Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10743


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
AMO 111, OMERO 186
Por qnartel pago dentro de 10 das do i. niez ...,:
dem desos dos l.0110 das do coiueco e dentro do qnartel. .
Porte ao correio por tres nezes ..,,.,.,.,,,
|000
6|000
750
QUARTA FEIRA 16 DE AGOSTO DE 1865.
Por anuo pago dentro deludas de 1. mez ,,,... 19$00f
Porte ao correio por um anuo ,....... Sf 900
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
Parahyba, o *r. Antonio Alex?ndrino de Lima;
Natal, o Sr. Antouio Marques ila Silva Araeaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, u Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Heraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Das; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gasparinho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estages da va frrea at
Agoa Prea, lodos os dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Altinho, Garanhuns, Botone, S. Bento, Bom
Consellio. Aguas Bellas e Taearat, as tergas
feiras.
Pud'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimentelras,as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Helago: tersase sbadoss 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da tarde.
BPHEMEK1DES DO MEZ DE AGOSTO.
7 La cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m.
13 Quarto m:ng. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as 4 h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Quarlo cresc. as 9 h., 29 m. e 46 s. da m.
DIAS DA SEMANA.
14. Segunda S. Enzho presb.; S. Demetrio m.
lo. Terca cga Assumpgo de Nossa Senhora.
16 Quaila. S. Hoque f.; S. Domedes med so.
17. Quiuta. S. Mamede m.; S. Liberato m.
18. Sexta. S. Jacimho; Ss. Lauro e Floro mm.
19. Sabbado. S. Luiz f. b.; S. Tecla a.
20. S. Joaquim pae de N. Senhora ; S. Samuel prof.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as 11 horas e 42 m. da 6manha.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da larde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sul al Alagnas a li e 30; para o noria
ata a Granja a 7 e 22 de rada mez; para Fernan-
do nos dias li do.; mezes ce Janeiro, margo, mi:,,
julho, selea.bro e novtmbro.
ASSICVA-SE
no Recife, na livraria da praga da lndepend?eia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figoeiroa U
Fam & Filho.
PAUTE
MINISTERIO DA JUSTINA
Circular.Ministerio dos negocios da justiga.
Rio de Janeiro, 7 de agosto de 186o.Illm. e Exm.
Sr.Reraettendo a V. Exc. os inclusos decretos n?.
3 506 e 3,507 de 4 do crreme, relativos a guarda
nacional, devo recommendar a V. Esc. toda a pru-
dencia e energia na execug delle.
Espera o governo imperial que as medidas que
nos mesmos decretos se conten, tomadas etn razao
do sagrado e imperioso motivo da honra e digoida-
de nacional, nao serio pervertidas por conveuien
cias polticas, sendo certo que para a causa da
guerra, que urna cansa commum, o governo im-
perial quer e invoca o concurso o o esteren de to-
dos os Brasileiros.
V. Exc. deve fazer sentir guarda nacional que
urgente o seu auxilio para que o nosso exercito
possa salvar e vingar a patria, invadida o ultraja-
da pelo estrangeiro ; que este dever Ihe e imposto
pela conslituico do imperio e pela le de sua insti-
tuido ; que nenhum guarda nacional pode, sem
desaizer o nome de Brasileiro, deixar de acompa-
nhar o seu Imperador, que, no meio das diillcuida-
des e perigos de guerra, la est no Rio Grande do
Sul fazendo um grande .-acrilicio, para dar um
grande exemplo.
Com effeito preciso vencer o Paraguay, e ven-
cer ja para que a victoria por tarda nao se|a tao
desastrosa como a derrota ; para que a victoria por
tardia nao seja attribuida ao lempo e aos recursos
do imperio em vez de ser devida ao patriotismo e
ao genio da nago brasileira.
V. Exc. eumprir os>oi>redlos decretos e propo-
r ao governo imperial todas as medidas necessa-
rias, afim de que a guarda nacional, para honra e
gloria delta e do paiz, seja verdadera e ellicaz au-
xiliante do exercito no lempo do guerra.
Deus guarde a V. ExcJos Thomaz Nubuco de
Araujo.-Sr. presidente da provincia de...
MINISTERIO DA GUERRRA.
Circular. 4 directora gerl.2* secco-Rio
de Janeiro.Ministerio dos negocios da guerra, em
4 de julho de 1865.Illm. e Exm. Sr.Em addila-
meoto ao aviso circular de lu Je junho prximo
passado, relativo aos vencimenios dos offlciaes do
corpo de engenheiros empregados pelo minisieiio
da agricultura, commercio e obras publicas : de
claro a V. Exc. que a disposigo alli mencionada
extensiva a qualquer commisso ou emprego
alhelo ao ministerio da guerra, em que os mes-
mos offlciaes e os de qualquer ou.ro corpo ou ar-
ma possam estar emoregados, anda mesmo com
permisso deste ministerio, alia. indpensavel
que todava nao importa conces^o de sold ou
outro qualquer vencimenlo. O que V. Exc. Clave-
ra por muito recommendado, e far cumprir pon-
tualmenle.
Deus guarde a V. Exc. Angelo Montz da Stlva
Ferraz.Sr. presidente da provincia de-----
60VHM DI P&OWUHA.
Expeditnte do dia i l de agoslo de 186o.
Officio ao Exm. marechal commandante das ar-
mas. A' V. Exc. fago ayresenlar o gaarda uacio-
cional do municipio da Escada, Amarinho Jos de
S.nt'Anna, para que o mande, incorporar ao con-
tingente de guardas nacioiiaes destinados ao ser-
vido da guerra.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar
sobre o que pede no incluso requerimeuto o 2o sar-
gento do contingente da guarda laciunal do Rio-
Grande dj Norte, Francisco de Salles Arroda.
Dito ao me*mo. Mande V. Exc recolher en-
fermara militar permanente, afim de ser tratado,
o soldado da Parahyba, Alexand-e Rodrigues da
Rocha, que desembrcou do vapor Paran por
adiarse doenle.
Dito ao inspector da ihesouraria de fazenda.
Mande V. S. adianlar sem demora a Luiz da Fon-
ceca Barboza, que tem de seguir boje para a corte,
a importancia de um mez de salario por que se
contralou, para servir como operarlo alfaiatc no
arsenal de guerra da mesma corte.
Dito ao mesmo. Ao alfaiale contratalo para o
servigo Prxedes de Souza Brasileiro, inaude V. S. adan-
lar um mez do respectivo salario para as despezas
de viagem.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Se nao honrar inc mvenienle, mande V. S. pagar
a Luiz Gomes Dourado, conforme soliciiou o chefe
de polica em ofileij de hontem, sob n. 1129, a
quanlia de 993201), dispendida, co.no se v da in
clusa conta, com o sustento dos presos pobres la
cadea do termo de Agoa-Preta, a contar le 11 de
margo at o ultimo de abril 'leste anno. Commu-
nicouse ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Recommendo a V. S. que, em
vista da inclusa conia, e nao ha vendo inconvenien-
te, mande pagar ao negociante Elias de Almeida
Lima, conforme soliciten o chefe Je polica em of-
ficio de hontem, sob n. 1131, a quanlia de 505200,
proveniente da despeza feia durante o mez de ju-
nho ultimo com o sustento dos presos pobres da
cadea do termo de Nazarelh.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que soliciten o
director geral da iostrueco publica, em officio de
9 do correte, sob n. 235, recommendo V. S. que,
nao havendo inconveniente, mande satisfazer a
penso, na importancia de 5833)00 dos alumnos
internos e meio pensionista do gymnasio provin-
cial, correspondente ao trimestre de julho a setem-
bro desle anno, como se vo da inclusa relacio.
Dito ao mesmo.Mande V S. entregar ao viga-
rio capitular, ou pessoa que por elle se mostrar
aulorisada, a quantia de 14 939.720, votada pelo
S 5 do art. 15 da le do orgainenlc vigente para as
obras da igreja mairiz da freguezu de S. Jos des-
la cidade, da qual se prestara coalas opporiuna-
mente nesta thesouraria, como dispoe aquelle pa-
ragrapho. Communicou-se ao Exm. Dr. vigano
capitular.
Dito o mesmo. Declaro a V. S-, para seu co-
nhecimento e flm conveniente, que o chefe da re-
parlicao das obras publicas parlicipon, era officio
de hontem, sob n. 259, haver mandado eliminar
da lista dos empregados daquella reparligo o
guarda Joo Carnuiro Ribeiro do Amaral e o fetor
Manoel Das de Toledo, que abandonaram as obras
de que se achavam incunbidos. Commuocou-se
ao chefe da reparticao das obras publicas.
Dito ao cnsul de Franca. Acceitando com sa-
tisfago o convite, que em officio rigi o Sr. Osmio Laporte, ronsul de Franca, para
assistir, a I hora da tarde do dia 15 do comente,
ao Te-Deum, que o mesmo Sr. consnl tem de man-
dar celebrar na igreja de Nossa Senhora da Penha,
acabo de tnnsraittir esse convite s diversas auto-
ridades civis e militares de.-la provincia, conforme
os desejos do Sr. cnsul, a quem renov os proles
tos de perfeita estima e distincla. considerago.
Fizeram-se os convites de que se trata.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Commuuicando-me o Dr. chefe de polica em 8
do correte, que nao seguio para esse presidio o
sentenciado Jos Francisco de Moura, por haver
fallecido na casa de detenga o, assim o declaro
V. S. para seu conhecimeoto.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Sirva-se V. S. de. expedir suas or-
den?, para que a 1 hora da tarde do dia 15 do cr-
reme se ache postado em frente da igreja de Nos-
sa Senhora da Penha, um dos corpos da guarda na-
cional sob seu commando superior, afim de assislir
ao Te-eum que o cnsul de Franga cosluma man-
dar alli celebrar.
Dito ao commandante superio/ da guara nacio-
nal do Rio-Formoso e Serinhaem. Reitere V. S.
as muida- ordens, para que destaquen) na forta-
leza do Tamandar dous guardas de um dos cor-
pos do municipio do Rio-Formo=j como se deter-
minou em officio de 10 de julho ultimo.
Igual ordem foi expedida ao commandante su-
perior do Cabo para fazer tambem destacar igual
numero de pragas as fortalezas de Nzareth e
Gaib.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Bonito.Nao se lendofeito a revisaoaunual
da qualificagao para a guarda nacional do municipio
de Caruar, no prazo legal pelos motivos constan-
tes do stu officio do Io do corrente, a que respon-
do, expega V. S. suas ordens para que se cumpra
quanto antes aquelle preceito da lei.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Cabrob. -Respondeodo ao officio de V. S.
de 4 de julho prximo lindo, dizendo-Mie que ex-
pega suas ordens, para que os commandantes de
corpos designem os guardas nacionaes que devera
marchar para a guerra, guardada a ordem eslabe-
lecida na lei, e com recurso para V. S., que far
marchar inmediatamente para esta capital os
guardas assim designados.
Dito ao Sr. Francisco Xavier da Costa Aguiar e
Andrade.Remeti a V. S. para os fins convenien-
tes o officio em original, que em data de hoje me
dirigi a commisso encarregada do ajuste de con
tas da estrada de ferro desla provincia, e bem as
sim o balango da liquidago da receita e despeza
da mesma, estrada correspondente ao mez de julho
prximo (Indo.
Dito ao commandante do corpo de polica.Ten-
do por officio de 9 do corrente, aulorisado o ins-
pector da thesouraria provincial a mandar adan-1
lar a Epiplianio Boiges de Menezes Doria, teoente
secretario nomeado para o corpo sob seu comman-
do a importancia de um mez de sold, para Ihe ser
descontada pela quinta parte do mesmo sold, as-
sim o declaro a V. S. para seu conhecimento. e
afim deque aprsente ao mesmo inspector urna fo-
Iha, era vista da qual se possa realisar esse adian
lamente!
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar no corpo
sob seu commando, o paisano Bazilio Luiz Coelho,
visto que segundo o seu officio n. 719 deste data
foi julgado apto para isso em inspeegao de sade.
Diio ao director do arsenal de guerra.-Nesta
dala approvei os contratos, que segundo o termo
por copia annexo aoseu officio n. 356 de 9 do cor-
rente, celebrou V. S. com os operarios alfaiates
Januaro Alves do Nascimento, Antonio Prxedes
de Souza e Benedicto Jos dos Passos, para traba-
Iharem no arsenal de guerra da corte ; oque Ihe
declaro para seu conhecimento.Remetteu-se co-
pia do termo do nredito contrato a thesouraria de
fazenda.
Dito a caaiara municipal de Goianna.Toman-
do em considerago o que expoz o inspector da
thesouraria provincial em officio de 8 do corrente,
sob n. 305, recommendo a cmara municipal da
cidade de Goianna, que de conformidade com o art.
4o do regularaento de 16 de abril de 18i2, mande
proceder a numerago dos predios e designagao,
pelas competentes inscripgSes, das mas e traves-
sas daquella cidade e de seus povoados, afim de
evitar-se duvidas e difficuldades no langamento e
cobranga do imposto da decima urbana, como de-
clara o respectivo promotor fiscal no cilicio junto
por copia.Communicou-se a thesouraria provin-
cial.
Circular aos juizes municipaes. Remetta-me
Vine, com toda a brevidade, um mappa de todos
osofficins e empregos de justica do termo sob sua
junsdicgo, prvidos vitalicios ou interinamente,
nao s pelo geverno imperial, como por esta pre-
sidencia e mais autoridades, confeccionado de con-
formidade com o iucluso modelo, recorrendo para
isso aos ttulos e communicagoes expedidas aos
nomeados, afim de vir o dito rhappa com toda a
exactido.
Portara.O presidente da provincia,aliendendo
ao que requereu o juiz municipal e de orphilos do
termo de Limoeiro, bacharel Emigdio Marques San-
tiago, resolve conceder-lhe vinte dias de licenga
com venclmenlos, na forma da lei, para vir a esta
capital tratar de sua sade.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposla do commandante do corpo de
polica, datada de ho;e, esolve nomearpara o mes-
mo corpo os offlciaes abaixo declarados :
1' curapanhia.
Alferes o Io sargento da mesma Manoel Luiz de
Siqneira.
3" companha.
Tenente o alferes da 1" companha Antonio Mu-
niz Tavares.
51 companha.
Alferss o sargento quarlel-meslre Antonio Jos
de Souza e Silva.
Dito o Io sargento da mesma companha Bazilio
liodriguesdeSeixas.
6* companhia,
Capilo o lente da 3* Jos Antonio de Albu-
querque.,
Alferes o sargento ajudante Marcolino da Costa
Rapozo.
Dito o 1 sargento da 3* companhia Antonio Jos
de Andrade.-Fizerara-se as necessarias communi-
cacoes a este respeito.
Dita.Os Srs. agentes da companhia BrasHeira
de paquetes, mandem dar transporte para a corle,
por conta do ministerio da guerra, no Io vapor que
passar para o sul ao operario allaiate Antonio Pr-
xedes de Souza Bandeira, que se contralou para
servir no arsenal de guerra da mesma corte.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, mandem dar transporte por conta do
ministerio da guerra, no vapor Paran aos opera-
rios Luiz de Franga Barbota, Antonio Gomes Ber-
linquim, alfaiates, e Jos Joaquim de Sam'Anna,
serralheiro, os quaes contrataram-se para servir
no arsenal de guerra da corte.
Expediente do secretario do governo do dia 11 de
agosto de 1865.
Officio ao Exm. marechal de campo commaidan-
te das armas.S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia manda declarar a V. Exc, que por despachos
desta data, autorisou ao director do arsenal de
guerra a silisfazer os pedidos de qne V. Exc. tra-
ta em seuofflcion. 1,341.
Despachos do dia 11 le agosto de IS65.
Reqtierimentos.
Capilo Alberto de Brito Cavalcanli Arco-Verde.
Informe o Sr. inspector da thesouraria da fa-
zenda.
Antonio Prxedes de Souza.Dirija-se a thesou-
raria da fazenda.
Alexandrino Christianode Oliveira.-Informe o
Sr. inspector da thesouraria da fazenda.
Bernarda Mara da Concego. Iuforme o Sr.
commandante do corpo de polica.
Bartholomeu Francisco de Souza & CIndo no
vamente a praga o forneclmento de que se Irata,
podem os supplicantes concorrer a ella se Ihes con-
vier.
Constantino Gomes.Informe o Sr. commandan-
te superior da guarda nacional do Cabo e Ipo-
juca.
Dr. Emigdio Marques Santiago.-Passe portara
concedendo a licenga requerida com vencimentos
na forma da lei.
Tenente Francisco Xavier Rodrigues de Miranda.
Espere que haja crdito.
Francisco Alves de Miranda Varejo.Informe o
Sr. engenhelro chefe da repartigao das obras pu-
blicas.
Fiancisco Jos de Campos Pamplona.Emenda-
se o supplicantecom o Exm. vigano capitular.
Jos Braz Ferreira.Informe o Sr. cornmandaD-
te superior da guarda nacional dos municipios do
Cabo e Ipojuoa.
Joaquim Jos do Nascimenlo Wanderley.Passe
poriaria concedendo a licenga que requer o sup-
plicante.
Manoel Lourenco da faltos.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria da fazenda.
Manoel de Araujo Llns.Informe o Sr. comman-
dante snperior da guarda nacional dos municipios
do Bonito e Caruar.
Mara Josepha do E governo imperial, visto ter seguido para a corte
como recruta de marinha o marido da supplicante.
Roque Nogueira de Souza.-Informe o Sr. Dr.
ebefe de polica.
Senhorinha Maria da Concego.Tendo o lilho
da supplicante seguido para a corte nada ha qu.i
deferir.
Viuva e herdeiros do Dr. Pedro Ignacio da Cu-
nta.Tendo de ser revista a planta da cidade, n.io
pode por ora ser tomada em considerago a pre-
tengo dos supplicantes.
.:*,*- --------- -
COHtiANDO DAS ASUIVS.
Qnartel general do commando das armas de Per-
na ni lineo na cidade do Recife, 11 de agosto de
186a.
Ordem do dia n. 97.
O marechal de campe, comman-ante das armas,
couvida em nome da presidencia aos Srs. offlciaes
do exercito ora existentes nesta cidade a compare-
cerem na igreja da Penha para assistirem ao Te-
Deum-MUlamus, que amauha (15), a i hora da
tarde, manda celebrar o Sr. cnsul da Franga.
(Assiguado). Francisco Sergio de Oliveira, ma-
rechal de campo commandante das armas.
Est confirme. Anfonio Francisco Duarte, se-
gundo tenente ajudante de ordens interino, encar-
regado do detalhe.
INTERIOR.
RIO DE J m:iii
8 de agoslo.
Eulrou hontem de Santa Catharina o transporte
de guerra Oyapock, onde receben as malas da pro-
vincia de S.Pedro do Sul, trazidas pelos diversos
transportes d'allichegadosparareceberem tropa.
As dalas de Porto-Alegre alcangam a 29 do pas-
sado e as do Rio-Grande a 2 do correle.
S. M. o Imperador parti para o Rio Pardo no
dia 28 s 4 horas da tarde, acorapanhado por S A.
o Sr. duque de Saxe, e pelos Srs. ministro da
guerra, generaes marquez de Caxias.Cabral e Par-
ker, e toda a comitiva imperial.
! S. M. rrabarcou no vapor Tupy, segnindo na mes-
ma occasio outros vapores com munigoes de guei-
ra e Irens bellicos.
O batalho de voluntarios porto-alegrenses fez as
honras do embarque, ao qual assisliram todas as
autoridades civis e militares e grande concurso de
povo que vicloriou S. M. e sua alteza at perder-se
de vista o Tiify-
Era uutro lugar, e sob o titulo Viagem de S. M.
o Imperador, encontraro os leitores minuciosa no-
ticia das occurrencias que se prendera curia re-
sidencia do mesmo augusto senhor na capital da
i provincia.
j Pelo gabinete do Sr. ministro da guerra foi ex-
; pedida no dia 27 una ordem do dia sob u. 1, na
qual se l :
I Tendo S. M. o Imperador deliberado vir pro-
vincia do Rio Grande do Sul activar cora sua pre-
senga os preparativos e rtovimenlos da guerra, fui
S. Exc. o Sr. ministro da guerra designado para
ter a honra de acompanha lo. Igual honra liveram
os Exins. Srs. marechal do exercito graduado mar-
quez de Caxias e tenente-geueral Francisco Xavier
Calmon da Silva Cabral, ajudanles de campo de
S. II.
t A's ordens de S. Exc. o Sr. ministro seguiram
da corte para esta provincia os Srs. :
Coronel de engenheiros Antonio Pedro de
Alencastro, encarregado do expediente da reparti-
gao do quartel-meslre-general e interinamente da
repartilo do ajudante geueral, em quanto nao se
apresentar o Exm. Sr. tenente-geueral graduado
. Joo Frederico Caldwell.
t Capilo de artilhana Antonio Jos do Ama-
ral, ajudante de ordens e offlcial do gabinete de
S. Exc.
c Capilo do estado maior de 1' classe Jos
Francisco Coelho, encarregado de coadjuvar o co-
ronel Antonio Pedro de Alencastro.
Cirurgifu-mr de brigada de commisso Dr.
Bernardo Jos de Figueiredj, como medico do pi-
quete de S. M. o Imperador.
< Finalmente, o amanuense da segunda directo-
I ria geral da secretaria de estado dos negocios da
guerra Geraldino Gomes Pacheco, para coadjuvar
o servico de escripturaco do gabinete de S.
Exc.
c Por aviso de 17 do corrente mez foi a presi-
dencia da provincia de Santa Calharina autorisada
a elevar a enfermara militar do Desterro a hospi-
tal militar provisorio, sendo nomeado para seu di-
rector o Sr. major reformado Alfonso de Albu-
querque Mello, ou oulro qualquer offlcial refor-
mado.
c Por outro aviso, de 25 do corrente, foi o com-
mando era chefe do exercito em operages nesta
i provincia aulorisado a crear urna companhia de
1 transportes para o servigo do mesmo exercito.
t Nomeacoes.Dos Exms. Srs. tenente-general
' reformado baro de Porto-Alegre, para comman-
dante em chefe do exercito em operagOes nesla
provincia.Decreto de 20 do corrente.
Tenente-general graduado Joo Frederico Cal-
dwell, para exercer snas funegoes de ajudanie-ge-
neral do exercito, junto a este ministerio, ficaodo
dispensado do commando interino das armas desta
provincia.-Na mesma dala.
t Tenente-general reformado Jos Fernandes
dos Santos Pereira, para commandante da guarni-
go da cidade do Rio-Grande, em substituigao do
Exm. Sr. brigadeiro reformado Francisco de Paula
Macedo Rangel, dispensado daquelle commando.
Em 21 do corrente.
Brigadeiro reformado Francisco de Paula de
' Macedo Rangel, para vogal da junta de justiga mi-
litar, era substiluigo do tenente-general reforma-
| do Jos Ftrnandes dos Santos Pereira.-Em 20 do
corrente.
i Brigadeiro reformado visconde da Boa-Vista,
para commandante interino das armas desta pro-
vincia, (cando exlincto o commando da guarnigo
desta capital.Em 20 do corrente.
t Brigadeiro Antonio Manoel de Mello, para ser-
vir no exercito em operages ao sul do imperio.
i Em 12 do corrente.
Dos Srs. coronel de engenheiros Ernesto An-
I tcnio Lassance Conha, para commandante da guar-
; nigflo da cidade de Pelotas. Em 22 do corrente.
c Coronel do estado-maior de 2* classe Pedro
! Pinto de Araujo Correia, para servir no exercito
' em operages nesta provincia.
c Coronel da guarda nacional barao do Serro-
Alegre, para commandante das fronteiras de Bag,
Piratinim e Jaguaro, em substituigo do coronel
tambem da guarda nacional Manoel Lucas de Li-
ma, que devora marchar para, com sua brigada,
eocorporar-se s raigas em operages na fronleira
de Missoes, logo que faga entrega daquelle com-
mando.
t Coronel graduado do 4o regiment de cavalla
' ria Augusto Frederico Pacheco, para commandar o
piquete que tem de acompanliar a S. M. o Impe-
frador.
Tennle-coronel do estado-maior de 1" classe
Joo de Souza da Fonceca Costa, afim de seguir
para esta provincia, onde deve ficar disposigo
deste minisierlo, sendo substituido no commando
militar de Sania Calharina pelo teneote-coronel
Antonio Joaquim de Magalhes Castro.
Tenente-coronel 'lo estado-maior de i' classe
Sebastio Barrete Pereira Pinto, para director do
hospital militar de>ia capital.
Tenenle-conmel da guarda nacional Ignacio
Serafim dos Aojos, para commandante da fronleira
do Chuy.
t Major do estado-maior de 2* classe Mauoel
Jos de Alencastro, para lente-coronel de com-
misso commandante do IIo corpo de cavallaria da
guada nacional, que tem de destacarCapilo
deste corpo Agnstinho de Souza Loureiro, para
major, e Joo Bemardino f'razuo de Lima, para
lenenle-ajuilanie, ambos para o mismo 11" corpo.
c Major de engenheiros Luiz Manoel Marlins da
Silva, para seguir em commisso de sua arma pa-
ra a cidade do Rio-Grande do Sul, afim de ah re-
parar as respectivas fortilicacoes.
Major reformado Cbristiano Frederico Buys, e
capitn lambem reformado Luiz Antonio Dias de
i Andrade, para licarem disposigo do director do
i arsenal de guerra dessa capital.
1 Cirurgio-mr de brigada Dr. Joo Pires Fa-
\ rinha para Io cirurgio do hospital militar desta
; capital, visto ter desi-tido da licenga era que se
; achava para ira lar de sua sade e nao poder por
' ora marchar.
Major da guarda nacional Miguel Pereira do
Oliveira Meirelles, para major de commisso e se-
cretario do cominmdo em chefe do exercito em
operages nesta provincia.
t Capilo do 22 batalho provisorio, de infanta-
ra Luiz Antonio Cuerreiro Drago, para major de
commisso do 19 corpo de voluntarios, em subsli-
tuigo do Sr. capilo Domingos de Lima Veiga, que
tica dispensado daquella commisso.
i Capilo reformado do exercilo Jos Mana da
Fonloura Palmeiro, para major de commisso e
commandanle da guarnigo da cidade de Jaguaro.
< Capilo do ii batalho de infamara Gabriel
de Souza Guedes, para major de commisso do 30
corpo de voluntarios, em substituigo do Sr. capi-
lo de artfices Trajano Alipio de Carvalho Men-
donga, que dispensado daquella commisso.
Capilo do 31 corpo de voluntarios Hf-rmene-
| gildo Jo- Gongalves Noves, para major de commis-
; sao do mesmo corpo.
t Benlo Gongalves da Silva, para major de com-
I misso afim de commandar um corpo de cavallaria
que esla incumbido de organisar.
< Manoel Alves de Medeiros, para major de com-
misso, ajim de na fregnezia das Pedras Brancas
organisar e commandar um corpo de voluntarios
de cavallaria.
< Capilo de engenheiros Antonio Augusto de
Amida e para ir reparar as forlificagoes de Caga-
pava.
t Capitaes Conrado Jacob de Niemeyer, Sebas-
1 lian de Souza e Mello, 1 tenente Joo Luiz de An-
; drade Vasconcelhx, 2* lenles Luiz Francisco
i Monteiro de Barros e Jos Antonio Rodrigues, lodos
j do corpo de engenheiros, para servirem na com-
| misso de engenheiros do exercito em operages
i nesta provincia ou onde fr mais conveniente.
t Tenente do 21" corpo provisorio de infamara
Jos Libanio de Souza para capilo de commisso
commandante interino da companhia de zuavos ad-
dida ao 30 corpo de voluntarios.
< Veneotel do 3 batalho de infamara Domin-
gos Alves Brrelo Leilee Hippolito Mendes da Fon-
seca, para capitaes de commisso, este do 1" corpo
e aquello do 10 de voluntarios.
Tenente do estado maior de 2' classe Amonio
AUMElO da Costa, para capilo de commisso, alim
de ficar disposigo do Exm. Sr. commandante em
chefe do exen-ito em operages nesta provincia.
Joaquim Pedro Salgado, para eapito de com-
misso, afim de ticar disposigo de S. Exc. o Sr.
ministro.
i Doutores em medicina, Luiz da Silva Flores
i e Pi Angelo da Silva, este para encarregado do
' iratamenlo dos doeules na enfermarla militar da
< cidade do Kio-Grande, e aquelle para dirigir a
parle medica d hospital militar desta capital.
1 tenente de engenheiros Antonio Eleuterio
de Camargo, para fazer pane da commisso de en-
genheiros do exercilo em operages, Picando na
cidade de S. Gabriel encarregado de fortificar os
principies pontos da mesma cidade.
t Tenentes do estado-maior de 1* classe Antonio
Mascarenhas Telles de Freitas e Annbal Anlunes
Maciel Jnior, para serem empregados como enge-
nheiros na cidade de Jaguaro, cujos principaes
pontos devem fortificar
t 2" lente do 4 batalho de arlilharia Anto-
I nio Carlos de Oliveira Mello, para instructor de
ai tildara da guarda nacional da cidade do Rio-
' Grande e coadjuvar os trabalhos de fortificago das
trincheiras da mesma cidade.
Alferes reformado do exercito Frederico Er-
! nesto Estrella Villeroy, para ficar disposigo do
: Exm. Sr. tenente-general baro de Porlo-Alegre.
Joo Fernande Lima, Jos Candido Codhode
| Souza, Fabiano Pinfo do Nascimento, Felippe Som-
mer e Belmiro Vicenle de Araujo Campos, para al-
feres em commisso, afim de servirem na guarni-
go da cidade de Jaguaro.
Eduardo d- Atevedo e Souza Filho, Theodoro
Francisco de Almeida e Von-Languedonck, para
alferes de commisso, afim de servirem no piquete
de S. M. o Imperador
t Numerago de corpos.O corpo de voluntarios
da patria organisado nesta capital ter o n. 33.
Por decretos de 24 do corrente foram reforma-
dos pa conformidade das disposigoes do 1 do arl
9 da lei n. 618 de 18 de agosto 1852, os Srs. : 2
cirurgio do corpo de sade do exercito Dr. Cyro
Jos Pedrosa, e alferes do 2" batalho de infama-
ra Jos Pedrosa, e alferes do 2 batalho de infan-
taria Jos Maria Benjamn de Assiz, visto sonre-
ren) molestias incuraveis que os tornara incapazes
do servigo.
Pelo mesmo gabinete fura expedido o segrale
aviso em 26:
t Illm. e Exm. Sr.as circumslanctas actuaes,
quando guardas nacionaes -olteiros e casados, em-
pregados de diflerentes calhegorias, individuos por
diversos tilulos isentos do servigo militar, correm
pressurosos de todos os ngulos do imperio para
vindicar, com as armas na roo, a dignidade na-
cional, expelliodo do territorio desta provincia o
inimigo que o coospurca, causara nao s espanto
como lastima que Rio-Grandenses as mesmas con-
dig5es se procurassem eximir, sob futels pretextos,
do curaprimeulo de lo sagrado dever.
t E, pois, nao posso, nem devo aceitar como
fundados os receios que, em officio remedido com
o de V. Exc. datado de hontem, manifesta o com-
mandante superior da guarda nacional desta capi-
tal e S. Leopoldo, de que surjam estorvos e gran-
des emharagos execogo das ordens que exped,
relativamente marcha de parte do 1* batalho e
da secgo de infantera deste ultimo municipio.
f Couheco a briosa populago da provincia do
Rio Grande do Sul, sei por experiencia, qne em
dedicago e patriotismo a mnguem cede a dian-
leira.
c E, qnando nao baslassem gloriosas tradigdes
para vigorar este juizo, ahi eslava mais urna bri-
Ibante prova no comportamento da populago da
campanha, que era raassa abandona domicilio, fa-
milia, comraodos e fortuua para acudir ao grito da
patria.
E s Porto Alegre deixaria de responder a
tesse grito I
t Assim que, maniendo as minhas ordens, re-
commendo a V. Exc. que as faga, do modo o mais
positivo, religiosamente cumprir e observar, lan
gando rao de todos os meios ao seu alcance para
remover e cortar as difficuldades e objeeges que
porventura se opponham a execuco das mesmas
j ordens; podendo mesmo, se o entender necessario,
demitlir e suspender ou propor a demisso o sus-
penso daquellas autoridades que, por capricho
ou litiirza de animo, forera ura erabarago a pres-
teza e actlvjdadu da administrago : certo de que
o governo imperial est decidido a secundar neste
e u'outros caso< a acgo dessa presid ncia. Deus
guarde a V. Exc.-Angelo Muniz da Silva Ferraz.
A S. Exc. o Sr. presidente da provincia do Rio
Grande do Sul >
No dia 27 partiram da capital para a campa-
nha os Srs. generaes baro de Porto Alegre e Por-
tinho.
Segundo as folhas de Porto-Alegre, a esquadr-
Iha da provincia fica provisoriamente incorporada
a diviso naval do Io disirido, sob o commando
do Sr. vice-almiranle Parker, que alm das fune-
goes inherentes aquelle commando ter por espe-
cial incumbencia dirigir o servigo de transporte do
material e pessoal do exercito que fr raister con
duzir pelas vias fluviaes.
L-se na Ordem de 28 :
Na noite de 26 dirigise ao passo imperial
urna deputago composla dos Srs. Ter Brugen, E.
Fraeb, Eichler, Born, Foelzer, Gerlura, Wollmann,
W'allau, E. Wiedemann e M. Broraberg, com o
fin de entregar a S. H. Imperial urna succnta ex-
posieo que depois de urna breve allocugo foi li Ja
pelo relator da commisso, Sr Coserilz.
rtesse raemoravel ofTrecem-se os subditos al-
lemaes para formarem urna reserva armada e
exercitada para o servigo de guarnigo, quando
tiverem marchado as tropas nacionaes e para a
defesa da cidade no caso imprevisto de um alaque.
< Alera disto promettem influir sobre o espiri-
to publico as colonias, para facilitar ahi .'a reu-
nio da guarda nacional, a creago de baialhoes
de voluntarios e de idnticas reservas armadas
as nutras localidades.
< S. M. Imperial aceilou esses oflereciraentos
com especial agrado, dignando-se dirigir a com-
misso palavras cheias de benevolencia.
< O Sr. ministro da guerra mandou circulares
aos sacerdotes catho-iros e protestantes das colo-
nias alleras, pedindo-lhes hajam de influir do pul-
pito para que a reunio da guarda nacional de ori-
gein aileraa se faga cora a raaior promptido o o
mais numerosamente possivel.
Os subditos portuguezes residentes na capital
olfereceram se tambem, por intermedio do seu
vice-consul, ao presidente da provincia, para faze-
rem a guarnigo no caso de ter de marchar o ba-
talho da guarda nacional.
O presidente agradeceu e aceitou hypoihetica-
mente esta offerta.
O Sr. depulado Felippe Neri fra nomeado co-
ronel e parti no dia 30 por trra do Rio-Grande
para Montevideo em commisso do governo.
A maior parte das torgas expedicionarias par-
tidas ltimamente desta corle tinain chegado ao
seu destino, e apenas desembarcadas era Porlo-
Alegre seguiara por agna para o Ro Pardo, para
de l marcharen) para a rampauha.
Do theatro da guerra na margem esquerda do
Uruguay nao havia nem era Porto-Abegre nem no
Rio Grande noticia alguma de recente data com o
carcter offlcial.
As folhas de urna e de mitra cidade com datas
de 21 e 25 do passado fallara de urna nova refre-
ga entre as torgas do coronel Fernandes e urna
columna Paraguayos nos dias 6 e 7, refrega em
que o inimigo fra balido e da qual sahira ferido
o coronel Sezefredo Mesquila. Mas a noticia des-
le acontecimenlo nao vem confirmada as folhas
de dala posterior, antes nos parece desmentida pe-
las seguintes cartas publicadas no Diario do l\io
Grande:
< Uruguayana, 16 de julho de 1865.
a Eslou dia por da a seguir daqui ; alguns afa-
zeres relativos aos preparativos da defesa desta
villa me tem impedido de por-me era marcha. O
inimigo desee de Raqui em direcgo ao Jbicuy ;
achava-se houtem pela altura da estancia do Juca
da Luz, duas leguas a quem do Raqui.
< Eu nao creio ainda que riles se arrojen) a
tentar a passagem do Ibicuhy, onde os deve espe-
rar a divisio dj Canavarro, que os atacar pela
frente, por occasia > da pa.-sagerr, ao passo que o
Fernandes bater-lhes-ha a retaguarda.
t Supponho que os invasores de preferencia
passarilo o Uruguay abaixo do Aguapehy e se-
guiro descendo pelo lado de Corrientes, para re-
I passar o Uruguay abaixo do Ibicuy.
t Creio que a diviso j a esta hora ter encela-
i do a sua marcha para o passo de Santa Maria.
Uebaixo ti vemos por un mumenjo esperanga
de que o Tamandar viria orgauisar urna esqua-
drilha, fazendo subir para o Alto Uruguay uns
quatro vapores acompanhados de chala-, cora as
quaes chegou Concordia no dia 6 para encelar a
: subida no da 8. Infelizmente, a 7 comecou a va-
, sar o rio, e transtornon-se e plano da expedigao.
Um vapor mercante arrendado por conta do estado
nesia villa desceu al a federago, e ah se conser-
: va desde o dia 7. Presumimos que a demora te-
nha sido causada pela resolugo de nos mandaren)
os generaes algum reforgo de tropa.
< Deus o queira, porque a nossa gente de infan-
* taria por ora muito pnuca. >
a17 julho de 1865.Hontem sahiram do lia
i quy os Paraguayos e ficaram de pouso na estancia
do Luz ; vm em direcgo ao passo de Santa Mana
no Ibicuy, e o brigadeiro Canavarro lambem devia
ter seguido para aquelle ponto; se chegar a tempo
| talvez que os homens nao passem.
c Aqu se est fazendo grande entrincheiramen-
\ to, e se diz que o Tamandar deve subir com urna
\ esqoadriiha at esla villa, conduzindo tropas de
desembarque, e que essa gente ser a diviso do
j Andreas, porm com todas estas noticias o povo se
' est retirando, e este lugar est que j nm de-
serto ; os estrangeiros tambem esto retirando seus
negocios, pois os Paraguayos nao respeilam nago
1 alguma, roubam de todos, e no Itaquy a primeira
1 casa qne saquearam foi a do Francez Lacroix; nao
Ihe valeu a bandeira franceza que estava na porta
fluctuando. Os estrangeiros deste lugar estavam
\ cora as bandeiras promplas e dispostos a esperar
os homens, porm isto antes de saberem do resul-
tado do Itaquy.
A mesma folha da ultima data da o seguinte ex-
tracto de urna caria de S. Gabriel de 24 :
t Escrevo-lhe a presente para transmittir-lhe al-
gumas noticias que afianco.
< Os paragnayos retiraran) se de Itaquy no dia
14 em direcgo a Uruguayana, o, segundo urna
participago (que li) do coronel Fernandes, espe-
rava elle que a 17 os Paraguayos tentariam a pas-
sagem do Ibiquy, no passo de Santa Maria.
No da 16 general Caldwell marchou com a
diviso Canavarro para alli, afim de ver se poda
Impedir a passagem do rio; a esta hora, pois, s
Deas sabe o que por l ter havido I Logo depois
da retirada dos Paraguayos de Itaquy, ama parti-
da nossa que alli entrn aprlsionou um Correntino,
e este declarou que o inimigo (com quem servia),
depois de haver pas-ado para o outro lado muila
cavalhada e gado, imlia passado para este lado co-
mo 2,0110 homens de cavallaria, porm a pe, e qae
se dirigan) a Uruguayana, sendo o exercito eom-
mandado pelo general Zigarrilba. Al o da 15
nao havia chegado o vizconde de Tamandar e
nem de Flores se sabia I
O Mercantil de Porto-Alegre publica a segninte
communicago :
Illm. e Exm. Sr. Ibirocar, 15 de jnlho de
186o.-Com salisfago passo s mos d* V. Exc,
por copia, as importantes communieacoes une hon-
tem noite recebi.
Dado no dia 9 do corrente o concurso d* co-
piosas chuvas que inundaran) o t ruguav, cowk)
informa o portador de lae, romiiiunicacO^s. ruda
obstou a vonlade do Ilustre visecode de Taman-
dar.
Conseguinlemente. se o inimigo, qu* ela no
Itaquy, nao repas.-ar o Uruguay nesies deus das,
estara em nosso poder.
Se chegar a diviso do gm-ral Flre, rom
toda a certeza vamos derrotar o ioiroif;o. A m-
trario teremos de acaba-lo por meio de *>tk> e hos-
tilidades parciaes, se o visconde nao determinar o
combale, a que vem disposio.
Nesta diviso ha o pessoal de 9.000. inclusive
2,500 de infantaria, que pode dar Mal prximo
a 14,000 com o.- do visconde Dama 9.000 homens
eslo neste ponto cerca de 5,000, na Uruguayana
800, o o reato na frente do inimigo.
Corlar-lhe a retirada era ceriamenie o t-rimei-
roe van tajoso passo. Dense. Mm agora que o
inimigo, desconhecendo sua perigosa posigo, nao
repasse o Uruguay.
A Ia brigada da 2' diviso entrn neste cam-
po a 7 do crreme, a 9 o 1* e 5> de voluntarios,
cura o 23- de cavallaria. Os baUlhoes, detxaado
doentes e estropeados m Algrete, vieram redoli-
dos o 1 a pon-o mais de 400 e o 5* a 500.
O 3 corpo provisorio de cavallaria llca insta
diviso.
Direi a V. Kxc. que a minha esqoadra impro-
visada j prestou importante servico, qual o de re-
bocar embarcacoes ao Merinha para a passagem
de Urquiza com 8,000 homens.
Sempre o mais dedicado e aftVeto amigo, ve-
nerador e criado -David Canavarro.
Como sabera os leitores, as previsoes do gene-
ral Canavarro nao se realizaran), por isso que o
nosso almirante, segundo as nllimas noticias de
Buenos-Ayres, ainda nao linha sabido ao Alto Uru-
guay por haver falta d'agua no rio.
As communicagoes a que o referido general se
refere sao as segrales:
Concordia, 6 de jnlho de 1865. Exm. general
e amigo Sr. David Canavarro.Eis me aqu anew-
so por transpor o Salto-Grande com os vapore*
que puder, para iraiar de castigar os oosados Pa-
raguayos que se atrevern) pisar e insultar o soto
rio-grandense.
t Pretendo subir no dia 8, levando c amigo os
vapores Taquary, Immandahij e Onze de tmnko :
cont levar mil a mil e duzentos infantes para r -
forgo das guarnigoes dos navios, e ajuda-lo ahi a
atacar o inimigo em trra. Ahi me lera', pois,
V. Exc. em poucos dias para de meihor aerordo e
boa vontade drbellarraos os barbaros que oBende-
ram o mais nobre de nossos bros. Conlo qne nao
havera' Rio-Grandense que possa einpuohar ama
espada ou langa que nao corra a viufar a honra
da patria. A deus, ate a' vista. De V. Ese. ami-
go e dedicado patneioVisconde de Tamandar. >
Quarlel-general do exercin em operacoes con-
tra o Paraguay, em Juquery, 7 de julho ov 1865.
Illm. e Exm. SrRecebi os offiews de V. Eir.
de 29 e 30 do passado, com as copias e caras qne
os acompanhanm, inclusive a sua ordem o da
n. 29 relativa ao hrilhaole combate do dia 26, em
que iriumpliaram nossos bravo- cantaradas da 1"
e 4' brigada, a cujos chefes, offlciaes e pragas fe-
licito por intermedio de V. Etc., com qoem me
congratulo.
Hontem tarde chegou o Sr. visconde de Ta-
mandar e amanha ou depois partir, cora a es-
quadrilha, Uruguay cima com tropa de desembar-
que ; convm, pois, ter algumas partidas pequeas
da Uruguayana para baixo, para entrar em com-
municago logo que apparecer a e.-qua Irilha. A
forga immiga que passon para o sul d-> Aguapehy,
pelas partes viadas, de 2 a 3,000 homens, tendo
muito- velhos e rapazes.
< Para mira o inimigo pensa reunir o sen exer-
cilo entre o Mirrah e Uruguay, mas pode ser ou-
tro o seu projecto, e enlj d-vemos estar preveni-
dos para se reunirem nossas Torgas onde e quando
couvier. A demora do Sr visconde foi em qnanto
tratou de reforcar a esquadra com aguns vasos e
outros msteres. Este exercito prepara-ie para
marchar breve.
t No mea ultimo officio Ihe dei a opinio do ga-
era! era chele, que hoslilisar V. Esc. o inimigo
quanto possa, mas sera arriscar um combale deci-
sivo que nos possa prejudicar una forga lio impor-
tante como a que V. Exc. commanda.
Deus guarde a V. ExcIllm. Exm. Sr. gene-
ral David Canavarro, commandanle da t tivi-ao
ligeira.Mamut Luiz Ozorio, brigadeiro.
De Santa Calharina, cujas dalas cnegam a 5 do
correte, sa: eraos que o vapor Santa Mana, a
bordo do qual vai sua alleza o Sr. conde d'Eu att
aportou sera novidade no dia 3 ao meio dia, e se-
guio para o Sul a raeia noile conduzindo a ala di-
reita do 32.a corpo de volntanos.
Entrou hontem, as 10 1|2 horas da noite, o vapor
i nacional Brasil, procedente do Rio Grande.
Em seguida damos o extracto de urna caria es-
i cripta da estancia de Santa Eugenia, ao p dt Al-
grele, em 5 de julho de 1865, pelo Sr. baro de
Cimbahy :
< Hoje estamos por aqu mais animados, por que
eremos nao nos ser necessario abandonar as nosoas
fazendas ; ja lomamos o pulso aos Paraguayo, e
ficou bem patente a nossa supenoridade militar so-
bre esses miseraveis; o nosso principal empenho
j nao vence-los, mas saber como os havemoa de
apandar lodos sem escapar um s, esperanza ose
bem fundada vista do que acaba de passar-se ao
p do passo de Marianno Pinto.
c Vinham elles a querer atravessar ahi o Ibv-
cuy, era numero de mais de mil, nm nalalho de
infantaria e um corpo de cavallaria ; logo qoe avis-
taran) os nossos puzeram-sea p mesmo a cavalla-
ria, montada em cavallos muito magros, e espera-
rara. Depois de amarrarem os ditos cavallos ons
aos outros pelo rabo, formaram-se em quadrado
collocando os animaos e algumas carretas no cea-
tro.
f A nossa cavallaria de Missdes, alli reunida ao
mando do Brates, carregou sobre elles a trote para
fazer um reconhecimento, e chegando a liro de gis-
tola descarregou cada um dos nossos a-va uros,
passando Ibes pela frente, e Immediatamente retro-
cedendo e avancando a galope de espada nua m-
reito ao centro do quadrado o rompern).
c Logo que elles virarn os nosso* no centro fus-
tigando e esparramando a sua cavalhada, <
i ram-se, e trataram de fogir, e largando as
c Apenas escaparam uns cenlo e tantos, qae en-
l tranharam-se por um banhado profundo, onde
; los destes mesmos tero morrido ; os eneres tm
todos agarrados e sacrificados, foi nma nm
borrivel, mas o qne fazer T e como eviia-la T en
nossos soldados estavam furiosos, os prisionero*
erara amitos e poda apparecer reforgo a favor
del les, de mais, em todo o caminhopor onde vi-
nham estes malvados nao deixaram pedra sobre
pedra, matando a todos qne apanbavam, e i




Diario de ?eraan>baeo Qnarta Irlra i o de Agesto de ftSftft.
do a crazas as casa?, atafonas e sentaras dos" mora"* verfro- coronel, e os medidos e meninas forman-
dores ; e veja-se como sao trajoeiros, que o com- do alas, cantaram ohymuo em uor'mguez, eompos-
mandantedellesescreveu.ao coronel Fernandos pe- topara este lira peio sacerdote protestante Dr.
dindo-lhe qoe avisasse aos moradores para nao Burchardt, que comejava com as palavras : sal-
abandonaren! os seus eslabelecimentos, por que va Imperador 1
Ibes faziam mal. Nao so achou sobre elles, nem S. M. recebeu essa ingenua ovajao com visj-
dinheiro algum, nem ao menos' cnias para toma- vel emojo, que subi de ponto quaudo duas meni-
r?m mate, do que sao todos apaixonados. as flllias d)s Srs. Daadt e Schuler Ibe entregaram
a A sua cavalhada eslava Uto magra e fraca que lindas coras de flores, recitando urna bonita poe-
cenhum dclles pJe fugir a cavallo, nem bavla ea- sia em ailemao, tambem composijo do Dr. Bur-
vallo algum entre elles da marca nossa eram todos chardt.
trazidos do outro lado ib Urugoay; elles mesmos S. M. recebeu em seguida as autoridades lo-
pareciam morios de fume e pela maior parle ma- caes e visitou os edificios pblicos e obras em
ros, alguns bem velhinhos ao p de crianzas eme construejo, sendo viciorrado durante todo o tra-
pareciam netos ou bisnetos; poucos sao nonrens jeckh
brancos, a rnaior parte urna indiata cor de cobre;
acavallana nao linba estribos nem freio de metal,
goveruavam os cavallos com liras de couro e a
duas laleraos seguras aos lombilhos pendem dons
tringulos de pao, que servem de estribo no qual
s cabe o dedo grande do pe.
Por nico vestuario trazem urna camisola Se
De volta de sna digressao entrou na casa da
sociedade allemaa Orpheus, e vendo o theatrinho
que ahi existe, expressou a vonlade de assistir a
urna representajao, o que-oi urna agradavel ordem
para a dita sociedade.
Chegado ao palacio provisorio, entreteve-se S.
M. durante algum lempo com as mancas, que lit-
patria a 34* e 335800, e soberanos a 10*40) >
10*050.
t Exportaram-se desde 2 do crreme al hoje (8)
os seg i mes valore.
Des linos, Ouro.
Barra. Moeda.
Soulhampton. 268:862,6010 8:000*
Lisboa.....
Porto.....
Bahia.....
Pernambuco.
3: 8*
2:5'.OS
5:000*
2:000*
Prata.
Moeda-
3:320*000
serviros que presin e eslava prestando a forja do
a aqu existente, fieamos todos desanimados
Joaquina da Silva Cavalcanti, Miria Joaquina da iianM -ns ,,..,.i.r
rter sabido, com a Cegada do vapor,que estasSo."5* W''' ^ """- ""^~
Temos datas de Cuiab at 1 de maio prxi-
mo passado.
O presidente adiou a assembla provincicial pa-
ra o Iode jnlho, pelas circunstancias da prc viBcia-,
rrsolveu crear um corpo de voluntarios da patria,
cujo comeen leve logo lugar pela forniaco da 1*
companbia, para a qual foi nomeado commandanteo
prajas com seus officiaes tinham de retirir-se pa-
ra a capital por ordem do governo, flcando aqoi
em son lugar um destacamento que veio no mes-
mo vapor, composto em sua maior parte de crian-
zas timoratas, que licaram assustados mesmo a
bordo, logo que souberam da noticia.
' Todos sabem qual a instruejo militar que
tem a guarda nacional de nosso pafc, e qne ella capillo de estado-maior da 2" classe Manoel Pache
I nao tem aquella disciplina para se haver cora de- co Lima ; e proclamou em 17 de abril nesle senli-
i noio as emergencias iguaes a estas era que noe. do a provincia.
Temos datas do Coxira al 3 de marceo ulli-
mMaranhao, na Baha, em II de agosto de 1865. ca de que S. S. nao coneoUSM one a liona de li-
-lllm. e Rxm. Sr. Tendo o Jornal da tahia de nha nos desamparasse em un,estadXdesesp e-
boje noticiado qn na ilha de S. Vicente, se acha- rado. nesespe
Total 268:862*010 20:968*
Baha. L-se no Diario : | achamos.
O segrate offlcio, que tomos auiorisados a pu- i Imaginando nos riscos em
e proporrinnalmeni.'
vara dous vapores pararrayos encourajados, to- Conliados na benevolencia do paternal gover-
baixara muito eucorpado, que parece fabricado por feralmente sitiavam a porta, fallando ailemao com mando carvao a toda a pressa para seguirem para no de S. SI. o Imperador temos f robusta de ue
elles mesmos, a qual pintara do encamado : por ellas, dando-lhes doce e alfagando-as com amor o Bio da Prata, pelas ilhas da Assenjo e Santa He-' esla tao salutar medida (Je nao seguir a tropa)
lena, declarando que esta noticia tinha sido dada ser approvada e attendida, os nossos rogos, pois
por pessoa do vapor americano Juniata, apressei-
me a mandar a bordo dito vapor para saber o que
havia a respeito : e posso garantir a V. Exc. que
baixo trazem mn tanga da mesma fazenda enro- de pai.
lada a pintura, e que desee at abaixo dos joelhos. | t Depois do jantar, S. M. sabio mais orna vez a
Ha alguns mais bem najados e ajaezado, mas sao, paseio, e s 7 horas da noite deslilava pelas ras,
raros. elegantemente illuminadas, urna multido do alle-
t Todos Iraziam um bonct de sola muito grossa mes cora lanternas de diversas cores e mostea na
a Cavagnac com o numero de regimeuto na frente frente.
escripio com tinta de escrever, e as armas do Pa- i Emqnanto os alkmesrautavam algumas can-
raguay impressas na mesma sola. E as armas? joes, forain os pastures evanglicos apresentados a de Janeiro e a corveta portugtiezi D. uto.
Diziam que vinham todos muito bem armados, nao S. M. Imperial, que longamente rom elles conver- j Deiis guarde a' V. ExcIllm. e. Exm. Sr.Dr.
exaeio ; trazem armas de pederneiras ja antigs sou, e lindo o canto enlrou urna commissao, sendo Manoel Pinto de Souza Dantas, presideute da pro-
entregue a S. M. urna allococao em eslylo enthu-; vincia.-Silvino Jo< de Carvalho Bocha, capito-
stasiico, na qnal os allemes punham vida e bens: teuenle commanilante interino da diviso.
nao sera possivel que o governo desampare esta
porjo de cidadaos que aqui existem, para bem
dizer, entregues ao bel-prazer de urna porco de
a noticia e menos verdadeira, porquanto os vapores criminosos, que montara a mil e tantos, e que a
que se achavam era S. Vicente erara o patinete da cada passo procurara evadir-se, empreando todos
companbia da Europa, que traba chegado do Bio os meios a seu alcance, sejam elles quaes forera. .
e entre ellas ha al
tiavia igualdades no
e trabucos com bocea de sino
g unas bas e novas, pois nao
armamento.
O mais engrajado sao os lombilhos que consis
tem em dous feixes de capim ligados por embiras
a disposioao do amado monarcha.
t Poriador dessa allorueo foi um colono dos
mais amigos de nome Petersen, que veio ao paz
e era cima um pelgo. Andam qoasi lodos desca- em 1821 e foi um dos primeiros povoadores de S.
jos, com urna correa de sola a cintura, onde segu- Leopoldo.
ram ou uuia pistola, ou urna bayoneta sem bainha c Em seguida, levantou o negociante ailemao, o
tal a gente que o perverso Lpez mandn con- Sr. Germano Grosskopf, estroudosos vivas Sua
quistar o Bio Grande do Sul, pensando que islo Magestade o Imperador, a sua alteza o duque de
aqui sao os serios desertos de Matlo-Grossol Saxe, a familia imperial e naci brasileira.
Alguns foram interrogados sobre o seu tira e Dispersndose a reunan, couduzo a commis-
responderam que liveram ordem de ir rebaubar sao os augusto-; hospedes t a sua comitiva ao salao
gado al l'ruguayana, que ja achariam tomada, do Orpheus, onde assisliram a represeniacjio de
toas que ate alii pouco tinham podido apanhar e um vaudeville, pelos dilelanti allemes, ouvindo
que ouviram dizer que da l'ruguayana passanam depois algumas produccojs de msica vocal e ins-
ao Estado-Urienlal al Montevideo, incorporados a irumental, rematando udo com urna nova ovacao
Consta nos que S. Exc, o Sr." presinente da
provincia, approvou a conservado do destacamen-
to de linha, que-sc achava no presidio de Fernan-
do, e que ia ser sustituida pela guarda naciona1,
nao s para garantir a seguranza, como para evi-
tar urna nova tentativa.
Os religiosos capuchinhos celebraram hon-
tem a lesta do Nossa Senhora Mi do Povo, cora a
celebrar na capella do Senhordo pompa do costme.
Al hora da tarde de hontem leve lugar, no
hospicio da Penba, o Tc-Deum mandado celebrar
pelo Sr. cnsul de Franca, pelo anuiversario de
S. M. o imperador Napoleao III.
O acto esteve solemne e foi concorrido, alm das
Hontem os acadmicos que marchara para a
campanha no sul, foram ouvir urna missa solemne
em ace,ao de gracas, a qual seus coMegatf, que ti-
ca m, mandarara
Bomfim.
Finda a ceremonia religiosa receberam convi-
te do dislincto ravalleiro o Sr. Marrolino Maia, (jue
obsequiou-osccm um explendidoalmoco.t
No t de Janeiro as 6 horas da manliia a esqua-
| dra paraguaya deu desembarque as forjas no cor-
po de Albuquerque. Belirei-nie ento para as ma-
las com a familia, levando apenas duas mudas do
j roupa.
Xa noite do mesmo da 6 puzeram os Paraguayos
em chammas as casas de capim, e arvoraram as
' propriedades do Sr. Jos de Souza Brando o pavi-
Ihu da repblica.
Abriram sa
todas as pe
! propnetarios roram obri^aaos a atravessar o rio, e
baldas de soccorros, completamente desprevlnidas
de roupas e meio de transportes, lomar -m o cami-
nbo do Coxim, onde- ebegaram a 27 de fevereiro,
era urna comitiva de crea de 400 pessoas.
A chegada dessa gente ao Coxim em nada dimi-
nuio o< males, seno em se jnlgar segura. A fume
era exessiva, pois com as noticias da invaso para-
guaya os proprietarios dos sitios se haviam inter-
nado, e os carros de Goyaz cessaram de entrar cora
mantimentos.
Alm da fome, a nudez era muito sensivel. Xe-
nhnma fazenda havia venda.
Dentro de olo dias era esperado naquelle ponto
o lente Mello co\n urna comitiva de mais de 200
pessoas.
Esiavam tambera a chegar alli o capito Luiz da
autoridades civis e militares, pelos cnsules das di- Fonseca e o eidado\fIenrimic Augusto sabidos de
um exercito de 30 a 40,000 homens, que esta em
Corrientes e vinba a passar no Uruguay oquecom-
bina cora a participacao do general Osono ao Cal-
dwell, que esta anda em Algrete; e se a forja que
est arada em S. Borja e llaqui aniraar-se a vir
passar por aqui, ser isso urna fortuna, porque te-
mos ja reunida forja
te para esmaga-lo
de viva=, etc.
.Na manha do dia seguinte montn Sua Ma-
gestade a cavallo com sua comitiva, e fez urna vi-
sita a Hamburger Berg (capella da Piedade), con-
versando lamliarmente com alguns colonos que
eucontrava ; e depois de regressar cidade lornou
listante o mais que sufficien- a embarcar no meio de um immenso concurso de
boje atrawssa o Valenja_ no povo, enjas vistas saudosas acompanhavam o ama-
mvmk M.
Pajo da Villa o rio Iljirapuytan com o 5o batalho e do monarcha.
um corpo de cavallaria liiidissimo que chegou de t O julnlo deste bom povo immenso e os nos-
dentro; o baro de Jacohy ja s; reuni ao Canna- sos irmaos de nacionalidade allemaa mostraram
varro com a sua divisao toda galliarda, hrilhante e um fermente enthusiasmo, provando assim quanjo
muito animada; esto arabos no Sanhudo; nao fa- idolatram o nosso amado monarcha e quanio sao
dedicados causa nacional.
t E' de suppor que a visita de Sua Magestade
Imperial faja com que tenha aqui lugar urna gran-
de lesa de voluntarios e guardas nacionaes.
t Acompanharam Sua Magestade capital 50
voluntarios de S. Leopoldo.
O vapor Apa fura de conserva ao Guahyba.
zes idea da animajo que trouxe o ultimo revez
dos Paraguayos; ha quera diga que elles veem
reunidos marchando em quadraJ i cora 80 carretas
no centro e approximaulo-se do Ibieuby Deus
permita que assim seja, porque sero ouros tan-
tos de menos que acharemos no Paraguay.
O Io batalho de voluntarios reirogradou at
Algrete, onde chegou tao desanimado que raellia
pena, pareeiam antes raulheres a quem Deus nao
fez para guerra, do que homens: agora l voltara
muito reduzidos, lalvez cora o Leirioa e o Tristo; do, sobreviera-lhe
Jos Pinto, a frente da bella cavalh.ria de S. Ga- denles.
briel que'vo rennir-se ao Cannavarro. Afflrma c O Sr. Dr. Flores extrahira o dente, e cessara
ram alguns prisraeiros paraguayos que a sua gen- por conseguinle a origem do mal. >
te tem descido quasi toda de Matto-Grosso e pa- j Corriam em Porto-Alegre e Bio Grande boatos
ra nos inconcebivel a frouxdo e indilferenjados, de novos encontros na fronteira.
Paulistas edos Mineiros.que deixaram saquearim- < Dizia-se que o bravo coronel Fernandes bate-
punemeute os nossos irmaos daquella desditosa pro-' ra no Butiiby 3,000 paraguayos, nos das 5 e 6 do
vincia. passado, flcado no campo para mais de 600 para-
O Dr. Venceslao, juiz de direito de >'. Borja tem guayos morios, 3,000 ravallos ensilbados e grande
feito proesas; parecem inenveis as temeridades porjo de armamento.
Seguio hontem no Tocantins com destino ao
Amazonas a commissao de engenheiros encarrega-
da de determinar os limites entre o Brasil e o Pe-
r ; a qual compe-se dos Srs. capitaes lenentes
Jos da Costa Azevedo, Joao Soares Pinto, e o 1.
tenenle Geraldo Candido Marlins.
E' a segunda ou terceira commissao que o go-
verno enva ao Amazonas aliin de, unida a com-
missao por parte d'aquella repblica, determina-
rem-se os verdadeiros limites.
As vistas do nosso governo tem sido frutadas
as commissoes anteriores, por nao ter compare-
cido a commissao peruana, e Deus queira que des-
ta vez se realise o que tanto desejamos por inte-
resse commutn do Brasil e do Per, cujas frontei-
ras HcarSo assim devidamente determinadas por
mutuo accordo.
Hoje tem lugar um bello espectculo no San-
ta Isabel em beneficio do actor Lisboa; o qual es-
Miranda oitodias anteKda entrada'dos Paraguayos
com urna comitiva de. 300 pessoas, comitiva esta
que tena chegado no Coxim antes da do Sr. Bran-
do, se por ventura nao demandasse aquelle ponto
em carros e com grande bagagem.
O casco do batalho de cacadores tomou de Mi-
versas najoes, por pessoas gradas e por crescido
oumero de cidadaos franeezes.
A irmandade da Misericordia festejos tam-
bem hontem a sua padroeira, Nossa S-nhora do
Paraizo. A igreja eslava sumptuo-amente ornada.
Orou ao Evangelho o Bvm. Antonio de Mello e Al-
buquerque; sendo a muMca da orchestra desetn- randa para Camapuam.
i penhada pelos menores do collegio dos orphaos. O lente coronel Dias est em Santa Auna com
No convento da Gloria houve a (esta da pa- quatroeentas e tantas pessoas que o acompanharam
;droeira, orando ao Evangelho o Bvm. Antonio Ma- de Miranda.
noel da Assurapjao. O templo esteve bem deco- Os fugitivos de Albuquerque tendo deixado ludo,
i rado e a concurrencia de liis f >i nura rosa. salvaram todava e eondnziram as coras do Dfvi-
Hontem, por I hora da tarde, leve lugar a no Espirito Santo, o calix e patina da sua igreja
i sessao magna_ do Gabinete Portuguez de Leitura matriz.
| em solemntajao do dcimo quarto aniversario
da fuudajo deste magnifico estabelecimento Inte- ao governo o socorro de roupas e de vveres, pois
rarJ- que se acham t dos, homens e mulheres. ns, e
Lompareceram a este acto Ss. Excs. o Sr. presi- morios a fume: e que a miseria de da em dia cres-
denle da provincia, eommandante das armas, chefe ce com a agglomerajo de outros fugitivos que
de polica, diversas autoridades, o Sr. cnsul de | por alli vo apparecendv.
S. M. F., e um concurso numeroso de diversos ci-
dadaos e socios do mesmo estabelecimento.
Foram recitados discursos anlogos festa pe-
los Srs. Dr. Feitosa, acadmico Fagundes Varella,
Joaquim GerarJo de Bastos; urna poesa pelo Sr.
Sua Magestade o Imperador "SESA fa** da viagem S L-opol-' Fa leceu naT Z noso com^iS o! S* "'V"" "h Sr" SS."1* qae Pr mf
do sobreSerl^ An- vo- "-^-nodos no pude comparecer; tendo
Ionio Jos Bapozo, victima de urna febre perni-
pathico aos matizes blanco-frdrral puragnaifi, {\_ _
seja dito de passager, bao de vir fumar ama tt
nica com o correr dos lempos), o P**bh. di-. v#
na dissolnjo das forjas entre-nana* orna riaifi
do general L'rqnia, e nisso e funda para lh- fair
toda a casia de accu-anV-s.
O Nacional, coro mai> rireamsperro. nan acen-
sa aquelle general, e ao contrario nao e^i tente
de reconhecelo iodocenle no oeres do, que como se denomina a dicolora las hr-
cai de Entre-Kios.
Mas susienia i|oe o gen ral L'rqnia ria sana
prestigio, que nao se deve contar cum rtlt, e inaiB
menos com o ver reunir de ro o seo rfcbawtanV
exercito. Pronnoeando-se rom nraila *nrgia
exige que n presid-nte Mitre por tome m l para, forra, levar os Kntre-nano< ao nrrmm,
punindo todos us complicadas naqoetla ililan
dada.
A Nacin Argentina, nr.i los orgV-s mi* Hn<-
trados da impren>a boiiaeren.-'-, mas a qwaaMB
qualidade de semi-ouVial obriga a utt M9M
sempre convenientes, no sent lo ffirial. m Man
sempre sinceras e po-invas, rr p sosi<*nu a tema-
i saque pelas fazendas e sitios,cora oque SS-LffT SS1* 2SK?! 5 S
BSsnaa refu^iadis a rIIm p na masmos l"Jl'ular'dade, e a rafallivel r<-ali>acaii da prom^-a
STaaSS^-f KJL'.f?! PJ e"- <** reunir em I, no *> d.a* on. ter-
cito anida mais numeroso do que linha.
Emllin, a Tribuna ana fatal tai parerTolloaar-
se no terreno mate oUste r-.-.-nb.-.-h a ir:
rtade riu general l'rqniza, e a soa dedicar m para
reparar o dKsa>trc de Uasualdo, roas s aajnmj ali-
mentar lucirs operancas de qne a roaga. a
como que aguarda novos fados para f> ratar !
juizo.
O que succede na inprf nsa e exa*taai*ai a fa-;
se observa na npino pui.li-a drsu rapiui, a,seaa
duvida, de todo o pala argentino.
Ha irai dias uma con>-p.indencia da Omranli i.
dirigida a Nacin Aramlina, digna*a n ceajrr..!
Lopes Jordn como anafe ou aulor do levante; >-
rom, a redaccao do j rnal, .em roalasir a a-
jao, punha rtn duvida ..> iK>ns motivan 4 ten wr-
respondenie para funga te.
Outros chfe de menor linporUneia teea <>>lo
tamben afnMtafea romo amnvmfi a opiniao po-
blica e severidade do coverno. serriua que a impreusa unnime em reclamar.
Se fosse exacto que o general Lopes Jordn fcs-
se o aulor do attentado. s.;ria ner.*are. ea*td --
rar este anda mai> grave do qne se l>-m jatead".
I.orque aqueHe general tanto ira maa> miacate
qne Urquiza, < seu i,re>iiio em Entra-ttaa n
muito inferior ao do r-'ko caodilho. Porm ce-
do ainda para obler-se as provas que sa neeessa-
rias e o temor -era porianto prematuro
Por em amanto o pmiMmj qoe o general rnmi-
za tem esnftenca em .-i, o qur nao aoero, a ai
Pedem todos elles que imploremos em seu favor Jjn as ordeDS Para 'le Da provincia de Oirdova vinba um contingente
fe 600 a 700 aomana, marriamln a p, iln iimufii,
e com nina furo- e>r..|u. Ki- -nao ipia
segundo dia de marcha, lima frareao cenan de fifi
homens se revolla. brlga cum a eseelia, e rnaaaU-
se, depois de perder alguos homens.
itesulta, pois, <|ue por ora ap-na.> Bom A\r -,
Corrientes e Santa-F, entre as qualone pfwtnmin
da ('onfederacu, se leem mostrado decididaa ma

sido aberta a sesso pelo Sr. Jos Alves Lima.
O eslabeleciraeuto eslava completamente ador-
nad), notando-se sobreludo o docel, sob o qual se
viam as efflgies de SS. MM. I. e B., por ser de um
gosto Inleiramenle novo.
A coucurrencia no Gabinete foi numerosa, du- que e de sevicias atrozes.
rante lodo dia e noite, a visitar a casa que eslava '
As ultimas datas de Corumb sao de 24 de
marco, e as noticias que corrern as seguinles:
O general paraguayo aulorisara nm saque horro-
roso no qual se nao respeitou a nacionalidade al-
nT llfltfl
Subditos fraocezes, italianos, portuguezes, emfim lu v 0Qr* ES-."
de todas as najoes all residentes, foram, como os
brasileiros, vietimas do latrocinio, da pilhagem e
do roubo dos piratas paraguayos.
Con>ta que o negociaole iulianp, Nicola, cimba-
do do Sr. Vicente Solares, ipje so acha entre nos,
uo obstante ter pago o tributo de 25:000$, que Ihe
impuzeram, por ultimo tambera fui victima do sa-
Cada uma ra da villa era uma trincheira feita
por elle praticadas, acompanhando sempre as nos-
sas forjas, as>islindo aos combates, armado como
um soldado e animando a todos: e um hornera ex-
trordinariol
Eu tenho feito o que posso, j dando gratuita-
mente boas cavallos e bestas mansas para a arti-
Ibaria, ja pondo a carainho todos os mous aggrega-
dos, e sustentando as suas familias, que nao sao
poueas, mas ludo faco com muito prazer ; o nosso
amigo lenente-coronel Tristo de Araujo Nobrega,
receben no ataque nm gran le golpe na cabeja e
entrou-lhe uma bala na caita do oorpo.qoe amia
nao se pude tirar, elle est, mal, mas espera-se sal-
va-lo.
Morrea o capitn Joao de Oliveira, um tenente
Israel, mas tres officiaes e vinte e tantos sol-
dados.
DIARIO DE PEB.NAMBUCO.
O vapor inglez Douro, chegado sabbado do Bio
de Janeiro e Baha, adiantou dous dias do primei-
ro, isto trouxe jernaes de 8 e 9 do crreme:
Alui do que vai sob as rubricas Parte Uflcial e
Interior, eis o que mais encontramos.
ato de jaxeibo.Le-se no Jornal do Commercio :
B-unio-se hontem (7) a directora do Banco
Rural e Hypothecario, para dar posse aos novos
directores ltimamente eleitos, os Srs. visconde da
Estrella, Amonio Goncalves Guimaiis e Claudio
Jos da Silva.
O Sr. Dr. Haddock Lobo, presidente interino,
propoz o Sr. visconde da Estrella para presidente
do banco, proposta que, s^ndo unanimemeute acei-
ta, tomou logo a presidencia o mesmo senhor, o
qual em seguida propo* um voto de agradecimento
aos Srs. Guilherme Pinto de Magalhaes, Amonio
da Silva Monteiro e Francisco Igcacio de Araujo
Ferraz, que se retiraram da adininistrajo por te-
rein concluido o seu lempo.
Teuho infelizmente chegado a entrar na cir-
culajo algumas das notas falsas do banco do Bra-
sil de 10i, de que ha dias fallamos, aponlaremos
os signaes pelos quaes podem ellas mais fcilmen-
te distinguirse das verdadeiras.
Em primeiro lugar o papel mais grosso e
escuro. Olhado luz aprsenla apenas alguns ris-
cos vurticaes brancos, quando o das verdadeiras
mostra diferentes desenhos no alto e em baixo as
palavras Banco do Brasil em lettras d'agua. Pelo
que respeita gravura, a parte mais mal feita, a
ponto de logo dar na vista, a vinheta que repre-
senta a bahia do Bio de Janeiro, e que as notas
verdadeiras extremamente ntida.
Xeslas dbtinguem-se perfeilamenle duas figu-
ras humanas em trra, das quaes uma mesmo de-
fronle da proa da fala, o que as falsas se nao
percebe, sendo tambem pouco distinctos os contor-
nos. Os fundos pretos era que esto os dizeres, sao
imperfeitos, e os algarismos da numerajo do bi-
Ihete sao mais grosseiros.
As notas falsas sao da 3* serie, e, como dlze-
mos, basta reparar sobreludo na vinheta, apal-
par o papel, que mais grossi e spero, e p-la
conlra a luz para ellas im mediatamente se denun
ciarem.
L-se no Correio Mercantil :
S. M. o Imperador acompanhado por S. A. o
duque de Saxe e pelos Srs. ministros da guerra e
generaes ajudantes de campo seguir a 23 de Por-
to Alegre, no vapor Guayba, para S. Leopoldo.
S. M. embarcara as 6 horas da manha, tendo
oavido missa na cathedral da capital, e regressra
as 5 horas da tarde do dia seguinte, desembarcan-
do no trapiche da alfandega, onde um numeroso
concurso o esperava para sauda-lo.
Em S. Leopoldo, S. M. tivera tempo, apenas,
Accrescentava-se que o general Canabarro se
achava com 8,000 homens prestes a passar o Ibieu-
by, logo que realizasse a ponte que eslava lazen-
do ; e que o tenente-general Caldwr1 se chava
prximo ao Ibicuhy com 6,000 homens, para fazer
juneco com aquelle general.
t Oulro boato, a que, porm, nao preslnvam as
folhas rio-grandenses inteiro crdito, era o de um
encontr de 6,000 paraguayos com a forja dote-
nente-corouel Vidal, de 350 homens prximo a
barra do rio Camaqnam; uo qual houvera grandes j
perdas de ambos os lados, ficando gravemente fe-
rido aquelle tenente-coronel.
t Cumpreaccreseentar que as communicajues
officiaes do coronel Feruandes de 6 do passado na-
da diztm a este respeito.
No dia l cliegara a S. Gabriel a brigada do
Sr. coronel Tristo Jos Pinto, e logo se pnzera em
marcha a alcancar a 1" diviso ligeira. Alm des-
la origada, iam "ero. marcha varios corpos de ca-
vallaria.
Ficava alli sravemente enfermo o Sr. mare-
chal baro de S. Gabriel.
Xos dias 25 e 29 do passado e 1 do corrente
tinham chegado ao Rio Grande, procedentes dr
Sania Catnarina, os vapores Brasil, Falcao e Ge-
rente conduzindo 1,500 prajas,
O vapor S. Paulo, que havia sahido do Bio
Grande no dia 23 com destino ao nosso porto, ar-
ribara alli horas depois por ler-se-lhe quebrado
uma poja do machinismo.
OSr. coronel Thomaz Campos ficara no dis-
trelo de Povo Novo espera de armamento para
se por em marcha para Tahim.
Assnmira o commando da guarnieao das ci-
dades do Bio Grande o Sr. teuente-general Fernan-
des dos Sanios Perera.
L-se no Diarto do Rio :
t As noticias do movimento das nossas forjas e
das forjas inmgas sao em parte officiaes e em
parte de origem particular.
Uma das mais importantes a de nm novo ea-
contro entre as forjas do coronel Fernandes com
3,000 paraguayos que licaram derrotados. Esta
noticia referida com muia mnuciosidade pelo
Commercial do Bio Grande, a 25 do passado, mas
no encontramos em dala posterior a 7 a coufir-
majao offlcial. Entretanto, transcrevemos integral-
mente a noticia.
t Grande triumpho.Hontem chegon da campa-
nha o Sr. Bezerra, socio da firma Bezerra e Para-
deda, queno* d asatisfamria noticia de tero bra-
vo coronel Fernandez alcancado um segundo e
mais completo triumpho sobre as ordens para-
guayas que invadiram nossa bella provincia ; eis
como reala o Sr. Bezerra, esse grande feito das
nossas armas.
cosa.
Tendo concluido o curso de mathemalicas e
sciencias physicas em 1860, achava-se empregado
na 2.' directora da secretaria do ministerio da
guerra.
Esse mojo era dotado d'uma intelllgencia pene-
trante, e muito applicado a r.arreira que adopton, ",8"a uo rc,'5e; e.",a"'r *e a anmencia ae po- cora os nrajos Uos pnsiooeiros.
sendo alm disto bom amigo, desvelado filho e de- vose da naoestivesse tao chuvoso. Os escravos apprehendidos tinham por tarefa
dicado esposo. Alistaram-se anie-hontem, como voluntarios diaria de servijo darem 300 aehas de lentaa sob
O vapor inglez Douro trouxe do sul do im- Palria> os estndantes do 5o anno da faculdade j pena de a.;ouies e de nao comerein sem aprsenla-
perio 173 passageiros, sendo 11 para esta provn- d^i:i0,ao.1ta.n.s[;!.PlDiieil' ^\ Sf!bii,nho i rem completado a tarefa;
cia e 162 para a Europa.
Pelas uliimas noticias achava se
em Porto
corpo de volan-
do Exm. baro do Guapy, e do Io anno Jos Theo-
doro S Brrelo Villas-Bas.
Alegre a ala direita do nosso 2. corpo de volun- ~ Aini* ma,is alislaram Manoel Fernandes
larioS_ Tavares, Eduardo Alfredo Bibeiro de Mallos e An-
() vapor Persinunga. chegado hontem de Fer-,tomo Pncisco Marques,
nando de Xorunha, foi' portador das segnintes ira-: Otlereceram-se, para fazer parte do contra-
portantes noticias: \eQ,e da (?"arda nacional, o furriel Jos Joaquim
Xo dia 2 do corrente foi descoherto o plano de jnCa'ves Rosa e o cabo Francisco Amancio do Antonio Gaudie L-y e poucos mais.
una revolujo, que derla ser Reculada n'esse .Espirito apto, ambos do 3o hatalhJo de infanlaria
dia por grande numero de sentenciados militares: ao Binnleiplo do Heejfe.
e de justija, com o fim de assassinarem o com-
mandante e mais empregados da ilha e do vapor,
deshonestarem as familias, commelterem toda a,
casta de latrocinios, apossarem-se das fortalezas el roram recolhidos a casa de detencaonodia lado
quarleis e evadirein-se no vapor, quando ebegas- crremei: ...
se, para o que ja havara designado os substitutos! A.ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, ^ma-
das diversas autoridades e os
vapor. Felizmente abortou es
por denuncia de um dos executores ao respectivo' cia- Pnra correrjao.
Bepaiitijao da polica :
Extracto da. partes dos dias 13 e 14 de agosto de
1865.
IgnadO OS SUOSlIlUlOS i ""' uun.u,. o. m. unci uc |ium.n, -iiia-
i dos empregados do, ro ,-)UDes das Ncves, para reeruta
esse malvado plano,, ordem do subdelegado do Recfe, Mara Feli-
commandante, uma hora antes de ser realisado,,
quando este se achava na fortaleza dos Remedios;
fazendo pagamento aos soldados.
Foram presas 32 pessoas complicadas u'essa ten-.
laliva eo eommandante tomava as medidas neces-'
sarias para o castigo dos criminosos.
Xo acto da pnso houve aiguma resistencia, da
liiai resullou o assassiuato do sentenciado Manoel |
Traha descido toda a forja paraguaya alli esta-
cionada, flcando apenas urna guarnijo de 400 h-
meos.
Tinham lambem sido conduzidos para baixo lo-'
dos os Brasileiros, homens mulheres, velhos e
criaujas; cando smeute na villa o inspector da]
alfandega Joaquim Pires da Silva, o thesoureiro'
Constara terem descido para o Olympo e As-
sumpjo alguns prisioneiros militares e paisanos,
em numero de cenio e tantas pessoas Inclusive o
major Salvador Correa da Costa, capilo Conrado,
tenent-'s Barbosa e Camargo, e os empregados da
albndega Eleuterio, Alaliba
espirito fe i afn*-reara,
seno de opposijo, aos esforjos du goverao argen-
tino.
Ser qne o partido federai-ronsta reaja cnir*
as ideas desle governo, soctorrrodo-se para aa>
das complicajtte exlernas <- Ou sera que o procincialiumo, sobejami. eiu
principio o exprimiudo-se n | [ rinnimrar t%&>-
que o seniiroenlo da nneionaMatie a ponto fn fes-
atlender a seus reclamo* man exiaea'es T
Eu inclino-me a esta cirrumstanria : as aravM-
cias sao velhas e a manto de hoetem : par nato
tn, e por ludo o mate, aquellas qne sao aJguma
Consa e a naco ponen r>u nada .
Fatal eonseqnencia das guerras nris, qne pr-r
outra liarle a mesma orcanisacao poiiueafa rep-
blica cun<-orre para agjravar I
Felizmi-iile p.ide- |..r r.mHanea no linn ener-
ga do governo arg-niino e esperar que f-m -lies
vira a dominar todas as resisteneras, a vencer Safa
as inercias, de modo a concentrar dimW ba-ume
para debeHar o raimi.-o que ralea o terriinriu d
repblica.
Era dala de 2 do prximo pausado. **r 're o
segrate a correspondencia de MunferMeo pan a
Correio Merlil:
O que honiem enfria era Bn-nos-Arres er qa.j
cupavam os pontos dos Dourados,
ja se tinha diminuido.
Nos Dourados consta que s havia um vapor.
No Corumb dous.
A' ordem do de S. Jos, Joaquim Francisco de Os Paraguayos abandonaram a tentativa de su-
l'aula, e Mara Francisca da Costa, por brlga ; birem a' esta capital, e, segundo corria em Co-
Francisco Lopes de Souza, para averiguajoes em rumba, a precipitada retirada das forjas e da re-
cr me furto ; Jos, menor, por crime de furto ; e duejao da guarnieao da villa a 00 prajas, era
Francisco, ccravo de Anglica Cavalcante de l-jconseqilencia das noticias alli tratidas pelos rapo-
buquerque, por desordem. | res da repblica do effectivo bloijueio feito celas
13 esquadras brasileira e argentina as Tres Boceas.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, C!au-' Con-ta que o destacamenlo paraguayo de 100
da Silva Machado pelo'se'compaDheiro Manoel! dio Jos da Costa, para correjo. prajas, que se achava as Piraputangas, fazenda
Sabino da Silva, s 7 horas da noite, as maltas I A orem do subdelegado do Becfe, Bernardina do barao de ^'illa-Mara, desapparecera todo, e des-
entre Viraco, Leo e Cajazeira. "*ra das eres, para correejo. sas homens foram encontrados alguns cadveres.
No dia II, em quo d'alli sahio o vapor, ficava A' ordem do de Santo Antonio, Manoel d'Araujo 'Con-.ta mais que uma partida de 300 Paraguayos
restabelecida 'a ordem. Chayes, para correejo.
A ordem do de S. Jos, Laurenlino Braz d"01-
veira, Feliciano Antonio da Silva e Jos Custodio
iaraes- a columna paraguaya de IH.OO homens i
O numero das forjas Mnm!Sffi *! Ha %."-l e *<~ *
Achavam-se j no exercieio de seus cargos os
novos funecionarios que d'aqui seguiram.
Fallecer, em consecuencia d'uma queda do alto ', ou 9alisl da Si,va' P0"" i0?08 Prohibidos,
dos rochedos da fortaleza dos Uemedios, o tambor i A ordem do da Boa-Vista, Candida Maria da tivos, Paraguay cima.
desertara, suppoe-se ser a fori.a destacada i
Dourados, a qual julgando
ver lomado para o lado de
oreparar o Anambahy para ir ao encalco dos fgi-
do 4 batalho de arlilharia a p, Domingos Jos Conceijo e Belmira Maria do Espirito Santo, por
de Gusmo. bri*a 5 Joaquina There/.a Nunes, Manoel Pedro
Eis cum minuciosldade quanto occorreo, por Victorino e Severoa Mara de Jess, para a cor-
testemunha ocular, de contonea nossa : reejao, Camillo, escravo de Jos Antonio Bilten-
' t.No dia 2 do corrente grande numero de senten- cour,> a requerimento deste; e Jos, escravo do
ciados, ja ha muito lempo combinados ent.e si, se tenente-coronel Joao Valeulim Vllella, por fgido,
junlarara n'um lugar deete ilha denominado Var-. O chefe da 2' seccao.
zea do Grillo, por volla de 11 horas da manhaa, e de Mesqnita.
determinaram dar o assallo logo que os tambores, Casa de detenjao.Movimento do da 13 de
e sinos dessem o toque de meio dia. Estes malva-: agosode 1863 :
Existiara 362; nlraram 13; salnram 8 ; exis-
dos se tinham munido das foices, que se Ihes fur-'
necera para o trabalho do campo, e as oceultas se
trabara armado de facas e punhaes.
c Dous delles pelas 7 horas da manha foram
fortaleza dos Remedios (a principal) com inlenjo
de examinarem o estado em que eslava o destaca-
mento, e o lugar em que se guardara as armas.
Uma llura antes do rompmento subi a mesma
fortaleza ura dos chefes para ijar uma bandeira no
Que achando-se doze leguas dislanto de ltaquv telegrapho, que servira de signal a mvasao. Logo
chafara a casa aonde eslava parando, nm dos fe- 1ue a bandeira fosse ijada, e annuncasse pela sua
ridos da forja do coronel Fernandes de quem sou- cor a occasiao propicia de ser regado
be, o seguinte :
tem 367a saber: nacionaes 268: mulheres 1]
estrangeiros 24 ; eslrangeiras 2; escravos 57 ;
cravas 3, total 367.
Alimentados a custa dos cofres pblicos 184.
Movimento da enfermara do dia 14 de agosto
de 1865.
Tiveram baixa :
Jos, menor ; gasinte.
Teve alta:
Bento Jos da Silva.
Que o coronel Fernandes, logo depois do ata-
que do da 26, se desfarjara em poo para mais
fcilmente observar os movmenios do inimigo, e
que chegando na fazenda de Escobar, soube, que
os Paraguayos em numero de 3,000 homens pre-
tendiam fazer um nova delgeneja, afim de condu-
zir gado para o seu exercito, e que vista disto,
o coronel Fernandes se reunir s suas forjas,
emboscando-se no matto, lugar este em que deve-
riam passar os Paraguayos; o que nao demorou
uiuilo, porquanto no da 6 do corrente, por occa-
sio de passar as forjas paraguayas, caho do sor-
preza sobre ellas, matando 600 homens e desao-
jando completamente o restante das forja?, a quem
nao davam quartel, nem mesmo nos banhadosonde
os atacava.
O coronel Fernandes ficava ultima hora cor-
lando a passagem dos extraviados, e calcula-se que
de fazer uma pequea digressao al ao Hambur- um s delles nao possa mais se reunir o rrstodas
ger-Berg.
Sobre a recepjo que alli se fez ao augusto vi-
siun'e, eis o que escrevem em dala de 24 ao Mer-
cantil de Porto-Alegre :
Foi immenso o jubilo com que o povo de S.
Leopoldo recebeu o auguslo imperante.
Sexta-feira a noite chegou aqui a particpaeao
offlcial da honrosa visita de S. M. Imperial, e o Sr.
coronel Joo D. Hillebrand, digno delegado de po-
lica, deu desde logo as precisas providencias.
Os allemes nomearam inmediatamente uma
omiuiasa'o encarregada da dreejao dos festejos, e
todj* esperaran! anciosos a chegada do augusto
hospede, quando ao meio dia de 23 do corrente i
aportou o Guayba as nossis plagas.
< A secjode infanta riada guarda nacional com
a su a ofiicialidade e msica estava formada na
praia ; o clero catbolico, os pastores protestantes, a I
amara municipal, as autoridades do lugar, mul-
tas associaedes allemes com suas bandeiras, a
commissao dos subditos allemes e todas as crian-
cas das aulas do logar, abi se achavam em vestes
domfngueiras.
i Debaixode enthasiastieos vivas desembarcouo
imperante, sendo recebido eom uma breve allocu-
e;o pelo presidente da cmara, e, regeitando o pal-
lio que fura offerecido, seguio por entre doas alas
de meninos e meninase no meio das aelamaeoesdo
povo para a igreja, onde foi cantado um solemne
Te-Dim.
t
forjas, as quaes ja se dizia que estavam repassan
do o Uruguay.
t O ataque deu-se no Ingar denominado Butuhy,
e Sr. Bezerra que acompanhou a parte offlcial des-
se grande feito de armas at Bag.
Ficaram em nosso poder 3,000 cavallos enci-
mados e muito armamento.
Eis as ultimas noticias commerciaes do Rio,
segundo o Jornal do Commercio :
* Cambio.Inclaindo pequeas transajoes effec-
toadas hoje, sommam os saques eetuados para o
paque inglez Douro:
Sobre Londres 330,000 de 23 a 23 5|8 d.
t Sobre Franja e Antuerpia 2,000,000 frs. aos
extremos de 405 a 408 rs.
t Sobre Hamburgo 610,000 ra. b. a 752, 735 e
760 rs.
c Sobre Lisboa e Porto regulou a tabella seguin-
te :
126 a 128 0|f> a' vista.
125 > 127 Ora- 30 das.
124 > 126 0|0- > 60 dias.
123 > 125 0|0' > 90 dias.
< Apolices. As provinciaes de 6 Oo foram ne-
gociadas a 90, 90 1|2 e 91 0(0, e as provinciaes de
5 0|0 e 86 o-
Descontos.Begulara nos bancos de 7 I |2a 8 0|fj
e na praja a 9 0|r>
t Acjdes as do banco do Brasil foram negociadas
ao par, e as da eompanhia Brasileira de Paquetes a
ser regado este solo I Mariano (escravo), sentenciado,
com o precioso sangue de tantos Brasileiros enea-! Passageiros do vapor inglez Douro, entrado
nocidos no servico da patria e do seu monarcha,, d0 "10 de Janeiro e Babia : David Henry Bow-
um grande numero de assassinos carregados de nian, Juao Alves da Cruz, M. Jomj da Cmara, sua i
Esta resolujo, nao conhecida em S. Lnzdo
Alto Paraguay, deve cansar com a approximajo
ou noticia do vapor inimigo, as aguas de Villa-
Maria, grande perlurbajo na populajo, e c de
esperar lenhamos em breve daquellelado proprios
com noticias aterradoras.
S. Exc. o Sr. prosidenle deu inmediatamente
conhecimento ao eommandante daquella fronteira
sobre a tentativa, e. se a expedijo deinorou-se,
do crer seja recebida em Villa-Mara sem o pnico
que coslumain causar os successos inesperados, e
que os Malo-grossenses habitantes daquella fron-
es-. teira sainara aproveitar o eus"jo para reivindicar
o Anhambahy, e difficultar ao inimigo a forja, t
previnir-se de um vaso para persegu los.
Os Paraguayos haviam conduzido para baixo tu-
do quanto encontraran) no Corumb e roubaram
pelos panianaes aos fugitivos. Ni Ihes escapen
nem a cal da naco, que estava em deposito; ca-
deiras, mesas, loiia a qualidade d movis, planos,
etc., dos particulares, ludo foi objeclo da rapia e
ronbodesses piratas.
Toda a artilhari de Corumb', e as melhores
pejas de Counbra, foram ja' transportadas.
De algumas casas consta que trarara os portae-
pedras, fiogindo que as levavara para a obra, que senhorae 1 cunhado, Auna Farell, B. Austra, Eu- para lenha de seus vapores,"e as portas para lelos.
n'aquella fortaleza se est fazendo, tomariam con- Kueno L*te^ard; ,.*' Jose s,nies Nunes De Miranda consta que os ludios reunidos ca-
ta della para com mais seguranja levarem ao cabo, Borges, C. L. Kroff, e 16- para os portos da En- btram sobre a guarnieao paraguaya alli estaciona-
ludo quanto haviam concebido. | rol)a" da, cujo numero ignoramos, e tizeram grandes es-
Apossados da fortaleza seis sentenciados en- i ~ Passageiros do vap*r nacional. Tocantins, tragos.
Irariam sbitamente pela porta principal da casa: sabido para os portos do norte :Izidoro Latourel- j Foi a vingnca terrivel da destruijo da raortan-
ouiros seis pela do quintal, o te,Lucidato Perera Lima, Jos Antonio Martins "
Dabi driglo-se S. M. a casa que fora prepa-' Vapor a 285, ?23 e 203 de descont,
rada para sua recepjo, pelos, colados do nosso i Metaes.-= Effectoaram-se vendas de onjas da
do eommandante, e
sorprehenderiam e matariam, lomando os ouros
sentenciados a tarefa de executarem com penna de
morte os ofciaes aqui destacados e mais empre-
gados.
a Felizmente nessa occasio o digno eomman-
dante do destacamento se achava no quarlo da ar-
recadajo fazeudo pagamento a tropa, o que obstou
que lalvez cravassem algumas pejas que alli exis-
tem, e volarara na esperanja de levarem sempre
a effeito o que desejavam.
< Quando estavam nesle manejo, Inctando com
a loocura e a esperanja, um dos conjurados, toca-
do de arrependimento ou temor, apartou se do
grupo que estava na Varzea, corre e denuncia ao
eommandante a conjurarn, o qnal immedialamen
le, com aquella sollicilude e zelo de que dotado
pelo servijo publico e bem estar de seus governa-
dos, d immediatamente as necessarias providen-
cias, poe ludo em cautela, faz prender alguns ca-
bejas e seus adeptos, escapando cinco dos princi-
paes que se refugiaran! as matas, donde foram
arrancados a forja de um trabalho insano, de
muitas vigilias e privajfles, porque passaram os
Srs. ajodante, eommandante do destacamento, ofifi
ciaes e moitos sentenciados de boa ndole e aman
tes da ordem, que unidos ao commando prestaram
relevaulissimo servijo a bem da ordem publica
tao fonemente abalada, eqne ainda balouja sobre
o pedestal em que deve ser firmada.
Temos a lastimar urna morte perpetrada na
pessoa do infeliz Manoel da Silva Machado, que foi
victima do seu zelo, na occasio em que subjuga-
va a um dos principaes motores da sublevajo,
recebendo nessa occasio uma punhalada no peilo
esquerdo atirada pela mo certeira desse assassi-
no de nome Manoel Sabino, que hoje foi castigado
para exemplo dos outros.
i Tem sido castigados at boje vinle e tantos
revoltosos.
Quando eslavamos mais consolados, nao s
por termos escapado de uma mora certa, como
tambera por goniaripos cora a continuajo dos
Leal, Joo Piolo Marlins Lima,
Del Vechio Guiseppe. Biagu
Meensetero, Jos Ferreira da Silva Jnior, Salva-
torio Cavacarnbo, Alfredo Metzger, Dr. Jlo Ro-
drigues Chaves, Felicio Jos Vaz de Oliveira, Ali-
pio Dias Machado, Joo Rodo pho Gomes, Joa >
Bapiista de Magalhaes, cnsul de Bremen G. Put
farcken, Joseph Michel, Victorino Coelho Maia.
Passageiros do vapor nacional Patahyba,
sahido para os portos do sul : Irino
I dade que os Paraguayos tizeram as aldeias da
Angelo de aple, quelles aborgenes.
Vecheo. Genoano | No dia 26 do correle chegou a esta capital o ci
da Matta
Nunes, Cosma Maria da Luz.Dr. Ambrozio Macha-
do da Cunha Cavalcanti, sua senhora, 2 filhos e 2
escravos, Fraucisco Antonio de Souza Correia, An-! relajo com o Brasil, e serem inexactos os boatos
tomo Leonardo Rodrigues, Antonio Teixeira Pinto, j aqu propalados ha pouco tempo, sobre a invaso
Vest raiano de Araujo Reg, Adriano criado do por forja da repblica no nosso territorio pelo la-
dado Joo Paes de Souza Sobrinbo, que tinha ido
pelos pautanaes, por ordem da presidencia em soc-
corro do tenente Mello. OSr. Joo Paes nao encon-
trando mais aquello distincto offlcial, servio toda-
va de amparo e salvajoa' 28 pessoas que trouxe
em sua eompanhia, Inclusive o Sr. Jos Das e sua
familia, a quem os Paraguayos haviam ja' intima-
do para descer para Corumb'.
Pelas ultimas noticias dadas por pessoa fidedigna
consta conse var-se a Bulivia na mais harmomosa
, sem ilifliciihiad* aleuma tran-pr o rV HurttfT, t
c-0' ameajava perto a Uiuguayana.
Vinba islo eootradizer as asseveraji>s U ten-
prensa, nos dias aren -.i.tafea, de estar o rrn -r i
Din I Canabarro eobocado sobre o lutrnar. e -
posto a fazer uma tefeza tenaz rom *-os 5.IMR) ou
6,000 homens. Todava foi acreditado.
Por fortuna a Nacin, que tem no irarrrnrr
do presi lente Mure un bom eorrespond-nr-'. m-
pre ao facto dos offlcios qoe se reeene, neMmea
ama carta da Concordia que dizia em reman a
seguinte :
O general Ozono receben oflnknj da I neaja
general aldwell, c irara indant- da* armas te Rio
Grande, em que ate lar rerebid aaaannnntenflm
: do coionel Fernandes, com data de 15. la.'orraa'a*.
(que o exercito paraguai Mam lta|Oi *< nal I,
i dirigindo-se ao nano de Sanu Mtria. no IwenM, a
% Ma'rt nWn n *aa mi,n! eor,W" h ***+* ". <*-
* do as ordens do general Canabarro.
Ora, claro que se este >rleara nata trr>
menor de 2,000 homens bostilisar o iniVip. i par
que pretenda aiguma operario na sna frena*, a ana
nao poda ser ouira seno a de resistir sa aasaammi
do Ibicuhy.
uniros suppoem que o plano doexiertoraoililho
rio-grandense fosse. irazer os paragnatos xpem
desse ro, e rollosaamj in hM a sua mmjanjnjanjfA
deixa los cortados do > operacoes, do modo a nao poler escapar nm s, ao
caso provawl t uma nrrala.
Em quanto nao houver dados mais positivos sic
arbitrarias todas as sopposijoe-. e aeso ^trara-
gantes as conse njsaeias qoe deltas se rao tiran-
do. Consignemos poiscomo exacto s ase-
grate :
Os Paraguayos passaram para a margtm '-ijaer-
da do Uruguay mnsi i-d:\ a columna qo- irasassn
encostada a esse rio, pela manrem correntiaa. tese
indicio de que precisavam dessa tropa para for-
jar a passagem d > Ibicuhy.
A outra noticia que no dia IV o eierata
invasor sahio de llaqui, e como dessa villa a l'm-
guayana ha de 22 a 23 leguas, rom varios r
passar, alm do Ibicuhy, To caudaloso ( o
tributario do Uruguay) nil> p>dem os Para
empregar menos de 8 dias ero aaarniimar se a
L'ruguayana, e este lempo de obef para tasa a
general Caldwell, fazendo junrjao coas o lemnral
Canabarro, d prulecjo a mais bonita das maaVr-
nas cidades rio-grandenses.
Accresce que o general Flores no da ti eUa
em Mocoret com sua bella columna de t.UW a
5,000 homens escoihidos. e com onatro ana* de
marcha podia achar-se na Urugoavaan.
Assim, a menos que os Paraguayos viV-m, nm
chegando a essa cidade penetrem netla a marrne
marche, vo-se achar (sem contar a goarsaeaa an
l'ruguayana) com 12,000, ou mesmo IVJH |m-
mens era roda de si. Ser pos-i re qne e>rapea a
uma tremenda derrota ? Crelo qne n*>.
Mas isto sao ainda supposiedes. Q-ianio a mten,
os Paraguayos esto deudos alm do ibirnhy, a te
Dr. Doria, Manoel Jos de Lima, Ernesto Jo^ da
Fonseca, Nataniel Fernandes de Araujo, Manoel
Jos de Amoriro, Joao Augusto de Vasconcellos
Leito.
Passageiros do vapor inglez Douro, sahido
para Southarapton e portos Intermedios:Manoel
da Cosa Borges, Manoel Gonjalves Salgueiro.Ber-
nardino Correia de Rezende Reg, D. Leopoldina
Amelia Goncalves, Antonio da Silva Maia, Jos
Antonio da Silva Muniz, Guillion Didier, Flix
Parcor, Antonio Joaquim da Silva Villela, Antonio
da Silva Gaia, Jos de vouza Pinho, Antonio Pe-
rera dos Santos, Jos Perera da Cunha. Jaciotho
Jos de Souza, Eduardo Auguslo Burle e sua se-
nhora, James Wakman, Antonio Coelho Ferreira,
Joaquim Baplisla Nogueira, Joi Gomes Monteiro,
Jorge Luogorshansen, Morrson, Herculano Alves
da Silva.
Passageiros do vapor nacional Persinunga,
entrado da ilha de Fernando de Noronha : cirur-
gio Francisco M. de Araujo Lima, sua senhora,
3 filhos menores, 1 criada e 2 escravos, Jos Fran-
cisco Malla, Manoel Baplisla Barbosa, Jos Cela-
no Teixeira da Silva, Belarmrao Rodrigues Teixei-
ra Cmara, Alexandra Martha de Jess, Francisca
Joaquina Pessoa, Donata Maria das Dores, Catha-
rina Felicia de Gouveia e 2 filhos menores, Anua
do do fone do Principe Corixa, e outros destaca
mentos limilrophes.
No relatono apresentado ao congresso nacional
em 6 de agosto do anno passado, na cidade de Co-
chabanba, o presidente exprimio-se pela maneira
seguinle : *
t As negocia jSes iniciadas peloSr. Reg Montei-
ro, que licaram suspensas pela sua ausencia,, fo-
ram realadas pelo digno cavalleiro Antonio Pedro
de Carvalho Borges, que" foi reconhecido em seu
carcter de enearregado de negocios de Sua Ma-
gestade o Imperador do Brasil, com quem a rep-
blica cultiva as mais sympathicas relajdes.
Cheaou a esta capital no dia 15 do corrente o
tenente Luciano cora 57 prajas de linha.
Chegaram lambem a esta capital os Srs. Manoel
Leite do Amaral Cotinho, e alferes Vasconcellos,
trazendo para a therouraria 500:0003.
Corre poreerlo que os Paraguayos lera exlorqui-
do aos Brasileiros, seus prisioneiros e aos estran-
geiros, em Corumb', assignaturas era papel nao
escripto, sem dizer o fim de tal exigencia, cuja ne-
gativa importa mos tratos.
Sobre a dissolucao do exercito entreriano,
noticia o correspondente de Buenos-Ayres para o
Correio Mercantil o seguinte :
O Pueblo, orgao de opposijo ao governo, al-
ser necessario rem procura-Ios. tarto as a r,as
rio grandens.es. como-as do general Flres, asa 4a
general argentino Paunero, que rtizem lar araan
para se Ihe juntar, caso seja indispeasarel. Aguar-
demos os factos.
CHROMCA JIDICUIU
.11 RV DO RECIPE.
II DE AGOSTO DE 1865
PRESIDENCIA DO SR. DR. JfIZ DB DIMITO DA T.%B_V
CH1MINAL XANoZI. JOS DA sa.v.% xriTA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jaciniko Prrewa da
Reg.
EscivaoJoaquim Francisco de Paula Esteras
Clemente.
Advogado o Sr. Dr. Jeronymo Salgado de Casara
Accioli.
Bo, Manoel Carlos dos Santos, iaearso na art
193 do cdigo crim.
A's 10 horas da manha, feita a chamada com-
parecern) 37 senhores jurados.
foram multados em mais 20#> os jurados j mas-
lados nos anteriores dias de sessao a ao? aja* mlnv
ram hoje sem motivo justificado, e daetera-se anec-
ia a sesso.
Sorteado o jury de s-ntenja, foi deferido ao mes-
mo o juramento dos Santos Erangenam; tai oran
interrogado.
Lido o processo da forma jo da ea
ven o Dr. promotor a aecusaro,
a defeza.

i

J


Diarlo de firerktjtnbueo iunrta fe M 16 Ar, Agosto de I SI*
J
Cou-liii.Jos na debates depois da replica e tre
pilca, resumid i a materia da aeeusagao e da defea,
o Sr. Dr. juiz de direito prop'iz as quesles de fac-
i ,10 jury de seotenga, rctiraodo-se esle para a
sala secreta das conferencias as i horas da larde,
de onde voltou as 2 3|4 cora suas respostas, qae fo-
ram lidas era altas vozes pelo presidente do mes-
rao jury de sentenga, em vista de cujadeciso o Sr.
Dr. juiz de direito condemnou o reo a pena de ga-
les perpetua, appellaado ex offlcio para o tribunal
da
d
reos Joa-juim
Silva, aecusados no artigo 269 do cod. criminal.
pro
tu ral
vrier, e posso certificar que esse producto
no perdeu nenhum dos seus principios
medicamentosos nem cliimicos, que se
achara no oleo de ligado de bacallio ordi-
nario. A fraca propongo das substancias
GGMMNICAM.
a relapo, levantando a sessijo adiando-a para o estranhas que e poem no oleo natural para
a sesuinte, que de-igna para o J^"nnto dos dissimalar o cheiro e o sabor desagradaveis.
eos Joaiuim Manoel de Torre;, e Jo;- Rufino da ., ,
; nao pode de nenhum modo alterar suns
propiedades medicaes e s a torna de um
uso fcil e mesmo agradavel.
Em resumo, o oleo de figado de baca-
lho desinfectado pelo processo Chevrier
A quaira do sacrificios : nragnem os deve re- goza de propriedades idnticas ao oleo de
cusar. a patria invadida e ultrjala pelo estran- figado de bacalho ordinario, que elle repre-
eiro, reclama o desaggravo. Nesla emergencia a senia exactamente
mandreiee significa cobarda. Dn. A ... ,
Reeordem, pois, os Pemambucanos as suas lo- Llle e muito bea tolerado pelos doentes,
raspassadas, e mais urna vez ponham em provas OS quaes elle nao anoja e tomado peas
o seu patriotismo nuuca desmeulido.a sua coragem pessoas dijo gosto e olfato sao dos mais Stis-
nunca excedida. cept veis
Guando se traa da honra nacioaal, cumpre que ''. .. .
desapparegam as distinceos. Tanto o grande c,mo! HoJe 4UP' O oleo de figado de bacalbao
o pequeo seja presuroso em prear o seu contra- tem-s tornado um dos agentes os mais im-
&l'"'e. portantes e preciosos da therapeutica, quem
\enha o concurso de todos. O recrutamento e ,jescol)|.0 0 meio de 0 l0,.nar de um uso U.
o auxilio toreado a guarda nacional, envelhecem .. .
os briospernambucauos. Haja expootaneidade no Cl1 Pa todos, prestou um verdadero ser-
sacrilicio, e l'ernambuco se ergueraa altura do seu MC0 arte de curar e aos praticos.
Dome heroico. Por isso nao podemos concluir melhor
Appam.-ain os borneas de conceiioeposicao, con- do que felicitando o Sr. Chevrier por sua
queraos seus amigos, ponham em coalnbuieao a J* .... i,_!
rica e til descoberta que merece de ser
nessa provincia temo* facilidaile ho- Cabo Verde-Brigu? nacional Hara A Alfredo,
O Sr. Braga comloja de ferragens na ra je e recurso do ar; por que a va frrea
Direita, fui desengaado por dous habis nos proporciona, pois que em pouco tempo
mdicos, acba-se bom cora o tratamento por urna pessoa que existe nesta cidade facil-
mim prescripto. mente se t ansportn para as ultimas estaces
A Sra. Jeronyma Mnria dtConceicSo, mo- de Gameleira e Una, lugares perto do Boni-
radora na travessa JoMonleiro n 10, achan- lo e de outros pontos que sSo considerados liuenos-Ayresno da--, brlgoe
do-se desengaada, tambem mim recdr- serlo, quanto mais que os mesmos lugares alpalem i! SrWGfJc
reu e acha-se restabelecida. j nao sao mos, segundo pens, principal-
(iapitao Jo- Virissimo deLacerda, em lastro.
Nucios entrados no da 15.
Ilha de Fernando de Noronha-3 da?, vapor na
cional Persmunga, de 422 t meladas, eonaraan
dante Francisco- Jos da Silva Ralis, equipe
gera 24.
hespanhol Carina
Francisco Frreo.
/uintaes hespauoowa
de carne: a Johusoo Palor 4 f
verao.
Navios saludos no mesmo din.
Mas dir-se-haurna pessoa pobre nao lem CanalPatacho loglez Zircon, capUao
3os de se transportar a all estar-a isso pJJSSSCTiSSl-
Thornaz
ft.TVJf.tC- *
V'
Um sobrinho do Sr. professor de Naza- mente no
retb do Cabo, acha-se bom. como se v de
sua carta abaixo transcripta, alm de outros meios para_ Escun, djnam s ca So R
lados, quepodena aqu mencionar. se responde, que naqutlles lugares exislem Tameke ;em lastro.
A phthysica a destruiclo e a magreza casas vasias e alugam-se por prceo commo- ,..,,,
do todo corpo, em consequeucia de chagas, do, e mesmo muilos gneros de primara
tubrculos e concreccao dos bofes c de em- necessidade all se vendem pelos mesmos
pyema, atrophia nervosa, e outras molestias preces que aqu. -----------------------------------------------------------
que viciam os humores, como escorbuto, Aquel les, pois, que estiverem nestas cir-. O Dr. Tristio de Menear Ararpe, official da m-
alporcas, gallico, asthma, bexigas, saram- cumstancias, eu Ihes facilito explicar os meios i Perial ordem da Ro' iuiz de dir,'ilJ especial do
PV\,k k i ui Pelos quaes se devemreger,e Ihes fornece- EttT &*?S&Sj5tt.
Na phthysica, ebegando ao estado de gra- re os medicamentos gratuitamente, n. pr n, a quem Deas guarde etc.
vidade, o que muito pode concorrer para a* Nao deixarei de advertir ao publico, que Fago saber aos que o presente -dual vrem, a
lltil
i.
voquem os seus amigos, ponh
eonflaoea que mereeem aos seus comprovincianos.
Nao *se espere, porm, dos perseguidos, e recha-
zado pelo goveroo satanicimenie empenhado em
quebrar-Ibes o conceilo, em relirar-Ihes a conlian-
5.i publica, um concurso superior aos seus meios
de aeco. Sobram-lhe?, certo, a boa vonlade e
patriotismo, mas sito impotentes e fracos contra a
propagada, e dizer com mea collega o Sr.
Dr. Richelat os trabalhos que conduzem as
descobertas d'esta especie devem ser pro-
tegidos pelos mdicos.
0 importantes trabalhos do Sr. Chevrier
salvagao do doente e ajudar os medicamen-'asmmhas preparafes de veame sao reu-
tos o ar do campo, exercicio conveniente nidas com outros ingredientes, e com clles
e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma tenho obtido ptimos resultados: noseen-
cousa queute, ou de delDcil digeslao ; e a gane o mesmo publico com outros que por
bebida cumpre que seja de natureza branda mi se annunciam, cujas [)reparacoes ignoro,
e fresca. ; assii como o aproveitamento aos enfermos,
Todo o seu alimento se ha de dirigir a a quem porventura lenhamsidoapplicados;
moderar a acrimonia dos humores, e a nu-1 cada um responde por si, e eu alBrmcom
trir esuster o doente, para o que preciso verdade o queaaui tenho relatado, cujosme-
reduzi-lo ao uso de vegetaes e leile. dicamentos nesta provincia s vendo em mi-
Toda comida e bebida, que se tornar ha nha botica na ra Direita n. 88.
saaba dos caudilhos investidos de autoridades, que sobre o oleo de figado de I acalho llic fi-', de ser em poucas porcoes, para evitar que
Ihes enibargam os p.issos.
Saiara da oca os homeus do dia, usem dos]seus
pod.rosos recursos, que esta provincia levantar
suavemente dbs 10 ou 12 rail soldados, indepenien-
te.nente do recrutamento e do constrangiraento a
guarda n:ici mal.
Apparecara, porianto,oshomens de posicao, elles
que aleirtera o entbosiMQM) publico.
zeram obter um resultado nao menos im-,0 excesso do chylo fresco opprima os boles
portante, o qual consiste em ter associado o' e accelere muito a circnlacao do sangue.
ferro ao oleo de figado de bacalho. O oleo Muitos doentes desta molestia te leem en-
de/gado de bacalho ferriginoso de Che- trege ao uso do oleo de figado de bacalho,
vrier constitue lalvez o melhor meio de dar- e outras preparaces de resinase blsamos,
se o ferro. Pois o iod ro de ferro unido; sem que deilas enham tirado proveito ; e
Nao faiiam entre nos nomes prestigioso-. Ah deste modo com o oleo de figado de baca-.alguns expositores de medicina combatem
est um, o Sr. teoeote-coronel Mariano de S e Al- |jio se dissolve mais fcilmente nos liqui-, com muia razao esse tratamento.
buquerque, commaudante do* J1^0 d*eg^* dos das vias digestivas e por consequencia! E' cotame carregar o estomago do doen-
fluenSa ioc|Bsu"u^?Hmed^monsirada, por mais d. St; assimila muito mais bem do que sob a te com medicamentos oleosos e balsmicos;
uma vez, u.-s comeadas eieuoraes; e no da em que forma de pilulas ou xarope. Emlim elle porm estes em vez de tirar a causa aug-
chamar o seu luzido bataihao ao servico da guerra, perde assim suas propriedades irritantes, e mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-
estaraoscertos um official se quer um sold do ao q3o provoca a COtistinacao. E' assim qae mo lempo que tiram o apetite, relaxan! os
menos, nao relucan de o acumpanhar. ., __,..
Ueste modo dar oSr. Mariano nao equivoca pro- os doentes, cujo estomago nao pode suppor- so idos, e sao de toda serte perniciosos.
va do sea patriotismo, servindo de bello estimlo lar nenhnma preparado marcial, tomam fa- Tudo que se ttzcr para extinguir a tosse,
aos seus comprovincianos, que certamente o nao cilraente o oleo de figado de bacalho ferru- alm do exercicio e rgimen apropriado de-
ginoso de Chevrier. vem ser remedios de natureza acida, deter-
s senhores Maurrer C. acabam de re- gente e calmante.
ceber um grande sortimento dos celebres Os cidos possucm a virtude de produzi-
azeites desinfectado de Chevrier e ferrugi- rem
noso de Chevrier. que,
deixarao s.
Em siluaroes como esta, que os cidados pres-
tigiosos, e bafejados pelo geverno, de cujas grabas
e favores se turnaram exclusivos usufructuarios;
nao te-.'in direito de pouparemse.
O Ilustre t-nente-coronet Mariano, prestigioso
por si, prestigioso tambera por seu irmao, o Sr. se-
nador Sa e Albuquerque, tem agora um favoravel
ensejo de prestar a' causa da patria o mais relevan-
te e assignalado servido.
Por sua parle o nobre >r.con?elheiroSa' e Albu-
querque, que durante 18 annos mantem urna psi-
to saliente, j como director geral da instruccao
publica desta proviucia, presidente de diversas pro-
vincias, e ministro de estado, e ja como debutado e
senador ltimamente esrolhido, por elleito de urna
qnaM unnime e expontanea votacao, e com urna
reputacao estabelecida, de bravura' militar, adque-
rida ua reveluco de 1848 ; nao um uomesem
valor nesta trra.
Por si, e cora seus Ilustres irmos, o distincto
Vende-se na pharmacia de Pedro Maurer quando accommettem a febre ethica, mas
& C, ra Nova n. 18. tambem a refrescar o sangue.
i Aos doentes desta enfermidade, quando o
Tendo eu nos Danos de 9 e 10 do rorrete pro- seu estado de gravidade tal que a febre
vocado o Sr. padre Jos Antonio dos Santos Lessa et.hCa OS accommette, prcscrevo-lhes O SU-
5," fgSffSR CS co de um limao dissolvido em urna clcara
na uomeacflo do Rvm. vigaro Camiiio de Hendon- d agua com bastante assucar em um grande
Qa Furtado para visitador da provincia das Alagas, copo para misturar com um papelinho dos
e principalmente qual a transaeco que o mesmo pos refrigerantes para tomar, com que ali-
Sr. padre Lessa uo Diario de 8 se rompromette a _'.. e, i.
por em pratos limpos, (expres>5s delle) e estando: Vldin "O acc .umettiment da fehrc, e pela
nos a li do mez, sem que S. Rvma. tenha eito de- maiihaa o xarope elherio de veame. Tenho
claracao alguina, como I he cumpria, novameute o aconselhado, que facam USO de vegetaes de
Jos da Rocha Paranhos
Na'zreth do Cabo, 7 de setembro de I8G3.
Illm. Sr. Jos da Rocha Paranhos.Com
o maior prazer levo ar. conhecimenlo de V.
S., que o doente que V. S. acha-se admi-
nistrando-llie re edios. acha-se no todo res-
tabelecido, portanto, nada sent, tendo des-
apparecido no todo a tosse, tem muia dispo-
sifSo comida e acba-se nutrido. Deixou
lomar os ltimos remedios que V. S. recti-
lou no dia 30 do passado, resta agora a V.
S. mandar-me dizer qual a diela que o
doente deve conservar e por quanlos tem-
pos, mencionando as comidas que dever
usar daqui em diante.
Resta-me agora agradecer a V. S. o cui-
dado que tomou no tratamento do meu so-
brinho, abaixo de cus, devido o seu resta-
belecimento a pericia de V. S., e por isso
pode V. S., sempre contar com os mcus di-
bons eTeitos nessa enfermidade, por i'minutos preslimos, e desejarei em todo o
nao s contribuem a apagar a sede'tempo dar urna prova do meu reconheci-
conselheiro, se nao pode tudo, pode rauito mais que nrovoc0 ar e "em rdadT era no aca de- ZZT'-^ "^'""'"r *"" u."
qu.lquer otro. claSque exSo ] natureza acida- con,0 laranjas, lmoes, pi-
Compaobeiro de viagem do Sr. presidente da Pre'vino o desde'j que nao ha de sahir-se como tangas, uvas, etc., e applicaces de plaas
provincia, todos esperara e; coufiam que sera a b. no negocio d0sj tres conlos de res, legados pelo amargosas, que fortificara o estomago e ser-
Es nmai9 poderoso auxiliar ua ardua tarefa em Exm- Sr bjsp0 D Jo5o aos [)obr,,s e a dlia. jgrejas vem aQ mesmo tem destruir e miti-
qu i em empenhado. deta Cidade, a qual quantia S. Rvma. dectarou no ar ., o.\p r
Ha de ser assim que conseguiremos forCas supe-. Uiari0 o xl dt ftVerei {0, c affinnnu mesmo com ^.",:. .c.n ,
rores, para irem em soccorro dos defensores da jltramenl0t ,,ue havi entregado ao Sr. Antonio Ra- A bra- D- Joaquina de Sa Brrelo, tendo
patria ; ba de ser assim que, sem demora, teremos mos enlrelant0 quo este s,.,l!l(jr asse?ura peranle urna sua escrava fallecida desla molestia, sub-
?. posb.s o bataihao de indios, que o benemrito Sr. tribanaes que tal qnautia nunca recebera, e o mettida ao Iralanietlto de seu medico resol-
l,;;i,Mlosi;uararapes esta1 orgamsando ha cerca de Sr. r. ju|l 'de M /|as mandU embargado no ", 'rn,.v m n
seis raezes. producto dos bens j pelo mesmo Rvd. Lssa con-
!) aluem o primeiro passo ; e ludo se conse-
grara snni exforgo
tratar de um oiitrj
Sus mtluencias da quadra Que appareijara, e
o ardor pernambucano se restablecer. A patria
exilie dos seus benemritos este servico : indeco-
roso recusa-lo.
Um homem do povo.
signados aos seus credore>, visto afirmar igual- escravo, que soffria da mesma enfermidade,
menle S. Rvm. que esta pobre, que nada mais prescrevi-lhe 0 xarope de veame, tem me-
possue.
Recife, 14 de agosto de 186o.
C'jnugo Joaquim Ferrara dos Santos.
Agua florida de Hurray e l^aii-
man.
Os perfumes compoe a parte potica, a verda-
deira poesa do toilet e as senhoras de elegancia e .
retinados goslos sao de ordinario mais ou menos
i eductores.Deparando no seu Diario de 8 fastidiosas e difflcallosas de contentar, relativamen-1
com ama publicado assignada por | te a escolha destes artigos.
0ORHESPOiDNCIAS
Ihorado consideravelmente.
A sen hora do Sr. Antonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esleve prostrada, e nos lti-
mos paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da carta
, impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Sr$.
00 eorrente, ww pn-.L^wy.- -.- K-. ( tc rt rx-juia uestes aiii|U3- i DaJ-i,,i t |> j r
Alfredo CardosPereira coutra Francisco Ignacio As bellas habitantes da America doSul, as quaes ouoipno JOao IJaraia ue Aimeina, 101 tam-
Ferreira, li|uei sorpreso por ver completninente j s0 perfetas conhecedoras de taes objectos, teem bem desengaado porliabeis mdicos, e
alterada a verdade na immensidade de tpicos que: dado para mais de vinle annos a esta parte, urna ; com O xarope de vellame acha-se completa-
a ciiipoe, por quanto tendo eu feito parle da ses-; decessiva preferencia a esta refrigerante e odori-' mpnl(1 rpS|ahplpr-irln como

sao da assemola eeral era IG de julbo, eslou in- fera agua;para o loucador. "161110, re.suroeieca^ com0 se Uinuem
tetramente habilitado a contrariar o Sr. Alfredo; Ella tem sido manufacturada quasi que exclus- aa carla imprcssa 00 mesmo br. tenentC-
nas asserefies a que avangou. vamenle para o consumo do America Central e do coronel no mesmo Jornal do Recife.
Xeste mesmo sentido me antecederam j os Srs.: Sul; porm bem pouco tempo ha que neste paiz se I Q Sr. Antonio ChriStiailO Fogt, ilho do
AiiImuio Joaquim Yinbas Maia e Jos FerreiraCoe- fez a descoberta da sua avantajada supenoridade cr rtiristiinn Fnrrt nrnnriplarin p p-;lahp.
Iho, le.-temunbos valiosos ravocados por S. S. e cu- sobre os perfumes de urna qualidade imperfeta e r-.^nrislld" *W> propneiario e esiaDe-
jos nomes sao bera conhe.idjs e mais acatados do demasiadamente oppressivos importados da Euro- lecuiO na Clae (le MaceiO, O primeiro bem
pa ; em consequencia pois desie novo augmento COIihecido nesta cidade, pois que foi eilipre-
era seu consumo, o< proprietarios estira erapregan- gado na casa do Sr. Len Cbapcllin, letra-
do todos os seus esforcos adra, de satisfacloriaraen- .:,,,;, painhplp-iilrtn nn Ha Imnoratri-/ ar-
le supprirem tao vasto pedido. lisla estat)eiecido na ra da Jmpeatt i/ ac-
Aim de suas mutas virtudes, em qualidade de commettido desla molestia, foi daqui desen-
sar aquelle aborto, replecto de falsidades, porquan- um delicioso e vivificante perfume, ella tornase, ganado por habis mdicos : retil'OU-SC para
to, tendo eu assistido desde o comeco da sesso at quando misturada n'uma pouca d'agua, urna ex- a Babia, e alli continuou em tratamento ate
ell i se terminar, nao vi que o Sr. Ferrelra prali- cellente preparacao para a pelle ; assim como po- p f L0n.ia VP7 .ip.pnunMo.io nplrw itip-
de servir como admiravel lavagem para os denles ^ue n segunaa vez Uesengaiiaao pelos me-
egengivas, delxando um agradavel e aromtico dlCOS dalb, chegando eu em MaceiO, um
cheiro na bocea. amigo pedime, que o acompanhasse at a
(Vele que os nomes de-Murray & Lanman- ; casa do Sr. Christiano, para ver um doente
seachem devidamente inscriptos sob cada envolto-
rio, letreiro e at mesmo gravados no vidro das
proprias garrafas, e na falta ou ausencia dos mes-
mos claro se torna a falsidade da mesma.)
A venda as pharmacias de
ment.
Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muilo respeittdor c brigadissimo
criado Francisco tieringiter Cesar de Me-
t ezes.
CiggljMML
Caixa lial do nance do Brasil eu
1'criiaHibuco.
A directora desta caixa saca sobro obancodo
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo o;.tico na Babia.
Novo bateo de pernambnco.
dmlnistndores da massa fallida de Joaquim
Jos Silveira pagam o 1" dividendo de dita massa
na rafao de 9 0/0 sobre o valor des ttulos ad-
metiidos : no novo banco de Pernarabuco ra
do Trapiche n. 3i.
Sovo banco de Pernam-
buco.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao anuo at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do banco do Brasil
em Pei'nambiico.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos s-nliores arciouistas, que o respectivo the-
soureiro est autorisado a pagar o 23 jdividendo
do semestre findo era 30 de junho ultimo |a razan
de 125 por ac$ao. ":?tfs
Caixa filial do banco do Brasil 15 de julho de
186a.
O guarda-livros,
Ignacio Nunes Crrela.
i.FANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 12...... 2i2:7a36.J7
dem do dia li............... i6:24763f
ioce?l-> (1).
fflmMM
Lucia Mara da Coneico ii.ir.inbiins).
Dr. I.uiz Felippe de Sota Late (2>.
D Mina Wanlerl^y Fontouia.
D Mara da P.iixiio Mallos.
Coronel Bodolpho Mo Ihrata de Mi
I). Hosa da Cunba.
l)r. Silvio Cavalcanl de Albuqueriue.
delle noticia tverein que no dia 28 de agosto do
correnle anno, se bao de arrematar em praja pu
bhca d'este juizo o seguinte :
Os servicos do preto de nome Florencio, por ser
achacado dos escrotos, avahados em 63000 nen-
aos ; os servidos da pela Chrstiana, sufTrendo de
palpitacao no eoracOo, avahados era 330DO inen-
saes ; os quaes (orara peuliorados por Oioenfio de
Joaquifli Luiz Viraes, contra o Dr. Joaquim Elisio
de Moraes Cxrvalho.
E nao ha vendo lancidor que cubra o preco da gowmaaor
avahago, a arremataro ser feta pelo prego da JJala '',tM-----
adjudicago na forma da lei. Manoel.......
E para que ehegue ao conhecimenlo do todos, J
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa o afflxado nos lugares do cosiume.
EMFREZ A- -COIMBP.A
Quarta-feira 16 de agosto le
1865.
BENEFICIO D) ACTOR LISBOA.
Depois de nina escolhiila ijmipkMI p*la or-
chestra subir a scena o vaMM drama ra \
actos original portugiiez
0G0VE:iS\DORKIg\tt
OS TRES AMORES.
PKRSoXAOr.K*.
Fre Eugenio..................
D. Hodrigo...................
Eatrio....................
(Cidade do Recife de Pernambuco, aos 11 do mez
de agosto do anno de 1865.
Eu, Manoel Mana llodngucs do Nascimento, es-
crivo, o subscrevi.
Tristao de Menear Arrpe.
O Dr. Trislao de Alencar Ararpe, official da im-
perial ordem da llosa e juiz especial do cora-
rnercio nesta cidade do Recife, por Sua Magos-
tado Imperial.
Fago saber aos que o presente edital vircm c
d'elle noticia tiverem, que por este juizo especial
do commercio peudem uns autos de ezecacio de
o l^aHkMJo.
Aswfi>.
Ptat
TetnsMi
C;uuarV'.
Pe.-:
I). J.-.MKI.
Fin circereiro..............
Antonio.....................
I). Isabel...................
Branca......................... I. C-iriU.
Soldados, pageos, i-avalbeiros ,-|.-.. -ir.
Em um dos Nstcrvatai ateJHMM kM lin-
da wa|sa offerprida ao beneliriado ph d>ge> ff-
gente o Sr. ('.das. intitulada
C AItl\aH\IIA.
Dir' Ora _o e-pectacnlo a luua e >aedia era su
acto
MABilCOTi.
Entram em scena as Sras. DI. Eugenia r Ca-
sentenca de llego & Lobo contra Fernando Jo.- milla e os Srs.Trxrira,Prio, sMni i.....tsrg -
de liveira. E tendose feito penhora era dinhel C>mec*r*' a< 8 h >ras.
ro pertenceule ao executado, fura pelo solicitador O braefimdo tendo de partir n> pr>nmo pt-
Joaquim de Albuquerq le Mello procurador dos quete para Europa aKm d tratar d-- >na sau-
exetjuentes feito o requerimeiito do seguinte ter- agradece desde ji ao m :n..r-.nr Sr. am
mo. nio Jos Duarle Coimbra o emenrin que r.n .:
Aos 7 de agosto de 1863 em publica audiencia alim de que esta riamm fi#.*n ?-iti rom br
que aos feitos e partes dava o Dr. juiz especial do de eoeratfuadu Nks para isto un !.-i i -i..
commercio Tristao de Alencar Araripe, pelo soli-
citador Juaqoim de Albuquerque Mello por parla
dos exequentes aecusou a penhora teita em d-
nheiro pertencente ao executado Fenando Jos de
Ohveira, e requereu que Ihc ficassem designados
os seis dias da lei, e del aos credores inceitos p.s-
sando-se os respectivos editaes pira que estes te-
nham sciencia ; o que Ihe foi deferido pelo refe-
rido juiz, precedido a pregao do estylo, e para
constar liz o presente do protocollo das audiencias
a qae junlei a carta precatoria e pinhora que se-1
gue, eu Adolpho Liberato Pereira de Olivera es-1
crevente juramentado o escrevl; eu Man- el Ma-
ra Rodrigues do Nasa ment escrivao o subsus-
crevi.
Por forca do meo despacho o referido es-
crivao passou o presente, pelo qual chamo e intimo
e hei por intimados os credores incertos do dito
exeeulado para que comparecao neste juizo dentro
do dito praso munidos de seus documentos alim
O mesmo agradece a> publico il-*ta capital as
maneiras gratas e lisoog^iras e >m i|in (>r.
receben a quera desde j.i piMaetj -aa rtriM jra-
ido.
de allegarem o que fr de justica.
E para que ehegue ao conhecimento de todos _a_rgaJ]...*f
mandei passar o (iresente t]ue ser publicado pela
mpiensa e aflixado nos lugares do costurae.
Recife, 9 de agosto de 1863.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Xascimento es-
crivao o subescrevi.
Tristao de Alencar Ararpe.
avisos MAjurmos.
COMPAIHIA BUSILEffll
DE
PAQUETKS A VAPOR.
. Dos |iort.s do norte ep-ra
< k do at o da 17 do sjbjbbjsjsj .> a-
:- 4 %s. por Ci'Hzeiro do Su/, .- inumt-
."" W-JJgaJee l,:,nte Alcoforado, o qual eVpot*
-it*aSB>V da demora do co-tuwe -ejuira
para os psrM di> sul.
Desde ja recebera se passageiros e engaja-se a
a qoal dVvrra
ser embarcada nn da de sen chrgada, rnroem*a-
das e dinheiro a frele at o da di ahida as 1 ttr-
ras da larde : ai;enria rna da Crnz n. I. erripto-
ri i de Antonio Lutz de Olivera Azevedo A C
Para a Bahia
M
239:0013287
MOVIME.STO DA ALFADE'iA.
Corto do que o da leviana pessoa do Sr. Alfredo.
Em vista di>to pois declaro s-demnemente que
nao approvei a acta da sesso de 16 de julho, as-
sim como outros mais associados, nu obstante pro-
curar o Sr. Alfredo todos os meios para fazer pas-
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o lilho em urna cama desanimado e em es-
tado de prostrac5o, pois que escarrava san-
ca-.-e os actos que se Ihe Mlribuem uaquelle docu-
rnento.
Prescindo de contestar outras muitas inexacti-
do' >, emittidas pelo Sr. Alfredo, porm nao posso
deixar de manifestar a miuha admiracao, por nao
ser aquella importante peca asignada pelos Srs.
presidente e Io secretario, que haviam presidido a
essa sesso-; faci este na verdade bem exlranho e
M\ Allredo, nessa acta alli apresentada sem ac-! J. d,a C. Bravo & C.
quiescencia de seus collegas.
.\.\> querendo, portanto, que o meu silencio seja
considerado pelo publico sensato, corno urna appro-
vacao tacita s us.-erQoes avaugadas pelo Sr. Al-
redo ; 'quando ravocou para testemunho as pessoas mu. .
dos companheiros do Sr. Ferreira. nesta qualida- Iratou Pisn em sua excellente obra-Historia na- os escirros de sangue ; e a tosse militados,
de qufl rae corre o dever de desmenlilo, o que fa- turalis et medica India: occidenlalis, senao as No fim da segunda j achei em estado (le
<;o s m temor de ser contestado lamentando pro- Aotilhas, onde o sueco das folhas e fructos como faze-lo passear pelo sitio todas as manhaas.
fundamente a sitnaejio a que se expoz o Sr. 2o se- aqui, muito estimado e applicado contra as obs- Acahad-i esla n arnnselhfi
cri'tnio.sirvindo\de primeiro, talvez para juntar trueces abdominaes, principalmente do figado e '.
oova svinpaihias, aquellas que ja possue dos ho- bajj ; e se todos os facultativos desta provincia o no USO UO mesmo xarope
aens honrados e honestos. nao applicam com frequencla, isto se nao deve a CODO O xarope alcooco de vellame, C (pie
Cumnndo esle dever, quero anda declarar ao nao reconhecerem elles essas virtudes, mas slm a usasse dos hanllS salgados na pancada do
Sr. Alfredo, que a sua replica talvez descabellada, nao serem encontradas com facilidade e era todas' mar c,.nin piip ns nrmoirn* hanlins aU
nao dare a mnima resposta, mesmo porque nao as eatai-AM do annn ns tm*u A> niama a i
pos-uto h vigorosa dialeclica de S. S.
Dando, senhores redactores, pubhcidade a estas
liohas, muito obrigarao ao seu constante leitor,
Jos da Silva liodriguis.
Recife, 16 de agosto de 1863.
Caors 4 Barbosa e gue e ij,ma completa inapetencia e fraque-
___^^ za, a poni de nao se poder por em p, no
fim de urna garrafa do xarope ethereo de
M jurnea. 'vellame j se acliava elle no estado de pas-
^J^^^T^^ISs^i^ searemeasa desapparecidaa inapetencia e
que continuasse
etherio alternado
r
ILI
S450ES A PEDIDO
nao serem encontradas com facilidade e era todas
porque nao as estaces do anno os fructos dessa planta, e re-
pugnancia, que apresentam os deentes em fazer \ gong choques, mas eu O aconsellld que COn-
uso do sueco desses fructos, em consequencia de tintias'?, com o que se tem dado muito bem
; ser extremamente amargo. pois que tenho recebido cartas de Macei,
A jurubeba nao desconhecida dos botanistas : pm rnmmnnira o spii hnm piarlo
I esta planta pertence familia das solaneas, e tem em' 3uf se me ^ommuniCd O seu nom Cstauo.
adenominacao de solanum pamculatum, que Ihe i I>esta molestia OS expositores de medlCl-
foi dada por Lyneo. I na n5o aconselham banlios salgados, apenas
Parecendo-nos conveniente facilitar o uso do quando delles. tratara, dizem ser applicados
i sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em- escronhulas hvnocnndria pslhprsmn
pregado, nos propozeraos e conseguimos preparar dS esU0|)uuid!., nvpoconuna, estiierismo,
com elle nao s um extracto aicooico que pode ser amenorrliea, racthismo, etc. ; entretanto vi
applicado em pilulas, mas tambem nravinho, um este bom resultado no lilho do Sr. Cristiano,
! xarope, e um emplastro que pode substituir, era e outros fados iguaes tenho visto as mo-
certos casos, o de \igo ; e estamos persuadidos que i(l(,ia. sinhvliliras p nutras mnita nnp enm
com isio prestamos um servico humanidade e ltsuas ->pnjncas, C outras muitas que com
therapeuHca. o uso do xarope alcoolico de vellame tem-se
,-l Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de- obtido cura radical.
aescoDeria imporianie -0 das rtag da iHruMttt e Mral e De|enf>
para a tiierapeutica, que COUSlStia na desin- em seu Diccionario de materia medica e therapeu-
fecC Jo Oleo do ligado de bacalho Sem tica, dizem que as An'ilhas se faz uso do sueco
IIm til i npnhtim dtssuas nrooriedades d* fructos maduros dessa planta contra o calar-; rheumatismo o xarope alcoohco de vellame,
' '" If^S desses me- logo que elle se poz em estado de largaras
i ii S o pra/xr ue annunciar llOje aos. dJC0Sj mcrecidarnen,e celebres, nos leva a crer em
n0SSiS leitores, (jue esse resultado loi ODti-1 suas paiavras, e por isto cuidaremos de ter em
do lo modo o mais completo por um hbil nosso estabelecimento essas raizes,para que possam
pliarmiCeiltiCO de PariS, OSr. Chevrier, que;ser experimentadas.
j,.-. r,.i i r\n fniAn An' A reputacao da jurubeba tal, eos resultados
6UI0 desinfectar O Oleo de figado e lhorapeuiic5s obtidos ltimamente sao lo mpor-
bacahao Cm O alcatrao e 0 balsamo Ue tanleSi que nos parece intil dizer mais do que
Toln. As experiencias feitas por muitos de isto, que dea escripto.
nossi:s praticos celebres, noshosp taes e so- Deposito: pharmacia de
Joaquim de Almeida Pinto.
VAK EDADES
^ciencias e medicina.
Li'-sc na Union Medcale de Pars:
<>s jomaos de medicina fallaram por va-
rias vezes de urna
O Sr. Dr. Silva, medico hbil de Ma :ei,
depois de ter applicado a ucnseu doente de
bre seus doentes particulares, as analyses e
ensaios de cliimicos competentes, nao dei-
zatn nenhnma duvida a este respeito.
licitamos aqui as proprias paiavras de
um juiz muito emineDte e competente o Sr.
Dr. E. Humbert, laureado da academia im-
perial de medicina, e professor de Chimica.
Phthysica.
O xarope etherio de veame por mim pre-
parado, muilo tem aproveitado aos que sof-
frem desta molestia, e de lamentar-se, que
no obtuario desta cidade a maioria dos que
moletas, em que anava arrimado, o aconse-
lhou que continuasse com o uso do mesmo
xarope conjunctamente com os banhos sal-
gados, com que se tem dado muilo bem, e
um dos mdicos que alli em Macei tem com-
pleta confianca as preparaces de vellame
por mim feitas, pelos bons resultados que
tem obtido em sua clnica.
Quando alguem se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t affectado dos pulmeso doente desani-
ma com esta sentencia, entende estar sem
mais cura, quando os fados e a experiencia
teem demonstrada que muitos tendo procu-
V'oltimes entrados cora fazendas..
c cora gneros...
v'olumes sabidos cem fazendas
cou gneros-----
37
113
------- 130
5i
427
-------481
Descarregam uo dia 16 do correte.
Rarca iuglezaLookOatmercaduras diversas.
Parca francezaGuilherme Telldverros geneeos.
Brigue porluiuezS. Joscharque.
Barca nacional Vdtte iem.
Barca iugleza Orioncarvao.
Iinportaco.
Vapor nacional Paran, entrado dos portos do
norte, manifesiou o seguinte :
Do Para.
70 bans e 30 meios ditos banha e 19 volumes.
Do Maranhao.
3 batas ouro em obras de ourives; a Mauri-
cio A.S.
Encommendas.
2 saceos; a Henrique Forster.
1 dito ; a Domiogos Albuquerque Matheus.
4 barricas ; a A. Almeida Gomes.
1 embrulho ; a Arrainio A. Pontes e Souza.
1 caixo ; a Jos dos Santos Neves.
1 encapado ; a Joao Collares Moraes.
1 dito ; a Jos Jansen Ferreira Jnior.
1 dito : a Justino Jos Baptista.
1 dito ; a Manoel Pedro do Mendoaca.
1 dito ; a Joo Baptista de Castro e Silva.
1 dito ; a Goncalves Ferreira & C.
1 dito; a Caors & Barboza.
Brigue inglez Cteveragh, entrado de Liverpool,
consignado a Saunders Broihers & C, manifestou
o seguinte:
310 toneladas carvao de pedja; aos mesmos.
Exportaco.
Brigue inglez Ruth, carregou para Liverpool :
l,4U saccas com 7,890 arrobas de algodo.
Brigue portnguez Umao,carregou para o Porto:
112 barricas e 870 saceos cora 3,167 arrobas e 1
libra de assucar branco, 80 saceos com 400 arro-
bas de dito mascavado, 35 cascos com' i,"285 me-
didas de mel, 201' meios de sola, 6,000 chifres e
100 saceos com 200 alqueires de farinba de man-
dioca.
RE'EBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
HAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento>do dia I a i2........ 5:04123S
dem do da 14................. 4.8715824
al o dia 20 do presente mez pretenda sabir ^m
falta o veleiro e tem conhecido p uin a*-toai
D. Luiz, capilao Jos Teixeira d: Azevedo : para
a carga qae Ihe falla trajese n> larpa oC
Santn. 4, com o consignatario JbJ Mana Pai-
meira.
Para o Porto por Llahta
pretende sahir com a posvel presteza o hrictv
Pernambucano : para carga e passageiro>, a |OPib
otferece bons commodos trata se rom ro*if*a-
tario Thimaz de Aquino Fonseca, ra do Vigari.
n. 19, primeiro andar.
Ilha de Mlftiel.
Segu mprfterivelinente no lim do correMe mex
estiveremna guerra ser contado pelo duplo o paiuabite portuguez fnmmfnl, a- ria*e :
para o caso de aposentadoria, e alm destas quem no mesmo qu.zer carr
tem todas as mais vantagens que sao con- (
cedidas aos voluatarios di patria- 0 te-
nente-coronel commandanle do corpo de|
polica, Alexandre de Barros e Albuquer-1
que.
Convida-se as pessoas que esto as
condices do servico militar, a engajarem
no corpo. de polica e gozarem das vanta-
gens di lei provincial n CU de 2 de maio
prximo passado, que sao as seguintes :
iiJiO rs. diarios de sold, serem seus fi-
Ihos menores recolhidos aos estabeleeimen-
tos provinciaes de educacao e o tempo que
numero 10.
oo ir
a Bailar & O reir, roa do Vigaru.
COMPA.M1IA PERXAMIUCANA
DK
Santa Casa da Misericordia
do jiecife
De ordem da Illma junta administrativa da ir-
mandade da Santa Casa de Misericordia do Recife
convida aos senhores irmaos para assistirem a
festa da padraeira da mesma irrnandade, a Senho-
ra do Paraizo, que dever ter lugar na igreja de
igual nome, pelas 10 horas da manha do dia 13
do correte.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife 12 de agosto de 1863.
O escrivao,
F. A. Cavalcanli Cousseiro.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arseoal de guerr-
precisa comprar o segninte :
Para provlmento do almoxarifado.
6 arrobas de lio de velas.
10 duzias de taboas de pinho de 3|4 de gros-
sura.
3 arrobas de rame de ferro.
S caitas com folhas de flandres, marra grande.
NavegacAn cesteira pr rapar.
ParahyWNalal, Macau. Aracaiv, ijw
e Acarac
No dia 22 do correal* segae o
rJIi- t* j^ Persinnnga, rommandaote Kal.
<."^K^t%. Dara os l10"0* iniliraAw. II
'"SfaSal carl[a aIt' ,ln *'- Kwomn
>: ^hiSIflHlP das, passageirus e 4iah-ir > a >.-
te"al as 2 horas da larde do dia da sabida. ?.*-
criptorio no Fone do Mallos n. I.
tara o Rio de Janeiro
Pretende seguir rom milita breTidaoV a ;;-fra
nacional Restaurarlo, lem parte do sen carrrja-
mento prompto : para rompleta-b>, e juntanr>
para escravos e frets, para os quaes lera rrcell-c-
tes coramodos, tratase com os eos rrmsigrji.tn..-
Antonio Lniz dTMiTeira Azevedo A C n -: --
criptorio, ra da Cruz I.___________^^__
AV!S
i 5.
Tsset Frer* previa^ro ao< carresadorr-B-de* -
10 "ditas de aioem lencolde 17 libras cada um. vios da Iraha do Havre a' Pernami-uco, cm i
10 ditas pennas calygraphicas.
Para o quarlel dos menores.
20 galoes de gaz.
Para a guarda nacional que tem de seguir
pan o sul do imperio.
600 pares de sapatoes.
As pessoas que quizerem vender ditos artige*
do Guillaurae Tell, c.-perado a cada m^waio.
sido abaixadoa SO fs. e lO 'i., o do Sp'.-.iire a car-
ga no Havre a i Is. ? 10 OJO. e qne Ulr.z *V
navios Sv'sujntes sera' anda u ais eir. renta. >i 'yi*
Ibes sera' avisado per vu deste joma!. Oa naw
estilo aoisposica "S rarregadoros
a um frete abaixo de Mi U. t#*i
paM ao 7> con I' fM
AS pessoas que uirannii yciiuci ui .. in -. "-------------------------- --~.
apresentem suas pr^postas na sala do conselho, a a^stareoinos anaunciatii-s. roa do Tr>^wh> n. J
10 horas da manhaa do dia 16 do correte.
Sendo que as materias primas sero recnlhidas
no dia seguinte, e os sapatoes no praso de 6 das.
Sala do conselho de ornara do arsenal de guer-
ra, 11 de agosto de 1865.
O encarregado da escriptura^ao^
Manoel Jos de Azevedo santos.
"dTl'eres foi recolbids a
sito um cavallo caslanho, castrado : quem se e Santo Anioma de Barrenos do l, ,1.1..-. aop;
i. cora direito a elle, comparega, que provando litadas de navo e bera construidas : a MM *
Inminio Iho ser entreeue. Subdelecacia do praga com m Srs. Antonio Loses Braga r...
Pela subdelegada
depo
julga
seu dominio Ihe ser entregue. Subdelegada
Peres 9 de agosto de 1863.-0 subdelegado,
Alejandrino Martins Correia_Barros.
No dia I*do correte mez, Anda a audiencia
do Sr. Dr. juiz de orphaos rao a' praga. de venda-
urna porgo de ooiu e prata, movis, e casas da
ra de Aguas-Verdes o. U, duas na ra Imperial
ns. 274 e 27R. e urna casa de taipa no Barro, cj-
berta de tell'a.
Para o Rio da Prata om Rio
t.rnsdc
Freta-se a barra uacional Restauraran : a tra-
tar com os seas eon^ignatari^s /.ntooio Lsm le
Ohveira Azevvdo & C, no seu sscripioo i roa da
Cruz n. I.
Vendeavsf as bareagas Pzram, o> i3 raia
appare-
sato
oo
do Rio Fciboso com Mo AKt-aso Ferreira.
IIIKII.
. De movis e oatros objectos
Cordciro Niaies
49.9133082
CONSIU.AOO PROVINCIAL.
hemlimentr.do da 1
Idera do ia l'i....
a 12.
GfIMENTG W POETO
O lllm. Sr. inspector manda facer publico pa-
ra couhcr.iionto de todos os coucorrentes ^Qfl lia
transfftTiilo para o di i 16 deslo mez, a 1 hora da fara'leiliu por conta e p-co de qn-ra aed
tarde, a arremataban das o caixa.s. contendu 1,2961 de urna mobilia de acaranla", 1 r:r aV
libras da linia e oleo, declaradas em o edital de 9 tnarquezas de ama/rilo, l :n >bis* '..' i
do corrile. I cadeiras, corara odas, quadros. Iinlerna*, I
4* seccao da alfandga do Pernambuco 1' de faia e outros objesto>, >to
MOJ']
Jos de AvilUmtancoTtNo>va. Quai.la.fCir1, )(', tUlllllll 11 Sr
1 Helagao das cartas seguras esislentes na admiais- il-"'l \k
29:3063360
3:93i3'J39
______,_ agosto de 186o.
33:2983328
traco do correio esta cidade
nbores abaiio declaradas
Augusto Frederico de Olivera.
para os se-
- Navto entrado no da 14.
Rio de Janeiro e Bab',a5 das sendo do ultimo
port 48 hora va'n0r inglez Douro, de 2026 to- Conselheiro Antonio Coelbo de S Albuquerque.
notadas, c-jmm'andante Bevis, equipagem 120.
Navios sabidos no mesmo dia.
P^rt^s do Norte-Vapor nacional Tocantins, com-
mandante o orimelro tenante Pedro H. Duarte.
Portes do Snl-V^>r WC'onal Parahyba, com-
mandanle J. J. Mart25- "
Commendador Antonio de Souza Leao.
Innocencio Seraphico de Assis Carvalho (2).
Dr. Joaquim Jos de Campos.
Joao Al ves Matheus.
Joao Carlos Borges.
Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
i A
Quinta-feira 17 do correle.
Pelo agente Eizebi*
De um sobrado n. 7 na roa do Padre Ftriaa?.
I chao proprio, rende 1803.
De duas casas terreas na rna do Gaz, sao niva*
acabadas ha poneos dias, de ns. 4 e rede I6J
I por mez cada orna, chio foreiro.
De duas casas terreas ns. 32 e 34 aa rn* da
i Praia do Caldeireiro, tem sotao, bem acabadas
I I
1% #1


Diario de rernambucu ... (tuarta letra itt de Agosto de *.&-
quasi nova?, chao loreiro, rendo 315000 por mez
cada urna
Uai sobrado de uio andar na roa Imperial u. 93,
chao foreiro, rende 30:>5 por anno.
LLIIIjA
De-mohillas completas de Jacaranda, dita de
amarello, aparadores, 1 plano de armario guarda
roupa, guarda vestidos, I michina para costura
relogios de algibeira de ouro e pn>ta, 1 mesa cls-
tica, 1 toiletde Jacaranda', qaadros cora diversas e
finas gravaras, raarquezas larcas e estrellas, ca-
mas francezas de Jacaranda' e amarello, objectos
de porcelana para cima de mesa, candieiros a
gaz, objectos de ouro e prata, escravos de ambos
os sexos ote.
Quinta-reir 17 do corrate as 11 horas
NO GRANDE Afl.MAZEM DE LE*LES
DO AGENTE
OLYMPIO
36lina da Ctdela do Recife--36 e j
PHOTOGRAPHIA
TISTICA I
i:i:*<4*Maai
DE
JST

Wk
25 Ra Nova (esquina da Gamboa do Carino) 25.
| Os propietarios deste estabelecimento, desojando satisfazer os numerosos pedidos de seus fragnezes, acabara de receber de seus correspondentes de Pars, um grande
sort.mento de relatos (carloes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambora urna nuantidade de alinetes o emlelas para retraclus, do
mais apurado gosto e por precos muito diminutos. '
I Os mesmos aproveit.m a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos fregoezes, que ellcs trabalham todos os dias, domingos e dias sanios, das 0
Horas a maraiaa ate as i da tarde e que os tem, os de chava lo influem en. nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vex.es nreerivel
i sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operaco, como pela commodidade das pessoas.
mim
nnn ea5 JJu.antida,le,ie. PesS(,as que tem visitado este estabelecimento oestes dous annos era que se acham establecidos nesta cidade, e que nao sera menos de cerca
,yoo a 7,000, e para elles urna garanta futura, poslo que se appliquera lodosos dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
De urna victoria co.n a competente parelha de ca-
vados, l carro de 5 rolas cora 2 ea*Ilos e ar-
reos, 1 cabriot't d rojas com arrelos, I ca-
briotetde i rodas culi to, um instrumental
completo para ama mostea, obyectos de ouro e
prata a moitos oatros artigos.
Quinta-feira 17 do corrate as II huras.
NO GHANE AUMaZEM no AGENTE
i i ii^h
36lina da 4 adela do Recite36
iii:iii%
Sezta-felra 18 de agosto.
Pelo agen le fcuzebio.
De duas mobilias de Jacaranda, novas, com lam-
po de pelea, un guarda ro.upa de amarello novo,
e diversas obras de marcenen., que se veudtram
por maior preoo.
Leilao
De urna mobilla de Jacaranda constando de 12 ca-
deiras te gtiaruiea i, 4 dilas de bracos, 1 sof,
2 consolos, 1 me-a com pedra inarmore.
SexU-feira 18 do carrate as 11 horas.
No armuzem a rua da Cruz 'numero 57.
CordeiroSnnoes far leflio da mobilia cima
mencionada no dia e hora acuna ilto.
LEILAO
Ea t-xc. lenle chacra do Eim. Sr. desembargado!1
Doria, no Manguiuho, com as accoinmodacSes
que podi-ni ser examinadas de>d ja pelos pre-
tendentes, os ijuaes devero coacorrer ao leilao
nu da
Te*gafeira29 etu ponto.
Por ititerveneao do ageule Pinto, era frente a
Associacao Commercial.
AMA
Precisa-se urna ama para o servico interno e ex-
lerno ilc urna casa de pouca familia : ua ra na
Sensata velba n. 82, segundo andar.
Desajjpareceu hontem 11 do crrente, pelas
2 horas da larde, um burro pequeo castanho,
com urna carga de oilo arrobas de carne : quem o
pegar ou der nolicias na ra da Cruz n. 30, rece
aera ama gratificaco.
Permula-se urna casa terrea com 3 janellas e
l [.orla, e o quartos, por Lina mais pequea, dan
do-se a preferencia por perto da ribeira : quem
liver dirija-se a ra do Alecrim n. 2.
Precisa-se de urna ama para casa do pouca
familia : na ra da Cruz n. 21, 1 andar.
Precisa-se de urna ama para todo o servico
de urna casa : na ra do Livramejito a. 20, se-
gunde andar.
Preci.-a-se de um bom cozinheiro : a tratar
no sobrado n. 32 da ra da Aurora.
.1 ma
Precisase de urna &ma para o servico interno de
urna casa de pouca faailia
Corpo Santo o. 17.
OS PARAGUAYOS
U' a ordem do dia Acabar com os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a revolver;
fulmina-lus cora os encouragados armados
do esporoes, armstrongs e raiadas de 80
120; extertuina-los om summa a espada, a.
fa jo e a panbal de que se trata; mas
ninguem se K-rabrou anda do esruagar os
Paraguayos cojo, as armas que Deus nos con-
ceden ; acabar com elles a tacao e a p< nta
ps, para o que necessario encouracar esta
parte do nosso curpo com os formidaveis
rompe-ferro, osmaga cubra, arranca ti eos,
queora inarmore e outros que se vendem
45-KIA OlKKiTA45
8:000
30000
ALCOHOLADO de GUACO

Borsegnins Bordeaux...... .
patricios.........
para senhoras, en-
feitados.......
com laco.e Qvella ..
Precisa-sede urna cosinheira para nina casa
ingleza que apenas consta de duas pessoas (senho-
ra e marido) : tratase a ra do Vigario u. 2, es-
criptorio.
a tratar na praca do ^atoes encouragados.......
B irseguins para meninas bom
elast co.................
Sapatos do lona, sola elstica.
avdlndados.........
de tranca...........
econmicos para se-
nhoras...........
b com salto de lustre..
Na ra da florentina o. 36 prepara-se c mi-
da por cemmodi) preco.
Precisa-se de ama ama qoe entenda de hor-
talica : na estrada de Joao de Barros, lerceiro si- Chineloes do Por O..........
lio pascando a estrada do Oihu do Boi. No uusmo
compra se um carro para conduccao em bom esta-
do, e um boi.
50500
4#S< o
oOO
30000
25000
!06OI
l 600
l
Instituto Archcoloijico c Geoyrapuieo Pertiaiu-
h tirano.
Haver sessio ordinaria quinta-feira 17 du cor-
rate, as 11 horas da manhaa.
urdem do dia.
Traballios e parecer.* de commisses.
Secretaria do Instituto t4de agosto de 1865.
J. Soares de Azevcdo,
Secretario perpetuo.
Todas as pessoas qoe ilevem exmela Urina
de Novis & Filho facam favor de mandar pagar
a ra do Livramento n. 3.
Precisase de um sitio que sejifperto-da ci-
dade para una pequea familia ingleza : trata-se
rua_do Vigario u. 2, e^riplurio.
Desejase saber dos Srs. Jos Narciso Gomes,
Jos Vaz Uias de Picho, Joao da Silva Ferreira pa-
ra se Ibes entregar cartas vinda* do Porto : na
ra do Vigario o. 19, primeiro andar,
Arrenda-se o grande slliu da Piedade, na Ta-
marineira, onde esleve o collegio da Gonceigao,
com todos os commodos, e alem disso propor^oes
1 para graude agricultura : a tratar nos Coeihos,
em o collegio da C/m' ei^ao.
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda mo que seja bem seguro : a tratar na pra-
ca da Independencia n. 12.
4MA
-$o0:j
2rS240
bjfSOO
Um completo sor;ime: to de calcado da
trra para liomens. senhoras e meninas;
assim como bezerro francoz, couro de lus-
tre, marroquns, taixas de todas as quali-
dades, fitas para sapateiro, muito sortidas,
sola e couros que tudo visto necessariamen-
te faz cobiga ao comprador pela barateza.
SM O advogado Gndny Vasconcellos, pode jUg
^Q ser procurado no e-criplorio da ma do (.;'
SK Rosario estrella n. 34, ou em sua resi- ^
dencia a ra do Sol n. 9.
0 Alcoholado de Guaco de Pascal urna nova preparacSo da qual
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro lugar um preservativo inalivel do contagio veneno (vor
folheto para o modo do o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais corto e mais ngradavel para
as molestias syphiliticas de toda a especie, ulc r i{ 5 primitivas e .secun-
darias, ec.
3" Empregado om injeccOes, o molbor tratamento dos corrimentos
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leacorra as
mulheres.
4o Emim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
relas de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulcera* das pernos.
ophlalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
inaes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izenlo de toda aaccao mortfera, foi experimen-
tado nos bospitaes de Pars, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvagao
dos distinctos doutores Ricoud, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Kobert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Pars, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedigSo, PASCAL e C', 33, ra Monsieur-le-
Prince. Paris.
| flETRITfSTAS
Xovo eslalielcc'nBe'iU ir rftr-
^ tos ni* Nova n. 15, i*n-
c^ dar, ju.tft no Sr. fiailier,
ia dentista.
^ Tiram retratos ti.d-is os dia-, das 7 knras
da manhaa as 5 da larri, qtw (tan oa
Bf niio.
vg Tambcm se otkititm para tirar r. ira-
fi tos de pessoas lall rifa, deutro n fura
^ da rid::di.
!* Os .niinnrlanM tm^at r rrl:far o
... seu rla| eleeimenla, arante a* pnUkn
%,i 'l'"5 '' "'"' inhalan*ak*f >'.- uarfJkt-
na,s.-in qn.-na.. ji :-r;-
',l do, r a rnotaae fu Ir. gan.
;-v i, .. H:ft'&K '-" *?W
Preci
pouca lamida : a tratar na rna d > S. bo a. :,\.
A lu:;.-se por 22S mensa^s a -e_-ra*. aa-iar
do sobrailo n. \ aa I- ,.n Ur.
tncannmento* jmra
(t< u/s.
Fasta-ta oa ra Nuva n. tk cr*u lo4a a a*r-
feica).
r
en

ASTHMA!! ASTHMA ASTHMA
SFFOCQAO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio cfficaz para coinbatlir estas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Doscoberta inteiramente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ra do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
blicas de Franca e do eslrangeiro.

Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbosa.
Precisa-se de um criado que entenda de bo-
leeiro : no pateo do Carmo, em casa de Gabriel
Antonio, se ir, 011 na Pas-anem n. 21.
i Henead.
Fornece-se comida para casas de familia, lojas
- ou ofllcinas, com todo o asseio e promptidao, mu i
bem de plantacao de borla c jartra, para
ir para um engeono perto desta prara, d-
se-lhc bom ordenado, alm de outras van-
tagens como s ja boa alimentacin, roupa
/\ IVI /\ 'lavada eciigommada etc.. etc.: quem a isso
i-seden^ain'-r-^zinhar em asa MfS^iW "" fi G'r,a \ ?'
das 10 horas as 12 da manhaa e das 4 da
-- Precisa-se (le um hornera que envenda lo vana-a, c poreommodo preijo, mandase levar
em casa ; lambem recebe encotmnendas de boloe
doces de todas as qnalidades : ra da Caixa n. 70,
Boa-Vista, casa particular.
de familia : ua
chafariz.
ra do Brum n. 00, deruute do
A Comp
CONTRA FOGO.
anhia Indemuisadora
tarde em diante.
Na ra do Imperador n. 83, segundo audar,
precisa-se fallar com os sepuinles seuliores, para
negocio que Ibes diz re.-pelto.
Antonio Nunes de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Jno Perelra da Silva.
Jos Lopes Tavares.
No hotel de Italia, ra o Trapiche 11. o, pre-: Ricardo Bastos, recentemente ehegado da Jos Francisco Hodrigues.
cisa-se de um moleque e de urna 1ngcmmadeua. Europa com direccao ao Itio de Janeiro, tendo de Felippe Borges Leal.
demorar-se alguns'mezes nesta cidade, e desejoso Castodlo Jos de Carvalho.
estabelecida nsta praca, toma seguros martimos
sobre navios eseus carregamentos e contra fogo em
edificios, mercadorias e mobilias: no seu escripto-
rio, ra do Vigario n. i, pavimento terreo.
Precisa-se alugar
para cozinhar, engom
deira : quem as tiver
meu n. (9, sobrado
duas
Ha precisao de um homern portuguez que Talbotter, etc., etc.; assim acha-se hab'ilitadopara
Quem precisar de urna ama para o servico in- seja ddigente para fetor de um engenho, dase facultar mnios facis pelo systema mais aperfeicoa-
terno de casa de familia: dirjase ra das Cinco
Poetas n. 87.
bom ordenado, e mesino nao se duvida dar um In-
tensas, prefenndo-se homem casado : quem se
y-^y.. rjrm w~%fV*--------. julgar suffleiente para desempennar esse lugar,
m mam ffV aT*T m / anauDCe-ou se dir'Ja a Praca da Boa-Vista n. 32,
que ahi se dir.
Ama de leite.
AOS 6:000#000.
Terca-feira2i do correute mez, se ex- LWfS dt u..ma ama de lei,tt: na rua Pova
trahirt3*Paneda Ia e P da V lotera d Sa'a to*j> ?,undo ai"lAr- ; teS bem
^8a1 lipnelicio da matriz da Victoria ~ Precsa-se de, urna ama que tenha bom leite
(-0 ) a neneiicio aa matriz ua victotia, para arrianeilUr IIia criaU(.a de tres IueZtS. na
no consistorio da tgreja de ISOSsa betihota rua ireila, sobrado de um andar n. 84, se dir
do Rosa; io da freguezia de Santo Antonio, quem precisa.
Os bilhetos, meios e quartos esto a ven-1 Urna pessoa babilitada se offerece para en-
da na respectiva thesouraria a rua do Cres- snar primefras letras em aignm engenho: quem
po numero iii. Preclar dirija-se a rua de Santa Rita n. 15.
Os premios de 6:0000000 at 10^000 Precisa-se de urna ama forra ou captiva": na
serlo pagos urna hora depois da extraeco rua..|"ga do Rosario 35-_________________
at as horas da tarde, e os outros depois | Aluga-se urna mei-agoa com porta ejanella.
da distrihuico das listas. quintal, cacimba ; urna dita sein quintal, porm
\< i>ac(iminpndi< rio rrnrdirla sn. Cl" SIa0' t""50 de '-^ ('ada uma o|lla d"a por
AS encommenaas s rao guaiaas, SO- Se(m. Da rua do Gazometro, a tratar cora o Sr.
mente ato a noite da vespera da extraccao Valonea,
komo de costume.
Servindo do thesourcro,
Jos Kodriguesde Souza.
Bento A Ivs da Cruz, como llquidatario da
exiincta lirma social de Ferreira & Cruz, e com-
plt-tamente autorisado pla escriptura de distrato
Celta as notas do tabelllo Sa, em 12 de julho de
1861, pret-nde vender era leilao publico um es-
cravo de nome Antonio, jj de idaae, de boa pr-
sese*, Del, sem vicios e sem aehaqaes, pertencen-
! massa da extracta lirma. Os pretendentes
l>'dem dirigir-se casa de detenco antecipada-
meate onde se aclu recothido simplesmente por
cautela e seguranca.
Precisa-se alugar utna ama, escrava
ou forra, que seja de bons costante*, e sai-
ba fazer todo o servico de tima casa de fa-
milia. Paga-se bem. Dirigir-se rua Bella,
n. 37, casa de t andares com terraco.
Fugio no da G de agosto o escravo ci ioul
de nome Tiberio, dade de 20 a 2.*> annos, estatura
baixae com falu de um dos denles de cima. Fo
escravo do Sr. Francisco de Albuquerque Mara-
nho Cavalcanti : quem o pegar ou delle der noti-
cia, queira dirigir se a rua da Cadeia do Kecife n.
33, loja de Valle Porto c C, que sera recompen-
sado.
do e de prompta eomprebeosio. Seu meinodo
antes tudo a ortica, porque a pessoa, qualquer
que seja a dade, e narigada a trabalhar em seu
gabinete eomo n'um escriptorio, mas arada adqui-
rir um vasto coiihecimenio do commercio em ge-
ral. Os suecessos ohtidos na Europa por este sys-
tema de ensino, nao deixa vacilagoes a quera pre-
tender ^obler conhecimentos do commercio, ou-
tr'ora tao dilBcil de comprehenderse em virtude
do misterio que guardavam quem tinham luzes
desta sciencia, que felizmente o progresso tem feilo
desapparecer este abuso. Verificarlo e organisacao
de livros, etc., etc, e correspondencia. E desejoso
de ser til ao commercio, entina gratis aquellas
pessoas que pmvarem seu estado de impossibilida-
de. Pode-se cooiar .obre a mais restricta des-
cripcao. Na raajdajmperatriz n. 53, i* andar.
- Piccisa-se dt.
ratrlz n. 10.
um criado : na rua da Impe-
l. Nympha de Mello Accioli Fonseca pelo
presente convida a todos os parentes e ami-
gos do seu finado liho SebastiSo de Mello
Accioli, para comparecer no dia 17 de agos-
to, pelas 6 horas da manhaa, na igreja de
Santa Rila de Cassia, atim de assstrem as
mi-sas e memento i|ue man.la celebrar em
memoria ao primeiro aniversario da morte
d'aquelle sempre chorado lilho.
Os amigos do tinado S. basbao de Mello
Accioli rogara a todos os prenles e mais
liessoas que Ihe dedicaram amizade o espe-
cial obsequia de comparecer no dia 17 do
correte pelas C horas da manhaa, na igreja
de Santa Rila de Cassia, afim de assisiirera
o memento que inandam cantar em sua me-
moria ao primeiro anniversario de sua morte.
Nj botica do pateo do Carmo se dir a casa
onde so da; por veudagem de bolos 100 rs. por
cada pataca.
Precisa-se de uma ama que tenha bom leite:
a rua de Hortas n. 130.
Dentista de Pernambuco.!
i
Roa estrella do Rosario n. 3, j
|^ ao pe da igreja
Vende-se ou arrenda-se
A chacra do desembarpador Doria, no Mangui-
nho, a qual contm urna grande casa de campo
com militas ac,:ommodaeGes para numerosa fami-
lia, qur no andar terreo, qur no andar de cima,
com terracos largos dos lados para recreio, um
grande jardim cora bonito desenlio, eocheira para
3 carros, estribarla para fi cavallos, um quarlo pa-
ra hospede, tres grandes quartos para sealas ou
para oatrn qualquer misler, rasa de baoho, gran-
de cacimba cora amia .ie beber inelbor do que a
do encanaineiilo, duas bombas de tirar agua, sendo
uma de repucho, leudo instrumento proprio para
tambem se lomar banlio de chuva, uma casa com
inangedora para vaccas e bois, onde ha espaeoa
em que se gnardam cabras de leite, carrosas, car-
rnhos de mo, madoiras c taboados, dous galinhei-
ros, t curral para dormida dos animaes: o sitiu
ou chacra tem na fr-nte gradera e porlao de ferro,
e todo murado, excepto apare mais cuita do
lado do uascente, um pomar de frocteiras de todas
as qualidades, sendo que s de laraugeiras de ura-
bigo, da china, selecta, laranjas limas, tanjanna e
da trra tem 130 e tantos ps, fra uma plantacao
nova de laranjas cravo, ligueiras, laranjas de um-
bigo, sapotis, abacaxis, macacheira e uma grande
pjanlacao de capim, tanto de Augcla como da Colo-
nia : franqueia-se a casa e sitio a quem quizer
examinar e ver as suas accommodacoes.
^H Lonipanbta lidelidade de seguros -0
Achara se fogidos os ecraos setoMie^ : %-tHn,
mualo, ida l. de 2o annn-. cabellos annWad s, -o
barba, dente--um pouc limal-, seco .1 i
le>ta larga, e III. uoi anacn d
crioulo, ja um i ouo vilio, altura rrgatar, mm'9
cabelludo, barba c(.m atojan aaftata br^rr.^. aa-
MIB como na Cafeeaa, corpo reforcado. olai>^ >:>
lano pri|iieno-, falla fN*aj i a< rn fae -
ronco: tiede-se as aotoridatfVs p^liriaes ai
pta-s deramj-i. une n- fac^m aaaMftajjgbf ron
duzi-l-,< a' ca-a de seu seob.ir o majar Aaia > da
Sova Gusmo, c Ins pagara toda despeza que liiereai rom a -oa
con!ucean : soapfe-ft aaa > lle< t-ro *> em s-.
gninienio dos Minies desta provineii, anr srr-a
filhos desses lugares.
MFUS.
Compra-se efreclirarnente ooro e pr. :a'a
Doras ..'!:.!-, | i i m ,
Rosario d. ii, loja dt- nurives.
Silvino Goilberme de eftvctlrameale i^'.\-.' :
ruado Imperador n. 7!', lerreiro ai.dar.
Oitr c prala
.ni obra.- Tenas : riiaaan n na praca ta Ia4>-
peudencia n. ti, loja de MAataa.
(ii:ri|ira-se ouro, prata e ped: ;
em obras veihas: na rna da Cairi do t---\U;
bja de oiirives no -reo na Caac i-
Compram-te moedas bra-ileirs de S>i a
l : ni rua do Crespo n. 16, ptim-iro andar.
Comara-M uma casa terrea na tidai e
Olinda em boa ni:. a tratar na rua do AaaHa.3P
Compram-se MM casas terreas nova- em Soa
rua, que renda de rVl a .'jutiA : qrjrai river para
vender, dirija se a rua do Crespo u. k, me -lira
quem pretende.
Comjiram-se libras sterliaa< : aa prara dh
Ind. pencia u. n
V111A1
OH
aajjrjtllAJlvIowU rliaiU UZUfilOjt i'5 diamantes por objectos no vos: na rua
" enlloca atontes artificiaos ^ ^ do Queimado n. 29, entrada_ pelo largo g
ptiosiyMeuias uals iu- Hj oras, e a tarde das 4 horas em diante. Sg
aeraos | ^ Qs objectos vendidos pelos annuocianles ?
Emprega todos os meios .'cientficos para Sjf ; Sfe sao garantidos por elles, e esto promptos tyl-
conservar os naturaes. Pode ser procura- 5SlSH para levar objectos as casas das pessoas j/_
do em seu gabinete das 9 horas da ma- B **} que desejarem comprar, uma vez que :5
nhaa as 5 da tarde. M 1)0 nao pnssam vr a seu estabelecimento. W
Abiga-se a loja do sobrado n. 17 da rua da
Imperatriz, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar |do mesmo.
Antonio Tiburcio da Costa Monteiro.
Sebastiao Antonio de Albuquerque (estudante).
Francisco Gomes dos Santos.
Joio Gomes Perera:
Jos I.uiz Pacheco de Souza.
Sebastiao Jos de Barros Brrelo.
Francisco Antonio Vieira da Silva.
Domingos Jos Alfonso Alves.
Joaquim Francisco da Silva.
Joao Itibeiro de Casiru.
Jos Francisco da Snva.
Miguel Arcanjo Ferreira.
Vicente Ferreira Neves.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Juba Rosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadaolt.
Joaquim de Oliveira Hala Jnior.
6 m
oias preciosas e objectos de^
upo. K
91 Mauricio Selbeherg & C, Polacos, par- ]$
ticipam ao rcspHitavel publico, qoe ac- EEt
^ bam de receber um grande sortimento ^<
^ de joias c brlhantes, como sejam : relo- 3
|B gios, trancelins, aderecos completos, an- '^f
S neis, cadtias, pulceras etc., etc. e tudo jp
^ quanto diz respeto a joalheiria, pelo pre- 4j3
j_ coo mais razoavel possivel, e mesmo ag ,,ara rjesciroamenlo de algod.o, afamadas'pela
1 troca e compra objectos de ouro, prata e fortido/simplicidade e economa em combuslivel.
martimos e terrestres
estabelecida no Ro de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMRI'CO
Antonio Lniz do Oliveira Azrredo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da coinpanhla di seguros Fidelida-
de, tomara segaros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Cru: n. I.
Wndem-se aaajaafeaa imnerue. em e^iado
de serem Iransplanladas : no sitio maTa> a a>
auerda. depois,do becei da E.spiaaeiro. aas Jk$-
flictos.
Vmho do Porto superior em ra xa te dnzra.
tem |iara vender Antonio Lniz deOlrora AzrTe-
do A C., no sel sacratorm rna da fia] n. I.
Vcndini-.-e saceos r..m hafaia Ha ierra mni-
to boa, com 22 uias cada urna, a 3-7UO : n., ar-
mazeui da rua do jajjaaisff n. 83.
Vndese um mo|.-qoe pera de 13a liaa-
nos de dade, prwpfW para pa)i> in : as
Ponas n, IIV.________
Vende se urna radrirwml dr ar nar qa-i ao-
va, toda f.'irada di :* e par pr ra r.mm--l : a
tratar na lo,a n. IH di rua do o.i iawW
Vevde-se
M

barato nm piano de mesa em p-iPm e>ia*>. eai
troca-se por uma machina de routnra : aa roa 4
Cadeia nova n. lo, sobrado confronte ao moro da
' casa de delencao.
Para matar formUas"
Vcniem-se velas para matar t ruinas : bj ar-
mazi-in da bola am.irelia no oilo da rret.- polica.
Vendemse tres escravas miras aaaj
dades : a tratar na rua de Aoollo n. l. an
UO
mm,A
Raa Neste esialn leciinento acham-se a venda os se-
grales objectos, lodos da primeira qualidade, e
construidos especialmente para esta casa, pelos
mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 t|2 a 8 cavallos, com
moendas, juntas e sem ellas ; e tambem propras
hafcit-
a; m
Vendem-se no engenbo .Meguatii|>- .fc- haixo
dous animaes de i ida, sendo orna bt >u e om
qnarlo castrado.
kUi
urneno.
Vende-se a taberna sita na roa da Aurora n. Ti.
muito afreguezada para a ierra r.r ser <>m kot
local, nois se vende por sea pros-rU-nn uaer-r
relirar-se para fra da provincia : qoeta prelea-
der dirija-se a me-ina a" tratar.
Aluga-se uma escrava para servico interno
e externo de uma casa : na rua do Imperador nu-
mero ;>0, terceiro andar.
FEITOR
Precsa-se de um homem para trabalhar em um
Sitio em Beber I be : a tratar na rua Direita n. 69.

Na r.-ia das Cinco Ponas n. 72, precisa-sede
GASA DA FORT
Aos 6:000$000.
IBiluctes garautldog.
uma ama para o servico de urna casa de puuca fa-; A' RUA DO CRESPO N. 23 E CASAS DO COSTUME
uilia. Oabaixoassignadovendeu nos seus ronitofeii
zes iilhetes garantidos da lotera que se acabou
AvSO ao respeilavel COrpO dt COra- de extrahi^ a beneficio dotbeatro de Santa Isa-
bel, os >egoinies nremios:
Um ule,.. n. 2b2 com a sorte
raerno.
Mano?l Cardozo & Andrade fazem selente o
respeitavel publico e a quem nteressar possa, que
amigivelmente dissolveram a sociedade que tinham
na pa-laria sita no lugar denominado Demarcac5o
em t-rras foreiras a S. i> da PJ-ircma, ficando
de 6:0004.
Dous quartos n. 274o com a.sorte de l:2OOfO00
Um meto o. 1379 com a sorle de 400,5000.
Eoulrasmuitas sorles de 100, 40, 20 e
tojooo.
O possuidores podem vr receber seus respec
u socio Mamel Cardlo a eargo da dita padaria de [vos premios sera os descont'- das leis na Casa
tilo aciivo e passivo. Recite 14,ioagosio do 1865. a Fortuna a rua do Crespo n. 23.
O abalxo asstgnado offl-iai do r-g-tro geral Acham-s-i a venda os da 3'parle da 1* e I* da
d", liypjlbecas desta com rea, revine a todas as 2 buena (28*) beneficio d* matriz da Victoria,
pessoas intensadas d Panno de algodio da Babia da fabricaTo-
dos os Santos-tem para vender Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao, no seu escriptorio, rua do Vigario
n. 17, 1" andar._______
Previne se a alguns assignanles do bairro da
Boa-Vista que se achara em atraso de pagamento
da assiguatuia deste Oiorio, que bajan) de manda-
las pagar na livraria n. 6 e 8 da praca ,da Inde-
pendencia, visto como ha difflculdade de se acha
rem om casa sempre que o cobrador os procura
e nioc possivel que elle Ihes facara sentinella a
porta, alias se fara annnnclos chamando cada um
de per si para pagar, por nao ser possivel Ir 48
vez s cobrar lio pequea quantia como acontece
a um dos.mesmos.
Precisa-se de una mulber para casa de fa-
milia que saiba fazer /..da a qualidade de costara'.
quem estiver uas ciiouinsfineias, appareca na rua
do Qaeimado n. 49, rivai .-m segando.
e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
esntamenlo.
Rodas d'agoa de ferro, systema raui proveitoso
da forca d'agua.
Bodas de espora, e angulares, e de esquadnlha
para animaes.
Moendas e meia-moondas.
Tai xas de ferro balido e fundido, e de cobre.
Machinas para desearocar algodio, systema
Plan, com os ultimes melhoramentos.
Boceas e crivos de patente para furnalhas, dimi-
nuindo muito o gasto do combuslivel.
Machinas e raachnsmos para moer mandioca,
movidas a vapor, aguaou cavallo.
Quem annunciou vender ou hypothecar uma i Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
escrava de 22 annos de i dade, appareca ua rua da rinha.
Concordia u. G4, das 6 as 8 horas da manhaa. Alambiques de ferro, e fundos.
__________________________________________ Guindastes, fuos e porlatils.
Prensas para copiar cartas.
Bodas para carro de engenho com eixos e man-
! gas de patente.
Formas de ferro bando galvanizado para purear.
Sacase sobre Lisboa e Porto : na rua de Apollo
n. 28.
A ma.
Consulado americano.
O consulado americano acha-se mudado para
rua do Imperador n. 63, primeiro andar.
Alnga se uma escrava para ama de uma casa de
. moco solteiro ou de pouca familia, boa coznheira
e sabe comprar bem : na rua de S. Bom Jess das
Crioulas n. 3.
Procisa-se alugar uma preta que seja boa
engommadeira e cozinhe, sem vicios : na rua das
Cruzes n. 36, primeiro andar : paga-se bem.
geral, que, somenie se devem dirigir ai mesmo
abaixo anigaado, em seu sartorio rua do Quei-
mad > n. lo, e niij ao Sr. Amonio da Silva Gus-
mao Jnior, o qual desde odia 26 do mez passado
deixou o ox -rcicio de ta'iellio interino em que
estava. lecife lo de agosto de 18o.
Fulgencio Maule de Albuquerque Mello.
Marcolino Pinto Cabral, pede a quem rece-
beu urna carta de ordem do Rio de Janeiro que
annuocie a sua inorada para ser procurado.
PRECO.
(luetcf.....75000
Meios...... 35500
Quartos.....15900
Pira as pedseas que coruprarem i (0($000
para cima.
ilhetes.....C5500
Meios......35750
Quartos.....15700 -
Mahqu Mabtiss Fiuza.
- Na praga da Independencia n. 33, loja de our
ves, compra-se ouro, prala, pedras preciosas e
tambera se faz qualquer obras de eicoinmenda e
odo e i;;abuer concert.
Precisa-se
de uma familia que seja capaz para morar com
outra no pateo do Terco n. II : a Iratar na rua do
Queimado n. 13, loja de ourives.
perderam-se
. j dous cartees de visita, um com o grupo de um ho-
ZJSiSiJXftSZZ Kut me ^ uma 5cnhora "aas crianejs, l outro com o
quem convier annuocie por e.-te jornal._________J 8S l9eT ^^^ 0 favor ,,e cntre}ja.|os na |oja n 8
Naques abre tAhoa \l! da rua do Crespo, que se gratificar.
S0er!:'ar,( r!S*e'Tn" i?"" '"'e *wed-M8dB Jo. de Cas.ro Redondo, que
Lisboa ou jargo do Corpo Samo u. l'.l.________; da proprja Grma ^ Ama
. que o mesmo tem fe.'o jiarle, todos sao convidados
| a apresentarem seu* respectivos ttulos na rua do
Precisa-se alugar uma ama que saiba bem cozi-1 Amorim n. 41, afim de serem attendidos no pri
nhar e comprar, prefere-se escrava: a tratar na i meiro rateio da massa lijujiiada, ao qual tem de
i toja da roa Nov a 1L proceder-se brevemente.
Serras de ac e armaces de serrara.
Arados-de ferro singelos e dobrad is, grades para
cubrir canoa, miadas a cavallo, e outros insiru-
mentos de agricultura.
Samuel Power Joiuiston & Companhia
Kua da Senzala Nova n. 4.
AGENCIA DA
Fuadlco Afachinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
Moendas e meras moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios di* carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente ingles.
Arados americanos.
Machinas para descansar algodo.
Motores para ditos.
Machinas de costura.
Precisa-se alugar uma casa terrea, sendo as
ras Sanio Amaro, da Paz, das Flores, do Sol, da
Palma, principio da rua da Concordia : quem ti-
ver annnncie, ou dirija-se a rua Imperial n. t.
Vende se ii.n ravall ratanii l>-i, *n44nr
baixo, muito novo e sen. achaque-, bom > sWb, e
melhor ser para carro por ser graaie : aa raa
do caes do Collegio, loja de r-z>-n u a. II
No sillo do To |u-' vrndem-M t^a cal-ras
paridas ha pouco, e por haixm preco, i
iiiconvenienies que por nenhum oatro m.; i
ser removido ,
Bom negocio:
Vende-se por mdico pr.c> osol>ra-l! ir in-
dares na rua do Amorim, btanle m,--- i
rua a rua : na rua do Vigario n. 19, e*-ripfcwt<>.
Vende-se um moleiue rroalo de 11*- i- 31
26 aun s, bom eotwheiro, copeirn, liem fa.lanl :
quera pretender dirija a a roa da i j cite n. 6i, segundo andar.
m m 4* mm *****
& Biclias de Hnmbur.iro >i
W. lodos os paquetes da Enroca e reeetM> X|
^5 'es!as Am'l*M ril1 *aDgne humaa e e H
U vendem a troco de potico lu'-ro s altm ^J
SR de trr sempre UM ora : a loja JLj beiro rua estrella do Rosario a. 3, ao a
SR da igreja. 0
*.&m*mx mm wmimm
Farelo
a l| a sacca, das maiores que ha : aa rna hrga
do Rosario n. oO, taberna da esquina.
Vendem m
machinas americanas de .-errle para 4>>carorar
elgodao : na rua ila Senzala .v>va a. i?.
\0VIIIADE
Alogam-se dous grandes sobrados com comt
modos para numerosa familia, novos e aceiados
com jardim, eocheira, estribara e outras commo-
ddades, na travessa de Joao Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Senzala Jova n. 42.
A l l,|OO r iKiOO.
Ceqoes de osso, uliimo gosto, a 15.
Ceroulas de m-ia a I52u0.
Diitas muito tinas a Io00.
S na rua da Cadeia do Itecife a.;5___________
Colla da Ki-hia si^eritr
Tem para vender Antonio oiz Aa Aze^r* 4
C-, no seu escriptorio rua da Croz b. I.
1
>


If Jarlo fe |>crnaiHbKco -- quaita elp iO Je Aguato de 1SW.
\\
*1
y
.
i
PIULAS CATHRTICAS DE AYER.
Estas pilulas vegelaes sSo a-
daptadas a todos os usos de um
^purgante as familias, pois sao
!perfeilamente innocentes, e em
quanto milhares de pessoas con-
fessara com graiidlo que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas ;n5o ha
um s caso em que haja suspei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestados que temos de curas
notareis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
Aftecco chronica do ligado.
Illm. Sft
Jniz de Fra, 17 de (eveniro de 4864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-
fermidades do figado e bacr, ooai o uso
das pilulas posso ihe assegurar que estou
bom, pois tendo desappareeido um granda
engorgitamento que solTria, militas dores
sobre a regftfe to ligado e costas, dores de
cabera, incharao do ventre, nao podendo
deilar-me senao do lado direito, isso mes-,
mo procurando posicJo para ter socego, lio-;
je me acho tivre d'esse padecimento; como
por aqui ainda as nao Traja, eu como torillo
este proprio que de casa, Ihe rogo man-
dar-me aistins vidros, e o custo elle Ihe sa-
1-5a flua para bordar.
Na leja de miudezas ra do Queimado
&. 16,vende-fe tSa lina, de vivaseagrada-'
veis cores, to propria para bordados como
para touquinhas, sapalin: os, etc. : quem
pretender dirigir-se a dita loja na ra do
Queimado n 1 (5.
Franjas largas para cortinados
Na lija de miudezas ra do Queimado
n. 16, enconlrarao os pretendenies um ^a-
riado sortimento de bonitas franjas largas
para cortinados, coberlas, toalhas, etc., cu-
jos precos nao desagradarn ao comprador.
que atien-ier a largura e qualidade de ditas.
Peonas deliradas.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, recebeu essas novissinias peonas de
metal dourado, caja excellenle qualidade e Loj-* doga
perfeico dos hicos s tornum mais durado
ras no exerciiio da escripia, pelo que os Neste estahelecimento encontrar
seas acreditados fabricantes Perry & C, as publico um grande sortlmenu Me
lo
sigila ti le
iiiimeio 7
ra 'o Crespo
o respeltavel
galanteras e
recommendam .os apreriadoies do boiu.
Tambem se emintram ou'ras pennas de
aro de differentes .ualidades e dos mesmos
fabricantes. ludo na ra do Queimado lo-
ja de miudezas n. 16.
Enf cites noves e I oultos.
A loja de miudezas ra do Qu imado n.
ohjeclos de mtiilo {oslo que lem chrgailo nestes
AGIl IHANG.4.
I oeias de raarroquim, eoui cascaYeis
e sem elles.
Na iua do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, vendem-se colleiras de marroquim,
posjioiitadjis e com cascaveis, oa sem elles
proprias para caes e mitr. s bicliinhos.
PeiiiiHg ingiezscaco c (iotira .No novo sortimenio de pinnas de ar-o que
a Aguia Bnnca acaba de receber, vieram
tambem ootras de metal dourado e bicos
mu bem acabados, c p cessarias qoalidades os seu acreditados fa-
bi cantes IViry & C, as recommendam aos
entendedores apreciadores do boin, valen-
do mesmo a differenca que ha n prego de
ninas para nutras, porque estas se tornara
mai- dorareis na cuiiinuaco de escrever ;
assim pois quem dolas se quiz-.-r utilisar
com .ra-las a dinheiro a vista : na ra do
Diurnos navios e vapores de na propria coma, que Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
por isso mismo vender pelo menos preco que c, i u
Franjas com borlas c sem ellas para
pelo menos preco que
Ihe Fot possivel, como sejam :
llneos.
Os lindos longos imperiaes para senhora cousa
intcirameule nova.
Alinas.
s com borlas c
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
mento de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
Albuns mnilo finos com ropa di! madrepsrola e
io, lUtoeu no\o> e Himnos enieiic>, oora de tartaruga com gnarnlgo de prata para 50 e deseulius, cuja comaiodidade do preco est
moderna e de gosto, e os est vendendo por loo retratos, assim como deouirosraas iaferiores em relaco a largura : acliam-s ellas a ven- milito propr
procos commodos, variando estes a vista de 20 a 50 retratos. da na rua do Queimado ioja da Aguia Bran- & 500.- 3*:a
das differentes qoalidades, sempre agrada- Mnsicas. r n a*>> o t c>.
veis 80S apreciadores do bom Ciixlnhas ricamente enfeitatfas tocando duas
___i<_" i ,_' pecas de msica propria para mimo, assim
Meias brancas eruas e de cores camohas pequeas com msica tanto d
para crianzas de a 156 iuey.es mo de dar corda,
Na rua do'Queimado, loja de miudezas n, Vestuarios.
Riqussimos vestuarios de seda para eriancas as-
omo touquinhas, sapatinhis e melasinhas de
Rovidadej da loja e annazem de fa-
zendas e Pimpas feitas tncionaes na
da Imperatiii i. 72, de Sutaarted
k h mo.
Aproveitera as pechinchas
que S' esta quid 11 li por tod) preco, vejan;:
chitas largas n 860, 230 e 300 rs., aiUs pere
a .'160, 400 b 140, cambraia organdys mnitb Ihia a
300 rs. o corad, e milito superior a 310, 380 e
400 rs.: isto s oa nova loja d tnSo.
Esto se acabando.
Laazinha- escocers ZtO.ltfO e 580 o cov lio. I
R' muilo barato
Cortes de lia mallo superior com 15 covados I
pelo barato prego de 5 e ."oOO, is'.o > para .,'.-1
bar, breanba de rulo '& e 3*100 a peca, mad !
polao franca enfe>tadu a 35, 3500, 353O0 a :-V '
dito sem ser enlestado com 27 jar.las a ScO, i i \
o G3500, dito moil) saporior msreas multo m*re-
altadas a 79,75500, 8}, 91 e 10.3, aigodao de to-
das as marca asirn como seja marca T e cari e
de varea, sicupira e pao ferro todo Isto por
eos barasslmoss para liqoidar e aparar dinl -
ro : lito s na nova luja e arniat>tn de Gtiiroares
& Irmiio, rua Ja luiperatru n. 72.
Grande sortimento de babadinhos
a !J 3
mv.tr
Rita do (|ueiuia Ml>
.':

pelo barato prego de 800
cores c blancos
13600,
como
veio co-
lisiar, assim bem -como do cbarope de 6' w*-** W presos razoaveis avista 'i
ceroja, que tive occasiao de experimentar; df aal,(lide8: me,as brancas cioas e de seda;
em um ataque de puedas que leve nma!c6res F cnan(-':,s; ass,m cemo ou,ras.|
de.
na qnali-
Mas pode montar'a doze porque tenibe Sff?2^.8
feito uso d'ellas----------- '- -"- rf.lmo,de' ,ic xes!l(los' lc- : a
le com elle curei. fafo uso 4'eHesPra sertoras, ecroasparajiomei.
cas tosses em minha familia sempre em! '*!!*' *T 5? ***"'
bom resultado, e por isso que pego para i ^e pape pardo que por sua
mandar alguns frasquinbos, e wesmo al pi- ^ Jjh S t T''h ?T! b;m
> If la/eiid'S, corlar
acha-se a venda
na rua de Queimado toa de miudezas n. tG.
BSarato ftara acabar.
Caisinliss com 4 papis de agulbas france-
zas, limpas a Ifiti riscada urna
Pes de pomada ft-anceza, a 80 res um. '
j Dnsias de sabonetes de ebeiro a I i o 120O
a duzia.
Cartoes de liuas brancas e de cores, a 20
ris cada uro.
para uso da familia e al-
gomaa pessoas. ia d i .mt e g e
^resudado; soi: btdoorotoandeoda
De'V. s. atteisgPs.ar
Tbancisco FehreateraiI
Capcllas.
Riquissimas capellas brancas de flores para noi-
var, assim como m-ias iIp seda brancas.
Porta boqnet.
Riqussimos porta boqoet com cabo de madre-
perola para flores.
E.eqncs.
liiquissimis lequesde imdreperola e de sanda- ca n. 8, qoe seao satisfeitos.
,.,*im .-;-faho>_ Tll,eiS par., m,,..S .
Itiqnissimos livrinhos com capa de tartaruga A WJ Aguia Branca, na rua do Quei-
e eairemeioj
peca.
Lencos d
s para homens e menio
liii'ii. ditos de liiih >
ca n. 8. _
Jogo da paciencia en curioso entreleni- eeolias de fu-ri"! i" "r
mcilto. 63. ditas de chita a 900 <.
Na rua do Queimado loja da Aguia Bran-1 ,*G0- ,
ca n. 8, acbam-se a venda por precos ra-; Grap(Ie ^^^Sques multo
aoaveis, caixinhas com tabolas de madeira, enfeitodos a 8* e !3O0, diios d Rrosdeuaple a
que das diversas pinturas dellas se formam '
as cores a
if, ditas
iie in>
Contina a vead.-r toda.- aa iiiiudea.-
derlara por prtpM ^Imiravn-.
Slassos lie pal : l'ixa los ; ra dem s a |.-
Bspetbos de molduras doorada a 20"> M
Bonets de oliado par uirnieos a Ut
DttOS ''>- com. -:; .rii.r faz-i.cl. ;i i-ViOO.
Prasciw com suptiiot una rurba a ;.
Meiad! ds bu '. .. i ara I* ruad i i .
lO lio I'i ,' ,' :;;, lua, Vari 3 S\
i W r s.
Caiaaa rom 100 ev '.,;?:.:. |
11 rutas de ;'ii:> <''..
tirinas de Doi i i
r 610 rs.
\.'.s coi.. 30 r' vtiK.- ile lir.lu a! .
aixasrom ta\ iii ;-.- obi I
\r-i-.\-. de f i r ; I i .. l ir. -
Vara de franja lia |*ra -n;
V) rs.
doin ,..:.
Moveil da linda rom4 i jarda
i.k.s uara aaaentos ia raapa kvaa a I
Pares de bolSes pan i nnho, '> n>la rl i
T uras para eos;or >D|>efJam
Ca: le (i rni :
laooo.
Pares rte s
Par i- sapali trai |ara
\im.
'....\- i .ii- snpcrii; | -..
!.. I ras de ..-..- :' boi lias i
! \. m -n: r r*5 ol reas de saM .
I< >lit! .1- r .-:;;.! : .MV. 7..- Illllll.-: rWf
a 20 r<.
Resina papel ico a 2i0Q e XfM> -
E -. .- 11 rj : I H 9.
iHi?i'i- iS' test nr;1.- i .;.. n < !
600 i?.
r>n.:.- a.- raras s ra I .- rain pi'io a -V
Tal! -. iiiuir fln : ': crancas a X10<
Uhriiinaiisir.o e ataques bpmorrlioMaes.
Illm. Sn.
Ouro-Preto, 30 ie-marco de 1864.
Posso certificar-lbe que as pilulas ca-
Ibarticas do Dr. Ayer sao excelletites, pois
que solTrentio eu adres pelo eorpo, e que
suppunlw ser rheamatismo, (molestia esta
que j i bavia soll'rido hn annos) a soffrendo
tambem de ataques iemorrboidaes, e de
um ou\ido; pois que acompaohado de tima dr no queixo, con-
sultei a um dos nossos mdicos, e este me
disse qtte-devia faite- uso da salsa ; porm
lendo eu o alraanack do mesmo doutor,
comprei e;n sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minba conta principiei 8
toma-las, c sem as finalisar acbo-me sem as
dores pelo coi po; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrlioi-
daes : portanto sao para mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado^
isto em ebono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo cerlo, venerador e obrigado,
O brigad,:iro
Joq Rosrigi-es Fel he Carvahm,
Castrile.
(hro-Preto, 9 de marco de 18rU.
Atieste ijue tendo feilo uso, aconselhado
por um amigo, das plalas do Dr..Ayec,
tiquei perfeitamer.te bom de urna gastrtte
que solria e que privava-me de andar aper-
tado, boje felizmente nada siitlo.
Augestro Gollatino.de Mello.
Falta de apetite.
Ouro-Preto, '2 de (emreirc de 1804.
Sendo .eu aleelado do figado lia muitos.
annos, e Himameote soflri falt de apetite,
hoje ,do gracas -a Deus por aeiiar-me sao
e perfeite com.o uso das pilulaccatbarlicas
do br. A3r.
Antonio Bento Vieira.
L
ffi
A loja delo;a da rua do Crespo n. 1G tem para
vender iiuanlklade de azulejos de lindas e variadas
cores, assim como loucas de tudas as qoalidades,
de bonitas pinturas e posto moderno, rlcos.appare-
Ihos de porce'ianas brancas -iouradas e decores,
vidros de todas as qualdades, inclusive (inissimo
chrystal, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, ligaras e outrts muitos objectos de fi-
Dissima poroelana denuminada hiscuilo |?ra en-
feites de mesas, ele., guarnicoes de linissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e loaletes, tudodo melhr g-3slo, pinhas de lonca e
vasos paraijardim, candieiros de lamparinps para
(taz, (lobos-e cliamineisde'vidm, bocraes todos
os mais Bobrecelentes para os mesmos, gar liquido
de superior qualidade, e muitos oulres artigos que
sena enfad issimos razoavels.

A agua florida de Murray
olliada como um artigo de pe fume, nao
tem podido ser igualada pelas preparaces
CoEetii'aro, dores de cabt;i. af. mais custosas: conserva sen aroma, co-
Otiro-Preto, 28 do marco de 1864. mo se formasse parte da prenda a que ella
Atiesto que aciando-me aiacado de urna f se applica.
.'orle constif<;rto que trouxe-me dores por[ Sua eflicacia 6 to delicada, como elegan-
tes sao seus .multiplicados usos, qur^eja

guarnecidos-de prata para missa.
Aderecos pretos.
Riquisimos adereyos trelos sendo pu'seira, ro-
zelas, alfinetee volta, assim como de cores flii(,'in-
do perolas.
Brincos.
R'quissimos lirincos e rozelas de todas as quali-
dade e gostos modernos.
Soeras.
Riqntastmis lionecas de porcelana e de massa e
de een, assim como os que fallam chamando por
pa(iai e n.arnai.
Pentes.
agradaveis visias e paisagens, segundo os
desenhos que acompanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe la a curiosidade, e apura a in-
! telbgencia. Os apreciadores dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran- i cando-se que se vencte por menos 20 por rento qae
em outra qualqu-r parte, quem davidar veaha r
Na nova luja de faiendas de Bnimares
k Irnfto.
Rua da Itupea-aariz n. 9 2.
mado n. 8, recebeu novo sortimento de ta-
lbeies para meninos.
Bello sortiaieulo de la fina.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n.
8, recebeu novamente um bello sortimento
de la fina, de bonitas e agradaveis cores,
entre as quaes se acbam algumas que sel
nao encontram em qualquer outra parte, e
que muitas ve/es sao necess^ras para os
differentes matisados que com gosto prin-
cipiam as habis p. ofessionaes; assim pois j
'iqiitssimns p ssim como para menina e d umitas outras qua- portador se dirija com dinheiro rua do
Cueimado; I ja da Aguia Branca n. 8.
MURRAY &LANMAN
lidades.
ufeies^nri eja.i de mesa.
Itiquissimos enfeites para cima d^; msa e para i
toillec
PlTclas c Sotos.
Riquissimas Ihelas de madreperuU e de metal'
assiw 'mob;aiins sintos.
Flores.
Riquissimo-sortimento de llores e mais fino que
se pode desejar.
fgo para familia.
Riqiii?mo,jogo de vispora ?m caijtinhns dema-
deira envernisada e pedras tinas proprias para en-1
tretenimeniote familia.
Para viagem.
Riqussimos estojos com todos os pertences finos
para hornem.
Fitas,
Riquissimc sortimento de Blas de todas as qua-
lidades e mi.; < gostos.
Franja.
ltisfuissimaranja de seda de urto lindos p-
dres lauto de cores como prelos, assim como de
bar leu-e-sefli Ha propria para cortinas.
T raucas.
RifoissimM(raneasde seda preta e te cores as-,
siin como daalgodo e de ia.
S'crcimarias.
G-randesnriitnento de perfumaras de todas as ^
qaaMades e di-s melhores autores at o preseote
eeabeeido enfaMuho meaeionar, isto s
do Greepo.fl.72.
Francisco Jos Germano
Rl 1 SOVA .\T. 81,
acaba de receber nm lindo e magnifico sortimento
de oculos, lelos, binculos, do oltimo e mais
apurado posto da Europa.
s i| rioro a u i .
.': i mpreg
pcl..-s >v ..ico- '.- .
corar as
'>.<- r bri
|>fh- t-'.tt-rlft.
D.i. : ": > -.lili, ,..
D>s; epi Ii.
0 roa i
ai!" mani
ISe.s afr riese .
d' .'' o de| i .
imaeaes, e, nrait
coi vmitos.
I. le estado n:'.
vitavclmente, qui -
MoU-mUi de i.
A lc-.cri.-lit.
rl ,.Um aa *e cnrnci'a
rir'.i nos rln
. I-
- IICS r :. :,
I | '
Cbevriaa
Birinn
.
. por i"/'"
seo
i>|.|>r.-.!P.
ndrr* 4* r .hi-r i
Irrtlarr .Ir fc-7 m
m aiiirii etr.
Bonitos enfeiles para senlioras. Grande llQllldaCMOa dlQlieil'O. i
A Aguia Branca acaba de receber um no- v ,,IMn.,7i|T1 j.. M.*a
vo e lindo sortimen'o de enteiies os mais' Aa. ,0Ja c ,lui';zc.m (li) MJW.
modernos e gostos inleirarnenle agradaveis, Rna (! tm***$ "' dC m" \
*2?IHZ SI? C0StUme Vt VeQ"! 0 a de.*iSecTm.l'.em resolv.do h-'
dendo baratamente a quem com dinheiro se qodarsaas fazendas por precos baraiissimos, s
dirigir a rua do Queimado, loja da Aguia i com o tim de apurar dinheiro, e previnem as pes-
Brauca n. 8. seas que. negociam o:n pequea escala com fazea-
Hi'fK dfi la nara Pnlinran das> f'ue ne?;la lo^ e armaZt;,n enconlrarao um
ncids ue idd pdrd Acuuord. grande gortimealo por precos que muito Ihes ho
Vendem-se na rua do Queimado, lojada.de agradar, tanto em peca como a retaiho, a
Aguia Branca n. 8, j s*ber :
Mata mosca. v ******* a,l^0C'
i i i t j Vendem-se as mais ricas pelerinas ou roraeiraa
Na lo.a da Aguia Branca aclia-se a venda de fambraa bordadas proprias para hombros de
O papel COm compongo para dar fim as senhora pelo baratissimo preco delfifiOO: na rua
moscas, sendo O modo de usar facillimo, C o ^ Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
eieiio efflcaz : molha-se o papel e deixa se' Organdy a 24 rs. o corado.
ficar rr'um prato, e nelle pousando as mos- \ Na loja to pavo.
cas, entristecem e morrem. Custa cada fo- Vendem-se as mais bonitas easaai organdvs, pa-
Iba 40 ris: na rua do Queimado, loja da SS"!craiudos f*^"9- Peto lraiiawmo preco t-
Amna Ruanca n 240/'- covad() (,,,>z'! vinlen:). PSla peeolDCba
, ? acaba-se logo : na loja do pavao a rua da Impera-
'Uiversos brinquemos c entretenimeoto trz n. go, de Gama & siva.
para criancas. i Bretana de rolo a 3^ooo.
A Aguia Branca na rua "do Queimado n. Madapoln CllfestadO a 3$000.
8, recebeu diversos tirinquedos para crian-1 Na loja do pavo.
Os granulos Cbevrier sao ordenlos ;*!
sonmudades meo caes para prevenir essaa '-
sa.- molestias e cural as quando sao ioci< .v* i
tem po.
0 preco de cada frasco de 4 francs.
Depsito geral cm Pars, pharmacia Chemsr.
e em todas as pharmacas de Franca e dos >.a
estrangeiros.
no vlgUaote rua fas, sendo estradas de ferro, barcas e patos ,
elctricos, appare.bosd, metal,louCa ^^^^^'A"
Vendem-se pecas de bre.anha de rolo com 10
madapolao e
rua da Imperatriz
tv_ i a ~~ da e porcelana donrada para almoc e jan-1 n. 60, de Gama & Silva.
llVUi Sem SCIffliiMW lar e amitos uutros brinquedos de madeira, i rtes graiiailillOS a I 2,s'.
& Lanman,: Rua O QueBiador ns. 49 e 55, Uja de 1ue 'e vendem baratamente: na ruado, Vendem-se os mais ricos cortes de'f.-.zenda de
miudezas de tres portas, esl ^uei- Wafmi \ K" A^'a &* | SJKSfi ^ SJSXZ
_ Meias prclas de seda para seahoras a
500 ris o par.
Os elementos
ferro, o iode *
..i... .-. a C.-.U. i para ..
..jo. a colloeio -
grao das prepar., _' s :>rrnpii:osas. P:..Ua: a
seus resultados oncioi pelos VeAna do<
"iodo o corjio e na cabera, soffri horrivel-
mente por espaco de qualro dias; entu
um amigo aeonselhoci-me que tomasse pi-
lulas catbarticas do Dr. Ayer: com.el las fi-
quei sao e comjdetamente reslabeilecid6 em
rtres ibas, de sesie que estou no (irme pro-
posito de aconstliar-c uso das ditas pimas
a l/^das as poauwc que forem affeeladas de
.coBStipac3e8.
Agcsiinho Jos ba Sua/^ negociante de.fa-
zerdas. ____
Irritac do e>ttmayo.
Ouro-Preto, *9 de marco de 1864..
Altalo e juro, se oecessario fr, que. sof-
freiido 'ka muito tetH|joex;X!SSiva irritaco
de oeaago, pouco apetite e dificil diges-
to, (!' melliora'. depois que tenho l'eio uso das pi-
lulas ealfeariieas do Dr Ayer.
A.VTOMO llEKMOGE.Nt *ERE/RA BOSA.
Lonibriiias.
Ouro-Prto, 8 demarco de {864.
As pilulas do Dr. Ayer (eaUaajticas), fo-
ram empregadas com grande vaotagem por
mim em urna menina de dez aonos que
golTria de vermes intcstinaes, notaudo-se
que os symploman que ento aprcsentava
rasa de molestia bastante perigosa.
tAvucNoo Nonato de S. Thiago, j)laafma-
Geuiico.
Nerralnia.
Urna carta do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga Ha mai6 de sete annos que soffria dores
no hombro e as costas, lomei urna infmi-
dade de remedios sem achar alivio algum.
Dr, angustia, tormento so palavras for-
tes, porra nao exprimem o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Estas pilulas acham-se venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Diroita n. 15$
Veude-se em Pernambuco:
na
4
PHARIY1ACIE FRANCAISE
DEP.MAURER&G'f
; RUA NOVA N? I
embregada cono artigo de.toucador, quer
no uso do baulio, ou como suavisador da
pelle, depois .que se tenha feito a barba;
j para limpar as gengivas ou aromatisar o
balito.
Da uavidade, brilho e elasticidade as
complteles, depois de se liaver lavado; a
livia a irritaco de < rupcies ordinarias; faz
desapp^recer o desagradavel aspecto dos
pannos, das sardas, casia de ebuligoes, e d vigor e frescura a
pane onde quer que ee applique. Sua effi-
ciencia e elegancia o igualmente mfalli-
veis nos casos em que seja preciso applica-
la como estimulante e.anl i sptico, nos con-|
curaos e assemblas numerosas, as loca-1
maullo ludo bom e barato, quem qui-
zep ver e admirar venliam loja do
igilDli(l.
Caxas dt papul amizade, e sem ella liso o paulado
a 600 te.
A Agui.: Branca quer acabar com a por-
c5o de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior preco que Ihe cus-
tr.insparenii-s e toeldos
pelo dimi-
nuto preco de iif,: nicamente na loja e arma-
zem do pavao, rua da Imperatriz n. CO, de Gama &
Silva.
Boritouls de renda na loja do |ivo.
Chcearam os inai^ rico.; Lornouts de renda e se
Grozasdebotoesdelouca pra.eados /azenda mo-1 laram e o bom estado em que anda 9^.]^!^'^'S^USK'JUptloSl
derna a ibO rs. comtudo est resolvida a vende-las a 3 O! & Silva.
Efa6.ma* He5 U,iendi b?a .a fr6-- r's o par, am de que ninguem mais calce'
Pecas de tranca de aa isas e de todas cores a j- 6 .
iSrs. meias pretas de algodao, ag.ra pois e apro-
Escovas fiaissimas para limpar denles a 240 e veitarem a qusdra e dirigirem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n. 8. Tam
bem vender as brancas a 15 o par, e des-1
taes, e os rean -' s i!>- '
que conOnnrio su pederen
seguines aiTcci.-.Set
yttr.':.-... m9 r.:.i'-;.:r
Fm;|Ut-XH.
Anrmlu.
Cl.loro^r o., l.-lerlr!.
Vnmlriio.
AifcrciiiN do ti" T.
SuppreHKOr* .'- Tf
cr.. <- rfr.nrii.fl na
mcn*tni.ir:'n
AfTcccH |iiiiiu<>iiAr r
phllilalc.
MalCNlla.- fMItoip,
Onulraljiina.
1'rr.lu ri'apprlltr, r4*.
30 IS.
Pulcerasdeoatas para senhoras a 300 re.
Pecas de (ha de ce estrellas com 10 varas a
320 rs.
Caias com cal che les .francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinieiros de barro, com suierior tinta a 100 rs.
i'ecas de cordo para vestidos, fazenda hoa a
20 rs.
Earalhos muito linos para vollarete a 20d e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a 15 e 15280.
Frascos com superioresbania* a 300 rs. e 25.
Francos com banla, porm pequeos a 200,e
2(0 rs.
Ricos chales pretos de renda.
Chegou pelo ultimo v. por fraoeez um grande e
variado sortimento dus mais ricos chales prelM de
renda, tanto de hnho como de seda, tendo entre
elles muitos de ponta redonda a iariUifo de man-
teletes e muitos com o centro de cor, e veude-se
. I '-- v filil** mi '' i v iniu""fo
tas O umeo defeito e estaretn um pouco tri-;por precos muito em eonta por terem sido maoda-
gueras, i dos vir de conta propria pelos donos da loja do pa-
' vo, rua da Imperain/. n. 60, de Gama & Silva.
Lininli.is (ratuparrnles a 320 rs.
Vendem-se muilo bonitas ISazinhas trancaren
lidades infeeciomadas, :Ba alcova de UJll en- Lata* com superior canha a 200 rs.
fern>;, assim como nm antidoto exceilen-' Frascos de macaca perula muito oo a 200 rs.
te para os desmaios causados por cansaco Fr^.e arrafinl,a6 Cm le Colonia
ou suffocacao. Preparada nicamente por j Frascos grandes com superior agua de Colouia
LatMuati & Kemp, Nova York, e a venda por 640 w.
Caors & Barbosa.
Joo da C. Bravo & C.
Venaem-e no Recite em ca6a de Caors 4
Barboza e Jo da C. Bravo & C.
baboza a 400 e
Tinos a
Frascos cota superior oleo de
oO rs.
Caixas con 12 frseos de cheiros muilo
15100.
Sahoneies pegenos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Ikizia de saboaetes pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua deutiice superior qualidade a 800 rs.
Calzas com superior p de arroz a 800 rs.
Frascis de superiores essencias santal e outros a
15200.
M(]Ui\4SI)EP4TE!W
de trabaliiar mo para
d escarolaragodo
AUHICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLOil
Estas nuc lunas
podem descarocar
qualquer especie
de algodao seta
estragar o fio,
Vende-se o engenho Jundiahv, cinco lepoas
distante da ciide 4o Natal, provincia do Itio
Grande do tiorte, moente e crreme, om 20 cap-
tivos, 20 bois e U be.-tas ; assim como diversos
lotes de trra, propria para a cultura de algodao e
mandioca mat das riendas d gado no Poten-1 ,,ras(.os eom eiscaeias para rar nod(
gi e Ceara-meirim,aa mesma provincia,eofas ven-1 a iM) rf ";~" v ,uu^
das se elfectuaro a prasos, mediante boas tirmss : | prasi.os c*ra cfcajrni de todos nsnrec/,s a tfio 200
quem pretender dirlja-sa aquella provincia a tra-! "jo 120 p c '
lar com Fabricio & C. _______________ I pr;a!0 / (jrij-oR am eMfM fi[|os m J&
Desappareceu ha 13 das de casa de sea 6e- Duzia de meias muito linas para senhora a
nbor urna preta de nacao Angico, de nome Mara,. 45800.
idade, pouco mais ou renos, 50 annos, altura re- Gollinhas muito finas para senhora a 200 rs.
guiar, lem urna dor prxima a munneca de om Ca zas rom soldados de elmbo para meninos a
dos bracos, que agarrando-se nelle, ella doe-se, 160 rs.
levou vestido de riscado hranco eom ctiuviscos r-. Duzias de colheres de metal para cha a 800 rs.
tes rorn palminhas de seda a o20 r<., dita* liras e
de varias cores a 220 rs : na loja do pavao, rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
(rles de las Balizadas.
Vendem-se bonitos cortes de las matizadas, en-
, do 15 covados cada corte, a 55, ditos a Vara Pa
a 65 e 85 : na loja do pavo, rua da Imperatriz n.
,60, de Gama* Silva.
Roupa felta.
Rocipa felta.
Roupa felta.
Na loja do pavao vndese un grande sortimen-
lo de roupas feita para hemem, sendo calcas, i .-
nr. emi ',*%.
eflkaci..- -^t
Kaa >.i-i :!
Walralla emtrotnf-
>.
Nprt
OtMatl :>Vra* ala* *>**
ataaaaa
Hn:u-rea fra*.
Hufitarra l-raa>a
I achllla..
ff'rat ruarrmiat
r ;-lil Fr!-.rr ijiI.aHr
Varale. ir
Vejao se ". bu1 letint de iherapeu'iii i
ecirurijka a'Sfl de MKMln HW;
dos hcfpiiaes i* S de i IMt, etc..
Mmdtupula: '.-;-.-.pv. m .' '- -
ouivina de Rebithr.. os Mdicos Mar-M
igualmente o Xai ope d'iodore aupij lt
ierro e de quinina do mesmo auii or JHM *
pessoas que nao postan de medicaruemoe *eb ftk-
ma pilulrr c os m -nios. Este aarope nio '.'t:
como o xarope <'.'iotiure dt ferro, o ineOBveni*a5r
de altcrar-se c de se nao ppik-r aH*en ir.
Peca-se o folhclo que se da* de grata en i
dos pharmacculicos depsiiarios.,
Para-se evitaren falfitkacsi, exija o
prador em cada frasco de Plala on X^ ..
signatura do inventor.
Depsito gcral em rara. pharnuciRem~u r
142, roa du Bac. e em lu.Us as boas pLarv
de '.anca adns puixei e.siraugeiros. el*
GRAGEASdeCUBEBIMA
omCOPABAdeLABLO
Estes confeitos que tem por baac o pm.
cipio activo ila viimeira cubeta jimv .-. u:
sendo bastants tetots e cohetes, tanto de panno como e .aserairas a riinahubax
duaspessoaspara pretas e de cores oefia-sa de ni.nc.onar us pre- PUli %""'' "S" e>,"r,Ml"
Liles fazem pararimmediatamttit" i^tnn,
km
otrabalho; pd*
descarocar urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arroba
por da ou 5 ar-
robas de algodao
rnpo.
xos, sai.i de algodozinho, camisa ri.i mesma fazen-
da : nnia.se a pesso.i uu aotori-l.d< que a pegar,
a conduza a' rua de Santa Cecilia o. 18, que ah
sera' gratificado generosamente.
Dita; dita dito para sopa, fazenda boa a 15600.
Pecas de lita ds la para debrum de vessWo, com
10 varas a 600 rs.
Ditas da bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
venda na livraria acadmica, na rna do Impera-1 "i,M de lamparinas para 3 meses a 50 rs.
dor; na do Sr. Nopudra, judio ao arco de Santo ^artrn de choro e panno a 100 rs.
Antooio ; e na typographia imparcial, na rua es- Caixas com bonitas estampas para rapo a 100 rs.
tralla do llosaro a compilacao de loda a legislacao '-apachos compndos, boa razenda a 500 rs.
pequenos prelos para cal^a a
Acba-so
tendente admnistracao, arrccadaco e fiscali-
sajao dos dinheiros de orphaos defunlos e ausen-
tes, herancas Jacenles, legados, etc., con tendo nao
s o regiment de cusas e a le geral das execu-
c5es, como tamhem todas as ordens e avisos do
governn. que a ludo lem explicado, tanto a respei-
to das ohrigacoYs inherenles ao cargo dos differen-
tes empregados de juslica e fazenda, como dosdl-
ri'iios nacionaes c emolumentos que sao devidos.
Este livro conteodo mais de 700 paginas em ntida
impressao e bom papei, o prestndose a utilidade
de differentes classes, tornase recommeodavel.
Grosas de butoes
100 rs.
Frascos com superior agua de Colonia a 120.
varas de cordao de espaitilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pecas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a 15300, 15800, 25 e 25300.
Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
Lhizias de meias cruas muito furies e superiores a
31800.
Resmas de papel de peso pautado a 25800 e 45500
Vende-se 40 palmos de terreno na rua da
Seu cusir) 105000 por cada exeraplar em dous Concordia : a tratar na rua do Alecrim n 10, das
tomos. 3 horas s 5 dos dias utels.
I
Assim como machinas para aeren movidas por
animaes, que desciroyam 18-arrobas de algodao
iimpu. uor da; e motores para mover urna, dua
i euirjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
por que pode fazer mover seis destas machinas
mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
agricultores a virem ver e examma-io, no arma-
xem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Sanieps Irfofheps I C.
W. II, praea do Ctrrpo Maato
RFXIFK.
Os nicos agentes este paiz.
"^mWMWW
ova-iado
Francez barrica 35000
Portland dem 85500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 125000
.Vo arniazem de Tasso Irmaos cac= do'Apollo.
Vinflus (0 Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas parliculares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Luiz ; tambem
tem ancretas de dcimo encapadas com snperior
vinho, barris de 5 e 10 em pipa : na rua do Vi-
Sario c. 19, primeiro andar.
os para nao se tornar enfadonho o anuincio,
afflancando-se que o respetavel publico achara um rebeldes gonorrbeas, mesmo as <|ue m : |
grande sortimento por baratisslmos precos: na ram a cubeba o a cunahvb? isoladan;-.
2 GamaT Stiv" *** *"* ** Impe"'riz "'60' i Deposito peral em PerDaII)^nl r,a
Corles de casen.iras a 2-3500 e 35000, 2 em C3sa de Caro* A *-'
Vendem-se cortes d rasemlra
.
M
25300, ditas de aaadrinh* V?St+ii Atten^lO O baStSrO S? J
vao, ruada Imperan z n. 60, de Gama* Silva. f?CtOS ChO^'KiO45 l1 ""Vi '
*umo da Baliia para ;
charutos.
Vende-se fumo superior de todas asqna*
f lidades, a realho h por atacado e po
g pn-co coromodo : no Hecife rua da
EX Cacimba n. 1.
Tasso Irmftos
Vendem no seu annazeia rua
Amoiim n. 55,
Ueor fino Caraelo em botijas e meias b :''a?.
Licores linos surtidos era garrafas COO i .tas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhos(Aeres.
Sanlernes.
Chambertn.
Heriniage.
Borgouhe.
Champapne.
Muscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagnol.
do
grande sortimento.
Vendem-se don- grandes taires- ,le v r.- pi.
com 24 lues, du meMior fmftt e par r* -.-x..-
vel: assim com.i appareHiaa para .-hn ,
lar, brancos e de cores d ff-rent>- ; ;
i celana dourados e pintadus e branc- :
para jantar de porcelana l.ranca; t.,
, dem em pecas separadas, reajM na
zerem, eoospotelras lapidada ,.. .. .
para vinho, ditos para cbampagw, (
e para vinho linos c ordinarios, eii i
, laiiw ; laaferna* l>fcs '-IMado -i *^i
ditas de casquinho ingiera. mttl fina?; r-3>lrf-
bros -'e vidro e de bruore ; s.:
I porcelana e de. vidro para lores; ntia.
guezas para reslrisr spaa; aaerto.
Ihos de mesa para jantar; gigo i
para cha; e uutros muid s -or
qualidades e precos conunoas a v ,
pradores, que se'vendem na rua da lea i
cife junti o arco da GaaWaejii r. S4, ; u-
Nova no grande armazem de boca e v I
igreja da Conceicao dos Uilitai
GAZ 6AZ HAZ"
Vende-se gaz da meinor qu
1*5 a lata: nos armazetisda mi fea-
perador d.16 e ruado Trapiche No. .
Vendem-se barris de 3o com
, bom : para ver o iratar na roa do Vigario n. 29.
Vende-se urna ptima escura mo-a de r a
iii-l de furo. figura : a tratar na rua da Cidria n. 40, tajada
. relojeeiro.
Tu


_-i_~

Diario e Pemambnco -- Quurta letra le tic Agosto de as*.
R
\k
S.3
GEN ROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRANDES ARMfiNS DE AI0LI1 \D0S
_____4_.
Pateo do fiaran) n. 9 armazem Progressivo ra do Quciaiado d. 7
Unio e Commercio ra do Imperador u. 40,
Principal armazem de molliados.
OS PROPRIETARIO
Fazem sciente ao respeitavel pnblico, e com especialidade aos senhores de en-
Rfihos, Uvradores c raais pessoas do centro, que para uiais facilitar suas compras deli-
Deraraa os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo i os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de todos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicad), annunciar os geieros
por um preco, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos no se dar islo
ainda raesmo com prejuizo nosso, qaalquer pessoa poder mandar seus fmulos que
se. io lam em servidos como v.iessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas (Matadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os precos tal qual annunciarraos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fizer sna despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 4 a o ditas a 33200.
nltimamen'e no vapor Saladim, de 1# dem vasios de todos os lmannos a UfOOO,
a 13120 a libra e em barril ter abat- 1J500,800e40 rs.
ment. Queijos d: 1300 a 2500 os mais frescos.
dem francesa muito nova a!|a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril ter abatimoato. 2#000 a caada.
Baolra de porco refinada a 6i0 a libra e em dem mais baixo a 201 rs. a garrafa e 1#400
barril ter abatimento. a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 20600. Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
dem perula miudinho a 20700 a garrafa e 10600 a caada,
dem nysson especial qualidade de 20500 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
20600 a libra. a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem preto muito especial a 20000 e 20400: 100500 a arroba.
a libra. I Cerveja Bass do fabricante Sblers & Bell a
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 10-200.
dem da crcditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para dar a doentes a
60500 a duzia e 640 a garrafa.
dem Bass do fabricante T. F. Asnea 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Victoria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrafa.
:s e 30 a lata. 'Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
B i sxinlra ingleza muito nova a 30300 a bar- e 210 em caixa.
rica c a 2i0 rs. a libra. dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
La! is com bolaxinha de oda e oval a 20. 180 rs em caixa.
Presunto inglez para ambre chegado no Sabio inglez superior a 180 rs. a libra e
ultimo vapor a 8JO rs. a libra. 16') rs. em caixa.
Cnourigos e paios mcito novos a 900 rs.
a libra,
claixas com macarrlo Ulbarim muito novo a
JOOO e &0 a libra.
Aletria branca e amarella a 500 a libra.
C 'late portagaez do especial qualidade a
800 a libra.
dem suisso de 800 a 10000 a libra.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranho 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
libra.
IUMUOUIWOT uVI/ u IV'lVUa UUId. mmnmm
dem hespan'iol vordaieiroa IJO'JO a libra Charutos Normas de Havana a 50500 a cai-
que j vendimos a 10400. xa, de Simas (Jos Furlado).
Doce da casca de goiaba em caixes de 4 e Han Londrinos a 50, idem.
meta libras seguro a 10800, dem Parasienses a 40500.
Id em caixes pequeos a 700 rs. e de Mem Delicias a 10300.
50 para cima a (;0. dem Traviata do Rio a 5)500.
Mon secco era hcelas ricamente enfeitadas, dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 30300 e I0SOO a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mece Jipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixa do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanho & Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a I0jOD a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10300 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposico de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Painco a 40000 arroba e 1 iO a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porcao 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000.
Batatas em gigos de 3 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma em paneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
mteodo pera, pes-go, ameixa, rainlia.
e outras frutas a : jOOO cada urna.
dem em calda em latas feixadas hermetica-
mente mnilo bem enfeitadas, contendo,
pera, pesego, ameixas e outras frutas a
'i 40 e 700 a lata, tamben temos latas
grandes a 10200.
v: i nielada dos melhores fabricantes, em la-
tas de20000a I02M).
dem em latas de 1 1|2 libra a 10.
dem em latas de 1 libra a 040 rs.
Ervilhas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a 640 rs.
Fe:lo verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 010 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10300.
dem em caixinhas ricamente enfeitadas de
l-200 a 20500.
erras Mexide muito novas a 700 rs. o
fraseo.
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molho inglez a 040 rs. o frasco com rolha
de vidro.
ird i om p a 700 rs. o frasco.
! j preparada a 320 rs
La is com massa de tomate de 1 libra a
600 rs.
Id n em latas de 1 1|2 libra a 900 rs.
V hos em garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Velho Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 12T0 a duzia.
tdam Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
: I n en pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
Id -i om aneoretas e 8 a 9caadas com su- Farinda do Maranho muito alva e nova a
240 a libra.
Sivadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelinha, rodinha e pevide a
400 a libra.
AJhos em canastras muito novos e mauncas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 10000.
penor vinho Lisboa c Figueira a 240 a
ancoreta.
(dem braoco especial qualidade proprio para
missa a 56i rs. a garrafa e 40 a caada.
' le mais baixo a 400 rs a garrafa e 30500
a caada.
dem do Porto especial quilidade a 800 rs.
[arrala e 50500 a caada,
id ca Bordeaos em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa. -
Charapanba a meliior do mercado viada de Cravo muito novo a 500.
n issa encommenda a 300 ogigo. Cominho idem a 320.
lem mais baixa de 180 a 200 e 10500 e'Ervadoce idem a 400.
33 a garrafa. Alfazema flor a 240.
L res portaguezes e fraocezes a 10000 c Amendoas a 400 a libra.
; 0500 a garrafa. Nozes muito novos a 160 a libra.
Marrasquino de Zara, verdadeiroa 10500 a Papel greve a 40-200 a resma.
rrafa. dem I izo a 40000.
til .-. mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 30000.
bra de laraoja ver ladeira a 110 a du- Idem de embrulho marca grande a 10200 e
z'ia e 10 n frasco. 10300.
I id elManda verdadeira a 60 afras- Mem azul para botica a 20000.
i reir e Gi'O o frasco. ',i i j .,.M ,
I le! le Hambor* a 535O0 a frasqueira. CoPos laPldados a >M e 500 cada um-
Idem em boligas de Hollanda a 400 e 440 palltos de dentes, macos grandes a 120 ]e
... o fra8Co, 160 cada um.
, >m i-i nebra de Hollanda com 24 Fumo americano de chapa, de superior
g nafas a 80, com garrafSo. I qualidade a 10500a libra, em porco ter
Mein com 14 a 15 garrafas a 60.
abatimento.
: --'.MmmL
Saccas grandes cora 100 libras de farello superior a 40000 a sacca.
AURORA BRILHHTE
c*t
0
n

IWS AJIM
DE
EPIAES
Largo da Santa
|Cruz n. 84,
fquina da ra do
|Sebo.
Largo
|ftCruz n. 84,
^quina da ra
------------iSebo-v:%
aB0rE:SraerJrm'l0aCredUad0 armazem dellSUS!
A segaiate tabella RirWrV ?ffi *orll,mento da eneros de primeira gualidade.
Neodum armazem vJnrt*3 lod"debasePara aJ"se de contas aos portadores. tc
polo rande sortimSm?.Pm S barat0 e melhores d0 1ue a Aurora Brilhaote, ja1 ^
ero quanto chegue para accmiir TT porqu,e seu don(, s deseJa tirar dlminut0 <- 3fi
proveitar, o ursoneiarte iX s d"-'Pezas do estabelocimenlo por isso deixe se a- c
Untes freguezes de fazer loda a di'Kencia, afim de servir bem os seus cons-
LaS8 ,,raS dtchon^as mu** Vinh verde superior.
A caada a 3$000 e a garrafa a 400 rs.
O
"1
tBm3KlSJSS^ em Pos'a-"n'eira3,
SiOO Jua,'dades. a 15000, l^SOe
DfSe?r?, I?*"cellen,e Pe'^opara fri-
[Du: = S^^-OpadaS'a720rs-
Ditas com ameixas a 15200, I80O e MBM
Ditas cora raassade tomate, a 500 rs
DS^Tdecomad^na--a'w
fumo! bolachinba de oda muito novas, a
fiBSSSf" n,ezes de muiiasua-
Caixinhas
Cli aclate.
? m,mCOm a?iias enfeiIa,las Parias
( 880a5ooTr,r mUt D0V0' alibrade
JM" 40Or'!alharam ealelra araarella.a ''bra
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
[Ditas dita em libras a 640 rs.
ISag, a libra a 3ti0 rs.
Prlih* para sPa alibra, a 210 rs.
Ervilhas seccas, a libra a t60 rs.
yitas descascadas, a libra a 200 rs.
tapioca muito nova, a libra a 280 rs.
500 fs ararUta verdadeira- a llbra a
,A*ma nMf.aabao^ 9m sacco> a arroba a
25100 e a libra a 80 rs.
r'K aoo'wJava> a arroba a um e a ""
LTf\"tot**0* a 9m a arr0ba e a 31 I Gastanhas n,
{Dita1 de Santos, a arroba 7*000 e a libra a ba 400 e a lib,ra.a 20 rs'
2o rs. Azeitonas.
.Molboscom t2.' cbolas grandes a 1*280 fBarriscom azeitonas novas a 13500
1 vSm franceza' cai" com' 2 duzias a' Manteifla.
> p:^' I Manteiga superior, a libra a 13280.
a w 0m raoslarda Piarada em vinagre,! Dita mais abaixo a 1*200.
*nin=^>Jr' I Dita menos superior a 13 .
e,?ALOeonservas mglezas e francezas, a Dita franceza nova, a libra a 8S0
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se*
engoramar, a arroba a 33000 e a libra
120 rs. j
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. j
Fariuha.
Saccasgrandescomfarinhade Goianna mui-
to nova, a 53000.
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83,!
83500 e 93000. I
Cha. l
Ch.teraos nestes gneros o nt )lhor possivel,1
hyson, a libra a 2*600.
Dito perola a 33000.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 23800.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qualidade a 23500.
Dito raais baixo a 2*000 e 13600.
Erra mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 210 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,
64.0 e 720 rs.
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 4* e 2*500.
Nozes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 4*000.
Alpisla e painco.
Alpista e painco, a arroba 4*000 e a libra a,
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 2*500.
Cuitabas.
arro-
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da Gadcia do itecife, esquina da Madre de Deis,
BAILES
Os ricos bales de arcos de 30, 40 e 50
Baloes de arcos para meninas de 2 a 12 3nnos a 20 e 20500.
Baloes de panno para meninas a 30 e 30500,
Chancos de tvl.
Os afamados e bem conbecidos chapos de sol com 12 asteas a S.
Ditos maiores com 16 asteas a 4 20.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes con ricas estampas para sof.
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras unas a 3O rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 20500.
Camisas com peito de (r, e todas brancas a 10800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguiao.
Casemiras.
As modernas casemiras de quadros, chegaram.
Roupa ielta.
Ha completo sortimenlo de casemiras, de brim branco e de cures.
Colleirinhos.
Chegou nova remessa de colleirinhos de papel de cores e brancos.
Tambem ha completo sortimento dos de esguio.
Calcas.
Caigas de superior brim pardo a 20500.
Caubraia branca.
Superiores cambraias brancas a 50 e 70 a pega.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Las.
Las de bonitas cores a 4SO rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico novas
fazendas e novos precos e nao cuino muitas pessoas supte sempre ser as njesnasE-
zendas. r <= *-

640 e 800 rs.
(Ditos com sal refinado fino, a 6i0 e a 500 rs.
S 13000a* Verdadeira genebra delaranja, a
Ditos de 2 garrafas de Hollanda verdadeira.a
640 rs.
dita propria para negocio, a
Dita dita era barris e meios ditos, a libra
850 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 2*800
3*000.
Ditos londrinos muito novos, a libra a
1*000.
Papel.
Botijas com
400 rs.
Garra/fes cora 2 gales cora dita, a 6*.
Serveja boa, marca, a 500 rs. a garrafa, a PapeL
j duzia a 65OOO. 1 Papel almaco pautado, a resma a 400.
Vinho muscateldeSetubal, a garrafa a l* Dito dito lito de linho, a resma a 43300.
Marrasquinho verdadeiro,frascos a 80C rs e Dito de peso lizo e pautado, a resma
, a 13200. 23500.
Cn3fne*a dazia 20000'e a garraa a
Azeit.e.ne,laado Prtuguez o francez, a garrafa
a 1*000.
Ca^ad2viano Bordeaux muito superior, a
73, 83, 95 e 103 a caixa.
AVISAH
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O MAIS RICO SOflTOfl\TO
DE
GUIPURE
. manufacturado em
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
{Ditas com dito branco, a 73 a caixi.
1 Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro
a 203.
Dit.aoSr;;?nra duque d0 Porto verdadeiro.'a
I ojJOOO.
Ditas com chamisso superior, a 143.
>Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
jVinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
< e 800 rs.
. Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200
l 33500 e 4*. e a garrafa a 500 e 560 rs.
Dito da Figueira, das seguintes marcas (N.)
J;^A-) (J-L-G-) (O- M.) a caada a
43o00, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
que j est engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
Ditos de marcas mais desconhecidas, a cana-
I d! a 3500 e 430OO, e a garrafa a 480 e
520 rs.
?Vinho branco (ino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadero vinho Xerez e Ma-1
deira a 13500 e 25000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a.
480 rs.
Amendoas.
Amendoas cora casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixes de doce de goiaba, grandes a 1*400 '
e pequeos a 640 rs.
Tijolos de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 25000, e
de latas a 15000, e os boioes a 240 rs. ca-j
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos Anos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da,
Baha por diversos procos, caixa.- e
meias
1 caixas.
Jbi grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, qne deixam de an-
nunciar-se.
Grandes chale granadme
Bournus
Rotondos
Treanon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de cores; magnficos desenhos, de gosto modernsimo.
MARA ANT01NETA
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo bruno e irosto a ao-
reantiqueou grosdenaples. Barras e laco bordados a fioco e vidrilhos, sera depeode-
1 em de modista para os fazer, visto trazerem o corte debuxado.
a wiv
N. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE. FAZENDAS DE
A ugustn Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento nm grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guip muito finos para 223, 233 e 305.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de guip eofeitados com o melhor gosto.
Setim de Pars bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pannos pretos de todas
as qualidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
laa preu para lutos.
Malas, saceos e boleas de tapete, verniz e couro de 45 a 11*.
Brns de linho de cores finos a 1*800 a vara.
Chapeos e chapelmas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chapeos
de seda para hornera, chapeos do sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas outras fazendas que se veudem por commodos precos assira como
tambem
Esteiras da India para forrar salas
Glac-royal, em pecas com listras de seda primoramente bordadas oo raitijadas
fazenda nieiramente nova de bonito elleito, para partidas, soirs, theatros passeioTilt
DOUBLEN CAPAS
e SOBRETODOS de panno mesclado (impermiavel) vindo no ultimo vapor
De. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
h GRAVTflS, MANTAS
decores, muito bonitos padres a 500 ris.
BONETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHFEOS
CIIAPELINAS
ENFEiTES
Costnmes de ftiste enfeitados para mancas
E innmeros objectos de modas recebidos directamente po'r todos os patinetes e
escolhidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa.
FAZENDAS PAR HOIEI.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, brins, sobre-
casacas, palitos, calcas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio Paes do Aniaral & Companhia.
Farinha.
Yerde-se farinha de mandioca muito nova, sac-
i rar.des a 4* : no armazem de farinha da pon
te n; a dos Srs. Tasso Irmaos, para porcSes, na
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
Veode-se urna grande proprie-; Grande sortimento de roopas fehat
Chegados pelo vapor francez Navarro, em 12 do corrente, de excellente qualidade e em calxi-
qhas de um queijo, vende-se no grande armazem da Exposlco de Londres, na ra da Cadeia do Re-
cife n. 60.
dade ontr'ora Bercngcr, com' a fren-
te para a ra da Florentina, conten-
do 18 moradas de casas, alm de 4 em
principio como se pode ver e examinar,
formando nma ra no centro que vai
ter ao novo caes Capibaribe rendendo
4:800* annualmenle, achando-se todas
oceupadas. os pretendientes dirijam-
se ao escriptorio de Gnillierrae da Sil-
va (iuimares, rna da Cadeia n. 64
primeiro andar.
Cal de Lisboa
granel a 1*300 por urna barrica: oa ra do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
das as qualidades,
de In-
caicas de casemira a 6* e '.'OO, ditas prrtas a
6* e 8*, raleas de ganga a 2* 1*800 e l&M,
ditas brancas a 2*, brim de linho a 3*. 3*50
4*, paletois do alpaca branca a 4*500, ditos prrt
a 3* e 3*500, ditos de alpaca de tarda ai*.*
de listra de seda a 4*500, ditos sobrerasaco* a 5*.
paletots de casemira a 5*, 5*500. 6*. H* !*,
ditos sobrecasacos pretos a 12*, 15 e lf#,dit< t-
nos a 25*, de cores a 13*. dito friia j a \\x
paletots de ganga a 3*, 2*-"JOt) n ti, ditos de ctmb
pardo a 3*, jaqueles de brim pardo a 3V saaao
preto Dno a 2*. 2*600, 3*500 5. 4*200 S eti
covado, moreantique preto a 2*600 o covado
dcnaple preto a 1*600,1*800,1*, S*SW t"
o covado ; e outras muitas mais fatfi
deixa de annunciar, e maada-se Ufar \_
ros da loja da arara i casa dos rataaitafca. O
e tabelecimento est aberto at as t hora* i
ra da Imperatm B. 80, Mnides

S
Tair^
T


Diarlo de Pernamft&co Qnara Iclra le de Agosto de 3S*.
0
GERENTE
-'.,c
m puBico
em o meiior constran-
glmento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTES^O
Os preeos da seguinte
tabella para todos, >o-
leudo assim servir de ba-
se para o ajaste de cout&s
com os portadores.
Atteiiciio.
' Vende-sc a luja de miudezas n. 70 da rus
da Imperalriz coto pooco futri : a tnur
na mesma loja.
i imlw "mm.r"~"
n
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITATETi PUBLICO.
\ apreciacio dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arnta-
zcm da Liga estabelecido ra Nova n. 60 nm magnifico sortimento .'de molhados,
que sendo era sua maxim parte mandados vir directamente do estrangtir(Tpodem ser,'
vendidos por preces asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprirneuto das seguintes promessas:
L' Delicadeza no trato.
2,] Fidelidade no peso.
3." Sinceridade nos prepos.
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de:
primeira qualidade. etc., etc. |
Qualquer que seja a cndilo do freguez, elle deve contar que ser sempre mui-
to bem servido.
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorie faro mensalmente urna economa de j
militas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o caf, a man-
teiga oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo proco que em algumas partes nao po-|
dem ou nao querem vender.
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-
gociar, devem vir, pelo seu proprio interesse, a este estabelecimento para se convence-
rem do quanto se pode vender barato.
Para os senhon s que compram para tornar a vender existe um sortimento espe-
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente rauito deve agradar aos senhores;
compradores.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agra-
dar a todos.
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE
A DIMHEIRO A* VISTA: |
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada
ALPISTA a 120 rs. a libra. j urna.
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Akroz de 90 rs. a libra a........
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra.
Avellas a 210 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta-
annos.
dem idem em potes de lodos os tamanhos.
dem idem era becetas de todos os tama-
nhos.
dem idem em frascos de todos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a GO rs.
a garrafa.
Amos a 200 rs. o molho.
Absyntuo a 2000 garrafa.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o areo da Cooeefeo)
PARA BEM DE TODOS.
B
BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 13800 a lata, e
de cinco para cima a I 700.
dem de sola em latas grandes a 20800 e
de cinco para cima a i 800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
I200, 1250e 10300.
Bolo francez em caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas nglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a I a libra.
dem de musgo a I00 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a 240 e 2G0 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 7(3000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiaroi'e de grosella, orchaia, etc., etc.
Chicaras e pires a 1#800 a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'Ha vana, Ex posico,
Flor do Brasil, Parisienses, uelicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, .Mississipes,
Panetellos, Apraziveis. Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
preeos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 2000,
22"0, 21580 e 25800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 23800, 35500, 43 e 53.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 13500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco maciubos.
D
KIRSCH de Wasser a 23 a garrafa,
L
LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Letria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e frnceza de primeira
qualidade a 13, a libra.
Marmelada dos mais acreditados fabricantes.
Macabro e taliiarim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6(i0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Momio inglisz de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....,
Massas finas para sopa branca e amarella a j
60 rs. a libra, era caxas cora 9 libras a |
35500.
Mn.uo painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
NOZES a 120 rs. a libra.
Nabos em latas a 800 rs.
O
Ostras inglezas e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 13C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadiilia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas em quarto a 15400.
dem rauito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MOKINQUES a
n
RAPE' Meuron a 13 a libra.
dem Princeza do Rio a 13200 a libra.
dem francez a 23500 a libra.
m
SABO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2??.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas mnito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o mago.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS
Senhore" nhoras, o aceio que
ezacom que sero tr.;UJt)sonvida a urna
rra dos jreneros que precisare-ai e quando
rois sero tao bem servidos como se viessem
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente escelhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem frnceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
dem hysson muito superior em latas de 15
libras muito proprio para negocio a 2,ooo
rs. a libra.
dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
bras a l,6oo rs.
dem preto o que se pode desejar neste ge-
nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Lingucas muito novas a 8oo rs. a libra e em
barril se faz abatimento.
Chouricas e paios a 8oo rs. a libra.
Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
para temperar panella ou para fiambre.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo rs., ditos de navio devella a
2,ooo rs.
dem londrinos muito frescos e de superior
qualidade a 8oo rs. a libra.
dem prato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito'superior a 640 rs. a lata.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo
rs. a duzia.
dem idem para vinho a 24o rs.,e 2,4oo rs.
a duzia.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Peixe em posta em latas hermticamente la-
cradas e das melhores qualidades de pei-
xe a 8oo, l.ooo e l,2oo rs.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e
8,ooo a caixa eio e 7oo ris agar-
rafa.
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conta certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo
e o4o rs. o frasco.
Genebra de laranja verdadeira em frascos
grandes a l.ooo e 1 l.ooors. a frasqueira.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li-
bra e 8,5oo rs. a arroba.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li-
bra e 7,5oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao de Ia qualidade a loo
rs. a libra e 2,8oo a arroba,
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a
arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-
roba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e4,oooa
arroba.
Massa de tomatesde superior qualidade a 6 4o
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-
Iho. I
presidio aos arranjos destenovo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei-
visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteegao e preferencia na com-
nao possam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
pessoalmente, havendo para com estes toda recomraendaco, afim de quenovoem
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,ooo a caixa.
Massa para sopa : eslrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa.com 8 libras.
Vinho do Porto muito- fino proprio para
engarrafar, em ancorelas de 9 caadas a
35,ooo rs.
Vioho em pipa : Porto, Figueira e Lisboa a'
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e emeanada
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em canaj
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaem caxas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam: Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a 16,ooo, lo,ooo,
12,ooo e I o,oooa caixa com 1 duzia e9oo,
l.ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duzia e 1,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as raeias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades al,3oors.
Cartescom bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a 5oo rs.
JBoIachinha d'agua e sal, da fabrica deJoo
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
bras por2,oors.
Ameixas francez;!s em fiasco de vidro com
lampa do mesmo, a l<$5oo.
Ameixas franc zas em caixinhas de diversos
tamanhos com bonitas estn pas na ca-i
xa exterior, a 1,401,1,6oo, l,8oo e 2,ooo!
cada urna.
Azeite doce refinado hespanholou portuguez |
a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
: Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo
o gigo com 36 libra-;.
! Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a
4oo rs.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
j Molho inglez ein garrafa de vidro com rolha
do mesmo, a 16o rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
a 8oo rs. o frasco.
i Mostarda frnceza em potes j preparada a
4oo rs. o frasco.
Lentilhas francezas, excellente legume para
sopa, a 2oo rs. a libra.
Marrasquino de Zara propriamente dito a
13 a garrafae 1 l.ooo a dnzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Sal refinado cm frascos devidrocom tampa
do mesmo, a 5oo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, t,ooo e 6,5oo a du-
zia.
Cevadinha de Franga muito nova, a 2oo rs.
Charutos do alTamado fabricante Jos Fua-
do de Simas, das seguintes qualidades:
Exposicao Normal de Hnvana, Imperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em meias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nlhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8ooe
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farnha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franga muito grandese novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 05o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinhado Maranhao amito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secro de di-
versos tamanhos, muito piopiias para
mimo, a l.Coo, 2,(loo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
8 garrafas por 6oo e 8uo rs. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a 560 rs. a garrafa e
l,5oo cada urna ancorla.
Champagne da melhor qualidade que v.em
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 20,ooo o ggo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figosemsextinhas a 8o rs,cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos pregos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a (too rs. a
garrafa.
!!!
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 23 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 23 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasieiros, DuJue a 15 e 13500
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc. chmisso a lft m0Q e 1g00 a garrafa.
K D. Luiz a 13 a garrafa.
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra. Moscatel verdadeiro de Setubal a 23 a gar-
crvadoce a 400 rs. a libra.
F
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400,500 e 800 n.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra,
dem americano em latas a 15.500
rafa.
Carcavelos a i&.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
i Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa:
|dem S. Julien a 600, 800 e 13 agarrafa.
| Absyntho a 23 a garrafa.
Kirsch a 23 a garrafa.
Wermouth a 23, e a caixa a 183-
Bitter Maurer a 13 a garrafa,
Farello ha sempre em deposito de 500 a Vinho figueira em ancoreta a 203.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 23500 a
dos os tamanhos e de todos os pregos. cacada.
Para destruir ratos e baratas.
Preparaco Dgleza receDtemeDte chegada : ven-
de-se em potes de barro, na travessa da Madre de
Dos d. 9, armazem, a GiO cada um, e duzia a
4*800:_____________________________________
Taixa de ferro
Quem pretender comprar a taixa de-ferro coado
com 6 palmos de bocea que se scha na estacao de
Frexetras, pode eotender-.se cora o Sr. Sena Santos
no sen engento Frexeiras, ou Da ra do Impera-
dor n. 42.
Caluagas finos brinquedos
para meninos.
Chegaram para a loja de miadezas da ra do
Qoeiraado n. 69, os mais Anos e lindos calnngas
tanto para brinquedo de meninos como para cima
de mesa : na mesma loja se encontrar bom sor-
timento de miudezas._________________________
Lavas de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lindas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senboras : s
quem recebeu foi o beija-flor, na raa do Qoeimado.
numero 63.
Grande expsito de fa-
zendas.
Que eslao a venda, na loja e armazeu da Arara,
ra da Imperalriz n. 6, Lourengo Pcreira Alen-
des Guimares.
LAZINHAS A 240 Rs. I
LAZINHAS A 210 R?. I I
LZI.NHAS A 240 Rs. I I I
Ha um grande sorlimento de lzinhas chinezas,
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
qnaesquer lojn vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo diminuto preco de 240 rs.
o covado.
MADAPOLAO COM 24 JARDAS A i500 I I
MADAPOLAO COM 2i JARDAS A 4J1500 I 11
vende-se madapolo com 24 jardas e garantio-
do-se que tem 20 varas, pelo barato preco de
45500, oOOO, 65000 e 6S500.
BRETANHA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se bretanha de rolo a 280O a peja, s
Mendes Guimares.
MADAPOLO ENFESTAD A 35000, 35500
E 45000.
MADAPOLO ENFESTADO A 35000, 35500
E 45000.
Vende-se madapolito enfestado pelo o barato
prego de 35, 35500 e 45 a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FSTAO.
Vende-se as mais modernas colchas de fusto,
tendo de todas as cores a 55500, ditas grandes a
G50O0, ditas de damasco a 45000, ditas de chita a
25240 e 15900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 50, Mendes Guimares.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 2f0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 R?. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas desalpieos a 45500
a peca, tambem ha um grande sortimento de cam-
hraia brancas que se vendem a 35, 35500, 45,
55, 65 e 75 a peca.
CHALES DE MERINO A 2J0OO.
Lencos de cambraia com barra de cores a 15800
a duzia, ditos de dita branco a 25 e a 25400 a du-
zia, s Mendes Guimares.
CALCAS DE BRIM DE LINHO.
Vende se caigas de bnrn de linho a 35400,
25600 e 45000, ditas de algodo a 25, s Mendes
Guimares.
Soutambarques de cores, vende-se muito barato,
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 4*500.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 55000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para babado a 15000 cada urna tira.
ROUPAS FEITAS.
ROPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se nm sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
outras mnitas mais fazendas que se dsixam de
annunciar, ra da Imperalriz n. 56, Mendes Gui-
mares.
Vendem-se caixas de cigarros de estramoni-
co para asmathlcos, viudas de Paris, por prego
muito commodo : na rna da Imperalriz (aterro da
Boa-Vista) loja n. 68.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no grande armazem
da Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 4(9,4^500 e 50 ; no grande armazem da Liga.
mi m
Madapolo muito finocom pequeo loque de avaria, por preco que admira : na loja f$*z$
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcellos & C.
ha ^g-llssgsi
=? g w a. *


2 O su
= < 1 _. o Son
o-p1
M 2 3
S
o er
o
1 |B fl 1
5 a a
o Sj o. sp c o. 3 ^-*
^ = &9

3.5'
2_ '+>
S3
co
as p. '
^ff?
55 el
o 3

S 3
o o..
So

?s
as
as
S-&-5 s?
oq O 3 o
mi
as
&a?P
O n>
as "^
I|
w
o
LOJA DO BEIJA FLOR
IUrtuii do Qiicimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
cas de choro, que chamam papai e mami,
com cabelleira de cachos.
Tendo recebido um variado sortimento de
brinquedos para meninos, sendo espadas,
espingardas, pistolas, tambores ; ditos
para meninas: apparemos de almoco e de
jantar de porcelana e de metal, porta-licor
e faquiohas a 280 rs. o par ; e nao queren-
do continuar, Yende mais harato do que em
outra qualquer parte.
Vende-se tiras bordadas de differentes
larguras a !.>, e babados, collarinhos e pu-
nhos para senuora, bordados e abertos de
renda e lisos, os mais modernos que se
podem encontrar.
Vende-se 15a para bordar de diversas
qualidades e de cores claras a 7)5 a libra, es-
pelhos de columnas de Jacaranda a 20500,.
I ditos brancosde diversos tamanhos, caixinhas
j para estojos de navalhas,
Colheres de metal principe.
Vende-se colheres de metal principe para
tirar soupa a 20, ditas para cha a 20300,
ditas para soupa a 40200 a duzia: nesta
----------------------------------------------------i loja se encontrar sempre um grande e va-
TaSio IrmSos ria(, sortimento de miudezas: ra do Quci-
vendem Resso em p para estuque de casas, tijols mado n. 63, loja do beija-flor.
finos de eito diversos para laorilho, azuleijosde,______.________________________
diversos gostos, tijolos vidrados para parede de eo- Farinha de mandiuca : tem para ventler Aa
zinlia, canos de barro para esgoto, cemento em tonlo Luiz de Oliveira Azevedo t C., no sea es-,
barris de 10 arrobas. criptorio ra da Cruz u. 1.
5
o
2
i
5
No dia 27 deste correnle ir-z f _;
' Dons Riachos, termo do Brej da .'.!
| prelo crioolo, escravo do abaixoas^ici
| tem a Idade, ponco mais on m^n r. .,
| temos sipnaes seguiutes : Ima -.-unir-.
to, bem empfrnado, de cor c|ue
e nem muito fula,nariz etttl, i.
rados, lem pou.-.-os cal..||s>na lar,.i i
calcanhares h;m purbades ou n
e nnnrn fui surrr.du, por is.^
que cncravo, mas enpwWacia '
elle quaudo COBi||e hllwra CM
| beca, talvcz que aid.i a.-.-im ..-,
superrares, ha pooro lirn ente r
; dores,_m?s snppciuho nao er .
isso nao dou ceiteza ; e juIjo ,..
de outros, tura nlrofo de ti}.
dos prelo para a marcha d Para^u
autoridades a captura do dito ".--:.> .
a qualquer pessoa do |>ovo, pois H rer -mpensa
generosamente.
Joa-i Corroa d; !
AUsc'luU-se J'J HlM dO 'i'.-'|ll- M '.. *>
correte, em que sabio com bmhpm | i
o crioulo de nume Franci.-r'.
de Suuza IlanRel; de esiaiur.. > i-rn .-
jumas dos pea gronu e poma Ini la m .
i ii ratio de eratM >t ojm ni mi
tem o alio da eafevea Or-provido V ib Mi -
uso do taiioleiro. O troactaale gi
conducir dito eserevo aoreleriii -i' -m
usar do direito que llie as^isle MMn (|nent ..
der <)asallio.
; kwm
Au?eotn--e d;; 'asa ce sna Bit ...
"guas-Vorde-n. 2',a pi-ia M,.i. ..
parece ti ioula por ser btm lailaup .
idade de 35 i iiO aenos, eaiaUra r|
grvida de C para 7 mrze-, lea a cm
prea c tem vicio do brfeer, cosium :. r
e lavar H'iipa nos chafarizr d.i ni ... ,
Carmo e ra Imperial, tt-ni hila 0>
te, e levou vp. panno da Co>la ; o MgMl mais >i
cenhenda 6 ter o dedo potnai ...
fovriro: quem pcg:.r :c\i';.'i i-- .
do Queimado, loja n. 6, ojo aera* to
fado.
Mo da 24 de marco de 1 K6-"> !i r >-
q5o de Santo Amaro de Borriuh n
nomp Loaraneo, perteneenie >n ,-.i-.r.
a qual lem as signis lefMtntrs : l.. h _- --
cahega hem coheia >ie eatWI e !
olhos prelos, nariz dMo, bopfi pi aj i H
dos os dentes. os ajoa -;io liaaad bcm I i
DraCM H i ossos e rU -lidos, lin: ii .._ ..i
naajoolasdaa otaos, ota visir*!*, n AfercHl aaai
que na esquerd.i, perna< ornssas <',"'
natural de frica, inhilnj d- esraffM,
io annos de atado : estaca') de Riheirao da vi;,-frrea em nasa eaaat
junto a mesma estai.-o, onde mora o abasa
signado, rerebera' loi'as as despezar, e v' -n
recompensado, lia noticia <[ne foi i'-'.-n' r prafa
como voluntario. Praateiseo Xaaa r aai
Wanderley de usmao.
Desappareceu
BU 3 do crreme me; de aposti a aw laas '
nho, c6r clara, Idade loSOan
olho, baixo, poin-a barba e nm
um pequeo taobaoo jamo i
te de Lii.a iiie a que dea .-> :
nesse dia vestido eilfa e ral ti d
alsodSo, ehapeo di palha. e lev a
de t-rim de i/uadros : E' natoral il i
foi i s' iavo do tem tile roroawl '.
qoe bfsranhio, sen) i le dri i
ca de Pi d'Alhr, o nha shi i i
dade na vespern do da em aj
fui visto no dia S a 7 do coman
Jo>, por is?o julga sa ei e aa>
Quem o peyar, ou delle atl ., i. .-
ra dirigir-.1 e ra da Crol dfl I
ln ras da manhaa s :i da tarar,
ras ra do Aooras n. o<, p ai .
gratilicado.
Fugio na uoite de 19 para SO i' ct*ncaaj
mez, do sitio do Sr. Dr. Auguste F. .
ponte de l'choa, o sen eserav i '. i
si que branco, tendo no r< sm marrr i
bem visiveis, cai.ello anncla !o, baixo. r I
bem fallante e de cerca de 28 asaoa......
vou camisa de Laeta escamada e el:-, .; ^. i
novo, fuppe-se que vagoeia oe*ta n
fe ou pelas ras cireomvisiateBfM : r'ifiti o aa-
preheuder e ievar ao aabranata aa, oa aa
torio da praga do Carpo Sansa n. 17. ariaasaM as-
dar, i a iieiieusan. nle ;
Fugio nu da li> <- jfllM do tori ale aaric,
a muala Suzana, a qual lem os sgn
altura regular.corpo cheio, cor dar.' araifi-laaTaj,
cabellos corridos e bem aparadas, ansa hala. *h-
la estrella, olhos pequeos, naiiz graude, heigos linos, falla de drntes, i,. _r. ..
e dedos curtos, idade ponro mais oa
nos, natural do serlo, levua aanMl e> caita
escura com palmas brancas e panno oa ata,
la stmpre nndo-se : peoe-.-e as aui<>n ...d.- |
ciaes, capites de campo m quap;
souber leva-la ao seu senhor na arafa aa lndr|>*a-
dencia loja de chapeos n. 14 e Ifi. q
rosamente gratilicado. ao mesmo pa-- ;i pi
la ser contra qualquer que o trnh.i a< boaa, .
ha noticias que est dentro mpsmo da edade acca-
tada a aa assim asta pasan qtx i va -r.ti-
do contrario ser punida com ticio ni
Aosenlon-se no dia 2 do co-r^r"
da casa da ra do Imperador n. it>. a: nao Ldasaaa)
do, crioulo, clieio do corpo, sliura r guiar, rocas
coroprido, olhos pequeos c pooca I
sa e bigode, bastante Udino. nr- l i "
annos, ponro mais on menos, e jniga-sc ter lera*',
caiga preta e camisa branca ; este e^raro fo. coat-
prado ao Sr. coronel Galv.io, do Limoeiro, para ca-
de se juiga tenha fgido, mas ba quem < '
visto na Passagem da Magdalena, Remedios e Var-
zea; e como se desconfia qne esteja acontad,
protesta-se proceder contra quem o tiver acolbid
e pede-se a quem delle der noticia oa o agarrar,
que dirjase a sobredtta casa, oa a rna do Croas
n. 13, que ser recompensado.
Gratificacfto de OO^OOO.
Fugio dos abaixo assignados no din 8 de
Janeiro do correte anno, o seu eserarodt
nome Jos com os signaes segnmles: n-
bra escuro, cabello carapinho, estatura bai-
xa, cheio do corpo, ps largos e faz um g*-
to as pernas quando anda, mnito pomo
barbado, e tem urna cicatriz tem visivel em
um lado do queixo, e outra bem grande
nasnadegas, proveniente de mjit. cujo es-
cravo compramos junto e m ootro ao Sr.
capilao Silvino Guilherme de Barros, e ale
S-. os havia comprado ao Sr. Joo Caliwl,
morador em Nazareth. Coart wu qoe este
escravo filho do Brejo da Madre de Dei
aonde casado e tem fllhos, tendo-lhe mor-
rido ltimamente a mulher: portanto r gn-
mos a lodas as autoridades policiaes a soa
captura, e a qualquer particular se gratifi-
car com a quantia de 100$ se o troucereni
seus senhores nesta praca, rna da Impcra-
triz, reinaro n. 46.
Luiz da Silca Ferreira or C:
Na noite de 6 para 7 do corrale saet de
agosto fogiram do engenho Jurissaca. fregnezia d j
Cabo, dous escravos com os signaes seguales:
Antonio, pardo claro amarellad \ idade ti annos,
cabellos annelsdos e curtos, sem barba, altura e
corpo regular, foi comprado a dous oaezes ao Sr.
Joo do Carvalho Raposo, morador em Iguarass ;
Jos, crioulo, bem preto, idade 24 annos, otaaa
grandes, pucha um pouco peta perna esquierda. a
qual mais fina do qne a outra, e nao lem barba;
levaram bastantes roupas, como lambas
res de lgodo, e ama espingarda veiha :
pois, as autoridades policlaes qne tenhana i
principalmente o Antonio, que alem de etoro,
o corpo sem signa! aignm de castigo, podando i
to bem offerecer se vjlunlariamenle ou ser re
tado. Quem os pegar ou delles derem noticias i
tas, ou leva-Ios ao referido engenbo, e nesta i
ao Sr. Antonio C. M. Temporil, na na da Crea i
30, Io andar, receberao boa gntilicaclo.

,--_ v -


Diarlo de Pernambnco marta Ir Ira 16 de Agosto de 19&.
I
L
rminu.
EH POICO DE TUDO.
0 Jornal do Commercio publica o seguate art- j
go sob o titulo
mpor nos condiges de vencedor ; mas as raas
do imperio j foram pelos barbaros ullrapassadas,
e tanto basla para que o povo se levante e mande
I legies de bravos infligir spero castigo ao inimigo
I que ousou affrontar-nos.
Aquellas que a principio porventura acreditaram
que a guerra do Paraguay fcilmente se levara ao
lim, calcularam com leven.
O dictador do Paraguay tirina e tem anda a
A GUERRA.
1
A guerra diflkil que nos provocou o despota seu favor 0|aVeis coodiges e circumslancias que
do Paraguay tem desde, os ultimes mezes do anuo iiie dio evidente Corea o desembarazo para nao s
p ido imposto nm grande tributo ao patriotismo resistir-nos, mas at de hostilisar-nos.
,: do por) brasilero e a'solicitude e^ Tinha e u.in antes dt lUil0 a imin..Ila distancia
ec igia do sen governo. I que separa o Paragaay das nossas provincias mais
Apanhada de improviso pelas aggressoes selva- popa|osas ,nha ao p- d(J s Mal,1>Grosso para in.
peas deum inimigo sem f, a nacao liouve de vadjr> e i mais dt lresenIas ,eguaj qQe veDCer
1 mear precipitada seus fillios aos campos de hala-
Iba, e o governo de crear e multiplicar os meos
de fazer guerra, para a qual nunca nos iphamo>
iC ado menos preparados.
lira vera por culo esqueeimento longo dos cui-
di jos indspensaveis era prever o paiz com todos ^^^^ ^^
mu com 0; mais necessarios recursos para ^............^ ^.............
defend lo de um miuiigo que nao dorma, e que
mais de urna vez assignalara suas di-posicoes
por trra para soccorrer aquella provincia.
I'kIi. 1 e tem essa immensa distancia que vale
um ejercito,e que tantos cabedaes nos tem feto,
rustar o empenh de organisar nossas forcas de
Ierra o mar, elevando-as a um p respeilavel na
po
Tere a ma' f c leve o lempo, levo o cuidado ac-
livissimo com que durante longos anuos se prepa-
ren para esta guerra, organisando tropas, ades-
, flsao Brasil; mas nao temos em mentediscu-
1 esse fatal eequeeiraeillo e menos anda quei- trando-as, armando e forttlecenda o Paraguay, es-_
Tar-nos delle : dos nltimos meies de i86i como Wdaodo nossos ponios vulnerareis, e esbocando ja'
e tranquillidade do paiz. Fortalecemos esta opi-
nio com a consideraglo de que vantagens impor-
tantes resultaran] de um aecrdo com a sania s,
acerca dos tres pontos, sobre os quaes o suinmo
pontfice appellava para a solicitude de vossa ma-
gestade: a recondueco dos bispos ausentes das
dioceses e a admisso dos Ululares j preconisados
em a.gomas provincias do reino, sera previo ae-
crdo com o governo. Quaoto ao primeiro poni
j ha muito lempo nos oceupamos d'elle, a pedido
das populacSes favoraveis ou contrarias a recon-
dueco dos seus prelados, e nao podamos 1er re-
pugnancia alguma a respeilo de urna providencia
que mantivesse intacta a digndade do governo, e
que se conformaste com as exigencias da pruden-
cia civil.
O seguudo poni ollerecia nos occasio de eluci-
daruios o summo pontfice acerca das monges do
governo relativamente a divisu diocesana do re'
no, e pedir que al fosse definitivamente lixada se
couservasseni vagas as sedes episcopaes, das quaes
a exiguidade ououiras razes acouselliassem a sup-
presso.
O terceiro ponto levava-nos a reforma de um lac-
l que era contrario as prerogativas da cora e do
estado, que havia provocado observaces e reda-
do vossa raageslade, nao podia renunciar a orna, Florenca, 8 de julho de 1865.-0 presidente do
lio preciosa garanta do poder civil, como a con- conselho de ministros, ministro e secretario de
cesso do exequtur as provises pontificias, que estado dos negocios estrangeiros. -Afonto La Mar-
n parle do nosso direto publico interior, que (i
mora.
gura no artigo 18" do estatuto, entre as prerogati-
vas reservadas a cora, e que o nisso estado tem
como quasi todos os oulros eslados cathol-
cos. Quanto ao segundo ponto, comquanto podesse
parecer conveniente desligar os b spos da obriga-
cao do Juramente, em homenagem aos principios
de liberdade civil e religiosa, e de spamelo da
igreja e do estado que o governo de vossa
mag-stade se honra de protestar, todava como
esta obrigacao imposta por lela eapeelaes namaor
parte do reino, e nao se podena admiltir excepeo ;
~<&-
Disse Aristteles.
O hornera um animal que se ri.
Depois do naturalista pode fallar o observador e
dizer.
O homerr. um auimal que faz uso de
luvas.
Nao se riam.
Estes dois peasamenlos, apparenlemeute oppos-
tos na essencla teem o mesnio sentido.
Pois o hornera nao o nico ser creado que lem
para diversas provincias dicidio-se que fosse tum- jo privilegio de rir e de usar de luvas, islo de
beru maulida, e quaudo devesse ser aunulluda o dar pravas de nlelligeucia ?
fosse s, por disposigao legislativa.
A este respeilo consderou-se tambem que em
quasi lodos os eslados catholicos, os bispos sao
obrigados ao juramento, e que se fossem dispensa-
dos delle no nosso reino, nao se attribuiria este
facto aos seulimeulos liberaes de vossa ruagesiade,
mas slm a urna coocessao imposta por motivos
polticos.
Nao se er que a santa s levantasse sobre ele
ios delle .
, ,m a-ora a poca a menos opportuna para > "* niente con. aturada refl ixae a campanha, com
. i que coim-cou a desabriJa lula, em que alias lem
: s queixa*. ,. 1
Que nos sirvam os erros desse passado para l- de sucumbir.
absoluto a guerra. favor desembarace, a energa e aegao promptis-
Gran es sacrificios se lm feito ; mas urge ir
ali 1, : os sacrificios ainda nao basiam : a honra
da patria quer, exige mais : e, quando a honra da
sima dos governos despticos. Sua palavra um
decreto que se execula logo e a risea, e ai de quem
ousasse hesitar em ob^decer-llie I sua vontade a
11 -i 1 a ler e exige, nao se discute, idudece-se, cu r
11 _.,. ,,...,rtJ iiiho nico de pobre viuva, o menino de quatone
ante* 1 umure-se o mais uubre, o raai* inagesioso *
""' ou quinze anuos, toma as armas e vai guerrear eu
< ..- deveres, morre se desobedece.
Ao primeiro grito do Brasil ultrajado o povo le- Q ^^ ^ ^^ ^ ^ ^ ajnda ^ ^
vatoaabrioso o corren a pagar o ma,5 pesado ^^ cja a q ^^ d(j ^
d tribuios, o tributo de sangue : baUll.ea.te o ...roveilando sagazmente essa ignora
luntarios da patria, que se contara por alguma de-
lenas, formaram-se era breves semanas, e o mun-
t o o vilisado co:necou a apreciar a magesude des-
. i, ,.n hAHii morle, contando com premios de alera tmulo, e
iiestaeoo do seu neroi- r
animados por preiulzos pueris, que podem fazer
Na ordein animal classOca-nos Cuvier sob a
dcsigoa^ao de bimane.
Nao importa.
Por Isso nao deixa o liomem de ser um animal
que usa de luvas e urna cana pensante.
Muita genle tem procurado a etyraologia da pa-
lavra luva.
Tendo diante da mira urnas vinte dissertacoes
sobre esse ponto, e estou tentado a crer que vm
da palavra alleraa glpublen, que .significa crer
e confiar, poique a luva era outr'ora um penhor
de f.
Quem inventara as luvas?
Ninguem o diz, porque ninguem o sabe.
Se algum da Adao e Eva cobriram as maos de
certo foi com luvas, como o? romanos nos trabalho-
dos campos.
A primeira o mea casamento eora a |
do Sr. administrador.
Isso na prora ; por muilo honrado le de>
vias dar. E demais a miuha pobre prima j mor-
rea.
vE' verdade, mas fui tolo en casar.
O' liomem, iss0 nao razio. No leu easo es-
o mais rapazes.
Com (terdo de Vmc. nao ha ca na ierra w
rapazes que live>;em casado segunda res t i
casei.
Sabes que mais; vou-ine coavencesdo 0^
s patela e vou mandar-te para o regim nlo para
le e-|i rlarem.
Mas, Sr. admiui-irad ,r, olhe que meupai u-
poe de dez voto?.
Isso c oulro caso. Por que nao o disseafem
logo ?
E' que sou lolo, Sr. administrador.
E o caso qne leon livre do reerotamento, por
que a poca era de eleiges librrimas.
,-.>-<
cia e esse fanatismo, faz dos escravos soldados
proinjilos a arroslar todos os perigos, e a propria
l puro (iela mageslosa manif
r.vismo.
rir o bomem civilizado, mas que na actualidad
M ;s ain la nao basta : povo e governo conti.iJa- sa0 de euorrao presumo para o nosso inimigo.
ra a cumprir risca, com entliusiasmo e gloria, js M grandes condi5es d(J fdrca quo r0busie.
a :aves obriga;3es de urna quaIra dolorosa. ,-.ni o dictador do Para-uay, e a essas acresceu
E cora effeito nao bastara' ? Convm que todos oulr3) ^^ das |n;(|s CasderaVtj;i) jque nos
libara que nao, que novos sacrificios se fazem cum(lie [mar na majs sena conta
precisos, que a patria ainda nao foi vmgada dos
ul -ajes feitos a' sua honra, e que novos batalhoes | Indispensaralmenle hbil em seus planos de
.^ bravos se devera organisar para sua defeza e, g^rra, L^pez nao so procurou attrahr a allenco
;j e forcas do Brasil para a nossa longinqua provin-
Tembremo-nos lodos, e a todas as horas, qne em na de .Matio-Grosso, como, prevenindo os nossos
1 de nossas provincias pisara soldados inimigos esforcos ao sudoeste e sul do irajierlo, invadi a
res. o que cada hora que passa antes de soar confederaco argentina.jo Rio Grande do Sul e a<
. ao seu mais tremendo castigo una hora de af- wesmo lempo ameaca a repblica oriental.
1. nta e de vergonha que nos eslo clamando viu- > niodo nao s fez a guerra fra de sua ca-
sa e devasta os campos por oude devem marchar
' L:\anti-se, pois, o povo brasilero contra oau- nossas tropas; mas ainda abre a luta em um lliea-
il inimigo de sua patria, exalte se por novo, tro perigoso para nos, e oude elle muito pode ga-
exemplos de sublime civismo e marche ao com- ul|ar.
j ue Mas infelizes a este respeilo do que nos, as re-
Confiamos na solicitude a na energa do governo publicas do Prata, no afanoso irabalho da sua or-
1 .,;; lambem elle 110 patriotismo e na uiages- ganisacSo, foram dilaceradas por vilenlas paixoes
lada desla nacao livre, que se erguer' a' sua voz, e odios enlranhados, que, entrelidos e exacerbados
porque ourira' nella a voz da patria. ( por lulas continuas, nao iiermitiram anda que a
Mas ao povo a quem a-im rallamos doremos di- a,uual ldeni e CUias se consolidasse a ponto de
z-'i ludo, por dever e por conveniencia publica : banir lodoo receodeque possa hav^r traidores
eampre-nos nao illodi-lo nem exagerando o mal, uue deserteni do lado do estandarte nacional para
nem cmbalaodo-O com engaosas apreciares da se bauderem com um iuimigo rjue prometa ajuda-
; los a euipolgar o iwJer, alvo da sua ambiyao des-
refiada.
Lpez, invadindo a repblica argentina, coniou
evidentemente com os elementos dissolventes que
ella ainda encerra em seu seio. Contou cora m?i-
quiulios ciumes de homcus, partidos e at provo-
maces. l'or outia parle, sem embargo de confiar-' Ponl d'fD'-raldades invenciveis, se esiivesse resolvi-
mos em que o summo pontilice, dirigindo-se a vos-1da a 0,har Pdlos meresses religiosos e espiriluaes
sa magestade, nao se esfjueceu das coudices pro-!do nosso reino> l'or ibS0 9ae esses mlM** se
prias de un. governo represeniativo e especialmen- harmouisam com a conservaco da coucordia ci
le das do reino da Italia, nem da vossa lealdade e eil; eos msp0> Cdll0CaJ3 eulre D'. como em lodu
firmeza, pensavamos que a santa s se inspirara munao' ura eiert;ert"' u' apostolado de amor
d'essas sabias tradices queem mil occasies a ha-1e de Paz- Da ,criam "anuencia no clero e popula-
viaui levado a separar o regulamento dos negocios 5es da sua dl0CeSlJ se nao esvessem nas raesmas
espiriluaes de qualquer controversia poltica; tra- coudices que a raaior parle dos bispos calliolico,
dices solemnemente sancciouadas ua bulla sollici- em homenagem tambem as tradices mais ero j O bailo Gigante, de Mr. Nadar, fez urna nova
ludo ecclesturum, do papa Gregorio XVI, bulla que aceitas da igreja, e aos seus allos coiiheciinentos ascencao no da 3 do correnle em Lyon e ura
lem a dala de 7 de agosto de 1631. l'or conse- 1ue 'ropo quencia decidimos que se podia e devia ailender Os commissarios pois, com a confirmacao das a aseeneao da enorme machina com justifica-
ao pedido do summo pontifico; e que um diplo- mstrueces primitivas, receberam tambera o man- do fundamento deuoininada o Gigante leve lugar
mata fosse maudado a huma para conferenciar so- dado de iusislirem sobre o juramento dos bispos nas melhores condices atmosphericas que se po-
bre os ires punios cima designados, e ver qual segundo a formula adoptada para o reino, e sem as i dam desejar e no meio de ura inmenso concurso
seria o meio de se cliegar a um aecrdo sobre o addlges servs e offensivas da dignidade do episco-1 de genle, que desde o roeio oia at as 6 horas da vido em agua sedativa
assumpto,
O vosso governo nao hesiiou pois em prepor a
vossa magestade que urna lal mlsso fosse conferi-
da ao illustre depulado, commendador Zaverio Ve-
gezzi, leudo para o coadjuvar o cavalheiro juriscon-
sulto Glovanni Maurizio.
As ustruoyes que lhes forara dadas estabelece-
ram primeiro que lulo, que as conferencias se-
riara de todo estranhas a qualquer questo polti-
ca, e excluiiam todos os.assumplos que nao se re-
ferissem aos ires pontos cima indicados, e espe-
cialmente a assumplos que fossem da competencia
do poder legislativo.
Km segundo lugar as iustrueces declaravam
que, durante o andamento das conferencias ou das
Todo O cuidado, diz o iornai dm Lmrrt, se deve
empregar, principalmente durante o verao, no
promplo entrmenlo dos animaes morios.
Ja mullos casos de gangrena lem viudo ao M**o
couhecimento cm cunsequeneia de picadoras do
moscas venenosas.
O Sr. Luiz Perranll, antigo recebedor de *-
leaos, c aclualmenie residente em Huisseaa sor
Mauve, deveu a sua saivacao sua preseaca da
espirito e mesnio a urna certa coragem.
Picado ua face direila, experimealava ja as ans
pergo;os svmpiomas.
O Sr. Perraull nao hesiloa em faier em pro-
prio com urnas tliesouras ama iociao baslaale
profunda no sitio da picadura, de aaodo a fazer
correr o sangue da ferida antes da completa laora.
lacao do virus.
Depois applicou compressas de amoniaco dissot-
e bebeu vinho qoiaa pado que se encontrara em outras formulas, e de i urde uio perdeu a menor circunstancia das ope. misturado com alcool campborado.
insislirem ainda sobre a apresentar;o das bullas
para o exequtur real, com faculdade de consent"
rem, quanto a este ultimo ponto, em alguma rnoJi-
fleacao de forma, urna vez que o sentido da dlsposi-
Qo a nao Iterasse; e tambem com faculdade de
darem a forma de urna convenco especial as
combinaces que se fizessem c ira a santa s, pro
cedendo raesruo a combinaces especiaes sobre ou
aquello ponto das negociages, comanlo que se
nao prejudicassera os oulros pontos a resolver.
Manidos de-las novas inslruc^es, os commissa-
rios regressaram a liorna; porm infelizmente nao
eucoulraram ah as disposices, conciliadoras que
se manifestaran! por occasio da sua primeira via-
uegociaces subsequenles, nao era necessario lo- gem; e comquaulo forera recebidos com o maior
car no leconheciuieuto do governo de vossa ma-' arado' reconheceram que alguma Inflaeocia hostil
geslade, da parle da santa s, afira de nao t.ien0^ ao andai"eDl ***** da= *>
perder as proprias conferencias e negociages, o i '"
seu verdadeiro carcter de combinaco, a respeilo Nao Peence ao governo de vossa magestade
de interesses iuleirameute religiosos e espiriluaes, lada*ar 1uaes os ""dUi qu podaran prevale-
nao se podia nem devia consentir em que, ja' no cer D0 auimo da san,a s> de moio 1ue St "e^ou a
todo ja' em um ponto especial, ellas impl.cassem a accedtr as combinaces propostas a principio e
negaco do faci da existencia do reino de Italia;, lamL"Jul nao no Part8BBfl refular o-argumentos
porque se o governo de tossa magestade nao pre-.
que poderam leva-la a rejeilar as nossas pro
siluacao.
Devem is-lho a verdale. e s a verdale Ihe di-
remos.
A slluaco esla: nunca tivemos exercilo to
numeroso, nem melrn- marinha : ainda o Brasil
ujo teve de esconder u <, ouvmdo o annuncio
< ...... a r ..-. cou.An- ,.,>- ciaa- conloo que ludo quauto all ha infeuso a ac
de u.na dirrota de seus o; a>-S soldados; mases- ....-,.
; .m,... .,..i.... 1., lual adminislracao faria causa commum cora elle
c exercilo nao u sufficiente para levar ao cabo a v
0 A j...... i., para derriba-a : contou que a preseuca de suas
empreza gloriosa da desa(irona da nossa honra *
nlirajada, nem misino snfflcieote para correspon
tropas dara animo e calor para erguerem-se quin-
tas ambiges all jazem sullocadas, cuntidas, mas
;u. extractas.
o ; 1 tojas as previses o a todas as hypolheses
d.' ama guerra que se eslende e s multiplica pelo
mais vasto e dilatado campo. Ka repblica argentina contou com o pariido fe-
0- parago tyos devastara impunes ama parle da doral, no estado orieuial cora o partido 6/anco.
provincia da Matio-Grosso, ousaram Ja" ferir os Ha d-engaarse, pelo menos asslm o espera-
bros dos nossos irmaos do Rio Grande do Sul, co- Q)s masa prudeacia ^ esleiamos sempre
raejando a invadir esta provincia, e, ao mesura prtYtllidos para o peor ; se as intrigas e praraes-
tempo que occaapam nmaJmporUole parte da con- sas de ipez lograS5e,n ^au e pr em campo as
facgjs hostia a Milre e Flores; se, n'uma palavra
federaeSo Argentina, araeagam o estado orien-
tal.
Na nvaso das nossas duas provincias, como na
di confederas;.! > argentina, e no possvel ataque da
repblica oriental ha para o Brasil os mais serios
perigos : esta' alera disto em nisso interesse e ,
aiodaam nossa honra defender ujsso propro ler-i Bra?l1 se ache reparado para assoberbar-las, se
1 u ..1 apezar de ludo se rea isarem.
rr.ono, como tambem o dos nosses visinnos e al- r
liados, e pira tanto nao bastam os quarenla mil | E o meio nico de se mostrar o Brasil preparado
hemens que podemos reunir sob o commando do 'e di> zombar de todo o poder dos inimigos, elevar
a guerra civil chegas>e a rebentar enlre os nossos
alliados, feriamos de combaler um duplo iniongo.
Esperamos em Deus que nao nos sobrevenham
taes contrariedades : mas indispensavel que o
cisa de um recouhecimeuto formal da parte da san-1 Poslas-
la s, er que do seu direlo e do seu dever, nao: governo de vossa magestade respaila a inde
se ir- .-lar a acto algum que possa ser interprelado, pendencia da sania s, e nao er quo a sua inisso
como ama renuucia ao exercicio* da soberana e seja entrar cora ella em algumas discusses de
Idas prerogativas reaes, n'uma parle qualquer do; principios, anda que as tradigoes mais antigs e
lirritorio do reino. mais respeiladas, as doulrinas de abalisados cano-
As insirueges sobre os tres pontos dizam que nislas e o procedimento da sania s mesrao em
nao havia duvida na reconduegao dos bispos, pocas recentes e nao differenles desta, para com
quando este (acto nao allerasse a tranquillidade pu-. governos collocados quasi nas mesraas condiges
tilica, e quando ellas se compromeitessem a obser-, do governo italiano, poderam autorisa-lo a isso. Po-
var, e fazer observar pelo seu clero, as leis do es-! rm, desejando respeitar a independencia da santa
tado: que entre as sedes vagas s seriam providas i s, nao devenios respeitar menos a independencia
aquellas que devesseni ser mantidas na futura di- do governo de vossa magestade; e por isso, se po-
visao diocesana do reino; que a apresentago dos demos lamentar que as proppstas feias por nos
prelados seria feita por vossa magestade, com pre- para salisfazer os interesses religiosos e espiriluaes
va apprevaco da santa s, e que esta aprsenla- no reino nao fossem acoihidas, tambera nao deve-
gao resultarla do acto de precousago e das bullas mos queixar-nos disso, se a causa deve altribuir-se
que fossem submetlidas ao exequtur real; que li- aos nossos esforgos no sentido de protegermos as
nalmcnle alguns dos Ululares ja' preconisados nao prerogalivas do poder civil e raanlermos de fado
seriam admiltidos por graves molivos de ordem o dreilo nacional que d ao governo de vossa ma
publica e de conveniencia poltica, e que seriam geslade a sua maor f^rca.
admtlidos oulros sobre os 'quaes nao rocahissem | Devemosaccresceuiar que nao nos desviamos das
excepges, urna vez que se consentisse na traosfe- nossas inlenges primitivas, e que nao alteramos
rencia, para outras seles dos prelados de sedes snbstancialmenle as instruegoes dadas aos com-
supprimidas, e que resultasse da sua apresenlagao. missarios; porque logo de principio .mencionamos
da parle de vossa magestade, nas bullas que seriam a reserva contra o exequtur, e s fomos obrigados
a explicar as nossas opnies sobre este ponfo em
presenga das objeeges da santa se, como fonus
obrigados a fazer declaracoes explcitas quanto ao
'jurameuto dos bispos, quando soubemos que a
santa s fazia desle ponto urna grave queslao. De
reslo comprehende-se que o governo de vossa ma
nureehal Osorio e no Bio Grande do Sul.
Assira, pois, corram novos bravos s armas : a
lei escripia, e, mais que esta, o dever, que a lei
soblimo das conscencias, ordenam aos cidsdaos
que empunhem as armas.
Omund) civilisaJo nos observa admirado do
qua ja' temos feito, e com novas acclamages ap-
piaudira' o que vamos fazer.
O governo, que se ergue a' allura da situagao,
comprehende o que deve a' palria, e ha de por cer-
to desempenhar a sua miaa.
E' indispensavel qu cada Brasilero se mostr
digno da ierra em que nasceu.
Cada Brasilero capaz de pegar em armas ura
soldado, e marcha para a guerra, desde que a voz
do governo o chamar ao curaprimento desse dever
sagrado.
Nao leva em massa que a palria reclama ; mas
o concurso dos cJaJaos, destacamentos da guarda
nacional era numero sul.'ijute para elevar o nos
so exercilo a' altara das proporces que lem toma-
d'.i epde tomar esta guerra.
Maldito aquelle que amesquinhasse esta grande
causa da patria, misturando com ella antagonismo
e manejos de partido. Esse seria um filho Indigno
ao nosso Brasil, um traidor e um verdadeiao inmi.
go do paiz.
Coate o governo com a dedicago de todos os
partidos, de todas as opnies : nao pense mesmo,
tratando desle assumpto, na existencia de partidos
polticos no Brasil : elles nao existem diante do
Paraguay : tome todas as providencias e anda as
mais enrgicas que a tilnaco reclama, e ver-se-
na apoiado, correspondido, auxiliado, e enlhusias-
ticarnenle applaulido por todos os Brazilelros.
Eia I corram novos soldados s armas I
Fagamos a guerra de ura modo digno do impe-
rio co Brasil.
n
u .-ju exercilo a's proporgis que ple tomar esta
guerra.
E, ainda quando taes hypolheses sojam desmen-
tidas pelos factos, innegavel que com as forgas
que ora temos em campanha, poderemos levar dian-
te de nos as columnas paraguayas, gragas ao va-
lor dos nossos bravos; mas s o conseguiremos
depois de porfiadas pelejas, depois do sacrificio de
militares de vidas charissimas a' patria, e depois
de longos mezes de irabalhos, de enormes despe-
zas, de horriveis moriandades em fim.
O Brasil deve mais a seus filhos que combatem;
os Brasileiros devera mais a seus irmaos que es-
lo batalhando ; a honra da palria exige muito
mais do nosso povo.
Nao convm nem aos nossos interesses, nem
nossa gloria, nem a nossa honra, que o Irumpho
dependa de talentoso e longo pelejar.
Ajusta vinganga que devenios tirar do Para-
guay, cumpre que, como o raio do co, seja terri-
vel e prompta, e para isso o nosso exercilo ainda
se mosira muito menos numoroso do que devia
ser.
Nao nos arreceiamos do resultado dcsta guerra :
temos certeza de que a victoria sera' nossa ; mas
peza-nos a idea da possibilidade da procrastina-
gao da luta.
E' necessario que o Brasil venga e triumpbe de-
pressa : vai nisso o nosso maior interesse, e, mais
do que o nosso interesse, a nossa digndade.
E era uome da honra do Brasil que diiigimos
e continuaremos a dirigir a nossa voz ao povo.
tambera submetlidas ao exequtur real.
I
Depois de assi o estabelecermos os principios,
que lodos os governos civis teem o rigoroso dever
de proteger, o governo de vossa magestade nao he-
j sita em dar andamento as negociages, baseando-
' se, de orna pane, na intelligeneia das suas nego-
- 1 geslade, lendo a cousciencia da sua ongem e dos
ciacoes, e, da oulra, contando que o paiz, que ac- B ,
' Iheu com certa apprehensao a noticia das negocia- i se"s d^veres Pa,a com Pa"a< Pa"-
1 ges, licaria sem a menor suspei.a quando t.vesse Pd,a flxar oulras reras nas Waci5es empre-
I couhecimento completo e exacto das regras quB o I hendidas sena a1uellaS *ae exi)i a(Ju 5 "^"'
> governo se montera, e que entendeu fazer conhe- \ "ue se Pode per8Qtar ^uatS "ara as ,nteC0;S
cer desde logo, pela circular dirigida pelo ministro : da saD,a se> P"cando-as log depois da proposla
. j, .. -. 'feiUesponianearaenteporsuasantidadePioIX.se
do remo, as autoridades superiores administrativas .
.____.___a A___- ,,. nao pensava que o governo de vossa mages ad
do paiz em 2 de maio ultimo. B ^
poda ser levado a desdizer-se e a renegar dos
As negociages percorreram duas phases mar-
cadas pelas duas viagens, que os commissarios do
governo fizeram a Boina, nos mezes de abril e ju-
nho. -
Becebidos pelo summo pontfice com demonslra-
pnneipios que professam
pendentes.
lodos os governos inde
A rejeigao das nossas propostas, quanto ao
juramento dos bispos e exequtur, foi causa de
Offerecemos a leitora do publico o rclalorio que
o general Lamarmora, apresentou sobre as nego-
ciages di gabinete italiano em Boma :
Senhor. Apenas vossa magestade se dignou
communicar-me a carta aulographa que Ihe foi di-
E' preciso que o povo brasilero conhega e com-1 rgida, era 6 de margo d'esle anno, por sua santi-
prehenda bem a situagao gravissima em que se dade Po IX, os meus collegas e eu tratamos desde
ges de particular benevolencia, que se dirigiam que nao continuassem as negociages sobre os
especialmente a vossa augusta pessoa, nao podiam \ oulros pontos, e por isso nao liveram ellas anda-
j elles da primeira vez expor senao as mtenges do ment.
I governo de vossa mages'tade, e tomar conhecimen- Apenas se declarou que o governo de vossa
i 10 das da santa s, na idea de que, salvas as ques- magestade se nao desviar da sua resolugao de
loes de principios, se podesse, como natural em consentir pouco a pouco na reconduegao dos bis-
i negociages, chegir a um accordo sobre pontos de pog ausentes que possam vollar as suas dioceses
imponancia secundaria. sem perig0 de se allerar a lranqui||idade pub|C3i
Eflectivamente, tendo encontrado a santa s dis- porque w|t apenas uma providencia de 0rdem
posta a nao exigir a reconduccli indistinctameoie nlernaj que j anlerjormel]le fra rnso|vida pelo
de todos os bispos ausentes, declararam elles que o coverno
i governo de sua magestade reuunciaria a resolugao Por esta rpida exposigao creo ter cumprido o
de estabelecer condiges particulares, quanto a sua meu dever, bem como os meus collegas, informan
reconduegao. E como a santa s nao deixava de do vossa magestade sobre um assumpto de tanta
reconhecer a opporlunidade de uma nova diviso gravidade, e que tem provocado juizos tito oppostos
I das dioceses do reino, entenderam elles nao dever e esperanzas to diversas. Yossa magestade aqu
' insistir sobre o numero preciso das sedes, que cura- encontrar fielmente tragados lodos os pormenores
pria prover ou deixar vagas; porque era fcil re- queja conhece pela parte que tomou nas delibera-
conhecer-se que a esle respeito se devia chegar a ges dos conselheiros da cora. Se sent como
uma resolugao intermediaria, enlre as ideas do go- nos que as negociages com a sania s nao tives-
verno e as da santa s, quanto a apreciago das sem o resultado desejado, reconhecer, com todo o
razes que de parte a parte se fizessem valer. paiz, que n'esta circumstancia os direilos da nago
%n > a santa s tambem nao raostrou repugnan- e da cora forara protegidos, sem embargo de se
cia em admiltir as ideas do governo, sobre alguns fazerem todas as delgencias para salisfazer since
dos bispos j preconisados, os commissarios dec.a- ramente os intereses espiriluaes e religiosos
raram que o governo eslava resolvido a facilitar a que nunca devenara confuudir-se com oulros in-
santa s, os meios de assegurar as condiges de teres-es.
todos os oulros, de urna maneira honrosa e conve- Talvez nao venha longe a poca era que a sepa-
nienle. ragao to desejada da igreja do estado envolva a
Afim porm de Informaren! de viva voz o gover- separago completa dos Interesses religiosos e es-
races preparatorias, e que no momento da partida Ao clbo dt aigUIuas |,uraj desappareceu a ia>
saudou os viajantes com um immenso e sympalhi- chaguo.
.. .. _. As dores linbam cessado desde as prioMtras
Os viiianlcs erara Mr. Nadar, Mr. AdnenTour-
- ,. ir 1 1 i< n.-ti applicagoes. s
nachoo, seu irmao ; M. de X. de Leao; M. Bevil
|od, de Vizelle (Isre); M. Camillo de Artjjs, ca- Hoje o Sr. Perraull acha-se eomptetaraeate hvr;
de pergo.
Ha alguns dias um jardineiro de Mr. a> Tille-
pitao do Gigante e um liomem de equipagem.
O ajudante de campo do rei dos Belgas, cujo
bonne foi igualmente picado por orna naosea, ia.
chando-'he rpidamente a roo.
Conduziram-o a um empyricn, que dale as
suas applicages o pez bom.
A mosca era uma mosca ordinaria.
Finalmente o Sr. Bonneville, rortador em Meaaa
foi picado por uma mosca comprida e amar-dla. ai
dedo pollegar da mo esqaerda.
Um iralamenlo enrgico o salvou.
No Tunes de I i do correnle vem publicada
carta de un correspondente de Wiaabor, aa ajoai
se da uma interessante esiatisca a'cerea d^protlac
glo, exporlagao e consu.1.0 do alg--J."i. desde l<*>l
e da quantidaJe que actualmente se jnlfa drver
existir nos estados do sol.
Dessa correspondencia faxeatos o seguate ex-
tracto :
Sarrm.
UMal
............... 50C080
Total nos 4 annos............ 5,0O:i))O
Desta quantidade ha a dedozir:
nome Qgura*a na lista de inscripgo dos viajantes,
mandou participago de que Ihe era iinpossivel
achar-se em L-o. Finalmente uma dama que ti-
nha eommunieado desojas de lomar parte na aseen
gao, vio-se forrada a anuuir s lagrimas e iutima-
ges de sua familia.
A operagao de encher o aereostato comegou
hora e inea.
A's 3 horas eslava cheia uma lerga parte do ha-
llo e priucpiava a verse desenliar a va>la cupla
do Gigante.
A's 5 eslava quasi lermitiala a operagao.
M. de Arlois fecha a vlvula e dispe devidamen-
le as cordas que a governam.
Eis o bailo promplo para partir.
Aprexiinau-o da barquiuha.
A barquiuha, que uma pequea construegao
de verga, compe-se de varios comparlimenlos:
beliche do capillo, beiiches para os viajantes com I
leitos sobreposlos de 70 centmetros de largura, A colheila do algodao em 1861 foi de
despensa, aleliers de pholographia e de imprensai Em 180i foi de...................
e uma plataforma por baixo. Em 183 foi de.....................
Dao 6 horas. Mr. Nadar abraca sua esposa, que Km 186% foi de...................
chora.
Os dois passageiros tomam lugar e assenlam os
seus oculos.
O eapitao brada : Larga! e o bailo nao se mexe. Exporlagao durante a guerra 1,000:000
Esvasia-se urna porgo de areia lentamente e com Consumo 1,500:000
a maor prudencia, por quanto o lastro uma pro-1 Destruido 1,000.000
visao ludispensavel para uma viagem aera. Bati | A variado e de n-nhom valor
aquella enorme massa principia pouco a pouco a |
abalar-se.
Alfasta 1
A barquinha move-se e vai-se arraslando pelo
chao.
O aereostato dirige-se exactamente para o lado
do sul do Hippodrorao, na extremidade dos lugares
reservados, onde sa achara damas vestidas a pri-
mor, cavaiheiros euipoleirados sobre as cadeiras
para mulhor verem.
-N um abrir e fechar de olhos ludo se affasla
para nao ser derrabado ou confundido.
Gritos de terror se fazem ouvir, dao-se algumas
cotovelladas, mas em suraina nao tem lugar o me-
nor desastre e o Gigante eleva-se aos ares no meio
dos applausos da mullidlo, sendo avistado durante
muito tempo ua direegao do meio da.
A estes esclarecimentos seguem no jornal a que
nos referimos ainda os seguinles :
Sao excellentes as noticias que recebemos do
Gigante e dos seus passageiros.
O mmenso aereostato tocou em trra em |Saint-
Agrve (Ardche) hoje, segunda-feira, pelas 10
oras da m?nnla, depois de uma navegagao con-
trariada pelas mais variaveis correnles.
Assim vimo o dirgir-se hontem para o sul, se-
gundo o valle do llhodano, e s 8 horas da nolle
elle apparecia era Tournon, irapellido para as mon-
tanhas de Cevennes, do lado de Yessingaux.
olX):OUO i.imu .l
Colheila provavel de 1863.
1,000 0
35:0
O supprimento pois, ralrnlado aesta
dade de l,3o0:00O saceos, e reprtese petos mmt-
reuies eslados do sol da maneira segoiate :
Colheila veilia. Colheila yailSL.
mttmm, Sacras.
Luisiania...... IOo:UOO 50:000
Mississipi...... 200:000 75:00
Texas......... 100:000 3MB
Alabama....... 2oO:oOO 50:000
Florida......... 10:000 10:000
Georgia........ 200:000 50:008
Carolina do Sul. 130:000 30:00
do or le e
Teouessee... 10:000 10 000
1,000:000 330:009
Em uma correspondencia de Nova-Orleaae, i
seque a quauudade de algodao exisleale ao
nao exceder' a 1,700:000 saccas eatre boea e i
riado, e que a colheila peodeote de 1865, se fw fa-
voravel, nao passara' de 500.000 saccas.
L-se na Borsa de Torim:
O engenheiro lomeneiller leo u.-a reUamo ao
conselho municipal de Turim sobre os traaaaVos
A partir desle momento nao sabemo qje rumo de porfuragao do moot<-1>.
levou at s 3 horas da manhaa.
A extenso do tnel em biraonnerae
Becebeu-se ura despacho de Orange, dizendo que I de u:220 metros e 20 centmetros.
elle tnha sido avistado junto noile. mas al nao ^Q gm de ^^ t:3*t m.-tn.s se
termos mais ampias informages, duvidainos que furados do |ado d'e Bardonneche e 1:763 do I
elle tenha sido arrastado tanto para o sul, por de ModaDa> aolodo i:.^:j nit.|ros t M eennaaetro,
quanto s 3 horas da manilla teria sido irapellido ?l0 um ,er0 do pjjajgajjj |uU|.
para o lado de Leao por uma correte opposta ....
da partida. M. Grand, dono do Chalet do Pare, diz hDesde ? de >"".". MB0 afc? W ^
telo avistado a muito pouca distancia da trra, sem Dno 2f"" da "f?'*1 "** duvida por que com a humdade da noile se tinha ; *??"*,WrgUe t>"fe"" J* mmm *
tornado mais pesado. maior. .....
O lunel perfurado i hoje de 4:733 Metras 05
Pareceu-lhe que os viajantes queriam langar p centmetros,
em ierra e fez acordar a sua geute para lhes pres- Rt,sUm J-h 7;48J -e|rw |5
lar auxilio, porm o Gigante conlnuou o seu curso, Mr Smmeill .r anoaDCa ,
para o lado das libas do Alto-Rhodano, na direegao ouese ,,i,a chegado a nm carnada
de Miribel. Na allura desta localidade o balao ele quarUona (|Ue alrMa CoDdravel.eB*5 g iraaalto
vou-se sbitamente e M. Grand perdeu-o de vista. das machinas de ^,faraco
A's 9 ou 10 horas, por ora despacho recebido de Efa can)a.Ja lJDha Si4o exaciaawaie atanat
Yssingeaux (Haut-Loire), soubemos que o Gigaole Mr SismoIlda e oulros pa. g. a
linbapassado por cima da cidade, por volta das 8 sgaa(lo im roe|ros m |Dlerior ^
hars da manbaa. esla camada K3ti C0|n efftf|| fc
Finalmente, um ultimo despacho do cbe'e do te- 2:090 metros
legrapho de Yssingeaux annuncion que Nadar e
seus companheiros liuliam descido em SaintAgre- m a ^
ve, nos limites de Ardeche e de Haut-Loire, todos
de perfeita saude. De documentos offlciaes paNieados palo
Deste modo, o G gante fez ama viagem circular, ment da guerra em Washlagloa rasada* *j
ou antes elliptica, seguindo a buha do ro RhoJa- mero do morios e feriaos do exercilo
ser
I -
acha o paiz em relaco guerra : sobretodo pre
ciso qae saiba toda a verdade, para que nem se
aterre com a supposigao infundada de desastres
que alias nao temos soffrido no campo de batalha,
nem to pjuco acredite que lem j feito bastante,
e que pdepoopar os grandes sacrificios qae anda
se exigem do seu patriotismo.
Nao ha motivo para desanimar, nem corages
brasileiros desanimarlo jamis, tratando se da de-
feza da honra e da patria. Os barbaros nlo batem
s portas de Roma, nem espada de Breno vem
logo de deliberar sobre o assnmplo, e por unani'
mldade fomos de opiniao de que se devia dar an-
damento carta do summo pontfice, j como acto
de respelto pelo chefe da igreja catholica, e j por
consideraglo pela natoreza da propria caria, que
s se refere aos direilos do poder execulivo e a in-
teresses inteiramente religiosos e espiriluaes, que
devem comiedo ser tomados em consideraglo pelo
respeito, pelas crengas, e pelos sentimentos da
grande maioria da nagao, como pela aegao efflcaz
que elles exercern nas condiges moraes, concordia
no, acerca das ntenges manifestadas pela santa pirituaes dos Interesses polticos, era proveito com- uo e a das OMOlOrtOi de Cevennes, e vindo tocar rante a campanha de Graat aa Virgiaia
s, e especialmente arim de Ihe expr as difficul- mura da igreja e do estado, e especialm'enie com
_dades suscitadas nas conferencias sobreorxeguoi'ur vanugem para a Italia, que mais cruelmente tero
das bullas, de nomeaco des bispos e seu jurameu- soffrido em consequencia da sua conluslo. No
to, os commissarios pediram e obtiveram licenga emlanlo honroso para o governo de vossa ma-
para vollar a sede do governo. geslade o nao ter elle n'esla conjunciura faltado
Os pormenores dados pelo commendador Vegezzi ao seus deveres de olhar pelos interesses polticos,
foram acolhids e apreciados por nos, com a grav- emquanto que considerar tambem sempre como
dade que o assumpto das mesmas discusses, es- um dever e gloria dar satisfago aos interesses re-
pecialmente sobre os dous pontos supramencio- ligiosos a espiriluaes nos limites tragados pela sua
nados. natureza, pelas leis do reino a pelas exigencias da
Quanto ao primeiro reconheceu-se qae o governo civilisagIo actual.
barra em La -, depois de ter deixadoa cidade nove passou o Kapidan em 1861 at
horas antes. em 1865, sobe a 90:000.
m .i i QJ ii ti tm
O Nacional publica o seguinte :
Era certa trra apresentouse ao adrainislrador,
do conselho ura rapaz que pretenda isen'ar-se do Era Pars publicam-se actaaliaeale 814
recruiaraeolo. eos, dos quaes .- 15 sao polticos, de
Que tens que allegar, Francisco ? pergantou a relacao entre o numero Oertas a as ais
o fuoccionario. de 1 para 35.
Senhor administrador, que son tolo.
Que s tolo ? e que proras apresentas ?
pernambi'co"^Typ. de m. f. de f. a/uJo
^TTV
--
!
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET85ZR2UZ_YYCKFF INGEST_TIME 2013-08-28T02:58:01Z PACKAGE AA00011611_10743
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES