Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10741


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AR1S0 IIj ffOMERO 184
Por qnartcl pago dentro de 10 das do 1. wei : i .
dem depois dos 1.' 10 das do couecoe dentro d quartel. .
Porle ao correio oop tres aezes ...,.,,,,,,
SABBADO 12 D AGOSTO DE 1865.
Per anno pago dentro de 10 das do 1. mez ,,,.... 19|00l
Porte ao correio por ubi auno.............. I$9#9
ENGARREGADOS DA SUBSCRIPCO DO NORTE
Parahybs, o *r. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marque- da Silva; Aracaly, o
Sr. A. de Lemos Draga; Oar, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues ; Par, os Sr*. Gemido Antonio Alves &
Fiihos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BXCARREGAD08 DA SUBSCRIPCO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falcao Das; Bahia, o
Sr. Jos Martn* Alves; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
RM'iro Gasparioho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo. Escada e esiao.Ses da va frrea at
A.>; i Prea, todos os dias.
lguarass e Goyanha as secundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Honto, Caruar,
Altiuho, Garanhuns, Huique, S. Rento, Bom
Gonselho. Anuas Bellas e Taearai, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqneira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Ex, as quartas
feiras.
Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas,
lielajo: terca? e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphaos:- tercas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do civel
di.
Segunda vara do civel:
hora da tarde.
tergas e sextas ao meio
quartas e sahbades a 1
DAS DA SEMANA.
EPHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 La cheia as 3 h., 9
13 Qoarlo ming. as 7 h.
21 Loa nova as 4 h., .'7
29 Qoarto cresc. as 9 h.
m. e 34 s. da m
, 22 m. e 28 a. da t.
m. e 34 s. da m.
29 m. e 46 s. da m.
7. Segunda. S. Caelano Thentino fnnd:dor.
8. Terca. S. Cyriaco diac m.; S Emiliano b.
9. Quarta. Ss. Seruudniano e Veridiauu inin.
10. Quinta. S. Lourenco diac. m.; S. Adhera v.
11. Sexta. Ss. Tiburcio e Suzanna mm.
12. Sabbado. S. Clara v. f.; S. Aniceto ni.
13. Domingo. Ss. Hypolito e Cassiauo mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 m. da manhaa.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
b.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sn! at Alagoas a 14 30; para o nort
ala a Granja a 7 e 22 de cada nw; para ferian-
do nos das 14 dos mezes de janer<>, margo, mata.
julho, sctembro e novembro.
ASSIGXA-SE
no Recife, na livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Pigoeir"; 4
Faria & Filho.
EXTERIOR.
COBlRESPOXWEtflAS O SA-
BIO 1>E PKHXA^l'C
IO^'IIRI>.
23 de julho de 1865.
No da 23 do correnlo recebemos aqu a mala
do Brasil, viada pelo paquete de B trdos. A noli'
cia mais importante que se espaldn nesla capi-
tal, e que at foi ja publicada pelo Standard, folha
de Londres, que o governo brasileiro aceitn fi-
nalmente a proposta de lord Risell no conflicto
anglo-brasileiro, de modo que serao em breve res-
tablecidas as relajos polticas entre o imperio
e a Gra-Brelanlta. E Ingleza api'laude com eninusiasmo a termnajfio
dessa pendencia, recomm-ndando ao mesmo tem-
po ao gabinete da rainha o dever de escolher para
o lugar de miui.-tro britanmeo no Brasil um func-
cionario capaz de, por seu talento e prudencia, fa-
zer esquecer as justas queixas que aquella oaciio
amiga leve conlra a Graa-Bn-tanha. Quein ser o
escolhido para esse cargo, logo que lord Russell
haja de mandar ao Rio oe Janeiro a missa* espe-
cial da rainha ? Sir Charles Wyke, que repre-
senten a Inglaterra no .Mxico, ja lem sido indica-
do para essa eommisso diplomtica ; nao posso
dizer entretanto se com elTeito sera este o indivi-
duo escolhido para representar no Brasil o gover-
no de S. Al. Britannica.
A legajo imperial nao ser provavelmente acre-
ditada iv-i i i-'"rt- antes da chegada ao Brasil da
Mexicanos 3 "/ 23.
Consolidados turcos 6 % 49 % e 4 % turcos ga-
rantidos a 100 #.
As nossas estradas de ferro ficam pelas segua-
tes cotacoes.
Accoes do Recife 14; ditas da Bahia 13 ,',' ;
e ditas de S. Paulo a 17 >/,, e 18 por apolice.
O iiosso algodo obteve temporariamente urna al-
ta de I '/, rt- por libra na ultima quiuzena ; mas o
seu ultimo preco regula pela cotajo que dei na
mlnha recente carta. O de Pernambuco e Alara-
nho tica a 17 "// d por libra ; e o da Bahia a 16
d e 16 d por libra.
A remessa dos Estados-Dsidos continua a ser li-
mitada, c por conseguinte se pode esperar que
aqoelles preces sero mantidos.
O cacao do Brasil fica de 37 s. 59 s. per cwt ou
112 libras inglezas.
Pao Brasil de 60 s. a 70 s. por tonelada.
Caf do Rio de primeira qualidade a 75 s. per
cwt.
Assuear branco de P rnambueo e da Parahyba
de 21 s a 2o s. 6 d por cwt.
Couros seceos do Rio de 6 d a 8 */ d por libra;
e ditos salgados do Rio-Grande i '/, a 3 d por
libra
As procedencias martimas d'aqui para alguns
portos do norte do imperio foram as seguintes : de
Cardifl Blue Mantle (17) para a Baha ; de L-
vento I The Ann Granl (18) para Pernambuco
de Liverpool The Sea Bi.-di (18) para a Babia ;
Ce Gravesend tGeraldine (18) para a Bahia; e de
dardilT cMeQSc (19) para o Rio Grande.
De diversos portos do imperio chegaram a este
Reino Unido os seguintes : do Rio-Grande Elise (10)
a Falmouth; da Baha Gorstacker (13) a CardilT;
fj. 11 m dds nquMisadoras para a paz da Europa, por um tribunal militar
cJl'n Sf2? es,,v?se dom,Dada a ull,ma insurrei{o. | novo depoimento que o .
iss_em na E este passado governo de S. Petersburgo cons slnato de Lincoln
feto com o rebultado das elec5es,~attribuindo a urna, garanta para a observancia das leis do
malversares do governo a perda de vinte votos tado. Relativamente s leis vagas deveria
que solfreu na presente lula eletoral. provMas apenas as que se comprehendessem
Temos aqu noticias da Bolvia at o 1 de junho futura diviso das dioceses; a apresentaco do.
ultimo. bispos devia ser eita pelo r'el Vctor Eramanueli
O presidente Melgarejo, que depois da roortede com o as^mb^enmpreyio dopapa; a preconisaco;cam conTr aqoellelnfei. ,
Diz-se que as autoridades de Kiluz descobriram
urna soc.iedade secreta que tinha por flm propagar
Belz esperava consolidar a ordem na repblica, e as bullas ficariam sujeitas ao regio beneplcito,
acha-se a bragos com urna nova revoluco, tendo Alguns dos bispos j preconisados uo seriam ad-
fugdo de la Paz que os insurgentes ameacavain
de saquear; esperava-se entretanto que essa pri-
meira autoridade conseguirla retroceder sobre
aquelle ponto, depois de haver recrulado bastantes
forcaa para combater aquella insurreiQo.
No Per, o general Pezet fortilicava Lima, que
parece sera atacada por Capseco. Este fura de-
gradado por Pezet de todas as suas honras, por
haver trahido a patria no posto que oceupava de
vice-presidente da repblica.
mitlidos em attenciio a dl rentes motivos de or-
dem publica.
. -tersburgo
derado como urna ameac.a as grandes potencias
que veVm indifferentes as violeucias que se prati-
z paiz
em coosMineaeia d> ara
da por implicado ao a-*as-
sluato de Lincoln.
O governo receben do general Lee nina rana
em que o amigo oflkial confederado p-.Ut para*
fazer parte da uniao americana e rehaver os >es
antigos direitos do cidado leal.
As tropas negras da guarnicao do forte M-mn*
rswas saraateaP
por todos os meios possves a
As negociares foram inlerrompidas por terem sta organizada desde 1861 comnr hendendo ind,, ,,!1;a,and0Dar a,Uftlle P>
diosbrlr,ad:,;o i proprlar rp|,a,,ivSs ao iuraTn, ,,ai7- SS*S^Sl^kv1 e?n5S ^x :-
os bispos, e ao beneplcito. O governo italiano multo consideraveis. M? ''.". reD,?>
seu principal fim e pnpagar o elemento pola- a insubordinaco 1
e as ideis caiholicas as povoacoes orthodoxas eos em Ciiarleston, &
l kvania \ albinia e Padolia. D0 de Washington li
h-tas povoacoes eram outr'ora caiholicas e fo em conseouenc.a .la
ponto apezar da< en i
vezes necessario d^r-
declarou em Roma, que consentira no regresso "Oseo rincaUim nr masar n elemento nni "n,*r san8oe para manler a orden e mtkm
J^MBMSV.'SaaS -MKarjJ^.:fc as^^ftESpafs
as ao scisma por Catharna II e Ni-
Em Callao se baria descoberto urna conspiracao, separacao tiio desejada da igreja do estado, arras- colo knora-se anal ser resrdiir^i
iBissao inglesa, porquanto se me nao engao, cum-, da B,ni;1 Union (14) a CirdifT. da Bahia hahela
pre que essa circumslaucia seja rigorosamente oh
servada.
(lo) a Falmouth ; de dito Helena (17) a Cly
Mary Deans (19) a Liverpool; Mnurice (19) aCly-
Qual e porem o theor da satisfacao que nos da- dl!. 8 Perseoermee (20) a Queenstown.
rao governo britanmeo ? S. M. a rainha parti, depois do baptismo do
bilitado para eonncia-lo ;mas. creio principe Georges Clirstian em W.ndsor, para Us-
borne onde se acha com a familia real. O princi-
pe e a princeza de Galles all esliveram algn
te consigo a separacao completa dos interesses re-
ligiosos e espirituaes dos interesses polticos, em
proveito commum da igreja e do estado, e princi-
palmente com vantagens da Italia, que, tao longas
e dolorosas provas tem soffrido era consequencia
da ua confusao; mas que entretanto ser urna
honra para o governo na<
tejos d idos em honra da esquadra franceza, que I tado, excepto
que, como j por vezes disse, o gabinete de Sua
Magestade o Imperador nao se deixar Iludir
n'uina qoestio qai em todas as suas pitases im-
poriou a offensa da tiossa dignidade nacional. A
mi.-sao especial da Gra-Bretanba sem duvida
unta concesso eita ao Brasil, quando certo que
fomos o primeiro a cortar as relaco;s diploma
cas com esta corte ; ouiras coneessoes nos serao grandes i Dbras
provavelmente feitas, se bein qu^ nao me pareca Cherburgo '
que este gabinete venha jamis a acceder *' no^- 0 herdeiro do thrnno inglez foi no da 21 do
sa reclamacao, quanto ao pagamenlo dos prejulxos crranle om a princeza de Galles bordo da fra-
- uossa tt.arinha mercante por occasiao gat;i i,agenta< onde 01 recehlo pe|0 Coraraandanie
que tinha por fim incendiar a fragata hespanh'da
Numancia,
O ministro da Hespanba no Chili ajustara final
mente suas reclamacJSes com o governo de^sa re
publica ; mas a imprensa de Madrid alrraa que o
governo hepanhol acaba de reprovar essas nego-
ciaces, que julga insufflcientes.
As noticias de Nova York chegam a 12 do cor-
rente.
O famoso processo dos conspiradores havia ter
minado, sendo oxeculados no dia 7 os cri
Payne, Atzerotb, Harold e a mulher Surral
Plicados no assassinato do presidente Lincoln, exigencias d^Civilisaca do mundo. verao'um 'io^daela'mr^m^i'^ de mn~ r',a'.n a W de fulho> aD,es de #e '>!'' ->n om-
Mudd, Arnold e O'LanghIln, foram sentenciados a Espera-se geralmenie que as negociases ho de to^^aSJ?SSSmo rei "o pLp'"'
prisao perpetua, e ja tinham partido para Albany recomecar, e ser enlao cercados de bom xito. i venia q S I Pa.^ecc ^ue "k*** nao faria qwsUo da
oude cumpririam aquella sentenca. A execucao Era seterabro devem ter lugar as eleicoes para O governo contina a chamar sos trihnnans os Presidenna da cmara electiva, e logo d^-^s da
da culpada Sttrrat havia causado geral consterna- o parlamento italiano. Os pai Jos J^Sw^m^^ TttiSS1* "** *^"*>=1
!SSSrSL!JS ,n,iueD,i?.e,n ld0 r?,D0- governo, e que alen, de deputados eram emprega- jjBCSt
partido demcrata, qoe na ultima cmara tlgurava ; d0s pblicos.
com urna insignificante maiona, procura organi-, Foi arcusa'do Mr. do Teverten que alm de de
-nar-se para entrar na lucta ; mas esta tentativa de : pU|ado membro de um tribunal de iu Sv ^l',!,,e,ar0 g0Vern0* le"d'Se reV0"ad0 orK;,m^/ar^ af8"V" a sessao que j exis-: Teverten, na cmara atac'u o m nislri da just.ga
.d'.!er?s?.nl0?:_.,...-_____,....________ ti* entre a fraegao dirigida por Crisp e Mordini, e os demo
negros.
ra o governo de S. Petersburgo a respeito'd'os S- Iho" tS^j jj?!!lJgf S ,U'
bros desia soc.edade secreta! mas a julgar pelos Z a SSmSSSZTXS!^. T'l d a
precedentes aquellas que nao espiare' con, a vi- BST15BXV5S f^K
la o seu cr.nie de amar a patria, iro espiar lio Parece que o desgosto da 'E^der?o1a ,l~Z
horrendo crime nos desertos da Siberia I Santarem o levon > a r~ '"">! -m
- A siiuacao da Prussia cada vez mais diffi- S^Zt^t^'fa JZSV
osas acro>a?>?.
_ lgubre epitf,
de Soululho, pedio a >ua reforma, pelo qiv ar.n-
donara o commando geral da arma de artiifearia.
O governo apresentar-se-ha as corte> ,m- >e at.n-
R- riam a 30 de fulho.
itonra para o governo nao ter tiesta conjundura cil; parlo da HUDrensa a minisieriaii anresenta Z^^.Trmmmwm> contra o gi
'.",SioCo-rfa?ao r?iem dht ?rMUr- riDtere,o4s s ^JSBs^Ufsssi 5 W-ars e?,z*!
nre rm m d qUan' qUft, "' cone,Jefrar-?em' In;,ra *>" ^Pinados aprestando doutrinas contra TEET2J**? Crtm
'mo^ns K"m|de.f e>'a.'" mimosos interesses religiosos e espirituaes nos limites tra-: ral. que se desenvolve n naiz
V'-^l" S2 P*r ,53E1,rBM. ^ leis d0 reino> e p,'l;ls AIKuns I* ministerias' aconselham ao go-
eflo, pois que o publico esperava que a pena capital
ihe seria commutada.
Os batalhoes de negros que o exercito federal
empregara com vantagem durante a guerra, co-
I- A qoestio da emancipacao contina a oITerecer antigos lugares tenantes de Garibaldi, e o
s graves difllculdades pratlcas, sem que o presidente cratas republicanos, para obedec.erem s
- haja podido resolve-las ; o governador da Luiziana Mazzini. O comprimento entre as duas
tas cora essa augusta senhora, segurado posterior- naja podido resolve-las ; o governador da Luiziana Mazzini. O comprimento entre as duas fraccoes
mente para Plymouth onde lem assfslido aos fes-1 prohibi entretanto a sahida dos negros de-se es- do partido d'accao considerado na talia como
com permissao da autoridad*. Os um aconlecimeoto importante, e como o prognos
por em pratica a respeito dos tribuuaes, um
systema de corrupcan nao s no que diz respeito
se intervallo procurar consolidarse, segre-
gando a si elemento fortes para garantir toda a
conlianca publica.
O duque d Saldanha, segundo continnava af-
ui mar se, tomara a presidencia do ooseiho de aai-
uistros.
Desde seu regresso da embaixada de Roma, o
lu,i all chegou encarregada de convidar a marrana de negros alli residentes devero continuarjp servido tico do venelmedto da cau-a de ordem. que defen
* guerra britannica a assistir em agosto prximo s i dos antigos senhores at o fim da presente co- dendo a unifiraco
Alera de Teverten, sao lambent peisiguidos co-
mo dis>emos n'outra occasiao, os Srs. Virchow e
Gneist, lente da universidade de Berlin. Os tres
navaes que terao
lugar era I Iheita, mediante contratos reciprocamente celefira
dos.
causados a
das represalias execuladas pelo almirante Warren.
Na minha prxima missiva espero estar habilitado
para dar mais alguns particulares acerca do as-
sumpio que deixo referido.
Pela mesma mala de Brdeos recebemos aqu a
noticia do alternado commeitido por urna balera
paraguaya, na margem do Parua', contra a ea-
nhoneira ingleza DulteroU, do qual resultou a
morte de dous marlnheiros e o ferimento grave de
um ofiQcial desse vaso da marinha de guerra bri-
tannica.
As folhas desta capital tem mencionado o des-
den! com que o presidente Lpez recamlnou a re-
clamado do cnsul inglez em Assumpco quelle
respeito; insistndo como governo da rainha alim
de que a repblica do Paraguay seja forjada a
dar a Gra Itretmha a satsfacito que Ihe de ve.
Consta me que o almirantado ordena por este
paquete ao almirante Elliot que exija sem demora
do presidente Lopes a reparacao da injuria que os
seu? agentes commetteram, lazendo fogo sobre un,
navio de guerra inglez, que conduza innocente-
mente algumas familias de Corrientes, cujas pro-
piedades havjam sido destruidas pelo exercito
paraguayo.
O governo briannico nao parece dispo&to a
concordar con, o presdeme Lopes em que hoavesse
quebra das leis da neutralidade por parte da ca-
nhoneira Duttefotd, e portanlo ha de obrigar
aquelle chefe supremo da repblica do Paraguay
a dar-lhe uina bastante satisfacio ; la| dentis o
que a ppinao puMica deste paiz exige do gabinete
da rainha, como deixei mencionado.
Le ttris com todas as honras devdas sua gerar-
chia ; mostrando-se altamente satisfeito com a ier-
feic.io daquelle vaso encoura^ado da marinha de
guerra ranreza. O duque de Somerset acompa-
uhava sua alteza real, fazendo notar a esse joi'en
principe todos os melhoramentos daquelle navio de
primeira classe ; na sua qualidade de ministro da
marinha, o duque de Somerset acceitou o convite
da Franca para assistir com urna parte da esqua-
O certo porem, que os politiens de toda< as fi-
lacoes hberaes alli o lem ido aatafaf ; allrmava-
quer ver consolidados os princi- depula'dos "slo ner-ecuidos "nelaBoverniToo^causa Ti comtudo.'|ue sem ** ""olvidas rertt re-
pios ca verdadeira uniao .taliana. \iJfiSttjSS!&TJttJ& *SJ**'V>* ?'ua -*?."^^l -
O ministro da Italia em Lisboa ser nomeado do o governo nru*sano so-no como cmnrecados "Pre!,eD,tote nao acceitana um qumho no p- tr
O presidente Johnson ordenara urna nova reduc- segundo se diz para representar o seu governo jun- pSblifo" "aJ.Sorno" Vun-en-S i? Prq.Ue depo,s de, miois,ro n5 ^ia
cae no exercito. fo a corte de Madrid. ain. COnsiderVdon direta mw tem o denntadn raan,er,essa.5 reclamacoes em que lambem con
O premio do ouro Ocava a 139 i ,2, e o cambio O ralnUt-rio austriace ac.n,o segundo se S;*!j' S2en d! fiSS! es m enh So Sm'ISSfaVL- ^ "T
' idlz substituiao, apezar da declaraco que faz a ,.u mandato or Mr de Rismark direiin me lo- L 1 M,arlios herra,) (anhgo regenerador *
TiTinrr. t Tiiiniriuitnnn itava ai,,da em eXBrc|cio, e me a cmestao das de- 0 na prU5-ia avaiiadnrte tal mod i ;r. rana uianc para a da fazenda. Minios oaKw
DIARIO DE PERNAMBUCO. Jp'^SD^astavdeflnltwUeole'OT.da. Pa- ^V^C^m^m que se!noraeSlem sido lembrado.s mas por ora nadabav
I --'-'-t!0-re-'n'..quft- es,a declaracao fra feila para diza offerecer a 22 de agosto, aos 253 membros li
Temos vista cartas e jornaes da Europ
dos pelo vapor francez Nnvarre, com
Hamburgo 20, de Londres 23, de Pars
dra britannica as evolucoes martimas no port de Usba 29 do passado. Eis o que colhemos. nUe dcva seguir
Cherburgo. j Tr .ninanrn tinalmenle as eleigoes em lnglaler-1 A situaCao da'Austria asss melindrosa, e o
A d.vtsao naval franceza que se acha em Cher- ra -\.' Partldo l,b"ral obteve vantagens mu.Vo no- programma mlnistoriil e nmaquestio muitoimpor-
borgo composta dos raelhores navios encoura?a- ,av,i5 ^e os conservadores. lame era presenca da atutude da Alleinanha, o es-
dos que a Franca tem, c a que veio a Plymouth u partido liboral divide-se em diversas opraioes pccialmente em face da uolitica prusiana. Pa-
corapoe-se das trgalas Magenta Firmare e Ariel. e segundo dizem alguns jornaes em quanto se nao reee que o programma ministerial =e podera resu-
Neste porto os olllciaes francez? ti ra sidorecebido r?un,r parlamento, nao ser fcil eonhecer a fe|-
com a maior distincQo, sendo convidados pelo fao. da cantara dos comrauus, porque apesar da
Mayor de Plvmouth e pelo governador da praca n,aoria ser conhecida, nao se sabe qual ser a
lord Templedcwn, a jantares, bailes e outras: sua opi'ao na qoestio da reforma eletoral, o em
festas. ; oulras de igu.il importancia.
O principe e a princeza de Galles tem tomado i Todos os depundos eleiios pelos dslrctos de
parle em todas essas reCepcoes, querendo assim Londres pertencem ao partido liberal. Lord Pal-
solemnisar a hospitaltdade que a Inglaterra esta'' ,nerslon foi eleito por Tiverton. O primero mnis-
ohVrerend a' marinha nrilitar da Franca. tro antes da eleicao fallou em um meeling aos
escripto ao ministro do reino, que anda nao tinha
respondido.
A autoridade superior da Colonia que era um
dos principaes subscriptores do banqnete e havia i a
oir^ecido coramissao a sala da rauocpalidade \% ertyio' fl ^
liquidaco amiga e importantsima. I' i
j co mais avangam as informa^jes e rorrespoooVn-
| cas que temos a vista.
S. M. a rainba D. Mara Pia entrn no nono m-*z
rar nestes ponto* : Opposicjo aos projectos amb
ciosos da Prussa na questo dos ducados; desen-
volviraenlo do principio federal na Allemanha ; ap-
proximacao da Austria as suas relaces com as
potencias occidentaes.
O Memorial diplomtico eutende que o fim prin-
cipal da nova poltica austraca a luta enrgica
de Gurzeuich, relirou a sua autorisaco.
A commssao resolveu continuar no seu enipe-
nho, ao passo que o governo pareco resovido a
nao consentir naquella festa liberal.
Os jornaes da Grecia sem dislincco de par-
tidos, esto de accordo em reconhecer que as ul-
timas eleicOes foram o resultado de combinacoes
fraudulpnlas e illegaes; mas apesar das violencias
e Ilegalidades por todos apernadas a cmara ap-
contra a poltica da Prus*sia ; pois sabido que
Lrd Cranwor.h se acha de posse dos sellos da [ ^s, e o seo discurso foi semp"? .Me et ui ur^^ d-P,adS aP".Dta"m
Graa-Dretanha, havendo sido escolhido pela rainha P'>80. LTtJT^ P_l2 ?.1AAi?. I as f,a"d^ que se commetteram e os manejos des-
para o alio posto de grande cli.utceller da Ingla-1 ) ^ sysihema segoido por lord Palmerslon t-m s-
lerra, em substiloicao de lord Westbury que como d muito commentado ; a sua politica tera sempro
havia eu dilo na minha ullima carta dra demissao' Sld.t",na poltica de equilibrio. Toda a sua fon-a
daquelle cargo em consequencia do voto hostil que
experimentara na cmara dos communs. O bario
e a nllnencia que lem^ercido nos gabinetes re-
sume se era nao a Aromar a opinio, que em In-
glaterra muito poderosa, tera comtu lo a salisfa-
zer completamente.
O governo em Inglalerra conservouse completa-
mente esiranho escolla dos deputados; a autori-
Cranworth, par da Inglaterra, servio em outra oc-
. casio esse lugar, para o qual, apezar da sua avan-
.\,,o recebemos noticias militares de importancia da llli)(, Iadi) D10,to,bab|todo por suas
do nosso Iheatro de guerra, se bem que a nossa fuzeP e por 5M probldad ,ence ao w|,
esquadra esteja maniendo um rigoroso bloqueio ou Bbtrt|^ se bem e seja moder!,do,em suas op! dade congenie nos meetings e reunios publicas
as Tres Boceas. A partida de Mitre para Cor-: niue p0|jlicas. Egta Oineac0 causou aqu geral'em 1"e o candidato sustenta ou combale as ideias
r o commando do exercito,: satj.faL-So, e a magistratura judicial da Inglaterra; do overno, seguulo as suas opinioes pessoaes.
" | se considera orgulhosa do seu chefe na pessoa de Em 'Ul escrutinios de que se conhecia o resul-
I lord Cranwonh. lado 303 pertenciam aos deputados da opinio li-
Depois da disselucao do parlamento, teve lugar I"1"1 198 ao partido conservador.
| o prqcesso das eleic'es geraes nos Baroughs e nos GUdstone foi vencido na lula eletoral, e al-
condados, achando-se quasi terminada e.-sa renhi- IribUe-se este cheque ao programma por elle de-
da contenda, que em resultado trouxe para o par-
jlido liberal o auxilio de mais vinte votos do que
dispunha elle na cmara recentemente dissolvida.
Entretanto alguns membros octavis do governo,
taes como lord A. Pagel, Mr. F. Peel e o coronel
tria tem perdido algn, terreno na influencia que leaes e menos dignos de que alguns partidos
SSSSLS2C0 '"S50*8ro,,nlea: Estenio serrtram para triumphar as suas candidaturas,
quotidianamente registrado e comentado pela im- mas a popalaca reonida as tribunas acolheu s ,
,PL cS ma,1,'J0S '''l'lomalicos dos dous gab.ne- gargalhadas c com assobios os oradores que pug- 2SJS22
tes ustlflcm os recelos que parecen inspirar era naVain pela inteireza do systema constitucional. c v?'h
Vienna os projectos do re Goilherme e de Mr. Bis- A opniao sensa[a re rova esle:j act05 e tem pou. .??.*"
tnack.e naturalmente tofiaio para impellir a corto | na conlianca nos trabalbos de unta
inspira todava aqu grande conlianca acerca do
prximo comeco das hostilidades contra o Para-
guay, hostilidades que se espera serao de curia
duraco pela prompu derrota do famoso Lpez.
O estado do nos-o cambio, que desta vez veio co-
tado ainda mais baixo, causa sempre desanimo
oeste mercado, porque elle abala algum tanto o ba-
taneo do commercio entre os dous patzes. E' ver-
dade que a dilTerenca real conlra nos, que no
Jirasil temos de comprar por alto preco o dinheiro
csterliuo que para aijui expedim
entretanto es- vVhite, perderam osseus amigos lugares no par-
se estado excepcional de.xa rece.ar o desequilibrio ,amen,f em qiie a D|]encia de lord Palmerslon
senvoivido em Liverpool, onde este esta lista mos-
trando a firmeza da sua politica, proclatnou os
principios do gabinete sera se oceupar da queslao
da reforma eletoral, que preoecupa os nimos.
A VOlacSo da cmara dos communs que motivou
a retirada do lord chanceller lord Westbury, do
gabinete, foi ao principio considerada, como um
austraca,a procurar novos elementos de forca, mo
dllicando o seu systema de politica interna.
Falla-se de urna conferencia em Gastein, entre o
reidal'iussia eo imperador da Austria 5 masas
correspondencias de Vienna, e os p-oprios jornaes
declaran, que a entrevista dos dous soberanos, se
chegar a veriliear-se, nenhum resultado pro-
duzra, por isso que mauifesta a separago
das duas potencias, reparacao que se lornou mais
patente no dia em que a Prussia peosou era que os
estados medios da Allemanha deviain reconhecer a
Italia, para verificarera com esta potencia um tra-
tado commercial.
assembla, cu
suscilar
jo elemento desordeiro nao di-ixara' de
embaracos a ura bom rgimen governativo, de M|^^UMUvTtonocente"
tanto carece a Grecia ; mas as esperancas destrem Surralt e>Iava ""^
naturaltnenle pela iniciativa dos partidos extremos
que predominan, na cantara e que levam a sui
audacia e pretenderen sobre ao padre.
O eslada da Grecia deploravel, e o governo
actual no meio das difllculdades da sua organlsa-
co, encontra os esforcos d s partidos que excitara
as massas e mantera um desequilibrio, que araea-
Qa constantemente novas d>sordens.
Publicou se urna lista dos guerrilheiros cujas
cabecas
A exposigo internacional do Porto abrirse ha
para o mez de setembro.
Vollam na llespanha a aprevenanse a* id-'-as .te
iberismo. O reconhecimento da liaba p-la II-*;
nhaum fado consnmmado. Alvarreda. Vaten
e Ulla foram nomeados mini.-tros de Itespinha na
Hiya, Frankfort e Florenca.
Continuavam as manifestacoes cleriraes ^ de os-
tros membros do partido chamado new railvdieo
conlra o reconhecimenlo da Italia. As ultima- no-
ticias de Madrid chegadas a Lisboa eram do da
26 de julho as 4 horas da tarde.
Great-Enstern tinha laucado 1.10 milita- de
cabo telegraphico submarino, obl-ndo-s p-rfrfu
nicaco.
6 de julho verifleou-se a exorne) d
i condemoados Payne, Harold, Keroth e a Sra. 5ar-
1 rali ; implicados no assassinato de Lincoln. Payne
fez no cadafalso urna declaraco de que a Sra.
_._ esto a preco ; mas apesar disto deuse
Julga-se que Mr de Bismark procura alraicoar o ltimamente um combate em regra entre as guer-
gabinelo ausinaco, e diz-se que Mr. de Meosdorfl rilbaa e a tropa, o que raoslra qual a forca de
expedir um despacho era qu'i se annuncia que a qUe aquellos dispoera.
Au>iria se considera desligada dos compromisos; Oulro flagello torna ainda mais precaria asi-
era que se achara as transaceoes cororaercaes, pe- STtlSwiK "SRTWS^ mlotauTda "de VeveVidVde^cujo fira m nica rant'e'saWar S?S?15 !' eTowtendef ^"eoirSl! HnS Tfi 6 T^T *1 tS^t
lo que as e-.peculaooes mutuas tendera naturalmen- ^J.^ d8o consegujo sr reelp|l0 ped universl. a dignidaile e Prestig. do gabinete. A mator par- ^ ",",?, J,Jra"l^ "pV^t'cora a c![e de ^ '"'^ Can,p0S de5,ru,ndo a P""***: A
dade de Oxford que elle representou durante 18 te da imprensa considera aquelle fado, mais como jjor|m "
te a restrtngir-se.
O nosso Ihesooro que faz constantemente remes-
sas para esta praca, soffre igualmente prejnizos
enormes com a dinerenca do camino, e essa perda
toda conlra n, porque redunda em beneficio
dos que tomam sobre o mercado de Londres eses
ttulos do nosso erario.
Ha aqu a impressao de que por meio de urna
boa consolidacao do nosso systema monetario, po-
deriamos acabar com o cancro que roe a nossa for-
tuna publica e particular,conhecido sobo nome de
cambio, sendo que a converso da nossa m teda pa-
pel seria o primeiro passo para esse bom resul-
tado.
A idea apresentada ltimamente pelo nosso mi-
nistro da fazenda no seu relatorio, do limitar a fa-
culdade de emlssio dos bancos em relacao ao nu-
merario destes em caixa, enconlra aqu toda a
aunos, sendo preferido por Mr. H-'athcote e Hardy, urna votaeao paHidaria, do que como urna volacao
i ambos do partido conservador ; felizmente, porr, de tnoralidade, e nota-se em apoio desta opinio,
I esse ministro conseguio propor-se por um circulo 'lue apenas dozo membros da matarla vetaran,
de Liverpool, onde foi eleito por grande numero de I contra a proposta de lord Palmerslon, e que o ga-
votos, posto que nao lograsse ser o primeiro depu- bnete, s poude obter dous votos do partido con-
colheita dos cereaes est completamente perdida
com secca: apenas os campos altos tem sido
poopados.
A colera em Alexandna tem diminuido mu-
I tado daquelle districto, cu,a honra coube a Mr.
I Egerlon, do partido tory ou conservador. A elei-
1500 geral dos condados nao esta' por ora conelui-
. da, restando arada quarenta deputados a escolher;
a mainria pertence entretanto ao partido liberal,
que cooiaja' 333 membros era quaoto que o parti-
do conservador coosegoio apenas a escolha de 2U2
I membros do seu partido.
servador.
A imprensa estrangeira analysou com bastante
rigor a nota em que o governo inglez respondo as
ultimas exigencias do gabinete americano, e mos-
tra que lord John Russell se mostra extremamen-
te moderado, mostrando urna timidez sem igual;
e diz que lord Russell tratando de explicar as in-
teneoes da Inglaterra, procura esquivar-se res-
Se n lado liberal tivesse, porem, contra si os de- ponsabilidade ; e que para evitar um confliclo, o
putados do partido radical, a existencia do actual ministro se alla.-ia da linha de proceder, que deve Djca ,reraf quando esta 8
miui.-terio se adiara era perigo na presente cama- seguir um gabinete que tem a consciencia dos DjD'e,g austraco tinham
seus actos, e que nao tome o emprego da forca
para defender urna medida que Jateara convenien
le dignidade de orna granbe potencia.
Diz a Patrie, que lord Russell mostrando-se com-
pisso a aqopc.10 uas regras aqu >eguia> oesae a se aenarn cada veI mai5 divorcaj0 dos conservado- movido pela queixa de se haver ligado a Inghter I
introducto da sabia doutrina de sir Rober Peel. 1 re8| que |he negam ,odo 0 apoia em suas do(]Iri. Ti a Franca na medida relativa aos beligerantes
que deu causa ao estatuto dos Uancos de li* nas exa(;eradas sol)re |berdade pilitica e reh- americanos, insiste em dizer que nao honve com-
L preciso porem que, a par desta boa medida,. j(jsa> promis o formal, e apenas urna especie de accordo
sejan, adoptadas todas as que possam consolidar a : A5sjm po5 0 gabinete de lord Palmerslon pa- mutuo; e que lord Russell mais obsequioso que
boa fe na; transaceoes coramerc.aes, visto como es- rece ()e(;aDcar depois da renhida ua que SU5ten.
tas lem relac&es de afllnidade com lodas as ques-1 tou> e gUanda mesmo esse ministro venha a deixar
>es~ i o poder por causa da sua rauita idade, as redeas
velmenle para a
.....Granville seria
zendo ueste assumpto quanto for compativel com o
restricto interesse do nosso lisco.'
E-tes .seriara talv z os meios de desenvolver a
nossa economa publica, resolvendo ao mesmo tem-
po as erises que nosameacam.
ra, porque essa poreao viria quasi equilibrar os
sympatlua da imprensa, que reconhece n.sso a boa VcJl0S ^ partido conservador cora os daquelle que
vontade do nosso governo da desenvolver o crdito |am a .vJminl5lrarao pa|,nerston. Nao ha loda-
geral do paiz nas proporcoes razoaveis, e que v via esse re(.ei, porqul Mr r ,,
desde a
nas
seus sequazes
Altnbue-se a este pa^so o empeoho com que o
governo austraco por meio de coocessfo Hungra,
quer pesar de novo na Alleuianht: mas nao obs- i i0 ,. pode-sc considerar quasi extincla.
lante as combinacoes que se diz exislrem como o
zumo magyar, mas poucas vaulagens poder aufe-
rir, buscando o seu apoio com um elemento que nao
alletno.
A Prussia pela sua parte trata de mostrar qu
a protectora do principio federal da Allemanha ; e
talvez que esta seja a melhor poltica, anda que os
pequeos estados e os estados medios, manifestara
a sua desconfianza respeito do gabinete aus-
traco.
A Hungra nao quiz mandar deputados as;em-
se fortnou. As ideas do ga-
por fim a unilicaco de lo-
dos os povos que consltluiam o imperio; mas o es-
pirito das nacionalidades, moslrou-se opposto a essa
unilicaco, tanto na Bohemia como na Croacia proj6
Galiizln e Venesa. S os povos allemtas se mos-!
lue Bcuuunuca, i.ouviiia Vui idinu uuiua! 10 mes- 0 poder por causa da sua n)uj,a ,
mo tempo da consolidado do nosso meio circulan-; do overno nao PaSariam provav
te, e assim da reiorma das nossas paulas de fa- oppos..ao |r Ro4se|| ou o conde
zendo nesle assumpto quanto fr compativel com o .r^ a,,v,<\~ n ,.,. rio i-a d,i
Mr. Seward espera que as consideracoes que apre
senta ho de contribuir para estabelecer urna
misado duradoura e ntima entre os dois
< paizes.
Nao appareceu por emquanto no Stock Exchan-
ge a iutroduccao do novo expreslirao do Brasil, de
que se tem fallado ; nem set mesmo se o governo
imperial mandou ja poderes a alguem para esse
fira.
As crcumstancia; actuaes sao pessimas para se-
mentante operaco, agora que os fundos do Brasil
de 4 ,W %, que boje constituem o padro da nossa
divida externa, se acham colados a 8 por cento.
Teriamos de fazer sacrificios enormes para presen-
rarain disposlos a acompauhar o governo no cami
nho unilario.
De trinla e oito milhSes de habitantes, de que se
compoe o imperio austraco, os paizes allemaes con-
tam s dez mitades, de modo que os oulros vinte
e oito milhoes do hablantes, pretendem governar-
se independentemente e de urna maneira distincla,
segundo a dilTerentes nacionalidades.
A prxima redcelo do exercito austraco, ofll-
austriaco,
10 italiano communicou aos seus re-icialmente annuucia'da ao relchratl, pelo ministro
que dever comecar no exer-
Em Meca e Djedham tnha-se desenvolvido urna
grande epidemia entre os peregrinos, que no seu
regresso atravessam o Egypto sem se demoraren!,
e foram acampar em Alexandria, prximo do Ca-
nal e do camuho de ferro para esperaren, a oc-
cano do embarque. Foi alli que se declararam
a< prmeras causas s a enfermdade existe em to
dos os pontos onde resdiram os peregrinos.
O imperador da Abyssinia tera prelencoes a
conquistar a Turqua. Seguodo dsse no parla-
mento inglez o sub-secretario de estado dos nego-
cios estrangeiros, o imperador Theodoro escreveu
ao imperador da Bussia, a-i imperador Napoleo,
rainha Victoria, e a varios ouiros soberanos al-
lemaes pedndo a sua cooperacaopara levar a effel-
de conquistar aquelle im-
perio.
O gabinete inglez respondeu logo, negndose a
receber qnalquer embaixada da Abyssinia, em
quanto o imperador Theodoro nao dsse urna ga-
ranta positiva de renunciar a tola a idea de con-
quista, nao s do imperio proprlamente, mas do
Egypto. Esta resposia deu lugar a priso do Cun-
sul inglez com quanto tivesse recebido inslrucgoes
muito positivas para apresentar nicamente as
suas cartas, e nao se envolver nos negocios do
paiz; mis as autoridades locaes afQrmam que o
cnsul inglez nao deixava de tratar de assumptos
O gov
sera duv.da o successor de lo-d Palmerslon, como presentantes, nai dilTerentes corles, o estado das '. da guerra, reduccai
presidente do erario que em loglaterra e sempre negociados com a santa s. O general La Mar- \ cito da Italia, um acontecimento importante nao I 27=1"-.V, d'-'v.a '"""7-VaTitaridldiT.lTn
o pnrae.ro ministro da cora. mora dtclara ta promplo aferecoineca,as s para as fianaoga do linperio auslriaco,iras lam. ^l^^^Z'^JSXVS^
A luta eleitoral foi semeada neste paiz de algu-1 e 1m a ror,e drt oma se mostr animada de | bem para as do-reino italiano. sinia e prendeu.o
mas scenas sanguinolentas, como quasi sempre melhores sentunenios de conctliacao. Ja se come- Diz-se que o principe de Mettemich commun-1 (jonsl QUe a pranca umbem resDondeu com
i | t POrOITl a T ..i'll I r lliinnvi- Ate />lancnlteam rtit^ no nrl/ o Mf Timiittn Hrt o ai -~ .*
Em Betfast, na Irlanda, o partido protestante
procedeu viva forja contra os catholico; de
te que a forca armada teve de Intervir para re:
belecer a ordem. I suas diocese
Em Cheltenham um empregado do governo as-! A questo que se agita entre os soberanos de
sassinou com um tiro de pistoU um conservador Florenca e de Boma n.io religiosa, mas poltica.
que capitaneava os seos correligionarios ; e em O governo italiano meeiou as negociacoes apedido
Cnippenhatn, Leamlngion e Reading, houve tomul- e"o santo padre. As mstruccCes dadas ao commen-
temeote levantarmns aqu um cmpresiimo avulia- tos de to grave natureza que sem a inlervengao dador Vegerri declararan! que as conferencias de-
do, parecendo-me como j tive occasiao de dizer I da forja publica terse-hia ce lamentar a perda de viam ser sempre estranhas poltica,
que nao obteriamos um prejo de einisso cima de muilas vidas. As negociarles nao deviam comprehender a
75 "A
O desarmamento das duas potencias sera para a
Europa urna garanta para a paz; mas emquanto:
o governo austraco reduz o seu exercito, collocan-
do alguns corpos em p de paz, e emquanto a Fran-
ja e oulras potencias se preparan, para tambem fa-
zer redurjo ; annunciam da Russia que o gover-
no val proceder alli um forte recrutamento Do
Os consolidados inglezes ficam a 89 7/s e 90 %,
Os o % brasileiros a 99 )i, e os 4 ,'j 7, a 80.
Portuguezes 3 % a 47 yi.
Hespanhes 3 /. 48 X-
Gregos 5 % 21.
Habanos 5 % 6i }i.
reino da Polonia vao ser chamados as armas trin-
E ludo sto tem lugar no seo deste paiz famoso questo do reconhecimento lia Italia pelo governo! ta mil homens.
por seu espirito de liberdade e de ordem pontificio, era alludir negajo da existencia do | Esta noticia produzo em Varsovia a mais peno-
Sirvam estes exemplos de prova para demons- reino da llalla. sa impressao. Grande parte da imprensa, condetn-
trar que as paixdes humanas, urna vez soltas, sao Os pontos a tratar eram que o governo italiano nando a atttude da Russia, pergunta a Franja c
dfliceis de repressao, importando pouco o espirito: devia consentir na volta dos bispos para as suas
de liberdade em taes casos. i dioceses, corotanto que seno alterasse a traoquili-
O partido conservador mostra-se em geral satis-1 dade putdjca, devendo dar-so por parte dos bispos
Inglaterra o que significa aquelle recrutamento de-
pois das solemnes proraessas feitas pelo governo
russo, quando annunciou as potencias occidentaes
paiz
_0 governo inglez declarou no parlamento que
nao tinha julgado dever declarar a guerra a Abys-
sinia, porque nao tendo aquelle paiz littoral, seria
necessario mandar um exercito para o interior,
que teria de atravessar sitios quasi impraticaveis.
A Franja e a Inglaterra esperara noticias da
quelle paiz longinquo, onde a siiuajao dos ingle-
ses presos era arriscada.
O governo americano renovou a ordem de
licenciar o exercito. O presidente Johnson reco-
sou annullar o paragrapho da proclamajo, que
excluio da amnista os confederados possuidores
de viole mil dollars.
O presidente confederado Davis ser julgado
O vapor Stjdtr, chegou hooiem ao m*io dia,
do Ro de Janeiro e Bahia, s irazendo j.trn *- do
primeiro ate o i. do correnlo.
O Banco do Brasil procedeu, depois d- mt+
rosas discusse> era div^r-a---.. a .
directores, em sobsliaieo dos Srs. neopW** OOo-
ni, Oliveira Fausio e Jos Mamado CeaUw, 4a I--
caes, na dos Srs. barao de .Mana, Vi um i l>-um-
mond o Dr. Coelh) CaMro; sanindo pleitos lores os srs. : Dr. Dr. J. J. Teixeira Jun .r nm
1201 votos, senador Carlos Carneiro de ijm
com 1127 e Jcs de Miranda Ribeirocom *"-. -
flseaes os Srs. : Bernardo Cissimir de fn .- t .n
679 voto-,Theophilo Oliom com 530 e J >< il.i-irn
Mayrink com 446.
Foi condecorado com a dignatari da orden
da Ros i o Dr. Goozaga, i-x-presi lente da previncu
do Rio Grande do Sul.
Foi nomeado secretario da legajao bra-ileira
em Buenos-Ayres, o Sr. Jarbas Mumz' Brrelo, e-
vendo continuar a ter eiercicio na missao espa-
cial.
Alm destas noticias, que damos em re-um ,
copiamos dos diversos jornaes da corte as seguw-
tes pelas suas dalas :
26 de julho.
Chegou de Cnyaba o Sr. Manuel Fran-i-o Pe-
reira, que morava a beira do rio Paraguay, n > la-
gar chamado Pedra de Amolar, urna legua a. nm
dos Dotirados e oceupava-se em fornecer rombati-
vel tanto aos vapores da companhia do Alto para-
guay, como aos de guerra da provincia.
< O Sr. Pereira no da 10 de Janeiro foi r -m-
raetlido em sua marada pelos Paraguayos, e nrr-
deu ludo quanto tinha cora os roanos e tmvuJtos
feitos pelos inimigos
Podendo escapar com sua familia petas cam-
pos e panlanaes, foi no da 5 de fevereiro alara,!
pelos indios guals que Ihe maiaram soa mulher,
o georo e tres escravos, fu-ando ainda em poder
delles urna filha, urna neta e nm criouhnk.
< O Sr. Pereira sabio de Cuyaba no da 6 de
maio, e refere que a forja que se achava no X*t-
gajo j eslava retirando nao s por ler baixatto
muito o rio, como por causa de febres ini-rmiiton-
tes que alli appareceram.
< Diz mais que por uos fugitivos chegads a ca-
pital pouco antes de sua sabida se .-rabera qn* os
Paraguayos tinham descido,deixando n Hnralos
150 homens e o vapor Anhambahy, e qn- em C>-
rumb havia 400 homens e um vapor iniroigo, rojo
nome nao sabiam.
t Chegou tambem hontera de Sanies Vicente Sal-
lare, Italiano, negociante de Coromba, donde santo
a 5 de maio. Conta elle que o tenenie Melta ja se
achava alli com cerca de 400 prajas, que >alvoa le
Combra, e mais tarde dos panlanaes, onde tai a<---
sado polos invasores. K-iava. pois, lodo reun.i >
na capital, levantando foriilkajde* para defVza,
caso fosse atacada a cidade. As forjas de Melgar
tinham se recolhido a royaba, nao s por cansa
das molestias qne ah grassavam, como por que,
tendo o rio baixado muito, nao havia risco do Mi-
migo subir.
a As forjas reunidas de linha e guarda nacional
subiam a 3,000 prajas, bem armadas, s hivia fil-
ia de boa artilharia, e se nao fosse esta falla desce-
riam em procara do inimigo. A popolajo estar
muito animada para a defeza.
, x-'\


'mvm
Diario de Pcrnambnco K.ibbado- it de Agosto de 18S6.
rffrf-----.
J
- 58
i Entrou hoje procedente dos partos do sul o
vapor Sanio Jfuna coui datas de Porto-Alegre at
22, Rio Grande 23 e Santa Calhariua 26 do cor-
rente-.
S. M. o Imperador chegou cidade do R
Constava que r grosso das torgas paraguaya*
liaviam descido, lendo deixado ein Corumba ama
for^a de 400 pravas e igualmente uos Domados e,
Coimbra. >
Fomos obsequiados com as segnintes noticias
de Matto-Grosso, traiidas pelo Sr. Vicente Solare,
italiano, negociante de grosso trato eni Corumba,
aqai rhegado hontem :
Cuyao achava-se animada a prompta a resis-
tir, contando em armas com 3,000 e taulos solda-
dos de linhac da goarda nacional.
Refire o portador que un) sea cunhado, o Sr.
Nicola, tambem ilaliauo, por occasio da invasao
vs paraguayos em Corumb, fra preso e etivera _
em ferros durante SO das, tendo-sellie offerecido assim como ha de causar a toda a provincia a pro
beria : concluido o duello, em que ambos ficaram
triumphantes, succumbiram no da seguinte de
urna lerrivel gastrite.
- 30 -
Entrn hontem do Rio da Prata o vapor inglez
do Sr. coronel Fontes faz as honras da reoepelo de L-se no Mercantil de Porto Alegre de 21 :
S. M. o Imperador. Chegou a esta capital urna commisso de euge-
t Apezar da mulla chuva, calculamos em mais nheiros que segu a reuoir-se ao exercilo de ope-
de cinco mil pessoas as que concorrertffi ao desem- ragSe*. E' seu chefe o dislincto e Ilustrado major
barque do augusto imperante. de engenheiros Dr. Rullno Eneas Gustavo Galvo,
Sua Magostade devia partir no da ?3 para S. jaconhteido na provincia pelos seus importantes; Kepler da linha de Liverpool com folhjs de Moute-
Gtande "como"irnotic'iamoscno daTodo corren-1 Leopoldo, e voltar a Porto Alegre a 24, e dizia-se trabalhos na commisso de limites e na do Alte-'; video at 23 do corrente.
te e all'i desembarcou com toda a sua comitiva s que at 26 seguira para S. Gabriel, para o Rio Uruguay. Faiem parte della os l"teneutes de enge-, Relativamente s torgas paraguayas sobre o
11 i/2 horas sendo recehidn rom indivel enthu- Pardo no vapor Tupa, levando de conserva o Sete nhelros Dr. Eugenio Adriano Perelra da Cnnha e, Uruguay da a Tribuna os seguintes pormenores :
siasmo KK se com S A oSr duque de de Setembro Mello, Vicente Pereira D.as, SebastSo Jos Iftd. i- Ernlim temos noticias positivas para dar aos
casado recodante' Eurazio Lopes de; O Sr. baro de Porte Alegre, nomeado c ' mandante em chefe do exercito de operages na Vclasse Dr. Jos Arthur de Mnrinelly. Os Drs. guayas que invadiram a provincia de Corrientes
provincia, partirla no dia 23 para a campanha. Eugenio da Cunha e Mello e Vicente Dias b3o fi- e o territorio brasileiro pelas margens do Uru-
No dia 20 tornara posse da presidencia da Ihos da provincia, sao dous Ilustres Rio-Granden- guay.
Saxe em
Araujo.
Esta inesperada visita e n'uma tio critica cir-
mslancia, diz o Diario do Rio-Grande, cansn
cu
geral satistocao a todos os habitantes desta cidade, provincia o Sr. visconde da Boa-Vista.
Os batalhes 19 e 2i de voluntarios da patria
em ferros durante 50 dias, teiioo-se- he oltereciao assiiu como na im causar a wua a piuv ncid, y.u-, *~ ...-.o -, "" ;r """" .;' "/ ,"
^Vjw?j!* kS -a srft nj*2SE* 01,cia"8S Kh" i ssiBarx?. "sr SKS4K
considerado pelos paraguavos socio do Sr. baro de tre nos o Imperador.
Villa-Maria, a (|Uem diziam perlenccr os gneros
que em grande quantidade foram encontrados na
casa do prisioneiro, embora esle apresentasse os
seas livros, em que -.e provava o contrario.
Fui finalmente posto em liberdade, porm, me-
diante a quautia exigida para seu resgate.
apua e outras emnarragoc:
miudas, assistindo ao stu embarque S. M. o Impe-
rador.
O corpo policial desta curte seguir' para o
mesmo destino nos vapores Maua e Rio Gran-
dense.
t Ficava a embarcar o 2* batalhao da guarda
nacional da Baha.
f Do theatro da guerra na provincia nao havia
nada offlcial, alm do que consta da carta de Por-
lo-Alegre.
t Diz, porm, urna folha daquella cidade que
por um lanchito chegado da Cachoeira no dia 20
viera a noticia de urna derrua da torga invasora
cora- pela divisao do genera". Canavarro unida com for-
ma ex- gas chegadas de C Trenles. Segundo a mesma
que resul.ou amorte de seu genroe de dousescra- pressao de gragas bem ardente "So s pela feliz folha o ^j*^gu^Q*M
vos, Orando o resto da familia em poder dos in- yiagem que o trouxe a salvamento, raas arada pelo ^^^"Jig^LJlJHSi J
fervor patritico, pelo enlhusiasroo cvico com que, nesia ciaaae o rorenuo ai.ooiecimenio.
o saudava alvorocado o povo. Era sa?ldo em f,mo Alegre ^ue grandes for-
No transito do caes al a igreja, na entrada cas se reunirn) na Cruz Alta a convite de vanas
desta, dentro mesmo, horaens e seuhoras, as ras chefes daquelle termo, das quaes uns 2,o00 ho-
e das casas, erguiam unnimes o hymno suavissi mens se dirigirn] para a frouieira a reunirem-se
moda adhesio merecida pelo rei popular, do amor as torgas all em operacoes, e que pelas proxn
sincero de subditos altivos, de cidadaos livres,
da bandeira du8"corpo"de voluntarios, na capella pelo monarcha con>lilucional, que
de S. Francisco de Assis. nacional sua i.ropria causa, e que depOz
< As palavras breves e cheias de unecao do nos- para empunhar a espada, e honrar o mulo de oe-
so vigano Joaquim Jos de Sania Anua, commove- fensor do imperio. .
ram profundamente. O juramento a bandeira pres- Xo mesnu da foi publicada a seguinte pre-
lado simultneamente por 500 bravos, echoou as clamagao : _
sinuosidades de nossas montanhas os vivas ao im- t viva a nap.ao biush.eira i
peranie, a nago brasilelra, aos Mineiros que mar- R.o-Gran1ense I Sem a menor P^acao, t.
,,am p^ra aCcampan.,a, foram correspondidos es- por^^ZZ^^V^^ S^^M^SS. -eerto pr.
A poptilago, sorprendida, correu loaavia ar-
denlemente ao encontr do monarcha.
Um vi"a immenso acolheu o augusto imperan-
te brasileiro. O Rio-Grande va a um lempo o ex-
celso representante da nagao brasileira, sua ex-
pressao mais elevada e mais nobre e o sant'elmo
ais o negociante, que o"s Paraguayos' auspicioso, que nos promelte prompia vlnganga e
levaram da fazenda das Pirapitangas, propriedade paz gloriosa, digna, uo insulto atroz do brbaro
doSr. barao de Villa-Mara, o machinispio do en-1 paraguayo.
genho, pralicando naquelle lugar da fronteira toda! Sua Magestade logo ao desembarcar toi ter
a casta de disturbios. i directamente a igreja do Carmo, onde se celebra-
Chegou tambera o Sr. Manoel Passa Vinle, mo-; va a solemne festa de Nossa Senhora. Fura seu
rador no Amolar, cima dos Dourados, que, fogin- pnmeiro cuidado dar gragas a Deus, pondo o pi
do dos Paraguayos, fra atacado pelos indios ua- em ierras do Rio Grande ; mas o seu grande
los, nos grandes panianaes, afira de o roubarem, do gao deve ter deposto nos degraos do_ altar nir
---------. de seu gcnro e ae dous escra- pressao de gragas bem ardente, nao
da familia em poder dos in-: viagem que o trouxe a salvamento,
dios, teto sua mulher, duas lilhas e tres escravos,
escapando elle, j frechado, por um railagre.
Escrevem-BOS de Ouro Preio em 18 do cor-
rele : .
Anle-hontem leve logar urna solemnidade bri-
Ihanie e enlhusiaslica para todos os coragoes que
seotem o sacrosanto amor da pairia, a bengao
ses que conqoisiaram honrosa reputagao na scien-i Chegou hontem um amigo nosso, cuja vera-
cia a que se dedicaram. O primeiro achava-se em- cidade garantimos e que nos da os seguintes por-
pregado na estrada de ferro de Pernamhuco, e o menores,
segundo na commisso delimites com a repblica
do Per.
de 25,000, aguardando um parque para v nr>vt-
rem. Urna torca paraguaya sobre o S. Lourw
diversos destacamentos volantes de ambo- o la-
dos em varios pontos.
< Esperavam-se all os contingentes da- provin-
cias argentinas de Mendosa o S. Jnan, qu- p vi-
nham em marcha. O da Riqja porm it^barloo
inteiramenle pelo caminho e o de Cord to de 500 homens snblevoo-se tngindo un 100 4 -s
quaes alguns foram morios nu ferios.
As noticias das Hepnblieas do Parifico >*>
sempre de sangue e revoltas.
Xo Pei a praga de Arica, sitiada por mar e
por trra, cabio em poder das torgas do pr- ri-ieate
Pezel, pesado golpe para a revologn.
Na Paz, capital da Bolivia, fstalon nma r lugao que triumphou com a pnao do coronel Sar-
Ksla pessoa sahio de Raqui (Brasil) no da II. c0 Campero que all rommandava. E-te pro-
Os Paraguayos oceuparam aquella pivoagao nunciamenio toi secundado por ouiro tm Orrro.<
O l)r. Braga Jnior o dislinclo engenheiro al aquelle da, devendo no dia seguinte (12) mar- reeeiava-se que o mesmo tivesse ai-o ,w> i > .
que lem sido incansavei na idea e nos meios de char em direegao a ibicuhy, sendo sua intengao Cochabamba.
realisaco de ligar Porto-Alegre a Santa Calharina avangar at L'ruguayana. Jnlgava-so qne esla revnlugao linha por fin le-
por urna estrada de ferro. As torgas paraguayas no territorio brasileiro Var a presidencia da BoHvn Dr. Locas Mendoza
Consta-nos que o dislincto chefe desta commis- do Uruguay sobem a 8,000 homens, dos quaes de la Tapia, presdeme do cun.-flho de e-udo.
sao requsila'ra ao Sr. ministro da guerra para ser 6,000 de infanlaria e 2,000 de cavallaria, com seis q prndenle Melgarejo devia chegar a Sacre,
nella comprehendido o nosso comprovinciano Io le- pegas de arlilharia. demorarse alguns dias e seguir em busca 4es re-
nenio de engenheiros Dr. Anlonio Eleuterio de Ca- c Eram commandados pelo coronel Antonio Es- volucionarios.
margo, que nesta capital achavase empregadoem tigarribia. __
diversas commis-oes, cuja intelligencia e aptido Em Raqui commetteram todo o genero de
setenlilica sao lao conhecidas e apreciadas. atrocidades. Degolaram un I\irtueuez de nome
Francisco Augusto Jardim e um Paraguayo que
O lenle general Caldwell ef pedio a seguin-
(e ordem do dia sob n. 23 :
Quaitel general do commando interino das
armas da provincia de S. Pedro d Sul, em Alegre;
le, 24 de junho de IS65.Dando conheciinento a
torga aqu em guarmgao de ao Io corpo de volun-
tarios da patria, coube a gloria de auxiliado por
lambriin havia mallo all morava. Os cadveres
desies iufelizes foram d.ixados na ra; e quaudo
a viuva do Jardim pedio |ie'misso para sepul-
tado, negaram-lh'a e atiraram os corpos ao l ru-
guay.
O chefe das torgas paraguyas deu ordem para
a Pelo Sr. rapilau lente
obsequiados com a fegoirta
tante experieacia feia hontem
Lima Campo f.m- s
exposigo da ir.tpor-
na ti ruleta de S.
um pequeo retorgo de 130 bravos da guarda na- saquear e roubar as propriedaJes de todas as
dades" do mefmo termo ja' se achavam cerca de
fa? da causa 1,0 0 praeas promptas para terera igual destino,
o sceplro "e Sania Catharina nao ha noticia do maior
interesse.
t L-se no Despertador de 26 :
No dia 22 chegou do Rio de Janeiro o vapor
Diligente, e no dia seguinte o luparuna com o ba-
talhao 23 de voluntarios da patria com destino
ao Itio Grande do Sul, e porque se achasse aquelle
des-
tamanha affronta,
trepitosameote.
itoie as 10 horas da manliiia o 18 corpo de nico pen>amenlo o vmgardes
voluntarios e urna rompanhia de guardas naciunaes e todos nos uf .narenos cada vez mais do Dno e ae-
deslilaram na praca principal desta capital em de nodo dos brasileiros.
ordem mareha. Po'ucodepois S. Exc. oSr. Cerquel-:. A rapidez das commumeagoes entre a
ra Le
de palacio
ciso.
bos.
Hontem tornou a embarcar e seguiram ara-
ramente cheia de tropa
discurso, e novos vivas
Exc. e diversas pessoas.
c Depuis seguio a segunda expedicao mineira procederis como irma
caminho da curte, levada ate meia legua fra cida- quando qualquer d
de, entre lagrimas e abragos dos que team cheios,
de saudades e pezarosos de que lagos fortes os
prendiam ao torran natal.
Todo esle batalhao, ou sua maioria, compoe-se
de homens do norte de Minas, valentes e enlhusias-
las ; sao os lilhos desses audazes garimpeiros que
nao conhecem perigos senao para arrostra-los.
Hao de honrar a nossa provincia, estou dbso
convencido, principalmente levados ao campo pe-
los distinelos efflciaes lente-coronel Amonm
Rangel e major Joo Pinlo Homero, que lao bem
tem sabido infundir-lhes-respeito, disciplina e
amor.
Xo dia 6 do mez prximo faro sua entrada
nessa corte esses 600 a 700 Mineiros. Deus os
acompanbe.
27 -
As noticias que vamos offerecer aos leilores
sao extrahidas de duas carias de Guibanos fide-
dignos, um delles o Sr. eominendador Henrimie
Jos Vieira, abajado commerciaote, e outra de
outro commerciante acreditado o Sr. Thomaz An-
tonio de Miranda Rodrigues; estas cartas, firmadas
Havia no Rio Grande tolhas de Montevideo at
16 do correte pelo vapor Galgv.
As noticias que em Montevideo havia da Re-
publica Argentina alcangam apenas at 14, e li-
nham all chegado a la, antes da sahida do Car-
Rio-Grandenses I Fallo-vos como pai que zela melque no-las trooie.
honra da f.roila brasilelra, estou certo de que No !>tglo de 16 o general Caraballo publica
o' qu se amara anda mais um arligo declarando-se inteiramenle convencido
m marcha. Poucodepois S. Exc. uSr. erquel- A rapidez das commumeagoes euuc a ^y.^,
,ete. acoinnanhado de muitas pessoas, desceu do imperio e a vossa provincia permute a mim e a
alacio a eavallo para a praga, que e>uva litte ineus genros, meus novos lilhos, presenciar vos-
ente cheia de tropa e povo. I'ronunciou-se um sos nobres Cellos,
ncui p nnvos vu-as foram levantados uor S. Rio-Grandenses! Fallo-vos como pai que zela
es soffre.
. Palacio do Rio-Grande, 16 de julho de 1865- defeegao das tropas entrerianas. Dizel le
D. Pboro II, Imperador Constitucional e defen- quell exercilo ha as divisoe> da Victoria
sor perpetuo do Brasil.- Angelo Urna da Silva guay, e mesmo parte da de Xogaya que
Brasileiro se pode escusar ao servico da guerra, e .. u-u.,i.<. 5 ,m.,,,^
jsta sobremodo justa para que ninguem se possa repblica gozando de ranqu.li.dade
aegar a' sua sustenUcao desastrosos acontec.menlos que se der
ncli
roda
perpetuo do Brasil. ngel'
Ftrraz.
Este importante documento fo enviado para
todos os pontos da provincia acompanhado pela se-
guinte circular :
Illm. Sr. envo V. S. a inclusa proclamagao
que S. M. o Imperador dirige aos Rio-Grandenses,
para que V. S Ihe d a maior publicidade.
As circunstancias sao to graves, que nenhum
Brasileiro se pode escusar ao servigo da guerra, e
e:"
negar a' sua suslentag;
t Sigamos o exemplo que nos da' o nosso
to monarcha ; nao hesitemos; reunidos era
delle marchemos a vngar a honra nacional.
t Para os que estiverem armados, o ponto de
reuniJo o campo onde se acharem reunidas as
torgas em operages sobre as fronteiras de S. Bor-
ja, L'ruguayana 'e Quaraim ; para os desarmados
S. Gabriel, para onde o Imperador vai seguir.
Eu espero que o meu amigo nesie momento
com a data de 18 de mato prximo passado, foram- dar' mais urna prova de patriotismo, reuoindo to-
nos franqueadas com autorisacao de publicarmos. da a gente que poder e pondose immediatamenie
as noticias neilas eootidas. em marcha para S. Gabriel ou Missoes.
D'z o Sr. Heurique : Varaos de mal a peior; c Cidade do Rio Grande do Sul, em I- ae jumo
os Paraguyaos, que inv..diram N'ioak e Miranda, de 1863.- De V. S., A. M. da SilcarViv.i:.
acabam de oceupar o ponto do Coxim os estafe- t Xo da 18, as 10 horas da manha.i embrca-
las, que seguiram com o correio a 23 do passado ram Suas Magestade e Alteza no S<
e a 3 do corrente, vuliaram de S. Lourengo receio
de que o general L'rquiza nao foi connivente na
Diz elle que na-
e Villa-
tem sido
constantemente um elemento desorganisador, ten-
do felto em 1838 e 1843 o mesmo que agora. Con-
clue manifestando a sua confhnga em Urqulza qne
deulro em pouco lera* outro exercilo em p, e cuja
espada ha de como em Caceros, pezar na balanca
dos successos, inclinando-se para o lado da civili-
sagao e da liberdade.
t Xa meMiia folha encontramos algumas noti-
cias da Solivia at 25 de maio, que do at|uella
depois dos
ram na cida-
de da Paz.
Tinha sido nomeado ministro da guerra o ge-
neral Pedro Olanet, e em virtude de um decreto
de amnystia haviam regressado a patria quasi to-
dos os emigrados polticos.
t Dizia-se que urna comp3nhia ingleza propu-
nha aogoverno canalisar o rio Madeira at onde
fosse possivel, e desse ponto construir urna estra-
da de ferro al ao porto de Arica.
t Espalhou-se urna noticia de haverem 300 in-
fantes bolivianos invadido a provincia argentina
de Jujuy. Averiguado o negocio nao linha sido
mais do que urna diligencia judicial requerida por
indio?, do que resullou um conflicto de autoridade
na fronteira.
As noticias recebidas de Goyaz alcanram a 21
cional do commando da Ia brigada da Ia divisao
ligeira, salur ao encontr da rorca paraguaya que
invadi esta provincia por S. Boija, no dia 10 do
corrente; e ainda mais de, nao obstante a desi-
gualdade de numero, por eompr-se esla torga de
8 a 10,000 homens das tres armas, tentar aegao
como nico meio de salvar das garras des?es bar-
baros a honra das familias all residente*, que des-
varabas percorriam as estradas pedindo soecorro :
nao posso deixar de fazer menguo hourosa do Sr.
coronel Joo Manoel Menna Barreto, que dirigi
a aegao, e mais urna prova deu nessa occasio de
bravura e valor, por que j coahecido cutre seus
companheiros de armas, e dos mais ofllclaes que
elle, especificou ua parte que dou-me ; e soosSrs.
tenenie-corooel da guarda nacional Jos Refreir
Goimaraes, majar da mesma Jos Fernandos de
Souza Doca e capito Francisco Jos Cardoso Tico,
pelos servicos prestados nao s antes como depois
do combate tenente Jos Joaquim Menna Barreto, taes Salvansch
pelo auxilio que prestou na retirada da torga ; ca-
pilaes Baymundo Jos de Souza do 1" batalhao de
infamara pela maneira por que durante lodo o
lempo da aegao auimou o corpo cura seu exemplo
e voz, Luiz Ribeiro de Souza Rezende, altores
ajudanle Joao Clemente Vieira Souto, Antonio
da Costa Guimares, e secretarlo Antonio Pau-
lo Pinto da Fontoura, pelo bem que se portaram
tendo o ultimo pedido como especial favor para to-
mar parle na accao, e assim compartilhar a sorie
de seus companheiros ; alferes Xuno de Mello
Vianna e Agoslinho Ribeiro da Fontoura, sargento
brigada Manoel Jos de Castro e particular i" sar-
geulo Joaquim Piulo de Assumpcao, por acharem-
se sempre na frente ao lado do Sr. coronel : tam-
bem digno de todo o louvor o Sr. alferes porta es-
pessoas que haviam fgido, ameagando aquellas
que oecultassem hens de ausentes com severo
castigo para o qual o Paroguay, disse Estii/arrbia,
nao gastava balas, enipregando a faca e a
langa.
- i Assim toi saqueada e roubada a casa lo subdi-
to francez Lacroix, da qual arrearan) a bandeira
franceza, fazendo-a em pedagos.
Do mesmo modo foram furlados de casa do
Sr. Lergi todos os objectos que alli-existiain per-
tencentes a ouiro subdito fiancez chamado Croir.
A igreja foi completamente despojada.
Todos os objectos de algum valor que se en-
contrara sao declarados propriedade do estado e
reraelldos para o Paraguay. As cousas de pouco
valor sao para os soldados, d) que resalla estar o
acampamento cheio de relogios, espedios e ouiras
alfaias.
Cun esla columna paragunya vem os rien-
Zipitra.
t Do combate do coronel Fernandos com torgas
paraguayas, a 20 do passado, chegaram a Itaqoi
106 feriaos, ten Jo alm desles morrido 120.
Us Paraguayos trazem 20 chalanas desarma-
das.
Dizem que tem ordem de marchar at toma-
ren) a povo gao do Salto.
No da 10 appareeea-lhes na vanguarda o co-
ronel Fernandos (Brasileiro) cora dous rail e Un-
tos homens.
O general Canavarro com urna torga de 8:000
homens defenda os passos do Ibicuhy, de sorte
que estao reunidos 10:000 Brasileiros para coule-
rein a invasao por aquelle lado.
A columna que invade pela margem argeuti-
ni compoe-se de 3:000 homens com qualro pegas
tandarte Paulino Gomes Jardim por ter provado de arlilharia. Xo dia II achava-se em Guaviravy,
ser olcial distinelo eda coragem nao vulgar; mu- um pouco mais a'quem da Cruz, chegando as avau
sico Manoel Vieira Passos, pelo valor o sangue fri gadas at a > arroto Tun^ana.
sos de seren aprisionados; s nos resta o correio
que segu por essa cidade (dyaz); lemos ao lodo
3,000 homens para detosa ; porm nao temos um
oicial superior, que possa dirigir cousa algnma.
Ha pouco seguio urna torga nossa de 21 i ho-
Porto Atogre/tendo sahido a p do pago imperial do passado.
acompanhads dos Srs. ministro da guerra, viscon- Havia sido mellada no da 1 de junoo a
de da Boa Vista, marquez de Caxias, general Ca- semidea provincia
bral e mais pessoas do seu squito, e de immenso
cortejo de povo. iOs navios surtos no porlo emban-
delraram, e o povo em massa conservou-se na ra
mens, soVo"commando do ca'pilao Anlonio Maria ] da Boa-Vista at que o Santa Murta levantou ferro
Colbo, para ocenpar a passagem do rio S. Lou-.j e iegolo viagem.
renco, afim de os atrapalhar, se com effeilo tenia- Antes de parlir mandou Sua Magestade. enire-
rem sobre esla capital como recelamos. Estamos gar ao vigario da fregnezia, padre Damasio de Mat-
limilados aos nossos recursos. los, 500$ rs. para distribuir pela pobreza indigente,
t O sr. Miranda Rodrigues diz em sua carta : i e crdenou mais que se passasse carta de liberdade
t Causou-nos um pouco de descontentamento o (a urna africana que servia na Santa Casa, tendo
sabermos que o batalhao que de l vem nao havia ames comprado por 1:6005 a liben
sahido a 8 do abril, como cunta vamos
E' assim mesmo ludo uo nosso paiz I Quanto
mais pressa, quanto maior preciso, maior morosi-
dade em satis.'azer I Tivemos noticia que em o mez
passado ainda se compravam, ou se tralava de
comprar cavados para a (brea que tem de vir de S.
Paulo Entretanto a secca j entrou, e os panla-
naes pe impedan) a vinda dos Paraguayos estao
seceos, e contamos com elles a cada hora na capi-
tal ; e nao teremos outro remedio se nao resistir;
com pouco mais de 2,000 homens que temos, a urna I
torga de 6 a 8,000, que, como elles promelteram, \
tem de vir Emquanto os nossos irmaos de Minas,
S. Paulo, Paran e Goyaz, que lem ordem desde
dezemb.o para nos socc'orrer e ajudar eslo se pre-
parando .'
As ultimas noticias que temos do inimigo,sao;
que urna columna de grande numero est de. posse
Uo Coxim com deslino, segundo uns, a esta capital,
e segundo OOtros, com o fin do cortar nossas rela-
goes com as outras provincias e c m a corle.
Ha presentemente j algum receto no povo
que sejamos de novo invadidos pilos Paraguayo-,
avista das ultimas noticias que lemos recebido de-
pois das que Ovemos do Rio de Janeiro de ter a
cidade de Montevideo se rendido. Xa occasio em
que recebemos essa agradavel noticia (aqu muito
festejada) sjubemos da approximaco de novas
torgas paraguayas pelo baixo das frouleiras, esem
duvida csas torgas, bem como a que est no Co-
xim, lem de nos hosiilisar em breve. E' sob a im-
pressao tal que Ihe escrevo esta, deplorando que
anda nao nos servissera desta vez os nossos com-
provincianos O meu general e o meu exercilo
o Senhor Bom Jess, em quem espero, e de quem
cont as providencias.
Eis as noiicias transcriptas das duas cartas
que mencionarnos. E' para lastimar que aquella
provincia esleja ainda privada das torgas auxilia-
res que tem de coadjuvar os briosos Cuiabauos na
lula de honra em que njs adiamos empeohados :
o batalhao de Goyaz, reforgado com urna luzida
pardinha quasi branca que Ih'a fra solicitar.
O Sonfa Ifai-ja chegou a' capital da provincia
no da 19 a's 10 horas da mauhaa.
lendo nessa occasio o seu re
latorio o presidente da provincia.
t A mesa ficra composta dos seguintes Srs. :
t Presidente, brigadeiro reformado Felippe An-
tonio Cardoso.
Vice-presderite, tenente-coronel Ildefonso Lu-
dovico de Almeida.
Io secretario, Pacifico Antonio Xavier de Bar-
ros.
2% Urbano Marques Lopes Pogaca.
Para felicitar a Sua Magestade o Imperador
pelo feliz consorcio das serenissimas princezas, no-
mera a assembla urna commisso composta dos
Srs. senadores Francisco Jos Furtado, D. Manoel
de Assis Mascarenhas, Jos Ignacio Silveira da
com que se porlou c.ab ndo o mais nobre feto ao
furriel Luiz Antonio de Vargas que atravessou com
o sabre-baiouela a um offlcial paraguayo, no mo-
mento em que se diriga para apossar-se da bandei-
ra do corpo, por cojo heroNmo foi immediatamen-
te elevado ao posto de Io sargento por disiincco ;
torna-se finalmente digno de toda a consideragao o
2" cirurgio do corpo de saude do exercilo r.Joo
Ignacio Boledio de Magalhes, por ter assistido
bravameule a lodo o combale, al qne se tornaram
Iminen-a mull lao cobria tolo o
caes do lito- Molla, deputados Anlr Augusto de Padua Fleury
e Theodoro Rodrigues de Moraes.
A' capital haviam chegado do municipio de
Santa Luzia, remedidos pelo Pr. te.nente-coronel
Manoel Jos da Costa Meirlles, 23 voluntarios,
sendo 22 daquelle municipio e um do de Formosa,
sobrioho do Sr. brigadeiro Felippe Anlonio Car-
doso.
O Sr. Dr. Joao Augusto de Padua Fleury as-
samira a jurisdiegao da vara de juiz d- direito da
capital.
As cmaras municipaes da provincia continua-
vam a dirigir proclamacSes aos seus municipes,
convidalido-os a seguir como voluntarios em defe-
za do terrorio nacional invadido pelas hordas pa-
ral, desde a praga da Harmona at ao trapiche da
alfandega, onde' esperavam por S. M. todas as cor-
poracoes civis e militares.
t Anda o escaler nao havia atracado, dizem as
tolhas de Porlo Alegre, e ja' o brado enlhusiasta
de viva o Imperador eehoava unnime e es-
pontaneo em toda a imltidio, como urna s voz.
Junto a' escada do desembarque, na pequea
sala das capalazias, eslava simado um ligeiro al-
tar, do qnal o bispo d ocesano lomou o Santo Le-
nho, que deu a beijar a S. M. o Imperador, pronun-
ciando o seguinte discurso :
t Consideramos, Senhor, a vinda de V. M Impe-
rial a esta provincia como o mais evidente sinnal
de proteceo de Deus sobre ella. Damos Infinitas raguaya:-.
gracas a'Divina Providencia por esse grande^ bem ,
que se dignou oulorgar ao Ro Grande do Sul, tra- O commandanle do exercilo paraguayo que in-
zendo-lhe as criticas circumslancius em que se vadio esla provincia, e que anda devasta a sua
acham o seu angnsto e adorado monarcha, cuja fronteira. segundo urna caria que temos a vista.
presenea basttra" para fazer reapparecer o brilho o general napolitano Bosco, que. servio aogoverno
aesta ped.-a preciosissima do seu imperial diadema, de Francisco II, e que lanto irabalho deu a Gan-
um momento mareado peto hlito impuro de um baldi no cerco de Gaeta.
inimigo iraigoero e feroz. Viaja em mnibus por estar paralylico da per-
' Os pedos dos briosos Rio-grandenses encher- na esquerda, motivo que o impossibilila de montar
se-ho de nm ardor aindamis generoso, acalen- a cavado.
lados pelo paternal e patritico corago de V. M. -9
Imperial, junto ao qual encoutrarao estmulos para Temos as seguintes noticias do Rio Grande do
raaiores aeges de valor. Sul:
O bispo do Rio Grande do Sul, reverente e de- c Fra nomeado commandante da guarnigo do
dicado subdilo de V. M. Imperial, por si, pelo seu; Jaguaro, com a commisso de major, o capito
clero, e por todos os seus diocesanos, sada, Se-' reformado de artilharia Jos Mara Palmeiro, o
nhor, a V. M, Imperial e se congratula por ver o qual devia parlir no dia 23 com artilhara e muni-
augustoeamado Imperador pisando esta Ierra Bel,'{des. O Io lente do estado-maior Antonio Telles
lidia prezada do Brasil, e poreao muito preciosa da. de Frenas Mascarenhas, encarregado das obras de
igreja de Deus. forlicago, j para all linha seguid?.
a A cmara municipal sustenlava as va-as do Para commandar a guarnigo de Pelotas fra
palio que devia receber S. Magestade. nomeado o coronel Joaquim de Si Araujo, e ao
O presidente da municipalidade, como legit- mesmo b'mpo encarregado pelo Sr. ministro da
A frente desta torga acha-se o major Pedro
Duarte, vindo tmbem o coronel oriental Zacaras
Orego.
O coronel argentino Paiva estava sempre de
observaeao a esla columna.
i Taes sao os iute.-essautes pormenores que re-
cebemos.
E' opinio da pessoa que no los commumea
que as columnas paraguayas eslo completamente
perdidas apeuas se inicien) operages serias con-
necessarios os seus servicos profissiuuaes, que para ira ella-, cousa que se elevar a effeito deatro em
pjder prstalos arvorou m hospital de sangue no pouco.
ceutro da vida. Temos com ludo de lamentar a \ \"> ouviara-se sobre o Ibicuhy descargas de
perda de oito desses bravos, que tinto abandona- espingar.lana que suppualnin serem as torgas do
ram para acudir ao reclamo da patria oftondida general Cavarro.
em sua dignidade, e de vinte do 22 corpo proviso-, ... Da Concordia temos noticias at 18. Xaquel-
rio e 3o batalhao de infamara de guardas naci- le mesmo da devia marchar o general Fl-es com
naes; sendo a perda do inimigo calculada em mais! a sua gente e mais dous batalhes argentinos e
de cem. i outros lanos (alguns dizem ciuco) brasileiros, pa-
O mesmo general dorigio aos Rio Grandenses ra urna operagfu concertada com o general Pan-
esla proclamagao : i n-.ro. Momentos antes linha Flores recebad" of-
Rio-Grandenses I A nossa bella provincia, finios do geoeral Suarez datados de Punas de
acaba de testemunhar omais escandaloso aconte Queguay annunciando Ihe que vinha cora 1,200
cimento de que lemos noticia I 1
Ui.i exercilo das tres armas, ou autos urna
horda de salteadores, comega a queimar as uossas
casas e a roubar os nossos interesses 1
horaens, e o geueral Xetto tamben) Ihe comrauni-
cara que estava em Salsipuedis reanindo gente.
A marcha do general Plores duia-se ter si Jo
resolvlda em conselhodos geaerae-, a que assisti-
Castigar, poi>, a esses bandidos, que nos rou- -ra tambem o nosso almirante visconde de Taman-
bam e que assustam as uossas familias, o que nos dar, cuja esquadrilha do Uruguay, tendo ja prm-
cumpre fazer "ja I sipiado a subir, fra detida pela sbita baixa das
Para esse dever glorioso e de honra que vos aguas daquelle rio.
chama s armas o vosso velho general, esperando O exercito brasileiro jnudou o sea acampa-
que sem demora se agrupen) todos a seu lado, pa- ment do Yuquery, onde apenas licava anda o
ra levar o castigo a essee selvagens, i|ue profanan) corpo de engenheiros, .-ara o norte do arroio Agu
commos de sicarios oslo querido de uossa le ral Coico, atravessando a ConcorJia e passa ndo em
Viva S. M o Imperador I dous das o Yuquery pororaa poni Improvixad
Viva a Xaco Brasileira I sobre birquialios. Faziam-se grandes elogios ao
Commando inleriuo das armas da provincia hnlho e bizarra do nosso exercilo, e ao aspecto do
de S. Pedro do Rio Grande do Sul. Quartel gene- seu poderoso irem de guerra,
ral em Algrete, 30 dejunhu do 1805.-Joo Fre- j Atora alguns retorgos de Buenos-Ayres, don
derico CalJwell, teneiiiegwrcral graduado. de tinha vindo tambem o mm.stro da guerra, che-
Segundo o Commerciut,o lenenle-general Jos,gara o contingente de Santa F a Concordia, onde
Fernandos dos Santos Pereira, ciiegado de Porlo-' era esperad) o general Urquiza. que se dizia ter
Alegre uo vapor Sanfa Marta, estava nomeado ja* tornado a reuuir 4,900 homens, nao restando
commandante da guarnigo e fronteira do Rio- duvida que elle brevemente tena outra vez em p
Grande; e encarregado nao s de fortificar e guar-1 um numeroso exercito entrerano.
necer as inncheiras das cidade,com de enlnuctiei- Este general escreveu com data de S. Jos,
rar a de Jaguaro. : 14 de julho, ao presidente Mitre:
t L-se em urna tolda de Porto-Alegre : Devia eu rogressar aqu uara tomar as medi-
c O commandanle do exercito paraguayo que:das convenientes com que evilasse toJo equalquer
invadi esta provincia e que ainda devasta sua 1 transtorno na provincia, e preparas-e a reoniao e
fronteira, segundo a carta que temos vista, o orgaoisago do exercito para quando fosse nejes-
general napolitano Bosco, que servio ao governo de garlo, como elTectivameute ti/., seodo-mo grato as-
Francisco II, e que tanto irabalho deu a Garibaldi; segurar a V. Ex. com oda a confianea que os po-
no cerco de Gaeta. derosos elementos desta provincia nao fallaro a
t Viaja em mnibus por estar paralytico da per-j detoza do territorio .aggredido e a vinganga da
na esquerda, motivo que o impossibilita de montar honra nacional. Fique V. Exc. disto peffeitamen.
compauhia de voluntarios da patria, tendo marcha- mo orgo da populago da capital, leu o seguinte' guerra de organisar um corpo provisorio,
do daqui ha mais de um mez, ja deve estar fren-; discurso : Para director do hospital militar de Porto-A to-
te do inimigo as mmediago-s do Cuxim : e se al A cmara municipal da leal evalorosa cidade gre eslava designado o tenente-coronel Sebastiao
torga que consta ter marchado de S. Pauto e Mi-! de Porlo Alegre, possuida do mais vivo enlhusias- Barreto Pereira Pinto, tendo a nomeago do pri-
nas, tendo a sua frente o sr. Drago, presidente e' mo e reconhecimento, felicita a V. M. Imperial pe- meiro raedieo o Dr. Luiz da Silva Flores.
la resolugo patritica e proprla do magnnimo co
ragao de'V. M. Imperial, de vir assistir de perto as
a cavado.
t Enlre os morios que ficaram no campo da bala-
Iha.por occasio do combale em que o coronel Fer-
nandes destrogou avaogarda inimiga.encontraram-
secriangas de l|aonos ialvez;e velhos queja nao li-
nham sequer um cabello preto
Com taes expedientes nao admira que o Para-
guay lenha conseguido armar tantos railharesde
homens.
t L-se no MmasGeraes de 19 e 22 do cor-
rente :
Consta-nos que fra preso pelo delegado de
pol
env
le seguro.
Os batalhes de infanlaria que V. Exc. man
dou organisar estavam proraplos em mui poucos
dias na Cooceicao do Uruguay. O corpo de arli-
lharia completa activamente j sua organisaco e
disciplina na mesma cidade.
i Mitre remeiteu os offleios de L'rquiza ao go-
verno interino de Boenos-Ayres, e raspen leu ao
general que eslava errto que este nao tardara a
oceupar no exercito argentino o posto que Ihe &-
lava desuado.
Coulava-se com mais 4,000 homens que for-
icia da cidade da Formiga um Paraguayo, que neceria a provincia de Buenos-Ayres, e de Moule-
'ado pelo seu governo viera a esta provincia, video j linha partido o batalhao de voluntarios de
commandante das armas da provincia de Malo-
Grosso, ja liver feito junego com os nossos intr-
pidos soldados, nao hesitaremos em affiangar o des-
trogo dos Paraguayos, invasores do Coxim.
O nosso vicepresidente empregra os maiores
esforgos em fazer apromptar quanto era indispen-
savel para a marcha do batalhao ; enconlrou df-
culdades quasi insuperaveis ; sem aponlar mui-
tas outras basta-nos referir a falta de armamento
(o enviado da corte em outubro ainda aqu nao
chegou), sendo necessario mandar remontar as ar-
mas depositadas no armazem dos ariigos bellicos,
ja como iouleis e inserviveis. Tomando posse da
administraco da provincia o Sr. Perreira Franga,
a 20 de abril ultimo, cootinuou com os preparati-
vos, e conseguio que o batalhao se pozesse de mar-
cha a 13 de maio ultimo. A aegao do vicepresi-
dente e du actual presidente nao poda ser desen-
volvida com maior energa ; se houve inaego,
morosidade. ou deleixo imptese a outras autori-
dades, e nao a de Goyaz. Por estes dias segu o
esquilro de cavalUria, sob o commando de capi-
to Eiizeu Xavier Leal, a reunir-se ao batalhao de
cagadores.
< O tenente da guarda nacional Beraldo Jos de
Araujo, enviado pelo vice-presidente com algumas
pragas para collocar-se as immediagoes do Coxim,
em observago dos movimentos do inimigo, fez
prender um Paraguayo de noroe Manoel Martins,
que se achava na tazenda da Babilonia, distante do
Coxim 60 leguas : remetteu-o para esla capital,
aonde chegou a 18 do corrente ; desconfia-se ser
este individuo algum espa do inimigo ; elle, po-
rm, diz ser de Corrientes, e que trabalhava como
carpinleiro para o Lopes no arsenal de guerra por
S aonos sem receber um real por coma do seu sa-
lario, sendo apenas supprido cora o alimento e ves-
tuario ; esta' entregue policia para ser interroga-
do ; taivez confosse a verJade. A escolta conduc-
tora deste Paraguayo d noticia de haver encontra-
do o nosso batalhao approximando-se fazenda de
Lzaro Borges, mais de 70 leguas em distancia
desta capital.
como espiao, ver qual o movimento das nossas D. Caudido Bustamante, e as torgas da campanha
torgas. i as ordens do general Borges ticavam a embarcar
c Achavase hospedado em um hotel naquella no vapor brasileiro Presidente.
cidade cora umjoalheiro ; este o denunciara a po- i o general Caraballo foi nomeado comman-
licia, que inmediatamente effectaou a priso, e dante da guarnigo de Montevideo e seu departa-
procedeu ao interrogatorio do mesmo, que confes- ment.
,_ L seno Diario de 19: lsou ser engenheiro do Paraguay e que a sua mis- Ascasubi tinha sido commissionad< pelo go-
f S. Exc. o Sr. ministro da guerra expedio or-'so era a espionagem. verno argentino para contratar mil soldados ua
operages do exercito que tem de desalojar'no solo [ dem para que marchasse o corpo provisorio 16 do i i Consta-nos mais que ser brevemente o illus- Europa.
da patria o invasor estrangein. commando do Sr. major Antonio Rodrigues do tre hospede remedido para esta capital. a allianga esteve por triza licar som cabega,
Esla corporago registrara' em seus annaes! Nascimento, que esta' em Santa Viclorajque tos-, Hontem 18 presenciamos a partida da 2" ex- dizem as tolhas de Montevideo, isto o, o general
como um da faustoso aquelle em que V. M. Impe-
rial pela segunda vez appareco entre nos, como
nuncio de um brilhante futuro de paz e prosperi-
dades ; o convicta de que com a chegada de V. M.
Imperial a esta provincia as nuvens negras que es-
curecem os horisontes da patria se dissiparo, como
por encanto, e as hordas selvagens que a assolam
fugiro espavoridas.
t A cmara municipal, fiel interprete de seus
municipes, faz os mais ardentes votos pela conser-
vago de V. M. Imperial e de sua augusta familia.
t Viva S. M.-o Imperador o Sr. D. Pedro II I
t Viva a familia imperial !
c Viva a nago brasileira 1
Viva o exercito e armada do imperio I >
S. Magestade se dignou responder :
Muito grao me receber as felicitages da
cmara municipal da leal e valorosa cidade de
Porto Alegre.
O magnnimo monarcha mal podia avangar
por entre a onda de povo, que possuido de enthu-
siasmo febril, nao cessava de viciorialo.
Foi um dia de verdadeiro jubilo.
Seguio todo cortejo pela praga da alfandega,
subindo a ra do Ouvidor, em direcgo a calhedral,
onde Sna Magestade devia asststir ao Te-Deum
que mandava entoar a cmara municipal, em
signal de regozijo por lio memoravel aconteci-
menlo.
t Sua Magestade recusou urbanamente esta de-
moostraco, pedindo que a guardassem para quan-
do elle regressasse da campanha.
* Tambem nao aceitn a residencia que Ihe es-
tava preparada no palacete da Sra. baroneza de
Gravatahy, e pretorio hospedarse no proprio pa-
lacio da pre-idencia, onde tambera se achara os
Sr*. conselheiro Ferraz, ministro da guerra,
se chamado a" destacamento todo o batalhao e sec-1 pedigo minera. Mitre por pouco nao foi na dncordia victima de
gao da guarda nacional desla cidade, e bem assim A's 10 horas da manhaa formaram-se em co am desastre Ao dobrar a esquina de urna ra,
lodos os corpos de cavallaria desle municipio e de lumna cerrada na praca principal o 18 batalhao (0 cavado espaniouse-lhe esbarrando cora muitas
S. Jos do Norte, ele. : de volunlaros com 306 pragas e urna compauhia carretas que all esla vam, envolveuse as cordas,
Em virtude da ordem cima o Sr. coronel com- de guardas nacionaes com 78, sob o commando do e a ns0 ter>m estas sido rpidamente corladas pe-
mandante superior Thomaz Jos de Campos deter- tenente-coronel Antonio Mariins de Amorim Ran- |a fara do um gaucho, taivez houvesse sido tragi-
rainou qne hoje a's 4 horas da tarde aquartellasse gel ; llcando ainda doeoles 72 pragas do corpo.
loda a guarda nacional desta cidade, e consta que Logo depois S. Exc. o Sr. presidente da pro-
ordens para o Eslreito, Tahim e; vinca, acompanhado do seu secretario, ajudanle
ja dera iguaes ordens para o Estrello, Tahim e
Sania Victoria. de ordens e outras pessoas, percorreu as lileiras
. Para commandante da fronteira de Chuy foi, desses bravos, em cojos semblante lia-se o jubilo
nomeado o Sr. tenente-coronel Seraphim Ignacio ; e enthusiasmo pela nobre causa que vao susteniar
dos Anjos, e para commandanle da guarnigo da no campo da honra.
freguezia de Sania Victoria foi nomeado o Sr. te- O Sr. Penido Jnior pronunciou um discurso
nente Raymundo Rodrigues Vasques Jnior. vehemente, terminando com vivas que foram phre-
a A mesma folha da' a seguinte noticia: Hticamente correspondidos.
O vapor Jaguaribe entrou hotem de Santa Ca-: Pouco depois a torga deslilou pelas ras mais
tharina, trazendo 236 pragas (ala direlta) do 30 publicas desta capital e l seguio caminho da cor-
corpo de voluntarios da patria (2o de Pernamhuco) te, indo pousar ao campo da Alegra, a tres leguas
e mais 54 ditas docorpo 19." de distancia.
t Destas pragas apenas desembarcaram algumas,' Deus os acompanhe, e nosso ma)s ardente de-
alm da offlcialidade, por ter o vapor seguido pa- sejo velos regressar ao seio de suas familias co-
ra Porto-Alegre tres horas depois de sua chegada. bertos do glorias.
c O corpo 30 de voluntario de Pernambuco Jaguar, 22 de junho de 1853.Emito) depois
um bizarro batalhao. Coma no numero de sua brio- de bastante irabalho e tempo lancei hontem a mi-
sa offlcialidade tres hachareis; e a sua bandeira, nha barca de torro n'agua, e brev^ella chegir ahi
toda bordada a ouro e com pedras preciosas, prima por Sabara. Para o Rio das Velhas realmente
pelo costo e riqueza. urna obra importante : ella tem 132 palmos de
t Acompanha a esle hatalh) urna familia com- comprmento, 27 de largura, 3 J/2 de pontal, e o
posta de quatro senheras, mai e tres filbas, cujo seu calado, vasia, de l pollegadas. Por cada um
chefe um Sr. major, que se offereceram para ser- palmo que elle entra n'agua pode carregar duas
vir de enfermeiras, trazendo por isso ao peito, do rail arrobas.
lado esquerdo, urna medalha eom o dstico-pono- Do Sabara jscrevem-nos o seguinte :
titmo e earidade. E' muita dedicago e sacrificio. Dndose nesta cidade um facto que me pare-
eus haja de guia-las e proteg-las. ce digno de publicidade, communicou-o a V. para,
A offlcialidade deste corpo apezar da pouca se assim o julgar, o inserir em seu peridico. Dous
demora que teve nesta cidade, toi obsequiada por individuos _(borrachos velhos) apostaram r
Urna brigada de infanlaria sob o commando | alguns Pernamiiueanos residenles enlre d. maior dose de piojentas comera e de resillo be-
__________________________________> K__
co o desfecho.
O vapor brasileiro Uniao descendo o Uruguay
ajudou a safar o vapor de guerra argentino Her-
cules, que tinha encalhado levando a reboque urna
escuna com tropa.
. Xo Paran' devia a nossa equadra, segundo
communicagoes do chefe Barroso, diz a Tribuno,
descer at ao Rincn de Soto, que flea entre Boya
e o Rio Santa Luzia. O constante decrescimenD
das aguas do Paran e o faci de oceupar o ini
migo alguns posios abaixo do lugar emque eslava
a esquadra aconselharam esse passo.
< Os Paraguayos tinbam asseslado os canhoes
tirados da infeliz iequtlinhonlia na sua batera de
Riachuelo, debaixo de cujos fogos tinham elles
obrigado seis vapores que procuravam safar tam-
bem o casco daquelle navio, e ainda oulras em-
barcages reuniram-se no porto de Corrientes,
ameagando tentar fortuna contra a nossa esqua-
dra, que esta' prompla a dar-lhes segunda ligo
taivez anda mais severa.
t Diz se outra vei que Lpez esla' na cidade de
Corrientes, tendo Irazido comsigo dous batalhes
compostos de filos das principaes familias do
paiz.
Segundo as ultimas noticias, as respectivas
posices eram estas : Paunero com um corpo do
exercito sobre o rio Corrientes urnas 12 leguas ao
sul de Goya; Xicanor Caceres com Hornos mais
ao norte observando os Paraguayos. Estes sob o
commando de Robles no Empedrado em numero
Joo, por ordem do governo.
c Para punir um inim'go que nao li-me, mm
que precisa esmagar, o paiz despewle nei- -
ment gro--as sommas com armamenu.-, qu- toi m
a guerra impulso vigoroso, e ao nosso dcaggraTo
silicio condigna e prompla.
Me.le proposito, o arsenal de marinha da or-
le cmplela os ltimos aprestos de dous il na-
vios da divisao enrouragada, desiinada a rteiix-l
do Humana, e a abrir passagem para a As-o-.i
as nossas torgas navaes.
c Quando a artilharia e a conraga ainda se dis-
putara a primazia de ultonder para resistir, de re-
sistir para oftonder, urga s^bmellfr a prova s
elementos que nreparamoa, pquetaopod le devem influir na estrategia e nos tenia mens da
uta actual.
A administragao, que mareha a frento do pa-
triotismo nacional, e que com miel Opete rtiitl-
de ludo providencia e atiende, ordenon '"te-
nencias que hontem tiveram lugar na tortatoa **
S. Joo, com assistencia do Enn. ministro da nu-
linlia, do eucarregado du quartel -general. i-^er-
tor do arsenal, commandante da fortaleza de Vd-
legaignon, Dr. Capanema, offlciaes de di- r-as gra-
duages da armada, alomos do i' ano- da eri>la
de liiarinha, constructor dos encoararadus, e esta-
do-maior de s. Juo.
O as-umpto por sua importancia, nao pod; ser
tratado romo eoavai em artigo de ve*pera, e apea
a codela de dado, embra pooro, mi preri>~ s
que reclaman) medilagSo, providencias e aren ,
cuja execupgo dei-idem da glora.e da honra r.*e
paiz oradlspan p-ia arma*.
t Eulreanto, como ba*e para \n desenvolvi-
menl'is, que mais larde tfferecerem". ;ui rn-
sigiiamos o i|ue concerne a experiencia toiu nfe,
cujo- resultad s sao para nos os mai- <:ii-f
rios.
Duas pega, urna de alma lisa de r ilibre M.
outra de alma raiada de Wbiiworili de calibr* 'O.
foram coi locadas em condicoe* de fooeeionarea
convenientemente.
c A' distancia de 150 bragas eslava o alvo, -iji
base tinha $ ps enterrados, e era comprimid i am
da mais por duas grossas viga, qoe reve>iiani a
superficie dojazigo a' boca delle.
a Grossos esteios collocados, por detraz, na par-
te externa, detondlam a posigo vertical c mra o
choque das balas.
lte|iresenlava o alvo urna parte do ra*ci da
Tuiviiitlar.
O cjvernaine constava de vigas das njanaM na1*
solidas madeira, perfeitamenle cavilh 111 Mfaia>-
talmente, formando um massigo de 6 ns 'to altura
cima do terreno, de 8 ps de largura e dV9 rele-
gadas de espessura.
Na face anterior deste eavername .-tavam
adaptados pranchde. de 9 plegadas de
que representara o ciniado exterior do navio, e na
parle posterior do menv> ravername e-r.-.v
igualmente (assentados pranches de 6 polefada*
de i'sjiessura, que represeotim os dorm-ir. -, i-t
, o forro interior do navio, atracadas a- doa. to
ees piir fortes cavilhas.
U costado de madejra, porianl, apresectava
urna espessura de 24 poilegadas.
i Sobre c dolado estava adaptada a coa-sea,
consienta de ires pranches d i;:, ruluxados
smg-la e hnrhtontarmeate, de tpategadaM 11
snra c de 2 p de altara cada nana, a. re*enttadr>
para a boca di peeM urna superficie fe H j.rj
quadrados, adsirii'la a ruuraga aorintadodV ma-
deira por cavbas de ferro, de cabega r-ranadi
na couraga e bal na face posterior d a;.
ra-io de porcas.
As duas chapas da couraga, a do alto e a de
oaixo, foram fabricadas no nos.-o ar-enal m a di-
receo d i eogenheiro Uraconot; a d > jale en da
fabrica de Mersey-Sleei and \rm Work, ern Li-
verpool.
f'Coniecaraa os tiros, sen Jo a distancia a ja re-
ferida de 1-30 bragas ; a pres-o a:iiK>pneiHa d
0,732 .milmetro--'; a temperatura de 27gra.>s cea-
tl^rados; vento E. brando, fazendo um analo de
30 graos com o eixo do pnjeciil ; a earg do ca-
nii; do alma lisa de calibre 08, de M n lris de
plvora: a carga di c.iuho de alma raanla de
Wliithworth de calire 70, de 10 libras d
ra os projectis de puncodo canhio raiad>, cos
0 de ac ; os projeciis do canho de 68 escb-k-o.
massieos e de ferro; os valos dos atajante ana
regra."
Ctm etas cargas, e as roudige .a; -'i
depois de poneos tiros para ajena* os ngulo- de
projergio, 7 balas expedidas por liros snn-e>sraaa
cbocaram o alvo ; 1 indas dando na eaaraeai e -'<
na base de madeira do alvo nao encouragjda.
t As balas, tanto de cauhao dealmaii>. :r.
do raiado, que deram na base de madeira. aira-
1 .-< iram-a e sumiram se pela Ierra qoe flia do
ouiro lado do alvo ; as balas tanlo do ranhi raia-
do de 70, como do canho de alma lisa de iW qce
chocaran! a couraga, nenhuma airavessoa neta fo>
rou as chapas !
Pizeram se pequeas depresses, e rihiram
em pedagos junto da bae do alvo.
As depressdea produzidas pelas balas raiadtos
foram maiores que as produzdas pela bala rsphe-
rica, mas urnas e oulras insigniliemte.
t Consul-rando que a agua nao offerece resis-
teneia dos estelos, fcil comprehender qne as
nossas couragas eio a prova de bala de 1) d;
Whitworth, e de 68 de alma lisa, mesmo na -arta
distancia de 130 bragas.
-31-
Recebemos datas de S. Panto at 28 do cr-
reme :
No da 18 tomara posse da administraca pro-
vincial o Sr. coronel Joaquim Flonanno de Toledo,
sexto vice-presidente.
t A 2i reunira-se o collegio da capital para a
eleigo de um deputado a' assembla geral.
O Sr. conselheiro Paula Souza obteve 31 votos
c 10 o Sr. baro de liapelininga.
f o mesmo dia 2t parti da capital o stimo
batalhao de voluntarios da patria qne em torca de
002 pragas vai unir-se a' columna du coronel
Drago.
t O Coireio Paulistano publica as doa segua-
les cartas, escriptas de Sania Anna de Paran y ba-
a, em que se retorem atlentadus commein lo- pe-
los paraguayos, qoando entraran no Coxim.
Illm. Sr. capito Domingos Jos Lopes Rodri-
gues.Sinta Amia, 16 de junho de 1863 F.-iima
dissimo compadre e amigo. Confirmo a minha
transada, qoe foi pelo correio, e digo-lhe mais
que lego que passe por aqui o presidedie a qu
ha muito esperamos, para la' voo, qoereodo
e se acaso eu vir que demorase muito, nao o <
pero.
< No dia 10 do mea qne nos rege ebegon a i
villa Joaquim Alves Correa, juiz municipal da villa
de Miranda, que foi prisioneiro dos malditos pira-
guayos, porm esrapou felizmente.
c Esle senhor foi prisioneiro na vinda dos para-
guayos ao Coxim, onde commetteram mum-si no>
roubos e latrocinios, assassinaram a' langa doas
indias e deixaram-as em pedagos, arrasuodoas
entranhas pelas langas, tambem o Dzeran coea aa
corpos pelos campos; amarraran) um camarada
do mesmo Correa pelas mos pemloraado-o eea
urna arvore, amarrando os ps sobre ea i
mesma, e dous malvados comegaram bar
a agoula-lo cora lagos dobrados, al qoe o de.xa-
ram todo em chagas e quasi sem pelie ao corpo ;
este desgragado pedia por ludo quanto ka de sa-
grado que o deixassem, e desesperado de soa vida
pedio al pelo nome do mesmo tyranno Lpez seta
assim mesmo ser attendido, depois de estar j atan
falla, o desataran) e o atiraram sobre o soto.
< Tendo assolado o Coxim e redolido Mo a
clnzas, deixaram os habitantes qne ludo aa extra-
viaran) desgragados e acabaran) com todb
era meu, deixando minha fazenda ea Ierran.'
H


Diario 4e 4fa%ft!*lk'to *aW>ado 19 4c Agostte JLS**.
9

Unt Sr. C/irMtaaes me o** qe ""fv m
amigo que man Je inserir tanto oo Gomia Paulis-
tao como m Joma do Commerao essa invjflo
dos paraguayo; no Coxim, 6 por isso reraetto esses
papis para V. S. me fater o favor mandar inserir
nos referidos joroaes. "
t Sju de V. S. compadre e amieo mnito lAinga-
do e servo artim Gabriel de Mello Tatues. i
A 24 de abril do correnle aono, pelas 6 horas,
oe fcSa KS ^^iiK: i SS^u Sedimento;
barra., do rio TaqSary amargem direi.a (era,o | J,[ffl-j ^.,P S
ror orlarias da pM4*i*t de 10 e 11 4o augmento da oossa soeiedade. Se este rcrao de da assentW de7, e oairo do conse. "> de2 de riqueza de nossa sala, e juntamente alguns reir"
corrente foram nomead-is: proceder nao revelara da parle desses socios ms agosto; porm sendo bem exprasso oj.'^"1' 'os. entre os quaes Ogura um busto do Senhor D.
O coronel Francisco Joaquina Pereira Lobo e o totenc5es, e espirito de eontraedade, nao sci 6i, qae ordena ao Io secretario do "conselho', Pedro Y de saudosa memoria,
maior Jos Rodrigues de Moraea. para comroan- realmente o que podia revelar. guarda do archivo da assembla geral para so en Hecebemos os relatorios da casa de deteneiio
dantes dos dous cornos de voluntarios que organi- A directora, segurado logo no comeen da sua trega-lo ao seu sue.eessor ; como poileria, pois. 3 desla provincia, do Gabinete Portuguez de Mira-
sarem x administraeo senda diversa d'aqaella, que a sua directora mandar passar as- curtido** requerida*:, i nho e da soeiedade Dezesseis de Selembro da Bi-
mas sempre de conformidad*! com os se no seu archivo nao exMiam esses livros, nem I hia, o que tudo agradecemos.
ncleo colonial do Cojcin), aviue na margen op- ,
posta grande numero desoldados paraguayos eCosta Monte ro.
que gritavain-me-lhes levasse urna canoa, a mi-
nha reluctancia succedeu atirarem-se ao rio urna
poreSo (le bneeiros a cavallo, e aps destes um
chuveiro de bilas forana arremessadas successiva-
meato sobre nilnha morada, que me obrigaram a
correr com o unleo fato com que me tinha erguido
do Jeito, sem ter tempo de tomar nem ao menos o
chapeo, deixaado era poq>r desses inimigos des-
0 capitao Manuel de Mello e Albuqoerque, para antecessora,
director do laborario pvrotichnico; estatuto*, nao escapou a essas invectivas e doestos para jal lhe podiam ser oonados ?
O r. Jos Soares de Azevedo, para substituir o que, mal parece dize-lo, mas infelizmente Ihe fo-
ram atirados por um socio, que mais devera res-
pefiar as suas delberaco?s do que hostlisa-las.
E', portanto necessarlo, senhore*, se queris
que a osea soeiedade prospere, que acabis de
urna vez para sempre cora essas dissencies mal
da raesma dala foram nomeados cabidas qae tonhaisemi>r em mente, que sta
1 dito Relatorio da assoeico Dezeseisde Stlem-
bro, por Antonio Ferreira da stu.i Jnior.
4 .Jilos Fastes Les Populare.-), p, io r. Ju.- Bar
c50 Camello.
1 di'.'0 Bjbliotheca Drammafoa, por Francisco *
Med-iros Raposo.
1 dito Sofcnle ieogrplna do Iraeit, por Ffafl-
Esias tres ultimas offrt.i?, exigem da nossa so- cisco Manuel hepwo do Afmai la.
da iusirucc3o publica, em quauto
substituir
para o corpa de polica :
i.' companhiaalferes o Io sargeato Manoel
Luiz deSiqueira;
3." dita-lente o alferes Antonio Muniz Ta-
rares ;
5.' ditaalferes o sargeoto-quartel-mestre Anto-
nio Jos de Soaza e Silva e o 1* sargento Bazilo
eaeTmiDhas de n'egcio que possala, "alm de Rodrigues de Sellas;
um bom fundo de negocio de ferragens, Iones, mo-! 6. d.ta-capiiao o tenente Jdse Antono de Alba
lliades, noventa alqueires de sal, per de 40 arro-
bas de caf, e mullos gneros alimenticios ; flcou
lacos, que nos prendera como filhos de um paiz
cujas glorias refletem sobre todos nos, e nao para
servir de elemento discordia e desnniao.
I Aqu dentro, como socios do Gabinete Portuguez
de L;itura, todos somos iguaes ; todos temos
(iguaes direitos; mas tambera todos temos o rigor1
i sp dever de respeitar a lei regulamentar do est -
belecimento; e acatar as aJministraejs, a quein
A directora espera, pois, da vossa ponsideracao ciedade a offetta de igual documento, uma divida
(|ue procurareis uiom artigas additlvos preenctier que contraiilmos todos os anoos, e que exige a vos-
essas tacanas, por dcnuis sensiveis para o servico sa antorisacau. para que d'ora avante sejam ar-
administralivo. chivados inpressos e distribuidos os relatorios da
Em qoanto se passavam estas occurreocias, a directora,
directora Ifrme em seu proposito, prosegua uo' O jornalismo fui tambr-m augmentado este anno
eXame eliOtado, 8 S6tn que as publicaces do socio com mals oito jotaos litierarios, scienlRcis e po-
lticos, qoe devidameote agradecemos, e don as-
signadof pelo Gabinete, A Semuna Ilustrada e o
Diario Oficial do Rio de Janeiro.
O nosso socio, o Sr. Joaquim Xavier Viejra Li-
go ollereceu tambem duus bellos qnadros de jaca-
randa, ao qual honrosamente agradecemos.
Durante este anno sahiram
para leilura externa........ 15:378 rolnmes
Entraram................ 18:3 t
ociaeSo d"ve servir-uara tornar indissoluveis os joroalista, a desvlassem do seu verdadeiro caminho.
era o>ias canastras 1:000,5000 sendo 3:2003000 em
notas, e 800JW0O em prata ; nvis 605000 na ga-
veta da mesa em que eu escr^7'3-
querque, alferes o sargente-ajudante Marcolino da s3o confiados os destinos da soeiedade.
Costa Raposo e o Io sargento Antonio Jos de Au- Longe de Iha cro'armos embaracos.devenios an-
drade.
A corveta portuguez EstephaniM ficava a
sahir do Ro de Janeiro para Lisboa, com escala
Yarias letras
e'oio^ioucLu'inorupcia.Vradoresondeseacha-'Por nosso porto.
vau7bem avalladas m "amona ,c"a de I 00^000, e Kioto a tantas re- no dia 29, afim de conduzir sentenciado,, a corveta
.il de guerra S. anuaria.
V Asim eu. aofc' *ssato alguos .maios cara! O vapor Tocanlius devia sahir po dia 7 para
queante-me S^algoina decencia, aooiteci.o os portas do norte do Iniper.o; e o inglez ouro,
Z 44 e*l)iiLufJindo por esraola uraa encapara. no da 9, para a Baha o Pernambuco
veMiSME para amparar-rae a cabec/dos Tlcava amia a carga no Rio de Jaetr, para
ra-So sol neste estado de miseria vim-me ar- Pernambuco, o palhabote Pudade.
rilando fi este ponto (Sani'Anna do Parnahyba) -A corveta eoeooracada Bravl chegou ao.Rio
onde decfarei ao mertllssrmo Sr. delegado de po- de Janeiro, no da 30 do passado, depoi de ler
licia a Ataba chegada, que foi a 18 de nuio, e arribado a provincia do Espirito-Santo,
aprsente!-me a elle declarando ser daquelle dia; Bizem nos estas l.nhas:
em diante um soldado voluntario da patria, e pro-' A proposito da dec.sao do governo queesl-
lesto haver todos os meus prejuizos, e NNM nicamente o recudo para os comman.
cantor na tota, ficara" o direio a meo soco o Sr. dantes superiores da des.gnagao dos guarda, na-
D. tfaaool UabaW de CorumbJ, para fazer as ne-, conaes para os cont.gentes, que tora fe marchar
ee^Trias reclanVc5es.-fran&> Carvalhaes da para_osul, occorre-nos oseKuinle, que carece de
Silveira. Villa de SanfAnna de Parnahyba, 27 de solocao, ao que nos parece. -
i io,--: Era Pao d Albo, o commanaante do bataltuo
maio ue louo. mmtn efilho do coinmandante superior: logo para os
Parle noje as 10 hora? da niauhaa ao vapor t guardas nac.onaes de Pao d'Alho, nao ha re-
Santa itoM, alta, de reun.r-se a S M o Impera- c^ 'aola publica instruccao elementar do sexo
S?\onFFG R'-G.ra,nde d SU1, S- A- feminino da povoacao do Monieiro acha-se fnneeio-
'. Cmduz este vapor alm de S. A. o sna comi- "^dodesdeo 3* %n '?ez.:
uva- z &tn^tfisuBA & zzs&ft a ,naior pre,nio
de o:00i5.
Em o Io do correnle, se nos escreve de Flo-
res, dizendo o segralo :
O infeliz Dr. Gardim ainda vive. A bala se lhe
empregou pelas costas e sabio no peito direi-
to. Apesar de to grave ferimonto, ha quem tenha
, esperanzas de que escapar. Deas assim o per-
j milla; porque embora nao seja amig) deste infsiiz
de 12 de abril' moco, todava nao lhe desajo mal de qualquer nalu-
seza, principalmente tratndose de sua vida, to
tes coadjuva-las, para que estes se demovam; do
contrario, o fog do patriotismo, que tambem lem
seus limites, arrefecer da lodo, e sa elle se exva-
hir um dia, principiar a indifferenca, origera da
dec adencia de todas as cousas
Concedei me, senhores,
me tenho tornado prolixo
no assurapto.
reconlieceii depois de albura trabalho, que no ar-
chivo, nutr'ora e-trege aos cuidados deaw .-e-
nhor, faltavam documentos das passadas adminis-
traces; assim como den pela falta do livro das
lelas dos quatro annos aiimini^trativos a contar de
1855 a 1859, o qne vos rommunieo para vosso in-
teiro corilierimento.
.Na hibliotheca encontramos falta de alguns vo-
Inmes, i|ue verificamos proceder de poca anterior
a enirada do guarda oSr. Antonio Silvestre Xavier
de Souza, sendo que a falta relativa ao sen lempo
mui diminuta, montando apenas na quantiade.--
27J'.K)0, com que lem de entrar para a caixa.
Alm disio, verificarnos haver grande numero
de livros em poder de alguns socios, que se podem
benvola desculpa, se julgar extraviados, e Islo por se nao lerem manda-
posto islo, entremos
funecio
da 5* lotera, do
noel
urna ala do baialbao de voluntarios do Para.
t l'au o Destino, porto em que tocara' o Santa
Llana, segu tambera boje o Oyapock com contin-
gentes do 3- e ;:fu corpas de voluutarios (Babia e
Para) e orna companhia de zuavjs da Bahia, cal-
culando se en cerca de 800 pragas a forca que
paite hoje para o sul.
L-se em urna carta de Cuyab
Pr"T'i,maera'de Nossa Senbora do Carmo, po I preciosa como a minha.o a dosotros
dro. ira do forte d. Coimbr. eodo .ido salva pela | JLa5*5S^
de Drito, compa-
alli
rapaz a quem o
que ha pouco
Senhora de I receben. Izidoro bem sabe porque Ih'o imputa etc.
eapella, etc. Nao haja uraa prompta subslituico deste, _e
de outros que taes nos lagares da polica, que V.
ver oque ha de succeder nesta infeliz ierra.
Hoje, Cordeiro Simoes, far leilao de diversos
eseravos, mobilias e outros trastos, apparelhos para
cha, um rico cspelho e outros artigos do gosio, no
annazem da ra da Cruz n. 57. s 11 horas.
Casa de uETE.Ng.vo.-M.ivimento do da 9 de
agosode 18G' :
Existan) 339; entraram 14 ; sahiram 8;exis-
tv-ni 30*>; a saber : nacionaes 273; estrangeiros 6;
eslrangeiros 23; mullieras 2 ; eseravos 56 ; escra-
vas 5; total 365.
Alimentados a casta dos cofres pblicos 176.
O Sr. blspo fez um voto a Nossa
ir pessoalmenle colloca la de novo na sua
l que seja retomado o forte, e de fazerlhe
lima pomposa fasta e adoracao.
Oulra carta de 3 de maio diz :
t Quando no dia i de Janeiro deste anno o coro-
nel coinmau ante das armas i etirou-se de Cornal*
ixoacomo abandonado na prala o corpo de
artilharia da provincia, que se havia balido heroi-
cain ote no forte de Coimbra, fazendo embarcar
soraente os ofOcfaes. no vapor Anhambalnj.
As pracis do corpo assim abandonadas grita
rain pelo 2J'teuente Joao de Oiiveira Mello, que em
Coimbra havia feo prodigios de valor, e elle, sal-
lando immediatamente do vapor, foi trra, lo-,
niou cont d i tropa e de mais 200 pe.-soas eotre |
paisanos, raulneres e enancas, arranjou como pu-
o alum manlimento, e sabio com esta caravana
rio ar ma em urna escuna espa. Logo no se*
guinie da, vendo que chegavam a Coramba os
vapi : paraguayos, desembarcou a g*nte na liba
d aguay-mirim, e por pantanos [invadeows,
oa i li n ais rigorosa que temos visto, por la*
nunca irilbados; transpondo enormes distan-;
cas ecaudolosos no<, salvou e condzio esse po-
... sia capiial, onde chegou no dia 30 do mez
prximo passado, com toda a gente quasi na, de-
pois de qualro raeies da tnais penosa peregrina*
e5o, e da soBrimeotos sem cotila,
re a maior ordem e disciplina
milivn.
T ve nesta cidade um recebimenio estrondo-
so c tocante ; foi todo o povo encontrarlo no Coxi
p : houve diHereoles discursos e
v in!kllt.So'desceul '"v^io abrijV-o a porta: do jurados, mullou era maisSOjos jurados ja mul-
&i S disse rni-sa que foi ouvida com o maior; lados nos ant-riores das de sessao e ao- que falta-
recolh!meoto por essas infeliies victimas da inva- ram hoje, e levanioui a sessao, ad.ando-a para o da
sao d* barbaros, e eotooa logo depoid o Te-deum se^-ulnte pelas 10 horas da manhaa, designando
//:. nbar i.-nenteOlivpIra Mello, al o quartel. -sanios, pronunciado no
Estedisliocioolliiial, de cojo lino, valor e de-: rainal.
dir ao mal se pode dar i lea por paavras, de ve ------- ------------
encontrar i merecida recompensa na adoiracao, | {jajjinete Portnsucz lie I^eitlira.
estima e sjmpalbia de todas as almas generosas
e ni raaniflceaea do imperador.
^gg^-;*^*^*^^^^'^l^,'
CHWWC4_JtlWt4Wi
Jl'KV laO BECIFE.
10 DE AGOSTO DE 1865
PRESIDENCIA DO SR.B. JLIZ DE OIUEITO DA 2' VARA
Cltl.MINAL HAKOSL JOS DA SII.VA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacinlho Pereira do
Rsqo.
EsciviloJoaquiui Francisco de Paula Esteves
-leniente.
Advogado o Sr. Dr. Francisco Leopoldino de Gus-
mao Lobo.
Reo, Olympio Botelho Anbal, pronunciado no
art. 193 do cdigo criminal.
A's 10 horas da manhaa, feita a chamada com-
pareceram 30 senhores jurados, sendo esse nume-
"fii|,itac5es, um ro insufficiente para haver sesse, o Sr. Dr. juiz de
? flores; o nosso direito tomando conhecimento das faltas e escudas
de Manoel Castro dos
art. 193 do cdigo cri-
Senhores. Tendo sido a actual directora em-
possaa pela sua antecessora ni dia 26 de agosto
do anno irado, coube-me, bem que indevidamente,
a honra de oceupar o lugar de dirertor Foi, por-
tanto, pela vea primeira que eu, e os meus colle-
gas nos adiamos collocados na directora deste ri-
co estabeleciraento, sendo nos assim confiadas por
esparo de um anuo os seus destinos.
Bem ardua tarefa foi esta, que coraeQou a pesar .
em posaos hombros, e mais ardua era ella, por
STmos todos ostranlios ao m >vraienio da associa-
gao embora nos sobrassem desejos de bem a ser-
vir, e ao mesmo lempo cooperar para o seu aug-
mento.
Nao sendo costume tmndarem-se archivar os
relatorios annuaes da directora ; nem tao pouco
fazer preceder a entrega administrativa por meio
de urna proposirao -minuciosa ecircumstaaciada,
que passando a nova admiuislracao a orienlasse
d'esde logo do estado da assoeiaeio, e lhe servisse
de norma, falta esta muito sensivel, procuramos
com brevidade saber do estado da associagao,
empregando para esse fnn os meios prevenidos pe-
los estatuios, sem que no fiel cumprimenio do sua
letra houvesse de nossa parle a menor animos-
dade.
E' realmente para e.-tranhar, Srs. socios que
tendo a nossa soeiedade quartoze annos de exis-
tencia uo se encuiitrasse. archivado um s rela:o- j
rio das transadas adiuiu:stracoes, nem que fossem
tambem distribuidos como procede o hospital por-(
tuguez, para que as horas do voss descanso, po-
desseis couliecer do desenvolvimento, e do estudo
da nossa associajao.
Chamando a vossa altencao para este ponto,
confio que vos procurareis preeoeher esla lactina
com a adopcao de alguma medida, que leuda nao
s a llastrar as futuras directoras pelo resum)
dos Irabalhos annuaes, mas ainda aos proprios
associados, a quom devem ser distribuidos.
Foi cercado de taes dilBculdades com as eniqne
nos achavamos que eu lentei disistir da em-ireza, e
o teria feo certamente ; se nao fura ajndado pela
soliciiude e zelo dos aeus dignos collegas, nos
quaes enconlre a melhor vontado para enlrarmos
ua apreclacSo e exam.; do archivo escrlpturaro a
bibliolheca", visto que do exacto couhecimento do
eslado da soeiedade qne podamos promover os
seus melhorameotos.
Smto, porcm, diiervos; e aperla-se-me o cora-
gao por rae ver obrlgadj a declarar-vos 400 quao-
do todos, animados uo mais verdadeiro patriotismo
procuiavamos corresp rader a estima e considera*
cao di soeiedade qoaodo todos emcmmnra, e
cada qual a porlia se empeohavam com fervor
pela prosperidade e loria d'usia associacao, para
se conslituirem credores da conlianca do conse-
jo receber em lempo competente. De balde a di-
rectora se esforcou para os obter ; mas j era
tarde. Alguns socios se haviam retirado para
fra da provincia, e outros linham fallecido.
TKESOniiAltlA.
Sendo a cscriptoracJfe relativa thesouraria urna
das partes mais importantes da soeiedade, foi exac
lamente aquella em que oexame foi menos profi-
cuo ; por nella haver a falta do um llvro que nos
demonstraste o debito activo dos socios acclo-
ni-tas.
E-ja lacuDa fui por nos precnchida, ficando a
careo do Sr. hiblolhecario a sua escripturacito.
Terminando aqai a fastidiosa narrativa do moti-.
vo ,iHo i|ual nos obrigamos a proceder a um exa- j
me no archivo, escripturacao e bibliotheca, assim \
como de todos os incidentes, que o acompanharam |
at o sea
cumstancia
diversos ramis, da administradlo a nosso cargo, c
os hielhoramentos que nuiles podemos operar.
PESSOAL.
O pessoal conlribninte da nossa soeiedade, divi-
de se em socios accionistas e subscriptores, e com-
pocni-se actualmente d 851 socios, sendo, 628 ac-
cionistas e 223 subscriptores.
A alminislraco teve o prazer de pprovar 96
socios accionistas, os quaes realisarain lodos a im-
portancia dos seus diplomas. Approvaram-se mais
66 snbscriplores o que atiesta urna vantagem sibre
o pessoal do anno passado de 102 conlribointes.
Alguns ha, entre os primeiros que se acham
atrasados para com a caixa, c cajos dbitos lem j
absorvido a importancia do seus diplomas.
A directora nvidou os seus eslorcos para de
empregando
Sobrado portanto o movi-
meniotolala................ 33:700 t
O movimento dos leitores este anno foi distri-
buido do modo segrate :
Socios effeetivos. 4:487
Subscriptores 3:033
Yisitantes....... 200
Total....... 7:720
Sendo j pequeo o numero de estantes que pos-
suia o nosso Gabinete para comportar lodos os li-
vros, mandou esta directora fazer mais dtias, que
como vedes se acham colocadas na sala da leitu-
ra, tendo sido o seu costo de rs. 1:0605.
Ressenlia-se o nosso eslabelecimento da falta do
retrato de S. M. o Senhor D. Luiz I. Coube a esta
directora a gloria de o nandar vr e faze-lo colo-
car no lugar de honra que lhe compete.
O retrato foi executaJo pelo insigne pintor por-
tuense o Sr. Francisco Pinto Costa.
ADSILNISTACO.
A esta directora nao coube porm a gloria de
resultado, passare' agora a expr-vos cir- completar a obra que.nesta ultima parle de sura-
iadamente o estado em que se acham os ma urgencia. A existencia dos retratos reaes.ua
' sala geographica exige um docl, que s nao fra
o curto periodo de nossa admiiiislracio, bem como
o pouco lempo de bonanza que nos deixaram, ella
tena lido a gloria de apresentarvo-io. Entretanto
confia que a directora viudouia se apressaraa dar
principio a urna obra tilo til quo proveitosa.
O nosso gabinete requer arada um mrlhorarannto,
que vera a ser a mudanca dos candelabros de doai
luzes para outros de quatro. A directora iraloii
disso, mas nao tendo a companhia do gaz por essa
occasio candelabros proprios no pJe assim ef-
lectoar a troca. E' tambera de urgencia o augmen-
to de luzes na sala da leitura, o que se pode fazer
collocando arandellas i\ys aspacoo das estantes.
Este augmento de luzes qae nao ter olilldade
diaria, viria a t-la na noute do dia dos anniversa-
ros, evitando assim despezas enormes que se fazem
novo o< chamar ao seioda associacao, ..
os meios para que se potessem era dia; porm nao lodos os airaos. A raza o qae se dea para ua 1 levar
fomis to felizes quauto desoja vamos porque todos: a elfeito i. docel impedio-nos do mesmo moioareu-
prooorarara para escasa as oceorreocias que se | llsajo deste novo melhoramento.
deram em principio de nossa administracao. Al
concrvando
ehi loJa a co-
Di
h
V
uco,
Mk BU
Assuinio ro dia 10 do corrente, o enramando
da- aunas desta provincia o Exm. Sr. marechal de
campos Francisco Sergio de liveira, que para
esta (lumi-so havia silo noineadj por decreto
de -1 'le Janeiro prximo passado.
Sob- hoje a seena, com repetico do quadro
Relatorio da directora, do anuo de
18G1865.
Srs. accionistas.O?, conformidade com o dis-
posto no 27 do arl. 68 dos estatutos vera hoje a
directora,em cojos hombros pesou o encargo de
derigir este importante estabelecimento dar-vos
conta do movimento admimslradvo e econmico
durante o anno deeorrido, bem como pateutear-vos
o modo porque desempenhou to ardua tarefa, pon-
do-vos assim ao alcance de todos os negocios rela-
tivos a esta nossa soeiedade.
Apraz directora vr-vos aqui reunidos, cons-
lituindo-vos assim em tribunal judicioso de seus
0, actos, porque seus mentaros nao s recouheceram
alWo, VSoVfaTiLZ/ n^^-S a ^"-Pre.; nsufficiencia de suas haUbUgo. para
i o bom des^mpenho dos cargos que loe foram con
luterano e *ado.s; mas ainda ambicionaram occasio para se-
rera francos ua exposicao dos factos occorridos,
provocando mesmo a censura que a vossa subida
actu ili lado Progresso e Honra.
a na produccao de grande valor Iliterario e
arti-ne >, sendo alm disto a glonlioago do talento
edo brio pessoal do un. operario, a qeera com ftaB|wflio lhes possa irrogar. egura a directora
de que lhe sobrou vontade para bem
fag 11 da luz dos olhos esteudeu-sc a
tellig ocia em dilatados
um tvpi verdadeiro de progresso e honra.
horisonies, constitundo-o i com, ^0 acha-
saptisfazer sua esprabosa miss.au.
Nao foi desconhecido pela directora, Srs. socios
des"as d0 Gabinele, que s cora licoes bebidas em foutes
esclarecidas pela pratica e longa experiencia se
Iho, que to espontneamente deMmou sobre nos a menta do modo segrale
sua escolha, a estrella que nos guiava offuscou-se
por um pouctf.
. Iiifelizuienle nem sempre as nossas ac^oes agra-
dan a lotos, ou nem tolos as tomara pelo seu la-
do legitimo ; e aquello primeiro pas>u >|ue a di-
rectora avaocon no principio da saa gerencia im-
posto lacilameate pelo 5 do artigo 68 dos esta-
tutos, que nos reyem, uho foi devidainente acomi-
do por alguns associados, e alguem houve entre
elles, que desconhecendo, ou fazendo oceultar as
expresses da lei, quiz ver u'esse acto um actate,
urna falta de'conlianca, urna grosseria talvez |>ra-
licada por esta directora, para com aquella qae
acabava de lhe anteceder.
Mas, como pensar do boa fe, em ora acinte de
nossa paite para com a.passada admioistracao,
quando executaramos a lei, no capitulo expiesso
de nossas attnbuicoes 1 S o podena enxergar,
aquello que nao tivesso conlianca em seus acios
ou se achasse animado pelo espirito de vinganra :
para aquelle, porm, que tivesse a eonsciencia
trauquilia, era mais uraa'cora que colhia na
vida.
Ura socio, porm, observou com duplicados
mos olhos aquelle acto.e nao desejaudo talvez que
a directora entrasse no verdadeiro aonlweimooto
do estado da soeiedade, e sera atteuder a mais do
que ao impelo fogoso jde suas paixes, teniou des-
viar-nos do lirme proposito, em que estafamos, )
fulminando a intriga entre a directora e os socios:
ja offendeudo-a positivamente, sem o menor decoro
aos cargos de que foram revestidos, e o que nnis
soeiedade inteira.
A offensa fea a directora pouco era, (tal foi o
valor, que lhe demos,) mas feita soeiedade sem
reserva, importava coosiderar-vos a vos tolos ca-
dveres, licaudo^ vivo somente o digno so-
cio, moco rico de" intellgencia e delicadeza, que
vina a "ser depois a alma dos vossos rorpos.
Mas, sentindo nimiamente a directora que hou-
vesse entre os associados um, que julgando-se mais
delicado que todos os outros, ousasse deprimir to
abertamente a vossa intellgencia e dignida le, li-
milou-se a levar ao conhecimeuto do cODSetho O
procediincnlo d'esse socio, que pouco antes havia
deixadode oceupar um lugar na directora finda.
Nao preciso declarar o seu norae, vos o conhe-
ceis : bastando somente o recordar-vos que vendo
gnuia cousa, porm, conseguimos, e confiarais que
a nova administraeo seja mais feliz nesta
pane.
Entretanto v se que dos socios entrados este
anno re ceba e maior elle seria se desgostos semeados no
seio da soeiedade, nao tivessem feto calar no ani-
mo de amitos, os seniimentos patriticos de que se
achavam animados, perdeudo com isso somente a
instituicao, que tanto vos costn a crear, e tanto
vos lem costado a snsti nlar.
Falleceram este auno sote socios, entre o* quaes
se conta o nosso sucio honorario o distiocto poeta
maranhensc, o Dr. Antonio Gjncalves Das, ura
dos matares ornamentos da literatura brasileira,
por alma do qual a directora mandou celebra'
ama missa de requiety na igreja do Espirito-Santo
a expensas de seus mentaros.
FUNDO SOCIAL.
O fu;do social do Gabinete compoou-se actual-
34:423(749
(;a[iit-l existente em 30dejunhodo
auno pretrito...................
Diplomas emiltidos pir esta admi-
nistracao...............'.......
Valor de offert-is e liquido do ren-
dimeuto anuual...................
*" Ris...............
ExislindO portanto um augmento sobre o_capta
do anno passado da quanlia de rs: 3:614(777.
Recala.
Foi este anno a receita distribuida do modo se
guinte :
Saldo era Io dejulho de 186.....
MeosaMades de soc os effeetivos..
i: pissao de noventa e seis diplomas
a 20JQU0........................
:>; n-alidades de subscriptores-----
Bneadoroaejal.................
Despezas geraes................
dilBrnldade pratica, visto que a cegueira
22hq2 ** ^dtaZ'n sVnAiLdo'e i Pde compulsar com devido aprove.tamen.o o mo
tralniho era que na. se distrague o br. Amoedo, e v ^ associagoes mas se a ella fallaram
por isso devese ir apreeiar-lo.
s condifoes de to significativa conveniencia, supe-
Concluio-se 0 medalho de retratos de algn ; rabundou-lhe todava emprego de exforcos para at-
heres do combate naval d. Machuelo, em numero tinsir a esse desidertum.
de 18; e entre elles ha os de varios pernambuca
nos queali sustenlaram com galhardia a honra
deste nome.
O trabalho artstico est bom, e honra a ofcina
lithograpnica do Sr. Carlos, assim como a concep-
cao da idea um padro de gloria para a redaccao
da lilustranio Acadmica.
O espectculo que o prestimoso Sr. Antonio
Jos D jarte Coimbra, emprezario do thealro de Santa
Isab'l, den ha pouco era obsequio a Exma. viuva e
filhos do bravo capitao Pedro Alfonso, produzio a
receita de 1:369,^000;
de-poza tao somente da
Penalisanos porm, o nao poder annunciar-vos,
que a nossa associacao se acha era eslado to li-
songeiro como fra para desejar, e a que indubila-
velmenle ella tem inqueslionavel dreiio ; pois que,
causas por certo sera imitacao em sociedades da
ordem da nossa, junto difficiencia dos nossos es-
tatutos, deram lugar a que nao podessem vingar
no todo os meios para isso offerecidos por esta ad-
ministracao.
E' portanto aqui lugar de dizer-vos que emquan-
e confraternidade en-
riis.............
Despez.
Livros e eneanlenaces..........
Importancia de.jomaes.........
dem de movis,................
Remessas a An onio Mara Pereira
(de Lisboa).......................
dem a Alphonse Lemale (Havre).
1 espezas geraes................
Baro do Ltvraniento............
Companhia de seguios Fidelida-
de ...........................
Socios effeetivos era conta de meo-
saudades...........'.............
Saldo era caixa.................
liis..............
Era costume no estabolecimeato fuerera se as
sessoes da directora e couselho na sala geogra-
phica, de modo que nao poliam ser tratadas as
suas delioeraces 1:0111 aquella regularidade devida, r
coagindo rautas vetos os seu.- mentaras de laao*
rera qualquer declararlo, quasi sempre til boa
ordem do estabelecmi'nto, mas da qual podiam co-
Iher urna iudis|iosigo daquelle que a ouvisse com
desagrado. Assim, pedio esta directora, aulorisa-
cao ao couselho, e mandou fazer um reparliineul >
volante, uo lira da sala geographica dentro da <|ual
se celebrara hoje as sessoes das duas corooraeo s.
Nao mandamos porm fazer o reposleiro qne dee
ler a porta de entrada, mas do esperar que a nos-
sa succensora se eocarregoe de preeneber os nos-
sos desejos.
Achava-se, e ain la hoje se acha, esta casa, sem
regulamento iuterno, o qual tentamos organisar,
como nos expressamenie determinado peb S -'
do art. 68, dos estatutos, mas reeonbecer nos que
estes precisara de una reforma, julgamos mais
acertado deixar aquelle, para quando se completa-
rem as lactinas deste.
Entretauto j a directora de 1803 reconhecendo
quauto ora necessario um regulamento lOterao | a-
1:9205000'rao bom rgimen desta casa, nomeou uraa coro*
misso especial para a sua cofeceao. A ella, pota,
1:5945777 nos dirigimos em setembro do anuo fiodi solicitan-
---------------1 do o seo trabalho; o pediodo*oos ella mais doos
37:9385520 mezes de dihrpfo, La sao decorridos infelizmente
dez, sem que arad.-rtenha chegado o resultado des-
se servico ao nosso poder.
Senhores. E' para nos summamente lisongeim
poder vos allianear que o nosso estabelecimento ho-
je nao tem encargo algara pecuniario a transmi-
tir sua socessora. pezar Jos inuilos entraves,
temos funecionado regularmente ; o o servico dos
empregados tem sido vigiado constantemente por
esta directora, os quaes tem procurado salisfaze la
no que toca ao servico relativo aos seus encargos.
Renovamos todas s assignaluras do jornalismo,
pagamos integralmente e ca ponlualidade aos em-
pregados, mandamos encademar brotaras, ao que
despendemos 2415340, finalmente Otemos tudo
quauto humanamente se pode fuer pelo augmento
e prosperidade do nosso gabinete, e se melhor re-
sultado nao colhemo-, acredita!, que uo foi por fal-
ta de esforeos de nossa parle; mas sim devido a
oceurrencias que se nao podiam previnir e que ti-
veram lugar logo no Borneen de nossa adminisira-
cao.
Eis
1 dito Agulha iTO t'iiiieiro, ytio irame.
1 dito Dote proposce* sobre a k-aituaidaJc oa--
ligiosa, por phraiu.
1 dito A Uuesto jMrjrd. P*'"* *Kh***.
i dito Discurso inaugural da cadeira fe hu-of
universal, por ?ram:isco noel Bap-mo oV aI-
melda.
1 dito IJiographia do bispo capeiuo-mor, pfcr
mesmo.
1 dito Biographia do arcfflataponiarfji OvaaaaWw
(3ruz, |.eln niesuK).
1 dito ijnadros MHHkl do eatholieasaa a
Brasil, ptlo mesmo. _
dita FolbiaOa Calhotfejl para > anno de M6+,
por M. C. Honorato.
2 ditos Historia des Seci -ose, Br *"
quim l-Vrreira de Araujo G urna raes.
2 ditos Jerusaiein iLa) Delivree, pelo m-9i>.
I dito C'uia Luso Brasileira, pe mee.
I dito lielatorio do Gabinete Pi>rtuu*i do Ma-
nbo, pela dirrcco.
I di'o Oraco "|da inauara;o da mitrit e *.
Jos, |ior Jos Clmspiuiano da Silva
1 dito lielatorio da sasa dj detencao, peto Dr.
llulino Augn.-to d'Alm.ida.
1 dito A i|iie-l'".o 1I11 dia pelo eooselbeiro ^ra-
nhos, por J.js Al ves Ijma.
2 ditos Irma Anna ilto;uan.e>, ^.r J-js Man
Palmeira.
2 ditos O Cuitadlas, |*lo mesmo.
2 diios O Bom Lewier, pe .
I dito Oque hade ser o ir.unil) no ibO>* Me*,
pelo mesmo.
i dito U Livro Azul, psia evs-eo.
1 dito TtaJiltoi ijr Minis o> Sax Pieio.
i dito o Novo Tesiament 1 tao *
PreilM Barbosa.
1 ilo I ni 11 anee de Lina sjjta*Bj por Xas 4 fc
Silva Jacoine PasaaS).
3 ditos Li-jiislaclo s.ibr' U-ns dirriasa 1* *
pitaos por Jos Pt-rreir-t C
2 ditos Origen- do CiUoluisiaw por ItattxK *
Silva -i f- .11- Pes-oa.
Sonima 80 totosaca.
Vh*nTnr9.
Das obras cima f.-ram < assifiraJae naca-fctra^-
dos OH volumes.
Nao elassilicadas oeio eDcioVrBl.- II.
Kxiraviadas 1.
Aolud) 80 volunie;.
Joruars ofl-riiulot.
O Jerael de Ltata>, i-r J->-e t C.-tr
Archivo Canaawrrial de Lttaw, pato rte--
go.
i) Jornal do Paro. ;nr J m> Car! < 1
Silva.
O Peridico Sciei.imc) e UMonakl
pela redacc.iii.
A uCrem-a jornal \o:Utos e notici.s,.
daccYio.
A iSeuianai, peta relacen .
/.'((i 1
l'ra mappa de Purlegai ea aeato g*aaa>v paf
Joaquim Frain.i-c> da Silv \:
L'm beato le uia--
effigie de 1>. Pedro
em
V., por Vi*!?!*. :-
>
Carta Geogiaphiea do ili^tro da -rtmrra .1
lados do ul da America M-r:.
comas vi.-.a- das b .t.ri.- : Haiaiu. aw
Soares Pinta C rr' k
L'm mappa gcigrapiii-o Pr'.ngil, p*-ta rnaar-
go da Correspond n 1.1 I P >rlug..l >
Dous quadr s dejacarau!a, pir Jeeqoii 3Lv-r
Vieira Lego.
Valor d'sies obi-rtos rs. 33>WO rs^ roe m
do d.ario Os. 18'.
HHKASOH 1 nva
'i- i II
360*942
S:90150UO
1:9503000
1:3603001)
OS400
15030
9:743#39a
2115310
182500U
1:5635220
80650GO
U5910 de
4:493*962
1:5005000
1045230
215000
6365620
9:7435392
Eis pois, senhores socios do Gabinete Portuguez ^ ^SSmti^
Leitura, o quadro que nos pode offerecer a di- iadkitario aeaaaiseria
loria ao terminar a sua tarefa, assegurando-vos "".{.'"'i,,,'1; ZlSZ
____n,j j., n,..ih.....,,! .a -.urnma t la men. e oeix* cava^ar .
Haven.lo portanto ura saldo de rs. 6365620, que
se acha sob guarda do nosso mui digno ihesourei-
ro o Sr. Antonio Gonrjalves de Azevedo.
Dizendo-nos a nossa antecessora, que nos nao
deixava encargo algum pecuniario, isto dt'
passira, como expressamenie prohibido no 3o
Uo art. 69 dos estatutos, verificamos ter havido des-
que nos deixou ; por .manto
de junho do anno lindo um saldo como se ve na
receita, eodo : o-tur
Emdinheiro.................. 235'ta
Em documentos pagos depois de se
fechar dcfftaitivamente a escripia na- .,,
j2751ib
to nao houver porfeila unio
e della sendo deduzida a | tre nossos associados; emquanlo os socios nao aca-
illuminacao, orchestra e! tarem as adminlstragoes, rodeando-as do respeito
folh s do mac!.nisla e contraregra na importancia e prestigio que lhes devido, jamis poder este
de 2053380 resulla um producto liquido de; estabellecimento aitiogir o grao de prosperidade
i- IC3-3620 em proveito dos beneficiados. que Ibe ambicionamos, e que ha muito aeveria go*
Fsta quanlia portanto, deve ser entregue na sar, se pessoas inconsideradas, e menos zelozas
segunda-letra, ao Exm. Sr. desembargador A. F.. das cousas patrias nao trouxessem.para o seio da
Peretli na qu'alidade do ihesoureiro da commissao associacao as iudisposigoes, as entrigas, as rixas,
ajearregida de agenciar a subsenpeao em favor e at as vingancas mesquiohas de odiosidades on-
Bis........
Deixou porm d>3 pagar
Alague! da casa vencido.........
Seguro contra incendio vencido em
30dejunho....................
Conta da Companhia do Caz dos
mezes de malo e junho............
Bis..............
O que tudo pasamos, existindo por-
tante um defOcit de..............
Cojo defflclt, reunido com a conta
...... 3505942
as quantias seguio-
...... 3005000
dos referidos beneficiado
Nos accrescenlaremos elogios ao Sr. Duarte
Coimbra por lal acto de munificencia; o eiogio
mais cloquele o mesmo acto; e este urna re-
pro lace 1,1 de outros inuitos por elle praticados sem
relac.lo de pessoas, era lias reservados de sua
pan'-, obiemperando apenas ao impulso do coraco
magmnimo que abriga no peilo.
Era esperado em Lisboa, com deslino aos
genos do Brasil, o vapor inlez Galilea, uo dia 1
do corrente.
A correspondencia de Portugal diz o segra-
te, que carece conlirmaco:
graadas l fra; maiversacoes que so servera para
crear embaracos a adminisiraco e arredar de seus
lugares aquelles, que por sua dedicacao, mais po-
dem cooperar para o augmento e estabilidade de
nossa soeiedade. -
Podemos asseverarvos, Srs. socios do Gabinete
Portuguez de Leitura que a proseguirem os factos,
que se deram no curto periodo da nossa gerencia,
ninguem haver que d'ora avante se queira pres-
tar a servir de boa f os cargos, para que forera
nomeados; e se alguns por condescendencia os ac-
ceitarem lamiera por mera condescendencia, os
oceuparo, e assim comegar a decadencia da ras.
elle raallogrados os seus desejos, toraou o desforco cuido de sua parte em nao mencionar o passiyo,
de intimidar-nos pela imprensa, fazendo inserir me nos deixou : rjor manto dem
no Jornal do Recife urna serie de arligos, nos
quaes poz em jogo todos os sarcasmos, de que po-
de lanear mao contra a directora e conselho, mal
sabendo esse socio que o veneno sabido da penna
de um membro de qualquer associacao recahe so-
bre o mesmo que o verle, e nada abala a admi- quella data
Otalraco, quando esta pauta os seus actos pelo es-
pirito expressivo da lei 1
Assim, pois, aconteceu a esse energmeno cuja
gloria de ter escripto muito ninguem invejar,
3 u a no'1 teve por melhor resposta o silencio, o o tes
esagrado daquella parte sensata da sociedad.',
que mais preza e estima a vida e a iranquillidado
desta til instituicao.
Em virtude, porm, de ura offlcio enviado pelo
conselho com data de 31 de outobro Ando, recom-
raendando-nos por em accSo as dispose5es da le
que nos rege, para com os actos reprovados d'esse
socio, nao pOde a directora esquivarse do rigo-
roso dever de Ibe instaurar o processo, de que
traa o artigo 21 dos nossos estatutos.
A circunstancia de ser a directora a aggredida,
fez-nos declinarjdo direito de julgarmos o dito so- da despeza do anniversarlo feto pe-
cio, pelo que remellemos o processo ao conselho, la mesma directora, que pagamos
que no-lo devolveu em seguida, acompanhado de por ordem do conselho de rs.......
um offlcio cora data de 21 de novembro, em que
o mesmo conselho nos ordenava que dessemos Teremos o defflcit elevado a quan-
execuco as formalidades proscriptas nos artigos ta de rs.........................
22 e 23; o que feito pela directora, foi o processo o que na verdade bem singular.
1025225
355IOO
4375325
rector
que animada da melhor vonladc, se alguma falta
commetleu foi a de lornar-se rigorosamente raflexi-
vel nocumpriraento da le; assim confia de vossa
indulgencia que. vos digneis conceder-lhe a vossa
plena approvacao.
Sala das sessoes do Gabinete Portuguez de Lei-
tura, aos 15 de jolho de 1863.Antonio Jos Fer-
reir Alces, director. Antonio Joaquim Vinhas
Maia, secretario.Antonio Goncalves de Azevedo.
thesoureiro.
ilelaedo das obras offertadas pelos Srs. abaixo de-
clarados.
i volumes Eslatutos do collego de 8. Joaquim,
pelos directores.
1 dito Elementos de Pharmacia, pelo Dr. Anto-
nio Jos Ferreira Alves.
1 dito Flores Sfogellas (poesas), pelo mesmo.
i dito llygiene Pratica dos Paites Quentes, pelo
mesmo.
I dito Cartas Escolhidas, pelo mesmo.
1 dito Grammatica llespauhola, pelo mesmo.
1 dito Phisophoso (um) as aguas fuada/, pelo
mesmo.
1 dito Catalogo Descriptivo da Agricultura, pelo
mesmo.
1 dito l'ma Jornada ao Douro, pelo mesmo.
1 dito Exposicao Analytica do Pronunciamento,
pelo mesmo.
1 dito Paul et Virgine, pelo mesmo.
1 dito Bimas de Antonio Luso da Silva, pelo
mesmo.
1 dito Cousas que fazem rir, pelo mesmo.
1
mo.
Pc-:?-.cgnl?5a ai ia>]
Consta que iiou'.em o Sr. Dr. juu j um
quim Jorg* .Santos, jo o> ttirai <
ia :..i o m grao de apivllaro oSr. pMr- I
deisa, redactor da UkrriM a ajeaaaa .--" O
priso e multa corre-p n ni
aa qua'n.lale de vend.-.l.r 1
A sentecea alm de iiijiis'.is-.ma.,
ce-so uo se til 1 :.. : ;.' '
deixa vendedor d'aq nu-
lidades insanavei-, ja -urque >Bff>i t.
que a peca mais iiupurianie 1I0 prut-e<<.> aa-> -*-
lava assiguado polo ini pruce-siote, ja Baaioara**.
porque tendo o Sr. J fe toa Siat^ .Weiara-K per
seu ttespacbo, que et ow sea*, *t jbi'B"W- bs
causa. de|Kiis du qu-, ja nao plia s*r joiz nHaa.
com ludo nao leve escrpulo de ju
cesso, condemnando um seu nimige, r*B awi
reconheciilo desde qa-i por seo despec .-< tocto-
rou suspeilo I
Mas si no drama dessa pi-negn*;*! a -r ; --1,
triste o papel que represeuu o Sr. i
tos, mais do que triste por ser rttMatt o
cerlos maodoes ijue Hm iiiiimaram remrt-aa; "*
ou elle abria mo da mi-_p- icio ji r-C'^fcxrnto.^e
coiidemuava o Sr. |o.i"e \ 1 !'
abarra daassemblea provincial; eeenrri; la rm
tribunal dejuslica, onde seria i.-rtin- reenaa
condemnado !
(Jue vergonha para a q.iadra de MtOMraii-IaV.
que alravessamos!
Nao sabemos, porm, o que mais admira,-1 a an-
ca ain mentar po-
do juit que la 1 tail-
Que triste pait par ser governavta pe* o^ieiBV>
aquelle onde ha juizes que dio esp-n-iaentoa aaea
ordem I
Mas uo desanimemos pr-fliganJ 1 tm r -
mente o criminoso orastoo de furwt-*-eariu*. #
envergonliam sua classc, que o pan un nta lesa
que deve ser.
(A Constituya > J
Chegando ao conhecimenl-) ex' aeeajDBB-
dos, joaleiros estabelecidos no Ri->-e Umni *
se tem propagado serem falsa* e de Beaba-a *ra-
lor as joias que os abaix 1 alienado v o .-.as a.
diversos proprielarios das romarra* d.> suida or-
vincia, vieram pela preSraH i ataena ajaf-tl
promplos a recebe las, c restituir a* letras- peta->
vendas feilas a praao, e o dinheiro ta* Te>ti* an-
tas a vista, una vet que suas |**a* ejam per aa*
reconhecidas.
Queiram. Srs, redactores, publicar esta* ;:*a>.
no que muito obrigaro a aoto
Alientos venera l*re< e rm I s
Htoch k Lm*>
Recife, 9 de agosto de I863.
JURUBEBA.
A jornbeba urna das suiManms nuMie
tosas, ao reino vegetal, e pencar-* a na*se
dos tnicos e desobstruentes, sendo em pre-p-
aa com 'vantagem conlra a* febre* ial"
dito Aponlamentos para a Historia, pelo mes- acompanhadas de enorgiiamenknle li^a i
Ella lem sido applirada rooi inconte-i ,Tel pruvea
1 dito Academie des Jeux de Caries, pelo mes- conira a anemia ou chlor.se, e JytoeBBPta. eaiar-
mo. rho da bexiga e mesmo para i-iimhaier a mi itiBiaa
1 dito Memorias do Carcere, por Francisco de q0 dtfDcil, resulunte da mesma aaeaOa 00 ral
865383
2815060
3675443
1 1 11 z,\j\j v.*n*a v**w 1 a J""J
. 1 .hamos de receber do nosso correspondente tituico, que arada hoje forma um dos padroes da
de LonJres, a segrate importante uo- nossa gloria, nesia trra hospitaleira.
J se vai tambera sentindo difflculdades em ob-
ter proposlos pira a nossa associacao, nao porque
.pnica :.ir
ticia.
Lundre-, 22 dejulho.
(fVnsta, por va que parece bem informada,
que a raediaco de el-re de Portugal conseguio
trater os governos iuglez o brasileiro a um accor-
do, honroso para ambos, do aual resuilar, em
breve, a renovacao das relagoes polticas entre os
dous ptiiies. >
O vapor francez Navarre, trouxe a seu bordo,
da Europa, 163 passageiros, a saber; 14 para o
nosso porto, 3 para a Bahia, 92 para o Rio de Ja-
neiro, 22 para Montevideo, e 33 para Buenos
Ajres.
nio hajam Portuguezes, em quem brllhem os mes-
iiios sentiraentos patriticos, que afTagames em
nossos coracoes, mas porque lhes raaga e desgos-
tava o modo porque nos dividimos em questoes e
intrigas de desinteresse social, quando unidos de-
veramos concorrer para o seu completo engrande-
cimeoto.
E' inconcebivcl, Srs. socios, como alguns d'en-
tre vos teem procurado desacatar a directora,
de novamente remetUdo ao conselho, ao qual ain
da hoje se acha affecto.
J que vos faliei das oceurrencias desagradaveis,
que se deram no principio de nossa administraeo,
cumpreme relatar mai* duas, sendo que o resul-
tado de urna podia ser bem triste, se a directora
se nao revestisse de tola a moderacao para evitar
um grave conflicto.
Ura socio houve, que sob fateis pretextos dirigi
se a esta directora em sessao de 21 de novembro,
querendo-nos obrigar a receber o seu diploma, o
que nao podamos fazer, conforme determina o
1 do art. 69 dos eslatutos. Ento, elto movido
pejes impulsos de um genio irreflectdo nao s5 vo-
ciferou contra a administraeo, como tentou ainda
Activo e passtvo.
O seguinte quadro*vos servir para demonstrar
o estado deste importante capitulo.
Activo.
Movis:. ..................... 10:3035*17
Socios effeetivos................ J^fSS
livro*........................ 20:9245389
An.orlisac.oes.................. 3:3205000
Caixa......................... 606J6IO
Ris.............. 37.9385526
I'assivo.
Capital.
a ajUlllllsll aiao, tuuiu iciuou nimia : ll|R[ lOTtlhVA
rasgar o seu diploma em sessao, o que felizmente bibliuiuho .
nao levou aeffeito. A nossa bibliotheca o. enreqoecida durante o
Com outro suscitou-se tambem urna pequea perodo de nossa administraeo com mais o
questo a qual nos veio fazer conhecer quanto os lumes, sendo 495
comprados pela directora, e 68
nossorestMtos'^to'cne'os "de"tacohe'rencas"o offertados por diversos cavalhelros, cujos nomes
contradices. se acham classificados no mapraa j unto, e aos quaes
Dizeodo o 20 do art. 68, que a' directora eom- agradecemos, farendp raenso
pete mandar passar todas as certidoes que lhe fo- nomes no livro competente,
rem requeridas, esse socio baseado nesse artigo
Medelros Raposo.
1 dito Memoria Histrica da Academia, por Jos
Alves Lima.
1 dito Polmica Religiosa, ou resposta aos dis-
cursos parlamentares, do Exm. monsenhor Joaquim
Pinto de Campos, pelo mesmo cima.
1 dito Diccionario dos termos scientificos de mo-
lestias, por Joaquina Xavier Vieira Lego.
1 dito Trata* sobre escripturaco commercial,
------------por Joaquim (erardo de Bastos.
1 dito Elemeiiius de Civilidade, pelo mesmo.
1 dito Cotirpemrio de Grammatica, peloiuesm*
1 dilo Pama das Alfandegas do Imperio, pelo
mesmo.
1 Fabiola on L'E'lise de Catacombes, por Ma-
noel Soares Pinheiio)
1 dito Noticia Biographlca de D. Pedro V, pelo
mesmo.
1 dito A Liberdade no Brasil, por Manoel Jos
Carneiro.
1 dito Rnan (vida de Jess Clristo), por Joa-
quim Ferreira de Araujo Guimares.
1 dito A Choupana India, por Sebastio Jos Go-
mes Penna Jnior.
1 dito tala ou os amores de dous selvagens,
pelo mesmo. ; gn/d
1 dito Guilherme Tell ou a Sulssa libertada, pelo *
mesmo.
1 dito Belisario, pelo mesmo.
1 dit: Pacto da fome, pelo mesmo.
1 dito Harmonas Romnticas, pelo mesmo.
rose.
Extrato alcoolico de jurubeba.
Emplastro dem.
Oleo idem.
Tintura idem de itera.
Xarope id-m.
Vmho ileni de id m.
Ptalas oe e\t. idem.
Deposito, iharmu-ia de Pinto,
sario 11. 10.
ra larga *> %*-
37:93855'2o
honrosa dos seus
Foram tambem offertadas diversas cartas geo-
5S? oSSas 'SSS^S^SSSa I l^^'^^^'^m^^^: Brapbicas.-qae vieram aogmerdar o otnamento
Consta m que odiloinfunla'1oearcTi*firi<-.ri'
fet o soldado do segundo baialnii Oe aiaSaaim Vi-
cente Lins da silva Ficueireito. te aaeer-a **
licenfa para sabir fra la aaisto e-a -pj
est o dito soldado. O sargento I |ti*cM *-
Moto, visto como acensado o refc*n.to **ra-"ai
na revista diana de 8 di corrente, i-r e*f aat->
supraciiada lloi-nc aidomesato a.;, "n-pvn-
dam-se. portant-, os senso en/ana-tos ti 1
que a 19 annos o mencionado araenio ara-a. *
ainda nao ahusou : tanto de sua aretoia. cesa-
dos poderes a M delegados.

de Florida de Itrraj e Uta-
M.
. cousa estranha e para
que este delicado e precioso prtame, aoatoi sasa>
manufacturado mais de viole asnos aaekaoiea
1 dito Memoria Histrica da Academia, pelo Dr.' mente para os mercados d'America 1
Drummond. Antilhas, e eslimado por loda a -
1 dito A vida de Jesu/refutacao pelo padre Frap* rica hespanhola em preferencia a
neto mesmo. 7 essencias e aguas de ebeiro, so a |
pe, pelo mesmo.
Til r- mZx jr-i


Diarlo de rernambuco ... Sabbado 1 e Agosto de ISttft.
BITAES.
ser finalmente introduzido pela vez primoira neste I
paiz depois de lao largos aonos de existencia I j__________
O afflnco e louvavel proraptido que as nossas bel- i ----
las patricias mostraram na adopcio de mesma. proya que as senhoras hespanholas, as quaes a peria| ordtnj da n0Sa, jaiz de direito especial do
preferem propria Eau de Cologne, n3o do mais
que um justo apreco delicada pureza do artigo.
(Como oni meio preventivo contra quaesquer iui-
posicSes o fraudes, torna-se necessano o pedir-sel
a agua penulna de Murray e Lanman, tendo-te oj
cuidado de examinar e ver que ditos nomes se
achem inscriptos sob cada envoltorio, letreiro e
Sarrafa, pois a falla dos mesmos prova evidente
e sua falsidade.)
Vende se era casa de Caors & B. e J. C. Bra-
vo & C.
COMMEBCIO.
PRAQA DO RECIFE.
Cotaces ofQclaes.
10 de agosto.
Algodao primeira sorle I6000 por arroba.
Algodao segunda sorle14:000 por arroba.
Algodo de Macei 171200 por arroba posto a
bordo.
Cambio sobre Londres-24 3|i a 90 d. vista.
Dubourcq Jnior,
Presidente.
Guimares,
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil em
Pernambnco.
A directora desta caixa saca sobro o banco do
Brasil no lilo de Janeiro e sobre a caixa filial do
mesmo banco na Babia.
Novo lia neo de l'eruaiiibuco.
dministradores da raassa fallida de Joaquim
Jos Silvera pagam o Io dividendo de dila raassa
na razo de ) 0/0 sobre o valor des litlos ad-
mettidos : no novo banco de Pernambuco ra
do Trapiche n. 34.
Auto banco de Pernam-
IHICO.
O banco descoma letras na presente semana a
9 por cento ao anno at o prazo de seis mezes,
Caixa filial do bauco do llrasll
ni Peruaubiico.
De ordem da directora desta caixa se faz publi-
co aos senliores accionista?, que o respectivo ihe-
soureiro est aulorisado a pagar o 23 dividendo
do semestre lindo em 30 de juulio ulunio a razao
de 125 por accao.
Caixa lihal do banco do Brasil 15 de julho de
1863.
O guarda-livros,
Ignacio Nanos Crrela.
ALPANDEGA.
Rendimento do dia i a 10...... 2l6:7ti-3028
Idemdodia 11............... 13:281*431
230:! 315".vj
MOV MEMO DA ALFBEGA.
Voluntes entrados com rateadas.
i cora gneros..
Volumes sabidos can fjenlas.
i i cxn generas...
186
432
------- 088
41
1,830
-------1,871
Descarregam no dia 12 do corrate.
Brigu hanpverianoAnuafarinha d- tri^o.
ngue porsgoetConstante pedras.
Sumaca hespanholaJoven Adele vinhos.
Barca inglezaLook Omraercadorias diversas.
Escuna portuguezaO. Joiio -charque.
Brigue por'.uguezS. Josidem.
Barca nacional Vdlleidem.
Barca moleta Orioncama
Brigue inglezZoe idem e podra.
ECEBEOIBA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PJ2RNAMBDGO.
Rendimento do dia 1 a 10...... 13:4845825'
dem do dia 11................- 8135033
commercio desta cidade do Recife de Remara
buco e scu termo, por Sua Mageslade Imperial e
consiitucional o Sr. D. Pedro II, a quera Dos
guarde etc.
Faco saber pelo presente que no dia 4 do mez
de setembro do correte acuo, se ha de arrematar
por venda a quera mais der era praca publica, de-
pois da audiencia respectiva, urna casa terrea sita
na cidade de Girada, a ra do Amparo n. 14, com
31 1/ palmos de largura e 88 de comprimeoto,
quintal em aberto, sala na frente cora gabinete,
quatro quarlos, sala a trazcora cozinha dentro, sen-
do essa sala assoalnada, avaliada em 8005, a qual
vai a praca por execugao de Joo Manoel Rodri-
gues, contra Marcelino Rodrigues da Silva e sua
mulher. E na falta de licuantes ser a arremata-
cao feita pelo prego da adjudicaco cora o abali-
menlo respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimenlo| de todos
mandei fazer o presente edilal, que ser afllxado
nos lugares do costume e publicado pela impreusa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
na ni buco, aos 9 de agosto de 1865. -Eu Mauoel
de Carvalho Paes de Andrade, escrivo o subs-
crevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Pela inspeccao d'alfandega se faz publico que
a porta da mesma, 1 hora da larde do da 14 do
correol se bao de arrematar livre de dlreilos o
caixas com a marca V D vlndos do Havre pelo na-
vio francez Juan Baptiste, entrado 28 de Janeiro
deste anno contendo 1269 libras de tinta prepara-
oleo, avahadas em 211,5500, os quaes se acham
comprehendidos as disposicoes do art. 301 2 do
regulamento de 19 de setembro de 1860,
E para constar se faz q presente.i* seceso da
alfandega de Pernambuco, 9 de agost de 186o.
O 4 escripturarlo.
J. a" Avila Billancourt Netva.
De duas casas terreas ns. 32 e 34 na ra da
Praia do Caldeireiro, tem solao, bera acabadas e
quasi novas, chao loreiro, rendo 315000 por mez
cada una
Ura sobrado de um andar na ra imperial n. 93,
cbo foreiro, rende 3000 por anno.
COMPANHIA PERNAMBUCAXA
DE
Na vega cao costeira por vapor.
Macei e "escalas, l'enedo eAracaj.
No dia 14 do corrente espede
esta companhia >o vapor tParaliy-
ba para os portos cima as 5
.horas da tarde. Recebe carga at
'o dia 12; encommendas, passagei-
ros e dinheiro a frete al as 2 horas do dia da
sahida : escriptorio no Forte do Mattos n, 1.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.!
Dos portos do sul esperado
al o dia 14 do corrente o vapor 1
Toruntins, commandante o pri-
meiro lenle Pedro Byppolito
Duarte, o qual depois da demora |
do costume seguir pora os oortos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engajase a
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora
carga que o vapor poder conduzr, a qual devera estabelecida uesta praca, toma seguros martimos
ser embarcada no da de sua chegada, encona- sobre navios eseus carfegamentos e contra fogo em
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as edificios, raercadorias e mobilias: no seu escripto-
2 horas : agencia ra da Cruz o. 1, escriplorio de rio, ra do Vigario a. i, pavimento terreo.
AnlgioLuizde Oliveira Azevedo & C.
mm biyemo.
SEGUROS
ALCOHOLADO de GUACO
de N. iPASGAL
Y
Para o Porto por Lisboa
pretende sabir rom a possivel presteza
James Wakemao, subdito britnico, retirase
para Inglaterra.
. esteza o brigue Quem precisar de urna ama para o servico In-
Pernambucano : para carga e passageiros, a quera i lerno dt casa de rami|ia: dirjase a ra das Cinco-
ollerece bons comraodos, trata se com o consigna-: p0|..tjs n. 87.
lario Thomaz de Aquino Fonseca, ra do Vigario
n. 19, primeiro andar.
Para.
fiSCLICES.
Segu com brevidade para o Indicado porto em
direilura o veleiro hiate Lindo Paquete, capillo
Francisco Ribeiro de Barro?, e pode anda admit-
lir algunia carga : a tratar com Antonio de Al-
meida Gomes, na ra da Cruz n.' 23,,priinero
andar. ,< [ ^
Rio da l'rala '^
A escuna portugueza D. loao recebe fsssageiros,
para o que tem bons commodos : trata-se com o
capito a Bordo, ou com o consignatario Joo Fran-
co da Silva Novaes, travessa da Madre de Dos
numero o.
Ilha le H. Miguel.
Segu impreterivelmente no Um do correte mez
o palliabjte portuguez Pensamnto, de 1" classe :
" TeTbien qu'a deux mille lieues dla Patrie, le ff jfiE7fi?O^lojiV'vSrio
corpsdenation. comme diseul nos capitulatious em- in & 8
orientales, se runisse sous iaconduite de son con- ..__ ______________-------------------
sul, et manifest ansi chaqu anue la persistance li/it't l ft/tlt
de natioualil el de l'csprit de retour. rtmf f* (fc /*'
Je serai d'autant plus heureux de vous voir nom- al 0 dia 20 do presente mez pretende sahir sem
breux celte soleranit que, rceinment arriv en fa|la 0 veleiro e bem conhecido patacho nacional
ce pays, je n'a pu dir eocore qu' quelques uns />. MZ capito Jos Teixeira de Azevedo : para
.lie chers couipatriotcs.
Le 15 aout prochain, a une heure le Te.-Deum
destin clbrer la te nalional de la Frauce,
sera chant daos l'glse des capucins de la Peana.
Je compte sur le cuncours de toule l colonie
Francaise.
d'entre vous, et que je veux dir tous, que vos
interts sout les mieos el que mes sympatbies, ap-
pleol les vlres.
Agrez mes chers compatrioles l'assurance de
mon entier dvooeineut.
Le cnsul de France,
smn Laporte.
~9~
a carga que Ihe falta trata-se no largo do Corpo
Santo n. 4, com o consignatario Jos Maria Pal-
raeira.
14:297*858
CONSOLA .iO PROVINCIAL.
Rendimento do da 1 a 10.....
dem do da 11..............
25:6823493
2:097^223
27:7795718
Haniburgo, de 21 jullio de 1865.
Relatoiio commercial.
Nao houve mudanca nolavel no mercado nestes
ltimos qninze das; transarcoes regulares para o
consumo, smente em assucar mais animadas.
Caf.A falta de caf de qualid&de lina torna-
se sensivel, e nor isso o commercio nao pode des-
envolver fe : entretanto os possuidores conservam-
se firmes. Venderam-se cerca de 20,000 saceos
do Rio de Janeiro e de Santos, e desta qualidade
recebemos cerca de 32,000 saceos, As vendas fo-
ram a 5 3/4 c 7 3/4 schllin?s banco, e o caf regu-
lar ordinario dj Rio colado a 6 1/4 e 6 l/ schil-
liogs.
Assucar.Muito animado e consideramse pre-
cos maiores at 8 scb. pnr 100 libras. Notamos a
venda de 500 caixas e 900 saccas de assucar mas-
cavo da Babia.
Tabaco.Venderamse 114 bal?- do Rio Grande
a 4 1/4 sch.
Em leilo 668 balas de tabaco ri.i Baha avaria-
do a 2-5 15/16 sch. Em ser 6,310 balas de tabaco
d:> Brasil.
Algodao.Mais animado nos ltimos dias, subin-
do os preeos.
Couros.Sem mudanca, venderamse 5,480 do
Rio Grande do Sul e 2,238 do Ceara'.
Cacao.Procurado para o consumo : sustenta
os preeos.
Navio* ckognot do Brasil.
Do Rio de Jaueiro : Resolution, Mozart, Ane, Ro-
.alinde.
T)= Santos : Imperiense, Carola, Catharina, Beale,
Ki'!iiiit/-IJhtcltman,
D t Babia : Hercules Anucbeii, Ferdinand.
Do Rio Grande do Sul : Margaretka.
Do Ceara : Tto (reres.
.Varios expedidos para o Brasil.
Para o Porlo-Alegre : Alexanier, Catrina Alherlus.
Para o Rio Grande : Minrich.
Para o Rio de Jaoi-iro : : Wilhnk.
Para Pernambuco e Ceara' : Helene.
Para o Maranhao e Para' : Berend-Wieheln.
Navios a carga pura o Brasil.
Para o Rio de Janeiro : Adolplt, Mana (fias) e
Marta (le'.ms),
Para Santos : Presto e.Margarita,
Para a Bahia : Maria Imuisc.
Para Pernambuco : Enana.
Para o Rio Grande : Maria, Margaretka
Cambios.
Sobre Londres, 3 m. n., 13 marcos 5 sch. banco
por 2.
, 1 prazo curto 13 m. 6 3/4
por Si.
Sobre Pars, 3 m. d. 189 francos por 1(0 mar-
cos banco.
prazo curto, 187 1/2 1 >
banco.
Sobre Lisboa, 3 m. d., 45 5/8 scliillings banco
por mil ris.
Descont 4 a 4 1/4 %.
Sania Casa de Misericordia
Recife.
De conformidade com a resoluciio da lllm* juma
administrativa da Saul Casa de Misericordia do
Recife, faco sciente a todos os foreiros de terrenos
pertencente ao patrimonio da extracta Misericordia
de linda, que se acham atrasados em seus paga-
mentos, que o regente do hospicio de alienados na
cidade de Olinda a pessoa competentemente au-
torizada para arreca-1ar laes readas, a quera os
mesmos foreiros se devera dirigir, alim
real os respectivos (oros.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 8 de agosto de 1865.
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
No dia 14 do corrente, depois da audiencia
do Sr.joiz de pal do 2o dislricto ta Boa-Vista, vai
prajr diversos movis penhorados a Jos Aman-
Tisset Frers previnera aos carregadores dos na-
vios da linha do Havre a' Pernambuco, que o frete
do Guillaume Tell, esperado a cada momento, tem
sido abaixadoa 30 fs. c io>. o do ardiere a car-
ga no Havre a 25 fs. e 10 O16, e que talvz o dos
navios segantes sera' inda mais em conta, o que
Ibes sera' avisado por vi 1 de-te jornal. Os navios
eslio aaisposicao dos carregadores para as voltas
a um frete abaixo de 45 fs. e I0| c-mforme se
quem os ajus(ar com os annunciantes, ruado Trapiche n. 9.
de paga-: --------------------------1----------
Para o llio da Prata 011 Iio
Grande
Freta-se a barca nacioual Restauraco : a tra-
tar com os seus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
ASTHME
SACIES
Sacase sobre Lisboa e Porto : na ra de Apollo
n. 28.
Ama,
Para Rio de Jaueiro.
co de Oliveira Guimares, por execugao de Ber-. pretende seguir com muita brev.dade o patacho
nardo da Cuuba Teixeira.
Arsenal de guerra.
O eooselbo de compras do arsenal de guerr
precisa comprar o segrate :
Para provimento do almoxarifado.
6 arrobas de lio de velas.
nacioual Regulo, tera p\re de sea carregaraento
engajado, e para o resto que Ihe falla e escravos a
fete, trata se com os seus consignatarios Adtonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio
ra da Cruz n. 1.
Vende-se a barcaca Flor do Norte, prompta
: navegando, de perleita eonstruecao, da lotacao de
10 duzias de taboas de pinho de 3i4 de gros-, 2,500 arrobas, por prego muito comraoda, fundea-
sura. da oa escadiuha: a tratar nesta praca com Tbo-
3 arrobas de rame de ferro. I maz F. da Cunha na ra da Cadea n. 44 ou na
5 caixas com folhas de llaudres, marca grande. I I,raQa da Paralaba com o lllm. Sr. Antonio Tho-
10 ditas de lati em-lencol de 17 libras cada um.'.lnaz Carneiro da Cunha. _______________
10 ditas penuas calygraphicas.
Para o quarlel dos menores.
20 galoes de gaz.
Para a guarda nacional que tem de seguir
para o sul do imperio.
600 pares de sapatoes.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas propostas na sala do conselho, as
10 horas da maulia do dia 16 do correule.
Sendo que as materias primas serao recolhidas
no dia seguinte, e os sapatoes no praso de 6 dias.
Sala do conselho de c impras do arseual de guer- i
ra, U de agosto de 1865.
O encarregado da escripturacao,
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Vendera-se as barcacas Paran, da 23 caixas
e Santo Antonio de Barreos de 15 ditas, appare-
Ihadas de novo e bem construidas : a tratar uesta
praca com os Srs. Antonio Lopes Braga & C, ou
no llio Forraoso cora Joao Allouso Ferreira.
O Sr. Cupertino Albuquerque Guimares
Bastos queira apparecer na ra Velha n. 93, a ira-
j tar de negocio urgente cttrn seu primo lilho de Jos
Antonio Guimares Bastos.
LOTERA
AOS 6:000$000.
Terca-feira 22 do correte mez, se ex-
trahira 3aparle da Ia e Ia da 2a lotera'
f8a) a beneficio da matriz da Victoria, i
no consistorio la greja de Nossa Senlioia
do Rosario da fYeguezia de Santo Antonio.
Os billielos, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva tliesouraria a ra do Cres-
po numero 15.
Os premios de 0.0005000 at 10000
sero pagos urna hora depois da e\tracc3o
at asi horas da tarde, e os outros depois
da distribuidlo das listas.
As encoiDinendas s rao guardadas so-
mente al a noile da vespera da extraeco
como de costume.
Survindo de thesotireiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Club Pernambucano
A partida do mez de agosto ter lugar na
noile do dia ti.
~GBMTG
PORT60EZ UE LBIT0K1 EM PER-
NAMBUCO.
Tendo de solemnisar-se no dia 15 do corrente o' ^_
14 anniversario da instalacao do Gabinete Portu-1W deacia a ra do Sol n. 9.
guez de Leitura, cora sessao magna, que ter lu-
gar as II horas da manhaa, s.io pelo presente con-
vidados todos os senliores associados a comparece-
rera no meuciooado dia alira de tomarera parte
nesta festa lilteraria.
O estabelecimenlo eslar patente desde as 10
horas da manhaa s 2 da larde, e desde as 5 at
10 da noite a todos os senhores visitantes de um e
pulro sexo que o quizerem visitar.
Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
de Leitura 11 de agosto de 1865.
Jos Alves Lima
Vice-directer.
J. Xavier Vieira Ligo
1 secretario interino.
O Alcoholado DE Guaco DE Pascal urna nova preparaCk) da al
basta mencionar suas propriedades para appreciar sua importancia.
Em primeiro 1 airar um preservativo infalivel do contagio vaurio w
folheto para o modo de o impregar).
2" Tem a vantagem de ser o remedio mais cr|0 e mais agradavd I
as molestias syphiliticas de loda a especie, ulceracoos primitiva* e aeciui-
dnrias, ec.
3 Erapregado em injeccOes, o melhor Infmenlo dos corrimenta
recentes ou chronicos as pessoas dos dous sexos e da leucorrhea na.,
mulheres.
4 Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das ckaga e fe-
ridus de m natureza, cha gas gangrenosas, dartr,*, ulceras das perno
ophtalmia purulenta, ou blenhorragica, moidtdura e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de loda a accao nvirtilera, foi experiiuen
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e -ectbeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. RicH^o, Calvo, Didat
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, raedu Fauboun-
Montmartre.Casa de expedicao, PASCAL e C, 33, ra Honsieur-le-
Prince. Paris.
ASTHMAIt ASTHMAI ASTMIA
SUFFOCgiO NERVOSA E OPPRESSlO
linico remedio cfficaz para combatlir estas molestias, acalmar um atuque d'asma e impelir a
voiu o Aorope aromtico de Succino (mbar aioarello) do Dr Danet. betcoberu iBleirwneMe
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez grecas aos adaraveat rap-
tados que tem semprc produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, ma do Comercio, Paris-Grenelle, em todas a
boticas de Franca e do estrangeiro.

Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n, 22 em casa de Caros dr Barbosa.
Aluga se urna escrava para ama de urna casa de
moco solieiro ou de pouca familia, boa cozinheira
e sabe comprar bem : na ra de S. Bom Jess das
Crioulas n. 3.
Alogam-se dous graudes sobrados com com
modos para numerosa familia, novos*e aceiados
com jardim, cocheira, estribara e outras commo-
didadeSj na travessa de Joao demandes Vieira :
a tratar na ra da Seuzala Xova n. 42.
K U advogado Godoy vasconcellos, pode
^5 ser procurado no escriptorio da ra do
JK Rosario estrella n. 34, ou em sua resi-
m
Precisase de um criado que entenda de bo-
leeiro : no pateo do Carino, em casa de Gabriel
Antonio, se dir, on na Pa^apem n. 24.
GASA DA FORTOH
Aos 6:000^000.
at.
Bllhete eara.ldo
A" UL'A DO CltESPO N. 83 E CASAS DO (J6T1 KE
Oabaixoassignadoveudeu nos seos maitoleli-
zes bilhetes garantidos da lotera >|ue s-ara boa
de extrahir, a beneflcio da Saou Casa da %**.-
ricordia para canalisacod'agua e gaz ao l.s-piui
Pedro II, os segoinles pp-iuios :
O mteiro n. 1697 com a sorte de 6:0004.
Um quarto n. 2757 com a sorte de l:MJJW)0.
Um meio n. 1722 com a sorte e Vtti).
E outras multas surtes de 1001. 401, 201
IOJ000.
Os possuidores podem vir reeeber seon re*^tt-
tivos premios sem os desconlos das lei oa Casa
da Fortuna a ra dn Crespo a. 23.
Achain-se a ven'a os da 2- parle da 9> Mrria
(2/') beneliiio do thealro ile Sinu l-ab-l, .us
se extrahir sabbado 12 do cotreau;.
PHECO.
. 71000
A M A
&IU0ES.
avariuilo.
TIIKVTRO
DE
de
MQ7IMENT0 JO POETO
Navios entrados no dia 11.
H^rdeaux e portos intermedios 13 dias, vapor
francez Navarre, de 1271 tonel das, coramao-
dame A. Joret, equipsgera 116, carga faiendas
e outros gneros.
Itio de Janeiro e portos intermedios8 dias, vapor
inglez Kepler, de 1246 toneladas, commandante
John Carolle, eqtiipagcm 43, carga differentes
gneros; a Saunders Brothers & C.
Navios sonidos no mesmo din.
Portos do SulVapor brasiluiro l'aiun, com-
mandante o capillo de fragata Santa Barbara.
Rio do Janeiro e Bihia Vapor francez Natarre,
commandante A. Joret.
Rio de JaneiroPatacho btasllelro Regulo, capitao
Joaquim Antonio de Fana, carga assucar e ou-
tros gneros.
Ceara' Ewooa dioamarqueza Fartura, capito
PierodorfT, carga parte da que trouxe de Hum-
burgo.
Para'Lugar brasileiro Emilia, capito Bernar-
dino l(. de Alenla, carga differentes gneros.
AracajEscuna dioamarqueza Doranne, capitao
Sieber, em lastro. '
EMPREZA-OOIMBRA
Recita extraordinaria.
Sabbado 12 de agosto
1865.
Apedido de diferentes pessoas sobe pela ultima
vez a scena o muito lindo e applaudido quadro al-
legoi ico produccao do Sr. Dr. Tavora, tob o ti-
tulo
A YICTORIV M RIACII11EL0.
Em seguida a coiiipan na dramtica repressnta-
r pela primeira vez o iuteressantissimo e aparato-
so drama em 4 acios que tem por titulo
PROGRESSO E HONRA.
PERSONAGENS.
Valentlm Mazilher, jovem rnanu-
faciureiro.................... Borges.
Raymundo, ceg.........,...... Amoedo.
Vancher....................... Porto.
Poogitioa, coolra-mestre......... Teixeira.
Barattier...................... Guimares.
Gabriclla, irm.ia de llaymundo.. D. Eugenia.
Suzana, irroaa de Pongibon...... D. Camilla.
Um carteiro.................... Peixoto.
Um operario.................... Santa Rosa.
Operarios ele, etc.
Aj-cena passa-se em Len em 1836.
.\o cabe nos limites deste succinto annuncio dar
urna idiia aproximada da sublimidade e mereci-
meuto Iliterario desse grandioso trabaiho da esco-
la moderna.
A empreza solicita em exitar sempre quanlo em
si couber o animo do espectador por rneio de exe-
cucoes de forca a valer<;m urna justa e favravel
apreciago apressou-se era po-lo quauto antes em
scena.
Dar fim ao espectculo a chistosa comedia em
1 acto ornada de msica
Bolsa e cachimbo.
Coraecara' as 8 horas.
LEILAO
De 119 saccus com caf
IIOJJE
Saliliado 12 de agosto ao meio dia.
0 agente Pinto far leilo por conta e risco de
i quem perleucer de 119 saceos com caf avariado
a bordo da alvaivnga quando atracada no patacho
Inglez Zircon, capito Thomaz Hrentece. o leilo
sera' elfectuado no dia e hora cima dito no trapi-
che do Barbosa, onde podero desde ja examina-
rera dito caf.______ _____________________
Leilao de escravos.
WMUB
Sabbado 12 do corrate as II horas.
Cordeiro Simeesfar leilo djs escravos abaixo
mencionados como se.'a :
1 escrava de nome Maria, idade 3o annos, com
1 cria de idade de 2 annos, cora habilidades.
1 escrava de nome Maria, idade 34 annos, boa
quitandeira.
i escravo de nome Viceute, idade 4o a 50 an-
nos, com habilidades. No arraazem a ra da Cruz
n. 57.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em casa
de familia : na ra do Brum n. bo, defronte do
chafarte.
Precisa-se de urna ama para engommar e co-
zinhar para casa de pouca familia, e que seja de
iiil'u ida.le : na ra do Hospicio n. 62.
Precisa-se de urna ama escrava para cos-
nhar : ni ra do Imperador n. 3o, segundo andar.
.Nao ea-a de familia.
O abaixo assignado retira-se para Portugal
a tratar de sua saude.'
Antonio Coelho Ferreira.
Aluga-se a loja do sobrado da ra do Cal-
deiro n. 11, pouo reedificada e propria para
qualquer estabelecimenlo por se achar em arma-
zem : trata-se com o seu proprielario na ra do
Imperador escriptorio n. 7o, ou no segundo andar
do sobrado na mesma ra n. 38._________
O abaixo assignado previne ao respeitave!
publico que Antonio Francisco de Menezes, her-
deiro da tinada D. Joanna Francisca de Menezes, I
nao pode alienar nem fazer transaccoalguma com
os bens que Ibe couberam em lal heranca, sem
pleno couliecirnento do annunciante, a quem esto
laes bens sugeilos por iiocumenlos passados em
ordem e com loda a legalidade.
Recife, 9 de agosto de I86o.
Benlo Caetano Muniz Vieira.
No hotel de llalla, ra do Trapiche n. 5, pre-
cisa-se de um moleque e de urna engommadeira.
-- Precisa-se ile uin Iiomeiu que entenda
bera de planlaco de liorta e jardim, para
ir para um eugenho perlo uesta prafa, u-
se-llie bom ordenado, alm de outras van-
lagens como s ja boa alimentacar;, ruupa
lavada e engommada etc.. etc.: quem a isso
se propozer dirija-se a ra da Gloria n. 3,
das 10 boras as 12 da manhaa e das 4 da
tarde em diante.
Precisase dt um criado : na ra da lrape-
ralriz n. 40.
a botica do pateo do Carmo se dir a casa
onde se dar por vcadagem de bolos 100 rs. por
cada pataca.
- Precisa-se de urna ama que tenha bom leite:
a ra de llortas n. 130.
Bilhetes.
Meios. .
Qnartos.
as pessoas
Ama
Precisa-se alugar una escrava iiue saiba bem
cosinhar e que seja liel : na ra do Queimado n.
46, loja.
m

entista de Pernambuco.!
Raa estrella do [{osario n. 3,
ao p da igieja
FRANCISCO PINTO OZORIOJ
Coiloca deutes artlflciacs ]
pelos ystemas *uai& um- i
temos I
Eoinrepa lodos os meios scienllQcos para |
eooservar os r.aturaes. Pode ser procura- !
do em ^eu gabinete das 9 horas da n.a- g
nlvia as .'i da larde.
. IJ900
Para as pessoas que conpraren dr 1005*00
ara cima.
Bilhetes.....M
Meios. :i::a>
Quartos.....14Tto
Ma.nuel Makti.\> FllZA.
I IETRATISTAS |
Firmino & Lins
Aovo esl;ilelpeinie.lo 4e reirm-
los ra Xova a. II, l*ai-
lar, junto ao Sr. (antier.
*ua
jkm.
LEILO
VISOS MAMTIMM.
COMPANHIA BRASILEIRA
)E
PAQUETES A VAPOR
l i Dos portos do norte 6 espera
do at o dia 17 do corrente o va-
por Cruzeiro do Sul, comman-
dante Alcoforado, o qual depois
i9Hlr^ da demura do coslume seguir
para os portos do sul.
Desdej recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz o. i, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Ue 1 cama franceza de Jacaranda, 1 rnobilia de
amarello, I mesa elstica, 1 guarda louca, 1 di-
to, i cora modas, 1 apparador, I secretaria, 1
sauluario, cadeiras de faia e de amarello, mar-
quezas, cadeiras de balauco, 1 tocador, 1 bereo
de faii, 1 violio, 1 apparelho para cha, can-
dieiros a gaz, 1 grande espelho cora moldura
dourada.quadros e uniros artigos de gosto.
Cordeiro Simoes fara leilao por coula e risco de
i quem prriuaeer dos o;ectos cima raeucionados
| em seo arraazem a ra da Cruz o. 57, as 11 horas.
_________IIOJE.________
LEILAO
DE
Urna casa de Uipa com 17 palmos de frente e
40 de tundo.
Uina dita dita com 27 ditos de frente e 40 de
fundo.
Urna dita dita com 15 ditos de frente e 40 de
fundo.
Urna dita dila cora 17 ditos de frente e 40 de
fundo.
Ura sitio com 600 palmos de frente e 610 de
Hypotiieca-se ou vende-se una escrava crlou-
la, moca, de idade de ii annos, que eozlnha bem,
eugomma e lava, e todo mai arraujo faz bera :
quem quizer annuncie para ser procurado.
- Precisa-se alugar duas negras, send) urna galves Beltrao, no seu escriptorio, ra do Vinario
para cozinhar, engommar e lavar, e outra imitan- n_ (7 {-andar.
deira : quem as ilver dirija-se a ra do Bartholo-
m
- Aluga-se urna escrava para servico interno
c externo de ama rasa : na ra do Imperador nu-
mero 50, terceiro andar.
Panno de algodo da Babia da fabricaTo-
dos os Sanios tem para vender Joaquim Jos Gon
Previne-se a alguns assignantes do bairro da
que se acham em atraso de pagamento
meu n. 69, sobrado confronte a casa de detencao.' ,r",e
------_!--------,-----.-------------------__ v Boa-Vista ...
- Quem precisar de urna ama de leite forra, da assgnatura deste Diario, que halan de manda-
com urna Bibiana, dir.|a se a ra estrena do osa- | |iagir na |mria 6 e 8 da |)ra.a a ,nde
rio n. 2, segundo andar, que dir quem _____i pendencia, visto como ha difflculdade de se acha
Ha precisao de um horaem portuguez que rem era casa sempre que e cobrador os procura
seja diligente para feiur de ura engenho, d-se e nao possivel que elle Ihes facara sentiuella a
bomordeuado, e mesmo nao se duvida dar um in- | porta, alias se fara annnnclos chamando esda um
leresse, preferrado-se hornera casado: quem se de per si para pagar, por mo ser possivel Ir 48
julgar sullicienle para desempennar esse lugar, vez s cobrar tao pequena quanlia como acontece
annuncie, ou se dirija a praga da Boa-Vista n. 32, a um dos mesmos. __ _________
que ah se dir.
dentista.
Tiram retralos todos H lias, M 7 hora*
da manhaa as 5 da larde, qoT cliova >o
nao.
Tambem se olTerecem para tirar MMk>
M los de pessoas fallecidas, denir- M Ha
da cidade.
Os aunuui-ianles de.-ejindo arri
seu 6labelecim<'n!n, garanem ar. pul.lirn
Wt que m nliuin trabaiho satura tm sua ellei*
S na,sem quena. ..ja ;rfe.tai: -M- a-al-a
gy do, e a vonlade d. fr-guez.
wVffl*1L MMWM m*M
Casa debauhos
Largo do C armo a. 6.
E^te e.-i itit-Uciiiiento tao Ix-m monladt) na
| j origera achava se de ha mu lo em ipia-i raplef
' abandono pelo pouco MhMM do mu adtoiais-
lrai.o.
Hoje |ue o novo proprielario empr-? >rj inln m
mei( S para re.-t.ibeleeer a grande uiil>4ait le
estabelcciineulo, |->d.- as.M-^urar ao (uMn-o .jr*-
qualquer oue seja o nuni.ro dos roororfci^s
acharao desde j promptido e m d> lu>aa->s
fros, momos ou niedicinaes. a ras.i <\><* biabo* *
achara abt-rta todos os dias das G luirs Ja "*nirsi
as 11 da noite.
Prego?.
Ilaoho de tbtifM...... 9
uiio Irio na morno..... :*m
Dito de farelio.......I000
Dito melicinal ser se-
gundo sua qualidade.
Assignatura.
Por mez banhofrio ra moran...
2o carines para banhofrio, mor-
no ou de chuvi>co..........
12 ca loes par os mesmos___
12 ditos para baolu de farello.
NJM
OC-M
V5WO
Para priucipiaute
Xa estrada nova do Cacnang, r>j in>*io da es-
trada, um dos mi.-inores luiare*, altua-se
A.Ht Precisase de urna ama de leite : na ra nova ver annuncie, ou dirija-se a ra Imperial n. 1.
de Santa Rita n. 55, segundo andar. Paga-se bem. | p;e(;i#a St de 0rfi(;aPS sapaleiros que sejam
Precisa-se alugar urna casa terrea, sendo as
ras Santo Amaro, da Paz, das Plores, do Sol, da grande casa com armacu a taberna, nova, .-ow
cascos, e faz-se todo negocio : qo<-m r-n t nJer -
rija-se a taberna amarella na mesma .'-irada.
fundo, com cacimba e arvoredo seudo a largura
do fundo de dito sitio 140 palmos.
Todos e.-ses predios no lugar do Peres da fre-
guezia dos Afogad^s a beira da estrada, que vai a
Santo Amaro de Jaboato e era ierras foreiras.
20 tiiulos de. dividas no valor de 6:6805369 rs.
e tambera 50 accoes da companhia costerra.
Sogumia-feira i4 O agente Cordeiro "imoes a requeriraento dos
administradores da raassa fallida de Anorim, Fra-
gozo Santos & C, e por mandado ,do lllm. Sr. Dr.
juil especial do commercio, levar a .leilao publi-
co as 10 horas em poni do dia designado os bens
cima drscriptos, no seu arraazem a ra da Cruz
n. 57._______________
Quinta-feira 17 do correnle.
Pelo ageote Etizebio
De duas casas terreas novas na ra da Concor-
dia de o& 67 e 69, chao foreiro, reodera 760,5,
De um soorado n. 7 na ra do Padre Floriano,
chao propria, rende 480,5.
De duas caas .terreas na roa do Gaz, sao novas
acabadas ha pauoos dias, de ns. i e 6, rende 16,}
por mez cada ama, ho foreiro.
Os procuradores do Sr. Francisco Jos de perfeitos no trabalno de ponto e laxa : a tratar na
Campos Pamplona (que se acha actualmente era ra da Cadea n. U, loja de relojoeiro, que achara
Mamanguapc liquidando a casa que all tem), de- com quem tratar.
sejarido estar a par do passivo do dito senhor, pa- r\ n -t -i rv/-\ Hf\f\r\
ra Ihes dar dinheiro a proporcao que Ihe forera i UTatlIlCtlvilO (lC I \)\Jfp\J{J\).
ehegaedo os algodoes, e mais gneros remelllos \ pa0 dos ahar0 assiona(los no ili.i 8 flp
pelo seu coinmiltente, sendo que ja existe era seu .f8 j lH-H ^ ^
poder alguma quanna, convidara os Srs. credores Janeiro do corrente auno, o seu escravo de
para que lites enviem as suas coutas al o dia 10 nome Jos com OS sigliaes segilintes: ca-
de agosto; lauto do que por ventura estiver venc- bra escuro. Cabello carapinho, estatura bai-
do, como do que se livor amda^vencer ; ,po^is H> c|le0 do ^^ ps |,,.gos e f.(z um ge.
Boa do Vigario n.i. t0 nas pernas quando anda, muito pouco,
'rupps Irmaos & C. barbado, e tem urna cicatriz bom visivel em \ cluesues jud'tiaes.
Os fllios do primeiro ii..irnii. tu. e
genios du(toadoluigadetru (aspar de Me-
nezes Vascmcellos de linmini>r..l. convi-
dara e |iedem encir cidamente a lujas as
pessoas que se consideraren; creres do
respectivo cas^ I se sirvam de MM na
ra da Aurora n. 20, dentio de 15 das n-
tados da presente data, das 0 as 10 horas
da maniaa e das i as ti da tarde, ara \e-
riicaco dos seus credit' s e ulterior aecur-
prelendem logo depois desse dia dar comeco ao WpWBKQ^oVaBdaV mdto^o 0 sobra seus pagamenlos, independenle
pagamento.
' Precisa-sede uina ama para casa de hornera um lado do queixo, e outra bem grande
solteiro em Santo Amarrado : a tratar no pateo do nas nadegs, preveniepte de surta CUJO es-
Paraizo n. 16. cravo compramos junto com oulro ao Sr.
Precisase de una ama : na ra do Ilangel capitao Silvino Guilherme de Barros, e este
n. 38, seguujl^aodar.__________g________.._ os navja cora,)rado ao Sr. Joao Caltral,
Preelwe de uma ama que tenha bom leite, morador em Nazareth. Consta-nos que este
paraaraaraenlar uina enanca de tres raezes mij escrav0 fi,ho (,0 Brej0 rfa yMn J, Deu8
de 1865.
R cie 8 de OJjnli
A ma
ra Direita, sobrado de um andar n.
quera precisa.
84,
Estrada de ferro
aonde casado o tem lillios, tendo-lhe mor-
i rido ltimamente a mulher: portanto n ga- \ criptorio.
irnos a lodas as autoridades policiaes a sna
Precisase de uma ama para o servico mvrao im
nma casa de pui.-a fanu : a tratar o. i>raca do
Corpo Santo n. 17.
Precisa-se le nina cosiuhelra para nm ra<
ingleza qne apenas consta de duas pessoas (*n*h+-
ra marido) : tratase a ra do Vigario w.% e*-
- Na ra da Florentina n. 36 prepara-se e mi-
0 abano assignado faz selente a quem nteres-, captura, e a qualquer particular se graltli- da por ceinmodo preco.
Bar nossa que pedio demlssao do lagar d chefe da cara COm a quanlia de 100^ se 0 troucerem | PrecisalTde uma ama noe entrada de bor-
ela,^,J,,.:Ai^:Pr.e,a'vist0 aol..econv.r(*ccu- seu3 senhorcs nesla praca, ma da Impera- tabea: na esiraia de J, oWs^TZmsV^
par mais dito Imzar.
Emilio Claudlno B. do Amaral.
Uma pessoa habilitad.! se offerece para en.
sinar primeiras letras era algum engenho: quera
triz, refloar.nu n. 46.
Luiz da Silva Ferreira & C:
Aluga-se una mei-agua com porta e janella,'
precisar dirija-se a ra de Santa Rita n. lo*. quintal, cacimba ; uma dita sem quintal, porra ;
Precisa-se de 1:5005 a premio por seis rae- i 212*5?'*' Pre,de'2* cada uma : uma dla Pr
zes, com garanta era um predio nesta cidade : a i "0,00 : oa rua do ^azometro, a tratar cora o Sr. I
quem convier annuncie por este jornal.
| lio passando a errada do Olho do floi. .V
| compra se ura carro para cooduerao em bota
do, e um boi.
Aviso.
Copeiro
Xa ma do Livramento n. 19 ha para alugar nm j Lisboa
ora criado captivo.
Precisa-se de uma ama forra ou captiva : na
rua larga & Rosario n. 35.
Saques sobre Usboa
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam sobre
no largo do Corpo Santo n. 19.
Precisase alugar orna preta que seja boa
engommadeira e cozinhe, sem vicios: na rua das
Cruzes n. 36, primeiro andar : paga-se bem.
A casa n, 61 da rua da Concordia, fregara de
S. Jos, pertencente ao Sr. Xorberto Mooiz Teixei-
ra Guimares, e igualmente os seos alou'neis,
est hypotbecada por mais de 2:000*. emo se **
no car lorio do Sr. labe I bao Sa.
_________________Marcelino Jos Luprn.
Todas as pessoas que deven i ei
de Novaes & Filho facam favor de maodar
rua do Livramento o. 31.
PH'


Diario de persambuco .alabado is le Agosto de fiSi'i.
AMA
Precisa-se ama ama para o servido interno e ex-
terno de urna casa de pouca familia : na ra da
Senzala velha n. 22. segundo andar.____________
Desappareceu hontem i i do corrente, pelas
2 horas da tarde, nm burro pequeo castanho,
com ama carga de oito arrobas de carne : quem o
pegar ou der noticias na ra da Cruz n. 30, rece I
ber urna gratiflcacSo.
Permuta-se urna cnsa terrea com 3 janellas e
1 porta, e 5 quartos, por tma nato pequea, dan- \
do-se a preferencia por perto da ribeira: quera
tiver dirija-se a ra do Alecrn n. t._______
Na noite de 6 para 7 do corrente mez de,
agosto fugiram do engenho Jurissaca, freguezia do
Cabo, dous escravos com os signaes seguintes:
Antonio, pardo claro amarellado, idade 22 annos,
cabellos annelados e curto?, sera barba, altura e
corpo regular, foi comprado a'dous mezes ao Sr.
Joao do Carvalho Raposo, morador em Iguarass ;
Jos, crioulo, bein preto, idade 24 aanos, olhos
grandes, pucha um pouco pela perna esqnerda, a
qual mais (ua do que a ouira, e nu tem barba ;
levaram bastantes roupas, como tambera coberto-
res de algodo, e una espingarda vellia : roga se,
pois, as autoridades policial que tenhatn em vista
principalmente o Antonio, que alera de claro, tem
o corpo sem signal algum de castigo, podendo mui-
to bem offerecer-se voluntariamente ou ser recru-
tado. Quem os pegar ou delles derem noticias cer-
tas, ou leva-Ios ao referido eogenlio, e nesia praca
ao Sr. Antonio C. M. Temporal, na ra da Cruz o.
30, Io andar, receberao boa gratifieaeao.
Precisa-sp de urna ama para casa de pouca
familia: na ra da Cruz n. 21, 1- andar......
Ricardo Bastos, receniemente chegado da
Europa com direccao ao Rio de Janeiro, tendo de
demorar-se alguns metes nesta cidade, e desejoso
de ser til aquellas pescas que queiram aprender
o francet, ingicz, e aprounlarem-se no coi so de
partidas dubradas, visto ter frecuentado os prunei-
ros professores de Pars, como Wulff, Monginot,
Talbotter, etc., etc.; as-im adiase habilitado para
facultar meios facis pelo svsiema mais aperfeicoa-
do e de prometa compreheu-o. Sea methodo 6
antes ludo a pratica, porque a pessoa, qualqiier:
que soja a idade, ohrigada a trabalhar em seu
gabinete orno n'um escriplrio, mas anda adqui-
rir urn vasto conhecimento do coinmercio era ge-
ral. Os successos obtidos na Europa por este sys-
tema de ensino, nao deixa vacilacues a quem pre-
tender obier conliecimentos do cornniercio, ou-
tr'ora tito difficil de comprehender-se em virtude
do misterio que guardavain quem lioham luzes
desta scieucia, que felizmente o progrr sso tem feito
desapparecer este abuso. Verilicaco e oiganisacao
de livi os, ele., etc., e correspondencia. E desejeso
de ser til ao comincrclo, ensina gratis aquellas
pessoas que provap-rri sen estado de impo-sibilida-
de. Pode-se comprar sobre a mais restricta des-
cripcao. Xa ra da Imperatriz n. 52, I* andar.
Aluga-se a loja do sobrado da ra das Flores
n. 3 : a tratar no pateo de S. Pedro n. I,
O abanto asslftnado notando que o contado'
interino dogeral no Diario n. 180 de 8 do correte,
em vez de responder ao autor da perguula nu mes-
mo Otario n. 175 de 2 do corrente, se dirige ao
mesmo abaixo assignado, que nada Ihe perguntou,
pois apenas declarou que nunca exigi e m Ihe
fot contada estada pelas intimuces por elle fettas
aes advogados e solicitacores dus despachos e sen-
tencas proferidas em autos, vem novam-nte fazer a
mesma declaraban, acresceuiando que nao foi con-
testado por aquelle contador era o seu annnncio
inserto no referido Diario n. 180, do que se con-
clue que essa contagem tem sido somente em fa-
vor de outros escrives I Recife 11 de agosto de
1865Manoel Joaguim BapUsta._____________
Precisa-se de >raa ama para todo o servico
de urna casa : na ra do Livramento n. 20, se-
gunda andar.____________
Aluguel de eseravas.
Alugam-se duas eseravas sendo urna moca para
casa de familia e outra de meia idade para casa
de homem solteiro, as quaes cosen, cosinbain e
engonimam : quem precisar t'irija-e en Santo
Amaro ao sobrado junto ao cemiterio Ingles.
Costuras para fazer.
Na ra do Queimado n. 27, dase camisas e cal-
cas para fazer, as pessoas que quizerem appare-
^arn com seus fiadores.______________________
Os procaradores: do Sr. Francisco Jos de
Campos Pamplona convidara a lodosos devedores
do nesno senbor que venliam satisfazer os seus
dbitos al o dia 15 do corrente mez de agosto;' no
escriptorio da ra do Vigario n. 2 -, prevenindo aos
nesmos devedores de que naquelle dia serio en-
tregues todos os ttulos e contas ao procurador ju-
dicial. Recife de agosto de 1865.
Phipps Irmaos & C.______
- Precisa-se de utn bon coziuheiro : a tratar
no sobrado n. 32 da ra da Aurora.
O Sr. Joao .Miguel de Olivcira Beral-
do jucira dirigir-se a ra Nova n. 60 : a
tratar de negocios que llie dizem respeito.
Precis-se alugar urna ama que saiba bem cozi-
nliar e comprar, prefere-se eserara : a tratar na
ioja da ra Nova u. 11.
CflflPEAS
Compra-se elleciivamente ouro e prata em
ooras velhas, pagando-se bem : na ra larga do
Rosario n. 14, loja de ourives.
Siivino Guilla-me d Barros compra e ven-
de effectivamenle escravos de ambos os sexos :
ruado Imperadorn. 79, terceiru andar.
Ouro e (trufa
em obras velhas : compra-se na praca da Inde-
pendencia n. 22, loja ile I.Hieles.
Compra-se um sellitn iin meto uso : na ra
de Santa Thereza n. 38.
Compra-se ouro, prata e pedras preciosas,
en obras velhas : na ra da Cadeia do Recife,
leja de oorives no irco da Conceicao.
Coinpram-se moedas hra>ileiras de 20$
215 : na ra do Crespo n. 16, primeiro andar.
? 11D i S.
Vtndem-se pal me i ras imperaes, em estado
de Tem Iransplaoladas : no sitio murado es-
querda, depoto do beccj do Espinheiro, nos Af-
flieios. _______
Vinho do Porto superior em caixa de duzia,
tem para vender Antonio Luto de Oliveira Azeve-
do & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Fio de algodo da llatia.
Vendefse no escriptorio de Antonio Luiz de Ol-
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1.________
Vendem se tres eseravas moyas com hbil
dades : a tratar na ra de Apollo n. 18, armazem"
Vende se um preto crioulo, Lera mogo : no
pateo do Terco n. 141.
Vendem-se b3rris de o" com mel de furo
bora : para ver e tratar na ra do Vigario n. 29.
Na fabrica de vinagre, ra Imperial n. I, ven-
dem-se cubos grandes, quai tolas, e ancoretas.
Vendem-se saceos com farinha da ierra mili-
to boa, com 22 rulas cada urna, a 3500 : no ar-
mazem da ra do Imperador n. 83.
Vii'hos do Porto
das melhores marcas, em caixinhas de urna duzia
de garrafas para casas particulares, sendo : Lagri-
mas do Douro, Duque do Porto e D. Loto ; tambera
tem ancretas de dcimo encapad** com superior
vinhrt, barris de o e IO en pipa : na tua do Vi-
JJario n. 10, primeiro andar.____________
Vend-i se um moleque peca de 13 a 14 an-
nos de idade, proprio para pagem : as Cinco
Puntas n, 11 i. _____
Vende-se urna nagriuha que ja cose soffrivel-
mente e muitocarinhosa para enancas : a tratar
no Ierro da Boa Vista, loja n. 20.
Vndese urna cadeirioha de ar uar quasi no-
va, toda forrada de seda e por preco commodo : a
tratar na lo;a o. 18 da ra do Queimado. _____
Vende-se
barato um piano do mesa em perfeilo estado, ou
troca-se por ama machina de costura : na ra da
Cadeia nova n. 15, sobrado confronte ao maro da
casa de deteneie.
Loja do gallo violante ra do Crespo
un ni mi 7
Xeste eslabelecimento encontrar o respeitavel
publico um grande sorilmento de galanteras e
otjectos de muito go.^to que tem chegado nestes
ltimos navios e vapores de *ua propfia conta, que
por isso mesmo vender pelo menos prego que
Ihe for possivel, como sejara :
Leos.
Os lindos lencos imperaes para senhora cousa
inteiramenle nova.
Albims.
Albuns muito finos cora rapa de madreperola e
de lariaruga com guarnigo de prata para 50 e
100 retraios, assira como de outros mais inferiores
de 20 a 50 retraios.
Mtisicas.
Liixinhas ricamente enfeitadas tocando duas
pecas de msica propria para mimo, assim como
caixiuhas pequeas com msica tanto de veio co-
mo de dar corda.
Vestuarios.
Riqtilssiraos vestuarios de seda para crianeas as-
sim como touqumbas, sapatinhos e melasiuhas de
seda.
C'rtpcIluM.
Rlqulssimas rapellas brancas de (lores para noi-
vai, assim como meias de seda brancas.
Porta boqnet.
Riquissimos porta boquet cora cabo de madre-
perola para flores.
f.cqncs.
Riquissimos lequesde madreperola e de snda-
lo assira como de osso.
Livriuhos.
Riquissimos livrinhos com capa de tartaruga
guarnecidos de prata para missa.
Aderemos pelos
Riquissimos aderecos pretos sendo pu'seira, ro-
zeas, alfinete e volta, assim como de cores fiugin-
do perolas.
Brincos.
Riquissimos brincos e rozetas de todas as quali-
dades e goslos modernos.
lioneras.
Riqosslnias bonecas de porcelana e de massa e
de cera, assim como os (jue fallara chamando por
papai e niatr.ai.
Pcntes.
Riquissimos pentes de tartaruga para senhora,
assim como para menina e de rauitas outras qua-
lidades.
liuefen para eitaa de mesa.
Riquissimos eufeites para cima de mesa e para
toillel.
nivelas e sintos.
Itiquissimas tirelas de madreperola e de metal,
assim corno bonilos sintos.
Flores.
Riquissimo sortinenlo de llores o nais fiuo que
se pode desejar.
logo para familia.
Riquissimo jugo de vspera em caixinhas de na-
deira envernisada o pedras linas proprias para en-
ireteiiinunto de familia.
Para vlagcm.
Riquissimos estojos com lodos os pertences linos
para homem.
Pitas,
Riquissimo sorlimenlo de utas de todas as qua
lidades e lindos gostos.
Fraaja.
Riquissima franja de seda de muito lindos pa-
drees lauto de cores como prelos, assira como de
borlla e sem ella propria para cortinado.
Trancas.
Riquissimas trangasde seda pretae de cores as-
sira como de algodo e de a.
Perfumaras.
Grande sortimento de perfumaras de todas as
qoalidades e dos melhores autores al o presente
condecido e muilos outros objectos que so tornara
enfadunho mencionar, ii-to o s no vigilante ra
do Crespo n. 7.
Jiivalsem segundo
Hua do.Queimado lis. 49 e 5$, loja Bliudezas de ti es portas, est quei-
uiamlo todo lioiu ebarat", quera qiii-
zer ver c admirar venliain loja iii^O'lilliiO.
Caixas de papel amizade, e sem ella liso e pautado
a (JUO rs.
Grozas de botps de louca praieados fazenda mo-
derna a 100 rs.
Duzias de peona de ac fazenda boa a 40 rs.
Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
Escovas Dnissimas para limpar denles a 240 e
320 rs.
Pulceiras de contas para senhoras a 500 rs.
Pecas de lila de cs estreitas cora 10 varas a
320 rs.
Caixas com clcheles francezes, superiores quali-
dades a 20 rs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pecas de cordo para vestidos, fazenda ba a
20 rs.
Baraliios muito linos para vullarete a 200 e
240 rs.
Frascos com agua de Florida a 15 e 1,5280.
Frascos com superiores bauhas a 500 rs. e 2$.
Frascos com banha, porra pequeos a 200.e
240 rs.
Latas com superior banha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muito liuo a 200 rs.
Frascos e garrafmhas com agua de Colonia a
100 rs.
Fra.-cos grandes com superior agua de Colonia a
640 rs.
Frascos cora superior oleo de baboza a 400 e
500 rs.
Caixas com 12 frascos de cheiros muito finos a
IfiOO.
Saliorieies pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
Duzia de .abneles pequeos com cheiro a 700 rs.
Agua deuufice superior qualidade a 800 rs.
Caixas com superior p de arroz a 8 Frascos de superiores essencias sanlal e outros a
15200.
Frascos com essencias para tirar noduas de roupa
a 500 rs.
Frascos com cheiros de todos os precos a 160, 200,
210 e 320.
Frascos bonitos com cheiros finos a 500 rs.
Duzia de meias muilo linas para senhora a
U800.
Gollinhas muilo finas para senhora a 200 rs.
Caixas cora soldados de chumbo para meninos a
1GO rs.
Duzias de colheres de metal para cha a 800 rs.
Ditas dita-dito para sopa, fazenda boa a 1C00.
Pecas de fita de laa para debrum de vestido, com
10 varas a 600 rs.
Das de bicos superiores, para acabar a 600 e
800 rs.
Pedras de lousa para meninos a 160 rs.
Caixas de lampannas para 3 mezes a 50 rs.
Dunecos de choro e panno a 160 rs.
Caixas com bonitas eslampas para rap a 100 rs.
Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
Grosas de boioes pequeos pretos para calca a
100 rs.
Frascos cora superior agua de Colonia a 120.
varas de cordo de espartilho a 20 rs.
Novellos francezes com 20! jardas a 40 rs.
Pecas de liras bordadas a G40.
dem com recortes a 15380, 15800, 25 e 25500.
Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
Duzias de meias cruas muilo fortes e superiores a
353OO.
Resmas de papel de peso pautado a 25800 e $5500
Vende-se 40 palmos de terreno na ra da
Concordia : a tratar na ra do Alecrim n 10, das
3 horas as 5 nos das atis.
AVIS.41I
GREGORIO PAES DO AMARAL & C
que receberam pelo ultimo paquete.
O UIJlIS ICO SOTI*IEIVJrO
DE
GUIPURE
raaHufacturado em
Grandes chale granadino
Bournus
Botonaos
Treanon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de cores; magnficos desenhos, de gosto modernsimo.
ANT01N
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto, a mo-
reantique ou giosdenaples. Barras e laco bordados a fi oco e vidrilhos, sem depende-
lem de modista para os fazer, visto trazeretn o corte debuxado.
ia
Glac-royal, em pegas com -listras de seda primoramente bordadas ou matisadas,
fazenda inteiramenle nova de bonito elTeito, para partidas, soirs, theatros, passeios, etc.
IIOITBLES CAPAS
e SOBRETODOS de panno mesclado (itnpermiavel) vindo no ultimo vapor
De. um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATAS, MANTAS
decores, muilo bonitos padrcs a oOO rs.
BONETS de pa ha ricamente enfeilados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFEiTES
Costantes il- fustao euieitatlos para iran as
E innmeros objectos de modas recebidos directamente por todos os paquetes e
escolliidos caprichosamente dos mais modernos gostos-da Europa.
F.i/.Sv\Ei.iS PARA iiohum.
Casimiras modernas de quadros, panno preto. e de todas as cores, bros, sobre-
casacas, palitos caigas, colotes, camisas, ceroulas, lengos, meias, etc.
giiu mm.
(olletas de niarroquin, toni cascau-is
c sem elks.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca 11. 8, vendem-se coileiras de marroquim, I
pospontadas e com casca veis, ou >em el!es
proprias para caes e outros biebinuos.
Pendas iogle/.-stlcaco e douraas.
No novo sortiraeato de petmas de ac que
a Aguia Br..nca acaba de receber, vieran
tambem ostras de metal r)oarado e bicos
uu: bem acabados, e p-r essas boase ne-
cessarias qualidadcs os .eus acreditados fa-
bi cantes l'erry & C, asrecoaunendam aos
entendedores apreciadores do boin, valen-
do mesmo a dillerenca <\w ha no preco de
urnas para outras, por que estas se tornam
mais dorareis na coniinuacio de escrever ;
assim pois quem deltas se quiz.r utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na ra do
Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas e sem ellas para
cortinados,
A Aguia Branca recebeu um bello sorti-
; ment de franjas com borlas e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenlies, cuja cenipjediJade do preco est!
em relaeSo a larguia : acham-se ellas a ven-,
daa ra do Queimado ioja da Aguia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia <>u curioso cotreteiii-
mento.
Na rua ilo Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venda por precos ra-
zoaveis, caixiabas comtabolas de rnadeira,
quedas diversas pinturas deltas se formara
agradareis vistas e paisagens, segundo us
desenlios que aeonipanham. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe la a curiosidade, e apura a ia-
telhgencia. Os apreciadores dirijam-se
rua do Queimado, a dita loja da Aguia Bran-
ca n. 8, que seao satisfeites.
'fallieres para meninos.
A loja da Aguia branca, na iua do Quei-
mado n. 8, recebeu novo sorlimenlo de *.a-
lbere- para muimos.
Bello sorlimenlo de la Gna.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n.
8, recebeu novamente um bello sorlimenlo
de la fina, de bonitas e agradaveis cores,
entre as quacs se eham aigumas que se
nao encontrara em qualquer outra parle, e
que muitas vetes sao necess-r^as para os
dffferentes matisados que com gosto prin-
cipiam as habis piofessionaes ; assim pois
j se sabe que a falla cessai uina >ez que o
portador se dirija cora dinheiro rua do
Caeintado; I ja da Aguia Branca n. 8.
lintos eufeites para smlioras,
A Aguia Branca acaba de receber un no-
vo e lindo sortimen o de enteiles es mais
PIIXX.l* VBCBTAE1
t.o
DR. AYER.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
mm
s i

^s?^-
'&
iijoop
8^500
apaado
Prancez barrica
l'oril.'mii dem
Em perfito estadu:
Trance?. Larrira 105000
Prlland idera 125000
No armazem de Tassq Irmaos raes do Apollo.
lilFH 01 t'iLlJa
A loja de loura da rua do Crespo n. 10 tem para
vender qnandade de azulejos de lindas e variada
L' UC.4S, VIDROS E
|Atten$k> o barateiro de ob-
jectos' chegados de novo:
grande sortimento.
Vendent-se dous grandes lustres de vidro liaos
erm 24 intes, do melhor goslo e por prego razoa-
vel: assim como apparelhos para cha e para jan-
tar, brancos e de cores dilTerentes; ditos de por-
celana douradgs e piolados e brancos; apparelhos
para jaolar de porcelana branca; tainr.ein .-e ven-
dem em pegas separadas, como os fregutzes qui-
zerem, coinpoteiras lapidadas para doce, clices
para vinho, ditos para champagne, copos para agua
e para vinho finos e ordinarios, em caixao e a re-
talho; lanternas de toilas as qualnlades de ridro;
de casquinho inglezas muito liuas; candela-
vidro e de bronze; serpentinas, vasos de
o NSo i'-< neo j.e*
/?$,/ ral m i \J'^5^dc t.i.i purgante que >
^rO^mesiiiH i-rapo iiiricriiii-'. .: :r.
/r.:-^n% C >\\'r..'< ile lul; a confil, -
?M* As 1 iiulas que ora
mes ai publico prcciu h. 111 >^tas
eondices ; pois pdein ser te-
madas [telas pessoas m.
sem p.-ii^o .iljjiim, nti l*-r.
sua c i ; osiro mercnne m
r&? outro ingrediente bocto i
JjW"" de, mas sendo com|toslo ea-
gentes vegetaes raui feries, rito
llicienles e activas para purificar >-
mais robustos.
lisias a exteuso do canal alimenticio, e i.. r
a todas as partes do organismo, ro
sua aecao viciada o fazendo rccu[ i;a
vilalidade
Una re.edio inestiinavel contra < V
cabera nercosa, (M^vfaWM, //-
trp, keinoi rhoitl'is, molestt* do -
bre tjastro-hviHitica, e led.is aa ..
biliosas que teem sua origem hn 1 r
ment do ftgadn itite causa a 1 1 la
bilis na infommace d'eaie "rg-
duz derramaaaenl i da i iiis m aati > .
em u:a desarrasjo geral dos org:-. -
tivos.
\ CQV<:1:1
produzida pela al ;/ i a
sangue, dando h pcjle e aos < h< >
amarellenla ; nao e saacaia !
si, pormeonduz aes mais aerial 1
tos.
Para cura-la ti ma-ce de I 1 .'i
das as manhas, blo bastante | ira
o teir &awo'.e ;ii que se re> i
Cao .-Ha do systn:;;.
Mal ilo fyado, febre tjash ,-! ,
ditinhert bilios*'. indifft afaW, a
ou tic tlmlaia- *ao todeu :.
ii'tna deaarrai.;
,ilCt"S '1
, iiiiu (ue circe!;
e causa aatng
proJuz utua x. .
ditas
bros
core?, assim como toucas de todas as qualidades, porcelana e de vidro para flores; bubas hambur-
I ilo bonitas pinturas e yosio moderno, ricos appare-
j Utos de porcelanas brancas doiiradas e de cores,
' vtdros il- todas as qoalidades, inclusive (iuissfmo
chrysial, diiicados jarros de chrystal e porcelana
para llores, figuras e outros muilos objectos de fl-
aissima porcelana denuininada biscuito para en-
feiles de mesas, tic, guarnigors de linissima por-
celana branca douradas e de cores para lavatorios
e tateles, ludo do niellmr goslo, pinbas de louca e
vasos para jardn), candieiros de lamparinas para
gaz, glubus o cbamineisde vidro, boctaes e todos
os mais sobrecelentes para os mesmos, saz liquido
de superior qualidade, e muilos oulros arligos qu
seria eufadoobo mencionar, ludo por pregos mui-
issimos razoaveis.
La tina para bordar. ,
Na loja de miudezas rua do Queimado
n. 16, vende-se laa lina, de vivas e agrada-
veis cores, to propria para bordados como
para louquinhas, sapatinLos, etc. : quem
pretender dirigir-se a dita loja na rua do
Queimado n. 10.
I<"rauj.t8 largas para cortinados
Na loja de miudezas rua do Queimado
n. IG, encontraro os pretendentes um va-
riado sortimento de bonitas franjas largas
para cortinados, coberlas, toalhas, etc., cu-
jos preces nito desagradarao ao comprador
que attenier a larguta e qua idade de ditas.
Peunas lo aradas.
A loja de miudezas rua do Queimado
n. 10, recebeu essas novissimas pennas de
metal dearado, cuja encllente qualidade e
perfeicao dos bicos as tornam mais durado-
ras no exercicio da escripia, pelo que os
seus acreditados fabricantes Perry & C, as
recemmcndara ; os apreciadores do bom.
Tambem se encontrara ouiras pennas de
ago de dilTerentes .calidades e dos mesmos
fabricantes tudo na rua do Queimado lo-
ja de miudezas n. 16.
i'iuVles dotos e bonitos.
A toja de miudezas rua do Queimado n.
16. receben novos e bonitos enfeites, obra
moderna e de gesto, e es est vtndcndo por
precos coramodos, variando estes a vista
das dilTerentes qualidades, sempre agrada-
veis aos apreciadores do bom.
.Meias braneas croas e de cores
para criancas de G a 19 mezes
Na roa do Queimado, loja de miudezas n.
16, vendera-.e por precos razoaveis avista
das qualidades, meias brancas cruas e de
cores para criancas; assim como outras
para senhoras, e cruas para homet*.
i'apel pardo folua grande.
Esse papel pardo que por sua boa quali-
dade e grande tamanbo da folha, serve bem
para embrulhar corles de fa/.endS, cortar
moldes de vesiidos, etc. : acha-se a venda
na rua de Queimado loja de miudezas n. 16.
Barato para acabar.
Caixinhas com 4 papis de agulhas france-
zas, limpas a -I'O triscada urna
Paos de pomada franceza, a 80 res um.
Duzas de sabonetes de cheiro al^e 1#200
a duzia.
Carlees de liohas brancas e de cores, a 20
ris cada rm.
guezas para resfriar agua ; barricas com appare-
lhos de mesa para jamar; gigos com apparelhos
para cha; c outros m jilos somtenlos de lodas as
qualidades e precos commodos vontade dos com-
pradores, que se'videm na rua da Cadeia do Re-
cife junto ao arco da'Conceigao n. 6't, e na rua
Nova no giande armazem de looea e vidros junio
igreja da Conceicao dos Militares n. 49
s
9
modernos e gostos inteiramenle agradaveis,
e como seu louvavel costme os esl ?en-
dendo baratamente a quem com dinheiro se
dirigir ruado Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de laa para senhoras.
Vendem-se na rua do Queimado, loja da
Aguia Brenca n. 8.
Mala mosca.
Na loja da Aguia Branca acha-se a venda
o papel com compOMcao para dar fim as
moscas, sendo o modo de usar faeilliino, e t
effeilo efficaz : melba-se o papel e deixa se
ct n'um prato, e nelle pousando as mos
cas, entristecen! e morrem. Cusa cada fi>-
Iha 40 ris: na rua do Queimado, loja da
Aguia Blanca n 8.
Meias prelas de seda para senil .-ras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
gao de meias prelas de seda para senhoras,
e apesar do muilo raaior pre.o que Ibe cus-
laram e e bom oslado era que anda eslo,
comtudo esl reselvida a vende-las aoO
ris o par, aflm de que nioguem mais calce
meias pretas de algodao, ag ra pon apro
veitarem a qirdra e' dii girem- e rua do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8. Tam
bem vender as brancas a !# o par, e des-
tas o nico defeilo estarem um pouco tri-
gueras,
Diversos lirii.quedos e eiilrrteiiiriionto
para criaiic..?.
A Aguia Bornea na rua Jo Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
cas, sen-Jo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparelhos d? metal, louca pinta-
da e porcelana dourada para almo?' e jan-
tar e muilos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na rua do
Queimad >, luja da Aguia Branca n. 8.
ItlVAL
SEM NE&UXUO
Rua do (|nelniado us. 49 e &&.
Contina a vender ledas as miudezas que abano
declara por pregos adoairaveis.
Hassos de palitos llxados para denles a 100 rs.
Espelbos de molduras douradas a 200. 240 e .'20 rs.
Bonels de oliado para meninos a 1(HK).
Ditos de couro superior fazenda a 15500.
Fra.-cos com superior tinta rucha a o rs.
Meladas de holia froxa para bordado a "20 e 00 rs.
Babad-i do Porto, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a tiOO rs.
Grozas de pennas deago, fazenda superior a 00 rs.
Grozas de botoes madreperola (icos -a 30 e
e 640 rs.
Caixas rom 30 novellos de Tlinha do gaz a 700 rs.
Caixas cotn superiores ubrelas de cola a 40 e SO rs.
Pegas de fila branca 1 laslica eom 9 varas a 280 r?.
Varas de franja de laa para enfeites de vesiidos a
40 rs.
Baralbos dourailos superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linlia com 400 jardas a 0 rs.
Litis para assnilos de ronpa lavada a 100 rs.
Pares de bolitas para ponho, farenda rica a 120 rs.
Ti-si'iiras para cosieras superiores qnalidadesa
^^^^^^^^"^^^^"^icaS^ennas de caigrapbia, fazenda boa a
tem seu comeen
A obstucarao i'
vol cr ao saogoc
vem todo o cor;
Irosos saude
meravel liemalei
Todos esles ii
1

i
r
-
.1-
-

dos sao cu;
as pillas do ln. Ayer.
Direcces miou sai *m\
frasco.
Vende-se na pfa irisada km
rer C, rua N sa 11. 18.
AGENCIA CENTRA?.
15 laa kiircUa
RIO I Il t A \
Ve;iile-se em Peraaoti
PHARMACIE FRANCAIS
deP.MARERC?!
RUA NOVA U.
ta
'

2d-mb = ooi ar< 5T o o s o
SaS'g^o.ff'Soc.8S

1
co
o
o "
3 -
CE
(D
" Z'? as
c = s -a 2. s
a
s r/3 jz a.

{? =' 2..
o
o cr- 3 o 2. "
< o 5.a f *
- e 5 -o =
si.
3 w 3 cr5
o
ePg'S.g
) aa ^ ^T* *+
2. 3" ^ S o
M 3 o a
3
3^3
e;3^
"O
CD
J.
350""
O as as
era Z.
n a ->
as o.
P aTg- =
I
I
2.
a
0=1
a
3
3 _
a o
Es"'!* *
a ss a
s-tlO
Ow C 2 O
Pili
as
as as s
as 5>
ssn
o
s
>
O
o
- Veinlc-M' urna uranU
ilatle outr*ori ileienuer, ctH :
le para a rua !a llnieulii
ilo IS itiorala> de ra^ss, a!i:
principio como tt 'e *tr I \.,
formal il \\m> na it t!i
te-' 110 boto MCa apibaiikc r i
4:8U0a aiiiiuah.ciilo, arliamn 1
octii|iad s. us ireleri enlrs :'<
se ; o esc iplin :d le. iilkfn
va (uimai-, m
priueiro uni.u'.
WiiCiO.
Verle->:' a |oj misdt zas r. 7
da Impera! h eom pooco faa>Io : 1
na mesma loja.
v
ra
I
H
Seanne.
Vendem-se sem 'M ia arrtai
rua iia Cadeia u. 90.
IrASSA E XAROPE
BERTH
COM CODE1NA
Preconizados por todos os mdicos contra-
as Defluxos, a Grippa c todas as hftktttm
do ptito.
AVISO
FalsificacSes reprehensiTeis exciuda* pe'..r
successos do Xarope c da Massa de Ber--.
nos obrigo a recordar que eases produ<-:.. =
lio justamente ^^^^
nomcados nao se m(Z^. .
cntrcgilo seno era C_^\_3?/5f*:^ *
bocetas e cm fras- __JSv^C_!i^S^-
eos com a assigna- ------" \
tura aqui indicada, f'-"^.'-'*-**'-'- ^
151, ru Saint-Hor.or, RA PHAM\c-A
M'vre. c i'r. todas as pharmai -.
Tasso Irmaos
Veodem no seu armazera rua do
Amorim n. 3o,
Licor fino Curac^o etn botijas e meias botijas.
vidro e em lindos frascos.
Yinhos"Jheres.
Santernes.
Chambertio.
Hermiiage.
Borgonhe.
Champagne.
Muscatel.
Reino.
Bordea nr.
Cognac.
Od Ton. '
AzeitePlagniol.
lOOO.
Massos com superiores grampoa a 30 rs.
Pares de sapatos de lianra tapete a 15-r)00.
Pares de sapatos de traeca para menincs a \ e
15280.
Caixas ci-m superiores agulhas a 2i0 rs.
Libras de laa sorlidas de bonita* cores a 70O0.
Uias com superiores obreias de massa a 40 rs.
It idiuhas coro aHiaetes fraucezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 2400 e 800 rs.
Bscoras pata roupa, fazeuda bol a "0 h i.
Duzias re lesouras cun toque de ferrtigem a
000 is.
Duzias de facas e garios do cabo preto a 3-5000.
Talherea umita tino para criancas a lo rs.
GAZGZ GAZ
Vende-se gaz ila melhor qualidade a
machinas americanas de serrote para descarocar li a lata : nos armazensda rua do lm-
algodo : na rua da Senzala iNova n. 42. perador n.16 e rua do Trapiche Novon. 8.
V>nde-se urna ptima escrava moca de boa ----------r .. ---------
Qpura : a tratar na rua da Cadeia n. 40, loja de! tolla ua Ballia SOperiOI*
relojoeiro. Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo c\
Vende-se urna armacao de urna taberna com
poucos fundos, proprU para um principiante, sita
na rua da Imperatriz n. 43 : a iraiar na rua da
Cruz, casa de Antonio Lopes Braga & C.
Vendem-se
Ta*so Ifnios
vendem gesso em p para estuque de casas, tijolos
finos de feitto diversos para ladrllho, azuleijos de
diversos goslos, tijolos vid ralos para parede de co-
zmha, canos de barro para esgoto, cemento em
barris de 10 arrobas.
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. I.
i>Nva de pellica.
Receben pelo ultimo vapor lidas luvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senrora? : s
quem receben foi o beija-flor, ua rua o Queimado
numero 63.
^
jeposito geral etL Perbami
Crnio.22 em casa de Carr- i Raj]
Aciia-s.'
v. ma na livrarla ;.d-niica, na itaw I
dor; na du Sr. NogniT.-. Joan i ar^
Anl-jiiii); a na lyiu^-.^liia iataairial, ia
ireiia do Rosar i-i a : ; -Isea i de 'o^.u :.
lendenle sdn-iiiiir!Mc.7.o, a MtttuM* t
sacio dos dit.hrtr" de oraMni rfam
tes, heran^as Jarentes, trfaaa, i.-.. ai
s o regiment de rosta* e a l>i treral i
coes, cuii-ii lamlielii IbtfM attnrBl :.-.
governr-. ijtle a ini.'n -r-: i XpHf** ; .
to das otirigacf" '< :>rt. a. t%t%*
tes empregailus de |0(Ofa e batata, r av :
reilos naiinriaes e cflmluTr-fMM ,- -.
Estu livro roitleado ; ...- isnprenio t bom paptl. fnttmw..... .
de dilfi-rmies rlassr, turasvaa r--r. i *
Seu rusto lUilW aaf cada ti~ [Ir ii
tomos.
\ovena de ~\oss,\ Alcabora .. i
enraso c de SanlMon.'.
Vend -se r. rua dn Imperad..r n. IV
de encadernacao : oolilri. -alve v.-r >-
na f. salw ri" Ni>ssn 8ea>ani do Cana .
Ihcios por 300 rs a norem d lam'J
320 r^________ ______
Farinha.
Vende se fatin!i.i r mandiora ausa n> *.
eos grande- a 45 : n n 'ir. i :.
te nova dos Srs. Tas.-o not, aara i^r.. ?..
rua ila Madre de Ders ns. 3 e 9.
Para destruir retel e barate*.
Prepararan aleta recntenteme aftaas '-
dse etn pol-s oa barro, n.i irawan mn "
Dos n. 9, armazem, a 040 ra 11 am, c i >
igSOO.____________________________________
Cal deUakM
a granel a I^jOU por urna aarriaa: ni ru^ > v.
gario n. 19, primeiro andar._________________
N'o armazem do pateo do Carrao, t
roa de Hortas n. vend -e aaifat hraoc r-xn->
alvo e serco, pro| ric i a A c. d? t. 'as a- \
dades, em por^o e a reta!>, pj.",;.';


fT_ .__


Diario de Pcrnambuco Sabbado lt de Agosto de l 86*.
/
5=3 31
GEN ROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRANDES ARHAZENS DE HOLIhDOS
DE
duart:
a y pateo do Carino n. 9 arinazciu Progressivo ra do Queimado a.
.- f. 'i Uaio e Commercio roa do Imperador n, 40,
~s Principal armazem de molhados.
OS PROPRIETARIOS,
Fazem sciente ao respeitavel publico, e com especialidade aos senhores de en-
gp.nhos, lavradores e mnis pessoas do Cintro, que para mais facilitar suas compras deli-
oeraram os propietarios dos tres grandes armazens, reunir todos os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de todos, proraette-
mos que nao infringiremos a tabella que abalxo vai publicado, annunciar os geieros
por um prego, e na occasio da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em oulras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesrno enm prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero lam em servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os pregos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
algjma que fizer sia despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Maoteiga ingleza perfeitamente flor chegada dem com 4 a 5 ditas a 35200.
oltimamente no vapor Saladim, del# dem vasios de todos os tamanhos a 25000,
a 15120 a libra e em barril ter abat- 13500,800 e (5iO rs.
ment. Queijos d i 25300 a 20500 os mais frescos.
Idea francea rauito nova al/Ja libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa e
em barril ter abatimeato. j 20000 a caada.
Banlta de porco refinada a 610 a libra e em dem mais baixo a 200 rs. a garrafa e 10400
barril ter abatimento. j a caada.
Cha uxim de superior qualidade a 20600. Azeite doce de Lisboa muito fino a 600 rs.
dem perula miudinho a 20700 a garrafa e 45U00 a caada,
dem hysson especial qualidade de 20500 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400
AURORA 6RILHANTE
GRANDES ARMUENS
Largo da Santa
JgCruz n. 84, es-
sCruz n
ESPECIAES i
quina da
Sebo.
da SantalY4\
84, es-W
ra
rora BrllhantrT?adraUI't0acredit;,do armazera *3E5S1SZ338*S
A ^"(ifnhwihPila JSZ mesmo so"nento de gneros de primeira qualidade.
! ReSaiS v"ira ? tdos de base Para ajuste "e comas aos portadores.
peio SSKSSSSlSsi bara,e melhres ao a Aurora Brilhante- *'
| ero qaanto enegtte Z ms mT* por<,ufsea dono s deseja tirar dira,nQt0 lu~
roveitar o DnonSufa h, i/ as de'pezas do tobelecimenl.) por isso deixe se a-
Untes fregueze? fazer toda a diliencia. ^m de servir bem os seus cons-
LaaS8 'braS dechoari^ muito novas,

o
o
D mfffiSVT/S1" em PSIasinteiras,
5H^ ""* 13000, 13280e
petisco para fri-
20000 a libra,
dem preto muito especial a 20000 e 20400
a libra.
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a
libra.
Latas com biscouto de todas as qualidades
a 13200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Li>hoa) proprias para dar a doentes a
:> o 30 a lata.
f? il ixinha ingleza muito nova a 30500 a bar-
i i e a 240 rs. a libra.
Latas con holaxinlia de oda e oval a 20.
Presunto inlez para fiambre chegado no
a libra,
oovos a 900 rs.
a libra, e em barril de 5 arrobas a
100500 a arroba.
Cerveja Bas do fabricante Sblers & Bell a
60500 a duzia e 640 a garrafa,
dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 60000
a duzia e 560 a garrafa,
dem marca H Vicloria Alsope e outras
muitas marcas a 50 a duzia e 500 rs. a
garrata.
| Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e j
180 rs em caixa.
Sabao ioglez superior a 180 rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 70000,
70500 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do Maranbao 30200 a arroba e 100
rs. a libra.
1*400.
Ditas cora ostras, -xcellente
gidjira, a 720 rs.
'DU^cora?^6RenSPadas.a"0r,
jSSUSST d0 afaraad0 rabri*ante
Ditascom massa de tomate, oOO rs
D.tascom fiRos de comadre, novos.'a
pES bolachinba de soda mQit oras, a
nWSSC"ng,ezes de m,iia3qua-
1,5300,
Caizinhas
ultimo vapor a 800 rs.
Ch trieos e paios muito
;i libra,
irisas com macarrio talharim muito novo a
55000 e 320 a libra,
ia branca c amarella a 500 a libra.
late portuguez de especial qualidade a
800 a libra. Mena da India a 20600, 20800 e 100 rs. a
[de o suisso de 800 a 10000 a libra. I libra.
dem hespanhol verdadeiroa lO0O a libra Cbaratos Normas deHa vana a 505
que j vendemos a 1#400.
Doce da casca de goiaba em caixoes
de 4 e
meia libras seguro a 10SOO,
Idea em caixoes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 'i40.
id! n secco em bocelas ricamente enfeitadas,
contendo pera, pesugo, ameixa, rainba.
e outras finias a 3-5000 cada urna,
dem em calda em latas feixadas hermtica-
mente mno bem enfeitadas, contendo,
pera, pos^go, amenas e outras frutas a
'O e 700 a ata, tambera temos latas
grandes a I200.
Uai 'orlada dos mellares fabricantes, em la-
tas de 25000 a 141200.
dem em latas de 1 Ij2libra a 10.
Mein em atas de 1 libra a 640 rs.
(minas em latas chegadas neste ultimo va-
por a 700 e de 5 para cima a 640 rs.
PeijSo verde ou carrapato em latas j pre-
parado a 640 rs.
Ameixas em frascos de vidro a 10500.
dem em ca.xinbas ricamente enfeitadas de
1200 a 20503.
Conservas Mexide muito novas a 700 rs. o
frasco.
dem de ceblas simples a 700 rs.
Molbo iglez a 640 rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco,
dem j preparada a 320 rs
Lats com massa de tomate de 1 libra a
OJ rs.
dem em latas de 1 l|2 libra a 900 rs.
Vr.ihosem garrafas vindos do Porto, Madei-
ra Secea, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Cascavallas, Maria Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Vellio Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 10 a garrafa e 90 a 120 a duzia.
[dem Palmella a 10 a garrafa e 110000 a
duzia.
dem em pipa de todas as marcas Porto,
Figaeira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
rafa e 20800 a 30500 a caada.
dem era ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinlio Lisboa e Figueira a 240 a
ancoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para | bra.
tnissa a 560 rs. a garrafa e 40 a caada.! Sevada muito
(dominis baixo a 403 rs a garrafa e30500
a caada.
dem do Porto especial qudidade a 800 rs.
a garrafa e 50500 a caada.
:d ni BiTdcaux em caixas a 70 e 700 rs. a
garrafa.
Champanba a meliior do mercado vinda de
nossa encommenda a 300 o gigo.
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 50, idem.
dem Parasienses a 40500,
dem Delicias a 10500.
dem Traviata do Rio a 50500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 30500 e 10300 a meia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 10300
a meia caixa e 50200 a caixa.
dem mece;ipes a 10700 a meia caixa e
30000 a caixi do mesmo fabricante,
dem orientaos do mesmo a 10800 a meia
caixa e 30400 a caixa.
dem jovens de Castanho Filho a 20400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 10303 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 10500 o quarto e 50
a caixa de urna arroba hespanhola e 320
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposigao de
comer a 10500 a garrafa e 140000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 30800 arroba e 140
a libra.
Paingo a 40000 arroba e 140 a libra.
Peixe em latas j preparado a 10200 a lata
e em porco 10000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 600 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 100000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 10800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 20500, 30000
e 40000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, ea40rs. a libra.
Gomma empaneiros a 40000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhio muito alva e nova a
240 a libra.
Sjvadinha de Franga para sopa a 200 a li-
CiiMoIite.
com ameitas enfeitadas proprias
raJ**" m'ffl' a 13*00, S$800 e 3^200.
( SSig^'** vo, a.ibrade
iM aCa400r>ta'harara a,e,ra amarella.a b
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs.
Ditas dita era libras a 640 rs
Sagd, a libra a 360 rs.
(Sevadinha para sopa a libra, a 2i0 rs.
hrvilhas seccas, a libra a 160 rs.
unas descascadas, a libra a 200 rs.
[Tapioca mu,to nova, a libra a 280 rs.
Fannha de araruta verdadeira, a libra a
' ouo rs.
*Ar em sacco, a arroba a
23400 e a libra a 80 rs.
.Dito da India e Java, a arroba a 33200 e a li-
) Dra a 100 rs.
Toucinho de Lisboa a 9#o00 a arroba e a 30
i rs. a libra.
{Dito de Santos, a arroba 73000 e a libra a
zoo rs.
Molhoscom 12.j ceblas grandes, a 1X380.
(Mostarda
7j000.
franceza, caixa com 2 duzias a
tFras^ com moslarda proparada em vinagre.
{ a 400 rs.
wBnw?samsinglesas e francezas.a
. o4() e 800 rs.
[Ditos com sal refinado nno, a 640 e a 500 rs.
7252? a verdadeira genebra delaranja, a
sapenor, a
nova a i 40 a libra e 40000
arroba.
Caixas com estrelintia, rodinba e pevide a
400 a libra.
Alhos em canastras muito novos e maungas
grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
Caoella muito nova a 10000.
Cravo muito novo a 500.
Cominho idem a 320.
1000.
>Ditos de2 garrafas de Hollanda verdadeira,a
640 rs.
Jtojas com dita propria par negocio, a
j 400 rs.
G^rafocs cora 2 galoes com dita, a 63.
(Serveja boa, marca, a 5'00 rs. a garrafa, e a i
iuzia a 65OOO.
'Viiho muscateldeSetubal, a garrafa a 13.
Marrasquinho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
i a 13200.
jChampagne, a duzia 203000, e a garrafa a
23000.
1 Azeite refinado portaguez e francez, a garrafa
' a 13000.
Caixa de vinho Bordeanx muito
73, 83,93 e 103 a caixa.
(Ditas com dito branco, a 73 a caixi.
1 Ditas com dito lagrimas do Douro verdadeiro.
a 203.
'Ditas com duque do Porto verdadeiro'a
183000.
kDitas com chamisso superior, a 143.
Ditas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 123.
1 Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
i e 800 rs.
.Dito de Lisboa muito bom, a caada a 33200,
L 33300 e 43, e a garrafa a 300 e 360 rs.
Dito da Figaeira, dis seguintes marcas (N.)
(J.A.A.) (J. L. (i.) (O. M.) a caada a
> 43o00, e a garrafa a 360 e 640 rs., desle
i que ja est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
LDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
f da a 33300 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
? Vinho branco fino, agarrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Vinho verde superior.
A caada a 33000 e a garrafa a 400 rs.
Gemina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se<
engommar, a arroba a 33000 e libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs.
arMM. 1
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui-j
to nova, a 53000. s
Caf.
Cafdo Rio muito superior, a arroba a 83,
83500 e 93000. i
Cha. <
Ch,temos oestes gneros o m ilhor possivel,
hyson, a libra a 23600.
Dito perola a SIMO.
Dito uxim a 23700.
Dito hyson muito fino a 23^00.
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qnalidade a 23300.
Dito mais baixo a 23000 e 13600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 240 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600,'
640 e 720 rs. '
Passas.
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a 43 e 23300. j
Noms.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
Alpisla c painrn.
Alpista e painco, a arroba 43000 e a libra a,
160 rs.
Cartas.
Cartas finas para logar, a duzia a 23500.
Castanhas.
Castaohas novas vindas neste vapor, arro-
ba 43000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barris cora azeitonas novas a )-5-"!lo
Mantelo.
Manteiga superior, a libra a 13230.
Dita maisabaixo a 13200.
Dita menos superior a 13 .
Dita franceza nova, a libra a 8*0
Dita dita em barris e meios dito?, a libra
830 rs.
Dita para tempero a 400 rs.
Queijos.
Queijos novos vindos neste vapor a 23800 el
33000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
13000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 43800.
Dito dito lito de linho, a resma a 43300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
23500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho Madeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-1
deira a 13300 e 23000.
Temperos.
Folhas de louro, piraenta do reino, cominho
e cravo, a libra a 400 rs.
Velas de carnauba.
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 1 4001
e pequeos a 640 rs. Qj
Tijolos de limpar. Cff
Tijolos de arear facas a 140 rs.
Graia.
Duzias de boioes de graxa n. 97 a 23000, e 1
de latas a 13000, e os boioes a 240 rs. ca-i
da um, e as latas a 100 rs.
Charutos finos.
Charutos finos dos melhores fabricantes da,
Bahia por diversos presos, caixas e meias
; de
AZEVEDO FLORES
Ra da Gatleia do Recife, esquina da Madre de Dei.
balOes
Os ricos bales de arcos de 30, 40 e 50
Bales de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 20 e 20500.
Baloes de panno para meninas a 30 e 30500,
Chapeos de sol.
Os afamados e bem conhecidos chapos de sol com 12 asteas a S.
Ditos maiores com 16 asteas a 120.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes co n ricas estampas para sof.
Chitas
Chitas.
largas a 240,rs. o covado.
dem escuras finas a 320 rs. o covado.
Camisas. "
Superiores camisas a 20500.
Camisas com peito de cor, e todas brancas a 10800.
Ha muitas outras qualidades com peito de esguio.
Casemiras.
As modernas casemiras de quadros, chegaram.
Ronpa leita.
Ha completo sortimenlo de casemiras, de brim branco e de cores.
Colleirinhos.
Chegou nova remessa de colleirinhos de papel de cores e brancas.
Tambem ha completo sortimento dos de esguio.
Calcas.
Caigas de superior brim pardo a 20500.
Canibrala branca.
Superiores cambraias brancas a 50 e 70 a pega.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Las.
Las de bonitas cores a 4S0 rs. ao covado.
dem para luto a 560 rs, ao covado.
A QUEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciando ao publico nevas
fazendas e novos precos e nao como muitas pessoas supe sempre ser as me>ma fa-
zendas.
M4CHINASDEPATENT
de trabalhar niilo para
descas'oear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinai
podem descarocar
qualquer espe'ci
de algodao sen
estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalbo; pd*
descarocar um*
arroba de algo-
do era earocc
em 40 minutos,
ou 18 arrobaj
por dia ou S ar-
robas de algodo
limpo.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descarogam 18 arrobas de alpodc
limpo, por dia; e motores para mover urna, duas,
ieutrjs dessas machinas.
Os mesmos tem para vender um bellissimo va-
} por que pode fazer mover seis destas machinas
i mencionadas ; para o que convida-se aos Srs.
; agricultores a virera ver e examina-lo, no arma-
j zem de algodo, no largo da ponte nova n.47.
Sannders Brothers &C.
IV. II, praea do Corno Santo
RECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
a 140, na
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Chitas largas a 240 rs.
Vendem-se chitas largas, padrtes esporos e-
cocezes, pelo barato preco de 240 o roadn, dita*
escuras e claras a 280, 300 e 320, prerala rora
lindos desenhos miudinhos e grandes a VO rs. o
covado : na loja e armazem do Paro, roa da b-
pertnz n. 60, de Gama \ Silva.
As laazinhas do Patn a 20Ors.
Vendem-se as mais modernas lazionas transpa-
rentes de quadrinhos e listriohas, e lisa, seado
com as cores mais novas qoe tem vindo ao aerea
do, pelo baratissimo preco de 200 rs. o covado, di-
tas da mesma fazenda rom palmichas de seda a
2i0 o covado, isto grande pecbocha s para aoa-
bar o resto desta fazenda : na loja e armazem *>
Pavao na ra da Imperainz n. 60, de Gana A
Silva.
As laazinhas mocambiqnes
loja de Pavao.
Vende-se para acabar, o resto das laazinna* o-
cambiques, pelo barato prego de 210 o corad, %m
do fazenda que sempre se venden por moiti aate
dinheiro : na loja e armazem do Patio roa da
Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Novas laazinhas Garibalaias, ta Inja
do Pavo, a 320 rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas Gan ba-
dinas com delicadas cores lendo entre ellas Sta-
tus padroes escuros que podem servir para sota-
ras que estao de loto a 320 o covado : na loja d.
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama i.va.
Os chales do Pata, a 2(000
e 38500.
Vendem-se chales de merino com barras de en-
tes a 2, ditos lisos, fazenda reoilo Boa, t>>ado 4>
todas as cores, sendo azol, branco, rerd>, amare I-
encarnado e preto, pelo baratissimo prego i*

de m a 205 e I300 e
fraocezes a I;>000 c
Krvadoce idem a 400.
Alfazema flor a 2i0.
Amendoas a 400 a libra.
Nozes muito novos a 160 a libra.
Idiim mais baixa
:!} a garrafa.
Licores portiiguezes e
i $300 a garrafa.
Marrasquino de Zara, verdadeiroa 1?500 a Papelgreve a 45200 a resma.
garrafa. : dem izo a 4#000.
dem mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 35000.
bra de laraoja ver ladeira a U5 a du- dem de embrulho marca grande a 15200 e
Novidades da loja e armazem de fa-
zendas e roapas feitas nacionaes roa
da Imperatriz n. 72, de Guimares
& liman.
Aproveilem as pechinchas
que se esto liquidando por todo prego, vejam :
chitas largas a 260,280 e 300 rs., ditas percalias
a 360,400 e 440, cambraia organdys muito lina a
300 rs. o covado, e muito superior a 320, 360 e
400 rs.: isto s na nova loja de Guimares A Ir-
mao.
Esto se acabando.
Laazinhas escocezas a 210,260 e 280 o covado.
E' muito barato.
Cortes de la muito superior com 15 covados
pelo barato prego de Sf e 33300, isto s para aca-
bar, brelanha de rolo a 33 e 33200 a pega, mada-
polo francez entestado a 33, 33200,
33300, sendo fazenda que sempre se venden a 33
isto na loja e armazem do Pavo, roa da impera-
triz n. 60, de Gama Si Silva.
| Bod i los corles para vestidos a 3,000
na loja do Pavo.
Vendem-se os mais bonitos corles proprios para
vestidos, sendo transparentes, e sendo fazeaJa aova
no mercado, tendo 7 l|2 varas cada rrle, rora
muita largura e muito bonitos padroes cora Iwtras
e lisos, sendo fazenda que serve para as-i-tir a
qualquer divertimento, e grande pechiucha, pelo
baratissimo prego de 33 cada corte : Da loja Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gana Silva.
Crinolinas on balees a 2.'i00, 3> e 3-530*
Vendem-se os melhores baliVs, qoe sao os mbt-
ricanos, pelos baratsimos prego <- 23300 r m
20 arcos, de 33 com 23, ditos a 33300 coa 30.
idem para meninas a 23300 cada ora, ditos de pan-
no para senhoras, por barato prego : na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os Irnros d Pava* a 25 e 25300.
Vendem-se duzias de lencos brancos linos a 23,
ditos Onissimos com doas cerraduras, seado mb
branca e oulra de cor, muito deliradas, pelo hara-
a 65 a fras-
zii e 15 o frasco.
Idem de Hollanda verdadeira
queira e Gi'O o frasco.
Idem de Uambur.o a SI500 a frasqueira.
dem em botigas de Hollanda a 400 e 440
r<. o frasco.
.... '.'. s com genebra de Hollanda com 24
garrafas a 85, com garrafo.
Idem com 14a 13 garrafas a G5.
11300.
dem azul para botica a 25000.
Copos lapidados a 5'>00 e 500 cada um.
Palitos de denles, magos grandes a 120 .'e
IG cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a 15300 a libra, em porcSo ter
abatimento.
mn.v 111
A:im
ibras de farello suparior a 45000 a sacca.
N. 11Ra do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabelecimento um grande sortimento de cortinados bordad}? para
camas fazenda de muito gosto.
Chales de guipu muito finos para 223, 233 e 303.
Colxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambem de bonitas cores.
Rotondes de gaip enfeitados com o melhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de bonitas cores para vestido a 703 rs. o covado.
Moureantlque branco e preto, grosdenaple preto ede cores, pauuos pretis de todas
as qualidades, ditos azues.
Caseraira preta e de cores, merino preto, silistrina, bombazinas, alpacas pretas, e
laa preU para lutos.
Malas, saceos e bolgas de tapete, verniz e couro de 43 a 113.
Brins de linho de cores Anos a 13800 a vara.
Chapeos e chapelinas de palha de Italia para senhora, manguitos bordada*, chapeos
de seda para hornera, clupos de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
nhas, silesias e muitas oulcas fazendas que so veudera pjr cmanlas pregos asiim como.,
tambem
Esteiras da India para forrar salas
onooo, dito mmto superior mi reas muito acre-
na
ditadas a 7.J.73300,8J,' 9$ e 105, algodo de to-
das as marcas assim como seja marca T e carne
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
Micos Irnros berdadis.
Vendem-se os mais ricos lencos de fil de
Ir.ja do
A S)lva.
linho
NOVHIADE
Ferros para engommar
Vendem-se caixinhas contendo o mais completo
semiento de ferro? para engommar, encrespar
babaOos, pafos, e toda > roupa de senhora : na ra
2) ova n. 2 i, !njn.
Potassa da Eussia
mnito nova e superior: vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
A 18 109OO e 105OO.
Loques de osso, ultimo gosto, a 13-
Ceroulas de meia a 13200.
Dulas muito finas a 13300.
S na ra da Cadeia do Hecife n.[5__________
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeito estado e por commodo preco :
na ra do Apollo n. 20.
Farelo
a 43 a sacca, das maiores que ha : na ra larga
do Rosario n. 30, taberna da esquina.
Vende-se nraa cocheira na ra do Sol n. 27,
com 3 carros e 11 cavallos, e mais pertences, tudo
em bom estado e por prego commodo : a pessoa
que quizer dirjase a mesma casa, que achara
com quem tratar.
de vacca, sicupira e pao ferro tudo isto por pre- DOrd;lllos com duas palmas para eaiega, pelo ba-
gos baratissimoss para liquidar e apurar dinhei-; ""} I""1*?0 de ^ um na loja *> Pavo, roa
ro : isto s na nova loja e armazera de Guimares da '"'Peratriz n. 60. de Gama "
4 IrmSe, ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de babadinhos
e entreraeios pelo barato prego de 800 a 13 a
pega.
Lencos de cores e brancos
muito pToprios para homens e meninos a 13600,
2>, 23300 e 23 a duzia, ditos de linho a 43800,
33, 5JJ300 e 63-
Grande sortimento
de colzas de fusto de todas as cores a 33300 e
63, ditas de chita a 13000 e 23, ditas de la a
13600.
E' muito barato.
Grande fortimento da soutembarques muito bem
enfeitados a 53 e 53300, ditos de grosdenaple a
183 e 203. laazinhas de urna s rr a 480 o cova-
do, ditas muito propria para camisas sendo de lin-
dissimos padroes a 13 e IjIOO o covado : s na
nova loja de Guimares Je Irmo, ra da Impera-
triz n. 72.
Grande sortimento
de roupas feitas que se vendem rauito barato affian-
gando-se que se vende por menos 20 por cento que
era outra qualquer parle, quem duvidar venha ver
Na nova leja de fazendas de Guimares
& Irmo.
Ra da imperaariz n. 72.
Vende-se o engenho Jundiahy, cinco legoas
distante da cidade do Natal. provincia do Rio
Grande do Norte, moente e crreme, com 20 cap-
tivos, 20 bois e 20 bestas ; assim como diversos
lotes de trra, propria para a cultura de algodo'e
mandioca, e mais duas fazendas de gado no Poten-
gi e Cear-meirim, na mesma provincia, cojas ven-
das se effectuaro a prasos, mediante boas firmas:
quera pretender dirh>se aquella provincia a tra-
tar com Fabricio & C.
A Silva.
Paniiu preU a 25000.
Vende-se panno preto fino rooito superior, peto
barato prego de 23 o covado, por haver rra&fe aor-
go : na loja do Pavao. roa da Imperatriz a. CO.
Garrntras infestadas a I > rwte.
Vendem-se casemiras pretas enteladas a i >
corte, cortes de ditas de cores a 33. moito boa fo-
zenda : na loja do Pavo, roa da imperatriz n. 60
de Gama & Silva.
Algodaeiiaa* barato.
Vendem-se pegas de algoJozinho, seado
T com SO varas a 63. ditas de diftVreate*
a 43 e 433CO, 53 e 63, garantindo-se qne .
da que val moito mais dinheiro : aporara-* por
estes pregos na loja do Pavo, roa da Inaperatrz
n. 60, de Gama & Silva.
Espartilhos l 9$ e a 05
Vendem se espartilhos com as competentes fita
para apenar a 53 e 63 : na leja e armaren Pv
vao, rna da Imperatriz n. 00. de Gama & Silva.
Vestidas a 2)300.
Vendem-se cortes de cambraia branca rom bar-
ras c habados a 23300, ditos de cambraia araara
com salqicns a 23500 e 33 : ni loja do Pava >. n
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Soutembarques a 3 m!0i).
Vendem-se soutembarques de lazinha de cor a
33, 63 e 73, ditos pretos de grosJenaples e capas
ricas bordadas por pregos muito razoavei* : aa
loja do Pavo, ra da Imperatrix o, CO, de Gama
& Silva.
taluuga* flaos e feriacjaeaW*
para meninos.
Chegaram para a loja de miudezas da roa n
Queimado n. 69, os mais finos e liados ealanjaa
tanto para bnnquedo de meninos como para eiam
de mesa : na mesma loja se encontrar bom aar-
tiraeuto de miudezts.

i
-------


f
I
i
Diarlo de Pernambitco --.'itfebado 11 de Agosto de f Sfc
NOVO GERENTE
[ AO PUBLICO
Scm o menor constran-
gimento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENCftO
O* precos da seguate
tabella para todos, po-
dcudo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
AGUA FLORIDA
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RBSPEITAVEI* PUBLICO.
A apreciarlo dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabelccido na Nova n. 60 um magnifico sortimento |de molhados,
que sendo em sua maxim i parte mandados vir directamente do estrangtinfpodem ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ;;ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguintes promessas:
1/ Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceiidade nos presos.
As pessaas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta
casa os melhores queijos lontJrinos, cerveja,
primeira qualidade. etc., etc
i.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa maisnova do mercado a 96o
es. a libra e 90U rs. em barril ou meios.
Cha hysson de superior qualidade a 2,600
rs. a libra,
vinhos finissimos manteiga e cha sempre de | cha perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs. a libra.
Qualquer que seja a condico do freguez, elle deve contar que ser, sempre mu- dem hysson muito superior em latas de 15
to bem servido. libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte faro mensalmente urna economa de | rs. a libra,
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o taf, a man- idcm hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga oassucir, ele, etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nSo po-j bras a l.Goors.
dem ou nao querem vender. dem preto o que se pode desejar neste ge-
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldcs ou centro, que compram para ne-1 nero a 2000 e 2,2oo rs. a libra,
gociar, devem vir, pelo sen proprio interesse, a este estabelecimento para se convence- Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em
rem do quanto se pode vender barato. j barril se faz abatimento.
Para os senhons que compram para lomar a vender existe um sortimento espe-, Chouricas e paios a 8oo rs. a libra,
cial, escolhido por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos senhores: Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Quejos do reino chegados neste ultimo va-
dar a todos. por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
PELOS SEGUINTES PRECOS S SE VENDE l^^,^ frescos. de superior
A DIMIERO A VISTA! qualidade i,8oors. 3libra.
% Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cada | Wem grato a 8oo rs. a libra, e inteiro se faz
ALPISTA a 120 rs. a libra. j urna.
dem e painco de oito libras para cima a *
100 rs. KIRSCH de Wasser a 2$ a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........ IV
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Conceico)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore* choras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei*
ezacom que sero-tratj^'onvida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccao e preferencia na com-1
Ta dos gneros que precsaraa e quando nao possam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos,
rois sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afirn de que novoem1
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente escollada a Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra e 6,000 a caixa.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi-
nha branca ou amarella a 64o rs. a libra e
3,5oo a caisa com 8 libras.
Vinho do Porto muito fino proprio para
engarrafar, em ancoretas de 9 caadas a, Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.
35,ooo rs. ; Charutos do aflamado fabricante Jos Furta-
Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa a do de Simas, das seguintes qualidades:
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada
Sal refinado em frascos de vidro com lampa
do mesmo, a ooo rs.
Cerveja branca das marcas mais acreditadas
que ven ao mercado, a 5oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e6,5oo adu-'.
zia.
libra.
latas de todos os ta-
Avellas a 240 rs. a
Ameixas francezas em
manhos.
dem idem em potes de todos os tamanhos.
dem idem era bocetas de todos os tama-
nhos.
dem idem era frascos de lodos os tama-
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Aluos a 200 rs. o molho.
Absyxtiio a 2000 a garrafa.

BOLACHINHAS do Beato Antonio em latas
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 1(5800 a lata, e
de cinco para cima a 15700.
dem de sola em latas grandes a 25000 e
de cinco para cima a 15800.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a
i#200, 15250 e 15300.
Bolo francez cm caixinhas a 400 rs. cada
urna.
Batatas nglczas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a"240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Champe de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15S00a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
agarrafa, eem duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de oulras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, Mississipes,
Panetellos. Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
presos, hysson, hux'un, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 25000,
252"0, 25560 e 25800.
Copos lisos de lodos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Cauces de todos os tamanhos.
Cognac superior ale 15500 rs. a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
o
DOCES de todas as qualidades: brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijo verde muito superior a 640 rs. a lata.
Letria a 400 rs. a libra.
M
MANTEIGA ingleza e franceza de .
qualidade a 15, a libra. Jdemidem para vinho a24ors.,e2,4oo rs.
Mahmelada dos mais acreditados fabricantes. a duzia.
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo,e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a 16,ooo, 15,ooo,
12,000 e I o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l,ooo e l,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a l,3oors.
Cartoes com bolo francezmuilo propriospa-
ra mimo a 64o rs.
; Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
p: imeira! rs- a duzia. para mimo a 3,ooo rs.
Macarro e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
.Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Molho inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a .
Massas finas para sopa branca e amarella aj
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Chocolate francez he>panhol e suisso a 9oo, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l,ooo e l,2oo rs. a libra. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Espermacele superior a Ooo e 64o rs. a li-! Milo de amendoas a 5oo rs.
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joo!
Peixe em posta em latas hermticamente la- de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-1
eradas e das melhores qualidades de.pei- bras por2,5oors.
xe a 8oo, l,ooo e l,2oo rs. i Ameixas francezis em fiasco de vidro com
35500.
Mimio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
m
NQZES a 120 rs. a libra.
Nados em latas a 800 rs.
O
Ostras ingle/.as e americanas.
P
PEIXE em posta, latas grandes, a 15C00, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinlia, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparacao.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas om qnarto a 15400.
dem mu i lo novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
I
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs.-a libra.
Quartimias u mohinques a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a 15200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
S
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 2$.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
400 rs.
I Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- lampa do mesmo, a 45oo.
Exposico Normal de IL.vana, Jmperiaes,
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus-
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo,
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias.
Charutos finos de diversas marcas e fabri-
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos,Vencedores,
Panalellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooc
a lata.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de divergs
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o preco.
MURRAY & LAN
A agua florida de Murray u l.tutow,
olhada como um artigo de f r>*.
tem podido ser igualada pels j rep nqjlm
as mais custosas : conserva SH n au, c-
mo se formasse parte da prenda a qiw cito
se applica.
Sua efficacia to delirada, on'- '-&-
tes sao seus maltipiiesdos M rcji
tmpregada como artigo de i< u .ier
no uso do banfio, ou romo nwviMdar *to
pelle, depois que fe tenia 1 i-a.
j [tara limpar as genghm ou i r #>
hlito.
D suavidad?, hrillso e Ha
compleiccs, Aspla da w asmar t \ at-
livia a irrita<;o de tropc& lordiui sz
desapprecer o desagradavel ;.-... ..
pannos, das sardas, do rosto, ru-.-as teUa
casta de ebulicocs, e d vjer i :. ra a
parte onde quer que se sppit^ue. na ibV
ciencia e elegancia sao igualm-iite ii.iHi-
veis nos casos em que seja precis :.[ no-
la como estimulante e antisi-pti..'. n ..r.-
cuisos e assembl'as nunieiust>. n. ,,ci.
lidades infeccionadas, na akova .U- i.a en-
fermo, assim como um aaaV t" ireMa
te para os desmaios cansados 11
ou suffocacSo. Proparada iini-arm i t, p..r
Lanman & Kem|>, Nova York. a \
Caors & Barbosa.
Joo da C fenati (..
Vendem-se no Recite em casa Caaa
Barboza e JoSo da C. Bravo A C.
Sag muito novo a
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azoT e preta para escrever.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandesde
8,ooo acaixaeOlo e 7oo res agar-! tamanhos com bonitas estn pas na ca- j 8 garrafas por 6oo e 8oors. a garrafa.
rafa. xa exterior, a l,4oo, I,6oo, l,8oo e 2,ooo Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
Genebra de Hollanda a 4So rs. a botija de 1 cada urna. l,5oo cada urna ancorla.
conta certa. Azeite doce refinado hespanholou portuguez Champagne da melhor qualidade que vem
Frasqueirasde genebra de Hollanda a 6,8oo a 9oo rs. a garrafa e Io:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
e 64o rs. o frasco. j Batatas muito novas a 8o rs. a libra e2,5oo 24,ooo e 26,ooo o gigo.
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libra. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
grandes a 1,oooe H,ooors. a frasqueira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e; a libra.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li- j 8,5oo a duzia. Figosem sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a rs. a duzia.
Caf do Cear muito superior a 24o rs. a li- 4oo rs. ; Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do MaranhSo de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a ICo rs.
dem da India a loo rs. a libra e 2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. i a 8oo rs. o frasco,
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,loo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a \ Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a
llio.
lata de urna libra e56o rs. a rela-
15 a garrafae II,ooo a duzia.
Palitos de dente a 14o rs. o maro.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
os, por diversos precos.
Amendoas confeiladas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 8oo
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
V
VINHOS
111
Principe Alberto, de 1831, a 55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 15 e 15500.
Chamissoa 15, 10200 e 15500 a garrafa.
D. Luiz a 15 agarrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 25 a gar-
rafa.
'Carcavelos a 1$.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi-
nho que se pode beber por nao ter com-
posicao alguma.
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa.
dem S. Julien a 600, 800 e 10 a garrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermoulh a 25, e a caixa a 185-
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- jldem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
dos os tamanhos e de todos os precos. caada.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fumo do Rio a 500 rs. a libra.^
dem americano em latas a 15.500
Farello ha sempre em deposito de 500 a
Grande exposico de fa-
zendas.
Que eslo a venda, na toja e armazera da Arara,
ra da Imperatriz d. 56, Lourengo l'ereira alen-
des Guimares..
LAZIXIIAS A 240 Rs. 1
LZINHAS A 240 Rs. !
LZIN'HAS A 240 RsL I I I
Ha um grande suriimenlo de lazinlias chinezas,
cliegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., est se vendendo,
na loja da Arara pelo dimiuuto preQO de 240 rs.
0 covado.
MAUAPOLAO COM 24 JARDAS A 43300 I I I
MADAl'OLO COM 24 JARDAS A 4500 I I
vende-se madapolo com 24 jardas e garantin-
do se que tem 20 varas, pelo barato preco de
41500, 35000, 6000 e 0500.
BRETANIIA DE ROLO COM 10 VARAS
A 2800.
Vende-se bretanha de rolo a 20800 a peca, s
Mendes Guimares.
MADAPOLO ENTESTADO A 30000, 30300
E 45000.
MADAPOLO ENTESTADO A 30000, 30300
E 40000.
Vende-se madapoiio entestado pelo o barato
preco de 30, 30500 e 'i0 a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vndese as mais modernas colchas de fustao,
, tendo de todas as cores a 50300, ditas grandes a
1 G0OOO, ditas de damasco a 40000, ditas de chita a
I 20240 e 10900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 56, Mendes Guimares.
! CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
! CHITAS FRANCEZAS A 240, 2(0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Vende-se cambraias brancas desalpicos a 40500
a peca, tambem ha um grande sortimento de cam-
braia brancas que se vendem a 30, 30500, 40,
50, 60 e 75 a peca.
CHALES DE MERINO A 2*000.
Lencos de cambraia cora barra de cores a 10800
a duzia, ditos de dita branco a 20 e a 20400 a du-
zia, s Mendes Guimares.
CALQAS DE BRIM DE LINHO.
Vende-se calcas de bnm de linho a 30400,
20600 e 40000, ditas de algodo a 20, s Mendes
Guimares.
Soutambarques de cores, vende-se mnito barato,
ditos grosdenaple preto, capas prctas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA BRANCA A 40300.
PALITO'S DE BRIM DE LINHO A 50000.
Francisco Jos Germano
no mmwM w. ti.
acaba de receber nm lindo p magnifirn or:!""*
de oculos. lelos, binculos, do ultimo esa*.
apurado posto da Europa.
wwmm wmtmmm
Fumo da Baha para
charutos.
Vesde-fC fnmo Mptfter Ai
liddi-s, a rtiaiho r por Utni >
puco iomm<(!< : M> lenle IM
Cacimba n. i.

?!

-

Taixa de ferro
Quera pretender f.Rprar a tair..^ i f
com palmor de horra qac se --rIm 11
Frexciras, pede etwidfi >e rea e Ir. I
no seu enpeuhc Frex ir;.=, ou na n
dor n. 42.
Para matar forminas
VenJem se velas p?ra matar f.tr.- : r
mazem da bola annr lia nc .'itao c'a .- cr.:
polica.



Azeite doce
da Liga.
refinadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa : no graude armazem
Saceos de 80, lOOe 120 libras a 4#, 45500 e 55 ; no grande armazem da Liga.


Madapolo muito fino cora pequeo toque de avaria, por preco que admira : na
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonia Correa de Vasconcellos & C.
loja
a

Grande sortimento de roupas feitas de to-'
das asqualidades,
Calcas de casemira a 60 e 70500, ditas pretas a
60 e 80, calcas de ganga a 20 ,10800 e 10600,
LOJA DO BEIJA FLOR
N roa do Qucimado n. 63.
Tendo recebido um sortimento de bone-
ditas brancas a 20, bnm de linho a 30, 30500 e .___u/ ,. ,i,^^ : ms;
40, paletots do alpaca branca a 40500, ditos pretos cas choro, que cliamam papai e mamai,
a 30 e 30600, ditos de alpaca de cordlo a 40, e com cabeeira de cachos.
de stra de seda a 40500, ditos sobrecasacos a 50, Tendo recebido um variado sortimento de
paletots de casemira a 50, 5^00, 60 80 e 90, brinquedos para meninos, sendo espadas,
ditos sobrecasacos pretos a 120, lo e 160, ditos n- j u j-.
nos a 250, acores a 130, dilos fraques a 140, espingardas, pistolas, tambores ; ditos
paletots de ganga a 30,20500 e 20, ditos de bnm para meninas: apparelbos de almoco e de
pardo a 30, jaquetoes de brim pardo a 30, panno jantar de porcelana e de metal, porta-eor
preto fino a 25. 20600, 30500 5 40500 5 e 60 o e faqunh.as a 280 rs. O par ; 6 nao queren-
covado, morean ique preto a 20600 o covado, gros- .______A____;: ., ', j ., ,
denapi preto a 10500,10800,20, 20200 e 20500 do continuar, vende mais barato do que em
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se OUtra qualquer parte,
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei- ] Vende-se tiras bordadas de differentes
ros da loja da arara casa dos pretendentes O iargUrasa 1& e babados, collarinhos e pu-
e tabelecimen o es aberto at as 9 horas da noite, nnt%n ,, k^.h<, n .!,., Kjn
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares. nhos para senhora, bordados e abertos de
------------------------------------ I renda e lisos, os mais modernos que se
Fazendas boas e baratas podem encontrar.
Algodozinho bom e limpo a 50 a peca, i Vende-se 13a para bordar de diversas
Cheqaram os superiores MANTAS tARA PESCOQO
*f rhamnm 5C HipiaHj manas dp finiseim.l Mili
cortes de seda.
Saperiores cortes de seda de cor, vindos pelo i
nltirao vapor francez : na loja das columnas a raa;
do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vascon-
eellos A C
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os perlences de outro
igual, ludo por preco muito commodo : a tratar
un pateo de fe. Pedro n. 4.
Cliegarara as desejadas mantas de finissiraa seda
1 elstica para pesclo de homem : na esquina da
Madre de Dos, loja do balao. _____!
" Farinha de mandioca : tem para vender A a
tonlo Luiz de Olveira Azevedo & C, no seo es-
criptorio raa da Crozu. 1.________________
Vende-se urna escrava crioula : nos Coelhos,
ra dos Prazereg n. 10.
Veode-se um escravo moco que j foi de en-,
genho ; a tratar na ra do Mondego, olaria n. 13.1 Boa-Vista) loja n. 68.
.azinhas de quadrinhos e flores muito" bo- i qajjidades e de cores claras a 7! a libra, es-
.nitas para vestidos de senhoras e meninas a P?lhsde columnas de Jacaranda a 20500,
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos upado 240 e 200 rs o covado brins de linho com dltos bancos de diversos tamanhos, caixinhas
' ditos para tobado 10000 cada urna tira. a,gum t ^ ava; g a m chUas ,ar. para estojOS de navalhas
gas e escuras de cores fixas a 240 rs. o co- Colberes de metal principe.
vado e outras muitas fazendas a maior par-1,. Vende-se colheres de metal principe para
te dlas do uso domestico, cujas fazendas.tirarsoupa a 20, ditas para cha a 20300,
estarao expostas aos compradores desde as ditas para soupa a 40200 a doza: nesta
7 horas da manha as 9 da noite : na ra loJVe encontrara semPre um 8rand.e va'
da Imperatriz o. 20, loja, dando-se amos- r,ado sortimento de miudezas: ra do Quei-
tras de todas a quem nao poder vir na dita |mado n- 63> loJa do beija-flor.
loja.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se nm sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far preco, e
outras muitas mais fazendas que se dixam de
annunciar, ra da Imperatriz n. 56, Mendes Gui-
mares.
Vendem-se caixas de cigarros de estramoni-
co para asmathicos, vindas de Pars, por prego
muito commodo : na ra da Imperatriz (aterro da
Vende-se a casa n. 52 na roa de S. Jos da
mesma freguezia : a tratar na rna dos Pires n. 18.
Vende-se nma taberna na ra do Cordonlz n.
7, livre e desombaracada : qnem pretender dirja-
se a mesma, que acbar com quem tratar.
escba?05 rusas:. _
Desappareceu
eu 3 do correte mez de ?oslo o mulai
nho, cor clara, idado de 30 a unos, wp df m
0II10, baixo, pouca baiLa e um ptiuro roivj. .ufa
um pequeo im bacojunt ao nlMMfo, | roT e
te de urna quea que itm tbtt n:o \i-\ n&a
nesse da vestido cab.a e can.i-s d-' IM04MM de
algodo, chai o d# polka, e lev n n.^i- ama ik
do brim de quadros : E' natural de Gaiuiiur .
fui esi-ravo do teutnl.' cortnel Luiz
(jue HaraDhio, senlr.r do ^np^nlio Aldeb, t .
ca de Pao d'Alho, e tinba HiooinoMb n^-'i ci-
dade ua vespera do da em que fie-appar- *,
fm visto no da ti e 7 do correle na MoM de S.
Jos, por io julga e el e andar neya ri^ade.
Quem o pegar, ou delle der noiirias i cria*, jaei-
ra diripir-e a ra da Crol o'o Ftei-ife b. 97
horas da nianha as 3 da larde, e lora t>-u do-
ras a ra do Amonm u. M, 2aoiur. qu lOJ
graiiGcado. __________
Fugio na noite de 19 para o do r ...mb
mez, do sitio do Sr. Dr. Augusto K. de Hunra.
ponte de l'cha, o seu esrravo de nor.-.e I.i a-
m que bramo, tendo no ?;.i marc-s de be gas
bem vlsiveis, cabello annel;wli>. baixo. retorcida,
bem fallante e de cerca de 8 aniio> : i.i ,ir. ..
vou camisa de baela encarnada e chai <> tie im.u
novo, suppoe-sc que vagueia oesU cidade do Ret,
fe ou pelas mas cirrumvi>iuhancas : quem o ?-
prehender e ievar ao sobredito sino, oo ao esrr'D-
torio da praca do Corpo Sanie n. 17, priBenc .*
dar, ser generosamenie recompeoiado.
Acha-se fgido o escravo Maooel Thoa^.ipK
representa ter 44 annos e tem alm desle os stg
naes seguintes : cabra, esuinra regalar, ba-tanie
cabelludo pelo rosto e peito. peioeno* canto K
testa, um dedo pollegar de urna das mao* eorta-
do,o mnimo da outra aleijado. e tem alem diio
as pernas bem arqueadas e falta de dect..- aa
frente, entendido no servico de colheita de "o-
queiros, em fazer telhas e tijolo*: qnem o apr>fi<-
der e quizer levar ao engenlw S. Juan ila ilba de
Itamarac ou a ra da Imperatriz n. 3o, primea*
andar, ser recompensado.
Fugio no da 16 de jolln do correte auto,
a mulata Suzana, a qual tem os signaes seguintes :
altura reguler.corpo cheio, cor clara arabociad.
cabellos corridos e bem aparados, cara hala, us-
a estreita, olbos pequeos, nariz rh.to. Inca
grande, beicos linos, falta de denies.Tnos r.wsas
e dedos curtos, idade pouco mais on meaos 40 as-
os, natural do sertao, levon vestido de eh*u
escura com palmas brancas e panno da ros-**, fol-
la sempre rindo-se : pede-se as autoridad* aaf-
ciaes, capules de campo ou qnalqoer que del
sonber leva-la ao seu seabor aa praca da laVaea-
dencia loja de chapeos a. 14 e 16, qoe ser* gea*-
rosamente gratificad), ao memo aasso qoe BroMa-
ta ser contra qualquer que o teaha aromada, pala
ha noticias qoe esta dentro mesmo da dad* acos-
tada e se assim esta pessoa qoe va estregar
do contrario ser pnoida com todo o rigor da M.
Ansenton-se ne Jia 2 do correle ao meto asa,
da casa da roa do Imperador n. 16, o preto Kdicsa-
do, crinlo, cheio do corpo, altura r> calar, 1
comprido, olbos pequeos e pooca barba, vi
?a e bigode, bastante ladino, reprweofo ter W
annos, pouco mais on menos, e jolga-se ter levado
caiga preta e camisa bracea ; ete e*eriTo Coi rjsv
prado ao Sr. coronel Galvac, do Limoeiro, para oa-
de se julga tenha fgido, mas ha qoem o tests
visto na Passagem da Magdalena. Restedio* e ?-
zea; e como se desconfa que eslej? ae.otado,
protesta-se proceder contra qnrm o liver aenimdo
e pede-se a quem delle der noticia 00 o agarrar,
qoe dirija-se a sobredita casa, on a rna do Crwsi
n. 13, qoe ser recompensado.
Fugio no dia 6 de agosto o escravo eroslo ss
nome Tiberio, idade de 20 a 15 asnos, ostatara
baixa, com falta de om dos deste da esss. Foi
escravo do Sr. Francisco de Albugo*rojos Mara-
nhao Cavalcanti : qoem o ptfar on delle der aoaV
cia, qneira dirigir-se a rna da Cadeia do Koce a.
33, loja de Valle Porto 4 C. qoe ser 1
sado.


Diarlo de Pernambneo --- Sabbado lt de Agosto de fl $65.
i
LIBRA.
m POICO DE TlDO.
Nao'ha provincia de Franca que nao tenha a sua
padroeira que, como sentinella ao p de Deus, vela
sobra os humildes qae unploram o seu auxilio nos
das 'le calarnidade.
Santa OJilia a padroeira d; frisada, como
Sania Gwiovi va a Ao Paris, como Saal'Aona 6 a
da Bretaa*.
A sua tra-Mego, diz Araedeu do Ponlhieu que
nos coma a leuda d'essa Sa la. lera gravado o seu
nonv no corago dos habitautes da Aisar.ia como
no : -rriiorio desse pitloresco paiz.
S^a vida foi urna larga serie de inilagres conta-
i! i elos peregrinos que sobem a abbadia da invo-
Ora, o Sr. X... /nanea ecdoidecra : o que elle commercio, e j deu os pnmeiros passos para se l'm bllhete da grande loteria
tinha feito, centenares de pessoas tambem o te- crearem os recursos exigidos para a construccao Que dentro em algum terapo ha de correr.
riam feito: eis-aqul o que tinha succedido :
Por urna bella manhaa do mez de......achan-
dos caminhos de ferro.
N'uma palavra, industria, agricultura, commer
do;e o Sr. X.... ainda de. cama, por ter perdido ci, instruegao publica, todos os elementos da rl-;Qneres comigo vir? s trabalhando,
Como julgo, mu pouco has de durar,
A esperanza, meas passos quera guia,
Esta sorte grande a mim diz pertencer,
caca) da sania, em um dos mus erguidos cimo dos vinliastes o motivo que aqui me trouxe.
urna parle da noite n'um baile, o seu criado foi di., qneza material e intelleclual dos povos, ocenpam
zr-lhe que um sugeito pedia para sem demora fal-; um lugar de preferencia no animo e as medidas
lar-lhe en particular. do imperador e dos ministros.
Nao te disse o seu nomo ? O progresso alcanca os paizes raais longiquos.
Deu-meeste bilhete de visita para entregar
a V. S.
O bilhete annnnciava um addido de embancada
orno qual o Sr. X se avistara vanas vezes
nos saloes de reuofo, e especialmente na vospera.
Cinco minutos depois, o visitante introdnsido
tuaipriiuentava com ar de sumina seredade, e,
preveaiodo a pergunla que lhe lam fazer :
Senhor, comprazo-me em suppr que j adi-
Vosges.
Era lilha de Adalrco, du]ue da Alsacia e de Be-
rule, e naseeu no castalio de Hohemburgo,
perto deOrbenay.
duque, poderoso e ambin:>;o, desejava um li-
li i [u i um da empnnhasse u su:, bandeira e con-
tri :-e o lustre da sua raja.
Grande foi, pois, a sua colera quando soubc que
liaba nma filha, e que essa filha, para que fosse
mai r o infortunio, era cepa.
Proferto palavras de morie e se a mai aterrada
nao a fizesse de.-apparecer, Dea3 sabe o que seria
f.iti desse aojo que havia d; Iluminar com suas
v:i | jes a trra em que recbeu a existencia.
A m i cuuiiou SU lilba de urna ama fiel que a
levou a abbadia de Palma, no Franche Coart.
S.-nto Evrardo, passando por all, baplison-a, e
um "(va de que Deus a destina** para muito
que cobrou a vista logo qae a agua lustral cabio
sobr a sua cabera Innocente.
Progredia em belleza e sabedoria quando seu ir-
Ptfo-vos que vos expliquis, porque nada
aJivinhei.
Pois o caso bem simples. Venho reclamar
os cinco mil francos que me deveis.
Cinco mil francos f... eu !... permiltir-me-
heis que vos diga que laboris n'um engao...
Pois que I ser preciso que especifique ?
Obsequiar-rae-heis muito.
Pois bem, venho reclamar os cinco mil fran-
cos qae hornera me roubastes ao jogo.
Miseravel I
Perdo, nao nos agastemos__Quando digo :
vos, creio que nos entendemos. Ser preciso lem-
brar-vus o processo commodo que empregais para
desviar as suspeilas 1
Etals completamente louco...
Visto que assim o queris, serei explcito. Se-
nhor quando se exerce urna prolisso to vil, deve-
se ao menos ter a triste eoragem di se expr,
pessoalmente, e uio fazer como vos que mandis
a vosea inulher que Laraliie as cartas I
Moha mulbcr I___
Cumpre azer-lhc justiga, pois que ninguem
no
mi. Hugo, a quem sua mai contara moilas vezes
a--vii urdes da irmu proscripta, foi tira-la do sen a excede era inlroduzir um birallio preparado
retiro e conduz-la ao castello sem turar da colera jg do |aui(]uenet. Se fostes vos que lhe ensinas-
paterna- tes.... podis gabar-vosde ter feito urna discipula
Como era de maravillosa formosura, foi pedida 1Jue prometle.... muUo_ Mas aaberaus Cum
por um rico harn allemao. j ,t0. Houtem quando surpreendi o flagrante delic-
iosa allianga lisongeava a ambicio e a vaidade, to> por eonsideraco e respeito p los donos da casa
do dnque, que ordenou a saa tilha ravoravel ac-1 que uos llham convidad0; l)ah evi(ar m e[
Ib n uto as bomenagens do b/_aoj_mas ^'^.^, eaudalo infmente e pagar, sem dar palavra, ura
Hoje, porm, que deveis ter o di-
I n .-u que a to alto esplendor prefera a solido j gauho illicito.
cu'i -re nao o dobraram lagrimas da illha nem sup-
plicas da mai.
Eiiiao Odllla, deixando-se levar da desesperando,
fogiu do castello paterno, e dirigio-se para o
llheno.
O duqoe poz-lhe toda a sua gente no alcance, e
rom colhia informales em toda a parte, dlsse-lhe
e a paz de ura convento. Dhtiro em caiS3( veB|)0 siin|)lesmeute ,
te^^i^^.^^^^^*"^^^ os clnco mi'francos... que.
O Sr. X estupefacto, ouvia e nao comprehen-
dia. De repente erguendo a cabera :
Iluda mulher f.:.. Jurais-me sob a vossa
palavra de honra, qoe minha mulher...
A caso o ignoraveis ? f.. Ora, vamos !...
Senhor, esta revelaco vai custar a vida a
un .arque.ro do Rheno que hav.a passado para o i m de0n,s- Se raenIis'<*. juro
, ... ma. Se dissestes
ouiro lado urna rapariga de rara belleza.
Passado a margem opposta, vio o duque Odilia,
que trepava a custo um raminho ingreme; deu de
esporas, chamou-a; e Odilia, reconhecendo a voz
de sea pai irritado, nao leve forcas para fugir e
cabio junto de urna rocha, quasi mora de medo.
Ocvndo as rnprecaces della e vendo o cavallo
qn iorueava o rochedo, rgueu para o co mos
snpiilicantes, e pedio a Deu* proteccao contra os
se*u pe^e^uidores para que, sempre pura, poJcsse
concagrar-se ao servido ooSeuhor.
U co ouvio a sua supplica.
a verdade.... Mas nao, im-
possivel. EUa !... meu Deus I.. meu Deus I...
O accento eheio de desespero deX... era to
verdadeiro, que o seu interlocutor acaboupor com-
mover-se.
Nao se pode parodiar urna
Por isso tomando a palavra :
Se verdade, disse o estrangoiro, que igno
r^is o occorrido simo e lamento que...
Nio careco de peanles ; o que me falta
una prova... urna prova decisiva... Agora que
Dttastes a minha coiillanc, a horrivel duvida me
dr to profunda
Melhor passeando.
Sem fadiga, ncm dr, muito ganhar.
Agradego o convite, minha afniga,
Respondeu a formiga.
Nao posso hoje partir, pois, convidada
J fui para urna ceia, que me dada
Por um rico prenle.
E to bem esta peta foi presada
; Que a ra se salisfez incontinente.
Despedindose, pois, foi pela estrada
Mu contente a pular.
Muito tempo depois, dona formiga
Um da trabalhando,
Vio passar j de volta sua amiga
Magra, triste e chorando.
Com pena, perguntou-lhe o acontecido
E a ra lhe respondeu : Est perdido
Tudo que eu possuia,
Gastei, louca Iesperando em loteria.
E' do Sr. W. e F. esto esbcelo sobre
A TEMPESTAD!!.
Doze bad dadas, atufadas pelo rugir da tormenla.
acabavam de soar montonas n'um sino lougin-
quo.
A tempestade, que desde o principio da noite co-
mecar a formar-se tinha desabado com toda a in-
lensidade.
O co eslava escuro cono o interior d'uma ca-
verna; nem urna estrella marcava o lugar de sua
siluacao I
As nuvens, pejadas d'agua e de electricidade,
corriam impellidas pelo furaco, e chocavam-se,
produzindo os estrepitosos rebembos do trovol
Os relmpagos, tragando lingoetas de fogo no co,
allumiavam com luz amarella e sinistra esta scena I Pis eu' dlsse a fo'm'Sa. trabalhando,
de horror e confusao I ITtDno al8uma fr'una adquirido,
Os ventos, percorrendo desordenadamente o es-1 Emquanlo, s na esp'ranca le fiando
pago embatiam-se, soltando utvos horrendos Pareces ale fomc ,er soffrido.
O mar, embravecido e arquejante, rolava seus i
vagalhoes na praia, ameagando innundar a terral
As aves, arrancadas dos ninhos pela violencia !
dos ventos, esvoagavam espavoridas, buscando es-1
conder-se no primeiro abrigo I
A trra, as casas, as arvores, tudo estremeca,
tudo pareca sentir os elTeitos desta lerrivel desor- Como ,udo maaou.se Aiisamente
dem da natureza. E era ta0 b|Jlj S0Qhava |an,0 ,
S um nio humano, joven ainda, permaneca ve- rame a vida um puro e doce encanto !
lando indiferente a todo este cahos I N'm futuro rS0I]|10 era lao crent9 |
Emhugado n'um longo capote, fumando n'um ca-
chimbo turco, estava sentado em ura marco de pe- Mas hoje, por meu bem, qoe vive ausente
dra pertii de um rio, insensivel a tudo o que se Diman dos tneus olhos triste pranto,
passava fra delle. Da saudade cruel, funreo manto
Seu rosto moreno e paludo estava apoiado sobre Cobre-me o peto e me persegue a mente
a mo esquerda ; seus olhos meio cerrados perma-
necan) fixos no escuro do chao; seus cabellos ne-
gros e nnelados sahlam do chapeo, cahindo sobre
a mito, que apoiava a cabega, e sobre a face di-
reita.
E' do Sr. C. A. Machado :
COMO TI,-D0 Ml'DOU-SR
Oh meus das felizes do passado I
Quem dera vr-vos hoje como outr'ora
Que eu me via em sms olhos retratado
Vos nao voltais, meus dias ITudo agora
Parece que me diz s desgracado,
Tudo junto de mim spluga e chora I
JNao dorma ; por que o seu cachimbo estava a
ceso, e lancava de vez em quando fumagas, que o
vento dissipava immedlatamente.
Vendo-o tao impassivel dir-se-hia que era o ge-1
nio da tempestade, que ria-so das ameagas do fura,
cao medouho I
Mas nao, elle estava impassivel, por que em seu
espirito havia tambem urna luta de pensamentos e
sentimeutos oppostos, que se debatiam, querendo
supplantar uns aos ouiros I
Elle lutava com o amor, com o dever, com o
egosmo, com a razao, com a felicdade, e com a
desgraga I
Nao se deu alguna Importancia a esta dcsco-
Sim ; de urn lado esse manceb via o seu amor berta.
acompanhado de todas essas felicidades, que soem
corar a paixo correspondida.
L-se no Doze de Agosto, o seguinle :
RECOrBACES DE VIAOEM.
Em 1713 um operarlo de Portici, profundando
um pogo, sentin resistencia sob o alvio de que se
estava servindj; eram fragmentos de marmore
que annunciavam descobrir um pequeo templo e
algutuas estatuas.
. ..... !,ere?ue- Es'a QO'l?. receberemos aqu mesmo al-
A rocha abno-se e mostrou urna gruta tapetada ; Jns arng0S_ _
de musgo.
Jogar se-ha... eu fare a diligen-
cia para que se jogue... Viris aqui e ambos es-
petaremos. .. Espreitaremos assim todos os dias,
o duque, e-negante de cansacj e de colera, atto- ai que.
ntte por nao a ver, dhama-a, e ella responde que ] Abreviemos.
.\amesma ooito, X... adquira a dolorosa cer-
leza que sua mulher, a fim de occorrers despezas
exageradas do seu toilette, trapaceara ao jogo.
No da seguinte, o desgracado suicidou-se com
e a d:zer-lhc que esta ao pe um lro [J0 IJUVldo
Olia entrn e o rochedo fechou-se.
.' asombrado, corre de redi r do rochedo, julga-
!C :.:ua.io de um sonho, us a voz de Odilia conti-
n.i a sabir Ja raassa do granito que nao mostra
ii a ima abertora
delle, mas qu Deu, a protege contra a saneo-1 E a vi;n.H) que fo feju de||a ?
l Fi vista o invern pascado em Hatttbonrff, onde
(; uuque tesiemunhi. do ranagre, submettea sua sni, .. ,im.i1Yi-,h. i-.m. ,-. .
' ,b0" pretexto ce lomar binhos, se joga desenfrea-
voniode a de Deus, e diz : Jmente.
Odilia, s Hvre I juro por esta rocha mila-
: que te deixarei dar "umprimento ao leu voto ; .______ ,. _,, ,D _____
e e linear um convenio.
0 rochedo abrio-se, e Odilia, como um anjo ra-j 5eSunil escrevem do Tehern, chegou o rao-
dioso, sabio delle, com a fronte cingida por es-' ment0 de esIreilar as relages entre os povos da
pleudente aureola, e correu a abracar seu pai. ; Eur 'Pa. que procurara novos mercados e a Azia,
Odilia vveu no seu convento por tal modo que que afP!,a a civilisagno moderna, cujo poder reco-
me r'.-ceu ser contada no numero das santas.
As loas capellas doconten'o ainda existem.
1 na dellas. suspensa sobre o abysmo epresa ao
re do como um ninho de andorinha, a mais
ven r..da dos liis ; a outra esi em ruinas.
Adalrico morrea depois de ter feito exemplar pe-
niiDcia.
Em um recanlo do convento v-se o tumulto de
Odilia, cujas pedras teerr. sido gastas pelos ps dos
numerosos peregrinos; u uos arredores mostram-
se foutes milagrosas e urna pedra a que ella se en-
costoa quando cahio, e que arada tem signaes da
sun mo.
S[ao ser melhor crer nestas antigs tradiegoes,
que respiran a siogeleza da bblica e a poesa
cln ;'aa de eras remotas, do que nao crer era
nada f
S os caminhos de ferro levara as aldeias as
idea; modernas e todos os beneficios da civilisago
nao desespi: mos de que haja sempre um canli-
nho dbcba-, onde, como em um santuario, o
povo conserve as antigs crenchas que foram as ale-
gras de nosos passados.
Hultipcam-se em Paris os escndalos origina-
dos pelo jogo, com urna pasmosa e lamentavel fe
cundidade.
yio se, passa nm mez sera que nm ou muitos
dos seas mysteros sejam revelados ao povo pari-
siense, no meio da suaavangada civilisago.
Succede at, que em algumas reunipes, ou clubs,
os seus membros se espreitam reciprocamente, nu-
trindo todos ^nutua desconfianga, que as preceden-
tes descobertas infelizmente jastificam.
.Veste mundo ha tanta gente que ganha dema-
nbece, e sent como urna lei providencial.
O commercio e a industria deu principio era-
preza, e a sua benfica necio, anda que lenta, ha
de produzir a .queda das antigs preoecupagoes que
tem separado as ragas mussulmanas da civilisago
dos povos chrisios.
6. M. I. x\asser-el-Din est resolvan a entrar no
campo das reformas.
r ndemna os costumes indolentos que perderam
os ltimos seferis; e partidario declarado das m-
ximas posta em pratica pelo fundador da sua dym-
nastia, Aga-Mohamed-Khan, oceupa-se pessoalmen-
le da diredaccao dos negocios pblicos.
No desejo que tem de se ilustrar em tudo quan-
to se refere Kuropa, nomeou traductores para
conhecer o que se publica, e especialmente se tem
relagao com o imperio do Irn.
As reformas comegaram j pela secretaria ra-
nal.
Os novos ministerios creados em 1862, com as
denominaces usadas nos governos representati-
vos da Europa, concentraram-se em tres secgoes,
com os nomes de ministerios da guerra, dos nego-
cios estrangeros e da fazenda.
Estas tres secretarias comprehendera toda a ad.
ministracao geral.
u vencedor dos turcomanos, Mirza Moamed-
Khan, dirige a repartico da guerra coDjunclamen-
te com a governago do imperio e tem o carcter
de presidente do cooselho.
A pasta dos negocios estrangeiros foi confiada a
Mirza-Sand-Khan, hornera de vasta instruego
muito versado as linguas e que passa por ser um
dos bomens raais eruditos, e tem escripto muilo
em rabe.
Por ordem d'este ministro, construiram-se em
I Paris todos os instrumentos necessarlos para o fa-
Senta que amava urna mulher no sacrario de
seus amores mais puros I Que amava-a como
ambula sania dos altares de Deus I
Saba que mutas veas esquecia-se de tudo para
aoelhar-se ante a imagem de seu amor, que lhe
desenhava a imaginago das noites de febre e de
insomnia I
Senta que amava-a em segredo, no silencio de
suas horas de lagrimas, sem ousar pronunciar o
seu norae brisa da tarde, sem dize-lo aos chos
de seu quarto I
Apenas vinte e cinco anuos depois, o re do a-
ples comprou este terreno para mandar construir
o bello palacio de Portici, e ento que os traba-
Ihos necessanos para os fundamentos, revelaran) a
existencia de una cidade inlera subterrada.
As excavages foram ordenadas, e cora asuaaju-
da, .poderam seguir-se os vestigios dos costumes,
das arles, dos usos e da civilisago dos babi (antes
| desta antiga cidade.
Era ali.com effeito, que existiam amigamente
tres cidades; lierculano, Slabia e Pompea, araor-
talhadas as cimas, areias e as pedras, pela erup-
Xas cidades antigs, anda mais que as cidades
modernas, achava-se ao lado dos palacios vigorosos
os cazebres modestos ; era consequencla de seme-
Ibante visiohanca, que se via em Herculano a lo-
ja de nm barbeiro com todos os utensilios da sua
proflsso, os bancos em qae se assentavam espe-
rando a sna vez, os modelo* e os longos alflnetes
de que se sr rviam para pentcar as dama.
per of lhe soreveign's eoninu*), ass.pnno a m-
Mais, distante a casa de um cirurgio guarnecida meagao, e tirara provoto da transacr-n f^ita com
de mnitos iusirumontos d'artes. Edmunds, que sempre a execulou fielmenlr.
para pagar os jaros de am nnipnii de......
22:500*, a que estava hypotbecada nma ronrie-
dade do lord."
Ignora-se por cmqoaolo, ra lord Brouf haan tanta
conhecimento de taes transaceSes, nu na non da
nomeago de E Imund, era Broofrhaa lord gna-
chanceller, guarda da conciencia de seVrme fk*-
Dezoto seculos tem decorrido depois da ratas-
trophe, e a cidade parecen ter fleado de=erta da
Desde I8:!3 al ir;:; Edmunds nao W> d*pr*-
lar contas, porque n.io havia le nm ul niiiwi.
vespera, os ot.ject. eslao qnasl todos n um estado apM>r dfl ^ ^.^ ^ ^ ^^
de conservagao marav.lhosa. d.nheiros cobrados.
Por isso se encontra as casas a farinh em
massa, um esfregao dobrado, e nos vasos de
barro, coseduras de graos, trigo, lentilhas, ceva-
dinha, urna garrafa de azeite (o azeite esgotado)
um pote de ungento e ara vaso de barro con-
tendo a cor de que as damas se serviam ao tou-
cador I
Em 1855 decidio-se que d'ah por dianie tm
lomada contas ao ebefe da r parl>to dos privi-
legios.
Para
tomar contas foi designado o pronrio a
quem dcvjam ser tomadas, pa\ irabalh>> de fs-
|calisar-se a si mesmo foi lhe concedido o veiei-
Encontraram-se ainda em Hercnlano algnns es-! meDl de 2:70* a,m de ,:800 1 i*'
qneletos; eMe facto d lugar a crer que a maior ,, .., .,.
parte dos habitantes, que se encontravam ali, se-! Ja em. ,8t,7 "J"" hri S[ E4*> -
gundo toda a probabildade poderam escapar-se do T** *f caroara dos lon,s c,frk
mort, ; missao dos lorls com o vencimento total d.....
|6:7o05, ficou assim com um venc meato tuUI 4e
Os mr.ls preciosos dos objectos encontrados, silo 1,:*o05.
sem duvida os manuscriptos, cuja materia se com-'
p5e da folhas de canna de junco, colladas urnas: O anno passado comegaram a correr boatos des-
s outras, e enroladas n'um cylindro de ma-' agradaveis acerca da gerencia da repartico dos
deira.
Colloeados n'um armario de marchetaria, alguns
d'elles tinham sido corrompidos pela humidade, e tej ,jue 0 Sr Elataadi *linna j
privilegios.
Fallava-se da sublracg.lo de qnantias imperta
apenas expostos ao ar, tornaram-se em p ; ouiros
estavam reduzidos a carvo.
No entanto, gragas ao emprego de nm processo
engenhoso, poderam desenrolar-se muitos.
a reivjer por
sua conla em nm banco
A quesio foi tratada na imprensa, e o Sr. Ed-
munds leve de pedir que inquerissem dos
actos.
Os pnmeiros manascriplos gregos desenrolados:
pelo meio da invenga^, oram : um tratado da Fl" Para es,e pffei, oome6 oriiBinii,
philosophia de Epicuriq, urna obra de moral, nm n"p derlaroa estarlo inqaernlo ri|inHHl pH
poema sobre a msica, nm tratado de rhetorica e 1uan,,a de 12:0645500.
oulros textos que talvez estejam destinados a tor- Era de esperar que se instauras** prnce$o cen-
narem a ver a luz: urna obra desconhedda, igual tra o funecionario infiel, mas consegu*. e$i- evitar
em mrito s de Tcito, e Cicero, de Demosthenes o perigo offerecendo pagar o qw- devia, e 0it-
e Virgilio, viro oceupar no primeiro da o mundo tr-se dos seus empregos na repartico dw privi-
legios.
Pela demisso licavam vagos doo logares. Lord
Weslbnry, gria-chanceller. nao proveo o de.....
2:700, mas, por urna escolha qoe honra a saa af-
fego pela familia, dea o de 1:W0S ao Sr. Corter,
seu genro.
Em selembro do anno passado o Sr. EtnaU
entregou no thesouro a quamia de 35:i44, sooe-
rior aquella em qne fra calculado o sea alcance
Porm em Janeiro apparereu segoado relatorlo a
respeito da gerencia de Edmunds e r.elie te mos-
trava que a divida ao thesouro anda fkava sendo
de 'iO:930|J, Edmunds negoo esse alcance.
E-tes factos succediam as vesperas da abertora
do parlamento.
Lord W'esthnry, depois de ter confereneiado oni
oulro ministros, mandn dizer a Eimonds que
enviara para a cmara todos os d. comentos rela-
tivos a esses negocios, e qoe pedera nm ioqoerilo.
Edmunds pedio que lhe enoceoVssem a rnm tem-
po para pensar, e o lord chancell-r den-lhe a en-
tender que melhor era pedir a demisso.
A alternativa era pessima.
Sabia que lhe era doce ouvr o som de sua voz,
o rogar de seus vestidos, sentir o perfume de seus
cabellos na brisa, que lhe soprava os labios requei-
raados de febre I
gao do Vesnvio que leve lugar no anuo 79 de J. C.
no reinado do imperador Tilo, e na qual Plinio o
amigo, pereceu victima da sua curiosidade.
Dezeseis annos antes, estas mesmas cidades t-
Sentia-se disposto a dar tudo por adormecer no nham wffndo bastante em consequenca de um tre-
seu seo, por joelhar-se a seus ps, e beijar-lhe as mor de terra i os vestigios sao ainda bem visiveis
orlas do vestido, por ouvir as suas oragoes o mur- em Pompeia, onde se encontraram monumenios
muri de seu norae entre as suas palavras de f I (au nao estavam inleiraraente consertados.
Porm de outro lado elle tambem senta os efe- e' impossivel traduzr as impressoes que se ex-
los aflictivos da incerteza de ser amado, e da ira- perimentam em presenga deste grande desastre !
possibilidadede fazer conhecer a sua paixo f Elas cidades celebres e desgragadas, tem for-
Via a razo clamando contra um amor, que nao neci(lo ao mu?eu de Bourbon em aples immen-
podia fazer logo a felicdade daquella a quem era
dedicado 1
Senta a conscenca moslrando-lhe a sua posicao
sas e inappreciaveis riquezas.
E' pena que tudo aquiilo esteja al amontoa-
actual, e os remorsos qui taria de deca- do sem ordem e sera 8ost0 d'arte; s as pinlu'
rarum amor a que nao poda seguir-se immedia- ra? a resco roubadas as cidad*s *lrolda, w
lamente o seu fim ultimo ( chl>m daas salas des,a vas,a co'lecgao.
Via os males, que podena experimentar o objec! Herculano era urna linda cidade da Campania,
to de seu amor, que tao lindo e prendado, ficaria a legua e meia de aples; ali brilhava tudo o
impossbiltado de aceitar e corresponder a outra, que a arte antiga tinha de mais gracioso, de mais
paixo, que pedera logo torna-la mais feliz I exquisito.
via a razo suggerindo o dever e o dever que-'
rendo supplantar o amor I..... Depois, quando outros lempos passaram e a lem-
Todas estas idea?, todos esses pensamentos gru- j branga em catastrophe se esqueceu, sobre o chao
padosno cerebro ardenle do mancebo produzam'calcinado que encobria a cidade amortalhada em
urna confusao, urna tempestade quasi seraelhaote a seus lences de cinzas, edificaram-se duas aldeas,
que havia em a natureza I Portici e Resina, cojos primeiros habitantes nao i an"g0i!. estatuas, movis, utensilios, que se encon-
Todos estes sentimeotos, preoecupando profun-1 suspetarara nunca que sob suas casas a nma pro- trassem de futuro, deviam deixar-se e conservar se
damente o seu espirito, fazia com que o seu physi fnndeza de oitenta ps, jinha existido outr'ora urna ID0 sea posto,
co nada sentsse do que se passava fra I cidade rica, brilhante e luxuosa.
Todos esses pensamentos e sentimentos to op As exacavaces que se tinham comegado pelo
postos produzam nesse joven urna luta a que se fim do ultimo seculo, foram mutas vezes suspen-
segu naturalmente urna dessas stuaces peniveis sas e continuadas; em 1828 tinham j bastante a9ue'les 0,fplos Preciosos colloeados directamente
s a cidade como se achava subter- ao P *> Vmfto e ao alcance da lava em fuso.
litterario.
Pompeia, cidade situada ao p do Vesuvio, era
outr'ora celebre pelo seu commercio; foi deseo-
berta em 1748.
Os pontos mais elevados dos edificios, estavam
cobertos do urna lava de mais de dezoito ps de
espessura.
Anda que menos espagosa do qae Iforculano,
era comtudo bem adornada; estava mais vantajo-
samente situada, pois se achava sob vinhedos e
Ierras cultivadas.
Desde 1812 os trahalhos de escavago permitt-
ram penetrar no interior, ondo se encontraram an-
tigos edificios perfeitamonte conservados.
A cidade offcrece abertamenle o seu circuito
de mnralhas; de sorte que se reconhece tod"a
extengao que tinha na realidad, e o qne resta
a fazer para acabar de descobrir e desentulhar o
interior.
Ha ainda urna grande parte da cidade a desem-
pedir.
Qne de riquezas se devem encontrar ainda !
Entretanto Edmunds resolven pedir demi*5o, t
parece qne so decidi a isso com esperaora de efe
ter urna boa pensao, como costme dar aos fone-
cionarios que desempenharam carpo semHtaMn
As roas de Pompeia si5o estreitas e as casas mu i
to pequeas, excepgo de alguns monumentos ao que ei!e hum na cmara dos lords.
pblicos a que nao Mtam nem riquezas nem ele-
gancia, a saber : oito templos, dois theatros, um
amphitheatro magnifico, duas pragas ornadas de
prticos, d'um foro, d'uma baslica, e thermas; o
conjuncto mesquinho e est longe da idea que se
fez sempre das habitacoes romanas.
Os quartos das casas sao apenas, em geral,
malares do que as alcovas; as lojas, sao ieual-
mente muito petnn ; mas as pinturas as insig-
nias e as inscrpgns (anda assaz visiveis) sao ob-
jectos verdaderamente dignos de admiragao.
Os quadros que ornam o interior das habitaces
San d'uma frescura admiravel.
Foi em 1815 que se descobrio a bella casa nar
ticular, denominada a casa do poeto trgico, de
comprimento de cern metros e da largura de qun-
ze, contendo dezanove cmaras, um atrio e um pe-
ristylo com mnitos quadros e mosaicos da maior
magnificencia.
Ha mesmo quem jnlpne qne foi e pran-chancel-
ler. qne se prestara a eollar-se, se Edmnmts
demiltsse, e fra qnem lhe nffereeeu a pensao.
Emfim certo qne o Sr. Edmonds pedio a de-
misso, e urna pnasa pelos seas lar^o serriens.
Por um decreto do ultimo rei, todos os objectos
Esta medida parece primeira vista sabia e
rasoavel : mas quando se considera qne todos
siao... em ser conhecida I
Anda ha pouco, duas revelagoes deste genero' brico da moeda.
deram muito que fallar ; mas ha urna terceira | Finalmente, Mirza-Yufussuf est encarregado do
que toda gente ignora, e a respeito da qual o: ministerio da fazenda.
fundo Ilustrado fornece alhuns pormenores, ho- Esies tres altos funecionarios receberam a mves-
je que a ninguem pdem comprometter, visto que Ma, ur a que corresponde n'aquelle imperio o uni-
se referem a um acontecimenio de data j an-
tiga :
(la... mezes, osjornaes bem informados noli-
ciavara, sem commeotarios, o suicidio do Sr. X...
Na situago appareole do Sr. X... nada hava
que justificasse ou explicasse esse acto de extrema
dcsesperagSo.
Gozaudo de meios para viver com decencia, e
tendo sabido grangear estima de todos, o Sr. X...
desposara, j havia um anno, nma encantadora
muilier, que devia faze-lo to venturoso, como se
pJe sel-o neste mundo.
A que se devia pois attnbu.r a funesta resolu-
go tomada pelo infeliz ?
A um accesse de alienago mental, sem duvida;
Tal foi, effectivameote, a veran qae prevalecen
causn alguma sensacao, durante tres dias, no fim
dos quaes foi esquecida com essa frivolidade de
memoria qae am dos apaaagios da sociedade pa-
risiense.
forme de honra ( el Khalat).
Desde lempos Immemoriaes a investidura a
mais distincta honra de que pode gosar um sub-
dito do imperador; o Khalat, com brocado de ooro
e do mais extraordinario tecido ; adornado rica-
mente de pedras preciosas, mandava-se no lempo
do grande Abbas, cora ura cavallo escolhido de en.
tre os melhores do imperio.
A cabegada e o feliz am cobertos de brilhantes.
Mas a par d'estas iuforraages, que amplificara
os jornaes francezes e ioglezes, sao vitaes os me-
Ihoramentos que este ministerio se propoe veri-
ficar.
Ura bom systema de viaco, foi a primeira cousa
que atirahio a saa atteogo, por isso que j nada
existe dos nota veis caminhos e solidas ponles que
davam celebridade ao imperio; tudo tem desappa-
recido pela Indolencia barbara dos Alganes.
O governo do shah propoe-se construir caminhos
rpidos e seguros, como reclama o moviraento do
em que a razo cangada de lutar contra o egosmo avance ; apena
do corago, deixa-o todo entregue a si e aos seus rada sob habitagoes, e um palacio, nao poude ser
caprichos ; i nteiramente desenlulhada.
O mesmo foi seguido as ruinas de Stabia, onde
hoje nada se v.
especialmente com certas estatuas.
se acham ainda expostos a nm novo desastre seme-
Ihanle aqnelle qne os amortalhon ha mil e oftn
cer.tos annos, pergnnta-se senao seria melhor ve-Ios
A tempesiade tinha redobrado de furor, o co A medida que se faztara as excavages, enchiam- transportados ao museo, como teve logar ao prin-
pareca querer desabar sobre a terra, os troves se as casas depois de se tiraren) os objectos d'arle. cipio, salvo deixando em seu logar as mitages e
continuavam a troar horrendamente, os relampa- Desta forma, nao ha all vislvel seno um theatro e as copias, como j se praticon com muitos objectos,
gos succediam-se com breves interrallos, o mar um outro edificio de pequeas dimenges.
tinha augmentado a sua furia ; s o veuto tinha
cessado nm pouco.
De repente ouvio-se um estampido horrivel I
O co fendeu-se em duas partes, um relmpago
fortissimo lluminou aterra, e um raio descreveu-
do um ziquezague, cahio a 100 bragas do man-
cebo I
Elle olion nm suspiro to abafado que seu peto
arquejou violentamente I
Dir-'e-hi que algum pensamento to impetuoso
e violento como o raio atravessra-lhe pelo cere"
bro........
A chuva comegou entao a cahlr copiosa e fortis-
sima.
Elledospertou de todo ; levantou-se, langou um
olhar triste para a tempestade, passou a mo pela
testa hmida e pelos cabellos molhados, e com nm
sorriso amargo disse :
Eis-ahi bem representada em a natureza a scena
de minha luta constante !....
Em snmma, tndo leva a crr que Pompeia, ain*
da que amortalhada sbitamente debaixo de nm
Nanmoins poude certificarse em como as roas montao de pedras e de cinzas, nao o fof todava
d'Herculano eram delineadas a cordel e calgadas com tanla rapidez, qae os habitantes nio tivessem
com as lavas do Vesuvio. I tempo de se salvaren), levando comsigo as joias
Aos lados, eram guarnecidas de passeios lagea-1mais Preciosas-
dos, e algamas ornadas de columnatas.
O pequeo numero de cadveres que se tem en-
contrado at ao presente (nao chega a tresentos)
serve de fundamento a esta assergSo.
Transcrevemos do Progresso o seguinte aplogo
do Sr. L. A. :
A RAA E A FRMICA.
Dona formiga um da, trabalhando,
Vio grossa r9a a ella se chegando
Com ar de aristcrata ;
Veos, por certo, contar-me urna bravata,
Um feito de eoragem e herosmo;
Disse rindo, a formiga.
A raa, se aproximando, disse : Amiga,
Espero muito breve n'um abysmo
De riquezas sem Um me has de encontrar,
D'aqui a nove leguas vou comprar
de
Foram tres os primeiros templos que se deseo
briram era Hercnlano, dois dosqnaes possuiam pin-1
taras a fresco e bronzes preciosos cora inscripges, i
e um monumento funerario com pedestaes ; o Parece '"?'"''>> provado, que depois do hor-
theatro de qoe fal'mos, situado sob Resina, e or- rlvel acontecimento que os tinha ferido, os des.
nado interiormente de marmores de diversas c- ragados habitantes voltaram a excavar o en-
res, e de estatuas de bronze representando homens tolho t** I este facto sustentado por mu-
e cavallos : este theatro bastante curioso, e v- ,as o^ervages que lhe dao quasi a forga
se que aprsenla o nico exemplo na antiguidade Prova-
de um theatro coberto; um forro construido em rec-
tngulo com prticos elegantes, calgado de marmo- "***
re, ornado de urna multido de estatuas, entre as
quaes figurara duas equeslres, de marmore, e es-, Transcrevem ;s da Gazeta de Portugal 0
tatas de bronze, deNro e Germnico ; casas ricas BUnie
e sumptuosas cora calcetaras de mosaico e de
marmore de cor, e magnificas paredes a fresco. escndalo km Inglaterra.
Foi entre estas ruinas de nma cidade extincta Em 1833 foi nomeado chefe de repartigo de pr-
que se encontrou a maior casa que foi habitada, vilegios de invengo um homem chamado Leonard
na Italia, por simples particulares. {Edmunds.
.
Compoe-se de mallos quartos dispostos em volta
de am de pateo interior, de am gyueceo, oa cama- O cargo tiuha de ordenado 1:800,5, mas em vir-
ra de mnlheres, de am vasto jardlm cercado de ar- lude de transaeges, cuja natureza nao conbeci-
cadas e de columnas, e de salas altas e ampias on-' da, Edmunds dava cada anno, 4505 ao Sr. William
de se reuoia provalvemente a familia. Brougham, irmao de lord Brougham, e ceda 900J
se-
0 lord chanceller ocealtoo as grades aecoaci>s
que posavam sobre o demissionaro e aprsenlo a
rcquerimenlo para a pensn. Foi. em vMa de to
inexpcavl silencio, concedida nma pen*o de
3:C003.
A commis=o da cmara do lord* tinha ranh-
cimento dos boato5 oesiavoravels ao Sr. Edmd-.
mas esle tinha amigos na cmara, e nao era pos-
possivel condemnar nm nomem s por boatos
Por tal forma tinha o lord chanceller. o guarda
da consciencia do rei, conseguido ter sua isno-
sigo nm lugar vago.
Sem perder tempo, deu o cargo a nm filhn.
Esta escandalosa historia corren primeiro emre
o publico, foi depois discalida nos tritonaes, e an-
nal lord Stansley tomnu a patarra na ranura dos
lords, c narrou os factos como acabamos de apre-
senta-los.
O lord chanceller responden com reticencias, t
com explicages mais humildes, do que satisfac-
torias.
Nao deve dejxar-?e no esenro nm ca=n sinfilar.
Lord Derhy, em convetsago rom alcnns lords,
disse que Edmunds nao era tao criminoso ramo di-
ziam, porque... porqne apenas tinha posto a ren-
der em sen nome o dioheiro do tbesooro.
Seja como fr, foi nomeada nma commissao para
inquerir a respoilo desses factos.
A opinio publica manisfesta-se aberlanxnwecia-
Ira o gran chanceller, ord Westbury.
Os seus inimigos aecnsam-o de nepotismo, e di-
zem qne elle tem empregado todos os filhos, aan
ennhado, o genro, os Bethell, os Abretants. ele,
etc.
Diz-se qne at den anteripadamenle ao seo dmo
mais novo, qne ainda anda a esladar tu Oiiori,
um lugar de 400 libras de ordenado.
Sito realmente extraordinarios os (artos oae aca-
bamos de narrar, mas o mais simular ter nav
vido em Inglaterra nm funecionario que se fesca-
hsava a si mesmo.
Talvez em outros paizes nao seja fcil actar
caso anlogo.
Sao notaveis as segninles palavras do
inglez Times no dia anniversrk) da batalla de
Waterloo :
As ideas representadas por Xapoleao I soanr-
veram ao desastre 1815, e a sna d.iaanmla res.
tabeleceo-se.
A poltica que a Inglaterra defenda eaa Water-
loo, nao era feliz nem dnndswa, a ser nm
to nao solemnisar o annirersario dessa
que nao deu nenbnm resaludo,
roereca ser conservada na i
faturas.
PERNAMBUCU-Ti'p. bB M. P.OB F. F1LBO

/a.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESZTP0QPB_ZI8JMR INGEST_TIME 2013-08-28T00:56:34Z PACKAGE AA00011611_10741
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES