Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10739


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V'
AffliO ILI, IVOMERO 182
Pr qnartel pago dentro de 10 dias do 1, mez : t ftfOOO
dem depois dos 1.* 10 das do comecoe dentro do quartel. 61000
Porte ao correio por tres mezes ..........,,: 750
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alex?odrino de Lima;
Nal al, o Sr. Antonio Marque* da Silva ; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos lraga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oiiveir ; Mannho, o Sr. Joaqnim Marque* Ro-
drizoes; Para, os Srs. Garaldo Antonio Alees &
Pililos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
"ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Uias; Bahia, o
Sr. Jos M.irtins Alvos; Rio de Janeiro, o Sr. Jos
Ribeiro Gasparioho. I
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo, Escada e estacSes da va frrea at
Agoa Preta, todos os, dias.
Iguarass e Goyanna as segundas e sextas feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruar,
Aitioho, Garanhnns, Bnique, S. Itento, Bom
Consflho. Aguas Bellas e Tacarat, as tercas
feiras.
Pud'AIho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesquera
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Cabrob, Boa Vis-
ta, Ouricury, Salgueiio e Exti, as quartas
feiras.
QlflTA FEIRA 10 DE AGOSTO DE 1X65.
Per anno pago dentro de 10 das do 1. mez
Porte ao correio por ubi auno ..,.,..

Serinhem, Rio Formoso.Tamandar, Una, Bar-
reros, Agua Preta e Pimenteiras, as quintas
feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do eomraercio : segundas e quintas.
Relagao : tercas e sbados s 10 horas.
Fazenda : quinta? s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas as II horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e tabbadea a 1
hora da tarde.
.EPIIEMERIDES DO MEZ DE AGOSTO.
7 La clieia as 3 h., 9 m. e 34 s. da m
13 Qoarto nnng. as 7 h., 22 m. e 28 s. da t.
i La nova as 4 h., 37 m. e 34 s. da m.
29 Quarto rresr. as 9 h., 29 m. e 46 s. d m.
DAS DA SEMANA.
7. Segunda. S. Caelano Theatino fundador.
8. Terca. S. Cyriaro dlac. m.; S Emiliano b.
9. (Juana. Ss. Secundiniano e Veridiauo uim.
10. Quinta. S. Luurengo diae. m.; S. Astiieria v.
11. Sexta. Ss. Tiborcio e Suzanna nim.
12. Sabbado. S. talara v. f.; S. Aniceto ni.
13. Domingo. Ss. Hypolilo e Cassiano mm.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 m. da manhaa.
Segunda as 7 hora? e 18 minutos da tarde
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Pan o =nl H AtafBM a I*, e *0; pan o niru
a a Granja a 7 i 22 Je cada mez; para FeraM-
Ij do nos dia? 14 dos mezes di |MMMKj Manan, par-'.
juiho, setembro e anal t .
ASSIGNA-SF
no Recife, na iivraria da praga da l-irVpmdnmb
ns. 6 e 8, dos propietarios Ihanal PejbbM u
Faria & Filho.
GOTOSO 04 PKOYfttiU.
Eipediinte do dia 7 de agosto de 1865.
Offi'i) ao btigadeiro commandante das armas.
Deferindo o requerimento do guarda do batalhao n.
18 de infaniaria do municipio de Aazareth, Severi-
n: Jos de Sant'Anna, sobre que versa a informa-
ro de V. Exc, n 1,303, de 2 do corren!", o auto-
riso a acechar o paisano Leonrio Baptista Brrelo,
que o supplicante idferece para servir na guerra
em seu lugar, cumpriodo que V. Exc. mande alis-
tar o substituto no contingente destinado para
aquello servido.
Dito ao Dr. chafe de polica.Apresenundo me
o Sr. William II. M. Grath 0 imperial exequtur
sua nomeago para cnsul interino dos Estados-
Unidos nesta provincia, assim o commnnieo a V.
S. para seu conhecimeno.Fizeram-se as demais
communicarSes.
Dito ao inspector da thesouraria de. fazenda.
Transmiti a V. S para os Boa convenientes, as
inclusas contas documentadas da receita k despeza
da enfermarla militar de Tacaral, relativas ao mez
de junlio; ultimo.
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu-
mentos, que me remellen ocommandaote superior
do Recife, com offlcio de 4 do correte, sob n. 228,
e nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar
os vencimentos relativos segunda quinzesa do
mez d; juiho ultimo, da torga do Io balalho de
Infantaria da guarda nacional desta capital aquar-
teLida para o servico da guarnicao.
Dito ao mesmo.Mande V. S. diantar ao lente
da 4* companhia do cepo de polica, Joo Eduardo
Pe reir Borges, como pede no incluso requeri-
mento, um mez de sen sold, para ser descontado
pela quinta parle, visto ter elle de embarcar para
o sal, no vapor Jos S. Romao, com a (orea daquelle
corpo que se destina a guerra do Paraguay.
Dilo ao mesmo.E^peca V. S. sua? oidens para
que em vista da inclusa folha seja entregue, com
urgencia, ao Io tenenie Ernesto Ignacio Cardim,
conforme solicitou o capitn do porto, em offlcio de
hoje, sob n. 127,aquantia de 2005000, que leem
direito Jorge Tavares da Silva, Ji-an Baplisle Van-
derrawre, Andr Paler Arudt, Manoel Jos Mar-
ques e Manoel de Aguiar, grumetes engajados para
o servico da armada, bem como o engajador Andr
de Abreu Poito.
Dito ao mesmo.E-dando em termos os inclusos
documentos, e nao havendo inconveniente, mande
V. S. pagar, conforme solicitou o respectivo com-
mandante superior em offlcio de 3 do correle, sob
n. 230, os vencimentos relativos ao mez de juiho
ultimo, dos offieiaes de I" Hnha, tambores, corne-
tas e Clarn?, empregados nos corpos da guarda
nacional desta capital.
Dito ao mesmoAo lenle Manoel Joaqulm
Machado, encarregarto da reorgauisago da compa-
nbia de cavallaria, maude V. S. entregar, conforme
solicita o brigadeiro commandante, das armas, em
offlcio desta dala, sob n. 1,319, a quantia de......
3:2005000, para a compra de vi me cavallos, nao
s para a monta da? doze pragas viadas da corte,
como das que se forem alistaudo.Communicou-se
ao commandante da? armas.
Dito ao mesmo.Tran.-miltoa V. S., para os ips
convenientes, copia do offlcio de 21 de junho ulti-
mo, em que o juiz de direito da comarca de Taca-
rato, bacbarel Marcos Correa da Cmara Tama-
rindo, accn?a haver recebido pelo lenle do corpo
de polica, Tliomaz Rodrigues Pereira, para adan-
lamento de veneflhento? dos guardas nacionaes
d'alli, destinados guerra, a quantia de.......
2:11 i000.
Dito ao mesmo. Declarando o commandante
superior inlerino da guarda nacional do Bonito,
Manoel Gomes da Cunlia Pedro, em dalas de 22
de jolito e 2 do correte, que far a sua costa o
supprimenlo dos dias de vjagem at esta capital,
dos guardas nacionaes do batalhao n. 26 do muni-
cipio, designados para a guerra, e que neste sentido
fazia apresentar os de nomes Manoel Ferreira Ve-
Iho, Manoel Perrira da Silva e ManoH Gomes da
Silva, que mandei addir ao contingente destinado
quelle servico ; assim o communico a V. S. para
seu conhecimento.
Dito ao inspector da lhe?ouraria provincial.A'
Antonio Augusto Maciel, mande V. S. pagar, se
nao houver inconveniente, a quantia de 200501)0,
em que importa o aloguel de um anno, vencido em
30 de junho ultimo, da casa que serve de cade. no
termo de Barreiros, como se v da conta junta em
duplcala, que me remeiteu o chafe de polica com
ofllcio de 5 do corrente, sob n. 1,097.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
commandante do corno de policia, em offlcio n.
702, recommendo a V. S. que mande saii?fazer
amanhaa a folha e pret dos vencimentos dos offi
ciaes e pracas daquelle corpo, qoe segu para o
sul no vapor Jos S. Roma. Commontcou-se ao
commandante do corpo de polica.
Dito ao mesmo. Constando de offlcio do chefe
da reparticSo das obras publicas, de 31 de juiho
ultimo, sob n. 2'0, haver o arrematante Jos rran
cisco do liego Barros, executado a terca parte da
obra dos reparos da e>lrada do Mondego, recom-
mendo a V. S. que, em vista do competente certi-
ficado, e nao havendo inconveniente, mande pagar
a quantia a que tiver direito o mencionado arre-
matante. Communicou-se ao chefe da repartic&o
das obras publicas.
Dilo a as Voluntarios da Patria. Transmillindo por copia a
associaco protectora das familias dos Voluntarios
da Patria os ofilcios e documentos annexos em
original, que me foram remedidos pelo cidadao
Flix Fernandes Portella, com referencia aos vo-
luntarios Joaquim Jos Pereira e Pedro Jos de
Lima, vindosda villa do Bonito, e que embarcaram
para o sul, espero que a mesma associaco os to-
mar na considerarn que entender de justica. -
Communicou-se ao Sr. Flix Fernandes I'or-
tella.
Dito ao con-ul de Portugal.Respondendo ao
offlcio, que ao meu antecessor dirigi o Sr. Dr.
Ciaudino de Araujo Guimaraes, cnsul de S. M.
fidelissima, em data de 29 de juiho ultimo, cbe-
me dizer que foi posto em liberdade o subdito de
sua naco, Manoel Antonio Barbosa, que fura preso
como snspeito de ser desertor da armada.
Renov ao Sr. coosul de Portugal a seguranca
de minha estima e distincta consideraco.
Dito circular a lodos os comrnaodantes superio-
res.Transmuto a V. S. para sea conhecimento e
execugao, um exemplar impresso do decreto n.
3,496, de 8 de juiho prximo findo, dando instruc
cues para as juntas de sade dos commandos su-
periores da guarda nacional.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Bonito.Respondo ao seu offlcio de 22 de
juiho prximo ftiido, dizendo-lhe ]ue deve V. S. fa-
zer marchar quanto antes pata esa capital, o con-
tingente da guarda nacional destinado guerra,
como se ha recommenJado, nao podendo servir de
embaraco a isso o calculo da respectiva collecto
ra para os dias de viagem, visto como elle tem por
fim estabelecer urna base para o fornecimento qoe
deve fazer-se ao contingente, e nao para o tempo
de viagem que deve ser a mais rpida possivel.
Dilo ao mesmo. Era 3 do corrente mandet
addir ao contingente destinado a guerra os guar-
das nacionaes do batalhao n. 26 de infaniaria do
municipio do Bonito Manoel Ferreira Velho, Ma-
noel Pereira da Silva e Manoel Gomes da Silva, a
que allude sea offlcio de 2 deste mez
E inleirado de taretn ellos sido snppridos na
I viagem at esta capital, por V. S., qu*. por outro
offlcio de 22 de juiho prximo findo, declaran fa-
zer igual supprimento a todos os guardas d'aquel-
le balalhao.que para aqui vieramcom o mesmo des-
tino, tenho a dizer era resposta, que muito anpre-
cio, louvo e tomo na maior consideraco o seu pa-
tritico offerecimento
Dito ao director das obras militares. Recom-
! mendo a V. S. que mande fazer com urgencia os
pequeos reparos de que precisa o quartel das
Cinco Ponas onde se acha alojado o Io batalhao
de guardas nacionaes destacados, como verifique!
na visita que (iz aquelle e?tabeleeimento militar.
Diloao mesmo.-Recommendo a V. S., que pre-
cedendo orgamento, mande, com toda a urgencia
fazer os pequeos reparos de que precisara os
quarleis da Soledade e Clnco-Ponlas, e o em que
se acha o deposito de recrulas, providenciando
V. S. ao mesmo lempo para que no 1 d'aquelles
edificios seja concertada com brevidade a caoali-
sacan da illominacao a gaz, e os bicos respectivos
conforme solicita o brigadeiro commandante das
armas em offlcio de 2 do corrente, sob n. 1304.
Fizeram-se as necessarias commuicagoes a este
! respeilo.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. fazer no quartel
da compaohia de cavallaria os conferios que fo-
rera precisos as baias e estivas das respectivas
cavallancas, bera assim na co?inha e quarto de
deposito, rampa o ladrilhos mandando lambem
catare pintar aquelle edificio. uoramunicou-se
ao commandante das armas.
Dito ao director do arsenal de guerra. Forne-
ca V. S. ao tenirnle-coronel commandante do bata-
lhao n. 8 da guarda nacional deste municipio 7
armas em bom estado e outros tantos correames
para os guardas que lera de destacar no Io distric-
lo da freguezia de S. Amaro de Jaboatao.
Dito ao mesmo.Concedo a permissilo que V. S.
solicitou em seu offleo de 31 de juiho ultimo, para
: mandar costurar por particulares, independente de
arremalaco, as blusas e capotes que se tem de for-
necer a guarda nacional destinada ao sul do impe-
rio, pelos prego? de 15300 as primeiras e de 900
i ris os segundos, uim vez que esses pre.gos sejam
, os niais baixos ou menores obtidos durante o se-
, mestre prximo passado.
1 Dito ao mesmo. Ao tenente Mahoel Joaquim
; Machado, mande V. S. entregar, conforme solici-
, tou o brigadeiro commandante das armas era olli-
| ci de 4 do correte, sob n. 1310, os objectos cons-
I tanles da relago inclusa perlencenles a compa-
1 nhia de cavallaria e que foram recolhidos nesse
I arsenal quando erabarcou ella para a corte.Cora-
I municou-se ao commandante das armas.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. Con-
I cedo a aotorisacSo que V. S. selicita em seu offlcio
de 28 de juiho ultimo, sob n. 938, para comprar
um pao para servir de mastro no telegrapho da
torre do Collegio.Fizeram-se as necessarias com-
municagoes.
Dito ao mesmo. Mande V. S. alistar na cora-
panhia^ de aprendizes marinheiro?, se estiver as
condigoes do respectivo regulamento o menor Joo
Evangelista Barbosa que Ihe seri apresentado com
este offlcio.
Dito ao commandante do corpo de polica.Fa-
ga V. S. alistar no corpo sob seu commando os
paisanos Martinho Bizello Bezerra de Bello, Ame-
rico Olympio de Macedo, e .\ .razano da Costa
Monta Mooteiro, que foram julgados aptos para
isso era inspecgo de saode, segundo V. S. decla-
rou emseus offlcios ns. 700 e 701 desta data.
Dito a direecao da Associaga > Coramercial Be-
neiceule.Accuso recebido o offlei 1 que em o do
correute me dirigi a nova direcgo da Associa-
go Comraercial Beoecente acompanhado de urna
relagao dos funcionarios para ella eleilos, do que
lico sciente.
Dilo a cmara municipal do Limoeiro.Remet-
i a cmara municipal do Limoeiro a relago junta
por copia dos jurados que deixaram de compare-
cer a primeira sesso do jury desse termo no cor-
rele, anno, alim de que faga effectiva a cobranga
das multas em que iucorrerara, devendo a me-ma
cmara ioformar-me quaes as que foram recebi-
das, bera como as impostas na segunda sesso do
anno passado que deixaram de o ser e a razo por
que. Coraraunicou se aojuiz de direito do Li
moeiro.
Dito ao chefe da repartigao das obras publicas
Re?pondendo ao seu offlcio de o do corrente sob
u. 2d tenho a dizer que approvo a nomeago, que
sob proposta do conductor d? 4* dislriclo, fez Vrac.
de Amaro Joaquim da Fonseca Galvo para feitor
de primeira classe.
Dilo a Flix Fernandes Portella. Dando ao re
queriuieiilo de Maria Guida da Penha, mi do
Voluntario da Patria Pedro Jos de Luna o mesmo
destino de que trata o meu offlcio desta data; as-
sim o declaro a Vine, era resposta ao seu offlcio
de 29 de juiho ultimo.
Portara.O Sr. commandante do vapor Jos S.
liomuo receba a seu bordo e transporte para a
corte as pragas do exercito, Voluntarios da Patria,
e recrulas constantes da relago junta por copia,
e bem assim ao capello alferes da repartigao ec-
clesiastica do exercito pidre Amonio Fraucisco
Aras, e ao Io cirurgio do corpo <'e saude Jos
Joaquim Machado. Fizeram se a? necessarias
communicagoes.
Dita. O Sr. commandante do transporte a va-
por Jos S. Romao conduza a seu bordo para a
corte os offieiaes, guardas nacionaes e Voluntarios
da Patria do Rio Grande do Norte constantes do
raappa incluso.
Dita.O Sr. commandante do transporta a va-1
por Jos s. Romao conduza a seu bordo os recru-
tas, marioheiros enrmeles engajados constantes
da relagao junla, que o capito do porto lera de re- j
metter ao quariel general da marinha, providen- j
ciando para que elles s desembarquein na corte. 1
Expediram-se as necessarias ordens a esse res-
peito.
Despachos do dia 7 de aijosto de 1865.
Rcqueiimenlos.
Antonio Ferreira Lustosa. Dirija-se thesou-
raria provincial.
Antonio Jos da Moda.Indeferido em vista da
informaco.
Antonio Serino da Silva.Indeferido.
Bazllo Alvares de Miranda Varejo. Declarn-
dola cmara municipal do Recife nao acceitar a
proposta, nada ha que deferir.
Francelino Jos Ferreiaa. Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do munici-
pio do Recife.
Felismino Nunes do Reg. Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do Pao
d'Alho.
Francisco Jos Cabral. Apresente-se ao com-
mandante do 1 balalho da guarda nacional des-
tinado ao servigo da guerra, aflm de ser pportn-
namente inspeccionado.
Galdino Apolonio Perfeito de Menezes. Inde-
rido.
Hermenegildo de Aqnino Paes Barreto. Inde-
ferido.
Jos Pereira da Silva, Informe com urgencia
o Sr. inspector d thesouraria de fazenda.
Alferes Jorge Vctor Ferreira Lopes Jnior.
Passe portara concedendo a licenga pedida.
Joo Theophilo da Costa.Concedeu o praso de
15 dias devendo ser este apresentado ao Sr. briga-
deiro commandante das armas.
Jos Francisco de Paula.Como requer.
Jos Ferreira de S, e Anna Ferreira de S.
Concedo a licenga, pagos os direitos nacionaes.
Jezuino Archanjo de Albuquerqne Pimentel.
Informe o Sr. jniz municipal do termo de Naza-
reth.
Manoel Marlins de Albuquerque.Requeira por
intermedio do Sr. commandante.
Silverio Antonio de Vasconcellos. Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
municipio do Cabo.
Viuva de Bastos & Filhos do fallecido Antonio
Jos Teixeira Bastos. Como requer, pagos os di-
reitos nacionaes.
Zafirino Tavares da Silva. Nao tem lugar o
que requer o supplicante.
DIARIO DE PERNMBUCi).
Cliegaram hontem os vapores Paran, dos portos
_t Defensor perpetuo do Brasil, V. M. Imperial
na soffreu que o solo da patria fosse pisado por
Hordas inimigAs sem correr apressurado a parti-
Ihar os perigos de seus subditos para e>timular
com tao nobre exemplo os brios patriticos da
naeao.
t Em presenca d'uma prov.i de tao acrisolado
patriotismo de seu monarcha, a nvgo nao pie
deixar Je conimover se de gratilloe de embustas-
Mea adoiirago.
Interprete fiel dos sentimenlos dos cearenses,
a assembla provincia! apressa-se em leslemanhar
a respeilosa liompnagem de sua gratidao e adheso
illiroitada sagrada pessoa de V. M. Imperial.
Tal si'iiiior, a expressjo sincera dos setiti-
mantos, ijue pelo nosso orgio enviara os coaren-es
al.
de 186a.-
lix Jo?c de
ves Ribeiro. 1
Exra. Si.
A assembla provincial do Cear, comparlilhando
o pix
tofir-
m 1 -
eslou convencidissimo que o remeti sera >nbsti-
tuir por outros agenles mais pacilleos. e bem quie-
tos os atuaes empregados de polica Venhara auto-
ridades que inspirem conflaoca na pnpulaca 1 que
'ero por si gregos e iroyaoos.
Veio neste paquete procedente do norte o Sr.
Dr. Jos Mara Brrelo, commandante superior da
guarda nacional da capital do Maranho, a frente
de cuja ror,oracAo segu para o Paraguay. E' sa-
bido, e reconhecido por lodos o importanlissimo
concurso, a cooperagao efflcassima, que o Sr. Dr.
. bbbjbmmi ao
Ihoairo da giii-rra.
Ant^s de formarem nncle-n, soffrer*> tratn
desfalques ; e o ex-reito, o grande .-xere* fm
precisamos, lenta a dilhYilmente avullari itwalo #
tiecessano para repellir a f rra p.-| tm.
Um seulimento o niiis nbre e o ms et-a-
do, o amor da patria, a nos-a propria 4\f*>**+'.
reclamara que-excedamos ao in-ob>nl Praanv>
na regutarilade meih lo >m qin, o t Ito .
elle mais d > que p le, marcha e marcha empr-
na obra da desiruigio.
Amazonas.-O estado sanil.rio da provincia era "V. "^1' '"' 7', ',J '"V^''.^'"'""'
ouco sa.isfa.orio, em consequenc.ia a vasante do i SiSSlSS t *!i ^
iw.n. 1.,, H0t,.ni.,r.K.. ..mm.. inantrt, suceessos do no.-so exercito e armada en
pouc
rio Negro, que fez desenvolver febres perniciosa
A a sembla provincial encetou os seus traba-
lhos, no dia 10 do passado, licando a sua mesa
administrativa assim rompnsla: padre Antonio
Augusto de Mallos presidente, c os Srs. Silva Mei-
relies e B. Pinto secretarios.
No dia 19 essa corporagao envin urna depu-
laco para felicitar ao vice presidente Dr. Miranda,
pelo acert com que dirigi a provincia, principal-
mente por oeeaslao da crise da villa de Serpa.
Para Teve lugar, no da 23 do passado, a
bengo da bandeira do corpo provisorio, com as
solemnidades do estylo.
Cousot verdadeirn phrenei na nopulagao, a
noticia da victoria de Riachuelo. Na noute, aps
a chegada do Paran, portador da noticia, a popu-
lacao percorreu as mas dando enthusiasticos
vivas.
L-se no Diario do Gro-Pard:
c Vai abaixo publicada a circular, que o Sr. Joa-
quim Antonio Alves, acreditado
. em
Paysand fi Riachuelo, deliberan felicitar o nossos
bravos, que se cobriram de louro nesses glorioso?
cmbales, que nao riogaram a honra do Brasil,
como elevaram muito alio a gloria do pavilho na-
cional as margen? do i'rata.
A mesma assembla se dirige por isso a V.
Exc, para que s digne servir de orgo peranle
os cheles do exercito e armada dos seiiluuentos de
admiragao, enthusiasmo e alia eslima, que lh> tri-
bua por si, e em nome dos ceareuses, de qiyui
fiel inireprele.
Deuscuarde a V. ExcSala das commis-oe?,
3 de agosto de 186o. Illra. e Exm. Sr. cooselheiro
marquez de Olinda, presidente do conselho de mi-
nistros, ministro e secretario de estado dos nego-
cios do imperio.Joao Pinto de Mendonca, rela-
tor. Flix Jos de Souza Jnior.Domingos An-
tonio Alves Ribeiro.
Rio chande.L-se no Piogressista :
No dia 19 do Corrente, pelas 2 horas da tarde,
fundeou em nos-o pono a corveta de guerra norte
Jarreto presin ao governo daquela 'provincia na -ifi"?! -J*' "i"""1'* ',',, l*>r,"n,.nn
.;...)--------... j. ... "ios leito a poiiro em relaca.) ao qoe rf-ta fawr.
O- sacrificios pii.-tad -s ;-ela naro s et>
anda na atiura das ciri-nmUncia'jravHMw*
en, que noa acham>)?.
i precioso -angoe brasileiro lera < .rri-fc>,
mulls vida-, as onoMS tmara*
, pezar de tudo is*o, \jypit Tfw
a fronte orgulhosa e dicta leis no solo .agrado do
Brasil.
Preei?amos de mais sacrillci >s ; preci*wmr.*
do efflcaz concurso de todos os Brasileir>. qoa p-
dem formar um exercito l> te e noftvr-
que anda ufu conlribuiram para c?a ditiia de
mra.
organi.-aeo dos corpos de voluntarios, e da guarda
nacional, que deviam ir lomar parte na defeza do
Imperio. Invocado u seu valioso apoto pelo presi-
dente, que nesle ompenho patritico nao olhou
cores polticas, o digno Sr. Brrelo deu provas de fcl',!3SJ
sua nao desmentida dedicago, contribuindo por si, ZJ^.-.TS
e por seus numerosos amigos para que a proviu- i.TZTTT'V*
fia do Maranho nao ficasse atraz das oulras do
Imperio no nobre ardimento de defender a honra
nacional; louvor por tanto ao Sr. Dr. Barreto, e
vergonha eterna aos agorentadores do seu reconhe-
cido mrito.
Nesta breve noticia nao podemos esqaecer o?
nomes do? distinelos tenenles-con
interesados:
son, procedente de New-York, a qual se dirige ao
. i1,,* n'rtQ ;.,\hn a iocx m c. t .,i > pacifico com escala por alguns porto.? brasilciros,
^BBzB^^B KarSSSSaSrE
Alves, chefe da anliga casa comraercial, estfele- 2? S?Lt a|)re*.enU ais pr,s e do"S 'f:
aatSsraara S?SS3fS
casa, contina ella em suas operagSes mercante, aJ\V cm,^0^ ""J""* A u.arnia0 e *> pragas
sob 'a mesma razo social de-Gerardo Antonio ^^1^^
,.ves A Fho, debaixo de minha immedia.a res-1 *"\'J^J-^SESVZ!
gradas desta capital, que foram bem acolhidas pe-
patria com o seu amigo e companhei
de lides o Sr. Dr. Uarreto.
Toda a forca secompoe de 575 pragas, inclusive
offieiaes, a despeilo de toda a opposigao que os
bons amigos do progresso daquela provincia fize-
ram sua organisacao.
Pernambuco teria apresentado igu-il manifesta-
g.o de seus brios, nunca resfriados, se os gover-
nantes desta bella provincia nao tivessem reduzi-
do a queslo nacional s miseras proporg<5es da
poltica raesquinha, que lomou por norma a ex-
clusao, e o exterminio dos raelhores servidores da
patria. Mataram o espirito publico, su (focara m to-
das as forgas vivas da provincia, e querem hoje
milagre? de enlhusiasmo I Dos permita que elle
volte ardente, e unnime.
Depois de 11 horas da noute de hontem foi
preso Manoel Mariano dos Santos, com urna por-
gan de chaves e que procurava introduzir-se no
ser ab-olulos, rpidos e enrgico*.
Precisamos de -oldad 1- e marinheiro-'.
E-gota! m m.10? brando*, sendo pro|nxlirnl
a entido ios engajamento-, re-U o grande reenr-
so eOMtUuciou.il, resta a leva em ma?sa. !>* ->.-
Brasileiros san olirigados a p-'tur defender a iolegridade do paiz : tal o procero
constitucional.
E' chegado o grande da.
As armas A* armas f
E' o grito que o gov-rne-, que o paiz em po
deve dar, acompanhado de prorapt e etertrira
execugo.
- Passageiros do vapor bra-ileiro Xam>mgm>ipr,
sahido para os porios do norte :
Jos Victorino Ferreira Lopes Jnior, san atemo-
ra e 3 criados, Amonio Chmese* M. de 4rat>\
Vicente G. Nascimenlo, Clinio de Obveira Jt, mm
e 6 criados, Vicente Ferreira None* P*oU e rria-
ponsabilidade smente.
a Fazendo a Vmc. esta communicaco prevale-!: "m .T^r iX"k"l~>' '"'' """.""j' """" "T'......" kj
go-rae da opporlunidade, para agradecer-lho a i ofli',aes debordo. 'Ia ** "' mos de
a 1
confianga, que Ihe lem merecido a mencionada
firma, esperando a conlinuago de seus favores.
t Refiero a Vmc. os protestos de minha estima
e subida considerago, subscrevendo-me.
manriras agradaveis a sympaticos.
PAnAitYDA.-Teve lugar, no dia 4, a abertura da
assembflM provincial.
Arribara, para reparar avarias, o palhabote
Dous Irmiios, com 65 dias de viagem do Maranho,
De Vmc. muilo respeilador e criado.-Joaqnim c com |j^JM an n^ p-r,o
- Sabio para Liverpool, 3, o brigue inglez Me-:
Antonio Alves
Maranho.A varila contina a lavrar com
tntensidade na populago, fazendo bastantes victi-
mas.
Alim do soccorrer aos intelizes affectados do
mal, nomeou a presidencia da provincia urna
commisso.
Nos dias 15 23 do pa?sado houveram pre-
ces, pediodo a extinego da pesie.
Fallecer, com 79 aonos, o Rvm. Domingos
da Rocha Vianna, cura de Nossa Sen!:ora di Vic-
toria.
Le-sc no Publtcador :
Effeciuou-se (no dia 20) na igreja de Nossa I
Senhora do Carino, pelas H horas e meia da ma-'
nha o acto religioso do bensimenlo da- bandeira*
do Io o 2a balalho exped'donarios da guarda na-1
cioual, sendo padrinho.. S. Evc. o Sr. presidente da |
provincia, e o Sr. commandante superior chefe da
brigada expedicionaria.
t Assisliram ao aclo, alm de grande copia de
cidadao?, as alumnas do collegio da Senhora San-
t'Anna, que foram para a igreja encorporadas, e
assim voliaram para o collegio, aroinpanbadas pe-
las desveladas directoras do mesmo.
t E bordadas, urna pelas mui dignas directoras do col-
legio de Nossa Senhora da Gloria, e a nutra pelas
nao menos dignas directoras do collegio da Senho-
ra Sant'Anna.
t A entrega da do 2 batalhao deu-se na noite
de 23 de abril, como ja noticiamos; a da do 1* ba-
talhao teve lugar hoje (21) pela? 8 horas da ma-
nhaa, Indo o balalho formado recebe-la na porta
do collegio, das maos de algumas das alumnas
desP'.
t O acto esteve aparatoso e solemne, e lusida-
menle coucorrido. Esse til e importante estaba
lecimenlo de educago do bello sexo
lilla, cora 1,K0 saccas de algodo com 6,659 arro
has e 30 libras.
A alfandega rendeu, no mez de juiho, ris...
11:2043-352, e de 1 a 5 do corrente 1:7733477.
0 algodo de Ia sorte vendia-se a 143, o de
2* a 123 e o de 3' a 103 por arroba.
O asucar bruto 13280 e o branco de 33800
a 43 idem-
ai.voas.-Falleeeu-o capello da Santa Casa da
Misericordia, padre Jos Fernandes de Bulhoes,
com 72 anuos.
tercero andar do sobrado da praga da Boa-Vis.a, ^ BftZTJL A. M e 2 km, To,a-
ari.no larapio afamado, eve baixa do exer- ^SSf^JSSCLX^
ieaote Se-
Ca vafean*.
PimeatH. rram-
oje effeclua o agente Pinto o leilo de fazen n-i'i \\l~i\~ r VTT ST fc!^fV
das^avariadas, no armazem da ra da Wei. ^M^lgSTmS^K
Araanha II effetuar o raesmo agente o leilo: f^lJ?1* "'*%# A~r>- **>-
de movis e obras de ouro de le no raesmo af-l1"0 *gg">.g!*%.^ .
mazem Passageiros dt vapor brasileiro Parmm,
Depois de manhaa, se extrahir a 2' parte tr^ff-^?^S____ c
da 5a lotera, do theat o de Santa Isabel, f 17-LI *??** *** *A**** '
sendo o maior premio de 6:0005. I El* c.utundi'. ". !''?; .i.* i cravo. Bi-
liaria >>a-
artin-, Amo-
em-
Depois de manhaa, se exlrahir a 2* parte m-J3 p.l_.- o -' -- -
5a lotera, do theat o de Santa Isabel, m^tSStlTmS^JSSA
do o maior premio de 6:0003. \fc C^' fi' a Ti*" i?
- Gommunicam-nos o segrate : Sl^fi?! T*. S fi 5S&Veu
. Seria bom que se indagasse pela cmara mu- H t SSS?5* J"*****-*"
que se indacasse pela a
nicipal acerca de urna casa de lalpa amiga, beira I m duf Vam^',V, m .^SS ^SnS
da estrada ao entrar para a Casa Forte, cu a rente \ ""i; "'T" ?'T "J M F" fS J *t *^1.
tendo sido demol la. de novo se esta conslruinlo! CM "*f, S'A f M;,r,' "**"? h^ZJl
no mesmogosto, se ato permiltido pelas posturas SSLvSaiffiS^d^ri^i p*SH i"tZ?
municipaes e pela plan a daquela localidade; e! R''?;nS'r- Andrade Penosa, .r
,.. ........1;......... .1____ I naimundo Gomes e I escravo, Jo e Felia Snanpatn,
PERNAMRUCO.
adjacentes estavam embandeiradas, sendo para ad-
mirar-se o aeeio e boa ordem do collegio.
Sania hontem (21) a noile a pereorrer as ras
desta cidade a offlcialidade da guarda nacional que
tem de marchar com a brigada, indo ueste, pas-
seio.acompanhada de crescldo concurso, ao pala-
R8VIST4 0IA1U.
Emi rcou n) vapor /. S. Ronulo hontem ai
ala esqnerda do corno de policia desta provincia !
com destino corte, if onde devera seguir para os i
campos em que os lilhis do Brasil sustentara a!
honra do torro natal, accotnmelltda pela insania
paragui ya.
A importancia que se liga ao patriotismo dessa
porco de irraos nossos que partiram, vuno-la es-1
pelliada na manifesiacao publica que houve as i
ra? do seu trajelo, cuja? varandas aehavam-se '
cheias de pessoas, que Ins ilavam o adeos da des-
pedida ; vimo-la nesses arcos de f ilhagem e nes-
sas bandeiras que enchiain a ra amiga dos Quar i
tei?, por onde ao som de msica e ao estampido
de fugeles qoe subiam constantes ao ar, deslilou
essa ala de bravos pernarobneanos, tendo frente,
o Exm. Sr. conselheiro presidente e o Sr. Dr. che-
fe de policia, sendo seguida de grande numero I
e as casa? de pessoas de todas as casses, que os levaram at
, igualmente quem foi que autorisou essa obra pois \ '"T p",, ""'"V V r ^Ti "
! que em geral todos ali admiram-se de que tal cons- ? 'SS^ mI !\ ?1 T\ Tv^
trueco se esteja fazendo. ; ZT' v 7 Se'be,ber*->-Jw>H *** ,>-?*
A vontade.yranniea de Solano Lope* conver- SS^jS?^ i'SSfai'SS fiS '
leu em exercitos a populago intelra de seus do- t?!?.1** **** T>>? *
mimo? paraguayo?. Nem a tenra adolescencia,
nem a decrepita vellnce poupada ; as roulheres
lavram os campos e depois defendern os baluartes
do despota.
candade e 3 escravos a entregar, Antonio Fer
des Guimaraes Portella, atiere? J .ao C Barrrb>,
Jos Miguel, Jos dos Passos C >rvall>>, I). Mar da
Sol-dade, L. Pereira Lima e I liih Minoei J -
E. A.
Carvallk',
.i'-ll l\ 1 IIU .-:-,! ll.MMIO -ll.-lll! O. |VI.,.. U ^. I -"
E' um f.,eto tremendo na historia da human! I*^**^^1* **** P. .*>>*
|a(je da silva (elho e 1 cralo, J >ao RoJotpIn t-jm^-,
Francisco Jo? Guimaraes, J^ AntonuM. ls*l.
. E' um'horrivel sacrificio ordenado pelo Mero gj?.*??. JJtf3A *!******.
Memo, como se Ihe aprouvesse ver o ultimo Pa- i B2*. de M.galh.ies Alp.o Han fe
, n i. .^ni-n Francisco Alves de Souza l/.rvalh,. 2 e*f
mo
ragoayo no seu ultimo suspiro.
d
. E-tas legioes que ha dez annos se exercitam, rZZ\ZluTZZ2
estes escravos que prenderara a assass.nar. bus- de^r.Am.n.,0 t?"r0-
o embarque vimo-la finalmente as elfuses des-
se momento solemne em qoe a saudade se chocava ;
com o patriotismo, e este allnal resplandeca em
tolo o seu vigor abafando aquella nossa extrema
lula de sentimentos encontrados.
Desejamos que prsperos ventos os conduzam a !
cam agora o corago do Brasil para nelle saciarem
a sangrenta sede da vinganca do seu barbara se-
nhor. Miseros, que derraman) o sangue mais ge-
neroso da America do Sul, que uo comprehen-
dera o mal que fazem causa da sua propria sal-
vaca 1 !
Lpez um ingrato, que detesta o seu bem-
fe'or.
Paga-nos cora o mal o bem que sempre Ihe
Otemos ; e para evitar as consecuencias ben-
ficas do nossa? relagoes, procura converler em
aguas dos ros que separara o seu do u
Seguem para o sul
Joo Bapli.-ta S>ares, Gregorio Delga -Jo, Joo An-
tonio Barb a Maia, Dr. Amen.-o Fabw de Fiei-
tas Barrelo.JDr. Ant nio Cicero .! Asm* i *ua
nhora, major Jo? Maria da G>st.i Ar n. C.rl .
Fredenco da -ilva Cabrile, altere? }> Manan. A*
Azevedo, Alexandre Topi, artm iro tn
Maria Nogueira, I). Paulina R-sa J...-1 '!;: r T
vares, c.idele Francisco de A pur. > Agniar 5one,
cadetes Joo Pedro Campello, Ant : i I Bur
I Teixeira. Conrado Ayres G. da lMvM e Anteada:
Placido Pereira, D. Maria da F.-n-.-ea Prat, Dr.
co da presideucla, paco da cmara municipal, casa 1 seu aciual destino, e fazemos votos para que na
da praga, palacio episcopal, collegios de Nossa Se-guerra nao desmeregam dos no-sos maiores no!
nhora da Gloria e de Sant'Anna, casa onde reside valor e gentileza, que delles espera esta provincia
a Exraa. Sra. D Eponina Condurd, e a do Dr. Bar
reto, commandante superior, despedirsee agrade-
cer os servicos presiados por elle? nesta dlfficil
quadra.
Em todos estes pontos foram benvola e pres-
surosamenie acolhidos lo benemerilos cavalheiros,
sendo victoriados com muito enlhusiasmo.
c O? empregado? pblicos e muilos cidados
distloctos, precedidos de urna banda de msica,
percorreram hoje as ras da cidade, cheios de
maior enthusiasmo pelas faustas noticias que nos
trouxe o paquete do sul a respeilo da guerra.
a Foram ao palacio do governo, cmara muni-
cipal e praga do commercio.
Ante-hontem (27) s 7 e meia da noile par-
nosso oaS 8"" "" """ ^ **>""'" "" "" Manoel Joai'uim ,le Frei,a< <,-uU"fa' w*'
'De?po'ta sombro, teme a luz, que a paz ej LS^ane'J^0UcrenV ." Cus.ait.rl, wwu-
as boas relagoes com o Brasil levaran ao Para- i L1PP ,d ,Ar?,U, Sm,,i{ >fcf *.^
Kuav s nacional do Marauha .2I pragas .le pret, cm-
."Sem querer da civilisagao oulras vantagens f&SA^*1 -^ Marw1^rl2lL!,*b-
senao as da arte da guerra, inveja e teme a nossa *,* da curle' '3 M! J'a"Tn,t*'+
prosperidade, e empenham-se em destrui-la. Ps; J ',raa3 ^ara m"iatl'> mmmm <"*
de Pernambuco.
A forga quetransportou o vapor cima, com-
poe-se de 300 pragas do corpo de policia desta
provincia e de guardas nacionaes do Bio Grande
do Norte.
O vapor Paran conduz para a corte o con-
tingente da guarda nacional do Maranho, formado
de 315 pragas.
Acab3 de chegar do Para o Exm. Sr. maro-
chai Francisco Sergio de Mallos, commandante
das armas nomeado para a nossa provincia.
Est concluido o medalho de retratos dos
bravos de Riachuelo, cuja empreza comega hoje a
disiribuico pelos assignautes.
O desempenho arlistico garanlcm-nos ser satts-
tio do theatro S. Luiz a caravana patritica, com- falorio.
posta de toda a companhia dramtica, formando os I Dando estampa o trecho seguinte de urna
actores urna companhia de zuavos a cavallo, se- carta de Flores, com dala de 29, do prximo passa-
guindo a estes em coches descobertos as aclrizes,: do, e de pessoa msuspeita, nao podemos deixar de
precedid s pelo Genio do Brasil, symbolisado no I solicitar para ali as vistas providentes da autori-
Indio. Aps elles segoia-se um concurso de po-! dade superior; a qual com pequea substiluigdes
vo, superior cinco mil pessoas, e todos possoidos no pessoai da polica poder chegar a restabelecer
do maior enlhusiasmo percorreram as princlpaes a seguranga publica, que de prsenle parece ler
ras d'esta cidade, cujas casas se achavam pela d'ali fgido para dar campo a desorden) firmada no
mor parte illnmioadas, indo dar vivas defronte do bacamarte.
palacio do governo, do pago da cmara municipal, 1 I" bstanle indignado que esla Ihe escrevo; pa-
da casada praga do commercio, do pago episcopal rece que ludo se conspira contra a aclualidade, at
e dos quarteis do campo d'Uurique. os mesmos que a deviam sustentar I Alera das ul-
Piauhy.-U partido progresista resolveu apre-, timas oceurrencias relativamente ao tiro do Izidoro
sentar como seu candidato assembla geral, em Mascarenhas, em que, por imprudencias do Sr. Dr.
substituic.'io do Exm. Sr. conselheiro Paraoagu,' Amaral, ia havendo agua suja, deu-se honlem um
o Exm. Sr. Dr. Antonio Borges Leal Castello facto anda mais horroroso: o Dr. Cardiir, vindo
Branco. da povoago de Biixa-Verde para a villa de Flores,
Chara.S. Exea. Revma., em na visita episco-! em companhia do Sr. tenente coronel Christovo
pal, linha ja estado em Boa-Viagem e Pedra Bran- j de Campos, levou um tiro de emboscada, de que
ca, onde havia pontificado. S. Exea, segua para i fica minio mal, e teria sido logo morto a punhala-
c Eis ah o torvo e sanhndoinimigo que nos pro-
cura assoberbar ; que, cora feroz barbara, violou
nossas fronteiras, at enio respeiladas, e que,
forgoso confessar, pode anda sujeilar-nos a bem
dura? provagoes.
Nao nos iliudamos.
gar.
Passageiros do vapor brasileiro Para***, en-
trado Macei.
Veucesliano de Araujo Rejo, Bento de Xaga-
Ihes, Galdino G. do- Santos, Mniana I. do Espirito
Santo, Jos t;. V. da Silva, Antonio Teixeira Pint..
Nao basta a nossa superior.dade moral alo-' ^L^T^fX ^ 'I' **? R<* \>"
la de hornera contra horaera, de soldado contra : ma*^-t?-^ 'ZLZT?^!.
soldado. Us exercito? de Lpez sao bastante nume- ~MWM>' nn,m- ~ ub,oano 8 *
rnXra!nciaarfnPOlen,e ,mPelQOsa bravura T.berioAlves Brrelo, Portugal, 75 anwe, e*m>,
Matto-Grosso rendeu-se desesperado alluviao B"?-Visia ; um anlraz.
* barbaros, pelejando cera contra um. Domingos, Pornambuco, 10 mezes, S. Jote; gas-
dos
A fronteira do Rio Grande nio pude repellilos,
apezar da valenta dos seus filhos.
t Lpez nao quer vencer : procura esmagar.
c Tres contra ura, teremos probabilidade de re-
sistir victoriosamente. Em proporco maior pode-
remos ser destruidos, 'sem desar para as nossas
armas.
c Mas. seremos destruidos ?!....
Compre afastar enrgica e decididamente co-
mo irapossivel lo degrdame hypolhese. Nos, os
filhos da liberdade, nao nos deixaremos assoberbar
e vencer pelos servos do despotismo.
1 Obrigado a defender sua honra e sua vida,mo
ha de o Brasil apresentar em campo poucos com-
batentes, qnando nos arraiaes inimlgos toda a na-
go rodela o seu chefe.
inte.
Emilia, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio; ron-
vulsoes.
Flix da Silva, Pernambuco, 10 an, Boa-Vista;
tubrculos pulmonares.
CHROMCA JlafiCUli
Mara Pereira.
A alfandega rendeu, durante o mez de juiho,
33:2713146 rs.
A' assembla provincial approvou as duas
segutntes felicitaedes, para seguirem seus des-
tinos:
t A'S. M. o Imperador.Senhor.-A patriti-
ca resolugo que V. M. imperial acaba de tomar ds
partir para o theatro da guerra eneheu do mais
vivo enlhusiasmo e estremecido reconhecimento a
todos os brasileiros.
das, se a coragem do dito tenente coronel o nao
salvassel Cardira se queixa de Joo Vietra da Sil-
vj. subdelegado de Baixa-Verde, que diz o jurara
mandar matar, por ser contra elle advogado em
urna causa, sendo certo que Cardim nao linha outro
inimigo!
t O Izidoro Mascarenhas contina era guerra
aberta com a familia Romao Graraacho e para
mira nao consa duvidosa o resultado funesto
desta lata.
1 Tambero tem causado muito rumor por aqui a
TKIIII Y VI, IM COBMBBCIO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 7 DE
AGO.sTO DE 1865.
PRKSIDE.NCI.V DO EXM. SR. MSCHnAar,ABOa
ANSELMO FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, estando reunidos os Sr*.
; deputados llosa, C. Alcoforado, Rasio e Hmndli
Seria um descrdito para a3 nossas insl-' Leal, e presente o Sr. desembarg idor ?eal, o Eim.
tuiges. I Sr. presidente declarou aberta a sesso.
Dir-se-hia que os governos livres. s5o inipo- Lida, foi approvada a acta da sesso anadee-
lentes precisamente as cltcamsimcias era que I dente.
urge a necessidade de medidas e recursos supre ; r expediente.
mos. Dir-se-hia que os meios de acgo do governo' L'm offlcio do Exm. Sr. presidente da provincia,
sao restringidos por coosideragSes que, nao pre- de 3 do crreme, acompanhado de copia doxi-o
dominara nos regimens menos livres. Dir-se-hia do ministerio da justiga, de 14 de jnlh-> prean
muita cousa que rf\o mas parece exacta, porque lindo, e de uraa represeniago da Asoeiaco i'een-
vllipendiados pelo proco Tmenlo de Lpez, fendos merrial Beneficente, sobre a intelligeacia e> arbf
no que ha de Dais melindroso para a honra e die- 121) o" do cdigo do cnuamerrio, soliraBn -
Didado de nm povo, loDge estamos de haver com- formago a respeilo, aflm de ser sau*feilo n 1
pletado os nossos meios de defeza. cionado aviso. Aerose-se a recepeo, 1
Anda nao demos batalba campal, anda nao que, com a possivel brevidade ser satttfdtt n exi-
invadimos o Paraguay.
c Ser por falta de ardor e briosos estmulos dos
bravos que l andam pelo sul ?
Nao, mil vezesnao ; psrque nossas pbalan- nisterio, tambera de 14 de juiho todo., e de
gencia de S. Exc.
Outro do mesmo Exm. Sr, de igual
panhado de copia de ontro aviso do 1

m-


f*
'."- *'"
!*
Diarlo de Fcmambnco Quina fielra 10 t Agosto de 1885.
querimonto, no qual Firmino Antonio Souto-Maior
ltapozo peJe que se firmo a intelligencia do arligo
226 do cdigo couimercial, com referencia ao arli-
go 20 3* do regalamento n 737 de 25 de novem-
bro de 1850, e lei de 11 de outabro de 1837.Ac-
cuse-se a recepcao, dizndo-se que ser satisfeita a
exigencia de S. Exc. cora a possivel brevidade.
Oulro da direrco da Associaeo Commercial
Renellcente, de 5 do crreme,
lisia dos funcciunanos que tem de dirigir a ines-
ma associaco desde o Io do corrente (quando so
procedeu a sua elcicao) al 31 de julho do anno
prximo viudouro.Mandou-se accusar a recepto
e archivar.
VHUIUXAL I% RELAC'.lO.
SESSO DE 8 DE AGOSTO DE 1865.
PRESIDENCIA DO EXU. Sil. C0NSELHE1R0
SOUZA.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Santiago, (tirana, Lourenco Santia-
go, Almeida Albuquerque, Assis, Doria, Motta,
Ucba Cavalcanti, ooiingues da Silva e Barros
^"]a; Vasconcellos, fallando o Sr. desembargador Guer-
ra procurador da eora, abrio-se a sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes
JULGAMBNTOS.
Aggravo de pelico.
Aggravante, Ma'noel Francisco da Silva ; aggra-
o
| gaes, quer nwaes da acensado que Ihes mdvo, Deposito, pharmacia de Pinto, ra larga do lo-
sou coniludo forc/ido a dizer alguma csdm, res- sario n. 10.
peito a esse documento, que aim de nao merecer / i .
T alguma, por niio ser a tradueco Bol dos factos Chegando ao coQhecimaiito dos abaixo assigna-
que se deram naquella sessao.se acha era todo o os< joaleiros esiabelecidos no Rio de Janeiro, que
sentido desamparado das formalidades exigida seaem propagado serem falsas e de nonhum va-
pelos estatutos que rege a associaco do Gabinete |or as j0as (|Ue os auau0 asignados vender m a
Porluguez de Leilura, os quaes f..raro approvados diversos proprietarios das comarcas do sul da pro-
pelo governo, e a cujas autoridades compete tam- vlncia, vieram pela presante declarar que esto
bera coohecerda l-galidade de qualquer docurnen- promptos a recbelas, e restituir as letras pelas
to que se extraa do seu archivo, quando por ven- venaas feitas a prazo, e o dinheiro das vendas fei-
Outro da junta dos corretores, datado de boje, vad0(- 0 ail0 Re)alor 0 sr. desembargador
acompanhado da cetacao dos presos correntesa Lourenco Santiago.Sorteados os Srs. desembar-
praca na semana prxima linda.Archive se. | garj0res Almeida Albuquerque e Gitirana.Deram
Distribuiram-so aos seuhores diputados para se-
rem rubricados, os livros Diarios de Geuuino Jos
da Rosa e Justo de Almeida & C.
DHSP.VCIIOS.
No requerimento de Jos Gomes dos Santos
Correia, Joo Manoei Puntual Jnior e Bernardino
Cerreia de Rczende. llego, apresenlando o seu con-
trato de soeiedade para ser registrado : Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
No de Jos de S Leitao Jnior, pedindo o regis-
tro da nomeacao de seu caixeiro Joaquim de S
Leitao :Regstrese.
No de Jos dos Santos Ramos de Oliveira, Bra-i
sileiro, de 29 annos de idade, estabelecido nesta
cidade com arraazem de carne de xarque, que
vende era grosso, pedindo ser admettido raalri- ,
cula :Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Honorato Caetano de Abreu e Antonio de
Souza e Silva, pedindo o registro do seu contrato i
de soeiedade : Vista ao Sr.
fiscal.
No de Jos Francisco do Reg Mello, de 28 an-
nos de idade, cstabekcido nesta cidado com arma-
zem de asrucar, (|ue vende em grosso, pedindo ser
admtliido matricula : Vista ao Sr. desembar-
gador fiscal.
No de Amonio Jos Uonjalves de Siqueira, pe-
dindo certido do theor da sua nomeacao de cai-
xeiro de Francisco Jos Goncalves de Siqueira, quo
se acha regi.-trada :Comorequer.
No Ue Francisco Jos Goncalves de Siqueira, pe-
dindo certido de sua matricula : Como re-
qu*r.
Com inlormacao do Sr. desembargador fiscal:
No requerimento de Jos Francisco Pedroso de
Carvalho o Jos Teixtira da Cosa, pedindo o re-
gistro do seu contrato de soeiedade :Satisfacam
u parecer fiscal.
No de Jos de Mello Costa Oliveira e Thomaz
Jos de Oliveira, pedindo que se declare no regis-
tro do seu contrato de soeiedade, que o mesrao
conika a vigorar sob as mesmas condicoes, por
tempo indeterminado :Nao tem lugar a vista da
informaco do Sr. de.-embargador fiscal.
No de Antonio Domingos de Almeida Porgas, pe-
dindo o registro do papel de qultaco que Ihe de-
ram seus credores em data de 7 de dezembro de
18G3:Regislre-se.
No de Irineu Januario de Oliveira, pedindo o re-
gistro da eseriptura de hypotheca de urna casa
terrea de pedra e cal, sita a ra da Viraco da ci-
dade de S. Jos de Mipib, provincia do Rio Gran-
de do Norte, feta por Antonio Agapito do Monte
Bello :Regbtre-se.
No da direccao da companhia de seguros Indem-
nisadora, pedindo o regislro de um documento
comprobavo da responsabilidade des accionistas
da mesma companhia :Regislre-se.
Nada mais havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou a sessao s 11 horas e raeia da
manha.
SESSAO
JUDICIAR1A EM 7 DE AGOSTO
DE 1865.
FBBSIDENCIA DO EXM. SR. DCSEMBARGADOR
A. F. PEBBTTt.
Secretario, Julio Guimares.
As l) horas da manha o Exm. Sr. presidente
declarou abena a sessao, estando reunidos os Srs.
desemLargadores Silva Guiraares, Reis e Silva e
Accioii, e os Srs. deputados Rosa, Candido Alcofo-
rado, Basto e Miranda Leal.
Lida, fui approvada a acta da precedente ses-
sao.
Poram assignados os accoriios proferidos na
ultima sessao nos feitos entre partes :
Appcllantes, o presidente e directores da caixa
filial do Banco do Brasil ne Manorl Alvos Guerra e o curador fiscal de sua
massa fallida.
AppollaQtcv, os aJininislradorcs A massa fallida
de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellado,
Joaquim Jos de Abrou Jnior.
JU.GAME.NTOS.
Appeilante, Joaquim Alhanazio de Aranjo Li-
ma ; appellado, o lenente-coronel Amaro Jos
Coelho. Adiado na seso anterior. Despreza-
ram-se os embargos.
Appellanie, Esmeralda Mara da Conceeo, em-
bargante 3' ; appellados, Schaffdtlin & Companhia.
D?sprezaram-se os embargos.
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Araorim, Fragoso, Sanios Joo Gulherme Roraer.Foi confirmada a sentn-
ca appellada.
Appellantes, os administradores da massa fallida
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellada.
D. Beoia Mara de Jess. Foi confirmada a sen-
tenca appellada.
Appellanie, Manoei Anlonio de Azevedo ; appel-
lado, Jos Antonio Alves Nuivas.Adiado o ju ga-
mento a pedido de um dos Srs. depulado?.
Appc-llante, oDr. Felippe Nerv Collaco ; appella
do, Geraldo H-nriques de Mira.
Appellaute, Estanislao Baplista Rodrigues de
Souza e sua mulher ; appellado, Antonio de Arru-
da Cmara.
Adiados na ultima sessao. Continuara adiados
a pedido do cutro Sr. depulado.
Entrando o julgamento adiado as sessoes de 27
do mez passado e de 3 do corrente, entre partos :
Appellanie, o padre Antonio Jos Pinto; appel-
lado, o barao de Jangua : o Exm. Sr. presidente
era vista de sua snspeiejio jurada a fls. retirou-se
da sala das sessoes, eassumindo a presidencia o
Sr. desembargador Res e Silva, por ser rehtor do
felo o Sr. desembargador Silva Gnimares.
Nao se tomou conhecimenlo da appellaco.
I'ASSAOE.NS.
Do Sr. desembargador Hlva Guimares ao Sr.
desembargador Iteis e Silva :
Appellanie, Manoei Joaquim Rodrigues de Sou-
za ; appellado, Jos Gomes da Silveira. .
Do Sr. desembargador Silva Guimaiacs ao Sr.
desembargador Accioii :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanios & C. ; appellado,
lonocencio Garca Chaves.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Accioii :
Appellanie, D. Carolina Josepha de Almeida ; ap-
pellados, a viuva e berdeiros de Jos Hygino de
Miranda.
Appellante, Anlonio Rodrigue? Fernandes Viei-
ra ; appellados, os administradores da massa falli-
da da viuva Amorim & Filhos.
Do Sr. desembargador Accioii ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares :
Appcllantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & Companhia ;
appellados, Pinto Barbosa & Companhia.
Do Sr. desembargador Accioii ao Sr. desembar-
gador Res e Silva:
Appellantes, os adminir-tradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanios & dmpanliia ;
appellado, Jos Clementino Kenriqo.es da Silva.
Appt-liante, Guilherme Jorge da Motta ; appella-
do, Juo Marlins Ribeiro.
Appellanie, o embargante 3 Joaquim Jos Fer-
reira ; appellado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Appellantes, Sara Mendel de Manchester e os
curadores Jlscaes da massa fallida de Rostros Roo-
ker & C.; app-~.''ados, Kalkmann Irmos & C.
Appellante, Mano1 Candido da Rocha Andrade;
appellados, smpaio.SilvJ & Companhia.
DlSTltlUliigCKS.
Ao Sr. desembargador Silva Gtrtmar^6" :
Appellante, D. Candida de Mello Lin3 ; Snoe]li'
da, D. Znferina Matia de Jess.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva :
Appellantes, os administradores da massa fallida
de Ristrort Rooker C. ; appellado, Manoei Dias
da Silva Santos.
Ao Sr. desembargador Accioii :
Appellante, Francisco Santiago Ramos; appel-
do, Joaquim Elviro Alves da Silva.
AGGRAVOS INTERI'OSTOS DO JUIZ0 ESPECIAL
DO C0MMERCI0.
Aggravante, Manoei Peres Campello Jacome da
Gama ; aggravado, Honorato Joseph de Oliveira
Figueiredo.
Aggravante, Vicente Moreira da Silva; aggra-
vada, Rila Fereira, por seu bstente procurador.
Aggravanle, Manoei do Amparo Caj ; aggra-
vado, Miguel Archanjo de Figueiredo.
O Exm. Sr. presidente negoa provimento.
Nada mais havendo a tratar-se o Exm. Sr. pre-
sidente encerrou a sessao urna hora da
tarde.
provimento.
Appellacoes crimes.
Appellante, ojuizo; appellado, Manoei Silvino
da Silva.A novo jury.
Appellante, ojuizo ; appellado, Manoei Joaquim
Appellante, Francsco de Paula Campos Quares-
ma ; appellada, a justica. Nullo de fl. 38 em
dianie.
Appellante, o promotor; appellado, Hercalano
Nanea Pcssoa.A novo jury.
Appellacoes civeis.
Appellante, Antonio Evaristo da Rocha ; appel-
lada, D. Mara Magdalena de Albuquerque.
Nullo o processo.
Appellante, Joo lavares de Mello Jnior ; ap-
pellada, a preta Tliereza.Desprezaram-so os em-
bargos.
Appellantes, Prudente Ribeiro Pessoa Lins e ou-
desembargador | lros. appellado, Ricardo Rogers. Confirmada a
sentnca.
Appellante, Francisco Marinho de Albuquerque
Mello ; appellado, Francisco Jus Vianna.Rece-
beram os embargos com declarado.
DESIGN'.Vr.AO DE DA.
Assignou-se da para" juramento das seguin-
tes :
AppellacOes crimes.
Appellante, Jos Bernardino Gomes ; appellada,
a jusiica.
Appellante, ojuizo ; appellada, Joo Vicente de
Araujo.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Lopes da
Silva.
Appellacoes civeis.
Appellante, Joo Ferreira da Costa Imbuzeiro ;
appellados, JoSo Jos da Silva e oulro.
Appellante, Jlo Ferreira de Carvalho ; appel-
lado, Joao Felippe da Cuoha Bandeira de Mello.
DILIGENCIA C1VEL.
Cora vista ao Dr. curador geral
As appellacoes civeis.
Appellante, Ilenry Gibson ; appellado, Antonio
Jos Pires e sua mullier.
Appellante, Lourenco Bezerra de Siqueira Ca-
vbante ; appellado, Dr. Amaro Joaquim Fonseca
de Albuquerque.
Appellante, Monica Iguez da Silva ; appellada,
Tliereza Catharinada Conceicao.
DILIGENCIA CHIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
jusliga
A appellaco crme.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Custodio
Monteiro.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Santiago ao Sr. desembar-
gador Gitirana
A appellaco civel.
Appellanie, o juizo ; appellada, Mana Bicuda de
Mcndooca.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago
A appellaco civel.
Apppllante, Daniel Lopes da Silva ; appellado,
Luiz Jos E>tevo.
Ao Sr. desembargador Assis
A appellaco civel.
Appellante, Lourenco Jo.- das Neves; appella-
do, Jos da Rocha Prannos.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albnquerqivj
A appellaco civf i.
Appellante, Joo Cleofas de L^mos Vasconcel-
los ; appel ado, Simplicio Jos de Andrade.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaco civel.
Appellante, Antonio Luiz Alves Pequeo Jnior;
appellado, Antonio Ferreira de Bnto.
Do Sr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
desembargador Assis
A appellaco ctvel.
Appellantes, os berdeiros de Francisco Joaquim
Pereira de Carvalho ; appellada, a cmara muni-
cipal.
Revista civel.
Recorrentes, Antonio Monteiro Esteves e sua
mulher; recorridos, Jos Pereira dos Santos e sua
mulher.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Molla
As appellacoes civeis.
Appellantes, Pantaleo e Margarida, escravos ;
appellados, Joo da Silva Farias e oulro.
Appellaute, Jos Francisco Taboca ; appellado,
Lino Jos Nogueira.
A revista civel.
Recorrentes, Rosalina Fernandes de Almeida e
seus iliios; recorridos, Jos Pedro do Almeida c
ouiros.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador L'cha Cavalcante
As appellacoes crimes.
Appellante, o promotor; appellado, Manoei Vi-
cente de Carvalho.
Appellante, o juizo appellado, Justino Francisco
Xavier.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaco civel.
Appellante, Jos Luiz da Andrade Lima ; appel-
lado, Gabriel Antonio de Castro Quintaos.
Ao Sr. desembarga lor Guerra
A appellaco civel.
Appellante, Francisce Candido Paos; appellado,
Virginio Horacio de Freitas.
A' 1 horas encec-cu-jc a sessao.
tura tenlia elle de ser apreciado nos tribunaes,
como justo, legal e valioso.
Para provar, porm, a sua illegalilado nao s?rla
necessano, qne eu procurassa documentos que o
destruissem, bastara attenders proprias palavras
do Sr. Alfredo, quando declara ter sido aquella ac-
ia assignada pelo supplente o Sr. Jos Gongalves
Villa-Verde, que nao funeconou na sessao tumul-
tuaria, e pelo Sr. Jos Ferreira Coelho, o qual foi
chamado dentre os socios, na sessao de G do cor-
rente, para por mera formalidade assistir mesa,
sendo certo que o Sr. Coelho ignorava o mecha-
ni-mo da acta do Sr. Alfredo, arranjada na ve-pe-
ra da referida sessao, sem consenso do Io secreta-
rio o Sr. Antonio Augusto dos Santos Porto, e feta
com o sentido de produzr o calculado effeito lo
suspirado pelos meus audazes mimigos.
Deixando, porm, de responder por emquanto s
celebrrimas banalidades do Sr. Alfredo, limitar-
me-hei a declarar que nao poda S. S. revelar me-
Ihor o artificio de que era chave, seno dando-rae
pane de una illegalidade, que cu ignorava por
deixar de ter assistido sessao de 6 do corrente,
e por conseguiste leilura daquelle parlo da sua
laboriosa cabeca I
Para provar o que cima digo, baslara' a leilura
do- estatuios do Gabintle nos e artigos Seguin-
tes, a respeito dos deveres e aitribuicoes do presi-
dente e secretario da assembla gerl:
Arligo 60. Ao presidente compete :
I." Convocar o conselho deliberativo e assem-1
blea geral para as ^ess5es ordinarias e exiraordi-
narias, ordenando ao secretario a expedirlo dos |
avisos necessarios.
g 2." Presidir a's sessoes daquelles corpos, re-;
guiando os seus trabalbos de conformidade com os
estatutos e-regulamento respectivo.
3." Astigkar com os secretarios os ofjicios e',
actas respectivas.
Ao primeiro secretario compete :
Art. 61. i. Funccionar as sessoes do con-
selho e assembla geral, lavrar em livros dislinc-
tos as actas respectivas e ussigna-tas com o presi-
dente, e fazer a leilura dolas, dos relatorios, reque-
rimentos, ele. ele.
Art. 62. Ao Segundo secretario compete :
nico. Coadjuvaro 1 secretario, o com elle
asignar as actas das respectivas sessoes.
Em vista dpstas disposigoes, claro que o Sr. j
Alfredo laucando nao do livro das actas, nao leve
em idea seno lavrar nelle um documento estra-
nho, lano ao primeiro secretario, como ao presi-
dente, o Sr. Tinoco, aos quaes corra c dever de
assigna-lo toda a vez que elle fosse verdadeiro e
legal.
O Sr. Alfredo, porm, tambem os nao foi procu-
rar para assignarem o acto a que linham presidi-
do, concluindo-se dah, a desconfianza que o acom-
panhava. do se preslarem esses funccioDarios a
sellar cora o seu nome urna acia na qual se avan-
cam falsidades que fariam corar de vergonha a
quem livesse mais sentimentos do queaquelle que
(o arleiramente a escreveu.
A acta, pois, para ser legal, deva portanto ser
lavrada peante a mesma assembla, e quando
mesmo o nao fosse, era com data de.-se dia que se
devam relatar os factos, que conslituiam seu ob-
jeelo, lomando-se Indispensaveis para sua valida-
de, que o 1 secretario e o presidente, que faziam
parte da mesa nessa sessao, a assigoassem de con-
formidade com os estatutos, e fossein imanimes na
sua confeego.
J urna vez disse, que hei de demonstrar com do-
cumentos ludo aquillo a que avancar, por isso po-
de tranqulisar se o Sr. Alfredo, e andar menos
para se nao encommodar tanto com os calos, que
tambem Ihe hei-de abrir os olhos, mostrar-lhe
quem tem sido os desordeiros no Gabinete Porta-
guez de Leilura, com documentos que se acham j
sob minha guarda, assim como aquelles que o fo-
ram no hospital Porluguezem 1859, e aiuda em 1861
no mesrao Gabinete,' onde nao poseram em pratica
os seus planos sicistros por terem introdusido urna '
grande quanlidade do tnvisiveis ou plios>horos, para
vencerem urna elcico.
Tambem mais larde me oceuparei de S. S. visto
que tanto alarde faz da sua illibadissima confiada,
ja que infelizmente me collocou no terreno das per-
sonalidades a que jamis anisen deseer.
Francisco Ignacio ferreira.
tas a vista, urna vez que suas joias sejam por taes
recoohecidas.
Queiram, Srs, redactores, publicar estas Hnhas,
no que muito obrigaro a seus
Alientos veneraderes e criados
llloch & rmao.
Recite, 9 de agosto de 1865.
Srs. Hecdatores. as minhas correspondencias
publicadas, nos seus conceituados Diarios de 281
de julho cadente, a do 1. e 7 do corrente, mostrei j
lo claro, como luz miridiana- o direito que me <
assiste, fundado na legislaco do paiz, de receber |
os alago lis da padaria. quo na boa f dos contra-;
to.-., aluguei a Joao Alves de Moura, que diz su- J
hlorara, de certo sera meu consentimen'.o, a Luiz!
Fonseca de Macedo.
E breve, Srs. redactores, mostrara mais anda,
que, Macedo & Moura, as suas e.-iraiegias, sera !
duvida insmuados pelo comparca Kagado, que
por mais de urna vez se ha inculcado cotr- forca de
obter sentenjas a seu geito, hao naufragado ; por
quanto despachos cante datados, para nulificar'
recursos, retirados e inesperados para lora da ci-
Nao temos conhecimento algum de nenlium
caso que to perfeitamente mostr d'uma ma-
ncira a mais clara o persuasiva o poder da
Sciencia Medica sobre a molestia ; qual seja o
de Antonio Joaquim I'kkeika, da Babia.
Este homem infeliz h.ivia mais d'uiu anno que
soffria as dores as mais atrozes e pungentes
proveniente de
Trez
Terrivcis dagas Abortas
eppalhadas por sobre differentes partos de eera
corpo, sondo urna das quaes sobre o peito do p
urna funda e maligna cliaga, a qual o privava
de andar, cauzando-lhe as dores as mais agoni-
Bantcs quer de dia quer do noute; continuada-
mente atormentado por taes aflliccoes e dores,
e quasi que aborrecido da continua^ao de eim-
ilhante vida, tendo posto de parto toda a fe e
ennfianca eiumedecinas, e na realidade pareca
qu para elle nao lbe restava mais esperanca
alguma; assim pois resignado esperava coim-
paciencia o termo final de seus mutiplicados
soffrimentos, cis que milagrosamente por for-
tuna BOU Ihe receitarfio o grande purificador
do sangue
A Salsaparrilha
DE BRiSTOL
e mediante a sua grande efflcacia e excellencia
elle se achou dentro do pouco tempo, livre do
seu irremediavel estado de desespero, e a doce
c risonlia esperanca tornou de novo reviver
em seu coracao; ^ob a poderoza e benvola in-
fluencia (leste aduravel meUcamento, as suas
chagas em breve principiarao assumir um ca-
rcter lavoravel diminuinilo o aspecto de sua
mulignidade A massa do sangue e mais
liumon-8 apparencia clara e saudavel, as dores ator-
mentadoras d'outro ora o deixarao, e urna docs
e suave tranquillidado principiou jirecorrer
todo o bou systema, restaurando-lbe a desojada
paz e socego d'enpfrito; as chagas urna urna
le forao fechando at que finalmente se cica-
trizarao d'um todo, e boje acba-se perfeita-
mente sfio, gosando d'um perfeito estado de
Bando, depois de se tor visto privado d'esto
grandu gozo durante mais d'um anno. Ello
durante esta sua cura, apenas fez uso do
Desaxr garrafas da Oenuina Salsaparrilha
dt Bristo!, preparada exclusivamente por
LANMAN & KEMP,
De NOVA YORK.
Eecommeivda-se mr.i particularmente aos
Docntca d'ambos os sexos, que empreguem
toda a aiutella na escolha d'este ailmiravel
remedio, afuu que nao obtenhSo outra com-
posicjio qualquer, que nSo seja a Salsaparril-
ha Oenuina de Bristol, pois que todas as
mais preparacoes e imitacoes d'csta natureza
sao falsas nao possuindo virtude alguma.
Vcnde-se as boticas de Gaors & Barbosa
e C. Bravo & C.
Phtliysfci.
O xarope elnerio de veame por mim pre-
parado, muito tem aproveitadu aos que sof-
dade, dentro dos cinco dias, depois dos despachos frem desta molestia, e de laincntar-se, que:
de despronuncias para dificultar as partes os re- no obtuario desta cidade a maioria dos quc
cursos legaes; sentencas extrahidas em segredo, snccumkprri a ,1p inharrnln nnlmnmrU '
para pagamento de cu~tas; quando a parte ven- sn^umuern e ue lUDerctlios puiraonaies,;
cida tenha requerido em tempo paga-las, promo- sem procurarem o recurso do pratico e do
CSes finalmente, adrede autorisando as falcas de- experiente, que Ilies pJem encamiriliar O
nuncias. meio de sua salvaclio.
Contas eessecivas, nenhumas providencias, (em- ,^ c_ .
hora requeridas) semelhantes extorc.Ses, tudo _.0Sr-.Braga com IoJa ^ forragens na ra
isto nao innocenta verdadeiros criminosos I
A verdado urna, urna nica e absoluta, e
por isso esses artifactos de imhnstes e verdaderas
JURY DO RECIPE.
y E AIJUSTO LIE 1865
PRESIDENCIA DO Sil. DR. JCIZ DE DIRE1T0 DA 2' VARA
CIIIM1NAL MAN02L JOS DA SILVA NEIVA.
Promotor publico o Sr. Dr. Jacintlto Pereira do
liego.
Advogado o Sr. Manoei da Silva Jacome Pessoa.
Reos, Pedro Jos dos Santos e Guilherme
de Assis, aecusados pelo crime previsto no art. 269
do cdigo crimioal.
Escivao Joaquim Francisco de Paula Esteves
Clemente.
As 10 horas da manha,feta a ohamada.acbaram-
se presentes 41 senhores jurados, pelo que foi decla-
rado berta a sessao, sorteado o conselho de sen-
tenca foi deferido ao mesrao o juramento dos San-
tos Evangelhos; interrogado os reos procedeu se
aecusapao conlra os mesmos e deduzida a defeza,
depois da replica e Ireplica e resumida a materia
da aecusacao e da defeza, o Sr. juiz da direito es-
creveu os quezitos de facto propostos que forara
lidos emaita voz, o jury de sentnca se relirou a
sala secreta das conferencias as 2 "horas da tarde,
de onde voltou as 3 e mcia com suas resposlas
que foram lidas em alia voz pelo presidente do
jury de sentnca, em vista de cuja deciso, o Sr.
Dr. juiz de direito condemnou os reos, o 1." a 5
annos e 3 raezes de pris3o simples e multa de 12
1|2 por cento do valor roubado, e o 2. em 5 annos
o 4 mezes de gales e multa 13 1|3 por cento do
valor roubado e as cusas, o levantou a sessao
adiando-a para o dia seguinte as 10 horas da ma-
nha, na qual tem de ser julgado o reo Olimpio
Bolelbo Anibal, pronunciado no art. 173 do cdigo
criminal.
tropelas judiciarias, nao podem dar direito, e
menos sancAo legal I I
R sera tudo, e tudo trajido a publcidade para
vergonha d'aquelles que tanto zombam da publica
opiio, e to descomraunalraente desacatam as
leis.
Al breve.
Recfe, 9 de agosto de 1865.
Antonio Joaquim Salgado.
B -:-.:--::
PB1IGAQ
UJi
fSEIB
Ao publico.
Constando-me que um grande numero de pes
soas nesta provincia, e fra d'ella afflrma, e est
convencido de que a nomeacao do Revm. vigario
Gamillo de Mendonca Furtado para visitador da
provincia das Alagoas, smente se deve influen-
cia e proteegao que eu prestava quelle senhor,
(o que me tem tornado victima, com a or in-
jastica, de graves odiosidades, e compromclii-
mento) venho pela presente declarar da maneit
a mais explcita e solemne, que para tal nomeacao
nao concorri ; visto como foi ella influenciada, e
nicamente promovida pelos Revms. conego da
capella imperial, Francisco Jos Tavares da Gama
o conego da S de Olinda, Joaquim Ferreira dos
Santos, boje secretario do bispado, mediante certa
transacao, que mais adiante porei em pratos lim
pos, se' tanto fr necessario. Recfe, 7 de agosto
de 1865.
D. Jos Antonio dos Santos Lessa.
CORRESPONDENCIAS
L
Srs. redactores.Em minha correspondencia,
oublicada pelo Diario de 8 do corrente, nao tive
ila, seno relatar os factos que se deram no
recinto 4 ^li)iaele, Por occasio da reunio dos
socios aclousto em ,6 de ulno *roxirao P3Ssa-
do, o que Qz com a'm era a menor nimos.-
fJnal a comprova-los com(
Em meu nome, e em nome do film. Sr. conego
da capella Imperial Francisco Jo- Tavares da
Gama, provoco ao Sr. padre los Antonio dos San-
: tos Lessa para que declare sem demora, (jual foi a
: parte que ambos nos tlvemos na nomeago do Rvm.
Sr. vigario Camillo de Mondonga Furtado, para
1 visitador da provincia das Alagoas; e sobreludo
i que transaegao foi essa que S. Rvma. no Diario de
boje promette por mais para diante em pratos lim-
pos. Recfe, 8 de agosto de 1865.
Conego, Joaquim Ferreira dos Santos.
JURUBEBA.
A jurubeba urna das substaucias medicamen-
yruva-io tuii tosas, o reino vegetal, e perience classe
documentos de cuio inleC.'o nao desist nem desis- dos tnicos e desobstruentes, sendo era prega
iirei embora o Sr Alfredo Cardoso Per'eita com i da com vantagem conlra as febres intermitentes
a n nnhlicaco ** honim, procurasse impellir-1 acompanhadas de engorgilaraento de figado e baco.
me oa?a o camlnho de um lUa P8081. ^ando tm sido appliead!' cora incontestavel prove.lo
o^iendi Stcfe?MrechV 0i ms do 2 conlra a anemia ou chlorose, e hydropesia, catar-
ec rio da a'sembla Si do Ga'^ ^la' rho da b^f|fa e ,mesmo para comba,er a menstrua-
guez d Leilura i 5 dlincil. '.esultante da mesma anem,a ou cbl-
Entretanto prometi desde j responder cabal- ?!*&. ,. .,__^-...
mente ao Sr. Alfredo, logo que me permittirem Ext."*10 alcoolieo ae JuruoeDa.
es affazeres de que actualmente rae acho apencio-
nado.
Mas, nao podendo perder de vista a aela arran-
jada por S. S. para mais tarde servir de documento
aos seus amigos e correligionarios, que por seme-
lliante modo procurara attenuar os effeitos quer le-
Emplastr'u d8m.
Oleo idem.
Tintura idem de idear.
Xarope idem.
Vinho idem de idem.
Pulas de ext. idem.
Direila, foi desengaado por dous habis
mdicos, acha-sc bom com o tratamento por
mim proscripto,
A Sra. Jeronyma Mara da Conceicao, mo-
radora na travessa ioMonteiro n. 10, acban-
do-se desengaada, tambem mim recor-
ren e acha-se restabelecida.
Um sobrinho do Sr. professor de Naza-
retli do Cabo, acba-se bom, como se v de
sua carta abaixo transcripta, almde outros
factos, quepodena aqui mencionar.
A pbtbysica a destruigao e a magreza
i de todo corpo, em consequencia de chagas,
tubrculos e concreccao dos bofes e de em-
pyema, atropbia nervosa, e outras molestias
que viciam os humores, como escorbuto,
alporcas, gallico, astbma, bexigas, saram-
po, etc.
Na phlhysica, chegando ao estado de gra-
vidade, o que muito pode concorrer para a
salvacao do doente e ajudar os medicamen-
tos o ar do campo, exercicio conveniente
e dieta, a qual nao deve ser de nenhuma'
cousa quente, ou de defcil digestao ; e a
bebida cumpre que seja de natureza branda
e fresca.
Todo o seu alimento se ha de dirigir a
moderar a acrimonia dos humores, e a nu-
trir e suster o doente, para o que preciso
reduzi-lo ao uso de vegeta es e leite.
Toda comida e bebida, que se tomar ha
de ser em poucas porces, para evitar que
o excesso do chylo fresco opprjma os bofes
e accelere muito a circularlo do sangue.
Muitos doentes desta molestia se teem en-
tregue ao uso d oleo de figado de bacalho,
e outras preparacoes de resinase blsamos,
sem que deilas tenham tirado proveito ; e
algnns expositores de medicina combatcm
com muita razao esse tratamento.
E' costme carregar o estomago do doen-
te com medicamentos oleosos e balsmicos;
porm estes em vez de tirar a causa aug-
mentam-na, esquentando o sangue, ao mes-
mo tempo que tiram o apetite, relaxam os
solidos, e sao de toda sorte perniciosos.
Tudo que se fizer para extinguir a tosse,
alm do exercicio e rgimen apropriado de-
vem ser remedios de natureza acida, deter-
gente e calmante..
Os cidos possuem a virtude de produzi-
rem bons effeitos nessa enfermidade, por
que, nao s contribuem a apagar a sede
quando accommettem a febre ethica, mas
tambem a refrescar o sangue.
Aos doentes desta enfermidade, quando Q
seu estado de gravidade tal que a febre
ethica osaccommette, prescrevo-lhes o su-
co de um limo dissolvido em urna chicara
d'agua com bstanle assucar em um grande
copo para misturar com um papelinho dos
pos refrigerantes para tomar, com que ali-
viara no acc lEmettiment da febre, e pela
manha o xarope eyierio do veame. Tenho
aconselhado, que fafam uso de vegetaes de
natureza acida, como laranjas, lines, pi-
tangas, uvas, etc., e applicacoes de plantas
amargusas, quefortificam o estomago e ser-'
vem ao mesmo tempo para destruir e miti-
gar a sede.
A Sra. D. Joaquina de S Brrelo, tendo
urna sua escrava fallecida desta molestia, sub-
mettida ao tratamento de seu medico, resol-
veu procurar-me para tratar de um oulrj
escravo, que soffria da mesma enfermidade,
prescrevi-he o xarope de veame, tem me-
Ihorado consideravelmente.
A setihora do Sr. Anlonio Francisco Ho-
norato foi desengaada por habis mdicos
j desta cidade, esleve prestrada, e nos ulti-
mes paroxismos da morte, foi com o xaro-
! pe de veame salva, como se v da carta
impressa no Jornal do Recfe de 9 de feve-
reiro de 1863.
O escravo Emilio, do Sr. tenente-coronel
Rodolpho Joao Barata de Almeida, foi tam-
bem desengaado por habis mdicos, c
com o xarope de vellame acha-se completa-
mente resiabelecido, como se v tambem
' da carta impressa do mesmo Sr. tenente-
j coronel no mesmo Jornal do Recfe.
OSr. Antonio Christiano Fogt, filho do
Sr. Christiano Fogt, proprietatio e estabe
| lecido na cidade de Macei, o primeiro bem
condecido nesta cidade, pois que fe i empre-
ado na casa do Sr. Len Cbapellin, reta
| lista estabelecido na ru;t da impenitriz, ac-
commettido desta molestia, foi daqui desen-
gaado por habis mdicos: retirou-se para
a Babia, ealli conliruiou em tratament > ate
que foi segunda voz desengaado pelos me-
dicos dalli, chegando eu em Macei, um
amigo pedio-me, que o acompanliasse at a
casa do Sr. Christiano, para ver um doente
1 e prescrcvcr-lhc ilgum remedio, encontrei
1 o lilho em urna cama desanimado e em es-
tado de prostracao, pois que escarrava san-
gue e tinha completa inapetencia e fraque-
Iza, a poni de niio se poder por em p, no
tim de urna garrafa do xarope etbereo de
ve lame j se achava elle no estado de pas-
sear em casa, desapparecidaa inapetencia e
I os escarros de sangue ; e a tosse mitigados.
No fim da segunda j achei em estado de
fazc-lo passearpelo sitio todas as manhas. I
; Acabada esla o aconselhei. que conlinuassel
. no uso do mesmo xarope etherio
com o xarope alcoohco de vellame, e que
1 nsasse dos banhos salgados na pancada do
j mar. Sentio elle nos primeiros banhos al-
! guns choques, mas eu o aconselhe> que con-
tinnasso, com o que se tem dado muito bem
pois que tenho recebido cartas de Macei,
em que se me eommunka o seu bom estado.
Nesta molestia os expositores de medici-
na nao aconselham banhos salgados, apenas
quando delles tratam, dizem ser applicaJos
as cscrophulas, hypocondria, estherismo,
amenorrhea, raetbismo, etc. ; entretanto vi
este bom resultado no lilho do Sr. Cristiano,
e outros fados iguaes tenho visto as mo-
lestias siphyliticas, e outras muitas que com
o uso do xarope alcoolieo de vellame tem-se
oblido cura radical.
O Sr. Dr. Silva, medico hbil de Macei,
depois de ter applicadoa umseu doente de
rheumatismo o xa-ope alcoolieo de vellame,
logo que elle se poz em estado de largar as
moleta*, em que andava arrimado, o aconse-
lhou que continuasse com o uso do mesmo
xarope conjunctamente com os banhos sal-
gados, com que se tem dado muito bem, e
um dos mdicos que al ti em Macei tem com-
pleta confianca as preparacoes de vellame
por mim feitas, pelos bons resultados que
tem obtido em ua clnica.
Quando alguem se v com tosse vai ao me-
dico, este o examina e declarao senhor es-
t afectado dos palmoeso doente desani-
ma com esta sentnca, entende estar sem
mais cura, quando os facise a experiencia
teem demonstrado que muitos tendo procu-
rado o lugar apropriado, se teem salvado ;
e assim explicam muitos expositores de me-
deina.
Ora, nessa provincia temos facilidade bo-
je e recurso do ar ; por que a va frrea
nos proporciona, pois que em pouco tempo
urna pessoa que existe nesta cidade fcil-
mente se t anspor'.a para as ultimas estacos
de Gameleira e Una, lugares pe to do Boni-
to c de oulros pontos que sao considerados
serto, quanto mais que os mesmos lugares
j niio sao mos, segundo pens, principal-
mente no vero.
Mas dir-se-haurna pessoa pobre nao tem
criado Francisco Bermguer Ce$ar de J/e-
nezes.
Caixa filial donaire de Brasil en
Pernamnaeo.
A directora desla cala saca sobro oUr.rodo
Brasil no Rio de Janeiro e sobre a caixa ulial Jo
mesmo banco na Baha.
Novo basco de peroameiee.
dministradores da massa fallida de J nqu-m
Jos Sirveira papa o dividendo de Jira ana
na razo de 9 0/0 sol.re o vator des litoto ad-
meltidos : no novo banco de Pernamboro rna
do Trapiche n. 3i.
Noto banco de Peraiaai-
bnco.
O banco desconta letras na presente emana a
9 por cento ao anno al o prazo de seis awies,
Caixa filial do banco do Brasil
en Pe* nana buco.
De oidnn da directora desta raixa se faz po> i-
co aos senhores accionistas, qne o n-spertiro av-
soureiro est aulorisado a pasar o 23 ditidrnlo
do semestre Ando em 30 de junho ultimo a razio
do 125 por accao.
Caixa filial do banco do Brasil 15 de julho de
1863.
O Raarda-l*?ro,
lunario .Vanes Correia.
ALPA.VDBGA.
Rendimento do dia i a 8......
Idem do dia 9...............
lS:37.-42-
I1:.TKJ5H
204:7154*17
MOV| MEMO DA LPAMBB*.
Volnmes entrados com fazendas___ W
< < cora geoeros..... 634
Volumes sahidos cern fazendas..
cdoi gneros...
------- *77
m
um
------1,802
Descarregam uo dia 10 do rorrete.
Brigne porsagnez Constantediversos (teneros.
Lugre hollnndezJurinlt < appr mercadonas.
Sumaca hespanliolaJoven Adelevinhos e alhc?.
Hiate porlueuezPensamentofarinha de trigo.
Escuna dinamarquezaSpcra diversos generes
e carvao.
Barca inglezaLoo.v findiversas merndirias.
Brigne hanpverianoAnria- farinha de trigo.
Escuna porlugueza1>. Jo Brigue porlaguezS. Josdem.
Barca nacional Vdlleidem.
Polaca hespanholaEleganciaidem.
Barca mgleza Orioncarvao.
Biigue inglezZoii-iJem.
lniporfaio.
Uvate portuguez Pensamento, entrado do Pttila-
delphia, consignado a Henry Forster & C, man-
festn o seguinte :
1,170 barricas farinha de trigo; aos mesmos.
Patacho nacional I), /.tu:, entrado da Baha,
rCJ3n consignado a J. H. Palroeira, manifestoa o se-
10 guinte:
Gneros fstrangfiros.
2 pipas lirio florentino, 8 ditas fnrao de Virgi-
nia ; a Meuron & C
30 Larris alcalro, 7 caiiinhas muslard-; a
ordem.
2 caxas com 600 bales; a J. Pater 1 C
15 saceos arroz; a Joao Baplista oncalTes
Penna.
ii Larris nzeite de palma ; a Joaquim Jos '. r.
i;alves Beltrao.
1 caixao com 160 vestimentas para meninos; a
Miguel Jos Rodrigues Vieira.
1 parte eslamenha; a M. J. Ramos e Silva &
Gcnros.
Gneros nacionaes.
8 pipas fumomoido; a Meuron & C
2o saceos caf; a Joaquim da Costa JfesnoiTa
& C.
1 caixao chirntos; a Joaqoro Ferreira Valente.
33 saceos caf; a Jos Maria Palmrira.
1 enrapado charutos; a Scmpion 4 C
8 toros de jacanrad, UO fardos algodio, 30
pacotes saceos vanos, 15 cascos azeile de prrie,
37 fardos fumo era Mi;a, 17 paos a 10 balas dito
era corda, 170 saceos cal, di volotees e 1,357
eaixinhas charutos; a ordeno.
7 caixoes e 488 eaixinhas charutos, i fardes
fumo; a Joaquim Jos Goncalves Beltrao.
Vapor nacional itamaugapt, entrado dos porte
do norte, manifestoa n segninie :
De Maro.
-21 saceas la ; a Gabriel Raposo da Cmara.
lo dilas dita; a Meodes A C .' ho.
116 molhos courinhos eortidos, e 2S meios de
scla; a Antonio Alves de Morae?. *
Manoei Carneirc
a Sebasliio Jos da
4 garajios peixe secco; a
Pinp.io.
5 saceos cera de carnauba ;
Silva.
21 eouros salgados, 1 barril cera de abelha, 1
garajo sebo, 6 ditos carne serea; a ordem.
Do Aracaty.
86 saceas algodo; a Horacio Francisco Raaos
& Irmao.
26 dilas dita; a Francisco G. de Mattos Jnior.
25 eaixas velas de carnauba, 2 volnmes cotu-
rno; a Antonio Candido Ramos.
44 saceas algodo; a Vianna A Cuimares.
68 molhos courinhos, I i ditos esleirs, i'J raigas
velas (!c carnauba, 12 saceas algodio, 8 dilas fari-
nha de mandioca ; a Jos de Sa Leitao Jooior.
De Xalal.
8 saceas algodo; a Justino Jos de Snza
Campos.
5 ditas dito; a ordem.
Lngre hollandez Judnh Cappi, entrado de N-w
York, consignado a J. Pater V C, maaiU'-ioa
seguinte :
30 c;-.ixas gaz, 20 dilas agua da florida; a Cacrs
& Barbosa.
80 caxas paz, 6 barricas c 1 caixa vidros lorci-
meios de se transportar e all estara isso.da^c *"*; a lll>lll."c',ober.*
. 11 1 J v( lumes um cano e periences, J caixa
se responde, que naquelles lugares existemU inographia, Weaiaan naiilaiaa para de
eaixas artigo^
desearorar
casas vasias o alugam-se por preco commo-, algodo. 3 caxas ferro de engorxmar, I caixa ea-
do, e mesmo muitos gneros de primeira! deiras, 1 dita. arreios; a J. PaierA C.
necessidade alli se vendem pelos mesmos
procos que aqu.
Aquelles, pois, que estiverem nestas cir-
io saceos farelo, 15 caxas | hetographia e per-
tences; a A. W. Osbwn.
9 caxas c 2 barricas mobllia. pianos e artigos de
lilographia, 500 eaixas gaz, 'J barricas 1 '-redas
CUmstancias, eu Ihes facilito explicar os meios candieiros, vidros e periences a llanman UpaM
i C.
9 barricas e 2 eaixas cbaroins, candiciros. tor-
cidas etc, 100 eaixas gaz; a Henry Forster
de C.
pelos quaes se devem reger, e Ibes fornece-
rei os medicamentos gratuitamente,
Nao deixarei de advertir ao publico, que
as minhas preparaces de veame sao reu-
nidas com outros ingredientes, e com ellcs
tenho obtido ptimos resoltados: nao se en-
gae o mesmo publico com oulros que por
alii se annunciam, cujas preparacoes ignoro,
assim como o aproveitamento aos enfermos,
a quem porventara lenham sido applicados;
cada um responde por si, c cu affirmo com
verdade o que aqui tenliorslalado, cujos me-
dicamentos nesta provincia s vendo em mi-
nha bolica na ra Direila n. 88.
Jos da Rocha Paranhr.s.
Nazreth do Cabo, 7 de selembro de I8G3.
Illm. Sr. Jos da Rocha Prannos.Cim
o maior pra/.er levo ao conhecimenlo de V.
S., que o doenle que V. S. acha-se admi-
nistrando-lhe re,nedios, acha-se no todo res-
tabelecido, portante, nada sent, tendo dea-
apparecido no todo a tosse, tem muia dfepo-
sico comida e acha-se nutrido. Deixou
tomar os ltimos remedios que V. S. recti-
tou no dia 30 do passado, resta agora a V.
S. mandar-me dizer qual a dieta que o
doente deve conservar e por quanlos tem-
pos, mencionando as comidas que dever
usar daqui em diante. *
100 caxas gaz; a Brenden a B.-andis.
1 caixa candieiros i barrica chamins, 0 caixa-
machinas paia descarcrar algodo, 23 ditas agua
da llorida, 25 ditas -alsa parrilna, 30 barns banfta
do porco, 30 ditos breu, 25 eaixas gaz, Ii dita*
machinas para costara; a Manuel Joaquim R. o
Silva i Genros.
670 eaixas gaz, 6 ditas machinas, 1 dita cad>i-
ras, 1 dita funiz, I volume lalas para oleo. 130
Larris rmenlo, 130 remos, 1 dito i cadeiras e 4
eaixas ditos, 2,085 resmas papel, 5 canas ba.'es; a
ordem.
Exportaeio.
Barca ingleza Vizion, carregou para Liverpool,
por Macei:
1,915 sarcos com 9.575 arrobas de assucar bran-
co, 66 saceas com 952 arrobas e 6 libras de al-
godo.
Galera porlugueza Lisbonense, carregoa para
Costa d'Africa :
508 cteos com 5G,565 medidas de agur-
denle.
Patacho dinaraarqaez Maria, carregoa para Haa-
burgo.
43 saceas com 212 arrobas e 6 libras de alga-
lian, 2669 eouros com 68,432 libras, 3SI saceos
com 1,550 arrobas de caf.
Vapor inglez Vizion, carregoa para Liverpool:
2,852 saceas com 15,494 arrobas e 14 libras da
algodo.
HECEBEDORIA DE REVDAS I.VTER.VAS GB-
RAES DE PERNAXBUCO.
Rendimento do dia 1 a 8...... 11:1281991
Resta-me agora agradecer a V. S. o coi- idem.dodia9 ................ i:54784
dado que tomou no tratamento do meu so-
brinho, abaixo de Ueus, devido o seu resta- r
belecimento a pericia de V. S., e por isso \
pode V. S., sempre contar com os meus di-
minutos prestimos, e desejarei em todo o
tempo- dar urna prova do meu reconheci-
mento.
Desejo a V. S. todas as venturas, por ser
de V. S. muito respeitador e obrigadissimo
i2:676J84
MOYIMESTO Bd WlTt
A'dPios entrados no din 9.
Para8 dias, 10 horas e do oltirao porte 9 _
vapor brasileiro Paran, de 840 toaelada~ ^
mandante o cap lo de fragada SaaU Barban
equipagera 5$, '

-

/


----------------------------w---------------
I .^b. a m^>


_
Klarlo de reroaaabnco Quinfa felfa iacpi17 horas, vapor brasileiro Pamhyba, de
101 toneladas, coaimaadaale I. I. Mai lias.
Navios sahidos no tnesmo dia.
Rio Grande do SalBrgue brasileiro Pi, capi-
llo Bernardo Augusto de Carvalho, carga as-
sucar.
Rio de JaneiroVapor brasileiro Jos S. Romao,
Para a Baha
LOTERA
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
De conformidade com a resolaeo da Film" juma ? f., .L plesenle ?", PrelMde sabir sdO
administrativa da Saut Casa de Misericordia do nr veleire ,bfi'? LonhecIdo palacio sacional
Recife, faco sciente a todos os foreiros de terrenos cpif? J,os Ttixe,ra d<> Azevedo : par
. perlencento ao patrirnon.o da extracta Misericordia c9C"ga. V*Jle l ?*U?e- n(\ '"re?, do Gnr|,0
coromandante Ttpodoro Augusto de S, eonduz de Olinda, que se achara atrasados ern seus paga- flon-4'C0"1 o consignatario Jjsc Mana Pal-
300 praeas coraposia da ala esquerda de polica ment?, que o regente do hospicio de alienados na mc'ra"
d'esla provincia, e 80 guardas naciouaes do Rio cidade de Olinda a pessoa competentemente au-
Grande do Norte, e vanos engajados par* ma- lorisada para arracadar taes rendas, a quera os
nUna- I mesmos foreiros se devem dirigir, alim de paga-
Rio de Janeiro-Vapor inglez Hero, commandanle. rera os respectivos foros.
n .l'g!.,ry;-cm lasl,r,- Secretaria da Santa Casa de Misericordia do IV
Portos do Norte Vapor brasileiro Mamanguape, cife 8 de agosto do 1865.
corumandante Belmiro Baptista do Souza. O escrivo
CT ra i '.1" jjgjMiiMML.LimLaj-u_-_._^._^______________F. A. Cavalcanti Cousseiro.
S S *& A U 9 T Pela suljdelegacia dos fogados"acham-s~de-
I 1 Jl & $j 0, positados dous cavallos, ambos mellados e casira-
" :--------- os. os qaes foram apprehendidos como furtados: .
n, .. .___, ... quem se iulgar com direito aos mesmo-- comoare- Ines scra avisa oa7pm 1 Sr 'n?eHl0r ?a "e-"unr,il I)rovin- n, qae ovando, ibes serio eni." "** a ***i* dos cardadores para as voltas a fr^^ da* Uslai>:
eial,emcumprimentodaoi\lenidoExm. Sr. presi- v O siwdelVut a ura frete abaixo de 45 fse 00 |0 conforme se As encommendas S rio gU
AOS 6:000'000.
Ctfrre depois d'aiuanlia.
Sabbado \i do correle mez, se e.Urali-
r a arparte da 51 lotera (iT) a beneli-
co do theairo de Santa Isabel, no consisto-
rio da igreja do NJSSa Sonhora do Rosario
da freguezia de Santo Antonio.
SA01ES
Saca-se sobro Lisboa e Porto : na fu de Apollo
n. 8.
Oaixeiro.
Precisarse de un menino brasileiro ou portu-
guez, de idade de l a 15 anuos para oaixeiro, na
cidade do Aracaty : quem estiver nestas circums-
lancias, queira fallar na ru?. do Queimado n 37,
I loja de ferragens.
Os bilhetos, meios e quartos estilo a ven- i Hoga-se aw r*'joo Caialcan de Soau! c^etl' ac3,,3r c?m ell 1 ***
OS JPAitACLA VO*
E' a orem do dia I Acabar rom os Para-
guayos a bayoneta, a mini, a retoiver:
fu!mina-los con os encouracados armados
de espores, armsti ongs ; raiadas de 80 i
|20; exterminn-f')s em snnima aespafla. a
la ao e a punbal i: de iun M tim: ana
Diagoem se lembro anda de esanaar m
Paraguayoscoai as jirnias*j:e f).-u.snos n>a-
ea pato
denle da provincia, manda fazer publico que no da
10 de agosto prximo vindouro, perante ajuuta da
fazenda da mesraa thesouraria, se ha de arrematar [aspeccao ilo arsenal de marrana.
a quem por menos fizer, os reparos do empedra- O arsenal da marrana adraitie carapinas, ferrei-
mento de 230 brabas entro os marcos de o a 8 mil ro* e serventes para as obras.
bragas na estrada da Victoria, avahados em.....
A^IA
Mnoel'>re,r'caraelo Pessoa aJuMar co? a'munciantes, ra do'Trapiche n. 9. [*?u\ a BQa da vespera da extraeco J^fftSB^^^ff1* [
Para o lllo da Prata ou Rio
(titaiide
Preta-se a Irarca nacional Restauradlo : a tra-
como de cosiume.
Servindo de thesoureiro,
Jos llidricrnesde Soura.
Borseguins Bonleaiu.
patririos.........
> par; senhoras, ec-
fiit.idos.......
ar com o Sr. Joaqrm com |aco e fiu.a
3:137.
A arrematago spr feita na forma da lei pro-
vincial n. $43 de 13 de maio de 1851 sob as clau-
sulas espeoiaes abaixo copiadas.
As pessoasque se propozerem a essa arremata-
do compareg.im na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio diae
competentemente habilitados.
E para constar se raanduu publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Peruam-
tuco, 10 de junho de 1863.
O secretario,
A F. da Annunciagao.
Clausiiias especiaes pura a arrematarao.
_ 1" Os reparos do empedramenlo da estrada da
Victoria, entre, os marcos de o a 8 mil bragas serao
execuladas de conformidade com o respectivo or-
namento na importancia de 3-157,5.
2a O arrematante combara os trabalhos lo dias
depols da approvacao do "contrato, e os concluir
eiu 4 mezes, cuuiados lambem da data da appro-
vacao.
3* Os pagamentos serao feitos em tres preslacoes
iguaese correspondentes a cada lancoda obr exe-
cui.ida.
4' Suflrera o arrematante urna mulla de 100,$ se
piralysar os trabalhos por mais de 13 dias.
o* O arrematante cumprir as ordens que relati-
vamente ao servico, Ihe forem dadas peloengenhei-
ro encarregao dos trabalhos.
(i1 Nao poder o arrematante pedir indemnisa-
jao sobre qnalquer pretexto.
7' Para ludo quinto aqui se previnir, se obier-
vara o que determina o reglamento de 9 de julh
de 18(54.
Conforme,
A. F. da Annunciaro.
O [Uro. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, Pa eiimprimeiito da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, qae no
dia 24 de agosto prximo vindoaro, perante a jun-
ta da fazenda da mesma thesouria se ha de arre-
matar, a quem por menos Ozer os reparos urgen-
tes de qae precisa a cadeia di villa do Limoeiro,
avallados era 3:418-5150 rs.
A arrematado sera feita na forma da le provin-
cial a. 343 de 13 de mate d 1854, c sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se proporem a essa arrematado
compiregam na sala das sessoes da referida juula,
no da cima mencionado, pilo meio dia e corape-
lentemente habilitadas.
1C para constar se iaand;u publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernain-
bu-", -1 de jullio de 1863.
O secretarlo,
A. F. d'Annunciarno.
C msnlas especiaes para a arrematadlo :
1.' As obras dos reparos da cadeia da villa do
Limoeiro, srofeitas de conformidade com oor-
nto resi 'divo na importancia de ris .......
3:ilS-5l50.
2." 0 arrematante dar principio no trabalho 15
das depois (jue se Ozer a arrematarao e as devera
c .ir no razo de 3 mezes.
'i.' Os pagamentos serao feitos era 3 preslacoes
ea la ter^a part da obra correspnnd mi i.
4." O arrematante seguir na exteueo das obras
a- mstraeces uo eugeniielro, que a iagpewiipnar.
'.'Para todo qoanto aqni nao estiver previsto
o!-.ivar-seha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme,
A. F. d'Annunciarao.
Pela nspeecio d'alfacdegase faz publico que
a irta da :ti">ma, 1 hora da larde do da 11 do
corrala se bao de arrematar livre do diroiioso
caisas com a marca V vmdos do Havre pelo na
vio Crancez Juan Baptistt, entrado 28 de Janeiro
de.-i auna contendo 12(59 libras de tinta prepara-
o ', avahadas em 2il300, os quaes se acham
enmprehendidos as disposiedes doart. 301 g2do
reg amento de 1 de setembro de 18G0,
E para constar -se fazo presente.4a seceo da
all .; lega-de Pe mam buco, 9 de agosta de 1805.
O i" -rripturarlo.
J. i Axila Uittancouit Suva.
lospecgo do arsenal do raarinha de Pernambu- " com os seos consignatarios Antonio Luiz de ~ James Wakeman subdito britnico retirla
3 de agosto de 1665. Ol.veira Azevedo C, no seu escriplorio ra da' para Inglaterra Dr,w"ClJ. leUr^
O secretarie,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
No
Arieiuaaavio.
Cruz n. 1.
Para o Rio de Janeiro.
. Antonio Pereira dos Santos retira-se
Portugal.
I a a
Precisa-se fa
Martins, na ra da Cadeia do lUwtto'wiVimei- c.a,nM "ZJ^l!"* '
ro .indar; ou roga se-the que annnnofe samora- ^I'dloe enuurafados.......
da para ser procurado. u irseguins para meninas bom
Precisa-se de duus irabalhadores' para p.ida- e!asl .................
ra : narna larga do H sarb -n. 16. Sapatos de lona, sola elstica.
A pessoa que precisa fallar com Jezuino Ma- avelludados.........
pretende seguir cora muita brev.dade o patacho Previne-s a alguns assignantcs do bairro da ;cliado Malheiros Braga, dirija-se a ra du Cadeia
da 11 do crrente, Anda a audiencia do nacional Regulo, tem pme de sea carre(?amento Boa-Vista que se achara em airas i d
.......^r-Dr JUIZ municipal da l. vara, ira a praca engajado, e para o rosto qu? Ihe falta e escravos a da assignatura des Uiar-
por venda iim pequeo sitio com casa de taipa no frete, trata se com os seus consignatarios Adtonio las pagar na Uvrsrfa n 6
lugar do Uarro, freguezia de Affogados, chaos- Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptono pendencia, visto como ha
loreiros. a rannArlmnntnmiiian rf.-ia r numero 5,
Santos, inventarame
Costa.
de Antio Jeronyiuo da
Para Para, com escala ifliu Mranho, pre
e 8 da prafa da Indo-
diflleuldade de seacha-
, rem e Bao possivel que elle lhes facam senlinella a
POftlTGUEZ IHLMIIIHEM PE'i-
Por ordem da directora scientinco
Seta-feira 11 do andante, teem do ser arre
matados 4 relogios para algibeira entre os quaes
r.m proprio para medico, cuja arrematagao tera mes talla, irata-se com o consignatario Joaqul
lugar logo que finde a audiencia do Sr. juiz de paz Jos Goncalves Beltrao, na ra do Vigario n. 17,
da freguezia de Santo Antonio, s 2 horas da tar- pnmelro andar,
de, no lugar do costume; sendo ditos reloxios -----\- ..r ~nz--------E5------^;-----------n
penhorados a Fernando Garzoli, por ezecucaoTd-i ~ ^i,da2f a ,r,(5aa F'or %.pr?mPgl
Andr Blanco & C navegando, de perfwta coustnn-cao, da lotai;ao de
---------------------.----------------------------------_ 2,500 arrobas, por prego omito conimodo, fundea-
Coi-reo geral *' ^-^V 'a tra,ar, n^) praca ;,;,,li Tn- g rado para o exercici de sua profis-
Pela administracao do correio desta cidade se ^ F da Cunha na ra da LiuVia ... 44 ou na^i sao mpdia p rnm ^,,,,1. i;,t......
faz publico que hoje (10 de agosto) as 2 horas da Pra5a d* Paralaba cora o Illm. Sr. Antonio Tho-
larde em ponto fechar-se-bao as malas que o vapor Inaz Carneiro da Cunha.
de Iranra...........
econmicos para se-
olioras...........
Ciiincloes do Por o..........
com salto..........
Um completo sor.iine lo a
ara liomens. senlioras
WOto
JO
" l> t
lnoo
M
ralraio 1
e Btenin>;
O Dr. Cosme de S Fereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
0 e 2o andar, onde pode ser procu-
brasileiro Paran lera de conduzr, rhgado hon
tem dos portos do norte, e com destino aos do sal.
As carias admiltidas a seguro serao recebidas
at as 2 horas, e os jomaos al as 2 1[2.
kEi!0
lEiSIliAO
De ama parte do sobraiio' le 2 anda-
res da roa da Senzala Veiha n i 10
avallada em 32.?000.
IIOJK
Quina-feira dO do corren te as 11 horas.
Na grande agencia de leilua do asenta
'..i
sao medica, e com especialidade
so'ore e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito :
3o dos orgaos geni-
ti urinarios.
Em seu escriptorio os docntes se-
rao examinados na ordem de suas i
entradas comecando o trabalho pe- j
los doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
como bezerro francez, curo ik his-
-jarroquins, laiaafl M Ma as nna-
\Z^t+oVES^c^ Vl0S,ilas Para -i?*. ^'"'--
do no da 18. Pede-se aos mesmos senbores asso- s "i! e cnu.rS que ludo visto ii". s?amn.eri-
I ciados, que mandern entregar os llvros quj live- t;; ';|z cobica ao compradi r jmI.i banteza.
Irem em seu poder, al o dia 12 Tif ~T------TT---------------1----------------------""
Secretaria da directora do Oabinete Poriugu'ez : L'lUO 1 Gl'IUIlllHK'lIl)
de Leilura 8 de agosto de 1865. t mrtlH, ,tn m i -
J. Xavier Vleira Ltec J Pf llfa 0 mcz d *'(>*l ,era lnSa' to
f_______________________>^ secretario interino. : DQ'te do da l.>.
i Precisase do um siiio f|ue seja perto .da ci-
dade para nma pequea familia ingleza : trata-?e
a ra do Vigario n. 2,e;criptorio.
Precisa-sede urna cosiuheira para nma casa
ingleza que apenas consta de duas pessoa- (senho-
ra e marido) : tratase a ra do Vigario n. 2, es-
criptorio.
AMA
EMPREZA-OOiaiBIlA
Recita extraordinaria.
Sabbado 12 de agosto de
1865.
Apedido de difireme; pessois sobe pela ultima
vez a scena o muito lindo e applaudido quadro al-
legurico producciio do Sr. Dr. Tavora, ob o ti-
tulo
A VICTOail DE RHGIIDELO.
Em seguida a companhia dramtica repressnta-
rpela prlmeira vez o nteressantissimo e aparato-!
so drama era 3 actos qu; tern por titulo
'RUGREsso i wmi
PERSON'AGEXS.
Vaientim Mazilher, jovera mana-
factureiro.................... B jrges.
Kaymundo, ceg.........,...... Amoedo.
Vancher....................... Porto.
Pongibon, contra-mestre......... Teixeira.
Baratlier......................
Gabriclla, irma de Riymnnlo..
Suzana, irma de Pongibon......
Um earteiro....................
Cm operario....................
Operarios etc., ele.
A -cena passa-se em Len em 1836.
OLYMPIO,
3ii-Ruada Cadeia do lleeiie31>
Leilao
De 153 barricas com farinha de trigo
rea primeira quulidadc.
taoj;
Quinta-feira 10 do correntc as 10 horas.
BO CAKS DO APni.l.O DEFUOXTF DA PONTR
OLYMPIO
vender em leilao por conta e risco de quem per-
. 2 Praticar toda e qualquer opera-
$$ Cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus g|
S| doentes.
Aluga-se a casa terrea da roa da Esperanca
n. 59, propria para negocio: a tratar na mesma."
O abaixo assignado precisa retirar-se para
fra desta provincia, tratar de sua sade, e vende
o seu estabelecimento de molhndos sito na na do
Cotuvello u. 1, que faz esquina para a de S. Gonca-
j lo, bem a/regoezado, tanto para o mato como para
a trra; ns pretendentes polem dirigir-se ao mes-
rao, para tratar cora o fen dono.
Maximini ilarlins da Silva Dorges.
Lava-se e eugomma-se por commoJo prece
na ra da Matriz da Boa-Vista n. 08.
. Na ra da Florentina u. 30 prepara-se cerni-
da por eemmodo preco.
Ama.
, Aluga se urna escrava para ama de urna casa de .
mogo solieiro ou de pouca familia, boa eoainheira
e sabe comprar bem : na ra de S. Hora Jess das
Crioulas-g -u
Precisa-se de nina ama para retialtf em e*a
de MBilia : na ra do Bruin n. :>i, detr-me
ciiafariz.
;;*t J'>adaailvu !. i ^fo pela 1 ni
* ver.sidadc de Coinibra, d consdttu em
S ^^^ casa das 0 s 11 Loras + a.: r.hia.
SO das i asC da larde.
Aluga-se o solo do .- ibrado n. i<2 da ra ta
Guia, cora dua< janellas de frente e nimios cora-
modos : no primeiro a;:dar.
Alugara-se dous grandes sobrados cora com
modos para numerosa familia, novos c acetados
com jardim, cocheira, estribara e ontras commo-
didades/natravessadeJo3o Fernandos Vleira:
a tralar na ra da Senzala Nova 0.41
ser procurado no eteriptorio da ra do ^
fll Rosario estreita n. 3i, ou era sua resi- ^
5j dencia a ra do Sl u. 9.
Precisa-se de um criado que entenda de l>-
leeiro : no pateo do Carino, era casa de Gabriel
Visita i..
fc em suas casas r.-.::,eran im nas h
^g para is- d n salea os rasos ur-
n gentes, qae s rao en. quat-
io. D rousolta< a a i/.
que o prorurarem no h-^pital p
da. o
I
aoude encontrado dianamee'o
H s8 hornada manaia.
Tan sea i--.-i i rarnte
i'ioniada para rccrb< r qoakpwi
;V; anda mesmo os aiion;:!"-, p...r* a
U/ tt!in cominods apropriadus e n
'. tica qualquer operaeio eiirpica.
Para a casa i!<' laade.
Primeira rlasse 3MJOdarios.
Segunda dita.... SfOOD
Terceira dita.... 2|W0
Esie eaiabeieciaenU j bem acredi-
tado pelos bons eerrteee qne tem re--
t!'-.1;.
O prnprietario espera qae elle conti-
ene a merecer a i onfianca de qne ten-
pre tem gotado.
-;
tencer 153 barricas com farinha do trigo, primai-' Pre-isa-se alngar urna criada que saiba cozi- ,
ra quali.iadecm um-ou mais lotes a vontade dos1 nhar eengommar com uerfeicao, soraente para Anton'^ se "ira. ou na lassagem n. t
.
---->
compradores
Gjimaraes.
D. Eugenia.
D. Camilla.
Pe xoto.
Santa Bosa.
^ MBIfc;
De fazendas avariadas.
DEGLifiiCSES.
Cunvida-se as pessoas que estilo as
condicoes do servico militar, a engajarem
no corpo de pocia c gozarem das vanta-
gens d i lei provincial n 611 de 2 de miio
prximo passado, que sao as seguintes :
1 jtHjrs. diarios de sollo, serem seus fl-
Ihos menores recomidos aos estabelecimen-
tos proviociaes da educagao e o tempo que
estiveremna guerra ser contado pelo duplo
pai i o ciso de aposenta loria, e alm destas
te ji 11 las as mais vantagens que sao con-
ceJidis aos volaatarios di patria. O te-
nente-cor3nel commandanle do corpo de
polica, Alexandre de Barros e Albuquet-
que.____________________
O Illm. Sr. inspector da llie.-euraria de fazenda
desta provincia, manda fazer publico, que tem mar-
ca'! i u dia II de setembro prximo vindouro, para
o cu!.curso que se tera de abrir nesta mesma the-
souraria para preenebiraeoto das vagas de prati
can: s existentes nesta reparticao, na alfandega e
na i ecebedoria de rendas.
O-i examea terrario sobre as materias de que
traa < i Io art. f do decreto n. 1,114 de 27 do
jan!.) de I8G3, a saber : leitura, anlyse gramma-
lica i rtliographa, arilhmetica e suas applicacoes
au r miraerclo, com especialidades reduego de
me id is, pesos e medidas, calculo de descont, Jaros
Simples e compostos, theoria de cambios e suas
applicacfl is.
0< concurrenles deverao previamente apresen-
tar s us requerimenls instruidos de 'documentos
que provera idade completa de 18 annos, isenfo
de pena e culpa e bom comportamiento na forma
do art. 3o do decreto n. 2,31!) de 11 de marco de
1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
bnco, 6 de agosto de 18t3.
Servindo de olBcial-raaior,
________________^i"_?*' *os Pinto.
Coagulado proviocial
Pela mesa do consulad) provincial se faz publi-
co que no dia 12 do correnlo se ha de arrematar
em ni,ii publica na porta desta reparticao, as 12
Doras da manhaa, 13 garrafoes cora 120 caadas
O agente Pinto far leiio por coma e risco de
: quem pertencer de ll pegas de silesias de 35 jar
; das, par ila Mica XY i. OJ. Un i'ilil t lurdj
Ido vapor ingle;. Gladiator, em continuaco vende*
Nao cabe nos limites deste succinlo annuneio dar jr tambera differentes fa/.endas lirapas e avaria
urna idea aproximada da sublimidade e mereci- das; o ieilo ser effectuado as 10 horas em pon-
ment litlerario desse grandipso trabalho da csco- 10 do dia cima dito no arnuzem da ra da Ca-
la moderna. \ deta n. 02.
A empreza solicita em exitar sempre quanto em
>i couber o animo do espectador por nieio de exe-
cucoes de forca a valerem urna josta o favaravel
apreciaco apressou-se em po-lo quanto antes em
scena.
Dar Tira ao espectculo a chistosa comedia era
1 acto ornada de msica
Boisa e cachimbo.
C)mecara' as 8 horas.
r 11......aB
umapess'..; : na ra da Cruz n.!, Io andar. Aluga-se una escrava para servico interno
Permutase urna ca^a terrea "com 3 jaelas externo de urna casa : na ra do Imperador nu-
umi porta e o quartos por una mais peqiena, dan-' mero alJ. terceiro andar.
Aluga-se o segando
da ra da Guia, pintado
commodos : uo Io andar.
andar do sobrado n. 62
de novo e com mullos
AtteucU).
rm _
De aderecos, pulceiras, brinnos, buiu's, anneis,
correnles, trancelins e chaves para relogios, tu-
do de ouro de lei de 18 quilates com pedras e
perolas verdadeiras, novo e de gosto.
Sexta-fcia 10 de agesto
Por Intervenco do Eagente Pint, no armazem
da ra da C tdeia n. C2.
-.-: J
WI
s.
A1
C9MPAMIA BiSILSIR
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera
do at o dia 17 do correte o va
%mSSZ o'qual'dS l
De 2 cirros com as competentes pare-
lhas de cavallos, csbri^lcts, caval-
los, trastes e outres muito; artigas.
Sexta-feira II do corrale as 11 horas.
N\ UUANDE AGENCIA DE LEILOES DO AUE.XTE
OLYMPIO
Aluga-se a loja do sobrado da ma do Cal-
i delro n. 11, pono reedificada o propria para
! qualquer estabelecimento por se achar em arma-
zem : trata-se com o seu proprietario na ra do
Imperador escriptorio n. 75, ou no segundo anda"
do sibrado na mesma ra n. 38.
Lino de Faria vai ao noite do Imperio, e del-
ga encarregados de seus negocios judiciaes duran-
te sua aoseoeia (que nao ser longa) aos Srs. Dr.
Joaqun) Jos da Pooseca e Ignacio Barroso de
Mello ; e da cobranca do que se deve Arma de
Para t C, Dem como de outros quaesqoer nego-
cios ao Sr. Francisco Jos da Costa Gmmaraes a
ra do Vigario n. 21, Io andar ; sendo que, a to-
dos bem auiorisado com poderes Ilimitados.
A partida do Club Goaimercial no
corrente mez teta lugar na noite do dial i.
O secretario,
_ Francisco Lucio de Castro.
Precsa-se fallar com os liihos do fallecido
Jos Francisco Goncalves Chaves, natural da fre-
guezia de Sania Ulala de Palraeira, do Faro, do
conselho de 12-pozende, Portugal, a n-'.gocio do seu
do-se a preferencia por pcrlo da ribera : quem
liver dirija-se a ma da Alegra n. 2.
Alogara-se o segundo au lar e lojas do sobr-a
do n. 105 na ra Imperial, ambos tera bastantes
commod 'S e oprc^o baizo : (juera os pretoder
duija-i;-i ra do liiiiiT.i'l ir n. 31). prwoiro an.! ParBunii-ta no Sr. redact'T da llluslrarao Com-
ir din-i la ou a lijado Sr. Antonio Crrela de mercial do Recife qual o motivo de nao ler sahido
VascooceHos & C. na rlia do Crespo u. 13. as folhas,qu-jfazem tres domingos que nao .-ahe.
O Sr. redactor A. S. C. deve cnmprjr cora as suas
obrigagoes. ao conirario sen amigo voltar.
Panno de algodo da Baha da fabrica To
dos os Santoslera para vender Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao, no seu escriptorio, ra do Vigario
n. 17, Io andar.
Veiide-se ou arrenda-se
A chacra do desembargador Doria, no Mangai-
nho, a qual contera ama grande casa de campo
com muitas accommodac/Ses para numerosa fami-
lia, qur no andar terreo, qnr no ao lar de cima,
com lerracos largos dos lados para recreio, um
grande jardim com bonito desenlio, co'heira para
3 carros, estribara para (i cavallos, um quarlo pa-
ra hospede, tres grandes qaarlos par senzalas ou
para outro qualquer mister, casa de baoho, gran-
de cacimba cora agua de beber melhor do que a
do encaaamento, duas bombas de tirar agua, sendo
urna de repucho, tendo ustruraento proprio para
tambera se torair banho de cliuva, urna casa com
mangedora para vaccas e bois, onde ha espacos
em que se guardara cabras de leite, carrngas, car-
riohosde mio, raadeiras e taimados, dous galinhei-
da demora do costume seguir
para os portos do sul.
Desdej recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encomraen-
das a dinheiro a frete at o dia di sahida as 2 ho-
ras da tarde : agencia ra da Cruz n. I, escripto-
rio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Copeiro
Na roa do I.jvramento n. I!) ha pira alagar l:.i
bom criado captivo.
U -ura is-
sinar |irim'ir.is letras m algiim *nf precisar dirija-se a roa de S.uti Rita n. 15.
Precisa-se de nma ama forra ou captiva : a
ra larga lo 11 marta n. 35.
* Aluga-se urna ni i-afO rom
quintal, cacimba ; um) dita um .jii Mal,
cora sotad, preco de 123 cada rsm ; uon diu p>r
8JOO0 : na ra do Gazomelro, a tratar ou o ir.
Valonea.
a ra dos Pires n .:> lia mm ncran m
so aluga, a qual faz todo servio e un .
familia, externo e interno.____________
CASA DA FORT -,
Aos G:000:>000.
Blilhetes garantida.
A'RUADO CRESPN. R GASAS DO COSTTXB
O abaixoissignadovendeii w9$tm auitti
zes bilhetes garantido.-da icterii' qu- avaeaftea
deextrahir, a beneficio de. Sant O.-a da ''
ricordia p ira eanalisaeju 'apa e gaz se hs-,
Pedro II, os seguimos premios :
11 iuteiro n. lb'.)7 com a sorte de fi:fld>.S.
Ura quarlo n. 757 com a sorte d.- I :*>->'. ".
Ura meio n. 1722 coma sorte de iOol
E outras rauitas sortes de 1005, VOJ. tul t
io#ooo.
Ospossuidores podem virreceher
G01P1MA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 14 do corrente o vapor
Tocanlins, commandanle o pri-
_ meiro tenenle Pedro Hyppolito
Leiao de movis.
exta-feh*a 11 de agosto.
Por intervenco do agente Pinto.
Ultimo Ieilo que so dever efT-ctuar no arma-
zem da ra da C-tdeia n. 62, visto terse do entre-
gar as chaves do mesmo no dia 11 do corrente
mez.
LEILAO
DE
Urna casa de taipa com 17 pa'nru
40 de tundo.
Cma dita dita com 27 ditos de frente e
fundo.
Urna dita dita com 13 dtw de frent) e 40
uuarie, o qual depois da demora fundo.
de frente e
iO de
da
publico que Antonio Francisco de Menezes, her-
deiro da Uada I). J)anna Francisca de Menezes,
j nao pode alienar ncm fazer transac^aoalguma com
, os bens que Ihe couberam em tal heranca, sero
pleno contiecimento do annunciante, a quem esto
ta< bens sugeitos por documentos passados em
ordem o com toda a legal idade.
Recife, 9 de agosto de I86j.
Ileuto Caetano Moniz Vieira.
da trra tem 130 e tantos ps, fra urna plantaco
nova de laranjas cravo, tigoeiras, laranjas de ura-
bigo, sapotis, abacaxis, macacheira e urna grande
plantaco de capim, tanto de Angela como da Colo-
nia : franqueia-se a casa e sitio a quera quizer
examinar e ver as suas accommodacSes.
Precisa-se de um
do Sr. Barroca.
eltor : em Bemlica, sitio
do costume Srguir pora os portos do norte. Urna dita dila cora 17 ditos do frente e 40 de
Desdeja recebem-se passageiros e engaja-se a fundo.
carga_qjieci vapor poder conduzir, a qual dever | Um sitio com 600 palmos de frente e 610
. de
fundo, com cacimba e arvoredo sendo a largura
do fundo de dito sitio 140 palmos.
20 ttulos de dividas no valor de 6:68035t'J rs.
': e lambem 50 ac^oes da compauhia costeira.
Sogunda-feira 14 do corrente.
O agente Cordeiro ^raoes a requerimenlo dos
com ; :i"hr:i de orodnecio da provincia, appre- i para 0 que tera bons commodos : trala-se
hend I )S a Jos Jaclntho de Carvalho pelo conre-
rente da alfandega Alexandrino Christiano de OU-
vein. e avallados por 965000.
ti i 11 consulad) provincial de Pernambuco 7
de agosjo de 1865.
Antonio Carneiro Machado Itios.
ser embarcada no dia de sua chegada, encom
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as
2 horas : agencia roa da Cruz n. 1, escriptorio de
Autogio Luiz de Oliveira Azevedo & C.__________
Para o Porto por Lisboa
pretende sahir com a possivel presteza o brigue
Pernambucano : para carga e passageiros, a quem
ofJerece bons commodos, trata-se com o consigna-
tario Thomaz de Aquino Fonseca, ra do Vigario
n. 19, primeiro aDdar.
"Para!
Segu com brevidade para o Indicado porto em
direitura o veleiro hiate Lindo Paquete, capitao cima disenptos, no seu armazera a rui da Cruz
Francisco Ribeiro de Barros, e pode anda adrait-1 n- *"
tir alguraa carga : a tratar cora Antonio de Al-
meida Gomes, na ra da Cruz n. 23, primeiro
andar.
Rio da Prata
A escuna porlugueza D. Joao recebe passageiros,
Precisa-se alagar urna casa terrea, sendo as
ras santo Amaro, da Paz, das Flores, do Sol, da
Palma, principio da roa da Concordia : quem li-
vor annuncie, ou dirija-se a ma Imperial n. I.
Precisa-se de urna ama que entenda de hor-
lauca : na estrada de Joo de Barros, terceiro si-
tio pas-ando a estrada do Olho do Boi. No mesmo
Todos esses predios no lugar do Peres da fro- i cPr* se um carro para condueco era bom esta
gueziados Afogadjs a beira da estrada, que vai a !do> um ljoi-
Sanio Amaro da Jaboato e em ierras foreiras.
Pre.-lsa-se de 1:3005 a premio por seis me"
zes, com garanta era um predio nesta cidade : a
qnem convier aununcie por este jornal.
Precisa-se de urna ama para engomraar e co-
administradores da massa fallida de Araorira. Fra- izmharJ|)ara casa de P,oa,ca ra1,,a>^ 1ue seJa de
gozo Santos & C, e por mandado do Illm. Sr. Dr. '
juiz especial do comraercio, levar a ileilao publi-
co as 10 lloras em ponto do dia designado os bens
V0,
com o
capitao a bordo, oucom o consignatario Joo Fran-
co da Silva Xovaes, travessa da Madre de Dos
numero o.
Coinpanhiadas Heusageries Im-
periales.
Al o dia 14
do corrente mez
espera-se da Eu-
ropa o vapor
francez Navarre,
que depois da de
Pela thesouraria provincial se faz publico,
qu? a arrematacao do forneciraento dos medica-
meatos neeessarras enfermara da casa de deten-
cSo, i transferida para o dia 10 de agosto vra-
donro.
Secretaria da thesopraria provincial dePernara-
nuc. 28 de juiho de 1863. secretario,
___________ A. F. d'AQaiinciagao^_______
De ordem do llira. Sr.br. chefe de polica,
fac > publico para conhecimento de quem interessar
possa, que segundo partjcipou o delegado de noli- ageMPa^ua do^Frapicie n.T
ca do ler.no de Serrahaem, em offlcio do Io do ---------------
corrente, acha-se recolhido cadeia daqualla villa, liba de S. Miguel.
como fgido, um preto de nome Damio, qae de- Segu mpreierivelraeote no fim do corrente mez
Obran ser escravo de Lucio de Tal, morador as o palhabole portuguez Pensamnto, de 1" classe
Cinco Poalas, e ah estabelecido com taberna.
O secretario,
CONTRA FOGO.
A Compauhia Indemuisadora
estabelecida nesta praca, toma seguros martimos
mora do costume sobre navios eseus carregameotos e conlra fogo era
SegUira para lia- e.liein.-; merejilniiii a mnhilias- un con saorlaln.
hia e Rio de Ja-
mela idade : na ra do Hospicio n. O.
Precisase de urna ama escrava para cos-
nhar : na ra do Iraparador n. 33, segundo andar.
Nao casa de familia.
O abaixo assignado retira-se para Portugal
a tratar de sua saude.
________________Antonio Coelho Ferreira. '
Adiase fngdo o escravo Manoel Thom.que
representa ter 4i annos e lera alm deste os sig-
naes segttfnfes : cabra, estatura regular, bastante
cabelludo pelo rosto e peilo, pequeos cantos na
testa, um dedo pollegar de urna das mos corla-
do, o mnimo da outra aleijado, e lera alera disto
as pernas bem arqueadas e falta de dentes na
frente, entend li no servico de colheita de co-;
queiros, em fazer lellias e lijlo*: qnem o aprehen-1
dere quizer levar ao engenh) S. Joao da ilha de
[amanea ou a ma da Imperatriz n. 3o, primeiro
andar, ser recompensado.
Para
Victorino Jos de Souza Travassos J-
nior, Marcolmo de Souza Travassos, Maria
Marjjarida de Souza Travassos, Manoel Jas
da Silva Marques, Antonio Augusto da C-
mara Rodrigues Selle e Francisco Deodat
Lins, agradecem de todo o corago a todas
as pessoas que prestaram-lhes o caridoso ob-
sequio de assistir e acompanhar ao cemite-
rio publico o funeral de seu presadsimo
pai e sogro Victorino Jos de Souza Tra-
vassos e de novo convidara seus amigos e
os do finado para ouvirtm no dia 11 as 7
horas da manh, na capella do cemitorio
publico a missa do 7 dia, confessando-se
desde j anda mais penhorados por este
pledoso concurso.
Bilhetes. ". 7-3flO
Meios.......T&WO
Quartos.....Iu0
as pessoas que compraren dt 190JM9
para cima.
Bilhetes.....PSTriiit
Meios......:>::)
Quartos.....17 Ma.m.el Martiss Ficia.
fSif! *Mmm9
O Dr. Carolioo Francisc > de Lima 5ai-
tos contina a morar na ra d > In-pt-ra-
dor n. 17, segundo andar, I
5rt gabinete de coosullas n.edicas, bp i
k< entrar, no primara.
*5< O m.smo doulor, que se U-ra dado a I
7% esludo tanto das operacoes commd*s ao-
Kleslias internas, presta e a quakfti.-.
mado, quer para dettro quer para fra
J| da cidade.
neiro.
Parafretes, condifoes e passagens iraia-se na
edificios, mercadorias e raobilias: no seu escripto-
rio, ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
iQstrncco primaria
Acha-se aberla a aula publica de instruego pri-
maria do sezo ferainino, na povoaco do Monteiro.
E. A. Burle retira-se para Europa, e deixa
por seus procuradores na ausencia da casa cora-
Eduardo de Barros Falco de Lacerda- numero 10.
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa- mercial E. A. Burle & C. em Io lugar Henrique
gera, dirija-se a Bailar & O.iveira, ra do Vigario Jorge Burle, 2o Felippe Necdham e 3" Jos Joaquim
de Oliveira Gongalves.
l
Jos Norberto Castello Branco, Gerlrudes
Cavalcanti Norberta, Paula Joaquina de Al-
buqueniU'*, agradecem a todas as pessoas
que se dignaran) acompanhar ao cemterio
publico os restos rnortaes de sua presada
cunhada, mana e sobrioha Francisca de
Castro Rocha, de novo convidara para a mis-
sa do 7o dia que ter lugar no convento de
S. Francisco, no dia 11 do corrente, as 6
horas e raeia da manhaa.
Puulicucto
Iliteraria.
i> i botica do pateo do Carmn >e dir .i r..*a
onde se aar por vendagem de bolos IDO rs. per
cada pataca.
Maque sobre l.i>b^a
Manoel Ignacio dj Oliveira Ov-FiU'-' **am seta
Lisboa : nojargo do Corpo Santo n. I*.
Precisase alujar ama preta que ?eja boa
engommadeira e coziohe, sera vicios : na ra da
Cmze< n. 36, primeiro andar : paga-el-nn.
O abaixo assignado.offici.il do r^fislrapea
de bypotheca desta comarca, randou i ten rarto-
. rio para a rna do Queimari- n. U.
' ________Fulgencio Infante de Al buque r p:e SU!.
' -- Precisa-se ile|iiin linmcm .jue .1 :. '
bem de pLmlarau le liorta a jardia, pan
ir para um engenlio perto cesta pnn, :.-
se-ilie bom ordenad, alm di u..- i :-
tagens como s ja boa alimentar, i
lavada e engommada etc.. etc.: que
se propozer dirij i-se a ma da ('.loria n. J,
idas 10 horas as l da mauha e das ;
, tarde era diante.
A ma de hite. l05 rios p^ran ParaRuav d
Precisa-se de urna ama de lene sad.a e sera fl- S. Loarenco, Cuyabe Avino, coraprdiendendo 'a & ioa-Vi^ta^ a ltar na ma d.
Iho, paira se bem : na livrana n. 6 o 8 da praca descripcao da provincia de Mallo Grosso, por C. ruaJgL
da Independencia. __ Bartolom Bossl.E' obra imporlantissima para
OSr. Joao Miguel de Oliveira Beral- aquelles que deseiarem conhecer a verdadeira si-
rln mipira Amato** rni Nnvi n fin n tuacao das localidades onde de presente se do
(oqueira aingir-se a na INo\a n. OU a acontecmentos que nteress,im a todos os Brasilei-
tratar de negocios que llie diy.cra respcito. ros. A' venda na Livraria Universal, ra do Im-
perador n. 51.
^m,
^ Precisa-se
Precls-se alagar urna ama qae saiba bem cozi- de 4:000$ dndose por hypotheca valor do 10 ou
nhar e comprar, prefere-se escrava ; a tratar na 12 contos era bens : quem quizer dirija-so a ra
loja da ra Nova n. 11. da Concordia n. 4.
Alugam-se baratas urnas mei-agu*:, i
Barrrka, Umii
CotoveU> o. i".
Quem precisar de ama mulher de aortas pa-
ra dentro, para casa de homem solteiro, coz: aba t
engomma, dirija-se a ma do Encntameos n. i,
segundo andar.________________________^^_
Offerece-se um rapaz portuguez para caiiei-
ro de cobrancas, ou mesmo para rmame oa ta-
berna por balance, por ter as babililare- precMa.
e da ador a sua conducta : quera o pretender *m-
nuocie sua morada para str procurad.__________
Precisa-se dt um criado : na rna da Impe-
ratriz n. 40.


Diario de Fcrnambaco ... nuittU lelra lOe Agosta de f.ftttft.
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
DE
:
25 Ra Nova (esquina da Camboa do Carmo) 25.
Os proprietarios (leste estabelecimento, desejando satisfazer os numerosos pedidos de seus freguezes, acabara de receber de seus correspondentes de Pat s, um grande
sortimento de rtalos (carlees de visita) das personagens as mais celebres da Europa, assim como receberam tambem urna quanlidade de alinetes e cassoletas para retractos, do
mais apurado goslo e por precos muito diminutos.
Os mesmos aproveitun a occasiao para prevenir ao publico e recordar aos seus numerosos freguezes, que ellcs trabalham todos os das, domingos e das santos, das 9
horas da manliaa at as 4 di tarde e que os tem, os de chuva i,5o infiuem em nada para o bom successo dos retratos, pelo contrario o tol entre nuvens mil vezes preerivel
sobre todos os pontos, tanto pela rapidez da operacSo, como pela commodidade das pessoas.
A grande quanlidade de pessoas que tem visitado este estabelecimento nestes dous annos em que se actaam estabelecidos nesta ciJade, e que nao sera menos de cerca
de 1,900 a 7,000, 6 para tiles urna garanlia futura, pos:o que se appliquem tod sos das, para que lodos saiam contentes esatisleitos.
D IODURETO DUPLO
de FERROeQUININA
MEDICAMENTOS FRANCEZES AFAMADOS
A VEIDA EM PERWAHEBITCO
Em casa dos Srs. Caors e Barboza, rua da Cruz n. 22. .
Os elementos que compocm esta preparacao o
ferro, o iodo e a quina, a colloco no primeirc
grao das preparares ferruginosas. Basta allcstar
seus resultados obtidos pelos Mdicos dos bospi-
taes. e os relatorios dos prticos mais eminentes
que confirmrSo sua poderosa ellicacia as se
guintes affecedes:
Hlngoa no Miigiic,
Fraqut'ZH.
Aiii-uiia,
Chloroiie ou Ictericia,
Menstruo,
AfTccci'M do tero,
SnpprcanoeM da n-
Rran r dcHordcna na
iiirii-lrunruo,
Afffeccao |iuluionnr e
l>bthlnlra.
Moles! lu- <' < KlulunfCOi
GantralKlaM,
Perda d'appctltc,cte.,
CnVlcCCIiraile loti-
zan molcHtlaa,
MoIcstlaN rNCrofulo-
M11M,
I'apt-ira,
OnHtrurrao du* j{ln-
dulan,
uniorcH Irlo,
Tumore bianroN,
RuchHIsuio,
Affecfc ninciroo>
e MvplililtlriiM,
Fchrc IjplioiiIeN,
Ilcxlga.u, etc., ce.
PASTIIMH!
IGESTIVAS
DE PEPSINA
Dini-i-lu-u* e a roiiHll-
puriio pro'lur.lilaf
pel'tr* vlaboracca
I r fe i (mi canto al I-
mriito*.
Vejo-s'- os bulletins de iherapciitica medica
e eirurgiea de AO de novembre Istiu; a Gaaeta
don Iwspitaes de 28 de jtilkoiW, etc., ele.
AlCm daspilulas de iodureto duplo de ferro c de
quinina igualmente o Xarope d'iodureto duplo de
ferro de quinina do mesmo author para as
pessoas que nao postilo de medicamentos sol) fr
ma pilular c os meninos. Rste xarope no tem
como o xarope d'iodureto di' ferro, o inconveniente
de alterar-sc e de se nao poder conservar.
Peca-se o folhelo que se d de graca em casa
dos pharmaceulicos depositarios.
Para se evilarem falsificacoes, exija o com-
prador em cada frasco de Pilulas ou Xarope a as-
signatura do inventor.
Depsito geral em Paris, pharmacia Rebillon,
I 42, ru du Bac, e em todas as boas pharmacias
de Franca e as dos paizes estrangeiros, etc.
mmM^m^
As postilaos digestivas com a pepsina de
W asman t emprego se com successo lid jd
alguas annos pelas celebridades medicacs de
Paris. Londres Vicua, etc.. em todas as in-
commodidades emas quaesadigeslao dilficil,
penosa, imperfeila ou mesmo impossivcl: eis
o inclhor remedio para cural as.
&HH I I II I jt <> .
l>lM|Hal>KUH,
Eaibnr.n*Oj^ahtrlco
A Kr.ti-I(i-,
Aa nfreccH nrerinl-
rHN lio ('MolllilTO,
Sua accao vivfica osangticcos rgos de
tal sorte que, atli as pessoas que sem soffrur
as affccews gstricas cima mencionadas sao
nicamente Iracas ou d'um temperamento um
pomo dbil, c necessito substancial alimento
para fortificar-SC-, cimo no cmprcgo das pastU-
kat de pepsina de Wasman, um poderoso meio
para a isso elirgar.
' nportanle.
de Watm
falsiicacOCS e imitacoes d'essc produelo que os
mulos se qncrem desfazer. Pois por falta
d'uma boa preparacao pepsina que n'ella
entra, ja/, alterada. Seremos ao abrigo d'cste
inconveniente, exigindo os compradores qnc as
paslltas t-iiliao as iniciacs B. P. c saio da
pharmacia Chevrier.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
21, Faubouig-Montmartic, c em todas as boas
pharmacias ilc Franca c dos paizes estrangeiros.
Aviso importante. 0 successo das pastilltas
i pepsina de Wasiuan&i causa a se fazercm
DOENCAS
ar>OS\tVLENINOS
CUBADAS PELOS
XAROPES DO DOUTOR DANT
V 1. Contra aa CLICAS DOS MENINOS ante
c durante a dendrita
;Xarope de cynoglosse c de acido succiuido)
N 2. Contra
a ii.-m: CO.WULSA e a TOSSE
KEKVOSA
(Xarope de cynoglosse e de leo voltil de succino)
-V 3. Contra aa COWCI.CES DOS MENINOS
A CHOREA
(Xarope de cynoglosse e de acido voltil de succino;
Estes novos productos preconizados na Aca-
demia imperial de Medicina de Paris sao em-
preados com grandissimo successo pelos mdicos
de Franca para o tratarocnlo das molestias do-
meninos cima indicadas, e vicrao "cncher um
vacuo importante na thcrapculica, no que toca as
nffcccocs ila infancia, para as quacs, alhc boje,
anda se nfio pode indicar tratamcnlo racionnal-
nem iufallivel.
(Peca-se o prospecto em casa dos pbarmaccu,
ticos depositarios.)
Prcco do frasco em l'aris. 3 Ir.
Para se evilarem as falsiticacocs. exija o com-
prador que cada frasco tenba sobre os rtulos a
assignatura Chanteaud.
Depsito geral em Paris, pharmacia Chan-
teaud c em todas as boas pharmacias de Frane,?
e dos paizes estrangeiros.
r>E BISMLTH
DE CHEVRIER
Os granulos de bismutk de Chevrier em supe-
riores a todas as outras prepara^es de bismutk
empregadas antes com o maior successo pelos m-
dicos de todos os paizes, para prevenir c curar as
mim dlgcMldea,
Gaatrltca,
Gaatralglaa.ete.,
Motcatiaa de Ugado,
A ictericia,
Palpltaco do corar&o
Dore* nos rln*,
Dlarrheas rlironlcaa,
DvNMCUterliiS,
Drea d'eMtoniaga,
D}Mpep*laa,
Depsito geral em Paris, pharmacia Chevrier,
irritaren de besi) a e e em todas as pharmacias de Franca c dos paizes
da matriz, etc. estrangeiros.
Opprenroea,
Ddrca de eab< f n,
1IAS8A e XAROPE
DE CODENA
BERTH
As experiencias clnicas e comparativas
dos Snrs Magendie, Barbier d'Amicns, Wil-
liams Gregor, Martin Soln, Aran, Viga,
C. Dumont, etc., membros do Instituto de
Franca, mdicos dos hospilacs de Paris, tem
provado que a Massa e Xarope de Berth i
o remedio o mais .seguro contra todas as
dores nervosas e tendo a propriedade de
calmarcom admiravel rapidez as tosses rebel-
des e extremamente fatigantes da grippe (ca-
tarrho epidmico delluxo. coqueluche ou
tosse convulsa, bronchitc c tsica pulmonar.
A Massa e Xarope de Berth, se
acliao em todas as boticas.
Para evitar qualquer
falsificar, exigir em<
cada produio o nome
e a firma Berth.
Deposito geral em Paris, em casa de MENIER,
Rua Sle-Croixde-ta-Brelinnerie.
STHME
ASTHMA ASTHMA ASTHMA
SuiToccco nervosa e Oppreas&o
nico remedio cfficaz para combatter estas mo-
lestias, acalmar um attaque d'asma e impedir a
volla o Xarope aromtico de Succino (mbar
amarello) do Dr Danet. Dcscoberta inleiramente
recente, este novo producto se tem propagado
com extrema rapidez gracas aos admiraveis resul-
tados que tem sempre produzido.
Deposito geral, na botica Chauveaud, 5i,
rua do Commercio, Paris-Grenclle, e em todas as
boticas de Franca e do estrangeiro.
m
m\
Companbia idelidade de seguros
martimos e terrestres
estabelecida no Rio de Janeiro.
" AGENTES EM PBHNAHBUCO
Antonio Luii de Oliveir Azeredo a ,
competentemente aotorisados pela dlrec-
3 loria da compannia de seguros Fidelida-
H de, tomam segaros de navios, mercado-
? rias e predios no sea escriptorio rua da
IR Crui n. 1.
U London & Brazillan Bank, saca por doos
os paquetes,sobre
Lisboa.
Porto.
Braga.
Vianna.
Guiraaraes.
Villa Real.
Coimbra.
Amarante.
m MNm-MMmm mm
O hachare!
Francisco Angoste da Costa Hj
ADVSGADO 5^-
^ Rua do Imperador numero C9. M|
Wmmm mmm mmwmmmm
Alnea-se a loja do sobrado n. 17 da rua da
Imperatri7, com bons commodos : a tratar no se-
gundo andar do mesmo.
- Na praca da Independencia n. 33, loja de oun
ves, eompra-se ouro, prata, pedras preciosas e
tambem >e faz qualquer obras de eccommenda e
odo e qualquer concert.
Alngnel r racravas.
Alugam-se duas e.-cravas ser.do nma mora ttn
casa de familia e oatra de m^i. id!** para osa
jfa | de homem soMeiro, as qaaes rm-m, rMm
K! engommam : qaem precisar dirija-.** em
' Amaro ao sobrado junto ao ermiierio taftet.
1
m
Costuras para fazer.
Na roa doQueimadon. 27, dase
cas para fazer, as pessoas que qaiitre
cam cora seus fiadores.
C0MP11S.
O
Comprase efTectiTamente ooro e praia r
obras velhas, pagando-se era : na roa larga i
Rosario n. 14, l>-ja .te ourives.
Silvino Guilbernie de Datros cwapra e
de frtil menle escravos de amta>s os seaes :
roa do Imperador n. 79, terreiro aadar.
Oliro c pra;
em obras velhas : eompra-se na praca da lade-
i pendencia n. 25, loja de hh.ie-.
Compra-se um sellim em meto oso : aa roa
de Santa Thereza n. 38.
Comprase ouro, prata e pedras preeiaaa*,
em obras velhas : na rua da Um do Rec,
leja de ourives no i reo da Cosn-irao.
obre, taln e ekaataa.
Comprase cobre, latan e chumbo : no armazen
da bola amarella, no o>lo da secretaria de m-
llcia.
Compra-se inoedas te 05 ** liegas le
16)9 : na rua da Cruz n. 48.
Compram-se moeda* bntfotm le S>i i
2I : na rua do Crespo n. IC, prin.eirj aaar.
0
Pelas commissoes em grosso, dirigirse aos S" WILLAERT e BERGER, comisarios em drogara, 11, rua Saint-Lazare, Paris.
B35
Rua da Hnin numero 38.
Ne.-te Hlabeleeioieato acham-se venda os se-
guintes objectos, lodos da primeira qualidade, e
construidos especialmente para esta casa, pelos
mais acreditados fabricantes inglezes :
Machinas a vapor de 2 1|2 a 8 cava los, com
moendas, juntas e sem ellas ; e tambem proprias
para descaroca ment de algodao, afamadas pela
fortidao, sitnplii-idade e economa em combustivel,
e por nao precisar de obra qualquer para eu as-
esnta ment.
Rodas d'agua de ferro, systema mui proveitoso
da forca d'agua.
Rodas de espora, e angulares, e de esquadrilha
para animaes.
Moendas e meia-moondas.
Taixas de ferro batido e fundido, e de cobre.
.Machinas para descarocar algodo, systema
Platt, com os ltimos melhramentos.
Boceas e crivos de patente para fornalhas, dimi-
nuindo muito o gasto do combustivel.
Machinas e niachinismos para moer mandioca,
movidas a vapor, aguaou cavallo.
Fornos e chapas de ferro batido para coser fa-
rinha.
Alambiques de ferro, e fundos.
Guindastes, fuos e poriaiils.
Prensas para copiar cartas.
Rodas para carro de engenho com eixos e man-
gas de patente.
Formas de ferro batido galvanizado para purgar.
Serras de ac e armacoes de serrara.
Arados de' ferro singelos e dobrados, grades para
cubrir cauna, enxadas a cavallo, e outros instru-
mentos de agricultura.
A Menead.
Fornece-Fe comida para casas de familia, hijas
ou oficinas, com todo o asseio e promplidao, mui-
to variaba, e poreommodo prego, mandase levar
em casa ; tambem recebe encommendas de boloe
doces de todas as qualidades : rua da Caixa n. 70,
Boa-Vista, casa particular.
A
Coinpanhia
geral kspanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTOIUSA.DA PELO REAL DECRETO E 21 DE DEZEMBRO DE 1859
ma fiaaei era ilinlteiro, lepositailo nos cofres do estado, garante a boa da
ministrcao ia coinpanhia.
BANQL'EIROS DA COMPA.NHI*
ClSllTOIO NEMCHIRtRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAIIYDE LOBO VOSCOSO,
MEDICO, PARTEIRO K OPERADOR.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
Na rua do Imperador n. 83, segundo audar,
precisa-se fallar com os seguales senhores, para
negocio que Ihes diz re>peito.
Autonio Nuues de Azevedo Campos.
Manoel Correa da Silva Lobato.
Joo Pereira da Silva.
Jos Lopes Tavares.
Jos Francisco Rodrigues.
Pelippe Borges Leal.
Custodio Jos de Carvalho.
Antonio Serafim de Deo.
Manoel Francisco Cuelho Jnior.
Joiio Antonio Pereird Ramos.
Jcao Marinbo Paes Barrete.
? SIB1S.
0 castalio de Grasville.
Traduzido do fraacez par A. J. C. a Crax.
Vende-se este bello romance em <\\ :tr
tomos pelo haratissimo preco de 3d<00C
oa prata da Independencia, lifraria n*.
6 e8.
A LEOTIMA
SALSAPARRMJA
"STOL
PUt
PT
VA
O Banco de Uc^panha
DIRBCCAO GERAL
Madrid : Rua do Prado o. 19
Esta companhia liga pelo syslema mutuo todas as combinacoes de soperviencia dos Mf
sobre a vida.
Nella pode setazer a subscripcao de maneira que em nenhom caso nusn.o ici n.ciii des
gurado se perca o capital nem os juroscorrespondeates a estes.
Sao to suprehenJenles os resultados que produzem as sociedades da ndole de A NACI
DAL,que anda mesmo diminuido urna terca parte do interesse produzido em recentes liquidai
cOes ecom:n;itiIj-o con a inortalidade da tabella ds Depareieux que e adoptada pela compaoh--
para seas;ilculos e liquidaeoes, em segurados de idade de 3 aI9 annos, urna imporsicao annua.
de 1U(U produz era effectivo metlico:
No fim de 5 annos.......1:1195300
de 10........3:942*600
. de 13 .......11:2085200
de 20 .......30:256*000
i de 38 .......80:331*000
as idades menores de 3 annos e maiores de 30, os productos sao mais consideraveis.
Prospectis e mais informacSes serio prestadas pelo sub-director nesta provincia.
Joaquim Pinza de Olveira, ru daCadeia n. 52, ou a Boa-Vista rna da Imperatriz n.12,estabel
ment dos Srs. Raymundo.Carlos.Leite & Irmao.
Casa dbannos
Largo do Carmo a. 26.
E-te estabeleeimento tao bem montado na sua
origen) achava se de ha muito em quasi completo
abandono pelo pouco iteresse de >ua adminis-
travao.
H-jje quii o n.ivo propnetario e.-npregou todos os
ineii s (iara restabelecer a grande utihdde desle
e.-tibei^eini-nt i, pode -.'ssejiurar ao publico que
qualquer que seja 0 numero dos concorrentes
achara i desde ja promplidao e aceio nos banhos
fri*, momos ou medicinaes. a casa dos banhos se
achara aberla lodos osdia? das 6 horas da matiha
as 11 da noite.
Prr^os.
Banho de choque...... 500
Dito trio ou nomo..... 500
Dito de farello.......1*000
Dito medicinal ser se-
gundo sua qualMadc.
Assignatura.
Por mez banho fri ou murno...
25 cartes para banho fro, mor-
no ou de chuvisco.........
12 candes par os mesmos-----
12 ditos para banho de farello.
mmm mmmm m
entista de Pernambuco.j
Hua estrella do Rosario n. 3,
ao p da igreja
[francisco pinto OZORIOJ
I C'olloca deutes artilciaes j
pelos ystemas mus im.- j
I demos
| Emprega todos os meios scientficos para j
I conservar os naturaes. Pode ser procura- !
i do em -eu gabinete das 9 horas da ma-
I nhaa as 5 da tarde. f
10*000
105000
5*000
105(100
,
A viuva, os lilhos do primeiro matrimonio
e genros do brigadeiro Gaspar de Menezes
Vasconcelos de Ommmond, confessam-se
muito gratos todas s pessoas, que presta*
ram-lhes o especial obsequio de assislir s
missas e ao memento, que na igreja de Nos-
sa Seohora do Carmo se celebraran) no (lia 5
do correte mez, pelo eterno repouso do dito
eeu marido, pai e sorro.
Aluga-se um pillo na Capnnga rua das.Pri'
nambucanas com boa casa de moradia, cocheira-
estribara, bonito jardini e port5es de ferro : os
pretendenles queiram dirigir-se a rua da Cadeia
n. 39.
- Na roa do Araga n. 3 faz-se comida para fra
com lodo aceio e perfeico, por preco mais eom-
modo do que em outra parte.
Precisa-se de ama ama que techa bom leiie:
a rua de Hortas n. 130.
Firmino & Lins
Nnvo csl.ibf IcchiciIo de retra-
tos rna Nova n. 15, Io an-
dar, junte ao Sr. Gautier,
dentista.
Tiram retratos todos os dias, das 7 horas
da manha s o da tarde, quer chova ou
n3o.
Tambem se offererem para tirar retra-
tos de pessoas fallecidas, dentro on fra
da cidade.
Os annunciantes desejando acreditar o
seu estabelecimento, garanten) ao publico
que nenhun) trahalho sahira de sua ofBci-
na.sem que nao seja perfeitamente acaba
do, e a vontade do fregoez.
0 Dr. Lobo Moscoso d consullas gratuitas aos pobres todos os das das 7 s 11
boras da manliao, e das C e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados. Antonio Tihurcio da Costa Monteiro.
... 'ii .! Sebastiao Anlooio de Allitniuerque (estudante).
Pharmacia especial nomeopa Haca Francisco Gomes dos santos.
.... .- Joo Gomes Pereira.
No mesmo co sultono lia sempre o mais appropnado sortimento de carleiras Jos Luiz Pacheco de Souza.
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnaniisares e pelos precos seguintes. Sebastiao Jos de Barros Brrelo.
Carteiras de 12 tubos grandes. 12^000 Francisco AntOBio Vieira da Silva.
de 24 tubOS g. andes. 180000 Domingos Jos AffonsoAlves.

>

de 36 tubos grandes,
de 48 tudos grandes,
de 60 tubos gran les.
24^000
300000
350000
Joaquim Francisco da Silva.
Joao Ribeiro de Castro.
Jos Francisco da Silva.
Miguel Aicanjo Ferreira.
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios /0'aqSm ^"ncsco Morira.
que se pedir. Francisco de Agolar Jnior.
Um tubo aguiso ou frasco de tintura de meia onga 10000. Juba Rosa do Aimeida Pinto.
Sendo para cima de 12 custaro os precos estabelecidos para as carteiras. Leopoldo Gadauli.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 rito. Joi,,|U,m de 0l,veir* Ma,a Jun,or-
ivitim Samuel Power Joluistou &. Companhia
., ... u m uV n .i i% i u Ruada Sensata Nota o. 4.
A melhor odra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopatlnco do Dr. Jabrl agencia da
dous grandes voluntes com diccionario............ 200000 Fuodl^So d Low Hoor.
Medicina domestica do Dr. Bering........... 100000 Machinas a vapor de 4 e cavallos.
Repertorio do Dr. Mello Moraes............ 6-5000 Moendas e meias moendas para engenho.
Diccionario de termos de medicina........... 30000 Taixas de ferro coado e balido para enge-
Os remedios deste estabelecimento siio por demais conhecidos e dispensam por nho,
tanto de seren novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ------
verdadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de Arreios d carro para um e dous cavados.
verdadeiro assucar de leite, notaseis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acredi- Relogios de ouro patente inglez.
lados eslabelecimentos europeos, a mais exacta e acurada preparacao, e portanto a maior Ajados americanos.
energa certeza em seus effeitos. Machinas para descarocar algodo.
f Casa de mude para escravos. Motores para ditos.
i i i i f u i Machinas de costura.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermtdade ou fazer-se-lhe qualquer _^---------------------------------------,
operacao, p ra 0 que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado. rtSafSEl SSoTSSria Mr?aow,para
O iratimento e o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e 0 que f0 ltimamente preparada, ou qualquer ou-
funecionando a casa ha mais de quatro annos, ha muas pessoas de cujo conceito se nao tro estabelecimento : a tratar na Baixa-verde nu-
pode duvidar, que podem ser consultados por aquelles que deseprem mandar seus m*
doenles.
Paga-se 20 por dia durante 00 dias e d'ahi em diante 10500.
Asoperages serio previamente ajustadas, sen5o se quizerem sujeitar aos precos:
razoaveis que coskrau pedirr o annunc ante.
NICMEKTE POR
LAN1AH k KEr,
NOVA YORK
Composta de substancias, pivanfa r)
propriedades emineiiliiheiilc iirpurairtas ;
approvada pelas juntas e academia* de Me-
dicina ; usada nos principaes hospilae?, a-
vis militares e da marinha as Ansilh* t
no continente americano ; receitada pelos
facultativos os mais distinctos do imperio da
Brasil e da America hespanhol
CUSA RADICALMENTE
escropliulas, rheumatismo, escorbuto, ea-
fermidades venreas e merruriaes. cbafa*
antigs, morphea e todas as molestias pro-
venientes d'um estado vicioso do sangoe.
Emquanto existem varias isailares n
falsicacos, preciso a maior cautela par
evitar os engaos,
A legitima salsa Je Bristol Tende-se por
CAORS 4 BARBOZA
JOAO DA C. BRAVO d C
Joo da C. Bravo a C
Veudem-se no Recite em casa de Caon
Barboza e Jo5o da C. Bravo & C.
Vinbo do Porto superior em raia A> dnria,
tem para vender Antonio Luiz d* Olivvra Airve-
do & C, no seu escriptorio roa da Gru I.
Vende-se urna ptima escravj mora de koa
figura : a tratar na rna da Cadeia o. VO, lja d
relwjoeiro.
Colla da Babia snnerar
Tem para vender Antonio Luiz Aiewd" \
C, no seu escriptorio rua da Giuz a. I.
Carne do serta* a 406 r>. a libra
a ella antes que se acabe : no armazem da estrel-
la largo do Para izo n li.
Vende se urna bonita escrava rrioula 4e hU-
de de 18 a 20 anuos : na rua da Cadeia du Renta
n^lO.______________________________________
Veudem-se saceos com farinna da krra aui-
to boa, com 22 cnias cada um a : no ^rmazea
da rua do Imperador o. 83.
AO PUBLICO
CARLOS PLUYM.
DE
Ama
Precisa-se alugar nma escrava que saiba bem
cosinhar e qne seja fiel : na roa do Qneimado n.
46, loja.
Os filhos do primeiro matrimonio e
genros du fhadn brigadeiro Gaspar de Me-
nezes Vasconcellos de Drummond, convi-
dam e pedem encar cidamente a todas as
pessoas que se considerarem credres do
respectivo cas 11 se irvam de apparcer 1ia
rua da Aurora n. 26, dentro de lo dias con-
tados da presente data, das 6 as 10 horas
da manha e das 4 as 0 da tarde, para ve-
rilicacao dos seus creditcs e ulterior accor-
do sobre os seus pagamentos, independente
dequesesjudiciaes. R cife 8 de agosto
de 1865.
Como a empreza de illuminacao a gaz tenba da-
do licenca aos machlmstas para trabalharem por
sna pnrpria tonta, Carlos Pluym, machinisla, offe-
. rece seu prestimo ao publico para encaar gaz e
agoa, e (oda a sorte de servidos concernentes ao
seu offlcio, por precos muito rasoaveis.
Pode ser procurado a qualquer hora
17 Rua da Imperatriz 17
* *t.itvt N.B. LOJA.
I V llri\ KjS S?" P*ra prova d perfeico do seu trabalho o
M. 55. RUA DO IMPURADOR X. 55. mesmo utt O pianos delaail42a fabrica sao hoje asss conhecidos para que seja necessar.o insistir sobre a |"W Pes> Par 1uem llraba'hou a mandado
sua superiordade, vantugense garantas queofferecem aos compradores, qualidades estas incontesia-, a> compannia oo gaz._______________________
veis que elles tem delinitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos- i vio a
suindo um teclado e macbinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem A.\ loO.
nunca falhar, por erein fabricados de proposito, e ler-se eiio ltimamente melhramentos importan-, o abaxo assignad^ declara que dissolven amiga-
tissimos para o clima .teste pail; quaoto s vozes, sao melodiosas t flautada*, e por isso muito agrada- velmente a sjciedade que tlnha na villa do Cabo
veis aos ouvidosdos apreciadora". n'om estabelecimento de mnlhados (venda) com o
Pajero-se confu me as encommendas, tanto nesta fabrica romo na do Sr. Bloodel, de Paris, socio Sr. Luiz Manoel de Freitas Hlbeiro, licando o abai-
correspondrnte de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes. xo assignado exonerado de qualquer debito, e o
No mesmo estabelecimento se achara sempre um expiemlido e variado sortimento de msicas dos ex-soco Luiz Manoel com a gerencia da MMM
I melbores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo tendido por casa> e responsavel por qualquer debito contrahido
' precos commodos e razoaveis. j no lempo da mesma exmela socedade, segundo o
^-^~~~~~~~~~~"""! nosso papel de distrato ; e para que nao se alegue
No domingo 6 do presente mez, a i hora da I Arrenda-se um sitio no Jacar, eslrada que ignorancia, faz-se o presente aviso. Villa do Cabo
tarde, voou do sobrado da ros do Sebo n. 80 para1 vai para Apna-Fria, com casa de pedra e cal ulti- 7 de agosto de 1865. .
o lado do Caminho Novo, nma araruana bastante, mmenle edificada, coro baslanles commodos; este ________tranciscode 800 Martins._____
mansa, com um pedac, i de coi rente de ferro no pe,! sillo tem arvoredos de fructas de todas as qualida- j Arrenda-se o grande sitio da Piedade, na Ta-
sendo toJa azul sornente com circuios amarellos I des, bom terreno para planUQo, e baixa para ca- marjDeira, onde esteve o collegio da Conceicao,
em volta dos olhos e bico : quem a pe^ar ou della I pim. Aluga-se tambem o armazem do sol na rua C0(n fg^ os commodos, e alem disso proporcoes
liver noticia, dirija se ao mesmo sobrado, que ser da Concordia, proprio^ para q^alqaer estabelecx- para grande agricultura : a tratar nos Coetbos,
graiilicado.
Milho.
Vendem-se sarcos grandes rom milho novo : aa
rua da Madre de Dos ns. "> e 9.___________
Para matar forminas
Vendem se velas para malar foranga* ; .i ar-
mazem da bola amarella Do ou Ja *ttretaru Mi
polica.________
Vende-se nm carro wtm par r>.alurc< : a
tratar na rua do Sebo n. 5i. taberna
Ama
Precisa-se de urna ama para o servco iulerno de
urna casa de pouca fanJlia : a tratar na praca do
Corpo Sanio n. 17^____________________
Na rua da Roda n. 6, loja, engomma-se com
toda a (teriecao.
ment: a fallar ao solicudor Barroso que mora m 0 collesio da Con- eicao
no sobrado n. 34, onde est o dito armazem, laoto
para este, quaoto para o sitio mencionado.
Precisa-se comprar um cofre de ferro em se-
gunda mito que seja bem seguro : a tratar na pra-
Aluga-se urna casa terrea em Santo Amaro, ca da Independencia n. 12.
na travessa do Lima, com os commodos seguintes : j '--------------_ __v _
2 salas, 4 quarto?, cozinha (ora, e quintal com ca- AJuAi
cimba: qaem a pretender dirija-se a outra casa Precisa-se de ama pessoa que saiba cozinhar
junto, on a rua da Praia, armazem de carne ame-; dem, para casa de pouca familia : na roa do Hos-
ro 38. biclo n. 44.
Vendr-se nma taberna na rua Inp^riil m.
205 com poMM fuios, pr.ipria para pfhfnmi;
e bons commodos para familia, bz-^> mi^tei *-
mo a praso.eom divn de se veader por sem ?
ler de retirar se.
Vendem-se ba- ris de 5* Ma H V mn
bom : para ver c tratar aa roa do Vijrari.. a. 9.
Cal dr |Jmm
a granel a 14500 por urna barrica: aa raa d* Vi-
gario n. Io, primeiro andar.
Chapees e wourls ara seibara.
Vendem-se ricos chapeos e bowM > ta da
Italia, enfeitados con lodo fi*lo r sian kri4aa> :
na rua Nova n. 47, loja de Justo de Mmr 4 C
Vende-se a casa n. 51 aa raa > S. l>** 4a
mesma freguezia : a tratar aa raa da Pire* a. M.
Vendem-se calas de cigarro de ** wm-
co para asmalhicos, viada* Je Paris, > ar^ew
muito eommodo : na roa da Imperainz (aterro da
Boa-Vista) loja n. 6?.
Ferros para engommar
Ven lem-s* raixinlias conten U
sortimento de ferro- para eoito
babados, palos, e toda a roapa de 1
Nova n. 24, loja.
Na fabrica de vinagr?, roa Imperial a. f,
dem-se cubos grandes, guarilas e aaroretw.
Veode-se nma cocheira na rna do Sol a 27.
com 3 carros e II cavallo*. e ans aeri-are*, MV
em bom estado e p->r preco eooMBodo : a itow
'que quizer dirija se a meso casa, aac armara
com quem tratar.
Vendem se tres escrava* ac* nm
dades : a tratar oa roa de Apoto **,;
Vende se um lindo ara la nano da
annos por 5504, u:n negro MM por
travesa do Carmo o. I.
V


i


Ufarlo de per nansfc tico --- A molestia ou infeccSo pecu-
lial cotihecida pelo noine de Es- \
tcrofula ura dos males maisj
Vevalecentes e universaes que;
ha em toda a extensa lista das
enfermidades de que soffre o.
genero humano : disse um cela-:
bre escriptor da medicina que!
mais de urna terca parte de;
todos aquelles que morrem antes
da velhice sao victimas, ou dire-
ta ou indirectamente da Escrofu-
lo :por si n5o Ufo des-
Uva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao lhe s3o geral-
mente attribuidas.
E'ama causa directa da phthysica pul- ua do gallo vig.lanle ra 'o Crespo
monar, das molestias do figado, do esloma- miniPi-n 7
go e affecedes do cerebro : Entre os seus "uul*r" '
.__! Neste estabelecimenM enronlrara o respeitavel
numerosos symptomas acham-se os seguin- palilico am grande >orliinenlo de KaiaiUerias e
tes : falta de appetile ; o semblante pal- or-jectos de milito posto que tem chepado oestes
lido e s vezes inchado, s vezes de urna uiumos navios e vapores de ua propria conta, que
alvura transparente e outras corado e a- g tPttSStt """* ^ "Ue
marellento ao redor da bocea ; [raqueta e Lencos.
molleza nos msculos : disgesto paca 0slindos longos npeiaes para senhora consa
appetile irregular, [alta de energa, venlre iuteiramenie nova.
inchado e evacuaco irregular ; quando o Alhnns.
mal lem seu assento sobre os pulmes. urna m Albuns muito 6nos c..rh espa de madreperla e
cor aziibula mn-sli-i.w em roda ros 0II1OS: de tartaruga com guarnido de prata para oO e
cor azulada moslia-se em roua uos ou os.. 10o retratos, assim como de outros mais inferiores
quando ataca os orgos digestivos, os oiiios de j0 a 50 retratos,
tornam-se avermelhados : o hlito ftido, Msicas.
a lingua carregada, dures de cabeca, ton- Lilitabas ricamente, enfeitadas tocando daas
tetras etc pecas de msica propria para mimo, assim romo
.._ !,- .....fu. >n caixinhas pequeas com mu-ica tanto de veio co-
as pessoas de dispos.c3o escrofulosa ap- mo de darpC0Jrda,
parecem frequentemente erupcoes na pene. Vestuarios.
da cabera e outras partes do corpo, sao pre- Rjqaissiraos vestuarios de seda para erlaocas as-
dispostas s affeccoes ilos pulmes', do /ya- sira como totiquinhas, sapatiuhos e melasiuhas de
do, dos rins e dos orgos digestivos e ute- seda-
rinos. Portanto, nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
tecro contra os seus estragos; todos as
quelles cm cujo sangtie existe o virus laten- perola para ores.
te d'este lerrivel fiagello (e s vezes lien- ...... E.eques.
ditario) estao expostos tambera a soffrer das loSms;iVdeP4Uoo ",;id,ep3rdla e de sanda"
enfermidades que elle causa, que sao: iJVriuhos.
Aphthysica, ulcera roes do figado, do es- iiqUISSios Uriinhos con capa de tartaruga
tontago e dos rins : crupces e evfertnida- guarnecidos de prata para missa.
des eruptivas da culis ; rosa ou erysipela ; -Aderecos pretos.
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh- Riqnissimos aderecos pretos sendo pu"seira, ro-
cumacarbunculos, ulceras e chayas, rheu- ^amnete e volta, ass.ra como de cores nng.n-
matismo, dores nos ossos, as cosase naf Brincos.
cabeca, debilidades [emininas, lores bran- R;,luS,jm0s brincos e rozetas de tolas as quali-
cas causada pela ulceraco interior, e en- dades e gostos modernos.
fertilidades uterinas, hydropesia, indiges-l Olletas.
tao, enfraquecimento e debilidade acrak '. Riqoissimas bonecas de porcelana e de massa o
Aos pulmes a escrfula produz fcbra-1*%$!$? w* c,,amando por
los e finalmente consumpeo pulmonar : i Penics.
as glanulas ella produz nciacoes e tornam- Rjquissimos pentes de tartaruga para senhora,
se ulceras: nos orgos digestivos causa assim como para menina e de ailas outras qua-
desarranios que produzem indigesto, dis- lidades. __
molestias do gado e nos rins:I o'eltes W** cma de Mesa
i 110
AGih mkm.
LOJA OG 8EUA FL08
li ru* i! Ilurir.., j. '..
.
AVISA
GREGORIO PAES DO AMARAL & C,
que receberam pelo ultimo paquete.
O UAIS 1M0 SOltTItf ENTO
da ;. ';.v
manufacturado em
Grandes chale granadme
Bou i us
Botonaos
Treanon
Pampadour
Wateau
pretos, brancos e de cores; magnficos desenbos, de gosto modernsimo.
< olleiras de marroquim, rom cascareis l(,llh rwebidg mn Mmm
e sem eilis. cas de choro, que chamam papai t iimit.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bra-i- Com caliel'cira de cae. <>>.
ca n. 8, vendem-se colleirasde marroqoim, Temlu icccbido mu variado ^' .ir. -w. J
pospontadas e cora cascaveis, ou >em elles hrinqucilos para nii'inos. >'i.;.. r,t- ^.
proprias para caes e outns bicbinlios. epingarda, pittbf, lmots ?
Pennas in^lczsdeaco edouradas. par laeniias: appar*-t.ite de a\tnn c -t*
No novo sortimeDU) de p.imas dea^o a Aguia Brinca acaba de receber, vieran e faijuinlias a wi is. o ;( pMMa>
tanibem outras de metal dourado e bicos doconlifitiar. twtmri ;i-U.!. ,u. *m
mu bem acabados, e pr essas boas c ue- nutra quekfoer paulo.
cessarias qualidades os seus acreditados fa- V'ewlc-se tir:i l.n!a!..s .- iiiMSistr*
bi cantes Perry & C, as recooimeodam a s larnunsa l S. e tnlmlin.cB>iiw>M a i -
entendedores apreciadores do oni, valen- ohot para senhora. bordaoos r abahm '*
do mesmo a dill'eietica que lia no proco de renda e lisos, os mais nioderow
urnas para outras, porque estas se toman) podem encontrar.
mais duraveis na cunnuacSo deescrever;
assim poisquurn dellas se quizer utiiisar
Vestidos de GRANDE TOILETTE. Fazenda preferivel pelo brilho e gosto, a mo-
Riquissimas eaiieTns^rmea* de flores para noi- 'reat.tique ou grosdenaples. Barras e laco bordados a fioco e vidrilhos, sem depende-
vai, assim como meias de seda brancas
Porla boqnet.
Riquissimos porta boquet com cabo de madre
iem de modista para os fazer, visto trazerem o corte debuxado.
l

para
y P im na pelle produz erupgoes e alecgoes cuta- ,^1,^ ^ F
neas. Fiveas e sintos.
Todos estes males tendo a mesma on- Riqaissimu 0velas de maJreperota e de metal,
gem, carecem do inesmo remedio : a sa- assim como bonitos sintos.
ber : purificar e fortalecer o sangue. Flores.
salsa narrlllta ilc iyer I Rifleissimo sortimeoto de lores o mais fino que
composta dos antdotos mais efficazes que ise pode iej- para familia.
a sciencia medica lem podido descobrtr,, RiquiSfim0 jogo de vispora eM calxinnas de ma-
para esta mjlestia assoladora e para a cura deira envernisada e pedras tinas proprias para en-
de todos os males provenientes d'ella que Itretenimt uto de familia.
contm virtudes verdadeiramento extraordi* Para vlagcm.
narias provado incontestavelmente pelas j "'55? cs,jos com "^ os pertences finos
curas notaveis e bem conhecidas que tem | Fitas
feito de tumores, erapres cutneas, erys't-; Ri,,UiSSmo SOrtimento de titas de todas as qua
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs, lidades e lidos gostos.
ulceras, rheuma, sarna, parebas, h y drope- Franja.
lia, rese quando causada por depsitos tu- H'quissima franja de seda de muito lindos pa
berculosos nos pulmes. Debilidade ge
_ drOes tamo de cores como pretos, assim como de
borlla e sem ella propria para cortinado,
ral:Indigcslao, byphilts constitucional e 'Fraucas.
molestias mercuriaes, molestias das mulhe- | Riqgissimas trangas de seda preta e de cores as-
res, ulceraces do ulero, a nevralgia e con- sim como de algodao e de la.
vulees epilpticas e em summa, toda serie1 Perfumarlas.
de enfermidades que nascem da impureza1 Grande sort.mento de perfumaras de todas as
i ...,' M nll,ir,Qc nn lima ioalldadea e dos memores aatores al o presente
do sangue. Vede as certidoes no Alma- emeeido e mallos oatroso^eotos qne setoniaria
nack e Manual de saude do Dr. Ayer que enfadocho mencionar, i?to s no vigilante ra
se distribue gratuitamente nos lugares onde do Crespo n. 7._____
se vendemos remedios. IKkh! aam anmmAi
Este remedio o fructo de longas e labo-; lUVl fcClll ^gUllUU
riosas experiencias, e ha abundantes proyas f(u{ do Queimado us. 49 e 55, loja le
das suas vii tu les: posto que ofiereeido audezas de tres portas, est <4uei-
ao publico sob o nomo de Salsa9*'* mAo ludo bopj e barato, quera qui-
composlo de diversas plantas, algumas das .
qu?es sao superiores a melhor salsa parri- w ver e adra.rar veuliam a loja do
Iha no seu poder alterante. I BlgOiliDilO.
PfiH'OKAL HE MEREJA IE iltt. 'Caixas de pape4 arnade,* sera ella liso e pautado
Glac-royal, em pefas com listras de seda primoramente bordadas ou matisadas,
fazenda inteiramenle nova de bonito cffeito, para pirtidas, soirs, theatros, passeios, etc.
UOl I5IJSN CAPAS
e SOBRETUDOS de panno meclado (impermiavel) viudo no ultimo vapor
. D? um s panno
Colchas de damasco de seda portugueza, de todas as cores
GRVATAS, MANTAS
decores, muilo bonitos padresa 500 ris.
BONETS de pa ha ricamente enfeitados para senhora
CHAPEOS
CHAPELINAS
ENFE.TES
("osturues d fuslao enfeitados para criaucas
E innmeros ohjecbs de modas recebidos directamente por todos os paquetes e
escolhidos caprichosamente dos mais modernos gostos da Europa,
1 A/,i:\l> PARA IIOSEN.
Casimiras modernas de quidros, panno pretos e de todas as cores, brins, sobre-
casacas, palitos caigas, colotes, camisas, ceroulas, lencos, meias, etc.
Gregorio Paes do Amaral & Companhia.
averiado
Francez barrica 52000
Porllanri idora, AJWflO
Era perfeito estado:
Francez barrica 102000
Portland idem 122000
No armazem de Tasso Irmos eaes do-^Apollo.
L IJCAS/VlOS"
a
Cura proiaptamente a astbma, bronchite,
tosse, delluxo, angina, coqueluche,
pnthysica primaria, tubrculos
pulmonares e todas as
molestias pulmo- QBbsi nares.
Allivia es etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
a 600 rs.
Grozas de bo'.oes de louca prateados fazetda mo-
derna a 100 r?.
Ouzias de penoa de ac fazenda boa a 10 rs.
Pecas de tranca de la lisas e de todas cores a
40 rs.
para lampar denles a 240 e
320 rs.
f'uiceiras de coatas para senhoras a 500 rs.
Pecas de lita de os estrellas com 10 varas a
e dos pulmes pdem ser curadas em pou- Q^uston, okheies franoeses, superiores quali-
CO lempo pelo PEltORiX DE CEIIEJ DO DR. | adesaiOrs.
Tinleiros de barro, com superior tinta a 100 rs.
Pee de coroso para vestidos, fazenda boa a
JO rs.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
SUo de Janeiro ra Direita n. i '.
Veude-se em Pernambuco:
na
(fa
PHARMACIE FRANJASE
deP.MAURER&CLe
RA NOVA Ni
Ura
Baralhos muito linos para voltarete a 200 e
240 rs.
Frascos com agoa de Florida a 12 e 12280.
Frascos com superiores banhas a 500 rs. e 22-
Frascos com baoha, porm pequeos a 200,e
240 rs.
Latas com superior bauha a 200 rs.
Frascos de macaca perula muUo uno a 200 rs.
Frase** e garnalkiias cora agua de Colauia a
100 rs.
Frascos grandes com superior
640 rs.
Frascos com superior oleo de balioza a 400 e
500 rs.
Caitas un 12 Irascos de cheiros amito Gaos a
12400.
; Sabonetes pequeos de bolla a 240 rs. e grandes a
320 rs.
agua de Colonia a
livro novo
Repertorio da constitulce do
imperio e do acto a d tile lona!.
Com a clacio das leis, decretos e avisos, relativos j Uuza de cabonetes pequeos com cheiro a 700 rs.
as principaes disposigocs da mesma onstileicao i Agua deotirice superior qualidade a 800 ES.
oiiGAXisAoo pelo | Caixas cora superior p de arroz a 800 rs.
Dr. J. P. Machado ('ortel-la. rTjSS'flBpefloreB esncias saDlal e0lrosa
A piilidadede obradeste genero ioje ao- Fra*:os com rf ,rar noduas ^
Lh<-ciilo fontoente. A acilidade com i^ue peta | g^ r
ordem alphabeca encontrase de pnaMo Qoaj- f com ^ fc ^ m ^
.quer disposicao, ,:uic5o como dasiels respetivas, torna uito re-: Frlscos bouim cbeires finos a 500 rs.
^ommendavel e.^ repertorK. aos Srs esu^antw 0 d meae to finas Ae direito, funcewaanos pblicos e a quatquer ci-1 4800-
danao.
Acaba de chegar do Rio de Janeiro one fei
Hnpresso e acha-se a venda na livraria econmica
defroote do arco de Santo Antonio. Prego 22-
<*llinhas muito foas para senhora a 200 rs.
Caixas cora soldados de ctiumbo para meninos a
180 ra.
Duzias de colheres de metal para cha a 800 rs.
Ditas dita dito para sopa, fazenda boa a 12600.
Pecas de lila de lia para debrum de vestido, com
10 raras a 600 rs.
Vender orna grande proprie-
dade otrora Bereng,er, cam a frcn-
IC para a ra da Hitrefltiaa, conten-1 Wg> W superiores, para acabar a 600 e
dO 18 radas de casas, altn de 4 Cm j pedras4e lousa para meninos a 160 rs.
DrineiaCOma ^C l-le VCr O^ianiar, Ca"s de lampannas para 3 metes a 50 rs.
i* r Bunecos de choro e panno a 160 rs.
formante UUia fUa no Centro <|Ue >ai Icaixas com bonitas estampas para rap a 100 rs.
lar ao novo caes Capibarlie rrudendo' ^pachos compridos, boa lanada a soo rs.
. _" l i j Grosas de botocs pequeos pretos para calca a
4:8UU.s annualmente, atondose todas 10ors.
OCCOpadaS. OS pretcn1 CntcS dirijam- Frases com superior agua de Co'onia a 120.
ntupuivo. v i*c-i < varas de cordao de espartilho a 20 rs.
ge'fri eSCl iptoriO de niinerme a MI- Novellos francezes com 20 jardas a 40 rs.
\ (juimatfs, ra da Cac*ea n.
primeiro andar.
Atiendo.
Vende-se a loja de miudezas n. 70 da ra
da Imperafiz com pouco fundo ; a tratar
na mesma loja.
\A Pecas de tiras bordadas a 640.
: dem com recortes a 12300, 12800, 22 e 22300.
\ Frascos com superior oleo babosa a 320 rs.
Duzias de meias cruas mullo fortes e superiores a
32500.
Kesmas de papel de peso pautado a 22800 e 42300
Vende-se 40 palmos de terreno na ra da
Concordia : a tratar na roa do Alecrn) n 10, das
3 horas s 5 nos das utei?.
Grande armazem de tintas.
KUA DO IMPERADOR N. 22.
O armazem de tintas um grande deposito de
productos chimicos utensis e os mais empregados
e usados napharmacia,pintura, photo^raphia, tin-
turara, pvrolechinia foisos de arlicio) e em outras
Montado em grande escala, e supprindo-se di-
rectamente as principaesdroganasdeParis, Lon-
dres, Hamhurgo, Anvers e Lisboa, pode offereceer
' productos de plena confianca e salislazer qualquer
encommenda a grosso trato e a retalho, por pregos
razoaveis.
Prvidos de machinas appropriadas satisfar
com promplldo qualquer pedido de tintas moidas
a oleo, cuja qualidadee pureza de seus ingredien-
tes poder ser examinada pelo consumidor, o que
A loja de louca da ra do Crespo n. 16 tem para nao fcil fazer com aquellas que sao importadas,
vender quantidade de azulejos de lindas e variadas e ^ue se enconlram no mercado em lalas fechadas,
cores, assim como loogas de todas as qualidades, Tem grande collecgo de vidros de differentes
de bonitas pinturas-e. gosto moderno, ricos appare- formatos, desde urna oitava at dezeseis ongas dt
Idos de porcelanas brancas douradas e de cores, capacidad*.; de vidros para vidragns e diamantes
vidros de todas as qualidades, inclusive linissimo para corta-Ios; de piuceis para fingir madeira com
chrystal, dilicados jarros de chrxstal e porcelana propriedade e outros; de papis dourados e pra-
para flores, figuras e uniros muitos objectos de fl-1 teados e folhas de gelatina para ornamento; de
nissima porcelana denominada biscuito para en- papel grande c pequeo formato de varias cores
feites de misas, ele, guarnigdVs de RnUsiflia por-1 para embrulho, para forro de casa, para desenbo
celana branca douradas e de cores para lavatorios I cora fundo ja feito; de papel albuminado e Brisul,
e loaietes, tudo do melhor gosto, pinhas de louga e verdadeiro saxe para photographia e para filtrar,
vasos para jardim, candieiros de lamparinas para ], outros ; vernizes de essencia para quadros, de
gaz, giobos e chamineisde vidro, buccaes e todos espirilo para madeira, copal para o mtprior e ex-
os mais sobrecelentes para os mesaos, gaz liquido tenor; oleo graxo, oleo seccalivo, oleo de linhaga
de superior qualidade, e muitos outros artigos que! clarificado, oleo de toiele, secativo de Harlim, ouro
seria enladonho mencionar, todo por pregos mni-, verdadeiro em p ; prata, euro, e estanho em fo
issimos razoaveis. hhas de varias cures; tiutas vegetaes, inoffensi-
------ o---------------|~i~-----------vas proprias para confeitarias; la de cores, e
L.IMI lO para Domar. olhos de vidros para imagens; tintas em lubos e
;cnmpra-las a inheiro a vista : na ra do
j Queimado loja da Aguia Branca n. 8.
Franjas com borlas c sem ellas para
earUnatfas.
A Aguia Branca receben um bello S( i ii-
menlo de franjas cotn l.oiias e sem ellas
para cortinados, todas de novos e bonitos
desenbos, cuja comniodidade do preou ata
, em relaciio a largura: aciram-se ellas a ven-
, da na ra do Queimado loja da guia Bran-
ca n. 8.
Jogo da paciencia 01 curio-o entielnii-
mento.
Na ra do Queimado loja da Aguia Bran-
ca n. 8, acbam-se a venia por prfo.- ;;-
loaveis, caxinbas com taolas de madeira,
quedas diversas pinturas dellas se formam
agradaseis vistas e paisagens, fegundo os
desenbos que acompanliam. Na verdade
esse um deleitavel en retenimento com o
qual se despe ta a coriosidade, e apura a in-
telligencia. Os apreciadores dirijam-se
ra do Queimado, a dita loja da Aguia bran-
ca n. 8, que seai satisleilos.
fallieres par. meninos.
A loja da Aguia Branca, na toa do Quei*
mado n. 8, recebeu novo sortimenlo de ta-
lhere.- para meninos.
Bello sor i i me ii lo de la fina.
A Aguia Branca, na ra do Queimado n.
8, receben novamente um bello sortimenlo
de la fina, de bonitas e agradaveis cores,
entre as quaes se acbam a gumas (pie te
nao enconlram em qualquer oulra parle, e
que muitas vezes sao necess ras para os
differentes matisados que com gc^sto prin-
iipiamas habis p.ofessionaes: assim pois
ja se sabe que a falla cessa una \ei que o
portador se dirija com dinheiro na do
Cueimadn; 1 ja da Aguia Branca n. 8.
Bonitos cufctlrs para s-nlior s,
A Aguia Branca acaba de leceber u no-
vo e lindo sortimenlo de enteites t s m, is
modernos e gostos inteiramenle agradaveis,
e como seu louvavel costme os est ven-
deudo baratamente a quem com dinbeiro se
dirigir ra do Queimado, loja da Aguia
Branca n. 8.
Meias de la para senhoras.
Vendem-se na ra do Queimado, loja da
Aguia Branca n. 8.
Mata mosca.
Na loia da Aguia Branca acba-se a venda
fim
Veude-se la para bordar
qualidades e de coresciaia^ .i Tp a atn,
all' Je colturr.as ,r y-
ditos "r.rancosde divers^lainanhx. -ai\r I %
para i-sl tjos >e w*'it.-.
C'olfccrco Vende-se culberra asetai ; > ra
tirar sytipa a #, ilil. ',''' .
dit s |arasoupa i44BO a i -fa
l->ja .-o enc-ntfara sempre uo jran*!
ciado s.lilimente deaMudc : i :. '
mado a. 'i:i, loja del etja-ft r.
III
sm lili!,
O : 5 _5 *JS -.5 -
i
uVi
-.3
>.
Na loja de miudezas na do Queimado I telas para retratos; tintas em pastis e em p pa
n. 16, vende-se la fina, de vivas e agrada- ra aquarella ; essencia de. rosa superfina, de ne-
veis cores, tao propria paro bordados comol^j^X^Z^^V^
para touquinbas, sapatintiOS, etc. : quem I |ouro> cereja> Ifazema, juinpero, Portugal, lima,
pretender dii igir-se a dita loja na ra do anis da Hostia, caneUa, cravo e muitos outros ob
Queimado n. IC.
Franjas largas para cortinados
o papel com compongo para dar tim as
moscas, sendo o modo de usar facillimo, e o
effeilo efflcaz : molha-se o papel e deixa se
ficr n'um prato, e nelle pousando as mos-
cas, entrisiecem e morrem. Cu.-ta cada I*h
Iba 40 ris: na roa do Queimado, loja da
Aguia Branca n 8.
Meias pretas de seda para senil: ras a
500 ris o par.
A Aguia Branca quer acabar com a por-
to de meias pretas de seda para senhoras,
e apesar do muito maior pre-.o que lhe cus-
laram e o bom estado em que anida estao,
comtudo est resolvida a vende-las a o 0
ris o par, afim de que ninguein mais calce
meias pretas de algodo, agiia pois apro-
veitarem a qtialra e dirigirem- e ra do
Queimado, loja da Aguia Branca n 8. Tam
bem vender as brancas a 15 o par, e des-
tas o nico defeilo estarem um pouco tri-
gueiras,
Diversos brinquedosc cnlrctenimento
ara criaucas.
A Aguia Branca na ra do Queimado n.
8, recebeu diversos brinquidos para crian-
cas, sendo estradas de ferro, barcas e patos
elctricos, apparellios d- metal, louga pinta-
da e porcelana dourada para almo? e jan-
tar e muitos outros brinquedos de madeira,
que se veudem baratamente : na ra do
Queimad', loja da Aguia Branca n. 8.
COaTEITOS
DEPURATIVOS
Do Cr SSRYAUX.de Paro.
I'harmaceutieo de I' cltuu. i
interno dos hotpitae*. premie,
com a mcdallia de brome.
1
Na loja de miudezas ra do Queimado
n. 16, encontraro os pretendentes um va-
riado sortimento de bonitas franjas largas
para cortinados, cobertas, toalhas, etc cu-
jos presos nao desagradarlo ao comprador
que atiesto a largura e qualidade de ditas.
Peonas douradas.
A loja de miudezas ra do Queimado
n. i t, recebeu essas novissimas pennas de
metal dourado, caja excellente qualidade e
perfeico dos bicos as tomam mais durado-
ras no exercicio da escripia, pelo que os
seus acreditados fabricantes Perry & C, as
recommendam .os apreciadores do bom.
Tambem se encentran) outras pennas de
ac de differentes .ualidades e dos mesmos
fabricantes. tudo na ra do Queimado lo-
ja de miudezas n. 16.
Enfcites novos e bonitos.
A loja de miudezas ra do Queimado o.
16. recebeu novos e bonitos enfeites, obra
moderna e de gusto, c os est vriidendo por
preeos commodos, variando estes a vista
das differenles qualidades, sempre agrada-
veis aos apreciadores do bom.
Meias brancas cruas e de cores
para crlancas de tt a 19 ntezes
Na ra do Queimado, loja de miudezas n.
16, vendern-e por preeos razoaveis avista
das qualidades, meias brancas cruas e de
cores para crianzas; assim como outras
para senhoras, e cruas para homenfc.
rapei pardo folha grande.
Esse papel pardo que por sua boa quali-
dade e grande tamanho da folha, serve bem
para embrulliar cortes de fa/.end.is, cortar
moldes de vestidos, etc. : acha-se a venda
na ra do Queimado loja de miudezas n. 16.
Barato para acabar.
Caixinhas com 4 papis de agulhas france-
zas, limpas a ih ris cada urna
Paos de pomada franceza, a 80 rs um.
Duzias de saboneles de cheiro a I i e lj$20O
a duzia.
Cartees de lidas brancas e de cores, a 20
ris cada rm.
jectos que s com a vista podero ser mostrados.
Joao Pedio das Neves,
Gerente.

hllis.fii|li||
B9
te ^ o. S _
"B 1/1 H-
-
9
a i ;= 2. 5--= g ate
9 L. 2
o S M 2. o
O v. S o. >

< a
O "2
3 *

. 5 rTB
a
B
S. o 5b
o
lil
o
Jl
'Si
S'-o 3
s -
Clq, 3
O it O. 3 r*
05 2. o- S o
a 03 o
1 B^
ii
Desde moito temps o publi
.ili.iiulonou o aso das preparafoc!
intituladas depurativas rnoheridas
ob o noine do Arrobes, Xaropes
le Salsaparrilha composlos, ele
Cuja areno, maior parle das vezei
i muII.1, e n'ala.ms ca-os periffosa.
OS C.IIM I ITUS ni.Pl T.ATIIOJ IIMO STKTC
1 o costo a(.raua'. us c coarta sa*
KoraM ww jt5TnassiTo ACTi-|
VAS IJU O O HODO ti. PHlTlXCtO T
muauns
lHIHCCVM)qil*flfM
folln olil 1 vera Pr
en sol) o |iatrocinio das prDfipjeaj
celebiiiladcs medirs, os poe aeii
de ludo quaulo lem eiisUdo aihe|
hoje.
Cura rpida sem o socorrol
e nenlmm oulro remedio iav
terno, das escrophulas
herpes, affeccoes syphM
liticas hypertropbias
dos tessidos celulares,
hydropisias e em geral
todas as molestias produzidas
pela alterarao do sangue ; tal
o resultado que queramos!
conseguir e que temos sem-
pre obtido.
Urna explicacao accoapeaba e
vidro.
DescoiGar-se, das flcificacoaet
tacoes.
Para ai encomemdat dirifir-te
Snrc: BUUSOM BT c-, 18, B'Pimc\
Eusiiie, Parit,
^^y
9
I?*8
$5

B O
ce
oS? 2
a
g-ii
T? iw J
O a-

fia
ce
t/3
J
09
n
3
I

s.
5Q

'lll
O
a
? 5
Ib!
13 CO
09
fes
o
>
>
a
c
Tasso Irmfios
Vcndera no sea armazem ra do
Amoriiu o. 3o,
Licor fino Curacan em botijas e meias botijas.
Licores linos sonidos em
vidro e em lindos frascos.
Vinhoseneres.
Santernes.
Chambertin.
Hermi'ajre.
Borgontie.
Champpne.
Muscatel.
Reino.
Bordea ax.
Cognac.
Od Toe.
AzeitePlagniol.
arralas com rolbas de
abmmii.idos
Pharol do commercio
Ra do Bangel n. 73.
O proprietario deste esiabelecimenlo lem a hon-
ra de avisar aos seas freguezes ao* fez urna gran-
de reducQao nos preeos de seus generes de primei-
ra qualidade : manteiga ingleza l> e Iz80 rs. a
libra da ultima chegada ao nosso niTcado, dita
francesa a 900 rs. e em barril se faz abtemeos,
queijos flamengos novos a .5-'!O0. dito prato o que
se pode desejar em bondade a 800 rs. a libra,
ameixas francezas caixinbas a i.00. I500e
1,8800, frascos de ditas IJiOO, grandes 35 preprios
para mimos, marmelada das melhores marcas a
640 rs. a libra, amemioas confeitadas para sortes
de S. Joao a GiO rs., vinho do Porto a 640 e 720 rs
a garrafa, Figueira e Lisboa 400,440 e o'OO rs., e
em caada se faz o abaliminto, caixas de batatas :
com 2 ariobas por 3j0UO e a libra 80 r. novas, Cruz a.2z em casa I!
caf l sorle 7^800 e 7i00 e a libra a 40 e 260
botaebinba ingleza -j 200 rs. a libra, loncinb? e (
Lisboa a 360 rs. a libra, velas de carnauba a 400 venda na livraria .' alirr.i-.
rs., ditas .-.tearioas lina.-a 60o rs., presunto porta- ,jor na do Sr. .N-gu-ir hiela .
gaez a 600 rs., alpUta a 38(.0a amiba 120 rs. AbIoc.0 f na lyrotranni sfa.--bL
a libra painco a 4a dle\140 rs. a dita, cha 0- wm dl, nt>sari.; a c.ir(1|M,,,3 J, lw,,a ;...,.
no a 200, 25700 2*800, fra.-W tir. c*'da tendenle. atainislrad^ i arr |CiOlaU eommaa 100 rs. aih.Ta e SfobOa ar- fa.S d||S ,lhi ir, ^ ., .,, fl,.., r
ribabolliuhos inglczes lata de 2 libras a 1*350, tPS\ heran^as jaceules, I. ^ades, .te. .vut :
..los de soda grandes 25000 e outros rnais gene f0 regimf.nl0 de CU?I-, e a ki ,..a, ,.
ios que se torna enfadonho mencionar. Opropr.e f6es, como t.-in,!,, m Indas a- rrn- t
tario espera a concurrencia do respe.iavcl pi.bl.cr.. g0Vpin0, que lodo Ira mi :.-,:,..':.:
garantindo a curtilo do qoe tratar.________ l0 das ,i,rifaroes iohmaic aa rr i Wnt%>
Venlese urna armaco de urna liberna com tes rmpr. gados de )u>tira e fa? lila, raaa* 4- '-
poucos fundos, propria para um principiaos, sita rciios oarinnaiH e rmvion ei: o oca ? ;
na ra dahnperalriz u. 4i>: a traiar na ra da Esto lirroiiiitindo i:\.i Sa Nt kaf om OS>asfetl
Cruz, casa de Antonio Lopes Biaga & C impnssao e l m ivpvt, pnrwii...... I
I" ^ de dilTi-renies rlasses, tirna-se l*aona>oA*oa
Vendeni'Se Sen 'sio 10*oe pr cad i^r
., tomos.
nacoloM americanas de serrote para c.f scarocar
algodo : na ra da Senzala Aova n. 42.
GELSCONT
Appre4 p.la AoaacBia < Mlia ^.
Resuiu nlH um rclalorio. adol=Jit r.,m
Academia ero ISW e ero 185*. que .**
GLis e CONT i*o o roelfcer am cflkai '*--1
ferruginoso pir curar a chloroaia (alias luar-albot. m
Husos brsncos, a fraquea de coaialei* aa* wm
sexos, e tambera para ajudar a menstraacio das
Estas Grageas nio sio rendida* scaa tai .ailia*i
ou ridros cobertos co roalo e fechado* eos asaaOaa
leand<. a rma do depositario geral : L.%a1.4l\v.
haruiaceutico, "ta Hourhon-VUXemm*. 1. *r*
Deposito geral em PtftMfcfjr nta i*
** Caro A Tvnti 2>
Acr.anW
: a i ta .' h .
Yii ivis :-t> Porto
.Ll-vllytlOo das mclhores marcas, em <.. .....- ."., or..> ^soa
Vende-se o deposito da ra Nova n. 6', bem de garrafas para rasas lanirtihn.. .-b-S* : jr-
afreguezado e bem sorlido : a tratar na ra do Li-,mas do Douro, tiuque Su PotM i. I.1..1 lasatso
vramento n. 34. lem ancretas de dcimo rica;iadas roo* '
-______aa__-------------- vlnho, barris de 5 e 10* em pipa : na ri .' 1 y
I. inas de pellien. aari0 I9> prini.;jrc andar. **"
Receben pelo ultimo vapor lindas uvas de pelli-
ca de cores e brancas para homem e senhoras : s
quem recebeu foi o beija-flor, ua ra 3o Queimado
numero 63.
lOMtftft.
Vendem-se sement* Je i; n-ica..; rsa* Sotas :
ra da Cadeia o. SO.

la mm ^av .,.


Diario de Pernambnco -- Quluia teira O de Agosto de S8*
GEN ROS BARATOS A DINHEIRO
NOS
GRANDES AltMAZE!\S DE MOLIliDOS
DE
DUART
kj pateo do Carato n. 9 armazem Progresivo rna h Qaeiaado o. 7
" jjj Uaio e Commercio roa do Imperador u. 40,
J Principal armazem de molhados.
OS PROPRIETARIO.
sendos,
Fazem-sciente ao respeitavel publico, e cora especialidade aos senhores de en-
tradores e mais pessoas do centro, que para raais facilitar suas compras deli-
eraram os proprietarios dos tres grandes armazens, reunir todo > os seus estabeleci-
mentos em um s annuncio, pelo qual o preco de um ser de lodos, promette-
mos que nao infringiremos a tabella que abaixo vai publicado, aanunciar os geeros
por um preco, e na oecasiao da compra quererem por uutro, como socde constante-
mente em oulras militas casas, porm nos nossos estabelecimentos nao se dar isto
anda mesmo com prejuizo nosso, qualquer pessoa poder mandar seus fmulos que
serio tam em servidos como viessem pessoalmente fazendo-nos o favor de mandar seus
pedidos em cartas feixadas; para evitar qualquer engaos, remettendo nos urna conta
pela qual se vera os pregos tal qual annunciarmos, o que senao arrepender pessoa
goma que fizer sia despenda em nossos estabelecimentos; pois poupar mais de
5 por cento na sua despeza diaria.
Manteiga ingleza peritamente flor chegada dem com i a 5 ditas a 3#200.
ltimamente no vapor Saladim, de 1# dem vasios de todos os tamannos a 23000,
a 10120 a libra e em barril terabali- 1J500,800 eGiO rs.
ment. Queijos d i 2,5300 a 20500 os mais frescos,
dem francesa rauito nova al|a libra, e Vinagre puro de Lisboa a 230 a garrafa e|
e;u barril tora abatimeato. 2#000 a caada.
Banha de porco refinada a 640 a libra e em dem raais baixo a 200 rs. a garrafa e 1^400
barril ter abatimento. a caada.
Oo axifll da superior qualidade a 25600. Azeite doce de Lisboa milito fino a 600 rs.
Idcm perula miudinho a 20700 a garrafa e 40600 a caada,
dem liysson especial qualidade de 20300 a' Toucinlio de Lis!>oa novo e muito alto a 400
25(500 a libra. j a libra, e em barril de 5 arrobas a
dem prelo milito especial a 23000 e 20iOO 105500 a arroba.
a libra. Ceneja Bass do fabricante Shlers & Bell a
dem do Rio em latas Je 4;>000 e a 800 a! 60300 a duzia e 640 a garrafa.
libra- I dem Bass do fabricante T. F. Ashe a 65000
todas as qualidadesj a duzia e 560 a garrafa.
dem marca H Yicloria Alsope e outras
rauitas marcas a 53 a duzia e 500 rs. a
garrafa.
Sabao primara qualidade a 220 rs. a libra
e 210 em caixa.
dem segumla qualidade a 200 rs. a libra e
180 rs em caixa.
*&&
AURORA BRILHAWTE
&84
NiES AKMAZENS
m
Largo da Santa
Cruz n. 84, es-
quina da ra
Sebo.
HNHOS
i
i
m
A.K3S
M Largo daSant
Cruz n. 84, es -
pina da ra do^m
yabebo. a& *r
o
rora
B0rlEirS0a, rauit0 redltado armazem deSffdSlSSSfflff $$
A seguinte tabella sirvi m.esmo *rraeH <* gneros de primeira qualidade. rfL
lames freguezes fazer loda a d'%encia, aflm de servir bem os seus cons-
LaaaS8 lbraS dechourcas mui.onovas,
Latas com biscouto de
a 1:5200.
dem da creditada fabrica de Biato Antonio
(Lisboa) proprias para da; a doentes a
'4 e 35 a lata.
xinha ingleza muito aova a 35500 a bar-
i e a 240 rs. a libra.
c:>m bolaxinlia de oda e oval a 25.
oto iglez para fiambro chegado no Sabo inglez superior a 180 rs. a libra e
; no vapor a 8u0 rs. a libra,
trieos e paios muito no vos a 900 rs.
?i libra.
'.i is com macarra" o tilliarim muito novo a
5 \\ itria branca e amare'.la a 500 a libra.
Cine late portagaez de especial qualidade a
0 a libra.
Id m SOS80 ile 8'iO a In00a libra.
160 rs. em caixa.
Caf primeira e segunda sorte a 75000,
75500 e 85 a arroba, e de 240 a 280 rs. I
a libra.
Arroz do MaranhSo 35200 a arroba e 100
rs. a libra.
dem da India a 25000, 25800 e 100 rs. a
libra.
' D mfT^f W" em Pesiasinteiras,
Sido ual,dadcS 5000, f280e'
|Dgider,aSS10VseXCe,,en,epelSCOParafri-
!S!u:^K^--.aasopadaS,a720r,
IdK n,?Xa.S ? ,5200> W e 35500.
JSSa'SS* d afamad0 abrica,e
ma^nm ?"aSa ^ t0ma,e- 3 30 rS.
' e s500SdeCmldre' n0VS' a ,5500'
\D,Uoo7hohMahi desoda muit0 tm, a
,Di;s)t5ioohosiag,ezesderauitas,'ua-
Chocolate.
L.aixmhas com ampixa^ enfeitadas naariu
Chopa[a """ 13*00, 23800 c 3?M0 Pr,aS
808COatUo):!n0r mU, n0V' alihrade
|MaB W0Or's,a,,,aram ealetria amare,la' a ">
Dito dito dita branca, a libra a 400 rs
Caixas com estrellaba, pevide.
sas, a eaixa a00;
pitas dila em libras a 640 rs.
Sag, a libra a 360 rs.
p .nha para S>P libra, a 210
Erviihas seccas, a libra a 160 rs.
Ornas descascadas, a libra a 200 rs.
[Tapioca mait0 novai |jbra a 2g() rs
'farinha de aramia verdadeira
500 rs.
[Arroz do
..&-.
e outras mas-
rs.
a libra a
a bespanliol verdadeiroa 19000 a libra Charutos Normas de Havana a 55500 a cai-
4 e
que ja vendemos a 15400.
Doce da casca de goiaba em caixes de
raeia libras seguro a 15800,
de q em caixes pequeos a 700 rs. e de
50 para cima a 640.
IdtQ secco emtocetas ricamente enfeitadas,
alendo pera, pes-go, ameixa, rainha.
e outras fratasa 35000 cada urna.
dem em ealda em latas feixadas liermelica-
. maHo bem enfeitadas, contendo,
| :: pe '.-... amjliinc a nutras frutan o
i e 70U a lata, Lambem temos latas
grandes a !->200.
Mar melada dos melhores fabricantes, emla-
is de 25000 a 15200.
dem em utas de 1 1(2 libra a 15.
t m em latas de I libra a 640 rs.
Brvillias em latas chegadas nesle ultimo va-
por a 700 c de 51 para cima a 640 rs.
Feijo verde nu Garrapato em latas j pre-
ido a 640 rs.
Ameixas em irascos de vidro a '5500.
dem em caixinbas ticamente enfeitadas de
l200a 25500.
Qani srvas Mexrde muito novas a 700 rs. o
Irasco,
dem de ceblas simpl .- a 700 rs.
H :. i inglez a 04'> rs. o frasco com rolha
de vidro.
Mostarda em p a 700 rs. o frasco,
i i: :n j preparada a 320 rs
Lal s com massa de tomate de l libra a
600 rs.
;i m em latas de l l -2 '.Ibra a 900 rs.
Vitihosem garrafas vindoS do Porto, Madei-
ra Secca, Duque do Porto, Duque Semi-
no, Ciicavallas, liara Pia, D. Luiz, Pe-
dro V, Vellio Secco, Ligrimas Doces, La-
grimas do Douro, e outras militas marcas
a 15 a garrafa e 95 a i 25 a duzia.
I4em Palmella a 15 a garrafa e 115000 a!
duzia.
I m em pipa de todas as marcas Porto,
Figueira e Lisboa a 100 e 500 rs. a gar-
rafa e 2 5800 a 35500 a caada.
! i em ancoretas e 8 a 9 caadas com su-
perior vinho Lisboa e Figueira a 245 a
aocoreta.
dem branco expecial qualidade proprio para
missa a 560 rs. a garrafa e 45 a caada.
dem mais baixo a 403 rs a garrafa e 35500
a caada.
dem do Porto especial qudidadc a 800 rs.
a irrafa e 55500 a caada.
Id 2i B'irdeaux em caixas a 75 e 700 rs. a
xa, de Simas (Jos Furtado).
dem Londrinos a 55, idem.
dem Parasienses a 45500.
dem Delicias a 15500.
dem Traviata do Rio a 55500.
dem varetas de Manoel Peixoto da Silva
Netto a 35500 e 1-SiO a raeia caixa.
dem suspiros do mesmo fabricante a 15'iOO
a meia caixa e 55200 a caixa.
dem mece-pos a 15700 a meia caixa e
35000 a caixa do matma fahricanta
dem urientaes do mesmo a I500 a meia
caixa e 35400 a caixa.
dem jovens de Castanho ii Filho a 25400
a caixa.
dem suspiros do mesmo a 1503 a meia
caixa, e outras muitas marcas de fabrican-
tes.
Passas muito novas a 15500 o quarto e 55
a caixa de urna arroba bespanhola e 320
a libra.
Vermule bebida para abrir a disposico de
comer a 15500 a garrafa e 145000 a
caixa.
Alpisla muito novo a 35800 arroba e 140
a libra.
Paineo a 15000 arroba e 140 a libra.
Peixc' em latas j preparado a 15200 a lata
e em porco 15000.
Sardinhas de Nantes a 400 a lata.
Tijollo para limpar facas a 160 rs.
Esparmacete a 000 a libra e em caixa a
580.
Vellas de carnauba a 12 e 105000 a arroba
e 360 a 440 rs a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas em anco-
retas grandes a 15800 e a 400 rs. a gar-
rafa.
Balaios do Porto muito grandes proprios
para guardar roupa suja a 25500, 35000
e 45000.
Batatas em gigos de 31 libras muito novas a
800, e a 40 rs. a libra.
Gomraa em paneiros a 45000 arroba e 140
a libra.
Farinda do Maranhao muito alva e nova a
240 a libra.
S^vadinha de Franca para sopa a 200 a li-
bra.
Sevada muito nova a 140 a libra e 45000
arroba.
Caixas com eslrelinba, rodinha e pevide a
( 400 a libra.
Albos em canastras rauito novos e mauncas
grandes a i 80 e 200 rs. cada urna.
Canella muito nova a 15000.
Vinho verde superior.
A caada a 3$000 e a garrafa a 400 rs.
Gomma.
Saccas de 4 arrobas, a verdadeira de se
eoffommar, a arroba a 35000 e a libra
120 rs.
Sabao massa, a libra a 200,240 e 280 rs. ^JS
Farinha. 2C
Saccasgrandes com farinhae Goianna mui-K
to nova, a 55000. Sff
Caf. X
Caf do Rio mnito superior, a arroba a Si^Mh
8^500 e 95000. Cha. tft
Ch,temos nestes gneros o m ilhor possivel,&
hyson, a libra a 25600.
Dito perola a 35000.
Dito uxim a 25700.
Dito hyson muito fino a 2JS00.
Dito redondo a 25500.
Dito preto de primeira qualidade a 25500.
Dito mais baixo a 25000 e 15600.
Erva mate.
Excellente cha medicinal, a libra a 2i0 rs.
Espermacele.
O masso com 6 vellas de espermacele a COO,
640 e 720 rs.
Passas. \
Caixas de 16 e 8 libras de passas novas pro- ~Z$<
prias para mimos a 43 e 25500. jp
Noxes.
Nozes, a libra 160 rs. e arroba a 45000.
Alpisla e paineo.
Alpista e paineo, a arroba 43000 e a libra a .A,
160 rs. #R5
Cartas. L"
Cartas finas para logar, a duzia a 255. f '*'
Casullas,
Castanhas novas vindas oeste vapor,
ba 45000 e a libra a 200 rs.
Azeitonas.
Barriscom azeitonas novas a 15500
Manleija.
Manteiga superior, a libra a 13280.
ere
DE
AZEVEDO FLORES
Ra da (Jadeia do Hecife, esquina da ladre de Dens.
balOes
Os ricos balos de arcos de 35, 45 e 55
Balees de arcos para meninas de 2 a 12 annos a 25 e 25500.
Bales de panno para meninas a 35 e 35500.
Chapeos de stl.
Os afamados e bem conhecidos chapeos de sol com 12 asteas a 85.
Ditos maiores com 16 asteas a 125.
Tapetes.
Grandes e pequeos tapetes co.u ricas estampas para sof.
Chitas.
Chitas largas a 240 rs. o covado.
dem escuras unas a 320 rs. o covado.
Camisas.
Superiores camisas a 25500.
Camisas com peito de r,-, e todas brancas a 15800.
Ha militas oulras qualidados com peito de esguiao.
Casemii'as.
As modernas casemiras de quadros, ebegaram.
Roupa ;ei(a.
Ha completo sorlimenlo de casemiras, de brim branco e de cores.
Colleiriohos.
Chegon nova remessa'de colleiriohos de papel de cores e brancos.
Tambem ha completo sortimento dos de esguio.
Calcas.
Calcas de superior brim pardo a 25500.
Cambra! branca.
Superiores cambraias brancas a 55 e 75 a peca.
Cambraia branca para forro a 320 e 400 rs. a vara.
Las.
Laas de bonitas cores a 4S0 rs. ao covado.
dem para luto a 500 rs, ao covado.
A QEM NOS LER
Todas as semanas reformamos o nosso annuncio, annunciano ao publico lens
fazendas e novos precos e nao como muilas pessoas sup; e sempre ser as ar 1 i
zendas. --
arro-

mm.!*?&!?** aarrobaa
'D'hrf a,',nnna e Java- a arroba a 3-y-W e a li-
ura a uu rs. 1
ITOrUsCJa1|?b?a LSba & ^5 arroba a 3J0'
I Dito je Santos, a arroba 75000 e a libra a j
jMolboscom 125 ceblas grandes, a IS&O.
7S0O1 ranceza caixa cora 2 4i
FraS4O0 Cm moslarda Piarada em vinagre, | Dita mais abaixo a 1-5200.
niin? rs' I ^l,a menos superior a 15 .
4 l?aiervas inglezas e francezas, a.1 Dita franceza nova, a libra a 80
-," 6 8IM ,rs- : Dita dita era barris e meios ditos, a libra
IO tos com sal refinado fino, a 610 e a 500 rs. j 850 rs.
5352" a verdadtira genebra delaranja, a | Dita para tempero a 400 r?.
QaelJM.
Queijos novos vindos neste vapor a 23800 e i?

ACH
de
Por Plant Brotliers & C,
OLDAH
e a garrafa a
jDitos dea garrafas de Ilollanla verdadeira,a
640 rs.
I lija* CW" dU proprla para negocio,a
JGarrafoes com 2 galoes com dita, a 65.
(Servcja boa, marca, a 500 rs. agarrafaba
I duzia a C>000.
Vinho miiscateldnSetnnal, a garrafa a 15.
Marrasqiunho verdadeiro,frascos a 80C rs. e
a 15200.
[Champagne, a duzia 205000.
25000.
|Azeiie refinado portuguez e francez,a garrafa
Caixa de vinho Rordeaux muito superior, a
( 75, 85, 95 e 105 a caixa. .
(Ditas com dito branco, a 75 a caixa.
! Ditas com dito lacrimas do Douro verdadeiro.
O a 205.
PDiia?,i2In duque d0 Porto 'erdadeiro,-a
f, 185000.
Ditas cora chamisso superior, a 155.
pDitas com Porto velho e outras muilas mar-
cas, a 125-
5 Vinho do Porto da pipa, a garrafa a 640, 720
5 e 800 rs.
. Dito de Lisboa muito bom, a caada a 35200
4 :i5'00 e 45, e a garrafa a 500 e 560 rs.
Ditoda Figueira, das seguintes marcas (N.)
ft A. A.) (J. L 6.) (O. M.) a caada a
> 45-jOO, e a garrafa a560e610rs., deste
? que j est engarrafado e lacrado com o
' rotulo do armazem.
IDitos de marcas mais desconhecidas, a cana-
) da a 35300 e 45000, e a garrafa a 480 e
520 rs.
.Vinho branco fino, a garrafa a 640 rs.
Dito de caj muito superior, a garrafa a
800 rs.
Ditos londrinos muito novos, a libra
15000.
Papel.
Papel almaco pautado, a resma a 45800.
Dito dito I izo de linho, a resma a 45-300.
Dito de peso lizo e pautado, a resma
25500.
Dito deembru'.ho.bora a 15 e 15500.
Vinho '.ladeira.
Garrafas com o verdadeiro vinho Xerez e Ma-
deira a 15500 e 25000.
Temperos. j\
Folhas de lonro, piraenta do reino, cominho "^
e cravo, a libra a 400 rs. (i
Velas de carnauba. $1
Massos com 6 velas de carnauba refinada a
480 rs.
Amendoas.
Amendoas com casca, a libra a 320 rs.
oce.
Caixes de doce de goiaba, grandes a 15400'.
e pequeos a 640 rs. (K
Tijolo.s de limpar.
Tijolos de arear facas a 140 rs. a
Graxa. H
Duziasde boiSes de graxa n. 97 a 25000, e Ct
de latas a 15000, e os boioos a 240 rs. ca-Gf)C
da um, e as latas a 100 rs. *g
Charutos liaos. Charutos finos, dos melhores fabricantes da r^
Bahia por diversos prejos, caixas e meia- M
Ib
3:M'j;i3har i:so
descarlas- algodo
FABRICADAS

Estas machinas
poderadescarocr.7
" malquer especi*
~ 5 Je algodao sea)
. estragar o lio,
** sendo bstanla
_ duaspossoaspar
o trabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dao em earoco
em 40 minutos.
ok 18 arrobai
por dia ou 3 ar-
robas de algodc
limpo.
Assim como machinas para serem movidas nor
Chitas largos a 240 rs.
Vendem-se chitas largas, p?.'.
par? eccezes, pelo barato preco de i'.) n
esruras e claras a 80, :J00 e 3O, frtr3U ctia
lindos desenbos miudinhos e frandes a 4 O r- o
covado : na Ir.ja c armazem do Pava.-, raa da im-
pertriz n. tt), de Gama i SiWa.
As laazitihas do Pava a 200 n.
Vendem-se as mais modernas laziohas irn -p-
renles de quadrinhos e lialrhas, e li-, >*,
com as cores mais novas qae tem indo *> aern
do, pulo baratissimo prep de 400 r-. o ovado, di-
tas da niesma faz--n !a coa ral'inhu do sedoa
110 o covado, isto grande peebiarha id man ara-
bar o resto desta fazenda : na loja e nimia J >
Pavao na ra da Imperatriz n. t$, de Gana
ol I Vl.
As lazinhas moraroliiques a 2 O, au
loja do Pav.
Vende-se para acabar, o re>io das laazinha* me-
cambiques, pelo barato prero de iiO ocov*dn j-
do fazenda que sempre se vendan por moito u<
ilinheiro : na loja e armazem do Pavio. raa 6
Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
\ovas laaziiihas Gai-ibaliaas, aa Uja
do Pavao, a 320 rs
animaes, que descarocain 18 arrobas de algodc .. VeniJeni-seas mais modernas lazioha- Ganial-
i amas com delicadas cores, leodo entre ttm byni-
V:

"tf

limpo, por dia; e motores para mover urna
j eutrjs dessas machinas. ~'
Os raesmos tem para vender um bellissimo va-
f por que pode fazer mover seis destas maciiiuai
mencionadas; para o que couvida-se aos Srs.
, agricultore.s a virem ver e esamina-lo, no arma-
; zem de algodao, no largo da ponte nova n.47.
Saunders BrolhersC.
W. II, pra^a do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
tos padres escuros que pudem servir
ras que estao de loto a 320 o covado
caixas.
E grande quantidade de gneros tendentes
estes estabelecimentos, que deixam de an-
nunciar-se.
Mi
&mmQh
para **.>-
Pavao, ra da Impentrizn. w7deGaita A -
Us chales do Pavao, a HMI
ea3S3O0.
Vendem-se chales de merinron Tarrao de -
: res a 25, ditGs lisos, fazenda rumio lina, umo *
j todas as core, sendo azul, bramo, verde, amar-
l_o encarnado c preto, pelo Laraiis,iaio prendo
: 3*000, sendo fazenda que sempre se venden aSX -
! isto na loja e armazem do Pavao roa da
i triz n. 60, de Gama A Silva.
1 OodIos corles para vestido* a
na loja do Pavao.
3,0
\ovidades da loj e armazpui de fa-1
Tundan a_____-- f-. 'Ul.u ue ld Vendem-se os mais bonitos orles proon Mra
ZeniiaS e rOOpaS leitas n^lCIOnaeS ra vestidos, sendo Iransparentes.esendofazTnaaiW
da Imperatriz n. 72. de Gaiaiariaalgg^?gl fl* -?%--
garrafa.
' ipanba a roeliior do mercado vinda de Cravo muito novo a 500.
D '-sa ciiommenda a 305 o gigo. Cominho idem a 320.
dem mais baixa de I8 a 205 e IjJdOO e Ervadoce idem a 400.
:; 5 a garrafa. i Alfazema flor a 240.
lia res portugueses e francezes a 15000 e Amendoas a 400 a libra.
! -J300 a garrafa. I Nozes muito novos a 160 a libra.
Mai asqa'mo de Zara, verdadeiro a 15500 a Papel greve a 4:5200 a resma.
ala. dem lizo a 4$000.
, mais abaixo a 800 rs. a garrafa. dem de pezo a 3#000.
l)ra do tartaja ver 'adeira a 11,-5 a du- Idem de embrulho marca grande a 15200 e
zia e l,-3 o frasco. i$300
llo:;,inof:Oofn-o,le,'a W ^ Wem azuI Pra botica a SWO.
Id :m ambara a 55500 a frasmieira. CoPos laP"iados a 5^00 e 50cada m-
i a botigas de Hollanda a 400 e 440 Utos de denles, macos grandes a 120 t'e
rs. o frasco. 100 cada um.
ifoes com geoebra de Hollanda com 24 Fumo americano de chapa, de superior
garrafas a 8-5, com garrafo. I qualidade a 1^500 a libra, em porgao ter
abatinienlo.
Idem com 14 a 15 garrafas a 65.
y-
emiEMio
m
N. 11Koa do QueirnadoN. 11
LOJA DE FAZENDAS DE
Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chegou a este estabeleciraento um grande sortimento de cortinados bordados para
camas fazenda de rauito gosto.
Chales de guip muito finos para 225, 2od e 30tf.
Colxas de seda superiores de diversas cores para carass de noivas.
Colxas de laa e seda para cama tambera de bonitas cores.
Rotondes de guip enfeitados cora o melhor gosto.
Setira de Paris bella fazenda e de limitas cores para vestido a 700 rs. o covado.
Moureantlqus branco e preto, grosdenaple preto e de cores, pauuos pretos de todas
as quafidades, ditos azues.
Casemira preta e de cores, merino preto, silistrina, borabazinas, alpacas pretas, e
laa pret para lutos.
Malas, saceos e boljas de tapete, verniz e couro do tf a 110.
Brins de linho de cores finos a 1800 a vara.
Chapeos e chapelmas de palha de Italia para senhora, manguitos bordados, chaoos
do seda para homem, chapeos de sol de seda, esguiao de liobo, canibraia de linho, breta-
nhas, silesias e muilas outras. fazendas qua se veadera por coramoios precos assim corao
tambera
\ e
10
muita largura e rauito bonitos p^dies rom li*,as
e lisos, sendo fazenda que serve para as-ur a
qualquer divertimento, e grande prhmrM, arfo
haraiissimo prreo de 33 cada rrte : na loia i.
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama *lva
Crisolints on bales a 2O0, 33 e 3-3500
Vendem-se os melhores bab**, que sao os am-
ncanos, pelos Jiaralissimos precos de S-SOO rm
20 arcos, de 35 cora 25, ditos a 3."0O rota 30
dem para meninas a doOO cada u:n, dito* V *
no para senhoras, por barato profo : na Iota do
Pavao, rna da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva
Os lencos do Pavao a 2 J100.
Vendem-se duzias de lencos brancos inos a Sf.
ditos linissimos com dnas cerradoras, orado aoa
branca e outra de cor, muito doNcada?, pio baos-
dito sem ser enfeslado~cora"27~rda's a 300 T i \[sst?t0 P"^1 d.e 2*50 a di"l : i*t aa I i
e 63300, dito rauito superior nUrca' miiifo^.'rc !lavao' raa da,'KTa.riz n. 60, do G A Mva.
ditadas a 7,73500, 8J, 9$ e I0, algodao do lo- ., ,fnr bordaos.
das as marcas assim como seja marca T e carne i. enf,em-sa os raais ricos lencos de n;;> de lina
de vacca, sicupira e pao ferro tudo isto por pre- Drdados cora dou palmas para carra, pr|ha-
gos baratissimos s para liquidar e apurar dinhel- : ra, t)reC de 640 cada um : na loj d Pavao roa
isto s na nova loja e armazem de Guimaraes da ''"peratriz n. 60, de Gama A ii\n.
Paue prelo a 2^000.
Vende-e panno preto fino muito .nrenr peto
barato prego de 23 o covado, por fcaver craadr por-
gao : na loja do Pavao. ra da Imperair a. Ct.
Careairas enfesladas a i.-> o rorlt.
Vendem-se casemiras pretas enfetadas a U o
corte, corles de ditas de eres a J. modo kos b-
zenda : na loia do Pavao, roa d* Imperatns B. 60
de Gama & Silva.
& Irmao.
Aproveilem as pechi ochas
que s? estao liquidando por todo prego, veiam :
chitas reas a 260, 280 e 300 rs ditas percahas
a .>O, iOO e 4-i0, cambraia organdys muito lioa a
JOO rs. o covado, e muito superior a 30, 360 e
400 rs.: isto s na nova loia do Guimaraes & Ir-
mao.
Esto se acabando.
Lazinhas escocezas a 250,2o0 e 280 o covado.
E'muito barato.
Corles de laa muito superior com 13 covados
pelo barato prego de 33 e 53300, isto s para aca-
bar, bretanha de rolo a 33 e 33200 a pega, raada-
polao francez enfestado a 33. 33200, 33300 e ,
& Irmae, ra da Imperatriz n. 72.
Grande sortimento de babadinhos
pelo barato prego de 800 a 13
13600,
43800,
Esteiras di India para forrar salas
.
Saccas grandes com 00 libras de farello superior a 40000 a sacca.
i!
Potassa da Eussia


I
ATTEUCAO
Vcnde-se o verdadeiro remedio para dores de
delitos ; este remedio extraordinario para fazer
psssr s dores de denles logo que se lome; custa
S40 rs : na laberna da ra da Palma n. 41.
mnito nova e superior : vende-se no escriplorio
de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do
Corpo Sanio n. 19.
A 1 1$300 e 1#500.
Leques de osso, ultimo gosto, a 13.
Coroulas de meia a 13200.
Diitas muito tinas a 13500.
S na ra da Cadeia do Recife n.[5
Vende-se urna burra de ferro grande
em perfeilo estado e por commodo preco :
na ra do Apollo n. 20.
Fardo
a 43 a sacca, das maiores que ha : na ra larga
do Rosario n. 30, taberna da esquina.
Lagdo pira calcadas.
Vende-se muito bom lagdo para calgadas e ar-
mazens cnegado agora : a tratar n ra do Apoilo
n. 4.
e entremeios
pega.
Lencos de cores e brancos
muito proprios para homens e meninos a
20, 23300 e 33 a duzia, ditos de linho a
53, 5j500 e 63.
Grande sortimento
de colxas de fuslo de todas as cores a 53500 e
63, ditas de chita a 13900 e 23, ditas de laa a
13G00.
E' muito barato.
Grande sortimento de soutembarques muito bem
enfeitados a 53 e 53300, ditos de grosdenaple a
183 e 203, lazinhas de urna s cor a 480 o cova-
do, ditas muito propriapara camisas sendo de lin-
dsimos padroesa 13 e 15)00 o covado : s na
nova loja de Guimaraes & Irmao, rna da Impera-
triz n. 72. '
Grande sortimento
de roupas feitas que se vendem muito barato a (Dan-
cando-se que se vende por menos 20 por cento que
em outra qualquer parle, quem duvidar venha ver
5a nova lja de fazeodas de Gaimares
& Irmao.
Rna da Iuiperaariz n. 72.
Vende-se o engenho Jundjahv, cinco legoas
distante da cidade do Natal,' provincia do Rio
Grande do Xorte, moente e corrente, com 20 cap-
tivos, 20 bois e 20 bestas ; assim como diversos
lotes de Ierra, propria para a cultura de algodao e
mandioca, e mais duas fazendas de gado no Poten-
g e Cear-meirim, na mesma provincia, cujas ven-
das sa effectuarao a prasos, medanle boas firmas :
quem pretender dirija-se aquella provincia a tra-
tar com Fabricio & C.
Algodoziaho barato.
Vendem-se pegas de algoJ.winho, *>ado L_
T com 20 varas a 63, ditas do diffrfeoie* anorao
a 43 e 5GO, ,t3 e 63, garantindo-e me i fawa
da que val muito mais dmhetro : apnrame p.>r
estes pregos na loja do Pavao, rna da lin--erar z
d. 00, de Gama & Silva.
Espartilhos > 8# Oatf
Vendem e espartaos com as competente* Ota
para apenara a? e 63 : na loja e armazem do rV
vao, ra da Imperatriz u. 60, de Gaaia & Silva.
Vrstidos a 2-ViOO.
Vendem-se cortes de cambraia tiraara roas bar-
ras e babados a 23500, ditos de cambraia braara
com salmeos a 23500 e 33 : n.i toja do Pavao, raa
da Imperatriz n. 60. de Gama A Sirra.
Souttmharqnrs a 5 >000.
Vendem se soutembarques de laaziaha do cor a
53, 63 e 73, ditos pretos de grosdenapirs e rapas
ricas bordadas r-or pregos moito razoveis : aa
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, do Gaaw
& Silva.________
Catangas liaos e fcrlBajaicalaw
para meninos.
Lhegaram para a loja de miudezas da raa do
Queirnado n. 69, os mais finos e lindos
tanto para brinquedo de meninos con
de mesa : na mesma loja se encontrar
tmenlo do miudezas.
TT ~zrf:
___
m


m
Diarlo de Pero ambnoo Qntntn fe ira O de Agoste de ISO*.
i
0
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
gltnento se estregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ESTABELECIDO A EUA NOVA N. 60
JF332 A BtQBM 0)1 SI DMM
AO
RESPEITAVEIi PVBLItO.
A apreciado dos habitantes desta heroica provincia existe no grande arma-
zem da Liga estabeleeido ra Nova n. 60 um magnifico sortimento [de molhados,
que sendo em sua maxinvi parte mandados vir directamente do estrangtiro"podem. ser
vendidos por precos asss razoaveis.
Sem a fatuidade de querer que este novo e interessante estabelecimento seja o
primeiro e nico em seu genero, pde-se porm ffiancar, com toda a seguranca de que
nenhum outro o exceder no restricto cumprimento das seguiotes promessas:
1." Delicadeza no trato.
TTENCO
Os precos da
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
Grande expsito de la-
zendas.
RA DA CADEIA DO RECIFE N. 53
(Logo passando o arco da Concelco)
PARA BEM DE TODOS.
Qae eslo a venda, na leja e armxrem da \rara.
segulute a da Imperatriz u. 56, Lourtn^u Kieiia iea-
: des Guimares.
LZINHAS A 240 P.;. !
IAZIMIAS A 2 Ib. i |
LAZIMIAS A Si R-. .' !
! Ha um grunde jortimento de aniaM c!..itxas
chegadas pelo ullin.o vapor, ama* 'v-nda os
quaesquer loja vende a 400 r., e.-ta -e venteada,
na loja da Arara pelo diminuto preco ,: .Or-*
o eovado.
MADAPOLO COM 2i JARDAS .\ '>.'
MADAPOLO COM 24 JARDAS A 4*ir!
Vende-se madapolio rom. 2i
?2^f2JP" va,as- i-* '* >-
MO, C0C, CO00 e 5:00. -
BUETA.MIA DE ROI/> COM 10
A 25*00.
^endese brel.inia de icio a 2fcu> ai. su
Mendes Guimares. '
MADArOLAO ENFESTADO A 3JMS 352A0
E 4500.
MADAPOLO ENTESTADO A 35CO, .T15tt#
E 45000.
^endee madapoio cafesUdo pelo o lira*
preco de 35. 3*500 e 4-5 a (. ra
2. Fidelidade no peso.
l.ooo e 8oo rs. a libra e em barril se faz
abatimento.
Idemfrancezaa maisnova do mercado a 96o
3rs. a libra e 900 rs. em barril ou meios.
. kmcendade nOS pre(?0S. CMtbysswid. superior qualdade a 2,600
As pessoas que por sua posico social gozam de certo tratamento, acharo nesta rs. a libra,
casa os melbores queijos londrinos, cerveja, vinhos finissimos manteiga e cha sempre de. Cha perola o mais superior do mercado a
primeira qualidade. etc., etc. 2,800 rs. a libra.
Qualquer que seja a condicao do freguez, elle deve contar que ser sempre mui- dem bysson muito superior em latas de 15
to bem servido. | libras muiloproprio para negocio a 2,ooo
Aquelles que sao pouco favorecidos da sorte farao mensalmente urna economa de rs. a libra,
muitas patacas, afreguezando-se nesta casa, onde se Ibes vender o arroz, o caf, a man- dem hysson nacional em latas de 1 e 2 li-
teiga o assucr, etc., etc. de boa qualidade pelo preco que era algumas partes nSo po- i bras a 1 ,Coo rs.
dem ou nao querem vender. dem preto o que se pode desejar neste ge-
Os senhores de fra da cidade, dos arrebaldes ou centro, que comprara para ne- j ero a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra,
gociar, devem vir, pelo seu proprio inleresse, a esle estabelecimento para se convence- Linguicas muito novas a 8oo rs. a libra e era
rem do quanto se pode vender barato. barril se faz abatimento.
Para os senhorvs que compram para lomar a vender existe um sortimento ^spe- Chouricas e paios a 8oo rs. a libra,
cial, escolhido por pessoa entendida que certameote muito deve agradar aos senhores Costelletas inglezas a 64o rs. a libra, serve
compradores. para temperar panella ou para fiambre.
Nao se tem poupado sacrificios, nem se deixar de fazer a diligencia para agr- Queijos do reino chegados neste ultimo va-
dar a todos. por a 2,2oo rs., ditos de navio de vella a
PELOS SEGINTES PRECOS S SE VENDE l^T^^t^***^
A DIMHEIRO A VISTA! j qualidade a 800 rs. libra.
A Graixa em latas, muito nova, a 80 rs. cadaIdem Prato a 8oo rs. a libra, e raleiro se faz
ALPISTA a 120 rs. a libra. j urna.
dem e painco de oito libras para cima a' H
100 rs. KIRSCH de Wasser a 25 a garrafa.
Arroz de 90 rs. a libra a........j L
Amendoas, casca molle, a 280 rs. a libra. LATAS com graixa a 80 rs. cada urna.
Avellas a 210 rs. a libra. Letria a 400 rs. a libra.
Senhore
ezacom que
rra dos seeros
rois serSo to
tra parte.
Manteiga ingleza especialmente escclhida a, Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a l-|Sal refinado em frascos de vidro com tamna
bra e 6,ooo a caixa. do mesmo, a 5oo rs.
Massa para sopa : estrelinha, pevide e rodi- gerveja branca das marcas mais acreditadas
una Dranca ouamarella a 64o rs.a libra e que vem ao mercado, a Soo, 56o e 64o
3,5oo a caixa com 8 libras. a garrafa, e 5,8oo, 6,ooo e 6,5oo a du-
Vinho do Porto muito fino proprio para, zia.
abatimento.
dem suisso o mais superior que tem vindo
ao mercado a 64o rs. a libra.
Ervilhas e favas portuguezas j preparadas
em latas hermticamente lacradas a 64o.
Feijao verde muito superior a 640 rs. a lata.
mszem da Arara n. 50, Mtr.de.' (.> a
CHITAS FRANCEZAS A 240, SCO, 1 %0 >
CHITAS FRANlEZAS A ii, ( j
320 Rs. O COVAI'O.
CHITAS INGLEZAS A 2t'0 E 22U I! OCOVJMl
Vende-fe cambraias brama? da*alp \irxm
a pe^a, tan.btm lia um grande aarnawi;.. as r-,mt-
braia l.i aneas que se ver.dew a :.'-3, 3.*;. ^,
CHALES
engarrafar, em ancoretas de Granadas a | Cevadinha de Franca muito nova, a 2oo rs.' U^mS tEtSZfl
00,000 rS. iralna o(T..~.-j *.i:____.. t r. > h..... a...... j
Vinho
32o
a 2
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa e em cana-
da a 3,ooo e 3,Soo.
Vinho branco para missa em caixas de 1 du-
zia a 8,ooo e 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas que
vem ao mercado como sejam : Lagrimas
do Douro, Duque do Porto, Rainba de Por-
tugal, Duque genuino, D. Luiz 1, Madei-
raSecca, Malvazia fina a I6,ooo, 15,ooo,
12,ooo e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia e 9oo,
l.ooo e l,5oors. a garrafa.
Vinho Cherexde superior qualidade a 16,ooo
a duziae l,5oo rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 4oo rs. os quartos e
64o rs. as meias latas.
Bolachinhs inglezas muito novas a 5,ooo a
barrica e 320 rs. a libra.
Bolachinhs de soda em latas de diversas
qualidadesa l,3oors.
ICartcs com bolo francezmuito propriospa-
ra mimo a 64o rs.
Ameixas francczas em latas de todos os ta-
annos,
dem idem era potes de todos os tamanhos.

MANTEIGA ingleza e franceza
qualidade a 1)3, a libra.
Copos lapidados para agua a 5,ooo e 5,5oo Passasmuito novas em caixinhas enfeitadas
de primeira' rs. a duzia.
todos os tama-
Idem idem em bocelas de todos os tama- Marmelada dos mais acreditados fabricantes. _. aa^zia-
nhos.
dem idem era frascos de
nhos.
Azote doce de primeira qualidade a 560 rs. Moliio inglez de todas as qualidades.
a garrafa.
Alhos a 200
dem idem para vinho a 24o rs., e 2,4oo rs.
Macarrao e talharim a 320 rs. a libra.
Massa de tomate a 6C0 rs. a lata.
Mostarda ingleza a 800 rs. o frasco.
rs. o molho.
Ansv.vrno a 23000 a garrafa.
B
BOLACHINHS do Beato Antonio em latas I
grandes e pequeas.
dem do Principe Alberto a 15800 a lata, e |
de cinco para cima a 10700.
dem de so la em Litas grandes a 2>000 e
de cinco para cima a 10800.
Biscoitos ingle/.es de todas as qualidades a
15200, 10250 e 1-5300.
Bolo francez era caixinhas a 400 rs. cada
ama.
Batatas inglezas.
Baniia de porco refinada.
C
CHOCOLATE francez a 600 rs. a libra.
dem suisso a 15 a libra.
dem de musgo a 15500 a libra.
Chouricas muito novas a 800 rs. a libra.
Caf a" 240 e 260 rs. a libra, e em por^ao
se far abatimento.
dem de primeira qualidade a 75000 a ar-
roba.
Conservas em frascos a 320 rs. cada um,
sao muilo novas
dem inglezas, frascos grandes.
Champagne de todas as marcas.
Charope de grosella, orchata, etc., etc.
Chicaras e pires a 15S00a duzia.
Cerveja da superior marca Tenente a 500 rs.
a garrafa, e em duzia se faz grande aba-
timento.
dem Victoria Bas tres X e de outras marcas.
Charutos das mais acreditadas marcas, co-
mo sejam : Normas d'llavana, Exposico,
Flor do Brasil, Parisienses, Delicias, Gua-
nabaras, Trovadores, Kegalia, Mississipes,
Panetellos, Apraziveis, Varetas, Brasilei-
ros, Americanos, Fluminenses.
Cha do todas as qualidades e de todos os
precos, hysson, huxim, aljfar, preto, e
preto ponta branca, etc., etc., a 25000,
252''O, 25560 e 25800.
Copos lisos de todos os tamanhos de 120 a
320 rs.
dem lapidados de todos os tamanhos a du-
zia a 25500, 35500, 45 e 55.
Chocolate francez hespanhol e suisso a 9oo,
l.oooel,2oors. a libra.
Espermacele superior a 6oo e 64o rs. a li-
bra e em caixa se faz abatimento.
Marrasquino verdadeiro de Zara a.....Peixe em Posta em lal!>s hermticamente la-
Massas finas para sepa branca e amarella a eradas e das melhores qualidades de pei-
60 rs. a libra, em caixas com 9 libras a' *e a 8oo> *>ooo e 1,2oo rs.
300. | Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
Miliio painco e alpista, sendo mais de 8 li-
bras a 100 rs.
para mimo a 3,ooo rs.
Passas de carnada a 8,ooo a caixa e 4oo rs.
a libra.
Figos de comadre a 24o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Milo de amendoas a Soo rs. I
Bolachinha d'agua e sal, da fabrica de Jo3o
de Brito no Beato Antonio, em lata de 6 li-
preco.
PALITOS DE ALPACA F'ItA.V ,\
PALITO'S DE IflUJI DE LIS \
Entremetas transannle> a Kt. t. .: .ui,
a 1$, ditos para babadn lWO rala i u i tis*
ROUPAS FEITAS.
KOl'PAS FEITAS.
I'.OIPAS ILT.\.-
\encem-se nm serlimento d- ;.;.;.- ., >
ledas as rjualidades, que a nU outras muitas mais fazeodas qni- n >iam t
annunciar, ra da Imperalrz n. 56. Jlenc Gui
maraes.
bras por2,5oors.
piros Delicias, a 4,ooo, 4,5oo, 5,ooo, Guimaies.
6,000 e 7,000 a caixa ou em meias. s>ouiambarques de rrts, vende-ve n
Charutos finos de diversas marcas e fabri-; uSpSS""^ K^ """ *'
cantes, como sejam: Flor do Norte, Ma-
nilhasde Havana, intervallos, Vencedores,
Panatellas e Suspiros, a 2,ooo, 2,5oo e
3,ooo a caixa.
opnac inglez das melhores marcas, a Soo e
l,2oo a garrafa.
Doce da casca de goiaba a 2,ooo a lata com
4 libras.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Matte,excellente cha para os navegantes, a
2oo rs.
Sebollas de Franca muito grandes e novas
a l,8oo o cento e l,2oo solas.
Palitos do gaz a 2,2oo a grosa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 32o rs. a
libra e 8,5oo a'arroba.
Banha de porco refinada a 65o rs. a libra.
Bolachinha Alberto, as melhores que pre-
sentementetem vindo ao mercado, a 2,ooo
a lata.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 2oo rs. a libra.
Frascos com fructas em calda de diversas
qualidades a 2,5oo e l,5oo o frasco.
Caixinhas com fructas em doce secco de di-
versos tamanhos, muilo proprias para
mimo, a l,6oo, 2,6oo e 3,5oo cada urna.
J?umo da Babia para
charutos.
Vende-se fumo np
lidades, a realno .'
pre^o commodo :
Cacimba n. 1.
rior do todas osqoa-
I.t atarad-) e \'T
no Kecic roa *i
wakwsm
Tai xa de ferro
Qoem pretender comprar a taixa de ferr^ i .^Jc
com 6 palmos de bocea (ue se cha na estar. ^
Frexeira?, pode ententler-se com o Sr Sei.-. iu.-
no eu engenho Freseira, oa na 11.: ,,, \m'-n-
dor n. 42.
Buibos, excellente peixe portuguez, em
NOZES a
Nabos em
m
120 rs. a libra,
latas a 800 rs.
O
Ostras inglesas e americanas.
P
! PEIXE em posta, latas grandes, a 15100, de
todas as qualidades, como sejam savel,
goras, corvina, pargo, salmo, pescado e
pescadinha, linguado, sardinha. etc., etc..
Peras em latas, excellente preparaco.
Palitos para denles a 120 rs. o maco muito
grande.
Passas era qnarto a 15400.
dem muilo novas a 400 rs. a libra.
Pomada muito nova a 280 rs. a duzia.
n
QUEIJOS flamengos.
dem prato a 800 rs. a libra,
dem suissos a 600 rs. a libra,
dem londrinos a 800 rs. a libra.
QUAUTINHAS OU MORINQUES a
R
RAPE' Meuron a 15 a libra.
dem Princeza do Bio a 15200 a libra.
dem francez a 25500 a libra.
SABAO massa a 160 rs. a libra, em caixa se
faz abatimento.
Sal refinado em frascos a 500 rs.
Salame de Len a 25.
Sardinhas de Nantes de todos os fabricantes,
dem de Setubal em latas muito grandes a
720 rs.
Stearinas a 600 rs. o maco.
Sag muito novo a 100 rs.
T
TOUCINHO de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tomate em latas a 600 rs.
Tinta azul e preta para escrever.
V
VINHOS!!!
barris pequeos ou a retalho, a vista se
far o prego.
Ameixas francez as em fiasco de vidro com
tampa do.mesmo, a 155oo.
das que vem ao nosso mercado a 7,ooo e I Ameixas franc zas em caixinhas de diversos I Azeitonas de Bivas em ancoretas grandes de
8,ooo a caixa e 64o e 7oo ris agar- tamas!los com bonilas estn pas na ca- 8 garrafas por 6oo e8oors. a garrafa.
Azeitonas portuguezas a Soo rs. a garrafa e
rafa. xa exterior, a l,4oo, l,6oo, l,8ooe 2,ooo
Genebra de Ilollanda a 48o rs. a botija de cada urna.
conta certa. Azeitedoce refinado hespanhol ou portuguez
Frasqueirasde genebra de Ilollanda a 6,Soo a 9oo rs. a garrafa e lo:ooo a caixa.
e 64o rs. o frasco. j Batatas muito novasa 8o rs. a libra e2,5oo
Genebra de laranja verdadeira em frascos o gigo com 36 libra*.
grandes a l.oooe 11,ooors.a frasqueira. Conservas inglezas a 7oo rs. o frasco e
Caf do Rio de Ia qualidade a 28o rs. ali-; 8,5oo a duzia.
bra e 8,5oo rs. a arroba. Vassouras de escova para esfregar casa a
Caf do Cear muilo superior a 24o rs. ali- 4oo rs.
bra e 7,Soo rs. a arroba.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Clices de todos os tamanhos.
Cognac superior a 15 e 15500 rs. a garrafa. Principe Alberto, de 1831, i
Cigarros do Rio, pardos, a 80 rs. o maco
de cinco macinhos.
Arroz do Maranho de Ia qualidade a loo Molho inglez era garrafa de vidro corarolha
rs. a libra e 2,8oo a arroba. do mesmo, a 16o rs.
dem da India a loo rs. a libra e2,8oo a Mostarda ingleza dos melhores fabricantes,
arroba. I a 8oo rs. o frasco.
dem de Java a 8o rs. a libra e 2,4oo a ar-1 Mostarda franceza em potes j preparada a
roba. 4oo rs. o frasco.
Paingo e alpista a 14o rs. a libra e 4,ooo a Lentilhas francezas, excellente legume para
arroba. sopa, a 2oo rs. a libra.
Massa de tomatesde superior qualidade a 6 4o Marrasquino de Zara propriamente dito a
rs. a lata de urna libra e56o rs. a reta-, 15 a garrafae 11,ooo a duzia.
Iho. I Palitos de dente a 14o rs. o maco.
l,5oo cada urna ancorela.
Champagne da melhor qualidade que vem
ao mercado, a 2,ooo e 3,5oo a garrafa, e
24,ooo e 26,ooo o gigo.
Gomma de engommar muito alva a 12o rs.
a libra.
Figos em sextinhas a 8o rs, cada urna e 72o
rs. a duzia.
Papel azul para botica a 2,ooo a resma.
Balaios para roupa suja, grandes e peque-
nos, por diversos precos.
Amendoas confeitadas a 64o rs. a libra.
Latas com fructas em calda: pera, pecego,
damasco, rainha Claudia e cereja, a 800
rs.
Vinagre de Lisboa a 2oo e 28o rs. a garra-
fa e a l,4oo e 2,000 rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa a 4,800 rs. a caada
e 640 rs. a garrafa.
Vinagre branco j engarrafado a 5oo rs. a
garrafa.
Fio e algedao Ja
Vendefse no esenpiorio de An'i veira Azevedo 4 C, ra da Cruz 1 i.
ESCEivoi im:
Desappameu
em 3 do crreme mez de agosto o mua! 1
nho, cor clara, idade de30ann<>-. -1
olho.baixo, pouca baria e um pMM ru.v, -t
um pequeo inenaeo judo ao ntemago, \
te de urna queda que den robre nm pao, :tto
nesse dia vestido calca e camina d-- n;cadiBli)4r.
algodao, chapeo de palha. c lev n m.i- ana roi*
de brim de quadros : E" natural Je Gar^&iiuu, t
foi escravo do lenle coronel Luiz d.r Aito<;--r-
que Maranho, senhor do enperjho Aldeia, comar-
ca de Pao d'Alho, e lini.a sido vendido onli c-
dade na vespera do d:a ero qae crs,
foi visto no dia t e 7 o r.-rrenle na 1 itx-ra h S.
Jos, por isso julpa se el e andar nesta ci.!a4t.
Quem o pegar, ou delle der noticias rerks. <;ue-
ra dirigir-e ra da Cruz do Rerife ''. m> 9
horas da manba as 3 a tarde, e lra de-a* ha-
rs ra do Auiorim n. 9b\ f andar, que era
gratificado.
55000 a gar-
rafa ; d vida aos velhos.
Velho secco a 25 a garrafa.
Lagrimas do Douro a 15500 a garrafa.
Duque do Porlo verdadeiro a 25 a garrafa.
DOCES de todas as qualidades: brasileiros, D a 15 e 15500
portuguezes, inglezes, fraacezes, etc. etc. ChaMmisS0 a ^ lj520i
I>
E
ERVILHAS seccas a 120 rs. a libra.
ervadoce a 400 rs. a libra.
D. Luiz a 15 a garrafa.
15200 e 15500 a garrafa.
RIVAL
SEM SEGUIDO
Raa do Queimado ns. 49 c .t&.
Contina a vender todas as miudezas que abaixo
declara por precos adrairaveis.
Massos de palitos lixados para denles a 100 rs.
Espelhos de molduras douradas a 200,240 e 320 rs.
Bonets de oliado para meninos a 15000.
Ditos de couro superior fazenda a 1,5500.
Frascos com superior tinta rocha a 240 rs.
Meiadas de linha froxa para bordado a 20 e 60 rs.
Babado do Porlo, fazenda boa, vara a 80, 100 e
140 rs.
Caixas com 100 envelopes, fazenda fina a COO rs.
Grozas de pennas de ac, fazenda superior aSOOrs.
Grozas de botoes madreperola Unos a 500 e
e 640 rs.
Caixas com 50 novellos de linha do gaz a 700 rs.
Caixas com superiores obreias de cola a 40 e 80 rs.
Pecas de fila branca elstica com 9 varas a 280 rs.
Varas de franja de la para cnrelcs de vestidos a
40 rs.
Baralhos dourados superiores qualidades a 400 rs.
Novellos de linha com 400 jardas a 80 rs.
Liyros para assentos de roupa lavada a 100 rs.
Pares de botoes para panho, fazenda rica a 120 rs.
Tesouras para costuras superiores qualidades a
400 e 1^.
Caixas de pennas de calligraphia, fazenda boa a
15000.
Massos com superiores grampos a 30 rs.
Pares de sapatos de tranca e tapete a lo";00.
Pares de sapatos de tranca para meninos a 1 e
15280.
Caixas com superiores agulhas a 240 rs.
FARINHA S S S de 8 libras para cima a 120
rs. a libra,
dem de araruta a 320, 400, SOO e 800 rs.
Figos de comadre a rs. a libra.
Feijo verde em latas a 600 rs.
Favas em latas a 500 rs.
Fcmo do Rio a SOO rs. a libra,
dem americano em latas a 15-500
Farello ha sempre em deposito de SOO a
800 saceos, de todas as qualidades, de to-
dos os tamanhos e de todos os precos.
Mo AlLStaiei VCrUdUeirO Ue aeiUUdl a ZQ d gdr- p snprinre<; nhraiM He maesa a 40 ra
rafa.
Carcavelos a 15.
Colares a 900 rs. a garrafa ;
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Rodinhas com allinetes francezes muito superiores
a 20 rs.
Resmas de papel almaco a 25400 o 25800 rs.
posicao alguma.
I Lanterne a 800 rs. a garrafa.
Bordeaux Medoc a 80 rs. a garrafa,
dem S. Julien a 600, 800 e 15 agarrafa.
Absyntho a 25 a garrafa.
Kirsch a 25 a garrafa.
Wermouth a 25, e a caixa a 185.
Bitter Maurer a 15 a garrafa,
Vinho igueira em ancoreta a 205.
dem Figueira e Lisboa em pipa a 25500 a
caada.
nhn mip so ndP hphpr nnr nao ter com- Esoovas Para rouPa> fazenda boa a 720 e 15
1 Dozias de tesouras com toque de ferrugem a
600 rs.
Duzias de facas e garios de cabo preto a 35000.
Talheres muito fino para criancas a 240 rs.
Loja
das seis portas em frente do Li-
vramento
Azeite doce reSnadoem pequeas latas a 560 rs. a garrafa: no graude armazem
da-Liga.
Saceos de 80,100 e 120 libras a 45,45500 e 55 ; no grande armazem da Liga.

g gv q@ s*@ @^@ a @ sss&f ^ s-^ & $%i
'-"'-
lif
;.v/'
Madapolao muito fino cora pequeo loque de avaria, por preco que admira : na loja 5S
das columnas na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa do Vasconcellos & C. ;,/>-?
Grande sortimento de roopas feitas de to-
das as qualidades,
Caigas de casemira a 65 o 75500, ditas pretas a
65 e 85, calcas de ganga a 25 ,15800 e 15600,
dilas brancas a 25, brim de lindo a 35, 35500 e
45, paletots do alpaca branca a 45500, ditos pretos
a 35 e 35cOO, ditos de alpaca de cordlo a 45, e
de listra de seda a 455'00, ditos sobrecasacos a 55,
paletots de casemira a 55, 55500, 65, 85 e 95, i
ditos sobrecasacos pretos a 125, 15 e 165, ditos li-
nos a 255, de eores a 135, ditos fraques a 145,:
paletots de ganga a 35, 25500 e 25, ditos de brim
pardo a 35, jaquetoes de brim pardo a 35, panno acaba de receber um lindo e magni
preto fino a 25. 25600, 35300 5, 45300 5 e 65 o de oculos, lunetos, binculos, do
eovado, moreantique preto a 25600 o eovado, gros- apurado gosto da Europa,
denaple preto a 15500,15800, 25, 25200 e 25500
o eovado ; e outras muitas mais fazendas que se
Fugio na noile de 19 para 20 do correal
mez, do sitio do Sr. Dr. Aagilo !". Je Obwrint
ponte de l'rlida, o seu <>rravo de Mate Loiz. |.ia-
fi que branco, lendo no rosto marra* de cv'gas
bem vlsiveis, cabello annelaOo, baixo, refnr -j*,
bem fallante e de cerca de 8 annus ue iWr, it-
voo camisa de basta encdinada a cba(<-o de paJu
noro, suppoe-se que vagueia nesta ridade do Reci-
fe ou pelas mas circumvisiuhanc,as qoem o aa-
prehender e ievar ao sobredito sitm. t n ao e=?ro-
lorio da praga do Corpo Sanio n. 17, primeiro aa-
dar, sergenerosanunle retumpen.-iu .
Escravos fgidos.
Ao amanhecer do dia i do crreme ir.ez o0-
ram os escravos seguintes : Tic t* 4a
nacao, alto, cheio do cerpo, maior de .*M) aaoos,
barba bastante rente, bHa ru.-to^a. e qnaso pra-
nuncia as palavras, o.- laMai ajaa .- praaaaa, ue-
mem alguma cousa, ten, as branco dos olliospria-
cipios de carnnsidade : Virissimo, nralaio, aan
pouco claro e alguma cou>a plido, magro, alta-
ra regular, tem marras de bexigas e espiabas ao
rosto, os dantes limado?, as pernas coa alcuans
e largas cicalrizes, e ai.ua como qnem um Mraaa
nos pes : quem os apprehender qneira lera-los ao
seu senhor em a ra da Aurora n. 32, ceno de
que ser bem recompensado.
rancisco Jos Germano
RA XOVA X. SI,
fleo sortimento
ultimo e mais
Novena de \ossa Senhora do
deixa de annunciar, e manda-se levar pelos caixei- Carillo e de Sal Anua.
ros da loja da arara casa dos pretendentes. O Vende-se na ra do Imperador n. 15, offleina
e tabelecimento est aberto at as 9 horas da noite, de encadernagao : o offlcio, salve e versos, nove-
ra da Imperatriz n. 56, Mendes Guimares.
Fazendas boas e baratas
Algodozinho bom e mpo a S?> a peca,
lazinhas de quadrinhos e flores muito bo-
Chegaram os superiores MANTAS I-ARA PESCOQO. S
o I Chegaram as desejadas mantas de finissima seda: outras fezeddas por baratisstmos precos, e detodo
COrteS de Seda. i ^^^ Para Pesc5 de nomem : na es,luina da: se amostras i cambraia para forro a 25000 a
l Madre de Dos, loja do balo. I Pe?a
Superiores cortes de seda de cor, vindos pelo ----------------'T------------------------
ultimo vapor francez : na loja das columnas a raa! Farinha de mandioca : tem para vender Au
do Crespo n. 13, de Antonio Coirreia de Vascon
Venlera-se chitas francezas escoras e bons pan- nitas para vestidos de senhoras e meninas a
8 a "ASP ^I^r^lJ'TrlVt' 24 e 200 rs. o eovado, brins de linho com
) o eovado, bretanha de rolo a a,gum loque de avaija ; m rg ^.^^
nos
cores fixas
25i00 a peca, cortes de casemira de cor escura a
bales de arcos a 35, 3$500 e 45, e muitas
cellos i C.
Vende-se um carro de carregar gneros da
alfandega, com uso, e lodos os pertences de ontro
igual, tudo por preco muito commodo : a tratar
po pateo de S. Pedro q. i.
Vende-se orna taberna na ra do Cordoniz n-
onlo Loiz de Oliveira Azevedo & C., no "seu "es-1 7livre e desombaracada : qoem pretender dirija-
eriptorio roa da Cruz o. 1._________________
Vende-se urna escrava crioula : nos Coelhos,
roa do Prazeres n. 10._____________________
Veade-se um escravo mc^o que j foi de en-
genho : a tratar na roa do Moadego, otaria n. 13.
sa a mesma, que achara com quem tratar.
Vendem-se palmeiras imperiaes, em estado
de serem transplantadas : no sitio morado es-
qoerda, depois do becca do Espinheiro, dos Af-
flictos.
gas e escuras de cores fixas a 240 rs. o co-
rado e outras muitas fazendas a maior par-
te de las do uso domestico, cujas fazendas
estarao expostas aos compradores desde as
7 horas da manbSa as 9 da noite : na ra
da Imperatriz n. 20, loja, dando-se amos-
tras de todas a quem nao poder vir na dita
loja.
Vende-se om preto crioulo, bem mogo :
pateo do Terco n. 141.
no
na e salve de Nossa Senhora do Carmo, tres fo-
Ihetos por 500 rs., e a novena de Sant'Anna por
320 rs._________________________________
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a
l0alata: nos armazensda ruado Im-
perador n.16 e ruado Trapiche Novon.8.
Farinha.
Vndese farinha de mandioca muito nova, sac-
eos grandes a 45 : no armazem de farinha da pon-
te nova dos Srs. Tasso Irroos, para porcoes, na
roa da Madre de Dos ns. 5 e 9.
TaSso IrmSos
vendem gesso em p para estuque de casas, fijlos
finos de feitfo diversos para ladrilho, azuleijos de
diversos gostos, lijlos vidrados para parede de co-
zinha, canos de barro para esfoto, cemento m
barris de. 10 arrobas.
Fuglo no dia 16 de jolho do crreme
a mnlata Suzana, aqual tem os signaes sefointe* :
altura regular, corpo cheio, cor clara acaboclada,
cabellos corridos e bem aparados, cara chata, tes-
ta estrella, olhns ppqnenos. nariz cbato. becaaj
grande, beicos finos, falta de dente, roaos rrossaa
e dedos curtos, idade pouco mais ou meaos 40 sai-
nos, natural do sartas, levou vestido de cr.ita
escura com palmas brancas e panno da costa, fal-
la sempre rindo-se : pede-se as autoridad* pe#-
ciaes, capites de camro ou qnaiqner que delta
souber leva la ao seu senhor na praca da lo \f,- a-
dencia leja de chapeos elle 16, qoe s*ra geBe-
rosamente gratificado, ao mesmo passo qne protes-
ta ser contra qualquer que o tenr.a aroutada, pata
ha noticias que esta dentro mesmo da cidade a u-
tada e se assim esta pessoa qoc a va entregar
do contrario ser ponida com ledo o rigor da te.
Aosentoo-se no dia 2 do rorrete ao meio dia,
da casa da rna do Imperador n. 16, o preto Kdimtav
do, crioulo, ebeio do corpo, altura ngolar, rosta
comprido, olhos peqoenos e ponca barba, usa sois-
sa e bigode, bastante ladino, representa ter 28
annos, pouco mais on menos, e jolia-se ter levado
calca preta e camisa branca ; este escravo foi com-
prado ao Sr. coronel Galvo. do Lirooeiro, para .
de se julga tenha fgido, mas ha qoem o ten!
visto na Passagem da Magdalena, Remedios e Var-
zea; e como se desconfa que esteja acontado,
prole?ta-se proceder contra qoem o tiver arsaVio,
e pede-se a qoem delle der noticia ou o ar-trrar,
qoe dirija-se a sobredita casa, cu a rna do Cresa*
n. 13, qoe ser recompensado.
Fugio no dia 6 de agosto o escravo crioolo da
nome Tiberio, idade de 20 a 2o annos. estatura
baixa, com (alta de um dos dentes de cima. Foi
escravo do Sr. Francisco de Alboquerqoe Mara-
nho Cavalcanti : qoem o pegar ou delle der noti-
cia, qoeira dirigir-se a roa da Cadeia do Reeife a.
33, loja de Valle Porto & C, qae ser* reesmpen-
sado.____________________________
Fugio na noile de 4 para 5 do correte nasa
escrava por nome Amelia, naci Bengnela,
de 40 annos, estalara regular, magra, coi
de bexigas pelo rosto, falta de dentes na
com om peqoeno defeito em um dos dedos 1
direita, cansado por om panaricio, levando 1
go duas filbas, ama de idade de 1S para 13
por nome Sezarino, oulra de 7 para 8 annos par
nome Ulina : quem apprebende-las leva-as re
dos Martyrios n. 14, que ser guaneada.

-----------;-------


Diario de Pernambnco Quinta letra i O de Agosto de 15.
v.
JURISPRUDENCIA
ESTADO LAIDOS.
Processo dos as&assnos de Lin-
coln e icward.
CONSKLHO DhGOBBflA EM WASHINGTON"
(Comlinua I
M. Poster, advogado de Payno arriaron qne nao
linha mais proras a dar, e qoe desista dofeatenro-
Dhn .1 s mdicos eoearregados de examinar o esta
do mental do seu cliente. (' jmIz lalrado Holi dis-
te que, seriara interrgalos a remwrimenlo do mi-
nisterio publico. Km ristt desta declaracSo, foram
chimados os mdicos.
O Dr. lames G. Hall disse : que conjuntamente
eom os Drs. Morris e Palter e com o cirurgio
Btraee, examinou Payne, e que era sua opiniao
qa nao havia no preso, nenhnm indicio de aliena-
mental, que tinha sim um espirite fraco e in-
cali, mas mosirava bom sonso; que sendo per-
gontado sobre a existencia de Deu*, respondeu que
acreditaba nella firmemente: e nae perguutado,
se jolgava licita a morle de um inimigo era tempo
de guerra, disse que sim.
Concordaran) o Dr. Morris e o cirurgio Bar-
nes.
Fui do mesmo parecer o Dr. Ganer que Iralou
Payue na prisao.
G jdi letrado Hall, participou qoe havia requeri-
do o Jepoimeuto de umitas testemunhas, para pro-
va de lacios, que dizem resuelto a coospiracio ein
geral, e nao a ueuhura dos aecusadoo ein particular
mas constando-liio que a defeza tem deapresentar;
nina memoria, requera que as testemunlias, nao
'.o>- ni pergeniadas seno depois da apresentaejio
ja dita memoria.
i!. Aikem, pjr parte da defeza oppoz-se a aprc-
sonucao do testemunhas pi lo ministerio publico,
depois de comegadas as aliegagoes, e declarou que
a memoria seria apreaenladu no dia seguinte ao
tribunal, cuja jarisdiccao conlestam lodos os ai va-
gados da defeza.
Wasliington, 16 dejonbo.
Foram perguniadas maltas testemunhas, entro
ellas II. Eisterward, empregada no banco de On-
Urio em Montreai, que referi as relages de
TU impson com este estabeleeimeato, declarauJo
qu2 Thompson, saeeou prineiro, urna letra de
O.OJd doliars em papel, moeda sobre o banco a
ordem de Benjamn Wood, sendo depois passada
a favor de Eastward sendo depois saccada outra
letra da mesma quantia, sjbre o Ciljr Banrk de
Nova-York, com este endosso : Pague-sa a Benja-
mn Wood ou a ia ordem. D.S. Eastward.-15.
Wood.
LITTBRATDi.
Domingos Bezerra de Barbuda e de sua mulher
Antonia Rodrigues Delgado, e por parte materna
de Antonio Cavalcanti de Albuquerque e de sua
(V.PI4 na ii pi ve ...u, mulner D. Margarida de Souza ; e casado com t D.
COPIA DE ALGINS TERMOS DE ENTRADAS DE 1RMA0S .
Domingas da Cunha > fllha de Antonio da Cunta e
de sua mulher Guiomar Gomes.
Nota.
Este t Antonio Cavalcanti Bezerra era fllho de
Cosme Bezerra Monteiro e neto materno de Anto-
nio Cavalcanti, o da guerra, como se v do termo
DA IRMANDADE DA MISERICORDIA DE OLINDA, Et-
TRAH.DA DO RESPECTIVO LIVRO DAQUELLA SANTA
CASA, E SEGUIBA DE NOTAS ILUSTRATIVAS, DEPOtS
DE CADA UM DOS MENCIONADOS TERM JS ; A QUAl.
KOI LIDA NO INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRA-
PIUCO PERNAMHUCANO, EM SUA ULTIMA SESSAO,
I'F.LO SR. MAJOIl SALVADOR HENRIQUS DE ALBU-
QUKBQUE.
1
cima.
X
Na sua fronte enrugada, na sua ptiysionomia ganha para sustentar dignamente urna esposa. De' de Dm |a(i0 debaixo das rodas; o earro totaboo,
rltonha advinhavase alguma infelicidade que Ihe'mals... Leoncio de opiniao que nao se devem a no ser _m 'tel ri -^
intia acontecido.
ontrarlar affeigfies.
Polna 1. Aos Ifl de juiho do 1633 se signaran) D0U por irrojo com termo Antonio Bezerra de P"rIr-me cora semelbante inferno. Emqnanto
por irmaosdesla Santa Casa, eaprimelra ele- Andrada ttiho da Francisco Berenguer de An- '"'"ver traidores, sbitos egostas qae se lingem
V'o JMMli se acha, o goveruidor Joao Fer-' drada e de sua mu|nt;r D. Antonia Bezerra. cora riuas cre Plillca> nm,ca raais me verao
aauui vieira, que logo entroo de provedor, Bal-1 Nota \ pleiteando elecSes. Ouve, Bita -, aquelle que eu
S A'Ve!hPr eSCrVS' ,00 Crdeir0 de Mec' I Este .Antonio Bezerra de Andrada era oulro Ju,8av los meus maiores amigos... foi esse
aanna por ihesoureiro, e pur conselheiros Amaro! CUDbado de Joao Fernaades Vieira. I raesmo 'lua Inais me atraicoou.
Lopes aadeira, Cosme de Castro Passos, Gaspar de XI "" Queres fallar do Sr. Ambrosio...
Folhas 14. Aos 2 de novembro de 1673 se assig-! ~ No< esse unico a Quera P0s;o a=toaI-
nou por irmo com termo a Joao Cesar Berenguer. mente chamar de am'g- Sempre do nosso lado,
Aliona, helippeooraes, Podro Feroaudes.FraQcis-1 Q|ho legitimo de Francisco Berenguer de Andrada nao uos abandonou jamis nos perigos, nem ser-
a d) Lago. Pa-so ua verdade, em f do e de sua mulher D. Antonia Bezerra. vla"se do embuste e da velbacana para despeda-
I
Acredite-se l era amizades, diz elle final- Ah I Elle ra tengo de ca:ar-me com o Sr.
mente fazendo um gesto como o de quera j tem Ambrosio.
perdidas todas as esperangas e attmgido ao liminar \ QUa| i0 riceies tal... lua mi saber pro-
de urna fatal realdade. I togcr.|e# Por lanl0 socego..., anda> minha fl,ha.
- Eu bem te avisava, Leoncio, diz D. Rita en-' vem a|HU)car. Vamos.... eu te prepare uns ovos
trando : e anda has de meller te em elecoes. eslralados que eslo excelleutes.
Eu ? Nunca inais I Vou s |)ara salisfa2ljr a vontade de mamii....
- ueixa vir a tentacao e tu estis cabido. n3o 10r que tenha appetite. A bocea amarga me
Nao, Rita; nunca mais serei tolo para im
Sonta liento, Antonio Das de Abren, Antonio Fer-
oandes Furoa, Domingos Alves Arre., Domingos
os mais que segucm.
que Qz este termo e todos
trasladados dos proprios.
Nota.
Este termo fei transcripto no relatoro da com-
missao do Instituto Arclieologico e Geographico
Pernambucauo lido em sessao de 29 de seterobro
de 1804.
II
Foilias 7. Aos 31 deoutubrode 1660 se assenteu
por Irmo com termo Francisco Berenguer de
Andrada natural da ilha da Madeira, e de sua mu-
lher D. Antonia Bezerra, iiha do Antonio Bezerra
e de Isabel Lopes naturaes da Varzea be, e neto outro sim o supplicaute de Heitor Nunes
Berenguer.
ola.
Este Francisco Berenguer de Andrada era
irmo de D. .Viana Cesar mulher de Joao Feruau-
des Vieira, e por conseguinte seu cunhado. O so-
gro de Vieira, tambera chamado Francisco Beren-
guer de An Irada era ualural da Iba da Madeira,
e foi casado duas teces, urna cora D. Antonia Be-
zerra, e outra com D. Joaooa de Albuquerque.
III
Folhas 11. Aoa 17 de abril de 1669 se assentou
por irmo com termo o capitao Clirystovo Be-
renguer natural de Pernambuco, ftlho legitimo
de Francisco Berenguer de Andrada natural da
ilha da Madeira, e de sua mulher D. Joanna de Al-
buquerque natural de Pernambuco; e casado com
^ D. Florencia de Andrada, filna de Henrlque de
Camino o de sua mulher Mara de Abreu.
Nota.
Este Cliryslo/o Berenguer d era tambem cu-
Yofi. 5ar S degrus da oseada por onde devamos su-
Esie Joao Cesar Berenguer era outro ctmhado'bir- Fallo do Sr. Florindo, esse mojo que promet-
de Joao Fernandes Vieira. ,leu trahalhar por nos e que se me confessava con-
X|[ servador de corayao e que no entretanto sustentou
Folhas 16. Aos 2o de fevereiro de 1684 se as- a chapa liberal e ind,iPfll a maior Parte dos V0,aQ-
signou por irmo com termo Jeronymo Cesar de les da B08M fn!guezia coulra os candda'0s 1 se
Mello, filho legitimo do coronel Agoslnho Cesar *Psentaram pelo meu partido... contra mim
de Andrada e de sua mulher D. Laura de Mello; "e810.. a quera elle chamava de amigo,
casado com D. Maria Joanna Cesar fllha do go- ~ El3 al" ('ue se ^l)i e,n e|li5's: O'miza-
vernador Joao Fernaudes Vieira. des- Ah Uem dma eu 1ue palavra de mulher
Nota palavra de prophela.
Este Jeronymo Cesar de Mello era genro de Lencio trairo Golibry I loo votos grita
JoSj Fernandes Vieira por ter casado com D. Ma- umi voz no corredor-
que le.
(Juaudo 1). Angela entro na sala de jantar, urna tran jnillam-nte n
de suas trias vcij entregar-Ule urna carta. acabava de sabir.
Ella abrio-a o com pasmo vio que dentro havia
urna segunda carta. Leu a priraeira, concebida
nos eguinles termos :
< D. Angela.Dentro desta carta vai an.>ssa ta-
boa de salvayao.... taboa de salvaco que de pro
phante viria a trra dentro d'ella.
Coralodo qnebrou-se e durante nm instante ssm
; poz se qae o animal se enfurecera eom lio desas-
trada occorrcncia.
Tratou-se logo de fechar as grades, mas prora-
velmente pequeo obstacolo seriara a colera do
monstro, se elle se zangasse; felizmente o efcphaa-
te, como viajante que comprehende o* areideaies
proprios de una jornada, desembaracou-se cont
pode i!- entre os i^-troros da sua jaula e segnn
en guarda at 1 rotunda d'onde
ra Joanna Cesar
nhado de Joao Fernandes Vieira, porm fllho da
George Wilkes e Abraii.io RusselL declararam 0Utr* mlller de Franc'^o Berenguer de Andrada
rn.h.r a o,.,..,r, ,lo R,.mi w.,..^ .... I e fp chamava D. Joanna de Albuquerque, como
se v do termo cima.
reconhecer a a-signatura de Benjamn Wood, que
era eolao memoro do congresso e anda boje,
proprietario do Dayll eros de Nova-York.
O tribunal contina no oa 19.
IV
O objectoque mais ocupa a curosidade publica
a aecusacao pelo grandie jury do Norfolk do ge-
neral Lee e de mais 10 o^i 30 foneelonarios civi-
on i ilutares do governo confederado. Contra lo
dar. os esfori;os fetos p:o jmz Underwood. para
obter do poder execotivo, aantorisagio para passar
immedialamente, mandad s de captara, contra os
aecusado*, M. J )hnson. recusa caih''g.>ricamenl>'
ganeciooar urna medida que importa urna fila-
c.ao flagrante das estipula.o' de Appotomax Court
House.
Um jornal de Washington diz que o presidente I
e o irocura'l^r geral na tomam coobeeimeoto
deste negocio deixando ao-i iribunaes aapreciacio|
do;> argumentos oj postos c aira a ceusucao e cap-
tura de Lee e inais acedados.
H. Cbamprt, um dos defensores dos reos, leu a
all.-g.icao de M. Reverdy Jobnsoo por d5o poder
este advogauo apie^en;,.i-^'J Da audiencia.
K. Reverdy Johnson traton largamente a questao
da competeucia do tribuna,, mostrando que o con-
selbo s tinha jarisdicglo sjbre os militares, uo
pjdudo estar sujeiios a jurisdiccao militar os cri-
mes punidos pela lei civil e cujo julgamento ella
regulara.
Demonstrou que o tribunal nao poda tomar co-
nhecmento la ai;cusacao, porque era preciso para i e de sua mulher Antonia Bezerra, naturaes da
poder julgar que houvesse um crlme punido pelos Varzea.
anigos de g'.ierra e qip o aecusado fosse militar;' Nota.
o que se nao d iva no caso em questao. Argucien-' E^le Manoel Das do Andrada era outro cu-
ton com a eonstitaieao, citando a quinta emenda .nhado de Joao fernandes Vieira.
constitucional que diza assim ninguem obriga- Por naturaes da Varzea deve entenderse elle
do a responder por um crime capital ou infamante Manoel Das e sua mai, por que seu pai era da ilha
senao por aecusacao f;ila pelo grande jury, excep-; de Madeira.
to nos chines commetlidos oo exercito, ou na mi-1 VII
licia em aciivd%erviC4) oa em tempo de guerra, ou j Folhas 13. Aos 27de janerode 1673 seassignou
bavendo pe igo pubco.o '' :rraao com termo Cosme Bezerra Monteiro
Folhas 13. Aos 29 de marco de 1673 se assignou
por Irmo com termo o t capitao Antonio de An-
draie Berenguer, fllho legitimo de Francisco Be-
renguer de Andrada e de sua mulher D. Joanna
de Albuquerque ; neto de Chrystovo Berenguer
de Audrada e de sin mulher D. Maria Cesar .
naturaes da ilha da Madeira.
Mola.
Este t Antonio de Andrade Berenguer era ou-
tro cunhado de Joao Fernaudes Vieira, neto mater-
no de Chry.-tovao Berenguer de Andrada e de sua
mulher D. Mana Cesar naturaes da ilha da Madei-
ra, e neto paterno de Heitor Nunes Berenguer.
V
Folhas 13. Em o 1-de julhode 1674 se assignou
por irmao com termo t Feliciana Berenguer de
Andrada lliho legitimo de Francisco Berenguer
de Andrada e de sua mulher Joanna de Albu-
querque, todos naturaes desta trra.
Nota.
Este t Feliciano Bjreoguer de Andrada era
ouuo enaltado de Joao Fernandas Vieira.
Por naturaes desta trra deve. entenderse Feli-
ciano e sua mai, por isso que seu pai era da ilha
da Madeira.
Folhas
VI
s 13. Em o Io de juiho de 1674 se assignou
por irmao com termo t Manoel Dias de Andrada
filho legitimo de Francisco Berenguer d; Audrada
lilha natural do mesmo Vieira-
XIII
Folbas 18. Aos 14 de agosto de 1688 se assig-
nou por irmao com termo Leonardo Bezerra Ca-
valcanti > til to legitimo de Cosme Bezerra Montei-
ro e de sua mulher D. Leonarda Cavalcanti, e ca-
sado com t D. Joanna da Silva Percira fllha do
capilo-mr Antonio da Silva e
Maria Perelra.
Nota.
Este c Leonardo Bezerra Cavalcanti foi um
dos principaes na revolugai de 1710 contra os
Mscales. Era entao sargento-mr, foi preso e de-
gradado para a India por dez annos.
Falleceu na cidade da Babia e foi sepultado era
urna das igrejas daquella cidade.
XIV
Folhas 18. Em o Io de novembro de 1691 se as-
signou por irmao cora termo o padre Manoel Fer-
nandes Vieira perfllhado nos livros de S. Mages-
tade por filho do governador Joao'Fernandes
Vieira
Nota.
Este padre Manoel Fernandes Vieira era fi-
lho natural de Joao Fernandes Vieira ; fui depois
vigario collado de Itamaraca e senhor do engenbo
Inhaman.
Veja-se o relatorio lido em sessao do Instituto
Archeologico e Geographico Pernambucano, de 29
de setembro de 1864, transcripto Da Bevista n. 4.
XV
Folhas 21. Aos 3 de marco de 1692 se assignou
por irmo com termo Manoel Cavalcanti Bezer-
ra filho de Cosme Bezerra Monteiro c de sua mu-
lher i. Leonarda Cavalcaut ; ueto por parte pa-
terna de Domingos Bezerra Monteiro e de Antonia
Kodrgues Delgado, e por parte materna neto de
Antonio Cavalcanti de Albuquerque o de sua mu-
lher D. Margarida de Souza; casada com D. Ma-
ria de Mello fllha legitima do capitao Joao Fer-
reira de Mello e de sua mulher Victoria Barboza,
neta por va paterna de Joo Lopes de Cerqueira e
de sua mulher Maria Barboza, e por parte materna
neta de Miguel Ferreira de Mello ede Maria do O'.
Nota.
Este Manoel Cavalcanti Bezerra era fllho de
Cosme Bezerra Monteiro, e por parte materna neto
de Antonio Cavalcanti, o da guerra, como se v do
termo cima.
XVI
Folhas 23. Aos 30 de marco de 1698 se assignou
por irmao cora termo Manoel de Araujo Caval-
canti filho legitimo de Bernaroino de Araujo e
de D. L'rsula Cavalcanti ; neto por parte paterna
de Braz de Araujo Pereira e de Francisca Soares,
e por parte materna neto de Manoel da Serra e de
sua mulher D. Brazia Cavalcanti > e casado com
. Brazia Cavalcanti, fllha legitima de Cosme Be-
zerra Monteiro e de sua mulher D. Leonarda Ca-
valcanti lilha legitima de Antonio Cavalcanti de
Albuquerque e de sua mulher D. Margarida de
Souza.
Nota.
Este t Manoel de Araujo Cavalcanti foi casa-
do com t I). Bmia Cavalcanti fllha de Cosme
Bezerra Monteiro e neta por parte materna de An-
tonio Cavalcanti, oda guerra, como se v do termo
lde entrar. Sr. Ambrosio, diz D. Hita.
Ora viva o meu amigo Leoncio, prosegue elle
entrando mu lo sacudido. Eoto est muito triste?
Nao vile a pena, meu caro; delxe-se de incommo-
dar-se por urna bagaiella. O que vale ser porta-
dor de ama lista? E' cousa que uo da lucro, an-
tes tira. E depois... deixe estar Sr. Leoncio; nos
a rouuer I1"1*1 aVe,"0S de P"r esltS liberaeszinhos de per-
nas para o ar. Esperemos que o tempo corra,
dexe as eousas audarem na nossa freguezia. Da
vira em que seremos os dominadores de lodo este
povo.
Menos eu, que com traidores nao me mello
mais.
E' commigo, Sr. Leoncio? Eu que sempre
conservei-me duro, (irme no meu posto, inflexvel
e valeule ?
A ti, meu caro Ambrosio, s o que devo
enderecar os meus sinceros agradecraentos. Tu
s o nico amigo meu... os mais sao uns infames.
uatural de Pernambuco, filho legitimo de Dorara- acima
Oadvogado declarou nao ter intencao de sub-!gos Bezerra de Barbuda e de Antonia Bodngues
1 Delgado ; neto por parte paterna de Domingos Be-
Um dos seus netos do mesmo nome o Dr. Ma-
noel de Araujo Cavalcanti casou com urna [ilha
tratar sua cliente a um juiz legitimo, julgara isso
urna deshonra ; combat?ndo a competencia do tri-
bunal, nao dtfeudia madama Sorratt, mas sim as
lels e a constituido do estado.
Emquantoa accusada,dizia que era impossivel que
urna mulher, que era lemente a Deus, bondosa e
caritativa, como se mosiravaser pela sin vida pri-
vada, s- i motivo contiendo, mudasse era um mo-
mento iraeter,-, e t-imasse parte nos crimes de
que sllala. Par,, bao ?s acreditar, careca de canli chamado, o da guerra, por ter nella figurado
provas irrecusaveis e de estemunhas fra de toda mui,0 e foi asle Antonio Cavalcanti sogro de Cosme,.
a excepco. E mereciam tal conceito as testemu- ***** M'iro um dos principaes, se nao o pri-'V
abas quedepuzeram ? eixou para os seus assis- me,ro, na co:ijuracao contra Joo Fernandes Vieira .
motes a aualyse do, Jepoimentos. O advogado con-,cujo maniod.spuU.vara,paraarreda-loda influencia l ^^"L'TL \\"?.l ^T.
*uio dizend.. que se erara verdadeiros os fados, ie importancia que exercia na guerra em que todos i
zerra de Barbuda e de Brasia Monteiro, ep>r parte : d0 mestre de campo Manoel Alves de Moraes Na-
materna de Cosme Rodrigos e de Sima da Rosa ;! va,ro> D- Isabel Thcreza de Moraes Lins, de
cujo matrimonio nasceu Luiz Jos de Albuquerque
Cavalcanti Lins, vigario que foi desta freguezia de
Santo Antonio do Recife al o anuo de 1843.
Veja-se a Revista Trimensal do Instituto n. 4
pag. 114.
Folhas 23. Aos 29 de junho de 1698 se assignou
por irmao cora termo t o capitao Antonio Alvares
| Bezerra filho legitimo do capitao Francisco Al-
Mara da Silva;
neto por parle paterna de Belchior Alvares Ca-
e casado eom Leonarda Cavalcanti lilha de
Antonio Civalcanti de Albuquerque e de D. Mar-
garida de Souza, todos dtla trra.
JVoa.
Este Cosme Bezerra Monteiro foi casado com
t D. Leonarda Cavalcanti i filho de Antonio CavaP
que Weichman e Lloyd referiram sobre as suas
relagoes com Bjj! e Payne, coocluia-s* que elles
couheciaiu meibor o crime projectado do que ma-
dama Surratt, e havia una presainpco inais forte
de terem lomado pane na exacucao, do que contra
a aecusada.
Wa.-binglon, 19 de junho.
Depois da allegacao de M. Reverdy Johnson, se-
guio-se a defeza de Haiuold por M. F. Stone. O
advogado contestn que o aecusado livesse tomado
parte no assassmalo do presidente na havendo
provas algumas qae elle tivesse conspirado com
Bootn ou com outros ara auxiliar a rebe'liao ou
dorribar o governo.
U defensor reconheceu que o seu cliente auxilia-
ra Boolti na fuga, e que por isso devia sujeitar-se
as consequencias: lembrou as palavras de Booth
punco lempo antes de morrer : Declaro peran-
te o meu Creador que e*te horaem est Inno
rente.
O advogado oneluio mostrando nao haver prova
que Harrold aconselhasse ou machinasse o assassi-
nato de M. Liocoln ; que quando ramio, poderia ter
acompanhado Booih, e haver-lhe servido de guia
que era o unico crime porque poda ser castigado,
mas como a lei nao o tenba previsto, implorava pa-
ra o aecusado a clemencia do tribunal.
Seguio-se M. Cox, defensor de Arnold e de
O'Langhlin, que examinou delicadamente os de-
poimentos das testemunhas contra os seus clientes
procurando provar que elles nao tinbam tomado
parte alguma na conspirado, conclnindo por pedir
qne fossem absolvides.
(Conlinmr-se-ha.)
se empenbavam contra os hollandezes.
Antonio de Mello Machado e de sua
mulher Isabel de Miranda, e casado com D. Lui-
za Felppa de S fllha do capitao-mr Diogo Pal-
Qual tena sido a sorle desta gloriosa empresa cao de S e de sua mulher D. rsula Berenguer,
se os conjurados tivessem levado a efeito os seus ne.a por parte paterna de Diogo Falco de S e de
errado planos ? sua mu|ner rj. joanna de Oliveira e por parte ma-
Vieira desapparecendo da scena como chefe lerna de Francisco Berenguer de Andrada e de
provavel que as ambicSes surgissem e que cada sua mulher D. Antonia Bezerra.
qual se julgasse no caso de o substituir; e assim re-! Nota-
nando a desuniao, o resultado devia ser todo em I 5* Cap'W An,oni Alvares BL'zerra fl ca"
favor do inimigo, que saberla aproveitar o ensejo Sad COm Dl Luiza Felippa de S De,a por Par"
para destru los completamente. A Providencia Di- te malerna de Franciseo Berenguer de Andrada,
vina porm, burln to negros planos e completou "S de ,0" Fernandes Vieira-
afinal os seus designios. esle Anlonio Alvares Bezerra um dos an-
tigos morgados das Alagas e mais tarde capilao-
VIII
Folhas ,3. Aos 27 de Janeiro de 1673 se assig- ^''piff.'Sirgm.m.mor de ordnanos
non por irmao com termo Domingos Bezerra Ca- Je Pernambuco Belchior Alvares Camello e sua
valcanti. natural de Pernambuco, fllho legtimo de malher D. Joanna Bezerra foram os doadores
Cosme Bezerra Monteiro e de sua mulher D. Leo (das ierras em que hoje est edificada a igreja de
narda Cavalcanti, neto por parte paterna de Dorain- Nossa Senhora da Penha e seu hospicio, como
gos, Bezerra deBarbudae de sua mulher Antonia Ro-;coosla da escriptura publica lavrada pelo tabelliao
dngues Delgado. e por parte malerna de Antonio Domingos Dias Timb, em 19 de abril de 1636, cu-
Caraleanii de Albuquerque e de sua mulher D. j, copia fl)i offtfrlada ao ,, pe|o Rvn) efej.
Margarida de Souza ; e caado com D. Leonor t0 actua| Fr. Seraphim de Galana/
Cabral 'lilha de Antonio Paes e de sua mulher Ma-
ria Muniz, todos naturaes desta trra.
Nota.
Este i Domingos Bezerra Cavalcanti > era filho
de Cosme Bezerra Monteiro e neto materno de An-
tonio Cavalcaoli, o da guerra, como se v do termo
a cima.
IX
Folhas. 13. Aos 27 de setembro de 1673 se as-
signou por irmao com termo Antonio Cavalcanti
Bezerra natural de Pernambuco, filho legitimo
de Cosme Bezerra Monteiro e de sua mnlher D.
Sala do Instituto Archeologico e Geographico
Pernambucano em sessao ordinaria de 3 de agosto
de 1865.
O 2o secretario
Salvador Henrique de Albuquerque,
CH POLCO DE TIDO.

AS
CORES POLTICAS.
(Coutinuaco.)
X
Tres dias depois, tarde, passeava o Sr. Len-
Leonarda Caralcantl, e neto por parte paterna de ci a largos passes pela sf*^ sala.
Gosto disto, torna o Sr. Ambrosio; a mais
preciosa recompensa que posso ter a gratido de
um amigo.
E o requintado hypocrita, nao sei em que parte
do seu organismo foi buscar urna lagrima, que ro-
[a-lhe nos olhos e nao tarda a escorrer pelo seu
rosto.
E o vil Florindo, beim, Sr. Ambrosio ?
E' verdade, diz o Sr. Ambrosio enxugando
os olhos com o seu lenco de chita,' porlou-se da
maneira a mais indigna possivel. E aposto que o
meu amigo nao sabe de um projecto seu rauto ce-
lebre.
Qual ?
Pretende casarse cora 1). Angela.
O Sr. Leoncio recua dous passos e pergunta :
Com miuha Giba ?
Sim.
Nunca. Ser mais fcil o co desabar.
Mas D. Angela nutre por elle urna forte af-
feieo.
Essa affeicao eu me encarrego de extinguir.
O meu amigo nem deve consentir que elle
pise mais nesie soalbo.
Esta resolugao j est tomada.
E' verdado que a sua filha ha de ficar milito
apaixonada, quando souber destes desarranjos.
A paxo durar pouco.
E quanto foi bom acontecer tudo isto, ami-
go I Conheceu-se o carcter do hornera a quera iam
ser confiados os destinos da vossa filha.
Isso que urna pura verdade.
Agora talvez que D. Angela saiba distinguir
o bom do mao. Quando um dia eu Ihe disse que
lioha-lhe incliuago, ella riu-se da mnha confis-
sao. J linha o seu namorado, o seu caro Florin-
do. Nao sei quera hoje mais ridiculo... se eu.
se elle.
Muito esliraei saber disto. O senhor uro
horaem honesto, probo, e que possue bens que po-
dtm sustentar numerosa familia. Por conseguin-
te, eu serei o primeiro a proteger este amor e ar-
ranjar o seu hymineu.- E creame que ha muito
terapo eu quera fallar-lhe sobre esle negocio.
Muito obrgado, meu amigo. Ah I que fres-
cura de nev I O meu coracao agora vai tornndo-
se mais socegadinho: tem andado at hoje muito
desinquieto.
Nesle momento balem porla.
E' elle... o Sr. Florindo diz a raeia voz o I
Sr. Ambrosio todo espantado. Ponha-o pela porta
a fra. Quaotu a mim... eu nao appareco, por;
que se o vejo... dou-lhe nm tito.
E safou-se pelo corredor da sala de jantar.
Tornam a bater. O Sr. Leoncio abre a porta.
Era florindo.
O Sr. Leoncio recua... um n se Ihe atravessa
na garganta, empallidece, treme, levanta os bra-
cos em accao de quem amea^a.
O que tem, Sr. Leoncio?
Queres a morle, infame ?
Nao o comprehendo.
Fra da minha casa I
A razo?
Nem mais urna s palavra I Oh I eu me
perco I
Mas explique-me...
Para longe para longe !
E atira-lbe cora a porta a cara.
D. Angela, que assistira a esta scena terrivel,
porque entrava na sala no mesmo instante em que
o Sr. Florindo apparecra... vendo o seu amante
assim ul.rajado, e todas as suas esperanzas des-
truidas, corre pela sala como urna louca, excla-
mando em tom que corla coracao :
Meu pai I Eu morro I
E cabe desmaiada sobre una cadeira.
XI
No da seguinte, quando D. Rila foi chamar a
sua filha para alraocar, achou-a no seu quarlo pros-
irada dianle da imagem de Nosso Senhor dos Af-
ilelos allumiada por urna vela de cera.
Animo minha filha ; nao chores, nao te an-
gusties. Tu nao sabes como teu pai I 1) isa
passar a sua colera, e tu veras como elle ha de
comprehender que de razo.
Nao, minha mai; replica D. Angela erguen-
do-se j nao tenbo mais esperangas. Meu pal an-
da hfiitem me disse que ainda mesmo quando ti-
vesse havido esla desintelllgencla entre elle e Fio
Em Mobile, cidade dos Estados-Cnido?, den-so
ha pouco urna explosao que fez trezeolas victimas
psito laucei para que teu pai conhecendo o carac- entre morios, feridos e sepnllados debaixo das rni-
ter daquelle que considera'o seu maior amigo, te as j e urna correspondencia escripia por teM-ma-
livre das raaos delle.... desse traidor e infame nha oceular narra os promenores dessa ralastro-
que teu pai da meibor f destina ha muito lempo P"e do modo seguinte :
pai a teu marido. O Sr. Ambrosio, disse-me elle Na larde do dia 25 de maio, om abalo terrrei
por varias vezes, o nico a quem confiara a ra- semelbante a um tremor de Ierra, acudi a n-
uba fllha. Pois bem. Mostra aoSr. Leoncio arabas dade al aos alicerces: as ca estas cartas___o elle saber que sena eleicao de D'e as bases, e as vidracas voaram em esiilha-
inirn teve opposicjto, por que eu nao quiz descer a So-
lista de renegado do meu partido, preslo-lbe agora Havia rebeotado urna horrivel exploso ao paiol
da plvora do arsenal, situado ao cauto das ras
LeascMab e do Cominercio.
Em o arsenal na occasio da exploro estavaaa
200 loneis com cargas de espingardas e cosa carta.
chos de artilheria.
Por isto se pode julgar da forca da exploso.
ito quarteires de ca-as que mais peno es-
lavam do arsenal, foram completamente destrui-
das.
o- mais solidos cdiuVios oscilaram por algnas
segundjs, calando sobre suas bases eom esiraad*
horrivel, e sepultando debaixo de as ralaaa as
habitantes que lugiam aterrados em todas as direc-
ges.
As ra; de S. Luz, Water, Commercio e Froat.
nao sao boje mais que urna massa informe de ea-
tnlho, Wales Street nao P. i poupada, e os desaba-
mentos succedem-se nns aos ontros.
Durante manas horas depois da exploso, cai-
xas de muuires conimuaram a sallar, eoetwado
o ar de projeclis e causando numerosos aceiaVa-
um servico relevantissimo livrando a elle e a sua
familia das garras desse lobo que se disfarca com
as vestes de una ovelba. Adeus D. Angela.Fio
i indo. ,
Assim provocada a curosidade da moga, passa
ella a ler pressurosa a segunda carta que, para fal-
lar com exactidao, conlinba duas missivas, cajo
conleudo ja devassei ao leilor procedentemente.
No Qm da leitura, una effusao de jubito rrben-;
tou no coracao da linda joven___e duas grossas
lagrimas rolaran) mansamente sobre as suas faces
cor de jambo.
Que infamia I vendeu-se por cem mil res !
exclama D. Angela limpando os seus crystallinos
olhos humedecidos pelo pranto.
XII
Dahl a tres dias celebrava-se na matriz de ** o
casamento do Sr. Florindo com D. Angela.
De noile houve um brilhante sarao que termi-
nou por um banquete as quatro horas da madruga-
da. Neste banquete, dianle de grande numero de les.
convivas, O Sr. Leoncio fez a allqcucao seguinte : Ao mesmo tempo o fogo romecava a lavrar em
Meus senhores I E' grande e amavel o me- diversos pontos, f, em presenca do geral lanar
livo que hoje aqu vos rene. Acaba de entrar uo pam0Oi prodczido por esta lerrivel eathastrofl, le-
mundo urna Olha... acabo de adquir um genro1
que sempre hei de considerar como um filho. Mo-
go de br.lhantes esperaugas, guarda no seu peito
um uobre coracao que s palpita pelo dever. Para
prora do que digo, lembral-vos do seu procedimen-
lo firme e mabalavel durante esta ultima eleigo.
loiraigo meu as ideas polticas, nao se esqueceu de
mira no fundo do seu coragao, moslrou-se meu ver-
dadeiro amigo e amigo da minha familia, dndo-
me urna prova irrefragavel da vileza de um ho-
mem, que linha talvez de ser a causa da desgraga
da ini'lla que boje espera om futuro grandioso, li-
gada como se acha a urna alma sera mancha. Es-
tas e outras acedes de verdadeiro liberalismo tanto
me impressionaraui, e to alto enlhusiasmo gera-
nio no meu peilo, que hoje francamente declaro
diante deste luminoso concurso que d'ora avante
abragare as ideas libertes, que sao aquellas que
mais se coaduinam com o meu modo de peusar.
Por lauto, meus seuheres, saude do partido li-
beral.
E euiornaudo urna boa porco de vinho n'ura co-
paci nagua, virou-o ludo.
Virou o copo de viuho no momento era que vi"
rou a casaca.
E qual dos dous ser mais digno de censura ?
Aquello que vira un copo de vinho ou aquel le
que vira una casaca ?
uwaal paduani.
XIII
Digam l o que quizerein----a regra geral
esla : nao ha cores polticas.
Ao menos eu anda nao achei prismas alravs
do qual a avistasse ntidamente.
O que Crto que para o Sr. Ambrosio perso-
nagem imagiuario, da mesma sorle que os de mais
deste romance, bem como para outros muitos que
por ah fiO, a cor poltica urna s, a saner : a
cor de ouro ; tal o a ir que as mais das vezes af-
fecta a conveniencia dita pessoal.
XIV
E o Sr. Ambrosio ?
E' muito ualural que o benvolo leitor, que me
lera acompanhado as rainhas cores polticas mal
desenhadas por um pincel grosseiro, faga aquella
pergunta. Pois bem. De bom grado respoudo.
OSr. Ambrosio engorda cada vez mais, e conti.
nua a nutrirse com as suas sardinhas e a sua sa-
lada de alface.
Pouco o incommodava, por lano, a inimsade do
Sr. Leoncio que uo poda v-lo, tal era o odio que
Ihe volava.
me-se que a cidade seja n'ura momelo redolida a
cinzas.
Por agora, nao ha depois da exploso maiores
e.-gracas a deplorar, a excepeo de 4 oa 5 ca isoladas e dos vapores Cate Dale e Colonel Ctuet.
Em resumo; a exploso rausoo o .foiot* :
quarteires de casas inteiramenle destruidas; 300
victimas entre morios, feridos oo sepultados aaa
ruinas; 12:000 fardos de algodo consumidos peto
fogo; 3 vapores queimados.
A perda material est avaliada em oilo mtMas
de doliars (ou oito mil ronlos, pooeo naU oa me-
nos.
Muitos ofOciaes e soldados federa** foram Bur-
lo*, e nm destacamento de 45 horneas de cor,
qu eslava de guarda ao arsenal.
A causa da exploso nao ainda coaheeida, e
provavel que se nao descubra, porque lodos aa m
se achavam nos edificios visinhos ao arsenal pere-
ccram.
O general Granger mandn fazer nm iaqoerto
sobre a cataslropbe.
O forte llaileck, para cima de ColombosfEe
cky) despenhou-se no Mlssisipe arrasiado peiai
da do penhasco.
Segundo refere um diario hespaohol, o iaaaera-
dor terminou o grande trabalho qae tem Mo so-
bre a Argelia e em que havia dias se oerupava cota
grande assMuidade.
Consta de tres parles: a pnmeira traa da cdo-
nsago; asegunda da oceupaco militar; a ler-
ceira dos rabes.
O imperador enviou ama copia a cada miar-tro
para que estes pouham a margera as observar^ t
queenlenderem.
O imperador do Mxico deu ltimamente, coa
presente de bodas, ao marechal Bazaine. qu acaba
de contratar matrimonio com ama mexicana, um
palacio avallado em 100:000 duros.
No caso de abandonar o Mxico, o geaeral fraa-
cez ter de o devolver ao governo pelo preco em
que se acha avahado.
aa>
E' do Sr. Firmino Candido de Figueirdo esta
poesa :
ALLUSAO.
Mimoso lyrio, que, ao cahir do orvalho,
ormes uo galho embalsamando o ar;
Mais tarde a brisa vera beijar-te o seio;
1 Que doce enleio, que te faz gozar I
: Ouves do vento o murmurar queixoso,
I No verde bosque que te vio nascer ;
i Gozas o en.-anio do luar sereno,
Vivendo a vida que le d prazer.
No dbil ramo feticeiras aves
: Veem ao crepnsc'lo modular-te um ai;
| Quando a correte do regato amigo,
; Por sobre os sexos suspirando cai.
Quanta harmona no cantar das aves I
Qoanta incerteza no viver da flor I
Se a ingrata foote Ihe negar as aguas,
No tronco inorre, de infernal calor.
L, onde o acaso te plantou cuidoso,
' Lyrio formoso, vai o insecto vil,
No mais mimoso do leu seio ameno
Fatal veneno vomitar subiil.
jij ii a
Se o exemplo do que acaba de ir:.tirar om adro-
gido de Pesth se generalisa entre nos, ja nao sera
preciso consultar o almanack para se saber onde
mora ojuriscontuito.
Cada qual que precisar de conselhos s lera a
sahir de casa e chegar a esquina, onde encontrara
advogado, nem mais nem menos como sa (osee a
frucieira ou a mulher que vende castaabas.
Eis o que se l no Pesti-iiinutk:
Um advocado de Pesih, cansado de esperar bal-
dadamente os clientes no sea escritorio, imagiaoa
e-tabelecer um escriplorlo ambulante.
.Veste intuito mandiu construir orna barraca do
madeira montada sobre quatro rodas; aullido
n'ella cora a sua livraria tenciona percorrer assim
os diversos bairros da cidade, fixaado-sc mais lem-
po n'aquelles onde ihe correr mais propicia a for-
tuna.
I wwu I I
Entre os passageiros ebegados de Melboorae pe-
lo Iloyal Standard, diz um jornal de Londres, coa-
ta-se Jobony Day, o maior andarilho da Australia,
ijuc vem desaliar os seua collegas a IngUt rra
E' um rapaz de 9 annos, leodo de estalara l,M
e pesando 25 kilogrammas.
Extrahimos do Jornal dos Debates o seguinte
caso:
L'm accidente que podia ter s mais graves con-
seqnencias se deu hontem de manha no Jardim
das Plantas.
Ura dos dous grandes elephantes pertencenles a
coller.go de animaes do referido jardim linha de
ir para Inglaterra, em razo de se ter julgado con-
rindo, nunca havia de consentir que a sua filha se' veniente troca-lo por outros animaes mals ra-
casasse com um mogo pobre e que s daqui a dous l-
annos obter o grao, que deve dar-lhe o poaga-l O elephante, pois, foi metlido n'uma jaula de
nbar. grandes dimensoes e esta collocada sobre um car-
- Tudo isto elle diz, menina, por estar ainda!ro Ia* a devia f0DdaIir a, ao ces de Austerlli*
debaixo daacgo de motivos poderosos, que quasi o onde um vaDor se achava com as caldeiras accesas,
tem enlouquerido. Teu pai sabe perfeitamente qne j esperando o seu enorme passageiro.
o Sr. Florindo pobre, com tudo um mogo intel- j De repente o terreno de urna alca, amollecido
ligente, de futuro brilhante, Irabalbador, e qne j pelas chnvas do dia e da noite antecedentes, ceden
O Sr. Cantillo Castello-Braoco acaba de eariqw-
cer as nossas letlras com mais nm lirro de aoavel
prego, edtalo pela casa Mor, e Esbocos de apreciaron luteranas.
Dizem as ultimas linhas do prefacio :
Bem m'o diz a razo qae sera este o meaos es-
limado dos meas livros : pooeo ha ah i
ra saber o que diz de outro um eseriptor
o nao detraha e injuria.
Nao eremos que se verifique o que diz a la-
cundo romancista que Ihe est mgiodiada a
razo.
O seu livro discorsa to aperladaaaease
de deseoove escriptores, prosadores e poetas,
todos anda vivos, que cao temos dorida asa
dizer bom xito a n*va publicaco.
Conversavam ha das entre si as
cincos Martes, recrutados por
cima.
Um delles, desejoso de se esclarecer
ponto escuro, a qne provavelroeale se .
de nao acbar resposta que o salisAsame
com imperturbavel seriedade aos qoe o'r
Ora voces nao me diro c
sendo mea pal e minha mi naturaes da
nha, eu nasci em Portugal ?
Se estes nao vo direiios para o eda I...
sabr aaa
i
PERNAMBUCO.- TYP. DE H. F.DC F fUao
r.. -^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPA7LUBHB_PC1QN9 INGEST_TIME 2013-08-27T20:33:11Z PACKAGE AA00011611_10739
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES