Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10750


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-'"

AMO Uj JfPJffERO m.
Por qnartel pago dentro de 10 das do 1. mez : i
dem depois dos l. 10 das do comecoe dentro do qnartel.
Porte ao cerreio por tres mezes ,.........
5J000
6|000
750
QUINTA FEIRA 24 DE AGOSTO DE 1X65.
191001
SIMA
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o ?r. Anlonio A>ex>ndrno de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ; Araeaiy, o
Sr. A. de Lemos Draga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maanan, o Sr. Joaquim Marques Ro
driues; Rara, os Srs. Heraldo Antonio Alves &
filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
EXCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SOL
Alagoas, o Sr. Claodino Falciio Das; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio do Janeiro, e Sr. Jos
flibeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antan, Grvala. Bezsrros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhnns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pd'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, .Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agna Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio : segundas e quintas.
Belago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo docommercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira
dia.
Segunda Tara do civel
hora da tarde.
quartas e sabl.adss
EPHEMBRIES DO MEZ DE AGOSTO.
7 La rlieia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m.
13 Qnarto ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nota as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
PARTE 9FFICIAL
21. Sepnnda. S. Joanna Francisca Romana v
22. lerea. S.Fabriefaoo m. S Amhuza m.'
|3. Quarta. S Ilijjpe Benlcio; S. )av"oa."
2. Quinta. S. Bartholomeo ap.; S urea v m
'' o Ji'"..8" !'U? rei ''e ^anca; S. Patricia v.'
26. Sabbado. S. Zeferino m.; S. Adriana m.
27. Domingo. S. Jo> de Calazans fundador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manha.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Abr lata a Cranja a 7 e 22 de rada mez; par F-r>3-
Ido nos dias 11 dos mezes de Janeiro, margo, aaio,
|julho, setembro e unvemi.ro.
ASSIGNA-SE
InoRecife, nalivraria da praca *- -*-f tmili
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manuel F:gaeir >a .
iFaria & Filho. **
GOYBRNO Di PIOfMSU.
ha que de-j Fico se ente no mals
- que me relata no seu olR-1 sia que se acha nos banhna
1 do corrente que rica assirf respon- fcrreno austraco.
Expediente do dia 21 de agosto de 1S65.
OITlciu ao Exm. presidente da provincia do Ma-
ranho.Communico a V. Exc, que segundo par-
ticipou-me o commandante das armas em offlcio
de 19 do crreme, falleceu na enfermara militar
no dia 18 deste mez, o soldado do 1 batalhao da
brigada da guarda nacional dessa provincia Amo-
nio Candido Pimenta, que desembarcou nesla pro-
vincia por doente.
Dito ao marechal de campo commandante das
armas.Mande V. Exc. alistar na companhia de
zuavos o paisano Umbelino Pedro Alexandrno,
que se olereceu para servir na luta contra a re-
publica do Paraguay.
Dito ao mesmo.Baja V. S. de mandar alistar
ao corpo de voluntarios da patria, os paisanos Jos
Leovigildo dos Santos, Barlholomeu Tavares de
r Souza, Manoel Isidro Barbosa, Cosme Quirino da
Silva e Vicente Victorino Francisco, que se offere-
ceram para servir no mesmo corpo.
Dito ao mesmo Faga V. Exc. alistar no corpo
de voluntarios (Ja patria a Jos da Silva Guimaraes 0njc
Sobrinho, que se offereceu para servir em dito
corpo.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no con-
tingente da guarda nacional destacada os cabos de
esquadra Joo /icarias dos Santos, Jovito Jos da
Silva e o gnarda Olympio Ferrcira Magalhaes, to-
dos do 3 batalhao de infamarla deste municipio,
que se offereceram para servir na guerra contra a
repblica do Paraguay.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no cor-
po de voluntarios da patria o bacharel Joo Fer-
nandes Chaves Jnior, Antonio Peregrino de Ka-
ria e Francisco Alonso de Versoza que se offerece-
ram para servir no referido corpo, podendo V.
Exc. perrottir ao 2o e 3o dos nomeados bem como
ao acadmico do 2 anno Joo Baplista de Freitas,
que j tem praca, o uso das insignias de cadete
at que justifiquen! o sen direito.
Dito ao mesmo.Faca V. Exc. alistar na compa
ao preso Joaquim Jos dos Santo*, que nao velo I Emilia Cassia de Souza Lima.-.Nao
contemplado na relacio dos presos recolhidos I ferir.
predita cadea nana .lie mez, o mais 600 rs. ao de I Francisca d^Paula Martins.-tnforme o Sr. com- dido.
uL i Sn", *TZ.tt"' a qamJ dem, raan^'"e suPer'or da guarda nacional do munlci-1 Dito ao vigario de S. Jo, do Carirv -Autoriso a
lerpag) somente 22 das de dianas, por haver se- po do Recife. I V. Rvm oara or ii 7^ 2227
gu.do para Tacarat em 22 do mmo mu. i Francisco Antonio Correa Cardoso.-Informe o ',Yl "* W nUmmr e rubr,car
urcmar a tooo< os command mtas superiores da' Sr. inspector do arsenal de marinha.
giiarda nacionil Rimuta V. S. com urgencia. Francisco do Reg Barros Jnior.Iodeferdo.
como ja me foi determinado, urna relacao nominal Glicerio Flix da Paixo. Soja posto em liber-
ae io'io> o? g.nrdas nacionaes desse municipio, dade, por ser lilho uoico de viuva a quem sus-
que roram desgnalos pira o servgo da guerra. lenta.
Dita aos mesmo*. ExiginJo as conveniencias! Alferes Jovino Faustino Cavalcanii de Albu-
ao servico que os eoef-a e miis ofBciaes da guar-1 querqoe.Informe o Sr. commandante superior da i de Panellas.
no exercicio do? respectivo? guarda nacional do municipio de Nazareth.
livrcj que Ihe or apreseolato pel Rvm. vicario
de Ubaceiras para uso de lancamenOs de ass'entos
de casamentos daquella matriz.
14
OHcio ao gario da Boa Vista.Tenho presente
o raappa dessa freguezia, com que V. Rvm. res-
pondeu a circular de 22 de abril.Igual ao vigario
de Carlsbad sobre : horas do dia, na matriz da Boa Via urna m,a
C'Sjl,,m07enCOnaVa partir nY'sle diasdeiEa^ascTnX'0^'*0 J" Fra>^
ana, que ao menos em Salzburgo ou Gastein le-
ra lugar a visita do imperador, bem que somente
tomo simples visita de civilidade. De Vienna Do-
ren nada se falla de urna semelhante excurso'.
A
desse militar q
no posto de cadrle, a ella pre-tou boas
^rabatendo pela defeza da ordea e se
d ^'"guindo em diversas commi>seS qne .M fo-
ram confiadas, e certamente digna da3
ees e de nossa gratido.
Commnnicam-nos os segnintes
- Uiz-se qne pessoas do Brejo emp
as n-iisas pre-
5Si am de5de ,a caad^ t,da5 as l,cea5a< i CaPilai) Js Fano Gavalcanti de Albuquer- recebida a estatifica dessa lmS
ca!e.J.ld,a.l(lu,e[.P.T esla Pro*ldeocia, quer por V. | queInforme o Sr. commandante superior da che o fitn par, que sollicUe. -IguaT'aos
- ------,-,_. rv. "------- -------- w ** -1 wiiiuii.u.iiiin / ii j >' i
queaevera oeste sentido expedir as convenien- guarda nacional do municipio de Nazareth.
Alferes Jos Gomes Cavalcanti. Informe o Sr.,
commandante superior do Reife. commanlantc superior da guarda nacional do mu-1
commandante superior da guarda nacional do mu-
nicipio de Nazareth.
Jos Cariaco Veneno. Entregue se mediante
recibo.
Joo Francisco das Chagas e Silva. Requeira
por intermedi i do seu commandante.
Joaquim Manoel dos Anjos. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
uhia de zuavos os paisanos Joaquim Jos de Sanl'-
Anna e Joaquim de Sant'Anna Mello, que se offe-
receram para servir na guerra.
Dito ao mesmo.Nos termos do aviso da repar-
tico da guerra de 26 de junho prximo lindo, e
3,403, de II de fevereiro deste anno, nomeio pro-
essor de primeiras letras do presidio de Fernando,
ao capellao do mesmo presidio padre Manoel da
Vera Cruz.
Uito ao Dr. chefe de polica. Declaro a V. S.
para seu conhecimeoto e fim conveniente, que da
conta, que na importancia de 1215800 veio anne-
xa ao offlcio dessa repartico de 25 de julho ulti
mo n. 1,03.", mandei pagar a Joaquim Carneiro de
Aodrade, ou ao seu procurador Luiz de Franca de
Oliveira Lima, smente a quantia de 113,5000 por
ter de dedusir-se da mencionada conta a de 8^800,
como se v do parecer junto por copia, da conta-
dora da thesonraria provincial, ao qual se refere o
offlcio do respectivo inspector datado de 18 do
crreme sob n. 318.
Dito ao inspector da thesonraria de fazenda.
Recommendo a V. S., que em vista do pret jnnto
em duplcala, e nao havendo inconveniente, man-
de pagar ao negociante Manoel Jos Moreira, con-
forme solicitou o chefe de polica em offlcio de 17
do crreme sob n. 1,181, a quantia de 115400,
proveniente dos veocmenlos abonados pelo delega-
do do Benito aos recruta. vinrtos d'aquelle termo,
Manoel Pereira de Oliveira. Jos Fructuoso dos
Santos, Marcelino Jos de Oliveira, Joo Ferreira
Lima. Jos Monleiro, Amonio Pedro Pedro Anto-
nio, Roque Nogueira de Souza e Justino Pereira,
bem como ao desertor Antonio Gomes Cerqueira,
dos quaes os dous primeiros foram postes em liber-
dade por terem sido julgados incapazes do servico
em inspecjo de sa Je, e todos os outros remeltl-
dos ao commandante das armas, segundo consta
do citado offlcio.Communicou se ao Dr. chefe de
polica.
Dito ao mesmo.Devolvo a V. S. os prets que
em duplcala vieram annexos a sua informacao de
19 do corrente sob n. 605, e relativos aos venci-
mentos da guarda nacional destacada na villa do
Ojricury, a coniar de 20 de marco at o nllimo
de junho deste anno, afim de qua mande pagar a
sua importancia ao alferes commandante d'aquelle
destacamento, Thomaz Pedro de Aquino, ou ao
procurador deste, nao obstante a falta que nelles
se nota da asslgnalura do commandante do corpo a
que pertencem as referidas praxis, visto ser lon-
ginqua a comarca da Boa-Vista, e estarem os prets
rubricados pelo respectivo commandante superior.
Ao concluir este julgo conveniente recommendar
a V. S., que na occasiao de effectuar-se esse paga-
mento, mande descontar a quantia de 4005080,
que para occorrer a taes vencimentos recebeu o
mencionado alferes do juiz de direito da comarca,
como se v dos pareceres da contadura dessa the-
souraria a que se refere a sua predita informago.
Communicon-se ao commandante superior da
guarda nacional da Boa-Vista.
_ Dito ao mesmo.Mande V. S. entregar ao capi-
tao-tenente, commandante da companhia de apren-
dices artfices, afim de ser restituida a Andr Ave-
Uno de Mello Galvo que teve praca na referida
companhia, a quantia de 134*108 do peculio per-
tencente a este individuo. Communicou se ao ins-
pector do arsenal de marinha.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S., que
mande pagar ao juiz municipal do termo de Olin-
da, bacharel Eduardo Augusto Pinto de Oliveira,
os seos vencimentos relativos aos mezes de abril a
junho deste anno, nao obstante a falla da exhib-
gao da respectiva carta que teveo-cumpra-seda
presidencia no 1* de julho ultimo.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. para sea
coahecimento e direceo copia do aviso circular
expelido pelo ministerio da guerra em 4 de julho
ultimo, additando o do 1" de junho anterior, rela-
tivamente aos vencimentos dos ofBciaes do corpo
de engenheiros empregados pelo ministerio da
agricultura, commercio e obras publicas.
Dito ao mesmo. Remeti a V. S. para os conve-
nientes exames as comas correles do conseibo ad-
ministrativo do presidio de Fernando, acompaoha-
das dos documentos de receita e despeza, das eco-
nomas licitas e da enfermara militar do mesmo
presidio, relativas aa trimestre decorrido de abril
a junho do anno corrente.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens
para que a recebedoria de rendas arrecade com
urgencia a importancia dos direito- e emolumentos
correspondentes a um mez de licenca que o go-
verno imperial conceden ao capito-tenente da ar-
mada Safustiano Caetano dos Santos, segundo
cooston de communicaco da reparligo da mari
nba de 5 de julho ultimo, o qual tem de seguir j
boje para a corle.
S.
tes ordens.
Offlcio ao
Mande V. S. dispensar do servfco, como soictou o
inspector da alfandega em offlcio desla data, os
guardas do i hatalhao di artilharia deste munici-
pio Americo Vespucio de Hollanda Chacn e Flix
Benvmdo de Oliveira, emquanlo e?tiverera servn-
do na companhia de guardas da alfandega.
Dito ao ommandante superior da guarda nacio-
nal da Olinda e Iguarass. Restituo V. S. os
dous prets em duplcala que vieram annexos ao seu
o de 28 de julho ultim, lirand vencimentos
a contar de 16 de junho al 15 de julho deste an-
no, para os 3 euirdas nacionaes do municipio de
Olinda, destioados ao trrico da guerra, alim de
que laes prets reformados conforme indica o final
do parecer, jumo por copia, ministrada pela conta-
dona da thesonraria de fazenda, a que se refere a
informago do respectivo inspector n. 606 de 19 do
corrente.
Dito ao commandante do corpo de polica.Vis-
to que segundo o seu offlcio n. 748 desta data, fo-
ram consider?doi apto? em inspecgo da saude
para servirem no corpo sob seu commaodo os pai-1 do tem de ser regida por um dos capelles do
sanos Antonio Hranciseo dos Santos e Alexandre I mesmo presidio.
Pedro de Macedonia, autoriso V. S. a mandar abrir- \ Leonardo Antonio Alves da Silva.Requeira a >
Ibes assentamento de praca. Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Uito ao mesm >. Mande V. S. alistar no corpa! Lino Gomes de Aodrade. Informe o Sr. com-
sob seu commaodo o paisano Luiz Eduardo dos mandante superior da guarda nacional dj munici-
bantos, que foi julgadoapto para isso em inspecgo po do Recife.
747
cnse ministerial em V.enna nao teve ainda o ahinco para anV TI T em*nh*-*
cidado honesto,
acnou e la sua concluso. Entretanto assevera-se BeriMoer EST JT
desde aljruns d as mnl iviiim~u. ..------- ,....?. ''e:,ar de Andrade.
de Serra Negra, Alaga Nova e Tacarat
Offlcio ao 2 capellao do presidio de Fernando. Jicara
que preen- uesue alguns dias mal positivamente que o novo am7inT l, ,rtnara*% dadao bonesi
s viganos gabinete ja se ahormado complteme, ape5 K Sm 4 coduS'8; r0m *' ,an
i de que te conserva o maior segredo acerca^ dos c a. dlroim, P" Cum "Te,U*
^_ =sdomtSra)- CertoqueocondeMonsdcrff ? PES^......_________
circun icipio de .toreen. !o.* ii ZZZTEZrZZlXZZZZr. i =S?._'??.'I '' nw
seus trabalhos, e os ministros actuaes fleam diri-
a rr-rta gnte
continuo rebo-
de sade, segundo V. S. declarou em offlcio n.
desta data.
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande
V. S. concertar com brevidade o relogio do quar-
tel general do commaodo das armas.
Luiz de Franca Nery. Requeira por intermedio
de seu commandante.
Landelino de Luna Freir. A escola de ins-
trneco primaria para o sexo masculino no presi-
dio de Fernando, tem de ser regida por um dos ca-
uito ao mesmo.borneca V. S. ao almoxarfado pellae3 do mesmo presidio, nos termos do art. 1.
do presidio de Fernando, como requisitou o res- do regulamento n. 3403 de 11 de fevereiro deste
pectivo director em offlcio n. 2i8 de 13 de julho anno, pelo que nao tem lugar o que requer o sup-
ultimo, os objectos mencionados no incluso pe- piteante,
dido.
mina o citado artigo.
O capellao desse presidio est reestido de auto-
ridade parochial, exerce ahi as funccSes paro-
cniacs e como tal pode dar lceocas para baptisa-
dos. casamentos, etc., nao procedendo a respeito
.,. r- n r delle a regra de que um delegado nao pode delegar
Julio Cesar de Carvalho Araujo. Requeira por como julga V. Rvm
JbS&fi C0?Bman,dnte <" armas E' corto que por provisao de 14 de novembro
Jesuino Sidronio de Souza Narciz). Dse. I do anno prximo passado, foi V. Rvm. autorisado
i>apitaoJos Antonio de Albtiquerque.-Informe para administrar os sacramentos nesse presidio;
SbiSfi ins'rQC?ao Publica. j porem essa autorisago cessou, logo que se apre-
<.... rl,PamP|lllino1 gavalcanti. Nao tem lugar o sentn outro sacerdote cora igual autorisago, o
Sl?'!ffi yf,\qa% pel- "i-V 1ual Pr'o novo regularaento deste presidio tem de
do regulamento n. 3403 de 11 de fevereiro deste ser o 1 capellao.
anno, a escola de meninos do presidio de Fernn- 17 _
Offlcio ao Exm. presidente desta provincia.
leuho a honra de aecusar recebidos os exeraplares
dos tres relatnos, com o que o Exm. Sr. Dr. Do-
mingos de Souza Leao passou a administragao des-
ta provincia ao Exm. Sr. desembargador Anselmo
Francisco Peretti, este ao Exm. Sr. Dr. Antonio
Borges Leal Castello Braoco, e o ultimo abri a
sesso ordinaria da assembla legislativa no cor-
rente anno, os quaes V. Exc. st dignou enviar-me
com o offlcio de 16 do corrente.
Expediente do secretario
gindo os negocios at esse tempo. O Reichsrath
acba-se agora porm a porta.
A cmara alta tambem j concluio
nd5?' VAqne ? M0 eon,l
moderagao e brandura nao agrada
que desejava ver o termo em
ligo.
-,!.&***> P's. Qi o Exm. presHeole da pro-
vincia e o digno chefe de polica, e-t-j-ro de >obre-
avi,o acerca de tal prelengo, por 5 asentar e
motivos justos e razoaveis ; sao veleidad^ me ..
merecem atteogo. ^
* Admira que o sobredito teneole-rorDel leal*
?. e"d0.ao P'*;.da liga tenha rontrahido a oe
do orgameuto, e eoSTi A^/dlTS? Z^SS^TS^i^^^
s.?5es mudadas do Imperador o minstro da gte ra almejavam i s declarou de accordo com resolugSes da cmara todas as rts de desatinos. ^ <<'
dos deputados relativamente ao orgameoto da m.v Ue Garanhu
nnba e do exercito. a ram* 9n-> n5,% hocm ,\* ^______ '""
aerir 1 f^T' a can?i,r* "!* Dao hesiw-u de do cTente o seguTnte"
cotSo'ccordTntre" 'S5 re'Da W -"" An,"0 Jo?!
tropelas e cooiiaetter
esahnos.
s escrevein nos eiodaUaM
io Jos da Silva Jnior, por ant.no
acerca do antigo ponto SSVJUgT lXSJSZS S tSZ *"***
Somente em alguns pontos secundarios aareso- vido pessoa ^ ter ,e0'ad redoar "*""
lugoes do orgamento das d Seguindo o processo seus toroos, tere de se,
a pronuncia, por estar plenamente pro-
enme.
pessoa livre.
aluda, e a di'scusso acerca disso er "logar n'ests sustentada
aias- vado o
segundo outras noticias porm, parece qne o Dias dei.nk moih.-i. .&~
convenio do orgamento poder encontrar anda J2JF&SS*** reo qne cootava
dilliculdade?, em partido nao peijueno na cmara
dos deputados tendo resolvido de recusar todo o
or.-ariiento na actual
-i---------- -- -vjv m* .-i i it a.------1 uiui iic \j kj< \./iii_
uito ao inspector do arsenal de marinha.Fago mandaBte superior da guarda nacional do Recife.
apreseniar a \ S. para ser alistad na companhii Malinas de Albuqaerque Mello Jnior.Informe
de aprendizes mannheiros, se estivernas condigSes o Sr. juiz municipal do termo da Escada.
do respectivo regulamento, o manor Jos Alves da Manoel Ferreira da Silva. Junle certidao do
bilva, vtndo do termo do Limoeiro. seu casamento no prazo de oito dias.
Dito ao director geralinsterino da instrucgaopu-! Mamilla Francisca de Albuquerque.-Tendo de
nuca.Hespondendo ao offlcio dessa directora de ir a concurso a cadeirade que trata a supplicanle,
19 de julho ultimo, sob n. 214, tenho a dizer que pode se quizer, comparecer no referido concurso,
em vista do disposto no art. 4 da lei n. 511, da 18 Commendador Manoel Cimillo Pires Falcao.
de junho de 1831, nao pado ser feito pelos cofres Informe o Sr. desembargador provedor da Santa
provinciaes o fornecimento dos objectos pedidos Casa da Misericordia.
pelo regedor do Gymoasio Pemmbucaao para a Paula Maria da Conceicao. Informe o Sr. Dr
aula de desenho. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Tendo sido creado pelo regula- Thereza Maria de Jess.Tendo sidj o filho da
ment n. 3,403, de 11 de fevereiro deste anno, urna supplicante julgado apto para o servico em ins-
cadeira de instruegao primara para o sexo femini- pecgo de saude, nada ha que deferir.
de liispado do dia 14 de
agesto de 1865,
Offlcio ao padre Jos Antonio dos Santos Lessa.
Em resposla ao sea offlcio de 12 do corrente, te-
nho a dizer-lhe qua esto dadas as providencias
Marcelino Jos da Si I veira.Informe o Sr. com- aUra de 9ae ,ivro das sas comas como adminis-
trador das obras de S. Jos esleja em casa do Sr.
Jos Antonio Gomes Jnior, onde V. Rvm. pode di-
rigirse no dia 16 do corrente das tres s seis ho-
ras da tarde, conforme me assegurou o mesmo Sr.
Gomes Jnior qne o esperara.
Devolvo-lhe o documento que acompanhou o seu
offlcio.
a proteegao de algumas pessoas, e iocnlrava-tt
como victima de opinides polticas, apreseaton se
-ido o novo mimSr ~ ~ FjBl^Z^ f *S*
do sfs^^s^r n5se duvida a SES SteSS
.Na Prussia falla-se 'agora m^os das persegu-, P Uma pa ulh^omoo ti S
goes crim.naes de alguns dos deputados por cama de alcaocado d.m S*?ii 2SK l^"
% gy-gW-D0 P"'Mia. Se inlencio e, imrSl TStT^
foi abandonada, nao se sabe. Provavelmente esl: tendeu elle mallocn la ri!LZ P t
se ponderando ainda de que maneira remover as a ponto, de fazef um !""<"' *? ,ac*'
difflculdades mu o nn,,m Q .. .. a. .!,. i LiET? e Iaier um 'eriroento em un
bandnada- --u ene mallogra-la, resistindo
u.mcuinaies que se oppoem, e trata-se de oriet,-' soldW d ,parulha "de StTSAa^
ttSttXSgr1*dosre?pe,; ,Dd0 tf SSSUL'ttasfiSa
C0HM4ND0 DAS ARMAS.
; Qnartel general do ominando das armas de Per-
nainbuco na eidade do Recife, 21 de agosto de
que oessa occasie um oatro'soldado dera
Com tamo menos resern procede-se entretanto StUfflSMTJftfflE ***
liberal e contra as sociedades soffresse o m?norTrimemS '
< Recolbido
ZZT!lZZS*Z2tojln longos registros pronuncia, e, quando se pensav. HM*
be fosie pos-
benevoteseia
contra a tmprensa
liberaes.
sera na-.
o reo a" cadea, interpoz recorso 4a
T> Vo7"m? ~~">- *............- JJs.velaz.,o,_ou mesmo de.aptara
no no presidio de Fernando, e recommendando o
aviso da reparligao da guerra de 26 de junho pro
ximo lindo, que seja logo prvida aquella cadeira,
tenho resolvido que seu provimento seja feito por
meio de concurso, que Vmc. mandara' abrir com o
prazo de 0 dias, propondo-me a candidata que se
mostrar mais habilitada.
Dito ao commandante da crvela D. Jnnnarm.
Inteirado do contedlo do seu offlcio n. 1, de 19 do ;
corrente, tenho a recommendar-lhe qne receba a
seu bordo e transporte para o presidio de Fernn-!
do, os objectos que Ihe forem apresemados por par-
te do director do arsenal de guerra, e bem assim
os sentenciados que o commandante das armas e
chefe de polica remeiterem para bordo dessa cor-
veta.Neste sentido offlciou se s predias autori-
dades.
1865.
Ordem do da n. 102.
3 marechal de campo commandante das armas,
Umbelina Joaquina da Costa Mello.Informe o faz publico para conheci ment da guarnigo edevi-
Sr. iospector da Ihesourara de fazenda.
Umbelina Maria do Paraizo Carvalho Lessa.
Informe o Sr. desembargador provedor da Santa
Casa de Misericordia.
DE
! do elfeito, que a presidencia nos termos do aviso do
ministerio da guerra de 26 de julho ultimo e de
conformidade com o artigo 1 do regulamento que
baixou com o decreto n. 303 de 11 de fevereiro
i deste anno, nomeou por portara de 21 do corren
te mez para o logar de professor de primeiras le-
tras do presidio de Fernando ao Sr. capellao, capi-
to da repartigo eccleziastica do exercito padre
Manoel da Vera Cruz, que exerce por ordem do
governo as funegoes de seu ministerio no referido
presidio. Declara outro slra que por portara de
Offlcio ao subdelegado dos'Afogados.-Accuso 22 d?co"eote na couformidade do citado regula
recebido o offlcio de V. S. datado de 8 do corrente i ment0 de cli feweiro ultimo, a presidencia
e em resposta cabe-me dizer-lhe que Joo Pedro nome)U Sr-.Jos Anton,. de Moraes para o la-
Correa se entendeu comigo, e eu, ttendendo a in- $ar de escnvao do mencionado presidio, e consi-
i-------. derou na mesma data rescindido o contrato cele-
medida do governo acaba de; das autoridades que linham de tomar nh*-im,
iw Dre,ant0 Uma sensacao Particular- 'o do seu lVES13tt3f?Z
Hhnena*- dW* W&S1 ii &"" 1ue aPresentou o 'reo uma SZ a 5M
e da Wesphaha t.nham-se reunido para do morte em sua pessoa, contra o Dr\joS de *
reito da comarca o primeiro e segando sopente
do juizo municipal deste termo, o advogado de sen
denunciante, o subdelegado e primeiro sopplente
do distrcto da Palmeira, os individuos qoe acom-
iram a patrulha que o preodeu, sodu o
CiOVHHXO DO BI1PADO
l*i:il\\?IIt| (O.
SEDE VAGANTE.
Expediente do dia 10 de agosto de 1865.
. para
oirerecer aos deputados liberaes do paiz um gran-
de banqute em Colonia.
O governo prohibi esse banquete.
A comraisso encarregada dos preparativos da
resta declarou nao querer fazer caso d'essa pro-
;hibigo, como Ilegal e anticonstitucional, e uma
| grande parte dos depntalos ja declarou sua pre-
, senga dbaixo de todas as circumstancias. Com
grande attengao est-se esperando o andamenl)
desse negocio.
No dia 15 do correle teve lugar em Leipzig
m encontr nos dous presidentes de ministros
Dito aos agentes da companhia Brasilera de Pa- ^'"a!n0Crcum5,JaD,uiada (|Ue V- S" me, da no ci
lado offlcio, concedi-lhe
brado com o Sr. padre Joas Vertuliano Corsino
KSLVRJ rdl"!.Vmf:fai.er,-S^ir. _Rara I der-lhe~Vem "offendr as M?to ^^Tm^"^ de -Maced"' .? *
o que era possivel conce
os portos do sal o vanor Crwttarn An &i hnia i uer"ll,e sem oiienderas leis da igreja, afim de que,
hora indicada em seu offldcToe hntem ?.e eireclue o casamento com T ma or brevidade.! "nform" solicitou em 10 deste mez, o que tudo
Por.aria.-Os Srs agSes da compTnhia Brasi- S^ qUf Se ,0mem algumas P5 ATT. % ^^ ** meSma preS'denC'a datadS
leira de Paquetes facam transoortar no vanor fin- .e Sd conclua um casamento nullo; mormente /f z- 0__. _.
,eiro do S por coudo nffiro da Znl !ft* "2? t ?arochM *"* CCtUd! tJSX^?SSB&mF **
operarios mencionados na relacao iunta o? nnaes se ,10Uver alura embarago, ou se fr necessar o i ri~na! ae camP cotninanaante das armas.
ara serviremm^arsenal de *uer iicelerar ainda mais eiSe consorcio, pode V. S. de-!, Ejla confirme. Antonio Francisco Duarle, *
aia sci vueill UO draeUil B KUt. !._-______________. r 1-niTi > .-un. iil.i il.> nrilanc inlarinn onf-arranri
irrisoria denuncia, pelo fado de $a priso j in-
cnplo, feita pelo advogado Sales.
Parece que com islo esperava o juriseoosolto
inutilisar todos os juizes que imbam de tonar eo-
nhecimento do faci criminoso, nao aleado ao
primeiro suppleule do juizo municipal ler-.-e dado
von ao normen. de uma cama.
segundo se diz, essa conferencia teve poras A denuncia, que foi intentada aerante a ele-
sompto uma nova proposta do? estajos secunda- gacia desta villa, acha-se emuw*? do oroMO
nos da Aemanha acerca da qaeso do Scnleswi(>,; ^.^ ^ % 0 qae fo^e diioTTl
Na noute de 16 17 deste mez, per.o de Magde- \ Snfe conjuSun"*0 '** *** b '
de ferro de Magdeburgo Hal-; nosso Juizo a
se contrataran! para
ra da corte, para onde seguem.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasilera
de Paquetes tacana transportar para a corle, por
conta do ministerio da marinha no vapor Cruzeiro
do Sul, o desertor do corpo de imperiaes marinhei-
ros Manoel dos Santos Barros, que se apresentou
para gozar do indulto imperial.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasleira
de Paquetes, fagam transportar para a corte, p r
conta do ministerio da guerra, no vapor Cruzeiro
do Sul, as pragas mencionadas no raappa por copia
incluso.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
clarar-ffi'o, que eu providenciare! segundo as cir-
cumstancias que se derem.
Dito ao vigario de Ouncury.Pelo seu offlcio de
28 de junho tive conhecimeuto dos relevantes ser-
vigos que prestou a essa freguezia o Rvm. Fr. Ca-
simiro de Militello, raissionario apostlico capuchi-
nho, nao s durante o tempo que ahi missionou,
como mesmo depois, quando cahindo enfermo nes-
sa parochia, assim raesmo conlinuava como poda j
a sua obra de caridade e de sanliticao. Para esses I
homensquasi que nao ha enfermidade nem sade;
a sua vida trabalhar na vinha do Senhor, at que
o mesmo Senhor os chame para receberem a re-
tenente ajudante de
do delalhe.
ordens interino, encarregado
EXTERIOR.
CORRESPOIfDENIAS DO DIA-
RIO DE PEK.V1HIIFC
II IHBI IH.O
passageiros de estado no vapor Persinunga, al o
Acarac a Joaqutm da Frota e Vasconcellos e a D.
Antonia Joaquina de Lima Monleiro.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasleira
de paquetes mandem dar transporte para a corte
por conta do minslero da guerra no vapor Cruzei-
ro do Sul, o 2 sargento Miguel dos Santos Guima-
raes, que vai reunir-se ao 4 batalhao de artilharia
a p a que pertence.
Dita.Us Srs. agentes da companhia Brasileira
de Paquetes, mandem dar uma passagem a r at
a corte em lagar destinado a passagero de estado
no vapor Cruzeiro do Sul, ao juiz municipal bacha-
rel Jos Bernardo Galvo Alcoforado Jnior
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
ta a ioformago do commandante superior da
guarda nacional do municipio de Nazaretb, datada
de 4 do corrente, resolve conceder passagem para
o quarta companhia do batalhao n. 20 de infante-
ra aojenenle da segunda companhia do mesmo
batalhao Luiz Scpio de Albuqaerque Maranhao,
que assim o pedio.
Expediente do secretario do governo do dia 21 de
agosto de 1865.
Offlcio ao commandante superior da guarda na-
cional do Recife. O Exm. Sr. presidente da pro
vincia manda communicar a' V. S. que acaba de
offlciar ao commandante das armas, para fazer
A esse offlcial mande V. S. passar goia de soc-!alislar D0 contingente dos guardas nacionaes des-
orrimento. j tacado os cabos de esqoadra JoSo Zacharias dos
Dito ao inspector da thesouraria provincial. Santos e Jovito Jos da Silva e o guarda Olympio
Restituo a'V. S. a coma na importancia de rs.! Ferreira Mages, que segundo V. S. declarou em
t2l800, despendida com o sustento dos presos seus offlcios desta data se offereceram para servi
21 de julho de 1865.
de Paquetes mandem dar uma passagem deTsiado compensa do seu trabalho. Tambem hoje nao temos de referir qualquer
a r, havendo vaga, at o Rio de Janeiro no vapor ,iu ra? congratulo pois com V. Rvm. nao s pelo progresso na questo do Schleswg-Holstein.
Cruzeiro do Sul ao 2 escripturano da alfandega ?era esP|rilua' Que esse missionano prodigalisou, A despeito de lodos os es torcos da Prussia, a
desla provincia Julio da Silveira Lobo. i Dos be.?s P-Tocniaoos, como pelo grande impulso tosta do dia do iNascimento do duque de Augus-
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca- qae eJ u as obr?s da matriz e eslou cer!o de I ttmbui?o em 6 do corrente foi celebrada pela po-
na mande transportar em lugares de r destinados : t|ae,v' ." ('ue ,ao Dem saDe apreciar os rel-1 pulacao dos ducados da maneira a mais deraons-
burgo, no caminho
berstadt teve lugar um encontr de dous trens,
que custou a vida 11 pessoas, nao fallando do
rnuitos e gravemente feridos.
No dia 16 foi aberto em Bremen a segunda reo-
niao das sociedades de tiro d'Allemaoha. Compa-
reeeram all mais de 6,000 atiradores, entre os
raesraos um grande numero de emigrantes alie-
maes viudos dos Estados Unidos.
Tambem osallemaes de outros pazes transa-
tlnticos, como das Indias Orientaes,
Mxico, China, Egypto etc, tomaram parte na
fesla, enviando ricos presentes. A somma dos
presentes espontneos de dfferentes cidades, cor-
poragoes e particulares da Allemanha anda por
40 mil thalers.
A tosta continuar at fim desta semana.
PERNAKRUCO.
Por
seja*
RETISTi MARA.
yantej servigos desse religioso capuchinho, saber I trativa, provando de novo e da maneira
igualmente perpetuar no corago dos seus paro-: indubitavel a vontade do paiz. Ainda no ultimo
cbianos os sentimentos de piedade e de fervor que momento antes da tosta, realisou-se entre o com-
elle ihes incutio e o desejo de concluir as obras a missario civil prussano e o da Austria, os quaes
que elle deu to vigoroso andamento.
11 -
como sabido forraam actualmente a autoridade
superior do Schleswg-Holstein, am compromisso
pobres da cadeia de Villa Bella durante o mez de
maio ultimo, afim de que, conformidade com o pa-
recer da contadoria dessa thesouraria, a qoe se re-
fere o seu offlcio o. 318, de 18 do corrente, mande
pagar a Joaquina Carneiro di Anc.rade, ou ao sea
procarador nesta capital, Luiz do Franga de Oli-
veira Lima, smente a quantia de : 133 rs., por ter quer, pagos os direitos nacionaes.
de deduzr-se da mencionada conta. a de 8800, j Antonio Barbosa Monteiro.Indeferdo, por nao
sendo 83200 correspondentes s diarias abonadas i estar provada a isenclo que allega.
i Ferreira
seus offlcios
rem na guerra
Despachos dos dias 19 e 21 de agosto de 1865.
Requerimenios.
Alexandrno Tnomaz de Aqnino Colho.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Joaqoim dos Santos Aodrade.Como re-
Ofllcio ao vigario de S. Jos de Mipib.Alten- de maneira, que em quanto da parle prusslana se
deudo as razoes por V. Rvm. expostas no seuoffl- obrigaram a previoir qualquer confflicto no dia da
co do 1 do correte a que respondo, eu o autori-; tosta pelo apartamento das tropas prussianas de
so para tomar ao subdito italiano Paulo Luiz An-! parte austraca consentiram na prohibicao de cer-'
lomo Curso a justlficagao de solteiro, livre e des- tas manifestagoes publicas, como cortejos e reu-
empedido, que elle pretende dar pelo juizo eccle- nies publicas, repique dos sinos. Na maior par-
sia>tico, podendo V. Rvm. lavrar a seotenga fi- te dos lugares essa prohibigo foi respeitada,
nai;., Imas todos no dia 6 do julho brilharam em ornato
uno ao vigario do Pago de Camaragibe.Em festivo de bandeiras, grinaldas, e de noule quasi
resposta ao sea offlcio de 8 do corrente, tenbo a em toda a parte houveram luminarias e banquetes ;
dizer-ibe que bem se bouve V. Rvm. mandando as escolas e a universidade do paii, Kiel, festejaram
suspender a celebrago ao sacneo da missa nos o dia cora acto. solemnes ; o centro-da festa porm
oratorios que nao esto provisionados, ou cojo pra- foi a aldeia de Nienstetten peno de Aliona onde o
so das provises havia expirado. duque Frederico se acbava n'este dia perto de sua
.-", ** familia, all residente. De todas as cidades vieram
umcioao vigario da Serra Talhada.Responden- deputages de congratulago ; tambem os repra,
do ao sea offlcio de 25 do prximo passado tenho a | sentantes diplomticos e consalares de diversos
dizer-lhe que pode e deve V. Rvm. dispensar a cer- estados allemes era Hamburgo apresentaram con-
tidao de baptismo para o casamento dos seus paro-' gratulagoes offlciaes.
chianos que V. Rvm. tiver certeza haverem sido I Tanto maisfurlosos licaram em Berln, e de no-
baptisados. nao estando certo pode dar basca vo exigise a ausencia do duque do paiz.
Estra hoje no Santa Isabel, no magnifico dra-
ma do Sr. Cesar de Lacerda Trabalho e Honra, o
\ distincto actor portuguez Simes ; o qual assim
abre a serie de espectculos a que se corapromet-
leu.
O Sr. Siraoes, cujo mrito artstico tao prsco-
nisado, sera' apreciado pelo nosso publico mesmo,
era quem por ceno sobrara iiabilitages para fa-
z-lo; e nos, sera embargo das intormagdes que
temos em sentido muilo lisongeiro para o artista,
aguardamo-nos tambem para essa occasiao.
O escrivao criminal Dionizio Ferreira Caval-
canti tem o seu cartorio na roa Estreita do Rosario
o. 11, segundo andar.
A' noite de terga-feira ultima proporcionou
o Santa Isabel um bello sero ao nosso publico com
o espectculo de prestidigitarlo, que all teve la-
gar.
O Sr. Lioski que pela primeira vez se exhibi
na sceua peroambucana, manteve a reputago qoe
o preceda de distinelo prestidigitador.
Trabalho muito limpo, ligeireza espantosa e na-
turalidade era tudo quanto faz para apreseniar el-
toitos sorprendentes, sao caractersticos do Sr. Lins
n'este dia perto de sua ) ki em suas variadas sortes.
Alm disto, dispde o mesmo senhor de um ex-
cedente gabinete, que se presta maravilbosaraente
aos seas trabalhos de prestidigitaco.
O apreco que estes merecern e a satisfago que
produzrara no publico, foram all logo manifesta-
dos pelos applausos partidos da platea e de cama-
rotes.
A festividade religiosa de Ss. Cosme e Da-
mio de Iguarass, foi transferida para dezembro
para entao expender*
seu respeito.
isso veja o que vai por aqui, e ajoize
quem sera' o pomo da discordia, qoe em ma" hora
toi laucado emre nos, pacficos habitantes de lcaav
rassu. *
A Providencia permita qoe o Exm. Sr. eom-
selheiro Paranagu, illu.-lrado e josliceiro roa i,
e que ja' tem um nome conhecido em lodo o Bra-
sil, informando se do que ha acerca desta eoanrra,
: d as providencias que as circumstancias i
as, rem : assim esperamos.
Passou hootem ao largo do lamaro i
por americano de guerra. E" de soppr
Nepsic, qoe flera no Maranhao, quando alii
o Cruzeiro do >ul.
_ O Sr. capilo do oilavo batalhao de iifaau-
ria deste municipio Joo Luiz Ribeiro de Faro,
offereceu-se para marchar no contingente da guar-
da nacional destinado a guerra.
Ao mesmo senhor conceden se, por portara
de boolem, autorisago para organisar voiaotartos
no corpo a' que pertence.
Foi autorisado o teneote coronel Joo Paaio
Ferreira para promover o alisumeoto de votaaaa-
rios da patria, para a orgaoisaco de om corpo a
qoe commandar.
Alistoa-se hontem, no corpo acadmico de
voluntarios da patria, o estudante do qaiaio aooo
Jos Antonio de Pinbo Borges.
Ne terceiro corpo de volaourk se afietw
estudante de preparatorios Jesoioo Sidroao do
Souza Navarro?
_ voexigio-se a
nos liyros e verificar o baptismo, como V. Rvm. me Parti para Vienna orna nova nota fulminante I
consulta, sem ser necessario passar certidao, uma'. com a ameaga, que no caso que a Austria recu- -
vez que V. Rvm. o proprio que os casa ou d l-; sasse aioda o seu consentimento, a Prussia tomara prximo futuro.
i por si s uma resolugo e tratara de expulsar o | Alistoa-se ao corpo de Volautarios da Patria
o bacbarel Joo Francisco Chaves Jnior, distincto
bahiano por sea proceder e por sua iutelligen-
Muito ganbam os Rvd parochos, por certo, all- daqae pelas suas tropas,
viaodo os seus paroenianos pobres, de despezas; Em Vienna porm nao se deixaram intimidar
superlluas e facilitando-lhes o recebimenlo dossa-j e declararan), qne se Prassia se resolvesse a em-
crementos da igreja, e muito louvavel o proce- pregar medidas de violencias particulares, a Aus-
dimento daquelles pastores que pondo de parte os' tria se acharia obngada pela sua honra militar a
seus propnos interessus materiaes, quando se trata' oppor-se a isso da maneira a mais enrgica. Se-
de pobres, s visara os uteresses espirituaes des- < guodo parece, essa declarago teve por ora seu
tes, e a prosperidade das familias indigentes.
Dito ao vigario de Cabaceiras.Nesta data au-
toriso ao Rvd. vigario de S. Joao de Cariry para
por esta vez numerar e rubricar o livro que V.
Rvm. Ihe apreseniar para aso dos laagamentos de
assentos de casamentos dessa matriz.
effeito em Berln, e a Prussia ter seus receios de
provocar um rompmento aberto com a Austria.
A tensao entre os dous gabinetes augmenta en-
tretanto cada dia mais, e encoutra uma expresso
notavel entre outro, no faci que o imperador
da Austria nao fez ainda uma visita ao rei da Prus-
cia.
Cora declino ao corpo de voluntarios, ame es-
t orgaoisaodo o major Jos Rodrigues de Miran,
alislou-se o terceiro escripturano da Ibesoararia
de fazenda Joaquim Jos de Olinda Tavares.
Foi aotorisado a promover o alista meto tt
voluntarios, Francisco Xavier Cavalcao Lms.
L-se no Jornal do Commercio o segsJade :
Ha muito que abi se publicoa que a divieio
Jacuhy eslava ja em carcha e sobre a friMnrt.
que mesmo j tiuha combatido. E' moito i
se ao povo e ao governo, e feia coosa i
laes casos, quando os resaltados sao os qoe se eo-
to vendo.
i E' verdade que o bario de Jaeoky par Iros
vezes pedio para marchar, mandando al aojoi sos
ajudante de ordens para obter essa coocessao. Po-
rm o presidente, Dr. Gonzaga, recasoa-lkf sss>
pre, embora fosse coostaotemeote avisado doo sao-
vimentos e aoroximagao de toreas ioimigae, i
o fim de abril.
c Receben ordem de marcha, depois.da lar*
e a 25 de junho em movimeoto, a 27 eslava em S.
Gabriel, e deixando a sua torca atraz. ia seloeasai-
nho reanindo a cavalhada de qoe precisava, sa-
be-se qoe estando em cima da serra, maadara roav
nir alguns amigos companheiros, e com el les
de juntar-se a brigada do coronel Feraaades.
< E' assim qoe o velho soldado da I
sabe servir ao paiz ;
ousado.
O tenente-corooel Jos Gabriel
sempre o
de Lima, logo
E' o terceiro bacbarel em direito qne entre nos, que soobe na Cruz Alta dos acool
deixando a banca do estudo, corre s armas por Borja, reuni 300 horoens do seo corpo, e
nao poder soptar os impulsos de ura corago pa- cavados aos fazendeiros, marebou para a
triotico, que bate-lhe no pello ; mais um desses e offlciou presidencia para qoe Ihe
nimos esforgados cuja existencia tem-nos revela- "
do a quadra por que passaraos; finalmente mais
am desses nomes qae nao de fazer parte da nossa
historia, illosirando-a.
O nosso amigo o Rvm. Sr. Dr. padre Antonio
da Canha e Figueiredo celebrara' amanha s 81 val esperar.
mmenlo.
O coronel Antonio Mascareabas
nior reuni os seos cornos do Passo .
comraando superior, e com ellos marcha para a
frontelra, porm tambem sem armamento, elo
>



Islario de Pernambneo -- Quinta letra 14 de Agosto de i 86*.
t E com
nao pode nem soube evitar a
cuj.is consequeocias podem ser tao serias!
Do Diario do Rio exiratamos o seguate :
i Emquaoto nao tivermos a esquadra bem pro-
vida de combuslivel, e as margeos do Paran des-
afrontadas de inimigos nada poderemos empreen-
dcr de proficuo. .
Bloquear as Tres B*:cas ou Corrientes, a
todos ftes nemm s o Sr. Goniaga Sentcs.-sendo de opiniao que o contador nao podia cedentes (como diz o Sr. AlfreJo), gosto de dar s
invaso de S. lioria, dar certidoes sem preceder despacho. mmhas palavras o seu verdadeiro sentido, dire
Discutida a materia, foi posta a votos a medida que falsissimo avancar S. S. qulllo que eu me
proposta pelo Sr. Santos, e nao foi approvada, vo- i nao anime! a afflrmar. Porquanto, expondo resu-
tando smente por ella o seu autor, o Sr. Gustavo iradamente as occurrencias havidas n'aquetia aes-
do Reg e o Sr. Dr. Villas-boas. sao, apenas me limitei a declarar que se achavara
Resolveu se ofllciar S. Exc. remetiendo se c- nella cerca de tresentos associados. Mas o Sr. Al-
pia do offlcio do secretario. frdo, que nos clculos cousa grande, fez tam-
Outro do Dr. Jo Bernardo Galvao Alcoforado,' bem o seu calculo, podendo apenas lobrigar du-
> irimieo Mffitor da margen) corren- Anfnio Luir dos Santos e bario do Livrameuto, j zentas pessoas, das quaes tirou cincoenta para fa-
fina do Parat Mrece-me medida errnea, inapro- empresarios dos trilitos urbanos desta cidade para ; ter urna minora, dando ledo o resto de presente ao
eiiavel e c^mororoettdor... O combale do da os Apipucos, requintando urna epia authentica da: sen imponente partido l
TKTm^XuSS confirmara esto juico, planta da cidade que vai do Hospicio at a ra da N'este ponto, pie o Sr. Alfredo continuar a cal-
' Lunac too"so miro de operacoes (Buenos- Esperanca, afim de que possam fazer as desapro- cular, que euwollnuare a afflrmar acharem-se
kn)e de toZos reSarso? que cm d (fruida- priaco.-s a que sao obrigados pelo seu contrato.- n'aqnella sessao cerca de tresentos ptsspas entra
desDodemw traiidos a estt parasen?, e tendo Posto era d.scusso, resolveu-se ofllciar aos mes- as quaes se conheceram mullas, que nao perleu-
rta um taUrc ouMdo e feroz, nao devoremos'. mos empresarios, dizendo-se Ihes que nao tendo a; ciara i soc.e arrcarTmuSem falso que traga consequen-', cmara quem iaa seiuelhante irabalho, nao pode idade de S. S., nao m com o sentido de envolv-
cias tristes oui obonibre por aleuma forma a gloria por isso satisfazer o fornecimento exigido, entreten- las no seu grupo, cor* fizeram, mas anda para
danos*marlnhnica rtcomtena segur aquel- o que podero elles mandar l.rar a copia que pre- assistirem ao combate desse da .glorioso para os
squftem sabido!^"Smp:r /euTueveres, ainda cisam nesla secretaria, ou enlei.derem-se res- seos, mas de tristes cousequenc.as para a insti-
nos momento'; mais crticos Doraue temos passa- peilo com o engeoheiro cordeador. tuicao .,.,,. ...
Outro do fiscal do Recite, propondo para guar- E' falso, contina o Sr. Alfredo, que o Sr. Joa-
Guimaraes recusasseo
do..

nada
iba
elle se offereca,
sa que sustentamos, e com gloria para o paz, todos
os sacrificios de saude, sangue e de vidas que esta- da quantia de 8J45-
mos fazendo. Mndou-se igualmente remetter a commissaojie ino,
ni
pa
mos
repartir com mallos, que
teas o os hombros com dragonas grossas e pesa
das, per distincnio e mereamenlo (!!!) Isto e,
por acompauhar* o 11 parador em passeios, ou por
irabalhos e servicos eleitoraes I...
Estas e outras consideracoes impressionam
profundamente, desgoslam e desanimam...
t Nao se deve esquecer tanta dedicado, tanto
herosmo de uue leeui Mdo testemunha as aguas do ro das travs oreadas era menor, do que aquellas petiada .
nos mesmos existentes, em estado de sereno subs- Isto contado pelo Sr. Alfredo parecer
lituidas.Mandou-se erdem ao engeoheiro para aereditavel, entretanto ha de permiltir-me fazer
verificar, e orear as que de. mais fossem precisas, aqu algumas consideracoes suggeridas pelas suas
Despacharam-se as petb.'oes de Antonio Jos Pe- proprias palavras.
dro Goocaives, Antonio Ma'ia de Brito, Angelo Cus- j Saiba, pois, o publico e o Sr. Alfredo, que eu,
soltar-me e atacar-me phisicamente se tanto fOr
necessarlo.
A idea do Sr. Alfredo bonita e bem mostra o
fxo de iotelligeocia dos que pensam com S. S. As
sis do paia porm resolvem esses negocios de rao-
do diverso, e mal Iria a sociedade se nao houves
sem juizes e leis com forra bastante para canter
esses touro, que applieados ao arado dariam gran-
de proveito a agricultura I
Nao sei tambem do que serve vr o Sr. Alfredo
fazer leilSo de dignidades, sentimeotos, pondunor,
etc., etc., pois, nao obstante ser tudo fazenda de
lei, crea S. S. que eu oada lancarei, oem o publi-
co tambera o far pois dessa fazenda cada qual
conteata-se cora o que possue. No entanto melhor
era que fosse mais coraraedido para tratar de si,
pois desconfio muito de quem como S. S. se encar-
rega de fazer a apologa do seu proprio nomc.
Emquanto as calumnias a injurias que me atira,
essas, devolvo-lhas intactas, porque nao quero col-
locar-me na sua boa posico. As discuss5es so
convenientes pela imprensa, quando se nao trata
de revolver o repositorio dos convicios para joga-
los em praca publica como fazem os garotos, nesse
terreno nao quero questionir cora ninguem para
me nao confundir com a pessoa do Sr. Alfredo. A
S. S. dou pois o direto de usar da palavra como
llie approuver.
Francisco guaci Ferreira.
N. I.
Illm. Sr. Antonio Augusto dos Sanios Porto.
Tendo V. S. presidido reunio da assembla ge-
ral do Gabinete Portuguez de Leitura em 16 de ju
Iho prximo passado, na qualidada da Io secreta-
rio da mesma, peco-lhe que sob sua palavra de
honra e em abono. da verdade, me declara junto
desta se presenciou durante a referida sessao, que
1 de suscitar embaracos marcha regular dos traba- eu capitaneasse grupos para promoverem a desor-
commissao de tontas perante
gosto do anno passado.
articularidade de inverter
tudo quanto Ihe nao coovni lembrar se, pois
sabem todos que as.-istiram sessao de 16 de ja-
que foi o proprio Sr. presidente quem por
explisava para pedir a appro-
nao obstante haver-se pro-
parcialidade do Sr. Alfredo,
que a informaco i* *I receida
sso ha alguma mentira nao fui
A requerimento do Sr. Gustavo do Reg, man j eu de corto que a inventei.
dou-se recommeudar aos fiscaes que nao consen-1 Diz mais o Sr. Alfredo, que s o firme proposito
tissem enlulhos depositads as ras.
Esleve em praca para ser arrematada a obra dos; Ihos fez que. eu com a minora partidaria cantes-
reparos e concertos de que precisam os armazens > tasse a votacao, e provocasse a desordem, sendo que
da ra do Calabouco, e nao foi arrematada por ter; os seus alliados (mansas ovelhas) se mantwcram
declarado o licitante que appareceu, que o nume-, calmos e socegados porque s queriam ver a lei res-
talvez
Paran...
t J Ih'o disse, o (befe Barroso e demasiada-
mente secco e at brusco, e inteiramente sugeito
ao almirante, nao toma a iniciativa de medida al-
fT teem conSc*0 qt^rareVera J' o^dosSato;; Amoom'Loureiro de Lemos, An-1 nunca prcurei embaracar adrainistracao alguma,
^St^STsesabe I Tudo particular tooio Moutioho da Assumpcao, BejarnUao Rodri-1 qoer em soas rewldes, qaer pela^ toprensa.pois
gues deliveira Cmara, andido Martins de Arau- quando notasse faltas como da facto houveram as
jo, Carlos Francisco Soares de Brit, Candido Af- tranzadas administracoes, nao tomei nunca o en-
fonso Horeira, bacharel Egydio Praocisco das Cha- i cargo de levar a roupa suja a' fonte mais publica,
! gas, Felippe Santiago Cavalcanti, Francisco Romao! para dar a conhecer as mazellas que a mancha-
reservado," ou feilo oo silencio 1... Ntese que
o chefe Barroso, nao lem secretario ; o Io lente
Autunes seu secretario, e.-l ha muito com o almi
ranle.
Naturalmente em Buenos-Ayres se
tSoue McCnl2?mKlenlDt^e s'legafo"fraga,' Dr.'jo^ ^rna'rVo Gaivo Alcofo- j que"sendo"eu~de opDia'que'fossera approvados os I to do Sr. Soares ProhHro, por que tendo rompido
talvez que o commanuaiiu s prmieuos wu ^ t^m,^An ",.l.,!mt ',,,; p.n,iaE naan in P n>in< ria rtiropmria mmn di,e n Sr Alfredo, ne-! de ambos os lados da mesa multas vozes dizendo
terao de da Cruz "Francisco de Miranda Leal Seve, Felippe i vara. Tambem nao interrompi. nem suscitei emba-1 que all se deu, por occasiao de verificar-sa se ti
Jacome da Costa, Fieldem Broiheres, Francisco Jo- reos a' marcha dos trabalhos de 16 de julho, por- i nha sido approvado ou reprovado, uin requenmeo-
- --- --------*------todoSr. Soares
Cunha Miranda, Joo Saraiva de Araujo Galvao, i les em conserva-la.
J.,s Pedro de Sant'Anna, Joaquim Amaro da Silva i O contrario, porm, se pensa dos amigos de S.
Passos, Joaquim da Costa Pinto, Joao Evangeli.-ta IS., que fazendo iuleira opposigao tanto aos actos da
PereiraLima, Joo Soares da Fonseca Velloso, Joa-' directora romo aos do proprio conselho, os appro-
Jos varam depois, sendo que fascinados pelo brilhodos
, e tanto fun
rereio nue at o presente arad* nao quim Francisco de Paula Esteves Clemente, Jos .
,n\rl hai4 da animacao 1 I Pires da Silva Rosa, Jos Francisco Lavra Penna, cargos de que se achavara separados, so por meio retire me immediatamente.
' -' '- Moura Magalles, Jos de I do disturbio os podiam empolgar, scientes corao| Julgo ter respondido ao que V. S. me pede, e
' cstavam, que ja' a directora hava tentado demet-! poda fazer desta minha resposta o uso que Ihe for
tir-se em virtude de urna sessao tumultuosa havi-! necessario. Sou com estima de V. S. atlencioso ve-
c esto na canga sobresaiam muito, visto serem
mais modernos do que quem esta no quartel da
taude, ouescrevinhaiido-com//iiiC(iJos a peas
dos, muito provavel que se tente olTuscar a
gloria de quem a tem sabido conquistar
t E' disto que todos recejamos
dado o nosso
tivemos urna nica pal....
A f Je verdadeiro e leal cavalheiro Ihe afir- bacharel Joao Jos de
rao que a conducta dos commandantes pruneiros Meljo Costa Oliveira, Jos Marcelino GoncalyesSal-
teoeles lem sido geralmenle applaudida, elogiada gue.ro Jos Francisco Pere.ra aa_,Nlla',J^?,F";
ci vicloriada CISC0 Pereira da Sllva Jumor e Francisc0 "arlloa
. Nao me deixo cegar pelas affeicoes ; os com- Ferreira dos Santos, Joaquim Jos Pereira Alhan-
mandanles da Ijuatemy, 1" lenle Coimbra; o da dra, Lourenco de Albuquerque Mello Manoel Jos
Mearim, 1 lente Barbosa ; o da ypirauffii, 1 Marl.ns, Mana Venanca de Abreu Luna Bastos
teoeute Alvaro ; o da Belmonle (interinamente), Io Manee Maximiano Ouedes, Manoel Joaquim de
tenente Abreu ; o da llajahy, i tenente Cutrim ; Souza Tavares, Manoel Medeiros de Souza, Manoel
e o da Araguanj, l tenente lloonholK ; sem dis-; Jacintho H.beiro, Manoel Antonio da Cuiiha, Mana
tinecao sao oflicies de todo o bro, e que as oc- Rosa da Silva Ayres, Manoel Marinho do Nasc.men
casales mais solemnes leem sabido com toda a dig- to, Manoel Joaquim llamos e Silva,
nidad6 e galhardia desempenhar suas obhgacoes ; Jorge, Pedro Ignacio Baptista,
l,\, .1.. nmM nlr. i .ll.'i :.,'< itj"nO< talllll '111 de AVt'
s llgalo Braga, Dr. Jos Bernardo Gaivo Alcofo-1 que sendo eu de opiniao que fossem approvados os. to do Sr. Soares Pinhr
rado, Joaquim Mauricio Goncalves Reg, Joao de actos da directora, como disse o Sr. Alfredo, ne-de ambos os lados da
Deus e Silva, Ur. Joaquim Anton'o Carneiro da nhum interesse tinha em perturbar a crdem e an- passou, nao passou, ist
Miguel Vieira
Pedro Francisco
am de" mm7routroroflk7e7'dgrjosTam0b7i de i Alves' Ferreira "Tiburco Valer'ia.o Baptisia, Tho-
causa delles presla-se ho
mrito, e pde-se evitar
distucco. Advogando a
roanagem ao verdadeiro
iDjuslicas clamorosas.
t Ainda me record do olvido, ingralidao e in-
jusliga, com que foram pagos os servicos impor-
tantes e nota veis, prestados no Salto Oriental I...
Ainda sangra essa ferida, dos que soffreram a in-
justica do esquecimento.
Consta que o almirante lizera valer ao gover-
no esses servicos e solicitara urna dislinccao para
os que os prestaram : porm o que resolveu o Sr.
Pinto Luna, nunca soubemo?, nao obstante ser o
seu iulimo oVial de gabinete amigo do comman-
daute da Mearim I...
Cumpre liquidar isso, e fazer sobresahir a m-
jusliga pralicada.
t J Ihe disse que o Barroso soube manter-se
com a inaior galhardia no seu posto di honra ;
bravo I Dirlhe-hei agora tambem que o Deltim
mazia Mara de Jess; e levantou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boa viagem, secretario
a subscrevi.Pereira Simoes, pro-presidente.- Re-
g.Santos.Santos. Ur. Miranda. Silva d >
Brasil.-Fonseca. Dr. Villas-boas.ADtonio Pires
Ferreira.

COMHNIGASOS.
Para S. Exc. o Sr. rifarlo capi-
tular ver e providenciar.
O vigario daAlaga de Baixo, Flix Jos Mar-
ques Bacalho contina a perseguir os seus paro-
chianos.
Tendo sido apreseotada perante S. Esc. uraa de-
nuncia assignada por Antonio Alves de Ges e
Mello e Manoel Ignacio da S'lva Azevedn, fura esta
que era immeliaio do Amazonas houvese tambero remettida por S. Exc. ao vigario de Flores, afim
briosamente Cumpre ser justo. | de tomar conhecimenlo da mesma denuncia, que
i___m__ 'se aclia ioslruida por numerosos documentos, que
nuiD mi'XiriPII Iprovam graves e degradantes crines praticados
'I \l< V Hll).LirAL. por aqUp||e vigario Bacalho.
SESSAO EXTIUORDINARIA AOS 31 DEMA10, Este oanto padre at as enntas de eoterra-
DE 1865. ment encontra meios de defraudar os seus infeli-
Presidencia do Sr. Pereira Simes. zes freguezes, como acontece com o mesmo Manoel
Presentes os Srs.: Gustavo do Reg, Dr Miran-; Igoaeio, ao qual apresentou urna conla de noventa
da, Santos, Silva do Brasil, Pires ferreira e Dr. mil rii pelo interramento de sua finada ma- *
da no cooselho, e que bastara a repelicao de qual- aerador
quer iocidente dessa ordem, para de novo obriga-
la a tomar aquelle expediente, alias recommenda-
do por socios que presidiram a' fundarlo da socie-
dade, e que valera muito mais do que esse com-
boyo de intelligeocias de que o Sr. Alfredo se quer
fazer seguir.
Depois das palavras cima transcriptas da cor-
respondencia do Sr. Alfredo, lembrou ainda a esse
senhor desviar-se de mira em deus oo tres perio-
dos para ferir a directora-declarando que ella
commettera ilegalidades e infringir a lei no exer-
cicio de suas atiribuic5es, sem se recordar que
havia approvado os seus actos.
Ja veein os leilores, que o raeu contendor n'este
tura do offlcio de V. Exc. ao vigario do Porto Real,
no qual diz V. Exc, que o raesrao prelado qaeren-
do de conformidade cora as leis eclesisticas que
os panochos se certifiquem de que aquelles que pro-
curan! o sacramento do matrimonio eram baptisa-
dos, nao aulortsou que se sobrecarregasst m os po-
vos com novas despezas.
Porm Exm. Sr., qual tem sido o resultado de
tao salutar e justa deterroinacao ? Se como diz V.
Exc, os parochos se certifiquem se o sugeito
baptisado, nao seria bstanle abnrem os seos li-
vros de baptisterio e hor elles se ceriilicarem se
sao ou nao baptisados?
No eotaalo, ainda que o raesrao parodio tenha
sido o baplisacie e elle mesmo tenha lanzado no
competente livro, ainda assira exige a certido pa-
ra se certificar; e esta cerlido o menos que custa
2KX)0 por urna peticao, e 15120 pela cerlido
extrahida de livros (lodos, viudo assim a contri-
buirse pelos dous contrarenles 65240, e se exce-
de aos 30 anno-, cobra-se 50, 100 e 2005000 de
aecrdo com o 17 do decreto n. 689 de 7 de ju-
lho de 1853 ; e ainda aqu nao param os males,
porque para aquelles dos prelendeoles que podem
carregar com taes oous nada e em comparacao ao
pobre, que lera como da ordinario de demandar
cera e raais leguas por urna cerlido, fazendo enor-
mes despezas da viagem, e quando por ignorancia
espera gastar 33120 de pelico e cerlido em li-
vros findos, eocootra-se com a tal busca, e tm de
vender o cavallraho seja por quanto fr para pagar
e vollar a p, maldizendo a sua sorle e injusiiga
que jalga selhe ter feito.
A" vista do clamor que vai produziodo lal iosti-
luirao, ou antes (como pensam os supphcinies), a
raa iulelligencia ou iulerpretago da pastoral, re-
querem os sopplicautes a V. Exc. Rvma. urna pro-
videncia com a qual minore o mal, lauto i iais que
pelas difflculdades de se lia ver urna certidio como
acontece era diversas provincias, preferem alguns
por deficiencia de meios continuarem no concubi-
nato, se por infeiicidade ja neile eslo nulrindo
n'outros as raesmas disposi(5es; por tanto pede a
V. Exc. Rvma. seja servido esclarecer na duvida
em que se achara os sopplicaotes, e quando este-
jam em erro abso'.v-los.E. R. R. M.
Srs. redactores.Provavelmente os seus dignos
leitores tero estranhado minha ausencia das co-
lumnas do Times Pernambucano.
Eu tambem a lenho estranhado ; porm, o que
fazer ? Quaodo menos esperava, pespegaram-me
I no costado o anno do nascimento de maneira que
eu estou pronunciado e no rol dos culpados com o
titulo de calumniador I I I 1111 J vem Vv. Ss.
que o negocio nao est de brincadeiras, [ara que
eu continu com aquelles escriplos, tanto mais
quanto me dizem que o vcthaquinlio do Janjao pre-
tende vir partilhar da festa.
Queiram os cos que lal nao me acootega, pois
do contrario levarei a breca, o que nao desejo.
Entretanto, Illms. Srs. redactores, depois de a-
nente ; e eu nao podendo tambem conter a ordem, fiancar-me dire sempre alguma cousa.
Por ora, (valha me Santo Antonio e S. Joaquim !)
estou arriscado a pagar novo e velho : a :lcar ain-
da mais.
Salgado.
Recife, 23 de agosto de 1865.
dem oessa sessao, assim como se lui eu que a per-
lurbei, e obriguei a V. S. bem como ao Sr. presi-
dente a abandonaren! os seus lugares.
Como a V. S. na qualidade de secretario corre o
aever de observar o que se passa as sessoes a
que preside, espero pois se nao escusar respon-
derme com a franque/.a e digitidade que o carac-
terisa, pedindo-lhe desde j permissao para usar de
sua resposta como me approuver. De V. S. atten-
cioso venerador e criado,
Francisco Ignacio Ferreira.
Recife, 7 de agosto de 1865.
Illm. Sr Francisco Ignacio Ferreira. Em res-
posta a caria supra, teoho a dizer-me que na ses-
sao a que V. S. alude, nao vi V. S. capitanear gru-
po, nem lamber que fo>se o autor do disturbio
lo na occasiao em que o Sr.
presidente Tinoco de Souza, por si mesmo tratava
daquella verificacao ; e lando o mesmo Sr. presi-
dente chamado os socios ordem e nao sendo at-
tendido, adiou os trabalhos, retirando-se em conti-
Antnnio Augusto dos Santos Porto.
N. 2.
Illm. Sr. Luiz Gongalves Villa-Verde.Sob sua
palavra de honra, e em abono da verdade, peco-
Ihe o favor declarar-me junto desta :
1." Se assistio a reuio da assembla geral de
16 de julho prximo passado, uo Gabinete Portu-
guez de Leilura ?
2." Se rae vio a capitanear socios do Gabinete,
para com firme proposito de promover um dis-
turbio no Gabinete Portuguez, naiuella mesma
sessao ?
3." Se me vio atirar cadeira alguma sobre o pre-
sidente do conselho, o Sr. Tinoco, sobra a mesa,
ponto tomouasio encargo decontradizer-se.o que ou sobre alguem, dando lal acto motivo nter-
no la' muito louvavel para quem tem convicroes rupcao da referida sessao ?
profundas I *, Quaes eram os funecionarios que nessa oc-
Entretanto nao sei a que venha ao caso, a m- casio presidiam a sessao de que trato, isto 16
nha questao com os actos da directora, tanto mais de julho prximo passado ?
quando rae nao cabe responder a seraelhantes Espero pois que o Sr. Villa-Verde, conscio da
arguiroe?. Se o Sr. Alfredo lem certeza de que digoidade que o caractersa, me responder, per-
a directora exorbitou os seus deveres, nada Ihe
sera' mais fcil do que responsabilisa-la pelo
que fez, mas nunca respoosabilisar-me pelos seus
actos, o que sera' incooleslavelmcnte urn absurdo.
D/er anda o Sr. Alfredo que eu coiifefdra a
votacao, na assembla de 16 de julho, urna fal-
sidade como todas as raais de que langou mao para
dar urna copia nteira de si. O que eu fiz, porque '
eslava em meu dlreito, foi pedir ao presidente
mitlindome de sua resposta o uso que me approu-
ver. Sou de V. S. aitencioso venerador e criado,
Francisco Ignacio Ferreira.
Recife, 9 de agosto de 1865.
Illm. Sr. Francisco Ignacio Ferreira.Respoo-
dendo ao qne me pergunta, faco-o da forma se-
grate :
No Io qulsito, sim ; ao 2, nao ; ao 3o, repito o
que tenho dito por mais de urna vez ; isto ouvi
vi cadeiras
que
concederse aos socios o direto de votar por as-; vozes elevarem se descommunalmenle,
crulinio secreto, nao s para que o vol fosse livre, atlradas ao ar, vi finalmente a desordem lancada
de imposfoe?, mas ainda para evitar que as pes- no meio da sessao a que aludo, porm nao vi um
soas extranhas a' sociedade envolvidas com o sen s dos seus autores; ao quarto, emfira.sabe-o \. b.
Ihe parecer
S. muito
Viilas-boas, fallando com cau^a os mais senhores,
abre-se a sessao, e lida e approvada a acta da an-
tecedente.
L-se o seguinle
EXPEDIENTE.
Uraa peticao vinda da presidencia para a cma-
ra informar, na qual a viuva e herdeiios do falle-
cido Dr. Pedro fgnacio da Cunba, senhores e pos-
suidores da maior parte do sobrado n. i da ra dos
A' que artificios nao recorre a maleficencia I
Manoel Ignacio de quem aquelle vigario-se tem
j conslituido gratuito inimigo, achando-se contrala-
\ do e prorapto para casar mais de um anno, nao
' tem at o prseme conseguido licenca do vigario
j Bacalho para outro sacerdote eflectuar o casa-
I ment.
S. Exc. intilmente dispensou o impedimento,
que a Manoel Ignacio fra oppost, pois que o vi-
MartyriOS, junto ao qual pelo lado do norte exisle ; gario declara que, emquanto fr vigario, desenga
ne-se Manoel Ignacio de reahsar o casamento, por
quaolo S. Exc. governa c, e elle Bacalho na sua
freguezia I 1
A' vista de laes disposic5es torna-se indispensa-
vel recorrer a S. Exc, como a fonte legitima, don-
de se pode e se deve nicamente esperar repara-
gao aos incalculaveis males, que um tal pastor pode
causar ao seu infeliz rebanho.

um berco, requerem "a S. Exc. a arteraco da plan
ta, snpprimindo aquelle becco. Posto em discos-
sao, resolvea-oe que fosse ouvido o engenheiro cor-
deador.
Outro do secretario, informando, como Ihe fra
determinado, qual a razao por que nao passou a
cerlido requerida pelo Dr. Joaquim Jos de Cam-
pos, das mullas impostas pelo delegado do Io dis-
iriclo dest municipio Dr. Luiz de Albuquerque
Martins Pereira por iofracco de posturas; declara
que tendo sido creada em 1843 a reparlicao da
conladona municipal, foi confeccionado para ella o
regulam-rnto de 30 de agosto do mesmo anno, e
tendo este marcado a mantira de serem escriptu-
rados os livros mesma pertenceates, bern como
as attriboiges do empregado que fosse comeado,
iOPiRESFONDENCIAS
Srs. reductores. Em minha correspondencia
publicada pelo seu Diario de 10 do correte, pro-
"do7rUBoYdesse7VgCulamento, facultara queWmelti responder ao Sr. Alfredo Cardoso Pereira
le empregado pausar as eerlidSes que se pedissem' logo que o penniltissem os affazeres de que me
de onginaes existente era dita reparligao, e o ar- achava atarefado, limitndome entao, a apon
tigo 4 do citado regulamento separara as obriga-
ces do secretario das do empregado da coniadoria,
a qual efectivamente fra criada pela lei provin-
tar as Ilegalidades da celebre acta de 16 de julho
passado, em que o Sr. Alfredo me personalisa
como desordeiro, interessado tambem em fornecer
cial o 131 de 30 de abril de 1844," que approvouuin documento com que podessem esraa?ar-me os
pelo artigo 3 aquelle regulamento; por isso deixoui seus alliados, no processo que Ibes movo perante
de passar a cerlido de que se trata por julgar nao o mtegernmo Dr. juiz municipal da 1
Ihe competir ; todava se a cmara inlendesse, nao cujo processo foram j pronunciados
obstante as ponderagoes fetas que devia dar cer- meos aggressores que mais se dis
vara, em
dous dos
lidio, elle iria a contadoria exigir os livros e guias,
e passariaa referida certido -Posto em discussao,
o Sr. Santos pede a palavra e declara que se devia
informar a presidencia com copia doofflcio do secre-
tario, mandando se entretauto que o contador pas-
sa sse a cerlido, para o que entenda elle, nao ser
necessarlo despacho, por quanto o regulamento era
bem claro, quando no artigo 3 9o autansava
aquelle empregado passar as certiddes que se re-
queressera de originaes existentes na contadoria.
O Sr. Dr. Miranda pede a palavra, e diz que o
secretario cumprio o seu dever nao passando a
cerlido de papis que nio estavam seu cargo,
mais que o contador nao uortia sem despacho da ; to de ser elle assignado por mim.
certidoes como entenda o Sr.1
tambem como eu.
Hdeportanto V. S. fazer o uso que
conveniente desta minha resposta.
Tenho a honra de assignar-me de V.
attencioso venerador e criado,
Jote Goncalvs Villa-Verde.
S. C. 10 de agosto de 1865.
-.-.___u oia.t-'
Srs. redactores.Alguem, logo que leu a pasto
ral de 30 de junho de 1863 eomprehendeu, que o
PUBLICARES 1 PEDIDO
HUMA VIDA SALVA!
grupo votassem movidamente. Mas a votagao
que d'esse modo nao convinha aquelles que se'
queriam aproveitar do ensejo para mtroduzrem
urna grande quanlidade de pftosjifioros, deu lu-1
gar sem duvida a esse conflicto no recinto do
estabelecimento, em que nenhnma parte tomei,
sendo tudo mais calumnias tao nauseabundas como
aquelles que as inventara para ferir-rae.
Continuando o Sr. Alfredo a separar-se de mim
para ferrar os denles na directora s na resposta
ao tpico onze, apparece declarando que o livro
das actas da assembla geral Ihe foi s nulos no fallecido prelado) leve em vistas acautela de se
da antecedente aquelle em que tete lugar a sessao casar algum pagao cm urna *M^M MfrW-
de 6 do corrente sa' mas os seuhor!S parochos se julgaram auton-
Querendo mesmo concordar com o Sr. Alfredo sados a por em duvida de baptisados ai todosi em
nesta parte, nao sei que sirva isso de jusliflcagao, geral, ate os propnos que elles mesmos bapUsa-
- ram; porque uinguem se casou sem contribu!
qaando para fabricar um acervo de falsidades nao
era necessario de certo, nem tanto lempo nem
grande esludo.
Em outro periodo diz o Sr, Alfredo, que acnon
muito engracada a designacao de saturnal dada
por mim sessao de que trata a sua acta. Nao
desejo os furos da inveugo. por sso dire modesta-
mente a S. S. que a designagSono foi minha, e sim
do presidente substituto 0 Sr. Jos Gongalves Vil-
la Verde, que della usou ao abrir a sessao de 6 do
corrente, pessoa de bastante illustrago e conceilo,
o que nao posso presumir do meu denodado con-
tendor.
com a tax da ctrtidao; devendo aqu ser notado,
que esses mesmos confessam-se e coramungam-se
lodos os anuos, e s sao suspeiios de pagaos para
se casaren).
A necessidade de um pobre ir ou mandar a re-
mota provincia aps de urna certido, desanima a
uns e nutre n'outros a diiposiglo para se conser-
varen) no concumbinato.
Eniao houve quera se lembrasse de levar uraa
representago ao Exm. e Rvm. Sr. vigario capitu-
lar, e quando j havia ura grande assignado, le-
vaulou-se grande celeuma, (bem se pode ajuzar
Prosegundo o Sr. Alfredo, diz em outro periodo, porque lado), e no meio da vozena se perceberara
que eu tratei de me por fra do estabelenmento lo- as palavras-balla, ccele, etc.; mas como isto nao
oo qae consegu os tnetu fins, e que da ra insul- produzsse o edeito de suspender o progresso das
lava aos socios que se achavam as janellas do Ga- asignaturas, recorreu-se a diplomacia e acabou-se
bnet. v cum o assignado. resignando-nos com a sorte.
Nao ha de certe mentira maior nem mais re- Poucos dias se passaram quando nos veio as
pugnante, mas nem ratea cousa podia eu esperar raaos os Diarios ns. 1(17 e 121, e i
do Sr. Alfredo. A alguem, procuravam os meus des-
airelos para dzer-rae o que Ihes conviesse, infe-
lizmente encontraram ura que talvez excedesse os
seus proprios desejos.
No enianto o Sr. Alfredo que to fcil
aos vigarios de Sant'Anna dos Mellos e o de Bar-
reros, que ao nosso ver raais claro no pode ser a
respeito dos casos em que devam ser necessarias
: ou excusadas as cerlidoes e juslificagoes, porm
foi em' infelizmente o nosso vigario, apezar da sua herme
Sinlo-me realmente fraco para argumentar com
o Sr. Alfredo quando os meus desaffectos, procu-
ran) um instrumento de to baxa e>tatura para
firmar as invengo -s mais torpes e grosseiras que
se podem imaginar, pensando talvez que esse o
modo mais regular de produzir urna defeza com-
pleta". Euganam-se
proceden), oem a defeza
virtuem, e se innocentem perante a opiniao pu
blica.
Com esse intuito, principia o Sr. Alfredo a de-
clarar que julgava intUil refutar o meu primeiro
artigo porque a sua refutaeo se deduziria do fac-
morder-me como em fazer-me rir, requereume
realmente urna gargalhada, quando declarou qae
neulica, acha ludo muito confuso, e amaneara que
diz, que emquanto nao fr derrogada a pastoral
que a ella se ciogir como a emende, que nao
casar a ninguem sem a lal cerlido, e com elfeito
J3 fldm^ I dividualldade I casar a nww
Com franqueza direi que o Sr. Alfredo soffre al-; assim continua.
." .... *____11.1. lVf\ nntiiitf% .
gum padecfmento que Ihe translorna a faculdade
de pensar, pois, que me parece ter sido bemexpli- esclarecendo o negocio, nao faz ra
No entanto, que o Exm. Sr. vigario capitular vai
que o mesmo
. era TUTJS ,,or a Z&KSttattS&i da assera- e^ssirao e o publjo saiba o que se d,,a
efeza legal para que me dis- Mea geral de 16 de julho, por que se me tivesse n melle abano asignado, do qual tive a feli-
eotem SS a oploio po- oecupado da pessoa do me'smo, teria cnido na in- cidade ^har_WM ^P'. ^m,P"
asnera de rae oceupar de cousa ne- acttar obrigado por nenhum compromisso, rogo a
Vmcs. que a facam publicar como abaixo vai es
cmara passar cerlidoes como
Santos.
O Sr. Gustavo do Reg, pede a palavra, e con-
cordando com o que expoz o Sr. Santos, diz anda
que a le parece qne deve ser entendida mais pelo
espirito do que pelas palavras; que veja-se qual se-
ria a intengo do legislador quando delerminou
que o secretario desse todas as cerlidoes que Ihe
fossem pedidas independente do despacho da cma-
ra : provavelmente a de nao demorar e nem pre-
jndicar o direto das partes por nao ser a cmara
urna corporacao daqoellas que se reunem diaria-
mente.
Ora, passando parte das altribuigoes do secreta-
rio para outro empregado, creado, por urna nova
lei, est clara que cem ellas passaram os onus ; e
a faculdade de passar as certidoes da parte do ira-
balho a seu cargo, embora essa lei, marcando as
attribuigoes desse empregado, diga, passar as cer-
tid5es que forem requeridas.
A falta de um pronome (diz o Sr. vereador) creio
que nao altera o espirito da lei e nem deve fazer
que apparega o mal que ella se propoz a evitar.
Depois tem mais ouira razo em que se funda
para assim pensar : pode a cmara negar qualquer
certido que Ihe fr pedida? nao; urna corporacao
puramente administrativa, cujos actos, conforme
ordenado pela lei de sua organisago, devem ter
toda a publieidade, nao tem reservados, nao lem
segredos a corre-lhe o dever de certificar todo
quanto Ibe fr pedido.
Sendo assim, qual o inconveniente que ha era
passar o contador as certidoes dos objectos sao
cargo, iodepeodeotemente de despacho da cmara?
Creio que nenhum, diz o Sr. vereador, e por isso
vota para que assim se pratiqoe.
Os Srs. presidente, Pires Ferreira e Silva do Bra-
sil pronunciam-se contra a dea emiitida pelo Sr.
disculpave
nhuma I
Emquanto fidelidade com qne o Sr. Alfredo diz crl|'-
ter lavrado a acta, nada direi porque nesse ponto,
est elle no seo elemento, bastando somente que
lidos os documentos ns. 1 e 2, que offe-
sejam
reco, por serem da funecionarios que juntamente
com o Sr. Alfredo, presidiram tanto sessao de 16
N'este ponto acompanhare as versoes mais se
guidas a respeito da iotelligeocia do Sr Alfredo,
acreditando que S. S. nao leu o que assignou. e
se o fez quiz astuciosamente roubar-rae o direito I e julho como 4 de 6 do corrente.
do qoe com mais razo poderia eu dizer desaaj e' ainda irrisoria a descoberta de que se lembrou
pessoa, nao obstante baver contado previamente 0 gr. Alfredo para declarar que eu era o mais in-
com as sympathtas dos homens honestos, que natu- competente para fallar em actas adulteradas I Ahi,
ramente o devera anda acompanhar. est mostrando o Sr. Alfredo que alguma cousa m
Entretanto sou obrigado a dizer-lhe que nao era existe na sua acta entretanto justo dizer-lhe
esse o modo porque pensava S. S. a respeito de qne f0 s. S. mal informado porque nunca allere
minha iraca individualidade, quando ha perto de acu alguma.
dous annos me pr'ocurava, e pedia para que Ihe
transportarse para portuguez, as trOpegas prodac- Oque acontecea foi desencaminharem-se de meu
ges que me levava, para que mais tarde appare- poder os aponlamentos de urna acta do conselho
cessem na imprensa firmadas com o seu nome, deliberativo de que fui secretario, quando me din-
sempre extreme da mais Uve macula I gia do Gabinete para casa lendo-me apenas derao-
Felizmente conservo ainda esses pedaemhos de rado no estabelecimento de ura consalheiro na ra W** *g2^*K m conhecer a urgen
otro, que confirmara bem o que o Sr. Alfredo do collegio, aone se achavara oulrs. All eolio- respectivos parochos que la
e se isso nao baslasse, apresentaria aioda o tes- quel sobre orna cadeira os papis qoe trazia na ca....
temunho de pesssoas insuspeitas qne muito sabem mao, d'onde me foram subtrahidos esses aponta- um aos
de to oouveis particularidades. mentos, sendo rae entregues depois de vmgarera os
N'esse temoo o Sr Alfredo lioha predilecco pe- planos da raaioria de que faziam parte, negndose >->i% u iw".' '""" ^3X*
JSss?.*Ss oS S-S hssur ssass trtS as acs^-sssfjssa. tas
podesse lavrar nova acta, o que efleetivamente para a celebragao do matrimonio,
conseguirn). l ondo de Parle os abusos 1u.e s
Continua ainda o Sr. Alfredo, dizendo-me, que
todos os homens lem defeitos naturaes eqnenaop-
Sou de Vmcs. constante leitor etc.
Um Flor estao.
Fazenda Grande, 3 de julho de 1865.
COPIA A QUE SE REFERE O CO.MMUNI-
CADO;
Exm. e Rvm. Sr. vigario capitular. Os abaixos
assignados, conscios do quanto se interessa V.
Exc. pelo bem estar dos seus diocesanos, veem
cheios de conflangadenunciarem-se de seusremor-
sos por estarera em opposigao na intellgencia da-
da a pastoral de 30 de junho de 1863 ; e com hu-
mlldade pedem a V. Exc, qoe po seu despacho
esclarega aos supplicantes a respeito da raesma
pastoral, e com isto far V. Exc. um acto de cari-
dade sncegando os nimos dos supplicantes.
Lastmaudo Daquella pastoral o fallecido prelado
haver em algumas freguezias do bispado parochia-
nos de crescida idade, que neglgenciaram a re-
, determina ltimamente que nao assis
matrimonios daquelles contrllenles que
apresemarem certido de baptsmo_ ou oa
< cimento, qoe teoho plantado aceta Iregistai
f legitima e incontestada Infloeana, aoara
t chada pela pratira de exeessos r.nrmmim>>
< pre respeitada pela populacio iuleira, n^w m-
< teresses hei promovido e exp*ndioVf vr>tv
i deiro e puro patriotismo, coa parlKi
i longa data, e como vereador n* mmiri
< em cinco legislaturas coaseeoii*a, im Aaas 4m
< quaes me coobe a honra de repr*eniar wsmm-
< cipio como presidente da cmara.
Pois bem I Eis chpgada a oreasio do Pina. Sr
lenente-coronel mostrar o que a, o inacto p>d>. o
quanlo vale. Se um homem aaqo-'las otMlfoin
nada Ozer, o qoe dir o povn, o que lera' t
da dizer ? Que on nao verdade o qoe anm
si proprio, on qne nada fez porque nao aar.
o Affaun*.
Nao temos conhecimento algum de nenhum
caso que tao perfeitamente mostr d'uma mi-
neira a mais clara o persuasiva o poder da
Sciencia Jfedica sobre a molestia ; qual seja o
de Axtonio Joaquim Pebeiua, da Babia.
Estti homem infeliz, havia mais d'uin anno que
sotfria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Treze
Terriveis Cliagas Abertas
espalhadas por sobre difFerentee partes de sea
corjK), sendo una das quaes sobre o peito do p
urna funda e maligna chaga, a qual o privara
de andar, cauzaud<)-lhe as dores as mais ;igoni-
snntrs quer de da quer le nouto; continuada-
mente atormentado ir taes affliccocs e dores,
e quasi que aborrecido da continuaeao do cim-
ilhaute vida, tendo posto de parte toda a f e
confianca emmedecinas, e na r-. alidade i qu para elle nao Ihe restava mais esr"'ranca
alguma ; asshn pois resignado esperava. com-
liacicncia o termo final de seus mutiplicadoe
suffrimentos, eis que milagrosamente por for-
tuna sua Ihe rcceitarfio o grande puriiieador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRISTOL
e mediante r. sua grande cfficacia o excedencia
elle se achou dentro de jioiico tempo, livre do
sen IrremediaTel estado d^ desespero, e a doce
e risonha egj)eran(;a tornou de novo i ieviver
em seu coraco; sob a podenna e benvola in-
fluencia dcste admiravel nicdlcamento, nssuas
chagas em breve principiarao assiuir un ca-
rcter lavoravel diminuindo o aspecto de sua
malignidade A massa do sangue a mais
humores do systema tornou adquirir urna
appnrencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e una doce
c suave tranqnillidade principiou pn-correr
todo o seu systema, restaurando-lbe a d jiaz e socego d'espirito ; as cliagas urna ii uiua
se forSo fechando at que finalmente ?! cica-
trliaiao d'um todo, e hoje aclia-se p-rfeita-
mente s.lo, gosando d'um peifeito estado de
saude, depois do se ter visto privado d'esto
grandu gozo durante mais d'um anno. Elle
durante esta sua cura, apenas fez uso de
Dcaascis garrufas c'.a Genuina Salsaparrilha
dfc Brisiol, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Recommenda-se mui lariicularmente aos
Duentee d'aiubos os sexos, que empreguem
toda a cautclla na escollm d'este adrairavel
remedio, afim que nao obtenliio outra com-
posicao qualquer, que nao seja a Salsaparril-
ha Genuina de Bristol, pois que todas as
mais prepararoes e noMafdH d'esta natureza
sao falsas n3o possuindo virtude alguma.
Vende-se as boticas de Caors A Barbosa
e C. Bravo A C.
Satide publica.
PnritirarSo a respeito dr algias des
da casa Griaaall C.
Alguns jornaes publicaran) urna ortn
cao (I i conselho de sade porinfuez, ae
prescreveu os medicamentos preparados pVa
casa Grimault 4 C. de Pars, com o preftv-
to que esses acreditados pliarm-iceulicas
foram cutidemnailos pelo tribunal \>i Seina
por terem vendido meilicamentos seereVH
e falsificados.
Essa ordenaco parecer* bem extraordina-
ria quando se tiver lido as seguintes cir-
cumstancias:
1. A sentenca de que se trata foi dada
sobre a denunciaco de um dos concurren-
tes dos Srs. Giimault A C, e sobre as in-
formages inteiramente erradas que tonm
dadas ao tribunal.
2." A sentenca foi dada por um tribunal
de primeira instancia, e MI tem valor al-
gum, logo que se appelloa ; fc-i por M
manobra desleal e contraria a lodo os osos
que os concurrentes dos Srs. (rinault V C.
fizeram distribuir em grande numero os jor-
naes judiciaes e mandaram publicar en
Franca e nos paizes strangeiros urna deri-
so que nulla, sem nenhum vak.r ;BH)afi-
to o tribunal imperial nao a liv r approa-
do, e depois dellc o tribunl supremo.
3. O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por urna sentenca de 17 ilemaio pr-
ximo pasado, ordenot nova vislori?. a qiw
tinha motivado a decisao los jnizes dapri-
meira instancia Ihes tendo parecido insufi-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ramente contradielorias de om cmico e
physiologista eminente, o Sr. D. LeeoMe,
pliarmaceutico em chefe dos nospia-
professor aggregado da faculdade de medi-
cina de Paris.
4. N'essas circumsancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informacoes mais cerias, a
mandar prescrever oa mesmo a p>r em sos-
peico medicamentos, cujas e.xretientes qoa-
lidades e perfeita prepararo tem swlo. es-
de muitos annos, r condecidas por lodos os
membros mais distinclos do corpo medical,
e que lem os nicos defeitos de erem wt>
lhores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de seus coooar-
rentes.
% enea
.
Xarope alchoolico de velarr.r, tr^piradi) pe!.
pbarmaceuticu Jos da Rocha ParaaiV'S, l.Miela
cido cora hades na ra Dirca eii Ptraaaa-
|buco.
Esle xirope inccnt--suvelroeni> soperv r a t>
i dos os xaropvs depurativos, le cuja roapo*iejai
! o seu maior elemento a salea (amiba, poi> tac m
' tem conbecido ser o velante hu- eneriticw para a
prompla cura das molestias, ruja ba>e e>?etiruM
I depeude da ptirificarao do -jngne ; assin: y -
tem verificado por inu-las [**&, que se rliava deseuganadas, as quaes acham-s*- boje re
; das com o referido xarope alrboulicu de
entretanto que algnns, tendo u.-ado do xarope 4*
Curinier, de Larrey, de sa.-a parnlba, de
' ria, oleo de ligado de bacalho, e ooiree ;
de>ia ordem nada con-eguiram. E' elle d
dipesto, agradavel ao paladar e ao t4pbalo. al-
guns Dedico! de.-t i cidade e da de Macelo letal
recommeudado para a cora das
Impigens, linha, escrophulas,
Tumores, ulceras, e?c. rbuto.
Cancios, sarna degenerada, fiuxo atoja.
Todas estas afwrdea pri.vt'm de urna eaoa in-
terna ; nao lia pois razao aigoma en trer pie el-
las se podem curar eos) remedio* aafjajaja, Taaa-
bem se prescreve o aatapa alch->oliro de Tefeaia
para o tralamenlo das aftecrGes do sy^tau aerea
so e fibroso, taes como :
Gotla, rheumalismo, paralyia.
Dores, impotencia, e?lerilidide,
Marasmo, hyporondria, HinmacrecioieBlo.
O xarope alchoolico de veame a, s->bre Meo. da
maior utilidade para enrar radicalaxate. e ra
penco lempo o rheomatism ".
Adverle->e que o verdadeiro xarope w nade
nesla cidade u< botica ai-ima n.dicada, do aban
assignado; e em outra |nal|uer paneqoe a) leai
annunciado nao da mesma romposici 11
abaixe assignado se responsabiliza.
Jos da Rocha Paramos.
A jurnhrlm.
As virtudes therapeuticas da juruoeha sao
muito conhecidas nao s no Bra.-il, pois qn
tralou Pisn em sua excellente obra llbtorm mm-
turatts el medica India occitenlalu, -ea>aas
Antilhas, onde o sueco das folhas e froelo- caato
aqu, muito estimado e appIieaJo contra as aae-
trucoes abdomiiiaes, primipalmeote do lpa>i
bac.o ; e se todos os facultativos drsta pronana c
nao applicam com frequ-m-ia. islo se aan deai a
i nao reeonhecerem elles essas virtudes,
nao serem encontradas-fon) faeilidade e i
as eslaroes do anno os rucios dessa plasta, e a re-
pugnancia, que apresentam os doeales *m faaar
uso do sueco desses fructos, em eooseqiie-ia de
ser extremamente amargo.
A juriibeba nao descontieeida dos botaaiMa r
esta planta perlence a familia da* olanea. u-n
a denominai-ao de sotanum p-ihicnlatmm, jo* Ihe
foi dada por Lyoeo.
! Pareeendo-nos conveniente facilitar o asa 4o
sueco dos fructos da jurubeba, qae
I pregado, nos propoiemos e coosejtoimos
com elle nao s um extracto aleooeo ajas p
i applicado em pitillas, mas tambem om y i
' xarope, e ura emplastro que pode .ob*tN
j certos casos, o de Vigo ; e estamos persaadwl
! com isto prestamos um serviro hnanaiade t
i therapeuiica.
Pisn, tratando da hydropesia. prewreve a de
i e.occ,ao das raire da jurubrba, e Mral e Delta,
em sea Diccionario de materia medica e tWrapr
tica, dizem que as An'ilhas se fax aso da narco
[ dos tractos maduros dessa planta rosera o caear-
rho vesical ; e a autoridade dos oomes
Lemos am communicado ha poneos dias publica-
do nesie Diario, e assignado por Um no povo,
communicado no qual se faz sobresahir necessi-
dade em que estao certos personagens do Pernara- icos, merecidamente celebres, aos lera a
buco de auxiliar o governo na acquisicjio de forjas SUa patarras, e por isto cuidaremos 4o
para debellar os Paraguayos. nosso estabelecimento essas railes, para asa
Abundamos as ideas do cominnnicant 3; o tem- ser experimentadas,
po proprio para que os flguroes da provincia, a reputado da jurubeba tal, e os
mostrara o sen prestigio e influencia. therapeuticos oblidos ltimamente 5o
E como cada um deve fallar segundo o lugarejo (antes, qoe nos parece inntil dizer
em qne vive, pego licenca.para me dirigir a' ola, jSt0, qne Oca escripto.

coso, escrevia... Nicrologias, versos, etc., etc., etc.
Passaram-se porm esses dias auspiciosos, e o
Sr. Alfredo, que anda sempre preoecupado, esque-
ceu depressa aquillodeque mais se devia lembrar,
mas, do que me deixou as mais vivas reminiscen-
cias.
No entanto o Sr. Alfredo que ugia de refutar-
me, pela simples apreseniaco do mea nome, nao
se esquivon com ludo de o fazer para collocar-me
na posicio em qae ainda o admiro, e apontar-me
tambem por mentiroso, quando diz qoe falso que
na sessao de 16 de julho passado estivessem pre
sentes tresentos
de Leitura.
En poros qae nao obstante 03 meas raaos pre-! razoes para urna
gumas freguezias onde foram"dadas taes justilica
ges por meio de ura processo rigoroso, chamndo-
os elles servir para que eu os proclamasse na im- se um escrivo do cr.me para funccionar^, rnas que
hoje grapas aos esclarecimentos de V. Exc. deve-
ro ter cessado, ainda assim parece aos supplican
prensa.
Nao sei pois qual fosse a pstula encobarla do
Sr. Alfredo que eu levassa iraprensa, quando fui
(o civil qae nem daqoellas que sao publicas me
oecupe I O contrario porm fez S. S. qae aprovei-
tando-se de comeadas dos meas 18 annos narradas
quer qae ellas va-
associados no Gabinete Portugus com o espirito de parcialidade, ,. ,- f ,
1 Iham muito para as qaeslSes de boje, tirando daln fallecido prelada ss rereno a estes e nao a aque
- i Ss Para ma carta patente que o autorise a in- les es ido? se fortines Dos supplicantes pela |ei-
tes haver equivoco na interpretapo de quem se-
jam os contrapeles a quem os parochos ne de-
vam assisr aos seus matrimonios, se todos era ge-
ral, ou se somenla daquelles suspeitos de pagaos,
parecendo muilo natural aos supplicantes, que o
a aquel
bilidade de minha freguezia o Illm. Sr. tenente -co-
ronel Manoel Joaquim do Reg e Albuquerque.
No Diario de Pernambuco de 16 de se;embro do
anno passado, a proposito de eleicoes, S. S. fallan-
do de si dizia o seguiote :
c Morador ba trila e ires annos nesta freguezia,
onde tenho exercido todos os cargos ie eleicao
popular, onde sou anda commandante de ura
< batalhilo da guarda nacional, onde tenho familia
numerosa e amigos dedicados al ao sacrificio,
a onde son propnetario de estabelecimemos agri-
colas era que se abrigam cerca de qu (trcenlos
> moradores que os tenho ligado a' mim por lagos
< de gratido, pois Ihes tenho prestado na carreira
i de minha longa vida todos os beneficios e disve-
lada proiecco, de que capaz umddado as
i miabas condicSes, posso afflrmar com desvane-
Deposito:
pbarmacia de
Joaquim de
Almeida PmU.
C0MM11CH.
PRAQA DO ABOFE.
Cotaees mtmH%m9M.
ttae atalo.
Assacar mascavado pareado SflM aes
Cambio sobre LondresS5 11 per la.
J


OiarJo de fernambucj Qnlnia Frfra ti de Agosto de *8 3*
Cai\a filial do banco do Brasil cd
Pernambaco.
A directora destacaixasaca sobro o banco do
Brasil no liio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo Ijanco na Balii.
\ovo banco de Pernambnco.
dmlnistndores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira paguro o 1 dividendo de dita nmsa
na razo de 9 0/0 sobre o valor des fillos ad-
ineliidos.: no novo banco de Pernambnco
do Trapicho n. 34.
ra
O exames vers-aro sobre as materias deque CoilSPlho di' niinm- navios I
trata o 1 art. i do decreto n. 1,114 de 17 de n t-OUSCino di lomoi.o DaVdeS.
junbo de 1863, a saber: leitura analyse g'amma- u conselno promove no dia 28 do corren te mez.;
tical e orlhographia, arithmetica e suas appiicairSes T'?,a de proposlas entreguen em carias fechad**
ao commercio, com especialidades redueco d \ovo banco de Pernam-
bnco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil
ein Pernambuco.
De ordem da directora de>la caixa se faz publi-
co aos snniiores accionistas, que o respectivo the-
sonreirulesta autorisad) a pagar o 23* idividendo
do semestre (indo em30 de junho ultimo fa razo
de i:2 por aeco.
Caixa lilial do banco do Brasil 15 de julho de
186o.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Correia.
_ redueg-
moedas, pesos e medidas, calculo de descont, Juros
simples e compostos, theoria de cambios e suas
applicacdes.
Os concurrentes devero previamente apresen-
lar eus requermenlos instruidos de documentos
que provem idade completa de 18 annos, isengo
de pena e culpa e bom comportamento na forma
do art. 3o do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
1860. v
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 8 de agosto de 1865.
Servindo de official-maior,
Alanoet Jos Pinto.
Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial
em cumprimentj da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que no dia
24 de agosto prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema-
tar, a quein por menos fizer os reparos da ponte
do Kio Kormoso, avahados em 1:55!000.
AVISOS MAMAMOS.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOK.
Cordeiro Sras-portt:nta e ordem de urna pes-
soa que se retira pura Tora da provincia, fara' lei-
lo dos trastes e a aeran at roa mencionado, Isto
Sexla-feira 25 towtrrtnW asll horas.
No armazem a ra i!s Gnu n. 57.
A o pnb1iroa
Dos portos do norte esperado
at o dia 3 de setembro o vapor
>/a,SK Tocantins, commandaute o pri-
,- '^%'jjgfi meiro lenle Pedro Hyppolilo
'^?28HF Duarte, o qual depois da demora
do cosime seguir pora os oortos dosul.
Desde j recebem-se passageiros e engajase a
Lcilo seita-fefr 25 fi agosto.
Pelo agente Ku/.ebio.
De urnas pecas de estopa.
Duas mobilias de Jacaranda1
as condices do
esiylo, a compra dos seguintea objeclos : 200 pos
de maugueira de sola pregada a pregos de cobre
para bomba de apagar incendio, 20,000 azulejos. 6
duzias de laboas de rostadinho de amarello, 16 du-
zias de taboas de assoalho de louro, 1 duza de la-
boas de assoalho de amarello de 51 palmos de com-
primeulo, 3 duzias de taboas de assoalho de ama-
rello de 3 palmos de largura. -20 duzias de laboas
de assoalho de amarello, 40 duzias de taboas de
louro para forro, 1,200 ps do cano de ferro galva-
nisadu de 1 1|2 e 2 polegaaas de dimetro exterior i
com tees e mais perienees, 4 arrobas de pregos ri-; carga qno o vapor poder conduzir, a qual devora i
paes, 2 grozas de parafusos de metal. 8 lenges de ser embarcada no dia do sua chegada, encoin-
ferrode l|4degrossura c 420 toneladas ioglezas de mendas e dinhe.iro. a frete at o dia da sabida as n
ferro bruto. 2 horas : agencia ra da Cruz n. 1, escriplorlo de lerca-leini 2'J TC SlgOSlS 8S 11
LEILAO
Da excellcnte chacra do Exm. Sr. desembaa-ador at-aira- e univer>al. ra do Imperad >r :
Acaba de sabir o prrlo n* Vs do tmjgm me-
I trico decimal por Jis An! ni wmtn Junio : eu
j obra conim M precisas tabees em que a> arttawt
medidas de peso, raparida!. rxirusao, aetum
j convertidas ao .-y-leroa m -iri comparada a nw-
da le nova .i antiga, alim de 1 ... iL-uls ao
coimnercn se exeiutem .!; nm rn>l<> f.>.ilim.i pte-
: cedido MM traballio de tiara ,n; m .> r>w;*r-
'sao. pan que possam ser enaprrik n Mas t-or i .-
das as inteiligencUs : vec-lr-se a !i nu livravia-
Sala do conselho de compras navaes, 22 de agos- Antogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
to de 1865.
O secretario,
Alexundre Rodrigues dos An/os.
COMPAMIA BiiSILEIU
DE
A arrematacaci sera feta na forma da le pro- ^municipal da l vara,se hadearrumalar, por ser a : Jr AQUL TKS A. VAPOR
vincial n. 343 de lo de maio de 1854, e sob as: uiima praca, a armacao de una loja de vender
clausulas especiaos a baixo copiadas. charntns nm Mr nmmniin a n,,rrn. oh0rtn I
Doria, noMauguinho, com as accommodacoes
que podem ser examinadns desde ja pelo., pre-
tendentes. os quaes devero coneorrer ao leilo
no dia
bfftl
em ponto.
Por intervenco do agente Pinto, em frente a
Associaco Commercial.
mica, arco de Santo Antoni.: em tmm aolor.
ra di. Destino n. 3, ni I- n mmn IHH 4- An
exemplares para cim leri um '-nefin iti ra*i ,
de dez exemplares por ceolo.
LEAXDEA.
Rendimebto do dia 1 a 22......
dem dodi^23...............
354:8683480
8:7363717
363:605.3197
MOVlMEMO DA ALFADEGA.
Volnmes1 entrados com fazeudas----- 295
com gneros..... 67o
Volumes sabidos cem fazendas-----
i oa gneros-----
-------970
21
275
-------296
Descarrpgam ho flla 24 do torrente,
apor inglezOlmda mercadonas diversas.
Brigue francez Ceara dem.
Brigue nacional Normadiversos gneros.
Brigue inglezJucabac.alho.
Brigue poriiituezS. Jos charque.
Barca nacional Valle -idem.
Brigue inglezC/eiwaiJ/carvo.
KECEUEDOIUA DE HEN'DAS INTEliNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
GE-
Bendiincnto do dia
Mein doj.1ia23___
1 a 22.
33 5833962
5813457
34:1653419
CONSULADO PROVINCIAL.
hendimentoo da 1 a 22..
dem do dia 23..........
fttm i. iiii i n i i
50:9125868
1:6013112
52:5133980
M0TIMNT0 20 POEO
Navio entrado no dia 23.
IS'ew-Zealand 60 dias, galera ingleza Racenscratg,
de 588 toneladas, capillo D. 0. Inglis, equipa-
gem 19, carga la; ao raesmo captlo. Veio
refrescar.
Navios saludos no mesmo dia.
Rio da Prata Patacho nacional Cardia, capio
Francisco Al ves da Costa, carga assucar.
Lisboa Barea portu;'iie?a Marta, rapilao P. A.
Martins, carga assucar, mel e oulros gneros.
Barcelona-Brigue hespanhol Vigilante, capito
Jos Miramhelle, carga algodo.
BarcelonaPolaca hespanhola Elegancia, capito
Pedro Marestany, carga algodo.
ESIYAES.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oBcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito, especial
.lo c mmercio, nesta cidide do Recife de Per-
nambuo, por Sua Magestade Imperial e Cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a quem eus guar-
de, etc.
F:ico sal.ei aos que o presente elital virem e
d'elle noticia tiverem que no dia 18 de setembro
do correte anno, se ha d.; arrematar por venda
a quem mai< der em pra^a publica deste juizo, o
gegninte :
A propriedade denomluada Sant'\nna cita na
especiaos a baixo copiadas
As pessoas que se proporem a essa arrematcaoa
coinparecimi na sala das sessoes da referida junta,
no dia aoiraa mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao:
1.* Os reparos da. ponte do Rio Formoso, serao
feitos de conformidade com o orcamento junto na
imporlancia de 1:5515000.
2. As obras devero ser principiadas no praze
de 25 dias e concluidas no de 3 mezes, ambos
contados da data da approvagao da arrematacao.
3.* Os pagamentos sero realisados em duas4
prestacoes iguaes, a primeira quando tiver metade
das obras, e a segunda na sua concluso e entrega
defensiva.
4.a Para tudo que nao esliver especificado as
presentes clausulas e ornamento, seguir-se ha o
que dispoe o regulamento de 9 de julho de 1865.
Conforme.
A. F. a"Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cuinprimento da ordein do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 24 de agosto prximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesonria se ha de arre-
matar, a quem por menos fizer os reparos urgen-
tes de que precisa a cadeia da villa do Limoeiro,
avahados em'3.4183150 rs.
A arrematacao ser Celta na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se proporem a essa arremalagao
comptrecam na sala das ses.-oes da referida junta,
no da cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao :
1." As obras dos reparos da cadeia da villa do
Limoeiro, serao feitas de conformidade com o or-
namento respectivo na importancia de ris ......
3:4183150.
2.a O arrematante dar principio ao trabalho 15
das depois que se fizor a arrematacao e as dever
concluir no prazo de 3 mezes.
3.a Os pagamentos sero feitos em 3 prestar-oes
iguaes a cada lerga parle da obra correspondente.
4.a O arrematante seguir na exteucao das obras
as mstruccoes do engenheiro, que a inspeccionar.
3.a Para tudo quanto aqui nao estiver previsto
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
j Conforme,
A. F. d'Annunciacao.
charutos, um fttdro, umacartelra e ontrorobjectos
perieucenles ao mesmo estabelecimeoto, sita no
largo do Terfo n. 62, tudo pinhorado por exemico
de Jos Joaquim Pereira de Meodonea, contra Joa-
quim Jos da Silva Moureira.
Pela subdelegacia dos Afogados acha se de-
positado um cavallo mellado testado, ainda pollro
e inteiro, o qual foi apprehendido como furtado :
quem se julgar com direito ao mesmo comparega,
que provando Ihe ser entregue.
Manuel Pereira Camello Pessoa
Subdelegado.
bILi
E'esperado dos ponos do"" sul i De predios eiU R a tttllos CR1 L'liaOS
J?cfmmnd* VSt! W*1 e ****** **>
Snffb.'oTa./ZoS. Sai L^msobrado e urna ca^ trrea 47 e57,,endo
demora do costme seguir' paraQ os pono, ^^JJ^^^jg^ ^S. I
Desdej receben, se passagelros e engaja*e jlruJ ^Bento.^ ^ ^^
e engaja-se
a qual
J
ldeverl M1Y! ?w,t7ea na la?e,ira '["^'t com
ser embarcada no dia de sua chegada, encommeu- g"*? 3 ('Uart5 e cosinha.ed ideada ha ,h3UCo
dase dinheiro a frete at o dia di sahida as 2 ho-
ras da larde : agencia ra da Cruz n. i,
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
escripto-
&C.
Terca-feira 29 do correte, depois da audien-
cia do Sr. Dr. juiz de orpbos desia cidade, ser
arrematado (por ser a ultima praca) os alugueis
pelo tempo de seis annos do armazem n. S do caes
da alfandega, destinado a receher bacalho, servin-
do de base o por quanto est alagado actualmente
de 3:0003 annnaes, cujo armazem vai a' praca a
requerimenlo da vinva e herdeiros do Dr. Jos
Raymundo da Costa Menezes.
florreio
sraram.
Convida-se as pessoas que estao as
condicoes do servigo militar, a engajarcm
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gensdi lei provincial n. 611 de 2 de maio
Pela adminisiraco do crrelo desla cidade se
faz publico para lis convenientes, que em virtude
do disposto no art. 198 do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezembro de 1844. e art. 9 do
decreto n. 18o de 15 de maio de 1851, se proce-
der^ consumo das cartas existentes na adminis-
traco pertencentes ao mez de agosto do 1864. no
dia 4 de setembro proximo.as 11 horas da roauha,
na porta do mesmo correio ; e a respectiva lista
se acha desde j exposta aos interessados.
Adminislraco do correio de Pernambuco 22 de
agosto de 1865.-0 administrador
Domingos dos Passos Miranda.
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com inuia brevidade a barca
nacional Restaurara, teii parle do seu carrega-
ment prouipto: para completado, e juntamente
para e sera vos e fretes, para os quaes tem excelen-
tes commodos, tratase com os seus consignatarios
Anlonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criplorlo, ra da Cruz n. 1._______________
liba de m. Miguel.
Segu impreterivelmente no flu do correte mez
o palhabite portuguez Pensamnto, de Ia classe :
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
em. dirija-se a lialtar & Oiveira, ra do Vigario
numero 10.
fre-u-ziado Poco da Panella, na qual existe um prximo passado, que Sao as Seguitltes :
sobrado bastante vellu.duas casas terreas, em mao l^iOO rs. diarios de sold, serem seus fi-
esi ido, e ama dita cabida, orna otaria em ruinas, |nos menores recolhidos aos estabelecimen-
avaliada em 7.0003000. A qual fra peohorada nrovinriaiMJ p prlncarln p n tpmnn rinn
por execocao de Anlonio Jos de Castro, contra o Ws pro\inciaes ae eaacafao e o lempo que
bacharel Joaquim Francisco de Miranda. estiverem na guerra ser contado pelo duplo
i; nao navendo lanzador que cubra o preco da para o caso de aposentadoria, e alm destas
avaliaco, a arrematacao sera'feta pelo preco da tem todas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
commandante do corpo de
Re-1 polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
que.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
es
adjndieajao na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado pela ; nente-COronel
imprensa, e afflxado nos lugares do costume.
rife, 21 de agosto de 1865.
Ivi Manoel Marta Rodrigues do Nascimento,
crivao, o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe. \ fia de fazeoda desta provincia se faz publico para
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offleial da ira- conhecimento de todos, a circular do tribunal do
perial ordem da Rosa e juiz especial do com- thesouro n. 27 de 20 de julho ultimo abaixo trans-
Biereio, por S. M. Imperial e Constitucional o cripta. ...
Sr. Pedro II, a quem Deus guarde, etc. i secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
Faco saner aos que o presente edital virem e [ buco, em 14 de agosto de 1865.
delle noticia tiverem. que por parle de D. Josepha i Servindo de olucial-maior,
Josiina de Jess Goncalves, rae foi dirigida a peli-! Manoel Jos Pinto.
cao do Iheor segumte : Circular II. 5 .
Diz I). Josepha Justina de Jess Gongalves, viu-; Ministerio dos negocios da fazenda. Rio de Ja-
va de Manoel Antonio Goncalves, que naqualidade ; neiro, em 20 de julho de 1865.
de liqudala!ia da firma Oliveira & Gjngalves, em ; Jos Pedro Dias de Carvalho, presidente do tri-
vjrtudti da admiuislra^o que exerce de todos os bunal do thesouro nacional, tendo resolvido que
bens de seu casal, e sendo a este devedor Luiz de se subsiituam as notas de 103 da 2a estampa, cor
Franca S >uz* da cifra de 1:484-5100, de urna letra : de tena, ordena aos Srs. inspectores das thesoura-
de eu acceite, veucida em 18 de agosto de 1860,; rias de fazenda que, mandando publicar esta reso-
quer a supplicante interromper a prescripcao da loco por annuncios nos peridicos das provincias
Em audiencia do Sr. juiz de orphos, no dia
25 do crranle, as ti horas, ser arrematada em
tajasta publica urna morada de casa torrea sita na
ra do Rosario da Boa-Vista, pertencente aos her-
deiros do fallecido padre Francisco Joaquim Pe-
reira.
C 0 I R E10 M
me-ma, na forma do 3" do art. 453 do cdigo do
commercio, e como o supplicado seja morador em
Iiij >r nao sabido, vem a supplicante requerer a' V.
S. i pie se digne tomar por termo o seu protesto, e
a aduiitti-la a juslicar a ausencia do supplicado
em da e hora que for designado, afirn de que sen-
do quanto baste e julgado por senlenca se passe
arta de edltal por 30 dias, conforme a lei : por-
tan). pede ao Illm. Sr. Dr. jolz especial do com-
men-.io defenmento. E. R. M-. Dr. Moraes e
Sil'a.
F. mais se nao ronlinha em dita peticao aqui co-
pia la, na qual del o despacho do theor segralo :
ome se ; e justifique no dia 11 do crreme mez
M 11 horas da manha. Recife, 9 de agosto de
i<)5. Alencar Araripe.
E mais se nao continha em
e por editaes afflxados em todos os municipios, pro-
cedan) referida substituir io com o producto da
renda das respectivas ihesouaarias, solicitando a
remessa dos fundos precisos no caso de deficien-
cia da mesma renda; e remettara mensalmente ao
thesouro as notas qoe se forem subsiiluindo, debi-
damente carimbadas e inutilisadas.
Nos annuncios e editaes far-se ha a declaracao
de qoe em tempo competente se marcar o dia em
que deve principiar o descont da lei no valor das
notas que nao tiverem sido at enlo substituidas.
Jos Pedro Dias de Carvalho.
Consolado de Franca.
Conforme o art. 7 da convenco consular entre
o Brasil e a Frrnca, o cnsul francez faz publico,
dito despacho aqui fe fallecen no dia !4 do crreme e sublito fran
Hpiado. Em virtude do raeu despacho fora a cez Camoins, Malhieu Pierre Vctor. Pernambuco
un -ma peticao distribuida ao escrivo deste juixo, 16 de agosto de 1865.O cnsul de Franca
Man .el Mara Rodrigues do Nascimento, o qual Osmin Laporte.
iavrou o termo de protesto do theor seguinte :
Termo de protesto.Aos 10 de agosto de 1865,
na cidade do Recife, em meo cartorio, appareceu
O conselho. de compras
a suplicante p>r seu bastante procuradora solici- Precisa comprar o seguinte
Arsenal de guerra.
ttdor Antonio Piolo de Barros, e disse perante
mii: o as testemunhas rafra assignadas, que redo-
la a protesto o cometido de sua petigao retro, a
qual olTerecia, como parte do presente, e de como
assim o disse e proteslou lavrei este termo no qual
se as-tignou cora as ditas testemunhas.
En Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o escrevi.Anlonio Pinto de Barros.Pedro
Tertuliano dos Santos Azevedo. Faustino Jos da
Fon ceca.
E mais se nao continha era dito termo de pro-
testo aqui copiado. E lento a supplicante produ-
cido suas testemunhas, sellados e preparados os
autos subiram a' minha concluso e nelles dei a
sentenca de theor seguinte :
Hei por justificarla a ausencia do supplicado, qoe
:nan i i que seja citado por editos de 30 dias, para
o fim requerido a fl. 2, pagas as costas ex-causa.
Recife, (9 de agoslo de 1865. Tristo de Alencar
Araripe.
E mais se nao continha em dita sentenga aqui
Opiada. Por torga da qual o escrivo fez passar o
prsenle, pelo qual chamo, cito e hei por lotimado
o dito Mipplicado, para que comparega oeste juizo
denuo do referido prazo, aflm de allegar o que for
de jusliga.
E para que chegue ao conhecimento de todos
man.le passar o presente qoe ser' publicado pela
imprensa e afBxado no lugar do costume.
Recife, 23 de agosto de 1865.
En Manoel Mana Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da theseurarla de fazenda
desta provincia, manda fazer publico, que tem mar-
cado o dia 11 de setembro proi rao vindouro, para
o cou-urso que se tem de abrir nesta mesma the-
souraria para preenchimento das vagas de prati-
cantes existentes nesta repartico, na alfandega e
oa recebedoria de rendas.
Para o corpo de polica em virtude da ordem
da presidencia de 12 do crreme.
250 mantas de la.
260 bonets redondos.
650 pares de sapatdes.
260 grvalas de sola de lustre.
Para o deposito, ordem da presidencia de
II do correle.
100 bonets.
100 grvalas de sola de lustre.
100 mantas de la.
100 pares de sapatoes.
Para o laboratorio, ordem da presidencia de
18 do crreme.
23 arrobas do plvora.
6 ditas grossa.
1 espuma de ira de metal.
Para o presidio de Fernando, ordem da
cia de 18 do crreme.
2 livros conforme o modelo que se apreseotar.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos
apresentera suas proposias na sala do conseibo de
compras, as 11 horas do da 26 do correte.
Sala das sesses do conselho de compras do ar-
senal de guerra, 19 de agosto de 186S.
O eucarregado da escripluragao,
Manoel os tle Azevedo Santos
O regt-dor do Gymnasio Provincial avisa aos
pas e correspondentes dos alumnos da aula de
primeiras leitras, que e>sa disciplina funecioua
das 8 horas da manha i da larde, que grande
parle de seus alumnos chegam seuipre das 9 as
10 horas, perdendo assim todos os dias os exarci-
cios de cootabelidade e escripia, que tem lugar
nessas duas horas, e que a semelhante omisso
devem attribuir qualqueratrazo em ditas materias,
e nao ao respectivo professor, que com toda a
pontualidade s 8 horas da principio a seus traba-
mos escolsticos.
Gymnasio, 23 de agosto de 1865.
O secretario, A. A. Cabial.
Pela repartigo das obras publicas, se faz
publico aos propnetarios dos predios da ra da
Cruz, entre o becco da Liogueta ra da Cadeia.
travessa e pateo do Corpo Saulo, que Ihes mar-
cado na forma do regulamento de 27 d i jnnho de
1864, expedido para a execugao do art. 57 da lei
n. 396, o prazo de 30 das para a construeco dos
respectivos passeios das suas propriedade?."
Secretaria da repartigo das obras publicas, 23
de agosto de 1865.
No impedimento do secretario,
Joao Joaquim de Siqueira Varejdo.
O conselho de compras do arsenal de guerra,
precisa comprar o seguinte :
Para a companhia de Zuavos, em virtude da or-
dem da presdesela de 22 do crreme.
60 bonets a cavaifnac
60 mamas de la.
60 grvalas de sola de lustre.
6 covados de casemira branca.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentera suas pro,>ostas com as respectivas
amostras no dia 26 do crreme, na sala do conse-
lho, s 11 horas do dia.
Saia do conselho de compras do arsenal do ar-
senal de guerra. 22 de agosto do 1865.
O encarregado da escriplurago.
Mauoel Jos de Azevedo Santos.
Urna dita na ra do Carino n. 3 cora 2 salas e
4 q uartos.
Urna dila na ra do Amparo n. 33, cora urna sa-
la, 1 gabinete na frente, cora 4 quartos, sala alraz
e cosioha.
Duas ditas na ra do B)tn Sucesso oudos Coar-
tis de n. 1 e '2, com 2 salas, 2 quartos, costaba
fra edilicada ha bem poueo tempo.
Cordeiro Simdes
legalmente autorlsdo far lelil dos predios ci-
ma mencionados, situados em Olinia e as prin-
cipara ras, as quaes se acliam expostas ao exa-
me dos preteodeiites, qualquer e*clarecimen(o o
mesmo agente satisfar, cujo leilo ser efectuado!
Terri-feira 29 do corrente as 11 horas
em ponto no armazem ra da Cruz n. 57.
Leilo de predios.
A saber :
L'm sobrado de um andar e solio da ra da Sen-
zala Nova o. 6, o qual rende auuualmeme 528J.
l'm dito de um andar sotona ra da Serzala
Velha n. 28, o qual rend- 4605-
Tisset Frers previnem aos carregadores dos na- TtrCU-eira 29 lie ftttStt.
vios da linha do Havre a' Peroami-uco, que o frete' o agente Pinto far teilao, precedida a compe-
do Guillaume re I, esperado a cada momento, tem tente utonsagao dos dous sobrados cima indica-
sidoabaixadoa 30 f-. e lv o do Sphre a car- dos as 10 horas do dia 29 do correte, na pracido
ga no Havre a 85 fs. e 10 0)0. e que talvez o dos' Commercio.
navios segrales sera' ainda mais em conla, o que j-------------------------------------------------------
Ihes sera'avisado por vii deste jornal. Os navios1 WJ^Tir % "k
eslo a isposigo dos carregadores para as vollas M-i EiM j .^.%W
a pin frete abaixo de 45 fs. e 10|0 conforme se Da dous escravos sendo um cosiuheiro e copeiro
ajustar com os annuncianles, ra do Trapiche n. 9 eo outro cosinheiro, padeiro e imaginario, ambos
.,. ~" n_ i,_ i sadios liis e sem vicios.
rara o orlo por i..l*boa T foi., oq j. rooi
pretende sahir com a possivel presteza o brigue leita-ICira t O' o0Sl0
Pemambueauo : para carga e passagelros, a quem a? *' horas em ponto, na praca do commercio, em
offerece bons commodos, trata so com o consigna- frente a Associagao Commercial.___________
tario Thomaz de Aquino Fonseca, ra do Vigario ,
_ O desembarga* Alvaro Barbalbo l.-Tioa
Cavaleaau, soombmmm* mas as p-->?s
que tiv.-raui a cariiade de aeotnpanhar ao
ultimo jazigo os restos morais sua ata
|ire chorada rn.ai D Franrisra .).- .Asss i>
falcanli, de novo Ihe.- ruga o i.le.pio di? <-
sbtiren a mis.a do s*:im. dw,-|u p I cler-
lo repooso da mesma manda rt-l-brar anu-
nha (2">) na matriz de Hhmtim, a> X I-
ras da roaabSa, por .:jo .uto .i rHbj
desde i.i se Ibes eoslasH anda BMfei agra-
decido.

Antonio da Cunha snre* Gulimr.i > eonrarte e seus lilho< c ir.l.TvI.n^nle ajrrjov-
cera m pessoas que se digmnm mal a
niissa e ao memento |oe Me*taariM n> --
tim i dia no convento d^ S. Francisco p^U
alma de Jo- dp |nso Cnnha.
Precisa-se le mn cobrai>r para esl>
Diario, que preste lbm;;i : na livraria n. *I
e 8 da prara ila Indepeniienda.
Beulo
Europa.
de Medeirns Itaro-j-a re'ira-s^
p.r-
Ama.
Precisa-se de nma ama
na ra da S-nzalla Vellia n
Para
78. |
nm .-o
aiyiar.
-r.
n. 19, primeiro andar.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende sabir nestes 15 dias a barca nacional
Valle; para carga, passageiros e escravos a frete,
trata-se com David Ferreira Hallar, na ra do
Brum u. 66, ou com o capito da mesma barca.
Para Lisboa
vai seguir nestes pouros dias o brigue portuguez
Constante, recebe ainda algumas miudezas e pas-
sageiros, para o quaes tem boas aecommodagoes:
a tratar com Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19, ou cora o capito na
praca.
LEILAO
De uma casa no Monteiro.
Terca-feira 29 de agosto.
O agente Pinto tara' leilo as 10 1|2
PHOTOGRAPHIA
*g CRL'ZEIRO DO MM1TI. $
11 lua Cslrrila d I! ioiii 11
g? Tira- ^ da a 83 a duzia e ."-3 m-ia <\nt.*. ^m
^ cartdesde vUita, on ida perf-ii .,
s^ gosto dos rniratani-s.
OBO
O 1|2 horas do | e fl.SlO.
dia acuna dito da casa n. 30 da ra do Monteiru i Hontem 23 do crreme o msmW A-ostiho (#..
esquina do becco do Quiabo, edificada em chaos | vando uma mala de viagem rom a rtuaoiii *
proprios.com 2 salas. 4 quartos, cosioha fora, | (1:400* em moedas de ouro pr.rtugoeza* t 'ibra>
quartos para pretos, quintal murado e cacimba, na -
! praca do commercio em frente a Associagao Com-
mercial.
ATEOS BIYEIiSOS.
irnos.
LEILAO
Da hypotheca da casa da ra de Malinas
Ferreira n. 48, na cidade de Olinda.
Martins far leilo por ordem do Illm. Sr. Dr.
Claudino de Araujo Guimares cnsul de Portu-
gal, da hypotheca cima pertencente ao espolio de
Antonio Ferreira da Silva
nojE.
Em seu escriptorio ra da Cadeia n. 9, as 11
I horas.
Na mesma occasio sera' vendido por ordem do
i mesmo Illm. Sr. cnsul um cavallo pertencente ao
, espolio de Firmino Pacheco Gomes.
Leilao de predios.
1 sobrado de 2 andares na ra da Assurapco
; n. 44.
1 ni. ia agua no becco do Calabouce o. 1, rende
8.5 mensaes (terreno proprio.)
12 casinhas meia-aguas na ra da Palma en-
Relaeao das carias segoras nstenles na admiois- trndo pela ra do Cano primeiro porto a di-
trage do correio dcsta cidade para os se-1 reila.
1 dita dita junto ao poriao
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecila nesla praga.toma seguros maritimo?
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edincios, raercadorias e mobilias: no seu escripto-
jio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
VOLUNTARIOS
DA
r,-:,.
r :i
nhores abaixo declarados :
Dr. Amonio Coelho de S Albuquerque.
Antonio Gongalves de Azevedo.
Coramendador Antonio de Souza Leo.
Candido Vieira da Cunha.
D. Emilia Fortunata de Gusmo.
Dr. Francisco Aminta* de Carvalho Honra.
Francisco de Mello Barreto.
Joo Alves Malheus.
Jos Meudes de Freitas.
Jos Roberto Vianna Gu llon.
Laurentino.
Maria Joaquina da Conceicao cavalcanti.
Rodolpho Joo Barata de Almeida.
LOTERA
AOS 6:000000.
Corre qoarta-feira 30.
Acham-se a venda na respectiva thesou-1 Crespo n. 2.
raria ra do Crespo n. 15, os bilhe)es da
2* parte da lotera (29a) era beneficio das
familias dos briosos voluntarios da patria,
cuja exttaccao ser no dia cima menciona-
s
TilEATItO
DE
com uma sala, um
quarto e cosinha.
1 terreuo com duas casas pequeas sendo uma
em construego na ra Imperial, hypothecados
or Manoel Luiz Coelho de Almeida ao Rvd. D.
os Antonio dos Santos Lessa.
MOJE
Martins fara leilo competentemente autonsado mstnmp
des predios cima no seu escriptorio ra da Ca-, uo ^ O lugar e ora UO COSlume.
dla n. 9, as 11 horas.________________________i Os premios de 0:0000000 at 10J000
*5f-i-^ j j _^ serao pagos uma hora depois da extraccao
LeilaO de (VerSOS lllOVeiS at as i horas da tarde, e os outros depois
ojbTIbHS da distribuido das listas.
O agente Pestaa far.V leilo por conta de uma : A er,C0Timendas S rao guardadas S0-
pessoa que se retirou, de d versos movis eutre ,. ... i ,*,.
mente ate a noite da vespera da extracQlo
sterlinas, l< vando mais diversas obras de mws\m-
le escravo foi comprado pe.) abaixo abierta.). o
dia sexta fei-a 18 do Brrente, a a
e tem os signaes segrales: etr tmtm, i.i i-
30 anuos, ve.so de um olho. baix .. ,..i,ca m
um poueo ruiv;i, i-d.Io um pqno) iikIuc/. jaM
ao estomogo proveniente de uma queda qne *i
sobre um pao: quera o appreliender oa W u-Ai-
cia certa na ra da Sr. Barth domeu ao mesw>
abaixo asignado ser b-m grauflrado.
______________ Francis Meno.
.iui.i >e imsgmi ae urna m"".|Oe
bem e sirva para comprar : a tratar na
Imperalriz n. 34, primeiro andar.
Quem precisar de uma prea mmwTim -1-
be engommar e cosiohar, dirija-se a SanM Am.r..
das Salinas segunda casa nocorrrr d.- .1. Sr. Aa-
tooio Jo.- Gomes do Correio, que achara cura
quem tratar.
Festividade de~.S. dasNe-
ves na Parahyba.
Devendo ler Ingar a fenvida-
de de H. S. da< .Neves na Pa-
rahybi, no .ha S de s^temhr.
prximo, e navendo .fciu- dia< fe-
riados (7 e 8). |>re|end*-se f retar
um dos vapores da companhia co!eira, para Ir
aquella cidade levar os pa.-sageiros e r-gre*sar
com os mesmo, tendo lugir a pirul do wmjmj
no di i 6 a tarde, e a volta no da 8 a rwte.
Sendo porm preciso numero ^uffici.'nte 4e dm-
sageiros, alim de se propor o iMsmtmmi do vapor
e contratar se as pessoas que desejar.m dar e*M
bello passeio, queiram inscrever seos mosme em
listas que existem para aaw lira no Recife a roa
da Cadeia n. 15, e em Santo Antonio a rin
elles um pequeo cofre : quinta-feira 24 do cor-
reme pelas 12 horas da manha no armazem n. 7
da ra do Vigario.
LtilliO
Correio geral.
Pela administrago do correio desta cidade se
faz publico, que em virtude da convenco postal,
celebrada pelos governos brasilelro e francez, sero
expedidas malas para Europa no dia 30 do corren-
te pelo vapor francez Navarre.
As cartas sero recebidas at tres horas antes
da qoe for marcada para a sabida do vapor, e os
jornaes at quatro horas antes.
Administrador do correio de Pernambuco 22 da
agosto de 1865.
Domingos dos Passos Miranda.
Administrador.
EMPREZA-COIMBRA
Recita extraardloarla.
ESTRA DO ARTISTA S1MES.
4 recita do sen repertorio.
Quinta-feira 24 de agosto de
1865.
Logo q'ne a orrhesfra tvereteentado uma linda
ouvertura representar-se-ha o mteressante drama
em 3 actos, do Sr. Cesar de Lacerda
TllllULHO E I10MI .
PERS0NA0E8.
Cbristovo, amigo barqueiro..... Simoes.
Carlos, seu fiIho......'*;..,... Lisboa.
Seabra, estudaote.............. Amodo.
Jos Fernandos, negociante...... Pinto.
Joo de Mello, estudante........ Guimares.
Capito Silva, martimo......... Porto.
Antonio, criado................. Teixeira.
Macario, dito.................... Pelxoto.
Um piloto...................... Borges.
Um roarinheiro................. Santa llosa.
presiden- Genoveva, molher de Cbristovo.. D. Joanna.
Amelia, sua atildada............ D. Camilla.
Oiympia, dan-arin i............. D. Eugema. I
Julia, dila...................... D. Jesuina.
Carlota, dita................... D. Leopoldina
Amigos de Carlos, raarinheiros mercantts e
criados.
A scena passa-se > Jtamuat*
1 acto... No Campo Grande em Lisboa.
2 dito... Em Villa Nova de Gaia.
3o dito... No Porto.
Dar' lira ao espectculo o entre-acto cmico,
ornado de msica, original portuguez, do Sr. Do-
mingos Monteiro.
Hoje 24 de agosto.
Ferreira 4 Matheus lindar hoje o seu leilo de
fazendas Ingleza* todas prophas do mercado como
acabara de comprovar com precedentes a seus:
freguezes, cuja concurrencia anda solicilam mes-
mo por nao desejarem encommoda-los mais por
e.-u vea.
como de cosiume.
Thesouraria das loteras 22 de agosto de
15G5.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Leilo
De 9 caixas cora queijos flamengos, 10 queijos'
prato, caixas com vraho do Porto, Malvasio, j
Muscatel e Setubal e 35 saceos com fejo fra
dinho.
Hoje as 10 huras da manha.
O agente Pestaa fara" leilo de todos os gene- i
ros cima mencionados para fechar c>ntas em lo-
tes a vonfade dos compradores : hoje 24 do cor-
rente pelas 10 horas da manha no armazem do
Sr. Azevedo defronte da escadinha da alfandega.
I i
LEIIjO
De um machinisrao parafarer marroquim, produc-
tos crmicos para preparaco do mesmo, garra-
fas d'agua de liioo, couros de cabra, sola, cou
ro branco e ditos de bezerro, t armario, i ba-
langa e mais objectos pertoncentes a fabrica da
ra Imperial n 191.
Sabbado 20 de agosto.
O agente Pinto autorisado pelo Sr. cnsul de
de
O padre Antonio da Cunha e Figueiredo
convida os ara gos e irmos d'armas do ca-
pito do nono batalho de infamara a pe
Jos Francisco de Moraes e Vasconcellos,
que, tendo marchado em defeza da patria,
fallecen em Rueoos-Ayres no dia 26 de ju-
nho do correte, para ouvirem uma raissa
de rquiem pelo repouso eterno do mesmo
capito.
Amigo constante, militar honrado e dis-
tincto que soube dedicar-se ao seu paiz e
principalmente a esta provincia, onde desde
1848 at fevereiro deste anno preslou rele-
vantes servigos, sua memoria credora de
nossas lagrimas e sufragio*.
A mencionada mis-a ser celebrada na
matriz da Boa Vista as 3 horas da manha
do dia 25 do correte
Os ftlhos do primeiro matrimonio e
Franga far leilo em presenga do mesmo, ou de ffpnrn< ,ia nnarin hrif.idpir.i ftasnar dp M.'-
nm sen delegado, dos objectos cima mencionados genros uo nnaoo origaueiro uaspai aen*.
nezes Vasconcellos de rummond, convi-
dara e pedem encarecidamente a todas as
pessoas que se conskUrarem credores do
respectivo easal se sirvam de apparecer na
ra da Aurora a. 26 dentro de 15 dias con-
tados da presente data, das 6 as 10 horas
pertencentes ao espolio do finado Maideu* Ca-
meras, e existentes na ca*a da roa Imperial n.
191, onde se elTectuar o leilo as 10 i|2 horas do
da cima dito.
Em tempo previne se aos donos' de alguns ob-
jeclos que al ti se acham, qniram retira-los antes
do leilo entendeado-se para Isto com o mesmo
Sr. cnsul francez, quando nao sero vendidos sem f]a manha e das 4 as 6 da tarde, para ve-
quesejaadmissivel reclamago alguma posterior. ^^ dM seug cre(jtos Q mri ^^
TjETTjAO do sobre os seus pagamentos, independente
de de questes judiciaes; Roe le, 8 de agoslo
Uma mobilia de amarello, 1 caieira de bataneo, de 80o. 1- *
1 marqueta, 1 eommoda, 1 mesa para laotar, 1 di- -s-------, n r-
ta pequea, 1 cama para casal, I lanlerna, 2 pares ~ Samuel p- 'ohnstoD, sua senhora e uma cria
0 AMOK LOMBRII.
PBBSONAOnrs.
Sir Evrard, inglez rico. ..u.. *r.i Simoes.
Emilia, aclriti................. D. Eugenia;
Comecara' as 8 horas.
N. B. Os senhores que quizerem assigttar para ,>
as 6 recitas que tem de dar neste theatro o artista de jarros, 1 lavatorio e outros artigos de gosto. aa vao a ProT,nci* qa "ia. _______
o Sr. Sim5es, queiram desde Ja dirigir-so ao es- Uma escrava de 80 annos poaco maU ou meaos. Antonio Burle, subdito fraocez, retirarse 'pa-
criptorio do theatro. 1 com habilidades. ra Europa.
A passagem de ida e volta ser de 20$ por rala
pessoa.
0< senhores que prestaren as sua< assigaatoras
Qcam sugeitos ao pagamento indicado, arada it<-
deixem de seguir.
A passagem, da viagem redonda, ser cobra la
neste porto a entrega do Inllwt
As assignatnras somenie podero t-r ligar al i>
dia 31 do crreme, deixando de realisar-s^ a via-
gem neste dia se nao houv.-r numero >nffltiene,
que sera pelo menos o de 50 passageiros.
POKTIGUKZ t LfcllLH- El PtH-
De ordem do lllro. Sr. presidente -ul.-tiiuio -i.
convidados todos os Srs. socios rffe<-iii-o< areum-
rem-se em assembla geral domingo 27 ihii
as 11 horas da maaha. na >ala las sr
mesmo Gabinete para se dar rumprimewio mm
precoitua o nico do art. 44 dos oo-os e-uiuu>-.
Secretaria do Gabinete I' riueuez de l.-uura em
Pernambuco 24 de agosto de 1865.
.Vi impedimento do 1* secr. lar ..
Alfredo Cardoso Pereira
2* -ecreUno.
Precsa-ne de urna ama para rnfomnur so-
mente : a tratar na ra da Cruz n. 9. terror
andar.
Aluga-se um escravo para criado oa paratra-
balhar no campo : defrouie do paiaeio do t.i^p..,
em casa do tenenle-cronel Joo Valenum Vii.-iia.
VJTaWEtt^Aj^
N'odi 1 de agosto do correte. aaafuai*>
Trombdta o escravo Elias, de Hat *> Iw sil-
va Serodio, cajo escravo btrsMlo. M ewt fr,
rosto redrado, nariz chato, com miras de htica-.
os dentes de cima limados, ctosimmjm *!ib-
ra regular, ps hastiales graaM: ivmmmmta
sera iwn rcwmpeasd.>, entr*aai.>o mn Puerteo.
ou no Trombel^acAr.. <'Jet*t$vm* AeeMi Us.
ou oo Itecif; em casa dVinm* Sr* viuva M.wti>4.>
St Filtio, na ra Dfreila n. *\, ou na roa do l*-i*i-
mado ao Sr. Jos Joaquim Pereira m afnatatara:
cojo escravo fugio do TromVU, levaado mm~
comsigo um quarto casUono rasiradojerrado aa
anca.
Dfi.Honry Kraus inudoii sua r*m-
doncia da ra da lmper-itrlz n. 30 para 9
sobrado graode n. 2 deronte t entrada
para a Estancia, mi le pode ser pincur*!.
a qualquer hora. Chamadas para dentro
da cidade ,odem ser entregues na botica
do Sr. Joa'uim Ignacio Hibeiro Jaaor a
praca da Boa-Vista, ni dos Srs. J, C,inro
& G. na ra da Madre de Dos, oa do ar-
mazem de viuva Kaymond &G. m na do
Trapiche Novo das 9 horas da manba ate
as 4 da tarde.
AMA
Na roa Nova o. 6 precisase de ama
servido de pouca familia.
v ~ -:r:
tjl1 -i: ^ ^ '\
T -


v^
Mario de Peraambuco ... ctuiuia letra 4 e Agosto de &>.
1
CASA DA FORTO
os 6:000^000.
Illlbeles garantidos.
A beneficio das familias dos briosos
voluntarios da patria.
A' RA DO CUESCO N. 3 E CASAS DO COSTME
O abaxoassignado vendeu nos seus muito feli-
es bilhetes garantidos da lotera qoe se acabou
deextrahir, a beneficio da matriz da Victoria,
os segrales premios :
Um raeio n. 1940 com a sorte de 6:0O0.
l'm quarto n. 2201 com asorte de 1:200000.
Bous meios o. 1972 com a sorte de 400,8000.
E outras muitas sortes de 100, 40$, 20# e
10*000.
Os possuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leisnaCasa
da Fortuna ra de Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 2* parte da loteria
(29*) beneficio das familias dos voluntarios da
patria, que se extrahir quarta feira 30 do cor-
rente.
PREQO.
Bilhctes.....7.5000
Meios......3,5300
Quartos.....1S900
Para as pessoas que cumprarem de 100(5000
para cima.
Bilbetes.....6,5500
Meios......3750
Quartos.....15700
________________Manoel Martins Fiuza.____j
Precisa-se alugar um preto ou preta para an-
dar na ra veodendo fazendas com ouira pessoa :
quera tiver dirjase a ra do Hospicio n. 62.
mmm mmmm mmmmmm
^ O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
3 tos contina a morar na ra do Impera-
SR dor n. 17, segundo andar, teodo alias seu
H gabinete de consultas medicas, logo ao
>*< entrar, no primeiro.
SS O mesmo doutor, que se tem dado ao
jj| estudo lanto das operacoes como das mo-
w lestias internas, prestase a qualquer cha-
J mado, quer para dentro quer para fra
j da cidade.
Pede-e ao Sr. Idelfonso Vieira da Cunha
que venha ou mande concluir o negocio que nao
ignora, pois j faz bastante tempo : na ra da lm-
peratriz n. 17, 2o andar. I
*- quem interessar possa na provincia do Cear. J
Em nome de meu pal o Sr. Gamillo da Silveira'
Borges Tavora Indgena e de minha mai D. Alaria
de Sant'Anna da Silveira, protesto contra qualquer |
transaeco ou alheiaco feita pelos herdeiros do
meu fallecido avd materno o lente-coronel Anto-
nio Gomes da Silveira sobre os bens do seu casal,
visto como nao se havendo anda procedido o res-
pectivo inventarlo e parlilha, nao f por faileci-
mento do dito meu av, senao lambem pela morte
de sua consorte, meus pas conservara sobre esses
beos direitos incontestaveis de legitimas, que rae
preparo para discutir e liquidar, Igualmente pro-1
testo dlara e posilivarrieLle contra as vendas feitas
das grandes propriedades periencentes aquello ca-
sal, sob a denominadoFlor de LizLindo Assu- |
dee ontros; bem como dos escraxos Andr, Ma-
noel e todos quantos no mesmo caso se acharem.
Recife 22 de agosto de 1865.
O bacharel
^_______Joo Franklin da Silveira Tavora.
Pechincfia
O abaixo assignadi, achando-se bastante doente,
pretenda fazer urna viagera, e por isso vende sua
taberna sita na ra de Santa Rita n. 1, a qual otTe*;
rece boas proporcoes para um bello progresso pela
boa localidade e vastimento do predio junto a ri-
beira da farinha, mercado de carne e peixe : final-
mele para ver e tratar na mesma com o seu i
proprietano.
Felisberlo M. Barbosa. !
Precisa-se alugar urna escrava de niela idade .
para o servido interno e externo de urna casa de
pequea familia : nos Coelhos, ra dos Prazeres
numero 10.
Precisa-se de urna ama e paca-se bem : na
:a da tjnperatrli n. 2't, 2 andar.______________
Precisa se de um menino de 14 a 16 annos,
com pratica de padaria: na ra do Baugel n. 9.
Precisa-se de urna ama to somonte para co-
zinhar o almoco e jamar de urna casa de familia,
dispensando-se-lhe seus servicos no resto da tarde
e noite : na ra do Queimado n. 18, primeiro
andar.
A negocio de inteiesse deseja-se fal-
lar com a viuva ou herdeiros de Manoel Jo-
s Pereira : na caixa filial nesta provincia.
Offerece-se urna mulher vluva de bons eos-
turnes e sem familia para casa de alguma modista
ou familia, a qual engomma perfeitamente, corta e
cose toda a qualidade de costura : a tratar na ra
estrella do Rosario, loja n. 2.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Ra Nova (esquina da Gamboa do Carmo) 25.
Os proprietarios deste estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabam de receber de seus correspondentes de Paris, um grande
sortimento de retratos (carlees de visita) das personageos as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quantidade de alinetese cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos.
Os mesmos aproveitam a oceasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os dias, domingos e das santos, das 9 Borseguins Bordeaux.....
horas da manha at as 4 da tarde e que os temi-os de chuva &o influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preferivel patricios.....
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operado, como pela coramodidade das pessoas. para senhoras,
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acbam estabelecidos nesta cidade, e que n5o ser menos de cerca eilados
de H.900 a 7,009, para ellos urna garanta futura, posto que se appliquem lodus os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
OS IMIUGIAYOPI
E' a ordera do dia t Acabar coa os fara-
gmyos a bayoneta, a mini, a
fulmina-las com os encouracados
de esporoes, armstrongs e raudas de 80 i
120; extermina-los em sana i upadi. a
fa o e a punhal de que se trata; mas
ninguem se lembron anda de esengar os
Paraguayos com as armas qoe Dense** cest-
cedeu; acabar com elles a taeo e a
ps, para o que necessario encouraear i
parle do nosso corpo com os hnmtnm
rompe-ferro, esmaga o bra, arranca I eos.
quebra marmore e ontros que se tendeas i
IS RA ItlKKITA4*
MOOO
-yea
en-
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VE Vil V EM PEJIVI LflItlJCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos que compoem esta preparaco, o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta altcslar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hosp-
taes, e os relatorios dos prticos mais eminentes
qne confirmrao sua poderosa efucacia as se
guintes aeccdes:
Mingos no sangut,
truquera.
Anemia,
Chlorosc ou Ictericia,
Menstruo,
Afreceoe do tero,
SuppresHOCH das re-
groa c desordena na
menstruacao,
Affecro pulmonar e
phlhlalca,
Mu I <- 11 un d'eatmao,
Gastralgia*,
Perda d'appetite.etc,
Canvaleseenrade Ion-
gaa molestia*,
Molt'NtliiN escrofulo-
M,
Papelra,
Obstruccao dan gln-
dula*, *
Humorea fros,
rumores limteos,
Rucuttlsmo,
Affeceoes cancerosas
e syubllltlcas,
Febrea typholdes,
Bexlgas, etc., etc.
Vejos', os bulletins de therapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; o Gazeta
dos hospitaes de 28 dejullw 186<\ etc., etc.
AlCm das pilulas de todureto duplo de ferro e de
quinina de Rebillon, os Mdicos aconsclliSo
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo aulhor para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular e os meninos. Este xarope nao tem
como o xarope 'ioduretode ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
442, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
PASTILHAS i
IGESTIVAS
DEPEPSJNA
DE WASMAN
Dlarrlieaa e a conatl-
puro proilusldas
pelas -luhorares
dcfcltuosas dos ali-
mentos.
As psfUMM digestivas com a pepsina~de
Wasman, emprego se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicacs de
Paris. Londres, Vienna, etc., em todas as in-
commodklades em as quacsadigesulo ( difcil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivel: cis
o mclhor remedio para cural as.
Gastralgias,
nlspepslas,
Km lia rn ros gstricos
A gastrlle.
As nrfecres orgni-
cas do estmago,
Sua accao vivifica o sanguc c os rgaos de
tal sorte que, alhc as pessoas que sem soffivr
as affecccs gstricas cima mencionadas sSo
nicamente iracas ou d'um temperamento um
pouco dbil, e necessito substancial alimento
para fortificar-sc, achao no emprgo das paslil-
has de pepsina de Wasman, um poderoso meio
para a isso chegar.
Aviso importante.Osucccssodas pastilhas
pepsina de Wasman deu causa a se fazerem
falsificacoes eimitacocsd'esse producto que os
mulos se quercm desfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacao a pepsina, que n'clla
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'este
inconveniente, cxigindo os compradores que as
pastilhas tenhao as iniciaos B. P. c saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Monlmarlrc, c cm todas as boas
pharmacias DOENGAS
dos MENINOS
CUBADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
N* 1. Contra aa CLICAS DOS MENINOS antea
e durante a dentleao
(Xarope de nynoglosse e de acido succinido)
V S. Contra a
TOSSE CONVULSA
NEnvOSA
e a TOSSE
(Xarope de cynoglosse e de leo rolaiil de succino)
3. Contra
aa COSVULCES
A CHOREA
DOS MENINOS
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos medicos
de Franca para o tratamento das molestias dos
meninos cima indicadas, e vierao cncher um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
affecccs da infancia, para as quaes, ath hoje,
ainda se nao pode indicar tratamento racionnal-
nem infallivel.
(Peca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prcco do frasco em Paris, 3 fr.
Para se evitarem as falsificacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c em todas as boas pharmacias de Frang
dos paizes cslrangeiros.
GRANULOS
DE CHEVRIER
Os granulos de bismuth de Chevrier em supe-
rioces a todas as outras preparacoes de bismuth
empreadas antes com o maior successo pelos me-
dicos de todos os paizes, para prevenir c curar as
Molestias de ligado,
A ictericia,
Palpltaca* do cerarao
Droo noa rln,
Pelas commiisoei em
Dlarrbeaa chronlcas,
DyssenterlaS,
Ddres d'estomago,
Dyspepslas,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
Mas dlgestoes,
Gastrltea,
Gastralgias, etc.,
grosso,
Opprescoes,
Dores de rabeen,
irritaees de beziga e c c"1 lui'as as pharmacias ue Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros
dirigira aos S'" WILLAERT e BERGER, comisario! em drogara, 11, ra Saint-Lasare, Pars.
MASSA e XAROPE
DE CODENA
DR
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magcndie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, medicos dos hospitaes de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as losses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe ca-
tarrho epidmico:, defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchitc e tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificacao, exigir ein(
cada produto o nome
c a firma Berth.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
lina Ste-Croix-de-la-Bretinnerie.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA!!
SulToccco nervosa e Oppress*
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um atlaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do l)r Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
com laco e fivella ..
Sapatcs encouracados.......
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
avelludados.........
de Iranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
com salto de lastre..
Chineloes do Poro..........
Um completo sortimento de
50
WMWO
50M>
noto
IJtO
I50O
vnt
calcado a
trra para homens. senhoras r nimi,
assim como bezerro francez, conro de Im-
tre, marroquins, taixas de todas as qoaii-
dades, litas para sapdteiro, muito sortidaS,
sola e coaros que ludo fisto necessariaweo-
te faz cobija ao comp ador pela barateza.
Beroardino Pacheco dos Santo* julin a
corpo do commercio qoe modon o sea i iisiali 11
ment de moldados da ra da Laca a. 13 para a
ra do Hospicio o. S8.
Quadro dos bravos de
Riachuelo.
Esta a venda o primeiro quadro dos U
de Riachuelo, roolendo 18 retratos, entre os pan
brildam os de Pedro Alfonso, de Garriado. ft man.
Torreao, etc.; a roa do lotpedor, hvraria I
mica o. 79, preco iiim.
Offerece-se urna ama para toda a
terno de una casa : na roa das Triacaeins ML
sobrado.
Precisa-se de ama ama para lodo o serviea'
na ra das Crozes n Mi.
i Alujase a casa terrea da roa
! 43 : a tratar na ra da Cadeu do
primeiro andar.
PMSMa,
i.
so-
llCfiO i
kjeetd* tM
Precisa-se de urna ama que saiba lavare
engommar, e um moleque para o servico externo :
na ra da Caixa d'Agua n. 70.
Ama de leitc.
Precisa-se de urna ama com abundancia de leile,
paga-se bem : na ra do Pilar n. 6, sobrado en-
carnado.
Precisa-se de urna ama para a servico ioter
no de casa de um homem so : a tratar nos Aloca-
dos, ra de S. Miguel n. 34, taberna.
A pessoa que annunciou precisar de ama es-
crava com algum leile, dirija-fe a esta offleina qae
achara.
Acha-se justo e contratado a casa terrea, cita
na ra de Santa Tbereza n. I-j ; quera se julgar
com direilo a mesma, annuncie no prazo tres dias
para prevenir duvidas futuras.
Gftkrece-se para caixeiro de molhados um
moco de 14 a 16 annos, que tem algama pratica.
do que se dar inforraacoes na taberna do Hospi-
cio n. 24.
Ama de leite.
Alaga-se urna ama de leite sem filbo : quem
precisar dirija-se a ra do Cordoniz n. 38, que l
achara com quem tratar.
Precisa-se de urna pessoa forra ou escrava
para ama : na roa de Aguas-Verdes n. aO, segun-
do andar, que saiba engommar, coznhar, e que
sirva para as compras de ra : quem estiver nes-
tas circumslancias dirija-se a mesma ca?a.
Joo Francisco dos Sanios, actual caixeiro
de Prente Viaana & C. muda o nome para Joo
Sollano dos *anto?, por haver encontrado alguns
de igual nome.
Aluga-se a casa terrea n. 67 da ra da Es-
neranca no Camioho Novo : a tratar na praca da
Boa-Vista n. 30, segundo andar.

"fc.
o\-E0 >7
FIGADOoe BACALHAU
KM
ontista de Pernambuoo.
82 Hua estreila do Rosario n. 3,
ao pe da igreja
"FRANCISCO PINTO OZOMOg
H CoIIoca deutes artflciaes !
pelos *y*tenas inais iuo- 1
SH demos f
\ Emprega todos os meios cientficos para i
s conservar os naluraes. Pode ser procura- !
i9S do em M'u gabinete das 9 horas da roa- $
IjjB nhaa as o da larde.
nuil mmmm mmmm
Precisase alugar urna preta que seja boa
engommadeira e cozinhe, sem vicios : na ra das
Cruzes n. 36, primeiro andar : paga-se bem.
mmmm mmm-mmmm^mm
jfc O bacharel
W} Francisco Augusto da Costa
ADVOCADO
jgg Ra do Imperador numero 69.
mmm mmm mmmmmmm
Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas
tambera se az qualquer obras de er.commenda e
odo e qualquer concert.
Todas as pessoas que devem exmela firma
de Novaes & Filho facam favor de mandar pagar
ra do Livramenlo n. 34.
my
O advogado Godoy vasconeellos, pode
ser procurado no escrlpiorio da roa do
lio-.irio estreita n. 34, ou em sua resi-
dencia a ra do Sol n. 9.
AO PUBLICO
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de illuminaco a gaz tenha da-
\ do licenca aos machinistas para trabalharem por
sua propria conta, Carlos Pluym, machinista, offe-
rece seu presumo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorte de servicos concernentes ao
seu officio, por precos muito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Ra da Imperatriz 17
N. B. LOJA.
S^- Para prova da perfeico do seu trabalho o
mesmo ferece ao publico o testemunho de in-
mensas pessoas para quem ja trabalhou a mandado
da corapanhia do gaz.
A NACIONAL |
Conipaiihia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma liaiit;a em diaheiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa da
ministra rao da companhia.
Alnga-.e para eseripiorio o I* astear do
i lirado n. 63 da ra da Cadeia : 3 tratar aa
do andar do mesmo.
mwm wmmwm*
* aa
1 *Joias precinsas e
irt.
/fS Mauricio Setbeberg & C, Polacos, par-
; ^i ticipam ao respeiiavel publico, qoe ara-
B bam de receber um grande sortimrato
^ de joias e brilhante?, como sejam : rala-
ggios, trancelins, aderecos coisldos, sa-
ne is, cadeias, polceiras etc., ele. e lado
qoanto diz respeilo a joalheiria, pelo are-
I (o o mais razoavel possivel, e saassaa
I T troc* e compra objectos de ouro, praia e
v iliamantis por ohjt-rios nov,is : aa roa
: Sg do Queimado n. 29, entrada arto tara
j ^ de Pedro II n. 27, de maoh. al a 9
I Mg horas, e a Urde das 4 horas m duaie.
^ Os objectos vendidos pelos aBaoTfaalas
i jfS sao garantidos por elle*, e esto afoasffw
! M para levar objecti.s as casas das pessoas i
i i~g que desejarem comprar, orna vea qoe '^L
I nao possain vir a seu eslabelerimeaio.
l cao.
BANQUEIROS DA COMPANHIA
O Banco de Hespanha
DIRECTO GERAL
Madrid: Rua do Prado u. IB
Compauhia fidlidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES KM PERNAMBUCO
Antonio Luir de Oliveira Azeredo k C,
competentemente antorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidlida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1.
mmmmmmmmmmmm
RETRATISTAS
Firmino&Lins
Novo estabelecimento de retra-
tos rua Nova n. ili, Tan-
dar, junto ao Sr. Gaulier,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manhaa s 5 da tarde, quer chova ou
nao.
Tambem se offerecem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annunclantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanten) ao publico
que nenhum trabalho sahira de soa offlei-
na, sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do fregoez.
A
Francisco Garrido, anlig-o propri*iane do h
Trovador, silo ua rua do Rosario, de vnira de i
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fr*
' zes, lauto de.-la capital romo do reairo da ttvnm-
Esta companhia liga pelo systema mutuo todas as combinacoes de supervieucia dos segu c\t) ()Ue se arna 0uv,inenie esubelrnao i
sobre a vida. ._._ a j rua larga do Rosario n. 37 com um hotel i
Nella pode se lazer a subsenpeao de maneira que em nenhum caso mesir.o per rrcrlt dos nado Traviau onde acbario os eos fren
garri u perca o capital nem os juroscorrespondenles a estes. j ^mpre a melbor V(,nlaue ^ ^m os 5rrv>r a
bao tao suprehendenles os resultados que prodazem as sociedades da ndole deANACI par de excellenles vinhos capils e lm cosaidj
DAL,que anda mesmo diralnuindo urna terca parle do interesse produzido em recentes liquidai qUr no mesmo estabelecimrnto uur para too a'
ces ecombinando-o cora a raortalidade da tabella de Depareieux que e adoptada pela coinpaoh-- dentro da cidade aos que nao qniierem oo aao to-
para seus calculse liquidarles, em segurados de idade de 3 al9 annos, urna imporsicaoaunua. derem vir a seu esubeleiiimeolo <-o-l<. i*U. pr-r>
de 100# produz em effectivo metlico: : ms modif0 que fm 0Qtt> ,m\q0fT parle. i,
No fira de 9 anaos.......i:li9|300 meSmo esubelecimeolo acbaro os seos Unmnt*
"e .......aaSSaSS bilhares para recrearem-se, lm n-mo sorrete ss-
* ae 15........11:208*200 das as noites para refrescarem-se.
de 20........30:2o6000 ------^_.,."----------------s .... ^------------
, de 25........80:331*000 ~ Precisa se de ama ama habilitada para mdo
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis. rif!Sa5!T-? a **'!!!'"" ,?e*tt" *1
ProspecDs e mais informacoes serao prestadas pelo sub-direcior nesta provincia. i ^ ,.. 5 d ,rapir"* *
Joaquim Fiuza de Oliveira, ru da Cadeia n. 32, ou a Boa-Vista roa da Imperatriz n.l2,estabel ,eaade' rua FroreMO '______
meato dos Srs. Raymuado.Carlos.Leite & Irmao. A luga-se a padaria com seos perteart
roa Imper al n. 199 : a tratar aa roa Je
taberna n. 2.

^
J>
co processo de Ckerrier,' phirmaeenlico
Paris, rua de Fauhourg Ion Imarte 21.
Este oleo de um cheiro agradavel, e Na rua do Imperador n. 83, segando andar,
precisa-se fallar com os seguintes senhores, para
negocio que Ihes diz respeilo.
Antonio Nunes de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Jos Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Serafim de Deas.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
Joo Antonio Pereira Ramos.
Joo Marioho Paes Brrelo.
| Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
Sebastio Antonio de Albaquerque (estudante).
Francisco Gomes dos Santos.
Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebastio Jos de Barros Brrelo.
Francisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Alfonso Alves.
Joaqum Francisco da Silva.
Joao Ribeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
um sabor assucarado o nico que n5o tem
nem o gosto, nem o cheiro do peixe. Ob-
Vicente Ferreira Neves.
Joaqum Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Julia Rosa de Aimeida Pinto.
jecto de numerosos relatorios scientificos e
mdicos, este mdicamente que goza em Leopoldo Gadaut.
Franca de um successo He raro como bem! iaaquim de Oliveira Maia Jnior.
merecido, receitado diariamente pelo*
Precisa-se alagar urna escrava para casa de
pouca familia : a tratar na rua do Sebo n. 54.
Encanamentos para
aguas.
Fazem-se na rua Nova n. 30, com toda a per-
feicj.
Samoel Power Johnston i Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
FundlvSo de Lo floor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nfaOj
Arreios de carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
PHOTOGRAPHIA DE ALGIBEIRA
APPARELHO DUBRONI.
Com o qual todos podem ser photographos.
De todos os apparelhos photographicos aperfeicoados at hoje, o apparelho DUBRONI, sem
duvida o mais aperfeieoado e o mais econmico, elle permute alm disto de nao manchar os dedos e
de operar em plena luz. sera adiego de especie alguma de laboratorio.
Nao mais ama cmara preta. urna cmara de vidro amarello, dentro da qual se otrodu-
ztm os banhos photographicos por meio de urna pipeta (bola de borracha) muito fcil de manejar.
O apparelho completo, seu necessario e accessorios custa a diminua quantiade 304.
Oobjectvoe os productos sao de primeira qualidade. Com este apparelho toda a pessoa igno-
rando mesmo os principios da phoiographia, comanlo que seja um pouco habilidosa e cuidadosa ebe-
garem alguns dias a obler resultados satisfactorios.
Chegaram alguns destes apparelhos a casa de J. Falque, rua do Crespo n. i, preco 305.
N. 15. Acompanha cada apparelho um folheto com todas as eplicacdes e desenhos necessarios,
tambera se mostrar provas tiradas em Pars e Pernambnco, com os mesmos apparelhos.
Maques sobre Lisboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Sanio n. 19.
principaes mdicos dos hospitaes de Paris.
O OLEO DE F1GADO DE BACALHO DESINFECTA-
DO ferruginoso emprega-se com os maiores
successos as molestias em que se emprega
o oleo quando sao acompanhadas de debili-
dade e atona.
Francisco Jos Germano
RIJA NOVA X. I,
acaba de receber um lindo e magnifico sortimento
deoculos, laneros, binculos, do ultimo e mais
apurado gosto da Europa.
Ama
Precisa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de pouca (anua : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 17.
Alugam-se dous grandes obrados com comt
modos paca numerosa familia, novos e aceados
com jardim, cocheira, estribara e outras comino-
didades, nft-travessa de Joao Fernondes Vieira :
a tratar na na da Senzala Nova a. 42.
vni
Precisa-se de um*. ama qoe sarba engommar e
coser perfeitamente, rea rua do Queimado .n. 'Mk,
segundo aadar, EMfc4? bem.
O London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
X'o dia 11 do correle trlaram da rua da
Pr*ia*m burro castanho, castrado, de 10 annos de
Idade, cojo burro tem a marca J. fi. L no quarto
direilo,e -octava carregado com cangaiha de ferro
e 8 arrobas ta ao Sr. Amonio C. Moreira Temporal a' j-na da
Cruz n, 30, ou s engenho Boa Casia Al freguezia
do Cabe, Jiepj .recompensado.

Joo Antonio Gomes Guimares, Joo da
Cunha Soares Guimares, Jovina Candida de
Mello Guimares, Manoel Pereira de Moraes
Pinheiro, Mara Amelia de Freitas Moraes
Pinheiro e Joanna Militana de Jess, agrade-
cem a todas as pessoas que acompanharam e
assistiram ao funeral de sua sempre chara
esposa, irma, cunhada, ta e sobrinha Ma-
ra Jos de Jess Cunha Guimares, no dia
18 do correte, e convidam a todos seus ami-
tos e prenles assistirem a missa do stimo
dia, que lera lugar no dia 31 do cor rente as
7 horas da manha, na cpela do cemiterio
publico. ________________________
Casa de banhos
Largo do Carao m. 26.
Este estabelecimento to bem montado na sua
origem achava-se de ha muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de sua adinrais-
traco.
Hoje que o novo proprielario empregou todos os
meus para restablecer a grande utilidade deste
estabelccimenlo, pode asseitorar ao publico que
qualquer que seja o numero dos coocorrenles
achanto desde j promptido e aceio nos banhos
fri?, momos ou medicinaes, a casa dos banhos se
achara abena todos os dias das 6 horas da manha
as 11 da noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
uito fro oo morno..... 500
Dito de farello.......1 000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou morno... 10#000
25 candes para banho fri, mor-
no ou de chuvisco........... 10J000
12 candes para os mesmos.... 54000
12 ditos para banho de farello. 10(000
O Dr. Cosme de S Ferein coan-
na a residir na roa da Cruz n. 53,
1 e i andar, onde pode ser procu-
rado para o ejercicio de soa proas-
sao medica, e com especial idade
sobre 9 seguinte
i* molestias de oibos;
2* de perto :
3* dos orgos gen*-
ti urinarios.
Em sen escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consaltas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
BB Praticar toda n qualquer opera-
co qae julgar conveniente para
prompto restabelecimento dos
doentes.
8
AMA.
Quem precisar de ama ama para
goromar, dirija-sea roa da Lapa a. i.
Precisase de ama ama para cozinhar e comprar
para casa de pouca familu : na rua da Concordia
n. 34, sobrado do armazem do sol.
Precisa-se alagar ama casa para rapa-
res estrangeiros que seja na Capunga,
Passagem, Manguinbo, Estancia ou Ponte
de Ucha : a tratar na rua do Vigario
n. 3.
ID
Precisa-se de urna ama para cozinbar e engom-
mar pouco : na rua do Rangel n. 43;___________
Precisa-se de um bom eozinhero, na
I rua do Crespn. 8. loja de 4 portas.
Mili'
MSr.*KM JO? ajlJV.
mmm:
O Sr. Joao Miguel de Oliveira Beraido qceira
dirigir-se a rua Nova n. 60, a tratar de negocies
que Ihe dizem respeito.
Precisa-se de offlciaes de sapattiro que tra-
balhem com perfeico de ponto e ttixa, pata-se
bem : na rua da Cruz n. 41, esquina que volta
para a Liogoeta.
Nao podeodo a abaixo uigaadn fuer a fas-
ta dos gloriosos manyres Saalos Casa Paitan
padroeiros da villa de Igoarass, m d 27 de se-
teml.ro < orno devia, en coa
permilr o seo mi estado a>
esmolas para dilo m, tem resoivido
o dia 17 de dezerobro do corrala aaa
presente declara a todos os devotos
riosos.Joo Luiz de Almdida RiSeiro.
O abaixo asslgsado, morador e
com molhados no lugar droonMoada Peres, i
zia dos Afogados, avisa so respaila val i
especialmente ao corpo do cowaiartw, ajaa n-
cepeo da casa commerrul de Meio Gasta # C,
nada deve nesta praca. Qoem so '
dor, dirija-se roa DireHa a. 4,
seos competentes documeoios,
mete pagos, isto no prazo de oio Soa
data desla.
Recife, 22 de agosto de 1863.
JoaooJoi se
Phisss Brtlhers 4 C,
sobre lia de Jaiiraa 10,13 aa
dias de vista, eaaferae a veataoe i
tomadores e t eseaala eiifjda.
Precisase de nm
no sobrado n. 3i da rua
da Asma.
r*r"Tfr-Tr


TPr-
i I arlo de pcrttttibuco -- Quinta iclra 94 Je Agosto de 13 84.

H Jotro da Silva Ramos, medico peta l ni
I
versidade de Coimbra, d consultas era
swa casa das 9 s li horas d* manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visila os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sg casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda raesmo os alienados, para o que
tem commodos aprop riados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3*000 diarios.
Segunda dita.... 2,5500 >
Terceira dita.... 2*000
Este estabelecimento j bera acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
0 proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem goiado.
-I
Prevenirlo.
i
O abaixo assigoado, para evitar duvidas, jniga
convemente prevenir a qtwm interessar possa, que
de sua propriedade e nao dos herdeiros dot)r.
Jos Mamede Alves Ferreira, urna casa em que o
mesmo abaixo assignado habita, em torras dos en-
geridos Offlcina, e Alaga d'Autas, prxima a-cida-
deNazareth, por ha-ve-la comprado a Rita Cicilia
do Amparo, do que tem os precisos documentos,
havendo pago siza ect., e quem liver a fazer algu-
ma reclamado a -esse respeilo pode entender so
nesta cidade como Dr. Jos Cunha Terxeira.
Reeife, -6 de agesto de 1865.
_ Jos Robalo Galeno Ama de leite.
Quera qaizeruma ama escrava cora rauito bom
leite : dirija-se a ra do Rangel n. 3.
'de gratiflcacio.
Fmgio do eagenho S. Matheus (estadio Ganielei-
ra) no da 9 de abril prximo passado, o escravo
Maooel, con: os signaos senuinles : cabra escura,
ara pouco foto, representa ter 34 anuos de idade.,
tem urna orelha cortada em baiio.carreiro, sec-
co do corpa, flota, ioculca-se de forre, foi visto no
eEgeono'Louboem compaaha de @oofre de tal,
forro, casado, de car escara, e se inculca ser co-
nhecido de referido Maned, ha peuco leve o au-
nunciante noticia que tinham seguido para a ma-
triz da Varzea, cora direcco para o engeoho
Francisco : recorameoda se as autoridades polt-
ciaes e oapites decampo que-apprehendam o *e-
erdo esoravo, e dirigirera-se aos Srs. Motta ^
Ribeiro na rua do Imperador n. 3, ou no eage-
nlio S. l&theus a sea .-senhor.
kttengao.
O abarco assignado vendo no 'Biurto de Pern/sm-
'buco um annuncio do agente Clympio, annuoniau-
do o le.o da casa b. 38 do Corredor do ittspo,
vem declarar que dita casa se acha penhorada par
execucao do abaixo assignado, cuja execucie cor-
re pelijaizo municipal da 1" vara, cartorio does-
crivo-Earaiva.
_______________Joaquim Jos de Souza.______
30RVISTE.
Oe 1' horas era diante lodos
ra Cruz n. 13.
Salsa parrilha de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes del la
todas as molestias da
pelle
enervsipellas, tumores, ulceras,
sarnas,
nascidas, empingens,
REUMATISMO
SYPH1XIS
em todas as suas formas, assim como todo
o sal que provm do uso excessivo do
. MERCURIO
l'lceraeo do ligado
.'orem sumira todos os males que tem sua
igem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACAO DO SANGUE
e para dar nova OT^a e vigor ao corpo j
enfraquecido pela doenca.
Vende-so na ra Direita ns. 12 e 76 e
Hospicio o. 40.
Vende-se em Pernambuco:
na
THESOURO DA MAIN.
PROVIDENCIA DAS CRIANZAS.
COLLARESROYER,
ELECTRO-MAGNTICOS,
Chamadas collares anodinos de dbntirao con\ra\
ai convulsoes e para facilitar a dentudo das
criancas, preparados e inventados por Royer,
pharmuceutico da Escola superior de Pai, suc-
cessor de Chereuu, metnbro da academia (le me
dicina,antiijacasa bol'illonlaguance, pharmu-
ceutico do Imperrdor, chefe dos trabamos cltimi-
eos da Escola Potytechnica, director da Escola
de Pharmacia 4e Pars, e membro da Academia
Imperial de Medicina. Ra Suint-Mailtn, 22o,
defronte da ra Chapn, em Pars.
Grandeliquidagaoadinheiro' iGllli Riiljf t
Ka lni:i p iraiiua rio nnvaa I AUU1 \ D%>.'*illl:l
I
RIVAL
Na leja earniazem do pavao. r .. wn Btiriiiu-i. ; SEM &1.&U3IM)
lina da luiperatriz n. o deCa- '-"'Ciras de marroquim, cun eascaveu i-t.ua do lucia;* Jo u*. o e -*.
na ik .iva. e sem ellcs. caSA*lZ?2n,*%' "u*1" ''
Os donos desteestabelecimento tem resolvido I.- Na ra do Queimado loja da Aguia Rran- Ma>sos"de palitos ka*. ,!* dr'nvi a I
So^SLSJOTOSSSZl ca ,K 8 ^^^-^co\Uamde marroquim, bpeitaakiSniEL>.tw
Cm hm de li~,Ja^SSSSS PO^l-ontadas e com cascaveis, ou .- em'ecs ^%^do.'"" '"'."" l '
soas que m'iidclam em peqi
proprias para caus e outros bidiinlios.
Peonas inglezas de ac e douradas.

3^=
PHARMAC1E FRANQAISE
deRMAURER&CLe
RA NOVA H.
Urna prenda
Vende-se orna linda mulatiulia de II annes de
idade bem morigerada e leado ja principios e ha-
'bilidades : a tratar na ra do Crespo n. 23.
Vende-se canta de pedra para lerreiroa
125 a tonelada e 300 rs. arroba : na -ra do
Brum n. 76.
3has de famburgo
todos os paquetes da Europa se recebe *$
dests amigas do saague humano o se oM
veiem a troco de^ouco lucro afim ^
de-ter sempre cousa nava : a loja de bar- JR
beiro ra estrella os das litis:: aa
GOMPBS.
Eempra-se efactivameaie ouro e pra-to em
obras reinas, pagodo-se bem: na ra larga do
Rosario n. 24, loja deourives.
-Svino Guilhcnme de Carros compra emen-
de efTesvamente srravos de -ambos os sexs :
rea de Emperador o. 79, terceiro andar.
Oh-o e pvatu
eo> obias velhas : ompra-se na praca da tede-
pendenaia n. 22, toja de bilhetes.
tompra-se ouro, prata e pedras preciesas,
era obras velhas : na lcja_de ocrives no arco da Conaeicao.
Cerepram-e moedas hrateiras de 16$ i
aft|> :o> roa do Crespo n. 16,.pnmeiro andar.
Coicpram-se libras sterlincs: na praca- ilndi-peoPia n. 22.______________
Com.'iramsse tres casas, cada urna em vatr
^le l:0(U, ou mesmo bjpotheca-se : a tratar ta
rna:Djreiu n. 54.
Vndem-se tanto de 5 com i niel de furo
bom :rara ver c tratar ca ra do Vigano n. 29.
Tasso Irmos
Vefidem no seo armazera ra do
Amorini n. 35,
Liccr fino Curado m-Liotijas emeiae botijas.
Liesres Unos sonidos- c;u garrafas coa: rolhas-de
vidro e em lindos fraacoc
Vicios(Jheres.
Santeroes.
Chambertin.
Hermilage.
Borgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaos.
Cognac.
Od Ton.
Ateiteplagniol.
A hygieoe a sade.
A sade a vida.
As MIS.
Quantas criangas nao vemos cada dia suecum-
bir s dores da primeira denliro I T Quantas an-
cias e quantos tormentos para as Instes mis, que
vem se arrebatar, depois de tantos cuidados, de
tantas vigas, o objecto querido de sua ternura 11
Quantas vezes nao tem ellas sentido a inefOcacia j
dos remedios empregados, taes como brinquinhos, |
cbarope de deuticao, etc., cujo duro contacto dos
primeiros irrita as gengivas e causa inflammacao
as membranas mucosas, e cuja acolo nulla fazm
desesperaco s mis? Adiar um meio fcil de ap-
plicar e fluido elctrico (tara alliviar os soffrimen-
tos e prevenir as convulsoes, como tainbem todos
os acoideutes que resullam da primeira dentic'o,
tal o lito que tivemos em vista alcanzar. Ha
mukos seculos que se puoham no pesclo das
criancas collares de mbar amarello para preser-
va-las e cura-las de convulsoes, tmpregava-se pois
desde muito tempe a electricidade medica sem sa
Ixi-lo, pois que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este effeito saudavel repousa sobre a ac-
i;"iu da electricidade, que solta o mbar esfregado
pelos moviaeotos do corpo da enanca. Esta in-
fluencia constante do fluido elctrico, por fraca
que fosse, produzia effeitos curativos proporciona-
dos quanlia d'eleotricidade engendrada deste mo-
do. Esta .propriedade elctrica de mbar a que
nos temos tido a feliz idea de applicar fabrica-
gao dos coflares de dentigao, augmentando a inten-
sidade dos effeitos electrices do mbar per meio .
de fios conductores que disthbuem as correntes t??*** ? PorDter:se "mprado urna gran
d'um modo suave e continuo. Mr. Royer o in- I W& Da l9P do Pavao rua da Imperalriz n.
ventor de duas especies de collares : Io dos colla-
res anodinos de mbar electro-magnticos; 2 dos
collares compostos de diferentes metaes cora cr-
reme "voltaica. Partindo deste principio de physi-
ca bem conhecido, que a intensidade d'uma cor-
rente galvnica est em razao direita da superficie ^ ioteiramente nova no mercado propraspara saias,
dos elementos que compoem a pilla, os collares camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
Royer, chamados aedaos electro-magnticos de-
Babrio do l'uitu. Uivtui !,., ixa j UW i
140 is.
Caixas rom 100 >!..pe,fp| da lii i M rs.
Grmtt de pflMM rte>ri., MR *n.
Grozai de butea ii.arrpu.,., Lar,* u
e 040 n.
brican.es i>erry A C.; ^recmw^^^^SSX^JXTwX^
entendedores apreciadores do Lotn, valen-; i>,vas de lita brama .lastra r... 9 Tr;
('o mesmo a difirela que lia no preco de VarasAi fraoja de .;". pra e:.:..ie d^vf-.i
No novo sortimenio de pinnas de ac que
a Aguia Blanca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal donrado e bicos
mu bem acabados, e p< cessarias qualidades os seus acreditados fa-
das, que n.-.-u loja e armazera encontrarao um
graude soilimecto por pregos que muito Ihes bao
de agradar, tamo em pega como a retalho, a
saber :
Cambraias de forro a 2$000..
Vendem-se pegas de cambraia branca para for-
ro a 25 : na loj d I'avli rua da Imperatriz n.
60, de Cama & Silva.
Aloreantique branco
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 250 o covado, pechincha :
na loja do Pavao na rua da imperatriz n. 60, de umas para outras, por que estas s<) tornam
Gama & Silva. mais duraveis na continuaco de escrever ;
Percates com mofo. assim pois quem deltas se quizer ulilisar
Ha loja de Pavao a 3G0 rs. i compra-las a dinheiro a vista : na rua do
Vendem-se as mais linas percales com lindissi- Queimado loja da Aguia Branca 0. 6.
mascres para vestidos de senhoras, tendo nm Frailas C0I1I lliil'las P SPm filas liara
pequeo toque de mofo que larga logo se lave e "a,,Jts ^UHI """ \ *em ei,dS wr liquida-se pelo baratissimo prego de 3150 rs. o co-i l'OI'linadOS,
vado : sto s na loja do Pavao rua da Imperatriz A Aguia Branca recebeu um bello soili-
n. oo. de Gama & Silva ment de franjas cora borlas e sem ellas
Laazmrias a 2U rs O COWmo. para cortinados, todas de novos e bonitos
Na loja do Pavo. desenbos, cuja commodidade do proco est
Vendem-se laazinnas transparentes para vest- em relacao a largura : ac)iam-S elliS a ven-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo fia na rin ,\n uu\m,\,t ;;, ,u Sm,o Rran
ao mercado pelo baratsimo pregode 200 rs., ditas Jf"aM <> UueimailO tOj da Agina Ulan- It.d.nhas ,-
com palminhas de seda a 240 rs. : islo s para II-1, y
Jogo da iaciiieia ou curioso enlreleni-
menlo.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por precos ia-
zoaveis, caixinbas com tabolas de madeira,
Ditits dr couro >upern>r lazriMtj t
Kra.-cos com .-upui.r tmla tarha a 2'.i r.-.
UeadM de i.niu Irma pata u rdad<- a st
.< :,
quidar, assim como lazinhas mocambiques com
os mais bonitos padr5es a 240 rs. : Uto na loja do
Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a 3$
Vendem-se os mais lindos cortes de vettidos in-
e graduados per oito nmeros differeotes,
as mosmas propriedades elctricas, com
Coraprara-se ou atagam-se daus escravos:
do armazeu n. 12 na rua de Apollo.
Cantigas.
Compraro-se tres carrogas com bois, proprias
para carregar volumes da alfandega, etc. : quera
asliver paca vender, deis* a morada .em caj fe-
chada nctaypographia ceta as OMiacs P. M. A.
para ser.procurado.
7END1S.
Aifedo iBara sacces e ratina de csucavos
da fabrica de.Fernao Velho. e de muito superior
qualidade : .vude-se no escriptof w de Mafioel Ig-
nacio de Olivuica & Filho, largo do Corpo Santo
numero lfc.
0 easteiio de Grasve.
Traduiiio do raucrz por A. J. C da Croa.
Vende-se sste bello romanee em quaii
tomos pelo ibaratissimo preco de 30C
oa praca da Iciiependencia. livraria ns.
A e8.____________
Veode-se 12 cadeiras e um pequeo soph,
itudo com eicelieotes assentos de palinha, ea-verni-
zados e dourados, e com pouco uso, proprio para
jalnele : na rua itas Cruzes n. 42.
-=- Vende-se urna mulattaha de 10 annos, muito
spenU e j com principio do servico domestico :
a. tratar e ver na rua do Imperador n. 2, cartorio.
.V,eodem-se vistas do combate naval de Ria-
cbualo, a prego de I & : na rua da Cadeia do Reeife
n. 40, primeiro andar.
Vende-se ura sitio era Bemlica a' margen do
Rio Capibaribe, boa casa, com arvoredoc : (juem
preteader dirija-se a rua do Imperador c. 61, se-
gunda andar, que achara com quem tratar.
Acaba de chegar de Pars o mais escolhido
sorraento de fainas artificiad de roseira, e junta-
mente arraignes : acba-se a venda na rua For-
rnssa o. 29. ___________
Colla da Babia superior
Tara para vender Antcaio Luiz de Aievedo &
C, nc seu escriptono r*:a da Cruz n. I.
Vinhos-dio Porto
das melhores marcas, emeaixinhas de urna dada
de garrafas para casas pertieulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; -tambera
lera arelas de dcimo acapadas com superior
vinho, fcams de 5* e 10 em pipa : na rua do Vi-
cario n. 19, primeiro andar.
- o sitio do Toque veodem-se boas cabras
paridas ha pouco, e por baixos precos, por evitar
convenientes que por neolmn ouiro raeio podem
ser removidos,
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Concordia : a tratar na rua do Alecrim n 10, das
3 horas s 5 nos das nteis.
Vonde-se urna das dua casas prximas a
capella da estrada d-> Joo de Barros, com peque-
no sitio plantado de boas larangeiras: a tratar no
sitio da mema capella.
signados
possuem
esta s dlfferenga que effeito curativo esta subor-
dinado ao tamanho dos elementos que os com-
pitan, e por coosequencia quantidade liraidada
d:eleciricidade que engeodram, d'onde se segu
que quanla raaior superficie apresentam as perolas
ou elementos, tanta raaicr quaotia de fluido elec- tnens-e senhoras a 1 : na loja do Pavao na rua
rico desprender-se-ha; e por isso -que nos acn da emperatriz n. 60, de Gama & Silva,
selhamos de preferencia-os nmeros fortes. AMf brnrifn? a 8
Estes collares, pela soa disposigiio flexiveis e VanAaZ VT t \' ae
portatels, podem-se por consUntemente no pescoco ,^enadem:se duzias de [lencos brancos finos a U,
das criangas. lima rede electriga cobre sem ees-1 drtos B">*s"i)sa mltagao de linho com duas bar-
-sar
men
dianos tendo 7 1|2 varas capa corte sendo fazenda que das diversas pinturas de.'las se formatn
transparente de novos goslos que servem at para agradareis vistas 6 paisagens, secundos
bailes _e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre- desenllOS que acompanbam. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
60, de Gama & silva. qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
,Ci/p jno nni'n Q/iinc telligencia. Os apreciadores diriiam-se
n u u "i- 7 'rua d0 Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
Pechincha na !oja do Pavao. ca n. 8, que seta) satisfeitos.
Booitoseufeites(.aiasfnhoi-;.s.
A Aguia Branca acaba de receber ara no-
perior ao madapolo francez e vende-se pelo bara- vo e lindo sortimenlo de enteites os mais
te preco de 440 rs.,a vara ou a 400 rs. sendo em modernos e owtn-! intpiramonii aoradavAs
pega cora emeoenta e tantas varas, isto grande; mouernos e 8<>s inteiramenie agiaaa\ei*,
pechincha : na loja do Pavao rua da Imperatriz n,! e como e seu louvavel coslume os esta ven-
00, de Gama & Silva. dendo baratamente a quem com dinheiro se
Len$0S de seda a\$ dir'8ir rua do Queimado, loja da Aguia
Vendem-se superiores lengos de seda para no- Branca n. 8.
40 rs.
Rarallu.s dotirados ru[.i r".ri> ajaali
Novel!..s de iinha c;ii MI jar.:..
Luros para assentos de roapa lavada a HiOr.
Pares de LotSes para pnnho, fa/rrda rio i :?
T.; .tiras \i*r* cvs i.:. ,
001 a.
Caixas de peanas de raJfcgrafti ,
l.-V'K).
Mas-..s --on sorii re* fnmfti a Mi
Pares rte aasatM de tranca e iap*te a 1^A.
Pares de sai alus dt tranca rara i:.u:. a
1*280
Carxa< rom superiores agnas 3 240 rs.
L;br;i> iie laa sortidas de t.i.niU- i-.".,-.. a 1}*'>
CailM com supenotes obretas de nta<-a a
om attnrtea fraurezes ataik> o; rieres
r>.
Rfsmas ib- nano| ;.| ., ..-; |MI rs.
R-,-nv.. .
Duzia- iie 1,- .. 4
100 .
Donas |ji-;.- h ; .-; v Tallien-. miin 1 fta r ,_-. a jgg ,.
hh
- C 3 O*
m n. 3 2 _,
Meas de laa p;ira scuhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, luja da
Aguia Branca n. 8.
Hala mosca.
as""panes ^daT^ne^'Soe^'daTTftS:! ";assendo d ** ootra matizada fazen- ^ loja da Aguia Branca acha-sc a renda
te, sem sacudiduras nem comraocoe e uro-; a (|ue semPre M vendeu a o e lorra-se a 200 o papel com compOicao para dar nm as
......%., ru .iiUtal'tlllAJ UOUI LUI1IU1UVUC.-, C (IIU t, A i-in- J -
(huera urna cura rpida impedindo as convulsSes. a a"zi* : ?a loja do Pavao na rua da Imperatriz moscas, sendo 0 modo de usar facillimo, e 0
Assim acha-se reunido com o amigo proced-1 y*>ae araa *>"- ell'eilo efficaz : molha-se o papel e deixa se
s de nbar a efflcaoia regulare: (Js eSpartlltlOS UO PDUO &* n'um prato, e nelle pousando as mos-
Veode-se
na roa do \ i Lirio n. 11, escripiara de M. J.
Hamos e Silva & Genre,
Machinas de costura dos fabricantes tiro ver &
Baker.
Agua Florida de Lamman & Kemp.
Salsa parrilha de Bristol.
Oleo de linliaca em barris.
Cofres de ferro a prova de fogo.
Machinas para copiar cartas cora pertenec.
Cera em grume e em velas.
Vinho do Porto engarrafado e em aacoretae.
Dito Bordeaox.
Urna maebiua para amarar pao da mais nova
invenso.________________________________
Vendem-se saceos de farelo muito grandes a
4J> eada ora : no pateo do Hospital n. 20._______
Vende-se um guarda-louca novo de amarello
de raz, por prego comino Jo : na rua estrena do
Rosario, loja n. 10. 4*
segura da electricidade medica. O collares gat-
suno-uiagnetcos de metal compoem-se de peque-
as perolas de dous metaes differentes, traversa-
des por lios conduelores que formam assim pe-
quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, port-
til e flexivel. empregados cora feliz successo contra
as convulsoes, os torticos, tosse nervosa, losse
convulsa, etc.; possuem as nesmas propriedades
e empregam-ee indistmetamente nos .mesraos ca-
sos.
B PRIMEIRA DENTigAO
E 4a ulihdade dos collares Royer eleelr-o-magneti-
cos para facUwr a erupco dos dentes do leite.
Em poucas-palavras expttcarei o que snecede
na,primeira dogo, fazeuda algumas oBservaeSes
qoe serviro de guia s mais de familias, que pela
sua tenra afleieao exageram a miudo es prigos
Oa djnilgor a qual em definitiva urna operagJo
da eatureza.
A rar parte dos desarraejos que sobrevem
sade das crianets tem por causa o traballio da
primeara dentieio Quaodo o dente faz esforgo
para*aiir, declarare calor'nas gengivas, a saliva-
gao vc!ta-se mais aboadante, o sorano aguado,
ha feiFe a miudo, e em geral ohrevem atrouxi-
do do ventre, e s quando ene ultimo symp
toma cao toma um carcter viaJento mais bem
favoravel qu: darauoso. Sendo sujeito a coapli-
car-se eai outras affeigoes o trabalho da dentico,
necessario, em quacto durar, nr a mais extre-
ma e eoa'.'nuada aitengao na sade da crianga ; e
desde que .je notem os uilimos symnwmas que aca-
bamos de jedicar, ser .urgente" cooiuilar um me-
dico.
Estes ollares
A lienciio de lodos.
Na rna da Cruz n. 13 tem para vender sempre
o seguinte : doces seceo e de calda, jeteas, Doli-
nos, inicias, flores oaturaes e artificiaos; tambera
recebe quaesquer encoramenlas de todos estes g-
neros e de plantas para embarque ou plaotagSes.
Vende-se ama cadeirinha de arruar toda for-
rada de seda, e era bom estado : a tratar na loja
n. 18 da rua do Queimado.
Vendem-se saceos com farinha da trra com
20 a 24 cuias a 2500 cada ara por estar cora pe-
queo toque de a varia : no armazera da rua do
Imperador n. 83. ___________________
Um hi.
Vende-se nm boi manso, crioulo, e muito novo,
por prego razoavel: na rua Imperial n. 221, ar-
nazem de cooros.
Outros <>l>c<<4*s.
Viudos tambem para a autiga loja de
miudezas i rua do Queimadt n. 6.
Sapatinhos desetim braoco bordados pa-
ra baptizados,.
Outros de merino tambem bordados e
igualmente bonitos.
Meias de seda, correspondente no tama-
nho dos sapabahos.
Outras mu finas de o da Eseossia e
brancas lislradas,
Luvas finas de fio da Escossia brancas e
de cores.
Ditas de seda para senhoras.
Ligas de dita para senhoras e meninas.
Pentes de tartiruga mui fortes para des-
emiaracar.
Carriteis com retroz preto e outras cores.
Garteiras com aguibas.
Agulhas francezas, as afamadas.
Caixinbas com allinetes brancos e pre tos.
Haspas de baleia para vestidos.
Fitas de inho proprias para ditos.
Caixas comlinhas de novelJos grandes ?%&'*?*a l*' ****! *fe ,7* 7*soo.WOOO
nai-a rrnrhet ie : Mo f i 'o|a de Guimaraes & Irmo,
paja croenets. ruada lraperatnz n. 71.
r raneen i m de borracha preto, redondo. I Grande sortimento
I don radas, madreperola e lar- 2500; ditos de casemira preta a 2800,3, 3500
tarnga. ie ,; d,lS de brira-a 1i.00:1*600 e 2<5-
A loja de miudezas rua do Queimado Ba. .E baratissimo.
n. 16,'receben m bonito sortimento e J&'tf^T^T&^t
fivellas grandes para Cintos, Sendo de ac, mar. a T a 65300, 7J50O e 8*000, afflanga-se qne
douradas, madreperola e tartaruga, as quaes a,em defeito algam: isto s na loja de Guiraa-
csto sendo vendidas em dita loja por pre-.raes & Irmao>rua j* g^ D-71
eos commodos ; assim como boas e bonitas noupa lena
fitas de gorgoreo achamalotado, proprias pa- tt0"pa ,ei?.,
ra ditas fivellas RoaPa fella
Grande sortimento de roupa feita que se vende
vendem-se na loja do Vi-
gilante, ru? do Crespo n. 7.
Muir"
na grande liquidar* de fazeodas e
roupas feitas nacioiae oa rua da
Imfieratriz n. 72.
Os preprietirios deste estabelecimento eslao re-
solvidos a liquidarem por pregos baralissimos para
apurar diaheiro, vejam :
Chitas francezas escaras e claras a 2150 o covado
e 280 rs., ditas percahas 320 e 360, rauito Unas a
M), 440 e S00 rs. o covado: isto s na loja de
Guimaraes & Irmo, rua da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cambraiao francezas, lindissimos prades a 280
rs. o eovade e 320 e 360, organdys muito aa a
400 e 440 rs. o covado.
Est se acabando a pechincha.
Lazinhas escoeezas a 240 rs. o covado.
Laziohas escoeezas a 240 rs. o covado.
Lazmhas escoeezas a 240 rs. o covado.
Lazinhas muito finas a 360, 400 e 440 rs. o
covado.
Oitos de ama s cor a 480 e 300 rs. o covado:
isto s na loja de Guimaraes di Irmo, rua da Im-
peratriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de vestidos de barra a 3J200 e 3&>00,
ditos de laa a Mara Pa a 5*000 e 5*300, pegas
de bretanha de rolo com 10 varas a 3*000, dita de
madapolAo francez infestado com 12 jardas a3*200,
3*500, 4*000 e 4*500, ditas sem ser infestado
A 4& 3$ e 6)5. !cas' ent|'istecem e morrem. Custa cada fo-
Vendem-se os mais superiores espartilhos com 'ua W ris : na rua do Queimado, loja da
as competentes fitas para apertar petos baratissi- Aguia Branca n. 8.
mos pregos de 4*. 55 e* por ter chegado urna Diversos brMIi*S #1 pnlrctpnimnfA
grande porgao para a loja do Pa-vao: rua da Im- ",,C,M,S uniiquLUOS. e LUlItlCUIIUCIH
peratm n. 60, de Gama & Silva. para CPiailCaS.
Cambraias (le salpicas a 3$. i A Aguia Branca na rua "do Queimado n.
Vendem-se superiores cambraias francezas com 8, recebeu diversos brinquedos para crian-
salpicos braceos e de cores tendo 8 i|l varas cada ^ sendo estradas de ferro, baroas e patos
ffiqtti'SfnSin^^bS^ fSTLT heMim. apparelbos de metal, louta pinta-!
ja do Pavo na rua da Imperatriz n. 60, de Gama da e porcelana dourada para almoco e jan-
& s|vra- tar e muilos ouiros brinquedos de madeira,
Tartaana branca a 640 rs. que so vendem baratamente: na ruado
Vende-se tarlataaa branca muilo fina a40 rs. a Queimad), loja da Aguia Branca n 8.
vara ditas de todas as core* a 800 rs. a ara, di- Meias pretas de seda para seultoras a
tas de salpico a t*, dita lisa a 800 rs. a vara : na unn
loja do Pavo na ruada Imperatriz n. 60, de Ga- "" 0 pal*,
ma rV Silva. A Aguia Branca quer acabar cora a por-
0 brauaate do Pavo. cao de meias pretas de seda para seoboras,
Vende-se superior bramautede linho doraelhor e apesar do muito maior pre-,0 que Ihecus-
^T^.njrrsr^ m "** "ft!
perior para lenges, toalhas e seroulas a 640 e COOltWlO esta resolvida a vende-las a o- 0
700 rs. a vara : iste na loja do Pavao na rua da res 0 par, afim de que ninguem mais calce
imperatriz n.6Q, de Gama & Silva. meias pretas de algodao, agir pois apro-1
Percales lisas do Pavo. i veitarem a qaadra e dirigirem- e rua do
Vendem-se as mais,lindas percales de nma Queimado, loja da Aguia Branca n 8 Tam-
d?lt^aB.eK$: Meiaspara meninas a 2,500 ^"-co defeito e estarem um pouco tn-,
Vndeme meias para meninas de todos os ta-1
siaohos a *500 rs. a du.-i.-i, ditas de seda preta
para senhoras a 800 rs. o par, di'as initlezas para!
homem a 5* a duzia, isto na loja do Pavo na rua
da emperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cfirttnudos para amas.
Vendem-se reos cortinados para camas pelo ba-
rato preco de i I* o par. Dito bordados muito ri-
cos a 24*, colchas de fusto para cama a 5*500 e
6$ : na loja du Pavo rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Trasburdidas e entrnelos.
Vendem-se finissimas tiaas bordadas e entre-
Rival sem segundo
Roa do Queimado as. VJ e 55, loja de
wiadezas de tres portas, est quei-
iuaudo ludo boro e Barato, quem qui-
zer ver e admirar uubaiu loja do
fiigodiubo.
Caitas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a 600 rs.
CONFEITOS
DEPURATIVOS
Do Dr SERVAD!, de Parir
Pliarmaceulieo de I* clemt, ex-
interno dos hospUaes, premudc
com a medalha de bronze.
meios por preco baralissimo, na loja do Pavo rua Crozas de botoes de louca prateados fazenda mo-
da Imperatriz u 60, de Gama & Silva. ie a 160 rs.
Clial a i&'W Duzas de peuna de ac fazenda boa a 40 rs.
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas Pe?nsr?etran?a de ,aa lisa* e de todas cores a j
as cores e pretos, pelo baralissimo prego de 3*500,! Pj"m. a.^;^-
por haver grande porco : na loja do Pavao, rua ,*as fluiSimas Para Jimpar denles a 240 e !
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva. J .rS- .
Os Latis ,l,i Pavia i UM\ U e lA'UMl Pulceiras de cD,as Pra senhoras a 500 rs.
vLm .? TSLa tl*Mi> Pecas de fita de cs estrellas cora 10 varas a
Vendem-se os melhores baloes de arcos amen- 3^0 rs :
SS'.'TfaSS *riT a im^\-^t ,com 25 C2*"5 colcetes francezes, superiores quali-!
arcos a 3*. ditos com 30 arcos a 3*500, ditos para dades a "*0 rs "r"^r
2!!!f fVtodoi lUmaDh0S a ^500,6 3#> su" Tinteiros d barro, com superior tinta a 100 rs.
penores baloes de bramante e murcelma cora peCas de cordo
cauda, sendo bastante grandes a 5*, islo na loja 20 rs
do Pavo, rua da Imperatriz n. 66, de Gama & Baralhos muito finos
Silva.
As eaiuisinuas do Pavo.
para vestidos, fazenda boa a
I
para vollarete a 200 e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a i* e 1*280
Ocalos de penetra e de outras
qual Idade*. para quena soffre
da vista-
A' loja de miudezas rua do Queimado
u. 16, tambem recebeu oculos de penetra
com vidros claros e escuros, para quem sof-
fre da vista, assim como outros de armaco
de a<;o, sonidos em graos.
Coroas e tercos de cornalina.
A antiga loja de miudezas a' rua do
Queimado n. 16, recebeu mui bonitas co-
roas e tercos decjrnalina, os quaes esto
a disposicio dos bous christos que os qui-
zerem comprar em dita loja: na rua do
Queimado n. 16
Esponjas finas grandes e pe-
queas.
Vende-se na rua do Queimado, loja de
miudezas n. 16.
por precos baralissimos para apurar dinheiro.
Na nova toja de fazendas de Guimaraes
Irmo.
Rua da Imperatriz n. 99.
MVIDADE
Mendem-se as oais modernas camisinhas borda- Frascos com superiores banhas a 500 rs. e :!*.
dasoom manguitos, para senhoras, sendo as mais Frascos com banba, porm leuuenos a *00 e '
modernas que tem vindo ao mercado a 4*500, di- 240 rs.
tas com manguitos, para acabar, a i* ; ditas pre- Latas com superior banha a 200 rs.
las com manguitos para Into a 1*800 rs., mangul- Frascos de macaca perula muilo n'no a 200 rs.
tos e golinhas pretas a I*, finissimas golinhas de Frascos e garraflnhas com agna de Colonia a
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para 400 rs. '
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia Frascos grandes com superior agua de Colonia a
branca bordada a 1*600 : na loja da Pavo, rua! 640 rs. i
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Frascos com superior oleo de baboza a 400 e
Cortes de percales. | 500 rs.
Ricos cortes de percate com barra, tendo o com-' Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
ptenle casaveque a 8*. ditos de laa a Mara Pia a '*0-
6*, ditos de cambraia transparente com barra Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
bordada a laa a 2* ; islo se vende na loja do Pa- 32u rs-
vo, rua da Imperatriz n, 60, de Gama & Silva. Uuza de sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua denlifice superior qualidade a 800 rs.
Calas cora superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
1*200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Desde mii'o lempo o rwWifo)
abandonou o uso das prepararan
iitiluladas depurali*as contando*
n'Ij a nome do Arrobes, XaTopes
le Salsaparrilha rompusto*', eV
Cuja .urau, manir parle da veze-
milla, e n'ali:uni5 rao* perisosi.
OS <:.\FEITOS DI.I L rtlill TUO .VKTOJ
t O GOTO lC>4D(\tl} Cl1 TI VI Si
PEQIE.YO VuLlH '.ISTlTOI>lliIil 1CTI-
V1S Ql ( O ?a> IODO M riEFUlCM TOMt
IMI.TtltlUS.
O sarresso qi* culo* ron
fciuooliilscruo <-ai Frass-
CM sob o palrorinio das arinripai
celebridades medirs, os poe ar
de ludo quaulo teta en-lilo
boje.
Cura rpida sem o socorro
e uenhiira outro remedio in-
terno, das escrophuias ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
todas as molestias produzca
pela allerarao do sangue ; tal
o resultado que qneriamos
conseguir e que temos sem-
pre obtido".
Urna ctplicarao
tldro.
DescoiGar-se, das &lcitrOJtjel m-
Kacoes.
Para as entomtndat irijir-tt
Snre: SOISSOII *t *', 19, Pru
Eugiic, Purit,

GRAGEAS
GLISE CONT
Paletols pretes a G6
Vendem-se superiores paletols saceos de panno
preto, boa fazenda, a 6* ; ditos sobre-rasacos a
12*, superiores calcas de casimira de c6r a 7* e
ditas prdas a 6*, 7* e 8*, paletots de meia
Resulu ).c!o dou relatnos, adoptados pe.
Academia em 1840 e em itM, ,M ao CTISBSH oa
GF.Lis e cont Uo o melhor
ferruginoso para corar a color
Huios brancos, a fraasea i
esos, e tambem para ijudar a i
EtUt Grageas nlo sao itad
ou Tidro coserlos com roalo I
casimira a 5* e 6*. dos de casimira a 10, calcas! "J'JP" co0 rhe""os Je todos os precos a 160, 200, tetando a ama do depositario feral: uaurm,
akamacentico. ma Fourkoa-r!l$ntuii, t. Paria.
de meia casimira a 4* e 4*500, ditas de brira I 2i0 e 32-
branco de linho e de cores, coletes de todas as Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
qualidades. Todas estas obras se vendem por Dula lia meias multo finas para senhora
preco muito era conta, s com o fim de apurar di-1 **800.
uheiro : na loja do Pavao, roa da mperaini n, 60, Golliohas "rai'o finas para senhora a 200 rs.
de Gama Silva.
Fazendas brancas na loja do Pavo
Caixas com soldados
160 rs.
de chumbo para merinos a
Venaem-se no Reeife em casa de (jora
Barboza e Jo9o da C. Bravo & C.
A i$ 101OO e i/.OO
f.eques de osso, ultimo gosto, a 1*.
Ceroulas de meia a 1*200.
Diitas muito finas a 1*500.
S na rua da Cadeia do Reeife n.J5
Ferros para engomnaar.
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
sortiraeto de ferros para engomraar, encrespar ba-
bados, pafos e toda a roupa de senbora.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
elgodo : na rua da Senzala nova n. 42.
Vende-se nm grande sortimento de raadapoloes, fifiaS -.lhereS **Aml*1 P? c*> a m ls-
tas, algodozinhos das melhores marcas, ga- SV.d,'' %"^e S0P'faenaa b,"a **><>
------ i Pee oe Bu de laa para debrum de vestido, com
I 10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores,
800 rs.
Pedras de loosa para meninos a 160 rs.
Caixas de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
Dunecos de choro e panno a 160 rs.
renda, tanto de linho como de seda, Ven"do"entro" $S&SiS^^
elles mu.tos de pona redonda a imitaao de man-! nrS8aSId<^?^.ie".* ^..^
chita
rantindo-se vender mais barato do que em outra
ualquer parte, seodo a dinheiro a vista, na loja do
avo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales relos de renda.
Chegou pelo ultimo v*por francez nm grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
Acha-se
a venda na livraria acadmica, na roa do ii
: dor; na do Sr. Nogoeira, jamo ao aro 4c $
Antonio ; e na ypographia imparrial, a* rnt ?*-
ireita do ilosario a compilarlo de loda a leai'lara
ftanv
d i taca o
teleles e muitos com o centro de cor, e vende-se
por precos muito em coma por terem sido manda-
dos vir de coma propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bornouls de renda na loja do pavo.
Chegaram os mais ricos bornouls de renda e se
vendem por baralissimos precos : na loja e arma-
zem do pavo, rua da Imperatriz o. 60, de Gama
4 Silva.
pequeos pretos para calca a
Grosas de boioes
100 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 200 jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a 1*580,1*800, 2* e 2*500.
Frascos cora superior oleo babosa a 320 rs.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
3*500.
tara tendente a admraistracao, a arreead^ao
r ,wwe, fao dos draheiros de orpUs drluatof >**-
les, herancas Jacenles, Irgad*-, rir., r.iTfn ajo
s o regiment de cusas e a le geral das rirrav
coes, como tambem ludas asorden e as:aad
goveroo, qne a ludo tem eipikado, lano a rMf*>
to das obngacoes inherentes ao cargo aV aaVrr*-
tes empregados de jnsti^a e fazenda. <- > > tosSV
reitos oaciooaes e emolamenin tfnm %*, *YvHm.
Este livro contendo mais de "U pa(."nas can nimia
impresso e bom papel, e prestaos se a iiiiiSi
' de dlfTeremes classe, tornase rrci.Bua>ea4aM
Seo ensto 10*000 por rada rxeaaptor ti
tomos.
Resmas de papel de peso panudo a 1*800 e 4*000 praca e do roano; na'rua das Crines n. is.
Vendem-se 10 escrava* entre etiaa
que sabero eosinbar.enfommar r fazer aaoaaaa
servico de ama casa, e 8 rsrraros I-ara servia*
.


njar.'o de Pernaiabaco Quinta felra 9A de Agosto de l *S*
UUlllii
N. 11Ra do QueimidoN. 11
LOJA. DE FAZENDAS DE
Augusto Frederic dos Santos Porto.
Ghegou a e>te esUbelecimento ura grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de milito ,'ost'j.
Chales de ,'uip malla floos para 22J, 23fi e 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas di noivas.
Colxas de la e seda para cama ttmbem de bonitas cores.
Rotoudes de guip eofeitados com o melhor gosto.
Setim de Pars bella fazenla e de b mitas cores para resudo a 700 rs. o covado.
Moureantique branco e preto, grosd^napie preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azu.-s.
Casumira preta e de cores, merino preto, silistrina, borabazinas, alpacas pretas, e
la pr.'U para latos.
Malas, saceos e boleas de tapete, vernfx e coctro de ij a MJ.
Rrins de Iioho de cores Bnos a 15800 a vara.
Chapeos e cbapelmas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para borneo), chapeos de sol de seJa, esguio de linho, cambraia1 de Iioho, breta-
nhas. .silesias e muitas outras fazenlas qu-: se ve.iiem p>r co:nn)Js pregas assim como
tarabem
Esteiras da India para forrar salas
______ DE
ss-a
GENR OS BARATOS A DINHEIRO
NOS
mmm
DE
GR4NDES
DE MUIDOS
DARTE&G.
\ gj pateo do Crmo n. 9 armazem Progressivo roa do Quciaado n. 7 pj Q j
- 5 l'uio e Comniercio rua do Imperador n. 40, jjj f |
laJ! Principal arniazem de raolhados. es OH PROPRIETAltlOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
genhos, lavradores e tnais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli- '
berarara os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seas estabeleci-
mentos era um s annuncio, pelo qual o prego de uta ser de todos, proraette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os gneros
ofl|uio preco, e na oecasio da compra quererem por outro, como socede constante-
wte em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tmbeos servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta!
pela qual se ver os pregos tal qual aununciarmos, o que seno arrepender pessoa i
alguma que fizer siia despenca em dossos estabelecimentos; pois poupar mais de,;
5 por cento na sua despeza diaria.
dem com 4 a 5 ditas a 35200.
1-5
O
o
DE
DE
J. VIGNES.
.V 55. RUI DO IMPERADOR N. 55.
0> pianos dista n.ntiga fabrica sao hoje asss cunhecidos para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantuzens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praga pos-
salado um teelado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sera
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se Cuito ltimamente melhoramentos importau-
tissimos para o clima deste paiz; ijuanto as vo^es, sao melodiosas e flautidas, e por sso muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem -se conforme as enr.ommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vigues, em cuja capital forain sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesan estabeleciraento se achara sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
meihores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos conimodose razuavels.
CONSULTORIO MEDIC0-C1RIRGIC0
DO
i PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO,
HEDlt'O, PiRTEIRO K OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres todos osdias das 7 s H
i' ts da raanliao, edas G e meia s 8 horas da noite, escepc5o dos dias santificados.
Pharmacia especial komeopatliica
No mesmo consultorio lia sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
iji s avnlsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos pregos seguinles.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12$000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 2441000
de 48 tridos grandes. 30#000
de 60 tubos grandes. 353000
i'repara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo axulso ou frasco de tintura de meia onca I 5000.
Sendo para cima de 12 custarao os precos establecidos para as carteiras.
^!'a tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
^ lili ROS.
A meilior odia da bomeopatbia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr
dons grandes volumes com diccionario............ 200000
Medicina domestica do Dr. Hering........... 100000
Repertorio do Dr. Melt" Moraes............_ 60000
Diccionario de termos de medicina..........." 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
lano de seren novauaente recommendados as pessoas quo quizerem usar de remedios
: I. tetros, enrgicos e doradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de
tdeiro assncar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acredi-
ta I t estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparagao, e portanto a maior
e:iergi;i c certeza em seus etfeitos.
1'asn de mude pira escravos.
Rocsbc-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
uperac3o, pira o que o aununcianle julga-se sutDcientemeute habilitado.
O .raiimento o meihor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fu accionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se nao
duvidar, qae podetn ser consultados por aqualles que desejarem mandar seas
doenles.
Paga-se 23 por dia dorante 60 dias e d'ahi em diante 1-5500.
Asoueragoes serlo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos pregos
'' veis que cos!uma pedirr o annunciante.
PASTILHAS MIIINSDEP4TENT
'FUGAS
de trabalhar a mo
descarocar aigodo
para
FABRICADAS
Por Plant Brotkers & C.
01D4

Y: *,
Estas machinai
podera descarogar
ualqaer especii
SW aigodo seo
j estragar o fio,
sendo bastanu
duas pessoas para
" o trabalbo; pd
descarocar nma
arroba de aigo-
do em earoco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia od 5 ar-
robas de aigodo
limpo.
Assim como machinas para serem movidas
lOVA YORK.
DE COR CHEIRO E S.VROR AGRADAVEIS
Infinitamente mais pffira?^ rln nw tndns i f.nimaes t"e descarogam 18 arrobas de aigodo
initnnamcnie mats emeaz^s ao que toaos; im,pf por Jia; t mtores para mover um bd
qu existem para a expulso daslombrigas. J 0s mesnos teni para vender um belHssimo va-
K3o causam dores e produzcm sen effeito !
sem precisar logo depois de purgante ne-
nhum e taoincitantes em apparencia e deli-
ciosas em gosto, que as criangas esto
prnmptasa tomar mais do que marca a re-
ce i ta.
Olis como um excellente meio de fazer
i emover as obstruegoes do ventre, mesmo
no caso de nao existirem verme algum, as
l'ASTlLIIASVKRMinGAS DE KRMPS Sao promp-
tas t'infallivcis na suaoperagao e por todos
os respeitos dignas deconanga e appr'ova-
gao de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d,
.\ova York.
Deposite geral em Pernambnco rna da
Cruz n.2 em casa de Caros de Barboza
avariado.
Francez barrica 5JW00
Hortland dem !oO
Km perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Por ti and dem 12000
No armazem de Tasso Irmos caes doApollo.
Poxlry.
Vndese excellente fava poxiry; na ru da Cruz
n. ti, 1 andar, eschptorio.
porque pode fazer mover seis destas machinai
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
tem de aigodo, DO largo da ponte nova n.47.
Saandeis Brothers&C.
\. II, prava do Corno Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
L li;\S. VIDROS E
CHRYSTAES.
A Ioja da.Jbuga da rua do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
core', assim comn fougas de todas as qualidades,
de hfinita pinturas e go Ihos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros datodas as qualidades, inclusive finissimo
chrystal, dHicado? jarros de chrystal e porcelana
para flores, liguras e ootros muilos objoctos de fl-
nissima porcelana denominada biscuito para en-
feiles de mesas, etc., guarnieses de finissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorio?
e toaiete.s tudo do melhor gosto, pinnas de louga e
vasos para jardim, candiciros de lamparinas par
gaz, globos.* chamineis de vidro, bocraes e todos
os mais sr.brecelentes para ou mesmos, gaz liquido
de superior qualldade, e muilos outros artigas que
seria enfadonfio mencionar, tudo por precos mui-
issimos razoavels.
Verdadeira agm de Vichj.
Vndese a verJdelra agua de Victiy, em gar-
rafas ; na rja da Cru o. 23, aadar, escrlptorto.
^anteiga ingleza perfeitamente flor chegada
ltimamente no vapor Saladim, de ift
a 10120 a libra e em barril terabati-
mento.
dem francesa muito nova a 1$ a libra, e
em barril ter abatimento.
Banha de porco refinada a 640 a libra e em
barril ter abatimento.
Cha uxim de superior qualidade a 20600.
dem perula miudinho a 20700
dem hysson especial qualidade de 20500 a
20600 a hra.
dem preto muito especial a 20000 e 20100
a libra,
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
20 e 30 a lata.
Bolaxinha ingleza muito nova a 30500 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de soda e oval a 20.
Presunto ingle/, para fiambre ebegado no
ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Ghourigos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
Gaixas com macarro talharim muito novo a
50000 e 320 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
Chocolate portuguez de especial qualidade a
800 a libra,
(dem suisso de 800 a 10000 a libra,
dem hespanhol verdadeiro a lWOO a libra
que j vendemos a 10400.
Ooce da casca de goiaba em caixoes de 4 e
meia libras seguro a 10800,
dem em caixes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 640.
dem secco em bocetas ricamente enfeitadas,
contendo pera, pesego, ameixa, rainha.
e outras frutas a 30000 cada urna,
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
640 e 700 a lata, tambem temos latas
grandes a 10200.
Marmelada dos melhores fabricantes, em la-
tas de 20000 a 10200.
dem em latas de 1 1|2 libra a 10.
dem em latas de 1 libra a 640 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5* para cima a 640 rs.
Feijao verde ou carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
10200 a 20500.
Conservas Mexide muito- novas a 700 rs. o
frasco,
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
Wem j preparada a 320 rs.
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
Vnhos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
Wem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada,
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinbo Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
dem branco especial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 40 a caada,
(dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial qunlidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
Id'-m Bordeaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Champanba a melhor do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
dem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa.
Licores portuguezes e fraocezes a 10000 e
10500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a
garrafa,
dem mais abaixo a 800rs. a garrafa.
Geoebra de laraoja ver iadeira a 110 a du-
zia e 10 o frasco,
dem de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
quera e 600 o frasco,
dem de Hambur^o a 50500 a frasqoeira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
Garrafoes com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 80, com garrafao,
dem com 14a 15 garrafas a 60.
dem vasios de todos os tamanhos a 20000,
10500,800 e 640 rs.
Queijos de 20300 a 20500 os mais frescos.
Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
20000 a caada,
dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
a garrafa e 40600 a caada,
Tocinho de Lisboa novo e muito alto a 400
a libra, e em barril de 5 arrobas a
100500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
Sab5o primeira qualidade a 220 rs. a libra |
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabao inglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500.
dem Delicias a 10500.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 30500 e 10800 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10800
a meia caixa e 5200 a caixa.
dem raececipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaes do* mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanho & Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10600 a xaeia]
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposigo de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Paingo a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porgo 10000.
Sardinbas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para lmpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caraa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes propFios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a lib?a.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
Sevadinba de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas cora estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e maancas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cotninho idem a 320.
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papel greve a 40200 a resma,
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10300.
dem azul para botica a 20000.
Copos lapidados, a 50500 e 500 cada um.
Palitos de denles, magos, grandes al 20'e
160 cada nm.
Fumo americano de chapa, de superior
qualldade a 10500 a libra, em porgSoter
abatimento.
AZEVEDO FLORES
Rna da Cadeia do Ilecife, esquina da JMre de Deis.
BAIiOES
Os ricos bales de arcos com nuita roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 20 e 20500.
dem de panno para meninas 30 e 30500.
Chapos de sol.
Superiores chapeos de sol de seda superiores com 12 asteas 90.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 100.
dem idem cora 16 asteas 120.
Chitas.
Chitas largas soffnveis a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sofi.
Camisas.
Ha um completo sortimento de camisas francezas de 10800 at 5 das serain
les variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos defusto e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 40.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Caigas de brim pardo superior a 20500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, ha de di versos pregos e qualidades,
Mantas para pescoc.
Ricas mantas para pescoco de liomem de finissima seda e de rico padrn, oo
s o Balao tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Fiossiimos paletos de alpaka branca a 5>,
COLTiETES.
Colletes de casemira a 40 e 50.
dem brancos a 20500 e 30.
Saceos para viagem.
Saceos para viagem a 50 e maicres a 60.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, anuunciando ao publico sosas
fazendas e novos pregos e nao como muitas pessoas supjie sempre ser as mesons fa-
zendas.

AO 11(10
AVISA
GREGORIO PAES DO AMARAL & C,
que receberam pelo ultimo paquete.
O MAIS RICO SOHTIMENTO
DE
GUIPURE
manufacturado em
Grandes chale granadme
Bournus
Rotondos
Treanon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de c6res; magnficos desenhos, de gosto modernissimo.
MARA ANT01NETA
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto. a mo-
reantique ou grosdenaples. Barras e lago bordados a f oco e vidrilhos, sea depeode-
i em de modista para os fazer, visto trazerem o corte debuxado.
i QBiftwT
Glac-royal, em pegas com listras de- seda priraoraraeote bordadas ou matiadas.
fazenda inteiramente nova de bonito elleiti>, para partidas, soirs, theatroe passeios, ele.
IIOUBLES CAPAS
e SOBRETUDOS de panno meiclado (impermiavel) vindono ultimo vapor
De. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATS, MANTAS
de cores, muito bonitos padres a 500 res.
BONETS de pa'ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPEL1NAS
ENFEITES
Costnmes de fuslae (afeitados tara enancas
E innmeros objectos de modas recebidos directamente por lodos os paquetes e
escomidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
FAZEXDAS PARA HOIEI.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, bros, sobre-
casacas, palitos, caigas, coletes, camisas, ceroulas, Songos, raeias, etc.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
m
Potassa da Kussia
Farinha.
Vende s farinha de mandioca muito nova, sac-
eos grandes a i : no armazera de farinha da pon
te nova dos Srs. Tasso Irmaos, para porgdes, na.
rna da Ms'ir de Dos ns. 5 e 9.
muito nova e superior : vende-se no eseriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Gorpo Santo n. 19
Mil
WSfMM WMWMM^WM'MMMi I Vende-se o engenho Jundiahv, cinco Immb
g*m<>*z Fumo da Baha para '"i
charutos.
Vende-se fumo superior de todas os qua
Jidades, a retaluo e por aunado o por tt
S preco commodo : no Recite rna da z.
Cacimba n. t. xu 91
?-\ Vende se a fabrica de charetos do pateo c o
Tergo n. i ; a tratar na mesma com seu daao.
, provincia
Grande do Norte, moente e correrte, com
tiros, SO bols e 20 beslas ; assim como Ai
lotes de trra, propria para a altara de ;
mandioca, e mais dnas fazendas de gado no I
gi e Gear-meirim, na mesma provincia, cape es-
das se eSectoarao a prasos, lidiante nene trama .
quero pretender dirlja-se aquella ominen a. ton
tar com Pabricio & C. ____________
Vende-se nm engenho perto dseta ndade, emB
rootto boas trrase excedentes maltas; a tratar tn
caes do Coefio n. 11


Diarle de Pepuaiubtico Qnznta elrn 24 de Agosto de Stt*.
-- -.-'- 3!
0 NOVO GERENTE
^5
Sem o menor constran-
glmento se entregara
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
sam a anmiaA a>i si DUMiraa
O
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciarlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento 'de molhados,
que sendo era sua maxim.i parte mandados vir directamente do estrangfcinTpodem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e intercssante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm iffiancar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o esceder no restricto cumprimeoto das seguintes promessas:
i; Delicadeza no trato.
2.1 Fidelidade no peso.
ATTENQ
t precos da seguinte
tabella para todos, po-
deudo assim servir de bu-
he para o ajaste de conta*
com os portadores.
Manteiga ingleza especialmente escoltla a
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril seaz
abatimento.
Idemfrancezaa maisnova do mercado a 96o
3rs. a libra e 900 rs. em barril oh meios.
. SmCendade nOS preCOS. Chhyssonde superior qualidade a 2,600
As pesseas que por sna pos'^ao social gozara de certo tratamento, acharSo iiesta rs. a libra,
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de j cha perola o mais superior do 'mercado a
primeira qualidade. etc., etc. 2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a oondico do freguez, elle deve cootar que ser sempre mu-dem bysson muito superior em latas de 15
to bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao penco favorecidos da sorte faro meosalmente urna economa de | rs. a libra,
maitas patacas, afreguezando-se ncsta casa, onde se Ihes vender o arroz, o caf, a man-, i tetga oassucir, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-j DrES a i,6oo rs.
dem ou nao querem vender. dem preto o que se pode desejar neste ge-
Os senhores de fra'da cidade, dos arrebaldes on centro, que compram para ne-1 ner0 a 000 e o^oo rs. a'Iibra.
gociar, devem vir, pelo sea proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-; Linguigas muito novas a 8oo rs. a libra e em
Atten$o o barateiro de ob~
jectos chegidos de no?o:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de ridm taa*
com 24 luies, do roelhor pisto r pr,r prero ra&>-
vel: assim como appareihos para rh <., ara pu-
tar, brancos de cores riiff'-rent-s : diu,- p-r-
: celaDa dourados c pintados e bram
para janlar de porcelana biaora; Up>i .-ro -e ts>-
i dem em pegas separadas, como os tunv. ;- nm-
zercm, compoleiras lapidad;.* par/ : .,,-;
para vinho, ditos para champagne, ea
, e para vinho (Idos e ordinario?, *a aaa r t r-
lalho; lauternas de todas as qualidade <* vidra
ditas de casquinho ingleza mu:- un i .
hros de vidro e de bronzo : serp> ni i
porcelana e de vidro para floro; bilha-
fuezas para resfriar agua ; barrira- > -, .>-
Ihos de mesa (ara jamar-, gigo- r, m
para cha; e outios rnuitos .-oruim o *> a
qualidades e prego- mrnrw.dos Matate '*.* m-
pradores, que su veadaoi na ral da C :
cife junto ao arco da Cuieaja n M, na iu
Nova no grande armazem d- l< sea niM ;*v
| igreja da O neeigao dos Militares n. i9
liramle sorlimento de roupas mas d is-
tias asqialiilartrs.
Senhorc -"horas, o aceio qne presidio aosarranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-, Calca? de casemra a 6 f j.^h).
ezacom que serSo tratvl^efmvida a urna visita ao mesmo, certos de qne sem dovida me daro a prolecfo e preferencia na com- G*e 3,caigas d^ ganga a 20 \
rra dos gneros qne prensara e quando*no possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, Sasn[""i?n0\Sca Z-1
rois serSo to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaca'o, afim de quenovoem
tra i?rie. 0
Aletria, macatro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
&,5oo a caisa com 8 libras.
Viaho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em aacoretas de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs. covadV; e ouira" mni" mais ~i<
35,ooo rs. Charutos do affamado fabricante Jos Furia- 'de,xa de annunciar, mauda-- lev.. **
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da fonceleSo)
PARA BEM DE TODOS,
lampa
a JS e :i3?00, ditos de alpaca de r< !... ^
de liflra de seda a $300, i M i2ft
palttot- de casemira a Z}, ZifO,
Sal refinado em frascos de vidro com
do mesmo, a ooo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas paietots d panga a ni, Jim e 25,
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
ditossoiirpcasacf s pretos a li. 15 : 'i. 1 i-
nos a 2f3, de cores a 13,1, dilot fi -
' M
pardo a 'i, jaquetoes ile brim rarda &
a carrafa""p S~n~ft r^c"! fi"w \ Tin"' Prel fi":'2*. 2*oro, 3*500 5c. Ma o :, i
a garrdld, e O,800, b,000 e 6,000 a U-.?odo m0reanliqnepretf a ua.. n*.. I
zia- denaple preto a 1*500, I**, 2*. J i*rjnt
barril se faz abalimento.
Ghourir;as e paios a 8oo rs. a
ibra.
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe nm sortimento ispe-
-cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores Costelltas inglesas a 64ors. a libra,serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poupado sacrificios, nemse deixar de fazer a diligencia para agre- Qaeijos do reino chegados neste ultimo va-
dar a todos. por a 2,2oo rs., ditos e navio de vella a
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE ;de^SilK)Snuitofrescosedes,peror
A DIMHEIRO A VISTA: I***a*00rs-a'libra-.
A | Grafa era latas, muito -aeva, a 80 rs. cada \l^m P"* 8eo rs. a libra, e rateiro se faz
abatnente.
1 ildem suisso e mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
' Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 646'rs. a lata.
urna.
para cima a
libra.
ALPISTAa 120rs.* libra.
'dem e painco de cito libras
100 rs.
.Arroz de 90 rs. a libra a .
. Amendoas, casca rooSle, a 280r-c. a
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem era potes de todos es tamanhos.
dem idem era hcelas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de tod3S os tama-
nhos.
Azeite dock de primeira qualtdcde a 560 rs. Moliio inglez de todas as qualidades.
a garrafa.
Aliios a 200 rs. o molho.
Absvntiio a 2^000 a garrafa.
KIR5GH de Wasser a 24 a garrafa.
t
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Lethia a 400 rs. a libra.
n
MANTEIGA ingleza e franceza de primeir
qualidade a l,->, a libra.
Marmklada dos mais acreditados fabricantes.
Macarrao e taliurim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Vioho em pipa : "Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, eemcaada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Viuho branco de Lisboa de excediente quali-
dade a 4oo c 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,Soo.
Vinho branco para missa em carxas de i du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, I5,ooe,
12,000-c io,oooacaixacom I duzia e9oo,
l.oooel,5oors. a garrafa.
Vioho Cherex de superior qualidade a 16,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardrnhs de Nantes a 4oo rs. os quartcs e
64o rs. as meias latas.
Bolachibas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolaohinhas de soda em '-'tas de diversas
qualidades a I,3oo rs.
Cartoes com bolo francez mu i lo proprics pa-
ra mimo a 64o rs.
do de Simas, das seguintes qualidades: i ^fabfiSu
Copos lapidados para agua a 5,o3 e 5,5oo Passasmuito novas em ecisinhas enfeitadas
rs. a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
!ldemidem para vinho a24ors.,e2,4oo rs. iPassas de carnada a 8,ooc acaixaeioo rs.
adunia. alfera.
Chocolate froaeez hespanbol e s:sso a Ooo, Figos de comadre a 24ors. alibra.
l,ooo e l,2oo rs.a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. alibra.
i Espermacete superior a 6oo e-64o rs. a ti-; Milo de amendoas a Soots.
bra e em caixa 6e faz abalimealo. Bolacbirrha d'agua e sal, da fabrica de Joo
! Peixe em p8sta em latas hermticamente la-' de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
cradas e das meiltres qualida-des de pei- bras por 2,5oo rs.
l
BOLACHINHAS grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a l^OO a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de so la em latas grandes a 2>0G0 e
de cinco para cima a 1.3800.
Biscorros inglezes de todas as qualidades a
11200,1^250 e 13300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Ba.mia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 1$ a libra.
dem de musgo a 1#500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'210 e 260 rs. a libra, e em porejie
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70COO a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiarope de grosella, orchala, etc., ets.
Chicaras e pires a 1(5800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'IIavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nab3ras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Aprazivuis, Varetas, Brasile-
ros, Americanos, Fluminenses.
CiiA de todas as qualidades e de todos os Sa8u muit0 QW8 a *jrs-
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e *
preto ponta branca, etc., etc., a 23000, TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
232"0, 23560 e 23800. ; Tomate em latas a 600 rs.
Copos lisos de todos os tamanhes de 120 a |"inta azul e preta para escrever.
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 33500, U e 53.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 13 e 13500 rs. a garrafa.
Cigarros do Bio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
Marrasui'ino verdadeiro de Zara a
Massasfinas para sopa branca e amareilaa:
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a i *e a 8G' ^ooo e ,2oo rs. Ameixas francs? em fiasco de vidro com
33800. Vinho Bordeauxdas marcas Milho painco e alpista,-sendo mais de 8 ;-' das qe vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diwrsos
bras a 100 rs.
N
NOZES a 120 rs. a libna.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Osi ras inglesas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 13C0Q, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, -corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, ssrdinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 120 rs. o maco oaiiito
grande.
Passas em qaarto a 10400.
dem muito novas a 400 fs. i libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QEUOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
Quartinhas ou morinques a
II
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Princeza do Bio a 13200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
M
SABO massa a 160 rs. a libra, em caisa se
faz abatimonto.
Sal refinado era frascos a 506rs.
Salame de Len a 89.
Sardiniias de Nantes de todos oa fabricantes,
dem de Setubal em latas muKo grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
8,ooo a ai-xa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollaqa a 48o ra. a
conta corta.
Frasqueirasde genefera de Holanda
e 64o rs. o frasao.
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo,4,6oo, l,8ooe2,ooo
botija de cada ama.
Azeite doce refinado bespcaholou pertuguez; Champagne da meihor qualidade que vem
6,8o i a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mereado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
'Batatas muito novas a 8o re. a libra e2,5oo! 24,ooo e 26,000 o gigo.
Exposico Normal de H.ivana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte.excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandese novas
a l,8ooocentoe l,2oosolas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6oo rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem viudo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2/5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
JRuibos, encllenle peixe portuguez, em
barris pequeos ou a relalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de R i-va sera ancoretas grandes de
8 garrafas por Ooo e 8oo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a ooo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorla.
da arara rasa d'> pr<
meato est al -.' '
na ila Imiieratriz n. 5fi. M.-ml-^ Cal de iJ.ilNta
i a granel a l#M por orna barrica: n ri I" Ti
gario d. Id, primeiro andar.
GAZ CAZ 6A2
VcLde-se gaz da melnor *
0 a lata : nos ranMi i< %-
perador u.I6 e rnal/- TrMHcfrt > ^.
BiNOClL^
Na ra Nova n. 'M tem bmu*ulm HB n .-**-
mado Marine) i|oe alcanca mi.it > taipr, Im m-
lliores qualidades que nuD<*a tem in >
do, propnos para os senhores ntrucs -Ja -irnadA
que tem de seguir para o sol._________
Vendem-se nu enjenho M>2i:*'; i "t
dous aoimaes de roda, sendo urna Le?U am
quarto castrado.
Veude-se urna ptima escrava mo-a dr ba
figura : a tratar na ra da Cadma n. i*>. .a dr
relojoelro.
ESCE1VGS i'.Ia.
Genebra de laranja verdadeira em frascofi o gigo com 36 libra-.
grandes a l.ooo-e H.ooors.* frasquetra. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de 1- qualidades 28o rs. a- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5os rs. a trroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear miriio superior e24o rs. ii-; 4oo fs.
bra e 7,5oo rs. a -arroba. i "Nozes muito novas a lt3o rs. a libra.
Arroz do MaranhSo de Ia qualidade a tos Molho inglez em garrafa de vidro cora reina
rs. a libra e 2,-8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a Mostarda ingleza dos meinores fabrieanies,
arroba. \ a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8c rs. a libra c 2,4ooa ar- Mostarda franceza em pot6G preparada a
roba. 4oo fc. o frasco.
Painco e alpista alio rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas francezas, excellene legume para
arroba. sopa, ?. 2oo rs. a libra.
Massadetomatesdesuperiorquadadea 64o Marrasquino de Zara propiamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a rcta-j -i$ a garrafa e 11,ooo a duzia.
Ibo. I Palitos de denle a 14o rs. o maco.
VINHO Si!!
II
Principe Alberto, de 1831, a 50000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2# a garrafa.
Lagrimas doKouro a 150G a
DOCES de todas as qualidades: braseiros,: DrjqUe a 4^ e 1,5500.
portuguezes, nglezes, francezes, ele, etc. chamisso a U, 15200 e
D. Luiz a lf$ a garrafa.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
brvadoce a 400 rs. a libra.
F
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
garrafa.
I Duque do Porto verdadeiro a 2? a garrafa.
lr$500 a garrafa.
a 2$ a gar-
Moscatel verdadeiro de Setubal
rafa.
Carcavelos a 1$.
I Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
I Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 1*5 a garrafa.
Absyntho a 2(5 a garrafa.
Kirsch a 2/$ a garrafa.
Wermoulh a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 1-5 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
iGomma deengommar muito alva a I2o rs.
a libra.
Figos em sexlinhas a 8g rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecepo,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado
garrafa.
Desappareceo na segunda-'-ir... i\ I
rente, um negro escravo, de neme M. ma- > ofre-
cido por Jorge, que ia c.m atoas nr%nWn) d> ,^-
cado novo, na ra do Qoeiroado, >nrt> t |
borzeguins para senhora, ga-pi.U- de t< mi
lustre n.'io, -i ditos para meninas a 1 b I
de lona gaspiado de couro de lu-'r 1 ', ;
branros, I dito de eouto amareil. I
fio preto, |iar de lnvpH d fcn
de .Nai.t.-s, marra Sozer, tm w I-;r:
sallo e junio da Orina A. I!. M I 1-
tos de tranca u 38 ; jolpa >f p
qosl tim nma b-lide err- um i\\.
atrapalhado, anda para m bandas I
Sama ltita : qoem pegar e tizer > Mkai a **
da Imperatilz n. 49, sera Im r*"i 1
Desapparei-eu ha 15 das d ..
Bhor un.ii preta di- ua^-au Atg.i.
idade, poseo mai- ou n BW, N ai .
guiar, tem urna dor proxirra 1 1
dos brafw, qne assrrand
levou Te.-iidii de riscau l.rancu r. m m
xos, saia de algudizioho, i-u.i-u .1." tiw-a.a .
da : rogase a pes-oa 1 ti
a ronriuza 'rna de ^an'.i QkMi
sera' gralifieado peneramenle.

I
^en-
hm

Taixa de ferro
Qoem pretender comprar a taixa de ferro eoado
com 6 palmos de bocea que se cha na esUcfo de
Frexeiras, pode entender-se com o Sr. Sena Santo
no sea engenho Frexeiras, ou na roa do Impera-
dor n. 42.
Vende-se nma escrava sem vicios, de 20 an-
nos de Idade, com nma linda cria, nm lindo mn-
latinho com 9 annos de idade por 550^000, um ne
Calungas finos e brinquedos
para meninos.
Lhegaram para a loja de miadezas da ra do
Qaeimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
; tanto para bnnquedo de meninos como para cima
' de mesa : na raesma loja se encontrar bom sor-
, tmenlo de miudezas.
I^wvas de pelllea.
Recebeu pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras
Grande exposigao de fa-
zendas.
Qnn fifitSft a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da, loiperatriz n. 06, Lourengo Peretra Men-
es-Gfliaures.
LAZI.NHAS A 240 Rs. I
LZLNHAS A 240 Rs. II
LZIMIAS A 240 Rs. II!
Ha um^rande sorlimento de lzinnas .ehinezas,
(llegadas pelo ultimo vapor, sendo azenda que
quaesquer loja vede a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminu j prego de 240 rs.
o covado.
MADAPOL&O COM 24 JARfiAS A 4,0300 i 11
MADAPOLAO COM l JARDAS A i30 I I
Vade-se mdapolo com 24 jardas e garantin-
do se que tem 20 varas, pelo barato praeo de
4530Q, h8000,.(>OOO e 6*500.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 2*800.
Vender breta&ha de rolo a 200 a peca, s
Mendee tiuimares.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3*000, 2*W)
E 4*000.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3*000, 3*300
E 4*000.
Vende-se madapolao enfestado pelo o barato
prego de 3*. 3*500 e 4* a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vende-se as mais modernas colchas de fusilo,
tendo de todas as cores a 5*500, ditas grandes a
6*000, ditas de damasco a 4*000, ditas de chita a
2*240 e 1*900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 56, Mendes Guimaraes.
UHTAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2f>0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 R?. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas de salpicos a 4*300
a pega, tambem ba um grande sortimento de cam-
braia brancas que se vendem a 3*. 3*500, 4*,
o*, 6* e 7* a peca.
CHALES DE MERINO A 2000.
Lencos decarabraia com barra de cores a 1*800
a duzia, ditos de dita branco a 2* e a 2*400 a du-
zia, s Mendes Guimaraes.
CALCAS DE BRIM DE LINHO.
Vende-se caigas de brim de linbo a 3*400,
2*600 e 4*000, ditas de algodo a 2*, s Mendes
Guimaraes.
Sontambarques de cores, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 4*500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 5*000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 1*, ditos para babado a 1*000 cada nma tira.
ROUPAS FEITAS.
RUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se nm sortimento de ronpas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
outras maitas mais fazendas que se deixam de
annunciar, ra da Imperalrix n. 56, Mendes Gui-
maraes.
refinadoem poemenas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
Azeite e-ce
da Liga.
Saceos de ,'80,100 e 120 libras a 4$, 40500 o 50 ; no grande armazem da Liga.
' '-Y'.
i<^
PECH1NCH
Madapolao muito fino cora pequea toque de avaria, por prego que admir
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correta de Vasconcellos &
ra :
&C.

a*
CT3


o 5 &o
en .
a a>
=
O-eo Cj
03 CD
if"
/-
O
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplaotadas: no sitio morado es-
gro de 45 annos de idade, para todo o"servigo, por qoem recebe'? fo Q beija-flor, na roa do Qaeimado querda, depO's ido becc? do Espinbeiro, dos Af-
300*000* na travessi do Carmo a. 1. 'numero 63. jflictos,
P
TD -1
9*3*
2 o o

o ton
t >
a o 5. M
- S- c
a
S co ,
so,"? ^ a s*
B;S
CD
03
3
ai
w 2.o o.
a n 3 o
IffS
-0
fio"
re
CB
en
09
09
s
"O
< 03
S-Bl. -s
3
o
ce S
Z. 03
J
o
B9
5
f
B
o_
c
a
en
2.
S*
a

S.S.S;
ra
IJif
O o 2 o
P|
2
3
3
o
09
u
09 O CD
O -1 s
ili
N
S
O.It
O
g
o
50
w
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Qucimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mami,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelhos de a!mo.;o e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinhas a 280 rs. o par ; e n5o queren-
do continuar, rende mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de differentes
larguras a 1;>, e babados, collarinbos e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 15a para bordar de diversas
Acham ?e futidos os srravrH -ccn:p'--
mulato, idade de i' annos, rabetiu ai
baiba, denles nm poocu limad..-, -n-.-f.
testa larga, e Ma um jume d.
rrionlo.j nm peneo velho. altnra rt-prf'ar.
cabellpdo, brba n>m alfun el*M^ r .r >-
sini como na caldca, ci>rpo refc>rrado. dta* am
lano pequtno, falla ftro-sa f a-
rouco pedi'-s* a. ant | Iu
pitaes de campo que o- faram apprrbeiMfer -
diui-losa' ca*a de seu .emW o major
Silva Gu.-inu, que generosamente ri
a 500 rs. aje Ibes pagara toda despeza qne tiz-r. r>
conductao : ioppoe-se que elle lera* wo --,
pnimento dos ertoes de?la provineia, por
filhos dessef lagares.
Fupio no da 6 de agosto o >
de nome Tiberio, idade de O i uw, e-
baixa e com falla de nm dos deates e rima. Wt
escravo do Sr. Francisco de Alfewrn rrpv Mw-
nhao Cavalranli : quem on-g.ir n i Icr
cia, queira dirigir se a rna da Caieu do fc-r V
33, loja de Valle Porto & C, qne sera rer mo-B-
sado.
Fugio no da 16 de jolbo do tiim* aawi.
a mulata Suzana, aqual tem os ugrao ywftn .
altura regular,corpo cheio, ror ei-ra ara
cabellos rorridos e bi-m aparado, rara i bata. -
la estreita, olhos pequeos, nariz cktte bucra>
grande, beiros linos, talla de desles, u tromwa
e dedos curtos, idade pouco mais oa mu *o <
nos, natural do sertao, levoo vestido de nm
escura com palmas brancas e paaao da rMa. (al-
ia st mpre rindo-se : pede-se as autoridades .
ciaes, capites de ramio cu qoalqoer qoe dtu*
souber leva la ao seu stnhcr na pra^a da hdip a-
dencia loja de chapeos n. i i e 16, que ser gua-
rosamente gratificad), ao mesmo passo qoe profe*-
la ser contra qualquer qne o leona anulada, pa*
ha noticias qne esta dentro mesmo da ndade ac,
tada e se assim esta pessoa qne a va eaixemr
do contrario ser punida com todo o rigor da Ea
Ausentou-se no dia 2 do correle ao mn* du,
da casa da rna do Imperador n. 16. o preto Batana-
do, crionlo, cheio do eorpo, altara regalar, r
comprido, olhos pequeos e poora barba, asa scv
sa e bigode, bastante ladiao. reprawau wS
annos, pouco mais ou meaos, t jolga-M
caifa preta e camisa branca; este escrava lo. _
prado ao Sr. coronel Galvo, do Limoeiro, para .-
de se jolga tenha fgido, mas ba qnea knrfka
visto na Pas.-ag. m da Magdalena, Retaedia* Tar-
zea; e como se desconfia que e*te|a acwtado,
protesta-se proceder contra qn. m o liver acmotda!
e pede-se a quem delle der acucia oa agarrar.
que dirija-se a sobredita casa, oa a roa do fajar
n. 13, que ser recompensado.
na loja

TaSse IrmSos
vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos mado n. 63, loja do beija-flor.
finos de feitio diversos para ladrilbo, aiuleijos de' ^^-_^^________^___^___
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co- i Vinho do Porto superior em caixa
ztnba, canos de barro pan esfoto, cemento em tem para vender Antonio Luiz de Olive:
barris de 10 arrobas. jo $ C., no sea escriptorio ra da Cruz n. 1.
Gratificado de 100^000.
Fugio dos abaixo assignados do dn 8 t
Janeiro do correnta anno, o seu esenrva t
nome Jos com ossignaes segninies: i >+
bra escuro, cabello carapinho. estatura Ua-
xa, cheio do corpo, ps largos e Caz na %-
to as peritas qnando anda, m bmk
barbado, e tem nma cicatriz bem nrrei em
um lado do queixo, e outra bea tiaii
qualidades e de cores claras a U a libra, es- nas nadegas, proveniente de surra cao a
pelhos de columnas de Jacaranda a 20500, craVo compramos junto r m anitSr
ditos brancos de diversos tamanhos, caixinbas capilSo Silvino Guilherme de Barros, e ale
para estojos de navalhas, sr. os havia comprado ao Sr. Joao CaUai,
Colheres de metal principe. ; morador em Nazareth. Coala >w me i
. Vende-se colheres de metal principe para escravo filho do Brejo da Madre de II
tirar soupa a U, ditas para cha a 20300, aonde casado e tem filhos, ladcae
ditas para soupa a 40200 a duzia: Desta rido ltimamente a mulber: patato ap-
ioja se encontrar sempre um grande e ra- mos a lodas as autoridades poka a aaa
". sortimento de miudezas: ra do Quei- captura, e a qualquer particular a i
cara com a quantia de 1000 se o i
seus senhores nesta praca, rna da
MM w-w w vv | ---- MBWW "W VI ctl(Jtl IVI CIU LOIia dO dUZid, .
cemento em tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Azeve-1 iriz> renua^ao n. 4o.
| Luiz da Silva Ferreira 4 &

TSTi
T


t?.;5 y n Ti ?'S.
'lil'llEfiAIi
Hara de Haiiciui.
A Fronda tiaha ido a baixo; ste sanguinolento
e pu Til jogo da cabra-eega acabir.i por nma cam-
balbota geni o pos de Majarlo triumphaiitc. Saa
rontade paciente, sua moderar! pertinaz, seu
brando desprezo dos homens e das colisas, vence-
rn, lodo e qualquer obstculo e resistencia. A
vi :i :;.i oralegitima, porque era a do estado contra
a marchia, da Franga, contra o estrangeiro.
Toda a corte suppoz que esta viagera, empre- nham offerecido para marcharem para a guerra teotes jalgarara reconhecer alluses ao Levlathan
hendida para concluir orna allianca real, viria a contra o audaz e lonco tyranuo do Paraguay, vos, dos mares. Este continuava a fazer seis milhas
dar em um hymineu romanesco. A pobre prin- Sr. Coimbra, voastes a manifestar ao corno acade- por hora, velocidade mnima, mas togrande como
ceza de Saboya desagradou, logoque appareceu. mico vosso alto aprego (segundo a vossa propria era de esperar em conseqnencia do seu enorme
Ctumenta j como una desposada, liara de Man-' expressflo) sentimentos to elevados, offerecendo carregamento, o mni sufflciente para a submerso
Trin'lff"!^ sua rival com Dra arreDatament0 de \ ao mesmo tempo gratuitamente ao mesmo corpo do Qo, qne urna navegacao mais rpida punba em
acadmico, por intermedio de minha insuficiente risco de se partir. ^/
individualidade, doze camarotes de segunda ordem Em todo o caso o Grand Oriental, apeiar dos
para assistlr ao espectculo do da de hoje. trinta e dous ps d'aguaque demandava e das suas
Respond immediatamente vossa honrosa car- 2S0 toneladas, navegava mais depressa-queuma
ta, signifleando-vos em nome do corp acadmico fra8a,a siriaca, provavelmente o Archiduc Fre-
que elle acceitava com summo prazer, e com pro- deric> 1e eneontrou na Mancha segnindo viagem
funda e perenne gratido para comvosco to non- Para Plymouih.
Na manhaa de segnnda-feira, rompeu o mo
tempo, e o mar engrossou a um ponto tai que o
Esse agrad.:c.mento, porm, Sr. Coimbra, mil-1 navj(> ]Qgava de boinbordo estibordo e de ppa a
nilamente inferior a grandeza do verdadeiro me- \ -a
remenlo e valor d oiTerta ; e por essa causa De res(Q aproximava.se 0 oceano atlam cujas
que aproveito agora o ensejo de vos tributar pu-
Transteverina.
Nao estaes envergonhado, disse ella ao rei,
de que se vos queira dar semelhante raulher?
Mas durante essa raesma viagem, a Hcspanha
tinha offerecido ao rei a paz e a Infanta.
Mazarlo nao hesitou ; interveio entre sua sobri-
. nha e seu amo com soberana aulondade e dester-
de >- r- vagas
blicamente em nome do corpo acadmico, e em R
1 ^"CS.
raeu proprio nome um solemne voto de perenuat
Os bertas da Fronda deslumhra 11 a> longe por ron Maria no eastello do Brouage, em quanto la a rosa oiTerta.
causa do rolopio das suas aventuras suas mulhe- S. Joo da Luz concluir o casamento,
r i s tdnzero, qnando, mettidas era seos casacoes de Ah senhor, sois rei, me amis, e eu parto !
armzonas e com ares de Ciorinda, do meias voltas Este adeus de Maria partindo para o exilio foi
na frente dos seus reeimentos de namorados. Ap- como a oraco tunebre desse amor real, nascido,
proxiniai-vos: o her! nao passa de um chefe que morto e sepultado furtivamente. Mas, se asna
toma porofllcio e por merendona a goorfa civil; a sobrinha tocante, o to grande em tal sacrificio,
heroioa nio ra lis do que urna intrigante, que se Conlestou-se o desioteaesse de accao to sublime,
fez fanqaeira de urna revolia para obter alguma e 0 drama do Ambiguo, quo neste lugar pde em
recompensa. sceua as besbilbotices do algumas memorias, attri-
Essa bandeira romanesca, que ao longe flucta t,ue-o ao temor de ser o cardeal supplantado em
:" : indo eodnlactas to brilhantes, transforma-se seu (l0jer )lor sua Subrjn|13i se vesse a ser rainha.
em saceo para encbtr. \ Como se da forga das cousas e das necessidades da
A Fronda vis apparere tal qual, na verdade, ella poca nao se tornasse com evidencia bem saliente,
, urna industria lucrativa. que o poder de Matarlo era vitalicio e inamovivel
Tanto para reatar esta praga, tanto para qUe 0 Ttl ()lias fugadamente, nao se decidira
assignar essa tregua, tanto para fazer depr as reinar seno por detraz delle, e que tal allianga,
;.-. is ao amante ou ao patito da dama. | |unge de abala-io, Id lo-ha feito mais que um pri- PT*ieT ao concede-lo.
- Mazarin nao grande, mas elle o parece no : meir0 miai?tro absoluto, ara primeiro offlcial d'el-! Dr" l-ourtni Triao de fretro.
meio dessas coospiracoes do dengosas de bolas e i rci j A|ra isl0 an estao as suas car,as para at. ,.....
sao enormes e lera mais loogas ondula-
gratido ; pedindo-vos ao mesmo tempo que per-
mittaes ao corpo acadmico (por considerago do
flm) fazer remessa do valor monetario do uso des
preditos doze camarotes distincta commisso ad-
ministrativa dos fundos
das Familias dos Voluntarios da
Tinham chegado ao travz do pharol do cabo
Lezard, quando foi avistado um vapor navegando
laboriosamente em direcgo ao Greul-Eastern.
Este suspendeu a sua marcha, e, com grande
desapontamento dos homens da expedigo, reconhe
de raosqueteiros. Elle os domina com sua cabeca | (eS|arem a sua sinceridade
irnica e calma em que se desliza malicioso
cartas admiraveis em
sorriso.
Cantai,
armrii, tramai, amotinai, tomai cida-
que se falla ao rei a lioguagem da razo d'eslado
cora vigor corneliano.
... Xa idade em que estou, opprimido de
des, corrompe tropas. Vos pagareis, depuris as
armas, capitulareis, entregareis as pracas, e, pe-
,. t. i ,.. vosso servigo, e em que me parece que sou assas
dindo urna grac a que obtereis, lomareis a beijar
esa bella mo italiana calcada de luvas perfu-
madas.
Porque a bon Jado um dos traeos caracters-
ticos do cardeal; nao obstante o drama do Ambiguo,
que no-lo mostra entregando urna don:e!la a assas-
sinos, e ordenando a prista de um gentil-homem,
porque gritou.
cAbaixo Mazarin! em urna [averna. O povo
expu!sa-o, oparlamenlo poe sua cabera a premio e
entrega seu palacio ao saque; os folheieiros despe-
jara sobie sua purpura baldes de injurias liradas
das sentinas, os principes maquinan) contra a
sua vida, e abrazara o reino para fazerera-n'o
saltar.
Elle prevalece, trinmpha; ei-lo de novo senhor
e mais poderoso do que nunca Torna-se cal-
mo, amavil, serenissimo como d'antes, sem que o
da Assoc.acao Protectora ^^ ^ era % Qa ^.^
Patria para q, wnaMe ja. em Va|ent|a_
seja apphcado a esse humanitario flm ; sendo que, Q mao g q % Te(a^T.S( n0 porto
vos peco essa permissao bem certo deque vosso. ,.__,. ., ., __
K V t .de ralmoutb, donde sahira nessa mesma ma-
hqaynitano e bem fazejo c ragao trasbordara de ; nbaa
O flo de que a Caroline estava carregada empe-
ca o andar deste naviozinho, que o Grand Oriental
tomou a reboque, sem o qne se houvera afun-
dado.
De resto, o mar estava mu cavado, apezar da
fio
felizmente le- chuva que cahia.
Os dous navios navegavam tristemente ao longe
A primelra operago para a collocaco do
electro-transatlntico, acaba de ser
vada a effeito.
, Um telegramma de Valenta, na Irlanda, nos jn- dessa costa da Irlanda.'semeada de rochados se-
: formaqueseacbamestabelecidasascommunicacoes melhanga de urna cintura de ferro.
a' elctricas entre a trra firme e o Great-Eastern. Perguntava-se com ioquielacao, se a Caroline
para vosso estado, insupportavel que me veja! Esto vapor vai agora atravessar o Atlntico, di- Podena ser rebocada al Valenta.
molestado por urna pessoa, que por todos os moli-' rlgindo-se Terra-Nova, e deixando desusar de FiMlmaote chegaram, na manhaa do dia 18, a
vos eu deveria despedazar para descango meu. : sua ppa os 4,300 kilmetros do fio ennovelado a'eDlrada dese Porlo> dBnlr do q"a' o vaporznho
Em urna outra carta elle Me traca um retrato bordo. fo1 buscar u,n abr,8.ao Passo de sua sobrinlia semelhanle a o modelo apresentado j Se tudo corre bem, dentro de doze ou quatorze' Pcurava, um pouco mais distante, um ancoradou-
a Heoaud para arranca lo dos jardins de Armida.' das, a Europa e a America sero unidas pela elec-j'
Nao estou sorprendido da maneira com' trleidade.
que me fallis nelia, pois que a paixo que Ihe Devemos aqui observar que o fio principal es-
leudes que vos impede de conhecer o que ella tava nicamente embarcado a bordo do Great-
e respondo-vos que. sem esta paixo, concordarieis' Eastern.
coraigo em que essa pessoa nao possue nenhuma ( Um barco a vapor, a Caro/ino, transportava um
amizade, que tem una arobico desmarcada, um fi mais grosso, fabricado expressamenle para ser
espinlo caprichoso e iracundo, desprezo por tedo o collocado na vizinhanga das costas da Irlanda, e
mundo, neuhuin recato na sua conduta e urna in. que devia ser soldado com o grande Do, no mar
clinago para fazer toda a sorte de extravagan. a|l0i a uma distancia de 25 milhas.
Quantos teem aberto sen espirito, enternecido e
purificado o coragao pela leitnra nao s da escrip-
tura santa, mas anda cornada vida dos Santos,
dos actos "Jos Martyres, das confissdes da Santo
Agostinho, das humilias de S. Chrysostomo, das
cartas de S. Jeronymo, da imitago de Jesns Chris-
to, e da introduego e vida devota T
Nestas lelurasa alma sente-so como elevada ci-
ma de si mesmo, pelo fervoi de seus desejos, pe >
amargor de seus gemidos, pela dor de seus pecca- folhetim.
dos, e pelo desprezo das vaidades do mundo.
A penitencia cajo nome amedronta o bomem-
nao tem para elle nada de duro e de irapraticavel.
A solido que Ihe pareca tao penosa e selvagem
tornar-se-lhe em sabio e encantador retiro.
Josias l o livro santo, e proraette ao Senhor
guardar com perseverante fidelidade suas ordens-
Esdraste l aos Judeos as palavras da lei eelles
se cohiben) de suas pre vari cagos, chorara amar-
gamente o formara a resolugo de mudar de vida.
E' sem duvida a leitura de bons livros, que podo
lomar o hornera de Ueu|pjm hornera perfeito : aoi
mestres e superiores Incumbe a esculla dos que
tem de formar a mocidade successoras da geragj
que passa, despresando os que sao capazes de gas-
tar o espirito e erapestar o coragao.
mar fardado, e de olhar flxo e (alia treorate *-
rige ao pai de D. Leonor o segoinie discorso, ja
se bem me lembra, ji en havia proaaiHia s an-
nhas leitoras no segundo capitulo d'el
loria, ancdota, romance, ou como ta direo
queiram chamar.
Eu nao fago questao da deoominaco-
Mas o melnor ser toda a gente cbamar-lhe |
nome com que eu baptise isio... sin, islo i
toda a
cas... E" possivel que vos persuadis de que eu I Era misler, portanto, que o Great-Eastern e a
seja to penetrante nos negocios pblicos e que | Caroline transportassem o sen carregamento de
Londres para a Irlanda, que o grosso fio elctrico
fel que bebea Ihe tenha feito conlrahir-se a sua I nada veja absolutamente nos da minha familia ?
mascara aveludada, sobre a qual resvalara os ul-!
iraks era uma eola de sanme nem nma nala ; lle a'acava" em lagar senslvel aterrando seu fosse s>mergido cora bom xito desde a estagao
irages. Mm uma gota de sangoe, nem uma pala- casamento desieual i ^ Valenta at ao Great-Eastern, que o esperava
vra de afflcgao, mas moitos corapr meatos, cortez as! U1u,"u Vmd 1ULd ao casamento aesiguai. y
, Su pu nsvMw innin a Ac n-.r, nf.flQri *>. no mar largo, e que os dous fios estando soldados
e abracos um ponco escarnecedores. oe eu esiive>se junio ae vos, nao poaeria dei- ,
!- j tar dfi vnsriiar n nno i macmn ai-cocio h a, um ao outro, as coramunicagoes elctricas fossem
Lma das suas mximas era; tque o superior; Xdr ue vocuar o que vos mesmo aiasestes do ca-;
jamis pode fazer mesuras muito rasgadas.. ** d rquei de Richelieu, que nada ha Perfe.tamente establecidas entre a trra firme e
Eotrava uma grande parle ded^prezo ueste i raais rgoolioso e que merega mais desprezo do.0 nav,'que ja esla naveRando P"a a America.
perdi das injurias: era a ndiffereoga de estatua 1U9 casar se c Pe^oa muito inferior. Es,a Pnmeira Parle acaba de ser levada a *'
apedrejada que se sent firme em sua base, e lan- Em tal lugar quasi palhetco de suas carias, Jal- ,0 ; porera lem0S SOOaeDte Prflmenores minuciosos
ca um sorriso de marmore a seus insultores. Tam-; v^ <**" aos ps do joven rei com um m bem a historia nao deixar de tomar-lhe estrenas
conlas de (anta clemencia.
Pdese chama lo um scaramugo escarate; po
rcm quantos histries mais chocarreiros do que
elle nao tomaram utn cadafalso por palanque 1 Ao
vimento de generoso desinteress. entre Londres e Valenta.
Eis todo quanto a paixo, a fidelidade e o Es,a cur,a v'agera ia sendo fatal a este ultimo
zelo que tenho por vosso servigo me obrigam a re- vaPor Podia t8r retardado a operagao, pela per-
presen lar-vos, com a liberdade que devo comoi^e- da da Por5ao do flo embarcado a berdo da Caro-
Iho servidor, que nicamente recreia-se com a vos^ "**
monos elle, esse Escaramugo de estado, esse Tnve- sa 6|oria> e 1ae len> mais interesse e obrigagao do: Es,e navi.sanido de Londres quatro dias antes
que outro qualquer, nao s de vos dizer a verdade do Great Eastern, devia chegar moito tempo antes
como anda de sacrificar sua vida por to bom amo a Valenta e submergir o flo elctrico que Ihe f-
como vos. ra confiado, de modo que esta operario estivesse
t Em summa, protesto-vos que nada capaz de concluida" logo que^O" navio colosso chegasse
mpedir-me de morrer de desgosto, se vejo que v,sla'
uma pessoa, que me toca de tao perto, vos causa' Este nem mesmo dovia entrar na enseada, mas
mais desgraga e dainos do que lodos os sorvigos simplesraente demorar se no mar alto, a uma dis-
que vos lenho prestado desde o primeiro da em ,ancia de 23 milhas, o tempo necessario para sol-
que nelles rae empreguei. ldar os dous flos e navegar em seguida para os
bancos da Teira-Nova. Porm, contra o que esla-
Ur.o Principe, como o deoominam os libelhs dilla-
matorios de ento, soube comprehender que nao
era un personagem trgico.
Elle depz o machado que Richelieu Ihe li-
aba legado, e contentou-se com uma chave de
prista.
Senhor 1o coracao da raioha, tutor absoluto do
jovetn r que puuha-sa de esguelha as dobras da
sua purpura, poderoso como m vizir, rico como um
califa, nada mais faitava a Mazarin do que dedicar
um templo a Fortuna, e Jangar o seu annel no
mar.
Foi ento que elle raandou virem alternadamente
du Italia as suas sete sobrinhas, como para fazer grande poltico, c o zelo e a paixo pela Franca.
De certo, esta linguagem 6 sincera, taes accen-
tos nao se contrafazem : assim fallara um sacer.
dote indignado de ver seu Deus se Ihe equiparar.
va combinado, as cousas passaram-se differente.
mente.
O Great-Eastern achava-se em 13 de julho,anco-
, w W(V-iiwii,i il ni.im !,.-i ct
Ha urna virtude que se nao pode negar a esse rado na embocadara do Tamisa.
cora ellas urna corle de amor e uma graciosa
Elle a desfruclava largamente, mas prestava-lhe
dyni-iia. Tres de entre ellas chegaram quasi no seus servigos com fidelidade, e, comparando os com
oomego da Fronda, sendo recebidas pelas raas
das inazarinadas.
Seus olhos sao de coruja,
Como a couve a pelle ,
D'alma perdida os sobr'oihos,
Carao cor de charain.
As outras quatro, que chegaram depos, fazem
em Franga a entrada de uma familia real viudo
reunir-se o seu chefe.
Ellas desembarcavara, como se tivessem vindo
era barco de c^rreira, tmidas, expatriadas, estran-
geras, ura pouco queiraadas pelo sol de Roma,
com o atordoamento de Crcdilhons transportadas
pelo toque de uma rainha de condo das aguas
feriadas de um palacio romano para o esplendor
de uma grande corte. Mas em pouco transfigu-
ran! se nesse centro radiante : o respeito as en-
grandece, a adulago as deslumhra; ellas marchara
a par das princezas de sangue; jogam com o re
como nymphas com um joven deus.
Seu to pe suas mos em leilo da grandeza
humana; elle as dessemina nos degrus do ihro-
no; outra por intermedio deltas uo gremio das
maiores familias da Europa.
As fllhas de Heleronimo Marlinozzi e de Lorenzo
Maocini casara-se cora duques reinantes, primos
de reis. Uma dellas chega a ser rai de urna rainha
de Inglaterra I
A fortuna dos Mancini.obstinando-se em leva-Ios
ao pinculo, tentou uma scena insperada quasi
imaginara, quando Luis XIV esteve a ponto de
esposar a menos bella das sete sobrinhas e na
apparencia a menos sednelora.
A's onze horas e ura quarto, o capilo Anderson
deu ordem de suspender o ferro com os cabres-
tantes, e sem o auxilio da machina a vapor, a qual
as suas rapias, pode-se dizer, em summa, que a
d. ifc.. ____ j u ,. ... ae ordinario desempenhava essa tarefa a bordo do
Franga Ihos pagoa com o dinheiro que elle Ihe
roubon.
Leviathan dos mares.
O capitSo receiava que dos violentos abalos fei-
Maria de Maocini, despertada desse grande so
nho, foi desposar era Roma o condestavel Colonna, los Pela raach'na para alevantar a ancora, resultas-
um desses maridos ciumentos das antigs ebroni- se al8Qm accidente,
cas italianas, que fazem comer a suas mulheres o
coragao dos seus amantes, ou que as encerram,
para puni-las, era alguma torre febricitante das Ma-
rennes
Logo, cangada do negro humor de seu marido,
que pareca ser o talismn das Manci-
Maria com
liberdade
nes.
Madama de Grgnan a vio desembarcar em Pro-
venga, com a equipagem de uma pnnceza vaga-
Oiienta homens da tripolago pozeram-se aos
dous cabrestantes e comegaram a andar roda,
cantando o estribiIho do costume.
O capilo Anderson, afim de inspirar mais cora-
gem sua gente, mandn saltar para cima de um
E' do Sr. Tobas Brrelo de Menezes esta poesa
dedicada ao seu amigo e collega A. de Castro
Alves :
01T0 ANNOS.
Que bello v-la brincando
A virgemznha ero boto,
Inquieta, rindo, saltando
Sobre o tapiz do salo,
Com essa malicia divina
Que a faz em ludo bolir,
E do-lhe um grito : menina I
E ella foge, e torna vir:
Toda primores celestes,
Coberta de alvura s,
Nuas peroas, curias vestes,
Cabelles qual ureo p
De anglico pensamento
Perfuraosoenchendo o ar,
Naquelle arrebatamento
Com que a infancia quer brincar.
A flor concerrada anda
Rescende em sua manhaa;
E se ouve urna voz to linda I
Voz mais doce : minha irraa
Por graga alguem diz : que moga
Mostrando o joelho n I
Mais alguem : que perna grossa I
E ella diz : grossa tens l.
Quiz prova-lo, e n'um instante
De pueril insensatez,
Vio-se o lampejo inflammante
De nunca vista nudez,
De sob a lolhuda veste,
Claro revelar-se at.....
E o demonlnho celeste
Gritou fugindo : nao ?
D-se perdo creanga
Que inda nao sabe o que faz,
Da vida na onda mansa,
Da innocencia na paz.
Contou-se o crime sorrindo,
Quem que puni-lo vai ?
Depois... eslava dormndo
J nos bragos de seu pai.
soa irmaa Hortencia recorrem a essa | dos cabrestantes ara tocador de pfano, que fazia
acompanharaento s coplas cantadas successiva
mente por um marinheiro. Mas quando chegava
a vez do estribilho, as oitcnta vozes entoavam ao
mesmo tempo o famoso Slap bang I Anda aqui
bunda. Muias pedras preciosas e nada de rou" 'nos achamos! to sabido de todos aquelles que
pa branca. E' o signalamento que ella d. iem navegado a bordo dos navios inglezes ou arae-
Colonna a perseguo, a passo de mata-mouros- ricanos.
de Franga Flandres, e de Hollanda Hespanha,, Depois de ter girado era redor dos cabrestantes
Elle a fechava em um convento ; ella quebrava e cantado por espago de tres quartos de hora, a tri-
as suas grades para tornar a cahir um instante de- polago acabou por arrancar o ferro do fundo, e o
pois em um claustro mais severo. Great-Eastern poz-se era raovimento.
Ha um momento em que nao se descobrem as
lenta
esquipatica e vil.
Seus olhos pretos, diz madama de Motteville,
alera denoterem brilho, pareciam desiguaes; su
bocea era grande e chata, e excepto os denles que
tinha bellos, podia se dizer que ento ella era intei-
raraente feia.
suas pegadas.
Sabe-se psra onde vo as estrellas errantes ?
f...
(Traduccao de A. de Mendoza.)
O sol era mugnifico, o mar sereno.
Um pequeo navio do almirantado o Porc-Epic,
j navegava diante do Great-Eastern, para Ibe ensi-
| nar o caminho cheio de obliqaidades, que do rio
: desemboca no mar alto.
______a, n i. Nao ha um s navio que siga este caminho, mais
longo que os outros, porm o nico accessivel,
Cl POl'CO DE TUDO. ^ f'ela profundidade do canal, a um navio portador
Este foi o discurso que o Exra. Sr. conselhero 'L^ISJtSZSZSlSSSTZ F2! !
Esta era uma IiaNana de pura raga, al.iva e vio- a --* "T* 7^ZT^e^l^ '^
na, quasi feia a primeiravlsta.de uma feialdade nta Isabel, por occasiao do espectculo do da
119, ao qual o mesmo emprezario couvidou o corpo Lo8 1ue chegaram ao alto mar, o Porc-Epic
acadmico assistr, em regosijo do acto palriotco saodou o Great-Eastern, edesappareceu ao mesmo
do seu oflereciment : tempo que o Ondine, biate pertencente ao duque de
!llm. Sr. Antonio Jos Duarte Coimbra.Muitas Sutherland. Foram, porm, substituidos por uma
e brilhantes provas de distinelo, Ilustrado e subli-' esquadrilha de pequeos vapores e de embrca-
me patriotismo bavieis j dantes exhibido nesia ca-' (tas, que sabiam de todos os porlos, a medida que
Madama de Lafayette nao mais llson-
geira :
Madamoisella de Mancini nao tinha nenhuma
belleza. Nao havia nenbura encanto na sua pessoa,
pouquissimo no sen espirito, posto que o possuisse
em muta quantidade; elle era grandioso, resoluto,
pital, e principalmente desde que a selvageria pa- j o colosso dos mares ia passando, e o acompanha-
raguaya, ousaudo affroniar a civilisago brasileira iYam Pr ^um lempo.
e invadir, sem previa declarago de guerra, uma Ctagavam de Mrgate, de Ramsgate e de todos
das partes integrantes do vasto territorio brasilei-
ro, excitou nos briosos e corajosos peitos dos seus
os portos e bahas das cosas inglezas.
Um valenle hiatezinho de hlice, da ilna de Tlia-
filhos, freguemos mamfestagoes publicas do mais, nBt> depois de passar e tornar passar em roda do
O Misswnano Catholico publica o seguinte :
A LEITUA DOS LIVROS DE PIEDADE.
Assim como ha uma palavra alta e elevada, que
serve aos ministros do Senhor para explicar em
publico sua vontade aos homens, e instrui-Ios de
seus deveres ; ha tambem urna palavra muda, que
sem o socco-ro de uma voz sonora e brilhante nao
deixa de se fazer ouvir a aquelles que tocados do
verdadeiro desejo de salvago se prope a fazer del-
la bom uso.
urna impressiona nossos ouvidos, a outra se ofle-
rece a nossos olhos, escutamos urna, lemos outra
e todas duas podem produzir bons effeitos.
A palavra de Deus se insina n'alraa pelo ouvi-
do, mas pela leilura de um iivro era que Deus nos
falla, esta alma se instrue de seus deveres, e se
sent excitada a cumpri-los com fidelidade.
Urnas vezes uma vos partida do cu nos diz,
como aos discpulos que estavam sobre o Thabor
tescutai o meu filho bem amado era quem tenho
posto mmbas complacencias ; outras vezes se nos
mostra, como a Ezequiel, um Iivro e se nos diz,
como a este profeta tomai-o, lede-o e fazei delie
vosso sustento : e Isto nos faz conhecer que a
leitura de ura bom Iivro pode, como a predica
contribuir utilmente a saniificago de nossa alma.
Uma destas palavras mais nobre, mais viva, e
mais expressamenle recoraraendada que a outra ;
porm pde-se dizer que a que nos annunciada passa
to veloz, que nao sabemos demorar a rapidez para
comprehender com vagar seu sentido e toda soa
forga; emquanto que a cada pagina de ura Iivro
de piedade, os que o iem podera repassando mui-
tas vezes saa leitura, fazer mais longas, mais sabi-
das e mais salutares reflexoes.
A leitura de bons livros nos d nao s a intelli-
gencia de nossos misterios, mas anda o conbeci-
ment de nossos mais importantes deveres na con-
duta de nossos costuraos
Em Nevers (Franga) se fez a experiencia de
uma carruagem vapor, que marcha era to-
dos os terrenos, seja qual fr o 6eu declive,
corta os aDgulos mais agudos e roda sobre si
mesma.
Nao se pode, pois, duvidar do resultado de uma
tentativa que muitas pessoas julgaram impossi-
vel; resta nicamente saber se a despeza ser su-
perior a receita, o que ento tornara intil a des.
coberta.
--------------=**; i--------
Esta poesa foi pelo Sr. Caetano A. Sanches Sa-
lazar offerecida ao brioso e dlsiincto i. batalho
de infamara da guarda nacional Maranhense,
pertencente brigada expedicionaria, por occasio
de Ihe ser entregue a bandeira nacional que pre-
pararan! e offereceram as Exmas. Sras. Franco de
S directoras do collegio de Sant'Anna em Mara-
nho.
Eis o estandarte de guerra,
Onde a idea se encerra
De triumphar, ou morrer ;
Em honra delle s forte,
Que os bravos lbos do norte
Nao recusara combaier.
Recebei, pois, a bandeira,
Que ua Dago Brasileira
Representa a monarchia;
Na frente dos batalhes,
Ao rebombar dos canhes
Ella ser vosso guia I
Marcbai, cohorte de bravos,
Contra aquelles ignavos,
Nao trepidis um momento;
Pois vossa patria ultrajada
Deve ser desaffroniada,
Ter na historia um monumento.
Nao trepidis eia avante I
Que do Brasil inda infante
Temero esses tyrannos;
E vos briosos soldados
Pelo valor exaltados
Voltareis de gloria ufanos 1
O Paraguay nos insulta,
E' mister irdes na luta
Repellir aflronta vil;
E cora denodo e coragem
Fazer o Lpez selvagem
Respeitar nosso Brasil I
Sa no campo da batalha
Rebentar forte metralha,
Nao tremis avante sus 1...
Que, aps as vossas fadigas,
Veris as plagas amigas
Do Imperio de Santa Cruz.
Veris as vossas consortes,
Que lastimam suas sorte?,
Beijar-vos as mos sorrindo;
E vos cobertos de louros
Dizer-lhes : i Eis os thesouros
Em nossos peitos luzindo.
Eis aqui, sim, sao medalhas,
Que symbollsam balalbas.
Que ganhamos co'a victoria
D'aquelles vis e iguavos,
Que de Lpez sendo escravos
Julgam ter nome na historia.
Avante 1 liihos de Mane,
iSo combate tomai parte
Defendei vossa nago;
Com vossa fusilara
Acabai com a soberbia
Do tyranno de Assurapgo I
E quando em cruenta guerra,
For arrojado por Ierra
O sanguinario Lpez;
O Brasil, reconhecido,
Nao deixara' no olvido
Vossa honrada intrepidez.
Derribai aquelles muros
Que dizem ser to seguros
Da soberba?Horoait;
Por premio tereis a gloria
Pois a fama da victoria
Pelo mundo correr I
Nao trepidis eia I.. avante 1
Que do Brasil inda infante
Tremero os vi* tyrannos;
E a nossa honra offendida
Com vigor ser punida,
Ficaremos sempre ufanos 11
Frahmentos de um folhetim do Sr. Luiz de
Araujo :
COMO UM RAPAZ ACANHADO PEDE UMA MEMA EM
CASAMENTO.
Joao de Mello Barroso, flcou na sala entre dois
terriveis anceios I
O desejo de pedir a mo da sua Leonor, e a sof-
freguido de saber se Ihe passaria o ataque ner
voso que lbe dra a' janella.
E' um folhetim, embora o Sr. Pinheiro Chafas
se na... isto um folhetim caturra, calarra keaa
n'o sei ; mas um folhetim.
Eu podia contar agora um caso qne me stseee-
deu por causa de chamar folhelim a um eseripto,
que depois conheci que era nma allaso epyi
manca sabedoria apparente de um parvo
China descompoz o commissario do tkeatro
por causa d'elle Ihe fazer alta n'uma entrada ta
gratis que o nescio nsofrnia, nao sei por qw Ma.
lo... mas nao quero interromper a historieta do
nosso impagavel Joao de Mello Barroso, ta atao-
rado acanhado e tmido, do pobre diabo ta ni ida
cortado escovinha.
Eu peco aqui encarecidamente uma eoosa as-
tora.
Nao se m'esquega que Joo de Mello Barroso ti-
nha o cabello escovinha.
Eu j o disse, como eslaro lembrados ; otas sao
n'o olvidem.
A' pnmeira vista parecer que osla rirconastaa-
cia, nada importa para o bom andamento e taseav
iace d'esta narraco ; pois se o peasaaa assia,
pensara mal e vo sempre lenta o que too eoataa-
do, tendo na idea que o Sr. Jota de Mello Barroso
um rapaz salientemente acanhado e ta cabello
cortado escovinha.
Nao me chamem massista por baver reiterado
tanto este caracterstico do Sr. Barroso.
Eu nao fago mais do que lembrar riHprUmiaasa
te, e dala quera nao enfadoobo u'esie mnata T
Enfadonbo ludo e todos.
Todos, excepto V. Exc, que n'esle momento, ao.
tando que anda nao ouviram o pobre Barroso pe-
dir a mo de D. Leonor, di rao comsigo :
Que folhetim l
Que lempo que este homem leva para ata
coutar urna cousa que se dizia em duas patarras f
Que periphraseado para... nada f
Que rodeios I
Que historia to interrompida por cosos, aoe
nao veni ao caso I...
Que apoquentador este Luiz ta Aojo f
E eu rio, e nao me escandalizo ta to jostisassaos
desabafos de V. Exc.
E eu acbo-lhes carradas de razao ; atas lesa a
confessar sinceramente como sausfacao plena ta
tanto as mortificar com os meus cornos suportte.
ros, que nao ibes disse anda como Joo ta Meti
Barroso pedio a mo de Leonor, por... por...
Logo direi.
Nao fago myslerio da causa; mas roelbor guar-
dar a revelaco para logo.
Esquecia-me de dizer uma cousa :
O Sr. Barroso era poeta.
Mas que poeta !
Que vate !
Metriflcava com a mesma facilitado coa qne o
tal sabio da China dizia mal l do administrador do
tbeatro...
Eu tenho de cor a primeira qoadra que elle.
Barroso, fez a D. Leonor.
Queiram escuta-la...
Era assim :
t Leonor, quando te vi a misssa,
t Perd todos os sentidos meas f
t Quando o padre disse Credo
c Foi que soube que eras o mea Deas (
Estou que nao tem nem um verso errado t
Dahi, Jha um pensamento sublime a'esta stro-
phe...
t Quando o padre disse f Cre4o
i Foi que soube que eras o mea Deas!
Coilado do nosso Barroso f
Bem coilado d'elle por se metter a facer poesa
n'esle tempo de prosa to chocha Iff
Faz-roe lembrar, por minha honra e patarra o
digo, faz-me lembrar esla poesa do nosso aero*
uma qaadra que na noite de Sanio Antonio eo I,
n'uma massaroca de alfazema, na praca do fl-
gueira.
Era a poesa mystica applieada raas-aroca, ao
sei cora que flra, era o cogito saber : o ana sai,
que a massaroca tinha a sua competente
nha de papel cor de rosa, e no papel estar
(o o seguinte :
Faz hoje um anno
i Que eu vim do Cartazo,
c Havia nesia praga tanta paneadarta
c Que m'enferraram 9 chapeo pela eabega
Que quereria dizer isto TI...
E o que quererei en dizer tambem nestas I
e intempestivas divagagoes?!...
Privar V. Exc. da historia de Barroso T
Nao.
Esquivar-me a levar muito seguidinao fo
sua historia ?
Tambem nao.
Desafiar com estes specimens poticos o fasta 1
V. Exc. pela poesa T
Tambem nao.
En nao quiz boje se nao ama eoosa.
Eocber este folhetim, encher este fo
para fazer lembrar a V. Exc. qne o 1
ravel Joao de Mello Barroso liaba o cabello
do a escovinha, e que eu s powo pora a 1
(se' puder I ) contar como elle pedio ao soa fosar*
sogro a mo de sua futura esposa.
Tem-me cnstado, mas juro brevemente
ragar-me deste encargo que me impoz.
arrebatado e contrario a toda a especie de civilida-; Profundo amor e de enthnsastica dedicago sua (8'gante dos mares, affasiou-se dando uma salva
1 patria, e a seu excelso Imperador o Senhor D. Pe-;com duas das suas PeCas em miniatura, cuja ei-
dro II, acoropanhadas do mais espontaneo oflereci- plosta ia quasi fazendo voltar o biate e derrobar-
mento de suas pessoas e de suas posses para o flra 'ne tUD0 da charain.
de coadjuvarem o governo imperial na alta misso! As noras da noile. em 3i o Great-Eastern,
de desaggravar digna e cabalmente a cbara patria,' passou entre Calais e Donvres, cujos phares dis-
to audaz, to limeraria e to profundamente ag- j tlnguiam-se mui fcilmente.
de e poltica.
Cono quer que seja, essa ragazza de olhos pretos
enfeitiQou o coragao do rei. Talvez Ihe agradasse
ella, mesmo por causa da sua aspereza, do seu
verdor mordaz, da energa aggressiva de urna pai-
xo que atacava sua timidez.
Quando elle cahio doente em Calais, durante a
campanha de 1658, e que se julgou um instante
perde-lo, Maria de Mancini manifestou, no mel
das dores estudadas da corte, um desespero de
Voceratrice, lastimando-se sobre o cadver de seu
amante. Seus ruidosos solugos feriram os ouvidos
do doente : elle amou, sentindo-se amado.
Desde ento Maria nao o delxou mais. Sua in-
timidade com ella tomou o aspecto de um entrete-
nimento de esponsaes. Ella cavalgava a sou lado,
quando elle foi a Lyo, ao enconiro da princeza
de Saboya.
gravada pelo selvagem, insolente e lonco despota
do Paraguay.
Sim, Sr. Coimbra, desde ento principalmente
vos tendes exhibido nesta capital brilhantes pro-
vas de distlncto, Ilustrado e sublime patriotismo,
correspondendo sempre essas publicas mamfes-
tagoes patriticas 40 povo brasileiro, com actos de
igual patriotismo, abnegaco e sacrificio dos vossos
propros interesses reaes.
E' assim, Sr. Coimbra, qne anda bontem, desde
que vistes que uma grande parte dos alumnos da
Faculdade de Direito e do Collegio das Artes se ti-
Um marinheiro inglez, julgou at mesmo distin-
guir, ao laar, o casco negrejante de um navio con-
ragado da mariaha fraoceza.
Na manhaa do da seguinte, domingo, o tempo
estava coberto, mas nao ebuvia.
Depois da lavagem das cobertas, e tendo o Great-
Eastern acabado o seu toilette matutino, os mari-
nheiros Irataram primeiro de si, e desceram s 10
boras e meia da manhaa sala de jamar para as-
sistlrem aos offlcios divinos.
0 capillo Anderson offlciou, segundo o costume,
e leu a Biblia, em que no Iivro de Job, os assis-
Esperou, espern pelo futuro sogro, at que es-
ella nos ensina uo s o le appareceu risonbo como um cabo de polica
que respeita f, mas anda o que tem relago quando recebe tres senhorias, e alegre como qual
com a direcgo de nossas consciencias; nao s o quer tolo que despachado para alguma secretaria
que esclarece o espirito, mas tambem o que ca- de estado,
paz de santificar nosso coragao. Vendo entrar o sogro contente e amavel, corre
S. Jeronymo diz que nenhom homem por mais a elle de bragos abertos, e diz-lhe entbosias-
babil que seja, nao tanto qnanto poderia'-ser, se mado:
nao lsse a escriptura sagrada e outros hrros de I Enlao a Sra. D. Leonor vai melborzinba?
piedade, onda encerrara-se cousas, que teria elle; Le0nor. esta' ptima, recuperou a sade e
ignorado sera este podero auxilio. ea 0 lendo 8aber M Mnnor
Nesses livros o hornera dissipado aprende a re-
colber-se comsigo mesmo, o soberbo a humilbar-se,
o invejoso a conter sua inveja, o impaciente a re-
primir suas murmurares, o immortifleado a levar
sua Cruz, o rallador a deter a sua liugua, e final-
mente todos ahi aprender a nao fazer a outrem
aquillo que nao quereria que se lbe flzesse.
Quantos tem conhecido o verdadeiro estado de
sua alma pela leitura de livros, que o acaso parece
fornecer, mas que assim
magestade Divina T
dispe
que pretendo sauer e se e senhor a ama
verdaderamente. Sei que Ihe faz a corte, porque
ella m'o confessou, sei que ella lbe corresponde...
e sei tambem...
Creio que nao sabe todo...
Diz bem; nao sei anda se a posigo pecuniaria
de V. Exc Ihe permitte casar, e tratar minha fllha
com a decencia qne a saa gerarchia reclama, e
tambem com toda a independencia precisa.
O nosso Barroso, que nao esperava lio gueima-
0 Dr. em medicioa Eduard Williaa Pritcoard,
de quarenia e taos aonos ue idade, acaba ta ser
julgado em Edrobureo por baver earoaaaata oaa
Glasgow, onde resida, sua malher Mary Jasa Tay-
lor, que morrea em 18 de mareo ta M5, e saa
sogra Jane Cawan Taylor, qoe morrea aa M ia
feverero do mesmo anno.
O julgamento comecoa no dia 3 ta jamo, aa sao-
sao de 7, o jury, depois ta estar enes irada
meia, deu os crimes por pro vados.
O Dr. Pritcbard foi condemaado aa pe
raorte.
Devia ser execotata em Glasgow aa da
julho.
a providencia e a roupa um loquen to sobre o estado solido dos seos
> tundos, impertiga-se como qualquer moco da ca-
Mr. Samnel Baker, qne i soa
prebenden continuar os descobrimealos
e Grand na frica Central, acabo ta ver
os seus esforcos pela deseoborta ia
lago africano, Jdonde sal o Hilo. Mr,
este ultimo lago o nomo ta Atberto
Sir Roderick Morcbison, diz qoe
lar, pela latitude dada, qoe o lago
Lutta Nzige : de qoe Speke oarbra fallar, a
cado hypotbetieamente na soa
no seu mappa, mas qoe elle ota pota
PERNAMBUCOT^tiP. DKH.P.H P. d#UO
i
- ~ .
m



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWV5OXEX9_C0H473 INGEST_TIME 2013-08-28T00:55:53Z PACKAGE AA00011611_10750
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES