Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10748


This item is only available as the following downloads:


Full Text
aho ni mmu m

P%r qitrtel pago dentro de fO das do 1, mez t 51000
dem depois des 1.* 10 dias do comecoe dentro do fiirttJ. 61000
Porte aoeorreio por tres nem............j *750
TERCA FEIRA 22 DE AGOSTO DE 1865.
Por auno pago dentro de 10 dias do 1. mez
Porte ao correio por um anno.......
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyha. o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marque* da Silva; Aracaty, o
Sr. A. dbanos Braga; Cear, oSr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Har, os Srs. Geraldo Antonio Alves &
Filhos 5 Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gaspariuho. I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estafes da va frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Buique, S. Bento. Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqoeira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
>
1SHf
Sennhem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do cotnraercio : segundas e quintas.
Relago tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Prinjaira vara do civel: tergas e sextas ao meio
di*.
Segtfeda vara do cive!: qnartas s sabbadas a 1
boj da tarde.
PHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 Loa ebeia as 3 h., 9 m. e 34 s. da ra.
13 Qoarto ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 Loa nova as 4 h., 57 ra. e 34 s. da m.
29 Qoarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
21. Segunda. S. Joanna Francisca Romana v.
>. Terca. S. F^hridaoo m.; S Anttiuza m.
23. Quarla. S. Felippe Benlcio; S. Daviua.
24. Quinta. S. Bartholomeo ap.; S urea v. m
25. Sexta. S. Luiz rei deFraoga; S. Patricia v
20. Sabbado. S. Zeferiuo m.; S. Adriana m.
27. Domingo. S. Jos de Calazans fundador.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 m. da manhaa.
Segunda as o horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ni at Al?* a 14 # 30; para o norTt
ata a Granja a 7 a 22 Je cada mez; para Fersas-
do nos dias 14 dos mi de Janeiro, Dar;--., ma:>,
julho, setembro i novembro.
ASSIGNA-SF.
no Recife, na livraria da praga da lnde;>fnnee
ns. 6 e 8, dos proprielarios Maoo'el Figoeiroa i
Faria & Filbo.
AL
Dito ao cnsul interino do Grao Ducado de 01-
demburgo, Theodoro Jnst.Tendo lancado o-cum-
praseno exequtur imperial, que devolvo, con-
firmando a nomeagao do Sr. Theodoro Just pra
cnsul Interino do Grao Ducado de 0demburgo
nesla provincia, cabe assiui responder ao ofBcio do publico, e do coslume.
60Y9R10 DA PSOWeU
Cunliouaco do expediente do dia 17 de agoslo
de IMW.
Offlcio ao juiz municipal de Cabrob.Em res-
posta aos offlcios desse juizo de 26 de dezembro de
1863 e 4 e lo de ferereiro de 1864, e de cooformlda-
de com o que foi declarado por aviso do ministerio
da justica de 29 de maio ultimo, determino a Vine,
que mande abrir concurso a serventa vitalicia dos
ofhVIos de tabellio e escrivo desse termo pela
forma estabelecida no decreto de 30 de jeneiro de
1834, devendo o pruneiro dos tabellies do publico
judicial e notas servir de escrivo de orphos resi-
dios e capellas e o segundo de escrivo execuees
civeis e crimes: o que Vmc. consignar no edital,
assim como desde quando se acham vagos, por
quem eram interinamente exercidos, e o mais que vico de destacamento para que eslava designado o
preceitua o aviso circular de 2o de oulubro de guarda do batalho n. 46 de infamara do munid-
1861, junto por copia, cbservando-se por essa po de Agua-Preta Jos Caetano de Souza filho da
occasio o que dispoe o decreto 817 de 30 de agos- supplicante a quem serve de arrimo,
to de 1851 e do aviso n. 252 de 30 de dezembro de Por esta occasio recommendo a V. S. que, re-
1834, e enviando copia do edital ah publicado para metta quanto antes para esta capital os contio'"eu-
ser reproduzidos nos jornaes desta capital. tes que tem de dar os corpos da guarda nacional
Portara.O presidente da provincia, recommen- sob seu commando superior, vir.do em lugar da-
da a todas as autoridades, a quem esta fr apresen- quelle guarda oulro que nao tenha isenco a ale-
tada, que prestem lo-to o auxilio e coadjuvacao ao gar.
cidado Jos Muniz de Almeida, que se aeha auto- D.to ao coramandante do corpo de polica. Man-
mido para promover o alistamento de voluntarios de V. S. alistar no corpo sob seu commando os pai-
da l,atria- sanos Maooel Bessone de Mello, Jos Paulo de Ana-
nm _, ~~.} nias e Joi>o Ferreira Lima, visto que foram julga-
Offlcio ao Exra. presidente da provincia do Cea- dos aptos pafa isso em inspeegao de saude segn-
ra.No vapor Tocantms, que seguio para o norte,' >
os documentos exigidos por lei, dentro do refe-
rido praso, atim de serem inderecados ao governo
gerai.
E para que chegue a noticia a todos se mandou
passar o presente que ser afflxado no lugar mais
conla o bom senso que mais comraum do quo se
mesmo Sr. vice cnsul de 14 do correte.
Aproveito a occasio para apresentar ao Sr.
Theodoro Just os meus protestos de estima e dis-
tincta consideraco.
Dito ao commandaute superior de Nazareth.
Nao tendo o consellio d revista da guarda nacio-
nal desse municipio celebrado a sua reuoiao deste
anno, pelos motivos constantes de seu ofBcio, n.
207, de 8 do mez pascado, expeca V. S. as suas or-
dens para que se cumpra aquelle preceito da lei.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Barreiros e Agua-Preta.
Altendendo ao que representou Antonia Maria da
Conceico, no requerimento sobre que V. S. infor-
mou em 10 do corrente, resolv dispensar do ser-
postara e devam ser representadas na exposigo
K^n'^SrieKu^ --rsalquedeveverificar-se era ,aris no anuo
" oWSo portt nio ficou, e o gabinete quo esta- i f^S^^^lS^^S
E Fl. d r h M -d F ,. --=rVoTaS^
Eu Flix da Cunha Macedo Franga, escrivo o, poz uem se completou, e assim se apresenlar s
subscrevi. Joo Francisco da Silva Braga. corte*. Alli, diz-se. nao far tmestn roiniatM-ial it a-ic nht,r i
CoaCorme.TBalWi, da Cunha Macedo Franca, presidencia;, as cb^ {^FSSSS^mA t^SfSSffVSSiVt 2ffS
Villa de Barrare-, 4 de agosto de 1865.
Os mioistros da fazenda, da guerra, do reino, e
no dia 14 do mez correute, foi envida para essa
provincia, a boia que por aviso do ministerio da
marinha de 12 de abril ultimo, se mandou cons-
truir para a respectiva capitana do porto, do que
dou silencia a V. Exc.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Piauhy.
Com o offlcio de V. Exc. de 12 de maio ultimo,
recebi dous exeraplares do rotatorio com que o
Exm. 2o vice presidente Dr. Antonio de Sampaio
Almeudra passou a V. Exc. a adminislrago dessa
provincia, no dia 28 de maio do anno passado.
Dito ao marechal de campo commandante das
armas.-Sirva-seV. Exm. de mandar alistar como
voluntario da patria a Antonio Caetano da Silva e
Souza.'
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no cor-
po de voluntarios da patria Antonio Trislo de Ser-
pa Brando Jnior, acadmico do 1' anno, e Ge-
raldo Manoel de Lyra, que se offereceram para ser-
vir na guerra contra a repblica do Paraguay.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. por em lber-
dade, dando-lhes baixa se j estiverera
do V. S. declarou em seu offlcio n. 741 desta data.
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar no corpo
sob seu commando, urna vez que sea considerado
apto para isso, em inspeegao de saude o paisano
Joo Ferreira Lima, que se offereceu para servir
em dito corpo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Fornega
V. S. com urgencia ao almoxarifado do presidio de
Fernando os dous livros de que trata o pedido que
, aqu junto, coberto com copia do ofllci do com-
mandante do mesmo presidio datado de 11 do cor-
rente.Gommunicouse ao commandante do presi-
dio de Fernando.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que faga j
apromptar, com urgencia todos os objectos que re-
quisitou o commandante do presidio de Fernando
en differentes datas, e queainda nao foram para ali
enviados, segundo elledeclarou-me em offlcio n. 280
de lo do correte.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Cons- i
tando-me de comraunicago da secretaria de estado I
dos negocios da marinha de 5 de julho ultimo, que
na mesma data se concedeu ao ajudante dessa
inspeegao capito-tenente Salustiano Caetano dos
escrivo o subscrevi.
Os pretendentes apresentera seus requerimentos
no praso de 60 dias contados de boje, e instruidos
na forma do decreto n. 817, de 30 de agosto de
1851. e do aviso d. 252, de 30 de dezembro
de 1854.
O secretario,
Dr. Franaisco de Paula Salles.
Despachos do dia 18 de agosto de 1865.
Requerimentos.
Antonio Manoel de Faria Leite. -Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do
municipio do Limoeiro.
Bellarraino Guedes Alcoforado.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincia
geraes os
Moraes Soares, e Joo
commissao, ou-
i SSbLta TOH. n dT ,*? ?aldiDha paIa D' Fernando, e serviram d.
a prestdeucia do conselho de miniaros, passando conselheiros Rodrigo de
nesse caso o conde d'Avila para o ministerio do rei- Palha de Faria Lacerda
SVTTsrTr? ni* ""? dS !leR?CS 6S'ran' BVerno nom,;ara' alm desla
na BUoc e o indignado para a tras que julgar convenientes para procederem aos
estados especiaes que devam concorrer exposi-
go ; e bem como mandar, se o julgar convenien-
- te, pessoas competentes para irem estudar a expo-
defriTau ,1 ^ ? mpule,:,Brl0 n, ,lras'1 0" si?a" internacional dessa cidade, tendo em rita o
Ju daco Portante e multo aot.ga U- provei.o que desses estudos 'se possa colher em
ni .1.K...B a. t .a .,, relacao a exposigo universal de Pars.
S Mqar.f, l Ofioverno, na prxima reunio das cortes, apre-
n.e'res'.nte '"" d SCU eStad ?entari nm f,roJec, d" lei' Pedindo os meios "
fnra.n necessarios para a execu.:o deste de-
pasta da fazenda e o Sr. Martins Ferro para a da
justiga.
Parece que o Sr. Joaquim Thomaz Lobo d'Avila
No da 18 do crreme, celebrou-se na escola
de primeiras letiras f.indada em Mafra pelo Sr. D.
forem
creto.
Foi assassioado nos serloes do Sea, pelo Ba-
gros subditos do regulo Muzila, o suMiio fraor z
Julan AITmse Maurice L.-ve^-arav. que nasreti en
I Bayona, no departamento dos batios p\ nn-n-
Foi exonerado do governo do di mane o major Goilherme Frederiro de Poriagal
Vasconcellos, a nomeado para o sobMKor o mamr
da guarnigode Mogambique Delfia Jos oVOUt-i-
ra, que governador de Tete e plenipoiwiario
envalo a repblica de Traoswal-Boerb.
T Cnr,as de ,'on,J''es sabe se qoe a eorrcto D-
gue de Palnuttu .nostroo na viagem de Li Inglaterra, ser um excellenle nav.o de fetla, esM
navio foi construido sob a direrco do coode de Li-
uhares.
~ Por decreto de 5 de jolh foi creado na rtda-
de de Goa um tribunal c..mmerci..l de pnnvira
instancia, coniposlo de um juiz presideite, de se
jurados e de tres substituto-.
>er juiz presidente do tribunal o de nimio 4a
'efectiva comarca, a servir de secretar o dWa-
f> io do procurador da cora e fazenda da mttu
comarca, de escrivo o de direilo que fr "~
pelo presidente da relago, sobre propo^U
.i i,.c._. i i i"""!" iciuh> niiiiMia em .iiaira neo o
Sntfh^'toWOfc,"P^l*V a fBSta da distribuigo dos premios
da theseurana de fa:enda.
Candido Silvestre de Souza.Dirija-se aoSr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Firmina Felomina de Oliveira Gomes.Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Tenente Joo Octavio Vieira.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Jos Henrique Machado.O supplicante deve dar
principio a obra de que arrematante no mez de '
setembro prximo vindouro.
Julio da Silveira Lobo Passe portarla conce-
deudo 60 dias de licenga na forma da lei.
Jo.- Xavier de Souza Fonseca.Infirme o Sr.
commandante do corpo de polica.
Joio Baptista do Amaral.Informe oSr. director!
geral da instruego publica.
Manoel Joaquim das Chagas.Indeferido em vista
da informago.
Manoel Rodrigues de Souza.-Fica providen-
ciado para ser expedida a guia de que trata o
supplicante.
EXTERIOR.
COHHKPO.VDE.VI.VS leO
BIO DE PERNAHBUC
LISBOA.
-Entrou no dia 16 no Tejo urna corveta fran- Egte *WT"*rCiln*i*
ceza que tinha recebido ordera do seu governo para gIr?, in,,s d ,,I d* .**.
iMOMM que imis se aisiinguiram na trequencia estacionar no Teto nbunal exeree jun.>dicgao ordinaria e eoo*-
durante o ntido anno lectivo. Sahio no dia 25 de maio de Montevideo nari CI-0Sa. na re'I,p,l't,a comarca, conhece p.>r apprlla-
A fasta foi presidida por S. M. el-rei oSr.D.Luiz, LoendiVcVteSvSL^SfSSiR ;,odas sentengas arb.traes. Kufcrida* Snios
e por .sso concorreram a ella todas as notabilidad S da BandeUa I d a'"K0 Wt do Cd,* C- mmernal u* oolras
oes Iliterarias e polticas de Lisboa. a Barthoiomeu Dias on naU' na America comaroas do estado da India, e as de Tiior. >-
Os premios foram destribuidos por S. M. que tem de entrar n dnuT'no ttio de Tan^ro o1 anJb."l1! Ql'ane, tem comp,i.*e pa,a a
deseja quo aquella solemnidade seja feita com a contina a fazer muita La matricula dos negociantes, registro, eowiwrcia*,,
maior pompa. A soc edade das sciencias mP(1ieas de I ishoa 'allenc,as ou >* dependencias -m respeto tam-
S. M tem urna venerago muito particular pelos tem n.Idea convoVaca de um congreso, m So ? as-coma^.as de Barder eSalsele. \jSfm W
m Sof' S",!^ *% "2^ *2 S Bacional en' ^TsS SSRSS5 5,53 Sa C0DS'd-radas do dis.nc.o do mmm m-
immediatamente esta ligada a memoria do seu tio esie assumpto. a., ..... _
Kmt n ite,d.rmK:i" 2 Pedr V" ~ E,o untados na casa da moeda setenta e Jl2SS* e de 20* *"*"
irh,. T ai? S -da bondade do seu espirito, e da tantos contos de r.s em raoedas de cinco tostoes, e \*"'*** *m\\K*> Pa a relacao do d
. educacao que a seus hlhos Ihes legou a ; do flrn da prxima semana aquella sorama elevar- _V.i n. i., i -a .
, se ha a cenia e cincoenta coutos, sem comludo po- u*ai*^u\^&^S,\?T,&*rZ?.-*&-
: der servir para a circulago por falta da comje- tZ?lU* baoco do M,nh0 e **
tente aulorisaco. ^ L... a a- .a w
' Eslava as cmaras um projeclo para este fim, .JK d,a ST2.2 tn^ T?"
mas nao chegou a ser votado, e por isso o governo Sar de Andrae E^ET^S" SifS?
ftpde entregar ao giro aquella qnan.ia impor-; g-fr t^JZSSS!?' "^
Dizia-se. porm. oue nara obviar ,<* inconv.! ESEmS SS^SUSt
Londres, rustara dez mil libras esterlinas (nos 45
Sra. D. Mana II.'
S. M. deu um jantar aos alumnos, servidos pelos
proprios criados do pago.
SS. MM. el-rei o Sr. D. Lniz e a rainha a Sra.
D. Harta Pa votaran) definitivamente para o pala-
cio d'Ajuda no dia 20 do corrente.
^ A faculdade de direilo da universidade de
Coimbra acaba de apresentar um projecto de refor-
ma das cadeiras e disciplinas da mesma facul-
dade.
Os pontos mais importantes da reforma sao ex-
tinguir urna aula de direilo romano, e crear urna
com prag ^
como solic.tou o commandante superior da guarda mspecgo capitao-tenenle Salustiano Caetano dos v ,., ,a ., J de 186-
nacional deste municipio os guardas do respectivo santos, 30 dias de licenca na forma do deerptn 1>lodta >0 do corrente e a abertura das
4 batalho de infamara Joo Jos Pedro, e Jos n. 2,583, de 30 de abril 'de 1860 paratirai cor- 9 Pararan offlcial foi
Pedro, que foram recrutados e postos a disposigo te ; assim o declaro a V. S. para seu conhecimenlo L,$boa-
pelo chefe de polica j e afim de o fazer constar ao agraciado.
)ito ao chefe da repartigo das obras publi- j
j publicado no
BIA-
crtes.
Diario
desse commando de armas,
em 3 do corrente.
Os factos mais dignos de mengo neste nosso pe
queno mundo poltico o poucos. O que mais oc-
administrativo,
trago.
E' tambem extincta a cadelra de encyclopedia
jurdica, e reentegrada a de historia do direilo
civil.
Este projecto est affecto ao exame e consulta do
conselho geral de instruego publica.
Por intervengan do vicecnsul portuguez em
Bombaim, o Sr. Braz Fernando, e o negociante por-
tuguez Joo Barieto. diz o boletim offlcial de Mo-
porm, que para obviar este inconve-
niente, ia se j depositar no banco de Portugal to-
das as meias coras cunhadas at obter a autorisa-
gao que est pendente das corles.
O Diario publica o regulamento que deve vi-
despacho dos iroductos
cadeira de finangas que ticar pertencendo ao curso gorar para a recepgao i
por ser assumpto de admjn.s- estrangeiros, que teem de ser 'depositados' no edifl-
' ci da exposigo internacional no Porto.
Os productos, que vierem exposigo e forem
- ------------ > utu au nele ua renanirao as onra< iiim i- ---------------- ^wj. \j uun maig u Dito ao mesmo.-Haja V. Exc. de mandar abs-: cas.-Obnvenho, de conformidade com a sua infor-! 55"! aIlen?ao Wc o grande acontecimt-nto SSrSSi to'|)roPosto P'. actoal governador geral i prou a cmara municipal,
tar no corpo de voluntarios da patria o cidadao mago de 16 do corrente, sob n. 263, em que o
Francisco Paes Brrelo, que se offereceu para servir arrematante Jos Henriques Machado, d comego a
na guerra contra a repblica do Paraguay, permit- obra da reconstruego da bomba da vrzea de Pau-
tindo-lhe o uso das insignias de 1 cadete. ; |ista, D0 prximo vindouro mez .le setembro, atten-
Dito ao mesmo. Qaeira V. Exc. informar sobre ; iaS as raZoes por elle apresentad .s: o que declaro
a proposta do Dr Joao Pedro Maduro da Fonceca.; a Vmc. para seu conhecimento e tim conve-
constante do incluso offlcio. niente.
Dito ao mesmo.-Manle V. Exc. alistar no con- i Dito ao mesmo.-Pelo offlcio que Vmc. me diri-
tingente de guardas nac.onaes destacados o 2 sar- gio hoDlem, sob n. 265, tiquei inteirado se haver
genio do batalho de infantana deste municipio mandado eliminar do respectivo quadro o guarda
Irajano lrancel.no da Cotsa L.ns, que se olfere- dessa capito Eloy Nahum de Araujo Barros, que
o que seguir declarou nao poder contiuuar a servir.
Dito ao juiz municipal da l vara dessa cida-
de.Remello a Vmc. para os flus convenientes o
auto de vestona e idenlidade de pessea a que se
procedeu no cadver do seutenciado de justiga Ma-
noel Carlos Pimentel, fallecido no presio de Fernan-
; do, segundo communicou-me o respectivo comman-
dante em offlcio de 2 do corrente.
para o su! do imperio.Communicou-se ao com
mandante superio do Recife.
Dito ao mesmo.Informe V. Exc. sobre o que
prope o coronel Francisco Joaquim Pereira Lobo,
no offlcio que aqu junto, com >s tigurinos de que
elle trata.
Dito ao Dr. chefe de polica.Mande V. S. por
em llberdade, como solicita o commandante supe-
rior da guarda nacional do Recife, o guarda Joo
Celislino de Barros, que, segundo o seu offlcio, n.
1113, de 8 do crreme foi recrulado e acha-se na
casa de detengo.Communicou-se ao comman-
dante superior do Recife.
Dito ao iopeclor da tnesonraria de fazenda.
Restiluo a V. S. o requerimento sobre que versa a
sua informago de 14 do corrente, sob n. 588,
afim d que, em vista della, mande pagar ao tenente
reformado do exercite Joaquim Jos de Souza os
vencimemos a que tiver direilo, por haver servido
de vogal no conselho de guerra, -a que responde-
rn) o anspegada Canuto Jos de Souza e o soldado
Manoel Romano de Santiago, ambos do 4 batalho
de amlnaria a p.
Dito ao mesmo.Mande V. S. adiantar ao ope-
rario serralheiro Candido Sivestre de Souza, a im-
portancia de um mez, do salario porque se contra-
tou para servir no arsenal de guerra da corte na
forma das ordens impenaes.
Dte ao mesmo.Anouindo ao que solicitou o
capito do porto em offlcio de hontem, sob n. 143,
recommendo a V. S., que, em vista da folha junta
em duplic-ata, mande entregar ao 1 lente Ernes-
to Ignacio Cardun, a quanlia de 600> a que teem
direito os primeiros marinheiros engajados para o
servigo da armada naval Manoel Pedro, Joo Ribei-
ro, Adelo Valladar, Manoel Francisco Saraiva, e
Francisco de Paula Mallos, bem como a pessoaque
os eogajon.
Dilo ao mesmo.Em vista da inclusa conta,
mande V. S. pagar a Manoel Figueira de Faria &
Filho, a qunntia de 100500, proveuienle de impres-
sos mandados fazer pelo secretaria do governo para
a organisaco de coipos de voluntarios e de con-
tingentes da guarda nacional para o servigo da
guerra.
Dilo ao mesmo.Constando de commumeagao da
secretaria de estado dos negocios da marinha de 5
de julho ultimo, qac na mesma data se concedeu
ao ajudante do inspector do arsenal de marinha
desta proviocia capito tenente Salustiano Caetano
dos Santos, 30 dias de licenga, na forma do decre-
to n. 2583 de 30 de abril de 1860, para ir a corle :
assim o declaro a V. S. para seu conhecimento e
direegao.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.At-
ientas as razoes expostas pelo arrematante Jos
Henriques Machado, acabo de permillir, de confor-
midade com a informago do chefe da repartigo
das obras publicas, datada de 16 do corrente, e sob
d. 263, que d o mencionado arrematante comego
a obra da reconstruego da bomba da varzea de
Paulista no prximo vindouro mez de setembro.
O que declaro a V. S. para seu conhecimento e
flm conveniente.
Dito ao mesmo.Recommendo a V. S. que, em
vista das comas e relages juntas, cobertas com
copia do offlcio qne me dirigi o chefe de polica
em 11 do correte, sob n. 1136, e nao havendo
inconveniente, mande pagar ao bacbarel Miguel
Bernardo Vieira de Amorim nao s a quantia de
142i00 rs., despendida durante os mezes de maio
e juobo prximos lindos, com o sustento dos piesos
pobres da cadeia do termo de Caruar, mas tam-
bem o saldo na importancia de 35&200 rs., que se
ficou a dever das contas relativas aos mezes de Ja-
neiro a abril desle anno, providenciando ao mesmo
lempo para qne por intermedio do thesonreiro da
repartigo da polica, sejam adiantados ao delegado
supplente do predito termo Joao Francisco Floren-
cio os 2001000, que, de conformidade com o offlcio
da presidencia de 7 do citado mez de junbo, de
viam ler sido remetlidos acuella delegada para
oecerrer a taes despezas.Communicou-se ao Dr.
ch-.'fe de polica.
Dito ao mesmo. -Transmiti a Vmc. para os fias
convenientes a certidao de bito e au'o de vestoria
e identidade de pessoa a que se procedeu na cada-
ver do sentenciado desta provincia Manoel da Silva
Machado, que foi assassioado no presidio de Fer-
nando, segundo declarou-me o respectivo comman-
dante era offlcio n. 264 de 10 do corrente.
Dito ao conselho de compras do arsenal de
guerra.-Autoriso o conselho de compras do arse-
nal de guerra a comprar para fornecimento do La-
boratorio de fogos a polvera mencionada no incluso
pedido.
Dito ao conselho de compras navaes.Autoriso
o conselho de compra? navaes a promover nos ter-
mos do respectivo regulamento a compra dos
objectos mencionados no seu offlcio de 10 do cor-
rente, visto serem necessarios para provimenlo do
almoxarifado do arsenal de marinha.
Dito ao thesoureiro das loteras.Em solugo ao
seu offlcio de 16 do corrente, cabe me dizer-lhe que
nao tendo sido concedida nenhuma lotera a matriz
da freguezia de Muribeca, claro que a preferen-
cia de que Irata a lei n. 635 do corrente anno, re-
fere se a lotera concedida pela lei n. 481 a igreja
de Nossa Senhora do Rosario daquella fre-
guezia.
Portara.O presidente da provincia, altendendo
ao que requereu o 2o escripturario da alfandega
desta capital, Julio da Silveira Lobo, e tendo em
vista as informages ministradas a este respeito
pelas reparliges competentes, resolve conceder-lhe
60 dias de licenga na forma da lei para ir a corte,
tratar de negocios de seu particular interesse.
Dita.O paesidente da provincia, resolve autori-
sar a Jnstiniano Manoel de Barcellos, a promover
o alistamento de homens pretos para urna corapa-
nhia de voluntarios da patria, e recoramenda a
todas as autoridades a quem esta fr apresentada
que o auxiliem nesla commissao.
Expediente do secretario do gororno do dia 18 de
agosto de 1865.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.O
exm. Sr. presidente da provincia, determina que
V. S. sobr'esteja at segunda ordem no adianta-
ment de salario, que por offldo de 11 do corrente,
se mandou fazer ao operario alfaiate Benedicto Jos
dos Passos: o que declaro a V. S. para ter exe-
cugo.
Dito a directora do theatro de S. Isabel.De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
remello a Vv. Ss. copia do termo de prorogago da
empreza do theatro de Saota Isabel, concedida ao
empresario Antonio Jos Duarte Coimbra, por lem-
po de dous annos.
2* secgoSecretaria do governo de Pernara-
buco, 18 de agoslo de 1865.
EDITAL.
Pela secretaria do governo se faz publico para
conhecimento de quem interessar possa o edital
abaixo transcripto do juiz de direito d > comarca de
Palmares, pondo a concurso a serventa vitalicia do
offlcio de escrivo privativo do jury e execuges
criminaos do termo de Agua-Preta.
O Dr. Joao Francisco da Silva Braga, juiz de direito
da comarca de Palmares da provincia de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e Cons-
titucional o Senhor Dom Pedro II, que Deus
guarde etc. etc. ele.
Paco saber aos que o presente odital virem, que
em virtude das ordens do governo acha-se em con-
curso com o praso de 60 dias, o offlcio de escrivo
privativo do jury e de execuges crimioaes do ter-
mo de Agua-Preta, creado pelo art. 108 da lei de 3
de dezembro de 1841: portanto os pretendentes, qne
se qulzerera propr, a dito offlcio apresentem seus
requerimentos, competentemente habilitados, com
industrial que se prepara as margens do Douro
e para que vo concorrer, com patritico entnusias-
mo todos os oossos estabeledmentos fabris, arlisli-
lcos e agrcolas.
Efectivamente a exposigo intrnacional do Por-
to, para a qual ousamos convidar as nagoes manu-
factoras e os expositoresde todos os pazes, tem de
fixar por um modo notavel a nossa verdadeira si-
tuagao fabril e industrial entre os demais povos
que se nos anleciparam.
No contedo desta breve resenha quinzenal en-
contraro os seus e nossos charos leitores alguns
apontamentos sobre o assumpto que est sendo ac-
tualmente o thema favorito de todas; as conver-
sacoes, desde as salas dos opulentos at aos des-
vos mais humildes do modesto industrial, que pe-
de ao nascer do sol urna inspirago que o hala de
distinguir entre os seus irmos de trabalho.
A idea da boa ou ma figura que a nago lera de
fazer nesse concilio ecumnico das artes, preoecu-
pa-nos a todos que se presam de guardar immacu-
hdos no peno os nobres sentimentos de amor da
patria.
O arranjo do pensanento foi dos mais audazes.
A providencia dos que trabalham de certo nos
destinara urna honrosa menguo nos annaes dos
comraeltimentos civilisadores.
Duas palavras porm sobre os nossos polticos.
Lomo sabem, o governo na luta eleitoral do dia
9 deste mez ficou derrotado em quasi i idos os cir-
cuios de Lisboa, nos do Algarve, no Porto etc.
Ainda assim fazendo a contagem dos depuudos
eleitos, enumerara os amigos do governo uns irinta :
deputados de maioria. A oppposigo, sobre a mes
vendidos, nao poderlo ser retirados da mesma ex-
posigo antes que esta esteja concluida. Os pro-
ductos estrangeiros que concorrerem exposigo,.
podera ser admiltidos pelas alfandegas de Lisboa,
Porto, Valenca, Chaves, Braganga, Barca de Alva,
Penamacor, Porto Alegre, El vas e Aida-Nova.
O comraissario regio do theairo normal, com-
urna porco de terreno
o panlheon
desta provincia aos negociante; da praca de Bom-1 no cemiteho do Alio de S. Joo. para
baim, o plano de organisaco de urna companhia I dos actores. O terreno custou 1004
?taS l kC0< auapr 22 aqe"a pra' I Consla aue a einPr*a Salamanca dos eami-
ii?h i Zaoabar, e Mocainbi.|ae. Temos a j nhos de ferro porluguezes do norte e leste, trata de
aav,H3 V? annUDC,ar aos "fiantes e mais in- ,|Cancar do governo dispansa de construir os tabo-
diyiduos desta provincia que a proposta fo. acceita leiros da segunda via as pontes metlicas,
cnsul mglez Fuleher Cooper & C. apenas'
Igual prelengo leve j quando o Sr. Joo Chry-
sostomo geio a pasta das obras publicas, mas sem
obter bom xito.
Nao possivel que o caminho de ferro fique sem
a segunda via, e muito menos que se nao facam
aquelles taboleiros, principalmente porque o palz
paga o caminho como se elle tivesse as duas
vas.
Nao suppomos que o governo subscreva a tal
exigencia.
No importante dislricto de Tele na provincia
nao
uvp, au crmor que em concurso puoiico, so-: existe urna nica igreja, visto a que havia ter sido
ahir na boa disposigao de complexo de todas i destruida pelo faraco de 17 de novembro de 1862 ;
lisposigoes que constituem a industria ca-1 pe|0 que, desde eoto, os offlcios divinos se faziam
ir- na casa do paro
isle concurso serao nicamente admittidos os | subscripgo que
productores e creadores nacionaes, que possuirem o governador Jo districto prope a venda da
pelo
formulada, foi dirigida ao Exm. governador geral
dos estados da India para a apresentar ao governo
de sua magestade.
O governador da Iodia nomeou immediaUmente
urna commissao para conhecer e mostrar as van-
tagens que d'aqui bao ie resultar, tanto para
aquelle esiado, como para a provincia de Mogam-
bique, e logo dirigi o seu resultado ao conheci-
mento do governo de sua magestade.
O governo acaba de decretar om premio de
honra que consistir n'rimataga de prata no valor j de Mocambiqo; ~frma"orieoTarportug"uez,
de 300*, ao creador que em concurso publico, so '
bresah
as di
ValA,ar'.. na casa do parocl. Levantou-se para tal fim urna
lidos os | subscripgo que pVoduzio 4865578.
O governador Jo districto prope ..
ha mais de um anno. a contar da data da proposta. I JOias da confraria de Nossa Senhora do Rosario no
urna piara d eguas de ventre, nao menor de vinte valor de 3:0005, afim de, com o producto da venda
cauegas. dasjoias e da subscripgo, se poder levantar um
O governo nomeara urna commissao composta templo naquella vasta provincia,
de pessoas competentes, para ir as diversas locali-1 No da 13 de junho foi queimado em Roma o
dades era que os concorrentes t.verem os seus hvro por que se enslna o direilo ecclesiastico por-
estabeleclinentos, afim de examinar e notar o esta-! mguez na universidade de Coimbra.
doemqueosmesmosestabelecimentosestao. | Publicoa-se um decreto creando na cidade
1 ublicou-se oulro decreto, que manda abrir de Maco um corpo de interpretes da lingua cyni-
um crdito extraordinario pela quaotia de 100:00051 ca. Este corpo sera" composlo de um primeiro, de
raa base, euconlra diverso resultado, po3 est per- para a C0O"nuaCc- das obras do porto artificial em ; Dm segundo, e de dous alumnos interpretes. O
suadida que apenas ficam ao governo 6 ou 7 votos! con,stiruc?ao ''"* de S. Miguel. primeiro vencer por anno 1:158* e 8005 o se-
de maioria. Este decreto precedido de um relalorio, assig- gundo. Os dous alumnos percebero um subsidio-
Um grupo dos que mais tem pugnado pela com- 13*10 ^'^ ""* das obras publicas e da mensal, nao inferior a 205, nem superior a 305,
pelencia e mais parles dos acluaes ministros, logo ,azn. graduado entre estas duas verbas segundo os pro-
que vio a manera desastrosa por que foi dirigida k18 cretlo extraordinario que parece ser um gressos e aproveitamento que mostraren!,
a eleigao, voltou as costas ao miuisterio, despedln- "nuf para 'besouro, deve ser realisado pelo pro- Em quanto nao lorem prvidos os lugares de se-
do raios e coriseos contra o Sr. Julio Gomos da Sil- a!";10 as sobras dos impostos que a junta admi-; gundo interprete e de alumnos interpretes, poder
va Sanches a quem nesles momentos de azedume, Dlslraliva das mesmas obras fr cobrando, e quan- a importancia do respectivo ordenado e subsidios
chamam inhbil poltico e pobre hornera, etc. En- es;as Dao cbeguem, pela parle que fr necessa- empregar-se em preslages a mancebos que se ap-
tregue aos furores do Portuguez (o antigo Patriota) m Ua luan,ia Que reata receber dos empresliraos; pliquem ao estudo da lingua cynica.
abandonado pelo Commercio de Lisboa, combatido contratados, sendo este no modo de entender do; Tanto fra corao dentro do palacio de chrys-
o bondoso ministro, com todos os seus collegas pe- "km0,' ", Sem encar8?s P" o thesouro, | ul do Porto trabalha-se activamente. O palacio
las folhas da opposigo, ainda teve de supporlar a
publicago de urna serie de cartas atievidas onde a
irona mais despeitada e sarcastica revelava a indig- oDJec,-
nago de quem as escreveu. Estas cartas foram Ihe ,~ A comm'sso nomeada pelo governo para
enviadas pelo redactor do Portuguez Joao Flix col,lir os productos das nossas possesses ultra-
Rodrigues, (mais conhecido pelo alcunha de Tanas) mannas .U8 geni de ser exposlos na exposigo
e inseitas, corao digo, no seu jornal cora a respec- 0 ort0' conv,da todas as pessoas do reino que
tiva assigoatura. tenham alguns desses productos, e queiram com
O escndalo foi maior por ser o Sr. Joo Flix' *"** """'i a manda-Ios entregar al ao dia 12
escrivo do deposito publico, isto subordinado : d? a8st0 ao secretario Antonio Julio de Castro
do ministro do reino a quem nssa correspondencia11 uzalhes. na secretaria dn mimHm
ndiculansava atrozmente. Poucos dias antes, o
mesmo jornal tinha publicado um longo queixume
politico assignado pelo Sr. Manoel de Je.us Coelho,
proprieano do peridico, a' noile, nos lugare*
mais 'requemados e de dia, raesmo debaixo das ar-
cadas do Terreiro, s portas dos ministerios, anda-
vara os gaiatos vendendo com seus preges e ta-
boletas (que de noite eram alumiadas) uns pam-
phletos com o titulo de : O Sr. Julio Gomes, ou o
aoo politico. >
Era a mesma forma
lebre questo da c Cruz
mear as mas da capital
reputagao dos primeiros agentes
publica.
Nao ha tolerancia maior em parte alguma do que
que se tinha usado na ce-
de Smtulho, isto se-
de epitaphios insultantes
da autoridade
em Portugal. Apezar dos brados da imprensa, que proporcionar a vossa magestade mais urna occa-
se diz serla, mas que desejaria, a proposito de tu-, s'ao d.e patentear o interesse que a vossa raagesla-
do isto, cevar odios e rancores partidarios, o Sr. d'' nao constantemente merecido as industrias e
Joo Eelix Rodrigues nao foi era demittido. i *rtes deste reino, mas tambera dar a maior impor-
As palavras mais descompostas f >ram entao es- taDC|* fl lustre a realisaeo de um acto, de que
colhidas pela Gazela de Portugal e outras folhas tantas vantagens podem resultar para
para commeotar a longanimldade do ministro e a Pail: nei Por bem e rae aPrat convidar a vossa
magestade para presidir a commissao directora da
ousadia imprudente do seu empregado subalterno.
Todava, atlendendo-se a que o mesmo escriptor
um pobre rapaz muitos estimaran) que o ministro
Ibe nao lirasse o pao, e muitos mais folgaram de
que o poder se nao estreasse, depois de Untos an-
nos de tregoas e tolerancia, na escabrosa estrada
das violencias e demisses, em qui naufragaran!
oulros ministerios desdo 1612 a 1845.
Por outra parte, quando mesmo conviesse es
tabilidade governativa da situado o retirar-se o' continua guarda.
Sr. Julio Gomes do gabinete, nao convinha nem j Passo, aos 12 de agosto de 1863. De vossa nu-
era decente cahir diante das trossasdoSr. J. Flix,' gestado, bom filho, irmo e amigo.-Luiz.Carlos
nem dos foihetas da gaiatada.
Quando a autoridade publica desacatada por
este modo, os borneas eircomspectos e por Qm de
habilitar a mesma junta a continuar as obras, at por dentro acha-se, por assim dizer, concluido. O
ativas deliberen) sobre este | annexo de ferro j se acha coberto, e os de made-
ra eomecam a cobrir-se. O jardim hbilmente
dirigido pela formosura e elegancia que se nota era
todas as suas disposiges. Na cidade tambem se
traa com bastante energa de Ihe imprimir um
carcter mais agradavel e mais formoso. Prose
guem com actividade o empedramento das ras e
a limpeza dos edificios ; ludo parece promelter
que a gloriosa e arrojada empreza dos habitantes
da segunda cidade do reino, ser coroada de feli-
zes resultados.
A corveta a vapor Infante D. Joao, que se
achava no Rio da Prata, fazendo parte da divlso
naval portugueza na costa da America, parti era
direegao a Luanda no dia 21 de maio, afim de ren
der a corveta S da Bandeira, que deve brevemen-
te chegar a Lisboa.
0 producto das entradas no palacio de crys-
tal do Porto, desde o dia em que as entradas co-
megaram a ser pagas at ao dia 14, era que finali-
soo o prazo para a entrada de quaesquer pessoas
nu palacio, e suas dependencias, foi de 1:9005-
Pela barca Venus ha noticias offlciaes de Mo-
gambique com datas de lo de abril. Tinha chega-
do ao porto daquella cidade o brigne Nossa Senho-
ra da Conceiqao, conduzindo 29 pragas de pret e
um alferes. Durante a viagem cahio um soldado
ao mar, sendo impossivel slvalo, apezar de todos
os esforgas que se empregarara.
O governader geral tinha ordenado em 28 de
margo a creago de um corpo a 600 Sipaes, com-
este; mandado pelo capilo-mr H. Abderraman, com o
fim de baierem o gentio rebelde Mussaquanto, que
nos ultimes lempos se tornara insolente e chagava
a fazer correras nos territorios de oulros reguos
avassalados.
O governador geral ordenara que na baha de
Lourengo Marques se construisse urna igreja com
a invocago de S. Luiz, o que j se levou a cffeito.
O rendiraento da alfandega de Mogambique fra
de 2:7485261 em janeiro, de 7615539 era fevere-
ro.de 21:9415070 era margo, prefazendo assim o
total de 24:8505670 no terceiro trimestre do anno
econmico de 1864 a 1865.
Em 7 de margo o regulo Numelugo Muzuzuman
assignoo termo de submissao ao nosso governo pe-
rante o commandante militar do districto de An-
gecbe.
e Magalhes. na secretaria do conselho
ultramarino.
A folba offlcial conlm esta inleressante carta
regia convidando sua magestade o Sr. D. Fernan-
do, o rei artista, para presidir a commissao eocar-
regada em Lisboa de enviar productos para a
exposigo universal de Pars era 1867:
Muito alto e muito poderoso principe e Sr. D.
Fernando II, rei de Portugal, duque de Saxonia
Coburgo Gotha, marechal general, meu mnilo pre-
sado e querido pai: eu D. Luiz I, por graga de
Deus, rei de Portugal e dos Algarves, etc., envo
muito saudar a vossa magestade, como aquelle qne
sobre todos amo e preso.Havendo de realisar-se
era Pars no futuro anno de 1867 urna exposigo
universal, a qual devero concorrer os productos
da industria portugueza; e desejando eu nao s
exposigo dos productos nacionaes em Lisboa e dos
trabalhos preparatorios da de Pars, creada pelo
decreto desta data.
Mullo alto e muito poderoso principe e Sr. D.
Fernando II, rei de Portugal, duque de Saxonia
| Coburgo Gotha, marechar general, meu muito
amado, presado e querido pai.Nosso Senhor baja
'a augusta pessea de vossa magestade em sua
Bento da Silva. *
Est nomeada
preparatorios de
a commissao para os trabalhos
todas, as oossas indasirias que
contos de ris.)
O vapor Leal, da eo.'opaohia provisoria 4e
navegagao para frica, quanto o metiiam a s*rro
para o limparem, tnealhoo, resultando car aljn-
brado, e parece qne ser condemnado por inaave-
gavel.
Chegon no dia 13 do rorrete, in". i '. Ma-
drid, o Sr. D. Lniz Marli Caballero, director (eral
da caixa econmica A Previsora.
O Sr. Caballero vem a Lisboa para romprar ler-
renos, onde far inmediatamente roosiroir predios
por coma da sociedad direrior, para de-
pois de construidos, os \ r a prazus.
E' um grande servigo tUc a Previsora faz a ca
plal, e que realmente necesario se lora* par*
acabar com o augmento das rendas, feito pelo* se-
nhorios, em cada semestre.
A fragata D. Fernando vai brevemente sa' n*
a barra em viagem de ioslrocco.
A fragata ir aos Acores, levando **a bordo
trinta aspirantes a guarda aahnbas. Parece ifae a
fragata, antes de recolher a L-sboa, d'o partir para Mogambique, devera estar abroas dias
em Barcelona.
A commissao encarregada de elaborar os pro-
jectos dos melhoramenios de qu* necesaria a capi-
tal, tem muito adiantados os seu* trabalhos.
Entre os planos figura o da abertura de orna
larguissima ra qne em conlinuago de pa-
publico vai terminar em Paalbo. No centro da
ra deve haver urna grande praca.
A robras da fonificagao d porto de Ibb,
vo tomar grande incremento. Devero coawcar pe-
lo forte de Almada.
A artilharia das torres da barra vao ser retira-
das. O baluarte da Altarrabeira ero Alcntara. Tai
tambem ser reparado, devendo ser rosraeado e
guarnecidos os fortes com artilharia dos calibres
100 a 200.
A artilhara vem da America Os trabalh< .le
Alcntara esto j commeltidos ao capito da eoge-
nheiros Julio Teixeira Homero de Brederoe.
O dlstincto actor do theairo do Gvroiasto
Francisco Alves da Silva Taborda, rei da cena c-
mica portugueza, merecen a honra de ser ence-
rado com o grao de cavalleiro da ordem de S. Tiia-
go. Foi tambem agraciado cora o mesmo habito o
Sr. Dantas, professor da escola de Mfra.
Sahio no dia 17 d> arsenal do exercito om
[ comboyo de 25 carros escollados por I cabo e 6
soldados e dirigido o comboyo por I *rMn do
arsenal, com direegao a Mafra, levando este era-
boyo 250 barras de ferro e 228 eoxergas travej-
seiros para poio e diversos caixotes coro oteadli.h
de cosinha e opo. Todo este trem foi eatrefae
na cazerna de Mafra a fim de ser roubilado o qoer-
tel para onde vai estacionar o batalho de cara-
dores o. 5.
Deram entrada no arsenal do exercito. ria-
dos de Inglaterra, 1,000 carabinas rilada-, cera as
respectivas espadas bayonetas, igoaes s que u-im
os corpos de cagadores do exercito. 5a roe ro
remessa vieran) 1,500 mochilas proprias para o
servigo dos corpos de infantera, assim como 101)
caixas com eslojos de limpeza.
Consla que o infaole D. Sehastiao de Hes-
panha acaba de comprar para soa residencia, qne
alguns querem j permanente n'esle rea, o pa-
lacio e quinta dos herdeiros da casa Pessaoha. as
arvores da Juqueira, em que ultimameote residual
os condes da Povoa.
Entrn no dia 17, depois do sol posto a fra-
gata fran ceza Tliemis, vi oda de Tootoa. 5o ata
seguinte pela manhaa quando icoo biadasra ana
recebeu a saudago nantica dos oossos navios de
guerra. Por essa occasio salvoa taaobem o cas-
lello de S. Jorge. Diz-se qne o motivo desta falta
fra o ter-se passado ordem para qne miaadii
a salva marilhima o castello de S. Jorge.
Chegou ja do Porto, pelo vapor iagla aVte a
orgao para o palacio de rryslal. O anta *t ai
tracto quem vem dirigir os trabalhos para a i
collocaco.
Tinha-se dito qne el-rei e a rainha, sea es-
posa, viriam definitivamente de Mafra no dia 20
d'este mez, mas nao se venfleoo o sea recream,
porque andam obras nos quartos de dret, ojee
aom tudo terminaro brevemente.
SS. MM. voltam pois para o palacio da ajada
nos principios de agosto.
Vai-se erigir em Castello de VMe orna estarna
de el-rei D. Pedro V, de podra e tem de altura
de 2-,12. O estatuario o Sr. Vctor Basto', qne
a poz em exposicao por espaeo de tres dias, aa
sua offlcioa oa ra Nova dos Martyres.
D Diario publica as segrales noticias de
Cabo Verde : diz, em 3 de julho, o respective ge-
vernador geral, que nao era sensive! a iaVter.li
no estado sanitario, sendo roao o estado aJiaaeaa-
clo por haverdB acabado os geoeros qae per or-
dem do governo geral foram postes a venen (a
que muito utilison a clasee necessitaaa; e per ana
apparecer no mercado seno mialiomati! ineeta-
ciente, e esse por precos elevadissisaes-
Dos gneros pertenceatea ao gaveraa tai saa-
primido o rancho dos asylados aa cidade da Prata.
cojo oumero sobe a 1,000, e as sapas eaaaeawaa
mandadas destribuir aos invlidos e raneas aa
conseibo de Saota Maria, e aas Haas de Mase a de
Fogo ; e com o producto dos gneros vendados af-
fectuou-se a plantago da pargeira ea
*
j


-
==
Mario de Pernambnco Terca Iclra de Agost de ifi
escala, tanto em S. Thiago como no Fogo'e na Bar-
va, e logo cessaram esses trabalho"S7~pm" nao ser
ja propria a enaguo, dense maior desenvolvmen-
to a algumas obras publicas no intuito de propor-
cionar a subsistencia aquelles qu a procurm por
este meio pagando Ins dinheiro o-san salario.
Tendo-se reconhecido produzir vantagens esta pro-
dencia nao sendo a menor a coacorrer para tirar
tola a idea d'esmola.
O certo que os cofres pblicos da provincia,
linham apenas alguns tustes ao fechar das alti-
jLs noticias, e que se nao se dao providencias
mais enrgicas, morre ludo Tome era Cabo
Verde.
O guverno recebe proposUs para i
----------------,------h-------r> ----------------------__-----,---------------------------------------------------------------------------------_
* una obra que llie ta de norte sugar o teile, por-' acto no meio da mais completa tra/aquilidade pu
qnea-criancs fiSo lfi'o podTesgotar compleamen blica.
te a ella. Urna noite, a mullier sentio ura sybillo.
Desceu da. ama, accendea urna Iue, revistu toda
a casa, e como nada visse, subi de noy para a
cama, aorm de um pulo tornou a deseer do leito.
Acabava de descobrir entre a ronpa urna cobra de
desmesurada grandeza. A pobre roa i ficou extati-'opioiao publica Ilustrada.
ea sera poder dizer paiavra. Oepois
instante de terror, tornou ao seu e
Seris chamados, senhores, a resolver em rela-
mi a administrado publica, algumas questOes da
malor importancia, mas hoja de menos difcil so-
lngao, por terem sido assumpto de um aturado er
. <*'*panhia de zuavos
Joaquira de
Anu e
me, quer de anteriores
admioistragSes
Neste caso
O1
,--r-**
porm o monstro desapparecra.
- No dia 10, na occasio em que oSr. Barnah,
domador de rras, actualmente em Lisboa, dava a
ceia a sua bichara um dos maiores Ie5es que alli
existen), quebroo as grades e chegou a deitar meio
is do primeiro tiara a questao de commercio dos vlrv,. ,;c(i1',,!
jstado natnral,' a da Importar-a.) dos cercos ^J* e a d
! maior desenvolvimento a. Lr.,:::!^T.\iL-.
ivolvimento
da desamorlisagSo.
rrae? *-
vando
ef da
ft encon-
Ooaro
do
da appiioaipSo do principio
vos aprsenla-
verti as competemos proposlas, reno-
.. iniciativa das que a sfimelhante respeito
n]'h*.fr'Wa- .7 Joaquim Jos de Santa
^m'.*, Retiro Alexandr.no.
f O lente da secgo de reserva n. 1 de Olln-
*> Antonio Svmphronio Rodrigues Luna, olfere-
cea.se para marchar era qualquer corpo de volun-
tarios ou da guarda nacional.
Offei"aeeram-se para seguirem no contingen-
te da guarda nacional destacado : os cabo de es-
quadra Joao Zacharias dos Santos, Jnvito Jos da
Silva e o guarda Olyrapio Ferreira Mago-, todos do
3." batalho de infantaria.
Coraegou liontem na Faculdadede Direito, a.
defeza de tbeses do Sr. bacharel Joao Tliom da
cnu Silva.
tracto de navegaco entre o porto de Lisboa e o corpo de fra ; um cnadc> conseguio por meioioe ante ^^ernenie haviam sido Certas. A revista ingleza The Arttzun de 1" de ju-
Mocambique, feita por meio de navios de vela. pancada fazer entrar a tera para aentro aajaui,t.\ .^ mea mjnjslro da fazenda vos serao dados | nho deste anno noticia o seguinle :
o numero do viageus de ida e volta ser de Houve um grande alvorogo. u jerror apoaerou- ^.m0(jos os DeCessarios esclareciraentos, para que pos-1 t Foi ltimamente lancada ao mar dos estaleiros
quatro em cada anno, serado os navios de tres de todos os espectadores, eitoo raw a .cr.l saes apreciar devidamente a silnafao linanceira do'de Seyne (Forges e Chantieres dla Meditarrane)
era tres rnezes, tanto d'u.n como de outro P0"t:__ WW "pj-ontroes,P^*^^lfV ,.*, Che- i paiz, e adoptar as convenientes medidas ett rea-' a cnrveta brasileira, couracada. D. Pedro H, com
Os navios tero
passageiros de re
ferior a quatrocentas toneladas.
o alojamento necessario para garam alguns aos espemaores a t02ir para as i^ao ao correrte anno econmico. I as sefiuiotes diroensoes. 233 pus de comprimenlo,
proa, e a lolaga nao ser in- P")^"0^*^"?;.^8'*^ .< j que julgando \ O augmento nao iuterron.pido dos rendimentos 33 ps e 3 pollegadas de bocea, por 16 peai e 5 pol-
raui a tentar fugir
Devem ser conJuzidos gratuitamente em cada para ellas, mas lam de p ^ ^ara Qr
iagem at 100 pasetgeifol de proa (soldados, co-: "T A "%l*,,ro desta capital, que ti
via_
lonos e deeradados). ,
O contracto deve durar cinco anno?, nao poden-
do o governo conceder subyengao alguma a outra
empreza para esta navegaco.
As proposlas serio fetas e
carta fechada, e
tegi,f
trabalhava signlflcacao que nos devem animar a por todo o
.rt^cao de om dos candidatos por empenho em estabelecer o equilibrio entre os rt-'
Lishoa apost^tf Wm um Jmjg0 duzentas bras con-! cursos e os encargos do estado, atim de que a re-
ra^'ncPxta, em que triumpharia ,o seu pro-1 ceita correiHe satisfaga completamente a importan-1
apresentadas at ao da 19 deoutubro prximo,
p\
ca da despeza ordinaria, em toda a extenso do
Perdeu, como perdtram outros muitos. j sentido que se deve ligar a classiicagao d'aquella
E como perdesse ia pagar prompto e pontual-, despeza.
e'crelaria da marinha. mente as duzentas libras, mas o seu competidor, Pelo ministerio respectivo vos serao presentes
Entrou em Loanda em l de rn,,l0 Com 59 apenas, para o rao offender quiz acceitar cincuenta,, as proposlas relativas a lao importantes or.jectos.
da< de viagem a rorveta Ga. i quaniia igual a que elle arri.-cava, c entre ambos A salnbridade publica e o melhorameoto das
A crvela Damao sahiria para Lisboa a 29 de se aecordon que as cento e cincoenta libras res- i condicoes da seguranca individual pelo, emprego
tantes seriam distribuidas em esmolas por asylos de m-ios policiaes elMoazes teem chamado a allen-
de enancas e familias neeessitadas. Assira se cao do meu governo, que opportunamente vos apre-
rez sentar sobre
modestia de ambe- offender-se-hia com a pu- tas de lei.
pblicos, e a firmeza do prego dos ttulos de divida legadas de ponlal, comportando 1:410 tuelladas de
fundada, sao tactos econmicos de urna lisongeira | carga.
A machina de forga de 250 cavados com
urna marcha de 10 1|2 milhas por hora, e a es-
pessura da couraga de41|2 pollegadas.
t Esle navio acha-se armado cora 4 pegas de
ago, calibre 72 e 4 ditas de ferro de 68.
maio, e a Goa para Timor a 6 de junlio, conduzin-
do 30 soldades pelos, 1 sargento aspirante e 1:
alteres.
A giumigao da corveta Goa, ta passagem da
linha, fazendo a cerimonia do costume, tirou
oJOOO que foram entregues ao commandante de
Dama, para que o viscunde de Soares Franco d
aos asylos da infancia desvalida de Lisboa.
Foi morlo a 6 de maio nos suburbios de Has-
samedes na fazenda do Colono Antonio Moreira da |
Silva e Suuza, um dos 4 leoes que tem intestado,
ultimamenie aquetlea lugares, apezarde sehaverem
contentado cum s apanharem alguns cae.-. Foi
morlo a tiro, a urna armadilha ; pesan 192 kilo-
grainma.
O r. Lapa e Faro preparou o animal para o
Temetter i>ara Lisboa e coa effeiUi ja aijui est.
A epidemia das bexigas ainda nao linha des
apparecido de todo da Illia de S. Thora, havendo
alguns casos, tanto na cidade, como nos campos.
Foi assignado o decreto que aatorisa o banco
Lusitano a poder funocionar at boje.
O eminentissimo caracal patriarcha de Lis-
boa sanio no dia 20 no comboyo da noite em di-
reeeos aos Peryoees, onde vai tomar as aguas cha-
madasEaux-Bonnes.
Sua eminencia soffre muito de aslhma, e ja ha
dous annas experimenlou grandes beneficios com o
uso daquellas aguas.
Ficou governando a diocese durante a sua au-
zenciao chantre da S patriarchal, vigario geral e
provisor do patriarchado o Dr. Manoel Fernandos
Cicouro. .
Mais um estabelecimento mineralgico crea-
do pela companhia Lusitana de Miuerago (Lusiia-
nian Mining C'inpany) acaba de ser abeito ex-
plorago no paiz, com a naugurago, que leve lu-
gar no dia 8 do correte as f minas da Carva-
Ihal, por meio do baptismo de urna immensa ro-
da lydraulica de esgoto e extraccao de vinte ps
em dimetro e dez em espessura, motor principal
de todos os trabalhos de ruinas.
Sena perlo de urna hora quindo se aproxima-
vam da roda o director o Sr. W. Cruickhank,
sua esposa, o engenheiro mechanico Robert Tap-
son, os caiiites, os mineiros, empregados e convi-
dados.
Trocadas as palavras do estylo, a esposa do di-
rector baptisou a roda com o nome de Marie Isa-
belle, quebrando aquelie cavalheiro de encontr
ao motor de esgoio (segundo a praxe britannica)
urna garrafa de vinho do Porto ; neste momento
principiou a irabalhar, no meio de estampido de
foguetes e de cnlhusiasticos vivas Ilustre bapti-
sante, ao director, a empreza, etc.
Aquelle instrumento de esgoto e extraegao, alm
de ser um primor d'aile, apresenlava um aspecto
brilhante pela facilidade eon) que funecionava.
Examinado o seu movimento de relagao, que era
de doze volias circulares por minuto, subiram to-
dos, pouco depois a una colima prxima, em cuja
verlente Ihes eslava preparado um lunch.
Vai ser construida em Aldea Nova urna casa
a a alfandega.
A linba frrea internacional em prolongagao da
de B<-ja para o Algarve e para a margemdo Gua-
diana, vai passar por o dito lugar da Aldea Nova,
que de-la forma ficar comir.ercialmente com im-
portancia superior a Elvas.
A fragata Femando tem de substituir a
nao Vasco da Gama amo escola de tiro, pois e.-ta
nu carece de entrar no dique a fazer grandes
reparacoes. Actualmente no dique esta' o brigue
Pairo Sanes.
A fragata franceza Themis, que se acha anco-
rada no nosso porto, parte br. veniente, para a Ame-
rica, segundo as ordeus do governo imperial.
O major general, visconde de Soares Franco, v-
sitou este navio.
Consta que a abertura da exposigo sera no
dia 11, ou no dia 18 do mez de setembro.
Acha-se ja aberta e transitavel at para car-
ruagens, a estrada, que partindo do convenio do
Bussono, atravessa a raatta em direcgo a' porta
Setpa, e d'ahi segurado a meia eocosla continua
por fra da mesma malta al ir entroucar u'ura dos
lceles da estrada de Coimbra em Vizeu.
Esta', pois levado a efleito este lao desejado me-
Ihoramealo e com urna brevidade que sorprende a
quera esta' habituado as delongas das obras d >ste
geuero.
AfDrraase que o principe real D. Carlos Fer-
nando, vai ser nomeado presidente da grande com-
missao da expos gao internacional do Porto.
Urna carta de Pars, que publica em Londres
o BrilhHrada Journal, diz que a associagio eorn-
mercial Beanme, na Franga, resolve.u mandar a'
nossa exposigo urna collecgao de vinhos de Bor-
gonha, alim de competirem com o seu adversario
do Porto.
Parece que vira' representar a Hcspanha no
nosso paiz o Sr. Comyn, que ha annos estove como
secretario da embaixada de Hespanha em Lisboa.
Publicou-se o decreto, estabelecendo o direi-
to de 100 ris por kilogramma, para o carru em
obra ; direito que estava omissona pauta geral das
alfandegas.
O Sr. infante D. Sebastio de Hespanha nao
chegou definitivamente a comprar o palacio da ca-
sa dos Pessanbas, Juoqueira. Fez o ajuste e falta-
va so o contrato de venda, quando a ultima hora
surgiram eomplicagSes de direitos contestados a'
propriedade que copelliram sua alteza a deixar es-
te negocio de parle.
O Sr. infante ento comprou o palacio vulgar-
mente chamado do Monte-Christo, no dito sitio da
Junqueira, e alli parece que tenciona ir residir de-
finitivamente.
O Sr. Antonio de Mello Bryner, chele da 21
repartigao da 1" dlrecgao do ministerio da guerra
e tenente-coronel do estado maior, vai ser nomea-
do, segundo consta, ajudante de campo de S. M.
el-rei o Senhor D. Fernando. Vai substituir o fal
lecido conde de Sarment.
Chegaram ao conselho ultramarino urnas
amostras de algodao produzldo pelas trras de Sa-
tary, India portugueza.
ste algodao foi ja examinado pela cmara do
commercio de Borabaim que achou excellenle em
qualidade e como raramente seeocontra.
OSr. Soriano,cavalheiro Uespanhol, que veio
a esta corle com o fim de pr-se a' lesta dos cami-
nhos de ferro da Pennsula, prometleu ao seo go-
verno que no espaco de ura anne estarlo ligadas
Lisboa e Madrid.
Acha se nomeada urna commis5o para estu-
dar a elaborar om plano geral para o servlgo dos
pharej.
-- L'm peridico de Hespanha traz entre ontras
noticias que exlrahio de urna correspondencia de
Lisboa a de ter S. M. o Sensor D. Fernando pro-
testado energicamente.conlra o projecto de que o
seu nome sirva do badeira de revolugo em Hes-
panha.
Po.-portara de 14 de junho ultimo1! foi auto-
risada a junta geral da bulla da cruzada a appli-
car em proveito das fabricas de differentes igrejas
parorhiaes pobres a quantia de dez eonlos de ris.
No numero dessas igrejas sao incluidas no bis-
pado do Porto, as de S. Martiobo, dWFeij5es, S.
Paio, da Portella j Esmoriz e S. Miguel do Souto.
Consta que o ministro da fazenda, conde de
Avila, ira' ao Porto para visitar o palacio de cbrys-
tal e suas dependenei.es. eenteoder-se com sua di-
recgo sobre diverso assumutos.
No dia 9 do correte foi laogado fogo a Pi-
nhal dos Caldas, no conceibo de Aliada, ardendo
quasi todo. Sao avallados ot prejuizos em 8:0005-
Era Meixorl, conCelho de'Pagos de Ferreira
den-se o seguinte faci :
mi mi ammentava urna filhfnha, e queiiava-
se de graode abatimento de forgas, attribllindo isto
blicagao dos nomes, por isso tirara occullos. Apezar de muito que j se tem edectuado, a ne-
Na ultima conferencia da associaco dos ad- cessidade de completar os nossos meios de com-
voeads, apresentou o socio o Sr. Francisco Anlo- municago, pela reaego publica, cada vez mais
nio Veica Beiro a seguinte these para er discu- urgente. D aquelle complemento resultara nao so
(^5, vantagens indispensaveis s povoagoes que anda
Em 1847 depois de extinctos os padreados (qne nao obliveram semelhantes meios de communiea-
foram por decreto de o de agosto de 1863) om in-, gao, como maior beneficio as localidades que ja se
diviJuo dotou urna especie de convento no Alem-' possuem.
tejo com certos bens, impondo-lhe a obrigagao de! A le que autonsou o governo a auxiliar a eoos-
alguns encargos pios, que nao se enmprindo, re-' truegao das estradas distnciaes e muoicipae? nao
verteran para quera representasse o padroeiro. produzio todo o effeilo desejado, apezar de nao ter
O convento era propriamente nm recolhimento ; ( havido duvida, por parlo do governo, na concessao
o se diz a poca da sua fundaco ; exislia sem das sommas necessanas para um fim tao til. Op-
e ainda subsiste com quatro ou porlunamenle vos serao apresentadas as proposlas
pergunta-se se corporacao de de lei que as circunstancias reclamara sobre tao
Hojese extrahira' a 3n parte, da 1* e 1* da 2'
lotera da matriz da Victoria (28a), sendo o maior
premio 6:0005000.
Hoje, Cordoiro Simoes, fara' leilao de movis,
crystaes e outros artigas de gosto, na mesma occa-
sio se vender' as dividas da massa falliia de Amo-
rim, Fragozo, Santos & C, as cincoeuta aego-s da
companhia Pernambucana, e diversos predios nes-
o assumpto as conveniente propos- ta cidade, de cojo lelao sera' effeciuado no arma- go magestade imperial,
zem da ra da Cruz n. 57 as II horas em ponto. do imperio.
Alm de muitas pessoas que foram felicitar
5. M. imperial, dirieiram-se tambera-a sua presen-
ga para o mesmo fim a cmara municipal, ollicia-
lidade do eiercito, da marinha e da guarda na-
cional, pelo corpo consular e por urna commisso
da praga do commercio.
f Um pouco taciturno amanheceu o dia 18, e
eotrestecido nos preparamos para a partida.
Ao passar o vapor pelos navios sarlos no
porto, cojo bordo regorgitava de interessanies e
bellas Rio-Grandenses, estas com suas vozes ang-
licas festejavam entusisticamente o imperador e
o principe.
A's 10 horas e 50 minutos passou o vapor
pela cidade de S. Jos do Norte, que toda jubilosa
e cubera de galas apresentou seu povo no caes
com msica e foguetes a victoriar os augustos via-
jantes. Sua Magestaoo rnandou pairar um pouco
o vapor para agradecer e:>sa lao sincera quanto
espontanea manifeiagao.
. A's 10 horas e 20 minutos fundeava o vapor
em frente da valorosa cidade, chamada apropria-
dameute Porto-Alegre. que toda risooha se tieva
na margera esquerda do no Guahyba.
U povo estendla-se em mullidao por todo o
caes do litoral, e todas as autoridades civis o. mili-
tares achavam-se reunidas no trapiche da alfande-
ga, onde se effecluou o desembarque.
t Chovla a cantaros, intenso era o fri, no en-
tanto nao pode ella apagar o ardor febril do enttm-
slasmo do povo, que com orados estrondosos vic-
toriava os augustos persouagens, que erara rece-
bidos como anjos tutelares, precursores do da da
gloria, em qua sera a provincia desalojada da bor-
da selvagem que a infammou invadi loa.
Foi um dia de erdadeiro jubilo para esta ci-
dade, que. vestida de galas, fazia magestosa recep-
ao defensor perpetuo
sob o peso da razo e da verdad*, e tmmitmit w
a honra e dignidade do paiz T
O que valem essas paiao** de partid*
lentes, e ainda mesmo opprimido? era face da ki
ra nacional ultrajada T
IV
Ha profundos desgo-to*, dizem, a a tovurm
prichosamente aggrava eat* desflaM>m !
Soja assim. Mas porque o teaf A% infirr
nao ha de ser o temp do renn-dn, qo<* iseva
de urna vez para sempre eese atal qn- lavra
tamil a Pe nambucana ?
A salvag.iu do paiz hojj maw lo qne MM
e.-ta oa harmania social, no anatqailanviiin a
pinto de partido, na unio 4* IrMailia !' rr
cana.
Libcraes de todos os matizas. eonsemdorM de
todos os twnpos, e eonrraf*>rr it h"|jtm "i
quizes'te elf-rtuar a re?on*T..r:io da Urrub IVr-
nainbucann chegada a occa-
Os iatetusm wwi, eieraas qatMl'
mais ou menos ord-m, de mais ou n*gn< lih^r*-
de, que vos dividem, devem <1e>ppmirrt diaa'e
da gran le quesio nacional a hovra e a mlrgr:-
dade do paiz em serio n*rsro.
Se os homens de posiro sio imperte******. >
governo caprichoso, mostrai qne neta sois im-
potentes era capricho- -
Escolham pois os Pernambiicinos enlr*! a
ferenga e o patriotismo, enire o egosmo e o i
enlre o crine e a vrtude.
l'm l'-rnambHCiinj hirrm*.
**m
GERESPQNBESCI1S
nao
constituigao lega
cinco recolhidas ;
mi marta ? E se ha direito a reivindicar
doados ?
Vao brevemente comegar as obras do arsenal
entre outras no alrga-
os bens importantes negocios.
A boa admiulstrago das provincias ultramari-
nas merece toda a solicilude do meu governo.
Pedem-nos a publicago do seguinle ofDcio :
Illms. Srs. membros da associago protectora
das familias dos Voluntarios da Patria.Em das
que j passaram e em horas de descanso e suaves
expansoes d'alma, compuz alguns versos, segundo
as impressoes do momento.
Essas composigescolleccionei-as em um tosco
lvro, que chamei Flores Fallidas, porque
ellas sao como que os ltimos lampe.jos da luz que
me accenrira a phantasia.
Pouco, bera pouco valem. Porm, sem em-
bargo disso pareceu-me que acertara publican-
do-as para oflererer o producto de sua primeira
edigao as Familias dos Voluntarios da Patria,
como urna homenagem ao patriotismo desses dig-
I nos defensores dos bros e integndade nacio-
naes.
Ao volumeacompanham varias listas contendo
Urna brigada de infantaria ao mando do coro-
nel Fontes fazia a guarda de honra a Saa Mages-
tade.
t Em um altar ligeiro em urna das salas da al-
fandega estava o Sagrado LenhO, signal de re-
dempgo, e que foi pelo virtuoso prelado de.-ta
dioiese apresentado a Sua Magestade. que rev-
Senhores reilaciore*. Beto disse mi eta
miiilia corresp'fnl'iicia, publicada em sea
Da i io de 17 do oorrenl*, '/"' tVaMH
campo licre ao Sr. Silnno Giulhirme i*
llanos, para n sua Mfmtti wtam'jtr a 'li-
ma da insolencia e p alrecimentn >U- que
insiifiin naslre.
Assim aconle-'eu, empreginlo *m sai
cjk 19 'lo Ca-
rentemente o beijou, pronunciando o illustrado
e'moca'81^"3 eloqUBDles que bem **** SM correspo.ui.Micia publico!.,
Comoorgiio da municipalidade o presidente rento, termos s propias .la<|U.:ll qua
da cmara proferio ura bem deduzido e locante nao receberam thioacrio.
discurso.
A' nouH liluminou se toda a cidade e muitas pa-1
; irioticas manifestagoes se llzeram'. Varias bandas
; de msica allumiadas por loehas e anbotes se di-
j i li'iram ao pago eahi felicitaran) o soberano. .
Deslumbrante esteve a prov de adhesao aos au-
tlrevemente vos ser prsenle, entre outras, apro- 245 assigoaturas para a obra, as quaes oblive em gustos hospedes, patenteada pelos Alleraes resi-
*. denles nesta cidade, que, reunidos a muitos outros
de marinha, que consisten), ~.,
ment e accrescentamento do dique e de um ater- posta de le que tem por fim, nos termos n cuas auxilio do tira a que me proponho, onerecendj-o a
ro Parece qne irabalhopara dous annos e onde esiabelecdos, a aboligo da escravido entre lodos publiridade.
se gastar'800 a 1 000 contos. os pontos da mooarchia. Contino no empenho de alcangar outras as-
De-lina-se a exposigo internacional do Por-' A coulianga que me inspira a vossa zelosa e il- signaturas, que levarei posteriormente ao conheci-
to entre outros productos nacionaes, um que se v! lustrada cooperago, noque diz respeito aos me- ment dessa philantropica e patritica asso-
na fabrica de tecidos de seda do Sr. Manoel Costo- Ihoramenios que reclaman) os diversos ramos da ciagac.
dio Moreira no Porlo ; primor d'arte, o nico feite | admimstrago publica, do-me a certeza deque Assim queiram Vv. Ss., como dignos membros panhado por grande numero de vozes e que era
at hoie em' Portugal e talvez o nico qoe se apre-! nao ficaram esteris os desejos que vos animam pe- dessa associago, acceitar a minha pequenissima inmediatamente succedido por estrondosos vivas,
sent na grande btalba em que os contendores lo bera da nago, a que nos honramos de perten- offeria, certos de que dou tudo quanto poda dar, < s. M. o Imperador e Sua Alloza o principo es-
sao : as arles, as industrias e a agricultura das' cer. porque dou o que tenho.
nacoes amibas. Consiste este producto n'um corle Estaaberla asessao. I Deus guarde Vv. Ss. Recite, 19 deagosto de
de vestido adamascado de cor amarellada.com um O da 31 de julho, anniversario natalicio de Sua 1865.Manoel de Carvalho Paes de Andrade.
- Magestade a Imperatriz, augusta av d'el-rei e yiu-
riquissimo lavor da mesma cor,
cenas e determinadas distancias
no qual se ve a
o emblema real
. va do sr. D. Pedro IV, anniversario tambera do ju
significando a alhanga das casas de Braganga e Sa- ramento da carta constitucional da monarcia, foi
boia. O emblema que se acha ricamente desenha- officialmente celebrado segundo o eslyllo, sendo
ti-
D. Maria
mesmo lempo que o panno, e con- muito corrido o cortejo no real paco da Ajuda. Ou-
tra os dous escudos de Portugal e Italia. A lar- tro motivo po.em de jubilo nacional animava a
gura do panno e de 85 centmetros, e a machina corte, o funccionalismo e o povo n esse da, p
em que fello i Jacard. Honra e gloria fa- quanto pelas duas e meia horas da madru?
brica que manufactura e expoe um tao precioso a nha sua magestade a Miaba, a senhora
bem acabado producto, e ao joven artista, o Sr. Pa dado luz um infante.
Joaquim Baplista da Silva Guerra, que conseguio Sua magestade havia entrado no nono mez de
tao perfeiamente por em pratica o que tinha na seu estado Interessanle, e pelo ministerio compe-
tente se tinham dado ordem para preces po felici
3 de agosto Variu ein todas as dioceses ao remo, de modo que
Com grande applauso soubemos neste paiz o o primeiro da de preces foi
imaginagao.
o do nascimento do
regio infante.-pos s poucas horas depois constou
ofcialmente que devia ser em todas as igrejas can-
tado ura solemne Te-eum pelo fausto successo.
A'^, no dia primeiro do crreme foi el-rei o
Sr. IX Luiz I, Sua Magestade o Sr. D. Fernando o
Sr. infante D. Augusto, e o Sr. infante hespanhol
- De Pao d'Alho temos as noticias seguintes
1 em data de 20 do correte :
Nada ha de nota referir-lhe.
t Aqui esteve a forga de guarda nacional de
Olinda com desuno a Page ; e faltando 3 cavados
para a condugo de munigoes e bagagens, foram
esses animaes apresentados ao commandante d
mesma forga pelo Sr. delegado do 2. districto,
por ordem do jaiz de direito, a quera se dirigi o
dilo commaudante, fazendo sentir essa falta.
Continuara por caos furtos de cavallos, arada
piucos das levaran) um de dentro d'esta
villa.
t Ah novissima, qoe deu accao publica contra
os autores de furtos de cavallos em campos e par-,
tes de criar e plantar, pouco adiantou. A verda
deira medida tornar esse erime era afiangavel.
t A maior vontade da autoridade naufraga ante
a impotencia da lei.
i E tao denunciados pelo promotor publico in-
terino ilois inspectores de quarteiro da Gloria, os
viudos de S. Leopoldo, formaran) um bello grupo
de mais de mil, cada um dos quaes sustentado nina
lanlerna de cor, produzia magnifico effeito. lima
banda de msica os preceda, dirigiram-se resi-
dencia Imperial e ahi entoarain um hymno, acom-
liveram sempre ajanella, de onde recebam e
agradecan) essas manifestagoes -ardentes de um
povo que os adora. ,
triumpho que as armas brasileiras obliveram as
aguas do Paran sobre as forras paraguayas. Glo
rias de um povo amigo, consideramo-las tambem
nossas. Os horisontes que os vasios recursos do
imperio apreseniam, nao deixara recelar pelo fu-
turo de tao poderosa nago, ambara os desfalques
passageiros da luta ahi se fagam actualm -nte sen D. Sebastio, que xou enire nos a sua residencia. qUae flzeram p^te da patrdiha, que foi prender a
tir. A nobre resolugao que S. M. 1. se digoou to- O corpo diplomtico, deputagoes das duas cmaras, aquelle Policarpo, de que Ihe fallei. Nao vale
mar de partir para a provincia do Rio-Grande, co- os altos fuoccionarios, a corle e muitas outras pes- anenas one. n.ira ofender a um crit tinoso.
rajoso acto de patriotismo de que tanto se devem soas de distraego assistiram aquelle acio reli-
ufanar os seus subditos, foi tambem para Portugal goso.
urna noticia jubilosa, por ver quanto esse augusto1
soberano tem a peito o lustre de ura povo de quera
o nielhor e ma^sentranhado amigo.
Para em tudo o destino irmanar ns dous paiaes.l
que lao ntimos lagos de consaguiuidade e affeelo
estreitam, at no amor que ambos consagram s;
dynaslias reinantes, a providencia dos povos os
quiz fazer iguaes.
Esse brado festivo com que retumbaran) as abo-
badas do congresso legislativo ao constar ofcial-
mente a heroica deterranago do filho magnaumo
do libertador, resa oestes confins do Ocedenle em
cfeoa de geral consenso. |
Quando as relagoes que existem entre o primei-
Sua magestade a raioha foi tao feliz, que nao es-
tando nessa occasio facultativos no pago, apenas
soffreu duas horas os naluraes encomrfiodos de
parturiente, de modo que j o real menino era
nascido quando chegou a parteira de sua mages-
tade.
O baptisado ser, dizem, oa igreja de S. Jerony-
mo em Belm, glorioso monumento do venturoso
D. Manoel, e saudosa recordago da feliz poca em
que o pequeo Portugal ensiuava ao mundo atloni-
to o camraho das descobertas e dos ousados coni-
meltimentos.
Falleceu o general Caiga e Pina, conde de
Hilvas, ajudante de campo d'el-rei D. Luiz I. Ha
apenas que, para prender a um criminoso, se
gara augmentar o numero dos criminosos.
O invern continua, pois ainda chove bastan-
te, os gneros alimenticios nao vo caros, e a dele-
gacia est as raaos do 3 suppleule por terem
dado parle de doente o delegado, e o 1." e o 2.
supplente. >
De Garaohuns escrevem-uos em data do 7 do
correte:
J est preso, tendo sido enviado pelo delega-
do de polica de S. Bento, Manoel Luiz Jos Fer-
reira, autor do assassinato em que Ihe fallei na
minha ultima, succedendo porm que anda nao
tivesse raorrido a infeliz victima que suppoe-se nao
escapar.
Tambem foi preso pela mesma delegacia Joao
Baplisia Bezerra, criminoso uo termo do Buique,
Do Jornal do Amazonas extractamos o se-
guinte :
Por diverso motivos e*xisiiam na capital oi-
tenla pragas do 3 da artilharia, onze de infama-
ra e dos corpos de volunlaros, que deixaram de
embarcar as occasioes em que seguiram seus res-
pectivos corpos.
t Todas ellas procuravam pretextos para conti-
nuar na capital, allegaudo motivos, ou outras iseo-
goes legaes.
Desde que, com a chegada do vapor espalhou-
se a noticia da partida de S. M. o Imperador para
o sul. nem urna s appareceu mais era palacio pro-
curando os despachos. Traiarara de apromptar as
mochilas, de limpar as armas, e embarcaran) to-
dos contentes e satisfe,itos.
Quando o Exm. Sr. presidente da provinci a
Ihes perguntou a causa de tfw rpida quo inex-
plicavel mudanga, responderam :
t O raonareha ja largou a sua casa : os ca-
maradas estilo morreodo no sul : nao agora que
nos ha vemos de licar quietos na nossa.
Estas simples palavras, revelagao de uro en-
liroeolo sublime, qual o amor do paiz em que
nascemos, partidas de homens que as nao estuda-
ram para com ollas prodozir i lleto, aio o Iran-
sumpto do carcter nacional ; o esquedmenlo, a
iudiff'jrenga por quasi ludo, emquanto nos nao
comraovem, e por isso, os iue jalgam pelas >ppa-
repcias, dizem :
O lirasiloiro cobarde I
Eslimulai-lhe porm os senlimentos e verois
emquanto lempo esse manso cordeiro ce converta
em leao.
Folgamos de registrar este laclo, era apnaren
ca tao insignificante, as paginas do
nal.
Emqitaiilo o Sr. Silvino nao affiiroar pea
imprensa, sob sua r>>s[>onsabili>!a.l\ **m
rao o guanla de sua eompanlna Francin
de Souza Magalhaes. meu Bino.
Eiuquanto nao exhib'r penuie aMn
a sua guia de pass gem do batalho ib? arti-
lliaria para o terceiro de infantera,
bos em como se acha quite com as caas
de ambos os baiallies. e as ordens lo dii
que o elogiam, m lo solemnemenl*' I
voquei para publicar : deixo de responder-
Ihe por ora.
Os fados, Sr. Silvino, qn* mencione! ea
minha correspondencia, oo p**rien<-em a
vida privada; e s um estupido dir o con-
trario.
Sr. Silvino, o fim que tive em visla na
minha correspondencia, alm da qoeslo
principal, foi apresenta-lo a apreciaco do
publico.
Senhores redactores, como o Sr SiKino
fugio da discusso, qual outro capitao Ti-
berio, e di/, que nao me d mais resposla.
en nao direi outro tanto se elle publicar a-
quillo de que o provoquei.
Peco-lhes que b-nham oraigo pacifi,
por occupai-me ainda com o Sr. Silvno-
visto ler-ine elle obligado a Uso contra mi-
nha voniade e educaco.
Fetiw Francisco de Souza .VagalUes.

litfAt Ais".*
a mnr
O Brasil e o i*aragH*a*f.
(Algumnt palacras aat gntrtttis mtriomtn ie Per-
mmtmeo)
\
U nome da oae i bra;; ira lodigm^ivci- -
Irajao I Os tnumph >s de tantis ano >* pnarwvMl
a eclipsar-se ; a reputarSo ti<*rio antepassados adquirirn) con) Unta abv>ga<*ao. rom
lauto herosmo, cora lauto sacniKio einfae-se
u'ura m) instante, num momento,sea qo^ lodo*
o; p-itos brasileiros s expoiihara ao f-rr.. r i
nossoJor- '06 c,,s itaHgo, bnalhaodo j>ela d gaidade, |Ha
i honra da trra fia os vio naseer I
- Passageiros do vapor bra^ileiro Cruzeiro do \ nwras sombru* pe se Ht*
Sul, sahido para os portos do sul : meram no hor.soot; da paina, y10bo.i*.m*-
D.Virgna Mana da Con eigao. madama Meyli- Plf nho lerrive de um dniaa sanfoioo^f) *t
naere Petronille. madama Amatilde Long e 3 filhos fatal; annnnciam q-ie o sangue brasilmr^ r Jos p'ulino de Moma e Silva, prime.ro nosso solo, os nosso* campos, oa rntama vf~. m
ro magistrado de" urna* nago e o seu povo, sao j poucas semanas, como Ihes disse, tiuha fallecido o i qUe< segundo a parto offlcial, seguia para o sul da
aperladas por mutuos sacrificios, pode-se confiar conde de -amiento, ajudante decampo d'el-rei o i provincia cora cartas de proteego.
desas-ombradamonlc no futuro, porque s as-im i Sr. Fernando. i E' lamentavel que arada haja quem proteja
que se traduz era faqlos de eloqnente verdade o! Pelo feliz successo de imperial magestade a criminosos, principalmente assassiuos, os quaes
sonhado equilibrio dos poderes, que todo se basea na harmona de recprocos ioteresses. A caucada das, sendo o quarlo aqueiie era que o recem-nas- viudo de instrumento de vioganga a lercoiros con
honra nacional a arca santa das liberdades pa-1 cido infante receber as aguas do baptismo. | tra seus proprios prolectores I
blteas, todas as vezes que ruis e povos se dao as j Diz-se que ser elevado ao titulo de vizconde Domingo, 7 do crreme, Manoel Pereirada;
mos e uuidos em fraternal amplexo, erguem al- j com grandeza o Dr. Jos Eduardo Magalhaes Cou Silva e Jos Moreira de Andrade, amigos desde a
tares a patria e se Ihe censagrain cora sincero es- linho. infancia e visinhos, foram fera na Palmeira, e,
forgo nos mais decisiv-s lances. i. fermino hoje por aqu por nao ter outros fados de volta para suas casas, encontrando um lagedo cravos, Ani.nio Jernimo Marques jo-e
L Sonbe aqu (mas nao de um modo positivo, e j de importaucia que mencionar-lhes. apropriado, disunte urna legua da povoagao, um drigoes l>ranga, Julio da_ tsiiveir.i loso, Man >u r.
por isso eolio Ih'o oo communiquei) oquenodis- Pelo paquete da carreira de Liverpool nao es- dos dois convidou o outro para jogar. \cceilo o Bacellar, D.. l-ranciscaThereza ranea ae ADreu,j
curso do throno pronunciado ha pouco pelo nosso crevi porque oo tocara em Pernambuco. convite, Manoel Pereira gauhou do companheiro I
joveu soberano, se annuncia a respeito do que a | Pelo Olinda, qne vai para ahi em direitura re- d0s m| res, que recebeu mmediataraeote mas,
menores, ,m ,.u,... -^ .......... -......., r......-
lente da armada Antonio Ferreira de Qveir,| musas campiny, sem que o amor da pama. e*s
D. Maria da Gloria Pinto de Olive.ra, D. Joamia Ca-. senl.raenlo imrenso como o espaco, eterno como o
rolina Feroandes da Silva e 1 cria-la, D. Franceli- '''">P. aW.mer iraidew ser a piwat de Beo,
na de Mello Calhelro e 1 criada, Manoel Hartins nos condnza ao campo da baulha I
a Silva, Maria E. do Espirito Santo, Jos M rate.ro, l Onde esta o nosso pairio!- ? Xa rovarda qn-*
Silvana T. de Carvalho, W. W. itol.ebard, Dr. J P I man.feslamos. lornando-nos
da S. Novaes, sua senhora, o filnos menores e 8 es-1 dos do Brasil, que .mt
Luiz Ra-
sua mediago obtivera para cessar o desaccordo mello esta,
poltico que tinha havido enlre esse paiz e a Gra-,
liretaoha.
Uoje, como se colhe desse importante docpmen-i
to e ah devia ter opportunamenlepcunstado, estao j
oovaraeole estabelecidas migaveis relagoes entre
o Brasil e aquella nago com mutua dignidade pa-
ra ura e outro paiz.
Oxat que a sorte das armas, continuando aus-
piciosa pa-ra esse heroico povo; haja de garantir em
L.
PERNAMBUC,
REVISTA Drill.
D.
Candida Thereza Franga, Simoa, Joaquim Pires
"versa, perdeu dopois quatro, Gongalves da Silva, Aron Lery, Adelo Vallada-
oso Moreira que Ihe fossem res, Francisco las Carvalho, V. Kndnmes I rato
Guimares, D. Francisca de Luna Freir Santos,
irm5 da caridade Maria Boy, Sezisnando Jos Pe-
reira da Silva, Manoel Luiz da Silva, Candido Sil-
vestre de Souza, os operarlos engajados alfatates
Joaqolm Manoel Benicio de Souza, Januario Alfas
do Nascimento e Antonio Prxedes de Souza e Luiz
de Franga Barbosa, 11 pragas de diversos corpos
I correndo-lhe a sorle ad
] mil ris, e, exigindo Joso Moreira que
I pagos, como elle o fuera por sua vez, Manoel Pe-
I reir que presuma de valente, e que era desarra-
{soado, uegou-se a i.-to.
Entao houve altercagao, e depois lula, cahindo
i Manoel Pereira victima de um tiro e de urna faca-
I da dados por Jos Moreira.
Consummado o assassinato, chegou ura irmo
A serie de espectculos de prestidigilago, que do assassioo, e exprobrou-lhe o seu acto criminoso, |
ba.ses segurissimas a missao providencial que o annunciamos haver sidoassentada entre a empreza este repellio-o, dizendo que j eslava ferido, e que, mada^lO reorutas e
imperio bra.-ileiro est destinado a realisar no con- do theatro de Santa Isabel e o Sr. Lraski, brese matara a quantos se Ihe apresenlassem. O irmo
tinenle americano. i hoje crfm a eslea deste em seus trabalhos phantas- correu a' povoagao e contou o faci, como acabo
Portugal faz ardentes votos pelo engrandecimen- j neos. de descrever; mas a autoridade policial prendeu-o
to do Brasil, porque se asiradicgoes mais honrosas O celebre Cagliostro das Antilhas vem evocar a como devia, e traa de perseguir o criminoso, para
que a nossa historia archiva, se podem reputar recordago das grandes noites, em que o nosso o que ja'lera feilo diversas diligencias,
coramuns reciprocas, serao tambem as glorias que theatro nao tinha espago para comportar os espec- ] < Terrivel vicio! nao ha aegao raa que o hornera,
' tadores vidos de apreciar os effeilos sorprenden- quando por elle dominado, nao pratique por seu
tes da ligeireza dos Herr Alexandre, Hermana e respeito. Entretanto, a sociedade escolhida aco-
outros de Igual mrito, qne neste nao sao todava |he-o nos seus saloes, o poto a elle se abandona
superiores ao Sr. Linski, como por si mesmo me- as espeluncas, e as autoridades pouca ou nenhu-
Ihor o avahar o nosso publico. ma altengo dao a estes focos de iraraoralidades e
Na ausencia de diversoes, de que se resente esta crimes I
cidade, por certo o theatro ura elemento dedu-| ( Foi preso, no mesmo dia de domingo, nesta
po inleresse para os seus habitantes; e com esta villa, por ordem do subdelegado de polica Silva
vartedade de espectculo tornase elle ainda mais Jnior, Jos Alves de Vasconcellos, que achava-se
importante, convidando a concorrencia. i judicialmente liquidando o negocio de urna burra
O Sr. Linski tem produzido eothusiasmo real com que Ihe periencia, cora seu ex-patro Joaquira Jos
o seu trabalho de prestidigilago, e om verda- j dos Santos Jnior. O motivo da pnso foi urna
deiro artista nislo, como lemos lido em jornaes das denuncia dada por esle; porm tem ella (a priso)
provincias do norte, onde tem elle trabalhado, em sdo muio censurada, por ser o rapaz de muito
seu trajecto das Antilhas para este imperio. E as- boa conducta, e dar-lhe rauila gente razo nesse
sm, sob taes ioformagoes, podemos asseverar que negocio, que, quando muito, devia ser disputado
o publico ha de ficar salisfeito, e nao passar por perante o juizo civil. Felizmente, seraelhanle ra-
Os quellie eram affectos, estao fazendo poltica decepges que as vezes Ihe arma a especolagao. paz um prenles que iratam de defend lo, e pa-
especlanle, o que diga-se a verdade, ura ptimo | o Jornal do Commercio, de Lisboa, noticia o > rece-rae que tai burra dar' em burradas,
systema por sua nimia commodidade. seguinte: t O preso procura tirar documentos para babeas-
Do lado que soprar o vento ah estarao araanha Agraciados com mercs honorficas, por diplo- corpus, porm, esta' sendo procrastinado o seu di-
os paladinos lodos. mas no mez de junho, a saber : reito.
Algumas reunioes polticas se tem feto para to- Commeodador da ordem militar de Nosso Se-, Finalmente, ha nma denuncia contra quasi
mar o pulso a situago, quer de um lado quer de. nbor Jess ehristo, o Dr. Luiz da Cunha Feij, me- to.ias as autoridades deste lugar, dada por um reo
outro. i dico da cmara de S. M. o Imperador do Brasil. que, tendo interposto recurso, assira quiz inutilisar
A dilferenga numrica d vantagem ao governo,1 Cavalleiros da aotiga e muito nobre oraem da aquelles que toraaram e lioham de tomar coohe-
por ora; mais que ? De 7 ou 8 votos mais. J se Torre e Espada, do valor, lealdade e mrito, Joao cimento do seu processo; em Palmeira, a autorida-
oo diz, todava que serao addiadas as corles, mas Procopio lavares, capitn de cavallaria de liaba do de vio-se obrigada a reunir genle, para nao ser
qae o ministerio se recompor dentro em poneos exercilo bra>ileiro, om alieoco aos seus merec- desrespeitada por ura grupo que ja'anteriormente
das coro alguns membros da maioria, e se lngara mantos e qualidades e aos servigos prestados por $e tinha apresenlado aii por occasio de tirar um
denodado aos mares da sovernacio. seu pai, o conselheiro Joao Fernandas Tavares, em processo por queixa de parte. E' advogado do reo
Eis o discurso do tnrono : defeza da liberdade edo throno constitucional deste 0 bacharel Cuaba Sales. >
c Dignos pares do reino e senhores deputados reina | Sobre a viagm de S.M. o Imperador aoBio
da nago portugueza.Comprazome de me encon- Joaquim Francisco Fernandos, negociante por- Grande escreve de Porto-Alegre o correspondente
trar no centro da representagao nacional presidio- tuguez na pra^a do Par, imperio do Brasil, em 0 jornal do Commercio o seguinte :
do a soleranidade da abertura da presente sesso testemunho de aprego pelos generosos senlimentos, .
que tem manifestado em favor, nao s de alguns. A's pressas fchanos a nossa nltima missiva,
de seus compatriotas desvalidos, como da benefi- por isso nos escapou mencionar algumas eirenm-
cenca publtoa desle paiz. stanclas occorridas na cidadt do Rio Grande, e que
Alisuramse honiem, no batalho acade- nao devem ser omittidas; vamos hoie remediar
mico; essa falta inteiramenie involaotana, fllha da i
Emiliano Jos Bodrigues, segundo anno.
a bandeira desse imperio alcangar, pois sao para
nos brazoes de familia que a identidade de senli-
mentos e aspiragdes unifica a despeito da incom-
mensuravel distancia material que nos separa.^
N'o dia 30 do passado abriram-se as cortes
geraes, pronunciando nessa occasio o augusto
chefedoeslado o discurso queadianle Ihe transcrevo.
Esteve presente grande numero de deputados e
pares do reino.
A talla do throao ommissa em muitos pontos
de adrainistrago interna e por isso tem dado mar-
gen) a variados coramentarios da imprensa poltica.
DifTuso e mui circumslanciado que esse docu-
mento fosse, igualmente seria criticado pela ira-
prensa, e quera diz imprensa hoje era Portugal,
diz opposgo, pois ao lado do governo quas. que
nao na ura jornal poltico.
12 recrutas para a armada, i desertores da arma-
1 desertor do exerrito, 1 sol-
dado de cavallaria e 10 engajados por coala do go-
veroo.

CSMMnNICABGS.
legislativa.
Continuo a receber das nagdes nossas alliadas
provas constantes da raelhor mlelligenoia quede
da para dia, mais estreitam as relagoes amigaveis
que vos ligara.
Tenbo a satisfagan de vos esmmuncar que ces-
sou o rompimeoto das relagoes polticas entre o
Boasil e a Gra-Bretanha terminando este tempo-
rario desaccordo com mutua dignidade para am-
bos os'governos.
Em nma guerra de iovaso to-
dos os cidadaos sao soldados:
I
O paiz est soffrendo, e solfiendo multo.
Duas provincias j foram invadidas pelas hortes
selvagens do Paraguay, as quaes nada poupara de
tudo quanto ha de mais sagrado a propriedade o
lar, a honra, a familia I
O governo appellou para o patriotismo da na-
go, e sobre tudo para o patriotismo da guarda na-
cional, a quem corre o especial dever de guardar
a nacao, como o esta radicando o proprio ame
de Guarda nacional.
Ao reclamo do governo todas as provincias do
imperio acudiram pressurosas enviando coot ugen-
tes da guarda nacional.
S Pernambuco nao tem at hoje acudido ao gri-
to da patria tfflecla ; e porque f I
II
Ser Pernambuco urna provincia degenarada,
e destituida de patriotismo, desta virtade que im-
pelle nos a amarraos todos os nossos concidados,
como irmos; desta virtude que ahraga e trae to-
dos os brasileiros em um mesmo sentimenlo, em
um mesmo pensaraento a defeza da honra e in-
tegndade do paiz?.
Nao ; Os Pernambucanos nao s3o egosta ; elles
na* se isolam deploravelmente do concert de seus
irmos.
Nao; Os Pernambucanos nao sugam o sangue
do corpo social, isentando-se de toda a reri-
procidade, semelhantes a essas plautas pai asilas,
que bebem o sen alimento na arvore que as
sustenta sem nada Ihe ceder em retribuigo.
Sobra nos Pernambucanos coragem e civismo:
a sua propria historia, suas iradigoes gloriosas ah
esto Da memeria de todos.
Agora mesmo do mais travado combate sobre
pressao que tivemos ultima hora ao deixar nm as aguas do Prata sobresahi o cadver do Per-
Francisco Xavier dos Res Lisboa, segundo anno. povo qoepatenteon o ardor de todo seu patriotismo namnuraoo Pedro Alfonso Ferreira joolo a ban-
Joo P*lro Belfort Vieira, terceiro anno. na recepgo magnifica que fez ao sen inclyto so- deira nacional victoriosa.
berano. "l
c Nada dissemos sobre nma ovago qne moito Se nao faltara aos Pernambucanos coragem e
nos comraoveu. No dia 17, s 9 horas da noute, civismo, como explicar-se essa indifferenga qoe aos
Ararico Jos Friado, terceiro anno.
Ildefonso lenoch de Berredo, Maranho.
Para o corpo de voluDlarios da patria offere-
=^"^^ S^^S&^^v^S^sSi^SSS^ ^t.sss; ,
uesio resolvida tao satisfaotofiaraente orno o fa- tholomeu Tavares de Souza, Manoel Isidoro
aa desde logo antever a recoahecida illustraeo e bosa, Cesma Ouirino da Silva, Vicente Victorino de "'f". e ai".
.aquellasdoasnagoes aquenos ligara *$*$ S^aS^Sl &ESS! hymoos.Megre, r
-'"- ----- "" que bratn festivo, melanclicos pois que as notas ameagamo paiz? t
depois de elevaren) aos ares ticos ou tirados pelo ressenitmenio guardar crimi-
caixelro' estridentes hurrahs em hoora dos augustos va- noso silencio, vergonhosa inercia, no meio dessof-
^ipteSe.'e'e^rcio o mais importante dos oTa^reoIoes aVtWces do arenal de mariQha ^ .^%Tm ^T!'TVZZT XZ d H* %euV'Hdeverao,I a.laaar como Ihes compre essas
direito? polticos dos cidados na recente eleigo perico Alves de ParU Pefc e ux&t Ferfelra de falavam o coracao. tlnrando as Abras da sao- ^^P^ 07dTm socU EnS
da cmara dos deputados, venflcaad/'-se aquelle Araujo.
n-lifluntam. aos tara-
dos do Brasil, que implora o teososo auxilio. *
appella para o dever sagrado qoe temos de d-?f<**i-
de lo, que, de restos, snpplica a esmoia do nosso
valor I
Oode est a nossa uniao, a nossa frateraidaV ?
Na infamia que arresoamos, mostrndoos- ar-
dos aos gemidos pungentes dos nossos ponres m-
felizes irmos qoe derramam o s<*a santo*, qmvmr
cnllcam as suas vidas, qu-f soceambem n rstran-
geiro I.
Onde est o nosso valor, o nosso bro (Teatrera ?
tina repblica vil e mesquinha, inirifamv mi-e-
ravel, ingrata e ir ueoeira; om panhado dV tli-
dos que vire sera saber qoe peas da vida ; ama
uinhada de reptis nojeolos e eeaomome qne y ar-
rastra no limo mais vil da ierra, la*a-aaa sem-
blante com o sea punhoe... n tnWvf i *>- 11 a
ouira face para recebemos rfrnatri bnfetad-i.cimo
se fossemos um povo pusilnime, romean fBhmao*
um grupo de covardes I
Dessa trra, baonada com as UgriomVde taoUs
vi o vas, com i copioso prauo da erfmomfnrle, tteve
brotar o desejo ard-nte de planur a (raadrua ar-
vore da civili-aca i --tire as minas de Humavta.
escondrijo d.i infamia e da miseria, da pervertida-
de e da orgia I
Desprezando o raciocinio precario e o* areaama-
los frnecidos petas inlelli|*eneia.s desvaira-las fio
continuo tumultuar das paixdes mndanos:
cando um riso de escarneo aos qoe ergoem
ras insuperaveis e diffl ulura a no*sa *MaM*pem :
olhando com profundo despreto pata os qoe pro-
curm su florar os impulsos gen* rom dosi
coragoes pa'nolicos, qne desejam
planos heroicos das cabecas altivas, qoe
pensar, que irapedem o arrojo da nossa rxa
d'alma, nao lenhamos a baiseza de apurar
agentes do governo, algemando os nossos
offuscando a centeiha de bro que
violando a nossa propria persa
dem para o combale ; nao aguardemos mm am
prito agudo, partido do peilo do nosso mooarrha.
nos forc a pegar em armas ; nio eoosiotamo*
que o temor da morie se apodere dos nossos cora-
goes I
Para que a nossa honra deise de ser nm ooj**ctr
de infame monopolio para que a nossa digaidOdk
seja disputada aos misera veis qoe aos e apena iaa-
raensos baldoes ; para que a nossa gloria srja e re-
sultado de um feilo heroico, para qoe nao no* car-
vemos sob o peso da vergonha, se forana vetrt-
elo-, necessario qoe imit mos a Pranca, moa
Franga gloriosa de 1793; preciso qoe
mos em memoria os caracteres dooraios
p-'ni o sublime decreto da cooveocao fraaiaia ;
indispeosavel que os homens partam para i
bate, que as uralheres fabriquera roanos i
soldados e edifiquen! barracas para os
i|u os meninos desdea linbo para se corar o fc-
ridos, qne os velhos, conservando-se aas praeas po-
blicas, inspiren) enttiu-iasmo e aogmenlem a cora-
gem dos corabateoies I
Longe d'aqui e-la a nossa felicidade-----
Errantes, como o viajor dos deserto*,
mos para o nosso honsonle, mare
ponto brilhante, que a nossa vista
alm I
Longe d'aqui est a nossa gloria.....
Dentro nos, sarja nm novo Jesnee i
dos a Ierra da promisso, a i
nos, app.irera nm novo Pedro-Eremita, nm i
no Joo Sem Terra, e,
do nosso vergonheso lemargo, sejamo* i
mais a conquista da nossa Jernsalem I
Longe d'aqui est a nossa haara-----
Os dedos de David arraneavarn da'
sons melodiosos ; o coraco do I
r ~ -L .
TTIm"

.


-
Diarto de rtrnumbneo Terca felra 94 de Agorio te 1S.
/
sendo sensivei nobreza dos seus impulso?, urna as estacoes do nono os frtelos dessa plasta, e re Barca nacionalValte-\dem.
harpa rnais harmoniosa, mas divina
Soberbos e humilde-, grandes e pequeos, ricos
c pobre?, mendigos e abastados, fldalg s e pasto-
res, todos leem era seus corachas urna corda deli
cada e melindrosa que de ve ser tangida : a nos-
sa honra I Em busca della devenios lancar-nos no
abysroo sem raedirmos a sua profundidade I Era
pesquisa dessa emanagao de Deus, olvidando o va-
cuo imtnenso que se alonga a nossos ps, devemos
iutar al que os nossos.membros sejam dominados
pela fraqueza proveniente do cancano e da fadlga,
al que o fri da morte termine o calor da vida I
Lnuge d'atjui est a nossa vida.....
pugnaacia, que presentam os deentes ni fazer
uso do sueco desws fructos, era consecuencia da
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descouhecida dos botanistas :
esta planta pertence familia das solaneas, e lem
a denominado de solanum pamculatum, que lhe
fol dada por Lyneo.
Pareceodo-nos conveniente facilitar o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
pregado, nos propozemos e conseguimos preparar
com elle nao s um extracto alcoolico que pode ser
applicado em pilulas, mas tarabem um vinho, um
xarope, e ura emplastro que pode substituir, em
Sem a honra, a existencia torna-se um peso in-' certos casos, o de Vigo ; e esamos persuadidos que
suportavel e quando a vida um peso, a roorte com isto prestamos um servico huraanidade e
um beneficio. Horramos ; mas nao manchemos therapeuiica.
as cans da nossa longa e veneranda serie de avs. Pisn, tratando da hydropcsia, prescreve a de-
Succumbir no campo da honra, em defezada patria, cocciio das raizes da jurubeba, e Mera! e Delens,
arrosiar o perigo chimerico que anniquilla a rea-, em seu Diccionario de materia medica e therapru-
lidade do abysmo I fica, dizem que as An'ilhas se faz uso do surco
Longo daqui, portauto, ha a felicidade e a des-' dos fructos maduros dessa planta contra o catar-
graja, a gloria e a nullidade, a honra e a ignomi- rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses me-
uki. a vida e a norle
E' necessario escollier, forcoso optar I
Lina resolucao extrema nos salvar I
Floriano Jos de Miranda,
Voluntario da Patria.
dicos,.merecidamente celebres, nos leva a crer em
, suas palavras, e por. isto cuidaremos de ter em
| nosso estabelecimento essas raizes, para que possam
ser experimentadas.
A repulagao da jurubeba tal, e os resultados
Brigue inglezC/twa<*A-carvo.
HECEBKDOUIA DE RENDAS IWERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCO.
Rendlmento do dia 1 a 19...... 23 ft1323
dem do]dia 21................ 2:8125399
28:338,532.
CONSULADO PROVINCIAL-
hendimentodo da 1 a 19...... 39:1605223
dem do dia 21.............. 9:205,5064
48:601,5287
MOVIMEHO DO FQ1TQ
E mais se no-contlnba eft ditr'lertio de pro- Os fvrk'menlos de Cartee VJI, o a casaca de
testo aqui copiad ; Dm feiticelro.
E tendo o supplicanto prodozido saatf^ilemu-l Os-frarcos rD,'l,us-A iiwci di Linski (li-,
nhfl?, sellados e preparador os autos t6#am geireta de mo.) ,
minha conclusa, e nelies dei a senWs do ilieor O lenco encanMO e a v8ta phanUMtitlca.
segrate : I As qmtro cartaS -^ algineira de um espectador,
Hei por justificada a ausencia dos supplieado-, terminando pelo el-fe "e loJos os corac5es.
que se mostrou acharem-se em lujar incert : e O espelho de Artil/wt\ 's ou a sorlft fa,al &* 3
mando que sejam ellas citados por edit-u de 30 velhasOs Ipenachos (ov;".'1?30 d Sr- Linski em
das para o fim requdndo a folhas 2, pagas as cus- Pars.)
tas ex causa. A correte de Spartac,* J ns inne inr,l0s-
Kecife, o de agosto de 1865.Trislao de Ale.ncar Os vasos de Neptuno ou a gran./8 Pesca m,|a"
Tercs-f-ira22dC9rreDle*s II bra
No armazem a roa da Croa a. i".
Ar~ii>e-. grosa em scena ( enlre os especia*..res-)
- mais se nao contlnha era diU sentenca aqu Infelicidad-) dos tres relogios.Terfii.,nara
pela
I os supplicados para que comparecen* n-ste falto
dentro do indicado prazo, alim de allegarem o que
I fr ile jusiiea.
amo saludo no da 2t). E lar.i que. ch -gue ao conhe.oimento de todos,
Lisboa, Maranho e Paracrvela portugueza sle-' [nandei passar o presente, que ser publicado pela
ptiania, commandante o capitao tenente Alvaro imprensa e afflxado nos logares do costume.
Jos de Souza Soares de Andrea. Reeife, 8 de agosto de 1865.
Navios entrados no dia 21. Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
Aracaty9 das, biale brasileiro Exalaco, de 37 crivao, o subsorevi.
copiada, por jrca da qual o referido escrivo fez A lilha do ar.-.l garrafa de Cagltoatru
P5s_s.?I^!Pr'.isente edlla' Pel> 'I"' chamo e iolimo O caminho de ferro por cartas.A IIWV d"
clebre Hr. Hermn
LiEILAO
A 22 do convufe
Ferreira 4 Maib u> len.i. d- mmk rae w^
para o armazem que fui d> linado II n<; G tn-m.
farao leii.io, |ior interi ii_. ,|, ^ent. oi.r^ira, .U,
seu lindo e bem conh dijn rtnn i,. ,1^ Uir<
inglezas as mais pro,.ria* u inerra*. e n por
Uta aoimaro a concurrencia d- seu* fr* i -
amigos,
Em seguida a companhia dramat ca reprseos- as 10 horas da raanha. n-> s
r a chistosa comedia em 1 acto, ornada d* musica rua da Ladeia. d.. qual seria iocuavpoieaK re
Bolsa e cachimbo. YCr as indii"ii,-< r-t-Bd-
Dar flm ao espectculo s mteressanle e gracio-
sa comedia em 1 acto .
toneladas, capitao Traiano Antones da Costa,
equipagera 7, carga differentes gneros ; a Jos
de S Leilao Jnior.
Trisio de Alencar Araripe.
MAH TEXTAQOE8
Comecara' as 8 horas.
-~-8>-
Hais
as
um attentado contra
fnstltulcdes.
Ha pouco mais de um mez (|ue registramos um
grande alternado praticado nesia cidade contra u u i
represetilanie da provincia, e foi o facto estupendo
e eremos que original no Brasil de ter a assem- !
bla provincial do Ceara expellido de seu seio, as I
preparatorias do 2" anuo da crreme legislatura,
por mera recreacao, e em satisfico d^ mesquinhos
odios de alguns de seus membros, o Sr. deputado :
j reconhecido padre Alexandro Francisco Cerbo-'
| therapeuticos obtidos ltimamente sao to impor-1 Havre38 tiles, brigne frarreez Crar, de 23f>tone-
' lautos, que nos parece intil dizer mais do que I ladas, capitao Le ChavaJier, equipagam 11, car-,
isto, que flea escriplo. ga mercaduras ; a F. Souwage. C
Deposito: pharmacia de
Joaqutm de Almeida Pinto.
VARI ADES
DICI-iBAxJiDEL
^ciencias e medicina.
L-se na Union Medcale de Pars:
Os jornaes de medicina fallaram por va-
ion Verdeixa, estando elle alias no pleno goso de rias vezes de urna descoberta importante
seus direiios polticos. | para a therapeulica, que consista na desin-
y Protesiamos enlao contra semelhante violencia, tPccjn \n nipn rio fiasHn rip harilhin spiti
-revoltante e deploravel era si rnesma, por partir f^,0 Q0 01 ae "8aao ae DacaiMO sem
da pnmeira corporacSo poiitici da provincia, e me tiiar nenhuma dassuas propnedades.
ainda mais porque sendo exercida contra os direi-! Temos O prazer de annunciar lioje aOS
tos polticos d
raeao
des
an
paiz onde um cidadao coiiocado na ppsicao de re- conseguio desinfectar o oleo de flgado de
presentante da provincia, soffre impunemente em hacalho Com O alcatrao e O balsamo de
seus direiios polticos feridas desta ordem, muito jQ\a
mal devom estar tanlo os direitos polticos, como
os ndividuaes dos que se acharem e
menos,
Navio sabido no mesmo dia.
Porlosdo Sul-vapor Brasileiro Cruzeiro do Sul,
commandante Alcoforado.
Observaco.
Suspendeu do lamaro para Gibraltar a galera
americana Torquim, capitao Kimboll, com a rnes-
ma carga que trouxe de Esumatra.
SDITASS.
O Illm. Sr. inspector da theseurarla de fazenda
desta provincia, manda fazer publico, que tem mar-
cado o dia 11 de selembro prximo vindouro, para
O concurso que se tem de abrir nesta mesma iiie-
De-ordem do Illw.'Sr.'fnspifctor da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico para
coohecimento de todos, a circular du iribunal do
thesouro u. 27 de 20 de julho ultimo abano trans-
cripta.
Secretaria da the*ouraria de fazenda de Pernam-
buco, em 14 de agosto de 1865.
Servindo de ofllcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Circular n. S9.
Ministerio dos negocios da fazenda.-Rio de Ja-
neiro, em 20 de julho de 1865.
Jos Pedro Dias de Carvalho, presidente do tri-
bunal do ihe-ouro nacional, leudo resolvido que
se substiiuam as notas de 105 da 2" estampa, cor
mm MAMTIMQI.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegicao costeira por vtqtor.
Parahyba,*Natal, Macan, Aracaly, Cear
e Acarac
No da 22 do crreme segu o,
Persinunga, commandante Ralis.
par;i os porlos indicados. Re:ebe
carga al o dia 21. Encomnen-
das, passageiros e dinheiro a fre-
te at as 2 horas da tarde do dia da sabida. K--
criptorio no Forte do Mallos n. 1.
Jrara o fio de Janeiro .
IKI. AB
De movis e utr s x hiato*
Terca-feira ti do crranle as 11 horas ctb
ponto.
!N> ARMAI.EM A III A HA mi* :. 57.
Cordeiro WlMes
far leilao por conia e risco de qu->m arrt-mc#r >
diversos uhjeetus de man-ineiria n'jv.hi r r.-a4.>~ *
ouiros otyeetw de puta, n-> du. naj hora a-
ina dito.
De este i ras
Leilao
p.-ira furo
de sata ra*
As experiencias feitas por muitos de
T^eoM nossos Praticos celebres, nos hosptaes e SO- eommarcio, com especialidades a reduceo de
m psito so i nartiriilare^ as analvsps p moedas. Pesos e medidas, calculo de desenlo, juros
me seus uoentes particulares, asanaiysese simples e corapClSU)S ,neoiia de cambios e suas
s notas
Pretende seguir com muita brevidade a barca
nacional Restauracao, lem parle do seu carga-
mento prompto : para completado, e juntarajnte
para escravos e fretes, para os quaes tem excellen-
tralaoSl art. \- do decreto n. 1 114 de 27"de cedam a referida substituido com o producto da tescommodos, tratase com os seus consignatarios
iunho de 1863, a saber : leitura, analyse gramma- renJ:l (1asJ respectivas thesonranas, solicitando a Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
tical e orthographia, arithmetica e suas applicacoes remessa dos fundos precisos no caso de delicien- criptorio, rna da Cruz n. 1.
- cia da mesma renda ; e remellara mensalmente ao----------z^------^-------------------
thesouro as notas que se forem substituindo, devi- la de Miguel.
damenle carimbadas e inutilizadas. Segu impreterivelmeute no liui do corrente mez
Sos annuacios e ediUes far-se ha a declaracao o palhabMe poriuguez Pensamnto, de classe :
on ir de passa
Agora, registrando um novo allentado de igual ensaios de Cllimicos competentes, nao dei- a
jaez, o da cmara municipal do Ip, que acaba de vam npniinmo rinviria i p*Ip nwitoitn Os eonen'rrenips rlevprao nrpviamenie anresen- de que em lempo competente se marcar o da em quem no mesmo quizer carregar (
expeHIr de sen seto por .uxo os.eniacao de im- X ^JJ\^"Jj pSiLTalavraS de ^^^Z^JSZTXZ P**- o descont da le, no valor das >.%> a Bal.ar & O iveira, r,
punidade, o membro da mesma cmara, o Sr. ve-1 neidwmos diju db propnas paiaviasaei nriwmn dad* r.nmni reador Joaquim Corre.a Lima nasesso de 13 do um jlllZ muitO eminente e competente O Sr. I jg ^3"J "J '."ae ^i comoortarneuto na frma Joi Pedro Dias d Carvalho.
chamamos a at
rmoltaDexces?os auflm **'% }lambf!\> ***** ^ academia im-, do art- 3" do decreto n. 2,549 do 14 de MR** de Convida-se as pessoas que "esto as
Se 5ESS rSK&\ST!ifi^ Penal de med,c,M-e professor de Ch,m,ca-! l8s-.
nossa civilisago.
(Da Constuirao do Cetra).
Submetti a analyse, diz este distincto
| professor, o oleo de figado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
SaiilA nnlili'! | vrier, e posso certificar que esse producto
n ,. UttUUC, pu""w' | nao perdeu nenhum dos seus principios
Puncacao a respeilo de alguns dos medicamentos medicamentosos nem cllimicos, que se
acliam no oleo de figado de bacalho ordi-
A fraca propor?o das substancias
da casa Grimault & C.
Alguns Jornaes publicaram urna ordena- arfoT
Co d- conselho de sade portuguez, [que estranbas" queTe pS'D^ol^natura'para
Secretaria da Ihesouraria de fazenda de Pernara- COndicoes do serv.C0 militar, a engajarem
buco, 8 de agosto de 1865. no corpo de polica e gosarem das vanta-
Servindo deofficiai-maior, jgens di lei provincial n 611 de 2 de linio
3Janoe/ Jos Pinto. prximo passado, que sao as eguintes :
Illm. Sr. inspector da thesouraria pn.vmcial f-#mivrS dinrios de sold sprem spus fi-
era eumprimento da ordem do Exm. Sr. presiden- .V*"" Ullin(b ? i0W0' aerem seu u
te da provincia, manda fezr puuiico, que no da los men ires recolhirios aos esiabelecimen-
24 de agosto prximo vindouro,.pecanle a junta da tOS provinciaes dd edneacao e O lempo que
Tisset Frers previ nem aos carregadores dos na-
vios da linha do Havre a' Peroamliaco, qne o Irele
do Guillaume Tell, esperado a cada momento, tem
sido abaixadoa 30 f.-. e lOi, o do phre a car-
ga uo Havre a 25 fs. e O 0|0, e que talvez o dos
navios segumtes sera' ainda mais em conta, n que
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema- estiverem na guerra ser contado pelo duplo Ihes sera'avisado por vij deste jornal. Os navios
t'i- mhiht ii.ir i.-iunc fi ,* ., imi'Mrnr A-i ituniu > notis m ,ii ./%- >i, J--. ..... ** _-_ > >li,,.*
prescreveu os medicamentos preparados pea dissmular 0 clieiro e 0 sabor desagradaveis,
casa Grimault & C. de Pars, com o pretex- n3o pode do nennum modo alterar suas
to que esses acreditados pbarmaceul.cos pr0predades medicaes e s a torna de um
foram condemnados pelo tribunal do Sema us0 faei e mesmo agradavel
por terem vendido medicamentos secretos Em resumo, o oleo de/ado de baca-
e dosificados. l/io desinfectado pelo processo Chevrier
Lssa ordenacao parecer bem extraordina- oza de propriedades idnticas ao oleo de
na quando se ti ver lido as segumtes cir-figad) de bacalho ordinario, que elle repre-
cumsiancias: senta exactamente
1. A sentenca de que se trata foi dada: Elle" muit0 hem tolerado pe|os doentes,
sobre a deniinciaco de un dos concurren-! os quaes ee nio anoja e lomado ias
tesdosSrs. Grimault & L., esobre asm- nessnas ciiin imstn p. nlfafn san dns mais sns-
lar a quem por menos flzer treparos da ponte i para 0 cm A' ap0eiitadoria, e allll destas
do Rio rorraoso, avahados em 4ot4*000. immM ,.
A arreraataco ser feiu na forma da lei pro- tem todas as nrus vantagens que S?0 con-
viacial n. 343 de 15 de tnaio de'1851, e soto as cedida 30S voluntarios da patria. '0 te-
clausulas especiaes a baixo copiadas. nente-coronel commandante do corpo de
As pessoas que se proporem a essa arremai?aoa poica> Alexandre de Barros e Albuquer-
formaces inteiramente erradas que foram
dadas ao tritmnal.
^. A sentenca foi dada por ;m tribunal
de pnmeira instancia, e nao tem valor al-
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus
ceptiveis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-S" tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. Clausulas especiaes para a arremalayao:
1.* Os reparos da ponie do Rio Formoso, seriio
feitos de conformidad* com o orgameuto junto na
importancia de 1:551:5000.
2.' As obras dev
de 25 dias e conc
contados da data da approvac,ao da arrematado
3.* Os pagamentos sero realisados ero duas
preslayoes iguaes, a priracira quando tiver melade
das obras, e a segunda ua sua couclusao e entrega
defensiva.
4.a Para ludo que nao esliver especificado as
presentes clausulas e orcamenlo, segur-se ha o
que dispoe o reguiamento de 9 de julho de 18G5.
Conforme.
A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
dpsrnhprlas d'pta ps-ipcp AavaMi pr nrn- cia1, era cumPri,nento da ordem do Exm. Sr. pre-
0 tribunal imperial nao decdio, mas ???S\,1?bl???m<1 deV6m ^ Pr"cente da provincia, manda fazer publico, que no
gura logo que se appellou ; foi por urna descobrio o meio de o tornar de um uso fe-
manobra desleal e contraria a lodos os usos;cl para todoS) prestou um Verdadei-o ser-
que os concurrentes dos Srs. Grmaultct C., KQ0 a arle de curar eaos pralicoS-
fizeram distribuir em grande numero os jor- Por iss0 Da0 podemos conC|uir raeihor
o;ics judiciaes e mandaram publicar em do qae felicitando o Sr. Chevrier por sua
ios paizes strangeiros urna deci-jrica e uti| descoberta que merece de ser
sao que milla, sem nenhum valor emquan- j propagada, e dizer com meu collega o Sr.
to o tribunal imperial nao a tiwr approva-, Dr. Riche|at os trabalhos que conduzem as
do, e depois delle o tribunal supremo.
tegidos pelos mdicos.
comparegam na sala das sessoes da referida junla,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se raandou publicar o presente
pelo jornal.
que.
Pela repatieao das obras publicas se faz pu
blico para conhecunento das pessoas a quem pos*
sa interessar, que o concurso para praticantes foi
Secret-ria da thesouraria provincial de Pernam- addiado para o dia 9 de outubro deste anno.
Secretaria da reparticao das obras publicas 19
19 de agosto de 1865.
No impedimento do secretario.
estao a disposicao dos carreg-adores para as rollas
a um frele abaixo de 45 fs. e IO |0 conforme se
] ajustar com os annunciantes, rua do Trapiche n. 9
Para a Balda
; at o dia 20 do presente mez pretende sahir sera
falta o veleiro e bem conhecido p lacho nacional
! D. Luiz, capilao Jos Teixeira de Azevedo : para
I a carga que lhe falta trata-se no largo do Corpo
I Santo n. 4, com o consignatario Josc Maria l'ai-
; meira.
Para o Porto por Lisboa
| pretende sahir com a possivel presteza o brigue
! Pernambucano : para carga e passageiros, a quem
Joao Joquim de Siqueira Varpjao. |offereee bons commodos, traa se com o con.-igna-
tario Thomaz de Aquino Fonseca, rua do Vigario
Terga-feira 22 do audante nitiz vo a' praga
de venda, linda a audiencia do dito juiz de orphaos, | n. 19, primeiro andar.
rua
271
. ,- ,1. -..*. .n. diversos movis, ouro e prata, e as casas da
?.i2a* n/dLTmS 7mhn Imperial n. 268 avahada por NOf, a de n.
^' l SS, .T> ciliada por 8O0fi, e urna asa no Barro.
sim, por urna sentenca de 17 demaio pr-
ximo ptasado, ordenou nova vistoria, a que
tioba motivado a decisao dos juizes da pri-
meira instancia Ihes tend parecido insuffi-
ciente, depois das novas experiencias intei-
ram-nte contradiciorias de um chimico e de figado de bacalho ferriginoso de Che
! da 24 de agos'o prximo vindouro, perante a jun-
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier: la da fazenda da mesma thesou'ria se ha de arre-
sobre o oleo de figado de hacalho lhe fi-: ma,ar>a fiuem Pr meno* nzer os reParors or8en-
zeram obter um resultado nao menos im-1 SifflSjSt ^'" d L,raer0'
portante. O qual consiste em ter associado O a arremataco sera relia na forma da le provin-
ferro ao Oleo de figado de bacalho. O oleo, cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sol) as clau
phvsiologista eminente, o Sr. D. Leconte,
pliamiacetitico em chefe dos hospitaes, e
professor aggregado da faculdade de medi-
cina de Pars.
4." N'essas circumslancias admira-nos
que um conselho de sade publica se tenha
decidido sem informaces mais certas, a
mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
peicio medicamentos, cujas excellentes qua-
idades e perfeita preparaco tem sido, des-
de muilos anuos, r conhecidas por todos os
membros mais distinclos do corpo medical,
e que tem os nicos defeitos de serem me-
mores, menos caros e mais procurados do
que todos os remedios de seus concur-
ren t?s.
k lenco.
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
phannaceutico Jos da Rocha Prannos, estabele-
cid > cora botica na rua Direita n. 88 em Pernam-
btieo.
E-te xarope incontestavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja composigao
osen maior elemento a salsa p; mina, poi> que se
tem conhecido ser o veame mais enrgico para a
prompia cura das molestias, cuja base essencia
depende da purifcagao do sangue ; assim pois se
tem verificado por muitas pessoas que se achavam
desengaadas, as quaes acham-se hoje restabeleci
das rom o referido xarope alchoolico de veame;
eniretanto que alguns, tendo nsado do xarupe de
Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-
ria, ideo de flgado de bacalhu, e outros agentes
desta urdem nada conseguirn). E' elle de fcil
dige-tao, agradavel ao paladar e ao olphato. Al-
guns mdicos desia cidade e da de Macei o leem
recommendado para a cura das
Impigens tinha, escrophulas.
Tumores, ulceras, escorbuto,
<",am ios, sarna degenerada, fluxoalvo.
Tolas estas affeccoes provm de urna caua in-
terna ; nao ha pois razSo alguma era crer que el-
las s podem curar com remedios externos. Tam-
bera se prescreve o xarope alchoolico de veame
para > iraiamenlo das affecgoes do systeraa nervo-
so u ti toroso, laes como :
Galla, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre tudo, da
maior utilidade para curar radicalmente, e em
pouco lempo o rheumatismo.
Adverte-se q'ie o verdadeiro xarope s se vende
neeta cidade ni botica cima indicada, do abaixo
assigoado.; e em outra qualquer parte que se tem
animiii'iado nao da mesma composicao, e nem o
-abaixi a-signado se responsabilisa.
Jos da Rochi Paranhos.
A jurubeba.
As virtudes therapeuticas da jurubeba sao desde
minio conhecidas nao s no Bra.-il, pois que dellas
tratr.i Pisn em sua excellente obra Historia na-
turatis el medica Indiw occidentalis, seno as
Aniilhas, onde o sueco das folhaf, e fructos como
aqui, muito eslimado e applicado contra as obs-
trui-e'-s abdorninaes, principalmente do flgado e
35/; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam com frequencla, isto se nao deve a
nao recoonecerem elles essas virtudes, mas slm a
nao serem encontradas cora fac lidade e em todas
vrier constitue talvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iod'iro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vas digestivas e por consequencia
se assimila muito mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipac5o. E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-
tar nenhuma preparaco marcial, lomam f-
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sortimento dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer
<& C, rua Nova n. 18.
COMMEB 10.
Cai\a filial do nance do Brasil em
Peruambaco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no U10 de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
l\ovo banco de Pernambuco.
dministradores da massa fallida de Joaqoim
Jos Silveira pagara o 1 dividendo de dita massa
na razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
medidos : no novo banco de Pernambuco rua
do Trapiche n. 34.
Soto banco de Pernam-
buco.
O banco desconta Ietras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Cala filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo lhe-
soureiro est autorisado a pagar o 23 (dividendo
do semestre Ando em 30 de junho ultimo Ja razao
de 125 por aejao.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de julho de
1863.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se proporem a essa arrematado
comparegara na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da ihesouraria provincial de Pernam
buco, 21 de julho de 186o.
O secretario,
A. F. d"Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arremataco :
I.' As obras dos reparos da cadeia da villa do
Limoeiro, sera i feitas de conformidade com o or-
camento respectivo ua importancia de ris ......
3:4185130.
2.a O arrematante dar principio ao trabalho 13
das depois que se fizer a arrematago e as dever
concluir no prazo de 3 mezes.
3.a Os pagamentos sero feitos em 3
iguaes a cada terca parte da obra correspundente.
4.a O arrematante segnir na execucTto das obras
as instruccoes do engenheiro, que a inspeccionar.
3.a Para ludo quanto aqui nao estiver previsto
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. a"Annunciacao.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da im-
Qaarta-feira 23 do corrente se hao de arre-
matar por ser a ultima praga, perante o Sr. Dr.
juiz municipal da 2a vara, duas escravas penliora-
das a Joao Mariuho Paes Barreta, p >r execugo de
Jos dos Santos Neves. ______
Consulado de Franca.
Conforme o art. 7 da convenci consular entre
o 15ra-il e a frruea, o cnsul francez faz publico,
que falleeeu no dia 14 do corrente a sutoiilo fran-
cez Caraoios, Malhieu Pierre Vctor. Pernambuco
16 de agosto de 1863.O cnsul de l-'ranga
Osmin Laporte.
Arseual de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
Para o corpo de plcia em virtude da ordem
da presidencia de 12 do corrente.
250 mantas de la.
260 bonets redondos.
650 pares de sapales.
260 gravaras de sola de lustre.
Para o deposito, ordem da presidencia de
di do crreme.
100 bonets.
10'J grvalas de sola de lustre.
100 mantas de laa.
100 pares de sapatoes.
Para o laboratorio, ordem da presidencia de
18 do correle.
25 arrobas do plvora.
6 ditas grossa.
1 espuraadeira de metal.
Para o presidio de Fernando, ordem da presiden-
cia de 18 do corrente.
PARA O
Rio de Janeiro
pretende sahir nesles 15 dias a barca nacional
Valle; para carga, passageiros e escravos a Arele,
traia-se com David Ferreira Bailar, na rua do
Brum n. 66, ou com o capitao da mesma barca.
Para Lisboa
vai seguir uestes poucos dias o brigue portuguez
Constante, recebe ainda algumas miudezas e pas-
sageiros, para os quaes tem boas accomraodacdes:
a tratar cora Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
largo do Corpo Santo n. 19, ou com o capitao na
praga.
BP
ISllQZl.
LEILAO
DE
Urna casa terrea n. 38, na Soledade rua do Corre-
dor do Blspo, em chaos foreiros, rende 125
mensaes e paga de foro 25 por anno.
Cordeiro Siindes
por conta e risco de quem pertencer far leilao da
casa terrea cima descripta isto
JO-JE
Terea-fetra 22 do corrento as 11 huras.
No armazem a rua da Cruz n. 57.
Leilao de dividas.
Cordeiro Slmoes
far leilao a requerimenlo dos administradores da
massa fallida de Amorim, Fragozo, Santos & C. e
despacho do Illm Sr. Dr. juiz especial do com-
2 livros conforme o" modelo que se apresentar. I raercio de 20 ttulos de dividas todas na irapor-
As pessoas que quizerem vender ditos artigos taocia de 6:6805579 rs ; os prelendentes desde
nrestaees apresentem suas propostas na sala do conselho de ja poderao examinar os referidos ttulos, os quaes
onndente! compras, as II horas do dia 26 do corrente. se achara em poder do dito agente cujo leilao ser
Sala das sessoes do conselho de compras do ar-
senal de guerra, 19 de agosto de 1865.
O encarreuado da escriptoragao,
Manoel os de Azevedo Santos
Tarta.
(Juat ta-feira 3 de agosto.
O agente .'int > f*r laMte *>r eoni* e
pertencer de difireme- M*-M a Mm nm av-
ria, nesla mesma i-cca-io lamb : l-ra alfj-
mas pr-gas de brim pardo para l.-char fartnri. >
leilao sera eflecluadoa* II horas d> dia arima Ji-
lo, em seu escriptorio a rua da l>ua a. W.
JLCIjLA
De couro de lo>lre tu 4axia.
Quarta-feira 3 de agoMu.
Por intervengan do aaente IM**- em fu esrrip-
torio a rua da Cruz n. 38.
Leilao de calcado*
Qua ta-feira :i de agosto.
O agente Pinto lara l-ila > par ronta n ri*a
quem pertencer de uma caixa rom l> .f i-fuia m
phanlhasia para s<*nnora-> e sapit-> ra homens e senhora> : as II l| hra- !> da ci-
ma dito em seu escnpiono a roa da Ou aara-*-
ro 38. ___________________
6I4NDE LE!l\0
De mobilias completas de jicarn la. giur>l\-
vestidos de mogno e amarell.>. apptrail-ires. 'iir-
da louga, cama-i franrezas tk jicaraad e amar'I-
lo, objeclos de ouro e prata, oi$Ml Ae rima I
mesa (oora de go-t..), a*aa >-. irtletf- d- j com espeltoos, r.harulns da llavana e It.lu.. rail->i-
ras de balango, lialains rom p(JMi para tu
geni, carros de 4 roda* com eavailo-, >l.ri.--.
lindos quadros com linas gravaos I barra ifc-
ferro prova de foro por 4H h>r^-. cand-l hr
candieiros a gaz, hand-djas de rharo. bnauinria-
para junto de cama, quadros sarros para i*r--j is e
capellas, relogios de algil.eira t ouro e prata, rr-
nezianas, marqiiezas largas e estreiu* e Km
arfigos que se torna enf.ioonlio mencioaar.
Qaarta-reira 24 as 11 ttr-s.
no guandc ahmazem de lelhs
do ai;k.nte
OLYMPIO*
36Run da Cadeia do Reeife
-:*?
&ti>mm ggftai
perial ordem da llosa e juiz de direiis especial Relagao das cartas seaoras viudas do nrte pelo
do commercio nesta cidade do Rec.fe de Per- pM, CruMr0 d M paM os 8enhores ,,,
eHectuado
HOtJE.
Terca-feira 22 do correle as 11 horas.
No armazem a rua da Cruz n. 57.
ALFANDEGA.
Rendimenio do dia la 19......
dem do dia 21...............
317:190^447
20:409,5900
337:600*347
nambuco, por Sua Mageslade Imperial e Consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que Lino de Faria me diri-
gi a peligo do llieor seguinte :
Illm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio.Lino j
de Faria, como liquidatario da firma Faria & ("..,
sendo Pedro Buarque de uacedo devedor daquan-
lia de 3205940 rs Antouio Germano Alves da Sil-
va de 1:432990 rs., Antonio Ferreira da Cunha
1665640 rs., Manoel Holianda Cavatcanti de Aibu
querque 3005, Felippe Simoes dos Santos de H05,
e Francisco Antonio de Oliveira e Silva 2:0975420
rs., sendo todas essas di 'idas provenientes de le-
tras, que j se acham vencidas, e querendo ioler-
romper a prescripgo da forma do art. 453 3.
do cdigo, reqner a V. S. se digne de mandar to-
mar por termo o seu protesto, alim de era qual-
quer tempo poder haver de cada un do- supplica-
declarados
Dr Caetano Xavier Pereira de Brito.
Dr. Irineu Ciciliano Pereira Joffely.
D. Emilia Marques dos Santos.
Francisco Lucio de Castro.
Dr. Francisco Cordeiro da Rocha Campello.
Dr. Francisco Gongalves da Justa.
Guilherme Alberto Herbster.
Jos Roberto Vianna Gu llon.
Jos Rodrigues de Souza.
Leopoldo Cesar de Berredo.
Luiz Buessard.
1). Maria Carolina Borges Leal.
Manoel Roberto de Castro.
Correio geral
Pela administragao do correio desta cidade se
faz publico que hoje (22) ao meio da fechar-se-ha
1 a mala que o hiale brasileiro Lindo Paquete tem
dos o importe de snas respectivas lelras, sendo o de conduzr para a provincia do Paja.
mesmo protesto intimado aos supplicados, passan-1 | | .T.-1--------
do-se para isso carta precatoria para o termo de
Barreiros, onde mora Antonio Germano Aives da '
Silva, sendo os mais por editas, visto estarem em
I
V. S. a justificar essa
E R. II.
lugar incerlo, admiltindo-o
incerteza.
Pede V. S. se digne assim o deferir.
Lino de Faria.
E mais se nao conlinha em dita petigao aqui co
piada, na qual dei o despacho do theor seguinte :
Sim, devendo justificar a ausencia no dia 4 do
corrente mez s 11 horas da manha.
Reeife, 2 de agosto de 1865.Alencar Araripe.
E mais se ne conlinha em dito'despacho a mi
th:js \ rao
DE
EMPREZA--COIMBRA
Recita extraordinaria.
MOVIMENTO DA ALFAE'JA.
Volumes entrados com fazendas.... 67
t c com gneros..... 192
------ 259
Volumes sahidos cem fazendas..... 67
t < cot gneros..... 330
-------397
Descarregara uo dia 22 do correle.
Vapor inglezO/inda diversos gneros de estiva.
Brigue nacional Normadem.
Brigue inglezJurabacalho.
Barca francezaGuilherme Temercadorias di-
versas.
Brigue portuguezS. Joscharque.
copiado, em virtude do qual fra a mesma peii- l6rC:l-t0irl C aSTOSIO U6
gao distribuida ao escrivo que ante nurn serve loo**
Manoel Maria Rodrigues do Nascimenlo, o qual IODO-
fez lavrar o termo de protesto do theor seguinte : _. ... i ....
Primeiro ijraule sotre pnanlaslico pelo prestidi-
Termo de protesto. gitailur J. B. de Linski (Je Varsoria) cenhe-
Aos 2 de agosto de 1865 era meu carlorio com- d deb x0 do nome de
pareceu o supplicante, e disse perante mira e as cirimcTno ric *mtiiuac
testeraunhas infra assignadas, que reduzia a pro- -lAULIUalilU UAS AltllLHAS.
testo o contedo de sna petigao retro, a qual offe-l *j08 Que orchestra tiver executado uma das
receu como parte do presente que lica sondo, no melhores symphonias do seu reperlorlo o prestidi-
qual depois de lido se assignou cora as dilas teste-
raunhas.
Eu Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, escre-
vente juramentado o escrevi.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, o subscrevi.Lino de Faria.Jos da Cos-
ta Reg Lima.Secundino Eliodoro da Cunha,
gitador Linski dar principio aos seus trabalhos
os quaes se acham distribuidos da maneira se-
guinte ;
Primeira parte e ultima.
As balas de SebastopolA mulliplicagao.
O chapeo do diabolllO felto do diabo ou as
pegas de 5 francos.
LEILAO
De um sitio e casas de taipa no lugar
do Peres e Afogados, a beira da es-
trada que vai para Jaboalo.
Como seja :
1 casa de laipa com 17 palmos de Trente e 40
de fundo.
1 dita dita com 27 palmos de frente e 40 de
fundo.
1 dita dita com 15 palmos de frente e 40 de
fundo.
1 dita dila com 17 palmos de frente e 40 de
fundo.
1 sitio com 600 palmos de frente e 610 de fon-
do com carimba e arvoredos, todos esses predios
em chaos foreiros.
Cordeiro Slmes
a requerimenlo dos administradores da massa fal-
lida de Araonm, Fragozo, Santos & C, e despacho
do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, far
leilao do sitio e casas cima mencionadas, podendo
desdejaos prelendentes procederem ao referido
exame, cujo leilao ser elTecluado
HOJE
Terca-feira 22 do corrente as H horas.
No armazem a rua da Cruz n 57.
LEILAO
HOJE.
Pelo agente kazebio.
LEILAO
Da hypotlieea da casa ua rui le Mullas
Ferreira n. 48, ,n rirjadc 4a Oada.
Marlins fara leilao por ordem do Illm. *r. I-.
Claudino de Arauj > Guiraaraes cnsul de Por i-
pal. da hypothera cima pertencente ao esp.li !
Antonio Ferreira da Silva
Qninta-feira 24 du forrale
Em seu escriplorio rua da Ca lea a 9, as II
horas.
Na mesma occasiao sera' venlilo por orl-vn *>
mesmo Illm. Sr. cnsul um ravallo perteareale ao
espolio de Firmino 1 '.i ti-- Gon--.
Leilao de predios.
1 sobrado de 2 andares na rna da Assata-vo
n. 44
1 meia agua no neceo do Calabouce n. I. reo*
85 mensaes (terreno proprio.)
12 casinhas meia-aguas na ra da Palma en-
trando pela roa do Cano primeiro aorto a di-
reita.
1 dila dita junio ao porta > com anta sala, ana
quarlo e cosinha.
1 terreno cora duas casas pequeas m*Io ama
em construeco na rua Imnirial. tiypi>th-'-al s
por Manoel LuizCoelli.i de AlOMida ao l'.v.l. D.
Jos Antonio dos Sanios l.-.-sa.
Quinla-frira 21 t carrale.
Martins fara leilao compeientemeot* aot.ri.*.
des predios cima no seu escriptorij roa d. Ca-
dela n. 9, as II hora=. __________________
LEILAO
Da excellente chacra do Exm. Sr. desembark'al r
Doria, no Manguinho, com as ai-,-rtmm--d.
que podem ser examinad-s desde ja aHo |re-
tendentes, os quaes dev-ro coanorrer ao leiio
no dia
Terca-feira 29 de afasia as 11 lir^
em dddU.
Por intervenco do agente Piolo, era fretne a
Associaca.i Cuinmcrci.-.l.
4YIS0I 3IYEHS0S.
GUROS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
estabelecida nesta praca, toma securo* nioritira-H
sobre navios eseus rarr-gam-Mitos e rootra !<>ptm
edificios, mercadorias < mot*s.-ripi<*-
rio, rua do Vigario n. 4, pavimento imfrv
Os fillios do primeiro matrimonio *
gennis do "nado brigadeiro Gaspar dflMe-
nezes Vasconcellos de Drummond. eoavi-
Jam e pedem cncarei-iilamertt-) a toda as
pessoas que se consid;rarem crediwes A
respectivo easal se sirv.im do apparecer na
rua da Aurora n. G dentro de I5>iiasci*n-
tados da presente data, das 1 as 10 nm
da raanha e das 4 0 0da tarde, pira *e-
rifica^o dos seus crditos e ulterior a car-
De duas casas terFeas na rua do Gaz, sao novas do sol)re ^s sei,s pagamento*, indep
acabadas ha poucos .lias, de ns. 4 e 6, rende i65 de qDestoes jtliliciaes; Reo e. 8 de ag...*l .
por mez cada uma, chao foreiro. |r]e 1865.
Charles L. kralli relira-**
vincia.
para lor. A. pt
De duas casas terreas ns. 32 e 34 na ra da'
Praia do Caldereiro, tem soto, bem acabadas e
quasi novas, chao foreiro, rende 3J0O0 per rnez i
cada uma. Samuel P. JohD*ton, >ua rnhor- t acra
Um sobrado de um andar na rua Imperial n 9o da vo a provinrii d* Rakia.
chao foreiro, rende 3005 por anno.
LEILAO
zem de sal n. 221.
________ Antonio Hurle, subdito francez, retir.--* pj-
' ra Europa.
Precisase de uma mulher de meia oaae pa-a
. o servico de uma casa de ponca familia, para ro-
e 50 aCCOes da tompannia PemaiQ- -.ubar e lavarj i tratar na roa Imperial, ama-
bucana.
Cordeiro Simes
a requerimenlo dos administradores da massa fal-
lida do Amorim, Fragoso, Santos & C, e despacho
do Illm. Sr. Dr. juiz de direito especial do com-
mercio, levara' novamente a leilao as accees ci-
ma descrlpias, servindo de base a offerla oblida
no leilao de 14 do correte, Uto
O >r. Jos Pedro de Paiva Bararho fanal
ter a bondade de comparecer a repartlf-V ao cor-
reio desta cidade, afim de receber ana carta re-
coraraendada vinda do Rio de Janeiro.
Precisa se de um criado qne airva para com-
prar : na rua da Cruz do Reeife n. 64, priiaetrj
andar.


Diario VOLUNTARIOS
DA
LOTERA
AOS 6:000^1000.
Corre quarta-feira 30.
Acham-se a venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, os bilhe)es da
2* parte da lotera (29a) era beneficio das
familias dos briosos voluntarios da patria,
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
RETRATISTAS
Firmino Lins
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carino) 25.
Os proprietarios deste estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, aeabam de receber de seus correspondentes de Paris, um grande
do e no lugar e hora do costume.
Os premios de 6.-OUO0OUO at 405000
sero pagos una bora depois da extracto
at as i horas da tarde, e os outros depois
da distribuicaodas listas.
As encomraendas s rao guardadas so-
mente al a noite da vespera da extracto
como de cosime.
Thesouraria das loteras 2 de agosto de
1565.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Precisa-se de ura cobrador para este
Diario, que preste flanea : na livraria n. 6
e 8 da praca da Independencia.
cuja extraeco ser no dia cima menciona- sorf*ment0 de retratos (cartoes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, as&im como reoeberam tambem urna quantidade de alnetes e cassoletas para retraen, do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos. r
Os meamos aproveitam a occasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e dias santos, das 9
boras da mano5a ate as 4 da tarde e que os tem os de chuva do influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preerivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operario, como pela commodidade das pessoas.
e que nao ser menos de cerca
Beato
Europa.
de Medeiros Barbosa retira-se para
AMA.
Quem precisar de utua ama para cozinhar e en-
gommar, dirija-se a ra da Lapa o. 4.
Alfaiate ecostureira
Na ra Nova n. 26, nova loja de fazendas con-
ronle a holica do Sr. Dr. Sabino, precisa-se de al
faiates e costureiras para coserem para a I ja.
A grande quantidade de pessoas que lem visitado este estabeleeimenlo nesies dous annos em que se acham estabelecidos nesta cidade,
de ,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, posio que se appliquem todos os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
Precisa-se de nm homem que entenda de hor-
talice, na estrada de Joao de Barros, terceiro sitio
passando a estrada do Olho de Boi, no mesmo rom-
pra-se um carro para cooducco, em bom estado, e
um boi.
Tendo sido encontrada na estrada do P .m-
bal, na prlmeira Iravessa (pie vai'dar a estrada de
Joao de Barros, urna paiseira : pede-se a quem com
direiio a ella se tildar, de se entender com o dis-
tribuidor do Diario de Pernumbuco, que pela dita
estrada passa todos os dias. AdveitinJo-se, porm,
que so entregar a dita pulseira pessoa que der
da mesma os signaes competentes.
Precisase de urna ama que cozinhe bem e
sirva para comprar : a tratar na ra da Impera-
triz n. 34, Io andar.
O advogado Luiz Lopes Castello Branco mu-
dou seu escriptorio para o Io andar da casa a. 2
da ra do Queiinado, e que Faz quina com o becco
do t'eixe Frito, onde poder ser procurado.
Pliipps Ri-oihers k C, saccam
sobre o Rio de Janeiro a 10, lo od 20
dins de vista, conforme a vonlade dos
tomadores c o descont exigido.
MA GRANDE DESCOBERTA
Otilo
deFIGAOdeBAGALHAU
MEDALHA
DE
HONRA
As propiedades medican do oleo de (gado de bacalao forSo unni-
memente reconhecidas. Mas seo cneiro e seo sabor to desaf radaveis
tornao o uso d'elle muilas vezes/impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condeficentcs.
Por isso a descoberta do Sn/. Chevrier que lhe permettio de
O abaixo assignado declara que desta d em dianta, nao mais procurader do Illra. Sr. Es-
levao Jos Paes Brrelo; visto como seus afiazeres
nao lhe permiltem.
Recite, 17 de agosto de 1865
Hermenegildo Eduardo do Reg Mooteiro.
Consulado americano.
O consulado americano acha-se mudado para a
ra do Imperador n. 63, prlmeiro andar.
Precisa-se de 1:3005 a premio por seis me-
zes, com garanta em um predio nesta cidade : a
quera convier annuncie por este jornal.
Saques sobre i.i-tio.i
Manuel Ignacio de Oliveira & Pilho sacam sobre
Lisboa : no largo do Corpo Sanio n. 19.
desinfectar inteiramente o oleo
propriedades tem sido um dos
therapeutica moderna.
O oleo de ligado de bac
com um clieiro agradavel e um
tem nem gosto nem clieiro de p
Objeclo de numerosos relato
de urna fama bem merecida, e
lugar do Oleo de figado de b
propriedades do oleo de figad
nos mesmos casos isto as :
Molfhf un csrroriila-.il*,
llKCllilMmo,
Obmrucro ilns glande!,
Tinira pulmonar,
MoleMlIna H pclle,
Conatllulro l> ropbatlca,
Anemia, riclillldnde, fraqu
Elle convem a todas as com
fcilmente pelas pessoas as mai|
para a alimentario das crianc;
m
Deposito em Pariz, na pl
! ligado de bacalhao sem alterar suas
ais lelizes problemas resolvidos pela
ao desinfectado de Chevrier,
sabor assucarado, o nico que nao
e.
ios scientificos elle goza em Franca
receitado por todos es mdicos em
calhao ordinario. Tendo as mesmas
de bacalhau ordinario, usa se d'elle
rohrrra da augur,
EAfalfamrala par rirrm ale
traballia m de praaerea,
Moleatlaa i oh bronrliioa reeea-
lea ou eli realeaa,
Toaaea pe tinasea,
Gaatrltea, caalralajlaa,
Darea ale c-toiuaga.
eicoes e a todas as idades, e tomada
delicadas. Elle um poderoso socorro
fia cas e doentes
I
O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accao tao efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propriedades irritantes e nao
provoca a constipaco.
As pessoas as mais delicadas que n5o podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, tem muitas vezes grandes inconvenientes,
podero com a nova descoberta do Snr. Chbvribr, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeuticos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
lleto accompanha cada vidro e contem as observaedes medcaos.
rmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
psito geral em Pernambuco ra da Cruz n.' 22 em casa de Caros & Barbosa.
Precisa-se de um bom coziohiro
oo sobrado n. 32 da ra da Aurora/
a tratar
Na ra da Florentina n. 36 pripara-se com-
da por cemmodo prego.
Ama de leit
Precisa-se de urna ama de leite e
em casa de Luiz de Moraes Gome*1
Ponte de Ucha, ou no Mondego,
Luiz Gomes Ferreira.
Ama
Precisa-se alugar urna ama que saiba bem cozi-
nhar ecomprar, preferese escrava : tratar na
loja da ra Nova o. 11.
Quem liver urna escrava com aigum leite e
a queira alugar, annuncie para ser procurada.
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda mito que seja bem seguro : a tratar na pra-
ca da Independencia^ d. 11________________
Alugam se dous grandes sobrados com coral
modos para numerosa familia, novos e aceiados
cora jardim, cocheira, estribara e ootras commo-
didades, na travessa de Joao Feroaudes Vieira :
a tratar na ra da Senzah Nova n. 42.
lou captiva : na
Precisase de urna ama forra
ra larga do Rosario n. 35.
Pede-se ao Sr. Idelfons-Vivir da Cunha
que venba ou mande concluir o negocio que nao parte do nosso
ignora, pois ja faz bastante tempo : na ra da Im-
peralriz n. 17, 2o andar.
pagase bem :
Ferreira, na
casa da vi uva
AO Pl BUCO
CARLOS PLUYM-
Como a empreza de illumioacao a gaz tenha da-
do licenca aos machinislas para trabalharem por
sua propria conta, Carlos Pluym, machinista, offe-
rece seu prestimo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorte de MTTiCos concernentes ao
seu oflcio, por precos muito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Ra da Emperatriz 17
N. B. LOJA.
13" Para prova d perfeicio do seu trabalho o
mesmo t-flerece ao publico o testemunlio de in-
mensas pessoas para quem jalrabalbou a mandado
da companhia do gaz.
Precisase d*i urna ama para cozuhar e com-
prar : na ra do Livramen! u. 2o, segundo andar
[ O Dr. Cosme Je S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre n seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3 dos org5os geni-
ti urinarios.
Em seo escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pe-
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do- :
mingos.
Praticar toda e qualquer opera- ]
fio que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes. i
e_sappareceu oo dia 12 de agosto, da casa
paterna, um menino de tSannos por nome Elizia-
rio Adirilo Ferreira de Oliveira, de cor branca e
cora os signaes seguintes : cara redonda, cabeca
igual, nariz pequeo e um tanto afilado, cabeilus
ruiyos, olhos pardos, bocea regular, deotes iguaes,
quexo fino, bei{os iguaes, com o cabello collado
rente, levou ahapo de feltro rxo, palelot branco
de alpaca e um dito preto, grvala cor de rosa,
differenles calcas tendo uu:a de casemra parda de
quadrinhos, um chapeo de sol branco usado : ro-!
ga-se o especial favor as autoridades policiaes, aos ]
Srs. inspectores de quarteirao desta cidade ou de
fora della ou em qualquer parte que se ache de :
oapprehender e remllelo a capital de I'ernam-'
buco a' ra da Cruz n. 37.
No dia 11 do crreme furtaram da rua~da'
Praia um burro castanho, castrado, de 10 annos de
Idade, cujo burro tem a marca J. S. L no quai to
direito, e eslava carregado com cangalha de ferro
e 8 arrobas de carne : quem delle der noticia cer-
ta ao Sr. Autonio C. Moreira Temporal a' ra da
Cruz n. 30, ou ao engenho Boa Casta da freguezia
do Cabo, sera bera recompensado.
Arrenda-se o grande sitio da Piedade, na Ta-
manneira, onde esteve o collegio da Conceicao,
com todos os coramodos, e alem disso proporcoes
para grande agricultura : a tratar nos Coethos,
era o collegio da Con eicao
Criado.
Precisa-se alugar um moleque escravo, que sir-
va de criado em urna casa de familia, com tanto
que seja de bom procedimento e fiel: a tratar na
casa nova da ruada Saudade (largo do Hospicio)
defronte da de n. 17.
OS PARAGUAYOS
E' a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-los com os encouracados armados
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extermina-los em sumtna a espada, a
farao e a punnal de que se trata; mas
ningupm se lembrou anda de esmagar os I
Paraguayos co as armas que Deus nos con- B|
ceden; acabar com elles a tacao e a punta- i
ps, para o que necessario encouracar esta ; ]
corpo com os formidaveis |
rompe-ferro, esmaga c bra, arranca tecos, Wi
quebra marmore e outros que se vendem f|
4* RA UIREITA45 t3
entista de Pernambuco.i
Ra estrella do Rosario n. 3,
ao p da igieja
FRANCISCO PINTO OZORIOl
Colloca lentes artiflciaes
pelos Nysteinas maiis mo-
dernos
Emprega todos os meios scientificos para
conservar os naturaes. Pode ser procura-
do em seu gabinete das 9 horas da ma-
nhaa as o da tarde.
85000
a000
1(5000
Precisa-se de um bom cozinheiro, na
ra do Crespo n. 8. loja de 4 portas.
Domingos Rodrigues de Andrade, na ra da
Cruz n. 33, saca sobre a pra^a do Rio de lanar.
a praso ou vista.
Precisa se de urna ama habTlitada~para todo
o servico domestico : qncm estiv. r nesias condi-
coes dirija se a ra do Trapiche n. 13, ou na So-
ledade, ra do Progresso n. 7.
L'm r,apaz brasileiro coraTirtica^no foro offe-
rece se para cobrancas nesta cilade c no mato, e
da fiador a sua conducta : pode ser procurado na
ra doQueimado n. 4, das 9 horas da manhaa as
3 da Urde.
A ma
servico interno
tratar na praca
Precsa-se de urna ama para o
de urna caa de pouca familia : a
do Corpo Santo n. 17.
Faz-se publico que no dia 18 do correnle fal-
leceu a parda de nome Geralda Mara da Concei-
cao, moradora na Soledade, solteira, de idade de
89 ann s pouco mais ou menos, deixando orna
morada de casa e siiio onde rnorava, ouro e algum
dinheiro, o que foi recolhido por um pedreiro de
nome Ataliba que com ella rnorava, sem que cons-
te seja parate, oa ella raorresse ab iotestada, por
isso laz-se publico s autoridades competeutes, e
ao jnz de ausentes, queiram tomar conhecimento
do titulo com que esta pessa se apropriou desta
heranca sem mu titulo legitimo, no t-olretanlo que
consta ter urna alm de uilras henlelras, de noite
Alaxandrina. _______
Alugam-se du*s casas novas no melhor lu-
gar da Capunga, com boii commodos, bous quia-
taes murados, e cacimba, mr preco comraodo : a
tratar oo mesmo lugar com B. Jos Lellio, ou no
pateo da matriz de Santo Antonio n. 8.
Aluga-se ou tambem se vende um sitio na
Capunga, ra & todo murado, com porlao de ferro, arvoredos de
fructo, jardim, bora poco com excellente igua, e
casa para banho : a tratar oa ra das calcadas
numero 0.
^ Tcudosi annu-cindo a casa sita na ra do
Fogo o. 48 para se vender.desembaracada.o abaixo
assignado faz ver que a mesma casa sita na roa do
Fogo n. 48, como tambem outra sita na ra nova
de Santa Rita n. 34, se acham embargadas pelo
mesmo abaixo assignado.
__________Joaquim Vieira Coellto da Silva.
No pateo do Terco n. 44 precisa-se de urna
escrava para o servido de caa de familia.
5500
20240
10600
Borseguins Bordeaux.
patricios.........
para senhoras, en-
feitados.......
com laco e ivella ..
Sapatoes encouracados.......
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos delona, sola elstica.
avdludados.........
de Iranca...........
econmicos para se-
nlioras...........
com salto de lustre..
Chineles do Por o..........
Um completo sor timen to de calcado da
trra para homens, senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobica ao comp ador pela barateza.
Urna casa estrangeira precisa de um bom co-
zinheiro : quem estiver nestas circumstancias ap-
pareca na ra da Cruz n. 55.
Bernardino Pacheco dos Santos declara ao
corpo do commercio que mudoo o seu estabeleci-
mento de molhados da ra da Lapa n. 13 para a
ra do Hospicio n. 28.
^ advogado Godoy Vasconcellos, pode
gj ^er procurado no escriptorio da ra do
JQ Rosario estreita n. 34, ou era sua resi-
... deuda a ra do Sol n. 9.
Preciase de um criado que entenda de bo-
leeiro : no pateo do Garmo, em casa de Gabriel
Antonio, se dir, ou na Passagem n. 24.
mmm
Ama.
Aluga se urna escrava para ama de urna casa de
54300 mo5 solle""o ou de pouca familia, boa coziohera
AHOG -sabe comn_rar Dem : na raa de s- Bom JefUS das
5)9000
Crioulas n. 3.
Precisa se alugar urna preta que seja boa
I engommadeira e cozinhe, sem vicios : na ra das
30000! Cruzes n. 36, prlmeiro aodar : paga-se bem.
20000 < Os credores de Jos de Castro Redondo,~qucr
106O'i | d" propria firma deste, qur das firmas sociaes de
que o mesmo lem feito parte, lodos sao convidados
a apreseolarera seus respectivos ttulos na ra do
Amorim o. 41, afim de serem attendidos no pri-
raeiro rateio da massa liquidada, ao qual lem de
proceder-se brevemente.
m/fo&m $&&&'&&& m<.,w
H Compatthia fidelidade de seguros
maritimus e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEIlNAMBl'CO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, j'^
^* competentemente autorisados pela direc- J
S lr'a da ''ompanliia de seguros Fidelida- '^
5ft de, tomara seguros de navios, mercado- ;\'
"5 rias e predios uo son escriptorio ra da *
M Cruz d. 1. t
Na ra do Imperador n. 83, segundo andr,
i precisa-se fallar com os seguintes seidiores, para
negocio que Ihes diz re>peto.
; Antonio Xunes de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
. Joo Pereira da Silva,
i Jos Lopes lavares.
| Jos Francisco Rodrigues,
i Felippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
, Antonio Serafim de Deas.
i Manoel Fraocisco Coelho Juoior.
Joao Aalooio Pereira Ramos.
I Jcao Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
i Sebastio Antonio de Albaquerque (estudante).
Francisco Gomes dos Santos.
! Joo Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
: Sebastio Jos de Barros Barrete
Fraocisco Antonio Vieira da Silva.
| Domingos Jos Alfonso A Ivs.
: Joaquim Francisco da Silva.
I JoSo Ribeiro de Castro.
! Jos Francisco da Silva,
i Miguel Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Xeves.
Joaquim Francisco Moreira.
; Francisco de Aguiar Jnior.
Julia Bosa de Alraeida Pinto.
Leopoldo Gadaalt.
Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
iicao
i
preciosas e objectos de
ouro.
Mauricio Selbebcrg & C, Polacos, par-
tcipam ao respeilavel publico, que ac- |
bam de receber um graude sortimenlo
jB de joias e brilhanles, como sejam : relo-
;j gios, traocelins, aderemos completos, an-
*5 neis, cadeias, pulceiras ele, etc.. e tudo
^ quanlo diz rpspeito a joalheiria, pelo pre-
b co o mais razoavel possivel, e mesmo ;
'', troca e compra objectos de ouro, prata e
diamantes por objectos novos : na ra
do Queiraado n. 29, entrada pelo largo
de Pedro II n. 27, de maoha at as 9
boras, e a tarde das 4 horas em diante.
- Os objectos vendidos pelos annuociantes
-*fe sao garantidos por elles, e estao prompios
j para levar objectos as casas das pessoas
SB (|ue desejarera comprar, urna vez que
nao possam vr a seu estabelecimento.
" mmm mm**.
Aluga-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperalriz, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar do mesmo.
g&MJfc&JRM W&3& Wfc5*^*
jg Precisa-se alugar urna casa para rapa-
2 zes estrangeiros que seja na Capunga,
J9t Passagem, Mauguinho, Estancia ou Ponte
''' (le ^'cna : a "''''"" ua rua (' Vigarm
gg Novo eslabelreiaeni4e retra-
tos m *** 15, Til-
dar, jaula at Sr. Gaeticr,
dentista.
Tiram retratos todos os oas, a 7 beta*
da manhaa as 5 da larde, qoer cht va m
nflo.
Tambem se offererem para tirar retra- '
W tos de pessoas fall ilfc t ^niro <>o fra "i
m da cidade. jm
Os annunciantes desejando arredilar o
I sen e>n.be|..rim.nto, garaniem ao poMico
m que nenbom trabalho sahira d^ soaoMri-
tj na,sem quena., s. ja perfeilamenie acate
^ do, ( vontade do tnmmm.
Precisase alugar nma esrrava para ra -I*'
pouca Umiiia. _: a traiar na roa <].. Sebo .%*.
Encartamentos para
aguas.
Fazem-se na roa mm n. 30, rom Ma a
feica >.
A
*r-
i
m
S rouel Poner Jobistoi k Uaiaihia
Huada >enzaia.Nova n. 4.
AGK5CIA DA
Fundi?io de .aw Mor.
Machinas a vapor de i e 6 calilos.
Moendas e meias moendas para engenbo.
Taixas de ferro coado e balido para Vrpe-
jiho,
Arreios d carro para om e dnos cavad*.
Relogios de oito patente inglex.
Arados americanos.
Mackiutpara descarocar algndo.
Motores para ditos.
Machinas de cosiura.
Quadro dS~bravo8 d"
Riacimelo.
Esta a venda o primeiro ,|0adro dr. bravos
de Kiachnelo, Poniendo 18 relrafcs, entre os na?*
brilbam os de Pedro Alfonso, deGaraaoX ftotona
Torreao, etc.; a rua do loipeeW, livraria ara.!-"
mica n. 79, preco !W00.
Prevengo.
O abaixo assignado, para evitar duva**., piiai
conveniente prevenir a <|i>-m intfrn>-ar o*'a tpie
de m iTopnedade e nao dos krdtriw d.. Or
Jos Mamede Alves Ferreira, una raa -><,
mesmo Mu asignado haMa, -m larr*. ** r-
genhos om.-ira, e Alaroa d'Aa*, rxma **+.
de Nazareih. te bave-la romprado a *** i jeito
do Amparo. |., mu lem os prtnmt Amant^M.-i
havendo pago sua eei., e quem Uver (aavr ate,
ma reclamara,, a
nesta cidade rom o Dr. J. Cemita Teivw.
Reeife, Iti de agosto .le 18*5.
Jote huktrU tlritn
Creme.
tioje
meio *a tu ntsv

m
n. 3.
Aluga-se unta escrava para servico interno
e externo de urna casa : na rua do Imperador nu-
mero 50, terceiro andar.
MOLEQUE.
Precisa-se alugar um moleque para carregar
urna tatolea com joias pelai rnas desta cilade : a
tratar na rua do Calmg n. 2 B.
Ao publico. h
CASA DA rORTHi
Aos 6:000^000.
Hilhetes garantidos.
A" RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadovendeu oos seus muito feii-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabon
de extrahir, a beneficio do theatro de Santa Isa-
bel, os seguintes premios:
Um meio n. 2182 com a sorte de 6:000.
Dous quartos n. 2743 com a sorle de 1:2003000
Um meio n. 1379 com a sorte de 400,5000.
E outras muitas sones de 1002, 40, 20 t
105000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os descontos das leis na Casa
da Fortuna rua de Crespo n. 23.
Acham-se a veoda os da 3* parte da I* e 1* da
2a lotera (28") beoeficio d matriz da Victoria,
que se extrahir terca-reir 22 do correnlo.
PRECO.
Bilhetes.....7,8000
Meios......3S00
Quartos.....i900
Para as pessoas que compraren de 10000(
para cima.
Bilhetes.....63500
Meios......33750
Quartos.....13700
Manokl Martins Fiuza.
mmmmm mwm i *e* +:>:
Precisa-se de um caixeiro para taberna, que
d fiador a sua conducta; oa rua dos Assoguiuhos
n. 20. ______________________________
O Sr. Joo Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigr-si; a rua Nova n. 00, a tratar de n> gcies
que lhe dizem respeilo.
m O bacharel J
^ Francisco legista da Costa M
)< AOVBfiADO #.
Rua do Imperador numero t9.
O London 4 Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guiraares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Sol vele de ere ote
Trapiche n. 18.
bacharel J<>Mr?miit~St* %>
raes nao p idendo pela presteza le sm via-
gem despedir-se com.> mmmpm MmmmV
mente de todos os s^iis .iru^m, z pr.
presente e na lt.hu wira ond dV pnrva
seque, comoem omra (ua|.|m?r parV-. tnk
por ventura se acb-, i.fT^rtve-ftaft *n Imm-
tado prmm como mmm a ^,i*l. jtir i
de sua gratidao.
tJrevMm$em
O abiixo assi^-na-lo, fnsper|. A Previdenle -ocie.U.le de se|ar bre a vida fundada e admini-Irada rHn ln i .U-
tianra do Porto, tendo .1- rere--r m\ hcrr
para a Earopa, e con>iaml .le m*-*-v Mf*** a*
nesta rulad, partu-ipi >< vas mwu^ i i r ~-
dos na dita ateapamma, <|o wr**% m tm *nm~-
gara algun< nimm ma annualeu*-. mo. mt
ja lhe foram reru-II:].- da ndaO <>. ti...
Jos Aat ama Pialo da fc.~-a.
Pede-se a ama nvira-lura da
nao t-T crac, o mmm -le a* liado. V^|.. qn ni h tu a v
sendo qn* nao se emen !e dar-*' ha pra-
Sr. Dr. chele de polina.
raa m>- 4--m

A Henead.
Casa debanhos
Largo do t armo o. 26.
Este esiabelrcimento tao bera montado oa sua
origem achava-se de ha muito em quai completo
abandono pelo pouco inleresse de sua adminis-
tracao.
Hoje que o novo proprielario empregou todos os
meis psra restabelecer a grande utilidde deste
estabelecimento, pode assegurar ao publico que
qualquer que seja o numero dos concurrentes
acharau desde j promptidao e aceio nos banhos
fros, momos ou medicinaes, a casa dos banhos se
achara aberta todos os dias das 6 horas da manhaa
as 11 da noite.
Precos.
Banho de choque...... 500
Hilo Irlo oa momo..... sno
Dito de farello.......1-5000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qnalidade.
Assigiutura.
Por mez banho fri ou momo... 103000
25 cartoes para banho fri, mor-
no ou de chuvisco.......... 103000
12 cartoes para O mesmos___ 33000
12 ditos para baolio de farello. 103000
No dia li do correnlo desappareceu um boi
manso, cor amarella, pelladu ptt ser vetho, cascos
compridos, as galhas bastantes voltadas e compri-
dag, levou um pedaco de corda a rasto : quem o
apprehender ou der'noticla eerta se gratificara jja
rua Imperial n. 224, armazem de couros.
publ
Pede-se ao Sr. Jos Antonio de Almeida Guima-
raes qae a bem da verdade, e para fim justo, decla-
re ne>te rsesmo jornal os signaes de Nicolao, que
diz ser sen escravo, o qual se declara alforriado, e
que o mesmo Sr. Almeida Guimaraes no seu ao
pu6/ico de 5 do crreme, diz o ter comprado na
mais de.dous annos ao Sr. vigario Correia da Mot-
ta Mitchell, morador no termo da Villa do Norte
Esperamos que o mesmo Sr. Almeida Guimaraes
seja exacto na descripeo que fizer dos signaes do
prediclo escravo, com o que nosobrigar.
Precisa-se de um menino porluguez para ca-1
xeiro da loja de quinquilharias na rua do Rangel
numero 24.
Albino Baptista da Rocha, re-
logoeiro e dourador, portnguez,
faz qualquer concert por preco
mais barato do que ouiro qualquer,
e responsabilsa-se pelo seu traba-
lho, e tambem compra relogio em
'segunda mo ; praca da Indepen-
lencia n. 12.
Pauo de algodo da Baha da fabricaTo-
dos os Santos-tem para vender Joaquim Jos Gon-
calves Beliro, no seu escriptorio, rua do Vigario
n. 17, lu audar.
Precisa-se de om menino de 14 a 18 annos
que tenha boa letra, seja inteligente e esperto para
servico de escripturaco e de rua : deixe carta
fechada nesta typographia com as letras A B C
para ser procurado.
A pessoa que annnnclou no Diario da Tema"
na passada querer airumar-se cuno caixeiro de
arutazem de molhados ou loma lo por balanco,
dando fiador a contento : deixe caria fechada com
as iniciaes DDD para ser proenrado.
Aluga-se ou arrendase mesmo por lempo,
um terreno deroiuto lodo murado e excellente para
deposito de bois e quaesquer outros objeclos : a i
tratar na rua das Cruzes n. 42.
Aotonio da Cunha Soares Guiroares, sua
consorte e seus riihos convidara e peder a
todas as pessoas de sua familia e amizade
para que no dia 23 do correte pelas 7 ho-
ras da manhaa se dignem de assstr a mis-
sa e ao momento que pela alma de D. Mara
Jos de Jess Cuoha, irmaa, cunhada e ta
delles, se ha de celebrar oa igreja do coo-
vento de S. Francisco desta cidade.
""""----r---laaMBIaaaaTTTl

cao.
A
Francisco Garrido, anligo proprielano do hole
Trovador, silo na ma do Itosario, de volla de sua
viagem a' Europa, avisa a seus oumerosos fregue-
zes, tanto de.-ta capital como do reotro da provin-
cia, que se aeha novamente estabelecido na mesma
rua larga do Rosario n. 37 com um hotel denomi-
nado Traviata, onde acharo os seus freguezes
sempre a melhor vonlade para bem os servir, a
par de excellenles vinhos capils e boa comida,
qur no mesmo estabelecimento, qur para fra, e
dentro da cidade aos que nao qoizerem ou nao po
Fornece-se comida para ca*as de familia, lujas
ou officinas, com lodo o asseio e promptidao, mui-
to varia'a, e poreommodo preco, mandase levar
em casa ; tambem recebe, encomraendas de boloe
doces de todas as qualidades : rua da Caixa n. 70,
Boa-Vista, casa particular.
Prrniula-se urna casa terrea com 3 janellas e.
1 porta, e o quartos, por i ma mais pequea, dn-
do-se a preferencia por perto da ribeira : quem
tiver dirija-se a rua do Alecnm n. 2.
Na praca da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de er-commenria e
odo e qualquer concert.
Precisa-se da quantia de 20:0003 sob bypo
iheca de predios e terrenas de muito maior valor :
quem quizer fazer este negocio entenda-se com o
Sr. corretor Francisco Mame.de de Almeida, praca
do Corpo Santo, que e-ta authorisado para dar as
explica oes necessarias.
Acha-se justa e contratada a casa a' rua do Fogo n. 48: as pessoas que se julgarem
cora direilo a dita casa annunciem no prazo de 3
dias.
Tudas as pessoas jai deven a extracta Urina
de Novaes <& Fnho lacam favor demandar pagar
rua do Livramento n. 34.
Precisa-se de urna ama que entenda de hor-
taliza : na estrada de Joo de Barros, terceiro si-
tio passando a estrada do Olho do Boi. o mesmo
compra se um carro para conduccao em bora esta-
do, e um boi.
Urna pessoa habilitada se offerece para en-
sinar primeiras letras em algum engenho: quem
precisar dirija-se a rua de Santa Rita n. 15.
PTmlatea de 4Vta ?> ?'-" balhem com perfeirao de pnat e u>\..
bem : na na da ij-nz a. 41, tupn mm toma
para a Lingoeta.
CrT-r.......M urna ama pata t-4 miitm-
t-rno de nma rasa : oa roa da* Trmraeira a. i*>.
S' .tirado.
para !*}> aerviy :
Precisase de nma ama
na rua das Cruz-s n. .15.
n.H.
Aluga-se a rasa terrea da raa *
43 : a tratar na roa da Cadeta o %-ntr
primeiro andar.
Aluga-se para wnptnno n I* aaiar
brado n. 63 da rna da Cart-ia : 3 rrabr a
do andar d > mesmo.
Na rua da Gnia n. : fSmTm fallar *> *
Jos" Pedro, natural da ima V S. Mifwd. a M*. da
Varees, para n Quem qnizer nma ama escrava e.-.m mala mmm
leite : dirija-se a roa o Raayel n. X
Precisase de urna ama jn* aitm (arar*
engommar, e om nKdeqw para o erT>^ ewm>:
oa rua da ijiu d'Agu. n. 70.
Ama df> Ifilr.
Precisa-se de ama ama rom aboodaaria > leja.
pagase bem : na ma do Pilar a. t>, *ra-j a-
carnaJo.
Precisa-se de nina ama para errir mr* r-
no de casa de nm homem : a tratar ao **<>-
dos, rua de S. Migoel n. 34. laberaa.
A pessoa qoe annooeiog prerisar V aaaa >
crava com algum leite, dirjase a eia naVmi rae
achara.____________^___________
Acba-se jasta e cooiraiaa a ra*a ierre sita
na rua do Fogo n. 4* : as pessoas tpar juajjrem
se rom direilo a diia casa, tmavmeimt aw pras de
tres dia<.
Fo^od
ar
Aluga-se a casa ierre n. II sita entre as
duas pontes da Passagem quartos, 2 salas, cosinha fura guila! murado, ca- j mais mdico que era ooira qualqner parle. No
cimba e sahida para a camboa": a tratar no sitio i mesmo estabelecimento acharo us seus freguezes
no Cajaeiro junto ao hospital porlugttsz cora Ma-1 buhares para recrearem-se, bera cotno soretf to-
doel Antonio da Salva Rios. das as noites para refrescarem-se.
no armazem da bolla amarella no oito da
secretaria da polica, recebem-se encom-
mendas de fogo do ar para dentro e fora da
provincia. __^_^
Aluga-se um excellente telheiro para coche-
ra de bois e carrocas, com repartiraento para mo-
radia, e em excellente localidade : no pateo de S.
Pedro n. 4 se dtr.
Nao podeodo abaixo snigaad taa>r a fe<-
ta dos gloriosos inaityres Saalea Cosme e mmuHf.
padroeiros da villa de lgiura tembro como devia, em co judera de a* mm
permitlir o seu rno estado de saaMse, tmmriM a
esiiiolas para dito fim, tem rrd*id mmla-ta para
o dia 17 de d*zeinbro do rorrete aaem, am- pra
prsenle declara a lodos o Vr.-kn aneHe* p-ta-
riosos.Joo Luiz de Alnalida Rihetra.
Oflerece-se ama mulher flava > re-
lames e sem familia oara rasa de algum i aamttata
ou familia, a qnal engomma p^rfeilameai^. e>-ria -
cose toda a quahdade de >-lnra : a tratar na raa
estrella do Rosario, loja a. i.
Precisase de nina ama Uo someta* para ca-
zinhar o almorn e jantar de non rasa V hmJaa.
dispensandu-se-lhe seus servis ao reste da laraV
e noiiu : na rua do QueiroaaV a. IS, primtirn
andar.
O abaixo assignado, morador t tma. i id.
com molhados no lugar d-'n-minado Peres. \tf%wr-
zia dos Afogados, avisa ao res|>eila*el poMar a
especia luiente ao r.rpo do romnvrrio, aa* ea-
cepcao da casa rommern.-.l de Mella Ge-ii f C..
nada deve nesta prac. Qorm m migar nm rtr
dor, dirija-se a rua Dreita n. V. maailti ca* a
seas competentes documento*, que serio i
mente pagos, isto no prazo de oit > dias a i
data desta.
Reeife, 22 de agost m\ 1865.
Joaquim de AlmeMa Qoeirox.
A negocio de inteiesse ile*eja-*e fal-
lar com a viuva ou herdeirosde Maraal ja>
s Pereira : na caixa filial nesta pro*i


Ufarlo de per Bambuco -j- Ter I
COMPRAS.
Compra-se effectivamenle ooro e prata em
obras vellias, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ourives.
Silvino Guilberme de Barros compra e ven-
de efectivamente escravos de ambos os sexds :
roa do Imperador n. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. it, loja de bl.beles.______________
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas.
em obras velhas: na roa da Cadea do Recife,
leja de onrives no arco da Conceicao._____
Na fabrica de charutos sita na ra de Hortas
n. 1, compra-se papel dtam a 45 a arroba.
Compram-se moedas brasileiras de 20
215 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
Compram-se libras sterlinas : na praca da
Independa n. 22.
VENDAS.
Algodo Para saceos e roupa de escravos
da fabrica de Ferno Velho, e de muiio superior
qoalidade : vende-se no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliviira & Filho, largo do Corpo Santo
numero 19. ___________________
0 castelo de Grasville.
Tra'usido do frantez por A. J. C. da Crui.
Vende-se este bello romance em quati
lomos pelo baratissimo preco de 30OO(
ua praca da independencia, livraria ns.
6 ag.__________________
Urna prenda
Vende-se nina linda molatinha de 11 anuos de
idade bem morigerada e tendo ja principios de ha-
bilidades : a tratar na ra do Crespo n. 23.
Vende-se
12J a tonelada
Brum n. 76.
carvao de pedra para Terreiro a
e 300 rs. a arroba : na ra do
Vende-se um boi e umfearro devolta inteira:
ta ra do Padre Floriano n. 64.
iiMiJaiiviiiil
m Bichas de Hamburgo m
j| iodos os paquete* da Europa se recebe 9
2 destas amigas do sangue humano o se aj
Sr vendem a troco de pouco Iucto s afim 8
Jd de ler sempre crasa nova : a loja de har- ]9\
, beiro ra estrella do Rosario i\. 3, ao p '
Wt da igreja. #;
mmamwm mmm aras*
Vendem-se barris de 93 com mel de furo
bom : para ver c tratar na roa do Vigario n. 29.
Eseravws.
Vendem-se tres escravos rrioulos; no escript. rio
de Antonio de Almeida Gomes; ra da Cruz n. 28,
1 andar.
Tasso Irmaos
Vendem no seu anuazcm ra de
Anioiiiu i. 35,
Licor fino Carabao em botijas e meias botijas.
Licores finos sortidos em garrafas com rolhss'de
SALSA PARRILHA DE AYER.
Transciievemos aqui alguns
dos muitos altestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
It he ii ni atisnio.
DE JOAO JOS DOS SANTOS.
Ouro Prelo.
Soffri rheumatismo por mili-
tas vezes, e vendo annunciado
em um jornal d'esta cidade a'
Salsa parrilha de I)r. Ayer, re. <
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve Loj do gallo vigilante ra
dor nos joelhos; a parte do corpo que es- nnmero 7.
tava aliectada d'esse terrivel encommodo Nesle estabelecimento encontrar
que roubou-me tantas noites de somno.
Kmpee*. borbulhas pstulas,
ulceras, e (odas as molestias
da pe le.
DO a. JOAO PAULA DE ABBE E SOl'ZA.
Ra de S. fedro.-,nio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
AGIU BBAIVCA.
folleiras demarroquin, com cascareis
e sem elles.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou >em elles
proprias para caes e outn.s bictiinlios.
Pennas inglezas de ac e ouradas.
No novo sortimento de pennas de ac que
a Aguia Branca acaba de receber, vieram
tambem oulras >)e metal dourado e bicos
mu bem acabados, e p. cesarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perrj cv C., as recoinmendam aos
entendedores' apreciadores do bom, valen-
do mesmo a differenca que lia no prego de
urnas para mitras, por que estas se tornam
o respeitavel ma'5 duraveis na cuiiiinuacao de escrever ;
publico nm grande sortimento de galanteras e assim poisquem deltas se quizar utilisar
com,ira-las a dinheiro a vista : na ra do
'o Crespo
objectos de muilo gosto que tem ebegado ne>tes
ltimos navios e vapores de na proprla conta, que
por isso misino vender pelo meuos preco que
ihe for possivel, como sejam :
Lencos.
Os lindos lencos imperiaes para senhora sonsa
inteiramente nova.
Sfse^nr3'"1 ,0d00f0rP' m088| A.bunsmnitoeno^de madrepero.a e
1T25JS?empre com mais violencia naca- deiartamgacomguarnicac.de prata para 50 e
dinheiro a vista : na
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortiuados, todas de novos e bonitos
desenhos. cuja commodidade do preco est
ra, prove muitos medicamentos e consultei too retrato*, assim como deoutros mais inferiores em reiacao a largura: acham-sa ellas a
muitos mdicos, e eslava quasi desanimado de 0 a 50 "tratc.
quando vi os annuncios d So/sa parrilhal .... Msicas.
do Dr. Ai/er: comecei a fazer uso dYllae1 Ll,xJmnas ricamente eneitadas tocando duas
nno n~ZtZ ,V,,,etei d ld/'tr Ub u tlld e pecas de msica propria para mimo, assim como
nos pnmeiros das a crupeo aggravou-se, caixinhas pequeas com msica tanto de veio co-
porem antes de acabar o segundo frasco ti- mo de dar corda,
Vestuarios.
Riquissimos vestuarios de seda pararriancasas-
apellas.
Riquissimas capellas branca de flores para noi
vai, assim como meias de seda brancas.
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
llnrmn n^x- i~.\ \r n !sim como touquinhas, sapatinhos
uoctor don Jse Valdes Herrera, pnoKESr|se(ja>
SOn DK MEDJCINA Y CIRl'HJIA, SUIIDELEG/DO
EM AMJIAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
tricto.-Ha bata.
Certifico que be usado la zarxa potril'
la del Dr. Ayer, y como depurativo lie ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
les casos de ulcera crnica, asi mismo au-; UtaMn lequesde madreperola e
lor y las considero como um porparite, cuya lo assim como de osso.
accitm a.iemas de ser foguea, ha sido muy i Uvriuhos.
eficay. en el Iratamcnto de las enfermidades Riqnissimos livrinhos com capa
guarnecidos de prata para missa.
da na ra do Queimado ioja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso entreleni-
nicnto.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por precos ra-
imas de zoaveis, caixinhas com tabolas de madeira,
que das diversas pinturas dellas se formam
agradaveis vistas e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
Ioi.(j, esse um deleitavel en retenimento cem o
Riquissimos porta boquet com cabo de madre- ual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
peroia para flores. telhgencia. Os apreciadores dirijam-se
Leques. ra do Queimado, a dita loja da Aguia liran-
Grande liquidado a dinheiro*
Aa loja carmazemdo pavio.
Ra da luiperatrlz n. OOdeCia-
t & Uva.
Os donos deste cslabeltcimento tem reolvido li-
quidar suas fazendas por preeos baratissimos, s
com o flm de xpnrar diohfilro, e. previnem as pea-
soas que neguciam em pequea escala das, i|ue ne>ta loja e armatem enccnlrarao um
granito sortime-io por pregos que muito Ihes ho
do agradar, tanto em | efa como a realbo, a
saber :
l'elcrln s a l->GOO,
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeras
de. cambraia bordadas proprias para hombro* de
si nhora pelo I aratlssimo preco de lf*>00 : r.a ida
da Imperatrii n. (0. loja de Gama & Silva.
Organ !y >. 240 r.. u covado.
Na loja (.'o pnvao.
Vendem-se as mais bonitas casaM organdyf, pa-
drOt-s miudos e glandes, pelo baratissim prejj de
2i0 rs. o covado (dote vintens), esta peihiacba
acaba-so lugo : na luja do pavo a iua da Iriipera-
irii n. 00, de Gama ^ Silva.
Bretanha de rolo a 3$ooo.
Naifapol*' enfcslado : S000.
Na loja do pavao.
Vendem-se pteas de ln-antia de-rolo cot 10
varas a 35, ditas de madapolo entestado a 3Kh),
1(8300 e \f> : na lo,a do pavao, rna da knperatrii
n. 60, de Gama & Silva,
1 : les anadinos a 12o'.
Vendem-se o> mais nms rrt*s de fazenda !".
mnita phantasis por s>-r transparentes i lee i -
com seda, tendo ca la corto covados. pelo dlnti-
uto preco de 12g : umeamente na loja earma-
liiijerdiri^ n. 60, de t;-.::i i .
ni val
SEM SfiCLTr*l>?>
Ra do Queituado us. *H e >>.
Contina a vettdirr '.das as miudexas qo- iov-
declara por precos admiravei-.
Masaos de palies lixalos par.i denls a 10o r>.
Espclhos de molduras donrad-is a 2M, 540 t :
Itoneis de oiiado para meuinos a litnv
Ditos de couro -nperior fazenda a W'im.
Frascos com superior lima rarta a 1*< r-.
Heladas de i,una froaa para IxinlaaVt a ) '*- r.
Ilabado do l'i>rU>, .'.izenda boa, vara
140 u.
Caixas com 100 eavel pes.faz-iida Ac a OT r.
Grozas de peanas dea-'. mdm r SlOrs.
Grozas de botdes uiaureperoia tic TUh
e 040 rs.
Canas com :0 MtH de linhj i g,z MI r
CaixascosD soperiom ote Httt rola i i'-
l'<(.as de fita bn nca etasra con. | vara a :S>r
i Vares de franja de la para njfeMei ki
10 rs.
Baralhos iourados su; Hieres sjeaM V -
.V' vellos de iinba rom 400 jarda.* >* i
Litis para assenios de roana lavada
Pares de bofOes para pnuho, -?. i
T'-^Miras par- costrraj -i -
Wi l&.
Cai:.. 'le i..'..- .; ralhprafMB, fcz- .
100O.
Uass'is con grampos a 9 rs.
Pan- ue sapa". d i ranea r lapete a 1-*-00.
de IraBfa para merit
Pan de -ai ati -
leVSO.
''aix;'< cum ?n riores aaottias a ^o r-.
i s ile la sortidasde boaHai em
Caitaf com su| rmres obreite de m
Rtdlnhas ron .:':::' les fraejeem moit- -
a ii) r.
Rei>nia d ; HkOb i e>(.
Escovas para roopa, faVentfa la a Tti
Duzias de jras coa i SJM de fi
(iOt! r;'.
IBJJM
de sanda-
que exsipeti el uso de los porgantes, y on
vadlo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de setembro de
mo.
de tartarura
0. IOSK V. Herheba.
Kserophula.
ATTESTADO DO VUM. SB, FRANCISCO FERRAZ
dos santos. Ouro Preto. I de c
ca n. 8, que serao satisfeitos.
Bonitos enfeites para scnboras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimenio de enteites os mais
Aderecos preos. modernos e gostos inteiramente agradaveis,
Riquissimos aderecos pretos sendo pu'seira, ro- e como seu louvavel COStume OS est ven-
ttiSSTe V"a'aSSm COr" de CreS fiDgD' dend0 baralamente a 1uem n dinheiro se
I Brincos. dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Riquissimos brincos e roze'as de todas as quali- Branca n. 8.
dadesostos modernos. Meias de la para senheras.
n Bo"eeas- Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Kiqr,ssiniis bouecas de porcelana e de massa e! ^.. rjr;inca n o
zem do pavao, ra oa
Silva. Esn vas para roopa, larenda loa a TU
Borinmts de renda na loja lo ia\it
Chesarain os mai ricos boroonls de rinda -e n.,.,.
vendem por baratamos r 5 .: na loja e ar: '*; d" U^ f ^ *.** *"> *<*
zem do pavao, ra da 1.,,,'era't iz n. 60, de Gama TMwM '"ai ,nu Mw cr,an*"a!i a i4 n'.
Silva. i,;;t fin; para bordar.
Bicos chales pelos de ron la. Fb loja de miadozas i m di w
Chegoo pelo uliimo v. por (rancez n:n frandn e n. 16, rende -fe lia fina, do mae
variado soriiraenio dos mais ricos chales pretos de
renda, tanto de linho como de seda, leudo entre
assim como os que fallam chamando por
vidro e em lindos frascos.
VinhosGheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzehePlagniol.
Me acho ha quasi dous annos affectado, papai < mnmai.
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-1 Pentes.
gumas vezes quasi que chego a desf nimar I Riqnissimos pentes de, tartaruga para senhora,
jda vida e maldizer da minha infeliz sorte; '||^,MCl"no para e d muitas outras qua-
|tenbo sido tratado por muitos mediros d'es- afeltea para cima de mesa.
W cidade, e nenhum pode vencer X tenact- Riqnissimos enfeites para cima d.; mesa e para
dade de minha molestia, eslava sem espe- Het.
raneas de recobrar a minha saude ; quando! Flvelaa e sintos.
ltimamente resolv fuer uso da .salsa par-L.5!?oisrim?8 Br*'M de madreperola e de metal
rilha do Dr. Ayer. Complela;n-se hoje
sant emedio d3eS Tl^^^J^!.
sentido quetenho

veis cines, tao propria paraaon
elles muitos de poma redunda a ir itaco de man- para ''""IV'^v !-, -'
teleles e muitos com o centro de cor," e vend -e pretender o dli lgir-se a dita laji I
por precos milito em conta por lerero sid) manila- Qooimado D. Ili.
dos vir de conta propria pelos denos da loja d i :;.- Frujni larga* para rorD d
vao, ra da Imperainz ,,. 60, de Gama & Silva. jN;, (, m,,;(, _, n.;, (U (,
Laazmlias transiiaicn esa 120 rs. ... '.",. *
Vendem-se mallo bonTts liaz.nhas transparen- n: 6 WnraO ns prelOlidentes
tes com palminhas de seda a 320 rs., dUas lisas e ria'1" S'-r tinwii de DOOitM irai .._'-
de varias cores a 220 rs : na loja do pavao, rna para cortinados, eobertat, taaHu
da Imperatri?, n. 60, de Gama & Silva. jos i-reres nao desagradaran ao
. .
i.
I
Corles eelas matiadas.
que alten ler a largura e qua i
Pennas donradas.
A loja de miudeza? ra ia '
;
Vendem-se bOOilos cortes d lias matizadas, len-
do 15 covados cada corte, a ."', ditos a Maris Pa
a 6i e 8,5 : na loja do pavao. roa da Imp-rairz n.
60, de Gama 4 Silva. n- {" recebeu essas itovwaiaas
RoupafeUa. metal dourado, cuja etcataaa <|
Roupn felta. perfoicao do.- bicos as lurnim i
Koupa fela. ras no exercicio .ia eseripai, pj
dala HlOSCa, ti i oj a do pavao vende se um grande rlimen- SOOS acreditados fsrrrtftBll fttl V
Na loa da Aguia Branca acha-se a venda | lo dr ruupas folias parahomrm, sendo caigas, pa- recitmnendam ;s at>reciadi in d
o papel" com compo-ic3o para dar fim as etots e ftjUetw, unto de panno como de semiras T b o-ncm mi r -
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
recobrar a minha -saude,
lempo.
SypbHis e molestias nierruries.
Do Ii.i.m. Su. Dr. Jacrso'.
- Vendem-se saceos oe farelo muito cumies a Medico muilo cotilleado nos provincias
cssim como bonitos sintos.
Flores.
. Riquissimo sertimeoto de llores o mss
tantas memoras tenho'-se pode desojar.
convieco de em breve ^ogo para familia.
45 cada um : no pateo do Hospital n. 30.
BiXOCLOS.
Narua'Ksva n. 30 tembinoculos grandes ((cha.
ronde Marina) que alcaoea uraito longe, ds me-
Ihores qual do, proprios para os senfoores offlciaes da armada
que tem de seguir para o sul.
Acal de chegar de Pars o mais scothido
sortimento de folhas arlifie'ae. de roseira, e junta-
mente arraignes : acha-se a venda na ra For-
mse n. 29. _________
Vende se a fabrica e charutos do pateo do
Terco u.2 : a tratar na nesma com seu dono.
Vendem-se 16 escravas entre ellas algcoias
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha>o
Dr. Ayer nos casos mais inveltrados de
Syphiix constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; o mtboi alteran-
te queconhego.
perfiia ha tanto Riquissimo ijego de vispora em earxinhas de ma-
deira eoveroisada e pedras finas proprias para en-
tretenimentode familia.
Para vlageui-.
Riquissimos stojos com todos os pertenees fiaos
para homem.
Fitas,
Riqui-ssimc sortimento de fitas de todas as qua
lidades e lindos gostos.
Franja.
Riquissima franja de >eda Se muito lindes pa-
dres tanto de cores como pretos, assim coreo de
borlla e seta ella propria pera cortinado.
Leucorrhca e flores .t>rajcas. Trancns.
Temos cartas em que nos contam casos i Riquissimo trancas de sda preta e de tsores as-
j inveterados que foram radicalmente curados:sim como ^^igodo e d lea.
1 com um ou dous irascos d'esta Salsa par- Ferfumarias.
rilha brande sortimento de perdimariM de todas as
n "______ ... qualidades-e dos melhores autores al o presente
; U espaco nao nos permilte trauscrever conhecido-e-muitos ouirosobjectos queternaria
que saben) -cosinhar, encwr.mar e fazer todo o nai lodos es, agestados >jue possuimos Jas vir- enfadocha nencionar, isto s no
serrico do urna casa, e-escravos para ser*ioo da tudes d'este extradto composo e Satea Uo Lre;-f0 "
praca e de tsatto; na rna das Crnzes n. i. 'parrilha do Dr. Ayer. Hasta declarar ae
prctas c- de cores; deina-se de mMicionar os pre-
sos para nao se tornar enfadonbo o annnncia,
elteilO ellicaz : molba-se 0 papel e deixa se affiancando-se que o respeitavel publico adiar* um
ficar n'um prato, e nelle pousando as mos- grande sortimento por baratissimrs precos: na
cas, entristerem e morrena. Custa cada fo- 'Ja e rm**em 0 PivP n,a da Imneratrn n.60,
Iba 40 risrnarua do Queimado, loja da deGaSrl* deliras a iM e 3000.
Aguia ranea _n 8. Vendem-se crte^ de easemira de urna s w a
Diversos tiriuqucuos e enlreleuimenlo 2ooo, ditas de quadnnos a :; na iaj do pa-
oara crianca* vao'rua (la 'mPeralr'7-n- ^> ^e Gama t silva.
A Aguia Branca na rua do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barias e patos
elctricos, apparelhos de metal, lom;a pinta-
da e porcelana donrada para ulmor; e jun-
tar e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8.
Meias prelas de seda para senhoras a
500 ris
Acha-se
publico que tem sido empregado ha mais
o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
c3o de meias prelas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior prei,o que Ihe cus-
taram e o bom estado em que anda eslo,
comtudo est resolvida a vende-las a .'i 0
ris o par, afim de que nrnguem mais calce
meias pretas de algodo, agra pois apro-
veilarem a quadra e dirigirem- e rua do
vigilante rua i Queimado, loja da Aguia Branca a. 8. Tam
j bem vender as brancas a 14 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueras,
venda nc. ivraria acadmica, na rua do fmi>era-
dor; na do-Sr. Nogueira, j3io ao arco de Santo
Antonio.; esa lypographia imparcial, na rae es-
treita do Rocario a cimpilac/.o de toda a legislado
tendete aVnnistracio, arrecadac^o e fiscali-
sago dos dialieiros de orptos defunlos e ausen-,
tes, beran^ac (acenles, legados, etc., contendo.nao
s o regiment de cusas e t. lei geral das etecu-
Qoes,comoioEibem todas acordeos e avisos-do'
goverao. que a tudo tem explicado, tanto a respei-
lo das obrigagEes inherentes ao cargo dos differen-
tes empregado- de jostica ca/.enda, como dos di-,
reitos nac.ion.ies e emolumentos que sao devidoe. i
Este livro contendo mais de *'*M paginas em ntida
impre*ao e Losa papei, e preslsndo-se a utilidade
de difierentes classe?, torna-ce recommendavel.
Seu cutio iC'iBlOt por cada .czemplar em dous
tomos.
Eival sem segundo
de vinte annos pela proliss'ao meda tanto na do QimmiimIo ns, 49e55, kga de Ui^CIaV w\ llTJ* l rr^lajm
Z^T*7t^'saa nunca miudms dc l#^, est pe- MAiitiliUd lifcr Al 11
uesment.r a sua alta reputacao. mmi*mi Lu. -4upi,. .^ n..i_ m- ,.......k. s^ .
MUITA
Aiird$A
na grande {yistdaco de faiendas e
roopas feilai' iMciouaes fia ma da
Imperalri/. n. 12.
Os propriet^rios desle eslabelecimeio estao n-
olvidos aliquidarem por precos barati66imos para;
aparar dinheiro, vejam :
Cultas francesas esenrase claras a 260caovado
e 280 rs., ditas perealias 'J20 e 360, muito unas a ,
400, 440 e 500 rs. o ovado : isto s na loja de !
Guimares & Ir mi. rua da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cambraiao francezas. lindissiraos pradoes a 280
Para a cara radical de escrfulas* iffeccoos,
esor-ofulos, sypbis e molestias syphi-
iticas, ulceras, feridas, chagas,
erupgoes cutaneak e todo e
qualquer incoma^do que
provm d'um estado
impuro de angue,
TOMEN A
SALSA 1' Vl It II II \ DE lER.
A' venda na rua Direila, ns. 12 2 e 76;
rua da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
.tuico, n. 20 e Hospicio, n. 40. na-
principaes pharmacias e drogaras di' im-
perio.
Vende-se em Pernambuco:
na
$8*
PHARMACIE FRAN?AISE
DERMAUREIUC'f
rs. o covado e 320 e 360, organdys muito foa a
400 e 4iH rs. o covado.
Eafci se acabando :a pechincha.
Laazinha escocezas a 210 rs. o covado.
Laazinha* escocezas a 240 rs. covajo.
Laazmliascocezas a 240 rs. e covado.
Laazinhas muito finas a 360, 400 e 440 rs. o
covado.
Ditos de urna s cor a 480
Atte$o o bnrateiro de ob-
jectos ciiegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro finos
com 24 luzes, Vi melhor gosto e por preco raeoa-
vel: assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e e cores diferentes; ditos de, por.
celana donrados e piniadus e brancos ; apparelhos
para jantar de porcelana branca; tamnem se ven-
dem em pecas separadas, romo
zerem, compoleira? lapidadas
os freguezes qui-
para doce, clices
e SOO r o covado : p4ra vinnodilos firi 'ampagne, opos para agua
isto s na ioja de Guimares & lriaao,"rua da Im- .VID!10 Iin0f.e 'dioarios, m raiio e a re-
peratriz n. 72.
Grande sortimento
de corlea de vestido* de barra a 3J2O0 35O0,
ditos de laa a Maria Ca a 5uO0 e 5AS00, pecas
de bretanha de ro o com 10 varasa3O0O, dita de
madapolo fraucez infestado com 12 jardas a 35200.
3^500, 45000 e 45500, ditas sem ser infestado
com 24 jardas a ij, 55300, 65. 75, 75300, 8J00J
e 105000 : isto s na loja de Guimares 1 Irmo,
ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento
de cortes de easemira -le cores escuras a 25300 e
25500; ditos de easemira preta a 25800, 35,358o0
e 45; ditos de b-im a 15*00.15600 e 25-
E' baratissimo
Peca dealgodaosinho com 20 jardas a 35800, 45
c 55OO; dita carne de vacca a 65 75; dita
mar T a 65300, 75500 e 84O00, amanease que
mauloiludo lioiu etbaralo, quen qui-
zer vee-e admirar ^er.ham 4oja do
iiiOilillllO.
iCaixas de papel amizade, e*em ella liso e pautado
a 600 rs.
Grozas de botoes de louca pateados fazenda mo-
derna a lOOrrs.
iCuzias de penoa de ac fazenda boa a 40 rs.
tecas de iranea de laa lisas e de todas cores a
40 rs.
Recovas Guissimas para limpar denles a 2A9 e
3i0 rs.
Ptfceiras de conias para senhoras a 500 re.
Pecas de Gta de cs estreitas com Wsarasa
aaors.
Caitas com clchales franceies, superiore* quali-
dades a 20 rs.
Tintoj-os de barro,.com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo ,para vestidos, fazenda boa,a
20 z>c.
Baralbas muito liaos para vol:2rete a 200
240 rs.
Frascoc.com agua de florida a 15 15280.
Frasros.com superiores banhas a 500 rs. e 25.
Frascos eom banba, porm pequeos a 200 e
240 re.
Latas con: superior baoba a 200 rs.
Frascos de macaca peruia muito fino a 200 rs.
Frascos e garralinhas cain atjua de Colonia a
400 rs.
Frascos grandes cora superior agua de Colonia a
640 rs.
Francos cora superior oleo de taboca a 400 e
SOOrs.
Caitas cora lbraseos de ciieiros muito Gnos a
15400.
Sabonetes pequea? de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duza e sabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua deatiGce superior qualidadea 800 rs.
Caixas cem superior p de arroz 2 800 rs.
Frascos de superiores ssencias santal e oulro a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cteiros de todos os precos a 160.200.
240 e 320. ^ '
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
uzia de meias muito linas para senhora a
45800.
tal+i; lanternas de todas as qualidades de vidro
ditas de casquinbo inglezas muito finas; candela-1
bros e vidro e de bronze; serpentinas, vasos de !
porcelana e de vidro para flores; buhas hambur-: Golliohas muito Gnas para senhora a 200 rs.
guezat-- para resfriar agua ; barricas eom appare- i Caixas cora soldados de chumbo para meninos a
Ihos de mesa para jamar gigos com apparelhos i 16 ra
para cha; e muiros muitos -oriimentos de todas as! DmUs de colheres de metal para cha a 800 rs.
qualidades e precos comnmdcis vootade dos com-! ,)',a* ^'l3 dito para sopa, fazenda boa a 15600.
pradores, que se"vendem na rua da Cadeia do Re- i P1'?1*8 "6 flta la Para debrum de vestido, com
cire junte ao areo da Ckllceicao n. 64, e na rua ,0 vr'r;i= a 600 ra
Nova no grande armazem de louca e vidros junto D''*8 de bicos soperiores, para acabar a 600 e
igreja da Conceico dos Militares n. 49 I 800 rs.
! Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
1 Caixas de larnpannas para 3 mezes a 30 rs.
; Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Vende-se 11ra sitio em Belem com casa para
familia, com mullas arvores de fructo : quem pre-
tender dirjase a Sanio Amaro, rna da Fundicao,
deroule do silio do Sr. Sardanha, na segunda casa
terrea, que achara com quera tra'ar.
Vende-se ou aluga-se, ou trocase por urna
a taberna, na segunda casa, com a viuva do Sr.
Joo Evangelista da Costa e Silva.
nao tem defeito algum : isto s na loja de Goiraa- na l'raca m sili0 na Ci|.unw velha : a tra-
rats & IrmSo, roa da Imperatriz n. 72. iar..1.a.m?sma ?r?..r da8_Lr,oul.as':J*-"U0
Roupa feita
Roupa feila
Roupa feila
Grande sortimento de ronpa feila que se vende
por precos baratsimo* para apurar dinheiro.
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
1 de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
Na DOVa loja de laZCndaS de bllimaraes mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
i Irm-ifl tem anc retas de dcimo encapadas com superior
iriUdU'. vlnbo, barris de 5 e 10* em pipa : na roa do Vi-
Roa 4a I spera ti* Iz a. 7 9. I gario a. 19, primeiro andar.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de botoes pequeos pretos para calca a
100 rs. *
Frascos com superior agua de Colonia a 120.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20. jardas a 40 rs.
Pecas de liras bordadas a 640.
dem com recortes a 153G0, I56G, 25 e 25500.
Frascos eom superior oleo babosa a 320 rs.
Uuzias de meias cruas muilo fortes e superiores a
35500.
Resmas de papel de peso paut ido a 25800 e 45300
da
descarolar algodo
BARRICADAS
Bor Plant Brotiters & C.
0LD1M
Estas machinas
_ wdemdescarocar
g o-ualquer espe'cu
% de algodo sen
k-ectragar o fio.
" sendo hastant
deas pessoas pan
otrabalho; pilt
descaroca r urna
arpaba de algo-
do em earoco
em 40 minutoc
oa 18 arrobae
por 4a ou 5 ar-
robas Je algodc
limpo.
iasim como machinas parserem uievidas por
aniKaes, que descarocam l arrola* do algodo
limpo, por dia; e motores ;iara mover urna, duas,
eutr dessas machinas.
Os nesmos tem para vender wn bolllssiaio va-
por que pode fater mover seis destas machinai
menoioaadas ; para o que coavida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examina-io, no atina*
xem de algodo, no largo da ponte nva n.47-
launders Brothers C
X. II, praf a lo eorpe Saaut*
RECIFE.
Os aicos agentes neste paix.
avaado.
Francez barrica 55000
Porlland idem 85500
Bm perfeito estado:
Francez barrica 105000 l
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do;Apollo.
Sun inotoailaa.
MoleitllM csrrefal*-
MM.
Paprlra.
(llKii-ucra d gl
dula.
Humares fra*.
Hiiniurri branca*.
IlMI-lllllKlllO.
Alferrora raneeraaa*
e vphllltlca..
Frlir.- tyubaldea.
Vnrlolr. ele, eC.
Os elementos que compoeni esta preparado,
ferro, o iode e a quino, a collocao no primeiro
grao das preparacrs ferruginosas. Basta attestar
seus resultados obiidos pelos Mdicos dos hospi-
taes, e osrelaioriosdos prcticos mais eminente,
que confirmarlo sua poderosa efficacidade as
segnintes affecvoes:
C" 11 valmcenra 4 laa-
Pra<|nra.
Anemia.
Cliloraae ou Irtrrlcl.
nrpnntrna.
Affeerrn da ntrra.
Suaprrivae* la re-
Kra ilenordeH na
mrnairuacao-
AfVeccao pulmonar a
phlhlair.
MuIchtlan il>loilla.
GaatralKla*.
rerda d'appvllte, rtc.
Vejiio se ot buelins de teraputica medica
e cirurgica de 30 de novembre 1860: a Gaxela
dos hospitaes de 2< dejulho 1860, etc., etc.
Alm dos pilulas de'iodureto duplo de ferro e de
quinina de Rebilion, os Mdicos aconselhio
igualmenle o Xarope d'iodure duplo da
ierro e de quinina do mesmo author para as
pessoas que nSo gosiSo dc medicamentos sob I4r-
ma pilular e os meninos. Este xarope nio tem
como o xarope d'ioilur de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Peca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-se eviurem falsificaces, exija O com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a a-
wgnaura do inventor.
Depsito geral em Paris, pnarmaciaRebillon,
48, ru du Bac, e em todas as boas pharmaciu
le Frauca a dos puizes estrangeiros, etc.
ac de (liflercnii5.-. tnlidade m
falif iranes. tau na rua do Q .:
ja de audezas n. 10.
fi^afi'iies uovos e .ni* .
A loja 16. receben novos c iionitos !,:
mniierna e ile fri sto, e os est v- mii
pravos cooimoiios. variando t-i-
das difforenles ijnaliiiades, seni| rt
veis os apreciadores do bom.
Helas braucas cruas e f*r r*r*%
para crlaneas de, a 11 narren
Na rna do ijueimado, laji
10, veri(lom->e por prcfot ra.
das qualidades, meias bran .<-
cres para criancas : assim r<-m
para senioras, e cruas pan aaaa m
Papel pardo folba grande.
Esse papel pardo que pr>r .-tt I
I dade e grande laaaalM d.i Mba,
para embreibar cortes de fa/-
jmoldas le vesiidffll, ele : arl -
|naruad( (jl>iii'ido1rrTie n;ii
liai-i para acabar.
Caixinlias cm i i;ipeis da afulb '
z-'S, limpas a -." n'-is cada uin-i
Paos dc pnaadafranceza. a Mi .
, Duz'as de aaboaetai 'li ckcvi 2 I v
a duzia
Carlo'S de li has brancas e'l> ,1/
ris cada rm.
PAfTILHAS
FUGAS

i-:
L L'CAS, VIMOS E
CHRYSTAES.
A loja de louca da rna do Crespo n. le em para
vender ouantidade dearolejos de lin.as e variadas
cores, assim como loucas de todas as imalidades,
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
lhos de porcelanas brancas orada* e de cores,
vidros de todas as qualidades, incliiMve finissimo
chrystal, dilieados jarros de chrysial'e porcelana
para flores, figuras e outros mu'i los objectos de fi-
nissima porcelana denominada Mseoito para en-
feites de mesas, He, (uarnicoes de linissima por-
celana branca douradas e de coies para lavatorios
e toaletes, ludo do melhor gosto, pintas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparlnas para
gaz, globos e chamineis de vidro, bocraes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmof, caz liquido
de superior qualidade, e muitos outros artigos que
eria enfadonbo mencionar, ludo por piejos mni-
Qt granulos au bismulh de Chevrier berr
superiore a todas as outras preparaede de
bittnulh (ijreeadas antes com o maior successo
pelos incdiosc de todos os paizes, para prevenir
curar as
atarrhea ebraalraa. Mu. rllgrafor
B.-.rnli rl.r Gaatrllm.
Barca d <-a|msCa Gallralalaa. ele.
li )'(>< prlio.
Oe primeiros symplomas d'essas formidaveis
afeccoease manilestlo ordinariamente por diges-
Ufes laboriosas, azidunues, alta d'appetite, pesos
'estmago depois de ca/t comida, cambras es-
Umacaes, e, muitas vezes, por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido, se o descuidio, traz ine-
vitavelmente, que seja:
Maleatlaa de Ug.l
A leteriela.
Palpitara da eoraeaa
DE KEMP,
NOVA~VOBK.
DE COR CHEIRO E SABOR AGliADAVI
Inlinitamenie mais effcatet <
os mais remedios perigOM.s 1. ,.,11., j
que exislem para a expulsfo .
Nao causam dores e predozeai ni ti
sem precisar logo depnis de ; ;;;,-,, r,
nlium e to inriUntei em 1 k ,WU-
ciosas em gosto, pie as cri r>r3
promptas a luinar mais do uu^oira a re-
ce i ta
teis cornil um excellenip Brit i- fue
remover as o!>struci.oes do ventre. tres.
no caso de nao existirem vtrrr. .ipa.. a
PASTILIIAS VKRMIKt GAS DE kr.VI- .-'. f n B)'-
las e infalliveis na sua operafo por kW
os respeitos digna* dc roawara t ,1,
Ci de todos os paes de familias. Prepa-
radas unicamente por Lanman A d.
Nova York.
rea naa rlaa.
Onnresaea.
Dre de eaheea.
Irrllaeoea de benita a
da matriz, etc.
Os aranulos Chevrier sao ordenados pelee
sommidades medicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cural as quando sfio tomado* a
tempo.
0 preco de cada frasco de i franco.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
e em todas as pharmacias de Franca e dos
estrangeiros.
GRAGEAS dlCUBEBINA
gomCOPABAdeLABLONYE
%mm mmmmmzmmm
tumo da Baha para *
charutos.
1
1
Vende-ie fumo superior de tods< 1
IM<: .i rrtalho e por Macad.. 1 .
pceo coirmodo : no Hecife n i
Cacimba n. i ^'

GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor q
l(5 a lata : nos armafensda,:
pelador u.h> e roa do Trarjici*
i
issimos razoaveis.
Vende-se 40 palmos de terreno oa rua
Concordia : a tratar na roa do Alecriro n 10, das I inconvenientes qo'e por neDbam'oniVo'mero Dodem
3 horas as S aos das olis.
No sitio do Toque vendem-se boas cabras
paridas ha pouco, e por baizos precos, por evllar
I ser removidos,
Veodem-? ooengenlm Mguar.'-
dous animaes Je roda, seud .
____quarto castrado.
Estes confeitos que tem por base o prin. \ Vende-srnma"opttai rcrava r.:a *v u,
cipio activo da vrimeira cttbeba jaulo com fiura: tra-,r "3 "a da (MM. a. ;o. u,k v
a cupahyba pura, nao nausen o estomaga, j rf2?'?:________________________
Elles fazem parar immediatamente as mais' "" Vende se m sitio em Bemca a' margem *
rebeldes gonorrbas, mesmo as que res sti- nr^il13!'1'0' bM l*aMi y "."""L*
r^m acubeba o acupabvba solarJamente \$S^&^&T2Zt?

-
T1


OTBi
Diario t iPernambuco 'JCr GEN ROS BAR4T0S A DINHEIRO
NOS
GRADES 4RM.TOS DE HOLIhDOS
DE
DUARTEau. ,,
pateo do Garmo n. 9 armazem Progressivo ra o Queimado n. 7 |J ja
lluio e Commcrch ra do Imperador n. 40,
Principal aroiazem de molhados.
OS PROPRIETARIOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos seahores de en-
genhos, 1 vradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
uerj.ai os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabeleci-
tneatos em uro s annuncio, pelo qaal o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras maltas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
atada mesmo com prejuizo nosso, qualqucr pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tam em servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qaal se ver os precos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fuer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com i a 5 ditas a 3!200.
n:iimamenie no vapor Saladira, de i$ dem vasios de todos os tamanhos a 2#000,
a 15120 a libra e em barril ter abat- 10300,800 e GiO rs.
ment. Queijos d 2^300 a 25300 os mais frescos.
dem francesa muito nova a 10 a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 2S0 a garrafa e
em barril ter abatimeato. 23000 a caada.
Banba de porco refinada a 640 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400
barril ter abatimento. j a caada.
Gh uxim de superior qualidade a 25600. Azeite doce de Lisboa muito fino a 6O0 rs.
dem lerula miudinbo a 25700 a garrafa e 45000 a caada,
dem hysson especial qualidade de 25300 a Toucinlio de Lisboa novo e muito alto a 400
U r'i/A IIU.. o 1 i '.,., \ .*..> l,.ii-.'il A\ ", OPPAh'lC '1
AURORA BRILHANTE
WS ABMUENS
ME
8
a libra, e em barril de 3 arrobas a
105300 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
65300 a duzia e G40 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. P. Asnea 65000
a duzia e 360 a garrafa,
dem marca II Vicloria Alsope e outras
muilas marcas a 35 a duzia e.300.rs. a
garrata.
-> o 35 a lata. Sabio primeira qualidade a 220 rs. a libra
laxiaha ingleza milito nova a 35300 a bar- e 21 em caixa.
a 240 rs. a libra. dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
25600 a libra.
dem preto muito especial a 25000 e 25400
a libra.
dem do Rio em latas de 45000 e a 800 a
libra.
Latas coa biscouto de todas as qualidades
a 15200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio'
i Lisboa) proprias para da; a doentes a
a 25-
chegado
00
4e
L il 5 com liolaxinha de -oda e oval
1. unto ingiez para fiambre
i; timo vapor a 8 JO rs. a libra.
iri(jos e paios muito novos a 900 rs.
:; libra.
iv is com mncarro Ulharim muito novo a
'O e 320 a libra.
Ale ria branca e amarella a 509 a libra.
C ilate portuguez de especial qualidade a
8-JO a libra.
dem suisso de 800 a 15000 a libra,
dem hespanhol verdadeiroa 19900 a libra
q le ja vendemos a 15400.
0 ice da casca de goiaba em caixes de
mata lioras seguro a 15800,
Ide em caixes pequeos a 700 rs. e de
30 para cima a 640.
: l secco em bocetas ricamente enfeitadas,
eodo pera, pes-go, ameixa, rainha.
''iras frutas a35000 cada urna.
Id ri em calda em latas feixadas hermetica-
ndente mulo bem enfeitadas, contendo,
p ira, pesego, ameixas e outras frutas a
> e 700 a iata, tambeo temos latas
grandes a 15200.
M : u a la ios melbores fabricantes, em la-
3 de 0090 a 15200.
Ide o --'ii latas de I lf2libra a 15.
dem n 'atas de 1 libra a 640 rs.
Ertrilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 3' para cima a 640 rs.
Feij3o verde ou carrapato em latas j pre-
p ruin a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 15300.
dem em caixinlias ricamente enfeitadas de
15200 a 25300.
. vas Hexide moiio novas a 700 rs. o
Irasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
MoHio ingiez a 040 rs. o frasco com rolha
de vidro. V
Mostarda em p a 700 rsvo- frasco.
in j preparada a320rs
La) i com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
ld Vi ih >sem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secea, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascaradas, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Vellio Secco, Lagrimas Doces, La-
a 180 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo ingiez superior
16o rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75300 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranhao 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 35300 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
a dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 4)300,
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Bio a 55300.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35300 e IfiiSOO a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15300
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem raece:ipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante.
dem orientaes do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35400 a caixa.
dem jovens de Castanho A Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 15 >0) a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15300 o quarto e 5?
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 15300 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpista muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Painco a 45000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 15200 a lata
e em porco 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
grimas do Douro. e'outras muitas marcas 'Balaios do Porto muito grandes proprios
a 15 a garrafa e 95 a 125 a duzia.
dem Palmella a 15 a garrafa e 115000 a
duzia.
id m em pipa de todas as marcas Porto,
Figuelra e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 25800 a 35300 a caada.
i ; ;i ancoretas 8 a 9 caadas com su-
perior vinlio Lisboa e Figueira a 245 a
'reta.
Ide branco expecial qualidade proprio para
miss a 50o rs. a garrafa e 45 a caada.
dem mais baixo a 40.) rs
a caada.
para guardar roupa suja a 25300, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 3i libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao. muito alva e nova a
240 a libra.
Ssvadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
a garrafa e 35500! arroba.
Caixas com estrelinba, rodinha e pevide a
dem Jo Porto especial qu didade a 800 rs. i 400 a libra. |
a garrafa e 55500 a caada. j Alhos em canastras muito novos e mauncas
Id m B irdeaox em caixas a 75 e 700 rs. a; grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
... irrafa# Canella muito nova a 15000.
Cia ipaoha a meliior do mercado vinda de Cravo muito novo a 500.
i encommenda a 305 o gigo. I Cominho idem a 320.
mais baixa de 185 a 205 e 15300 e Ervadoce idem a 400.
3.', a garrafa. Alfazema flor a 240.
ices portHguezes e fraocezes a 15000 e Araendoas a 400 a libra.
5500 a garrafa. Nozes muito novos a 100 a libra.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 15300 a Papel greve a 45200 a resma,
afa. dem lizo a 45000.
;;: lis abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 35000.
: de laranja ver'iadeira a 115 a du- dem de embrulho marca grande a 15200 e
zi i e 15 o frasco. 15300.
Id de llolianda verdadeira a 65
ira e 600 o-frasco.
1.1 : Hamburgo a 35500 a frasqneira.
Idem i botigas de
rs. o frasco.
" com
llolianda a 400 e 410
jnebra de llolianda com 25
g..rafasa85. com garrafo.
dem com 14 a 13 garrafas a 65-
m
a fras" dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 55300 e 500 cada um.
Palitos de denles, macos grandes a 120 e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 1-5300 a libra, em porgao ter
abatimento.

tf

Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 45000 a sacca.
i.
I
Largo da Santa
ruz n. 84, es-
ffquioa da rqa do
"Sebo.
VIMOS
ESPECULES
Largo daSantaS
Cruz n. 84, es-I
juina da ra (
Sebo.
rora Br7e"c?u?adt2J0ma,,OMred,,ado arraazem de"
mesrao sortimento de gneros de primeira qualidade.
nte tabella sirvira' a todos de base para ajuste de comas aos portadores.
<
O
o
o
DE
AZEVEDO FLORES
Ba da Cadcia- do fecife, esquina da Sadr de Deis.
Nonhiim ,-mo........ "JU0S ae "ase para ajuste de
pelo Sde TnriE?01 Vendefa' mais baral0 e melhores do l
e lar nr r rHCC^H M de?peZaS <, es,abeleciraenl1' Pr isso dei:te se a"
tames fregaezes dfl aZer loda a dili8eC.a, aQm de servir bem os seus cons-
Laaa7^n8 Ubras dech05M amito novas,
75500.
mS!S!te3L9&l em Ps'asinieraS,
wo Q ka l*m' ,*280e
DgtLr,aS^'rfCel,enlePel5CPafr-
a d!S! com SSS n6Ken3PadaS' a 720 rS-
aSDitas com ameixas a i^OO, 1800 e 3o00.
punas com marmeiada do afamado fabricante
t ADren, a 720 rs.
^hDitascom massa de tomate, 300 rs
W Se255005deCO,nadre' nOV0S' a m00'
ADlg*J|omDolachnha de soda muito novas, a
Pitascembiscoitiohos iogiezes de muitasqua-
lidades, a i^iOO. 4
. Chocolate.
Gaixinhas com ameixas enfeitadas proprias
para mimo a 13*00,2J800 e 3^200.
880a n000err mUt n0V' a,,brade
^facarrJo.talhariam ealetria amarella, a libra
1 a 400 rs.
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Laixas com estrelinba, pevide, e outras. mas-
1 sas, a caixa 35o00.
Ditas dita em libras a 640 rs.
,Sag, a libra a 360 rs.
iSevadinha para sopa a libra, a 210 rs.
Ervilhas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs. -
Tapioca muito nova, a libra a 280 rs
feriaba de araruta verdadeira, a libra a
500 rs.
|A12/ Marannao. em sacco, a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
,Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-
i bra a 100 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 3S000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
ensommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
Fariuha.
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui
to nova, a 5JJ0O0.
Caf.
Caf do Rio mnito superior, a
83500 e 93000.
Cha.
Cb.temos nestes gneros o m Ihor possivel,
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 33000.
Hito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 25800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 25300.
Dito mais baixo a 23000 e 15600.
Erra mate.
Excellente cb medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete. ^
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, I
640 e 720 rs. Sgj
Passas. tj
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- J|
prias para mimos a 45 e 25500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpista e painco.
Alpista e painco, a arroba 45000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 25500.
TOr"C"hhhle LSb0a a 9r a arroba p a 3i01 Castanhas novas SS!L vapor,
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
! Barris com azeitonas novas a 15300
Mantona.
Manteiga superior, a libra a 15280.
Dita mais abaixo a 15200.
Dita menos superior a 15.
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a
850 rs.
rs. a libra.
|Dito de Santos, a arroba 75000 e a libra a
260 rs.
.Molhoscom 123 ceblas grandes, a 1^280.
fMo,starda franceza, caixa com 2 duzias a
' mJ >000.
(Frascos com mostarda preparada em vinagre,
{ a 400 rs.
Ditos com conservas inglezas e francezas, a
640 e 800 rs.
{Diioscom sal refinado fino, a 6iO e a 500 rs.
1 Dit,0SAc,m a verdadeira genebra de laranja, a | Dita para tempero a 400 rs.
1 1*000. Queijos.
Ditos de 2 garrafas de llolianda verdadeira.a
640 rs.
B4I4MBS
Os ricos bales de arcos com mui la roda para senhoras.
Balees de arcos para meninas de ~l\\\-i annos ? e 25500.
dem de panno para meninas 34 e 3#500.
Chapeos de sol.
Superiores cbapos de sol de seda superiores com 12 asteas 9.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 10.
dem idem com 16 asteas 12/3.
Chitas.
Chitas largas soffnvei- a 240 rs.
dem melbores a 280 e 300
dem escuras finas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
tila um completo sortimento de camisas francezas de 1,5800 at 5-4 das segua-
les variadas qualidades: pregas largas, ditas miudas, peitos defusto e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambraia branca.
Lindos e superiores cortes de cambraia com barra a kh.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Cateas.
Caigas de brim pardo superior a 2>00.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, lia de diversos precos e qualidades.
Mantas para pescoco.
Ricas mantas para pescoco de homem de finissima seda e de ricos padres, que
s o Balao tem.
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de casemira.
Paletos.
Fiossiimos paletos de alpaka branca a .'-\
COIXETES.
Colletes de casemira a 45 e 50.
dem brancos a 253O e 35.
ttaccos para viagcni.
Saceos para viagem a 5o e maiores a 65.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico ora
fazendas e novos presos e nao como muitas pessoas supe sempre ser as mesmas (*
zendas.
r
arro-
libra
vindos neste vapor a 25800 c(
^Botijas com dita propria para negocio, a
400 rs.
GarrafSes com 2 galoes com dita, a 65.
(Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
duzia a 6$000.
'Vinho muscateldaSetnbal, a garrafa a 15.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
^Champagne, a duzia 205000, e a garrafa a
j 25000.
nAzeite refinado portuguez e francez, a garrafa
3 a 13000.
.Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
3 75, 85,93 e 105 a caixa.
jDitas com dito branco, a 73 a cain.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro.
h a 203.
'Ditas cora duque do Porto verdadeiro,"a
. 185000T
(Ditas com chamisso superior, a 145.
JDitas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
}Vinbo do Porto da pipa, a garrafa a 640. 720
[ e 800 rs.
Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
i 33500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
'Dito da Figueira, das seguintes marcas (N.)
(J-A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
> 45500, e a garrafa a 560 e 640 rs., desle
f que jest engarrafado e lacrado cora o
rotulo do armazem.
LDitosde marcas mais desconhecidas, acana-
da a 35500 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Queijos novos
35000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
i Papel al maco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 45300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25300.
Dito de embrulho, bom a 15 e 15200.
ao m
AVIN.t.n
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15300 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs. _
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 15400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de 1 impar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Craxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25000, e
de latas a 15000. e os boioes a 240 rs. ca-Cjj
da um, e as latas a 100 rs. &J
Charutos Gaos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da,-i
Bahia por diversos presos, cacas e
caixas.
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O 11118 RICO NOllTIMEXTO
DE
GUIPURE
1 manufacturado cm
CHALES
meias $|>
E grande quantidade" de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de- an-
nunciar-se.
Grandes chale granadme
Bournus
Rotondos
Treanon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de cores ; magnficos desenbos, de gosto modernissimo.
MARA ANT01NETA
N. 11Ba do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip multo finos para 225, 255 o 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para carass de noivas.
Colxas de laa e seda para cama tamben) de bonitas cores.
Botondes de guip enfeitadus com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlqne branco e preto, grosdenapie preto e de edres, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
laa preu para lotos.
Malas, saceos e boleas de-tapete, verniz e couro de 45 a 115.
Brins de lioho tfe cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esgoiao de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veadem por coramoJos presos assim como
tambera
Esteiras da India para forrar salas
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto, a
reantifjue ou gresdenaples. Barras e laro bordados a foco e vidrilhos, sem depeode-
iemde modista para os fazer, visto trazerem o corte debuxado.
J
Glac-royal, em pecas com 1 i si ras de seda pr moramente bordadas ou matisaias,
fazenda inleiramente nova de bonito effeito, para partidas, soirs, theatros, passek. etc.
DOUBLES CAPAS
e SOBRETODOS de panno mesclado (impermiavel) vindo no ultimo vapor
De. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATAS, MANTAS
decores, muito bonitos padroesa5O0 ris.
BONETS de pa'ha ricamente enfeitados para senbora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFEiTES
Costantes d* fusiao enfeitados para criaacas
E innmeros objectos de modas recebidos directamente por todos os paquetes
escolhidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
IVZi;\l)tS PARA HOIEI.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, bros, sobre-
casacas, palitos, caigas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
Vendem-se
Farinha.
Ve&dese farinha de mandioca muito nova, sac-
i ,. _..,[,i_' a 45 : no armazem de farinha djpon
dos Sr. Tasso Irmos, para porcoes,
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
na
Potassa da Kussia
rauilo nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19
machinas americanas de serrote para descarogar
lgodo : na ra da Senzala itova n. 42.
Colla da Bahia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, na sen escriptorio ra
da Cruz n. i.
r1? Na ra do Imperador n. 28 tem rap Paulo
Cordeiro, commura e viajado, igual ao de Lisboa,
por preco comraodo.
Poxlry.
Vende-se excellente fava poxiry; na ra da Cruz
n. 23, 1 andar, escriptorio.
Ferros para engommar.
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
sortimelo de ferros para engommar, encrespar ba-
bados, pafos e toda a roupa de senbora.
Verdadeira agua de Vichi.
Vndese a verdadeira agua de Vichy, em gar-
rafas; na ra da Cruz n. 23, 1 andar, escriptorio.
Farelo
a 45 a sacca, das maiores que ha : na ra larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Vende-se urna machina de costura por menos
de seu custo, com pouco nso : na ra Nova n. 50,
segundo andar.
Vendem-se duas venezianas em muito bom
estado, proprias para varandas;na ra Nova n. 47
Vende-se o engento Jundiahy,
distante da cidade do Natal, pima
Grande do Norte, mocle e corren*?,
ti vos, 20 hois e 20 bestas ; assim roa*
lotes de Ierra, propria para a rnitora e
mandioca, e mais duas fazendas de yaV>
gi e Cear-meirim, na mesma proviaeUi, cojas
das se eifeclnarao a prasos, mediaate bm
quem pretender dirlja-ie aquella pto*iacSt a
lar com Fabricio & C.


mM_e_e_B_U_BBBBUBBBani
Mari* de Vemxilntc rerca lelrV* *e Agosto de l#*.

o menor constran-
glmento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTEN^O
os preco da segulnte
cabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajaste de contas
com os portadores.
iNO^Ii ADE
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
ffao & uidsm n?_ sa UHMft
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zcm da Liga estabelecido ra Nova n. 60 am magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua maximi parte andados vir directamente do estrangeiro"podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ,:ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas: _
1/ Delicadeza no trato.
ARMAZEM UN
A 10 1OG e i.>00.
Leqnes de os Ceroulas de uu-ia a lzoo.
1 Dulas mnito Anas a Hi*i.
S na ra da Cadeia do Kerife :;s
Grande sortimento de ruopas
das sqoalid.Kii.-.
Calcas de casemira a6jr ".*.'>< m.
6 e 8*, calcas de ganga a i& i J*mj -
diUa brancas a i, brim de Hua i
,44, palelols do alpaca branca i-
i a 3i e 3&>00, daos de atb* a de C a ':$. e
de listra de seda a 4500. duos esta i *i.
! tr>-
reta _
__
r .

RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da c oncel#o)
PARA BEM DE TODOS.
: palelols de caseniira a o i, <3o>>.
iditossobrecasacc-preos a lz. ..'>
nos a 2c5, de cores a i.1. nasa r
paletots de ganga a 3#, SJSflu t -".
pardo a 35, jaqueldes de brim | ante
preto finoa2 2i> O, 300 fia. jv '
oovado, moreatiqtip preto a IfiMO i
iienaple preto a I 300, 14*400, ::.
o covado ; e oulras muiUs mai- f
deixa de amiunriar, e Baada-ei h MI
ros da loja da arara a ra.-a O
e tabelennienlo e-la asarte aa m I a a* >!a ncUe,
roa da Imperairir r. 56. M-: !* *'.

19, primeiro andar.
Manteiga ingleza especialmente escollada a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
2* ffiri Alidada no nAtil dem franceza amis nova do mercado a 96o
., aeuaaae no peso. rs a libra e 90 rs em barril ou meios
3/ SmCendade nOS PILCOS. : Cha hysson de superior qualidade a 2,600
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, achar5o nestai rs. a libra,
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos fjnissimos manteiga e cha sempre de ;Ch perola o mais superior do mercado a
primeira qualidade. etc., etc. I 2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mu-, dem hysson muito superior em latas de 15
to bem servido. | libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que s3o pooco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de rs. a libra,
moitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man- dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po- bras a i,6oo rs.
dem ou nao querem vender. i dem preto o que se pode desojar neste ge-
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-1 nero a _,ooo e 2,2oo rs. a libra,
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhor cial, escollado por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A ; Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a K
100 rs. KIRSCH de Wasser a 20 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a ........ I L
Amevdoas, casca molle, a 280 rs. a libra. | LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
-..CUM*
f Ijfcrli
Senhore* "nhoras, o aceio que presidio aos arranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-i Cal de l.lfra
eza com que ser5o tratsdci^ wnvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccao e preferencia na com-'a PraDcl a l&m Por ,,rni! '"'
*r dos gneros que precisaram e quando n5o possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, |gano D-
rois serao t5o bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo*para com estes toda recommendacaTi, afina de que nao vo em'
tra parte.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li- Sal refinado em frascos de vidro com lampa
" bra e 6,ooo a caisa. do mesmo, a aoo rs.
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi- Qerveja branca das marcas mais acreditadas
nha branca ouamarella a 64o rs.a libra e que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 04o
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito ino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a
35,ooo rs.

rs. a libra.
Letkia a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de piimeira
qualidade a 1$, a libra.
Maumki.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macahro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moliio inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas Qnas para sopa branca e amarella a
60 i rs. a libra, em caxas com 9 libras a
3#500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PE1XE em posta, latas grandes, a l^COO, de
todas as qualidades, como sejam savel,
g;oras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardnha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em qnarto a 1#400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 600 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINIIAS OU MORINQl'F.S a
R
RAPE' Meuron a 1# a libra.
dem Princeza do Ro a I 200 a libra. u
dem francez a 2500 a libra.
S
SARAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal relinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
Sardinuas de Nantes de todos os fabricantes.
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
T0UC1NH0 de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS1M
Prncipe Alberto, de 1831, a 5^000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velbo secco a 20 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 2)5 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades : brasrteiros,. D e a ^ e 4,5500.
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. Chamss0 a jg, 1,5200 e 1#500 a garrafa.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Amos a 200 rs. o molho.
Absyntuo a 23000 a garrafa.
B
BOLACHINFIAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas,
dem do Principe Alberto a 10800 a lata, e
de cinco para cima a 10700.
dem de so:la em latas grandes a 20000 e
de cinco para cima a 10800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, 10250 e10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600
dem suisso a 10'a libra.
dem de musgo a 10500 a libra.
Chouriqas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 200 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 70000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 10800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, c em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, hegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis. Varetas, Brasile-
ros, Americanos, Fluminenses.
C11A de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 20000,
202"O, 20560 e 20800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 20500, 30500, 40 e 50.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 10 e 10500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinbos.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abalimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,000 rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra,
dem prato a 800 rs. a libFa, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
era latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
Vinho em pipa: Porto, Figneira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas qne
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,ooo e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
No dia 12 do correle m-x d-'
lou-se da r;t*a do cumnicoda.: r J -
ra, roa da Irnpi-ratriz 11. 62, um Mi
. garrafa, e 5,800, 6,000 e'6,5oo a m-\j^'SSSS Z*
zla' Mgnae- .-epuinips : b;>ix<>. pr -.-o, ,.
Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs. **, idade de 12 a i:t -.m.-, h*,
; Charutos do aflamado fabricante Jos Furia- !rT'a.'lft **"%*** r '!
dinho iim urna rirairu na 1
!'
1 i
ir
i Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo I Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades depei-
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo
de Brito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs. Ameixas francezas em fiasco de vidro com
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- j lampa do mesmo, a 105oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
8,000 a caixa e 64o e 7oo ris agar-l tamanhos com bonitas estn pas na ca-
do de Simas, das seguintes qualidades: si(1o let.o ,.ara Gmra' m
Exposico Normal de Havana, Imperiaes, por um imtmtj : <|uem 01 :
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus- impgrair n. 62. >er bem rwnn 1
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,000,| Uesappareceu ha M* U-fti-i : 0"*-
6,000 e 7,ooo a caixa ou em meias. D.hu.r u,"a frela de naiu A"v'' ''
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,000,2,5co e
3,000 a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e rovas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooe
a lata.
, idade, poro niais ou nui.i -. .'.O 1.:.
I guiar, tem urna dor proxin.a a m >.w>
dos brago, qne stanaml^ n-1
levou vellido de ri. bra 1 I
xo-, saia de felfo4iaaiako, nmi >-
da : rora-M a pntm u ibM ...
a conduzaa'ra d>' Sania Ouiia l bt
sera' graiincado generosamente.
No dia 16 do oorrrn'c uui m M-
latlnho de nome Fran i>ro. i< .-'- .! 11 im
ponco mais ou menos, estatura han. 1 r*-- i-hr-
i;ado, ri^lo larg, leiu um i'-v/
de cima lormtwft* aiguma r. 11-.' Mi
um signal em ama das orelha-. I. -i
calca de algodan ris ad.', e foi-*-m (tap** \-*m-
do as chaves do estabekcimen' 1 tu -ir- :a 4
BauriO n. 43, este esrravo i- natural A* fi^ n
Flores : quem o penar e levar a<> mr-mo ufce-
lccimeuto ser gener smente rewpnraup.
Alfen'
*
??
1
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,800
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos; o gigo com 36 libra-.
grandes a l.oooe 11,000rs.a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-j 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-j 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhio de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. O frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,ooo a'Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, 1,80oe 2,ooo
cada urna.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez
a 9oo rs. a garrafa e 10:000 a caixa.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo i
rs. a
Iho.
lata de urna libra e56o rs. a reta-
10 a garrafa e 11,000 a dnzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Achatr.-se hgMos os twuvm -feum!* S-afc.
mulato, idade do 25 anr.o-, eabcl'o* ansela* -
tiarb,i, denles um poarc linado?, twi '<
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa; Uf$ e {3n,Jom poiI, ^ f,vada ., Ufr
a 200 rs. a libra. 'rriooln.ja nm tuneo v^lh<>. sMM !'(
Frascos com fructas em calda de diversas cabelludo, b*m > m iwoi
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco versos tamaDhos, mnito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, cxcellenle peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 600 e 800 rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma deengommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos emsextinhas a 80 rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 6'io rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
das
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em Tatas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 10.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
_______
D. Luiz a 10 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 20 a gar-
rafa.
Carcavelos a 10.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posico alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoe a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 agarrafa.
Absyniho a 20 a garrafa.
Kirsch a 20 a garrafa.
Wermouth a 20, e a caixa a 180.
Bitter Maurer a 10 agarrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 200.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 20500 a
caada.
Para destruir ratos e baratas. c\ih
Preparacao ingleza recentemente chegada : ven-1
Unos e l>rInqnedo
para meninos.
de-se m ples d barro, na travessa da"Madre de j Lhegaram para a loja de miudezas da ra do
Dos n. 9, armazem, a 6M) cada am, e duzl a Queimado n. 69, os mais finos e lindos catangas
4*800.
Taixa de ferro
Qnem pretender comprar a taixa de ferro coado
com 6 palmos de bocea que se cha na estaco de
Freieirai, pode etHenier-fe rom o Sr. Sen* Beatos
no seu engenbo Frexeiras, on na ra do Impera-
dor n. 41

Grande exposigao de fa-
zendas.
Que e.-io a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz n. 56, Lourenco Pereira Men-
es Gaimares..
LAZINHAS A 240 Rs. I
LAZIXHAS A 240 Rs. I I
LAZINHAS A 240 Rs. 1 I
lid um grande sortimento de lzinhas chinezas,
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto prego de 240 rs.
o covado.
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 4*300 I I
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 4*300 I 11
vende-se madapolo com 24 jardae garantin-
dose que (era 20 varas, pelo barato preco de
450OO, 5*000, 65000 e 65500.
BRETAXUA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se/ brelanha de rolo a 2*800 a peca, s
Mendes Guimares.
MADAPOLAO ENTESTADO A 3*000, 3*500
E 450O0.
MADAPOLO ENFESTADO A 3*000, 3*500
E 4*000.
Vende-se madapolo entestado pelo o barato
preco de 3*. 3*500 e 4* a peca.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vende-se as mais modernas colchas de fusiio.
tetido de todas as cores a 5*560, ditas grandes a
6*000, ditas de damasco a 4*000, ditas de chita a
2*240 e 15900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 56, Mendes Guimares.
CHITAS FRANCEZAS A 540, 860, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2i;Q, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas de salpicos a 4*500
a pega, iambem lia um grande sortimento de cam-
hraia brancas que se vendem a 3*, 3*500, 45,
5*. 6* e 7* a peca.
CHALES DE MERINO A SjOOO.
Lencos de cambraia com barra de cores a 1*800
a duzia, ditos de dila branco a 2* e a 2*400 a du-
zia, s Mendes Guimares.
CALQAS DE BRIM DE LINHO.
Vndese caifas de brim de linho a 3*400,
2*600 e 4*000, ditas de algodao a 2*, s Mendes
Guimares.
Soutambarques de cores, veade-se mnito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
farpreco._____
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 4*500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 5*000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a t*. ditos para babado a 1*000 cada urna lira.
ROPAS FEITAS.
RUUPAS FEITAS.
. ROPAS FEITAS.
Vendem-se um sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far preco, e
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa
da Liga.
no graude armazem
Saceos de 80,100 e 120libras a 40,40500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
i:

MadapolSo mnito fino cora pequea toqne de avaria, por preco qne admira : na loja
columnas na rna do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
cor>n>-n_!C3'iiH2
5 C C O O 1 rr"-i 2 O
B-SgSs-g-g-S.is-S-S^Ss

03=.-,
Si a,-
M
3'Sg
ry>
3
BS T. S* s
O Q, s w
n O 6 _h fft
a..
1
s.s.sis.s.g.sS'sr*
s. p sr a, g. s. &
= a. g en >^j
g_-^
_r a
B3 O.
a
' S? t _;
u te u -
"2 toi 2 S? K
jj O O w
f* (jq T3
3
g._r^ I
- SP -^
__s?

o
-'3
96
sr
S 5TO-
-f o

3 o
05 '
"S
n
s-.gr
Cu
O
o
_>



tanto para brinqnedo de meninos como para cima ,ontras moi[as mais fazendas qae se daixam de
de mesa : na raesma loja se encontrara bom sor-1
liaanto de miudezas-
annunciar, roa da Imperatrii n. 36, Mendes Gui-
maraoa.
.....i......ii
L ovas de pellica.
Reeebeu pelo ulUmo vapor lindas luna de pslli- Vendem-se paimeiras imperiaes, em estado
ade cores e brancas para homem e senhoras : s d serem trabsplautatfas: no sitio morado a es
quem recebetffoio beij-flor, na roa do Qaeitnadofqoerda, depoisdo becea do Esptn&eiro, nos A-
namero 63. fliclos.
I
o.

'2.
&-
s
fe
S
-
,. .*
LOJA DO BE!JA FLOR
a rna do Queimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de cUro, que chamam papai e mami,
com cabeeira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelhos de almoeo e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e foquiohas a 280 rs. o par ; e nao qtieren-
do continuar, rende mais barato do qce em
outra qualquer parte.
j Vende-se tiras bordadas de differentes
larguras a 10, e babados, collarinhos >i pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 13a para bordar de diversas
sim tomo na cal ca. <<
tanto peqOMMW, f.?tIn pr.-~ i
ronco pede-se as aotor'daA
pitaes di ra_)|4> m w :-_-ni ;..!.!:
dtizi-h ~n' ca-3 d' MM s-r h : i: x
Slln Cu.-mo, quo genero
c l're? papara toda !'- i
condncro : sipyfla tt qne < > I r-
pnimento drs serlw'S de^-la prr 61-08 etH! lug?;re-.
Aiha-si; fgido ue Lord i al I
BesluurmTw, o i.-crau ent-fci I
de idade BS9MI p*_H mai.-
r-guiar, sen barba, I "'ti i
caiga branca : qLHin o leTar n
ou ao escriplorio de Antoniu Lnn C .ue-
vedo _C, >er generosamrnti- n
Fugio no da fi de a>"-iu 'i i-.ti^.
de norr.e Tiberio, lde>4t t IB i-i afcrn -, MMM
haixae com falla le um A i ": > vr*. Fm
e>cravo do Sr. Francisco de .' H 'a-
nhao Cavalcanti : qnem op-gar m X rf.-rr.nf-
ria, queira dirigirse a rna da Caocia e U a.
33, loja de Valle Prto A "*... noe *ra r
ado.
Acha-se fgida a prcla f n
enta ter de 40 a 4H asaos e)e I b 'to
vendeudo fructas as mas de-la ruaeV. *a
do Sr. Felippu SSarioh, mor^d- r i.- '-;i da
Lii/, t hoje pertem iPrro Allaea, c. r.. as
Arraial : qnem a apprchendT btM a ..a Jo
Crespo n. 10, primeiro andar, noe sera r
sado.
Uteravc fnjiel*
Ha dias aus. ntoo-s- oesrraT.i p r a m X
denaran. Anaa Birfir
Correa de Mello, moradora no largo m _harj_eV
nho junto ao Cartlnho Novo, enj* r. -fca
vendido ao comprador de e*craos por n. ir-'^ta-
za ; o e-eravo hreati nauta aa _- a
rrr.-ma cor velha, i um lant idu^o e trm coi tej-
nal de Laixo do braco nqaerele, iue r- f
custuma elle ser carangnejeiro, e rf- ;r*e
dito negro anda pel> arrabalde <; i
ga-.-e ao> senhores ca itfn^ df r. ni; i .n
o apprehender, de leta-lo a rna 5ov T>. y*
spro recom.ensados._________________________
Fugio no da 16 e jaUM do r.^r-nt .i_ao,
a mulata Soxaaa, aqual tem es sign .
altura reguiar.corpj i-heio,cor eiar_ *i.U..._a.
cabellos trrido? e brtc aparaos, rara i Uala, as-
la estreita, olb< grande, beifjoe linos, bita de denles, nao* troeaa
e dedos curt08, idad^ pouco mais oa n>eyos i in
nos, natural do serlao, levoo mu. e m
escura rom palma; brancas e paaaa reeu. fal-
la mpre nndo-se : pede->e a twUtnin^i ^A>-
ciaes, capitaes de carneo ai qaaiqaer ale 4e_a
soaber leva la ao sen mbcr aa praea da l-d-, a
dencia loja de chapeos n. 14 e 16, s^r |rno-
rosamente gralitii-adj, ao mesan ansie ane yrueae
ta ser contra qualquer que o k-nna aoui ... ymm
ha noticias qne esta dentro mesmo da r.i.i. .*%-
tada e se assim esta pessoa qne a Ta rntrra_r
do contrario sera ponida com lodo o n\* _a !.
Ausentou-sp no dia 2 do correle ao avnn Un,
da casa da rna do Imperador a. 16, o arrto t, lia na
do, rrioolo, cheio do corpo, aliara r-er'sr r.ai
comprido, olhos ppqnenos p prora barfa n-a mi-
sa e bigode, baslante ladino, representa e*r 9
auno, pouco mais ou menos, e )-ia-*p Ipt _aa_i
calca preta e camisa branca ; este e*ero le* eoav
prado ao Sr. coronel Galvao. du Limeeiro. aara an-
de se juiga tenha fgido, mas ha visto na Passacem da Magdalena. Rprn^tiis e Tar-
zea; e como se desconna qne en>
protesta-se proceder coolra qnem o lieer
e pede-se a qnem del le der no'i.-ia on o a$imr.
qne dlrija-e a sobredila casa, on a roa do Creen
o. 13. qne ser recompensado.
Gratmcaco lie T00000.
Fugio dos abaixo assipnados no dia 8 da
Janeiro do corrente auno, o seu estrato n
nome Jos com os signaes ingaatKi: _n>
bra escuro, cabello carapinho, estatura bai-
xa, cheio do corpo, ps largos e tu um gi-
to as pernas quando anda, e nata aove
barbado, e tem urna cicatriz bem vraitel c
um lado do queixo, e outra bea irrunte
1


Xahso Iruaios
vendem gesso em p para,estuque de casas, tijolos mado n. 63, loja do beija-flor.
finos de feitio diversos para laarilho, azaleijos de
para
qualidades e de cores claras a 70 a libra, es-1 nas nadegas, proveniente de surra, .-"u,.
pelhos de columnas de Jacaranda a 25500, cravo compramos junto c m outro ao ar.
;jditos brancos de diversos tamanhos, caixinhas capilao Sil vino Guilhenne de Barmn. e ata
para estojos de navalhas, | Si. os havia comprado ao Sr. Joo -adral,
Colheres de metal principe. morador em Nazareth. Conta-oon que caw
Vende-se colheres de metal principe para escravo fllho do Breio da Madre de Deus
tirarsoupa a 20, ditas para cha a 2$300, aonde casado e tem fllhos, tendo-lhe aor-
ditas para soupa a :>200 a duzia: nesta rdo ltimamente a mulber: portanto n af-
loja se eacbfitrar sempre nm grande e va- mos a lodas as autoridades poiiciaes a am
riado sortimento de miudezas: ra do Quei- captura, e a qualquer particular
cara com a quantia de I0W se o
6eas senhores nesta prata, na dafee_p_ra-
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co- Vinho do Porto superior am ana de doata,! f r(4Rnars0 n
iinna, canos de barro para esgoto, cemento em tem para vender Antonio Luiz deOliveira Aeve-"M'' r.,. c;
i do Si C-, no seo escriptorio roa da Cruz n. 1.
barris de 10 arrobas.
Luiz da Silva Ferrara C:


Diarlo de Pcrnanbnco Terca felra tt de Agesto de t.
UTTERATDBA. -
UM POICO DE Tl'DO.
E' este o extracto do que so passou na cmara
dos diputados da He-panha, n'uma das suas ul-
timas sessoes, por occaslo da dlseusjao sobre o
projecto de autorisagao para sstabelecer a le da
iuiprensa :
O Sr. Aparici, que eslava inscripto contra a to-
lauade do projeclo. expz o qoaro da* situngo
actual.
A uolao liberal nao est no meio-cia da sua glo-
iia
hjn, mas em circumstaocias mais mortificadoras
para o individuo preso.
O Sr. Harris asista votado quando lhe appa-
receu um ofBcial do sherif de Worcester, que Ibe
apreseotou um mandado de priso, e o levou no
meio dus apupes da multido.
Em vo gritou o Sr. Harris
com ille.
A polica coaduzu-o cortezmente priso, onde
elle rell-.etiu sobre os inconvenientes de expflr
muii. um bometn o seu uome publicidade.
que se enganavam
Guiemos de Lilias da Europa os seguintes por-
ehegou ao anoitecer, no momento em que as tneoores da execugo dos quatro reos que foram
sentenciados morte pelo tribunal dos Eslados-
l'uidos como complicas do assassinato de Lincoln
Os reos ouviram a seutenga com alguma ser-
nidade, e pediram sacerdotes das religSes a que
peileuciam.
Xa miabas dia do da 7 pozeram-se guardas de
redor do arsenal para impedir que fossem ver a
Os prenles e conselheiros espirituaes da senho-
ra Surrat e de Harold estiveram com elles algu-
mas horas.
treva; lutam com a luz.
Paia a liberdade, ja nao lia ecperaugas em lies-
paoha, que esta muitissiino aoeacada de caliir na
revoluto ou na dictadura.
O dur|ue de Tetuam, tem diante de si um preci-
picio coberto que o aitrae, e no qual esta exposto a
eabir.
A perturbago dos espintos, como disse Sr.
Posada Herrera, nao existe as ctasses superiores
da sociedade ; existe as classes inferiores, onde
se r^oruta o soldado para a revolucao; sirva de
le.-:.Mii)nhooque se passoo em Leja.
Ora, em Hespanha, ha cem Lujas, que s espe-
rara o momento propicio para rebentar.
0 systema de euMno moderno mau e estril.
A igrcja, nunca deixou de prestar a llespanha dados.
os inaiores servidos, guiando-a as >uas prosperi
dadas, e fortalecendo-a as suas desgranas.
1 demcratas esto longe de eouiprehender a respectivos auxiliares esperituaes.
veroadeira liberdade e iguaidade que prega e con-
sagra o Evaugellio.
A revolucao social que nos amea'.-a a revulu-
ciu soelal dos pobres coutra os ricos, e das classes
baixas cunta >s classes ailas e medias.
u governo lem encoutrado graudes ditBculdades,
na iiiaha opinio ; isto foi inclinar (liante da revo-
lucao, a mageslade do throno; ceder revJugo
mgleza visitara Cherburgo em primeiro lugar, e com a graduadlo de major ajudante de cavallaria,
que seria all celebrado o aniversario do impera- tendo feito rautas das sangrentas carapachas dessa
dor, por ser Cherburgo a estacao principal da pri- poca.
meira divisao raaritima, ao passo que Brest a es-
'acao principal da segunda.
Como burgo-raestre de Gaod deu prbva de todas
as grandes qualidades qoe devo ter o primeiro ma-
j m> i f _______ 18'8,ra'10 de uma grande cidade.
Na nrm<.r. nn. i E' mnil I09 lne dev cidade da Grand tan-
na pnmeira conferencia que teve ugar a bordo ._____, .
(ie'fc1; B' 7 to em embellezamento, como era d^senvov ment
da Enchanteress, fragata a vapor, a cujo bordo se j. .lr- ,. .
.h.. ..Jai .a i de uialruccao e boa organisacao da po hcia.
achavam 03 lordsdo almiranlado, foram tomadas' n \ ,*
segundo se diz, as seguintes disposicoes : ?ode Constante era profundamente dedicado
v I s ideas liberaes.
A esquadra ingleza, que ha de partir para Cher- j
bourg e Brest, constar de seis navios couracados,' ""-------
compostos dos modelos mais ioieressantes da ma-; Annuncia se de Vienna a morle do general fran
rinha ingleza. ce uarao Carlos Drumont, com 82 annos.
Entre estes, cita-se o Roijal Soveteign, o lypo! Tin,,a fail no lempo do primeiro imperio a des-
tilis curioso dos navios que tem torrinhas na co- 8ra5ada campaoha da Rusia, foi conquista de
berta, e o Minutaur, o qual tem 410 ps inglezes ArBel e servio na Crimea,
de cumpriinento, e cinco mastros de ferro. Era condecorado com vinte e oito ordens.
Alm destes seis navios a vapor, a esquadra bri'i --------- nnn i------
tannica comprehender uma nao a vapor, Edgard,
execugo os que nao tisera" licalo "genei a", a 1ual ,rai a bandeira *> contraalmirante acres, ^cZ^ZlT, innhTdT^S "TI V^
Hancock. V g ama fragata, urna corveta e uma cauhoneira a Vnr,T V h COra des"D0 a
vapor vera-uruz, constando o seu carregamento de car-
r* ;r tests? ^2X^51'* '** '""","
Portsmouth. onde chegara nos das 7 ou 8 de se-1 ~* .' ..
Era commandada pelo capitao Richbourg, homem
de um carcter brando, quasi fracj, tendo por seu
immediato Aubert, dotado de uma natureza mu
enrgica, pelo contrario com urna tripulaco com-
posta de marinheiros inscriptos era varios portos, e
principalmente em portos da Bretanha.
Alm disso havia a bordo um passageiro corso
cbamado Orsioi.
das 7 ou 8 de se-
tembro. Tero lugar grandes manobras na baha
de Spithead, que a mais bella e a mais vasta que
a Inglaterra possue, situada entre Portsmoul e a
iiba de Wight.
lu_ | O principe de Galles ir a Portsmouth v.silar as
dos por urna guarda acompanhados pelos seus e9quadras rei,n,das da F'"? e da.Inglalerra. Sua
Poucos minutes antes de uma hora da larde
aL"i,>-se a porta do carcere e sanio a senhora
Surrat para ocadafilso amparada por dous sol-
Defronie da cadafalso havia quatro assentos que
foram oceupados pelos reos, e entre elles colloca-
ram-se os executores da justiQa e os sacerdotes.
O major Hartrauft diiijio-sa ao cadafalso e leu a
ordem do ministro da guerra pela qual erara ap-
urovadas as sentencas e raanJadas execular.
Alteza assistir as grandes manobras de Spithead.
No da 20, devia ter lugar uma segunda confe-
rencia, a bordo da Enchanteress, para se combina-
ren! os detalhes do programma dos festejos ou as
alteracoes que conviria fazer. '
poi mente das testemunhas, o capito Richbourg e o
sen immediato tioham cado a bordo para armaiem
a canoa, o que nao era admissivel.
Procedeu-se a uma segunda devassa em Nantes,
onde o director da polica do porto e o coramissario
de infracco raaritima, interrogaran) o grumete
Chicot.
Odepoinientodeste foi substancialmenle igual ao
que tinha feilo em Brest.
Todavia, alguns pontos nao pareceram claros aos
dous funecionarios, Agorando eutre eUj era pri.
meiro lugar a ubscundade da noite no momento
em que o navio se afundava.
Chicol, tiuha pr..va 'luiente esquecido o texto
cooveucionado.
Foi posto em liberdade, dizendo-se lne que apenas
seria chamado era caso necessario.
Desde esM instante, Chicot entristeceu, e quan-
do sua mi se informava do motivo da sua melan-
cola, respondia-lhe que eslava pensando na morte
do seu capito, que tanto amara. Finalmente, fez
a sua mai a revelado completa do terrtvel segredo
que Ihepesava u'alma.
Esta de ludo nformou os juizes.
Expediram-se ordens para a captura dos conju-
rados.
Um delles, Cirbuccia, foi preso em Marselha ;
Carbuccia, desempenhou u:n papel odioso neste
drama sanguinario ; foi elle que mais se encarni-
qu contra o inmediato e o capita* >, a ponto de
tercer o ferro do seu punhal sob a terca dos gol-
pos.
que anieaca, nao e goveruar.
Em Londres na> se falla de outra cousa se nao
Sos muros que cercam o pateo do arsenal for- i de um raPl de uma donzella de 14 annos, perten
mou uma guarda forte, e a pequea distancia al-1ceD,e a uma familia honesta, e que desappareceu
Outro, por uome Lenard, que segundo parece,
foi o principal instigador, foi preso em Antuerpia,
A Foederis-Arca apenas tinha chegado ao alto- a bordo de um navio francez.
laicvse
guias tropas.
! Presenciaran) aquella sceoa solemne alguus
centenares de individuos.
| L.n dos sacerdotes que acompanhava a senhora
! surrat leu uma ureve oraeao, que foi atteatameoie
t) governo nao pode nein deve reconhecer o rei-
no da Italia.
Se o ultimo dos Bourbous reinantes, nao pode
i ecoohecer a
Bise II, uinbeui a uiio deve reconhecer por grati-.
dopor espirito eavalheiresoo, e por alus consi-ionv,d
deacoes polticas.
Os hespanhes, como cathoheos, nao podem re-
conbecer o reino da Italia, por isj que nao pode-
riam desconhecer os direitos do seu raonarcha es-
piritual.
O ministro do reiuo retorquio :
O melhor advogado da revolu<;ao o que procu-
ra excitar o odio das massas desberdadas da fortu-
na contra as classes ricas, e foi isto qoe acabou de
fazer o orador precedente.
O governo pede ao Sr. Aparici, que acredite que !
ha das da casa paterna.
Tem sido baldadas todas as pesqnizas para se
descobrir o lugar do seu asylo.
A fugitiva possue uma fortuna de 10 mil libras
sterlinas.
O seguiute publicado no Temps :
Mad. D..., rendeira era Saint-Quen, realisra
uma parte do seu capital, aura de o empregar em
0 sacerdote que acompanhava Payne agrade-
deceu em nome d'este ao general Hartrauft e aos
lciaes e soldados eucarregados de guarda-lo a
bondade cora que o linhain tratado, nunca per-
mittindo palanas ou acedes ofensivas e tuteara- iUma Peracao econmica, e dissera isto a algumas
nhando-lhe corapaixao. pessoas.
uraesmo sacerdote orou pela remissao dos pee "d'*s. nhorana igreja, chegou-se
cados de Payne, pedindo a Beus que o recebesse e"a ^ '^^ de 5 a M auu0S'loda veslida
na sua graja.
Os que acorapanhavam Harold e Atzeroth de-
ram iguaes agradecimentos ao general e ouraram
nao menos catholico, apostlico e romano do que ')t reos'
elle, e longe de contrariar de qualqner maueira o | Harold e'lava >ao abalado que nao podia con-
caihoiicismo. professa uma poltica que lhe al. er as lagrimas.
tamente favoravel. Terminadas as oracoes, disse-se aos reos que
A liberdade que defende o Sr. Aparici, nao ise 'BVantessem, ataram-lhes as mos para costas,
amabja liberdade; a que em 1814, mandava '. "8aram-lhes as pernas, e enflaram-lhes as ca-
para o exilio e para as prisoes, horneas Ilustres,! bl-'';ass capuzes brancos.
MDinentes, honrados, sabios e ecciesiasilcos di
uncios pelas soas virtudes.
de luto, e disse-1 he
- Nao se, se por acaso se lembra de raim, te-
nho que lhe fallar logo quando sahir-mos daqui.
Mad. D..., um tanto embarazada, saho do tem-
plo cora a mulher vestida de prete.
Eu sou, diz esta, a antiga governante e con-
fidente de S. Exc. o Sr. marecnal do Maguan, que,
recentemente...
E levou aos olhos um lenco para lrapar uma la-
grima mentirosa.
- Besculpe a minha comocao, diz a
O p.ecedente orador, compraz-se era atacar a
sociedade moderna, producida pelo catholicismo.
A situacao da Europa tambera foi representada
por elle em cores mnito exageradas, porque, des-
de de 1814 al aos nossos das, a Europa viu pas-
sar lempos, lalvez os mais tranquillos, que tem
bavido uepois de um gran Je Damero de secutes.
.'. Abelha de ugeij conta qoe um homem fossil
foi acbado, corn as pernas para o ar e a cabege
para oaixo, em um lerreuo de allaviSo, entre Vey-
ziat >-. Oyonnax.
Bsse fossil nao tinha menos de quatro metros de
altura.
Aigons pedacos foram remettidos a varios geolo
gos e a tnuitos amadores apaixonados da sciencia
nova.
Harry Leslie, o emulo e successor de Blondn,
famoso acrbata que atravesada tantas vezes o Ni-
gara sobre uma corda roiezadt, fez em 20 de ju-
nho os mesmos exercicios, uo meio de am publico
numerosissimo.
O numero dos espectadores que estavam na
praia canadiana foi avallado em mais de seis mil.
e mauha tinha chovido, e todo aza suppOr
que os aguaceiros caniiauariam ; mas as tres ho-
ras da tarde o lempo mostrou-se bonito, e os es-
pectadores poderam coaceber esoeranfas de nao
terem saliido debalde de suas casas.
Leslie liuha collocado a corda a 600 ps de dis-
tancia da ponte, e a uus 200 ps cima da agua.
Nessa sitio o Nigara e lao rpido que os passa-
geiros que atravessam a ponte mal podem evitar
venigens, e o facto de atravessar a torrente sobre
uma corda um d'aquelles actos a que nao se po-
de dar o nome de coragem, mas que eumpre qua-
liflcar de grande temeridad?, especialmente tendo
em conta a chuva que cahira durante grande par-
te do da e moditicra a tensao da corda.
Quando Leslie appareceu para levar a cabo o
seu perigoso commettimento, solemne silencio do-
minou a multido, que pareca oppri-aida ; o sus-
surro do Nigara era tudo o que se ouvia ; todos
tremiam de susto, cravados os olhos em Leslie,
que pareca um alomo no meio da immensidade.
Chegado ao tergo da corda, o acrbata parou,
asseolou se por alguns segundos, e levantou-se
para continuar o seu arriscado passeio.
Breve chegou praia canadiana no meio dos
applausos phreneticos dos espectadores, to salis-
feilos por poderem applaudir quanto tinbara esta-
do angustiosamente agitados at eniao.
U successor ae Blondn percorrtra a corda em 6
minutos e 48 segudos.
E' unpossivel descrever o enthosiasmo com que
foi acolhido depois do seu commeilimento.
Uns proclamavam-uo superior a Blondn, ou-
tios, mais moderados, diziam que nao Ibe era in-
ferior em nada.
Leslie lera vinte e oito annos de idade e cinco
ps e oito peilegadas de altura, e em extremo
nervoso.
Ninguem deveria animar laes espectculos
pelo contrario, cumprria que se cessem providen-
cias para os impedir, porque os divertimenlos em
que se acha exposta a risco a vicia humana pare-
cem-nos, nao una distraccao digna da nossa po-
ca, mas um genero de espectculos que deve en-
vergoohar os qoe cora elles se deleitara.
Se os homens conscienciosos nao teem eapres-
s8es bastante enrgicas para censarar as corridas
de touros que deshonram a Hespaaha, que ho de
dizer do divertmento que consiste em ver um ho-
mem arriscar se a morrer de uma morte horroro-
sa, s para divertir por alguns instantes alguns
boceas abenas ?
Alzeroi em quanto o preparavam para a enea- vestida de luto ; o Sr. marechal era to bom ho-
co, ciamava : raem I... Mr. de Maguan deixou uma quantia im-
Seuliores, a Jeus cuidado I senhores que; portante para ser destribuida aos pobres das cir-
esi'io prsenles, adeus I cumvisinhaueas de Paris, e fui eu a encarregada
L'm dos sacerdotes disse : desta misso. Sabendo eu, que V. Exc. aqui ge.
Permita Deus que nos ajuntemos lodos no ramente estimada, vinha pedir-lhe o obsequio de
outro uundo. preencher a misso de irma de caridade. Come-
Logo que se lancon ao pescogo de cada reo o ceja, V. Exc, a praticar este acto caritativo : all
no corredio, operago que terminou na senhora est uma multido do mendigos, distribua-lhes isto.
Sarrai, abateu repentinamente o tablado em que E ao niesmo tempo melteu, as mos de Mad.
se achavam e cumprio-se a justiga. Surrat e Pay- D--- dez francos, e esta distribuiu-os aos mendi-
ne apenas uveram uma leve cootraego mus- 80s aPontados pela desconhecida.
eular. Se V. Exc. precisa de alguns fundos, far-
Atzerolb deu mostras de solfrer alguma cousa, e "ie-he' eu um abono.
Harold mostrou mais sensiblidade nervosa do que Agradego rauito, mas nao necessito de cousa
lodos os outros. alguma, responden Mad. D...
Os corpos licaram pendurados at que se ex-1 "" ^*se envergonhe minha senhora. Eu sei
tinguio completamente a vilalidade: | Perfeiamente que V. Exc. recebe urna dminuilis.
Depois foram depositados em caix5es ordinarios s"na renda' e 'lue necessita de muilas cousas que
e dados sepultura. nao possue.
O general Hancock assi>ti a execugo. ~ lNao- rainha senhora, gragas a Dens, tenho
ii,7 n..0 p. fj, lud0 ('uaat0 me Preciso i Possuo actualmente uma
mT,U J commumcagSes qne de- quan.ia soffrivel para uraa certa operagao econo
raonstram que a senhora Surrat era innocente.
Tambem se diz que outra pessoa assignou uraa de-
claracao com juramento, contradizendo o que con
mar, quando a Iripulago, sob o pretexto de que a
comida de bordo era pessima, formou o plano de
metler o navio a pique.
Navegavam as Daragens das ilhas de Cabo-Ver-
de, quando uma noite,era 4 ou 5 de julho, os con-
jurados mandaram tomar conta do leme ao gru-
mete Chicot, de Nantes, comegaram a fazer um
grande alarido para attrahir proa, onde se acha-
vam reunidos, M. Aubert, objeclo particular do seu
odio.
Este desgranado apressou-se em ir ver o que se
passava ; foi inmediatamente crivado de punhala-
ds, vibradas com tanta forga, que os ferros Aca-
ran) retorcidos.
Longe de se acobardar, Aubert, oppoz aos seus
assassinos uma resistencia tenaz.
Nopodendo dar cabo delle, apezar dos fenmen-
tos recebidos, os assassinos derarn lhe nma rija
pancada com uma alavanga de ferro. Anda assim,
a victima continuou a lutar.
Apoderaran)-se eulo do immediato, eatirararam-
no ao mar.
Aubert achou ainda
forga suficiente para se igar a bordo ; porm os
seus inimigos, d'elle novamente se apoderaran),
precipitando-o no ocano, onde finalmente foi tra-
gado pelas ondas.
O segundo assassinato devia brevemente seguir-
se ao primeiro, e coosummar-se igualmente com ;
as mais trgicas eircumstancias.
O ruido da scena, que acabamos de esbogar,
ciiamra a attenco do capituo.
A seu turno, foi atacado e ferldo.
Debalde record* elle aos algozes as bondades, I 0s Pari'enses podero
que sempre livera com elles, o tratameoto paternal u,n aD,nal exquisito, que
Trepault, foi capturado no Havre e Daoulas em
Montevideo.
Falla apenas um dos criminosos, cujo mandato
de priso nao p lo ainda ser levado a elfeito, por-
que o aecusado embarcou em Nantes para um paiz
longiquo, o que retardar o dia em que os annaes
judiciarios devero registrar os debales deste sinis-
tro processo.
in peridico faz o seguiute reparo sobre a liar-
moma que lia euire o numero sete e o novo presi-
dente dos Eslados-Uuidos Johnson.
O seu nome, diz o peridico tem sete leltras ; aos
quatorze auuos (duas vezes sete) foi aprender o of-
licio de alfaiale, protitso que exerceu por espago
de sete anuos, e que abauiou aos 21 auuos f tres
vezes sete).
Em 1828 (quatro vezes sete) foi noraeado para
exercer o cargo de aUerman na cidade de Creen-
neville; em 18io (cinco vezes sele) foi noraeado
depulado da cmara legislativa de Tennessee ; em
na sua enrgica natureza 1842 (seis vezes sele) e tendo de idade 33 annos
foi enviado ao congresso.
Entrou uo senado na idade de 49 auuos (sele
ve*es sete.)
A 7 de margo de 1862 foi oleito governador mi-
litar do Yennessee, e era 18G4, tendo de idade 56
annos (oito vezes sete) foi nomeado vice-presidenle
dos Estados-Unidos.
distancia d'alli se acnava um graad* leo ferMe
por elle Much, qne jamis deisava de aprovtflar
semelhantes occasides, carregoo ama fiepiii
de dous cannos e uma carabina, e precedido de
Abd-el-Messik, o servo del, encaminliou se pava o
lagar designado.
O leo nao tinha seno uraa perna fraeiarada pe-
la bala ; eslava estendido a sombra de uaa talada
e lan-bia a ferida. i^~
Much, cujo sangue fri em oenhuma circaas-
tancia tei desmentid,., poi-e a me, i uro de espa
garda de distancia, fet fogo, e a bala atravetee* -
corp" uo leo.
Este da um rugido medonno; levaota-se faeeev
mas nao com lana rapidez qne Mach ao
fazer fogo pela seguuda vez, pora Mucb ai
rou na fera, langou mo da carabiu, ma o
comprehendendo a olengo do cacador
sobre elle cora a rapidez da flecha.'
Intil dlier o que se segua
O infeliz Much griteo p<-lo servo.
Este descarregou sobre a fera dous Uros t> pie-
tola, os quaes a nao feriram momlraenie, aates
serviram para lhe exciur a colera.
O leo comegou a despedazar a presa c
ra va indiswel, arrancando-lbe os olhos e
lhe raorer os o.-sos. Abd-el-Messick, que o
vava de lenge, nao podendo resistir a este espec-
tculo horrivel, tornou a carregar as pistte, e,
com um tiro acabou com o leo onde a vida pean
a pouco N extingua.
O- restes do pobre carador foram enterrados oo
lugar que servio de tueairo i sua morte.
------ m i a i ---------
Segundo o ultimo recencearaeote a popateeo
de 8,218:000 habitantes.
As seguintes cidade sao as que tea o aarar na-
mero de habitantes.
Puebla conta 75,000 almas, Goadalajara 70G60,
Guanapiato 63,000, Queretaro 48,000, e Milifu
41.000.
A capital do Mxico tem jo'oOO babiui
tra a dua senhora declarou uma das testemunhas
mais importantes.
Um despacho especial diz que os defensores da
Sra. Surrat, vendo que nao podiam obter do presi-
dente o perdao uem o adiaraento, Siena que a fl-
Iha da condemnada interpozesse a acgo de habeas
corpus, qoe esta acgo foi adraittida as-8 da ma-
mica, que tenho em vista.
Ha de dar licenga que veja com os meus pro-
prios olhos, para que a acredite. Conduza-me a
sua casa.
Mad. D... nao desconflava de cousa alguma. Le-
vou a desconhecida ao seu quarto, a qual explorou
os movis e os objectos, basculhou as gavetas e diz
finalmente :
Ja vejo que sabe viver econmicamente ; nao
brevemente contemplar
possue a preciosa quali
que Ihes dispensava inflig.ram-lhe toda a casia de! did,i de lr0Dsf,,rraar em excelUnte vinagre a agua
sevicias ; pedio ento como merc suprema que o dCe 1ue lne serve de reu810 favor,to-
matassem sem o fazer soffrer : a tripolaco preci Trata-se do fuoso mollusco deque seservem
pitou-o ao mar. I og jafiaroj mongoles da provincia ce Leatong para
A barca navegava lentamente. j as suas casas ambulantes quando querem proviso
0 capilo nadoo por algum terapo segoindo o na- de vinagre,
vio, e ao perder todas as esperangas de sal vacio,: 0 padre Huc, que foi o primeiro missionario que
quando as forga o abandonaram, foi ouvido pro-! atravessou o mysterioso imperio do centro desde
minear estas palavras propheticas. Pekin al AIUssa> caplla| de Thibet e residencia de
Pois bera I boa viagem I seris lodos gnilho- Lama grande, foi tambera o primeiro que fez men-
tlDad0S gao deste bicho exquisito.
A tripolaco, senhora da Foederis-Arca entre-1 _j.
gou-se a uraa Infernal orgia. As SUas aSSerCeS que f0ram Jj" V* S
pelos sabios e pelos viajantes acabam de receber
Uma das causas da sua insubordmago linha si- uma conlrmago offlcial pelo envi que faz desse
do o havtr se-lhes negado o vermouth e o absiniho, mollusco, o senhor Drouyn de Lhuys, o cnsul
com os quaes se embriagavam a meio, recebendo geral de Franga em Shanghai.
por isso speras e merecidas reprehensSes. _
Pac in.->rQa ,i.^i j___ a Resulta de uma carta oe remessa que o acomp-
sate licores, depois do sangue derramado, cor- _. ....
reram em terrete. Mas as libacSes repetidas pro- i ***' que> ,pos,01n ma cer,,a qaan"a ,gaa.' es,e
duziram o seu inevi.avel resultado ; suscitarara-se ""e[esaQ,B P'P< ransforraa-a era breve terapo,
disputas entre os cmplices, a ponte que um dos! m bm ',n,gre de mesa-
mais exaltados, o cosinheiro, a quera ameagavam '
de morte, aotecipou com o suicidio a sorte que an-
levia, e alirou-se voluntariamente ao raar.
Seguindoas instruegoes dos alvorotadores, ocar-
nsistirei mais. Vamos immediataraente para Ba-
nhaa sendo juiz Waile, que expedio uma ordem, liguolles, onde esta' a familia do marechal por a
para que o general Hancock, commandante em qual somos esperadas e onde receberemos os fun-
rtih de Washington, apresentasse as 10 da ma- j dos necessarios.
ui.ua perante o tribunal, o corpo da Sra. Sur/al e Permitta-me que envergue ura outro vestido
a parte do processo que lhe dissesse respeito. e que passe o pente por a cabega.
O general Hancock foi ter cora o presidente, e Naotemos lempo; j passouahora. Socegue,
este declarou nulla a aeco intentada X' Exc' sera rtCeDda perfeitamente assira raesmo.
/ .. i Eu fallel j de V. Exc.
Lora esta declaracao apreseniou-se o general no A rendeira nao hesitou ; calcou urnas botas, e
al de distncto, mostrou-a, e o tribunal deu partirn).
------------ i a -----------.
As ultimas eleigoes em Inglaterra nao foram fa-
vo ra veis aos de redores.
Uma folba de Londres annanciava ba das qne
em Hobson fura preso um candidato quando anda-
va a sollicitar os suffragios dos eleilores.
O mesmo faci se verificou das depois em Eves-
por valida a prohibgao do presidente.
O general volteu enio a priso, e levou ao cabo
a execugo da senteoga
E' este o programma dos festejos de Cherburgo
e Brest, e de Portsmouth e Sptithead, nos quaes
ho de temar parte as esquadras ingleza e fran-
ceza.
A esquadra ingleza, as ordens do contra-almiran-
tes Dacres, composta de seis navios couragados, de
'res fragatas e de uma corveta a vapor, reunlr-se-
ba, em 12 de agoste, na enseada de Portsmouth,
afira de fazer all os derraderos preparativos.
Cbegar no da 14, s tres horas da tarde a Cher-
burgo, onde ser recebida pelo marque* Cbasse-
loup Laubat, ministro da marinha e das colonias,
embarcado a bordo da corveta a vapor Retne Ma-
thUde, e pela divisao naval do ocano, commanda-
da pelo contra-almirante baro de La Ronciere Le
Noury.
O marqoez Chasseloop-Laobat far uma visite
aos lords do almirantado, os quaes irao a seu tur-
no curaprimenta-lo inmediatamente.
No dia seguinle, 15 de agosto, as duas esqnadras
para celebrar o aoni versarlo do imperador, execu-
taram grandes evolugdes na babia.
A noite, a cidade, as fortalezas e todos os navios
de guerra serio Iluminados, havendo alm disso
um brilhaote fogo de artificio.
Em 16, os lords do almirantado, o almirantee,
os oficiaos da esqoadra britannica irSo visitar o
arsenal e os estabelecimentos da marinha, onde
sero recebidos pelo vice-almirante Dopoay, per"
feito martimo.
Em 17, a esquadra ingleza sairi de Cherburgo,
acompanbada pela corveta a vapor Reine-Hortense,
para ir a Brest, onde ser recebida pela esquadra
de evolngdes s ordens do vice-almirante Bovet-
Wllaumez.l
Os festejos de Brest duraram por espago de tres
das.
Afflrma-se que houve lata de preferencia entre
as cldades de Brest e de Cherbargo, late oatura-
lissima e mu cortes.
Decidio-se de commam accOrdo qoe a esqoadra
Porm no caminho mad. D... nao pode disimu-
lar o desgosto que lhe causava ver-se com uraa
toilette to exquisita, e o recelo de encontrar algu-
ma pessoa cotilleada, naquelle estado.
Comprehendo, diz-lhe a corapanheira. Pois
bem I espere-rae nesta igreja. Eu vou a' casa do
fallecido marechal, sosiuha, e antes de meia hora
estarei aqu com o dinheiro.
A rendeira ouvio uraa missa, ouvio outra, e con-
servou-se no templo at se ver-quasi sozinha.
Neste momento atravessou-lhe um sinistro pen-
samento o espirite ; recordou-se de diversas eir-
cumstancias ; correu a' casa, e reconheceu que o
dinheiro e as joias, lhe tinhara sido roubados.
Segundo os clcalos feitos pelo Sr. Cbenu, na
guerra da Crimea, entraran) em carapanha 5,852
offlciaes de todos as classes do exercito francez
morrondo 779, ou 17 por cento, em consequencia
de ferimentos, e 402, ou 7 por cento, de enfer-
raidado.
Os mdicos eram 450, e destes morreram 82, ou
18 por cento, de varias doencas.
L-se na Revolucao de Setembro o segrate :
Cilam ao Paus ura caso muito carioso que se p-
piuteiro metteu o navio a pique, deoois da trinla- : .\
.,.. H HUI" de ajuntar a tedos os outros produzdos pe o raio e
gao se raetter as lanchas. .. ,, -
,-.... i i i j .. ^ que licam para sempre mexp cavis.
A responsabilidade dos actos de que se trabara ,
tornado reos comegava a alvorog^r a consciencia O caso deu-se em Paris durante a noute da iro-
deste horaensmostravara todos um semblante car-; voada'(lue na dias Pairon sobre aquella cidade
rancude e meditabundo. Mr. D. .
ti* em Pars certos armazens onde os eaiieiros
sao cavalleiros de industria, vulgo ratoaeiros.
Quando alguem da 20 francos para pagar quat-
quer objeclo que custou 4 OJ 5, o caixeiro sacea da
gaveta ura rolo de luizes, que espalda sobre o bai-
co, com loda a ostentago; procura uaa peca da
10 francos, e se a oo acha, pede-a a na individuo
que esta no armazem, e este empresta-a.
Do o troco ao comprador, e quando elle tea da-
do alguns passos na ra.o individuo qoe eaares-
teu os 10 traucos, corre atraz delle, telo entrar ao
armazem, onde o accosam de ter dado osa peea
de 20 francos falsa.
Se o comprador nao se lembra, oo seleoe aifu-
ma desordera, da' nm outro luiz, e o individuo lea
roubado I
Deverse-ha recordar que nm vasto
trabalhos para o mellluramente do litoral do Me-
diterrneo foi redigido o anno passado petes eoja-
nheiros de Heraull, e adoptado ea principa peto
conselho geral de pooles e calcadas.
Trata-se principalmente de restabelecer as eoa-
municagoes existiam anUgamente entre os tafos*
o mar, e que pela maior parte tem acatado por sa-
rem completamente obstruidas petas irrnqalir,iaa
das areas.
A Purn'tr assegura que estes trabalbos vi proxi-
mamenle seren emprebendidos.
Estes trabalhos lero por principal sflJoite, tedM-
'ar a navegacao nos nossos grandes lagos
ranees e tornar mais saudavel a zona territorial.
eltes cobrem, e sero execulados, parte i
governo, parte a cusa dos depariaoeatos i
sados.
Segundo uraa estatifica publicada
era Washington, durante estes quatro
guerra, o numero dos navios a vapor qw
ou medittidos a piqne no Mississipi e seos pruci-
paes alllueotes, de 393 vasos.
Diz uma correspondencia de Londres que nao se
pode fazer idea dos progressos qne desgragada-
mente val fazendo o vicio da embriaguez, mesmo
as classes mais altas da sociedade ingleza.
A condessa de Liste Hayes, senhora riquissima
que reside em um suraptuoso palacio em Belgravia,
teve de comparecer ha alguns dias era ura tribunal
de polica por ter sido encentrada na vespera em
perfeilo estado de embriaguez deitada na roa.
A polica teve de deta-la em uma maca e leva-
la ao corpo da guarda.
No raesmo dia,' ura cavallelro chamado Sentn,
candidato as ultimas elelgoes cmara dos com-
raun*, tambem foi preso, porque, tendo a razio
transtornada pelo vinho, espancou sua mulher no
meio de uraa ra.
Morreu no dia 13, em Gand, o conde Constante
de Kercbove de Denterghem, antigo burgo-raestre
daquella cidade, offlcial da ordem de Leopoldo e
cava I le ro da Legio de Honra.
Era 1810 entrara oo servigo do exercito francez,
de qoe se retiroa em 1814, pela queda do imperio,
Discutirain as lanchas a maneira por que de-
verlara narrar a perda do navio; assignarara uma
declarago, pela qual se comprometiam a nada re-
velar, devendo ser castigado com a morte todo
aquello que fizesse revelagoes.
Mais tarde, este documento foi destruido.
O receio levou-os a encobrircom uma nova atro-
cidade as atrocidades j comraeltidas.
Nutriram apprehensoes de serem trahidos pelo
grumette. Todavia, hesitavam em desfazer-se delle.
O iosiincto da sua salvaco, porm, desvaneceu-
Ibes as hesitagoes.
O pobre grumete foi desapiedadamente Mira lo
ao mar.
Deitara-se vestido, porm antes tinha pendurado
o relogio na cabeceira do leito,
Ura relmpago iiluminou o quarto, e o Sr. D...
accordou sobresaltado.
Levantase, chama-o cao, que sedeitra debaixo
da cama, eslava fulminado. Porm o mais curioso,
que olhando para o relogio, vio-o sem a cada.
Poz-s a procura-la e eocontrou no chao os glo-
bos, de que se compunba a cada, espalhados e se-
parados uns dos outros.
O Sr. D... joi victima de uraa ligeira commo.
gao.
Na outra noute tambem se deu outro incidente;
aps um trovo o braco direito de ura dos habitan-
A lancha andava pouco por ralla de vento ; a',es de uraa casa situada n'um caes, ardormeceu de
exemplo do capito, o pequeo naufrago seguio-a ,al rnaneira durante dous ou tres minutos, que mal
por algum tempo a nado. j ** podia servir delle.
Appareceu finalmente um navio dinamarquez, o Um canario que eslava n'uma gaiolacom mais
qual recolheu a tripolago depositou-a as ilhas de cinc0 foi mor,0> e os oulros nada soffreram.
Cabo-Verde. .,.
Acola, foi a tripolaglo embarcada a bordo do' ^. ...
Monge, da raarinha de guerra franceza, e conduzi- i
da a Brest, onde teve lugar um ioquerito.
Miss Munson eotretinha no Canad, coa team
Kerr, relagoes coja inmidade deu escndalo.
Miss Munson querenJo tirar-se deste ^ituacat
erabaragadora e vergonbosa pedio a Kerr as car-
tas que lhe tinha escripto ; poreo elle recuoo-me
o pedido, recusa que lhe fez tomar orna resotoeo
terrivtl.
Um da que Miss Munson obrifara Jaoes Kerr
a acorapanha-la em um passeio de carruageo, oav
tou-o cora ura tiro de pistola.
Miss Munson uraa senhora bem educada tea
bellas qualidades e pertence a ama boa faoilia -
era directora de um collegio e possue na di-
ploma de 1* classe de esenoia noroal de To-
routor.
A ferida de Kerr parece que mortal.
Miss Munson apenas corametten o eroe, foi ea-
tregar-se as mos do Constable Bradley de New-
caslle.
Os depoimeutos foram idnticos; rednziram-se'.
isto:
Em julho, o capito Richbourg, apercebeu qne o
navio fazia agua ; fonecionarara as bombas, porm
tudo foi baldado.
Achando-se a tripolaco exhausta de forjas, o
capilo resolveu abandonar o navio.
Arrearam-se as lanchas ao mar destinadas tri-
polago.
O capito, o immediato, o grummette e o cozi-
nheiro deviam ser os ltimos a raetter-se n'uma
canoa; porem atarefados em salvar os papis, a
bussola, relogios, etc., deixaram-se sorprender e
foram a pique cora o navio, a uma ou duas horas
da noite.
Ficamos at ao romper do dia ao lugar onde o
navio tinha desapparecido, accrescentaram os In-
terrogados, sem ver viva alma; fJuciaavam semen-
t era redor de nos os restos da canoa, e outros
objectos.
Nao bavia luar e a noute eslava escara.
A concordancia destas declarares fez acreditar
em Brest na veraoidade das teslemuubas.
Talvez nanea se descobrisse o crirae, se M. Au-
bert, irmo do immediato da Foederu-Arca, segoin-
do tambem a vida do mar, nao houvesse concebido
suspeitas.
Depois de consaltar varios capites de navios,
escreveu ao ministro da joslica, pediodo-lha qne
maodasse proceder a ama segunda devassa, fun-
dndole sobretodo oeste facto que segando o de-
de 4 do correute que houve as villas e aldeas
prximas dous grandes incendiosum a 30 de
abril e ootro a t de maio.
As chammas devoraram nada menos de seis mil
casas.
Aitribue-se este grande, incendio grande secca
que tem havido naquelle paiz.
O cavalleiro qae editou a excedente e portugue-
zissima comedia-drama do Sr. Jos da Silva Men-
dos Leal O primeiros Amores de Bocagevendeu
em quioze dias 800 exemplares a 500 rs. cada um.
o qae di aai resultado de 400.
E' um facto notavei na nossa historia Iliteraria,
e tambem um privilegio das obras primorosas e
dignas do apreco.
Um jornal do Oriente conta da segrate maneira
os ltimos momentos do celebre viajante e cagador
Much :
No dia 6 de margo, ao declinar do dia, o pobre
viajante passou da vida a morte em um bosque so-
bre as margeos do Radian, da maneira mais tr-
gica qoe se possa imagioar.
De maoha, Mach tinha morte am elepbaote per-
to do rio, e em quanto elle o esfolava, lhe arranca-
va os denles e o uuto, am criado a qoe Mucb era
extremamente afifeicoado, e qne era seu compa-
nbeiro habitual as cagadas, sendo ao mesmo lem-
po, um bom atirador, veio dizer-Ibe qae a poaca
A Alleraaoha, diz o Menestrel, nao i
dar reunies musicaes.
No Ora deste raez deve verificarse o cotossal coa-
ce no ha tanto tempo annunciado em Dresde.
Nesta fasta dos canteres figoram 22:000.
O solos sero canudos por 200 vozes.
Tudo se tem previste e orgaoisado para taa es
receber o grande numero de extraageiros, qoe ola
podem deixar de afflnir a esta soleonidade ota-
ca! sem precedentes.
Escrevem de Gstela, qne am mglez oillioaarte
habita ja ha dias sobre u Malo-uer-Taoer oaMB-
nba que se eleva mais de 6:000 ps cima da m-
lo, uma barraca confortavel, mas que o fro ex-
cessivo obriga a aquecer com um fogao de Ierra.
Este inglez tem a sua disposicao trala e dea c-
vanos, os quaes mantem as soas commuueacdes
cora os terrenos baixos,
Escolheu este sitio para poder gosar i sea toa
lade por algum tempo do especiacnlo do nica a
sol, em pleno esli, n'uma barraca aqueeia, reata-
da de nev e de gelo.
Uliaiamente annnoeiava-se uaa
extraordinaria n'um theatro de
Franca.
Nos cartazes lia-te em letras gordas o
RICARDO III.
Um pobre de espirito, seduzido sem dunda,
grandeza das lettras, val comprar
pergunta a' bilheteira :
Esta noite
e onze ?
que se representa Ricardo coate
Sim, senhor, responde a daos, qoe no petas
era de espirito como o seo interlocutor : ten a
que esta' nos programmas T
PERNAMBUCO^tYP. DE M. F. DK F. &nUW



1




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESAVETFXT_1P2G0A INGEST_TIME 2013-08-28T03:07:30Z PACKAGE AA00011611_10748
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES