Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10740


This item is only available as the following downloads:


Full Text
u

ABHO IL1. HOMERO 183
Por quartei pago dentro de 10 das do 1, mez ...ti
dem depois dos i.0' 10 das do comecoe dentro do quartei. .
Porte ao cerreio por tres mezes ,* ,......, ,
SEXTA FE1RA 11 DE AGOSTO DE 1865.
$000
6|000
750
SfOOU
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lentos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Sis. Geraldo Antonio Alves &
Filhos ; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SOL
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Hias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Aires; Rio de Janeiro, e Sr. Jos
Ribeiro Gaspannho.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da via frrea at
Agoa Preta, todos os das.
Iguarassu e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Anto, Gravat, Uezerros, Bonito, Caruar,
Altmlio, Garanhuns, Buique, S. liento, Bom
Conselbo. Aguas Bellas e Tacaratu, as tercas
feiras.
Pod'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio eEx, as quartas
feiras.
|Serinbem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reiros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relago: tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Julzo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbades a 1
hora da larde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 La cheia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m.
13 Quarto mmg. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
21 La nova as i h., 57 m. e 34 s. da m.
29 Quarto resc. as 9 h., 29 m. e 46 s. di m.
DAS DA SEMANA.
7. Segunda. S. Caetano Theatino fundador.
8. Terca. S. Cyriaco diac. m.; S Emiliano b.
). Quarta. Ss. Seruudiniano e Veridiano mm
10. Quinta. S. Loureneo diac. m.; S. Astheria v
11. Sexta. Ss. Tiburcio e Sazanua mm.
12. Sabbado. S. Clara v. f.; S. Aniceto m
13. Domingo. Ss. Hypoiito e Cassiano mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 m. da manha.
Segunda as 8 horas e C minutos da tarde.
1j.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sol at Aln U e 30; part c vsr.9
ata a Granja a 7 o 22 de cada mez; para Fernat,-
do nos dias 11 dos mezes de Janeiro, margo, mato
julho, setetnbro e noverubro.
ASSIGNA-SE
no Recife, na livraria da praga da Independe*-
ns. 6 e 8, rios propietarios Manoel Figoeiroa Ji
Faria & Filbo.
0FFICIAL
Expolente ilu tlia 8 de agosto de 186o.
Officio ao Exni. desemtiargador provedor da San-
do Silverio de Souza e Vicente Ferreira de Souza,
de que trata o incluso requerimento.
i Dilo ao commandandante do corpo de polica.
Faga V. S. alistar no corpo sob seu commando o
paisano Francisco Pascoal dos Santos, visto que foi
julgado apto para isso era inspecgo de sade, se-
gundo V. S. declarou'em seu offlcio n. 707 de 8 do
correte.
Dito ao mesmo.Faca V. S. destacar na barrei-
ta Casado Misericordia. Queira V. Exc. informar ra ,| Tapartir um soldado do corpo sob seu com
sobre o que solicita o Dr. chefe de polica, acerca mando, alim de auxiliar o respectivo arrematante
da louca e do enfermo de que trata o incluso offl- Ua cobranga do pedagio.
ci n. 1103 de 7 do crreme. Dito ao mesmo.-Mande V. S. apresenlar hoje ao
Dito ao brlgadeiro commandaole das armas. rjr. c|lefe jfi polica urna praga do corpo sob seu
Queira V. Exc. remetter-rae com toda a urgencia, commando, afini de ir a villa de Agua Preta e coa-
ura mappa da forra de primeira linha, voluntarios,
guardas nacionaes e reorutas, que tem de embar-
car amanhaa oar.i a corte no vapor Jos S. Romao,
com declarago da que veio do Rio Grande do Nor-
te, e da que per tenca a esta provincia.
nal de guerra se offlcia no sentido de attender ao
que requer o supplicante.
Claudio Dubeux.Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial.
Clara Maria da Conceigo.Nao tem lugar.
'Domingos Soriano Cardim.Remettido ao Sr,
commandame do corpo de polica para providen-
ciar.
Digna de Santa Rosa. Indeferido em vista da
: inforruago da directora da insiruceo publica.
Francisco Teixeira Borba.Recolha-se ao con
lingente da guarda nacional nesta capital para ser
inspeccionado.
Flix Ferreira da Silva.Seja dispensado al
que se recorra a classe a que pertence o suppli-
cante.
Jos Francisco da Silva.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Padre Jos Antonio Alves de Brito.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Tenente Joaquim Herculano Pereira Caldas.
Iuforme o Sr. comraandante do corpo de polica.
Joaquim Vieira Coelho da Silva.Iodefendo por
duzir mu preso para esta capital.
Dito ao director do arsenal de guerra.A vista
da sua informaco n. 250 de 5 do corrente, auto-
riso V. S. a c-der por emprestimo aos negociantes
Souza Andrade C mediante flanea idnea, ou
Dito ao Dr. chere de polica. De conformidade p0r me0 de. lodemnisago, as 5 pecas de panno de
com o que solicilou o commandanle superior inte- qUe enes ncessitam para satisfazer o contrato que
rio da guarda nacional deste municipio era cilicio meram com a presidencia do Rio-Grande do Norte j
n. 233 de 7 do crrente, tnand V. S. por em Ij- por intermedio de Joaquim Ignacio Pereira Jnior. nao estarnas condigoes da lei.
berdade o guarda nacional do terceiro batalhao Dito ao mesmo.Fica approvado o coulrato que | Laurenlino Becerra do Nascmento.Informe o
de infamara Justiniano Fernandes de Souza, que \r. S., segundo o seu officio de 7 do crrente, sob Sr. commandanle do corpo de polica.
se acha preso para recruta. Communicou-se ao n. 351, celebrou com os operarios alfaiates Anlo-j Leonor Carolina de Vasconcellos Borges Leal.
commandanle superior do Recife. nio Gomes Berlinquim, Manoel Ferreira do Nasci- Informe o Sr. director da instruceo publica.
Dito ao inspectora thesouraria de fazenda. memo e Joaquim Manoel Benicio de Sjuza, para Luiz Manoel Rodrigues Valenga.Como pede.
Transmuto a V. S. o pre junto em duplcala, anm ,rtJ: trabalhar no arseiial de guerra da corte, ven- Mara Lourenga da Conceigo. Nao tem lugar.
de que mande pagar, sob mioha resoonsabilidade, cendo o salario de 2.Commuuieouse a the- j Maria de Santa Anna de Jess.Informe o Sr.
a Antonio Domingues de Almeida Pogas, vis'o nao saurana de fazenda. I commandanle superior da guarda nacional de
Dito ao mesmo.Mande V. S. entregar com ur-' Olinda e Iguarass.
gencia ao commandanle mterino do batalbao n. 9 Manoel Faustino de Santa Rosa.Informe o Sr.
de infautaria da guarda nacional de Olinda 40 em- i commandanle superior da guarda nacional dos
bornaes e trocar Igual numero de armas e correa-. municipios do Cabo e Ipojuca.
mes, que lliesero apresentadas pelo referido com-' Manoel Miguel da Silva.Seja dispensado at
haver crdito para esse (im a quamia de 75100,
em que imporlaran os vencimeolos de urna escol-
ta de guardas nacionaes que veio do termo de San-
to Anto conduzlndo o desertor do exercilo Felip
pe Jjs dos Santos, que foi entregue ao comman-
danle das armas, segundo consta de ofllcio do com
mandante superior daquella comarca, de 26 de ju
uno ultimo.
Dito ao mesmo. A Manoel Ferreira do Nasc-
mento, alfaiate contralado para servir no arsenal
de guerra da corte, mande V. S. adiantar um mez
do respectivo salario para as de-pezas de viajera,
como socitou.
Dito ao mesmo.A contar do Io do corrente em
dianle, mande V. S. pagar a D. Anglica Rosa da
Fonloura Machado, a importancia d suido, addi-
cional, etape e forragens, que seu marido o inajor
do corpo lixo desta provincia Fernando Machado
de Souza Ibe consigna, durante o lempo em que
se achar na commissao de que val incumbido ao
centro da provincia.
mandante por outros era estado de prestar ser- que se recorra a' classe a que perlence o suppli-
vico. cante.
Dito ao mesmo. Em vista do que acaba de pon- Maria da Annunciagao.Nao tem lugar.
derar-me o major commandanle do batalhao da Pedro Jorge da Silva Ramos.Informe o Sr.
guarda nacional que se deslina ao servigo da guer- Dr. juiz muuicipal da 2" vara,
ra em oBHcio de 5 do corrente, autoriso V. S. a fa-' Silvio Jos de Torres.lulorme o Sr. cornman-
zer a despeza precisa com a couducgo para o : dante superior da guarda nacional do Recife.
quarlel do mesmo batalhao de arligos bellicos,
utensis c outros objectos, que sao all necesarios,
mandando V. S. tambein fornecer ao referido ma-
jor Mi espingardas completas e o respectivo corra-
me. Communicou-se ao predito major comman-
danle.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Ap-
provo o contrato de cngajamenlo, que segundo o
termo annexo ao seu okio desta data, son n. 948,
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel general do commanilo das armas de Per-
nanibuco ua cidade do Recife, 10 de agosto de
1865.
Ordem do dia n. 9o.
Teodo o Illm. e Exm. Sr. marechal de campo
Francisco Sergio de Oliveira, sido hoje empossado
e os serralheiros Jorge Tavares da Silva, Jacques no cargo de commandanle das armas desta previa-
Verbist, Jos Joaquim de Sant'Auna, Sebasiio ca para que foi noroeado por decreto de 21 de ja-
Quintiliano da Silva, Luiz Ignacio Mendes e Joao neiro do corrente anno, assim o fago constar a
Francisco Ribeiro.-Communicou-se a thesouraria guarnigo para seu conhecimento. No veterano
de fazenda. general que me acaba de substituir, tem a mesma
Dito ao mesmo.Mande V. S. prestar as lan-: guarnigo um chefe Ilustrado e justicero, que a
chas que forem precisas para O embarque da tropa guiar na senda da honra e do dever.
jo mesmo. Inteirado de qunto V. S. ex-1 e respectiva bagagem, que tem de seguir para a ] Ae deixar o cargo que exerci interinamente no
seu oflieio de 2 do crreme, sob u. 555, te- curte ainanha no vapor
Dito ao ruesmo.luleirado do rontedo do olH- celebrou V. S, para servirera no arsenal de guerra
io, que V. S. me dirigi em 4 do corrente, sob n. da corle, com o carpinleiro Peter Wandemhwilck
Jos S. Romao, tirando V. curto periodo de 21 de julho a esta data, cumpre-
co,
563, teulio a dizer que pode conservar por alguns
dias oo exercicio de pagador dessa thesouraria a
Francicco de Oliveira Mello e Silva, que fra lti-
mamente uomeado the^oureiro interino da alfande-
ga desta capital, al que se aprsente Minervmo
Augusto de Souza Leo, nomeado para o primeiro
desles lugares.
Dito ao
poz em
nho a dizer em resposta, que approvo o alvitre nel- s. na intelligencia de que o embarque deve lar iu- me agradecer a coadjuvago que preslaram os Srs.
le indicado, de ofllciar V. S. aos juizes de direito, gar as 10 horas da manha. i offlciaes dos rorpos especiaos do xercito aqu exis-
logo que se eslejam apromptando os livros desti- bit i n .hro. .i. .1ui|,anini ,i- n..i.-ni,.i i>o : bih, o3 ou. wuiui.uaaut?, uu uawiuau u 6>.
nados ao registro das hvpotheca? as comarcas da claro a direceao da companhia de Beberibe para da nacional aquartellada, do corpo de guarnigo,
provincia, para que determmem aos re.-pecttvos ta- seu ronhecimento e flm conveniente, que, segundo do deoosito, das fortalezas do Brum e Buraco; bem
beliies, que os mandem receher nessa thesouraria consta do aviso, junto por copia, pedido pelo mi-, como aos Srs. chefes das estagoes militares e acul
indemnisando-a logo da importancia de taes li nisterio da agricultura, commereu e obras publi- i tativos civis encarregados do servigo medico mili-
vros. 'cas, em 21 de lulho ultimo, n. 4, no podem ser i tar nesta cidade. aos Srs. offlciaes empregados no
Dito ao mesmo. Corrigindo o equivoco que se approvadospelogoveruoimperial os novos estatutos,; quarlel general agradego igualmente o zelo e pon-
deu no ofllcio dirigido aeua thesouraria em 8 de quo devolvo, confeccionados para essa companhia/ tualidade com que serviram junto a minha pessoa.
junho ultimo, acerca do almoxailfe nomeado para sem que satisfaga ella as exigencias coiiiidas no;. (Assignado). Francisco Jos Dmnasccno Rosado,
a fortaleza de Tamandar, declaro a V. S. que o citado aviso, observando as instruegoes a que se brigadeiro commandanle das armas,
primeiro sargento do quarto batalhao de artlliiaria refere, e tambera jumas por copia. Est conforme. Antonio Francisco Uuarte, se-
a pe Francisco Marciano da Costa Lima, foi o no- Dito ao juiz de direito Leocadio d'Andrade Pes- girado tenente ajudante de ordena interino, encar-
meado e nao Jos Hygino Xavier da Fouseca como soa.Constando de participagao da directora ge- i regado do detalhe.
esta declarado em dito ofllcio. ral da secretaria d'esudo dos negocios da justiga j Oreen dia n. 96.
Dito ao mesmo.Mande V. S. abonar em os de- de 18 de julho ultimo, S. M. o Imperador houve 10
vidos lempos e a contar do Io de setembro vindou- por bem remover a Vine, dessa comarca para a i Havendo nesta data, mediante o respectivo jura-
do Ip de primeira intrancia na provincia do i ment, assumido o commaudo das armas desta pro-
Ceara ; assim Ib'o cominunico para seu conlieci- i vincia, para o qual fui nomeado por decreto de 21
ment declareudo, que marco o praso de cinco de Janeiro do corrente anuo ; assim o fago publi-
mezes, contados Ue hoje, para entrar all era exer-'co para ronhecimento da guarnigo
' cicio. Cotitinuam em vigor todas as ordens tendentes
Dito ao juiz de direito de Santo Anto. Em ao servigo, at que a experiencia e as convenieu-
I vista do que expoz Vmc. em ofllcio de 31 de ju- cias do mesmo servigo aconselhem a alteragao ou
i Iho prximo lindo, tob n. 28, auloriso-o a marcar revogago de qualquer dellas.
ro em dianle, a consignago de 42>iX)0, que pre-
tende deixar de seos vencuneolos Bosta provincia,
o tenente da guarda nacional do Rio Grande do
Noite Manoel Pedro de Alcntara, que vai servir
na guerra contra a repblica do Paraguay, fazen-
do-se as convenientes derlaragoes na inclu.-a guia
de sorcorrimenio desse oflicial.
Dito ao mesmo.-Tendo de seguir para a rorle,
onde vai residir rom sua lamilia, a mulher do ma-! dia para installago do registro geral de hypothe- (Assignado). Francisco Sergio de Oliveira, ma-
jor do quarto batalna de artiiharia a p_, Carios cas nessa comarca, em observancia do decreto u- recital de campo commandanle das armas.
Felippe da Silva Muniz e Abroo, recoininendo a 3453 de 26 de abail uilimo. Est conforme.Aiifoiuo Francisco uarle, 2o
V. S. que faga cessar do corrente mez era diante,, Dito ao gerente da Companhia Pernambucana. tenente ajudante de ordens interino, eucarregado
como pede eila no incluso requerimento, o abono Pode Vmc. fazer seguir para o norte o vapor do detalhe
das consignacSes mensaes que Ihe deixra nesta; Mamunguape a hora indicada era seu ofllcio de
provincia seu marido e oseairmo segundo ten^-n- hoje.
te do mesmo batalhao Manoel Gougalves Rodrigues Portara.O Sr. commandante do vapor Jos S.
Franga, passaodo-se urna guia ou certido era vis- Uomao faga transportar para a corte os operarios
ta d qual possatn ser pagos na corle as referidas alfaiates Antonio Gomes Berlinquem, Manoel Fer-
consignagoe--. reir do Nascmento, e Joaquim Manoel B inicio de
Dito ao inspector da thesouraria provincial. Souza, que na forma das ordens imperiaes se con-
Autoriso V. S., nos termos de sua Informaco de iraiaram para o servigo do arsenal de guerra da
4 do crrente, sob n. 296, a mandar entregar ao curte.Communicou-se ao inspector do arsenal de
vigario da freguezia dj Caruar Antonio Freir de marinha
Carvalha, a importancia que se acha em deposito | Dita.O Sr. commandanle do vapor Jos S. Ro-
nessa thesouraria, provenante do benollco da par- mao trau-porte a seu bordo at a Baha a Maria
te da lotera extrahida a favor das obras da igreja Ignacia da Conccigo, mulher do soldado do Rio
matriz daqujlla fregoetia. | Grande do Norte Simplicio Gomes Pereira.
Dito ac m;smo. -Nos termos do tina! de sua in- Dita. O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
formago de 21 de julho ultimo, sob u. 277, mande cana, raaude dar urna passagm de estado a r no
V. S. pagar integralmente os vencunen'.os relativos vapor Mamunguape at a Parahyba ao alferes de
ao mez de margo deste anu, do professor publico voluntarios d'aqueila provincia Manoel Henrique
de instruego elementar Manoel Marnho Caval- de sa Carvalho Costa Jnior,
cante de Albnqaerqoe, removido da cadeira da po-' Exiiedieute o secretario do goverao do dia 8 de
-^oacao de Afcreu para a d > Bom J.irdun, como pe- i 9(,ncin ,h- 4Kfi:;
de noTFqTIiiraenlo que incluso devolvo. 0-
Dito ao mesmo. LVtanOu em termos o; inclusos
uiunu
mello a V. S. os
CORUESPOSUHEXIAS 10 E>IA-
RIO DE 1'KU\.1j1RI'C
par.
Delm, 29 de julho de 186.
Nao posso comprehender a razao pela qual o seu
acreditado jornal nao tem publicado, como at aqu,
as miabas cartas missivas que Ibes envei pelo va-
por Paran sahido a 16 dejunho e pelo Tocanlins
a 8 do correte.
Dar se acaso que as nao tenha recebido?...
Posso, porm, afflaiigar-lhes que as escrevo, que
as mando langar no correio e pago o competente
porte I
chegado ao
plorado diverses mocambosdo rio Guama, os hateu
e persegu em differenles, sentidos, morrendo com
ludo douspela resisleucia que oppozeram.
^ A expedigo foi dirigida pelo rapitfio Antonio
Clemente dos Santos, pelo teneme-coronel da guar-
da nacional Jos Geraldo Barroso, e auxiliado pelo
prior dr Carmo Manoel da Malividade e Azevedo, e
pela companhia de Amazonas.
A 22, pois, voltou o vapor Tabatinga com o res-
ivnlb dos escravos qoe pode apprehender, alm de
outros que j se lera apresentado a seus se-
nbores.
Por consegninte esle negocio parece terminado e
sem maior inconvenientes ou desgraras a nao ser
a niorle de dons pretos.
No dia 23 leve lugar na igreja das Merez a
bengo da bandeira do batalbao provisorio de arti-
iharia.
A bengao foi langada pelo bispo nomeado de
Goyaz, de cujas raaos o Exm. presidente da pro-
vincia que Ihe servio de padriuho rrcebeu-a, e le-
vando a do altar-mr ao corpo da igreja, ahi a en-
tregou ao commandante.
Houveram nessa occasao varios discursos assim
I como ai regresso do batalhao ; a ofljcialidade deu
um lanche no quartei s pessoas convidadas para
i a ceremonia.
A' tarde houveram dlfferentes festejos na praga
i do quartei e illuminago noile.
Por aqu urnhuma novidad niais ha, a nao ser
a boa noiicia da aeco naval ganha pela nossa es-
i quadra, o que tem enchido de regozjo e enthusias-
| mo a populagao desta cidade.
Por semelhanle motivo as repartigoes publicas e
i varias casas deitaram luminarias, e da mesma sor-
te foi bem recebida a noticia da viagetn de S. M.
| provincia do Rio Grande do Sul, a vista das cir-
i umstanrias da guerra cora os Paraguayos.
Disseramme agora que o marechal Sergio se-
gua neste vapor para essa ; nao sei se para com-
mandar as armas, porque vejo no seu Diario de21
que abi liuba chegado o brigadeiro Rosado no
mesmo vapor para semelhanle lim.
Actualmente no commercio uao ha grande ani-
mar.i ; pouros navios no porto, nao oslante nflo
seren de lodo ms as noticias da subida dos gene-
ros desta provincia na Europa.
Espera-se cora anciedade a linha dos paquetes
Norte-Americanos, e segundo noticias ltimamente
recebidas de New-York, o dia designado para a
partida do primeiro deve ser a 10 de setembro
prximo ; por consegrante nestes dous mezes de-
vemos tur esle grande inelhoramento para o com-
mercio, nao > pelas vanlagens e interesses que o
Para deve auferir pela sua aproximaco aos Esta-
dos Unidos, como pelo augmento regular de mais
I urna flagean a vapor para o sul do imperio.
Os navios no porto sao os seguintes: brasileiros
Progrmo e Ernestina; inglezes Enchantres, Rhon-
. da e New-Boy ; portugueza barra Linda.
Neste mez saturara para Lisboa e Porto os na-
1 vios : Estrella, Feliz Ventura, Viajante e a
Unio.
Concia que esto vapor Paran segu noite.
M da julbo
Depois, de fechada a presente com data de hon-
icni, soube oa translerencia ao farana para noje a
ooite.
Cousta-me que o motivo de semeUianle demora
nao s devido a ler de embarcar um resto de
tropa de linha, que aqu exista do 11" de infanta-
ra e 3 de artiiharia, mas por ter de seguir para
: essa o marechal Fraucis'r.o Sergio de Oliveira,-que
acaba de entregar o rominando das armas desta
provincia, para assumir o dessa, como se v da
ordem do da publicada hoje, e do ofllcio da presi-
dencia que do tlieor seguinle :
Illm. e Exm. SrO governo imperial neres-
t sita dos servicos de V. Esc. na provincia de Per-
i nainburo, e por isso, cora quanto elles me sejam
aqu preciso;, devendo attender raaiores ne-
cessi lades, determino a V. Exc. que parta. Va
V. Exr. certo, Sr. marechal, de que prosloO nes-
ta trovinria os mais relevantes servicos ao go-
t verno imperial com a sua rara fidelidade, ener-
gia c pontualidade, e que o governo removendo-
o den mais urna prava do alto aprego em que o
t tem, rhamaiido-o para urna commsso mais ira-
portante, e que eu, (tomo fuuccioiurio publico,
tributo Ihe muito respeito e muita sincera es-
lima.
t Deu< guarde a V. ExcDr. Joo Vieira Cou-
t lo de Magalhaes.-Illm. e Exm. Sr. marechal de
campo commandanle. das armas.
Chegou tambein o Tapajoz esta manha do Ama-
zonas.
As dilferentes localidades tanto daquella como
de.-ta provincia do Para, onde tocou o vapor lica-
vam em paz.
O conflicto de Serpa eslava terminado coma
priso e a pronuncia de uns viule e tantos compli-
cados nelle, assim como com a demisso do res-
pectivo delegado.
Foi substituido neste cargo por um oflicial de li-
nha, que para all vai com um destacamento de
guardas narionars de Manos.
As princlpaes autoridades no castigo e reprsalo
deste alternado, voz publica que se portaram com
energa e aciivdade.
que nao poderam conduzi-U lal porto, nao s
porque ignoram a existencia do mesmo, mas an-
da porque enconiraram lugar proprio para des-
embarque, o que ohrlgou-os, levados por falta de
manlimenios, a dirigirera a catraia ao Acarac ;
sendo que Tbeolonio e seu companh-iro seguiram
por trra em busca do lugar onde disse aquelle
existir um ponto. A isto acrescenu que do Acara-
c seguiram de porto a porto, at que tocaram no
de S. Luiz do Maranhao, onde chegados fOra elle
entregar ae commerciante Barcellos urna carta da
qual tmha sido portador o referido Theotonio ; e
que em seguida prorurou all comprador para a
catraia, cuja venda nao efectuara porque apenas
Ihe otfereceram I00, era vista do que deixou a
mesma em podor de um empregadoda alfandega,
regressando daquelle porto cora o seu companhei-
ro como passageuo de proa, a bordo do vapor Pa-
ran, cujas pasagens forara pagas pelo referido
fcoramercianle Barcellos.
Acha-se preso este individuo, e deve ser conser-
vado em custodia al ulteriores averiguagoes, que
esclaregam a sua exposigo coulirmaudo-a ou rao-
dificaudoa.
Amanhaa se extrabir 2.' parte da 5.' lo-
tera, d. theatro de Santa Isabel (27.*) sendo o
maior premio 6:000*000.
Escrevem de S. Gabriel ao Diario do Rio
Grande.
t Hontem este povo ficou atemorsado pelas
noticias Irazidas por um individuo chegado de S.
Borja, e foi tal o pnico, quo multas familias se
prepararan) para a fuga.
t O lal sugeto disse que a brea paraguaya que
havia invadido S. Borja, se baria dividido em duas
divisoes, que uraa segua sobre Algrete, o que a
outra marchava contra esle povo e Bag I Veja
o meu amigo o que nao houve por aqu, principal-
mente havendo entre nos quem por systema, gosto
e covardia se tem tornado poltrao I...
Nao duvido que es paraguayos se animem a
invadir o centro da provincia, b que porm nao
acredito que as nossas forgas isso permitan),
pensando eu por essa forma, j vd o meu amigo
que vivo aqui apenas com dois on tres companhei-
ros que sem serem terroristas, sao poucos para se
baterem com tudo, contra essa legiao de visiona-
rios, que s acreditam no que Ihes fornece a raen-
te apavorada A quera se deve ludo isso, meu
amigo f Quem a causa do sobresalto em que
vivemos?
J Ihe raandei dizer, que nao sou do numero
d'aquelles que criminara o Sr. Goozaga, e hoje con-
tino a pensar assim. pois sei que elle tem sido
completamente Iludido por aquello-- em quem tem
mais depositado c rafiangal A culpa do Sr. Gon-
zaga, o nao ter elle mesmo procurado ver cora
os seus proprios olhos se erara executadas suas
ordens e se exisliam acampadas as forgas cujos
mappas Ibe envi.ivam.
Entre a legagito oriental em Buenos-Ayres e a
raissao especial brasileira troraram-se as duas no-
iaa seguintes, relativas ao ftito do Riachuelo ;
< Lega^o oriental na repblica argentina. Bue-
nos-Ayres, 21 de junho de 1863. Sr. ministro.
j Ignez Francisca da Conceigo, Peroaroboco, V
' i Anna Felicia da Conceigo, Macelo, 40 anuos, %*A-
teiro, Boa-Vista ; abeesso no ligado.
: Anna Rita Cavalcante, Pernambuco, 70 anuos, m-
: ^ va, Boa-Vista ; estupor.
Francisco Antonio de Carvalhn MqmIm p*m
nuco, 7o asnos, viuvo, Recife; erysipHIa.
Antonio Carlos Baudome, Pernamboco, 24 ana *,
solteiro, Boa Vista ; tnberculos pulmanare-.
Joo, Pernambuco, 1 anuo, Boa-Vi.-la; anemia
Rosa, Pernambuco, 55 anuos, esrrara. Boa Vula ;
hydropesia.
documentos, e nao havendo inconveniente, mande
V. S. pagar a Joao Carlos Augusto da Silva, con-
forme solicilou o chefe de pulira em ofllcio de
hontem, sob n. 1,101, a quamia de 1:019*674,
despendida durante o mez de judio ultimo, com o
alimentagj e dietas para os presos pobres da casa
raemos que bailaran) da presidencia para a exo
cugo da lei n. 398 de 13 de roaio do anno passa- ]
do e a que allude o seu ofllcio de 3 do corrente,
sob u. 229. |
Dito ao iuz municipal de Ingazeira.De ordem
de deteugao.-Cuinrauuicou-se ao Dr. chele de po-.de s Exc fl Sr pres'identri dah|)rVincia> acenso
DO ao me.mo.-A cada urna das pragas do recebido o officio em que V. S. participen, que re-1
corpo de polica, constantes da melosa relarfio que
me remeneo o respectivo commandante, com ofll-
cio de hontem, so! n. 704, raaude V. S._ abonar
com urgencia os dous mezes da gralificago a que
tem direito, era virlude do disposlo no artigo 16 da
lei provincial n. 611, de 2 de maio ultimo, visto se-
guir para a corle no vaporese S. Romao,cora des-
tino a guerra do Paraguay. Communicou-se ao
commandanle do corpo de polica.
Dito cuiumaudanli! superior do Brrjo e Cimbres.
Sendo por despacho desta data nao s dispensa-
que estavam
go.Fizeram-se as necessanas comraunicagoes.
Dito ao juiz de direito da comarca do Cabo.
De ordem de S. Exr. o Sr. presidente da provin-
cia, acenso recebido o oflieio em que V. S. com-
, muncou haver deixado no Io do correnle o exer-
dodoservigo.de v\l*cr" \ PHa 'o^ner ; cico do cargo de chefe de polica interino desta
designados, ate que s recorra a classe a que per- ___ImU *wmmmmmmMtt ,,/,;, Aa iryn Aa Convengo me antes que nao tero
Oflieio ao director da instruego publica. De seu poder ; porque se por qualquer motivo as uao
ordem d S. Exc. o Sr. presidente da provincia, re- qutzesse inserir no seu Diario, fago Ihe a devldi-
nclosos excmplares dos regula- jusliga que tal me dira cora a franqueza e digna
i dade que os caracterisa.
Por consegrante nao posso descobrr a causa
porque nao Ibe chegam mo, visto que nao as
vejo publicadas no seu jornal.
Que falla, que marosca esta, nao sei ; aguar-
demos, porm, o lempo qoe c o melhor mestre da
vida ().
Por aqui nao sao do maior considerago as no-
vdades.
Poler-lhe-hia transmittir muitas, na verdade, se
Dito ao juiz dos feilos da fazenda. De ordem I quizesse repetir o que nolcei a 16 do ul.imo e a 8
de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, aecuso, do correnle mez ; alm de nao ler lempo para re
recebido o ofllcio era que V. S. participou ter reas-1 memorar o passado e j dito, pode mnito bem ser
sumido em 7 do corrente o exercicio de seu car- que as minhas correspondencias que fallara mais
nunciando o resto da licenga que obteve, reassu-
inio o exercicio de seu cargo em 22 de julho pr-
ximo fiodo.
provincia, e reassumido o de juiz de direito dessa
lencero, os guardas Manoel Migue da INilM fl 3 d() m'el pieraBMe as
Ferreira da Silva, sobre que versa a sua informa- rommiiniraroes a esle re^oeito
cao de 27 de julho ultimo, mas tambera deferido netessana= commuuirago, s a esu
o requerimento do guarda Antonio Tbomaz de
tarde ahi apparegam, porque enlao publique-se o
que houver acontecido, pois o passado nao faz tra-
balhar moinhos I
Terminou era das da ultima semana o conselho
de disciplina da guarda nacional que linha de eo-
nhecer da falta de cumprmento de ordens sobre
as pragas que linham de dar os tres batalhoes com-
mandados pelos lenemes-coroneis Dr. Joaquim Pe-
dro Correa de Freitas, Dr. Joo Lourengo Paes de
Souza e Antonio Pimeeta de Magalhes.
O negocio bastante seno, pelas proporg'S que
2 Sedco. Secretaria do governo em 8 de
Aquioo, que nada provou; assim o coramunico a : lg6g> pe|a secrelarja do governo SQ ^ r etarem empenhados varias parciali
\. S. para seu conhecimento e expedigo das con-; c2f0iilUnca a0 Sr. AntonioJos Alves de Br.to, Pa-. dades dos partidos, foi discutido largamente pelos
venientes ordens. r._, -ra que em tampo solicite o respectivo titulo que diTerentes advogados dadefeza em conselho como
Dito ao commandante sopenor de Flores.--(^to-:;i^cre|0(|e'8de julho prX'imo findo, S. M. o' pela imprensa.
bem fazer merc a S. S. da I Allnal de conlas os tenentes-coroneis foram des-
ill'i i de escrivo de orphos,: tmidos do commando, restando-Ibes agora recurso
aggravos e protestos de letras do tribunal do com- para a junta de justga.
niercio desta provincia.
O secretario,
Dr. Francisco de Paula Salles.
Dito ao commandante superior e nores.-i.ons- 3^2, ,, *8 dc ulh(
tundo de participago da directora eeral da secre- ^^ nonve r S
taria de estado dos negocios da jusliga de 29 de HSME irJS
abril ultimo, que por decreto de 26_do mesmo mez, ( menta v'^^o^illc.

S. M. o Imperador houve por bem nomear a Augus-
to Octaviano de Souza para capilo secretario geral
desse commando superior, assim o communico a
V. S. para seu conhicimento e afira de que faga
constar ao agraciado para solicitar em lempo a res-
pectiva patente.
Dito ao director geral da instruceo publica.
Em vista da sua informago de o do correnle sob,
n. 230. autoriso V. S. a mandar admittr no Gym-
naslo Pernarabucano como alumnos olemos os dous
irmos de Joao Silverio de Souza, de nomes Alfre
Despachos do dia 8 de agosto de 1863.
Reguerimentos.
Amonio Barbosa Monteiro.Informe o Sr. Dr.
chere de polica.
Padre Aotonio Freir de Carvalbo.Dirija-se a
thesouraria provincial.
Antonio Jos Bezerra.Ao Sr. director do arse-
Os escravos insurgidos do convento do Car-
mo, como Ihe noticiei na minha ultima, foram
quasi todos capturados pela forga que a presiden-
cia fez expedir para a fazenda Pernambuco no va-
por Tabatinga, restando anda alguns que se achara
escondidos pelos malos, porque a forga tendo ex-
(*) Nao recebemos as duas missivas, de qoe
trata o nosso correspondente.
A redaccao.
xmmk Diiftu.
Hoje, por 1 hora da tarde tem lugar, no salo
da Biblioteca Publica provincial, no convento do
Carmo, reunio dos membros do Instituto dos
advogados brasileiros nesta ridsde. O lim da reu-
nio admitlir novos membros para poder func-
cionar regularmente o mesmo Instituto.
Communicam-nos que a 7 do corrente se-
guir, bem qu8 adoentado anda, do povoado dos
Montes para Flores o Revm. Fr. Egidio Garrido,
sendo acorapanhado era distancia de urnas tres
leguas por grande numero de pessoas uotaveis
d'aqueila paragem, algumas das quaes continuaran!
a seguido at o Bonito.
Durante a ma curta demora no povoado fez
S. Revm. diversos baptisados, celebrou diariamen-
te o santo sacrificio da missa, o dirigi diTerentes
extiortages ao povo em sentido de encaminha-lo
devidan'ente nos seus verdadeiros deveres.
Por ordem da;presidencia foi transferida, para
hoje lardo, a sabida do vapor Paran, para os
porlos do sul do imperio.
Seguio a 13 do mez findo desta cidade com
direcgo ao Maranhao, urna catraia portadora da
correspondencia conimercial de alguns negociantes
desla praga para outros daquella.
A referida catraia pertenna ao Sr. Theotonio
Alves Ferreira, que nella ia cora Jos Francisco de
Oliveira, Francisco Jos do Rosario e Francisco
Leandro como tripulantes; e s pode ganharaque-
le porlo a 28 do mesmo mez, faltando deste pessoal
o dono e Francisco Leandro, ruja essenria ex-
plicada do modo segrate por Oliveira, que volian-
do aesla cidade, foi preso e interrogado,
Que Francisco Jos do Rosario, existe nesta ci-
dade, e os oulros dous, Theotonio e Francisco
Leandro, licaram na povoago da Almofala, pro
vinria do Cear; isto porqu tendo elles ido a ter-.
ra, nao poderam mais embarcar, por nao permit-
lir-lhes o estado do mar; sendo que nao havia all
porto de desembarque -, e que teodo de ir elle
trra para tornar catraia, preciso Ihe foi e seu
companheiro Rosario atirarem-se a agua, e nadan-
do que conseguram voltar a ella, que dirigirn)
ento para um porto prximo que dissera Theoto-
nio existir all, segundo iaformagdes obtidas, mas
Creo ser interprete Jjei ''' T"" '""*; *"'':-
do na pessoa de Y. Exc. a digna nagao brasileira
pelo bello e esplendido tnumpho recntenteme
alcaogado sobre a esquadra paraguaya pelos bra-
vos e intrpidos marinheiros da esquadra de Sua
Magestade Imperial.
. Cora esse feiio de armas, para sempre glo-
rioso ao uomo e dgoidade do povo brasileiro, os
bizarros marinheiros da sua esquadra, realgando
0 seu herosmo e valor com feitos dignos de admi-
ragio e sympathia, conquistaran! ora posto aos
olhos dos pov s do Prata, de que cora justa causa
devem estar soberbos e orgulhosos.
Felicitando V. Exc. por urna noticia quo,
cohrindo de gloria a nagao brasileira, enche de
doces esperangas as nacoes que se honram era
tela por alliada, aproveito com prazer a occasao
de offerecer ao Sr. ministro as segurancas de mi-
nha considerago e respeito Hctor F. Varella.
A S. Exr. o Si. ronselheiro Oclaviano. etc. etc.
Mlsso especial do Brasil.Buenos-Ayres,
em 22 dejunho de 1863.Sr. ministro.Em no-
mo do governo de Sua mageslade o Imperador do
Brasil, cordialmente agradego a felicitago, que
V. Exc. me dirige, como interprete dos sentimen-
tos do governo orienll,pelotriumph; da esquadra
brasileira as aguas do l'aran.
Nesse triumpho nao estava smenie empenha-
da a honra do Brasil; delle em grande parle de-
penda a victoria -da civilisagao contra a barbaria,
da liberdade contra o despotismo.
A esquadra brasileira, (Ilustrando as armas
j de urna nago, concorreu enrgicamente para tam-
I bem salvar os grandes e eternos principios postos
1 em duvida i em perigo.
t Recebendo, pois, V. Exc, como representante
! de um palz cullo e hvre, e nosso ei allado, os
agradecimenlos que ihe dirijo, digne-se de aceitar
i ao mesmo tempo os meus protestos dc estima e
considerago Francisco Oclaviano de Almena
'Rosa.- AS. Exc. o Sr. D. Hctor F. Varella,
| etc., etc.
Rbpartigao da polica :
Extracto das partes dos dias 9 e 10 de agosta
de 186o.
Foram recolhidos a casa de deleoco no da 8 do
correle :
a ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Joaquim dos Saotos, Vrente Ferreira Calaogro, e
Manoel Gomes da Silva, para recrutas, e Antonio
de Oliveira Carvalho, por suspeito.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
i Roberto da Silva, como dizerlor do 4 batalbao de
' arlilheria, Manuel Francisco do Nascmento, eBoa-
; ventura de tal, para recrutas, e J jo, escravo do
capilo Joaquim Manoel da Silva, por fgido.
A' ordem do de S. Jos, t'ellcidade Pires da Luz,
por disturbio.
A' ordem do da Boa-Vista, Urbano Francisco Pe-
reira, para recruta.
A' ordem do juiz de Paz, da [regala de Saoto
Antonio, Maria Benvinda, por se oppor ordem
daquelle juizo.
- Dia 9 -
A' ordem dc Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Felip-
pe Dinizio de Oliveira, Galdiuo Jos Vicente, Gui-
Iherme Ferreira da Costa, e Joaquim Rodrigues de
Sant'Anna, para recrutas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Antonio es-
cravo, de Antonio de Vasconellos, para correego.
A' ordem do de Santo Antonio, Paulo da Guia
Gongalves da Silva, Joo Vicente, Ivo, escravo de
D. Bernarda de tal, Sebastlo,. escravo, do padre
' Jos Alexandre Gomes de Mello, e Pedro, escravo
de Manoel de Mallos, para correego.
1 A' ordem do de S. Jos, Antonio Francisco, por
i desordera e resistencia.
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel Mariano dos
Santos, por tentativa de roubo.
A' ordem do da Capnnga, Sebastio Bezerra d;
Mendonga, para correego.
A' ordem do da Magdalena, Delaa Maria da
Luz, para correego.
O chefe da 2.* secgo.
J. G. de Mesquiia.
Passageiro do brigue portuguez Vniao, sa-
hido para o Porto:
Joo Antonio Torres.
Passageiros do hiate brasileira Novo Inven-
civel, sahido para o Aracaly :
Raymundo Francisco Carneiro Montero, Lacio Ri-
beiro Galmares, Joo Piolo Chaves, Aodre Rosa,
e Jos Joaqoim Alves da Silva.
Ckmitkrio publico. Obtaario do dia 9 de
agosto :
CAHARA MIMOPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 1 DE MAIO
DE 1865.
Presidencia do Sr. Pereira Simes.
Presentes os Srs. : Thomaz de Aquioo, Dr Mi-
randa. Gusiavo do Reg, santos, Pires Ferreira
Dr. Villas-boas, faltando cora causa os !>rs. : Dr.
Sarment, Barro sRego e Cosa Mooteiro, abre-se
a sesean, e lida e approvada a acta da atece-
dente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
L'm ofllcio do Exm. presidente da provinci.t de
2 do corrente, dizendo que para satisfazer a dciibe-
rago da assurabla provincial, cuntida era ofM-to
do respectivo primeiro secretarlo, cumpre que a
cmara Ihe remeita com urgencia as inf.>rauc-~>es
j exigidas, em oflkios de 10 e 26 de abril ultimo,
acerca do requerimento de Ba-ilio Alvares d Ve-
randa Varejo.
Posto em discussao resolveo-se responder a S.
Exc. que a informaco de que trata o citado crio
ja fura levada ao seu couheciraento em ootro oel-
co de I do enrreute, nada mais se oflereeendo ac-
rr-centar sobre esta queslo, por qoe a rommis-
sao encarregada de dar o seu parecer a respeito,
ainda o nao fez.
Outro do Dr. chefe de polica, acensando o reee-
bmento daquelle que a cmara Ihe dirigi, em 2C
de abril ultimo, era resposta cabe-lhe dizer que f-
cam dadas as precisas ordens para serem probebi-
das as entradas dos almocreves nesta cidade, mon-
tados sobre os aoimaes com carga, e com as tami-
sas por cima das caigas.Inteirada.
Outro do Sr. vereador Antonio Jos Silva do Bra-
sil, commuoicando estar fin lo o praxo ele tres
mezes, em que foi incumbido da commissao de ve-
lar sobre o cemiterio da fregaezia do Poco da
Panella, e curapre-lho dizer alguma consa a res-
peito.
Que durante o espago referido, nenhom farlooe-
correra digno de mengo, sendo que o cemiterio
conservou-se sempre com o asseio qoe se deve eai-
gir, devendo porm observar que tendo o respec-
tivo muro apenas seis palmos de altura, da lugar i
que, durante a noite, se fagam nelle enterrainenios
sem que possa Isto ser vedado, pelo administrador,
i laclo este bastante reprovado, que alm de ootro*
inconvenientes, tem o de collocar a polica do lu-
lorias nos respectivos cadavere-: ioteode, pois. qoe
a cmara tomando em considerago o expendido.
mande elevar o muro do referido cemiterio.lo-
teirada.
Outro do juiz de paz do primeiro districto da fre-
guezia de Jaboatao de 15 de fevereiro passado, ta-
zendo constar a cmara que maodoo convocar os
eleitores e sapotales da mesma fregaezia para
j compareeerein na terceira dumioga do nu-z Je ja-
j neiro do correnle anno, afim de orpani-arse a mesa
I para proceder-se a reviso da quaiinVaeao dos v.v
| tantes; e acouteeendo, porm, que no dia da n umi-i
se achasse bastante doente, havia na vespera par-
: licipado aos inmediatos em votos, nao enccniroo^
nenhuin em casa, e por isso nao h' ove revisio na
qualilcago dos volantes, e isto mesmo ia partici-
par ao Kxro. Sr. presidente da provincia para mar
! car outro daInteirada.
Outro do juiz de paz segundo votado do primriro
dislricto da fregnezia de Muribeca, Nereo de Sa e
Albuquerque, remetiendo o livro de qnaliaVa.;o
dos votantes da mesma freguezia no rorrete innw.
Ao archivo.
Outro do Dr. engenheiro eordea r. informando
i o re luerimenlo, no qual David W. Bowmaa, pedn
' para que Ihe seja periniltido reedificar a soa rasa,
j sita ra do Brum, n. 27, do modo constante de
; seu requerimento, diz nada ter que oppor a prrteo-
| gao do peticionario. Permitiio-se.
Outro do mesmo, informando o reqnerimenw n >
qual aviuva Lasserre, proprietam d) sobrado di
ra do caes do Apollo, onde se d.wam os baila i
mascaras, pede para que Ihe seja permillido reedi-
! icar o mesmo sobrado do moJo con-t mi i do mu
| requerimento ; diz nada ler a oppor a pretenrao da
| peticionaria.umeedeu-se a reedifica-.! >.
Outro do procurador remetiendo o baUarete da
receita e despeza municipal do mez de abril ultimo.
A' commis.-ao de polica.
uutro do fiscal dafrrfuetta do Recua, repr-sea-
tando que o guarda municipal Francisro RnaVio da
Cruz, se tem portado mal, j no cumprimenlc das
ordens que Ihe da, e j oo respeiti que Ibe riere
guardar, quando o admoesia por qnaljner falta,
respoude com iosubordinago, por isso propoe qoe
seja demiltido do dito cargo, pois que isto stmr
de exemplo a outros que o queiram imitar.
Nesta occasio apresebta o secretario onire otaV
cio, no qual o fiscal da freguezia de Santo Aatoaio
reprsenla lambem contra os guardas de soa fre-
guezia Joo Jos da Foncera e Geraldo J'>- Tho-
maz, por nao cumprirein as suas ordens. permav
necendo nos pontos em que os robora para priva-
ren) que os osera vo< nao depositem nos rae*, e
junto ao passadigo lixos e inmundicias, sendo qae
se apresentara Beaws pontos qnando Ibes parear,
dando por Isso motivo a querontinu m os mesmns
escravos a fazer os despejos nos mesmos lagares,
como por elle fiscal observado, e por lodos guan-
tes por all passam, sendo que por >-ta- taitas ja
havia suspendido no dia 21 do corrate, o n t ta
F'onceca, pelo que de tido o inleresae qoe *jjam
dados as suas demisss
Postos ambos os oflScios em disrosso, o secreta-
rlo pondera a cmara que sobre a mesa ja \;-v-
ura requerimento, no qual o guarda Fooeeea pede
a sua exonerago.
O Sr. Dr. Miranda pede a palavra, e faz ver i\v-.
tal vez exisla entre os fisraes e os guardas dr que
se trata alguma razao pela qual seja o servigo f>ito
regularmente ; e por isso mlende que devem er
removidos de urna para outra fregnezia, e neste
sentido aprsenla a segointe proposta.
Em vista das representagoes feilas pelos fsrae*
da freguezia de Santo e de S. Fre Pedro Gngal-
ves, sendo aquelle contra o gnarda Geraldo J -
Tliomaz, e o segundo contra o guarda Fni-i>
Roma i da Cruz ; proponho, qne e-te seja removi-
do para a freguezia do bairro do Recife, e o dvrta
para a freguezia de Santo Amonio.
Recife, 3 de maiodc lWi.-Dr. Miranda.
O Sr. Gustavo do Reg pede a palavra. e decla-
ra nao concordar com a npinio do Sr. Dr. Mina-
da, por quanto. sa os guardas as fregnetias em
que se achara nao cumprem com os seos deveres,
tambera os nao cumpriro naqoellas para oade a>
rem destinados, todava pareca Ihe Luaeuaieata
que a commissao de polica, syndieaado e befe,
dsse o seu parecer, e assim requeiru qoe foeseaa
os offlcios dos fiscaes, remetUdos mesma e o%-
misslo..
O Sr Santos p^de a palavra, e poadera ano as
representagoes feilas pelos fiscaes ;
das sao verdadeiras, e qae por tanto <
viam ser exonerados.

r
ir 77_____
rr


Diario de Fernambnco Hexiti fcira i 1 de Agosto de ftSft*.

uV^JV&&S?E ^aff^^-^aa -g**** **, qae a esse recito eexprimedes-
?fi3^.T TV"! Sfif.C1f.tt i2?m" a'^ umaTrv E d pa nosJe S i 0 uso das estradas nao se perde pelo nao uso,
S'nV.tS. nuO^ISSa0 dt POl, lhe P da lo Cordoniz para a ra projectaaa que e a ninguem perrailtido muda-la* sem lcenca do
r! Z L* n,o-=0 filiar Ini nn f- -* parallela, e enire o referido armaiem e as principe; por mais que a maior parte dos vzinhos
., ,^,? q ? I qn uJ al' n -* de Joaquim Francisco de Alem e D. Anglica consinta, a contradicho de um pode mais que o
la a vot) a proposta do Sr. Dr. Miranda, e m1 ^, Bernarda de Miranda, e assim Jicara conciliado o consenlimento de todos os outros..
prejudicada. nteres se particular com o inleresse publico. Ora, se assim e se acerca das estradas nin-
Depois e tambeni posto a votos o requ ,r do Sr. Gustavo do Reg, de serouvirja '-comm,SSa abril de 1863.Antonio Pires Ferreira.-Rego. das mesmas; tapando, mudando-as ou estreitando-
de polica, fui approvado, votando ^m,.,, os Srs Posto emdiscussao, o Sr. Dr. Miranda pede a pa- as, claro esta que cora identidade de razao, se nao
presidente, Thomaz de Aquino jj,^ lavra, e contrariando o parecer, diz o seguinte : maior, isso applicavel as pracas que lambem
Outro do Bseai do Recife ^ ,|zenijj qU0 eVe ser Antes de tudo, em vista da informaco do cor- prestara a sua serventa publica a aquelles que re-
removido cora a possi"^ |)revdae ^ entulhos deador, e reclamaco dos peticionarios, est verifl- sidem as localidades onde existem pirque reijra
existentes omdiiier^^^ lugares da freguezia, e cado, que a planta primitiva desta cidade, app-ova- de direito, que d'onde se d a raesma razio se deve
nao sendo DOSSi'Vel r8Ze.]0 com os serventes que da pela presidencia da provincia, cora referencia dar a mesra disposii-ao de direito. Se as leis sao
tera enipn-g^dos na npeza, era mesmo com os i ao largo do Forte do Mallos, boje d'Assembla, sem prohibitivas, tirain-se conseqnencias, os menos pa-
varrioho ae' ,DlXj uacos m(.()S e qUtf dlspe; pede conhecimento desta cmara, fra posteriormenls al-; ra os mais. Qui indignus est inferiore ordine, in-
antorisacao para alugar Dina ou duas carrosas aflm terada por oulra presidencia, de acco'do com a re- j dignior est superiore L. 4. ff. de senol, e aos peti-
de fazer com promptidiio a referida remoco.Au- particao das obras publicas.de maneira que, apra-
ilorisou-se, e mandou-sc fazer as devidas communi- ?a que licava naquelle largo, para o qual fazem
cagues. frente os predios dos reclamantes, ou pelo lado do
Outro do mesmo, informando a petic.io de AntO- norte fazem a face desta praca, cojo largo fra des-
nio Manoel do Sacramento ; declara que nada se tinado para urna praca de embarque e desembar-
Ihe offerece a oppor sua pretencao, una vez que que, por ser urna localidade, qae a isto mais se
seja pago o respectivo imposto. Concedeu-se. prestava, segnindo as cirrumstancias topographi-
Outro do mesmo, informando contra a petcao de I cas daquelle bairro do Recife, fra suprimida e de-
Domiugos Ferreira de Souza Vasconcellos, que se, signado o seu local para edilicaces particulares,
queixa de liaver sido multado.Indeferio-se. Feito isto, e retalhado esse terreno, foram nos-
Outro do mesmo, informando a petcao de Fran- tos em arrematacao pela ihesouraria de fazenda, e
fisco Jos Regallo Braga, diz o seguiutt : arrematados por outros que n.io os reclamantes,
Que a faeuldade concedida para a existencia de Inclusive Manoel Jos Dantas, que es'. na posse de
um de"
respondencia taWei com o Dra de Inno.-entar-se de
urna illega'.idade por elle comraettida. Isto posto,
nada mais tenho a responder a semelbante se-
nbor.
Recife, 9 de-agosto de 1865.
A. Joaquim Vmhas Maia.
publicares k mm
A jurubeba.
As virtudes therapeutifas da jurubeba s3o desde
muito conhecidas nao s no Brasil, pois que dellas
tratou Pisn em sna excellente obra Historia na-
j luralu el medica India occidental^, seno as
1 Antilhas, onde o sueco das folbas e fructos como
a?s i aqu, multo estimado e apphcado contra as obs-
trueces abdomlnaes, principalmente do flgado e
naco ; e se todos os facultativos desta provincia o
nao applicam cora frequencla, isto se nao dove a
nao reconhecerera elles essas virtode?, mas slm a
nao serem encontradas com facilidade e em todas
as eataedes do anno os fructos dessa [llanta, p re-
pugnancia, que apres-nlam os deentes em fazer
uso do sueco desses fructos,
canos de e-goto smente para as aguas pluviaes,
se nao accuraularem nos quintaes, e nao para des-
pejo do ser vico domestico.
Que o suplicante tendo o cano de que trata em
sua dita peticio, enleudeu por elle fazer todo o des-
pejo, que olfendendo a disposico das postura^ o
advertio de.-ie seu proceder. ^\^
Pede elle para fazer suraidouro, acha que ueve
ser attendido a vista do art. 2 til. 'i* das posturas
do 30 dcjunho de 1849.
Olanlo, porm, a lietnca para conservar o cano
at que Chegae o cano real, e entao fazer por este
o despejo ilas aguas que ra se accumulam na ra
com mamfesta infraeco das citadas postaras, pa-
rece-llie qu-r nao deve ser attendido, porquanto im-
portara a reproduoao de iofraccSes ; com tudo a
cmara resolva o que julgar mais acertado. Nao
tem 'ugar.
Outiu do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
communicando liaver mandado fazer termo de
es.
a Acerca, porm, da conveniencia ou inconve-
niencia municipal da alterago da planta primitiva,
que nao convin restabelecer-se era sua totalidade,
porque ja ha multas edlflcacSas feitas de conformi-
dadi cora a nova alterago ; inclnoine a crer que
fosse antes feita por motivos de ordem publica, do
que de mteresse individual ; porque ao passo que
os peticionarios, referindo-se aquella planta primi-
tiva, dizem :
A planta d.i cidad fra levantada outr'ora
conscienciosanK'Me, smente por engenheiros,
que tinharn maiscm vistas o bem publico do que
o particular.
cordeador, pelo contrario, quem se deve
ouvir de preferencia, por ser profissional diz que :
Posto que a planta primitiva tivesse sido alte-
rada, sem aadieocia desta cmara, todava forra
confessar, que ella preferivel disposico
t que antes exilia.
adiada contra a administradlo da Santa Casada! Has daqai nao ss segu que, com relacSo a
Misericordia, por haver infringido a disposico da! localidade de que se trata, prev.ileoessem os mes-
3a parte do art. 2o do tit. 7o das posturas de 30 de| naos principios ; para que os iuteresses conectivos,
junho de 1849, na importancia de 205 rs., que j ou pelo menos, de urna maioria, que se apoia na
se acha recolludo. Inteirada. Justina social, nao livessem sido sacrificados pelos
Outro do inspector da sade publica, informan- interesses individuaes. ou de ama minoria, que nao
do como lhe foi pedido, respectivamente a ser ou pode ser mais favorecida do que aquelles, e estabe-
nao conveniente a conservacSo da eambda da ra lece luta com a mesma ; ponjuanto, os peticiona-
da Aurora, diz <|ue seu parecer que neohum in-' ros, referindo-se lambem aquella planta primitiv
conveniente resulta a salubridade publica, da con-
servacao da eamba de que se trata, conviudo,
porm, que seja seu leito mais profondo, alim Je
que na vazante da marnao se possam dar as exha-
lacdes resultantes de materias esereracnticias, e
corruptas, que contiuuam a sur all laucadas.
Que se remettesse por copia ao Exm. presidente da
provincia.
Outro do fiscal da freguezia da Boa-Vista, infor-
mando contra a peiicao de Francisco Jo< de Sou-
za Alraeida, que requereu para ser dispenso da
multa, que por infraccao s posturas lhe foi impos-
ta.Indeferio-se.
Comparece o Sr. vereador Silva do Brasil.
OutroofDcio do fiscal aBa Vista, informando a
petieo de Jos Jacoine Tas^o, declara que otelhei-
ro que o supplicante pretende construir, e que ja
deu principio, independente de licenca, com ef-
feilo 63 palmos para dentro de seu sitio, mas a
obra principiada est assentada sobre alicerces.
Que alcui de nao ter tirado liceoga, eslava eons-
truindo a obra com areia tirada da estrada, onde
fez escavacao, pelo que foi multado. Despachou-
se a peticao, declarando que nao era preciso licen-
ca, visto ser a obra feita dentro de seu sitio, sendo
todava obrigado a pagar a multa por haver feito
escavacaojna estrada, contra o que dspoj as postu-
ras em vigor.
Outro do mesmo, dizendo j ter trazido a conhe-
cimento da cmara o estado de ruina em que se
acha a ribeira da sua fragnezia, bontem, 1" do
corrent-1, em consequencia de forte chuva que ca-
bio, urna das travs arreou por estar podre, e para
evitar algum mal, foi necefsario escora-a, para o
que chamou um carpina, pede cmara que se
julgar necessario, mande reparar a mesma ri-
beira.
Aproveitando a occasiio, diz anda o fiscal, que
i* (leitl)ir/i wl ji pm'.-iiI.i pni ama ra aelrim as rnac I
Lonceicao e Pires, devido as chuvas que teem ca-
bido estes dias, a ponto de cstarem essas ras in-
trasitaveis, tal a grande quantidade d"agua ij te
e?t cstagnada, sem que elfo possa dar a evaca-
gao precisa, por ser necessario fazer um valado
bastante fundo, e que nao pude ser feito junto s
calcadas e muros pelo centro das ras, visto como
causar transtorno a passagera dos canos. Quan-
to primeira parte, que se ofclasse engenheiro, e
quantu segunda, que se ofSciasse ao goveruo, re-
metiendo copia do trecho deste ofcio, e se peJi^se
providencia.
Outro do fiscal da freguezia de S. Jos, dizendo
ser diminuto o numero de dous servente- destina-
da! ao servico da limpeza das ras aquella fre-
guezia, nao s pela extensidade da mesma, porque
era sua materia habitada por pessoas poucu favo-
recidas da fortuna, e por tanto com menos recursos
de mandaren) laucar o lizo de suas rauradias nos
lugares destinados para esle lira, e fazem nos inga-
res prximos a ditas moraJias, do que resulta ser
necessaiio maior numero de serventes, para.com
promptidiio fazer remover estas materias ; o que
faz ebegar ao conhecimento da cmara para que
resolva o que melbor euteuder. A' commissao de
polica.
Outro do administrador do cemiterio publico da
freguezia do Pogo da Paneila, communicando que
na manha do dia 8 de abril fra encontrado em
urna cva feita naquelle estabelecimento o corpo
de ama criauca .le cor branca, que representava
ter pouco mais ou menos um anno de idade, e pa-
reca ter fallecido de mor., natural, e depois de
communcar este factoao respectivo subdelegado, o
qual mandou proceder a competente vestoria, fez
sepultar o referido corpo. Inteirada.
Outro do mesmo, remetteudo o mappa dos enter-
ramentos feites em todo o rnez de abril passado no
dito estabelecimento.Ao procurador.
A commi.-sao de sade apresentou o seguinte
parecer que foi approvado :
lllms. Srs.Tendo visto com o Sr. Dr. inspector
da sade publica o canal da ra da Aurora, nos
opinamos com o mesmo Dr., nao s que mo
prejudicial a sade dos habitantes daquelle bairro,
como couvm que seja nuis profundo o seu leito,
alim de lambem conservar agua corrente, as va-
sautes do rio Capibaribe, onde elfo dispeja.
Acrescentamos, porm, que sendo aprufundado o
leito |Jo dito canal, serve de aformosear o lugar,
porque proseguir a edifteacao coraegada no seu
leitoral, e dosappareceni os alagados produzidos
pela chuva na estago invernosa, nos te/renos ad-
jacenles, cu,os ligados eseuaro mais fcilmente
no canal, o que muilo influe para proseguir-se a
edilicago nos ditos terrenos.
A cooservago do canal, depois de aprofundado,
em vez de damnificar, benfica o estado sanitario,
porque na coiiformiadedas posturas desta cmara
ser.j encana Jas as aguas usadis para o mesmD ca-
nal, que deixando de existir, seria feito todo o des-
pejo de ditas
Clonarlos assisle o direito do reclamarem contra
essa edicacjio, que era principio de aurado est! uiret"manifoste_'ainsi naquo annela persistam"e
naquella praca, porque contraria a legislacao mu- d na,|0aiit et niclpal, e offeudera aos seus legtimos interesses
Assim, pois, se a esta cmara, que tem o direito
de deliberar sonre as pragas, lei do 1 de outubro
de 1828, art. 66 Io, incumbe fazer repr no anligo
estado as servidoes e carainhos pblicos, nao con-
sentmdo de maneira alguraa que os proprietarios
dos predios usurpem, tapem, estreitera, oa mitdein
a seu arbitro as estradas, citada lei art. 41 -. se pelo
aviso de 16 de novembro de 1830, deve desempe-
nbar esta attribuigio, ou pela execugao de postu-
ras respectivas que honverem promovido pelo pro-
curador e Oseaos, na conformidado dos artigas 81
e 83 ; ou pelo que ella deliberar e acordar, prece-
deudo todis as necessarias informages o exaraes,
e filiando livre
recurso du art.
po de execugao
Mes ehers compatrlotes.
Le 15 aout prochain, une henre le Te-Deum i
destin clbrer la fte national de la France,
sera chant d&us l'giise des capucins de la Penha.
Je corapte sur le concours de tate l colonie
Frangaise.
II est bien qu'a deux millo lieaes de la Patrie, le; es(^ .,
icorpsde nation comme disent nos capitulations ,'rfJ......A ,
orientales, se ranisse sous iaconduite de son con- to^dadTpm Lyneo*'anamj"in'c"'""""'
spr.t ae retour. l'arecendo-nos conveniente facilitar
Je serai d'autant plus heureux de vous vor ora
breux cette solemnit que, rcemraent arriv en
ce pays, je n'ai pa dir encor qu' quelques uns
d'entre voas, et que je veux dir tous, que vos
im de urna garrafa do xaropc etbereo de
ve lame j se achava elle no estado de pa-
sear em casa, dcsapparecida a inapetencui
os escarros de san?ne ; e a IwwinHtrspdo?.
No fim da segnoda j acliei em estelo de
faze-!o passearpelo sitio todas as manh.is.
Acabada es la o aronsellici, que coniinm no uso do mesmo xarope eiberio alternado
com o xarnpe alcoolteo de vell <|ne
nsasse dos lianhos salgados na pascada do
Senlio eile nos
mar. Senlio eile nos pnweiros banbosal-
em consequencia de guns choques, mas en o aonselhe que con-
ser extremamente amargo. nuasJe, com O que setemdado r:i.iobm
:' pois que tenho reeebtde cartns de Macei,
em que se me cowhbu o m boun>ud<.
Xesla molestia os .\[io nce familia das solancas, e tem
que lhe
o uso do
sueco dos fructos da jurubeba, que o mais em-
preado, nos propozemos e conseguimos preiiarar
com elle nao s um extraen, alcoolico que pode ser
I applicado em pilulas, mas tambera um vinho, um
SK vtrleQ qUe meS SymPiUKeS' aP" i =^oTS .rugo?peSS ^
Agrcz mes chers compatriotes l'assurance de
Le cnsul de France,
Osmn Laporte.
~<&-
is necessarias loiormacoes e exames, ,''"'"":,--------
e aos que se sentirem aggravados o se tem propagado ser
I. 73, se a edillcaeao, que em princi-, 'or as )0,as n.a osat
;o est naquelle sobredito lar?o ; 6 a i diversos propietarios
: .____:/i. .-- ,.-_____ijLIi i vincia. vierara ne a
Cbegando ao conheciraento dosabaixo assigna-
dos, joaleiros estabelecidos no Rio de Janeiro, que
se tem propagado serem falsas e do n--nlr.nu va-
abaixo assignados venderam a
s das comarcas dn sul da pro-
vincia, vierara pela presante declarar que estao
e restituir as letras pelas
e o dinheiro das vendas fei-
reduzidos a condieoes anormaes, isto YCUU,,S.
ilisados Via altera^ da'tas a gj uma vez 'lue suas Juias sajam por taes
recoohecidas.
Queiram, Srs, redactores, publicar estas liabas,
no que muito obrigaro a seus
Alientos veneradores e criados
Rloch k Irmiio.
Recife, 9 de agosto de 1865.
reeolbidaa secretaria desta cmara,
tenba mais elleito algum; por isso
dono da obra a eslava fazendo sera
rado; tambera faga tomar por termo essa infraccao chj impei|ira a thisica.
era que anteriormente incorreu o referido dono
dessa edificaco, para que o mesmo seja mulado,
orno expresso no artigo 2 das posturas de 13 de
junho de 1835 que determina o seguinte:
Ninguem poder edificar ou reedificar qual-
quer obra de pedra e cal, de taipa ou de madeira,
que nao seja de conformidade com a planta da ci-
dade, posturas e tabellas em vigor, precedendo li-
cenga da cmara ; os infractores serao multados r
em 305, alora da demolicao.da obra feita, urna vez K
que nao esteja de conformidade com o respectivo
plano.
Feito isto, e porque o dono dessa obra aos 4 de
abril do corrente anno, ja houvesse pago os impos- \
tos para que a mesma podesse ser edificada, con-1
veo que a importancia dos mesaos seja levada em |
canta dessa multa em que incorrera, para o que o
respectivo fiscal e procurador devera ser deligen-
tes urna vez que, em vista do aviso de 16 de no-
vembro de 1830, os flseaes promovem a execugao
das respectivas posturas, conforme os artgos 81 e
85 da citada lei do Io de outubro de 1828.
O Sr. Gustavo do Higo pede a palavra, como
menibro da commisso que deu o seu parecer, e
faz diversas ponderaces em sentido contraro ao!
que acabava de expor o Sr Dr. Miranda.
e a edillcaeao, que, em principio de execugao est
naquelle largo, allegar que :
t Sem motivo justificado foi a sobredita planta
alterada nessa pnrle, de modo tao ollensivo as
propriedades cima referidas, que, forga cou-
fessar, se leve mais e;n vista promover nteres-
sos particulares, em detrimento dos legtimos d-
reilos adquerido>" dos abaixo assigaados, do que
o bem e commoddade do pnbllco.t
Allegara mais (|ue :
Agora, se aprsenla .Manoel Jos Dantas, fun-
dando no mencionado largo alicerces para um
predio, que segundo suas dimeosdes e cordeagSo,
que se lhe deu, li:am completamente iuulilisa-
i dos todos os predios de sobrados de um e dous
andares, daqualles que morara por aquello lado
da praca, cuja servida, sendo feita pelo referido
largo, ticam com > entaipado3, sem livre sabida, e
privados de ventilara), porque apenas se d um
estrello corredor de' dez palmo?, e isto sera sah-
da para serventa de predios tai importantes.
Allegam, anda :
Que estao longe de acreditar, que a actual
Iilnij. cmara possa dar acquiescencia a violen-
cja, que se esta pondo em pratica, que predios
ta i valiosos; fijuem rediuidos a verd.i eiros cor
ticos, sem utilidade algama publica, smente era
proveito de dous ou tres particular^ ; e o que
mais, estrago de una praca to n cossara
servencia publica, e que para o futuro, nbnga a
mnnicipalidade ou aos cofres da pr vracia,
gravessacrilicioscom desapropriages in fall Veis,
o (jue agora se pode evitar, nao consentindo a
t lllrna. cmara na mon-truosa edificagiio, que est
em principio de execugao.
E, o proprio cordeador nao deixa finalmente
de informar o seguinte :
Tambera forca dizer, que pedia a justiga que
OS terrHnns nne l'n-araia na frente das casas do-1
reclamantes, IOSS-m ulilS ae premotn.ia a enes
do que a ontros, porque deste modo ter-se-hia
i evitado o inconveniente de Bcarem seus predios
sera frente, e qnasl sem sahida, como devem ficar,
a nao serem attendidos, perdenclo coiiseguinte-
ment muito do seu valor.
R' verdade que es--e empreado, nessa parte,
modificando a sua informacao, accresceota que :
-Nao convindo re>taura"r a disposico da planta
primitiva, visto qae ha ja amitos edificios fetos
de conformidade com a nova aliragSo, parece me
que se diminuira muito o conveniente, contra o
qud representara os reclamantes ; maudando-se
que entre os predios a elles perleneentes, e os
que t-m de ser edificados com frente para o lar-
go d'Assembla, passe urna travessa de iO pal-
mos de largurara ; sobre o qual seria bora que
fosse onvida a eommissSo de edilicagoes desta
amara para mais esclarecimentos.
Mas, d"ai|ui alo se segu, que cora referencia
a edificaco que esta era principio do execugao no Srs. redactores.-Tenliatn Vv. Ss. a bondado de
sobredito largo, para o qual fra dada a cordeaeao fazer publico pelo seu conceituado Diario de Per-
da conformidade com a planta, que se possa aceitar numbuco os meus sinceros agradecimentos ao Illm.
esse meio indicado, para que a mesma esteja no Sr. Emilio Claudino U. do Amaral, pela exactidao,
caso de ser concluida ; porquanto, alera de estar \ energa e regularidade com que serapre servio a
ao alcauce de todis, que era retagao aos direitosda tutias as pessoas, que d'elle dependeram como che-
munlcipalidade, preferivel, que em vez de se es-' ft ,|a eslago de Agua-Prela.
tragar urna praca, em que j at existe um chafa- lodosos moradores daquella localidade, senlera
riz, cora edificares que, era seu ceutro, tormera i do coragao a sua sabida, (a seu pedido ) e pessoa
travessas, antes seja a mesma conservada ao estado alguraa tanto como eu, por ter todos os das depen-
em que se acha para serventa publica ; pois que ciencias daquella estago. Permita Deus que com
as travessas at apresentam um inconveniente de t a retirada daquelle honrado funccionario seja o
se prestarem raboseadas dos raalfetores ; ac- seu lugar prehenchido como fot pelo Illm. Sr. Ama-
cresce que o contrario disso seria em proveito indi- raj.
mais flagrante Infraccao da legnlagao municipal, o.
que at coucorrendo para que os predios ali exis-: PmP.t0.s eeb-]as
lentes sejara reduzidos a condico< anormaes. sin I veD |Z0>'
, completamente inutilisados p
planta primitiva, nada menos importa doqueiml
verdadeiro atteotado contra direitos adquiridos; e
se einfira no procedimento do dono dessa edifica-
gao, nao deixa de translustr o dolo; por que ais 31
de marco do corrente anno, alcangando licenga pa-
ra a mesma, desde 21 daquelle mez eanno, o< pro-
prietarios dessa localidade ja liuham reclamado
contra essa edilicago, que era principio de execu- Urna palavra relativamente as molestias dosPnl-
go all se comegava, o que prova que antes da li- i
cenga, eslava sendo feita contra a legislagao rauni-
BJpal; proponho que attend-ndo-se que, se e*ta ca-!
mar, naquella data, perraiitira aquella edifloacao,|gJ^JXtnu d'uraTeu^rmdde
fura por que nao tintia scienc.a dos inconvenientes prjnlPro pri,s0 para lSo perigosa si,uaa0 a'los-
que eJwtca a mesma, por nao terem sido irazidos se Torna se pols da mainr importancia, o ata-
ao seu conhecimento, como fora agora,em vista aa
inforraago do cordeador e reefamacao dos respec- SS9 S(J ^.^ rea,jsar 0-a consguir ponderemos,
tiro interesado; qnanto antes se casse ji hceoca com 0 PeJorfl, ^ Amcahnita lle Kemp,oqM\
que se inssara para essa edillcaeao alim de que a extrabido e preparado do sueco balsmico d'utna .
mesmauao.c.mt.uue; ese recomraendeao.respectivo arvor do Mexico conliecida desde ha mullos se- Direila, fot
fiscal, que alem de fazer com que essa l.cenga seja culos naIarM ,, p3h como reraedio
na nao aconselham hanhos salgados, af-eaas
quando delles iratam, dizem ser a[.q>iica4
as escrophulas, iiypoeocdria, elheriso.
amenorrhea, rarthiwo, etc. entretanto i
este bom resultado no illm do Sr. CrisliMio.
cora isto prestamos um servico humanidade e f* uaes tenho Mi
therapeutica. i''sl,as sipl.yhlicas, e .miras mudas que :o
Pisn, tratando da hydropesia, prescreve a de-|0 USO do xarope al-- oliro de velLuui; h.-m-se.
cocgiio das raizes da ;ni-n6<6a, e Mrat e Delens,' oblido CON rmlical.
e^nZ^T^rLJ'\m,n!ra me'Jka "r"P'"-\ O Sr. r. Silva, medico hbil de M*m,
tica, aizem que as An'ilhas se faz uso do sueco a,.,,,-,. i ,,. { ,
dos fructos maduros dessa planta contra o catar- ">dC le dpplicado a um seu iot-lite .lo
rho vesical ; e a autoridade dos nomes desses me- rheumalismo o xa upe aicOSCO de velLme,
dicos, merecidamente celebres, nos leva a crer em logo que elle se poz em estado de !:irn'r M
suas palavras, e por isto cuidaremos de ter em moletas pm nne imi iva irrin-rlr. .r -
HOSM estabelecimento essas ra.zes. para que possam ^ ^ !f '! i arrimado,
Ihcu que contmuasse com o uso do hom
PhhysFc*.
O xarope elaerio de veame por
ser experimentadas. ,uuu Mue continuasse Coin O uso do
A repulaco da jurubeba tai, eos resollados [Miope conjunclamenlH com os I>aa6at
tberapenticos obtidos ulnmamentc sao lao impor- gados, com fitirt seleni dalo rr. tii >
! *
Deposito: pbarmacia de l,leta '"Banga as prepmt&m de wl
Joaqmm de Almcida Pinto. ( por mim feilas, pelos lions resultados
__ L im tem (btido emua cnira.
Qnando algu!;ni se v com losse vai ao
dico, este o examina e declarao bar i
mim pre- t;i allectado dos polmoeso doente desar.i-
incs e da argaata. ; parado, muito lera aprowjtado aos que so- ma com esla senlenea, enlende i-iarsem
Toda a vez que os pulmes se achem enfermos, frem desia molestia, e de iamcntar-sj, jie' niais cura, guando os facise a nria
pode-so com toda a certeza dizer, que o doente n0 ohluafio desta cidade a maioria dos uue 1*601 dem'jnsli;nlo iu.) muilus hM [-
0 sticcumbem de tubrculos pulmonares, \ rado o lugar apropriad. >. i.-.-m --ivatJa;
sem procurarem o recurso do pratico e do e assim explicam muitos mjmtmm de mr-
lhar-se para desde logo. Se perguntardes_como expenetite, que llies [llem encaminhar o d cia.
meio de sua salvacao. O Sr. Braga com luja de ferrageus na ra ja c recurso do ar u >: pi ;i -.ia frrea
aado por dous habis nos proporciona, pois i:;e em porteo tfMfo
urna peana .pie exista :i-t.i caiadh faril-
menle se t aosporla para aa uliimas
de Gameleira e l'na, lugares p.-rt > ilo 3*i-
dcseti'
m^mTnnTn Poderoso saolo para todas M enfermidades dos mjm prescripto,
mesmo qiie O nr*nc A* aoniranln r.-l-i -. I,,,.,-,-.-,, I i,,-..,.-.,--,,..-., '
mdicos, acha-se bum com o tratamenlo por
m prescripto.
A Sra. Jeronyma Mara daConceicio, mo-
orgaos da respirago. E-ta admiravol preparaco
preceuer essa Curara a [osse deD(ro em poucos dias, e at mes-
licenga, que fora posteriormente alcangada, o deve mo as ve7es em p0lIcas im'A^ a||iviar a aslhma, radora na travessa Jo.Monleiro n. 10, achan-, w o tic outros pontos que sao corisidtrados
' curar a inflamraagao mucosa do laryoge e bron- do-se desengaada, lambem mim re.of- serto, quantu mais .pieos mesnu-s topan i
Era contrario aos nei- reu e acha-se restabclecida. j> niO sao raaos, segundo pens, priti
!SiSlraa1s,f^ZoSVS!: U> sobnnho do Sr professor de Xaza- mente no vero.
composigo, nao entra neohuma partcula de aci-. reth do Labo, acha-se bom. como se ve de Mas dir-se-hauma pessoa pobre nao lena
do Prussico,e como igualmente se acba livre de sua carta abaixo transcripta, almde outros, me;os de se transportar e alli estara isso
antimonio, ingrediente este que abundantemente '. fados, que poder.a aqu mencionar. se respon le, que naipjelles In;
tS^SSfSUSti^ D80L h Pl'thyska a destrnicaoe a magrezajcasas vasiasealugam-se por ,v;.o commo-
Acha-se venda as pharraacias de Caors & de todo corpo, em consei]uencia de chagas, do, e mesmo minios gneros depriman
enea
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, estabele-
cido com botica na ra Direita n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope ncontesiavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja composigo
o seu maior elemento a salsa parrilha, pois que se
tera conhecido ser o veame mais enrgico para a
prompla cura das molestias, cuja base essencial
tubrculos e concrecciio Sos bofes ede em-
pyema, alrophia nervosa, e entras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, astuma, bexigas,
po, etc.
necessidade all se venden pelos aaesavos
precos (jue a.pii.
Aquelles, pois, que estiverem neias cir-
saram-'cumstancias, eu Ins facilito explicit osaaetot
pelos quaes se devem reger, t Ibes f ineee-
Na phthysica, cbegando ao estado de gra- rei os medicamentos giatuitam.
vidade, o que muito pude concorrer para a I Nio deixarei de advertir ao pubm. qu**
salvacao do doente e ajudar os medicamen- as niinhas preparares devlame sao na-
' depende da puriticago do sangue ; assim pois se]
tos o ar do campo, exercicio conveniente
e dieta, a qual niio deve ser de nenhuma
cousa queme, ou de defficil digesto ; e a
bebida cumpre que seja de naluicza branda
e fresca.
Todo o seu alimento se ha de dirigir a
Achando-se materia discutida, posto a votos tem verificado por muitas pessoas que so achavam" moderar a acrimonia dos humores, e a nu-
approvado, votando contra o Sr. Dr. desengaadas, as quaes acbam-se. hoje restabelecl-(trir esuster 0 doente, para o que preciso
das cora o referido xarope alchoolico de veame;' rciiliz.|0 ao US(J de veclaeg e leite.
urinier, de Larrev. de salsa parrilha, de sapona-l ll
lio guarua rio, oieo ae ligado de t.acamau, e uuuus genteoMo
o parecer, e
Miranda.
Foi nomeado Bieal da freguezia da Varzoa o res-1 entretanto que alguus, leudo usado do xarupe de |
oecjivo sunolento Joo Simes Kerreira.
Loncedeu-se a exoneracao pedida p
Joo Jos da Fouseca.
Despacha ram
Antonio Ferreira
randa, Casimiro
Senhorinba, viuva Lasserre, David W. Bowmam, Impigens, tinha, escrophulas,
Domingos Ferreira de Souza Vasconcellos, Fran-: Tumores, ulceras, escorbuto,
cisco Jos de Souza Almeida, Francisco Jos llega-, Cancios, sarna degeaerada, rluxo alvo.
lo Braga, Joaquim Paes Pereira da Silva, Joao Jos Todas estas affecgo:s provm de uma cau-a in-
da Fonseca, Jos Jacoino Tasso; e levautou-se a terna ; uo lia pois razao alguma em crer que el-
sesso. las se podem curar cim remedios externos.
Eu Francisco Canato da Boaviagem, secretario bem se prescreve o xarope alchoolico de veame
a sabsorevl. Pereira Simoe-, pi-presidente. para o traiamento das aloccoes do systema nervo-
Santos.Dr. MirandaReg.Silva do Brasil. so e fibroso, taes como :
Toda comida e bebida, que se tomar ha
er fm poncas por^Se*, para evitar rjue
Tara-: Com
Fonseca.Dr. Villas-Boas.Pires Ferreira.
- il RVWWOGe*
ir.w**.'*^*"
OEEESFQNDENCIiS
Gotta, rheumalismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterllidado,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre tudo, da
maior utiiidade para curar radicalmente, e em
pouco lempo o rheumalismo.
Adverle-so qae o verdadeiro xarope s se vende
nesta cidade na botica cima indicada, do abaixo
assignado; e em oulra qnalquer parte que so tem
annanciadu uo da mesma composigo, e nem o
abaix) assignado se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
trege ao uso do oleo de ligado de bacalbo,
e oulras preparaces de resinase blsamos,
sem que dellas lenham tirado proveito ; e
algons expositores do medicina cotnbatem
muita razao esse tratamenlo.
E? costme carregar o estomago do doen-
te com medicamentos oleosos e balsmicos;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
mentaiu-na, esqueutando o sangue, ao mes-
mo lempo que tiram o apetite, relaxara os
solidos, e sao de toda sorte. perniciosos.
Tudo que se izer para extinguir a losse,
' alm do exercicio o rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante.
Os cidos possuem a virtude de produzi-
rem bons elleitos nessa enfermidade, por
. que, nao s cotitribuem a apagar a sede
, quaudo accommettem a febre tnica, mas
lambem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade. quando o
seu estado de gravidade tal que a febre
vidual, que deve ceder aos interesses municipaes.e
de uma mal ira que est em memore* condi-
eoes que essa indvdualidade, permittindo-se
ediflcagoes, que destruara o aformoeamento da ci-
dade, e olTendam o legtimos interesses daquelles
que sao donos e moradores dos predios, que estao
anteriormente construidos naquella praga ; pelo
lado do norte, fazem a face da me-ma, e a muitos
annos adquenram direitos a sua serventa.
Pego ao Illm. Sr. Amaral, me perdoe se oliendo
o seu melindre, em declarar o que sent o meu co-
raco : De V. S. atiento venerador obrigado.
Kecife, 10 de agosto de 186o.
Joao Marta Cordeiro Lima.
to que esses acreditados pliarmaceuticos
foram condemnados pelo tribunal do Seina
---------- .a i, nww ----------- por terem vendido medicamentos secretos
Srs. redactores.L\ com verdadeiro admirago e falsilicados.
no Ui.irio de hontem uma publicago assignada Essa ordenacao parecer bem extraordina-
ria, se assim e se como observara os recia-! Pel s,r" Alfredo Cardoso Pereira, 2o secretario da ra quando se tiver lido as seguinlcs cir-
maotes, a planta de uma r.dade ja edificada nao sembla geral do Gabinete Portuguez de Leitura curnstancias :
Silbar!?2! Sr,ch'e K? "Qleres" Se^d t,qfluelsrserWoPr'M"'0' ^^ ^ l A sentenCa de que se trata foi dada
particular; e se quando a sna alfracao e reclama- 'u';, ue ''"B aB.sulvlu- K_ i a j .
da pelo laleresse publico, tica entendido que devem Na verdade e para admirar senao para sentir que sobre a denunciarlo de um dos COncurren-
ser guardadas as regras da setnela, os principios
da bygieoe publica, e mais clausulas mnnicipaes,
Sade publica.
Purih'carao a respcilo de algnns dos medicamentos
da casa Grimault k C.
Algnns joraaes publicaran, uma ordena-1 ibi"ra^crommtte7VescreVo-lhesosu.
cao d. conselho de saude portuguez, .que codc mn ,iin3u (lissolvillo em uma c,licara
prescreveu os medicamentos preparados pela d-agua culll bastante assucar em um grande
casa Grimault A de Parts, com o prelex-
claro est que se a planta primitiva foi alterada
sem conhecimento da cmara municipal do Itecife,
e retalhado o terreno dessa praga, foram at os
mesmo-, sem que se respeitasse as leis da prefe-
rencia, arrematados por outros que nao os recla-
mantes ; nessa parte, a sua alteracao leve antes por
lim favorecer o mteresse pessoal, do que o muni-
cipal, porque permitlir-se edilicaces particulares
no centro dessa praca, e sera utiiidade publica, co-
mo ja se disso, o estragar-se a mesma cora edilica-
ces novas, que em frente dos predios alli existen-
no gremio de nossa sociedade baja um socio como
o Sr. Alfredo que nao se peje de vergonha em as-
signar para um publico sensato, um artigo no qual
avanca a calumnias e falsidades co.no passo a es-
clarecer, no que toca a minha humilde pessoa.
Entretanto, porm, querendo eu fazer anda um
juizo favoravel a pessoa de S. S., ha de permittir
o uizer-lhe que, o que mais rae parece que S. S.
assignou de cruz, como se costuma dizer, o artigo
tes dos Srs. Gi imault & C., e sobre as in-
formaces inteiramente erradas que foram
dadas ao tribunal.
2. A sentenga foi dada por um tribunal
de primeira instancia, c nao tem valor al-
gum, logo que se appellou ; foi por uma
manobra desleal e contraria a todos os usos
era qnesto ; ese assim nao fosse devia lerabrar- que os concurrentes dos Srs. Grinault & C,
se o Sr. Alfredo, que eu lhe disse no Gabinete Por- tzeram distribuir em grande numero os ior-
tuguezdeLeitura poroccasiao daassembla de6do(r.ap(. nji:,.aM 0 rmnrlarim nnhlirar pm
crreme, que me aballaba de tomar parte em seus ,, fiS Juaiuaes .e manaaram pUDllCar em
rranea e nos patzes .strangetros uma deci-
aguas, nos respectivos quintaos das ."":",'" '.....,',' "" :'" h =>'' > >>=>- |r.h,ihfta .-,., ^, a|iif,,i f.ii imnlflsilipnia mhm ti
casas, e tornando-se ptridas exhalariam miasmas, te< redunm a*luel cs a verdade.ros curt.gos, Bqnem SftSS^S!^S!!SS!i f.n v sao i n valor em
resultando n'ahi a insalubr.dade publica. |."?..'l.^.i!iUa,.,a.des! *em Uv? "l"1"'. pr.'VHU0S iTELZ al "tAnP*r L ^Si '
E' o que nos cumpre expo
nosso parecer
que juigaro sobr uno tor de'justiga. utmmaaia mmm ju. a a ,,.' 3." O tribunal imperial nao decidi, mas
sim, por uma sentenga de 17 demaio pro-
Z "sutimptend,. Pstei d** vemilaQfio, por que apenas ha um estrello cor- a, n"nra .<>8 .Pertencor como 2 secretario, servin- to O tribunal imperial nao a tv. r approva-
.r. do de pr._me.ro, mas nao de pr.me.ro instrumento do< e depois dee tri|)unal supremol.
1803.-
camara municipal desta cidade.FelicianoJoaqu..;
dos Santos.-Antonio Jo.- Silva du Brasil. llsao entre as an"Kas edilicaces e as novas, que
A commisso de edicagoes apresentou tambera OTV .'uere,n fazer, quando mesmo a respeito
o seguinte parecer :
A commi-s:lo de edifleaedes examinou o reque-
riment-i em que diversos proprietarJos e moradores
no
clama
deu
a infor
dead
que
ment, que soflrem com a edifieaco daquele ar-
mazem, so Joaquim Franciso de Alem, e D. An-
glica Bernarda de Miranda, porquanto as ca?as
dos outros, que agora deitam as frentes para o lar-
go, as deitaro para a ra dn Cordoniz, que, pro-
longada, ha do ficar entre ellas e o referid: arraa-
uuicamente a pessoa de S. S., certa-
pouco poda valer, porm eu, que ja o
m pouco, tve o cuidado ou auiesa fe- xim0 pissado, ordenou nova vistoria, a "que
lictdade de participar a minha resolugo ao mu tinha motivado a dpcisln dos in7P<: ra nri-
digno presidente da assembla o Sr. Jos Goncal- "". ouvaa? a aetisaOUOS jmzesaa pri-
ves Villaverdo, assim como ao Sr. Manoel Soares meira mstancra Ihes tendo parecido insnffi-
de todas houvesse igualdade de direitos, nem a isso .
precedesvm outras consideraco's de ordem publi- Pinh(!Jro. e outros quo deixo de mencionar aqu Cente, depois das novas experiencias intei-
ca ; diveriam ser raais attendidos as reclamantes P.r. Dao Prac'sar de mais e raais valiosas testemu- ramente contradictorias de um chimico e
ou partes dellas, tapando, mudando ou e.-lreilaud-j-
a., o que o contrario izer sera multado era 205, e
ua prompt.i reslituigao da mesma estrada, sob pe-
na de a ver fazer a sua custa.
No artigo seguinte tambera prescreve. que :
As ras que se abrirem, lero pelo meaos ses
misso, e se o fizeraos foi porque nos magoava
ver o modo porque no um de um anno de traba-
Ihos, nos acataram aquelles que menosprezam a
vida e a dignidade da associagao que dirigamos.
Assim, pois, provado est, que falsissimo, que
eu appruvassB a celebre acta de 16 de julbo, ap-
que um conselho de sade publica se tenba
decidido sera informages mais certas, a
mandar prescrever ou mesmo a por em sus-
peigao medicamentos, cujas excedentes qua-
lidades e perfeita preparagao tem sido, des-
pea), as ou tras deitam as frentes para a raida! iealx paimos de largura, e s traversas quareula: pellando ainda o Sr. lfredo'cora a mairdesfaga- de muitOS annos, rconhecidas por todos OS
rfodliaMnirm?^^^ Iezpara a m-u t-steinunJh0 5 ese assim nao membros mais distinclos do corpo medical,
gao dada ao armazem que Manoel Jo- Danta* quer ra ,,,, se houver designado, sofTrera a multa de que me desraintam se podem ou querem os Srs. mip ,pm n, I)nm(! a,,^.^ h;.., '
edificar, est confirme a planta da cidade, alterada 305000, e a demoligo da obra a sua cusa. E a Villaverdo e Soares Piaheiro, pessoas culo teste- ?. Ie lem 0S un,COS deleitos de sere,m me*
naquelle lugar pela repartigao das obras publicas,. mesma mitlta de .10* sollrer o mestre da obra. raunho invoco, por nao serem baldos de senlimen- lhores, menos caros e mais procurados
de accordo com a presidencia da provincia, a qual e, tambera coveniente, que a estrada publica tos nobres, o que nao posso suppor da pessoa de que todos OS remedios de
nao se pode mudar sera a respectiva licenga, e nao S. S. rentes.
basta o consenlimento dos vsinhos, repugnando Inserindo estas linhas, nao tenho outro fim se 1
missao preferivel ao lugar indicado para uma pra- Ura, como ensioa Corre, Telles, Domrina das Ac- nao restabelecer a verdade, e se o faco porque o
$a na planta primitiva, c lagar ullimatcente indi-! C3es era sua aM primitiva, correspondente ao pa Sr. Alfredo se Jerabrou envolver-me em uma cor-
alterago est, senao expressa, tcitamente appro
vadajior esta cmara, e achaado alera disso a com-
seus
do
concur-
copo para misturar com um papelinbo dos
pos refrigerantes para tomar, com que ali-
viam no acc .11.metimiento da febre, e pela
manbaa o xarope ellierio de veame. Tenbo
aconselliado, que facam uso de vegetacs de
natureza acida, como la. unjas, 1 moes, pi-
tangas, uvas, ele, e applicages de plaas
amargosas, quefortificam o estomago c ser-
vem ao mesmo lempo para destruir e miti-
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina deS Brrelo, tendo
uma sua escrava fallecida desta molestia, sub-
meitida ao tratamenlo de seu medico, resol-
ven procurar-me para tratar de um outro
escravo, que sonra da m^sma enfermidade,
proscrevi-ihe o xarope de veame, -tem me-
lliorado consideraveimente.
A sen hora do Sr. Antonio Francisco lo-
norato foi desengaada por habis mdicos
desta cidade, esleve prostrada, e nos ulli-
m.s paroxismos da morte, foi com o xaro-
pe de veame salva, como se v da caita
impressa no Jornal do Recife de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. teneute-coronel
Rodolpbo Joo Barata de Almeida, foi tam-
bera desengaado por habis mdicos, e
C'.m o xarope de vellame acha-se c mpleta-
menle restabelecido, como se v tambera
da caita impressa do mesmo Sr. tenente-
coronel no mesmo Jornal do Recife.
OSr. Antonio Christiano Fogt, filho do
Sr._Christid.no Fogt, propiietario e estabe-
lecido na cidade de Macean, o primeiro bem
conhecido nesta cidade, pois que foi empre-
ado na casa do Sr. Len Chapcllin, retra-
tista estabelecido na ra da Imperatriz, ac-
commeltido desta moleslia, foi datpii desen-
gaado por habis mdicos: retirou-se para
a Baha, e alli continnou em tratament 1 ate
que foi segunda vez desengaado pelos m-
dicos dalli, cbegando eu em Macei, um
amigo pedime, que o acompanbasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
e prescrever-lhe algum remedio, encontrei
o lilho em uma cama desanimado e em es-
tado de prostraco, pois que escarrava san-
gue e tinha completa inapetencia e fraque-
za, a poni de nao se poder por em p, no
nidas com ontros iugrcli.ns, e cora Hit $
tenho oblido ptimos resultados: nao se en-
gae o mesmo publico com outro-. que por
ahi se annunciam, cujas preparar/jes ignoro.
assim como o aptoveitarnt-nlo aos enfermos,
a quem porvenlora lenb.imsidoapplkaJos;
Cada um responde por si. e cu aflin
verdade o que auni tenho relatado, ruaptl
(ligamentos nesta provin.Ti s v-ndo em
tilia bolica na ra Direiln n. bH.
Jg$ flazareth do Cabo. 7 de setenbro de \W?..
Illm. Sr. Jos da R cha Paranhos.Gna
o maior prazer levo ao conhecimenH de Y.
S., cpie O doetlte que V. S. a.-b.i-se adrai-
nistrando-lhe re edios. acha-se no lodo res-
tabelecido, portento, ndaseme, lend.. des-
apparecido n todo a osse. tem muita dispo-
sico .i comida e acha-se nutrid"
lomar os ltimos r< medoi p 1 V. s. recii-
lou no lia 30 do paawdo, va i ...- i T.
S. mandar ae dizer qual a dieta qoe o
doente deve conservar e por qnar.tos lem-
pos, men.-ionando as comidas que mmml
tisardaqui era dianle.
Resla-me agora agradecer a V. S. o mi-
dado que lomoa no tratamenlo do mea so-
brindo, abaixo de Deas, devisa o i--, restt-
belecimeoto a pericia de V. S., e por isso
pode V. S., sempre contar com os meus di-
minutos prestimos, e desejarei em lodo o
lempo dar uma prova do m-u r.
ment.
Desejo a V. S. todas as venturas, pat ser
de V. S. muilo respeilidor e brig!issiaao
Criado Francisco Reringmr Cesar tleJk-
neses.
Cai\a filial dobaiw io Brasil em
IV na ni buce.
A directora desta cana aaca rubro o I-anco o
Brasil no llio de Janeiro e suLre a caixa filial o
mesmo banco na baha.
Itovo banco de rernambir*.
dminisindore da m.ia fallid.. d J-aqnim
Jos Silveira papam o 1 dividendo de dita aim
na mrao de 9 0/0 robra o vataf dr* t.tnM ad-
metUdos : no novo banco de Pernmtoco na
do Trapiche n. 34.
.\oto banco de Peraaoi-
bueo.
O banco desconla letra.- napMMBm s imana a
9 por cenlo ao anno al o prazu de seis ateten,
DrasII
Caixa fllial do baneo do
em Peruaanbaieo.
De orden) da dirertor de>ia caixa f ka publi-
co aos s-nhores arcionista?. que o r.'sptriivi tk-
soureiro esta autonsad a papar o i->' imitmiii
do semestre findo em 30 la junho ultimo a razao
de 125 por arcao.
Caixa lilial do banco do Brasil 15 de julo de
1803.
O tEuarda-livro.
ipnaeio .Nnncs Correia.
Ai.FA.NDEGA.
Rendimento do dia 1 a 9...... ':7I54!7
dem do dia 10............... I3:lfltll
MOV MEMO DA ALFADEa"*
Volumes entrados cora lazendas___ 53
cora peero..... 673
Volumes sabidos ce ra fa zen Jas..... 39
t con gneros..... 1.073
Descarrepam co dia II do correte.
Brigufl hanpverianoAnna(arioba de trigo
Brigue porsuguezConi/aae diversos ceaerw.
Brigue sueco-flio-idem.
Sumaca bcspaubolaJoven AdeleJitMos.
Barra inplezaLook Oulmercadorias e carvie.
Lugre hollandezJudah Cappmercadorias.
Escuna portuguezaD. Joocharque.
Brigue portuguezS. Joteidem.
Barca nacional Ydlleidem.
Polaca hespanholaEleganciaidem.
Barra inpleza -Orioncarvao.
Brigue inglez-^H Stumslandidea.

i


Diarto de Per&attfeaee -- eifa felra l f de Agosta de l**.
RECEBE!) 1IUA DE REN-M^ IVTERN'AS GE-
HAES DE PEUXAMUl'C.
Rendlmento do da 1 a 9...... 12:6763842
dem do dia 10................ 8073983
Ei*MC5S.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimentodo da 1 i 9
dem do da 10........
Convida-seas pessoas que estao as
i3:i8i5825 condicoes do servico militar, a engajarem
no corpo de polica e gozarem das vanta-
gens di le provincial n 611 dea de maio preciacSo ap'ressou-se em po-lo quinto antes era
scena.
ftao cabe sos limites destesueetnto annancio dar i
urna idea aproximada da sublimidada e merec-
ment lilterario desse grandioso irabalho di esco-
la moderna.
A empresa solicita em exitar sempre quanio em
si coaber o animo do espectador por nMo de exe-
cucoes de torca a valer.-m urna asta e fivaravel
Leilao de movis.
mmmn
""./-
"imitlo Proximo passado, que sao as seguales :
'----------1-3*00 rs. diarios de soMo, seren seus ti-
23:67893 Ihos men ires recomidos aos estabelecimen-
tos provineiacs de educarlo e o tempo que
estiverem na guerra ser contado pelo duplo
para o caso de aposeutaloria, e alem destas
tem todas as mais vantagens que sao con-
codidis aos voluntarios di pat'ia- O te-
nente-coronel comrnandante do corpo de
l0IT0
Nanos sahidos no dia 10.
Rio Grande do Snl barca brasileira Norma, cap
tao Freloriro Jos Prates, carga assacar.
Liverpool-briKue ingles Ruth, capitao Curphv, Plwa, Alexandre de Barros e Albuquer-
Dara (im ao espectculo a chistosa comedia era
1 acto ornada de msica
Balsa e cachimbo.
Comeoara' as 8 horas.
L Prevtae-38 a. algons assigaantes do Iiairro da
, Boa-Nista qne se achara em atraso de pagamc-ito
_ HOdJE |daassignatura deste Diario, que najara de manda-
Por inlervencao do agente Pinto. I a? pa!?3r na livraria n. 6 e 8 da pra^a da Inde-
Ultimo leilo que so dever eir^ctuar no arma- I Pen^am, '*< como ha difflruldade 'de se ada
zem da ra da Ci-i;i n. 62, visto torso de entre- rem- cm ri,s:' semI!rd 1" cobrador os procura
gar as chaves do iii>sm> no dia 11 do correle mez. Pi --------------------------------------------------------------,<><' Per Dar pagar, ior nao ser possivel ir 18
iEI LAO -*--- -brar la" pB*,,M 'luanlia como acontece
e 119 saceos
a um des mesmos.
Clle Vai'iaJo.' Prec^a-so alagar timVcasa"terrea, sendo uas
Salibadi) 12 le ayusto ao meio dia.
coi
08PARA.GLMl'ON
E' a ordem do dra Acabar com os Par -
gniyos a bayoneta, a mini'-, a revolver;
rulroma-los con os meownpot armados
de espcrSes, nnnstrongs e rajadas de 80 i
120; exterminados em .-im.m.i aespwb. a
fe ao e a puiitial de que Mi; man
ningoem su lenta amda tommgmm
Paral
i guayos com as armas qoe h- os non cmk
?i:Sa"l^.ma/'da |>;i^. das Flores, do s.,~da' co'feu ; acabar con eHef a tario a prvh
<9
SOS MARTIMOS.
carga algodao.
Pono brigne porluguez UniSo, capitao Manoel
Francico Jnior, carga assacar, sola e oatros g-
neros.
Aracaly -hiato brasileira Novo "Invencivel, capitao
Joaquim Antonio de Figueiredo, carga fazendas
e outros gneros.
Observando.
Nio houveram entradas.
Nao sahoi o Paran.
WllU.
O Dr. Tri.-lo de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
coramercio dosta cidade do Recife de Pernara- lar seus requeriment >s instruidos do documentos
que.
O Illm. Sr. iuspeclor da thesenraria de fazenda
desta provincia, manda fazer publico, que tem mar-
cado o dia 11 de setembro prximo vindouro, para
o concurso que se tem de abrir nesta mesma the-
souraria para preenchimeuto das vagas de prali-
cantes existentes cesta repartijo, na alfandega e
na recebedoria de rendas.
Os exaraes versaro sobre as materias de que
trata o 1 art. 1 do decreto n. 1,114 de 27 de
junho de 1863, a saber : leitura, analyse gramma-
tical e orthographia, arithmelira e suas applicacoes
ao commercio, com especialidades reduccao de
moedas, pesos 8 medidas, calculo de descomo, Juros
simples e compostos, theoria de cambios e suas
applicagoes.
Os concurrentes devero previamente apresen-
buco e seo termo, por Sua Magestade Imperial e
constitucional u Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guardo etc.
Faco saber pelo presante que no dia i do mez
de seteuiro Jo correuto acoo, se ha de arrematar
por venda a queai mais der ora praya publica, de-
pois da audi ^ucia respectiva, urna casa terrea sita
na cidade de Olinda, a ra do Amparo u. 14, cora
31 1/ painos de largura e 88 de coinpriinento,
quialal era aberto, sala na rente com gabinete,
que provem idade completa de 18 annos, sencao
de pena e culpa e bom comi>ortamento na forma
do art. 3o do decreto n. 2,349 de l de marco de
1860.
Secretaria da ihesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 8 de agosto de 1863.
Servindo de oflicial-maior,
_________ ilanocl Jos Pinto.
Consulado provincial
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
qnatro quaruis, sala a traz com coziuha dcnlro, sen- co que no dia 13 do correle se ha de arrematar
do c=sa sala assoalhada, avahada era 803, a qual pm hasta publica na porta desta reparticao, as 12
vai i praca por eieco{o da Joo Manoel Rolri- horas da manhaa, 13 garrafoes com 120 caadas
gue-, contra Marcelino Rodrigues da Silva e sua com genebra de prodcelo da provincia, appre-
mujher. ^ na falta de licitantes ser a arremata- hendidos a Jos acintho de Carvalho pelo confo-
5S0 feita pelo prego da aJjuJicagao com o abati- roule da alfandega Alexanlrino Chnsliano de 0i-
ment respectivo da le. veira, e avahados por 96000.
E para que ciiegue ao conheclmento de todo Mesa do consolado provincial de Pernambuco 7
mandei lazer o presente edital, que ser afflxado de agosto de 1863.
Dos logares o coslurae e publicado pela imprensa. Antonio Carneiro Machado Ros.
Da-io e passado nesta cidado do Recife de Per- c.,i "'.7,.T_TI T^mCT^Ai------i-------
namboeo, aos 9 de agosto de 1863.-Eu Manoel adllld ttlsd (.ft JilsCritOIUia (JO
de Caivalhj Paes de Audrade, escrivao o jubs- HCCC.
cre"- De conformidade com a resoiucao da Illm" junta
Tristao de Alencar Araripe. administrativa da Santa Casa de Misericordia do
O [Um. Sr. inspector da thesooraria provin- Recife> fa scis,lle. todos os foreiros de terrenos
Cial, em ciiiiiprimeiito da ordem do Exm. Sr. pre-
si 'ente da provincia, manda fazer publico, que no
da 24 de agosto ipiximo vindouro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma Ihesooria se ha de arre-
matar, a qaem por menos Oier os reparos urgen-
te; de que precisa a eadeja di villa do Limoeiro,
avallados em 3:418#I30 rs.
A arremalaco ser Ma na fiirma da le provin
clal o. 343 de 13 de maie de 1834, e sob
snlaa especiaes abaixo declaradas.
C0MPANMI4 BUSUElRi
DE
PAQUETES A VAPOR,
1 Dos portos do norte espora
do at o dia 17 do correte o va-
por Cruzeiro do Su/, comrnan-
dante Alcoforado, o qual depols
da demora do cosluma seguir
para os portos do sul.
Desdej recebem se passagelros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encomraea-
das e dinheiro a frete at o dia di sabida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. I, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo ^ C.
" COMPAXHIA PIMCTAMBUCANA
DE
Navegaco cosleira por vapor.
Macei e escalas, Penedo e Aracaj.
No dia 14 do crreme espefle
esta coiiipanhia o vapor Parahy-
ba para os portos cima as 5
horas da tarde. Recebe carga at
'o dia 12; encommendas, pafsagei-'
ros e dinheiro a frete at as 2 horas do dia di
saluda : escriptorio no Forte do Mallos n, 1.
COMPANHIA PERNAMBC ANA
DE
por vapor.
O vapor Paralnjba, co.'nraandaa-
te Martras, segu para os portos
do sul al Sergipe n<> dia 14 as 6
horas da tarde Recebe, carga al
_ 'o dia 12. Encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2
horas : escriptorio no Forte do Mattos n.l.
TOA BRASILERA
DE
Oagente Pinto far leilao por conta e risco de f.a^a,..P.,l,nc|P.1? rt* ..rua da Concordia: qaem ti- ps, j'.ira O que >> n^.-e.ssfiri'i trii'r:ra'irsto
riso corpe c m ".- i iriii-lart
ferro., esmaga o bu, irntsji t i
iiiimoi,: 1,
III A DIRKIT.&4*
HOno
che do llarbosa, onde polerao desd
! rem dito caf.
ja examina
Leilio de escravos.
Stbhaiio i 2 (I. corrate as II horas.
Cordeiro Sim-aes far lellaodjs escravos abnixo
mencionados coino soja :
1 escrava de nome Hara, idade 83 annos, com
1 cria de idade de 2 anuos, com habilidades.
1 escrava de norae Maria, idade 31 anuos, boa
quitandeira.
1 escravo de uome Vicente, idade 43 a 30 an-
nos, com habilidades. No armazem a rua da Cruz
n. 37.
comprase om carro para conduccao em bora esta-
do, e u m bo.
Precisa-se de l:300j a premio por seis ma-
tes, cora garautia em um predio nesta cidade : a
quera convicr annuncie por este jornal.
Borsegaios Bordeara......
patricios.........
> para senhons, en-
ffilados.......
Precisase de urna ama para engommar e co- com larri c ivelia .
zinhar para casa de pouca familia, o qoe seja de Sipriloes encourarndos.......
meia idade : na rua do Hospicio n. 61. ___ B-JrseguioS para
Precisase de ama ama escrava p.ira co-i- e'ast c'O.....
nhar : na rua do Impirador n. 35, segundo andar. SapatOS d
Nao casa de familia. l
--------------._-----_---------------_------- a viIluda lis
O abano assignadj relira-se para Purlugal B 1,, .
meninas boi
oona, sola elstica.
LEILAO
a tratar de sua saude.
Antonio Coelho Ferreira.
aB-a8ti!H'>w
I
no
20H
um
600
M'*
De 1 cama franceza da Jacaranda, 1 raobilia de
ainarello, I mesa elstica, 1 guarda louga, 1 di-
to, 2 commodas, 1 apparador, l secretaria, 1,'
sautuatio, eadeiras de faia e de amarello, mar-,
qnezas, eadeiras de. balando, 1 tocador, 1 bergo
de fai.i, 1 violo, I apparelho para cha, cao- I
dieiros a gaz, I grande espelho com moldura !
dourada.quadros e uniros artigo? de gosto.
Cordciro Siraoes fara leilo por coala e ns:o de
quem perencer dos ob;ectos cima mencionados
em seu armazem a rua da Cruz n. 37, as H horas.!
Sabalo 12 lo corrate.

O Dr. Cosme de S Pcreira conti-
na a residir na rua da Crnz n.
econmicos
nlioras...
Cliitieloes do Por o..
> cora salto..
para se-
........
........ M
.......... i
5:,,lS: Um completo sor mi lo d catoi 4a
1 e 2 andar, onde pode ser proco- B ten-a para homens. .-.,.!,,,> t Sh;
ra.lo para o exercicio le sua profis- pS a&siui c. mo bezerro fraocez, a nw fa !>-
sao medica, e com especialidade a ir, marroqoios, taitas de todasaafK-
sobre o segunde S Hadas filas para sap.t^iro, mnil' sorli
sola e coaros que ludo fisto necesariama>-
te faz cobica ao comprador pala aavati
Io molestia
i"
i de olhos;
de peito :
dos igaos geni-
ti urinarios.
n
Navegaciio cosleira
LEILAO
DE
de frente e
40 de
di
de
pertencente ao patrimonio da extin ta Misericordia
de Olinda, que se achara atrasados em seus paga-
mentos, que o regente do hospicio de alienados na
cidade de Oliuda a pessoa competentemente au-
torisada para arrecadar taes rondas, a quem os
mesmos foreiros se devem dirigir, lira de paga-
ren) os respectivos foros.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-
s clau- Clfe 8 de a8sio do 1S(3.
O escrivao,
As pessas que se proporem a essa arrematagao
co:ii;nre(*aii na sala das -essoes da referida junta, Pela subdelegada dos Afogados acham-se do-
do da cima mencionado, pelo meio dia ccompe- posiiados dous cavallos, arabos mellados e castra-
lentemente habilitadas. dos, os quaes foram apprehendidos como fortados:
E para constar se mandou publicar o prsenle quem se julgar com direito aos mesmos, compare-
p< 1 jornal. ia, que provando, Ihes serao entregues.
Se '.';> ni da lliesouraria proviucial de Pernara- O subdelegado,
Manoel Pere.ra Camello Pessoa
)ju
J! dejnlhode 1863.
O secretario,
A. F. d'Annuneiar'io.
laspeeeio do arsenal de niarinha.
O arsenal de inarinha admitte carapinas, ferrei-
ros e serventes para as obras.
lnspec;3odo arsenal de marinha de Pernambu-
co 3 de agosto de 1865.
O secretaria,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
11 especiaes para a arreraatacio :
1.* As obras dos reparos da cadeia da villa do
Lim 11ro, sera 1 feitas de conformidade com o or-
uto respectivo na importancia 4e ris .......
,130.
1.'') arrematante dar principio ao irabalho 15 AvreRlilllaciio.
fiada a audiencia do
Imr no prazo de 3 mezes. Illm. br. Dr. juiz municipal da I.1 vara, ira praca
;. Os pag nentos serao eitos em 3 prestacSes MDda am pequeo sitio con, casa e taipa no
i.m a cada 1 irea parte da obra corresp..ndento. lllsar lfarr) fresuezia de Affogados, chaos
*.....irrematonte segoira naexecocao flasobras i.,.ro,IO a requerimetode Dermino DominBusdos
. iheiro,qae aJnapaeeionar. Santos, inventariante de Aulo hamma da
.. Para iodo qaanlo aqot nao estiver previsto ; (ju>la
ol 11 .'ar-seb 1 o que dspoe a !ei n. 2Si.
Sexta-feira 11 do andante, teem de ser arre-
matados i relogios para algibeira entre os quaes
um proprio para medico, cuja arrematado ter
hipar logo que linde a audiencia do Sr. jiiz de paz
da freguezia de Santo Antonio, s 2 horas da lar
de, no lu;,rar do coslurae; sondo ditos relogios
Conforme,
A. F. d'Aununeiaeao.
Pela inspeceo d'alfandegase faz publico que
a i;i da mesma, 1 hora da larde do da li do
; seha > de arrematar livre de dlreiloso
r;;\--;~ com a marea V l> vlndos do Havre pelo na- penborados a Fernando Garzoli, por execucao di
vi., francez Juan Baptiste, entrado 28 de Janeiro Aodr Blanco & C.
deste anno cintendo I2G9 libras de tinta prepara-1
i 1, avalladas em 211-5300, os quaes se acham Pela subie'.egacia do Pores fol recolhido a
adidos as disposicSes do art. 301 2o do deposito um cavallo easlanho, castrado : quem se
: i de 10 de setembro de 18G0, julgar cora direito a elle, compareca, que provando
ira constar se faz o presente4* seceo da seu dominio lhe ser entrego;. Subdelegada do
altan lega de Pernambuco, 0 de agoste de 1863. Peres 9 de agosto de 1803. O subdelegado,
O V' escriptorario. lexandiino Hartins Corroa Barres.
J. (Cavila idtancoiirt Nena.-----------------------.------------,-----------------
.oitcio geral
O Illm. Sr. inspector da thesooraria provin-: Pela adminisiracao do correio desta cidade se
"... a com rimento da ordem do Exra. Sr. pre-, faz publico qne o fechamento das malas que o va-
lnt i da provincia manda fazer publico que no I por brasileiro Paran tem de conduzir para os
de agosto proxtmo vindouro, perante a jnn-1 portos do snl, fol tramfejiJo para hoje (II) as 3
horas da tarde.
As cartas adinittidas *a seguro sera 1 recebidas
at as 2 horas, e os jornaes al o meio di;'.
dia
ta de fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar-
ur a quem por meaos lizer, os reparos de
- correales na estrada do sul, do mareo
8.00 1 bracas at o porto da harrelra da ponte
dos llarvalhos, aveliados era 3:3135000.
A arrematarlo ser feita na forma da ei pro-
vincial 11. 3i3 de 13 do maio de 183i, e sobas
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As p ssoas 'i 1 se propozerem a essa arreraata-
co, compare^am na sala das sess3es da referida
Junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e | Alfredo Mues de Castro Lavor.
PAQUETES A VAPOR.
I Dos portos do sul esperado
tOjtK al o dia 14 do corrente o vapor
. ^.;,^- Toeanlins, comrnandante o pri-
"'" : ^dgj nieiro tenenie Pedro Hyppolito
^MP Duarle, o qual depois da demora
do costume s-guir pora o* 0"rtos do norte.
Desde jrecebem-se passageiris e engaja-se a
carga qnn o vapor p ider conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia do sua chegada, enco'n
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as Juiz especial do contraern, levar a leilo publi
Urna casa de taipa om 17 palmos
40 do tundo.
Urna dita dita com 27 ditos de frente e
fundo.
Una dita dita com 13 ditos de frente e O
fundo.
1,'ma da dita com 17 ditos de frente e 10
fundo.
Um sitio com 600 palmos do frente e 610 da
fundo, com cacimba e arvoredo sendo a largura
do fundo de dito sitio 110 palmos.
Todos os da fre-
guezia dos Afogad s a beira da estrada, que vai a
Santo Amaro di Jaboato e em torras foreiras.
20 titalus de dividas ui valor de 6:68053ii'J rs.
s tambem 30 acctfes da companhia co^t ira.
Sogand-feira 14 Id correte.
Oagente Cordeiro -ioiCjs a requerimenlo dos
administradores da massa fallida de Amorim, Fra-
gozoSantos t C, e por mandado do Illm. Sr. Dr.
Em seu escriptorio os doentes se- 55
rao examinados na ordem de suas *
entradas comecando o trabalho pe- S
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das a|
6 as 10 daaianhaa, menos nos do- S
mingos. 9
Praticar toda e qualquer opera- m
cao que julgar conveniente para o ]
prompto restabelecimento dos seus jj
doentes. 3
Ulub Perflambocaiio
A partida do mez -!;i agosto '.era Ingar na
r.oile do dial.'.
A M V
2 horas : agencia rua da Crnz n. I, escriptorio de
Antogio Luiz de Oliveira Azevedo or C.
Para o Porto por Jsboa
pretende sabir com a possivel presteza o bngue
Pernambucano : para carga e passagelros, a quem i
offerece bons commodos, tratase com o consigna-!
tario Tinmaz de Aquino'Fonsoca, rua do Vigario
n. ID, primeiro andar.
Para.
Segu com brevidade para o In Meado purto em
direitura o veleiro iuate Lwdo Paquete, capitao
Francisco Ribeiro de Barro*, e pode ain ia adm-
tir aignma carga : a tratar coni Antonio de Al-
meida Gomes, na rua da Cruz n. 23,
andar.
primeiro
co as 10 h ras em ponto 11 dia designado os heos
cima djscriptus, in seu armazem a rua da Cruz
n. 57.
lIISQS MIMOS.
Francisco Deodaio Lm-. tendo de mandar
celebrar sabbado (12) as 7 horas da manhaa,
na igreja da Conceicao dos Coqoeiros, duas
misas pela alma de seu milito disuado e
sempre lemb/ndo discipolo o cadete Basilia-
no Bandeira de Mello ('.esar Loureiro, convi-
da a todos os seus amigos u aos amigo.; e p-
renles do tinado, para que se dignem e as-
sislir essa acto de religo, e desda j apro-
veita a uccaaio para tesiemunhar Ibes os seus
m:iis ntimos agradecimentos.
-^^^aafliB*pr"-ifaaa8Sdi^^>gssM^ar^afc-fr-...
Aluga-.-e a casa terrea da rua da Esperanza
n. 39, propria para negocio: a tratar na mesma.
O abaixo assignado precisa retlrar-se para
fra desta provincia, tratar de sua sade, e vend'
o seu eslbeledmento de molhados sito na ma du
Cotuvello u. 1, que faz esquina para a de S. Oonca-
lo, bein afreguezado, lauto para o mato como pa
a trra ; os preiendentes podem dirigir-se ao mes-
mo, para tratar com o sen dono.
Maximinio Marlins da Silva Bonjes.
Lavase e enguiiiina-se por commodo preco
na rua da Matriz da Boa-Vista n. 68.
Rio da Prata
A escuna portugn?za >. Joo recebe passageiros,
para o que tem bons commodos : trata-se com o
rapito a bordo, on com o consignatario Joao Fran-
co da Silva Novaes, travessa da Madre de Dos
numero 3.
i'ffSSK;'.!*!*!* periaics.
At 0 dia 11;
do corrente mez
espera-se da Eu-;
ropa o vapor
francez Navarre,
qne depois da de-
mora do costume
seguir para Ba-
ha e Rio du Ja-
neiro.
Para frotes, con lices e passagens trata-se na ri. roa l!o Vigario n. 4, pavimento terreo,
agencia rua do Trapiche n. 9.
CONTRA FOGO.
Oompanhia Indemuisadora
esl ibelecida nesta praca, toma seguros martimos
sobra navios escus earregamentos e contra fogo em
editicios, mercadorias e mobilias: no seu escripto-
Miguci.
ljslrisc^ prisaari^
Acba-se aberta a aula publica de instruego pri-
Precisa-se alngar una criada que saiba eozl-
nhar e engommar com perfeicao, smente para
Uma pessoa : ua rua da Cruz n.!), Io andar.
Permota-se urna casa terrea com 3 janellas e
uma porta e o asarlos por uma mais peqoena, dan-
do-se a preferencia por perto da rile ira : quem
liver dirjase a na da A!i giia j. 2._______
Alugam-se o segundo andar e lojas do s ibr-a
do n. 196 na rua Imperial, ambos tem bailantes
commodos e opreeo baizo : -qaem os pretend r
dirija-se a roa do Imperador n. 36, primeiro an-
dar a direila ou a loja do Sr. Antonio Correta de
Vasconcellos i C. na rua do Crespo n. 13.
Aluga-se a loja do sobrado da rua do C 1-
i deiro n. H, pone edificada e pro;>n:
I qualquer e.-taotli cimento por se, achar em arma-
zem : trata-se com o sen proprielario na rua do
Imperador escrlplorri n. 7-i, ou no segundo andar
; do sobrado na mesma rna n. :8.
O abaixo asTlgUTrorj prsvnta ;o PespRave
publico que Antonio Frau-isco le M.nezes, her-
ileiro da imada D. Joanna Francisca do Menezes,
nao pode alienar neni fazer Iransaccaoaignma com
os bens que lhe couberam em tal heranc", sem
pleno conhecimento do annunclante, a quem esli
taes bens sogeitos por rtoeomenios passados em
ordem c com toda a legalidade.
Recife, i) de agosto de 1865.
Bento Caetano Mnniz Vieira.
No hotel de ItaTis, rua ro Trapiche n. 5, pre-
cisa-se de um mnleqne e de uma eng.'mmadeira.
Hypolheca-se ou veude-se uma escrava criou-
la, moca, de idade de 22 annos, que cozinha bera,
engorama e lava, e todo mais arranjo faz bom :
Precisa-se de una ama para MaWMV n e*<\
de ramllia : ua rua do Bruta n. 55, ; 4>
chafariz.
> >' >
Joao da .- -, ;.. -" ,.
;S versidadede (>..ii!:!*r:>, < ^fl
M s"a casa das 9 a, e M
* das 1 i? 6 da : irdi. Visita t '.
era suas casas r Das
para i>.- i _.- :.. .. .
gentes, que ser". n 1- ".
iii"i- ocrasiao. Da r ir.
que o procuraFem no
aonde eoconlr i
as 8 horas da m
Tm sea casa de sade regaLi
tontada para re :ebcr
i ; -. ra
tem rommod a -...,.
:;ca qualqoer operacaycirnrgica.
Para aea ..: .
Primen
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 2J0O0 >
v% Este estai.1: .:. .-ja I ..m aeredi- -'
W lado pjlos bons servicoa qae tem pres-
':' ;::''
.1! O proprielario espera que lie caaft!
^ ru a merecer a coaflaaeja de q
'"' pre tei i i .
-.*
Copeire
Na rua do Livramenlo n. 19 !a pira a
bom criado captivo.
liba de i.
Segu impreteriv'elmente no lim do corrente mez maria do sexo feminino, na p >voa(o do Mnteiro. quem qulzer annuncie para ser irocuraJo.
o paihabate portuguez Pensamnto, de 1" classe : \ g. A Borle retira-se para Europa, e deixa "^p'recisse alui?ar~diias uegra*. senda uma
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa- p01. .,* prnenradoirs na aosencia da casa con- para colindar, engommar e lavar, o ouira qnlian-
em. dirqa-se a Bailar & O iveira, rua do Vigario merdat E. A. Hurle* C. em Io Ingar Henriqo* deira : quem as uver dirjase a roa do Bartbolo-
Jorge Burlo, 2o Felippa Necdname 3'Jos' Joaquim mea n. 60, sobrado eoofroote a casa de deteneao.
de Oliveira Goncalves. -. Qoem predsar do orna ama dr'lelte~forra,
com uma lilhinha, dirija se a rua eslreita do Rasa-
; ri n. 2, segundo audar. que dir quem .
uumero 10.
Rclaro das carias sequras viadas do norte pelo
vapor Paran para os senhores aliaiio de-
clarados :
Para a Bafnn
al o dia 20 do preseule mez pretende sabir sem
falta o veleiro o bem conhecido patacho nacional
D. Luiz, capitao Jos Teixeira de Azevedo : para
a carca que lhe falta trata-se no largo do Corpo
Santo ii. 1, com o consignatario Jjs Mara Pal-
raeira. ,
AOS 6:000^000.
Corre ainaohaa.
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
; i nal.
S retarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco I-i de judio do iSiio.
O secretario,
A. F. d'AnnunciagSo.
Clausnlas especiaes para a arremataeao.
Dr. Antonio Jansem de Mattos Pereira.
Dr. Antonio Ribeiro Pacheco de Avila.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito.
D. Clara Maria da Silva.
Dr. Fabio Nanea Leal.
Francisco Ignacio Pinio.
Ilenrlquos Ferreira da Silva Rabello (Pao d'Alho).
Ignacio da Silva Arantes.
Ildefonso Henoch deBerredo.
i As obras dos reparos da estrada e emharrea- Joao Baptista Raymundo dos Santos.
men! i, entre o mareo de 8,000 bracas e a barrei-
ra I. p >ote dos Cirvalhos na estrada do sui, sero
feitas i-' conformidade cora o ornamento junto na
importancia d' 5:3133.
- 0 arrematante dever principiar as mencio-
Dr. Joao Capistrano Bandeira de Mello.
Joao de Castro Guimaraes.
Dr. Jos Raymundo GalvSo Alcoforado.
Jos Roberto Vianna Guilhon.
Jos Rodrigues de Souza.
nadas obras no praso de lo das e conclui-las no i Satyro Raymundo dos Santos.
de a mi tes, arabos contados da dala da approva
:: i) pasamento ser realisado como determina
o artigo 7!) do regulamento de 9 de julbo de 1861
e a respoosabilidade da entrega definitiva s ser
appticavel aos calcamentos catorros dos mangues.
V ,'ara tildo o mais que nao se tem especifica-
do d is presentes clausulas, seguir-se-ha o que de-
lermina o regulamento cima citado.
C ufurmeA. F. d'Annunciaco.
Illm. Sr. iosp^clT da thesouraria provincial
era y umprimentJ da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que no dia
21 de agosto prximo vindouro, peranle a junta da
fazenda da mesma thesouraria, se ha de arrema-
tar, a q tem por menos lzer os reparos da ponte
do Itlo Formoso, avaliados em I:o51$000.
A 'i 11 matacao ser feita na forma da lei pro-
Tin-: | ii. 343 de 13 dia maio de 1831, e sob a<
clausulas especiaes a baixo copiadas.
As : ?ssfias qoe so proporem a essa arrematcaoa
com irecam in sala das sessdes da referida junta,
no cima mencionado, pelo meio dia e compe-
tenten te h ibilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo; irnaL
8 :.iia da thesouraria provincial de Pernam-
bucu, 21 de julho de 1865.
O secretario,
A. F. d'Anuuncia^ao.
Clausulas especiaos para a arremataeao:
!. (is reparos da ponto di Rio Formoso, sero
feitos de conformidade coa o orcamento junto na
Importancia de 1:5513000.
S." As obras deverao ser principiadas no prazo
de 25 dias e concluidas no do 3 mezes, ambos
contados da data da approvagac da arremataeao.
3." "; pagamentos sero"reahsudos em'duas
presl igOes iguaes, a prlmeira quando ti ver metade
das ibras, e a segunda na sua conclusao e entrega
defensiva.
4." l'ara tudo que nao estiver especificado as
pn-s. rites clausulas e orcamenlo, spguir-se ha o
que disj Ge o regulamento de 9 de julho de 1865.
Conforme,
A. F. trAnnaciarao.
No dia 14 do corrente, depois da audiencia
do Sr. juiz de paz do 2o dislriclo da Boa-Vista, vai
pracr diversos movis penhorados a Jos Aman-
do de Oliveira Guimaraes, por execucao de Ber-
nardo da Cuuba Teixeira.
THE1TRO
DE
Ha precsu de um humera poituguez que
seja diligente para feilor de um engenho, d-se
bom ordenado, e mesmo nao se duvida dar uin in-
teresse, prefenuJo-so hornera casado : quera se
Saliliado lado corrate mez, SO*extralli-'julgar sufflciente para desempenbar esse lugar,
-
3
ra a 2a parte da oA lotera f"7a) a betieli-
eio do theaiio de Santa Isabel, no consisto-
rio da igreja de Nossa Senhora do Rosario
da frefjnezia de Santo Antonio.
Os biihetos, meios e quartos esto a ven-
da na respectiva thesouraria a rua do Gres-1
annuncie, ou se dirija a praca da Boa-Vista n. 32,
que ahi se dir.
Tisset Frers previnem aos carreiradores des na-
vios da linha do Havre a' Peruainhuco, que o frete
do Guillaume Tell, esperado a cada momento, tem no numero lo.
sido abaixadoa 30 fs. e lOi o do Sphre a car- Os premios de (.-QOOyOOO at I0500
ga no Havre a 5 fs e 10 0|0, e que talvez o dos ,ipnoj ,u pvtracrin
navios seguintes sera' anda mais era conta, o que wdo pagos ama oora uepois ua exiraccao
Ihes sera1 avisado por vii deste jornal. Os navios ate as I horas da larde, e OS outros depois
estao a disposicao dos carregadores para as voltas da distrihuicao das lisias,
a um frele abaixo de 45 fs. e 10 i, conformse \ encommendas s rao guardadas so-
ajustar com os.annnncianles, rna do trapiche m_9. menle ;lt ., m)le ,!;1 mpe da oxl|.aCQO
Para o Rio da Prata ou nio \ c ,mo de costume.
Grande Servindo de thesotireiro,
Freta-se a barca nacional Restauraeao : aira- Jos Rodrigues ile Souza.
tar com os seus consignatarios Antonio Luiz de
EMPREZA-dOIUBRA
Recita extraordinaria.
Sabbado 12 de agosto de
1865.
Apedido de differentes pessoas sobe pela ullima
vea a scena o muilo lindo e apjdaudi 1o quadro al-
legorico produegao do Sr. Dr. Tavora, sob o ti-
tulo
A YICTOl. m RliCillELO.
Em seguida a companhia dramtica repressnta-
rpela prlmeira vez o oteressanlK'imo e aparato-
so drama em 3 actos que tem por titulo
PROGBESSO E HO.Mtt
PERSO.NAGENS.
Valentim Mazilher, jovem manu-
facturero.................... Borges.
Riyrnnndo, ceg.........,...... Amoedo.
Vancher....................... Porto.
Pondhon, conlra-meslre......... Teixeira.
Barattier...................... Guimaraes.
Gabriella, irinaa de Raymundo.. D. Eugenia.
Suzana, irmaa de Pongibon...... D. Camilla.
Um carteiro.................... Peix^to.
Um operario.................... Santa Rosa.
Operarios etc., etc.
A scena passa-se era Leoa em 1836.
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio rua da
Cruz u. 1.
Para o Hio de Janeiro.
pretende seguir com muita brevidade o patacho
nacional liegulo, tero p .rio do seu carregamento
engajado, e para o resto que lhe falta e escravos a
i frete, tratase com os seus consignatarios Adtonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio
rua da Cruz n. 1.
Vende-se a barcaca Flor do Norte, prompta
navegando, de perfeita construejao, da lotaco de
2,300 arrobas, por prego muilo commodo, tundea-
da na escadinha: a tratar nesta praca com 'f ho-
maz F. da Cunha na rua da Cadeia n. ii ou na
praca da Paran iba com o Illm. Sr. Antonio Tho-
maz Carneiro da Cunha.
James Wakeman, subdito britauico, retira-se
para Inglaterra.
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite : na rua nova
de Santa Rita n. 35, segundo andar. Paga-se bera.
Precisa se de ofGciaes sapateiros que sejam
perritos no irabalho de ponto o laxa: a tratar na
rua da Cadeia n. 11, loja de relojoeuo, que achara
com quem tratar.
" CREME. "
Sorvete de creme hoje ao meio dia : na rua do
Trapiche n. 18.
Pertence a melade do quarto n. 78i da lote-
ra que corre amanhaa, para as obras da igreja de
S. Gongalo.
Precisa-se de uma ama : na rua do Rangel
n. 38, segundo andar.
Precisa-so ie urna ama que tenha bom leite
para amamentar uma crianca de tres mezes : na
Antonio Pereira dos Santos retira-se para rua Direita, sobrado de um andar n. 8i, se dir
GASA DA FOBT
Aos 6:000#O0.
A>MA$Vt0S*miMfam
O abaitoassignado venden .o.- <
es bilnetes garantidos 4a lotera shm >- araoa
.le xtrahir, a beneficio da Baati Casa da Blu
ricordin para canalisacaooagiu e gaz no bs-,
Pedro II, os segaiotes premios :
Oinieiro n. iG'.>7 rom a sorle de i^WQi.
l'm quarto n. 2737 com a Mirle de 1:2 i-SiiOO.
l'm ii-ion. 1722 cima sur'.- de JOOfil
E miras muitas sortes de 10U4, tM jnje
101000.
Ospossuidores pod-m virreewber sfns respec-
tivos premios sem u I
da FoMuna rna di Crespo n. i:'.
Acham-se a venda os da 2 m
(27-) a beneficio Jo tb-ai: i de s..i,-i i-:...; i. que
se extrahir sabbauo li do e
i':;; CO.
. '. 7
. ;i
.... '.IMI
que compra;, i:, dr 003000
ara cima.
.... RJ
.... 34:30
.... 1
Mari v:r. Maktrvs Pieza.
Ama Precisa-se de uma iros d i I : -ad i ai fi-
Iho, paga-se bem : na firraria n. 0 a 8 da pr*;a
da Independencia.
O Si. Jjao Miguel de OH* ni-
do queira dirignr-M a roa Ron n. t9:a
tratar de negocios jiic Ibe dizen rp*ili.
Para
Bilnetes.
Meios. .
Qaartos.
as pessoas
Biihctes.
.Meios. .
Quartos.
Portugal.
O brigadeiro Francisco Jos Damasceno Ro-
sado, tendo sido exonerado do commando das ar-
mas interino desta provincia, e havendo de embar-
car hoje (1C) para a corte no vapor Paran em
cumprimenlo do ordem superior, nao teve tempo
quem precisa.
Estrada de ferro
O abaixo assignado faz scicnte a quem inters-
sarpossa, que pedio demissao do lugar de chefe da
para despedn -se das pessoas qne o hon.-aram eora estacao de Agua-Prela, visto uao lhe convir oceu-
sua a misada e o visitaran) durante sua curta esta- par mais dito lusar.
da nesta cidade. Despede se, per tanto pelo pre- Emilio Claudino B. do Amaral.
sent, e pedindo desculpa da involuntaria falta,.of-1 _0 Sr. Cupertino Albnquerque Guimaraes
ferece a todas essaa pessoas o seu fraco presumo Bilslos qaejra ;ipp,recer ua rua Velha n. 13, a tra-
na corte. J tar ,jft neeocio urgente com seu primo filho de Jos
Os procuradores do Sr. crancisco Jos de ; Antonio Guimaraes Bastos.
Canqios Pamplona ( que se acha actualmente em |
MX^!TIH1_ i I II, i-a^
LEU0E3.
De aderecos, pulceiras, bsfncos, buidas, anneis,
correutes, trauedins e chafes para relogios, tu-
do de ouro de lei de 18 quilates cora pedras e
perolas verdadeiras, novo e de gosto.
HOJE.
Por inlervencao do ageole Piulo, no armazem
da ruada Cadeia n. 62.
IiIL
De 2 carros com as com ptenles parc-
lhaS de CavallOS, Cabriolis, Caval-, grande casa com armacao do'uberna, nova, com
Mamancruape liquidando casa que all iemi.de-
sejaudo estar a par do passivo do dito senhor, pa-
ra Ihes dar dinheiro a proporcao que lhe forem
ehegaedo os algodoes, e mais gneros remettidos
pelo seu commiltente, sendo que ja existe em seu I
poder aignma qnantia, convidan os Sre. credores!
para qne llics enviom as suas coatas at o da 10
de agosto; lano do qu vpor ventora estiver venc- [
ds como do que se liver ainda de vencer; pois:
prciendem logo depois des.-o dia dar comeyo ao
pagamento. Roa do Vigario n. 2.
Plnpps limaos & (".
l'recisa-se do uim ama para casa de hornera
solteiro em Sanio Amarinho : a tratar no pateo do
Paraizo n. 113.___________________________________
Para principiante
Na estrada nova do Cac.baug, no meio da es-
trada, um dos melheres lugares, aluga-se uma
Sk
?>*.
FIGADOdeBACALHAU
* -
Precls-se alugar uma ama pi rzi-
nhar e comprar, prefr -e eacrara ; tratar u
loja da rna Xcva n. II.
Cal ABJETE"
PORTUttllBZ ih Lhiil fcM M
AAIIlUijO.
Por ordem da dfrrcloria seiraaMso a tuda m
j senbores associado*, que, em eoawqMMti -i Je-
| coragao qoe se tem de i>i".- Ir -i! 1 r-s-
| peclivo (iaiiinele, para lOMUMiaM r. d a 5 d
crrente o seo IV anniversano, dviiari il kM r
expediente desde o dia iOio u.-ivt; cntimua-
do no da !H. Pudee a 1- 11,e, ,s-, .
ciados, qne mandem entregar os ..-: i|u> i.ve-
rem em seu poder, at o dia 12
Secretaria da directora Gabinete P-.r'ugoez
de LeMnra 8 de agosto de tst.
J. Xavier Vi.iri I
{' secreUre .:ii rir.\
Preci.-a-se de um sii ,a n-
dado para uma pequea familia ingieza : Irau-so
rua do Vigario n. 2, e-cnplorio.
Precisa-sede uma zouialwlra para nma casa
ingleza Da apenas onusta de duas MM m> !-
ra e marid') : traase a rua do Vigari > a. -. e>-
criptorio.
a rua da Florentina n. :ii> prepan ai-
da por cemmodo penan.
los, trastes e outros muilo< n tinos.
HOJE
Sexta-feira 11 do correnle as 11 horas.
NA GRANDE AGENCIA DE LF.Il/iF.s DO AGENTE
IILTJVIPIO
cascos, e faz-se todo negocio : quem' pretender di-
rija-se a taberna marella na mesma estrada.
Attea$k.
Deseja.se saber dos Srs Jos Narciso Gomes, successoVnas"niolestias'em que seeoprega
Jos Vai Das de Pioho, Joao da Silva Ferreira pa- .n i .'
P po processo de Cherncr, pharmacpulico em
Paria, rua do Fnnhourfi Mnntmarte 21.
Este oleo de um ckeiro agradaiel, e de
wn sabor nssmwado o tnico que notera
nem o gosto, nem o cheiro do peire. Ob-
jecto de numerosos relatnos scientifioos e
mdicos, esle mdicamente que goza em
Franca de um successo to raro como bem
merecido, receitado diariamente pelos
principaes mdicos dos hospitaes de Pars.
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO DESINFECTA-
DO ferrusinoso emprega-se com os raaiores
ra se Ihes eniregar cartas viudas do Porto : "aa oleo quaodo sao acompanhadas (te debito
36--Rua da Cadeia do Reclfe-36 j rua do Vigario n. 19, primeiro aojar. dade e aloma.
Lino de Faria vai ao 11 >' >W
xa enearregados de sen n.-poc 1 .tan-
te su ausencia (Qne nao >era loaiiaj .:-. 1.
Joaquim J -.- da 1 < Ignacio ''
Mello ; e da c branca do qne -
Parla & C bem como de oaanx irt.-
cios ao Sr. Krancisc. Jos- dn Curta
rua do Vigario n. tt, t .1
dos bem antorlsado e im podares ;i;cit.> -.
A partida do Clob l
correte mez tora logar 11 m i .
O >.-.. rlarri.
Francisco Lucio da lastro.
Precisa-se fallar com os li b d^tatlefido
Jas Francisco Gongalves Chaves, nalnral da fre-
gnezla de Santa L'lala de Palmeira. do Para, *>
conselho de Espozende, Kovaatal, a neg-vio ele se*
interesse : na rua eslreita do P.os.ino n.
E. A. Hurle dorante sua aos cu na Europa,
deixa encarregado de seas negocios partirulare
Henriqne Jorgo Burle e Claniio Dubeut.
Precisa-se de um feilor : em Henifica, sitio
do Sr. Barroca.
I I I ^*n,l% 11-


T
Diarlo de Peraa&nlrace .... sexta letra 11 ae Agosto de !&.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
26 Rua Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
Os proprietarios desle estabelecimento, desejando satisfaaer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de receber de seus correspondentes de Paris, um grande
sortimento de retratos (carloes de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem unja ijuantidade de alinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado gosto e por presos muito diminutos.
Os mesmos aprovcitim a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os dias, domingos e dias santos, das 9
boras da manbaa at as 4 da tarde e que os temaos de chuva Lao influem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o sol entre nuvens mil vezes preerivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operario, como pela commodidade das pessoas.
A grande quantidade de pessoas que lem visitado este estabelecimento oestes dous annos em que se acham establecidos nesta cidade, e que nao ser menos de cerca
d e 6,900 a 7,000, para elles urna garanta futura, poslo que se appliquem todos os dias, para que todos saiam contentes e satisfeitos.
Companbia fidelidade de seguros
maritimos e terrestres
estabelecida no Rio de Jaueiro.
AGENTES EM PERNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira lieiedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Crui n. 1.
m
m
m
m
m
m
CONSULTORIO MEDIG0-CIRLR6IC0
DO
DE
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO.
MEDICO, I AIS I 'GIRO K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
os
- O London & Brazillan Bank, saca por doo-
paquetes.sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guimares.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
Alagad de tarraya*.
Alngam-se duas escrava* sendo urna ea para
casa de familia e ootra de meia itade para cm
. de homem snlteiro, as qoae* rreem, existima) a
: engorrmam : quem precisar dirip-M em Saata
Aman> ao sobrado junio ao remiu-rn inytet.
Costuras para fazer.
Na ra doQneimadon. 27, dase caaes*tcal-
cas para Im.it, as pessoas que qoiierea ippam
m com sens fiadores.
PASTItHAS
VERMFUGAS
. Mear sfm
O bacharcl'
Francisco Angosto da Costa
ADVeOADO
Ra do Imperador numero 69.
m
y*
m
i VICNFS
2^ 55# __RA DO BHPERIDOR__ M. 5o. ^r* ^nD0 Hoscoso d consullas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s 11
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje asss coobecidos para que seja'ncessa'rio insistir sobre a DOras (la manliao, e das G e meia as 8 liaras da noile, excepcao tlos^ dias santificados,
sna snperioridade, vantujjense garantas que oflferecera aos compradores, qualidades estas incontesta- 1-* hn f'ttH'ii PViiZ-'A// / u in i II'i ilii'l
veis que elles tem delinitivamente conqni^-tado sobre todos os ajue lem apparecido nesta praca ; pos- tltlr itnivii* &'>//* l"" ifot/ivugju t/erc*
suindo um teclado eraathinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem I .\0 msmo consultorio lia sempre 0 mais appropriado SOrlimentO de carteiras
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feito ltimamente, melhorameutos Importan- tnhiw avnUns Ksim innin tinturas iln variis ilvmnamisacps p nplns nrprn<5 paninlP '
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes, sao melodiosas o flautadas, e por tsso muito agrada- laU0> axulS0b> dbSI" como unturas ue \anas iljmnamisacoes e pelos precos seguintes.
veis aos ouvidos dos apreciadores. Carteiras de 12 tubos grandes. 12^000
Fazcm-se confoime as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio de 24 tubos gi andes. 18(5000
correspondente de J. Vigties, em cuja capital foiam sempre pr-rniados em todas as exposic5es. de 36 tubos grandes. 24)5000
de 48 tudos grandes. 300000
Aluga-se a loja do sobrado n. 17 da ra da
Imperatriz, com bons commodos : a tratar no se- i
gundo andar do mesmo.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de oun'
ves, compra-Fe ouro, prala, pedras preciosas e
tambem se faz qualquer obras de er.commenda e
odo e qualqoer concert.
No mesmo estabelecimento se achara sempre um explendido e variado sortimento de "msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido por
precos commodos e razoaveis.
Casa de banhos
Vende-se ou arrenda-se
I.argO do Carino a. 26. A chacra do desembargador Doria, no Mangui-!
Ete estabelecimento tfio fiern montado na sua' nno> a Qual contm urna grande casa de campo
origem achava-se de ha muito cm quasi completo | fr" tamlis ac.'.ommodagoes para numerosa fami-
abandono pelo pouco inierese de sua adimnis- 'a 1a^ oo andar terreo, quer no an.lar de cima, i
tracto. cora terracos largos dos lados para rncreio, um I
Hoje que o novo propriotario empregoa todos os gi ande jardun com bonito desenlio, cocheira para I
tneiis para restabelecer a grande utilidaile deste.3 rr"*> Mtribada para G cavallos, um quarlo pa-
estabelccmenlo, pode assegurar ao publico que I ra hospede, tres grandes quartos par& senzalas ou
qualquer que seja o numero dos concorrentes! P* outro qnalqner mister, casa de banho, gran
FUMDICiO
DO
/i
VA
Rua da Kvwu uumero 38.
Neste estabelecimento acharn-so venda os se-
i guintes objectos, todos da primeira qualidade, e
ue ou iodos gianaes. qvvv construidos especialmente para esta casa
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios mais acreditados fabricantes ingiezes:
que se pedir. Machinas a vapor de 2 1|2 a 8 cavallos, com
m tubo a*u!so ou frasco de tintura de meia onca 1,5000. SSTfiSl! TV"3!; 5- ,amrem 'iro^riis
o i .-> i i t Para descarocamenlo de aleodao, afamadas oe a
Sendo para cima de 12 custarSo os precos eslabelecidos para as carteiras. fonidao, ^impinidade e economa em combosUvel,
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris. e por nao precisar de obra qualquer para seu as-
W T^ftTHfe*! esntamenio.
JLifll atm^^"* Bodas d'agua de ferro, systema mol proveitoso
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatbico do Dr. Jahr dauf^ ";
dous grandes volumes com diccionario............ 20i000
104000
Medicina domestica do Ur. Ilering
pa
acharo desde j promplido e aceio nos banhos
trios, momos ou medicinaes, a casa dos banhos so
achara aberta todos os dias das 6 horas da manliaa
as II da noite.
Presos.
Banho de choque...... 800
Dito trio ou morno..... 500
Dito de farello.......t^OO
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualidade.
A asignatura.
Por mez banho fri ou morno... 10O00
2o carloes para banho fri, inor-
no ou de chuvisco........... 105000
12 cartoes para os mesmos----- ,">0
12 ditos para banho de farello. 10,5000
*mm 'mm mmmMM
m
de cacimba com avila de beber melhor do que a
do enc.inamcnto, duas bombas delirar agua, sendo
urna de repudio, leudo iu?trumento proprio para
tambem se tomar banho de chuva, urna casa cora
mangedora para vaccas e bois, onde ha espaeos
fi-rooo
3:)00O
Repertorio do Dr. Melt Moraes .
Diccionario de termos de medicina
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam por
tanto de seren noyamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios nuindo muitoVgasio do eombostiveL
jr" verdadeiros, enrgicos e duradores: lia tudo do melhor que se pode desejar, globrs de Machinas e tnachinlsmos para moer mandioca,
ranos de man, madeiras e tabeados, donsgallnhei-, verdadeiro assucar de leite, notaveis pela ^ua boa CODServacSo, tintura des miis acredi- nwtto wpor, aguaou ca vallo.
DE KEMP,
NOTA YORK.
DE COR CflOM E SABOR AGRDATE
Inlinitariienie mais tllicazes do que InIi s
os mais remedios peligros e iiansabtirnU*
que existem para a expulsiodaslombrigas.
Nao causam dores e prodozem sen .rTeilo,
sem precisar logo depois de purgante ne-
nliuin e tao incitantes em apparenriae4esV
ciosas em gosto, que as crian;as esto
peos promptas a tomar mais do que marca a re-
ceita.
Uteis como um excellente meio de tazer
remover as obstrucres do ventre. memn
no caso de nao existirem verme algua, ai
PASTH.HAS mmil DE Kf'MI-S Sao ['r<'D-
tas e infalliveis na sua operario e por todos
os respeitos dignas de rnnnanra e approva-
Hods de espofa, e angulares, e de esquadnlha cito de todos os paes de familias. Prepa-
radas nicamente por Lanman & d.
Nova York.
Moendas e meia-moondas.
Taixas de fierro batido e fundido, e de cobre.
Hachioas para desearocar algodao, systema
Plan, com os nllimos nielhramentos.
Boceas e erk-os de patente para fornalhas, dimi-
ros, t currai para dormida dos animaos : o sitio. tados estabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e por
ou chacra tem na fronte gradera e poriao de ferro, energa i- cerieza em seus effeitOS.
excepto a parte mais curta do. .
f.asn de mude ivir escravos.
tanto a maior
I e todo murado, excepto a parte mais curta do
i lado do nascente, um pomar de fructeiras de todas
i as qualidades, sendo que s de larangeiras de um-
Digo, da china, selecta, laranjas limas, tanjanna e
da ierra tem 130 e lanos ps, fra urna planiacSo
nova de laranjas cravo, tgueiras, laranjas de um-
bigo, sapotis, abacaxis, macacbeira e urna grande
plantaco de capim, tanto de Angela como da Col
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, p ra o que o annunciatite julga-se suflicientcmente habilitado.
0 Iratimento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muias pessoas de cujo conceito se niio
Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e porlatils.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de eugenho com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro balido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armaeoes de serrara.
Arados de ferro singelos edobradjs, grades para
Os procuradores do Sr. Pranr:<- j.,*
Campos Pamplona ronvidam a tudo o* deveiiort*
do mesmo seohor a que venhain sal -Uaer o seas
dbitos at o da 15 do correle me/. ifc> apjMo, ao
escriploio da ruado Vigario o. t: preveniivl.) a> s
mesmos devedores de que naquelle da >-ro en-
tregues todos os ttulos e MM a.i procnra-Jor jov-
dicial. Recite 2 de agosto de IH*i-".
Phipps lrma>- A C
Preci.-a-se de um Ik>ui coznb iro : a tratar
no sobrado n. 32 da rua da Anmra.
nia : franqueia-se casa e sitio a quem quizer pode duvidar, qae podem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus cubrir raDDa' .ra"M a cavaiio, e outros instru-
____:___i_________ _______,._*__ Ti___.._ mpnliis de ai'ripnhura
m
i
ai
IIETR4TSSTAS
Firmino 4 Lins
Novo estabelecimento de Cetra-
tosa ra So?a n. 1ii, ian-
dar, iiitite ao Sr. Gaatier,
5 dentista.
^?j Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
^ di manha s 5 da tarde, quer chova o
;2S nao.
3B Tambem se offerecem para tirar reir- M
'& da cidade. "^
^' Os annnnclantes desejando acreditar o S
Pl seu e>tabelecimenlo, garanlem ao publico M
j*g, que nenhum trabalho saliir de sua offlei- *
g| na, sem que nao seja perfeitamente acaba S
do, ea voniade do freguez.
examinar e ver as snas accommodagoes.
doenles.
Paga-se 2;? por dia durante GO dias e d'ahi em diante I,->u00.
Asopcraces sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedirr oannuncante.
mentos de agriculiura.
A ttenca.

iifiyuj/v:
Saca-se sobre Lisboa e Porto : na rua de Apollo
n. 28.
\nia.
Aluga se urna escrava para ama de urna casa de
mico sollelro ou depouca familia, boa cozinbeira
e sabe comprar bem : na rua de S. Bom Jess das
Crioulas n. 3.________________________________
Alugam se dous grandes sobrados com coral
modos para numerosa familia, novos e aceiados
cora jardim, cocheira, estribara e ouiras comino-
didades, na travessa de Joo Fernandes Vieira :
a tratar na rua da Seuzala Nova n. 42.
^|S O advogado Gudoy Vasr.oncellos, pode !
^ ser procurado no escriptorio da rna do 9|
fH Rosario estreila n. 31, ou era sua resi- j||
:*-.; dencia a rua do Sol n. 9.
- Precisa-se de um criado que emenda do bo-
leriro : no pateo do Carino, em casa de Gabriel
Antonio, se dir, ou na Passagem n. 24.
Na rua da Hola n. 6, !oja, engomma-se com
tjda a perfeiciio.
5
-m
- Precisa-se defum homem que entenda
bem de plantaco de horta e jardim, para
ir para un engenho perto desta praca, d-
se-lhe bom ordenado, alm de outras van-
lagens como s ja boa alimentacSo, ronpa
lavada e engommada etc.. etc.: quem a isso
se propozer dirija-se a rua da Gloria n. 3,
das 10 horas as 12 da manbaa e das 4 da
tarde em (liante.
Quem precisar de urna molher de ponas pa-
ra dentro, para casa de homem solteiro, coztnha e
mgomma, dirija-se a rua do Encantamento n. 3,
segundo andar.
OITerece-se um rapaz portuguez para caixei-
ro de cobranzas, ou mesmo para armazera ou ta-
berna por bataneo, por ter as habilitarse* precisas,
< da dador a sua conduela : quem o pretender an-
nnnete sua morada para ser procurado.
Precisase dt.
ratrlz n. 40.
Victorino Jos de Sonta Travassos J-
nior, Marcolino de Souza Travassos, Maria
Margarida de Souza Travassos, Manoel Jos
Ai rnara Hodrigues Sette e Francisco Deodalo
Lins, agradecen) de lodo o coracao a todas
as pessoas que prestaram-lhes o caridoso ob-
sequio de assislir o acompanhar ao cemite-
rio publico o funeral de seu pres.idissimo
pai e sogro \ictorino Jos de Souza Tra-
vassos e de novo convidam seus amigos e
os do linado para ouvirtm no dia 11 as 7
horas da manbaa, na capella do cemiterio
publico a rnissa do 1 dia, confessando-se
desde j ainda mais penhorados por este
nledoso concurso.
v:;\ ... .:/: -.:--;; :-:-t........-;..
lose N'otberlo CaslPlIo Branco, Gerlrudes
Cavalcanti Norberta, Paula Joaquina de Al-
buquerque, agradecem a todas as pessoas
que se dignarara acompanhar ao cemiterio
publico os restos mortaes de sua presada
cunhada, mana e sobrinha Francisca de
Castro Rocha, de novo coovidam para a mis-
il do 7" dia que lera lugar no convento de
S. Francisco, no dia II do correte, as 6
horas e meia da manbaa.
ALCQHOLADOmCUACO
O Alcoholado de Guaco df, Pascal urna nova preparacio da qual
hasta mencionar suas propriedades para apprcciar sua importancia.
folheto para o modo de o impregar).
2o Tem a vantagem de ser o remedio mais eerto e mais agradavel para
as molestias syphililicas de toda a especie, ulceracOes primitivas e secun-
darias, ec.
3o Empregado em injeccSes, o melhor tratamento dos eotrimentos
re-entes ou chronicos tas pessoas dos dous sexos e da leucorrhea as
mulheres.
4o Emfim como antidoto dos virus, soberano na cura das chagas e fe-
riaos de m natureza, chagas gangrenosas, dartros, ulceras das pernos,
ophlalmia purulenta, ou blenhorragica, mordeduras e picadas de ani-
maes venenosos, ce.
Este especifico vegetal, izento de toda aaccao mortfera, foi experimen-
tado nos hospitaes de Paris, Lyon, Marcelha, ec, e recebeu a approvacao
dos distinctos doutores Ricord, Bauchet, A. Richard, Calvo, Diday,
Melchior Robert, Costilhes, Berenger, ec.
Deposito geral em Paris, botica de CHEVRIER, 21, ru du Faubourg-
Montmartre.Casa de expedico, PASCAL e C, 33, rua Monsieur-le-
Prince. Paris.
Fornece-se comida para casas de familia, tojas
ou ofDcinas, com todo o asseio e promplido, mui-
to variaba, e por eommodo preco, manda-so levar
em casa ; tambem recebe pncommenda< de boloe
doces de todas as qualidades : rua da Caixa n. 70,
i Boa-Vista, cas.-, particular.
Na rna do Imperador n. 83, segundo andr,
precisa-se fallar com os segrales seuhores, para
. negocio iiue Ihes diz respeito.
' Antonio ones de Azevedo Campos.
' Manoel Correa da Silva Lobato.
: Joo Perelra da Silva.
Jos Lopes Tavares.
, Jos Francisco Hodrigues.
FcUpps Uui'gca Leal.
Custodio Jos de Larval lio.
Antonio Seraflm de Dens.
Manoel Francisco Coelho Jnior.
Joao Anlouio PereiM Hamos.
Joo Marinho Paes Brrelo.
Antonio Tibnrcio da Costa Monteiro.
Sebastiao Amonio de Albuqaerqne (esiudante).
i Francisco Gomes dos Sanios.
: Joao Gomes Pereira.
Jos Luiz Pacheco de Souza.
', Sebastiao Jos de Barros Brrelo,
i Francisco Amonio Vieira da Silva.
| Domingos Jos AIIooo Altes.
; Joaquim Francisco da Silva.
' Joao Ribeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
I Miguel Arcanjo Ferrtira.
Vicenle Ftrreira Noves.
Joaquim Francisco Moreira.
Francisco de Aguiar Jnior.
Juba llosa de Almeida Pinto.
Leopoldo Gadault.
' Joaquim de Oliveira Maia Jnior.
noMP&i
Compra-e ellectivanente ouro e prata mc
obras venta, pga su tasa: na roa larga de
Rosario n. 24, luja de u:.inv ...
Silvino GatlneraM de Batna runq a e tea-
de efTectivamenlH escravos de aml s ..s exos : a
ruado Imperadorn. 79, tcrceiru andar.
Ouro e prata
em obras tenas : eonpn-M na PaiCS
i pendencia n. 22, loja oe Mlbet' -.
Conpra-se '.ir:i iHKat em am oso : na
de Sama Tbereu n. H,
da iode-
rua.
Comprase ouro, prata e mint prean*,
em obras ve'has : na rua da Cad.ia do KernV,
Itja de ourivos no .reo da GaaMcSm
Compram-se moedas hrasileiras d* J04
-15 : na rua do Crespo n. 16. prin n andar.
ruin
0 cnstello de Grnsville.
Tradnzido o franrez por .1. J. C da Cm.
Vende-se este bello rom trice em quatr
tomos pelo baratissimo prero de 3jt)0C
praca da Independencia, livraria os.
Publicacao lilteraria.
Viagem pinoresca pelos rios P rana, Paraguay,;
S. Los renco, Cu yaba e Avino, comprrhendendo a
descripcao da provincia de Matto Grosso, por G.
Bartolom Bossi.E' obra importantissima para I
aquellesqoedesejarem conhecer a verdadeira si-!
tuacao das localidades onde de presente se do :
acootecimentos que interesssm a todos os Brasilei-!
ros. A' venda na Livraria Universal, rua do Im-'
perador o. o.
ura criado : na rua da Impe-
wmm mmw$r,
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos contina a morar na rua do Impera-
dor n. 17, segundo andar, tendo as seu
gabinete de consultas medicas, logo ao
entrar, no priniciro.
O mesmo doolor, que se tem dado ao
estado lamo das operacoes como das mo-
lestias internas, presta se a qualquer cha-
mado, quer para denlro quer para fra
da cidade.
ASTHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
_______ SFFOCgAO NERVOSA E OPPRESSAO
nico remedio efficaz para combatlir eslas molestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volta o Xarpe aromtico de Succino (mbar amarello) do Dr Danet. Descoberta interamente
recente, este novo producto se tem propagado com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 54, rua do Comercio, Paris-Grenelle, e em todas as
boticas de Franca e do eslrangeiro.
A viuva, os lillios do primeiro matrimonio
e genros do brigadeiro Gaspar de Menezes
Vaseoncelios de Drurnmond, confessam-se
muito gratos lodas as pessoas, que presta-
ram-lhes o especial obsequio de assistir s
missas e ao memento, que na igreja de Nos-
sa Senhora do Carino se celebraran) no dia o
do crreme mez, pelo eterno repouso do dito
seu mando, pai e sogro.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros ct Barbosa.
A NACIONAL
Companhia geral hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
Samuel Power Johnstoii & Compaoliia
Ruada SenzalaNova n. 4.
AGENCIA DA
Fundido deLow Moor.
Machinas a vapor de 4 e 6 cavallos.
i Moendas e meias moendas para engenho.
Taixas de ferro coado e balido para enge-
nho,
Arreios oV carro para um e dous cavallos.
Relogios de ouro patente inglez.
Arados americanos.
Machinas para desearocar algodo.
| Motores para ditos.
Machinas de costura.
CARLOS PLYM.
ua
6 6 8.
Vendem-se paimeras imprriar. em #-:a4.
de serem iransplanladas: no sitio n orado a es-
querda, depois do becej do Espinlteiro, moa Af-
flictos.
Vinho do Porto superior em rai*a de dazia,
tem para vender Antonio Luiz detilnvira A ve-
do A C, no sen escriptorio roa da Cruz a. I.
Vende-se urna ptima esera~rnora~e bw
gura : a tratar na rua da Cadeia n. W, lo^ a
relojoeiro.
TaWso IriaSoH
vendem gesso em po para e-io.ioe .v ca finos de feitlo diversos para ladriib<>. azuleijos da
diversos goslos, lijlos vilniai para parr zinha, canos de barro para esgot. cemento em
barris de 10 arrotos.
Veodem se tres ama sai nvca cm habili-
dades : a tratar naroa de ApoUo n. |H. armazna-
Vende se nm lindo mulatinno de i.ta* 4t 9
annos por OS, um negro boa por '""-$ : na
travessa do Carmo n. I.
Vende se om preto crenlo,
pateo do Terco n. 141.
bem mofo : ao
Vendem-se barris de 5* eom nwI de fot
bom : para ver c tratar na rna do Vigario a. .
AUTORISADA PELO REAL DECRETO DE 2i DE DEZEMBRO DE i859
tt
Na botica do pateo do Carmo se dir a casa
onde se dar por vendagem de bolos 100 rs. por
rada pataca.
&;icfues sobre Lisboa
Manoel Ignacio do Oliveira Si Fiibo sacara sobre
Lisboa : no largo do Carpo Sanio n. 19.
Precisase alagar urna prela que seja boa
engommadeira e cozinhe, sem vicios : na rua das
Grases o. 30, primeiro andar : paga-se bem.
Precisase de urna araa torra ou captiva : na
rua lan-i do Rosario n. 35.
Aluga-o urna mei-agua cora porta ejaella.
quinl.il, cacimba ; urna dita sem quintal, porra
com soto, preco de 12$ cada urna ; orna dita por
851OO : na rua do Gazometro, a traur com o Sr.
Valenga^____________________________________
Urna pewoa habilitada se offereoe para en-
sinar primeiras letras era algum engenho: gera
precisar dirija-se a rna de Santa Rila n. ib.
Na rua do Aragi n. 3 faz-se comida para fra
com todo aceio e perfeiciio, por preco mais eom-
modo do que cm outra parle.
Precisa-se de urna ama que tenha bom leite:
a rua de Hortas n. 130.
Ama
Precisa-se alugar una escrava que saiba bem
cosinhar e que seja liel : na rua do Queimado n.
46, loja.
Como a empreza de illuminacao a gaz tenha da-
do hcenca aos machinistas para Irabalharem por
' sua propria conta, Carlos Ploym, machinista, offe-
rece seu presumo ao publico para encaar gaz e
1 agna, e toda a sorte de serviros concernentes ao
ma Banca cin uinueiro, depositado nos cofres do estado, garante a boa da i sea otacio, por i>re(os muito rasoaveis
ministraco ria companhia.
DIRECCO GERAL
Madrid: Rna do Prado n. 19
BAMQUE1ROS DA COMPANHIA
O Banco de nespanha
liga pelo syslema mutuo todas as combinacoes de superviencia dos F((U
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Rna da Imperatriz 17
N. B. LOJA.
$y Para prova da perfeico do seu trabalho o
mesmo <-fferece ao publico o teslemunho de im-
mensas pessoas para quem jatrabalhou a mandado
da companhia do gaz.
Aviso.
R
I!
ista de Pernambuco.
la estreila do Rosario n. 3,
ao p da igreja
FRANCISCO PINTO 0Z0RI0J
Col loca denles artiflclaes !
pelos syatcina mal uto- I
demos i
Ernprega todos os meios scienlificos para 9
conservar os natnraes. Pode ser procura- 5
do em >eu gabinete das 9 horas da ma- B
nhaa as !> da tarde. fi
Esta companhia
sobre a vida.
Xella pode se lazer a subscripcao de raaneira que em nenhum caso mesmo jrr rrrilt des
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondentes a estes.
Sao to suprehendentes os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que ainda mesmo diminuindo urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
coes eco'nbmaulo.o eom a raorialidale da tabella de Depareieua que e adoptada pela companh- JSsSade ,n nh?na vil doS
para seus clculos e liquidacoes, era segurados de dade de 3 al9 annos, uraaimporsicoannaa. < v?"
de lOO produz em effectivo metlico:
No flra de o annos.......1:1194300
de 10 .......3:9425600
de 15........11:2085200
i de 20 .......30:2565000
. de 25 .......80:3315000
as idades raonores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Propeet>s e mais-infocmacoes serao prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Fiuza de Oliveira, mida Cadeia n. 52, ou a Boa-Vista ruada Imperatriz n.l2,estabel
ment dos Srs. Ilaymundo.Carlos.Leite & Irmao.
i n'um estabilecimenio demolhados (veuda) com o
j Sr. Luiz Manoel de Freitas Ribeiro, licaodo o abai-
I xo assignado exonerado de qualquer debito, c o
ex-socio Luiz Manoel com a gerencia da mesma
casa, e responsave por qaalquer debito conlrahido
no lempo da mesma exmela sociedade, segando o
' nosso papel de distrato ; e para qae nao se alegue
' ignorancia, faz-se o presente aviso. Villa do Cabo
7 de agosto de 1865.
Francisco de Souza Marlins.
Cal de iJafeoa
a granel a 15500 por urna barrica: na roa do Vi-
gario n. 19, primeiro andar.
Na fabrica de vinajfr?, rna Imperial a. I. vea-
dera-se cubos grandrs, quartoJa, e ancor -tas.
Vendem-se sacros com tahona lo boa, com 22 roas cada ama, a 3550> : a ar-
mazcm da rua do Imperador n. 83.
No armazem do paleo do Carmo. esq .ma 4a
rua de lionas n. 2, vende-se assoc r branco mmt>
alvo e secco, pro>rio para doces aV ila a* faali-
dades, em porcao e a retalh). por i'rego r-immo fc>.
A ma
Precisase de nina ama para o servico interno de nozes Vaseoncelios
urna casa de pouca faailia : a tralar na praca do
Corpo Santo n. 17.
Arrenda-se o grande sitio da Piedade, na Ta-
marineira, onde esteve o collegio da Coneeigao,
com todos os commodos, e alem disso proporgSes
para grande agriculiura : a tratar nos Coclhos,
genros do linado brigadeiro Gaspar de Me-1 em o collegio da Con-ecao
Os filhos do primeiro raatrirnonio e
Arrenda-se um sitio no Jacar,
vai para Agua-Fria, cora casa de pedra
.mmente edificada,com bastantes commodos: este
- Aluga-se urna escrava para semto interno siUo leiu arvoreilds de fruclas dc ,'das as rmalida-
mero a, terceiro andar.______________________pJQ1 Aluga-se tambera o armazem do sol na rua
Panno de algodao da Baha da fabricaTo- da Concordia, proprio para qualqaer estableci-
dos os Santoslem para vender Joaquim Jos Gon-; ment : a fallar ao solicitador Barroso que mora
calves Bellro, no seu escriptorio,
n. 17,1 andar.
rua
do Vijjar.io ; no sobrado n, 5i, onde est o dito armazem, tanto
j para este, quanto nTa o sitio mencionado.
do Drurnmond, convi-
dam c pedetn encar cidaraente a todas as
pessoas que se consideraren! credres do
estrada que | respectivo casal se firvam de apoarecer na
rua da Aurora n. 26, dentio de 15 dias con-
tados da presente data, das G as 10 horas
da inanlifia c das 4 as 6 da larde, para ve-
riQcacao dos seus crditos e ulterior accor-
do sobre os seus pagamentos, tndependente
de quesiesjudiciaes. R'Cife 8 dc agosto
de 1863.
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda mito que seja bem seguro : a tralar na pra-
ca da Independencia n. 12.
illi.
Precsase de urna pessoa que saiba coziohar
dem, para casa de pouca familia : na rua do Hos-
bicio n. 44.
Precisa-se
i de 4:000$ dndose por hypolheca valor de
i 12 conlos era bens : quera quizer dirija-se
I da Concordia n. 4.
10 ou
a rua
Para destruir ral t tralas.
Preparacao ingleza recentemente cVaad :
dse em potes de barro, na travesea la Ma4r *
Dos n. 9, armazem, a 6iOrada un, e daama
45800.
Attencfio o baratan de ob-
jectos chegados de novo:
grande sortimento.
Vendem-se dous grandes lustres >le ri'frn mmm
com 2i luzes, do raelh >r g-Mo e por jr c> r.iau-
vul; assim como apparelhos par. cha ".ara jau-
ta r, brancos e de cores IIT rentes; ditos He por-
celana d iiirado e pintad >- bnoco-i; appareflits
para jautar de pon-elana tiranta; laoir^m s *#-
dem era pecas separadas ion freau^z p-
zcrein, compoleiras lapidadas para ilore. ratiera
para vinho, ditos para champagne, roo- para afra
e para vinho linos a ordinarios, em etiti e a r*-
talho; lantern.is de to dilas de casipiiuho mgleza minio Osas ; ca l-l i-
bros Je vidro e de feraan : serp-^ntinas, vaso l
porcelana e de vidro para fl-rres; btlbas fiimmir-
guezas para resfriar agua; barricas e>m apoar
Ihos, de mesa para jamar: jr* cm apparetbmi
para cha; e oiitr >s rnuitM -o-nment..* de toda* as
qualidades e precos c-imm dos voataile do na-
pradores, que se vendem na rna da Cadeia do sle-
cifo jante ao arco da CoatM|fa a 64. e aa raa
Nova no grande annat.in le |..uca e vi-fras.
a Igreja da Conceicao do Militares a. 49.
Vende-se ama escrava pula eriouia eom ti
annos de idade, engomma, c.. nha e roe, ama
cria de um mez, urna raulalinha com 16 aaass de
idade sabendo engommar, co-er, bordar, buar m-
byriniho e marcar tndo muito bem : aa nu t
Aguas Verdes o. 27.
-t-


Diario de pcrnambuco -- Me&ta Icia 11 Je Agosto de 1&S5.
S4LSA PARRIMA DE AYEK.
Transcrevemos aqui alguns
dos muitos a (testados que temos
recetado das virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Ilheiiniatlsmo.
DE JOO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
Soffri rheumatismo pormui-
tas vezes, e vendo annunciadoj
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re.
solvi-me a comprar um frasco e fazer uso
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-
co, acne-me forte e sem sentir a mais leve
dr nos joelhos; a parte do corpo que es-
tava affeciada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Ernpcoes, borbnlhas iinstulas,
ulceras, e (odas as molestias
da pelle.
PO SB. JOO PAULA DE ABIU2U E SOI'ZA. I
Ra de S. Pedro.fijo de Janeiro.
Soffria mais de dous anuos de una
erupcao sypliilitica em todo o corpo, moss
i 110 HJGAYIf
4VIV4M
GREGORIO PAES DO AMARAL & C.
que receberam pelo ultimo paquete.
O MAflS K8C> SOrUTOIEXTO
LOJA DO BEUI FL08
Na rn- Tendo rebebido nra ntMmd'
cas de choro, que rliamara papa i e uami,
Na ra do Queimado loja da Agira Bran- com cabel'eira do cachos.
GUABMMU.
f oileiras de. marrotjurw, com casca veis
e sera eilcs.
Loja do gallo vigilante ra !o Crespo
numero 7.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel
publico um grande soriimento de galanteras e
objectos de muilo gosto que lem chegado n es tes
ltimos navios e vapores de >oa propria conla, que
por isso mesmo vender pelo menos prego que
he for possivel, como sejam :
Leos.
Os lindos lencos imperiaes para senhora cousa
inteiramente nova.
Albnrs.
Albuns moito Pnos com "pa de madreperola e
trando-se sempre com mais violencia na ca- de tartaruga rom guarnigo de prata para SO e
ra, prove muitOS medicamentos e consultei 10 retratos, assim como deoutrosmais inferiores |
muitos mdicos, e estava quasi desanimado de 20 a 50 re,ratO-
quando vi os annuncios da Salsa parrilha uixDhas riramt eS,,as tocando dnas
ao i. Ayer comecei a iazer uso o ella e peras de mostea propria para mimo, assim romo
DOS priuieiros dias a erttppo aggravou-se,.eaixinhas peepenascom mnMca tauto de veio co-
porm antes de acabar o segundo frasco ti- de dar corda,
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Vai.dks Herrera, proffa-
sob de medicina y cirirjia, sirdei.ec/do
em ambas as facfl.tades dei. sesto d1s-
t tuero.Habana.
< Certifico que he usado la zarzaparril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob- 'oa",';ara n
tenido de ella los mas felices resultados en, fleques.
les casos de ulcera crnica, asi mismo au- Riqulssimos lequesda madreperola e de sanda-
]or y las considero como um porgante, cuya lo assim como de osso.
accin ademas de ser tegura, ha sido muy i sLlvruhos.
eficaz n el iratamento de las enfermidades' R'qoissjmos livrinhos rom capa de tarta roe a
ra.*. el ra* los porgan,,,,y S-ra-^^ja-Mj. ^.os.
vacilo en recomendar eslas pri paraernes. Rjqus,mos ailerefJ, ,., sendo puiseira, ro-
Y para los fines que puedan convenir doy zetas, aiiinete e volta," assim como de cores Ungi-
la presente en Regla a 7 de setembro de do perolas.
manufacturado em
Grandes chale granadme
Bouinus
Rotondos
Treanon
Pampa dour
Wateau
pretos, brancos e de cores ; magnficos desenhos, de gosto modernissimo.
ca n. 8, vendem-se coileiras de marroquim,
pospontadas e com cascaveis, ou om eiies
proprias pata caes e outres biefainhos.
Pennas inglezasdcaco e domadas.
No novo ortimemo de'p nnas de ac que
a Agaia Brinca acaba de receber, vieran)
tambem outras Je metal dourado e bieoa
mu bem acabadas, e p >r essas boas e ne-
Tendo receido un vahado r-imifito-te
brnquedos para nniii
espingardas, pislolas, tambora : Jfos
paia luniiii.is : apparel!ile airnnfo iim
;!n;ar de porcelana e t nu-y' n;i>r
e faquiortai a SOrs. o par ; :: quern
tkicontiraaw.it tavii atois ;. tm
otra qualquer paite.
Vende-se liras bordadas de i > :.a
!>. e libalo-;, <. ,:
Vi tule-so ia pal i tal I -as
tialidades e de ci es tiara- a 7 i tora, ta>
; !l s de columnas ,'.e j.varar! a
'' !- -tnc.w:' ]]:: I :;i ::.:. i
.' ra -;. jos a navs .;,
Celberes de ...?..I prin. lp+.
Ve#e-$t c Hieres le raet I *ra
: ;i \ ditas :-.>ra
; ira u| a s i i .t
:i -c ene ntrar mapet
11.- Mimuto de Hund :-
ruado n. 63, dga de l-eij-A r.
Vestuarios.
Riqnlssimos ve-tu.irios de seda para crianzas as-
sim como tonqmnhas, sapatinhos e melasinhas de
seda.
Capeilas.
Riquissimas capailas brancas de fiares para noi-
vai, assim como meias de seda brancas.
Porta boquet.
Riqusimos porta boquetcom cabo de madre-
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto, a mo-
reantique ou grosdcnaples. Barras e laco bordados a fioco e vidrilhos, sem depende-
tem de modista para os fazer, visto trazerero o corte debuxado.
4
.S63t
"r? a
IW!
0.2 a
I!
i 860.
Dr. iosi: V. IIeriikba.
Kscrophula.
ATTESTADO DO ll.LM. SB, FRANCISCO KERRAZ
dos santos. Orno Preto.
Me acho ha quasi dous anuos affectado papal e'mamai.
de escrfulas, e tendo soffrido tanto qt-e al-,
gumas vezes quasi que chego a desrnimar
da vida e maldizcr da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos medir ta cidade, e nenhum pude vencer i tcnaci-
dade de minha molestia, eslava M.'m espe-
ranzas de recobrar a minha saude ; quando
ltimamente resolv fazer uso da 'alsa par-
rilha do Dr. Ayer. Completa n-se hoje
trila e sote diasque comecei com este
sauU' remedio, e tantas melhwas tenho se pode desejar.
sentido que tenho convieco de em breve logo para familia.
recobrar a nrnha sade, perdida ha lanto R'qolssimo jogo de vispora em cantonas de ma-
ipm-, fl,'lra envc.rnisada e pedr.is linas Druprias para en-
' '" rt-teninenio de familia.
Syphilis c molestias iiierruriacs. |*ara vla^cm.
Do Ii.i.m. Sr. Dk. JACESO!'. Riquissimos cstujoscom tudos os pertences finos
Medico muilo conhccido nos provincias do paia homem.
sul do Brasil. Fitas.
Tenho receilado a Salsa parrilha do\, R'qoissimo soriimento de litas de todas as qua
lidades e lindos gosios.
a
Brincos.
Rqoissimos brincos e rosetas de tocias as qaalt-
dades e goslos moderaos.
Roneras.
Riqiisim- bonecas de porcelana e de massa e
de cera, as>m como os que fallan) chamando por
Pentes.
Riqusimos pentes de tartaruga para seohora,
assirn corno para menina e de nimias outras qua-
lidades.
Knfeitespara e\mn de mesa.
lliquissimos enfeites para cima de mesa e para
toillet.
Firelas e sintos.
Riquissimas firelas de madreperula e de melal,
assim como bonitos sinlos.
Flores.
Riquissimo sortimenlo de llores o mais fino que
Glac-r'Val.ern pecas com listras de seda primoramente bordadas ou matisadas,
fazenda inteiramente nova de bonito elfeito, para partidas, soirs, thealros, passeos, etc.
IIOUB1.EN CAPAS
e SOBRETUDOS de panno mesclado (impermiavel) vindo no ultimo vapor
De um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRAVATAS, MANTAS
decores, muilo bonitos padres a 500 r'S.
B0NETS de pa ha ricamente eufeilados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFE.TES
rostumes d fuslo enfeitados para criancas
E innmeros objectos de modas recebidos directamente por todos os paquetes e
escolhidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa,
FAZEND.IS PARA HOjHI<:H.
Casimiras modernas de quadros, panno pretos e de todas as cores, brins, sobre-
casacas, palitos, calcas, coletes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
cessarias qualidadcs os seus arredilados fa-
bricantes Perry d C, as recoa mendarn a s
entendedores apreciadores do bom, vale;- nii.s para st-nbura Ixirdailos -
do mesmo a dillerenta que ha no prego tle rinda o Ihs, os mais muUeni r
urnas para outras, porque estas setoinam poden encontrar.
mais dorareis na cuniiouacSo de escrever;
assim poisquem dellas se quizer utilisar
compra-las a dinheiro a vista : na na do
Queimado loja da Agida Branca o. 8.
Franjas com borlas c sem ellas [ cortinados.
A Agua Branca recebeu um bello s't l-
menlo de franjas com borlas e sem ellas
I para cortinados, lodas de novos e benitos
, desenhos, cuja commodidade do proco et
. em relacao a largura : acliam-sa ellas a ven-
da na ra do (Jueiroado ioja da .' guia B: ..i,-
ca n. 8.
Jogo (la paciencia o cwrto-t eitreteti*
meato.
Na roa do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acham-se a venia por precoz -
zoaviis, caixinbas com tabolas de mde
que das diversas pinturas dellas se forms;n
agradaveis vistas e paisfgens, segando os
desenhos que acompanham. Na vetdade
esse um deleitavel en reterrmento real o
qual se despe la a curiosidade, e apura .i ia-
telhgencia. Os apreciado! es dtrijam-se
ra do Queimado, a dila loja da Aguia Brau-
ca n. 8, que seta) satisfeitos.
I a Hieres n ta raines.
A loja da Aguia Branca, na ma do Quei-
mado n. 8, recebeu novo soriimento de !a-
Ihere.' para meninos.
Bello sonimeuto de lita lina.
A Aguia Branca, na ra doQueimad n.
8, receben novamento om bello soriimento
de laa lina, de bonitas e agradaveis exc,
entre as quaes so acham aguaias <.ie ie
nao enconlram
que muitas ve
differenles m
ipiam as ha!
ja se sabe que
portador se d
Cucimado; 1 j
Bonitos:
SS tr v.-z s 1 =.-=
lllsallflll
*#
! [t
ara
j
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados; e o melliOi alteran-
te que conheQo.
i.eiicorrlia e flores bramcas.
Temos cartas em que nos contara casos
inveterados que foram radicalmente curados
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
Franja-
RtqrjISMma franja de seda de moito lindos pa-
drees lanto de cores como prelos, as>im como de
borlla c sem ella propria para cortinado.
Trancas.
Riquissimas trancas de seda preta e de cores as-
sim como de algodao e de laa.
Perfumarlas.
Grande soriimento de perfumaras de todas as
qnalidades e dos melhores autores al o presente
O esiwco nao nos permitte trauscrever cuehecido e muiosoutios objectos que se tornara
todos OS attestados que possuimos tas vir- enfadonho mencionar, i?to c s no vigilante roa
tudes d'este extracto composto ue Salsa _fp0B';* _______________
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao Rivtl atti aminrin
publico que tem sido empregado ba mais J S,eD1 ^^^ ,
de vintannos pela prolissao med^ a tanto ftua do Qiniado BS. 49 e o5, bja tle
das Amei icas como da Europa, seui nunca; BltUS de tres portas, est quei-
desmontir a sua alta reputar;. manilo tudo liotu e baral, quem qi-
, ~, zep Wf c admirar venliain loja do
Para a cura radical de escrofalas e iffeccoes. Bi^eiltulio
escrofulos, syphilis e molestas sypbi-, Cais e ; sem
liticas, ulceras, fendas, chagas, a 600 rs.
eropces cutneas e todo -e Crozas defeotes de louca prateados fazenda mo-
qualquer incomrcodo qoe i derna-a 160 rs.
nmv.'m H'nm p!adi' Duzias de enna de ajo fazenda boa a 40 rs.
provem dum estae pecasdelrari!.a de fia lisas e oe lodas ^^n
impuro de sangue,: 40 rs.
inMi m A Escovas finissimas para limpar denles ai'iOe
SALSA PAKRILUA K AVE O. MB rs.
i' rumh na ivn iiiiiito no i 9fi o 745- '' ulce|ras e contas pera senboras a oOO rs.
, ". I ?' **? ^ cs estrellas -com 10 varas a
ra a Quitanda n. 51 ; praca da Consti- 320 rs.
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40. E na- Caixas com eolebetea francezes, f-uperioree principaes pharmacas e drogaras do im- ;_.d,at!esaJ)/s- irux
Tinleiros le barro, co:n superior huta a lOOrs.
peno.
Vende-se em Pernambuco:
na
cordo pura vestidos, fazeuda boa a
lino-:, para vokarete a 200 e
i
1
PHARMACIE FRANCAISE
deP.MAURER&C^i
RA NOVA IT
&
Um livro novo
Repertorio 4a const'tfiico do
imperio e l acto ; ddieional.
Jom a cita^o das leis. decretos e .avisos, relativos
a.; prineipae? di-posicees da mesma constiluicao
OHCANHiiDO PELO
Dr. J. I. Machado i'tiflella.
Aatilidade de obra- desie genero buje reco-
uheoiv'o geralmenU". A 'fa^ilidade cin ijue pela
ordena alphabetiea encontrase de proimpto qual-
laico fiWiii dan lels respectvas, torna muito re-
Srs.
Pegas de
20 rs.
Baralhos cuito
I 240 rs.
I Frascos coen agua de ^Florida a l$ e
Frascos cora superiores banhas a 300 rs. e
Frascos coa bantia, porm peaueuos a 200;e
! 240 rs.
iLatas corn SKperior batba a 200 rs.
Frascos de .macaca per la muito liso a 200 .rs.
'Frascos e garrafinhae com agua de Colenia a
I 00 rs.
Frascos granees com-saperior agua de Colonia a
: 640 rs.
Frascos com superior oleo de babosa a 400 e
500 rs.
Caiir.s cora 12 Irascos>Ce cheiros muito unos a
.1*400.
Sabonetes pequeoos de W!a a 240 rs. e araudes a
320 n.
Onzia de sabonete pequeos com cheiro aOO rs.
Agua deotiee sn Caixas oara soperior p de arroz a 800 rs.
Frascos ie superiores essencias santal e OOlKM a
I52OO.
Frascos com essenclas rara tirar noduas de roupa
a.SOOrs.
Grande armazem de tintas.
. RA 00 IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os maisempregados
e usados na|>harmacia,pnUira, photOf(raphia, tin-
turara, p\ rotechiniatfogos de artificio) e em outras
industrias.
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdroganas de Pars, Lon-
dres, llamburgo, Anvers e Lisboa, pode olereceer
productos de plena confianca e satisfazer qualquer
encommenda a grosso trat e a retalho, porpreeoc
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promptldao qualquer (iedldo de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
A loja delouca da ra do Cr-^io n. 16 tem para nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
vender quanttade de azulejos de lindas e variadas e que se enconlram no mercado em latas fechadas
cores, assim como loncas de todas as qualidades, Tem grande COtleeoSo de vidros de dilTerente-
de bonitas pinturas e gosto nrcderno, ricos appare-, formatos, desde urna oitava al dezeseis on?as de
Ihos de porcelanas brancas duuradus e decores, rapacidad* de vidros para vidragas e diamantes
ava tudo.
Francez barrica SI0O0
Portland dem 8500
Em perfeito estado:
Francez barrica 105000
Portland dem 12^000
N'o armazem de Tasso frmaos caes do'Apotlo.
L UCAS, VIMW8E
51,
f
I
i
i
al

l
e
s

e
I
o
3
o.
o
2
I
a.
o
nllfc
-c9
ja
c
<
Q.
1
I
s
lili S s.
si**-*-
vidros de todas as iiualidades, inclssive liniss-raio
chrystal, dilicados jarros de chrystal e porcelana
para flores, (guras e outros muitos objectos de fl-
nissima porcelana denominada biscuito para en-
feites de mesas, etc., guarnieoes de finissima por-
celana branca douradas e de coks para lavatorios
e tateles, ado do meitwr gosio. pinhas de louca e
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para
para corta-Ios; de pinces para fingir madeira com
propnVdade e outros; de papis dourados e pra-
teados e folhas de gelatina para ornamento; de
papel grde c pequeo formato de vanas cores
para cmlirulho, para forro de casa, para desenho
com luii'Jo j;i feito;de papel albuminadoe Brisiol,
verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
e outros ; vernizes de essencia para quadros, de
gaz, globos e chamineisde vidro, bocraes -c todos espirito para madeira, copal para o interior e ex
os mais sobrecelentes para os mesmos, gaz liquido
de superior qualidade, e muilos outros artigos que
seria enfadonho mencionar, tado por precos mui-
issimos raioaveis.
teiior; oleo graxo, oleo seccativo, oleo de liohaca
clarificado, oleo de toicle, secativo de Harlim, ouro
verdadeiro em p ; prata, ouro, e estanlio em fo
Ibas de varias cores; tintas vegetaes, inoffensi-
vas pretorias para conteitarlas ; ta de cores, e
olhos de vidros para imagetis; tintas em tubos e
telas para retratos ; tintas em pastis e em p pa-
JLa fina para bordar.
Na laja de miudezas ra do Queimado
o. 16, vende-se laa fina, de vivas eagrada-ira aquarella; essencia de rosa superfina, de ne ,
veis cores, to propria $ara bordados comoMy.Mm'm,t)er|tatnota,apiea, paiohouly, mbar, Qneimad-, loja da Aguia Branca n. 8.
nara oiiniiinhat sannin Ptc nnom bo"'let,limao, alcaraiva, melissa, ortelaa pimenta, v.----------1_J--------.....
para ouqumnas, sapadmbos, etc. quem| |0DrO)Mreja( alfazema, juinpero, Portugal, lima,
pretender e dingir-se a dita loja na ra do aoisdatussia, canda, cravo e muitos outros ob-
|iialquer outra parte, e
s5o necess r as para os
'os que com costo prin-
'fessionaes; 'assim pois
1 cessa urna ^ez que o
com dinheiro ra do
1 Aguia Branca n. 8.
!sites para suben s.
A Aguia Branca acaba de receber u no-
vo e lindo s.'t'iimeno de enteiles ts mais
modernos e gostos inteiramente agradaveis,
e como seu louvavel costume os osla ven-
dendu baratanicnte a quem com dinheiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Metas de lia para sciiheras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na loa da Aguia Branca ac!ia-se a venda
o papel com compo-ico para dar fin as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeilo eflkaz : molha-se o papel e deixa se
fle-r n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entristecen) e morrem. Gusta cada (n-
Iha 40 ris: na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Meias pretas de seda para sent- ras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a per-
Cao de meias prelas de seda para senhoras,
o apesar do muilo maior pre.o que ILc cus-
laram e o hom estado em que anida esto,
comtudo est resolvida a vende-las a 5' 0
ris o par, afim de que ningucm mais calce
meias pretas de algodao, agir pois apro-
veitarem a qualra e diiigirem- e ra do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8. Tam
bem vender as brancas a 1)5 o par, e des-
tas o nico defeito estarem um pouco tri-
gueiras,
Diversos lirinqucdose enlrtleuimento
para criancas.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquedos para crian-
Cas, sendo estadas de ferro, liaras e patos
elctricos, apparelhos d^ metal, louca pinta-
da e porcelana dourada para almoc" e jau-
tar e muitos outros brinquedos de madeira,
que se vendem baratamente : na ra do
cosmos
DEPURATIVOS
BoD-SERVAD!. fcPirii.
I hnrmactutico dt I* das*, tx
imlento dos hospitaes. premimt
n.m m iiitttalhu 4 rtmze.
jectos ^ue s com a neta poderao ser mostrados.
Joo Pedro das Nev,
Gerente.
S?eo 03 sr^ ?* 2 5 S 3
a5-a^g.ifs-gi
~ -
g O. ai v.
3 B "(t 2.

Queimado n I C>.
Franjea* largas para eor^iaiados
Na lija de miudezas ra do Queimado
n. 16, encontrarao os pretendentes um va-
riado soriimento de bonitas franjas largas
para cortinados, coberlas, toalhas, ote cu-
jos pregos nao desagradarlo ao comprador
que alten ier a largura e qtia'idade Penuas donradae.
A toja de miudezas -ra do Queimado [ g- a
n. 16, nceben essas novteaimaa peonas de;**og:=,o3*-g-g,5i=3-i?
1?
g
3 -.S"& VJ 2 3 | $ 3 -
^
commendavel e^te repertorio aos Srs. todantes
e direito, funccionarios piiblkos e a ealquer ci- i vrg* c neiros ie lodos os pregos a 160,200,
daoao I -" e 32*'-
Acaba A*, chegar do lito de ianetro onde fui Pe* bonitos com cheiros finos a 500 rs.
m-esso e acha-se a venda na livrarla ecoomica m}l%}e raeias muit* ,lnas para 'eDhor a
efr..ote d<3drco de Santo Antonio. Preco 23. ',***' .
------- -------- Gollinbas muito finas para seohora a 200 rs.
Ye.He-r dade utf*ra Berengcr, cetn a fren- Lflfc ^^ de metal ^ M a 800 r>
le |KiU a fita da rliirenlllia, Conten- Dita dila dito para sopa, fazenda boa a 1C00.
do 18 mora4as de casas, alm de 4 m Pe?R,daral1 s!'ara debrum de l',d0, cm
prilHipiOCHHe Mi p'le Ver e, Ciaminar, Ditas de bieo superiores, para aeabar a 600 e
formando y ma raano cendo que vai | p^/Se io-sa para meninos a eors.
''(' ao ilOVO t"v>es ( apiilliiie reIldendO Oixas de lamparinas para 3 mezes a 50 rs.
4:800.s annualmeute, achandose ledas i S5TJ5a5S t^Zwlw* oot,
eCCUpadS. 08 pretenf entes dirijam- Capachos compridos, boa fazenda a 500 rs.
se>e eset iptone dejuillierme daSil-|Gr!0,ebo,5M peluenos Pretos Para ca,*aa
va p r i meif andar.____________
Attenco.
n. 64 Frascos com superior agua de Ho'onia a 120.
| varas de cordao de espartilho a 20 rs.
_______i Noveiioc francezes com 20 jardas a 40 rs.
Pegas de tiras bordadas a 640.
dem com recortes a 13500, 13800, 1& e 25500.
Vende-se a loja de miudezas n. 70 da ra Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
r_.uJ.oi.ia ,'ntn nmur, fiin.n i fpitr Uuzas de meias cruas muilo fortes esoperl
da tnpent-iz com pouco fundo
na mesma loja.
a tratar
Semeates.
Vendem-se sementes de birtalijas muito novas:
ra da Cadeia n. 50.
.upenores a
33500.
Ite.-mas de papel de peso pautado a 2800 e 43500
Vende-se 40 palmos de terreno na ra da
Concordia : a tratar na roa do Alecrim n tO, das
3 horas as B nos dias otis.
metal duurado, cuja excettente qualidade e
perfeicao dos bicos as tornara mais durado-
ras no exeroicio da escripia, pelo que os
seus acreditados fabricantes Perry & C, as
recr-mmendam ros apreciadores do bom.
Tambem se encontrara outras pennas de
ac de differentes .ualidades fabricantes tudo na ra do Queimado lo-
ja de miudezas-r. 16.
Enfrites ovos e bonitas.
A loja re miudezas ra do Queimado o.
16, receben novos e bonitos enfeites, obra
moderna e d gosto, e os est v. ndendo por
precos coratnodos, variando estes a vista
das differentes qualidades, sempre agrada-
veis aos apreciadores do bom.
Helas brancas ci*nas e de cOres
para erlaneas le a 19 mezes
Na ra do Queimado, loja de miudezas n.
16, vendem- e por precos razoaveis avista
das qualidades, meias brancas cruas e de
cores para criancas; assim como outras
para senhoras, e cruas para homerfc.
Papel pardo follaa grande.
Esse papel pardo que por sua boa quali-
dade e grande tamanho da folha, serve bem
para embrnlhar cortes de fazendas, corlar
moldes de vesiidos, etc. : acha-se a venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Barato para acabar.
Caixinbas com 4 papis de agulhas fr.mce-
zas, limpas a tfiO ris cada urna
Paos de p madafranceza, a 80 ris um.
Duzias de sabonelesdechero a t# e i 200
a duzia.
Carios de li has brancas e de cores, a 20
ris cada rm.
i-
2. 5" % o g -
*sa .i-e SlSJft
3 c -a a.-3
J^ p o S. M
S. O CD
O
Jmi
ir.
2 a'S o fi9
00 a= <
sBS ti
3 ~f
f ? i
3
^ 3 o
? 1 *
S
O
b
t
o
s
&3 ~
ci.
o?
a;
M

a.
o
lr
Ba
2.
a
CA
O
>
o
eX
>
Desde muito lempo fke*
li.milniuMi o li- das preparacwi
inliliiladas depurativas ci.ui.eri'U*
-ol o nr.ine i!o Arrobe, Xarope
'.e Salsaparrilha conipostes, rte
<*i jCiija areno, maior parte tas vesesl
Il milla,"e n lisuras caso perigosa
Os Omfciti u:.i t. i tno iuio t-ricrol
E O CUSTO ,r.RADIUMS I COITOi SOO
PI.QCCMO (OLl' IlSTlCI5m> AtTI-
l 1> Qt'E O SCO KOBO K HIMUCM
l O iirci'^so mu* f rvitOH iilillverao o ni Fra-|
V sob o patrocinio da priaripj
ci'lelii iila.lc medicas, o* poe cima
de ludo quanlo lem c\>IhI ata*
hoje.
Cura rpida sem o aateo
de nenh'im outro remedio t
Ionio, das escrophulas ,
herpes, affeccoes syphi-
liticas hypertrophin
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
todas as molestias produziJi-
pcla alterncao do sangue ; tal
o resultado que queriamn-
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Urna expUca^ao
idro.
DesconCar-K, da- &!eiieaOtl 'm
tacos.
Para ai encomtndiu iriir-*r m
Sum. amaso bt a'; ts, *' P-im.t
EugiMI, Puri.
A
IZGlIl-NiLlltDOS
Pharol do commereio
Ra do Rangel ii. 73.
O proprietario deste esiabelecimento tem a bon>
ra de avisar aos seus freguezes que fez urna gran-
de reduejao nos pregos de seus generes de primei-
ra qualidade : mann-igajigleza 1> e I"-80 rs. a
libra da ultima chegada franceza a 900 rs. e em barril se faz abatement-,
queijiis flamengos novos a 2300, dito prato o que
se pode desejar em bundade a SOO rs. a libra,
aroeizas franeczas caixinhas a I200, IJiSOO e
I800, frascos de ditas 15400,grandes improprios
para mimos, marmelaila das mrlhores marcas
640 rs. a libra, aniciidoas eonfeitadas para sorles
de S. Joao a 640 rs., vinho do Porto i 640 e 720 rs
garrafa, Fipueira e Lisboa 400, 440 e ."00 rs., e |
! era caada se faz o abafimento, caixas de batatas
j com 2 arroban por 3<'MK) e a libra 80 rs. novas.
j caf i' sorte 75800 e 75200 e a libra a 240 e 26
bolachinha ngleta a 2(0 rs. a libra, touciulio c"e
Lisboa a 360 re. a libra, velas de carnauba a 400
rs., ditas estearinas linas a 600 rs., pregunte portn-
gaez a 600 rs., alpista a 3300 a arroba e 120 rs
a libra, painco a 5 a dita e UO rs. a dita, cha fi-
no a iiSQO, 25700 e 25800, frurias Pm r.Tda ;
640 lata, gomiM a 100 rs. a libra e 25C0 a ar-
roba, bolltnhos inglezes lata de 2 libras a 15350.
dilos de soda grandes 25000 e outros mais gene
ros qne se torna enfadonho mencion?r. Oproprie
Tasso IrmAos
Vendem no seu armazem raa do
Amoiim n. 35,
Licor fino Curago em botijas e meias botijas.
Licores Unos sonidos em garrafas com rolhas de
vidro e em lindos frascos.
Vinhos(Jheres.
Santernes.
Chambertin.
Hermitage.
Dorgonhe.
Champagne.
Moscatel.
Reino.
Bordeaux.
Cognac.
Od Ton.
AzeitePlagniol.
?r^"
XAROPE
deLABELONYE
Bm|ircgiitu coa iatariavel saceos* -.| .1
pelo Mdicos de lodos os paties coulra u i...w
rfsnicat on nto orfanicas do corar, as der m
dropisias e a maior parta das alosnas da peilo c
bronchios (piuumtnii, cmUrrkm aaJawaarss. ai
M/taaaacdt nerrotai dosbronchim, ciRjiiliiin.es-
0 itnsit de i.abii.onvb ais sa tcbJ* s- _* a
Krafas com rotulas de cor e fechada* casa aasa raa*a
ando a 6rma rio inventor.
aa r.tnia. raa BaVJaSaaaj vllarawav, l
Deposito ri rai M 'errn 11 : n
rrnzp.22 em casa de Crrs 6 Xurt ..
Ac'ra-so
i feoda ra Imaria rea ata r.
dor; na do r. Si gci Ir-, j&Ma a mrt
Antonio: na ty|Ofr[Jtia n>i>.ri-ii. asi -*-
ireita do Huarl i a c pilarj td I b
li-ndeni.- r.dnnnisli^-n, ?.' ^.rr. ra.!.:. il
sag.io dos dinh-Ts de otji ;! .' m
tea, hcran?as Jaecnles, tftpm, ttr^ riailii .
s o regimenro de rusta i a lei peral I
c5es, como tamlcm t-.das a afStl i ,..<#
tario espera a concurreucia do respeitavel inblico. bWWB, qu. a_ ludo t.-rr. i tjiHrj i i. i
garaulindoa cxaclidao do que tratar. i ** ** *lpfOr IkSrrebl ...
------ ---------- les empreadi>< de iostira ,: ra?i u?. r - Venfe-fe nma armacao de urna taberna com reitos nacionaes e eesolafl -
poucos fundos, propria para nm principiaos, iU E l 7i
na ra da Iniperainz n 45 : a iratar ns ra da ; imprmo e I. m ik.ih-1, ... ,
de difiiTi-ntes riasars, i ririnaasi i su
Sea cusi IO|00 pnr ia tum m
tomos.
Craz, casa de Antonio Lopes Braga & C.
Vendem-se
machinas americanas de serrote para dtsc.aroe.ai
algodao : na ra da Senzala Aova n. 42.
Atteneo.
Vende-te o deposito da roa Nova n. 6', bcn.
afregnezado e bem sonido : a tratar na rna do Li-
vramento n. 34.
I. uvas de peale*.
Receben pelo ultimo vapor lindas uvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras : s
quem recebeu foi o beija-flor, ua raa do aeimad.'
numero 63.
T- h s tio 'orlo
lis mella res ir.sra,en nuistai i1- ur,
I de pariafas jara taa jarticul .re, srsv I
| mas .i D uro. .,-., ; p, : i, M
lem anerretas (!) litrtMmtWf.
vii.bo, barr* r!.- 5 e 0- w ..:. a ai rn:. a V^
ario n. 10, prinu-irn anda;
Vende-se En rochetti na un cu *; ".
con 3 carros e I i ratsll s, m nku a-.-r?-^,
ein bom estada \ r .: coB.aaa'i : a
loe quizer dirija se a n;-:-a case, actaxa
;com quem tratar.
_ **


Diarlo ie fernambuco esta lelra 11 de Agosto de !(
GEN ROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
ARMAZENS DE
DE
HOLIhDOS
AURORA BRILHANTE
pateo do Carmo n. 9 armazein Progresivo ra do Qucim;tdo d. 71 2
Otilo e Gommerci ra do Imperador u. 40, p?
m& Principal armazem de raolhados. J
OS PROPllIJGTARIOS.
Fazcm sciente ao respeitavel publico, e com espeeialidade aos senhores de en-
(renhos, hvradores e mais pessoas do centro, que para raais facilitar suas compras deli-
beraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo; os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o prego de um ser de lodos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, annunciar os ge leros
por um proco, e na occasiao da compra quererem por outro, como socede constante-
mente em outras muitas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
ainda mesmo com prejuizo nosso, qtnlquer pessoa poder mandar seus fmulos que
sero tam em servidos como viessem pessoalraente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em carias feixaJas; para evitar qualqucr engaos, remetiendo nos urna conta
pela qual se ver os pregas tal qual annuociarmos, o que senao arrepender pessoa
alguma que fuer saa despenca em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sita despeza diaria.
Manteiga ingleza perfeitamente flrtbegada dem com 4 a 5 ditas a 3#200.
ltimamente no vapor Saladim. de 1$ dem vasios de lodosos tamanbos a2->000,
a 10120 a libra e em barril terabaii- i!5OO,800 eiO rs.
mt:10- Queijos d $:JOO a 25O0 os mais frescos.
Mea .raneea rau:to nova a !# a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 280 a garrafa el
em barril tora abatimeto 2.3000 a caada.
Banin de porco refinada a 610 a libra, e em dem mais baixo a 20!) rs. a garrafa e 1,5100
barril lera abatimeto. a caada.
Coa tuim de superior qualidade a ^jtOOO. Azeite doce de Lisboa muito Qno a 600 rs.' *
dem perilla miudinho a 20700 a garrafa e 40600 a caada, | -
dem hysson especia! qualidade de 20500 a Toucinho de Lisboa novo e muito alto a 400 i
20(300 a libra. | a libra, e em barril de 5 arrobas a '
dem preto imiiio especial a 20000 e 20400 100300 a arroba. 1
a 1*". iCerveja Bass do fabricante Slilers & Bell a1 s
dem do Rio em latas de 40000 e a 800 a, 60300 a duzia e 640 a garrafa. I
W>M- dem Bass do fabricante T. F. Asbe a 60000'. \
co a biscouto de todas as quadades a duzia e oGO a garrafa.
dem marca II Victoria Alsope e outras: i
muitas marcas a 30 a duzia e 300 rs. a!
garrafa.
Sabao primeira qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segunda qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
Sabo ingle/, superior a ISO rs. a libra e
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorta a 7-5000,
7,5300 e 80 a arroba, e de 240 a 280 rs.
a libra.
Arroz do MaranhSo 3.3203 a arroba e 100
rs. a libra.
fiavws ABJzfivs
.10 L HA
% La''go da Santal*
r^Cruz n. 84,
juina da ra doy
cs-m
1 IgSebo.
Largo da Santal ${
84, es-Wi'
1
Cruz n.
_ S ESPECIAES |t! "" FUa ff
35 4i *kt 'ai :Z iv **'* f ~r.
roraBrilhaQte,rKoaHnauTa1fl,t^Uito*eredi!ado "mazera de molhados denominado Au- ?*'J
DE
A sogolnieab^slnrfra* ?ff sr}'mem de gneros de primeira qualidade.
Neohum arjntediA voJX-...._ d,0.debasePa ajuste de cenias aos portadores.
pelo grande sortimenlo ane ip? .5a bara, e raelnores do que a Aurora Brilliante, ja'
ero quantochegue para'acrnZkt mes!rao ,l0r',ue seu dono s deseJ tirar "ntanlo la- Cfjg
proveiur, o prsprtetario ha a ?, '-f/P?; do estabelecimenb. por isso deixe se a- Hg
u-io ha de fazer toda a diligencia, am de servir bem os seus cons- V
tanies fre?nezes.
L?a8lit'raSdeChouri5asu'onom,
Ditas com amellas a ao, 13800 e 33300
a l^OO.
dem da croditaa fabrica de Bialo Antonio
(Lisboa) proprias para da; a doentes a
. ; 3 a lata.
bala u'leza muito nova a 3.3900 a bar-
i e a 2J0 rs. a libra.
C ::i olaxinba-.de oda e ovni a -2$.
i j i iglez par tiangue cliegado no
i.":no vapor a 8J rs. a libra.]
icdS o patos maito novos a '990 rs.
i a.
:om macarrao uiljajrim mallo novo a
10 e 320 a libra,
a branca o amarella a 503 a libra.
C ;; date nortuguez 3e especial qualidade a
S-.0 a libra.
: uissode 80Oa 1,5000 a libra.
I ., spanhol rerdaSeiro a 190'JO a libra
que j.i vendamos a I1400.
Dot: da casca de g
^e23.5atCOraadre'novos''a^0.
|D,jMjojn bolachinha de soda muito novas, a
MaaCai0r0;!alllarani e a,etria amar* a litjra
Dito dito dit, branea, a libra a 400 rs
fGasSSa^X1lSa',)eVd<'t0UtraS-S-
Ditas dita em libras a 640 rs.
Lagu, a libra a 300 r<
'!eraidh'nha Para s6pa a li,jra- a 240 rs.
t-mibas seccas, a libra a 160 rs.
uuas descascadas, a libra a 200 rs
>tapioca muito nova, a libra a 280 rs
I Fagjj0ha< de araruta verdadeira, a'
'A*2Lm Mpranh^. emsacco.
a*400 e a libra a 80 rs.
Viaho verde superior.
A caada a 33000 e a parrafa a 400 rs.
(omina.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
ensommar, a arroba a 3-3000 e a libra
120 rs. A
Sabao massa, a libra a 200, 240 e 280 rs. :rJ5
Farinha. ?*,,
Saccasgrandes com farinha de Goianna mui- aS)
to aova, a o000. ^
Caf.
Caf do Rio muito superior, a arroba a 83, W
83500 e 93000.
Cha. gg
Ch,teraos nesles gneros o ni lhor possivel/si^f
hyson, a libra a 23600. ~V
Dito perola a 35000. .'-.
iio uxim a 23700. H
Dito hyson muito lino a 23S00. "jJ
Dito redondo a 23500.
Dito preto de primeira qoalidade a 23C00. 4,
Dito mais baixo a 25000 e 15600. V
Erva mate. r^fS
Excellente cha medicinal, a libra a 210 rs.
Espermacete.
O masso com 6 vellas de espermacete a 600, '>, |
6i0e720rs. :
Passas. S
Gaixas de lfi e 8 libras de passas novas pro-
prias para mimos a i-3 e 25500.
Noms. r/fi
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 43000.
I,bra a All,isla c P*iv<>- "'
Alpista e paingo, a arroba 43000 e a libra rfo
a arroba a | 160 rs. M
Cartas.
AZEVEDO FLORES
Ra da fiadeia do Hecife, esqaisa d.i Midre de Dea*.
l6i:s
Os ricos bales de arcos de 3f), 45 e 5
BalGes de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 2 e 2o0&.
Baloes de panno para meninas a 3 Chapeos de soi.
Os afamados ebem conhecidos cliapos deso com 12 asteas a 85
Ditos maiores com 16 asteas a 125.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes co n ricas eslampas para sof
C hilas
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras linas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 250O.
Camisas com peito de cor,' e todas brancas a 15800.
Ha muitas outras quadades com peito de esguio.
C'asemiras.
As modernas casemiras de quadros, chegaram.
ISoiipa eita.
Ha completo sorlimento de casemiras, de brim branco e de cOres
Colleirinhos.
Chegou nova remessa decolleirinlms de papel de cores e bran-os
Tambera lia completo sorlimento dos de esguio.
Calcas.
Caigas de superior brim pardo a 25500.
cambraia braoca.
Superiores cambraias brancas a 55 c "5 a pera.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Laas.
- Las de bonitas cores a 480 rs. ao covado.
dem para luto a 5G0 rs, ao covado.
A QUEM NOS LEU
lodas as semanas reformamos o nosso annuncio, annuncian lo ao vablka imt
todas e novos precos e nao como muitas pessoas rap.e serapre ser a m?m^
meta libras segur, a 1^800,
dem da India a 25'WO, 25800 e 100 rs. a
libra.
Cbarutos Normas de Havana a 55500 a cai-
xa, de Simas (Jos Furtado).
piaba era caixes de 4 e dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
700 rs. e de IJem Delicias a 15500.
Dlbra afc ,***' a arr0ba a 3,Ji00 8'a', iCartas flnas Pa" MW. duzia a 25300.
dem em candes penenos a
;| tara cima a 610.
Ide a secco em h .miente enfeitadas,
contendo pera, paa go, ameixa, rainlia.
itras frnl a 35000 cada urna.
. im calda em Utas feixadas hermetica-
mui'o .. enfeitadas, contendo.
p "a, pesego, ameixas e outras frutas a
. i e 700 a lata, tamben) temos lata.-,
. les a 15200.
.. fabricantes, emla-
le 2 1000 a 152 K).
dem e-n Utas de 1 1|2libra a 15.
i 'ala? do I libra a 040 rs.
Ei tas em latas chegadas ueste ultimo va-
por a 700 e de 5o para cima a (340 rs.
51 vil,' oh carra'pao em latas j pre-
parado a (i 40 rs.
Araeixa em frascos de vidro a 15500.
IJ-im m caixinhas ricamente enfeitadas de
l3WOa9S800.
ras Mexide miito novas a 700 rs. o
frasco.
I:d de cebo-las si.nples a 700 rs.
Si Ib iugbz a 640 rs. o Irasco cora rollia
ro,
: em ; a 70 rs. o frasco.
i j prepi rada a 320 rs
La com massa de tomate de 1 libra a
rs.
i o latas de 1 l\> libra a 900 rs.
em garrafas viudos do Porto, Madei-
Idera Traviata do Rio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35500 e 15^00 a meia caixa.
dem suspiros do ateslo rubricante a 15vJ0
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem mece:ipes a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do mesmo fabricante,
dem Orientaei do mesmo a 15800 a meia
caixa e 35400 a caixa.
dem jovens de Gastanho & Filbo a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 103OD a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 5?
a caixa de urna arroba hespanbola e 3i0
a libra.
Vermute bebida para abrir a disposicao de
comer a 13500 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpista muito novo a 35800 arroba e 140!
a libra.
Painco a 15000 arroba e 140 a libra.
Peixc em latas j preparado a 15200 a lata
e em porcao 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo paralimpar facas a IGO rs.
Csparmacete a O a libra e era caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba |
e 300 a 440 rs a libra.
bra a 100 rs.
PToncijhodj Lisboa a W00 a arroba e a 3i0 Castanha5
I
s novas vindas oeste vapor,
ba 4J000 e a titira a 200 rs.
Azeitonas.
i Barris com azeitonas tovas a l^SOO
bileiga.
i Manteiga superior, a libra a 13230.
Cm m05tarda preparada em vinagre. Hita mais abaixo a 13-200.
Dita menos superior a 15.
e fraacezas, a Hita francesa nova, a libra a 880
arro-
UGHINltausri
!D260ersSaQtS' 3 arrLa 7m e "bra a
.Mollioscom I2o ceblas grandes, a 1*280
75000a ffanceza' caisa com duzias.
libra
a 400 rs.
Dfgfioin conservas inglesas
640 e 800 rs. |a iila em barris e me05 ditos a
D ios com sal r-Iinado fino, a 640 e a 500 rs. 830 rs.
lj'oo" Vdrdadira 8nebra de laracja, a Dita para tempero a 400 rs.
D640.a tr.ibnliiar a mo par
descargar aigodo
FABRICADAS
Por Plan Brothers & C8
0LDA3
ra S 'i. Duqae do Porto, Duque Semi-i Azeitonas de Lisboa muito novas era anco-
i ava as, .Mara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Vello Secco, Lagrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras muitas marcas
a 1 > a garrafa e 95 a 15 a duzia.
i PalmeUa a 15 a garrafa e 115000 a
dusia.
Q em pipa de lodas as marcas Porto,
. gn ira e Lisboa a 400 e 500 rs. a gar-
i tfcie ^-5800a35->OOacanada.
a a-n:oretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a2i5a
reta,
dem branco especial qualidade proprio para
retas grandes a 15800 e a 40.J rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a i
800,ea40rs. a libra.
Gomma empaneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Fariuda do Maranhio mnito alva e nova a'
240 a libra.
t Botijas cora dita propria para negocio, a
B< 4U0 rs.
pGarrafoes com 2 gatiles com dita, a 63.
BServeja boa marca, a 500 rs. a garrafa, e a
g duzia a 6-000.
PVinho moscatel de Sctubal, a garrafa a IJ.
bHarraaqaiDho verdadeiro, frascos a 80C rs. e
K a 13'^lX).
*UhSj5f^a duzia 20*000' e a garrafa a
pAZaer^000na'10 portuguez e francez, a garrafa
kGa.a ,d2 vJnh0 BorJ'aiix muito superior, a
g 75, 85, 9-5 e 403 a caixa.
Jllitas com dito branco, a 73 a caixt.
E) Dita^omditolarimas do Douro verdadeiro.
h a 203.
' D'of;* 'kDitas com chamlsso superior, a 143.
PDitas com Porto velho e outras muitas mar-
cas, a 12-5.
Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
j e 800 rs.
. Dito de Lisboa mnito bom, a caada a 33200,
i 33o00 e 43, e a garrafa a 300 e 360 rs.
5 Dito da Figueira, das seguintes marcas f.\.)
J.-kA) (JL-) (O- M.) a caada a
) 43a00, e a garrafa a 560 e 640 rs., deste
i que ja esta engarrafado e lacrado com o
rotulo do armazem.
LDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
da a 33500 e 43000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 6 iO rs.
DilLde caj muit0 superior, a garrafa a
> 800 rs.
PDI
,J
'ti (tuasPe:'s>aspara
otrabalho; ped*
descarocar urna
arroba de algo-
dao era carocc
em 40 minutos,
ou 18 arroba
por dia ou o ar-
robas de algodc
llmpo.
33000.
Ditos londrinos muito novos, a libra
13000.
Papel.
Papel almaeo paulado, a resma a 43800.
Dito dito lizo de linho, a resma a 43800.
Dito de peso lizo e paulado, a resma
23500.
Dito de embrulho, bom a 13 e 13200.
Vinho Wadeira.
' Garrafas com n verdadeiro vinho Xerez e Ha- 3|
deira a 13o00 e 2,5000.
Temperos.
Folhas de louro, pimenia do reino, cominho J
e cravo, a libra a 400 rs. (S, K"'4" HUUO """' ""J*" seis aestas machinas
Velas da earualia. *W : "^"J111183 > Pai"a que convida-se aos Srs.
Massos com velas de carnauba refinada alg ^rSJ'^Lar examma-lo, no arma
480 rs. SB,' em de alSdao, no largo da ponte nova n.47.
Auiendoas.
(Mas largas a 240 rs.
Venden m chitas largas, ^adroes escuro* t w-
cocezes, pelo barato preyo d io 0 curado, *p,
escuras^ e claras a 280, 300 e 320, prnalas com
lindos desenhos miudinhos e grande a V O r>. o
covado : na loja e armazem do Pavar, ra da -
peralriz n. 60, de Gama \ Silva.
As luziulias do Pa>o a 2i(; rs.
Vendem-se as mais inoderois laauabas traa-w-
rentes de quadriohes e listriohks, n li-as, smit,
Estas machina., com a? cores mais novas que t.-m viodo ao aerea-
do, pelo baratissimo precn de 200 r-. o orado, di-
las da mesma fazenJa rom p.ilm.cna* de nila a
2i0 o covado, isto grande BMfcarfca s cara aca-
bar o resto desta fazenda : na loja e Tunni 4o
da Imperatriz >i. o, de Gazaa 4
Vi<--xo ou rnn
Silva.
As lazinhas mofambiqnes a 240, ia
loja'do Pavao.
Vende-se para acabar, o re-lo das lazinta*
cambiques, pelo barato preft de 210 o covado sea
do fazenda que sempre se vend-.-u r*r muito'ma^
innneiro : na loja e armazem do Pao ra i*
Imperatriz n. fio, de Gama a Silva.
ntTt8 lazinhas GaribaMius, na loja
do Pava, a 320 rs.
Vendem-so as mais modernas laazinhai GanLal-
as.om del'cadas cores, leudo entre etias boa-
por
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
Doce.
Caixoes de doce de goiaba, grandes a 13400 e pequeos a 640 rs. ffiQ
Tijoius de liinpar. 1''.
lijlos de arear facas a 140 rs.
Graxa.
Duzias do boiocs de graxa n. 97 a 23000, e u
de latas a 15000. e os boies a 240 rs. ca- rf
da um, e as latas a 100 rs. -'4>
Charutos linos. 5
Charutos finos dos raelhores fabricantes da -^-,
Bahia por diversos precos, caixa: e meias
calzas.
Assim como machinas para serem movidas por
animaes, que descaro^am 18 arrobas de algodo
hmpo; por da; e motores para mover urna, duas ].
eutris dessas .machinas. ':tos padroes escuros que Mr-ni servir par,
Os mesraos tem para vender um bellissimo va-' fas ,ue eslao de lulu a t** corado : na Ma do
ir que pode fazer mover seis destas machinas iiaTa0rua da '"peralriz n. 60, de Gaau &
s chale do Pavo, a 2S00
ea3$3t0.
Vendem-sc diales de merino cora barras ie to-
res a 23, ditos usos, fazenda nono fina. i-nJo d*
todas as cores, sendo azul, branco, verde, aniarel.
lo encarnado e preto, pelo l.aralissimo precode
I 3#9W, sendo fazenda que sempre se venden :.'35
isto na loja e armazem do Pavao, rua da kM
1 triz n. 00, de Gama A Silva.
lioilos corles para >eslids
oa luja to Pava.
Sauoders Brothers & C.
Ik II, pra$a do Corno auto
OECIFE.
Os aicos agentes neste paiz.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Novidades da loja e armazem de fa-
zendas e roupas feitas n^cionaes rua
da Imperatriz u. 72, de Guimaracs
& lrmo.
Aproveilem as pechinchas
que se eslao liquidando por todo preco, veiam :
chitas largas a 260, 280 e 3J0 rs., ditas percabas "!?! r,Ua da lmP*r* ft de am* *
a 360, 400 e 440, cambraia organdys muito fina a Criuoinias ou baloes a 2 \W0, 3.) f 33501
i lem m lis bailo a 403 rs a garrafa e 3^300
a can:iJ.
Svadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
a garrafa e 4# a caada. Sevada muito nova a 140 a libra e 4^000
arroba.
Caixas com estrelinlia, rodinha e pevide a
Idi a lo Porto especial qu tiidade a 800 rs.j 400 a libra. #
.a;i c .;.-'Jjj a cmada. j Albos em canastras muito novos e mauncas
!.] ... B rdeaux em caixas a 7$ e 700 rs. a grandes a 180 e 200 rs. cada urna.
rafa. Canella muito nova a 15000.
.... panba a melltor do morcado vinda de Cravo muito novo a OO.
romrnenla a305 ogigo. Cominho idem a 320.
11.....a de I8 a OJ e 1^500 e Ervadoce ilem a 400.
:; > a garrafa. lAIfazema flora 240.
- p irtnguezes e fraocezes a l-JOOO e Amendoas a 400 a libra.
a garrafa. Nozes muito novos a 160 a libra.
[ttino de Zara, verdadeiro a I $500 a Papel greve a 4v2O0 a resma.
. afa. dem lizo a 4$000.
mais abai to a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 33000.
raoja ;r ladeira a 11,5 a du- dem de embrullio marca grande a 15200 e
15300.


;::: e !,> o frasco.
Id .. ': la ver' i leira a 65 a fras-
. r. .; G 0 o frasco.
i ii le H irabar. o a 53500 a frasqiieira.
Idem i boligi de follanda a 400 e t40
i frasco.
im \ inebra de Ilullauda com 24
- rafas a8>. com garrafao.
i cono 1'. a 15 garrafas a 65.
dem azul para botica a 2.5000.
Copos lapidados a 55500 e 500 cada um.
Palitos de dentes, mai;os grandes a 120 ]e
16J cada um.
Fumo americano de chapa, de superior
qualidade a l.-?o00a libra, em porc,5o lera
abatimento.
N. 11Rua do QueimadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este cstabelecimenlo um grande sorlimono de cortinados bordados para
camas fazenda de muito posto.
Chales de guip muito linos para 225, 255 e 305.
Golxas de seda superiores de diversas cores para camas de noivas.
Colxas de la e seda para cama tambera de bonitas cores.
Rotondas de guip eufeilados com u tnelhor gosto.
Setim de Paris bella fazenda e de I >nitr;s cores para vestido a 709 rs. o covado.
Moureantlque brauco e preto, grosdenafle preto e de cores, panaos protos de todas
as quadades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, bambalinas, alpacas pretas, e
laa preta para lutos.
Malas, saceos e boleas de pete, verniz e coaro de 45 a 115.
Brins de linho de cores tinos a 15800 a vara.
Chapos e chapelmas
de seda para
nhas, silesias e muitas outras fazendas qu se Veadem pjr com!n)ios precos assni como
tambem
300 rs. o covado, e muito superior a 30, 360
400 rs.: isto na nova loja de Guimares m3o.
Esto se acabando.
Lazinhas escocezasa 240.250 e 280 o covado.
E' muito barato.
Cortes de laa muito superior com 13 covados
pelo baralo prego de 3 e 0*5500, isto s para aca-
bar, brelanha de rolo a 35 e 35200 a peca, mada-
polao fraucez enfettado a .'5, 35200, '35500 a 4 5,
a 3,000
Vendwn-se os mais bonitos ertej proprkv. par,
vestidos, sendo transparentes, e sendo fazenda cov
no mercado, tendo 7 1|2 varas cada aiMK, cmn
muita largura e muito bonitos padics coa listn-
e lisos, sendo fazenda que serve para as-isjr
qnalquer divertimenlo, e grande -i^rhircna pe-,
baratissimo preco de 35 cada cne : na loja o
Silva.
.-O
veodem-se os meinure tates, qiw mi .,- amr-
ncano?, petos baratissioos precos de 1*5300 e m
20 aleas, da 35 com 25, ditos a 3560 rom ;ty
iJem para meninas a 2**00 cada ao, ditas de pan-
no para senboras, por barato pre^o : oa loja o
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva
Os cticos do Pavao a 2J e 2^309.
Vendom-se duzias de lencas braacos naos a 12
ditos flnissimos com dna* cercaduras, sendo ouu
branca e oulra de eor, muito delt.-ada*, pelo bara-
tissimo preco de 2500 a dada : tm na loja do
do sem ser entestado com 27 jardas a 435U0, bfi ^i"^^ u," 3*"*' a "U2.'a : '*''
e 65500, dito muio superior mircas muilo acre- I ,,' rua / atru n. 00, de Gama Silva.
ditadas a 7.J.75500, 8, 9$ e 105, algodao de to-! r *ms IpPi bordadi*.
das as marcas assim como seja marca T e carne Vendem-se os mais ricos lencos de ti i de linho
de vacca, sicupira e pao ferro tudo isto por pre- i ordados com duas palmas para ca era, ptlo ka
eos baratissimoss para liquidar e apurar dinliei-' ra, l,re-, de 6iO cada um : na loja do' Pavao roa
ro : isto s na nova luja e armazem de Guimares da '"'peralriz n. 60. de Gama A Suva.
i*.

*wsmmMi
i?>n
>s e chapelmas de palba de Iial para seuitora, mauguitos bordado^, chapeos
homem, cHpSol de sol de seda, esguio de linho, cambraia de linho, breta-
i e muitas ouiras fazendas quj se Veodem pjr comm)ios presos a:
Esteiras da India para forrar salas

s grandes coai 100 libras
*
do
Ferros para engommar
" lem-se caixinhas contendo o mais completo
sortin oto de ferro- pira engommar, encrespar
patos, e toda a roupa Je senhora na rua
.Njvan. i'.,: ja,
Potassa da Russia
muito nova e superior : vende-se no escriptorio
de Manoel Ignacio do Oveira & Filbo, largo do
Corpo Santo n. 19.
NOVIMDE
A 13 I^SOO e 1^500.
Loques de osso, ullimo gosto, a 15-
Cerouias de meia a 15200.
Diitas muito finas a 15500.
S na rua da Cadeia do Recite n.^5
Vede-se urna burra de ferro grande
em perfeito estado e por commodo prefo :
na rua do Apollo n. 20.

Farelo
a 45 a sacca, das maiores que ha : na rua larga
do Rosario n. 50, taberna da esquina.
Vende-se nma taberna na na Imperial o.
205 com poucos fundos, propria para principiante,
e bons commodos para familia, faz-se negocio mes-
mo a praso.e o motivo de se vender por sea dono
ter de relirar-se.
& Irmae, rua da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de babadinhos
e ntremelos pelo barato preco de 800 a 15 a
peca.
Lencos de cores e brancos
muito proprios para homens e meninos a 15600,
2, 25500 e 35 a duzia, ditos de linho a 43800,
o5, 050OO e 65-
Grande sortimento
de colxas de fuslo de todas as cores a 55300 e
63. ditas de chita a 15900 e 25, ditas de laa a
13600.
* E' muito barato.
Grande sortimenlo de soutembarques muito bem
^afeitados a 55 e 55300, ditos de grosdenaplo a
185 e 205, lazinhas de urna s cor a 480 o cova-
do, ditas muito propria para camisas sendo de liu-
dsimos padroesa 15 e IjlOO o covado : s na
nova loja de Guimares & Irma?, rua da Impera-
Iriz n. 72.
Grande sortimenlo
de roupas feitas quo se vendem muitobaratoaffian-
caudo-.se que se vende por monos 20 por cento que
era oulra qualquer parte, quem duvidar venha ver
i\a nova loja de fazendas de Guimares
k li'iiuio.
Rua da Imperaariz n. 99.
Vende-se o engenho Jundiahy, cinco leguas
disiaute da cidade do Xalal, provincia do Rio
Grande do Norte, moeute e crreme, com 20 cap-
tivos, 20 buis e 20 beslas ; assim como diversos
lotes de ierra, propria para a cultura de algodao e
mandioca, e mais duas fazendas de gado no Polen-
gi e Cear-meirim, na mesma provincia, cujas ven-
das se efefluaro a prasos, mediante boas lirmas :
quem pretender dirija-se aquella provincia a tra-
tar com Fabricio & C.
Panno predi a 2000.
Vende-se panno prelo fino muito superior Bal
barato prego de 25 o covado, por haver graode aor-
cao : na loja do Pavao. rua da Imperairiz a. CO.
Ca remiras entestadas a i.-$ carie.
Vendem-se casemiras pretas enfriadas a 45
corte, coi les de ditas de cores a 5- rouilo boa t-
zenila : na loja do Pavao, rua di Imperatriz a. 60.
de Gama 4 Silva.
Akjodaoziiibt barato.
Vendem-se pecas de algoJaozmho. seado marca
T com 20 varas a 65. ditas di- difireme- marra*
a 45 e 45'%0, 55 e 65, paraniindo-se qne fazca
da q'ie val muilo mais dinhelro : aporain -e por
esta precos na loja do Pavao, rua da inii.erairiz
n. 60, de Gama & Silva. f-irw
Espartilhas a ">-5 e a
Vendem se etaartilhot com as cumpetent-s ttaa
para apertar a 5? c 63 : na loja e armazem do Pa-
vao, rua da Imperatriz n. 60. de Gama A Silva.
Vestidos a :' >iOO.
Vendem-se cortes de cambraia dranca rom bar-
ras e bahados a2*500, ditos o> rambraa branca
cora salqicos a 5500 e 33 : na toja do Pavao, roa-
da Imperatriz n. 60, de Gama & Siltx
Soulemliarqiies a .'i :.(00.
Vendem-se sonl-mbarques de lazinha de eor a
5-5, 63 e 75, ditos pelos de rosJenaples e capa.*
ricas bordadas por presos muito razoaveis : aa
loja do Pavao, rua da luiperalrir n. 60, de Gama,
Oc m va.
Calungas fiaos e brinquemos
para mruino*.
Chegaram para a loja de mindezas da roa 4
Queimado n. 69, os mais finos e lindos eali
tanto para bnnquedo de meninos como para
de mesa : na mesma loja se encontrar
limento de miudez;?.

I I

^&"~\.


Diario de rerfcainlrae Seia flra 11 de Agosto de **
>
0 NOVO GERENTE
O PUBLICO
Scm o menor constran-
gimento se entregara o
importe do genero qne
nao agradar.
ESTABELECIDO A RA NOVA N. 60
AO
RESPEITAVEIi PUBLICO.
A apreciacao dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
xem da Liga establecido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento .de moinaaos,
que sendo em sua maxim parte mandados vir directamente do estrangtiro podem ser
vendidos por precos asss razoaveis. .....
Sera a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm .;ffiancar, com toda a seguranca de que
neuhum outro o exceder no restricto coiprimento das seguiotes prbmessas:
i; Delicadeza no trato.
2. Fidelidade no peso.
3.' Sinceridade nos precos.
ATTEHtftO
os precos da segnlnte
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
te para o ajuste de costas
com os portadores;
RCNIII
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o ai co da Conceico)
PARA BEM DE TODOS.
Senhore*- < rihoras, o aceio que presidio aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo a promptido e intei"
ezacom qne serao tratad**envida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a protecc5o e preferencia na com-
-ra dos gneros que precisare* e quando n3o possam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticcs,
roisserSo tSobem servidos como se viessempessoalmente, havendo para com estes toda recommendacaa, afim de quenovoem
tra psrte.
Aleiria, macarro c talharim a ioo rs. a li- Salreunado em frascos de vidro com lampa
.ooo a caixa.
Irritatfo dos pulnioer. mgt"
as, tosse, escaos; de
sangue, crnpo ou garro-
tilho, catarro, rouquidjto
e todas as innumeravei molfv-iias que affet-
o aos orgos da respirado
DEMAPPARKrKll
mediante a acco da balsamice r ir.
ANACAHUITA
Manteiga ingleza especialmente esctlhida a
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
dem franceza a mais nova do mercado a 96o
rs. a libra e 900 rs. cm barril ou meios.
i Cha liysson de superior qualidade a 2,600
As pessoas que por sua posic5o social gozam de certo tratamento, acharo nesta I rs. a libra,
casa os melhores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de cha perola o mais superior do mercado a
bra e
Massapara sopa : estrelinha, pevide e rodi-
oha branca ouamarella a 64o rs.a libra e
3,5oo a caixa com 8 libras.
Vinho do Porto milito fino proprio para
PEITORAL be KEMP,
nrimpira aos ide etc. etc. 2,8oo rs. a libra.
Oiialauer que seja a ondico do freguez, elle deve contar que ser sempre mui- dem hysson muito superior em latas de io
tn bem servido. A libras muito proprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao ponco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de i rs. a libra,
muitas patacas afreguezando-se nesta casa, onde se lhes vender o arroz, o cafe, aman- dem hysson nacional em latas de 1 e 2 l-
tete oassucar, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que em algumas partes nao po-:. hras a l.Goo rs.
dem ou nao querem vender. Idem Pret0 1ue se Pode descJar nesle Be"
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que compram para ne-1 nero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
Y ___ .______ .,* ~*iun}nn:rr,nnin niM co cnnvoncP,-
do mesmo, a ooo rs.
erveja branca das marcas mais acreditadas
que vem ao mercado, a 5'oo, 56o e 64o
a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
zia.
engarr.afar, em ancoretas de 9'canadas a Cevadinha de Franca muito nova, a2oors. medica deBerlira O peiloral drKeapi
35,ooo rs. Charutos do affamado fabricante Jos Furta-un xarope delicioso inliramenle M.:de
Vinho empipa: Porto, Figueira e Lisboa a' do de Simas, das seguintes qualidades: opio, acido bydrocynnico e outros iaajfa-
32o, 4oo e 5oo rs. a garrafa, e em caada Exposicao Normal de Ha vana, Imperiaes, dientes nocivos.
Londrinos, Guanabaras, Parisienses, Sus- A' venda as drogaras de Caora A !r-
a anacaliuila mexicana qoc u.. i -
pecial este incompa nivel renedk. urna
aore, coja madeira por nn; npssa
ha usado no Tamlico para a i .,, *n-
fermidades cima mencionad;.-. Foi \;>mt-
bem ensaiada e approvada pela aesdt_i
a 2,5oo, 3,ooo e 3,8oo.
' Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,5oo.
Vinho branco para missaemcaixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
eociar devera "ir pelo sea proprio nteresse, a este estabelecimento para se convence- Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e em, Vinho do Porto das melhores marcas que
gociar, aevem vii, |ei seu n t- -h-tan-nii, vem ao mercado como sejam: Lagrimas
KIRSCH he Wasseh a 2# a garrafa.
se faz
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
j ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e lavas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feij5o verde muito superior a 640 rs. a lata.
' Copos lapidados para agua a "
rs. a duzia.
Fem do cpianto se pode vender barato. ncno i barril se faz abatimento.
P ira os enhorrs que compram para tornar a vender existe um sortimento espe- ciiouricas e paios a 8oo rs. a libra,
cial escoihido'por pessoa entendida que certamente muito deve agradar aos sennores Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
comDradores Para imperar panella ou para hambre.
Nao se tera pounado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Queijos do reino chegados neste ultimo va-
dar a todos Pr a 2'2o rs-> ditos de navt0 de veIla a
PELOS SEGINTES PRECOS S SE VENDE lS^wmHH!m,.^
A DL\THEffiO A VISTA:io^am^aia|gffaSy/JJameiro
ALPISTA a 120 rs. a libra. urna,
dem e painco de oito libras para cima a
100 rs.
Arroz de 90 rs. a libra a........, I*
Amendoas, casca mulle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 240 rs. a libra. jLetiua a 400 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas de todos os ta- j I
manhos. MANTEIGA ingleza e franceza de pnmeira
dem idem em potes de todos os tamanhos. qualidade a 1$, a libra,
dem idem em bocetas de todos os tama- Marmkt.ada dos mais acreditados fabricantes.
Macakbo e talharim a 320 rs. a libra,
de todos os tama-M.\ssA de tomate a 6C0 rs. a lata.
; Uostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
Moi.no inglez de todas as qualidades.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....
Massas "finas para sopa branca e amarella a
60 rs. a libra, cm caixas com 9 libras a
3500.
Mu.no painco e alpista, sendo mais de 8 h-
BOLACHI.NIIAS do Beato Antonio era latas bras a i0o rs.
grandes e pequeas. X
dem do Principe Alberto a i800 a lata, e nozeS a 120 rs. a libra.
de cinco para cima a 10700. Nabos em latas a 800 rs.
dem de sola em latas grandes a 2000 ej o
de cinco para cima a 1S00. Osiras inglezas e americanas.
Biscoitos inglezes de todas as qualidades a p
10200,1-5250 e IfS300. PEIXE era posta, latas grandes, a 1C00, de
Boi.o francez em caixinhas a 400 rs. cada t0jas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente prepararlo.
Palitos para dentes a 120 rs. o mago muito
grande.
Passas em qoarlo a 15400.
dem muito novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainha de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz I, Madei-
ra Secca, Malvazia fina a I6,ooo, 15,ooo,
12,ooo e I o,oooa caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e I,5oo rs. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. meias latas.
Bolachinhas inglezas muito novas a 5,ooo a
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo, boza, Bravo 4 C. ee todossscjliLisii
6,ooo e 7,ooo a caixa ou em n eias. mentos pharmaceulicos do iiiqn i *
Charutos finos de diversas marcas e fabri- Vendem-se no Heciie em ca?^ ;'t Caon
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma- i Barboza e Joo da C. Bravo & C.
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores, I
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,ooo ei
3,ooo a caixa.
ognac inglez das melhores marcas, a 8oo el
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com)
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda em latas de diversas
qualidades a 1,3oors.
Cartees com bolo francez muito proprios pa-
ra mimo a 64o rs.
,ooo e 5,5oo Passas muito novas em caixinhas enfeitadas
para mimo a 3,ooo rs.
nhos.
dem idem em frascos
nhos.
Azeite doce de primeira qualidade a 560 rs.
a garrafa.
Amos a 200 rs. o raolho.
Absyntho a 2^000 a garrafa.
B
dem idem para vinho a24ors.,e2,4oo rs.'Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a duzia. a libra.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,, Figos de comadre a 24o rs. a libra.
l.ooo e l,2oo rs. a libra. ; Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
' Espermacete superior a 6oo e 64o rs. a li-' Milo de amendoas a 5oo rs-
bra e em caixa se faz abatimento. Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Joao
1 Peixe em posta em latas hermticamente la- deBrito no Beato Antonio, emlata de 6 It-
eradas e das melhores qualidades de pei- bras por.2,5oors.
| xe a 8oo, l.ooo e l,2oo fe! Ameixas francez as em fi asco de vidrc com
Vinho Bordeaux das ms- mais acredita-1 lampa do mesmo, a l,$5oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,oooe Ameixas franc zas em
a caixa e 64o e 7oo ris
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinhode Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,oco
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de divergs
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muito proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
Ruibos, excellente peixe portuguez, em
barris pequeos ou a retalho, a vista se
,ooo a caixa eoio e /oo res agr-
rala. .
Genebra de Hollanda a 48o rs. a botija de
conla certa.
Frasqueirasde genebra de Hollanda a
e 6 4o rs. o frasco.
rs. a libra.
urna.
Batatas inglezas.
Banha de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600
dem suisso a t a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a" 240 e 260 rs. a libra, e em porco
se far abatimento.
dem de primeira quaiidade a 7$000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 is. cada um,
sao muito novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Ciiahope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a l$800a duzia.
Cekveia da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tresX e deoutras marcas.
Charctos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Regala, MissUsipes,
Panetellos. Aprazivois. Varetas, Brasilei-
ros. Americanos, Fluminenses.
Cha de todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto pota branca, etc., etc., a 2000,
22"0, 25560 e 2-5800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 3^300, 4 e $&.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs.-a garrafa.
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o mago
de cinco macinbos.
m
DOCES de todas as qualidades : brasileiros,
portuguezes, inglezes, francezes, etc. etc.
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
Q
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUARTINHAS OU MOUINQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra,
dem Princeza do Rio a '5200 a libra,
dem francez a 25500 a libra.
A
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Sctubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a -100 rs.
T
TOUCINIIO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
far o prego,
caixinhas de diversos Azeitonas de Rivasem ancoretas grandes de
tamanhos com bonitas estn pas na ca- i 8 garrafas por 6oo e 800 rs. a garrafa,
xa exterior, a 1,4o?, i,600, l,8oo e 2,ooo: Azeitonas portuguezas a 5oo rs. a garrafa e
cada urna. l,5oo cada urna ancorla.
Azeite doce refinado hespanhol ou portuguez: Champagne da melhor qualidade que vem
6,800' a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa. ao mercado, a 2,ooo c 3,ooo a garrafa, e
' Batatas muito novas a 80 rs. a libra e2,5oo 24,000 e 26,ooo o gigo.
Genebra de larauja verdadeira em frascos \ o gigo com 36 libra*. Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
grandes a l.ooo el 1,000 rs.a frasqneira. Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e: a libra.
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. a li- 8,5oo a duzia. (Figosemsextinhas a 80 rs,cada urna e /2o
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Cafdo Cearmuito superiora24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,5oo rs. a arroba. Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez em garrafa de vidro comrolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 800 rs. o frasco,
dem de Java a 80 rs. a libra e 2,loo a ar- Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. l^o rs. o frasco.
Painco e alpista a 14o rs. a libra e 4,oooa Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesdesuperior qnalidade a 64o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e5Go rs. a rea- 15 a garrafa e i 1,000 a duzia.
iQ0. Palitos de dente a 14o rs. o maco.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a I,4oo e 2,ooo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,8oo rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Francisco Jos Germano
raxota ."'. I,
acaha d* r^erber nm lindo e nafafSra MrtSMB
deceulos, lunelos. binculo?, do oilimo ei
apurado posto da Europa.
Fumo da Babia para
charutos.
*^ Yende-se fumo operk r d? Mi /cioa-
J lidades, a retalho e |.r Macad" e por
S?i prer.0 commodo : uo Kecile roa da ^^
E Cacimba n. 1.
Taixa de ferro
Qoem pretender rosprar 3 lh I n '
rom 6 patees v hocra iu- rfc m n
Frexcira?. pode enlcnAar-M n Ir. ft 1
no seu engi'Dhu Prexeirw, i:i ua :ii
dor n. hi.
Fio ae algodo ?a r.r!'".
Vendellse do ewriptorio de Adicd
veira Azwedo & C, ra da Cm >
'^Tvende-se nma l bnw M 1 r -*
7, livre e desomhara'.-aiKi : qnoni prH
se a mesma, <|ue achara rom qu l ir
Para matar formiga*
Vendem se velas rnr?. malar foi : 1 1 ar-
mazem da bola amarefla no -iiao da s wn I rfa i
polica.
esceayo^ me

Principe Alberto, de 1831, a 5^000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 2$ a garrafa.
Lagrimas do Douro a 1-j.oOO a garrafa.
Duque do Porto verdadeiro a 25 a garrafa.
Duque a 1)5 e l&iOO.
Chamisso a 1#, 1200 e i5OO agarrafa.!
D. Luiz a -1-3 a garrafa.
Moscatel verdadeiro de Setubal a 2$ a gar-
rafa.
Carcavelos a i&.
Grande expsito de fa-
zendas.
Que eslo a venda, na loja e armazem da Arara,
ra da Impcralriz o. 31), Lourengo Pereira Men-
es Guhnaraes..
LAZI.NHAS A 240 Rs. !
I.AZINHAS A 240 R?. I I
LAZI.NHAS A 240 Rs. I
Ha um {irande surlimento de lazmhas chinezas,
chegadas pelo ultimo vapor, sendo fazenda que
quaesquer loja vende a 400 rs., esla se veodendo,
na loja da Arara pelo diminuto prego de 210 rs.
o cova4o.
MAUAPOLAO COM 24 JARDAS A 45500 I I !
MADAFOLAO COM 24 JARDAS A 4,8500 I !
vende-se madapolao com 24 jardas e garantin-
do-se que tem 20 varas, pelo barato prego de
UO, o000, 05000 e 6500.
BRETANUA DE ROLO COM 10 VARAS
A 25800.
Vende-se bretanha de rolo a 25800 a pega, s
Mendes Guimares.
MADAI'OLAO ENFESTADO A 35000, 35500
E 45000.
MADAPOLAO E.NFESTADO A 35000, 35500
E 45000.
Vende-se madapolao entestado pelo o barato
prego de 35. 35500 e 45 a pega.
COLCHAS DAMASCADAS DE FUSTAO.
Vndese as mais modernas colchas de fustao,
tendo de todas as cores a 55500, dilas grandes a
C5000, ditas de damasco a 45000, ditas de chita a
25240 e 15900, isto s por a cabar, na loja e ar-
mazem da Arara n. 56, Mendes Guimares.
CHITAS FRANCEZAS A 240, 260, 280 E 300 Rs.
CHITAS FRANCEZAS A 240, *.0, 280, 300 E
320 Rs. O COVADO.
CHITAS INGLEZAS A 200 E 220 Rs. O COVADO.
Azeite doce refinadoem pequeas latas a 360 rs. a garrafa : no graude aVmazem
da Liga.
Saceos de 80, 100 e 120 libras a 4#,4500 e 5(5; no grande armazem da Liga.
FARINHA SSS de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, 500 e 800 rs.
Finos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fimo do Rio a 500 rs. a libra.
dem americano em latas a 1#.500 \Vtiler Maurer ilji garrafa,
Farei.lo ha sempre em deposito de 300 a Vinho figueira em ancoreta a 205.
800 saceos, de todas as qualidades, de to- dem Figueira e Lisboa em pipa a 2#o00 a
dos os tamanhos e de todos os precos. l caada.
Colares a 900 rs. a garrafa; o nico vi- a pea
nho que se pode beber por nao ter com-, braia brancas que se
posicao alguma. e33 DE ME,
Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 800 rs. a garrafa. a
dem S. Julien a 600, 800 e 15 a garrafa, zia
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Grande sortimento de roupas feitas deto RIVAL
das asquahdades SEM SKCrU3DO
Calcas de casemira a 65 e 75500, ditas pretas a ^^fr^JZ2!3ui2 2ZT*
64 e 85, caigas de ganga a 25 ,15800 e 45600, Boa do Queiuiado ns. IBeM.
ditas brancas a 25, brim de linho a 35, 35500 e Continua a vender lodas as miudezas que abano
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos! declara por pregos dmiraveis.
a 35 e 35500, ditos de alpaca de cordo a 45, e Massos de palitos lutados para dentes a 100 rs.
de li=tra de seda a 45500, ditos sobrecasacos a 55, Espelbos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95, Bonels de oliado para nuniuos a 15000.
ditos sobrecasacos pretos a 125, 15 e 165, ditos fl- Ditos de couro superior fazenda a lioOO.
' nos a 255, de cores a 135, ditos fraques a 145, Fraseos com superior tinta rocha a 240 rs.
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim : Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
uardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno j Rabado do Porto, fazenda boa. vara a 80, 100 e
preto fino a 25. 25600,35500 5d, 45300 5 e 65 o 140 rs.
covado, moreantiqne preto a 25600 o covado. gros- Ca;xas rom 100 envelopes, fazenda fina a 600 rs.
denaple preto a 15500, 15800,25, 25200 e 25500 Grozas de peonas deago, fazenda superior a oOOrs.
o covado ; e outras muitas mais fazendas que se Grozas de botoes madreperola linos a 500 e
e 640 rs.
Caixas rom 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Caixas rom superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pegas de fita branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de. franja da la para enfeites de vestidos a
40 rs.
Rralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Litros para asseutos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de boloes para punho, fazenda rica a 120 rs.
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei-
ros da loja da arara casa dos pretpndentes. O
e tabelecimento est aherto at as 9 horas da noite,
ra da Imperalriz n. 56. Mendes Guimares.
Fazendas boas e baratas
Algodozinho bom e limpo a 55 a peca,
Vende-se cambraias brancas desalpicos a 45500 |5aznhas de auadrinhos e flores muito bo-
w, i-.!.,i,..ni i,a nm i'raiutt' snrhmi-nin (ip. cam- i .. ______
tambem ha um Vg*ffj>jgtt \ nitas para vestidos de senhoras e meninas a
35o00,,5, 240200rs 0 Covado, brins de linho com Tesours jar. costuras superiores qualidades a
2r000.
algum toque de avaiia a 320 rs.. chitas lar-
Lengos de cambraia com barra de cores^a 15800 t as e esciiras e cores flxas a 240 rs. O CO-
fStiSPJSSt? a '*e a 2^ a dU'! vado e outras muitas fazendas a maior par-
calcas de RMM de linho. te de las do uso domestico, cujas fazendas
Vende se caigas de brim de linho a 35400,! estaro expostas aos compradores desde as
25600 e 45000, ditas de algodo a 25, s Mendes, horas (la m3nhaa as 9 da noite : na ra
^utlmbarques de cores, vende-se muito barato, da Imperalriz n. 20, loja, dando-se amos-
C'heoaramos superiores MANTAS IrARA PESCOQO.
J Cheearam as desejadas mantas de flnissima seda
cortes de seda.
na esquina da
Superiores cortes de seda de eor, vlodos pelo
ultimo vapor francez : na loja das columnas a ra
do Crespo n. 13, de Antonio Corris de Vascon-
cellos 4 C.
Vende-se uro carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e todos os pertences de outro
igual, tudo por prego mmlo commodo : a tratar
no pateo deS. Pedro n. 4.
Chegaram as desejadas
elstica para pescogo de homem
Madre de Dos, loja do balao.
Farinha"de mandioca: tem para vender An
tonlo Luiz de Oliveira Azevedo & C., no seu es-
criptorio roa da Cruz n. 1.
Vende-se urna escrava crioula : nos Coelhos,
ra dos Prazeres n. 10.
Vende-se um escravo mogo que ja foi de en-
genho : a tratar na ra do Mondego, olaria n. 13.. Roa-Vista) loja n.
ditos grosdenaple preto, capas pretas vista se
far prego.
PALITO'S DE ALPACA RRANCA A 45500.
PALITO'S DE RRIM DE LINHO A 55000.
ntremelos transparentes a 800 rs. ditos tapado
a 15, ditos para babado a 5000 cada nma tira.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
ROUPAS FEITAS.
Vendem-se um sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades, que a vista se far prego, e
outras muitas mais fazendas que se dixam de
annunciar, ra da lmperatriz n. 56, Mendes Gui-
mares.
Vendem-se caixas de cigarros de estramoni-
co para asmathicos, vindas de Paris, por prego
muito commodo
na roa da Imperalriz (aterro da
tras de todas a quem nao poder vir na dita
loja.__________________________
\ovcna de Xossa Scnhora do
Carino e de Sanl'Anna.
Wnd-se na ra do Imperador d. 15, offleina
de encadernag3o : o offlcio, salve e versos, nove-
na e salve de Nossa Senhora do Carmo, tres fo-
lhetos por 500 rs.,e a novena de Sant'Anna por
320 rs.
Farinha.
Vndese farinha de mandioca mnito nova, sac-
eos grandes a 45 : no armazem de farinha da pon-
te nova dos Srs. Tasso Irmos, para porgues, na
ma da Madre de Dos ns. 5 e 9._____________
Vende-se a casa n. 52 na roa de S. Jos da
mesma freguezia : a tratar na ma dos Pires a. 18.
Desappareceu
em 3 do errrente mez de agosto o BOtolfl AjNMi-
nho, cor clara, idade d? 'O mwm, Wffl t ai
olho.baixo, pouca barba e um p. BM I i.va, o4
um pequeo i' hago junto ao t a
te de orna que'a que deu rcl-r. doi ; '.:lu
nesse dia vestido calca e cami-a d-* rir-cidintia Jo
algodao, chai o d palha. e lev mk MH al^*
de brim de quadros : E Balar.1 foi escravo du lenle rorun.-l Lo ^.er-
que Maranho. senher do i-ng*nho AM. i. ei r
ca de Pao d'Alho, e tir.ha "4" veadM i ci-
dade na vespera do da em nm lie-appar'CfB,
foi visto no dia 6 e 7 do crrala ra ril.r.a l S.
Jost?, por isso julga se ele aDdar ne>ia .: :ade.
Quem o pegar, ou delle dtr nolicias crta*, '0*i-
ra dirigir-.'e na da Ouz do ecife n. 37. i 9
horas da manhaa as 3 da lard-. e lora aMi ho-
ras ra do Amorim n. 50, i and-r, fne sera
gratificado.
Fugio na noite de 19 para l> d. mM|
mez, do sitio do Sr. Dr. Aofort i P. de CNnrira, m
ponte de l'clioa. o st-u en ravo ee m_h Lab, 'J.-
si que branco, tendo no rol m.rcM i bcioi
bem visiveis, cabello anudado, haixf. ref-rcid.,
bem fallante e de cerca de 2s ibimm de kI -de'. t*>
vou camisa de baeta encarnada e char>-o de paita
novo, suppoe-se que v;ipi;eia nesta cidaue o '..
fe ou pelas ras cirruumsiiibancas : qoem o p-
prehender e ievar ao >oL>redito sino, oo ao e.-.'r>p-
torio da praca do Corpo Santo n. 17, Dnmeiro aa-
dar, ser generosamente recompensado.
Achare ugido o escravo Manoel Thom,que
representa ter 44 anno< e tem alm desle os *if-
naes seguintes: cabra, catalura regular, ba cabelludo pelo rosto e paito, pe menos canto- na
testa, um dedo pollegar de urna das mo- corla-
do, o mnimo da outra tteijado, e tem aleio u.-io
as pernas bem arqueada r falta de deoN s na
frente, entendido no servieo de colbtiu de zo-
queiros, em fazer teltias e tijolos : quem o a rehe*-
dere quizer levar ao engenho S. Joa> da ilha d
Itamarac ou a ra da Imperalriz d. 33, prirciro
andar, ser recompensado.
Fugio no da 16 de julhn do correte anno,
a mulata Suzana, a qual tem os signaes segaiotes :
altura regular.corno cheir. cor clara acaboclada,
cabellos corridos e bem aparados, rara (hala, ! ta estrella, olhos pequeos, nariz chalo, bocea
grande, beiros finos, falta de dentes, mos crrsjas
e dedos curios, idade pooco mai* on menos 4h m-
nos, natural ilo sertao, levaaj vestido de ;r.*U
escura com palmas brancas e anno da roda, fal-
la sempre rindo-se : pec.e-se as aut^rul.vl li-
ciaes, capiaes de campo ou qnalqner qne dell
souber leva-la ao seu senbor na orara da lndep<^-
dencia loja de chapeos n. 14 e 16, que ser gene-
rosamente gratificad),ao mesr.io passoqu-- |. ;-
(a ser contra qualquer qu o t-nha acontada, non
ha noticias que esla dentro mesmo da eidade acei-
tada e se assim e'ta pessoa que a T Btr.^rr
do contrario sera pnoid. com lodo o rigor da le.
Aosentou-se no Jia 2 do correnle ao me dia,
da casa da ra do Imperador n. 16. o preto r.d:cna>
do, crionlo, cheio do corpo, jllura r gnlar, rosto
comprido, olhos pequeos e pone, barba, u*a snia-
sa e bigode, bastante ladinc. representa ter W
annos, pouco mais on menos, e joiga-s.- ler levad*
caiga preta e camisa branca ; esle ccravo (o coa-
prado ao Sr. rrronH Galvo, do Lia i "-
de1 se Jolga tenha fgido, mas ha qwm o lenta
visto na Passagem da Magdalena. Renie-li- s e Var-
zea; e como e desconfia qne esteja arnniaA*,
protesta-se proceder contra qrn o tive-r acoltudo,
e pede-se a qnem delle der noticia ou o agarrar,
que dlrija-se a sebredita casa, on a ra do Cresp
n. 13, que ser recompensado.
Fugio no dia 6 de agosto o escravo criool > da
nome Tiberio, idade- de 20 a 25 anno?, matara
baixa, com (alta de um dos deoles de ctaa. Fai
escravo do Sr. Francisco de Aibaqnerqoe Mara-
nho Cavalcanti : quem o pegar on delle der aotf-
tOlla a Baha Superior cia.queiradirlgir-searua da Cndeia doReeafca.
Tem para vender Antonio Luiz de Azevedo & 33, loja de Valie Porto & C, que ser* i
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. L sado.
400 e 15-
Caixas de peonas
de calligraphia, fazenda boa a
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranga e tapete a 15500.
Pares de sapatos de tranga para-meninos a 15 e
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
Libras de laa sortidas de bonitas cores a 75000.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com alfinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almago a 25400 e 25800 rs.
Escovas para roupa, fazenda boa a 720 e 15-
Duzias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para enancas a 240 rs.
GAZ GAZ GAZ
Vend-se gaz da melhor qnalidade a
i_4 aiata : nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ma do Trapiche Novon. 8.


..


Diarlo de rernambnco esta lelra mi de Agosto de IS.
LRfi

CM POLCO DE TliDO.
Transcrevemos oo Misionario Catholico o se-
grate :
AS OHDENS RELIGIOSAS.
I
A i-ocledade moderna ca pola maior paite el-
ada di; doiitrinas subversivas e repugnantes;
tirau'Jiudo o ferro deraolldor a que seus adcplos
el amama machadmha do progrea t da cwilisa-
citoella pur ah vai derrubando a? Jas as mala
santas, os uomes o mais veueraiidos, e as institu-
ges que a propria uio do lempo e ;.n:a os gol-
pes da barbaria nao poderam ripear da face da
Ierra.
Baseados nos principios de um liberalismo de
Vndalo ou de Godo, e basteando a bandeira do
exterminio e da raorte, nao respeitam os Attilas
DiodLi nes a verdade clara comoo dia, o prelendem
refundir a sociedadenos moldes da mais dospre.-i
vel moral e du egosmo o mais refinado ; canlam
hosannas e hymnos de victoria sobre cada pedra
que cae desse edificio magestoo que ruslou as
vigilias de tantas scalo;, e vao esiendendo suas
ans negras, sem-Ihantes iquj lia ave agoureira e
oicdi'iiha que o poeta da Messiada figura pairando
sobre a cidade invadida peb pesie ; seinean de
continuo a sizania de ms Olearias, Inoculta) o v-
lico de suas ideas e ncm a haz meridiana da ver-
dad recciam, tesiemunho infloneusso do autorida-
des sem cunta que em todos os tempes, o eni lodos
os paizes levantaran) a voz em favor dessas vainas
iii.-lituiges: emfiin, de todas as armas elles se uli.
lisam para o alcance do seu lira maldito.
mes-a Jerusalm libertada.-a Divina comedia, pais, o menino toroar-se-ba necessariaraente santo, A serra corapde-se em parle dessas pedras liozes
ne en h^amd^^L11 f"E*,ner Ath.a,aa' T* COpia."el,DeDte 8eu model- avermelhadas lio abundantes em todo o Brasil, o
que eocherara de gloria e de honra a seus autores, A persuasao nasce dos labios dos pais, ura de que, segundo Castelnau oodern nertencer ao era
obras que ,he deram a cora da immorialidade, seus o.hares, e um riso, tem para o meoino, am po ageda. Ganere CLTm^-
nss1 qne i oram in?,,iradas :,s fon,es,irresistivi eDcan,de poder-e s que ,6rmi as ^ ^lo^iitzi. ,r0
Nao f a historia aindaquem vos d apoto e ba-! '"^T 7"* PTta0*S '""^'L ^. I P^eiro encontrou em calcarios nodulesos sabor-I
*s, porqu- ahiest pa^eUpareis a"odeda- JSff ?Z TTT > SeUS BlhS "*,dinados ao s y* reda na serra de
ue catholiea.-a velha ludia com seus preconceitos
iiarbaro?, sua cruelJade e sua inercia ; ahi est'
porque cooiparaveis com a Roma de
ma paga, cujas virtudes catonicas i
onde eu s vejo o proprio Catae as-istindo a pros-!-' Muslrarel JunlJ da Dua Sant'Anna, sua raai ve-, serra mostra-se at as estratfleages do coracao
tituicao dos jogosda Flora; onde cu deparo com nerada>,tndo eu> uin liv, a,'OTl se" dedo todica- do mesmo Iiacoluoiy.
as bacbaoaes dissolutas o os theatros impdicos *)rcom a allenVa,J a ni*is pura e cheia de urna Ser o ilacolumite urna transfornngao metamor-
instituidos por ero ; onde eu diviso alli no tor- respetosa docilitadle. Repetirem que esta Virgem Phica destas pedras?
reu de um palacio, clareado pela luz averraelhada e benigna e affectuosa, que a protectora devotada' j Inclino me mallo a acreditado vista do conjun-
das chammas o vulto repugnante de um impera- (de so innocencia, a directora bemdita do sea futu- to dos factos que aponte!.
deliciosas de virtude da Virgem incomparavel.
E dizerem que joven com) elles, ella tiuba sida
doce.
Araripe.
Ora, na sena de Curumatahy obsorv'a-se em di-
le hoje essa Ro- \ obe,,icn[e- mo6St*- Pedosa> araanle> como 'ao pontos urna passagem quasi completa destas
[.toconisais, mas,! a '" Ja",a'5 ?realUra alMB,a: pedras loze3 Para 'tacolumites, e a direccao desta
H 'rrorlsa ao pensador de hoje o olhar para as
aceas de impiedade que representan) os moder-
nos; Oca tomado de terror sou espirito ao ouviros
gotucos dessas entidades respeitavois que lombam
na trra, porque o sabr do novo Beduino niiopou-
pa o que bom.
iv.recem que os modernos apstol js de>ta pre-
tendida liberdade nao quer deiiar podra sobre pe-
dra dos monumentos que lodi a anuguiJade reve-
rencion ; seme'.hantes ao Vesuvio que em tempos
rciitos sepultou debaixo de suas cinzas tres clda-
. B inteiras, parecera elles agora querer imprimir
em indo o sello de morte ; aligura-se-nos desejam
renovar essa innuudaQao do barbaros qne em ida-
des paseadas fez da Europa um lago de sangve :
os apostlos desta duutrina qnerem fazer do Uni-
ersc um monteo de ruina e destroc*, e preten-
ded) ri-car da Ierra todo que se chamauem ou
wrlude.
O que corto que a parte do mundo que se diz
0 centro da civilisacfio, vomita lavas oecoanicas
dt mpiedade, e os homens applaudem rom enlhu-
siasmo essas scenas de horror, endensam as gran
sabias peonas que to bera propalara o erro : o que
eerto c que pir toda a parte se oavo o ruido as-
sustador desses cnlossosqae se esboroam, e a frita
ncessanla das turbas desentreadas qne ludo levam
de vencida, como o furaca> que em sua rajada nao
respeita as arvores 'secular.'? da fl Testa : o que
cerlo que por toda, a paite se faz a apotheose da
cenca, e preconisa se a idea ie desiruicaol
So niio se apotbeosa a virtude, nem se preconisa
a idea de moralidade; so nao se applaudem a jos-
tica a o boin senso, nem se derrocara os monslro-
da beresia I
L' deLaivo destes auspicio? que hoje, anda DO:
do seculo vemos com dr do coracao loruar-se
am;rgurada a sorle da Igreja, essa insliluico di-
vina; a sombra destas ideas que vemos recebe-
rem as ordens religiosas um ataque manifest e de-
cisivo dos novos fltijelks d.' Detts, cuas que eio,
oran e sero sempre a miis siula das institui-
(5es da igreja o sea oais lorie e temeroso at-
ondo !
hutietanto os religiosos f^rarc em todos os tem-
pos ea lodos os respeitos utilissimo?, e mero.eram
de tjdus os sabios, e Je grande.- homeni insuspei-
to: o.- mais signiOcativos elogios.
1 .;! crozados da nova liberdade, d'onde vem
pois o od.o e a guerra enearBieada que fazeis aos
qne procuram a vida do retiro e da abuegs-
caa?
Elles teotain por em pratica a palavra de Jess
que disse : sede perfros cono VOSSO pai celestial
jh-rfeilo ; elles se provam no elai;stru coiio o ouro
no crys), segundo diz um eseriptor.
Os religiONOS siio o? sabios (pie, r-onhecendoquan-
lo fulso o brilno das glorias mundanas, e qaanto
sao engaadores os euri>peis que bordan) os abys-
mos do seculo, abdieam os gosos terrestres, de todo
o orgulho e de toda a vaidade do mundo. Elles
se sepultara vivos em seus retiros, curara da bem-
aventuranca de sua alma, e abracam todo o prin-
cipio de humanidade, raeditandi' naqnella palavra
do sabio que diz : a salvaco um dos edificios que
se Inania sbreos ruinas da sobarba.
Elles, os religiosos f,gem do tumulto ruidoso do
muDdo, e embalam se;; peosamentn nos sonhos
tranquillos da solida:, capacitados d; melle dito de
Sneca : qunntas tetes etlive entre os homent, vol-
tet menos hotnem.
Elles na. vivem dtsu vida, a procuram o co e
os bragas de seu Creador, porque ouvem este gri-
to de dr e esta queixa lamentavel qne se levanta
de todos os ngulos da erra, e qne so prolonga de
seculo em 'eculo : iverdadeira felicidade no mun
do nao exisie.
Os ruligi isos nao procuram ootra cousa senao
urna vida mais chris'.aa.
D'onde vem pols, o odio que Ihes vjtais, cruza-
dos do libera ismo ?
coracao de seu Qllio, oconduz ao pe dos altares da
Virgem Santa, e mostra-a tundo em seus bragos o
Ocbristiaais- .querido Filho de Ueus: de ara s olhar, o menino
comprehender.
A rebgio, Deus, seu amor pelos homens, a in-
carnaglo, a redempgo, a obrigagao da virtude,
liie apparecerae de um s trag *.
Maria e J >s, c o centro vivo e llluraiuador
donde todo o Evaugelho, lodos es mysterios e pie,
3elUM espalham seus raios.
O raenino nao raciocinar, porm vera, sentir e
ser impressinado.
Quando mais tarde sua intclligeocia se desenvol-
ver, ella apresentar sua f as graades verdades
do ebristianismo, seus sentimenlos os mais ntimos
dor que se diverte assistiodo ao incendio que man-
dara alear na cidade de Nuraa.
Nao de certo quem vos autorisa, a histora que
mo ieva ao ampbithealro romano oude eu vejo bo-
men? entregues s garras* de lees e de panthe-
r3S, e onde quasi eusurdego aos applausos phrene-
ticos de um povo brbaro, que se deleita cora o
espectculo da morte de martyres innocentes I
Cruzados do liberalismo o apostlos da llonca
que guerreis a religiao e a idea de Deus, nao en-
contris urna s linha, a assergao de um sabio que
possa vir jusulicar vossa impiodade.
E' verdade que Voltalre disse ;
mo urna teligiao selvagem, inimiga das artes e
da razio : mas o que adiaotais cora isso ? Vol-
taire blaspliema apoiado em sua razao tresvairada,
a decide de seu alto juizo que nao autorldade,
porque sua palavra seinela urna espada de dous
guies, sua peana mulhada em fl, e suas armas
sao a calumnia e a mentira toda a vez que falla
sobre a religiao, sobre a igreja ou sobre Deus ;
emquauto nos lhe oppraos a lgica invncivel dos
tactos sanecionados pela historia, e fados que nao
admitiera replica, porque sua verdade irrecusa-
vel e isenta de toda a duvida.
A igreja fui era lodos os tempos a amiga e a pro-
tectora das letras e das artes.
Quando a cidade dos Constantinos cabio sobo
poder dos Turcos, fu a igreja quem abri seus
bragos e offereceu retiros de paz e soguranga aos
illustres fugitivos do Bysancion de Alhenas.
QuauJo baniram de Fraiga a imprensa, foi a
Italia quem a abrigou ; quando jaziam esquecidas
todas as incalculaveis riquezas da antiguid^de, fo-
rara anda alguns cardeaes que gastaran) suas for-
tunas em folhear as ruiuas da Grecia, e em ad-
quirir preciosos mauuscriptus.
Em Rmia,a sede do poder catholio, Beroaldo
pubhcou os anuaes de Tcito oblidos por I>o X
a costa de grande somina de ducados ; abi Trissi-
no deu a priraeira represenlago da sua tragedia
Sop!wmsbae tambera em Roma.
Miguel Angelo levaotou a cupola de S. Pedro,
esse grande monumento do christianismo.
Por instancias dos papas bavia em Ferrara de
academias, em Bolonha quatorze, e era Sienna de-
z;>seis; a iuvengao da plvora, e quig do telesco-
pio devida a um raooge Rogerlo Bacon, foi o dia-
Cjoo Flavio Gioia quera descubri a bussola, e se
bem qne o seculo lhe queira usurpar a proprieda-
de, tambem devemos a ura mongo a invencio dos
aerstatos.
-N.s palacios dos Borgheses e Foraeses erara ad-
miradas as obras primas de Praxileles e Phidias;
as estatuas de Hercules e de Apollo foram com-
pradas pelos papas a peso de ouro ; o Panlheou foi
consagrado e Isenio da de.-truigo pelo culto dos
apostlos; a estatua de S. Pedro coreando os cap-
teis da caluraua Traiana salvoua igualraeule da faco humana; puta-
raorte ; e para que se junte a ludo isto a graga e
a poesa, a loureiraj que cresc a sobre o tmulo do
oysne de Mantua era guardaia por ura monge I
->ao fui por conseguale a religiao em da nc-
oliura a inimiga das letras e das arles; aotes fo-
ram os proprios sectarios do liberalismo que atira-
ram s foguearas os quadros das igfojas, e cora a
furia dos lieresiarehas e conocas as, semelhaetos
aos puritanos de Cromweil, coriaram a golpes de
sabr os mosaicos dos templos de Conslantinopla
Nao foi portante] a igreja nem o cluistianismo
que pz peas ao desenvolvmeoto da iolelligencia,
ou cultura do espirito, como ousou dizer o pililo-
sopho de Ferney.
Demais, que vale este lestemunho quera foi
Voltaire ?
Foi o autor dessa-Pce//ed-W(jn-que nao
passa,como diz Harel, de parodia sacrilega de um
episouio suoiiiiie da historia franceza.
Foi o critico mordaz que chamou de brbaro ao
cantor ongiual da Divina Comedia, e desprezou
Sliakspeare por ver que o engenho deste sobresa-
lga ao seu talento.
ro, a guarda fiel de sua alma e a caugao sagrada No Brasil o metamorphismo realizou-se a'uma
de sua vida. escala immensa, sendo provavel que a sua aegao
A Virgem lem para essa idade conveniencias e se proloogasse por terapo consideravel.
Alli os maiores raoviraentos do solo nao sao ami-
gos, pois que os depsitos de alluviao do periodo
altractivos indefinveis.
O menino nao v no mundo, seno imagens e
sensago: o mundo das ideas est cima delle.
De outra parte, o menino nada v em ludo que
o cerca, mais do que sua mai, porque sua sabe-
dona, seu apoio, sua alegra e sua vida.
dos mamferos gigantescos apparecera at oos poo-
los culmoantes do laboleiro de Minas-Geraes, a
mais de mil metros cima do nivel do mar.
Sera admiltr urna mudanga recente do nivel do
continente, j averiguada no Sul relativamente s
E a mai que sabe comprehender seu dever e o pampas, seria impossivel conceber estes depsitos
n'aquella regio tropical, onde por falta de monla-
ulias allissimas nao podemos fazer as geleiras re-
presentar papel algara.
A raridade das rochas fossiferas de que apenas
vi mu limitado numero, e que urna das cnse- i
queacias do immenso desenvolvimeuto do meta-
morphismo, diffleolta a classificago da maor par-
te dos terrenos no Brasil.
O seu aspecto crystallino induz priraeira vista
a altribuir Ihes grande antiguidade.
Parece-me que sena ura erro.
Ha sem duvida no Brasil rochas antigs; mas,
por via de regra, foram recen teniente deslocadas e
outra vez modificadas.
Pelo meuos eacontrei numerosos vestigios de re-
lativamente recentes mudangas de nivel.
O estado geral crystallino dos terrenos do Brasil
parece-me indicar mesmo a respeito dos granitos
grenaticos, e a grandesNdistaocias do Rio de Jauei-
correspondero a este appello, como um oecessa-
rio e harmonioso echo.
Nao pode esquecer o que v; lembrar-se-ha cora
prazer da imagem de Maria, que conservou pendida I ro, antes uraa serie de melainorphismos repetidus
em seu pescoco, como a arca da Seohor sob as azas e successivos do que uraa grande antiguidade ;
dos Querubios doTaberoaculo; lembrar-se-ha cora nem o actual relevo muito antigo.
ternura, e o norae de Mana que o fez balbuciar, e I ^ ,;,,,,, ^ ... ,
E principalmente as provincias do Rio de Ja-
a supplica de sua mai, pedlndo em seu favor as '___... ., :
rr neiro e Miuas-Geraes que o metamorphismo chegou
gragas do cea, farao as mais suaves lembrangas de | Cnfuuj.r j
seus dias.
O meniGO contina sua carreiaa: chega a urna
poca, que com vantagens incontestau^, lhe appa-
recem tarabem pengos reaes : a poca das escolas
e das classes.
A educago domestica vai se reunir educago
publica.
E' este o momento que os pais devora ser acti-
vos; este o momelo, que a devogao de Maria, a
Mai da iafaacia, faz-se mais necessaria do que
uuaca para guardar a innocencia dessa idade can-
dida, inexperiente e ebeia de abandono.
O meuiuo parte para a escola; sua mai o con
duz; da-lhe autes da partida, os mais sabios e
aflectoosos conselbos; dlzlne que nao se esquega
de Deus, de seu filho e de sua Miii; lhe recora-
menda que seja sabio, dcil, applicado e respeita-
dor; adverte-lhe que Deus o v em lodo lempo e
lugar; avisa-lhe que do camiuho da'casa paterna
a escola, e da escola a igreja, seus ouvidos nao
devem se applicar s palavras vaas; ordena-lhe
que fuja desses compauheiros que. sao demouios
e com vivas cores, a sua
iinaginago sensivel, a imagem do seu bom anjo,
que o defender de manchar a sua pureza bap-
lismal.
O menino acompauhado de tanta solicitude a
amor nao se pode perder.
Eslas ligues e avisos a mai deve repetir a eus
Albos.
E esles lilhos serao invulneraveis nos combates
d'alraa, porque protegidos sob a invensivel egide
da Virgem pura, desaliaro sem recejo, os ataques
das paixoes, das perfiidas do mundo e dos furores
do inferno.
Sua vida ser um espectculo de toucaate e
uaiversal edilicago.
Apreudei de Maria, rais de familias, os exem-
plos de seu amor I
Ped lhe cora fervor para que a innocencia de
vosso liiho rao se perca, e para que sempre o
esludo da Saula Religiao guie vos:es passos.
O Standard, folha ingleza que se publica em
Buenos Ayres e que sempre se mostrou hostil
Foi o piilosopho que, na phrase de Manotean ,aoBrasil ,ublica uo seu nuraero de 11 do corren-
nao eonbeceo as cousas, uem os horaens, era as
D: juJOS paixoes
Foi o poeta que cantou o absurdo e a immorali-
dade, endeosaudo uraa moral sem religiao, e urna
raetaphyea sem crengas : foi o historiador que fez
da historia urna arma, vi te, o segualo :
N'uraa recente entrevista com o Sr. Octaviano
da Rosa ti vemos occasio de cougratula-lo pelo!
progresso das sciencias e das letlras no Brasil I
pelos profundos e variados conheciraentos de D-
Pedro II, pela proteccao dada por S. M. as socieda-
da do poder ecclesiastico, e para alcaugar seus lins ^ 'Ult,rarias do Kl de ^"eiro, aos aslrumoraos,
substituio suas opinies aos factos, e sua razo e3cri^lre:i e "odiosos, e de um modo especial ao
verdade, no dizer de Vctor Can tu : foi o moderno
Aristippo que prelendeu renovar a moral do pra-
zer. Voltaire foi, diz alguera, o maior demolidor
do seculo X VIII, hoje demagogo forgado e defensor
dos direitos das nages, amanhaa sybarita eiTemi-
E' que nao cornbateis os homens, nem somente
Ibes tendes mveja ; vs guerreis a religiao, e vos-
si alvo a igreja.
E que autoiidade- abis em fevor de vossas
doutrinas, em que lempo, em que classe, em que
paiz da terra, que homens encontris que bouves-
sem abragado vossos principios? Oh I nao sao os
homens dos tempos antigs e pagaos, porque nao
duscera anda a civilisagao ao espirito dos pjvos e
os conhecimentos humanos se limitavam a pequea
esphera, e j Plutarcho dizia, fallando de Alexan
dre, que nao a fortuna, senS o favor e a vontade
dos deuses haviam elevado lan'.o acma a este gran-
de hornera.
Noso os leigos. porque talentos reconhecidos
e irrecnsaveis como Aristide?, Minuncio Flix.
Laetaneio e Arnohio. Szeram pi.logas do christia-
nismo; La-Brogre imiton ao precedentes: Lcib
nt, esse gigante da sciencia e da philosophia, de-
fendeu os principaes dogmas da f -, Newton, o
graude Newton deu explicagoes sobre um livro
santo, commentando o Aporalypo : Macaalaz, o
eminente hisloriador ingle?, se bem que protestan-
te, dissr ser a igreja catholica romana a institmgo
a mais merecedora de uosso e-lado: e o visconde
de Cayr, esse vulto venerando de nossa historia
afflrma ser raais fscil edificar um imperio no ar,
do que um estado sem religiao I
Nao sao os poetas, pois protestan) bem alto:
Sannazaro escrevendo seu poemaDe pariu Vir-
ginis; Vida dedicando suas horas composigao do
Chnsliados ; e Bachanan apresentando suas tra-
gedias, Jepht t S. Joao Bapttsta : nao s5o os poe-
tas, repetimos, pois ahi estao essas obras snbli-
Di.Agassiz, alludiado ao mesmo lempo ao carcter
do actual ministerio composto de nobres aristo.
ralas, mas de horneas que crearara para assem-
bla du Brasil.
S. Exc. applaudio o epitheto de Meotnas que
nado e palaciano enthusiasta ajoelhado aos ps dos demos ao seu augusto soberano. Disse-nos S. Exc.
tarnos ; boje corajoso e amauha cobarde : Vol- que D. Pudro era profundamente versado em todos'
taire, aecreseeutaremos nos, foi sobretudo um in- os ramos das sciencias modernas, que fallava sete
vojoso e por excelleucia ura impo I lioguas vivas com elegancia, que era muito lido
E si destes apoios que tendes, inimigos da a0S SS? da aulieuidade. e uue volava esPecial
religiao ; sao destas autoridades que podis cha- T^T^.T. f erud,c?ao- '. '
mar em vosso favor, sao estes os sabios que tem O Sr! Ocuv'i'expreVsou"-nos' sua alta daii-:
commungado vossasjdas. racao pela Inglaterra e pelos loglezes, e congratu-!
Guerreis por conseguinte a igreja animados de lou-se por achar em Buenos-Ayres um ramo da
um odio infamante e desautorisado : e como sao imprensa ingleza.
as ordens religiosas um dos escudos mais fortes, e L elle o Candara todas as raanhas, conhecen-
uma das mais bellas insliloledes da mesma igreja do bera a lingua ingleza.
para ella afiais as laminas de vossas espadas, e Disse-nos mais S. Exc. que o partido liberal do '
brand.s o ferro acicalado da deslru.ga Entrelao- Brasil tem grandes sympathias pela Graa-Bretanha,
1 do 1'? hU,,,an,dad eSU/htia ds bea"fl- hitando desse grande paiz as graades iastituicoes
- daliberdade, commercio, mdnstr.a e progresso".
L)isse-so-nos por ultimo que a Inglaterra fra o
primeiro paiz qua es.ipulra aos seus tratados cora
Portugal, que a iuquisigao nao sena nunca introdu-
zlda no Brasil, facto pelo qual os concidados de S.
Exc. lhe serian sempre agradecidos.
zemera cada pagina seno lembrarseus Bornea co-
mo os mais esforgados pr qmguadores do progres-
so e do bem : o espirito huroaoo se tem desenvol-
vido, as raias da iolelligencia do horaem se tem
affastado, e se o mundo material lera progredido, a
elles ludo isto se deve I
... ni I,. .U il*(iJ
o resumo de ama sesso da Academia das Setos-
cias, extraamos o seguinte :
a ^'nT^rTT0^ S6re daSCarUS'
, do seu alias do Alio S. Francisco, que se esta im.
primindo. Representam estas carias a continua-
gao do curso do principal affluente deste rio, o Rio
das Velhas, de que elle j linha remetlido as pri-
meiras cartas.
Eutre as diversas direeges de serras que se no-
tam aqu, citarei particularmeule a grande serra i
MARA E A NOSSA PRIMEIRA INFANCIA.
I
vida.
As impiesses recebidas nesla idade tenia e
ingenua, a direcgo dada eato ao espirito to
brando, a Dexo imposta ao caraeter ainda to
caudido, exercem uraa iaflueocia, e produzem
resultados que nao se podem explicar.
O meo.uo esta entre as maos de seus pais como: o Curumatahy, cujo principio se v na ultima car-
um cyrio; recebe delles as tendencias e a physio. ta desta seguada sene, e cootra cuja extremidade
nouiia do corpo, participa de suas dlsposigSes mo- vem refieclir-se o Rio das Velhas.
raes, e de seus tragos physicos.
A applicago fcil; vem iafallivelmente do
principio que precede, porque se diante dos olhos
do menino, se pos um modelo perfeito e santo, sob
o efTeito constante das exhortagoes amadas de seas
Comp5e-se esta serra de urna serie de linhas de ,
cabegos que correm todas do N. 12 0. para o S.'
12- E.
Os maiores ngulos com o meridiano sao de 14
e os mais pequeos de 12, sempre para O. [
E' do Sr. Joaqulm Vilella esta poesa.
NO MAR.
Vagava a la
Paluda e oua
Por sobre o mar;
Doce era a brisa,
Que aromatisa,
Passaodo, o lar.
No co fulgiain,
Ue amor tremiam
Estrellas rail,
E com disfarce
Vinliam banliar-se
No mar de ail.
Junto da praia,
Onde desmaia
A la cheia,
Rompe-se a vaga
Que o chao alaga,
Beijando a areia.
Por sobre as mares,
Cortando os ares,
Morrem os sons
Da doce flauta,
Que tira o nauta
Com meigos tons
Sobre ama rocha,
Onde des'brocha
A vaga em flor,
Carpa bella,
Gentil donzella
Sua magoa e dor.
Saem-lbe os cantos
Clieios de prantos,
Cheios de d :
E ella persiste
Na rocha triste
Cantando s.
Brinca lhe o vento
Placido e lento
Pelos cabellos,
Que sao doirados,
To annellados
Soltos e bellos;
Pelo seu rosto
Grato composlo
De encantos cem
Prautos sentidos,
Mal comprimidos,
Baillando vem.
E sobre a vaga
Que ao pe divaga
Depois tombando
Em bellas perolas,
as aguas cerulas,
Vo se mudando.
Nuvem sombra,
Pesada e fria
Circumda a la ;
Ao vento leste
Da moga a veste
Va e flutaa.
E ella, e ella
Carpa bella,
Chorando s :
Saem-lhe os cantos
Cheios de prantos,
Cneios de d I
* Neste rochedo,
A furto, me Jo
Veoho chorar,
Que a desventura
Pesada e dura
Fez-me vergar I
Choro o passado
Terno, e engragado
Em que eu sorria ;
E que o destiao
Murcbou, maligao,
N'um fatal dia I
< Choro a innocencia
Lmpida essencia
De mira.creanga I
Choro na vida
Sempre perdida
Minha esperanga I
* Sonhos doirados
To bem fadados
Que entao sonhava,
Gratas venturas,
Risos, ternuras
Que eu j logra va,
c Doces amores,
Meigos primores,
Prazer divino...
Todo mudado I
Tudo murchado
Pelo deslino I"
< Menlio-me a sorte I
i S vejo a morte
Por toda a parte I
Mas quem levou-me.,.
Oh I quera mandou-me,
Ingrato, amar-te ?
Depois de amado
Teres gozado
Dos nieus cannhos.
Trocaste as flores
Dos raeus amores
Em crs espiahos I
E aao contente
Inda indiIlVeale
Me abandonaste. .
O n desato
Da vida I Ingrato,
T nuuca amaste I
Neste rochedo
A furto, modo,
Soltei raeus ais ;
Ninguem meus cantos
Cheios de prantos
Ouvir mais I
E assim dizeudo
Com gesto (torreado
Langou-se ao mar.
Viram-se apenas
Formas amenas
N'agua boiar.
Todas as nontas
Aos crs agoutes
Do vento irado,
Sobre o roebdo
Placido e quedo
Y-se sentado
Um vulto triste,
Que alli persiste
Sempre a chorar ;
E quando a aurora
Tudo colora,
Langa-se ao mar.
" -t n & i B jm
Le"-se no Commercio do Porto o segninle :
O palacio de crystal, pela parle exterior, acha-se
por assim dizer, concluido.
A actividade dos trabalhos desenvolve-se, por-
tanto, com mais (orea no arranjo uterior das tres
graades aaves era que se divide o palacio, bera
como no dos outros compartimentos, que sao a sa-
la de concert, museu, galera de pintura, dous sa-
loes para restaurante, um de l, outra de 2" classe.
cosinhas e ainda outros destinados a diff .-rentes
u.-os.
Ao loogo da nave central correm em toda exten
sao duas galenas parallelas.que licam a urna altu-
ra de quatro metros ciaia do aivel do chao, e que
sao resguardadas era lodo o comprimento por urna
grade de ferro.
Estas galerias sao divididas a razoaveis interval-
os por columuatai tambem de ferro.
Esla nave acha-se forrada, coberta de crystal e
soaJhada, excepgo do espago que corre por bai-
xo das galerias.
O forro de pinho, aisposlo em abobada, e a obra
de pintura neile acha-se concluida.
Para esta nave ou espagoso salag do entrada
ires grandes portas em arco, envidracadas de certa m'dade das ga,er,as da M ceDlral-
altura para cima. A visU TJe *t goza desta varaada
: mais deliciosas.
eotre eslas mais quauo janella, que tote
para os jardios.
No topo lem duas portas pequeas : a da dhrtita
da para urna sala de 19 ps de eoroprido sobre ti
de largara e que desuado a gabinete aartirmtar
para jbur.
A da esqoerda deiu para nm peqoesM comx
que coodax a sala deslioada para cal.
Este sala tem 50 ps de compriaaeoto e tJ de-
largura.
Tem commumea*; com dou- g^bin trs, meiro dos quaes mede 10 ps de i )mprMlo'e W >
larg.s e o segando 19 de cofnprimea*> obre 6 >
largura.
No corredor ba una escada que da serventa pa-
ra as adega, earvoanas e coxinaas.
Ao caf .-eguo-se um sali abundaMeoMaie es-
clarecido, poi- recebe luz por einco **?* janellas em arco, cuja abura nao feriar a 39
palmos.
Este salo destinado para restaurante de t*
classe.
Na Urente do edificio fie* a sala destinada para
museu.
As suas dimengoes ao 56 ps
sobre o de largo.
Tera cinco portas para o exterior, tres
para a nave central, e nina pela qoal
com urna sala de 51 ps de comprmanlo sobre 25
de largura, destinada lamben) para atusen, fjr
cima do primeiro de-tes dous npiriicntoj t>a
ama sala das macana* diraencoes, com cinco janel-
las que deltam para a varauda que corre na freafe
do edilieio.
O pavimento desta varanda de mosaico, eoaa-
biuaudo-su nelie as tres cores, amurelw, preto e
vermelbo.
Aqu teniiiuam os compartimentrt do iao Ja
reiio do edificio
Restam-nos enumerar os do lado esqoero.
O primeiro o salo de concert, que tem 52
ps de cvUjprii;.enlo, fra o tablado, e 43 de lar
gura.
Segue-se a esu a nave lateral do ni med, caen
as mesojas diineog.-s e em tudo igual a qne lea
do ouiio lado.
Esta nave tem 9 portas a esqoerda, das qnae*
duas liugidas.
Por ellas ba cumtnuoicacao para os segoinies
compartimentos: sala da espera do salo de con-
cert, com s ps de comprido sobre 27 de largo;
retretes para homens, com 55 de coroprinv-Mo so-
bre 27 de largo; ditos para senhoras,teado M pe-
de coinprimenio e 27 de largara.
Segue-se urna pequea sala para toilette com
ps de comprlmenio e 12 de largara, e a esta nana
antesala de H ps de coinprimeaio sobre 27 de
largo
As tres ultimas portas desta nave dao: as- dna->
priraeiras para a estufa qne tem 101 ps de enan-
primenlo e 27 de larguia, e a t-reeira para nm
compartimento envidragado, chamado ea-a das pnl-
meiras, e que tem a mesma largura, porm snee-
tade da extengo da estafa.
Esla acha-se coberta, faliand) apenas as vtdra-
gas.
A casa das palmeiras acha-se coberta e envidra-
gada.
Por traz do salo de concert abrem-se doos tan-
gos de escadas, com grade de ierro, que do entra'
da para as galerias.
No meio ba urna larga porta entre duas janvl-
las.
Na parte posterior do edificio corre
da com grade de ferro e paviiaeote de
Do para ellas duas portas que licam
ro.
na estre-
ama das
Era toda a exteuso da nave ha 11 portas, querj
de um lado, quer de outro por 9 das quaes se cora-
munica para as naves lateraes, e que se achara dis-
postas da seguate forma : do lado direito, 1 no al-
mo que do eutrada para o musen, 3 quasi juotas
que corarauoicain com a respectiva nave lateral, 1
a maor iotervallo, 3 ao ceolro e 2 mais abaixo,
separadas por algu.na distaocia.
Junto da quarta porta, lauto de um como de ou-
tro lado, urna escada que abrodo-se em dous fan-
gos, vai dar s galenas.
A pintura do telo desta nave consiste em peque-
os parallelogramos amarellos, divididos uos dos
oulrospor listas ames e braucas, sendo as arestas
das travessas lougilaJioaes da armagao de ferro
piuladas de vermelho.
A pintura das paredes anda nao est principiad,
trabalhando-se actualmente na das grades das ga
lenas.
Eslas sao piuladas de azui as vollas e de bran-
co as arestas.
A cobertura de crystal nao chega s extremida-
des do suiao.
As galeras sao igualmente cobertas de crystal,
ficando esta cobertura inferiora do centro, isto e,a
28 ou 30 ps, que a altura que vai do chao ao ci-
mo ds galerias.
No fundo desta nave, que terminado por um
sirai-circulo de vldros de cor, azues, rxos e ama-
rellos, deve ser collocado o grande orgo de que a
sociedade fez acquisigo em Inglaterra, e que o
mesmo que esteve no palacio de crystal de Syde-
nham.
O seu custo impartou em 7:0005009.
Os productos sero expostos ao exame dos visi-
tantes era mesas, mostradores envidragados ou sus
pensos das parpdes.
E 80 l|2 de largura. Do chao ao tecto ha urna alta-
ra de 59 ps.
A nave lateral que se estende ao lado do penie,
nao tem galerias.
E' ura vasto salo que tem de compriraonto 275
ps, de altura 4 e de largula 27.
Esta nave acha-se toda pintada.
A pintura do lecto igual a da nave central; a
das paredes a seguinte : Urna larga facha cor de
caf, coroada por estreita cinta azul com ornatos
brancos.
Segue-se uraa facha amarella, que chega a parte
superior das partas. Por cima destas fachas, a pin,
tura em largos parellelogramos cinzentos, divid
dos por espagos consideravelmente mais estrenos
pintados de amarello.
Na extremidade desta nave ha urna pirta envi-
dragada que deita para os jardins.
Do lado direito ha nove portas.
A priraeira da entrada para urna sala de 37 ps
de largura.
Esta sala coramunica com o museu por uraa por-
ta no topo, e recebe luz de trez janellas, entre as
quaes, em seguida priraeira, do lado do museo se
acha uraa porta que d sabida para o exterior.
Esta sala destinada para gabinete do lei-
tura.
D'alli se avista o Caudal com as suas casas de
variadas cores, destaeao*>-se entre copado arvore-
do; a eslago do camoho de ferro, o mar, o ame-
no sitio de Val de Amores, as i,rre de ioo
Novo, dos Clrigos, do Carmo, da Victoria, de 3.
Bento dos Frades; o convento da Serra, entran
mmtos sitios em que a vista se reponga cena de-
leite.
Em toruo do edificio estendem-se os jardn-.
O aspecto que ja oflerece esta parte d*jue!L> re-
cinto de bello ehVito.
Tudo alli se acha -.onibinaJo de mol) a encan-
tar a vista.
O eonjunrto de cirrornManeias que recae em si
o palacio de crystal ha nes safad* que ellepodera
sem vergouha ser clLrecido ao exame das pavas
estranbos.
Etes, se nao leem a admirar a gnadosi-laJt
que em ooiras parles dada a eoasuurre, e
igual uatureza; se nao podem maraviMur-M da
amplido dos jardius, porque o* ba mais mafBMa-
sos : nao podero comtudo deixar de admirar aa
bellezas do local, ura dos mais pieioresros e mafes-
losos, sendo nessa parte o palacio de crystal da
Porto superior aos que exislem ao nlnagilru ;
nao deixaro de prestar buioenagem a
da que produzio aquello mooumeaio;
rao emliin de sentir se tomados de svmpaOm e
veuerago para com um povo que sabe dar toa
eloqueute prova da sua crenga na religiao do pro-
gresso.
Encarado por este verdadeiro lad-, o palacio de
crystal do Porto nao lera que temer confrontes de-
sairosos, por isso que nem os mais callos pavos da
mundo passam ainda de peregrinos que segueta n
camiuho da civilisagao com os olhos em nm alvo
que ainda esto looge de allingir.
maini
Os operarios de Worcester (Inglaterra) arabam
de fazer um protesto contra os precos da cama de
talho, que sao cada vez mais alto.
Aodaram a passear pela cidade, em numero de
oais de frsenlos, com uraa msica aa freete e
com ura e- tanda re em que se liara estas palavras :
Queremos barato o cameiro e a vacca, e na-
da de mooopolio t
Todos os bornea zeram juramento de abster-
ge de carne al que ossem redondos os pam
A pintura do tecto acha-se concluida e igual
das naves.
A segunda porta d entrada para outra sala de
30 ps de comprmeme sobre 27 de largura.
Este compartimento destinado para a secreta-
ria da direcgo.
Segue-se urna terceira sala de 73 ps de compri
memo sobre 27 de largura
Servir para restaurante de 2* classe.
Esta communica com a nave lateral por tres
portas.
Sao coniecidas, diz o Internacional as numero-
sas descobertas do ousado viajante SamuH Baber
urna carta enriada do departamento dos animal
estraogeirosa real sociedade degeofraasm^aanam-
cia que MBaker acaba dldescobrirum grande taco
aa frica central que se supfde ser ama da* Ma-
les do iNilo.
Eis a caria :
Departamento dos negocios estraogeiros.Se-
nhor. O conde Russell enearrega me de aanma-
ciar-vos, para que o commuoiqueis a real inri di
de de geograpliia, que dous telegrama
de cliegar ao uepariameni dos negocios i
ros e posto que nao tenham sido prrL
traosmillidos, participam-nos ama noticia m
tem grande prazer em fazer constar mniidi
de por vosso intermedio.
O cnsul geral de Colqultoun envan non tole
gramma de Alexandria para fazer saber qne toaba
recebido em 10 de maio ultimo orna cana -tanda
de Knartuu, noticiaolo que M Bker riateegavri
deseo bnr a segunda fonle do Ni lo, seg "
importancia, mas na ordena da I
Victoria Nyanza de Speke.
O cnsul Stanley enviou igaalmente nm letegram-
ma de Alexandria ; falla da deseobarto tea por
M. Baker da segunda e principal late do Rti* a
lago Alberto Nyanza, a 2 graos e 171
titude norte.
M. Baker esperado proxii
xandria.
Son, senhor, etc.Hammond.
Do lado opposlo tem uraa janella em cada extre-
midade, s quaes se seguem duas portas, fleando I PERNAMBCCTE^mT bfc n r nat r 4 nq,nj7>
^u^y.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH0X8QCKZ_KSEUSO INGEST_TIME 2013-08-27T20:42:33Z PACKAGE AA00011611_10740
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES