Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10745


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
I
AMO IL. JHERO W
Por qnartel page dentro de 10 das do 1. mez ...::. gjooo
dem depois dos l.01 10 das do coraecoe denlro do qnartel. 61000
Porte aocorreit por tres mem .*........".:". 750
SEXTA FEIRA 18 DE AGOSTO DE 1865.
Por auno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.,. 191004
?ortc ao correio por wn anno..........." JlOO
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Aulonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. do I.emos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Geraldo Antonio Al ves &
Filhos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO SOL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alvos; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gaspannho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinlio, Garanluins, Bui ue, S. Bento. Bom
Conselho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Onricury, Salgueiio e Ex, as quarlas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, AguaPreta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do coinmercio : segundas e quintas.
Relagao: tergas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
quartas e sabbados a 1
El'HEMERIDES DO MEZ 1JE AGOSTO.
7 La cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da na.
13 Quarto ming. as 7 h,, 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., 57 m. e 3i s. da rn.
129 Quarto cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DAS DA SEMANA.
kRTE
; 30D, cora relagao ao parecer da respectiva conlado-
ria, junto por copla, resolve abrir um crdito sup-
plementar na importancia de 5:8655323 rs., para
contrauago no exercicio de 1864 a 1863, em li-
quidacao das despe;as de que tratam os arts. 10 8
2, 20 e 32 J l 2 o 42 da lei n. 596 de 13 de
maio do anuo prximo passado.-Commuoicou-se
a tliesouraria provincial.
Dita.O presidente da provincia, resolve desig-
lo de 20 de jolito ultimo, em que V. Exc. SSSXSSi H^^S^btS^
me participou que depo.8 de ter prestado juramen- requerer a especialisago da hypoHiect fel da
4. Segunda S. Euzeb.o presb.; S. Demetrio m.
). Torga & Assumpgao de Nossa Seuhora.
, HUar!iU e u,0,lu\r-i s- Diomedes medien.
17. Qoiola. S. Mamede m.: s. Liberato m.
o !;'?, {ac,IQ"10 5 Ss- Lauro e Floro mm.
19. Sabbado. S. Luiz f. b.; S. Tecla m.
20. 5. Joaquirapae de N. Seohora ; S. Samuel prof.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 1 horas e 18 m. da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIRO.
Para o sol at Alajroas a li e 30; para o norte
ata a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Penan-
do nos dias 14 dos mezes de Janeiro, marco, ma;,
julbo, setembro e novembro.
ASSIGNA-SE
|no Recife, na livraria da praga da Indep*
os. 6 e 8, dos propietarios Manoel Fi
iFaria & Filho.
gueir..
OY*iBi0 DA PR0Y1&IU.
Expedicole do dia 1 de agosto de 186o.
Oflii'io ao Exm. visconde da Boa-Vista presidente
da provincia do Rio-Grnde do Sul.Accuso rece-
do art. 158
do corronte
communica-
mesma fazenda, nos termos uo 2
do decreto n. 3453, de 26 de abril
anno. Fizeram-se s necessarias
ges.
Dita.Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
do 1 aqueles, mandeni dar transporto para a cap-
lal do Para no vapor Tocantis, em um dos lugares
de proi destinados a passageiros de estado, a Jos
Daniel Sulambada.
Dita.-Os Srs. agentes da Companhia Brasileira
de Paquetes, mandem dar transporte para a capi-
tal da Parahyba, no lugar de r que existe vago
para passageiros de estado, no vapor Toconins,
ao r. juiz de direito Jlo Rodrigues Chaves.
Expediente do secretario do gorerno do dia 1 i de
agosto de 1865.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda
8. Exc. o Sr. presidente da provincia manda traus-
miitir a V. S. as quatra inclusas ordens: sendo,
urna do thesouro nacional sob n. 96, a que deixa
de acoiipanhar a respectiva relacao, e tres em du-
plcala sob n. 463, 466 e 467, expedidas pela re-
pnitigao do ajudanto general do exercito.
Dito ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, manda transmittir a V. S. a inclusa or-
dena do thesouro'nacional, sob n. 98.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do B-cife.De ordoin do Exm. Sr. presdeme
da provincia, declaro a V. S. que se mandn reu
nir ao contingente de guardas nacionaes destina-
dos ao servigo da guerra, am de lerem o conve-
niente destino, o furriel Jos Joaquim Gongalves
llosa, e o cabo de esquadra Francisco Amancio do
spinio Santo; que se offereeera
do para transferir as imagens e o Santissimo Sa-
cramento.
Diz mais que dosabando a matriz era 184i, V.
Rvma.recorieriaassembla provincial,e esta con-
ceder um cont deris; e com essa quantia e com
mais algumas esmollas conseguio V. Rvma. remo-
ver o entulho, fundar novos alicerces, assentar as
portadas da frente e collateraes, e elevar as pure-
118g?minarl episcopal de Olinda, 4 de agosto de
Chantre reitor Jos Joaquim Camello de Andrade,
Encarregado da caixa pia.
4
Offleo ao Exm. presidente desta provincia.Te-
a honra de fazer chegar s rnos de V. Exc. a
certidao de casamento de Jos Victorino da Silva": "emptoriameSte nSteE? pasada pelo parocho da freonem do inai J. .,"ineut "* Jo o imped
f'!L?3fl'lU,r,,t- melade-das jas portadas-, e nesse pasada pelo parocho da freguezia do Inga, que n, fui
e.-tado flcou ate hoje. Sao por tanto passados vrato fo. remcuida por essa presidencia com flicio de
J^'r0a- vi?ar0 d0 Assu'. Nesta dala mando K^n?lve-^..................
reco her a cmara episcopal os termos de imped-' &'?.Ferr,!,ra N,0...............
men o opposto nesla freguezia e na de Santa Anna ^'"l? Antonio de Torres............
do Mallos ao casamento de Joo Francisco da
va o qual nao podera' caerse seno com
alaria da Conceicao, emquanto nao
posto.
expurgar pe
melo que Ihe
Anna ;7 """"'" ue torres............
la Sil-' usc hranc,sco de Amorim...........
Na bel -uof' Joa1dlni de Mendonca.........
' ?ao **9U de Lima. 777T......."
Folix Bezerra Campos............
Lm devoto...,
o um anno
obras, sem
bla provincial, que, generosa como nao deixaria j ment.
prazer para a conlinuaga) de urna obra de primei
ra neces>idade para urna parochia.
Espero-que V. Rvma., tomando na devida consi-
deracao objecto de lana importancia, me indicar
quaes os meios mais apropnados pa-a o Pira que
cuidado e muito adapaiada ao din que
vistas.
tenho em
to tomou posse do cargo de presidente dessa pro
vincia, para a qual oi nomeado por carta imperia'
de 7 daquelle mez.
Dito ao Exm. visconde de Camaragibe director
da Facoldade de Direito.Constando'de commnni-
cagao da secretaria de estado dos negocios do Im-
perio do Io do crreme, que por porlana dessa
dala foram concedidos 4 mezes de licenga com o
respectivo ordenado ao eonselheiro Jos Liberato
Barroso, lente instituto dessa Faculdade, assim o
communico a V. Exc. para s'eu conhecimen-
to.Igual communicaco se fez a thesouraria de
fazenda.
Dito ao marechal de campo commandante das
armas.A V. Exc. se apresontarao para seren
reunidos ao contingente de guardas nacionaes des-
tinados para o servigo da guerra, o furriel do bata-
Iho n 3 de infamara desie municipio Jos Joaquim
G. Rosa, e o cabo de esquadra da guarda nacio-
nal Francisco Amancio do Espirilo-Sanlo, que se
offereceram para seguirem no Io batalho desta
provincia.
Dilo ao mesmo.Com capias do aviso do minis-
terio da guerra de 3 do corrente, e da relagao a
que elle allude, passo as mos de V. Exc, afim de
terera o conveniente destino, as guias dos senten-
ciados destinados ao prosidio de Fernando, por
aquelle ministerio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda -An-
nuindo ao que solicitou o director do arsenal de
guerra em oIBcio de 12 do corrente, sob n. 357,
recommendo a V. S., que, em vista da conta junta
em duplcala, mande pagara Velerio Jos Joaquim
de Mello, sob mioha responsabiiidade, visto nao!
haver crediio para esse fim, a quantia de 485000, c-*l"r"0 samo; que se offereceram, segundo V. S.
proveniente da conduccao da ulencilios da-juello communicou era seu ufljeio de5ta dala, 'para servi-
arsenal para o qnartel d Soledade, onde se acha a rem uo primeiro bataibo que marchar para o
guarda nacional destinada a guerra do sul. sul-
Dito ao mesmo.-Com o meu offlcio de hoie, res-' Despachos do dia 14 de aaosto de 186H querimento despachado no sentido que pede, como
pondo ao de V. S. de 3 do crreme, sob n. 558, que : Heaerinunioi aproveito a occas.ao para louvar a V. S. pela dedi-
flcasalisfeitoquanto pede emoutro seu offlcio desta' Tenente-coronel lexandre Mamo Peixoto de Ca?;', rel|S'?S0 com quo tratoa de reparar
dala, n. 590. Alencar.-Iuform o Sr director dfloslrucctl'u Um lmf\*a* ^ seu estado de ruina se achava
Dito ao mesmo. -Senao houver inconveniente, blica. reCl0r Qi 1D5trucCao u"i sem poder funcc.onar nem acolher no seu recinto
manie V.S. pagar ao cabo do corpo de polica Joo Eduardo Anlunes de Albunuerniie Mello -In-' w *ioso,s '"'tanles dessa povoago.
Baptista de Souza Nogneira, como pede no incluso forme o Sr. Dr. juiz de direT do Pao d'Alho Q?W'ra V" S' aradecer 'gilmente em meu no-
requenmento, a quaniio a que tiver direito, por ouviudo o respectivo juiz municipal e
Iiaver apprebend.do o desertor do 4 batalho de o peticionario juntar nova folba corrida e certidao
animara a pe Antonio Estevao Fernandes da de idade, nos termos do decr. n. 817 de 30 de
L"z- agoslode 1831.
Dito ao mesrao.-Transmitio a V. S. asduas1 Jos Pe.xoto da Silva.- Iofjrme o Sr. director
inclusas comas em duplcala, alim de que, em vista geral da lastroceao Publica
do disposto no aviso do ministerio da guerra de 13 : Joaquim Francisco dos Santos.- Informe o Sr.
de junho do anno prximo passado, e como se tem commandaue superior da guarda nacional do mu-
feuo ate agora mande pagar a quantia de 29,5400, | nlcio de Pao d'Alho. ->*
s sem se cuidar na continuacao dessas 29 do prximo Dassado afim 7* Tnnrm. gai10 da Vllla de Pat
Dilo ao vigario da Villa de Patos.- Em resposta Franci.sco Antonio'de Mendonca.'.'.'.'."'
mereemento que deve ter esse docu-1 iheM^qo". m ^SiTj^'^ *&Ste""V^.
de consigna, ann'uilmente alguma su'bvcngo para Com quanto nao lenha essa cerlidao f mridira n/nKff reea"zii< mo V.Hvma. solicitador r"!|.l"l,es >"me.................
acon.nu,gaodasobras dessa ma.riz. *V!-5UftTS?l|Zto^l SXg **"**""*" ^Ut ^eira occu- ^ SdeTia..................
JL'' Dao Per1raitlo11e ^ erija era matriz a verdadera, por ser passada pelo parocho que as- P^2S.W5l 732*!Z*J**'
igreja de Nossa Senhora do Rosario,como V. Rvma. sisiio ao casamento de que se trata E lano me
propoe mais adiante na mesma esiatistica : as obras merece conlianca esse documento, que nesla data
da matriz devem continuar : havendo zelo e perse-, me dirijo ao mesmo parocho, e Ihe ordeno que lan-
yeranga ludo se pode conseguir mais cedo ou mais ce no livro competente essa certidao. visto nao t-
tarde Essa freguezia conta mallos parochianos lo feito, como Ihe cumpria, logo depis deassisUr
abastados, que por certo hao de contribuir com a esse casamento.
Dito ao vigario do Inga.Tendo-me chegado s
roaos, por intermedio da presidencia desla provin-
cia, a certidao de casamento de Jos Victorino da i
Silva e l mbelina Mara da Conceigao, ao qual ca-
samento V. Rvma assistio como parocho que era
1*1.
I**
\t -i
1*M0
liffW
l**M
1*100
l-J*))
l*KK)
Rccebi igualmente a eslatistica dessa frecoesla An,.',io Fraocisco de Azevedo.'.'.'.'.'.'.'
que satisfaz ao fim que Uve em ralas com a minh i'ranc,sc,> d^ Vasconcellos.......
circular do 22 do abril. Antonio Jos de Vasconcellos ...
t Dito ao vigario da Misericordia.-.NaoeonsUodo ^r?"r1jsco Antonio dos Santos'.'.'.'.'.!.'.'.'
a V. Rvma. impedimento algn entre os contra- Jao_ rrancisco......................
Iien.es Jos Apohnano da Silva o Roalina Mara ;Valne,ls Antonio..................
da Conceigao, depois de proceder s necessarias [,r!lt,"* ayerlguacOes, polo assistir ao recebmento delles e' ,noe oatluim de Oliveira........
viMo serem amb s ciganos c acharem-se no caso 'a1 Joa1u'm....................
previsto pelas coostuiges diocesaoas. : Jose ravasso.......................
I*.
UM
I*'
l*M
:*m
-TOO
UO
m$
.Vi
Pica a>sim respondido o offlcio de V. Rvma. de
I do prximo passado acompanhando os respecli-
proclamas, os quaes agora Ihe devolvo in-
V05
el usos.
9
Offlcio ao vigario de Bezerros. -Accuso recebido
o seu offlcio de 6 do corrale, em resposla a circu-
| lar de oO de junho, pola qual eu o encarreguei de
se obter eulro os sous parochiauos aliiumas esmolas
S. S2S!Sptro que V. K5- *." ^ **- eMS. es,abe-
Manuel Felippe.
competente.
E para que nao continu essa lacuna lance V.
Rvma. o referido asseoto pelo theor e forma por
E por esta occasiao nao posso deixar de louvar que o passou no documento a que me redro
o zelo com que V. Rvma., tendoobtido no anno pas- aliundn nao houver outro
sado da assembia desa provincia a quaniia de Dito ao visarin do s i
ura cont de res para ajuda" do concert dessa ma- Rvma. proco aVTmdtar S 7x ^i resumvei! 1"i. ^ fC mesmo do Prole5,an,is"
triz, trabalha agora com todo o empenho as obras da creagao dessa reXa fia vez nue nao node faJfZS", Cm ? Se" 5C, TeCehi a I113""
de que ella carece, e nao se descuida de agenciar saber a dala cena c?, mome declara na e"?a.isSa n,ff ffifSSSi" ^ "' '.ris 410*000'- l'ro"
esmollas com que pos'sa concluir todos os reparos m^llWKtSLl^Slm^ZaS^S^lf^ ^mMi que PJe obter, e a lista das
de que necessia o templo. Assim devem proceder lo antes a pequenira? na^ ue c mica a IT- e a' "^52 EXE'Ftt para pia obra-
os parenos cuidadosos do bem dos seus parochia- capolla-mr daimairta ..? ?** V uZ .a .1,ArJld^n' ." N" Rvma- ""o com que tao
5W
5J0
ilOi)0u
CMH1M DAS ARIAS.
Qnartel general do eommando das armas le Per-
nanhuco na cidade do Krcifr, 17 dr ayMl* de
nos e da prosperidade da religio.
2
Offlcio ao Illm. tenente-coronel Francisco Gon-
g-ilves Beiriz.Chegando rae as mos o requeri-
mento em que V. S. pede que seja de novo abena
a capella de S. Gongalo na povoago de Taluamu- offlcio de 13 d
nlia, a qual se acha reedificada, nao s envo o re- respondido.
que coraega a soirrer a
, estou certo que V. Rvma.
se nao descuidara" de mandar proceder a esses re-
paros, alim de que nao continu o damno.
Dito ao vigario de S. Jos de Mipib.-Autoriso
a V. Rvma. para benzer a capella do cemilerio do
engenho l'orioiras, como V. Itvma. solieila no seu
prximo passado, que lica assim
sen lo a de 16,5480 despendida com o fornecimen-
to d'agua para a guarda da cadeia de Olinda, e a
de 125923 com o de luz para a mesma guerda, no
lempo decorrido de 18 de fevereiro, at 31 de maio
daquelle anno, como se v do exame feilo em taes
conlas, podendo esse pagamento ser feito sob minlia
responsabiiidade se para elle nao houver cr-
dito.
Dito ao mesmo.-Remollo a V. S., por copia,
Viuva de Jos Mamede Alves Ferrelra.Informe
o t>r. mspecior da thesouraria provincial.
2.J SeceSo.Circular.Palacio j0 governo de
Pernambuco 16 de agosto de 18U5. -Illm. Sr.-Re-
mello a V. S., para seu conheciraenlo, e alim de
que d a raaior pnblicidade possivel, os inclusos
exemplares Improssos dos decretos e avisos ulii-
Dito ao vigario de Ipojuca.Faga V. Rvma. che-
gajr ao seu destino com a brevidade possivel a in-
clusa peugo de Paulo Felippe de Salles Abreu, e
me participe logo que se efectuar a entrega que
Ihe recommendo.
Dito ao vigario do Bora-Jardira.Nesta data au-
faz= i SSSZ TrTvenlura ?liverem coadiuv r"s MSSr1! SmSrJSSiSit
erian J?^^!*^ ^ S P0VM '""" "^ *" 3PreSen,ar "ara Ui0 da s,,a malrl^
eni.l ,i? S'. h.- r wn ^ca assim respondido o seu offlcio de 22 do
uno ao vigario da Asscmblea.Informe V. Rvma. prximo pascado
' SSL'uS depu de RSPcede,r a 4maS C0UC,ie-D- i'o ao vigario da vara do Bom-Jardim.-Auto-
cosa mdagagao, se Rosa Mana de Araujo, orphaa, riso a V. Rvma. para >or esta vez numerar e ni-
l natural da freguezia de Anadia, raptada por Ma- bricar os l.vros qu'K apresen lados po
noel Jos de,Araujo, e que suppoe-se estar hora.- Rvd. vigario do Bom-Jardira para uso d
; siada nessa freguezia, se acha em esiado nubil; islo va matriz.
! se lem a idade precisa para casar-se, ou se, fal-; g _
j lando esta, a malicia poder suppn-la de modo que Offlcio ao vigario de -anta Luzia do Norte.Ac-
possa recel.er-se em matrimonio, segundo as leis cuso rocebida a estatislica dessa freguezia, eachau-
nsf*.*_i A n dl,'a conforme com o que soliciloi na circular de
Dilo ao vigario da villa do Passo.-Tenho presen-; 22 de abril, lodavia desejo que V. Rvma. me ex
dignamente desempeunou a commisso que Ihe d
conliei, eu o encarrego igualineiite de, era ra-u no- de JaDe'", do
rae, congratular os seus religiosos parochianos,que 2*nl,marcas do,5erli
as difflceis circumstancias em que nos achamo, fr P se*undo ,
que .
tao generosameme concorreram (.ara urna obra de
inieresse universal, de interesse calholico.
ida
Lisia das pessoas que na freguezia de Bezerrossubs-
creverjin para o roliegio de Misionarios Catlto-
heos, qual se refere o oficio supra.
Sebasiuio Martius Monleiro............ 505000
Major Ignacio Jos Coelho............. 205(100
Capilao Jos Fausiino Paes de Lyra____ 105000
Francisco Bezerra de .Vasconcellos J-
nior..............................
Lauren'ino Arminio Muniz____.......".
Jos Alves Pereira..................
Aotouio .Manoi-I ipo.................
Cypriano Cardoso.................".'.'. BAJOO
Miguel Barbosa..................... 55000
Quirino Rodrigues Lma............... 5|000
Manoel Antonio Pontos........... 55000
especti-; Joo de Oliveira..................... -(jOO
Boque Antonio do Figueiredo......... MOOO
Manoel das Nevos Vieira............. 55000
Francisco Gomes dos Santos........... 550'J(i
Um devoto--------................... 5o()0
105000
105000
105000
105000
para os los convenientes, a relacao dos colonos, 'mente expedid
que, de conrormidade com as orden- da presiden- j 'notarios da patria.
cia de 28 de julho ultimo, foram chamados ao ser-1. Dando a V. S. sciencla desles acios do governo
vigo da colonia militar do Pim-Mras. imperial, confio que a briosa guarda nacional sob
Dilo ao mesmo.Respondendo ao offlcio, que V.'seu eommando superior, dar mais urna pruva do
S. dirigime em 3 do corrente, sob n. 558, cabe-me seu patriotismo preslando-se voluntariamente ao
dizer-llie que as despezas com os destacaraeclos da imprmente do seu dever lomando deste modo
guarda nacional deve ser effecluada por essa the- desnecessaria as medidas coercitivas de que lala
souraria al a dala da pubiicagao no Diario Oficial decrete n. 3506 do 4 do corrente.
dos avisos, a que V. S. allude, continuando porm Assim pois recorameudo a V. S. que nos termos
a ser satisfeto pelos cofres geraes, e de conformi- da miulia circular de 3 do corronte, e do arlig 1
dade com a circular de 29 de maio ullimo, teda a J
despeza cora a guarda nacional empregada ua
gao que V. Rvma. faz da armadilha que serve de Dito ao vigario da
s sotre a guarda nacional e"V- ?'lar''!,or' cuja conservago revelara o raaior de-, ao sea offieio de 2 do prximo passado, cumpre-me
innliK n 'i^-farocno'se t.u uao est,veSe > declarar-lhe que perteneem a V. Rvma. os emolu-
convencido de que V. Rvm. arada nao removeu es-, mentes recebidos pela nomeragao, rubrica e ter-
se altar indecente e improvisado, por um mero mos que lavrou em o novo livro de assentamentos
descuido, alias digno de censura.
Espero, pois, que V. Rvma. proceda sera demora
cousirucgao de um aliar decente e adaptado s
sublimes fuojgoes para que destinado, pois s
urna extrema necessdade e urgencia, era ura caso
dado, que perraiitiria a um parocho oflleiar em
um aliar armado sobre foniuilhas.
.---------engao, cumpre-me declarar-lhe que e uso
do citado decreto proceda a designagao dos guar- \ l, ao vganode Aguas-Bellas.Tendo-me sido al agora estabelecido nesle bispado levar-se 30
; das que atada faltarem para completar os coalla-15?mn?nic*d t,ei;l iecrelaria de estado dos neg-, rs. pela oameraclo e rubrica de cada foiha, e 320
eurnigao desta capital, no pre.-idio de Fernando,' '"'es do seu municipio os quaes'V.S. far mar- cins ^"2*2?' 'Iue o governo de S. Magestade, por; rs. pelos do:;s le'rmos de abertura e
aodos l)orlaria "ri *2 do prximo passado concedeu liceo- i E' islo o
as fortalezas do lutoral e us desiacainentos das char para esla capital denlro de 10 dias comandos
comarcas do alto sertao, os quaes substituirn] os' do rerebimento da prosete circular.
do corpo fixo, que tem de seguir para o sul. Convera, que V. S. faga saber aos guardas na-
Dilo ao commandante superior da guarda naci- conaes que aquelles que se recusarem ao servigo
nal de Garanhuns.Respondendo ao offlcio de V. j 1ae p paiz agora delles exige, serao obrigados a
S., n. 43, de 30 junho ultimo, Urano a dizer-lhe que servir uo exercito o dobro do lempo, que durar o
approvo a deliboragao que tomou de conceder des-1 destacamento ou recruiados se nao tiverem motivo
pensa da guarda nacional aos indios a que allude, l*gal de isencao em vista do artigo 133 da lei n.
em quamo requeriara seu direito perante o respec-; 602 de 19 de setembro do 1850.
tivo conselho. Si, como nao de e.-perar alguns delles deixa-
Diio ao cornmaudaute do corpo de polica.De-! '"em de comparecer determino a V. S. que alm da
feriado o requerim^nte do soldado do corpo sob seu relacao que de conforraidade com a circular cima
: ga a V. Itvma. para estar fra da sua freguezia
: com o veacimeuto da respectiva congrua, era quan-
to durar a guerra, visto ter-se offerecido para mar-
1 champara o sul como capello voluntario da pa-
tria, assim o participo a V. Rvma.. alim de que
apresentaado-me sacerdote idneo, como exige a
referida portara imperial, para reger essa fre-
guezia durante sua ansencia, possa seguir sem de-
mora para o sul do imperio.
3 -
Offlcio ao coadjutor pro parocho de Ipioca.In-
Manoel d'Assumpgo Azevedo.........
Joaquim Jos Bezerra da Silva........
ue aprsenla no se- Francisco Apolonio B-zerra da Silva....
a a afflrmar que Pedro Paz de Lyra................
;-los Francisco da Silva........'.'.'.'.'.'.
Alagoa-Nova.-Respondendo | j0r,0 Braz de Vasconcellos...........
Jos Antonio dos Sanios..............
Manoel Isidoro Falconer dos Santos...
Joo Fraoci-co Vieira do Mello........
Maria Jo.- do Espirito Sanio..........
Antonio Bezerra de Vasconcellos Torres.
Um devoto........................
Guhcrmioo Tavares de Medeiros.....
Jos Anlouio dos Sanios..............
Ignacio Joaquim de Oliveira.......
Fortunata Marinha da Silva...........
Joaquim da Cosa Pereira.............
los Bezerra de Vasconcellos Torres.'.'!!
Francisca Maria da Apresenlago.....
Anua Francisca do Nascimenlo........
Pedro Felippe de Mendonga..........
Alexandre Francisco Pereira..........
Josepha Mria do Sacramente.........
Joo Francisco.
1863.
Ordem do dia n 99.
O marechal de campo commandante das armas
taz certo, para coohecimento da guaroigao a d**i-
1 i' ?. i10'''"'' PrL'>'dencia ro-.lveu por portan
1* do corrente, no< termos do decrete u .1371
rrpnte anno, mandar crear
Jrtao um corpo de volaotario-
plano que em seguida ~.u
transcripto, uomando para commandante Sr
major da guarda nacional Jos Rodrigues le M;-
raes.
Estado raaior e menor.
1 tenente-coronel commandante.
1 major.
1 ajudante.
1 quartel-mestre.
1 secretario.
1 argento-ajudante.
1 sargento quartel-meslre.
1 espingardeiro.
1 coronheiro.
1 eorneta-mr.
1 mesire de msica.
16 musicos-
9 mos que lavrou em o novo ..
de baplisados da freguezia da Alagoa-Grande, para
cuja rubrica e abertura, ele, fui V. Rvma. por niim
em data de 10 de abril do corrale
autorisado
anno.
Gomado, fazendo-me especie a quantia de.....
185360 para rubricar un: s livro, e podendo ter
bavido
eommando Castriciauo Jos Tavares da Costa, sobre citada, deve V. S. enviar a esta presidencia, re- cJu'.a remeti a petigao de Jos Ignacio de Lima
Jnior, e Maria Joaquina da Conceico, que V.
Rvma. far chegar s raaos dos nubentes com a
possivel brevidada.
Dilo ao vigario de Itamarac.Leodo a estatisli-
ca dessa freguezia, que V. Rvma. me enviou em
dala de 12 do prximo passado, deparei com a de-
claracao que V. Rvma. faz de nao haer mencio-
Finalmente devo declarar a V. S. que lendo sem- nado eolre as '"rejas dessa freguezia a eapella da
legal da (aten-1 f>re o governo lomado em consideracao o- servigos for,aleza> n'm della ler cabal conhecimenlo.
do art. 159, do I de todos aquelles, que o auxiliam un dedicagao !. Nao corapreheadendo bera a causa porque V.
Rvma. nao menciona essa capella, nem della tem
mena directa e immediatamente idnticas relacoes
aos delegados de polica para prender como hes
ordeno uesta e por intermedio do Dr. chefe de po-
lica, a captura daquelles guardas, reeommendan-
do V. S. mu eipfessamente aos comraandantes e
offlciaes dos balalho >s que coadjuvem
go as autoridades policiaes.
nesse serv-
que vrsa a sua mformaeio, n. 727, de 12 do cor
rente, autoriso V. S. a dar-lhe baixa por meio de
sobstitaicao una vez que estoja as condigoes exi-
gidas, o paisano que elle offeroce para acabar o
lempo de servigo.
Dito a cmara municipal de-la cidade.-Recom-
mendo a cmara municipal desta cidade, que de-
signe, com urgencia, o empregadoque deve reque-
rer a especialisacio da liypotheca legal da fazeu
da municipal, nos lermos do 4o do art. 159, de
decreto numero 3453, de 26 de abril do corren- j Dao dexar de attender aos que V. S.'lhe"pre"4a,
te anno, e comraunique a esta presidencia e ao nesta conjunctura.Deus guarde a V. S.Joao cabal connftl'' juiz de direito da primeira vara o nome do desig-' Lustosa da Cuaba Pa anagu.Sr. commandante como se "Ie vedada a entrada nesse templo.
superior da guarda nacional do municipio de..... D'10 ao v'l?ario do Maco. Accuso recebida com
I data de 17 de junho, a eslatistica succinta dessa
~-m>~n> freguezia, que mandei archivar conveniente-
| mente.
GOVERXO BfO UMP1DO DE: Expediente do secretario do bispado.
Dado.
Dito ao chefe da reparlgao das obras publicas.
Accuso recebido o offlcio de 11 do correule, sob
n. 260, em queVmc. me parlicipoa haver emprci-
tado com o baro do Livramenlo a conclusao da
obra encampada dos reparos da estrada dos Api-
pucos, n) lugar do Mondego, pelo prego e condi-
goes da arreraalago, Abrigndose alm diste, o
empreiteiro a entregar a obra prorapta no prazo
improrogivel de 30 das.Em resposla ao citado
offlcio, tenho a dizer que approvo essa sua delibe-
ragao, e della d >a -ciencia thesouraria provincial
para o fim conveniente. -Communicou-se a thesou-
raria provincial
Dilo ao juiz de direilo do Cabo. Informe Vmc.
ouvindo o juiz munrcipal effeclivo do termo de Ipo-
juca, sobre o incluso reqnerimenlo era que Antonio
Carlos d'Alraeida pede ao governo imperial
ii:iiviHiti c o.
SEDE VACANTE.
Dia 3.
Offlcio ao Sr. Jos Antonio Gomes Jnior.O
Exm. Sr. vigario capitular manda pedir a V. S. o
, obsequio de franquear ao Rvd. Jos Antonio dos
Eipcdienle do dia 1 de agosto de 186a. i Santos Lcssa o livro das contas que elle prestou
Offlcio ao Exm. vice-presidente da provincia das: como "dministrador que foi das obras da nova ma-
Alagoas. -Tendo a lllma. cmara municipal da ci- l['2. dt s- Js' alim de 'lue mesmo Rvd. Lessa,
dade das Alagoas nos lins do auno prximo passa d|rigindo se a casa de V. S., possa verilicar na sua
do ordenado que os enterres que naquella cidade I PresenCa 1"e Ihe eonvier.
sc faziam em iros cemiterios diversos, passassem ., Dll a0 "vd-los Antonio dos Santos Lessa.
agora a fazer-se todos no claustro do convenio de 1'IZ jenlo ao Exm. Sr. Dr. vigaiio capitular o
S. Francisco da mesma cidade. e ito com noiavel
offensa dos direitos paroeniaes, e havendo alm di--
a ser
venlia vitalicia dos offlcios de labellio e e.-crivao so flagrante violagao da lei que prohibo que os en-
do termo de Cimbres, fazondo o peticionario ins-. terrameutos se fagam no recinto das igrejas, leve
truir a sua peiico com nova folha corrida, auto' o occorrido ao Exm presidente dessa provincia, em
de exames, e certidao de idade, nos termos do de- dala de 20 de dezembro ullimo, e Ihe mandei por
crelo 817, de 3 de agosto de "
252 de 30 de dezembro de
que se pratica nesla secretaria, e por con-
segointe em todo o bispado.
Dilo ao vigario de Porto Calvo.Pode V. Rvma.
langar no livro competente os assenlamenlos (ue
me enviou cora o seu offlcio de 16 do prximo pas-
sado, a que respondo, e os quaes agora lne devol-
vo. Ooovm que esia mioha resolugo seja parli
cipada ao Rvd. capello da colonia Leopoldina.
Dte ao vigario da Fazenda-Grande.Nesla data
autoriso o Rvd. vigario da freguezia da Serra Ta-
Ihada para por esta voz numerar e rubricar os li-
vros que V. Rvma. Ihe aprseentar para u-o d saua
matriz.
Fica assim respondido ao seu offlcio de 22 de
junho :
Dito ao vigario da Serra Talluda.Auloriso a V.
Rvma. para por esta vez numerar e rubricar os li-
aros jue lne forem apresentado pelo Revj. vigario
da Pazenda Grande para uso da respectiva matriz.
Dito ao vigario de Exlremoz. Accuso recebida
a eslalslica dessa fregu-zia, elaborada com cuida-
do, e era ludo appropriada ao lira que live em
vistas.
Igualaos vigarios deGaranhuns, Mossor, Para-
ry e Acarv.
7 -
Offlcio ao Exm. presidente da provincia.Tenho
a honra de acensar recebido o offlcio de 2 do cor-
rele, em que V. Exc. me participa haver-lhe sido
communicado pela secretaria de Balado dos nego-
cios do imperio, que S. M. o Imperador houve por
bem conceder ao vigario collado da freguezia de
Aguas Bellas, licenga com o vencimento da respec-
tiva congrua para estar fra da sua freguezia em-
quanto durar a guerra com;a repblica do Paraguay
para onde deve partir como capello voluntario,
conforme req .iereu.
Ern resposta tenho a declarar V. Exc. que ha-
vendo eu recebido igual participacio da mesma se-
crelara do estado, ja no dia 2 do corrente offlciei
ao Rvd. vigario, commuuicando-lhe a resolugo de
S. M. Imperial, alim de que, apresentando-rae sa-
cerdote idneo, como exige a portara imperal, para
55000
5*300
35100
55000;
55000'
55000
SOOO
55O0
55000
55000
550-H)
55000
35000
35000
5|000
55"00
55000
55(M)0
55000
55000
45000
450O0
35000
::5000
Oito companhia-.
8 eapitaes.
8 tenenles.
16 alferes.
8 pnmeiros sargentos.
16 segundos ditos.
8 furriel-.
64 cabos de esquadras.
64 anspegadas.
640 soldados.
16 cmelas.
Manoel Bezerra dos Sanios........... 35000
Ura devoto..
Manoel Firmino de Azevedo. ....!!!!!
Jos Manoel........................
Mauool Flix de Abren..........!!!!!
Joao Baptista de Vasconcellos.........
Basilio Francisco da Silva............
Manoel Vctor dos Sanios.............
Manoel Goncalves dos Santos..........
Antete Francisco Paes Jnior........
Jos Leo Pereira do Mello Jnior.....
Antonio Ludgero Goncalves de Jess...
Pedro Gomes ......................
Manoel Gomes da Silva...........!.!
Antonio Jos da Franca..............
Antonio Fernandes de Lima...........
Joaquim Paotaleao Xavier ae Lima___
Jos Antonio Torios.................
Joaquim Venancio Caldeira...........
Joao Cavalcauli.....................
Luiz B.zerra de Vasconcellos.........
Manoel Bezerra de Sanl'Auna.........
Manoel Cyriaso dos Santos............
3*300
25000
250IX)
250,0
2*300
25000
25000
25000
25000
250OJ
2*300
2500)
25000
2-5000
25000
25000
25000
25000
25OOO
25000
25OOO
25000
848-Total 875.
O mesmo marechal de campo declara, qae -
guudo conslou de offlcio da presidencia de nociera
datado, o governo approvou a deliberaran que lo-
mara a referida pre.-idoucia de re-cindir o contra-
to celebrado com o Sr. padre Manoel de San An-
ua Luz para capello da enfermara militar d-
cidade, em c jnsequcncia de se achar omito redu-
zido o numero de doenles.
Deleriniua que o Sr. major commandante interi-
no do prifeiro batalho da guarda nacijoi:
aquartellada para o servigo da guerra, conimoni-
que sem demora aos respectivos Srs. eommaodaa-
les superiores a entrada vounlaria para o baia-
llio de qualquer guarda, que nao livor mo d-.-s1.4-
uado para lal servigo.
(Assignado). Francisco Sergio de Uticeira, ma-
rechal de campo commandante das armas.
Est coufonne. Antmuo Francisco Dtuirte, 1*
tenante ajudante de ordens interino, encarregado
do detallie.
EXTERIOR.
cede a dilT-renga entre o resultado das ditas con-
tas e o da commisso de exame ; e o mesmo Exm..
de 1851, e do aviso n. I copia os oflUos do Rvd. vigario respectivo," e todos s"nll0r manda declarar-lhe que pode V. Rvma. di-
1834. Nesle sentido osdocuraeotos por elle raiuislrados;e pedi a S. Exc. Sfi"* *?a.d.0...Ji?!S,^nj2! .Go,.n,eii Jll0ir,
contedo do offlcio que V. Rvma. me dirigi em
dala de 27 do prximo passado, no qual pede que
Ihe seja entregue o livro em que se acham langa-! reger a freguezia de Aguas-Bellas duranie a sua
raas conlas, afim de verilicar de que pro- ausencia, possa seguir sera demora para o theatro
da guerra.
ofllciou so ao juiz de direito do Garanhuns. que dsse as providencias que o caso pedia.
Dilo ao juiz municipal de Cmbres.Aos offlcios \ O Exm. Sr. presidente oceupado com o expedien-
de Vmc. de 5 a 21 de junho ullimo, respondo di- te da sua Ilustrada admioislrago, nao pode pres-
zendo Ihe que nesla dala, mandei reproduzir aqui; lar aitengao a esta coincidencia que se deu, alias
o edita!, que acompanhou o segundo, e que em vis- de muito alcance para a disciplina da igreja e re-
ta do dispo-io no arl. 2o da le provincial n. 617 jgularidade da administrago ecclesiastlca.
deste anno, s deve haver ah um labellio, acen-'
mnlando as funegoes de escrivo do civil e or-
ondo se acha o referido livro, e ahi verificar o que
Ihe eonvier.
Caixa pa.
phos.
Dito aos Srs. agentes da Companhia brasileira
de Paquetes. Podem Vinca, fazer seguir para os
portes do norte o vapor Tocanlin? hoje, a hora in-
dicada em seu offlcio de honlera.
Portara. O presidente da provineia, resolveu
designar o procurador fiscal da fazenda provincial
para requerer a especialisagao' da hypotheca legal
da mesma fazenda, nos termos do paragrapho ter-
ceiro do art. 159 do decrete n. 3433 de 26 de abril
do corrente anno.Fizeram-se as necessarias cora-
municagoes. -
Dila. O presidente da provincia, lomando em
considerago o que expdz o inspector da. thesoura-
ria provincial, em offlcio de 11 do corrente, sob o.
De ordem do Exm. e Rvm. Sr. vigario capitular
desta aiocese, publico a conta tolal da caixa pia
no trimestre de maio a julho do corrente anno,
,3J. o'wJm8ra aV-fcAC7 a *lQeniLenvi apresentada pelo Rvm. Sr. chante reitor Jos Joa-
v ^KJlfT\ C f2?S2? **?!<** de Andrade, a
\. nxc. compenetrando se da necessdade que ha mMSma cajxa Dia
de se regularisar esta parte da admnislragao ec- ,,r, ramtular
closiastica, se digne providenciar na pme que Ihe; alinda, S de agosto de 1863.
compete.
Dito ao vigario de Serinhaera.Li com allengao !
a csialistica dessa freguezia, que est muito minu- i
ciosa no que diz respeito s capellas que nella se Total da despeza da caixa pia no trimestre de maio
contam : contristou-me, porm, a noticia de achar- a julho findo.
se essa freguezia sem matriz propria, sendo neces- A caixa pia despendeu nesle trimestre com os
sario eslarem as imageus que Ihe perteneem em subsidios dados aos recolhlmentos do Recife, Oiin-
uma igreja, e o Santissimo Sacramente em outra I; da, Iguarass, Goianna e Papacaga, com os semi-
Com eTeito, declara V. Rvm. na sua estalistica naristas pobres, com o subsidio dado mensalmente
que qando tomou cont dessa freguezia em 1836 ja' aos pobres do Recife e de Olinda, e com as esmo-
achou a matriz toda escorada e ameagando ruina, las avulsas, como ludo consta dos assenlos respec-
pelo que obteve permsso de Exm. prelado fallec- livos, a quanlia de 5:7735340.
cujo cargo esl i
por deterraraagao do Exm. Sr.
Conego Joaquim Ferreira dos Santo*
Secretario do bispado.
Dito ao mesmo. Accuso recebido o offlcio de 2
do correlo, cm que V. Exc. me communica que
nessa data reeoram>mda ao Dr. chefe de polica, que
mande proceder criminalmente contra Theolonio
Jos de Freitas, viste ter zombado da religio do
estado pela maneira que eipuz 110 offlcio, que era
8 de junho dirig a essa.presidencia.
QuSnto, porm, ao direilo que tem o Rvd. viga-
rio de procedar conlra elle pelo crime de ameagas
e injurias que Ihe fez na presenga dos seus paro
cbiaoos, cabe-me scienliflcar V. Exc. que o viga-
rio prescinde desse direito, e, com a candado que
deve ter ura pastor, perdoa sua ovelha as offen-
sas pessoaes, como elle perante mim declarou 00
dia 5 do corrente ; sendo que to smeote o cuida-
do de zelar a sua honra, e principalmente o dever
imperioso de fazer respeitar a religio de que mi-
nistro, o levaran a denunciar o delnqueme.
Dilo ao mesmo. Pelo offlcio dessa presidencia
datado de 2 do corrente, (ico sciente de haver V.
Exc. nesse mesmo dia tomado posse do cargo de
presidente desta provincia, para o qual foi nomea-
do por caria imperial de 7 de julho ultimo.
Prevalego-rae da occasio para apresentar a' V.
Exc. os senlimentos de estima e considerago que
consagro a' pessoa de V. Eir.
Miguel Archanjo. .................. 25OXX
Joaquim Jos Bezerra Jnior.......... 25OHK
Manoel Salvador dos Sanios.......... 25<)0(
Jos Maria dos Santos................ 25001
Antonio Manoel da Cumia............ 2JO0C
Francisca B zerra da Paz............. 25000
Francisco Xavier de Azevedo......... 2500(1
Joaquim Antonio dos Santos.......... 1*300
Jos Bezerra de Vasconcellos.......... 25000
Manoel Joaquim dos Santos........... 25OO0
Manoel Francisco de Azevedo......... 25000
Maria Francisca Xivier.............. -ViOO
Miguel dos Aojos Bezerra............ 2*300
Luiz Joaquim dos Anjos.............. 25000
Antonio Soares Garcez............... 25000
Florencio Cardoso.................... 15000
Jos Francisco do O'................. 15000
Jose Firmino da Silva................. 15000
Pedro Celestino de Mello.............. 15000
Jernimo Alves..................... 15000
Lourengo Bomo Bezerra............ 1500O
Jos Theodoro dos Sanios........... 15000
Jos Maria.......................... 1,5000
Manoel Francisco dos Santos.......... 15000
Caelano Ferreira da Silva............ 15000
Manoel Antonio da Silva............. 150OO
Jos Rufino de Oliveira.............. 15000
Josepha Maria do Espirito Sanio....... 15000
Joo Francisco de Oliveira............ 15000
Antonio Pedro de Oliveira............ 1*300
Jos de Faria Gomes................. 1*300
Jos Gervasio Proiasio de Oliveira..... 1*300
Jos Ignacio de Oliveira.............. 15000
Jovluo Bertholdo de Oliveira.......... 11000
Francisco de Paula e Silva............ 1*300
Antonio Joaquim de Mello............ 1*300
Cypriano Bezerrae Azevedo......... 15000
Antonio Bezerra..........;.......... 1*KH)
Mauoel da Cunna....."............... 11000
Um devoto......................... i000
Joo Jos da Cunba.................. 15000
Francisco Xavier dos Santos.......... 15000
Aulonio Martins Monteiro............ 15000
Manoel de Torres Gallindo............ 15000
Francisco Amonio da Silva........... 1*300
rOHItKM o\i>*mAS no VIA-
HIO OE PERVinilll
POBT*.
27 de julho de 185.
Nos principios do prximo mez devem Bear com-
pletamente terminadas as obras, propriamcoi- -ti
tas, do palacio de Crysial Portueose um puwo
mais tarde as dos annexos e assim eremos que to-
das as obras precisas para a grande fe-la da in-
dustria eslaro concluidas antes de 21 de agi>:
dia desuado para a abertura da eaprtra qu
anda nao foi transferida, mas que o ,e-m c-rie-
za, paraos principios de setembro por iBotiv.M qu
se prendera com a gravidaco de S. M. a rainha a
Sra. D. Mana Pa.
O local escolindo para a ronslrueco do pala-io
de Crystal Portuense, o mais rico que pode img-
nar-se! O Porte nao lem o,iro logar ni> em-ta-
lador, nem de onde se goze mais graadiloco pan -
rama !
Parece, pois, que presidiram alliadn dua* gran-
des ideas a sua c Inifia : a dritmai eam -
nieada no imponente m menlo a iu iu-lm, e a
contemplago de um quadro grandioso!
Progredior! progredtor I a exclamarlo entu-
sistica que repercute por toda a pan-, 'a MSB
phe que se l em caracieres dourados n> iim
fronlaria do palacio de Crysial Porta nse.
Progredtor diz progrss, e procr.-sso de r.. .-
nuraento levantado no camim da Torr; da Marca -.
industria nacional e ha de s-lo o rongr.-.<< di-
arles e das indusirias das nacoes que all -
tarem a primazia oos arligos exposto*. q
deve reuuir-se deotro daquelle ampio recinto.
Portugal convidou a Europa a ama exj>-
internacional, e a Europa deu-se as mos e arr I a
ao cuovite da nago pequea, mas nade nos.
raetimentos como mostra a sua lU-tona.
Portugal erguen a fronte com arrojo ao en !
gar o seu carto de convite, erguen-a fmmm na
sua segunda capital se .vhava em con-trnrg, Dm
sydenham indu?trial igual, ape-ar de inai- ,
mas em relagao ao paiz, aquelf-s que erso-.-i
as principaes cidades da Europa.
E o povo porioguez, com especialidad* o por-
tuense, ufana-se e gloriase por ver levantado n
seu seio ura palacio dedicado industria, e afa*-
se ei gloria-se porque desoja camiahar a par da*
nagoes mais adiantadas.
A exposigo internacional deve de ser ama pa-
gina brilhante nos modernos commetlimetu e
civilisagao portugaeza.
No recinto do palacio e nos armatens da alba-
dega acham-se j omites dos produelos qae awl!a
devera figurar, e veem em caminho de Portagal
multes outros.


blarlo de Pefftambiico sexta felra d Agosto de 8S*.
A industria portuguesa prepare-se para aUl ap-
ireeercun Inora e us acreditamos que assim
acoiileeeia, porque o ujssos inJustnaes possui-
rara-se Ja boa vonlade e de bons desejo para n-
gurarem condignamente aate os estrangeiros.
Portugal, e especialmente o Porto, vai ser visita-
do por graude numero de estrangeiros. Os por-
tuenses prepaiam se para os receber condignamen-
te. Os melhoramentos na nidada sao grandes, e a
falla de lempo obto a que se facam muitos ou*
Algomas das ras pnoJpaes teena sido calcadas
de novo, e os prracipaes eJillcios acharare ja reto-
cados, qner no interior, qoer no oxtenor. Tudo
faz crer que para selembro o Porto se apresenl
(rajado de gala geral. E
ciuiial que operou todo
o Maranhao ; em 24 a galera
Rio de Janeiro.
Nova Fama para o
PERNAMRUCO,
A corporagao acadmica manifestou hontem
esta cidade a copia mais eloquente do amor patrio,
que ardente Irte pul lula no coracao.
Eolhusiasta do que grande, vida de compart-
Ihar a gloria de dar a patria a d^dicaco a que tem
foi a exposigo interna- direilo urna b5a mi, apresentou-se a solicitar para
este moviraenlo que por si um qunhao na vioganga dos seus foros ultraj-
is se executassem militas obras; dos pela insania do paraguayo,
uu reolaraavam a atleuco de qttem Ihe competa ; Convocando-se es-a briosa mocidade, por impulso
ollvtr or ellas proprio, urna re unio enectuada hontem sob a
Para essa 'occasiao teremos passa-tempos sem presidencia do Exni. conselheiro Trigo de Loureiro,
se'dennos erudito aludo que se dii por asseulou se nella o ollerecimento ao geverno de
suas dedicages, tendo ento o mesmo conselheiro
No leatro d-> S Joo teremos urna companhia improvisado palavras c.heias de uoco patritica e
Paccini, e a com- adheso aos seniimentos dos reunidos, ponto de
con la,
;...
lyrrea, de que sera emprezano
panlua do Gymnasio de Lisboa, que ja se acha en
tre nos e qu deve fazer a sua eslrea na noiie e 3
do prximo mez de agosto.
.No thealro Baque! tiaver urna companua nes-
panhola de zarzuela.
bellezas que vestein a raagnifi a prodcelo, e qu1
foi pronunciado por applausos irresistivels do pu-
blico, na noite de sua primeira represeotago,;
dispensa-uos de descernios analyses fundas so I
bre o sea merecimeoto.
O qua podemos e julgamos dever asseverar ao
publico, que frequenta o theatro, que trabalhos
da physionomia deUi^ quadro da vida satlsfazem
seapre com amplilude o espirito, deixando-o ar-
roubado desse goso que o affecta e de que elle se
inebria na observago ou contemplagao do bello.
Julgamos de muida le pratica para o- loro
criminal, e por islo Ihe abrimos espago, a leilura
do presente accordo proferido pela relacao da
corte no processo de responsabilidade que res-
pondeu o juiz municipal do Piraliy.
Por este assento flea declarada a doutrina, tao
pouco em uso, de fazer-se applicago do art. 339
do cdigo do proi'esso nos casos em que da omis-
sao do empregado nao resulta prejnizo publico ou
particular. Com esla sabia inteligencia de le,
ter-se-hiam evitado mullos dos processos de res
ponsabilidade que enchem os eartorios sem real
proveito para a causa da justica.
Accordo em relacao, etc. Que feito o sorteio
e expostos os autos a forma dalei, doprovimeo-
to ao recurso, e. despronunciam o recrreme ha-
charel Haymundo Furtado de Albuquerque Caval-
dias, para vermos a derrota completa desse exer-t Ventura, Pernambuco, 23 annos, solteiro, escra- e a t0u0s os socios, pelo esmero e atia mm
-t n., j..mi >>t..ni.i ....ituiimnnia QOiila
Nossa forga esta' enthusiasmada cora esla no -
ticia e espera "com anciedade a ordera de mar-
cha. >
O Diarto do Rio Grande publica as segrales
cartas do Sanl'Anna do Livramento e da Uru-
guayana :
t Sanl'Anna do Livramento, 20 de julho de
1863.
vo, Santo Antonio, peneumonia aguda. anrpwnLaran W-
Benedicto, Pernambuco, 23 annos, solteiro, escra- que se apresentaram, execuianue urnas pe
vo,
S. Jos, peneumonia.
declarar que os acompanhana nessa romagem de
abnegagao, sem embargo dos 71 annos que Ihe
cingera a fronte com um diadema de respeito.
Aps esla determinago, a mesma corporagao canti ;Ju,z municipalle de orphao, do P.rahy por
.. u n o,-,n j conselheiro Trigo de Loureiro quanto provando
X" duemTue se estabelecer* a companhia | Soto precedidade urna banda d/musica marca, ^-~ porluen,e de declaiaaco que de vez em quando ja e com duas bandeiras nac.onae urna a frente e yjJJJ votar un nediatamen'le que urg.s-
r la yai dando seus esqeetaculos, em bene- oulra no^mi^dingra^JSf^^^WSl RSSS%p&SK TS dovlda qu, seme-
Ihante modo de proceder nao pode ser considera-
doma infraego do art. 137 do cdigo penal, co-
mo indevidamnte classiflcou o presidente Ja pro
vincla do Bio de Janeiro, era seu offleio, que
v a (1. 9, visto como Ihe perraeltida
prospero
e aiii deposito em mo do Exm. Sr. conse-
A totear or Isto v se que o Porto se prepara Iheiro presidente da provincia a expressao do seu
.para bem receber e bem obsequiar os estrangeiros offerdcimeulo, representada pelos segumtes se-
qUS SSE nn^era 30 de junho ultimo, Ses Coe.ho de Souza, te 3 anuo.
^SISSJS CmPanhaS MaLeuS^iriSa^buco, 3
Nami^vi pssada dissemos quaes os resultados Joao Baptista d Siqueira Cavalcante, dem,
obdosnaquerie periodo pela duas referidas com- Lino Leoncio d-Assumpgao, 3
panhias, mas sendo muito resumida a noticia que Jos HiRino Duarle Pereira, dem, 3*
escrevenos a respeilo da Garanta, por nos falta- Luiz Antonio Ferreira bouto Jnior, Rio-Grande
dados para o pdennos fazer mais do Norte, 5o
os seguros mariti- Luiz Ferreira M.tciel Pinheiro, Pernambuco, 4o
,s effectuades por esto companhia elevaram-ss a Irineo Gic.liano Pereira JolT.ly deml*
e os de fo-o a 21-743,^72. Joaquiui Ribeiro de Souza Froes, Baha, 5o
primeiros preflzerara -enastilo Gordeiro Goelho Cintra, Pernambuco, Io
rem eolao os
largamenie, diremos agora que
91:254*71
Os prejnios
paos pelos
39.0884178 e pelos segundos 13:6025172. Antonio Das de Pina Jnior, 5
Descontos, commisso-s, despezas e outros encar- Hrm.no Gomes da h.lve.ra, Parahyba, 3
eos da comoanhla no reino e as da Balita, Para e Joao Mana Loureiro^Tavares 3
^aranlo"omlram 11:6335260. Francisco Xavier de Mallos Telles e Menezes, fi-
na confrontaran deslesalgansmos resulta que a Gandido Pinto Lobao, Sergipe, 3
recetaf^i d 116 0095186 e a despeza de....... Antonio Innocenc.o Gavalcante de Albuquerque,
66:3235610, haveodo por conseguinte um saldo de Pernambuco, 3
496705376 ao qual ajuotande 8:9825002 de ga- Augusto Coelho de Moraes, dem, 3
nns e oerdas da coula do auno anterior, temos o Marcol.no de Houra Albuquerque Baha, 3
Saanco a favor da companhia de 38:6385638. Ernesto Alv.m da Silva, Alaga*, i-
Subtrahiudo a esta quanlia a de J2:3005000 pa-
ra pagaraeuto do dividendo de 225-iOO por aegao,
que se deve abrir no 1 de agosto prximo, passa
em reserva, na cuuta de ganhos e pardas. -......
36:1385638 para lazer face as reclamagoes impug-
nadas pela directora e pendentes em juizo.
Foi uomeada urna commisso para rever o esta-
tn .u /-nmu-iiiiita n auresen ar com a possivel bre- /eferino Botelhode Andrade,
Stode^oSSvo pro ecto de reforma Usses Gomes Correa de Grasto, Pernambuco, 3<
Para os diversos caraos da companhia no novo Jo.-e Antonio Floresta Bastos,
bienni^f rara etatos : "ara a e da assembla Mancel Varella do Nascimento Junmr, 2'
geral os Srs. baro de Nova-Cntra, presidente ; Eduardo Me.relles Alves More.ra, 4
Joaquira Pinheiro de Paria Guimaraes, vice-presi- Gaspar Antonio dos Res, Baha,
dente e Francisco Ignacio Xavier e Jos Justino Jos de Barros Duarte, S. Paulo, 4<
A|
ria
U Eiu 30'do" mez'ulmo"flndo tormio oprimeifO xNorberto Antonio Alves de Mendonga.
Joao Paulo Gomes de Maltos, Cear, 3
Jos Joaquim de Almeida Nobre, Pernambuco, 3
Jos Izidoro da Silva Galvao, Baha.
Manoel do Nascimenlo Pontos Jnior, Atagas, 1"
Clemente de Ohveira Mendes, Babia, 3o .
Arconcio Pereira da Silva, Pernambuco, 1
Basilio Mandas da Rocha, Piauhy.
Babia.
.............Eolao dava-lhe a noticia de
haver o Tamandar passado o Sallo, a qual nos foi
transmittida por Manoel Fernandes, seereiario par-
ticular do Canabarro, cuja carta Ihe mandei
copia
ERRATA.
, H-^o commuoicado publicado no Diario dp 14 do
1 crreme, com referencia ao Jornal do Rectfe, en-
, tre ouiras incorreegoes deram-se as seguintes, qae
convem corrigr
5a linha, onde diz porque tanto mpotalea-
seque tanto importa.
16* linha, onde dizindependente do concento,
Por leaseindependenle de concenso.
Em vez de urna arroba de sebo-leia-se-urna
t Quem nao acreditara esta noticia dada por arr0|,a e caD0.
pessoa do quartel geueral do Canabarro f Nin-; 18. |jn|ia> 0Bde dizagora fazemos leia-se -
guem sem duvida deixana de acredia-la, lano' agora faremos.
mais dizendo elle qua era offkal. Pois era falsa, e{ "penltima linna, onde dizem que Ihe possa
essa passagem que com_ effeito devia efTectoar-se | |e]a.seem que nt p0ssamos.
no da 8 do crreme, nao leve lugar, e no entamo
o Manoel Fernandes ja a dava como realisada.
t Junio Ihe remello copia de duas cartas, urna
deltas do Ur. Tiraotheo da Rosa e oulra do Bernar-
do, filho de JoSo Ferreira (Joao fogueiteiro), mora-
dor as Asperezas e que Vmc. deve. conhecer, as
quaes ver as noticias exactas que do. Ambas
sao de pessoa de toda a consideragao, e por isso
merecem lodo crdito, tanto mais que cartas hon-
tem vindas da divisan do Canabarro, eonflrmam a
noticia que os paraguayos deixaram Iuquy, cora
direcgo ao passo de Santa Mara no Ibcuhy, e 0
Canabarro a marchar para obstar-lhes a passagem.
Sao estas as noticias que nos chegaram hontem, e
que por serem verdicas as ia mandar por proprio,
quando encontr com o caixeiro do Bina, que por
ir com brevidade ao mando por elle...
Uruguayana, 16 de Julho de 1863.
,..
CQMUM-jABOS.
se
essa f-icul- .
dade pelo decreto de 30 de novembro de 1853, ...Elou da por da a seguir daqni; alguns
art. 4, e sendo que o recrreme por algum raoti- affazeres relativos ao< preparativos da defeza des-
vo imprevisto e urgente deixou de vollar, quando la villa m tem impedido de por-me emmarcha.
devera faze-lo, ao lugar de sua jurisdicSo, sem o 10 nimigo desee de lia |uy em dire-,;ao ao .bicuhy
jiistilicar seria prudente que quando muito fosse achava-se honlem pela altura da estancia do Juca
advertido como determina o art. 339 do coduo da Luz, 2 leguas quem do Itaquy.
do processo, por se nao haver seguido dessa omis- t Eu nao creio anda que elles se arro|em a ten-
sao prejuizo publico ou particular, como notorio tar a passagem do Ibicuhy, aonde os deve esperar
que se nao seguir no curto espaco em que e re-1 a divisao do Canabarro, que es atacara pela rren-
estivera nessa corte, I te, por oeeaslo da passagem; ao passo que o rer-
Araelo de Almeida, secretarios : para a directo-' Jos Theodoro S.Brrelo Villas-Boas,
ha os Sr- Joaquim Pinto Leite, Joao Adriao da Joaqu.m Jos de Oliveira esquita.
Rocha e Francisco de Paula e Silva Pereira. I Joao Francisco de Figueiredo.
Em 30 do mez ultimo (indo terminou o pnraeiro Norberlo Antonio Alves de Mendong?
anno de arrendamento da fabricado gaz, feito pela Lua de Franga Baptista dos santos,
companhia, sua proprielaria, ao Sr. J. A. Mihwen. Joaquim r erreir de arvalho
4 Ki,...r d, nninnii nrmense de i luraina- Fraucisco da Cunta (>astello-Branco.
Bahia, 1
crrante em lempo de ferias
a saber, de 21 de dezembro a 3 de Janeiro -, sendo
para notar que por tao frivolo pretexto fosse um
magistrado suspenso do exercicio de suas Impar
tantos atlribuigoes, meltido em processo : e mais
anda que o respectivo juiz de direito da comarca
s depois de seis mezes podesse concluir o pro-
cesso da formagao da culpa ao recrreme, quando
a lei recommenda a maior brevidade possivel, por
cuja falta o advertem e condemnam a municipali-
dada as cusas. Rio de Janeiro, 28 de julho de
1863 Vatdetaro, presidente. Gomes Ribeiro.
Lisboa. Pereira iorge.
OfTerecemos a leitura publica as segumtes
pegas de carcter ofllcial acerca da invaso do
Ri GraLde do Sul :
t Copia.Concordia, 6 de julho de 186o.-Exm.
general e amigo Sr. David Canabarro.Eis-me
aqu ancioso por transpor o Salto Grande com os
v?pores que poder, para tratar de castigar os ou-
sados paraguayos, que se atreveram pisar e insul-
tar o solo riograndense.
t Pretendo subir no da 8, levando comigo os
vapores Taquary, Tramandahy e Onze de iunho ;
cont levar 1,000 a 1,200 infantes para reforgo
das guarnigoes dos navios, e ajuda-lo ahi a atacar
o nimigo em trra. Ah me lera pois V. I
A historia da companhia portuense de llumic
cao a gaz urna historia triste, e qua nos conta- Dr. Lourango Trigo de Loureiro
os efn missivas do auno pretrito por occasiao de Jos Joaquim Ramos Ferreira, 5
elTectuar-se o contrato de arrendamento que deixa- Octavian,. Xavier Cotrim Baha,
moa mencionado, e o qual foi o salvalerio da em- Ernesto Botelho de Andrade, dem, o
preza.
Joao Ignacio Teixeira, 3
mar municipal Ihe impoe quaudoa illuminagaose ba.fi.
nao anreseuta boa. Estas dous pontos foram sub- Joao Adolpho Ribeiro da Silva, Leara, 3.
meltidos acon-ideragaoda commisso de examede Adolpho Lemenha Lins, Pernambuco, .
comas para sobre elles dar o seu parecer. P mpilio Numa Pessoa, ueara,^." ^ u
Pela conta geral do director da companhia apre-
senteda em a-sembla geral do dia 14 J-MffiWJ
dnlieiro entrado em cal xa sommou 37:o7b5i_I'
seudo as verbas mais importantes 12 contos de ris
provenientes do arrendamento da fabrica no pr>
meiro anno, 9:8095701 rs., importancia de objectis
veod.dos ao arrendatario, e 4:0375332 rs., recebi- Elpidio Jos de Larval lio Souza, dem,
"a at 30 de junho de Eiiseu de Souza Martins, dem, *.
eir, 4.
Parahy-
Joaqira Rogerio de Oliveira, Rio de Janeiro,3."
Antonio Domingos Pinto Jnior, Pernambuco, 3."
Jos Lustosa de Souza, Piauhy, 3.
Jos Joao Chinaco do Espirito Sauto, Pernambuco,
3."
Joaquim Newton de Carvalho, Piauhy, 2.
Joaoum Francisco de Amida, Pernambuco, a."
do da cmara municipal divida at 30 de junho
1864, e que o dnne!ro saludo para pagamento de
_ : ni MMalMAR />!.> i .O-at I I I I A I \ H t I
mbuco, 3.'
lo-Grande do Nor-
cao da totalidade dos dous algarismos entrada e te, Io
sahida- resulta o saldo de 13:1345714 rs., em Simplicio Coelho de ResendeF.lhoPauhy 2.
vis.a do qual o gerente propoi o dividendo de rs Antonio Paulino Calcante Pernambuco
------- Raymundo Clementuio de Castro Valenta, i ara, o.
*- '------,Per-
aandes bater-lhes-ha a retaguarda.
t Suoponho que os invasoies da preferencia
passarao o Uruguay abaixo do Aguapehy, e segui-
ro descendo pelo lado de Corrientes para rapas-
sar o Uruguay abaixo do Ibicuhy.
Creio que a dvisio j esta hora lera encela-
do a sua marcha para o passo de Santa Maria.
Debaixo liveraos por um momento esperanga
de que o Tamandar viria organisar urna esqua-
drilha, fazendo subir para o Alto Uruguay uns 4
vapores acompanhados de chatas, com as quaes
chegou a Concordia no dia 6 pan encelar a subida
no da 8. Infelizmente, a 7 coraegou a vasar o no
e iranstornou se o plano da expedico. Um vapor
mercante, arrendado por conta do Estado nesta
villa, desceu al a Federagao, e ah se conserva
desde 7. Presumimos que a demora tenha sido
causada pela resolugao de nos mandarem os gene-
raes, algura reforgo de tropa.
t Deus o queira, porque a nossa gente de infan-
taria por ora muito pouca. >
t Uruguayanna, 17 de julho de 1863.Hontem
sahiram do Itaquy os paraguayos e flearam de
pouco na estancia da Luz; vera direcgo ao passo
de Santa Mana no Ibicuhy, e o brlgadero Cana-
barro tarabem devia ter seguido para aquelle pon-
pocos'das'para dem'ehor accoVdo e boa vonla- to ; se chegar a lempo, talvez que os nomeos nao
de debelarmos os barbaros que offenderam o mais passem.
Cont que nao haver rio
Aqu se est fazendo grande intrincheiramen-
to, e se diz qua o Tamandar deve subir cora urna
esquadrilha ato esta villa, cooduzmdo tropas da
desembarque, e que essa gente ser a divisao do
Andreas ; porm com todas estas noticias o povo
se est retirando, e este lugar esta' que ja' um
deserto : os estrangeiros tambera esto retirando
j seus negocios, pois os paraguayos nao respeitam
racoes contra'o Paraguay, em Juquery, de 7 de nacoalguma, roubam de lodos,; | no Ilaqoy a
junho de 1863. -Illm. e Exm. Sr.-Recebi os offl- primeira casa qua saquearan foi a do francez La-
cios de V. Exc. de 29 e 30 do passado, com as co- ] crua ; nao Ihe valeu a bandeira Graneen.que ex-
pas e cartas que os aeompanharam, inclusive a tava na porta fluctuando. Os e.-lr
nobre de nossos bros.
grandense, que possa empunhar urna espada ou
langa, que nao corra a vingar a honra da patria.
Adeus al a vista. De V. Exc. amigo e dedicado
patricio.Visconde de Tamandar.Conforme.
Capitao, Manoel Fernandes da Silva, assislente do
deputado quartelmestre-general.
Copia.-Quarlel-generai do exercito em ope
nriinante com-
bra-
desoeas e varios encargos elevou-sa a 11:9415100, Justino Jos Baptisla, Piauhy.
afora a cratilicacao de 3005 rs. ao Sr. Francisco Ernesto Vieira de Mello Pernamt
Pialo de'Miranda', gerente da companhia. Da deduc- Jos Iguacio Fernandes Ramos, tu
15600, por aecao ou 3 por canto e de juro corres-
pondente ao Io semestre de 1838.
Para conhecer do estado em que se acha a fa-
brica do gaz, a respeito da qual ha certas appre-
hensoes entre os accionistas da companhia em des-
favor do arrendatario, nomeouse urna commisso
de cinco membros para a examinar e dar depois o
seu parecer.
No entanlo o gerente da companhia, sendo insta-
do para fazer parte da Iludida commisso, decla-
rou em assembla geral que lendo feito ltimamen-
te una visita fabrica, a encontrara em ptimas
condignos e no melhor arranjo possivel.
Francisco da Cunha Machado Pedresa Jnior
amaneo, 4.
Pedro da Cunha Beltrao Araujo Pereira, dem, l.
Joao da Cunha Pereira Belli o, idera, 5."
Candido Alves Machado, idem, 3."
Luiz Caetano Pereira Guimaraes Jnior, Rio de
Janeiro, 2."
Amonio Silvio Ferreira de Carvalho, Pernambuco,
1
Fortunato Baphael dos Santos, idem, 1."
Fernando Alfonso Ferreira, idem, 1."
Miguel dos Anjos Barros, idem, 3.
cou
Obancod Miho, organi'sado em Braga, come- Sesostns Silvio de Moraes Sai ment, Piauhy, 3.
u as *uas operagoes no meado do correte mez. Horacio da S.lva Rabello Castro, idem, i.
E' no paiz a primeira casa bancaria fra de Lis- Jos Ayres pb Nascimenlo, Leara, 1."
boa e Porto. Sao seus gerentes os Srs. Joao Evan- Samuel Gongalves Ayres, Pernambuco, 1.
ealista de Souza Torres e Almeida, Francisco Ca- Ildefonso d* Audrade Mello, 5."
simiro da Cruz Teixeira e Manoel Luiz Ferreira Fab'o Nunes\Leal, Maranhao, 2
u"a | Manoel de Barros Wanderley, Pernambuco, i."
Em harmona com a sua carta orgnica descon- Francisco daf Cunha Machado Beltrao, dem, i.
ta letras do cambio e da trra, que nao excedam a Antonio Ignacio do Reg Medeiros Jnior, dem, i.
12 mezas de prazo, bilhetes do thesouro e mais pa- Antonio Garneiro Antunas Guimaraes.
peis de crdito, e ttulos de estabelecimentos ou re- Luiz Nicolao Faguodes Varella.
partgoes publicas ; empresta sobre penhores de Espendio Zamiro de Souza Lopes,
ouro, prata ou jolas e aegoes de bancos ou compa-
nhias ou ttulos de divida publica e gneros ou
mercadorias, e estende as operagoes de empresti-
mo as municipaldes, estabelecimentos e corpora-
goes devidamenle garantidas, com juroconvacio-
nado ; compra e vende coupoes, escripgoes de as-
sentamento ou aegoes de bancos, e por conta alheia
melaes preciosos ou ttulos da divida nacional ou
estrangeira : fornece fundos por cartas de crdito;
sua ordem do dia n. 29, relativa ao
bate do da 26, em que triumpharam no-sos bra-
vos camaradas da 1" e 4' brigada, a cojos chafas,
offlciaes e pragas felicito por intermedio de V. Exc.
com quem me congratulo.
Hontom tarde chegou o Sr. visconde de Ta-
mandar e amanhaa ou depois partir, com a es-
quadrilha, Uruguay cima, com tropa de desem-
barque : janvm, pois, ter algumas partidas pe-
queas da Uruguayana para baixo, para entrar
em communicago iogo que apparecer a esquadri-
lha. A forga inlmga, que passou para o sul de
Aguapehy, pelas partes vindas, e de 2 a 3 mil ho-
rnees, tendo mutos velhos e rapazes. Para inim o
inimigo pensa reunir oseu exercilo entre o Min-
nhan e Uruguay, mas pode ser outro o seu pro-
jecto, e ento devemos estar prevenidos, para se
reuoirem nossas forgas aonde e quando convier.
Fructas do lempo.
Nao ha multo que o padre Pompeu e seus ami-
gos do Cear viviam na mais fraternal inlimidade
como padre Verdeixa, por que este trabalhava ni
eleigSes, e aggrelia o presidente c caracteres res-
peitavels do partido conservador.
O Sr. Verdeixa aehon-se ovolvido em processos
crimes, que seguiam seus turnos regulares ; o
Pompeu imaginou urna persegigao por parte
autoridades contra seu irmo em Christo, e quasi
que nao se passava um dia sem que o prelo liberal
gemesse com lamentagoes e condolencias pela po-
bre victima.
Muda se a scena poltica, transforma-se o pail
ofllcial. O padre Verdeixa diz, na sua folhinh.i,
nao sab moa que cousas desagradaves ao ministro
do imperio Liberato, ao padre Pompeu, e a certa
trempe que governa hoje o Cear. Aqu d'elrai !
Desencadam-se as iras do funccionalismo contra o
redactor da Liberdade. Armam Ihe processos so-
bre processos por abuso de liberdade de imprensa,
condenmam-no, perseguerano, expellem-no da as-
sembla provincial, e obrigam-no a evadr-se em
busca da clemencia imperial.
Era hontom um santo o padre Verdeixa, e boje,
sem tornar-.se menos boin que dantos, converle-se
era demonio no conceilo dos liberaos, por que sao
ellas offendidos, contara com os recur.-os offlciaes,
e Pompeu lem assenio no senado.
Ainda mais. O presidente Lafayeite, am'go n
timo do padre Verdeixa, de. quem acaitava corres-
pondencias para a Actualidade em desabono dos ad-
versarios, presidia o Cear na mesmisslma poca
em que padre Verdeixa... Este j clama contra elle, e
contra a olygarchia nascenle do padre Pompeu.
Se os conservadores devem tar urna man=entude
e caridade evanglica de offerecer humildemente a
oulra face bofetada, entorpecendo at a acgilo da
lei contra seus antagonistas para evitarem suspei
ta de perseguigo.
Os libaraes ensurdecem a gente com clamores
por qualquer processo feito por autoidade conser-
vadora em virtude de queixa por afiOo de liberda-
de de imprensa e outros motivos. Mas quando es-
to no podar nem sabem perdoar injurias escripias.
Dao se casos de perseguicao como esses que se ob
servara no Cear e Nieterohy.
Ah liberaes 1 lheraes I
E o melhor de ludo que as armas de qne usam
contra o partido contrario, vuliam-se con'ra elles
proprio?, empunhadas pelos amigos da vespera, a
quem os masmos liberaes adestraram no manejo,
raosirando-se hoje tao sensveis a mas leve arra-
nhadnra.
Justiga do co !
O segador de c.
--------------- ii Si i G-
Eru urna guen-a de iuvasau lodosos ci-
dados sao soldados,
i
O estado obrigado a maular a ordem.
Quando o pala invadido por forgas estrangei-
ras, que violam o solo nacional, a familia, a pro-
direitos do cidadao,
Cas de msica que encantaran os ouvinles,
e assim se consernrcm at a retnala da
bandeira da Assumpco da Senhora
Nao sirva de olTensa a aliroem prodigali-
sar lotivores bem merecidos a primeira so-
ciedade Unio Permanente da Bna-Vhta,
pelo seu carcter, firme/.n, mordade MU
e educaco de que sao ornadas Lo bella*
pessoas, a quem o capellao e recente da-1
Illmas recolhidas da Gloria, mostroo-se
muito e muito agradecidb como o primeiro
influente da festividade, para a qual se es-
mereu, afim de apparecer o maior es, le-
dor cumu de seu cosiume, e afim de lou-
varmos a Assumpco de Nossa Seiibora.
Boa-Vissa 17 de agosto de 1865.
Jos Thomaz de Campos Qwtretma.
~?uilic;3es i podo"
Tendo eu no Diario de 9 e 10 lo eorr<*al*. prn-
vocado o Sr. padre J"- Amonio dos Sant- !.<-
para qua declare qual foi a parle que lano ni emu
, o Illm. Sr. conego Talares da Gama bvrmoi -
o.lmeaeao do Rvm. vigario (Gamillo de Mrft-nr*
|)a^ FurUdo para visitador da provincia das Alas*. >
principalnianle qual a iransarga que o ate*o Sr.
padre Lassa no Diario de 8 >e comprom-ito a por
em pratos Hropo< (eiBwaidw daiiej e oando '*
a 14 do mez, sem que S. Rvm. leotu feii) oaelara
gao, como Ihe euniprU. n )vameole i> pr-ivo*" > par
que sem perda da lampo faga a d^clara^an <|in
exijo. Previuo-o desda ja que nao ha de >a*ir-*
como no negocio dos 3.0005 legados pefo Exm.
Sr. hispo D. Joao aos pobres e a doas igreja> A>*u
cidada, a qual quanlia S Kvma. deehuo* oo fto-
rioo. II de feverairo, e affinmiH mesmo rnmjmrt-
ment qua havia enlrayadu ao Sr. Ani.-m rtannx,
enlrelanlo que esta seubor asegura parante es ir.-
bunaes qae tal quaiili;-. nunca rec-b-ra ; Sr.
Dr. juiz da capailas mandou emban;a-U n-> pro-
ducto dos lens ja pelo mesmo Rvd. Les^a roif-
nados* aos seus credores, visto afjirmar upwlmenU
S. Rma. qu i eati pobre, que aua uais po>soe.
Racife, 14 de ago-to do 1863.
Conego J'jmuim ferreira do* Sf#>
gar estavam com as bandeiras promptas, e dispos-
tos a esperar os homens, porm isto antes de sabe-
rem do resultado do Itaquy.
............' priedale, os mais sagrados
t Adeus at a volta do correio I essa obrigago do estado sobe de pnlo.
Confirma se a noticia da iunegao do general i Dada a invaso do paiz, o astado tara o rigoroso
Caldwel com o general Canabarro. dever de levantar forga publica sufflclente para
Urna caria do Sr. capitao de mar e guerra Lom-; superar as forgas invasoras.
Ello tem o dever de levantar essa forga com o
menor dispendio.
Ella tem o dever de levantar essa torea no mais
curto prazo.
A invaso estrangeira o extremo perigo so-
cial.
Em um perigo extremo, loda a demora e fatal.
"i
ba, datada do Salto no da Io do corrente, e dirig
da a a sua senhora, confirma a uolicia dada pelos
jnrnaes de ter passado no Salto cora direcgo a
Uruguayana a divisao Sampaio, em numero da 7
baialhoes de infamara, e que nesse dia estavam
passando as carretas.
Hoje faz leilo o agente Gordeiro Simoes, de
mohilias de Jacaranda e amarello, bancas para ad-
vogado, camas para meninos, candieiros de gaz e
outros objectos de gosto : no arraazem da ra da
A demora do Sr, visconde, foi emquanlo ira- Cruz n. 37, as 11 horas era ponto
tou de reforcar a esquadra, com alguns vasos e
outros misteres. Esle exereito, prepara-se para
marchar breve. No meu ultimo offlcio Ihe dei a
oplnio do general em chafe, que hosiilisar V.
Exc. o inimigo quanto possa, mas, fem arriscar
um combate decisivo, que nos possa prejudicar,
urna forga tao importante corno a que \. Exc.
commanda. Deus guarde a V. ExcIllm e Exm.
Sr. general David Canabarro, commandante. da 1
Quanto maior rapidez em levaular-se a forga
publica, mais prompto e seguro sera o successo.
Na guerra a promplidiio e a presteza da forga se
nao j a victoria toda, urna grande parte da
Repartiqao da polica : victoria.
Extracto da partes dos dias 13,16 e 17 de agosto Na guerra a forga publica deve estar na razao di-
de itj(}5 recta dos obstculos a vencer, o dos direiios a oe-
Foram recolhidos a casa de detengo no dia 14 do fender, e na razao inversa do lempo a empregar, e
corrente : I das despezas a fazer.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Joao
Marcelino da Silva, Saverino Barbosa da Silva e'
*JI -,'-1. I< divisao ligeira.-ilf. L. Osorio, brigadeiro.Lonior-
rae..M. F. da Suva, assisteote do deputado quar-
tel-mestre general.
Remettendo estas c.mmunicagods ao Sr. presi-
dente da provincia do Rio Grande do Sul, acom-
panhou-as o general Canabarro da segrale carta :
t Illm. e Exm. Sr.Ibrocahy, 12 de julho de
1863.
Com salisfagao passo s mos de V. Exc, por
copia as importantes comraunicagoes que hontem
noute recebi.
t Dado no da 9 do corrente o concurso de co-
. Feiippe Santiago da Silva, para recrutas; Joao Mi-
1 guel dos Anjos, como suspeito de ser desertor ;
Manoel da Rocha Ohveira, como processado em j
crime de roubo.
A' ordem do subdelegado do Recito, Gypnano
Roviro, hespanhol, a requensigo do respectivo
cnsul.
A" ordera do de Santo Antonio, Francisco An-
tonio dos Res, para correego.
A' ordem do de S. Jos.Galdioode Franga Custo-
dio, por desordem, e Maria Julia da Conceigo,
por briga.
15
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Luiz
kS chuvas que inoundaram o Uruguay, coma de Franga Pereira Jos Miguel dos Santos e Seve-
communicages, na rio Ferreira dos Santos, para recrutas, e ami
visconde de Ta-
Miguel Gomes\de Figuelredo, Pernambuco, o.
Roberto Sabiniapo de Barros, 1.
Ernesto Augusto'da Silva Freir.
Vicente de Souza Quairoz, 2.
Joaquira Antonio da Silveira Jnior, 2."
Luiz Caetano Mans Brrelo Jnior, Baha, a
Antonio Vieira Crneiro da Rocha, idem_, o.
S. Exc, lisongaado por urna prova tao robusta
, de consideragao sua adranisirago, prova que de-
recebe'dinheiro em deposito com juro prazo cer- corre desse offerecTmemo ; S. Exc. commoyido era
to ou em coola corrente, e faz transferencias de di-1 presenga de tanto patriotismo, era peitos juvenis,
nheiropara dentro e fra do paiz. Sacca sobre era que as effUOiS d'alina. sao extremes de toda a
Londres, Hespanha e Brasil, tendo agentes no Rio intengao reservada, deu o devido aprego a tal oite-
Grande do Sul, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambu- (recimento ; o qual vai levar ao conheciraento do go-
co Maranhao e Para. | verno imperial para ulterior detiberagao.
A commisso orcanisada nesta cidade para pro-; Seguidamente deslilou por dilerentes ras a ae-
mover soccorros para as victimas da guerra do; bandar a briosa corporagao acadmica, por entre
Brasil com os estados do Sul, lem remeitido com- vi>as e ao som da msica, na mesma c m, e
mis-o central poriugue/.a no Rio de Janeiro saques augmeutado o prestito era grande
na imporiaacia de 5:904^126 rs., moeda do Bra-
sil.
numero de pes-
soas distmctas, quemo espectculo extasiava;
assim como a nos prendeunos na sua contempla-
coragSes jovens
Das provincias so temos a noticiar o slnistro de, gao, bem que nao seja novo que cora
m que na noite de 18 do corrente se deu na villa se expandam em seulimentos elevados.
ogo que
de Amarante.
Era urna hora da madrugada quando se manifes-
tou um terrivel incendio na laja da fenagens e
mercearia do Saoiooio Jos da Cruz, situada na
ra de S. Gonealo.
O fogo coraegou na loja e como nella houvesse
bastante material corabustivel, deseovolveu-se com
tal rapidez que em menos de urna hora eslava o
predio redozio a crazas.
Nao houvc terapo para salvar cousa alguma : os
proprios caixeiro ficariam devorados pelas cham-
mas seno fossem dous individes que casualmen
Quando a patria gerae sob as vicissiludes da
guerra ; quando a patria solta o brado de convo-
cago de seus filho?, nao ha povo que se torne
Impassivel; nao ha filho que nao corra ao reclamo.
A patria reclamava o concurso dessa porgo vi-
ril e selecta de brasileiros, ei-los pois em derredor
do pavilho auri-verde.
Sejam bemvindos esses fllhos da trra bemdita da
Santa Cruz I
Em face do grandioso espectculo que hon-
tem deu esta cidade a mocidade acadmica, nao
pode o Sr. Dr. Symphronio Cesar Coutinho sopitar
te sahiam do convento de S. Gongalo no momento; os seniimentos de patriotismo que aoinna no peito,
em que se declarou o incendio e bateram s portas e assim olfereeeu-se ao Exm. Sr. conselheiro Pa-
para acordaren) os caixeires, mais ainda assim ranagu, na qualidaJe de medico do corpo acade-
dous tiveram que fugir pelos telhados. Um, que mico,
se aoimou a sahir pela porta, ficou em deploravel
estado, e ;cha-se em curativo no hospital.
O assucar branco de Pernambuco regola de
2^050 a 25150, o somenos 15900 a 25000, e o mas-
cavo 5300 a 15630 : o da Bahia, branco 15900 a
25000 e o mascavo 15400 a 15300 ; o mascavo do
Rio 15300 a 157OO.
Durante a quizena importou-se o assucar se-
gu nte :
Di Bahia 310 caixas, 43 barricas, 18 feixes e
430 saceos ; do Maranhao 270 barricas e 273 sac-
eos, de Londres 211 saccese de Goa 803 ditos.
As vendas orgaram por 30 caixas, 50 barricas e
mil tantos saceos. D'estes 820 eram do de Per-
nambuco, e bem assim as 50 barricas.
Cambios sobre Londres 90 d d. 33 1|8 e 90 d. v.
53 1|4 ; sobr- Pars 540 por 3 fr. 90 d.; e sobre
Hamburgo 47 1|4 nominal.
Abri tormo de caega em 13 de Julho o brigue
braslleiro Amelia para a Bahia.
Eotraram :em 19 de julho a barca Btoiano,
da Bahia ; em 21 a barca Nova Palmeira, do Para
por Lisboa, e a barca brasileira Bullante do Ma-
ranhao.
Sahiram :em 18 de julho a barca Alfredo para
informa o portador de laes
da obslou a vontade do (Ilustre
mandar.
Cooseguintemente, se o inimigo, qua esta em
Itaquy, nao repassar o Uruguay nestes dous dias,
estara em oosso poder.
c Se chegar a divisao do general Flores, com
loda a certeza vamos derrotar o iniraige. Ao con-
trario teremos de acaba-lo por raeio de sitio e hos-
tilidades parciaes, se o visconde nao determinar o
combate a que vera disposlo.
t Nesta divisao ha o pessoal de 9 mil, inclusive
2,500 de infamara, que pode dar o total prximo
a 4 mil com os do visconde. Estes 9 mil homens
esto neste ponto cerca de 5 mil, na Uruguayana
800, e o resto na (reme do inimigo.
Cortar-Ihe a retirada era certamente o primei-
ro e vaniajoso passo. Ueu-se. Falta agora, que
o inimigo. desconhecendo sua perigosa posigao,
nao repasse o Uruguay.
t A i" brigada da 2* divisao entrou ueste campo
a 7 do corrente, a 9 o 1 e 3o de voluntarios com o
23 de cavallana. Os batalhSes deixando doenles
e estropeados era Algrete, vieram reduzidos o 1'
a pouco mais de 400, e o 5 a 500 pragas.
O 3 corpo provisorio de cavallaria fica
divisao.
Dire a V. Exc, que a minha esquadra impro-
visada ja' prestou importante servigo, qual o de
rebocar embarcagSes ao Meriohan para a passa-
gem de Urquiza cora 8 rail homens.
Sempre o mais dedicado e affectuoso.
Amigo venerador e criado.David Cana-
barro. .
A seguinte carta, datada de 13 do correte, e
escripia porum ofllcial das forgas de Canabarro.
t Por flm comega a execugao do plano. Nosso
exercito ja acampou na Concordia com 20,000 ho-
mens; Mitre, outro tanto, e Flores para aqu com
5 mil homens. O vir nao era tudo; o principal era
Com este acto, todo espontaneo, de um mogo ri-
co de esperangas, e de urna posigao elevada, o Sr.
Dr. Sympronio manifeslou-se ainda por este lado
um bello carcter.
Com destino ao 3. corpo de voluntarios alis-
taram-se hontem : o estudante do 2." anno Joao
Baptista de Freitas e o de preparatorios Joao
Francisco de Barros, e o furriel do 6. batalho da
guarda nacional Joaquim Jos Pereira da Malta.
Com destino ao corpo de polica alistou-se o
Sr. Luiz de Franga Neves.
O Sr. Justiniaoo Manoel de Barcellosottereceu-
se para organisar urna companhia de zuavos de
homens pretos.
Vo ser substituidas as notos de 105 da V
estampa, cor de telha ; mas ainda nao foi marcado
o praso para lsto.
Amanha vai a scena no Santa Isabel o dra
cesta
Gomes Xavier, como desertor, e Joo Gomes dos
Santos, como pronunciado por crime de ferimentos
graves: e 12 sentenciados viudos do pre>idio de
Fernando, por terem liifalisado as suas penas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel Vi-
cente, para correego, e Joo, escravo de Manoel
Joaquira Vieira de Mello, por lugido.
16
A' ordera do Illm. Sr. ur. chefe de polica, Her-
culano Bernardo de Senna, para recruta.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Ignacio,
eseravo do raajor Antonio da Silva Gusmo, por
crime de morte.
A' ordem do subdelegado do Recife, Raymundo
Jos de Lima, para correego.
A' ordem do de Santo Antonio, Cosme, escravo
do tenente Arruda, para correego.
A' ordem do de S. Jos, Pedro Manoel Vieira de
Lima, por olfensas physicas.
A" ordera do da Boa-Vista, Amonio Caetano de
Uliveira, por oflensas physicas leves.
A' ordem do juiz de paz do 3o districto da tre-
guezia da Boa-Vista, Thora de Azevedo Santos,
por nao ter cumpndo os deveres de fiel deposi-
tario.
O chefe da 2.a seccao.
J. G. de Mesquita.
Casa de detengo.Movimento do dia 15 de
agosode 1865 :
Existiam 367; ntrarara 31; sahiram 6 ; exis-
ten) 392, a saber: nacionaes 293; mulheres9;
estrangeiros 27 ; estrangeiras 2; escravos 06 ; es-
cravas 5, total 392.
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 17o.
Movimento da enfermara do dia 16 de agosto
de 1865.
Tiveram baixa :
Jernimo Dias Tavares, ophithalmia.
Bellarraino Alves Baptista Carvalho, syphilis.
Ainda elles!
O Diario do 16 do correte, traz orna rorru-
pradencia firmada por um meni*> rhamado
Jos da Silva Rodrigops, eompanhnro iki Sr. Fran-
cisco Ignacio Ferreira, sando ambos etnxnrcs do Sr.
Antonio Gongalves de Azevrdo, ex-lketomrrtro do
Gabinete P.irluguez de Leilura. Ora como muito
natural que a gante -en-ai.i pense qua o* doo pri-
meiros nada mais sao do >|ua maoivella ti terrei-
ro, nao me rang.irpi --m desmentir 'le nov> rnm
parsa, por sen patino provavelnwole arrojado
scena, por que a materia a mesma, oV-m Mi-
dos j foram, e arca nao voltaram os individuo*
que vieram antes deste fazer as suas pntelas. J
v o menino Jos Rodrigues que a minha rehira,
longe da ser descabellada como a racaava, esla Mtt-
frivelmente encabellada, e n> dava deixa-lo rrpltr-
to de inedo ; eslimare que gotte delln pois a duo
nunca r lo feto como o mntam.
Falta agora vir o onlro rompanheirosinlt, ttraz
de todos o respeilarel homnculo que laMo t-t te-
lar a sua dignidade de palro. Saia a b chana
toda ; saiam os IHHMJM om por om, e nm por
um venham repetir a mesma sedica caaiiiena apro-
veitando esses os vmitos dos outros para n* ior>r
a vomitar em publico. Safa, que ja rau.-aai ojo,
e rae fazem embrulhar o estomago com a usfcutoeu
de tanto cynismo.
Recife, 17 de go-to de 1855.
Al/redo Cardoso Pernra.
.inaciihnita pelloral e Urmp.
Est tazando pasmar todos os nossos nvdico-
pela graude rapidez com que cora a losse em lute
os seus periodos. A academia medir de Berta
teve mnita razao em considerar o uceo d>si 1 bal-
smica arvora, como mn e-pecihVo b-oloto para
as irritagoes e inflammacoes da garganta 00 vasos
bronchios.
Nenhuiu caso de ronquido, asihata, eaurrko,
dor da garganta ou bronrhites, pode r^siM'r 4*
suas propriedades contra-irritantes. R^li'n
reslabeleca a voz, qnando |>or aftWgVs da irwhn
ou larynx se chega a perder H di-bililar; (az parar
a expecioragao sangunea, e impeda a aggo n-ra-
go da mneosidades MI lobos da respiragio que
conduzem aos pulmes.
Intairamenle mui dilTer-mle a esses perora
composios principalmente de Troclas acras e as-
tringentes, ele, fioalmanle na soa delirada ala-
horada comiKsiao nao enlra naohntn arijo pros-
sico, nem tao pouco ingrediente algum da especie
ou carcter venenoso
Vendase as pbarmacias de Caors J. C. Bravo & C
i
A jarnbeba.
As virtudes iherapeulicas &* jurubtba sodesd*
muito conheeidas nao s no Brasil, pois que iMU-
iratou Pisou em >ua excellenle obra Histori 1 m-
luratis et medica ludia occidentalu, rni > as
Anlilhas, onde o sueco das folhas e froclo con
aqui, muito estimado e apnl cado roalra a* ouo-
trucgas abdominaes, principalmente do ligad e
bagj; e se todos os facultativos dasto pryvwna o
nao applicam com reqoemia, islo se nao deve a
nao reconhecerem elles essas virtudes, mas *im a
nao serem encontradas rom facilidade e c-m fcidas
as rstagSes do aono os frurlos das-a planta, a a re-
pugnancia, que presenlam os (toente -n faaer
uso do sueco desses fructos, em conseqnewia de
ser extremamente amargo.
A jurubeba nao descoohecida dos botoslas :
esta planta pertence familia da cianea, e Ir
a denominago de solanum pantaUatwm, que Ihe
foi dada por Lyneo.
Parereodo-nos conveniente facilitar o no do
sueco dos fructos da jurubeba, qne o roais fs-
pregado, nos propozemos e ron>aguimos pr-^arar
com elle nao s um extracto alroolico que pode ser
applicado em pilotos, mas tambero oro yinho, om
xarope, e ura emplastro qua pode substituir. ra
certos casos, o da Vigo ; e estamos persuadidos qn
com islo prestamos um servigo a humaoidade e a
thcrapeuiiea.
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-
coegao das raizas da jurubeba, e arat a Driews,
em seu Diccionario de molera medica e thrrapm-
tica, dizem que as An'ilhas se fax oso de snrr
tos fructos maduros dessa plaola contra o ratar-
rho vesical ; e a autoridade dos nomas desses me-
dicos, merecidamente celebres, nos leva a e-er *
pressurosos ao grito da patria oppri- 'suas palavras, e por isto cuidaremos de i*r am
oosso estabelecimentoessas raizes.paraqua nossam
Se tal o dever do estado era um paiz invadido,
qual ser o dever do cidadao ?
No caso de invaso todos os cidados sao sol-
dados.
Livrar a patria opprinnda pelo estrangeiro, eis a
obrigago cominura e geral de todos.
Desta obrigago a nioguem licita a recusa.
Porque nessa occasiao suprema ha servigo para
todos : ricos e pobres, velhos e mogos, casados e
solteiros, pais e Qlhos.
Os ricos abrem as bolsas.
Os velhos, os casados e os pais guardara as ca
sas, a familia, os liltios, a propriedade.
Os mogos e os solteiros marchara para a guerra
era defeza da honra nacional.
A ninguera licito a recusa.
Porque no caso extremo do perigo social a
inercia cobarda e a cobarda um crime.
E neuhum cidado lera o direito de ser cobarie
e muito menos de ser criminoso.
III
O successo da forga publica depende sobretudo
do numero.
Na guerra a victoria nao portence aos tiacos,
sempre estove da parte dos fortes.
Os fortes sao aquelles que tem por si a maior
forga.
Para obter-se pois a victoria prompta e segura, e
preciso oppor a forga eslraugeira grandes e nu-
merosos exercilos,
Os exercitos numerosos fazem-se pela pelo als-
tamelo voluntario, ou pelo recrutamento.
Nao ha outros meios.
Pernambucaoos, meus charos patricios, esco-
Ihei, se que pode haver escolha entre a honra e a
infamia.
u alistamento voluntario a honra daquelles
que correm
mida.
O recrutamento forgado a vergonha daquelles ser experimentadas,
que se querem eximir do sagrado dever de defen-' A reputago da jurubeba tal, e os resollados
der a patria invadida. therapeuticos obtidos ltimamente sao too inspor-
Peruarabucanos, escolhei, escolhei j. tantos, qo> nos parece inulil dizer mais do qae
Porque o dever do estado de inanter a ordem e a isto, que fica escripto.
caar a retirada ao inimigo ; com'efleilo, o grande I Joo, escravo de Manoel Joaquim Vires, tumor
Teve alta
Tamandar aproveitando a cheia do Uruguay, no
dia 8 transpunha o Sallo-Grande com 3 vapores de' Antonio da Silveira Sa Barrete
guerra, Taqnary, Onze de Junho e Tramandahy, Francisco M
rebocando lanchas, e traz 1,200 infantes para re-
forgo da mariuha e atacar em trra ; o diabo que
a ultima parte da frente os da ja passando gadus
para o eutro lado, e supponho que se escapara :
realsa-se o nosso ultimo temor se os vapores nao
sbem prompto. A noticia do Tamandar e Flores
ofllcial.
Com dala de 12 foi remettlda a segrate carta
ao Jornal do Commercm, de Porto-Alegre :
t Acampamento no Ibirocay, 12 de julho de
1865. .
O general Canabarro acaba de receber offlcios
do general Flores, que sahio do Salto para esta
fronteira no da 8.
Igualmente recebeu offlcios do almirante vis-
publico. Obtuario do dia 17 de
imegrdade do paiz, um dever imperioso e ne- Deposito :
cessario. ____.
Porque o dever que corre a cada um de libertar
a patria invadida igualmente aecessario e im-
perioso
Um Pernambucano liberal.
pharmacia de
Joaquim de
Almeida Pm/o.
CORRESPONDENCIAS
ma do distraclo Iliterato porloguez Biesler Um qua- conde de Tamandar, A japaswu o^**;
i'o da vida de em dous vai>orts com 1,500 homens de desera-
Primor d arte, gosto no desenho dos caracteres, barque. alm de outros navios de pequeo calado
atiz na expre-sao de lodos, multa vida, mulla que se dirigem a Uruguayana com i,000 homens
pas-
matiz na expre.-s---------------, _~ ._
belleza, muita experiencia e estudo do coragao hu- de inrantaria.
Cemiterio
agosto :
Maria Francisca da Conceigo, Pernambuco, 80
annos, viuva, Boa-Vista, ataque cerebral.
Cosma Mana da Conceigo, Pernambuco, 65 an-
nos, solteira, Santo Antonio, espasmo.
Mequellna da Cuuha Lima, Pernambuco, 75 an-
nos, solteira, Recife, megelite chronica.
Maria Benedita das Neves, Pernambuco, 50 an-
nos, solteira, Boa-Vista, peneumonite.
Maria da Assumpgo Pereira Prente, Pernam-
buco, 26 annos, solteirafS. Jos, phthysica.
Maria, (liberta), frica, 80 annos, solteira, Santo
Antonio, diarrha.
Prophysia, Pernambuco, '80 annos, viuva, Boa-
Vista, eolito ebronica.
Jo3o, Pernambuco, 14 mezes, Santo Antonio, in-
tente. .
Priscilla, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos, den-
tincao.
Claudina, Pernambuco, 5 mezes, Recife, espasmo
Generosa, Pernambuco, 40 annos, solteira, es-
Phthyslea.
O xarope et erio de veame por m;m pre-
I parado, muito tem aproveitado aos que so-
1 frem desta molestia, e de lamentar-**, que
no nbtuario desta cidade a maiona dos qoe
-------------------------------------------------- suecumbem de tubrculos pulmonares,
Sr. redactor da Revista Diaria.0 sem procuraren) o recurso do pe tico e do
amor e respeito que consagro religiao do- expenente, que Ibes pJem encatuinhar o
minante do imperio, me anima a implorar a meio de sua salvacfio.
Vmc. que d publicidade em sua muitu es- O Sr. Braga com loja de erragens na ra
timavel Reoista aflm de prodigalisar louvo- Direila, foi desengaado por doos habis
res festa, que com toda pompa se reali- mdicos, acba-se bom com o tratamento por
sou no dia 15 do crreme mez no reco- mim prescripto.
lhimento de Nossa Senhora da Gloria sua A Sra. Jeronyma Maria di Conceicao, mo-
padroeira, Assumpco de Nossa Senhora. radora na travessa lo.Monleiro n l.acha-
A igreja se achava ricamente decorada com do-se desengaada, lambem mim recor-
0 melhor gosto que naja deixra a dse- reu e acha-se restabelecida.
jar ; a msica da festa e Te-Deum foi su- Um sobrioho do Sr. professor de Naxa-
blime e com o melhor gosto possivel; o reth do Oabo, acba-se bom. como se t de
sermo foi executado pelo Rvd. frei Joa- sua carta abaixo transcripta, alm de outros
quim do Espirito Santo, pregador da capel- fados, que podena aqui mencionar. ____
la imperial, digno e sublime pregador bem A phthysica a destruico e a magna
conhecido nesta provincia pelo seu saber e de todo corpo, em consequencia de chagas,
maneiras dignas da maior estima. O p do tubrculos e concrecco dos bofes e de em-
altar bem servido de dignos clrigos revs- pyema, alrophia nervosa, e ootrasmolntnt
tidos de ornamentos ricos. que viciam os humores, como escorbuto.
Restj agradecer cordialmente ao direc- alporcas, gallico, asthma, bexigas,
1 tor da illuslre sociedade Unio Permanente po, etc.


Diarlo de Peruamfea
co .esta Mr* 18 de Agosto de tSdt

vidad, \ 1 ?,? -1 a e'l;,d0 de sra- N5 deixarei de a,lve,"lil- ao P^ico, que
s Sin do aLn, Vf CODCOrre,r paraa.asm.nhas preparacoes de velaje sao reu-
tn,aC a e ajU(Ja- 0S medicamen- nidascom outros ingredientes, e cora elles
l i?a campo. exercicio conveniente tenho obtido ptimos resultados: n3o se en-
Ln,'* ? n^ >i s,er,de nennuma 8ane o mesmo publico cora outros que por1
ZwXV, 1 U de ,leF,Cl1 d,gest0 : e a,ahi seannunciam, cujas preparacoes ignoro, I
bebida cumpre queseja denatureza branda assim como o aproveitamenlo aos enfermos
MOVIME.NTO DA ALFAD&JA.
voiumes entrados com fazendas___ 96
com gneros..... 16$
Voiumes sahidos ccm fajeadas..... 62
CDa genero..... 337
------- 311
_____ 399
Doscarreram no da 18 do corrente.
a quem porventura lenhamsidoappl'icados"; Sl^t^h^JS^^" dVersa5'
mnwl al,menl se, ha de d,r,g|r a cada um responde por si, e eu aflirmocom Barca franceia-GM7/(^ r-i
a acnmrmiM iln linmnrn< ,. a un. wi'il-i,l.-. ,i ,i.,.,.,.,,,;....:.... i. ,...i_ __;____I de estiva.
e fresca
acrimonia .los humores, e a nu- verdade o que aoui tenho relatado, cuios me-j
2 u d0e,ntt- para que Preciso dicamentos nesta provincia s vendo em mi- bS^^S^T^'^^^-
reduz -lo ao uso de vegetaes e leite. nha botica na ra Direita n. 88. "c.onai-Kn/fc-.dem. m
Toda comida e bebida, que se tomar ha Jos da Rocha Paranhos.
oe ser em poucas porcoes, para evitar que Nazretii do Cabo, 7 de setembro de 1863.
o excesso do chylo fresco opprima os bofes Illm. Sr. Jos da R( cha Prannos.C< m
e accelere muito a arculacao do sangne. o maior prazer levo ac conhecimento de V
Aluitos doentes desta molestia se teem en- S., que o doente que V. S. acha-se admi-
iregue ao uso do oleo de figado de bacalho, nistrando-lhe re iiedios, acha-se no todo res-
e outras preparacoes de resinase blsamos, tabelecido, portanto, nada sent, tendo des-
sem que dellas lenham tirado proveito ; e apparecido ntodo a tosse, tem muita dispo-
aiguns expositores de medicina combatem sico comida e acha-se nutrido. Deixou
com minia razao esse tratamento. tomar os ltimos remedios que V S recti-
L co.stuine carregar o estomago do doen- tou no dia 30 do passado, resta agora a V.
te com medicamentos oleosos e balsmicos; S. mandar-me dizer qual a dieta que o
porem estes em vez de tirar a causa aug- doente deve conservar e por quanlos lem-
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-; pos, mencionando as comidas que dever
mo lempo que tiram o apetite, relaxara os usar daqui em diante.
so'ulos, e sao de toda .sorte perniciosos. Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
Tudo que se fizer para extinguir a tosse, dado que tomou no tratamento do meu so-
alera do exercicio e rgimen apropriado de- brinho, abaixo de Deus, devido o seu resta-
vem ser remedios de natureza acida, deter- belecimento a pericia de V S. e por so
gente e calmante. pode V. S., sempre contar com os meus di-
us cidos possuem a virtude de produzi- minutos prestimos, e desejarei em todo o
rem bons elTeuos nessa enfermidade, por tempo dar urna prova do meu reconheci-
que, nao so contribuem a apagar a sede ment.
quando accommettem a febre elhica, mas Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
tambera a refrescar o sangue. de V. S. muilo respeitador e brigadissimo
Aos doentes desta enfermidade, quando o criado.Francisco Bennguer Cesar deMe-
seu estado de gravidade tal que a febre nezes.
elhica os accommette, prescrevo-lhes o su-'
verros geueeos
conaieoes do serrico militar, a engajarera
no corpo1 de polica e gozarem da
co de um limo dissolvido era urna chicara
d'agua cora bastante assucar em um grande
copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerantes para tomar, com que ali-
viam no acc.u,mettimento da febre, e pela
nianhaa o xarope etherio de veame. Tenho Iras vezes de
VARIEDADES
ciencias e medicina.
L-se na Union Medicle de Pars:
Osjornaes de medicina fallaram por va-
urna descoberta
Importaco.
Vapor nacional Tocanttns, entrado dos portes do
sul, manifestou o segninte :
I caixote rap ; a Campos & Sobrinho.
z caixes chapeos ; a Joaquim Alves.
2o0 rolos fumo, 30 jacazes toucinlio ; a orden.
Encommendas.
3 voiumes; a v. Jos de Itrito.
1 dito ; a Thereza Carmelly.
1 diio ; a Joaquim Gomes Dourado & Irmao.
1 dito ; ao commeudador Pedro Autrau.
2 ditos a Manuel Joaquim Ramos e Silva &
Cenros.
a C. de Leinos E. Fagundes.
ao barlo do Livrameoto.
a Jos da Cunta Magalhes.
a Josu Pereira Vianna.
a Joao Jos de Amorim.
a Jos da Silva Loyo.
a Joaquim Jos G. Delirio.
a Caelano Pinto de Veras.
. a caixa filial do Banco do Brasil,
z caixas a Manoel da Silva Nogueira.
1 dita ; a Clemente de Oliveira Mendes.
Hiale nacional ous limaos, entrado do Mar-
nho, consignado a Tasso Irmos, manifestou o se-
guime :
500 toros de mangue ; aos mesmos.
4 fardos cora 3,000 courinhos, 10 caixas cha,
250 saceos arroz, 1,340 meios de sola ; a onlem.
Brigue hespanhol Corina, entrado de Buenos-
Ayres, consignado a J. Pater & C. manifestou o
seguinte :
4,500 quintaos charque, 30 couros seceos de
poltro ; aos mesmos.
Exportaco.
Brigue inglez Ziscon, carregou para o Canal:
3.000 sarcos com 13,000 arrobas de caf.
RECEUEDORIA DE KEXDAS INTERNAS GE-
HAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 16...... 20:7795137
dem do da 17................ 2:42lJ08o
1- dorrente, sando na mesina occasio dadas como
abonadas 9 da 2- cadeira do 4 anuo, das oas se
nao tratara na sessao antecedente.
Primeiro anno.
Sevenno Ribeiro Carneiro Monteiro. 1 sabbali-
na na Ia cadeira ;
Z-lirino Botelho de Aodrade, II sendo uma de
sabiiatina dem;
Antonio de Castro Alvos, 2 idem ;
Alcino Baplista Monteiro. 2 idem ;
Mauod Joaquim Cavalcante de Albuquerque, 3
idern; '
ManMmnmrt?naicai,rCa'nu0ra Vdrim; cedidls aos voluntariosa'patila. O te-
ManoelThomax de Barro* empello, 1 de sab- nente-cor.nel commandante do corpo de
polica, Alexandre de Barros
que.
e gozarem das vanla-
gensd i lei provincial n 611 de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes:
l^iOO rs. diarios Ae sold, seren seus i-
Ihos menores recolhidos aos estabelecimen-
tos provinciaes de educac3o eo tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposentadoria, e alm desta
tena todas as mais vantagens que s5o con-
--Jendem-se as barcas Panmi, de 23 niu
e Santo Antonio de Barreiror de 15 diUs atorn-
illadas de novo e bem constrojj* : a tratar *<
ornea com os Srs. Amonio Lop Braga V. om
no Rio Pormoso cora Jalo Attonso Verrn '
h l l l
1 dito
1 dito
1 dito
1 dito
1 dito
1 dito
1 dito
1 dito :
1 dito :
batina, idem
SebastioCordeiro '"oelho, 1 de sabbalina, Idoin.
Segundo anno.
blpidio Jos de Carvalho Souza, 3 na 2' cadeira :
i edro Baptista de gforaes Rogo, 1 i Jera \
Manoel Pinhytiro de Miranda Ozorio, 1 idem ;
francisco Xavier dos Res Lisboa, 1 dem;
redro Jorge de Souza, 1 dem ;
Augusto Gurgel, 1 idem ;
Joao Baptista de Freilas, 9 idem:
Emiliano Jos Rodrigis. 2 idem ;
Luiz Pereira de Araujo, 1 idem;
Manoel Ribeiro
no por excesso
n IIOJE.
Pl ageiile fcuzcbt*.
I).- ilua- im.bilias .|.; |HWM l.i, n ,v*s r.m ttca-
O lente commandante da companhia de
cavallana contrata para fornecimenlo do rancho
das pracas da mesma, durante o 2- semestre do
l correte anno o seguate : carne secca, dita verde,
fejao, farinha, looeiobo, bacalho, paes de 6 on-
l^as, manteiga fraaeezi, azeite doce, vinagre, le-
I nha, assucar retinado, caf e arr jz ; e para a ea-
| valhada, capim, mel, farelo e milho, sendo estes de
boa quahdade
Albuquer- I)0 d Pdra, um guanta rmipa de aroarello
e diversas obras de renom. me m tea4
por maior prego.
Leilao
iro Barrete de Mezes, perdeu o an-17n\\\TZT*?L? "r,,t,n,luuf.!i J^m JM&-
de f.,|tas. H ao luartel da mesma companhia, no da 20 do cor-
rente, ao meio da, com suas propostas em cartas
fechadas.
Antonio Joaquim de Senoa Jnior, 2 idem;
Paulino Cavalcante de Albuquerque, 1
amargosas, que fortifican) o estomago e ser-
vera ao me-mo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
ASra. D. Joaquina deS Brrelo, tendo
uma sua escrava fallecida desta molestia, sub-
mettida ao tratamento de sen medico, resol-
veu procurar-me para tratar de um outro
escravo, que soffria da mesma enfermidade,
prescrevi-ihe o xarope de veame, tem me-
Ihorado consideravelmente.
A senhora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato fui desengaada por habis mdicos
desta cidade, esleve prostrada, e nos ulti-
m s paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. teneute-coronel
Rodolpho Joao Barata de Almeida, foi tam-
bem desengaado por habis mdicos, e
Cum o xarope de vellame acha-se completa-
mente restabelecido, como se v tambera
da carta impressa do mesmo Sr. lente-1
coronel no mesmo Jornal do Recife.
OSr. A itonio Christiano Fogt, ilho do
Sr. Christiano Fogt, proprietario e eslabe
leido na cidade de Maeei, o primeiro bem
conhecido nesta cidade, pois que foi empre-
gado na casa do Sr. Len Chapcllin, retra-
tista eslabelecido na ra da Imperatriz, ac-
commettido desia molestia, foi daqui desen-
galo por habis mdicos: retirou-se para
a Babia, e alli continuou em tralamenlo ate
que foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, chegando eu em .Maeei, um
amigo pedio-me, que o acompanhasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o lilho em uma cama desanimado e em es-
tado de pr.slraco. pois que escarrava san-
gue e tinha completa inapetencia e fraque-
^ za, a ponto de nao se poder por em p, no
tini de uma garrafa do xarope ethereo de
ve lame ja se acliava elle no estado de pas-
sear em casa, desapparecida a inapetencia e
us escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j achei era estado de
faze-lo passear pelo sitio todas as manhaas.
Acabada esla o aconselhei, que continuasse
no uso do mesmo xarope etherio alternado
cora o xarope aicoubco de vellame, e que
nsasse dos banhos salgados na pancada do
mar. Senlio elle nos primeiros banhos al-
guns choques, mas eu o acoo9elhe< que con-
liiiiias-, com o que se tem dado muitobem
pois que tenho recebido cartas de Maeei,
cm que se rae communita o seu bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselham banhos salgados, apenas
quando dalles tratam, dizem ser applicados
as e-crophulas, hypocondria, estherismo,
amenorrhea, raethismo, etc. ; entretanto vi
este bom resultado no ilho do Sr. Cristiano,
e outros fados iguaes tenho visto as mo-
lestias siphyliticas, e outras muitas que com
o uso do xarope alcoolico de vellame tem-se
obtid) cura radical.
0 Sr. Dr. Silva, medico hbil de Ma :ei,
depoisde ter applicadoa un seu doente de
rheumatismo o xa ope alcoolico de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
moletas, em que andava arrimado, o aconse-
lhoii .pie continuasse com o uso do mesmo
xarope conjunctamente com os banhos sal-
gados, com que se tem dado muilo bem, e
um dos mdicos que alli em Maeei tem com-
pleta confianca as preparacoes de vellame
por mira feitas, pelos bons resultados que
tem obtido era sua clnica.
(Juando alguein se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t alectado dos pnlmeso doente desani-
ma com esta sentenca, emende estar sem
mais cura, quando os facise a experiencia
- lee.a demonstrado que muitos tendo procu-
rado o lugar apropriado, se teem salvado ;
e assim explicara muitos expositores de me-
deina.
Ora, nessa provincia temos facilidade ho-
je e recurso do ar; por que a va frrea
nos proporciona, pois que em pouco tempo
uma pessoa que existe nesta cidade fcil-
mente se t ansporla para as ultimas estacoes
de 'ianicleira e Una, lugares perto do Boni-
to e de outros pontos que sao considerados
serto, quanlo mais que os mesmos lugares
j b3o so m;ios, segundo pens, principal-
menle no vero.
Mas dir-se-haurna pessoa pobre nao tem
meios de se transportar e alli estara isso
se responde, que naquelles lugares exstem
casas vasias e alugam-se por preco coramo-
do, e mesmo muitos gneros de primeira
necessidade alli se vendera pelos mesmos
preces que aqui.
Aquelles, pois, que estiverem nestas cir-
cunstancias, eu Ihes facilito explicar os meios
pelos quaes se devera reger, e lhes fornece-
rei os medicamentos gratuitamente,
propriedade
Temos o prazer de annunciar hoje aos
nossos leitores, que esse resultado foi obti-
do de modo o mais completo por um hbil
pharmaceutico de Pars, o Sr. Chevrier, que
conseguio desinfectar o oleo de ligado de
bacalho com o alcatrao e o balsamo de
Toln. As experiencias feitas, por muitos de
nossos praticos celebres, nos hosp taes e so-
bre seus doentes particulares, as analyses e
ensaios de chimicos competentes, nao dei-
xam nenhnma duvida a este respeito.
Relatamos aqui as proprias palavras de
um juiz muito eminente e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimca
Submelti a analyse, diz este distincto
professor, o oleo de ligado de bacalho na-
tural desinfectado pelo processo do Sr. Che-
vrier, e posso certificar que esse producto
nao perdeu nenhurn dos seus principios
medicamentosos nem chimicos, que se
acham no oleo de figado de bacalho ordi-
nario. A fraca proporco das substancias
estranhas que e poem no oleo natural para
dissimular o cheiro e o sabor desagradaveis,
nao pode de nenhurn modo alterar suas
propriedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
l/ido desinfectado pelo procesio Chevrier
goza de propriedades idnticas ao oleo de
figado de bacalho ordinario, que elle repre-
senta exactamente.
Elle muito beaa tolerado pelos doentes,
os quaes elle nao anoja e tomado peias
pessoas cujo gosto e olfato sao dos mais sus-
cci't.veis.
Hoje que o oleo de figado de bacalho
tem-s tornado um dos agentes os mais im-
portantes e preciosos da therapeutica, quem
descobrio o meio de u tornar de um uso f-
cil para todos, prestou um verdadeiro ser-
vico arte de curar e aos praticos.
Por isso nao podemos concluir melhor
do que felicitando o J3r. Chevrier por sua
rica e til descoberta que merece de ser
propagada, e dizer com meu collega o Sr.
Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
Os importantes trabalhos do Sr. Chevrier
sobre o oleo de figado-de bacalho Ihe fi-
zeram obter um resultado nao menos im-
portante, o qual consiste era ter associado o
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo
de figado de bacalho ferriginoso de Che
vrier constitue lalvez o melhor meio de dar-
se o ferro. Pois o iodnro de ferro unido
deste modo com o oleo de figado de baca-
lho se dissolve mais fcilmente nos lqui-
dos das vias digestivas e por consequencia
se assimila muilo mais bem do que sb a
forma de pilulas ou xarope. Emfim elle
perde assim suas propriedades irritantes, e
nao provoca a constipacao. E' assim que
os doentes, cujo estomago nao pode suppor-
lar nenhnma preparaco marcial, tomam f-
cilmente o oleo de figado de bacalho ferru-
ginoso de Chevrier.
Os senhores Maurrer & C. acabam de re-
ceber um grande sortimento dos celebres
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi-
noso de Chevrier.
Vende-so na pharmacia de Pedro Maurer
6 C, ra Nova n. 18.
23 208^-222
CONSLAoO PROVINCIAL.
hendimeniodo da l a 16......
Idem do dia 17..............
37:2095318
I:i0752i6
38:3165561
Antonio
1 idem;
Agesilao Pereira da Silva, 3 idem ;
Lourenoo Gomes de Araujo Silva, 2 idem ;
Antonio Pedro de Miran la, perdeu o anuo por
excesso de faltas;
Jos Roberto Vianna Guilhon, 2 idem;
Joao liaptsta de Agular Bello. 1 idem ;
Manoel de Paiva Gavalcant-, 1 idem ;
Samuel Henrique Ardmand, 2 ilem;
Manoel Annes Jaeoie Pires, 2 idem ;
Lui/. Vieira de Rezende e Silva, 2 idem;
Arcenio Siraoes da Silva Altua, 2 dem.
Terceiro anno.
Candido Alves Machado, G e 2|i na 1* cadeira ;
Joao Vaz de Carvalho Sod.e, i na I' e 3 na 2*;
J-iao Ignacio Teixeira, 3, sendo 1 do sabbalina
na 1' cadeira, e 2, sendo 1 de sabliatina na 2-;
Demetrio Jos Teixeira, 3 na 2* cadeira ;
Pompilio Numa Pessoa, 3, sendo 1 de sabbalina
da 2'.
Augusto Colho de Moraes, 9 na Ia;
Sezostris Silvio de Moraes Sarment, 1 de sab-
balina na 2a;
Firmino G 'mes da Silveira, 1 na 2";
Francisco Jos de Souza, 2, sendo 1 de sabbatina
na 2';
De urna mobilia de Jacaranda n-oslan,! > 4e ti ta-
deiras e guiniica, 4 dita* Je l,ra.-.w, | *>fa.
2 consolos, I me-a com ..-dra nni>rj.
U -O
Scita-feira 18 do ron me as i I km.
No ormaztm a ma da Cruz mtmm ">7.
CordeiroSimoes fara leiNV iJa raobilu aeint
mencionada no dia e hora cima dito
Quartel no Campo das Pnncezas 17 de agosto ,Ki A
de 1865.-Manoel Joaquim Machado. n ^EMl^.^tf
- Pela inspeccao da alfandega se tu publico, IVQ UlOVeiS e OlitfOS ObjftOS
CordeirA ftisnes
guerra.
do arsenal de guerra
que por engao de copia da pauu i cada a 14 do crreme, foi declarado o preco do
algodao de lj a arroba, devendo ser 13300 ; pe-
lo que se faz esta ractilicago,
4' seccao da alfandega de Pernambuco 17 de
agosto de 1865. -4 esenpturarie,
J. de Avila Ritmcourt Ntiva.
Arsenal de
O conselho de compras
precisa comprar o seguinte
Para provimento do almoxarifado.
o caixas com folhas de (landres, marea grande,
10 leuQes do latao de 17 libras cada um, 10 du
! zias de taboas de pinho de 3|i de grossura.
As pessoas que qulzeremveoder ditos arligos
| apresentem suas propo.-tas as 10 horas do dia 19
do crreme, na saia do conselho.
Sala das sesses do conselho de compras do ar-
senal de guerra, 17 de agosto de 1865.
O encarregado da escripturacno,
.____________Manoel lote de Azwedo Santos
mmmmn so pomo
Navio entrado to dia 17.
Maranhao, Ceara e Parahiba-77 dias, sendo do
ullimo porto 5 das, hiate brasileiro Uous Ir-
maos, de 64 toneladas, capitn Jos Joaquim Pe-
reira, equipagem 8, carga arroz e outros gene-
ros ; a Tasso <& Irrno.
Navio sahido no mesmo dia.
Parahibabarca ingleza Mary Lord, capilo Law;
em lastro.
i nj ... ., ~ A d'reeloria das obras militaros, ten lo de
Manoel Pedro Lardoso Vieira, 3, sendo 1 do sab- mandar proceder a diversos concert* nos imanis
baKv?nado Gurgel do Amarad '* ""-'* ^ ^ <* M
Jos Antonio Gomes.
ni 2
->'
EDUAa.
COMMEBCIQ.
Caixa filial do banc* do Brasil em
Pernamboco.
A directora desia caixa saca sobro o banco do
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Bahi.
i\ovo banco de Pernambuco.
dmimstrdores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1 dividendo de dita massa
na razio de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
metiidos : no novo bafleo de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
.Voto banco de Pernani-
bnco.
O banco desconta letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo'de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil
cni Pernambuco.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senhores accionistas, que o respectivo the-
soureiro est adtorisado a pagar o 23* {dividendo
do semestre lindo em 30 de junlio ullimo |a razo
de 125 por aegao.
Caisa filial do banco do Brasil 15 de iulho de
1865.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
O Illm. Sr. inspector da theseuraria de fazenda
desta provincia, manda fazer publico, que tem mar-
cado o dia II de setembro prximo vmdouro, para
o concurso que se tem de abrir nesta mesma tns-
souraria para preenchimeoto das vagas de plati-
cantes existentes cesta repartido, ua alfaudega e
na recebedona de rendas.
Os exames versarao sobre as materias de que
trata o 1 art. I do decrelo n. 1,114 de 27 de
junho de 1863. a saber: leilura, aualyse gramma-
tical e orihographia, arithmetica e suas applicacdes
ao commercio, com especialidades a reduccao de
moedas, pesse medidas, calculo do descanto, Jun^
simples e compostos, theoria de cambios e suas
applica^oes.
Os concurrentes deverao previamente apresen-
lar seus requeriinentos instruidos de documentos
que provem idade completa de 18 auno?, isencao
de pena e culpa e bom comporta ment na forma
do art. 3 do decreto n. 2,549 de l de margo de
1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 8 de agosto de 186o.
Servindo de official-maior,
Manoel Jos Pinto.
Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial
em eumprimento da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que no dia
24 de agosto prximo vindouro, peraule a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema-
tar, a quem por menos lizer os reparos da ponte
do Rio Formoso, avahados em 1:5315000.
A arreraataco ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes a baixo copiadas.
As pessoas que se proporem a essa arrematc/ioa i
comparegam na sala das sessoes da referida juma, i
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-:
ternemente habilitadas.
E para constar se maodou publicar o presente
pelo jornal
Secretaria da thesouraria proviucial de Pernam-
bnco, 21 de julho de 1863.
O secretario,
A. F. a"Annunciaro.
Clausulas esppciaes para a arremaiaeo:
1.' Os reparos da ponte do Rio Forraoso, sero
feitos de confurmidade com o orcamento junto na
importancia de 1:5315000.
2.* As obras deverao ser principiadas no prazo
de 25 dias e concluidas no de 3 mezes, ambos
contados da data da approvago da arrematacao.
3.* Os pagamentos serlo realisados em duas
prestacoes igiaes, a primeira quando liver metade
. 8 ua 2 ,
Antonio Jos de Carvalho, 4 ni l';
(Juario anno.
Joaquim Maria Cinieiro Vilella, senJj 4 de sab-
batina na Ia cadeira ;
Amaocio Gong ilves dos Santos, 1 dem;
Victorino Amonio do Sacramente*, 6 idem ,
Emesis de Paiva Leite, 4 idem :
Quinto anno.
Joao Zefirino Pires de Lyn, 2 na 2' caleira e 9
na 3".
Francisco de Assiz Perei a Rocha Jnior,
sabb.ilina na 2' cadeira.
Bolvar Teixeira Mande.', i idem;
Tnomaz Loarencj da Silva Pinto. 1 de sabbatina
de, convida as pessoas que se quizerem incumbir
de taes coocertos a apresentar.'in suas propostas
, sobre cada um dos mencionados quarteis nos dias
; 19, 21 e 22, das 10 hora< ao meio dia, hora e.-ta
marcada para a 22 se abrirem as propostas,
Directora das obras militares de Pernambuco
; 17 de ago-to de 1865.O ajudante,
Chryssolito Ferreira de Castro Chaves
Io lente de cngenheiros.
far leilao i.r rn,iia e ri-C qo-m |^r-rer
ne urna WobtHt A*.inrmt, I r.tm. .Mo ir
quezas de ainirrllu, | mobllu d- amar li. mtt^
ras, c>mmo'l.i>, qo.idros. I.int^rui-, bre, #Vtna
e oulros ebjectos islo
Sexta feira 18docorrmleas II htns
37Xo armazem i ra da Cruz-57
Leilao de trastes le casa de faiiiaT
Cordciro iMe
por conta e ordem de nmi pntm pj- > retira lo-
ra fora da provincia, .ir.i Imita .i.- uma whilii
de manilo, catiras vnim lM tra-l-. cus-
lentes no primeiro andar do sobrado da roa 4
Cruzes n. 33, loada sera effeciuaJ., mW bl
Sibbado 10 do correutf as 11 he-a.
LEILAO
N
Uma casa terrea n. H, na S-Mad- rna dor do Blspo, em eMoi fawah, ren meiisaes e paga de foro 25 p..r aon->.
Cordeiro Wiae
por conta e risco de qu^in p-n.-nc-r Ur l-ii) 4a
casa lerre cima descrij.ta i-t.
Terca-fetra 22 de cermilo II barae.
\o armazem a ra da Cruz n 57.
Tribuaal do commercio.
Pela secretaria do tribunal
idem:
cadeira.
cadeira e
Venceslao Garcia Chaves, l na 3-
Luiz da Silva Gusmo, 1 idem;
Miguel Gomes de Figueiredo, 2 na 2
2na3; *
Marcelino Ferreira Lima, 2, sendo 1 de uabbati-
na na 3* cadeira;
Jos Joaquim Rioeiro de Cimpos, t de sabbatina
na 3* cadeira;
Antonio Borges da Pooeeoa Jnior, 2 na 2 ca-
deira ;
Hermes Plinio de Borb Cavalcante, 1 na 3' ca-
deira ;
Joao Manoel Mendes da Guana Azevedo, 1 de
2J cadeira, e I na 9>;
Antonio Jausen de Millos Pereira, 3 as* ca-
deira ;
Amonio Maniniano Lapemberg, 2 idem ;
Jos Antonio Nanas, 2 na 2* cadeira e 2 na 3a;
Manoel Francisco do Nascimento S-ibreira, 3 na
3" oadeira;
Francisco Gongalves da Justa. 2 na 2" cadeira ;
Paulino Noguwra B >rges da Fonceca, 1 ua 3a
deira;
Joao Capistrano da Almeida, 2 idem ;
Rento Jos Alves Vionna Filho, 3 na 'cadeira;
Antonio da Silva Aulunes, 2 na 2a cadeira e 1
na 3a;
Lenidas Ferreira Barbosa, 1 de sabbatina na 2a
cadeira;
Julio Cesar Gomes de Castro, 1 de sabbatina
idem;
Jos Joaquim Ramos Ferreira, 2 na 3a cadeira ;
Benedicto Marques da Silva cana, 1 na 2" ca
deira e 1 de sabbalina no 3a;
Miguel Augusto do Nascimento Feitosa, 1 de sab-
batina na f cadeira;
Joaquim Pereira da Silva Guimaraes, l de sab-
balina dem ;
Jos Joaquim de Barros Rogo Jnior, 2 idem ;
Jos Vicente da C isla Bastos, 1 dem ;
Maximiaoo Jos de Enojosa Varejao, 2 idem ;
Luiz Caelauo Miiniz Barreto, 2 na 3acadeira;
ABlonio Si|verio 11.wb -i i da Silva, 1 de sabbali-
na na 2a cadeira el na 3a;
Frederico Marrano de Aiaujo. 1 na 3a cadeira;
Francisco Xavier de Mallos Telles de Menezes,
2, sendo I de sabbatina na 2o cadeira ;
Ernesto Botejho de Andrade, 3 idem.
A congregaban deixou de tomar conheeimenfo
das faltas da Ia cadeira do 5o anno, por nao haver
comparecido o respectivo lehte.
Secretaria da Faculdade de ireito do Recife, 16
de Agosto de 1865.
O secretario
Jos Honorio Beserra de Menezes.
. do commercio de
1 de | Pernambuco se faz publico, que nesta dala foram
inscriptos no livro da matricula dos comraercian-
tes os Srs. Jos Francisco do R-go Mello, de 28
annos de idade, esubelecido nesia cidade com no-
gocio de assucar, em grosso, e Jos dos Sintos Ra-
mos de Oliveira, de 29 aanos, esubeleeido nesta
cidade com negocio de carne de charque, em gros-
so, ambos brasileiros.
Secretaria do tribunal do commercio de
nambaco 16 de agosto de 1865.
Julio Guimaraes
OflQcial-maior.
Per-
Xofim da audieneh do S\ Dr. juiz de or-
phaos em os din-: 18, 22 n 23 do correte, lem de
ir a pra;a a rend do sitio i -n imioido Santo An-
tonio da Mourana n > Itarar do Xaneainio, casa
on'e resida o llaalo brigadoiru Mjiiozos, cuj
renda por tempo d tras anno*.
Consulado de Franca.
Conforme o art. 7 da convenci consular entre
o Brasil e a Frrnca, o cnsul fra'ncez faz publico,
que falleceu n) dia li do crreme o subto fran-
cez Camotas, Malhieu Pierre Vctor. Pernambuco
16 de agosto de 1863.O cnsul de >-"ranga
Osmin Laporte.
Leilao de dividas.
Cordeiro Mime
far leilao a requeiimento m administrad rM da
massa fallida te amlia, Pnt despacho do Illm Sr. Dr. juiz .-,, :,; j ro-
mercio de 20 mulo* de dividas idas ni impin--
laocia de 6:li80.)79 rs ; ns pr.-t^nd'ni-- .'
j pdenlo examinar os rfhrUoi riiut-j-. h i^
se acham em poder do duo agente cu. l~iJwr
eltectnado
Terca-feira do correle as 11 beras
Xo armazem a roa da Cruz n. 57.
i:i< ao
De um sitio e casas de \n\f r lugar
do Peres eAfatsados, a beira a m-
tfatfl que v i \v,\r- Jaiioato.
Como seja :
i casa de laipa com 17 palmos de frente e
de fundo.
de frente
H
de frente e
de frente e
40
0

de
,i
lefun-
preJk
EMPREZA--OOIMBRA
Recita extraordinaria.
Sabbado 19 de agosto
1865.
Representar-se-ha o interessante e muito
plaudido drama em 5 actos
de
ap-
UECUBACES.
l)W 0U4UR0 UA VIDA.
Dar Dm ao espectculo a graciosa e linda co-
media em 1 acto ornada de msica
M.IIIQMI1S UEITEIR-t.
PEIIS0NACE5S.
Augusto....................... Lisboa.
Manoel........................ Teixeira.
Manquinhas................... d. Eugenia.
Genoveva..................... d. Camilla.
Camponezes, etc., etc.
Comegara' as 8 horas.
1 dita dita com 27 palmos
fundo.
i dita dita com 15 palmos
fundo.
1 dita dita com 17 lalm *
fundo.
i sitio com 600 palmos de freni- e 6:o
do com carimba e arvuredos, taai aaaM
em chaos foreiros.
Cordeiro Mhuea
a requerimento dos administradores di ma-a tu-
lida de Amorim, Fragozo, Sanios A C. e sttmtm
do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commeni.). fra
leilao do sitio e casas cima mencionada-, p.j.i-ml
desdejaos pretendenles proced rem ao referido
exame, cujo leilao ser efTeciuado
Terfa-feira 2 do cerrrnie as 11 huras.
No armazem a roa da Cruz n 57.
De 50
LKIli
aeLnsivt'easegUDdaDasuaconclusoe^^^^ de Fraiice' Per-
nambuco.
4." Para tudo que nao estver especificado as!
presentes clausulas e ornamento, seguir-se ha o i
que dispoe o regulamenlo de 9 de julho de 1865.
Conforme.
A. P. d'Annunciaeao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em eumprimento da ordem do Exm. Sr. pre
AYI505 MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacao costeira por vapor.
Paraliyba, Natal, Macau, Aracaly, Cear
e Acarac
No dia 22 do corrente segu o
Persinunga, commandante Ralis,
para os porlos indicados. Recebe
carga at o dia 21. Encommen-
das, passageiros e dinheiro a fre-
at as 2 horas da tarde do dia da sabida. Es-
acedes da ompanbia Peruaa-
bneaaa.
Cordeiro 9lmes
a requerimento dos admini*tradore> da mas-a fal-
lida de Amorim, Fragoso, Santos |C,I rtesj.i.-h.,
do Illm. Sr. Dr. juiz de direiio eeaaaW ,1. ,-.n.
mercio, levara' novamenie a leilao m aaitM a.i
ma descrlptas, servindo de base a offert no leilao de 14 do corrente, islo
Terca-feira22docrreoteas II hars
No armazem a ra da Cruz n. 57.
LEILAO
Da excellente chacra do Exm. Sr. desemt'ar;ad>r
Doria, nuManguinhu, com aa amaeawaflei
que pudem ser examinadas de.-de ja fwlm arr-
indenles, os quaes deverao concorrer ao I. il>
no da
Terca-feira 29 de agosta as II lians
em ponto.
Por intervencao do agente Pinl >, em frente a
Associacao Commercial.
Mes rhers compalriotes. Volre assistance au
Te Deum cham dans l'Egiise de nolre Dame de
la Penha, malgr un lemps exceplionnellement
mauvais.a t tellement nombreuse qu'il m'est im-
possible de ne pas vous exprimer la profond satis-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no I faction dont elle m'a pnir. Son Excellence Mon-
dia 24 de agosto prximo vindouro, perante a jun-! sieur le President de la Province, les auiorils ci-
ta da fazenda da mesma thesouria se ha de arre-; vi'es el militaires et mes collgues extrangers qui,,
matar, a quem por menos lizer os reparos urgen- Par un seutiment de courtois simpaihe pour la cnptorio no Forie rio Matios n. 1.
tes de que precisa a cadeia da villa do Limoeiro, France, ont venus clbrer avec nous la fle de i, ~ fp j t
&Jf. Napolen III auront t touchs de tant rara O KlO &6 JIlOirO
d'empressemenl etleor patr.otisme aura compris I Pretende seguir com muita brevidade a barca
le\ire. Des manifestalions, coinme celle d bier,' nacional Restauradlo, lera parte do seu carreca-
|honorentlepaysqui les inspire etj cu remercie, en ment prompto: para completado, e juntamente
toute effusion de coeur la Colonie Frangaise de Per- Dara escravos e fretes. nara ns m> tem pt^iiph.
nambuco.
Le Cnsul
Osmin Laporte.
__mm Bimsog.
A pessoa que trouxo le M.irei carta do Sr. Ciaudino Ka cao bias, para
proprieta--o desta tjpographia, {oeira
manda-la entregar, pr,is tem que se .e*-
ponder.
avahados em 3:4185150 rs.
A arrematacao sera feita na forma da le provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se proporem a essa arremalagao
comparegam na sala das sessoes da referida junta,
no dia cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam
buco, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematado :
1.* As obras dos reparos da cadeia da vi
Limoeiro, serao feitas de conformidade com
camento respectivo na importancia de ris
3:418,81150.
2.a O arrematante dar principio ao trabalho 15 I
la do
o or-
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico para
conhecimento de lodos, a circular do tribunal do
thesouro n. 27 de 20 de julho ullimo abaixo trans-
cripta.
Secretaria da theouraria de fazenda de Pernam-
buco, em 14 de agosto de 1865.
Servindo de offlcial-maor,
Manoel Jos Pinto.
Circular n. Z7.
para escravos e fretes, para os qoaes tem excelen-
tes commodos, tratase com os seos consignatarios
Amonio Luiz d'Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 1.
liba de *. Miguel.
Segu impreterivelmente no fim do crreme mez
o palhabMe portuguez Pensamnto, de t" classe :
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem, diria-se a Bailar & O.iveira, ra do Vigario
numero 10.
Ministerio dos negocios da fazenda.-Rio de Ja-
das depois que se lizer a arrematado e as dever: neiro, em 20 de julho de 1865.
concluir no prazo de 3 mezes. Jos Pedro Dias de Carvalho, presidente do trl-
3.a Os pagamentos sero feitos em 3 prestacoes bunal do thesouro nacional, tendo resolvido que
iguaes a cada torga parte da obra correspondente. I se subslituam as notas de 10.3 da 2a estampa, cor
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 16......
dem do dia 17...............
280:208,8637
12:485^205
292:6930842
4.a O arrematante seguir na exteuco das obras
as mstruegoes do engenheiro, que a inspeccionar.
5.a Para tudo quanlo aqui nao estver previsto
observar-se-ha o que dispo a lei n. 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciacao.
Faculdade de Direito.
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico
que no dia segn la-feira 21 do corrente as 10 ho-
ras da manhaa, coraegar a defeza de theses do
bacharel Joao Thom da Silva, o qual se devera'
apresenlar na secretaria desta Faculdade co dia
18 do corrente as 8 heras da manhaa para tirar o
ponto de dissertagao.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife 17
de agosto de 1865.
O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Menezes.
Faculdade de dllelto.
Tisset Frers previnem aos carregadores dos na-
vios da hnha do Havre a' Pernambuco, que o frote
do Guillanm.- TelL esperado a cada momento, tem
de teiha, ordena aos Srs. inspectores das thesoura- JUSVflf ViVn t M T
rias de fazenda que, mandando publicar esla reso- CJl*J5*.ti?.*ftf 2" '"T dS
lugo por aununcios nos peridicos das provincias ZT% Sni ^ ^'L e" Cn S' qUe
e por editaes allxados em todos os municipios, pro- l7t2S 5 Z ,LJ "^ MV,es
cedama refenda substituigo era o pr^a. f*aSttfcfilbffff^Sa
renda oas respectivas thesourarias, solicitando a
reinessa dos fundo* precisos no caso de deficien-
cia da mesma renda ; e remeltam mensa luiente ao
thesouro as notas que se forem substiluindo, devi-
damenle carimbadas e inutilisadas.
Nos aununcios e editaes far-se ha a declaragao
de que em tempo competente se marcar o da em
que deve principiar o descont da lei no valor das
notas que nao liverem sido at ento substituidas.
Jos Pedro Dias ie Carvalho.
No dia 18 do corrente, pelas 4 horas da tar-
de, depois da audiencia do Sr. juiz de paz do 3o
districto da Boa-Vista vo praga dous bois de
arroga penhorados aJo3o Antonio de Oliveira,
De ordem do Exm. Sr. director se faz publica a cor execucao de Thomaz Jos da Silva, cuja praca
lista das faltas dos exudantes desta Faculdade, com pin lugar na ra da Soledad?,
VOIUS
orme se
ajuslar com os annunciantes, ruado Trapiche n. 9.
Para a Balwi
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Inderanisarlori
establecida nesta praca, toma seguros nia-itir*
sobre navios eseus carrea-amentos e centra fono em
edificios, mercadorias c molilin: no seo esrnpto-
rio. ra do Vigario n. 4. n.Tvimento terreo.
Pergunta-se a certo padeini ji-i> que pelo rosarlo largo nao se a**JjMfB, se p
coniinuar no mesmo estab-lecimelo mm a lirru
social exlincia. Com a rpnH voltara
O observador da In.
LTERIJ
AOS 6:000^00.
Terca-feira 2i do crrenle mez. m .-v-
traliiia 3a parte da Ia e Ia d;i .. tara
(-28*) a beneficio da matriz da Victoria.
no consistorio da 'reja de Naan s.-nhu;,
do Rosario da freguezia de S,u^ Am
Os bilheios, tiieios e qoanei eatto i sam-
as na respecliva thesouraria a ra do Cres-
po numero 15.
Os premios de 6:000i>000 at 10-300
at o dia 20 do presente mez pretende sahir snm
falta o veleiro e bem conhecido placho nacional
D.Luiz, capito Jos Teixeira de Azevedo : para
a carga que Ihe falta trata-se no largo do Corpo serlo pagos uma hora depois da extracto
Santo n. 4, cora o consignatario Jos Maria Pal- at as i horas da tarde, e os outros depoi
da distribuicSo das listas.
metra.
Para o Porto por Lisboa
pretende sahir com a possivel presteza o brigue
PrnamiMcano : para carga e passageiros, a quem
offerece bons commodos, trata-se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fonseca, ra do Vigario
a. 19, primeiro andar.
s rao guardadas so
vespera da extracta
As encommendas
mente at a noite da
como de costume.
Servindo de thesonreiro,
i Jos Rodrigues de Souza.


Diario de Pernaiabuco ... Sexta leftra 18 de Agosto de iS4.
So hotel da Europa roa do Trapiche
numero 12.
Precisa-se de um criada que seja bem qualifica-
do para o servico do caf, fiel e asseiado : quem
estiver em taescircumsiancias dirija se ao mesmo
hotel. _________.
Sociedade Nova -ulerpioa.
A actual direclona desla sociedade roga enca-
recidamente aos Srs. socios para que domingo 20
do correte mez pelas 10 horas do dia compare-
cam na sala de suas sess5e< para em asseinblea
geral extraordinaria, tratar-se da reforma dos nos-
sos estatutos. Recife 16 de agosto de 1865.
Trujano C. Leal,
Io secretario.
PHOTOG
IA A
ISTICA
DE

' Desappareceu no dia 12 de agosto, da casa j sortimento
paterna, um menino de i5 annos por nome Elizia- i mas apurado gosto e por presos DluitO i
rio Adirito Ferreira de Oliveira, de cor branca e i Q& mesmos aproveitun a OCcasiS
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carrao) 25.
Os nroprietarios deste estabelecimento, desejando salisfazer os numerosos pedidos de seus frcguezes, acabara de receber de seas correspondentes de Pars, iim grande
nto de rettaios (carioes de visit) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receijeram tambem urna quantidade de alfinelcs e cassoletas para retractos, o
das 9
asiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos lYeguczes, qoe ellcs traballiam lodos os dias, domingos e das santos,
.-------,i.-------bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preicrivcl
is annos em que se acham eslabelecidos nesla cidade, c que nao sera menos de cerca
rente, levou chapeo de fetro rxo, paietot branco ^ qqq a 7 qqq Dara ei|es uma Raraniia futura, poslo que se appliquem lod.s os das, para que todos saiam contentes e satisieiios.
de alpaca e um dito preto, grvala cor de rosa,, '" > > k o____________________________________________________^ ^
differentes calcis lendouma de easemira parda de -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
quadrinhos, um chapeo de sol branco usado : ro- i________________________________________.-_-_-_-_-_-_^_^
ga-se o especial favor as autoridades pohciacs, aos
Srs. inspectores de qnarleinio desla cidade ou de i
fora della ou em qualquer parte que se ache de
o apprehender e remette-lo a capital de Pernam
buco a' ra da Cruz n. 37.
CASA DA'FORT
Aos 6:
A
%
sshetcs garantidos.
A' RA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
t) abaixo signado vendeu nos seus muilofeli
tes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de exlrahir, a beneficio do theatro de Sania Isa-
bel, os feguinles premios :
Cm meio n. 2182 com a sorle de 6:000.5. !
ous quartos n. 2745 com asorte de 1:2005000
Um meto n. 1379 com a surte de 400000.
E oulras muitas sorles de 100$, 40,5, 20 e |
10J0O0.
Ospcssuidores podeni virreceuer seus respec-
tivos premios sem os deseamos das leis na Casa
da Fortuna a ra do Crespo n. 23. I
Acham-se a venda os da 3' parte da 1' e da
t lotera (28'J beneficio da matriz da Victoria,]
que se extrahir tere;, reir 22 do crreme.
PRECO.
Rilhetes.....75000
Meios......35500
Quartos.....i*9M
Para as pessoas que comprareui de 400000'J
para cima.
Bilhetes.....65500
Meios......35-50
Quartos.....1^700
Manqel Martins Fiuza.
Alugam se dous grandes sobrados com com
modos para numerosa familia, nuvos e aceiados
(orn lardim, (ocheira, estribara c nutras comino-
didades, na travessa de JuSo Pernandes Vieira :
a tratar na ra da Senzala Nova n. 42.
Todas as pessoas que devem extracta firma
de Novaes & Filho facam favor de mandar pagar
ra do Livramento n. 34.______________
' f Precisa-se de om sitio que soja perto da ci-
de para uma pequea f.imilia ingleza : trata-se
ra do Vigario n. ^escriptorio-______________
Atten$Ui.
Deseja-se saber dos Srs. Jos Narciso Comes,
Jos Vaz Dias de Pinho, Juo da Silva Ferreira pa-
ra se Ihes entregar cartas vinda* do Porto : na
ra do Vigario u. 19, primeiro andar,_________
__Arrenda-se o grande sitio da Piedad?, na Ta-
marneira, onde estere o cullegio da Coneeicao,
com todos os commodos, e alein disso proporcoes
para grande agricultura : a tratar nos Coethos,
em o coilegio da Coa eico_______________
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda infio que seja iein seguro : a tratar na pra-
ca da Independencia n. 12.__________
D'IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEW1IA EM PEBMAMBIirO
Em casa dos Srs. Cnors e Barboza, ra da Cruz n, 22.
j elementos que compoem esta preparacao. o
o, o iodo c a quina, a collocao no primeiro
i das preparaces ferruginosas. Hasta atteslar
Os
ferro.
grao das preparaces ferrugi
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos hosp't-
taes. e os rclatorios los prlicos mais eminentes
que confirmrao sua poderosa eflicacia as se
guintcs affeceocs:

AMA
Preciss-se de uma ama para cozinhar em casa
de familia : ua ra do Brum n. 55, defron'.e
chafariz.
do
Hlngoa no tiangue,
Fi-iiquc/.u.
Ancnilll,
ClilorOMC ou Ictericia,
Mcnitlriio,
AfccfOcH ilo ntrro,
SnpprcHMOCr. Un rc-
KruM i- i!c- i i-.: cus mi
nwtihlriiMCo,
Affccrao |tiilnii>iiiir c
[ilulil-lra.
MolcHlIaN il chlimuso,
lialnil ".
l'irdm! r. lile,etc.,
Convaleucciicnilclon
QUt* HIOlCNlilIK,
MotextlaM cscrofulo
MMrt,
Papcira,
Obsti-iicro lita s,!,n_
iliilan,
llmiiOi'CH fros,
Tumores lirmicoB,
Iliicliillsiiio,
Afeeeoes canerros::>
e syplillillr.'is,
Febren lyplioitlca,
Bcxigus, i-le-, ele.
pac:io |iro'tii?.[(laN
pclaa <*l:i[)(>i-iicoeM
ili-oiii-.csi.-. i'iisikll-
m-iilns.
Vejaos
e cirurgi
dos hospi
Alcm d.
quinina ii.
igualmente i
ferro do c
pessoas que i
bulletins de therapeutica medica
'0 de novembre 1860; a Gazela
28 de;tt//wlo6'i,etc, etc.
.:!as de todureto duplo de ferro e de
billn, os Mdicos aconsclhSo
arope d'iodureto duplo de
lina do mesmo aulhor para as
j gosiao de medicaincn'os sob fr
ma pilular e os meninos. F.stc xarope nao lem
comooxaropcd'iourfode ferro, o inconveniente
de alterar-se e de se nao poder conservar.
Pcca-se o folheto que se d de graca em casa
dos pharmaecuticos depositarios.
Para se evitarcm falsificares, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Pars, pharmacia Rebillon,
142, ruc du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiro, etc.
As pastilha* digestivas com a pepsina de
Wasman % empregao se com successo ha ja
alguns annos pelas celebridades medicacs de
l'aris. Londres. Vienna, ele, cm lodas as in-
cemmodidades em as qnacsadigesto diificil,
penosa, imperl'cila ou mesmo impossivel: eis
o mellior remedio para cural as.
GoatralslB*! I Ws"rIlcoa a a roiiMll-
nisprpMins,
HuiUiirfloosu.-isrliOM
A snstrii-.
As nrf--e*'Oes arMAnt-
mu lo es(r>iiii::(i.
Sua accao vi.vilica o sanguec os rgos de
lal soi te que, ath as pessoas que sem soffrer
as affeccoes gstricas cima mencionadas sao
tuncamente Iracas ou d'um longicramento um
pouco dbil, e necessilo substancial alimento
para foriiiicar-sc, achilo no emprgo das pauli-
nas de pepsina de iFtutnan,um poderoso meio
para a isso ebegar.
/Iriso importunie. Osuccesso das pastlias
a pepsina de Wnsmandcu causa a se fazcrem
falsiicaeocs c imitarnos d'esse producto quo os
eunilos se quercm desfazer. Pois por falla
d'uma boa preparacSo entra, ja/, alterada. Seremos 80 abrigo d'esto
inconveniente, exigindo os compradores que as
paslhas lenbao as iniciaos 3. P. e sacio da
pharmacia Chevxier.
Deposito geral em Pars, pharmacia Ohevnev,
21, Faubourg-Monlmartrc, e em lodas as boas
pharmacias de Franca e dos paizes csiraiigciros.
ENINOS
CURADAS PELOS
XARQPES DO DOUTOR DANET
1. Contra n CLICAS DOS MENINOS ute
e liin-uiile u dcndco
(Xarope ue rynoglosse c de acido succinido)
N* 2. Contra a TOS8E CONVULSA t a TOSSE
NERVOSA
(Xarope de cjnoglosse e de leo voltil de succinp)
S* 3. Contrn a CONVl I.CES DOS MENINOS
A CHOnA
(Xarope de cynoglosse c de acido voltil de succino)
Estes novos producios preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de l'aris sao em-
pregados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratamento das molestias du-
meninos cima indicadas, e vicrao enclier um
vacuo importante na therapeutica, no que toca as
affecccs da infancia, para as quaes, ath boje.
ainda so no pode indicar tratamenio racionnal-
nem infallivel.
(Peca-sc o prospecto em casa dos pharmaceu,
ticos depositarios.)
Prcco do frasco cm Paris, 3 fr.
Para se evitarcm as falsificacocs. exija o com-
prador que cada frasco tenha sobre os rlulos a
asignatura Chanteaud.
Depsito geral cm Paris, pharmacia Chan-
teaud c em lodas as boas pharmacias de FranCf
C dos paizes cslrangeiros.
II ANSA e XAROPE
DF. CODENA
DI
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magcndie, Barbier d'Amicns, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospitaes de Paris. tem
provado que a Massa e Xarope de Berth
o remedio o mais seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
des c extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico1, defluxo, coqueluche ou
tosse convulsa, bronchite c tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
achiio cm lodas as boticas.
Para evitar qualqucr
falsificarlo,exigir em
cada produlo o nome
e a firma Berth.
Deposito geral em Pari, cm casa de MENIER,
Ra Sk-Croixde-la-Bretinnerie-
Firmino a Lins
Novo estiibelfcimeoio de retra-
tos rn Xova n. lo, *-
dar, junio ao Sr. (nutier,
dpniisla.
Tiram relraio tr.dos os da manba as da larde, quer chira oa 1
nao.
Tambem se oferecMI para tirar r-ira- 1
| tos ile pessoas fallecidas, drniro ou fra J
* da cidade.
^ Os annnnrantts desejando arredilar n g
yfi seu etubeli-cirnento, garaniem ao pnldiro J
^ que mnliuin Iraballn,>ahir o<- sua oflici- |
i na,?ein qinna) seja j erfeilamenie araba 3
jpt! do, e a voniade do Irepaei.
W':W> &W3BW '^^*'W
Precisase alonar uma esrrav para ra*a de
pooca lamilla : a tratar na ra do Sebo n. i.
Alujase por iii mensaes o JHfli an-far
do sobrado n. 62 da na da fiaji ; m an lar.
Encanamentm m ra
aguan.
Fazem-se na ra Nova n. 30, coc Ma a
feie). ^________________
S'imup.
per-

MoU-siins de li^ailo,
A ictericia,
P I oltnri'io do coniro
Odres noa rlna,
Os granulos de ii.smu/idcGhevrierem su|ic-
rores a lodas as outras preparaces de bismuth
empreadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir c curar as
Diui'i'licas ehronlcaH,
n sm'ii i'iins.
Dore d't'Htomgo,
Dyupcpslll,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
c em todas as pharmacias de Franca e dos paizes
Man dlgeNtoeii,
GaNtrite,
Gustralglas, etc.,
0)>|> re con,
Doren ile rabera,
IrrltaeeH de fceslga e
da niatrlK, ete.
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S'" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, ra Saint-Lazare, Paris.
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SufToccco nervosa e Oppresso
nico remedio efficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um atraque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar
amarcllo) do Dr Danet. escoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resut-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54,
ra do Commercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
Ama.
OS PARAGUAYOS
E' a ordem ao ilia Acabar com os Para- Alupa seuma escrava para ama de urna casa de feJJeiltlSta (le remambllCO.^
trnvn t havr.nAta n mini -i rpvnlvpr i mo? sol'elro ou de pouca familia, boa coznheira fig ^
guijos a uajcnti.i, a mitiit, a ie\oi\er i jbecom prar bpm : na rua je S .Bom Jess das '
fulanna-los com os encourarados armados crioulasn. 3.
FEITOR
Precisa-se de um hornera para trabalhar em um
sitio em fir'beribe : a tratar na rua Direita u. 09.
lalica : na estrada de Joo de Uarros, terceiro si
ti i passando a estrada do Olho do lioi. No mesmo
compra se um carro para conduccao em bom isla-
do, c ii m bol._____________________
de esporoes, armstrongs e raiadas de 80
1_0; extermina-los em sumina a espada, a
fa io e a punhal de que se trata; mas
ninguem se lembrou ainda de esmagar os
Paraguayos coai as armas que Deus nos con-
i-se de urna _a_que_entcnda^d(^hor-1 ceJeu ac.lDar com c||es a taCy0 e a p0nta
ps, para o que necessario ericouragar esta
parte do nosso corpo c-jm os formidaveis
rompe-ferro, esmaga c>bra,arranca ticos,
quebra niarmore e o otros que se vendem i
45 RUA DIREITA _5
8O0
:;$0u('
lia preciso de um homem portuguez que
seja diligente para feilor de um engenho, d-se
bom ordenado, e mestno nao se duvida dar um in-
leresse, preferiado-se homem casado : quem se
jolgar suHucienle para desempenhar esse hipar,
annuocie, ou se dirija a praca da Boa-Vista n. 32,
que ahi se dir.___________
Uma pessoa habilitada se offerece para en-
sinar primeiras letras em aliinm engenho: quem
precisar dirija-se a rua de Santa Hila n. lo.
a
t
no armazem da bolla amareUa no oito da
secretaria da polica, recebem-se encom-
mendas de fogo do ar para dentro e fora da
provincia.____________________
.Na rna das Cinco Ponas n. 72, precisa-sede
urna ama para o servico de urna casa de pnuca fa-
milia. _____________________________________
Pede-seao Sr. Idelfonso Vieira da Canha.,-.
pie venha ou mande concluir o negocio que nao '
Borseguins Hordeaux........
patricios.........
para senhoras, en-
fei lados....... 55500
com lago e fivella .. 'i-SSCO
Sapaloes encouracados....... 5,->0C0
Burseguins para meninas bom
elast co................. 33000
Sapatos delom, sola elstica. 25000
avelladados......... 1G0"
de tranca........... 15600
econmicos para se-
nhoras........... 5500
com salto de lustre.. 25240
Cliineloes do Poro.......... 15600
Um completo sor ime; lo de calcado da
trra para liotnens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francez, couro de lus-
taixas de todas as quali-
dades, litas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
Precisase alagar uma preta que seja boa
engommadeira a cozinhe, sem vicios : na rua das
ruzes n. 36, p.-meiro andar : paga-se bem.
- Os credores de. Jo.- de Castro Redondo, quer j _
da propria firma de.-le, quer das firmas sociaes de | ^
itie o mesmo lem feilo parte, todos sao convidados |
a apresentarem seus respectivos ttulos na rua do }jj(
Amorim d. 41, alim de serem atlendidos no pri
meiro rateio da massa liquidada, ao qual tem de
proceder-se brevemenle.________________
|^ Rua estrella do Rosario n. 3,
M ao p da igreja
^FRANCISCO PINTO OZORIOg
Colloca denles artlflciaes i
pelos systeuiiis sais iii- g

ignora, pois j faz bastante tempo : na rua da Im-
peralriz n. 17, i- andar._______________
rua da te faz cobica ao comprador pela barateza.
No ilin ll do correte furlaram da
Praia nm burro castanho, castrado, de 10 anuos de
Ida le, cuja luirro tem a marca J. S. L no qaarto
direito, e eslava Carrejado com cangalha de ferro
e 8 arrobas de carne : quem delle der noticia cer-
ta ao Sr. Antonio C. Moreira Temporal a' rua da
Cruz n. 30, ou ao engenho Boa Casta da freguezia
do Cibo. ser bem recompensado.______________
Jo> Jacume de Araojo, advogado dos audito-
rios das comarcas do Rio Pora so, Palmares, Por-
to Calvo e seus termos, encarrega-se para estes
lugares de qualquer cobranca amieavel ou judi-
cial : quem de seu presumo qaizer se niilisHr, c-
de dirigirse por estes oilo dias a' iravessa da Con-
cordia n. 13, e depois ni villa de Serinliem.
Quem nver ama escrava cun algum leite e
a queira alugar, annuncie. para ser procurada.
Vcncravei oicra terceiro de X.
Francis o.
Devendo celebrar-se domingo 20 do corrente a
estividade de N. S. da Ajuda, padroeira dos novi-
cos da veneravel ordem terceira de S. Francisco,
convido a todos os char.ssimos irmiios, assim no-
0 advogado odoy Vasconcellos, pode gL_
_i ser procurado no escriptorio da rua do ^
jQl Rosario estreila n. 34, on era sua resi- 5
a_j denria a rua do Sol n. 9.
>__va SU/SU ,<---.-!..;?.<.-'.*_S*,Ok j.f!*.r-t<*t*
Precisase de um criado que entenda de bo*
leeiro : no pateo do Carino, em casa de Gabriel
Antonio, se dir, ou na Pas-agem n. 24.
A Henead.

Fornere-fe comida para casas de familia, tojas
ou ofOcinas, com todo o asseio e promplidao, mui-
to variada, e por commodo prego, mandase levar
em casa ; tambem recebe etxommendas de boloe
doces de todas as qualidades : rua da Caixa n. 70,
Roa-Vista, casa particular.
l'ermuia-se uma casa Arrea com 3 janellas e
1 porta, e a quartos, por uma mais pequea, dan-
do-se a preferencia por perto da ribeira: quem
tiver dirija-se a rua do Alecnm n. 2.
Consolado americano.
O consulado americano acha-se mudado para a
rua do Imperador n. 63, primeiro andar._____
a praija da Independencia n. 33, loja de ouri
ves, compra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de er.commenda e
odo e qualquer concert._______________
Precisa-se de l:50lTa' premio por seis me-
zes, com garanta em um predio nesla cidade : a
quem convier annuncie por este jornal._________
Saques sobre Lisboa
Manoel Ignacio de Olivi-ira & Filho sacam sobre
Lisboa : no' largo do Corpo Sanio n. 19.________
Ama
Precisa-se alugar uma ama que saina bem cozi-
nhar e comprar, prefere-se escrava : l
o ja da rua Nova o. 11.
- Precisa-se do
ratrlz n. 40.
um criado : na rua da lmpe
Aluga-sc uma escrava para servigo interno
c externo de uma rasa : na rna do Imperador nu-
mero SO, terceiro sudar.___________
Precisa-se de um bom cozinheiro : a traiar
no sobrado n. 32 da rua da Aurora._____
Precisa-sede uma cosinheira para nma casa
ingleza que apenas consta de duas pessoas (senho-
ra e marido) : tratase a rua do Vigario n. 2, es
criplorio.
vicos como professos, a comparecerem paramen-a- -J*^Bhiy-_i u. 36 prepara-se emi-
dos com seus hbitos, afim de assistirem aos actos da por emmo.iu preco.
da mestna, consumes ue vespera, fe>ta e Te-Deuir.
Noviciado da veiu'ravel ordem lerceira de S.
Fraucisco 17 de agosto de 1863.O rmao-meslre,
Jeronvmo Emiliano de Miranda Castro.
__________-_-B-_______-- II
Precisa-se de um -caixoiro para taberna qu
teaha pratica e d fiador a saa conducta : na rua
do Nogneira n. 29. ._________________
Aluga-se a casa t-rrea n. 11 sita entre as
duas pontes da Passagein da Magdalena, com 4
quartos, 2 salas, cosinha f cimba e sabida para a camboa : a tratar no silio
no Cajueiro junio ao hospital portuguez com Ma-
doeLAntooio da Silva Rodrigues.______________
Muga se a toja J) sobrada da travessa da
Trompe n. 7 : a tratar no mesmo sobrado.
CrcnC.
Sorvete de creme hoje ao meio dia : na rna
Trapii be n. 18.__________________________
do
Aluga se um excellenle lelheiro paracocliei-
ra de b.ds e carrosas, com repartimento para mo-
radia.eem i-xcellcnte localidade : no paleo de t.
Pedro n. 4 se dtra.
Aluga-se ou arrenda-se mesmo por tempo,
um terreno devoluto todo murado e excellente para
eposito de bols e quaesquer outros objectos : a
tratar na rua das Cruzes u. 42.
m nbuco
CARLOS PLUYM.
Como a empreza de illumioaejio a gaz tenha da-
do hcenca aos machinisias para irabalharem por
sua propria conla, Carlos Pluym, machinista, offe-
rece seu presumo ao publico para encaar gaz e
agua, e toda a sorte de servicos concernentcs ao
seu ufficio, por presos muito rasoavtis.
I'de ser procurado a qualquer hora
17 IIna da luipcratriz 17
N. 11. LOJA.
xsg- Para p'ova da perfeico do seu trabalho o
mesmo vtkitttt ao publico o testemunho de im-
men da compendia do g^_______________
Ama de leite.f
Precisa-se do uma ama de leite e paga-se bem
em casa de Luiz de Moraes Gomes Ferreira, na
Ponte de Ucha, ou uo Mondego, casa da viuva
Luiz Gomes Ferreira._______________________
Precisa-se do uma ama forra ou captiva :-oa
|rrua darga do Rosario n. 35.
m
l;>-i>
leruos
Emprega todos os meios srientificos para fi
conservar os naturaes. Pode ser p/oeura- S
do em sen gabiuete das 9 horas da ma- i
nhaa as o da larde.
--rfK__f 3f;_s c_=""_5 3rs _MiRS;_ir
^ Compaubia fidelidade de seguros jjj
maritiraos e terrestres ;^
eslabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PEBHAMBOCO
H Antonio Luiz de Oliveira izeveilo k C, g|
M| competentemenir antorsados pela direc- ^M
ffi loria da cornpanhia de seguros Fidelida- *
W de, toniam seguros de navios, mercaao- H
^f rias e predios no seu escriptorio rua da g
Cru: n. I.
Na rua do Imperador n. 83, segundo andar,
preci.-a-se fallar com os seguintes senhores, para
negocio que Ibes diz re>peito.
Antonio Nunes de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pendra da Silva.
Jos Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Felippe llorges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Serafim de Deus.
Manoel Francisco Coellm Jnior.
mgm
AVISO
Ausentou-se no domingo 13 do eorrente, o es-
cravo Amonio, com os signaes seguintes : pre-
to, de Naco, idade 45 aoms pouco mais ou me-
nos, estatura regular, cheio do corpo, barba toda
rapada, e tem alguns cabellos braucos na cabec.a,'' Joao Antonio l'ereira Ramos,
abre bstanle os ps para os lados quando anda, Joao Marinho Paesllarreto.
gagueja bastante com eopecialidade quando se Antonio Tiburcio da (vista Monteiro.
zanga ou se teme d* alguina coasa, levou vestido Sebastio Antonio de Albnquerque (estudante).
camisa de cuita encarnada, caifa decasemira azul Francisco Gomes dos Santos.
e chapeo de palhinha preto. Este preto oceupa-se Joao Gomes Pereira."
em vender agua na rua e consta ter sido enconira- Jos Luiz Pacheco de Souza.
do nesle gyro na freguezia da Roa-Vista : quem o Sebastiio Jos de Barros Barrete.
pegar leve-o rua estreitado Rosario n. 47, que Francisco Amonio Vieira da Silva.
ser recompensado. Domingos Jos Alfonso Alves.
>_k-*<,jsj;-'4!'.S^ >5&'S*3f. ** sM'-nS Jfiaquim Francisco da Silva.
K$ttftMWi && Mu** Joo Ribeiro de Castro.
>4ig Prec-sa-se alugar uma casa para rapa- ag j0?, Francisco da Silva.
*r* zes etrangeiros que s"ja na Capunga, ^ ; Ml?u,,| Arcanjo Ferreira.
JH Passagem, Manguinho, Estancia ou Ponte gg Vicente Ferreira Heves.
__( de Ucna : a lralar na rua do V'^ar'0 wj'Joaqnim Francisco Moreira.
2W\ n. 3. _,w Francisco de Aguiar Jnior.
'^SM^W- ''14'W'1^) $%''> ~<->''4>) Julia Ilusa de Ameida Pinlo.
ura caixeiro para **^V^ffgn Maia Jnior,
luda; na rua dos Assoguinnos i '
Bento Alves da Cruz, como llquidatario da
exlincla firma social de Ferreira & Cruz, e com-
pletamente aulorisado pela escriptura de distrajo
feila as notas do tabelho Sa, em 12 de julho de
1861, pretende vender em leilao publico um es-
cravo de nome Antonio, j de idade, de boa pre-
senta, fiel, sem vicios e sem achaques, pertencen-
te a mas podem dirigir-se cas i de detencSo antecipada-
mentfi onde se acha recolhido simplesmente por
cautela e seguranza. ______________________
Precisa-se alugar uma ama, escrava
ou forra, que seja de hons costme?, e sai-
ba fazer todo o servico de urna casa de fa-
milia. Papa-se bem. Dirigir-se rua Bella,
n. 37, casa de i. andares com terraco.
Fuonodra~6Ye^so~(Tescravo crioulo
de nome Tiberio, idade de 20 a 25 annos, estatura
baixa e com falta de um dos deutos de cima, boi
escravo do Sr. Francisco de Albuquerque Mara-
nhao Cavalcanti : quem o pegar ou delle der noti-
cia, queira dirigir se a rua da Cadeia do Recife n.
33, luja de Valle Porto & C, que sera recompen-
sado.
O abaixo asslgnado offlcial do registro geral
de hypjiheras desla com.rea, previne a lodas as
pessoas iritere sadas de qualquer modo no registro
geral, que somente se devem dirigir ao mesmo
abaixo signado, em seu cartono rua do Qnei-
mado n. 15, e nao ao Sr. Antonio da Silva Gua-
rni Jnior, o qual desde odia 26 do mez passado
deixoo o oxerc.icio de tabellio interino em que
eslava. Recife 15 de agosto de 1855.
Fulgencio Infante de Albuquerque Mello.
Precisa-se de
d fiador a sua cond
n. 20.
Xo dia 12 do corrente mez de agosto ausen-. %^
tou-seda casa do commendador Jos Pires Perrei*
ra, rua da Imperatriz n. 62, um mulatinho seu es-
clavo, de nome Ignacio, que diz ser filho da preta
Delphina, moradora em Cmaro.', o qual Uva os
signae- seguintes: baixo, grosso, cabellos annela-
dos, idade. de 12 a 13 anoos, levou vestido camisa
branca de algodilozinho, calca e jaqueta de risca-
dinho, lem uma cicatriz na testa, soppoe-se ter
sido levado para Caruaru'ououtro qaalqoer lugar i
por um sertanejo : quem o pegar e levar a rua da
Imperatriz n. 62. ser bem recompensado.
Precisa-se de um sacerdote para capellii no
termo de Cimbres, comarca do Rrejo da Madre de
Dos : a tratar uo 3o andar do sobrado n. 60, rua
Nova, esquina da rua do Sol.__________
luga-se uma casa terrea em bom estado,
na rua di Alegra n. 16 : a tratar na rua da Ma-
triz da Rua-Visla n. 5t.
Power .Iftiinston Compartir!*
Rua da Senzala Nova n. i.
UMU DA
Fuadlcao de Law _or.
Machinas a vapor de 4 e 6 cav?'!r>s.
Moendas e meias moendas para enf.'er'f.rr.
Taixas de ferro coado e balido para enjje-
nho,
Arreios d carro para um e doo cavados.
Relogios de oiro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para descarocar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Casa debanhoa
Largo do armo _<>.
Este estabelecimento lio In-m montad. na na
origein achava se de ha muito em quasi t/apkls
abandono pelo pouco inleresse de sua adiuiai.-
tracao.
Hoje que o novopropnelario empr-g n f I -
meiis para reslabeleeer a grande uUidade nH
estabelecimento, pode assegnrar ao publuo fue
qaalqoer owe seja o numero dos ronr.rr-*-
acharan desde j prom[did.in c arrio n"* Iwnh i
fros, momos ou medirinaes, a casa B>< baab->- *
achara abr ra lodos os dias das 6 horas da manba
as II da noite.
Prfcos.
Banho de choque...... ."i'i*
uilo Irio ou morno..... -VIO
Diiode farelio.......\:jW
Dito medninal sera se-
gundo sna qualidailr.
Assignaiura.
Por mez baabo fro ou morno... IOi*MJO
2o carioes para banho fro, mor-
no ou de chutisco........... IflSOUd
12 carioes pars os mesmos----- SjiMO
12 ditos para banho de farello. I' ''>
%ttei>eao
Francisco Garrido, amigo [mpri-t'.no do tato
Trovador, silo m rna do llo S__ i s_
viagein a' Rur"pa,-avi-.i a >u- iiuht.- i- f.'-^oy-
zes, ti ni de.-la capital romo do reir a *oi_-
cia, que -e ach n ivamenle estibelecidu n intima
rua larga do HoMfte n 37 com om boti*l Vn->ini-
nado Traviata, ondn arharo i n- i <--
sempre a uHhor Vuatotb para tam os servir, a
par i- xc: I- mes vinho< easWi tasi -.musa,
qur no mesmo esiab-d vim u >, qur p.ir* fu:
dentro da cid:nle mi qoe n > ipiuerein m aiopo-
derem vir a seu BBtobeleiinnenii, *enb> p-i pv->
lllis modifiO qil" tm mitra SJMtoJW i'irl--. N>
mosmo estabeie-'iaMnte actav-i m i- Ue^a-tes
biliares para recre4iem--e. be:n tMNMll>
das a noMes nara r"fre-cr.-in-*-*.
Prosita-*) 11 n ni i-o fM ii,e e >'i-
nhhe, para um i eaa le puit.i fi mlu : m roa
nova de Santa Rila n. 31.
Quem precisar d* um ami tara mttoJMM en-
goinmar, dirija-e a rua a>: S. Friuei-.o a 21.
i llenen $
preciosas c objectos
ouro.
oas
m
vistas para um rebanho de cabras que pastan
las ras dos Coelhos, Prazeres e Sania Cruz,
Wim
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- -M,
\ tos commrii a morar na rua do Impera- ;^<
I dor n. 17, segundo andar, leudo alias seu *>
j| gabinete le consultas medicas, loo ao ^
W, entrar, no pnmeiro.
fe' O mesmo douvr, qne se tem dado ao
-j estudo lano das eperagoes como u.is ino-
X lestias internas, presia-se a qualquer rha-
8R mado, quer para dentro quer para fora
j(3 da cidade.
l_i!;_S^__'__', ___i__.
O Sr. Jo.io Miguel de Oliveira Reraido queira
dirigir-se a rua Nova n. 60, a iratar de negocios
que Ihe dizem respejio.____________________
Pede-se ao fiscal da Roa-Vista que lance suas
m pe-
eui-
porcalhando no s as calcadas como as cscadas
dos sobrados, e desla maneira incommodando aos
habitantes das ditas rua?, eslou ceno que cumpn-
ra o que manda as leis muniqpaes.
]]{ O bacharel
Francisco Augusto da Costa
AnVflC.AUO
V-,' Rua do Imperador numero 69.
m

1-_af^__'-^r*>_K Vi5""*-"*!
O London lirazillan (lank, saca
os paquetes,sobre
'.l.-ii':.l.
Porto.
Rraga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
por doos
- Aloga-se o obrado n. 87 sito na rua Impo
ril : quem preieiuter dirija-se a rua da Cadeia n.
62, segunda andar.
Mauricio Selbeberp & C, Polacos, par-
e ticipain ao respeJuvel publico, i|ue ac- mt
^ bam de receber um grande sorlunento *
Si de joias c brilhantes, como sejam : relo- ggg
i gios, iraiicelins, aderemos cmplelos, an- >.
S neis, cadfias, pulceiras ele etc. e tudo >*
^ quaiito diz respeiio a joalheria, pelo prc- gj,
a. 50 o mais razoavel possivel, e mesmo *
*? troca e compra objeclos de ouro, prata e --."
5jgg diamantes por ohjecios novos : na rua t
f% do Qoelmado n. 29, entrada pelo largo ^
H de Pedro II n. 27, de manh.ia al as 9 *
E horas, e a tarde das \ horas em dianle. ^
w Os objeclos vendidos pelos annuncianles W
san garantid.is por ellos, 8 esta promptos S
para levar objeclos as casas das pessoas
que desojaren) comprar, uma vez que v\j-
nao possam vir a seu e-tabelecimeut). H%
Precisa-se alugar una casa terrea, sendo uas
ras Santo Amaro, da Paz; das Flores, do Sol, da
Palma, pnuclpio da rua da Concordia : quem ti-
ver aununcie.ou dirija-se a rua Imperial n. I. .
cha-se fgido de bordo da barca brasileira
Hestaururuo, o escravo crioulo de nome Antonio,
de idade 23 annus pouco mais ou menos, estatura
regular, sem barba, levou vestido camisa azul e
calca branca : quem o levar a bordo da dita barca
ou ao escriptorio de Antonio Luiz di:Oliveira Aze-
vedo &C, ser generosamente recompensado.
Quem precisar de um menino para loja de
calcados ou ferragens, annuncie por eslo jornal,
dando a rua e o numero da cato_____________
Aluga-se aloja do sobrado n. 17 da ra da
Imperatriz, com bons commodos : a iratar no se-
gundo andar do mesmo.
Panno de algodao da Rabia da fabrica To
dos os Santos-tem para vender Joaquim Jos Gon-
calves Beltlo, no seu escriptorio, rua do Vigario
o. 17, i andar. ______________
Fugin no du 10 de orrenie urna preti t-
nacao Coa a, de nome isab I, baixi. corr> reunlir,
representa ter 40 annos d" i-lide, e muit> pr^ia,
bexigosa, costnOM embreagar-se. ira -k vita
nesta cidade n sUs arrahal I"- ven .1 fru-o
ouiras cousas, j lem si lo prea onir.* v^z* p>-t>
inspector do Campo Griod: e Var-a : l-vou ves-
tido de cissa com pintas e pinno di Ciato : roga-
se as autoridades policiaes e capit'i** d* cam
apprehenso, e mandem levr a' rua di Gul.-ia
Velha n. I, que sero pagos de ll > o **t iraliaH.
D. Paula Joaqun 1 de M-l o la 1 :i tora yH
presente annuncio, que ssu procrator > Ui-lta-
rel Francisco Lins Cildas, para o |ue tem p'es
poderes.
Joo Luiz dos ll"is, moralor M BflMBid
Porto Calvo, provincia de AUgja-, v-inl 1 1
engenho Prazeres, moenle e corrate, rom r--i i-
vivenda e una linda capella. iad.> l -
elara que existem parles de cm-nlerH n> dt
engenho : quem quizer pode iliri^ir-sj a' e.i*a _;
sua residencia no mmmm engitoa
Uma casa eslrangeira precisa le ai loes ro-
zinheiro : quem eMiver nesias cin-urasUncM a^-
pare^a na rna da Cruz n. 55.
Ilernardino Pacheco dos Sanio Vetar ao
corpo do commercio que mudm Mi -uii-
mento de moblados da rua da Lipa u. II para a
rua do Hospicio n. 2tf.
Prccisa-se de um caixeiro que lenhi praiks
de taberna e d fialor a su 1 c mduei 1. I psMi
d'Alho, pagas bem : a tr.it ir o--n nri; r-n
Joo LuzT N.irciss na pnc da Sm'a i>m .
6,ou no musmo lugir aciun com o I tari Cm-
vallio da M 'lia Silveira, pira quem e nvsm
caixeiro. ___
Precisa-se de M;h)-3 a }aMi l l hvpotk-ca
em baos de raz : q.n.n livor e qui-.-r 1- .1 : 1 1.1-
cle sua morad 1 para ser pricurada
GOMPBiL
Aluga-se o 4o audar do sobrado n. 19, silo na
rua Nova;. deia a. 62. > .andar.
Compra-se ehVclivamenie ooru e prata rm
onras vultias, pagando-se bem: iiinili|
Rosario 11. 2", leja de nurives.
Silvinu Guilberme d Rarrw ci>nq>ra e v-n-
dc (ffeclivainenle ocravos de ambos i. \
ruado Imperadora. 79. lerrein andar.
Ouro e prata
em obras velhas : enmpra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja de bilbeies.
Comprase ouro, prata e pedras pr-i-m-a.,
em obras ve.ihas : na roa da Cadeia do fler-.r-,
leja de ourives no srco da Omrrira
Compram-se moedas braileiras de 2HJ>
-13 : na rua do Crespo n. 16, primeiro andar.
Compram-se duas casas terreas novas em boa
rua, que renda de 400 a 5004 '- quem liver
vender, dirija se a rua do Crespo o. 4, 400
quem pretende.
Compram-se libras slerliaas : aa praca da
Independa n. 22.
YENDAS.
0 castello de Grasville.
Traduzida do francs p r 1. J. C da Cm.
Vende-se este bello romane*
tomos pelo baratissimo preso de 3J40C
ua praca da Independencia, linaria na.
6 e8.
-


Mh



Diarlo de pernambuco -=- Sexta lelra 18 Je Agosto Je 1SS&.
A molestia ou infecto pecu-}
lial conhecida pelo nome de Es-
crfula um dos males mais
prevalecentes universaes que
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o
genero humano : disse um cela-
1,5a fina para bordar. |
Na loja de miude/as ra do Queimado,
n. 16,vende-se la ina, de vivas e agrada-
veis cores, to propria para bordados como
para touquinhas, sapaun: os, etc. : quem
pretender dirigir-se a dita loja na ra do
Queimado n. \ (5.
ma.s ^."^^^rem antesln. 16, encontrarao os pretenden.es um a-
?d^^n vimas Zpriado sortimento de hondas franjas largas s
da velhicesao vicumas ou aire u d coberlaS) (oalha# elc cu.
La ou indoctamente f&erop^ V desagradado ao comprador
lo :-por s nao tao |JquePaU^der a largt.Tra e quaiulade de litas.
Peonas dauradaa.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. i 6, recebeu e~sas novissimas pennas de
metal dourado, cuja excellcnlc qualidade e
peifeico dos bicos as tornam mais durado-
rs o exercicio da escripia, pelo que os
mu mwA.
follciras de marroquin, com cascareis
e sera el les. -
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
1 pespuntadas e com cascaveis, ou remelles
Iproprias para caes e outns biebinhos.
Pennas malezas de ac e doaradas.
No novo sorlimenio de'pennas de ac que
; a Atraa Branca acaba de receber, vieram
tambem outras de metal dourado e bicos
mu; bem acabados, e por essas boas e ne-
cesarias qualidades os seus acreditados fa-
bricantes Perry & C, as recoumiendam aos
entendedores" apreciadores do bom, valen-
m&
Loia do "alio visilante na 'O Crespo 'lo mesmo a dilferenca que lia no prego de
LOJ U0odii0 vigndiiiL rua uw P umas para outras, por que estas se tomara
por qu
mais iluraveis na cononuacSo de escrever ;
assim poisquem deltas se quizer ulilisar
coni.ra-las a dinheiro a vista : na ra do
com
numero /
Neste estabelecimento encontrar o rcspeitavel
rectmmcndara ; os apreciadores do non. u|{Jmos navins e vaporPS de propria coma, que Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Tambem se er.a ntram ou'ras pennas ce por ss0 me$m vender pelo menos prego que ,.: Pnm |,n,.|a(i ft Sl>m ellas
a<;o de diferentes .ualidades e dos mesmos ihe for possivel, como sejam : j
fabricantes tudo na roa do Queimado lo-, Lencos. I
ja de miudezas n. 16. :. :lindos, 'os ,mne"aes l'ara senhora consa
J EntVi.es uotos c fconitos. |,nleiramenle DOvaAlbMs;
A loja de miudezas ra do Qunmade n. AlbaQS mnUo fnos com Mpa do madreperla e
16, recebeu novos e bonitos enfeites, obra de tartaruga com guarnigo de prata para ;
borlas e sem ellas para
coi-tinados.
A Aguia Branca recebeu um bello sorli-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados.
Raridades da loja e armazem de Ca-
lendas e rouas fcitas uacionaes ra I wS2nUKS
ila lu]n rain.'. n. 72, de (lUiniaraesiE.-peiii.^ den)uiiiuri>doD
&. [' ma<>.
Aproveilcm as pechinchas
que seeslao Iii|uida3i1i> por lod) prego, vejam :
Chitas largas a 260,280 e 300 rs., (US percaltas
a 360, 400 e 410, cambraia organdys muito lina a
3(10 rs. o eovado, e iijuiIo superior a 320, 3G0 e
400 rs.: Mo s na aova loja de Guimares & lr-
mflo.
Estao se acallando.
lodas de novos e bonitos
desenhos, cuja commodidade do proco est
tiva, porm a principal causa de multas
outras enfermidades que nao lhe sao geral-
mente attribuidas.
E' urna causa directa da phthysica pul-
monar, das molestias do figado, do estoma-
go e affecces do cerebro :-Entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : -falta de appetite ; o semblante pal-
udo e s vezes incitado, ds vezes de urna
aloura transparente e outras corado e a-
marellento ao redor da bocea ; fraquera e
molleza nos msculos: disgestao fraca e
appetite irregular, falla de energa, centre
incitado t evacuacao irregular ; quando o
mal ten seu assento sobre os pulmoes. urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos pref0S commodos, variando estes a vista de 20 a o0 retratos.
tornam-se avermelhados:-o hlito ftido, das diferentes qualidades, semprc agrada- ^ JSm*Mu ,ocando duas
alingtta carregada, dores de cabeca, ton- veis aos apreciadores do bom. pecas de mosica propria para mimo, assim como
teiras etc. Molas brancas cruas e de cores eaixlnhas peqoenas com msica tanto de veio co-
Nas pessoas de disposico escrofulosa ap- para crianeas d 6 a I mezes mb de dar curda
parecem frequentemente erupces na pello Na rua do Queimado, loja de miudezas n. | ZfJ!!TSrMracrfaicas* .
da cabeca contras partes do corpo, sao pre- 40) vendem-?e por precos raaoaveis ttiMi| d^Sl^!^?Z$Xto zoaveis, caixinhas com tabolas de made.ra,
disposlas safjfeccdes dospttlmdes, do figa- ,ias qualidades, meias brancas ciuas e de J, lU', quedas diversas pinturas dellas se formam
do, dos rins e dos orgSos digestivos e ote- corcs para crianeas; assim como outras ^apellas. agradveis vistas e paisagens, segundo os
ries Portanto nao smente, aquelles j)ara senhoras, e cruas para bomens. Riquissimas capeiias branca* de ores para not- d.esenlios que acompanham. Na verdade e
que padecen das formas ulcerosas e tuber- apel pardo folha grande. vai, assim como meias de seda brancas. esse um leleilavol en retenimento com 0
enlosas da escrfula que necessitam de pro- Esse papel pardo que por sua boa quali-i r^i??2Kfc, de madre. qual se despe ta a curiosidade, e apura a in-
SSto contra os seus estragos; lodosas dadoe ralndeSamaubo da falla, serve b,m' JX'STnJtS ^ 'tell.gencia.^ Os apreciadores dirijam-se a
quelles em cujo sangue existe o virus laten- para embrolbar corles de faxendas, cortar; v teaues. rua do Queimado, a dita loja da Aguia ran-
te d'este lerrivel flaello (e s vezes her- moldes de vestidos, elc. : acba-se a venda
ditario) estao exposios tambem a soffrer das na rua do Queimado lo;a de miudezas n. 16.
enfermidades que elle causa, que sao: Karato para acabar.
Laazlnlla^ tseoezas
210.260 e 280 o eovado.
Mom"toTsm~M sopara ac- Vatfe franja de taa para enfeiWs
tauha deroloa 35o3A20Oapeca, n.ada- o '-
IU, iciracu uuiua c uuimuj nuv^--, ..... ae tariaruga cun Kuaiuiv" (""- r.', ~ ; __, _, _ii ,-,,.
moderna e de gesto, e os est vendendo por 100j;etratos, assim como de uuiros ma.s inferiores em relacao a 'argun^:^ aUiam-se "^^
precos commodos, variando estes a vista
da na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia ou curioso entretcni-
mento.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venda por precos ra-
1*600,
iifcOU,
Leques.
Riquissimos leques de madreperola e de sanda- ca n. 8, que seao satisleilOS.
Dnzias de sabonetes de cheiro a l;> e 1,5200
a duzia.
Cartees de Ib has brancas e de cores, a 20
res cada rm.
\i\U
9'\
ti
OCAS, VI!
CHRYST4ES.
A loja de'ne^a da rua do Crespo n. 16 tem para
vor.der qsanOdade de azulejos de lindas e variadas
cores, as;-i di: i inilas pintaras e nosto moderno, ricos appare-
Ibos de porcelanas brancas douradas e *te cores,!
vidros de lodas as qualidades, inclusive linissimo
cbrystat, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para llores, lipuras e outros muilos objectos de ti-
nissima porcelana denoiBinada biscoito para en-
feites de mesas, tic, guaTnigoes de linissima por-1
celana branca douradas e de coi es para lavatorios |
e tateles, tudo do melhnr gosio, pinnas de lou?a e
vasos para jardim, candfeiros de lamparbns para
paz. }lohos e chamrnete de vidro, boeVaes c todos i
os mais sol.reclenles para os mesmos, gaz liquido
d- superior qualidade, e mullos outros anigos que
por presos mui-
A pktlnjsica, tUcerartes do /gado, do es- Caixinhas com 4 papis de agulbas france-
tomaijo e dos rim : erupces e enfermida- z:iS, limpas a Lio rciscada urna
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipcla; pa0s de pomada franceza, a 80 ris um
borbulhas. pstulas nascidas, tumores rh-
cumacarbuncuies. ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as cosase na
cabeca, debilidades femininas, lores bran-
cas causada pela nlceraco interior, e en-_
fermidades uterinas, hidropesa, ndigos-
tao, enfraguecimenlo e debilidad^ geral.
Aos pulmoes a escrfula produ/. tubrcu-
los e finalmente consumprao pulmonar :
as glanulas ella produz nchaces e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem indigesta, dis-
pepsia, molestias do figado e nosnns :
na pelle produz erupces e affecroes cut-
neas.
Todos estes males tendo a mosma ori-
gen, carecen do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o umgue.
A salsa parrllha de Ayer
composta dos antidotos mais efficaxes que
a sciencia medica tem podido descubrir,
nara esta m leslia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que ser^enfadonl.o mencionar, ludo
conten virtudes venladeiramente extraordi- s> _._..__.
narias provado incontestavelmente pelas
curas notaveis e bem conhecidas que tem
feito de tumores, eruproes cutneas, erysc-
pelas, borbulkas, nascidas. chagas antigs,
ulceras, rheuma, sarna, parchas, lujdrope-
sia, tosse quando causada por deposites tu-
berculosos nos pulmoes. Debdulade ge-
ral :-lndigesliio, Syphis constitucionales
molestias mercurial, molestias das mulhc-
res, ulceracbe do ulero, a nevralgia e con-
vulces epilpticas e em summo. toda serie.
de enfermidades que nascem da impureza
do mangue. Vde as certides no Alina-:
nack e Manual de sadc do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos logares onde,
se venden os remedios.
Este remedio o fructo de lorigas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que e elTerecido
ao publico sob o .nome de Sofaa parrilha, e
composto de diversas plantas, algumas das
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
;ha no seu poder alterante.
PEITOBAL DE CEItEJA DE AVCR.
Cura promptamenl3 a astbma, bronchite,
tosse, deltaKO, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tulierculos
'putoenares, e tedas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados^ ns harmaceuVic0S do impeno.
odas as molestias dagargote, da pe lo B d| em c|safde Caors
e des pulmoes poden ser caradas apon ^.^ Jo_o f (, Rravo & c
co lempo pelo PBrron&L de
de tartarura
ro-
fiopin-
Bonitos enfeites para sfnhoras.
A Aguia Branca acaba de receber um no-
vo e lindo sortimen'o de enteitcs os mais
modernos e gostosinleiramente agradveis,
e como seu louvavel costume os est ven-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir rua do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Metas de la para senhar?s.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Brenca n. 8.
Mata mosca.
: Na loia da Aguia Brauca acha-se a venda
lo assim como de osso.
Livrinhos.
Riquissimos livrinhos com capa
guarnecidos de prata para missa.
Aderecos pretos.
Riquissimos adereces pretos sendo pu'seira,
zetas, alfinete e volta, assim como de coros
do perolas.
Brincos.
Riquissimos brincos e rozelas de todas as quali-
dades e .'o^us modernos.
filoneras.
Riquifsim is bonecas de porcelana e de massa e
I de cera, assim como os que fallain chamando por
1 papai e mamii.
Pentes.
I iquissimos pentes de tartaruga para senhora, 0 papel com compOMgao para (lar nm as
as.sim como para menina e de mallas outras qua- moscaSi sendo o modo de usar facillimo, c o
lidades.
S$ss?eies para cima
E' omito barato.
Cortes de !a muito superior c,.m I
pelu l>ara
bar, bn._.
pol&o rrancez enfr.-Udo a 3& 3500, *0O < \:>,
dito sem ser pnfeslado corn 27 jardas a 4ot>0, o#
e C5o(K), dito muito superior marcas miiiio acre-
ditadas a 72r,7#300, 8, 95 e 105, algodao de to-
das as marca? assim como seja marca T e carne
de vacca, sicupira e, pao ferio tudo isto por pre-
cos baratsimos s para liquidar c apurar dinhei-
ro : isto na nova loja e armazem de Guimaraes
; Irmc, ruada Imperalnx n. 72.
Grande sortimento de babadinnos
e entrenuios pelo barato preco de 800 a i> a
pega.
Lencos de coivs c brancos
muilo proprios para homens e menino.6 a
2?, 25.-00 e :t a doria, ditos de linbo a
55, 5J0OO c 5.
Grande sortimento
e colxas de fnslao do io-la> as cores a 65500 c
65. ditas de chita a 15900 c 25, ditas Ce la a
15(300.
15' muito barato.
Grande sortimenlo de soulembarques muilo bem
enfeitados a 55 e 55500, ditos de grnsdenap.e a
185 e 205. Ilazinhas de un.a > rfir a 480 o eova-
do, ditas mait-i propria |.ara camisas sondo da liu-
dlssimos padtoc.-a 15 e llOO o eovado : s na
nova loja do (juitnares & irinao, rua ta Imp'^ra-
triz n. 72.
Grande sortimento
de ronpas feitas que se wndem muito barato ftlan-
(ando-se que se vende per menos 20 per cento que
em outra qualquer parle, quem duvidar venha ver |
Na nova loja de blendas de Guimares
& Irmo.
Rua da Impcraariz o. 13.
RIVAL.
Rua do tfcneiuiado ns. 49 e *
Cuiiilna a feadtr todas as n.iiitleza^ iji
declara por pncus idairairks.
para taM a 10 r .
radas i. as,SU 1
Uniets de oliado para menino^ i
11 :.i i!r couro Mi:*ii"r azend a l&V'X
PraCCW 'Oin sopim-r unta rocha a !'.
Meladas de hmw ''"" !*' |m;fid:i a JB
Babado to i' lista.
Caiai rom 100 wtopes.U* nda Im a CSSri
Grata d p!n!i:'< He ;. Imp-I" ": '
Gratas de Ouiues uiaurepeiota i.n a
e CO rs.
Caixai rom .30 Bowettes de licha 'i r
Caitas com 0|i : -
Pecas de fila branca 1 lastica n m 9 aras
a I
n.iralhos dourados superiores qn
Noveilos de Italia 10:11 itJ jarda- 1 I
l,i-res para assenlos de ronpa lavt.la ,. ;
Pares de lutocs para punho, f.unid.. 1
Tesi-nras para ostura:
400 ,-.,.
Caixas de peonas de ralbfmpM, fct-i
150 ''
":. com sspi ions aramfos aJ
1v.k- .,.'-
Pares de sjalos de ns amsitMi
I280.
Caixas rom impffwes afSltM a U r^.
Libras de la sortit;.- ,:. 1 Hilas 1 -
Caixas com :-;i| 1 r 1
Rodlnhas romailh : franri es 11
. a 20 -.
Rl -:i, I
i ci ras :"t n n a, i. :: da I
Di ; ~ 'li : :: <:.:<
600 rs.
iizi:-- de I -
la ; res mutlj lnu : ra : o ; a
5 S-5
1.

-B
o
I
_ Q
O'
9.U
n\
m o ^
fi1
T =1" 3
a-s

de mesa.
ei"feites para rima d^ m-'sa c para
Itiqnissimo
loillei.
Vvelas e sitos.
Riquississas libelas de r.iadreperola e de metal'
assim cirnrj bonitos siulos.
Fie-res.
Hiquissimo sortimente de llores o mais fino que
se pude tlesejar.
loso para 'staiilia.
Grande liquidado a dinheiro*
Na loja c armazen do pa\ao.
Roa da impei'af s'iz n. 6tt de -a-
ma t*< Mllva.
Os donos deste eslabeleeimeoto lem resolvulo li-
quidar suas fazendas por precos baraussiaaoa, fo I
com o fim de apurar dinheiro, e previnein a* pes-1
soas que nepociam em pequea escala com fazen-
das, que nesta loja e armazem encontrarao um
grande sortimesto por precos que muito Ibes hao
de agradar, tanto em pega como a retalho, a
saber :
I'elcE'In. s a 1*600,
efleito efficaz : molha-se o papel e deixa se Vendem-se ~*tfS^Stt
flear n'um prato, e nalle pousando as moa ^can.ibraw "jw del i&m na roa
cas, entristei em e morrem. Gusta cada lo- da im[,eralrjZ,,. go, loja de Gama & Silva.
Iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da Orgailly a 240 R. :s fOYaO.
Aguia Branca n 8. Na loja eo pavao.
Diversos brinilUCllOS e entreteilimentO I Vendem-se as mais bonitas caIsas organdjr?, pa-1
_..!... pPi.,ra(j drSes miudos e grandes, pelo baratisMino preco de
pdl.t tri. 240 rs. o eovado (doze vintens), e.-ia perhiiicha
A Aguia Branca na rua do Queimado n. acai,a.se iK0 na loja do pavao a rua da Impera-1
8. recebeu diversos brinquedos para crian- lrz n. C0, de Gama & Silva.
Rretanka de rolo a 3#ooo
pata hon.cin.
B'ias.
Kiquissimo sorttmenlo de Hias de todas as qua
lidades e lindos gestes.
Praeja.
Riquissima fra-i.ja de seda de Mito lindos pa-
dres lano de cores como pretos, assim como de
': borlo'a e sem ella propria para 'Cortinado.
Traucas.
Riquissimas Mancas de seda ppetae de cores;
' eim como de al^odo e de la.
FerJimarias.
que se vendan baratamente : na rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8.
Meias prctas de seda para senhoras a
oOO ris o par.
varas a 35, ditas de madapoiao entecado a 35200,,
353OO e 45 : na lo,a do tiavo, rua da Imperatnz
B. PO, de Gama & Silva.
tttes granadinos a \'2i.
Vendem-se os mais neos cortes de fazenda de
ttiuita phantasia por ser transparentes e tecidos
com seda, tendo cada corte 22 covados, pelo dinv-
A Aguia Branca quer acabar com a por-
cao de meias pretas e seda para senhoras, "',,,, 12j unlcameoie ua loja e arma
e apesar do muito maior preco que lhe cus- 2em do (1.1V;0; rua ^j, imperatrz n. co, de Gama &
. laram e o bom estado em que anda esto, silva,
comtudo est resolvkla a vende-tas a 50 Boinoals de ronda na leja se pavao.
1 ris o rar aflm de que ninguem mais calce Chegaram os mais ricos bomonts de renda e se
Grande sornmemo de perfumaras de todst as^ nieas preUs de algodao, ag ra pois apro- *tt*!FlTffhJSR"eO diS
qualidades e dos melhores autores ate o preseote veitare,u a qiia,jra e dirigircm-C rua do zem do pavao, r
DEPURATIVOS
D U--SEaViul.se Pm.
PhnrmaetulUn de t* elmm. *
interno m hispitatt. frtmmM
rom a MtitkB Jt broitz*.
r
conhecido e mellos outros objeetos que se tornara
onfadoulio mencionar, islo se
'do Crespo ti. 7.
vi^urra' Queimado, loja da Xuia Branca 8. Tam
4 Silva.
Rival sem segundo igueiraa
Ricos ciw. s pelos de ren-a.
bem vender as brancas a 10 o par, e tres- qu u|lmo f. m fraBeeI nffi Krande e
tas o uatco defeito -t estarem^.m pouco en- varia sortimento dos mais neos chales pretos de
renda, tanto de linho orno de seua, tendo etit
I
na do Queimado ds. 9e55, lejae na/i||Mi O liE,P%TIS||T
miudezas de tres poi-ias, estquei-; lAtl 81115IIM AlBLll
a anacahuita mexicana que da o nome es-
pecial este inoomparavel remedio, urna manda luda bom e sacat, queni fui-.
arvore, cuja madeira por muito tempo se; zcr ver-c admirar venham loja do j
lia usado no Tam pico para a cura das n-j [jigoilinho.
fermidades cima mencionadas. Foi tam- Paisas de papel amizade, e sea ella liso e pautado
bem ensatada e approvada pela academia
medica de Berlim O peiloral -de Kemp
um xarope delicioso inteiramente liyrede
opio, acido hydrocyanico e outros ingre-
dientes nocivos.
A' venda as drogaras de Caors & Bar-
boza, Bravo & C. e em todos os^stabeleci-
CEHEJA 0 DR.
Vende-se o engenno Jundiahy, cinco lefroas
A' venda as priucfcwes boticas e droga- J'ra;
rias do imperio, e na agencia central do
ATS. .. ,____ distante da cuiade'do fc'atal,' provincia do llio
Rio de Janeiro rua Direita n. i'.
Veode-se em Hernambuco:
na
PHARMACIE FRANQAISE
DERMADRER&C'f
e correle, com 20 cap-
tivos, 30 boise 20 bostas.; assim como diversos
lotes de ierra, propria paca a cultura de algodao e
mandioca, e mais duas foseadas de trado no Poten-
gi e Gear-meiriin, na ama provincia, cujas ven-
das se effecloarao a prasos,*iediante boas-firmas :
i quem pretender dirija-se aquella provincia a tra-
tar com Fabricio & ('.
Deetppareceu ha 15 dias de casa de-eeu se-
nhor urna preta de nayao Angleo, de nome Maria,
idade, pouco mais ou menos, 06 annos, altera re-
gular, tero urna dor prosima a niunheca de um
dos bracos, que sgarrando-se elle, ella doe-se,
. levou vestido de riscado lirancocom chuvisco r-
kos, saia de algodozinho, camisa A HAiin MA lv llfp'0 r]p (\\). da : rogase a pessoa ou anloiidade que a pegar,
AtreilvlO AO U.Mltt/HU ^t UU aeooduzaa1 rade Santa Cecilia n. 18, que ah
jetos ehegados de novo:
grande sortimento
Vendem-se doc. grandes lustres de vidro finos
sera' jralificadG generosamente.
Acna-se
venda na livraria acadmica, na rua do Impera-
arco ile Santo
dem em pegas separadas, como
s o regiment de cusas e a lei geral das execu
zerem, compoteiras lapidadas P11^^*'^'^ oes, co'mo tambem tollas asrdeos e avisos do
para violto, ditos para ciaupagoe, copos para agua
e para nbo tinos e ordinarios, em eaixao e a re-
talho ; lacternas de todas as qualidades de \-iiro;
ditas de lasquinho inglczas cjuito tinas; candela-
bros de vidro e de brouze: erpentiuas, vasos d porcelana e de vidro para flore*; bilhas hambur-
guezas para resfriar agua; barricas com appare-
2)OS de mesa para jamar-, gigos n-m apparelhos
mu i tos sci lmenlos de. todas as
governo, que a tudo tem explicado, lano a respei-
to das obriga^Ses inherentes ao cargo dos difieren-
ie< empreados de Justina e fazenda, c:>mo riosdi-
reilos naciooaes e emolumenios que sao devidos.
Este livro contendo mais de 700 paginas em nitida
impressao e bom papel, e preslando-se a utilidade
de diferentes classes, lorna-se reeommendavel
Seu cusi 105000 por cada eiemplar em dous
tomos.
a 600 rs.
Grozas de botes de louca prateados fazenda.mo-
derna a 160 4-$.
Buzias de peona de ago fazenda boa a 40 rs._
Pegas de tratiga de lita lisas e de todas cores a
40 rs.
Estovas finissieas para limpor denles a 2o e
;{20 rs.
PuJceiras de corlas para senhoras a 300 rs.
Pecas de fila de cs eslreilac com 10 varas a
3*0 rs.
Caixas com colchetes francezes, -superiores quati-
tades a 20 rs.
Tiutiros de barre, com superior tkila a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda boa.a
20 rs.
Barafios muito oos para voltarete a 200 *
2WJ rs.
Frascos com agua de Florida a l& e JI280.
Frasees com superiores banhas a 500 rs. e 25-
Frasco com banha, porm pequeos a 200 e
210 6.
Laias cem superior Itcoha a 200 rs.
Frascos de macag pera la muito tino a 300 rs.
Frascos e garralinliac com a-gua de Bolonia a
40o rs.
Frascos g-randes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Frascos -can superior oleo
500 rs.
Caixas cob 12 frascos de cheiros muito finos a
15400.
Sabonetes peouenos de boKa a 240 rs. e grandes a
3-20 rs.
Dona de salwneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua deniifice wipeiior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascos de superiores essencias saual e outros a
15200.
Frascos com esseneias para lirar noduas de roupa
a 300 rs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160,200,
24(1 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
: Duzia de meias muito linas para senhora a
45800.
! Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
; lixas com soldados de chumbo para meninos a
160 rs.
; Duzias de colheres de metal para cha a 800 rs.
Ditas dila dito para sopa, fazenda boa a 1,5600.
' [ Pegas de fila de laa para debrura de vestido, com
10 varas a 600 rs.
ellesisiuilos de pona redonda a inilagao de man-
teletes e muilos com o centro de cor, e vende-so:
por procos muilo em cotila por lereni sido manda-
dos vfr de conta propria pelos donos da loja do pa-
TO, rua da Imperairiz n. 60, de Cama & Silva.
Laziiiltas transparentes a 320 rs.
Vendem-se muilo bonitas laaziuhas transparen-.
les com palmiohas de seda a 320 rs., ditas lisas c
de varias cores a 220 rs : na loja do pavao, rua
da laiperatri/. 0. CO, de Gama & Silva.
Cortes oclas malizailas.
Vendem-se nonitos corles de lias matizadas, ten-,
do \' covados cada corle, a 5,5, ditos a Maria Pa :
a 6-e 85 : na loja do pavao, rua da Imperatriz n.;
60, de Gama A Silva.
lloupa felfa.
Koaap.i cita.
lfiopi feia.
Saloja do pavao vndese un grande sirtimen-1
lo de aupas feitas para homem. sendo caigas, pa- j
tetots ocolleles, tanlo de panno como de can-miras
pretas e de cores; deixs-se de mencionar os pre-i
con para nao se lomar en/adonho o annuncio,
ou 18 arrobas | afriaucando-se que o respeitavel publico achara um
por te 00 8 W- grande sortimenlo por baratsimos pregos : na .
robas de algodao 1 iuja e muen do paVao, rua da Imperatriz n. 60,
llmPc- 1 de Gama & Silva.
I Cortes de casenras a 2300 c 3^000,
Assim conea machinas para serem movidas ir : Vendem-se cortes de rasemira de urna ; cor a )
aetmaes, que descarocam 8 arrobas de algodao ija-joo diia< de oaadriohos a 33 : Batoja do pa-
da.-, e motoras poro mover uaa, duas,-, ? ,,
i.c tfabalhar a mo paca
descarocar : !gdo
FAatCADAS
Por Plant Brothers & CL
IDA
Estas macftiaaj
pedem descovecar
'-il %Sf'"
ifimi
ai
desearogar
anab de algo-
dio era earocc
em 40 minuUs.

Desde muia ln'ip* piOss^
ahandonou u?'1 '-* Tr
ii.iilolada- .'.-, ::r..;i-as S nliCMU*
sob o nonio t\o Arrobe. Xjwpea
de Salsaparritha cem, -!h t's
Cuja arcan, m r r!e das > *'
nulla.'e Ij algums casi perisoa.!
' Os CamMQsaooososasooooo>mMMWi
I'e O tmm 1UUKUI t come lom E,
MMMfaaaoo mmtmmmmm
T Qrt O >U> OBO 02 MIHMM
oimbmbi
O xiicv >'"*.m |* eee-|
fritos mlt Iweraa rmm Vram-
ob o M rosiois >Im pri '.?
cctebrida.Usincdh::-.n- poe icasl
de tudo quaiito :crc e\iii!o auc
hoje. I
Cura rpida sera o socorroj
de nenhara outro remedio in-
lerno, das escrophuias .
herpes, affeccoes sy-oi-I
liticas hypertPOi-aJasj ;
dos tessidos celular- s,
hydropisia e em geral
lodas as molestias rroduzi I.i
pela alterar*0 ^ atigtic ; Lt
o resultad que queria;.t:.-
f
h.
iiopo, por
eutr3s dessa-aachinas.
6s mesmos tam para vender um bellissimo va-1
por yue pode azer mover 6ets destas machinas i
. mencionadas ; para o que convida-se aos Srs. i
A* bahoza a 400 e agric.ltore- a vires ver e exanwoa-lo, no arma-1
zem de algodao, nc Urgo da ponte nova D.f,
s Hi'oiePG k (;.
ps'aea do 'erpo Kanto
BJBCfFE.
Os unios acontes neste paiz.
Saundef
x. 11,
mm%'
;i0i'0
85500
avaado.
Prancez liarrica
Poriland dem
Em perfeito estado:
Francez barrica 10*000
Portland idem 125000
No armazem de Tasso Irmaos caes do Apollo.
do furo
ps/a cha; e outr..
oualidades e nre/'-o. comui'dos v.oniade dos com-:
Se, auc co'wadem na ma da Cadeia do Re-' Vendem-se barrts de b> com me
r fe nto "o areo da Coneeicia o. M, e na rua bom : para ver c tratar na rua do V.gar.o n. 29. jj
w rande armazem de k,uca e vidros junto Vende.se nma mei.agua : na rua do Cala- Caixas de Umparipas ******* a oO rs.
Ditas de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lonsa para meninos a 160 rs.
Vi ti hits ilo Porto
das mejhores marcas, em caixinhas de tima duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto eD.Lniz ; tambem
tem arelas de. dcimo encapadas com superior
I vinho, barrts de o" e 10 em pipa : na rua do Vi-
cario n. 19, primeiro andar.__________________
\ova
i igrejs da"Conceigo a Militares n. 49
Vendem-se
rachinas americanas de serrote para descarocar
slgodo : na rua da Scnzala i\ova n. 42.
bouco 11. 1 : a tratar na praga da Boa-Vista n. 9.
Bunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com booitss estampas para rap a 100 rs.
"Vende-se urna preta crioula idado 23 annos, | (;apacjl0S compridos, boa fazenda a 500 rs.
Peaas do ema e cftra de caraaoba
Vendc-se na rua do .Imorim, armazem n. 52.
Na mesma casa vendc-se um optimv e-cravo de
boa figura e com principios de offlcial de raarci-
neiro.________________
'" Vende se um sitio em Bemlka a' margetn do
Rio Capibaribe, boa casa, cora arvoredos
pretender dlrija-se a rua do Imperador n.
gundo andar, que achara oom quem tratar.
pouco mais ou menos, cosinha, engoima o ena
boa muito bem: na rua de Horlas armazem n. 2.
Casa.
Vende-se casa da rua do Fogo n. 48, desem-
bargada, por 2:0005 e rende 205 : a tratar a
rua do Cabuga' n. 2 B. _____
INJECCAO BROW.
Remedio infalhvel contra as gnorrhbo
antigs e recentes, nico deposito iapr
^T.ica franceza,
3' se I co U
roa da Cruz n. 22 feas
Grbsas de boioes pequeos pretos para caiga a
100 r?.
Fraseos com superior agua de Colonia a 120.
varas de cordao de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20. jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a 155G0, 15200, 25 e 25300.
Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
Duzias de meias cruas muito fortes e superiores a
35300. ,..,_
Resmas de papel de peso pautado a 25800 e 45o00
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Concordia : a tratar na rua do Alecrira n 10, das
3 horas s 5 nos dias nteis.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da niellior qualidade a
i)5 a lata : nos armazensila rua do Im-
perador n.16 e rna dn Trapiclie Novon. 8.
Vendem-se no engeobe Meguahlpe de baixo
djL.= anitnus de roda, sendo moa besla e um
quarlo castrado.__________________________
No sitio do Toque vendem-se boas cabras
paridas ha pouco, e por baixos pregos, por evilar
inconvenientes que por neuhum outro meio podem
ser removidos, _________^^
vii>, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
xir^;.\c^y;,x*wm
^ Fumo da Baha para I
S charutos.
^ Vende-se fumo superior de todas squa-
ft;' Itades, a retalho e por atacado e cor jaj
^ pie^o cotmnodo : uo Kecife rua da
(teimba n. i. H
mmmmm m $m mmmm i
Tasso Iranios
Vsndeiu no sea aroaiea roa do
:ioriin a. 35,
Licor fino Curag*.' em liolijas e meias botijas.
Licores linos 'orlidos ci garrafas com tullas de |
vidro e em Undos rascc.
Vinhosi:beres.
Sao ternes.
Chambertin.
Hermiiage.
Borgonhc.
Champagne.
Muscalel.
Reino.
Bordea ux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
conseguir
ir oblido.
explica^ao
que q
que teme
aJ
Una
vidro.
Drsconr.-r-v.v M f. Kcarnrtrt ini-
t;ics.
Pura at 1 ...'
Swf. aoisco.- =t c 18, /
fc'u;e/ie, Pur.
1
i

XAROP
i
Ir*
l\0V|HABE
Vende-se
barato um piano de mesa em perfeilo esiado, ou
troca-se por urna machina de costura : na rua da
Cadeia nova n. 15, sobrado confronte ao muro da
casa de detenco.
Leques de osso, ultimo goslo, a 1.
Ceroulas de meta a 1520.
Diitas mnito finas a 15500.
S na rua da Cadeia do Recife n. 3
"Colla da Babia superior
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo &
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vende se
a taberna s.ta na ma da Concordia
M.
Empreado con imnate! mcccsw wi
pelos Mdicos de todos os pines coa'.r^ a* naU-rn
rganicas ou Dio orgnicas do caraca*, as disena* hf-
dropisias e a maior parte das molestia* do aeiaa* da*
bronebios (paruataaiai, c*tarrkot pulmenara. rata ,:.
ia^ammacoei nervosa! dusbrnckioi, caUrrh-ir-u. -.'
0 X ARttl-E de LABELOKVE nie M 'riJe it.. :z.
garrafas com rotulas de cor e fechadas com sav ecaa
erando a firma do nrcntor.
Bus PARS, rato as*iirh*ii-Vlllrre, lar
Deposita gara aai "en m i i
:.ruzn.- em c;;
Venl-sa ama opnu r-rr.'..
Q^ura : a tratar oa roa da li,.
relujoeiro.
Veode-se moa escrav.i rrwq
de idade, mais ou meaos, b lait 1
ma e cose : para ver e ira!.ir M pal
n. 2, sobrado.
Alilho e aiiiih 1 de maa-
dioea
is
Vende-so con-ia;: -m- i a r :.
na padaria do Chora- m-oit
!
Vende-e um; ir.arbiin tt costara por :-
de sen ccslo, com n o 11- : na n 1
sc^undi so lar._______
VoaJesC ou alug.vse para pa--r a W
mesmo por ann>, tur .ra
do este av reos I- fruct >. jb' -
Varna o-do Rio CaaHtariao: o tratar na ru.s
Dorias n. 2, 1* andur.
afreguezada para a ierra
do Hangel a. 73.
n. 33, muito < Veode-se un*
a tratar no Pharol, rua Oia e 1 .-cravo r-
in. i.


Diarlo de Pernamboco -- sexta lena 18 de Agosto de 18SJ&
GEN ROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRANDES ARMAZGNS DE HOLD IDOS
mi* )s,
Pateo do f,armo n. 9 armazciu Progresivo ra do Quciniado n. 7 i 2
IJnio e Commercio roa-do Imperador o. 40, |f
Principal armazem de molhados.
OS PltOPRIETARIOS.
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
lavradores e mais pessoas do centro, que para raais facilitar suas compras deli-
beraran! os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
menlos era um s annnncio, pelo qual o preco de ura ser de lodos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os geieros
por um preg:o, e na oceasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras militas casas, porm nos nossos eslabeleeimentos nao se dar isto
;iinda mesmo com prejuizo nosso, quilqucr pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em carias feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual aitnuneiarmos, o que senao arrepender pessoa
aiguma que fizer sua despenca em nossos eslabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor ebegada dem com 4 a 5 ditas a 3#200.
ltimamente no vapor Saladim, de 14 dem vasios de todos os laraanhos a 2#000,
a 1??120 a libra e em barril ter abat-1 Ifl500,800e6i0 rs.
ment. Queijos d 25300 a 2,5500 os mais frescos,
liem francesa muito nova a 1$ a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
ero barril ter abatimeato. 2$000 a caada.
Banhi de porco refinada a 640 a libra e em dem mais baixo a 203 rs. a garrafa e I $400
barril ter abatimento. I a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 20600.; Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
dem perilla miudinho a 25700 a garrafa e i#i>00 a caada,
dem hysson especial qualidade de 20300 a Touciaho de Lisboa novo e muito alto a 400
Largo da Santa
*Cruz n. 84, es-j
juina da ra do
sSebo.
Largo daSantaS
gGruz n. 84, es-"
$ ESPECIALES fSebo. j,
* ^ frof .iSdoi^anoac M-, d I^H^Iii
rora Brilhante, continua a tero editado armazera de molhados denominado Au-
A seguinle tabella Birvlra',, ? Rmenlo de gneros dfprimeira qualidade.
i vender P3ra 3,USte de Conlas a0S Prladores-
peoprande sortiraento nap ipm ,,'------- ""> >iuo >" mmame, ja
ero quanto chegue para wbm! SJmo porque seu dono s deseJa lirar d'm'iuto '"-
proveilar, o prsprictarinhdtt as dfPezas do estabeleciraenio por isso deixe se a-
tantes freguezes. fazer toda a Vigencia, aOm de servir bem os seus cons-
L?7S8'braSdechouricas^'o novas,
20UOO a libra.
I Jera preto rauilo especial a 20000 e 20400
a libra.
I Jera do Rio era latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10-200.
I lora da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
o 35 a lata.
-, I ixinha mglezamuito nova a 30300 a bar-
rica e a 240 rs. a libra.
Latas com bolaxinha de -oda e oval a 20.
unto inglez para fiambre chegado no
ultimo vapora 8)0 rs. a libra.
trieos e paios muito novos a 900 rs.
a libra.
'. xas com macarrio talharim muito novo a
SJOO e 320 a libra.
etria branca e amarella a 500 a libra.
ilate portaguez de especial qualidade a
8 )0 a libra.
dem suisso de 800 a 10000 a libra.
i3n Uespanhol verdadeiro a 18000 a libra
que j vendemos a 10400.
Doce ila casca de goiaba era caixes de 4 e
meia libras seguro a 10800,
i n em caixoes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a (ri.
Id i! secco em bocelas ricamente enfeitadas,
ontendo pera, pes-go, ameixa, rainha.
e outras frutas a 30000 cada urna.
idem em calda em latas feixadas hermtica-
mente muilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
6 40 e 700 a lata, tambera temos latas
grandes a 10200.
nelada dos molliores fabricantes, em la-
tas 'le 20000 a l#aO.
Id ra em latas de 1 1(2 libra a 10.
fdem em 'alas de 1 libra a 640 rs.
Emilias em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5 para cima a 640 rs.
3o verde ou Garrapato em latas j pre-
parlo a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
Mem em caixinbas ricamente enfeitadas de
I 5-200 a 25500.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs, o
frasco.
; 1 : M ilbo inglez a 640 rs. o frasco cora rolha
de vi lio.
rda em p a 700 rs. o frasco.
I em j preparada a320rs
is com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
I ;m em latas de 1 l\i libra a 900 rs.
Vi ibosem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Seca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascaradas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Ve I lio Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 15 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
dem Palraella a 10 a garrafa e 110000 a
'iuzia.
iera em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
i em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
ancoreta.
mi raneo especialqualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 40 a caada.
im mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a casada.
: ,i do Porto especial qtnlidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
11 m Bordeam em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
nnan
a libra, e em barril de 5 arrobas a
100500 a arroba.
Cerveja Bass do fabricante Shlers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Asbe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca II Victoria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrala.
Sabo primeira qualidade a 220 rs. a bra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
16') rs. em caixa.
Caf prime ira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranbao 30203 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500.
dem Delicias a 10500.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Nettoa 30500 e IjjUOOa meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mece-ipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orentaes do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanho & Fillio a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10 5O0 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposicao de
comer 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpista muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 40000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porcao 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparraacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas era anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranho muito alva e nova a
^ 240 a libra.
Sevadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muilo nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com eslrelinlia, rodinha e pevide a
400 a libra.
Albos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
Gravo muito novo a 500.
Cominho idem a 3-20.
raa^de 12 quabdades, a 1*000, 1*280 e
RZ 0aSSvfCe"enle pelSCPara *
Kssi;;jS?^^M7r5
CDitas com ameixas a 15200, 1*800 c ts^m
,DM,r;'S^ < -8"32
fe! COm ?iassade tomate, a 500 rs
fum b0,achinha de sda uno novas, a
r Chocolate.
* no'-0, com ameixa;! enfeitadas proprias
?GhoP,naMn"" a "a.*** e 3J200. P
rSfOF" mtu> novo-alibrade
JMaa 400Or,5lalharam e al3tria amarella>a libra
oSSA h,n?ci'a libra a 4o i
Ditas dita em libras a 610 rs
^agii, a libra a 360 rs.
,lpvaih'?ha para spa alibra. a 2't rs.
Emlhas seccas, a libra a 160 rs.
juilas descascadas, a libra a 200 rs.
f i apioca muito nova, a libra a 280 rs
i 500 rs. mrUta verdadeira. a l'braa
*XTl(a ,Mfrhanha0o'n em sacco' a a">a a
25*00 e a libra a 80 rs.
< bnVfoow.,ava*a arroba a Um e a "
Vinho verde superior.
A caada a 3*000 e a garrafa a 400 rs.
Goruraa.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se'
engoraraar, a arroba a 3J000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs.
Farioha.
Saccasgrandes com farinhade Goianna mui-
to nova, a 5*000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 8*,
8*500 e 9*000.
Cha.
Ch,temos nestes gneros o ra ilhor possivel,
hyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 3*000.
Dito uxim a 2*700.
Dito hyson muito fino a 2*800.
Dito redondo a 2*500.
Dito preto de primeira qualidade a 2*500.
Dito mais baixo a 2*000 e 1*600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Esperraaeete.
O masso com 6 vellas de esperraaeete a 600, j^
640 e 720 rs. 0
Passas. a
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a i* e 2*500. 3J5
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 4*0C0. gil
Alpista e paiaeo.
Alpista e painco, a arroba 4*000 e a libra a
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 2*500. SOK
7*000
e a libra a
e francezas, a
Toucinho"deLisboaa9#500aarrobaea3Or h Caslanhas.
-/w a. drruua e a j.u Castanhas novas vmdas neste vapor,
ba 4*000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris com azeitonas novas a 1*500
Manteiga.
Manteiga superior, a libra a 1*280.
Dita mais abaixo a 1*200.
Dita menos superior al*.
Dita franceza nova, a libra a 880
Dita dita em barris e meios ditos, a
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Qaeijos novos
3*000.
Ditos londrinos muito novos, a
1*000.
Papel.
J Papel al maco paulado, a resma a 4*800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 4*500.
Dito de peso lizo e paulado, a resma
2*500.
Dito de embrulho, bom a 1* e 1*200.
rs. a libra.
>DiLJe Sanlos> a arroba
260 rs.
.Molhos com 125 ceblas grandes, a 1J280.
7*000! franceza' cai" com 2 duziasa
Fra 400 Cm mostarda PrpParadaem vinagre,
Di:0rSnCora cnservas inglezas
. 640 e 800 rs.
(Ditos com saLrefioado fino, a 640 e a 500 rs.
i 0C00ma Verdadeira enebra delaranja, a
{Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
0*0 rs.
arro-
AZEVEDO & FLORES
Ra da Gadeia do Hecife, espina dn Mailre de Dei.
VIOES
Os ricos baloes de arcos de 30, 40 e 50
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 20 e 20500.
Baloes de panno para meninas a 30 e 30500,
Chapeos de sol.
Os afamados e bem conbecidos cbapos de sol com 12 asteas a 80
Ditos maiores com 16 asteas a 120.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes con ricas estampas para sof
chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras unas a 32.0 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 20500.
Camisas com peito de cor, e todas brancas a 10800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguio.
Casemiras.
As modernas casemiras de quadros, chegaram.
Roupa elta.
Ha completo sortimento de casemiras, de brim branco e de cores.
Colleirinhos.
Chegou nova remessa de colleirinlios de papel de cores e brancos
Tambem ha completo sortimento dos de esguio.
Cateas.
Calcas de superior brim pardo a 20500.
Caubrala branca.
Superiores cambraias brancas a 50 e 70 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Laas.
Las de bonitas cores a 480 rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annuncian Jo ao publico novas
razendas e novos precos e nao como muitas pessoas sup|e sempre ser as mesmas b-
ZCDaSa
dita propria para negocio, a
Botijas com
\ 400 rs.
jGarrafoes com 2 galoes com dita, a 6*.
berveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, e a
> duzia a 65OOO.
Vinho muscatel de Setubal, a garrafa a 1*.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
< a 1*200.
2a*000gne'a dUZ'a i0m' ea6arrafaa
JAzeliVniLnad0 PrluSuez e francez, a garrafa
Calla d2 vJnll Bordux muito superior, a
75, o*, 9* e 10* a caixa.
Ditas com dito branco, a 7* a caixa.
, Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro,
a 20*. '
itft/w?1 duque d0 Porto verdadeiro,-a
18*000.
Ditas com chamisso superior, a 14*.
>Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12*.
?Vinh d0 Port0 da Pipa, a garrafa a 640, 720
I 6 o\f\} rs.
. Dito de Lisboa muito bom, a caada a 3*200,
I 3*500 e 4*, e a garrafa a 500 e 560 rs.
SDito da Figueira, dasseguintes marcas (N.)
ft-^A,) (J- L> G-> 0- M) a caQada a
5 4*o00, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
i queja est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
daa 3'5500 c *00, e a garrafa a 480e
Vinho1 branco fino, agarrafa a 640rs.
[Dito de caj muito superior, a garrafa a
" 800 rs.
ibra
vindos este vapor a 2*800 8!
libra
AVI*AM
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O JtlAlS RIC3> SOIiTIMElVrO
GIPURE
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
delra a 1*500 e 2*000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Ainendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1*400
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duziasde boioes de graxa n. 97 a 2*000, e
de latas a 1*000, e os boioes a 240 rs. ca- ff)
da um, e as latas a 100 rs. wf
Charutos linos. %
Charutos finos dos melhores fabricantes da-^j
Bahia por diversos precos, caixas e meias^W
manufacturado em
Grandes chale granadme
Bournus
Rotundos
Treanon
Pampadour
. Wateau
pretos, brancos e de cores; magnficos desenhos, de gosto modernissimo.
NT01NETA
_ caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabeleciinentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Ervadoce idem a 400.
lia a meliior do mercado vinda de
nossa encoramenda a 300 ogigo.
. q miis baixa de 180 a 200 e 10500 e
30 a garrafa. i Alfazema flor a 240.
loores portogoezes e francezes a 10000 e Amendoas a 400 a libra.
! J500 a garrafa. Nozes muito novos a 160 a libra.
rrasquino de Zara, verdadeiro a 10500 a Papel greve a 40200 a resma.
s irrala. j dem lizo a 40000.
mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 30000.
ira de laranja ver ladeira a 110 a du- Idem de embrulho marca grande a 10200 e
zia e 10 o frasco. 10300.
s Hollanda verdadeira a 60 a fras-; Idem azu] pnM botica a 20000.
ueira e u')0 o frasco. '..., .,... MrYA ,
Cupos lapidados a 50^00 e 500 cada um.
Palitos de dentes, macos grandes a 120 'e
16J cada um.
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e rosto a mc-
reantique ou grosdenaples. Barras e laco bordados a froco e vidrilhos, sem depende-
1 em de modista para os fazer, visto trazerem o corte debuxado r-
a BOBa-jiiir
i a de flimbnr;o a 50500 a frasqueira.
. '.ra em boligas de Hollanda a 400 e 440
rs. o fr.isco.
ifues com genebra de Hollanda com 24 l'amo americano do chapa, de superior
.j
garrafas a S->, com garrafo.
fdem com 1 '1 a 15 garrafas a 60.
ibra, em porco ter
N. 11 Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimenlo ura grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muilo tinos para 22*, 25* e 30*.
Colias de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
, Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados com o melhor gosto.
Setim de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues-.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
Iaa preta para lulos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 4* a II*.
lii-ins de lioho de cores finos a 1*800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para .enhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para homem, chapeos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veadem por commodos precos assim "
tambem
Esteiras da India para forrar Salas
Glac-royal, em pecas com listras de seda primoramente bordadas ou matisada*
fazenda inteiramente nova de bonito elfeito, para partidas, soirs, theatros, passeios el/
DOITBLES CAPAS
e SOBRETUDOS de panno mesclado (mpermiavel) vindo no ultimo vapor
De. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
. i h t GRAVAT4S, MNTS
decores, muilo bonitos padroesa 500 ris.
BONETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFEiTES
Costomes de foste enfeitados para enancas
E innmeros ohjectos de modas recebidos directamente po"r todos os paquetes t
escolhidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
FAZEXD.IS PARA IIOHIMI.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, brins sobre-
casacas, palitos, calcas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio Paes do Ainaral & Companhia.
como
Farinha.
Vndese farinha de mandioca mnho nova, sac-
graodei a 4* : no armazem de farinha da pon
. >va dos Srs. Tasso Irmaos, pa.ra porgoes, na
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Potassa da Eussia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
<-
Chegados pelo vapor francez Navarre, om 12 do corrente, de excellente qualidade e em calxi-
nhas de um queijo, vende-se no grande armazem da Exposlcao de Londres, na ra da Cadeia do Re-
nte n. 60.
i
Bom negocio:
Vende-se por mdico prego o sobrado de tres an-
dares na roa do Amorim, bastante espassado e de
ra a ra : na ra do Vigario n. 19, escriptorio.
Farelo
a 4* a sacca, das maiores que ha .
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Cal de Lisboa
a granel a 1*500 por urna barrica: na ra do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Para matar formigas
Vendem-se velas para matar formigas ; na ar-
mazem da bola amarella no oilao da secretaria da
policia.
Grande sortimento de roupas feitas de to-
das asqualidades,
i Caigas de casemira a 6* e 7*500, ditas prrtM a
6* e 8*, raleas de ganga a 2* 1*800 e l*Mf,
ditas brancas a 2*, hrimde linho a 3*, 3*3W
i*, paletnts do alpaca branca a 4*500, ditos pratw
j a 3* e 3*500, ditos de alpaca de cordo a 4* e
; de listra de seda a 4*500, ditos sobrepasaros a U.
\ paletots de casemira a 5*. 5*500, 6*. 8* e tX
., .. u... d'tos sobrecasacos pretos a 12*, 15 e IM.ditw ft-
na ra larga, nos a 25*, de cores a 1.1*. ditos fraqoSi a I
j paletots de ganga a 3*. 2*500 e t*. ditos de brm
pardo a 3*, jaquelSes de brim pardo a 3*, pama
preto fino a 2*. 2*600, 3*500 5. 4*000 5 e 6*
covado, moreantique preto a 2*600 o coTao,
denaple preto a 1*500, 1*800, 2*, 2*200 e
o covado ; e outras muitas mais fazendas qse i
deixa de annunciar, e manda-se levar peta estot-
ros da loja da arara casa dos preteadeata. O
e tabelecimento est aberto al as 9 horas da
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimanta.



Diarlo de Pernambnco Sexta elra 1 de Agosto de Ate*
NOVO GERENTE
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
glmento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A RIJA NOVA N. 60
sisal & uiqriu di a a>umiMnrai
AO
RESPEITAVEIi PITIBMCOa
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande UM>
zem da Liga estabelecido rus Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo era sua mxima parte mandados vir directamente do estrangeiro^podem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .iffiaocar, com toda a seguranza de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas :
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3/ Sinceridade nos presos.
ATTENQ&O
tabella para todos, pu-
dendo asslm servir de foa-
e para o ajuste de coca*
com os portadores.
Bichas de Hambunro
lodos os paquetes da Europa *e n cebe Mt
"* deslas aroieas do sangue human-i e -v 'M
vendeiu a iroco du pouco lucro l afim g
de ler sempre cou
1 beiro ra esireita do Roana n. 3, ao pe .
da igreja. X
******: mm. mi&m
Algodao Para saceos e renpa de rsrraim
da fabrica de Pernio Velho, e de mmt" 'f
qualidade: vende-se no escririono ov Wmm
nado de Oliveira numero 19.
:'
ESGMV6S IK
As pessoas que por sua posicao social gozam de certo tratamento, acharo nesta i rs. a libra.
------ vinhos finissimos manteiga e cha sempre de: cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oors.
casa os melhores queijos londrinos, cerveja
primeira qualidade. etc., etc.
Qualquer que seja a condiejio do freguez, elle deve contar que sera sempre mui-
to bem servido. ,
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa ae
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cafe, a man-
taiga oassucar, ele, etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-|
dera ou nao querem vender. dem preto o que se pode desejar neste ge-
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne-1 nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra,
gociar devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-, Linguicas muito novas a 8oo rs.a libra eem
rem d quanto se'pde vender barato. | barril se faz abatimento.
Para os senhons que compram para tornar a vender existe um sortimento ospe-.Chouncas e paios a 8oo rs. a libra,
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores costelletas inglezas a 64o rs. a
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos. __LJ.TmLJM
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A VISTA:
A Graixa era latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA. a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a K
No da 27 deste crreme me* fug
Dous Hiacbos, lenno Oo Brejo da Madre l l>-
prelo criuulu, escravo do abaixo mi jmI
lem a Idade, potMO maisou tm N -* aa
, lem-os siguaes seguintes : boa >--t: un rnrpot-?a-
lo, bem emprrnaao, de cor que "
i e nem muito fula, nariz chato, t rtpai gi
rados, lem poucos cabellos na haiba, yes torp
calcanhares bf m puchad.'- oo treocM : ira
nhoras, oaceio que presidio aos arranjos deste novo e^tegmeiito,,6 mais jetado_ajtfomptidSo e Int-I^JJ^^^'J^Sta^i:
bailar a c-
sHfca Or
superiores, la pouco lirou d-ule- por i. -
doies, ma supponho nao ser nos rta -i.' o por
isso nao dou certeza ; e julpo que ielo >\
Sal refinado em frascos de vidro com tampa. de outros, ter intengo ae engj u la....-.
do mesmo a 5oo rs ldos l'relos para a n,areha a '*r"SBi|: "f"
!>,.. __ ,. i autoridade? a captura do dito e*crav>, a
gerveja branca das marcas mais acreditadas a qUaiqu,r pessoa do povo, pah
que vera ao mercado, a 5oo, 5Go e 04o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Gevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
I Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da concelco)
PAPA BEM DE TODOS.
Senhore nhoras, o aceio que presidio
ezacom que ser3o trattl^ionvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na com- e|ie quando eontao aiiava commm un
rr dos perleros que prec saraa e quando n5o possam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pralicos, beca, taivez que anda assimfar.
roisser5ot3o bem servidos como se viessera pessoalraente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que
tra parle.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
naovao em
Manteiga ingleza especialmente escolhida a
1 ,ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
I Cha hysson de superior qualidade a 2,600
os la-
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a......
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 240 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos
manhos.
dem dem em potes de todos os tamanhos.
dem idem em bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Albos a 200 rs. o molfcto.
Absyntho a 2000 a garrafa.
B
BOLACIIINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a l 5800 a lata, e
de cinco para cima a 1-3700.
dem de soda em latas grandes a 2000 e
de cinco para cima a 1-5800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
10200, 1-3250 el 5300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
c
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 1-5 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a'240 e 260 rs. a libra, e em porg5o!
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75OO0 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Cuarope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Havana, Exposicjo,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252'0,25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35300, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, Uque a 1
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc
garrafa.
KIRSCH de Wasser a 25
| LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.

MANTEIGA ingleza e franceza de primeira
qualidade a 15, a libra.
Marmelada dos maisacreditados fabricantes.
Macarro e talharim aN320 rs. a libra.
Massa de tomate a 600 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momo inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas finas para sopa branca e amarella a
60 i rs. a libra, em caixas com 9 libras a
35500.
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
N
NZES a 120 rs. a libra.
Nados em latas a 800 rs.
O
Osiras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmao, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras era latas, excellente prepararlo.
Palitos para dentes a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
para temperar panella ou para fiambre
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra,
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas]
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata
e talharim a 4oo rs. a
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de & caadas a
35,ooo rs.
Vinho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a
32o, 4oo e 5oo rs. agarrafa, e em caada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oc e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo,15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartes com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
m
generosamente.
w
Joao Correia de i>i BraoM.
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Havana, Imperiaes,
fcWlSfft
W
Auseutou-se de rasa de sna srahoi
guas-Vcrdes n. 2i, a pula Mari!
parece crioula por ser Lem lallam.. i
ra Je .'
Londrinos, Guanab&ras, Parisienses, Sus-, dade de 35 a b anos, estaiora refutar. aca
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo. Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QARTINHAS OU MORLNQUES a
II
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Rio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.

SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25?.
Sardlnhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 400 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
a duzia.
[ Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,oooel,2oors. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris a gar-
rafa.
Gencbra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e 64o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l,oooell,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas
Caf do Rio de 1* qualidade a 28o rs. a li- 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. ali-
fara e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java
roba.
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 li-
bras por2,5oors.
Ameixas francez;:s em fiasco de vidro com
tampa do mesmo, a 155oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na ca-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 6oo rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,ooo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
grvida de O para 7 roezes, tem a coi n.-. ma.'.o
preta e lem vicio de tetar, NMM ..-r .^.u-
e lavar r<--upa nos chafamos da ri! ir-. : at
Carmo e roa Imperial, tem (alia de tas-
to, e levou vestido de chita ifna c :n -.* :-iu! 8
panno da Co>ta ; o signal mais nlMNa pom
conhecida O 1er o dedo poleear 4a tma -.- ma*.
foveiro: quem pegar leve a' rasa m
do Queimado, loja n. G, que sera'
sado.______________________________________
i*io da 24 de marco de |8fi."i !
c,ao de Santo Amaro de Seriubi m un
nome Lourengo. perleucenie ao abano
a qual lem as sigoaes seguinns : torn
cabera bem cubera 'le cal* 11 s- okrai
olbos pretal nariz chalo, bocea p- dos os dentes, os quai- -o limr-ri ^ i -1. I -
bragos grossos e cabelludos, lem <. o- -m :.*_.
as juntas das mat.s, bem visivei-. La Anl aun-
que na esquerda, pernas grossas e rabfn-fa*. i
natural de frica, irabalha t carapina, ptAc f*r
25 annos de Idaoe : qu> m o prender e irvar ,
estacao de Ribeirao o* via-errea em urna ea*
junio a mesma eslaco, onde mora al no w-
signado, recebera' toda as despeza-, -' > -n ti
recompensado. Ha noticia que fot aaaattay m
como volunlaiio. Francisco Xavier Ma-
Wanderlev de Gusmo.
Achamse fogitl- s os -scravo> --;i..:: i B
mualo, idade de 2o auno cab I
barba, denles um i o:. limad--. Ma
testa larga, e falla um p-iuto d>'-<
crioulo.ja um pouco felfeo, altura
cabellado, Lirba com a'gun; e*i
sim como na cabeca, curpo refoi-.. H >. ul1
vi; i !.;
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra*.
a 75o rs. o frasco e
xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8oo e 2,ooo I Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorla.
i Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez, Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs..
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5co rs. a
garrafa.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 800 rs. o frasco,
a 80 rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-i 15 a garrafae 11,00o a duzia.
lho. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
dito a
VINHOS
!l
B
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fdmo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre era deposito de 500 a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
I e 15500.
Chamisso a 15, 15200 e 15500 a garrafa.
. Luiz a 15 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
Carcavelos a 15-
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posiejio alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julen a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
Para destruir rutse baratas. Calungas Anos e brlnqnedos
Preparaco ingleza receotemente chegada : ven- > para meninos
sa travessa da Madre de '
armazem, a 640 cada om, e duzia a
de-Beem potes de barro, na travessa da" Madre de! Lhegaram para a loja de miudezas da rna do
. n----:------1- Dos n. 9,
4300.
Taixa de ferro
Quem pretender comprar a taixa de ferro coado
com 6 palmos de bocea qu? se seba na estaco de
Frexeiras, pode entender-se com o Sr. Sena Santos
10 sen engenbo Frexeiras, ou na ra do Impera-
rn.41
Queimado n. 69, os mais Anos e lindos calungas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na raesma loja e encontrar bom sor-
timento de miudezas.___________^___^_
I.uvas de pellica.
Receben pelo ullimo vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras: s
Grande expsito de fa-
zendas.
Que eslao a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz n. 06, Lourengo Pereira Men-
des Guimaraes..
LAZINHAS A 240 Rs. I
LZINHAS X 240 Rs. I !
LAZINHAS A 240 Rs. I !
Ha um grande sortimento de izinhas chinezas,
chegadas pelo ullimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto prego de 240 rs.
o covado.
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A 4^300 I I I
MADAPOLO COM M JARDAS A 4,J500 I I
vende-se madapolo com 24 jardas e garantin-
do-se que tem 20 varas, pelo barato prego de
45300, 5,5000, 6SO00 e 6500.
BRETAxNHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se bretanlia de rolo a 25800 a pega, s
Me tules Guimaraes.
MADAPOLO ENTESTADO A 35000, 35500
E 45000.
MADAPOLAO ENTESTADO A 35000, 35500
E 45000.
Vende-se madapolao entestado pelo o barato
prego de 35. 35500 e 45 a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vndese as mais modernas colchas de fusilo,
tendo de lodas as cores a 55500, ditas grandes a
G5000, ditas de damasco a 45000, ditas de chita a
25240 e 15900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 56, Mendes Gumiaraes.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2t0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 20 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas de salpicos a 45500
a pega, lambem ba um grande sortimento de cam-
braia brancas que se vendem a 35, 35500, 45,
55, 65 e 75 a pega.
CHALES DE MERINO A 2*000.
Lengos de cambraia com barra de cores a 15800
a duzia, ditos de dita branco a 25 e a 25400 a du-
zia, s Mendes Guimaraes.
CALfAS DE BRIM DE JJNHO.
Vende se caigas de bnm de linho a 35400,
25600 e 45000, ditas de algodao a 25, s Mendes
Guimaraes.
Soutambarques de cores, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 45500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 55000.
Entremeios transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para bab;,do a 15000 cada urna tira.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se um sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
outras muitas mais fazendas que se diixam de
annunciar, ra da Imperatriz n. 56, Mendes Gui-
maraes.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 45,45500 e 55 ; no grande armazem da Liga.
w

PECHINGILi S
das
Madapolao muito fino com pequeo toque de avaria, por prego que admira :
columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Corroa de Vasconcellos & C.
CDcrwaj-001 tt^ as o o o
s*! wsi-
lBS5lfg-sf SIS
O a>
O. en
a a'
0.9.2
2 "* s.
9 o.
cu
OQ 03 f O.
2B*-
owp,cD2Ss>Q.Q,sa,--a 2!
=? s Lrc?*, III i i larlH s
g.^g"3o.-3o w
o?
O n>
mi
s
o a
f $
II
as C q
e.
CB o
<6 ~ "
1 n, a
1 S as
2.
en -1
as .
s-Sva
as
a
-1
"O
as
S"B
CB
ai S.S
o sro.
en p
as
"S"
"i
O.
3
I
cb"
oo
3
en
-1 S
as
as
cr;
m
LOJA DO BEIJA FLOR
Na roa do Queimado n. 63.
Tendo recebido um soriimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mamai,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparelhos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faqunhas a 280 rs. o par ; e n5o queren-
do continuar, vende mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de diflerentes
larguras a 15, e babados, collarinhos. e pu-
nhos para senbora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se la para bordar de diversas
Vendem-se palmeras imperiaes, em estado
de serem trasplantadas: no sitio murado es-
qemTeVIbeulo'iVbeila-florVua'riia do Queimado I querda, depois .do becca do Espinheiro, nos Af-
numero 63. 1 nietos.
i
I' ... .
-
i
lano pequeos, falla grussa c a
rouco : pede-se as autoridades p- :
pitaes de campo que o= fagam ap,u
duzi-losa' ca- de sen senhor o M)
Silva Gusmo, que gMeraMMtfi i
e Ibes pagara toda despeza que liz
conduegao: suppoc-f..' que ,Bw i
gnimenlo dos settoes desta provn.r
lilhos desses lugares.________
Fugio na noite de It pan SO it teri
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto f. tt OUm i..
ponte de l'choa, o seu escravo de mm I. fH
si que branco, tendo no rosto marc.i^ t Ingas
bem visiveis, cabello annelado, lix<\ reforra*,
bem fallante e de cerca de 2tt aune- .1
vou camisa de baela eucarnada e cb;.i -u J; ;;-.:*
novo, snppoe-se que vagueia ne>ta n .
fe ou pelas ras circumvisinbani.a- : -lem o ap-
prehender e ievar ao sobredito sitio, tu m escri-
torio da praga do Curpo SantH n. 17. iruinro a-
dar, ser generosamente rerompen. ido.
"FugleTno da Ifi de julho do corrala ain?,
a mulata Suzana, aqnal tem os ttpmm 1 puinles .
altura regular,corpo cheio, cor clara ;.cab- riada.
cabellos corridos e bem aparados, rara el
ta estreiia, olhos pequeos, uaii* chato
grande, beigos Opos, falta de denir>,
< dedos cortos, idade pouco mai* ou 1
nos, palural do serlin, levou vi escura com palmas brancas e panno da caito.
la st-mi>re rindo-se : pede-se as MtfMtoada vx-
ciaes, capiles de campo 1 u qua!:' r
souber leva-la ao seu senhrr na PtafJ da fndepea-
dencia loja de chapis n. li e 16.
rosamente gratificado, ao mesmo pa^so qoe prc'e-
la ser contra qualquer que o tmha acoalWi, peto
ha noticias que est dentro mesmo i'a ni.
tada e se assim e:-ta paMM que 1 >: >r.i
do contrario ser puuida com i> 1 1 Mpr da tai.
Ausentou-sc no da 2 dn c.ir y ...
da casa da ra do Imperador n. 16. o reto lutinca-
do, crionlo, cheio do corpo, altura r pn:ar, roe
comprido, olhos pequeos e poura bul a, u-a vato*
sa e bigode, bastante ladino, tu re- lU i-
annos, pouco mais ou menos, e julga-se ler le'.:
caiga preta e camisa branca este c*craTO loi com-
prado ao Sr. coronel Galro, do Limoeiro. para oa-
de se julga tenha fgido, mas ba quem wn'c*
visto na Passagem da Magdalena, Remedios e Vax-
zea; e como se desconfia que esleja acontado,
protesta-se proceder contra quem o tiver acototoa.
e pede-se a quem delle der noticia ou o agarrar,
que dirjase a sobredila ca-a. ou a ra do Crespo
n. 13, que ser recompensado.
Gratificarlo de 1005000.
Fugio dos ahaixo assignados no lia 8 Je
Janeiro do corrente anno, o seu e-cravr. d
nome Jos com ossignaes seguintes: ca-
bra escuro, cabello carapinho, estatura bai-
xa, cheio do corpo, ps largos e faz um g^i-
to as pernas quando anda, moito pouco
barbado, e tem urna cicatriz bem fWirf em
um lado do queixo, e outra bem grande
nasnadegas, proveniente de surra, cojo es-
cravo compramos junto c m outro ao Sr.
capitao Silvino Guilherme de Barros, e frti
Sr. os havia comprado ao Sr. Joo Catiral,
morador em Nazareth. Consta-ros qur flH
escravo filho do Brejo da Madre de De?
aoode casado e tem nlbos, tend -lhe Hr-
rido ltimamente a mulher: porlanto n-
mos a lodas as autoridades politiaes a sua
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car com a quantia de lOO se o troiverea
seus senhores nesta prara, ma da impera-
triz, refraaro n. 46.
Luiz (la Silva Ferreira & C:
Na noile^de 6 para 7 do corrate mtt
agosto fugiram do engenbo Jurissaca, (refanU 4
qualidades e de cores claras a 75 a librares-1 '""gfiZ amareLio,
pelhos de columnas de Jacaranda a 25500, cabellos anneados e curios, sem barba, aimra
ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhas corpo regular, foi comprado a doo metes ao Sr.
para estojos de navalbas, \ do Carvalho Raposo, morador em If^araij;
<..___^ j ii _i..i., Jos, crioulo, bem preto, idade 5 anaos, Ma
Colhere de metal principe. d ,;a um ^oco' ta ^^ fJ4|OWii>,
Vende-se comeres de metal principe para qual a,as flna 0 qoe a outra, e nao tem tarta;
tirar soupa a 25, ditas para cha a 25300, levaram bastantes roupas, como tambera
ditas para SOlipa a 45200 a duzia: nesta res de algodao, eurna espingarda velaa
TaSso IrnaSos
vendem gesso em p para estuque de casas, lijlos
finos de feitlo diversos para ladnlho, azuleijos de
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
loja se encontrar sempre um grande e va-
riado sortimento de miudezas: ra do Quei-
mado n. 63, loja do beija-flor.
Vmbo do Porlo superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luii de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. i.
pols, as autoridades policiaes oue tcnhaia f wtoa
principalmente o Antonio, que alem de rtara, naa
o corpo sem signal algnm de castigo, podeaa al-
to bem offerecer-se voluntariamente oo ser recta-
lado. Qaem os pegar ou delles derera Dotieto car-
tas, ou leva-Ios ao referido engenho, aeto arafa
ao Sr. Antonio C. M. Temporal, na rna da Crt a.
30,1 andar, recebero boa graficacao.


L_
Diario de Fernambnco Sexta felra 18 de Agosto de 1*85.
JURISPRUDENCIA
Um povo, escravisado e embrutecido pelo fana"
tlsmo, presta aos planos do seu verdugo um con-
! curso activo e efilcaz.
ias.
O I "o ruin.
Lina das folhas desta cidade annuncia a futura
publicaco da Tliemis Pernambacana, jornal,
(ou antes peridico, visto que sair apenas urna
voz por semana) dedicado jurisprudencia e dis-
russao das queslos jurdicas e forenses que se agi-
nas tritiunars e jutzos da provincia. Sea fon
i r, matmtmeSo dos principios do direito c da regu-
I :i laie dns formas, que uestes lempos parecem ir
se U> postas margem no nos/o foro, com a intro-
dcelo de um arbitrio igualmente funesto e con-
demnavel. A Themis nao tratar sanente do direi-
to t m sitas diversas ramificares, mas lambem ana-
tysar os accordos e sentenras, e noticiar o que
fr concernente aos processos mais ou menos cele-
que correrem no foro.
Cumo se v, o prognirama vasto e muilo capaz
despertar as sympatliias dos que nao enxergam
as vemaudas o nico Qm da ganancia, nemo re-
luci de quaula parsita aada por ahi a vegetar,
j.-fcaudo-sj as proli.-ses do loro ou por nao ter
iiK'io de vida mais lucrativo, ou por contar com
,: ; !:;s condiroes vantajosas que eni nossa trra va-
i i muito tuais que o mererimento verdadeiro.
li' vasto o progranima da Tncmis, repetimos. O
que resta que seja desempenhado de modo a sa-
;M.zer urna das mais palpitantes necessidades pu-
blicas.
A difculdade da eroprez:, nao deve ser motivo
(te esmorecimento. Sempre nos lembraremos da
:,-. '' ar de piedoso desanimo com que alguus ho-1
meas ifejuisoacolheram nossa idea sobre a publi- j neCessano que o pai7 oVca"
. cSo do Forum. E' verdad; que nos ouviam com 0 nuinero dos noss0 MMu
B rasileiros, avante I eia I avante I
Que a victoria ji alm nos transluz ;
Sobre os peitos, columnas de bronze,
Sustntenles o imperio da Cruz I
Todo o hornera, em estado de pogar era armas,
acha-se aquartelado ou em carapanha.
D'ahi a grande disproporgo entre o exercito
que o despota apresenta e a populacho do seu es-
tado.
Para nos, porui, passou j a poca das refle-
xiies.
O designio do funesto dictador do Paraguay est Eiaf vamos correado lutar
Patente. i E depois cora a victoria entre as mos,
J nos inflingi urna affronta e fez derramar o laudaremos a patria cantar I
sangue de nossos irmaos, sugeitirido-os antes e de-
pois do sacrificio a torturas o a ignominias borro-
Eia, avante I lavemos com sangue
Esses campos, que ousados pisaram ;
Apaguemos com a ponta da espada
Negras nodoas, que nelles deixaram I
Os aprestos de guerra nao vedes ?
florestas as margens, as embocaduras dos rios
afluentes e os differentes furos ou canaes do Ama-
zonas.
Finalmente, estao coordenados os dados estatis-
ticos sobre a fundacao, populago e commercio dos
portos principaes do Amazonas, que devem acora-
panhar a carta hydrographica.
Nestas condigoes, a carta mencionada offerece
as informago8s necessarias navegado, a com-
mercio, esialistica e geographia.
E' digna de elogio a solicitude do governo man
dando publicar sem demora a carta mencionada;
e igualmente de esperar que sejam publicados
todos os estudos, observares e o relatorio da com
i missao, que offerecem um grande ulerease s
Noticiamos, ha lempos, que era Franja sois mil sciencias pby.icas e a admioistrago.
Cumpre-nos oppr torga Torga e fazer sentir s mancebos bariam jurado solemnemente nao con- \ Demais, trabalhos lo completos fazem honra aos
hordas paraguayas a dupla supenoridade da nossa 'ralur os sa8rados laS0S dvilisago e do nosso patriotismo. bello sexo nito retormasse radicalmente os seas vulgados por este motivo mais.
A' rude coragem que lites inspira, o mais torpe co^uraes- Finalmente, a orgaoisago de taes estudos so-
fanatismo, podemos e devenios oppor o denodo re. *?Ue aPPareceu> Qando menos se espera va. bre o Amazonas ir coincidir com a abertura
flectido e o calmo heroisrro, que aos nossos sida- n^m J d A,X' a se8uinle carta assignada por do grande rio ao commercio universal, medida
dos infunde a consciencia da justlga e da nobreza j.rai1 donzella3 em resP0Sla a dos celibatarios que o governo imperial comprometteu se adoptar
da nossa causa.
Para isso, porm, d necessario que o patriotis-
mo a energa e a virtude nacional se demonstrera
por modo mais effleaz e mais de accordo com a
raagnitude dos acontecimenlos que se preparam.
A par d-i anciedade que geralmente se ravela
por urna victoria fcil, prompla e completa ; cura-
pre que a nago se revista a si propria do< elemen-
tos indispensaveis para que essa victoria se al-
cance.
Ora isto justamente o que est por fazer.
Esta verdade desagradar talvez a muitos mas
em campanha
brevemente.
Difflcilmente se pode fazer idea do furor cora que
bnscam era New-York
riaes do attentado de Boolh.
O banco em
de Marselba
Sr. redactor.No vosso ultimo numero, reprodu-
zindo um artigo da Publicil, de Marselba, que lem
por titulo : O juramento dos celibatarios, noticia-,
veis o facto inaudito de se terem reunido seis mil USCam era NeW-Yrk aS rccordaCes mate
mancebos, jurando, com um apeno de mao de so
casarem no caso em que se operasse urna mudan-! em quo eslava seDtado Peaunt John
ga radical nos costuraos das doozellas. I COm Cavall de Bootb' foi cortado aos pedaCO!>
Ns iamhm H,mn- ,.m ___ ; m m iemA: uramenl0' qual' que-, cordagao do drama de 14 de abril.
rendo consultar as datas chronolog cas anterior rm malP _a ...
ao de Marselha i bm metro do tapete da scena onde Booth que-
PnrAm JrZ^lT t^e Pnmeiramente a hon- do presidele para palco, foi laiubem levado> fl.
ra da publicidade por isso que a elles cabe toda CMdo 0 so,ho desCoberto.
a nonra desta invengo.
ZnZT ? SegD,ramse depo,s alnm?8 Pug fiis desses homens, que derrama, porto-
*? P a PSrle' 6 ^ ,ef1,emUr,haS d3 da a Par,e dr o ** PorW*.
Sr. Delaet oPpozerara-se a que o dueilo continuas- sabem ad J^J fJJJ
se, nao obstante exigl-lo osea adversario. Estes ra So ^ pw e mmmu
dous senhores depois dirlgiram alguraas explica- Hv.__.___ -
c5es entre si, e separaram-se, eonfessando araa ^ .promPS "*""* Jri*>,|
mutua estima. nao.serdes v,c"m d vossos caprichos.
O Sr. Procurador geral : De qual dos dous V"ai ""^ P,ra nos5 DeDS- e
parti a provocagao ? para que nos an,me no rt de ** "w". mml*-
O Sr. Nothomb : Devo fazer aqui urna dis-, ?a Sempre verdadeiros '"de soa igreja.
tiuego. Ha, a mea ver, urna provocagao de duas
especies ; uma parlamentar e outra fra da ca-',
mar. i
O Sr. Procurador geral : E' dessa que filio.
O Sr. Nlhorab :A primeira veio do Sr. Cha-
zal, cuja resposta nao eslava em harmona com as
palavras do Sr. Delaet. A segunda, a que eu cha-
mo extra-parlamentar, veio do Sr. Delaet. Fui eu
mesmo que, em vista da recusa das explicagoes
da parte do Sr. ministro da guerra, o desaliei em
uome do Sr. Delaet e Ibe pedi uma reparago.
O Sr. Soudaiu de Niederwerth foi chamado e
depoz nestes termos :
as omn eligwsas.
II
O >ie:ic!0 e relira sao precisos no boom* ;
elle acha arroios de lagrimas com qoe se
aflm de tanto mais unirse a seo C'eador, i
mais longe vive do secuto ; as pompas e i
res deste nao sao mais do qoe simulacros de gran-
deza e regosijo; sao completamente falsos lodos os
gozos e passa-ldinpos muanos.
Como bem diz um sabio.
----K.. ,. Uin curioso entrou no botequim em que Booth
boae ola ltenlo, mas... al ana^m a cabera; dim|nQ|0 em relaao as hosles q q Nog limbem> doQzel|as d.A juramos ihesonras | H
.msignal de descrenga... Nestepaiz.d.ziam elles, senta em uraa extensa llnha debatalha. | em punho, nao mais pensar do conjungo se nao Lincoln
.6 aproveita aquillo quetraz o cuuho do interesse : onandn a son mmA m -il immert alo Tomando resolutamente a offensiva o tvranno do q eu lur0>05 raPazes so"eiro se entre-
petSoal .ra.ned.ato. ftm|Mj, ^^ ^ que ^ ^^ | garein raais ao lrabalbo e menos devasside. Os
E linhara razo em parte, mas razio que nao d05 pa|.a a gllerra) a[acju simultneamente aiod D0SSS sea"meatos erara unnimes, os nossos vo-
jaslifica ceru indifferenca mysterfosa e egostico .anieaca atacar dous pontos do nosso territorio dis t0S foram idemicos: este juramento de tanta va-
lia como o outro.
A nossa infenoridade era apenas numrica. Em
vez de seis mil, somos tao somente cinco mil.
que prefere sempre as trevas, principalmente em ,:inciado por cenlliaa, de a Coufede' a
te tratando de qualquer contnbmaio para a luz. Argonlilia) e 0 Eslado 0renu, do Ur
Qoasi que nao ha mrito em propalar uma idea .
que todos abracara e coadjuvam sem a mnima so- .ff* Brasi1 no caso de upportar essa infe- i Mas que importa
:.. gao ou insistencia. NiM sub sote novum : e ^^l^*?* ^ ^^^ republi' 0s s^^s nao se contara
desde que nao novidade um pensamento, a glo- -a, encravada no 5eio da nosso continente ?
ra dus que o apregam s pode consistir na tenaei-; wao cert0"
uade com que se esforgam por faze-lo riumphar a [ Fora mjusliga duvidar do patriotismo dos brasi-
despito da inercia, edesse mesquiuho seutimento |leiros-
de inveja ou de pus'llaminidade ou de srdido cal-1 imperio ha de mostrar-se digno de si.
calo, que foge a discussao franca, leal, proficua, I Besta, porm, que a actividade da nago auxilie
porque ela pode ter a indiscrigo de perturbar al-; e corresponda actividade do governo.
goto plano de algarismos, expor cortos segredos Apelle este francamente para o decoro e para o i
oiaridadedo da, desvendar os tundidos, e concor- bro nacional. Leiara todos a seguate legenda indiana, e apro-
rer para que se rasguem na praga publica urnas A poca de sacrificios e neahum cidadao tem o veitem a ligo que nella se encerra :
bailas falsas que jamis obtere o reconhecimento dreito de eximir-se ao servigo da patria era con- Tendo do desta para melhor vida um pobre in-
authentico. ; a""dS seraelhautes. dio, fleando assim livre de uma esposa cheia de
Quando encelamos a tarefa do Ar**, nao so J'Zl ITT reCUrS3 C0UsliIuciDaes, ****"> oi bater a PrIa do Deus Brahma.
tratara eolao oem do IosH.nlo dos Adrogados, nem n Z "2p ''^ eSllVeS'eS Pargalr? PergUntD
da publicasao de urna gaz ,a de IrbuSes : e tal- JL^S*" & "^ da D0Ssa siluaao e, ,mDe"-.
voz que entao nem passa.se pela cabegade alguem ^ $e! duUda responder dignamente con- | Nao, mas fu, casado.
; conta-se s a cora-
gem e o valor.
Temos a honra, etc.
Quem tem razao ?
O leitor que decida.
Somos parte suspeita, por isso calamos a nossa
opinio.
Bebeu um copo desta bebida e depois perguntou
ao caixeiro :
Foi isto oque elle bebeu ?
Sim, senhor.
Nao admira, que nao acertasse o golpe. Com
isto no estomago, matar-se-hia pai e mai.
como se j tivesseis e-
a possibilidade de tomarem torpe as ideas era que Z, nTZ2 ?' mUnd **"* 7 T?"*
temos persistido. Seutiam-se geralmente as lacu- ^^X^ T ^ emergencia e "0 PUrgaIri- ,
Das por nos aponladas, mas nao seboseara o meio JueWas^er se o Brasil esta rosolvido a man- Na mesma occaslao chegava outro defunto, o encontrar-se com os suppo^tos noiros, on cou*
de suppri-las. ter a sua independencia e a sua dignidade, ou se qnal submissaraenle pedio a Brahma que o deixasse semell.ante, que ja haviam sabido da capella e
abdica ue uma vez os foros de naci livre para tambera entrar.
O Viriato, de Vizeu, publica o seguiote:
Ante-honlem apresentou-se em Fontello, resi
dencia episcopal, um tal Mona das Pedrosas, acom-
panhado de uma rapariga, que indicava nao ter
bons bigodos.
Com estes lam mais tres pessoas.
Pediram ao feitor do Sr. bispo a chave de uma
capella cora o flm ae cumprlrem uma promessa.
O-feitor, que pelos modos era j contiendo do
protogonista desta desaforada comedia, cedeu a
chave.
A curiosidade porm levou o a espreilar os ro-
i metros para conhecer a qualidade do voto.
Quando obseruou, que um delles entrara na
' sachristia envergara uma chumarra, e pegan-
do de uns papis viera ter ao corpo da igreja,
no carcter de um ecclesiastieo revestido de toda
a respeitabilidade, e comegou a fiugir sua reza.
O feitor, que espreitava aquella forga, parti a
os festins de Cleopalra
1 e as delicias de Sardanapalo lem mais de amrcos
O Sr. Soudain de Niederwerth : Era conse- ,que de doce,
quencia de uma pendencia entre o Sr. Delaet e o I Escriptura Sagrada claramente o prora, mostraa-
Sr. ministro da guerra decidio-se que houvesse do-nos Sanso que se perdeo entre os -Tmi dt
um dueilo entre elles. O Sr. Chazal deixou ao I Dalila, Holophernes que achou
seu adversario a escolha das armas. O Sr, Delaet dai ondas de mol
Em pooco lempo, contra as prevls9es de gente coustiluir-se voluntariamente presa do priraeiro
experimentada, algumas verdades foram calando aventureiro que uos assoberbe.
nos espiritos,tanto cerlo que nao basta senli-!
Na.
las, recoaliece-las e eonfessa las puridade.
imprensa, no parlamento e as
se eacontrain os raeios se,
ra. Os coebiebos podera t^r sua eficacia alguraas
rezes.teem geral ascombinacos subterrneas
a ma f. Quando porm se cogita de raelhora-
meutos e reformas, os circuios ntimos podera ser
o Ibeatio da concepgo, mas nunca o veremos cons-
litnido era arena onde se conquiste o apoio da opi-
ni io, tao necessario ao bomxito de qualquer peu-
samenlo de vaniagem publie;.
O <|L.e dizt-mosno se deve considerar como ama
expansao do amor propno (jue so rev contente no
resoltado de sua obra, resultado mais prorapto do
qoe se devra esperar. Cenfessamos com franque-
za a sausfagao siacera de reconliecerraos que nao
foram baldadas nossas tentativas, e que depois
deltas, rao se fazendo outras de inaior valia.
Isto
II
Na lula em que nos achmos empenhados com o
e as asso^.acoes que Paraguay nao ha rneio termo possivel
goros dejeva-las victo- Ou vencemos gloriosamente ou esta
rados.
De vagar, de vagar. Ji estivestes no purga-
torio ?
Nao, mas que importa? oo acabaes de dei
xar entrar alguem que est no meu caso ?
E' verdade I mas esse foi casado.
estamos deshon-1 du~ j? ^ bem' eu que vos fall'ja fui
Nohaum hrasileiro, digno deste titulo me ~- "l'^lf "^ braJoa Brahma
ainda n,nr hv.h3.. n, paraizo nao se f.-z para os tolos.
..inda por h\pothese almilla a possibilidade de ac-
ceiiarraos una paz humilhante imposta pelo Para- -----------.......-. .-->-a. -------------
guay.
A questao para nos est simplificada. Mustapha-Pacn, herdeiro presumptivo do vice-
Tenios de vencer, devenios vencer custa de rei ^ ESyPt0. chegou ltimamente aos banhos de
quaesquer sacrificios, seja qual fr o peso das obri-, Horabonrg.
gages que a guerra nos impouha, seja qual fr o' Esta viagem, no momento em que a cholera faz
resultado da nossa victoria. | dolorosos estragos eatre a populago, que aquelle
O que se deve, portanto, apreciar de que modo Prncipo ha de um dia governar, produzio era toda
mais nos convem levar ao cabo esta ardua era- a Parle urna desfavoravel impresso.
Preza- i Querem agora saber os nossos leltores o provei-
Prolongar a guerra por mutto tempo arriscar- toso emprego, que S. A. faz do seu tempo ?
monos a sabir derrotados da propria victoria. Leiam o seguinte, que escrevem de Horabourg a
Entreter, pois, a guerra cora pequeos recursos, nm jornal belga :
tes pe em relevo suas aspiragoes generosas nesta esperando que o inimigo se cauce ou desespere l q ..h. n- /u u u
quaira de mercantilismo. O que sobre tudo que- fa^er uma pessima guerra e uraa pessima opera- J?rnhT111 (Homb,our^ desde nonlem ; t
remos tornar patente o desmentido que rao ten tao econmica. P P ,Um, na>* ma"ceb' rePlel0' Parecid c ^ re-
do os pcssi.nis.as que s descolara males sera re- ',>.- i i? f BoD,cinPs-
medio, e que se algoma vez ll.es passa pela mente P gS conUf,n esse mell,odo : delapidar- \ K rodeado sem cessar e acariciado, como bem
a possioil.dade do bem, nao leem corceo nara Dro- "10i-a msi frlUna' esleriliar,n^ a fonte da nos-, fe Pde "nagmar, pela colonia das camelias (Ade-
more-lo, e em .odo caso vivem eorno o hornera Sanr,ljueza e P^-nos a derrotas parctaes. Courtcis que so intitula condessa de Stemberg
das mangabas esperando qoe ellas caiam maduras U pr,me,ro D;, precisa ser engrandecido para otras notabilidades ejusdem farias); percorre
para ento saborea-las muilo a comruodo i qa 'JS comprehe"'|am o seu funesto alcance. ; os sa,oe3 flllaodo em alta voz, e atira de vez em
O segundo traria por effeito o desanimo geral, a perda da nossa superioridade moral, o enfranqe- banca
el nto do nosso prestigio e do nosso poder. Hontemo azar favoreceu-o dezeseis rezes conse-
Cumpre^termos em nsn que o nosso inimigo culivas-
est bem apparelhado ; que os recursos Ibe nao! A m5 do olheiro, que amontoava o dinhetro
faltara para prolongar a lucia, caso nao tomemos o dianle de S- A-> ,rema.
nao
desmerece os novos lidadores,
.i
e an-
Peb nossa parte fraternisamos cordealraente com
os redactores da Themis, e fazemos votos para qu^
ella prospere e fructifique.
Reclfe, 10 de agito de 180o.
F.J.
O FORO AXECDOTICO.
Trecho ipsis vena ti litlerit das raides de um ad- resclugao de esmaga-lo proraplamente pelo numero A deci,na stima aposta, disse S. A.: c ntre-
se tinham dirigido para uraa casa, que esl fr*n-
teira, e que deita para o jardlm, casa deshabi-
tada I I
Deitouseao protogonista,e ao reverendo padre,
lutou com elles, mas fogiram todos, apenas poude
segurar o snpposto padre, que esta" preso e uraa
das testeraunhas.
A polica esta' com elles de volta, a ver-se des.
cobre o fio do enredo, que nao pode deixar-de ser
uma grande tralantada, attendendo ao carcter -e
precedentes do autor desta urdidura.
Fazera-se diversos juizos.
Como a rapariga bonita, e o tal Moita casado,
conjeclurase que o flm era a seduegao, fazendo
talvez acreditar que o primeiro casamento estava
aullo.
Seja o que fr a patifaria atroz e merece severa
punigo ao seu autor.
O que notavel que se escolhesse logo uma
capella em Fontello, e apenas se explica pela idea
de previo conhecimento do autor da farga cora o
feitor de S. Exc e talvez para fazer crer a' rapa-
riga na sinceridade do acto.
O padre arvorado ja' esteve em frica, altribuem-
se-lhe graves crimes.
Nao sabemos.
O que nos afflangam, que elle quando vio
muita gente, que o observava, e quando camnhava
para sua actual morada, dissera.
Ca' vai o padre santo 1
O magano alm de perver.o -esftjrituoso.
das nossas torcas. gai-meisso; meiteu na algibeira mais de doze con-
Distruidooexercito que temos era carapanha,' ^ ^ ^ Chei de rgUlh e COnleDta-
podemos, e certo, levantar outro igual, raals cinco
Mas acaso a victoria, cora todos- Acaso' s
rogado do fi o do Bonito.
Nao pretendamos mais rollar ao campo da
batalha, si nao fossemos atacados pelo grosso da
ai lilliara dos embargados dirigida pelo celebre ar- joo mais dei/Ms"acasoVrl"torTa"7oni"LdoTos ACaS' semelhante Passalempo digno deste
tilheiro, que nao podeudo co n seus tiros dispara-! seus resultados, podera compensar e'ssa ruina roo mancebo- no raomento em que milhares de egyp-
dos a esmo ferir-nos, por nos acharaos acoberta- \ ral, esse destroc de homens esse esbauiatneoto P"'0S ,I10rrem viclilDa da 'ncaria e da indllfereuga
dos com a egide de Themis, e assim vamos a nos- de capilaes ? daquelles que o governara ?
so pezar impacientar o uerilissmo julgador (id ( Nao de certo. ________ __________
to e verdade,) confiados era nossa sinceridade, cons-; E o contrario justamente acontece ao Paraguay ,,
ciencia e justtga, julgaraos por certo .niquillar as Destruido u exercito que o feroz ditadur conse- S6 D MercanUl seguinte :
invectivas dos embargados na juntada de seu do- guio levantar, nao lera outro para o substituir V'moS ll0D,em a Primeira flna da carta do Ama-
cumento que nao Ihes pode aproveitar para o caso Esmaguemo lo pois zona's levautada pelos Srs. capites-tenentes J.
em (ues,,:,- | Salve-se a um lempo a nonra e a int-gridade do f ^ AzeVed -6. 8oareIs Pinl0' e 'y'hographa-
perguntamos aos embargados, em que imperio. i no IUit,tul artstico dirigido pelos Srs. Fleius
Fagam-se j os sacrificios que teremjs de fazer n rri'inii, .- a
l amauba. ,rahalho artstico excellente, e tambem como
fiaremosm ftiAi ,. a os me|bores das offlcioas estrangeiras ; nitida a
' eial ^ af P"" edi0' e maS ,igeir0 exame revela cuidadj
com que aquelle estabelecimento desempenhou o
Sejara todos os brasileiros voluntarios da patria servigo que contratara,
como o ordena a coustluigo do eslado.
Assuma o goveruo a responsablidade da inicia-
tiva que lhe compele ; exponha a verdade ao paz;
appelle francamente para o patriotismo brasiieiro,
e estamos eertos de que ser correspondido com
enthusiasmo.
mausollu existe a ossada da decantada demarca-
gao araigavel ? que deveria pelos embargados ser
exmada para satisfazer nossa exigencia.
Ah ambicio, en', que cabos te precipita-
ran! Illa
UM POUCO DE TUDO.
E' do Diario do Rio de Janeiro, este artigo sobre
A GUEIWA meias medldas nao bastam para salvar a na-
j i gao ao abysmo que a araeaga tragar, se se mostrar
O paiz Jeve coavencer-se de que atravessa nma I Pr muil" lemp0 loferior a pequena rePbIica Ia6
quadra menudrosa, e que est empenhadoem uma
lucia seria.
Do xito1 dessa luta depeudem os seus futuros
trabalho ficar concluido no flm do auno cor-
rente.
Todas as folhas formara um atlas do Amazonas
brasiieiro.
I A carta foi construida por aquelles dois dis-
traaos offkiaes da armada, o primeiro, ciiefe da
commissao de limites com o Per, e o segundo seu
adjudante.
destinos.
Traia-se de sua inlegridade e de sua honra.
E forca que Rejamos uma nagao respeitada, ou j
abandonar por muito tempo aespernga de o'
Abrange o corso o Amazonas deste a foz at
Tabatioga, na fronteira do imperio com a repblica
A poca e de abnegago e sacrificios. do Peru. A primeira folha ja |ylhographada come-
os eidados que espontneamente aoudirera ao ga de Tabalinga para baixo.
reclamo nacional, esses sero os benemritos da Os dados para a construegao da carta foram co-
patria. Ihidus durante dois annos pelos membros da mesma
Diga o governo que precisa de toda a nagao, e a commissao.
nago inteira se levantar como um s hornera para ; A carta traz assignaladas as longitudes e latiiu-
Na RevohiQao de Setembro lose o seguinte :
O desafio que ha tempo leve lugar na Blgica,
entre o ministro da guerra e um dos membros da
cmara dos depulados leve o seguinte desfeeho,
segundo se v da sesso do tribunal de casangao
de Bruxellas de 12 do correte julho, que trans-
crevemos de uma folha eslrangeira.
Presidio sesso o Sr. erlache.
O Sr. Laclerg, procurador geral, oceupoo a ca-
deira do ministerio publico.
A's onze horas abrio-se a audiencia.
Os reos os Srs.: lente general baro de Cha-
zal, ministro da guerra e Delaet, membro da c-
mara dos representantes, oceupam o primeiro ban-
co dos advogads j a esquerda dos juizes, as les
lemunhas, os Srs. : Nothomb, membro da cmara I
dos representantes; e Soulain de Niederwlh, nia-
jor geueral; oo banco da direita.
Teve a palavra o procurador geral Laclerg,
que depois de ter declarado a qualidade dos reos e
lida a aulorisagao coocedida pela cmara dos re-
presentantes para os melter era julgamento, expoz
os fados que cooduziram ao dueilo os Srs. Chazal
e Delaet, as circunstancias desle dueilo, e as con-
sequencias que se lhe seguiram.
escolheu a pistola. Encontrarara-se n um picadei-
ro em Saint Josseleu Noode. Os adversarios pas-
laram se a vinte passos, Ambos lizeram foge, e o
Sr. ministro da guerra, mu levemente ferJ.>,
presUlia em continuar o dueilo, apoiado nesta
prelengo pelas suas tesleraunhas. As do Sr. De-
laet porm nao quizeram consentir, bas6audo^e
em que o dueilo se havia effecluado sob condi-
goes serias, a urra distancia muilo prxima, po-
dendo fcilmente aponlar. Portanto eram de pa-
recer que a honra e5taa desaffronlada. Entao o
Sr. Delaet aproximou-se do general e lhe disse :
G neral, congratulo-rae em vos repetir oque a-
minhas testeraunhas vos declararan! hontem ; na.
tenlio contra vos animosidade alsuraa pessoa.1. Nao
duvidei nunca nem da vossa lealdade nem da vos-
sa honra. General, merecis a minha estima e
consideraga. O Sr. ministro da guerra declarou
ento que nada mais tinha a dizer.
O Sr. Presideute : De qual das duas partes
parti a provocagao.
O Sr. Soudain de Niederwerth : Julgo que da
parte do Sr. Delaet, por isso que o dueilo foi con-
secuencia do discurso do Sr. ministro da guerra.
O Sr. Presidente : Concedo a palavra aos
reos para sua defesa.
O Sr. Delaet: Sr. presidente, Srs. juizes, re-
servando o meu pelo e inteiro direilo, deque usa-
ra em qualquer outra circumstancia, de me ex-
primir na minha lingoa materos, o amenga, te-
rei a honra de responder em francez para ser por
vos lodos, senh>res, assim como do coreo, oSr.
general baro de Chazal, perfeitamente compre-
hendido. Sr. priraeiro presidente, nao tenh > nada
que apresentar em minha drfeza pessoal. Ouv| o
depoimento das testeraunhas, nada tenho que dizer.
O Sr Tenenie general baro do Chazal : Nao
teolio defesa alguma que apresentar. Ouvi o de-
poimento da testeraunha que rae auxiiiou nesta
circumstancia : nao tenho nada a accrescentar.
Acceilo a sua declarago. Entrego a minha causa
apreciago e benevolencia do tribunal.
U Sr. procurador geral resumi o debate.
Notou que o tribunal nao tinha a oceupar-se da
provocagao que uraa das testeraunhas qualilicou
deparlamentar.
Insisti sobre o fado de se ter dado o dueilo,
mas que nada prova que livesse havido ferimenlo
no sentido que a lei d a esta palavra.
Finalmente, depois de ter eslabelecido que em
caso de dous dbelos commeltidos era a peoa mais
forte imposta a um dos dous, devia ser appli-
cada.
O Sr. procurador geral requereu nos termos da
lei sobre o dueilo a pena de tres mezes de priso
e de 300 francos de multa contra o Sr. Delaet, e
de dous mezes de priso e 200 francos de mulla
contra o Sr. ministro da guerra.
bservou lambem que o cdigo militar permitlia
a commuiagao em priso eu detengo da multa
imposta ao militar.
O jury retirou-se ao meio dia para deliberar.
Entrou raeia hora depois.
Procedeu leitura da sentenga que conderanou
o Sr. Delaet a tres mezes de priso e 300 francos
de multa, e o Sr. Chazal a dous mezes de priso e
200 francos de multa, commutando esta ultima
penaem oilo das de priso.
A audiencia fechou-se a uma hora menos um
quarto.
Sobre o Evangelho de S. Malheos cap. XII
Guardai-vos dos falsos prophetas, *que vera a vos
com vestidos de ovelhas, e dentro sao Ioubos rou-
badores-publica o Missionario Cathohco o se-
guinte :
Acautelai-vos, fiis, desses homens. como diz S.
Agostinho que reveslindo-se de um habito exterior
de piedade e de reforma, tem e coracao cheio de
veneno.
Acautelat-vos, como falla S. Joao Chrysostomo-
porque elles mostrara apparentemente virtude que
nao tem ; e com esta apparencia engaara aos que
os naoconhecem.
O Senhor nao exhorta a que nos guardemos del-
les, e a reconhece-los pelas suas obras, que indu-
bitavelmente nos descobriram a corrupgo do seu
coragao.
Pelos seus fructos os conhecerets. porque jogam
com a mentira e prendera os encantos.
Por ventura os homens colhem uvas dos espi-
hos, oo figos dos abrolhos 1
Assim sao elles, porque a arvore m nao pode
dar bons fructos.
era todo o que diz Senhor, entrar no reino dos
cus : mas sim o que faz a vontadede meu pai.
Aquelle que observa a lei, multiplica as obla-
g5es: um sacrificio saudavel estar aliento aos
mandaraentos, e apartarse de toda a iniquidade.
Todo aquelle que ouve estas palavras, e as ob-
a morie no
era que se imaginara, e BaKha-
zar que vio sua MtRBfle como o aluno prx
de seu esplendido banquete.*
O evangelista S. Malheus aiuda nos diz *jae o
demonio fle cimi d uro monte mostrara a Cnri-io
represenlados no ar todos os reinos do mondo a
gloria delles, porque com effeilo esses reinos e esan
gloria uo sao mais do que ar.
Convencidos destas verdades foi que os thera-
peuiicos se alTastaram do raido e dos rido do
mundo para as bordas do lago Mons, intimad* ao
propheta Elias, o gigante dos bardos sograao ae
fugmdo da corrupgo de Israel, se retirara a tea-
go do Jordao cora seos fiseipatoj; f,>i meditando
nossis ideas que os ascetas da Tbehanla eneberam
o Carmelo e o Lbano com as otras primas da pe-
nitencia, ahi nesses logares e ness s lempos em
que os lees por uma proriden-ia divia -ernam
de mensageiros asa solitarios, e os corros Ibes tra-
ziam o manna celeste; foi emfim com a repeticio
desses exempls que pouco e pooco e poroanm
as solides e us de-erlos de penitente* e ere-
mitas.
Seus beneficios cemeraram empre rm soa exis-
tencia.
O mongo marmita chamara c dar abra a
estrangeiro sorprehendido pela ooile nos principias
do Lbano ; oAbyssinto esperava o najante para
salva lo das garras dos tigres e das leras; o mea-
ge copino Tazia ouvir soa roz lgubre, mas Je
paz no meio das minas desertas de Ta-b.is e de
Memphis.
Quera nao pasma ao ver tanta deJi.-acao e Unto
amor?
O sabio que por zelo scicbcia e a vetes por
interesse propno vai medir os restos da aniigmda-
de as solides da Asia e di frica merece a ad-
mirara.) dos homens -, pois, como d.z Chateau-
briand, quanlo mais admiravel nao por certo er
um Bossuet deseonhecido explicando a palavra dos
prophetas sobre as ruinas de T>ro e Babilo-
nia?
Q.ianto mais penosa nao rer nm desses aerees
confiar sua vida s ondas de nm pg* lallaa para
ir consolar sobre a palha um descendente dos ren-
cedores de Series, distribuir esmola em a>me de
Chrislo, e vuliar incgnito para seo deserto f
i'ois os religiosos lizeram tudo isso; baannisa-
ram o setvagera, iusiruiram o ignorante, riawta
ram o afilicto, soccorreram ao pobre, iminai o
doente, e companheiros na morte como aa rida
mundo os viu sempre a cabeeeira do mormoado
iniciando-o nos segredos da religio do ilranbca.
do, e preparaodo-o para a salraem; lodo i-to em-
quanto os philosophos nao deixaram >$ saloes da
academia, nem as delicias de Alhenas f
Mais tarde vieram esses grandes hornea*, S Ba-
silio, S. Benlo e S. Agostinho, que omf.rnmaram
e constituiram as associ.i'jes religiosas, deisaado
cdices de leis que passam por modelos de sabio-
ria, e provando que o espirito (Iluminado pelo
Kvaugelbo poda produzir verdadeiros legisladores
bem difTerenii'S de Plata., que nao fuera seao so-
nbar repblicas sem poder exerou-las: neraoa
depois os insliluidores desses retiros da Cm4*dr,
dos Pereijrinos, dos Insensato*. dos OrpAsai-
nOf; veto oin Ignacio dj Latem, e nm Vicente
de Paula, esses vultos extraordinarios Ja historia
da humanidad.;
esta exposigo o procurador geral fez notar serva, ser comparado ao hornera sabio, que edifi
que, segundo os esclarecimentos obtidos, o dueilo cou a sua casa sobre a rocha, e todo o que nao ou-
por uma felicidade inaudita nao teve resultados a
lamentar, por Isso que nenhura dos adversarios
fra ferido. Para determinar os factos, o tribunal
baseou-se sobre o relatorio feto pelo commissario
ve, ser comparado ao homem sem considerago,
que ediflcou a soa casa sobre a ara.
Ellas foram dictadas por Jess Chrislo, come le-
gislador e nao como interprete : como Deus que
da policia de Saint Josse leu Noode, com data de i nao s convenca os entendimentos, mas que tam-
14 de abril de 1865, e sobre o depoimento das I bem tocava os coragese movia as vontades.
duas testemunbas, os Srs. Nothomb, e Soudain de! O caminho desses homens tenebroso : elles n0
Niederwerth. sabem aonde vo cahir, porque elles nao dormem
seriaos.
nm in, <,: ,,a isalvar a sua nonra e a sua iu'egridade que eslao des de 23 pontos differentes do curso do Amazo-
um lai.mgo audacioso e selvagem, mas munido; em pengo.
de tolos bs recurso necesarios para abrir uraa I
Passou leitura deste relatorio.
O Sr. Soudain de Niederwerth foi convidado a
sera terem feito mal.
para
campanha de devastago, piza insolentemente o ter-
ritorio nacional.
Cumpre-nos repeli-lo e desaffrontar a um tempo
a nossa dignidade e as nossas fronteiras.
O dictador do Paraguay, provocando-nos inopi-
nadamente a ama guerra, guerra para a qual se
prepara ha dez annos, gragas nossa incuria e ao
nosso desrnazelo offlcial, tem sobretodo em vista
humilhar o Brasil e constituir-se o arbitro das re-
publicas do Rio da Prala.
as; essas posiges foram determinadas astrono-
Este hymno compostgao dos voluntarios da pa-
tria Pedro da Cunha Bellro de Araujo Pereira e
Antonio Tristo de Serpa Brandao Jnior e por
elles offerecido a seus amigos e collegas.
Quando a honra da patria periga,
Sacrificio de vida dever ;
Nossos livros fechemos por ora,
Vamos, vamos, mataudo morrer I
nucamente por numerosas ob?ervagoes.
Ella coutm igualmente as indicacoes seguinles .
Das sondas repelidas iucessanteraente, desde a
foz al Tabalinga;
Da veloeldade da correte;
De todos os bancos, ilha< e canaes ;
Da differenga do nivel em relago ao ocano ;
Das observagoes physlcas, sobre a temperatura,
presso atmospberica, humidade,etc, que determi-
nara as condiroes climatolgicas.
Alm dlsso vm indicados os pontos em que ha
Aborainai as suas ligues, porque era nada apro-
retirar-se um mntenlo, e o Sr. Nothomb foi cha- veitais; ellas mentem e matara a alma,
mado ao banco das teslemunas, onde fez o seguin- i Nao queirais buscar melosos a morte nos des-
te depoimento : caminhos da vossa vida, nem adquiris a perdico
O Sr. Nothomb : Em conseqaeucia de inci- 'com as obras das vossas mos.
denles parlamentares, que nao cabe aqui recordar : Os labios dos imprudentes diro fatuidades, por-
houve entre o Sr. Delaet e o Sr. lente general que sera conseibo nem considerago fazem sabir
baro de Chazal, por intermedio de seus padnnhos, a lingua tudo quantolhes occorre o pensamento.
iroca de algumas explicagoes que nao tiveram're- Beraaventurado o hornera que achou a sabedo-
sultadc. Estas explicagoes duraram qiasi dous ria, e que sabe ser fiel a lei do Evangelho.
dias sem que por ellas se podesse alcangar uma | Bemavenlurado o homem, que aliento aos con-
contiliago. A estas conferencias seguio-se um seibos da igreja, sabe prepararse para repellir os
dueilo, cujas condigoes forara reguladas segundo o seus inimigos.
uso e costume. Este dueilo verificou-se em 8 de \ Beraaventurado o homem que Arme nos prlnci-
abril em um pteadeiro situado n'uraas trras per-' pios da f, nao se deixa engaar nos lagos do erro
tencentes ao conselho de Saint Josseteu Noode.; e da menlira, porque os caminhos do Senhor, sao
Trocaram-se doos Uros. O Sr. baro foi mu li- j os caminhos da paz.
O mundo ouviu lombrar com looror e r-hrir de
heneaos os nomes de S. Aotoni e S. Paromto ao
quarto seclo; aquelle insiiuudor da rida monas-
Uca, que defendeu os chnsios persegoidM por
Maximiano, r combaten os err^s do- Aria*; es-
te, o discpulo de Palemn, qu* rom a inflnearia
de sen exemplo e de suas lices ehamoo 5.IMIO ee-
nobitas aos desertos da Tbebaida : no i|iiato sca-
lo o de S. Al' xandre que as bordas &> Eupbrates
reunia Gregos com Syrios, e Latinos com Egypfios
para cantarcm os loorores de Deas; e p-lo mes-
mo tempo o desse S. Severino em virtude de cajee
predicas Clovis assenlou a religio rfiri.*ia ao
throno dos Francos; no sexto eeulo arcreseeraa
quclles tantos outros nomes veneran los, e assim
em todos os subseqnentes.
Os lempos corrern), mais os relevantes serrf-
?os que elles preslaram, e igualmente as eorpora-
goes de que foram chefes, ain.1i ahi estao ao do-
minio da historia, e ao alcance de lodo o bom ma-
so que pensa e medita antes de lanear a aaanbe-
ma; ao alcance de lodo o criterio que procera lr
e conhecer a verdade antes de rondemnar o qoe e
tempo tem sanecionado como bom.
Nos prnvaremos. anda qoe brevemente, pete
nao permitlem mais os limites deste eseripto, ejn
os religiosos foram olis igreja por soas nna-
des; que elles cultiraram as sciencias rrrliniaU
cas; que foram uleis ainda as diversas faarreVs
de seu ministerio, e que a sociedade Ibes dere ser-
ricos incalculaveis e beneficio- immen*os; mos-
traremos depois a iojosijea e a gnerra odiosa qoe
se flzeram a algumas ordens relifriosa*, alia* Irmo-
cenles; e provar-mos por flm qn? anda boje elles
sSo n>eis igreja por suas virtudes; qne os reli-
giosos cullivam ainda hoje, as scieacia* ecclesias-
ticas; qne agora, como pm lempos pagados a an-
ciedade e as letras Ibes devem grandes serviros
e que esses hroes emfim se nao fatigan aas taar-
coes ardnas do apostolado.
Rade esta aberta aos banhistas da alta seriedad*
de toda a Europa.
l'm dos felizes moriaes qn tem rendimentoe do
sohejo para viver Pin Rade todos os annos da
o tempo da mais escolhida concorrencia,
nm seu amigo de Paris o seguinte :
Havia algons dias qne en notara ao salto da
joco um provenga!, ogador como orna carta, ana
pittoresco, sentimental espirituoso e viro. Em nma
das ultima- noites, dirigio-sea mim. incliaoa-sa
sobre o mea hombro, aoertoa roe a mao e disse ote
em tom lamoriante :
Tenho symoathsado cora o senhor, aa*
uns ares de bondade qoe nao enganam. e qnero fa-
te-o confidente das minbas magoas Ha quero dia
que son um jogador... ^"^
E ento nao 7
Nao, meu amigo, nma calumnia, nma ada-
me calumnia. Se jgo algumas retes orna nrft-
dinha, sabe para qoe T.. E* para ewraeeernnr
um pouco a perda do mea Albo.
Entao morrea lhe algum filbo?
E' verdade. Pobre menino Ha-de
viole e dous aunos I..
PERNAMBCO.^TYP. D M. F. DB F. AFHJq


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGYIUJ0R7_LZGP2K INGEST_TIME 2013-08-28T03:37:54Z PACKAGE AA00011611_10745
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES