Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10747


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f>
AMBO Iil JTDMEBO 190
____________________
?r qoartel o;go dentro de 10 das do i\ mei : :
dem depois dos 1.' 10 das do comeco e deitro do qoartel. .
Porte oo eorreio por tres bozos ,......, ,

SfOOO
6)000
730
DE
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Geraldo Antonio Alves <&
Filhos Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Das; Baha, o
Sr. Jos Hartiaa Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparlnho.
SEGUNDA FEIRA 21 DE AGOSTO DE 1865.
Por anee pago dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao eorreio por uta anoo ..,.,..

19MM
ifm
BUCO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agoa 'reta, todos os dias.
Igaarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Bnique, S. Bento, Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacaral, as tercas
feiras.
Pd'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqnera
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueito e Ex, as quartas
feiras.
Serrahaem, Rio Formoso,Tamandar, Una, Bar-
reiros, AgnaPreta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago : tercas e sbados as 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
Oto.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
bora da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 Lna cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m.
13 Quarto ming. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Qnarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
14. Segunda R. Enzebio presb.; S. Demetrio m.
15. Terga c{Ja Assumpgo de Nossa Seohora.
16 Quaria. S. Roque f.; S. Diomedes raedizo.
17. Quiula. S. Mamede m.; S. Liberato m.
18. Sexta. S. Jacintho; Ss. Lauro e Floro mro.
19. Sabbado. S. Luiz f. b.; S. Tecla m.
20. S. Joaquim pae de N. Senhora ; S. Samuel prof
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 3 horas e 42 m. da tarde.
Segunda as 4 boras e 6 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEROS.
Para o ral at* Alagoas a 14 e 30; para o sacia
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; pan Pernaa-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, margo, nu: j,
julho, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praca da I
ns
Faria & Filtao.
-----------,--------... ._ ,....,. mm | !
. 6 e 8, dos proprietarios Maaoel Pigueiroa.
irio A- Wilhn
pete offigial
w
60YKM0 DA PROWGU.
Contmtueio do expediente do da 16 agosto de
186o.
Offlcio ao Dr. chefe de polica.Re,stiiiio V.
S. as quatro inclusas cuotas, que vieram aonexas
ao officio dessa repartigo de 22 de fevereiro ulti-
mo, sob n. 249, e relativas s despeas feitas cora
o sustento dos presos pobres da cadea de Naza-
reth, durante os mezes de setembro a dezembro do
anuo prximo passado, afim de que sejam presta-
dos os esclareciraeolos pedidos pela contadura da
the-uiirari.i provincial no parecer junto por copia,
a que se refere o offlcio do respectivo inspector de
29 de julho prximo ndo n. 291.
Dito thesouraria de fazenda.Eni vista da re-
lago junta era duplicata, e nao havendo inconve-
niente, raadde V. S. pagar ao delegado do termo
de Barreiros ou ao seu procurador, conforme so-
licitou o chefe de polica em offlcio de 12 do cor-
rente, sob n. 1151, a quantia de 46J800 rs., prove-
niente das elapes abonadas aos rocrutas vindos
daquelle termo e constantes da predita relago, dos
quaes foram recolhidos An'.onio Zeferino dos San-
tos Santa Casa de Misericordia por doenie. e Vi-
ceole Ferreira Calangro e Manoel Gomes da Silva
casa de dolenco at que provem isenco do re-
crutamento,Joo Soares do Nascimento e Francis-
co Jos dos Santos obliveram iiberdaJe por incapa-
zes do ser vico ; Manoel Elisiario acha-se destinado
para a armada, e osoutros finalmente para oexer-
cito, como ludo consta do citado offlcio.Commu-
nicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Atientas as razes expendidas
pelo brigadeiro commaudante das armas interino,
no offlcio junto por coia, datado de 9 do corre-
le, sob n. 1331, recommendo V. S. que mande
adiantar ao major Alcxandre Augusto de Frias
Villar, coramandante interino do primeiro batalhaj |
de guardas nacionaes destinado ao servico da
guerra, a quantia de 4005, de que prestar contas
opportunamente, adra ae que e-i-ja habilitado a
fazer os abonos precisos para a manutengo das
praeas que vierem de fra, visto nao ter o bata-
Jbo rancho e nao disporem ellas de meios. Com-
municouse ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Constando, de aviso do minis-
terio da guerra de 28 de julho ultimo, que fra ap-
provada a deliberaco do meu antecessor, de man-
dar rescindir o contrato celebrado com o padre
Manoel de Santa Anna Luz para capellao da enfer-
mara militar, em raza o de ser mu diminuto o
numero dos doentes nella existentes ; assim o de-
claro V. S. para seu conheciraenlo.
Dito ao mesmo Autoriso V. S., em vista de sua
informara*) de 12 do crreme, sob n. 585. dada
com referencia a da conladoria dessa thesouraria, |
acerca do requerimento documentado que incluso
devolvo, a mandar pagar, sob minha responsabili-,
dade, por nao haver crdito para esse lim, as van-:
lagens a que se julga com direito o lente refor-'.
mado do exercito Joaquim Jos de Souza, por ha-!
ver servido de vogal em diversos conselhos de
guerra, segundo consta dos mencionados docu-
mentos.
Dito ao mesmo.Era vista do prel junto em du-
plicata, mande V. S. pagar os vencimentos relati-
vos primeira quinzena deste mez, das praeas da
guarda nacional destinada ao servico da guerra.
Dito ao mesmo.Convenho, em vista de sua in-
formaco de 14 do corrente, sob n. 537, em que o
ajudante do inspector da alfandega do Rio Graude
do Norte, Alexandrino Christiano de Oliveira, que
leve ordem do ministerio da fazenda para seguir ;
para aquella provincia, continu como adddo
desta capital at o lim de setembro prximo vin-
douro, se o contrario nao resolver o governo impe- ,
rial, a cujo conhecimento vou levar es-a rainha de-
liberarau : o que declaro V. S. para seu conhe-
cimeoto e expedicao das convenieutes ordens neste
sentido.
Dito a thesouraria provincial. Ueferindo o re-
querimento do alferes ooraeado para o corpo de
polica, Antonio Jos di Souza e Silva, recommen-
do a V. S. que mande adiantar-lhe um mez de seu
sold, que ser descontado pela quinta parto, alim
de que possa elle occorrer s despezas que lera de
fazer.
Dito ao mesmo.Pode V. S., conforme indica em
sua inlormagao de hontera, sob n. 310, mandar en-
tregar, mediante fianza idnea, ao padre Thomaz
Xavier Dias de Albuquerqu*, administrador e ca-
pellao do recolhimento de Iguarass o cont de
rls votado na lei do orcameoto vigente para os |
reparos daquelle recolhimento.
Dito ao mesmo.Transmiti a' V. S. por copia,
nao s o aviso expedido pelo ministerio da fazenda
em 28 de julho ultimo, mas tambem o modelo a
que elle se refere, afim de que preste os esclarec-
roentos exigidos no mencionado aviso, relativa-
mente a' receita desta provincia, orgauisando-se
para isso um quadro, de conformidade com aquel-
le modelo.
17
Officio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
ra'.Rogo a' V. Exc. que se sirva de providenciar,
para que o juiz de direto da comarca do Crato,
ouvindo o respectivo juiz municipal, informe sobre
o incluso requerimento documentado, em que Vi-
cente Jos Monteiro, all residente, pede ao governo
imperial a serventa vitalicia dos offlcios de labe-
l'o e escrivo do termo de Cabrob, fazendo o
supplicante instruir o mesmo requerimento com
nova folha corrida.Igual officio foi dirigido ao j
Exm. presidente das Alagoas, acorca do requeri-
mento de Pedro Soares de Mello Cezao.
Dito ao Exm. marechal de campo commandante
das armas.A' V. Exc. se apresentara' para ser
alistado no contingente de guardas naclonaes des-
tinados ao servico da guerra, o guarda do tereciro
batalhao de infamara deste municipio Joaquim da
Silva Alves Ferreira, que se offereceu para servir
no primeiro corpo que seguir para o sul.Commu-
nicou-se ao commandante superior do Recife.
Ditoao mesmo.Qu*ira V. Exc. declararme se
ao voluntarlo Pedro Alves de Araujo, se lem abo-
nado os respectivos vencimentos, e at quando se
acha elle pago.
Dito ao mesmo. Informe V. Exc. se.pdeser
satisfeito pela pharraacia da enfermarla militar o
pedido de medicamentos de que traa o incluso
offlcio do commandante do presidio de Fernando.
Ditoao mesmo-Srvase V. Exc. de informar
sobre o qua requisita o coronel Francisco Joaquim
Pereira Lobo no incluso offlcio.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar acer-
ca do que pede Landilno de Luna Freir no inclu-
so requerimento.
Dito ao mesmo.Mande V. Exc. alistar no cor-
po de voluntarios da patria o acadmico do 2* au-
no Joo Baptista de Freitas, o estudanle de prepa-
ratorios Joo Francisco de Barros, e o furriel do
6* batalhao da guarda nacional deste municipio
Joaquim Jos Pereira da Mona, os quaes offerece-
ram-se para servir na guerra contra a repblica
do Paraguay.
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia.Approvo a deliberaco que to-
mou a junta administrativa dessa Santa Casa, se-
gundo V. Exc. me comraunicou, em seu offlcio de
12 do corrente, sob n. 323, de m ndar recolher
provisoriamente a casa dos expostos, por se achar
abandonada, a menor Joanna Mara Rosa de Je-
ss, Alba do linado Antonio Moutinho.
Dito ao Exm. conselbeiro Dr. Lourenco Trigo de
Lonreiro.Tenho presente o offlcio que V. Exc.
acaba de dirigirme, pediodo para levar ao conhe-
cimento do governo imperial o patritico otlereci
! ment, que hoje fez, de marchar para a guerra
I cora os alumnos da Faculdade de Direto, que
acompanharam a V. Exc, e Bzerara igual olTereci-
; ment, visto que nao o poda fazer sem liceoca do
mesmo governo.
Louvando a V. Exc. e aos seus dignos discpu-
los por |o expontanea manifestagSo de patriotis
mo, que tanto os ennobrece e os recommenda a
estima e a admiracao publica, vou submetle-la a
consideracao do governo imperial, que saber apre-
ciar devidaraente a prova de abnegaco e amor
patria, que acabara da dar os briosos alumnos da
Faculdade de Direito.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em vista do pret junio em duplicata que me re-
metteu o commandante superior da comarca do
Bonito, com offlcio de 29 de julho ultimo, e nao
havendo inconveniente, mande V. S. pagar ao Io
sargento Manoel Rodrigues da Silva Nery, os ven-
cimentos de urii.i escolta de guardas nacionaes,
que veio d'aquelle municipio conduziodo os recru-
jas Jos Fructuoso dos Santos, Manoel Pereira de
Oliveira, Manoel da Vera Cruz, Herculano Severo
Bispo, Marcolino Jos de Oliveira, Joo Ferreira
Lima, Jos Monteiro, Antonio Pedro, Pedro Anto-
nio, Roque Nogueira e Justino Pereira, bem como
o desertor Antonio Gomes Cerquera, os quaes ti-
veram os destinos indicados nos offlcios do chefe
de polica, juntos por copia, datados de hontem e
sob nmeros 1,164 e 1,165. -Communicou se ao
commandante superior do Recife.
Dito ao mesmo.Ao 1 lente Ernesto Ignacio
Cardim mande V. S. entregar, era vista da folha
junta em duplicata, que para esse lim rae remet-
teu o capito do porto, com offlcio de hontem, sob
n. 140, a quantia de 6005000, para pagamento dos
premios, a que teem direit) os pnmeiros marinhei-
ros engajados para o servico da armada nacional
Izidro Vieira, Joo Jos Bezerra, Frederido Seve-
riano Hauzon, Luiz Manoel Simplicio e Joo Jos
Nepomuceno, bem como a pessoa que os engajou.
Comrannicou-se ao capito do porto.
Uito ao mesmo.Declaro a V. S. para os fins
convenientes, que os cirurgioes do corpo de sade I
Dr*. Francisco Goncalves de Moraes e Joo Hono-
rio Bezerra de Menezes, acham-se servindo no
presidio de Fernando, segundo partecipou-me o
respectivo commandante era offlcio n. 259 de 9 do
corrente.
Dito ao mesmo.Mande V. S. adiantar, om
urgencia, a cada um dos operarios Manoel Luiz da
Silva, ferreiro, e Sesisnando Pereira da Silva, car-
pintero, a imporiaucia de um mez do salario por
que se contrataran para o servico do arsenal
de guerra da corte-
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao juiz mu-
nicipal do termo da Boa-Vista, bacharel Jos do
Patrocinio Pereira da Silva, os seus vencimentos,
correspondentes aos dias 30 e 31 de maio ultimo,
em que por doente deixou o exercicio do seu era-
prego, como se vd do incluso requerimento, con-,
siderando-se assim abonadas as faltas por elle da-
das n'aquelles dias.
Dito ao mesmo.Respondo ao offlcio, que V. S.
me dirigi hontem sob n. 515, declarando, adra
de que o faca constar, a quem competir, que ap-
provo a demisso dada pelo inspector da alfandega
desta capital ao guarda Joo Pereira da Silveira,
em vista da parte que contra elle deu o respectivo
guarda mor interino.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Respondendo ao seu offlcio de 21 de julho prximo
ndo sob n. 212, tenho a dizer que pode V. S.
aceitar a ultima das condicoes propostas pelos pro-
curadores do proprietario do palacete da ra da
Praia no offlcio que por copia veio annexo ao de
que cima se trata, exarando-a no termo do con-
trato que se tiver de fazer para arrendamento,
d'aquelle palacete.
uito ao director do arsenal de guerra.Remet-
i incluso a V. S. para seu conhecimento a guia de
md e oit) centos pares de sapatoes de vaqueta
acondicionados em oito caixoes, que|pelo almoxari-
fado do presidio de Fernando foram remettidos pa-
ra esse arsenal no vapor Persinunga.
Dito ao director das obras militares. Recom-.
mendo a V. S. que apresse quanto fr possivel a
execugo dos concertos de que necessita o quartel
da Soledade, onde se acha alojado o contingente de
guardas naclonaes destinados ao servido da guer-
ra. Commuoicou-se ao marechal commandante
da- armas.
Dito ao capito do porto.Declarando-me Andr
de Abreu Porto, que se obriga a entregar a Vmc.
na occasio da chegada de qualquer vapor para o
sul, os marinheiros e grumetes que houver enga-
jado para a armada, pode Vmc. entregar aos mes-
mos engajado na occasio de assignarem os seus
contractos a gratieacao a que tiver direito, pela
qual (lea responsavel o mesmo. Andr de Abreu
Porto, no caso de nao apresentar qualquer dos en-
gajados. |
Dito ao mesmo. Mande Vmc. submetter a ins-
peceo de sade, o recrula de raarinha Manoel Pe-
dro da Silva.
Dito ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra. Ioleirado de quanto expoz o conselho de com-
pras do arsenal de guerra, em seu offlcio de 12 do
corrente, tenho a dizer-lhe em resposta que ponha
notamente em praca o fabrico de quinhentas e oi-
lenta blusas de panno verde, de que trata o citado
offlcio.
Dito ao Dr. juiz de direito do Pao d'Alho. In-;
forme Vmc, ouvindo o juiz municipal respectivo,
sobre o Incluso requerimento documentado, em que
Jos Jaouarlo Alves Ferreira ah residente, pede a
serveutia vitalicia dos offlcios de tabellio e escri-
vo do termo de Cabrob ou do de Cimbres, fazen-
do o supplicante juntar ao mesmo requerimento'
nova folha corrida.
Dito ao juiz municipal da primeira vara desta
cidade.Remello a Vmc. para os flns convenien-
tes, as guias dos 13 individuos mencionados na re-
lacao junta, que vieram do presidio de Fernando
no vapor Peninunga. por haverem cumprido as
penas a que estavam condemnados segundo deca-
rou-m* o respectivo commandante era offlcio de 10
do corrente.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que ponderou em seu requerimento o len-
te do batalhao n. 18 de infantaria da guarda na-
cional do monicipio de Nazareth, Amaro Gomes de
Oliveira Coutinho, que se havia offerecido para ser- j
vir era um dos corpos cora que esta provincia tem
de concorrer para a guerra, e lendo em vista a In-1
formaco ministrada pelo marechal commandante
das armas em officio de 16 do corrente, resolve
cenceder-lhe demisso do posto por assim o haver
solicitado, e ordena que neste sentido se expecam s
convenientes cororaunicacoes.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, faram transportar para a corte, por
coota do ministerio da marraba, no vapor Cruzeiro
do Sul, os engajados para a arma da indicada na
relaco junta.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
do Paquetes, fagam transportar no vapor Cruzeiro
do Sul, por conta do ministerio da raarinha, para a
corte, o primeiro tenente da armada Antonio Fer-
reira de Oliveira, e para a Babia a mulher desse
official.
Despachos do dia 17 de agosto de 1865.
fleijuerimnfos.
Capito Alberto de lirito Cavalcanti Arco-Verde.
A vista da informacio pao tem lugar o que re-
quer o supplicante.
Antonio Hilario da Silva.-Recolha-se o suppli-
cante ao qoartel da guarda nacional destinada ao
servico da guerra, e reqaeira depois a iseoco que
tiver.
Antonio Luiz de Torres.Depois que so achar
acuartelado, requeira o supplicante a isenco que
tiver.
Alexandre Barbosa da Silva Jnior.Informe o
Sr. Ur. j'oiz de direi'o do Pao d'Alho, ouvindo o res-
pectivo juiz municipal, e fazendo o supplicante jun-
tar nova folha corrida.
Bertino Lopes de Araujo.Informe o Sr. Dr. Juiz
de direito da comarca de Cabrob, ouvindo o res-
pectivo juiz municipal, e fazendo o peticionario jon
tar nova folha corrida e pagar os novos e velbos
direitos da mesma.
Padre Domingos Alves Vieira.'-Tendo a obra de
que trata o supplicante, sido oreada pela reparli-
Co das obras publicas em 4:6643440 rs., e sendo
insufflciente para ella, nao s o cont de res, vo-
tado na lei do orcameoto do anno prximo passa-
do, bem como o producto da parte da lotera extra-
hida favor d'aqueila obra, ser esse orcamento
submettido opportunamente ao conhecimento da as-
governaco do dstrcto entregue a' D. Augostin
Monteiro. Todos os Indios haviam sido licenciados
por seis mezes, de sorte que o departamento sof-
rera trazos as obras que tem em construego.
Um Inglez, Spear, soTrera espancamento da
parte de dous offlelaes, segundo corra tambem no
toral.
Muita falta faz em Iquitos a presenta do Sr.
coronel Carrasco, que, segundo afflrmam'algumas
p^ssoas daquella povoaco, se retirara amotinado e
desgostoso com as consas d'ali. Soa intelllgenca,
sua illustraco, sua probidade e energa, muito
bem podem tazer ao departamento, que nao mar-
char com a melhor regnlaridade sem um chefe
superior, como ello.
< Neste mez comecaram a ser observadas as no-
vas tarifas de passagem e fretes, adoptabas para os
vapores peruanos que navegaren! entre esta capi-
tal B a povoaco de Yurimaguas.
Para.Fallecer, a' 3 do corrente, o Dr. Jos
dos ja do crneo e esparsos, eram oltos como de
pessoa branca.
A mandbula Inferior eslava desarticulada, e
na superior faltavam alguns denles incisivos.
Eslava n, c prximo existiam nmas caigas
: de cor avermelhada voltadas pelo avesso, como se
I tivessem sido tiradas ao cadver.
Um pao que Ihe ticava sob as espadoas pareca
indicar que elle tinha sido conduzido por pessoas
qn. o levarem sobre d- us paos iguaes, o outro dos
quaes nao appareceu.
' Naquellas visinhancas nao se lem dado por
falta de pessoa que se suspeite ser a victima.
Tendo estado naquelle rocado por toda a se-
mana at o mesmo dia I algumas pessoas traba-
Ihando, admira que ellas nao houvessem descober-
to o cadver, estando elle to prximo aodito roga
para regular de urna maneira definitiva a aMs-
dc que a Santa S deve toaar roajgrrar em
presenga da Italia.
Poder esta noticia nao ser vrrfedeira. aa> w
jornaes que delta se oecupam dizem aat ja em fr-
e se realisou e>ta idea, ijbmo em jinU 4* IOS*
se reuni un concilio para a rinomiif io ut
I y res do Japo.
- Os jornaes francezes fallas Oa mm
do rei Vctor Emmanuel a VtomkUrm,
tualmente se acha o imperador Naoolo. Dn-*
tambem que o principe Humberto iria a Chertor-
go, acompanhado de orna esqoadra iiaJnan, em
quanto a Austria s all seria representada por
um navio de guerra.
Diz se de Turia que o clero tomara pone man
activa na campanha eleiloral. O clero
sembla legislativa provincial para ser tomado na : Bandeira de Mello, juiz de direito da capital,
devida considerado.
Francisca de Paula Marlins.Depois que o sup.
pilcante se tiver aquartelado, poder por si oo pelo
supplicante requerer a isenco, que ser opportu-
namente tomadada em considerago.
Padre Francisco Virissimo Bandeira.Em vista
da informar-) nao tem lugar o que requer o sup-
plicante.
Jos Rodrigues de Araujo Porto.-Remettido ao
Sr. inspector da thesouraria da fazenda para man-
dar passar o titulo.
Jos Francisco da Silva.Iudeferido em vista da
informago.
Jos da Cruz Santos.Nada ha mais que de-
ferir.
Joanna Maria de Jess.Nada ha que deferir,
por ter sido inspeccionado o fllho da supplicante.
Jos Ai ves de Castro Pinheiro.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Maria de S. Pedro.Informe o Sr. Dr. chefe de
polica.
Manoel Caetam Spindola.Passe portara con-
cedendo ao supplicante um mez de licenga cora
vencimento para tratar de sua saude.
Maximiano Jos Ferreira.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do munici-
pio do Recife.
Manoel Luiz da Silva.Dirija-se ao Sr. inspector
da thesouraria da fazenda.
Mana Basilia Martha. Informe o .Rr. capito do
porto.
Pantalie Pereira de Assis.Indeferido.
Siszinando Jos Pereira da Silva.-Dirja-se ao
Sr. inspector da thesouraria da fazenda.
L-se no Diario do Gran-Para
Em Maraj, no districto da Cachoeira, aconte-
cen em fins do prximo passado mez (julho) um
caso lamentavel, ei-lo:
Um vaqueiro indo montado n'um boi fazer
urna pequea viagem, levava comsigo urna espin-
garda carregada, para no caminho matar alguma
caga qne encontrasse.
Passando por urna fazenda do seu conhecimen-
to, poz-se a conversar da parte de fra sera se a-
pear; na occasio de despedir-se deu signa) ao boi
para caminhar, e eemo o animal estivesso caneado
ou nao quizesse andar, o vaqueiro pegou na espin-
garda pelo cano e com o coice della deu na trom-
ba do boi, que immediatamente pz-se em movi-
ment. vaqueiro, porm, quando ta a levantar
a arma para por no lugar onde eslava, pegou-lhe o
gatilho n'um chifre do boi e a arma disparou-se
im direcgo ao crneo do pobre homem, que pas-
son desta para melhor vida.-
< No mesmo districto e na mesma semana, um
vaqueiro ejeravo, trabalhando no campo com nm
touro, este avangou sobre o vaqueiro e o matou,
fazendo primeiro a mesma couza ao cavallo.
Em dias da semana passada, foram recolhidos
a' cadeia publica de S. Jos, Aotonio Felippe da
Fonseca o Manoel dos Santos Vianoa, e ao quartel
do corpo provisorio de artilharia, (incommunica-
vel) Henriqiie Felippe Benicio, aquellos por terem
recehido na thesouraria geral, por diversas vezes,
importancias n pequeas de contas de forneci-
mentos para o arsenal de raarinha; cujas contas
em nomes suppostos, e sob a assigoatura falsa do
respectivo inspector no processo das contas e nos
offlcios que eram remellidos a' thesouraria, eram
feitas e tudo arraojado, segundo consta, por Beni-
cio, industria que durava havia quatro annos.
< Tambem corre de bocea em bocea, que mais
gente esta envolvida nesta negociada. Deus quei-
ra que a verdad; triumphe neste lo melindroso
crime.
L-se no Jornal do Para :
Pelo Enchanlress entrado no dia 28 de julho
ultimo,nheg"U de New-York o seguinte armamento,
encommendado pelo Exm. presidente da provincia,
e que se compo;m, a saber :
< Carabioas raiadas (Jorlyn's carbine) 100.
Granadeiras raiadas, (fabrica nacional de Re- i
raington) GOO.
Vieram tambera muniges para serem usadas
em quanto se tomam as providencias para poderem
ser outras preparadas em nosso laboratorio pyro-
technico, as quaes consistem, em cartuxos metli-
cos fulminantes 10:000.
Ditos 30:000.
t Espoletas 30:000.
t Este armamento fabricado lodo este anno, re-
presenta os ltimos progressos que a terrivel arle
da guerra fez na lula gigaulesca dos Estados-Uni-
dos, e rene a solidez e elegancia do traba'.ho,
juslesa do tiro, facilidade da carga, ao extraordi-
nario alcance das armas.
t O Exm. Sr. ministro da guerra delerminou,
por aviso de 5 de junho, i|e este armamento fosse
destinado ao servico da provincia, em compensa-
cao do que d'aqui "levou o corpo de voluntarios
da patria, e consta-nos que com elle vai ser arma-
da a forga que est de guarnigo na capital. >
Maranhao.A presidencia da provincia nomeou
diversas comraisses para se encarregarera do alis-
tamento de voluntarios da patria, tanto na capital
como no centro da provincia.
zerem trazer ~" Achava-se no porto, o vapor de guerra arae-
Deus guarde a V. Exc-Jos Antonio Saraiva- ricao Mpw'e, vindo de New-York.
Sr. presidente da provincia de Peroambuco. ~ Assumira interinamente o cargo de chefe de
(Assignado).- Francisco Sergio de Oliveira, ma- polica o Dr. Sebasllao Braga
rechai de campo commandante das armas. No da 29 do passado S. Exc Rvma.J man-
Esl confirme. Antonio Francisco Duarle, 2' | du celebrar missas fnebres, pelo repouso dos
tenente ajudante de ordens interino, encarregado I Drvos fallecidos no combate de Riachuelo,
do detalhe.
C0MM4ND0 DS ARMAS.
Quartel general do caminando das armas de Per-
nambueo na cidade do Recife, 18 de agosto de
1865.
Ordem do dia n. 100.
O marechal de campo commandante das armas,
declara para os fins convenientes, que a presiden-
cia defflrindo o requerimento do Sr. lente do ba-
talhao n. 18 de infantaria da guarda nacional do
municipio de Nazareth Antonio Gomes de Oliveira
Coutinho, resolveu por portara de hontem datada,
conceder ao mesmo Sr. tenente a demisso do pos-
to conforme solcitou: convenientemente determi
na que seja desligado do 1 batalhao da mesma ar-
ma da guarda nacional destacado para o servigo da
guerra, para o qual fra designado.
O mesmo marechal de campo d publicidade ao
aviso circular do ministerio da guerra de 24 de ju-
lho ultimo, relativamente as familias das oraras do
exercito e voluntarlos da patria, cujo aviso Ihe foi
por copia remettido pela presidencia com offlcio de
16 deste mez.
Aviso circular1* directora geral 1" sessao.
Rio de Janeiro ministerio dos negocios da guerra,
em 24 de julho de 1865.Illro. e Exm. SrTen-
do a experiencia demonstrado os inconvenientes
que se do, de virem os voluntarios e praeas do
exercito, acompaohados de suas familias, resulian-
d> desse facto ficarem ellas nanitas vezes ahando-
nadas, ou ter o estado necessidade de as sustentar
para nao deixa-las entregues a miseria, cumpre
que V. Exc. nao conslnta que os voluntarios ou
qualquer praca do exercito ombarque com familia,
sendo melhor dispensa-las de vir para a campa-
nha, se Gzerem absoluta falla as pessoas que qui-
do, nem ainda mesmo advertidos pelos orubs, eleigoes limito-se a ab*enc asi'
que de necessidade ja deviam pairar por aquelles ra, porm, verlflca grandes'reontSe* e trata e~M
i lu-a^-' organisar definitivamente para levantar mm Mn>
t O respectivo subdelegado fez vistona, mas im- deira.
perfeita como poder s-lo em vlsla do estado do Em conseqneneia das medidas lowaOa* aetaa
i mL a-, i t I n,ori,,a<1es d Colonia, segundo as eneas fe-
Nao se tem podido formar juizo algum sobre verno prossiano. para prohibir o mnpwli LJlti
o facto, e nem a victima, de sorte que nao podemos que era oderecido aos depotados praiaaoe em
anda saber se houve um homicidio, um suicidio, i consequencia de sua attiiode enrgica contra my
ou mero accidente, sendo que as desconfiangas con-. verno, os convivas pariiram para Libmiuin *>*
, vergem para a primeira hypothese.. ; cado de Nassau. Em todas as ciacV* que noreor-
reram, e especialmente em Bonn, Kotaadserk e em
Remageo, foram recebido* per nm ir
.o de povo, e cora as mais enlhtuia*
trares. Em todas as casas de Labu-ttem esta'
levantadas banderas alleroas. A Mca 5a*-
sau eslava, porm, de aecordo com m niirifidr-
prossianas.
O banquete comegoo as 2 boras da lardo, o (o-
raaram parle nelle os depulados, n com
e alguus convidados. A's tres horas tiesoo>
nagens vindos de Colonia, acompaahados
grande concurso de povo, reinnii no
j -iliui do hotel de Lobraek, para oavirea prulortr
os discursos que a polica havia regeiudo em Co-
lonia. Fallarara vanos depulados dos osa) dos-
tinetos oradores da cmara, fazendo nliiirtii
direito que Ibes assislia e a violencia mm a soa
respeilo se pralicava, mas todos acuotetaavaoi ao
povo moderaco, e s a resistencia legal as onda
fosse possivel.
Correo o boato de que as tropas do daqae de
Nassau estavam em marcha para dispersar a renv
nio, mas nao se acreditou o boato, e ponto dapoia
grande parte dos concurrentes se relimo para em-
barcar em dous vapores sabidos de Cotona, apezar
dos rigores da polica.
Pelas quatro horas senlio-se o rotar do laaaaor.
Era o exercito do duque de Nassau, que tmptn
marchas toreadas ; doas companhias de i oanla
i na e quatro tambores invadiram o jardim.
I saram a baoneta qoantos encontraran!,
i varios ferimentos e mullas prisoes.
A commsso receben feliciiage< de todas os
: pontos da Prossia, recommendando-lbe ama para
i proseguir n'uma tarefa lo gloriosa para os pnn-
Tambem chegou hontem da Europa o vapor in-
glez Olinda, da linha de Livsrpool, com datas de
Lisboa at 3 do corrente. Dos jornaes que rece-
bemos extractamos o segrate :
Na madrugada de 31 do passado S. M. a rainha de
Portugal deu luz um infante, com feliz snecesso.
S. A. real o principe herdeiro Carlos eslava
robusto e muito desenvolvido para a idade que lem.
O infante recemnascido dizia-se que lera o no-
me de Pedro. S. A. o segundo fllho de S. M. el
rei D. Luiz I. Ser baptisado no templo de S. Je-
ronymo, em Belm. Parece que sera padriobo o
rei Victor Emmanuel.
O dia 31 (icaria sendo de trplice gala em Portu-
gal, pois j era all celebrado pelo aoniversario do
juramento da carta constitucional da monarchia e
por ser tambem o aniversario natalicio da Sra.
duqueza de Braganga, imperatriz vuva do Brasil.
Abriram-se solemnemente as cortes no dia 30.
Na falla do throno o soberano congratulase com
a representago nacional por ter oderecido, com
bom xito a sua regia mediago afim de cessar,
como cessou, o rompiraento das relagoes polticas
entre o Brasil e a Gra-Brelanha, terminando
este temporario desaccordo com muita digoidade
para ambos os governos, como o fazia desde logo
antever a reconhecida illustragao e prudencia das
duas nages. >
Dizia-se em Lisboa que o ministerio ia comple-
tarse com merabros da raaiuria da cmara, -o que
as corles nao seriam addiadas.
O estado sanitario era satisfactorio.
S. M. el-rei D. Fernando approvou o dia 18 de 1 C,P0S > "beraade.
eetembro para a abertura solemne da exnosico In- ,.Mr- *rabow. anligo presidente da cmara *x-
ternacional portugueza, que promove na cidade do P|lC0U os motivos por que nao pude fajl a les;
Porto a sociedade do palacio de crystal. ; mas presidente reiterara os seos protestos, e nn-
O governo hespaohol reconheceu definitiva- nifesiara os seus sentimeoios de adheso aos actos
Italia; ser representante da promovidos pela commissao liberal.
DIARIO DE PERNAMBCO.
Piauhy.Abrise, no dia 12 do passado, a as-
sembla provincial, tirando a mesa assim constitui-
da ; Dr. Jos Coriolano, presidente ; padre Mame-
de, vicepresidente ; Jos J. Avelino e Dr. Newton,
secretarios.
.-------___ | L-se na Imprensa :
Pelo vapor Cruzeiro do Sul, chegado hontem'. AKram '^cidade a 17 e flzerara i,18
dos portos do norte do imperio/recebemos jornaes, SD,"dnaisnole'nn! 24} Jfftt^fffjS
do Amazonas at 26 do passado, do Para at II, do : ?. "onginqna comarca de Paranagua, a testa
Maranhao at 13, do Ceara al 15, do Rio-Grande J? EST?2?!SL2 P'''BTmm
at 17 e da Parahyba al 19 do corrente. Eis o !'J6,L<>8tMd C*!?* traio toyaao dlaUlie-
que colhemos.
Amazonas.No dia II do passado leve lugar a
abertura da assembla provincial, licando assim
composta sua mesa administrativa: padre Augus-
to Mattos, presidente ; Joo Jos do Freitas G. vi-
ce-presiiftnte; Silva Meirelles e Braulle Pinto, se-
cretarios.
L-se no Jornal do Amazonas :
i A prefeitora da proviucia littoral de Loreto
fez publicar as ultimas noticias que
havia recebido de Lima respeito da revolugo,
das quaes extractamos o seguiote:
a Ao atnanhecer do dia 8 de mato ultimo, fot to-
mada, depois de algumas horas de resistencia, a
cidade de Arica e a do Tacna, de que estavam de
posse os rebeldes, pelas torgas legaes ao mundo de
D, Antonio A. de la Haza, e D. Jos Gabriel Rios.
Todas as pegas que guarnecan) os fortes, os vapo-
res Tnmb e Lerrundi, e grande numero de prisio-
neros, cahirara em poder das torgas do general
Pezet.
c Puno e Arequipa, tambem rebelladas, haviam
sido abandonadas pelos rebeldes, que apenas som-
mavam 2,300 so todo.
< De Cajamarca, rebelde, haviam sido pedidos a
Chachapoyas, que abracara a mesma causa, recur-
sos pecuniarios; mas esta nao os tinha lo pouco
para si.
t Fra aprisionado um navio que navegava cora
a bandeira chilena, carregado de munigoes de boc-
ea e de guerra, para os r-beldes.
O emprestimo tentado por Prado, chefe da re-
volugo, nao havia produzido um centavo.
c Em Arequipa tinha sido restabelecida a pen-
sao ou imposto sobre os moinhos, e a contribuigao
pessoal.
t A capital da repblica. Callao, e outros pontos
aonde a ordem publica nada havia solTrldo, coat-
nuavam em tranquillidade.
Corra no departamento fluvial de Loreto a no-
ticia de ter apparecido em Nauta um pronuncia-
ment em favor da revolugo; que em Iqutes ha-
via ura partido prompto para abragar essa causa -,
mas, depois de manifestages pouco sensatas res-
peito da comraandancia geral, que devia ser oceu-
pada pelo Sr. Alzamora, esta, estorgos deste offi-
cial, flcou sera effeito o que se projectra.
t Apezar disso o governador de Iquitos, D. Ma-
noel d'Avila, vendo-se pouco seguro, rettron-se pa-
ra Nauta, de onde renuocioa o cargo, dcixando a
to senador o conselheiro Paranagua. A' esforgdMa
quelle cidado e de seu irmo o commandante su-
perior Jos da Cunta Luslosa foi que se reuniram
esses bravos piauhyenses, entre os quaes flgura
nao pequeo numero de Lusto-as e Nogueiras.
E' a comarca da provincia eTalvez de outras, que
mais concorreo com voluntarios para a guerra.
t Eotraram tambem a 6, vindos de Valenga, 13
voluntarios da patria e 9 guardas nacionaes e a 7,
oTcialniente de 0e'ras, 9 voluntarios^ 23 guardas designados
para a guerra. Nao sao menos dignos de louvor
estes boos piauhyenses.
Cear.a presidencia da provincia encarregou
aos capitaes Pedro Jaime de Alencar Araripe e An-
tonio Lourenco de Castro e Silva para agenciarem
voluntarios da patria.
Em urna reunio, feita pelo commandante su-
perior da guarda nacional da capital, resolveram os
offlciaes do Io e 2 batalhoes ollerecererase para
marchar para o sul, quando ao governo approu-
vesse.
Rio-grande do norte.L-se no Progressista :
Esta provincia gosa de perfeita paz e tranqui-
lidade. Tratase entretanto, com esforgo, de com-
pletar o contingente da guarda nacional que ella
tem de dar para a guerra, e de reunir o maior nu-
mero possivel de voluntarios e recrutas, como o
exigem as graves e extraordinarias circunstancias
do paiz. *
PaRahyba.L-se no Publicador :
t S. Exc o Sr. vice-presidente passou anle-hon-
tera (14) revista aos cento e tantos voluntarios da
patria, que censla-nos, devera embarcar brevemen-
te, porque os mus caminhos pelo invern, e as
distancias nao leem consentido que venham do in-
terior os que sao esperados com a desejada brevi-
dade, entretanto que no sul sao necesarios mais
bravos.
t Consta-nos que no domingo, 13, no lugar Caxi-
t, freguezia da Jacoca, prximo ura rogado do
Sr. Manoel dos Passos, alguns cagadores, adverti-
dos pelos orubs, descobriram um cadver em es-
lado de completa dilacerago por aquellas aves, de
sorte que nao foi possivel reconhece-lo. Apenas as
mos e os ps estavam intactos, e observou-se que
pareciam de pessoa acostumada a andar calgada,
tendo um dedo do p esquerdo comprimido e ca-
valgado pelos vlsinhos, como soem ter pessoas, que
usam calcado aperlado. As mos indicavam pessoa
desacostumada oo trabalho. Os cabellos desprend-
mente o reino da
Hespanha em Klorenga o Sr. Ulloa, e da Italia em
Madrid o marquez de Pagliacasne.
A opinio publica acha-se muito agitada era Hes-
panha ; o partido progressista e o partido absolu-
tista trabalhara para derribar a monarchia; uns
trabalhando pela unio da Hespanha Portugal,
Em todo o littoral al Cotona, as arlaraaees po-
pulares expressavam o sentimento publico, anaa-
do passavam os vapores que conduzam os deno-
tados reunidos em Nassau.
A' chegada dos vapores a C doma, o povo reo-
nido em grandes massas oas doas margeos dolta-
outros pela restaurago do principe D. Carlos fllho no acamaya os depulados. Durante a noito os
do principe D. Joo de Bourbon. manifeslagoes continuarain.e so uveran nm nade
A rainha ia partir para as Zaraur, as provin- de novo mterveio a polica. Fot extraordinaria a
cias vascongadas, e lara para all partir alguns cenfusao no acto do desembarque ; o povo fagto a<
corpos de infantaria, engenheiros e cavallaria. ameagas da tropa.e por mais de urna ve* a* ear-
Parece que se receia um movimenlo. &as de baoneta areagaram a mulidao reontda. fea-
Os bispos das diferentes dioceses teem repre- vendo nao Pouc04 ferimentos.
sentado contra o reconheci ment do reino da Ita
lia pela Hespanha. Os bispos de Tarragona e de
Burgos foram entregues ao conselho de eslado. O
bispo de Burgos foi demittido de aio do principe
das Asturias. O padre Claret, bispo de Trajano-
polis, confessor da rainha, adherio s representa-
ges dos outros prelados e retirou-se do pago.
As ultimas correspondencias, norem,faliao) do res-
labelecimento da ordem, acresceataado ano Jar.
de Bismark continua a merecer a conOanca db ja-
bera no.
Na Prussia continua Mr. de Bismark aas w<
proesas absolutistas. Nao sao permrttida* na
Schlsewig as manifestagoes a favor do principe a*
As cmaras approvaram o projecto de reforma da i Augustemborgo, embora aquelles poros eatenJam
Plmtnral e a alleraein rt loi snhrn a imnrensa que 0 principe lem dreilO a Soberana dos U-
lei eleiloral, e a alterar io da lei sobre a impreosa,
no ponto em que estabelecia que era cerlos casos
os jornalislas fossem julgados por ura conselho de
que o principe
caaos.
A situago dos ducados torna-so cada i
],,rr:l i tosuportavel. Os actos pralicados pelan i
Esles projectos foram ja' sanecionados pela rai-! prussianas indignara os povos falla-so ao rottae-
nha e produzram boa sensaco. lecimento do eslado de sino nos ducados, e oaproii
- Em Franca terminara.n s eleigoos munici- ma intiraago do principe de Augo-totoborgo da so-
paes. Os jornaes francezes publicara o resultad) 'r de suas fronieirasasism como o eoouMssari
do suffragio, e cada um, segundo as suas opinies austraco barao de Halbkuber.
polticas, procura interpretar o resultado da urna; I Completou-seo ministerio austraca Por *>-
pretenden) uns que este resultado favoravel as, creto de 28 do passado foi nomeado ministro d> es-
idas do governo actual: pretendera outros que a ado e presidente do conselho o conde d* bVtoredi,
opinio liberal lenha vencido, mostrando ao impe-! ministro da fazenda o Sr. Lanche, ministro dajos-
rador e ao governo as tendencias da Frauga. o Sr. Koraess, director provisorio ..i cwre-
Pareceque a autoridade formara as chamadas ">aria da Transylvama o coode oo Bel .-Ka-
listas municipaes, incloindo nellas nao s muilos rara suppnmidos os ministerios da i-----* a
dos amigos raembros dos conselhos, mas alguns marrana, Acanto a parle militar deslaajrcjaaa aa
homens da opposigo conhecidos pelas suas ten-' ministerio da guerra. Os ootros namslros enmi-
dencias moderadas; nos amigos conselhos existiam nuam no* seos cargos.
ja muitos elementos liberaes. A opposigo formo-1 m ~ ^" ?J continua a goerra einl 5o ota |.i
lou tambem as suas listas, e comprehendeu nellas de juoho houve completa evacuacaooa S. Doanages
urna grande parle dos que Iguraram as chama-! pelas tropas hespanholas. Naquellas agaas aca-
das fistos municipies. Este facto don lugar a' que! rara apenas alguns nanos par serrina dofa-
uns e outros clamassem pela victoria eleiloral. : rantia e respeito as pessoas residente* ana asa
Mr. Gladstone, vencido era Oxford, foi eleito; ilbs, que sao anecias a Hespanha.
por South-Lancashire; esle districto que sempre Por notieiu de Vera-Cruz consto mm |
leva a1 cmara homens do partido torv linha tres ral Castagni derrotou um grandei corno
merabros a eleger; o ministro chanceller foi eleito, blicanos em Passion, districto do^Joaon.
e mais dous membros do partido conservador, de- j O general Baraioe casou a 25 de jaaao. e por
pois de urna viva lula, obtendo 8,800 votos. este motivo houveram grande feslas, a ano aosa*-
0 numero total dos membros reeleitos para o ram o imperador e a imperatriz.
O general Abezia dirigi ama carta ao genera!
americano W. Brown, queixaaao-an do ano alga-
mas sentmellas ederaes, trabara fetto logo a' oOV
ciaes mexicanos da margen eppocto do sao Craa-
de. Brown respondeu que por soa oreai so io aro-
ceder a' urna devassa sobre o fado qne "
vam, e que nao toleraria semeHuatoi
eslava disposto a castigar ser
tentativa que tende a violar a
Por noticias de New-York coasta i
novo parlamento de 385, sendo 333 perlencentes
ao partido liberal, e 252 ao partido conservador.
Os homens de estado apresentam-se all cora a
maior franqueza, descrevendo os seus principios
polticos.
Mr. Disraeli.n'um banquete dado pelos eleitores
de Blucks, felicitando o partido conservador pelos
resultados da eleigo, nao deixou de se felicitar,
por ver o partido governaraental, apesar da maio-
ria que obleve, deserabaragado dos Importunos,
d'aquelles quo s attendem aos seus interesses par- londades de Lharleston adopuram ti
ticulares, sem calcularem as desvantagens que: ges para aquietar os nimos dos que
d'ahi resultam a' causa publica, alera de menlirem' insurreigo da parte dos negros,
ao mandato que receberara dos eleitores. A gnarnigao da Carolina do Sul, eomposla de ne-
A conferencia que houve era Valdire entre gros, lem causado vanos desgostos a IlipnhOl.
o representante da Franga em Roma conde de San- Em Charleston continua a mortal idade entre a
liago, e o rei Victor Emmanuel tem dado lugar gente de cor. ______
muitos boatos. Diz-se que o conde de Santiago, Segundo participagoes offlciaes o nnmeri i
antes da sua sahida de Roma.tivtra urna conferen- las de algodao que ba nos Estados do h
cia particular com o santo padre, alera de umitas
outras com o cardeal Antonelli.
Corre que se veo proceder novas negociagoes,
e que estas nao comprenendero s a corte de Ro-
ma, mas abrangero tambem o gabinete austraco.
Dizem uns que se vai rever o tratado de Zorich,
para facilitar um aecordo entre a Italia e a Aus-
tria, mas afflrmam outros que o gabinete de Vien-
na nao pensa n'uma transaegao qualquer que pos-
sa approximar os dous paizes.
O bario de Ricasoli, cujas opinioes sao bem co-
nbecidas, tambem estere era Valdire cora o rei
Victor Emmanuel. Diz-se que se trata de urna no-
va organisago ministerial, presidida pelo bario de
Ricasoli, para constituir um governo forte, que nao
s possa regular a questao com Roma, mas que ao
rae-rao tempo prepare e dirija as prximas eleigoes
polticas.
Falla-se na reunio de ora concilio ecumni-
co que sua santidade est resolvido a convocar
a dous railhes e ura quarto, sem contar oaj
duzira a nova colbeita.
Corriam boatos de baver rebrotado a goerra
civil no Japo.
PERNAMRUCO.
Ilfim MAHL
Cora o fira de servir no corpo de
da patria offereceu-se o acadmico do I* a
Manoel do Nascimeolo Pontos o AMonie Jone
Castro Guimares.
O Sr. Francisco Rodrigos KnMra,
gado na alfandega desta cidade,
servir no mesmo corpo, a um seo
Joaquim Rodrigues Pinheiro.
O acto do Sr. Pinheiro pal





Q
Diario de ^ernambnco -- cgnuda ir Ira ti de Agesto de 18*.

?9 -
a casa de detengo
no dia 18
pos delle decorre a nobreza d seo.
do sobre tudo a patria. Foram recolhidos
Confiada a ter lugar o alistamenlo do corpo, do correte :
academice, tefldose no sabbado inscripto os segura- A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de poilcia,
tes Seuhores : Joaquim Torrea, Bernardo Antonio dos Aojos, Ri
Severino Ribeiro Carneiro Monteiro, Rio Grande cardo Diniz Barbosa, Severino Jos de SaofAona,
do Sal, 1 anno.
Fontioelle Cesar Burlamaque, Piauhy.
Antonio Olavo de Araujo Ges, Bahi,
til, contando cora o concurso dos traidores. Es-
tes, purm, por mais que lenhain trabajado, p>u-
co tm conseguido, e com as esperanzas que de-
rara ao tyranno o puzeram em posigo bem difuV.il,
fazendo dividir seus exercilos, da qual s pode
sanir com maitas perdas e desmora1Uac,io.
No diaera que os paraguayos conhecerem fjue
esto sos, que nao se realisam as promessa cora
Appellaotes, o Dr. Joo Pedro Maduro da Fon-
seea e Jos Padre das Noves, inventarame dos
bens de Antonio Jos Lopes da Silva ; appellada,
D. Maria Rita da Cruz Neves.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Ir
desembargador Arcioli :
Appellantes, Guimaraes & Bastos; appellados
os administradores da massa fallida de Auonm
Antonio de Castro Alves, idem, Io.
Luiz Vianna, idem, t.
Jos Gomes Ferreira, idem 5o.
Hereulano Mayuarle Franco, dem, Io.
Domingos Rodrigues Guimaraes, idem, 1*.
Populo Liberato B-indeira de Mello, Paraayba, 1.
Pedro Eugenio de Cer.queira Lima, Balita, Io.
Manoel Rolemberg Dantas, Sergipe.
O escrivo Torres est de semana nos pro-
testos de letras.
Amanba se extrahir 3' parte da Ia c 1*
da 2a loleria da matriz da Victoria (28), sendo o
maior premio 6.000000.
- Era 16 de juoho ultimo fot preso era Buique,
e flcou reeolhido a respectiva cadea, o indio An-
tonio Narciso Cavalcanti, que, de parceria com ou-
tros indios, assassinoo brbaramente a Pedro Ho-
norato, tambera indio, no dia 19 de outubro do
anno de 1863, no lugar denominadoMarcago
Manoel Daraasceno, Jos Xavier da Cunha e Ber-
nardino Jos Barbosa, para recrulas ; Joao Rodri-
gues de Souza, como desertor; Manoel Joaquim de que os liudiram, nesse dia o desanimo percorrer Fragoso, Santos iComp'anhia.
Parias e Antonio da Silva Ribeiro, como processa-1 suas filetras cora grande rapidez, e nada os podar i Algaliantes, Tasso & Irraao ;
sustentar. Ento os nossos os iro acossaudo at cisco Laiz^algado e outro.
dos em crime de furto de cavados.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Francisco Daniel Secundino de Souza e Mello,
para correego.
O chefe da 2.* seocao.
J. G. de Mesquita.
Passageiros entrados dos portos do norte no
vapor Cruzeiro do Sul:
D. Auna Hyppolita Bandeira de Mello, D. Joa-
quina Bandeira de Mello, D. Ignacla Maria Bandei-
ra de Mello, Jos Bandeira de Mello, Manoel Jos
appellados, Fran-
chegarnus Assumpgo, termo da fornada glorio-
sa que emprelienderaos.
A uossa esqurdra do operagSesno rio Paran,
ao mando do bravo e mui distincto chefe Barroso,
acha-se mais forte do que nunca e prompta para
receper novos louros se se offerecer a occasiao.
Quando ali chegou a noticia da dissoluoo das for-
jas de Urquiza, naturalmente exageradas, aquello
chefe, com a prudepcia que o caracterisa.e nao po-
dendo calcular o alcance daquello facto, julgou
Appeliaaie, D. Maria Magdalena de Almeida Ca-
lanho ; appellada, D. Auna Joaapha Pereira dos
Santos.
Do Sr. desembargador Accioli o Sr. deserabar-
10 horas da manha, dia em que tem de ser jul-
do os reos Benedicto, escravo, e Manoel Soares de
da ordem que recebara, oo a aia caartrmda pr-r
, crime pS*nsi. S'itXSW-'TJSS' MT
frente e lados, sobre arcadas de parata dr
!71 do cdigo criminal.
appella-
de
i da Cunha, Davii Flaek, Luiz Autran, Cisserairo I conveniente descer al passar o passo da Bella-
Euzebio de S Pegado, Vctor Waoderer, Narciso | Vista, onde o Paran mui baiio, afi.n de se
Antonio Vleira da Cunha, Antonio Sabino da Cos- raanter sempre, em quaesquer circunstancias, em
ta, Francisco A. da Silva e 1 fllho menor, Thomaz communlcago com o porto de Buenos-Ayres, do
da Cunha Alves, G. Jos Ouriques, padre Antonio qual recebe lodos os recursos precisos e ordens do
Estanislao de Vasconcellos e 1 escravo, Maria da almirante.
Cruz de Oliveira, Antonio Jos Stern, Manoel de t Quando descia encalhou o Mag de urna ma-
do districto d'Aguas-Bellas, onde se acha processa-j Mallos Uourado, Felicio Jos Vaz de Oliveira, Ly- neira grave, e j se pensava em lanjar-lhe fogo
do j. dio Bandeira de Mello, Joao Augusto de Menezes. quando se consegu o sfalo.
Pelas 7 horas da noule de sabbado, na occa-; Galhardo, Antonio de Souza Cruz, Dr. Bento Mi-, Emquanto as canhoneiras se occopavam neste
sio em que o capellao, ao Bollar o tergo, se reli- nervino da Silva, Jos Bento Lobo, Jos Gomes de! serio trahalho, o chefu Muratori desceu cora o
rava do raio do norte da casa de detengo, os cri- Araujo Guntella, Antonio Joaquim de Santa Anna, j Guarda Nacional, nico vapor de guerra argn-
miuosos Antonio da Silveira S Brrelo, Antonio: Manoel de Oliveira Lima Jnior, Antonio llodri-
Ferreira da Silva, Manoel Joaquim do Esp'rito San- gues da Costa.
Seguem para o sul :
Dr. Fraucisco Antonio Pimenta Bueno e sua se-
nhora, Io lente Antonio Jos de Mello, Dr. Aris-
tides Cajuelro, D. Juan Francisco Salaya, couse-
toQuixaba, Joao Joaquim da Silva, Antonio Rober-
to, Manoel Dumingues Bernardo, Sevenoo Rozen-
do, Manoel Jos de Lyra, Mauoel Antonio Ferreira,
Joo Jos Moreno, Ignacio Jos de Castro, Vicente
1 tino que esla undo nossa esquadra, e communi-
| cou cora as autoridades da Bella-Vista, que Ihc
gador Silva Guimaraes :
AppeUante, Manoel Joaquim Bapllsia
do, Joao de Almeida Lima.
AGCIUVO INTEUl'OSTO 00 JUIZO ESPECIAL 00
U0MMERCI0.
Aggravante, Jos Duarte das Neves; aggrava-
do, Jos Baptista da Fooseca Jnior.
O Exm. Sr. desembargador presidente
provimento.
Nada mais havendo a tratar-se o xrn. Sr. pre-
dente encerrou a sesso urna hora e tres quarlos
da larde.
TRIBU*AL UA RELAMI.
SESSAO DE 19 DE AGOSTO DE 1865.
PBES10E.NCIA DO EXM. SU. CONSELHEIRO
. SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago,. GiUrana, Almeida Albu-
i expYcaram ludo qao'to ha'viaTe real na de7e"cgo, 'jueryue, Assis, .Doria; Molla, Gu'erra procurador j ^V^1* dJ*le ja f ar;ha "Z ,a 2K e
Ij7->,i,-----... J:._. _.=___,......--J!:. i da coma n,iiriinmiflc Hi <.!. n.rmcvo,.An.! senoo lioa resolveu-se informar a presideucia, re-
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 17 DE MAIO
DE 1865.
Presidencia do Sr. I'ereira Simes.
Presentes os Srs.: Dr Miranda, Thomaz de Aqu-
no, Gustavo do Reg, Santos, Pires Ferreira e Ur.
Villas-boas, faltando com causa os mais ssnhores,
abre-se a sesso, e I ida e approvada a acta da
antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do Exm. presidente da prov ncia, de
11 do corrente, recuinmendando a cmara que lo-
mando em considerado o que expoe no offlcio in-
cluso por copia, o desembargador provedor daSan-J
la Casa da Misericordia, atienda a sua requesicjio,
negou | propondo aquella presidencia as medidas que della
dependerem.- A' commisso de sade.
Outro do capitiio do porto, cora despacho da pre-
sidencia, mandando informar, no qual reprsenla
elle que o caes da lingucta acha-se convenido em
eslaleiros para concert de boles e iauchoes, islo
por autorisago do respectivo fiscal, e quj nao s
destes concerlos resulta estragar-se orefer.do caes,
como o embaraco do transito publico.
O Sr. presidente pondo em di-cussao o offlcio
cima, declara a cmara que para nao demorar a
resposta, havia determinado ao fiscal que informas-
deste j se
e a^
kaun, Dr. Manoel C. de Souza, Dr. Jos da Malta
A. Correa, Mana Joaquina da Conceigo, 240 pra-
pas, 3 recrulas para o exercito, 21 para a armada
e 3 esrravos a entregar.
Coirmunicarn-nos o seguinte
Ferreira de Barros e Jos Francisco das Chagas, lheiro Dr. D. Jos Rpliael Sones Palla, Eas Al-
jue se achavara formados com os demais presos
para a ora\;ao, atiraram-se sobre oporto; eapro-
veitando-se de um descuido do guarda, que se de-
morara em fecha-lo, quando o capellao passra-
tfiitar.im fugir, empreganda contra os guardas pe-
quenas faccas de trahalho de sapateiro, a que cha-
ma vara quecs.
Foram, porm, fortemente repellidos pelo admi-
nistrador, o ajudante e enfermeiro, que, cobdjuva-
dos opportunaraenle pela guarda do estabelecimen-
to, conseguram conl-los e recolhe-los novaraente
prio, correndo imminente perigo de vida estes
empregados, ficando alguns ligeiraraente feridos.
Comparecen com rapidez incrivel o Dr. chefe de
polica, seguido logo do Dr. delegado da capital,
subdelegado de Santo Antonia, inspectores de quar-
teiro, e 20 pravas de polica comuiandadas por
um official. i
O commandante da guarda e pravas que a com-
pnnmm, lodos do 1 natalho da guarda nacional,
portaram-se com grande bravura, callando baioue-
tas na porta principal, com presteza e sangue fri
admiraveis.
Os sediciosos foram punidos com as penas mar-
cadas no regulamento para taes casos.
Vieram no Cruzeiro do Sul cerca de trezen-
tas pravas da guarda naeional do Maranho e Cea-
ra. Nesta provincia ficava quasi promplo o con-
tingente de guerra, da guarda nacional, formado
pelos batalhoes da capital, que se ofTereceram com
o seu cominandanle superior.
Sabbado lardinha chegou do Rio de Janei-
ro, com 20 dias, a crvela de guerra anuaria,
era viageni para Feroando de oronha, para onde
trouxe da corte 72 sentenciados.
do exercito enlre-riano. Enlo subi, e transmit-
i todas estas informaQoes so chefe Barroso, que
tomou logo a resolu^o de ir fundear uo mesmo
lugar donde tinha sahido, isio no Chirabd.
Muilo se fallou em urna revolugo para malar
Brasileiros no dia 18 do correte; roas para mira
foi o da mais socegado desta trra, e a parada
teve lugar sem incidente algum desagradaveL
Embarcou no vapor Presidente o natalho de
da cora, Domingues da Silva e BarroslVascon-,
cellos, faltando os Srs. desembargados Uchoa Ca- me"endo-se copia do offlcio do llscal, acresrentan
Enlre os recrulas de dyanna, vindos ultima- : voluntarios organisado por Ruslamaote, o urna
mente, rt-metteu como tal a autoridade um doudo, furga decavallaria que trouxe da carapanha o ge-
conhecido por Joao Cmara ; doudo tarrido, como neral Borges. Esla for?a loda, que ascenda a
se conhece mais simples inspeegao, e comoo^erlo de 500 homens, ja' se acha reunida ao exer-
lein aquelle infeliz provado por seus actos. cito na Concordia.
t Audava elle dia e noite as ras da cidadej O celebre Argentino Frederico Baira, que re-
de Goyanua cantando e dizendo loucuras ; fazia o dactoo aqui o Diario El Plata por occasiao do sl-
mesmo nasta capiui, onde vinha repetidas vezes. |tio de Montevideo, e tanto escreveu contra nos,
t Dizera que o procedimento da autoridade re- esla' agora exercendo a sua nobre profi-so na
cruladora lem por causa algumas chufas, que o capital do Paraguay, e, como at hoje tem perdido
mesmo doudo Ihe dirigir depois de ter sido preso todas as causas a que lera servido com sua penna
e retido ca prisao por mullos dias. envenenada, podse conjecturar desde ja' o que
Cemiteiuo publico. Obtuario do dia 12 de espera a seu novo amo. E' verdade que o tal es-
a8osto : criptor ja' esla' aoostumado a apretar el gcro.
Benedita Micilia Pereira Rocha, Pernambuco, 65 Todos estes passaros assanhados contra n;
anuos, viuva, Recife ; affeicgo cancerosa. que foram para o Paraguay tem os olhos Qios no
Caetana de_ Souza Monleiro, Pernambuco, 59annos, caruinho da Bolivia, nica taboa de salvago que
casada, S. Jos ; raflainacao intestinal. ; Ihes restara' no dia do naufragio, e desde ja' podia
Arthelvio Manoel Monteiro dos Santos, Parahyba- o governo imperial prevenir o futuro e acaulelar
32, anuos, solleiro, Boa-Vista ; tubrculos pul, | muitos males, chamando aquella repblica causa
valcanti, e Loureugo Santiago, abrio-se a sesso.
Passados os fetos, deram-se os seguintes
JULGAMENTOS.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Antonio da Sil-
va Ferreira Santos.Relator o Sr. desembargador
Almeida Alliuquerque. Sorteados os Srs. desem-
oargadores Santiago, Gilirana e Motta.Improce-
dente.
do-se que a cmara vai dar as providencias por sua
parte, para que nao coulinuem a ser depos lados os
ditos boles e lanchas no mencionado caes, rogando
ao mesmo lempo S. Exc. que se dine retommen-
dar que pela capitana se uo permita cjocessio
para o mesmo llin.
Outro do offlcial-maior da secretaria da ['residen-
cia, de 12 do correle, commumeando a cmara de
'agravo de petieao '' urdem de S. Exc, era -esposta ao da inesma de 3
Aggravante, Manoel Joaquim Paes Brrelo ; ag-' S.Sf'*,?! 3f: 'lue na'l"e'!a data se dirigir
aggravado, o juizo. Relator o Sr. desembargador
gastro
monar.
Josepha, frica, 50 annos, solteira, escrava, S.
Jos ; tubrculos pulmonar.
Constancia, Pernambuco, 4 anuos S. Jos
inleriie.
Maria, Pernambuco, 18 mezes, S. Antonie
cera.
Antonio, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos ;
vulcoes.
-13
Antonio Pedro do Amor Divino, Pernambuco,
annos, solteiro, Boa-Vista ; hydorpezia,
da alliauca, fazendo-ihe a concesso de um porto
as aguas do Paraguay.
Assim como profligo sem piedade aquelles que
traosviara a opioio publica destes paues, e a fa-
zera acunar juizos infundados e desfavoraveis con-
tra nos, assim tambera applaudo os que nos fazem
Jusliga e ns dirigem expressoes honrosas. Neste
caso se acha o senador Navarro, e alguns outros
| seus collegas, que no cougresso argentino acabara
de aprescniar o soldado e o raarinheiro brasileiro
oO no seu pedestal de honra e de gloria, e digno de
ser condecorado cora a medalha conferida pela
u'
con-
Foi transferido, para 9 de outubro prximo,
o concurso para preenchimento das vagas de pra-
ticaotes da reparticao das obras publicas, que de- Manoel do Rogo, Portugal, 48 aooos, Boa-Vista ; repblica aos bravos de Cementes, visto que com
va hoje ter lugar. inleriie chronico. elles misluraro seu sangue, combatendo com igual
Os trabalhos do jury foram prorogados por 3 Joaquim Machado Pacheco, Pernambuco, 66 annos, herosmo pela mesma causa.
ias, com o consenilmenlo dos Srs. juizes de facto. casado, Afogados; hydropesia.
dia,
Honlcm noule percorreram as ras de nos- Philadelpha, Pernambuco, 10 mezes escrava, S.
sa cidade os acadmicos, que se ofTereceram para Jos ; convuleoes,
sejjor para o theatro da guerra, erguendo enthu- Maria, Afnca, 70 annos solteira, escrava, Boa-Vis-
siasticos vivas. Precedia-os urna banda de msica
militar.
Reraellem-nos as seguintes linhas, ssbre o es-
pectculo de sabbadojno Santa Isabel:
A mocidade mais que urna phase da exis-
tencia.
Nao urna phase da vida, ero ura esladio do
longo tirocinio humano.
c E' por si urna existencia inleira, completa,
acabada, sonhos de poesa, veos delirosos,arroubos
de seutimento, nspiracoes de tudo quinto grande
e soberbo sobre a ierra.
Ao contacto do seu seio, ao conchego de sua
fronte, o que calor tornase fogo. o que fogo
ttanssubstancia-seem delirio, subir voar, sentir Joao, Pernambuco, 8 annos. Boa-Vista; ttano.
abrir as azas ao Infinito deeinucoes ignota*, ou dei- j Caa db detengao.Movimento do dia 17 de
xar cahir ondas, imraensidades de tudo isso, de to-; agosode 1865 :
UIKOMW Jl'IHCiAilA
la ; anemia.
Venceslao de Castro Madeira, Pernaml.uco, 35
annos, solteiro, Santo Antonio; phtysica pul-
monar. ^_
17
Bernarda Thereza de Jess, Pernambuco, 80 an-
nos, viuva, Boa-Vista ; inflama^o int->tinal.
Cesaria Eudocia Ferreira Accioli, Pern.m!>ueo,.18 depulados Rosa
annos, solteira, Santo Antonio; nepalite aguda. -
Francisca d Silva Klbeiro, Pernambuco, 28 an-
nos, solteira, Bo-Vita ; perilon purgurar.
I Mirla Jos de Jess Cunha Guimaraes, Pernam-
buco, 40 annos, casada, Pojo da Panella ; phty-
sica.
das essas effosSs, que s a mocidade tem o goso e
conhece.
A mocidade sabe os sipillos.que do entrada
imperios de luz, de amor, de enthusiasmo ; sabe
de si mesma, pulsar teclas do corago, que nunca
ninguem pulsou, que jamis tiveram um som ape-
nas para o lacio de ontra mao, que nao seja a sua.
> Xotes, como a de sabbado,passada no espect-
culo ao theatro de Sania Isabel.se por isso nao cons-
tituem urna lembranca, mais que goso, mais que
felicidade, ceno que cuslam a repelir-se; porque,
nem sempre ha motivos da ordem daqnelles que
reuniram aquella juventude briosa, ruidosa, ani-
mada, palpitante, mais de duzentos estudantes da
Faculdade de Direilo com inclusao de alguns do
Collepio das Aries.
Esses motivos ?
/I Quem os ignora ?
A Faculdade representada em urna pleade de
nkncebos ennscienciosos de sua dignidade, ou me-
Ihor compenetrados da dignidade da patria, encheu
urna grande porgan das cadeiras e camarotes do
nosso apreciavel Santa Isabel.
O espectculo foi offereeido peloemprezario em
solemnisago ao offerecimenlo desses jovens, que,
fechando s compendios, correram ate o palacio do
Exm. presidente da provincia ecoiloearam sua
disposigo o contingente do seu cerpo, do seu futu-
ro, dos seus sonhos lmpidos, Iluminados de espe-
ranzas.
t Sabe-se que sao voluntarios da patria.
t Pois bem.
Foi urna Doute chea aquella.
Ao levanlar-se o panno foi chamado scena o
emprezario Duarte Coimbra, quem o conselheiro
Dr. Lourengo Trigo de Loureiro, reciten urna con-
cisa allocucao, significativa da aomiragao e respei-
to que lem jus esse distincto actor pelos rasgos
de patriotismo e piedosa candade, prodigalisados
por innmeras occasi-s, em favor de filhos do im-
perio.
O Sr. conselheiro deixava traosudar asemogoes,
que estremeca o seu corago magnnimo, mal
podendo exprirair-se, que as sensagoes arrebata-
das embargavam-lhe a voz.
Seguio-se a recitago de diversas poesas, com-
posias por estudantes do corpo, que fazia e mereca
as honras da noule.
Foram os senhores Castro Alves, Varella e tam-
bera Mannbo Palhares, que Do estudante, mas
que tera acompanhado o raoviinenlo da nago, co-
mo seu fiiho, saudando sempre cora versos anima-
dos, cada tnumpho, cada sacrificio.
O que em tudo penhorou-nos foi a recilago de
nos versinhos singelos, execulada por urna menina
lilha da actriz D. Eugenia Camara.de idade, pouco
mais ou menos, de seis aooos, aoalogos ao acto.
Em urna palavra, os coragoes de todos os espec-
tadores arfavara sob a impresso d'essa manifes-
tado cheia, robusta, que pesava sobre lodos e que
era de lodos a primeira prova de amor e dedica-
gao pela causa do paiz.
Magnifico I
tIde maocebos, vos sois o brago do paiz,a cabega
da nago, a alma e o espirito do imperio dos Ao-
dradas.
cVe sois tudo. Sois urna mocidade lirapa, esco-
Ihida. fervorosa, que se levanta compacta com o
riso nos labios, com os labios tremlos d'esse riso
do corago, que ao mesmo lemporiso e fogo
o patriotismo.
Que sejais acompanhado na vossa aboegago
o que vos deseja um vosso ir mao e admirador.
aQue a patria recoohecida tenha opportuoidade
de coroar-vos de louros immarcesciveis, o que
vos aspira um Brasileiro, um mogo como vos
um vesso Irmao de crengas e aspiragrjes. >
liEl'AIlTICAO DA POLICA :
Extracto das partes dos dias 18, e 19 de agosto
de 1865.
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 17 do
corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, F-
lix, escravo de Edmundo Francisco do Reg Bar-
ros, por eslar com praga no corpo de policia, sob o
nome de Flix Quirine da Concelgo, tendo por
esia razo sido escuso do dito corpo.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Agostinbo,
escravo de Antonio Jos Cordeiro Simoes, a' requo-
rmenlo deste.
A' ordem do subdelegado do Becife, Antonio Mo-
reira Pinto, por desobediencia.
A' ordem do de S. Jos, Antonio Henrique?, por
disturbios.
Exsliam 380; ntraram 4; sahiram 23 ; exis-
tera 361, a saher : nacionaes 270: mulheres 5 ;
eslrangeiros}25; estrangeiras 2; escravos 54 ; es-
cravas 5, total 361.
Alimeniados a custa dos cofres pblicos 182.
Movimento da enfermara do da 18 de agosto
de 1865.
Tiveram baixa :
Thiago Alves Ribeiro ; syncope.
Felippe Santiago da Silva; rheumatsmo.
Teve alta :
Sebastio de Araujo Lins.
- 18
Manoel Jeronymo de Araujc, Pernambuco, 17 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ;t uberculos pulmonares.
Antonio Manoel do Nascimento, Pernambuco, 18
annos, solleiro, Boa-Vista ; dilatacao da aorta.
Jos da Peona, frica, 60 annos, solteiro, S. Jos;
hernia estrangulada.
Jos Pinlo, Portugal, 38 annos, solleiro, Boa-Vista;
tubrculos pulmonares.
Geralda Maria da Conceigao, Pernambuco, 75 an-
nos, solteira, Boa-Visia ; apoplexia fulmi-
nante.
Anna Umbelna dos Anjos Pereira, Pernambuco,
solteira, Boa-Vista ; gastro inleriie chronica.
Maria Damiana, Pernambuco, 70 annos, solteira,
Boa-Vista ; interite.
Pedro, Pernambuco, 5 mezes, S. Jos ; convul-
soes.
Offerecamos a leitura publica os seguinteo
extracios da correspondencia de Montevideo para s
TKI Itl V A I, 1>0 COHJfIEKCIO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 17 DE
AGOsTO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manha, estando reunidos os Srs.
. C. Alcoforado, Basto e Miranda
Leal, e prsenle o Sr. desembargador riscal, o Exm.
Sr. presidente declarou aberla a sesso.
Lida, foi approvada a acia da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foi distribuido ao Sr. depuiado Mirada Leal o
copiador do commerciante Domingos Alves Ma-
UleU.
DESPACHOS.
No requerimenlo de Joaquim Francisco Bastos,
pedindo o registro da sua nnmeago de caixeiro
dos Srs. Jos Marcelino da Rosa & Kilho.Regis-
tre-se.
No de Jos Antonio Moreira Dias, brasileiro, de
36 anuos de idade, estabelecido nesta cidade com
casa de commercio de fazendas em grosso, porim-
portacao de conta propria e consignagoes, pedindo
ser admetlido a matricula. Vista ao Sr. desem-
bargada fiscal.
No de Antonio Infante de Albuquerque Mello,
pedindo o registro da sua nomeago de caixeiro de
Thomaz JerTeries.Begistre-se.
N'outro do mesmo, pediDdo certido de ser ou
nao matriculado o commerciante Thomaz Jefferies.
Como requer.
N'outro do mesmo, pedindo certido do numero
de caixeiros de Thomaz Jefferies que tem feito re-
gistrar nesie tribunal s suas nomeagoes.Como
requer.
Com inlormacdo do Sr. desembargador fiscal:
-No requenme'nto de Jos de Mello Costa Olivei-
ra e Tnoinaz Jos de Oliveira, pedindo o registro
do seu contrato de sociedade.Regisire-se e publi-
que-se.
No de Fraocisco Aotonio de Almeida, pedindo o
registro do papel de reforma do seu contrato com
Antonio da Costa Ribeiro e Theolonio Flix de Mel-
lo.Satisfaga o parecer fiscal.
No de Jos Gomes dos SaDtos Correja, Joo Ma-
noel Pontual Jnior e Bernardioo Correia de Re-
zende llego, pedindo o registro do seu contrato de
Jo nal do Commercio com dala de 30 do prowrao sociedade.-Devem os suplicantes combinar o ad-
passado dilamento e o artigo 19 do contrato, de tal modo
. Parece averiguado que o exercito paraguayo que nl0 resu,te nypolhese de ^pem quatro os
que domina (.rnenles, ao mando do general Ro- arbilros que teDham a resolver as duvidas so-
bles, se acha soffrendo muito por causa do fro e
ciaes
das molesiias, que ja nos perseguirn! tambero e ; Ko de Angelim Jcs dos Santos Andrade, pedin
filia IW ICCA 1(\ niunnnncni' oiifi' naprlqc X ii)i i. r
que por isso sao numerosas suas perdas. A anda-1 do 0 ref,islro do seu conlrato de sociedade
la cora que ao principio se internou naquella rafe-1 0rma de Andrade FilhoRegstrese.
sob a
iz proviocia argeolina contrasta hoje singularmen
te com a inago que se Ihe nota, e segundo as ulti-
mas noticias elle tomava quarleis de invern do
outro lado do Erapredado.
Em quanto uns dizera que este exercito se
acha reduzido a 6,000 bomens, eque a maior parte
delle marchou sobre a Tranquera do Loreto para
vir operar as margens do Uruguay, outros e prin-
cipalmente ura correspondente do Pueblo de Buenos
Ayres Ihe do 25,000 homens e 60 pecas de arli-
Iharia.
E' verdade que este mesmo correspondente se
revela o que isto um verdadeiro agente de
Lpez, quando diz na mesma correspondencia que
a bexiga se desemvolveu espantosamente em nossa
esquadra, e faz nella numerosas victimas diaria-
mente, o que nao exacto, e accrescenla que a
esperam para sauda-la a batera de Merced cora 38
pegas de 12 a 48, sendo 8 raiadas, a do Rincn de
Lagrana com 12 pegas de calibre 16 a 60, a da
ponte de >anta Catharina com 3 pegas raiadas de
68 a 80, e depois del las a do Riachuelo cora 60 pegas
de grande calibre.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sesso s 11 horas e meia da
manha.
SESSAO
JUDICIARIA EM 17 DE AGOSTO
DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
s i 1', horas da manha o Exm. Sr. presidente
declarou abena a sesso, estando reunidos os Srs.
desembargadores Silva Guimaraes, Reis e Silva e
Accioli, e os Srs. depulados Rosa, Candido Alcofo-
rado, Basto e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente ses-
so.
Foram assignados os accordos proferidos na i
ultima sesso nos fetos entre parles :
AppeUante, Manoel Candido da Rocha Andrade ;
appellados, Sampaio, Silva & Companhia.
AppeUante, o embargante 3o Joaquim Jos Fer-
reira ; appellado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Appellantes e appellados simultneamente os
Almeida Albuquerque. Sorteados os Srs. desem-
bargadores Barros Vasconcellos e Molla.Dorara
provimento.
Aggravante, Jos Rodrigues Ferreira; aggrava-
do, o juizo. Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados os Srs. desembargadores Barros Vas
concellos e Gilirana.Negaram provimento.
Appellaco crime.
AppeUante, o juizo ; appellado, Canuto Rodri-
gues da Silva.A novo jury.
Appetlaces civeis.
Appellantes, os herdeirosdeJoo VieiradaCunha;
lada, a fazunda.esprezaram os embargos.
AppeUante, Manoel Vicente Tavares ; appellado,
Leandro Pereira Barbosa.Nullo o processo.
AppeUante, Alexandre Correia de Castro ; ap-
pellado, Tristo Jacome de Araujo.Confirmada a
sentenga.
AppeUante, Joo Cavalcante de Albuquerque
Vasconcellos ; appellado, Luiz Francisco de Vas-
concellos.Reformada a entenga.
DILIGENCIA CRIHE.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justiga
As appellagoes crimes.
AppeUante, Antonio Rodrigues da Silva ; appel-
lado, Francisca Paulina de S. Jos.
AppeUante, o juizo ; appellado, Luiz Alves Bar-
reto.
AppeUante, o juizo ; appellado, Antonio Bernar
do de Brito.
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento das seguin-
tes :
Bevista civel.
Recurrentes, Rosalina Feroaodes de Almeida e
seus filhos; recorridos, Jos Pedro de Almeida e
outros.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gilirana
A appellago crime.
AppeUante, o juizo ; appellado, Benedicto Ind-
gena de Lima.
As appellagoes civeis.
AppeUante, o juizo ; appellados, os herdeiros de
Fraucisco Alves Ponles.
AppeUante, Jos de Alenquer Simoes de Ama-
ral ; appelladas, Eliza Sigiet e outra.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellaco crime.
AppeUante, Francisco j"os do Nascimento ; ap-
pellado, o juizo.
As appellagoes civeis.
AppeUante, Firmino Ibeotonio Santiago; ap-
appellada, a fazenda.
AppeUante, Agostinbo Lucas Correia ; appellada,
Pedro Lucas Correia.
DoSr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
desembargador Assis
As appellagoes crimes.
AppeUante, o juizo: appellado, Vicente Ferreira
de Araujo.
AppeUante, o juizo ; appellado, Antonio Barbosa
Guariba.
AppeUante, Manoel Gomes de Mendonga ; ap-
pellada, a justiga.
Do Sr. desembargador Assis aoSr. desembarga-
dor Doria
A appellago crime.
AppeUante, o juizo ; appellado, Donato Jos Pe-
reira dos Santos.
A appellago civel.
AppeUante, Jos Marcelino Alves da Fonseca ;
pellada, a fazenda.
A revista civel.
Becorrentes, Antonio Monteiro Esteves e sua
mulher; recorridos, Jos Pereira dos Sanios e sua
mulher.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molta
A appellaco civel.
AppeUante, Francisco Xavier dos Santos; ap-
pellado, Manoel Ferreira Calado.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Uchoa Cavalcante
As appellagoes civeis.
AppeUante, Joaquim Ribeiro da Silva ; appella-
do, o juizo.
AppeUante, Domingos Jos Marques ; appellado,
Theolonio Flix de Mello.
AppeUante, Clemente Luiz de Silva Netto ; ap-
pellado, padre Manoel Jos Rodrigues da Silva.
Appellanie, Joo Manoel de Barros Accioli; ap-
pellado, o curador geral.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Barros Vasconcellos
A appellago civel.
AppeUante, Maria Magdalena da Conceigao ;
: appellada, Cypriana Mana de Mattos.
Do Sr. desembargador Barros Vasconcellos ao
I Sr. desembargador Santiago
A appellago civel.
Appellanie, a irmandade do Sacramento; appel-
lado, o vigario Jos Luiz Pereira de Queiroz.
Ao Sr. desembargador Gilirana
ao chefe iulerino da reparticao das obras publica
no sentido solicitado no citado offlcio. Inlei-
ra da.
Outro do Sr. vereador Ant nio Jos Silva do Bra-
sil, cominuoicando que por achar-se incommodado
deixa de comparecer a sesso de hoje. Intei-
rada.
Outro do delegado -do 2o districto deste termo,
major Jos Francisco de Souza Leo, recia mando,
firmando no que determina o 9o do art. 58 do
regujamenio n. 120 de 1841, que a cmara noraee
ura fiscal para a freguezia de Jabcato, que more
na povoago, e que tenha actividade para dosempe-
nhar as suas obngacoes, pois o actual nao sabe ou
nao cumpre cora ditas obrigagoes, porque raorre
um cavallo, um boi, ou outro qualquer aoimal oa
estrada, ou mesmo na povoago, uo manda inler-
rar a' custa do dono do animal, e a policia quem
cuida em mandar enterrar ; o que nao .de sua
obrigaco, accresceDdo que o mesmo fiscal nunca
d parte do bom ou do mo estado dos gneros, que
se vendem na povoago ; por fim conclue o delega-
do pediudo a' cmara para ser demillido o actual
fiscal, e iioineado o cidado Jos Antonio da Albu-
querque Pedrosa.
Posto em discusso, resolveu-se requeriraento
do Sr. Gustavo, ouvir ao fiscal, remettendo-se-Ibe
copia do offlcio cima.
Outro do administrador do cemiterio publico des-
la cidade, aecusando ter recebido o offlcio que Ihe
fra dirigido em 12 do corrente, assevera a' cma-
ra ter curnprido as ordens contidas no citado offl-
cio, que em relago ao jornal de 35 rs. diarios mar-
cado ao pedreiro eucarregado de abrir o fechar ca-
tacumbas, qner em relago ao numero de cinco
serventes com o vencimento diario de 15 rs rada
um, sendo-lhe, porm, impissivel cumprir a que se
refere aos coveiros, vislo nao haverem estes sujei-
tado-se ao jornal arbitrado para ura servente : pois
que eslo elles sugeilos ao comparecimento, quer
nos das uteis, quer nos santificados, alm de lida-
rem sempre com cadveres muitas vezes em pu-
trefaegao.
Acbaudose nesta di ffleuldade, e nao podendo pe-
dir inmediatamente provndencias, recorreu aoSr.
j vereador em commisso naquelle estabelecimenio,
' Feliciano Joaquim dos Santos, e expondo Itu as ra-
zoes que icam ponderadas, e ser diminuto o nu
mero de dons coveiros, elle as tomou em conslde-
rago, e o autorisou a conservar tres coveiros com
os jornaes que anteriormente venciam, e dando
desse fado comniuncagoa' cmara, pedia que re-
sol vesse defiuitivaraeuie.
Concluindo pedeaiuda o administrador autorisa-
go para admitlir mais um srvenle, por quauto de
ordinario os enterros affluem de quatro horas da
tarde em diante, sendo quasi sempre preciso fazer
recebimento e enterramento al depois das seis
horas, o que se loma impossivel concluir esse ser-
vigo cora menos de seis serventes.
Poslo era discusso, o Sr. Dr. Miranda pede a
palavra e pondera ser razoavel que sejauginente
cora mais um coveifo o numero dos adunes, como
pede o administrador do cemiterio, atiendeudo-se
as razoes pe > mesmo exposias,as quaes a cnmniis-
so julgou tarabem valiosas quando provisoriamen-
te perratlio a conservago dos mesmos, at que a
camaia resolvesse, sendo de opioio que se pagas-
se a cada ura o salario diario de 1>500 rs.
Cootinuando com a palavra o Sr. Dr. Miranda,
concorda que se autorise mais um servente, alim
de que o esUTDelecimento' se conserve seraore em
estado de asseio.
O Sr. Santos, membro da commisso, pede a pa-
lavra, e declara nao se oppor ao augmento de mais
um coveiro, erabora esteja convencido de que dous
sao sufflcieoles ; mas enteude que ficam os mes-
mos bem pagos com o jornal de rs. 1280.
Que o numero de cuco srvenles, contina o Sr.
Santos, bastante para que o estabelecimento se
conserve sempre no melhor esiado de asseio, que
estesapreseotandoseno servicoas 6 horas, a' tar-
de leem feito irabalho, porlauo nao concorda com
accrescirao de mais um.
O Sr. Gustavo do Reg pede a palavra, e refle-
xionando sobre a ratera, pronuncia se a' favor das
pooderagoes fetas pelo Sr. Dr. Miranda.
O >r. presidente faz lambem diversas reflexoes,
nao so acerca do"ugmento de jornal, que se quer
dar aos coveiros, como ao de mais ura srveme,
tendo de largura qaarenta e tres piffln, tura desoilo ; cada arcada tem de o *ei-
de largura e treie e meio do aliar
que forman) o corpo do ediSeio, sao
as portas tem onze palmos le atora pioy. o> I
gura, e finalmenfe, informa aae a -upndiu raa
nao esta' precisamente D'> abaliam-ni > sd i
cordiador as doa* casas <\n* ela ron-trwl*J
Fernandes Monteiro, mas amaga para a
um palmo pouco mais ou oteaos. Poslo eV-
cusso, o Sr. Pires Ferreira, requeren o i lnawi
to, que foi approvado.
M-.ndou se remelter a' comroso de etUfiraftrt
tima pelicao, na qnal diversos mora**. n pr<-
pnetanos do lugar do Porte do Mallo npticmm*
do despacho que Ibes f .ra da.loem sesao *f 3 di
crreme.
O Sr. Santos allegando afflueaeia de trapo iu
commisso que ocupa dos njT irim do i iiiirie o
do matadouro publico, pedio ex.jaeraeaV da de ani-
de, e sendo attendido. o Sr. pre-ideale "m*m em
seu lugar ao Sr. Dr. Villas-Boas.
Esilveraio em praca os concerlos das rmi iteh i
do Rosarinho e Maduro, e os arremit >o Roteo
Manoel da Cruz Carneiro, sob Ganga de Mr
Antonio T.-ixeira de Albuquerque, Jos da pnsaer;
por 70-5, e os da segunda por 37i
Prestaran) juramento alguns dos empapado*
reconduzijos, e sao os s-guinte* : (Jkul-em -r
Hypolii'i LassiaDo de Yi man Hu .Wbvfaerqaa
Maraanio; aaaiiBoam, Caadate de Soma Miran-
da Coulo, Augu>t> Gameim de Kieoeirat-j e Cali-
no Qoiotino Galhardo ; idmiajiiradaT do m lijan
ro publico, Manoel de Almeida Luna, dito >to r -
meterio da fregaeaia do P.>co da Paaelia. J-.
Francisco Carneiro Monteiro, e rorreto e eoati-
nuo IVdro los de Faria.
Despachara n-ae as petigoe* de Rarlh. Io-p i
Francisco de Souza, lleUriiiino Bolriiru >
veira Cmara. Bernardioo Jo.- Barro*) de Jl-i
Jos Joaquim da Silva 'uiinar'sl). Joaioim Mm-
ricio Gooealves Rosa, Joo Pinrhs, L'roueBo
Praneisoo da silva, e levanioo-so sesso.
Ku Francisco Canuto da Boa Via*ero, serr*tan )
a subscrevi. Pereira Siir.Oe, pro-pr-sid^ote.
Rego.-I)r. Miranda.-Fonseca.Saniof Silva ,
Brasil.-Antonio Pires Ferreira.-Dr. VilUs-ltua-
eiu ijuc
eeoc imitio.
Pernambucanos! Enlre as ulumas aedato ti-
madas pelo governo imperial com o lint a I un*-*
patritico de augmentar assim o exerrilo tm epc-
racocs que est fra do imperio com > o qoc oVfco-
de a provincia do Rio Graole do Sol, subre-ae a
que declara em vigor o decreto n. 3.371 de 7 Ai
ultimo Janeiro que creou os cor pos de voluntar* -.
da patria.
Cjrre-ponden.lo a este pensamento do sovern i
paternal de S. M. o Imperador, o Exm. Sr. pre-i-
denie da provincia tem resolvido promover diligen-
temente o alislamenlo para corpos de voianiaiNH,
de um dos quaes me foi confiada a orgaai3-co.
L assim que, ao par das enrgicas providen-
cias que reclama a defesa da patria, e di* jo o
governo s langaria mo ero caso extremo, se afcr;
ao palriolismo um generoso coocur*o, proborcio-
nando-se aos cdados de todas as rias>es o av>io
mais honnso de contribuir para o pleito
estaempenhada a dignidade nacional.
Sera ttulos que me re-ommendero a provincia,
de que sou liliio, ouso todava esperar que ao sera
baldado o appello que fago a todos uo Peraaatfau-
canos.
Os glandes motivos que se debaten ao saldo
imperio, obrieaiu esta heroica porco do territorio
brasileiro derramar novos sacrificios soore o ai-
lar da patria, cooperando para a mais ju.-la e a
mais legitima das causas.
Pernambuco um ni .mmenlo de p.itriousoao,
o valor e a aboegago sao o ndice de -ua hi.-ion.*
loteira. Quem ha ah que nao eslremega de orgu-
Iho nacional diante dessas reminesceacias, que e-
voagao por cima das nossa? celebres panp-as de
Guararapes, Tabocas, Casa Forte e ootras, em tpae
a prego de sangue se compron um nome b nr^-o ?
Peruamoucauos! Intil reiembrar-vos glorian
passadas; as ineorsdes temerarias pelo lemiurio
brasileiro, as inil depreda.,oes e actos vaadai*ros
pralicados sobre os vessoa irmos do sol por varias
columnas ao raaudo de um governo intunil, des-
ptico e tyrannlco pedem desde ja urna deslmala
cxemplar. Os vosam bros nunca foram iLVucako*
de baldo ; um dever imperioso Dos e.-Li a. enaaJo
das margens do Praia. Eia I eoocidadus, parta-
mos I
L est o primeiro brasileiro, la esla o Impera-
dor. Que Pernamiiucano nao trocara algum me-
zes de vida pacifica pelos perigo* da guerra, .jtue-
do o berdeiro do fun I- lor do imperio drixoa as
plagas da corle para coinpartilbar a sorte Avs aes-
sos irmos f
A causa santa ; quando a patria invad Ja,
cada cidado um soldado.
Silencio s apprehensoes sinislrs, aos dmoslos
das njssas lulas inlesiinas, todas as p.ivV-
possain embaracar o concurso patriotieo -j< vu-
malarios que a patria clama !
Filhos d;i Pernambuco Sou Peroambocan, e a
vossa frente marchare! com orgulho. l
de honra n >s espera ; lempo de eomraisLir mais
urna iraigo honrosa para a historia da prov acia
e para a historia do pata.
Desde qu Brasileiro pode recusarse a segu lo. Se graade
e extremo o sacrificio, elevado ser o prea*. A
patria nao pode ser ingrata aos que a dcfen-1-iu
com lealdade.
Eia, Pernambucanos correi alistar-vos ;
preciso vencer e vencer sem demora. Os laie
resses do paiz o reclaman); a dignidade de ledos
os brasileiros o exige.
Pernambuco um gigante; elle o mostrar aioda
urna vez.
Recife, 18 de agosto de 1863.
Francisco Joaium Pereirm Lobo.
FfflLIGuH A ramo
IMUhysIra.
0 xarope etueriu de veame por mil
dar aos coveiros, como ao de mais ura srveme, U xarope etoeriu de veame por mm pre-
pois enlende, como o Sr. Santos, que aquelles com I parado, muitO tem aproveitado aos qtie sof-
o vencimento de 15280 rs. diarios, nao deixarao1 trt,m .,., m,,|.Bi: -, ^^
de continuar, e quando nao, outros individuos ap-1frem.desla molestia, e e de lamenUr-se, ipae
II ap i" i mti n,o v auirouaum o i u uitu utd UUrtiiC t)3
Ha muiia exageragao era tudo Isso, e perianto administradores da massa fallida de Araorira.Fra-
se deve dar o devido descont, contndose todava
com alguma artilharia, mas nao a referida.
t A columna que marchava pela margem do
Urnguay do lado do Rio-Grande chegou ao Ibicuny
e fez alto. Consta de 11,000 horneas prximamen-
te. O coronel Fernandes Lima, unido ao coronel
Sigisfredo, a tem vindo bostihsando constantemente
pelo flanco esquerdo, e o Presidente acaba de tra-
zer-nos a noticia de que os generaes Caldwell e
goso, Santos S C. e Cmara & Guimaraes.
AppeUante, Guilherrae Jorge da Molla ; appella-
do, Joo Martins Ribeiro.
JULGAMENTOS.
AppeUante, Antonio Rodrigue Fernandes Viei-
ra ; appellados, os administradores da massa falli-
da da viuva Araorim & Filhos.Adiado na ultima
sesso. Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellantes, Sam Mendel de Mancoester eos
Appellanie, Anlo^T'coeutessoa de Mello ; *SZtSTJZKL 1?SSStH
appellado, Manoel Francisco de Araorim.
A' \)i horas enceccc-je a sesso.
Jl'HV DO RECIFE.
17 DE AGOSTO DE 1865
PRESIOENCIA DO SU. DR. JUIZ DE DIRE1T0 DA 2" VARA
CRIMINAL MANOSL JOS DA SILVA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacintho Pereira do
Reg.
Advogado o Sr. Dr. Innocencio Seraphico de As-
sis Car val no.
Escivao Joaquim Francisco de Paula Esleves
cirneme.
Reos Florindo Jos Baptista e Manoel Jos Pe-
reira, ncursos no artigo 193 do cdigo crim.
A's 10 horas da manha, feita a chamada com-
Canabarro ,a reunidos, inarcbavara sobre o passo curadores fiscaes da massa fallida de RostroBRoo- I pareceram 37 senhores jurados.
S?Jft. firwi hr'o;'0'a.pa.ra dar'lhe Uma ker & G- aPPellados, Kalkmann Irmos 4 C. -; foram muludos em maisSUf os jurados j mul-
a M!* !,'T 2Sf2 d,MatreS ar?aS' Ad,ados na ullima sesso. Desprezados os em- lados nos anteriores dias de sesso e ao, que falta-
i* gftg&t^^?!e^i0..9J.1<,^fly Mgos do appellanie Sam Mendel e recebidos os rara hoje sem motivo justificado, e declara-se aber-
osta de 3,000 horaeos, deve esbarrar em breve: dos annellanies admin.stradnres A m** r.iua. ia a can
co
com o general Flores, que marchou com uma linda
nn do7e n^riZdX ifc nM^Vd Rom hn*' c?uhecerem de opposigo, que julgaram mo o juramento dos Santos Evangelhos; foram os
OU uoze leguas oeiia. e, la Uivisao e de O.UO hO-1 nao serem cabiveis na nreaonlA aeean I reos inlfirmoadn
mens, e alm dos batalhoes orientaos tem dous
dos appellantes administradores da massa fallida ta a sesso.
de Rostron Rooker & C., para o fim gmente de Sorteado o jury de sentenga, foi deferido ao mes-
batalhoes de infamara brasileira e um de caval-
laria argentina. E" gente toda escolbida e impa-
ciente por dar uma boa sova nos taes Paraguayos,
que continuara a devastar tudo por onde pas
sam. Consta que do Rio-Grande mandaran) elles
para o outro lado numerosas boyadas, que natural-
mete iro agora calnr as mos do afortunado
vencedor de Coquimbo.
c Aqui esperase com febril iropacieociencia'o
resollado desta operago, porque oriental o chefo
e a maior parle de soldados da expedigo.
c Conhece-se perfeitamente pelo movimento das
bosles de Lpez que o seu principal intento era
sublevar Corrientes, Entre-Ros e o Estado Orien-
no serem cabiveis na presente aego. i reos interrogado.
Appellanie, o Dr. Chrlstovo Xavier Lopes ; ap- i Lido o processo da formago da culpa, desenvol-
pellados, a viuva e herdeiros de Joao Ferreira dos i veu o Dr. promotor a aecusago, seguindo-se logo
Santos. Adiado na precedente sesso.Despre- a defeza.
zaram-se os embargos. Concluidos os debates depois d replica e tre,
Appellanie, a embargante 3* D. Francisca Xavier { plica, resumida a materia da aecusago e da defeza
Waoderley de Inojosa ; appellado, Joao Baptista o Sr. Dr. juiz de direito propoz as questes de fac-
de Barros Machado. Adiado as sessoes de 10 e to ao jury de sentenga, reirando-se esle para a
14 do corrente mez. Foi reformada a sentenga sala secreta das conferencias as 4 horas da tarde,
appellada. j de ende voltou as S com suas rsposlas, que fo-
Appellante, Manoel Joaquim Rodrigues de Sou- ram I idas era altas vozes pelo presidente do mes-
za ; appellado, Jos Gomes da Silveira. Nao se mo jury de sentenga, era vista d cujadeciso o.Sr.
lomou coobecimento da appellago. Dr. juiz de direito declarou que appellava da deci-
PASSAGE.NS. sao para o tribunal da relago, absofvendo os reos
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr. e condemnando a muoicpalidade as cusas, e le-
desembargador Reis e Silva : i vantou a sesso adiando-a para o dia seguinte, pelas
parecerao, que se preslera ao mesmo servigo, e o
numero desles actualmente ja' elevado, e o aug-
meuto de mais um desnecessario se no super-
fluo.
Discutida como se acha a questo, e nao haven-
do quera mais fallasse, e posta a' votos por parles :
Io o augmento de mais um covoreiro foi approvado,
votando contra o Sr. presidente ; 2o se os coveiros
devem perceber o jornal de 15280 ou 1,5300, pas-
sou no sentido de l&OO, volando contra os Srs.
presidente, Thomaz de Aquino e Santos ; 3 se de-
via elevar-se o numero dos serventes com mais
um ; foi approvado, e votaram contra os Srs. pre-
sidente, Thomaz de Aquino e Santos.
Outro do Dr. engenneiro cordeador, informando
o requerimenlo de Joo Ferreira dos Santos Jnior,
fl-
ora em seu sobrado, sito a' ra do Amorim n. 37 ;
diz que nada se offerece a oppor, uma vez que as
soleiras sejam collocadas ao nivel da casa visinha.
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento no
qual Joaquim Mauricio Gonyalves Rosa pede para
que Ihe seja concedido reedificar a casa terrea sita
a' ra da Madre de Deus o. 21, diz que nada lem
oppor, uma vez que Ihe seja previamente dada a
necessaria cordeago como elle requer.Mandou-
se cordear.
nutro do mesmo informando favoravelmenie a
petigo oa qual Joaquim Francisco Collares pede
para que Ihe seja concedido acabar quatro casas
que lera era respaldo no bairro do Recife, duas na
ra do Apollo, e duas na do Brura. -Concedeu se.
Outro do mesrao, informando contra o requeri-
menlo no quai Jos Joaquim da Silva Guimaraes,
pede para que Ihe seja permeliido fazer na traves-
sa que tica junto da esa de sua propriedade, sita
ra da Camboa do Carino u. 3, uro cano que
commuoique o que j existe no quintal da mesrai
casa com o publico que passa na frente della
indeferio-se.
Uulro do fiscal de Jaboato, representando acer-
ca de diversos melhoramentos de que precisa a sua
fregueza. Ioteirada.
Oulro do mesmo, communicando ter Flix Ma-
noel do Nascimento Valois, obtido licehga para
no obtuario desta cidade a maioria dos ijue
suecumbem de tubrculos puloionaves,
sutn procuraren! o recurso do pratio e lo
expenente, que Ihes pdem encamiobar o
meio de sua salvacjio.
0 Sr. Braga com luja de ferragens na rra
Direila, foi desengaado por dous habis
mdicos, acha-se bom com o tratamiento por
mim proscripto.
A Sra. Jeronyma Maria di Conceicao, Mo-
radora na travessa JoMonleito n. 10, acuaa-
do-se desengaada, lambem mim recor-
reu e acha-se restablecida.
Um sobrioho do Sr professor de >an-
retli do Cabo, acba-se bom, como e '.' .le
sua carta abaixo transcripta, alm de outros
fados, que poder.a aqui mencionar.
A phthysica a destruirlo e a magreza
de todo corpo, em consequencia de chagas,
tubrculos e concrecgo dos bofes e de em-
pyema, atropina nervosa, e outraofesiiai
que viciam os humores, como escorbM,
alporcas, gallico, asthma, bexigas, saram-
po, etc.
Na phthysica, chegando ao estado de gra-
vidade, o que muito pode concorrer para a
salvaco do doente e ajudar os mida ib
tos o ar do campo, exercicio conveniente
e dieta, a qual nao deve ser de nenboau
cousa quenle, ou de defficil digestao; e a
bebida cumpre que seja de natoreza branda
e fresca.
Todo o seu alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores, ein-
trir e suster o doente, para o que precian
reduzi-lo ao uso de vegetaes e leite.
Toda comida e bebidi, que se tonar ha
edificar uma casa de pedra e cal naquella povoa-' de ser em poucas porcjfes, para evitar ae
go.e tendo o cordeador marcado-lhe 24 palmos'o excesso do chylo frifeco opprima OS bofes
affastados da ra, elle recuou mais quatro palmos,! e accp.ere mnlriJa eJ^i^2T
dizendo que proceder assim porque pretenda fa-. ai^eiere milU0 a ofeulacao 00
zer ura terrago na frente da ra, e como elle fiscal j Mu tos doentes-aesta molestia ?e '
nao soubesse se a cmara permetlia que se fizes- j trege ao USO do oleo de ligado del
sem terragos as frentes das ras, mandara parar e OU'aS preparacoes de resinase "
a obra, ecomraunicava para a cmara deliberar am .. ^il : .. r^
comofosse de jastigi, -Adiado a requerimenlo do'Sfm ^ue de,Us leDwm l,rado P">n ; 6
Sr. Pires Ferreira. alguns expositores de medicina comknfeni
Outro do mesmo, participando em cumpnraenlo' com muita razo esse tratanseoto.
7




Diarlo de *eri*mftnco Segiinda^rira ti de Agorto de t S3*
E' co-lume carregar o estomago do (len-
te cora medicamentos oleosos e balsmicos;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
mentam-na, esquentando o sangue, a) mes-
fflo lempo que tiram o apetite, relaxam os
solidos, e sao de toda sorle perniciosos.
Tudo ipic se fizer para extinguir a tosse,
alm do exercicio e rgimen apropriado de-
?em ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude de prodozi-
rem bons effeitos nessa enfermidade, por
que, nao s contribuem a apagar a sede
quaodo accomraettem a febre etlica, mas
tambem a refrescar o sangue.
Aos dientes desta enfermidade, quando o
seu estado de gravidade tal que a febre
ethica os accommette, prescrevo-lhes o su-
co de um InnSo dissolvido em nma chicara
d'agua com bstanle assucar em um grande
copo para misturar com um papelinbo dos
pos refrigerantes para tomar, com que ali-
viana no acc manha o xarope elherio de veame. Tenho
aconseliado, que facam uso de vegetaes de
natureza acida, como laranjas, Imes, pi-
tangas, uvas, etc., e applicaces de plantas
amargosas, que fortifican) o estomago e ser-
vem ao mesmo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
ASra. D. Joaquina de S Brrelo, lendo
urna sua cscrava fallecida desta molestia, sub-
mettida ao Iratamento de seu medico, resol-
veu procurar-me para tratar de um outrj
escravo, que solria da mesma enfermidade,
prescrevi-lhe o xarope de veame, tem me-
ihorado consideravelmente.
A senhora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desla cidade, estove prostrada, c nos ulti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. teneute-coronel
Rodolplio Joao Barata de Almeida, foi lam-
bem desengaado por habis mdicos, e
com o xarope de vellame acha-se completa-
mente reslabelecido, como se v tambem
da carta mpressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jornal do Recife.
O Sr. Antonio Christiano Fogt, filho do
Sr. Christiano Fogt, proprietario e estabe
leoitlo na cidade de Macei, o primeiro bem
conhecido nesta cidade, pois que foi empre-
ado na casa do Sr. Len Cliapellin, retra-
tista eslabelecido na ra da Imperatriz, ac-|
eonimettido desta molestia, fui daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirou-se para
a Baliia, e all continuou em tratamenl) ale
que foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, chegando eu era Macei, um
amigo pedio-me, que o acompanhasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o lilho em urna cama desanimado e em es-1
lado de pr- stracao, pois que escarrava san-;
gue e turna completa inapetencia e fraque-
za, a poni de nao se poder por em p, no j
fin de urna garrafa do xarope ethereo de j
ve llame ja se achava elle no estado de pas-
sear em casa, desapparecida a inapetencia e
os esearros de sangue ; e a tosse mitigados, j
No lim da segunda ja achei em estado de
fazu-io passeur pelo siiio lodas as manhaas.
Acabada esta o aconselhei, que continuasse
no uso do mesmo xarope elherio alternado
com o xarope alcoubco de vellame, e que
usnsse dos banhs salgados na pancada do
mar. Sentio elle nos primeiros banhos al-j
gons choques, mas eu o aconselhe> que con-
tmuasSe, com o que se tem dado muitobera
pois que tenho recebido cartas de Macei,!
em que se me communica o seu bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-'
na nio aconselham banhos salgados, apenas,
quaodo delles tratam, dizem ser applicados
as e. crophulas, hypocondria, estherismo,
amenorrhea, raethismo, etc. ; entretanto vi
esto bom resultado no filho do Sr. Cristiano^
e outros fados iguaes tenho visto as mo-
lestias siphyliiicas, e outras muitas que com
o usu do xarope alcoolico de vellame tem-se
obtido cura radical.
O Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei,
depoisde ter applicadoa umseu doente de
rlieuniatismo o xarope alcoolico de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
moletas, em que andava arrimado, o aconse-
!hou que continuasse com o uso do mesmo
xarope conjunctamente com os banhos sal-
gados, com qud se tem dado muito bem, e
um dos mdicos que all em Vlacei tem com-
pleta confianza as preparacoes de vellame
por mira feitas, pelos bons resultados que
tem obtido em tua clnica.
(Juando alguem se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t all'ectado dos prilmeso doente desani-
ma com esta setitenca, entende eslarsem
inais cura, quando os fados e a experiencia
teem demonstrado que muitos tendo procu-
rado o lugar apropriado, se teem salvado ;
e assim explicam muitos expositores de me-
dicina.
Ora, nessa provincia temos facilidade bo-
je e recurso do ar; por que a va frrea
nos proporciona, pois que em pouco tempo
una pessoa que existe nesta cidade fcil-
mente se t ansporta para as ultimas estacoes
de ameleira e Una, lugares perto do Boni-
to e de outros pontos que sao considerados
serto, quanto mais que os mesmos lugares
j nao sao mos, segundo pens, principal-
mente no vero.
.Mas dir-se-haurna pessoa pobre nao tem
meios de se transportar e all estara isso
se responde, que naquelles lugares existem
casas vasias e alugam-se por preco commo-
do, e mesmo muitos gneros de primeira
necessidade alli se vendem pelos mesmos
precos que aqui.
Aqueiles, pois, que estiverem nestas cir-
cunstancias, eu Ins facilito explicar os meios
pelos qtiaes se dtsvera reger, e Ihes fornece-
rei os medicamentos gratuitamente,
Nao deixarei de advertir ao pubiieo, que
as minbas preparacoes de veame sao reu-
nidas com outros ingredientes, e com elles
tenho obtido ptimos resultados: nao se en-
gae o mesmo publico com outros que por
ah te annunciam, cujas preparacoes ignoro,
.assim como o aproveitarnenlo aos enfermos,
a quem porventura lenliam sido applicados;
cada um responde por si, e eu afirmo com
verdade o que aqui tenho relatado, cujos me-
dicamentos nesta provincia s vendo em rai-
>nba botica na ra Direita n. 88.
Jos da Rocha Paranhos.
Nazireth do Cabo, 7 de setembro de 1863.
lilm. Sr. Jos da Rocha Paranhos.Com
o maior prazer loro ac conhecimento de V.
S., que o doente que V. S. acha-se adm-
nistrando-lbe re.nedios, acha-se no todo res-
labelecido, portanto, nada sent, tendo des-
aparecido no todo a tosse, tem muita dispo-
icSe comida e acha-se nutrido. Deixou
tomar os ltimos remedios que V. S. reeti-
tou no dia 30 do passado, resta agora a Y.
S. mandar-me dizer qual a dieta que o
doente deve conservar e por qoanlos tem-
pos, mencionando as comidas que devr
usar daqui em diante.
Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
dado que tomou no tralamento do meu so-
brinho, abaixo de Deus, devido o seu resta-
belecimento a pericia de V. S., e por isso
pode V. S., sempre contar com os meus di-
minutos prestimos, e desejarei em todo o
tempo dar urna prova do meu reconheci-
mento.
Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muito respeitador e i brigadissimo
criado.Francisco Bertnguer Cesar de Me-
nezes.
CURA
Espantoza c Admiiavel
DE UMA CHAOA
GANCROSA E ROEDORA
O
POLYPO NO NARIZ.
Umn creada de servir residente em Pernam
buco e pertencente Ex").* Ser Viscondessa
DE OoiaNNA, foi tincada d'uma terrivel cha-
ga cancrosa e roedoraou Polypo no Nariz.
A mesnia involvia e tomara todo a parte in-
ferior do nariz, ameacando j dietruir tanto a
parte cartilaginosa como o mesmo oso ; Come-
cou primeiro por apparecer sob o beigo supe-
rior e parte da face, extcmlendo-se i>or tal
forma e com tul rapidez, que em pouco cuica.
cava transformar todo o rosto n'uma enorme
cbargo viva e asquerosa. Durante todo este
terrivel estado, todos os recursos medicnaes
que em taes cazos se uzilo forao abundante-
mente empregado, sem que de leve fizesse
parar a marcha lenta e distruidora de tao hor-
rivel enfermidade, e todos os meios e esforcos
forao baldados, e no em tanto o mal cresca eis
que por milagrosa fortuna da infeliz estando
as couzas neste ponto, so experimentou pela
vez primeira a
SALSAPARBILHA
DE BRISTOL.
O effeito prodozido, quasi que instantneo
por este inestimavel remedio foi verdadeira-
mente maravilboso e sem igual; este grande
purificador do sangue e dos humores do aya-
tena, immediatamcnte pz um termo i mar-
cha disastroza e fatal da molestia, derramndo-
se e infiltrando-se atraves dos tecidos os mais
delicados do corpo, espellindo ate ultima
propriedade ou vestigio virulento da molestia,
e dentro d'um curto espado de tempo prodnzio
urna
CURA
Completa e Radical.
Este feliz quao admirarel resultado foi obti
do apenas com o simples uso
Duina so uuica Garrafa!
d"este incomparavel e inapreciavel depuratorio,
recommendomos portanto todos os Doentes
que procurem obter com o maior cuidado a
nica e verdadeira Salsaparrilha de Bristol,
nicamente preparada por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.,
na certeza de que, todas as mais preparacoes
imitativas nao valem para cotiza alguna
Vende-se as boticas de Caors A Barbosa
e C. Bravo & C.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substancias medicamen-
tosas, ao reino vegetal, e perience classe
dos tnicos e desobsiraentes, sendo em prega-
da com 'vantagem contra as febres intermitentes
acompanhadas de eDgorgitamento de ligado c bago.
Ella tem sido applicada com inconteslavel proveilo
contra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar-
i lio da Ii'-x.m e mesmo para cotnbater a menstrua-
Qo ditBcil, resultante da mesma anemia ou cUlo-
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro idem.
Oleo idem.
Tintura idem de idem.
Xarope id-rn.
Vinho idem de idem.
Pi'.ulas de ext. idem.
Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do Ro-
sario n. 10.
G0MME1SI0.
Caixa filial do iiance do Brasil em
Peruamboco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Rabia.
Novo banco de pernanibico.
dministradores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita missa
na razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
meltidos : no novo banco de Pernarabuco ra
do Trapiche n. 3i.
Noto banco de Pernam-
buco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil
eiu Pernambueo.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
soureiro est autorisado a pagar o 23* dividendo
do semestre lindo em 30 de junho ultimo |a razo
de 125 por accao.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de jnlho de
1803.
O guarda-livros,
Ignacio Nones Correia.
ftECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCO.
Rendimento do dia 1 a 18...... 21:0334162
dem doldia 19................ 391JH63
25 52*3523
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimentodo da 1 a 18...... 38:9933086
dem do dia 19.............. 4705813
39:4593899
PBAQA LO RECIFE
1? Ii: AGOSTO HE 1S65.
A'S TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.........Saccou-se sobre Londres a 25
Segundo o ojue assim se rootinh* em dito termo
de protesto, depui? de qual prodozlndo o suppli-
car,te suas testemunls que depozeram convenien-
temente acercada ausencia do supplicado, o res-
pectivo escriv&o fazondo sellar e preparar os.autos,
me os fez conclusos, nos quaes dei a sentenca do
theor >eguinte :
Hei por justificada a ausencia do supplicado. e
mando que o mesmo seja citado por edilos de 30
dias, para o flm requerido a folhas duas.
Recife, 12 de agosto de 1863.Tristo de Alen
car Araripe.
Segundo o que assim se continha em dita minha
sentenga por forca da qual o respectivo escrivo
que esie subscroveu o fVz passar o presente, pelo
qual e seu theor chamo, cito e hei por citado ao
mencionado ju^tilicado ausente Frederco Velloso
Koop, para que dentro do prazo de 30 das cumpa
reca por si ou por seu procurador, ante este Juio,
d. por 15000. sobre Paris e 380, allegando e provando o que for a bem de seu di-
a 383 rs. por fr. j reito e jasea, sob pena de revelia.
Algodo......... O de Pernambueo vendeu-se a ; Portanto, toda e qualipier pessoa, prenle, amig^
153800 por arroba. ou conhecido do referido justificado poder-lhes-ha
Couros ........Os seceos e salgados venderam- azw scieute de lodo o expendido.
se a 160 rs. a libra. E para que chegue ao conhecimento de todos,
Arroz.......... Vendeu-se o pilado da India a mandei fazer o presente edltal que sera' afflxado
23800 a arroba e o do Mar- nos lugares do costume e publicados pela im-
nhao de 23800 a 23850 a dila. prensa.
Azeiieiice...... Veudeu-s o de Lisboa a 23350 Dado e passado nesta cidade do Recite de Per-
o galo e o do E^treito a 230O0. nambuco, aos 17 de agosto de 1865.
Baealho.......Veaeu-se um atacado a 153000 Eu Manoel de Carvalho ^aes de Audrade, escri-
por barrica o a retalho de 83000 vao o sub-crevi.
a 163000, ficando em deposito TristSo de Alencar Araripe.
3,300 barricas. O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da impe-
Batatas.........Venderam se a 23500 rs. a ar-
roba.
Bolachinhas.....Venderara-se a 23300 a barr-
quinha.
Carnesecca.....A do Rio Grande do 9 vendeu-
se de 23600 a 33500 a arroba,
a do Rio da Prata de StfO a
25800, ficando em deposito
rial ordem da Rosa e juiz especial do commer-
ci d'esla cidade do Recife d Pernambueo e seu
termo, por sua Mageslade Imperial que Deus
guarde etc.
Fago saber aos que o presente edilal virem, que
no dia 14 de dezembro do corrente anno, as 11 ho-
ras da manha na sala das audiencias, tera lugar
a renniao dos credores da massa fallida de A. B.
108,000 arrobas da primeira e' Cuervo C A., afim de se cumprir o disposlo no ar-
25,000 da segunda. tigo 842 do cdigo coraraercial ; advirtindo porm,
Caf........... Vendeu-se de 63500 a 75500 a que nenhum credor ser admitlido por procurador
arroba. se este nao liver poderes especiaes para o acto, e
Cha............ dem de 15800 a 23300 a libra, que a procurado nao poder ser dada pessoa qoe
Cerveja........ Vendeu-se de 43000 a 63000 a seja dewdora aos fallidos, nenhum mesmo procu-
duzia de garrafas. rador representar por dous diversos cred )res ; ou-
Farinha de trigo. Retalhou-se de 185000 a 205 a tro sim que serao unidos as votos Ja menora dos
barrica da de New-York e Tries credores presentes, os dos credores que deixarem
te, de 183000 a 195 a de. Phila-
delphia e a 85000 por sacco de
100 libras a do Chile; tirandoem
deposilo5,000 barricas da primei-
ra, 11,400 da segunda, 600 da
terceira e 1,000 saceos da quarta.
Louja..........A ingleza ordiuaria vendeu-se crivo o subscrevi.
de comparecer.
E para que o presente chegue ao conhecimento
de lodos serie publicado pela imprensa e afflxado
na forma do estylo.
Reeife, 1 de agosto de 1863.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimenlo, es-
Trislo de Alencar Araripe.
ESCUaifOEX.
com 300 por cento de premio so-
bre a factura.
Manteiga.......Vendeu-se a ingleza de 8o0 a
a 870 rs. a libra, e a franceza
de 700 a 750 rs. a dita.
Maesas......... Venderam-se a 55500 a caixa.
Oleo de linhaga.. Vendeu-se a 15700 o galo.
Passas.........dem a 05000 a caixa.
Presuntos.......Venderam-se a 163000 por ar-
roba.
Queijos........ Os flamengos venderam-se de
15600 a 25050 cada um.
Sabao.......... O inglez vendeu-se de 130 a 140 buco, em 14 de agpsto de 1863.
raelhore sypphoni.' tfo t repertorio .Westidi- ym SObra j0 je tfm anar tn \mm,i3x 95
giUdorLInskidaraortaclpi) aos asui lrairtl*w f,ho foreir-, rende J?W por aun-).
os quaes se acnun dis:rbuilji \ maneira seyl ------------------------------------------------------
guinie :
Primeira jiarte e nllima.
As balas di Sjdi to.id A mt tipii-agio
Oc;iapclo do diab).'!!0 f.iu d) diau ou a
pegas de 5 francos.
0< dive.rtimeiitos d; Ciri>s Vil, oj a easwl de
ijm feiliceiro.
Os frascos miligrovjiA marct dj Linski (b-
gereza de mo.)
O tengo eneant ido e n vela plnniastiiica.
As i|uatro carias na algibeira d-t um espeetador,
terminando pelo el-rel de lo los os corago;s.
O espelho ile Arcbimedes ou a sorte fatal d 3
velhasOs [penachos (mvang to d j Sr. Liuski em
Pars.)
A corrente de Spartacdes ou os anneis indios.
Os vasos de Neeluaa ou a grande pasca m'la-
grosa em scena (e entre os espectadores)
Infelicidade dos tres reloos. -T'irrainar pela
A lilha do ar..4 garrafa de Cl^liostro.
O caminho de ferro p)r carias.A ('instar du
clebre Mr. Hermn i.
Em seguida acompaobia dramat ca representa-
r a chistosa comedia em I acto, ornad Jt msica
Bolsa e cachimbo.
Dar lim ao espectculo s inieressante e gracio-
sa comedia em 1 acto
MAN TRvrA^dES
Comecara' as 8 horas.
, LEIL1
22 do crrante
Farrera A iaib us tenl > J; naiir-M >lo sa
para o anrmein ifte foi 1I0 lin rl > II nr-, 04*M.
farj Iho, por WMTVMbI .11 *.;nt OJWsIn, 4
seu lindo e bem nonh-ait soriim-ai > >lv fanfwla-
inglezas, as inii* pro:>ri.i it.,nieri-a I,. n .fvi ptr
isso aiiimarj .1 coocurrenri -.? 1- lrr-f 1 -i -
amigos,
Terctfeiri ii 4rwr>'e
as 10 horas da manha, o* s>i: .. lu irnu-tn.
ra da tadea. do q ni stu taBeaome-il-; rer>-
ver as indicadas fazendi*.
Oe tnooci e itutr s hjecto*
Terca-feira ii do corrale as 11 horas <:*
ponto.
SO ARMALEM A RIA HA i:iII 5. 37.
C'ordclrv mm?<
far Uil.iu por conU e risco d-^ j'Kni p^rt-irir a-
diversos ohje.-to- d-^ mir>ii.-iri novo-t e u-a-tr t
outros olij-ctos de gosto, no da, lu^ar e Ron ar:-
ma dito.
De esleirs
Leilfio
para lorro
de sala ci
AY1S0S MABITIMOS.
COMPANIUA PERNAMBCANA
DE
Vavcgacao costeira por vapor.
Parahyba, Nalai, Macau, Aracaly, Ciar
e Acarac
No dia 22 do corrente segu o
Perstnunga, commandante llatis.
para os portos indicados. Recebe
_ carga at o dia 21. Encommen-
"R 0 das, passageiros e dinheiro a fre-
to at as 2 horas da tarde do dia da sahida.- Es-
criptorio no Forte do Matlos n. 1.
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir com muita brevidade a barca
nacional Restaurarao, lem parte do seu carrega-
mento prompto : para conipleta-lo, e juntamente
para escravos e freles, para os quaes tem expelien-
tes commodos, tratase com os seus consignatarios
Antonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no sea es-
criptorio, ra da Cruz n. 1. _________
iihai. de tpml
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura- i Segu impreierivelmente no lim do corrente mea
ria de (aseada desta provineia se faz publico para o palhabite portuguez Pensummlo, de 1- elasse :
conhecimento de todos, a circular do tribunal do ; quem no mesmo quizer carregar ou ir de pa-sa-
thesouro o. 27 de 20 de iulho ultimo abaixo trans-! gem, dirjase a Rallar & O ireira, ra do \ igano
cripta. numero 10. _____________
Secretaria da the>ouraria de fazeudade Pernam-
rs. a libra, e o do Mediterrneo
a 240 rs. a dita.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa a 115 a
arroba, e o do Rio-Grande do Sul
de 85000 a 93400 a dita-.
Vinagre........O de Porlgat vendeu-se a 903
a pipa.
Vinhos.........Venderam-se os de Lisboa a
Servindo de ofilcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Clrenlar n. 3 9.
Ministerio dos negocios da fazemia. Rio de Ja-
neiro, em 20 de julho de 1865.
Jos Pedro Dias de Carvalho, presidente do tri-
bunal do ihesouro nacional, leudo resolvido que
se subsliluam as olas de 103 da 2J estampa, cor
1803 ajjipa^e os de outros pai- di Mil^ ordena auj srs. nspector-s das thesoura-
rias de azenda que, mandando publicar esta reso-
logo por anmincios uos peridicos das provincias
e por eduaes afflxados em lodos os municipios, pro-
cedan) a referida subsdtuico com o produelo da
renda das respectivas thesourarias, solicitando a
remessa dos fundos precisos no caso de deficien-
cia da mesma reuda; e remellan mensalmenle ao
thesouro as olas que se forein subslituindo, devi-
damente carimbadas e inutilisadas.
Nos anuuncios e edilaes far-se ha a declaragao
de que em tempo compelentese marcar o da em
que deve principiar o descont da lei no valor das
notas que nao liverem sido at ento substituidas.
Jos Pedro Dias de Carvalho.
zesa 1703000 a dita.
Velas..........As de composigo venderam-se
a 560 rs. por pacote de seis ve-
las.
Descontos.......O rebate de letras regulou a
9 por cento"ao auno.
Fretes.......... Para Liverpool ,' d. e o % por
libra de algodo.
M0?IME^T0 BO ?0iT0
Navios entrados no dia 19.
Sumatra92 dias, galera americana Tarqun, de
462 toneladas, capito Kemball, equipagem 17,
carga pimenta ; a Henry Fosier ct D. Veio rece-
ber ordens.
Rio de Janeiro20 dias, curvla brasileira D. Ja- i
Conv'nla-se as pessoas que esto as
comlitoes do servido militar, a etigajareru
mi corpo de polica e gozaren) das vanla-
Otl de 2 de maio
nuarui, commandante o capilao de fragala Joo gens di lei provincial 0.
Gomes de Aguiar. j prximo passado, que sao as segmutes :
Rio Grande do Sul16 dias, brigua brasileiro Pra- J100 fS. diarios de SOldO, Serem seus ti-
carne Amorim Irmao. tos provinciaes de educacao e o tempo qn#
Lisboa36 dias, brigue brasiieiro Norma, de 296 estiverem na guerra ser contado pelo duplo
toneladas, capilao Manoel Marlius da Cruz,
equipagem 12, carga vinho e outros gneros; a
Amorim Irmo.
Terra Nova35 dias, brigue inglez Jara, de 250
toneladas, capilao James Day, equipagem 13
carga 3,330 barricas com bacalbo; Johnston
Pater & C.
Navio sahido no mesmo dia.
LiverpoolBrigue inglez Harmoston, capilao W.
Slarkings, carga algodo e assucar.
ParahybaBarca ingleza Hidalgo, capilao Roberto,
em lastro.
Rio de JaneiroBrigue hanoveriao Anna, capi-
to H. Horene, em lastro.
Navio entrado rio da 20.
Para o portos intermedios-8 dias e do ultimo
porto 10 horas, vapor brasiieiro Cruzeiro do Sul,
de 1,017 toneladas, commandante Aicofofado,
equipagem 65, carga dilT-renWs gneros.
Passageiro entrado de Lisboa no brigue bra-
siieiro Norma:
Jos Vara.
Liverpool por Lisboa22 dias do primeiro porto e
14 do segundo, vapor inglez Olinda, de 511 to-
neladas, capilao F. Williams equipagem 23, car-
ga differentes gneros; a Thoraaz Jeffrries & C.
Rio de Janeiro-16 dias, brigue inglez Glancairn,
de 227 toneladas, capito Donnell Mac Jues,
equipagem 11, carga sebo echifres; a ordem.
Segua para Inglaterra, arribou por haver adoe-
cido o capito.
Navios sahidos no mesmo da.
Baha Patacho brasiieiro D. miz, capito Jos
Ferreira de Azevedo, carga diferentes gneros.
Ilha do Cabo Verde Barca portugueza Iris, capi-
lao Malhias-de Souza Maciel, em lastro.
EDlAES.
para o caso de aposentador'!, e alm deslas
tem lodas as mais vantagens que sao con-
cedidas aos voluntarios da patria. O te-
neute-coronel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-
que.
Pela repartilo das obras publicas.se faz pn'
Tissel Frers previnem aos carregaOores dos na-
vios da buha do Havre a' Pernambueo, que o frete
do Guillaome Tell. esperado a cada momento, tem
sido abaixadoa 30 fs. e lO0|, o do Sphre a car-
ga no Havre a 95 fs. e 10 0|0. e que talvez o dos
navios seguintes sera' anda rnais em centa, o que
Ihes sera' avisado por vii deste jornal. Os navios
estao a disposigo dos carregadores para as voltas
a um frete abaixo de 45 fs. e a O | conforme se
ajustar com os annuncianles, ra do Trapiche n. 9.
Para a Baha
at o dia 20 do presente mez pretende sabir sem
falta o veleiro e bem conhecido patacho nacional
. Lniz, capito-Jos Teixeira de Azevedo : para
a carga que Ihe falta tratase no largo do Gorpo
Santn. 4, cora o consignatario Jos Maria Pal-
meira.
Para o Porto por Lisboa
pretende sahir com a possivel presteza o br.gue
Pernambucano : para carga e passageiros, a (Jisca
offerece bons commodos, trata se com o consigna-
tario Tnomaz de Aqoino Ponseca. ra do Vgario
n. 19, primeiro andar._______________
PAliA O
Rio de Janeiro
pretende sahir uestes 15 dias a barca nacional
Valle; para carga, passageiros e escravos a frete,
trata-se com David ferreira Baltar, na ra to
Brum n. 66, ou com o capilao da mesma barca.
avaria.
Quarla-feira i'-l do agosto.
O agente Pinti fir. l-ili i )r t-owti ** ijmn
pertenc.er de dilferenie p t% is Ai e-t-ira-, enm r*-
; ria, nesia mesma occa*iaV> iam!> -m vD.|r aQpv
i mas p-'ivi- de brim pardo par l.cr.ar helara, >
| leilo ser elecluad > a- 11 bar is d i du acina *-
. io. em seu escript ti i a mi 11 Cruz, ti :W
De tonto de iu>lrf e Inzia*.
yuarla-feira t de HJMl.
Por intervenga) do arente Pinto, em escrip-
i.tih a ra da t>ruz n. 38.
Leiliio de calcados
Qua ta-feira de a^ost.
O agente Pinto fara leiirn j>r eonla e risco >
quem pertenenr de orna raixa coni biriesron* e
phanthasia para sennoras e aa4|i >le \r*n\% pa-
ra homens e senhoras : a* 1! l|ihora< *? n a ma dito em seu eseriptorio a ra ila Cruz Bivae-
ro 38._____________________________________
LEILAO
Da exccllente rlaefa do Ktm. 3r. oVs*mbarf>t.*
Doria, noMangtiiiiho, n.m a acorr,
que podem ser -xaniiii.td.is de.-J ji rl"^ pr-
tendentes, os quats nnaaia aaaaMHf ao Ma>
no dia
Tercafeini 21) lf ;nslo a* II ftMM
tm poni.
?or iiiterveni'o do ai'ent' Pinto. :; ,r nt-- a
Associago Gocomercia!.
" \m BIYElSaj.
EUOES,
LEILAO
m
blico para conhecimento das pessoai quem pos" ^ na Soledade ra do Corni-
sa interessar, que o concurso para pralicanles fo' ,...... ^ZUL. >.1~~ a~ *
addado para o dia 9 d* outnbro deste anno
Secretaria da repartigao das obras publicas 19
19 de agosto de 1865.'
No impedimento do secretario-.
dor do Blspo, em otuios foreiros, rende 12 mensaes e paga de fOro 2^ por anno.
Cordela* simrs
por conta e risco de quem p^rtencer far leilao da
JoSoToimaimd Si'queiraVafjito. esa terrea cima deseripta isto
- FoTa7prehendido por es.a delegacia um bur- Terga-fetra 22 d9 mgto as l i horas.
ro que andava vagando pelas ras desta cidade : gg armazem a ra da Cruz n. 57.___________>
^raDenl:egeuUe.dOn0 ^^ ^ PrVaDd' '^ \ LeUflO dO divdaS.
Delegacia de polica do 1 dstrcto io termo da Cordetro SimCS
cidade do Reeife 19 de agosto de 186m far (eilao a requerimento dos administradores d'
______________ A. Martins Pereira. massa fallida de Amorim, Fragozo, Santos & C. a
- Tergafeira ii do audante mez vao a' praga despacho do lllm Sr. Dr. juiz especial do cod>
de venda,, ftoda a audiencia do dito juiz de orpbo*^ mercio de 20 ttulos de dividas lodas na impo-
diversos movis, ouro e prata, e as casas da ra taoeia de 6:680*579 rs,; os preteodentes desde
Imperial n. 268, avahada por 80J& a de n> 27V j podero examinar os referidos ttulos, os quaes-
avallada por 8005, e urna casa no Barro________ se aeham em poder do dito agente cu;o leilao sera.
- Quarfeira 23 do corrente se ho de arre- e*cuado ..:->. .,. h
matar por ser a nllima praga, perante o Sr. Dr. Terga-feira 2.1 A-crrame as 11 oras.
juiz municipal da 2* vara, duas escravas peohora-i o armazem a u" B- '-___________
das a Joao Mannho Pies Birreto, p>r execugao do-
Jos dos Santos Neves.
GUHOS
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A. Compauhia Indemnisadora
eslabelecida nesta praga, toma s*gnra* marirta-
sobre navios eseus car-gam-olos e contra toa *m
edificios, memdorias e raobilias-: do sea ertpc--
rio, ra do '.gario n. 4. pavimento terreo._____
LOTERA
AOS 6:000-5000.
Corre amasha.
Terca-feir3'22 do correiile mez. ae -
trahir a 31 parle da 1* e 41 da kurin
f8*) a beneficio da matriz da Victoria.
no consistorio da igreja d Nessa Snva
du Rosario da freguezia de Santo Anii.oio.
Os bilhelos, meios e qnartas esto a ven-
da na respectiva ibesourarb a roa do Lns-
po numero I j.
Os premios de MNPN at IOO0
serio pagos urna hora depots da extraer Jo
at as i tioras- da tarde, e o* oulros dtpots
da distribuirlo das listas.
As encomiaenda* srao guardada j-
meme al a noile da vespra da extr. 7io
como de cosame.
Servindo de thesoureiro.
Jos; Hodrigrxsde Sauz.
matrioBoaio e
Arsenal de guerrat
O conselho de compras do arsenal de guerra-
precisa comprar o segninte :
Para provimento do almoxarifado.
5 caixas-com folhas de tlandres, marca grande;
10 lenges-de lalao de 17 libras cada um, 10-du-
zias de taboas de pinbo de 3|4 de grossura.
As pessoas que qulzereravender ditos artigos
LEILAO
De M sitio e casas- de iai|>a no luga?
do Peres e Afogadosr a heira da es-
trada que vai para Jaboalao.
Como seja :
1 easa de laipa comlT palmos de frente e SD
de fundo.
I dila dita eom 27 palmos de
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official
da imperial ordem da Rosa, juiz de di-1
r i j j i i; anresentem suas oroposlas as ll^horas ao-OHi ionoo.
reto especial do commercio desta Cidade:^ crreme,na salado cooselho. dita dita cora ta.palmos de
do Recife de Pernambueo e seo temi, I sala da* sessSes do conseibo de compras do-ar-, fundo,
por Sua Mageslade Imperial e Constitu-' seal de- guerra, 17 de agosto de 1865.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia i a 18......
dem do dia 19...............
310:8105001
6:3804a6
317:190447
MOV1MENTO DA ALFADEGA.
Volumes entrados com fazendas----- 137
c com gneros..... 194
------- 331
Volumes sabidos ce m fazendas..... 40
t coro gneros..... 148
188
Descarregam uo dia 21 do crreme.
Basca francezaGitiiAerme Tellmoacadorias di-
versas.
Brigue portoguezS. Joscharque.
Barca nacional--FaMe-idem.
Parca nglexaLaok Ovtcarvao.
cional, o Sr. D. Pedro II a quem Dos
guarde, etc.
Fago saber pelo presente que Jos Joaquim Go-
mes de Abreu, por seu advogado, me dirigi a pe-
tigo do theor seguinte :
Illm. Sr. Dr juiz do coramercio.Di Jbs Joa-
quim Gomes de Abreu, que para imerromper a
prescrlpgo da letra junta da quantia de 4805000,
acceita por FrederlcoVellosoEoop, quer interporo
referido protesto, que requer seja tomado por ter-
mo. E como o supplicado esleja ausente em lugar
nao sabido, quer o supplicante seja admitlido a
justificar essa auseneiav afim de que a intiraago
| do protesto se faga por editos na forma da lei, e
requer pois a V. S. que,.lavrado o> protesto, tenha
lugar a justificagao em da, hora e lugar por V. *.
designado, alim de que o protesto produza os effei-
tos regulares.
Pede V. S. detrimento.:E. B. M.Dr. as-
cimento Forlella.
Segundo o que-assim se continha em dila peli-
gao, que me foi apresentada,. e na qual dei o des-
pacho do theor seguinte:
Justifique amanha as II horas do dia. Reeife-,.
10 de agosto da 1865.Alencar Araripe.
Segundo o que assim se continha em tal despa~
cho per forca oo qual tra feita a distnbuigao.ao
escrive desis-meu juiao^ Manoel de Carvalho flaes
de Andrade, o qual er observancia ao mesmo meu
despacho lavrou o protesto do theor seguinte:
Aos 10 de agosto de 1865, nesia cidade do Reci-
fe, era meu cartorio, perante mira eastestemu-j
nhas infra. asslgnadas, comparecen o supplicanie
por seu procurador o solicitador Manoel Rayraun-
do Penatorte, e por elle foi dito que reduza a ter-
mo todo contedo de sua petigo retro, a qual ole-
recia, como parle da prosete, no qual depois de
ldo asslgnou com as indicadas testemunhas.
Eu Manoel Silvino de Barros Falcao, escrevente
juramentado o escrevi.
En Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.Manoel Raymundo Penaforte.
Antonio Alves da Fonceca Jnior.Joo Vicente
de Torres Bandeira.
frente e 40 de
frente e 40 de
frente e 40 de
fundo.
Manoel Jos U Azevedo Sanios. 1 sitio cora 60Opalmos de frente e 610 deftin-
do com cacimba e arvoredos, todos esses predios
O eocarregado da-escripturao-Jo,
A directora das obras militaros, tondo de e|a cnios forer0s
mandar proceder a diversos cocenos nos tjuarteis Coritelr* limos
de cavallaria, Cinco Ponas, e no^dous da Soleda- ,ment0 ^ admiDS,radores da massa. fal-
de,cowda as pessoas que sequ.zerem Mwumblr jeqn' & r despacho
de taes ooeerlos a apresentawm suas propostas JJa de Araonm W. commercioTfar
aobreoada um dos menc.onaos-quarte.s nos- ^iSRlMoa asas cima mencionadas, podendo
19,Mea*,aalO horaaao,~'oJ'J/ <** S dejaes prelendentes procederem ao referido
marcada par a 2i se abrirem.as proposias,. ._.m m iuin ar* pffppiiiiido
mreetoria das obras militares de Pernarabu> BMSSfc!^ 12mu I i haraa
17 de agosto de 1865.-0 ajudante, ; Terga-feira 22 do W as 11 naraa.
Chryssolto Ferrewa de Castre-Ghaves No armazem, a roa da truz n. 57.
! lente da-engenheiros,_______
r*ortVaa"dielKidoVrT_Dr. jqiz e or-j
ptos-em os dias 18, 22 a 26- do corrente, tem de
irapraca a renda do sino-denominado Santo An- Al(,tWkiWyi ,ia hM
ionio da ouraria no lugar do Mi\omnhov casa e O aeCOe^ Ud .oiuuttuiurf rww
on4e resida o finado brtgadero Sfeoees, cuja
renda por tempo de tres- annos.
LEILAO
TMEVTRO
DE
bucana.
Cordeiro SlmSe
a requer metilo dos administradores da massa fal-
lida de Amorim, Fragoso, Santos 4 O, e despacho
I do Mlm. Sr. Dr. juiz de direito especial do com-
mercio, levara' novamente a leilao as aegees ci-
ma descriptas, servindo de base a offerta obtida
no leilao de 14 do corrente, isto
Terca-iVira 22 do corrente as ii horas
No armazem a ra da Cruz n. 57.
EMPREZA-COIMBBA
Recita extraordinaria.
Terca-feira 22 de agosto de
1865.
Primeira grande soir phintastico pelo prestidi-
gitador J. B. de Linski (de Varsoria) conhe-
cido debaixo do nowe de
CAGLIOSTRO DAS ANTILHAS.
Logo que a orchestra Uer executado urna das
I I IIMO
Terga-feira 22 do correte.
Pelo agente Enzebio.
Os fillio do primeiro
genros do tinaato brigadei1 Uaspar de e-
tiezes Vascor.eellos de ruiwnond, s*mi-
dam e pedem encarecidaaeaae a lotla* as
pessoas que se considerare credwan dr
respectivo easal se sirvam de apparecer aa
ra da Aurora n. 26. dentro de 15 dia coa-
lados da presente data, -Jas-6 as 10 horas
da manha a das 4 as G -'a tarde, para e-
rificaco dos seus crdito e ulterior i'ijt-
do sobre os seus pagamentos, indfpad de questes-iuiiiciaes; Kte fe. 8 de agosa
delSf^__________________
Faz-so publico que no dia 18-drt eovMWe fal-
eeeu a parda le nnme CeiilJa Maria iJ>:Ka-
jao, moradora na Sulf Jad ,. MNIrir, d* iifaJe
W ann>s pouco mais ou meaos, >atado oaai
morada de casa e siiiu node iwrava, otwo alnas
dinheiro, o aoe foi recolhlu por um fwtker 4*
nome Ataliba ojue com ella ;nraTa, sM ojo* <'-
toseja prente, oo ella nv.rresse ab iftmJa. par
isso laz-se publico as anria ao juiz de ausanb-s, queiraio toaar taakM-inwaa
do titulo ct4 que ew (KSo.i f aprpri >u LeA
beranga sem um ululo lejimo, no raircaMit
consta ter nma alm de mira* herde**. Je n.Me
Alexandrina.
Ama
Precisa-se de urna arsa. para o .irrigo aiena>
de urna, easa depouca familia : a>M*aar na prjf%
do Coap Sanio n. 17.____ __
O abaixo assignaJo, Inspecicr da nmoari
A ?revidntesoctedade do Mforos motu-'s so-
bre a vida fundada e- administrada *to fcaem M-
ltan>,-a do Porto, tendo de regr^ar nroito tre
para a Earopa, e oastando deorar-e algnns 'lia*
nesta cidade, participa aos sea amigos t aseona-
dos na dita companhia, que aess ac a-n ?-
gara alguns recibo* das anaualiiia ja Ihe foram reinetlii da eilade do Plnrl >
Jos Anlomo Pinto da R la.
Altigam-sa duas casas noa* i*> netbw ba-
gar da Capunga, con hos roan!-*, i** !!
taes murados, ecacimba, p<>r prego a**: *
tratar no mesmo lugar n>o B. J Ijmi*>. om >
pateo da matriz ae San*) Amonio n *.______
Pede-se ao Sr. Prancisr da Pot**M v
Delmonle, que queira vir a' ro* *> Plr '>
(Recife) em casa do Sr. J >- Marlii* Pin**^
traur a refieilo do negocio d > prtt < M .>. eb
se acha vendiiio ha qnatro anmvi e aia e^.j'
contrario proe*der-se-ha o entboKi ) i licntra*e.
__Aluga-se ou tambem se vende u
Capunga, ra du Jacobina, jauto M Sr
todo murado, com porta o le ferro, arrore** *
fruclo, jardim, bom pogo con exeelleaae ejaay
De um sobrado n. 7 na ra do Padre Floriano, casa para banho : a tratar na ro* das calcadii
chao proprio, rende 480. numero 6.
De duas casas terreas na ra do Gaz, sao novas precisa.c;^ atl a(na ama pm eaMfcaa e <><*-
acabadas ha poucosdias, de ns. 4 e 6, rende i6# na raa d0 L|vram80t.) n. 25, s^gua-V and r
por raez cada urna, chao foreiro. K------_, ., .^. D,:.. n--^,^, imtn
P De duas casas terreas ns. 32 e 34 na ra da O sr. Jos ^^J^SSSS-
Praia do Caldereiro, (em sotao, bem acabadas e ter abondaoe de WT *"***?{ e^
quasl novas, chao foreiro, rende 3A300Q por mea, reio desta cidade aQa de recebar ama earu re-
cada urna commendada rinda do Rio de Janeiro.



Diarto d rcrnambaco ... segunda clra II e Agosto de iStt&.
Alfaiate ecostureira
Na rua Nova n. 26, nova loja de azeudas con-
fronte a botica do Sr. Dr. Sabino, precisase de ai-
diales e costureiras para coserem para a lija.
Precisase de um homem que emenda de hor-
talice, na estrada de Juo de Barros, terceiro sitio
passando a estrada do Olio de Boi, no mesan eom-
pra-se um carro para cooduccao, em bom estado, e
um boi.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
25 Rua Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
Tendo sido encontrada na estrada do Pjm-
bal, na prlmeira travessa que vai dar a estrada de
Joo de Barros, urna pulseira : pede-se a quem com
direito a ella se jalear, de se entender com o dis-
tribuidor do Diarto de Pernambuco, que pela dita
estrada passa todos os dias. Advertindo-se, porm,
3ue s entregar a dita pulseira pessoa que der
a mestna os signaes competentes.
qne coiinhTbem e mais ap^do gosto e por precos muito diminutos.
na rua da impera- Os mesmos aproveitim a occasio para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos
Precisase de urna ama
sirva pura comprar : a tratar
triz n. .'i i, l' andar.
cnrtm Jr.l PrPr'etaris des.te estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de receber de seus corresoondentes de Pars um trrand
SrS^S^S^JSfiJ^SS^^ aS mais Celebres da EurPa' SCr-i tambera STSS^SSSSStSS nal- S're rXl
cassolelas para retractos, do
sEEHIS~^^
Lopes
dou seu esenptono para o Io andar da casa n. 2
da rua do Queimado, e que faz quina com o beceo
do l'eixe Knto, onde poder ser procurado.
Phipps Itroiliers k C, saccain
sobre o Rio de Jaueiroa 10, lo ou 20
das de visto, conforme a vouladc dos
tomadores e o descont exigido.
annos em que se achara establecidos nesta cidade,
para que todos saiam contentes e satisfeitos.
prelenv
e que .nao ser menos de cerca
Deseja-se fallar ao Sr. Antonio Bezerra Cesar
de Andrade, da Parahyba ou Rio-Grande do Norte,
que consta actaar-se nesta cidade, como se ignora
a sua morada, roga-se o favor de annunciar sua
moradia ou dirigir-se livraria n. 6 e 8 da praca
da Iodepeadencia.
O abaixo assignado declara que desta d.ta
em dianta, nao mais procurador do lllm. Sr. Es-
levao Jos Paes Brrelo; visto como seus alfazeres
nao Ihe permittem.
Recife, 17 de agosto de 1865
Hermenegildo Eduardo do Reg Mnnleiro.
Consulado americano.
O consulado americano acha-se mudado para a
rua do Imperador n. 63, primeiro andar.
Preclsa-se de 1:5005 a premio por seis me-
zes, com garanta em um predio nesta cidade : a
quem convier annuncie por este jornal.
Maques sobre Lisboa
Manoel Ignacio deOliveira & Filho sacara sobre
Lisboa : no largo do Corpo Santo n. 19.
MA GRANDE DESCOBERTA
Ama
Precisa-se alugar urna ama que saina bem coli-
ndar e comprar, prefere-se escrava : tratar na
loja da rua Nova d. 11.
Quem tiver urna escrava com algum-leite e
a queira alugar, annuncie para ser procurada.
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda m3o que sejs bem seguro : a tratar na pra-
ca da Independencia n. 12.
Aluga-se a casa terrea n. II sita entre as
duas pontes da Passagem da Magdalena, com 4
quarlos, 2 salas, cosinha tora quintal murado, ca-
cimba e sabida para a camboa : a tratar no sitio
no Cajaeiro junto ao hospital portugez com Ma-
doel Antonio da Silva Ros. s?
Alugasea loja do sobrado da travessa "da
Trempe n. 7: a tratar no inesmo sobrado.
A luga se um excellente telheiro para cochei-
ra de b -is e carrocas, com repartimento para mo-
radia, e em excellente localidade : no pateo de S.
Pedro n. 4 se dtra.
^ O LEO
deFIGADOdeBACALHAU
\ DESINFECTADO!
MEDALHI
DE
HONRA
As propiedades medcaos do oleo de figado de bacalao forSo unni-
memente reconhecidas. Mas seo chcro e seo sabor tao desagradaveis
torno o uso d'elle muitas vezes impossivel, mesmo aos estmagos
os mais robustos e aos mais condescentes.
Por isso a descoberta do Snr. Chevrier que llie permetlio de
desinfectar intciramcnte o oleo de figado de bacalhao sem alterar suas
propnedades lem sido um dos mais felizes problemas resolvidos pela
tnerapeutica moderna.
O oleo de figado de bacalhao desinfectado de Chevrier,
com um cheiro agraduvel e um sabor assucarado, o nico que nao
tem nem gosto nem clieiro de peixe.
Objecto de numerosos relatorios scientificos elle goza em Franca
de urna fama bem merecida, e receitado por todos os mdicos em
lugar do Oleo de figado de bacalhao ordinario. Tendo as mesmas
propnedades do oleo de figado de bacalhau ordinario, usa se d'elle
nos mesmos casos isto as :
MoleMlaa eacrafuIOHaa,
Itacailimuo,
iihKi rurrao dan glaadea,
1 'talca pulmonar.
Moleallaa da pelle,
Canatltalcaa Ijmphatlea,
Anemia, debilidad, fraqaiema,
Manira,
robrria da (,
Eafalfameata por eseeaaa de
ruhalha su de araaerea,
Malcatlaa (ea au ehraaleaa,
Toaaea aertlnaaea,
Gaalrltea, gaatralglaa,
llore de eataatage.
Elle convem a todas as compleicoes e a todas as idades, e tomada
fcilmente pelas pessoas as mais delicadas. Elle um poderoso socorro
para a alimentaclo das enancas hacas e doentes
me
m
m
m

O Oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chevrier constitue o melhor meio de administrar o ferro. O
ioduro de ferro reunido com o oleo de figado de bacalhau,
augmenta a accao Ufo efficaz d'este ultimo, se dissolve mais
fcilmente nos lquidos das vias digestivas, se assimila muito
mais bem do que quando tomado sob a forma de pilulas,
xaropes, etc., enfim perde suas propnedades irritantes e nao
provoca a constipado.
As pessoas as mais delicadas que nao podem supportar as
preparares ferruginosas ordinarias, as quaes, principalmente
nos paizes quentes, lem muitas vezes grandes inconvenientes,
poderSo com a nova descoberta do Snr. Chbvribr, usar do ferro,
um dos mais poderosos agentes therapeucos, tomando-o unido
ao oleo de figado de bacalhau.
O oleo de figado de bacalhau desinfectado ferruginoso de
Chbvribr, se emprega em todos os casos que o ferro acon-
selhado; julgamos intil de os enumerar.
Um folleto accompanha cada vidro e contem as observacoes medicaes.
Deposito em Pariz, na pharmacia de Chevrier, e em todas as boas pharmacias de Franca e do estrangeiro.
_____________DePsit0 geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
jg* Compaiibia lidelidade de seguros
|5$ maritiraos e terrestres
s estabelecida no Rio de Janeiro.
w AGENTES EM PEHNAMBUCO
/? Antouio l.uiz de Oliveira Azevedo A C,
yg competentementeautorisados peladirec-
3B lona aa companhia de seguros Fidelida-
$g de, tomam seguros de navios, merc.do- #
?J rias e predios uo seu escriptorio rua da *
;m crn n. i. m
mmmmmmMm mmxm
Na rua do Imperador n. 83, secundo andar,
i precisa-se fallar cora os stpuiules seuliores, para
negocio que Ibes diz re.-peilo. J
j Antonio Nanea de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
, Joo Perelra da Silva.
Jos Lopes Tararee.
; Jos Francisco Modrigues.
! Felippe orges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
j Antonio Serafim de eus.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
j Joo Antonio Pereira Ramos.
; Joo Marrano Paes Brrelo.
! Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
: Sebastio Antonio de Albuquerque (estudante).
' Francisco Gomes dos Sanios.
! Joo Gomes Pereira.
Jo^ Luiz Pacheco de Souza.
' Sebastio Jus de Barros Barreto.
Francisco Antonio Viera da Silva.
i Domingos Jos Alfonso Alves.
] Joaquiui Francisco da Silva.
j Joo Ribeiro de Castro.
| Jos Francisco da Silva.
j Miguel Arcanjo Ferreira.
! Vicente Ferreira Neves.
i Joaquim Francisco Moreira.
i Francisco de Aguiar Jnior.
I Julia Rosa de Almeida Pinto.
i Leopoldo Gadault.
Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
mmwmmmm
RETRATISTAS
FiminoAns
Novo eslabelf cisjr-le de relr-
los ru \ova 15, Taa-
rfar, junio a Sr. Gailier,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, as 7 tora*
da manba s | da larde, oaer rt-ra
Dan.
Tambera s* off-rerem para lirai rrara-
los de pessoas faii.ridas, d-niro oa ten
da cidade.
Os annnnrianifs desejando acreditar
seu e^belwiroenln, garante* a* saMr* '
; |i que nenhuui tralalbo >ahira de soa ofki-
:_%/ "asem qu.-no s.j.i (rfeitameoie acata
JS? do, e a rontade d-> fregn.
mmmmmmmmmmi
Precisa-se alugar urna escrava sera
pouca familia : a Iratar na roa do Sebo a. ."4.
Encanammtos para
aguas.
Fazem-se na roa Ni-ra n. 30,
feic >.
eom toda a aer-
Aluga-se ou arrenda-se mesmo por tempo,
um terreno devolulo todo murado e encllente para
deposito de bols e quaesquer ouiros objectos : a
tratar na rua das Cruzes n. 42.
A luga m se dous grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos e areiados
crin jardim, cocheira, estribara e outras commo-
didades, na travessa de Joo Fernandes Viera :
a tratar na rua da Senzala Nova n. 41
Charles L. KralTi retirase
viucia.
para fra da pro-
No dia 14 do corrate desappareceu um boi
manso, cor amarella, pellado par ser v.'lho, cascos
compridos, as galnas bastantes voliadas e compri-
das, levou um pedago de corda a rasto : quem o
apprehender ou der noticia certa se gralificar na
rua Imperial n. 224, armazem de couros.
AO PUBLICO
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de illuminacao a gaz tenha da-
do licenca aos machinislas para trabalharera por
sua propra conta, Carlos Pluym, machinisU, olfe-
rece seu presumo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a gorfe de servicos concernentes ao
seu officio, por pregos rauito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Rua da Imperatrlz 17
N. B. LOJA.
S2^ Para prova da perfeico do seu trabalho o
mesmo aderece ao publico o testemunho de im-
mensas pessoas para quem ja trabalhou a mandado
da companhia do gaz._____
Todas as pessoas que devem extracta Urina
de Novaes & Filho facam favor de mandar pagar
rua do Livramento n. 3i.
K 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade 1
sobre e seguinte
i molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgos geni- a
ti urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se- i
rao examinados na ordem de suas 1
entradas comecando o trabalho pe- |
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
8Praticar toda e qualquer opera-
clo que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
t doentes.
Sociedade i\ova Euierpiua. $)w u ^ T & Vntt
A actual directora desta sociedade ropa enea- r, ** U A I US
recidamenle aos Srs. socios para que domingo 20 a ordeta do dia Acabar com OS Para-
do crreme mez pelas to horas do dia compare- guayos a bayoneta, a miui, a revolver
mJ^S^KZSSi r! '2 ^"couracados armado^
sos estatuios. Recife 16 de agosio do 1863 Je esPoroes, armstrongs e raiadas de 80
TrajanoC. Leal, 120' extermina-los era summa a espada, a
isecretario. Jacto e a puubal de que se trata; mas
uinguem se lembrou ainda de estnagar os
Precisase de um bom cozinheiro
no sobrado n. .'12 da rua da Aurora.
a Iratar
k
wmwM mmm
^R
(Paraguayos coai as armas que Deus nos con- i
Na rua da Florentina a. 36 prepara-se crn-i C(?deil; acabar Cora elles a taco e a ponta-
da por cemmodo prego.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite e pagase bem :
em casa de Luiz de Moraes Gomes Ferreira, na
Ponte de Uclioa, ou no Moodego, casa da vi uva
Luiz Gomes Ferreira.
na
Precisa-se de urna ama forra ou captiva
rua larga do osario n. 3o.
Pede-se ao Sr. Idelfonso- VhTira da"Cuha
que venha ou mande concluir o negocio que nao
ignora, pois j faz bastante tempo : na rua da Ira-
peratriz n. 17, 2 andar.
pes, para o que e necessario encouracar esta i
parte do nosso corpo com os formidaveis
rompe-ferro, esraaga o bra, arranca tecos,
quebra marmore e outros que se vendem j
4RUA oiltllll |.,
Dentista de Pernambuco.!
j Rua estreila do Rosario n. 3,
ao p da igreja
FRANCISCO PINTO OZORIOf
! Colloca denles artiflciacs !
pelos systenas uials uio- 1
i tiernos |g
: Emprega todos os meios scientificos para Bgl
i conservar os naturaes. Pode ser procura- H
i do em >fii gabinete das 9 horas da na- US
: nbaa as o da larde. fga
del
s
Precisa-se de urna ama que compre e c.ozi-
nhhe, para urna casa de puuca familia : na rua
nova de Santa Rita n. 33.
AMA. !
Quem precisar de urna ama para cozinhar e en-
pomrnar. dirija-se a rua de S. Francisco p. 21.
D. Paula Joaquina de Mello faz publico pelo
presente annuncio, que seu procurador o hacha-
re! Francisco Lins Caldas, para o que tem plenus
poderes.__________
Entendam-se no segundo andar do sobrado
n. 12 da rua de lionas, os annunciantes de era-
preslimos sobre bens de raz.
Desappareceu no da 12 de agosto, da casa
paterna, um meniuode i Sanos por nome Elizia-
no Adirito Ferreira de Oliveira, de cor branca e
com os signaes seguintes : cara redonda, cabeca
igual, nariz pequeo e um lano afilado, cabellos
ruivos, olhos pardos, bocea regular, dentes gnae,
queixo fino, beicos iguaes, com o cabello cortado
rente, levou chapeo de feltro rxo, paletot branco
de alpaca e um dito preto, grvala cor de rosa,
differentes calcas tendo urna de easemira parda de
quadrinhos, um chapeo de sol branco u?ado : ro-
ga-se o especial favor as autoridades poilciaes, aos
Srs. inspectores de qtiarteiro desta cidade ou de
fora della ou em qualquer parte que se ache de
o apprehender e remeite-lo a capital de Pernam-
buco a' rua da Cruz o. 37.
Borseguins Bordeaux
patricios.........
para seuhoras, en-
r feitados.......
com lapo e fivella ..
Sapatoes encouracados.......
Borseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos de lona, sola elstica.
t<*
HKMXKiftMttff
L lllaliaa-aTaaMaaMPaW>MMaaMaMBi_
Aotonio da Cunha Soares Guimares, sua
consorte e seas filhos convidan) e podem a
todas as pessoas de sua familia e amizade
para que no dia 23 do corrente pelas 7 ho-
ras da mantiaa se dignem de assistir a mis-
sa e ao memento que pela alma de D. Mara
J is de Jess Cuaha, irrafu, cunhada e ta
delles, se ha de celebrar na Igreja do con-
vento de S. Francisco de*la eidade.
Precisase de um caixeiro para taberna que
tenha pratica e d fiador a sua condacta : na rua
do Noguelra n. 29.
No dia 11 do correte furtaram da rua-da
Praia um burro castanho, castrado, de 10 anoos de
Idade, cujo burro tem a marca J. S. L no quarto
direito, e eslava carregado com caogalha de ferro
e 8 arrobas de carne : quera delle der Doticia cer-
ta ao Sr. Aotonio C. Moreira Temporal a' rua da
Cruz n. 30, ou ao engenho Boa Casta da freguezia
do Cabo, sera bem recompensado.
Atten#h;.
Deseja-se saber dos Srs. Jos Narciso Gomes,
Jos Vaz Dias de Pinho, Joao da Silva Ferreira pa-
ra se Ihes entregar cartas viudas do Porto : oa
rua do Vinario n. 19, primeiro andar,
No dia 16 do eorrenle fu(?io um escravo mu-
latinho de nome Francisco, de idade de 11 aooos
pomo mais ou menos, estatura banca, corpo refor-
cado, rosto largo, tem um dente de mais do lado
de cima loroando-se alguma consa -saliente, tem
um signal em urna das orelha*, levou camisa e
caifa de algodao nscado, e oi sem chapea, levan-
do as chaves do estabeleeimeato da rua estreia do
Rosario o. 43, este escravo natural de Paje de
Flores : quem o pe?ar e levar ao mesmo estabe-
lecimento ser generosamente recompensado.
Precsa-se de um criado que sirva para coaT-
prar : na rua da Cruz do Reeifa a. 6i, primeico
ndar.
Preem- da quantia de -M:WOi sob hvpo-
iheca de predios e terreo ds de muito maior vajor:
Sr. eorretor Francisco Mamede de Almeida, praca
do Corpo Santo, que est authorisado para'dar as
ex plicayes oecessarias.
i Acha-6e justa e cootratada a casa lerrea sita
a' rua do Fugo n. 48: as pessoas que se julgarem
com direito dita casa anouneim oo pracoide 2
diai.
Arrenda-se o grande sitio da Piedade, na Ta-
marineira, onde esteve o collegio da ConceicSo,
com lodos os corainodos, e alem disso prnporeoes
para grande agricultura : a tratar oos Coelhos,
em o collegio da Con ajeno
Criado.
Precsa-se alugar um moleque escravo, que sir-
va de criado em una casa de familia, cora tanto
que seja de bom procedimenlo e fiel: a tratar na
casa nova da rua da Saudade (largo do Hospicio)
defrote da de O. 17.
avelludados.........
de tranca...........
econmicos para se-
n lioras...........
com salto de lustre.. 2#240
Chineloes do Por o.......... i#600
Um completo sonimento de calcado da!
trra para bomens. sentaras e meninas; '<
ass'un como bezerro francez, couro de lus-
tre, marroquins, taixas de todas as quali-
dades, utas para sapateiro, rauito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobica ao comp adrnela barateza.
T Uma Ctsa es,ranHeira precisa~de"ura bom co-
zinheiro : quem estiver nestas circumstoclas ap-
parega oa rua da Cruz o. 5o.
Beruardino Pacheco dos Santos declara" ao
corpo do comraercio que mudou o seu estabeleei-
raento de raolhados da rua da Lapa n. 13 para a
rua do Hospicio o. 28.
85000
5^000 Ama.
Aiga se urna escrava para ama de urna casa de
5l5001 mo soHe'ro ou de pouca familia, boa cozioheira
bJUMInI f,sabe comprar bem : oa rua de S. Bom Jess das
*'cu\n trioulas n-3-
' j Precisa se alugaruma preta qu7seja~"boa
u i engommadeira e cozinhe, sem vicios : na rua das
<;)U001 Cruzes n. 36, primeiro andar : paga-se bem.
?^n 'j ~ Oeredoresde J"s de"Casiro RedondoTqer
loO'i propria firma de.-te, qur das firmas sociaes de
1GOO'<,ue mes"o 'em felo parle, todos sao convidados
a apresenlarera seus respectivos ttulos na rua do
Amorm n. 41, afim de serem attendidos no pri-
A tU* i cao
lias preciosas e objectos
euro.
Mauricio Selbeberg & C, Polacos, par- )
ticipam ao respeitavel publico, que ac- g
bam de receber um grande sortimento w
de joias e briihantes, como sejam : relo- ^
gios, trancelns, aderemos completos, an- ^gj
neis, cadtias, pulceiras etc., etc. e tudo
quanto diz respeito a joalheiria, pelo pre- Pk
(o o mais razoavel possivel, e mesmo -;
troca e compra objectos de ouro, prata e
diamaiiles por objectos novos : na rua j
do Queimado n. 29, entrada pelo largo S
de Pedro II n. 27, de manliaa al as 9 |
doras, e a tarde das 4 horas em diaote. g
Os objectos vendidos pelos annunciantes Jj*
sao garantidos por elles, e estao promptos j<.
'^, para levar objectos as casas das pessoas ^
S que desejarem comprar, urna vez que ^
fW nao possain vir a seu estabelecimento. ?j
Alnga-se a loja do sobrado n. 17 da rua da
Iraperatriz, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar do mesmo.
Samuel Power Johiston k Ctatanka
Ruada >enzalaKo?a n. 4.
AGENCIA DA
Fundido de l.o Hoor.
.Machinas a vapor de i e 6 cavado.
Modulas e meias moendas para eugenlw.
Taixas de ferro coado e balido para ence-
nho, """"'
Arreios d carro para um e dons cavalkM.
Kelogios de oi.ro patente nglez.
Arados americanos.
Mat binas para desoarorar algodao.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Casa de banhos
l.arg do Cara* a. *6.
Este estabelecimento tao tem atontado
ongem achavase de ha muito em qua-i
abandono pelo pouco loieresse de >oa
tracao.
Hoje que o novo proprielario emprpgna Um
meiis para reslabelerer a grande atilidade
eslabelccimeolo, pode assegorar ao fobiiro
qualquer que seja o numero dos ronrrrr
acharo desde j promplido e atrio nos
fros, momos ou medicioaes, a casa dos tantea *
achara abena todos os dias das 6 horas da
as 11 da oi te.
Ptoam
Banho de choqne...... 500
lio Irio ou rooroo..... :<*>
l'iio de farello.......IjOOO
Dito medicinal s^r .e-
pundo sua qnalidade.
Assignaiura.
Por mez banho fri i.u muiop... lO^OOM
25 carloes para banho fro, mor-
no ou de chuviseo........... lOJOOl)
12 earioe* para i. mesnv>___ SSett
12 diios para banho de farello. 1(4000
m
m
m
1
r ii cao.
proceder-se brevemeole.
Prccisa-se de nm caixeiro que tenha pratica
de laberoa e d fiador a sua conducta, para Pao
d Albo, pajra-se bem: a iratar nesla praca com
Joao Luiz & Narciso, oa praca da Saota Cruz o.
o, ou no mesmo lugar cima com o Sr. Jos Car-
valho da Motta Silveira, para quem o mesmo
caixeiro.
Precisa-se de um bom cozinheiro,
rua do Crespo n. 8. loja de 4 portas.
na
Domingos Rodrigues de Andrade, na rua da
Croz n. 33, saca sobre a praca do Rio de Janair,
a praso oa a vMn.
Precisa-se de 800 a juros sobre hypotheca
em beas de raiz : quem lver e quizer dar aunuu-
cle sua morada para ser procurada.
u advogado Godoy Vasconcellos, pode
jet procurado oo escriptorio da rua do
Rosario estreila n. 34, nu em sua resi-
dencia a rua do Sol o. 9.
Precisase de um criado que. enteoda de bo-
leeiro : no pateo do Carmo, em casa de Gabriel
Aotonio, se iiir, ou na Pas.-agem n. 24.
Aluga-se urna escrava para servico interno
e externo de nina casa : na rua do Imperador nu-
mero SO, terceiro andar.
MOLEQU/.
Precisa-se alugar um moleque para carregar
urna taboleu com joias pelas rnas desta cidade a
tratar na rua do Cabug n. 2 B.
Gunneruie Gomes Padilna, pungido do mais
doloroso sentimento convida aos prenles e
amigos do finado Joaquim Duarte Mavigner,
para assistirem a missa do stimo dia que
lem de mandar celebrar na segunda-feira 21
do correle, naigrej* da Sania Cruz as 6 ho-
ras da manhaa, e desde j se agradece cor-
dialmeote a todas as pessoas que se digna-
rem assistirem este acto de caridade das al-
mas bem formadas.
CASA DA FORTdft
Aos 6:000$000.
klT*
IQ
}%M
Precisase de urna ama habilitada para todo
o servico domestico : qnem esliv^r nestas condi-
C5es dirija se a rua do Trapiche o. 13, ou na So-
ledade, rua do Progresso n. 7.
Um rapaz braslero com "pratica To" frooe-
rece se para cobraocas nesta cidade e no malo, e
da fiador a sua conducta : pode ser proenrado na
rua do Queimado n. 4, das 9 horas da manhaa as
2 da tarde.
Tendo-se annu-.nado a casa sita na rua do
Fof-s o. 18 para se vender.desembaragada.o abaixo
assig*ado faz ver que a mestna casa sita na rua to
Fogo l. t8, como ttmbem c-utra sia na rua nova
de saota ita n. 34. fe. acharo embargadas pelo
mesmo aiaiiso assignado.
, ________Joaquim Velra Coelho da Silra.
No paleo dg Tergo n. 44 precisa-fifi de
rava para p^eruijo de ca^a de familia.
IHM
Ao publico.
_Pede-se ao Sr. Jos Antonio de Almeida Guima-
raes que a bem da verdade.e para fim justo, decla-
re ne>te mesmo jornal os signaes de Nicolao, que
diz ser seu escravo. u qual se declara alforriado. e
qup o mesmo Sr. Ai.,.eida Gaimares no seu imblico de 5 do crreme, diz o ter comprado ba
mais de dous anuos ao Sr. vigario Crrela da Mot-
ta Mitchell, morador no termo da Villa do Norte
Esperamos que o mesmo Sr. Alineid* Gtiimares
seja exacto na desenpeo que zer dos signaes do
predicto escravo, com o que nos obrigar.
Precisa-se de nm menoo portugez para cai-
xeiroda lojadequinqullflanas na rua do Rancel
numero 24. 6
Precisa-se de um'aieio-d"e~14"a 18 annos
que teuha boa letra, seja inteligente e esperto para I
serrico de escripturago e de rua: deixe canafdencia n. 12
recbada uesta lypographia com as letras ABC
para r procurado.
Bllhetes garantidos.
A' RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
Oabaixoassignadovendeunos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac boa
de extrahir, a benecio do Iheatro de Santa Isa-
bel, os seguinies premios :
Um meio o. 2182 com a surte de 6:0003.
Dous quarlos u. 274o com a sorle de 1:200*000
Um meio n. 1379 com a sorle de 4003000.
E outras muitas sorles de 1004, 404, 203 t
10*000.
Ospossuidores podem vir receber seus respec-
tivos premios sem os desconlos das leis na Casa
da Fortuna rua de Crespo n. 23.
Achara-se a venda os da 3* parte da e I* da
2 lotera (28) beneficio d mairiz da Victoria,
que se extrahir terca feira 22 do correte.
PRECO.
Bilhetes. .... 73000
Meios......33500
Quarlos.....1*900
Para as pessoas que compraren! de O^OOO
para cima.
Bilhetes.....63300
Meios......3*750
Quartos.....1700
Manoel Martins Fhiza.
Monte-pio portugez
Perguntase a directora provisoria daqueila so-
ciedade de tama utilidade por seus principios, e
familia porlugueza oesta cidade, qual a razao por-
que at hoje anda oo se installou a mesma so-
ciedad^, quando seus estatuios foram approvados
em assembla geral dos sigoalarios, em 17 de julhe
do anno passado; se a mesma directora, como
nos conslon, encontrou dillculdade oa approva^ao
de seus estatuios da respectiva autoridade, era vis-
ta do arl. 29 5 do decreto o. 2,711 de 19 de de-
zembro de 1860, devia coovocar oovamenteos as-
soclados, afim de resolveren] urna duvida tao mes-
quinha : cora a sua rosposta esperamos vollar, o
ainda mais adiando se entre nos o socio instal-
laoor.
_____^__________Alguns portaguezes.
Albino Biptista da Rocha, re-
logoeiro e dourador, portugez,
faz qualquer concert por preco
mais baralo do que outro qualquer,
e responsablisa-se pelo seu traba-
lho, e tambera compra relogio em
segunda nio ; praca da Indepen-
Panno de algodao da Bahia da fabricaTo-
dos os Santostem para veuder Joaquim Jos Gou-
calves Ueltro, oo seu escriptorio, rua do Vigario
n. 17, Io andar.
mmmmmtm mmm m*m
j| Precisa-se alugar urna casa para rapa- m&
J2 zes eslraogeiros que seja oa Capuoga, JJ
JK Passagem, Manguinbo, Estancia ou Ponte M
v-, de Ucha : a traiar na rua do Vigario ^
wukmw&mnmm mmw*.
Precisa-se de um caixeiro para taberna, que
d fiador a sua conducta : na rua dos Assoguinhos
n. 20._______________________________
O Sr. Joao Miguel de Oliveira Beraido queira
dirigir-se a rua Nova o. 60, a tratar de negocias
que Ihe dizem respeito.
mm*m mwm-mmmmmm
JH O bacbarel fl|
M Francisco augusto da Costa tS
91 ADVOCADO }
Rua do Imperador numero 69. M
mmm mmm *******
O Loodon & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianoa.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Fraocisco Garridn, aongo propietario do feote
Trovador, sito na rua do Rosario, de volia de na
v:agem a' Europa, avisa a mm numerosos ltrf^-
zes, tanto de^ta capital romo do reniro da provin-
cia, que se arta novamente esUbekrido na
rua larca do Rosario o. 37 coro um note)
nado Traviata, onde acharas os seos fregones
sempre a melhor vooiade para bem os (offfr. a
par de excellenles vinhos capils e boa nma.
quer no mesmo esiabeleruneot), qur para fora. e
dentro da eidade aos qoe nao quiierem a m^
derera vir a seu eslabelebimento. >eodo pelo arreo
mais mdico que tm oulra qualquer pane. No
mesmo estabelecimento acharao os eos fr^oezen
bilhares para recrearem-f, bem como srvele H-
das as noiies para refrescaren-.
Precisa-se di- urna moiher de nv-ia idaa- pai*
o servico de urna casa d* poo.a familia, para en-
zinbar e lavar: a tratar na rua Imperial, arma-
zem de sai n. 23!.
1
1
A Henead.
Fornece-se comida para casas de familia, lejas
ou offleinas, com todo o asseio e promplido, mui-
to variaba, e por eommodo prego, manda-se levar
em casa ; tambera recebe encommendas de boloe
doces de todas as qualidades : rua da Caixa n. 70,
Boa-Visla, casa parlcular.
Permuia-se urna casa terrea com 3 jaoellas e
1 porta, e o quarlos, por cma mais pequea, dan-
do-se a preferencia por perto da ribeira
tiver dirja-se a rua do Alecnm o. 2.
quem
- Na prafa da Independencia o. 33, loja de oun
res, compra-se ouro, prala, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de e^commenda e
odo e qualquer concert.
mmmmmm mmmmmm
O Dr. Carollno Francisco de Lima San- 1
tos couliua a morar na rua do Impera-
dor o. 17, segundo andar, tendo alias seu
gabinete de consullas medicas, logo ao
entrar, no primeiro.
O mesmo doulor, que se tem dado ao
estudo tanto das operacoes como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para dentro quer para fra
da cidade.
I
Joao da ilva Ramo?, medico pela Un
versidadede Coimera, d consulta* em
sua casa das 9 s 11 hora* da manhaa, e
das 4 s 6 da Urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as doras
para isso designadas, salvo oa cuna nr-
genles, que serio soccorridos eni qual-
quer occasio. D consultas aos pairas
que o procuraren! no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente da C
s 8 horas da manhaa.
Tem sea casa de sade regularmente
mouda par receber qualquer doeoie.
anda mesmo os alienados, para o que
tem coramod' s apropriados e nelia pra-
tica qoalqoer operaco cirurgira.
Para : casa de sade.
Primeira classe 33000durs.
Segunda dita.... 2J500
Terceira dita.... ik*o
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos qne tem pres-
tado.
O proprietario espera qne elle eonii-
nue a merecer a confianca de qne sem-
pre tem gozado.
s
i
Francisco Jos Germano
RUA \OVA X. |,
acaba de receber nm lindo e magnifico sortinataa
de ocolos, luueos, binculos, do oliimo e nta*>
apurado gosto da Europa.
'Thpiis.
Compra-se efectivamente ouro e praia em>
ooras velhas, pagando-se bem : na rua larga do
Rosario o. 24, loja de oarives.
Sil vino Guilherme de Barros compra e ven-
de efiertivamenie escravo* de ambr-s os >r\t<*
rua do Imperador o. 79, terceiro andar.
Ouro e prata
em obras velhas : compra-se na piara da Inde-
pendencia n. 22, loja de bllheles.
s
*
Lompra-se ouro, prata e pedras preriera,
em obras velhas : na rua da Cadea do Recile,
Icja^e ourivesno arco da Conceirao.
Na fabrica de cha rotos sita oa rnVe H<>rta<
I, corapra-se papel diari> a 43 a arrota.
Compram-se moedas brasileiras de 2#
213 : na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
Compram-se libras sterlioas
Indepeacian. 22.
u_____________________i ii
na praca da
TEI01S.
A pesa que annuncloa no Dundo da sema-
na passada querer arrumarse como eaixeiro de
armazem de moldados oo toma lo por fcalanco
dando fiador acontento : deixe tana eii'afe com
as ioiciaes MDDjlia ser procurado.
.\o hotel da tkropa rua do Trapiche
Damero 12.
Precisa-se de um criado que seja bem quaiifica-
do para o servico do caf, iiel e asseiado : quem
estiver em taes Ck-cuiosiaaeias diri:a-se ao mesmo
hotel.
Precisa-se de urna ama qne eotenda de hor-
taliza : oa estrada de Joao de Barros, lercero si-
tio passando a estrada do Olho do Boi. No mesmo
compra se um carro para conduccao em bom esta-
do, e um bol.
Urna pessoa habilitad/, se ofTerece para en-
sioar prmeiras lelras em algum engeoho: quem
precisar dirija-se a rua de Santa Rita n. 15.
Fo^o do ar
no armazem da bolla amarella no oiUfo da
secretaria da polica, recebem-se encom-
mendas de fogo do ar para dentro e fora da ica franceza7 roa
Precia. I Co 3
0 castello de Grasville.
raduzido da franeet per \. J. r.. a Cm.
Vende-se este bello romance em quatr
tomos pelo baratissimo preco de 3400C
oa pra^a da Independencia. Iivrana u$.
6 e8.
Vende-se duas carrosas, urna para boi e em-
tra para cavallo, sendo esta com lastro i m
riopria para carregar barricas de farioha de trif.
epoha, etc., ambas com uso, por preco mailo com
modo : a tratar oa palco de S. Pedro n.
INlECCAO BRW~
Remedio infallivel contra as gnorrbbo
amigase recentes, nico deposito rapr
da Cruz n. 22 few


Diarlo de per Bambuco t- Segando elra ti de Agosto de IsSft.

\
Acha-se
venda na livraria acaemica, na rna do Impera-
dor-, na do Sr. Nogueirs, junio ao arco de Santo
Antonio ; e na lypographia imparcial, na roa es-
trella do Rosario a compilado de toda a legislacao
tendente administragao, arreeadacao e fiscali-
sacio dos dinhoiros de orphaos defuntos e ausen-
tes, berancas jaceutes, legados, etc., contendo nao
s o regiment de cusas e a le geral das execu-
(des, como lambem todas as ordens e avisos do
governo, que a ludo tero explicado, tamo a respel-
lo das obrigagoes inherentes ao cargo dos difieren-
tes empreados de juslica e fazenda, como dos di-
reitos naciooaes e emolumentos que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom p-.iei, e prestndose a ulilidade
de dlfferentes classes, tornase reccmmendavel.
Seu cnsto 10*000 por cada exemplar em dous
tomos.
D'JODilRETO DUPLO
de: FERRO e quinina
Os elementos que compoem esta preparado,
ferro* o ioe a quina, a colloco no primeira
grao das prqiaracoes ferruginosas. Basta altestar
swrs resultados obiidoi pelos Mdicos dos hospi-
aes, e os relatnos dos prcticos mais eminente,
que confirmro sua poderosa cfticacidade nai
segointcs affeccoes:
Mtacaa na
MHBta.
'.hI. to<- au Ictericia.
Memttraa.
AfSw^ira u uCrr
>B|>rroc daa r-
liraa r aeaordr* M
nraaCriiMca.
Hffercaa pulula na*- c
phthialr.
Malr-alla* rt>lnr
Vlaatralglaa.
r-eraa a'aaatltc, cc.
Vejo se os Mktim de therapeulica r.xedias
e cirurgka de 30 de novenzdre 1 &60; a Gaxeta
dos hospitaes fe 2s de fulleo 1860, etc.. etc.
Alem das pulas deiedxrelo duplo de ferro e de
quinina de tielrillon, os Mdicos aconselhao
igualmente o Xarope d'iodure duplo de
ierro e de quinina-do mesmo autfcor para ai
pessoas que nao \gosiao ie medicamentos sob for-
ma pilular e os menrr.os. Este xarope nio lem
como o xarope d'iodure de ferro, o inconveniente
de alterar-se e de seno poder conservar.
Peca-se o folhctoque se d degraca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para-ae evitarem falsiicacSes-, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas u Xarope a as-
signancra do invenWr.
DepSsito .geral em Pars, phanr.aciaRebilloa,
442, -ru du Bac,e em todas as boas pharmaciai
de Franca a dosipuizes estrangeiros, etc.
Cu % alruccaca ae laa-
aa molrallaa.
Mateatlaa cacraCala-
aaa.
Pape Ira,
Obalruccaa Ha (lav-
an laa.
llmnaivi frisa-
Knniarca braneaa.
RacnHIaaia.
Affcccca caaccraaaa
yahllltlcaa.
lYliri< Ij |> balitea.
Varales, etc., ete.
Ui- granule au Ulmulk -de Chevrier bem
superiores a todas as_ outras preparaedes de
bmttth empreadas antes oom o maior suocesso
pelos mdicos de todos os.paizes, para preveclr e
curar as
Dlurrheaa etrraaleaa. i algealdea.
-DyaaenCertaa. 'Gaatrllea.
Dore .1 V.ioiinto Uallralglaa, ela.
Ujapepalaa.
Os primeirts sympton>s d'essas formklcveii
affeccoes se ir.anifeslao ordinariamente por diges-
loes laboriosas, aiidumes, alta d'appelite, fesos
d'estomago depois de cade comida, caimbres es-
tomacaes, e, muitas vezes., por espasmos nervosos
com vmitos.
Este estado mrbido,-se o descuido, trazine-
vtavelmente, que seja:
Moleallaa ae l|(a A Ictericia.
Falaltacaa Ae caraca*
Berra riaa.
-Opari-aauca.
'Orea de rabera.
'Irrlcaeoea ae acalga a
da matrla, etc.
Os granules Chevrier s3o ordenados.pelas
sommidades aiedicaes para prevenir essas diver-
sas molestias e cu ral as quando sSo tomados a
lempo.
0 preco de cada frasco- de i francos.
Depsito gero I em Pars, pharmaciaCwiatM,
e em todas as pharmacias de Franca e dos.
estrangeiros.
FIGADOdeBACALHAU
<%
r
P te processo de Oherrier, pharmaceulico em
I'aris. ra do Fauiourg Montmarte 21.
Este oleo de um clieiro agradavel, e de
um sabor assucarado e o nico que Jie tena
nem.o gosto, ncm o chej.ro do peixe. Ob-
jecto le numerosos relatnos scientifiGOS e
mdicos, este mdicamente que goza em
Franca.tie um successoilo raro como bem
merecido, recabado diariamente pelos
prtncipaes medicad dos .hoepitaes de Pars.
O OLEO DK FIGADO fi -BACAUIO DESINFBOTA-
ido ki;i!iii.i\(ish (.'mi''ivr,'.-KSfj com osmaioRes
tfticcessoscias molestia* em ^ue se empr.aga
o oleo quaudo s'io affi-npanladas de debili-
dude e atona.
Vennera-63 no Recieem csa de Caors 4
SarfozaeJeo da C. BcmoC
GAZ GAZ GAZ
Vetide.-se gal da methor qaalidade a
ii4 a lata : nes armazensda roa do Im-
perador nM6 rna do Trapiche Novon. 8.
VeHdem-se oe engenho Meptialiip; de baixo
doa* anlaaes de da, sendo tuna be-.a e urn
quarto castrado.
Veoee-se urna ptima escrava noca de boa
figura : a atar na xa da Cadeia a. W, oja de
relojoeifo.
Vende-*e uroa escraca crioula d 14 aanos
de idade, mais os menos, de booita finura, engom-
ina e cose : para ver e tratar no paleo do Tej-^o
n. 2, sobrado.
Vende-se wa machinan cosfora por menos
de seu custo, com pouco uso : fia ra Nava a. 0,
segundo andar. ____________^_^__
Vende-se urna ei-agua : a
boaco n. i : a tratar na|prac.a da
ra do Cala-
Boa-Vista n. 9.
Vende se um sitio eut Bemtica margem do
Rio Gapibaribe, boa cafa, om arvoredos : qnem
preteBer dirjalo a ra do emperador n. 61, se-
gundo aadar, que achara com quem tratar.
Cal de iMi>oa
a granel a I5>00 por urna barriea: na ra do Vi-
gario n. S, primeiro andar. _____________
Vendem-se duas v.'.nezianas em muilo bnm
eslao, propriat para varando; n.i rna|.Vova n. 47
Vndese iuo boi e um carro de volla inteira:
0a roa do Padre Floriano n. 61.
Urna prenda
Vndese urna linda mulalinha de II annos de
idade bem morigerada e leudo a principios de ha-
bilidades : a tratar na ra do Crespo n. 23.
^"Vede-se earvao de pedra para ferreiro a
llf a tonelada e 300 rs. a arroba ; oa raa do
Bruto P- 76.
SALSA PARRILHA DE AYER.
Transcrevemos aqui alguns
dos muitos altestados que temos
recebido das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
11 he ii mutismo.
DE J00 JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
Soffri rheumatismo por mul-
tas vezes, e vendo annunciado
^Jd em um jornal d'esta cidade a
-riV" Salsa parrilha de Dr. Ayer, re.
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella; e ames de concluir o primeiro fras-
co, achei-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos ; a parte do corpo que es-
lava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Eriipcdes, horhulhas piislulas,
ulceras, e (odas as molestias
da pelle.
DO SU. JOAO l>AULA DE AURE E SOUZA.
Ra de S. Pedro. Rio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de urna
erupeo sypliiliiica em todo o corpo, moss
trando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
muitos mdicos, e eslava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer : comecei a fazer uso d'ella e
nos primiros dias a erupeo aggravou-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, propul-
sor DE MEDICINA Y Cllll IIJIA. SUBDELEGADO
EM AMIIAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
tricto.Habana.
o Certifico que lie usado la zarzaparril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
!es casos de ulcera crnica, asi mismo au-
jor y las considero como um porgante, cuya
accin ademas de ser >eguta, basido muy
eficaz en el tratamento de las enfermidades
que exsigeu el uso de los porgantes, y on
vacilo en recomendar estas preparaciones.
Y para los fines que puedan convenir doy
la presente en Regla a 7 de selembro de
1860.
Dr. os V. Herreia.
Escropkula.
ATTESTADO DO 1LLM. SR, FRANCISCO FERRAZ
dos santos. Ouro Pelo,
Me acho ha quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gnotas vezes quasi que diego a desrnimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
lenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
ta cidade, e nenlium pode vencer i tenaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da '.Salsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa;ri-se Iwje
trinta e sete dias que comecei com csie
santo remedio, e tantas memoras tenho
sentido que tenho conviccao de em breve
recobrar a minha saude, perdiJa ha tanto
lempo.
MypkHis e uiolestiss merniHaes.
Do Illm. Sr. >r. Jackso*.
Medico muilo conhecide as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Atyer nos casos mais inveterados de
SyphiUs constitucional e sempre com os
mais Mizes resultados:; o metho alteran-
te que conbeco.
Lieueorrha e lores brancas.
Temos cartas em que nos contam casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permilte -fa-auscrever
todos os attestados'que possuimos Ja^ vir-
tudes d'este extracto composto Qe Salsa
parrilUa do Dr. Ayer. Hasta detiarar ao
publico que tem -sido ernpregado ha mais
de vinte annos pela .proisso med & tanl
das Americas como a Europa, seui nunca
desmentir a sua alta reputaco.
AGIU MM.
(olleiras de marroqaim, com cascareis
e seiu elles.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
pospontadas e com cascaves, ou >em elles
proprias pata ces e outres bichinhos.
i Peunas inglezas de ac e douradas.
No novo sortimenio de 'pennas de ac que
!a Atraa Brunca acaba de receber, vieram
lambem outras Je melal dourado e bicos
mu bem acabados, e por essas boas e ne-
cessarias qualidades os scus acreditados fa-
biicantcs Perrj & C, as recommendain aos
entendedores apreciadores do bom, valen-
Loja do gallo vigilante ra -'O Crespo Jo mes,ll a differenca que ha no proco de
numero 7 umas Para oulras' l)or 1ue cstss se tornam
Neste estabelecimenio encontrar o re>peitavel,mais ,lur?veis na COOIW110O de escrever ;
publico um grande sortimenl de galanterias e assun poisquem deltas se quizer ulilisar e
objectos de muilo gosto que tem ebegado nesles com,ira-las a dinheit'O 3 vista : na ru? do
ltimos navios e vapores de sua propria conta, que Queimado loia da Aguia Branca n. 8.
por isso memo vender pelo menos preco que D .' mmmm n.. ..
he for possive, como gejm: rraigas com borlas e sem ellas para
Lencos. cortinados.
Os lindos lengos imperiaes para senhora cousa Aguia Branca recebeu um bello sorti-
inteiramente now. ment de franjas com borlas e sem ellas
Albuns multo finos com capa de madreperola e para cortinados, todas de novos e bonitos
de tartaruga com guarnigo de prata para SO e desenhos, cuja commodidade do preco esti
100 retratos, asslm como deoutros mais inferiores em relacao a largura : acham-s de 20 a 50 retratos. a na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
Muslcas. ca n. 8.
Liixinhas ricamente enfeitadas tocando duas i^^! j* ,:-: ,.:... Anlr-oloni
pefas de msica propria para mimo, assim como OgO (13 paciencia Ou CUriOSO Cllll ( U 111
jCaixinhas pequeas com msica tanto d veio co-J ment,
mo de dar '^^^.^ Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
Riquissimos vestuarios de seda para criangas as-
ea n. 8, acham-se a venda por precos ra-
sim como touquinhas, sapatinhos e melasinhas de! zoateis, caixinbas com tabolas de madeira,
seda. que das diversas pinturas deltas se formato
Cabellas. agradaveis vistas e paisagens, segundo os
Riquissimas capellas brancas de flores para noi- deSenhos que acompanham. Na verdade
va., assim mo meiasde :J branes. ^ uffl \^S3 en retenimentO COm O
Riquissimos pona boquetc"m cabo de madre- qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
perola para flores. telligencta. Os apreciadores dinjam-se a
L.eqnes. ra do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
Riqulssimos lequesde madreperola e de sanda- ca n. 8, que SCfao satisfeilOS.
Bonitos enfeites |ara senlioras,
A Aguia Branca acaba de receber nm no-
vo e lindo sortimenio de enteites os mais
modernos e gostosinleiramente agradaveis.
Kovidades da loja e aruiazem de "a-
wedas e minias feilas nacionaes raa.
ii lmiiPP!ili'7 a 79 do C-l-aa*.,, "o ** pactos lixados (r.i denles a |i
fld imperatlIZ n. l, (le UUimaraeS|Espclliosder!oldurasdouradas!tOO.a0
RIVAL
SEM SE6.UXUO
Ruado Uncinado a*. 49 c >*.
Contina a vender lodas as nnudcza> fH -tUixo
pregos
declara por
admira vi-i
l.lvrliihos.
Riquissimos livrinhos com capa
guarnecidos de prala para missa.
Aderecos retos.
de tartaruga
Riquissimos aderecos pretos sendo pu'seira, ro-
zeas, alfinete e volla, assim como de cores fingin-
do perolas.
Brincos.
Riquissimos brincos e rozeias de lodas as qnali-
dades e gostos modernos.
I Molieras.
Riquissimas bouecas de porcelana e de massa e *:- Rr.npa n o
I de ctra, assim como os que fallam chamando por A6U,,, Drelltd ;
| papai e mami. I Nata IllSCa.
Pentes. Na loia da Aguia Branca acha-se a venda
Riquissimos pentes de tartaruga para sentara, 0 pape com composicao para dar fim as
idadncCm P*1* m,:I1na 6 ^ mUtaS U,m qUa" moscas' sendo modo de usar facillimo e fc
l.ufekes uar cima de naesa. effeilo efficaz: molha-se o papel e deixa se
Riquissimos enfeites para cima de mesa e para \aM n um prato, e nelle pousando as mos-
toiliei. cas, entristecem e morrera. Custa cada fo-
k?Telas e siQfos. i Iba 40 rts: na roa do Queimado, loja da
Riquissimas telas de madreperola e de metal' Aeuia Branca n 8
assim como bonitos sintos.
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Netas de laa para senlioras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
k liman.
Aproveilem as pechinchas
que se esto lquida.1<> por tod> prego, vejam :
chitas largas a 260,280 e 300 rs., ditas percalias
a 360, 400 e 440, eaiubraa crgandys muito fioa a
300 rs. o covado, e muito superior a 320, 360 e
400 rs.: isto s ua nova loja de Guimaraes & Ir-
m.lo.
Estio se acabando.
Laazinhas escocezas a 240,260 e 280 o covado.
E' muito barato.
Cortes de laa muito superior com lo covados
pelo barato prego de o> c 'o00, isto s para aca-
bar, brelanba do rolo a .'i e 320O a pega, mada-
polao francez enf.-.-tado a 35, 300, 35300 e ',-3,
ililo sem ser enfestado com 27 jardas a 43-iOO, b$
c 6a00, dilo minio superior marcas muilo acie-
dita'as a 7j,7oOO, 8f, 9,5 e 105, algodao de lo-
das as marcas as>im como seja marra T e carne
de vacca, sicupira c pao [rrro ludo islo por pie-
gos baralissimoss para liquidar e apurar dinhei-
ro : isto s na nova loja e irmatem de Guimaraes
& Irmao, ra da Imperad iz n. 72.
Grande sortiinento de habadinhos
e entremeios pelo barato prego de 800 a 15 a
pega.
Lencos de cores e braceos
muito proprios para bomens e meninos a 15C0),
2?, 25500 e 35 a duzia, ditos de isnho a 45*00,
55, SfSOO e 65-
Grande soriimcnlo
decolxas de fostao de tolas as cores a 55300 e
65- ditas de chita a I900 e 25, ditas de lia a
15600.
E' muito barato.
Grande frumento de soutembarques muito bem
enfeitados a 5'5 e 55500, ditos d^ grosdenaple a
185 e 205, liazinhas de urna s cor a 480 o cova-
do, ditas muilo propria para camisas sendo de Hn-
dissirnos padioesa 15 e 1*100 o covado : s na
nova loja de Guimaraes & Irmao, ra da Impera-
triz n. 72.
Grande sortmento
de roupas feilas que se vendem limito barato ifBan-
gando-se que se vende por menos 20 por cento que
em outra qualquer parle, quem duvidar venia ver
Na nova loja de fazemlas de 6iimar.es
& Irmao.
Rna da Imperaariz n. 2.
Flores.
Riqusimo sortimenlo de llores ti mais fino que
se pode desejar.
Bogo para familia.
Riqcrssimo jogo de vispora e-m caixinhas it ma-
deira envernisada e pedras finas proprias (jara en-
tretenimento de ff. mi lia.
Para vlagem.
Rqutesimos estojos com todos os perleooes finos
para homem.
Fitas,
fiiquissimo sortimenlo de tilas de toas as qua-
liades e linios goslos.
Fraoja.
Itiquissima franja de s^eda de m*o tindos fM-
res tanto-de cores como pretos,.sm como -Se
borlla e soai ella propria para cor-tinado.
Trancas.
Riquissimas trancas de seda preta e de cores as-
im como de algodao e de laa.
Pertamarias,
Grande sortimenlo de perfumaras de todas as
qualidades e dos mellwres autores al o presente
onhecide e muilos octros objecfcts que-setoroaria
eobdooba mencionar, isto so ao vigilante ra
do Crespo n. 7.
Grande liquidado a dinheiro*
Na loja e amasen do pavao.
Raa da Impcratriz n. OO de Ca-
ma & lva.
Os donos deste eelabelecimento tem resolvido li-
quidar suas fazendas por pregos baraiissimos,.s
com o fim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
soas que negociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontrarlo um
grande sorlimesto por prego* que muilo Ihes hiio
de agradar, lano em pega como a retalho, a
saber :
Pelerinas a 1(5600,
Vendem-se as mais ricas pelerinas ou romeiras
de cambraia bordadas proprias tara hombros de
senhora pelo baratissimo preco de 15600 : na ra
da Imperan iz n. 60, loja de Gama & Silva.
w a 240 rs. o covado.
Na loja do pavo.
Organdv
Vendem-se as mais bonitas cassas organdys, pa-
di-s miudos e grandes, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado (doze vileos), esta per hincha
acaba-se logo : na loja do pavo a rna da Impera-
Rival em segundo
Ra d! Queimado 18. 49 e 55, toja de
Diversos briuquedos e entretenimento
para criancas,
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian- u'o. o, de Gama & Siva.
Cas, sendo estradas de (erro, barcas e patos Bretanha de rolo a 3ooo.
lectricos, apparelhos de metal, louca pinta- Madapoln enfestado a 3>sl)00.
4a e porcelana dourada para almocu e jan- ^ja |0ja 0 paV5o.
lar e muitos oulros brinquedos de madeira, Vendem-se ptgas de breanha de rolo com 10
que se vendem baratamente : na ra do varas a 35, ditas de madapoio enfestado a 35200,
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. 3** e 45 : na lo,a do pavao, ra da imperatriz
u a l. __ o. 60, de Gama & Silva.
Helas prelas de seda para seuhorasa. tttes granadinos a 12.$.
OUU retS 0 par. Veadem-se os mais ricos cortes de fazenda de
A Aguia Branca quor acabar COm a por-' muila phantasia por ser transparentes e tecidos
cao de ias prelas -de seda para senhoras, t-o,B seda> tendo cada corte 22 covados pelo din:;-
p nnpr dn mniln ninr nmJn niHt1hAni. lMn Pre? t,e 12,s : ""'camente na loja e arma
e apesar ao muito aior prego que tne cus- m do 5 rua da lmperalriz n. co de Gama t^
taram o o bom estado em que anda estao, kgiiva.
copiado est resoivida a vendas a 8- 01 Bornouts de renda na loja do pavao.
riso >par, am de que ninguem mais calce : Chegaram os mais ricos bornouts de renda e se
meiaspretas de algodao, agera pois apro-; vendem por baraiissimos pregos: na loja e arma-
veitarom a quadra e dirigirem- o rua do zem do Pav5o> rua da imperai li n. 60, de Gama
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam i Sllva,'. l ,
i bem vender as bracas a I* o par, c des- .h R,c<* *' pretos de renda.
1 tas -o nico deleito estarcm um pouco tri- LhP0U ^ ul"mft ViPr ,rancc7- um raDde B
JOn.
Bonets de oliadi |iara meninos a 15000.
Ditos de couro superior f.zrnda a !5-'.<>.
Frascos com sup( i iur lima rocha a S4u rs.
Meiadas de I una froxa para li-.rdado a 21* rs.
Ilabado do Pullo, le ruda loa, rara a 98, MX* e
140 i s.
Caixas rom 100 ecve'opfsf/i'nda Im i I V r
Gretas de penas! deaew, lazenrta napnn r a "Hirs.
GroiM du boloes maureperola linos
e 640 rs.
Caitai com ol novellos de linba do gaz a "00 r-,
Caixas com lupererci e*rM dr n U .*) >.
Pegas de fila branca rlMtra cmm '.tam i iWrs.
Varas da franja de lia para cnlciks de teatatai a
40 rs.
flaralhr.s dour.idos superioresqn^lnia' Mata,
Novellos de Imita com 400 jardas a W r^.
Lktos para assentos de roupa lavada a !
Pares de botes para pucho, fazenda lira i lO s>.
T'SMirss nara rostorMsoferk>m a}tti
^ Um < 15.
Caix;:* de |K>nnaj de ratlitraaMa, azrr.
I5O00.
; Mas>r- cun sonerlon i araaaaaa a 30 rs.
; Pares co sapaiu de iranga e tpele a \ ,
I Pares de rpalos tiv Iranga para dknir .. 5
I52S0.
Caixas rom su;>eriores aguibasa Hf r-.
Libia.- te l:"a sortidasde bouita< rom
Caixas rom inferiores clireias de mte*
i Rodinhas rom alliuelt-s franrez^> muilo i triares
i a -20 i".
Resmas de \>:-\e\ almago ;. 25400 > i> .> -
Escoras para roana, fazeoda I aa71 i \i.
: Duzias de tisruras toa. loajoe dt f ::-*
i 6( rr.
liuiio- de facas e galios de rabo pelo a vW.C.
Tali i'S n.uii ir.o para criangas a 240 *.
Lia Una para bordar.
Na loj; di* miiidj/as na do O: ii,i >
n. I,vende-fe laa lina, de tawtafnav
veis cores, to propria para bordadla romo
para touquinhas, .-i|itu. o.-, et--. : mu-un
preteodei u dirigir-M a dita oja na
Queimado n. 10.
Franjan larga {ira eortiatadoa
Na I'ija de andelas i raa 4o Qu ..na'
n. 10, enconlraio os preiendiitc.* m >.
riado sortmento de bou-las fr.-:i.,;i- iga
para cort nados, cobertai, loaUai, li-
jos precos nao dtagradario a!' '' '
que altea er a larunrs e qna Uado i
Pcnu.is (ionradasi.
. A loja de miudezas rua n. 11*, ticeliLU f>sas novjojMa i
melat di urado, c ija excelleaic ()>..>
perfico dos bicos as tonun niai
ras do exerekio da escripia, ptk>
seus acreditadas faLricantes \\r, .. a
rec inrucndatn ira apretadan kn
Tambem se eoc< a?o de dilferentes .ualidades dos r.o -ion
fabtiianits. lodo na roa do Ounian. >-
ja do miudeaS n. 10.
;uI A lj.i i'.e BBudeas uia'd*' Qu il
iti, receben novos c i.onit"s aBfeite ibn
moderna e de pusto, e o? e: i i i
pregos coaioaodos, varakw este: a
das dilkrenlcs qualidada, IHBbji .
veis aos apreciadores do boaa.
Helas brancas cruas e dr t*rs%
para criancas de all ineie
Na na doQoemtdo, Ifjadc n'iu"
16, vendem-: e por presos ia/..i> \ la
das qoaiidadec, uieias braLc-. tiu.- i
cores para criancaa ; a>sini o mo uras
para senlioras, e cruas para taattS
i'apel pardo folba grande.
Esse papel pardo que por sua Uta anal
dadee grande lamanboda foll;, ser n
para embrnlhar corles de taadas, ostial
moldes de vestidos, ele. : acimea itadi
na ruado Queiuia lo lo.ade miudwa- n. \ki.
Jarato para acabar.
Caixinhas com 4 papis de guiha? '; uce-
sas, limpas a i '.( niscada asjta
Paos de pomada franceza, a 80 ri um.
Dozias de sanooeies de chairo a t.-> a I ;0
mK4lezas de tres portas, est ue-H4liHlN4 EPA I lili 1
Para a cura radical de escrfulas e iffeccoes
-esGSOfulos, syphilis e molestias sy.pbi-
liticas, ulceras, feridas, chagas,
erup?es cutneas e todo e
qualquer incomn.odo que
.provm d'um estado
jmpuro de sangue,
TOaOBM A
WAI.M.4. PARRILHA ttE .llliL
A' venti na rua Direita, ns. l 26 e 76;
rua da -Quitanda n. 5.1 ; praca -da Constt-
tuigo, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na-
principaes .pharmacias e drogaras do im-
perio.
Vende-se em Pernamboco:
na
PHARIKACIE FRANQAISE
DEP.MAURER&C'f
jI22J^2jj^^j w
Atten^o o barateiro de ob-
jectos eh grande Kwliraento.
Vendem-se dous grandes lustres de vidro finos I
cob 2i luzes, do melbor -xosto por puajo razoa-1
vei ; assim como astparelhw para cha e para jan-
lar, trancos e de e&r*s dtfferentes ; ditos de por-
celana dourados e pintados e braocos ; apparelhos
para jaular de porcelana branca; tamnem se ven-
dem esn pegas separada*, como os freguere* terem, ^.ompoieiras lapidarias para doce, ealies
para vieit. dilos para champagne, copos para agua
e para vinbo linos e ordinarios, e caixao e a re-
talho; linternas de lelas as ipialidi.les de vidro-
ditas de caaauinho ingiera muilo lioas ; candela-
bros Je vidro c de bronze: serpentinas, vasos de
porcelana e de vidro para floree; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
lhos de mesa, tan jantar; gigos com apparelhos
para cha; e oulros muitos sortimentos de todas as
ijiuliriades e prreo commodos vontade dos com- >
pradores, que se vendem na rua da Cadeia do Re-
eil'e jUDtd m areo da Conceigio n. 6i, e na rua '
ora no grande armazem de louca e vidro* junio
i igreja da Conceico dos Militares n. 49
Vende-se um sitio em Belem com casa para !
familia, com multas arvoree de fructo: quera pre-1
tender dirjase a Santo Amaro, rna da Fundicao, |
defroule do sitio do Sr. Sardaona, oa segunda casa
terrea, que achara com quem tratar.
Vende-se ou aluga-se, ou troca-se por urna
casa na praga um sitio na Capunga velha : a tra-
tar na mesina Capunga, rua das Crioula, passando
a taberna, na secunda casa, com a viuva do Sr.
Joao Evangelista da Costa e Silva,
Vinhos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto eD.Luiz ; tambem
tem arelas de dcimo encapadas com enperior
vinho, barris de 5* e 10a em pipa : oa rua do Vi-
gario d. 19, primeiro andar.
maulo todo Um e barata, que qui-
xim- ver e aAmirar ven lia ni loja do
Bigodinlio.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso pautado
a 600 rs.
Grozas de boioes de louga pratead>s faeenda mo-
derna a 160 rs.
; Duzias>de penna deago fazenda boa a 40 rs.
Pegas de iranga de laa lisas e de lodas cores a
40 rs.
hEscovas flnissimas para limpar demes a 2'0 e
I 3x re.
Puiceiras de contas para eenhoras a o08 r.
.Pegas de fila de eos estreitas cora iQ varas a
.120 rs.
Caixas xoai clcheles franoeaes, superiores quali-
dades a SO rs.
Tinteiros de barro, com sarjBrier tinta a *80 rs.
Pegas de .eordo para vestidos, fazenda boa a
0rs.
iBsralhos muito linos para vollarele -a 200 e
240 rs.
Frascos com .agua de Florida a 14 14i6L
! Frascos cora -superiores banhas a 500 rs. e 2L
I Frascos com banha, porm .pequeos a 200 e
i 260 r-s.
1 Latas com superior banha a 206 re.
i Frascos de macar perula muilo fino a 200 rs.
Frasoo6 e garrfinhas com a^sa de Colonia a
foa.
Frascos grandes com superior agua de Colonia a
040 b.
Frascos om superior oleo de fcafcoza a 408 e
oOOrs.
Caixas oaea 12 fraseos de cheiros oiuio fiaos a
14100.
Sabonetes eque nos de bolla a iO rs. e grandes a
320 rs.
Dnzia de sal*aoeies peqcenos com cheiro a 700 rs.
Agua deutifiee superior Caixas com superior p As arroz a 800 rs.
Frascos de superiores esseucias santal e oulros a
1*200.
Frascos com esseoeiae para irar noduas de roupa
aOOrs.
Frascos com cheiros de todos es precos a 160.200.
240 e 320.
Frascos bonitos com cheiros fina* a 500 rs.
Duzia de meias muito tina para senhora a
l|*M
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas com soldados de chombo para meninos a
160 rs.
Duzus de collieres de metal para cha a 800 rs.
Ditas dita dito para sopa, fazeoda boa a 1,8600.
Pegas de fila do laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de louea para meninos a 160 rs.
Caixas de lampa rias para 3 metes a 50 rs.
Bunecos de choro e panno a loo rs.
Caixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fa;cnda a 500 rs.
Grosas de boioes pequeos pretos para calca a
100 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120.
varas du cordao de espanlho a 20 rs.
Novellos franeezes com 20'' jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a l-j'eo, (800, 2 e 24500.
Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
3*300.
Hesmas de papel de peso panudo a 2*800 e 4,8500
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Concordia : a tratar na raa do Alecrira n. JO, das
3 horas as 5 no dias olis.
par
trafealhar m<
destarogar algodao
FABRICABAS
Ltar Plant Brothers & C,
OLtttl
Esus machina*
A&taa como nachinas pare serem mowdas por
animaes, que deecarocam # arrobas de algodao
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
euins dessas achinas.
Os m*!amovS,ttni para vender um bellisswio va-
por que pode acer mover eis destas maeiiinaj
mencionabas; para o flue .oonyida-se aos Srs.
agricultores a virosa ver etifiiua-lo, no anua-
zem dalarodao, nlargura posee nova o.47.
' Saaaders Br M. II, praea do Corso Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste pajx.
I vanado sortiinento dos mais ricos chales pretos de
' renda, tanta de linho como de seda, tendo entre
elles muitos de pe-ula redonda a inilagao de man-
teletes c, muitos com o centro de cor, e vende-se
j por pregos muito em conta por tercio sido manda-
dos vir deonta propria pelos donos da loja do pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
erinuas traasaareules a 320 rs.
Vendem-se muito bonitas laazinhas transparen-
tes rom :>,.!minrias de seda a 320 rs., ditas lisas e
de varias cores a 220 rs : na loja do pavao, rua
da Imperatriz n. CO, de Gama & Silva.
tirles Vendem-se bonitos ortes de las matizadas, ten-
poderadescarocar ^0 covados cada cene, a 5*, ditos a Mara Pia
qualq*er espeoi a -6* e 8*; oa loja do pavao, rua da Imperatriz n.
'de algodao sem !'60 defama* Silva,
estragar O fio, ItHI>a iclTt.
sendo bastanu; Roupa felfa.
duas.pcs.soas para | Roupaa fclla.
POM | jm.loja-do pavao vende se um grande sortimen-
l k) de Toupas feita* para nomem, sendo caigas, pa-
" leots -e eolletes, tanto de panno como decasemiras
prelas ederes; deixa-se de mencionar os pre-
sos para evo se tornar enfadonho o armuncio,
affiangawdo-se que o respeiiavel publico achara um
grande sorUmeoio por barassinn* pregos : na
4oja e armazeui do pavao, rua da Imperatriz h. 60,
ale Gama A-Silva.
Cortes s> case miras a 2o00 e 3 5000,
Vendem-se orles de casemira de tima s cor a
S'aOO, ditas de quadrinhos a 3* : na loja do pa-
, raa da Imperatriz n. 60, de Gama & gilva.
\ umo da Babia para
diarux)s.
VrXe-se fumo jperior de todas asqua
lidades, a retamo e por atacado e por
S. prego Aooimodo : no Recfe rua
m Cacinha n. 1.
o irabaiho
descarogjir
arroba de
dio eai earocc
em 40 minlos,
on t arrobas
por dia-cu 5 ar-
robas de algodc
limpo.
a (lu/ia
Cartes ile Ihtbas inancas e de tara, i
rus cada na.
A LEGITIMA
SALSAMRRIlflJ
i
DE BRISTOL.
PEEPiAtA snciKRE re
UNMi\ k
W*
da
g
avariado.
Francez barrica 5*000
Portland idera 8*500
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland dem 12*000
No armazem de Tasso Irmaos caes do?Apollo.
L lijas: vidros
CHRYSTAES.
A loja de louga da rua do Crespo n. 16 tem para
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como lougas de todas as qualidades,
de bonitas pinturas e gosto moderno, ricos appare-
lhos de porcelanas brancas douradas e de cores,
vidros de lodas as qualidades, inclusive finissimo
chrysial, dilicados jarros de chrvsial e porcelana
para flores, figuras e ontros muilos objectos de ti-
nissima porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, f te., guarnigfles de finissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e toaleies, ludo do melhnr goslo, pinhas de louga e
vasos para jardim, candieiros de lamparillas para
gaz, globos e chamineis de vidro, bocraes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qualidade, e mullos oulros artigos que
seria enfadonho mencionar, ludo por pregos mui-
Issimos razoavelt.
No sitio do Toque vendem-s boas cabras
paridas ba ponco, e por baixos pregos, por evitar
inconvenientes que por nenhum ootro meio podem
ser removidos,
Tasso Irmaos
Ven de iu no eeu arnuizeni roa do
AmoiB o. 3o,
IJcor fino Curelo o botijas e meias botijas.
Licores tinos sonidos em garrafas cote rolbas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhoseneres.
Sanlernes.
Chambertiu.
Hermitage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeilePlagniol.
wemmumwmmmm
Bichas de Hamburgo
Wk lodos os paquetes da Europa se recebe
H| destas amigas do sangue humano c se
m vendem alroco de pouco lucro s aSm
m de ler sempre cousa nova : a loja de har- jft
v^ beiro rua estreita do Rosario n. 3, au p ,
TK da igreja. ^
wfJRM* fKflW lfP?)alJK
Vendem-se barris de 5 com me! de furo
bom : para ver c tratar na roa do Vigario n. 29.
Eserarros.
Vendem-se tres escravos crloulos; ns cscrlpt. rio
de Antonio de Alrneida Gomes roa da Cruz n. 23,
!? andar.
NOVA YORK.
Composia de substancias. aaaaaJ i
propriedades tmincntemcDit ateparaaitoj
approvada pelos jumas e acadi n.ia ata a^.
dkina; usada nos principaes uospilara, o-
vts militares e da marinha as Anfiihs
no continente americano; receitada pela
facultativos os mais distinetos do imperio da
Brasil e da America hespanlioi
CURA RADICALHBJTI
escrophulas, rheumatismo, escorbuto, en-
fermidades venreas e mercuriaes. cbagas
antigs, morphea e lodas as molestias o/.,.
venientes d'um estado vicioso do sangos.
Emquanto existem varias imiiacf.es
falsificacos, preciso a maior cautela par
evitar os engar.os,
A legitima salsa de Bristol vt-noe-se a
CAORS 4 BABBOZA
JOAO DA C. BRAVO A C.
Joo da C. Bravo & C.
Deposito geral em Pernamniu o roa
CsTU8.tttCMtaCatato Barbuu
Grande sortimenlo de roawa Irii .e in-
das as qualidades.
Calcas de casemira a 63 e 7JW00. rf-tti r. i
t'* e 8*, caiga* de ganga a ?* |*Htii l-Wi
duas brancas a 2J, brim de linho a :i*. 3:.(M ,
4*. paleto! do alpaca branca a 4*5uO, diu i r. i
a 3* e 3*S00, dilos de alpaca de rordl a %.'
de lisira de seda a 1*500, dnos s.-.br.
paletou de casemira a 5*. 5*500, f*, U>
-.los Orceasar-c rrau>c 3 |j*f 13 e jb^.Aio* -
nns a 25*, de tt... m frqnes II*.
palelots de ganga a 3*, 2*000 e i. U la rm
pardo a 3*, jaqueloes de brim pardo X\ jar"-
preto fino a 2*. 2*600. 3*500 5*. loM) e r, ..
covado, moreaniiqne preto 2*600 o r-va*, y"-
denaple preto a 1*500,1*800,2*. 1*900 o WS/
o covado ; e outras muiUs mais fazeoas qt.-- .-e
deixa de annunciar, e manda-se levar 1 "ios raisi
ros da loja da arara casa dos pretenderte* O
e labelecimento est aborto al as horas da txHlv.
roa da Imperatriz o. 56, lleude* Guimarass.
t -!---
I II I ^i\ #



I.
Diario de iernanibnco Segonda felra 91 de Agosto de &8ft.
N
I
GEN HOS BARATOS A DINHEIRO B 3 i
NS n "ffl
m m MOLIUDOSlsi
0P
fll
Rivfl
GR4NDES
8 t|
Pateo do fiarmo n. 9 armazem Progressivo ra dn Qacimado n.
llHio e Comniercio ra do Imperador n. 40,
Principal armazem de molhados.
0 IMtOPIftlETARIOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-
trenaos, 1 ivradores e mais pessoas do centro, que para mais facilitar suas compras deli-
to, arara OS proprielarios dos tres grandes armazens, reunir todo> os seus estabeleci-
uh-ntos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros
por um prego, e na occasio da compra quererera por outro, como socede constante-
mente cm oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar islo
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
- 31 tam em servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarmos, o que seno arrepender pessoa
algnma que fuer saa despenga era nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ing'eza perfeitamente flor cbegada dem com 4 a 5 ditas a 3#200.
oltimamente no vapor Saladim, de 1$ dem vasios de lodosos tamanhos a 2#000,
a 1-3120 a libra e em barril ter abad- 15300,800 e (510 rs.
ment. Queijos d 2#300 a 25300 os mais frescos,
idea francesa muito nova a 1$ a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril ter abatimeato. 25000 a caada.
Banda de porco refinada a 6i0 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 15400
barril ter abatimento. j a caada.
Can uxim de superior qualidade a 25600. Azeite doce de Lisboa muito uno a 6O0 rs.
dem perula miudinlio a 23700 a garrafa e 1.3(500 a caada,
dem hysson especial qualidade de 25300 a Toucinbo de Lisboa novo e muito alto a 400
25600 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muito especial a 23000 e 231001 105300 a arroba.
a libra. Ceneja Bass do fabricante SUIers &
Ide.n do Kio em latas de 45000 e a 800 a
libra.
Latas con biscouto de todas as qualidades
a 10300.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) p'roprias para dar a doentes a
-'> 6 33 a lata.
'. i! txinha inglez* muito nova a 35300 a bar-
r e a 240 rs. a libra.
Latas com botasinha de -oda e oval a 23.
t::to inglez para fiambre chegado no
ultimo vapor a 80 rs. a libra,
h tnicos c paios muito novos a 900 rs.
,- libra.
com macarro talliarira muito novo a
)0 e 320 a libra.
Vle'ria branca e amarella a 300 a libra.
C i date portuguez de especia! qualidade a
- 10 a libra.
(d ira suisso de 800 3 15000 a libra.
; i! hespanhol verdadeiro a IflOOO a libra
que j vendemos a 15400.
Do da casca de goiaba em caixoes de 4 e
meia libras seguro a 15800,
. em caixoes pequeos a 700 rs. e de
30 para cima a fio.
!d ; secco em boeelas ricamente enfeitadas,
. endo pera, pesdgo, ameixa, rainha.
miras frotas a 35000 cada urna.
Id 'ii em calda em latas feixadas hermetica-
mente mnilo bein enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
'< O e 700 a lata, tarabem temos latas
i .les a l$200.
' nelada des mellmres fabricantes, em la-
- de 23000 a 15200.
em litas de 1 lj2libra a 15.
(i ira era (alas de I libra a 640 rs.
das em latas ohegadas neste ultimo va-
r a 700 e de 3" para cima a 640 rs.
; 5o verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 15300.
n em caixinhas ricamente enfeitadas de
I200 a 25300.
rvas Mexide muito novas a 700 rs.
fraseo.
I ii de ceblas simples a 700 rs.
: tino inglez a 640 rs. o frasco com rolba
de vidro.
rda em p a 700 k. o frasco,
liera j preparada a 320 rs.
s com massa de tomate de 1 libra a
Bell a
65300 a duzia e 640 a garrafa.
| dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 650#0
a duzia e 360 a garrafa.
| dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 35 a duzia e 300 rs. a
garrata.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
; 160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
[ 75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
| Arroz do Maranho 33200 a arroba e 100
rs. a libra.
is com massa de tomate
600 rs.
. 1 in em latas de I 1[2 libra a 900 rs.
Vi b >sem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
CascaTalIas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e oulras muitas marcas
a 15 a garrafa e 93 a 125 a duzia.
li?> Pafmeua a 13 a garrafa e 113000 a
.'.a.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira eLisboa a 400 e 500 rs. agr-
rala e 23800 a 35500 a caada.
i'! i (i :mcoretas e 8 a 9 caadas com su-
irior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
::. :oreta.
dem branco expecial qualidade propro para
missa a 560 rs. a garrafa e 43 a caada.
dem mnis baixo a 400 rs a garrafa e35500
. cacada.
dem do Porto especial quilidade a 800 rs.
a garrafa e 33300 a caada.
Id ra Bordeaos em caixas a 75 e 700 rs. a
garrafa.
CIi Dpanba a meliior do mercado vnda de
>ssa oncommenda a 305 ogigo.
dem da India a 25600, 25800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 35300 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 53, dem.
dem Parasiense? a 45300.
dem Delicias a 13500.
dem Traviata do Rio a 3)500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 33500 e 15^00 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15300
a meia caixa e 35200 a caixa.
dem mece'ipesa 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaes do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35400 a caixa.
dem jovens de Castanho ii Fillio a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 13 >0) a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 13300 o quarto e 53
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposigo de
comer a 15300 a garrafa e 145000 a
caixa.
) Alpista muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Paingo a 45000 arroba e 110 a libra.
Peixe era latas j preparado a 15200 a lata
e em porcao 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e era caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 103000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 43000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Svadnha de Franga para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra. |
Albos em canastras muito novos e maungas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Cravo muito novo a 500.
i Cominho dem a 320.
AURORA BRILHATE
G
ES ARMAZENS
DE
ilOLHADO
mmmmmmmm
m Largo da Santal
ji^ruz n. 84, es-^
Inquina da ra do
>|Sebo.
novoproprletario
VIMOS
ESPECIAES
su
Largo daSantaw
BCruz n. 84, es-jflj
[quina da ra doMS
Sebo. *s>
rora Brllhante Wlmira1amuiloacreditado arn"em de molhados denominado Au-
A seguin'te tabella sirvir' ?%T s"mmo de 8eneros de Pr|raeira Qualidade.
Nenhum ZE2!, ll'IL*. iod-os.(le base P^a ajuste de contas aos portadores.
1-8
O
1
1
armazem vender
sra, ja' mesmo porque seu dono s deseja tirar diminutoVu-
mular as despezas do estabeleciment por isso deixe se a-
lantes f regnezes er ,oda a dili8eDC|a> aflm de servir bem os seus cons-
tatas com 8
a 7,5500.
pelo grande sortimento Vuetem 2 ~Pat0 e melhores d0 1"e a A"rora Brllhante, ja'
ero qaantorheffae oara arnomni, ms? porque seu dono s deseJ
a accumular as despezas do estabeleciraento
proveitar, o
libras dechouricas muito novas,
em postas inleiras,
a 15000, 1280 e
, Ditas grandes com peixe
"JV e ,2 in*lidadles.
13400.
Dg1der,a'S'rfCel,en,epelSC0^afri-
S!urcOomLtaa6KsenS0PadaS'a720rS-
Dilas com mT'",5 ? lfi00' i&m e 3*300-
AbrenTa S?? allIMd(> fabricao,e
Ditas com massa de tomate, 300 rs
25 e2oU0S ^ COmadre' novos- a '500.
|feD'5()wm ,,0,achinha de 30da muito novas, a
Set?ShS ,ng,MeS de moilaS^a-
Caixinhas
Cocolate.
com ameixas enfeitadas proprias
trhJfmm a **W.SW0O e 3}200.
f m!oT** muit0 novo> a libra de
^ 400'salliaram a'etria amarel,a-a libra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Caixas com estrelinha, pevide, e outras mas-
f sas, a caixa 3o00.
Ditas dita em libras a 610 rs.
'Sag, a libra a 360 rs.
{Sevadinha para sopa a libra, a 210 rs.
e.rviinas seccas, a libra a 160 rs.
Ditas descascadas, a libra a 200 rs.
(Tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
i 500 de araru,a verda ^ISnn0 Maranhao, em sacco, a arroba a
25400 e a libra a 80 rs.
,Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-
bra a 100 rs.
Toucinbo de Lisboa a 9$o00 a arroba e a 30
I rs. a libra.
|Dito de Santos, a arroba 73000 e a libra a
260 rs.
.Molhos com 12o ceblas grandes, a 1jj280.
tSw fraaceza' caixa com 2 duziasa
i Frascos com mostarda preparada em vinagre,
Ditos cora conservas inglezas
640 e 800 rs.
{Ditos com sal
e francezas, a
refinado fino, a 6iO e a 500 rs.
I Ditos com a verdadeira genebra delaranja, a
y I iJJUUU.
gitos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
r 640 rs.
^Botijas com dita proprla para negocio, a
R 400 rs.
)Garraf5es com 2 galoes com dita, a 63.
ftServeja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a I
| duzia a 6-3000.
rVinho moscatel de Setubal, a garrafa a 13.
. Marrasqumho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
R a 13200.
JChampagne, a duzia 203000, e a garrafa a
r\ 23000.
js Azeite refinado portuguez e francez. a garrafa
P a 13000.
.Caixa de vinho Bordeaux muito superior, a
g 73, 83,93 e 103 a caixa.
gDitas com dito branco, a 73 a caixa.
Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
f a 203.
f>Ditas com duque do Porto verdadeiro.'a
s 183000.
Ditas com chamisso superior, a 143.
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
SVinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
9 e 800 rs.
. Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
33500 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
JDrto da Figueira, das seguintes marcas (N.)
(J. A. A.) (J. L. G.) (O. M.) a caada a
j 43300, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
t que j est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
tDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 33500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
I 800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
engommar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. I
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. J
Fariuha. ,
Saccasgrandes cora farinhade Goianna mui-;
to nova, a 53000. *
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 83/
83500 e 93000. <
Cha. (
Ch,teraos nestes gneros o ta ilhor possivel,>
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 23800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 23500. al
Dito mais baixo a 23000 e 13600. **
Erva mate. ^
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs. ^f
Espermaeete. ;j
O masso com 6 vellas de espermaeete a 600, id
640 e 720 rs. <
Passas. a
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- ^Q
prias para mimos a 43 e 23300.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpista e painro.
Alpista e painco, a arroba 43000 e a libra a..
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para jogar. a duzia a 23500.
Caslanhas.
Castanhas novas vindas neste vapor, arro-
ba 43000 e a libra a 200 rs.
Azeilonas.
I Barris com azeitonas novas a 13500
Manleiqa.
Manteiga superior, a libra a 13280.
Dita mais abaixo a 13200.
Dita menos superior a 13.
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a libra
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Qoeijos novos vindos neste vapor a 23800 el
33000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
I3OOO.
Papel.
i Papel al mago paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43500.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma- i
deira a 13500 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a,
480 rs.
Amendoas.
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs.
# Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400 i
e pequeos a 640 rs.
fijlos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
(raa.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 23000, e1
de latas a 13000, e os boioes a 240 rs. ca-;
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos Anos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da.
Baha por diversos precos, caixa: e meias>
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Gadcia do Uecife, esqgioa da ladre de Deis
H \M>IS
Os ricos bales de arcos com mui t roda para senhoras.
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos 2 e 23500.
dem de panno para meninas 3/5 e 3;>00.
Chapeos de sol.
Superiores cbapos de sol de seda superiores com 12 asteas 9^.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, porm maiores 103. ,
dem dem com 16 asteas 12$.
Chitas.
Chitas largas soffriveN a 240 rs.
dem melhores a 280 e 300
dem escuras linas a 320 rs.
Tapetes.
Ricos tapetes grandes e pequeos com ricas estampas para sof.
Camisas.
Ha nm completo sortimento de camisas francezas de 1,1800 al 5-> das segua
les variadas qualidades : pregas largas, ditas miudas, peitos defusto e de cores.
Camisas de meia.
Ha grande sortimento.
Cambrala branca.
Lindos e superiores cortes de camhraia com barra a 4>.
Superior cambraia branca para vestidos.
Cambraia para forro.
Cateas.
Calcas de brim pardo superior a 23500.
dem de bonitas e superiores casemiras de cores,
dem de superior brim branco, lia de diversos presos e qualidades.
Mantas para pesclo.
Ricas mantas para pescoco de homem de Gnissima seda e de rico* faMa s o Balao tem. '
Paletos de casemira.
Superiores paletos saceos de ;asemira.
Paletos.
Finssiimos paletos de alpaka branca a 5A,
COMiETfiBs
Golletes de casemira a 45 e 5/3-
dem brancos a 23500 e 3,5.
Saceos para viagem.
Saceos para viagem a 5<> e maiores a 6)5.
A QEM NOS LE
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annonciando ao pnblco oras
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas supj'e sempre ser as mesaos b-
zendas.
AO HI10
%vi*%.n
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O JIAIS RICO
DE
i manufacturado em
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
.
lira
Ervadoce idem a 400.
Alfazema flor a 240.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Papelgreve a 4?2O0 a resma,
dem lizo a 45000.
dem de pezo a 35000.
e laranja ver 'adeira a 115 a du- dem de embrulho marca grande a 15200 e
Ide n mais baixa de 18$ a 20 e 10300 e
;") a garrafa.
Licores portuguezes e francezes a 1#000 e
15500 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiro a 1?500 a
rata.
:
mais abaixo a 800 rs. a garrafa.
zia e 1) o frasco.
i lera de Hollanda verdadeira a 61?
q leira e 600 o frasco.
Id un de Hambur.'o a 55500 a frasqueira.
! ern boligas de Hollanda a 400 e 440
rs. o frasco.
G : atoes com genebra de Hollanda com 24
rafas a 8$, com garrafao.
dem com 14 a 15 garrafas a 63.
11300.
a fras"; dem azul para botica a 23000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, ma?os grandes a 120 ]e
160 cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15500 a libra, em porco ter
abatimento.
tr-
&-
IPMKmillli
Saccas grandes com 100 libras de farello superior a 4)5000 a
i
/
Farinha.
V?ndese farinha de mandioca mnito nova, sac-
co grandes .1 \g>: no armazem de farinha da pon
te nova dos Srs. Tasso Irmaos, para porcoes.
ra da Madre de Dos ns. 3 e 9.
na
Potassa da Russia
mnito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19
N. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimenlo um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de gaip muito finos para 225, 25$ e 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guipd enfeitados com o melhor goslo.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlqoe branco e prelo, grosdeaaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira proia e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
13a preu para lotos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 45 a 115.
Bros de Moho de cores finos a 15800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veodera por commidos pregos assim como
tarabem
Esteiras da India para forrar salas
Vendem-se
machinas americanas de serrote para descansar
elgodao : na ra da Senzala .Nova n. 42.
Colla da Bahia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no sea escriptorio ra da Cruz n. 1.
PJJ Na ra do Imperador n. 28 tem rap Paulo
Cordelro, commum e viajado, igual ao de Lisboa,
por preco com modo.
GUIPURE
CHALES
Grandes chale granadino
Bournus
Mondos
Treanon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de cores; magnficos desenhos, de gosto modernssimo.
MARA ANT01NETA
Vestidos do GRANDE T01LKTH. Fazenda preferivel pelo brilho e fasto, a n-
reantique ou grosdenaples. Barras a laco bordados a Toco e vidrilhos, seno depeafe-
i em de modista para os fazer, visto Iraierem o corte debuxado.
& mmmi
Glac-royal, em pecas com listras de seda primoramente bordadas ou matisadas,
fazenda inteiramente nova de bonito cffeito, para partidas, soirs, theatros. passeios, ele.
DOITBLES CAPAS
e SOBRETUDOS de panno mezclado (impermiavel) vindo no ultimo vapor
De. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATAS, MANTAS
decores, mnito bonitos padrees a 500 ris.
BONETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFEITES
Costones de fusta enfeitados para mancas
E innmeros objectos de modas recebidos directamente por todos os paquetes e
escoltados caprichosamente dos mais modernos goslos da Europa.
FAZENDAS PARA HOMEM.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, brins, sobre-
casacas, palitos, calcas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio raes do Amaral & Companhia.
feXD
I'o\lry.
Vende-se excellente fava poxiry; na ra da Cruz
n. 23, 1 andar, escriptorio.
Ferros para engonamar.
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
sortlmeto de ferros para engommar, encrespar ba-
bados, pafos e toda a roupa de senhora.________
Verdadeira agua de Vicay.
Vende-se a verdadeira agua de Vicby, em gar-
rafas ; na ra da Cruz n. 23,1 andar, escriptorio.
Farelo
a 45 a sacca, das maiores que ha : na ra larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Para matar formigas
Vendem-se velas para matar formigas ; no ar-
mazem da bola amarella no oitao da secretaria da
polica.
Vende-se o engenho Jiindrahy,
distante da cidade do Natal, proviacu
Grande do Norte, mocte rorrean, am
tiros, 20 bois e 20 bestas ; assia
lotes de trra, propria para a cultura 4t alptt
mandioca, e mais duas rateadas de gado so Pl
gi e Cear-meirim, na men provincia, jas
das se elleciuaro t prasos, mediante bens I
quem pretender dirija-se aquella proviada a tra-
tar com Fabricio & C.___________________
Vende-se um engenho "
muito boas trras e excellenrt
caes do Collegio n. ti

i-_



Mario de Pernamhco -- Segunda Eelr* 91 de Agosto de i8*.
0 NOVO GERENTE
DO
MMM,M>
LIGA.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO PUBLICO
Wcni o menor coastran-
glmento se entregar u
importe do genero que
nao agradar.
AO
ATTEKQAO
os preeos da seguate
cabella para todos, po-
rteado asslm servir de toa-
se para o ajaste de contas
com os portadores.
m\mw
a 10 i#aoo c i#oa
Leques de os,-o. o;imo toato, a l
Ceroulas de nina a 1 i- iO.
Diitas mnlto finas a 15-W).
S na roa da Cadea do Recite n.',
AlgoJt Para sacros e r*npa ie ettnr**
da fabrica de Fernao Velho, e de mun-. i.mr
qualidadri : vende-* no escriftor o > tu
uaclo de Oliveira & Filho, lar.< I
numero 10.
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciac5o dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelecido ra Nova n. 60 una magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxim. parte mandados vir directamente do estrangeiro^podem ser
vendidos por preeos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e nteressante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum oulro o exceder no restricto cumprimento das seguiotes promessas:
1.' Delicadeza no trato.
2.; Fidelidade no peso.
8." Sinceridade nos preeos.
As pessoas que por sna posicao social gozam de certo tratamento, achanto nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser sempre mul-
to bem servido.
Aquelles que sao ponco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldcs ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhores que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGU1NTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A ( Graixa em latas, muito nova; a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. | urna,
dem e painco de oito libras para cima a k
100 rs. ; KIRSCH de WAjmn* 20 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........\ JL
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA REM DE TODOS.
Senhore3 ; choras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptidao e intei-
eza com que ser5o ira ti1trct*on vida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteceo e preferencia na com-
pra dos gneros que precisara* e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, aindn que estes sejam pouco praticos,
rois serao to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recoramendaca, afim de que nSovoem
tra parle.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas franeczas em latas de todos os ta-
manhos."
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de" todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Alhos a 200 rs. o molho.
Absyntho a 25000 a garrafa.
B0LACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de soda em latas grandes a 2-5000 e
de cinco para cima a 15800.
Riscoitos inglezes de todas as qualidades a
15200,15250 6 15300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 000 rs. a libra.
dem suisso a 15*'a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chocricas muito novas a 300 rs. a libra.
Caf a 210 e 260 rs. a libra, e em porcao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiauoi'e de grosella, orchala, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicjo,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
pregos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252"0, 25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. 0 frasco.
Molho inclez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60< rs. a libra, em'caixas com 9 libras a
35500.
Mimo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
M
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posla, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. 1 libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra.
dem suissos a 600 rs. a libra.
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MOR1NQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
9
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 23?.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a
l.ooo e 800 rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de \ e 2 li-
bras a 1,60o rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
Linguicas muito novas a 800 rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 800 rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 800 rs. a libra.
dem prato a 800 rs. a libra, e inleiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem viudo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
I Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas
35,ooo rs.
V
VINHOS
III
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, rjUqUe a u e 15500
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. chamisso a 1(f d)52o e 15500 a garrafa.
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
FeuAo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas, a 15.500
D. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Farello ha sempre em deposito de 500 a Vinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os preeos. l caada.
Para destruir ratos e baratas.
Preparado ingleza recente mente chegada : ven-
de-se em potes de barro, na travessa da Madre de
Dos n. 9, armazem, a 610 cada um, e duzia a
45800.
Taixa de ferro
Qaem pretender comprar a taixa de ferro coado
com<$ palmos de bocea que s seba na estago de
Frexeira*. pode entender-se i:om o Sr. Sena Santos
no sea eogetiio Frexeiras, o a na roa do Impera-
dor n, 42.
Catangas Unos e brlnqnedos
para meninos.
Lhegaram para a laja de miudezas da ra do
Queimado n. 69, os mais finos e lindos calungas
Unto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas.
i, uvas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas lavas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e seohoras: s
quem receben fui o beija-flor, na roa do Queimado
numero 63.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a 1
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,800.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,000 e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,000 e 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,000,15,ooo,
12,000 e 10,000 a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade al 6,000
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,000 a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. alibra.
Sal refinado em frascos devidrocom tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,800,6,000 e 6,5oo a du-
zia.
de 9 caadas a Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
Espermacete superior a 600 e 64o rs. a li- Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 800, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a ?,ooo e
8,000 a caixa e04o e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Ilollanda a 48o rs. a botija de
con la certa.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jo5o
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francezns em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a !55oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na ca-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposico Normal de rravana, Imperiaes,
Londrinos, Guanalaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,000, 4,5oo, 5,ouo,
6,000 e 7,ooo a caixa ou em neias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhas de Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 800 e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,000 a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matle,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2po solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Baniia de porco refinada a 600 rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentemente tem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito propiias para
mimo, a l,6oo, 2,600 e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
ESCBATOS FP&IR.
No dia li do corren!- w.-i A ...-
toa-soda rasa do aMnmen ra, ra da lmper:.triz n. O, um n
pravo, de n< 111 Lr ."-i i|ii
Delphina, moradura em Carura',
dignan- MfBtaMfi : bail gMM
.lo-, idade de l a 1.1 anao*. le** >
braaea de atgotftuiaho, caifa t m <* .
dinho, tem urna cicatriz na irla,
>ido levado para Cmara' ou o:it'" ;
por um >L-riane|u : quem o jwjrar a**ar ai o*
Imperalri;. n. f.i. ,>era liein uruU|.
Funio 110 da 10 de erren'* r. -ir
naio Cosa, de onc iaah I, bata
representa ttr 40 aaaai a> 11 la,
bcxigoai, coatnM aaiarin m, 1 '
uesia cidade e seos arralialle- r-w :
potras rooaaa, ja tem aUa acata 1 u.-
u.-pictor do Caaa Graaaa a Van
tido Je C3sa cum pmias e naLii' >
se as autoridades [i.ln-iae e ra i'.. 4
appreliensao, e niandem laaac r i
Vf Iba n. I, i|ue serao pagos de I I i
Wanaaawc u,\ i"> toa d-- <*; ..
nhor urna preta de H{ia Anc .
idade, ponco nais ou Mean, "O nr.
guiar, tem urna dor prauaM a a :m
dea traeca qae aparrndole b-!
levou vestido de rtaraao anea >
i xos, saia de atfodafiiaao, caBlra i.....lita-
da : ro;a-ep a pps-na ru aoMiTi id
a conduzaa'ra de Santa Oriua I
sera' gratificado rTenensameDle.

8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa,
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo I Azeitonas portuguezas a ooo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancoreta.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
o gigo com 36 libra-:.
a 75o rs. o frasco e
Frasqueirasde genebra de Ilollanda a 6,8oo; a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa
e 64o rs. o frasco. Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a 1,000 e 1 l,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-j 8,5oo a duzia.
bra e 8,000 rs. a arroba. : Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. I do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas francezas. excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o i Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta- I a garrafa e M.ooo a duzia.
Iho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a I2o rs.
a libra.
Figosemsextinhasa8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos preeos.
Amendoas confeitadas a 6'ro rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.

-
m
No dia 24 de vano de !
po de Sant" Amaro i!e Sprint i n;
nome Laaraaep, arffraeeaa aaatn
a qn&l lem aa rtgaar* waaMri : i -r -
cabera bem robera i*e ral. Iba e mI
olhos preos, aartt ehaaa,harta ]<; r r -r
dos os dentes. os i|uae.- te Nawd
bracos proseos e catellud -. M i
as juntas da> mos, liem vimvh-. r
o,ue na e?querda, aeraai rr^ --.
naiur&l de frica, traLallia < car*| i .
25 annos de idac-e : pra a pfM
estacao de Matriw da ia.fcina
junto a me>ma ralapi. aada r. r. i
sipnado, recebera" ladaf a> draartar, t
recompensado. Ha eotieia oae 1-i.--, otar ..
como voluntario. 1*111 tan laaaa H. -
Wanderley de Gusmao.
tenr ;
Acham-se fgidos o> < scraros .'fcoin'e* : i: wu
mulato, idade de annos, cabello* aarvlaata, ai
barba, dentes um pone, liniai, serr o rorr>.
testa larra, e falla um ponro d--r-.r
crioulo,ja um nouro ve|b-. aliara refalar, i
cabelludo, b; rba eoni aipi.n~ i rar-- -
sim como na cabecn. corpo rf u
tanto peaoeaoF, hila > t ..- i
roneo pede-M as aul ril; ;
pitiies de rampa >< > aa laeaai api ral r di r
duzi-losa' ca-a de sen sent r ; a
Silva Gu.-n-ao, que paBaroaMaeMe i
e Ins papara toda d' :
coniluccao : suppoe-se (np elle* ? rjo
pnimenlo d's serioes desta ptnainei
Albos desse. lucares.
Acha-se fj^oi i barda '..> I
Restaurara, o escravo motilo de n-.nu-
da idade 23 .uiU' pi. uo iuai_- ou n> i .
regular, sem baria, le*on eaMta r
caifa branca : qii-m levar a barda
ou ao esrriptorio da Antonio Luiz 1
vedo tiC, sera paaafaaaaMMa retompraiaia.
Fogio no da t de agosto o nmm t
de nome Tiberio, idarte de io a 2-> aa .i
baixa e com falla ie um do- -J -111. i
escravo do Sr. Francisco de Albaq-i
nli.io Caralc.-inii : quem aaefarasdr
cia, queira dirigirse a ru.. da C*;eia do Rt 3
33, loja de Valle Porto & C, que sera r
sado.

I
.
Acha-se fngid.i a prita l> n.ic!;
senta ter de 40 a i'i ancos de idad<-
vendendo fructas as ru. de^ta rvlaaV *!
do Sr. Felippe llarinho. inora* r na Mal .a
Lu, e hoje pertence a Pedro Ailain
Arrala I: quem a appreiiender braan
Crespo n. 16, primeiro andar, que s*ra ,-
sado.
Grande exposicao de fa-
zendas.
Que esto a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz n. 06, Lourenco Pereira Men-
es Guimares.
LAZINHAS A 240 Rs. I
LZIMIAS A 240 R?. I 1
LZINHAS A 240 Rs. I I I
Ha um grande sortimento de lzinhas chinezas,
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto prego de 240 rs.
o covado.
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 4o00 I I I
MAAPOLO COM 24 JARDAS A 4*500 I I I
vende-se madapolao com 24 jardas e garantin-
do-se que tem 20 varas, pelo barato preco de
4^500, 55000, 6,6000 e 65500.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se bretanha de rolo a 25800 a pega, s
Mendes Guimares.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35000, 3*500
E 45000.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35000, 35500
E 45000.
Vende-se madapolao entestado pelo o barato
prego de 35. 35500 e 45 a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vende-se as mais modernas colchas de fusto,
tendo de todas as cores a 55500, ditas grandes a
65OOO, ditas de damasco a 45000, ditas de cbita a
25240 e 15900, islo s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 50, Mendes Guimares.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 20, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas de salpico? a 45500
a pega, tambem ha um grande sortimento de cam-
braia brancas que se vendem a 35, 35500, 45,
55, 65 e 75 a pega.
CHALES DE MERINO A 2000.
Lengos de cambraia com barra de cores a 15800
a duzia, ditos de dita branco a 25 e a 25400 a du-
zia, s Mendes Guimares.
CALCAS DE HI#I DE LINHO.
Vende-se caigas de bnm de linbo a 35400,
25600 e 450OO, ditas de algodo a 25, s Mendes
Guimares.
Soutambarques de cores, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 45500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 55000.
Entremeios transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15> ditos para babado a 15000 cada ama tira.
ROUPAS FEITAS.
ROPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se um sortimento de roupas feilas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
outras muitas mais fazendas qae se d.eixam de
annunciar, ra da Imperatriz n. 56, Mendes Gui-
mares.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio murado es-
querda, depois. do becca do Espinbeiro, dos AI-
flictos.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a
, 4j5500 e 55 ; no grande armazem da Liga.

PECHINCHA siliF

Madapolao muito Ano cora pequea toque de avaria, por prego que admira : na
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correta de Vasconcellos & C.
loja
c o o r*
. ~i a, o. r
t"0 S S 5 m d
5 8 g. <" r
-g-El 5:8 5 S i
l|ll||lllill||L
J!"3l;Ii8'|liS
c o ?'aj
ora
a.

u c
e. o 5
5.3
_, O O CB
O w es
50 "> <"
a-a S
2 S.S
ra a S.2.&
13
B9
00 =?L
3 s?
05 o
O CJ
CA .
Cu
B
i
I
D

PUl
H
-I
O
2
S g
O ra
-t

a
o
53
LOJA DO BEIJA FLOR
Na ra do Queimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papa i e mam i,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelhos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquinbas a 280 rs. o par ; e nao queren-
do continuar, rende mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de differentes
largurasa 1$, e babados,collarinhos e pu-
nhos para senhora, bordados e abertos de
I renda e lisos, os mais modernos que se
j podem encontrar.
Vende-se la para bordar de diversas
tscratt fgido.
Ha dia* ausintou-sc o esaraaa p>r n-me N
de nacao Cassange. que foi de l>. Ania fV
Correa de Mello, moradora do iarg iala
nbo junto ao Caroluho Novo. ea. cattra j
vendido ao comprador de tcravos aor awa* <-
za ; o escravo lavava ramisa azul aova e ra'.
mesma corvelha. n:n tant- id ai
nal de baixo do braco esqm'nlo, ajaa .
costuma elle ser caranguejeiru. e uv^-w a-<< je
dilo negro anda pelos arrabalues da ri i.<
ga-se aos senhores eaaitias de campo a mais a
o apprehender, de leva-lo a ron No-a u. j
serao recompensados.
Fugio no da M da |ullio rto r.-rrrn? a- n,
a mulata Suzaua, ai|ii.n em os siraae BajalanH
altura regular,corpo cnei.i, cor clara .1
cabellos corridos e bem aparada, rara .
ta estreita, olhos aeaaai, nariz rbaio ^ a
grande, beiro* linos, Ma de d*aic, anos cr m
e dedo.-, curtos, idade pouco mais ou a
nos, n;itural do serta-1, ievoo restkto A-
escura com palmas br.mcas e panno da i. :'..
la sempre rindo-se : pede-se a aolori<9 -y< H-
ciaes, capites de campo ou qnaloner ajne dMn
souber leva la ao seu seonor na praca da ladf a-
dencia loja de cha>o> c. li 1 16, que- -eiJ gean>
rosamente gratificad ao mesrr.o pasi^ <;i
ta ser contra qualquer que o tenha arootarta,
ha noticias que esta dentro mesmo da rrdat- 1 3-
lad.i e se assim i c.-ta pessoa qne a va aananan
do conlrario ser punida com todo o rig-jr da mt
Ausenton-se no dia 2 rio corrale ar- roe ala,
da casa da rna du Imperador n. 16. o(i> tAia.a-
do, crioulo, cheio do corpo, altara r. gt, ur. r. o
comprido, olhos peqnenos e pooca barl-.i u-j
sa e bigode, bastant- ladino, repr**! ta t*r i?
annos, pouco mais ou menos, e jalga-se r IrTa-V
caiga pn-ta e camisa branca ; este e-rri. lot evo-
prado ao Sr. coronel Galvo, do Limo ir para a-
de se julga lenhi ugid mas ba qnen. ,1 l>
visto na Passagem da Magdalena. Ren>e<1
zea; e como se decnnfia que esteia aroaraa>.
protesta-se proceder contra quem o Mam imrliii.
e pede-se a quem delle der u-ti'-ia on a naart
que dirija-se a sobredia casa, on a rna do Cnmt
n. 13, que ser recompensado.
gi qualidades e de cores claras a 1& a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 2(550O,
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhas!
para estojos de navalhas,
Colheres de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 2$, ditas para cha a 2f)3O0,
ditas para soupa a 4200 a duzia: nesta
- loja se encontrar sempre um grande e va-
TaSso IrmSos j r'ad sortimento de miudezas: ra do Quci-'
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos mado n. 63, loja do beija-flor.
finos de feitlo diversos para ladrilho, azuleijos de j -______________________________________
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-1 Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
barris de 10 arrobas. do & C., no'sen escriptorioraa da Cruz n. I.
Gratificacio de 100;5000.
Fugio dos abaixo assignados no dia 8 .ie
Janeiro do corrente anno, o sen e; ra.r. .ie
nome Jos com os signaes seguinles: *-
bra escuro, cabelln carapinho. estatura bai-
xa, cheio do corpo, ps lardos e faz um
to as pernas quando anda, muito poat
barbado, e tem urna cicatriz bem viswel en
um lado do queixo, e outra bem gi, :e
nasnadegas, proveniente de surra, coj> a-
cravo compramos junto c m outro ao Sr
capitao Silvino Guilherme de Barros, e e^i"
Sr. os havia comprado ao Sr. Joao Cahrat,
morador em Nazareth. Consta-nos qu eM
escravo filho do Brejo da Madre k l)ei
aonde casado e tem filbos, tendo-lbe aur-
rido ltimamente a mulher: portanto rt ga-
mos a lodas as autoridades policiaw a sua
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car com a quantia de 100d se o troucerna
seus senhores nesta prafa, ria ua Imfwra-
triz, refiDaco n. 46.
Luiz da Silva Ferreira C:
Til nr-^fetl* #af


Diarlo de rernambnco Segunda fclra ti de Agosto de 185.
JURISPEUDENGIA
ESTAIMJS-l\IIM>S
Processo dos sissasinos de
eoln e Neward.
Uu-
CONSELIO DE l'EARA EX WASHINGTON.
(Coiclusc.)
' fo principio da ullima sesso madama Surcan
ndoeceu gravemente, seudo preciso leva-la para
for.i do tribuual.
As allegacoes dos advogados foram impressas e
apresenladas ao tribunal : occupam i,o00 paginas
era folio.
Audiencia de 20 de juano.
A M. Cox, advogado de Amolde O' LaDghlin, se-
guio-se Mr. Ewiug, defensor de Spaogler ; coutra
esto accasado houve ao principio graves suspeitas
de cuniplicidade no assissioato do presidente, que
se desvneceram na discussao.
Booth tinha entrada franca no iheairo. Spangler,
oonsiderando-o corno seu superior, prestava-lhe
:>ervicos insigoiBcantes, quasi da creado como
guarlar-llie o cavallo, apparelhar-lh'o, etc., nao se
prcvou que tivesse com elle outras relagoes.
Emquanto ao sacco, de noite enconirado em ca-
sa de Spangler, leudo dentro urna corda de 80 ps
da comprido, papel para cartas e um collerrahho
posteo, nenhoma relsco tinha com o assassi-
nato.
A corda era igual as que se usavam no machi-
Oisffld do sceuario disse-se que podia servir para
urna redea, mas ento devia estar no tneatro e nao
em casa de Spangler.
A imaginacao mais rdante uo era capaz do
descobrir a relaco, que tinha o papel e o collein-
Dbocoma conspirado ; Mr. Ewiog tirou partido
dess circumstaucias, para fazer rir o auditora e
o proprio Spangler.
Pelo que diz respailo aos preparativos feiios no
camarote do presidente, aitribuidos a Spangler,
cochece-se que nao foram obra delie, porque se o
losiem, o buraco nao seria aberto com urna peque-
a verrumae alargado com um caivete, masde-
vena ser feito com a f.rraroenia propria de mar-
ceoeiro que Spangler usava no seu ollicio.
dicto de Boolh a Sptngler ua noite de 14 de
abril :. Queres-rae ajudar uo que poderes ? e
a re.-posta delle : estou prompto, alm de se-
ren contradictos por umitas pessoas. pirecem
cousa natural, nao suspeilando Spaogler do que se
iratava, e estando costumado servir Booth, como
inferior.
Se Spangler eslivesse ajustado para ajudar Booth,
lerr posto alguem no seu lugar de servico na sce-
na, e depois do tiro de pistola abrira logo a porta
para o assassino se escapar. Mas nao aconteceu
assim, Spangler nunca abandouou o seu posto, e
al oulra pessoa guardava o cavallo de Booth-
O homem com quem o sargento Dye vio fallar
Booth porta do theatro antes de entrar, nao podia
ser Spangler, porque o sargento dise que o tal
homem liaba bigodes pretoi, e que se pareca com
Spangler so elle tivesse blgodes ; Spangler nao so
linha bgoles, mas nem o- podia por postigos e pre-
tos, porque contrastava cora a cr do cabello, que
era :uivo mullo pronunciado, nem elle podia au-
stnur-se do ihealro das '. horas e meia para as l
>ei.i darem pela sua falla, porque tinha de muda
as scenas, e provou-se que esteva sempre no pal-
co, fazendo o servido que ihe perleccia.
Nos tres dias que decorrerara entre o assassina-
to e a priso de Splaugler, este coniiuuou oa sua
vida habitual, nao mostrou a menor inquietado
que >uspeilassem delle.
Boolh parece que nao tinha cmplices no thea-
tro, nao carecendo delles, porque entrara e sahia
juiudo quera, seria urna imprudencia conliar seu
agredo a um terceiro.
,-eguio-se Mr. Dosier, defensor de Payne. Esies
foram os pontos capitaes, segundo o Corren dos
Estados Unidos, da longa e magnifica aegago do
ilustre advogado.
Payne no urna massa inerte e estpida, como
se pensa. Eosanguentou a casa de Seward, nao
porque eslivesse louco, mis porque julgou praticar
um acto moralmente justiicavel.
A chave deste enigma, a resposta desta sphinge
sao a sua vida passada, a sua mocidade e educa-
primeiros annos ; sao os acontecimentos que an-
da adolescente presenceou, e qae se apoderaram
delle e o arrastaram como em um rodomoinho, ar-
remessando-o poi fatalidade subjngado e dcilmen-
te as mitos de um homem enrgico, que o moldou
a seu gelto para fazer de!le um instrumento.
Em Payne ha um homem e um monslro.
O homem filho de Ge:rge Powell, padre Bap-
lista, que se julga residir na Florida nasceu no
Alabama, e tem apenas O annos.
O monslro filho da escravidao e da guerra
civil.
Powell leve mais seis fillias e dous tllhos alm
Je Lewis Powell, que parece ser o verdadeiro no-
me do acensado.
Quando prineipiou a guerra, Lewis Powell ti-
ah !6 annos, adoioislrava as planiacSes de seu
pai. onde trabalhavam mullos escravos. Seus dous
va de produzir em um mogo nascido no aano da Mr. Ewing defendeu Arnold e o Dr. Mudd.
annexagao de Texas ja versado nos paradoxos Arnold tomn parte na conspirado que tinha por
desmoralisadores da escravidao. Imaglnou poder Ora entregar Lincoln as autoridades do sul para
s o que oulros mullos faziam em massa ; julgou obter urna de prisioneiros. Mas desavise com
que praiicava um feito militar, e percorrendo Booth em 36 de margo, e desde ento nao leve mais
este caminho funesto,' nao o moveu seno urna relagSes com os conspiradores; a carta achada na
consideracao, e era que a acgo solada era mais malla de Booth prova que ests quiz reconcillar-se,' eslava ao p ouvio com toda a devocao!
nobre, porque exiga mais valor, e que o seu odio mas que Arnold sempro se recusou. Arnold nao Os oulros eclesisticos tambera repetirn ora-
era mais justiicavel, porque importava um sacri- Pode ter responsabilidado aluma pelos act-,s de g5es, que a multldao repeta
licio pessoal mais imraediaio. Diriga a poliuria Booth e dos que o auxiliaran). | Os condemnados recebaran oMom para se le-
a cabega do immigo, em vez de Ih'a dirigir ao Emquanto ao Dr. Mudd, nos annaes judiciarios vantarem, tirados os bancos em que estavam sen-
iora forte destacamento eslava postado em roda
do campo onde devia veriflear-se o soppliclo. Al-
guns centenares de cidadaos foram admlttidos den.
tro do reclnlo guardado.
Um dos padres que acompanhava madama Sor-
ralt proferio ama breve oragao, o qual, Payne, que
.raras vezes tem apparecido um aecusado con-, tartos, comegaram os ltimos preparativos Ala- que d'entre as muflieres que acompanhavam a Je-
ramlhes as raaos atraz das costas, e llgaram-lhes'sus, aquella, a quera os padres chamam sua pri.
as pernas por rima e por baixo dos j oelhos e lan.' muir disciplina, mosira-se-nos -penitente.
corpo.
Nos consideramos o presidente como o salvador lra quem se reunissern tantos lestemunhos fal-
da patria, e Mr. Seward como o grande pacifica- scs e difflcil 6 a um innocente confundir os seus
dor, o escudo protector contra a guerra eslrangei- aecusadores.
ra, para este moco assim como para cinco milhdes Nao ha um depolmento digno de crdito que di-
dos seus coocidaJos, um era um usurpador, um gaque o aecusado encontrasse Booth mais de duas
Invasor ou um violador das leis; o outro era o veies e islo em novembro, em Charles County,
conselheiro da oppressao, o advogado cauteloso do Dara um negocio simples de commercio. Pelo que
irriprimivel conflicto. diz respeito cura da perna quebrada de Booth
Apresentou-se urna terceira escola. De Gettys- !**.**?9Nam*' *0T?a deu fr<>mpi,meme
burg Payne foi mandado para o hospital de Pral- KKaroldl Cara'Dh qa6 "nnam SegUd
streel em Baltimore e ah Ucou at outubro de
1863; sem esperanga de ser trocado fugio para o
llavera mais alegra por nm peccador qne faz
penitencia, do que por noventa e uoe justos qae
e para Ihe explicar cautello
pensamento do governo. Eutmto i
discussao do negocio, dista en a atfr. Banl,' m
a sua residencia ja' lio loofa em Man, fea I
sem duvida demonstrado a imprniibilMiii 4* i
nao carecem de penitencia.
A le nova nao mais do que a rehabilitaQo da
homanidade.
Deste modo aos olhos de todos, Magdalena a .
_ ... i t">oar indiflnidamente urna poltica qoe mt
ovelha desgarrada, que o pastor chama com todo o __.__ y *"" """ ~w
., j conforme co n o espirito das D cuidado, e poem-na sobre os seus hombros nara ra a ^ y .."" ""-. ^ "
reconduzi-laao aprisco, onde se torna mais precio- 'eghf T cm *w ** qMaeMraa.
sa do que todo o reta- nho. 11 ** pr0,ec^; ,Dd,ean^ -*
os inconvenientes que podenam resollar pira pa
mos urna suave consolae/m quanJo vemos da presidenc i e.u c-rtas deas qae nia poSa*
deixar de ser exploradas pelos partid nlwu i.
Bxpoz-lhe que ne-i i i-aihe^oaia se arhav o estofe
Adeus
nos
Nem nos depoiraentos escriptos nem nos depoi-
mentos das testemuohas mais ou menos dianas da
seu regiment que eslava em Fanquier, onde per- crdito, sa encontra prova alguma que o Dr Mudd
maneceu al ao de Janeiro de 1865. N'esla
poca salvou a vida, com risco da sua propria, a
dous prisioneiros da Uni3o. Desde entao a causa
eslava perdida Payne veio a Alexandria, venden
o cavallo, prestou o juramento de fidelidade como
refugiado de Fanquier, e dirigise a Baltimore.
N'este periodo novas influencias deleterias ope-
raran! u'elle. Lu Londres e em Fanquier, que
tiuham soffrido muito com a guerra, ouvio conti-
lomasse parte na conspiraco para a captura c u
para o assassino do presdeme.
Estes foram os pontos capitaes das allegagoes,
que llzerara grande impressao no auditorio e por
isso de esperar que tambera a facam nos jui-
zes.
Madama Surratt conlina gravemente doenie,
sem poder comparecer no tribunal.
Payne j nao desperta o mesmo interesse, prin.
nuadamenie amargas queixas, e express5es de 'cipalmente entre as senhoras, depois que deixou de
rancoroso odio contra o presidente, que augmen- ser um myiho.
tarara a acrimonia, que elle ja tinha accumulado Seu advogado levantou o veo e tirou Ihe o pres-
emS1', ligio de monslro legendario ou de animal do Apo-
Finalmente passou por urna ullima escola, qae 'calypse, passou a homem mal creado, cacador de
Ihe apagou os ltimos vestigios do senso moral, e negros por vocago, e matador de brancos quando
acabou de o preparar para as mais terriveis ex-' 0 julgou necessario.
iremos. I
Payne achou-se em Baltimore sem d.nheiro, Ja nDg0em lhe manda leDs Plumados, e
sem recursos, e sem proflsso. lgnorava comple- i as madeixas de seus cabellos soffrerara grande
lamente o trabalbe manual. Em consequencia do ; baixa-
urna escaramuza que houve na casa onde eslava | m
hospedado foi preso e maudado para o Norte da' Sanford Ganover compareceu no tribunal e co-
Filadelfia. Tudo se conspirava contra elle. No' roou dignamente a comedia, de qae se fez o triste
norte repelliam-no como rebelde, a gente do sul here. Declarou que no mesmo da em que depoz
despresava-o como desertor, e assim o tratavam em audiencia secreta, parti de Washington para
em Baltimore. Sem dinheiro, sem amigos, todos Moni-Real, e ahi encontrn Tucker, Sanders, ar-
Ihe voltavam as costas, vio-se abandonado por ro"> Pulin, Westcott e oatros, que o receberam
Deus e pelos homeos. Sao os fructos da guerra ma't0 De,D ignorando que elle os tinha atrai^oado.
civil I Payne tinba completado a sua educago. Tuckers fallando ao processo chamou paties ao
A escravidao ensinou-o a ter era pouca conla o Stanlon e ao presdeme Johnson, e malvado se-
assassinato, e a necessidade deu-lhe a resolano 1uioso de sangue ao julz letrado Holt, accrescen-
de o executar. Passou por todos os pontos do as- lando 1Qe '*Iiam bem em acautelar-se, porque ha-
sassino, e n'esla escola foi o povo dos Estados. via de chegar a occasio de dar comas e elles ti-
l'nidos tutor, guia e professor. Appareca a occa- nnam grades dividas a pagar. Quando se publi-
siao e um hornera para accender esta fornalha do cou deP0imemo de Conover, amea?aramn'o com
crime e ella arder. a morle e obrigarara-n'o, pondo-lhe urna pistola aos
No principio da guerra, Powell esteve urna non-' ES jU-ar e \sobscrever aa <** em que
te no theatros em Kichmend. Era a primeira vez ec^rllVi nao 'er *f? PeraD> o conselho e que
na sua vida que assislia a um espectculo, e por "nha mel"d d,Zendo cbamar-se Was,on Wallace
isso a representaco exerceu sobre ell urna influen-: e qUe "zera ist0 para salvar a vida-
ca mgica e despertoulhe um extraordinario en- ^ma testeraunha chamada Ausier.confirmou este
thusiasmo. O actor Wilkes Booth, principalmente depoimento.
fascinou o pela voz, e pela accao rdante e apai- John Cantley e Watkins Graves, impressores em
xonada. No lira da representaco pedio para Ihe Selma (Alabama), reeonheceram a letlra de M. G.
ser apresentado, o que conseguio. Nunca se en W. Gale da Golumbia, que publicou no Dispatch de
contraram duas naiurezas to diflerenles, com tu- Selma, um annuncio offerecendo um milho de
do nunca houve dous homens to bem lalhados, dollars, a quem raalasse Lincoln, Joenson e Se-
para que um exercesse sobre o outro um dominio
irresislivel. O soldado era forte, rude, franco, ge-
neroso e analphabeto ; o actor era delicado, polido,
gracioso, vivo e relativamente instruido. Logo
garam-lhes ura capuz branco por a cabera.
Atzeroth no ultimo momelo disse : <
senhores, acautelecerase. Adeus.
Um dos padres dlsse : Deus permita que
encontramos no outro mundo I
Logo que os lacos se prepararam roda do pes-
coco dos condemnados, sendo madama Surratt a
ullima que foi preparada, o chao do estrado cahio>
e os corpos dos infelizes supplicados Ucaram sus-
pensos.
Ao-passo que as virgens puras seguera as pisa-
das de Maria Imraaculada, gestamos de ver Mag-
dalena estendendo urna mo segura aquellas que
andan) desviadas por raaos carainhos para mos-
trar-lhes a verdadeira estrada da salvacao.
Toda a historia do carabao humano nao cifra-se
na innocencia e penitencia ; quem busca junto
Gruz abrigo e protecgo. pJe laucar fra deila a
mulher peccadora porque nao compreheude quo
,. o___ tocante o seu exemplo, quao suave e consoladora
Madama Surratt e Payne apenas flzeram um rao- ., a j
. e a sua iraagem, para aquellas que do fundo do
..',. abysrao, em que suas culpas as precipitaram a
Aizeroth fez algumas contors5es. .. ., v .
Harold raostrou raais sensib.lidade nervosa do 2?55! f aofSPesdoSe-
que os outros executados. [ nh0J' banhaof os .co, 'aRr"naS **"^ T'
n,_____ _. ., vindo de sua boca indulgente as palavras da vida.
Us corpos conservaram-se peudurados ate se ex- ..... .
lingulr todo o alent vital.
Depois foram tirados e collocados nos grosseiros
caixoes, preparados para os receber.
Diz-se que Payne lizera urna declaracao a res
peito de madama Surratt, eximiudo-a de toda e
qualquer cumplicidade no crime.
Outra pessoa fez um termo contestadlo a veraci-
dade de urna testemuuha imprtame, que depoz
contra ella.
LirTEHTDRT"'
DH POICO DE TUDO.
MULIIERES CHRISTAAS
rependidas.
Sempre que os Evangelistas fallam das mulheres
' que seguiam a Jess era suas viagens contara Mag.
dalena em prlmeiro lugar.
E com effeilo impellida incensanlemente para
1 elle, por seu amor, e pelas necessidades di ura
concao experimentado, ella acha-se em todas as
circumstancias importantes da vida e da morte de
seu mestre muilo amado.
! Desde que chega o momento de perde-lo, afflicta,
' mas sempre del vela junto a seo lado, acompanha-o
at o lugar do seu supplicio e recebe juntamente
com Mana Virgem o seu ultimo suspiro.
L-se o seguinte no Braz Tisana:
No canal de Willebrock na Blgica, fez-se ha
pouco urna experiencia em cujo bom xito inte-
ressam muito o commercio e a industria.
Mara e Magdalena.
Ao p da Cruz em que Jess Christo expirava
entregue irrisao e insultos de seus algozes, duas
mulheres se viam notaveis pela amargura de sua
dr. Trata-se de urna tentativa de rja, ou reboque
Urna eslava santificada pela pureza o a outra pu por vapor nos canaes
rifleada pela expiaeso. Maria a Rainha das Vir- *
flnc a itwJZ. .. i a jiI i Todos sabera que, se a e aqu o vapor nao subs-
gens, e Magdalena a rainha das arrependidas. ,
tilmo as sirgas por homens oa cavallos para rebo-
Parlindo das extremidades oppostas da escala car as ombareacoes nos canaes, porque os vapo
moral, tinham ambas percorrido caminos bamdif- res de hlice ou de rodas exercem ac5ao destrul-
rerentes autes de chegarem ao p desta cruz, onde dora S0Dre as margens dos canaes, e porque o peso
trespassadas pela raesraa tristeza, banhadas pelas d0 rebocador e ao combustivel deminue a carga
mesmas lagrimas, reunidas por um s amor, sym- til dos barcos, cujas dimenssoes sao limitadas
ward.
O jui letrado Holt declaran lindos os Interroga-
torios das testemunhas.
O juiz letrado Birgham, servindo de ministerio
qne se virara ligijara-se intimamente, depois sepa- publiC0'leu a resposla a allega5o de Mr. Reverdy
raram-se e nio se lornaram a ver por espaco de JohnsoD> relativamente a jurisdlccao do tribunal
quairo annos. militar. .....
uepois da repblica do advogado geral Brinsham
Era um da de marco ultimo Payne Powell no e de algumas oliservagSes de Mr. Ewing, o tribo-
estado de abandono e de proslragao moral em que nal levantou a sesso.
ovimos,arrastava-se ocioso pelas ras de Balti- No da seguinte constitaio-se em sessao secreta,
more. De repente, prximo ao hotel Baroum, S mais tarde publicou a senlenca. Foram deca-
urna voz sua conheeda o chama, reconheceu logo I rad0s culpados e condemnados a serem enforcados
o acor Boolh. Booth, diz Payne, preciso comer,; David E. Harold, George A. Atzeroth, Lewis Payne
de forae. Em outra occaslao
estou a raorrer
Boolh Ihe teria dado pao ; mas n'esla foi mais Ion-
ge, chegava do Canad e procurava agente*, lan-
cou mao da forae do miseravel, e fez d'elle um ins-
trumento, t Dou-te o dinheiro que quizares, mas
jura qqe me obedecers ; trata-se de urna empreza
arriscada. A forae negra e nao olha i jura-
mentos, Rowel proferio o fatal juramento que o
prenda a Booth como Fausto e Mephistophles,
Powell foi cora elle, comeu, e no da seguinte re-
cebeu dinheiro para vestuario, e assim foi maotido
por urna semana.
As perguntas de Powell, ooth responda com
evasivas, sabia que domina va aquelle homem, mas
receiava que elle repelisse a proposta para com-
rreiter um crime. a ponco e pouco, e com dis-
cursos gradualmeote exaltados, se apoderou do
seu espirito, e nao o largou seno quando conse-
guio inflama-lo cora a paixo at produzir o deli-
rio ; quando o julgou prompto, fallou-lhe na cap-
tura do presidente para o entregar s autorida-
des confederadas.
S asoito horas da noute de 14 de abril Ihe re-
velou o, que exiga d'ello ; tinha dado a hora ;
irmaos ahsu.am-se ; e Lewis tambera se alistou i Booth metteu-lhe na mao as facas, o revolver e o
naoompantawdo^capitao Stuart, do 2 regiment! embrulbo, flogindo comer medicamentos, deu-lhe
mandado para R- j instruccoes, preparou Ihe um cavallo para se reu-
nir a elle na ponte de Anacosta, e deu-lhe o impul-
so.... o resto bem sabido.
Quaudo o seu advogado Ihe perguntou porqua
tinha commeltido o crime, respondeu : Porqoe
julguei que fazia meu dever.
I Payne no momento do crime nao tinha vontade
de infantaria da Florida, e foi
cbmond.
Na idade de Lewis, a guerra era a defeza das
insumieses domesticas, das tradicQoes de familia,
dos hbitos ae lodos os dias, das leis vitaes de um
paiz, onde desde a infancia linha visto a escravi-
dao associada a todus os actos da vida no lar pa-
terno e as reunies publicas, e onde o chicote e o
sabujo se empregavam contra os delinquemos ou
fugitivos. Assim prefinido com ideas erradas, s
va a ruina de um systema social, principal funda,
ment da sua educaco, suas propriedades amea-
ijadas, suas leis derribadas, a sua religio aniqui-
lada, e a oaco invadida.
propria, eslava entregue de corpo e alma a Booth,
debaixo daquella influencia e dependencia pela qual
ura homem se torna urna cousa de outro, que tem
diversos nomes as linguas conhecidas, e que um
verdadeiro mignetismo.
Booth tinha esta influencia indefflnivel, e aecu-
0 cdigo que Ihe ensioaram era o poder da su- sad estava ligado a elle pelo reconhecimento, pelo
perioridado de raca, que confere a um hornera o j juramento e pelo inieresse e sympathia por urna
direito de vida e de morte sobre outro homem, e causa coramum.
a sub>liluigo da autondade legal. Em urna pala-! Assim se explica saa obediencia passiva no
vra, Payue era no miral ura producto, nao modifi-; momento supremo.
cido pela experieaiia, da escravidao, do orgulho uma Krande differenca entre o assassino
da raga, do direito pessoal e do direito dos estados. | mercenario qne mata por dinheiro, e o assassino,
O p ;Vo americano, solidario nestas inslituices e fanatic. Jie julga do seu dever sacriQcar a vida
nesles costumes, e responsavel pelos desvos, que em troca da exi-'enca daqaelle que considera co-
foram consequeucias de taes instituiij5es e eos- mo um ni'n'go publico, e este era o caso em que
turnes. | se achava e seu cliente.
A segunda eseela de Payne foi a da guerra. ] Es,e homem deseja morrer para expiar o crime
Fez sob o commando de II II a campanha da pe 1ue commetteu, e para colher a palma do manyrio.
ninsula, asssiio- s batalhas de Chaocellorsville I Mas ha muias oatras razes para o salvar do ulti-
e de Aulietam. N'esta ultima .-oube que seus mo supplicio.
dous rraos tinham sido morios em Murfreesbo- i Tem qualidades eminentes, urna franqueza a to-
ro. Em 3 de jaiba, na carga contra o centro dos da prova, uma constancia que far com que enea-
federaes em Getlysbourg, foi ferido e feito pri- re a morte sem tremer, s teme uma coisa, e vem
sioneiro. Hoje pode avalinr-se o effeilo desmora- aler, que o povo o considere como
lisador d'estes dous annos de campanha produzido mercenario, oa como om broto
em um rapaz de 16 annos. | Mr. Dosier, depois de uma hora de inlerrapgao J.^..'a h0"_e .algUDS 'nU,! abriose a f
Vio fazer cestos e tigellas dos craoeos dos sol- da a dados raortos; vio prisioneiros morreado de fo- Mr- Arken lea a de madama Sarratt, qae termiua-
me, e morios e feridos despidos e roubados pe- T'A0'"?^0.9^ant* e Pa'heticamente a miseri-
ios dous partidos, o flm justifleava todos os exces-
sos; lado isto se passava em um exercito, onde i
e Mary E. Surratt, Miguel, O'Langhlin, A. Mudd,
Samuel Armold e Samuel foram coudemnados a
prsao com trabalhos por toda a vida. Eduard
Spangler foi condemnado a 6 annos de prise com
trabalho.
O presidente approvoa as sentencas, e mandou
que fossera executados pela autoridade militar no
da 7 de julho de 1863, sendo os reos condemnados
a priso, enviados para a penitencia de Albanv
(Nova-York.)
Logo que se publicou a sentenga, os parantes e
os amigos drgiram-se prsao. Mlss Surrath foi
a primeira a visitar sua m. A entrevista foi pa-
thetica. Miss Surrath, porm, logo cobrou animo
e corren a casa do presidente para pedir a comrau-
tacao da pena. Acompanharam na dous padres ca-
lmbeos e os advogados de madama Surrath, estes
ltimos appoiavam o seu requerimento com a nar-
ragao de novos fados, recentemente descobertos,
que desculpavam sua cliente.
O estado de saude do presidente nao Ihe perrait-
lio dar a audiencia pedida, e os supplicantes foram
por elle enviados ao julz Holt. Este depois de ouvir
Miss Surrath prometteu-lhe apresentar a sua sup-
pMca a o presidente.
As cinco irraes de Harold, Gzeram o mesmo pe-
dido com pouca probabilidade de obter bom resul-
tado.
Madama Surrath depois de ouvir a seotenca es-
leve todo o da, n'um estado de prostraco, que os
mdicos consideraram perigoso. Receitaram vi-
nho e valerianna.
Alzeroolh, Ucou completamente abatido, dorara-
lhe agurdente e outros excitantes.
Harold mostrou a mesma indifferenga, que ma-
nifestou desde o principio do processo. A noite
comecou a sentir a commocao propria da sua si-
luagao, e fallou do saogoe fro que precisa va ter na
occaiao prxima da sua morte ; s pedio qae o
seu corpo fosse eotregue a sua familia.
Payne, nunca deixou de mostrar um stoicismo
notavel. Entrou com perreiio conhecimento de
causa na conspracao, aceitou isso as consequen-
cias sem tremer. Em quaoto este preso, fallava
pouco, mas nanea tergiversou, nem mudou de atti-
tude. Mostrou se sentido de que os seus actos cora-
promettessem madama Surrath, e declarou que
Jonb Surrath era um indigno por nao ter fleado
para salvar sua mi ou morrer com ella. Susten-
lou que o seu verdadeiro nome era Powell e que a
sua familia estava na Florida.
No dia 7 de julho leve logar a execoco, nao
sendo commutada a pena a nenhum dos condem-
nados, apezar dos maiores esforcos, que se flzeram
para o conseguir, principalmente em relacao a raa
dama Sarratt. O presidente responden perempto
riamenle, que uo, aos numerosos pedidos que lhe
foram feitos. Os advogados teniaram, o writ de na-
uta assassino i beascorpus, mas inultimeole.
bolos de innocencia e de penitencia, se abrigara
sob os olhos moribuodos do Salvador, eappareceu
oeste momento supremo em que se completava tudo
com o futuro typo das mulheres christas.
Em Maria v o mondo o que a virgindade tem
de mysterioso e sublime, em Magdalena v o amor, t
amor da alma depurada ; infinito, nascido da re-' c
habiliaco da mulher, diguidado esta descouheci- i
da, que ella encontra junto do Senbor, no perdo |
que recebe dos seus labios.
A antiguidade divinisava
pela largura das reprezas.
Para obviar a este inconveniente fundamental-
ura engenheiro francez conslruio um apparelho de
sirga, composlo de uma arvore transversal em
cuja extremidade est collocada orna roda dentada
m que se enroda uma cadeia mergulhada no
anal.
Na outra extremidade a arvore tem duas rodas
por meio das quaes recebe moviraento da machina,
As experiencias ltimamente
salisfaionas.
feitas foram mui
a paixo material, o ransmittindo por crrelas,
chnstiaoismo produz a ternura do coraco, cujo'- Uma combinaco de roldanas verticaes e hor
principio e lira esto era Deus. | sontaes esta collocada a popa e a proa das embar-
Jesus havia ditovinde a mim todos os que an- cagSes para nellas girar a cadeia, e finalmente
dais em trabalho e vos achaes carregados, e eu vos outra roldana flxa na extremidade de uma mani-
alliviarei(S. Main. cap. 11 v. 28) vella que passa por dentro do eixo da grande roda
E logo graodes e pequeos, innocentes e culpa- dentada, permitte ajustar a cadeia na circumeren-
dos, homens e mulheres se apressam em segui-l >. ca desta ou solta-a.
Mas uo meio deste concurso uma mulher se dis-
tingue logo por sua assiduidade junto ao senhor, e
pelo ardor com que por todos os lugares o segu.
Qual sua a patria e familia ?
Ninguem o sabe.
O appellido de Magdalena com que o Evangelis-
ta a designa, lalvez venha de Magdalena, aldea da
Galilea, donde julgam alguns ser ella originaria, I "'
mas a falta de dados positivos tem aberto campo a
muitas conjecturas, sem que nenhuma deltas o ex-! E'd0 Sr- J- x- c- de Barros Garapello esta tra-
linii duegao:
P""U8- QUE1XA DE INGEBOR.
Um dia achando-se Jess era uma cidade chama-
da de Naira lhe rogava um phariseu que fosse a co- E che8ado outono : a escura onda
mer com elle, e haveodo em casa do phansea se Do mar pm roncando
assentou a mesa. Qu5 fthz Dao Sef,a' se sob,'ella
Ah t eu fosse vogando.
E no mesmo lempo uma mulher pecadora, que
havia na cidade, quando soube que estava mesa
Uma pequea machina rebocou em 11) minutos,
a distancia consideravel, um comboyo de bar-
cos, entre os quaes havia ura cora 300 toneladas
de carga.
As brancas velas, Frithriof, eu vejo
J irem se encobrindo
De teu navio, que as verdes agnas
De trra vai fugindo.
Onda, porque que levas lao depressa
O nauta to amado ?
Astros, protegel, mostrai camioho
A quem me ha deixado.
em casa do phariseu, levuu uma redoma de alabas-
tro cheio de balsamo :
E pondo-se a seus ps por detraz delle, comegou
a regar-lhe com os cabellos da cabera, e lbe beija-
va os ps, e os unga com balsamo.
E quando isto vio o phariseu, que o tinha convi-
dado, disse l comsigo fazendo este discurso : se
este homem tora propheta, bem saberla quem, Relraz n esto o viajor querido,
e qual a mulher, que o toca : porque pee- Porm lalvez ento
cadora. i Pela arena correr para abraca-lo
Ento respondendo Jess lhe disse.
Simo, tenho que te dizer uma cousa.
E elle respondeu.
Mestre, dlzei.
Um credor tinha dous devedores: um lhe de-
va quinhentos dinheiros, e outro cncoenta. Po- Aguia) que e,|e a
rem nao tendo os taes com qne pagarem, remttm- j Que lambem te amarei .
Ihes elle a ambos a divida. Qual pois o ama E os ,eus fl|hjnnos COffl CQdado exlremo
mais ? _, Eu sempre nutrirel.
Respondendo Simao, disse.
Creio que aquelle, a quem o credor perdoou
maior quantia.
E Jess lhe disse.
Julgaste .bem.
E voltando para a mulher, disse a Simo. Aguia ligeira, para o mar commigo
Vds esta mulher ? Entre em tua casa, nao Olha cora altengo ;
me deste agua paraos ps : mas esta com as suas Sobre neste meu hombro, e dze... Ai !
Eu nao possa mais nao.
Meu corpo inanimado a fra trra
Cobnr solitario,
Ou junto doutro esposo re bem triste
Cumprir o meu fadario I...
Deixa o meu veo : eu bordarei contente
No meu tear
Azas de prata, e bellas garras d'ouro
P'ra te offertar.
an mal das no-<:i- rela?5es coro a liaba, qs m
tinha tornado um campo da bauiba, a qoe rscar-
riam os partidos extremos para agitar o pasa.
Represantei lhe qoe a Hespaoha pan a i
santo padre, e por sympatbia pe w graaiao
tunios, tinha deferido dorante alguna annos a aav
''<.o deste negocio, e por isso o sea fovers m
tinha exposto a severo, ataque, e se luna vetaa-
tanamente isolado da connooobo
peranga de que ura ajuste entao as
sadas ou um aecordo eotrs as poteweia*
dessem uma sologo definitiva aos
Italia.
Esta esperanga nao se tem realisado
apezar do oosso rdante desejo, o
S. M. teria tanto menos razio de preservar nesla
linha de conducta poltica qnanto o lempo e cor-
so dos acootecimeiilos teera demonstrado ja nio
s estril, mas contraria ao fim qoe se
Nem os perigos de uma maneira oo proceoor i
to atacada no paiz, nem no eslrangeiro, oo i
nientes de um isolameolo yieratico cas grioii
nagoes do inundo, qae, salvo uma ooica oatoral
excepgo, tem reconbecido o reino da hola, oao
seriara compensados com a certeza nana aaaaoao
cora a esperanga de contribuir para o rrmtwlti
memo dos soberanos deposlos oo para a
gao completa do poder temporal da saau s.
A base da nossa poltica foi e devia
rismeute a neutralidade ; roas a coaiioaaco oo
nosso tanta ment prejodicou a Hespaoha seso sor
til ao papa nem aos principes por cojas o\^pp
temos mostrado to publicas e constsoan vospa-
that. Disse mais ao nuncio de S. S. one anata
como os hespaohoes, e a exemplo 4* sua ratono,
os ministros, profes?avam pelo santo padre, cosos
visivel da igreja, a mais profuoda veoeraci, e
seotiram pela sua augusta pessoa o respeito e n
admiragao que iospiram as soas aiiriboir>, e a
impossibilidade em que se acham de Ibes dar re-
medio, nao podiam dissimalar qoe para seren
uleis aos iuteresses sagrados e penoooonses do
papado era indlspensavel qoe a Hespoano reoo-
vasse as suas relages polticas com o rasa da
Italia, entrando de novo na comrounho eoropea,
e habilitndose d'este modo para fazer oavir a soa
voz e empregar, a favor da independencia e digni-
dades di sama s, a influencia qoe as asa
cas lhe possam dar. D'este modo, ebegar-ae-on a
conciliar a necessidade de pr termo a orna siansco
difflcll, como intervesse que nos iospre,iodo osm-
io lera relago com o chefe visivel da igreja.
Accrescentei lambem que tratando com a Italia
e reslabelecendo com aquelle novo estado aoligas
e indispensaveis relagoes, o governo de S. M. nio
eniendia apoiar os facios passados, nem enfraonc-
cer o valor qoe podessem ter os protestos
contra elle pela corle de Roma.
Reservando na qaeslo da Italia lodos os l
reitos, mas alleodendo aos inieresses da
o governo de S. M. nao fez mais do
exemplo de quasi (odas as nagoes
mundo. E quando a santa s, na sua alta
e profunda prudencia, jalgon opporinoo trotar coa
renreseutante do re Vctor Emmanoei para se re-
gularen! as questes religiosas no novo reino de
Italia, nao pode parecer extraordinario qoe a opi-
niao publica se mostr mais decidida a pedir ojm
a Hespaoha restabelega com esse meso reino da
Italia as suas relagoes polticas.
IMsat finalmente ac nuncio de S. S. qoe determi-
nado por tantas razes ponderosas, o governo jurf-
gava indspensavel dar e?te passo, e emprebeader
desde j as negociagoes necessarias com o gibo
le de Florenga.
Acaba de dar esle testemunho previo de respailo
e de deferencia pela santa s, quando tendo-so-sne
apresentado o encarregado de negocios de el re
Vctor Emmauuel nestn corte, o bario Cavaleasns,
ti ve occasio de lhe aoMOttaf a resolacio do go-
verno de S. M.
Fazendo leiiura desle despacho ao secretario *
estado de S. S., edeixando-lbe copia, se elle a to-
sejar da vontade de S. M. qoe V. Exm. inmin I
aocardeal Antonell, e mais particularmente i.
S. mesmo, qne o governo da raiona experimenta
os mais profundos sentimenlos de respeo e do
venerago pela sua autoridade sagrada e pela sos
augusta pessoa, e que est resolvido a difender
hoje e sempre, os direitos e inieresses da santa ioc-
tituigo de que elle symbolo.
Por ordem real. Manuel Bermudes ie Outro.
lagrimas regou os meos
os seas cabellos.
ps, e os enchugou com
o santo ere o odio do presidente federal. Foi
esta a horrivel inslraccao qae adqaerio na guer-
ra civil, e fcil de calcular a impressao qae ba-
cerdia do tribunal.
Mr. Ewing devia apresentar no dia 23 a defeza
do Dr. Mudd.
O tribunal anda tinha a inqaerir duas (esterna-
do para a forca encostada a dous offlciaes milita-
res. Seguiamse Atzeroth,Harolde Payne acom-
panhados pelos padres e por ama escolta de solda-
dos. Na frente do estrado havia assentos para os
condemnados. Logo qae elles se sentaram o ge-
neral Hartranff lea a ordem do ministerio da goer-
nhas, e na semana seguinte (S6) devia replicar o ra approvando as seotengas e ordeoando as exe-
juiz letrado e proferir-se a sentenga. ;cugoes.
Nao me deste sculo : mas esta, desde que en-
trn, nao cessou de me beijar os ps.
Nao ungiste a roinha cabega com balsamo : e
esla balsamo ungi os meus ps.
Pelo que t digo : que perdoados lhe sao muitos
peccados, porque araou muito. Mas ao menos se
perda menos ama.
E disse-lbe a ella.
Perdoados te sao os teas peccados.
E os que comiam ali comegaram a dizer en-
tre si.
Quem este que ata perda peccados ?
E Jess disse paraba mulher.
A tua fe te salrou : vai te em paz. (S. Luc.
cap. 7o.)
O seatimento unnime dos povos, quando cha-
mam Magdalena a esta peccadora arrepeodida e
perdoada invocando-a como padroeira das mulhe-
res arrependidas parece estar indicando uma o-
lerpretrago perfeila do espirito do Chrlstianismo.
Em verdade, em cada paginado Erangelhoacha-
se exprasso, reproouzindo se de mil formas, este
pensamento de peccado e de perdo, de tristeza e
de jubilo-
Aqui o filho prodigo que o pai de familia ac-
lbe ebeio de cootentamento, em cujo loavor cele-
bra om grande festlm.
AH a dracbma perdida, qae sendo achada pela
mulher qae com paciencia a procarava, motivo
de jubilo para ella e soas visinbas.
Nao foi debalde qae o Senhor dlsse.
Elle nao vm, nao.
Que importa!... Quando elle vier de volta
J mona me achara,
Mas o tea gnlo em o saudando, prantos
Por mim derramar.
ii a
Foi esle o despacho que dirigi o governo de
Madrid ao representante hespanhol junto da san-
ta s, annunciando o reconhecimento do re de
llalla:
Madrid, 26 de junbo de 186o.
Os despachos telegrafieos e a circular que em
data de 22 d'esle raez, dirig aos ageoles diplo-
mticos de Hespaoha no eslrangeiro fizeram-
vos saber que S. M. a rainha se dignara accei-
lar a demisso do gabinete presidido pelo du-
que de Valencia, comeando em sua substituido
outro gabinete presidido pelo duque de Tetuao, e
no qual tenho a honra de desempenhar as fuocgoes
de ministra dos negocios estrangelros. Haveis
lambem visto nos dircursos pronunciados pelo pre*
sidente do conselho as cortes, cuja copia vos en-
vo, o programla da poltica qae o ministerio
actual se proproe seguir, e julgo intil chamar a
nossa esclarecida atlengo para a importancia da
declarago em que o governo annaocia qae julga
chegado o momento de adoptar uma resolacao a
respeito dos negocios da Italia.
Aproveitei por consequencia a occasio qae me
offerecia a recepgo offlcial do corpo diplomtico
para coofereociar com 3. Exc. o nuncio apostlico,
Publica o Constitucional o seguale :
Ha cores que absorvem extren
assim como ha tambera algumas qoe |
vem o ardor dos raios do re dos astros.
Por mais de um exemplo, est re
o branco atena sensivelroeaie o ardor do sol,
quando, como em reg oes trridas elle exetssivo.
Na frica, davam-se aos soldados
expediges, alberns brancos como oa i
o que um dia foi causa de ura engao
Um batalho, que linha marchado toda anonas.
dirigla-se para um acampamento na falda dan moav
tanhas, em uro sitio onde nio baria ramios tro-
cado, e marchavam pelo meio de ornas matas ora-
vas, quando aos primeiros alvores do do, oUn M
tomado por um batalho arabo o i
dos postos a vaneados f raneles, e s i
los soldados tioham cabido morios, qoe so daa
por este erro.
Ero frica, os Europeas, abro de se limiom dao
ardores do sol, ves tem uns alberns branco, mos-
to curtos, e as praeipaes eidades
damas adoptaram os guarda-sdes
Parece que este uso se miioim
como a muitas oatras eidades da
Dorante o calor tropical
viam-se nos Campos Eiysos e no I
nha, varias pessoas em car
com guarda-soes de alvora
dos de seda verde oa azul
senhoras a p com guarda-sota da i
Um boorado relojeeiro de Glasgow,
pouco uma machina em qae a "
notavel papel.
Uma pilha secca combina
de ura complicado raechamsmo
p5e em movimento o pndulo
irabalhara sem qoe nanea an fea M

O artista lera j grande ..
de relogios desle genero, o trata
gio de invengio.
Esle mesmo relojoeiro lea na
invento de menos importancia,
dar alguns resultados econmicos
prezado.
xjnr
PERNAMBm- TVP. DB M. F. F.
-ir


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP6A5WT0K_PPOBMW INGEST_TIME 2013-08-28T03:42:01Z PACKAGE AA00011611_10747
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES