o.Antonio Pires Ferreira.Gustavo
Jos do Reg.
Ficuu addiado um requerimento no qual Basilio
Alvares de Miranda Varejo pede a cmara que
nomeie urna commissao para formular um ajuste
smente ao peticionario reparar a coberta.Diffe-
rio-se no seulldo da informarlo.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Tiburcio Valeriano Baptista; diz que nada ha a op-
por aos concerlos que elle pretende fazer na cober-
ta e calcadas de suas casas sitas a ra B lia ns. 4
e 6.Quanto ao frade que o peticionario pretende j acerca do quantitativo porque se dever elleciuar
collocar na esquina para evitar o encontr dos car com elle o accordo amigavel.afim de se terminar
ros, lambem nada tem que oppr.Concedeu-se. a questao que com a mesma cmara tero.
Outro da mesmo, informando u requerimento no' Foi approvado o segointe parecer apresentado
qual Felippe Jacome da Costa pede para demolir o pela commissao de polica,
sobrado n. 15 da ra estrella do Rosario freguezia A commissao de polica, acerca do offlcio do
de Santo Antonio, e levantar no mesmo lugar outro procurador Francisco de Paula e Silva, datado de
sobrado de um andar com solea, declara nao ter 3 de maio do correte anno, dentro do qual aeom-
que oppr a seinelbaute pretendi, urna vez que, panha o balancete da receita e despza desta cida-
couforme as posturas em vigor, se Ihe d primei- de, relativamente ao mez de abri prximo passa-
rameiramente cordeayo e nivellamento.Mandou- do ; de parecer, que o mesmo seja approvado,
se cordear. vist0 co'no procedeudo ao exame de todas as suas
Outro do' mesmo, informando o requerimento no parcellas da receita e;despeza daquellemez, achou-o
qual Manuel Joaquim Francisco de Moura pede pa- exacto com os livros e documentos que existem na
ra que seja concedido substituir a coberta do so- respectiva conladoria A mesma commissao para
brado de dous andares silo ra do Livramento n. inteiro conhecimento desta cmara, declara que
38, e assejtar tres soleiras; diz que nada se Ihe of-1 no balancete que se refere nao est laucado na
furece a oppr a preleneo do peticionario, urna vez receita o saldo que, no mez ;de marco, houve em
que as ,-oleiras sejam collocadas ao nivel das so- favor desta cmara na importancia de 2:3705076,
leiras do sobrado vizlnbo, e pruneiro da ra n. 2. nem a quantia de 2635875, proveniente de urna
Ueste sentido coucedeu se a licenca. letra, que foi aceita por Joo Jos de Albuquerque
Ootro do mesmo, informando o requerimento em e venceu-se no Io de abril desle anno, porque esse
que Tiburcio Valeriano Baptista pede para reedili- saldo toi recolhido ao cofre, que esta' debitado no
car a sua casa terrea sita a ra de S. Jos n. 6; diz livro caixa, como consta da acta da sesso de 12 de
que, segundo as posturas em vigor toda a editica-
c.o e reedificago deve se/ precedida de cordeaco
e nivellamento, e fe'to ist nada tem qae oppr. -
Mandou-se cordear.
Outro do mesmo, communicando que tendo exa-
minado os concertos de que precisam o acougue e
ribeira da Boa-vista, vio que sao elles de duas es-
pecies ; mas do que se nao pode prescindir por se-
rem oecessarios, e oulros que sao precisos, mas
que nao sao indispensaveis.A fazerem-se todos os
concertos, tanlo os da primeira como os de segunda
especie, importaro elles em perto de tres conlos
de ris;a fazerem-se smente os primeiros, islo
abril do crrente anno, e da respectiva conladoria ;
e esta leltra est em juizo, por nao ter sido paga
no da do seu vencimenio; como foi informado
verbalmente pelo meemo procurador desta cmara.
Paco da cmara municipal do Recife, 14 de la-
ndo de 1863.Dr. Joaquim Jos de Miranda.
Antonio Pires Ferreira.
Marcou-se sesso ordinaria para o dia 19 do cor-
rento e nos que se seguirem.
Prestou juramento o fiscal da freguezia de Mu-
ribeea, Manoel Joaquim Baptista, reconduzido em
sesso de 24 de maio ultimo.
Despacharam-se as peticoes de Antonio Gamillo
os Indispensaveis, a despeza nao se elevar a tanto, i da Cost'a.Bento Jos Ferreira, coronel Domingos Af-
julgando prudente ponderar esta circumstaocia a fouso Nery Ferreira, Filippe Jacome da Costa, Fran-
camara; pede que se digne ella declarar-li e em que cisco Hermogenes Correia de Albuquerque, Inno-
sentido deve erganisar os orgamenios dos concer-cenco Garca Chaves, Joao Ferreira Villela (2),
tos que devem ser IVilos, se iucluindo todos, ou s-'. Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miranda,
mente os indispensaveis. Resolveu-se ordenar ao I Luiz Goncalves da Silva, Manoel Figueira de Fa-
engenheiro que Gzesse dous ornamentos, um dos ria, D. Maria Rosa da Silva Ayres, Manoel Marmho
concertos indispeusavtis, e outro dos que nao jul-' do Nascimento, Manoel Fonseca de Medeiros, Jos
ga indispensaveis, para depois deliberarse. | Francisco dos Santos Miranda, Tiburcio Valeriano
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio, j
representando acerca da existencia de pina lat ica i
de sabo na loja do sobrado n. 74 da ra do Ran-
gel, a qual ouir'ora pertencera ao Italiano B'llini,
sendo actualmente de Gaidino Brazelin> los San-
tos; que este estabelecimeuio sem duviJa encor-
modara a visiuh^nca em coiuequencia da muita
fumara, pois que o pequeo cano que tem, nao d !
a necessaria sabida, e estando essa.fabriea cello-'
cada contra a dispusico do art. 2 tit. o das postu-1
ras de 30 de junho de 1819, nao pode all conti-,
uuar.
Baptista ; e levanou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario,
a subscrevi.Pereira Simoes, pro presidente.
Dr. Mirauda.Fonseca. Reg. -Santos.Antonio
Pires Ferreira.-Dr. Villas-Boas.
.
HOMMNIAlS.
Nao sao as baforadas de um qualquer, que pdem
fazer crer que o Sr. tenente-coronel Manoel Joa
Posto em discussao, o Sr. Gustavo do Reg pede <|Uim do Reg Albuquerque nao goza de legitima
a palavra, e declara tar Bellin requerido I|c6&ea a influencia na freguezia dos Afogados, pois ahes-
camara, nao para montar urna fabrica da sabo as to os factus para o provar.
cuudices em qod diz o Ikai estar aquella menta- e' una verdade iueontestavel que o Sr. Manoel
da, mas para collocar um pequeo taixo para o fa- Juaqunn do Bego Albuquerque goza de legitmi
influencia na freguezia dos Afogados, e essa in-
fluencia nao se limita aos briosos guardas nicio-
naes, de cujo batalhao commandante, e sin a
innmeros amigos o dedicados, qua em_ nunero
maior de 100, os p le apresentar, qua sao vetan-
CAMAKA MCirAL
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 11 DE JUNHO
DE 186o.
Presidencia do Sr. Pereira Sitnes.
Prsenles us Srs. Dr Miran,ia, Gustavo do Reg,
Thoiuaz de Aquino, ^anlus Pires Kerreira, abre-se
a sesso, u iida e approvada a acta da antece-
dente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um ofllcio do Exm. presidente da provinciade 7 do
cotTJDto, dizeudo que determinando o governo im-
perial eni aviso expedido pelo ministerio da agri-
cultura, commercio e obras publicas em 6 de abril
prximo (indo, que a presidencia em suas relaces
oflieiaes sirva-se sempre do systema mtrico frau-
cez, afiui de dar quauto antes, como convm, exe-
cugao a l=i n. 1,157 de 26 de junho de 1862, assim
o declara, afim de que em sua correspondencia com
aquella presidencia e com as demais authoridades
a quem tiver de se dirigir, empregue aquello sys-
tema, para o que remelle uina tabella impressa,
contendo a converso das medidas mtricas as
que Ihes correspodem no systema usual de pesos e
medidas do paiz.-Inteirada.
Outro do secretario da presidencia de 8 do cor-
rente, communicando cmara, de ordem de S.
Exc. o Sr. presidente, e em resposta ao officio da
mesma cmara de 24 de maio ultimo, que naquei-
la data olciou-se ao inspector da thesourana de
fazonda para designar um empregado da respectiva
contadura para examinar as contas da receita e
despeza municipal relativas aos exeretcios decorri-
do desde 1858 al 1864. Inteirada.
Nesia occasio adiando-se na sala das sessoes o
empregado qae foi mandado da thesouraria de fa-
zenda, Jos Francisco de Salles Baviera, para o lim
de que trata o offieio cima, o Sr. presidente o
aprsenla a cmara, e depois dessa apresentaco o
mesmo empregado retira-se para a conladoria a
tratar do exame que fui determinado.
Outro do mesmo remeltendo, de ordem de S. Exc,
a cmara para o tira conveniente, dous exemplares
das collercoes de leis e decises do governo dos
anuos de 1861 a 1862.-Ao archivo, e que se ac-
cnsasse a recepgao.
Outro do juiz de paz Io votado da freguezia de
S. Jos Manoel Antonio Ribeiro, communicando
que por ser-ibe necessario estar por algum lempo
foi j da cidade, a tratar de sua sade, passra o
exercicio ao.seu mmediato.Inteirada
Outro do advogado, duendo que do exame feito
nos papis que Iheforam remettidos por copia con-
clue que regularmente procedeu o secretario desta
cmara, den ando de dar a certido do que nao es-
lava a seu cargo, mas de reparlico distincta, na
qual se nao poda ingerir; que nao poda ordenar
ao contador que passasse a certido que Ihe era
pedida, por que nao legitimo superior do conta-
dor, e a este que devera ser pedida a cerlido ;
que a disposjgo do artigo 20 da lei do 1 de oulu-
bro de 1828 nao muda o estado da quesio, urna
vez que pelo regulamento citado foram separadas
as funecoes que exercia o secretario, e foram con-
feridas ao contador; que esse regulamento tem for-
ca de obrigar, visto que foi approvado e convertido
em lei pelo artigo 3 da lei provincial n. 131 ; que
finalmente esta lei deve vigorar em quanlo nao fr
pelos meios competentes revogada, alada mesmb
brieo de sabonete
O Sr. Pires Ferreira pede a palavra, e requer
que se mande ao contador itiforiiiar se na colecta
existe alguma fabrica de sabo naquella ra do
Rangel.Assim se le.solveu.
Oulros do mesmo (2), communicando em ambos tes ,. usam de grvala, sem que todava sejam guar-
que Autonio Maia de Brito, proprietario da fabri- das nacionaes.
ca de de cortar fumo uo havia ainda eluvado a ;\em por ser isso urna verdade, descubrirnos a
maior altura, como Ihe fra determinado, o cano obrgago do Sr. Manoel Joaquim prestar-se ua
condoctor da fumara expedida na mesma fabrica, cuadra actual a fazer valer .-ua iuflu-ncia, e as-
no obstante ler sido iulimaJo para isso, pelo que sm aneeadar forcas para debellar os Paraguayos,
houvesse acamara de providenciar.Adiados juando Peroambuco j tanta genio tem dado para
requerimento do Sr. Dr. Miranda. essa guerra.
Outro do mesmo, infurmando conlr? a peligo de; Essa obrigaco.se ha, para aquelles, que, in-
Beuto Jos Ftrreira, na qual pede lieenca para | culcando-se queridos da provincia, tem sempre lo-
abrir dous lalhos de acougue as rasas terreas ns. grado S importantes cargos de deputado e sena-
o e 31, esta sita a na das Laraogeiras. e aquella ; dor, ou essa eleicao se tenha feito por espontanei-
ra de Santo Amaro, pois que o edital de 12 de' dade, ou pela indicaco do governo.
margo de 1849, ha marcado as ras para este fim A ess>'s, sim, deve o communicante do Diario de
destinadas, e nenhuma das que o peticionario quer Pernambuco de quinta feira, 24 de agosto, estigma-
estahellecer osdilos talh-s acha-se comprehendi- tisar, e nao ao lente coronel Manoel Joaquim,
das no referido edital.-(kmcedeu-se a liceuga, e qua ropellido da igreja as nliimas eleigoes pela
mandou-se ollkiar ao fiscal, duendo que o edital forga do governo, deixou o campo livre aos secta
a que elle se refere foi urna medida lomada provi- ros da rlualidade. Esses, sin, que tem obri-
zoriamente ; e a cmara ja a tem revogado, per-
mettiudo o estabelecirreolo de agougues em outras
ras.
Outro do fiscal da freguezia de S. Jos, repre-
sentando ter observado qae un crescido numero
de pequeas casas eslao construidas, e polo que o
inf ;rmaram, os fiscaes nao podiam tomar conheci-
gagao de envidarem seus esforgos para que Per-
nambuco d, como querem, toda sua populago
nacional para a guerra.
So nao exacto o que dizemos, o communicante
a que nos refirmos, nos conteste assignando o seu
nome, que Ihe responderemos
O afoyadense vermelho.
ment dellas pela seguinie raz.lo :
O proprietano de um lerreoo pedia Pcenga para
mura-lo e feito o muro dentro delle edificava co- AdmDlstra< d Kxill. Hv. Dr.
mo bem he convinba, depois do que fazia desap- *... .____ ^.#.n
parecer o muro, e apresentava aos olhus do pub.i-, Antonio Hoige Leal Castello
co ras ioleiras de casas, sem (|ue para isso hou- Oranco.
vesse oblado licenga ; pede em vista do exposto, Liamos o Jornal do Commercio da corte, e ah
qua a cmara providencie para que cesse seme- deparamos no supplemento ao n. 215 com duas
Itiant' abuso.Adiado a requerimento do Sr. Pires corre-pondencias datadas do Recife em28 dejulho,
Ferreira. cada urna das quaes basta para mostrar que os ho-
Outro do mesmo, representando que naquella roens polticos desla provincia andam com o juizo
freguezia vagam cabras e ovelhas, as quai3s bas- na Cjsa de Plalos.
tante incommodam as rasas particulares e aos es- Tratando da administrago do Exm. Sr. Dr. Cas-
tabeleciraentos de negocio.e al entrara nos templos, tello-Brancn, diz o primeiro correspondente :
pede urna providencia afim de que cesse tal flagel- o Sr. Castello-Branco nao foi fhz em sua ad-
o.Adiado ministrago. A flaqueza do seu carcter matou-
Outro do mesmo, informando o requerimento no ihe a gloria que nella podia ter adquirido ; mas
qual Manoel Francisco de Medeiros e Jos Francis
co dos Santos Miranda, pedem providencias no
cumpre ser justo : se nao fez provincia o bem
qae reclamava de sua illustrago, tambem nao Ihe
sentido de ser murado o terreno devoluto entre as fez males.
casas ds. 53 e 53 da ra Augusta, visto prestar-se a administrago de S. Exc, portanto,; foi um
elle a deposito de lixo, aguas immundas, etc., de- rerdadeiro armisticio s iniquidades e compressao
clara que antes da reclamago dos supplicantes ja ,/as anteriores. Na organisacao dos corpos de fo-
se havia entendido com D. Venancia, propnetana ntanos fez sem duvida importantes serviros.*
desse terreno para mndalo murar como obn- Realmente cusa a comprehender como que
gada pela disposigo do art. 2 da postura de 20 um homem de carcter fraco pode tornar-se to
de novembro de 1833, e a mesma promelteu-lhe
Ir tratar dessa obra para o que marcou-lhe um
prazo de 30 dias.
forte que, resislindo as sugestoes dos partidos, nao
fizesse males i provincia, desse verdadeiro armis-
ticio s iniquidades e compressao das anteriores ad
Que havia-se entendido lambem com o procura- ministrares, e flzesse importantes servicos na or-
dor de Jos Jacome Tasso, a respeito do terreno ganisacao dos corpos de voluntarios 1....
existente as mesmas condiges daquelle na ra e' que a fraqaeza de carcter do muito digno e
Nova de Saata Rita, e o mesmo procurador Ihe as- iDuslrado ex-presidente consisti s e nicamente
segurou ja ter dado ordem para ser edificado o em rollocar-se cima dos interesses mesquinhos dos
referido terreno.Despachou-se a petigao no sen- partidos, paulando seus actos pelas leis da jusltga
lido da informago. e da moralidade. Nao a isso a que estamos acos
Ouiro do mesmo, communicando ter procedido a turnados ; e por essa razao nao muito de admi-
urna corrida de gado suioo, e o que apprehenden rar que 0 correspondente qualifique de fraco o ca-
fez arrematar, o resultado que liquidou da arre- racler de S. Exc. Se o Sr. Castello-Branco se
roatagao na importancia de 87040, remenea ao consignasse um partido, satisfizesse suas exigen-
thesoureiro da Santa Casa, cujo recibo juntava pa- cta e commettesse iniquidades ecompressao, oh !
ra que a cmara ficasse sciente.Inteirada. en,ao sim, mostrara S. Exc. fortaleza de carcter,
Outro do mesmo, communicando que as casas IocarJa ao cumulo da ptoria, e por certo que agra-
da ribeira acharase era mo estado, convmdo daria ao nobre correspondente II
quanto antes que sejam concertadas para evitar al- Todava, apezar da irreflectida qaaliflcago feta
gum desabamento. Tambem communica que os ao carcter do ex-presidente, confessa o correspon-
telheiros onde se vendem os intestinos do gado, jerjle a importancia dos servicos prestados por
sao pessimamente construidos, muito designaes e $ xc_ m organisacao dos corpos de volunt-
banos, a ponto de quando a chuva e a companha- riO_
da de vento, moThareom muita facilidade as carnes com effeito,-negar laes servigos desrespeitar a
e as damnificar com presteza.Posto em discussao, provincia que os presenclou, fazer um divorcio
escandaloso com a verdade, abusar sem escr-
pulo da paciencia publica, finalmente demons-1
trar com toda a evidencia que quando falla a pai
xao desapparecem os sentimentos que ennobrecem ;
deliberou-se quanlo a primeira parte, qae o enge-
nheiro orgasse os concertos; quanto segunda,
que ficasse adiada.
Outro do mesmo, pedindo autorisago para com-
prar a ferramenta precisa para o srvenle que Ihe j o homem !
foi concedido augmentar no strvigo da limpeza das I .Ke o primeiro correspondente entendeu qne de-
ras.Autorisou-se a compra e mandou-se ordem via guardar algum respeito a verdade emrelago.
ao procurador para pagar as despezas. aos relevantes servigos prestados pelo Exm. Sr. Dr. |
Outro do mesmo, communicando terse quebrado J Castello-Branco durante o curto periodo de sua il-
uma das pedras que ampara a abena que serve lustrada, patritica e prudente administrago, o
de expedir as aguas que corren) para o cano de! segundo nao esteve por isso I Atirou-se contra
esgoto publico na volla do palea do Terco para a S. Exc. com toda a furia de homem desasizado,
travessa do Marisco, offercendo um precipicio, desceu at o vilipendio adulterando os fados, ca- j
que para evila-lo foi necessario collocar duas era- | carcter da imprensa noticiosa que s deve ter
por flm o bem publico, e por bussola a verdade e
a justiga.
Qualquer pessoa que tenha acompanhado os
acontecmentos desta provincia durante os ltimos
seis mezes, e que tenha lido essa e outras corres-
pondencias publicadas na corte, nao poder por
certo deixar de admirar o cyoismo com qua ahi se
falla a verdade na referencia e apreciaco de todos
os factos administrativos do prestante cdado, que
acaba de ser substituido.
Sendo ingrata a tarefa de transcrever aqu urna
por urna as falsas proposigoes aventuradas pelo
correspondente a que nos referimos, nao podemos
deixar passar algumas sem reflexo.
Diz o correspondente :
t Apenas leve (o Sr. Castello-Branco) noticia de
que eslava demitudo e subsltuido pelo Ilustrado
Sr. conselheiro Paranagu, S. Exc. mostrou-se ata-
cado de um grande desejo de deixar a presidencia,
etc., etc.
.....Para logo soube-se que S. Exc. envida-
va todos os recursos para entregar a administra-
go, nao se attribuindo esse fado, como alias fra
menos natural, ao simples sentimento do dever, se-
no principalmente ao desejo de nao se encontrar
com o seu distincto patricio.
Calumnia e intriga I
E' lalsissimo que S. Exc. procurasse entregar a
administrago antes de receber a communcaco
offlcul de sua exonerago. A noticia da sua de-
misso 'Joi aqui dada pelos jornaes, que transcre-
veram as noticias da corte trazidas pelo vapor in-
glez de julno, e a communicago offlcial foi reraet-
tida pelo vapor da compaohia brasilera de 20, da
em que podia ter chegado o Exm. Sr. conselneiro
Paranagu, visto ]h estar nomeado com a devida
antecedencia para tomar conta das redeas do go-
verno da provincia.
Se com a viuda da parlcipago oflicial coinci-
1 disse a chegada do presidente nomeado, teria o -r.
Castello-Branco uo s de enlregar-lhe pessualmen-
j le a administrago, como al de receb-lo em pa-
lacio, onde ainda se achava ; mas chegou a parli-
: cipago e nao veio o presidente ; e em tal caso o
; que devia fazer S. Exc. ? passar ao respectivo sub
slituto o goveruo, urna vez que Ihe nao foi ordena-
do permanecer uo poder al a viuda do seu suc-
-cessor.
Onde, pois, se poder descobrir no procedimen-
to de S. Exc. desejo de largar a presidencia para
nao se encontrar com o seu distincto patricio f
Quem nao ve as palavras do correspondente o
mais ardente desejo de calumniar e a mais repro-
vada inteugo de Intrigar 1 Em honra dos dous il-
lustradose dignos cavalheiros diremos,^ que quaes-
quer que sejam os motivos de resenlimento que
muiuamenle possam nutrir elles possuem elovago
de caract-r bastante para prem em pratica todos
os actos de cortezania, polidez e bom senso, sempre
que as circunstancias o exigirem. Assim, p is,
nem o Exm. Sr. Dr. Castello-Branco capaz de
amesquinhar sua elevada posigo com assomos de
despeito infantil, e nem o Exm. Sr. Dr. Paranagu
i capaz de aceitar cou.o expresso da verdade o
que nao seno effeito de clculos mal succedidos
e do paixes reprovadas. Conhecemus sufliciente-
mente Ss. Excs. para fazermo-lhes a devida jus-
liga.
Em seguida de outras falsidades, diz mais o cor-
respondente :
Nenbuin dos partidos o estima, nem mesmo o
genuino, em favor do qual comegou a fazer reac-
t;ao, que nao exagerou por nao ter adiado no dis-
Unclo r. ex chefe de polica, com quem por isso
rompen, o instrumento que desejava.
Bem sabia o Exm. br. Castello-Branco quena
posigo independente, em qua se collocou, nao po
da agradar a oenhum dos partidos isoladamente ;
nem mesmo Ihe passou pelo espirito a vaidade de
alguma parcialidade poltica da provincia ; elle
no.procurou apoiar-se era to fracos alicerces ;
suas vistas erain mais elevadas, mais dignas de
um administrador consciencioso. Vio que em to
dos os partidos haviam homens de bem, dolados do
man sincero desejo de bem servir ao paiz ; vio
que as circumstancias especiaes, emque se acha-
va o paiz, era necessario o concurso de todos sem
distinego de cores polticas para que a obra da
salvago do oslado pertence.sse a nagao e nao fosse
amesquinhada pela especulago de um ou dejiuiro
partido ; com essas vistas, que na verdade nao po-
dera ser mais patriticas e mais sensatas, solicitou
o apoio dos PeinainbucanoS, e obteve a mais exu-
berante prova do carcter heroico deste povo, e da
docilidade, com que se presta aos reclam >s da pa-
tria sempre que dirigido por um presidente Ilus-
trado, prudente, moralisado, justiceiro e superior
aos caprichos.
Na admiuistrago de S. Exc. os partidos foram
lidos em pouca coota, mas os homens de bem da
provincia Ihe mereceram a mais alta considerago,
respeito a estima. D.ssa verdade estamos conven-
cidos ; e o mesmo correspondente, se quizer ser
justo una vez, uo poder negalo, por que bem co-
nhece quanto deshonesto conteslar factos que os
to na conscieucia publica.
O llustre correspondente nao capaz de a'pre-
sentar um acto qual |uer de S. Exc. que demons-
tre o desejo da provocar reaego em favor do par-
tido liberal genuino a nao ser a abstmgo das per-
seguigoes e mi juidades de que tem sido vctima,
bem como o pariido cooservadgr.
A falsidade da assergo de nao haver S. Exc.
exagerado essa reaeco, por nao ter encontrado no!
r. ex chefe de polica o instrumento que desejava,
acha-se cabalmeute lesmeotida por um ofllcio de digno fuuccionario dirigido ao Exm. Sr. Castello-
Braaco, e que foi publicado nos jornaes desta capi-
tal, no qual declara que S. Exc. nunca Ihe indicara
nome de pessoa alguma sobre cuja proposta elle des-
cordn, ou sobre quem livesse qualquer ditvida.
Se us nomes apresentados por S. Exc. ao Dr.;
ex-chefe de polica sempre foram aceites por elle
sem a mnima objecgo, como se podara dar esse
rompimenlo pelo motivo de nao querer o Dr. ex-
chefa_ prestar-se ^ reaego ? Essa sonliada reaego
ou nao existi, ou nella foi conuiventi o honrado
magistrado.
E pois, sendo assim, bem lastimosa a posigo
do correspondente calcando aos ps a declarago
do Dr. ex-chefa da polica, em quem alias parece
depositar a mais ampia conlianga.
Temos agora chegado ao supra sumum das ioi-!
quidades do correspondente. Nega elle absoluta-
manta os servigos do Exm. Sr. Dr. Castello Braa-
co na organisagfio dos corpus de voluntarios duen-
do que o que se fez nao foi obra de S. Exc.; foi o
resultado do sentimento da provincia, e dos etfr-
eos dos amigos da situamo 11
O desejo de celebrisar-se leva algumas vezes
cortos homens a torturar a propria consciencia ;
oeste caso est o autor da correspondencia ; enten-
deu que pelos malos ordinarios nao conseguira
chamar a attengo publica para os seus importan-
tes escriptos; e ento, cerrando os ouvidos voz
da verdade, la foi ter camiuho direito da iniquidade
sem se importar com o escarneo que sobra si pro-
voca. Esmorege-se o correspondente quanto qui-
zer para obscurecer a gloria, que ao Exm. Sr. Dr.
Castello Branco resulta de haver despertado o pa
triolismo pernambucano, que jazia abatido por cau-
sas bem conhecidas, e que nao pdem ser agora
enumeradas, jamis conseguir outro resultado i
que nao seja a animadverso da provincia, que com !
S. Exc. foi pelo correspondente gravemente offeu-;
dida quando altribue a organisacao dos corpos de i
voluntarios da patria esforcos dos amigos da si-
tuariio 1 Quem nao sabe que os amigos da sita-!
gao foram os primeiros que julgavam diQJcilima a
acquisigo de voluntarios i Quem nao sabe que a
obra da urganisago dessas phalanges, que l esto
brilhantemenle defendendo a honra nacional, per-1
teoce aos homens prestigiosos de todos os partidos,
os quaes, acudindo ao reclamo do digno ex presi-
dente, nao hesitaran) em sacrificar no altar da pa-
tria lodos os odios e resentimentos polticos ?
Quem nao sabe que nesse importante trabalho foi
S. Exc. incangavel nao se poupando a sacrificios
nem mesmo ao de aturar pretenciosas exageracoes
de alguos amigos da situando ?
Ninguem o ignora ; mas o correspondente nao
escreve para o publico pernambucano, onde sabe
querra imuiediatamente esmagado pelo peso das
propriaa falsidades, calumniase embustes. Deixe-
mo-lo pois entregue ao satnico prazer de atacar a
repulago do eximio ex-presidente, e na esperanga
de adquirir novos louros desvirtuando a adminis-
trago do xm. Sr. conselheiro Paranagu, logo
que Ihe parega que S. Exc. est disposto a mamar-
se na altura de sua misso e do seu carcter ; logo
que nao satisfaga desarrazoadas exigencias, e quei-
ra galardoar o mrito onde quer que o encontr.
J por ahi affirmam que os exclusivistas ligueiros
murmurara ese achara descontentes por haver S.
Exc. tratado com benigoidade cerlos cidados dis-
linctos dos partidos conservador, e liberal, que o
tem procurado, alguns dos quaes mantinham com
S. Exc. relages antigs. E' o primeiro rebate das
hostilidades que mais tarde tero de ser abertas
esntra a administrago de S. Exc. pelos falsos ami-
gos da situago ; dizemos pelos falsos amigos, por
que na actualidade, era presenga de urna guerra
esirangeira nao enchergamos nenhuma differenga i
no desejo que leera todos os brasileiros de contri- j
buirem para a salvago publica, para o desaggra-1
vo solemne da honra nacional. Os falsos amigos
da situa^ao sero sempre aquelles que, aada po-
deudu fazer por si, procurara menopolisar o traba-
lbo de todos. Para elles o opprobrio e a maldigo.
Para a nago honra e gloria.
CORRESPONDENCIAS____
Srs. redactores.A designago dos guardas des-
ta freguezia para o servlgo da guerra, foi feita sem
nenhuma das formalidades da lei, recahindo em
irrande maioria sobra moradores dos engeuhos de
inimigos polticos do lente coronel Luiz Francis-
co de Barros Reg, e esta designago illegal e in-
justa, todos os dias alterada conforme o rapricho
do lente coronel, de seus honrados oflieiaes, e
at de sargentos, segundo querem perseguir a este
ou aquello todos os meios proprios para desani-
mar e allugenlar osjdesignados let-m sido emprega-
dos como os mais uteis pelas autoridades desta,
freguezia, ameaco em vez de persuadir, amedron-
tram em vez do animar.
Existe em meu poder urna relagao dos guardas
nacionaes para o destacamento era defeza da pa-
tria, escripia pelo tenenla Joao Lins sem assigna-
lura, contendo quatro nomes da moradorts meus
e seis de Camorim. cuja relaglj foi enlregje a nm
cabo para apresenta-la aos guardas nella meocio-
I nados, eis a designago como foi feita.
At hoje tem sido designados bocalmenle mais
i seis moradores do meu engenbo a do mesmo mo-
do em outros engenhos, um dos designados bocal-
mente f.ii o meu lavrador Felippe Nery, ao qual
o tenente-coronel disse, se quizesse car livre do
; Paraguay e do servico da guarda nacional se mu-
dasse para Caiara, isto mesmo lein maudado di-
zer a ou i ros moradores meus, e a moradores de
outros engenhos.
O decreto de 4 de agosto veio farpitar as corre-
ras ao tenente-coronel, Autonio Ribeiro meu mo-
rador e Amonio Jos meu empregado, ambos com
peligoes para seren inspeccionados, em |>o ler do
lenente-coreoel, tiveran suas rasas cerca las sob
prelexio de nao comparecerem revista, (revistas
que se tomaram semauaes desda que S. E:cc, o Sr.
Perette deixou a presidencia, nao obstante e-ta-
rem ordenadas mensalmenlc pelo commandaule
superior) sendo Antonio Jos preso a meia noute,
rer liiil / ao calahuugo u pela manhaa conduzido
para a prisao, dueudo-lhe o tenente-coronel na
seguinte revista, que nao se liasse no proprielario
que nao era nada, que elle era quem governava,
e havia de prende-lo quando quizesse. Ribeiro
[ que sollre de urna hernia e que eslava ausente foi
apresentar se ao tenenle-curonel quando cheguu;
o qual disse-lhe o que tinha dito ao outro, eque
i repele aos guardas naciouaes moradores e.-i cor-
: tos engeuhos.
O povo com o seu bom senso condece muito bem
o motivo porque S. S. diz que os pruprietarios nada
sao ; faz bem acoslumar o povo a desrespeitar os
propietarios!... o tenente-coronel ignora que o c-
dado que nao aprecia a propriedade nao pode ser
bom cidado.ignora que se o governo confiasse sem-
pre os empregos administrativos aos propietarios
notaveisporseu amor ao trabalho ezelo pelo seu ne-
gocio.senamos melhor governados ficaudo livres
i de~ii-s j/i'iwyiif/iN eleiloraes.causaprincipal das des-
i gragasdo paiz, cariamos livres de autoridades que
s visara patotas e previlegios de estradas.etc, o Sr.
teuentecoronel ignora ludo isto, porm o povo sa-
be bem quaes os requisitos que os proprietuios de-
vem ter para serem muito ou nada.
Foram presos em casa do meu lavrador Joo Ca-
valcanti, administrador de Camorim, o meu lavra-
dor Manoel Marques Vianna e dous engajados da-
quelle, sendo Vianna visivamente doente, foi tira-
do do calabougo pedido.du Sr. Correa Leal; os
dous tragalliadores um menor, o outro tem escu-
sa passada pelo ministro da marinha, e foram re-
meliidos apesar disso para o Recife como designa-
dos, o que elles nunca foram e nem podiam ser; fo-
ram presos meus moradores Manotl Antonio e Joan
Fernandes, aquella nico arrimo de sua mi doen-
te e quatro lilbas de 12 a 20 anno, honestas e tres
criaugas ; foi designado apesar do estado da pobre
mi, que como douda corra de Calara para a po-
voago, e seguioo para o Recife, procurando a li-
berdade de seu filho e Joo Fernandes apesar de
anmico e de ter dous irm.los desiguados para o
Paraguay esteva quatro dins no caiabouga; pren-
deu um trabalhador do Sr. Correa Leal, o qual sol-
loa dous das depois a cedilo do mesmo Sr. L-al,
afim de provar que nesla freguezia faz c que ihe
parece, todas estas prises feitas dentro de lo
dias.
No dia 22 do crreme foi o meu tutor aisado
para comparecer revista, sob pena de prisao ;
talvc-z o primeiro caminan.lana da guana nacio-
nal que chama os feitores de engoiilu para servi-
go aelivo ; os feitores quando os propriet.irios nao
servem sao obrigados a servir ; nesta ca-o e>' o
meu ; porm prave seguid. pelos coinman-
danies dispensaron!, o que acharo todos muito bem
entendido ; veremos se o tenente-coronel chama
para o servico activo todos os feitores das propie-
dades da freguezia.
Jos Bezerra lendo-se mudado de Caiar para
Tabocas vem para eole engenbo, um lavra-
dor de mais, preciso persegni-lo, o Sr. tenente-
coronel diz a quem o queira ouvir se Bez rra mu-
darse reerula-lhe os dous tilhos; em maio do cor-
rente auno Bezerra eslava em Caiara e na i liaba
lillios recrulaveis, vem hoja para Qaiiaaga ja tem
dous.
Alguns guardas moradores nos engeuhos do Sr.
visconde de Suassona teem sido presos, anarrados
com cordas pelo capilo Francolino, de/eudo us
guardas serem presos pela polica.
Muitas casas do engeuho Muiibara, projriedada
do Sr. Correa da Araujo, tem si lo cercadas por or-
dem do Sr. tenente-corouel. O fim daslas perse-
guigoes parece ser afugentar os moradores da fre-
guezia, e obriga-los a hiimisiarem-se.
Esta freguezia tem 24 engenhos ocinco-proprie-
dades, tirando se dous moradores da cada engeuho
e propriedade d a freguezia mais de 50 designa
dos sem esforgo e perseguigo, e sem fazer faiu as
familias e lavouras e para isla s precisava que
as autoridades desla freguezia fusseio justas a des-
apaixonadas.
Os moradores de certos engenhos desla fregue-
zia esto assustados, furagidos a dormindo pelos
mallos, ao passo que os cavallos se iu tam em
grande escalla, em trra das autoridades a sao
apontados deserlores e assassioos engajados e pro-
tegidos por amigos das autoridades, que parecen)
ter por axioma fazerem o iucnvel para que se o
acredite.
Permilta-rae S. Exc. o Sr. presidente dki provin-
cia dirigir-lha duas palavras: se V. Exc. quer er-
ganisar alguns balalhdes da voluntarios, sana pru-
dente abandonar a intervengo destas autoridades
creadas pela vinganga e despeito para instrumen-
tos eleiloraes, despresar estes que ah vo todos os
das, para se inculcarem nacassaros e dizjrain de-
poisfoi tudo obra minhacomo Uzeraiii com o
Sr, Castalio Branco, cerque-se V. Exc. dos proprie
larios no municipio do Recife, no* municipios do
centro faro as vezes de V. Exc. os juizes da di-
reito e commandantes superiores, falle-Ibes V. Exc.
linguagem de patriotismo de que se acha V. Exc.
possuido, e todos darao por si um ou dous volunta-
rios, tendo assim esta provincia a gloria de mandar
mais tres a quatro batalhas para debella- os sel-
vagens que ousaram profanar nossa paln'a ; gio-
ria que tambem recaa sob V. Exc. seu digno pre-
sidente ; de autoridades desmoralisadas pilas lulas
das eleigoes passadas, nada pode esperar um ad-
ministrador justiceiro e honesto como os Pernam-
bucaoos esperam seja V. Exc.
Engenho Quizanga, 24 de agosto de 1865.
Jos Francisco de Barros Reg.
miltir ; mas qae falle i verdade ron m san ce-
remonia sem igual, qae iaM*traaL
Provp, Sr. Perrpira, qae aeoafMia sairrii na
opposigo ex-diri*toria ra sessa a> I* av-
ino tinha em sen teto grande fw.ialaaaV r ftmt-
phoros : prove isso, Sr. Ferreira, oo, ao are
do, mais confirmara a opiuio g<*ral fa aaaS. I
reconhere um homem que nao salw arriar a *
propria dignidadr.
Pois o Sr. Ferreira e os ?<>* rollrza* rirmm ra
do lado opposto havia gr m4t qwrm'iAn** t aai
phoros t mi rerlamaram imme-ttni impute timtr*
semelhante ronsa 7
Essa trica nada valr, Sr. rVrreira ; bm ns mpm
pelas suas proprias palavra* e*la prova'to fm ai
s nao hotivo grande qnintida-it, avu ara aae aaa-
co phosphoro. J Sr. F-rr-ira pt> irr rnxrrjr>'
duas oh tres pessoas eslranha* a as*jriari, aa>*
nao envolv/- rom a gran le nui ra oppi-ias-
ta, como falsamente a ranga ; e*>as ?r*MM rla-
vam fra do quadro aaatal e r..m.< mi
tadores. liesp^it- mais a vrd i!.-. Sr.
alias corre o riaaa de nln Ntese i|ue nao queremos drf-n>W esta o
aquella parcialidade, porque a n^ahoiia p-rirnr -
o ; queremos apenas repellir orna l*l*i4* re-
voltanl-'aiirada a face rearlos apena* reslahelerer a rrAMe, >m*c Sr.
Ferreira nao varillu ern p affouteza, procurando fom n'ar a disrordia e lan-
gar o di-gostii em umi si.ri.-l.tde >|ueferia aaeris-
cer-lhe mais ronsiderarSo.
ITMrm.
Oflereremos para a eleit^o Jos ronlh.
que ainauli.u drva l-r lunar oo 'abiBrle fartu-
guez de Loitura u- aagOHMaa -eohaare.
Pre-rJeiite.
Barnardino Gomes de (Urvallio.
1-serritarw.
Antonio Ja-i- da AfaMa.
2" dilo.
Jos da Castro Redaatfa.
(wn-e.i i-ir. s.
Jos Antonio da Silva Ara
Antouio Pialo Carete da Gasaat.
Joo Baptista Conyalvis IU-lus.
Jos Airas Lima.
Narcis.1 Ferreira da Vciiri.
Manoel Rodrigue- Coat agatMaa.
Jos Chryspiauo da Silva.
Domingos Jj- TeiX'-ir* Brasa.
Miguel Jos Barbaaa Geimattm.
Jos Antonio S.ures da A'. *v.o.
Jos Joaquim da Lona Itiiro.
Antonio laa Moreira i'nit -s.
Alfredo fartaaii Pi reir.
AuloUio Duiiiugo-s de Almeida Poras.
C Prad.ar vitain-io."
Thomaz Pereira de lata* K-ti na.
Declaramos qn.- atpaaa tal Sr-. arima. litrram
parte da coinmis-ao do reci-pgao oo da do aawrrr-
saiio.
Algum* torio*.
'ir-
UM4 PERGIMA.
Pergnuia-se ao Sr. Franris.ru Ignacio Ferr-ira a
motivo porque se liimtou a publicar as rrspartau
dos Sr. Villa-Verde e Santos Porto drue alia* nm
dizem que S. Mr. nfto foi o motor 4 InmmMti e
fiigio de publicar a i esposta do IIIm. Sr. Frmmtttf*
Ignacio [inoro de Souza, presidente da a--rr.ii!
garal do 10 dr- juiho. que o Sr. Pairean u>rv>a tm-
mnltuosa ; e bem assim n* respwtn* re mmtt** aa>-
tms pessoas distinclas, de nem S. Me. as ava-
; digou.
Parece que a franqueza com que ets-u arxaeaa
' responderam o que to Sr. Ferreira.
A etpnda i* Dnwmeltt.
Accordo em relacao, etc. Que falla a sortein, e
relatara das autos, jn:_..m. que ag/rav^da > kx
a aggravanta com o Imatt* de foina, x riaaaav
to, alm das razo-- '-x;"i < juiz V aaa
se aggrava, r-conh-iv-se, qua ha pxla d-fmm-
cia enira o invjnlario, e partillta, que
por falleciiikiituda pruin-ira niaiiier Jo lOveMHta-
do (o brigailciro Drumnioml), o que aa fear ago-
ra tetar, pot qoant i t .i i'ii 1-nt.i fIitmMo!* es keas
entre anlores mm MaafpM*, a Wm\ ran | ap-
piif ivel a li-^i-lacao ruada pelo juiz rer> rrulo, pae
nella se fundou : portanti negando i,r artarat.;
aoanjraro inle posto mandarn piepro-Ua o in-
ventario no juiz. aos feios da tajeada, nagas pela
aggrav.ante as rn-tas.
Recife, 22 da ago-to de IB.
So.;.. pre-i DmmwjHct da Si/cr.
Molla.
Gneii'i, reacido.
PBLIOiSOES i PEDIDO
Para prevenir juizos menos favoraveis a mim e
aos Rvms. Srs. conegos Francisco Jos Tavares da
Gama e Joaquim Ferreira dos Santos, declaro que
entre mim e aquelles senhores nunca houve traus-
acgo de qualidade alguma, sabr a minha nomea
gao de visitador da provincia das Alagas, e nem
me consta que livessem parte nesse acto da S. Exc.
Rv.a.
Recife, 21 de agosto de 1865.
Vigario, C. de M. Furtado.
Ante-hontom, dia de S. Bartholomeo, em que es
diabus andam sollos, veio tambem o Sr. Francisco
Ignacio Ferreira fazer a sua correra, servindo-lhe
de vehiculo as columnas do Diario de Pernam-
buco.
Ora^qae o Sr. Francisco Ignacio Ferreira, ten-
tando em vaojnstilicar-se dos seas mos actos, re-
corra a mil evasivas e subterfugios, Iluda a ques-
to e fuja dos pontos principaes, ainda se pode ad-
Aii; i-'lorilit de riurrat e Laiaat.
J la vai e-<^ lempo em qne por aira) aV araa
elaborados eengenboso- amiortcios aoj"raa-s aa-
blicos, s alrarigava n empalm
um artigo feriar a .uvitar.ao tajMata.
As es-enr.s "rdinanas e dr unta rrp.iDaro
a'erb.i, fabrica Us de oteo* tarafe, rat
dia umversalmente rejeiuda^ em (lesaen-a* fe* lo-
das as impressa- eertiJoVs eomftmnttn*; n*pun-
to que este adatara re n fMmiHam perfume i
meneo, compota e extrabul > p.* ama re-pi-rttvel e
responsavel tirma d i rara* e delirada- Im e
|il.aiala< naturae.-. e MibriNMaVan e-limi* aa Aata-
riaa do Sal e Mexc de pM.-r -na a to4v as
mais perfumirias a agas aMaaaaa ra grata-
geand e adquirilo para si de da eat dia aat
fama, novos tnumi>ti >->. por m i> >!) oda* emv-
ses do mundo civilisa I >. u utra r--rKanarb-
afta mus do que a soa im-onleslarel exeela>a-
cia.
Xcnliuini .-'iinora, a qml ta.ja marfidj alga)'
mas golas desta daNafesa ass-nna dori r-xWe
seu lonco, ou baja atado ine>m.i ao a a-ta4-> da
diluico, rorno un ro-rn^lico ; per rprto heviur
um s instante ern perfila n m- ro sennoras e MaharMas di A o-n a Ifevtaaajbaia ; a*
quaes a tem usado para mais di vate aaaso, aa-
dianle urna rompl-ti exrluso da lod a mailtaatr
antro parfaw.
Ali n de evitar a < tmpn ile tuna preparat; fal-
sa e viciada, dever-se-h.i e\a:ninar ro? amor rai-
dado, se os nome- da Murra> e Laaanaa, *i
alujados e inscripios uta rada eavollorta,J
e garrafa, pois que na falta do* naesnao* i
a menor dntidt da sua ..pparente falsidade.
Vndese na* pharmacus d i'jtor* Jt Baratea a
J. C Bravo A t:.
PhthylM.
O xaropc cluorio tie v.Hame por mim pre-
parado, muilo tem aproveiudi> *h que *)f-
frem desla molestia, o do lamentar-s, mw
no obtuario desta cidade a maioria dos iioe
snccumbein de toherculos polmooafe.
sem prociirarem orecun exponento, que Ihes p'lem eocammliar o
meio de sua salvaerm
O Sr. Braga com loja de frrragens oa roa
Direila, foi desengaado por doos habef
mdicos, acha-se bom com o tratamento por
mim prescripto.
A Sra. Jeronyma Maria di Conct'co, mo-
radora na travessa lo Monteiro n 10. arftaav
do-se desengaada, lambem mim recor-
reu e aclia-se rcsiabelecida.
Um sobrinlto do Sr profesdor de .\ma-
reth do Oabo, acha-se bom. como at de
sua carta abaixo transcripta, alm de i
factos, que poder.a aqui menciooar.
A phthysica a destroico e a
de todo corpo, em conse|uencia de
tubrculos c concre. cao dos bem* e de em-
pyema, airophia nenosa, e outras i
que viciam os humores,
alporcas, gallico, asthma,
po, etc.
Na pblbysica, ebegando ao emado de gra-
vidade, o que muilo [xVle concorrer para a
salvago do doenle e ajutlar oa
tos o ar do campo, exercicio
e dieta, a qual nao dere ser
cousa qtiente, oo de defJBcil
bebida cumpre que seja de Datara
e fresca.
Todo o .-eu alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos lumwrri e a mt-
trir e susier o doente, para o qae
roduzi-lo ao uso de vegetaes e leilo.
Toda comida e bebida, qoe se tomar ha
de ser em poucas porces, para

>
;


Diario de rcrumbuco ,aMado de Agosto de tst
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
Sna a residir na ra da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e cotn especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o > dos org5os geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rio examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
s
s
AMA
Na roa Nova n. 6 precisase de ama ama para
servico de pouca familia.
Thomaz Teixeira Basto vai a Europa c dei-
xa como procuradores seus amigos, em primeiro
lugar seu mano Sr. Domingos das Neves Teixeira
Bastos, em segundo o Sr. Antonio Jos Leal Beis,
e em terceiro o Sr. commendador Antonio Jos de
Castro.___________________________
Desappareceu do poder do abaixo assignado
um menino por nome Vctor Alves Tupinamba',
de idade de 12 annos pouco mais ou men?, com
os signaes seguidles : cor parda, cabellos crespos
miado, beico grande, rosta comprido, tem no p
esquerdo urna cicatriz ao p do dedo mnimo, le-
vou calc,a de casemira cor de caf,, e camisa de
chita cabocla, chapeo de palh.- ordinario, cujo me-
nino eslava aprendewto o officio de ferreiro : por
tanto pede se as autoridades, lanto da praga como
do mallo, de o pegarem e lvalo na ra do Pilar
n. que sera' recompensado.
Baziiio Francisco do Nascimento.
Offereeese om pliarmactutico com carta pa-
ra administrar alguma botica : os pieieudentes
procurem na ra do Fogo n. 26, sobrado.
Perdeu-se urna patente de lente de guarda
nacional do batalhao n. 21 de Limoeiro, da presi-
dencia a pra^.a da Boa-Vista : quem aeliar, queira
entregar na praga da Boa-Vista, botica do Sr. Ga-
meiro. _____________
Deseja-se saber quem o procurador nesta
cidade doSr. Dr. Joao Bautista do Amaral e Mello,
juiz municipal da o marca d Flores, aiiin de cou-
cluir um negocio deste senhor, na tua da Iu,pera-
triz o. 17, segundo andar.
Joao da Silva Bamos, medico pela L'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
[ sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
| gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
| que o procurarem no hospital Pedro II,
< aonde encontrado diariamente das 6
[ s 8 horas da manhaa.
T. m sea casa de sade regularmente
i montada para receber qualquer doente,
I anda mesmo os alienados, para o que
| tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer operado cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe3000 diarios.
Segunda dita.... 2^500
Terceira dita.... 2000 >
| Este estabelecimento ja bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
1 tado.
O proprietario espera que He conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado. i
Samuel Power Jolinstoo & Companhia
Ruada .SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundico deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios d<' carro para om e dons cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
i
Festividade deN. S. das Ne-
ves na Parahyba.
De vendo ter lugar a festivida-
de de N. S. da- Meves na Pa-
rahyba, no da 8 de setembro
prximo, e navendo dous dias fe-
riados (7 e *), pretende-se frelar
um dos vapores da compaotiia costeira, para Ir
aquella cidade levar os passageiros e regressar
com os mesmos, tendo lugar a partida do vapor
Sendo porm preciso numero suficiente de pas-
sageiros, afim de se propor o fretamento do vapor
econtratarseas pessoas que desejarem dar esse
bello passeio, queiram inscrever seas nomes em
listas que existem para esse fim no Recife ra
da Cadeia n. 15, e em Santo Antonio a ra do
Cespo n. 2.
A passagem de ida e volta ser de 205 por cada
pessoa.
'- senhores que prestaren) as suas assignaturas
ficam sugeitos ao pagamento indicado, anda que
deixem de seguir.
A passagem, da viagem redonda, ser cobrada
neste porto a entregado bittiete.
As assignaturas somente podero ter lugar at o
da 31 do corrente, deixando de realisar-se a via-
gem ueste dia se uao houver numero snfflciene,
que era pelo menos o de 50 passageiros.
"GABINETE
PORTUGIEZ l)E LtliUlU EM PER-
RA BUCO.
De ordem do Illm. Sr. presidente substituto sao
convidados todos os Srs. socios effectivos a reun-
rem-se em assembla geral domingo 27 do vigente,
as 11 horas da manha, na sala das sesses do
mesmo Gabinete para se dar cumprimenlo ao que
preceitua o nico do art. 44 dos nossos estatutos.
Secretaria do Gabinete Portueuez de Leilura em
Pemanibueo 24 de agosto de 1865.
No impedimento do Io secretario
Alfredo Cardoso Pereira
2o secretario.
Precisa-se de urna ama para engommar so-
mente : a tratar na ra da Cruz n. 9, terceiro
andar.
Aluga-se um escravo para criado ou paratra-
balhar no campo : defronte do palacio do bispo,
em casa do tenente-coronel Joo Valentim Vilella.
PHOTOGBAPHIA DE ALGIBEIRA
APPARELHQ DUBRONI.
Com o qual todos podem ser photographos.
De todos os apparelhos photographico aperfeicoados at hoje, o apparelho DUBRONI, sem
duvida o mais aperfeicoado e o mais econmico, elle permilte alm disto de nao minchar os dedos e
de operar em plena luz. sem adic^o de especie alguma de laboratorio.
Nao mais urna cmara preta, urna cmara de vidro amarello, dentro da qual se introdu-
ztm os baohos phoiograplticos por meio de urna pipeta (bola de borracha) muito fcil de manejar.
O apparelho completo, sea necessario e accessorios custa a diminua quantia de 30.
Oobjectivoe os productos fo de primeira qualidade. Com este apparelho toda a pessoa igno-
rando mesmo os principios da photographia, comanlo que seja um pouco habilidosa e cuidadosa che -
gara em alguns dias a obler resultados satisfactorios.
Chegartm alguns des-tes apparelhos a casa de J. Falque, ra do Crespo o. 4, proco 305.
N. B. Acompanha cada apparelho um folheto com todas as esplicafes e desenlios necessarios,
tambem se mostrar provas (iradas em Pars e Pernambuco, com os mesmos apparelhos.
A NACIONAL
Companhia geral kespanhola de seguros mutuos
sobre a vida .
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
na fianca em dinheiro, depositado nos cofres do estado, garaale a boa da
ministradlo da companhia.
DIBECgO GEBAL
RANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
Hadrfd : Rita do Prado n. 19
Ama.
Precisa-se de urna ama para
na ra da Senzalla Velha n. 78, 1
Anda se precisa de urna
bem e sirva para comprar : a
Iraperatriz n. 34, primeiro andar.
urna s mulher,
andar.
ama que cosinhe
tratar na ra da
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de superviencia dos
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcao de maneira que em nenhum caso n,imi < | gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to supreliendenies os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que anda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
ces econbinamlo-o com a mortal idade da tabella de Ddpareieux que e adoptada pela compaoh-
para seus clculos e liquidacAes, em segurados de idade de 3 al9 annos, uraaimporsicaoaonua.
de 1005 produz em ellectivo metlico:
No flra de 5 annos.......1:1195300
de 10........3:9425600
de 15........11:2085200
de 20 .......30:2565000
de 25........80:3315000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
ProspecDs e mais informacCes sero prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, ruada Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.!2,estabel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & Irmao.
Casa dbannos
Quem precisar de urna preta escrava que sa-
be engommar e cosinhar, dirija-se a Santo Amaro
das Salinas segunda casa no correr das do Sr. An-
tonio Jos Gomes do Correio, que achara com
quem tratar.
Dr. Henry Kraus mudou sua resi-
dencia da roa da Imperatriz n. 30 para o
sobrado grande n. 2 defronte da entrada
para a Estancia, onde pode ser procurado
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade podem ser entregues na botica
do Sr. Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior na
praga da Boa-Vista, na dos Srs. J, C, Bravo
19 C. na ra da Madre de Dos, ou no ar-
mazem de viuva Raymond A- C. na ra do
Trapiche Novo das 9 horas da manhaa at
as 4 da tarde.
Saques sobre Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SUFFOCQiO NERVOSA E OPPRESSO
nico remedio efficaz para combe.uir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Deecoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenclle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Precisase de urna ama para cozinhar e comprar
para casa de pouca familii : na ra da Concordia
n. 34, sobrado do armazem do sol.
A negocio de inte:esse deseja-se fal-
lar com a viuva ou herdeiros de Manoel Jo-
s Pfirftirn : na raixa filial nesta provincia.
Precisa-se de urna ama que saiba lavar e
engommar, e um moleque para o servico externo :
na ra da Caixa d'Agua n. 70.
Precisa-se de um bom cozinheiro, na
ra do Crespn. 8. toja de 4portas.
Offerece-se urna ama para todo o servigoio-
terno de urna casa : na ra das Tnncheiras n. 40,
sobrado.
Precisa-se alagar urna escrava para casa de
pouca lamilla : a tralar na ra do Sebo n. -Vi.
Ama
m
m
m
m
_
m
m
ncf
preciosas e objectos di
ouro.
Mauricio Selbeberg & C, Polacos, par-
ticipan! ao respeitavel publico, que aca-
bara de receber um grande sortimenlo
de joias e brilhantes, cerno sejam : relo-
gios, trancelins, aderemos completos, an-
neis, carina-, pulceras etc., etc. e tudo
quanto diz respeito a joalheiria, pelo pre-
c~o o mais razoavel possivel, e mesmo
troca e compra objectos de ouro, prata e
diamantes por objectos novos : na ra
do Queimado n. 29, entrada pelo largo
de Pedro II n. 27, de manha at as 9
Horas, e a tarde das 4 horas em diante.
Os objectos vendidos pelos annunciantes
sao garantidos por elles, e esto promptos
para levar objectos as casas das pessoas
que desejarem comprar, urna vez qae
nao possam vir a seu estabelecimento.
m
m
m
m
B
Precisa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de pouca familia : a tratar na pra(a
do Corpo Santo n. 17.
Alagam-se dous grandes sobrados com comt
modos para numerosa familia, uovos e aceiados
com jardim, cocheira, estribara e outnts commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
Francisco Jos Germano
RA NOTA X. I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortmento
de oculos, lunetos, binculos, do ultimo e mais
aburado gostoda Europa.
ALCOHOLADO de GUACO
de N, t>ASCAL
Largo do Cariuo a. 26.
Este estabelecimento to bem montado na sua
origem achava-se de ha muito em qtiasi counleto fnlmina-los
abandono pelo pouco interesse de sua adminis-'
traco.
Hoje que o novo proprietario empregou todos os
meirs para restabelecer a grande utilidde deste
estabelecimento, pode assegnrar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concorrentes
acharo desde j promptldo e aceio nos banhos
fro?, momos ou mediciuaes, a casa dos banhos se
achara aberta todos os dias das 6 horas da manhaa
as 11 da noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
uito Irio oa momo..... 500
Dito de farello........15000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou momo... 10^000
25 cartoes para banho fri, mor-
no ou de chuvisco........... 105000
12 cartoes para os mesmos---- 55000
12 ditos para banho de farello. 105000
O Sr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigir-se a ra Nova n. 60, a tratar de negocies
que Ihe dizem respeito.
Precisa-se de ofllciaes de sapateiro que tra-
balhem com perfeicao de ponto e taixa, paga-se
bem : na ra da Cruz n. 41, esquina que volta
para a Lingoeta.
mmmm irar
O advogado Gorioy Vasi-oncellos, pode
ser procurado no escriptorio da ra do
Rosario estreita n. 31, oa em sua resi-
dencia a ra do Sol n. 9.
im^iii mmmmm wm
AO PUBLICO
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de iiiuuiinagau a gaz tenha da-
do licenca aos inacliimstas para irabalharem por
sua propria cunta, Carlos Pluym, machinista, offe-
rece seu presumo ao publico para encaar ?az e
agua, e toda a sorte de servidos concernentcs ao
seu officio, por precos muito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Rua da Imperatriz 17
N. B. LOJA.
HIT Para prova da perfelcodo seu trabalho o
mesmo ^ITerece ao publico o teslemunho de im-
mensas pessoas para quem ja trabalbou a mandado
da companhia do gaz.
OS PARAGUAYAS
E a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
com os encouracados araades
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80 i
120; extermina-los em summa a espada, a
fa> io e a punhal de qae se trata; atas
ninguem se Itmtrou ainda de esmagar oa
Paraguayos com as armas qte Dos nos coa-
cedeu; acabar com elles a tacao e a penta-
ps, para o que necessario encooracar esta
parte do nosso corpo com os fnrmidaveis
rompe-ferro, esmaga a bra, arranca u cea.
quebra marmore e outros que fe vendeai i
4&--IU-A OIREITA4*
84000
5*000
para senboras, en-
3*300
com laco e fivella .. M^uO
Sapates encouracados....... 50CO
Borseguins para meninas bom
wo %fOOO
Sapa tos de lona, sola elstica.
neo
IMOO
econmicos para se-
(1500
> com salto de lustre.. 40
Chineloes do Poro.......... \w
Um completo sonimeito de calcado da
O Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparado da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo infalivel do contagio veneno (ver
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais certo e mais agradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulcerac5es primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injecefles, o melhor tratamento dos corrimentos
rcenles ou chionicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulberes.
4o Emlim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
rilas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophtalmia purulenta, ou bknhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda a acc&o mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacSo
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
MELCHIOR ROBERT^XOSTILHES. BERENGER, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedifo, PASCAL e C1, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
m
m
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
MI
ETRATISTAS
Firmino&Lins
Novo eslabelecimento de retra-
tos rna fiera n. lo, i "an-
dar, jante ao Sr. Gautier,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manha s 5 da tarde, quer chova ou
I nao.
Tambem se offerecem para tirar retra-
| tos de pessoas fallecidas, dentro ou fura
2SS da cidade.
gg Os annunclantes desejando acreditar o
9QI seu estabelecimento, garanten) ao publico
S que nenbum trabalho sahir de sua offlei-
Sg na, sem que nao seja perfeitamente acaba
;)fe do, e a vontade do freguez.
m&wmm mmmm mmm
H0T0GRAPIIA
CRUZEIRO DO .\OHTU '
^ i 1 Rua estreita do RosarioH
(^ Tira-se retratos a qualquer hora do
'*;i da a 85 a duzia e -i- meia duzia, em
Ka cartoes de visita, c im toda perfeiQao e t
kft goslo dos retratantes.
Encanamentos para
aguas.
Fazem-se na rua Nova n. 30,
feica).
trra para homens. senboras e
assim como bezerro francez, cooro de tos-
tre, marroquins, laixas de todas as qoal-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto neces.ariaaKtt-
te faz cobica ao comp ador pela baratea.
Urna parda de meia idade, irn Inaia
servico de urna casa de ramilla, olferece-e, jnta
com urna Ihe adiante a quantia de 3005, para os pagar rom
os seus serviros por lempo coovenciofudo ; a U-
railia a quem este negocio eoovier, qotira dirigir-
se rua larga do Hosario n. 23, que se dar m-
forma^oes.
G0KP11S.
Compra-se ellectivamente ouro e prau em
obras velhas, pagando-se bem : na roa larga do
Rosario n. 24, foja de ourives.
Silvino (iuilherme de Marros compra e res-
de electivamente escravo de ambos os sexos :
roa do Imperador n. 79, terceiro aadar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se sa prara da lade-
pendencia n. 22, loja de bilheles.
Com|ra-se ooro, prau e pedras pr^rwsao,
em obras vvihas : na rua da Cadeia do Reetfe,
kja de ourives no arco da <>ncrieaoi
Compram-se moedas brasileas de 105 a
215 : na rua do Crespo_n. 16, primeiro andar.
Compram-se libras stei linas : aa praea da
Indepencia n. 22.
Cornpramsse tr^s casas, rada urna em vaJ-jr
de 1:0005, oa mesmo hypolheca-se : a tratar >a
rua Direita n. 54.
Carrocas.
Compram-se tres carrocas com bots, propria^
para carregar volumes da alandega, etc. : tntm
i as tiver para vender, deixe a morada em caj fe-
| chada nesta typographia com as iniciaes P. M. A.
' para ser procurado.
Compra-se nina armara que sirva para k>-
:ja de fazeuda : quem liver dirjase a e?ia Ijpo-
graphia para ser procurado.
VENDAS.
XM
%
Algodo Para saccas e raspa it rscrafw
da fabm-a de Ferno Velho, e de moii.i soperior
;.-s qualidade : vende-se no escriftorio de llaauei lg-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Saalo
numero 19.
Vndese 12 cadeiras e om peqiew> opn,
lado com excelleotes asseolos de paliaba, eave
zados e donrados, e rom pouco oso, prnprios i
gabinete : na rua das Cruzes n. 42.
MU
cao.
Francisco Garrido,
Trovader, sito oa rua
antigo proprietario do hole
do Rosario, de volta de saa
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregu-
zes, tanto desta capital como do centro da provin-
cia, que se acha novamente estabelecido na mesma
rua larga do Rosarlo o. 37 cora om hotel denomi-
nado Traviata, oode acbaro os seas freguezes
sempre a melhor vontade para bem os servir, a
par de excedentes vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo estabelecimento, qur para fura, e
dentro da cidade aos que nao quizerem oa nopo-
derem vir a seu estabeleriimento, sendo pelo preco
mais mdico que em oatra qualquer parle. No
mesmo estabelecimento acharao os seas freguezes
buhares para recrearem-se, bem como sorvete to-
das as nuiles para refrescarem-se.
Precisase de ama ama habilitada para todo
o servico domestico : qnem estiver nestas condi-
coes dirija se a rua do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, rua do Progresso n. 7.
Aluga-se a padaria com seas pertences na
roa Imper al n. 199 : a tratar na roa de lionas,
taberna n. 2.
Precisa-se de urna pessoa forra ou escrava
para ama : na rua de Aguas-Verdes n. 50, segun-
do andar, que saiba engommar, cozinhar, e que
sirva para as compras de rua : quem estiver nes-
tas rircumstancas dirija-se a mesma casa.
Ama de hite.
Aluga-se urna ama de leite sem filho : quem
precisar dirija-se a rua do Cordoniz n. 38, qae l
achara com quem tratar.
O Dr. Antonio de Vascoocellos Menezes
de Drummood convida e pde aos compa-
nheiros d'armas, e mais pessoas que tinham
retardes de amizade com o finado capito
Jos Francisco de Moraes e Vascoocellos,
para assistirem a algumas missas e memen-
to que por alma desse seu presado amigo
haver no dia 26 do corrente mez, na Igreja
de Nossa Senhora do Carmo pelas 7 horas
da manhaa.
Commercio
Quera precisar de um moco com pratica de ta-
berna dirija se a rua do Fogo o. 32, taberna.
Antonio Ferreira da Cunha, cidadao porta-
guez, estabelecido com loja de fazendas a rua do
Livraraento desta cidade onde morador, tem re-
solvido d'ora em diante assignar-se Antonio Fer-
reira da Cunha Lagos, resoluco esta para evitar
qualquer duvida acerca do indicado antigo nome,
por ter lido no Diario de Pernambuco igual nome
de ara sentenciado qae foi para a lina de Fernan-
do, e tambem no edital publicado em dito Diario
oo da 22 do andante mez relativamente a ara pro-
testo de nao prescripeo. Recife 24 de agosto de
1865.___________________________
O abaixo assigoado faz ver ao publico, qae
elle nao tem sacado nem aceitado, e muito menos
eodocado letra alguma ; qualquer, pois, que appa
Antonio Joaquim de Mello, antigo advogado
nesta cidade, e procurador fiscal da loesoorarla de j coVsua firma* falsa,'visto coostar-'lhe queal-
" guem procurou realizar certa traosaeco cora ama
tazenda aposentado, emprego que servio por mais
de 22 annos, continua a advogar era todos os ra-
mos do civel e crime. Roa do Imperador o. 14.
Precisase de orna
Imperador o. 57.
Ama.
para cosinhar
oa rua do
nesta condico.
Miguel Jus da Costa.
O bacharcl
Francisca Augusto da Costa
ADV9GAD0
Rua do Imperador numero 69,
Alagase a casa o. 4 da roa do Principe,
com 3 qoarlos, 2 salas, cosmha fora, quintal e ca-
cimba, na uova freguezia da Boa-Vista : a tra-
tar na roa Nova o. 3.
Aluga-se a alguma familia ama mulata moca,'
a qual lava, engomma, cozinha, e tem mais habili-
dades : quem a pretender dirija-se a rua da Au- tambem se faz jualquer obras de eseooimeada e
rora o. 10, segundo aodar.
Na pr^ca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-s",'' "ro. P>"ataf pedm preciosas
i odo e qualqaer ooo.'"10-
CASA DA FORTOIU
Aos 6:000$000.
illhetes garantidos.
A benefiaio das familias dos briosos
xilmilai ios da patria.
A' RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadoveodeuuos seus muito feli-
zes bilheles garantidos da lotera que se acaboo
de extranir, a beneGcio da matriz da Victoria,
os seguintes premios :
Um meio o. 1940 com a sorte de 6:0005.
Um quarto o. 2201 com a sorte de 1:2005000.
Dous meios o. 1972 com a sorte de 4005000.
E outras muitas sortes de 1005, 405, "5 t
109000.
Ospossnidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sera os descootos das leis na Casa
da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da lotera
(29*) beneficio das familias dos voluntarios da
patria, qae se ex ira h ira quarta fe ira 30 do cor-
rente.
PRECO.
Bilhetes.....75000
Meios......35500
Quartos.....15900
Para as pessoas que conprarem de 100^000
para cima.
Bilhetes.....65300
Meios......35750
Quartos.....15700
Manoel Mabtins Fiuza.
ROBO
e fugio.
hontem 23 do corrente o escravo Agostinho, le-
vando a quantia de cerca de 5:0005 em moedas de
ouro portuguezas e libras sterlinas, levando mais
diversas obras de ouro, este escravo foi comprado
pelo abaixo assignado no dia sexta feira )8 do cor-
rente, ao agente Simoes, e lera os sigoaes seguin-
tes: cor clara, idade de 30 annos, vesgo de umolho,
baixo, pouca barba e um pouco rol va, tendo um pe-
queo inchaco junto ao eslomogo, proveniente de
ama queda que deu sobre um pao: foi vestido cora
camisa e calca branca, e conduzio ama trouxa de
roupa envolta ero urna toalha crespa, chapeo de
palha edr de caf e sapates de couro, ja foi en-
contrado em Olinda demandando caminho de Igua-
rass, em cujo caminho, segando coosla, quizera
trocar oa trocara urna sedula de 205 era cuja oc-
casio tambem mostrara moedas de ouro, diz-se
forro e filho da Parahyba: quem o apprehender oa
der noticia certa oa rua do Sr. Barlholomen ao
mesmo abaixo assignado ser gratificado com 1005.
Francis Men.
O London & lirazillan Bank, saca por doos
--------I os paquetes,sobre
( Na rua do Imperador n. 83, segundo andar, Porto*
precisa-se fallar com os seguintes senhores, para I
com toda a per-, .No sino Toqm v.o.ltm-e i**
: paridas ha pouco, e por baixos preru*>, i*or evitar
1 inconvenientes que por nenhum oot'ro meio pode*
ser removidos,
Precisa-se de oro bom cozinheiro
oo sobrado n. 32 da rua da Aurora.
a tratar
negocio que Ihes diz re>peito.
Antonio Nuoes de Azevedo Campos.
Manoel Curra da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Jos Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Serafim de Deus.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
Joo Antonio Pereira Ramos.
Joo Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
Sebastio Antonio de Albuquerque (estudante).
Francisco Gomes dos Santos.
Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebastio Jos de Barros Brrelo.
Francisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Affonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joo Ribeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Neves.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Julia Rosa de Alenla Pinto.
Leopoldo Gadault.
Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
* ** mmmm mmmmm
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos continua a morar na rua do impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo alias sea
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doutor, qae se tem dado ao
estado tanto das operaedes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
0 castello de Grasville.
Traduzido do francez por .4. J. C da Craz.
Vende-se este bello romance em qoatr
tomos pelo baratissimo preco de 3500C
oa f i rara da Independencia, livraria as.
6 e8.
No dia 11 do correnle furtaram da rui da
Praia um burro castauho, castrado, de 10 aun >s de
Idade, cujo burro tem a marca J. S. L no quarto
direito, e eslava carregado com cangalla de ferro
e 8 arrobas de carne : quem delle der noticia cer-
ta ao Sr. Antonio C. Moreira Temporal a' rua da
Cruz n. 30, ou ao engenho Boa Casta da freguezia
do Cabo, ser bem recompensado.
Vende-se superior cal de Lisboa em p-dra de-
sembarcada hootem da barca Norma, por meos
fg&amm I!do 1ue era oalr* qualquer pan.-, atiaocamto-so
11 que sao os barr-- maiores que ha oo mercado : a
, tratar rua do Vigario o. 27. depositada oo trapi-
che da compannia largo do Corpu Santo.
Emilio Augusto Ddouciie
50RUA NOVA50
Acaba de receber om grande s rtimento de ca-
los e lunetas para vistas cansadas e myopes ; bi-
nculos de todas as qualidade., eadeias de ac Ja-
leadas de ouro e muitos outros objectos; mi
casa faz qualquer Mocero de relogio
coma e com brevidade.
3'
Dentista de Pernambuco.
g| Rua estreita do Rosario n. 3,
gg ao |i da igreja
S"francisco pinto ozobio
Colloca deu tes art i Acia es
pelos syatemas mais mo- |
M demos
f Emprega todos os meios scientificos para
S conservar os naluraes. Pode ser procura-
33 do em seu gabinete das 9 horas da ma-
nbaa as 5 da larde.
s
C4jF
A tenco
m
Um rapaz braslleiro de 18 aooos de idade,
com quatro preparatorios estadados, bstanle es-
perto e com soffrivel letra, se offereee para calxel-
ro de algama easa commercial ou escriptorio de
advogaeia oa eartorio : quem do seu presumo se
quizerublisar dirija-se ao pateo do Terco sobrado
n. 16.
Na rea da Guia n. 3 precisa-se tallar com o
Sr. Jos Pedro, natural da liba de S. Miguel, fre-
goezia da Vanea, para negocio de sea interesse.
Qaem preear de urna ama ara cozinhar t en-
gommar, dirija-sea rua.da Lapaa. .
Precisase alugar urna preta que sej;. boa
engommadeira e coziuhe, sem vicios : oa rua das
Cruzes o. 36, primeiro andar : paga-se bem.
Todas as pessoas que devem extracta ilrna
de Novaes & Filho facam favor de mandar pagar
a roa do Livraraento o. 34.
mmmmmmmmmmm
Companhia fdelidade de seguros m
uiaritimse terrestres
estabelerida no Rio de Jaueiro.
AGK.NTES EM PEKNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, j||
competentemente autorisados peladirec- ,y
loria da companhia de seguros Fidelida- g
de, tomam seguros de navios, mercado- I
rias e predios no seu escriptorio rua da fea
Crux o. 1.
mmmmmmmm mmmm
Ao publicom
Acaba de sahir do prelo nocoes do systema m-
trico decimal por Jos Antonio Gomes Jnior ; esta
as precisas lal.oas em que as actiaes
medidas de peso, capacidade, exiensio, se acham
convertidas ao systema mtrico, comparada a ani-
dado nova antiga, aura de que os clculos oo
commercio se executem de um modo facilimo, pre-
cedido este trabalho de claros exempios de cor ver-
sao, para que possam ser compreheodidos por to-
das as iotelligencias : vende-se a i as livn.rias
O abaixo assignado veodo no Diuno de Pernam- acadmica e universal, rua do Imperador ; econo-
ouco um annuocio do agente Olympio, aoouncian- mica! *'co de San' Antonio; e emeasa do autor,
do o leilo da easa n. 38 do Corredor do Bispo rua do Destino o. 3, oode o compradores de dez
vera declarar que dia casa se ach penhorada por exemP|ares Pra cima tero um beneGcio na rizo
execuco do abaixo assignado, cuja execuco cor- de re pelo raizo municipal da 1* vara, eartorio do es-
crivo Saraiva.
______________ioaoBiw Jos de Soma.
SORVKTB. "
De 11 horas ero diante todo* >s dias atis: na
roa da Craz o. 13.
Precisa-se de urna juna para .toda o servico :
AS rua das Cruzes o. 35.
Veode-se a taberna dos quatro cantos da Boa-
Vista n. 1, o norte, bom lugar para negocio e tem
c. mmodos para familia: os pretndeme* pode ao-
parecer na mesma para tratar.
Vende-se ama taberna na freguezia da Boa-
Vista, propria para algura priocipiuie por ser em
bom lugar, ter pouco fundo e muito afregooa :
informar oo caes do Hamos n. 4, armazem.
quem inleressar possa na provincia do Ceari.
Em neme de meu pai o Sr. Gamillo da Silveira
Borges Tavora lodigena e de minha mi D. Mara <
de Saol'Aooa da Silveira, protesto contra qualquer j
Iraosacco ou alheiaco feita pelos herdeiros do
meu fallecido av materno o tenente-coronel Ano-
uio Gomes da Silveira sobre os bens do seu casal,
visto como nao se haveodo anda procedido o res-
pectivu inventario e partilha, nao s por fallec-1
ment do dito mea av, seno tambem pela morte |
de saa consorte, meus pais cooservam sobre esses
bens direitos iocontestaveis de legitimas, que me
preparo para discutir e liquidar, Igualmente pro-
testo clara e positivamente contra as vendas feitas
das grandes propriedades perlencentes quelle ca-
sal, sob a denominacao-Flor de Liz-Lindo Assu- 'rJ "^2!!
dee outras; bem como dos escravos Andr, Ma-'
noel e todos quantos no mesmo caso se acharem.
Recife 22 de agosto de 1865.
O bacharel
Joao Franklin da Silveira Tavora.
DISSF.RTACO
Sobre o aelnal flovernn da repaklka de
Paragiay,
Seguida da descripeo de Coimbra, do Pao do
Assucar e oatros lagares : dos actos de vandalismo
praticados oa provincia de Matto Grosso por oa
ordem, da contestaco ao sen pretendido mreMo a
parte do territorio da dita provincia e da lodieacao
dos meios de se Ihe poder fazer a guerra em de.-af-
fronta das atrocidades e insoilos corametiido petos
seus oflkiaes e soldados.
Pelo Dr. Antonio Correa do Cont.
Veode-se na livraria econmica, rea do Croa
n. 2 deffronle do arco de S. Antonio.
Preco 2*000.
Attencao,
AMA
Precisa-se de ama ama qae saiba engommar e
coser perfeitamente, na roa do Queimado n 44,
segundo aodar. Paga-se bem.
Aluga-se a casa terrea da roa da Palma n,
43 : a naiar na rua da Cadeia do Recife n. 24,
primeiro andar.
Vende-se um como moiio eaaudor, qoe ar-
remeda bicudo e uutros passaros : oo largo do Pa-
raso n. 14. ___________
Vende-se pur I ioii um mualo peca V
annos, perito offlcial de pedreiro com prioripio do
carapioa : a tratar no Passeio Publico n. II
Admirem o qae barato, na roa da Concor-
dia n. 62, por cima da taberna por nome Gom-
beira, lera urna porcao de botinas para
isto perfeitameote eufeiladas a U, ditas de
de bezooro a i*500, ditas brancas da Ufa a I
ditas ditas phaotasia a 4*500, corran a cita* orno
esto se acabando e fazenda ana se vende a CA.
64500 e 71.______________"______________
Vende se a casa da rua do Alecnm n. 4, b
chaos proprios com 2 salas e 5 quartos, emfeMn
fora e terraco, quintal e .cacimba, 3 jaoeltao do
frente e 1 porta, corredor ao lado, toda a eaon
Iluminada a gaz : a tratar na mesma ran. 1
Vende-se ama escrava cnouia, n ridajoV.
com 18 annos de idade, que sabe eoslanar, mona*
engommar e coser, habilitada para piimjnr ser-
vico de casa : a tratar na roa da Alea can
junio ao u. 1.
Iii __ Ti


4
)
Diarle de rernaujboeo ... ftabbado te I*Agosto de iNi

o excesso ilo chylo fresco opprima os bofes
e aceelere muito acirculacjio do sanguo.
Moitos doentes desta molestia ye teem en-
tregue ao uso do oleo de flgndo de bacalho,
outras preparacoes de resinase blsamos,
COMPAYHIA B&ASILEffiA
DE
Nazretli do Cabo, 7 de setembro de 18G3. assim se continha em dila peiico que me foi re- i TtiLiirnl A* /,*<- ,^^^^'rv
IHm. Sr. Jos da R< cha Paranhos Ccm senIta(,a' na Ia1 dei despacho lo theor sepumie: 11 UUiU u(i COlIllIIerClO
o maior prazer levo ac conhecimento de V. JnJg,ae d" 12 do corn'D,e' K U i,ora da i Pofne!a ,88Ctari.l do tribunal do conraiercio.de
S que o doente que V S. acha-se adrai- Recife, 10 deja.ho d, i8o5-.-A,ocar' Arahpo. | SoTjSS U^*^ !,% PAQUETES A VAPOP
mstrando-llie re i edlOS, acha-se no todo res- Segundo assim se continua em tul, i.oi" ferca do tabelecido nesta cMade com casa de commereio de
sem que dellas lenham tirado proveito ; e. tabelecido, porlanto, nada sent, tendo des- q-'' .^ra >,ta a d^jnbuicao ao esenvao deste faldas em grosso, de coma propna e consigna-
alguns expositores de medicina combalem apparecido n > todo a tosse, tem rauitadispo- J^m^ESSJ Um", PeS deAo4rde,o Qoe*. tdinetdo a matricula.
com muiti razao esse fomento. \ sejo comida e acha-se nutrido. Su t^tSSK ZTZ^* "** i JSEtt d&Safe UT^ "* ^
L co-lume carregar o estomago do doen- tomar os ltimos remedios que'V. S. re i- Protesto, Aos 10 de juiho de 1865, nesta cidado julio Guimares
te com medicamentos oleosos e balsmicos; tou no dia 30 do passado. resta aora a V do Recifrt'era meu fartorio, perante miro e as tes- Offlciai-maior.
porm estes ero vez de tirar a causa ang- S. mandar-mc dizer qual a dieta
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-'doente deve conservar e
rao lempo que tiram o apetite, relaxara os pos, mencionando as ami
temunhas iofras asslgoada
e as tes-
cumpareceu o auppli-
E' esperado dos portes do sul I
at o dia 31 de agosto, o vapor'
Prom, commandante o eapitao >
de fragata Antonio Jor.quim de
.. Santa Barbara, o qual depois da ;
demora do costme seguir' para os portos do '
norte.
Desdej recebem se passagelros e pngaja-se
SEGUROS
MARITIiDIOS
E
solidos, e sao de toda sorle perniciosos, usar daqui em diante.
Tudo que se'izer para extinguir a tosse, Resta-me agora agradecer a V. S. o cni-
nlm do exercicio e rgimen apropriado de- dado que tomou no tratamento do meu so-
vem ser remedios de natureza aci la, deler- brindo, abaixo de Deus, devido o seu resta-
gente e calmante. belecimento a pericia de V. S., e por isso
Os cidos possuem a virtude de produzi- pode V. S., sempre contar com osmens di-
rem iions efleitos nessa cnfermidade, por minutos prestimos, e desejaret em todo o testo, depois do qual, produzindo o suppcante
h (lie a niift o ..------------------ i w"~.- ai-rr. p, ------ "e-unja reueein se passageiros e enzaia-se a
nr m anL tL r P/ n, PrdCuradr fi *&?*** PN&W I Pela mesma .secretarla se faz igualmente pnblf- carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
por qtianlOS tem- Gomes de Mello, o por este foi dito que reduza a co que nesta data foi inscripto no competente ,ivro ser embarcada 6 da desua chegada encoromen-
tildas que dever teJmo }^" cometido de sua petigao retro, a qual o brigie Adolpho, do qual sao proprietorios Mala & das e dinheiro a frete ato o dia di sabida as 2 lio-
CONTRA F060.
offereria como parle do presente, e depois de lido Espirito Santo, e mestre Jiaquim Alves Moreira.
(]orrei jera I.
Pela admni>iragao do crrelo esta cidade se
tu publico, que em vlrtude da convencao postal,
celebrada pelos govern >- brasileiM e francz, sero
qtlO, Qao S COntribuem a apagar asede tempo dar uma provado meu reeonheci-'suas teslemuuhas que depuzeram convenientemen- expedidas malas para Europa no dia 3i) do crren-
se assgnou com as indicadas le.-temnnhas.
Ku Manoel Silvino de Barros Falco, escrivo
juramentado o escrevi.
Eu Manoel deCarvaliwPaes de Andradee.-crivao
o subscrevi, Elislario Gomes de Mello, Joao CaeU-
no de Abreu, Joo VidBote Torres Baudeira.
Segundo o que as>im se cpalinba em dito pro
Secretaria, 23 de agosta de I8lj'.
O oflicial-maior,
Julio Gmmaraes
quando accommeltem a febre ettiiea, mas ment.
tambem a refrescar o sangue. i Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
Aos dientes desta enfermidade, quando o de V. S. muito respeitador e brigadissimo
u estado de gravidade tal que a febre criado.Francisco Berinquer Cesar de Me-
seu
JURUBEBA.
elbica os accOmmette, prescrevo-lhes o su- nezes.
co de um liiniio dissolvido em uma chicara;
d'agua com bastante assucar em um grande
copo para misturar com um papelinho dos'
pos refrigerantes para tomar, com que ali- A J"rheba urna das substancias medicamen-
viamno'acc amemmentoda febre. e pela ff^A^JSS^'SS'J5
manhaa o xarope etheno de veame. lenllO na com 'vantagern contra as febres intermitente
aconselliado, que fjgain uso de vegetaes de acompanhadas deengorgitameniode figado e bago,
natureza acida, como laranjas, limes, pi- Ella lem sido appiicad com ncontestavel proveito
tancas uvas ele a annlirari nlanta* con,ra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar-
nv?,,r'c^ :1fr '. P C? P r,, da b"xiSa e mesmo para eombater a menstrua-
dinarg..sa^ que fortificara o estomago e ser- r> difflcil, resultante da mesma anemia ou chlo-
vem ao me-mo tempo para destruir e mili- rose.
gar a sede. Estrato alcoolico de jurubeba.
A Sra. D. Joaquina de S Rarrelo, tendo Em'"a^lro idem-
te acerca da ausencia do supplicado o respectivo te pelo vapor frannez Navarr?.
escrivo fazendo sellar e preparar os autos, c nos As carias serao receidas -al tres horas antes
quaes dei e proferi a sentenga do tbeor seguinte : da que for marcada para a saluda do vapor, e os
Julgo provada a ausencia do supplicado, e mau- jornaes al quatro horas antes,
do queeste spja citado por editos de trinti dias I Administrador do rorreio de Pernambuco 22 d;
para o lim requerido a fls. 2. agosto de I80i.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id-m.
Vinho idem de dem.
Punas de ext. idem.
Depasiio. pharmscia de Pinto, ra larga do Ro-

HSBSIO.
uma sua escraxa fallecida desta molestia, sub-
inetlida ao tratamento de seu medico, resol-
veu prociirar-me para tratar de um outro
eseravo, que solTria da mesma enfermidade,
presa evi-ibe o xarope de veame, tem rae- saro'n. i
Hiorado consideravelmcnte. ^.^.
A sen hora do Sr. Antonio Francisco Ho- ~T"m"'
norato foi desengaada por habis mdicos ____
desta cidade, esleve prostrada, e nos ulti-
an s paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe ile veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Rccife de 9 de feve-
reiro de 18(33.
O eseravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolplio Joao Barata de Almeida, foi tam-
bem desengaado por habis mdicos,6, dmin.str.dores da massa fallida de Joaquim
com o xarope de vellame acha-se Completa-Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita m-issa
mente reslabelecido, como se v tambem na raz.io de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
Caixa tilia! do iiaoco do llrasil em
Peniamliuco.
A directora desta cana saca sobro o banco do
Brasil no Itio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmu banco na Bahi.
!\ovo lia neo de pernambuco.
Recite, 12 de agosto de 18G5'.Trislo de Alen-
car Araripe.
Segundo o que as.im se continha em Jila sen-
tenca, em observancia di qual o respectivo es t?
vao que este "iubscruveu o fez passar o presente
pela qnal e seu tneor chamo, cito e hei por cita lo
ao mesmo justificado, Arcn 10 Francisco Ue O)ver-
ra, para que dentro do prazo de trinla dias comp-
rela ante este juizo, por si ou por seu procurador,
allegando e provando o que fdr a bem do seu di-
Domingos dos Passos Miranda.
_ _________ Administrador.
Terca feir 29 ilo corrcnle, depois da audien-
cia do Sr. l)r. juiz de orphos de*ia cidade, ser
arreuiJiado (por ser a ultima pracaj os aluguejs
pelo temp.) >le seis anuos do armazm n. do caes
da alfaodega, destinado a receher bacalho, servin-
do de base o por quinto est alujado actualmente
de .1:0005 annuaes, cojo armazeni vai a' praca a
requerimenlo da vmva e herdoiros do Dr. Jos
.,_.....w.w .... vmva e nerdciros
reito ejustica, sob peua de revel.a, por tanto toda Rayn,undo da Co5ta Meoezes.
eqaalquer pessoa, prente, amigo cu conhecido rio
Oorreio
referido justificado poder-lhe-ha fazer sciente de
todo o expendido.
E para que pingue ao conhecimento i'e todas,
mandei fazer o prsenle edilal que sera alluado
nos lugares do cosame,, e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 18 de agosto de 1865.
Eu Hancel de Camino Paes de Andrade, es-
envao o subscrevi.
Tnslao de Alencnr Araripe.
O Dr. TristSo de Alencar Araripe, oRIcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio, por S M. Imperial o Constitucional o
Sr. D. Pedro If, a quem Dens guarde, ele.
Fago saber aos que o presente edital virem e
Pela adminisiracao do crrelo desta cidade se
faz publico para lius convenientes que em virtude
do disposlo no ari. 198 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro d-i 18ti. e art. 9 do
decreto n. 185 de l." de maio de 1831, se proce-
der o consumo das carias existentes na ailminis-
iragao pertencentes ao mez de agosto dfl ISIii, no
dia i de setembro proximo.as 11 horas da manhaa,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde j exposta aos interessados.
Adinimstracao do correio ile Pernambuco 22 de
ago-do de 18G5'.-0 administrador
Domingos rfos P**sns Miranda.
Pela reparlicao das obras publicas, se f,iz
delle noticia tiverem, que no dia 18 de setembro publico aos proprietarios dos predios da na da
do crrente anno se ha de arrematar por venda a Cruz, entre o becco da Lioaueta a ra da Cadeia.
qut-m mais der em praca publica deste juizo o se- iravessa <. pateo do Corpo Santo, que Ihes nar-
BOiote : cario na forma do regulamento de 27 di junho de
Um sitio sito na estrada de Joao de Barros, tendo I8i, -xpedido para a execucao do art. 37 da le
establecida avala prafa, loan marw marl
sobre navios esens rarn a*m W a r '-ira t.-tmrm
edificios, m-rcadoria- m \H m : M lfli
Jio, ru? do Vicario n. 4, lavimrni., irire*.
VOLUNTAMOS
DA
LOTERA
AOS 6:0001000.
Corre qo:uta-lVra 30.
Acbam-sea v.m-la ni respe.liva tliesoaj-
Era S. Vicente ha um vapor em corresponden- raria na do Crespo n. 15. os Indines ila
c.acomGore. 2a parle dn loleria i9'l era l^iwlicb das
agSc^^oCSS^.9aSSaSenSlra'a-5e na familias donosos voH-nhrios ,.a ,,,r,a.
cuja exliacrao sera m. dm aciina nien--i< ru-
do e no lugar e hora do costse.
O premios de O.OnUfO al-'' MpMB
sern pa^os unta hura ile|*>ini .li i*xlra
at as \ iioras dfl larde, e. us uulr-is depois
da distriliuiciMias listas.
As Bneornmendas s riNi Kvarvfaali #>-
mente at a noite da vespera da mlrinfa
eoAo de costiniii.
Tliesotiraria das brterias 1 de ao-lo t\
1585.
Servind'i de tliesomeiro.
Jos Itinlri'jiirs deSi-u.-a.
Hedeiros Barkon
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. escripto-
ri j de Antonio I,uiz de Oliveira Azevedo & C.
Couipaohia las Meusagerles i n
pcrlatcs.
No dia 30 do
rorrele mez es-
pera-se dos por-
tos do sul o va-
por frarcez Ka-
varre, comman-
'dante .'oret, o
qual depois da
demora do cos-
turne seguir para Bordeaux locando em S. Vicen-
te e Lisboa.
rara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com malta brevidade a barca
nacional ttestaurarao, lem parle do seu .:arrega-
mento proropto : para eompleta-lo, e juntamente
para eseravos e'fretes, para os quaes tem txcellen-
tes commodos, tratase com os seus coosigulafios
Amonio Lniz d'Ohveira Azevedo A C, no seu es-
c.riptono, ra da Cruz n. 1.
lina aaT. Hla^ael.
Segu impreierivelmente no lim do corrf nte mez
o palhabile portuguez Pntsnmnto, de 1* CtaSM :
quem no mesmo quizer carregar ou ir di passa-
gem. dirija se a Hallar & O iveira, ra do Vigario
numero 10.
Para o Porto por Lisboa
pretende sahir com a posaivcl presteza o bngue
Pernnmhur.iiHO : para carga e passageiros, a quem
ohVrece bons commodos, traa se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fonseea, ra do Vigario
n. 19, primeiro andar.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende sahir oeste; 15 dias a barca racional
Valle ; para carga, passageiros e eseravos a frete,
tratase com David Ferreira Bailar, na ra do
Rento
Europa.
retm-M para
um porlo na frente cora pedacosde muros as lado' n. o9, o prazo .le 30 das para a coosiruceSo dos Brum n. 66, oucom o capilffo da mesma tarca.
da caita impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel nXmesmo Jornal do Recife.
O Sr. A'Honio (Cristiano Fogt, filho do
Sr. Chrisiiay Fogt, proprietario e estabe
iecido na cidade de Maeei, o primeiro bem
mettidos : ao novo banco
do Trapiche n. 34.
de Pernambuco ra
\M"o banco de Pernam-
buco.
O banco descoma letras na presente semana a
conhecido nesta cidade, pois que fui empre- 9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes.
gado na casa do Sr. Len Cliapellin, retra-
tista estabelecido na rcn da Imperatriz, ac-
comnaettide desia molestia, foi daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirou-se para
ate
que I'oi segunda vez desengaado pelos me- doj25por aegao.
dico#dalli, chegando en em Maeei, um
amigo pedime, que o acompanhasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o filho em tima cama desanimado e em es-
ta.la de prostracSo, pois que escarrava san-
g'.ie e tinha complela inapetencia e fraque-
za, a pi n'o de nao se poder por em p, no
Jim de urna garrafa do xarope ethereo de!
C'axa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
soureiro est autorisado a pagar o 23 ;dividendo
do semestre lindo em 30 de junho ultimo !a razao
Caixa filial do banco do Brasil 15 de juiho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Kanes Crrela.
ALFAXDEGA.
Reudimenlo do dia 1 a 24......
Idem do dia 25...............
377:2215882
2G:37273
403:659*155
uma casa com um soio dentro do sitio, tendo a
casa trinla e quatro palmos de frente e oitenta e seis
de fundo, tendo em roda da mesma casa uma cal
Cada com pilares, duas salas, quatro qoarlos, cos-
nha fora. e no soto tres qoarlos e urna sala, com
cacimba, tanque, casa para pretis, e um trllieiro
com apelrecbos de moer e fazer farinha em mao
estado, turnio um terreno com largura para ambos
os lados, para plantago-s, algumas frucieiras, sen-
do a largura do dito sitio de 375 palmos e 5U0 de
fundo, avahado em 10:0005.
O qual fora penhorado por execucao de Jos Pau-
lo do Reg Brrelo, contra o bacharel Diodoro Ui-
piano Coelho Cataoho.
respectivos passeios das suas propriedades.
Secretaria da repartico das obras publicas, 23
de agoMo de 1865.
No impedimento do secretario,
Joao Joaquim de Siqueira Varrju.
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para a compaubia de Zuavos, em virtude da or-
dem da piesideneia .le 22 do crreme.
60 bonets a cavaignac.
60 mantas de laa.
60 grvalas de sola de lustre.
Para Lisboa
vai seguir nesles poucos das o brigue portuguez
Constante, recebe ainda algnma* miudezas e pas-
sageiros, para o- quaes tem boas acc enmodacoes: dej8(>*>.
a tratar com Manoel Ignacio de Oliveira (5; Filho,
largo do Corpo Santo n. 19, oucom o capito na
praca.
Os lilhos do primeiro matniionio .:
genros do "nado briadeir. Gaspar de Me-
nezes Vasconcellos de lirummoml, conv-
dalo e pedem ericareiidaaienl a t'd.ts as
pessoas que se nuisiihiarem trtmm*
respectivo easal se irvam di ljj| ^lllff n.i
na da Amura n. ^ili dentro de 15riiancan-
tados da presente data, m '', m io Imm
da manhaa e das A asida nrt, pan aa>
rilicaro dos seus cretlm i> nNrrnr i or-
do sobre os seus pagamentos, MeMaMhi
de questes ju liciaes; Re: fe, 8 de aguat*
Aluga-;e a casa b*rrea n f,7 Aa ra ira K~-
paranca n > Camtoho 3fwo : a miar na aaafji a
Boa-Vista n. 30. segundo an lar.
LEIlfiE
6 covados de casemira branca. ^ T,WHr fl\ -a
Bao"ha'vVndo lanzador que cubra o preco da j .,^^'^ J flPwni vender ditos artigos, 1^1^ 1 gjt\ $
avaiiaco a arrernataco sera fe.la pelo preco da a^rrS,enlein **a',r,0'0>,as com ** 'fP*'" De um mach.nismo para fazer marroquim, produc
adjudieacao na forma da lei. V trTt*?, T U 5* 1" *""* "a Sa,a d C"S,
E para que chegne ao conhecimento de todos .'"V?*1.1 ""* ,, d'-
mande, passar o presente, que sera publicado pela J^VTtf^ 'T^/'JEF* "
imprensa e airuado nos lugares do cosame. se,,al dt -ttrn- 22 l1e **<* d,! ff .
ReeiTe de Pern.mhnr.n 18 de aenrtn f/i'-arregado da escripturagao,
alauoel Jo*e de Azevedo Santos.
Offl<*rece-M para eaneiru e mu moco de a 16 amo, qaa t^m Blgwai pvaflBBi.
do que se dar iuf..nnai,es n.i fcataraa $ ilost-
cio n. 2i.
Cidade do Kecife de
de 1865.
Eu, Manoel Mara Rodrigues do Xascimento, es
criviio o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe.
MOV1MENTO
ve lame j se achava elle no estado de pas- Vlnmes emrados com fazeU(1as _
searemeasa, desapparcctda a inapetencia e cora gneros___
DA Al.KADE'iA.
173
583
756
114
815
-------929
os escarros de sangue ; e a tosse militados.
No nm da segunda j achei em estado de foto* sahidos can faieodas.....
faze-lo passear pelo sio todas as manhaas. BOtn *eneres.....
Acabada esta o aconselhei. que continuasse Descarregam uo dia 25 do crreme,
no uso do mesmo xarope etherio alternado Brigue nacional -Normadiversos gneros.
COm oxarope alCOnl.cO de vellame, e que Bngue .ngle/.-Lorkout -Ferro
- -- ^o i.. u i_ i, ..a.a Aa ga portuguezaAlexaudre Herculano Vinhos.
sas.se dos banhos salgados na pancada do BngV portugucz-S. Josc-charque.
mar. SeritlO elle riOS primeirOS banhOS al- Barca nacional Valle-idem.
giins choques, mas eu o aconselhe. que con- Brigue inglezC/cfcra^-carvo
tinitasse, com o que se lem dado muiobem
i is (|ue tenlio receido cartas de Maeei,
em que se me communica o seu bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselham banhos salgados, apenas _^il!^^^T
quuido delles iratam, dizem ser applicados
IIECEBEDRIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 24...... 35:821*592
Idem do dia 25................ 6015370
CONSIL.VOO PROVINCIAL.
53:0855928
1:3125701
54:3985629
I0IMEKT0 BO FOWO
as ecrophulas, hypocondria, estherismo, iiendimentodo dat a24
amenorrnea, raethismo, etc. ; entretanto vi dem do dia 25........
elle bom resultado no (ilho do Sr. Cristiano,
e outros fados iguaes tenho visto as mo-
lestias siphyliiicas, e outras murtas que com
o uso do xarope alccnlico de vellame tem-se
oblido cura radical.
O Sr. Ur. Silva, medico hbil de Ma;ei, Navios m,raos n0 lUa 3.
depois de ter applicadoa uai seu doenle de Porto28 dias, barca portugueza Sympathia, de
rh.'lunatismo o xa ope alcoolico de vellame, 261 lonelada>, capito Paulino Anlouio Cirdozo,
logo que elle se poz em estado de largar as equipagem 11, carga vinho e outros gneros; a
", ,' v Bailar A; Oliveira.
moletas, em que amiava arrimado, o aconse- Assu'-I5 dias, hiate brasileiro Sobralense, de 97
Ilion que Continuasse com 0 uso do mesmo toneladas, capito Antonio Gonws Pere'ra, eqai-
"o-
pagem 8, carga sal e palha; a C. C. da C.
reir
A'ano sahido no mesmo dia.
MaranhaoHiate brasileiro Lindo Patinete, capito
Francisco Ribeiro de Barros, carga dilferenles
gneros.
EMTiES.
xarope conjunctamente com os banhos sal-
gados, com qiio se tem dado muito bem, e
un dos mdicos que alli em Vlacei lem com-
pteta conanca as preparacoes de vellame
por mim feitas, pelos bons resultados que
tem oblido em sua chuica.
Quando alguem se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senlior es-1
t.i arreciado dos pulmeso doente desani-1 """""~~~
ma com esta sentenca, emende estar sem!. 7 Illm-Sr- inspector da tneseoraria de fazenda
mii< r-iira nmn.ln n* faria e a pxnpripncia desta ProvlDC,a mai fazer publico, que tem mar-
inis .tira, quando os tactos e a experiencia cad0 0 dia lf de setembro prximo vindouro, para
tfiti n demonstrado que mullos tendo procu- 0 concurso que se lem de abrir nesta mesma ine-
rado o lugar apropriado, se teem salvado ; souraria para preenchiraento das vagas de prati-
C Hsiffl explicam muitOS expositores de me- caDles existentes nesta repartico, na alfandega e
i: r na recebedona de rendas.
' ..., Os exames versaro sobre as materias deque
Ora, nessa provincia temos factltdade ho- iratao1 art. 1 do decreto n. 1,114 de 27 de
je o recurso do ar ; por que a via frrea junho de 1863, a saber: leitura, analyse gramma-
nos proporciona, pois que em OOUCO tempo lical e orlhographia, arithmetica e suas applicacoes
;., .A _i...__,. :4,i f/i ao commercio, com especialidades a reduccao de
urna pessoa que existe nes a cidade faed- moedaSi pesw'e meaid^ calcul0 de desco Juros
mente se t ansporta para as ultimas eslacoes simples e compostos, theoria de cambios e saas
de fiameleira e Una, lugares perto do toni-. appiicac5es.
lo e de outros pontos que sao considerados 0 concurrentes devero previamente apresen-
. ,. \ _____.. ,__. lar seus requenmenlos instruidos de documentos
se.im, quanto mais que os mesmos lugares, provem idade completa de 18 anno?) isen5ao
j nao sao mos, segundo pens, principal- de pena e colpa e bom comportamento na forma
do art. 3# do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
1860.
Secretaria da tbesouraria de fazenda de Pernam-
SBCLAE156
i IV,
Convida-se as pcanoao qao catan uas
condicoes do servico militar, a engajirem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gens d> lei provincial n 611 de 2 de maio
CoBselhe de compras navacs.
O conselho promove no di 1 28 do correte mez,
1 vista d>- proposlas entregues em cartas fechadas
i at as 11 horas da manhaa, e sob as condic.des do
I estylo,a compra dos seguimos ohjeelos: 200 pos
[ ile manaoeira de sola pregada a oreaos de cobre
para bomba de apagar incendio, 20,000 azulejos. 6
iduzias da laboas de losladiubo de amarello. 16 da-
zias de laboas de aSsoalhu de loor o, 1 duza de ta-
boas deassoallio de .uuarello de 51 palmos de com-
j prinienlo, 3 duzia* de taboas de assoalho de ama-
' relio de 3 palmos de largura, -20 duzias de laboas
de assoalho de amarello, 40 duzias de taboas de
Offerece-se um linmein j deass^nloe
sem familia para criado mi fritor de alonan
tos clumicos para preparaco do mesmo, garra- sili 1, eiigeiiho ou oulru qualquer Mffife : a
fas d'agua de hmao, couros de cabra, sola, coa- procurar nesta ollicina.
Manoel Hir-ch, subdito fraocez, Maaavaa *
imperio.
.Miiicl GareUi, Doiningus CanMI Kr.no*-
co Carelli, subdito^ italiano-, vfni pava > Kor.t.
Bento de M^deiro* BaraoN vai pir I b* e
S. Miguel e nao para Barata.
ro branco e ditos de bezerro, 1 armario, 1 ba-
tanea e maisobjectos perteuceMOS a fabrica da
ra Imperial 11 101.
a fl -et o c
O agente Pinto autorisado pelo Sr. cnsul de
Franca fara leilo em presenca do mesmo, ou de
um seu delegado, dos objec.los cima mencionados
pertencentes ao espolio do Uado Hacheas Ca-
moins, e existentes na casa da ra Imperial n.
191, onde se elTectuar o leilo as 10 1|2 horas jo
dta cima dito.
Em tempo previne se aos dooos de algr.ns ob-
rol,,.-. quoulli .... n.-linm, <|u-^iidiii re;ira-los antes
do leil enlendendo-se para isto com o me.-mo
Sr. cnsul fraocez, quand 1 nao sero vendidos sem
que seja admissivel reclamacao alguma posterior.
loga-se.
prximo passado, que sa as seguintes : [lontopaH forro, 1,200 pea da cano de ferro galva-
as de dimetro exterio
Ihos rhen'ires recolhidos aos estabelecimen- icom u*s t wptoneei, i arrobas de pregos ri
leilAo
liUO rs. diarios (le SOldo, Serem'seUS ti- jaisado de 1 l^nJlpolegadas de dimetro exterior De 30 bai'l'S (le (leCUlO CIMH VllhO do
tos nmvinriaps rl? educaran p n tpra up |,''";s' ~ Kroz;t5 (lt Parafu',s Je ,netal- 8 lw4aa de
IOS provmciaes ae eaucacao e O tempo que f,,rrd,, |,'tdegrossura e 420toneladas inglezas de
estivarem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadora, e alm destas
tem todas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da patria- O te-
nenle-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
que.
ferro liruto.
Sala do c..u>eiiio de coninras navaes, 21 de agos
to de 1865.
O secretario,
Alexandre Rodrijites dos njos.
Arreraatacao.
No da 26 docorrenie me| depois da
do juiz municipal da segunda vara vai a praca por da alfandega.
Pela fiscalisaco da freguezia da Boa-Vista venda a casa terrea si'a na estrada de Joo Fer-
Porto para casas de familia.
Segunda-feira 8 do corren'e.
O agente Pesiaoa legal mente autorisado vender
por conla e risco de quem pertencer e para fechar
cuntas cerca de 30 barra de dcimo com vinho
de superior qnalidade do Porto, muito proprlo pa-
I ra casas de familiae se vender para fechimenio
I de conlas em pequeos lotes a vontade : segunda-
! feira 28 do Crrante pelas 10 horas da manhaa no
audiencia armazem do Sr. Azevedo defroote da escadinha
PI1E 1 TRO
DE
se faz publico, que exi^tem em deposito 5 cabras ] nandes Vieira. freguezia da lloa-Visla, em chaos
(bicho), apprehendidas e remeltidas mesma fis- proprios, com 50 p.ilmos de frente. 43 de fundos
calisacao por dilferenles pessoas quem se julgar
com direito as mencionadas cabras, pode as pro
curar, pagando a competente multa.
Recite, 25 de agosto de 1865. O fiscal, Jerni-
mo Jos Ferreira.
Arsenal de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o corpo de polica em virtude da ordem
da presidencia de 12 do correte.
250 mantas de laa.
260 bonets redendos.
650 pares de sapatoes.
260 grvalas de sola de lustre.
Para o deposito, ordem da presidencia de
11 do crreme.
100 bonets.
100 gravatas de sola de lustre.
100 mantas de lia.
100 pares de sapatoes.
Para o laboratorio, ordem da presidencia de
18 do corrente.
25 arrobas d plvora.
6 ditas grossa.
1 espumadeira de metal.
Para o presidio de Fernando, ordem da presiden
cia de 18 do corrente.
2 livns conforme o modelo que se apresentar.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos
apresentem suas propostas na sala do conselho de
compras, as II horas do da 26 do corrente.
Sala das sessoes do conselho de compras do ar
seal de guerra, 19 de agosto de 1865.
O encarregado da escripturacao,
Manoel Jos de Azevedo Santos
L'ma c.va aivbada gura com cuiiii-vlo- par*
familia, estribarla, cocinara, quarto- pan ttiiM
cycrar.7 om lianho na porta, no lgr J. !*.,,;. 4*
Panfila, roa do Rio : a tratar ca Tama Irtas.
na ra do Amorta n. 35
Aluga-se o I* andar da e-a n. 7 da ma >.
Burgos : a tratar oa relinacao da nialU .Vra
n. 4.___________________________________
(iranilc irmay.em n: titilas.
ROA BO l-MI'EKADOI N. 22.
O armazem de tintas > um grande deposito *
producios chimico.- Bteaaic e 01 bmh eaaaai tuim
e usados na pharmacia, pintora, phot ^rapiia. tin-
turara, pyrolechinia fogos de arlioVio)e em ootra*
industrias.
Montado em grande e.-cala. c siioprimli-.-e di-
rectamente na> priucipae.-dr.'i.i! .a- '. Pan-. Ij-
dres, Hamburgo, Anvcrs e l.isb..a. p .de olfc-r.iver
productos de pleoa. onliani;a e *aiisi'azr qualqoer
encommenda a grosso irato e a retal!), por pr^ns
razoaveis.
Prvidos de machinas ayarapriada s;,tj,far*
com promplidio qualquer |>e a veiiua a casa terrea smi na estrada de Joao f er- _~^T ^c j 1 i.- 1 1
' >eiiJo. e que >e euconlraiii no mercado i'i.'i Uia> fi*i*lniia.
Tem grande aoUecfaa de vi.Ir. ; de di!T. relies
formatos, desde uma aiM*a at aVMaeia aaipa *e
mente no vero.
Mas dir-se-haurna pessoa pobre nao tem
meios de se transportar e alli estar-a isso >">. 8 de agosto de 1865.
se responde, que naquelles lugares existem | ^XnitSoT''
casas vasias e alugam-se por preco COmmo-o Dr. Tristode Aleocar Aranpe.offlcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commereio desta cidade do Recife, de Pernam-
buco, seu termo, por Rata Mahestade Imperial e
Coostiinciosal o Senhor Dr. Pedro II, a quera
Deas guarde etc.
Faco saber pelo presente qoe Manoel Jos de Si-'
quena Pitanga, por seu procurador, me dirigi a
petieflo do heor segointe : '
Illm. Sr. Dr. miz de direito do commereio,Diz
ManOl Jos de Siquefra Pitanga que sendo-lhc de-'
vedor Arcenip Fradci-co de Oliveira, da quanlia de
do, e mesmo muitos gneros de primeira;
necessidade alli se vendem pelos mesmos1
prepis que aqui.
A-piel les, pois, que estiverem nestas cir-
cuin-iancias, eu Ins facilito explicar os meios
pelos quaes se dovetn reger, e llies fornece-
rei os medicamentos gratuitamente,
Nao deixarei de advertir ao publico, que
as miabas preparacoes de veame sito reu-
nidasc m outros ingredientes, e com el les i i95l5630,4' Wi^a dumlale,ra vencida em
22 de agosto de 186070 achando-se o mesmo devo-
tenho nbtido ptimos resultados: nao se en-
gae o mesmo publico com outros p,ue por
alli se annunciam, cujas preparacoes ignoro,
assim como o aproveitamento aos enfermos,
a quem porventnra tenham sido applicados;
cada um responde por si, e eu aflirmo com
verdade o que aqui tenho relatado, cujo? me-
dicamentos nesta provincia so vendo em mi-
aba botica na ra Direita n. 88.
Jos da Rocha Paranhos.
dor ausente, em lugar nao sabido, quer o suppli
cante justificar sua ausencia afim de interromper
a prescripcao pela qual protesta e pede V. S. que
se digne mandar tomar per termo o eu protesto,
para que opportunamente pissa ha ver de seu de ve-
dor o pagamento da mencionada letra ou ola pro-
missoria, e os juros nella estipulados na forma do
art. 453 3 doodigoCommercial,sendo-lhe o re-
ferido prolesto intimado por editaes depois de jus-
Uflcada a sua aoseocia, uestes termos.Pede a V.
S. defer ment, -^-Espera receber merc.O procu-
rador Elisiario Gomes fle Mello, segundo o que
Arrema laca.
Terca-feira 29 do corrente vai a praca de venda
depois da audiencia do Dr. jurz de orphos a re-
querimeuto do inventarame dos bens da finada'
MariaBia dos Prazeres, a casa terrea n. 34 da
ra do Forte das Cinco Ponas avaliada por.....
1:200,5._________________
O conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
40 papis de agulha n. 3.
1,600 couros para forro.
1 arroba galha.
1|5 dita de caparroza.
300 meios de vaquetas.
2 eaixas retraeos de vidro.
1 quintal taixas para sallo.
2 ditos ditas de encestar n. 18,
Tudo para o presidio de Feroandoem virtude da
ordem da presidencia de 23 do corrente.
Para o rancho dos aprendizes menores deste arse-
nal nos mezes de setembro e outubro prximo.
Arroz pilado.
Vinagre.
Azeile doce.
Caf em grao.
Cha.
Manteiga franceza.
Toucinho.
Carne verde.
Dila secca.
Bacalho.
Feijao.
Farinha da trra.
Pao de 4 oncas.
Dolaxas.
Quetfl quizer vender ditos artigos apresentem
suas proposlas as 10 horas da manhaa do dia 30
do corrente na sala do conselho.
Sala do conselho de compras do arsenal de guer-
ra 25 de agosto de 1865.
O encarregado da escriptaracao
Mano-l Jos de Azevedo Santos.
EMPREZA-COIMBRA
Recita extraordinaria.
Segunda npicspitacao do artista Siines.
Sabbado 26 de agosto de
1865.
Represastaj-se-ha o inicressante e muito applau-
dido drama em 3 ac TRiBALHO K 110MI .
Para satisfazer ao pedido de muitas pessoas re-
presenlar-se-ha o entre acto cmico, ornado de
msica
0 AMOB L0NDR1N0.
Terminara o espectculo a entre-acto cmico,
ornado de msica
0 descasca milho.
PU80KAOIHS.
Simoes.
D Bogenia.
A scena pa>sa-se nos arrabaldes de Lisboa.
Comecara' as 8 horas.
Um sobrado e uma casa terrea n. 47 e 57, tendo
o sobrado 2 salas a 3quartos, e a casa terrea 2
salas e 3quartos, cosinha e o quintal murado, a capacidaik-; de vidros para rdraf c ikmm
ra de S Bento. para corta-Ios; de pinceis para iin:ir maiifira c
L'ma casa terrea na laieira da Ribeira com 3 propriedade e outros; de pa|H'i> Aonruktfpn-
salas e 3 quartos e cosinha, edificada ha poucoI leados e folhas de gelatina para ..ruin .-n: ; aV
tempo. papel grande epeqoene foni.au.il- vari-i-4aM
Uma dita na ra do Carino n. 3 cora 2 salas e ; para embrulho, par (orre :-. ira i -nho
4 quartos. i com tundo ja feito ; I- papel ali-nniniilo r Iki-. i.
Uma dila na ra do Amparo n. 33, com uma sa- verdadeiro saxe para ptoWfnpMa para liiirar,
la, 1 gabinete na frente, com 4 quartos, sala atraz I e outros ; vernizes de essenri para qnailr. V
e cosinha. espirito para madeira. co[ial para a laom r e M-
Duas ditas na ma do Bom Sucesso oudos Quar-; leiior ; oleo nfcxo, oleo -rccativ... ..i.....I- inlkifk
teis de n. 1 e -2, com 2 salas, 2 quartos, cosinha clarificado, oleo de Mato, sccativ.. d. Ilarlim, ur
fra edificada ha bem pouco tempo.
cosileiro Wiindes
legalmente autorisado far lellao dos predios ci-
ma mencionados, situados em Olinda e as prio-
clpaes ras, as quaes se acham expostas ao exa-
tor. dos pretendeutes, qualquer esclarecimiento o
verdadeiro em p ; prala. miri.. .-!. o. aa (-
Ihas de varias core* ; linia- :r...lTeiHi-
vas proprias para conf.-iiari w l.ia .>. i.-,
olhos de vidros para Iway: Mmh m MMa *
lelas |iara retratos ; tintas aaa partaw p-
ra aquarella ; essenria de mm iatiBa, o-- -
\ mesmo agente satisfar, cujo leilo ser envernado roly, asinim, bergamota, a*%r*, paHpty, mbar.
Terct-feira 29 do corrente as 14 horas bouquei,liino,alparaiva.m.dissa.or^lapiita,
em pont'o no armazem ra da Cruz n. 37. ; looror"n f*fi !2
ans da llnssia, eanolia, pravo nimios oiir- 4-
jctos que scoiii a vista pfxK-rrm?f MnMra*>.
Jihu I'mli .Im Srre,
flernw.
Jos Bezerra saloio............
Luizinha a leileira >..........
Leilo de predios.
A saber :
Um sobrado de um andar e soto da ra da Sen-
tala Nova n. 6, o qual rende annual.nente 328#.
Um dito de um andar soto na ra da Senzala
Velha n. 28, o qual rende 4605.
Sexta-feira i de setembro.
O agente Pinto far leilae, precedida a compe-
tente aulorisaco dos dons sobrados cima indica-
dos as 10 horas do dia 29 do corrente, na praca do
Commereio.
LEILO
De dous eseravos sendo um cosinheiro e copeiro
e o outro cosinheiro, padeiro e imaginarlo, ambos
sadios fiis e sem vicios.
Sexta-feira 4 de setembro.
as 11 horas em ponto, na praca do commereio, em
frente a Associagio Commercial.
PAQUETES A VAPOR. LEILO
Dos portos do nono esperado rja excellenle chacra do Eira. Sr. desembargador
L- it^T%v Tocuntins, commandante o pri-
^^-njafi meiro teuente Pedro Hyppollo
''&&:&&& Duarte, o qual depois da demora
do coslume Ssgnir pora os jirtos do sul. J
Desde j recebemse iiassageiros e engajase a I
mm martimos.
GOMPAWHIA BRASILERA
DE
4
FIGADOdeBACALHAU
Doria, no Manguinho, com as accommodacea
que podem ser examinadas desde ja pelo- pre-
tendentes, os quaes devtro concorrer ao leilo
no dia
P ro prncesso de l.iici rirr, pbamar^nr tm
Pars, rua d Fanhourg laalaurtr 21.
Este oleo de um cheiro agraihcrl, a- 4e
um sabor assucarado o onico tjne nMi
nem o qosto, nem o cheiro do pe*?. Ob-
jecto de numerosos relatnos scieBlaos e
mdicos, este niediamenie qn gt'W tm
Franca de um soccesso tan raro cr.n \wm
meri'i'iiin. rectitado iHarinmtn** jteln
principelas mdicos dos hospitws <1t Pnrn.
O OI.K0 DK FGARO M H\C..IIV> DlVlTVJCIk-
Dt> FKMiacLNoso emprega-se con es nuiires.
siwcessos as mulestias rw qtm se ^npret
carga que o vapor pudor conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia do sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as
2 horas : agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Aotogio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C.
Sexta-feira I de setembro
Por ntervenco do agente Piolo, em frente a | O OWO quando sao arowpauhadas k >trhtU-~
Associaco Commercial.
'/"/' e aloma.
De
LEILO
urna casa no Monteiio.
Sexia-feira 4 de setemero.
O agente Pinto tara' leilo as 10 t|2 horas do
dia cima dito da casa n. 30 da rua > Monteiro
esffioa do becco do Quiabo, edificada em chitos
proprio, com 2 salas, 4 quartos, cosiufea fora,
Fo?-od' ar
no armazem a bolla amarelia no otilo da
secretan d polkia, reeebem-se earma-
Tisset Frers previnem aos carregadores- dos na- rjoartos para pretos, quintal murado e caoiima.na raOndas lie logo do ar para dentro 8 >a oa
' provincia.
vios da linha do Havre a' Pernambuco, que o frete praca do commereio em frente a Assooiaco Coo\
do Guillaume Tell, esperado a cada momento, lem -*';-'
sido abaixadoa 30 fs. e 10|, o do spbre a car-
marcial.

AVISOS DIYE1S0-
ga no Havre a 95 fs. e 10 0|0, e que tal vez o dos
navios segointes sera' ainda mais em conta, o que
Ihes sera' avisado por rii dest jornal. Os navios
estao a disposicao dos carregadores para as atlas
a um frete abaixo de 45 fs. e 10 "i. conforme se Joo Florizano, subdito ..|jn va
ajustar com os annunciantes, rua do Trapiche o. 9. ropa. iianauu,
ai.
a Ea
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnotrlibo
antigs e recentes, nico deposito i a pr
ica franceza, rua da Cn n. 12 ea
(0 Z

T


Diario de peruarabuco --- Sabbada 26 Je Ago&to de isa.
PILIFjL 1S VEGET1ES
DO
DR. AYER.
N3o ha necessidade mais ge
ral em todos os paizes do que a
de um purgante que seja ao
mesmo tempo innocente, efficaz
e digno de toda a confianca.
As pilulas
Grande
exposicao
zendas.
de fa-
Qae estao a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz o. 56, Lourengo Pereira Hien-
des Guimares.
LZINHAS A 240 R?. !
LAZINHAS A 240 Rs. !
LAZlNHAS A 240 Rs. I I
Ha um grande sorliraenlo de lzinhas chinezas,
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
prego de 240 rs.
que ora offerece-
OOS 30 publico preenchem estas: na loja da Arara pelo diminuto
condicoes ; pois pdem ser to- o covado.
madas pelas pessoas mais fracas! madapolao com 24 jardas a 45500
.!!
,s~ ,nAn arn I MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 45500 I 11
sem pengo algum, nao tendo em vende.se madapo,a0 com 24 jardas e garanliD.
sua composic3o mercurio nem | do se que tem 20 varas, pelo barato prego de
outro ingrediente nocivo sau- 45500, 55ooo, e^ooo e 65500.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
de, mas sendo composto de a-
gentes vegetaes raui fortes, sao bastante
elficientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificam toda
a extenso do canal alimenticio, e dito vigor
a todas asfpartes do organismo, corrigindo
sua acgao viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade.
Um remedio inestimavel contra dr de.
cabeca nervosa, enxaaueca, priso do ven- i H2! 1 *o amaf a ifm dilas d,echi
,__'. .J ,.'?, ~ 25240 e 15900, isto s por acabar, na loja e
tre, hemorrhoidas, molestias do figadot fe-\mmn dil Arara n. 56i Mendes Guimares.
ore gastro-hepatica, e todas as molesias, CHITAS FRANf.EZAS a 240, 260, 280 E 300 Rs.
biliosas que teem sua origem no entorpec- j CHITAS FRANCEZAS a 240, 2 0, 280, 300 E
ment do figado que causa a escassez da I CH|TAS INGLE3|SKA- ^v2ar\.. OCOVADO.
bilis na inflammacae d este orgao que pro- Vende-se cambraias brancas desalpicos a 4*500
duz derramamento da bilis no estomago ou 'a peca, lamben haum grande sortimento de cara-
em um desarranjo geral dos orgaos diges- 6?ii.br>S?*< tivos.
A 25800.
Vende-se bretanha de rolo a 25800 a peca, s
Mendes Guimares.
MADAPOLAO ENTESTADO A 35000, 35500
E 45000.
MADAPOLAO ENTESTADO A 35000, 35500
E 45000.
Vende-se madapolSo enfestado pelo o barato
prego de 35. 35500 e 45 a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vndese as mais modernas colchas de usio,
tendo de todas as cores a 55500, ditas grandes a
chita a
e ar-
TIIESOI-IIO DAS 11 U*.
PROVIDENCIA DAS CRIABAS.
COLLARESROYER,
ELECTRO-MAGNTICOS,
Chamados collahes anodinos de oextico contra
as convulses e para facilitar a denttcao das
criancas, preparados e inventados por Royer,
pharmaceutico in Escola superior de Pars, tu>
cessor de Chereau, memoro da academia de me
dicina, antiga casa bouili.oni.ai'.uance, pharma-
ceutico do mperrdor, che fe dos trabalhos chimi
eos da Escola Polytechnica, director da Escola
de Pharmacia de Pars, e membro da Academia
Imperial de Mediana. Ra Saint-Marlin,
defronte da ra Chapn, em Parts.
225,
Grandeliquidacaoadinlieiro* i j||| i 4\/i 1
Na Inia mpiiim .In uavn '' WLM DU/llllJ.I a
KRVAL
Na loja earmezem do pavo. ri mu*. SEM SfillT^'IfrO
Ra da Imperatriz u. deCia- o!eii;t& de marroquiin, com cascavf IS lina do Uisefuiaiio us. -at> c
uia ifc Silva. C M'll ClIiS.
Os donos dese esubelecimeulo tem resolvido li- Na ra do Qudtmado loja da Agllia BrtB-
lr '.;- ..:
Cunilfia a vydVr ii da- ;*> i
declara por pn i; > .dmirav
Massos de palitos :.x:-r.>- ..r.. !. !.: :
"r^aK1,SnT ca ; vor.deu.-secoileiras.Je marioquini,!}
soas que negociam em peqoeoa escala com fazen- POspOjitadas e com cascaveiS, OU >em ellC
das, que ne.-ia loja e armazera eneontrarao um prO|irias para Caes 0 (itltTGS bicliinliOS.
grande sortimexlo por pregos que muito Ihes bao
A ictericia
produzida pela absorpcao da bilis no
sangue, dando S pelle e aos olhos urna cor
amarellenta ; nao smente dolorosa por
55, 65 e 75 a peca.
CHALES DE MERINO A 2*000.
Lencos de cambraia com barra de cores a 15800
a duzia, ditos de dita braoeo a 25 e a 25'i00 a du-
zia, s Mondes Guimares.
CALCAS DE RUIM DE LINHU.
Vende se caigas de bnm de linho a 35400,
S, porm COnduz aOS mais serios SOffrimen- 25600e 45000, dilas de algodao a 25, s Mendes
tos.
Para cura-la toma-se de 1 5 pilulas to-
das as manhaas, isto 6 bastante para mover-
0 ventre smene al que se recupere a ac-
tu saa do systema.
Mal do figado, febre gastro-hepatica,
diarrhea biliosa, indigesto, a vevralgia
ou tic doulcurcux, sao todas molestias que
tem seu comego n'um desarranjo da bilis.
A observaco dos ductos da bilis faz esta
vol er ao sangue, com que circula drpois
vem todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel cirnales.
Todos estes incoramodos sao curados com
as pilulas do r. Ayer.
Direccoes minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra A'ova n. 18.
AGOGA CENTRAL
15 Riia Dircita 15
rio E .1 a.\b:i ato.
Vende-se em Pernambuco:
na
Goimares.
Soutambarques de cores, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pietas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA RRANCA A 45500.
PALITO'S DE RRIM DE LINHO A 55000.
Enlremeios transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, dilis para babadoa 15000 cada urna tira.
ROUPAS FRITAS.
RUL'PAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se um soriiinenlo de roopas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
ostras multas mais Tazeudas que se dixao de
annunciar, ra da Imperatriz n. 50, Mendes Gui-
mares.
m
PHARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&C'
RA NOVA N?
Vndese urna parte e um predio no sitio dos
Arcos, pene da igrrja dos Remedios, o qual pro-
prio para otaria por ter encllente barro, e as tr-
ras quasi todas proprlas : a tratar com Joaquim
Jos Gongalves Rellrao, ra do Vigario n. 17, es-
criplorio.
Vendem-se barris de S com ;mel de furo
bom : para ver c tratar na ra do Vigario n. 29.
. .' ,.*
" it. *'
Wl
avariado.
Francez barrica 55000
Porlland dem 85500
Era perfeito estado:
Francez barrica 105000
Porlland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do'Apollo.
Bichas de Haniburgo I
todos os paquetes da Europa se recebe P
destas amigas do sangue humano c se $|
vendem a troco de pouco lucro s afim 9
de ter sempre cousa nova : a loja do bar- j$
beiro ra estrtita do Rosario n. 3, ao p
da igreja.
Vend^ra-se no eogeobo Meguahipe de baixo
roda, sendo urna besta e um
R5 JE'iwI
A hyRiene a sade.
A sade a vida.
s MIS.
Quantas criangas nao vemos cada dia suecum-
bir s dores da primeira dentigo I ? Quantas an-
das e quantos tormentos para as tristes mais, que
vem se arrebatar, depois de tantos cuidados, de
lanas vigas, o objtclo querido de soa ternura 1 ?
Quantas vezes nao tem ellas sentido a inetlicacia
dos remedios empregados, taes como brinquinhos, |
charope de dentigo, etc., cujo duro contacto dos
primeiros irrita as gengivas e causa inflammagao
as membranas mucosas, e cuja aegio nulla fazia
desesperago s mais rafear um raeio fcil de ap-
plicar o fluido elctrico para alliviar os sollritnen-
tos e prevenir as convolses, como tambem todos
os accidentes que resultara da primeira dentico,
tal o filo que tivemos em vista alcangar. Ha
amitos seculos que se punham no pescogo das
criangas collares de mbar amarello para preser-
va-las e cura-las de convulses, empregava-se pois
desde muito tempo a electricidade medica sera sa
b-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este efTeito saudavel reponsa sobre a ac-
cao da electricidade, que sola o mbar esfregado
pelos rnoviraentos do corpo da changa. Esta in-
fluencia constante do fluido elctrico, por iraca
que fosse, produzia efTeitos curativos proporciona-
dos quantiad'eleitricidade engendrada deste mo-
do. Esta propriedade elctrica de mbar a que
nos temos tido a feliz idea de applicar fabrica-
gao dos collares de dentigo, augmentando a nten
sidade
de fio:
d'um modo suave e continuo. Mr. Roy
ventor de duas especies de collares : Io dos colla-
res anodinos de mbar electro-magnticos; i dos
collares compostos de diferentes raetaes com cr-
reme voltaica. Partindo deste principio de physi-
ca bem conhecido, que a intensidade d'uma cor-
rente galvnica est em razao direita da superficie
dos elementos que compem a pilla, os collares
Royer, chamados anodinos electro-magnticos de-
signados e graduados por oilo nmeros dilTerenles,
possuem as mesmas propriedades elctricas, cora
esta s dlfTerenga que o effeito curativo esla subor-
dinado ao (amanho dos elementos que os com-
pem, e por consequencia quanlidade limidada
d'electricidade que eogendram, d'onde se segu
que quanta maior superficie apreseulam as perulas
ou elementos, tanta maicrquaotia de fluido elc-
trico desprender-se-ha; e por isso que nos acn
selhamos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposigao flexiveis e
prtatele, podem-sc 1 r constantemente no pescogo
das criaugas. Urna rede electriga cobre sem ces-
sar as partes duridas que sao modificadas lenta-
mente, sera sacudiduras nem coirimoges, e pro-
duzem urna cura rpida imiiedindo as convuUoes.
Assim acha-se reunido cora o amigo procedi-
mento dos collares de mbar a efflcacia regular e
segura da electricidade medir. Os collares [al-
I vano-magneticos de metal componm-se de peque-
! as perolas' de dous metaes dilTerentes, traversa-
des por fios conduciores que formam assira pe-
| quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, port-
til e flexivel. empregados com feliz successo contra
as convultes, os lorticolis, tosse nervosa, tosse
convulsa, etc.; possuem as mesmas propriedades
e empregain-se indistinctamente nos mesmos ca-
sos.
de agradar, lano em pega como a retalho, a
saber :
Cambraias de forro a 20000. tambem oull.as de Illclal d(mrad (
ro.eS?nTk.Td'p.li."br" SfcBmtl *** acabados, e por ess boas ene-
60, de Gama A Silva cessanas qualidades os seus acreditadcs fa-
Moreantiaue branca bi cantes Perrj a C, as recomweBdam aos
Vende-se superior moreantique branco para entendedores a,uec.adoresdo bom, valeti-
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha: do mesmo a dillererxa que lia no prego de
Da loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de umas para outras, por que estas se tornnm
Gama 4 Silva. mais dura veis na contiuuacao de escicver ;
Percates Com mofo. assim poisquem dellas se quizer utilisar
!*a loja de l'avo a 300 rs. compra-las a dinheiro a visla : na ra do
Vendem-se as mais finas percales com lindissi- Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
mas cores para veslidos de senhoras, tendo um Ppai|ias CUlll luirlas P ^Pm pilas IKlra
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e rr-,,J*8 ^u,u MM \ ^m VM*
liquida-se pelo baratissimo prego de 360 rs. o co-' COrlinaflOS,
vado : isto s na loja do Pavao ra da laiperatiiz A Agllia Branca recebeu um bello soiti-
n 60, de Gama & Silva ment(, ,,, framas ,, hurlan e sem filas
Laazinti'is a 20" rs o covado.
Na loja do Pavao.
Meiadas
relias 'malezas de ac e dourada*.
No novo sortimento de prunas de ac que a:A,:;*" '
Aguia Br..nca acaba de receber, vi-ram^.j^.'^;
Bais de oliado para dm-mmm a i."
Dt.s de fouro Mipeii i fanndi a !'
Frascos com suptimt ;iiia rrha a -_';i> r-.
de niii '.: \a i-ara feurtai :t> rs.
do l'i.io, l.-..iii(M lt.ii, M jk'.ifet
100 eo.i ; %{ajrMh !i: a M
tinas i!'- ;, l.'/'-i
i'iiles ..,.:.:ii,|'t-iu lito i iW
Vendem-se lazinnas transparentes para ven em relaco a I.
dos sendo das cores mais modernas que tem viniio a., n., ..., ... .,.,":,....
ao mercado pelo baratsimo prego de 200 rs, ditas Ud nd a ^ima
cora palminhas de seda a 240 rs. : isto s para li <*
para cortinados, todas de novos e bonito!
desenlies, cuja commodidade do proco est
acbam-se ellas a ven-
oin
Grotas de i>
Grozas de
e 010 rs.
taixas COffl .:!! Iiov, lio ,!e |ji,!,.. i,. fz 4 ;;ji r..
^ixascom >upiiioi*> oln-ia-d t r-.
Pegas de lila biama rlaMira n>m 'i varas 281n.
Varas di- franja de laa para nfeM i C- cestidt *
io rs.
Rarallins douradus .-ii|i. t.. i^s qual.oa'. s a ,j.
Xuvellos de boba coin iiil uUa>
LiTos para assentos ile raspa lava.la a HK r--.
I'ar^s de botes para pnuho, lazt-nda ifca a :;' r*.
IVsoiiras para cos'.urss -r.wti' i.
4i .-13.
Caixasdu p.-unas de ralhtraphi, t.pda
I5 Mawi s com superiores grampos a 30 r.
Pan-s tic rapatM Ce traiga e tapeta a I
Pai.s ie sapatos dt- traoga para nwnim.s a
15280.
Caixas com superiores agnlhas a iiO rs.
Libras i!e lia sonidasde U.iilas tur.-, a *
i a
l*
, (..iv;i> com superiores brelas de na* a a
lo inja da Aguia Bian- RjdiufeaS roo illinetes fraoreze"
a 20 r.
Doilo pofen
quidar, assim como laazinhas mogambiqus com JoSrt (la jiilcieilC'it U CIII'OSO Cfllrcllli- S**"* de ,,il''cl a,l"aC a 2*400 e WM rs.
"l ,,, Broas para roupa, fazenda boa a 720 t I
os mais bouitos padroes a 240 rs. :
Pavao na ra da Imperatriz n. 60
Silva.
lo na loja do
de Gama &;
meato.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
Vestidos indianos a 3$ ca n-.8^ acham-se a venda por preeo la-
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos in- zoaveis, caixinh.is iom tabolas de madeia,
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda que das diversas pinturas dellas e fortlim
Lr."lp"*"!.l!-nov.os,?os,os _qie .servf,m.,at pAra ag'adaveis vstase paisageos, segundu os
tfsouias i-cra to<|ue de
15-
l^rri..
Duziai de
6(H) rs.
Duzias d.- fac.iv e aarfo ?. cal* part a 30OO.
Tainmi inuilD lino para criancaj a 340 rs.
i a
^n1:o%t^eT^eZS f*>ttttiTfSLtSSSfJZ ^^ 55 ?fom.paBha^ Nav,erda,le >
n^^reStouTr S?c i js Tt: di ar* pavraa da impera,riz n- ss n ssv*en r1eie1niment '
60, de Gama & Silva. qual se despe la a curiosulade, e apura a in-
,W//> jnm v\\v*ft W//V/V telligencia. s aijreciadoies ditijam-se !
J u- u ? n irua d0 Queimado, a dila loja da Aguia Bran-
Pecbtncha na loja do Pavao. ca n. 8, que seaj salisfeitos.
Vende-se a mais fina silezia de algodao fazenda i Rnniine ..r i ., i.B
inteiramente nova no mercado propriaspara saias,' DODilO i llli.ili'> liil'a SCBitras,
A Aguia Branca acaba de receber u. no-
vo e lindo sortimen'o de enteiles os mais
ALMANAK
DE
LSMBSM\C1S
Loso-Krasileiro
PARA 1866.
POK \Slie,IEO.
Vende-se na livraria ecouomica junto ao arco
na
de Saoio Antonio,
AGUA FLORIDA
Z39E9
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray & Lanman
olhada como um artigo de perfume, nao
tem podido ser igualada pel^s preparaces
as mais custosas: conserva seu aroma, co-
mo se I'ormasse parte da preeda a que ella
se applica.
Sua elfieacia lo delicada, como elegan-
tes sao seus multiplicados osos, qur seja
empregada como artigo de toucador, qur
no uso do banho, ou como suavisador da
pelle, depois que se tenba frito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
hlito.
D suavidad*!,, brillio e elasticidade as
<;ompleicoes, depois de se haver lavado; al-
livia a irritarn de erupces ordinarias: faz
(lesapparecer o desagradavel
dous animaes de
quarto castrado.
& m&mmmm mmmmM
m Ch eg a i a ni recen te
mente as seguintes :
Aguas mineraes naturaes de Vi-
* chy, dita de Sellz, dila sulphurosa
m das Caldas da RainLa, dita azeda
I das Fumas da Ilha de S. Miguel,
| sendo estas duas excellentes para
SB combler as inflammagri.'s de esto-
mago, da garganta, azias etc.
Chocolate medicinal de musgo is-
i landico, dito fe ruginoso, dito de
I baunilha, dito de familia, dito pu--
P| gativo etc. l'astdlias pulmonicas
inglezas contra a tosse, pilulas de
> Alison ontra sezocs, ditas da vida
* de Thomaz Pan-, ditas depurativas
e purgantes de Mr. Dehaut, todos
m os preparados de Kemp como pi-
j lulas assuearadas, salsa-parrillia de
Si Brisiol, peitoral de anatauhita de
bm Kemp contra tosses, calharros,
S asilima etc., bitter aromtico esto-
macal e copos de Quassia para tor-
I nar em poucos minutos os lqui-
dos amargos e tonieos para o esto-
mago : venda na roa da Madre de
Dos n. i, botica doJoio da C.
Bravo & C
Os Srs. fabricantes de p5o, bola-
cha e conserveiros eneontraro car-
bonato de amoniaco muito branco e
forte em (landres, potassa ingleza
retinada e secca. essencias puras
de limao.dita de bortela pimenla,
dita de Neroli e tintara de carmind
para corar amendoas ete.: na mes-
ura botica de J. C. Bravo de C.
DA I'RIMGIRA DENTICO
E da utihdade dos collares Royer electro-magnti-
cos para faciliar a erupcao dos dente* do leite.
Em poucas palavras explicarei o que snecede
na primeira dentigo, fazendo algumas observagoes
queservirao de puia as mais de lamillas, qtie pela
sua lenra atTeigao exagerara a miudo os prigos
; da dentigo, a qual em definitiva c urna operago
da na ni reza.
A mor pane dos desarranjos que sobrevem
sade das criangas tem por causa o irabalho da
' primeira dentigo Quando o dente faz esforgo
. para sahir, declara-se calor as gengivas, a saliva-
[ gao volta-se mais abaudante, o somno agitado,
i ha febre a miudo, e em geral sobrevem a frouxi-
I dao do ventre, e s quando este ultimo symp
I toma nao toma um carcter violento mais bera
j favoravel que damnoso. Sendo sujeito a compli-
car-se com outras aeigoes o trabalho da dentigo,
: necessario, em quanio durar, por a mais extre-
I ma e conliauada aiieugao na sade da crianga ; c
! desde que se aotem os ltimos syinptomas que aca-
j barnos de indicar, ser urgente consultar um me-
dico.
Estes collares vendem-se na loja do Vi-
gilante. rua do Crespo n. 7.
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
perior ao madapolao francez e vende-se pelo bara-
pechincha : na loja do Pavao rua da Imperatriz n, e como e seu louvavel costume os esta ven-
60, de Gama & Silva. dendo baratamente a quem com dinheiro se
Lencos de seda ai$
Vendem-se superiores lengos de seda para no-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavao na rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lengos brancas a "2$.
Vendem-se duzias de llengos brancos finos a 25,
ditos finissiraos a imltagao de linho com duas bar-
ras sendo orna de cordo e outra matizada fazen-
da que sempre se vendeu, a 5| e torrase a 2j3'iOO
a duzia : na loja-do Pavo na la da Imperatriz
n. 60, de Gama c Silva.
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8. i
Measdela pira senlioras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Brsnca n. 8,
Mata mosca.
Na losa da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com compoMcao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar faciliimo, e o
-9 -- !
3 0 "2 3 m
z 1. iliiU
5
/-> eleilo efcaz: molba-se o papel e deixa se
US eSpartlUlOS CIO PaVClO fon n'umprato, e nelle pousando as mos-!
A 45 5& e6i5. :cas' enu'sle'cm e morrem. Cusa cada lo-,
Vendem-se os mais superiores' espartilhos com lna 40 "is : na rua do Queimado, loja da,
as competentes filas para aperlar pelos baratissi- Aguia B anca n 8.
peratnz n. 60, de Gama & Silva.
Cambraias de salpicas a 3$.
para enancas.
Aguia Branca na rua "do Queimado n.
vendem-se superiores cambraias francezas com 8, receuuu diveisos brinquedos para crian-
UITfi
I iaOTlEiW
i
m
u
m
i
Ferros para eagommar
Vcndem-se caixinhas contendo o mais completo
sortimento de ferros para engommar, encrespar
babados, pafos e toda a roupa de seuhora : na rua
Kova o. 24.
Tagso IrmSos
aspecto dos I vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos
pannos, das sardas, do"rosto, rugas e toda a :500S de feU. diverf0l para ladrilho, azuleijos de
casta de ebulices, e d vigor e frescura a
parte onde quer que se applique. Sua effi-
eiencia e elegancia s5o igualmente infalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e antisptico, nos con-
cursos e assemblas numerosas, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como um antidoto exceden-
te para os desmaios causados por cansaco
cu suffocacSo. Preparada nicamente por
Lanman & Kemp, Nova York, e a venda por
Caors Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cernelo em
barris de 10 arrobas.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na raa do Queimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e maniai,
com cabeMeira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de mana Ta 6*500,75500 e 80Q0'aianca-se'
na grande liquidadlo de fazendas e
roupas feitas nacionaes ia rua da
Imperatriz n. 72.
Os proprielirioe deste eslabeleciment estao re-
volvidos a liquidarem porpregos baratissiaios para
apurar dinheiro, vejam :
Chitas francezas escaras e claras a 260 o covado
80 rs., ditas percalia6 330 e 360, muito finas a
400, 440 e 500 rs. o covado : isto s na toja de
Guimares & Irmno, rua da Imperatriz n. 71
Grande sortimento
de^amliraiao francezas, liodissimos pradoes a 280
rs. o eovado e 320 e 360, organdys muito Jim a
400 e 440 rs. o covado.
Est se acabando a pechincha.
Laaziahas escocezas a 240 rs. o covado.
Laaziohafi escocezas a 240 rs. o covado.
Laazjnbas escocezas a 240 rs. o covado.
LSazinhas minio finas a 360, 400 e 440 rs. o
covado.
Ditos de urna s cor a 180 e 500 rs. o eovado:
isto s na loja de Guimares de Irmo, rua da Im-
peratriz o. 72.
Grande sortimento
de cortes de vestidos de barra a 3^200 e 35500,
ditos de lia a Mara Pa a 55000 e 55500, pegas
de bretanha de ro-o com 10 varas a 35000, dita de
madapolao francez infestado com 12 jardas a 35200,
35500, 45000 e 45500, ditas sem ser infestado
com 24 jardas a 55. 55500, 65. 75, 75500, 85000
e 105000 : isto s na loja de Guimares & Irmao,
roa da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de casemlra de cores escuras a 25300 e
25500; ditos de casemira preta a 25800, 35,35500
e 45; ditos de brim a 15*00,15600 e 25.
C baratissimo.
Pega de algodosinho com 20 jardas a 35800,45
e 45500; dita carne de vacca a 65 e 75; dita
salpicos brancos e de cores tendo 8 t|2 varas cada
pega pelo barato prego de 35, ditas escocezas com
salpiquinhos mindinhos toda branca a 45 : na lo-
ja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Tartalana branca a 64<> rs.
Vende-se tarlataBa brauca muilo fina a 640 rs. a
gas, sendo estradas de ferro, barcas e patos!
elctricos, appareihos d-) metal, louga pinta-1
da e porcelana dourada para almo?' ejan-j
tar e muitos ostros brinquedos de madeira,.
que e vendem baratamente : na rua do i
Queimad >, loja da Aguia Branca 11 8.
vara, ditas de todas as cores a 800 rs. a vara, di- Mdas pretas de Seda para selltil'as a ,
tas de salpico a 15, dita Usa a 800 rs. a vara : na r .,.. r ,
loja do Pavo na ruada Imperatriz n. 60, de Ga- OUU rW8 O pai.
ma a Silva. j A Aguia Branca quer acabar com a por-1
0 bramante do Pavo. cao de meias pretas de seda para senhoras,
Vende-se superior bramante de linho do melhor e apesar do muito maior prego que Ihe CUS-i
2!?.^ifirwV2Iena? eon!, 10..i,mos d,e '" taram e o bom estado em que anda estao, I
gura a 25600 a vart, panno de linho muito su- r/imtiu1n (,> ^^...1 a vpnrlf-la perior para lenges, toalhas e seroulas a 6i0 e comWuo esta resoiviua a \enae-ias a u.
700 rs. a vara : isto na loja do Pavo na rua da res o par, am de que ninguem mais calce I
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Percales lisas do Pavt.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s
meias pretas de algodao, agora pois apro-
veitarem a quadra e dirigirem- e rua do I
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam-
bem vender as brancas a 1(5 o par, c des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-!
gueiras,
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: appareihos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
Deposito geral em Pernanbnco rua da efaquinhas a 280rs.o par ;e nao queren-
Crnz n.22 em casa de Caros & Barboza
que
nao tem defeito algum : isto s na loja de Guima-
res & Irmo, rua da Imperatriz n. 72.
Koupa feila
Roupa feila
Roupa feita
Grande sortimento de roupa feila que se veude
ttenco de todos.
Na rua da Cruz 13 tem para vender sempre
o segointe : doces secco e de calda, jelas, Doli-
nos, fruelas, flores naturaese arlificiaes; t.-.mbem
recebe quaesqner encommendas de todos estes g-
neros e de plantas para embarque ou plantagoes.
do continuar, teode mais barato do que em por pregos baratsimos para apurar dinheiro.
outra qualquer parte. | \- nova loja de fazendas de Guimares
k Irmo.
Vende-se tiras bordadas de differentes
larguras a 1, e babados, collarinhos e pu-
nhos para senhora. bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 13a para bordar de diversas
Colla da Baha superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo & qualidades e de cores claras a 7$ a libra, es-
C, no seo escriptorio rua da Cruz n. 1.
Viuhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de nma duzia
de garrafas para casas particulares, sendo: Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancreas de dcimo encapadas cora superior
vinho, barris de 5' e iO* era pipa : na roa do Vi-
flario n. 19, primeiro andar.___________________
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Concordia : a tratar na raa do Alecrim o 10, das
3 horas s 8 oos das ateta.
pelbos de columnas de Jacaranda a 20500,
ditos brancos de diversos tamanhos, caixinhas
para estojos de navalbas,
Colberes de Metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 25, ditas para cha a 2300,
ditas para soupa a 45200 a duzia: nesta
loja te encontrar sempre um grande o va-
riado sortimento de miudezas: rua do Que i-
j mado n. 63, loja do beija-flor.
Rua da Imperatriz n. Vt.
NOVIADE
A 10 ltOO e i*500.
Leques de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Dulas muito finas a 15500.
S na rua da Cadeia do Itecife n jg ._________
Ferros para eogoramar.
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
sortimeto de ferros para engommar, encrespar ba-
bados, pafos e toda a roupa de senhora.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarogar
igodo: oa rua da Senzala nova n. 41
cor a 400 rs. o covado: na loja do Pavo na rua
da Imperatriz n. 0, de Gama & Silva.
Meias para meninas a 2,50(1
Vendem-se meias para meninas de todos os ta-
manhos a 5-00 rs. a dur.ia. duas de seda preta j
para senhoras a 800 rs. o par, di'as inglezas para ni Vil I *All SUMOTIhA
homem a 55 a duzia, isto na loja do Pavo na rua OC^UUUU
da Imperatriz n. 60, deGama & Silva. Rua (IO Queimado HS. 49 e 55, lijl de
Cornudos jura oauas. miudezas de tres portas, est fliei-,
Vendem-se neos corliuados para camas pelo ba- rvl %aof to" Muv;
rato prego de 115 o par. Ditos bordados muito ri-1 Uiailtlu lil(l(i (1010 e barato, queill (|lll-
ew a 245, colcAas de fnslao para cama a 55500 e zer ver e admirar VeilllUIU lja (10 \
: na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de D. .. '^'"' 4 > "-
Gama & Silva. I BlgOdlIlO.
Tiras bordadas e eiilmurios. Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
Vndera-se linissimas tiaa5 bordadas e entre-1 a 600 rs.
meies por prego baraiissimo, na loja do Pavo rua brozas de botoes de louga praleados fazenda mo-
da Imperatriz u 60, de Gama & Silva. derna a ieo r-
chales a 35300 Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas ffL*ma** de l* ,isas e de lodas c0ros
as crese pretos, p^lo baratissimo prego de 355OO, >..___ ,. .
porbawr grande'fiordo: na loja d Pavao, ru Esv.drs4 fiDISS,mas Para '""P" "entes a 240 e
da Imperairiz n. 60, ile O* bibK .In Pv5 **; 1 lASOn Pu|ce'"s de contas para senhoras a 500 rs.
vLim .? >?-' T *^ Pe^s de ila de cs cora 10 varas a
Vendem-se os melhores baloes de arcos amen- 320 rs
!!^/e0/.0m*a!iAa2l5^ldJi0i-.com 23 Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
arcos a 35, daos com 30 arcos a 35500, ditos para | dades a 20 rs
meninas de lodos os tamanhos a fcSOO e 35, su- Tnteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
penores baldea de bramante e murcelina com, Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa a
cauda, sendo bstanle grandes a 55, isto na loja | 20 rs **-
do Pavao, rua da Imperatriz n. 66, de Gama &: Baralhos muito linos para voltarete a 2O0 e
silva. 240 r8-
As cawisinhas do Pavo. Frascos com agua de Florida a 15 e 15280.
Mendem-se as mais modernas caraisinhas borda- Frascos com superiores banbas a 500 rs. e 25.
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais Frascos cora banha, porm pequeos a 200 e
modernas que tem viodo ao mercado a 45500, di- 240 rs.
tas com manguitos, para acabar, a 15 ; ditas pre- j Latas com superior banha a 200 rs.
tas com manguitos para luto a 15800 rs., mangui- Frascos de macag pecula muito Uno a 200 rs.
los e golinhas pretas a 15. linissimas golinhas de Frascos e garrallnhas cora agua de Colonia a
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para 400 rs.
meuina a 610 rs., romeiras de fil e cambraia Frascos grandes com superior agua de Colonia a
branca bordada a 15600 : na loja da Pavo, rua 640 rs.
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Fracos com superior oleo de baboza a 400 e
Cortes de prcales. 300 rs.
Ricos cortes de percale com barra, tendo o com- Caitas com 12 frascos de cheiros muito finos a
ptenle casaveque a 85, ditos de la a Mara Pa a J5'00.
65, ditos de cambraia iransparente tom barra i,a5neles PeQueDOi de bolla a 240 rs. e grandes a
bordada a la a 25 ; isto se vende na loja do Pa- 3* "
MLra da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva. Doiia de abneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua denliflee superior qualidade a 800 rs.
Palelots pretes a 6$ : Calas com superior p de arroz a 800 rs.
Vendem-se superiores palelots saceos de panno "JSSL* snPerores essencias santal e outros a
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casacos a _. 5-00.
125, superiores caigas de casimira de cor a 75 e 'rseos com essencias para tirar noduas de roupa
85, ditas preas a 6J, 75 e 85, paletols de meia a 500 rs.
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas Fra!c')s com fnros de todos os pregos a 160, 200,
de meia casimira a 45 e 45500, dilas de brim L ** e ,320-
branco de linho e de cores, coleles de lodas as Frascos bonitos com chiros finos a 500 rs.
Duzia de
P'liarmaceulico de 1* ciaste, cx-
inlerno dos hospUaet, prcmimmm\
com a medalha de brome.
>
Desde muilo lempo pul
liandonou o uso das pteparj intituladas dep'irali'as cnl.erid.i
oh o nome do Arrobes, 1f
le Salsaparrilha eum>sto*, ele
Cuja u-rao, maior parle das teze->j
c milla, e 11 algums cao$ pericn
Os CmmM bi.pi ruTitus reo itrccio
e O COSTO ICSIDIIIIS I C(l\Tl *o U
PtQllSO lOLlt >liM.l.\CluailTi> c
VIS (l O SEO KOBO K Tmrx%tr,AO I
Ma
O anrreuM <|h# emteu
fellon oltfIvrrao eaa Fras-
V sob o palrocinio da priaripaa
celebridades medir, os poe an
de ludo quanto lera existido allt
hoje.
Cura rpida sem o socorro
de nenhum outro remedio in-
terno, das escrophnlas,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
lodas as molestias produziilasl
pela alterarao do sangue ; tal
o resultado que queramos
conseguir e que temos sem-
pre oblido.
Urna nplicafao
\idro.
DcsconGar-e, das Cilciacafocsd ia-
tacocs.
XAROPE
deLABELONYE
Impregido eaai invariavel saceetao dcsJ* M Mam
pelos Mdicos de toda* aa aaius caalra aa ir
rguicaa ou aaa arcaicas do caraca, as diversa* aj-
dropuits e a maior pane du aiolestias a aeiloo daa
bronchios (paeiitwaiu, ceUrrkm pmtutmm. aaSkaaa,
imfemmefiet aaraasu doi}ro%cUm, cuUrrkeirm.ttc...)
0 iarbpi de LAKLOim aaa se ea4
arralas con raalas de cor e lechada* cosa 1
eTtndo a firms da inventor.
BaB PARIR, wm* rk Vll|rar.,r. I
Venoem-se no Recite em casa de Caors
qualidades. Todas estas obras se vendem por Uu,Iaa/v?a meias mui, finas para sennor a Barboza e Jo3o da C. Bravo & C.
prego moilo em conta, s com o fim de apurar di-' *5800.
uheiro : na loja do Pavao, rua da imperatriz n, 60,! Jf>llinnas moito Onas para senhora a 200 rs.
de Gama & Silva. 1 Caias rom soldados de chumbo para meninos
Fazendas brancas na loja do Pava L'^J ,t
Vende-se nm grande sortimento de roadapoloes, n2?i? ?,,heres de.metal P*? cLha a *:
chitas, algodozinhos das melhores marcas, ga- d"A h a.Vra SOpa' aLenda b,oa a 1*600- I Antonio ; e na lypographia iaafweial,
rantiudo-se vender mais barato do qne em outra I V? ",* JJ para debrum de vestido, com treita do Rosario a compilagao de i.-da
qualquer parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do' r.:. var,s.abU rs' tendente administragao, tfimayn
Acha-se
venda na livraria .-cademica, na ma di U>;ra
dor; na do Si. Nogucira, jacta a<> arr
lli.. v-
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pelos de renda.
Chegou pelo ultimo vjpor francez um grande e
para
10 varas a 600 rs.
Dilas de bicos superiores,
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Caias de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
-tos de I gSft ^tTiJr.p a 100 r,
3As vXtjsl ?.s5 s sssaar*bw rmK a *rs-
teleles e muitos cpm o centro de cor, e vende-se j 100 r
por pregos muilo em conla por terem sido manda- Fra,s'rom nnerinr aoua Ao rninni iw
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa- d ^rmr^0PedrlV^tilho a 20 rs
vao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva/ X**^SS^M rs.
jard
Boroouls de renda na loja do pavo. ^"c^ZSlT^im, 25 e 25500.
Chegaram os mais ricos bornonts de renda e se Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
vendem por baratissimos pregos : na loja e arma- Duzias de meias croas muito fortes e superiores
zem do pavao, rua da Imperatriz d. 60. de Gama; 35500.
4 Silva. r-
acabar a 600 e I sagao dos dinhciros de nr| naos defnntn* r an- a-
tes, neranras jareles, bfStm ele., runlend nao
| s o regiment de rustas e a lei (reral da* atBB
goes, como lambem ludas as ordea< e avi-." .!
goveron, qne a ludo tem esplirado. tanio a r-
to das ohrigagdes inherentes ao cargo do* dirT-r-a-
les empregados de justiga e fazenda, ramo V* *-
pequeos pretos para caiga a, reilos nacionaes e emolnmentos nm >i-i eVvidws.
Este livro contendo mais de 700 paginas eco n::.t
impressao e bom papel, e prestndose a aiiMae)*
de differenies classes, torna e rec> mm^adiaa*.
Seo custo 105000 por eada riemplar eta
tomos.
Vende se oro sitio em BeronVa a' margem da
Rio Capibaribe, boa rasa, com arvre"M : raneas
pretender dirjase a roa do Imperad/.* o. 61, at-
Kesmas de papel de peso pautado a 25800 e 45500 gundo andar, que achara com quem tratar



Diario de Pernambaeo sabbade de Agosto de 18S
i
N. 11Ra do Queinudo N. 11
LOJA E FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a e>te estabelecimealo ura grande sortimenio de cortinados bordados para
camas fazenda de milito roslo.
Chales de guipu muilo liuos para 2i$, 2."5 e 305.
Cillas de seda superiores de diversas cores pira camas d uoivas.
Cjlxas de la e se la pura oami tamben) de bonitas cores.
ii .1 in-lt?j de guipa eofeiudos coa u melliar gosiu.
Setim de Pars bella tatuada e de lumias cdros para vestido a 700 rs. o covado.
Moureanti'iue branco e prem, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azans.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
lia preta pura lutos.
Milis, saceos e boleas de tpele, rerail e couro de ij a 113-
I!, ios de lioho de cores linos a I y><> > a vara.
Chapeos e chapsimas de pilha de Italia para seohora, maogaitos bordados, coapos js
de seda para liooiem, chapeos de sol de seda, esguio di lintn, cambraia de liuiu, breta- <$[%
abas, silesias e moiUs outras lateadas jai se vellera p>r corara>dos precos assira como
tambera
- Esteiras da ludia para forrar salas
as

. i
GENR OS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRS ARflAZKNS DE MOLDADOS
^i i-j
Pateo do Carmo n. 9 arinazem Progrcssivo ra h Quciuiado o. 71,88
UhAo e Commercio ra do ImDftrailor n. 40. f S
Commereio ra do Imperador i. 40,
Priocipul aiiiia/.iMii de motilados.
OH lftKOPUIETiUIO.
3!
DE
J. VIGIVES.
X. 55. RA DO 11IPER1DOR *. 55.
Os pianos desta anliga fabrica sao boje ass-* conhecidos para ue saja nccessario insistir sobre a
saa superiorilide, vanilinas e garantas queouVrecetn aos compradores, qualidades estas iocontesta-
veis que elle; tem detiuitivamenta conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
suifldo um teclado e roaohiasmo que obedecera todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca biliar, por aerein fabricados de proposito, e ter-se feio ltimamente melhoraraentos importau-
tissimS para o clima deste paii; quaoto s vocS, sao melodiosas eflautiJas, e por isso muito agrada-
vei; aos oviitos dos apreciadores.
Fazemse conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
oorresoondeule de J. Vigoes, em cuja capital foram serapre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estibelecimento se achara sempre um esplendido e variado sortiraento de msicas dos
memores amores da Europa, assira como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
C0MSIL0RI0 MEDIG0-G1RL!UGIG0
DO
Dii PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
HSDICO, PiRTEIHO B OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso da consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s i I
s da inanliFio, edas G c meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados.
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sorliment de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos precos seguinles.
Carteiras de 12 tubos grandes. l~,-)000
de 24 tubos giandes. 18,3000
de 36 tubos grandes. 2J000
de 48 todos grandes. 305000
de 60 tubos gran les. 3o5000
[repara-so qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1000.
Sendo para cima de 12 cslarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
lia tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LI vitos.
A mellior odia da homeopathia, o Manual de Medicina Ilomeopathico do Dr. Jah
dous grandes volumes com diccionario............ 20;>000
Medicina domestica do Dr. Ilering........... 10(5000
Repertorio do Dr. Meto Moraes............ G5O00
Diccionario de termos de medicina........... 3000
sis remedios deste estibelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
Ih sprom n>vaoente ruoomunendados as pessoas que quizerem usar de remedios
\ 11 leiros, enrgicos e doradores: lia tudo do mellior que se pode desojar, globos de
v :r ] ideiro assocar de leile, nolaveis pela sin boa conseivagio, tintura dos mais acredi-
ta i i: estabelecimeotos europeos, a mais exacta e acurada preparado, e portaatoa maior
... i fia certeza em seas elfeitos.
Casa de sand-i pira cscravos.
RcCebe-se escra?os para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operac >, pira e (pie o aonaneiante jolga-se suficientemente habilitado.
O ral imuto o methor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fu tecionaudo a casa ha mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
p'de duvidar, q.ie podem ser consultados por aquslles que desejarem mandar seus
doenles. #
P.ig.i-se .-S por dia durante 60 dias e d'ahi em diant; 1>j00.
Asoperacdes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedirr o annunc:ante.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
beraran os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
tnos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
por um prego, e na occasi5o da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa peder mandar seus fmulos que
sero tam'em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annuuciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sua despenga em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
dem com 4 a 5 ditas a 33200.
dem vasios de todos os lmannos a 2^000,
O
1
o
Hanteiga ingleza perfeitamente flor chegada
nltimamenle no vapor Saladim, de l&
a 1120 a libra e em barril teiabati-
mento.
dem france/.a muito nova a 1$ a libra, e
em barril ter abatimento.
Banha de porco refinada a 640 a libra e em
barril ter abatimento.
Cha uxim de superior qualidade a 2j?600.
dem perula miudinho a 2#700
dem iiysson especial qualidade de 2#500 a
20600 a libra,
dem preto muito especial a 2,?000 e 2^100
a libra,
dem do Rio em latas de 4#000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a I#200.
dem da credilada fabrica de Biato Antonio
(.Lisboa) proprias para dar a doeutes a
^ c :5 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 3i5OO a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de soda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8iK) rs. a libra.
Ghourigos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
Gaixas cora raacarro talharira muito novo a
51000 e 320 a libra.
\letria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
dem suisso de 800 a 10000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a 19000 a libra
que j vendemos a 10400.
10500,800 e 640 rs.
Queijos de 20300 a 20500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
20000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 40600 a caada,
Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
a libra, e em barril de 5 arrobas al
100500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca II Vicloria Alsope e outras |
muilas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
! Sabo primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
'dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranho 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
Doce da casca de goiaba em caixes de 4 e Uem Londrinos a 50, idem.
I4CBIN4SDEP4TENT
de
para
trabalhar mio
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
fttDftl
e ^~
"". \
- '- j| :- 'V_____ Es
lv. I i^5. -r ff -l^Viualr
Ouli-os onjecos.
Vindos taubem para a anliga loja de
miudezas ra do Queimado n. 16.
Sapatinhos desetim branco bordados pa-
ra baptisados.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
ngo los sapatinhos.
Outras mui finas de fio da Escossia
brancas listradas.
Luvas finas de fio da Escossia brancas
l- cores.
Dttafe de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Penles de tartiruga mui fortes para des-
cmbarigar.
barritis com retroz preto e outras cores.
Carteiras com agulbas.
Aglhns francezas, as afamadas.
CaTxinbas com allinetes brancos e pretos.
llaspasde baleia para vestidos.
ritas du linho proprias para ditos.
Caixas com linhas de novellos grandes
para crochets.
Trancellim de boriacha preto, redondo.
Sttoaitas Qvella grande de a^o.
dosiradas, mailreperola c tar-
taruga.
A loja de miudezas ra do Qneimado :KS:aoV,a^a^1/naZ,na-'0' no.,a]
... :, z-m ae aigoaao, uu largo da ponte nova n. 47.
n. 16, receben um bonito sortiraento de Sailders R,.thii-S J r
fivellas grandes para cintos, sendo de ac,' ',I, 1, .
douradas, madreperola e tartaruga, asquaes' Xm "' p ****oppo **
13 i sepdo vendidas em dita loja por pre-' Os aicos agentes neste paii.
1 omm idos ; assim como boas e born as
fitas de go-gorao achamalotado, proprias pa-
ra ditas fi'.elhs.
Estas machinai
mdescarogar
qualqner especit
,,'de algodo sezs
estragar o lio,
sendo bastante
^^ duas pessoas para
otrabalho; pd
descarocar urna
arroba de algo-
do em caroco
era 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia oa 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Assim corao machinas para serera movidas por
inimaes, .jue descarocam 18 arrobas de algodo
mijio, wr da; atrjs ilessas machinas. '
as
Os meamos tem .ara vender um bellissimo va-
por <|ue pode fazer mover seis destas machina
para o que convida-se aos Srs.
arma-
menuionadas ;
L'CAS. VIIIROS E
CSIR1STAES.
louca da ra i
A'hjade miudezas ra do Qaeima^oj^S^ou^1
u. ib. lambem recebeu oculos de peneira jde bonitas pinturas go Oeiilos de peoeira e de outras
finalidades, para qjichi soSSre
d vista
A loja de louca da ra do Crespo n. 16 tem para
vender quutldade de azulejos de lindas e variadas
U de todas as qualidades,
., -to moderno, ricos appare-
C )l Vl-JrOi claros e escuros, para q'iem Suf- lh0!i ^ porcelanas brancas douradas e de cores,
lie da vista, issimcomo outros de armaco, v,",ros aJ:,llasias.llualldade5' mc|usve Onissimo
de 8C0 sonidos em -OS ; chrysial, dihcados irnos de chrystal e porcelana
< L 1 !Lnl j .. pir;i Bores Jl?uras e ou,rus "'uilus ol>jcctos de fi-
lv>sas e tercos de cornalina, jnissima porcelana denominada blscuito para en-
A anliga loja de miudezas a' ra do feiles de '"esas, tic, gnarni?oes de flnissima por-
Q.eimad.. n. 10, recebeu mui bonitas co- ce'an1ain''>nc foara&s e de cores para lavatorios
ron c tercos dec irnalina os nniM ptin e loale,e#' t?o..o mell!"r ea3l. m* <> 'ouea e
o i> t torcos ueoiinjuna, Os quaes e4,io vasos pan jardim, candieiros de lamparinas para
i dlSpOSlCaO dos bons ChriStaoS que OS qui- gaz, globos e charmneisde vidro, buccaes e todos
zerem comprar em dita loja: na ra do < mais sobrecetentej para os mesmo?, gat liquido
meia libras seguro a 1$800,
dem em caixoes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a L'iO.
fdem secco em bocetas ricamente enfeitadas,
contendo pera, pesego, ameixa, rainha.
e outras frutas a 3^000 cada urna,
(dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
'540 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 1(5200.
.Marmelada dos meihores fabricantes, em la-
tas de 2^000 a 15200.
fdem em latas de 1 1|2 libra a 13.
dem em latas de 1 libra a 610 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Feijo verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 1(5500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
600 a 25500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco,
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco,
dem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 I|2 libra a 900 rs.
Vmhos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 135500 a caada,
dem em ancoretf e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 2i5a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 45 a caada,
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 35500
a caada,
dem do Porto especial qualidade a 800 rs.
a garrafa e 55500 a caada.
faVm Bordeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
Gbampanha a mellior do mercado vinda de
nossa encommenda a 305 o gigo.
(dern mais baixa de 185 a 205 e 15500 e
35 a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 15000 e
15500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15500 a
garrafa,
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja ver ladeira a 115 a du-
zia e 15 o frasco,
dem de Hollaada verdadeira a 6$ a fras-
queira e 600lo frasco,
dem de Hambur^'O a 55500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafoes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 85, com garrafo.
dem com 14 a 15 garrafas a 65.
dem Parasienses a 45500.
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Rio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35500 e 15*00 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 153C0
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mececipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaes do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35400 a caixa,
dem jovens de Castanho & Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15'>O0 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 15500 a garrafa e 14^000 a
caixa.
Alpisla muito novo 35800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porco 15000.
Sardinhas de Nanfes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muilo grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma empaneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Sovadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Gaixas cora estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Ganella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Araendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 45200 a resma,
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
dem de embrulho marca grande a 15200 e
15300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
16 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porejo ter
abatimento.
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da (aileia do hecife, esquina da Madre de Deis,
BATEES
Os ricos balos de arcos com muila roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 25 e 25500.
dem de panno para meninas 35 e 35500.
Chapeos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 95.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores lOf.
dem idem com 16 asteas 12,?.
Chitas.
Chitas largas soffnveU a 240 rs.
dem meihores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha um completo sorlimenlo de ctmisas francezas de 15800 at 5-> das seras
les variadas qualidades: pregas largas, ditas miadas, pellos defustao e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Caiubraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a M.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Caifas de brim pardo superior a 25500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, lia de diversos precos e qualidades.
Mantas para pesclo.
Ricas mantas para pescogo de homem de nissima seda e de rico padres, que
s o Balo tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 5,\
COIXETES.
Colletes de casemira a 45 e 55-
dem brancos a 20500 e 35.
Maceos para viagem.
Saceos para viagera a 5 e maiores a 65.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao como muilas pessoas sup 5e sempre ser as fa-
zendas.
AVIN.4.V
GREGOBIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
o mais meo soirniib:\to
DE
GUIPTJRE
manufacturado em
CETA Y S^SS
Grandes chalf granadme
BournuS'
Rotondos
Treanon
Pampadonr
Wateau
pretos, brancos e de cores; magnifico: desenhos, de gosto modernissimo.
MARA ANT01NETA
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosio, a aw
reantique ou grosdenaples. Barras e laco bordados a f oco e vidrilhos, sem depeafe-
rem de modista para os fazer, visto trazerem o curte debuxado.
\
Glac-royal, em pecas com lislras de seda priraoramente bordadas ou matisadas,
fazenda inleiramente nova de bonito efieito, para partidas, soirs, theairos, passek ele'
IIOUBLES CAPAS
e SOBRETUDOS de panno mezclado (imoermiavel) vindo no ultimo vapV
Df. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATAS, MANTAS
decores, muito bonitos padroes a 500 ris.
BONETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFEiTES
Costumes de faslae enfeitados para criaicas
E innmeros objectos de modas recebidos directamente por todos os paquetes
escollados caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
FAZEKDAS PAR HOniU.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, brins, subre-
casacas, paliis, caltas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
msm
yjeimadi n. 16.
esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na ra do Queiraado, loja de
miudezas o. 16.

de superior qualidade, e muios oulros artigos que
seria enfadonho mencionar, tndo por presos mui-
ijsinios razoaveis.
Cal de Lisboa
a frranel a 15500 por urna barrica: na ra do VI-
I gario o. 19, primeiro andar.

Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
Potassa da Eussia
Farinha.
Vende se farinha de mandioca muito nova, sac-
eos grandes a 4 : no armazem de arinha da pon
te nova dos Srs. Tasso Irmos, para porcoes, na
, roa da Ma-r de Dos as. 5 e 9.
muito nova e superior : vealt-se no< escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n.,19
Fumo da Bahia para
charutos. j*
Vende-se fumD superior de todas n'squa- 1
lidades, a retalno e por atacado e por
preca commodo : no Recite roa da _,,
Cacimba n. 1. f|
Vende se a fabrica de charutos do pateo do
Terjo n. 2 : a tratar na raesma com seo dono.
I Vende-se o engenho Juitdiabv,
distante da eidade do -Natal,'praviana Vftw
Grande do Norte, moente e correle, com SO na-
tivos, 20 bois e 20 beslas ; assim romo n
lotes de trra, propria para a cuitara 4a.
mandioca, e mais duas faiiodas de gado u
gi e Ceara-meirim, na mesou provincia, ni
das se efleciuarao a prasos, roediaate boas
quem pretender dirlja-se aqualla proviacu a U-
tar com Fabricio A C.
Vende-se urna ptima escrava maca 4a tea
figura : a tratar ua ra da Cadete a. 40, la *
relojoeiro.


Otarlo de PernambHco abbado itt t Agosto de t*
NOVO GERENTE
AO PUBLICO
*em o menor constran-
glmento se entregara o
importe do genero que
nao agradar.
? : ...
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zcm da Liga estabelecido ra Nova n. 60 ura magnifico sortimento de molhados,
que sendo era sua raaxira i parte mandados vir directamente do estrangtireypodem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm fiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguiutes promessas:
1.' Delicadeza na trato.
9*
ATTENCO
os presos da egulmte
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de contas
com os portadores.
Ventl
C-S1
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da foncelco)
PARA BEVJ DE TODOS.
Senhore' -choras, o aceio qne presidio aos arranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptidSo e nter
eza com que serao traHO'5 envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem dnvida me dao a proteoflo e preferencia na com-
pra dos gneros que precisaran e quando n3o possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
rois serao to bem servidos como se viessera pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaca, afim de que nc-vo-em
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente escclliida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Fidelidade IlO peSO. Idemfranceza amis nova do mercado a 96o
as *j J~ 5 .-.-_*- rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
3. SinCendade nOS PILCOS. ; Chliyssoa de superior qualidade a 2,600
As pessoas que por sua posiejo social gozara de certo tralamento, acharo nesta ( rs. a libra,
casa os melhores queijos londrinos, cerveja. vinhos finissimos manteiga e cb sempre de _n_ perola o mais superior do mercado a
primeira qualidade. etc., etc. I 2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mu- Uem hysson muito superior em latas de 15
to bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que s3o pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de rs> a ibra
maitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man- i(iem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga oassuur, etc., etc. de boa qualidade pelo prego que em algumas partes nao po-| Dras a l,6oo rs.
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence- Lir.guigas muito novas a 8oo rs.a libra eem
rem do quanto se pode vender barato. barril se faz abatimento.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agra'dar aos senhores j Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Quejos do reino chegados neste ultimo va-
riar a todos. pora 2,2oo rs., ditos de navio devella a
PELOS SEGINTES PRECOS SO SE VENDE !Id^nosrauito frescos e de superior
A DIMHEIRO A VISTA! qualidade a 800 rs.a libra.
A : Gradea em latas, muito nova, a 80 rs. cada Wem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a ioo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e;
3,ooo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
Sal refinado cm frascos de vidro com tamp
do mesmo, a ooo rs.
erveja branca das marcas mais acreditad
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e .j,8oo, 6,ooo e 6,5oo a do-
a.
na ra do Vilano n II, fseri;>lnrin te I. J
Ramos e ilva A a>ur.i.
Machinas de costura MMrinMN >>r,*r*
Baker.
Agua Florida de Laminan A K mp.
Salsa parrilha de Brisiol.
Oleo de linhaca M barris.
Cofres d' ferro a aman iie f
Machias* iara copiar anana rom i-erlr----*.
Ora em giume e em wla>.
Vinho do Porto engarrafado e em anco;
Dito Bordeaux.
l'nia machiua para PJ_an_aj pi l la i aooa
juvensao. ________
Vende-se om guarda-loara non, :
de raz, por prer comino lo : na i
Rosario, Ion n. lo. _______ ____
a tratar r... Ij>
Vanease nina .adeirinha .lo
rodo de seda, a em kooi aseada :
d. 18 da ra do (iieinvtdo.
Venden.-se sacros rom farinha i Pasan ra
20 a 24 rota a 2,500 rada Mapas/ n lar ra pe-
queo toque de avari.i : M _M m is ra ov
Imperador n. 83._____________
rala de efccfOr a '' n ana -r Haie
MTliOMMu defulhas aiiihViae de 000 'ra. e i"ftO-
BMaie arraigadas : anto-aa a eanfli
IDOS) n. _ GAZ GAZ ^ v
vVendp-se gaz _a nojMw
li3 a i ata : nos -:rma7'i
perador n.16 e roort Trapi
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo re.
35,ooo rs. ; Charutos do affamado fabricante Jos Fui la-
ESCOG t
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellaas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 5fiO rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyxtho a 2^000 a garrafa.
B
BOLACIIIXHAS do Beato Antonio em.latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 1,800 a lata, e
de cinco para cima a I700.
Mera de so Ja em latas grandes a 2:5000 e
de cinco para cima a 15800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200,15250 e15300.
Bolo francez cm caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a GOO rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, e em porgao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7)5000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiarope de grosella, orchala, etc., etc.
Chicaras e pires a l5S00a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'IIavana, Fxposicao,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
etc., a 25000,
nina.
K
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 040 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a Ooo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
KIRSCH de Wassf.r a 25 a garrafa.
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Lethia a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
.Mak.mei.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inolez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e amarella al
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a! xe a 8oo, i,ooo e I,2oo rs.
35>iiOO. Vinho Bordeaux das marcas mais
Milho painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
_a
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos om latas a 800 rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a I
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco do Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e Soo rs. a garrafa e em caa-
da a 3,00o e 3,Soo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a I6,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,ooo a caixa c8m I duzia e 9oo,
l.ooo c l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Chercxde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Escravc fujridt.
do de Simas, das seguinles qualidaces:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
Londrinos, Guanbanas, Parisiense?, Sus- _'._" regalar, oi_or-i i
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,coo, '
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a2,ooo,2,5oc e
3,ooo a caixa.
ognac ingtez das melhores marcas, a 800 e
t,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a I,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,000 a arroba.
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas era caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,000 rs.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs. Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
Cartescom bolo francezmuilo propriospa- Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,r.o
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
! Caixinhas com finetas em doce secro de di-
versos tamanhos, ninilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,(ioo e 3,5oo cada ama
; Ruibos, excellente peixe portuguez, em
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. alibra.
O
preto ponta branca, etc.,
252''O, 255(50 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
1
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA SS S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra.
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc.,
Peras era latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas era qiiarto a 15400.
dem mnilo novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MOIUXQITF.S a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABA0 massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2??.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e prela para escrever.
V
VINHOS!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamissoa 15, 15200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por n5o ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs. Borueaux Medoc j 800 rs. a garrafa.
Fleos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra.
dem americano em latas a 15.500
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Farello ha sempre em deposito de 500 a Vinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- j dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
Taixa de ferro CaI,,DSVrrm,eoel-,D,,,e',08
Quera pretender comprar a taixa de ferro coado Lhesarara para a loja de miudezas da roa do
com 6 palmos de bocea qae se cha na estago de Queimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
Frexeiras, pode entemier-se com o Sr. Sena Santos tanto para brinquedo de meninos como para cima
no seu engenho Frexeiras, ou na ra do trapera- de mesa : na raesraa loja se encontrar bom sor-
dor n. 42. I lmenlo de miudezas.
Lavas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas lnvas de pelli-
e muito novo, cade cores e braneas para homem e senhoras : s
Um boi.
Vende-se um boi manso, crlonlo,
por preco razoavel : na roa Imperial n. 4, ar- j quem receben foi o beija-flor, na ra oo Quemado
mazem de couros. numero "
acredit-
banos pequeos ou a retalho, a vista
far o prego.
v
i Espermaccte superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
.; Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das mellares qualidades de pe-' bras por2,5oors.
Ameixas francezas em Tasco de vidro com
lampa do mesmo, a 155oo.
das que vera ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixjnbas de diversos Azeitonas de Ritas em ancoretas grandesd
8,000 a caixa e64o e Too res agar-! tamanhos com benitas estnpas na ca- 8 garrafas por 600 eSoors. a garaf?.
rafa. xa exterior, a 1,4o >, l.Goo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Gencbra de Ilollanda a 4So rs. a botija de i cada urna. l,5oo cada una ancoreta.
conta certa. Azeite doce refinado hespanholou portuguez .Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde genebra de Ilollanda a 6,800' a Ooo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,000 c 3,000 a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. Btalas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo; 24,000 e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo cora 36 libra-". IGomma deengommar muito alva a 12o rs.
grandes a l.ooo e 11,000 rs. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e alibra.
Caf do Bio de Ia qualidade a 28o rs. a li-1 8,5oo a duzia. Figosem sextinhas a So rs, cada urna e 72o
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,Soo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro corarolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. a 800 rs. o frasco.
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda france/.a em potes j preparada a
roba. nn rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,000 a Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. | sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 6 4o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-; l>a garrafae U.ooo a duzia.
!ho. ; Palitos de denle a 14o rs. o maco.
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes epeque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6'io rs. a libra.
Latas com fructas cm calda: pera, pecego,
elamasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Aluda e>ia fu(i>l o erravu -VUr, *t
ha pon<*o* Brtrs ri>- Mamai r v^M.
aqu ; jalga-se andar pela r>;i !: '
lo Amaro, Ulinda, l.xi ii .. s pegar roniloza n rna _a I 1. 32,
que ser bem recompensado.
o da 19 o i...rinir- m
too-se de sata i> bardarI i i m-
o Freilas Henri(|iies, onrtat m ra
nesla capital, um s-ue-.-v, _l.
Caclano, ii qual m.iim ir 3 ai.i..-. :, _-
tura regalare?, bem rn-i 1 '
lenle, sem lriDh(>s nrm n 1 r > 1
tidip camisa de martaioISc. rar- -,r hrim par Jo t
chapeo de palta anaco ; apfii ;iaaar ___-
nho Drsia amata caV, o t< 1 ha)U p 1
marca de Gi>i.nina.onl"lim roili i--.it-; ,.j m
o pepar e o enlrt par so -en -Ir _)
geuerusamente recompen-aao.
"GraTfieacio ITlOtytiOf
Fugio dos abaixo as>igna_4s__a) da 9 e
Janeiro do eoneriti auno, o >
nomc Jos cen <>.-. .i^nafs $ei/iitnle: '_-
bra esculo, cabello c;u.i( inln'. t-.atura ii-
xa, clieio do corpo, ps largas < z f%-
to as pernas qusndo anda, u>uito (_
barbado, c tim nina cicatriz l> ni aaawl ca_
um lado do queixu, e Mata lin yraaale
nasnadegas, pieve-nieiilt <:t nm raj -
travo cmpranos junto
capita* i Silvino Guill > n. < i. \ ..
S os baia cosprado ao m
nionitiortn Navareth. r< 1
escravo filfao de B*tjo da D.a
aonde ca>adut leni tubos. 1.1 i 1 -
rielo ultunamenU ;i mu.li 1 :
mis a odas as aatodaak!
captura, e a qualquer partirn
cara com a quaniia de i<' i
seus senhores ne.-ia praft, 1
triz, refinacio a. 46.
Luiz De.-appareci u l.a l Um <1. -
nhor una i rota de naru .Ai.(i>. 1
id;:ile, pepro mais ou nie;ii>. M "- f:r.i
guiar, lern urna ior prasiffia a n i'-. r (+ \~m
ios hrai.i'>, aaa afatraaaVa _rl .-,
levos ve>udo ir n>rsii.. Ii.miii h 1.
sos, saia da algodi zial -
da : rogase 1 pe&ca 1 d nli
aaaa__aaa* raaia BaaH Cecilia n. PB, aik
sera' gratofic-a.0 gearroaaaMala.


en
Vende-?e harato pela razao da partir para a Europa, todas as chimicas que se emprepam hoje na photogranhin, e bem assim excellente pa
pe albuminado, vidrose diversos apparelhos, sendo das principaes fabricas: na ra da Cadeia do Recite n. 60, armaztm da Exposicao de Londres
de Thumaz Teixeira Bastos.
cnrjr^-s_5_>>o__e_'_3H_;
"Mr;"1 &.SJ3=o"-^> iiil!__!i!ii*
no graude armazem
Azeite doce reSnadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa
da Liga.
Saceos de 80, 100 e 120libras a 4$, 45500 e 55 ; no grande armazem da Liga.


jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Tasso Irmaos
Vendem no sen armazem rna do
Amorim 11. 35,
Licor fino Curaco em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas com rolbas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhos(Jheres.
Santeroes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Ton.
PAexei lagnfol._______________________
Madapolao muito tino com pequea toque de avaria, por preco que admira : na loja 5v;
:olumnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vascoccellos & C. ggg
,~a&fi_ii
Attencao o barateiro de ob- GraDde ^f^^fi!,fei,as de t0'
Calcas de casemira a 63 e 7^500, ditas pretis a
U e Si, calcas de ganga a i&, 180() e IfiliOO,
ditas brancas a 25, brim de linho a ,'5, :5_im e
42, paletots do alpaca branca a 42500, dilos pretos
Vendem-se dous grandes lustres de v.dro finos 3Fe 35s00 di,M0S de a| a de ror-no a % e
com 24 lea, do melhor gosto e por preco razoa- de |jstra de sda ^^ l[(t9 sobreMsa(,os a 5
yel; a-ss.m como apparelhos para cha e para jan- ,el0,& de casemira ^ 5fiS00 6, 84 9A
lar, areos e de cores d.lerentes; ditos de Por-^itos sobrecasaecs pretos a 122, lo e 162, ditos fl-
celana dourados e pintados e brancos ; apparelhoa: nos a 25 de corc^ a m di|08 fraqQes' a ,..
para janlar de porcelana branca; tamnem se ven- ,et0,3 d a 3 2AS00 e u d1, de ^
dem em pecas separadas como os Jreguezes1 qnl- ^ardo u \ nrt8es de brm pardo w
zerem, compoleiras lapidadas para doce, cahees ^rel0 fl > 2 u&)0 3&m 5j} 4500 (#
para vinho, ditos para champagne, copos para agua d moreanlique preto a 22600 o covado, gros-
e para y.nho finos e ordinarios, em ca.xao e a re- ,' ^^ tm, 22, 22200 e 2500
Ulho; linternas de todas as qualidades de vidro; 0 covado
ditas de casquinho inglezas muito finas; candela
bros de vidro e de brenze ; se
Acham->e fnnidns os srraro- : R_a,
mualo, iilai'i: de ani os, ral k
barba, dente! an punco liama-i,
ir-la larga, e falla un paaro i
rriouli'. 1 um p( uro v-ilm, 111;r.-> r, gn ir.
cabellado, b rba nmi alcana c-
sini eomo na cabrea, corpo re .m
lano peaneaof, falla gr.-sa e a- **wi fi-ie m
ronco pede-M ai anr ridadei 1 a aue ai
pitiea de ranana ana a hcaai aiaavnanaaf r '-
duzi-iosa' e.'i-a da aaa anafe r mt r \.i ? 'a
Silva Gu>ui:k>. i|iir -.fin-r
e I m pagari loda deaeeii que la n >-. ._s
condncriii): suppo>'M mw en> '
aalatoalo doa ew5w daala preaiaai aaa aaaaai
liiims dowci tagaatn.
Fupi 1 no da 6 de agosto r, 1 11 n aHanti
de nnrr.e Th- ri i, kbda de *' i-i 'ira
balsae eaaa (alia de um aaanantaaal afean. Fo
escravo do Sr. I'r.'.i: i-iv de An i- .ia-
nhao Cavalranli : quem o | g r <\--t ma
cia, queira dirigir >r a ma da Ca eia I' Rer:V n.
33, leja de VaHe Parto 4 C, qne en rm mpea-
sado.
Fugin no da 16 de jnlho do 'orreBle ann
a muala Suzana, a qual lera os signar? aafBJlBJan
altura regular,corpu cheio. cor clara arabo. aa_.
cabellos earrtM e bem aparado, rara rbala, tf-
la eslreila, olhos peanane?, nariz rba lacea
grande, heicos tinos, falla de dent**, mo* 1
e dedos curios, idade pouco niai >_ eaaa 40 aa-
nos, nalural do serto, levou t, -i.d. 1 i-kn
escura com palma? brancas e panno da s. fal-
la sumir rindo-se : pede-.-e a '.
ciaes, capiaes de rami.o n annh|Brf i
ouher leva la ao seu senhor na iraca da
dencia loja de chapeos n. 14 e 16, que sera gana-
rosamente gratificad 1, ao mesmo paaaa qor t ralea
ta ser contra qualquer qne o leona ao otada, pea
ha noticias qne esla dentro mesmo da rieaeV acon-
tada e se assim esta pessoa qoe a va ratregar
do contrario ser punida com tcoV o rigor da ket.
Ausentou-se no da 2 do rorrete ao mem dra,
da casa da roa do Imperador n. 16. <> prela 1
do, crionlo, cheio do corpo, aliur;. regalar.
romprido, olhos peqnenns e poora barba, n-a anfe>-
sa e bigode. basianle ladino, re re-enta ipr i"
annos, pouco mais 011 menos, e jnlga-e ler levad
calca prela e camisa branca ; csie e-rravo Um eora-
prado ao Sr. coronel Galvo, do Limoeiro, para u-
de se jolga tenha fgido, mas ha qoe o fenfea
visto na Passagem da Maedalroa. Remnins e Var-
xea; e como se descoaba que estoja aroatanr,
protesta-se proceder contra quem o (ver acolbuh.,
e pede-se a quem delle der noticia oa o agarrar,
qne dirija-se a sobredita easa. on a na do Ce*pe
a. 13, que ser reciHnpensado.
IOO
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado ___.
de serem transplantadas: no sillo morado es
de gratifie- cn>.
Fugio do engenho S. Malbeos (esia> ao e>amek-i-
e outras minias mais fazendas qoe se ra) 110 da 9 de abril prximo passado, o esrrav..
nenunas' wos de de,X? d,e1an'?DC,ar' ? mandare levar pelos canei- ajanoel, com os s.gnaes seguinles : cabra escirro.
naraflorea i b has hambur- ros da loja da arara a casa dos pretendentes. O om pouco fulo, represent ler 21 anuos a> MaaV,
porcelana e ae viaro para nores, minas iianraur e tabe ecimento eslaahertoat as 9 horas da no te, iem urna orelha criada em i__ nrn_. __.!
guezas para resfriar agua; barricas com appare- rna da Imnerairir n ifi Mendes R.iimaree \ coriaaa em imim, e earr-N*. see-
Ihos de mesa para janlar; gigos com appaVelhos Tai da lm''eralr" 56- Mendes Gulmaraes. C do corpo, Cu, mcnlca-se de ferro, to aa
para cha; e ontros muitos sorlimenlos de todas as Vende-se carvao de pedra para ferreuo a ?D qualidades e precos commodos voniade dos cora- 122 a tonelada e 300 rs. a arroba : na roa do '^rro, asado, de cor eseara, e e larniea er n-
pradores, que se vendem na rna da Cadeia do Re- Brum n. 76. .DDec,do do referido Manoel, ha pouro ure a aa-
cie junte ao arco da Conceir-o n. 64, e na roa---------------------------------------------------------; nnnciante noticia que linham seguido para a_nav
Nova no grande armazem de louca e vidros junto BiXOCULDS. triz da Varzea.com dir.cco para o t
' igreja da Conceicao dos Militares n. 49. Na ra Nova-n. SO lem binculos grandes (cha- Francisco : recommenda se as 1
mado Marine) que alcanca muito loge, das me- ciaes e capiaes de campo qne apprehendaai a re-
Vinho do Porto superior era caixa de duzia, Ihores qualidades que nunca tem vindo ao merca- ferido escravo, e dfrigirem-se aos Srs. Hala _i
querda, depoi 1 do becca do Espinbeiro, dos AJ-J tem para vender Antonio late fle Olivetra Azeve- do, propnos para os senhores fflciaes da jrrxada Ribeiro na rna do Imperador a. 83, oa
Oictos. do & C, no sea escriptorlo roa da Cruz n. 1. que tem de seguir para o sol. nho S. Malheus a sea seabor.



Diarlo de l*eraam tonco Sabbado t de Agosto de 1 oa
s
LIT'TESATRA.
A indifferenga religiosa tem invadido todas as
elasses da sociedade, e por toda a parte grassa a
mais desenfreada litertinagem do peosamento
mofa-se dos ritos sagrados da retlgio, e reprodu-
zem-se os diverliroentos obscenos do paganismo :
deilam-se abaixo as igrejas para embellesar as ci-
dades e edificam-se theatros; converlem-se os
templos em tribunaes enminaes, e as casas de ora
GOYR311XO OO BHIMDtf E
li:K\ 4112*1 CO.
SEDE VACASTE.
PASTORAL PUBLICANDO O JUBILEO DE l$6.
Dr. Jouquim Francisco de Faria, conego hoiio- cao em comicios papulares: pronuncia-se o nome
rario da imperial capetla, lente jubilado de de Deus, mas ptnaa-se e obrase, como so Deus
theologia, Ueo da Sania Igreja calliedral de nao exutisse, e nao se vai sua santa morada, se-
Olinda, 'e vjgario capitular da diocese de Per- nao para ultraja-lo, Elle e aos seus cantos com
as raais sacrilegas irreverencias ; -se em urna pa-
da diocese
nambi'co. Sede EpiscapaU Vacante.
A todo o itevd. clero secular e regalar, o poio fiel
desta diocese saude, graga e paz da parte Je
Deus Padre e da da Nossj Senhor Jess Christo.
E' lempo de publicar-.-e officialneote nesla dio-
ees; a sabia e lumiiiiosa eucyclica do 8 do deten-
bro do auno prximo pasudo, dirigida a todos os
prelados e ordinarios em commuuho com a s
apostlica, pela qual o S3. Padre Po IX, no seu
acr >lado zelo, e indefeclivel solicitada pelo bera ure a libertinagem do corago, medida que a des-
espiriUHl do rebanho calholco, uao s couderanou eMDCa larra por toda a parte, a medida que a f
os erros, e falsas doulrinas, que tao furrestamente se entibia, os costames se deeravam, e a virtude se
arassam na poca actual ; sen.o lio u-m concedeu consume.
ao; oeis catholicos de todo o mundo uaia indul- aPsllo nos anuunciou como urna das mao-
geoeia plenaria em forma da jubileo : lempo di res **M o 'rapo, em que amitos homens nao
piriicimarmos das grag.is e beneficios espirituaes,
qu; to liberal e opportunammie nos foram con-
lav a, rhrislo no Dome, e pago uas aeges : des-
presa se a religio, uiiraja-se o seu cliefe, envile-
cem-se os seus ministros; e a igreja inteira,
avassalada aos poderes da trra, geme, o chora
opprimida de amargura, na phrase de Jere-
ma- (7).
E como a libertinagem do espirito produz sem-
eedidoa pelo nosso amabilsimo e disvelado Pai
espiritual, pastor e mestre universal, e de que tan-
to uecessilamos nos presentes tempos, onde a Ir-
religlo, a llberlinageni, c a dissoiu.o dos costu-
mes sao urna continua e flagrante pruvueago a
ira de Deus.
Sim, irmos dilecttssimos, por mais floreseentes,
que parego as sociedades modernassob o ponto
de vista social, por mais assignalados que sejam os
seus progressos uas artes, as sciencias, no com-
mercio, oa udustris, nao se pode sem dor con-
templa-las sob o ponto de
esi tiitrelauto o que mais
soffriam a saa doulrina, e procurando doulrinas
novas, escolheriam mestres conforme os seus de-
sejos, cerrando assim os ouvidus voz da religio
e da verdade, para os appllcarem as fbulas : este
lempo parece cliegado, e todos o vemos passar aos
dossos olbos (8).
Mas este estado de cousa?, meus charos ir-
mitos, sendo par, lastimar, nao para desesperar;
nao. catolicismo, que os fautores e cmplices
dessas ruinas considerara e inculcara como morto,
porque nao anarchisa os povos, nao faz revolu-
ges, uo despedaza thronos, aniquila rastituigoes,
como elles praticam ; porque desdenhado, perse-
vista religioso; sendo suido; o caltailk-isno, digo, nao morre, porque
interessa ao horneo, e '"""utavel e eterno, como o Verbo de Deus. lo-
a -'*ri; das raesraas sociedades ; porque, dada por
Deus ao genero humano para esclarecer sua mar-
cha durante o crepsculo misterioso, que elle pas-
sa sobre a trra, s a religio revela ao hornera o
seu verdadero destino ; s ella pode saciar a fume
e a sede de felicidade, que noale e da atormenta
0 -eu espirito e o seu corceo ; s ella po.!e dar,
porque s ella possue, a verdade, a sabedoria, a
1 z, a felicidade : instrucgo de urna importancia
sensatos I iguoram que a igreja calholica nao bri
Iba pelo ouro, pela praia, pela pumpa deslumbra-
dora das grandezas terrenas, que cunstituem a vi-
da das sociedades humanas, porque toda a sua glo-
ria iiiiuioi lal e celeste : iguoraraque sao as virtu-
des, nao as honras, as bons exemplos, e nao os
bens; as mertilicages, e nao os prazeres, que fa-
zem o orcameulo e o ment da Esposa de Jess
Cbristo: iguoram que ella se gloria de., suas taumi-
sjyrema, era comparaco da qual ludo o mais, que, 'hages, alegrase cora as suas alliccoes, enrique-
ce aprende, e gosa sobre a ierra, de um inters- j Ct"se C01" Uii dons Jo Espirito Sauto : Ignorara,
so secundario, e efemero. einm, que ella nunca to forte, como quando
O orgulho do espirito humano, fechando os olhos ; parece mais fraca ; to triumphante, como quando
cssa luz celesie, que desde a aurora das idades Parece humilhada; tao opulenta, como quando
bnlha com um esplendor divino alravz dos secu-
lus e das gerages, e Ilumina todos os morlaes (1)
procura, mas de balde, explicar o seu ser, tragar
leis a sua intelligencia, normas as suas aeges, e
nao tem de sua parte.'seno a paciencia e a oragao.
Infelizes I nao vem que rebellando-se contra a re-
ligio e contra Deus, raatam-se a si raesmos, ma-
tara aos incautos que os escutara, matan a socie-
conslituir-se o arbitro dor seus destinos: ceg dade, qne os tolera, e nao o catholicisrao, que em
sem guia no deserto perigoso da vida, ignorando sua esencia tao Inaccessivel aos ataques dos lio-
donde veio, a que veio, para onde vai, caminha ao neos, como o o co s revoluges da trra,
acaso; e nao encentra era lomo de si, seno o Christie Ecclesia, diz S. Joo Crhisostomo, ni'/uf
vacuo da duvida, o abysmo do erro, o nada da forlus '. ?" eam impugnare proponit vires al-
ignorancia, porque elle nao pode achar em si a so- teral nesse esl lale emm, velut si coela beltum
lugo dos problemas humanos.
D'ahi esse estado de degradago mural, que se
observa nos pavos amigos e modernos ; e essa lu-
la incessante entre a verdade e a mentira, o ben
c o mal, que coraegou no bergo mesino do genero
humano.
Esla lata de morte, que ha seis mil annos exis-
' nstruir todos os povos : (22) a igreja sempre exer-
cea, e exercer sempre, com urna perseveranga e
zelo infatigavel, por meio dos pastores, e principal-
mente do seu chefe visivel, essa inisso sublime,
lao duravel como o mundo, tao vasta como os li-
mites do globo, e que tem produzido os tresentes
milhSes de catholicos, que existem as quatro par-
tes do mundo.
E' em desempenho dessamisso divina que ove
Implora a clemencia divina sobre o seu povo, (38);
offerecendo-nos aberlos em suas mos affectuosa-
mento estendidas para nos, os dous preciosos the-
souros da sciencia e das grasas espirituaes, que Je-
ss Christo deixou sua igreja, e dos quaes elle
o guaraa e o dispensador.
Iuflnitamente justo, poderoso e bom, to grande
em seus castigos, como em suas recompensasi
Todava o governo de sua magestade, ie accordo
com todas as potencias maritinas da Europa, re-
conheceu como direito de belligerantes o bloqueio
effectuado pelos Estados-Unidos, e admittio o direi-
to de belligerantes em favor daquelles contra quem
o bloqueio se effectura e por isso julgou proce-
der, de accordo com o direito das gentes e cora ama
tradigao que data de muitos seculos.
Por conseguinte nao se podia esperar que o go-
verno de sua magestade recuasse perante as con-
Deus, cuja natureza bondade, cuja vontade po-
nera vel ponliflee, que se assentahoje na cadeira de der e cujas obras sao misericordia, como diz S.
Pedro, que o immortal Pi IX, sempre tao sollicilo Le3o (39) ao mesrao lempo que permitte esses ex-! seqnencia da poltica que seguir,
pelo bera da christandade, desde o comego' de seu cessos e desorden, para excrcer os seus esolhdos, Eis o motivo porque o governo de sua magestade
glorioso p Mitificado, alga de novo sua voz do alto cmpadecendo-se da fragilidade da creatura, e nao considerou, como urna le de honra e de boa f
da cadeira apostlica ; e por rneio dessa luminosa e querendo que o peccador morra, mas que se con-' internacional, conceder o beneficio das v nte e .jua-
admiravel encyclica, t do syllabus, que a acompa-, v-"-1 > viva, (40) charaa-o, excitao, reprehende-o, tro horas a todos os navios de guerra confederados
oha, indica, e fulmina as falsas doulrinas da po- ameaga-o, proraette-lhe, espera-o, (ii) pondo sem-1 que se achassem em portos pertencentes a sua
ca, que offendem os dogmas catholicos, corrorapera pre o remedio ao lado do mal. As suas ameagas
a moral evanglica, poem era duvida a autoiidade sao signaes de sua clemencia, como diz S. Jerony-
da igreja, e minao os fundamentos da sociedade., no ; (4?); e quando faz sentir os effeitos da sua
E' a trombeta do santuario, cojos sons chegam justga, quer, nao s vingar a sua glora, e punir o
magestade; porm fareis observar ao Sr. Seward,
r|he pela ultima vez que este benfico Ihes'
concedido.
Per isso nenhum navio de guerra confederado
todos os ngulos da trra : o guarda fiel, e vigi-' peccado, se nao tambem emendar e aperfeicoar o Poaera prevalecer-se desta regra.
lante, que defende o precioso deposito, que Ihe foi I homem : o castigo se torna correcgo paternal, e! Animado do mesmo espirito, o governo de sua
confiado, contra os assaltos dos inimigos da verda- a Pena vmgadora um remedio saluiar; ir que sob mages'ade permitiio que os navios que se acliem
de : o pai da grande familia, que extremoso cura' o iofluxo da misericordia as penas tem um duplice ancorados nos portos de sua magestade, ou os que
da educago e felicidade de seus filhos, previnin- destino, castigar e curar.
do-os dos perigos. e indicando-lhes o verdadeiro ca- j Assim que, reconhecendo que a saude d'alma,
miaba da rectido : o mestre, o doutor univer- como a do corpo, ainda depois da redempgo,
venhara ancorar nesses portos no praso de un mez,
desarraem e toraem um carcter inteiramenle
pacifico. Por quanto se o governo de sua mages-
sal, que lastrue a todos os fiis, para evitar na fra- sempre debilitada, e chela de enfermidades,
: tade procedesse de outro modo, os navios que
., Hw __ UUJ v,o >,.;,, pa,a c.ui m na- (sempre ueoiiuaaa, e cnea de enfermidades, por -----' ---------- *
se do apostlo que sejara levados em roda de lodo causa do (ornes, ou reato da culpa original que lgnoram que aS host,l,uads ****, arrian o
o vento de doulrina, pela nalgnidade e astucia dos permanece em nos, ainda depois de perdoada esta, insco de 'T' Sem ""5 e Si" V"la!:'encalbar
o
que
adosen no erro : (23) o medico espiritual, 0 divi0 Salvador deixoli.nos raei03 de expiar nos!, colra rochedos visinhos afundando-se depois.
..., .i i .. i,.,i.. .i t.____ rti._> .. ____ i t Saino I na ni a nn.ijnira h iitiiia ti-< mi u. ,. >.n
supremo pastor do rebanho de Jess Chrislo.que, sas a5> e adogaf nossos sofTr"iraento mesmo n"es-1 h Se-nelhanle inhospilalilidade nao podia convir a
fiel ao preceito do senhor que mandou se arrancas- ,a mH honra, boa fe e humanidade que distinguem a
te mundo. nago jng|eza
Reunindo as suas ovelhas em um s Aprisco, o
bom pastor fundn a sua igreja ; e de tal sorte
; unioa com os lagos da caridade, que a saude e a jnc ... m,
aos portos mais afaslados, para que estes officiaes
se pelas boas obras dos seus membros.
( Continuarse ha )
se toda a planta, que ao fosse plantada por seu |
pai celestial, (24) arranca as hervas venenosas, cu
jos fructos do a morte, que tem brotado as pas
tagens, onde devem pascer as ovelhas, e os proprios!"".'"'!,, ,
", e vT vida d este corpo moral se conservasse e fortificas-
pastores ; e em urna palavra, o vigario de Jess
Christo, que se dirige lodos os christos, o chefe
da igreja calholica, que falla a todos os catholicos.
Oulr'ora os padres de Chalcedonia, vista da
carta de S. Leio, conderauaodo os erros de Euty-
ches, exclamaran] Pedro falln pela bocea de
Leao; e nos diremos agora, a'visla das letras en-
cyclicas de Pi IX :Pedro fallou pela bocea de
Pi.
Observareis porm que o governo de sua mages-
tade deu as instruegoes necessarias aos ofliciaes
notifiquen! devidamente os commandantes dos na-
vios de guerra de que nao devem a contar com a
proteoga^ do governo de sua magestade, exceptuan-
do nicamente aquella a que leem direito em tempo
de paz. O beneficio das vinlo e quatro horas nao
L'M P0UCO DE Tl'DO. pode ser aPP|icavel a es'e caso.
No folhetim de Julio Cesar Machado, publicado j O governo dos Estados-Unidos ter pois o direilo
na Revolucao de Setembro de 4 de julho prximo | de sustentar que todos os navios desta natureza
Nao ha, pois, hesitar um s momento, irmos d-
lectissimos : cerrando os ouvidos esses apostlos
da mentira, que se imposerara a triste misso de
perverter, e vilipendiar as crengas,' que fizeram
passar o mundo das irevas da barbaria para a luz
Divina do Evangelho : fugindo desses assassinos
das almas, que s usam dos dons do espirito, para
propagarem doutrinas de norte, devemos receber
sera reserva, e com a docilidade e submisso de fi-
lhos de beogao, as iuslrucges paternaes, a medici-
na salutar, que nos d o nosso pai, o nosso mestre, s7ao> uin dividuo fez parar 0 cambisla em |en.
o nosso medico espiritual e coramura. S a elle
de 4
passado, lemos o seguinte :
Passa urna onda, um rio, un ocano de tafues
domingueiros, de pescogo encarcerado em colleiri-
nhos assassinos, caigas funil, bengala preciosa, mo-
dos conquistadores, insinuantes, irresistiveis, e
olhares que parecem revolvers, impando de per-
suaso de que toda aquella gente vai all para os
ver I
Aqu vai o avo, a av, tres lidias, tres genros,
doze meninos ; urna das ulnas, trigueirinha tenta-
dora, casada com um cambista : de ama occa-
meddilelur inferre---- Qaod si non creis verbo,
rebus ipsis et operibu* cred : quantt tyranni agressi
sunt mpugnare Ecclesiam ci ? quanta tormenta,
qaantas cruces adhibueruut f et nilul agere potue-
runt r) I
O combate, meus charissimos irmos, o estado
normal da igreja militante, porque ninguem ser
i entre o baca e o mal, o verdadeiro c o falso, a corado se nao tier pelejado e dado provas de va-
Virtude e o vicio : que a igreja, fundada por [lor. cono diz o apostlo (1). Sociedade univer
A.melie, que a verdade, o caminho e a vida (2) versal, familia nnumeravel, mi de povos e na-
depositaria de todas as in.trucg5es sagradas, de | 5es>a 'reja coraprehende em seu seio filhos bons
todas as revelages divinas, feitas gradualmente e maos: como urna immensa rede, diz Jess
em diversas pocas ao genero humano, at a plena Christo, langada ao mar, onde entram indistincta-
e inteira maniftstego da verdade por Jess Christo. mente e ficam confundidos al o da da escolha, os
(3) columna e firmamento da verdade, (i) sustenta Peixes bons e mao. 1ue se agitam no mar do mun-
a desanove seculos, e sustentar em quanto durar d0 (*'): e coino campo do pai de familia, onde
a sua carreira miluante sobra a Ierra, tem apre- DroIa J' e cresce com o bom grao at o da da
...ilado nos nossos lempos urna phase nova. se,fa (,) : 4 a sala do banquete, onde o que nao
Nao sao a espada, as fogueiras, as horriveis lor- lem o vestido nupcial pode achar lugar, al o mo-
tura, o cadafalso dos prlmeiros seculos, que po-!meDtoem que orei apparece (13) : e conseguinte-
v.iaram o Co de milhoes de martyres. cujo san- mente essas lucias intestinas, esses vicios, esses
gue, na frase eloquente de Tertuliano, foi a seraen- defeilos, esses abusos, essas desordens, longe de
te fecunda do Chrlstianismo : (5) nao sao os gran- serem synptomas de dissoluco, e de morte, entra-
das seismas, as grandes heresias, os grandes erros rara no P|ano seu aivino fundador: sao o re-
protegidos pelos Cesares, que abalavam a paz do su'tado do antagonismo raais ou menos violento
mundo, e que se dissipavam, logo que se reprodu-1 dos SeUS aous elementos constitutivos o elemento
xiam, deixaudo aps de si, a par de grandes cri- de fraJueza humana de seus membros, e o ele-
mes, que mancharan essas pocas de frenes, o meul dt forca divina do sea chefe : se um produz
exemplo das mais heroicas virtudes, que edifica- DI"0S de perdigao e crines, o oulro produz filhos
rara o mundo.-A luta actual, sendo incruenta e I de eucao, produz sanios e virtudes. E'necessa-
sem agitacSes e abalos, que prrturbera a paz dos rio 1ue naJa WfOS e escndalos, (14) alienta a
povos, toJavia raais mortfera e perniciosa pela "erdade e fraqueza humana ; mas se o homem
genjralidade dos seus ataques e dos seus estragos, i fraco> ^eus forte, omnipotente; e esta igreja,
Nao alguma reforma cerebrina na religio chns- ta, a negagao, ou corrupcao de algura dos seus metteu a sua assisteocia para sempre (16) a quem
dogmas, ou de sus mximas, como praticavam os proraelteu defender contra todo o poder do inferno
antigos sectarios : a negacao do todos os dogmas (17) Elle a defender sempre conlra a perversidade
o complexo de todas as heresias, a revolla quasi de seus filhos.
geral contra toda a religio revelada, a extinego Tenhamos pois f, irmos muito amados ; o ca-
do catolicismo, que inculcara como incompativel tholicismo nao morre, disse-o o Autor da vida e da
devem ser confiscados e entregues aos Eslados-Uoi
dos, quando devidamente reclamados; devendo
porm esta reclamagao ser legalisada perante um
tribunal inglez, Se os navios se acharem em aguas
inglezas.
Se os navios forera capturados no alto mar, qual
quer que seja a sua bandeira, por um navio per-
tencente aos tistados-l'nidos, ento a reclamagao
deve ser feila perante os tribunaes dos Estados
Unidos.
O governo de sua magestade far conhecer me-
Ibor a sua intengo sobre este poni, juntando
documentos diplomticos, a esta nota.
Urna grande parte desies documentos consiste
n'um certo numero de notas trocadas enlre o gabi-
nete de S. James e o das Tuilherias.
O governo de sua magestade nanea poder
admiltir que era presenga de urna grande guerra,
que Interrompeu e destruio un commercio amiga-
vel e til, prolongando-se na distancia de 3:000
milhas da cosa americana, guerra que reduzio
muitas familias manufactureras de ama e oulra
nago a miseria e a pobreza, guerra culos effeitos
Otme os proprios pastores -Pasee oves mas pasee \ Q paij m5 fl|ha> cacoeQU conlos de dole I se ,eem fei.o sentir em todo o continente, os gover
agnos meos :J,28) so ajelie.porque quera o nooave e affl ^ dQMO|os C0D|09 agradaveI. i DOs da Inglaterra e da Franga nao devam proceder,
quera o despresa nao ouve, e despresa ao mesmo | Tem seQS conlraS( bem sej. raasa gente na0casa ; tanto quanto possivel de accordo, nao para nm
Deas (29; so a elle, que e superintendente de lodo com 0 90gro. e flm de (ud de bom eonpronisso fornal, mas para una nutua har-
o universo, a quen Jesas-Chrislo confiou a dispo 0 parecer eriado vao l advinnar que sogro, I aooii.
H0O de todas as cousas como diz S. Atnauasio :! 0 que valja pena era ,irar do dote uma pens|0) Todavia 0 governo de SQa m!lgeslilde fe|icila.9e
(JO) so a elle, que, cjmo diz S. Barnardo,- o !com a C(>ndlcao de ee ir come.h no BrasiL por Ter que os Estados Unidos nao reclamara j
grande sacerdote, o summo pontfice, o principe dos \ Djrem ^ por )a febre nao rapa se n5o as! como be,|jgeran,es 0 diret0 de visita nos navios
devenos ouvir en naterla de dogna, de noral, e
de culto, credo o que elle er, e condennando o
que elle condenna : s a elle, cuja f foi pronet-
lida por Jess Chirsto a iudefeciibilidade Ego ro-
gav prole, ut nondeficiat fidestua : (2o) s a elle
qae receheu a misso de confirmar a todos na f
confirma fruir es tuos :(ib) s.a elle, que foi cons.
liluido pedra fundamental da igreja : (27) s a
elle, quem foi dada a supremaca, e superinten-
dencia sobre lodo o rebaohj de Jess Cnristo, in-
rua do meo do passeio publico, e pergunlou-ihe
com a maior attengo :
O Sr. nao cambista ?
Son, sim, senhor I
Eu desejava trocar...
Uma libra ?
Nao senhor; desejava trocar a minha mulher
pela sua !
Qu ?1 O Sr. om grandissimo atrevido I
E anda Ihe torno alguma sobra, se o exigir !
retorquioo sujeito imperturbavel.
bispos oliereiro dos apostlos, Moyses m autori- [ s inle|ligeDtes podia viver muil0
dude, Pedro no poder, Cristo na unecm : (31) s a Esles conjages grunbem .
elle, emlm, porque sem coraraunho com elle uo
ha salvago (32)
A esposa.Francisquinha, ponhase ahi quieta,
para ouvir o Guilhcrme Tdl do Sr. Arihur Rei-
nbartlt
O marido (soavemente). Querida perola, o Gui-
Inerme Tellde Rossin*. O Sr. Reinhart o direc-
S ha um Deus, uma f, uma veidade, um reba-
nho, um pastor, uma igreja : (33) esta igreja nao
pode existir sjm elle, fra dalla nao ha salvago,
era vida, nao se pode estar dentro d'ella sen ser :tor da banda da arnada.
chrislao, nao se pode ser christo sem ser Citholi-1 A esposa. Porte secca I Olhe que vale bem a
co, nao se pade ser caiholico seno com elle, e [ Pena de me reprehender por isso I Francisquinhoj
como elle. E todo aquelle, aiuda que saja um ouves' E' a Semiramis, esto tocando a Semi-
com o progresso humanitario.
Proclamando a liberdade do pensamenlo, a so-
berana e independencia da razo, os direitos do
livre exame em materia de religio ; e desi'arle
rompendo a relago nessaria, desatando o n sa-
grado, que ala o natural ao sobrenatural, o ter-
restre ao celeste, o humano ao divino, o hornera a
Deus, a creatura ao Creador, a incredulidade mo-
derna procura a verdadeira doulrina, nao no pas-
sado, mas no presente e no futuro : substitue a
palavra divina pela palavra humana, a tradigao
chrita pela filosophia profana; o legislador eterno
pelos sabios do seculo, 9 consequenleraente nao
adraitte, nem quer outra religio, seno a qae dic-
tarem as concepgoes do espirito haraano, nem oa.
morte, e o atiesta a historia : a sua vida lao se-
gura, quanlo certa a morle dos que especulara
cora o seu fim; porque, por um Jdesignio admira-
vel da divina sabedoria, elle enconlra sempre um
augmento de vida no que da morte s institu-
goes humanas : o throno do seu chele tem assisti-
do e assislir ao desmornamelo de lodos os thro-
nos ; a barca de Pedro, que ha 19 seculos navega
atravez de escolhos, e sempre agitada pelos ventos,
nao sossobra no furor das tempestades, para salvar
do diluvio do erro doulrina evanglica, a boa no-
va da salvago, a verdade, a luz, que deve Ilumi-
nar todaas as geragoes al a consannago dos
seculos.
saja
aoje do cu, que nos annunciar una doutnna dif-
fereote da que a igreja professa, e elle ensina, de-
venios cora o apostul > dizer analhema (34).
Nobis vero, diz Tertuliano, ni/i ex arbitrw nos-
tro mducere licet, sed nec elgete quoi altquis de I
arbitrio sito indaxerit. Apostlos Uonuni liabemus \
auctores, qui nec ipsi quidquam ex suo arbitrio,
quod induxerent, elegerunt; sed acceptam a Chris-
to disciplinam fideliler nationibus adgnaverunt.
taque, elianmsi ngelus de calo aliler evangelisa-
re, analhema diceretura nobis. (33).
Mas se esla luta entre a verdade e oerro o bem
e o mal a virtude e o vicio, deve durar ero quanto
existir igreja militante, porque a paz e a felicidade
s existe na igreja triuraphante.que babila araanso
celestial : se estes combates e estas desordens sao
como dissemos.o resultado do antagonisme dos seus
dois elementos constitutivos, o de fraqueza humana
dos seus membros, e o de Torga divinado seu chefe :
seno devemos recelar pela vida da igreja, porque
passaro os cus e a ierra antes do que deixar de
cumprir-se a promessa de Jess Christo (36); nem
porisso.meus muito amados irmos devemos deixar
de implorar o auxilio do pai das luzes, e das mise-
ricordias, para que, prevalecendo sempre o ele-
mento da forga divina, iriumphe,a verdade, o bem.
a virtude para que nos faga, nao s ouvir, seno
tambera praticar a sua palavra e a sua doutrioa :
visto como nao basta a doutnna e a f ; necessa-
no que Ihe ajuntemos as boas obras sem as quaes
a doctrina infructfera, e a f mona (37).
Pela fragilidade de nossa natureza, e corrupcao
Podemos justamente applicar-lhe as seguintes
norll, seaioaque^^ra^oparoseOtiOMIIto Pa,aV"* < P>Phett-Sip expugnaverunt mea
da natureza : isto nao adnitte, nen quer reli- J*"** "" ; *" "ontpo,uermt mihu SuPra \ dos nossos coragSes, temos necessidade, durante a
(fiio, nem moral alguma, porque o hornera nao po- *"*" mwn, Mncaveruntpeccatom ; prolonga- \ nossa peregrnaca0 nes,e mUndo de tetagoes e de
de irauor leis a sua inteligencia, era ren-a. s Ivtrunt *"'* Dominus justus conci-; nSo fi e ios,ra como dfl reconcHia.
dit cervices wccatorum: confundantur et eonver. s n v. \JZZ^_,
gao com Deus; nao s de luz, como de vida, nao;
ramio; I
O marido (con ternura). Enganas-te porabinha,
isto um trecho da Velhice mmorada I
A esposa (irada). Quem Ihd pergunta o que
? Quando acabar esse coslume de me con-
tradizer I Lembras-le, Francisquinha, a Velhice
minorada, que o Paixo canlava em S. Carlos ?
O marido. O' illha, pelo amor do Deus t Era
o Taborda que fazia de Paixo, e cantava no Gyra-
nasio I
A esposa (rompendo era pranlo). Hasta. E' de
maisl Una tyranuia por esie fetio, dianle de
nossa Ulna, diante desta geste, diante de toda Lis-
boa 1 (beijando a lilha e solucando) Francisquinha,
adorada joia, nunca te cases I
Coro de pessoas que presenceiam. Pobre senho-
ra I Infeliz senhora I Desditosa senhora I
As 7 horas o Irombone exala a ultima nota, os
msicos retirara-se, a raullido poe-se en deban-
dada, e vai cada um para a sua casa.
Com quanto isto nao seja fbula, aqu vai todavia
a moralidade.
Ouvi oulro dia um mogo estar dizendo a uma
seuhora:
V. Exc, minha senhora, detesta o passeio; len
borror a msica militar, acha duras as cadeiras, e
os bancos cancam-a por terem as costas recuadas
de mais, e lem razo; queixa se V. Exc. de que o
passeio tica triste por muito empregado publico que
aqui anda, odeia o rumo do (abaco, e todavia vem
c regularnente lodos os domingos ? Seria Indis-
cripgo perguntar-lbe o que a iraz aqu ?
de irapur leis a sua intelligencia, nem regras s
suas aeges; aprendendo sempre, sem nunca che-
gar ao conheciraento da verdade, como diz o apos-
tlo : Semper discentes, et nunquam ad scien-
tiam verilalts pervenientes : (6) era ultimo resul-
tado ella nao reconhece outro Deus que o hornera
e o universo, outro Co, que a ierra ; oulro infer-
no, que a dr ; oulra felicidade, que os prazeres :
o pantheismo, a ultlna fornula do erro, a ulti-
ma expresso da degrago intellectual e noral ?
cervices peccatorum: confundantur et eonver
tantur retror sum omnes, qui odorunt Sion (18/
Nao, responda a senhora corando; e o Sr.
por ventura fantico de pot pourris f
Nen por isso, minha senhora; as de verao
nao ha bailes, esto [echados os theatros, e acho o
passeio un sitio trivial e que nao conpronette,
so de preceitos e exenp os, cono de viriude oara i ,. tt r.
r !KjJ. a n onde tenbo a certeza de encontrar V.Ex...
Constituida por Jess Christo depositarla de lo-! obedecer aquelles, e imitar estes. E por isso o vi-
das as suas instruegoes, de todas as verdades ca-' 8ario de Jess Christo, na sua indefeclivel solicita-
tholicas, como elle mesno o assegurou aos seus de e ternura paternal, ao passo que nos instrue, i
apostlos, afin de que todos ahi achassen o alien-; prevenindo-nos contra os erros d'essa sciencia so-1,
lo de vida (19) deposito, que ella guarda com todo berba, que lem germinado cono cardos e espinhos' e ado^ as mais rebe|des virtudes I
o cuidado e vigilancia intacto, puro, cono o rece no canpo do Senhor, nos chana para a reconci-l
beu dos apostlos, sen nada nudar, nada aceres- liago e sanlificagao : dicta cono Moyses a le, e
Nao ouvi seno isto; as parlilbo plenamente
as opinides desse cavalheiro; tanto mais que a
nusica um elemente poderoso de civilisago, qae
Estes principios subversivos sao reproduzidos centar, nada diminuir (20) e que, com i diz S. In-
sob mil differentes formas em quasi todas as com-
posigdes modernas; ora oom o ton grave e reflec-
tido daconvlcgo : ora con o tom hesitante e do-
eo capesar de dispersa por toda a trra, ella con-
serva com um cuidado e zelo extremo como se ha-
bitasse um s lugar ; com o qual conforma a sua
*doso do sceplicismo, ora cora a licenga e volup-1 Creoga, como se livesse uma s alma, e un s co-
tuosidade do cyaismo, ora con o despreso e o des-
den do indifferentisno e do ridiculo ; porque, as-
tula como a serpete, a incredulidade toma todas
as cores, accommoda-se todas as capacidades, a
todos os gustos, a todas as idades, estados e con-
digoes ; faz se ludo para gaohar a todos; e ha
penetrado de ama a outra exiremidade do mando,
envenenado todas as fontes de instruccao, perver-
tido a educago da moeldade, e feito ama terrivei
revolugo as ideas nos costamos dss povos.
(1) S. Joo, c. 1. v. 9.
(2) S. Joo, c. 14. v. 6.
(3) Epist. aos Hebr.,c. 1. v. 1-2. Maltifariam,
nultisqae modis olim Deas loqueos palribas ia
Prophetis : novissine diebus istis locutus est nobis
ia Filio, quen constitu! hcereden aoiversoran.
(4) 1.' a Tmoih., c. 3. v. 18.
(3) Tertuliano.
(6) 1.' a Timoto. c. 3. v. 7.
ragao ; e qae prega, ensina, e transmute, com um
accordo admira vel, como se tivesse uma s boca :
(21) incumbida de annuncia-las toda a creatura,
(7) Thren c. 1. v. 24.
(8) Ia Epist. a Timoth c. 4, v. 3.
(9) Na orago, que fez antes de parlir para o
desierro.
10) 2." a Timoth. c. 2., v. S.
11) S. Math. c. 13. v. 4748.
12) S. Malb. c. 13. v. 24 e seguales.
13) S. Math. c. 32. v. 2 e seguintes.
14) S. Math. c. 18. v. 7.
15) S. Math. c. 16. v. 18.
16) S. Matb. c. 28. v. 20.
17) S. Matb. c. 16. v. 18.
18) Salm. 128, v. 25.
19) 1.' Epist. a Timoth. c. 6. v. 20; 2.' Epist. c.
1. y. 4 ; S. Joao, c. 14, y. 16-17 ; c. 15. v. 15 : c.
16 t. 13.
(20) Vicente de Lerins, Commonit., c. 23.
(21) Adversos hoereses, L. 3. c. 3 e 4.
(22) S. Marc. c. 16. ?. 15 ; S. Math. c. 24 v. 14:
c. 28, v. 19.
(23) Aos Ephes. c. 4. v. 14.
(24) S. Malh. c. 15, v. 13.
f2o) S. Luc. c. 22 v. 31-31
(6) S. Luc. c. 22. v. 32.
27) S. Math. c. 16. v. 18.
28; S. Joao, c. 21. v. 15-17.
29) s. Lucas c. 10, v. 16.
30) Episl. ao papa Flix.
31) Lib. 2. de Considera!, ad Eagenium.
32) Nullum pnmnm. iis s. Jeronymo ao papa
S. Dmaso, nisi Chrisian sequens Cathedrn Petri
consocior : super illara Pelram adilicaiara Eccle-
Esta nota foi dirigida do gabinete inglez ao seu
representante en Washington, con as reclaraagoes
do governo dos Estados-Unidos :
Senhor.Recebi e entreguei a rainha a vossa
nota de 19 de junho, bem como a copia de uma
uota do Sr. Seward, acerca da cessacao dos direitos
belligerantes. O governo de sua magestade lamen
ta que as explicares e reservas que acompanha-
vam as ordens de 2 de junho parecessem inaceita-
veis ao governo dos Estados-Unidos. O governo
de sua jmageslade nao esperava realmente que os
siam scio.Quicum qne extra hanc domum agnum Estados-Unidos, depois da linha de conduela que
britannicos, e que asrelagoes normaes das duas
nages voltaram de facto a condieo em que se
achavam antes da gnerra civil.
O governo de sua magestade er com inteira
confianga que as explicagoes que resullam de coo-
sideragoes estrictamente fundadas na observancia
de uma justa neutralidade, nao poderlo seno fa-
vorecer o eslabelecroeoto de urna amisade duravel
e intima entre as duas nagoes.Russell.
t i IB I i
E' do Sr. Firmino Candido de Figueiredo esta
poesa:
FUMMOS.
Faz medo o enredo, que se tece e cresce
Na valsa falsa que se agila ento ;
Volleia alheia. Innocente e rente
Donzella bella, n'um gentil salo.
A dansa cansa, e na verligem a virgem
AlTlicia hesita proseguir assim ;
Revoltos, soltos, seus cabellos bellos
Undulara, pulam no rodar sen Um.
Fujamos, vamos na floresta a' sesta
Da vida a lida transformar em paz;
Da verde rede no balango manso,
Qual monge longe d'um festira fallaz.
No prado ornado de mimosas rosas,
Ha lano encanto, no viver de amor;
Ha vida qu'rida, qual risonho sonbo,
Que prende e rende ao gentil pastor.
Preciso un riso que me alent a mente,
Desojo um beljo que me acalme a dor :
Comligo eu sigo, navegante errante,
Que a onda sonda sem tremer de horror.
A esp'raoga alcanga do futuro escuro
A palma d'alma que o soffrer seccou ;
E o poeta athleta das immensas crengas
Remedio ao tedio bem depressa achou.
Aza de candida garga le impellio al ajos.
Chegaste.
Vieram e ehegaram para rain loafcoi 4e m
e carinos de phantasia.
Ulhasle.
Illuniooo-se miaba alma.
Sorrisie.
Meu corago florejou e viven de seasagdes,
dormiara cerradas na eaixa alian V>
e que nao accordariam nunca seaao itcjhi
Essas seosagoes linham perfumes.
Encheu-se-me o peilo de una iniilliai
opima de gosos. Foi a loa imagen.
Doeu-me nos olhos a iosoot&ia e iuniibi_
que araava, porque nao dorma:
sempre.
Bat palmas, surriodo-me de jaMo,a'
de todos os iiiuiiientus.
Escrevi no meu lbum :
Por loda a parle loa sombra bnlha
Como vi.-o celeste, a meo olbar;
Oh t eu quero, eu bendigo esta vigilia
Que sempre junto a mira te faz estar.
II
Enlrei no meo quarto.
Era um mando aovo.
Ahi em tudo eras t, porque leste ento pinai
le a ser tudo em meus olbos.
Escrevi aioda :
Abro o meu quarto. O pranawio a la
No delirio da losumoia devaneia ;
O lelto, os livros, a nodex pova
Do tea perfil a eariobosa idea.
O corago mesedilatara.
Nao h.
Nao escrevi mais.
Ha va s uma forga, nm dever, ama BecesesMM
a gritar em mira mesmo era estar jaafe fie i.
era fallar-te, ouvir-le, ver-te.
Depois-----era mais.
Era pegar-te das mos, oseata-ta, ai rota-te,
chega las ao meo seio, eoochegar-tM aoa teas
seios.
Pensei :
Nao ha, nao pode harer maior ventora I
Frouxos aromas no oflegaote seio
Esse doce abandono da ternura.
Vago, esquecido, somnoieoto eaMo I
Eslava fra de miro.
ni
A mulher que despena om corago fie riMe e
res aooos, se nao deve despena-lo, anta o
Matasle-me Alcamii I
Tu oo podas anar-ne.
Eu oo devia anar-te.
Amamo-oos, porm.
E seremos um do oulro e para seaapr t
O muado oos chamar, taivez, precitos.
Mas os o que somos ?
Duas ametades de um s lodo, que se
para forma-lo.
Eu serei a alma d'esse individuo.
E l?
T.....
Seras o corago.
A que hora parte o comboo fias seta hora* e
quarenta e cinco minuto* ?
Esta pergnnla era feita por nasa rlrgrn
na ultima moda a om emprefado de cena
de caminho de ferro.
O trem das seta oras e ejearaata c
nulos ?
Sim, seohor.
Parte as oilo meaos ato quarto, omi
ohora.
Oh, meu Deas cianea a
aodare n'esie caminho. E" boje a
se pode aturar I Nunca parte o
marcada oos aonuocios t
Melleu-se oa cabeca de algoets
sieoses que eram capaias fie i
doro, da Abyssioia, que ha
prender e depois expoisoa fio aaiz a
cez.
Sao rapazes a ariosos de aventaras, m m i
raeiter em uma cujas difliculdades ao av
I rao cora elles alguos antigos inldiw
Os postus ja esli deslnbaidos.
O uniforme consiste em uma loaira ve
ao joclho, com ama grande cruz branca a* oaan
bolas grandes, um chapeo fie leluo, e as rame. *
Isto coudo por orna eorrespootteacta Va-
ris.
Se verdade, lamben verdade qat efles aa
tem o sentimento real dos obslacaha
rao de lutar continuarnenie.
O rapazio tomou as eleiges a' sua conta.
Privado de experimentar as eraogoes de ama
lucia eleitoral, quer ao menos divertir-se paro-
diando a.
No domingo alguns rapazes do Bomfim improvi
saram una eleigo, simulando compra de votos,
empenhos aos eleitores, e quantas sceoas borles
cas Ihes passaram pela cabega.
Proclamado o candidato que este povo miudo
fuera sahir vencedor de dentro de um sima-
lacro de urna, alvorogaram-se os ares com o
alarido do rapazio e toda a turba parti d'ali
a percorrer diversas ras, langando foguetes e
traduziodo era ruidosos vivas os regosijos da saa
victoria.
Posto que nesla brincadeira de rapaies nada
baja, que possa fazer tremer pela prosper idade do
paz nem pela sua autonoma, sempre seria para
desejar que a autoridade empregasse os meios de
por cobro a estas scenas ridiculas, que poden fa-
zer suppor que aos gaialos permitida a liberda-
de de fazerem quaolo quizeren, sen que oioguen
Ihes va' a' nao.
Una folha de Varsovia publica aaaaal aaagaa-
tes da miseria dos religiosos e relicto*** ca- o go-
verno do czar expoisoa dos coavesaos a
Desde o 1* de mam essa pobre geate ao
cebido as pensoes determinadas por lei.
As religiosas sao as que asis sofiYem, p
os religiosos podem ao meaos graacear
meios de subsistencia exercenJo nargai
dolaes.
Todas as reclaraagoes feitas ao
resultado, e nem se qor se eoao
para fra do reino aos perseguido*.
Os ecclesiasticos qne esto dentro fia W
nao aicaocam ao menos licenga
das barreiras.
comederil, profanus est. Siquis io Arca No non
fuerit, peribit regoante diluvio.
(33) Epist aos Ephes. c. 4, v. 5-6. S. Joo, c
10 v. 16.Deas unus est, diz S. Cypriaoo, et Chns-
tus unus, et una Ecclesia ejus, et lides ona... haoc
noilatem qui non lenet, Del legem oon ten t, non
tenet Patris et Filii tldem, vitan non tenet et sa-
laten. Lib. de uoilat. Eccles.
(34) Episl. aos Galat. c. 1. v. 8.
(35) DePnscript.
(36) S. Marc. c. 13, v. 31.
(37) Epist. Cathol. de S. Thiago, c. 2., v. 14, e
seguintes.
seguirn at hoje, reconhecessen agora que acn-
cessao dos direitos de belligerantes foi ou injusta
ou necessaria, ou sanecionada pelo direito das
gentes.
38) Exod., c. 32, v. 10 e seguales.
3) Serm. 2. de Nalivitat. Cbristi, c. 4.
40) Ezequiel, c. 33, v. 11, S. Pedro, 2.* Epist.,
c. 3, v. 9.
(41) S. Luc, c. 5., v. 32. S. Pedro, Epist., c
3 v 9
'(42) Dialog., 1.* contra Pelagian., c. 9.
E' do Sr. Dr. Fabio Tito este escripto.
I
ALCAMIL.
Coodennen-ne enbora, eu te amarei na arden-
te espansao dos vinte e Ires aooos.
Na esphera d'esta sociedade mi, surgiste-me,
anjo do bem, com os teas vestidos arrendados,
com os teos soutembarques de setim e sa as bran-
cas, a derramarem ambientes suavsimos.
Conforme om documento oAeial, o
peridicos que se publieavam m
de 1864, era de 345 ; a saber : 185
sceoliOcos e Iliterarios ; 20 religioso ( 15
untes e 5 catholicos ): I racionalista, 10 fio
cultura, apicultura, slyvicultnra, de
D'estes eram impressos em in"seis 231, aaa
cez 103, em iuliano 8, e en nroiaaial X
As experiencias coa a reir da Caiaa, esta sata-
titulo do algodo, coiiouam a*
Roen
Tem-se reconhecido qae a relva
veitavel sendo misturada com o
iguaes.
O tecido de algodo paro eaatn C
cntimos por kilogramo ; e am ladeo
50 por cenio de relva a Caiaa e 50 por
algodo, costa s 4 francos 72 retiaw*.
Se fr empregada nnieaaaeaw a relva
tecido nao costara mais fia 3 fraseas 1
por kilograrama.
Nao se perde quasi nada ao fabrica mm a
da China, em quanto qaa coas a alcjafiia fes s
de 10 por ceolo, enpregaafiu s* a
por cento quando se empregac* certas
ordinarias, taes como na fin I
Espera-te qne esto* ba
agricultores fie Franca e ca Argelia a
grande escala a relva fia Chica.
7
PERNAMBUC.- TVP. 61 M. i. M V.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E211CUIR6_QFZZ0Q INGEST_TIME 2013-08-27T22:11:06Z PACKAGE AA00011611_10752
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES