Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10749


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ARMO III. ITOMERO 192.
Por fiarte! pago dentro de JO das do 1. mez : i
dem de})Ydos i." i Odias do comecoe dentro do quartel. .
Porte o correio por tres mezes......., ,
-
5|000
61000
750
OAHTA FEIR 23 D AGOSTO DE 1865.
Por anno pago dentro de 10 das do l. mez
Porte ao eorreio por um anno .......
. i
l|OOi
IfOOO
DE PERNA
ENCARREGADOS DA SUBSGRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex>ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. desmos Braga; Caira, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Fiilios; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudno Falco Das; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estagSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tergas
feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingszeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, galgueo eEx, as quartas
feiras.
Serinbem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Prmeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 Loa cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da ra.
13 Qoarto ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Qoarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
21. Segunda. S. Joanna Francisca Romana v.
i Terga. S. Fahririano m.; S Anthuza m.
23. Quarta. S. Felippe Benlcio; S. Davina.
24. Quinta. S. Bartholompo ap.; S urea v. m.
2o. Sexta. S. Luiz rei de Franca; S. Patricia v.
26. Sabbado. S. Zeferino rn.; S. Adriana m.
27. Domingo. S. Jos de Calazans fundador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 m. da manha.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sal at Alagoas alie 30; pan o aorta
ala a firanja a 7 e 22 de rada mez; para Pe
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo,:
ulho, setembro e novembro.
ASSIGNASE
no Recife, na livraria da praca da Indepesdencta
ns. 6 e 8, dos proprielarios Manoel Figneiroa da
Faria & Filho.
OFFIGIAL
GOVUINO DA PROVINCIA.
Exprditnte do dia 19 de agosto de 186o.
Pode Vmc. fazer seguir para os portos do norte,
al Granja, o vapor Persmunga, no dia 22 do cr-
reme, as horas indicadas era seu offlcio de 17 deste
mez.
Portara.O presidente da provincia conforman-
; do-se com a proposta apresentada pelo ten.ente-co-
! ronel coramandante do batalhao n. 5* de infamara
i da guarda nacional deste municipio, sobre que io-
Offlcio ao Exm. marechal de campo, comman- formou o respectivo coramandante superior era o-
dame das arma?.-Mande V. Exc. alistar na cora- ficio n. 243, de 14 do crreme, resolv nao s pri-
panhia de volunianos a Climenco Alves de Faria Var do posto o alferes da 6* companhia Carlos Au-
Pedrosa e Luiz Ferreira de Araujo que penen- gusto de Barros Reg, qua deixou desolicitar a sua
erara a companhia de aprendizes artfices do arse- patente no praso da lei, mas tambera noraear para
nal de marrana, e se offereceram para servir na offlciaes do mesmo batalhao os cidadaos abaixo de-
guerra contra a repblica do Paraguay.Comniu- clarados :
ncou-se ao inspector do arsenal de marinha. Estado-maior
Dito ao mesmo.Providencie V. Exc. para que Crurgio-tenente Dr. Luciano de Moraes Sar-
sejam alojados no quartel da companhia dos artifl- ment.
ees os voluntarios que se forem alistando para a Alferes porta-bandeira o guarda Tiraoleo Peres de
companhia de zuavos, que se est organizando. Albuquerque Maranhao.
Dito ao mesmo.Haja V. Exc. de mandar alis- j. companhia.
tar no corpo de voluntarios da patria o acadmico Tenente o alferes Jos Duarte de Albuquerque Ma-
do Io anno Manoel do Nascimento Pontes, Antonio ranhao.
Jos de Castro Guimares e Joaquim Rodrigues Pi-: 3. companhi.
nhelro que foi apresentado por seu pai Francisco: Alferes o guarda Jos Goucalves da Silva.
Rodrigues Pinheiro empregado na alfandega. 4. companhia.
Dito ao Dr. chefe do polica.Acabo de expedir Alveres o guarda Candido de Barros Wanderlev.
ordem ao commandante sup-nor interino da guar- g companhia.
da nacional do municipio de Goyanna, para que os Alteres o guarda Henrique de Barros Caval-
offlciaes que Ihe sao subordinados, coadjuvem as cante.
autoridades policlaes do termo d'aquelte norae no Communcou-se ao commandante superior do
desempenho de suas uneges, prestando as pragas Recife.
que requisitarem para deligencias da polica, co- Dita.-u presidente da provincia attendendo ao
mo V. S. solicitou em oficio n. 1,173, de 17 do qUe PXpoz o inspector da thesourana provincial,
crreme, convm porm que V. S. recommende em officio de hontem, sob n. 316, resolve abrir ura
aquellas autoridades que se abstenham de distra- novo crdito supplemenlar na importancia de....
hir os guardas nacionaes para qualquer servigo 783300, para continuago das despezas com a il-
sem sciencia de seus rospeclivos commandantes, a luminacao da casa de detengo, no exercicio pro-
quem os devem previamente requisitar, serapre xmo |n(j0i em ijquidacao, visto ter sido insufflcien-
que fr possivel, ou em caso urgente de alguma le 0 crdito aberto para esse Om, por portara de
servigos, os nomes importantes de cidadaos prest- Simio dos Res, e Thomaz, africano livre, para
raosos, que compoem nesta comarca a guarda civi- correcelo; e Quirino Nunes da Silva, para re-
ca, sao os mals seguros garantes de sua estabili-cruta*,
dade. A ordem do de Santo Antonio, Luiza Anna Maria,
c o povo apraz-se em ver a seu lado os homens' e Francelina da Silva Leal, para corregi,
respeitaveis de todas as cores polticas partilhando
o afanoso lidar do servigo publico.
Brevemente remetiremos os nomes daquelles
cidadaos que, depois da publicagao da primeira
lisia tem se alistado como guardas cvicas, bem
como os nomes de alguns outros (poucos) que, ten-
do voluntariamente se inscripto nao se querem
agora prestar ao servigo.
L-se no Commercial do Rio Grande do Sul,
o segrate :
< Seguio hontem mesmo para a capital da pro-
vincia, pelas 3 tioras da tarde, o vapor Jaguaribe,
couduzindo a ala direita do 2" batalhao de volunta-
rios de Pernambuco, designado como 30 de volun-
tarios da patria.
A ordem do de S. Jos, Manoel Jos do Nasc.
ment, e Antonio Jos Tavares de Medeiros, por
disturbios.
A ordem do do Pogo, Angelo Jos de Seve, para
recruta.
O chefe da 2." secgao.
J. G. de Mesqnita.
Passageiros. do vapor brasileiro Persmunga,
sahdo para os portos do norte : Joaquim da Frota
e Vasconcellos, D. Antonia Joaquina de Lima Mon-
teiro, Pedro de Alcntara Pinheiro e 3 criados, Ger-
mano Ignacio d'Araujo, Joo Antonio Cavalcante, Fragoso, Santos \ Companhia.
Antonio Alves de Hollanda Cavalcante e 1 criado, Appellantes, Tasso & Irmo ;
Aotouio Gomes Prente, Flornda criada, Manoel de | cisco Luiz Salgado e outro.
Oliveira Lima Jnior, Jos Baptista Groba, Jacintho Desprezaraiu-se os embargos.
Appellante, Antonio Rodrigue. Fernandes Viei-
ra ; appellados, os administradores da massa falli-
da da viuva Amorim i Filhos.
Foi apresentada ao Exm. Sr. presidente a res-
posta do contador geral interino do juizo era cum-
plimento portara que o mesmo Exm. Sr. diri-
gio-lhe a 17 do corrente. E em vista de dita res-
A appellago crime.
Appellante, Ravmundo Jos de Santa Anna 1 a&-
pellado, ojulzo.
Do Sr. desembargador Domingoes da Stlva a
Sr. desembargador Barros Vasconeellos
A appellago civel.
Appellante, Antonio Jos Muniz; aoi>ella posta o Exm. Sr. presidente declaran que nada ti- iarmino Gomes de Moura aPP*w
nna a providenciar, por so que os escrivaes do Appellante, Mara Magdalena da
L ?? "a"3 VefS cein.;ara que razan appellada, Cypriana Maria de Mallo*.
a, int.magoes aos advagados nesta cidade fra dos Ao Sr. desembargalor Guerra
e gasto o espago maior de quatro a appellago civel.
Appellante, Vicente J.>s de Unto
ah... n .,LLG.AMEN7s- Manoel Jos Ferreira de Gnsmo.
Apellantes, Guimares & Bastos ; appellados, a* 1J horas encer-rc
os administradores da massa fallida de Amorim,
Cooeeieo
seus cartorio
horas.
-j a s*.io.
appellados, Fran-
diligencia imprevista, iuforraar logo depois da mes
ma deligencia.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Recommendo a V. S. que, nao obstante as ponde
ra.goes feitas pela contadona dessa thesouraria nos
pareceres a que se refere a sua informago de 7
do corrente sob n. 068, mande pagar os vencimien-
tos que se estiverem a d ver ao pharmaceuiico 1
Braz Marcelino do Sacramento e ao amanuense da
30 de margo ultimo.
Dia.O presidente da provincia resolve au-
torizar a Antonio da Silva Lin< a promover
o alislamento de voluotarios as comarcas de Pal-
mares e Rio Formoso e recommenda a todas as au-
toridades a quera esta for apresentada, que o au-
xiliem nodesempenho desta commisso.
Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
cana mande dar passagem a r, por couta do mi-
nisterio da fazenda, no primeira vapor que seguir
enfermara militar permanente, pois que quanto ao
1 nao tendo sido possivel acabar-se de prompto para o1 norte, ao chlf9~dVseccao Yedra' deAleanta-
cora a pharmacia do extracto hospital, foi mister ra Pinheiro, inspector nomeado para a thesouraria
que elle contrauasse a servir, e quanto ao 2 por- da provincia do Rio Grande do Norte. -Comrauni-
que tendo sido proposto pelo commandante das ar- Cou-se a thesouraria de fazenda.
mas, servia com annuencia da presidencia.Neste
sentido offlciou-se ao marechal commandante das
armas.
Dito ao mesmo.Mande V. S. adiantar ao ope-
rario alfaiate Jaouario Alves do Nascimento a im-
portancia de nm mez de salario cora que se contra- Qnarlel general do commando das armas de Per-
tou para servir no arsenal de guerra da corte, na nambueo na cidade do Recife, 21 de agosto de
COMMAMO DAS ARMAS.
rma das ordens imperiaes.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. os inclusos
documentos, aflm de que, nao bavendo inconve-
186o.
Orden do dia n. 101.
O marechal de campo coramandante das armas
Tivemos occasiao de ver a bordo esse bizarro Tercio de Oliveira Gondin, Gregorio Taomaturgo
batalhao, coraposlo de gente apta para a guerra, Jnior, Joo Carlos de Souca Santiago, Bernardino
havenuo entre elles 200 caboclos civilisados das al- Alves Ferreira, Antonio Rodrigues da Costa, Bor-
deas entre as Alagas e Pernambuco, os quaes con-, nardo Cerqueira de Castro Monleiro, Jos de Aze-
duzem 28 mulhtres. redo Maia, D. Bernardina Gongalvei d'Araujo e 1
c Este batalhao era sua partida de Pernambuco, tilha, Jos Martins Ferreira, D. Maria Felismina de
receben de seus comprovincianos urna bandeira | Albuquerque e 1 criado, e Francisco Jos Gui-
nacioual de damasco de seda, primerosamente bor-' maraes.
dada a lio de ouro, cravada a cora com algumas j Casa de detencao.Mov ment do dia 20 de
pedras de valor. agosode 1863
< E' urna das baodeiras mis ricas que temos
visto.
Entre os offlciaes do 30 batalhao de volunta-
rios da patria, conta-se o Sr. alferes Jos Severiano
de Mello, pai de tres senboras, assim como irmo {
de outra, e todas o acompanham, por se haverem
offerecido aflm de em campanha preslarem os ser- de
Existiam 361; ntrarara 16; sahiram 3 ; exis-
teru 374, a saber : nacionaes 289; mu Hieres 7 ,
estrangeiros 24; estrangeiras 2; escravos 36 ; es-
cravas 3, total 363.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 177.
Mevimento da enfermara do dia 21 de agosto
1863.
vjgos que forem compativeis cora o seu sexo. Nao Tiveram baxa .
sao elles poucos e nem deixam de ser arduos: as Jos Francisco da Costa, sarnas.
guerras da idade actual apparecem serapre por j Luiz de Franga Crvalho, gastrite.
honra da humaoidade esses entes frageis e dedica- Amaro, escravo de Antonio Caldas da Silva,
dos, entes quasi divinos, verdadeiros aojos de ab
con-
negaco, que denominamos irmaas de cariiade.
Na Crimea e na Italia ltimamente, vimo las
expondo-se ao perigo, e anda no calor da peleja
irem arrancar a urna corto quasi certa bravos sol-
dados, aflm de com presteza pensarem Ihes os ta-
inos e as fondas, como boas e prestimosas enfer-
meras.
E se nobre, elevado e grande o ministerio d
raulher levada nicamente pelos sentimentos de
humanidade, nao sabemos que nome dar qaando a
elles se aggregara para servir-lhe de esmalte o
amor fraterno, o filial anda mais paro e o da pa-
tria, tao justificado, to intimo, to santo para quem
o sabe comprehender como essas digoas Alag5a-'
as, cujos nomes a historia registrar em letras de;
ouro. __20__
Eis os nomos das varonis senhoras : i Herculano Themoteo da Fonseca. 31 annos, soltei-
D. Amelia Catharina de Mello, D. Laura Urra-. ra, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares,
ca de Mello, D. Segismunda Rosa do Mello e sua Maria, Pernambuco, 12 dla, Recife; ttano,
lia D. Catharina Joaquina de Arrchelas. i Joo, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos ; convulsoes.
t Vieram roais desta familia tres irmos, os quaes Joaquina,, Pernambuco, l anno, Sanio Antonio;
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Rosiron Rooker & C. ; appellado, Manoel Das
da Silva Santos.
Appellantes, Sampaio, Silva & Companhia ; ap-
pellado, Antonio Jos de Castro.
Adiados a pedido dos Srs. deputados.
DESIGNAQAO DE DIA.
Appellante, Manuel Joaquim Baptista ;
do, Joo de Almeida Lima.
Primeira da til.
PASSAGENS.
O Sr. desembargador Acciol soliciton que se
convidasse o Sr. desembargador Gitirana, juiz cer-
to, para vir receber o feito seguinte, entre par-
tes :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados,
Costa & Filhos-
Do Sr. desembargador Res
embargador Silva Guimares:
e Silva ao Sr. des- \
JURY 0 RRC'IFR.
18 DE AC.USTO DB 1863
PRESIDENCIA DO SI. DR. JUIX DB DIREITO DA 2* VAR
CRIMINAL MANOEL JOS DA SILVA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacintho Peretrm *
Reg.
Escivo Joaquim Franci.-co de Paala Eneres
Uemente.
Advogado o Sr. Dr. Francisco de CarvaW
I Soares Brandio.
appella- Reos, Benedicto, escravo, Manuel S wres de Ai
jo, aecusados no art. 271 do cdigo rrimii
A's 10 horas da manha, feila a chamada <
pareceram 40 senhores jurado*.
toram multados em mai*20J> os jorados j mul-
tados nos anteriores dias de sessao e ao. que faltt-
ram hoje sera motivo justificado, e declara-se aber-
ta a sessao.
Sorteado o jury de sentenga, foi deferido ao ro*<-
, mo o juramento dos Santos Evangelios loraa os
| reos interrogados.
Lido o precesso da formago da colpa, desearo!-
veu o Dr. promotor a aecusago, segurado-se logo
Appellantes, A. Schafter & C.; appellados, An- ( defeza.
usoes- ionio Luiz de Oliveira Azevedo <& C. Fiados os debates, depois da replica e trepfcea,
Cemiterio publico. Obtoario do dia 19 de Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. des- resumida a materia da aceosago e da d>i>xa, o
agosto : embargador Acciol : Sr. Dr. juiz de direito prepoz ao jury de sesteara
Jos Maria Placido Magalhes, Portugal, 64 annos, | Appellantes, o presidente e directores da caixa os qoesitos do facto, que oram eatregoes con o
viuvo, S. Jos, gasiro-pencardite. filial do Banco do Brasil nesta cidade ; appellados,, precesso ao presidente interino do jury de jelea-
Jos Francisco da Silva Alagoas, Pernambuco. 60
annos, solteiro, Santo Antonio ; apoplexla.
Luiza Francisca de Mello, Pernambuco, 38 annos,
solleira, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Albertina, Pernambuco, 3 annos, Santo Antonio;
pneumona.
Amelia, Pernambuco, 12 mezes, Boa-Vista ; es-
pasmo.
Clara, Pernambuco, 7 dias, S. Jos i espasmo.
Um homem que morreu de coogesto-cerebral no
hospital Pedro II.
Jos Antonio Moreira Dias.
Nada mais bavendo a tratar-se
sidente encerrou a sessao
tarde.
niente, mande pagar nao s os vencraentos rea-' f UB "r'M *-," tivos a 1- qulnzena deste mez, do 1 batalhao de Sif22 ^ELSrilTaS qU9 P,reS''
infantaria da guarda nacional deste municipio. J*"aa,"'u porporlaria de 19do correte ao
ariuartellado para o servigo da fuarnigio, mas ^^^i^,^A*^SS? pm pr-
mover o alistamento de homens pretos, que com-
r&^K^^rne^rSua'S i g* SSTtSS? f A
U pVagas do mesmo batalhao, conforme solic.itou.o ^Z^T^^^ZT' a",ara "
coramandante superior desta capital em offlcio de
17 do corrente sob n. 232.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. S. de informar
acerca do que pede no incluso requerimento Fran-
cisco d'Oliveira de Mello e Silva.
Dito ao mesmo.Deferiodo o requeriraenlo so-
bre que versou a sua informago de 23 de julho
ultimo n. 321, do Io tenenie do corpo de ongenhei-
ros e ajudaote da directora das obras militares
nesta provincia, Chryslito Ferreira de Castro Cha-'
ves, declaro a V. S., em vista do que a esse res-
peto tambera informou o coronel chefe d'aquella j
repartgao em offlcio de -29 do predito mez sob n.
37, que ao supplicaute devem ser abonados os ven-
cimentos de commisso activa por serem estes os
que Ihe corapelem e teem sido abonados aos offl-
ciaes de engenheiro all empregados.
Dito ao mesmo.Restituo a V. S. o requeriraen-
lo do padre Manoel de Sant'Anna Luz, sobre que
ver.-a a sua informago de 14 do corrente sob n.
alloj
de guerra.
(As>\godo). Francisco Sergio de Oliveira, ma-
rechal de campo commandante das armas.
Est confirme. Antonio Francisco Duarte, 2*
tenente ajudante de ordens mterino, encarregado
do detalhe.
RBVISTA mAXIA.
Teve hontem fim a defesa de theses, que para
doutorar-se defenda na Facnllade de Direito desta
cidade o Sr. bacharel JoaoThom da Silva.
O resultado da votagao deu a approvago do
candidato.
A Exma. Sra. D Maria Alexandrina S Barre-
to, obedeceodo es impulsos do seu animo varonil,
391, afim de que, de cnformidade com ella, man-1 acaba de offerecer ao Exm. Sr. conselheiro presi-
de pagar ao supplicaute a quantia de 345790 que dente da provincia ura seu filho de nome Antonio
se Ihe est a dever de seus vencimenlos, como ca- de Albuquerque Sa- Brrelo, afim de tomar parte
pello contratado para a enfermara militar per- na guerra.
manente, a contar do Io at 16 de julho ultimo,; E' este ja' o terceiro filho, que esta digna senho-
em que foi resendido o seu contrato. ra aprsenla com destino ao servigo militar em
Dito ao inspector da thesouraria provincial. urna quadra tao melindrosa ; e por isto cada vez
Com a portara junta por copia respondo ao offlcio I se torna mais credora das bengos da patria, que
de hontem sob n. 316, em que V. S. solicitou um to alto falla em seu corago.
novo crdito supplementar para a continuago das ] O apresentado sobrinho do Sr. do Sr. coronel
despezas com a illuraraagao da casa de detengo; Antonio Pedro de Sa' Brrelo,
no exercicio prximo lindo em liquidago. Alistaram-se hontem no corpo de voluntarios
Dito ao commandante superior da guarda naci-. os Srs. : Joaquim Jos da Cunha, Manoel Martins,
nal do Recife.Tendo autorisado a Justniano Ma-, Francisco da Silva, Manoel dos Santos Silva Maa,
noel de Barcellos de promover o alislamento de ho- Joao Francisco dos Santos, Joaquim Servulo Gra
mens pretos para a organisago de urna corapa-: ma, Leopoldo Henriques da Silva e Francisca Au-
nhia de volunianos da patria, sob a denomnago' gusto Ramos de Mello.
deZuavosrecommendo a V. S. que providencie = Por portara do governo da provincia foi in-
para ser o referido Barcellos, dispensado do serv-! cumbido o Sr. Manoel Jos de Campos Barbosa do
ja seguiram para Porto Alegre cora a ala esqerda
do mesmo batalhao, de nomes Euclides de Souza
Mello, Cypriano de Souza Mello e Pedro de Alcn-
tara Mello. >
De Pombal, provincia da Parahyba, escre-
vera-nos em data de 10 do corrente :
No da 1 do corrente parti de Pianc para a
capital desia provincia o Dr. Francisco de Paula e
tumor.
21
Leonilda Amelia Ferreira de Siquera, Pernambu-
co, 17 annos, casada, Boa-Vista ; aborto.
Maria Luiza da Conceigo, Pernambuco, 80 annos,
solteiro, S. Jos ; velhice.
Jos Alexandre Villela, Pernambuco, 34 annos,
casado, Boa-Vista, febre maligna.
Silva, levando comsigo 35 voluntarios, entre elles Francisco Firmino do Rogo Mello, 10 annos, Santo
dous de seus primos e seu cunhado o tenente Jos Antonio ; ttano.
Joaquim da Silva. Ha actos, que disp6osam os elo- Manoel, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos ; espasmo
gios ; seu panegyrico o seu histrico. -~-
0 Dr. Paula percorreu todas
qo da guarda nacional, emquanto seachar naquella
commisso.
Dito ao director das obras militares.Constan-
do-me que ainda nao se deu comego aos concertos
que mandei proceder no quartel da Soledade, onde
est alojada a guarda nacional destinada a guerra,
recommendo a V. S. que sem perda de tempo man-
de fazer os referidos concertos.
Dito ao inspector do arail de marinha.Fica
approvado o contrato qoe.V. S., segundo o termo
annexo ao seu offlcio de 17 do corrente, celebron
com o operario serralheiro de 2" classe Candido
Silvestre de Souza, para servir este no arsenal de
guerra, na forma das ordens imperiaes.
Dito ao director do arsenal de guerra.-Consi-
dere V. S. rescendido o contrato que assignou Be-
nedicto Jos dos Passos, para irabalhar no arsenal
de guerra da corte como operario alfaiate, visto
qae j eslava elle designado para o servigo da guer-
ra, como guarda do 1 batalhao de artilharia deste
municipio, quando celebrou o referido contrato,
segundo coramunicou-me o respectivo coraman-
alistamento de voluntarios da patria na comarca
de Flores.
Alistaram-se para fazer paite do contingente
da guarda nacional, o cabo do"-3 batalhao Joo
Manoel de Oliveira e os guardas do mesmo bata-
lhao Jos Paulo Teixeira e Hermenegildo da Paixo
Souza Coutinho.
O Sr. lenle-coronel Francisco de Albu-
querque Maranhao Cavalcant foi incumbido do
alistamento de voluntarios da patria.
Alistou se hontem no corpo de volunUrlos da
patria o Sr. Joo Nepomuceno Alves Macil.
Mogo quo dispoe de todas as iseogoes do servigo
militar, estando alm disto em lugar que Ihe pro-
porciona vantagens, nao Ibe sodreu todava o ani-
mo em presenga da affronta estrangeira ; e ah
vai envergar a blusa do voluntario da patria, para
viugar essa afTronla, deixando comraodos e nao
olhando a nada.
Louvamos-lhe o acto patritico, que disto
credor.
O resultado da eleigao procedida no Athenen
dante superior em offlcio de 17 do crrante.Com- \ Philosophico Litterario em sessao de 12 do corrente
mnnlcou-se ao commandante superior do Re-' foi o seguinte :
cita. Jos Leandro Martins Soares, presidente; Ray-
Dito ao capito do portoFago apreseotar a! mundo Braulio Pires Lima, vice-presidente ; Flix
Vmc. para dar-lhe o conveniente destino o desertor i Ribeiro de Carvalho Jnior, 1* secretario ; Joo
da armada Manoel dos Santos Barros, qae veio Manoel Arvore de Oliveira, 2 dito ; Pedro da Co-
apresentar-s-rae hoje afim de gosar do indulto con- j nha Bellrao de Araujo Pereira, orador; Fortuoso
cedido pelo decreto de 10 de fevereiro deste anno,; Lins Cavalcanti de Albuquerque, thesoureiro.
convindo que Vmc. precedendo as averiguagoes na-: A commisso de redaego corapoe-se dos Srs. :
cessarias, me declare qual a marcha da desergo Francolino Dias Fernandes, Anlooio Jos fiodri-
commettida pelo referido desertor.
Dito ao juiz de direito da 1' vara.Tendo a c-
mara municipal desla cidade, segando me coramu-
nicou em offlcio de 17 do corrente, sob n. 31, de-
signado o seu procurador Francisco de Paula e
Silva, para requeqaerer a especialisagao da hypo-
theca legal da lazenda municipal, nos termos de
qae trata o | 4 do art. 151 do decreto n. 3,453, de
z6 de abril ultimo, assim o declaro a Vmc. para
sea conbecimento.
Dito ao chefe da repartgo das obras publicas.
Pode Vmc, conforme indica em seu offlcio de
boje, sob n. 267, mandar annunciar pelos jornaes
desta capital, qae fica transferido para o dia 9 de
gues dos Colias, Geminiano Brasil de Oliveira Goes.
Antonio Tristo de Serpa Brando Jnior, Amphl-
lophio Botelho de Carvalho.
A commisso de syodicancia dos Srs. : Joo de
Almeida Lopes, Manoel Joaquim Cavalcanti de Al-
buquerque, Walfredo da Cunha Figoeiredo.
A commisso de exame dos Srs. : Sebastio Cor-
deiro Coiho Cintra, Firmino Martlniano Carneiro,
Ignacio da Silva Arantes.
Da comarca de Nazareth escrevem-nos era
data de 21 do corrente o seguinte :
t A guarda eivica j aqu ama realidade. No
dia 7 do crrante coroegou ella a funecionar, e at
boje tem continuado com perfeita regolaridade
outubro prximo vindouro o coocurso para preen- Apesar das pragas de alguos pseudo-aristocratas,
chmenlo das vagas de pratieantes dessa reparticao,' que agarrados aos phaotasticos pergamrahos de sua
visto ter apparecido apenas nm concurrente a taes indebita e radicla nobreza, se envergonham de
vagas, segando consta de son offlcio, que fica as
sim respondido.
Dito ao gerente da Companhia. Pernambucana.
apparecer com a arma ao hombro como simples
soldado da patria, temos f que ira por diante. A
boa vontade que cada um tnostra era presiar seos
CIIROI\ICA_JliDiClARIA
Tiunr.v.vI, DO COMMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 21 DE
AGOSTO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manliaa, estando reunidos os Srs.
deputados Rosa, C. Alcoforado, Basto e Miranda
gio
as paragens da-
quelle termo, por toda parte do Pianc ouvia-se sua
voz eloquente que despertava no sertanejo o pa-
triotismo, esse senliraento que transborda-lhe no
peito e de cuja sublimidade a ignorancia impede
de ter pleno conhecimenlo ao rustico homem do
campo.
O Dr. Paula consegue o desempenho de sua
nobre e espontanea misso, smenle robusiecendo
a sua palavra cora seu prestigio e o de seu sogro o
coronel Joo Le te Ferreira, esse ancio respeita- Leal, o EinTSr! pres'idenie declaran'aberla a'ses-
vel que na idade de oitenla e tantos annos, arada sao.
nma vez presta um relevante servigo a sua patria, i Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
Asseguram-nos que elle, seus parantes e amigos | dente,
despenderam nao pequea somraa de dinheiro. expediente.
i Aos voluntarios, de que acabo de Ihes fallar, Um offlcio da junta dos corretores, com data de
precedern) 20, que a um mez pouco mais ou me-! hoje, remetiendo a cotago dos pregos da praga na
nos, sahiram do Pianc, sendo capitaneados at a; semana prxima finda.-Archive-se.
capital pelo Sr. Abilio Rodrigues dos Santos, pri- i despachos.
mo do mesmo doutor. No requerimento de Joo Ferreira dos Santos
Todos esses voluntarios serao miseros e aven-1 Jnior, pedindo o registro da nomeagao de seu
tureiros individuos, que procuram assim nm raeio | caixeiro Jos Luiz uuarle de Azevedo. Regis-
ga, que se retirou a sala secreta das eoofereaelae
o Kxm. Sr. pre-, pelas 3 3/4 horas da tarde, e voltoo s 3 horas ca
nma hora da : suas respostas; em vista das qoaes o Sr. Dr. jan
] de direito condemnou o rea Benedicto a aeaa da
gales perpetua e multa de 12 M J do valor roa-
' bado, e absolveu o reo Manoel Soares, coodemaaa-
do o senhor do escravo e a moni ripalidade aaa
custa?, e appelloo para o tribunal da relaro qoaa-
to ao primeira reo.
O advogado e curador do reo pedio a palavra
TRIBUJVAL DA. RELA&0.
SESSAO DE 22 DE AGOSTO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des- .
embajadores Santiago, Gitirana, Lourengo San- K'_d """**,0- lerendo qw
llago. Almeida Albuquerque, Assis, Doria, MotU, SferiSo i2 Z TLJ,Z LT 12. *"
Guerra procurador da cola omingues da Silva : &*,?& )>&**. **
e Barros Vasconcellos, falundo o Sr. desembar- i h'a, P'Ua du se|?oinU5 a4 l0
gador l'cha Cavalcanti, abrio-se a sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguinles
JLLG AMENTOS.
M
seado
vuu
de futura subsistencia ? Nao ; sao homens (rauilos
dos quaes pas de familias) pacficos e laboriosos
agricultores e creadores, cajo trabalho assegura-
Ihes o pao na doenga e velhice. Nao ser um ver-
dadeiro sacrfleio ao Pianc, em relago a sua po-
pulago, ter dado 56 voluotarios alm dos re-
cruias ? Sim ; porm deu e dando ennobreceu-se. registro da sua nomeagao de caixeiro
Numerago dos bilbetes da loteria 29" offere-1 Austin & CRegstrese.
tre se.
No de Jos Bernardo de Carvalho Jnior, pedin-
do certidao de estar ou nao registrada sua nomea-
gao de caixeiro de Antonio Francisco Martins de
Miranda.Como requer.
Ne de Antonio Satmco de Lyra Mello, pedindo o
de Matheus
cidos pelo thesoureiro das loteras Anlooio Jos \
Rodrigues do Souza para auxilio das despezas da
guerra.
Bilhetes os. 207, 1,102,1,632,2,303,
Meios ns. 319, 801, 1,384. 1,960, 2,114, 2,889.
Quartos ns. 17, 164, 430, 790, 912,1,074, 1,265
1,553,1,874,2,266,2,771,2,947.
Os bilhetes das loteras 11* a 28' produzirara
466*000.
O agente Olympio era seu magestoso armazem
ra da Cadeia do Recife n. 36 faz hoje leilo de
mobilias completas, ohjectos de ouro e prata, pian-
nos, quadros, cavados, carros, cabriolis e outros
mnitos objectos que estaro patentes ao exame dos
concurrentes.
REPAHTigAO DA POLICA :
Extracto das partes dos das20, 21, e 22 de agosto
de 1863.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 19 do
corrente :
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Silvano
da Costa Villar, para recruta.
A ordem do subdelegado do Recife, Lucas,escravo
de Joo Jos d'Araujo, para coiregao.
A ordem do de S. Jos, Maria de Jess, por
embriaguez, e Rosa Maria Joaquina, por distu-
brios.
- 20-
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jacin-
tho Antonio Ferreira, Laiz de Franga, Diodato, Jos
Francisco de Souza, Jos Gomes da Silva, Jos Luiz
da Rocha, Amaro Severioo Alves, Jos Alves da
Silva, Severino Gomes da Silva, e Jos de Oliveira,
para recrulas ; e Manoel Ferreira, por ferimen-
tos.
A ordem do Dr. delegado da capital, Laurentino,
escravo dos herdeiros de Joaquim Manoel Vieira
de Mello, por fgido.
A ordem do subdelegado de Santo Antonio, Da-
miao da Costa, e Vicente, escravo, marinheiro do
patacho Garibalde, para corregi.
A ordem do de S. Jos, Severo Jos Francisco
Cavalcante de Oliveira. por embriaguez.
A ordem do de Magdalena, Amaro, escravo de
Antonio Caldas da Silva, por briga.
A ordem do do Peres, Firmino Jos de Sant'Aon,
para recruta.
21 -
A ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Antonio dos Santos, Lourengo Jos Rodrigues, Hen-
rique Gomes da Luz, e Manoel Joaquim do Nasci-
mento, para recrutas.
A ordem do Dr. delegado da capital, Bernardo
Joaquim Elenterio, para recruta.
A ordem do so.bdelegado do Recife, Miguel Joa-
quim da Chagas, Francisco. Lopes de Souza, Manoel
No de Manoel Olavo do Reg Barros, pedindo
tambera o registro de sua nomeagao de caixeiro de
Matheus Austin & CRegistre se.
No de Candido Alberto Sodr da Molla, pedindo
que se declare no registro da nomeagao de seu
caixeiro Jos Domingos do Carino e Silva, que este
que se declare no registro da nomeagao de seu
caixeiro Jos Domingues do Carmo e Silva, que
este exerce mais o cargo de guarda-livros, caixa
e est encarregado da casa commercial do suppli-
cante.Como requer, nao bavendo inconveniente.
No de Patn Nash & C, pedindo o registro da
nomeago de seu caixeiro Floro Marques Caval-
cante. Reglstre-se.
No de Mar & Espirito Santo, juntando o anto
original da vistoria do seu brlgue Adolpho, em
cumprimenio de despacho de 19 de Janeiro do cor-
rente anno, para que seja o mesmo brigue admet-
tldo a registro.Passe-se carta de registro, presta-
do o juramento e assigoado o termo de responsa-
bilidade.
Cora inlorraagao do Sr. desembargador fiscal:
No de Francisco Gomes Marques da Fonseca,
pedindo ser adraettido matricula de commercian-
te.Nao tem lugar.
No de Jos Antonio Moreira Dias, pedindo tam-
bera ser admettido matricula.Como requer.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao s 11 horas e meia da
manha.
SESSAO JUDICIARIA EM 21 DE AGOSTO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOR
A. K. PERETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As 11X horas da manha o Exm. Sr. presidente
declarou abena a sessao, estando reunidos os Srs.
deserabargadores Silva Guimares, Res e Silva e
Acciol, e os Srs. deputados Rosa, Candido Alcofo-
rado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acia da precedente ses-
sao.
Foram assignados os accordos proferidos na
ultima sessao nos feitos entre partes :
Appellante, o Dr. Chrlstovo Xavier Lopes; ap-
pellados, a viuva e herdeiros de Joo Ferreira dos
Santos.
Appellante, a embargante 3* D. Francisca Xavier
Wanderlev de Ioojosa ; appellado, Joo Baptista
de Barros Machado.
Appellante, Manoel Joaquim Rodrigues de Sou-
za ; appellado, Jos Gomes da Silveira.
Appellantes, Sam Meodet de Manchester e os
caradores iscaes da massa fallida de Rostron Roo- uv or. uescmuai Kuur
ker 4 C.; appellados, Kalkmann Irmos i C. I gador Uchda Cavalcante
Aggravo de peticao.
Aggravanle, Jorge Bran ; aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Guerra. Sorteados
os Srs. desembargadores Motta e Doria.Negaram
provimento.
Aggravanle, D. Lauriana Rosa Candida Drura-
mond; aggravado, o juizo.Relator o Sr. desembar-
gador Domingues da Silva.Sorteados os Srs. des-
embargadores Motta e Guerra. Negaram provi-
raento.
Appellacoes crate*.
Appellante, Daniel Lopes da Silva; appellada, a
a justiga.Improcedente.
Appellante, o juizo; appellado, Vicente Ferreira
de Araujo.A novo jnry.
Appellacoes civeis.
Appellantes, Pautaleao e Margarida, escravos ;
appellados, Joo da Silva Farias e outro. Refor-
mada a sentenga.
Appellante, Antonio Francisco Anastacio; ap-
pellado, Jos Francisco da Costa. Declararan) os
embargos.
DILIGENCIA CRIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga
As appellages crlmes.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Maria da
Silva.
Appellante, Joo Paulo Garanhuns; appellada'
a justiga.
Appellante, Francisca Paulina de S. Jos ; ap-
pellado, Manoel Joaquim Ferreira Machado.
DILIGENCIA CIVEL.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da
cora
A appellago civel.
Appellantes, Francisco Lasado da Fonseca ; ap-
pellada, a fazenda.
DESIGNAQAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
les :
Appellag'es crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Benedicto Ind-
gena de Lima.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
As appellagoes civei..
Appellante, a fazenda ; appellado, Manoel Luiz
da Veiga e outros.
Appellante, Francisco Antonio Alves Mascare-
nhas; appellado, Jos Antonio Ferro de Fignei-
redo.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago
A appellago crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio da Cos-
ta Freir.
As appellagoes civeis.
Appellante, Jos de Alenquer Sim5es de Ama-
ral ; appelladas, Eliza Sigiet e outra.
Appellante, o juizo ; appellados, os herdeiros de
Francisco Alves Pontes.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
desembargador Assis
As appellag'es civeis.
Appellante, Manoel GongalvesAgra ; appellada,
a fazenda.
Appellante, Antonio Jos de Medeiros Bittan-
ceurt; appellada, D. Anna Felicia de Macedo e
Mello.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albaquerqae
As appellagoes crimes.
Appellante, juizo; appellado, Francisco Jos
da Silva.
Appellante, Francisco Jos do Nascimento; ap-
pellado, o juizo.
As appellagoes civeis.
Appellante, Gaudencio Gongalves Chaves ; ap-
pellado, Antonio Gomes da Silveira.
Appellante, Elias Eraibano Ramos. appellado,
Jos Ctetano da Rocha.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
A appellago crime.
deferido pelo juiz :
oras
nina.
- 19 -
PRESIDENCIA DO SR. DR. JUIZ DE DIMITO DA 2*
CRIMINAL MANOEL JOS DA SILVA tTVV
Promotor publico o Ar. Dr. Jacmlk Pereira do
Reg.
Escrlvo Joaquim Francisco de Paula Estere*
Clemente.
Advogado o Sr. Dr. Joao Juvencio Ferreira i
Agniar
leo Luiz 1* Africano livre, acensado ao arfara
116 segunda parle do cdigo criminal.
A's 10 horas da manba feita a chamada aeaaav
se presentes 41 Srs. jurado.
Foram multados em mais 20J cada nm m jo-
rados que faliaram nos anteriores dias de exo
a cada um dos qde faltaram hoje.
Aberta a sessao proredeu-se o sorteio do jury da
sentenga ao qual foi deferido o respectivo jura-
mento, foi o reo interrogado e lido todo o prore*>
da formaran da culpa.
Desenvolvida a aecusago e defesa? e fiados os
debates o Sr. Dr. jniz de direito resumi a ante-
na da aecusago e da desfesa, propot ao jory da
sentenga as questoes de facto, qae lidas em altas
vozes e entregues ao presidente do mesa jary #
sentenga cora o processo e retiraado-sa este ca
os demais membros do mesmo a sala secreta das
conferencias ao meio dia de onde voltea a I hora
da tarde com suas respostas. qoe foram lidas
altas vozes pelo presidente d jary de seateara,
em vista de caja deciso o Sr. Dr. jan da
absolve o reo coodemnaodo a municipalidad*
cusas.
Sendo o ultimo dia de sessao o Sr. Dr. jniz da
direito mandn proceder a chamada dos Sra. jo-
rados e acharam-se presentes 36 pelo qae aws-
mo jniz declarou que restavam II proeenaa da
que foram a presentados para serem jalfados, e
todos de reos presos e por isso proaoz a arwaga-
go que s passoa por tres dias em eoaaaaaaaela
do que levaotou a sessao addiando-a para e an 21
do corrente pelas 10 horas da maaaa aaaada taa
de serem julgados os processos dos reos Maaset
Antonio Bastos da Silva, Maooel Matates das Aajoa
Prente e Clandino Eufrazio da Franca, as 2 art-
raeiros por crime de roubo e iaeeadw ea> aan
prenga no Forte do Mallos e o 3* como
perjura no mesmo processo.
appellado, Antonio Barbosa
Doria aoSr. desembar-
Appellante, o juizo
Guariba.
Do Sr. desembargador
gador Molla
As appellagoes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Custodio
Monteiro.
Appellante, Ignacio Jos dos Santos ; appellada,
a justiga.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
CMARA UWCirAL
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS M DE MAJO
DE 1863.
Presidencia do Sr. Pereira Smes.
Presentes os Srs.: Thomaz de Aqoiao, Gastava
do Reg, Dr Miranda, Santos, Silva do Brasil, Pa-
res Ferreira e Dr. Villas-boas, fallando cota caaaa
os mais senhores, abre-se a sessao, e Ma a ap-
provada a acta da antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da .
13 do correte, dizendo qae em vista da i
gao por copia, ministrada pelo chola
repartgao das obras publicas em 13 do i
sob n. 142, com referencia ao offlcio qae Ha W i
rgido pela cmara em 3 do dito ez, ra
a mesraa cmara -, por julgar bem fundada i
informago, que d as necessahas
afim de que jeja melnorado o mao estado as <
se achara as ras da Conceigo Piras i
zia da Boa-viia, oceasioaado petas agaas :.
all estagnadas.Posto em discosssao, dea
que se respondesse a S. Exc, ponderando ai
peza das ras e esgotamento das
estagnadas nao 6 a mesma coosa,
director, e unto qne, reqoerinvioio i
res mandn a presidncia, qae pela raaanajas aaa
obras publicas fosse aterrada a roa do
Santo Amaro, aeereseendo anda qoe as;.
podem ser esgotadas senao por que mu i
gado do nivelaraenio da cidade, e sendo i
ao calgaraento das roas, evidente ajan a :
gao das obras publicas perteaee a |
visto qae ella eoearregada da i
Outro do mesmo, de 20 deste aws,
incluso por copia o offlcio de 18 do
n. 81, em qae o capillo do aorta i
se o caes da Lingoeta con vertido, por I
do fiscal, em estaleiro para cooeertos,
pintura de botes e lanchas, aflm de aaa a
nao s providencie a semeteaate
tambem preste a informaeao eil.
de 11 do crrante lancado ea ootra i
la capitana de 9 do dito mes;
jecto.Posto em discussao,
qoe a informago de qoe se trata ja
em ofneio de 17 do crranle sob a. 34,
Majas se expedir ordem ao fiscal


-^--
J.--MJMM
-,->-
____
L
I
=as-
Dlarl* ^. v..aoiuco *- Qnaia lefia 83 de Agosto de ISA*.
mitltir que se flzessem sobre o ces t<$ concerios
etc
Oatru do mesmJ, de 22 do corrente, remetiendo
incluso o requerlmenio que Ihe enderezara o Dr.
Joaquim Jos de Campos, para acamara; 'ouviudo
o respectivo secretarlo, e mandando passar a cert-
dao pedida pelo mesmo douter, informe acerca do
que elle refere no dito requerimento.Pasto era
diseusso, ordenqu se ao secretario qae informasse.
Outro do advogado, declaraudo estar inteirado
do que Ihe foi commumcado oo offlclo de 19 do
corrate ern relacao a liceooa obtida pelo desem-
bargador Firmino Antonio de Souza, e quanto a
consulta crae se faz no final do mesmo offlclo de de-
verse Intentar cumulativamente acgo de embar-
go, e de infraccao de posturas, refe-se ao efflcio do
1 do corrente, no qual declarou parecer-lhe esca-
sado a prirneira, urna vez que pela infraccao a jul-
gar-se procedente, nha a ser demolida a obra nos
termos do art. 2 das po>turas de 13 de junho de
1833.Que se respondesse ao advogado que pres-
cinda da accao de embargo, prosiga ua outra acer-
ca da construccao da obra sem licenca.
Outro do mesmo, ponderando a cmara que os
termos de achada que oram lavrados perane o
delegado desle termo, polo escrivao, que perante
elle serve, podem dar lugar a nullidade que ja tem
sido decretada em diversos processos, por que os
juizes superiores tem entendido que incompeten-
te o escrivao do subdelegado, que o quo serve
coi o delegado, e que escreveu em ditos termos.
Parecelhe que es*es termos esto no mesmo caso,
e que seria conveuienle evitar as cusas em que
lera de ser condemua"da a maolcipalidade, se fos-
sem julgados Dallos taes termos; conclue dizeudo
que aguarda a deeiso para dar andamento aos
respectivos processos. Addiado, requerimento do
Sr. Dr. Miranda
Outro do contador, communicando, em vista da
portara de 10 do corrente, que recebeu, que tendo
examinado os livros competentes, dilles nao cons-
ta que vereador alfium das cmaras transadas, se-
ja devedor ao cofre municipal.Posto em discos-
sao, manduu-se re-ponder neste sentido ao Exm.
presidente da proviucia.
Outro do mesmo, communicando que em conse-
quencia da ordem que recebera para orgamsar um
quadro demonstrativo da arrecadaipo da receita e
despeza municipal nos ejercicios de 1833 a 1864,
descriminando a receita e despezado cada um del-
les, passou a organisar o referido servico, tendo-o
ja feilo em rascunho, mas tendo verificado diversas
dfTerencas nos balancetes dos diversos airaos, co-
mo passava a expor, conclue pedindo a caraira que
se digne mandar que cada um dos Srs. veradores
se dirija aquella repartico para verificar Posto
em discussao, o Sr. Santos pede a palavra, e re-
quer, em vista do que expoz o contador, que se no-
rae urna commissao para verificar as mesraas cou-
tas, sendo composta a mesraa do respectivo conta-
dor, do offlcial-raaior, e de um empegado da con-
tadura de fazenda, pedind--se ao Exm. presidente
da proviucia a expedico de suas ordens para que,
por aquella repartico se permita a um emprega-
do della fazer parte da commissao.
Outro do engenheiro cordeador, pedindo que se
fizes-e um exame ao muro da casa do Sr. major
Gustavo Jos do Reg, por pessoas profissionaes,
perante acamara ou umacommisso della, afim de
verificar se o caes que se est fazendo no canal d
que vai do roa da Aurora para a do Hospicio, leva
direccao difireme da que Ihe e.-la marcada na
planta, por causa da que aprsenla o referido mu-
ro. Addiado, a requerimento do Sr. Dr. Miranda.
Ouiro do mesmo, informando nao haver incon-
venienteem permittir-se que Tibureio Valeriano
BaplisU faga cornija na sua casa n. 6 da ra deS.
Jos, e substitua por outras as duas tercas da co-
berta da tnesma casa.Concedeu-se a licenca.
Outro do mesmo, remetiendo o orcaraento dos
reparos e concertos indispensaveis de que precisara
os armazens de deposito sitos a nn do Calabouco
na importancia de 218,5.Que se pozesse em pra-
ca para o da 31 do corrente para serena arrema-
tados.
Outro do mesmo, informando o requerimento, no
qual Innocencio Garca Chaves pede para que Ihe
seja concedido construir frentes de casas em um
terreno que tem por traz da ra da Concordia, a
inargera do caes da Casa de Delenco, cora 40 pal-
mos de frente, diz que a pretengao do peticionario
vai de encontr as posturas era vigor, que nao per-
mitiera qu se facara casas em terrenos devululos
com menos de 22 palmos de largura, sendo por te-
so evidente que teudo o terreno 40 palmos de fren-
te, nao pode nelle construir o peticionario frentes
de casas, como pretende, mas smente urna.Que
o peticionario declarasse quaulas casas raer fazer.
Outro do fiscal de Santo Antonio, continuando a
pedir a exonerago do guarda Geraldo Jo< |Tho
maz, e propondo logo para que nao hoavesse de-
mora na sua substituidlo, case seja resolvida a
exoneragao, a Miguel Jos Ramos, era quem reco-
nliece preencher bera o lugar por activo e morige-
rado.Posto era discussao, o Sr. Dr Miranda pe-
de a palavra, e como memoro da coramisso de p>
licia, a i|uera eslavam affectos os dous olTicios dos
Oseaos das treguezias do Recife e Santo Antonio
pedindo a da prirneira a dispensa do guarda Fran-
cisco Romao da Cruz, e o da segunda a do referido
Geraldo; diz que nao concorda com as dispensas
desses guardas pelas razoes gue pouderou, apre -
sentando por fim dous documentos passados pelos
subdelegados do Recife e Capunga, aliestaudo a
conducta do guarda Fraucisco Romo, e conclue
declarando votar contra a dispensa
O Sr. Santos pedindo lainbetn a palavra, contes-
ta o peosamenlo exposlo pelo Sr. Dr. Miranda, e
faz ver que os guardas nao teera curaprido com os
seus deveres, e tanto assim que os fiscaes que
devem ser acreditados, propem a exoneragao
delles.
Nao havendo quem mais pedisse a palavra, foi
posto a votos se deviam ser ou nao dispensos os
mesraos guardas, empatou a votacao por serera
contra a dispensa os Srs. Drs. Miranda, Villas-
Boas, Pires Ferreira e Gustavo do Reg. O Sr.
presidente deserapatou pela dispensa dos dous
guardas, usando doseu voto de qualidade.
Fot posto a vostos a proposta felta pelo fiscal de .
Santo Antonio, de Miguel Jos Ramos para preen- j
cher o lugar deixado por Geraldo Js Thoraaz,
approvada.
A commissao de sade apresentou ura parecer
que foi approvado, no sentido de ser de absoluta
neeessidade fazerem-se diversos reparos na aboba-
da do cano do matadouro publico, que d esgoto
.do sangue das rezes que all se matam, bem como
quasi lodo o reboco e oulros reparos que indicara |
o respectivo administrador.Mandou-se ordera ao
engenheiro para orear.
Foi approvado um parecer da commissao de edi-1
fjcacoes, no sentido de se indelerir o requerimento
de Barlholomeu Lourengo, em que representa con-
tra a cordiago qae Ihe dra o engenheiro cordia-
dor, para a construccao de um muro na ra pro-
jeclada da ra do Sebo para a do Cotovello, e no
fundo de sua propriedade sita travessa da Trem-
pe n. 1.
A mesma commissao apresentou mais as segua-
les pareceres que foram approvados :
< A comraissao de edicacoes examinou o re-
querimento, em qae Bailar & Oliveira pedem li-.
cenga para levantar duas casas terreas de 22 pal-'
mos de largura, urna com a frente para a ra do
Brum, e a oatra com a frente para o caes do
Apollo ; e bem assim a informacao do engenheiro
cordiador. j
A commissao, antes de dar o seu parecer, jul-
ga conveniente informar a esta cmara qae o ter-
reno do supplicante tem, segando diz o engenheiro
cordiador, 60 palmos de largura, e fica entre a ra
do Brum e caes do Apollo, e entre urna casa do
baro do Livramento e oatra de Bernardo Rodri-
gues Pinheiro, no fim da dita ra. Do lado da roa
do Brum est levantada a frente de ama casa com
urna porta, duas janellas de um lado e ama porta
cocheira. Do lado do caes do Apollo est Upado
com um muro de taboas, por entre as qaaes se
vem tres casas terreas principiadas sem licenca
desta cmara, cujas frentes bao de deilar para o
caes de Apollo, de 20 palmos de largura, a vista da
largura do terreno. Esta obra est parada. A
commissao vista da postura de 21 de oovembro
de 1862, que permilte a edincaco de casas terreas
com 22 palmos de frente, sem soiao, nos terrenos
devolutos, de parecer que seja concedida a licen-
ca pedida pelos supplicantes, por estar nesse caso o
sobredito terreno : e que se nao consfnta qae os
supplicantes levanten) outra casa de 22 palmos
de frente nesse mesmo terreno, por quanto tendo
elle 60 palmos de largura, sobejarao 16como multo
bem lembra o engenheiro cordiador, onde os sup-
plicaotes nao podero levantar ama casa, visto que
nao permittido pelas posturas levantar casas com
menos de 22 salmos de frente.
Pago da cmara municipal do Recife, 24 de
maio de 1865.Gustavo Jos do liego.Antonio
Pires Ferreira. ,
c A commissao de edicacoes examinou alterna-
mente o requerimento do desembargador Alejan-
dre Beruardino dos Reis e Silva, em que represen-
tando contra a cordiago, que Ihe Tora dada, con-
forme a planta da eidade, para edificago de cinco
casas no quinta] de sua casa n. 39, sita ra da i
Imperatriz, com as frentes para a roa projectada
em seguimeato da travessa. dos Ferreros, requer
1u->, reformadanrldl oT eidade naquelle'ugar, I
seja dada a corBiagfuj, pelo oitao dostia rasa, e nao
pelas casas da travessa dos Ferraros do lado do
leste, conforme a planta da eidade, allegando em
seffTavor qae fazendo-se a cordiago pelas casas
da travessa dos Ferreiros do lado do leste, lera
esta cmara de dcsapropriar nao so a casa do sup
plicante, como tambem um sobrado do outrolado
da ra projectada ; entretanto, que fazendo se a
cordiago seguodo a reforma re uerida, so ter de
desapropriar o sobrado do outro lado, que tem
muito menos valor do que o do supplicantc, ao que
se nao oppoe o engenheiro cordiador na sua infor-
magao, accrescentando que, leado de avaagar a
travessa dos Ferreiros cinco palmos para oeste,
por delerroioaco da presidencia, a ra de qae se
trata, nao deve ter o mesmo alinhamento da tra-
vessa dos Ferreiros, e por isso parece que ser des-
necessario a desapropriago do sobrado do suppli-
caate.
i Considerando a commissao de edificagoes que,
segundo a planta da eidade, deve haver urna ra
recta do caes do Capibaribe at a ra Formosa, na
qual Oca comprehendida a travessa dos Ferreiros,
em que, concedida a reforma requerida, parte desta
ra, enlre a ra da Imperatriz eo caes do Capiba-
ribe, fica mais ao oeste do que a outra, em que est
comprehendida a travessa dos Ferreiros, e por con-
seguate as casas que nellaseedificarem, nao ficara
no mesmo aliabamento das casas da travessa dos
Ferreiros.
i Considerando que, anda quando a travessa
dos Ferreiros avangasse cinco palmos para oeste,
como diz o engenheiro cordiador, esla determinado
pela presidencia da provincia, nao haviarazo para
que a parte da referida ra projectada entre a ra
da Imperatriz e o caes do Capibaribe, nao ficassem
no mesmo alinhamento da travessa dos Ferreiros,
porque ella poda tambem avangar cinco palmos
para oeste, e que aioda assim ?cria indispensavel
a desapropriago da casado suppllcante.
Considerando que, determinando as posturas de
30 de junho de 1849, lit. 7 art. 4o, que as frentes
dos ediheios que tiverem de ser reconstruidos, re-
cuarao ou avangaro, para que ftquera no alinha-
mento indicado na planta da eidade, esta cmara
(acorrerla em grande censura, se concedesse a re-
forma requerida, da qual resulta que as casas que
se edificarem em urna ra nova, como a de que se
trata, Dcaro urnas mais para oeste do que as ou-
tras, e nao no mesmo alinhamento.
Considerando que, a razo de menor dispendio
para esta cmara, allegada pelo suppllcante e pelo
engenheiro cordiador era favor da reforma reque-
rida, uo pode prevalecer contra o que esta com-
raissao acaba de ponderar, por quanto se esta c-
mara nao tem agora os meios necessarios para
desapropriar ambos os sobrados, de que trata o
suppllcante, pode t-Ios para o fuluro, e enlo se-
rio desapropiados, sem que esta cmara seja ac-
cusada de pouco zelosa do aformoseamento da ei-
dade.
Considerando finalmente a commissao que a de-
mora na desapropriago do sobrado do supplicante
em nada o prejudlca, e de parecer que esta cma-
ra nao conceda a reforma por elle requerida.
Quanto a licebga, que o supplicante pede, para
levantar as ditas cinco casas no quintal de sua
casa, de que se trata, obrigaudo-se a todo o lempo
em que for ella desapropriada, ceder gratuitamen-
te o terreno necessario ao alargamento da referida
ra projectada, sendo mdemnisado soraente das
bemfeitorias, a commissao tambem de parecer
que Ihe seja negada, porque, alm de ser mais ura
embarago para desapropriagoes futuras da casa do
supplieaute, o terreno do supplicante ha de sempre
valer menos do que as bemfeitorias nelle fetas.
Pago da cmara municipal do Recife, 10 de
maio de 186o.Antonio Pires Ferreira.Gustavo
Jos do Reg.
A commissao apresentou outro parecer acerca
da replica que fizeram D. Anglica Bernarda de
Miranda, Joaquim Francisco de Alm, e oulros, o
qual ficou adiado requerimento do Sr. Dr. Mi-
randa.
Sob parecer da commissao de polica, rnandou-se
dar mais um servente ao fiscal de S. Jos, para
ser empregado na lirapeza das ras da mesma fre-
guezia.
O Sr. presidente propoz que fossem icconduzi-
dos os fiscaes e S. Lourenco e Muribeca, e foi ap-
provado.
Despacharam-se as peligoes do Dr. Aotonio Joa-
quim de Moraes e Silva, Andr de Abreu Porto,
desembargador Alexaodre Bernardino dos Reis e
Silva, Hartholomeu Lourengo, Eduardo Ferreira
Bailar, Florencio Antonio Alves, Innocencio Garca
Chaves, Joaquim Francisco Collares, Joo Ferreira
dos Santos Jnior, Dr. Jos Bernardo Galvo Aleo-
forado, Joo de Medeiros Raposo, Jos Ferreira dos
Santos, Dr. Joo Antonio de Araujo Freitas Henri-
ques, Marcelino Jos Lopes, Pedro Pereira do Reg,
e le.vantouse a sesso.
Eu Franci.-co Canuto da Boa-Viagem, secretario
a subscrevi.Pereira Sirtoes, pr-presidenle. -
Reg.Dr. Miranda.Silva do Brasil.Dr. Villas-
Boas.Santos.Antonio Pires Ferreira.
l]m oTerecincalo hoaroso e Je inuito conbecido nesta ci.lade, pois que foi empre-
apreco.
gado na usa do Sr. Len Cliauellin, retra-
Pela publicigo felta"por'este Diario o Jornal do li** estabelecido na ra da Imperatriz, ao
Recife, livemos noticia do olfereeimento que, desde COinmettldo desla molestia, foi daqui desen-
fevereiro do corrente anno, fez o Sr. major Manoei ganado por habis mdicos: retirou-se para
Jos da Silva Guimares, (inadrao de cavallana, para prestirse com seu '____A ,
quadrao ao servigo de rondas oesia eidade. 1(> Oi segunda vez desengaado pelos me-
0 offrecimeniQ do Sr- inejor Guiroare. prora di eos dalli, chegando eu em Macei, um
do patriotismo de que dolado, nao deve ficar em amigo t'dio-me, que o aconipanliasse at a
n,!L ,be* T!!cLexige qU"seja el,e conve" casa do Sr. Christiano, para ver um doenle
nientemente aproveitado. .. ,. __,;
Quando se repele,,, fados lastimareis, sem dnv. e prescrever-lhe algum remedio, encontre
da, pela ausencia da forga publica, quando os ala- o illbo em urna cama desanimado e em es-
ques a propriedade coraegara a cbamar para o tado de prostrac5o, pois que escarrava san-
pohciamento da eidade os cuidados dos governaa- gae e tinba completa inapetencia e fraque-
tes, entendemos que devem ser recebidos cora
sati>f.igo offerecimenlos como esse.
Conhecedores do merecimeulo do Sr. major Gui-
mares e interessados pelo bem da sociedade nao Ve llame ja se achava elle no estado de pas-
za, a pon'o de nao se poder por em pe, no
fim de urna garrafa do xatope ethereo de
podemos furtar-nos ao prazer de consignar aqu
alguinas plavras de louvor ao acto de que nos
oceupamos, esperando que o governo da provincia,
aceitando o oUerecimenlo, proporcione populago
desta eidade occasiao de apreciar os servigos que
delle pode auferir.
Recite, 20 de agosto de 1865.
sear em casa, desapparecida a inapetencia e
os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j acliei em estado de
faze-lo passearpelo siiio todas as manhaas.
Acabada esta o aconselhei. que continuasse
mapreaador do ment, no uso do mesmo xarope etherio alternado
com o xarope aicoobco de vellame, e que
usasse dos banhos salgados na pancada do
mar. Seulio elle nos primeiros banhos al-
Agiia florida de Miirray *fc
Lanman.
Os perfumes corapo.ma parte potica, a verda-!guns choques, mas eu O aconselhe' que con-
deira poesa do toilet, e as senhoras de elegancia;,: ipmdarln mnimhpm
e refinado gosto, sao de ordinario mais ou menos >uni)a55e. W O que se tem uauo milito Dern
fastidiosas e diQiceis de contentar, relativamente! P'"S que temi recebldo cartas de MaceiO,
a esnoiha desies anigos. as bellas habitantes da em que se me communica o sen bom estado.
America do Sul, as quaes sao perfeitas conhece-j Nesta molestia OS expositores de media-
doras de laes objeclos, teera dado para mais de _x ft ,h ,' nnpna vmieannos a esta pane, urna decisiva preferencia na na, aconseinara Danl os saigaos, apenas
a esla refrigrame e odorfera agua para o tou-! quando dalles tratam, dizem ser applicados
cador. Ella tem sido manufacturada quasi que as escrophulas, bypocondria, estliensmo,
exclusivamente para o consumo da America Cen-! amenorrhea, racthismo, etc. ; entretanto vi
iral e do Sul ; porm, bem pouco lempo ha que > rpsnllarln nn filhn rln Sr fristiann
neste paiz se fez a descoberta de sua avantajada eSte. 0m ^esouaao no 1111)0 00 ST. U iSlianO,
su per oridade sobre os perfumes de urna quailda
de imperfeita e demasiadamente oppressivos, im
^ILISiSCES A BMW
O Brasil e o Paraguay.
(Algnmas palavras aos guardas nar.ionaes de Per-
nambuco.)
II
O solo do Uruguay trema abalado pela estron-
dosa queda de Paysanl ; o estandarte regenera-
dor da civilisago americana se ostenlava sobre as
muralhas de Montevideo ; o pavilhao nacional tre
mulava garbosamente sobre o forte de S. Jos,
quando o vento gelado da desgraga soprava era
Matto-Grosso, quaodo urna horda de paraguayos,
seguindo os exemplos terriveis dos povos selva-
gens, calca va aos ps as coras virginaes que or-
navam as frontes de nossas irraaas, e, cora a sua
baba pegonhenta, maculava o seio de nossas mais,
dessas santas creaturas, que Deus collocou na trra
para guiar os no.'sos passos na senda escabrosa da
vida 1
Os paraguayos, esses entes nullos que nao po-
dem contemplar a aurora bnlhaute de um dia de
primavera, que nao podem ouvir o canto patriti-
co da virgem nem o encantador gorgear das aves
em linda inanhaa de outono, imitando os animaes
ferozes, que nao encontrara paradeiro no seu cor-
rer bravio, devastam os nossos campos, arruinam
as nossas propriedades, percorrera impunemente
as nossas campias, sbera aos nossos montes, des
cem aos nossos vales, ostentando sempre a sua mi-
seria, a sua pe versidade I
OS paraguayos, esses modernos Lucullos, fazem
muito rumor com as suas grandezas, e esse rumor
suffoca o nosso brado d alegra, nos faz morrer
leutameute, aos obriga a sofrer martynos, como
os do Promelheu da fbula, atado ao roebedo e en-
tregue ao abulre devorador ; como os do Tntalo
da mythologia, procurando saciar a sua sede fatal
na funte, cujas aguas cryslalinas fugiam ao contac-
to dos seas labios I
E' necessario que o tufo da guerra varra essa
raga maldita da superficie da ierra ; preciso que
ao aonuncio do anjo do exterminio, o leo, sacu-
diodo a sua juba, quebr os pesados grllhoes que
Ihe arrochara os pulsos ; de urgeute neqessidade
que fagamos do povo escravo um povo re;
indispensavel que arranquemos dos glidos labios
paraguayos a taga de fel, que ibes offerece o sat-
nico Lpez !
Esqueceodo os lagos que nos prendem s illu-
soes desie rauodo, s pbantasias desta vida cheia
de miserias ; rlscando da nossa memoria as deli-
cias, proporcionadas pelas nossas mais caras e su-
blimes affeigoes; imitando esses rochedos, phan-
tasiades pela imaginago,.ardenie do grande Virgi-
lio, que, abalados pela mao poderosa do lempo ou
agitados pelo furor dos ventos e pela violencia das
ondas, com um estrondo horrivel, com um estara
pido medonho, com um estrepid assustador, se
precipitara de altas monianbas, arrastrando, na
sua qada, arvores, rebahos e inflizes pastores,
lancmonos sobre esse punhado de barbaros ; es-
maguemos os inimigos pretenciosos de urna nago
moderada e altiva, prudente e enrgica, pacifica e
gloriosa ; levemos todo o veneno contido as pon-
las dos nossos punbaes ao amago do eorago da
tyrannia I
A lembranga do amor de nossas mis, as cari-
cias de nossas irmas, os afiagos e os puros sculos
de nossas amantes nos forgam a encarar os horro-
res da guerra, nos obrigam a affrontar o destino
dos combates 1
Tombemos ao nada, precpitemo-nos no abysmo,
em defeza da trra que nos servio de bergo I....
Nao. recaemos I
c Morrer com medo de morrer nao ser loucu-
ra ? i
Entoando o hymno patritico de Rouget de L'lsle,
a immortal Martelheza, marchemos para o campo
da batalha, corramos em soccorro da patria qne
chora a sua deshonra, que procura oecullar a sua
ignominia nos bragos de seas Albos I
i So ardua a tarefa, sublimada ser a pro-
vanga t
Flobiano Jos de Miranda,
Voluntario da Patria.
e outros fados iguaes tenho visto as mo-
estias sipliylilicas, e outras militas que com
portados da Europa ; em onsequencia, pois, deste 0 uso rja xarope alcooCO de vellime tem-se
novoaugmento em seu consumo, os propietarios hf.. radical
esto empregando todos os ens esforgos afim de """"-"' iduiwi. ..... .,
satisfactoriamente supprirem to vasto pedido. S>r. Dr. sllva, medico nabll de Macei,
Alm de suas muitas virtudes, em qaalidale de depoisde ter applicado a um seu doenle de
um delicioso e vivificaote perfume, ella torna-s^ reumatismo o xa:0pe alcooCO de vellame,
quando misturada em ura pono d agua, urna ey- ,. ,, ..;. p,.afin fIp ir(rar ..
eellente preparagao para a pella ; assim como p-1106 1e elle se Poz. em OSItaO OB largar dS
de servir como urna admirave lavagem para os; moletas, em que andava arrimado, o aconse-
dentes e gengivas, deixando um agradavel e aro- lhou que continuasse com 0 USO do mesmo
manco cheiro na bocea ; xarope conjunctamente com os banhos sal-
(Vedequeos nomes de Murray St Lanman se eotpm rlirlo mniln hpm pp
achem devidamente Inscriptos sob cada involtorio. 8aU0S, Com qu seiem 0300 mUHO DCm, et
letreiro, e al mesrao gravados no vidro das pro- um dos medicosquc all em VlaeeiO tem COUl-
pnas garrafas, e na falla dos mesmos, claro se pleta confianca as preparages de vellame
torna aifaisidade da mesma). por mim feilas, pelos bons resultados que
J.cTavorcPharmaCa5d 'ar e tem obtido em sua clnica.
a..... i, Quando alguem se v com tosse vai ao me-
Phthyslca. ^IC0, este examina e declara-o senhor es-
0 xarope etaerio de veame por mim pre- l acetado dos pnlmes-o doente desani-
parado, muito tem aproveitado aos que sof- ma com csla sentenca, entende estar sem
frem desta molestia, e de lamentar-se, qne mais cura> qanlo os fados e a experiencia
no obtuario desta eidade a maioria dos que teem demonstrado que muitos tendo procu-
suecumbem de tubrculos pulmonares, rado Iu8ar aproprtado, se teem salvado ;
sem procuraren) o recurso do pratico e do e assim expltcam muttos expositores de me-
expenente, que lhes pdem encaminhar o dicina* ..,.,, .
meio de sua salvaco "ra' nessa provincia temes factlidade ho-
0 Sr. Braga com luja de ferragens na rua> e recurso do ar Por 1ue a via ferrea
Direita, foi desengaado por dous habis nos proporciona, pois que em pouco_ tempo
mdicos, acha-se bom com o tratamento por uma Pessoa We ex,sle nesta eidade faed-
mim prescripto menie se t ansporta para as ultimas estacoes
A Sra. Jeronyma Mara diConceigao, mo-ide Gameleira e Una, lugares perto do Boni-
radora na travessa do.Monteiro n iO.achan-,10 e de oull'0s Ponfos 1ue s5 considerados
do-se desengaada, tambem mim recor-1 s?rtao- uanlP raais W*<* mesmos lugares
rea e acha-se resiabelecida. Ja nao sa0 maos> segundo pens, pnncipal-
m sobrinho do Sr. profesor de Naza- m*P}* n, vera0-
reth do i:abo, acha-se bom, como se v de I Mas dir-se-ba-uma pessoa pobre nao tem
sua carta abaixo transcripta, alm de outros, me,os de se transportar e affi estar-a isso
fados, que poder.a aqui mencionar. !se responde, que naquelles lugares exislem
A pl.tbysica a destruicao e a magreza' casas vastas e alugam-se por prego commo-
de todo corpo, era consequencia de chagas, do' e mesmo muttos gneros de prirneira
tubrculos e concreccao dos bofes e de em- neeessidade all se vendem pelos mesmos
pvema, atropina nervosa, e outras molestias l,reCs .ue aqu-
que viciara os humores, como escorbuto.! Aquellos, pois, qne est.verem nestas cir-
alporcas, gallico, astlim, bexigas, saram- cumstancias, euhes fac.hto explicar os meios
pt, eic pelos quaes se devem reger, e lhes fornece-
Na phthysica, chegando ao estado de gra- reiM.s medicamentos gratuitamente,
widade, o ue muito pode concorrer para a: Nao deixare de advertir ao pub.ico, que
salvago do doente e ajudar os medicamen- asminhas preparares de veame sao reu
tos o ar do campo, excrcicio conveniente
nidas com oulros ingredientes, e com elles
e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma tenho obtido ptimos resultados: naoseen-
cousa queme, ou Oe defficil digestao ; e a!8ane mesmo PM'> com ?utres 9l,e Por
bebida cumpre que seja de natureza branda !ah seannunc.am, cujas preparages.gnoro,
e fresca assim como o aproveitamento aos enlermos,
' Todo o seu alimento se ha de dirigir a a ?uem porventura tenham sido applicados ;
moderar a acrimonia dos humores, e a r,u-|ca,la "m responde por si, e eu affirmocom
irire susier o doente, para o que preciso i verdade o que aqu. tenho relatado, cujosme-
reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite. dicamentos nesta provincia so vendo em mi-
Toda comida e bebida, que se tomar ha.I,ha blica na rrua(Dire,'a ", 88- ,
de ser em poucas porgues, para evitar que
o excesso do chylo fresco opprima os bofes
e accelere muito a circulagao do sangue.
Maitos doentes desta molestia se teem en- .maior Prazer ,
trege ao uso do oleo de figado de bacalho, S:>W* 'ioele <\?* ? acha-se adm.-
e outras preparages de resinase blsamos, fflrando-lhe remedios, acha-se no todo res-
sem que dellas tenham tirado proveito ; e Peleado, portan o, ndaseme, tendo des-
alguns expositores de medicina combatem apparecido n;, todo a tosse, tem muiladispo-
com muita razao esse tratamento. f,ca0 a corn'da e *ch nulnd?- e De,xo.u
E' costutne carregar o estomago do doen. oraar ?. ult'm,s remedios queT. S. recu-
le com medicamentos oleosos e balsmicos; Lou n d,a ao do passado. resta agora a V.
porm estes em vez de tirar a causa aug, I f- mandar-me d.zer qual a dieta que o
menUm-na, esquentando o sangue, ao raes-!doente deve conservar e por quanlos tem-
mo lempo que tiram o apetite, relaxara os Pos- mencionando as comidas que dever
solidos, e sao de toda sorte perniciosos, iusar daJul era d,ante-
Nazreth do Cabo, 7 de setembro de 1863.
Illm. Sr. Jos da Rucha Paranhos.Com
levo ar. conhecimento de V.
Tudo que se fizer para extinguir a tosse, f sta"me a&ora agradecer a V. S. o cui-
m do exercicio e rgimen apropriado de '
vem ser remedios de natureza acida, deter-
que tomou no tratamento do meu so-
alm do exercicio e rgimen apropriado de- "<"" que tomou no traiamenio ou meu so-
vem ser remedios de natureza acida, deter- nh.0' a^a'xo de.Deus devido o seu resta-
gente e calmante. .belecimento a pericia de V. S., e por isso
Os 2cdos possuem a virtude de produzi- Pdet v- s- semPre c0"tar g* os meu.s *
I minutos Drestimos, e desejare em todo o
rem bous effeitos nessa 2frmidade, porj ^iafTmTprova.do meu reconheci-
que, nao s contnbuem a apagar asede!,
quando accommettem a febre ethica, mas
tambem a refrescar o sangue.
iAa nnonrln Ai
criado.-
nezes.
ment.
Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
STd^K'JESii. qaandoo!dre V. S- muito respeitador e obrigissimo
seu estado de gravidade tal que a febre; c
ethica os accommette, prescrevo-lhes o su-
co de um limao dissolvido em uma chicara
d'agua com bastante assucar em um grande
copo para misturar cora um papelinho dos
pos refrigerantes para tomar, com que ali-
viana no acc inmetlimento da febre, e pela
-.....-
JURUBEBA.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope idem.
Vinbo dem de idem;
Plalas de e'xt. idem.
Deposito, pbarmacia de Pinto,
sario n. 10.

ra larga do Ro-
A jurubeba urna das substancias medicameu-
.tosas, o reino vegetal, e perlence classe
dos tnicos e desobstruentes, sendo em prega-
da com 'vantagem contra as febres intermitentes
manhaa o xarope etherio,de veame. Tenho! acompanhadas de engorgiumnto de figado e bago.
aconsclhado, que fagam U0 d6 vegetaes de Ella tem sido applicads com inconteslavel proveilo
natureza acida, como laranjas* mes, pi- contra a anemia ou colorse, e hydropesia, catar-
tangas, uvas, etc., e applicaces de plantas: 2S fi^'^ emesPar: combiter menstrua-
amargosas, que fortificara O.estomagoe ^ ge"Bc". resuiunte d? mesma anemia ou chlo-
vera ab tpesmo tempo para destruir e miti- \ Extrato aicooiico de jurubeba.
gar a sede. j
A Sra. D. Joaquina deS Brrelo, tendo
urna sua escrava fallecidadesta molestia, sub-1
mettrda ao tratamento de sef medico, resol-
veu procurar-me para tratar de. um outro
escravo, que soffria da mesma enfermidade,
prescrevi-lhe o xarope de veame, tem me-
lhorado considravelmente.
A senhor* do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta eidade, esteve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 1833.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolplio Joao Barata de Almeida, foi tam-
bem desengaado por habis mdicos, e
com o xarope de vellame acha-se completa-
mente restabelecido, como se v tambem
da carta impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jornal do Recife.
O Sr. Antonio Christiano Fogt, filhr/'cto
Sr. Christiano Fogt, proprietario e estabe
lecido na eidade de Macei, o primeiro bem
coaMBgcio.
---------~~r~---------------------------------
Gaixa filial do banca do Brasil em
Pernambuco.
A directora desla caixa saca sobro o banco do
rasil no Hio de Janeiro e sobre a caia filial do
sino banco na Babia.
Novo banco de pernambuco.
dmlnistradores da raassa fallida de Joaquim
Jos Sijveira pagam o dividendo de dita massa
na ratao de 9 0/0 sobre o valor des fillos ad-
Biettidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Vovo banco de Pernam-
buco.
O banco descontaletras na presente semana a
9 por cento ao anno al o praio de seis mezes,
Caixa flllal do banco do Brasf^
. em Pernanibuco.
De ordem da directora desta caixa se '.. nh.,
co aos senfiore accionista?, que o re- J, .,!"'
soureiro est autorisado a pagar o f. ,11;,, Z'
t sTr*fln- ",n 30 w- uo,d a'S
de tii por accao. '
gCa.sa filial do banco do Brasil 13 de jolho de
O guarda-lirros,
Ignacio Nunes Crrela.
ALFANDEGA.
Re^idimento do dia I a 21...... 337:6004347
'.dem do dia 22............... 17:268,5133
354:8685480
MOVIME.NTO DA ALFADEiA.
Voluraes entrados cora fazendas----- 233
c com gneros..... 316
------- 549
v"olumes sahidos cem fazendas..... 80
cora gneros..... 151
-------231
Descarrepam uo dia 23 do corrente.
Brigue inglezura bacalhao.
Brigue francezCciirfdiversos generes,
apor inglezOlindamercadonas diversas.
Brigue nacional Normadiversos gneros.
Barca francezaGuillurme Te/fmercadonas di-
versas.
Brigue portuRuezS. Josfcharrjne.
Barca nacionalValle-\at\n.
Brigue inglezC/Berao/carvo.
Importaco.
Brigue francez Cear. entrado do Havre, consig-
nado a F. Sauwage & C, manifestou o se-
grate :
4 cairas acido sulfrico; a O. Bohres.
1 dita cartas de jogar: a L. J. Ferreira.
7 ditas crystaes; a Izidoro Nelto & C.
3 ditas ditos; a L. J. Ferreira.
1 dita chapeos; a J. F. Lopes.
5 ditas calcado; a Sauwage & C.
5 ditas ditos; a E. A. Burle & C.
3 ditas ditos; a Mello Lobo.
0 ditas drogas; a B. P. de Souza.
1 dita ditas; a Caors & Borbosa.
6 ditas encerados; a Alves Hamburguez & C.
1 dita liguras; a Prenle Vianna & u
1 dita instrumentos de msica ; a E. C. Burle
AC
1 dita lonas; J. F. Lopes.
50 barrs e 50 meios manteiga ; a Burle & C.
50 ditos e 50 ditos dita; a Ramos e Silva &
Gen ros.
40 ditos e 40 ditos dita; a J. M. da Rosa.
23 ditos e 25 ditos dita ; a Barbosa & Primo.
10 ditos e 20 ditos dita; a Roberto & Filho.
2 eaixas movis; a Prente Vianna.
1 dita modas; a M. Lobo.
4 ditas objectos para arraarinhos; a ordem.
2 ditas ditos; a L. Bourgard.
1 dita ditos; a Bastos & Irmao.
1 dita ditos; a Henrique & Azevedo.
1 dita ditos para chapeos de sol; a Maestraly.
27 ditas ditos diversos; a M. Lopes.
8 ditas ditos; a A S. Faria.
4 ditas ditos; a Roberto & Filho.
3 ditas ditos ; a Burle & C.
4 ditas ditos; a G. Lailhacau.
60 volumes papel; a J. Keller & C.
1 caixa phosphoros; a L. Bourgard.
2 ditas piannos; a Wogely.
6 barris pregos; M.Lopes.
2 caixa pelles preparadas; a Ramos e Silva &
Genros.
1 dita ditas: a Alves Hamburguez 4 C.
1 dita ditas; a Sauvage & C.
1 dita ditas; a D P. Wild.
8 ditas fazenda de algodSo; J. Keller & C.
7 ditas ditas; L. Wild & C.
1 dita dita; a T. Christiansen.
5 ditas ditas de 15a ; a II. & Azevedo.
2 ditas ditas; a J Kelier t C.
1 dita dita; A. C. Abreu.
1 dita dita ; a Va?. & Leal.
3 ditas ditas mixta; a L. Wild & C.
1 dita ditas; a R. Schmettau & C.
1 dita ditas; a Carneiro & Xoguerra.
200 caixas velas; a ordem.
1 dita ditas; a Roberto 4 Filho.
1 barril vinho; a M. Lopes.
Brigue inglez Jura, entrado de Terra Nova, con-
signado a J. Pater & C, manifestou o segrate :
2,684 barricas bacalhao, 650dilas farinhade tri-
go, e 1 caixa ignoro ; aos mesmos.
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, entrado dos
portos do norte manifestou o segrale :
Do Maranhao.
1 caixa joias de oiro ; a Lehraann frere.
1 caixa obras de Joao Francisco Lisboa : a Fa-
bio Nunes Leal.
200 sarcos arroz; a ordem.
Do Para.
OOcaixas banha, 6 volumes com 2,798 chapeos
do Chyle, 30 rollos salsa, 1 barril oleo de cupahi-
ba, 1 dito peixery ; a or lem de diversos.
Iliale nacional Dous limaos, entrado do Mara-
nhao, consignado a Tasso Irraaos, manifeslou o se-
grate :
1,340 moios de sola ; a Manoel Joaquim Ramo*
e Silva & Genros.
10 caixas cha e 250 saceos arroz ; a ordem de
diversos.
Do Cear.
4 fardos com 3,000 courinhos miudos ; a ordem.
Da Parahyba.
500 toros de mangue ; a Tasso Irmaos.
Hiate nacional Exhalaco, entrado do Aracaly,
consignado a Jos de S Leilao Jnior, manifestou
o seguiote :
67 molhos capim, 2 barricas sapatos brancos, 2
molbos esleirs ; a ordem.
Brigue nacional Prazeres, entrado do Rio Gran
de do Sul, consignado a Amorim Irmaos, manifes-
tou o seguinle :
13,260 arrobas de charque, 100 ditas de seb) em
rama, 200 ditas de graxa em bexigas, 3 pipas tai-
nhas e 25 saceos cevada ; aos mesmos.
ALFANDEGA dFeRNAMBUCO.
PAUTA DOS PREQOS DOS GNEROS SUJEITOS A D1REITOS
DB EXPORTACAO.SEMANA DE 21 A 26 DO MEZ
DE AGOSTO DE 1865. .....
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos......... cento 1*500
Agurdenle de cana .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca....... *
dem geaebra......
dem alcool ou espirito de agua- 900
ardente ....,..
Algodo em caroeo .... arroba 3*730
dem em rama ou era la 15*000
Arroz com casca ...... 1*500
dem descascado ou pilado 2*600
Assucar mascavado .... 2*000
dem bran ..;....' 3f?20l
dem refinado ...... S**2*.'
Azeite de amendoim ou mendo-
bim ........ caada 2*000
dem, de coco...... 1*600
dem de mamona .... 1*000
Btalas alimenticias .... arroba 1*200
Bolacha ordinaria, propria para
embarque....... 3*000
dem Ana......... 7*000
Caf bom ....... 6*400
dem escoma ou restolbo. 6*000
dem torrado...... libra 440
Cauros........ um
Cal.......... arroba 280
dem branca .... 00
Carne secca (xarque) ... 3*200
Carneiros ....... um 4*000
Carvao vegetal ..... arroba 1*008
Cavernas de sicupira uma 3*000
Cera de carnauba era bruto. libra 300
jdem idem em velas ... 300
Cha.......... 1*500
Charutos ....... cento 2*500
Cevados (poreos)..... um 15*000
Cocos (seceos)...... cento 4*000
Colla........ libra 600
Couros de boi, salgados^. t 155
dem idem seceos espichados 340
dem idem verdee 100
dem idem cabra cortidoe ^ um 350
dem idem de anca .... 10*000
Doces seceos i libra 1*000
dem em gela ou massa > 320
dem em calda ...... 500
Espanadores grandes um 4*000
dem pequeos....... 2*000
Esteiras para forro de estivas
de navio....... cento 15*000
Estopa nacional ..... arroba 1*600
Farinha de de mandioca alqneire 1*800
dem de araruta .... arroba 4*000
Feijao de quahptr qudlidade 2*800
Frechaes ....... nm 5*000
Fumo em tolha, bom arroba 14*000
dem ordinario ou restolho 8*000
dem era rolo bom..... 8*000
dem ordinario ou restolho.
Gallinlus ....... orna
Gomma........ arroba
lpecacuanha (raiz)......
Lenha em achas..... eenlo
Toros......... >
Lindas e esteios...... nm
Mel ouraelaco...... caada
Milho......... arroba
Papagaios ....... 0m
Pao Brasil....... quintal
Idem de jangada...... un
Pedras de amolar .... uma
dem de filtrar ..... ,
Idem de rebolo ......
Piassava........ molho
Ponas, ou chifres de Taecas on
i novilhos....... cento
, Pranchoes de amarello de dous
costados....... um
: dem de louro.......
ai?......... libra
Sabao......... ,
Sal- ....... alqneire
3*069
MO
wm
2r>*0rn
2I0U9
ll*l>
6*000
240
l*T4M>
3*ix;o
JOt
5*W>0
*..)
4*OUO
1*000
120
:i*500
204000
n.>
1*00
I20
400
25*00
5*0)10
7*iO
imt
lili*.O
8"* 10
3-^NlO
2JVHKI
6*0 O
na
Mf i
:>m)
Salsa parrilha.......arroba
Sebo em rama...... ,
; dem em velas.......
1 Sola era vaqueta......ama
; Taboas de amarello.....duzia
diversas .......
Tapiocas.........arroba
! Tatajuba........quinta
(Travs.........nma
jUnhasdeboi ......cento
Vassouras de de piassava
I Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
Vinagre.........ranada
Alfandega de Pernambuco, 19 de agosto de 1861
(Assignado<):
O 1. conferente, Manoel Peregrino da *ilen.
O 2." conferenteJoo de Fintas Barbnza.
Approvo. Alfandega de iVrnambuei, 19 de a-
gosto de 1863.A. Eulaho
Conforme. O i. escriturario, J. JAtUn JU-
lencuurt Neicas.
KECKIJEDUIUA DE RENDAS ItfERfttS GC-
HAES DE PERNAMBUCO.
Rendimeuto do dia 1 a 21...... 28::t*;Bi
Idem dojdia 22................ ::ii.~>6-i-t
consulado rtanxML.
hendimenlo do da I a 21...... W:60i*<7
dem do dia 22.............. 2:*M*.>ftt
50.912*068
.\ai:io saludo no dta L
Portos do norte-Vapor lirasiietro Pernn*wga,
or,mandante Francisco Jos da Silva lUfes,
carga differentes g.-oeros.
Uburxafi.
Fundeou no lamaru orna galera ifhtti,
nao leve commuoicavao com a terru.
Nao honveram entradas.
lVi.
O Illm. Sr. inspector da th^seorarta t ta-a-li
desla provincia, manda fazer publiro, qat h>m mmi-
cado o dia II de setembr> pnmn vinil or.>. i.iri
o concurso que se lem de abrir w*t* iiia Wtr-
souraria para prenchimpnto da< vafa* Os trast-
eantes existentes nesta repartico, na aifakOjffe
na recebedona de renda.
Os exanirs versar;i> sobre a* mal^ri.w iem/m
trata o % \ art. I do lerrelo o. 1,1 li Je 27 fe
jonho de l*i'>.!. a sab-r : leitnra, anaiy- fw
mal e orihograpbia, anthin-Mi-a e Ma* jpylira^Vs
ao comm^rcio, com MycMMMki a r-finf 4*
moedas, pesos e medidas, ralru!.i de fc."- >. |arv
sirnple< e c .mpostos, Bmt e nmkm e
appiicdi;.'>.
Os concurrentes derero pr
Ur sus r. querimenl in-lmiJo* e
que provem idade na|fsli d^ 18 ***, H*'irii-
de pena e culpa e bom c>mpnria>r.ra(o as Han
do art. do decreto n. 2,549 Je 11 m mmrtt m
1860.
Secretaria da tne- urarij #; fazeada e ftntm-
buco, 8 de agosto de 1865.
Svrviailo e o>rwl-anwr,
SI-noel J PimU
Illm. Sr. iospecl'T era cumpriiiicntj da ordem do Exm. Sr. ar-
te da provincia, man.lt fu-r paatim. oe a
24 de agiivt.) proxim vimloaro. p-raote a jaata
fazenda da m>;>ma th>'~-uraria, *< aa e
lar, a quem por ni. no- luer ripiar* 4a paalt
do Rio Pormoso, avaliata em I V"l*OW.
A arrematado sera fela aa Ivrmm m le K-
vinci.il n. 3i-' de 15 d> maio e IM, tiO m
clausulas speciaes a baila egfiada.
As pesoas que se NpMMi a e*a arr
couiparecam na >ala d; -cv- .. da r-feii*
no dia cima mencionado, pelo meto dia e rw
tentemenle halnhtadas.
E para constar se maudou publicar o are
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria proviaeial i. I
buco, 21 de jullio de 1X65.
O serretario,
A. F tAnnnncMrn.
Clausulas esp.ci.ies para a arrenaiare:
1.* Os reparos da ponte d > Rio Foranm, sen
felos de conformidad)* com o orraaeait jw aa
importancia de 1:551*000.
2.' As obras deverao Ht principia* ao aran
de 25 das e concluidas no de 3 muta, aaraa
contados da dala da approvaea > da arreaurfacaa.
3.a Os pagamentos serio rrahsaiw eai Aros
prestacoes iguaes, a prirneira quaaaa w aiHalL
das obras, e a segunda na sua coaclusoo e eatrega
defensiva.
4.* Para tudo que nao esliver esaaejcaO aas
presentes clausulas e oreanvnlo, gran ji fea a
que dispoe o regulamento de 9 e jaAoae
Coaforaw.
A. F. n .laaaarMrfe.
O Illm. Sr. inspector da tnesoarar ara
cial, em cumprimento da ordem do Eu. Sr. art-
sidenle da provincia, manda fazer paMk*, ajas aa
dia 24 de agosto prximo viadooro, per mu a jaa-
ta da fazenda da mesma tbe-ouria se aa e ana-
matar, a quem por menos fizer os rtparas
tes de que precisa a cadeia da villa do
avahados em 3:418*150 rs.
A arrematacao sera feta na (orna 4a Mi provia-
eial n. 343 de 15 de maio de 1834, sot> aar"
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se proporem a essa arre
comparecam na sala das sesaes aa referia \
no da cima m-racionado, pelo bmo a a i
ternemente habilitadas.
E para constar se manden pafJaf o i
pelo jornal.
Secretaria da tbesooraria proviaeial e I
buco, 21 de julho de 1865.
O secretaria,
A. F. tAnmrncmfm,
Clausulas especiaes para a arreamacao :
1.a As obras dos reparos 4a caaea 4a vta 4
Limoeiro, serao feus de coaforaaaaa can a ar-
a ment respectivo na importancia 4a fis......
418*150.
Ia O arrematante dar principio aa iraaaN U
das depois qne se fizer a arrematacao e as i
concluir no prazo de 3 metes.
3.a Os pagamentos serao leito* em 3
igoaes a cada terca parte da obra forma!
4.a O arrematante seguir na exteaeao <
as lostrurees do engenheiro, que a
5.* Para indo quanto aqni nao
observar-se-ha o qne dispoe tWl-tt
Contornas,
A.F. -
car
.1:4
DECUllfuE.
Con vi da-se as pessoas qae esto wm
condi(5es do serrino miliur, a eogajareai
do corpo de polica e gozaren da i
gensdi lei provincial o. 611 de 2 de
prximo passado, qae sao as
1100 rs. diarios de sold, seremsent i-
Ibos menores recoloidos
tos provinciaes de edacacio e o
estiverem na guerra ser cootado pelo
para o caso de aposenladoria, e alera i
tem todas as mais vantagens qae lio cera-
cedidas aos voluntarios da patria. O le-
nente-coronel commandante do corpo ie
polica, Alexandre de Barroe e Alboqeer-
que.
1--------T



*i Diarlo de Fernmbnf Quaria leira t3 de .%** e 1 *
De ordem do Ulra.Sr. iospector da ihesoura-
ria de fazenda dasia proviucia so faz publico para
conbecimento de todos, a circular do tribunal do
thesouro o. 27 de 20 de julho ullimo abaixo trans-
cripta.
Secretaria da lhe*ouraria de fazenda de Pernam-
buco, era 1 i de agosto d; 1865.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Circular n. 97.
Ministerio dos negocios da fazenda.-Rio de Ja-
neiro, em 20 de julho de 1865.
Jos Pedro Dias de C.irvalbo, presidente do tri-
bunal do thesouro nacional, teudo resolvido que
se suhstituam as notas de IOS da 2' estampa, cor
THE 1TU4I
DE
EMPREZA-0OIMBRA
Recita extraordinaria.
ESTRA DO ARTISTA SIMOES.
i*recita do seu repertorio.
de telha, ordena aus Srs. inspectores das llwoura- Qllllt:l-fera 24 de TOStO de
rias de fazenda que, mandando publicar esta reso- i q n .-
ingo por annnncios nos peridicos das provincias lOOO.
por editae(s affixados em todos os municipios, pro- Logo que a orch(.slra Uver executado urna linda
cedam a referida substituto com o producto da ouvertura representar-se-ha o interessante drama
renda das respectivas thesouranas, solicitando a em 3 acI05 do Sr. Cesar de Lactnja
remessa dos fundos precisos no caso de delicien-'
cia da mesma renda ; e remellara mensalmentn ao
tnesouro as notas que se forem substituindo, devi-
daineute carimbadas e inutilisadas.
TB\B4LH0 G HOMi
LEILAO
Da hypotheca da casa da ra de SbilUiat
Ferreira n. 48, na cidade de Olinda.
Martios far lello por ordem do lllm. sr. Dr.
| Claudiuo de Araujo Guimaraes cnsul de Portu-
. pal. da hypolheea cima pertencente ao espolio de
I Antonio Ferreira da Silva
Quitila-feira 24 lo rorrentc
Em seu esarptorio ra da Cadeia n 9, as 41
horas.
Ka mesma occasio sera' vendido por ordem do
mesino lllm. Sr. cnsul um cavallo pertencente ao
espolio de Firmino Pacheco Gomes.
VOLUNTARIOS
LOTERA
AOS 6:000#000.
Com
HE \LG!B!IRA
APPRELHO DUBROK.
o qual todos pdem ser photo#rapiios.
Corre quaita-ffira
Acham-se a venda na
30.
De todos os apparelras photographicos aperfeicoad os at hoj. o
duvida o mais aperfeigoado eo mais econmico, elle permute alm disti
Leilao de predios,
andares na roa da Assumpcao
Nos annuncins e editaes far-se ha a declaragao
PERSONAGBNS.
f.hrstovao, antigo barqueiro..... Simoes.
Carlos, seu fllho................ Lisboa.
Seahra, estodante.............. Amodo.
de que em tempo competente se marcar o da era
que deve principiar o descont da lei no valor das
notas que nao tiverem sido at ento substituidas. Jn, pero;taaos negociante...... Pinto.
_........________ter'lljk?!:va'*-.._ Joao !e Mello, estudante........ Guimaraes.
Pela reparlicio das obras publicas se faz pn- Capilao Silva, maritimo......... Porto.
l)lico para conhecmento das pessoas a quem pos- Antonio, criado................. Terxefra.
sa interessar, que o concnrso para praticanies foi Macario, dito................... Pelxoto.
addiado para o dia 9 de outubro deste anno. Um piloto...................... Borges.
Secretaria da reparticao das obras publicas 19 j Um marioheir................. Santa Rosa.
19 de agosto de 1865. [Genoveva, mulher de Christovo.. D. Joanna.
No impedimento do secretario, 'Amelia, sua atildada............ D. Camilla.
_________joo Joquim de Siqneira Varejito, jDiympia, danzarina............. D. Eugenia.
Quana-feira 23 do corrente se hu de arre- uli.a' d'1^-"...................."
malar por ser a ultima praca, perante o Sr. Dr. tar Jla> "la........
juiz municipal da 2* vara, duas escravas penhora
en-
di-
D. Jcsuina.
D. Leopoldina
mercantes e
das a Joao Marrano Paes arreto, p jr execugao de
Jos dos Santos Neves.
Consolado de Franca.
Conforme o art. 7 da convenci consular entre
o Brasil e a Frrnca, o cnsul francez faz publico,
que falleceu uj dia 14 do corrente o subiilo fran-
cez Camoins, Mathieu Pierre Vctor. Pernambuco
1G de agosto de 1865.O cnsul de l'ranga
Osmin Laporte.
Arseul de guerra.
0 consellio de compras do arsenal de guerra ;
precisa comprar o segrate :
Para o corpo de polica em virtude da ordem
da presidencia de 12 do corrente.
-''O mantas de ia.
oO booets redondos.
850 pares de sapatoe.-.
260 grvalas de sula de lustre.
Para o deposito, ordem da presidencia do
11 do corrente.
100 booets.
101 grvalas de sola de lustre.
100 mamas de la.
100 pares de sapatSes.
Para o laboratorio, ordem da presidencia de
18 do corrente.
2o arrobas do plvora.
6 ditas grossa.
1 espumadeira de metal.
Para o presidio de Fernando, ordera da presiden-
cia de 18 do corrente.
2 livros conforme o modelo que se apresenlar.
As pessoas que quizerem vender ditos arligos
apresentem suas propostas na sala do eonselho de
compras, as 11 horas do da 26 do corrente.
Sala das sessoes do eonselho de compras do ar-
senal de guerra, 19 de agosto de 1865.
O encarregado da escripturacao,
______ Manoel os de Azneio Santos
No dia 25 do correte, perante o Sr. Dr. juiz
municipal da l* vara, se ha de arrematar, por ser a
ultima praga, a armaeao de urna loja de vender
charutos, um fiteiro, urna carteira e outros objectos ;
pertencentes ao mesmo estabelecmento, sita no
largo do Terco n. 62, ludo pinhorado por execuco
de Jo- Joaquim Pereira de Mendonga, contra Joa-
qoim Jos da Silva Moureira.
Vapor de reboque Camaragibe.
Osaci-ionistas da companhia vigilante de vapo-
res a* reboque sao convidados a reuuirom-se em
assembia geral, que ter lugar no dia Io do mez
de seteabro ao meio dia em ponto, no escriptorio
de Kollie \ Bidoulac, ra do Trapiche n. 18, para
trataren) de oegocios da mesma corapauhia.
Pela subdelegada dos Afogados acha se de-
positado um cavallo mellado te>tado, anda poltro
c inleiro, o qual foi apprehendido como furtado :
quem se julgar com direito ao mesmo comparega,:
que provando Ihe ser entregue.
Manoel Pereira Camello Pessoa
Subdelegado.
Amigos de Carlos, marloheiros
criados.
A scena passa-se
i* acto... No Campo Grande em Lisboa.
2 tino... Era Villa Nova de Gala.
3o dito... JoPdrto.
Dar' tm ao espectculo o cntre-aeto cmico,
ornado de msica, original portuguez, do Sr. Do-
mingos Monleiro.
O .410). LOMRIM.
PERSO.VAC.BNS.
Sir Eurard, inglez rico.......... Simoes.
Emilia, actriz.................. D. Eugeaia.
Comecara' as 8 horas.
N. B. Os senhores que quizerem assienar para
as 6 recitas que tem de dar neste theatro o artista
o Sr. Simoes, queiram desde ja dirigir-se ao es-
criptorio do theatro.
AYISOS MAMTIMOS,
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com muila brevidade a barca
nacional Restauracao, tem parte do seu carrega-
mento prompto: para completa-lo, e juntamente
para escravos e fretes, para os qoaes tem excelen-
tes commodos, tratase com os seus consignatarios
Aniouio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 1.
Ilha de M. Miguel.
Segu impreterivelmente no llm do corrente mez
o palhabjte portuguez Pensamnto, de 1* classe :
quem no mesmo qnizer eafregar ou ir de passa-
gem. dlrl|a-se a Bailar & O iveira, ra do Vigario
numero 10.
1 sobrado de
n.41
1 ineia agua no becco do Calabouce n.
8,-3 menses (terreno proprio.)
12 casinhas meia-aguas na ra da Palma
trando pela ra do Cano prmeiro portan a
reta.
1 dita dita junto ao portao cora urna sala, ura
quarto e cosnlia.
1 terreno com duas casas pequeas sendo urna
em construeeao na ra Imperial, hytwtlwrallos
por Manoel Luiz Coelho de Almeida ao Bvd. D.
Jos Antonio dos Santos Lessa.
Quinla-feira 21 do correnle.
Marlins fara leilao competentemente autorisaflo
des predios cima no seu escriptorio ra da Ca-
dela n. 9, as 11 hora-'. _______
"Leilao de diversos movis
Quinta-feira 24 do corrente.
O agente Pestaa fara' leilao por conta de urna
pessoa qoe se retirou, vde diverso* movis entre
elles um pequeo cofre : quinta-feira 24 do cor-
rente pelas 10 horas da manhai no armazera o. 7
da ra do Vigario.
"LEILAO
DE
Umamobilia de amarello, 1 ealeira de balanco,
1 marqaer.a, 1 co nmid i, 1 m -a para jantar. 1 di-
ta pequea, 1 cama para casal, I ItalflPM, 2 pires
de jarros, 1 lavatorio e outros ariijjjs d goslo.
Urna escrava di 30 anni^ pouco miis ou menis
com habilidades.
Cordeiro Simf.es por conta e ordem de urna pes-
soa que se retira para fora da provincia, fa-a' iei-
lao dos trastes e a escrava adma mencionado, isto
Sexta-feira 2S doeorronte as 11 horas.
No armazem a ra da Cruz n. 57.
, 2a parte da lotera (29") em beneficio das
, familias dos briosos voluntarios da patria,
cuja extiacfao ser no dia cima menciona-
1, rende do e no lugar e hora do costume.
Os premios de G;000JOUO at IO;>OOG
srao pagos urna hora depois da extracto
at as i horas da trela, e os outros depois
da distribu fo das listas.
As ehcdmmends s rao guardadas so-
mente al a noite da vespera da extracfo
como de cStme.
Tbesourariadas loteras 22 de agosto de
appar^ll.o ftVttt?Y%1. .-.;
... disto i^ nao m rhar tm m
de operar em plena luz. sem adircao de especie aiguma de laboral-ri'.
respectiva thesou- Nao mais urna cmara preta. urna cmara te vidro ainarfll.i. di-otro da anal w
raria ra do Crespo n. 15, os billie)es da ztm ns banhos phoiograpbieo por meio de urna pipeta (bola de borrarh'a) ataiti brtl O apparelhn completo, seo neressario e accHsormu cnta a dimino'a onantia : HH.J.
Oobjeclivo e os productos ^o de primeira qualidade. (^>m ei< ain-arr!h.> t.Ja a r*1** .--
rando mesmo os principios da phoiographia, comanlo que.-eja um douo l>il*li.j.)*a e r\i*t*-Uim e**-
garem alpuns dias a nbter resollados Hliafactorios.
Chegar.-m alguns destes apparelhos a casa de J. Falque, rua di Cr.-spy n. \. irm 30J,
N. I!. Acompanha cada apparelh<> um folhelo com lulas as p.<^liraro>s il-s-i.
tambera se mostrara provas tiradas i-m Paris e Parmaboeo, com os ri.'-in LEIEaAO
AVISO.
Tissel Prers prerinem aos carregadores dos na-
vios da linba do Havre a' Pernamhuco, que o frete
do Guillaome Tell, esperado a cada momento, tem
sido abaixadoa 30 fs. e lOi, o do sphre a car-
ga no Havre a 35 fs. e 10 0|0, e que tal vez o dos
navios segrales sera' anda mais em conta, o que
Ibes sera' avisado por vu deste jornal. Os navios
estao a disposicSo dos carregadores para as voltas
a um frete abaixo de 45 fs. e 10 i conforme se
ajustar com os annnnciantes, ruado Trapiche o. 9
Para o Porto por Lisboa
pretende sahir com a possivel presteza o brigue
Prrnambucano : para carga e passagelros, a quem
offerece bons comraodos, trata se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fonseca, rua do Vigario
n. 19, priraeiro andar.
PARA O
Rio de Janeiro
Ter^afeira 29 do corrente, depois da audien- pretende sahir nestes 15 dias a barca nacional
oia do Sr. Dr. juiz de orphos desta cidade, ser Valle; para carga, passagei ros e escravos afrete,
arrematado (por ser a ultima praca) os alugueis trata-se cora David Ferreira Baltar, na rua do
pelo tempn de seis annos do arraazm n. 5 do caes Brura n. 66, ou cora o capilao da mesma barca.
da alfandega, destinado a receher bacalhao, servin-
do de liase o por quanlo est alugado actualmente
de 3:0004 annuaes, cujo armazera vai a' praca a
requerimenlo da flava e herdeiros do Dr. Jos
la\ mundo da Costa Menezes.
De um raachinism i para tazar marroquim, produc-
tos chimicos para preparado do mesmo, garra-
fas d'agua de liraao, couros de cabra, sola, cou-
ro branco e ditos de bezerro, 1 armario, 1 ba-
tanea e mais objectos perleuceates a fabrica da
rua Imperial n 191.
ttabbado 26 de agosta.
O agente Pinto antorisado pelo Sr. consol de
Franca fara leilao era presenca do mesmo, ou de
um seu delegado, dos objectos cima mencionados
pertencentes ao espolio do Buido Maihetu <;a-
moins, e existentes na ca 191, onde'se elTecluar o leilao as 10 1|2 horas lo
dta cima dito.
Era tempo previos se aos donos de algnns oh-
jectus que all se acham, quirara retira-los antes
do leil>i entendendo-se para isto com o mesmo
Sr. cnsul francez, quanl i nao sero vendidos sem
qne seja adrnisslvel reclamado al^uma posterior.
LEILAO ~
Da excellente chacra do Exro. Sr. desembarcador
Doria, noManguinlio, com as accommodacoes
que podem ser examinadas desde ja pelos pre-
tendeotes, os quaes dev=rao coucorrer ao leilfo
no dia
Tercafeira 29 de agoste as U horas
em oonlo.
Por intervencao do agente Pinto, era frente a
Associacao Commercial.
JLiJiLiT
De predios eraOlinla todos em Chaos
propries e as principies ras.
Sendo.
Um sobrado euraa casa terrea n. 47 e57.tendo
o sobrado 2 salas e 3quarlos, e a casa terrea 2
salas e 3 quartos, cosinha e o quintil murado, a
rua de S. Benlo.
Urna casa terrea na ladeira da Ribeira cora 3
salas e 3 quartos e cosinba, edilicada lia pouco
lempo.
Urna dita na rua do Carino n. 3 cora 2 salas o
4 quartos.
Urna dita na rua do Amparo n. 35, cora urna sa-
la, 1 gabinete na frente, com i quartos, sala atraz
e cosinha.
Duas ditas na rua do Bim Sucesso oudos Qaar-
4.0.
Servindo de-'4hesoureino,
Jos Rodrigues de Souzb.
Antonia Burle, subdito francez, retira-se pa-
ra Europa.
THIvMH HO DAN" NJLlC
PROVIDENCIA DAS CRIANCAS.
COLLARESROYER,
EI.ICCTKO-MAGNF.TICOS,
Chamados collares anodinos de dentiqo conlra
as convulsoes e para facilitar a denticao das
crianrns, preparados e inventados por Royer,
pharmacetitko da Escola superior de Pars, suc-
cessor de Chereau, membro da academia de tne
dicina, aafi-ja casa bol'illon-lauiiange, pliarma-
ceutico do Imperrdor, chefe dos trabalhos cliimi-
eos da Escola Potytechnir., director da Escola
de Pharmacia de. Paris. e membro da Academia
Imperial de Mediana. Raa Saint-Martn, 225,
defronte da rua Ctiaoon, em Pars.
teis de n. 1 e 2, com 2 salas, 2 quartos, cosinha
Para Lisboa \ (ra ediQcada ha bem poueo tempo.
vai seguir oestes ponaos das o brigue portuguez Cordeiro SlmScs
Constante, recebe anda algumas miudezas e pas- legalmente autorlsr.do fara lellio dos predios aci-
sageiros, para os quaes tem boa accommodagoes: ; ma mencionados, situados em Olinla e as prin-
a tratar cora Manoel Ignacio de Oliveira <& Filho, cipaes ras, as quaes se acham expostas ao exa-1 cao-magnticos
Tribuual do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernimliuco se faz publico, que nesta data ficam
registrados o contrato de sociedade de Jos de
M:ilo Costa Oliveira e Thomaz Jos de Oliveira,
que deve durar por tempo indeterminado e era
continuagao do que haviain celebrado sob a firma
de Mello Costa & C, sob a qual contina a gyrar a
mesma sociedade, com o capital de 23:291^703,
consistente na armaeao, utencilios, gneros exis-
tentes no estabelecmento, dinheiro e dividas acti-
vas, para o qual entra o socio Mello com.......
12:2.-33912eosocio Thomaz com 11:037*791 ;
e o distraa d^ Angelim Jos dos Santos Andrade
e Antonio Pedro de Mello, de 31 de dezemaro ul-
timo, dissolvendo a sociedade que tinham sob a
firma de Andrade & Mello, cuja liquidacao ficou a
caryo do ex-socio Angelim.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 18 de agosto de 1865.
Julio Gmmaraes
Offlcial-maior.
largo do Corpo Santo n. 19, ou com o capilao na
praca.
LEILOES.
De esteiras
Leilao
para forro
de sala com
a va na.
iiojr.
O agente Pinto far leilao por conta de quera
pertencer de differenles pegas de esleirs com ava-
ria, nesta mesma occasio lambem vender algu
mas pegas de brim pardo para techar factura, o
leilao ser effectuado as 11 horas do dia cima di-
to, em seu escriptorio a rua da Cruz n. 38.
Conselho de compras navaes.
O eonselho promove em dias do corrente mez,
vista de propostas entregues em cartas fechadas
at as 11 horas da manha. e sob as condiedes do
cstylo, a compra dos seguintes objectos : 208 pos
de mangueira de sola pregada a pregos de cobre
para bomba de apagar incendio, 26,000 azulejos, 6
dmias de taboas de costdinho d araarello, 16 da-
Zias de taboas de assoalbo, 1 duza de taboas do
assualho de araarello de o palmos de comprimen-
to, 3 duiias de taboas de assoalho de araarello de
3 palmos de largura, 20 duzias de taboas de assoa-
lbo de araarello, 40 duzias de taboas de louro para
forro, 100 tubos de metal de 11 ps e 9 polegadas
de comprimenio e 3 e 3(8 d dimetro, 1,200 ps
de cano de ferro galvaoisado de 1 l\i e 2 polega-
das de dimetro exterior com tees.e mais perten-
ces, 'i arrodas de pregos ripares. 2 grozas de para
lusos de metal. 8 lengies de ferro de
Di1 como di; lustre em duzias.
Quarta-feira 23 de agosto.
Por intervengSo do agente Pinto, era seu escrip-
torio a roa da Cruz n. 38.
Leilao de calcados
3IO.IE
O agente Pinto fara leilao por conta e risco .de
quem perteacer de urna calxa com borzegoins de
phanthasia para senhoras e sapatos de tranca pa-
ra homens e seohoras: as ti 1|2 horas do dia ci-
ma dito em sed escriptorio a roa d Cruz nme-
ro 38.
lillWIIK LEIO
rae dos nretendeiites, qualquer esclareciinento o
, mesmo agente satisfar, cujo leilao sera eff-ctuado
Terci-feira 29 ilo corrente as II horas
| em ponto no armazera rua da Cruz n. 57.
Leilao de predios.
A saber :
Um sobrado de um andar e sotao d rua da Sen-
zala Nova n. 6, o qual rende animalmente 5285-
Ura dito de ura andar e soto na rua da Senzala
Velha n. 28, o qual rende 4605.
Tercafeira 29 de agosto.
A hygiene a sade.
A sade a vida.
s mais.
Quantas mangas nao vemos cada dia sneeum-
bir s dores da primeira deoligo I ? Quantas an-
cias e quintos tormentos para as tristes mais, qne
vomi se arrebatar, dooois de tantos cuidados, de
lanas vicias, o objecto querido de sua ternura I ?
Quantas vezes nao lera ellas sentido a ineficacia
dos remedios .rn prega dos, taes como brinquiuhos,
champe de dentigo, etc., cujo duro contacto dos
prirajuos irriti as gengivas o causa inflammago
as membranas mucosas, e cuja acgo nulla fazia
desesperagao as mais ? Aehar um meio fcil de ap-
pliear o fluido elctrico para allivar os solrimen-
tos prevenir as convulsoes, como tambera todos
os accidentes que resuliam da primara dentieo,
tal o tito que tivemos em vista alcauear. Ha
rauitos senulos que se punhara no peseoco da<
criangas collares de mbar araarello para preser-
va-las e cura-las de convulsoes, ?mpregava-se pos
desde muito terapo a dectricidade medica sem sa-
b-lo, pos que o mbar iodo elctrico. E' evi-
dente que este eflttNo saudavel repousa sobre a ac-
go da el-v.trir.idadi-, que sola o mbar esfregado
pelos inovimentos do corpo da crianga. Esta in-
fluencia constante do fluido elctrico, por fraca
qne fosse, produzia effeitos curativos proporciona-
dos quantia d'elevtncidade engendrada desie mo-
do. Esta propriedade electriea de mbar a que
oos temos tidho a felii Idea de applicar fabrica-
gao dos collares de dentigo, augmentando a inten-
sidade dos elfeitos elctricos do mbar por meio
de lios conductores que disiri.buem as correles
d'um modo" suavn e Continuo. Mr. Royer o iu-
venlor de duas especies de collares : 1o dos colla-
res anodinos de mbar electro-magnticos; 2* dos
collares coraposios de differenles melaes com cr-
reme voltaica. Partindo desle principio de physl>
ca bem conhecido, que a iotensidade d'uma cr-
reme galvnica stS em razio direita da superficie
dos elmnmtos que BompOTm a pilla, os collares
Royer, chamadirs anodinos electro-magntico-; de-
siguailos e graduados por oito nmeros dilTerenles,
possuein as mesmas prouriedades elctricas, com
esta s differenga que o effeito curativo esta subor-
dinado ao tamanho dos elementos que os com-
p6em, e por coosequencia quantidade limidada
d'electricidade que engendrara, d'onde se segu
que quaota maior superficie apresentara as perolas
ou elementos, tanta maitr quantia de fluido elc-
trico desprender-^e-ha; e por isso que nos acn
selhainos de preferencia os nmeros fortes.
Estes collares, pela sua disposigo flex'veis e
portatels, podem-se por constantemente no pescoeo
das enancas. Urna rede electriga robre sem ces-
sar as partes doridas que sao modificadas lenta-
mente, sera sacudiduras nem commogoes, e pro-
duzem uraa cura rpida impedindo'as convulsoes.
Assim acha-se reunido com o antigo procedi-
mento dos collares de mbar aefflcacia regular e
segura,- da electricidade me lica. Os collares nai-
de metal eompomvse de peque-
DE
mJt- a
DE
J. V1GNES.
W. 55. RUA DO INPlvIlADOR *. 55.
Qs pianos desta amiga fabrica sao boje ass coahecidos para que sua superiondade, vanlugens e garantas que offerecera a..s comprador.., um.li.iaaV-
veis que elles tem deliuitivaraente conqui-udo sobre todos ... que lm ppar sulndo nm teclado e inachinismo que obedecem a tolas a* vonlades r- nafa tSm *
nuuca failiar, por serem fabricados de proposiio, e ter-se feii uliimarriHr.t.- ro.-inora*'
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas.; Ilaula.las, e por i*->
veis aos ouvidus dos apreciadores.
Fazem-se confoirae as encommendas, tanto nesta fabrica como nadoSrRIooa AeHh*
correspondente de J. Vignes, em cuja capital forain s-mpre pr-raiad.,s em toda- .n too<..-.-.-.
No mesjno estabelecimento se achara st-mpre um expandido e variado .riiavni" 'i
melhores autores da Europa, assmi como harmnicos e pianos harmnico* seado io* *i
precos commodose razoavels.
f*
; as perolas de dous metaos dilTerentes, traversa-
das por lios conductores qne I orinara assim pe-
i quenas filas voltaicas d'uma forma elegante, porta
! til e llexivel. empreados com feliz succosso contra
as convulsoes, os torticolis, tosse nervosa, losse
convulsa, etc.; po^suem as mesmas propriedades
e erapregam-se lodistinctamenie nos mesmos ca-
sos.
DA PRIMEIRA DENTigO
E la uUUdadc dS_ collares Royer electro.-mnnneti-
eos para facih'rHt empeo dos denles do leite.
Em poucas palavras explicare o que succede
na primeira dentigo,*fazendo algumas observages
COXSLITOIUO .EIMCO-CIRtRiilO)
d
i)R PEDRO DE ATTAIIYOE LOBO UOSGOSO.
IIIUICO, PiRTEIRO i: OIMHUIOH
3 Rua da Gloria, .casa do Fuudao 3
O Dr. Lobo .Moscoso d consultas gratnilas aos pobres todos os dias horas da manhao, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dr.s lias >anlirailMs.
iJliarmacia especia I homeopathicn
No mesmo consultorio ha senpre o mais appropriado .-ortimento de <-srVir>*
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dyninamisai.T-es p*li>s pnros vgniale-..
Carteiras de 12 lubos grandes. I23U)
de 24 tubos grandes. IHjooo
de 36 tubos grandes. 2i000
de 48 tudos grandes. 30irj
de 60 tubos gran les. 35^000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e coa os reacAM
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca 1(5000.
Sendo para cima de 12 custarSo os precos estableados para as carteira*.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
lilVItO.
A melhor odra da homeopatbia, o Manual de Medicina HomeopatiiH-o do Dr. JMV
dous grandes voltimes com diccionario............ 20|Ml
Medicina domestica do Dr. Ilering........... IiSO n
Repertorio do Dr. Melb Moraes............ Win>
Diccionario de termos de medicina........... -1*tnr>
Os remedios deste estabelecmento sao por demais ennhecidos ? iispraaor
tanto de serem novamente recommeBdados as peesoas qm- qtii-erem >iai ^prnu-s
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha ludo do melhor que se pnie ifosrjar, %V>\*t9e
verdadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaran, tintura uVs ais arrpili-
tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada prepararan, e portento a *'r
energa e certeza em seus effeitos.
Casa de saudv pura escravos
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfennidade ou azr-se-lh* qu.ifc|-r
operagao, para o que o annunciante julga-se suificientemenle hiMa
O Iratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, c<>mo na atedio,
funecionando a casa ha mais de quatro annos, hamuias pe>soas de cujr mnceilo *e*>
pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desej >rem mandar lew
doentes.
Paga-se 2)5 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 4*300.
As operaedes sero previamente ajustadas, se tilo se quizerem sojeilar aos pncm
razoaveis que costuma pedirr o annunc ante.
wm
encao
de
^
O agente Pinto far leiliio, precedida a compe- queservirao de.guia as mais de familias, qae pela
tente aulorisago dos dous sobrados cima indica- sua lenra affeico exa/eram a%iudo os perfos
dos as 10 horas do da S9 do corrente, na praca do1 da dentigo, a qual em definitiva uraa operagao
Commercio.
LJglLAO
Dedoas escravos ^endo um cosiohelroe copeiro
9 o ouiro co.mheiro, padeiro e ha.giuario, ambo.-.
sadios fiis e sem vicios.
01 Tenca^feira 29 de agosli^
as i 1 horas em ponto, na praca do commercio, em
4rente a Associacao Commercial.
"LEILAO

De urna casa no .Monleiro.
Terca-feira 29 de agosto.
O agente Pinto tara- leilao as 10 1)2 hora do
dia acirna.dito da casa o. 30 da rua Jj Montlro
esqAioa do becco do Quibo, edifteta em chaos
proprios, com 3 salas. 4 quartos, cosinba fora,
quartos para pretos quiaial murado e cacimba, na
praca do commercio em frente a Associacao Com
mercial.
De moblias completas de Jacaranda, gurda-
la de gros- vestidos de raogno e araarello, apparaaores, guar-
snra e \i toneladas inglezas de ferro bruto. da lonca, camas /raocezas de Jacaranda e amarel-
Sala do consefio 3e comprasnavaes, 2 de agos- lo, objectos de.oro e prat objecto de cima de
to de 1863. mesa (obra de goslo), pianos, toiletts de Jacaranda'
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Xnjos.
i VISOS SITEBSOS.
-

(toew
cora esnelhos, charutos da Havana e Baha, cadei
ras de balanco, balalos com pertnces para via-
gem, carros de 4 rodas com cavallos, cabriolis,
lindos quadros com Adas graveas, 1 burra de
ferro prova de fogo por 48 horas, candelabros,
candieiros a gaz, baodeijas de charao, nanquiohas
para junto de cama, quadros sacros para grojas e
capellas, r<-lozios d,e, algjbeira de auro e prata, ve- .
. nezianas, raar^ezas-largas e estrenas e oulros, A UOlllDclIlhl lldft 111111 SftflOra
decreto n. 185 de U de maio te mi, se proce- atfnjos qm seldrna enfadonho mencionar.
Pela arbinTsiragao 4o crralo dasta #dade se
faz publico para dos convenientes, que em virtude
do jspjsto no art.. 198. do regulamento geral dos
crrelos de 21 de dezenfbro de Wt'i. e art. 9 do
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
da na tu reza.
A innr parte dos desarranjos que sobrevela
; saii le das cr'flncas tem por'causa o Irabaiauda
primeira dentigo Quando o dente faz esfSc
para sahir, declara-se calor as gengivas, a salfia-
i gao volta-se mais abuudaate, o somno agtalo,
:ha febre a miudo, e em geral sobrevem a froflji-
do do ventre, e s quaado ente ultimo sydjp
toma nao toma um caraWer violento mais bemj
f.ivoravel que rtainnoso. Sent sojeito a conlpli-''
car se com oulras affeicSes o trib*1ho da dentiMoj
necessario, eir. quanto durar, por a mais extre-
ma e continuada aiiancao na sade da crianca-n o
desde que se notem os ltimos symptomas que Ma.
bamos de Indicar, ser urgente consultar nm me-
dico.
Estes collares vendem-se na loja do Jfi-
giiule, rua o Crespo, a. 7.
' Precisa-se de unja ama tao soraente. pata ca
preciosas c objeclos
ouro.
Mauricio Selbeb'-rg 4 C, Polacos, par-
ticipara ao respt-itavul publico, que aca-
bara de receber um grande sortimento
de joias e brllhantes, como sejara : relo-
gios, trancelins, aderegos completos, an-
f^ neis, cadeias, pntceiras etc, etc. e todo
quanto diz respailo a joalheiria, pelo pre-
go o mais razoavel possivel, e mesmo
troca e compra objectos de ouro, prata e
diamantes por objectos novos : na rua
K do Queimado n. 29, entrada pelo largo
B de Pedro II n. 27, de manhaa al as 9
M horas, e a tarde das 4 horas em diante.
* Os objectos vendidos pelos annunciantes,
sao garantidos .por Mes, e esto promptos
para levar objectos as casas das pessoas
qne desejarera cdmprr, urna vez qua
nao possara vir a seu estabelecjinBnto
Precisase de nm bom cozlohelro
.-ao spbrado n. 32 da rua da Aurora^____
a tratar
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite e paga-se bam :
em casa de Luiz de Moraes Gomes Ferreira, na
Ponte de Ucha, ou no Mondego, casa da viuva
^uiz Gomes Ferreira. ________'
Pcde'-sTao-Sr. Idelfonso Vieira da Conha
que venha ou mande concluir o negocio que nao
ignora, pos j faz bstanle tempo : na rua d Im-
peralriz n. 17, 2o andar.
b\lll\ETE
PORTUliEZ ot LfclItKi El PKK-
WHBlCO.
A directora do Gibin^t* Prtogo e LViUira.
em extremo grata aos senhori. sorios '-**.
que tao dioamente aceitaran) as dtvrrsa cniaaii--
se- para que furam o/im-ados. r.-Uuvx atn fc*-
tejos do anniversario; e ron p*;-iiali'laat a l ,m.
Sr. Autiraio de Sonza Pavoide. que em aar* mrr
ao gremio da sociedade > .ligmHi a.omir. far
convite da directora, a dirervao doa traaaNw ata
armago do doral ; pentioradit uaiaaai pira raaa
os iliustres membros da -.K-k-ilaJe Brlia lao.
qne prestimosamente aceederam a ifl rwwa .
prestanlo-se a tocarem do retalo o Gaa*aH ata
noite d< anniver.ano ; e linaim-ote |>ara con a-
pessoas que de tao Ixa vonUde empre^larani *-
jectos para ornamento dos resp-ctiv.w .i.v
todes agradece cordialmenUs lio valiosos ser^.
em nome da sociedade qne represeala.
A directora prevaleces* da oportunidad para
declarar que os festejos do anoiversarlw t r*m fc-i-
tos as expensa^ nicamente le ai;aas rias de-
dicados, e sem n^nhnm encargo pecunurt.) para
a sociedade.
Secretaria da directora do Gabinete P rtaraf?
de Leitura 22 de agosto de 186.*.
Jos Alv.-s Ija
V*e-drrtor.
J. \. Titira lago
1* secreurio.
anS- Qneimado n. 18, prtmelrb !djrej(^ e JflSto mrrflgado com cangalha de ferro
__________'_________________ t '> 8 arrobas de carne : quem delle der noticia cer-
A negocio de interesse deseja-S fal-'la ao Sr. Antonio C. Moreira Temporal a' rua da
lar com a vjtrra o) herdeihw de Manoel Jo- Cruz n- 30> ou a0 <*genho Boa Casu da freguexa
se
Pereira :7l caixa filial nesra provincia, j^.^^r betn recompensado. -----
- Hrecisa-se da quantia de 20:0005 sob hypo-' ~ Prcisa-e dQ m bom Cuztnheiro,
tlieca de prediQ?.e terrenos de mm maior valor: rua do Crespo 0. 8. loja de 4 portas.
na
quem quizer fazer este negocio entenda-se cora o Jiasaaos,^drigae de Andrade, na rua da
Sr. corretor Francisca Tfaiede de Almeida, praga Gru n 33 saca ^bre a praca 0 r0 de JinaiFu,
do Corpo Sanio, que esta autlionsado para dar as a.nras0 00 vista.
explicaio necessarias. ; ':!''.......1 ""i..i "
-dora o consano das carias existentes na adminis
trago pertencentes ao mez de agosto de 1864, to
dia i de setembro proiimo,as H l>or*s da matiha,
aa porta do mesmo crrelo ; 0 a respectiva lista
se acha desde j exposta aos interessados.
Admimstrago do corMfl d Perfiam*ueo 22 de
agosto de 1865.-0 admiatsflrador
Domingos dos Passos Miranda.
. ______ .
Correio^eral. ,
Pela admimstrago do correio desta cidade .fe
iir. publico, que em virtude da^convengao postal,
celebrada pelos goveruos "basjlro e fraocz, sirao
expedidas nulas para Europa 00 dia 30 do corra-
te pelo vapor francez Navarj-e.
As cartas sero recebidas al ires oras antes
da qua for marcada para a taida do vapor, e os
jornaes at qualro horas aales.
Administrador do correio de Pernambuco 22 d:
agosto de, 1865.
Domingos dos Passos Miranda,
Administrador.
Qnarta-feira 24 as 11 hors.
NO GRANDE ARMAZEM DE LE1LBS'to. r^itoyKMo^X^'^^^fT^
establecida nesta praga, toma seguros raritrmpg
sobr navios eseus carrgmSntos $ contra fogo eras
edificios, mercadorlas e'wtjUnas: nb seu escriptb-
DO AGENTE
OLYMPIO
MRuad* Cadeia do Heeife36

LEILiO
-
11
Hoje 23 i>- agosto.
Ferreira ^ Matheus coalinuaro o seu leilao de
lindo sortimenlo de fazendas inglezas, o qual hon-
tem princpiarama apresenlar aos seas fregueses,
cuja concurrencia solicitam, esperando delles
maior aniraago em retribuicao da franceza que
1 mostraro e anda permitiera provar-lhes.
Os filaos do primeiro matrimonio e
genros-do aado brigadeiroGaspar de Me-
nezes Vasconcellos de Drummond, convi-
i dam e pedem encarecidamente a todas as
pessoas que se coasidwarem credores do
respectivo esal se sirvanrde apparecer na
rua da Aurora n. 26, dentro de 15 dia? con-
tados da preseDte data, das 6 as 10 horas
damanu3a e das 4 as'6'da'tarde, para ve-
rificacSo dos seus craditos e ulterior a acor-
d sobre os seus pagamentos, independente
de questes judiciaes; Recie, 8 de-agesto
de 1865.
A>1A
A i|iiriii inlrressar
Em nome de mea pai o Sr. Cmillo da -
Borges Tavora Indiana de rmnna imm I M>ru
de S mt'Ann 1 ca Silveira. >r..t^*t' tnsfh
transacro au alh'ia(.io f^ita p**>" a^rdfc-f'H do
met fallecido a> Marm o ummu n>raa-l \aa
nio Gomes da Silveira sodre o* twn- do caaal.
visto romo nao se havendo aiml* pnwe>t-+. o ra-
pectivo inventarlo e partilha, ni" |"r UlWt\-
mento do dito meu av, seno uuaheaa p^i nirat
de sua consorte, raaos pas consrvala vare **
beos direitos incoolestaveis de lefUtaus. djae aaa
preparo para discutir e liquidar, ly Imftn pro-
testo dlara e positivamente roatra a vea-la* lnaas
das grandes |.rnphHJ.les p^nanennle a^-la> ca-
sal, sob a denomina;" Flor de Ln Liado i
de-e outros ; beAi como do* rseraao An>'.re.
ooel e lodos quaalos ao mesa caso m aal
Recife ii de agosto de 1805.
Obarbarrl
Joao Franklia da Salvaara Taaara.
f)ffrece-se orna mnlher vrava de "bons os-
tnmes'* ftnl familia para casa de algoma modista precsa-se de urna ama que saiba engommar e
ou familia1,? qaal erigomma perfeitamente/tflMa e coser perfeitamente.-aa-rua do Queimado n. 44,
eose" to#a a qnafirtade de costara : a tratar na roa enundo andar Paea-sa-bem .,
{streita do Rosarlo, foja n. -i.-
Precisa-se de ama ama que saina lavar e
engommar, e um mole^ue para o servigo eRCemo :
na rua da Cixa d'Agua n. 70.
Atoa e leite.
Precisa-se de nma ama, cpm^ljnndancra de teiie,
paga-se bera : na rua'ffbTilar n. 6, sobrado en*
cornado. ___________' ',-,
Precisa-sede urna ama para a servigo inter-
no de casa de um horaem s : a tratar nos Afoga-
dos,'rua de S. Miguel n. 34, taberna.
A pessoa que annunciou precisar de uraa es-
crava con algum leite, dirija-se a esta offlcina que
achara. .- ..."
Amatir, leiU.
Aluga-se urna ama de Jeito, sem fllho na cidade
de Olma*', n' BiquinWa'da S. Pedn. Maprrr itefron-
te do porlo de ferro, qnam precisar tkrija-te a
dito luyar ou annoncie por este folha para ser
Samuel P. Johnston, sua serihora e urna cria-
da vao provincia da Bahia.
Desappareceu S *atunda-feira, 21 do cor-
rauta, um negro esc.ravo, de uome Job, mas coohe-
cido por lofge, que ia c^u dous emprulhos de cal-
gado novo, na rua do Queiraada, sendo I par de
boxzagnlns para seniora, gaspidaos de. couro de
lustre a. 35, 3 ditos para menina?, sendo i de brim
de loaa gaspiao de couro de lustre com botoes
trancos, 4 dito da cooro amarello, 1 dito de eorda-
- iiopreio, 1 par de boraeguia de bezerro pralo
~ Achft-M jualoe contratado a casa terrea cita de Nantes aaoj.guwr, ooraaletr* 3 ajerio do
n* roa de Santt-t'Beraia*. 13 ; foan e jutaar salt0 e jnntt da BrmaA. R. Pinto, 1 dito de sapa-
cora diretio a mesma, annuncie nopnuo tres das ,1K. de lran>a n 38 jUfga-se que dito negro, o
para prevenir dnvidas futuras. ______________ a, tera uma M[tu em om orno, e falla muito
Aluga-se a padaria com seus pertence
rnalmper al n. la; a tratar
taberna n. i;
na >trapamado, anda liara as bandas de S. Jos on
da raa de Horias, Santa Rita: quem o pegar e fizer condnzir a roa
"'' da Imperatrt o. 49, sera-Mol rocompenwdo.
Pechincha
O abaixo assignadr, aekaado-*^ bajanv .
pretende fazer urna viagein, 1 aar mto
taberna sita aa rua de Sania Rita n. I.
reee-lxias proporroes para um bell^progr*!* aHa
boa localltliile e vasnraenti d> prp-Ko ftmfn a tv-
helra a fannha, mnrado de carne r pein : !!-
menta para v.r e tratara aa ranma rmm a*p
proprtetano.
a _____________FelishorU %. ara.^a.
Pre'isa-se lugar urna nttrava 4e> mtm idu-i-
para o servigo interno exurao Aa aaa aaaa *
pequea familia : im Corlaos, roa d PnkMr^
numero 10.
Prerisa-s de uma ama e van***-
roa da ImparatrU 1.. i'k. andar.____________
Precisa se de um menino dw 14 a t>''aaa
com pratica d? padariar na ras do Baagel a. 9.
\m>
Precisase de ama ama .
mar pouoa : na toada tanta! ai al.
J&)m!&4&9
Precisase de uma ama para coziahar k
para casa de pjuca farailii : na TVMwT
n. 94, sobrado do armakem do sal.
am.aa


Diarlo de rernambaco ... guara felra 13 de Agesto de !<**.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de espores, armstrongs e raiadas de 80
120; ex tena i na-los era summa a espada, a
fado e a puntal de que se trata; mas
ninguem se lembrou anda de esmagar os
Paraguayos com as armas que Deus nos con-
cedeu; acabar com elles a tacao e a ponta-
ps, para o que necessario encourafar esta
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esmaga cobra, arranca tocos. Os proprietarios deste estabelecimento, desejando satisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabam de receber de seus correspondentes de Paris, um grar.de
quebra marmore e outros que se vendem 6ortimento de retratos (cartoes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambera urna quantidade de alnetes e cassoletas para retractos, do
4&-RIA cu ice: i '' i4 5 mais apurado gosto e por precos muito diminutos.
Os mesmos aproveitam a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e das santos, das 9
horas da manha al as 4 da tarde e que os tempos de chuva nao influem em nada para o bora successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preerivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operario, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se acham establecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
46800 de fi,90O a 7,000, para elles urna garanta futura, poslo que se appliquem todos os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
VENDAS.
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
Borseguins Bordeaux........ patricios......... > para senhoras, en- com laco e ivella .. Borseguins para meninas bom 85000 o000 5#500 4081)0 5O0O 3000
Sapatos de lona, sola elstica. 20OCO UGO'i i Af.no

econmicos para se- com salto de lustre.. 2(5240 Chinelyes do Porio.......... 1(3600 Um completo sor timen to de calcado da trra para bomens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, tallas de todas as quali-
dade!:, Otas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobira ao compiador pela barateza.
Beroardiao Pacheco dos Santos declara ao
corpo do commercio que mudou o seu estabeleci-
mento de molbados da ra da Lapa u. 13 para a
ra do Hospicio n. 28.
Quadro dos bravos de
Riachuelo.
E>t a venda o primeiro quadro dos bravos I
de Riachuelo, contendo 18 retratos, entre os quaes
brilham os de Pedro AITonso, de Garcindo, Pestaa, |
Torreo, etc.; a ra do Impedor, livraria acad-
mica n. 79, preco 15000.
OftVrece-se urna ama para todo o ervico in-
terno de urna casa : na ra das Trincbeiras n. 40,
sobrado.__________________________________
Precisase de urna ama para todo o servico :
na ra das Cruzes n. 35.
Aluga-se a casa terrea da ra da Palma n,
43 : a tratar na ra da Cadea do Recite n. 24,
primeiro andar._____
Aluga-se para escriptorio o Io andar do so-
brado n. 63 da ra da Cadeia : 3 tratar no segun-
do andar do mesmo.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o audar, onde pode ser procu-
i
s
s
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
I rao examinados na ordem de suas
I entradas comeando o trabalho pe-
_g los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
S 6 as 10 da manha, menos nos do-
B mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
8 cao que julgar conveniente para o |
prompto restabelecimento dos seus j
m doentes. g
mummmmmummmmmm
- Pliipps Brothers & C, saccam
sobre o Rio de Janeiro a 10,1o on 20
dias de vista, conforme a vontade dos
tomadores e o descont exigido.
Saques sobre Lis boa
Manoel Ignacio de Oliveira & Piiho sacara sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.__________
Quem tiver urna escrava rom algum leite e
a ijueira alugar, annuncie para ser procurada.
CASA DA FORTOSi
Aos 6:000#000.
Bilhetes garantidos.
A benetidio das familias dos briosos
voluntarios da oatiia.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaiioassigoadovendeunosseas muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaboo
de extranir, a beneficio da matriz da Victoria,
os seguintes premios:
Um meio n. 1940 com a sorte de 6:0003.
Um quarto n. 2201 com a sorte de 1:2004000.
Dous meios n. 1972 cora a sorte de 400,5000.
E outras umitas sones de 1004, 404, 204 6
10000.
Os possuidores podem vir receber sens respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna ra da Crespo n. 23.
Acbam-se a venda os da 2' parte da lotera
(29*) hendido das familias dos voluntarios da
patria, que se extrabir quarta-feira 30 do cor-
rente.
PRECO.
Bilhetes. .... 74000
Meios......34500
Qaarlos.....14900
Para pessoas que eemprarem de 100)5000
para cima.
Bilhetes.....64500
Meios......34750
Quartos.....14700
Manuel Martin s Fiuza.
Precisa-se alugar um preto ou preta para an-
dar na ra vendeodo falencias com ouira pessoa :
quem tiver dirjase a ra do Hospicio.n. 62.
Precisa-se de um cobrador para este
Diario, que preste flanea : na livraria n. 6
e 8 da praca da Independencia.
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEMBA EM PERJVAMBITCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, ra da Cruz n. 22.
Os elementos que compoem esta preparaco, o
ferro, o iodo e a quina, a collocao no primeiro
grao das preparacoes ferruginosas. Basta altestar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, c os relatnos dos prticos mais eminentes,
que confirmarlo sua poderosa efficacia as se
guinles affeccSes:
MlnKoa aangue,
Frai|ue/.ll.
Anemia,
ChloroKP Ictericia,
Menatrua,
AfTrrcc da ulero,
SupprranaeM dan re-
K'aa < ilrnunlrii na
luenNlrunro,
Affeeraa pulmonar e
phlblalea,
Molcutlan d'cnlniaa;a,
Gaatralglaa,
Ferdad'appclltc.etc,
Canvalencenrade lan-
ga* molralla,
Maleada* eaerofala-
aaa,
Papelra,
ObHimccao daa gln-
dula*,
Humorea fro*,
Tiiiuore* brancoN,
nwrhltlH.no,
AtTcccoca cancero
e J plilllt IriiN.
Febrea typboldea,
Bezlga, etc., etc.
Vejao-st os bulletins de tlierapeutica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860; a Gaieta
dos hospaes de 28 dejulhohtHW, etc., etc.
Alcm das pilulas de wdurelo duplo de ferro e de
quinina de Itebillon, os Mdicos aconsclhao
igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao gosto de medicamentos sob for-
ma pilular c os meninos. F.ste xarope nSo tem
como o xarope d'iodureto de ferro, o inconveniente
de altcrar-se e de se nao poder consonar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceuticos depositarios.
Para se evitarcm falsificacSes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
442, ru du liac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
PASTILUW
ESTIVAS
DE PEPSINA
DI WASMAN
Dlarrhca e a eonstl-
purito |ro pela* rtaboraedi-a
ili-ri IHmisu lloi-nll
llICIltu*.
As paslithas digestivas com a pepsina de
Wasman, empregao se com successo h j
alguns annos pelas celebridades medicacs de
Paris, Londres. Vienna, etc., em todas as in-
commodidades em as quaesadigestao 6 difficil,
penosa, imperfeita ou mesmo impossivel: eis
o mclhor remedio para cural as.
GaMtralgla,
l>lpeplaH,
E.ubaraca*g*trlca*
A BUMlrlIr-,
A* affcccoc orgMnl-
eaa do eHlamaga,
Sua accao vivifica o sangne c os rgSos de
tal sorte que, atb as pessoas que sem soffrer
as affeccoes gstricas cima mencionadas sito
nicamente fracas ou d*um temperamento um
pouco dbil, e necessito substancial alimento
para fortiiiear-se, achao no emprgo das paslit-
has de pepsina de Wasman, um poderoso meio
para a sso chegar.
Arito importante.Osuccessodas pastilhas
o pepsina de Wasman deu causa a se fazerem
falsilicacoes e imitacocs d'esse producto que os
mulos se querem desfazer. Pois por falta
(Turna boa preparaco o pepsina que n'ella
entra, jaz alterada. Seremos ao abrigo d'csle
inconveniente, cxigindo os compradores que as
paslilkas tenho as iniciaos B. P. c saiSo da
pharmacia Ghevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubourg-Moutmartrc, e cm todas as boas
pharmacias ilc Franca c dos paizes estrangeiros.
DOENGAS
dos MENINOS
CURADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANET
1. Contra as CLICAS DOS MENINOS antea
e durante dentlcao
(Xarope de cynoglosse e de acido succinido)
N* 8. Contra
TossK c.iiwxr.sA e a tosse
NERVOSA
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
N* 3. Contra
aa CONVULCES
A CHOREA
DOS MENINOS
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino)
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias do*
meninos cima indicadas, e yierao cncher um
vacuo importante na therapeutica, no que loca as
affeccoes da infancia, para as quaes, atli boje,
ainda se nao pode indicar tratamento racionnal-
ncm infallivel.
(Peca-se o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prc?o do frasco cm Pars, 3 fr.
Para se evitarcm as falsilicacoes, exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rtulos a
assignatara Chanteaad.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud. c cm todas as boas pharmacias de Franc
c dos paizes estrangeiros.
MASSA e XAROPE
DE CODENA
DE
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amiens, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilaes de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
O remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmar com admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico!, defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite e tisica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achilo cm todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificav'ao, exigir ein,
cada produto o nome
e a firma Berth.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Ra Ste-Croix-de-la-Bretinnerie.
/
GRANUDOS
[pe BISMPTH:
DE CHEVRIER
Maleatlaa de ligado,
A Ictericia,
Palpltacaa da eeraeae
Dore* na* ra*,
Os granulos de bismuth de Ghevrier cm supe-
Mores a todas as outras preparaces de bismuth
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir e curar as
Dlarrhca* chrenlcaa, I Ma dlgeatde*,
Dy**cnterlaS, J Gaatrltea,
Darea d'eataniaga, J Gaatralglaa, etc.,
DfHpepHla*,
ndre r"rbr r Depsito geral em Paris, pharmacia Ghevrier,
irritaeoe* de bezlga e e em todas as pharmacias oe Franca e dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SuiToct'oo nervosa e Oppressao
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarope aromtico de Succino (mbar
ainarello) do Dr Danet. Descoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
.'lijada Para saetas e rauta a> r-trava
da fabrica de Peroao Velho, e de minio
qualidade : vende-se no escripleri a
nado ds Oliveira & Filbo, largo do Corp
numero 19.
0 castello de^GrasVilliT"
Traduidt da franeei par A. J. C. ia Crw.
Vende-se este bello romance em qoatr
tomos pelo baratissimo preco de 3400C
aa praca da Independencia, livraria n.
6 e8._____________________________________
Urna prenda
Vende-se urna linda mnlalinha d<* II anao* 4a
idade bem morigerada e tendo ja priaciptns de aa-
bihdadesj a tratar na roa do gwgfe -1>-
Vende-se urtt de peda para ierre-aro a
124 a tonelada e 300 rs. a arrota : u m *
Brum n. 76.
Bichas de Hamburgo
tod'.s os paquetes da Earopa te reeehe
destas amigas do saogue bumaao e e
vendem a troco de pooco lucro s ala
de ter .empre cou>a nova : a ioja de bar-
beiro ra estrella do Kosano n. 3, ao t
n
da igreja.

Pelas commiisoes em groiio, dirigira aos S"' WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Laxare, Para.
k^aT

Dent
Europa.
de Medelros Barbosa retwa-se para
AMA.
Quem precisar de ama ama para cozlnhar e en
goramar, dirija-se a ra da Lapa n. 4.
Nao podendo a abaixo assigaado fazer a fas-
ta dos gloriosos marlyres Santos Cosme e Damiao,
padroeiros da villa de Iguarass, no dia 27 de se-
tembro como devia, em consequeccia de nao Ibe
permittir o sea mo estado de .'aude, agenciar as
esmoias para dito fim, tem resol vido moda-la para
o dia 17 de deiembro do correte auno, o que pelo
presente declara a todos os devotos daquelles glo-
riosos.J0S0 Luiz de Almdida llibeiro._______
A cha-se jasia e contratada a casa terrea sita
aa roa do Fogo n. 48 : as pessoas que julgarem-
se com direito a dita cas?, aonunciem no praso de
tres das.
O abaixo assignado, morador e estabelecido
com molbados no lugar denominado Peres, fregu-
zia dos Afogadoe, avisa ao respeitavel publico e
especialmente ao corso do commercio, que ex-
cepeo da casa commercial de Mello Costa ti C,
nada deve nesta praca. Quem se julgar seu ere-
dor, dirija-se a roa Direita n. 4, munidos com os
seas competentes documento?, Qae serio imraedia-
mente pagos, isto no prazo de oi ;o dias, a contar da
data desta.
Recife, 22 de agosto de 1865.
Joaquira de Almeida Qoeiroz. 1
.JKHH
O advogado Godoy Vasconcellos, pode
ser procurado no escriptorio da ra do
Rosario estreita o. 34, ou em sua resi
dencia a ra do Sol n. 9.
40 PUBLICO
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de illaminaco a gaz tenha da-
do hcenca aos machinistas para trabalharem por
sua propria conta, Carlos Pluym, machinista, offe-
rece sea prestimo ao publico para encaar gaz e
agaa, e toda a sorte de servicos concerneotes ao
seu officio, por pregos muito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 llna da Imperatrlz 17
N. B. LOJA.
ur Para prova da perfeico do seu trabalbo o
mesmo efferece ao publico o testemunbo de im-
mensas pessoas para quem jatrabalhou a mandado
da companhia do gaz.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar : na roa do Livraraento n. 25, segando andar
RETRATISTAS
Firmino & Lins
Novo cstabelfcimenlo de retra-
tos roa Nova n. 15, Io an-
dar, junte ao Sr. Gaotfer,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da rnanha s 5 da tarde, quer chova ou
n3o.
Tambem se offerecem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro ou fra
da cidade.
Os annnnclantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanten) ao pnblico
que nenhum trabalho sahir de sua offici-
na, sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do freguez.
wmmmmmmmmm
Precisa-se alugar urna escrava para casa de
pouca familia : a tratar na ra do Sebo n. 54.
Encanamentos para
aguas.
Fazem-se na roa Nova n. 30, com toda a per-
felcao.____________________________
Samuel Power Johnston & Companhia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios de carro para um e dons cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos. -
Machinas de costura.
Casa debanhos
i
Largo do Carmo o. 26.
Este estabelecimento to bem montado na sua
origem acbava-se de ba muito em quasi completo
abandono pelo pouco interesse de sua adininis-
tracao.
Hoje que o novo proprietario empregoa todos os
meios para restabelecer a grande utilidde deste
estabelecimento, pode assegurar ao
qualquer que seja o numero dos
acharo desde j promptido e aceio nos banbos
fros, momos ou medicioaes, a casa dos banhos se
achara aberta todos os dias das 6 horas da manha
as 11 da noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
liito trio on mor no..... 500
Dito de farello........1.&000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banho fri ou morno... lOfOOO
25 cartoes para banho fri, mor-
no ou de chuvisco........... 103000
12 cartoes para os mesmos----- 35000
12 ditos para banho de farello. lOJOOO
Aluga-se a casa terrea n. 11 sita entre as
daas pontes da Passagem da Magdalena, com 4
quartos, 2 salas, cosinha fora quintal murado, ca-
cimba e salala para a camboa : a tratar no sitio
no Ca;ueiro junto ao hospital portaguez com Ma-
doel Antonio da Silva Ros.
mmmmmm mmm ***& mmmm mmmm mmm
Precisa-se alugar urna casa para rapa-
2? zes estrangeiros que seja na Capunga,
f( Passagem, Manguinbo, Estancia ou Ponte
3* de l'clia : a tratar na ra do Vigario
O Sr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
publico que dirigir-se a ra Nova n. 60, a tratar de negocies
concorrentes que Ibe dizem respeito.
m O bacharel ffi
M Fraucisco Angosto da Costa tt
ADVOGADO J0
g| Ra do Imperador numero 69.
mmmm mmm ***$$***
Companhia fidelidade de seguros \
martimos e terrestres &
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEHNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, I
competentemente autorisados peladirec- \ toria da companhia de seguros Fidelida- ^
de, tomam seguros de navios, mercado- I
ras e predios no seu escriptorio ra da Sg
Cruz n. 1. W
mmmmmmmmmm mmmm
Na ra do Imperador o. 83, segundo andar,
precisa-se fallar com os seguintes senhores, para
negocio que Ibes diz respeito.
Antonio Nunes de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Joao Antonio Gomes Gui maraes, Joao da
Cunha Soares Guimares, Jovina Candida de
Mello Guimares, Manoel Pereira de Moraes
Pinheiro, Mara Amelia de Freitas Moraes
Pinheiro e Joaona Milltana de Jess, agrade-
cem a todas as pessoas que acompanharam e
assistiram ao funeral de sua sempre chara
esposa, irma, connada, ta e sobrinha Ma-
ra Jos de Jess Cunha Guimares, no dia
18 do corrate, e coavidam a todos seus anu-
os e prenles assietirem a mssa do stimo
dia, que lera lugar no dia 24 do correte as
7 horas da manha, na capelia do cemiterio
publico.
-OLondon&BrazilianBank.saca por doos JS ftMeKodrigues.
os paquetes^obre Fe|ippe Borges Lea|
^lsr^a- j Custodio Jos de Carvalho.
ri Antonio Serafim de Deas.
?-ra8a- Manoel Francisco Coelho Junior.
' Joo Antonio Pereira Hamos.
Joao Marinho Paes Brrelo,
i Antonio Tburcio da Costa Monteiro.
Sebastio Antonio de Albuquerque (estudante).
Francisco Gomes dos Santos.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Na praca da Independencia n. 33, Ioja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de er.couimenda e
odo e qoalquer concert. ^^^_^__
Todas as pessoas que devem extincta firma
de Novaes & Filho facam favor de maodar pagar
ra do Livramento o. 34.
Dentista de Peraambuco.
I Rua estrella do Rosario n. 3, i
ao p da igreja
[francisco pinto OZORIOJ
I Colloca deate artiflelaea j
\ pelos systeatas aaals mo- I
Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
Sebastio Jos de Barros Barrete
Fraocisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Alfonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joo Ribeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Neves.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Junior.
Julia Rosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadault.
Joaquim de Oliveira Maia Junior.
*** 11 *******
SO Dr. Carolloo Francisco de Lima San- 1
tos contina a morar na rua do Impera-
O bacharel Jos Pereira da Silva Mo-
raes nao podendo pela presteza de sua via-
gem despedir-se como desejava pessoal-
mente de todos os seus amigos, o faz pelo
presente e na Baha Dar onde de prsenle
seque, como em outra qualquer parte, onde
por ventura se ache, offerece-lhes sen limi-
tado prestimo como prova mais significativa
de sua gratido. ____
dor n. 17, segundo andar, tendo alias seo
gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doulor, que se tem dado ao
estudo tanto das operacQes como das mo-
lestias internas, prestase a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
- Precisase alugar urna preta que seja toa H1 ****** >*>#5
engommadeira e cozobe, sem vicios : na rua das
dernos
Emprega todos os meios scientiGcos para
conservar os naturaes. Pode ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da. ma-
nha as 5 da tarde. /"^
Cruzes n. 36, primeiro andar : paga-se bem.
Ama
Precisa-se de urna ama para o servico interno
de usa casa de pooea familia : a tratar na prac,a
do Corpo Santo n. 17.
Alagam-se duas casas novas no melhor la-
gar da Capunga, com bons commodos, bons quin-
taes murados, e cacimba, por preco commodo : a
tratar no mesmo lugar com B. los Leito, ou no
pateo 4a matrk de Santo Antonio tu i.
Alagam se cus grandes sobrados com comt
modos para numerosa familia, novas e celados
com lardim, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na ira vessa de Joo Fernandas Vieira :
a tratar na rua da SejaMt .Nova n. 41
Prevengo.
O abaixo assignado, para evitar davidas, julga
conveniente prevenir a quem interessar possa, que
de sua propriedade e nao dos herdeiros do Dr.
Jos Mamede Alves Ferreira, urna casa em que o
mesmo abaiio assignado habita, em Ierras dos en-
gentas Officina, e Alagda d'Antas, prxima a cida-
de Nazareth, por have-la comprado a Rita Cicilia
do Amparo, do qoe tem os precisos documentos,
havendo pago siza ect., e qoem tiver a fazer algu-
ma reclamacao a esse respeito pode entender-so
nesta cidade com o Dr. Jos Cunba Texeira.
Recife, 16 de agosto de 1865.
Jos Roberto Galeno Coelho.
~CrU Precisa-se alagar um moleqne escravo, que sir-
va de criado em urna casa de familia, com tanto
que seja de bom procediraento e fiel: a tratar na
casa nova da rua da Saudade (largo do Hospicio)
defroote da de n. 17.
Aluga-se oo tambem 6e vende om sitio na
Capunga, rua d Jacobina, junto ao Sr. Domingos,
todo murado, com portao de ferro, arvoredos de
frocto, jardim, bom| poco eom icelente agua, e
casa para banho : a tratar na rua das calcadas
numero 6.
Aa deleite.
Quem qaizer urna .ama escrava eom motlo
leite : dirija-se a una de fiangel n. 1
Antonio da Cunba Soares Guimares, sua
consorte e seus tilhos convidara e pedem a
todas as pessoas de sua familia e amizade
para que no dia 23 do correte pelas 7 ho-
ras da manha se dignem de assistir a mis-
ta e ao memento que pela alma de D. Mara
Jos de Jess Cunha, irma, cunbada e ta
delles, se ha de celebrar na igreja do con-
vento de S. Francisco desta cidade.
Francisco Jos Germano
RUA NOVA X. I,
acaba de receber um lindo -e magnifico sortimento
deocolos, luoetos, binculos, do ultimo e mais
aourado gosto da Europa.
CONFIAS.
Alteu^o.
Francisco Garrido, antigo proprietario do hote
Trovador, sito na rua do Rosario, de volta de sua
viagem a' Europa, avisa a seus numerosos fregue-
zes, tanto desta capital como do centro da provin-
cia, que se acha novamente estabelecido na mesma
rua larga do Rosario n. 37 com ora hotel denomi-
nado Traviata, onde acharo os seus freguezes
sempre a melhor vontade para bem os servir, a
par de excellentes viobot capiles e boa comida,
3ur no mesmo estabelecimento, qur para fra, e
entro da cidade aos qoe nao quizerem ou nao po-
derem vir a seu estabelebimento, seodo pelo preco
mais mdico qoe em outra qualquer parte. No
mesmo estabelecimento acbaro os seas freguezes
bilbares para recrearem-se, bem como sorvete to-
das as noites para refrescarem-se.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas, pagando-se bem : na roa larga, do
Rosario o. Si, Ioja de ourives.
Sil vino Guiiherme de Barros compra e ven-
de enecii vamente escravo* de ambos os sexos : a
rua do Imperador n. 79, terreiro andar.
Precisa-se de urna ama habilitada para todo
o servico domestico : qnem estver nestas condi-
edes dirija-se a rna do Trapiche m, 13, ou na So-
ledade, rua do Progresso n. 7.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, Ioja de bilhetes.__________
Compra-se onro, prata e pedras preciois,
fm obras velhas: na rua da Cadeia do Recite,
cja de ourives no arco da Conceico.
Compram-se moedas brasileras de 20J
2I : na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
~ Cotnpram'ae libras steclinas : na praca" da
Indecencia. 21_________________________
Comprroste tres casas, cada ama em v,lor
de 1:000,*., oo mesmo bypotbeca-se : a tratar na
rua Direita n. 64. ____________
Compram-se ou alagam-se dous escravos :
no armazem n. 12 na roa de Apollo.
Vendem-se barris de 5* eom .meldefaro
1 om : para ver c tratar na roa do Vigario a. ti.
Tasso Irmaos
Vendeui no sen armazem na de
Amtiim n. 3o,
Licor lino Coracao em botijas e meias botijas.
Licores finos sonidos em garrafas coa rola 4a
vidro e em lindos frascos.
VinhosGberes.
San ternes.
Cbambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscalel.
Reino.
Bordeanx.
Cognac.
Od Ton.
Azeite-Plagniol._______^_____________
MUITA
ATOBliCi
na grande liqnidsc* de Taieadas t
ronpas feitas nacitnaes na rna da
Imperatriz n. 72.
Os propriehrios deste e^iabelecimenlo esto re-
sol vidus aliqoidarem por presos baratissiaaos para
aparar dinheiro, vejam :
Chitas francezas esenrase claras a 260 o cotuJ
e 280 rs., ditas percahas :iO e :tOO, rnuit-j boas a
400, Uo e i>00 rs. o covado: isto s aa Ioja de
Guimares & Irmao, roa da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cambraiao francezas. liodissimos prades a 2Sa
rs. o covado e 320 e 360, orgaodys mu lo Ha a
400 e 410 rs. o cuvade.
Est se acabando a pechincha.
Laazinbas escocezas a 240 rs. o covado.
Lazinhas escocezas a 240 rs. o covaao.
Ldazinhas escocezas a 2401*. o covaao.
Lazinhas muito finas a 360, 400 e 440 rt. a
covado.
Ditos de ufna >b cor a i80 e 500 rs. o rovad :
isto s na Ioja de Guimares de Irmu, roa a lav
peratriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de vestidos de barra a 3aM00 a 3JVJ00.
ditos de la a Mara Pa a 5#bOO e 5J5O, acfaa
de bretanha de roto com 10 varas a 3JOO, dua a-
madapolo francez infestado com 12 jardas a -t^Sat,
35500, 45000 e 4->ioo. dius em ser iafcataia
com 24 jardas a ;i, 55500, 65. 75, 75500, 85000
e 105000 : istu s na luja de Guimares & Irawo,
rua da Imperatriz n. "i.
Grande sortimento
de cortes de casemira de cores escora* a 25-100
25500; ditos de casemira preta a 2800. 35.350O>
e 45; ditos de brim a 15*00,15600 e Z
C baratissimo
Peca de algodaosinho com 20 jardas a 35800,15
e 45500; dila carne de vacca a 65 e 75; dita
marca T a 65500,75500 e 85000, aOUaca-te *aa
nao tem deleito algum: isto s na l"ia de Goiaaa-
res & Irmo, roa da Imperatriz a. 72.
Houpa feila
Koupa feila
Houpa feila
Grande sortimento de roopa feila qoe se veade
por precos baratissimos para apurar dioheiro.
Ka nova Ioja de fazendas de inure
k Irma.
Hua da Imprratriz m. It.
Vndese um sitio em Bemfica a' marges do
Rio Capibaribe, boa casa, com arvoredos : qaaaa
pretender dirija-se a rua do Imperador a. SI, se-
gundo andar, qae achara com qoem tratar.
Acaba de chegar de Pars o mais i
sortimento de Mhas artifkiae de roseira, a
mente arraigoes : acha-se a venda aa rea Fer-
mosa n. 29.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinbas de
de garrafas para casas particulares, seado : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Loix ; laaataaa
tem aocretas de dcimo encapadas coas .opertar
vioho, barris de 5* e 10* em pipa : aa rea da Vi-
Sario n. 19, primeiro andar.___________________
No sitio do Toque vendem-se boas cabra
paridas ba pooco, e por baixos precua, por evitar
inconvenientes que por nenbum outro meio peera
ser removidos,
Vende-se 40 palmos de terrea aa rea da
Concordia : a tratar na roa do Alecrim a M, das
3 horas as 5 nos dias otis.___________________
Veode-se orna escrava sem vicios, de 2 aa-
nos de idade, com ama linda cra, om liado ara-
latinho com 9 annos de idade por 5505000, ata Ba-
gro de 45 annos de idade, para todo o servico, par
3005000 ; na travessa do Carmo n. 1.__________
Vende-se ama das daas casas prxima* a
capelia da estrada de Joo de Barros, cao peana
oo sitio plantado de boas larangeirat: a tratar aa
sitio da mesma capelia.
Veade-se nina rnulatinha da 10 ;
esperta e j com principio do servico
a tratar e ver na roa do Imperador a. 2.
Vendem-se vistas do combate naval de Ri.-
cbualo, a preco de 15: aa roa da Cadeia do Reeife
n. 40, primeiro andar.
Vende-se
na
de E J.
rasar*
Carrosas.
Compram-se tres carracas eom bois, prop as
Precisa-se de offlciaee de sapateire que tra- para carregar volumes da alfandega, etc. : quem
balhem com perfeico de ponto e taixa, paga-se as tiver para vender, deixe a morada em cajta fe-
bom ,'bem : na rua da Cruz a. 41, -esquina que volta chada nesta typograpbia com as imciaes P. M. A.
jpar Lingoeta. i vara ser procurado.
ruad Vitara i. 11,
Ramai t Silva &
Machinas de costara dos fabrirsaiii
Baker.
Agua Florida de Lamman & Ktaa*.
Salsa parnlba de Bristol.
Oleo de liohaca em aarrit.
Cofres de (erra a prova de logo.
Machinas para copiar carta coa
Cera em grurae e em vdas.
Vinho do Porto engarrafado e em aacoretas.
Dito Bordeaux.
Urna raachiua para amatsar pao da anu i
invensio.
Veode-se urna parte de 4:8255 eas asa
na Capunga, margem do rio Capibaribe, bes ca-
sa, bastantes fructeiras, daas eaeamaaa coas basa-
bas, todo morado, portao de feria, aaixa ala asa
planta de capim, parreiral, ate.; asada fcil aa
comprador desta, comprar tambem aa i
cabidas a un* outro herdeiro, e a i
orna menor do qoe a qoe te laanarii :*a I
praca da Independen fia ns. 17 t ti.


Ufarlo de pernambuco -t- Quarta eira 3 Je Agosto de !&.
AO PUBLICO
Mem o menor constran-
gimento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
i

ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
5 lili A IDRl ID1 01 IDM&ra
AO
RESPEITAVEI* PUBLICO.
A apreciacSo dos habitantes fiesta heroica provincia existe no grande arma-
sen da Liga estabelecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento .'de molhados,
que sendo em sua mxima parte mandados vir directamente do estrangtiro',podem ser
vendidos por procos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer qae este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico m seu genero, pde-se porm affiancar, com toda a seguranca de qne
oenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2. fldelidade no peso.
3; Sinceridade nos precos.
As pessoas que por sua posico social gozara de certo tratamento, acharo nesta
casa os aciberes queijos lonrinos, cerveja, vinhos Onissimos manteiga e cha semprede
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condic3o do freguez,.elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouoo favorecidos, da sorte farao mensalmente urna economa de
militas patacas, afreguesando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao p-
deos ou no querem vender.
Os senhores de tirada cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
remdo guanta se pode vender barato.
Para os senhor.s que compram paratornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
ATTENC&O
o
o precos da segulute
tabella 6 para todos, pu-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de con tas
com os portadores.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando arco da Coneelc&o)
PARA BEM DE TODOS.
Salsa parrilha de Ayer
I'Alt.V A CURA M .
ESCRFULA
c todas as melettls
provcnientes^ckla
(das as molestias da
prlle
ehemiprllas, tnmitrfs, nlceras,
sartas.
iiascidas. f pinjrea,
REUMATISMO
4w*-
Senhores
sf nhoras, o aceio qne presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a Dromntidar, e
ezacom que serSo tratadD?, Movida a urna visita ao mesmo, certos de que sem dovida me dao a protecco e preferencia na m
Ta dos generes que precisaren e quando n3o possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sinm douco orticos
pois serlo tSo bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendncao afim de
tra parte.
que nao vo em
Manteiga ingleza especialmente escollada a
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfranceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muitoproprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento. '
Chouricas e patos a 8oo rs. a libra,
entendida que certamente muito deve agradar aos senhores Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
PELOS SEGUINTES PRECOS SO SE VENDE
A DINHEIRO A VISTA:
para cima a
t-
A
ALPISTA a 120 rs. a libra.
dem e painco de oito libras
. 400 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a......
Amendoas, casca moe, a 280 rs. a libra.
Avellaas a 2i0 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os
manhos.
dem dem em potes de todos os tamanhos.
dem dem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de lodos os tama-
nhos.
Azbite hoce de primetr-aqualidade a 560 rs.
a garrafa.
Atoas a 200 rs. o moiho.
Absyntho a 25000 a garrafa.

fiULACIIINHAS do Beato Antonio em lates
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 1(5800 a lata, e
de cinco para cima a i#700.
dem de soda em latas grandes a 26000 e
de cinco para cima a 4*800.
BiscoLToe inglezes de todas as qualidades a
4200, i250 e 1-5300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas .inglezas.
Ba.nha de {orco refinada.
C
CHOCOLATE francez a (WO rs. a libra.
dem suisso a 10 a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
CiiormcAK muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 260 rs. a libra, em porcao
se far abatimento.
dem de prmeira qualidade a 70OOO a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muo aovas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposieo,
Flor do Brasil. Parisienses, Delicias, Gua-
sbaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, husira, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202"O, 20560 e 20800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500. 30500, 40 e 50.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 40500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
Graixa em latas,
urna.
muito nova, a 80 rs. cada
KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
LATAS com graisa a 80 rs. cada urna.
iLetria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 10, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho ingles de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca c ama re la a
60 rs. a libra, em caixas cora 9 libras a
30500.
Mn.uo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
IV
NOZESa 120rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Os i has inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 10100, de
todas as qualidades, como sejm savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadioha, linguado, sardirrha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 10400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QuAariNHAS ou morinques a
R
RAPE' Meuron a 10 a libra,
dem Prnceza do Rio a 10200 a libra,
dem francez a 20500 a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e intero se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezasj preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, 4,ooo e 4,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasquedrasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,oooe44,ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranh5o de Ia qualidade a 4oo
r. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da tedia a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
Paioeo e alpista
arroba.
Aletra, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevde e rodi-
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a I
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo,45,ooo,
42,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
4,ooo e 4,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade ai 6,ooo
a duziae 4,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 4,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. albra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezas em frasco de vidro com
tampa do mesmo, a 405oo.
Ameixas franezas em caixinbas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na cai-
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
cada urna.
Azeitedoce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libras.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 46o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco.
a 14o rs. a libra e4,oooa
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.

ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 420
rs. a libra,
dem de arar uta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feuo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos*
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 29.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOCINHO de sboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINH0S1M
libra e 2,4ooa ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas. excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-! |0 a garrafae 11,000 a duzia.
,h0- 'Palitos de dente a 14o
rs. o maco.
Sal refinado em frascos de vidro com tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 0,800, 6,000 e 6,000 a du-
zia.
Cevadinha de Franca muito nova, aSoors.
Charutos do aflamado fabricante Jos Fua-
do de Simas, das seguintes quaiidades:
Exposieo Normal de Ha vana, Jmperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e 4,2oo soltas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,000
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
I Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
4,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,000 e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,000 a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa ea 4,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a]
garrafa.
SYPH1X1S
em todas as ssas formas, asMm crino (rilo
o mal que protra do uso excessivo do
MERCURIO
Ulcerarlo fio flgndo
erem summa todos os males que tea e gem na
IMPUREZA Di) BAUCCE
E um alterante poderoso para a
RENOVACAO DO SAN!.! E
e para dar nova lona e vigor ao onynjl
enfraquecido pela doenra.
Vende-se na ra Direila ns. 12 e 76 a
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambu.c:

PHARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&C'.e
RA NOVA NT
? -
"
AGUA FLORIDA
MURRAY & LANMAN
A agua florida de Murray i- L.inir.a.
olhada como um niigo de pirfnme, nit
tem podido ser igualada pe!s aananoftaj
as mais custosas: a nseiva sen Masa,
mo se formasse parle da pru.da a que eR?.
se applica.
Sua eficacia tio delirada, como e"epa-
tes sao seus multiplicados usos, ajnfa seja
empregada como artigo dekurador. qi:r
no uso do banho, tu como .-uavisa^ r da
pelle, depois que reanla f. ifo a barba,
j para limpar as gingivas ou ajajMfaj c
hlito.
D suavidade, brilho e elaslicida compleires, depois de se haver lavado; al-
livia a irritao de fri'pnosorirrr'r- fa:
desapprecer o dejagradavel ejpnjaj ,os
pannos, das sardas, do rosto, rugas e t. la a
casta de ebulicoes, e d vigor e fnsenra a
parle onde quer que se appliqu*-. Sua *>-
ciencia e elegancia sao igualmente infalb-
yeis nos casos em que seja preciso aplica-
la como estimularle e antisptico, nos <-oa-
cursos e assemb-as numerosa::, as loca-
lidades infeccionadas, na alcova de um en-
fermo, assim como i- um antidoto enjn%a>
te para os desmaios causado! por e2T>9a^r
ou suffocaco. Preparada uni. menle por
Laman & Kemp, Nova York, e a venia por
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo
Deposito geral em PernaoLnco ra
Cruz n.22 em casa de Caros Barbn
111* lilC
X
da
Principe Alberto, de 1831, a 5#000 a gar-
rafa ; d vida aos velbos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a.l4500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2i a garrafa.
Duque a i& e 1500.
Chamisso a i, 40200 e 40500 a garrafa.
D. Luiz a 40 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Car cave los a 40.
Colares a 900 rs. a garrafa ; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoe a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julen a 600, 800 e 40 a garrafa.
Absyntho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 480.
Bitter Maurer a 40 a garrafa,
Violto figueira em ancoreta a 200..
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Para destruir ralas e baratas.
Preparadlo inglexa recentemeote ehegsda : ven-
de-se em peles de barro, na travessa da Madre de
Dos n. 9, armaiem, a 640 cada um, e duzia a
4*800._____________________________________
Taixa de ferro
Qoem pretender comprar a iiaixa de ferro coado
com 6 palmos de bocea que se 1 cha na estaco de
Preieiras, pode entenderse coto o Sr. Sena Santos
no sen engenho Prexeiras, ou na roa do Impera-
dor n. 41
Catangas flnoa e brlnquedoa
para meninos.
Lhegaram para a loja de mindezas da ra do
Qneimado n. 69, os mais fiaos e lindos calangu
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de mindem. _________________^^
iviiva* le pellica.
Receben peto ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para hornera e senhoras: so
quem receben oi o beija-flor, ua roa do Queimado
numero 63.
Grande expsito de fa-
zendas.
Que esli a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatrii n. 56, Lourencp Pereira Men-
dos Guimares.
LAZINHAS A 240 Rs. I
LAZINHAS A 240 R?. I !
LAZINHAS A 240 Rs. III
Ha um grande sortimento de lzinhas chineras,
cfcegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto preco de 240 rs.
0 novado.
UADAPOLO COM 24 JARDAS A 4*500 11 i
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 4*5001 11
veode-se madapolo com 24 jardas e garanti-
do se que tem 20 varas, pelo barato preco de
4*500. 5*000, 6*000 e 6*500.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 2*800.
Vende-ce breanha de rolo a 2*800 a peca, so
Menrfes Guimares.
MADAPOLO ENFESTADO A 3*000,3*500
E 4000.
MADAPOLO ENFESTADO A 3*000, 3*500
E 4*000.
Vende-se madapolo entestado pelo o barato
preco de 3*. 3*500 e 4* a paca.
COLCHAS DAMASCADAS DE FSTAO.
Veode-se as mais modernas colchas de nstao,
tendo de todas as cores a 5*500, ditas grandes a
6*000, ditas de damasco a 4*000, ditas de cbita a
2*240 e 1*900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 50, Mendes Guimares.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2*0, 280. 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambra i as brancas de lpicos a 4*500
a peca, tambem ha um grande sortimento de cam-
bra ia brancas que se vendem a 3*, 3*500, 4*,
5*. 6* e 7* a poca.
CHALES DE MERINO A 2J0O0.
Lencos de cambraia com barra de cores a 1*600
a duzia, ditos de dita branco a 2* e a 2*400 a du-
zia, s Meodes Guimares.
CALCAS DE BRIM DE LINHU.
Vndese calcas de bnm de linho a 3*400,
2*600 e 4*000, ditas de algodo a 2*, s Mendes
Guimares.
Sootambarqnes de cores, vende-se muilo barato,
ditos grosdeuaple preto, capas pretas vista se
far preco.
PALITOS DE ALPACA BRANCA A 4*500.
PALITO'S DE BRIM BE LINHO A 5*000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a \f>, ditos para babado a 1*000 cada orna tira.
ROPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se nm sortimeoto de roanas feitas de
todas as qualidades, qae a vista se farjiceco, e
outras muitas mais fazendas que se diixam de
anounciar, roa da Imperatriz n. 56, Menees Gni-
maraes.
AZEITE DOCE
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no grande armazem
da Liga.
____3U#
Saceos de 80,100 e 120 libras a 40,40500 e 50 ; no grande armazem
da Liga.
IPECMHA SEN IGIJA
Madapolo muito uno com pequeo toque de avaria, por preco que admira : na loia
das columnas U ra do Crespo n. 13, de Antonio Crrela de Vasconcellos &[c.
3jr><;a5:a>->-os:efl-ijHB'
r a> m o o o -i r-"-< u o u '
MASSA E XAROPE
BERTH
con CODEIXA
Preconizados por todos o* i*roi eoatra
as Defluxot, a Grippa t Mas as Irhtmffts
do peito.
AVISO
Falsificacdes reprebensiveis excitadas (ion
snecessos do Xarepe e da Mas* de ttrtkt.
nos obrigo a recordar qae tmt* prodwtU*
lio justamente
nomeados nio se
enireg3o seno em
bocetas e em fras-
cos com a assigna-
tura aqoiindicada. ''.......im.in ausji
tul, ru Saint-Honor,
luvrb, e em todas
ha Tsunucu ao
as phannaeiaa.
3 5
B
i n
2 =. D.O-
2 "o s>
en w o
o 5 c- 2. ^
< B O .
P 5".
o _
a> I 71 < 5"
o.
8
lilis:
Ssr2
-"3 ^
3^
n
H
1
o o,
o-oT
o

2 fl A
3 T-S-i-S 5atl5S
&Bg^g,T3g w 3.5,s5,8N
S.0
Vendem-se paimeiras imperlaes, em estado
de serem transplantadas: no sitio morado i es-
querda, depois ido becco do Espinheiro, nos Af-
flictos. .*
Venaem-se no Recite em casa de Caan *
Barboza e Jo5o da C. Brayo C
Attencilo lo barateiro de ob-
jectos chegados de noro:
grande sortimento.
Vendem-se dous prandes lustm de viro !ia<
com 2i luzes, do melhor oslo e por preco raroa-
vel: assim como apparelhos para Cha e para im-
tar, brancos e de cores diferente?; ditos tfe um-
celaoa duurados e pialados e braoros ; apoarr
para Jaotar de porcelana branca; Umnem e
dem un pecas separadas, como os fregoeie
zerem, conipoteiras lapidadas para doce, ra
para vinho, ditos para champagne, copos para;_.
e para vmbo finos e ordinarios, a caixao e in-
talbo; laoternas de todas as imilididw t iin
ditas de casquinho inglezas muito finas i raU li'
bros ie vidro e de bronze; serpentinas, vasos Se
porcelana e de vidro para flore?; bilhas haabrr-
guezas para resfriar agua; barricas coa appara
Ibos de mesa para jaotar; figos roa irparrlaa
para cha; e oniros maitos sortimento de todM as
qualidades e precos commodos voaiade dos eaav
pradores, qne se vendem na roa da Cita V> IW-
cife jante o arco da Cooceicio n M, n ra
Nova no grande armazem de looca e vitas iaao
a igreja da Cooceicao dos Militares n. 49
TaMso Iranios
vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos mado n. 63, loja do beija-flor.
finos de feitlo diversos para ladrilho, azuleijos de______________*_______________________
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co-! Viobo do Porto superior em caixa de dul
??:? 2; bfrro para eSgo10' cement en> para vender Antonio Luiz de Olivelra Areve-
barri de 10 arrobas. do 4 a, no seu escriptorio ra da Crnx a. 1.
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Queimado n. 63.
Tendo recebdo um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mam3i,
com cabeeira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelhos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinhas a 280 rs. o par ; e n5o queren-
do continuar, veode mais harato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de diferentes
larguras a 10, e bagados, collarinhos e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 13a para bordar de diversas
qualidades e de cores claras a 70 a libra, es-
pelnos de columnas de Jacaranda a 20500,
ditos braocosde diversos tamanhos, caixinhas
para estajos de navalhas,
Colherea de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 20, ditas para cha a 20300. J
toja se encontrar sempre um grande e va- dotxa de annonciar, e maaia-w imr
nado sortimento de miudezas: ra do Quei- iros da loJa da arra can dos preifa>raw. o
e tabelecimento est abena al a t hora* a mm.
Grande sortimento de roopas feias de to-
das asqualidades.
Calcas de casemra a 6* e 7*300, ditas arela* a
6* e 8,5, calcas de ganga a 54 IJtfOO e 14600.
ditas brancas a i, brimde linho a 34, 34380
44, paletots do alpaca branca a (4500. a *****
a 34 e 34600, ditos de alpaca de corao a 44.
de listra de seda a 44900, di ios sobreraswos a 54,
paletn de casemra a 54. 54500, 64 84 e 91.
ditos sobrecasacos pretos a 14. 13 e l4, tes 0-
nos a 154, de cores a 134, ditos fraa a 144
paletots de ganga a 34, 54500 a 54, duos V brra
pardo a 34, jaqoetSes de bria par*) a 34, laa
preto fino a 24, 54600, 34300 50, 44S0OS e <4
covado, moreanlique preto a 54 cova*.
ra da Imperatriz n. 58. Mate*


Cal Je Uakaa
a granel a 14500 por oaa barrica: aa rea Ta-
gario o. 19, primeiro I


. D lar So de Pernambneo Quara fel?a 93 de Aguato de 3 884.
GEN R OS BARATOS A DINHEIRO
NOS
AURORA BRILHAKTE
grandes mmm m moluvdos
W I
l!
ffi Pateo do Carino n. 9 armazem Progressivo roa do Queimado o. 7 k H |
w*! Uuio e Commerci ma do Imperador n. 40, rjj \ n
^ j| Principal armazem de molhadoj. os
OS FROPRIETARIOJS.
Fazem scienie ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
p-eros, hvradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
eaiaia os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo-qual o prego de um ser de lodos,P promette-
inos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aonunciar os geieros
por um preco, e na occasiSo da compra quererem por outfo, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar slo
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serlo tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annuneiarmos, o que senao arrepender pessoa
aiuma que fizer saa despenca em nossos estabelecimeiitos; pois poupar mais de
5 "por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com i a o ditas a 3^200.
n;timamente no vapor Saladim, M 1$ dem vasios de todos os lmannos a 2,-JOOO,
a 10120 a libra e em barril ter abat- 1,5500,800 e 040 rs.
meoto. Queijos d 2^300 a 20500 os mais frescos.
Idaa fraacew muito nova a 10 a libra, e'Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
en barril ter abatimeato. 20000 a caada,
Banlia de porco refinada a 6i0 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
barril ter abatimento. | a caada.
Cha uxira de superior qualidade a 20GOO.' Azeite doce de Lis!) )a muito fino a 601) rs.
dem perula miudinho a 20700 a garrafa e 0GOO a caada,
dem uysson especial qualidade de 20500 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 4001
201300 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muilo especial a 20000 e 20100 100500 a arroba.
a libra.
lem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10200. >
6BANDES ARH4ZENS
IMOLHADO
o
o

Largo da Santa
Cruz n. 84, es-
uuina
[Sebo.
da ra do]
VIMOS
Largo daSantaffi
Cruz n. 84, es-ggj
m*x,.-..~- ~ Nma da ra doMj
ESPECIAES Sebo.
uvopropnetario do ja muito acreditado armazem de
ifilil
rora Brllhante, continua a ter o
molbados denominado Au-
- mesmo sortimento de gneros de primeira qualidade.
Npnhnm L" WrT!"a a todos de base Para aJuste de cnlas aos Portadora*,
oelo irrand SiSS? veadera raais *>"Ho e melhores do que a Aurora Brilhante, ja'
?ro n.ininph.n? ,t qUe lem>,Ja -mesmo porque seu dono s deseja tirar diminuto lu-
nroveitar n T*J,JL*Cam,alV as desPeias do estabeleciraenlo por isso deixe se a-
prspnetario ha de fazer toda a diligencia, afim de servir bem os seus cons-
Bell a
Cerveja Bass do fabricante Slilers 4
60500 a duzia e 040 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Asnea 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
dem da creditada fabrica de Biato Antonio i muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
(Lisboa) proprias para dar a doentes a' garrala.
j e 30 a lata. Sabao primeira qualidade a 220 rs.-a libra
Bjiixinhaingleza muito nova a 30500 a bar- e2Iemcaixa.
rica e a 240 rs. a libra. dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
L. 3 com liolaxinha de -oda e oval a 20.
Presunto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 8 JO rs. a libra.
Ch iricos e paios muito oovos a 900 rs.
a ljra.
Caixas com macarrao tdliarim muito novo a
50000 e 320 a libra.
Aietria branca e amarella a 500 a libra.
Ch :olate portuguez de especial qualidade a
sWa libra.
(dem suisso de 800 a 10000 a libra.
a 180 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior
16') rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 30203 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
cai-
din hespan'iol verdadeiroa 1*000 a libra Cbarutos Normas de Havana a o0aOO a
que j vendemos a 10400. xa, de Simas (Jos Furlado).
Doce da casca de goiaba em caixoes de 4 e He
meia libras seguro a 10800,
dem em caixoes pequeos a 700 rs. e de
dem Parasienses a 40500,
dem Delicias a 10500.
50 para cima a eiO. Hem Traviata do Rio a 50500.
id, a seceo em hcelas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da
Silva
conteodo pera, pes-go, ameixa, rainba.
e outras frutas a 30000 cada urna.
dem em calda em latas feixadas hermetica-
mente mui'o bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, amenas e outras frutas a
lio e 700 a lata, tambem temos lalas
grandes a 10200.
\! ii m ala dos melhores fabricantes, em la-
tas de 20000 a 10200.
dem em lalas de 1 \\ libra a 10.
dem em latas de 1 libra a 640 rs.
Ervlhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
FeijSo verde ou carrapalo em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
t)Qa 20500.
Conservas Mexide muilo novas a 700 rs. o
frasco.
dem le ceblas simples a 700 rs.
Molob inglez a 640 rs. o frasco com rolba
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco.
dem j preparada a 320 rs
Latas com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
dem em latas de 1 1(2 libra a 900 rs.
Vanos em garrafas viudos' do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Caseava'tas, Alaria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velbo Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a \f> a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palmella a IjJ a garrafa e 110000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 40 a caada.
dem mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a i ti-i la.
dem do Porto especial qu ilidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
id m Burdeaux em caixas a 70 e 7O0 rs. a
Netlo a 30500 e I0SOOa meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem raeee:ipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30iOO a caixa.
dem jovens de Castanlio & Filbo a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10-OO a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba bespanliola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposicao de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Arpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 40000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porcao 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e m caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e {00000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas era anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito gran les proprios
para guardar roupa suja a 20500, 300O
e 40000
Batatas era gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao iuito alva e nova a
240 a libra. v
Sivadinha de Franca pira sopa a 209 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinua, rodinha e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastrs muito novos e mauncas
grandes a 180 e'200 rs. cadaoinl.
CaneKa muito nova a-10000.
Untes freffse-zes.
Latas com 8 libras decbouricas muito novas,
rM1?? C0P,xe em postas inteiras,
' *>40?e Tualidacles, a IJOOO, 1^280
Dilas cora ostras, excallente petisco para fri-
gideira, a 720 rs.
Ditas com ervlhas novas, ensopadas, a 720 rs.
Ditas com favas, a 640 rs. **Wn
.Ditas com ameixas a 1200, 13800 e 33500.
I unas com marmelada do afamado fabricante
Abreu, a 720 rs.
jDitaseom massa de tomate, 500 rs
jDitascom figos de comadre, novos, a 13500,
I S"Wctal11 de soda mnito novas, a
Ditascombiscoitinhos Inglezes de muitas qua-
lidades, a 3400.
CBeIa1.
Caixinhas cora araeias enfeitadas proprias
para mimo a I300,2)800 e 3^200.
roo fiflfior muit0 nV0' alibrade
.Macarr5o,talhariam e aietria amarella, a libra
1 a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Laixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
r sas, a caixa 35300.
Ditas dita em libras a 640 rs.
'Sag, a libra a 360 rs.
fSevadinha para sopa a libra, a 240 rs.
Ervlhas seccas, a libra a 160 rs.
jDitas descascadas, a libra a 200 rs.
JTapioca muito nova, a libra a 280 rs.
Fannha de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
'A12do Maranhao, em sacoo, a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
engomraar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. i
Sabo massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. ;
r'arinha. 1
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-;
to nova, a 53000. *
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83,1
83500 e 93000. <
Cha. (
Ch,temos oestes gneros o ni ilhor possivel,;
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a 33000. .
Dito uxira a 23700.
Dito byson muito fino a 23800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 23300.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Em mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
640 e 720 rs. <
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 43 e 23300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpista e painco.
Alpista e painco, a arroba 43000 e a libra a,
160 rs.
Cartas.
Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-! Cartas finas para logar, a duzia a 23500.
bra a 100 rs. Castanhas
T"Cahi?,.d Lisboa a 9300 a arroba e a 32 1 Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 4300O e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
rs. a libra.
Dito de Santos, a arroba 73000 e a libra a
260 rs.
.Molboscom 125 ceblas grandes, a lj.280.
JMostarda franceza, caixa cora 2 duzias a
7J000.
1 Frascos com mostarda preparada em vinagre,
a 400 rs.
Ditos com conservas i nglezas e francezas, a
640 e 800 rs.
{Ditos com sal refinado fino, a 640 e a 500 rs.
Barris com azeitonas novas a 13300
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 13230.
Dita mais abaixo a 13200.
Dita menos superior a 13.
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a I
850 rs.
i bra
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Cadeia do Recito, esquina da Madre de Deis.
iWlim
Os ricos bales de arcos com muita roda para sentaoras.
Bales de arcos para meninas de 2 a48 annos 2:5 e 2$;")O0.
dem de panno para meninas 35 e 3#500.
Chapeos de sol.
Superiores chapos de sol de seda superiores com 12 asteas 9i.
Chapos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores lO.
dem dem com 16 asteas 12.
Chita.
Chitas largas so(Trivei> a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
lia um completo sortimento de camisas francezas de 1*800 at 5* das sfaio-
tes variadas qualidades: pregas largas, ditas miadas, peiios defosto e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cmbrala branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a 4$.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Calcas.
Calcas de brim pardo superior a 26500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, ha de diversos precos e qualidades.
Mantas para pesclo.
Ricas mantas para peseoco de homem de finissima seda e de ricos padrea, que
s o Balao tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 5r>,
COLIjETES.
Colleles de casemira a 45 e 5$.
dem brancos a 25300 e 35-
buceos para viagem.
Saceos para viagem a 5 e maiores a 65.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico ni.va$
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas $up>e sempre ser as menas fo-
zendas.
Ditos cora a verdadeira genebra de laranja, a Dita para tempero a 400 rs
19000. Queijos.
Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
.Botijas cora dita propria para negocio
J 400 rs.
Garrafoes com 2 gales com dita, a 63.
iServeja boa marca, a 500 rs. a garrafa, e a i
duzia a 65OOO.
'Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 13.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
I a 13200.
Champagne, a dozia 203000, e a garrafa a
23000.
Azeite refinado portuguez e francez,a garrafa
a 13000.
Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
73, 83,93 e 103 a caixa.
[Ditas com dito branco, a 73 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 203.
? Ditas com duque do Porto verdadeiro.'a
183000.
Ditas cora chamisso saperior, a 143.
'Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
(Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
\ e8O0rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
33500e 43, a garrafa a500 e 560 rs.
iDitoda Figuefnf, dasseguintes marcas (f.)
(J. A..A.) (I. L. G.) (O. M.) a caada a
43300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo floarmaiem.
iDitos de marca- mais desconbecidas, a cana-
J da a 33500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
JDito de caj muito superior, a garrafa a
? 800 rs.
Queijos novos viudos neste vapor a 23800
33000.
Ditos londrinos muito novos, a ora
13000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43500.
Dito de peso lizo e paulado, a resma
i9
AVINAH
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho IHadeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
deira a 13500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a,
480 rs.
Amendoas.
Araendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
CaixSes de doce-de goiaba, grandes a 134001
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de liinjiur.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Dnziasde boioes de graxa n. 97 a 23000, e'
de lalas a 13000, e os boioes a 240 rs. ca-J
da um, e as lalas a 100 rs.
Charutos linos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da^
Babia por diversos precos, caixas e meias-
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O UllS RICO SOltTIMElfTO
DE
GUIPURE
i manufacturado em
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, pe deixam de an- X
nunciar-se* W
sS
Grandes chale granadme
Bournus
Rotondos
Treauon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de cores ; magniQcos desenhos, de gosto modernissimo.
ANTOINETA


(Mi-rafa.
Cuam,panha a mellior do mercado vinda do Cravo muito novo 500.
ti ,ssa encommenda a Z0$ o gigo. : Cominho idem a 320.
dem mais baixa de 18# a 200 e 10500 e. Ervadoce idem a 400.
3.3 a garrafa. Alfazema flor a 240.
Licores portuguezes e fraocezes a 1^000 e Araendoas a 400 a libra.
1 >300 a garrafa. Nozes muito novos a 160 a Fibra.
Marrasquino de Zara, verdadeiroa 10500 Papelgreve-a 4-5200 a resma.
garrafa,
dem, mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
Genebra de laranja veriadeira a 110 a du-
7.! 1 e 10 o frasco.
Idem de Hollanda verdadeira a 60 a fras-
quera e 600 o frasco.
Idem de Hambar^o a 55500 a frasqueira.
Idem em boligas de Hollanda a 400 e 440 'tos .de denles,-maco, grande, a i
rs o frasco lt>U carta um.
Garrafes com genebra de Hollanda com 24\FuJ?1.!lmJe5caJQi)llle. ?*ild!L!25?!S
gurrafas a 85. com garrafo.
dem lizo a 40000.
dem de pezo a 30000.
dem de embrulho marca grande a 10200 e
10JU.
dem azul para botica a 20000,
Copos lapidados a UoOtt 500 cada'um.
ilitos de dente
I lia cada um.
jmo americano
qualidade a 10506 atibea, em poro-Her
N. ll~Rua do QueimadoN. 11
LOJA DE FA^NDAS DE
'LA-ugu&lo Frederico dos Santos
.
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilbo e gosln. a
reantique ou grosdenaples. Barras e laro bordados a f. oco e vidrlhos, sen uepeae-
rem de modista para os fazer, visto trazerem o corte debutado.
dem com 14 a 15 garrafas a-60.
77
abatimento.
't
HkH
Saccas grandes com 100 libras de Carello superior
sacca.
Farinna.
Vndese faiinha de mniioca mnito nDva,.sac
eos grandes a 43 : b arjnazem de tarinha da pon
te nova dos Sr?. Tasso Irmos, para porcoes.
ra da Ma.'.: de Dos os. e 9.
na
Potassa da
i
mnito nova e superior : vende-se no eMriplorio
de Manoel Ignacio de Oiiveira & FMo, largo .o
Corpo pagto n. 19
Porto.
- Cbegou a este estabelecimeato um grande sortimento de cortinados bordados para
i- camas fazenda de muito gosto. '
Oales de guip, mailo linos para 243, 253'e 303. .
Col xas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
"- 3 : Colxa- de Ja e sela para cama tambera de booilas.core.
Rotou'les de guip eufeitados ora o.melhor gosto.
Setim de ftirisfetta fazenda e de*oitas cores pan vestido ft'JOOrs. o eovio.
Moureautique branco e preto, grodeuape prtto e e cores, pannos pretor de todas
as qualidades, ditos azues. -
Casemira preta e-de cores, menino preto, silistrina, bombazioas, alpacas pretas, e
laa preu para lulos.
.Matas, saceos e boleas de tapete, verniz e conro de 43 a tl-3-
lirias de linho de cores finos a 13800 a vara. .'
Chapeos e chapeunas de palha de IiaHa para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, dbapos de sol ~4e -Seda, es(?oio dn linho, cambraia d-? linho, hrta-
nhas, silesias e muitas futras fazenda que te veadera pircoramodos precos assira cerno
tambem I
Esteiras da India pa* forrar salas ?
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descarocar
elgodo : na ra da Senzala nova n. 42.
Cutanla. Baha saperior
Tem para veMfeFIMIbfit Lfllt* le Azevedo &
a,'no seu eeertptorio ma Ua Crur n. 1.
Vende-se pma machina de costura por menos
de sen cusi, cora pouco uso : na ra Nova n. SO,
segundo andar. i
oxlrr.
Vende-se Mrt-'eflentrf fava |Joxiry; na ra da Cruz
n. 23, andar, '^scriptorle.
I I )l| II I l I ~-... ifc ,1 il I I
Ferros para ea;'ommar.
Vendem-se caixinhas eontead* o mal empelo
sorlimeto de ferros para engommar, encrespar ba-
badoypafos e.tuda^ xonpa.de senhora.
Verdadeira agua de Vichi.
Vende-se a verdadeira agua de Vicby, era gar-
rafas ; na ra d Cruz n. 23, Io andar, escriptorio.
Glac-royal, em pecas com listras de seda prmoramente bordadas oo matisadas.
fazenda inteiramentc no>a de bonito elfeito, para partidas, soirs, theatros, pasMios. etc.
DOIJBLE CAPAS
e S0BRETUD0S de panno mesclado (impermiavel) viudo no ultimo vapor
De um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATAS, MANTAS
decores, muilo bonitos padroesa503 ri?k t
BONETS de pal ha Ticamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPEL1NAS
ENFEITES f
Costurnes de fuslao enfeitados para criticas
E innmeros objectos de moda recebidos directamente por todos os paquetea a
escoltados caprcbosamegte dos mais modernos gostos da Europa.
FAZENDAS l'AH % IIOEH.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, brms, *re-
casacas, palitos, calcas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, eic.
Gregorio Paes do Amaral & Gompanhia.


**** wmmmmmmwm
lumo da Bafeift'para
charutos.
imo superior de tod,as asqua- I
t lidades, i retalho e por atacado e ror i
Wt 'Ca'cii
Vende-s fumo superior de tocias as qua-
lidades, rtalho e por atacado e tor
commodo.; ,.no fiecUa roa da
Cacimba Milu (I ">b #U .1
9Tj Vende se a fabrica de .charutos do piteo do
Terco n. 2 : a tratar na mesraa com seu dono.
. Um
Vende-se o engenbo Jundiabv,
distante a eMade do Hatal; '
Grande do Norte, niaiBH i
Uvos, 20 bois e 20 bastas ;
totes de trra, propria para a asilara d>
mandioca, e mais dnas fazendas de |_
gi e Ceara-meirim, na mesan pravisda. cafa mea-
das se effecliatM prases, riFiHiiaJhi ana :
quera pretender dinja-se aquella prvida a Ka-
lar com Pabrcio & C
Vende-se un ngeabo perto dtsla
muilo boas Ierras excellente* anilla; a Ir
caes do Collegio n. 12.'

1


Ularlo de Pernambuco Quarfa 'e'ra 88 de
Agosto de
199*.
Grande liquidado a dinMro'
Na lojn e armazem do pavao.
Roa da imperatrlz n. IO de Ga-
ma tifc Uva.
Os donos deste estabelecimeDlo tem resolvido li-
quidar suas fazendas por precos baratsimos, s
com o lira de apurar dinlieiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala cora fazen-
das, que nesta loja e armatem enconlrarao um
grande sortimeMo por precos que muito lhes ho
de agradar, tamo em peca como a retalho, a
saber :
Canibraias de forro a 2$000.
Vendem-se pegas de cambraia branca para for-
ro a 25 : na loja*do Pavao ra da Imperatriz n.
60, de Gama 4 Silva.
JHoreantique branca
Vende-se superior moreantique branco para
vestidos de noiva a 25500 o covado, pechincha :
na loja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Percates com mofo.
Na loja do Pavo a 3C0 rs.
Vendem-se as mais finas p reales com lindlssi-
mas cores para vestidos de senhoras, tendo um
pequeo toque de mofo que larga lopo se lave e
liquida-se pelo baratsimo preco de :tfi0 rs. o co-
vado : isto s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Lazinkas a 200 rs o cov.ado.
Na loja do Pavo.
Vendem-se laazinlias transparentes para vesti-
dos sendo das cores mais modernas que tem vindo
ao mercado pelo baratsimo precode 200 rs., ditas
com palminhas de seda a 240 rs.: isto s para li-
quidar, assim como laazinhas mocambiques com
os mais bonitos padres a 240 rs. : Uto na loja do
Pavo na ra da Imperatriz n 60, de Gama &
Silva.
Vestidos indianos a '$
Vendem-se os mais lindos corles de vestidos in-
dianos tendo 7 1|2 varas capa corle sendo fazenda
transparente de uovosgosios que servem at para
bailes e partidas, vendem-se pelo baralissimo pre-
co de 35 cada um por terse comprado urna gran-
de porcao: na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, de Gama & Silva.
S*le uis para salas
Pechincha na ioja do Pavo.
Vende-se a mais fina silezia de algodao fazenda
inteiraraenle nova no mercado proprias para saias,
camisas e roupas para meninos sendo fazenda su-
perior ao madapolao francez e vende-se pelo bara-
to prego de 4.0 rs,a vara ou a 4U0 rs. sendo em
peca com cincuenta e (antas varas, isto grande
pechincha : na loja do Pavao ra da Imperatriz n,
60, de Gama & Silva.
Lencos de seda a\$
Vendem-se superiores lengos de seda para ho-
mens e senhoras a 15 : na loja do Pavao na ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Lencos brancas a ff,.
Vendem-se duzias de llneos brancos finos a 25,
ditos tinissimosa imltacio de linho com duas bar-
ras sendo ama de cordo e outra matizada fazen-
da que sempre se venden a 55 e lorra-se a 25400
a duzia : na loja do Pavao na ra da Imperatriz
u. 60, de Gama & Silva.
Os tsparilhos do Pavao
A 4& 5:) e Gfl.
Vendem-se os mais superiures espartilhos com
as competentes filas para apertar pelos barassi-
mos precos de 45, >o e 65 por ter chegado urna
grande porgao para a loja do Pavao: ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Cambraias de sal picos a 3$.
Vendem-se superiores cambraias francezas com
salpicos brancos e de cores tendo 8 1|2 varas cada
pega pelo barato prego do 35, ditas escocezas com
salpiquinhos minilinlios lola branca a 45 : na lo-
ja do Pavao na ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Tarta lana branca a 64" rs.
Vendi'-se larlatana liranca muito fina a 640 rs. a
vara, duas de ludas as cores a 800 rs. a vara, di-
ta:, de salpico a 15, dita lisa a 8U0 rs. a vara : na
loja do Pavo na ruad.i Imperatriz n. 60, de Ga-
ma (V Silva.
0 branatte do Pavo.
Vende-se sup-'rior bramante de linh) do mnlhor
que tem viudo ao mercado com 10 palmos de lar-
gura a 25600 a vara, panno de linho muito su-
perior para lences, toallias e semillas a 6i0 e
700 rs. a vara :" isto na loja do Pavao na ruada
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Percalas lisas do i'avo.
Vendem-se as mais lindas percales de urna s
cor a 400 rs. o covado : na loja do Pavo na ra
da Imperairiz n. 60, de Gama c Silva.
Meias para meninas a 2,500
Vendem-se meias para meninas de lodos os ta- j
manhos a 25'0 rs. a duzia, ditas de seda preta
para senhoras a 8u0 rs. o par, ditas inglesas para
hoinem a '5 a duzia, isto na loja do Pavo na ra
di Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Corlinudos para amas.
Vendem-se ricos cortinados para camas pelo ba-
rato prego <1 115 o I'"'- Dos bordados muito ri-
cos a 245, colchas de l'uslo para cama a 55300 e
6* : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Tiras bordadas e culi emeios.
Vendem-se floissimas tiaai bordadas e ntre-
melos por prego barali.-simo, na loja do Pavo ra
d? Imperatriz n 60, de Gama & Silva.
Ctales a 3^500
Vendem-se chales de merino liso, tendo de todas
as cores e pretos, pelo baratsimo prego de 35300,
por baver graude porgo : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
ts bales do Pavo a 2o00, U e :i:>00
Vendem-se os melhores aloes de arcos ameri-
canos, sendo com 20 arcos a 25300. ditos com 2a
arcos a 35, ditos com 30 arcos a 35500, ditos para
meninas de lodos os lamanhos a 2;500 e 35, su-
periores baldes de bramante e murcelina com
cauda, sendo bastante grandes a 55, isto na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n 66, de Gama &
Silva-
As cainisiiihas do Pavo.
Mendem-se as mais modernas caraisinhas borda-
das com manguitos, para senhoras, sendo as mais
modernas que tem vindo ao mercado a 45500, di-
tas com manguitos, para acabar, a 15 ditas pre-
tas com manguitos para lulo a 15800 rs., mangui-
tos e golinhas pretas a 15, finissimas golinhas de
cambraia branca bordada a 500 rs., calcinhas para
menina a 640 rs., romeiras de fil e cambraia
branca bordada a 15600 : na loja do Pavo, rna
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cortes de percales.
Ricos cortes de percale cora barra, tendo o com-
petente casaveque a 85, ditos de la a Mara Pia a
65, ditos de cambraia transparente com barra
bordada a la a 25; isto se vende na loja do Pa-
vo, ra da.Imperatriz n, 60, de Gama & Silva.
Paletots pretos a 6?
Vendem-se superiores paletots saceos de panno
preto, boa fazenda, a 65 ; ditos sobre-casacos a
125, saperiores caigas de casimira de cor a 75 e
85, ditas pretas a 65, 75 e 85, paletots de meia
casimira a 55 e 65, ditos de casimira a 10, caigas
de meia casimira a 45 e 45500, ditas de brim
branco de linho e de cores, .coletes do todas as
qualidades. Todas estas obras se vendem por
prego muito era conta, s com o flra de aparar di-
uheiro : na loja do Pavao, ra da imperatriz n, 60,
de Gama & Silva.
Fazendas brancas ni loja do Patio
Vende-se ora grande sortlmenlo de raadapoloes,
chitas, algodaozinhos das melbores marcas, ga-
raolindo-sa vender mais barato do que em outra
qualquer parte, sendo a dinheiro a vista, na loja do
Pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Ricos chales pretos de renda.
Chegon pelo ultimo v.por francez um grande e
variado sortimento dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, tendo entre
elles mullos de pona redonda a imitarn de man-
teletes e niuitos com o centro de cor, e vende-se
por pregos mnito em conta por terem sido manda-
dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
vo, ra da Imperairu n. 60, de Gama & Silva.
Ilornouls de renda na loja do pavo.
Cbegaram os mais ricos bornouts de renda e se
vendem por baratissimos pregos: na loja e arma-
zem do pavo, rna da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
AGU* mm.
Colleiras de marropim, rom eascaveis
e sera lles.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
!ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
'. pospontadas e com eascaveis, ou sem elles
proprias para caes e futres bichinhos.
Pennas inglezas de ac e douradas.
No novo sortimento de *pennas de ac que
! a Aguia Branca acaba de receber, vieram
i tambem outras de metal dourado e bicos
mui bem acabados, e por essas boas e ne-
1 cessarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry & C, as recommendam aos
; entendedores i' apreciadores do bom, valen-
do mesmo a differeni;a que ha no proco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais duraveis na coniinuaco de escrever;
assim pois quem deltas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado Injo da Aguia Branca n. 8.
Franjas cora borlas c sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca receben um bello sorti-.
j ment de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do preco est
em relacao a largura : acham-se ellas a ven-
da na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia on curioso entreteni-
mento.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que das diversas pinturas dellas se formam
agradaseis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
diligencia. Os apreciadores dtrijam-se
ra do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeilos.
Bouitos eufeiles para senhoras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimenlo de enteites os mais
modernos e gostosinteiramente agradaveis,
e como seu lotivavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de la para senhoras.
i Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Data mosca.
Na loja da Aguia Branca aclia-se a venda
o papel com coniponcao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
! effeito efficaz : molba-se o papel e deixa se
ficdr n'um prato, e nelle pousando as mos-
; cas, entristerem e morrem. Custa cada fo-
Iha 40 ris: na rna do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Diversos brinqnedos e cntreteiiimento
para criancas.
A Aguia Branca na ra *do Queimado n.
8, recebeu diversos brinqnedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, bar/as e patos
elctricos, apparclhos dj metal, louga pinta-
da e porcelana dourada para almoo e jan-
tar e muitos ottlros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na ruado
Queimad luja da Aguia Branca n. 8.
Meias pretas de seda para senhoras a
500 ris o par.
A Aguia Bianca quer acabar com a por-
go de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior prego que Ihe ais-
laran e o bom estado em que anda esto,
comtudo est resolvida a vende-las a kO
ris o par, aOm de que ninguem mais calce
meias pretas de algodao, agora pois apro-
veitarem a qtiadra e dirigirem- e ra do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam-
bem vender as brancas a 15 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
Vendem-se saceos de farelo muito grandes a
45 cada um : no pateo do Hospital n. 20.
MACHINAS UEPATGNT
de
para
trabalhar njo
desearocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
Mftftl
Estas mach'na
podemdescKrogar
qualqner especit
^,.de algodao seu
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pdt
descarogar urna
arroba de algo-
dao em earocv
em 40 minutos,
ou 18 arroba:
pordiaoa 5 ar-
robas de algodap
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de algodao
limpo, por dia; e motores pira mover urna, duas,
eulDs dessas machinas.
O mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis dest&s machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-lo, no arma-
zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sannders Brothers &C.
IV. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
JLa fina para bordar.
Na loja de miudezas rna do Queimado
n. 16, vende-se la fina, de vivas e agrada-
veis cores, to propria para bordados como
para touquinhas, sapatinl.os, etc. : quem
pretender dirigir-se a dita loja na ra do
Queimado n. 16.
Franjas largas para cortinados
Na loja de miudezas ra do Queimad
n. 16, encontraro os pretendentes um v*
riado sortimento de bonitas franjas largas
para cortinados, cobertas, toalhas, etc., cu-
jos pregos nao desagradarlo ao comprador
que atlender a largura e quaiidade de ditas.
Pennas douradas.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu essas novissimas pennas de
metal dourado, cuja excellente quaiidade e
perfeicao dos bicos as tornam mais durado-
ras no exercicio da escripia, pelo que os
seus acreditados fabricantes Perry & C, as
recommendam aos apreciadores do bom.
Tambem se encontram outras pennas de
ac de differentes cualidades e dos mesmos
fabricantes. tudo na ra do Queimado lo-
ja de miudezas n. 16.
Enfcites novos e t onitos.
A loja de miudezas ra do Queimado n.
16, recebeu novos e bonitos enfeites, obra
moderna e de gosto, e os est venciendo por
pregos commodos, variando estes a vista
das differentes qualidades, sempre agrada-
veis aos apreciadores do bom.
.Helas braneas ernas e de cOres
para criancas de a 18 mezes
Na ra do Queimado, loja de miudezas n.
16, vendem-fc por pregos razoaveis avista
das qualidades, meias brancas cruas e de
cores para criangas ; assim como outras
para senhoras, e cruas para homens
Papel pardo lo I ha grande.
Esse papel pardo que por sua boa quaii-
dade e grande tamanho da folha, serve bem
para embrulhar cortes de fazendas, corlar
moldes de vestidos, etc. : acha-se a venda
na ra do Queimado lo;a de miudezas n. 16.
Barato para acabar.
Caixinhas com 4 papis de agulhas france-
zas, limpas a 150 ris cada urna.
Paos de pomada franceza, a 80 res um.
Duzias de sabonetes de cheiro a H e 1200
a duzia.
Carloes de linhas brancas e de cores, a 20
ris cada pm.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melbor quaiidade a
iSalata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Novon.8.
Rival sem segundo
Rna do Queimado ns. 49 e 55, loja de
miudezas de tres portas, est qoei-
mando todo boro e barato, quem qui-
zer ver e admirar venham loja do
Bigodinho.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a600rs.
Grozas de botfies de lonca prateados fazenda mo-
derna a 160 rs.
Duzias de penna de ago fazenda boa a 40 rs.
pecas de tranca de laa lisas e de todas cores a
I 40 rs.
Escovas finissimas para limpar dentes a 240 e
320 rs.
Pulceiras de contas para senhoras a 500 rs.
Pegas de lita de cs estreitas cora 10 varas a
. 320 rs.
i Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinteiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
I Pecas de curdo para vestidos, fazenda boa a
I 20 rs.
Baralhos muito linos para voliarete a 200 e
240 rs.
Frascos com agoa de Florida a 15 e 15280.
Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 2.
Frascos com banha,- porm pequeos a 200 e
240 rs.
Latas eom superior banha a 200 rs.
Frascos de macag perula muito lino a 200 rs.
Frascos e garraliubas cora agua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
, 640 rs.
, Francos com superior oleo de baboza a 400 e
; 500 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
I 15400.
Sabooeies pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
j 320 rs.
Dnzia de sabonetes pequeos com ebeiro a 700 rs.
Agua dentifice superior quaiidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias santal e outros a
' 15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de lodos os pregos a 160, 200,
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muito finas para senhora a
! 45800.
Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
Duzias de colheres de metal para cb a 800 rs.
Ditas dila dito para sopa, fazenda boa a 15600.
Pegas de fita de la para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Caixas de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
Muecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para caiga a
100 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 200 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a 15500,15800, 25 e 25500.
Frascos cora superior oleo babosa a 320 rs.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35500.
Resmas de papel de peso pautado a 25800 e 45500
L IC\S, VIDROS E
B
A loja de louga da ra do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como lougas de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e oslo moderno, ricos appare-
lhos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de todas as qualidades, inclusive nissimo
chrystal, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, figuras e outros muitos objectos de fi-
nissiraa porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, etc., guarnigoes de linissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaletes, tudo do melhor gosio, pinhas de louga e
vasos para jardim, candieros de lamparinas para
gaz, globos e chamineis de vidro, bocraes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior quaiidade, e muilos outros artigos que
seria enfadonho mencionar, ludo por pregos mui-
issimcs razoaveis.
RIVAL
SEM &EtilI*Tl0
Rna do CKueliuado ns. 49 e &t>.
Contina a vender todas as miudezas que abair.o
declara por pregos admiraveis.
Massos de palitos lixados para dentes a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200, 240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de hnlia frota para burdado a 20 e 60 tu
Mabado do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
Grozas de pennas de ago, fazenda superior aoOOrs.
Grozas de botoes madreperola finos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do ga a 700 r;.
Caixas com superiores bralas de cola a 40 e 80 r j.
Pegas de fila branca elstica mm 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para eulcitcs de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 r?.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
I,uros para assentos de roupa lavada a 100rs.
Pares de botoes para punbo, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 15.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de snalos de tranca e tapete a 15500.
Pares de sapalos de iranga para meninos a 15 *
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de liia sorlidasde bonitas cures a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almacn a 25400 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e lo.
Duzias de tesouras com toque de femigem i,
600 rs.
Duzias de facas e garfos de cabo prcto a 35000.
Talheres muito fino para changas a 240 rs.
Deaoppareceu ha U das d easa 4 seo -
nhor urna preta dr nago An*iro, de non Mar,
idadf, i-uuco mais uu meos, SO ano, aliara r
guiar, lem una dor prxima a 1 m 1 <-a d ;m
dos bracos, que aparrando-s* Btttr, rita M**,
levou vestido de riseso braaeocoa ciuvrsr..- ir
xos, saia de algodaozinho, camisa da merwt (zu-
da : rogase a pes.-oa 011 autoridad- rjn< a |
acnnduzaa' ra de Santa Ocilia n. 18. ,pi- itu
sera' gratificado gt-nerosamenle.
No dia 16 do corren' fngio um tMi'Bia mw-
lalinho do nome Francisco, de MM c- ; 1 h,m
pouco mais 00 menos, estatura baixa, r r,
gado, roa largo, tem um denle de n ai*
de cima lornando-se alguna Man -.1 : :
um signal em urna das orcinas. Ir 4 *
raiga de, algodao riscado, e foi sem riMfi m
do as chaves do estabelecimento da re -- u n
Rosario n. 43, este eserav. .' nalur..:
Flores : quem o pegar e levar ao m
Iccimento ser generosamente rerofi
% len
MMDADE
A 1# I#'0<> e iO0.
1 Leques de osso, ultimo gosto, a 15-
Ceroulas de meia a 15200.
Dulas muitn finas a 15500.
S na ra da Cadeia do Recife n.[5
bTnoclos7
! Na ra Nova n. 50 tem binculos grandes (cha-
mado Marine) que alcanga muito longe, das me-
lhores qualidades que nunca tem vindo ao merca-
do, propnos para os senhores offlciaes da armada
que lera de seguir para o sul._______________
Vendem-se no engenho Meguahipe de baix)
dous animaes de roda, sendo urna besta e uu
quarlo castrado.
Vende-se urna ptima escrava moga de boa
figura : a tratar na ra da Cadeia n. 40, loja de
i relojoelro.___________________________
Yendem-sc 16 escravas entre ellas algumas
que sabem cosinhar, engommar e fazej todo o mais
servigo de urna casa, e 8 escravos para servigo da
praga e do malto; na na das Cruzes'n. 18.
Acha-se
venda na livraria acadmica, na ra do Impera-
dor ; na do Sr. Nogueira, junto ao arco de Santo
Antonio ; e na typographia imparcial, na ra es-
trella do Rosario a compilagao de toda a legislago
tendente administrago, arrecadagao e tiscali-
sago dos dinheiros de orphSos defuntos e ausen-
tes, herancas Jacentes, legados, ele, cootendo nao
s o regiment de custas e a lei geral das execu-
g5es, como tambem todas as ordens e avisos do
goveroo, que a tudo tem explicado, tanto a respei-
lo das obrigagoes inherentes ao cargo dos differen-
tes empregados de ju?tiga e faztnda, como dos di-
reitos nacionaes e emolumentos que siin devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papei, e prestando-se a utilidade
de dilfcrenies classes, lorna-se recommcudavel.
Sen cusi 105009 por cada exemplar em dous
tomos.
ESCBAYGS FMDO
Acham-se fgidos os teraros -rcinme : l:-nto,
mulato, iilade de 25 annos, cabello* anillad. -. -tm
barba, dentes um pouco limad*.-, cero il< i<>rp,
lisia larga, e f..II um Maco orai i. ..*,
crioulo.j um ii.ucu veiho, ahora rrfmlar,
cabelludo, barba nm aiguns MkrlhM : r.i -
sim como na cabega, corpo MlfBi MMI asi
tanto pequeos, falla gm-sa c as \
ronco, pede-se as autoridades p< i; ra-
pitaes de campo qne as fagam tpprtt r 1
duzi-losa' casa de seu seohor o maj"i \i.hnu> as
Silva Gusmao, que generosamente r.-<- apaMM,
e lhes pagara toda despeza que liz r. 1 ., g
conduccao : SBpp5e-M que elles 1 1
gnimeiiio il.is senoM desla provincia, p.r -rr-m
filhos Mam lugares.
Fugio no dia 6 de agosto n *cravo rn ak>-
dn nome Tiberio, jdade de 20 a 2*i 11 ra
halza e com falla de um do- dente-
escravn do Sr. Framiseo de All.11
nhoCavalranti : qm-m npegar aa <''- ifl
ca, queira dirigir se a run da a
33, loja de Valle Porta 4 C, que an fv Bisa-
sado.
avaado
Francez barrica 55000
Portland idem 85500
Em perfeito estado:
1 Francez barrica 105000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do|Apollo
No dia 12 do correte inez de agosto ausen-
tou-sc da casa do rommendador Jos Pires Ferrei-
ra, rna da Imperatriz n. 62, nm mulatinho seu es-
i cravo, de nome Ignacio, que diz ser filho da preta
Delphina, moradora em Camaru', o qual tem os
I signae- seguinles : baixo, grosso, cabellos anuda-
dos, idade de 12 a 13 anDOS, levou vestido camisi
branca de algodaozinho, caiga e jaquela de risca-
! dinho, tem una cicalriz na lesla, suppoe-se ter
1 sido levado para Caruaru'ououtro qualquer lugar
por um sertanejo : quem o pegar e levar a ra da
Imperatriz n. 62. ser bem recompensado.
Acha-se fgido de bordo da barca brasileira
Restawaco, o escravo crionlo de nome Antonio,
de idade 23 annos pouco mais ou menos, estatura
regular, sem barba, levou vestido camisa azul e
I caiga branca : quem o levar a bordo da dita barca
j ou ao escriptorio de Antonio Luiz deOliveira Aze-
' vedo & C, ser generosamente recompensado.
Fugio no da 16 de julho do r> rreot antr^
a muala Siizana, aquai lem o- .1
altura regular.corpo cario,rar c ,m,
cabellos corridos e bem aparados, car 1 .
ta estrella, olhos praatwa, nan/ 1 .1 : ai
grande, beicos linos, falta de aaalr*, mi emmm
e dedos curios, idade pouco mai^ ou 1 '1" 4-
nos, nalural do sertao, le\on
escura rom palmas brancas e panno
la stmpre riedo-se : pede-se a- aut> u- Ir* ,
ciacs, capilaes de camjo'n qnalqorr m 1
-outier leva la ao sen MBMV na irar> da Ind- p*a-
dencia loja de chapeos o. U e 16. ": .-*-
rosamente gratificado, ao mesnio pass qu--1
la ser contra qualquer que o tenia ar. ,tad.-,. ;..,,'
ha noticias que esta dentro mese a da ndMM o-
lada e se- assim m la pessoa que a va eotr-gar
do contrario sera puuida com iodo o rigor da le.
Ausentou-se no dia 2 do trrenle ao mri iia,
da casa da roa dn imperador o. 16, oprHo hdimna-
do, crionlo, ciieio do ci>rp<>, altura r>gnlar. reala
comprido, olhos pequeos p< uca baa, u-a aou-
?a e bigode, i.a.-tan' hdiao, nrare-ratt ter 25
annos, penco mais ou men. s, t jolga-e ler Vvir
caiga prela e camisa branca este erraro lo* roa>
prado ao Sr. coronel Calvar, do Untaba, para -
de se julga Icnha fgido, mas ha quem n r>ta>->
visto na Passagem da Magdalena, I!, medio* f '
zea; e como se desconfa qne c-n ja aer-rj.
protesta-s proceder contra qnm h
e pede-se a quem dellc der notiea M 0 ar -
que dirija-s* a -nhredita HM, 011 1
n. 13, que ser rnanMia
GitificpTio de'W)MH*>'
Fugio dos aliaixo assign:'.<
Janeiro do corran anw, o m craaa
nome JosotMB ossigmn KgnitiMs:
bra escuro, caMIn orapinho, -
sa, cheio do corpo, pt"s bjnjH i /
to as peinas quando anda, mtH
barbado, e lem tima cicatriz m \i-iv.- -t
nm lado do queixo, e outra in'm .
as nadegas, proveniente de surra anji es-
cravo compramos junto c m miro &< Sr.
capillo Silvino Guilheiirie de liarn-*. -ie
Sr. os havia comprado ao Sr. Joo t.; i r.l.
morador em Nazareth. Consla-no> <\w r-te
escravo lillio do Irejo da Madre de Deus
aonde cafado e tem filhos. tf:n! itie m- r-
rido ltimamente a mullier : pnTnnn r. ,>-
mos a odas as autoridades polu m.'s a >ua
captura, e a qonqner particular sejrraiifi-
car com a quantia de 1005 se o troinven
seus senhores nesta praga, na4a Impera-
triz, refinacao n. 40.
Luiz da Silva Ferreir 4 C:
DOS PREMIOS DA O. PARTE DA
3!
lia*! m"
LISTA GERAL.
28!
LOTERA, CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. 107, A BENEFICIO DA MATRIZ DA VICTORIA, EXTRAHIDA EM -2i DE AGOSTO DE ISO.-}.
NS. PBEMS.I N'S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
5 65 180 205 354 65 318 65 695 65
6 83 65 69 33 700 105
7 86 105 77 34 1 65
9 87 65 86 33 5
16 89 87 36 11 _
20 91 91 __ 37 14 __
22 405 98 93 41 21 1005
23 105 210 94 43 25 65
30 65 17 _ 98 48 26
34 18 __ 401 _ 51 28 _
35 21 2 ^ 55 31 _
39 27 3 _ 57 34 _
43 28 14 __ 62 36 __
45 31 15 _ 7 43 _
47 32 17 _ 68 ,. 44 105
49 34 18 205 70 55 65
50 39 20 65 74 57
56 43 23 76 58 ^^
58 48 24 105 77 62 _
59 m* 51 25 65 78 68 _
60 55 __ 28 83 72 _
67 105 57 __ 34 __ 85 77 _
69 65 60 405 35 _ 90 7 __
73 61 65 37 _ 91 105 83 _
75 70 39 __ 02 65 84 __
76 71 40 _ 95 86 105
83 73 41 96 88 65
85 75 ' 45 57 802
87 76 48 *0i 1 6 (^
97 *** 85 ~ 53 4 ^^ 13 ^
99 -~ 86 55 f" ' 18 ^a
100 87 56 12 ^p^ 19 __
6 89 63 13 _ 20 _
12 91 64 22 na- 23 105
14 92 " 65 26 105 28 65
16 -* 300 67 33 65 41 105
28 105 3 68 34 49 65
30 65 5 71 P _ 50
31 9 73 53
34 10 77 : 48 60
35 11 83 49 62
36 13 85 U 66
38 __ 14 86 ' 57 68
40 _ 20 90 60 74 205
57 _ 28 91 i- 68 83 105
61 29 98 69 86 205
63 _ 34 . 99 82 87 65
70 39 502 83 88
73 40 8 84 94
78 -^ 50 m 13 1005 91 93
65
NS. PREMS.
897 62
98 -
901 -
3 -
17 -
19 -
21
22
28 -
29 -
30
31 405
35
37
38
42
45
58
59
64
67
73
74
82
85
86
88
95
1003
8
9
20
29
35
36
37
38
42
45
49
60
61
205
65
105
65
205
70
75
77
82
85
87
93
105
65
NS. PREMS
1097 6
1101
2 -
8. -
9 -
12 -
15 -
20 -
22 -
23 -
25 -
33 -
39
45
46 -
47
49
51
53
54
58
60
62 -
64
66
69
71 -
73
78 -
7
84
85
87
96
97
98
99 -
1200
2 -
7
12
18 I <*
20
21
24
35
39
40
42
45
105
65
65
NS. PREMS.
1253 65
55
60
67
69
71
77
86
95
99
1306
10
11
13
14
15
19
29
32
34
37
42
53
57
58
62
65
67
68
77
81
85
87
99
1400
6
9
17
30
31
35
37
40
47
50
53
61
71
72
75
205
65
NS. PREMS. NS. PREMS.
1481 65
205
65
105
205
65
85
87
90
94
97
99
1509
10
11
16
17
31
34
36
37
38
44
50
51
54
55
57
62
69
70
71 n
72 ,-:
73 -
78
84
90 -
93 -
94 -
98 -
1601 -
14 -
15 -
16
17
23
24 -
29
30 -
35
36 -
42 -
44
-46 -
1650
52
55
57
64
69
70
74
77
80
86
87
91
94
97
98
1703
10
12
14
16
17
18
22
26
30
31
32
39
42
43'
46
51
52
53
57
58
59
63
65
67
68
69
82
83
88
91
99
1800
3
205
65
NS. PREMS.
1807 65
8
12
13
16
19
21
24
25
27
34
36
38
45
47
48
49
50
53
56
58
66
70
73 205
76 65
80 105
83 65
99
1900
14
18
19
22
26
28
35
38
39
40 6:0005
46 65
48 1005
51 5
85
56 m
60 305
66 65
67
71
72 4005
T3 5
105
NS. PRI IS.
1978
81
83
86
87
93
93
96
2008
10
14
18
20
22
27
28
29
33
34
33
38
40
42
43
44
46
30
51
53
54
60
62
64
68
70
74
86
88
90
96
2100
t
a
5
8
0
14
M
16
tt
405
65
NS.
2124
25
27
35
41
46
47
49
51
55
57
59
64
65
66
67
68
71
72
78
79
82
83
86
96
98
2200
1
2
8
12
16
18
20
24
31
39
47
54
60
61
63
65
66
72
78
92
93
95
PREMS.
65
105
405
65
1:2005
65
NS. PREMS.
2299 65
2303
6
7
8
12
17
25
26
28
30
32
34
37
40
43
44
48
53
57
64
68
69
71
72
76
81
82
87
88
89
91
93
99
2401
4
8
105
65
105
105
65
105
651 10
16
20
24
28
32
4*
47
52
5
A
63
65
405
65
1J05
105
,S05
65
105
NS.
2467
68
69
76
79
83
84
92
94
97
2303
6
13
16
18
20
23
26
28
31
40
43
44
46
51
54
38
66
70
74
77
86
92
93
96
99
2602
5
14
17
19
20
32
36
37
39
42
43
45
46
PREMS. NS. PREMS.
65
405
65
205
65
105
65
105
65
2648
36
39
67
68
71
73
74
76
78
83
86
88
91
93
%
97
2700
3
4
7
9
10
11
13
19
23
24
30
35
36
42
47
48
50
54
55
56
60
64
66
69
71
73
78
80
86
88
2804
0
65
NS. PREMS.
2811 t-5
105
65
205
65
105
65
12
16
19
28
30
41
50
33
60
6.1
7
75
80
83
84
86
90
95
105
6*
105
5
65
14
20
24
23
26
30
31
32
33
38
40
42
47
49
50
51
54
56
58
59
2
71
74
77
80
H
105
65

O escrivSo, Jos Pedro das Neves.
Vrn.Typ. de M. de F. Foria & Filho.1865.


Diarlo de rernambnfo Quara lelra t3 de Agosto de 198&.
JURISPRUDENCIA
O l'ormui.
S justo fazer a'.gons reparos sobre a inepcia,
desidia e malversago de june?, cumpre tarabem
apuntar a origen) desse cancro to prejudicial
administrado da justiga.
A causa principal, digamo-lo sem rebuco, o
nosso governo, a quera o paii deva lomar estrictas
coolis por nomeag<3es infelizes dictadas pelo patro-
nato individual ou pelo maldito espirito de par-
tido.
As nossas Faculdades de direito expedem cente-
nas de hachareis annualmonte. Entre el les con-
tam-se mogos de merec ment incontestavel. Ou-
tros, coitados I Responda por nos o documento
abaixo transcripto. Na ha duvida que as Facul-
dades tambem carrejan) cora o grande peccado de
concederem diplomas de capacidade aos que a n.io
teem.
Mas o que faz o governo com as informagoes re-
metidas por ellas reservadamente acerca do mri-
to de cada uin dos jovens lilhos de Minerva ? Faz
o mesmo que faz com as relacoes de conducta dos
magistrados, as quaes so servem de atulhar o ar-
chivo das secretarias. Alguma suspenso tempora-
ria de aproveilamento, em virtude de notas desa-
bonadoras, levantada pelo ministerio seguinte,
logo que as conveniencias polticas e particulares
aconselhamoesgMfC'nino do passado, e at dos pro-
prios tactos acontecidos na vespera.
Nao se vai cata do mrito no seu modesto re-
colhimento. Homens que nao sabem adular as po-
testades do dia, que nao teem desembarazo bas-
tante para solicitar importuna e opportuuameute,
exbibindo por nicos ttulos um masso precioso de
cartas de empenho, nao do esperanzas de pres-
tar-se a manejos e cabalas eleiloraes e partidis-
ticas.
Trata-se por exemplo de nomear um juiz muni-
cipal. O deputado do circulo em que est cncrava-
do o termo, ou algum outro influente encontra afi-
nal algum mancebo de prcstimo, si que j nao
o linna de olho : e o governo, serapre desejoso de
acertar, e de agradar a quera da votos, acolhe
pressuroso a escolha feita pelo representante im-
mediato da opinan publica. Munido de urna lista
de nomes conlendo pedidos numerosos dos amigos,
e nao poucas lembrangas espontaneas a respeito
de alguraas dedicacoes pesscaes com que conta pa-
ra fins polticos ou particulares, o governo vai fa-
zeado mimos com os cargos pblicos, esquecendo
a gente mais habilitada, pois que a seleccao, como
se v, elle a faz ao capricho das proprias e alheias
conveniencias.
E' certo que a mprensa j disse urnas verdades
muito duras contra algum candidato toga. Baa-
lidade I Quera vai atraz de calumnias impressas,
quando as conveniencias nao aconselhara que se
acredite nellas, como alias se Gnge crer n'outros
casos sem o mais 1-gero exame?
Tarabem exacto que o escolhido tem interes-
ses polticos enraizados na localidade, relacoes mui
extensas de familia que podem gravemente emba-
raca-lo. c Razo contraproducente, acudir o go-
verno, com essa facilidade extrema, que elle ten,
de adiar para tudo razoes plausivcis, emhora no
dia seguinte se mostr inchoerente. O magistra-
do familiar no seu districto tem mais intercsse na
boa administrado da jusliga. E si nao proceder
bem, existe o remedio... que desgragadamenle
cuega sempre tarde para os opprimdos.
Nao fallemos as qualiJades pessoaes. Depois
que se descobrio o grande segredo de se inverte-
rem, conforme o sabor de cada um, as ideas mais
claras, as nogoes mais simples e precisas, nao ha
aventureiro que nao se considere hornera sagaz,
nem madraco que nao seja refiuclido, nem atrevi-
do que nao so tenha era conta de enrgico, era tol?
que cao pareja raoueslo, nem pedante que nao me-
reja os foros de Ilustrado.
Nestas condigoes, qual o individuo em quem
nao se possam explorar perfegoes para os cargos
pblicos, embora lio espanosos como sao os da
magistratura ? E' o governo, sao as influencias que
ensinam o povo sophismur...
hombros empreza da regenerado, e pendo em segundo offlcfal, nico marinheiro que al tomou
seus eixos o desmantelado sysiema que nos rege ? passagem, leve a fortuna de salvar muitos passa-
... F- i gelros da primeira cmara, entre o (jases seacha-
_ ,. ....... I '8ni sele mulheres e quatro creangas, das qaaes
Carta (.ps.s verb.s et htteris) m que um hachare ama ,nha menos de ,res mezes_
in fieri pedia um emprego a certo presidente de
provincia.
t Illm. e Exm. Sr. Sou d'aquelles, cuja razio
vai para oude pende o corago, o como este era
mim se consagra intimamente devotado incor-1
ruptivel probidade, que se acha personificada era
V. Exc, ouso pretender que me nomeie para o
cargo de promotor publico de algumas das comar-1
cas da provincia que V. Exc. to dignamente ad-
ministra.
As outras duas embarcares forana laucadas
ao mar com muito custo, a grande nao contendo
menos de irinia e cinco passageiros, mais seis
homens da tripuladlo, dos quaes quatro passa-
ram para outra embarcarlo meaos- carregada,
deixando dois dos seus caraaradas, segundo o
que elles contraram, para goveruarem o leme do
lanchao.
Esta embarcagao afastou-se do theatro do nau-
Parece singular estemeo de que laogo mo, fra8i0 e no lornou a ser visla; a altima emt>"-
sem tera ventura de conhecer V. Exc, entretanto cacao, tendo um numero igual de marinheiros e
nao por isso que encontra aulorisago no con-
ceito, que inspira o carcter de V. Exc, distincto
de muitos outros, cuja reputagao, segundo a phrase
do Liv. da Sab., como a lanugem que pelo vendo
legada ; ou como a tenue espuma, que pela tem-
estivada d2 emigrantes, conseguio afastar-se d'aquel-
les que, tentando sallar para dentro, linham cni-
do ao mar e nadavam em redor.
Foi um milagro qne ella nao virasse, com os es-
forcos que os desgranados empregavam para se
pestade espalbada; ou como o fumo, que pelo me- metterem dentro d'estes frgil baixel, nica taboa
or sopro dissipado ; ou como a lembranca do de salvago que Ihes restava
hospede de um dia que logo passa, justificndose N'esle otervallo, o capillo, vendo que j nada
com o costume de que peaple love to day, hat poda fazer para salvar o navio, com o resto da
they bate to morrow. tripulago que se achava a borda (cerca de quioze
c Serei servido ? homens), mandou que laogassem ao mar todas as
t Sim, ou nao, permiltr-me-ha V. Exc. sgnfl- madeiras de sobrecellente, taboas e muitos outros
car, que me acho ainda em vesperas de receber o objectos fluctuantes.
grao de bacharel, que ha de ser, por assim dizer,
a chave, com que pretendo abrir as portas um
futuro mais real, que o caminho at hoje trilhado,
se os poidos gonzos, era que ellas estam assentes,
aiuda resislirem ao frgil tacto de um clavicularlo,
que alem do mais ja domina os flancos do Hymi-
nu.
Tudo isto fci amarrado, de modo que formava
urna especie de jangada, em cima da qual multas
vidas se podiam salvar.
Mal eslava construida esta jangada, os desgrana-
dos passageiros que ainda restavam a bordo, per-
deudo toda a presenta de espirito, atiraram-se-lhe
para cima em grande numero, seguidos de varios
e Na afrmativa pego licenga, para desejar, que marinheiros, enchendo o ar de gritos de dr e
se effeclue o obsequio da noraeago at o mez desesperagao.
d'octubro, alim de que eu possa tomar outro des-
tino,
t Alimento crengas polticas, que era ultima
analyse se traduzem no cmais sincero desejo e ne-
cessidade immediata de obedecer as leis e concor-
rer com a minha dedicago para a harmona ge-
ral da sociedade, observando como S. Paulo, que
no ha mais Jadeus nem Gregos; nao ha crcum-
cisos nem incircnmcisos; escravos nem livres,
porque todos nos no somos senao um em Jess I romper o fogo.
Christo, mxime quando se trata de administrar j Nesto momento, 130 a 150 emigrantes linham
justiga fra do que meu partido o do-medio | conseguido collocar-se sobre as madeiras, que es-
lavara ao longo do navio ; porra, muitos outros
Outros, a bordo, corriam como loucos, de popa
proa, e, penetrando na cmara grande, des-
truan) os movis, laucando ao mar os frag-
mentos.
A confasao, que ento reioava indiscrlptivel '
o ruido era tal, que o capitao no poda fazer-se
ouvir.
Isto passava-se cerca de meia hora depois qne
tulissimus ibis.
Tenho a honra de assignar-me &, & :
A' margera desta singular petico lia-se a se-
guinte nota a lapis.Requeira em termos.
I
Os leitores rlem-se ? Pois pelo geito que as
cousas levamneste bemaventurado paiz, no ser
debatiam-se na agua, quando, inesperadamente, o
cesto da gavea, com as suas vergas, etc., todo em
charamas, abatea sobre elles, matando muitos e
laceando ontros ao mar.
Os gritos daquelles que se afogavam e dos fer-
ele admirar que daqui a dous dias esteja arvorado dos eram de cortar a alma.
o missivista em presidente de provincia, deputado, As palavras no bastam para
ministro, grao cruz, &c yc
LITTERATBA.
dar ama idea do
Dorror da situago.
Os desgragados que estavam a bordo, chelos
de terror, rodeavam o capitao, assim como os ma-
rinheiros, agarrando-se-ihes, snppllcando se-lhes
que os salvassem f
E nada se poda fazer por elles I
Pouco depois, pensando que a sua nica salva-
gao era a jangada, para all se dirigirn), cahindo
uns agua e afogando-se; outros conseguirn)
UM POICO DE TUDO.
De jornaes da Europa colhemos os seguimos por-
menores de mais um drama horroroso, que teve
lugar no ocano com sacrificio de centenares de' cheRar a jangada, mas nem assim escapavam
victimas. negra sorte que os persegua, porque o mastro
Incendiou.se no mar o navio americano William Brande cahio sobie elles minutos depois, esmagan-
Nelson, que levava um grande numero de erai- do a ma,0r par,e"
grantes para os Estados Unidos. Koi entao *1U8 segando cominandnto e alguos
O capitao d'este navio acaba de redigr o sea noraens da ""'P0'3^0 se "raram ao mar, e como
relatorio acerca d'este drama martimo; destaca- erara boQ3 nadadores. dirigiram-se logo para as
mos d'esse documento os seguales trechos, -que | embarcagoes, que se achavara a pouca distancia do
sero lidos com urna penosa curiosidade.
O William Nelson parti de Aniuerpia, no 1." de
navio, sendo nellas recebidas oelos tripulantes.
Duas horas depois, abateu urna grande parte da
Ainda no ba muito que certo magistrado, nter-
viudo abertamente em eleiges, planejando e ac-
rogoando abusos, contra recommendagoes termi-
nantes e beneeas, teve a rara franqueza de cou-
fessar em documento escripto qoe hacia expettido
da tgreja os seus adversarios sem p* nem pedia.
Este facto foi levado rlciaimente ao conhecimen-
to do governo. ahi a pouco o prestante magistra-
do era premiado com o lugar de chefe do polica
da mesma provincia. O peior de tudo foi que elle
achou-se entao em mais cflicazes condigSes para
perseguir seus desaffectos; e o governo mandou
s favas todos aquelles que liveram a innocencia
de levantar um protesto de indignago contra os
actos arbitrarios. Podra no I si as circunstan-
cias polticas aconselhavam essa medida salva-
dora !
Agora o Inverso. Outro magistrado, digno a to.
dos os re=peito?, julgou do seu dever tomar urna
attitude enrgica, dentro da rbita da le, contra
fraudes eleitoraes e outros desmandos, prestando
sempre informagoes conscienciosas ao poder com-
petente. O brado imperioso da justiga fe-lo esque-
cer relagoes pessoaes e at consideragoes de-ordem
politica. Dah a pouco desencadeavam-se contra o
Junho, com um carregamento de carris de ferro, coberta e grande numero de emigrantes foram
vinho e outras fazendas, e cerca de 448 passagei-' precipitados na fornalha.
ros emigrantes e urna tripulago de 30 homens, in- J nao era possivel conservar-se a bordo, por-
cluindo o capitao.
O William Neltvn continuou a sua viagem sera
incidente algum notavel at ao dia 26, dia em que,
que as chammas, que sahiam daquella immensa
fornalha, causavam um calor suffocante.
Alguns passageiros atiraram se s ondas, sendo
na latitude 41 20' e longitude 32 20', reconhe- seguidos pelos marinheiros que restavam.
cendo que muitos dos emigrantes desde alguns i Tres des,es parece que se afogaram.
das se achavara atacados de febre fortissima, e! As cordas 1ue seguravam a jangada ao navio
receiando que essa doenga se tornasse contagiosa, frara (juemadas, e o vento afastou-a do seu posto
o capitao, s dez horas da manhaa. acautellou-s : levand corasigo maitos desgragados, agarrados as
pranchas ouestendides por cima della.
O capitao nada mais podendo fazer em pro de
tantos iufelizes, atirou-se ao mar, nadando em di-
recgo a duas embarcagoes que avista va a grande
distancia.
Depois de nadar por espago de tres quartos de
hora, assim como dous marinheiros qae o seguan),
foram vistos e reconhecidos pelos emigrantes, qae
com a maior bamanidade goveroaram para elles,
e, em risco de virarem a embarcagao, es recebe-
ram a bordo quasi completamente desfallecidos.
O capitao assumio o commando das duas em
barcagoes e governou logo era direegao ao navio,
para ver se, com as madeiras fluctuantes, era pos
sivel construir urna jangada para salvar aqnelles
que ainda sobrevivan). Porm nada se pode
fazer.
Todava ficaram junto do navio incendiado al
as tres horas da madrugada, momento em que o
navio foi a pique, arrastando comsigo o resto das
desditosas victimas.
ordenando ao tenenie e ao carpinteiro que fossem
chamar para cima da coberta todos os passageiros,
afira de se proceder furaigagao do navio.
Tendo .Ido executada esta ordera, o lenle e o
carpinteiro, acorapanhados de muitos marinheiros,
descerara segunda coberta, munidos de caldeiras
de alcatroede ferros era braza; a operago esta,
va quasi por concluir, quando pela volla do raeio
dia, a ultima caldeira de alcatro, por fatalidade,
inflamou-se sbitamente, e o alcatro, em estado
de ebuligo, espalhouse pelo pavimento no centro
do navio, queimando gravemente o carpinteiro e
o marinheiro que o ajudava.
Rjmpeu logo o fogo por varios pontos do navio.
A segunda coberta eslava n'esle momento, como
fcil de suppor, cheia de fumo, e o alcatro que
se entornara pelo pavimento, como ja' se disse,
introduzio-se, gragas aos balangos do navio, de-
baxo da cama de um dos emigrantes, ateou-lhe o
fogo, e as chammas communicarara-se instant-
neamente a todas as outras camas de proa e de r,
collocando os dois homens na impossibilidade de
tentarem um esforgo para apagar o incendio.
Antes mesmo de chegarera a' coberta, para dar
conta da triste noticia, ja' as chammas sabiam em
columna pela claraboia do centro, e lambendo a
misero juiz todas as iras dos que interessavam nos vela grande, snbiam ao longo do mastro quasi
abusos reprimidos. A propria imprensa que dan
tes o elevara s navens, vomitn injurias contra
elle. Foi precisa rauila resi.jnacao e firmeza para
que o distincto funecionario podesse r desengaan-
do seus desaffectos, apezar dos elementos offlciaes
que se Ihe oppozeram.
Mal retribuida, e sem garantas, a parte sa da
rxagistratura v-se exposta ao arbitrio do governo,
e at de agentes secundarios que no Ihe poupam
desfeitas e persegaigoes, pondo em verdadelro
martyrio (a exemplo do governo) as raras devota-
goes cvicas que s por raerc da Providencia,
ainda se encontram no paiz.
Outra parte da magistratura ( triste confessa-
lo I) acha-se ignobilmente avassalada s potestades
polticas e influencias de aldeia. A caridade chris-
ta e um resto de decoro que, apezar dos pozares,
aioda se deve guardar para no vermos inteira-
mente destruido o prestigio da autoridade, nos
impedem de confirmar cora exemplos vivos e nu-
merosos cada ama das proposigoes qae aventura-
mos.
Para dar ama justa idea do como se vai depre-
ciando o funecionalismo, com grave detrimento da
adminstrago da justiga, e de outros interesses
pblicos, sendo o governo a causa primordial des-
se estado vergonhoso, basta dizer que alguma no-
meago acertada hoje recebida como nm verda-
deiro milagre; assim como que raro o carcter
de boa tempera que no deseje por-se em cond-
goes de viver isempto dos empregos pblicos, to
barateados mediocri Jade o ao demerito.
E pode ama nago tao generosa, posto que mal
educada, ver impassivel a sua decadencia moral,
symbolisada pela decadencia do funecionalismo ?
J no ser tempo de se ir erguendo ama cruzada
poderosa que se esqueca nm pouco dos mesqninhos
arranjos de corrilhos, para ir, sem avangos verti-
ginoso?, mas com persistencia crescente, mettendo
com a rapidez do raio, e, apezar de todos os esfor-
gos da tripulago, as velas dos tres mastros esta-
vam inOammadas, assim como o apparelho.
O capitao deu logo ordem a nma parte da tri
pulago que preparasse as quatro lauchas para se
salvaren) tantos passageiros quantos n'ellas cou-
bessera, e aos outros que tapassem as escotlhas e
os veotiladores.
Tudo isto foi dito e feito, e logo em seguida,
urna enflada de homens, coraposta de marinhei-
ros e de emigrantes, foi collocada conveniente-
mente a' proa e a' r, formando cadeia, e der-
ramando baldes de agua na segunda coberta
pela claraboia grande, d'onde sabia a colamna de
fogo.
Ao posso qae isto se fazia, tambem comegava a
funecioaar a bomba.
At este momento, a disciplina e a boa ordem
mantinbam-se intactas.
Todava, o fogo fizera to rpidos progressos,
tanto na mastreago como por baixo da coberta,
qae o capitao julgou do sea dever mandar armar
immediataraeote as lanchas; mas ao fazer-se isto,
sobreveio nm pnico geral e todos os passageiros
atiraram se para cima das lanchas, cousa qae nin-
gaem poda impedir.
Urna das lauchas viroa-se logo que foi posta a
nado, pereeendo quasi todos os inexperientes que a
monta vam.
Os marinheiros, em numero de quatro, precipi-
tados na agua, conseguirn) todava virar-lbe a
quilha para baixo e exgota-la, no sem mallo Ira-
balbo e pergo, ainda paderam salvar algunas
das inelizes victimas ; mas emqa&nto se achava
amarrada ao longo do costado, outros em graodes
saltaran) dentro, e virou pela segunda vez; os ma-
rinheiros conseguirn) endreita la, e admttiram
tantos passageiros quantos ella poda conter; o
proprio capitao ajodou a arrear a lancha de r, e o
As embarcag5es afastaram-se na direegao de
norueste ; no havia a bordo urna pinga d'agua e
de comer; apenas duas ou tres gallinhas, um pato
e um porco que tinham sido salvos.
A Providencia quiz que durante esta catastro-
pbe no assoprasse vento rijo, quando no tolo
teriam perecido.
Os nufragos foram avistados e salvos s cinco
horas da manha pelo vapor Lafayette.
O commandante Docand, sendo informado que
ainda estavam no mar duas lanchas, navegou em
busca dellas, e ao anoitecer, approximando-se da
barca russiana Itmari, foi vista urna embarcagao
cujos tripolantes tinham sido salvos pelo dito
navio.
Com o consentimento do capitao da barca rus-
siana que ainda navegava naqoellas paragens, o
vapor Lafayette recebeu a seu bordo a tripolago
da terceira lancha, sommando ao lodo quarenta
duas pessoas, salvas em tres embarcagoes.
O Lafayette chegou no dia 6 de julho ao Havre,
onde desembarcaran) saos e salvos os nufragos.
No dia 11 do mesmo mez, chegou ao mesmo
porte viudo de Nova-York, o vapor Mercury,
trazendo quarenia e tres victimas do William
Nelson.
O dito vapor encontrou no seu caminho a quar-
ta embarcagao, contendo tnota e sete pessoas.
Porm o Mercury salvou mais alguns nufragos,
que anda sobrevivan) agarrados a-pedagos de ma-
deira.
Um mancebo foi encontrado navegando dentro
de ama pipa cortada ao meto.
A agua introduzia-se all sera eessar, porm o
naufrago servia-se do seu bonet para exgota-la.
Foi salva urna rapariga que, agarrada a urna ta-
boa. alevanlava a custo fra d'agua a cabega.
Entre as pessoas salvas, ha algumas cuja sorte
commove dolorosaoente.
Ha um rapaz que perdeu nesla catastrophe o
pia, a mal, cinco irraas e dous tios.
Esta familia tinha vendido ludo quanto possnia
para ir America.
Os nufragos do William Nelson sao subditos de
diversos estados, cujos cnsules foram a bordo do
Mercury.
Os do Lafayette, trazidos ao Havre esperavam
ainda encontrar all al, uns dos.seus amigos ou pa-
remos, esperanga que infelizmente se no realisou
para lodos.
Os passageiros salvos sao oltenta e cinco, o que
faz receiar que a totalidade dos morios seja de
trezentos e Irinia e sete I...
Enlre os quarenta e tres nufragos chegados ao
Havre, achara-se cinco mulheres e cinco creangas,
das quaes urna de quatorze dias, nascida a bordo,
de William Nelson.
Esta creanga, com sua rma de tres annos, so-
breviveu sua familia, que se achava a bordo :
Eis aqui a tocante historia d'este pequeo
Moyss :
Nos primelros instantes da catastrope, estas duas
creangas tinham sido depositadas pelos seus p-
rente n'uraa das embarcagoes recolhidas mais
larde pelo Lafayette; em seguida, os prenles qu-
zerara reunir-se-lhes a nado, mas afogaram-se.
O orphozinbo foi tratado com muito cannho
por urna rapariga de desenove aunos, que se acha'
va na embarcagao, e que desde ento no aban-
donou.
Os nufragos salvados pelo Mercury, pertencem
a differentes nacionalidades, havendo quatorze
snssos, e 11 allemes.
Segundo escrevem de S. Joo da Terra Nova,
thnta passageiros do navio William Nelson, foram
all desembarcados pelo Meteor, que fazia viagem
de Porto Rico para Queenstown.
Eis o que a este respeito se nos depara no jor-
nal inglez North British Matl:
O capilo Han, da barca Mateor, relata que em
28 de junho, s tres horas da madrugada, por um
tempo sereno, navegando em 41 58' de latitude
norte e 51 41' de longitude oeste, ouvio gritos
d'onde o vento assoprava.
Navegou n'essa direegao e pode salvar nove mu-
lheres e viote e um homens.
Fluctuavara os infelizes sobre objectos de roa-
deira, capoeiras, ele, mergulhados n'agua at
cintura e quasi ns.
Oilo das mulheres estavam abragadas ao mastro
grande.
A nona fluctuava sobre um fragmento de ma-
deira a urna distancia de duas milhas dos outros
nufragos.
Jalgaram-u'a mora a principio, mas pouco a
pouco conseguirain reanima-la.
Todos estes passageiros sao allemes.
N'esta horrivel situago puderam resistir dous
dias e duas noites, sem vveres e sem agua.
A Mateor conlinnou as suas pesquizas at s dez
horas da manba, poim apenas encontrou alguns
cadveres balougados pelas ondas.
Os nufragos salvados solfriam todos mais ou
menos de .jueiraaduras.
Disseram que no dia 27 passra perto d'elles
um navio americano que os apercebera sem duvi-
da, mas que continuara a sua derrota sem fazer
caso d'elles.
O capitilo Han, antes de abandonar o theatro da
catastrophe, vio um navio que pareca tambem dar
busca.
Esse navio era sem duvida o Lafayette ou o
Mercury.
O capitao nao tinha vveres sufQcientes para na-
vegar at um porto de Inglaterra cora 30 pessoas
alm da sua tripulago.
Considerando que se achava a 320 milhas ao sul
de S. Joo ( Terra Nova ), foi all desembarcar os
passageiros e continuou a sua viagem em a noite
de 30.
I"ni dos nufragos tinha perdido o00600, outro
300W00.
Um hornera de idade avangada, que pareca ser
artista, fallava de pintar o incendio do William
Nelson.
Tinha conseguido salvar urna avultada quanta
raellida n'um cimuro. _'
Os jornaes do Havre publicaran) o seguiote do-
cumento redigido por alguns dos nufragos do
mesmo navio.
Nos abaixo assgnados, emigrantes e desditosos
passageiros do navio americano William Nelson,
capitao Smith, sobre o qual embarcamos em An-
tuerpia de passagem para Nova-York, tendo sido
salvados pela vontade de Deus e gragas a humani-
dade do capitao Docand, commandante do vapor
Lafayette, e do capitao Stetson, do navio america-
no Mercury:
Sentimos a necessidade, no meio da dor que nos
opprime por tantos corapaoheiros de viagem per-
didos, de exprimir aos nossos salvadores o mais
profundo reconhecimento, e de dizer ao mesmo
tempo toda a verdade. Cumpre-nos por tanto de-
clarar formalmente :
Que a primeira vez que nos sentamos mesa de
bordo, foi-nos servido arroz queimado a um ponto
tal, que tivemos de o langar ao mar.
Que pouco depois o cosinheiro de borao foi affas-
tado da cosinha, sendo a comida cosinhada pelas
nossas mulheres.
Que quando se Gzeram queixas acerca da des-
tribuigo e insufficiencia das ragoes, alguns dos
nossos se encarregaram de organisar este ser-
vico.
Foram destribuidas 485 ragoes e meias ragoes o
que faz suppor que o numero dos passageiros era
de 510.
Urna lista feita por nos eleva esse numero a 531
e esse numero est de accordo com as listas feitas
em Antuerpia.
O numero das ragoes foi augmentado, mas a
cusa do seu volurae ou peso nunca nos foi mi-
nistrada sufflciente comida. Houve igual parci-
monia na destrlbuigo da agua e do caf.
O capitao tentou fazer assigoar a quatro dos nos-
sos compauheiros um papel, em que bavia carac-
teres impressos e outros manuscriptos ; como no
quizessem assigoar, foram a isso obrigados por
meio de ameagas. Conheceram depois qae a sua
assigoatura os obrigava a fazerem o servigo de
bordo. Por outras palavras, haviam assiguado o
rol da tripulago I
Acham-se aqui tres d'estes infelizes para teste-
munhar a verdade do qae avangamos.
O capilo falla o allemo.
Nao havia medico a bordo. '
Nenhum dos passageiros se achava doente.
Em 25 de Junho a Sra. Prinz teve um parto
feliz.
Nio era possivel pensar em construir nina Jan-
gada com as vergas, os mastros de sobrecellente e
as pranchas amarradas sobre a coberta, por que
faltavam para isso os instrumentos necessarios. O
nico machado do carpinteiro linha-se perdido.
Restava apenas o machado de Hermann d'Unler-
waldon, do qual serviam na cosinha, porn esse
vimo-lo nos as maos de um marinheiro, quando
se eslava arreando urna lancha ao mar, e os emi-
grantes no puderam fazer uso d'elle.
Os marinheiros que tripulavam as embarcagSes,
affastaram com pancadas e desapiedadamente os
infelizes que se aproxima vam das suas lanchas.
Citaremos ainda um facto antes de concluir,
cheios de confianga na justiga de Deus.
Urna canoa levava a reboque a chalupa, dentro
da qual se achavam cinco marinheiros; foi collo-
car-se ao longo d'esta, que recebeu ireze emigran-
tes, ao passo que os cinco marinheiros se metterara
na canoa; alliviada assim, a canoa affastoa-se, di-
zendo aos que se achavam na chalupa desampara-
dos ; vamos em busca d'agua e de vveres I
A canoa foi salva pelo Lafayette, segundo depois
soubemos ; a chalupa foi recolhida pelo Mer-
cury.
Honra seja feita aos commandantes d'esies dons
barcos a vapor.
Feito e assignado para ser entregue aos nossos
cnsules.
Havre, 12 de julho de 1863.
( Seguem se 42 assignaturas legalisadf.s pelos
cnsules. )
Dirgindo-se o marquez X----para Madrid com
sua esposa, paron a diligencia (carraagem) em um
povoado para os passageiros passarem a noite era
urna estalagem que ahi havia.
No dia seguinte ergueo se o marquez e dse jan-
do saber o que havia de novo no povoado, dirigi-
se ao dono da estalagem e perguntou-lhe :
Que temos t
O estalajadeiro pensando que o marque;: queria
saber o que havia para o al mogo, responde j logo :
O Sr. marquez tera cabega de porco, e a se-
nhora marqueza, se Ihe agradar, tem urna lingua
de palmo e meio.
Obrgado pelo elogio, respondeu o inarqnez
relirando-se tranquillamente.
i a a ii
O numero de jornaes que se publicara era Pars
de816; assim o deraonsta urna curiosa eslatis-
tica que, em 28 de junho passado, publicaran) os
Srs. Sebullz e Thullier, livreiros daquella ci-
dade.
O numero de peridicos de varios asso raptos e
formatos publicados em Pars tem cresc do pro-
gressivamente ha dez annos a esta parte.
Em 1854, Pars centava entre jornaes e revistas.
416 ; em 1862, 618 ; em 1863, 690 ; e em junho
de 1865, 816.
Para possuir todas estas publicagoes era mester
gastar uns trinta mil francos por anco iris
5:4005000).
O jornal mais antigo a Gazeta de Franca, que
data de 1830 ; e o mas dispendioso ou que cusa
mais caro o Jornal dos Debales ; o mais barato,
porque no cusa nada, a Gazeta dos Assig-
nantes.
O Gratis, ecco de mercados e vendas, ero contra-
dlcglo com o sou titulo, cust 30 traucos por anno
(55400).
Todas as profi rs um ou mais orgaos que os rpresente.
Veija o leitor a seguate tabella, em que o nu-
mero indica as folbas qae advogam as dilferentcs
causas:
Religio catholica, 60; religio protestante, 22'
religio israelita, 2 ; instruege, 20 ; jurispruden-
cia, 48 ; adminstrago, 16 ; poltica, 25 ; econo-
ma poltica, comraercio, etc. 48 ; scencias medi-
cas, 46 ; sciencias naturaes, physicas e mathema-
ticas, 28 ; agricultura e arle veteranaria, 30 ; hor-
ticultura e;arboricultura, 10; arte militar, 16 ; ma-
rinha e colonias 10 ; historia, geographia, arte he-
rldica, etc. 25 : bellas artes, pintara, esculptura,
msica, theatros e architectura, 67 j arcbeologia,
numismtica, objectos d'arte, caminhos de ferro,
puntes e calgadas, minas, 22 ; jornaes Qnanceiros,
cursos da bolsa, 19; technologia, sciencia valgari-
sada, 69 ; jornaes Iliterarios, 87 ; lornaes de da-
mas, de familias e da mocidade, 34 ; modas, obras
de senhoras, 45 ; caga, pesca e jogo, 14 ; livre ma-
gonaria, 4 ; espiritismo, 5 ; bibliographia 19.
Total dos jornaes impressos em Pars 816.
Ainda ha outros com differentes litulos, e que
se oceupam de algumas extravagantes especiali-
dades.
Um individuo que j tinha casado
sem que oenboma de suas noaerotat
vesse fallecido, rol preso e proe
crime.
Pertruntando-lhe o juiz senao
era permittido a nm hornera casar
lando viva primeira roulher ; r
Sei sim senhor.
Entao como cason seis veves,
todas estas mulheres ?
Ora, Sr. juiz responden o acensada
experimentando para ver se achara i
a qual podesse Arar ?
estaado viva*
9 "
O Internacional piola pelo modo segoii
gao de membros do futuro parlamento,
aia de Guidhall, em Londres :
O alderman e sherife Beslay soava
agua para reslabelecer o socego na
assembla.
Trabalho baldado.
Senhores, os qae qaizerem o Sr. fulaao levan
tem urna miu.
E lodo o mundo levantava as raio* oq os cha-
peos ; e tudo grita va : borran : horran '
< Senhores, os qae se oppoem a
mesmo candidato levaotem urna
E todo o mondo fazia o mesmo que j linna feito.
e tudo gritava : hurrab 1 e estalavatn farfala
das que faziam trever os vidros e eran eaawu de
demolir o edificio.
Por flm, foram proclamados eleitos do povo oa
Srs. Crawford, Goscbeo, bario de Rothscnild t n
alderman W. Lawrenee.
Phreneticos gritos de eolbasiasno acc
os futuros membros do fotoro parla rae ato.
No creio qae as suas dansas baebicas
ros e os faunos de ps de cabra tivesse
valisar com a < mob > de GuildnaH.
Certo padre de urna das naaerans mm dfe-
sideples inglezas pregava em nma reja, i
presente lord Aoglesey. De repente o |
ngio-se ao lord e exclaraou :
Supponnaraos, miiord, qoe esta j
aojo da hora derradeira tomn posse da
levou-a al s portas da morada celeste,
dos podem entrar no paraizo ; a porta i
est bem guardada.
Abr, exclama o aojo da morte qae ejnr en-
ter para vossa excedencia bom logar no cea,
abr.
Para entrar quem ? responde o gaarda do
co.
O nobre conde de Aog lesey.
O que era T
Amigo offlcial do daqoe de York.
Como tal, replica S. Pedro, nanela na aafea
lista.
Tambem foi director geral da artfear.
E' possivel, oas nao o eonfeeeo.
Duas vezes governou a Irlanda.
No digo que nao, mas ea deseaafenain a
facto.
Commandava a ea vallara ea Watarlaa.
Torno a dizer-lne qne o nao eoaneen.
Durante largos aaoos foi presideate de ama
associago de caridade.
Ab t exclama o apostlo, isso nava cana,
entre ; o seu nome esta por isso escripto aa nata
dos bem aventurados.
Era 26, quando o capilo mandou subir toda a
gente a coberta, ella tambem all se acbava, e pro-
cedeu-se s fumigagoes da segunda coberta por
mel do alcatro.
O fogo ateou-se e propagou-se com urna rapidez
assustadora na segunda coberta, as velas e na
mastreago.
D'esse momento em dlante, no ba penna que
possa descrever o que se passou.
Buscar agua foi a primeira idea que occorreu
aos passageiros; mas com elimitado numero de
baldes qoe havia, este meio era inefBcaz.
Os marinheiros e os passageiros Irataram de ar-
rear as lanchas ao mar. Os marinheiros salva-
ram-se quasi todos.
Meia hora oa tres quartos de hora depois de
romper o incendio, apenas restavam a bordo os
desgragados qoe linham procurado um abrigo so-
bre a goraps e a r do navio. |
E' do Sr. Hugolioo Giraldes esta poesa :
iieui.nisc enca,
O dia lindava ; por cima do monte
Co'a luz alquebrada sumia-se o sol;
A cor nacarada que leva na fronte
Nos lega as bellezas de mago arrebol.
E eu vi-te prostrada
De lnguido amor,
Da tarde aos perfumes,
Do dia ao rubor.
As horas se passam, de estrellas bordado
Da noite desiende-se o lmpido veo,
Sublime de encantos, de risos banhado,
Que a la desponta na extrema do co.
E eu vi-te formosa,
Qual nunca te vi,
Aos raios da la
Dispersos em ti.
De luz crepitantes, accesos, em chammas
Os astros scentillam no ether azul,
No loldim-lhe o brilho, maucham-lhe at fUmmat
As auvens maneiras que correm do sal.
E ea vi de teus elhos
N'am lnguido olhar
Mais luz que a dos astros
Serena a brilhar.
E a noite caminba por entre os perfumes
Que as auras espalbam as gasas do ar,
E ouvem-se as lendas, e os termos queixumes,
Qae as oadas murmuram ao dorso do mar.
E entao n'um suspiro
Que o seio te arfoo.
Melbor harmona
Minh'alma escaln,
Mery. escriptor fraocez bem coaaaaan,
tata um dia em certa reonio qoe no nal
ca encontrado mulheres feitas.
Todas as mulheres sao aojos, dizia
ar de cooviego.
Urna senhora que eslava presente e qae
nariz muito chalo, o qoe sobremodo a
perguntoo-lhe gracejando.
E eu tambem serei aojo cora este nariz
disforme ?
Sera duvida, responden o escriptor, n
renga esta em que os ontros aojos canea d
em pe, e a senhora teve a infelicidad* de
com e nariz no chao.
Que risos, qae amores, qoe sonnos se agitara
Ao meigo aitraciivo de laes sensagoes I..
Dilatam-se os peitos, e os gosos palpilam
as fibras latentes a mil coragoes.
E eu vi que oppnmias
Debaixo da mao,
Ten eolio offegante
De doce emogo.
E tudo era bello de amor e perlume
Na trra, nos mares, nos eos e no ar,
Minh'alma somente tactea sem lame
Perdida as sombras de vago sclsmar.
E' que ea j no va
Tea resto de flor,
Cercado de aromas,
. De luz e de amor.
i rl FALLAXOa A SEC FU.*..
III
Meu filbo, no te Oes as riquezas ioiqoas, aa
digas : eu lenbo bastante de qoe viver ; parmm de
nada le aproveitar isto no da da viagaazjn n da
oscuridad e.
No le dones ir oa toa fortaleza a pos as amos
desejos do leu coracao, e no digas : Qae peder
no lem sido o meu ?
Oa qaem poJera sojeilar-me a dar Ihe coala da*
minhas aegoes ? porque Deas certameau se vaga-
ra dellas.
No digas : Eu peqoei, e qne mal me ata dato "
Porque o Altissirao, aioda ana joaida jaa-
ceiro.
No estejas sera temor da ofensa, qae to M m-
mettida, e nao ajumes peccados sobro pateados. /
E nao digas : A misericordia do Seafeor i i
de, elle se compadecer da moliido i asas
cados.
Porque a misericordia e a ira esto aa aa
sencia muito peno urna da entra, elle olna
os peccadores na sua ira.
No lardes em le converter ao Seafeor, a
difflras de dia era dia : porqa* vira da i
a sua ira, e no tempo da viogaaca te |
Nao te embaraces pelas riquezas injustas ;
que ellas no le aproveilarao no dia i
e da vioganca.
No andes por todos os eamiobos, parpo,
que todo o peceador se d a con hacer
cidade da sua lingua.
S Arme do caminho do Seafeor, i
dos leas sentimenlos, e na toa scioacia,
a josiga de acomoanne sempre.
Guarda as minbas expresases e escam
de ti os meus preceitos.
Observa os meus mandameotos o vivirs : a
conserva a minha le como a meniaa da toa oan:
traze-a atada aos teas dedos, escreve-a ano toaos*
do tea corago.
Dize sabedoria, tu' s minha rma, e efeaan i
prudencia a loa amiga, para qoe to ana da ma-
Iner que adoca as suas palavras, o anda amada
para cacar as almas.
No oueas os seos longos diaran, peraao a
arrastar com as lisonjas dos sean totees, o lo ava-
ra como bol ao sacrifleio, como eordetro aat vai
sallando, e como o nesetoqne ignora qao d i
do para orna prise.
Est ltenlo, moa filno, s palavras da i
bocea.
Nao te deize levar o ten espirito a fe* pal
minbos desta mulber, ana lo to deixes i
suas verdades : porque n i
e os mais fortes por ella foran
Caminhos do Inferno san n m
tram al as entraibas da morte
D-me o ten corago e acalla a i
PERNAMBUC.- H P. D H. F. M F. TsUO
/
'
)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQHP56VR0_0SEPL1 INGEST_TIME 2013-08-27T22:29:42Z PACKAGE AA00011611_10749
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES